Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:12658


This item is only available as the following downloads:


Full Text

AUNO XLViH. HUMERO 109
'
fOi k CAPITAL E iUGASES OIDE XAO SI PACA POT.
Por ire mexes aiaritidis................. ityOO
?w seis ditos dem ................... I20OOO
Por dd aao idea..................... J4jJ000
3id momero avolso ,.,.,*..,, t t Jo

TERCA FEIRA 14 OE MAIO DE 1812.

PA1A DMTRO I POBA DA PBOVIIGIA.
Por tre mezei aduntadoi ,....... .
Por da ditos idem.........'..,.,
Por nove ditos idea ,. ,
Por ara anno idem .
......
...
I7M
17JW3
Propriedade de Manoel Figneira de Fara & Filhos.
mmum.
AO ACff1TII:
Os Sra. Gerardo Antonio Avea d Filhos, no Para ; Goneajve & Pinto, no Maranhlo ; Joaqoim Jos de Oliveira 4 Filho, no Ceari ; Antonio de Lemoi Braja, no Aracaty ; Jlo Mara Jnlio Chive, no Au ; Antonio Marqnei da Suva, no'Natal; Jos Juma*
Peraira d'Almeida, em Mamanguape; Augusto Gomes da Silva, na Parahyba ; Antonio Jos Gomes, na Villa da Penha; Belarmino doi Santoi Baldo, em Santo Antio; Doaingoi Jos da Costa Braga,
em Nazareth; Antonio Ferreira de Agniar, em Goyanna ; Francino Tavares da Costa, em Alagoas ; Dr. Jos Martins Atol, na Baha ; e Leite, Cerqninho 4 C. no -Rio de Janeiro.
PARTE OFFICIAL.
da provincia.
D A "O Dli AUU1L DE 1872
c; overa o
EXPED.E.NTK DO
A : :
O vice-presdcold di proviocia, usand j d
attribuigii que Ihe confire.o art. 7" da le de I!
de agosto de 1834, resolv prorogar at o du 15
da mato vindouro a prseme sesso da asserabia
legislativa provincial. Fxjedira:n-se as uecessi-
rias comuiunicjgtos*.
O vice-pre.-idaue da provincia, atlendando
a; qie requereu o aleles poita-baudeira j 8*
batalbo du infamara da guardi nacional Je-te
municipio, Jj do liego Dantas Ciutiuho Jnior,
e vu'.a dj que ratai ni u j eoaimindanie superior
respectivo eni cOtau o. 337 de 23 do crreme, re-
sol ve, de contamudade com o uispo-to do ari. 43
do decreto d. 1,130 de l de margo de 1S53. que
se Ibe d a guia de que traa dito art. para o mu-
nicipio de Santo Aotao, onda tem lixado a rsaa re-
sidencia.
O vice presidente da provincia resolve proro-
gar por mtiia 13 da, a coniar da 2(5 do crreme,
a l.ceoga que por portara da 2 de tezereiro prc-
xiino ,>a-- id >, tai oocedida ao do:embaigador
Jji lunario Aecioli do Vasconcellos para tratar
da sua saie
O vice-prcsidente da provincia, atiendendo
SO qua ruquereu o profesor publico da cadeira
de iu>tracgo primaria da povoago deS. Jos* da
Hi -Esperaug, I/ador j Mariano Cesar, e leu lo etn
vista a ;d( .miara i do director g Tal interino da
insirucgo publica de 20 do crrante, sob n. 144,
resuUe conceder Ihe 30 das da liceuca com ven-
ciraeutos para tratar de sna sade.
e.Ii ;ij :
Ao Exm. conselheiro Aosalmo Francisco Pe-
reisi, 3* vice presidente, nao podendo, por ser sus-
peita, lomar, couhecmento da prelengo do baro
de Morenos, cosante do incluso requerimento,
relativa ao terreno de manuba, em que se acha
editicado o sobrado de 3 aadares, o. 7, da ra do
Senhor Bom Jazus, rogo a V. xc. sa digne resol*
ver respailo di mas:iia preleoca, como enteader
de justiga.Cjmore ma asegurar a V. Exc. que
rdcatu aadas as conveaienus ordens a secretaria
ai .i presidencia para observar as da V. Exc,
preslaudollie us esclarecmeutos qua julgar uoces-
urios.
Ao Exm. brig adeiro commandanla das ar-
mas, mandando pr em liberdade os recrntas
francisco Bernardo da Silva e Jos Bernardo da
Silva per terein privado senco legal.
Ao mesmo, mandando, em curaprmento do
avisa do inioxteno da gueira de 19 do correte,
qua |: i 2* balallio da iiilintaria se passe a i-
ua oQjio do llaado capitao Balisario Oiympio de
Camino, requerida por seu irmo o major gra-
duad; Eudoro Emiliano de Carvaliio.
Ao nitsuio, devclvciido, para os nsconveni
Mies, o requerimeuto do i .argento do9bataibol
iid ifinlaru Ealo Antonio da acaza, acompanha-
ar-da_inIoraiae>, do presidente do Maranbao.
Ao mesial), re.-pondando, era a inciusa co-
pia do lli:u do commandanlj superior da guarda
nacional dos municipios do Cabo e Ipojuca, de 22
do correte, o aeu oiricio de 8 do dito mez, acarea
do guarda desiguado do batalbao n. 40 d'aqoelle
municipio, Josi Itoctiigucs da Silva, que se acha
com praga no 1 batalho de inaiitatia do txercito.
A o mesmo, davolvendo, pira os lins eoove-
nianies, o requerime lo do ansp;gada do 9* Data-.
luo de intimara, Carindo Jo.^ Soares, acom-
pr.nhado da copia do cflkio do pirdeme da pro-
vincia de Maranbao de 18 do crreme.
Ao inspector da tbesouraria de fazenda.com-
municaado que, segundo o aviso do ministerio da
juiiga de 17 do crrente, foi solicitado do da a-
' zenda para habilitar esss tbesouraria com a quamia
de 300i, aiii da occorrer ao pagamento da ajuda
de custo aibitrada ao bacbanl Vicente Pereira do.
Hago Junio;-, nomeado juiz municipal e de orphaos
uo termo de Ouricury.
Ao mesmo, communicando qu-: a 17 do cor-
renta reassumio o bacbarel Joaquim Cordeiro
Coelho Cintia, o exercicio do cargo de juiz muni-
cipal e orpaos do termo de Gi>auoa, p.r ter as-
samido a vara da direito o bacmrel llermoganes
Scrates Tnarus de Vaseoacellos.
Ao n.esmo, communicauJo que a 24 des;c
mez suomio o bacbarel Joaqoim Cordeiro Ccelho
Cintra, Da ijuaudade de Io substitu'.o o exercitio
do cargo de juiz de direito de Goyanna por ter o
elactivo estrado no goso de liceaga, concedida por
esta presidencia.
Ao mesmo, declarando qu, s- gando o avio
do minisl'irio da jastiga de 18 do corrrente, (oi so-
licitado do da facunda* ser habilitada es.-a ihesou-
raria com a quanlia de 200 para occorrer ao pa-
ginante da ajad i do custo, arbitrada ao bacharel
Francisco Santiago Aecioli Lius, nomeado juiz mu-
nicipal do termo ta Boa-Vista.
Ao ccjjo, irasmitlindo os decretos de 20
de margo uliimo e 13 do cerrante, nomeando o ba
cbard Praneisco Aiv.-s da Silva, 1 juiz substituto
desia comarca o Manoel Tb&rasz de Villa Nova
para a serventa vitalicia doj oili.-io da 2 tabellio
e esenvo di orpbios o mais anoexis do termo de
(jranbuus.
Ao mesmo, communicando qne, segundo o
aviso do ministerio da justiga de 19 do crreme,
loi solicitado do da fazeada a expedigo de i rdem
pata sereoa pagos por essa thosouraria ao bacha-
rel Atoualra Josa da Cosa Valenle, ju.z munici
pal e de orpbaos de termo da Banevanta e Gua-
rapany, na poviaria do E'pirilo Santo, os ordao-
dos vencido desJe 3 da favereiy ultimo e os
que for vencejo at terminar a licenga, proroga-
aa por 0 nens r'or portara de 10 de Janeiro ul-
timo.
Ao mesmo, determinando que seja designa-
do cutro empregado p-ra snb-tituir ao ch ti de
saego dessa tuesourara Jus Francisco de Salles
Baviera, njineado para dir pore:er acercado nu-
mero de Iuzjs qae deve ter cada urna das forta-
lezas Brura e Burato em con^equencia de se achar
oo jury, como consta do cllkio do presidente da
ctcmii.-ao.
Aa mesmo, transmtindo dous ociosos exera
piares do relatorio com qua o Exm. eon. Jlo Jo; de Oliveira Juaqueira, abri a assem-
loia legislativa provincial no da 1J de marg) ul-
t:njo.lguaes a thesouraria provincial, altande-
aa e ao consolado provincial.
Ao mesmo. traosmittindo pjr copia o aviso
Oo ninisurio da fizeedi da 13 do correle para
eaittir sao parcex acerca di li:engi da 3 m-zes
com vencimentos que pede Jo; Mendas Perein
de Vasconcell.s, amanuense di rojobsdoria para
tratar de sua isde.
Ao mesmo, mandando pag*r ao> cornmer-
ciantes Francisco Pcreira da Mendocgi & C. o?
vencimentos constantes dos prets juntos, relativos
aqs mezas da Janeiro e fevereiro ultimo, do de la
cimento de guarda nacional existente em A-sjm-
fcla do municipio de Aguas Billas.Coramunicou
ee ao eommandanle da guarda nacional de Ga*a
anuo?.
, A o mesmo, mananlo pactar a quantia de
l:419il20, vencimentos dos tambores, comtase
clarns dos eorpos de guarda nacional desie mu-
nicipio, relativas aos mezes de fevereiro e margo
ltimos.Communicoa-ae ao respectivo eommao-
danle snperior.
Ae iu3pactor da U.ewiraria provincial. tran-
nitlin'lo a relajo nonmal do depilados qu?
comparecerain a sessao ordinaria n) correqta o)
da asseabla legislativa proviacial.
A o mesmo, miniando abonar ao capitao do
corpa d9 polica Aaioaio Jas da Aodrade, remo-
vido da Salga sir para Oirtcury a qxaatia de...
iOOOO, aj lia da casto da ida e volta de urna lo-
ealidala oatra. CoTimnoicoa-se ao comman-
dante do corpo de polica.
Ao mesmo, declarando que nesta dala rsol-
veu chimar para oflicial de gabineta desta pro-
silmcii o bacharal Jo.- Augusto Ferreira da
CojSoV
= Ao mesmo, minlano pagar a Moreira e
Braga a quantia Je :!!') i i i, vencimentos dos des-
tacamentos de guarda nicionaes da villa de Bar-
reiros, relativos ao mez domarg ultimo. Com-
m Prela.
Ao mesmo, mandando pazar a Baato Jos de
M ice 11 Pi};as, a qjan'.ii de 226^920, vt>ncmamos
das prora; da guarda nacional destacada na villa
le Agua Prsti.Gommunicoo-se a comraandante
superior de Agua Preta.
Ao mesmo, mondando pagar os vencraanto
d;s pragis da gurda nacional destacadas en S-
rinbasm, correspondentes ao mez de margo ulti-
mo. Coramtrtiiou se ao cammanlanle superior
de Serinbaem.
Ao D;. cliefa de polica, declarando qne pelo
aviso do ministerio da justiga de 17 do crranle
foi approvada a sua deliberagao, recusando a en-
trega de um desertor da corveta DttfU de Pamel
la, ao con-ul poriuguez poner o dito dasertor pe
dida ordeno de habaas-corpus, cumprindo qae lo-
go q'ie C9sse o eaibarago alludido, seja o mesmo
desertor eolregua na conformidale do art. 13 da
conveogao consular, approvada or decreto nume-
ro 3143 de 27 de agosto de 1867.
Ao inspector do arsenal da mirnha, com-
municando ter por aviso do ministerio da noari-
nha, i1o concedido ao Impsrial marinheiro de l*
classe Florentino Podro de Alcntara, 6 mezes da
licenga para tratar de negocio da seu interesse
nesta pravinca.Igual communicagio se fez a tbe-
souraria de fizan la.
Ao commandante do corpo da polica, man-
dando engajar sendo idneos para o servigo do
corpo de seu caminando, os paisanos Antonio Jos
da Aranjo N'ascimento e Minosl Joo da Cruz.
Ao director das obras militares, raandanlo
em cunprmenlo do aviso do ministerio da gnerra
da 19 do corrente, organisar e ser-me remeltiio o
plano e orgimenlo do quartal projectado para a
compauhia de caval aria desta provincia no tsrrc-
uo que faz parte do quiotal do hospicio. Com-
mnnicou se ao brigadeira commandante das armas.
Despachos:
Antonio Soares de Lyra.luforme o Sr Dr. chee
da policia.
Antonio da Silva Ramos.Informe o Sr. inspec-
tor da thesouraria da Uzela.
Antonio Joaquina Siarjs.A' vista da informa-
<;aj, nao tem lugar o que requer.
Amelia Antonia de PaivaLoyolia.Informa oS'.
inspector da thesouraria provincial.
Ahaixo assignados continuos e correos da al-
fandsga desta cidade.Informe o Sr. inspector da
ihesouraria dojazenda.
Flix Alvfside Albuquerque.Informe o Sr.
Dr. che fe de Delicia.
Francisca Mara do Espirito Santo.Ioform o
Sr. provedor da Santa Casa de Misericordia.
Hanrique da Silva Antones, Informe o Sr. eom-
mandanle superior da guarda nacional do munici-
pio da capital.
Jos do Reg Dantas Coutinho Jnior.Como
requer.
Joao Gongalves de Azaveo.A' vist3 da icfor-
m3gao, nao t^m lugar o que requer.
Joaquim Maria Carosiro Vuelta.Informe o Sr.
director do arsenal de guerra.
Jos Felippe Santiago.Concedo o praio pedido.
Joanna JJ^tna de Siqueira Varejo.Entregue-
s mediante r.-cibo.
J is Joaquim Alvas.Gomo requer.
Jos Ferreira da Suva.Informe c Sr. Dr. juiz
da direito da I* vara da capital.
Bacharel Lourengo Francisco de Almeida Cata-
dla.Dse por certiJSo.
Mana Ferreira Diuie Branda >.Satisfaga a sud-
plcante o disposto n> art. 11 do decreto n. 410o
de 22 da Tevereiro de 1868.
Bacharel Miguel Gnigalves L;raa.Passe porta-
ra, na forma reqnerida.
Mara Gandida Theodora Alve?.Informo o Sr.
director geral da instrnego pnb'.ica
Dr. M'guel de F^gueira Faria. Infirme o Sr.
inspector da tbe>ourara de fazenda.
Bacharel Pergamino Saraiva de Arauja Galvao.
Gomo requer.
Sebastiao Soares.Informe o Sr. Dr. chafe de
policia.
Sophia Carolina da Miraes e Silva.Informe o
Sr. provedor da Sinta Casa de Misericordia.
Toomaz de Carvalho Siares Brando Sobriaho.
I atarme o Sr. engenbeiro chefe da repango
los obras publicas
FXPEDiENTE DO SECRETARIO.
Oflieios :
Ao gerente da Conpanhia Pernambucana,
maudaDdo, de ordem de S. Exc. o Sr. vice-presi-
dente da provincia, dar passasem de estado r,
no vapor qne segu boje para o norte, ao Dr. Per-
gemino Saraiva de Araujo Galvo at a cidade do
Natal.
Ao eecrjvo do juizo comraissario do muni-
cipio da Escada, Joao Baptista da Rocha Baixa- Li-
ma, aecusando receliios, em seu ofBcio de 27 do
crreme, para serem presentes ao Exm. Sr. vice-
sidenla da provincia, os autos de medigao e logiti-
magao das pos-es denominada? Girento, Raa Niva,
Mangaba e Gapim, pertencentes a Joo Evangelista
de Mello 11 irreto. Joaquim Rodriguas dos Santos,
Joo Francisco Reges e Manoel Jos Rufino de
Jess.
DESFACHOS DA PRESIDENCIA DO DA 11 DE MAIO.
Aona Jiaquiaa Piras Carapellode Mello.Infor-
me e sr. director geral da instrueco publica.
Anna Gnilherraina dos Santos.Informe o Sr.
Dr. ebeta de policia.
Barnardo Coi rea dos Santos.O snpplicante j
foi atundido.
Bell anilina Maria da Concegao. -Nao pode ter
lugar o que requer a supplcante por nao haver
vaga.
Companhia de seguros martimos Utilidada
Publica "Informe o Sr. presidente do tribunal do
commercio.
Irmandade de Nossa Senliora do Livramento da
Villa de P) a'AlhcPasse provisio na torma re-
qnarida.
Tenle coronel Jos Lacas Saare3 Raposo da C-
mara. Firnecase.
Jos Cirneme da Silva.laleff.-rido.
Joo Lourengo do3 Santos. -Slm.
Mathias Cavalcaute 1e Albuquerque.-Inforrae o
Sr. director do arsenal de guerra.
Secretaria da presidencia de Pernambuco, 13 de
maio de 1872.
O porleiro,
Silrino A. Rodrigues.
qae as datas qua recebemos pelos vapores iogleies
Zembra e Ariel. Eis o qae colharaos dss jornaes
e cartas.
DIARIO DE PERNAMBUCO
RECIFE, 14 D2 MAIO DE 1872.
jVollria-. ta SJnropa.
Montan ao meio d.a (aahiii :n laar), viado
^ r-bijue do v.'p>r bMsIWr Ctmragib!, o va-
n^r franeez Sindh, pelo quil vicram datas de Li3
boa a( 28 do correqle, mais aoieraaj yaalro ^ias
nUMDA.
Reuni--a no da 22 a assambls legislativa. .0
Sr. finen ni) envin assenbla mensagem I-
guma como sa dlzia qas teaconava. Jr
0"Sr. Gambetti propoz qas fossa declrala trr
geote a discasso acerca da reorganisaeao do
exercto. O Sr. Tbers disse que o governo e a
commisso de reorganisagao do exercito ainJa nao
ebagiram a um accordo completo;' e qae por isso
pedia que fosse adiadi a discusso por dais ou
tres semanas, ja que o seu precario estado de sali-
da Iha nao pennitiia estjdar essa questo antes
daqualle periodo. '
A assembii decidi adiar a discusso. '
Tem sido rauita concorrda as recepgo's do Sr
Tbers no Elysen.
HKSPANUA.
Abrio-se o parlamento hespanhol.
O re Analeu lea o discurso di cor i cnjis
principaeJ paragrapbos sao os seguimes :
t Nada no exterior veio e3torvar dorante o pas
sado interregno as relagSes da cordeal indiligen-
cia com tolas as potencias amigas. Terrainou o
iacidento om o nosso representante em Venezue-
la, sobre o qual o governo daqaella rapabUa sa
apressou a dar as mais satisfactorl s explicabas.
Espero nio ba de alierar-se a poltica da pw, da
mutao respeito, de genaroso e reciproco interesse
que liga as nagoes civilisadas, o qaa ante as rep-
blicas americanas, mais que ante quaesquer nutra-,
aconselham a Haspanha a conveniencia, o santi-
mento e as recordagSis; abrigo a f anda la espi-
ranga de que nao se faga esperar por rnuito lem-
po a nossa concordia com a Sin a S, o qae tai
viva e sinceramente desejo. Com o proposito de
fazer praticos e fecundes os sagrados direitos qaa
a cqnstitaigo consgaa, o meu goveroo vos pro
pora em as leis que regalara o exercito a Indis-;
pensavel correcgo daqaelles defaitos que mais en
relavo tenha posto a experiencia.
Os organismos de todas as nossas provincias do
ultramar sero apresenlados s cortes. Tanto no
estado econmico, como no administrativo e poiiD
c >, o mea governo dictar as medidas mais con-
ducentes ao bem estar daquellas afastadas provin-
cia?, cumprindo a solemne promessa da levar aos
nossos irraos ds aln mar todas as reformas com-
pativeis com o seu estado social, mas sen por em
perigo nunca a intagridale do territorio, e havar
todo o cuidada de que nun:a possam servir do
arma, nem de escado aos inimigos do nosso noaiej
e da nossa raga. >
O disenrso consigna em seguida um rdante
testemnnho de admirago e reconhacimento s tor-
gas de mare trra que operam as Anilinas e Fi-
lippinas, assim come aos voluntarios le Cuba e
Porto Rico, e continua nos seguimos termos:
Uro partido que nega a legitimidada do direi-
to moderno, inmigo teoaz das iastituigSjs qne a
i masma confeno a nago hespanhola, oo uso da
sua soberana depos da haver sido derrotado oaos
comicios, se levanton com armas em algama< pro-
vincias : o meu -governo tonaou as prwcaug^ios qae
julgou mais effloazas para sufTaear promptsmante
a rebalho, e amestrado por um recente e trate
ensino de quanto foi estril em repelidas occasiSai
a clemencia de oatros qaa o antecedern e tive-
ram a forluaa de reprimir idnticas tsotaiiva*
propoese ser inexoravel no castigo dos constantes
inimigos da lib;rdade e nunca dosenganados per-
turbadoras do socego publico. Se os meios ordi-
narios nao bastarem, a vos se recorrer pedodo
03 necessarios para restabelecer de urna maneira
firme o imperio da le.
Expressa em Om o discurso a fundada esperan-
ga de qaa term-;e rpida a iusurreigo, e elogia
a attitude, disciplina e servigis do exercito e da
milicia nacional, c termina com as seguintes pala-
vra*.
t Em summa o m^a governo submetter ao
vosso exame os seus actos e 03 seus propsitos
de raamer integra e pura a legahdade creadi e
os seus pnjectos para salisfazer os inferesses e
as necessidades publicas.
A v', Sr?. senadores e deputados, repre3antan-
tes do oai, a vos loca examinar, orientar e resol-
ver. Ei procurarei nos vossos votos, norte para
a mioha conducta, guia para oathorgar a minha
couhngo, caminhi para identificar os meiis S9n
timentas, com o deste- nobre e altivo povo, ao
qual, como disse em eccasia nao menos solemoe,
jamis me imporei, porm, qae jamis teria lo
pouco qua aecusar-me de abandonar o posto que
por sna vonu.de oceupo, nem de esquacer 03 de-
veres que a constnigao me impoa e que saberei
cumprir com a lealdade e constancia que devo
honra do raen nome.
O Sr. Ros Rosas foi eleto presdante do con-
gresso por 103 votos contra 84 listas brancas;
qaatro vico-presidentes, dedicados ao ministerio,
foram eleitos por grande maioria. Na senado nao
pode haver sesso no dia 23 por nao estar presen-
te na sala o numero flxado pelo regulara?nto.
As ultimas noticias da insarreigo dizem qae
ella diminue em todas as provincias excepgo
dos Vascongadas e de Navarra.
Apesar de se nao qaerer ligar importancia a io-
surreigao o duque de la Torre vae paitir para
Victoria a tomar o conmando dos districtos mili-
tares de Arago Burgos, provincias Vascongada; e
Navarra am de dar unidade ao commando e ra-
pidez i exeengo das ordens.
Diz a Epocha que segando as ultimas noticias as
guarniras Do augnentam mas tendeo) a concen-
trarle em Navarra e contam dous mil bomans.
Ilavia tranquilidade na Mancha e na Andaluzia,
II i s duas guernlhas na Galiza; ha socegiem
Barcelona.
Dizia-se qua D. Carlos estava em Gansbra.
Noticia-sa a apparigao de una gaernlha de 200
homens a p de B:lbau.
A Hurto diz que o bando carli-la de Monteagud
foi batido pardeodo 30 prisioneiros. Ha agilago
em Baroastro. Os bandos do Navarra formara
tres grupos.
A gnerrilha qua se levantava em Sahaguod,
Castelli Velha, foram batidos e dispersos pela
guarda civil; os outros bandos na mesraa provin-
cia e as provincias bancas sao activamoate per-
seguidos.
En Navarra umi guerrilla da 603 horasns cora-
mandada por Daron r, li lio, aticou um desta-
camento de carabineros, o qual na ald ia de Ata-
noir tenJo sido reforgado por urna columna de ca-
gadoros, obrigou os insurgentes a retirada e per-
sezii-os.
Um escolta da 16 homens da guarda civil que
raarebava contra ellas encontrou era Greoos, na
Bscaia, um bando de seis mil borneas que a d-.-s-
armou deixaodo a em hberdade.
Outra seegao deste corpo encontrou o bando de
Banzabal era Uiquiola, tomando posigo depos de
tenaz resistencia.
Houve tambara um encontr ao p da Ojhan
diana, fozeDdo prisioneiro o tomando armas.
O bando de Peralta do 600 homens tsntoo en-J
contrar em Tafalli, mas foi recbassado pela guar-
da civil e pelos voluntarios.
O bando se levantoa em Agreda, foi battido pe-
la guan'a civil em Soria deixaodo trila prisiaoet-
rrs.
As provincia tarara declaradas em aslado de si-
tio, beai cono o deparlsraenl de .\ragi), so bera.|
qaa os Dan.lo3 existentes sejim nauaos conside.-a-
vei* a anduB dessimip/idos", e.r,;orani!agai.
T*l era rean,n,o o es^w da subleva;ai em
Haspanha, O )ua ha de mais notave, que, era
tojj .j parte, qaaQdo un prtJ4q S4be da legalida,-
de, para por meio di tafgi readqarir as saa3
franquas e estaDelaoer o seu prograrana. inter-
rompeodo a ordam pab'ica, c istumam tolns os
outros partidos dar treguas ao partido constitaido,
e prestarlhe o apoio da sna Torga moral, cessan-
do todas as pilemicas e qaeixts sobre as illegali-
dades, re3ervaoio se para depos da orden esia-
balecida, pedir severas cintas das Ilegalidad^
pratcad*s pola governa. Nis aetuae3 circuns-
tancias em Hispanha nio se tara procedido deste
modo, a pela c jotrara todis os partidos da oppa
sigo pareeam achar qaa a sablevago a forga ar-
msda, era uraa nacassdida contra un governo,
que sahio tambsm di le para fazer triuraphar na
urna as canlidacturas qua patroclnava.
Se n> applanlem a situagio Ilegal creada pal i
partido carlista, dasculpam-u'a e quasi qae achira
natural.
Public irnos em egsUb o mnife3to do partido
carlista, qaa sa pola considerar coso grito de
guerra e o appello do part lo carlista bespanbol.
para o direito dt f rca e qaa foi cono que a n-
trolQego do oovo uuvinanto manifestado em
H:spanha :
Ajunta-central-atliolico moaarenica ao? depa
talos carlistas.-O duqua de Madrid servio se de-
terminar qae a minora carlista se abstenha de
tonar assaito ni cong esso.
O grande partido nacional acodi a urna acei-
tando urna legalidaie qua os seus prioeiDos ra-
pellem para admittirem a lu a na rassno terreno
eicolh do pelos seus inmigo-.
Os resuludos provaftis qae a far^a ridicula
do liberalismo serve sonante para retrabir a opi-
nio naeional, atropellar os dircilos qae proclama
a levar a mentira as cortas e o luto as familis. O
dajua de Midrid, en presases de taas violencias
protesta boje pirante o paiz retraolo os seas re-
presantantas. Amiohia protestar no terreno qaa
rae exige a patria opprimida e as aspiragOas do
sau carac hespanhol.
Da .s guarde a V. Exc. etc-Genebra, lo da
abril de 1872 O secretario do duiue de Madrid,
Emi'io de Arjoni.
O principe D. AIToaso irmao do SSoSOJ da Ma-
dril, que se jalgiva proxini a desembarcar era
Haspaoba, a em camioho da Ganeb.a, e foi deudo
em Mirselba.
Ojf:;i/jvjrc"a/dzqua o governo d'sconfiva qae o
prncipe D Garlos duqie de Madrid tivesse pene-
trado en Bupssni pela fronteira fraaceu.
O partida affinsino, protestan contra o retrah-
meoio do partido carlista, e a daterminagio toma-
da pelo partido de recorrer a for$j.
Os membros da jama cantrararlista de Midrid
diveram ordem de prisa> acoinlo-;e algan3 J re-
e ilhilos na prisa> de S. Francisco.
A jauta directora do partido radical reuoio se
emeasa do Sr. Zirrllla, e.ahi se re30lveu que o
partido deptarasse a attuule tomada pelos carlis-
tas, ea sua jntengio de provocar novameote a
guerra civil; a juma resolvea aconseltiar aos
eeas manbrosa qae coadjavem par todas os meios
(*de manatengao da orden.
D z-se qua depos de constituid) o congresso
tpresenuram alguns deoutados ana votodecon-
Tiaag ao governo cerca da insarreigo.
Foi chamada a primeira reserva da ex-
ercito.
ITALIA E ROMA.
O papa recebeu na Vaticano mil romanos. As-
sistiam a recepgo rnuitos cardeaes, o nuncio,
hegado da Portugal, e as. princezas de Hahen-
zollern e de Gohenloe com as saas familia*.
O pontfice disse que admirava o amor constan-
te que os romanos dedicaran ao chefe da igreja,
e depos commantando as pilavras do E/angelbo
reprehenden severamente os usurpadores do di-
reito da igreja.
O archiduque d'Aistra Jilo Neporauceno
de Loraoa, tai no da 21 ao Qiirinal corapriraen-
lar o re i que nes3a noiie pama para aples.
O Sr. Xmanez minisfu ds Haspanha em Ro-
ma, procura celebrar pazes com sua sanidide e
oblar a nomeago da un nuocio de sua sanlidade
pa Madrid.
BLGICA
O parlamento tem-se occup3do do orgamento e
de negocios puramente locaes, como a polica d>
capital.
O banco elevou a laxa do descont 3 4 0/.
HOLI.ANDA
As desordaos que houve no 1" de abril na fron-
teira hollandezi, por occasio do annversario tres
vezas secutar da tomada de Brielle, desordsns pa-
ra que concorrera a negligencia on connivencia
das autoridades da cidade alterna de Eramericb, e
do barro-nesrlando de Haeeremberg, deram lu-
gar a um inquerito da parte dos dois goveroos.
O resultado tai serem deraitiidos tanto o burgo-
raastre da uraa como de outra localidade.
SUECIA
O parlamento regeitou a creago de um logar
de addido militar para Eerlra.
A dar crdito a cer.os boatos espalhados em
Paris, o |rei da Suecia Carlos XV est muito
doeote.
Sa vter a morrer, succeder-llie ha seu irmao,
o duque de Ostrogolhia porque o re reinante lave
s nma filha do seu consorcio cora a princeza
Wilaelmrae dos Paize3 Bsixos.
O duque de Ostrogolhia nasceu em 1829 e tem
quatro lilbos, o mais velbo dos qaaes coma 14 aa-
nos e o mais novo 8.
DINAMARCA
Acha-se interrompido o regresso da familia real
dinanarqnezi, em cusajuanca da ter calido do-
ente, em Mdlo, com um ataque da (abra typholde
a pnocesi Tiiyra qae voltava para os estados de
seus pas em companhia destes,
A princesa Toyra, quinto filho do casamento do
re Lbristiana e da raiulia Wilhelmina de Hasse
Cartel tem 19 annos.
iiitufAi
A Gaztla da AUemnnhi do Norte pubtica uraa
portara enviada palo ministro dos cultos ao bispo
de Enneland relativamente a qus9to da exiora-
muob) e jatamente a resposta da bispo o mi-
nistro insista em q le a exc im nanbo nao urna
pena paramante ecclesiastica, visto que affasta as
suas rea .'o33 9ociaes as pessoas que aiuoge, e por
consaquencia tem taranem un alcance civil; don-
da condua que en conformidade con as leis do
paiz essa pena n< deve ;er applcadi ixclusiva-
mente pela antoridade ecclesiastica, e ni po
de ser pronunciada seno depos de previa licen-
ga do estado.
O ministro intimou o bispa a fazer cessar a con-
trsdicgo exisianti entre os elT-itos civisdi ex-
communh) e as leis do piit, alias o governo con-
siderara como sappnmido da fajto, o reconluci
manto do bispo pelo estado, e var-sa-ln targado a
interromper a3 snas relacSas com a aatondade
episcopal.
O bispo na sua respo'ta lmitou-se a damonstrar
miuuciosamenio qui a publii-aga da seniang da
excomnunho nao olan leu en eousa alguna a
honra civil das pessoas a quem tai imposta.
O partananto allemo comegm no dia 18 a
discusso de um nova cdigo penal militar.
Falln em defeza oSr. Fredberg presidente di
eommUso que o redigo ; e contra elle o Sr. Leu-
ker,.
O cdigo foi enva lo a nma commisso para ex-
aminar cortas incompatibilidades que exietem
oeilo,
-0 coneg Do i linger tai agraciado pelo re di
tyiviara com a orlan de Luz, no dia en qua fez
i'iucoeuti aojas qm pinau orJens.
' Q re alan disso escrey.a'.i-ib,a a, felicitar o cele-
bre padre. a,nte:in[ah ii'4 par esta anuivarsario.
-Oorgamanta prussiano de 1871 appresente lo. ftnaii,nn
agora tem um excesso de receila de mais de nove
ro Ihes de tbalars.
O governo nao diminue o imposto dos jornaes.
As relucgSis s. abrangero as classes pobres.
Foi ofjialraante desmentido o boato d des-
aborda con o Frang por cansa da organisa.;o
do exercito, e despezis cora material de gueara.
Na da 17 de abril tarara os plenipotenciario
loxemburgaezas recebiios pelo principe de Bis-
mark.
Tudo faz prever resultado fovaravel s negocia-
goos para a exploragio do camraho de ferro lu-
xemburguez. Assim como as tropa3 allemas
nao nao atravas-aro en caso algum o territorio
do gran-dacado, 03 estrangeiros nao podero ser-
sir-se do carainhi da farro luxemburguez.
A cGarmania, argio autorisado do episcopado
allemao publica a pastoral dos bispo3 que tomaram
parte na confarencia da Fulda.
Daprebande-se desee documento que alies pro-
testara contra a lu sobre a iospecga da* e3Colas,
mas qua se 3abneitem a ella, em vez de prega-
ren a ab3tengao, ca, fazan os sacerdotes pro-
testantes.
Os prelado', movidos pelo pensamento de at-
tenuar as onsequencias funasta3 para a religiaa.
a para a educago das geragSas navas, canvdam
os membros do clero catholico a nio desortarem o
seu posto, e no caso de serem a isto forgados,
aconselha^a Qcarem as cideiras de ensino reli-
gioso, qae le:cionam actualmante as escoles qas
aniva lei vaio arrancar vigilaucia da Santa
Madre Igreja.
Al- riM- HUNGRA
A Austria, e especialmente Vienna, acham-se
ameagadas da una invaso era consequencia de
teren sido expulsos pelo governo de Barlin todos
os qu* nao eran prussianos.
O conselho municipal da Vienna resolveu
oavidar o goveroo a probbir-lhas a entrada na
Austria e especialmente na capital.
TURQUA
Dizem de Constantinopia qne o principe Frede-
rico Cirios e o gran-duque de Me:klemburgo tem
sida affavaloaanie acolhidos pelo sultn.
Devia haver em 17 urna grande revista de tro-
pas da guarnigo da capital.
O general Scberman e o (libo do presidente da
repblica ja sabiram de Canstantinopla em d cao a itussia.
O sulto elevou sea Qlho Yoassouf Iresdin ao
posto de muschir (general de divisa) e confian-
Ihe o commando da guarda inperial.
E' a primeira vez qae dado eraprego poltico
ou militar ao Qlho Jo sulio reinante.
Como a lei da successo vigente na Turqua a-o
autorisa a snccesso ao tbrono em liara directa.
os principas vivem affastados dos negocios do es-
tado, e especialmente dos commandos militares.
Ha annos espalhon-se |que o sulto tencionava
alterar a lei velha musulmana, coma tizara com
conssntiraento delle o vc-e rei da Egypto.
Pode muito bem ser qae a nomeago do filbo
para o genrame tj* o preludio de alguma gran-
de transformacirsas veldas institnigOas do impe-
rio Ottomano.
Ainda nao est resolvida a qua3to dos bispos
nalgar o*.
GRAN BRETaNHA.
Parece que o governo est dsposto a provocar
urna votago poltica, segundo a qaal se manteaba
ou largue o poder. Lord ilirtington secretario
principal da Irlanda tomar a iniciativa e propor
vota;o a respeito da proposta do Sr. Fawcett ac-
cerca da universidade de Dublio.
S*. Glads'.ona j declama na cmara qae o pro-
jecto Fawctett nao um voto de confianga que ne1
cessite discusso immadiata e qua a adopgao even
tual do projecto levara o gabinete a pedir sua de
miss.
A
resposta americana que esperada pelo
paquete Cbioa nega que da proclamago da Rainba
de lagU'.erra se pode.ss concluir que ella reco-
nhacia por belligerantes os rebeldes do snl, e sus-
tenta o padida dos prejuizos indirectos e refuta a
a interpretago ingleza acercados deveres dos neu-
tros.
O gabinite'soffreu nova ebaqne na cmara
dos communs : tai regeitada por 274 votos contra
2't6 urna emenda apresentada por um deputado
ministerial na discus.-) do ballot-bill, que estabe-
lece a votago por escrutinio secreto ; a emenda
tinha par fin decretar a pena de priso contra o
eleilor que raoslrasse a sua lista. Este resultado
tai, como era natural muito applaudido pelos con-
servadores e promoveu grande agitago. Todava
o Sr Gladstone declarou logo que a despeto da
votago, o governo persista era defander a emen-
da proposta.
PORTUGAL.
Em 27 de abril escrere nosso correspondente
de Lisboa :
O governo poriuguez, como antevi na minha
ultima carta, e era fcil de antever, passa ordem
ao general Jeronymo Maldonado, comraandante da
quarta divisao militar, para destacar varios corpas
da sna circompgo militar, qua assogura na fron-
teira a neutra I id ade mais restricta, piocurando in-
ternar todos os insurgentes que passarem a raa
portuguezi. Ordens idnticas se passaram para
Eivas. Corre que o governa hsspanhal reclama a
priso de a on se acho em Portugal e se prova eitarem em
r.lagfhs com os insurreccionados. Parte da im-
prensa j comagou a pronucciar-se contra esta
reclamagio, se qaa raalmeote exisla.
A Imha de conducta do governo deve ser, na
opinio geral seguodo toda* as nossas tradicgOss a
manutengo da nautralidade, e o cumprimeato
exicio dos deveres nternacionaes.
Nada raais; era nada menos.
< A'guns boatos ten sido espalhados, dando a
entender que os Miguclistas ou algaua delles es-
to conspirando de accordo oom carlastas.
< A imprensa porera nao tem dado gran la im-
portancia ao boaio.
Julgoter-lhe3 dito o qae depos de terminada
a segunda prorogago das cortes, se decretar aia-
da terceira prorogago at 8 de margo prximo,
alim de que a cmara dos pares tenha tonino de
discutir e approvar 03 organismos e medidas tri-
butarias qua a cunara electiva j approvou.
c Antes de hontem noite que lermiaou na
cmara dos daputados a discus o do orgamento.
O nosso orgamento nao se se discuta desde 1837.
Observa unn fjlha de Lisboa, qua coincida
esta votago com a de todos os orgamenlos euro-
peus.
a O Jornal da Noite escreve o segoiate sobre
urna publicago de grande marito qae acaba de
receher do Rio de J meiro :
a Luiz Augusto Reh'llo i*Silva, estalo critico
por Tneophilo Oitoai Rio de Janeiro da 1871 Este
o titulo de um livrinho da 60 torra isa paginas,
dedcalas ao Sr. Dr. Mathias de Garvalho, ministro
de Portugal no Brazil, e primorosamente escrip-
ias pelo Sr. Thaophilo Oitoni, em qaem o talante
e aptiddes Iliterarias sao heranca de familia.
t' li' o livro do Sr. Ottoni digno de elevada as
snmoto que Ibe den o-rgern, to exacto as indi-
cagfias relativas nossa historia luterana, 6 na
apreciagi dos h imons a das caisas, qua nao o
teria enripio con maioracettriaiiiiqiv r dos boas
anganhos portugaeie. Ao [\.q parece que a autar
viven sempre era WsbA^ MnBCaa iol03 03 Q)33Ja
1.?30!4V*nx** acotnpanhou a obra de Ri-
beiio da 3.IVA d95de a Ultima corrtia de touros
emsatvilir)^ almravel trecho de pro3a protu-
iaHJ,*'.ao vo'.una d Hiilofi^ puja impresso
qua.si na mesraa hora em que Partngal
I perda aquello prodigioso taelnto.
I Agradegamos todos ao Ilustre esenptor brasi-
leiro a hanaaagern prestada menora de Rebe.
lo da Silva, e a grata lerabracoa de Ihe levantar
j no Mundo Novo valioso monumento. Em Portugal
tem sido silenciosa, a forga de Inteosidide, a des-
c insolada magoa em qae nos deixoa a morte do
grande escriptor. Passar com indo este doloroso
torper e a saudade inspirara sera duvida as same
rosatcommeraorages a qae tem direito a memoria
defliebeilo da Silva. >
Prosegae nos jornaes <1e Lisboa a discasso
dos deveres da impransa. Dielbes ama sacciota
i le do estado da quasli.
Parece qae o cardeal Ferreri qae vira des-
empanhar a misso de nuncio de sna santidad-
oeste reino.
A 23 do corrente tai apresamada pelo minis-
tro das obras pnblicas urna proposta de le, aa
cmara dos deputados para ser autorisado o gover-
no contratar o estabelecimeoto e exploragio de
urna linha telegraphica submarina de Portugal ao
l'.ra-il, tocando na iltu di Madeira e em urna ia
ilbas do Cano Verde.
c Sao incalcalaveis os beneficios qae resallarlo
desta obra, coja cooclnsao est annunciada para o
fia de 1873.
Tanbo vista uraa cnrlosa brochara com i
ttulo da Breves ideas acerca da Hygiene e ii
Agricultura em Portugal, dedicadas a S. Exc. >
Sr. conselheiro Moraes Soares por Iginio Gagliarit,
socio da aasociacao dos eogenbeiros civis, condue-
le de Ia classe no ministerio das obras publica',
ex-ajudante do engenheira rural na repartigao da
agricultura, ex-prefessor da aula de obegdes, ex-
sub-direetor chefe dos trabillas agrcolas no Insti-
tua de Lisboa.
i Por tudo i.-to se v que de homam pratico o
opsculo valioso que me redro. O objeeto prin-
cipal d'elle a qaesto do sanearaento da espita.,
e dos meios que deven usarse para a limpezi
dos caos subterrneos, causadores de varia
eafermidades endmicas qae atacam os habitante*
de Lisboa.
< O autor indica snceintamente algons meios a
adoptar para consegnirraos debellar estes males,
que to grandes danos teem levada e poeVm
ainda causar, se nao se tratar lempo de acudir a
este foo de exhalagSes nauseabundas, proprias
das plagas dos Ganges e nao de nina cidade calta
como Lisboa, alm do aproveitamento das materia-
l-caes para o engrandec ment da agricultura pa-
tria, oceupando nestes misteres grande numero da
braga?, que desejam achar na sna trra natal
meios de snbsistirem sera emigrarem.
E' esta a summa da sna exposicaa aos le.
tores.
t Nao se recommenda o lolheto pelo eslylo e
beliesa de lingnagem, mesmo nao admira porque,
apezar de estar aqui ha muitos annos, o aator
italiano, mas abunda em alvitres sensato* e que
revelara muito bom senso pratico, qae o esseiw *
neslas questdas.
Termina esta obrnba interessante com om
capitulo, qua tem por epigrapbeA Pnilantropii
em Portugal.
Faz-nos bonra, diga-se a verdade,
E-la questo da 9alobriticacao on saneara-nt'
de Lisboa das rois serias. Sao moitos os alvi-
tres ; snas se nao se adoptar om quanto antes, ha-
vera tardiosar rependimentos se o duvida. A qaes-
to do eoriquecmento da nossa agricultura, pelo
menos das provincias do Alenlejo e Extremadura,
dependem d'esta e nao pouco; porque imper-
doavel prodigalidade deixar ir por agoa abax
pingues adubos qae este pessimo systema de ea-
nalisago taz desperdigar
Tidas as questoes agrcolas era Portugal, on l
esta oa deve ser, a qaesto mxima, vio ligar-
se e*sa oatra, palpitante da actoalidade, qae tan-
tos cuidados est dando, qae a da emigrag
para a Amrica.
J pelas minhas cartas de 23 e 24 de correte
disse, creio, o bastante para os nossos leitores fi-
zerem idea do quanto nos occapa n'este momento
esta antiga questo, agora aggravada com a facili-
dade que olTerecem es meios da transporte aos
emigrantes para a Nova Orleans.
< L'.n proeesso de inpreosa mnlo curioso est
para haver em qae o reitur do lycen nacional de
Lisboa, Gbira, chama ao tribunal o director da e-
cola central de instrnego primaria, Alfredo Juii >
de linio por ama correspondencia escripia por
este no Jornal do Commtrcio de 18 do corrente f
reproduzda pelo Jornal da Noite, Diario Popu-
lar e Ensino Livre. O Sr. Unto disse verdades
amargas ao reilcr e comraissario dos estados do
do districto, pois estes dous cargos andam jumo-1
n'um eslylo um tanto violento. O que don logar
a este dasafogo foi o commissario, qae to passa
culpas n'umas eousas, ter multado o director da
escola central em dous meios das de vencimento.
por ter dade duas meios faltas i roa escola em
dous dus diversos, sera cauza justificada !!! Ora
o director no sea justo despeno accasoa o com-
raissario de ter empregado nm corto professor
como galopira eleilor em Santarem, fechando os
olbes a nm sera numero de faltas qne den para
Ibe andar angariando votos, qaando o raesno
commissario debalde se propoz deputado por
aquella circulo I Isto escndalo de marca maior
sobre tudo qaando para outros sa exerceo o sum-
mum jus que a summa injuria.
i Ora as nossas leis penses, quando se injaria
diz respeito a urna antoridade no exarcicio da*
suas fancepss, admittem provas e por isso a au-
diencia daver ser cariosissima, se o professor qua
vai 8entar-S3 no banco dos reos provar o que as-
saverou e os motivos qae teve para aflrmar qa o
commissario Ghira abusa com indigm-ladt e vil-
mente da sua posico. Sao pequeas miseria*;
mas como escndalo, excitar a curiosidad-
publica e nao pouco. Devo acrescentar que o
professor Brito gosa de uraa excedente reputar >
d8 homem honestissimo e zeloso no cuinpnmeo;
de seus deveres cOkiaes.
i Contar-Ibas Ij'i o desfecho desta qaesto, qua
daver dar muito que fallar se ceno qae o
autor do conmunicado querellado, o professor
Brito, propoe uraa grande copja de tactos com
que justifique a vehemencia da sna queixi eomra
o commissario dos estudos da districto de Lisbo-.
< Palo ministerio das obras publicas, comraerc i.
industria e agricultura, tai mandado traduzT da :>
edicao Livro do Operario de J. Daobei. Tea 17
captulos esta obroha. Pela enunerago d'ellei po-
dero avaliar os que nao a eonhacem de qaact
prestio ni sera a sna diffuso palas classes la-
boriosas.
t Trata o 1. do traba!tu, da sua anudada e im-
portancia ; o 2.* da escolba de prefissao o 3.' J >
escolla de oflicmi; o V da entrada e do com-
portamemo naollicma; o 3.* das direitos edevere*
do operario o r.- do emprego do tenp i na iitl ;
na; o 7.* dos intervalios de descanco durante o
trabalho da repouso do domingo e da occiosilad
da segaada-fera ; o 8.* dos salarios e da so
manmengao ;. o 9' da bygiene e do apoto da offl
Ojoa i o 10.* das prevengoei contra as micti ua- ;
o U. das associagSas, das suas vantagens e in-
conveniente} ; jo 12.* da previdencia e da) assoc;-
gSes de socorro raatno ; o 13,* da uaHdada da*
condieg/Jas sociaes; o U. i< Jogo da inten.p-
raaca, da devassdo e das suas agsncias; o li*
das ms reUcsaM e dai Isitaras nocivas e das b.
bliotheoas pcpuUros o 16.* dos deveras gerae
do operario para cam a sai familia; o I7.al-
gaows consideragSes sobre a economa.
i Este livro foi premiada 14 lora e pode ser U
r
mm ^ra^sjS),jBMMtebasfe




trien* y
Te
\
er<;a eira 14 de Maio d 18*22
._^j^_^
'!- '.....
_
4
t-
frande ntiltdade vn operarios qoe leera ; aos que
nao li, oa por nao satwrera lr ou por aio
qaererem dar-se a esta disiraQio, poderla anas
aproveitar mais alguns captulos do livricho.
O governo portoguez fez larga tiragero e
creio que j comecou a dlsiribmr ediccio pelo?
diversos districtos do reino, sobretado nos centros
manufacture: ro?.
O pintor da real cmara o Sr. Miriaono Heari-
qaesda Silva est retraanlo o nosso primero poe
ta visconde de Casiilho. Este novo quadro c pira
preencher na galera d'EI-rei o Sr. I). Ldiz I,
lagar d'oulro do mesroo peen, o qual retrato S.
X. o Imperador do Brasil p^Jio a sea sobriabo
qaando aqui esleve.
a O incao3ivel escriptor, ^pflBF dos seas 72
annos trabalhi regularmente domeio da at s 5
e das 7 as II on i/2 noite, mas todos os dfa<, o
qae representa urnas boas 10 horas aproveilads,
e oi sabemos como a saa musa as sabe aprovei-
tar. Actualmente naxjornlis o Sbakisueare.
E't em mais de dous lerj)j a v*r.-5o do Sonh
da noile dt alio.
t Neste paquete (a Smdh) vo pan o Brasil os
das distmetos concertiiia Antooio e Raphael
Croner; o primero II lutista insigne e o segundo
tocador de clarneta. Creio "qae j l teem es
lado.
< Prximamente, em juobjp dizora, partirao para
o Hio de Janeiro o noss j celebrado actor .eo-
mico Antonio Pedro e actriz Gertrndes, fazendo
parte d'uma conpaubia dramtica em <|ue se Ihas
associara tambem o adir Val--, que d'ahi veio ha
ponco, e os actores Silveira, Silvt Pereira, Anna
Cardogo, etc. etc. O- ltimos tres forana a gloria
do gymnasio como o fra o Valle e aiuda o sao os
nltimos dons, pois o Silveiri est no thaatro de
D. Varia II.
< O templo de Belem conduz me natural nenie a
penoa a lastimar urna grande peria qae o paiz
s ffreu agora, pois (alkc u o par do reino o con-
Mlhairo d'estado poltico Jos Marn Eugenio de
Almeida. A reslauracao quasi concluida do po-
tico mosteiro de Celem, e a reforma da casa pia,
sao padross de gloria nao somante para o nome
d'elle. mas para a naci I Fallecen quasi rep-n-
Unamente na Europa onie tinha gran les pro-
priedades.
Acompanharam o fretro para LisbCi sea B h)
e saa fi ha. Ante houtem s oito da ra;nhaa des-
embarcara era L'saa tonda satiid> d'Evor* s]6
em trem expresso do caminho de ferro do sal.
t Acompanharam o prestito amigos particulares
da illnstre lina Jo, que haviam sido prevenidos, e
muitas carruagens coa orpbos da casa-pia
scompanhados do director, provisor e ontros em-
pegados. O ho e a iba do f Uecido seguiam
logo atraz do ccbe mortuario na carrusgera da
easa, envolta em crepeu No cerailero oriental
(Alte de S. Jo") nao desampararan) o aihaude
sem ter descido aojatigo da familia. A coragem
daqaella menina asso:abrava, pois ella mesma
dispot com voz segura e firme ao sahir o prestito
da captiva, qoe se deseen as borlas do caixao aos
orpbos, reservando para A e para sen inuao as
dnas ultimas. Velo depois a reaccao e fl:ou pros-
trada depois de tanto esforco. No jazigo nao se
tartaram atsbos de beijsr solucando o fretro que
ibes guarlam o cadver do pai que tanto haviam
estremecido.
Jos M. Eugenio d'Almeida deve a si, U
peseveranca e ao seu talento, o que chegou a ser.
A fortuna.d'elle orcava por qaatro mil cooios
f;rtes. Proprietario agrcola, nao o havia em
Portugal que mais extuuao de f;.zndas cultivas e,
ne.u qae as tratasse comraa'or esmero de cul-
tura.
t Parece que da do Pal (prximo da Gol egiu
qae nma das mais consideraveis troxera a mo-
-.s.U a quj suecumbia em poucas hora?. Nao Ibe
Ij encontrado testameato, mas por algunas pal-
vras solas, parece que ha esperanzas de o a ha-
rn nos archivos da Torre do Tombo. .
Era orador fl;entissim>, de vasta erudicaa e
profundo conhecimento dos negocios publico-. En-
geitau por vezos e ser ministro da coroa. Nun-
ca se resolveu a rebeber ltalos nobiliarios, nem
commendas, nea venera*. Tinha 59 ano s Je da
de e estava em toda a eaergii da viJa anda.
Mal o couhecia, qiaado em 183'J elle encar-
regado pelo Koverno da provedoria da Casa Pia de
, stxh (era Beler.) se arrjjoa s reformas radi-
caos que lem leito i'aquelle vasiissimo intrnalo
de orpbos, sendo primeiro da Europa em vasti-
Cl\ seguramente um dos prineiros do inundo em
adoiinistraQi-i, em coadigo;s hygeoicas e e;n sys-
'-na educativo.
Aqaella reforma fo enrgica ; raasmo cruel.
Era ama amputado de abusos de long dala ; a
Oemoligio de um ninho de ociosidades envelheciia^
a sombra de incuria e da tolerancia ignara de
mnitos homens alias de ptimas hiencoes. J. M.
Eigenio coriou at ao sao ; fi ssngae, como val
garmente se diz, e flo sem pieJaJe.
a jevantara-fe grande celeuma na mprensa
eram ledos aquelles ia'.eressiuljs creados e aca-
faloi na penumbra Jo abuzo, a gritarem, a estor-
c:.rem-se, a calumniar, a re3gir, a soltar brados
impotentes.
Achava-me en'.ao na imprensa poltica, tes-
ta de ama folha diaria, a Opimao. Levaatei a
nva, ou ante, levaatiu-a o jiraal que ia redi-
fia. Nao me r?cordo se o Jornal do Commercio
a levantoa no me:no timpe, se ponco antes, se
y^co djpois. Piuco importa. Levantamo-U
ambos ; mas de na modo decidido e Murtcto,
parquea vista fas l', e c< viraos, e depois vio
:oda a gente a transformagao.
Ophtalmias e as escrfulas tinham absentado
''aoradia n'aquella casa, as desie o cabello de S.
Ji'ge, e de?de o Dsstrro, onde primjiramente
-tivera a Casa Pa logo depiis que o intendente
eral da polica Maaique, a fundara. O rachitis-
ij das crenQas desappare:eu d'aquee estabele-
exento ;'.a edaea?ao fes-se mais rauavel, pelo des-
iVolvimento pbysico em iuturnos eurcicios
! i.nasticos, por uaia alirnenta?ao azotada e abito-
-ante pelo desenvolvimeato ntelleelnal e mcrai
j ela escolba dos mestres e dos raeih-dj?.
< Em 1861 aorio-si a escola normal s Manilla
jja direccap me havia sido entregue.
t Logo que os meus primeiros normalistas com-
r:etaram o corso, quiz o reformador da Casa Pa
:e Belem receber prufesserss a'enlre os primeiros
.ara Ibe compllarem al o pea?amenlo. E-a raro
rae admittisse al d'outros professores. O provi-
jr de eelaloa na casa Pa, Jo- Entoiio simoes
"apesj, ja hoje um oorae conhecido como pedago-
g.sta e escriptor, fo tambem normalista. Jss M.
-jgenio tinha chamado para seu lado um carc-
ter de nuta probidale e de mata energa e seve
riJade natural. Era e ainla o director i'a cela
:asa, o eapito Francisco Antonio da Silva Nev-.
< O relatorio em que Jos Mara Eugenio de
Almeida em 31 Je outubro de 1860 dava conta do
seu plano e irabalbo ai mirquez de Loul ..n j
diqa') e eato ministro do reino, por si um mo-
nameoto de saber, de-lastracio, de philantropia
esc.'arecida, e de for^a de voaiade.
A' par desla ref. rana, que vem dotar classe
-perara com tantos individuos vlidos e tebnttoa
educados nos seus prin.'i?io', mens sana in cor-
pore sano faiia o provedor restaurar aquelie sump-
tuosa monamento manaelico, que j hoje, mes-
mo incompleto, pasmo dos estraogeiro-, e ufa-
na dos portugueze'.
Nao me o mralo a rapidez ie ama carta no
ticiosa progredir. Nj Jornal di Covmtrcio. de
sextafeira 25 acham-se aurlosos apentamento-
biographicos dete hornera singular que a morte
-e:fju quando poda anda prestar sccieiade
portflgaeza to vali)? servicos.
t Mais da rail e qulnhealos op'ra-Los e trabalha
dores do campo se oceupivam as suas extensas
fazendas, na grande fabrica de tabeas de qoe
era proprierario, e as obras de samptuosa edifica-
lo do sea pas co a S. S bas:ai de Pe'r ira,
sahda de Lisboa n'aquella posicio pitloresca e
-menisslma, entre a estrada de DemlUae a do
Piego. Fora um antigo palacete qne o*seu ncon-
teslavel gosto archtectono transformara em ver-
dadeiro palacio, porm mais digno de mencionar-
se sao as diversas dependencias as costas desde
o palacio, que defrontam com os campos para on
de olbaa n urna extenso coasiJeravel. Sao lo Jas
em esty'.j gothici, e de caalaria lavrada.
< Nao quera Jos Mara Eogenio de Almeida
dizera, dar concluidas as obras da ?ua casa to
cedo, porque talvez tenesse a realisacao fatal do
antigo praloqaio popular. Ninho teito... pega
mora : Qiem sahe ? Os espirites superares
ceJem s vezes a urna snperstitao vulgar. Ha
inflaitas exemplares disto. O homem propoe, e
Deas dispde I
As obras da soa casa caram incompletas;
incompleta a restanricao do grandioso raonumen-
tj raanuelino em 3e!em ; incompleta eitftn ta 1.
que planeara para a casa pia, onde nao haviam
podido anda ser admittiJas orpba*, pelo atrasado
das ediScacds qae Ihes eram destinadas ; incom-
pleto o deseo volvimento agrcola das soa* pro-
priedades raraes.... ncomplelcnnasi lado apesar
d) tanto qae fez, qae edifican, planeou, despendeu,
trabalhou e fez execatar um a sua vontadr de
ferro, com a saa fortuna colossal, com as suas
oras todas ulilisada, c.m a saa existencia ic-
eira de fadigas I
< E' qneofanho das obras humanas asslm.
Um bornea r nao completa jamis. Por maior
qoe o imaginemos serpre, o lo d'uma cadeira
myslorosa, cojo segredo t Dos eoohece e cu jo
alcance Incommensuravel ir ptrder-se na eurui-
dale.
i Dizem j qae o visconde de Algo (Sonta Ate-
vedo) Ihe socceder da provedoria da nacional
ca; a pia de Lisboa. ET o visconde homem para
mnito.
c Os leilores da Cemspondencia de Poijugal
podem jalgar da vastidao dos seos eenhecimentos
pelos anlgos de revista critica ti tracados magis-
tralmante por elle
Outros affirmam que o governo da casa pia
ser offerecido ao conde de Cavalbeiro (D. Rodri
go Meaezes) dalgo de rija tempera e um dos
nomes que mais se tem ilustrado no parlamento
portoguez e na admioistracio publica.
i E' dignisslmo tambem. Osados da caritativa
delcaclo qae secoaiam d'esie cavalheiro sao tantos
qae basiariam para garanta de como adoptara
como seas proprio3 ftibos os seiscentos rapase*,
hoje duplicadamente orphos de Beln.
< O governo fara o que entender, oa certesa de
que o systema inaugurado com tal firmeza e sa-
bedoria pelo (loado proveJor decahisse em quaes-
quer mos, a opiniao publica levantarla j agora
clamores que recorJassem a graodissima retpon-
sablidade do encargo a quera delxasse entibiar
aquello regiroem modelo.
c E-ta questio dos orphaos de Belem, na se li-
mita, s centenas de!les qae l e-tao, nem aos que
pedem estar amanba.
E' mais de que isso, qae ji de s fura mnito.
A caspia, como a deixoa Jos M. Eugenio,
dep'.-is de Intar annos com a ratina, ao e..bJ de
treze, em que a dirigi saperiormeote, ama gloria
para Portugal, e depois de fechada a escola -nor-
mal, pelo espirito de falsa economa que assorber-
ham com a saa mesquinba influencia tantas cousas
uleis neste paiz, um viveiro de bons mestres pri-
marios.
< Mas alem de ludo isto, que maitssimo, so-
breleva ouira considerasio de malor peso. E' o
valio-issjmo elemenw' democrtico representado
por aquellas carnadas juveois de filh s do povo
para as fabricas, para as offieinas, para o pequeo
commercio, para as arles, para a agricultura e
mesmo para os cursos profissionaes ; mas rapa-
zes sdios, bem morigerados, acosturaados a h-
bitos de ordem de economia, disciplin, e de reli-
giao sem fanatismos nem creudices ; llu-trados
tanto qaanto Ibes preciso sem que o prurido de
ambicoes ioseffriUs e sera base, os torne instru-
mento de especuladores.
t Este elemento democrtico p5e um paiz livre
e valioso ; e a casa-pia, modelo de como se
deve eiucar o povo para ser um povo digoo da
liberdade que as instituc,5es Ihe asseguram.
t D z-se que ao procurador geral da coria e
fazenda, e ministro honorario Martens Ferro ser
da Jo por el-Rei o lugar no cooselbo de estado po-
ltico que leon vago por morte de Jos M. Euge-
nio de Almeidat
t Deve estar a entrar o vapir transporte IndU
que traz de Gda S. A. o intacto D. Augusto e o
batalho de cacadores que daqui parti par oc-
casio da rev.lta de pane do exercto dajuelle
E-lado, ilontem houve um temporal desfin, o
que talvez f >ss? iffislar o ndi da costa.
t El-Rei D. Luiz tenciot Ir esperar fra da
barra seu irmo na corveta Duque da Terceira.
Alguns vapores de pequea lotaco irao tambem
esperar o Sr. infante. O batalho de cagad res n-
1 ticar se ha cbamando de caladores de D. Au-
gusto.
< Fall-se agora na po;s!bilidade e mesrao em
projecics do consorcio de S. Alteza com a forrao-
sissima herdeira de urna amiga casa titular, ainda
apparentada com a casa de Bragan;a.
0 Sr. D. Fernando, pai Je el-rei, maniou to-
mar lugar no paquete para Bordeo. S. M. vai
viajar cora sua espoaa condes-a d'EJla.
t Falla-se em qae S. M. a raiuha D. Maria Pa
tencioaa ir prximamente a Madnl visitar seu ir-
mo e cuchado, soberanos d'aqadla naci.
E a 23 ao meio d a acTesceula esse nosso
zeleso corresponder :
t Na cmara dos pares votaram-se em sessiu
secreta (-egundo o estylo para tratado, convecco-'s
e outros assumptos diplomtico ) o tratado com o
Per, o tratad) com a Allemanha. e a convengo
telegraphica com a Hespanna. Passou, por ana-
oiraiJaue na cmara dos diputadas a proposta do
governo para o cabo lelegraphico sob-marino para
o Brasil, tocando na ha da Madelra e o'uma das do
arciiypelago do Cabo Verde.
Vai prosperando cada vez mais o instituto de
surdos-mudos fundado ha doas annos e meio em
uimarae3 pelo padre Podro Miria d'Agnllar. A
imprensa oceupa-se delle Parece qae vai entrar
era un accordo com o erodilo professor .a com-
n ;--;' promotora de donativos na cidade do Por-
to, para a nndaco de am collegio de sardos-mu
dos, era homenagera a S. M. o lraper.Jor do lira
sil, por occasio da sua visita cidade invicta. O
Sr. Agilitar fo professor da Escola Normal de
arviiia, e pregador de grande repatrio.
O governo desista oa adiou qaanto a tra-
lar-sa aa sua proposla da imposto sobre o sa".
Ha nova prorogaco das c6rtes.
O biraj de Koenigresarter, membro da drec-
5I0 do crdito hypothecario poriOgue-Z e que che-
gju ha das a Lisboa, noduvida por i-p s'-r >
Ja empreza nacioaal para o arroteament) dos ter-
renos incultos, sessenta railhoss de francos, mas
pretende qae as aec5es sejam de 20 libras e uo de
10, como estava resolvido. Parece que esta a-
liina proposla soffre rapugorco por parte doSr
Ayres de S Nogueira, pnmeiro e principal pro-
motor desta empreza, o qual insiste em que as
accSes sejam de io000 fortes, e pagas era pe
queaas prestacoes e em prazos ceos.
0 Filia se na creacao de urna associaco pa-
tritica, com o fim exclusivo de combater pelos
raeios legaes a ecnigracao.
O uteos de que a prejectada assoea^i) se
ha de servir sao todos persuasivos e de propa
ga^da.
lera a 3ssocacIo a sua sede era L'sboa, es
tabelececdo Giiaes era .todos es pontos do paiz.
S^r inteiramente estranha poltica, mas pres-
ta se a coadjuvar qualquer governo qae carecer
Ja sua influencia N) davidar acceiiar ;* pro-
tectja ollcial para facilitar a realis3c5o dos seu
planos. A associaco promover a pubhcaca) de
pequeos lvros escriptos em linguagen que to
dos enieniam, tendentes a excitar os sentimento-
patrioticos do povo. Far tambem publicar fo-
Ihetos analisando os cocimos qae qiae.cqaer eo
gajaaores pretendam ceiebrar para aogariar co-
lonos para o ts-.rangeiro, dando noticia do clima e
dos costumes do paiz para oode se promova a
eaaigr^o. Subsidiar quaa-quer pub.ca?oes de
agncaltura popular, as qaaas se ensinem es me
Ihores e mais econmicos systemas agrcolas. Pro-
teger todas as companhias e empreza ou parti-
culares que promovam o arroteamento de terrenos
incali', ou introduzam novas industrias era Por
tuga], que possara dar trabalbo a grande numero
de ara jo?. Procurar por todos os meios crear
ioteresses seguros qae garantam ara futuro des-
assombrado a s homens do campo.
Jise inJigila o futuro preiiJeote desta pro
jactada a,-soc!aao.
Corre que o no?so infat;gavel romaocista o
Sr. Camillo Caslello Branca fizera inniksaf a sua
eJiccio de ires mil exemplares (ja quasi impressa)
da Prtnceza Capellista, livro itte em que segun-
do se dizia se eacontravam pungentissimas saiy
ras -s pessoas reaes poriaguezas. /
Dz-se lan.b?m qae, depois da vigila qde em
sua propria casa Ibe fez S. M. o Imperador j
Brasil, e que tanto penhoroa o illastre escriptor,
elle tomou esta resolucan corajosa, porque real-
mente para am homem de lettras, o sacrificio
de um valor importante, esta queima de urna obra
cuj mpressao eslava a terminar com extrema
curios i da de.
Accrescenta-se que na entrevista da Sr. D.
Pedro II com oSr. Camillo Caslello Bran:o nem
urna palavra retrocoa sobro este assurapto melin-
droso, e que so depois que o fecaodo escriptor
deliberoa renunciar a esta pabiicacao, destinada
a fazer grande escndalo potas alia-oes traaspa
reales que nella, ao que parece re encontraran),
ao osamenta do Sr. D. Fernn lo con madame
Hensler, artista do titeado lyric, e a outra pes-
S)is da real familia.
< Os amigos do Sr. Camiilo qualidcam de alta
mente nobre e honroso este acto a qae me re-
tir.
t O ceito qae pela imprensa havia sido muito
fallado este novo romanee, coja apparic.) era es-
perada.
A idea que vosa raiis para a ^ubsl taso do
lagar de provedor da casa pia de Belm, o de
ser noraeado o Sr. Carlos da Almeida fllha doSr.
Jos Maria Eugenia, ba poucos das fal ecido.
O testamento qae atidal foi encontrad) na ca-
sa forte do palacio do uado, feito em 1861.
i Eiso qae hoje se l no Diario de.Noticias a
este respeito.
1 Deixoa testamento c finado Sr. J. Mara Euge-
nio de Almeida. Esse documento foi encontrado
anie-DoUtera de tarde 00 sea palacio de S. Sebas-
tian da PeJreira, e berto i noite. Sbanos qn?
sao as seguintes n suas princlpaes dispasicde*:
Institae p?r seas har.1< iroMJos dons terc)s di
sua hraHca a iens ihxi C*rlos Maria J gnio
de Almeida e D. Gertrudes Magna do Nasci-uenlo
e Almeida. Do terca dos bens de qae palia dis
por, dispda.pela maneira segninte : Deixo como
legado e alimentos a cada um das mens tres fi
fhos ole legtimos (Eugenio Maria de Almeida, D.
Maria Gertrudes Eugenia de Aneida e Joaquim
Mara Eugenio de Almeida) o capital em bens de
raz, situado* na provincia do Alemtejo os quaes
desgnirei. e qoe pelos arrendameotos em vigor
ao tempo da mlnha morte prebeam o rendimento
liquido de 6001 annuaes para cada um dos tro?,
3(J0| sao appboados para a suaeJucaco al com-
pletarem 18 annos; 1003 annuaes terio a mesma
applieacao nes annos qoe decorrerera dos 18 aos
25 completos, e os 300 ananaes restantes nos
primeros annos, e os 3004 restantes nos tete an-
niw ltimos serio app icados na acqoisiclo de
novos be o.
t Se algara dos 3 filaos nao legtimos, fallecer
antes de completar viole e cinco annos o legado
passar para os ontros i Minos em parles igaaes
oa para um f na totalidad-, se ora t existir,
anda no easa antecedente a qnota annual marca-
da para as de'pezas das ditos filbos nao ser aug
mentada e tolo o rendimenlo restante ser empre-
gado na acquisicio de novos ben. Sa lodos os 3
nlhos falleceraa aoles de completaren) 15 annos,
os legado deixados passaro para feneus 2 0 hos
legitimas, oa para um s, se am >o restar, ne se
caso estes legados licam suj -itos s conduces qae
estipularei, com ontros legados qae deixo aos
meus lhos legitimas. Se dado o ca-u nao previsto
no paragrapbo antecedente os meus i nios legiti
mos tiverem tambera fallecido, os legados de qae
tratam esses paragraphos passaraa para a casa
pia de Lisboa. Deixo a 0, Mara Barbara de Jesas
a pensao annual de 600/, qae sern garantido!
etu bens de raz no Alemtejo como hypoite.'a espe-
ciad; na ca-o qne a dita senhora case, ser esta
peoso .-aspen-a, a coatar desde o 1* da d> roez
immediato aquello em qae se verificar ocasamen-
10 ; depois de verificado recebera por ama f vez
l:000j em dinheiro. Deixo a miohi a materna
D. Viceacia a pen>o anoual de 300j; salegados
dos 3 Albos nao .legitimas e da lia rlcara vigorando
desdo o 1 do mu do men falleciment*. Deixo ao
meu primo padre Antonio Viera Borges 500/,
para dizer 100 missas. Deixo ao mea primo Sabi-
no Vieira Borges 2:000. De:xo o meu predio
no largo da Graca com os ns. 46 amigos e 12 mo
derno, aonde narci e falleeerara meas querido*
paes, mlnha ti.ha D. Gertrudes Magua, e falle-
cendo ella mea tiiho Carlos Mana. Deixo o usu-
fructo do pradio cima dito a mioha ta D. Vicen
cia Luiza at a sua morte, e d'ahi a meu primo Sa-
bino at o seu fillacimenio.
< Deixo 6:000 para serem distribuidos por or-
phas ou vinvas pebres ehonestas, pr-f.-nnlia-
que forera mais idosas e mais doentes e que ao
lempo do men Mleciraento residam as treguezias
le Santa Eagraiia, Saato Estevo, S. Miguel, S
V.cente e annexas; estas esraolas sero repartidas
como o .men testamenteiro entender melhor, re-
i- 'mrnenJando- he s qae nenburaa esmola ex e
da a 100. Deixo i:00O em dinheiro para serem
entregues a um ou mais estabelecimentos de be-
neficencia qae o dito (ftamenleiro escolto-r. Dei-
xo 2:0j0/J em dinheiro para as religiosas e ami-
gos religiosos velhos e enfermos necesitados, se-
gundo o meu testamento entender melhor. Nao
quero pompa no funeral; desojo ir acompanhado
por padres pobres, e a cada am se dar 50O ris
pan orna missa; >epr algara caso imprevisto
me nao acompanharem se daro a outros taotcs
sacerdotes as mesmas eircam$lan:iu qne o raau
testamenteiro escolher; raanlo (Jizer COO missas
da esmola de 500 r-., 200 pelas almas de meus
queridos pae, 200 pela miaba e 203 pelas almas
dos meussegro e sogra. Estas missas serio dadas
aos pidres velhos e pebres, preferindo os egressos
que estverem nessas cirumstanvias.
Nomeia para seus legatarios os 2 filnos legti-
mos em partes iguaes ao restaote de sua terca; e
para seas tetamenteiros, i' Joaquim Felippe de
de S ure, seno este tator dos Bina, em saa falta
Henrique do Grato de Almeida Valle, e na falta
desie J;3o Damasio da S.lv.i. Os filhos naluraes
ao tempo da feitura do testamento eram 3, mas
hr.je sao %; sera embargo disso parece comyrehea-
der-se qae o ultimo tem gaal pensao aos demai?.
Suppoe-se qae nao se fara inventarlo judicial. O
te-iaraento foi fe to em 1861 e esenpto em 7
n mis f.-'h s de papel, e nelle evocada por ve-
zjs a memoria de seu pai ora mostras de gratido
tihal por benefhios recebidos. Nomeava para 9
conselho de familia enre outros os seas amigos
os Srs. Franciscos SimCes Margiochi e Costa
Loba.
f Continuara os rao?imeotos de tropas portagne-
zas para gaarnicao das fronteira?. A revolucio
carlista, embora os telegrammas officaes Ihe pre
tendara tirar a importancia, progriJe.
f Era Badajoz rigoroso o estado de sitio.
t Chegarara os navio: Lisboa Braganga
(vapor) a 22 do Maranhao, Augusttne (vapor) a 2qj|
do Mtranhao e Para; db PortoFt/tx e Novo Si-
lencio a 12 de Pernambaco, e Amazona a 23 do
Para.
e Sabiram es navio?: de Lisboaa lo Alcn-
tara (vapoi) para o Maranhao a 25 Amarse (va-
pm) para o Para e Maranhao; do Porto a 13
Union para o Pora, -a 14 Adaimstcr do Mara-
nhao.
noticias da viucroa
Por va de Lisboa recebemos as seguales noti-
cias :
Os nargentes do Mxico apoderaram-se da
peoiosula de Yaacatoa.
Diz um correspondente de Washington ao
Ntw York HeralJ qae o governo dos Estados Uai-
dos nao teociona de modo alguna retirar as recla-
raacoes pelos prejuiaos indirectos.
D-z qae o secretario de etado declarou ao Sr.
Bauks presidente da commisso dos negocios es-
traogeiros, que nao cedera neste pona.
A cemmisso era de parecer qae se reiiraesem as
referidas reclamacoes.
O corsario Stirart qae cocJuzia dos E-tados
Unidos armas e muucoes para os inurgentes de
Coba, arribou a Jamaica ende a aaloridade ingle-
sa de accordo com os cnsules americano e hepa-
nbol o apprebenderam.
m
dev
sENAMBUC0.
ASSEMBLEA PROVINCIAL.
SESSO ORDINARIA Etf 17 ABRIL DE 1872.
PIIESIOENCIA. DO SR FERRE1RA DE AGUJAR
Ao meio da fe ta a chamada acham-se presen-
tes os seguintes Srs. depatados: Almeida Pernara-
buco, Alencar, Rads e Silva, Prato Jnior, Gaivo
Alcotoraio, Freir Gameiro, Henrique Mamede, A.
Correia de Araojo, Albaquerque uacerda, G. Gui-
maraes Ferreira, Mella Reg?, Toleo'ino de Carva-
Iho, Canba e Figueirdo, Correa Gondlm, Gomes
Parate, Lamenta Lins, Firraino de Novaes, Fer-
reira d'Araaj, Alvaro Cavalcante, Pinta de Cim-
pas, Barros Waaderley, Ferreira d'Agniar, Cioci-
nato Caraboira, Teixeira de S, Marques da Silva,
e Cu -s Cavaicanti.
Abre-se a sesso.
E' lida e appruvada a acta da anterior.
O Sr. i" Secretar o da conta do segninte
EXPEDIESTS.
Oficios:
Do secretario do governo, remttenlo copia do
acto de 9 do corrate, pelo qual o Exm. Sr. presi-
dente Ja provincia innjvou por 3 annos o contrac-
to cora a campanhia pernambucana de navegaco
cos.eira.A coramisso de legislado.
Do mesmo, remetiendo copia dos contractos ce-
lebrados com o baro la Soledade para a contrac
cao da estrada de ferro d a Recife a Limoeiro, e
com Wiliam Rawlinson alterando e planta a perfil
quanto a junecao da lioha constru Ja do- Recife a
Apipucos cora a que segae deste ultimo ponto ao
Caxaog.A quen fez a requisiQo.
Do mesmo, remllenlo as aposturas addicicoae.
da cmara jnunicipal da cidade da Victoria.A'
commisso d3 negocios de cmaras.
Do mesin), remetiendo copia da informacao mi-
mbrada pelo chefe da repartico das obras publi-
cas, aceica das duas poetes de que trata o pro-
jeclo n. 73 do anno passado.A' quera fez a re-
quisito.
Do mesmo, remetiendo copias das informaedes
ministradas pelo ebefe da repartilo das obras pa-
Plicas, e do engenheiro da campanhia de Beberib,
acerca dos cbafarises existentes na fregaezia de
A (Togados.A' quem tefi requesijao.
PetigSes:
Do conego Joio Chrisostomo de Paiva Torres,
pedndo se marque na le do orsameoto a qacta de
4:0004 para a conclusa) das obras da igreja de
S, Peoro Martyr de 0:mda.A' commissao de or-
camento provincial.
De Francisco Viera de S, ex-praca do corpo
de porcia, pellada pagamento da guarna de.....
JOCO a qual tem direiti, de saa gratifica;*) de
ilnntxrio.A' commissao de ordenados.
Paree res:
A commissao de redaeeao de parecer que
se aJopie a seguate redaeeao d mensagem que
ceta assembla resolveo dirigir a S. Santidade por
meio da nunciatura apostlica:
c Iilra. e Exm. Sr.A asssmbla legislativa pro-
vincial de pernambuco deliberla, per voto onani
me, dirigir a S. Santidade a mensagem qus se con
tm no segninte acto, que approvou em sesso de
II de abril do correnif auno :
- ( Segue-se a indieacio queja foi publicada..)
Portanto, dgnese V. Exe. enc.rainhar ao Solio
Pontificio a ref-rila expressao de amor e adhesio
ie ama parte do universal rebauho catholieo ao
leu Supremo Pastor. Salla das commissoes 16 de
abril de 1872.Gomes Prente,Pernambuio Ju
nior.Teixeira de S.~E' approvado. '
< Foi presente commissao de canstitaicao e
poderes urna indicaco assignada por algaos lilas
tres depatados, em que pedem, que esta astembla
nomeie ama commissao, que em sea nome felicite
0 Exm Sr. onaelheiro Jaaqueira pelo modo por
qae se tem havido na administracao da provincia.
t A commissao de constitu cao e poderes nao
rendo na referila indieacio cousa qae possa con
trarisr Constitui<;o, e as leis, emende que est
no caso de ser adoptada, tanto mais quanlo feci-
tacoes l'esta natnrasa rarecem j fazer parle dos
estylos desta assembla, que alias commettera ama
inju.-tica relativa .-e recnsasse ao actual presideatu
da provincia o qae se tem feito a oalros, nao mais
eredores, era mais dignos do qae o Exm. Sr. con-
selheiro Janqueira.
i Se a ac'ividade e a apudo, juslca e a leal-
iade s) condiQdes essenciaes para justificar o
apoio dos partidas aos governos representantes
as suas ideas no poder, nioguem de certo as rea
oe era mais subido grao que o actaal presidente
de Pernambuco.
1 t Sao tantas as necessidades pablicas imperiosas,
accaxulam-se de dia para da problemas admnis-
irativos lao npreteriveis, que saber escolher entre
aquellas as raais argentes, e desejadas e preferir
entre estes os mais adoptaveis, um dos mais re-
conditos segrelos d) genio.
t Perspicacia de iataicSo, facilidade de apanbar
a intima relaco das coasas, e tra Juz r prompta-
mente em fados os legtimos coronarios, sio evi-
dencias qae se tem revelado na administra(o do
Sr. conselbeiro Joniaeira, cuja modestia, bem
longo de andar explorando minas de popa'arida-
es epbemeras, qae se lisongeiam a vaidade do
homem, comprometiera o decoro do governo, nao
tem visado esta glora se nao a de merecer o bom
conceito geral dos homens sensatos, e rapsrciae,
qae s" pela verdade, e pela astioa costumam
afTerir os mritos e os servicos de qutm gober-
nara.
t Nao se governa se aa administrando, e nao
se administra, mormente em nma ierra, onde
quesi tudo requer o poderoso auxili) do governp
para mover-se, se nao chamando em lerna da ad-
ministracao todos os elementos collectivos, e fazen-
do quinhoeiros da acejio alministraii/a todos que
se mostrarem aptos para cooperar na bem social,
que o bem de lodos.
Governos que se solara, como a aranha no
centro da tea, e que nao faiem consistir seas
meios de conservaco, se nao ba forca descarna
Ja, e nica da autoridade e nao na censura rao-
ral de todos os homens qae eollaboram no mesmo
campo e professam as mesmas Ideas, sao desti-
nados a perecer, sem altingiro fin de su misso.
< Felizmente o Sr. conselheiro Junqueira, sem
sacr.dcar a justica s exigencias do sea partid),
lera-se com elle confundido no esforz supremo
de realisar na pratica todos os seus priocip os.
c Pelo qae respeta a saa admiaislracao, nio-
guem se mostrou amia mais desejoso d: acertar;
laeuara mais activo no eamprjmenia de .seus
sveres.
< Tem no correr de saa alraiaslra(o procu-
ra-Jo punir severamente o crirae, e rodear de se-
garandas a vi Ja e pro; rieJaJe do cidado ; en-
viand) cora a maor prcraptiJa, auxilio de torca
as autoridades do interior da provincia, para per-
segaic) dos criminoios, muitos dos quaes e dos
mais celebres, bao siJo capturados. Mesma nesta
capital, onde os assassioatos e tentativas de morte
se haviam reprodnzida cora alguma frequencia,
as causas vo consideravelmect*- melboranda,
grara- s prov.deacias enrgicas que fez adoptar o
presi lente no sentido de desarmar os dscolos, que
par ahi affrontavam a noasa cvilisac) e morali-
Jade com o aso e abaso constante de punbaes e
de outros instrumentos do erme.
t A ultima reforma jadiciaria tem sido fielmente
exccuuda e escrupulosamente nomeados os sup
pleres dos jnizes municipaes, e as autoridades
policiaes.
A paz, filha nao s da ndole do n)sso povo,
como da poltica moderada e justa nvaravlraen-
te pratica la pela admiaislracao, reina por toda a
provincia, sendo visivel o arrefeciraento das pai-
xes polticas, de que o silencio da imprensa ad
versa prova asss eanveninte.
' Tem S. Exe curada do andamento de vara-
abras publicas, qae achoa encostadas, mandando
dar preferencia *is mais urgentemente reclama-
das. Providancioa para qae fossera reparados
cerlos edificios desta capital, onde faacciooavam
repartijoes geraes e provlnciaes, e que se acha-
vam em estado nao correspondente dgnidade
das fanccSes; tolos esses reparos se lizerara cora
a maior economa
Reformoo, em virule de aatorisaco legisla-
tiva, algumas repartites provincaes, em ordem
a attender ao augmento progressivodo trabalho e
a malor forma do servico,
c Nimiamente escrapuloio na decretlo de no-
vas despezas, e nao fazendo sena) aquellas para
qae tmna anterisacao, lem procurado zeiar os
colres pblicos, de modo que as qaaulas prove
nientes do emprestmo; feito com c Banco da Bra-
sil, e que estavam disposicao la presidenta
para dar-lhes destino e applieacao de uraa ma-
neira ampia e indeterminada, como se ve do art
41 da le n. 994, foram por S. Exe. poapadas,
existinlo ainda intactos rail contos de ris.
Nao desconhecido o zalo com qne procuroo
salvaguardar os ioteresses provnciaes em rela-
co a empreza Recife Drainage e a todas as ou-
tras que exisiem presentemente.
a Al o aformoseamento desta bella cidade me-
recen os seus cuidados, j mandando fazer um
jardira publico, que da grande conforto servir s
adigas diurnas da nossa popalacao, j auxilian
do a cmara municipal no empenha da remo-
ver lulo que poda damnificar o asseio e salu-
b'idade.
t A instrncelo publica, como floalments todos
os tamos da pub'ica administracao, lera seriamen-
te occapado a atteocao do Sr. conselheiro Juoqnei-
ra, cuja administracao, se em to curta duracao
tem sido ioconteslavelmeote fecunda em expe
dientes utilssimos, largos e profundos vestigios
deixaria de saa passagem, se permaoecesse mais
lempo. A rapidez eom qae se reve-am as admi
nistraco?s, urna das mais graves enfermidades
de qae acercara as provincias I
Em ama palavra, er a commissao de consti-
tucao e poderes qae esta assembla approvando
a iodicacao, interpreta fielmente o voto poblico,
e satisfaz os encargos qae Ihe impde a lutella das
lberdades e dos direitos de seus comraittentes, di-
rectas e liberdades qae o Exm. 3r. conselheiro
Joo Jos de Oveira Junqueira lem sabido res
peitari
1 Sala das commis-des, 16 de abril de 1872.
Pinfo de Campos cao Vieira ie Araujo.C. de
Araujo. Foi approvado.
Sao lidos, jalgados objectos de deliberacio e
mandados imprimir os seguintes projectos :
t A assembla legislativa provincial do Pernam-
buco, resolve :
t Art. 1. A divslo entre o Io e 2 dislrictos
de paz da freguezia do Divino Espirito Santo de
Pao d'Alho, Oca estabetocida pela estrada da Glo-
ria at o engenho Belmonte e Maniat 'o Rcsari-
eho, seguinJo pela estrada do engetho Cancel
ilo at encontrar a estrada de roagm e por ah
seguir at os limites com a fregaezia 'A Traca
nbera.
Art. 2. A freguezia do Divino Espirita Santo
de Pao d'Alho se limitir com a freguezia da Luz
pelo no Gait at os limites da Gloria.
Art 3." A commissio da freguezia de Pao
d'Alho com a de Traeunha m e com a de Nossa
Senhora da Apresenlacao dp Limoeiro ser a es-
trada de rodagera.
1 Art. 4.a Revogara-se as disposicoas em con-
trato.
Paco da assembla legislativa provincial de
Pernambuco. 17 de abril de 1872.Pinfo Jnior.
Nicolao Tolentino. C. de Araujo.Almeida
PernambuooAlcoforado.
A assembla legislativa provincial de Per-
nambuco, resolve :
t Art. 1.* Ficam alterados os limites da fregae-
zia de No-sa Senhora da Graca da Capuuga pelo
moda segninte : Pariindo da ponte granded Pas-
sagem da Magdalena seguir pela estrada do Cho-
ra Menino at encontrar a do Maguioho, e segua-
do por esta t a entrada doCtminbo Nevo, conti-
nuar por elle at a entrada da roa da Soledade,
pela qaal seguir at a igreja inclusivamente, e
dabi pelo bteco que vai para a estrada de Joii
Je Barro?, segurad por elle deconformidade com
a divisSo existeote.
i nico. Fica entendida qae esta diviso cora-
prebende ambos os lados das estradas e roas por
oode passar.
< Art. 2. Ficam revogadas as dispo-ic'ej em
contrario.
< Pago da assembla provincial de Pernambn-
17 de abril de 1872.Ralis e Silva.Lamenha
Lins.Cunha e Figueiredo.
ORDEM DO DIA.
2,' disenssao das emendas offerecidas em 3' ao
projeeta n. 9 desie anno,. mandando admitlir no
gymoasio como alumnos gratuitos diversos meno-
res.Sao approvadas.
3* discussao do projecte 0. 33 deste anno, ao-
torlsaodo o presdeme da provincia a coneeer 6
mezes de lieenca cora veoemeatos ao professor e
professoras LaureoQo de Menezes Cysoeiro Bao-
deira de Mello, Francelina Forjaz da Lacerda e
Paulina Domingas Ayres.
0 SR. GO.NCiLVES FERREIRA justifica ums
emenda.
Vo mesa e apoiam se as seguintes emen-
das :
1 Igua! favor ao conductor do 5* distrcto da
repartico das obras publicas Francisco A. de Ara-
gi> Rabello.Ges Cavaicanti.
Ignal concesso a Celecina Mara de Siaueira
Varejo, professora de Apipucos. Pint J-
nior.
Igual coacesso ao professor da 3* escola da
freguezia de Santo Aatonio, Francisco de Assis
Monteir Pessoa..17. da Silva.
Suppnma-se a emenda que dizera vez de
seos venciraentos seus ordenados. GonQalves
Ferreira.
Igual favor fica concedido professora D. Ale-
xandrina de Lima e Albaquerque.F. de Fiquei-
roa.
O SR. OLYMPIO MARQUES :- (Xio devolveu
.eu discarso).
O SR. RATIS E SILVA .-Tenho esperadoqae
os oobres autores de tantas emendas que fos*m
mesa as juslifiquem.
Um Sr. Dbputado :Se ellas sao motas jusll-
cam-se amas pelas outras.
O Sr. Ratis e Silva : Nao assim, cada um
deve justificar aqaella de qae autor.
O syslema de se mandarera tantas emendas so-
bre qualquer projecto, sem qae os seus autores as
molivem, nos pde em graves embaraces, ao menos
a mim pde-me em circamstancias que nao sei co-
mo vote sobre cada urna della*.
Assim eu desejaria que os nobres autores de
cad\ ama dessas emendas nos dissessem a ra-
(o justa, a razo em virtuie da qual essas emen-
das foram mandadas mesa, sem o que, Sr. pre
sidente, eu nao poderei votar por nenhuma della?,'
volare contra todas.
O Sr. Gomes Parntb : No que faz muto
bem, por aue nt nao estamos aqui para servir a
particulares.
O SR, F. DE FIGUEIROA faz considerado em
favor da enrenla qae olTerecea.
O SR. GOES CAVALCANTI :-Sr. presidente, o
discurso do meu noDre coliega de dislricto me
obriga a va tribuna tambem explicar uraa emen-
da que eflorec n/iJeracio da casa.
Creio qae nenhum de nos se animara a apre-
sentar aqui ama emenda no sentido de se conce-
der lieenca a qualquer funecionano publico sem
qae estivesse convencido de que esse funeciona-
no nao podo c nliuaar a o exeriicio.
Um Sn. Deputadg :Nao bastante ertar con-
vaiciJo, preciso ter documentos que provera.
O Sr. Ges CavalcakTi :Creio mesmo que
todas as emendas apresentaJas neste sentido as-
sentam em documentos existeates na casa. Pela
mioha parte vou apresenlar considerat;ao da
casa o attestado pelo oaal se v que esse fuoccio-
aario a favor de qaem apresentei a emenda se
acba doente.
Um Sr. Deputado : S* professor.
O Sr. Gss Cavalcanti :E' conductor da re-
partico de obras publica., ajadante do en-
genheiro.
Ha urna petcao e a esta junto .03 documentos
queja foram subraetti-Jos consideracaa da com-
missao, respectivas a commissao concluio o seu pa-
recer por um prejecto concedendo o favor pedido
mas aiiendendo eu qae talvez o projecto nao le-
uha lempo de ser discutido, por que j vo muito
adiantados os nossos rabalu.es, foi que apresentei
a emenda.
Creio ter dado as .r;:es em que se funda a mi-
ara emenda.
Vai mesa o apoiaio o segaiote reqaeri-
meoto:
Requeiro que o profeca e emendas seja de
novo remecido a commissao de petiqes Barros
Wanderley.
O SR. TOLENTINO DE CARVALHO oppoe se ao
requerimento par na) conhecer qual o tira que le-
ve era vista o nobre deputado pedilo que fosse
o projecto eommistai de peti^oes. Para dar pa-
recer ? E' da propna commissao o projecto que
se dscu e. Para apreciar as emendas e sobre el-
las enaiiiir a sua opin'; ? A coramisso nao ir
adiantar cada mais; lera as petadas e os docu-
mentos que exstirem e qae j foram (presentados
na casa. Entende qae todos os depatados teem
o direito > apresectar emendas, sem qae se exija
que o projecto va a ama c>u)raisso qualquer, e
arada mais achando- e elle'em 3' discasso, para
examiuar o que se poier de momento fazer
aqui.
Tal systema nao p;rete oa'.ra coua mais do
que urna especie de protelacac, de por ama pe-
ara sobre o projecto, qae alias trata de queslo so-
ore a qual deve baver a mxima brevidade.
Vota por conseguate contra o requerimento Jo
nobre deputado, por nao ver nelle conveniencia
alguma. (Aaoiadjs).
O SR. BARROS WANDERLEY :-Sr. presiden-
te, quanJo apresentei o requerimento em discussao
nao tive em vista protelar a discussao do pro-
jecto.
iU diversas eaoenda? qae, segando afflrmara os
oobres deputado?, se fundamentara era documen-
tos que existem na secretaria, esses documentos
oo podem ser apreciados assim de momento ; eis
araz-aporque apresentei o requerimento que
consagra a idea de ser o projecto cora todas as
suas emendas remettido a coramisso de petigas
afl.n de que esti, fxaminanio 03 documentos a
qae rae reiro, d o sea parecer.
(I i um aparte).
O Sr. Barros Wanderley: Sei que mailas
emendas foram apreseofidas sem que se fuudas-
sem era documentos, a alopcao dolas, sem exa-
me, importa favore qae nao podemos fazer sem
grande iojustica e em detrimenento dos ioteresses
pblicos
Se eslivesse disposto a votar a favor de alguma
emenda, nao o faria, correndo lao precipitadamen-
te a voiaco.
Um Sr. Depctado : Negae o seu voto.
O Sr. Barros Wanderley :Estou uesta dis-
posicao, nao s por que nao licito votarse a fa-
vor de pretencSas sera fandamenD, comotamb?m
par que nio se deve conceder licencas sem qae
sejam solictalas.
Um Sr. Deputaao :Xo conceda o nobre de-
putado.
OSr. Barros Wanderley :Jalgo ter por esta
forma justificado o meu requerimento.
Encerrada a diseusso, approvado o projecto
com a emeada do Sr. Figneira, sendo regeitadas
as demais.
1* discussao do pr mando o ensino publico.E' approvado.
2" discussa da erx-enda offerecida em 3* ao pro-
jecto n. 22 deste anno que approva o regularaento
exoedido para a secretaria do governo.
Verificando-se nao baver numero fica a discus-
sao adiada.
O SR. PRSSIDENT3 designa a ordem do dia
e levanta a seso.
REVISTA BIABIA.
ASSEMBI\ PROVINCIAL. Hmtem
abrio-se a 8es^3o a-.baQdo-se presentes 3
Srs. deput/dos.
O Sr. 1." secretario lea o segninte expe-
diente :
Petico:
De Amonio do Reg Pacbeco Janior, pe-
diodo om privilegio por 25 annos para fon-
dar nesta cidade orm ou maij fabricas de
mosaico pira ladrilbo, e azulejos. A com-
missSo de obras publicas.
D8 Canhi A Manta, peindo oro privile-
gio por 25 annos para montarem e explo-
raren! urna oa mais fabricas para curtir e
preparar couros de todas as qaalidides.
A comnissSo de obras publicas.
Pareceres:
A comouissSo de fazeeda e orcamento,
tendo ouvMo a lliesoararia provincial fibn
a materia do requerimento em qae Victo-
te Ferreira d 1 Costa Miranda p:de o paga-
mento, da quaotia de 1*64(9211 lis a titu'o
de damoo causad) pela txecocSo que ibe
orneo a fjzenda provincial para pagamento
da multa em qoe iocorreu o sopplicante pelo
nio cumprimeoto de om contrato relativo a
obras publicas, e a vista da informarlo pres-
tada por aqaella repartico ; atieodeiido
qae, tendo sido osopp'icante relevado pela
presidencia da provincia da multa em qoe
acorren, recebeu na thesouraria a impor-
tancia das astas a qae tinha direito; e qoe
nio ha em direito outra indemnisacao par
os reas vencedores as demandas sena) O
pagamento das cusas, de parecer qoe
seja o suppl cante indeferido. %
Sala das esnies de commis. maio de. 1872. Marques da SilcaOti-
veira Fonceca.Joaquim Correa de Araujo.
E' approvado.
A commissao de fazenda e ornamento a
quem foram presentes o requerimento em
que Sebistilo Jos da Costa Triguero, es-
crivSo da collectoria provincial de G yanna,
pede qae se eleve a soa porcentagem de ti
a 8%' e a info-macio da thesouraria pro-
viudal qae favorece essa pretendo ; atten-
deodo que o supplicante tem recebido a
porcentagem de 6 / em virtude da Iti d.
963 que dispoz no art. 32 | 2 que as
collectorias cuja arrecadacio U sse superior
20:0O0($ annuaes 05 respectivos empregi-
dos percebessem 2 % menos da porcenta-
gem marcada para os das collectorias cuja
arrecadacio fosse inferior a esta qaantia;
attendendo que em quanto nao for rt vega-
da a sobredita le, deve ella ser respeitada
e observada; e que, finalmente nao ba con-
veniencia publica que justiGque urna excep-
Co em favor do sopplicante, de pa.ecer
qae seja o mesmo indeferido.
Sala das ses<5es de commis 5-s 13 de
maio de 1872.Marques da Silva.OU'
veira Fonceca.Joaquim Coria de Arc.ujo
E' approvado.
A commiss3o de fazenda e orcamento, a
quem foi presente o requerimento da mesa
regedora da irmandade de N. S. do Rosario
da freguezia da Boa Vista, pedindo qne esta
ass3mb!a mande pagar ao tLesour- iro da
mesma irmsnladei quota marcada na lei do
orfamento de 1&70 a 1871, sob n. 9>3 ;
attendendo q te o exercicio regido pela re-
ferida lei foi encerrado sem que a suppli-
cante t.vs;e recebido toda a consignacs
nella vitada, sobresatundo a circumsuncta
de ter o seo ibesoureiro restituido ;be-
sourarii provincial a qoantia de 500|> qca
recebeu por conta da mesma consigelo ;
attendendo que a verba votada no art. C
[6 da lei do orcamenta vigente j se acba es-
gotada como informa a theso:rari?, de pa-
recer que nj pode ser a su;p!icanta dife-
rida.
Sala das sasses da commissio 13 de
maio de 1872.Marques da Silva.OU-
veira Foiicxa. Joaquim Com'ad'Araiijo.
E' approvado.
A commissa de fazenda e orcamento, a
quem foi presente o requerimento em qce
Jos Miguel do Epirto-Santo, administra dof
da capella de S. N. do Rosario da Vi! a do
Cabo, pede qoe se consigne na lei do orca-
mento urna qaota de 1:0005 para a concia-
sio da dita capella: altendendo que, c.m
de ter chegaio a preteacio do supplicante
depois de confeccionado o projecto de orna-
mento, accresce qae neste nio foi consigna-
do quota senio para as obras de matrizes :
attendendo qoe a obra de que trata o stp-
plicmte nao de argente necessidade, e a
c-ipella sob sui administracao est em ero
lugarjde pouca populacho, e onde existe orna
matriz: e de parecer que o sopp':icar,".e
deva ser indeferido.
Sala das sessoes da commissao 13 de
maio de 1872.Marques da Silva Oli-
veira Fonceca.E' approvado.
Sio julgados objecto3 de del:beract> e
mandados imprimir os projectos ns. 9J e 91.
O Sr. Gomes Prente pede que sejam pu-
blicadas no jornal dacasa as informaces qae
solicitoa e ji ibe loram presentes, com re-
liCo abusos praticdos pelos frases ?
ordem de S. Bento em Olinda.
ORDEM 0 DA.
1.a discussao do projecto n.*2I deste an-
no, oreando a receita e fixando a despezi
das cmaras municipaes da provincia para
o futuro exercici..Foi approva lo e dis*
pensado o intersticio lequerimecto do Sr.
\. Correia de Araujo.
2.a discassio do prejecto n. 36 deste
anno, creando mais um medico e am ciror.
gio para o servico dos estabelecimentos a
cargo da Santa Casa de Misericordia-Oraram
os S"s. Goncalves Ferreira e Oliveira Fon-
ceca, sendo approvado om substitutivo dio
Sr. Oliveira Fonceca ao art. 1., e Meando
adiados os ontros artigos, do projecto pela
hora.
Continuando a 2,k dcnss5o do crgame.'i-
to provincia!, l'oram approvados os artfoi
40 e 41, ficando pendente o artigo qoe se
refere subvenco Companhia Pernam-
bucana, por nao ter sido apresentado o m
parecer da commissio de agislaclo com re-
lacio ao contrato da mesma eooipSDhia de-
pois da orarem os Srs. Vieira de Araujo,
A. Pernamouco, e J. Ccrreia de Araujo.
2.* discussao do projecto n. 72 deste an-
no, autorisando o presidente da provine a
a renovar o contrato da companhia.da estra-
da de ferro de Olinda, em ordem a serem
elevados os prscos da respectiva tabella.
Fui approvado, depois de o arem os Sr;.
F. de Figaera, H, Mamede e Caaha e Ft-
gueredo.
A ordem do dia para hoja : conlinna-
Cio daanl9rior 1.* discassio do projecto
n. 82 e 2.* dos de ns. 70 e 71 deste anno.
JURY.Fanec.onoa nociera sob a presidencia
do Exe. Sr. desembargador Doria, entranJo em
julgamento o- Deodalo de Medeiro?. pronuc.ia-
Jo as penas do art. 264 do cod. crim. combinado
cora arl. 34 do mesmo cdigo.
O cooselbo de senteDga compoz-se dos Srs. :
Joaquina Vas de Siaueira, Francisco Jos Raposo,
Manoel Joaquim Ferreira Esteves, Manee'. Jet
Dantas Jnior, Antonio Angosto Ferreira Lima,
Antonio Jos Ritviro de Iforaes,' Jo,lo Antonio de
Mello, Miguel da Fonceca Soares e Silva, Jabalo
Jos Ramos, Antonio Ignacio do Reg Hedercs,
Firraino Herculano Baptista Rineiro, Antonio Pe-
reira de Faria, Francisco da Silva Reg e D,\ An-
tonio Wetrnvio Bandeira Accoll de Vaseoncello?.
A defeza foi incumbida ao Sr. Dr. Vianna ; e
avista das respostas dosquesitos foi o reo condem-
no a 4 mates cera trabalbo e mulla correspon-
dente.
ASSASSINATOA' 12 de abril foi assassinado,
na fazenda Taboleiro Queiraado, do 3* distrito do
termo Jo Cabrot, Mainias Goncalves Teiieira por
Carlos Jos Antonio de Amario.
CARECE CUIDADO.-Ao qne dinamos Donltm
em nossa Revista sob esse titulo, nos escreve o
Sr. Dr. Roflno Ai gusto de Almeida o segaiote :
f A detesta Maria Pereira Lopes, criminosa
de morte, dejoe traa a Revista Diaria de bck,
sabio desta "opa em virtude de ordem do Illm. Sr.
Dr. ebefe de polica, quem a mesma requeren
,*

m


)iui d Peraambuc* : Terqa wra 14 de M io d 1872
3,
av audie:ia. A grana de 1* Hona (e nlo da
orp 1 da polica), qua a acompanliava, foi quem
commaltea abaso, de consentir que fossa a ro
do Siseo na freguua di Bai-vista, onde ouir'ora
morara. Das te doto dei scicocia ao Dr. cbefe da
polieia en datada 11 do corrente. Ca de De
t*oe*o 13 de me>del87i.-0 administrador, Ru-
fino Augusto dt Almeida.
TRIBUNAL DA RBLAg.AO. Na sessio desle
tribunal publicada hornero, nos juramentos onde
a* Id Jase Lopes Machado, Francisco Lopes Ma-
chado.
VAPOR GLADIATORDevia sabir de Liverpool
para o oossa porto, coai escalla por L'sboa, a 7
o corrate mez.
CJADJUCTORES. Pelo Eim. e Rvm. Sr. eo-
nego governaJor do bispado forarn nomeadoa coad-
4actores das (reguetia? : da Gloria de GolU, o
na. Danat9 Barraco ; de Gravati, o Rvm. Len
Sassi; de Papacara, o Rvm. JoSo Soares de Alba
aerqae; do Porlo de Pedras, o Rvm. Jlo da
wtem Mara da Almeida; do Coito, o Rvm. frei
Jos do Coracao de Mara ; da villa da Assembli,
o Rvm. Joaquina Mi noel da Cata ; de Alago 1
Nova, o Rvm. frei Joaqaim da SS. Trindade Cor-
detro; da tfa.co, o Rvm. Joaqaim Alves da No-
brega ; de S. Jlo 11 apis la do Ass, o Rvm. I lili
00 Fernn Lm de Sonta; e de Panella s, o Rvm
Ganoino W ilfriJo de Santa G.irjo.
V1GARIP ENCCMME.NDAD. -Pelo Exm. e
Rvm. Sr. coneg goveraador do bispado, foi no-
meado o Rvm. Jola da Silva Cardoso, vlgtrio eo-
commeadado da freguexia do Pilar das Aiagoas.
MtSS V PU.NEBRE. Amanba as 7 h,ns do
da, o Dr. A. S Pereira do Carino manda resar
ama mise por alma de flnadocoronel Jlo da Ro-
cha Bezerra Cavalcante, na igreja matriz da Bol-
sista.
IN3TRUCCAO PRIMARIA. Acha se aberta a
segunda caaeira de instrucco primaria, do sexo
femino, de Santo Amaro das Salinas, regida pela
professora D. Josephim Jovita Belmira de Oveira.
HOSPITAL PORTUGUEZ -Acha'-ne de semana
oeste eslabeleeimento o mordono Francisco Jos
da Costa Araujo. O movimento na semana de 5 a
11 do corrente f i o s;guinte: existiam 75, eosra
ram 2, saQiram carados 20, falleceram 4, ficam
xistindo 6). Dos fallecidos foram 3 de febre
amarella e 1 de pulmona.
TELE iRAHMAS COMERCIAES.-Os dos Srs.
Kacw.es dt Faster e Piola Leita 4 Sobrioho de Li
verpool e I. ? re-, em 26 de abril as 11 boras da
oonte, dizeio o seguale :
i O*algodao oca fiouxo com baixa de 1(8 nos
preces: de 10 li2 a 12 o de Pernambuco, de 10
1|4 a 10 7,8 os da Parahyba e Macei, de 10 38 a
12 o da Maranho, de lu 1|1 a 10 7|8 o do Rio-
Grande do Norte, e a 11 o do Cear.
O assucar firme com alga de 6 d sobre os
presos : de 10/ a 29 o branco, e da 19/ a 25|6 o
masca va do.
O caf frouxo : de 65| a 741 o do Rio da Ja-
noiro, de Ci| a 70j o da Babia, e de 63| a 70| o
do Ceara.
Os couros veniem-so de 6 7,8 a 7 5,8 oa ver-
des e de 10 1,2 a I2| os seceos.
FUNDOS BUASILEIR03.-Erara assim cotado3
na praca deLonires, a 26 de abril :
5% de 1863 de 95'A a 98.
5% ile 1871 de 9l'/i a 95/<2.
4Vi % de 1853 de 84 a 86.
ESTABKLECliISNrOS DE CARIDADE.-Mavi-
menlo da casa do3 expostos no mez da abril :
Existiam no estabelecimeoto 84, entraram 3,
existem 87.
Existiam em creacl) 78, firam expostas 5, re-
eoberdin se 2, m^rrerara 5, existem 76.
Passoal dos enfermo, mendigas, educandos
existentes nos eslab ilecimemos pos a cargo da
Siota Qasa no mez de abril :
No hospital Pedro II 311, 00 hospicio de aliena-
dos 84, no colegio des orpblos 92, no collegio das
orpbas 160, no asylo de M nJici 11 le 80, no hos-
pital dos lazaros 35, na casa dos expostos 163, to-
tal 925.
LOTERA.A que se acha venda a 4', a
beneficio da reja de S. Pedro Martyr de Olinda, a
q'jal se Utranira no dia 20.
LEILO.-H. le Pinto o Lilac de raaveis e mais objectos exis-
tentes no tavimenlo terreo do predio d. 1, sito
no Campo das Princezas, onde outr'ora fuoccio-
nou o Club Pernambucaua, conforme est aunan-
ciado.
HOSPITAL PEDRO II.O movimento desse es-
tabelecirnento de 6 ao dia 12 de mao de 1871
fot de 322 existentes, entraram 62, saluram 41,
falleceram 15, existem 329, sendo 215 homens e 114
malheres.
Adverleuca.
Foram visitadas as enfermaras estes das as
8 1/4, 8, 7 I'2,7 1/2 8,8 1/2, pelo Dr. Ramos, as
8 l/i, 9, 9,8 1/2, 9, 8, pelo Dr. Malaqaias.
Fallecidos.
Toe atona Simio le Vlello Santiago ; bexigas.
Zc'm> FaruauJes da Silva Manta; mrcalos
palmooares.
Joiibois Francisco ; febre amarella.
Jaiques Barlerin ; febre amarella.
laeyatb Fragiso ; interite chroni:a.
Christovao ; idem,
Leopoldina Maria Francisca da Conceclo ; cache-
xia-syphltica.
Simni Lauvrch ; libre amarella.
Franciso Marie Lequer; febre amarella.
Antonio ; eniroa morto.
Jaaqiim Lopes; febre amarella.
Antonio Jj; de Lima ; interile ebronica.
Antonia da Cosa L 'Jo febre amarella.
Maace! Jj- da Espirita Santo; tubjrcalas pul-
monares.
Jjaquim ; iBlerite.
CASA DS DETENCAO.Movimento da dia 12
de toaio de IS72 :
Existiam (presos) 348, entraram 2, existem 350.
Asab-r: naeionaes 248, mulberes 9, esiran
gsiro3 42, e-cravos 46, escravas 5, total 350.
' 'Alimentados a cusa dos cofres pblicos 293.
M ivi r.3-.i.' da enfermara do dia 12 de maio de
1872.
Teve baxa:
Caetano Jos An'.jnio, raeumatismj.
Teve alta:
H:rmino Jo- Qaaresma.
PASSAGSIROS.-Sjhidos para os portas do sal
no vapor Cruzeiro do Sul:
Antoiio (tomes de M. Leal, Antonh F. V. Cate,
Manael Ferreira de S juza Lessa, Victorino Pialo
de Sa Passos. Dr. Ciau lino da Araujo Gaimares,
Joaquiro R. Ferreira, Adolpbo G. Netto, Eiisardo
P. GueJe!", D. Maria E. V. Caldas, Thomaz Com-
b;r, D. Julia C. A. Aulram, saa mi e 4 Ulnas, D.
Ama A. Ai" 111 e 5 cralas Ablizio de Vascon-
celos, senador Alvaro B. U. Cavalcante, Frederi
co de Oliveira, Jiaquim das Virgens Lima, Joa-
qaim de Soiua Ferreira, Jas M de Rrito, Jaa> G.
A. Valenle, E. Fragoso, Joo J. de Sampaio, Jos
M. Dais, N. Fernanles de Araajo, Dr. Fransctsco
P. U. Cavalcante, padre Antero E. E. de V. de
A:ordo, Mauricio Maus, Joaqaim Pedor B. de Mel-
lo II 1, LoureoQo B. C de Castro, Manoel A.
Aguiar, Maaoe! I. de Farias, Joseph Riley, Jos
Coeih), Juquim E Heves, Joaquim E. Ferreira,
John Austin, Marcos Jos Cardoso, Aojo Barros,
W. Padilba, Antonia da Silva, Manoel Rabello, A.
Nuaes is Almeida e Silva, Pedro B. G. Bastos,
Antonio Vidal, Jas Autono Soterio, Bra* Franco,
Francisca M. de Soaza, Antonia dos Santos, Joa-
qun) P. de Merelles, Gregorio A. de Oliveira, Gui
Inerme Z da Silva, G sorgo Gitemai, 12 soldados,
9 recratas e 8 eseravis a entregar.
Viadas da Europa no vapor fraacez Si/nih.
1):. Manoel Uuaique de Macedo, EJooward Ar-
osiieo, G:ovaoi Caleeibec, Vicente Saboia e saa
mulber, It bario Fort, Aogilo Spioelli, Geruano
Saiaelli, Viceoto Braao, Rapbael Bruno, Marino
Franoisco, Giovanni Deleippy, Giovanni Rodo, Do-
mingo Lasalria, Antonio Lasalfia, Peelro Paolo,
Angelo Novf-liino, Maooel Martios Alvas Garca,
Virgilio de Maraes Albaqnerqae Maraobio Jaa-
quim G-m?aives Casco Jnior, Jos Manoel Tei-
xsira Franw.
Tribunal do comsnerclo.
SE53AO JUDICIARIA EM 10 DE MAIO DE
1872.
ISUttNCU DO KXM. SR. CONSBLHBIRO A. f. Pl-
MTTI.
Secretario Julio Gutmaraes.
Ao meio da declaron-se aberta a sesso, estn
do renoidos os Srs. deaembargadores Silva Gui-
maraes. Res e Silva e M ma, e 01 Srs. deputa-
doa Olilo Bastos, Candido Aleoforado, Alvaro
e snpplente s Leitao.
Lida, (oi approvada a acta da sesso anterior.
ACCORDAOS ASSIGNADOS.
Embrgame, Gaspar Cavalcante de Aloaqoerque
Ucha; embargados, a viava a herderos de Joao da
S Aibuquarqoa; appallaotaj, Teixeira Marque* &
C. appllado'. Mandes Axevedo & a
JULOAMEHTOS.
Juio especial do commerclo : appallanle, Ma-
noel Joaqaim Gomes Braga; appellaJos, aulares
Hsory Forster & C.; jaizes os Srs. Silva Gaima-
raas, Rea e Silva, Olalo Bastaa a Alvaro. Anoul-
laa-se o prooes?o, fazeodo-se ama advtrteoela ao
escrivio Ernesto Silva, votando o Sr. Oliato Bas-
tos pela eoofirmaclo da saolenga apellada.
Jalza especial do commerco: appellante, reo
Gabriel Antonio; appellados, autores Jos Joaqaim
da Cunha & C.; jaizes os Srs, Motla, Silva Gal-
maraes,OiiotoBastse Candido Aleoforado.Man
doa-sa Uvrar termo de desistencia.
Appellante, Joaqaim Francisca do Espirito Sao*
to; appellado, Candido Jos da Silva; embargante
Francisco LaiiSo de Camino; embargados, Sexas
i Borges. Adiados a pedido das Srs. deputados.
PASSAGKM.
Do Sr. desembardor Silva Gaimarias ao Sr. des
sembargador Motta : appellante appellado Antonio
Valentim da Silva Barroca; appellante appellado, o
administrador da massa fallida de Sebastia Jos
da Silva.
DISTBlBUICOgS.
Ao Sr. desambargador Silva Gaimaraes: appel-
lante", AzeveJo & Coelho, appelladi, Joc Narciso
da Silva.
Ao Sr. desembargadoi Res e Silva : appellante
appellado, Joaqaim Francisco do Espirito Santo;
appellante appellado, Thomaz Jas de Campas.
Ao Sr. desembargador Motta : appellaoles, os
administradores da massa fallida de Manoel de
Soaza Carneiro Pimpo; appellado?, Bailar & Oli-
veira.
Encerrou-se a sesso ama hora da tarde.
THESOURAR1A DE FAZENDA.
Dia 13 de maio.
Foram remanidas aoSr. tnesoarero para serem
pagos :
Offlcio da presidencia, mandando pagar olor-
aecimealo d'agaa no destacamento da villa do Bo
nito.
Offlcio do arsenal de marioha, apresentando
comas de despezas faltas no mez prxima passado
com a respectiva enfermara.
Offlcio do meimaarsenal, remeneado coala das
despezas miadas bitas pelo agente comprador da
mesma aeparngao no mez de abril prximo pas-
sado.
Offl;io da sade do porto com folba para o pa-
gamento de seos veu'imenlos a in ds sen secre-
tario.
Reqaerimeoto da companha Pernambacaoa.
Servindo de offljial-maioj,
Manoel Jos Pinto.
COMMUNICADOS.
A directora da InstraecSo pu-
blico c os meus rticos publi-
cades no Diario
O Sr. Dr. Joo Jos Pinto Jnior, direc
tor da instruefao publica desta provincia',
voliou anda imprensa, proposito do que
eu disse na assembla, acerca da cadeira de
insiroccao elementar creada pela lei a. 790
para a Estrada-Nova da Beberibe, e qua in-
debitamente est fccionaQdo na Encruzi-
Ibada de Belem.
O arligo q e S, S publicou no Jornal do
Recife de boje nenburaa idea nova trooxe
discussSo, em poolo algom destruio as
minhas asser^oas relativamente ao negoc9
d'aqaella cadeira.
A' parte o que de chistoso se contm em
dito artigo, chiste qua eu agradeco como de
quein vem, todo o mais apaas reprodc-
elo do que S. S. j liaba dito no seu pri-
meiro artigo, e ao que respond convenien-
te e indestruclivelmenta nos meus preceden-
tes commanicados.
Assim, pois, como nica e derradeira res-
posta ao Sr. Dr. Pinto Jnior limito-me
offerecer sualeitura o qua eu disse n'aquel-
les meus escriptos, appalanlo igualmente
para o Ilustrado jaizo do publico, que nos
leu, certo, como estoa, de que jastiga ser
feita quem a tiver.
Recife 13 de maio de 1872.
F. de Figueira P.
GOMMEBCIO.
PRAGA DO RECIPE 13 DE MAIO.
DE lo72.
AS 3 1/2 HORAS DA TARDE.
Cotace8 officiaes.
\lgodao de Ia sorte 776 rs. por kilo, sabbado.
Cambia subre Londres 90 djv. i\ 3^8 d. por Ifi,
sabbado.
Dito sobre dito a 90 d|v. i 1(2 d. e do banca
i\ 3(8 d. por 13, naje.
P.J. Pinto,
Presidenta.
Dubourcq,
Secretario.
ALFANDEGA
AenJimQto do dia 1 a 11. .
Idam do dia 13. ,
iil:3i74i83
48.06U698
469:408,1879
Descarregam boje li de maio de 1872.
Vapor ioglezAr/Wvarios gneros.
Lugar inglezSarah Smithferros e carvo.
Escuna allemaJm'nane/varios gneros.
Brigoe francezS. Pierreidem.
Barca porluguezaImperial idem.
Barca nacionalRapih idem.
Brigue portuguezSoberano pedras.
Brigue inglezMagialacanos de ferro.
Patacho inglez/saftbacalho.
Vapor inglez2?mf>ramereadorias.
CAPATAZIA DA LFANDEA
Rendimento do dia 1 a 11. 5:016*522
dem do dia 13........ 568/938
5:585/160
Volames sabidos com fazenda
dem idem com gneros diversas
Somma
122
421
513
Despachos de exportaedo' no dia 11 i$
maio de 1872.
Para os portos do exterior.
.sa barca sueca tiebe, para o Canal, carre-
garam : Rebe Schametau & C. 232 saccas cem
21,031 kilos de algodao.
Na barca franeeza Mauriea, para o Havre,
carregaram : Tisset freres & C. 12 saccas com
1,063 kilos de algodao ; R. Adonr t barrica com
30 kilos de farinha de tapioea.
Na barca franieta S. Andr, para o Havre,
carregaram : Keller & C. 21 saccas com 1,663 kilos
de algoda.
Ns polaca hespanhola Francisquita, para o
Rio da Prala, carregaram : J. da S. Layo A Filho
100 barricas com 7,803 kilos de assucar branco.
No navio germnico Vtlteriger, para o Rio da
Prata. carrearara : Carvalho & Nogueira 210
barricas com 22,297 kilos de assucar branco.
No patache portuguez Destino, para Lisboa,
carregaram : Pereira 4 Vianna, 300 saceos com
22,500 kilos de assucar branco.
No brigne americano Mary Honrton, para
Hampton Roades, carregaram : Henry Forster &
C. 700 saceos com 52,500 kilos ds assucar mas-
cavado.
No navio naciooal S. Luiz, para o Ro da
Prata, earregoa : L. J. da Silva Gaimaraes 100
barricas com 5,733 kilos de assacar branco.
Napitacha hallanJez Elena Auna, para o
Rio da Prata, earregoa : P. M. Mury 450 barri-
cas com 11,442 kilos de assucar branco.
r'ara os portos do interior.
Na bareaea S. Benedicto, pira o Rio Grande
do Norte, carregaram : Fraga 4 Rocha 31 pipas
com 9,696 litros de agurdente e 1 saceo com 75
kilos de asaacar braceo.
Na bareaea Dous Amigos, para Massor, car-
regaram : Silva Irmos 8 pipas com 3,840 litros
de agurdente.
UECEBEDORIA DE RENDAS INTERNAS
GERAES DE PERNAMBUCO.
endimento do dia 1 a 11. 22:179*592
deraflo dia 13...... 5:060*381
27:239*973
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendimento do dia 1 a 11. 37:909*082
dem do dia 13. .... 6:637*285
MOVIMENTO BO PORTO.
Nato sakido no da li.
LiverpoolPatacho heipanbol Fommto, espillo
Thomas Ai sena, carga assnaar e slg)dd*.
Navios entrados no dia 13.
Barteaux portas ntermethos18 din, vapor
francez Syndh, de 1903, eoramandant* Messe-
net, equipagem 120 carga fazaadas e outros g-
neros ; a Tmei frer.
Triaste67 das, logar hoUandei pe Ipeus, de 213
toneladas, capillo F. J. Orw, equipagem 8; car-
?i 2625 barricas cam farinha da triga; a Kl-
rae.
Tarra-Nova38 dias, patacho inglez Isabel, da
162 toneladas, capito William Sopp.'eqaipagew
9, carga 2000 barricas com baealho; a Jabais-
Pater & C.
Havre35 das, logar francez Rio Grande, da 904
toneladas, capilla Vi illa, equipagem 10, carga
diversos gneros; a E. A. Bar & C.
Own>s. .
Nao boava sahidas.
EDITAES.
Seclo 2."-Secretaria de pernambuco em 13
da maio da 1871
EDITAL
De conformidade com o % 16 do accordio inter-
pretativo da convenci consular entre Portugal e
o Brazil promulgada pelo deereto n. 3935, de ti
de agosto de 1867, se publica o stguinte:
Pelo juizo de orphaos e ausentes da cidade de
Olinda e sen termo comarca do mesmo nome, se
az publico a quem interessar poasa, que nesta ci-
dade falleeea em o mes de oatabro corrate auno
o portuguez Jos Rodrigues Martios, natural da
Parada, districlo de Villa Real de Tras dos Montea,
e qual liaba ama. taberna na ra da Boa Har
desta mesma cidade, e outra a ra da Biea 'de S.
Pedro, onde fluou-se, aBm de que dentro do praso
legal venbam habilitar se na forma do dispasto aw
16 do aficordlo interpreta ti vo da convenci con-'
salar promlgala por decreto imperial, n. 3933,
de 21 de agosto de 1867.-Cidade de Olinda 24 de
oatubro de 1871. O escrivio de orphaos e ausen-
tes Bacharel Francisco Lias Caldas.
O Secretario.
Elias P. Almeida e Albuquerqne.
4i;5i6*365
Faculdad de Direito
De ordem da Exm. Sr. director, visconde de Ca-
maragibe, s faz pablico a lista das faltas nao abo-
nadas com relami ao mez de abril prximo,
liado conforme foi jalgado em sesso da congrega
(lo da 8 do correte mei.
Primeira auno
N. 12 Jos de Cupertno Damas ; continua a fal-
tar na 2* cadeira.
Tarceiro ano 1
N. 51 Nylo da Silveira Ramos, 2 faltas na 1' ca-
deii a.
Qaarto anno.
N. 8 Barcino Paes Brrelo 1 falta na 1' cadei-
ra; 0.11 Maooel Flix Gi tirana, 4 idem ; n. 22
Joaqaim Ferreira Chaves Judo1-, 2 idem ; n. 23
Gentil Augusto de Moraes Bitlencourt, 1 idem ;
n. 25 Antonio Games Tarares Jnior, 2 idem ; o.
29 Jos da Cunha Teixeira, 1 idem ; o. 45 Euge-
nia de Atbabyde Lobo Moscoso, 1 idem ; o. 52 Ho-
norio Il-rmeua Correa de Brillo, 1 idam ; o. 53
Democruo Cavalcaoti da Albuquerque, 1 Idem, o.
54 Alipo Zasariss de Carvalho. 2 idem; n. 59
Francisco Pedro da Costa Morelra, 1 idem ; n. 60
Luiz Amonio da Andrajo Jnior, 1 idem ; o, 63
Jlo Francisco do Arroda Falca a Jnior, 6 idem ;
n. 63 Eduardo Jayme Gomes de Araujo, 2 idem ;
n. 66 Carlos Thomaz da Almeida, 3 dem ; o. 75
Manoel Florentino de Albuquerqne Montenegro, 5
inclusive 1 sabaatina idem ; n. 76 Jos de Q teiroi
Maltoso Ribeiro, 5 idem ; n. 78 Ernesto Augusto
da Silva Freir, 2 idem ; 83 Domingas Olympio
Braga Cavalcaoti, 5 idem ; o. 81 Nylo Rodrigues
de Minada, 3 dem ; o. 85 Joaquira Guedes Al-
eoforado. 6 idem; n. 87 Antonio Pereira de Cas-
tro, 2 idem ; o. 83 Silvio Vasconcellos da Silveira
Ramas, 2 idem ; o, 89 Fraicisco Marques da Cu-
aba, 6 idem ; o. 91 Franc'ca Bernardina Rodri-
gues Silva, 2 idem e o. 92 Octavio Pereira da Cu-
nha, 1 idem.
Quinto auno.
N. 5 Ariitides Cezar de Almeida, 1 falla Da 1*
cadeira ; d. 3 Francisco de Paula Lacerda da Al-
meida, l dem ; n. 4 Sargio Hygioo Dias dos San-
tos, 6 inclusive ama sabbalioa ilem ; n 5 Gauli-
no Eudacfa de Brido, 1 idam ; o. 9 CaodJo An-
gosto Xtvier de Britto, 2 idem ; d. 10 Adolpho
Pereira de Burgos Ponce de Laoa, 3 idem; o. 11
Benigno Marinho Lins Sicopira, 3 idem ; o. 12 Jo*
- Leandro Dantas Serra, 1 idem 4 o. 14 Joaquim
Manael Vieira, 1 idem ; n. 15 J se Alves Lima
Jnior, 1 idem ; 0. 16 Jos Zef-rio de Meodoo(a
Ucboa, 1 idem ; n. 18 Jlo Pedro de S Pereira,
2 idem ; 20 Antonio Jas de Almeida Peroambu-
co, 2 idem ; o. 22 Thamaz Pompeo de Sauza Bra-
sil Filho, 2 idem ; o. 23 Porfirio de Smm Freir,
5 dem ; n. 21 Jos de Araujo Vianna e Almeida,
5 oa 1* cadeira e 1 sabbalina na 3'; n. 25 Fran-
cisco Marjal da Silveira Garca, 3 idem ; n. 26
Xdderico Araripe da Faria, 2 na 1* cadeira ; o.
27 Honorio Oracio de Figoeiredo, 2 idem ; n. 28
Manael Ribeiro Barretta da Menezs, 4 inclusive
1 sabbjtiiia na 1* cadeira, e 3 inclusive 1 sabba-
liaa na 3'; o. 29 Jlo Pereira Lagos Jnior, 2 oa
1* cadeira ; o. 30 \Dtoaie Agripino de Gusmao
2 oa 1' cadeira e 3 inclusive 1 sabbalioa oa 3';
0. 31 Jos de Oliveira Campos, 1 oa 1' cadeira ;
n. 3! Amonio Maria da Cunha Lima, 1 idem ; o.
37 Fiel Vieira Torres Graogero, 1 idem ; o. 38
Francisco da Silva Saldanha, 3 na cadeira e 1
3o; n. 39 Gangalo Vieira do Mello, 1 na I cadei-
ra ; n. 42 Joaquim Xivier de Luna Miranda Cou
to,l idem; n. 43 Antonio Rodrigues da Silga
Santa, 3 idem ; n. 45 Aureliano de Campos, 2,
idem ; 0. 46 Gamillo Aeciol Silva, 2 lidem ; n. 47
Jos Balthasar Ferreira Fac, 2 na 1* cadeira e 1
na 3*; o. 48 Eugenio Talles da Silveira Footes 11
na 1' cadeira, e 5 inclusive 2 sabbalioas na 3';
o. 49 B.aventura Jas de Castro, 7 incusive 1 sab-
batina na Ia cadeira e 1 oa 3-; o. 51 Elvidio Ce-
meotmo de Aguiar, 1 oa 1* cadeira ; o 52 Ulys-
ses Sigismundo de Araujo Batinja. 6 inclusive i
sabbatina idem ; 0. 53 Joo Jos di Silva Sarmen-
t, 2 dem ; n. 54 Maooel Mara Marques Mary, 5
idem ; o. 53 Jos Ferreira Nobre Formiga, 6 in-
dem ; o. 56 Ernesto de Carvalho Pires Liras, 2
idem ; o. 57 Jos Leonilla da Cunha Alcanfor, 4
oa 1' cadeira e 3 inclusive 2 sibbatioas ni 3';
o. 58 Gabriel Gomes Pereira, 2 oa 1' cadeira e 1
sabbalioa oa 3*; o. 59 Pedro Regalado Epipbaoio
Baptista, 7 oa 1' cadeira e 3 inclusive 1 sabbatina
oa 3': n. 60 Joao Vianna de Mello, 5 inclusive 2
sabbatinas na 1* cadeira e 1 sabbatina na 3*; n.
61Toeotonio Rymundo de Brillo, 5 oa 1' calei-
ra e 3 inclusive 2 sabbalioas na 3; o. 62 Feli-
ciano Eusebio Dias dos Prazere*, 2 na 1* caderia
e 2 inclusive 1 sabbatina oa 3* ; n. 63 Joaqaim
Candido Ferreira Lisboa, 3 inclusive 1 sabbatina
oa 1* cadeira ; n. 64 Manoel de Mello Cardoso
Barata, 5 inclusive 1 sabbatioa na 1 cadeira e 2
sabbalioas ni 3* : n. 60 Remigia Silveira de Faria
Oliveira, 2 inclusive 1 sabbatina na 1' cadeira e 4
oa 3' ; o. 66 Daniel Alves de Qoeirs Lima 6 in-
clusive 1 sabbatina na 1* cadeira ; n. 67 Francis-
ca Jos da Silva Porto, 1 sabbalioa oa 1* cadeira
e 3 inclusive 1 sabbatina na 3*; n. 68 Lindoro
Augusto de Moraes Reg, 6 inclusive 1 tahbatim:
ua i' cadoira e 4 inclusive i sabbatinas oa 3';
0. 69 Jas Germano Mangabeira, 1 oa Ia cadeira;
o. 70 Joaqaim Moreira de Barros Oliveira Lima, 4
oa Ia eadeira e 1 na 3a; n. 71 Graciliano Angus
to Cezar Waoderley, 1 sabbalioa na Ia cadeira ;
n. 72 Jos Cavalcaoti de Albuquerqne Uchoa. 2
ilem ; o. 73 Tertuliano Ganga I ves de Soaza Por-
tugal, 2 idem; o. 74 Eduardo Pires Ramos, 2 idem
o. 75 Carlos Francisco de Araojo Costa, 1 na Ia
cadeira e 1 sabbattina na 3a; o. 76 Francisco Be-
zerra Cavbanle.da.^lbuquerque 1 sabbauna.na
Ia cadeira.-- *
Secretaria da Paenldade de Direito do Recife,
11 de Maid de 1872.
O secretario,
______________Jos Honorio B. te Menezes.
O Illm. Sr. inspector da thesooraria
proTacial manda fazer pablico que em
camprimento da ordem do Exm. Sr. vice-
presidente da provincia de 4 rio corrente
mez vao novamente a praca no dia 16 do
mesmo, para ser arrematados por venda a
qaem mais der, os ferros velaos existentes
no qaartel de Santo Amaro, visto ter sido
insaflkiente o preco de 160 por arroba of-
ferecido por Andr de Abreu Porto.
E para constar se mandn publicar o pre-
sente pelo jornal.
Secretaria da tbesouraria provincial de
Pernambuco 6 de maio de 1872.
O offieial maior,
Migad Affonso Ferreira.
DECLARACOES.
cominercio.
Isla secretaria faz eoosiar sm comorimento do
disposto noartigs 15 do decreto o. 806 de 26 de
Julha da-1831, que.a banca prosuda palo ax-cor-
retor desla prae> Francisco Mameds de Almeida
subsisur por tempa de seis maza, coudos da
preseat data.
A moscos, secretaria faz constar que ha nma
vaga do tlli.-o de corre tor desta pra^a pela exone
rago concedida a Francisco Mamede de Almeida,
e que o merelssimo tribonai do commorri> em
sesso de 10 da prosete mea marcou o praso de
dous mezes para os pretenlenies se haoiliUrem
ao referido logar.
^Secretaria do tribunal docsmmercio de Pernam-
buco 14 de maio de 1872.
O official-maior,
___________Julio Guimardes.
~ Arrematapao
Hoje/ao meto dia, depois da aodieociado
Dr. jaiz de direito dos orphaos, v3o pra-
ca as casas terreas n. 122 da roa de S.
Jorge, e o. 45 da R sstauracab, perlencenles
aos meoores Lindolpbo e Mana Emilia, fi-
laos do flnado L-aiz Beltr3o da Silva Manta.
E a ultima praca.
THEATRO
GYitimSIO DRAH.TICO
Qiarta-feira 15 de maio
Recita extraordinaria em beneficio do actor
Francisco Ignacio Guerreiro
Representar-se ha pela primeira vez oesta cida-
de a bella e ioterassaAte comedia-drama em doos
actos, iradnccao do francez
Seguir-se-ha pelas meoinas Rosas, a ehistasa
comedia em 1 acto ornada de msica
PAULO E VIRGINIA
Terminando o espectculo com a graciosa come-
dia em nm aeto ornada de msica
A
MlnlD.1
O bececiido espera a proteccSo dos seus ami-
gos...
Os bilheles pausados para 8 de maio leen! en-
trada nessa nontc.
Depois do espectculo haver nm trem para
Api pucos e pontos merme los.
Principiara s 8 1)2.
AVISOS MARTIMOS.
cohpawhia
DAS
Messageries Martimas
Conforme osavisa rebebidas dt agsnia prin-
cipal oo rio de JD9iro espera-se o paquete Ama-
zone, commaodaoie J iret, do dia 19 do corrente
em diante. Depois da demora do costums seguir
para Brdeos, tocando em Dakar (Gore) e Lis-
boa.
Para ceoflgoes, fretes e passagens, trata-se oa
agencia, ra do Commerco o. 9.
Para o Porto
Depois de pouca demora oeste porto dever
seguir viagem com destino aqaelle a veleira barca
porlugueza Imperial; tem grande parle de seo
carrcgaraeolo engajado, e para o resto que Ibe
fetta o passageiros, aos quaes offerece omito bons
commodoj, treta-se com S jares Primos, roa do
Vigario o. 17.___________________________
Para o Rio-Grande
do Sal
Seguir dentro em poneos dias o patacho nacio-
oal Brmfica, p>r ji ter prompta a maior parte de
sna cwga; para o pouco que Ihe falta, que rece-
ber a fre.e razoavel : trata-se com Bailar, Oli-
veiro & C. ra do Vigario o. 1, 1* andar.
COMPANHA PERNAMBCANA
Dfl
Navegando costeira por vapor
Goyanna.
*0 vapor uaconal Parahy-
ba, seguir para o porto ci-
ma no dia 16 do corrente as
9 hars da noute.
Recebe carga, encommen-
das, passageiros e dioheiro a
frete : oo escriptorio oo Porte do Mattos n. 12.
COMPANHA PERNAMBCANA
DE;
Navegacdo costeira por vapor,
Porto de Gallinhas, Rio Formoso e
Tam tildar.
O vapor Parahyba seguir pa-
ra os portos cima no dia 20 do
correte a meia noute.
Recebe carga, encommeodas
passageiros e dioheiro a frete at
as 2 horas da urde : na escriptorio do Forte do
Mattos n. 12.
Para o Aracay, om diretilora, sahe com
brevidade o palbabote nacional Maria Amelia, ca-
pito e pralico Francisco Thomaz de Assis; j
tem parte da carga engajada, para o resto trata-
se com Antonio Alberto de Sodz-i Aguiar, a ra
do Amorto, armazem o. 60, oa com o capito a
bordo.
PARA 0 PORTO
Seguir com moita brevidade a bem coohecida
barcada portogueza Saphira p>r ter a maior par-
te de saa carga prompta : para o resto da carga
e passageiros trata-se com os consignatarios Tho-
maz de Aqaino Foneeca & C saceessores, ra
do Vigario o. 19, oa com o caoito. oa praga.
taparea americana e brasiiei-
ra de paquetes a vapor.
At o dia 15 do crreme esperado de New-
York por S. Thomaz u Para, o vapor americaao
Merrimack commandacte Slocum, o qual depois
da demora do costnms seguir para os portos
do snl.
Para fretes e ptssageis, traU-se com os agen-
as Heory Forster A C., roa do Commercio o. 8.
Para
Segu para o referido porto com moita brevida-
de o oate Olinda, por ter a maior parte de sen
oarregamento ; e para o resto que Ibe falta trta-
te oooo o consignatario Joaqaim. J. 6. Beltro i
roa do Commercio n. 5.
PARA O
Rio Grande do Snl
Para'aqaelle porto leve seguir semdemora o
brigue nacional ;trro.'j> talo, navio de primeira
classe. por ter prompta a maior parle do sen car-
regamento, faltando na resto de carga, para o
que deve traUr-se coas Jote Victorino ae Rezende
A O. escriptoraj 4 roa, do Marques de (inda na-
mejo 60.
Para o Rio de Janeiro
eeue com brevidade o veleiro paUeho nacional
Veloz, seeebe anda alguma carga a frete : a tra-
tar com Feroandes & Irmo travesa da Madre
de Dos o. 13.
COMPANHA PERNAMBCANA
DI
Vavegae&o costeira por vapor
Parahyba, Natal, Maco, Mossor, Ara
caty, Cear, Mandatau', Acrtc e Granja.
O vapor Pirapama, comman-
dante Azevedo, seguir para
os portos cima no dia 15 de
correte as 5 horas da urde
Recebe carga at o dia 14,
encommeodas, passagens e di-
oheiro a frete at as 2 horas da urde do diada
sabida : no escriptorio do Forte do Maltos n. 12.
Para o Rio Grande
do Snl
pretende segnir com muita brevidade o palbabote
nacional Joven Arthur, tem parle de seu carrega-
meot) prompto : para o resto que Ihe falta trata-
se com os seos consignatarios Antonio Luiz de O-
veira Azevedo & C no sea escriptorio ra do
Bom Jasus n. 57.
forto
O patacho portuguez Lidador, capito Cuaba,
recebe carga e passageiros : triti-se com os coo-
sigosiarios E. R. Rabello & C, roa do Commercio
o. 48._________________________________
COMPANHA
D8
Dos portos do sal esperado
at o dia 22 do correte, o vapor
Cear, cammandante Eustaquio,
o qual depois da demora do cos-
tme se gnir para os portos do
norte.
Para carga e passageiros trata-se na agencia.
Encommeodas de pequeo valor, peso, medida e
umbsm dinbeiro recebem-se at 1 hora da tarde
do dia de sua saluda : oa ageocia, ra do Com-
mercio n. 8.
As enoommenlas viadas por este vapor sero
entregaos at o dia da sabida do mesmi, o a es-
criptorio da companha, e dspota desle termo se-
rio recolhidas no trapiche Dantas.
Para o Rio de Janeiro
Para o porto cima deve seguir o patacho ua
cioDal Linda Flor, oavio de primeira classe ; para
carga trata-se com Jos Victorino de Rezando &
C, escriptorio roa do Mrquez de blinda nume-
roso._____________________
COMPANHA PERNAMBCANA
DE
%avega?5o costeira por vapor.
Macei, escalas, Penedo e Aracaj.
O vapor GiouiVi, commanante
Martios, seguir para os por-
tos cima no dia 15 do corrente
as 5 horas da Urde. Recebe car
a at o dia l't, encommenda*.
eiro a frete at as 2 horas d<
arde do dia da sabida : escriptorio no Forto di
Mattos n. 12.
passageiros e
BAHA
Para esse porto segmr em p'ncos dias o ve-
leiro patacho nacional Garibaldi : para carga e
fretes tratase com Tasso Irmos & C, oa com o
capito Custodio Jos Viaooa.
Para o Rio Grande do Sul
Vai carregar brevemente o patacho nacional
Singular ; para carga frete trata se com seus
consignatarios Amorim Irmos 4 C. ____
LEILOES.
LEILAO
DE
Um cahriolet americano de 4 rodas, coberto,
com asseoto para 2 e 4 pessoas, para I
oa 2 cavllos e arreios.
1 ditogde duas rodas com arreios.
IIOJ32.
a' 1 hora
No Campo das Princezas.
Em frente do predio n. 1, oode fuucciooou o
Club Pernambuca.no.
Por inlervencao do agente Pinto.
Por oecasio do leiio de movis, loncha vidros
e mnitos oatros objectos existentes no pavimento
terreo do mencionado predio.
LEIL10
DE
Movis louQa e crystaes
Espelbos, vasos e piauos
HOJE
Por intervengo do agente Pinto.
No estabelecimenlo terreo do sobrado da
ra do Imperador n. 1, onde fuaccionou
o Club Peroambacano.
CONSTANDO DE :
S Um excedente e magnifico piano quas novo, 1
dito com aso, 1 mobilia, 1 devao e 2 poltronas, 2
cadeiras de balance, 12 ditas de vime, veoezia-
as, jarros para flores (neste artigo ba 10 pares
ricos e de gusto moderno) espelbos de diferentes
tamaohos, relogios de mesa e de parede, caodiei-
ros, mesas de jogo, elagers, qnadros, 2 tocadores.
Urna mesa elstica, 1 guarda-looga, 2appara-
dores, cadeiras de differeutes qnalidades, mesas,
louca para cha e jamar, Anos crystaes, fructeiras
de metal, 1 jardioeira e muitos oatros objectos
qae estarlo patentes ao exame dos coocurrentes
na vespera e da do leilo.
Prioeipiar s 10 horas.
Leilo
DE
Um piano, 1 mobilia de Jacaranda, espelbos,
jarros, escarradeiras, 1 gaarda-louca, 1
mesa elstica, 2 apparadores, 24 cadei-
ras, ditas de balanco, 1 cama para 2 pes-
soas, 1 tocador, 1 ber?o, 2 cabides, loo-
r;a vidros e crystaes.
Um carro americano, i s.iim e arreios, 1
carrinho para menino, 1 bomba, 1 ma-
china do costara, candieiros e muitos
oatros objectos perlencenles a casa de fa-
milia.
Hoje
A'S 11 HORAS
O agente Pinto antorisado por nma familia, qae
madoa de residencia, levar leilo os movis e
mais objectos cima descriplos, os quaes serlo
transportados para o armazem do sobrad da ra
do Imperador n. i, onde faoccioooa o Ciab Per-
nambucano, e por oecasio do leilo dos movis
d'aquelle estabelecimenlo. _______^______
DE
1176 saceos, sendo 72$ com assucar a va
riado e 448 qaast vastos, parte do car-
regamento do brigoe inglez cBartua Ca-
riagton.
QUARTA-FEIRA 1 DE MAIO
A's 11 boras da manbSa em ponto
o trapiche da companha
Npraca do Corpo Santo.
Edmuudo Puillip, capito do brigue inglez B$r-
tha Cari*tton,} arribado n'este porto por forca
maior, levar a leilo com licenca do inspector de
aJtadega, em prsenos, cto pregado da (sesma
repartirla para o ftm nono^au, cem aasistrncia
do cnsul inglez, por ioterventj de agecte Piota-
e parcofits e-risco de qoem perteocir de 117U
saceos, sendo 728 com assucar averiado e 418
qaasi varios, parle do earregameolo do referido
brigue, tal qual se acha no trapiche da rtimpsia
largo do Corpo Santo, onde re eectuar o leita,
s 11 boras do dia cima dito.
Leilao
Em contiauacao
Ter^a fejra 14 do corrente
Alves & C, coanoarao o sea leilie mc i*sr-
vengo do agente Pestaa, de om complejo sort-
meoto de miudezas, perfumaras e ferrageof, sodas
aproprias desle mjrcado, terga-feira 1 weorrea-
te, s 11 horas a maohs, em sea armazem
roa da Croz o. 54. _
VO BOTTO
Espolio de Antonio Jos de Araojo.
O Illm. Sr. consol partuguez teas* de liquidar
o espolio do subdito purtugaez Antonio Jos Ae
Araojo, far leilio.por ioterveocao do agente Mar-
tin* de urna casa com dnas salas, nm qaarto, co-
sinha e copia, um cavallo e di 'ersos objectos exi*>
lentes em saa esubelecimeoto oo Bollo, praia e
Nazarelh, tudo perteoeeote ao dito espolio.
Qurta-feira 15 do corrente.
A's 11 horas do dia no Bollo._________^^^
Leilo
DE
14 caixas com presuntos, 5 dius coa qoe-
jos londrinos e SO barris com mantoiga
ingleza.
QUINTA-FEIRA 16 DO CORRENTE
A'S 11 HORAS EM PONTO
O agente Pestaa far leilo por conu e rieeo
de qaem perieocer, dos gneros cima meacic-M-
dos, os quaes ser) veudas enlutes a va otada
dos compradores no dia quinta feira 16 do cma-
le, s 11 boras da manha em pauto, no
o. 2 B ra do Apollo.
LEILAO
Faz-se leilo dos livros e armaco dt lea
que foi do fallecido Antn: Domingoee,
roa do Imperador o. 07.
Ha muitos e boas livros de direito e preparato-
rio, por isso slo coovidados os Srs. acaeaneee e
e>tudantes a concorrerem a este leilo, qte, por
intermedio do leiloero Pestaa, ter logar qaioU-
feira 16 do correte.
Um excellente piano, espelbos de crystal,
movis, p: reelanas, crystaes, vidros e
outros muitos objectos perlencenles a
nma familia qne se retirou para Europa,
SEXTA FEIRA 17 DO CORRENTE
Pelo ageole Marlins, na segando andar do so-
brado n. 40 da ra larga da Rosario.
AVISOS DIVERSOS
INSTITUTO JIGHEOLOGLO E GEOCRPBIA-
CO PEMAMBIMO
Para conbecimento dos inleressados se
faz publica a seguinte di-posiglo dos additi-
vos aos estatutos desta c?sa:
a Art. 16. O socio effecltvo que por um
anno deixar de comparecer as sestdes do
Instituto sem cansa par',i:ipad3, considerar-
se-ba eliminado.
Secretaria do Instituto, -li de abril de
1872.
J. SoAttes d'Azevedo
Secretario perpetuo.
Se verdade que a euiroza professora da
encruzilbada de llelie.n. onde a seu bel praztr
tem aberto a saa aula, tem recebido os seas orde-
nados como se eslivesse em exercieio de saa ea-
deira de Agaa-fria, avista de atiesta los graciosos
do delegade litterario da freguezia da Se de Olin-
da, portante se ao Sr. Dr promotor se eila tem
encirrido as penas da lei.__________________
Aluga se a casa terrea n 108 da roa da
Gloria da Boa-vista : oa roa da Madre de Dos o.
16, dir-se ha quaes as coodicfos._____________
Precisa-se de costureiras para trabiiharem
na cfficina : na ra estreila do Rosario, casa do
Ray d'Yvetot, n. 14.
Aluga se o seguudo audar da ra de D. Ma-
ra Cesar, outr'ora Seozalla Nava n. 30, muito
fresco e cammodo para pequeoa familia, orna
sala e tres qnartos, cosinha e dispensa : a tratar
na mesma casa.
mmn
Precisa-sa de om caizeiro de 16 a 25 aonas :
oa reflnacaa da ra D. Maria Cesar n 4._______
mmmin
Precisa-se de orna perfeita cosiobeira para casa
estraDgeira : tratar oa roa do Commercio o. 16,
escriptorio Jo corrector Siepple, ou na Passagem
da Magdaleoa, sitio de Henrique Oettli._________
O abaixo assignado scientiiica ao pablico e
ao respeitavel corpo do coaimercie, que neeu
data delzou de ser ca;xeiro do Sr. Guilherme Jos
de Souza.
Jos Pereira Canolho.
6;000 rs.
O Sr. Henrique Alves da Silva, irmo doSr.
Brito, escrivio dos protesto?, dirija-se a rna Jo
Livramento n. 33 para caocluir certc negocio.
5;00|) rs.
Rogase ao Sr. Torres Bandeira, dlho do Sr. Dr.
Amonio Rangel de Torres Bandeira, cumpra o que
tem promettido na ra do Livramento o. 31.
Est fgida
desde 7 do correle de madrugada a escrava An-
tonia, prela, de idade 20 e lanos aooos, estatura e
corpo regalares, rusto redondo, cabellos carapi-
ohos, falla apressada, falta de denles, tem paants
no rosto, sabe ler, engommae cose bem, tem ama
Tuba de cor fula, forra, de idade de 6 anuos, mas
oa menes, coosla que tem andado a offerecer se
como ama,'intilulando-sfl firra : qaem appreneu-
de-la e levar roa dt Cadeia do Recife n. 56, es-
criptorio dos Srs. Leal & Irmo, ser geoerosa-
meole gratificado._______________________
INSTITUTO ARCHEOLOGIC E GEOGRA-
PHICO PERNAM9UCANO.
Haver aesslo ordinaria sexta (eir 1C
do correnle maio, pelas 11 horas da ma-
nilla.
ORDEM DO DIA
Pareceres e mais trabamos da commis-
soes;
Lectura de nm relatorio d Sr. Dr. Bap-
tista Rigueira, sobre o local do reducto do
Rio-Formoso.
J. SOAMS D'AUVEDO.
Secretario perpetua
1 lili no
Precisa-se de am criado oo l* andar do sobra-
do n. 48, na roa das Trinche iras.____________
Bernardo Jas do Araojo, asolara Peio-aM
senu, nada dever oesta praca oa tora deila e qae
iodo a Portugal, deixa por seu proenradores, oca
1* logar, ao Sr. Jos Cardoso da-Sva Pialo e aa
2* ao Sr. Manoel Teiieira-Bastes.
Reie, U de maio de 1978,
? i



&$
>
I
*
I
Huii
^a (tira 14
iV%

CMJTELLA ,
Avisa-se ?os compradores do bem conne-
cido e acreditado rapS rea Preta que re-
paren) noi boles e meios botes, pois que os
na de rap de outra fabrica e nome diverso,
e com papel da mesina, cor e cojo desenho
te pJe confandir com os daqaelles.
Os apreciadores que qoizerem do verda-
doiro-AnA preta devem para nao ser en-
gaados verificar que os botes tragam o
come de meukon & c. e a designado de
AREA-PRETA.

.r-.-^-.-- -.-
gratifica-se
No da 27 de abril prximo pas.-ado, fogio do
iiio do ;ea serthor, no Giqma, fregueiia dos Affo-
gados, a escUva negra de nome Mara, tendo con-
dolido bastaste roupa inclaiodo pan sea aso am
paao preto too da Costa e tend os signaos se-
guiotes: SUITO GORDA, rosto pequeo, bastan-
tes cabellos brancos, julga-se qne passeia do Gi-
qn at aboato. portanto recommenda-se as au-
toridades polieiaes oa a quem cooduzr a i seu
respectivo dooo, na rna do Rangel n. 61, que se-
r generosamente recompensado,
ATTENCaO
Anda te continaa a foroecer almrco e jantar
para fra na roa estrelu do Rosario sobrado n.
38. As pessoas qae qoizerem dirijam-se roesma'
casa qae se ira os precos : mana-se levar em
casa dos assignaotes e (at-se mais m eonta do
cae em outra qaalqrrer parte e fado coa aceto
Na Iravessa da roa
das Crazes b, 2, pri-
meiro andar, da-se di-
nhclro sobre penhores
de ovo, frata e brujan-
les, seja qnal for a qaan-
ta. Na nesma casa cora-
pram-se os mesaos me-
laes e pedras.
FABRICA DE MACfflNAS
A' Ra do Barao do Triumpho ns. 100 104
OUTR'ORA BRUM
Gardoso & limito >
AVISAS aos Sr. de eogenhos *) 10 publico-ern geral, qae teem recebido da Eoropa,
grande sortimento de ferrageos par* engenbos e para lavoora, e quaesquer ouTros ozcs
e misteres da indcstria agrcola, o qoe todo vndem por precos moa veis.
VAPORES horizootaes e vefftcaes j bem cooliecidos nesta provincia e lora della,
os melhores que teem vtndo a -este mercado.
MOENDAS completas de diversos tamashos, obra umita forte o bem acabada*
MEUS MOENDAS parasentar em grades de madeira.
AXAS de ferro fondide e balido de diver03 tamanhos.
RODAS D'AGUA de diversos tamanh8.
RODAS DENTADAS de diversos tamanhos e qualidad*.
FORMAS para p3es d'aaiocar, qae esperam em poocos dias grande porfo, e aquel-
tes senhores qae dellas precisarem, podem desde j dar saas nota.
CONCERTOS. C-Hicertam com promptidao qnalqoer obra oa macbin, para o qae
teem sua fabrica bem montada com grande e bom pessoal.
ENCOMMENDAS.Mandara vir por encommenda da Europa, qualquer machinis-
mo, para o que se correspondem com ama respeitavel casa de Loadres e com um dos
mebores engenheiros de Inglaterra-; incambem-se de mandar assentar ditas machinas,
e se responsabilisam pelo bom trabarho das mesmas.
RA DO BARAO DO TRIUMPHO NS. 101,102 E 104
FUNDIGO DE CARDOSO & IRMO
Precisa-- de croa ama prela ja da idade para
coiinnar e comprar para casa de familia de duas
pessoas: qaem qaizer dirjase a atta lypographia
das {O boras da manhaa as 2 da tarde.
1 i -----------------
Na Praga da Independencia n. 33 se compra
oaro, prata e pedrs preciosas, e tambera se vende
obrss de igoal especie.
MOFNA
Olha tito L
Roga-M ao Il!m. Sr. Ignacio V.alra de Mello, es-
jriTlo na cidade deNazareth desta provincia, o
Cavor de rir a rna do Imperador n. 18 a ronclni
iquelle negocio que V. S. se comprometteu reali-
tar, pela terceira chamada deste jornal, em fin
de dezembro prximo paesado, e depoia para ja
neiro, passou a fevereiro e abril, e nada cumprio
por este motivo de novo chamado para ditc
fim ; pois V. S. se deve lembrar que este negock
i de mais de oito annos, e quando o senhor mi
flho se achava no es nesta cidade
O Sr. Boaventura Jos da Castro Azevedo
qne re idio em Macei e actualmente aeba-se nes
ta cidade, rogado a vir roa do Amonm n. 37,
escripiorio de Tasso Irmaos aonunciar a na residencia para er procurado.g
fttcva-ie de orna eserava, boa
Coiinbeira e nraa livre para en*
iiinv gornmar e hiero serve intento
de casa de familia, paga-se hero : na rua da Croa
do Recfe o. 42, armaiem, ua no Coi redor do Bit-
po n. 23. _____________________ _,.._
Precisa se alagar ama molber
forra oo eserava, para casa de
pequera ramilla, a tratar ca
rua da Cadeia n. 6.
Traca-se notas do banco do Brasil e de snas
flllaes na rua do Bario da Victoria n. 63, antiga
roa Nova, loja de Joo Joaquim da CostaLeite
Figoeira.
Penafiel.
Regoa.______________________________
Eseravos fgidos
Fngiram no dia 23 de outubro do anno passado,
o engenbo Pocu-Redocdo, da comarca de Goyan-
na, os eseravos sesniDtes :
Joo, mulato, falla bastante descascada, altara
regalar, peitos cabelludos, cabellos crespos e com-
pridos, barbas cerradas e crespas, sendo mais ton-
ga no cavainbac, o'.bos pardos, vistas baixas, re-
presenta 23 a 30 annos, rosto liso e bem tirado,
bam feito de corpo, espadando, tem n dedos m-
nimos oi |t;- subre o immediato, ladioo, levou
chapeo de couro e surro ao hombro.
Jos Bezerra, cabra escaro, 30 annos, altura re-
gular, cheio do corp, pouca barba e so no ea-
vainhac, rosto descarnado, cabelbs carapinhos e
baixos, bracos cheios e veas saliente?, espadaudo,
costama a embreagar-se e mastigar fumo, menti-
roso, ladino. O Jjo toi do Ouricury, do fallecido
Agusoho Bezerra, e e.-'.eve empregadj como va
qaeiro no Paje. villa de Flores, logar Bom Con-
teibo, onde ja foi visto, depois da fuga, endagaudo
pjlo estado de Flores. Oabaixo assignado ja es-
creveu re:ommendando o escravo Jos Bezerra ao
delegado e subdelegado e inspector do lagar cer-
tao Villa de S. Joio, e offerece pela apprehensao
ueste a ^aantia de 400$, sendo portador das car-
tas o S-. Manuel Baptista Cabral, a qaem poder
as a::i. soa c m qaem contratei; e faz recommendado
que dito es.TJvo esl no lugar Buraco, certo, e
jnlga o Joio seguir para o Ouricury oa villa de
Flores, oo Bom Conseibo, e talvez outros certoes;
pede as autoridades desles lugares e de mais cer-
toes a apprehensio de dito escravo, e offerece 6004
entregando-o co engenbo Bella-Rosa, sito aa fre-
gaeria da Laz, comarca de Fio f Albo, e no mes-
mo engenho o J);B?zerra.
Do mesmo engerido cima, comarca de Goyanna,
no dia 3 deste correte mez de maio, fugio 'o es-
cravo Simplicio, preto, aliara baixa, cabellos ca
rapnhos e curto?, seeco do corpo, regula 23 a 30
MMM, rosto liso e des:arnado, nao feio, oihos
pequeos e vivos, nariz pequeo, ligeiro no andar,
te ai ama cicatriz na barriga, tocador de guitarra,
cancador.levou cbapo de couro e trouxa ao hom-
bro, foi para o certo era pro:ura dos outros-
qaem o apprebender e levar ao engenbo Bea-flo-
s.a, fregaezia da luz, comarca de Pao d'Alho, ser
recompensado com a quan'.ia de 300.
Do mesmo engeoho fugio tambem no dia i de
fe'.embro do anno de 1S68, a eserava Rita, mula-
ta, regula 40 asnos, caoeilos crespos e comprldos,
rosto encorcvalo, NHa ligaira, falta de dente3 na
fre.it?, nao feia, getosa, cese bem, eogomma
scffrivel, peitos saliiJc?, espigada do corpo, tem
genros forros que a trooxj para o Recife : quem
apprebender e leva-la ao engenho Bella-P.osa ser
recompensado com a quao:ia de 3004
Joio Xsvier Carneiro da Canba.
O respeitavel publicu encontrar a rua Pri-
meiro de Marco d. i i no primeiro andar, sob a
eeominacio de Bouquet das Damas um bem
inostado estabelecimento de miudezas, cbjectos de
pbactasia, perfumaras e obras de cabellos qae se
veertem por presos muito commodo?.
O Bcuqae*. das Damas tem i grande vaitagem
de receber directimecte da Europa todos os seas
art'gaa, e por is;o acha-se habilitado vender por
mecos preico que qualqaer oatro estabelecimento
qae nSo-estiver as mesmas condiccSes. O Boa-
qaet das Damas nao adopta o sedico eostume Ce
pomposos.annancios com qae costamam atlrahir
o pabHco, e smente o convida a combinar os
precos e qaalidades de suas mereadorias com os
de ontros estabelecimento?, e convencer-se da ver-
dade qae acaba de annonciar. Depois da ebega-
da dos paquetes da Europa scientiflear dos no vos
artigos qoe for reeebendo. Para mais commida-
i das Exma. famias o Bouquet das Damas es-
tar aberto desde as 7 boras da machia s 8 da
coate.
lle. Marie Uvergne, scientiflea as saas Exmas.
cuentes qae continua co raieter de sua profissao
de perneados e modas ue cabellos para eujo fim
tem habis artistas; assim como conserva ama
: i:a com as commodidades precisas para os pen-
leados das Sras. servico este qne ser feito pela
atnaeante ; rua Primeiro de Marco n. 14, pri-
meiro andar.
Do engenbo Macii'uassii, termo da villa da
Eiud^, ausentoa-se ea d:as do mez de abril,- do
anno -te 1870, o escravo Pro:opio tendo os signaes
segt : aliara de 56 e 12 pollegaias porlu-
gaeus, mulato claro, cabellos crespos, eara re-
donda, tendo as maces do rosto alus, espadau-
do, falta de denles queixaes do lado direito, fien-
do os demaia rombudos, limados os de cima, ten-
do um da frente, e de baixo sahido. Presume-fe
achar-se o escravo cima referido na fazenda
Castanoio no termo da cidade da Rassia,
na provincia do Cear, no entretanto bem pode
(acceder qae se aebe nos serioes desta provincia,
t*o qae reeommendamos captora de seme-
ihinte escravo, orleueendo 400400 de gratifi-
cajao, qae ser entregue a qaem eondazi-lo ao
engenbo cima referido, oa na cidade do Recife,
rna da Madre Deas ao Sr, Bernardino de Sena
PontnaL
l'iiieo estabelecimento neste genero
Rua do Barao da Victoria n. 16
A este estabelecimento acabam de ebegar os lindos chapos a ingiera, de aba larga para
meninas, ar.igo que s se eneontra neste estabelecimento ; recebemos tambem bonitas cbapelinas
de velado grande phantasia, chapeos de gase fazenda de novidade, chapeos de velado e de palha
enfeitados a capricho ; recebemos tambem beija flores natoraes proprios para perneados e veos
grandes para chapeos ultima moda. Portanto, convidamos as Exmas. Sras. a visitaren este es-
belecimento qae se acba perfetamente sertido.
SEGUIOS COMA FOGO
IMPERIAL
W. G. FENNELLY RUA DO COMMERCIO N. 38 Io ANDAR
3I&M& 1HKM
Aula particular de InstruccSo
primaria, rua DireKa n. 141,
i." andar.
O abaixo assigoado competentemente habilitado
pela nsiruccio publ.ca desta provincia, avisa ao
respeitavel pnblieo e particularmente aos pais de
familia, que acaba dj abrir' urna aula de instrnc-
S) primaria na rua Direita n. 141: primeiro an-
r, onde poder ser procurado ; e desde j se
eompromette a dar o maior adiantamento e lases
a mocidade que for confiada a seus cuidados;
lendo em sea favor a pratica e meihoJo qne re-
cebea em nm dos malbores, collegios da Eurcp3,
onde estudou por mais de quatro annos.
Recife, 8 de abril de 1872.
Justioiano Jos da Costa.
Aluffa-se
a casa terrea sita no povoado denominado Duarte
Coelbo em Olioda, que tem frente de azlelo com
bastantes commodos para familia, tendo 3 v, 7
qaartoe, cosinha fra. casa para eseravos, |>|li-
nbeiro, cacimba, quintal murado e portio p* o
fundo com terreno at a eambda : tratar cem
Domingas Henrique Mafra, no mesmo lugar.
Precisa-se alugar urna eserava que saiba
bem cozinhar para cata de pequea familia :
tratar na thesouraria das loteras, rua Primeiro
de Marco n. 6, 1 andar.
CASA
Aloga-se ama excellente casa de sobrado per-
feitamente asseada e com ac.raraodac.d~es para
grande familia : ca Ponte de Ucha, junto a pon-
te. Qaem pretender pode dirigir-se ao armazem
n. 5, na e-cadinha da alfandega.
Fogio do ecgenho Ribeirao, fregaezia de Santo
Antio o escravo Manoelcom os signaes segnintes :
negro preto, estatura baixa, pernas finas e am
poaco arqueadas, os dentes da frente largo?, a
barba com cabellos salteados, mnito regrista, re-
presenta ter 28 a 30 annos, levou camisa de ma-
dapoln, calca de brim pardo, cbapo de baeta
parda, e levou roupa de algodo da matta: roga-
se a todas as autoridades e capities de campo a
captura do dito escravo e conduzl-lo ao mencio-
nado engenbo. que serio bem* recompensados.
Com brevidade,
Precisa-se de urna ama da leite : na rna da So-
ledade o. 32, ou na rua da Cadeia do Recife nu-
mero 2.
Trocam-se
notas das caixas fi'iaes do banco do Drasil, com
oequeco descont : na loja da rua do Mrquez de
Diinda n. 58.
Aluga-se
ama casa terrea com estr baria, i marpem do rio,
sita no Manguinbo ; a tratar na rua do Vigario
o. 31.
Medico.
O Dr. F. G. de Andrade Lima, tndo
aber'o seu consn'torio, na casa de sua
residencia, na rua larga do Rosario n. 40,
2 andar, p 1e ser procurado a qualqaer
hora. D consultas todos os dias das 7
as 9 horas da manhaa, e de 1 as 3 da
tarde ; grates aos pobre?.
i
i
Do engenho Ma ass
no termo da Escada, do major Marcionillo da Sil-
veira Lin?, fnrtaram na noite de 3 para 4 do cor-
rente mez de maio um cavallo de sella com os
signaes segrate* : cor castanba, tendo nma man-
cha branca no lado esqaerdo, ps e miios calca
dos, velbo, ferrado com letraM, frente toda
a berta, e anlador de baixo a meio. D-se 100 a
qaem der noticia certa do referido cavallo e da
pessoa, em enjo poder for elle encontrado, na roa
da Aurora n. 9, ou no mesmo engenbo.
Tasso Irmaos & C.
Kreeisa-se
de l:C00x a juros de 1 (2 obre hypothesa :
quem quizer dar anouncie para ser procurado.
Comida para fra
Prepara-se com aceio e promptidao : no pateo
do Paral to n. 29, 1* andar.__________ ; -
Precisase alogar ou comprar um escravo-
que seja sado para ca regar fazenda?, atea
bem: na rua do Condejda Boa-Vista n. 26.
^~BP\ ^"Bjr\.^B-r\ ^8""-% "^r^ y'^rv s^^. '^rr'V s^*\ -*^r*> -"^-"N ^w% s^r*. s^r^
CO.N8ULTORIO HOMEOPATHICO
DO
Dr. Santos Mello.
Consultas todos os das das 10 boras A
ao meio dia. Chamados a qualquer hora, w
VACCINA. W
A' este consultorio ebegon a verdadeira W,
lympba vaceicica da Inglaterra, e vacci- c
nase s quintas feras e domingos das W.
10 boras ao meio dia. A
Gratis aos pobres. S
43-Roa do Bario da Victoria43. W

300:000
De graiiflcacio a qaem der noticia certa, dos
eseravos abaixo mencionados :
Pedro auzentou-sii em 29 de agosto prximo
passado com os sign.ies seguales : cabra escaro,
alto, reforcado, tem as espadaas largas e pernas
eompridas, estes signaes sao salientes, tem nma
pequea belidia no clhe direito, falla descantada,
levou cbapo de feltro preto copa redonda, camisa
de baeta azul.
Liberalina, aazenlon-se em 28 do agosto do
mesmo anno, esta bastante clara c tem olhos
azues, cabello amare lio, nariz chato, estatura bai-
xa e feia, falla descansada. E' provavel qae es-
tes andem amaziados, qae pois ha razio, porque
fogiram para estarem em completa liberdale,
ambos tem poaco mais ou menos 24 a 25 annos
de idade. Vieram do Aracaty para serern aqu
vendidos. Sio natu aes do Rio-Grande do Norte;
aem duvida hi> d? terem modado es nomes:
quem des tes der noticia certa, receber a gratiS-
eacao cima, na ru;. do Bario da Victoria n. 44.
m CONSULTORIO MDICO- 9
CIRURGICO
DO DR.
|A. A. CVS\EI110 DEALBUQUEROL'E S
A' rua do Imperador n. 42, Ia andar
D consullas tod )s os dias das 9 horas 5
ao meio dia. jg|
Chamados, por escripto e qualquer I
8* hora.
Especialidades: mole.1 tas do appare- f
Iho respiratorio e circulatorio, lesoes do ME
I hgado e doen;as dos pantanoi.
mmm mmmmmm nmmm
CONSULTORIO HOMEOPATHICO.
0
0
3
*
*
*
EXR. (ISWOVA
Largo da matriz de Santo Antonio o. 2.
Consultas e visitas a toda a hora. Medicamec-
tta e orteiras dos melhores fabricantes.
Jos da Conceicao Oliveira FigueireJo, esta-
bel.eoido com loja de joias no arco da Concei;.ao
do tecift, roga aos seus devedores o obseq.ilo de
lhe pagarem o que Ihe esli a dever, cenes de
que aquellos qae o nio fizerem a'. o 6m do co-
rete mez, obriga-lo bao a recorrer aos meios a-
diciaes. Reoife 1 de maio de 1872.
receberam nova remessa de cerveia preta e branca
da acreditada marcaBati.
I Hypotheca em predios
H Se dir quem d at 25:0001,000 rs.
S com hypothecas em casas nesta cidade,
I arrabalde?, ou em predio agrcola, ni
jjg rua do Imperador n. li segndo andar,
jg das 11 botas da manhaa a 1 hora da
H tarde.
TRILHOS URBANOS
DO
Recife Olinda
e Beberibe.
Convindo qne o parecer da commissio de exa-
me de conias seja apresentado na i* sessao da as-
sembla geral dos senhores accionistas desta com-
No da 4 de novembro do anno passado de panbia, e nao o podendo ser na sessao maicada
1871, aasenou-se da casa do abaixo assignado, o parao dia 6, como foi annunciado, ter lugar es?a
escravo Antonio, mstico, idade 20 annos, com os sessao no dia 16 de maio correte, no escriptorio
signaes seguintes : alio e secco do corpo, pernas '
Escravo fgido
e bracos um tanto finas,, rosto redondo, oibos
grandes, dentea muito perfeitos e bonito?, ps e
maos regulares, nariz afilado, cabellos crespos,
agora qne esl bacaodo, bom trabaibador de
otaria e consta andar nesta cidade: roga-se as au-
toridades polieiaes e capities de campo a soa
captara e a emrega-lo ao sea senbor, qae ser
bem gratificado.
Afogados, 29 de abril de 1872.
Jcs Buarque Lisboa.
*y^* /?\^^r\ ^a^x ^BWi ^^^ -^^v ^^ ^^^^a^Krf^B^^^r^^a^
Imnpriiil faltrra K
i
da companhia as 10 heras da manhaa.
Recife-2 de maio de 1872.
O 1,* secretario,
L. Jos de Miranda.
Estando concluido os nelboramentos
e cencertos da lioba do Carmo comegarao
amanbSa as viagens para aaoelle ponto.
Recife, 13 de maio de 1872.
O escriturario,
Sant'anna
. 0 O Dr. Sarment Filbo, medico opera- ~A
Rap areia fina da Baha* XeT^
DE A '
Moteara & C.
O abaixo assignado, anico agente dessa
W fabrica, avisa ao pub.ico que lem aberto 1QC AA'.^^/KAA A AAA^
5 o deposito de dito rap no sea escripto- 2 l ^2E^* WWWWW^WWw
AOS 5:0004000
Imperial fabrica
DE
iBk 9f de saa prtfissao na casa de sua residen- &
A w ca a roa do Imperador n. 29, 2* an- S
X 5 lar, onde todos os das d consullas W
{ I das 9 ao meio dia. A
0 rio roa do Vigario n. 21, ende os fre
mL gaezes encontrarlo sempre a qaantidade
X 1Qe precisarem.
W Recife, 29 de atril de 1672. &
tf Domingos Alves Matheas. A
mmm ** *******
Domingos da Costa Guimaries declara ao
respeitavel publico com especialidaie ao corpo do
coraraercio qae comproa a armario da casa sita a
roa de Santa Cecilia n. 27, ao Sr. Maaoel Gomes
da Silva Morim, livre e desembarazada de qual-
quer debito, por isso se algaem se jolgar com
direito a mesma reclame oo praso de oito dias.
Recife, 10 de maio de 1871
Aluga-se nma eserava
0.36
na rua do Principe
Armazem de deposito
Recebem-ae em deposito volnmes de fazendas ou
qualqaer oatro oaro a preco maito mdico : a
Valar na roa doCoaliBerefe o. 48.
Fururam honiem 10 do correle mez da rua
do Mrquez de Olinda, am cavallo rodado com o
siguite signaes; casco do p direilo branco e os
tres mais pretoi, o qual suppoe se aebar-ae em
algama das coxeiras desta cidade, qaem o a apre-
hender queira entregar no escriptorio da mesma
rua n, 56 i* andar qne ser recompensado.
Sali a venda os felzes bilhetes da lotera da
3ania. na casa feliz do arco da Coneeigao, loja di
orives no Recife.
DO
Criada portngueza
Offerece se passagem a urna mu'her portugneza
qoe queira ir para I'ortagal no fim deste mez em
companhia de nma familia, para cuidar de urna
menina at o Porto : a tratar na rua do Queima-
do n. 94, loja das 6 porta.
Oosieiro
Com urgencia precisa se de am cosiobeiro e um
criado de 12 a 14 annos para servico de mesa,
psga-se bem y i tratar no sitio n. 2 antes da
igreja de S. Jos do Manguioho. ___________
Aluga-se a loja da casa da rua de Lomas
Valentinas d. 5o, amiga Aguas Verdes, a 185000
meflsaes : a tratar na thesouraria das lotera?.
Aluga-se
urna casa acabada de fazer no principio da Es
trada Nova, peno da ultima estacio des bonds,
tem accommodacSes para nma pequea famila,
oa para rapares solteiros : tratar no mesmo la-
gar, primeiro sitio a direita dipois da primeira
bomba.
No Largo do Forte do Maitos n. 11, boleqcim
precisa-se de nm cosinheiro.
Precisa-se am moieqae de 12 a 19 anuos
para servico externo da padaria da rua do .'.n-
gel n. 9.
D-se 50000 rs. mensaes, pelo alugael de am
escravo que seja bom canoeiro e tena ooa con-
ducta : a tratar na pra;a da Concordia numero
1. armazem.
Uada,
. Precisase de umi criada estrangeira ou br.-.si-
letra, qae queira accompanbar urna familia que
se retira para o Maranbio paga-se bem : na rua
do Coronel Soassutia, outr'ora rua Augdsta nu-
mero 177.
N. 18 Rua da Cruz
y ANDAR
Relogios iiglezes, tindos de
encommenda, ha pcucos de
resto. I
Ao publico
Ausenton-se no dia 5 do correte, da casa n. 30
do caes Capibaribe, o menor livre Hanoel Barbo-
sa, pardo escaro, com os signis segaiotes : ca-
bellos carapinhos, idade 12 anno?, poaco mais ou
menos, dentes la'gos na frente, sendo cavalgados
uns sobre ontroe, dedos mnimos dos ps virados
para fra, falla meio demorada, ronpa mnito en-
xovalhada, tem mi em Iguarass e nm sitio na
travessa do Costa desta cidade: roga-se a qaem o
apprebender qne o entregue casa snpra mencio-
nada, qne sera recompensado.
Uopeiro
Precisa-se de am copeiro no betel francez, rna
das Laraogeiras n. 10.
FEITOR
Na roa do Imperador o. 38, inundo andar, pre-
cisa-se de am bom feitor para catar de am pe-
qaeno sitie.
-r No neceo dos Burgos n. 7, segado auoar
tem nma mu'.t'" para lavar e engommar;
DO
Santissimo Sacramento da Matriz da Bm
Vista.
Em virtade do dirposto no artigo 39 do compro-
misso desta irmaodade, sio convidados os irmios
a se reunirem em mesa geral no dia 19 do cor-
rente pelas 10 hon s da manbaa, para o fim de se
eleger a mesa regelora qae tem de dirigir a ir
mandado no anno compromissal de 1872 1873.
Consistorio da irmandade do Santissimo Sacra-
mento da matriz da Boa-vista, 13 de maio de 1872.
O escrivo,
Simplicio da Cruz Ribeiro.
Aloga-se
nma casa acabada de fazer no principio da Estra-
da Nova, perto da ultima estacio dos bonds, tem
aceommodacSes pan urna pequea familia, cu pa-
ra rapazas solteiros : a tratar no mesmo logar,
primeiro sitio a direita depois da primeira bomba.
Precisa-se
Para pequea familia, alugar am sitio na Sole-
dade oa oa estrada Jo Arraial e qoe fique junto
de alguma estacio da via-ferrea : tratar no Lar-
go do Corpo Sanio u. 19, 1* aodar.
Precisa-se
d ama coziobeira e ttma-eogommadeira, para
casa de peqoena familia, prefere-se escravas : a
tratar na Capnnga, rua do Laeerre n. 6, ou na rea
do Commercio n. 4<, Io andar, das 10 boras da
roanbla as 4 da tarde.____________________
K Manoel Rodrigues da Silva Filbo faz scieme
qoe nio empregado da casa de seo pai o Sr
fazer Manoel fiodrij ues da Silva.
ALUGA-SE
Aluga se o 2o, 3, 4* andar e sotio do sobrado
n. 30 da rua do B m Jesu : antiga rua da Cruz,
com commodos para grande familia : tratar do
armazem do dito sobrado das 9 horas do dia as 3
da tarde._______________________________
Tasso Irmaos em liquidacao, fazem publico
que por (allocimecto do Sr. Honorato Joseph de
Oliveira Figaeirelo tem cessado os poderes de
orna procaracio que tinham dado ao mesmo ua-
do para reeeber judicialmente de varios devedo-
res, e que nenhum oatro procurador es' luje au-
torisalo para proseguir no 'uro senio o Lira. Sr.
coronel Rodolpho Joo Barata de Almeida e como
eonste qae algaem procura reeeber os dbitos
que estavam a cargo daquelle finado : por meio
deste protestamos proseguir criminalmente contra
quera qner que fr. ____
Precisa-se de ama ama para cozmbar,
ferindo-se eserava : na rua do Crespo n. 7.
pre-
n. 20 1' andar.
Precisa-se allegar ama ama
ama para easa de pooca fa>
milia, a rua larga do Rosario
Alfa Precisa se de orna ama para cos-
A l\ I ;\ nhar e engommar em casa de faaika
iXLTli 1 de duas pessoa*, a tratar na roa Neva
de Santa Rita o. 49 e 51 oa roa de S. Joio sobra-
do que tem dons leSes em cirai do portio de ferro.
Precisa-re de ama ama para cozi-
nhar e engommar para easa de fa-
milia de duas p rna Direita n. 3, 1* andar. _______
AMA
%Hfe
Ama de leite.
P;ecisa-se de nms ama cora bastano leite :
a tratar na roa da Imperatrfz n. 50. Nao se laz
qqestao de preco,________________________
Precisa-se de ama ama pa-
ra o servico de nma casa de
cma pessoa : i tratar na rna
da Cruz o. 18, 3* andar.___________________
Ama engommadeira
para nma pequea familia : precisa-se de alogar
ama boa engommodeira livre oa eserava e de Dea
cceducta : a tratar na rua do Encantamento n. 5,
primeiro acdsr.
Precia se de uina para casa r> diss
pessoas: na iravessa de S. Pedro n i.
AMA
= Afforam se alguns terrenos do sitio denomi-
nado Peixinbo, entre Olinda e Beberibe : a tratar
era Olinda rua da Bicca de S. Pedro Martyr nu-
mero 2.
Sahio no dia 28 de Janeiro deste anno o es-
cravo Lniz, crionlo, de 23 annos de idade, com os
signaes seguintes : alto, grosso, ps e maos gros-
sas, eara espinbosa, dentes limados e o dedo do
p encostado ao mnimo mais curto que os outros:
roga-se aos capilaes de campo oa a qualquer au-
toridade de o pegarem e leva-Io ao engeuho Velbo
do Cabo, no sitio Janqueira, que serio bem grali
ficados.
A's antoridades polieiaes e aos capit5es de
campo.
Ausentou-se desde o dia '.50 do passado, do so-
brado da rua do Imperador n. 38, o cabra Ma-
Doel, coziuheiro, de idade 38 annos, de estatura
baixa, com pouca buba, e com una cicatriz no
olho direito, cojo cabra foi escravo do Sr. Fran
cisco Mamede de Almeida e boje de Francisco
Raptisia de Almeida, tem mii na Torre e irmaa
em Sant'Anna, e pelo que elle dizia snp(5e-se ter
ido bomisiar-se em am dos engenbos da Escada
do Sr. Barao de Uioga, sea amigo senhor velho.
Prolesia-se, pois, contra queu o liver acontado, e
roga-se as ditas autoridades de o apprebender e
levar casa cima, qae ser generosamente re-
compensado.
Eserava
Presisa-se alugar nma ama eserava quesaibaco-
sinhar e engommar ; traa se e paga-se bem ; rua
de Vigario n. 16, 2.* andar. ___
Auna Alexandriiia de Fguelre
do Barros.
Joio Firmino de Barros extremamente pungido
pelo passameato de sua mui respeitavel madrinha
a Sra. D. Monica Alexandrina de Figueiredo Bar
ros, e tendo de mandar celebrar nma mis:a pelo
repouso de sua alma, no dia 16 do correte, pea?
J horas da manhaa, na matriz da Boa-vi?ti, con-
vida a todos os seus amigos e aos prente* da rae
ma finada assisiirem aesseacw de candade
evanglica. ,.,,..
0 CORONEL JOAODV ROCHA BEZERHA CA-
VALCANTI.
O Dr. A. S. Pereira do Carmo manda rezar oo
dia lo do correnle as 7 boras da manha na ma-
triz da Boa-Vista urna missa por alma do seu pa
rente e amigo o coronel Joio da Rocha Bezerra
Cavalcanii, fallecida as Alagas. _______
- nrmim irarnfiTn i iiir-'T^fTrrrTMi
16 de MAIO DE 1S72.
A familia do f Mecido Hanoel Fer-
reir Ramos mandar celebrar al-
gumas missas por sua alma na igre-
ja da crdem terceira de S. Fran-
cisco, e convida os pareles e ami-
gos para assisiirem, 'no dia 16 do
crrante mez, pelas 7 boras da ma-
nbaa, 1* anniversano de seu hllecimento.
COM URGENCIA
Na roa do Llvramento n. 16, precsa-se fallar
negocio qae cao ignorara com os segnintes se-
nhores :
Livino Brasiliense do Reg Barro?, engenho Ca-
tende, freguezia de Agua-Preta.
Joio Manoel da Fonceea Lin?, engenbo Riachao.
Vicente J aquim Pereira Maior
Encargo de consciencia.
Urna pees, a qne perden no sabbado a qnamia
de ora cor.tu e cento e tantos mil ris da Cambeta
do Carmo rna Direita, roga quem tenba acha
do lhe restila, qae ser generosaraeate gratifica
do. A pessoa que perden pode ser procurada na
rea de Lomas Valentinas o. 46.
Cumiaba
Precisa-se de um ajudante de cozoha aceiado e
que possa, naSusencia de cozinheiro, tornar eon-
ta de ama cozinha : a tratar
37, sobrado aodar.
na rua das Flores n
As pessoas qae nao querem solTrer ama nter
ropcio no recebimento deste peridico devem as-
signar desde j o quarto sameaire.
R3.-5J000
LIVRARIA FRANCEZA.
Assigna'.nra do segundo anno principiando com
d. 25.
Rs.12*000,
Os novos assignantes receberao gratis os ns. 19
24 do primeiro anno.
LIVRARIA FRANC*ZA.
Peridico religioso, pablicado msnsalmenle em
Lisboa. Assignatura para o quarto anno
Rs.-6#000.
__________LIVRARIA FRANCEZA__________
11120.000
O Sr. Melquades Antones de Almeida
qaeira vir i esta typogripbia, negocio ur-
gente. .
i mi Na raa dus Pires, lira i i>. id
A VI \ P!K*'se Dem nm, Dja ,m' T1e -"
-l.Ill.il. zinheb^Ti, forra .v.i eserava.
Ama de icite
Precisa-se de orna ama ;ue lenha b
te e seja sadia, para criar urna c,
na rua do Bom Jess, arraazero
sabera da Magdalena, largo do
sitio a direita, com grades e po
tado de preto.
o rm-
Precisa-se de ama preteriodo-
se eserava. p ra casa de penca
famila : roa estreita do Rifa-
rio d. 32. 3* andar.
Attenpao
Precisa se de ara ama para toda o servji de
casa de pouca familia : na roa do Visconie de
Goyanoa n. 129, rasa de ainlejo.
All\
Precisa-se de urna para todo u ser*
viro de urna casa de penca familia ;
praea da Independencia n. 27 t 29.
AMA Preci-a-se de nma ama qoe saiba en-
ixoia gommar, e entenda alguma cousa de
cozinha, e mais servicos de casa : oa raa da Im-
perairiz n. 80.____________________________
Precisase de nma ama
de meia idad<-, eserava
ou livre, para ensaboar e
Cuxinbar em casa de pen-
ca familia: oa roa da
Cadeia-nova o. 15.
AMAs
Na rea do Hospicio n. 50, ore*
'a-se de urna ama que sa:ba
perfeitimente cozinbar.
Precisa-se de nma ama para lomar eoola de
ama casa de familia de ama s pessoa a (Mar
oa rna estreita do Rosario o. 10 2* aodar.
AMA
va, loja o. 11.
Precisa-se de orna ama Km
en eserava, qie sejaboa ccii-
nheira : paga-se bem, a roa No-
m tolm Paga se bem a ama ama -oe
S,mili lave, engorme, compre e e-jiinne,
para urna pessoa : na rua de Aguas-verdes n. JO
2o andar._______________________________
Precisase de ama ama para casa de farola
de daas pe??;as : a tratar na roa do Cabog a. 1,
leja. ^^^
Precisase de unn ama pa-
ra c zinhar e comprar para
easa de poaca familia : a
tra-.ar na rna estreita do Rosario n. 3, drogara to-
raeopath'ca.
Precisi-sfl de nma ama de leite : a tratar na
rua Direita n. 8. cu na Pon1. de U-.ha n. 9 A.
'c?'i'--p dj orna ama
o roa j li-rla da Victoria
n. 28._________________
A \I A Precisa-se de urna ama livre oo t:-
"1-A** crava para tolo o servijo da orna casa
de pe ueaa familia : ca rua Bella n. 31, paga se
tem. ^^^_____________________________
Precisase de urna ama para ctmprar
e cosinhar : na pr.ca da ladepen Ji a. a
nnmero 20.____________________________
Precisa-se de orna ama pira
casa de moco solteiro : na roa
de Pedro Affoos", antiga rna da
Praia o. 38.
AMA
i!lA
andar.
Precisa-se de ama ama pa-
v ra cosinhar e comprar : ca
raa do Crespo o. 18, segando
AMA
Precisa-se de urna ama para pooca
familia : oa rua de lionas n. 70.
Precisa-se de urna ama de leite para criar
""..-! menina: tratar ca prar do Conde d'Eu n.
7. segundo andar.________________________
Tintura da China
Para Ungir os cbelos, barbas, bigodei
restitui-lhes a cor natural, em
2 minutos
Entre todos os preparados chimieoa destinados
cclorisaco do cabello, deve a Tintura ia Chi-
na, por sua snperioridade, oceupar oo dos mais
dislinctas lugares. Ella d ao cabello a cor qae
se deseja, sem o damnificar, mais antes o conser-
va e furtiOca.
Dcpo ilo na pbarmacia amer'cana de Fer-
reira Maia AC roa Duque de Caiias n. b7
Mobilias de aluguel
Aluga-se ccn?tanteraente mobilias completas e
qoalquer traste separado, por preco commod<,
tambem se alugam cadeiras, qualqaer qae seja a
qaaotidide, para testas oa c lucios fanebret: ta
rua do Barao da Victoria (outr'ora Nova), arnaa-
tem do Pinto ns. 57 e 58.
S?nt:ssima Tiindade erecta no convento de
S. Francisco desta cidade.
Convida a todos os irmios da dita iraaaadad*
para sessao da mesa geral, quinta feira 16 do ca-
rente as 6 boras da tarde, para eootiooacao oa
discossio do aovo eompromisso.
Conis:orio da irmandade di Santissima Triadad*
13 de maio de 1872.
O secretario,
Manoel Goncalves Agr._____
O abaixo assignado Ui poblico qoe alo ?
emende com elle o nome de Maaoel Doarie Vieira,
indlgiudo pelo Sr. Maaoel Antonio da Silva Aa-
tuoes em sea commaoicado pablicado ao Otaria
de 7 do correte em qne reala o aeoorrle acar-
ea do inceodio da loja de lazeodas da rna de Mar-
cilio Dias, pertencente a sea patria o Sr. Alie
nio Daarle Machado, pois, qae, conforme teifc> e
annunciante de verificar, o Sr. Aniones, referi-
se a Manoel Duarte Pialo Vieira. qoe cota ella
pernoiton no interior da loja por cceasiao ia in-
cendio e qae empregado em bom reflaaeao ia
mesma raa, mas qoe par erro da impreosa (tea
supprimida a palavra Piolo.
Recife, U de maio de 1871
Maaoel Doarie Viaira.
Urna parda de boa eoodaeta qo couatka keai
se offerece para casa de boaaaai aoUriro: po prla-
cipio da rna Imperial casa larra a. 4.
Frecisa-se
de nm menino de if a 14 annos para caiiotre :
no pateo do Carao 1 ae dir ajaeta precisa.


Diario S* Fernambuco *~ Teffe teira 14 de Ma'o dt 1872
)
r----------- i.imii ir-----n~
SE
Js
s
MACHINA
DE
COSTURA
DE
SINGER MANUFACTUREN COMPAM
Grande reducpo de presos !!!
90#000. 90#000. 90^000
AVISO ESPECIAL
| Desapparecc-u do engenho Cabera de
Nrgro fregu/ia da Escada no da (5 de maio
sute, uic e travo de nome iMaiimiano,
cor preta, altura rag padando, idaite annos, sem barba, te ta
peqoena, e'tem o dedo da mi esquerda
encestado a minino cortado pea junta ;
j tendo sido de oatra fgida pegado O"
Hecife este escravo, ceofessou que ganbava
na ra e pern-itava no corFedor do eacrip-
torie do bario de Nazaretb, de quem foi ei-
cravo. Qnem o pegar pJe entregar-no
escriptorio do Sr. Bernardino de Sena Pon-
tual rna da M-dre de Deus d. 36, ou no
engenbo cima dito qae ser gnero-ameri-
te recomoencado.
! !l
i i
A alta repotagao obtida pelas machinas fabricadas pelo
tem levado diversas pessoas a fabricar imitaces que ellas venden qnasi sempre so"
pretexto de sereno elbs fabricadas pelo systeraa Singer.
NENHUMA MACHINA KIX+
PER ir LEGIIIM.4 SE
NAO LEV\ ESTA MARCA FIXA
XH IIRA^O DA MACHINA.
PARA EVITAR CO\TrtA-
F.ICCOES N0TEM-SE BEM
TODOS OS DET.% LIBES
DA .a.iHei.
i
MARCA DA COMPANHIA
A companhia, dse jando protecer scus amigos e fre goezes contra as imitac.5es, tera
adoptado a marca cima representada.
Previne-se ao poblico te Dio comprar machinas que Lo !evem a marca da
companhia.
W. H. CHtPMAN
IMCO AGENTE
N. 45 Ra do Imperador N. 45
55 2
O 9

a 2 O
:S2 O s<
s<
<->t. O o -
22 5* 9 c
= -! O o
W = "S"3
~ r?" OJ QB
W
Z'C o
Ea < as
3 5 3 .
~
3 o
o S u 5.
S "' r- o ^
o Z C re
- ag EBZ
= 3 2 flfi
C re
ta]
? a Z re re^O
SIS
O .2 I S 2.a
- -a ;!
c n re
2 o.
8? S a oC,
w 3 re ai -o a U 05 s CS
2 O Isd
q po "O re c/j rs ac
s - -a 5
S i3. I**, =5 .
re ^2 gas
O 10 re B re
tai u. w ca a re O o
a o o.
<
en
*i 43 < *
a ai "ri ca-a
S .'M
C a z u. 3
o O O
f5 re H c -
abiixo assignado faz sciente ao retpei-
tavel publico e com especialidade ao corp<>
do commercio que des le o dia 9 de feverel-
rp prximo passado deixoa de fazer parte
da firma Borges Costa & C do estabelci-
ment silo a ra do Mrquez do Herval n. 2
livre e desembarazado de qualquer debito
ficando p-go do mea capital. Recife. ;13
de maio de 1872.
Manoel da Costa Borges.
Mudanpa
0 abaixo ?ssignado declara ao respeita
ve! poblico e com especia!!Jade aos seos
freguezes, que mudoa o sea estabelecimn-
to de padari3,darua do Livramento n 32par>
rna da Pedro AHongo, outr'ora roa -da
l'ra'a n. 47, onde se acha prompto a satis-
fazer q a'quer pedido ctncerne&te ao geu
trafico e na mesma casa se vende os o eu-
cios di paiaria da ra do Livrameato.
_______________B iio Sobriaho.
CDviase au bropiuUro oa procurador
ia caa d. 20 da rus do Di |ae a comparecer no
pateo do Terco n. 3?, rara receber a chsve e os
alugueis da raesrna at mu data. Fax-se este ao-
nuncio ero razSo de nao se saer a sas morJa.
lito no piaso de 2i h^ras.
Recife,. H de maio de <871
HOTEL DA INDEPENDENCIA
Ra da Imperador n. 32.
Precisa-ye de um bam cosinheiro paga-fe bero.
Escrita fogida no dia 8 de maio do cor-
rente anoo.
Nj dia 8 de rr,a:o a- 7 boras da noote, fugio a
ataran Maria de idade de 20 annos, cor fula 9
uro, esta ba>tan:e amarflla, rosto largo, baix,
um penco ccrpoleotae ma! feita, olbar epantado,
denles perfe-lis, Isvoa vestido de chita, escura
miudmhj e ctm um babado, cajaco, ronsod-
outra chita tunbstn escara e cbale de la de qua-
dros tado isto dabottdo. ea negra veio a pou-
co do m?tto, e c?gra bruta, fui comprada a um
tal Sr. Travasso* do Bom Jardim. J foi vi ta oa
roa da Uoioou na lina dos Ratos e rna do Prin-
cipe, pede se a qnem a p'gar o favor de levs-la a
leja da Risa. Dranca rna da Imperatrit n. 26 qne
ser gratificada crin 20|000.
COMPRASE
raoedas de onro'e prata na loja da rna do Mar-
t\an de O iuda p. ,;i8.
Cbmpra-fe u na escrava mor;a que cmnhe e
engome : na praca da Independencia n. 20.
Burro ou cavallo
Precisa e comprar oro burro cu un. cavallo
que eseji accstunido em carrosa : na ra dj
Rosario da Boa-vista d. 53
fi.
oanos
Compftm-se diatios ta ra da Ixperatrix n.
VPNDAS.
Urna excellen'.e escrava, bonita flgnra, moca
(28 anne#) e sera vicios, et a venda ra do
Camaro.n. 3. E' perita engomtradeira, e enteo-
de de todo o servico. P6de se tratar todos os dias
de 7 norias ao ireio dia.
Vede-se dua:> moradas de casa no Galanga
defronte 4a padari, sendo urna de pedra e cal,
com irinu e tantos palmos de frente e sessenta e
untos de" fundos ; <> a outra de taipa com o mes
mo tamaftho, em chion forei-os : os pretndeme*
pode dirfjir-se a rita Imperial, defronte do Valdi-
vino da plvora, cara terrea.
IHIffll
Vende-se brns f,s de pararas t todas as
qnalidades, laraogeiras, lif ne.ra, pinheita, e ala-
ga se urna exctllente escrava para t do o gerricc
de urna cas? de fauJ'ia : na ra da Cadeia por
cima da loja derhzc.'^ do S'. C^siro & An:nce.
Untco dop c!i PuiibUCO 'ios chara
tos G SChnorhasch d> Rahia, no iscriptoriu de
Cnnha & Mao'.a : renda se de (Mas as nvre.
por presos e labeiecidos, e em porcio dt; 3,000
pira cia se d:ri descont : ca ra do Mrquez
de Oiinrta n. \<).
Ko ba ciis cabellos traeos
l'Iatiiraa fapoacza
S e nica approvada pelas -.cadenlas de sciea-
cia, reconhecida superior a lada que ten ^pare-
cido at h je. Deaosito prin:ip3l ra da Cidela
do Recife hoje Mrquez de Dilua n. 51, I* andar
e em fdss as boticas e casas da cablleireiro.
G:. na'tM tf j inhbalo da
Cctl (le jMen'd
d. nv-> 4* om., T.^-h't n.o e txeiilu,:
Predios.
IlUJjIl
V^nde se por prer i rru 'o coromodo o engecho
Lage Formo a de primeira satra, sito mrgm do
rio Plrangy Grande no di.-tricto da O-lonia de r -
menteiras distante di estadio de l'nri[4 Ifguas por
onde tem de p-sar a estrada do governo mcente e
corrate, com safra nova, aoiniaes de roda, bois
mancas, cans e tenlo excellentes trras para plan-
taedes, mana* virR-rs e bom careado com a van*
tagem de moer con agua do rio com mnita faci*
lilade para cojo flrn t rou se o nivel para a edifi-
cacff-da obra, quem pretender dirija se a Maga-
Ibes Mendes & C. na mi Oireita n. 57 ou ao
referido eigeoho, que achara com quem tratar.
Vende-e os predios na Camb.V. dn Carmo n 2
ra das Flores o. 1, traves-a da raesma n I, e
urna mei-agna na prac,a da Concordia n. 2 : a
tratar com Jos Igaacio do Afilia ra nova dt
Santa Rita, errara a vapor.
Btlancas oecimaes
Hervir Das, avisa a sens fregaezes qne j re-
ceben as balanzas decimaes de torra de 363, UX)
e 1000 libras tendo as ptimas rotas de ferro :
vende ero seu armaxem a m> ds Crol n. 2fi.
Uarirtr
Tao Irmios e-n liquilacao precisara fallar ao
Sr. Dr. Antonio Bjar ue de Lima, ou seu corres-
pondente nesta preca : na ruado Amorim n. 37.
GABINETE 'MEDICO CIltURGICO
no
Di-. Iftneio Alc&'nd-s Velloso
Pode ser procurado a qualqner he- '$$$)
ra do d.a ou la noate, prestando-se n\
aos charaaJc* fira da cija le ;om to- ^S^
la a promptido. Prati:a qualquer *
oppera^o.
Da conso tas das 6 as. 9 h:ras da d
maLha
a ra Novan, i o.
Manoei Ignacio dos Santos Pei^oto, declara
o respeitavel publico e com especialidade ao ccr-
po da commrcii qrae '.ni Jttlo coatratado com
a Sr. Manoel B*:erra dos Santos a armac.5o da
casa sita ca Ladeira do Varadouro u. 28 : quem
se julgar com direito a mesma dirija-se.a rna de
S. Bento, taberna do Sr. Jos Hygino Monteiro co
prazo de tres dia?.
Oliod?, 1 de maio de 1872.
Neitt typograpbia se preea fallar, o
Dais breve possivel, com os Srs :
Tmerl5o de Alboquerqoe Nascimputo.
Afitoaio laclntbo Borges:
Miuoe Pergrino da Suva.
C ronel Francisco Antonio Pertira da Silva.
Acgmto Hygico ii-^.M;rnda.____________
Ctisinheiro
Pre^w se te na. : na pad.-.r;a da raa do Ean-
ei d. *.
Freciza-se.
Para pequea famil'a singar um sitio ca soledade
ou na estrada do arreial e que fjqne junto de
alga:c?. esiaca) da v,a frrea a tratar no largo do
Corpo Santo o. 19 1. andar.
vi
A.w* u& LtestcurCao Fer-
fiumbucaaa
r>? ord'-n rloCV. e Rjs.-. ir.-. Ven.-, da Aog-.
Lo|". fttslaiirafSo \Panambucana coovido a lodoe
os Irm.-. au-eutes presentes p*ra a sess.-. extra-
O'.-. ijae, ..oro abilencla e direco do resp.-.
Ira.-. D?'eg.\ devt ler rugir no domingo 19 do
cerrante a il hora do dia, para o no de se
temar em considerag) os ataques dos ultramon-
tanos e jezua--, aos oaijoi sublimes principios,
dadoi intimamente na corte d < Rio de jaaeiro, em
a pessoa do nsso'Rep.-, Ir.-. Gr.\ Orad.-. in;er.;.
da Gr.-. Or.'. commeadador padre Almeida Martios.
Seeret.-. 13 de maio de 1878. {tr.: pro'. )
.1/ Almeida,
Se:.-etario.
Ao irn&es dn Irmandade do
Divino Espirito Santo.
Lembrase aos irmaos jaquel ia irmaodade que
devendo ler logar no da 19 de maio prximo fu-
turo, com toda a pompa, a fwtt e procisdo do
padreeiro, e cuma manda a artigo 11 g 4 do com-
promisao da mesnaa irmandade, que cada irmo
deve er ama capa fax-te portacto o presente no
caso de qne os irmloa queiram comprar, nu man-
dar fazer ditas eapw, le entenderem s eoo o es-
crivao da irmandade a ra de Marco outr'ora
do.Grupo n. 17, poica qw H a lateada apro-
priada.
Um offici.il de artharia do exercito-pnrtuguez,
natural de Lieba, ma or de 33 annos, de boa con-
ducta tanto moral como civil, baeharel em scien-
cias mathematica?, e engenliarias, tendo servido 7
annos como ervgonhjro do ministerio das Obras
Publicas, dirigmdo ou coadjuvando importantes
obras, taes que pontes, estradas ete. om Lisboa,
Santarem, Cointbra, Faro, sempre eom louvor, e
realisado a consiruccao'dc obras nolaveis para
particulares, casas d Mizeiicordia Cmaras Mu-
nicipaes, havendo porcorrido todo o reino no exame
das praeas de guerra, arsenaos c fabricas do go-
verno, deseja vir paca o Br.zil, caso encontr van-
tajosoinprego, para qualquer empreza ou eom-
panhias, ou mesnio corno engenheiro de qnalqner
provincia, cmara munHpal ou outra qualquer
corporacao. O Dr. Manoel de Figueira Faria, na
typograpiia do Dicu-io de Permmbuco encarrega-
se de seeeitar qua'quer proposta e dar mais algnns
esclarecimentos.
BOTICA
Na pharroacia americana a ra Duque de Ca-
xias n. 57, precisa-se de um cffl:ial eo n prati ca
AGENCIA
Precisa-se de aro agente nesta cidade para
as machinas de costura de Howe (Hovre
SewingMach'n) de Nova-York. Para mais
plena ioformagSo dirija-se a W. E. Water-
man, ageote gera! da Hewe Machine Cim
p?Dy. Rna da Quitanda o. 66. Rio de Ja-
neiro.
Acba-ie auzente de .casa desJe dezetnbro de
anco passado o escravo Fie', de cacao, baixo e
tem pouca barba, os olhs quasi sempre multo
vermeibos, e muito palrartor : qnem delle sou-
ber ou der noticia quera dir>gir-se roa Duque
de Caxia n. M, on Jnoperairi 0- 1^, 2* andar,
jqje .er* rertinpeoado.
Fugio da raa do Hospicio n. 5i, ou
foi furtaoo, um cSo de raca de Terra Nova,
muito novo, e preto, tendo o cabello com-
prido e crespo: qaem delle dr noticia
exacta ou restitu-lo ser recompensado.
= A letra de J.ao Baptisia o Albuquerque,
que se acha em podor de Antonio Jacintbo de Me-
deiros Sampaio Jnior, actia-.se paga por J'o Vk-
torino da Silreira, ,e :omo nao esteja de oosse
de dita letra, avisa-se pelo pre?ente pira nao se
negocio algum.
PARA sirio
Precisa se de uro traba!h8dor para tratar de um
pequeo siiio ni Trrre : tratar na roa Nova o.
19, l' andar. T
Roga-se s pero*s que esto devendo coa-
las de livres extiecta firma de Chfytiaui <& Ir-
roaos, hoje J. Cbry?::aDi, de virem pagar os seo*
debites pra evitar qne sejam encommodados por
eaixeiros a porta, e raesmo alguos qce se fazem
esijuectdos ; dj contrario ver-se-hi obrigado a
fazer nma relami destes para serem chamados
pe!--s jamaos._________
Escravos fgidos
Firgirara d.i cegenho Tataiiaga de cima, comar-
ca de Nazireth, ca cite de 7 do crrante, os se
gointes e Tncma;, mulato, de Ldade 42 annos, ladino, al-
tura regular, cabellos ai^nma cousa e'.irados, ros
to barbado, falta de dentes, corpo secco, pernas
com mareas de ?!catr:;es, pes Karn feit03 e seceos,
fui vestido c:m roapa branca .oo de mass
parda. Jos, preto, iJade 3^ *, boa altura,
cah;llo3 caraplnhos, ro*U L..i-.jj, bom corpo,
tem em umi das pernas e n'uroa canela orna mar-
ca de urna cbap, ps grandes e bem feitos, foi
ve-'.i.'o ecm i copa'de alg^dao braceo e esta sua.
Alexandre, preio, idade 40 annos, a!tnra e corpo
regular, cabellos carapmhos, rosto barbado, fa ta
de dente, ps seceos e apalbetados, Li vesto
com roupa de serv;.) de campo e chapeo de cou
ro : roga-se as autoridades pociaes e aos cap-
les de campo a captura dos mesmos escravos,
dirigindo-ee ao seu "senhr Joaqnim Dias Borba
naquelle engeoho, onde se grail6carj -
Hospital Poi'lugucz de Beneflcen-
ca em Pemambiico.
Tendo este hospital de admittir um escriptura-
rio para es tr,balbos da secretaria, sao convidados
os pretendentes a eot^nderem-se com o abaixo
assignado para obterern os es:larecimentos res-
pectivos e poderem bazear as snas prcposias, que
tero de ser aprecalas e jalga-Jas em eesso da
junta administrativa.
Hospial Ponuguez de Beneficencia em Pernam-
buco C de maio de 1872.
Luiz Doprat,
Secretario.
AVSU
O abaixo assi^na lo avisa ao poblieo e eom es-
pecialidade ao rrspeitel corpe do eommercio.que
teoda de fazer orna viagem Dar Europa, deixi
encarregade d* seas negocios o?Srs. Joo da Sil-
va Regadas, Caetano Ciraco da Costa Moreira
Joao Antonio da Costa Mrreira Julga cada dever
oesta praga, porn se alguttn se julgar credor
aprsente seue litlos at o di;. 22 do correte
mez, rna da Seczaia-velha o. tO. Rseife 11 de
maio de 1872.
____ Dorr.ingos Mancel ii.rtins.
Ramalbo OrtigSoE51 de Queiroz
AS PARPAS
Fastos da perigrimcao de 5.11, o Imperor do
Brasil pela Europa. EdicSo brasileira, com um
prologo 61000.
Escripia em estylo picante e mordaz este livn-
uho torn.3e recommendavel aos brasilelros-por-
luguezes e brasileiros-portnguezes.
V'ende-se as principaes livrarias desta cidade
Casas de pedra e cal
muito baratas
Urna senhora viuva tendo de mudar-se para
fra da cidade, vende urna casa terrea em terre-
no prcprlo. oa roa Imperial, tendo 2 salas, 2
qoartos e quiotal por 1:5001000, cujo flogoel
de 13 a 16a rs. mersaes, e 12 meias-aguas tam
bem na ra Imperial, oa travessa da Bandeira,
igualmente em terreno propro, tendo cada nma
deltas urna porta e janella oa frente, a excepgo
de nma que Um duas jaoellas e todas ama sala e
dons qaartos, dez d>s qnaes tm terreno atraz, que
brindo se urna pona, iie ler o seo quiotal, ven-
de se a 500-5000, sea alnguel mensal para "i
e a de 2 jaoellas para 84OOO rs.; mas qaem qm-
zer nma ou duas sero vendida' a rzio de 60O
e a_de duas jaoellas por 700A000 rs. Estas casas
esto edificadas na raa Imperial, bem perto donde
actualmente parara os bonds. J qaem tiver pi-
co dioheiro pode se chimar proprietario ou mo-
rar em casa proprla ; os pretendentes dirijam se
ra das Trincheiras n. 48, casa do Sr. solicita*
dor Buru, o qaal esi autorisado a contratar,
mesrno a pra-o com garaotia ionea.
Lenmann freres, vendem lib:as sterhnas, ou-
ro e prala oaelonal e portogoez.
Relalba se um terrece ca estrada de Joao de
Barros p-r barato prego : a irat...r c;. prsca Inde-
pendencia n. 39
Cavallo
Vende-re nm lindo ca'vMlo sciad r e muitv
bom de carro e cabriolet: :ra:ar na ra Nova
n. 45, h ji.
Te 1 has Na cidade de Oirods, casa amireila, junto ao
Seminario, veaJe-se telhas de ziceo, novas e com
11 palmos de comprimento, pela mesiro prego per
que se compra no Recife.
Mediamente nlH 1 as
rk4ai :r. nicas e di L-l;
fortificad jr.
CEP"?IT0 6K>.
Na pharmvia e drogara de !'i'!ij! >roea A (.
ra larga d 1 R >.vi 1 n. ."H.
X-uMp.M de igi5. do Para
Preparado p r arh rrxeo A C.
Am;gn .; eotetHea lo Rtlicaiwi i para 1 enra
da< ni.I>tiai d ofjj* re'pir.iiiifs roao
pBli-ica, hri uchiU", al m, te., t a nda(..i:a-
>to curo optaanf re-ti i-d d ^^c rbuto.
DEPOSITA f.ESAl,
Na oharimcia e dr.yar: 1 iM utf:l i0 Rj;r >
nu :;.
Cunta o lietfiniismo
Implastro do hTretr p bre
Bte impl.-.stro qn*) na ':;' ;tr:- z'r, mre-iJ)
tao graam aenftirefttp umiitnt tatelim
para a cura das dores r.-.eurr-tir-.,
DEPOSITO CBU.
Na pli.11 tuacia edr.gr a da Ltaiil.. lomea '^
________nialarjid.1'1 :-*rio r -!
A IIL.R0IN.V PTEXCELL'N..U
(U
l
A, provsdo pelos
Kxdjs. e RTriis. Sr. Arrcf>hp>
c Htr ifo llras'l.
peo C(i:e.-o.
Dr Manoel /,/ O-hi !hnrritn
Aclia-e a ven;..', r.ar 1: ;,-.: ia |.v aru< iv.ti
rtd| :
NOVO MI MIRIAM.
i-
l
MTi i TMHB
Engenho.
Vndese ou errenda-se por um anno o engenhc
Barra de Floresta na fregnezta de Bonito, datante
i legoas da estacao de Agua-preta, d'agua, est
bem montado de- obras tedas cavas boa moenda
e vaneas, e. exeellente roda d'agua, distilacao com
alambique le cjre uibem novo, boas torras de
plft1i flli 3.003 paes de assuear asnuae?,
matsTiar'derribar, e cercado para refszer eres
cido cumero .de aoimaes: para informar, ra
Augusta o. 580, e para tratar no mesrr.o engenho.
i
Vende-se urna pbarmacia com poucos fundos
em urna das orneipaes mas deia cidaie, tice-
gnezada, pronria para alcum prtacipiaote oa mes-
uto para algara establecido, e que queira mudar
de localidades o pre'.ecdeo'.e d:nja-se ra de
Bom Jess n.21, 1 andar : a tratar com Domin-
gos Jos da Silva.
1
Vende-se ama taberna
muito boa para quem quizer prineipiar :
cao de Sant'Ansa, da cacada a!;a : a t
eui pjnto pequen-,
na esta-
car na
mostea.
Attenpo
SO3 rs. o een:o de sebollas novas de Lisboa
na ra da Moeda n. 39, Recite.
Relogio.
Veude-se um exceiene relogio de curo
meio ebrooometro com 15 dias de corda, perfeito
regalador : na pracinha da Independencia n. 2 0
Instrum utos de msica
Vende-se no qusrtel de polica um instrumen-
tal completo para banda militar, em muito bom
estado : quem o pretender dinja-se ao dito quar-
tel das 10 as 2 horas da tarde, qae achara com
qaem tratar_____________________^__
Veode se por barato prego as pa tes de um
terreno no lugar denominado Peixiobo, proprio
para agricultura, cas proximidades da volta que
traz agua para Glinda, tica perto da estaglo de
OlindaFandao-e do rio Beberibe, com bastan-
tes fondos, a2#, 3* e 4/ o palmo : quem preten-
der dirija-se a roa do Varadouro, fabrica de ci-
garros, a tratar com Joo Maxisciaco dos Santos
St< kb.
PERNAMBlkO STRELT RAILWaY & C.
ama
Segunda feira 13 do correte, os jarros da licha
da Magdalena, partirSo da 16 em 16 mnalos das
* e 50 da manUa at as II e 30 da neme excep
to entre as boras de 7 e 11 e 9 e 30 de manha,
e, le 43 e 1P da urd }JDdo haver carros
de 8 em 8 mioutos.
Neite dia tambern serao suptrimid.! os carros
da ra do Sebo.
Escriptorio da corpachia, II de maio de 1872.
O gerente,
Bernardo Wnitman.
COMPRAS.
Compra-se apoces
na ra Nova o. 23. ija.
da divida provincial
Compra-se
trastes novos usados: na roa do Impera-
der d. 48, armazem._______
Compra-se 3 parea de caixilaoa para
portas de sallas, sendo de amarello, novos,
od com algom oso: tratar oa ruando Mar-
quez de Olinda, loja de femgepi u. 44.
Compra-se om escravo que entrada d* plato-
tacrjes; oa roa mfiia p, 93, 2 aoar,
Ventfe-se nina c^sa terrea ca ra do ampa-
ro em Olioda, terreno proprio, tem 3 qua nos : a
tratar na roa de S. J.Tge n 88. ____________
VENDE-SE
Vndese o sitio sito na travessa dos Remedios,
Creguezia dos Abogados o 21, boje becco da tra
vssa dos Remedies 0. 18, em chaos proprlos :
quem o pretender entenda-se com o seu preprie-
tario no sobrado da raa de S. Franciseo des'.a ci-
dade n. 10.
qo d Mi o
de superior qcaliiate
Vndese
em casa de Raba Schame'.'.au & C : praga do Cor-
po Santo o. lo.
Vende-e urua peqireaa parre r!e nm Itio
d stante nma legoa desta cidade : qaem preteo-
d r anqunciq por, estq Diario aara ser procurado r^i
nummms.
Bonitos ports bufets.
Lindissimos leques de madre;.ere a tedies ic-
teirarcent9 nevos.
Cortinados bordados.
Camisas bordadas para hcrceni,
Finas meias de seda para renhorr,
A Nova Esperacca uuem tem I I
DESAPPARECAM AS SARDAS
A Nova E-peranga. a tua do aqae de Casias
n. 63, acaba de receber o bem ccchoJdo leitt
de rosa branca, e tambero lee virgics!, rs ^uaes ..
fazem desapparecer as : ardas 011 pacaos.
Aos jardineo-s.
' A Nova Esperacga acaba de receber tbe-ouras
especiaes para jardmeiros, sao as melhcres que
tem viada ao meacado, a ellas antes qne se acs-
tem.
Noticia proveitosa
Apezar de haverrm muito? ettabeleetafttos de
oi&das e continuwem a a?parcerem ostro? rrr.-
tos.
;guaes
]uestiio j decidida, bom goslo'de sens corre
pondentes e elegancia de seas orjectos, tanta qne
qnand) qua!qar senhera per m^-is eapri&kcsa
que seja, quando qaer ou pf#te dar exrtan-av
ao sen boro gpttt), da nm paaveie s JOVA E3FS-
RANCA cn.:e tero a certeza de er: r>ar : fue
'fezeja e pr prego razoa\el ; a NOVA ESPErtAN
CA tanta mais augmenta o camero ;!e seu f.e
guezes aos quaes se erofeasa |ra,dfcido, qjanli
mais esforga se em corresponder esta prefereara
endo sempre ero villas rej..r o utH ao agrada
vel, isto o bem por acuco prec/-: i-tc s se vw
Nova Espcranga, raa dv, I.. r.-.e de CrX a- cu-
mero 00.
A ffi:i/i:: (lo ('ampos
28Roa rio In peradw28
Venham vf{ se befiuea crer.
Dj Campox geni .ir.a,
Fiquom cer.es, ti "un ou-t-i*,
Xo 1; graga, i4ti irana I
f> st-, vendo e se c< n.endo
b s geatros qne o (jiipos ten :
> m sabor**, s-n" cmw,
E' -jiie se 1 ie ver bem.
Vcj mostrar, miaifesur,
O qua a lo los di'.o tei.b-,
Coa as pr.vas, a-ss ptrboMf,
Qae ao pobl.TM drr h'j-- veth\
Arile> que reniego de,
.Dks genere i se Drn.es sltaarirof,
Diatr vrcbo q-.e em toa trabe 1
V.ner bar!. .. (.berro l
De-ta tes: boiaciiinha', ojtijo .Dglez,
manteiga, fino tobo ;
De ca. ii.cc, irrot) ag,
Presooios, [aloe*, troc-h\
Peixe em litas, frijaV, bata'i,
Fractas, (!.* s, carmelada,
Lep.t.lba, Itaret, ervilha?,
I a? Itogsat JBiihsTsj I
Moiio rafe, rliarntrs, r,
Qaeij.s de Minas, praio < serta?,
tacha azoiie e err. I.!as lee,
Atotrla, tdaa c loro rr.i.-in....
De toSMiC 1.. --.,
S.r!ii I.as. :: i'uta S'K 6.*,
C. rvij ,': (t)4i.-. i-'.rej,
Lrgurr.es e aves em cocfervss
Disto alm, temos u. besa
SJrlioMDin, explendis !;;i.r-,
]ne por tese ssasfante ser,
Meccii car heje Dio qoero.
S des>j\ s llu*to,
Viren 1 .i>s .- eoni^enssj,
P> ij gar.?.i!: pr-ir Ittts
(Jje grato- 1 ,e la 1 it OeUSSB I
Vtharo j pois tenha r
Generes de a'.t:? ssocres,
Qae agrada, deleita, imbrisgs,
!v- sc.is puros, agradave-is tt.ti r 11
, nao podem consegnir retelierem oL-JCtoal Lnv^e4ptlbra |*r busieai. reilwsa* --.
ises sos da NOVA. ESPERANZA, pois q-.e e rns, cLegada* pelo ultimo rai*r; a raa ce
erra-
t.tdi
Attendain
Q^actas vezes vemos cm lilo v>:. c U
boa sc-da'e epm liod. s desenhos, portm com ues
enfeites que dizenos coa es:o, i pena cm ves-
,14o perdido-; porque? por fa!:a dt'dfr uro pu*
eio a NOVA ESPERANZA e ccmpiar ecees
qae sejam adecuados a'arecdu: qaaotss wiis sec-
arlos escapar de lgum ler.gj aroma! etica ti vos e
porque ? por rao chegarem a NOVA ESPERAN-
CA e emprtresa-8eo*> extractes ;s 13o crobecid";
"jsalas perseas cao g?staro kb icheiro e am
disso flearn ijesgostosis ? p;r nao comprar em "
jeetos qi.e iies satisfaga, por Dio L'rem a NOVA
E5PERANCA onJe eocontrario o que ;!e mtihor
e mais elegante ha co rorr:ado, e e?: pir tai
forma conhecida a NOVA ESPERANZA -,ae q::se-
do ero qcalqoer reunio se v um bf-oito sofeitt,
am lago, um co^ue modero s coro serta graga.
qnando se sent escapar de algom lec$a ccrada-
vel aroma, quaeda se v finalmente ctalquer cou
sa xique, ninguem mais p-:rgcs-.e 'celo foi tu
donde veio, cala um responde ea tiiz comsigo
isto foi da NOVA ESPEUNC i riz Doque de
Caxias n. 60.
Caca, vasias
A NOVA ESPERAN-.. i raa do Daqae de Ca
xias n. 60, acaba de receber nm rodo sertimemo
de caixinhas vasias, .sendo de muitoa tamacros e
rco'de?, tendo com e?pt;hcs e -r.ro e.les, proprias
para jolas, costura oa oatra qualquer cansa ;
Nova Esperanga quem leso.
Albuns para retratos
A NOVA ESPERANCA raa do Dacne ce Ca-
xias n. 60, re,cebeu bomsortimecio -Je a'bacs :om
msica e sem ellas.

co
Margn n. li, 1 andar.
L'iti Hilo sjrlasBCBto re ssisabar esa
maria5, ditas c-mpreperes p;.i\ ura-,
isorjpgocj njs tojapas, e ir!.
10a l* i Vareo n. li, ,.i..:.ir.
Perfarz.a.'ias linas :
Poicada pac, vaso pri !e
DiUSROit fi'ia< ero la;a i
Ditas dita maii peqjien^s
Olio orisa soperic-r qnatiJide, ':,
li.t) da toceosde Orgien -. dito
DiUi biboss, fase-' grande
Uro grssde e boliu -rtrn^slo
francesas e ing'ezas, e ted -
mui razoi-veis a rna l d Ni.";
Obras e cabellos :
As Esmi.'. ara;, ecc :..:..: ". 1 .:,fe rr. U ")
sor! meato deeoejouscbi| ..:..> traaeaa, < ::;*
tes, nem so a venda coto |.sra s!cgar : i* roa l-
de Hsson n. I'j, Io tader,

lil 1
Ui 1
t"' 1
7'J
de peitoo-
v>tde por (re- *
c i, 1* iBir.
de
<&nra /ij
fl
Veode-se a 2< : s no Cellar
da Imperatriz o. 63.
da Raicha ra
CALCADOS
da ttrra.
Veode se a i, if'OO, Si, 5*500 e Ht : s no
Collar da Raioba ra da Imperatriz 0. 63.
CiL.
Cal a mais nova que ba uo mtnado vinda pele
ultimo vapor entrado em 10 do corrente rcez de
maio, e vende-se mais barato que em outra par-
le : oa roa do Apollo o. 30, armazem da Rodri-
gues & Martin.
58500
* CAIECA.

CARLOS DBOS
Cabclleraro
Tem exposto a venda em sea esrare'e mecie
roa da Imperatriz 0. iii, pristfcfo andar ua
grande e variado sorlimeci-j de coquis os mais
moderno* vir.das pelo apireo vap -,
Altenfo! Alenfo! Alenlo !
Liqoid^i itnporlan'.e 1
RA DA MADRS DSS N. 9.
Chitu, madspole, algodfle?, cambraia?, laas,
meia?, chapeos de sol, brins, ro'opa fei;, e mai
los artigos qae pela tua diversidade torna-sa en
ladonho mencionar. Pregos por menos 30 0,0 do
sea valor, garanlese a ba qaalidade da rienda.
Direito criminal
PELO
TRAZ FLObENTiNt HENRIQUE LE
SOZA
Na livraria EioBimiea e"c Ji* Nogaira do-
S.uz.i, -ua Prfmeiro de ar( (..ri;:ga Crea-
; ) n. ?, sebssse vi*nt a r-goira edgiu litrsa
roteressaLie obra, conteni cao -c lodos os opas-
col i de d;rc-!l.' enruie:!, ioljifad.5 tm Mato
autor, mas lambeta bou icio oedta sobro 1
rt. l d 1 coligo ceoiiii.l e um ndice de- st.tr.-
marics t^ cada lig.io, o qoai rr.nilo fic'.a a fti
cura das materias.
Esta obra, nuidamenle irr.Lre-fa em P*riz, lar-
n:a um rolma de 3815 paginas &** sjaats s
acharo di.-cutidas rrnitas das priocipaes t]MU to direi'.o criminal lirasileiro ; e f o.* isso mu to
se reeommenda acs Sis esiulao'ey da Faculdste
de Dirtit'', e eoi giral a lodas pessoas qae ;e
dedicara ao estado dcste tai iapaMMte rama i
jurisprudencia patrls.
V ndr-se cada volnrr.e ero t rcch.'.ra a ""00
eocadernado.s 800O.
Basar ViitoiT.
Anural, Nabncp & C, vendem :.
Chspcim.s para leafioras', eatoiioas* cem |osto
e sasele.
Chapees de pa ha e velludo para secbora, enfei-
lides com eieganci?.
Complete sortimento de espelbos. perfumarisi e
fiares para coiva?, charos e Ci'ga.
Ricas estampas a fumo e coloridas de Iaugens e
paysagrm etc, etc.
CacbimbvS do verdadeira espuma.
Tapetes de velludo, de caroeiro e le coco de di-
versos Urcaiii.o?.
Estojis para barba proprios pira visgern.
Sohibhss epuLhos bordados e arrendado*.
Tcscuras para unbas. costara, abrir casas e jar-
dim, do eciihecido fabricarte Joseib. Rodgers.
Enojos para crochel do roesreo fabricaote.
E mui's catres ohjectoj de {Orto proprios p;'a
faz6r-: e presente--
RA DO BARAO DA i'ICTOHIA N. i.
A pega de algodao azul aseriado eom 56 coss-
T'r a W t M5* : M r o Cres-
pa o, sp, leja do Gnberme C da Caoba cj C 14rijam-se a meso casa.
Roa do Crepo 0. 20 alpacas mc:cladas c. m bsr-
ra a 500 rs. o eovaoo dita lija de Ud.s ai cors
s O rS. o covado grande pecblocha Iota di
Gailherme C. da Conha kC 1
A 4^600 r.
Vende se saeos de muito boro milho
mazens ra do Amorim e ces do Apollo. Ce
T-soa I raos de' C. .
nos ar-
Vende-se fartnha mnito bea da ierra em
sacc.s de 0 caas por 5*000 -. na armazem do
Guerra.________._____________
Canlaho americano.
Vende se o eitabelecimento de moibtdaa si deoeo
f.k 5kwS?. W*j i d 85 : H roa do Cres-1 to oa roa de Marsilio dias n. 99 :
Veode-se om carimbo atnerleaao com 4 roda?,
i asientos, lacea para doas estalles, arreaos e
va:! para um. Est em perfeo estado e pipiad >
Qaem pretender pJe dirigirse so e*!
os p't-.rDdettes Imperatriz, que achara pessoa competente pirt
I mostrar e tratar do negocio.



s
Diaiio d FemamBuot Ter<;a eira 14 d Maio le 1812
4LT4S N8VIDADES M MMNDAS
Que se liqnidam na loja
DO _____
PAVAO
A RA DA IMPERATRIZ N. 60
DE
FLIX PEREIBA DA SILVA & C.
PARA APURAR niVIIEIRO
Neste importante estabelecimento encontrar o respeitavel publico om avultado sar-
timento de fazendas, tanto de laxo como de primeira aecessidade, as qoaes se podem
vender mais barato do que em ootra qnalqoer parle, attendendo as avultadas compras
de fazendas, assim como por todos os vapores qoe chegam d'Enropa se recebem novoa
ortimentos de iazendas de gosto e orna colleccSo dos mais modernos figarioos, as pes-
soas qoe negociam em pequea escala podem vir soriir-se este estabelecimento, que
se Ibes vende pelos meemos pregos, qne se compra nos armazens ioglezes, de todas as
fazendas se dio amostras deixaudo ficar penhor. O estabelecimento do Pavo est
constantemente aberto das 6 boras da manba s 9 horas da noite.
Brillantinas brancas e de cores o
covado a rs. 440, 500 e. .
Organdy de urna so cor o me-
tro a rs.......
TarUtanas listradas com maita
phsntasia, o metro a rs. .
Sultanas de cores com eofeites ao
lado para babado, o covado a
Lanzinhas largas com iistras de
sedi,o covadoa800 rs. e. .
Poupeliaas de seda modernas, o
covado a 10600 e. .
Sedas com listrinhas, o covado
Hamburgo de puro linbo tendo dos
nmeros mais baixos at aos
mais subidos que vm ao mer-
cado -.......
Cobertores de 13o para camas ten-
do de varias qoalidades .
Ditos de algodo a .
Golcbas de fustao para camas,
tanto brancas como de cores. -
l^OOOt PARAHQMENS,
Pahlts de panno preto e de casemira de
2^000 cores sendo mais modernos e para todos os
pregos e qoalidades.
640
501)
640
10500
10280
a 10300 e......20000 Sobrecasacos de panno preto de
400
640
640
800
800
500
500
80000
700
960
160000
2O0COO
040
40500
Gorgorees de 13a de urna so cor, o
covado a rs. 400 e .
Ditos largos e de cordao, o cova-
do a rs.......
Alpacas lavradas com Iistras de
seda, o ovado a 800 rs. e .
Lanzinbis lisas de todas as cores
o covado a rs.....
Cassas decores com listra ao lado
para babadinhos, a vara a rs.
Alpacas azui com Iistras braacas
o covado a rs.....
L'nziuhas com qnadrinhos deseda,
sendo de moito phanlasia.o co-
vado a rs.......
Linzinbas tecidas com seda, sendo
coa bonitos gostos ioglezes
muito proprias para eenhoras,
qoe t?m de viajar, o cov ado a rs.
Bjnitis Isaiinh'-s de cores, oes-
vado a rs. 320 e .
Poopeliaas de 13a, largas e lustro-
sas, o covado a re. .
Cambraias transparentes impe-
riaes, a pega......
Organ ly branc: tanto como liso......
Fusies brancos para vestidos e
r upas de meninos, o covado a
r*. 400, 8.0 e .
T-riil'.na branca e de todas as co-
re?, o metro a rs. .
Fj is br neos, lijos, de salpicos e
javrtdos, o metro a rs. 700 e
Cori de granadina de cores com
IS covadoa a 1-20 e .
Cortes de medina mathisados com
banitas arras e umita pbanta-
; a 15:000 e .
GorgorSM eseuros mui'.o encorpa-
dos p ra roupas de meninos ten-
do aiesda de seda, o covado a rs
Para noivas
GurgurS) de seda Urano muito
encorpado, o covado a .
Grosdenaple branca muito alvo o
covado a......20500
Dito largo muito encorpado, o co-
vado a......40000
Setirn branco mu'uo alvo, o cova-
do a 203OOe ..... 30000
A'pacas brancas listradss inita-
e3o de se la, o covado a .
il.c :-s capellas com vjs a .
Cortineds para camas .
Colebas de damasco de la, a imi-
tadlo de seda ....
Colchas de croch ....
FAZENDAS BRANCAS.
Pecas d'algodo?inao americano
a 30200, 40, 50 e .
Bromante d'algodo com 10 pal-
mos de largura e muito encor-
pado, vara a .....
Dito de linbo muito encorpado
cora 10 palmos de largura, o
metro a 20000,20500 a .
Dito francez muito fino, o metro a
A!god5osioho enfestado para len-
goes com 8 palmos de largura
e muito encorpado, o metro a rs
Dito trancado con a mesma lar-
gura e muito encorpado, o me-
tro a .......
Atoalbado de linho adamascado
com 8 palmos de largura, o me-
tro a .......
Dito de algodo com a mesma lar-
gura, o metro a .
Dito alcochoado fazenda de muito
gosto com 7 palmos de largura,
o metro a 10800 e .
Dito trancado com 8 palmos de
largara,' o metro a .
ALTA NOVIDADE EM VESTIDOS.
Chegou para a loja do Pavo ura bonito
sortimento dos mais modefoos corles de
gurguro para vestidos, com delicadas pal-
mas e listas de seda, assim como com dnas
saias, todas com delicados enfeites de seda
que se vendem a 350OOO e 400000, sen 'o
moito bonitos vestidos para assistir a bailes
ou casamentos e trazendo cada um corte o
competente figarino, isto ra da Impera-
triz n. 60.
CAMBRAIAS BORDADAS
Chegaram para a loja do Pavo as mais
delicadas cambraias brancas com os mais
bonitos bordados, qoe se vendem a 80000
cada corte, grande pecbincba, ra da
Imperatriz n. 60.
R ira ae *bar 2$ e
No loja doPipagiM, end*-M para acabar saias
brauoas a balio a U /500 r. sao Unas de
panno al cima e lora 3 arcos que forma um
paqueo roda, tirando-lne os reos fiea nata
porfeu saia, e peto proco nao ba nada mais ba-
rato, na loja do Papagaio, ra da Imperalnt B. 40-
de Mandes & Camino.
A
'#
Na loja do Papagaio a ras da Imperatriz o. 40,
ha ama grande qaanlidade de palitots pretos de
alpaca que se veniem pelo baratissimo pre$o de
3*000. por ser grande porcao ra da Impera-
Iris n. 40.
fiPecas de algodiozinho bom a 31000.
Que Pitada!!
Quem quizer tomar ama boa pilada compra ra-
p Paulo Gordeiro viajado ou por viajar, na loja
do Papagaio roa da Imperatriz o. 40.
***** ** ** *****
kELLEl C.|
m
t
*
Ra do Bom Jess u. 55
Vendem
Ferro gavalaisado em foltaas para te-
140000
150000
30000
30000
3050o
40000
105CO
20COO
30000
10800
todas as qoalidades
500' Colletes de casemira preta ede
cores .......
640 Ditos de gurguro de seda tanto
preto como decores .
10000,Di os de brim branco. .
Calcas de casemiras de cores ten-
do de 60000 a .
Ditas de dita preta de 60 at .
Ditas de brim branco de linbo de
30500 a......100000
Camisas finas coro peito d'algodo
de 10500 at.....
Ditas com peito de linbo tanto fran-
cezas como inglezas, de 30500
at as mais finas que vem ao
mercado, ten Jo tambem borda-
das e em duzia faz se grande
differenca empreo .
Ditas de cbita franceza miudinbas
fazenda de gosto a 20500 e .
Ditas de flaoella de cor a-20OCO,
30000 e ......
Ditas de meia de 13a muito finas a
Ditas de dita d'algodo a rs. 8C0,
10000 e......
Seroolas de panno de linbo a .
Ditas francezas de linbo a 20830 e
Ditas ditas de algodo a 10600 e
10000 Collarinhos tanto de linho como
de algodo os mais modernos
qoe tem vindo ao mercado .
Punbos de linhos os mais moder-
nos .......
Redes para dormir de differentes
qoalidades.....
Chambres de cbita e de cretone
Meias cruas francezas e inglezas
que se vendem a duzia a 30000,
uto 80000 e.....
CORTINADOS
Cortinados bordados para camas e
janellas, que se vendem o par a
80, 100, 120 e .
Cambraias largasadamascadas para
cortinados com 20 varas, peca a
Ditas com 16 varas a .
Damasco de la a imitado de seda
para colchas com 8 palmos de
largura, o covado a .
Ditos com 6 palmos de largura
para cama de "solteiros, o co-
vado a.......
Colchas de chroch para camas as
mais ricas que tem vindo ao
mercado a.....
Ditas de damasco de 13a a 100 e
Ditas de fustao branco sendo mui-
to grandes a 50000 e. .
EXPLEND1D0 SORTIMENTO DE GROSDENAPLE
NA LOJA DO PAVAO
Brins d'Angola.
Mantilhas Brasileiras.
Grande pecbincba em panno a 30000.
Saias bordadas a 40, 50 e 60000.
As 3:000 saias a 20000
GRANDE OFFICINA DE ALFAIATE .
Pereira da Silva & C. teem a honra de
participar ao respeitavel publico em geral,
e a seus numerosos freguezes, que no seo
estabelecimento de fazendas, tem montado
ama magnifica ofUcina de alfaiate, aonde
se manda fazer qualquer roupa de encom-
menda, tanto para homens como para me-
ninos com a maior presteza e perfeico, no
mesmo estabelecimento se encontra om
avultado sortimento de todas as fazendas
para as mesmas obras de encommenda, as-
sim como para qualquer luto: tambem na
mesma offcina se encontra o perito mostr
Pedro Celestino Soares de Carvalbo, eipe-
cial para fardas, tanto dos Srs officiaes de
guarda nacional como de tropa de linha, os
quaes sero moito bem servidos por mdi-
co prego.
MADAPOLO FRANCEZ A 70000.
Na loja do Pavo vende se superior ma-
dapolao francez pelo baratissimo preco de
701 oo a peca pecbincba, ra da Impe-
ratriz n. 60, loja de Pereira da Silva & C.
MADAPOLiO INGLEZ A 60000.
Na loja do Pavo vende-se madapolao in-
glezde superior quilidade com 24 jardas
pelo barato preco de 60OCO a peca, grande
pecbincba ra da Imperatriz o. 60, loja
de Pereira da Silva.
MADAPOLO A 30000 A PECA
Vende-se superior madapolao inglez com
12 jardas a 30000 a peca, e grande pecbin-
cba, na loja do Pavo ra da Imperatriz nr
60, de Pereira da Silva & C.
Ibas.
Leite condnsalo.
Cognac Martineao.
Vinbo de Brdeos em caixas
Tommard
Volmay I
Haut Falerne
Penillac
Vinho do Rheno :
*t Scbarlacbberger
Kisdesheimer Berg
Hocbkeimer Berg
Marco Crnmer ansese
Kaneotbaler Berg
Sleinberger Gabioet. <
* **** ** ** 6000
VEBUADEIIU
BICHAS HAMBURGUEZAS
NICO DEPOSITO EM PERNAMBUCO
59 -Roa da Cadela 53,
Primeiro andar.
PECHINCHAS
NO-
EMPORIO COMMERCIAL
13 IDA DA IMPERATRIZ 15
Ulyssas & Irma
Neite j bem conhecido estabelecimento encontrar o respeitavel poBfeaiim pepee
de ludo por mdicos precos, e tendo seus proprietarios resolvido liqoidar algons artigoi
de que se compe o mesmo estabelecimento, vende-os por menos do seo costo
COMO SE JA
Libras sterliaas.
Vende-se no armatem de fazendas de Augusta
P. de OliveirvA C, roa lo Commercio n. 42.
10603
150000
60000
10800
30000
30000
960
10200
30OOO
20000
20000
10600
100000
160000
100000
80000
40300
30000
180COO
150000
60000
A MAGNOLIA
As floristas
A Magnolia receben pelo ultimo vapor o que
as senboras (brutas precisaren) para fabricar flo-
res, como sejam :
Pestilbas de varias cores.
Bagas de vidros de divers.s modellos e tama-
nbos.
Olhos para mal me qneres e cravos. ."
Clices para rosas.
Basas douradas para Aires.
Foibas verdes, enceradas, prejas e de ores sor-
tidas em tamanbo e feitio, etc., etc.
Meias delali
A Magnolia rna Doque de Cari s o. 45 rece-
ben (iessas meias, mnito boas, e vende por menos
do que em outra qualquer parte ; a ellas, antes
qne secabem.
Candieieiros econmicos
Os candieiros econmicos sao na verdade de
nvencao agradavel, priva a quem desejar embel
lesar urna sala de fazer dnas despezas, pois que
tirndo-se-lhe o deposito onde se conserva o gaz.
torna se um lindo jarro para llores : quem tem
a Magnolia ra Duque de Caxias n. 45, e vende
barato a elle?, porque tem poucos.
Nao foi intilmente qne a Magac lia ru Du-
que de Casias n. 45 fez escropulos escolba
seu9 correspondentes as diversas partes da Eu-
ropa, porque agora tem a satisfaea de ir reee-
bendo seus pedidos, vioio executados com tanto
esmero e gosto, que se ufana em expo-fos a tpre-
ciacao dos amantes do bom, tendo a certeza de
seren pelos mesmos apreciados.
A Magnolia, nao est descontente com a fre-
gnezia que tem adquerido em tao pouco lempo, e
esforzase para muito mais; visto que tem con-
viccao de ser commoda nes precos de suas mer-
caduras, zeloza em bem servir a 9ua freguezia e
abominar a caresta.
Ao bello sexo cora especiahdade. a Magnolia
pede que venba ve la pessoalmente agora que tem
recebido parte de suas encommendas, e pretende
ser razoavel nos precos tendo a certeza de que o
supprira do que bom e razoavel.
A Magnolia, se se tem esmerado era ter um
lindissimo sortimento do que ba de melhor no
mando das modas, porque nao desejt que seus
freguezes sejam mal servidos em outra parte,
com objectos de mo gosto : e assim apressa-se
em mencionar alguns.
B .nita? gollinhas e punhos, transparentes e ta-
pado?, fazenda muito una novidade.
Camisas, de linbo muito fino, bordadas e pro-
prias para noivos.
Cbapos de velludo e palba de Italia ultima mo-
da, para senhora e menica.
Chapellinas de cores e preta?, (novidade)
Ricos enfeites para senhora.
Bonitas fivelas de madreperla para puteeira.
Melos adereces pretos, cacoletas, voltas, cruzes
brincos e rozetas de gosto moderno.
Variado sortimento de capellas, bouquets e si-
po' de botoe3 de flores de laraogeira.
Flcres de cores e pretas para cbapos e cabel-
los.
Lichas de todos os nmeros para croeb e bor-
dado.
Chpeos de sel e bengallas com boaiios cabos
de marfim.
Bonitos chapeos de sol para senhora.
Jarros transparentes para flores.
Ricos pon Joias, port candes e port-money.
Bonitas caixinbas com perfumara, propria para
presentes tendo dsticos as tampas.
Ditas erm preparos para costura, ricamente en-
fetadas e com msica.
Bonecas, ricamente vestidas.
Lindas bolcinhas de velludo, com estojo para
costura e sera elle.
Albuns para retratos com com capa de madre-
perola, marfim, sso e madeira.
. Livros de misss, esm capa de madreperol*,
marfim, sso e tartaruga.
Carteiras de chagrn, com estojo para algi-
beira.
Navalbas muito finas, com cabo de marfim e
tartaruga.
Grampos com flor de madfeperola, novidade.
Bonitas caixas de tartaruga para rap.
Sapatos de la, bordadas em talagarc,.
Camisas bordadas para hornern.
SO* NA
MAGNOLIA
45Ra Duque de Caxias45
DE
SA' LEITO, FONCEGa 4 C.
MACHINAS
DE
COSTURA
Gbegaram ao Bazar Uoiversal da ra No-
va n. 22, um sortimento de machias para
costara, das melbores qualidades que existe
na America, das quaes maitas j sao bem
conbecidas pelos seus autores, como sejam;
Weller & Wilson, Grover & Boka, Silsn-
ciosas, Weed e Imperiaes e outras muitas
que com a vista devero agradar aos com-
pradores.
Estas mac' as tem a vantagem de f o trabalbo que trinta costureiras podem
fazer diariamente e coz?m com tanta per-
feico como as mais perfeit?s costureiras.
Garante-pe a soa boa qaadade e ensina-se
a trabalhar com perfi^o em menos de urna
hora, e os precos sao la o commodos que
devem agradar aos pretenl*n'es.
A ra do Coran >:r:i>. !0, escripto-
5 rio de Jos Joaquim da C ta Maia, en-
91 contra-se para vender p r commodos
precos :
Azulejos hespanhc??.
Polbas de ferro galvanizado para tena-
i do de diversos tamanbos.
Ditas de dito dito lizas.
)B Bicas de ferro galvanizado.
Cumieiras dito. i
Portadas completas para cantara.
85 Ladrillios. Pl
*mmm mm mm mm mwm*
Farinha de mandioca
Superior e imito propria para mesa, em barr
ricas de farinha de trigo ; a 11000 rs. a barrica
nos armazens de Tasso Irmaos & C.
Garrafas de vidro Bacarat para vinbo a
50, 60 e 70000 o par.
Gompoteiras a 60 e 70000 o par.
Gopos de vidro Qoo para agua a 40 e
40200 a dozia.
Clices de vidro de cor no para vinbo
a 20000.
Meios apparelbos de louca iogleza floa
para jantar por 500000.
Pratos e diversas pecas avulsas que se
vende barato.
Jarros para flores de 30 a 150000 o
par.
Clices de vidro fino para licor a 20800
a duzia.
Vidros de cbamin para candieiro a 20200
e 20400 a dozia.
Globos para candieiro a 10600 e 10800
cada um.
Bonitas quartinhas bamburguezas a 40000
e 40200 o par.
Escarradeiras de vidro a 30000 o par.
Bonitos candieiros de jarro a 160000 um.
Punhos de linbo para camisa a 90000 a
duzia.
Collarinhos de linbo para camisa a 60 i
duzia.
Anquinas de crina para creancas e se-
nboras, de 30 a 40000.
Cortes de cambraia branca de cordio com
8 1/2 varas a 30500.
Fronbas de erivo a 560 rs. urna.
Cortes de castor para calca a 10280. -
Algod3o de lista a 260 rs. o covado.
Colxas branca adamascadas grfades i
30000.
' Cobertas de cbita grandes a 20400.
Superior brim de Hamburgo de linbo cea
10 palmos de largara a 20800 a vara.
Bonitas frocleiras c im sabonetes de frac-
tas, proprias para presente a 40000.
Lindos livros com extractos e sbonetei
a 20500 e 40000 para presente.
Oleo pbilocome a 600 rs. o frasco,
muitas outras perfumaras qoe se vende ba-
Grande quantidade de arandellas para jato, como seja : sabonetes finos a 10200 e
dependurara parede, de 10500 a 20000
cada urna.
Ternos de bandejas a 70000.
Pateiros de porcellana branca de 10000
a 20000 cada um.
Lava mo de zioco a 40500 um.
AlgodSo inglez para roupa de-escravoi e
saceos a 329 a jarda.
Tapetes avelludadcs para quatro cadeiras
a 250000.
Um grande espelho moldura doorada por
800000.
Lindos albuns para retratos a 100030
cada um.
Bonitos chapeos de velludo para senhora
100 e 120000.
Abei toras de linho para camisa a 1O0OOO
a dozia.
Fitas masnicas
Amaral, Nabuco & G. vendem fitas maconicas
de diversos graos : no Bazar Victoria, ra do
Baro da Victoria n. 2.
Cartas Douradas.
Amaral, Nabuco i C* vendem baralhos de car-
ta para jogos, lizas a douradas e -calo em porco
om graade abatimento de preco. No Bizar Vic-
toria, ra do Baro da Victoria n. 2.
BORHADOS
Amaral Nabuco & C. vendem :
Entremeios transparentes tapados, fronlus de
labyrintbo e bordadas, len?os, perneadores, camisas
para senboras todas de linho, tidos estes artigos
sao bordados a agnlba com gosto e esmero, e o
sortimento variadissimo, no Bazar Victoria ra
do Baro da Victoria n. 2.
Vestimenta para crianeas
Amaral, Nabuco & C, receberam ltimamente
ricos vestidiohos do fueto e de cambraia borda-
dos e enfeiudos com gosto para meninas de di-
versas idJes, e de fusilo, alpaca e cachemira
para meninos, cambas para meninos de 4 a IS
annos de idade, no Bazar Victoria, Ba Nova n. 2.
ESTRUME
O liquor de ammoniaco, das fabricas de gaz, a casa da ra dos Guararanes o. 11 : a tratar com
nm dos Estmnes mais recommendavel para fer-
tilissr a trra. Ple-se obter na fabrica do gaz,
em S. Jos, que tem para vender, a 300 res a ca-
ada.
Vende-se urna crava, perfeita engommadeira,
cozinhera e propria para ama de leite por ter
este bem ahondante sendo a primeira barriga :
atraur na pra? do corpo santo n. 17 terceiro
ante,
o commeudador Tasad.
CEMENTO.
O verdadeiro Portland: s se vende na
roa da Madre de Deas o. 22, armazem de
Joo Martios de Barros,
E especial
Bap marellinho Prioceza do Bio de Janeiro,
cuja qualidade muito superior ao uno rap
Prisceza de Lisboa ; vende-se a rna Primeiro de
Haarco n. 6, chapeleria Imperial.
A. Bonniot e C.
Cbegon nova remessa de verdadeiro afamado
cognac supra, nico deposito em casa de Henry
Willmer, roa da Cruz n. 13.
Vende-se
Dnas vaecas mnito novas e gordas, ambas pre
nbos; para tratar na roa Tnom de Soma n. 4,
on na rna da Boda n. 15, e para velas no vtvei
ro do Muniz, as Cinco Pootas.
Pedes a Rocambole,
Realmente tao engracadoi etsea peSes I enge-
nhesa e distrahe mnito esta nova nvencao : na
Mgnolia a roa Pague de Cnu* n. 48.__________
C1U saperlor.
Por preco coamodo : a na do Mrquez >
Olind n. 50, armuem de Braga Gomes k C.
Cal de Lisboa
Vende-se da ultima chegada no vapor Claribel
por barato prego : na ra do Amorim n. 66.
Cerveja de Noruega.
Verdadeira e superior : venda nos armazens
de Tasso Irmaos 4 C.
A' loja da pra?a da Independencia chegou nova
remessa do muilo acreditado rap Paulo Cordeiro
viajado: vende-se a 1#800 ris a libra. dem
commum a 1J20O, gasse grosso a i600. dem
Gao a i600, Boena a 156' O, Bolo francez a
4J500, Lisboa a 36G0, Bolo da Bahia a 2*, Prln-
ceza da Babia a 1*200, Amarehnho a 2*000. Ven-
de-se em libra e a retalho, na mesma I ja n. 5.
Para a Europa
As mais proprias cadeiras de que uece os Srs, passageiros, sao as de vime, e vendem-
nas Pocas & C ra estreita do Rosario o 9, juut
a greja.
KEROSENE
De primeira qualidade, marca Devoes con
tnuam vender Pereira da Cunha Irmaos em pe-
quenas e gran les poredes e a prego commodo
ra do Mrquez de Olinda o. 21, Ia andar.
Arroz de csea
Superior em saceos muilo grandes: n,is arma-
zens de Tasso Irmaos & C.
Prezunto
de Lamego a 400 -rs. a libra e 880 o kilo : ven
dem, Pocas & C, ra estreita do Bosnio n. 9,
junto a greja.
Em casa de Tisset freres, na ra do Com-
mercio n. 9 ba para vender :
Agua de Vichy das fontes Haubeiwe, Celestins,
Grande Grillo, Hospital e Mosdaoie?, em caixas
de 50 garrafas.
Agna de Cbateldon, excellente agua de meza,
em caixas da 50 garrafas.
Agua de Vals das fontes Presiense, Migdaline,
Desire, Sanie Jean, Rigolette e Donimique, em
caixas de 24 garrafas.
Cognac das marcas: Blancby frres & C
Royer Guillet 4 C.
Marlel frres de Velros.
Charutos de Havana,
legtimos, de diversas marcas, e por preco com-
modo ; receberam Bourgrad & C. ra do Mar-
ques de Olinda n. 15. ____________
Espanadores de pennas
Recebem-se encommendas para qualquer por
cao : rna do Vigario n. 1, 3a andar, sobrado
araarello.
Rqp fino Princesa
A' loja da rna Primeiro de Marco n. 5, da viu-
vi Guilberme da Silva Gnimares & C, aeaba de
ebegar o afamado Rap fino Prineeza da fabric*
de Lisboa, o qnal mnito se recooc menda pela sna
excellente qualidade; para elle chamamos a at-
tencao do* Srs. consumidores ; adveriindo-lbes
qne, somos os depositarios nesla cidade e que tam-
bem eontinnamos a vender o rap que designa-
do pele Ululo de
Ptincepe Alberto.
20OOO a dozia.
Chapeos para baptisadode crian?a a 2(J50C
e 305OO.
Coqaes para cabello a 25000.
Cadarco branco a 360 rs. a dozia.
Dito trancado largo a 140 rs. a pega con
4 varas.
Caixa de papel amisade a 700 ra.
Dita de 100 envelopes a 400 rs.
Dozia de pentes para alisar a 10600,
10800e2^000.
Bonitos cbapos de palba com aba forra-
da, para hornera a 40000 e para menino a
30000.
Soriimenlo de meias para homens, senho-
ras e crianeas, e muit03 ontros artigos qoe
deixamos de mencionar, e qoe igualmenU
I vendemos por precos commodos.
O EMPORIO COMMERCIAL eacarrega-se da factura de roupa por medida, e capri-
cba em bem servir aos freguezes, tanto no comprimeoto de seus tratos, como na boa
qualidade de fazendas e modicidad^ de precos.
PECHINCHAS DE ROUPA FEITA
O EMPORIO COMMERCIAL vende paletots fraqoe de casemira oa bem acabidoi
a 180000, 200000 e 220000. Paletots saceos de casemira preta e de cores de 70000 a
120000. Ditos de merino prelo de 70 a 100000. Caicas de casemira preta e de co-
res de 60 a 120000 cada urna. Colletes de casemira de 30 a 40000. Calcas de brim
moito bem feitas de 20500 a 80000. Paletots de alpaca fina de cores, branco e preto
a 20500 cada om. Cerclas de linho a 20800, e de cretone a 10600 cada ama. Cai-
ga de castor a 10700 ; superiores pannos finos, casemiras e brins.
UHPORIt COUDIELICIIL
15 Ra da Imperatriz 15
IMSSES A RMiO
GRANDE REDUCCAO EM PRECOS
Na loja de Antonio Pedro de Souza Soares, na rna do
Barao da Victoria n. 28, outr'ora ra Nova
ATTENCO
Completo sortimento de fitas de
sarja, de todas as larguras, co-
res e presos.......
Redes enfeitadas para senboras.
Coqaes de trancas o que tem vin-
do de mais gosto a 50003
Diademas modernos a rs. 500,
640e........20000
Grinaldas para casamentos a 30, e 50500
Cales e trancas de seda de cores,
apega de 10000a .... 30000
Mimosos leques de osso para se-
nhora a.......90000
dem idem de sndalo com lan-
-tejoulas a.......50000
dem idem a imitacSo a 20200
Lavas de pellica para homens e
senboras, o par 500 rs. e 35300
Transparentes com paisageos para
janellas a.......120000
Rico de seda proto e branco pega
de 20500 a......70000
Fita de setirn Maco escosseza lar-
ga, vara a....., 30000
Collarinhos bordados fiara hornern
duzia a 85000
dem idem lisos a.....70000
Guarnigo:s de marSm e madfepe-
rola a.......20000
Ternos de ibesouras em elegan-
tes caixinbas a 60000 e 90000
MIUDEZAS
Duzia de pegas de cord3o impe-
riaes a rs. ; 320
Duzia de pegas de trancas-de cara-
col a rs........ 400
dem idem lisas a rs..... 20C
Dozia de cartoea de hnba preta e
branca a....... 20
Groza de grampas cabega de vi-
dro a ....... 10000
Resma de papel pautado e liso a
40000 e ...... 40500
Caixa de papel amizade muito
superior a rs...... 700
dem idem de qaadriobos a rs. 640
Caixas de envelopes finos de por-
celana ars....... 800
dem idem a rs. 400 e 500
dem de peanas a rs. 500, 800 e 10000
Aboloaduras para collete, grande
variedade a rs...... 200
dem douradas para punbos a rs. 500
Dozia de baralhos francezes bei-
ra dourada a...... 30600
10200
L?mpannas a gaz a .
Duzia de talheres com cabo de
osso 2 botoes a.....
Dita de ditos cravados ( baratis-
simo) a.......
Garrafa de tinta roxa extra-fina a
PERFUMARAS
Garrafa de agua florida verda-
deira, a.......
dem idem kananga do Japo a .
Frasco com oleo oriza verdadeiro a
dem de oleo pbilocome verdadei-
ro a rs. 400, 500 e .
Rosas com extracto a .
Frasco com extracto inglez muito
superior a......
dem com dito kananga muito su-
perior a.......
Banha iogleza em frascos e potes
de porcellana a rs. 500, 10 e
Magos de sabonetes inglezes muito
bons a rs........
Sabonetes de amendoa supe-
riores a :s.......
Cosmetique de cores unas a rs.
100, 640 e......1*000
Pacotes com pos de arroz fine
a re. 300, 400 e ... 500
Caixas com dito moito fino ka-
nanga a........i HOO
Frascos com agua de Colognea rs.
500, 10000 e.....11800
Garrafas com dita o que ha de me-
lhor a 30000 e.....4*000
50501
206OC
10000
10200
10200
10200
10000
10800
10000
10000
20000
600
300
ESPELHOS DE MOLDURA
De todos os tamanhos e de todos os pregos, molduras para qoadros, bonclas de
cera, brinquedos para criangas, candieiros a gax, chambea e globos, sapatos de traaet
e casemira preta, e urna enfenidade de miudezas que se vendem por precos rela-
midos,
N. 28 Ba do Bario da Victoria N. 8
"
\




i

fijan* dt Paraarabcet Tercja fera 1-4 de Mo de 1878
seiss
>TOH1
c> <'*<;
SftBTUIEWO
DE
E
Oficina de alfaiate dirigida
POR
MR. CHARLES LAURENT
NA
LOJA DO PAPAGAIO
A' ra da Imperatriz n. 40
DE
MENDES & CARVALHO
O que se procurar uesta loja se acha e por menos preco, que em qual-
qaer ootro estabelecimento, e para nao cansar-mos a paciencia do Ilus-
trado publico com longos annuncios-, s garantimos ter fazendas de novi-
dade, e de bom gosto, por presos moito commodos, qoem se quizer capa-
citar venham ou mandem buscar as amostras, e tambem as mandaremos
pelos nossos caixeiros.
Boa Vista esquina da ra 7 de Setembro
Antigo becco dos Ferreiros
AO
^^^^>^^^^>^>^'
LOJA DE JOIAS
ESMERALDA
RA DO DUQUE DE CAXIAS
(Outr'ora do Queimado)
Este estabelecimento acaba de receber um importante sortimento de diversas la-
sendas proprias para vestidos, sendo poupelinas de seda, sedas, leas, percales, ditas coa
barras proprias para babados, lindas cambraias crox, e em fim urna nnidade d'arti-
gos de moda, tudo proprio para a festa, o qoe todo vender por presos inteiramentt
razoaveis, em conseqoencia de estarmos prestes ao fim do armo, e o 65 nao quer te:
grande trabalho com o seu balanco, preferindo tomar dinbeiro a fazendas, convida-si
portante ao respeitvel publico a virem sortir-se na loja do 65 aonde comprarao por pre
(01 que n3o obterSo em outro qualquer estabelecimento; em fim ver para crer
RA DO DUOUE DE GAXIAS
(Outr'ora do Queimado)
Acaba de ebegar a este estabelecimento um importante sjrtimento de joias de
ouro, do melbor gusto e qoau'daJe que tem viodo neste genero, como cassolelas de
nix com ledras de diamantes e pinturas finas, adereces e roeios aderemos com pedras
finas, etc. etc. ; r.
Ra do Cabuga' d. 5. -
Koreira Duarte $ C.

Rival em segundo
Ba Duque de Caixias o. 91, loja de
mindezas de Jos de Azevedo Maia e Silva,
conheciio por Jos Bigodinbo, contina a
vender tudo. que tem por menos do que
em oulra qualquer loja, a saber:
Correntes pretas de borraxa
para seobora a 10500
Garrafas de agua Florida verda-
dera a I0300
Caixas com obreias de massa a 40
Frascos com macaca percla a 200
Paco tes com poz de arroz fa-
zenda fina 500
Pares de* botSes de osso
para punbo a 200
Saboneles de bolla muito fino
a 160 e 240
Cartas de a'cees de latao
fazenda boa a rs. 80
Carriteis de retr.z preto cru
2 oitavas a GOO
Capacho de palba muito boni-
ta a 600 rs. e 700
Fraseos coiu oleo Pbocome a
500 rs. e 10000
Pares de apatas de traoga
para menino a 14500'
Pessas de tiras bordadas a
530, 600, 800 rs. e 10000
Frascos com agaa de Colonha
muito boa a rs. t 500;
Gravatas pretas e de cores a rs 4(0
Pessas de lna$is modernas
de todas as cores e todo o
preco
Libra de areia preta muito
boa a 160
Novellos de linha coat 400
jardas a rs. 60
Livros da misso abreviada a 10500
i Silabarios portugoezes a rs. 400
Cartas com 100 contas im-
presas a 10500
Caixas com 30 novellos de li-
nha gaz branca a rs. 500
Gaitinhas para meninos a 40,
60 rs. e 80
Caixas coa 12 frascos de *
ebeiros a 10500
Caixas com 6 sabonetes moi-
:o finos a rs. 800
Feotes oara segurar cabello
de menina a 200 rs. e 320
Chapeos brancos para bapti-
zados a 20500 e 40000
Copinhos com superior banba
a 200 rs. e 320
Frascos com oleo para cabel-
lo fazenda fina a rs. 320
Frascos com oleo Baboza a
500 rs. e
Frascos e garranchas de agua
de Colonha a 10500
, Frascos com verdadeiro azeite
para machinas a rs. 500
Redes c.m contas para segu-
rar cabello a rs. 400
Latas com banha de Piver a
200 rs. e 320
Garrafas com agua Celeste
muito fina a 10500
(joke miudo
Vende-se na fabrica do gaz, em S. Jos
ama porcllo d Breeze, (ooke miedo), pro-
prio para forja de ferreiros e forno de cal,
lijlos e outros misteres, Preco de cada
sacco 250 rs.
Cillas de meia com pe'
VjDde-se caigas de mela eom p, de algodo e
de seda, metas de seda pira padres, capeles do
exercito, cooegos etc. No Baiar Vietoria, ra do
Bario da Vietoria n, 2. *
Vende-se
nm sitio com ptima casa, jardim e pomar, enea-
menlo (Tagua, e prximo a ama das estacoes
da via-ferrea do Caxang : a tratar no principio
da Ponte de ctoa n. 33.
1 ICli IW
Ra de Daqne ce Casias n. 50
Receben:
Lindas caixinhas com os necessarios para [mar-
car roupa, sendo abeedano e nameracio, frascos
com tinta preta e encarnada, pioceis etc. etc. o
que de certo novidade em tal genero.
.Noves coques grandes com bonitos desenbos
viudo entre elles algnns enfeitados com Titas e do-
res ; as3im como bonitos crespos.
Aderfcos encarnados de madreperola.
Cruzes pretas com enfeites donrados e entras
brancas de christal.
Casas de pedra e cal muito
baratas
Urna sechora vi uva tendo de mudar-se para f-
ra desia cidaie, vende urna casa terrea em terre-
no proprio, na ra Imperial, tendo daas sallas, 2
qaartos e quintal, por nm cont e qninhentos
mil ri?, cujo alagael de 13 a 16^000 mensal,
e 12 meias-sgua? tambem na ra Imperial, na
trrve-sa da Bandeira, igualmente em terreno pro-
prio, tendo cada urna deltas urna perta e janelia
na frente, a excepejh de urna que tem duas ja-
nellas, e tedas urna sala e dous quartos, dez daa
quaes tem terreno atraz, que abrindose nma
porta, pl ter o seu quiitai; vende-se a 500J,
sea aluguel mensal para 7OO e a de daas ja-
nellas para 8000 ; roas qnem quizer ama on
duas serio vendidas a razio de 600i<300 e a de
duas janellas por 700000 r?. Estas casas esto
edificadas na rna lmpeiial, bem perto donde ac-
tualmente parara os bonds. J quem liver poaco
dinbeiro, de-se chamar proprietario oa morar
em casa propria. Os pretendenles dinjam-se
raa das Triocheiras n. 48, a casa do Sr. solicitador
Burgos, o qual est autorisado a contratar, mes
mo a praso com garanta idnea.
Smaocome
Tnico especial contra a calvlce
Com um bello sortimento de perfumara que a
Aguia Branca acaba de receber veio tambem o
apreciadoSmaoconecojo proveitoso effeito
j bem conhecido por qaantos o tem asado e ser
ainda mais por aquelles qoe necessitam de sua
utilidad^. O continuado uso do Smaocome d o
bom resaltado de impedir a queda dos cabellos,
faze los reoascer e conservar o seu britbo natural
alean de qae seu cdor mais agradavel que d'oa-
tro qualquer tnico continua a ser vendido na! oja
:ia Aguia Branca.
Leite de rosas brancas
Excellente para acabar com as sardas, pannos e
espinbas no rosto.
Vende-se a -2 a o frasco, na loja da Aguia Branca
raa Dnque de Caxias n. 50.
Bonitas caixas com perfumaras
proprias para presentes
Vendem-se na loja d'Aguia Branca raa Duque
de Caxias n. 30.
Agua Florida".
Acaba de cnegar novamente a afamada agaa
flcrida de Gaislain para tingir de preto os ca-
bellos brancos. Como sabem os qae tena nsade
dessa apreciada agaa, o sea effeito nao instant-
neo porm seu resaltado segiroe eficaz. Che-
gou tambem a agua de Topasio para o mesmo fim,
e continuaron a ser vendidas a 7 c frasco na loja
d'Aguia Branca roa do Duque de Caxias n. 50.
\lokl uras dour&das para qua-
dros.
Na loja d'Aguia Branca a ra Duque de Caxias
n. 50 vende-se moldaras doaradas com differentes
Moldes e largaras, e por prego commodo.
Pennas de aqo bico de lanqa..
Caixas com 100 penas a 400 rs. na loja d'Aguia
Branca.
Bonitas capellas com veos para
noivas.
Vendem se na loja d'Aguia Branca a roa Duque
ae Caxias n. 50. Tatubem se vendem separada-
mente bonitos veos oa mantas bordadas para noi-
vas, e veos de cores para chapeos.
Escumilha preta fina e larga.
Vende-se na loja d'Aguia Branca raa Duqu
de Caxias o 50.
Botes
Cobertos de esguio proprios para carnizas, e por
sua duraeio preferiveis aos de madreperola.
Vende se na loja d'Aguia Branca.
Caixinhas com 3 sabonetes finos
a \i, 14200 e 1*300 a caixa.
. Vende se na loja d'Aguia Branca.
Talagarsa
Seda frouxa e torcal para bor-
dados.
Vende-se na loja d'Asuia Branca.
ARMAZEJI DOS LEES
Ba Dnque de Caxias n. 29.
$TS? 0s proprietarii>s deste bem montado esU-belecimeoto scientiflesm ao
respeitavel publico dttta provincia que se acharo com om variado e completo sorii-
oento de movis, tanto naciooats como estrangeires, sendo estes escolbidos por omdos
iosos que se acha aciiiiilmeiito na Europa. 0 mesmo tem contractado com os melhores
fabricantes (taque lie continente as remessas das mais ricas mobilias feitas all.
Na oficina tem os mais habis artistas deste genero, e por isso pedem que ve-
nham visitar o estabelecimento, aonde encontraro a resudarle do qoe acabam de expr*
ue se pode examinar; ricas e completas mobilias de Jacaranda, niogno, faia, carvalbo, a-
marello, etc, ricas e elegantes camas deja caranda, pao setim, amtirello, etc., etc., gnarda
vestido de amareiiu guarda louca de nogueira e de amarello com tampo de pedra, ?pa-
radores de dio dita, peti toilettes especialmente para fazer a barba, toilettes de jaca-
randa, amreo, pedra, secretana; da Jacaranda e agoocus ture iras ae mogno, san-
tuarios, thears pira bordar, bercos, lavatorios com espelho, de pedra mtrmore e seos
pertences, cadeiras privadas, bids; etc., etc., e muitos ontros artigos que deixamos de
mencionar por setc'i:ar enfadonho
ERNESTO & LEOPOLDO
N.2D Ra do Cabug N.2D
Acha-se montado de forma tal este estabelecimento de joias qae pode
vender ios seas numerosos fregaezes em grosso e a retalho e por preces
mui resumidos visto qae recebe de tonta propria por todos os vapores de
Europa. O gosto de desenho de suas joias o mais lindo do paix das
modas, curo de lei, brilhantes verdadeiros, esmeraldas, rubios, perolas,
tnrqaezas, saphiras, coral rosa etc. etc. Obras de prata do porto tanto
para igreja como para servico domestico. Convidamos as Exmas. familia*
i visitaren! o dito estabelecimento todos os dias at 9 horas da noit .
Compra.se ouro, prata e pedras preciosas em obras velhas.
GRANDE LIQUIDADO
DE
Fazendas c chapeos de sol de seda
NO
Bazar Nacional
Ra da Imperatriz n. 72
DG
LOURENQO PEREIRA M. GUIMARES.
Lfqnida-se
Grande sortimento de chapeas de sol de seda, alpaca e merino
A SABER :
Chapeos de sol de alpaca a 3#G00 e 4|0O0. Ditos de merino a 4|J500. Ditos de
seda a 50, 8(5000 e tO Vende se om grande sortimento de chapeos de castor para lemeos e meninoi, e
de todos os lmannos a 20300, 3,5000 30500 e 40O3. Ditos de pello a 20 24800
e 30000.
RA DA IMPERATRIZ N. 72.
ROUPA FEITA PRETA MADAPOLO A 3J0O0 A PECV
Vende se: Vende-se :
Calcas de casemira preta a 45000,- 60000 Pecas de madapolSo enfestado a 3 5000,
e 80OCO. 40000, 50000. 50500, C0OOO e 8 fl 00.
Palitots de panno preto a 50000, 70000 ALGODAO BARATO A 300 0.
e 100000. Vende se pecas de algodlo a 30, 43, 30
Golletes de casemira preta a 30, 30500 e 60000.
e 4(5000. CORTES DE BRIM DE COR A 10% ).
Palitots de alpaca preta 30, 30500 e Vende-se:
40000. Cortes de brim de cor para calca a 11500
30 e 40000.
tidos e roupas para meninos a 320 e 360 rs.
o covado.
LASINHAS A 160 RS. O COVADO
Vende-se:
LSasinhas para vestidos a 160, 200, 320
e 400 rs. o covado.
Alpacas de listras de cores para vestidos
a 500 e 640 rs. o covado.
Ditas em qaadros de seda fazenda nova
a 800 rs. o covado.
Cambra!* lisa a 34000.
Vende-se pecas de cambra ia lisa pra
vestidos a 30, 40 e 50000.
Ditas de cambraia Victoria a 30500,
40500 e 50000
BRAMANTE D3 LINHO A 20500
Vende-se bramante de linho muito largo
a 20500 o metro. E oatras mullas fazeedaf
qae se vende maito barato.
wica vio nm processo[mais perfeito e que at-
uja d tal forma a satisfazer as exigencias mais
Tsru da iseripturao.
4 raa cor iindissima e nao precisa de cnida-
o atfam para se conservar no tinteiro sempre
as a mesma cor, sem borra, cr&sta, bolr on sem
oda atas maiellas inherentes todas as tintas
<4 agora conbecidas, ainda mesmo dos melhores
ores estrangeiros.
Sobretodo, este estimave! producto nao ataca as
.juat de ac, antes pela contrario, a penna
vdcraiT* um esmalte donrado que, sendo interes-
>nu, asss proveitoso.
lita tinta, nao sendo especialmente para copiar,
eomtudo duas, tres, ou mais copias um ;mex
pois de escripia ; preciso, porm, deixar-ibe
spapsl bem molhado sem o enxagar com o mata-
wrro, porgue nao ba o risco de torrar. Para se
trar mais de urna copia, nao se aggloraeram tan-
as folhas quantas copias :e qaerem tirar, mas
t-M eom o original tirar ama tantas quantas
.a.iiwjam, sem qoe o original fiqut prejadicado
mIm extractes.
Occorre aqoi dizer que. para copiar importa
nita intelligencia e babiiidade, sem o que a me-
lar tinta nao satisfaz, e o deleito recae sempre
ofer* a tinta, que umitas veies quem menos
tipa um.
4 dupla qaalidade desU tinta extremamente
praeiavel, pois riptorio naja mais de 'p urna tinta para os di-
trM* misteres.
Iisquanto soa du: abilidads, no ha a opp5r
lattor iiviia Ma Boii di -
cripta soffre o choque le cidos fortissimos^ sem
se decompr; ora, se os ados no tem accao so-
bre ella, muite menos a aeco do tompo a poa
destruir; isto plausivfl.
Nao s ao commercio que este mea producto
veio ser til; os professores dos collegios, investi-
gando todos os meios para o adiantakento dos
seus discpulos, tem approveitado esta tinta, que
com razao a acbaram apta para desenvolver o
Sosto nos educandos, om eonsequencia da beleza
a cor e facuidade de correr na peqnena pela sua
liquidez. Ha exemplos da crisn^as qae havia
maito teropo tioham orna repugnancia extrema
para a escripia, logo que foi admittida esta tinta
no coliegio, apoderou-so dallas a curiosidade e o
gosto, e ponco tampo lepois o seu adiantament?
era mnnitesto.
Esta tinta, a par da lautas vantagons, tem um
nico inconveniente, dateriora-se ao contacto de
outra qualquer; csnvm pois ta-la em tinteiro
isentos do menor vislumbre de outra tinta, e evi-
tar escrever com a penna suja de urna preparaco
differente incompativel; verificando isto, nao hi
razio para se asar de linta que nao seja a VIO-
LETA EXTRA-FINA IiB MUNTEIRO.
Observado.
Diversa"!alsiflcac5as semelhancas tem appa
recido, coja durabilidade dnvidose. Os Srs.
compradores poiem evitar o ogao dirigindo-s*
casas circumspectas,- pedindo a tinta qu u
fabrico
1. C Monteiro,
r
Cofres de ferro de Miaers e ontroi
rrenpas para .copiar cartas
Balanzas de pesar, Decimies, Romanas, etc.
Tichas de ferro, e8Unhd0.
Arados Americanos
UTci(18S, para agricoltora.
Carrinhos de mao.
Machinas a Vapor
MaCinaS e descarocar algodSo, de 10 al 40 serras.
vapaS e lerrO giivanisadas para cobrir casas etc.,
Estes artigos vendem-se em
casa dos importadores.
Shaw, Hawkes & C,
' M. 4 RA DO BOU JKSS.
(outr'ora ra da Croz )


8
Diario dt Peinambuc* Terca feira 14 da Maio da 18*22
YARIEDADE
\r
INCENDIARIAS.-No dia 17 de abril fo-
ram jalgadas do 3." conseibo de guerra da
VersiiMes tres iacendi iras, que nos ltimos
das da commaoa deitram fogo, por meio
do petrleo, ios principies edificios de
Pars. Anni M mad, de 23 amos, venio
dora de jomies, f i ciadmiai mora
Floreo:e Van-leva!, se-vanl), de 28 annos,
e Hirtensa Aurore, ti co-eira, de il annos,
foram coudtmnadas a trabalaus pblicos
por toda a vida.
Estis tres raulhares combateraj as bar
ricadas, e Uvera a parta activa nos incndios
das Tulheras e da ra R>yale.
Hortense A-irore andava sempre armad i
com un chmepot e trazia dous rewolvers
no c:oto. Ni birricila di praga da Con-
cordia dirigi as pon'arias das pegas.
NOVO ADO.Ein umi pequea povoa-
co do estado Conn-dicot ( Amerba do
irte) di: um jornal hespanliol, contrabio
matrimonio no principio de 1871, um viovo,
que tiaba treza lias e oito lilhos, todos
robustos e respir-n io saude por todos os
poros. A sua sganla mulhar, timbara
viuva, hvou em dota quitorze filho e novo
tubas. Total qiarenta e quatro fructos
abengoados, qui p r til mitriraoaio 89 rea-
airara sob o inesmi tecle.
Outra panicuari.J.il) devemo3 registar,
e qus ) mesmo dii em que os pas si
aniram pelo iafissoluvel lago, sa ver Acarara
quiuze ma:rimoaios entre os filos de lio
fe*unlos contorc is cora) seas progenilo es
D antro de siguas anuo*, aos q-nrenu e
quatro filhoa biver qua acerase Dtar, c n-
tando s oito filbos pjf matrimraio, 353
netos
Eis aqn um sagrad) A la), destinado a
repovoar rapidimsute o novo muolo.
HDRRIVEL DRAMA.Refere ama folbi
de Liraa, que na povoijo de Huicho suc-
cedeu a'timameate am horrvel drama, em
que os ciumes represen anm o primeiro
papel, occasion indo duas victimas.
Um capillo do exerc:to, chimado N. Ber-
mejo, vj se ob:iga!o a residir em Lima,
para allende-" s obrigccos do seu empre
go, afastido assim dr familia, que morava
em Huacho. Par;ce quo amiva ternamei
te sua esposa, e que descangava na confian-
ga do seu proceder, ate eotao irreprehensi-
vej. Ma; desde pouco lempo a esta part,
prindpiou a ter cortas suspeitas, e decidi-
se a esclarece-las em silencio. Provavel-
mente consegaio fize-lo en termos que nao
davam logar au ida, qaando tomou um
bote no Callao e se fez condjzir a Haac'ao.
Durante a travessia occapava-se em es-
crever sam pronunciar urna palavra, ne.a
manifestar outro sigaal que nao fosse o de
impaciencia por cbesar ao termo de sua
viagem. Ml que saltou em trra, dirigi-
se a casa, e a primeira pessoa que encon-
irou foi sua sogra, cumprim3utanlc-a com
um tiro de rewolver q-ie a esleudeu no
caio; passou por cima della e entrou no
qurio onde eslava sui esposa; disparo.i
sobre ella, e puchando pelo punhal que li-
aba preparado, eaterrou-o duas vezes no
peito da victima.
Sabio d'alli e parconeu a povoaco em
procura do seu rival; cmsaJo de inuteis
diligencias, poz na test; o cano do rewolver,
que anda 'hhi ora tiro, e raaadoo osmio-
Ios pelos ares.
A sogra ca mj de medo, mas n5o tem
leso. alguma.
Eacontrou se as algibeiras de Permejo o
seo testamento, e urna relag5o do seu pro-
jecto de ogDCa, to fatal ainda, qu3 nao
t;ta!meule rea isado.
EXTRAOICA). J nesta jornal noticia,
moa o assassmato de madaine Riel, mi de
urna actriz francesa, na casa da residencia
da victima era Park Lrae, Piccadly (Lon-
dres) tenio sido o crime commettido pela
cozinbeira de origera belga, chamada Dix-
blaae, a qual aproveilou a oceasiio em que
madamo Riel eslava s em casi por ter ido
a Para sua iia.
Log qm a polica iogleza teve conb:ci-
mento do crima, tratou de obler noticias da
criminosa, e consegaio saber que Dixbanc
parl-ra para Frang, tomando o trem da
noute na estago da Victoria. Os agentes
da polica seguiram o raslo da fugitiva, e
oativeram a certeza que ella traba ido direc
lamente para Pars. O governo ioglez re
querea ao governo francez a extradfgao,
conforme o tratado ex atente entre as dua3
nac5)S. Os agentes de po icia de Londres,
auxiliados pela plida de Pars, dentro de
pouras das descobriram a criminosa em
ama cisa de pasti ordinaria na ra ae S
Diaiz, teado mudado de alojamento todos
os dias depois da sua cbagada. Dxblanc
nao se quiz dar pris-o, mas teve de ceder
forga. Na casa onde eslava faram
encontrados alguns objocios de valor per-
tencentes a assassinaia, e a'gum dinbeiro.
A importancia di ruu'oo parece que ola
excede 80 libras.
Dxblanc coafes-oa ter assassinado sua
ama, mas sem premeditago e em resulta-
do de urna allercag3o que tiveram. Disse;
que madaine He! andava sempre bucmdo
motivos para ralbar com ella ; que em con
secuencia disso na mraha do assassraato
se despeda, mis quera qie madarae Riel
Ibe pagasse um mez de ordenado, e como
ella no'quu e disse coisas desagradaveis,
deitou-lha as mos as goelas e afogou a ;
qua depois lbe atou urna corda ao pescogo
e troaxe-a de rastos para o andar de baixa.
Dxblanc muito robuUa, e mostra ama
indijerenga estpida. Era dada embria
guez, segundo nfjrmacrois de um salcbi-
cbeiro francez tfctabelecido' em Lonlres, ao
servigo da quem esleve antes d) ir para
casa de madarae Riel.
O governo francez nao p z d fficoldades
algumas na extra jifa; ; o procosso parece
estar quasi concluido, apenas se diz que o
ministro da Blgica pedio inf.rmagss, visto
tratarse de um subdito belga.
A criminosa est bem vigiada, na) s
por causa'da sua extraordinaria forga pby^-
sica, mas por que houve suspeitas de sui
cidio.
Em Lonlres apresentou-se em Scotlan-1-
Yard um homem chamado Levris, dizendo
se cmplice de Dixblaac. Reconbeceu-se
qae eslava louco, e foi remettido para o
hospital di S. Luke.
PRISO DE UM PER50NAGEM. O
principe AbJallah el-Gueunaori, sobrinbo
do imperador de Marrocos, que resida em
Pars, foi ltimamente preso, por suspeito
de CmpiragSo contra a seguranga do estado.
---------n------!--------------
Q principa AbJallab o berdeiro pre-
sumptivo do trono de Marrocos. Suppoe-se
qua elle est em inteligencias com a Pros-
sia, disposto a servir era Argel a poltica
de Bsmark. E' am homem de 40 annos
e de um exterior distincto ; osa a barba
toda crescda e casada com urna franceza
que pertenca s melbores familn da aris-
tocracia parisiense.
Foi educad em Fringa e abragou a re-
ligia-o c-.-tbolica na occasio d> casamento.
O pri cipo r..'Cabid) em Pars pela malhor
soeJaJe, e era amdis freqiaa ti lores ha-
bituaos da casa da prnwz) de Matt-rnick
Esta noticia di la por am jornal francez,
mis com corla seserva.
POR LyUHGESTVDE. O' Connir,
accusado da terapratado urna pillla des-
carrega la rainba de iog'alerra, como dis-
temos, confassoa-se culpado peraote o tri-
Duaal. O advogidodo reo declarou que o
s :u cliente era desassizado. Inquiridas lea-
temunhas sobre o estado maalal de O'Con-
or, o jary declarou que elia estava no uso
pleno dis suas faculdides intellectuaes,
unto quando se declarou culpado. O juiz
coademnou-o em um atina da pri-fn com
trabaio, e em 20 agoites com o chicote cha-
mado btrchrod.
CU\lOSIDADE.--L-se n'um jornal Alem3o
Era o mi cididada Allemanha ba urna
ra, que apesar da comprida tem 32 cafs
conceitos, tolos por.um prego muito m-
dico. Tj,m igualmente um theatro, no
qual, quaado ha espedidlo, o; cartazos o
annunciara por esta forma : TheiUo para
todos espectculo variado. Principia
quand) a casa estiver cheia e t-rmina
quando os espadadores estiverem enfastia-
dos. Os pregoss5o o qie cada um qui-
zer oa pu ler dar. O tbeairo funccona re
g'dirmente, tem sempre eachentes e oem-
prezario faz muito bom negocio.
QUE POBRESINII\:-Hi tres ou quatro
din refere um joraal bespaiaol, morreu na
ra da la Paloma, em Midrid, orna mu
Iber, que viva da ciridida publica, e a
quem soccorria ama vendedeira anbulane
de borlalgas. Ao eotrarem no tugurio era
que a mendicante habitava, encontraram la
a maior miseria po rencia. Mas, entre a palha da enxerga se
acharara quinze mil reales em moeda de
ouro (690|000 ris); e dentro de urna
arca cortes de vestidos de se la, vestidos da
mesina tela j fertos, leogos de manilha, pe-
gas inteiras de excellente bollanda, muitas
outras roapas, e um cofresiiho choio de
atraas, con) briocos, arrecidas, etc., pra-
tiuhos de prata e outras pegas valiosas. No
raesmo dia em que exfirou a rniseravel ve-
Iba, a pobre vendedeira a liaba soccorrido
com lez cuartos (quarenla e seis ris) e um
pouco de azeite.
O 1.NCEND.0 DA IGREJA DE S. TUO-
MAZ, EM MVDRID.Trazsm-nos as folbas
bespanholas a relag5>do horroroso incen-
dio, qua em breves instantes consumi oo
da 13 da abril todo o nWior da igreja de
5. Thomaz, em Midrid.
A's oito e meia, prox mmente, princi-
piou o f)go pela pirte superior do retabolo
do altar-mr. O capellao d'aquelle templo,
mal que deu pelo fogo, quiz suffocal-o jua-
tamente com os demais empregados ; mas
era balde foi, porque o fogo, com a rapidez
da faisca elctrica, propagou-se aos altares
contiguos, tomando taes proporgoas, que
poneos oslantes depasde se hiv? dec!
rado, era urna fogueira immenaa toda acu-
pula do elitkio.
Dado o sigaal do costama pelos sinos
da3 demais fregujzias, acudiram ao lugar
do sioistro varios operarios da cmara mu-
nicipal, que, com um arrojo sem rival e ex-
pondo em mil occasias as suas vidas, con-
seguirn!, juntamente ;om lodos os padres
d'aquella igrej, pora salvo as roupas, joias
e todos os objectos de valor que acharara
mai,
Poacos instantes depois, apresentou-se
sua magesada o rei Amadou vestido de ca-
pilo gral, acompaohado do chafe do eeu
quarto militar e aj-idaales de servigo, ap
pareceado depois algumas autoridades mi-
litares e civis.
Os operarios do municipio, sem medo
de neahuma especie, e desafiando o teri-
vel elemento, estavam constantemente nos
sitios de mais pango, grac.as.ao qua e ao
bom dispasto que esteve o servigo das bom-
bas, se deve sem duvida alguna que o fo-
go nao se'propagisse aos eiiQcioa con'dgoos
e fosse dominado prximamente s 2 horas
e meia.
Nao hrave desgragas di grande monta;
apenas Acarara, raais malteridos tros in livi-
duos. Dous d'estes homens recaberam
logo ordam do re, e do seu bolsinbo parti-
cular, 500 reales e outro 200.
Os demais ferdos e contusos foram em
numero de oito, com juanto nanhuma da>
feridas e coalusis fosse de gravidade.
Tambem o capellSo do referido templo
D. Goozalo recebeu urna ferida na cibega,
qualificada de leve pelos facultativos ao
querer apezar de um dos altares umi das
im3geas. D'esiai polenta livrar-se algu-
mas das chammas, licrado reiazidos a cin-
zas os retabulos dos Raraedios, da Concei-
gao, Ave-Maria e do Amar Formoso.
Gragas solicitado de todos os inquilliaos
livres do aterrador elemento, poda conse-
guirse que os objectos de varar, tanto da
igreja como dis cisas contiguas, o5o esti
vessem no meio da ra,
Un operario onontrou na sachristia urna
bolsa cheia de dioheiro e uos livros de gran-
de valor, salvando isto das cbammas com
grave riso de vida, e indlogo enlregal-a
ao capeliao-mr.
A oriem do fogo, segundo opiniSo de
pessoas interessada-, proceden do descui-
do dos operarios encarregados de trar a
armagao que ador'nou o templo nos dias de
novena, que ao terminarora o trabalho dei-
xaram alguma das vellas accesas na cornija
de madeira do aliar mor.
Qnanda o rei appareceu no lugar do si-
oistro, teve nma prolongada ovag3o, qao foi
repetida quando chagou ao conbecimento do
pnblico noticia das re:orapensas que sua
magostada conceda iraiieJiaiamenta aos
individuos qae j mencio jarnos.
COSTU.VIES ESCOSSEZS.^- Na festivi-
dade annual da sociedade escossza em
Londres, que teve lugar no dia 20 de mar-
go, os convivs all reunidos, os quaes na
maioria trajavam ocoslnma nacional, beba-
rana saude do duque de ttothsayum ti-
tulo escossez do principe da Ga!les=fjzan-
douso por essa o.cisio das honras esco>
sezas.t

Consistem estas honras em c>llocar-ie.
cada conviva era pe am cima do taaborete
em qae estove lentado, e depoii asientar
ara dos ps emcima da mesi onde b ban-
quete se d,
Ha sste formlas distinctas de brindar,
que em seguida mencionamos, e as qaaes
devem ser empregadas successivaraente.
Varaos escrevel as em escossez, ioglez e
a nosss traducgSo.
1.aLoase, luise. luase, -hurra, horra,
burra 1
Up witb it, op wiih it, ap withhurra,
hurra, borra 1
cima com elle, cima com elle, cima
com elle Ibarra, burra, barra t
2.aIioi8e, lioise, lioise IMiurra, hurra,
burra 1
Dow with it, down with it, down with it I
burra, burra, burra I
Abaixo com elle, aaaixo cora elle, abaixo
cora elle Iburra, burra, hurra
3.*Sbo dhwibo, sho dhwibti.sho dhvri-
bh horra, barra, borra /
Hore's to you, here's to you, here's to
yo aburra, barra, horra !
A' sua, a sua, a sua I borra, burra,
burra!
4.a S'ud a dbwibb, s'ud a dhw.bb,
s'u.l a dbwibbhurra, barra, borra I
Toere's to you, tbere's to you, tbere's lo
you I burra, burra, burra !
- A' sua, a sua, a sua borra, barra,
burra I
5.*A' nis, ais, nis hurra, barra,
burra I
Now tbeu, now tben, now then burra
hurra, barra I
Agora, agora, agora burra, barra,
burra I
6.*A' risle, riste, riste hurra,
burra, burra 1
Again, again, agiinburra, barra, burra!
Outra vez, outra vez, outra vezhorra,
hurra, burra 1
7.aSqaab as e, squab as e, sqaab as e
burra, hurra, hurra!
Quaff it off, quafif it off, quaff it off
burra, burra, hurra I
Despejem n'o todo, despejem-n'o lodo,
despejam-n'o todoburra, hurra, borra f
Depois d'esta ultima exclamagSo, e tendo
esgoudo o copo cada conviva, alira-o para
traz de si, por cima do bambro esquerdo.
Como da soppr os copos ficam redu-
zidos a pedaciabos.
Recommendaraos a adopco d'este brinda
aos nossos leitores, ao menos daro impal-
so a industria nacional, protegendo a fabri-
cr da manaba grande, a da roa das Gai-
vjtas, etc.
FALTA DE HABlTACES,=Sente-se ac-
tualraante em Bale (Suissa) urna grande fal-
ta de casas para habitar. Muias familias
leem sido constrangidas a ir estabelecer re-
sidencia as aldeias visinbas. A cansa des-
te accrescimo sbito de po.o?c3o, devido
emigrago de muias familias d'Alsacia, e
ao rpido desenvoivimento da industria do
seda. Cresce a actividade das edifkag5et>(
mas nao acompanba o extraordinario aug-
mento da povoaco. Como natural resul-
tado eleva-se o aluguer das casas.
HORROROSO ATTENTADO.O jornal a
G i runda refere um horroroso attenlado
commettido na communa de Barp, a 3) ki-
lmetros de Bordeas, ni meio dos laudes,
no camitico de Bordeus para Bayona. Cin-
co pessoas da mesma familia foram encoo-
iradas mortas nao se sabe por quem. A
casa solitaria pertsncia a um correio rural,
qae eslava aaseate no momento em qae c
crime foi perpetrado.
A familia compuatia-se de sogro, e sogra
do doao da casa, da sua mulher e quatro"]
filbos menores.
As tres pessoas adultas foram acbadas
mortas vioientamenta a distancia de 10 me-
tros da sia liabitago. Das creangas duas
appareceram assasinadas na cama, as outras
duas escaparam talvez por nao baverem si-
do percebidas. Nao se descobre a crasa
do crime a casa posto qua pobre linha sido
.aqueada.
Diz-se quo ali estivera ora bando da ci*
ganos.
SCENAS DO MAR. O vapor haspanhol
frica saira de Marselba para as Canarias,
com escala por Barcelona; acbon-se em
grande perigo, e ni imposibilidad) de ma-
nobrar,, por causado granda avaria ni rai-
raina e nO balice. Nena situago, flucta va
ao acaso, exposto a ser submergido, qaando
fei en:ontrado. no da 25 de mirgo, pelo
navio ioglez Charles Howard, a quem fez
sigaal de grande perigo
O capkio do navio ioglez pedio 2:000 li-
bras para ibe dar reboque para o porto mais
prximo; cimo o capitSo hespalhol nao an-
nuio o Charles Howard fez-se ao lorgo.
S)is horas mais tardo, appare?e umi bar-
ca hollandeza, qaa exige 1:200 libras paio
reboque; recusa oovamenteo haspanhol, e
a barca hollandeza segu o seu caminbo
Emlim, no dia 29 o vapor francei Oran
avistou s 4 b aras di inaabSa o kfrica, a
70 milhas a leste do Cabo Crenx. O capi-
io seguio para elle. A tripolagao e os
paisageiros estavam redazidos a ultima si
tuago, supportando os maiores perigos du-
rante sete dias. O vapor francez, sera pen-
sar em qoalquer reraaneragSo, dea logo o
necissario reboque, e cendazta o frica
para o porto de Rosas, onde o deixoa em
completa seguranga.
Hivia abordo destevapar35 passageiros.
Sera este opportuno soccorro, a parda des-
te navio e das uumerosas vidas qie en:er
rava, seria inevitavel..
A generoso e desinteressada acgo do ca-
pita o francez, mr. Gaisonnier, contrasta
honrosamente cora o abomina vel proced
ment dos capitaes das barcas iogleza e
hollandeza.
ESTATISriCA A estatistica rural da Ia-
glaterra mostra qae a Gr3-B elaaba, com.2o
milrioes de habitantes, Iem30:.s38,567 acres
de trra cultivad i. Destes, a cultura dos
cereaestom19:375,261 acres, e I2:i35,442
est5o tomados pelas pastagans permanen-
tes.
.O numero de cavallos de, 2,110,690 ;
gado bovino, 5,337,759 cabags: gado la-
ngero, 27:119,559 cabegas: porcos.....
2:492,602.
EHes nmeros mostrara nma diminuigSo
de 12:000 cavallos, 65*000 cibagas da ga-
do grosso, e 1:278,00d carneiro?.
A diminuigao do gado langero tem sido
constante desde 1868, e esta utna das
causis da caresta do carneiro n'aqaelle
paiz.
HOMENAGiM A DADE.-Nos arredo-
res de Leeds (Ioglatorra), vive ara vende*
dor ambulante de papel qae nasceu .em
1769, e cajo Albo mais novo coala 81 an-
nos de idade. A corporagio mnoicpal, po:
favor a ora auciao s pai de vate e tantos
Albos, concedeu-lba li;enga gratis para
exarcer a sua industria.
ASSASSINIO E ROUBO.Dasde outu-
tiro de 1871 a polica belga, ingleza e p.or-
te americana andanm em perseguig > de
um ousado crimino o, qua no dia 2 do re-
ferido mez assassinou em B:ux)!las um ia
lividuo chamado Eubois Sillico roubando-
Ibe era ltulo3 e aec:s o aljf ir ciucaen-
ta coatos de ris. AQail foi pres hi pou-
eos dias em Bruxellas; porra as peripecias
da parseguigo que se Iba fez assim como
03 promenores do crimen3o deixam de ser
diguos de pobli idade.
Ao amanhecer do da 3 de outubro ma-
aifestoa-se un incendio na casa era que
habitava DjbJs Bianco, qae estava situada
oas cercanas de Bruxellas e aondo vivia o
propietario cora djas criadas. En urna
carn encontrou-e Dubas boorivelmente
mutilado e queimalo em parte. Q irado
o'aegou a polica, aJverlio que o assassLo
->u assassinos hviiui penetra lo em ora
juarto prximo da alovj arromroando a
o rti. Du-aaie alun< das n"i) f u possi-
^el descobrir oenhun inlio dos calp-d's,
e os criados, dopois de um raaocioso nter
rog .torio fora n absolv lo.
Tambem foi interrogada, anda que sera
o melbor xito, urna rapaiiga com a qual
raatituha relacois o assassiia li>. As sua
coniMlages erara lio ambiguas e contra
ditorias, qua n5o idusiram pro-vis contra
ella.
J i d.sesperova a polica das suas aven-
guages, qiinlouo da 7 o 8 da faerci-
ro ultimo fji apresuntada a descont pelo
baoqaeiro Lesea oraa das a:r,5es roubadjs.
) Si. Leisen declarou que dita ac-.o Iba
fura enviada por agente de Londres chama-
do Cososfan. Imrnediatamjnte pafUo para
Londres o ebefe da polca da Braxillas e
all soaba que a remessa da acgi fora feita
pela C99a uacia Sbermaa & C>3ipanhia-
de Nova York, juntiraaata cra out-oi titu,
lis beigis, procedentes sem duvid do mes-
rao roubo.
Avisado disto, o s.obintend ai'.e de polica
de Nova York averignoj que a caiDunc3n
havia recebido as accoas da un tal Cirios
MyltS, jogador da pioiisso, o qaal declarou
os as receDOra do um alleino para saldar
dividas de Ogo. O allemSo promeltera val-
lar ; mas bao havia cutnprida a saa pala
vra.
Em vista disto jalgou-se perdida de novo
3 pista dos crmiiioiOi: porra, natt raru-
riga de conducta davilosa dec aroa a um
inspector de po.ici qod se havia admirado
da excesiva generosidada de um beiga mo-
rador na hospedara de Prascott rtase,
sonde se soube qua o belga generoso pir
lira para Piladelp:iia.
Por tira, nesta uliima c dale foi prezo o
allemao Carlos Yogt, era poder do qual se
encontrramos valores subtrahidia di casa
de Dubois. A polica dos E-tidoi-Uuilos
recusa-se a entregar o criminoso, fuad raio-
se em qua nao existe lei da exiradicgai,
coratudo conserva-o preso, conlinuindo as
suas pesqu-zas.
COiNSEQUENC'A DE UM DUtLLO.
Respoadeu em audiencia, de polica correc-
ci mil.-no dia 13 de ab il o prncipi Bi-
besko, accusado ce fnmento-voluntario.
Trauva-se do duello ent 8 o principe Bibas-
k) e Mr. de Bauffrem nt.
A causa do duello fura a publicago de
um impresso feita pelo principe de Biuffre-
mont, sobre a decs io em seg indi iostancia
da urna demanda que entre ambos corra.
No folheto enconirou o principa Bibe ko al-
iegagOas, que tomou como injuriosas para
si, e por lito mandil as suis leslerauohas
ao pr ncipe seu contendor.
O duello realisoa-se, sen lo a arma OiC>-
Ihida o Arete, e o prin.oa da Baallreraont
rocebeu um fermento.
O represeatints do aiaistero publico pe-
dio ao tribunal umi peaa severa, pjr issi
qua nao seria bastante urna simples molla,
pois que a provocaco a duello do principe
Bibesk) se poda considerar um protesto
contra urna decs3o judiciaria, attendedo-
se a que a senlenga proferida Contil elle
fra em data de 16, e a provucagio se ef
fectuiraem 17. Opraon ainla o dito mi
gistrado por que o tribunal dc-ixisse de ter
a complacencia habitual e antiga usada pa-
ra cora aquellos qua se batem em dnello,
figuran lo so qua o castigo qae impoem
meramente borarai^em pial nica a le.
O defaasor do principa Bibosko assegu-
rou que o facto da ter o seu coastituiate
mandado as testemunhas uo d a 17, Uvera
smplesmenta origara em que ello s oeste
di a vu-a e l a o pampbleto do Sr. de Bauf
fremont.- Damais, o principe e3creva
urna carta ao presdanla do tribouil que
sentenciara na causa, figaiQjando Iba qua
alia liaba palo trbaoal e suis decisas o
maior respailo. Eiporava que o tribunal
5o havia de querer quo fosse mandado para
urna prisSo umofiil suparior, olBcial da
Legi3o da Honra, qua gloriosamente tem
se vi o a Franga, a qaal ba dedicado um
afecti sem limita apezar de nao ser natural
da Franga.
Sara embargo dos esforgos oratorios do
patrono, foi o principa Bioeko. condemna-
do a 15 dias de prislo'.
O duvllo dos dous referido^ prncipes es-
tove a poeto produzir outro. O prncipe de
Biuffremont tnviara as suis testemujhai ao
ge eral D.uay, que fra urna das testemu-
nh.H do principa Bibcsko.
O gineral Diuay acaitava o eacontro,
apezir do sua avangada idade e de sua po
jigao no exordio.
Tratando, porm as testamunbas de urna
e culra parte da regular as condigas do
combite, averiguoa sa qua o general D juay
n3o pode, por motivo de urna heraia iajoi-
nal, d.fander-se ni esgrima doflirele : por
est) motivo os seas padrinhos propuzeraai
a pistola ouo sabr da of ial da cavallaria.
O general offereca at, se o principe de
BaifLeraont aceitasse a pistola, de nSo fa-
zer quastao da distancia, a un passo que
fosse e com urna s pistola carregada.
Por tira convierain as testemanbas d Sr.
de Bauffreraont n3o darem segumentb
penlencia.
GOLIATH MODERNO.Na tarde de 13
da abril abriram-so nos Compos Etyseos de
Paris os differentes'. cafs concertos que es
lio direila e esquorda da avenila. N'um
dallas annuncia-se a prxima apparigo do
Goliath contralto, am dos prodigios mais
cario ras qae tem apparecido oa Inglaterra.
E' ura bomam de seis ps e meio da al-
tura, |prdo que oem um uypopotomo, qaeliri pedir i agricallora os capitaes necessa-
tem ama deliciosa voz de contralto, e ora I ros Haas opera(5as.
talento de immtagJo em extremo supreheo-
-lente. Imita as vozes de todas as cantoras
qae lbe designara, e fechando a gente os
olbos, cuida ouvir successivaraente todas as
contraltos celebres
Este G jliatb hespanhol, e chama-se Jos
Parejo.
SINOS.--Sis o peso dos sinos mais no-
lavis di Europa .
L-bras.
O da cathedral di M ,s*w..... 160:000
O de Landres............... 84:0JO
O de Rato.................. 43:000
O do Toledo................ 30:0JO
O de Sevilba................ 20:0 /
OdeS Pedro em Roma...... 18:0JO
O de Oxford................ 17:000
'E LA'... Em differentes romn tes
hespanhoes encontramos estes nitaveis ras-
g is da estylo :
Oavi na c>sa inmediata urna voz de
mulher lio Ja.
As avesiahas, voavam, atnz dis bri-
sas.
t Ha dores to agadas qua traspassam a
seoiibilidade.
O cadver estiva paludo e immovel.
t Rua pos am i!em na sepalcaro do
seu amante.
c Viver arar: sem vid ni i ha amor.
t O ullimis
em silencio.
raras do sol afastaram-se
HY01VA. Oos Annaes do Club Militar
Naval irdnscrnveaios o seguiie:
No da 28 de dezembro ultino foi lan-
gado ao mar, do eslaleiro da Gavan, em
Glasgow, esta outro navio da marinba in
gleza. Foi coa.-truido por MM. Halder < C.
i d-islinado J3fesa.d03 porlos e costas,
para o qua -leman-la mu pouca agua. Tara
le cumprimen.o225 ps^e de 35 bocea pos,
mediado 2:107 toneladas O casco prote-
gido por uan couraga de 7 podegadas as
ooras raortis e de 6 poegadas as obras
vivas. Tara duis torres revestidas de cou-
rag de 10 podegadas, e cala urna monta
iuas pegas da 18 raneladas, langand-o pro-
jecteis do pa-o de *J0 libras, cora a carga
da 62 libras da plvora. O systema pro-
pulsor ba de ser de duas hlices movidas
por machinas da 20 cavallos norainaas.
EJPOSIClO DE LYON.A proxmi ex-
posigao universal qie vai celebrarse na
.mportante praga commercial de Lyon, ha
de .ser da gonle nteresse para a industria
vincola.
A sociedade de agricultores de Franga
prest o sau po-leroso apoio, e a sociedade
regional de viticultura de Lyon est espe-
cialmente encarregada de cuidar do todos
os pormoaeres de organisago. O interesse
e o saber qua os se as socios demonsiram
em tuda o que se relaciona cora o seu prin-
cipal objeclo, tara) com qua nada falle para
que essa exposiglo seja instructiva o fruc-
tuosa.
Alli figuraram nos os productos de
vida, os instrumentos de cultivo e vinitka-
gao, senao tambam cepas em caixotes, apo-
sentando todos os caracteres normaes de
vegatagSo com os seos sarmenio?, folbas e
ovas ; estas cepas, colbidas em todas as re-
gios vitcolas para sa reuoir urna ollacgao
completa de todas as vi o.has cultivadas, se
rao collocadas e dispostas, quando as uvas
estiverem maduras, u'um terreno reserva-
do, onde formara) um pequeo vnbedo
rodeado de cepas mortas queapreseotem os
differentes syslemas de pola da cada regiao.
Esta parta da exposigao ser muito iute-
ressaate para os viticultires, qua Ibes par-
mittir o estudar as diferentes classes de
vranas e apreciar at ceno ponto a sea grao
de farti idade; poderlo julgar palos produc-
tos expostos do ment dos vrahos que se
produjera em varios piizes e em variadas
condigas climatolgicas. As copas serlo 0
objcio dos estudos do urna commissao
c imposta de viticultores distinclos, qae I ira j
a sua classiQcago e dist-ncg3o, estabelecen
d> a sea idanlidade, caracteres e synoni-
raas.
O trabalho da commissao, consignado
a'uraa memoria, fir oascer a liz no meio
das ;re-as qua rodaiam ainda a viticultura,
e determinar as bases praticas que se bao
da observar para aform)g5o de boos e pro-
ductivos vrahados, assim orno o melho,
raido de locagao dos seas productos.
largo pasto pela reforma hypo
tbecaria. Mas, consepida, ba
"perao
ba tantos annos
gas qoe i soa
LITTERATRA.
Crdito re:il
NOSTA RES AGITUfl.
"I
(Cootiauago.)
Ser bam dirigido, quando olTrecer-se-
Ine a instruegao profissional, que ensina a
lirar das forgas qae possue mais avantaido
lucro, a accelerar, multiplicar e aparar a
producg5o sem maior dispendio.
Como complomenti aos auxil os que de-
vem reanimar o trabalho, arriscado a iroa-
nir-se, suggere-se o transporte fac, prom-
pto e barato dos productos e pessoas por
estradiS comawdis e seguras, por oavega-
co rpida.
A'ii esl a solugao do problerai.
Na applicagSo dos meios a que se dever
o beneficio desejado su.ge a maior dilli-
culdade.
Repello3 tem sido os leatameas para
consgui-1a, lo discreta, 13o acertada, taj
afliC3Z, qoanto ba mistar o bam piblico.
- Os resultados lera sido, porvantura, os
mais f.lhes, tem correspondido s aspira-
ges geraes ?
Infelizmente nao. A realidad-), como
todo o desabrimento dos fados, nos esl
dizaado que pouco sa ha fail', quo apenas
a minina parl d.-s nossos desejos se ach-
at o pre ente realhala.
Cuuip e qua nao de^acorogoe n:ai a ini-
ciativa naividual dos iutaressados, piinci-
pal e mais poderoso motor, nem a inge-
rencia protectora dos poderes pblicos,
anda, e por muito tempo, iadispensivel em
paiz econmicamente orgioisado como o
ooso.
Emqaanto pelos estimules i immigragl
trata-so de imporiar bragas laboriosos ; em
quanto pelos inatiactos competentes, am
pliados e reformados, com as conveniencias]
publicas ho mister, procura so divulgar o
ensino apropriado ; emqaaalo se construem
as obras destinadas a franquear o interior do
imperio s communicigoes do seu martimo,
convem desparlar a aitengto do paiz e do
governo para a fundagSo do crdito real.
J na legislagSo esli assentes as bases
em qua deve finaar-ae a insliluigao, a que
anda nto ja-tiQcoo
promalgagao despertara.
Eslavara alli para a agricollora seducto-
ras promessas. Auspciaram-lbe o alvore-
cer da aurora desse dia venlaroso, era qao
principiarla a revolcgo anhelada, revologao
benfica em sua acgto, em seus efleitos.
Ver-se-bia entao apparelhada dos meios,
a que deveria a redemp.a >. Descaptivada
dos obstculos que empecem a liberdade de
seus vs, seaffoaiiria a commetiimentos,
que boje parecem lbe ntopiai.
Era e a saa mais ridinte aspiragio.
Supposto julgoe-a em parle mallograda,
ag tarda, anda cheia da conlira.a, a sali.-
lac i de seas anhelos.
E' ama das esparangas qne suavisaa-!be
algumas de suas amarguras. NSo a desa-
urae a damora.
A vigilancia do go/erno iraparial farf
com que sua esperaoga convert se em
rea'.idade. Reraover com dextra poderosa
os obtralos, mais imaginarios que effac-
ivus, que al boje erapecerara a fundacio
-do crdito real. Simante le bular
querer.
ConliiUe, porn, a esperar a agricultura.
Ao iireseute, depois de reformado o estado
servil, essa providencia complementar ba de
vir alenia-la no meio da cerragio que aas-
gando-a da ta temerosas tormentas, se ba
de atina! tran-formar em salvadora booaaei.
II
A simples consileragao di natureza es-
pecial do trabalbo applicado entura da
ierra, do- eraprego do capital destinado
orodacgSo, das diliraldades qie tea de
superar, e dos obstculos que empecem o
seu deeenvolvimeoto, m.uifsti-se q3e as
instituiges coabeckliS e experimentadas do
paiz nio dapararara os propietarios pre-
di es auxilios convenientes e a proposita-
dos.
Os bancos de deposito e circuiago e os
de deposito simplementa acharase limita-
dos om circulo de oparaepo^s difluidas e rus-
tridas qua nao pode ser transposto era
perigo para a sua propria existencia.
Por forga da sua ndole, e traasgressia-
da suas regras constilativas traoslorna lbe o
mechanismo da organisago, e a punigo
faz-sa immedialamente sentir.
A uns e a otros ordiuariamenle pede o
trab .lira, destituido de ouiros recursos, os
instrumentos que ba mistar para alargar a
espbera de suas operagoes, qoer sejara
materias primas, quer sejam salarios, qoer
sejam os gneros destinados subsistencia
dos operarios.
Mas para s ras emprestimos ha orna lei
absoluta. O prazo para reembolso nunca
exceder da quatro mezes.
E* camella vital saa existencia. Sa o
dilatassem, correriam kominente perigo, em
presenga das circumstancias ordinarias,
qoaoto mais ao conspecto dessas convalsOes
denominadas crisea commerciaes.
Tendo da pagar uos as suas notas vista.
os outros os seus depsitos em curto peri-
llo, d'onda aufaririam recursos para satis-
ago de seus credores. se os effeitos de
sua carteira tivassem de veocer-se annos de-
p.ji.i da dala de soas transarij.-s ''
Em bancos do circulagao, regulannrate
orgmisados, adiar o pagamento da urna
nota ao portador importa a su>pensSo e
ancarota. Enbaacosde deposito nao pa-
gar na hora proscripta a quaatia confiada,
declrar-se fallido. Estabelemenlos, as-
sim constituidos, prestarn aos propietarios
prediaes os soccorros qae hio mister T
Quaado Ib os foraeg3o, gaardim as con-
digas communs aos outros matuanos. Co^-
viram, porvenlara, iada.tria ag:icoli T
A industria manufactareira e a commar-
cial, portuas rpidas evoluges, renovara
em pouco tampo o capital despendido em
seus procesaos e commeiiiraeotos, e babi-
lilam-se a pagar soas letras em b:e\ =
prazo.
Em suas mos o capital flucta e gyra.
reproduzindo se cada vez inteiro e aceres-
cenlado com os lacros que o mpensara o
juro do cinbeiro e rem..neram os cuidados
de administrago e idirecgae.
Mas a industria agrcola nio procede
com essa celeridade.
Tra'o.lba com a trra, com a alfaia rural,
cora as casas destinadas s iuas eperagdes,
com salaries e alimentos a trabalbadires.
Abi concentra se um capital m-ior oa me-
nor, cuja somma se nao reprodas no rea-
dimeoto anuuo, na safra, na coibeia.
Se a agrculiura se assemelbasse s ou-
tras industrias as evoluges, em qae gy-
ram, seria condemnada sem remissao. Como
diz Hoye-, autonsando-se com a opiniSo de
Adam Smitb 6 Sisuondi, a agricoltora intel-
ligente que deve melborar e progredir, se-
gundo os alvitres da economa poltica, a
agricultura, a que convem adianlar capitaes
em beneficio geral, esl por sua Dataren
impossibiltada de dosonerar-se de saa di-
vida, seodo-lbe smente permttdo pagar
um certo juro, com dividendo maior ou
menor que iodemnisa o capitalista.
Fixa o capital que smente ao cabo da
viole ou trinta annos restaurado para ac-
cumu'.ago da renda anuual. De outra ota-
neira nao Iba dado eraprehender e reali-
zar a produego.
Preso a e -la condiga o essoncil, pode o
propreiario receber do crdito commercial
a coadjuvagto precisa para desempenbar-se
de seus compromissos, para desenvolver e
accrescentar o exercicio de sua industria ?
Nao fallando j da tava d juro, de si ei-
cessiva, e ainda augmentada peta cooDmi-
saodo intermediario, o pagamento total ao
Qm de tres a quatro mezes para ella im-
possibilidade, em face dos rendimenios de
sua industria. T r, de procurar oclros
meios em novos emprestimos, qoe por one-
1 '
rosos, reduzi la ho miseria.
Nao pois, no crdito commercial, nos
baicos de descont oa cicalagto, qoe ba
de a ag'icoltura obter quanto ba mistar i
sua prosperidade, coma as mais industries
qne l vo solicitar capitaes.
Pode-se dizer com seguranga qne no da
em qaa soccorre-se a sse crdito di es
primeiros passos que conduzem-a pe^digo
ou bem porto da ruina.
Os proprietarios prediaes necessitam de
dioheiro sob condigas qae coacorram para
sua prosperidade, qae remedeiem suai
pre.ises sera coagilos a sacrificios, qoe
de'captivem-os do doloroso jago a qae vi-
vera sojeilos, quasi sem esperanga de leni-
tivo.
Continuar-st-ha.
YP-DO DIARIO RUA DODUQ0 D& UAXLU
,


i



Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EO43P7EWX_6U78DT INGEST_TIME 2013-09-16T21:34:51Z PACKAGE AA00011611_12658
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES