Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:12536


This item is only available as the following downloads:


Full Text
ANDO XLVil. NUMERC 2S5
mdi". A\ J!
fAHA 1 CAPITAL E iGARIS OIE IA0 SE ?ACA POHTL


Por traa mezas ?.liar;u Por sen dito* ulna .
Por um anno idom.....
Cada omero avolao. .
t
v

..
000
,1000
144000
no


sm*t
QUINTA FEIRA 14 DE DEZEMBRO OE 1871.


PA1A DimO E PORA DA rKOVIICIA.
Por tre meiei adianUdoa .............
Por aeii ditos idea....................
Por doto ditoa dem -
Por om anno idem ...?
imoo


DIARIO DE PEMAMBUCO.



Propriedade de Manoel Rgueira de Faria & Filhos

^
i
AO AD11T1I:
9 Sri. Gerardo Antonio Alves Filhos, no Par ; Gongalvea d Pinto, no Maranhlo ; Joaquim Joa de Oveira 4 Filho, no Cear ; Antonio de Lemoi Braga, no Aracatj ; Joao Maria Julio Chaves, no Ass ; Antonio Marques da Silva, no Natal Jos Jwtii
Pereira d'Almeida, em Mamangnape Felippe Estrella & C, na Parahyba ; Antonio Jos Gomes, na Villa da Penha; Belarmino dos Santos Blelo, em Santo Antio; Domingos Jos da Costa Braga,
em Nazareth; Antonio Ferreira de Agoiar, em Goyanna; Franciao Tavarts da Costa, em Alagse; Dr. Jos Martins Alves, na Babia ; e Leite, Serqoinbo C. no Rio de Janeiro.




PARTE OFFEIAL
Ministerio do Imperio.
Por decretos de -10 de novembro :
t-'oran nomeados iftloial da ordem da Rosa o
major Francisco Antonio Pimcnta Buaio, e caval-
leiro da iu orean o r. Jos Pinto de S.
Concedeu-se a peoso de GOO rs. diarios ao i
sargeoto reformado do exercito Msnoel Eurebio.
Poi nomeado o bacharel Arihur Cesar GoJma-
res para o logar de secretario da facnldade de
direilo d^ S. Paulo.
Foi nomeado comm:ndador da ordem da Roaa
o Dr. Manoel do Nascimento Machado Pjrtella.
Ministerio da jnstlei.
Em 29 de novembro communicou-se aojuiz
ue direito ervas'o Catapulto Pires Ferreira, tjua
foi recebido o seu oflQcio de 28 do crente, no
qual deelarou ter aceitado a comarca de Caxias,
ua provincia do Marsuho.
Era -i J cominuoicou-se ao ministerio da fa-
/ -.ida e ao pre-i lente do supremo tribunal de ja*-
liga que, por despacho de 23 do correte, fot mar-
rado o prazo de tres mezei para o bacharel Ger-
vasio Compeli Pires Ferreira entrar no exercicio
do cargo de juiz de dircito da comarca de Caxias,
na provincia do Miranho ; i so uodar-se em 27 de fevereiro do anoo prxi-
mo.
Deelarou-se ao juiz 'municipal da 2* vara da
corle, em resposta ao offlcio de 18 do correte,
no qoal consulta : 1, s, pelo an. 10 da disposi-
cSa provisoria acerca da administrago da justi-
i;a civil, ficou abolida a autiga pratica de conce-
dsr-se vi ta para a apr^senta^o de artigos sobre
erros de cusas ; 2 se podo ser admittido o depo
sito como meio de suspender a priso do exeeu-
udo por cusas; 3*, se, excedendo ellas, ou nao,
a algada do juiz cxecuior, dova osle tomar coobe-
cimento dos ditos artigos, ou envia-los pira o jal-
gamento da 1* instancia, se tu liverem sido co-
udas as cusas ; '*, como devera proceder as au-
loridads quaod i a parte interessada requer man-
dado de busca para cllsctuar-se a prisao do de-
positario que as disposicoss das respectivas leis
s na jurisprudencia dos trubonaes encontrar a
solacio dessas qaesi-.'*, oas qaaes nao tem que
mtervir o poder ezecutivo ; e assim deva o dito
juiz decid-las, dando s partes os recursos que
ao caso cooberem.
Ao presideote da provincia do Pianhy, em res-
posta ao -QJi-i > de I i de outubro ultimo, ao qual
earlieipoa que por portara de 16 de margo do
correte aaoo considerara uullos os juramentos
prestados pelos supplentes dos juizes municipaes
data provincia perante os juizes de direilo das
respectivas comarcas, era virtude de expressade-
termiuaco de seu antecessor, que de accordo
com a deciso constante do aviso de 11 deseiem
bro prximo lindo, devem ser havidas por subss-
tentes as nomeagdes feitss em 10 le selembro do
anno passado; convindo que nesse sentido expe-
ga gom urgencia as precisas ordens.
Por decretos dessa data :
Foi removido o juiz de direilo Fraocisco de
Araujo Lima da comarca de Iabamuoi, de 1' en-
trela, para a de S. Bernardo das Ilussas, de 2',
ambas na provincia do Cear.
Foi comeado o bacharel Gervasio Cicero de Al
buquerque Helio para juiz do direilo da comarca
ie lahamans, na mesma provincia.
Ministerio da guerra.
Por decretos de 30 de novembro :
Foi transferido do 13 batalbo de infantaria pa-
ra a 2* companhia do 5 da mesma arma o capi-
llo Aotooio Carlos da Silva Piragibe.
Foi reformado, na conformidade da imperial
reaolugo de 21 de novembro ultimo, tomada so
bre consulta do conselho supremo militar, cora o
respectivo sold por inteiro, o capitao do 2 bata-
tho de infaotaria, Sllverio Jos Nery, visto achar-
sa impossibilitalo para o servigo do exercito, em
consequencia de ferimeutos recebidos em campa
nha.
Foram considerados graduados nos postos de
" lenles e alteres das armas de artilbaria e
cavallaria, na conformidade das disposigoes do art.
:; da lei a. 1,813 de G de outubro de 1870, con-
ando antiguidade dessa gradoaco desde a data
la citada le, como o declara a ii,erial resoluto
de 8 de abril doorreute anoo, tomada sobre con
sulta da seccao de guerra e marinha do conselho
da estado, os 2o' lenles e alteros segrales :
Arma de artilbaria. 2o* lenles graduados os
alteres em commi3so :
Do regiment de artilharia a cavallo Fran-
cisco Marlins dos Santos Jnior.Commissionado
em 11 de fevereiro de 1870 por Sua Alteza o Sr.
conde d'Eu. Ordem do dia do commaado era che-
fe o. 44.
Do 3* batalhio de arhlhana a pe Jeronymo Ma-
rrano Carneiro de S. Uem era 21 de julho de
1861. dem o. 28 idem.
Arma de eavallaria.Alferes graduados os al-
fares em comraisso :
Do 3 ragimenio de eavallaria ligeira :
Cesario dos Anjos Garca. dem em 21 de fe-
vereiro de 1868 pelo general du jue de Caxias.
Ordem do dia a. 195 do commaado em chafe.
Jos Antooio Baptista. dem em 22 de julho
de 1869 por S. A. o Sr. conde d'Eo. Uem n. 28
idem.
Aotooio dos Santos Cimbra. dem em 21 de
julho de 1869. dem, dem.
Juvencio Pereira Gomes.Uem, idem, dem.
Fernaodo da Fon-era Azambuja. dem em 22
da julho de 1869. dem, idem.
Estevao de Soasa Franco. llera em 11 de fe-
vereiro de 1870. dem n. 41 idem.
los Rodrigues de Lima. dem em 6 de Janei-
ro de 1870. dem o. 42 idem.
Foi uomead) o couego honorario Fraocisco Ma-
noel das Chagas Xavier capello alferes da repar-
ticao eclesistica do exercito
Foram reformados, na conformidade das dispo-
sicoes do 3* do plano que baixou cora o decre-
to'de 11 de dezembro de 1865, cora o respectivo
sido por inteiro, vislo acharemse impossibilila-
dos para o servico do exercito, em consequencia
de ferimenlos recebidos em combate, as pracas
seguales:
f> batalno de lofanlaria.Soldado Antonio de
II llanda Vasconcellos.
11 balalho dito.Soldado Manoel Aotooio da
Triodade. .
12* batalbo dito.Soldado Cbrspim de Olivei-
ra Paoioja.
16* batalhio dito. Cabo de esquadra Jorge
Vi eir de Lima.
Foi commutada em gales perpetuas a peoa de
niorte qae foi imposta ao soldado do 20* batalhio
de infamara Manoel Luiz, por senteoca do coose-
Ib de guerra e eooiirmacao do conselho supremo
nilitar de jastiga de 6 de maio do corrate an-
oo.
Por portara de 29 do mez prximo fiado foi
exonerado do commaado da guarmeo e frooteira
do Jaguarao o brigadeiro Carlos Resia; e por ou-
tra portara de igual data foi nomeado para o
mesmo commaodo e coronel do corpo de enge-
nlwiros Christiano Pereira de Azevedo Couti-
nhe.
Ministerio da naarlnha.
Rio de Janeiro 1 de dezembro de 1871.Illm. e
Eim. Sr. De conformidade com ;o disposto no
decreto n. 4,720 de 21 de abril ultimo, S. A. a
Prioceza Imperial Urgente, em nome de S. M. o
Imperador, ha por bem promever a goardas-mar-
oha os aspirantes mencionados na relacao inclusa,
assigoada pelo conselbeiro director eral desta
secretaria de estaio ; do que previno a V. Exc.
para sua intelligencia e devida execucao, ni parte
que Ihe toca. Daos guarde a V. Exc Manoel
Antonio Duarte de Azevedo. Sr. conselbeiro di-
rector da escola de marioha.
Bernardo Goncalves da Co?" Alfredo Silverio
de Sousa, Justino de Sous j Rodri-
gues de Abreu. Augusto Te>. .s, Fran
cisco Jos Vieira, Manoel llod. Cajado, Jos
Hamos da Fonseca, Jeronymo Ferreira das Neves,
Francisco Antoaio de Maceth, Alberto Saladino
Figueira de Aguiar, Alfredo Jos de Abreu, Ar-
thur Indio do Brazil e Silva, Cyrillo Gongalves de
Negreiris, Gustavo Antonio Garoier. Joao Jos da
Silva e S um. Candido Francisco Garrido Bellas
Juoior, Candido dos Santos Lyra, Beato Cjrreia da
Cmara, Jos Lopes Pereira Baha Jnior, Ignacio
Jos Godioho.
GoTerno da povlncla.
i' secgo.Palacio da presidencia de Peroam-
buco, 12 de de dezembro da 1871. Era resposta
ao offlcio de V. S. da hoje datado, tenho a dizer-
Ihe que deve continuar na presidencia do jury,
por quanto segundo o aviso do ministerio da jusli
ga de i do correte, s se deve considerar desde
j em execucao a lei o. 2033, de 20 de setembro
ultimo, oa parte relativa as disposicoes peoaes do
h&beas corpus, das llano is, do processo civel oos
tnbuoaes de segunda instancia, e todo o mais
que, sem dependeocia do pessoal especial, nao en-
tender esseocialmenle com a nova organisacao ;
seado que ioconiestavelmente enteoie com o novo
pessoal anda oo nomead) e com a aova orgaoisa-
go o caso sobre que V. S. coosulta.Deus guar-
de a V. S.Joao loz de Oliveira Junqutira.Sr.
juiz de direilo da 2a vara, presideote do tribunal
do jury.Conforme.Lutz S&tatar Mcscoso da
y'eiga Pessoa.
Com ni and superior.
QUARTELDO COMMANDO SUPERIOR DA GUARDA
NACIONAL DO MUNICIPIO DO REC1FE, 13 DE
DEZEMBRO DE i871.
Ordem do da n. 48.
O Illm. Sr. corone' cororaaadaute superior man-
dar da sciencia a fon-a da guarda naciooal sob seu
commaodo, do seguiote:
1. Que por portara de 29 do maz prximo pas
sado, o Exm. Sr. conselheiro presdeme da pro-
vincia designou o 3 balalho da reserva para a
elle ser aggregado o Sr. alferes do 6' de iofaotana,
Arduas Liodoipho da Silva Mitra, que em iospee-
cao 4e sauJe foi julgado incapaz do servico active.
i.' Que por portara de 30 lambeta do mez pr-
ximo passado o mesmo Exm. Sr. desigaoa os Srs.
capites Jos Thoraaz Cavalcante Pessoa e Jesaiuo
da Costa Albuquerqne Mello para exercerero as
runcgSes de major, este no 8, e aquelle oo 4* ba-
lalho de infantaria ; e nomeou ao guarda Este-
vao Salvador de Oliveira para o posto de 2o teen-
te do 1 batalbo de artilharia.
3. Que por outras portaras de 10 do corrente,
foram nomeados:
Para o 2* esquadro de eavallaria
l1 companhia.
Teneote o alferes Felippe Domingo- de Soaza
Leo.
2* eompanbia.
Capitao o teoeate Febastio Manoel do Reg
Barros.
Para o 6' batalbo de infantaria.
3'companhia.
Alferes o guarda Jos Dativo dos Passos Bastos.
4 Que anda por portaras de 6 e 7 foram
igualmente nomeados :
Para o 1 batalhio de infantaria.
EHado-m Tenente quartel-raestre o alferes aggregado Mar-
colino de Souza Travasso:.
Para o 2a batalhio de reserva.
2* companhia.
Capitao o tenente aggrepalo Ernesto Jos Fe-
lippe de Santiago.
5." Que por outras ponarias tambera de 6 e 7
foi mandado dispensar do servir;?, emquaoto exer-
cer as fuaccoes de escrivo da subdelegada da
freguezia de Saoto Antonio o Sr. alferes do 3o ba-
talbo Faustino Jos da Fonceca ; e aggregar ao
3 do serviQ) da reserva ao Sr. capitao do i" ba-
talbo desse servico da capital de Sergipe, Ma-
rianno Alves de Araujo,
Finalmente manda dar conbecimento a mesma
forga sob seu commando que oo dia 1 do correa-
te falleceu oesta cidade o Sr. major reformado
Joaquim de Albuquerque Mello, que por muitos
annos exerceu o lagar de Qaartel-ra?stre geral
do commando superior.
Rodolpho Joao Barata de Almeida,
Coronel ebefe interino do estado-maior.
EXTERIOR.
novembro
que representa, decidi vlr em pessoa a Montevi-
deo para obter completa satisfago s suas recia-
mages, ou para romper suas relagdes diplomti-
cas com o gorveno oriental.
Effeclvameote raaoifestou ao goveroo qae
abaadoaava a capital da repblica vizioha, e que
installavasua legago em Montevideo.
Sobre as mesmas causas qae deixamos indi-
cadas mais cima asisti pessoalraeate o ministro
iaglez era suas confereacias.
< Dasde a chegada de Mr. Mac-Donald surgi
completa desharmooia entre esle diplmala e o
presideote da repblica, al o ponto de fazer este
esperar o ministro inglez varias horas na aote-
sala em certo da, na casa do goveroo, emquaoto
discuta com seus empregados, segundo as iofor-
magoes que temos obtido, se tiuba direilo Mr.
Mac onald, em sea simples carcter de eaearre-
gado de negocios, a ser recebido em audiencia pe-
lo presideote, ou nicamente pelo ministro de re-
lagoes exteriores.
c Se comprehende que, quaado mesmo oeste
ponto livesse rato a chancellarla orieotal, oo caso
em que as relagdes entre uro goveroo e um repre-
sentante estrangeiro chegam a este rigorismo de
etiqueta diplomtica, na* pode ser mu daradoura
a boa intelligencia entre as 4uas partes.
< Na diplomacia europea estas regras de eti-
queta Costituem u.n cdigo cora mura para todas
as uages, e ao apreseotar ara ministro ama oota
\ ara goveroo, ja sabe de aotemo c prazo em qae
deve ooter resposta, e al o tom em que deve ser
concebida.
A chancellara da Repblica Orieotal esta
mu longe de ater-se a essas proscripgoes con-
rauas a todas as chancellara!, e se os ministros
estraogeiros pretendessem observar o rigorismo
desta etiqueta diplomtica, se veriam obrigados a
romper cada dia suas relagdes com o paiz em que
se acham acreditados.
t Ao pretender, pois, o ministerio de relagoes
exteriores entrar na observagao estricta das cita-
das regras de etiqueta dava um passo corapleta-
meole falso, desde o momelo em que os minis-
tros estraogeiros se vera obrigados a tolerar
chancellara da repblica detalbes qae, aos paizes
europeos, conduzem os povos aos campos de ba-
talha.
O resultado de taes desavengas na forma, de-
pois de causas legitimas no fundo, alo podia ser
ouiro em definitiva qae o qae era de esperar.
t O eocarregado de negocios da Gra-Brelanha
apreseotoa ao goveroo da repblica ura extenso
memorndum de muitas paguas, em que resuma
todas as suas reelamagdes, e em que expunba os
motivos dos aggravos que julgava Inferidos a sea
pavilbo, manifestando que sob sua responsabili-
dad* pessoal cortava as relagdes da Inglaterra com
a Repblica Oriental, ausentanJo-se oo paiz.
Se a Inglaterra ndo quiur ter dignidade co-
mo nacao, eu quero ttr dignidade como howum, 4
pbrase qae se diz ter sido prouuuciada por Mr.
Mac-Donald.
i Se nos assegura que, aleen do citado memo-
rndum, o representante inglez dirigi tambero
ao presidente urna carta concebida em termos
rauito mais fortes do que a darissima oota de Mr.
Munro, publicada ha algans mezes.
< Agora bem ; approvar, o goveroo ioglez a
cooducta de seu representante, oa aerificar a
pessoa de Mr. Mac-Donald afira de nao chegar at
a um rompiment* de hosiilidades ?
E' verdade que os paizes como a Repblica
Oriental lera a {orea de sua debiltdade.
c IV verdade lambem que ante os canhoes de
urna s fragata ingleza a Repblica Oriental nao
pode olTrecer resistencia.
E' verdade que, com os paizes debis, mais
difcil terminar as questdes que principia-las. >
Montevideo, S3 de
de 1NII.
Sao poucas, mas de ioteresse, as noticias da se-
mana que acaba de percorrer depois da sahida do
paquete inglez Douro, e por esta razo dirijo ago-
ra esta correspondencia pelo Europe, da linha do
Pacifico.
Os leitores brasileiros vo reconhecer que nao
s a diplomacia do imperio que uaufraga nesta
dbil repblica, como se cosluma apregoar em nos-
so paiz, e que tambem nao sao nicamente os nos-
sos compatriotas as victimas das torpezas que nel
la se commettem impunemente.
Trata-se nada menos do que de um coDflisto
com o represntame de Inglaterra, e da negativa
de justiga a reslamagdes perfeitamente fundadas,
que tm sido sempre desatteodidas.
Eis como a Resista Mercantil, que procara sem-
pre informar-se com criterio dos factos, descreve
o acontecimento que deu lugar ruptura de re-
lagoes entre o ministro ioglez e o goveroo orien-
tal :
a As causas que vieram preparando o terreno
para chegar-se ao actual estado de coasas foram
as seguales :
t 1." As continuas depredagoes de que eram ob-
lecto as estancias dos subditos inglezes, nao s pe-
lo exercito da revolugao, contra o qual nao bavia
lugar a reelamagdes, como tambem pelo proprio
exercito do goveroo.
t 2.* A ientiio do mesmo goveroo em castigar
a autores de crimes commetlidos em subditos in-
glezes.
t 3. As respostas evasivas qde o representante
ioglez obtioba em todas as suas reelamagdes, e
ate a ponto, muitas vezes, de resposta a estas
mesmas reelamagdes.
c Nossos leitores devem recordar as durissimas
palavras do cnsul ioglez Mr. Mauro, em ama oo-
ta dirigida ao ministro de relagdes exteriores, oio
ha muitos mezes, cajo contedo foi completamen-
te approvado pelo goveroo ioglez.
f Eram, pois, j mui tirantes as relagdes entre
o governo oriental e os representantes de Ingla-
terra, Mr. Mae Dooald, eocarregado dos negocios,
Mr. Manro, consol em Montevideo.
t Exasperado o animo de Mr. Mac Donald, que
at agora havia residido em Buenos-Ayres, e ex-
citado tambem por muitos dos subditos da nacao
ruaDezoito de Junho, mas para ver o embaodei
ramento e os fogos de artificio que estiveram ex-
celentes, do qae para manifestar opioio contra o
papa.
A noticia da emprestmo produzio ama verda
deira revelugo oa Bolsa, baixaodo o ouro de 10
a 5 por cento premio sobre o papel, era qae fi-
cou.
Uos perderam e ootros gaoharam com a tal oo-
ticia, que traz todo alvorogado.
INTERIOR.
Querem saber oossos leitores como chegou o
mioistro de Italia a ura ajuste do assumpto de suas
reelamagdes ?
i Participou ao governo que se acbava disposto
a entrar em vias da accordo, porm, que se Ihe
nao assignalassem um prazo para fazer elTectivo o
importe de sua reelamago, se apoderara da al-
faodega, para o que contava com torgas suffie en-
tes, e se encarregaria da arreoadago da renda,
tornando sob sua respoosabilidade, para evitar
complicagdes, o servigo das dividas eslrangeiras.
< Na i pode o governo inglez adoptar ama me-
dida seraelhante, no caso de approvar o proced-
ment de seu representante 3
Em oulro art go diz anda o mesmo peridi-
co o seguiote, a respeito desta inleressanio ques-
to :
t Eis alguns detalhes sobre as tres horas de
ante-sala que o ministerio de relagdes exteriores
oorigou a fazer na casa do governs ao encarrega-
do de negocios da Gra Bretanha.
Esle diplmala havia polido por es:ripto que
se Ihe marcasse dia e hora para ser recebido em
audiencia pelo ministro. Por escripto se Ihe indi-
cou uraa hora determinada, qual se apresentou
no Forte.
O official maior do ministerio Ihe raaoifestou
que o ministro eslava despachando com o pre
sidente ; respondeu o ministro ioglez que o espe-
rara. Voitou a dizer o official-maior que tar-
dara mais de urna hora cm sahir o ministro, e
lornou a responder o mioistro ioglez que, oo leo-
do que oceuparse seno do assumpto que all o
levara, esperara, anda que fossem duas horas.
Em resumo, o representante inglez teve tres
horas de espera, na ante-sala, depois de se Ihe
haver marcado por escripto ama hora fixa para
ser recebido em audiencia I
c Alm das causas enumerada', eutra concor-
reu tamhem para esle desagradavel successe. O
governo inglez, ou subditos inglezes, emprestaran!
ao governo da defeza de Montevideo, no lempo da
guerra grande, como denominara aqu o sitio dos
dez annos feto por Oribe, cerca de 50,000 libras
esterlinas, cojo pagameoto tem sido reclamado em
vo at boje.
t Com os juros correspondentes em tantos an-
nos decorridos, esta somma deve estar bastante
crescida, e como o governo sempre acha quem Ihe
empreste dinheiro para gastos improductivos, bem
fcil tambem Ihe seria levntalo para solver com-
promissos de honra como aquelle. De 1865 para
c, principalmente, em que na administracao do
paiz tem figurado o partido colorado, a quem
aquellt emprestirao foi de ntilidade, para susten
tar-se no poder em momentos bem difhjis, ne-
obuma desculpa pode haver admssivel para ex-
plicar a demora de pagameoto. E, pois, o minis-
tro inglez, cansador de tanto mangago, de lao
saecessivas faltas de attengao, empregou o nico
meio pratieo de obter esta e outras reparagdes.
Chegaado inesperadamente a noticia da reali-
lisago do emprestmo na Europa, o aue am ver-
dadero jubileo paraos horneas da situago,cons-
ta qae o goveroo, na previsao deste faci, havia
dado ordem para delle dedazir-se'a importancia
precisa para satisfazer aquelle debito, com o que
espera acalmar am poaco as iras do goveroo io-
glez, deixaodo o mioistro britaooco aqai com cara
d'asno.
Alada qae toda a sabedoria da administrago
oriental, e de sua diplomada consista na sagaci
dade com qae maaejam a intriga, comtudo de
crer qae desta vez saia se mal o governo da mea-
da em que se involveu.i
Os italianos fizeraa suas festas nos das 19 e SO
com nanita ordem, e ellas estiveram bonitas.
O bispo limitou-se a chamar os leis aos templos,
nos quaes permaneceu exposto o Santtssimo Sa-
cramento.
Muita concurrencia, nao obstante, hoave na
RIO OS llMItO
2 DE DEZEMBRO DE 1871.
Terminaram bontemos exames oa escola de ma-
rioha, sendo approvado plenamente, cora o grao
3, era apparelho o alumno externo do 1* anno Joa-
quim Ramos e Silva.
Em consequencia dos exames fritos, passaram
para o 4* anno 21 aspirantes ; para o 3* 11 aspi-
rantes e 4 paisanos; e para o 2o 16 aspirantes e
1 paisana ; foram reprovados 2 aspirantes em
pbysica, 2 cadaira do 2* anoo.e ara paisano oa 1*
cadeira tambera da 2* anoo, e inhabilitado em exa-
me de generalidades para prestar o de pooto das
materias da 4a cadeira do 3* aaoo, ura alumno poi
sano do i; que havia obtido autorisage do corpo
legislativo para prestar aquelle exarae.
Deixaram de prestar exames, por dientes, al
guns aspirantes e paisanos do 1* e do 2 anoo, os
qaaes dererao ser examnalos em fsvereiro pr-
ximo. '

Eis o resallad i dos exames feitos honlem na fa-
culdade de medicina :
1' anno medico.Cosario Alves de Magalbes,
approvado com dis'.incgao ; Pedro Jos da Silv,
Rieardo Augusto Soares Baptista, Gregorio da
Caoba Vascoueello*, Ernesto da Rocha Miran
da, approvados plenamente. Hoave um repro-
vado.
3* auno medico.Joaquim Jos Marques, appro-
vado com distincgo ; Samuel Dutton Braodo de
Souza Barros, Manoel de Mello Braga Juoior, Frao-
cisco de Paula Barroso aues, approvados plena-
mente.
5* anneFrancisco Ferraz de Macedo, Antonio
Silverio Gomas do? Reis, Estevao Ribeiro de Rezen-
de, Aotooio Jos de Castro Juoior, approvados ple-
namente.
6* ano*.Jlo Jos dos Santos Ferreira, los
Aotooio Murtioho, Emilio Machado Pereira, Dur-
val Pereira de Mesquita, approvados plenamente ;
Manoel Alves da Silva e S, Jos Ricardo Pires de
Almeida, approvados simplesmeate.
Os Srs^rederico Strack & C, em homenagem
i lei de 28 de setembro, registraran) hootem, no
cartorio do Sr. Fialho, as cartas de liberdade, coa
cedidas sera onus alam, ao seus esjravos Ma-
noel, africano, crioulo, de 30 annos, sabendo ler
e eserever, e Javenal, crioulo, de 33 auuos, preto
cozoheiro.
E' sempre com a maior satisfagao quo registra-
mos fictos como este.
Viraos honlem tres formlas espigas de trigo,
colbdas em urna xtensa plantigo, que, ssgundo
nos informam, fez em sua fazeoda, em S. Luiz,
provincia de S. Paulo, o Sr. alferes Joao Pareira
de Souza Arouca
Desejaoos que seja bem succedida a tentativa
do Sr. Arouca, e que encontr elle imitadores, por
que na verdade para lamentar que, possuindo o
Brasil to grande variedade de climas, anda im-
portemos nao s trigo, como tambem feijo, nilho,
arroz, etc.
A galera Calatea, sahida no dia 23 de outubro
do ClyJe para o Rio Grande do Sul, carregou em
Glasgow ura pequeo vapor do rodas, c avahado em 2,255, um bote em 20, ura tra-
te a vapir em 460, ura macbinisrno era 2350
e uraa machina em c 110.
3
Pelo transporte Izabti recebemos hontem as> fo-
Ihas de Baeuos-Ayres e Montevideo de 23 e 26 do
passado, am dia aira das que tinhamos.
.Nada referem da importancia.
As de Montevideo continuara a variar o antigo
thema da urna batalha immmenle entre blancos e
coloradoo), dizendo qae aquellestinham si Je avista-
dos perlo da Florida, para onde por conseguate
sabir o general Suarez ltimamente nomeado
commandante militar da capital e departamento de
Canelones.
_ 4
Pelo vapor inglez Uipparchus, entrado hontem
do Rio da l'rata, recebemos folhas de 27 e 28 do
passado.
O goven) argentino pareca diaposto a exercer
mais alguma vigilancia sobre as expedigoas arma-
das que partlam do seu litoral para engrossar as
fileiras dos blancos em campaoha no Estado Ori-
ental. Assim ooticia a Prensa que aeabavara de
ser presos 13 iodividuos alistados com este fim, c
promptos a embarcar u'um navio fondeado no
Riachuelo, perto de Bueno3-Ayres.
Por outro lado, porm, entendeu aquelle gover-
no dever oppor-se a que de Montevideo continuas-
sem a depo-tar criminosos para o territorio da
repblica Argentina, e prohibi terminantemente
aos capites de vapores e navios que transportas-
sera para all individuos nestas condigdes, sob pe-
ua de haverem de reconduzi los ao porta de onde
03 tivessera irazido.
Torna a^pparecer o nome de Lpez Jordn co-
mo iovasor de Entre-Rios. A Actualidade do Salto
diz ter sabido, por noticias da Uruguayana, que o
famoso caudilho deixara Sant'Anna no intuito de
invadir aquella provincia. Nesta, comtudo, ainda
nada se havia mexido, e trabalhava-se activamen-
te em ligar as suas principaes povoagdes pelo fio
elctrico, j assentado do Paran a Paz e daqui ao
Passo da Patria.
A provincia de Corrientes tambem cava em so-
ceg.
Dava-se agora como averiguado que o terremoto
qae destruio Orau fra urna como que repercus-
ivo o qae em priocipio de outubro se baviam
sentido no Per, onde arrasaran) quasi completa-
mete as povoagdes de Tica, Malilla, Sibatya,
Chiapa, Umagaa, Limacina, Pachica, Para, Zara-
pato e Camina.
Do fletado Oriental sao, como quasi sempre, ex-
traordinarias as noticias do movimeuto das torgas
em campanha. Ums davam Appricio ao sul do
Rio Negro, outras em marcha para Tamarembi
ao norte, emqaanto outras coutiuuavam a apre;
goar imminente urna batalha, talvez j pelejada a
ora em que fallavam as folhas de Montevideo.
Entretanto havlam aqaartellado as tropas na ca-
pital, anoauciando-se qae as partidas blaacas ha-
viam sido vistas as proximidades de Sania Luna,
o general Soarez pedia reforgo para marchar 90-
bre aquelle lugar, e o governo, dizia-se, la tornar
a chamar a servigo o batalhio Union, moment-
neamente licenciado.
Gomo boato refere-se que D. Jos Candido Bus-
lmante, tornara a ser couvidado para tomar a
pa;ta da marinha. e guerra.
O assssino, que 4 Jos Pereira da Silva Jonior,
metiendo se num nlbury, foi perseguido e preso
en frente ao musen, sendo tambera preso ocochei-
ro do referido tilbury, de nome Guilberme Antonio
Guimares.
O cadver da victima foi remettido para o depo-
sito, onde se procedeu a exame na presenga do Sr.
Io delegado.
3
Do Parahybano extrahimos as segulotes no-
ticias :
Oeommeudador Aotooio MoreiraCaslilhooffe-
recra cmara municipal toda a telha que fdr
precisa para a casa de caridad que se construe
naquella villa. Para as mesmas obras offertara
o comm-nlador Carlos Pereira Nuoes 500*000
a Tiuham sido inauguradas oo dia 26 do passado
as bieas do eocanameoio de agua, feito pela estra-
da de ferro D. Pedro II na eslagu da villa.
t No dia 23 do passado fallecer o fazendeiro
Antonio Ribeiro de Avellar.i
O resaltado dos exames de hootem na faculdade
de uoedecioa foi o seguiote :"
1* anoo medico.Fraocisco Rodrigues deCamar-
go, Joao de Freitas Rodrigues Braga, e Jos Belli-
sario de Lemos Cordeiro, approvados pleoaiueote ;
Fredenco Augusto dos Santos Xavier e Eduardo
da Silva e Oliveira, approvados.
H mve um reprovado.
3." auno medicoJoo Baptista Ferreira Ferro,
Joaquim Silverio Barbosa da Silva, Carlos Pereira
da Silva Guimares, Fraocisco Autoaio Ribeiro,
approvados.
5* anoo.- Loureogo Ferreira da Silva Leal, Joa-
quim Ooofre Pereira da Silva, Joo Gomes dos Reii,
Jos da Cruz Loureiro Samoaio, Aotooio da Cruz
Loureiro Sarapaio e Miguel de Oliveira e Silva, ap-
provados plenamente.
6. auoo.-Juveoato de Oliveira Horta, approva-
do cora disliocgio ; Fraocisco Alves Cabra!, Anto-
oino Emiliano de Souza Castro e Custodio Americo
dos Santos, approvados plenamente ; Manoel das
Cbagas Aodrade e Jos Virissirao dos Santo ap-
provados simplesmente.
O resulta lo dos exames de astronoma pratica
da escola central foi o segrate: Approvados plena-
mente com o grao 9, Francisco Aotooio Carneiro
da Cunha, Manoel Peixoto Cusiao de Amarante,
Carlos Eduardo Sauloier de Pierrekve, Autonio
Jos Ribeiro da Cruz Raogel, Napoleo Augusto
Muoiz Freir, Aristides Arminio Guaran, Felicia-
no Antonio Benjamn, Pedro Betin Paes Leme e
Augusto Co bo da Silva ; com o grao 8, Cesario
de Almeida Nobre de Gusmao. Alcino Josa Chavan-
tes, J. Ricardo Moreira de Barros e Theonhilo Be-
nedicto de Vaseoneeilos; com o grao 7, rraocisco
Jos de Mello Souza Juoior, Carlos Maximiaoo Pi -
menta de Leet, Manoel Meodonga Guimares, Jo-
s Theodoro de Souza Lobo, Armenio de Figneire-
do. Marcos Thomaz da Costa e S, Alberto Belmon-
te de Aguiar, Antonio Gomes Sodr, Jeronyrxo Por-
tado de Mandinga, Fernando Palmeiro Pereira da
Cuaba, Francisco Carlos da Costa Real, Galdioo
Alves Monteiro e Francisco Severiano Braga Tor-
res ; eeom o grao 6, Tooias Rabillo Leite Jnior,
Emigdio Cavaicanli de Mello, Juliano Jos de Amo-
rira Gomes, Carlos Augusto Camino de Aiarabuja
e Joo Ramos de Queiroz.
Julien Marie Paris, francez, de 34 annos de ida-
de, casado e morador ra Se'.e de Setembro, ira
balbava como latoeiro em ara qaarto que alugra
na estalagem da ra dos Arcos a. 40.
Aate-boatem ooule encerrou-se elle ao refer
do quarto, encheu de carvo dous tachos de cobre
chegoo-lhe fogo e deitou-se.
Quaado a autoridade, que acudi logo que teye
noticia do faci, peuetrou oo quarto, o infeliz Julien
ja expirara asphixiado, e fra to forte a acgo dos
carvdes abrazados, que o cadver apresentava sig-
naes de queimadura.
Procedeu-se ao exame, e das indagagoss feilas
resuita que foi levado a pr fim sua vida, ator-
mentado por apuros pecuniarios.
Deixou viuva e dous filhos.
6
Dosta procedencia recebemos hontem pelo
paquete inglez Galata, da linha do Pacifico, folbas
de 28 do pasa ido, em Buenos-Ayres, e 29, Monte-
video.
O senado provincial de Buenos-Ayres approvou
uraa le de emprestirao do Banco da provincia ao
governo nacional pela s;rama de 40 railbdes em
papel moeda.
Noticia a Nacin que era Santiago do Chile era
esperada urna commisso diplomtica da Columbia
encarregada de ajuslar um tratado de coaamarcio
extensivo a todas as nagdes da America do Sul, e
pelo qual os productos se permuten) entre todas
livres de direitos de importago. Accrescenta que
esta idea, reputada imminentemente americana e
liberal, obtivera j do governo do Per a mais r-
deme cooperago.
A ameagada invasao de Entre Rios por Lpez
Jordn era considerada pelo Liberal, peridico do
Paran, urna larga para adiar aconvengo ; ou-
tras folhas iosittam lem que podia haver perigo
seno.
O vapor Coruwo, pertencente ,i companhia de
Navegago de Matto Grosso, e de cujo sinistro de-
mos conta ha tempes, fra posto oatra vez a nado
cora os auxilios prestados pela nos-a diviso naval
surta na Assumpgo, e descera ao Cerrito para
fazer alguDs coocertos qae Ihe permittissom voltar
a Monte vi Jo.
Sobre a guerra no Estado Oriental havia arada
a mesma ioteireza. A verso geral agora era que
Apparicio passara realmento ao sul do Rio Negro,
procurando fazer junga com Muoiz.
Antonio Luiz Fernandes da Cunha; directores,
conselbeiro Antonio Henriques de Miranda Reg,
Dr. Matheus da Cunha, cora aaendadores Francisco
Antonio de Almeida e Jos Julio Dreys; directores
adjuntos, Dr. Jos Augusto Nascentes Pinto, major
Carlos Frederico de Almeida, Dr. Jos Thomaz de
Lima, Dr. Antonio Jos Moreira Guimares, Dr.
Joo Jos Vieira, comraendador Justino de Figuei-
redo Novaes, Dr. Joo Ribeiro de Almeida, conse-
Iheiro D. Francisco Balhazar da Silveira, D'. Lopu
Draiz Cordeiro, Dr. Aotooio Luiz da Caoba Manso
Sayo, Dr. Jos Carlos de Alambary Luz e Antonio
Jos Marques de S.
Foram eleitos para a commisso de comas os
Srs: brigadeiro Cal ira> Justiniaoo da Silva P-
mentel. chele de diviso Femando Lzaro de Lima
e Dr. Ernesto Eugenio da Graga Bastos.
A assembla geral deliberou unnimemente
mandar collocar na sala das sessdes, ao lado do
retrato do fundador do Monte-Pio, o tinado conse-
Iheiro Aureliano de Souza e Oliveira Coutinbo, o
retrato a oleo, em corpo inteiro, do actual presi-
dente o Sr. conselheiro de estado visconde do Rio-
Branco, como justa homenagem de gratido e re-
conbecimento aos assigoalalos beneficios por elle
prestados ao estabelecimeoto durante sua longa
administrago.
Escrevem-nos de Valenga :
Joo Manoel Rodrigues de Avellar deixou de-
terminado em seu testamento qne se dsse lber-
dad a seu eseravo menor Antonio, pardo : o tes-
tamento fica archivado n> cartorio do Sr. Jo?
Francisco de Araujo e Silva.
Aote-hootem s 8 oras da nonte, poaco mais
oa menos, um grupo de capoeiras fazia correras
pelo campo da acclamagao, resaltando ser assassi-
oado, janlo aoiheatra Lyrica, Nicolao Alberto Loan-
de, com uro* ponbalada do, lado do cor&cao.
O resaltado dos exames de hontem na Facul-
dade de Medicina foi o seguiote :
1. anno medico.Alberto Gongalve3 de Soaza
Portugal, Lzaro Gongalves Coirado Couto, Fran-
cisco de Salles Cardos, Edtardo Rodrigues Alves
e Augusto de Soaza Brando Jnior, approvados
plenamente ; Manoel Pedro Alves de Barros ap-
provado simplesmente.
3* anno medico.Marcos Manso Monteiro da
Costa Rei, approvado com distinego ; Aotooio
Furtado Campos Juoior, Antonio Romnaldo M in-
teiro Manso, e Joaquim Jos da Rosa, approvados
plenamente.
6.* anoo.Fraocisco Nogoera Cardoso, Galdioo
Aotooio do Valle, Polycarpo Rodrigues Viotli, ap-
provados plenamente ; Aotonioo Polycarpo de Mei-
relles Eaouc, Carlos Augusto de Oliveira e Silva,
Mariaono Luiz da Silva, approvados simplesmente.
C'inica (6 anno).Carlos Arthar Moacorvo d
Figaeiredo, approvado com distinego ; Joaquim
Estau.slo da Silva Gusano, Laiz Fortunato da
Costa, Jos Pereira Landira Jnior, Joaquim Alfre-
do de Siqueira, approvados plenamente.
Os alumnos do 3 anno medico qae fizeram exa-
me hootem Joo Baptista Ferreira Ferro, Joaquim
Silverio Barbosa da Silva, Carlos Pereira da Silva
Guimares e Francisco Antonio Ribeiro, foram ap-
provados plenamente.
Aote-hontem celebrou-se sessio da assembla
geral para a posse da oova directora e eleiglo da
commisso qae deve examinar as eontas do bien-
alo de 1669 a 1871 do Monte Pie Geral, adund-
se reunidos, sob a presidencia do Sr. conselheiro
da estado visconde do Rio-Branco, 65 contribua-
les desta assooiagao.
C npde-se a nova directora dos segaintes se-
nhores: .
Presidente, conselheiro de estado visconde ao
Rio Brauco; vioe-presidente veador Dr. Jos Ma
Em honra ao anniversario natalicio de S. M. o
Imperador, o Sr. Dr. Jos Antonio Vaz de Car**--
Ihaes, actualmente em Petrop lis, cooferio a 2. do
correte carta de liberdade sua escrava Caetana
e dous lbos desta, Simplicio de 10 annos e Luiz
de 6 annos de idade.
7
Pelo paquete francez Sindh, da linha de Br-
deos, recebemos folhas do Rio da Prata al 1 do
corrente.
Da repblica Argntica nenhum fado de im
portancia temos para referir. As folhas oceupa
vam-se com o resaltado provavel das prxima-*
eleigdos as differentes provincias.
Progrediarn activamente os trabalhos da lint.
telegraphica transandina para o Pacifico. A estar-
mos pelo que dizem as folbas do Chile, a linha se
inaugura em fevereiro prximo, devendo ficar cor
cluida ainda em dezembro a parte mais difflcil. a
da cordilhsira, que subterrnea e construida
com todas as cautelas para a nao deixar exposta
a accidentes.
Pelo que tuca guerra civil no Estado Oriea'a
dizia se qae os gene-raes de um e outro lado pr -
euravam reunir os seas differentes corpos ds tro-
pa para cahir sobre os contrarios, irapedindo ao
mesmo lempo qae estes fiessem igual operaco.
ltimamente corra que Apparicio e Mundz *ii-
oham feito junegio, mas era por bso pare:ia
mnito provavel urna batalha, vista dos preceden-
tes desta ioterminavel guerra.
Apezar de ludo, muitos dos orgos da impreo:a
entendiam que sraente a sorte das armas decid
ra a Inta, e nao mostravam grande confianga nos
negociagdes de paz promovidas em Buenos-Ayres
pelo agente confidencial do goveroo oriental, D.
Andr Lamas. Entretanto conseguir este que o
governo argentino offerecesse a sua intervenga.!
amistosa sobre bases que diziam aceitas pela junta
dos emigrados blancos em Buenos-Ayres.
Convocado urna reunio para o "seu pala.-io o
presidente Battle leu estas bases, previamente
transmittidas em offljio de D. Andr Lamas, e qus
sao as seguiotes:
c 1.a O mesmo facto das oegociagdes eulalola-
das nao implica o reconhecim;nto dos insurgentes
como belligerantes.
f 2.a A autoridade do presidente da repblica
ser reconhecIJa e respeitada por todos.
t 3." O presidente da repblica organisar os
departamentos, con Jando a sua administrago a
pessoas de ideas moderadas e capazes, pelos seus
reconhecidos precedentes, de offerecer garantas e
inspirar confianga a todos os cidados.
t i.* Proceder-se-ba ao desarmamenlo de todas
as forgas do um e outro lado, excepto as autori-
sadas pelo orgamento ordinario para velarem so-
bre a traaquilidade publica.
t 3.a Eleigdes livres e exercicio dos direilos c-
vis e politicos para todos os cidados sem distine-
go de partido, nem excepro alguma. >
No da 2 erara esperados era Montevideo erais-
sarios do governo argentino e delegados da juma
dos blanco* para discutrem estas bases. Sargia,
porm, a queslo de saber se, mesmo aceitas poi
acuella junta, eliasoseriam igualmente pelos cha-
fes em armas do partido blanco, que anda ha pou-
co haviara exigido muito mais do que isto.
Quereriara elles pelos menos garantas be!
exeengo do coovenio; se o governo argentino a
garantisse, perguntar-se-hia por que mcios pedera
faze-lo.
Por tud) isto a Tribuid!, entre outras folhas, cao
va solugo possivel seno no rigoroso impulso das
armas e para imprimir-lb'o cooiava eom os meio*
que o emprestmo de 3,300.000 ultimamos;.
cootrahido em Londres punha disposigao d > go
veroo. Este eoaprestimo levantado para retirar
da circulago as notas dos bancos de Montevid^v
garantidas pelo governo, na imporlaacia de
1,404:902, pagas certas dividas e reclamagdas in-
dicadas, e construego de entreposios da aif inda-
ga projectados ha annos, deixava anda ai..' .
margem.
Entres aquellas dividas indicadas conta se urna-
de 30,000 ao goveroo inglez, e cuja instante re-
clamagao se diz agora ter sido o motivo de receu-
te rompimento entre o eocarregado dos Mgocios-
de Inglaterra e o gabinete de Montevideo.
Noticias do Paraguay referem que correraui
all iranquillamaoie as novas eleigdes para o con
gresso, e que a 23 de fevereiro se celebrou c ji
grandes festas o primeiro anniversario do jura-
mento da constitugo.
Cartas particulares dizem que o presidente, Ri -
varla declarara qae mais depressa se cortara a.
mo do que assigoaria am tratado cedendo upa
palmo de territorio do Cha:o. E', comtudo, noti-
cia para por-se de quarentena.
Segundo a Nacin da Buenos-Ayres a Bokvia i-
mandar tambem seus plenipotenciarios Assump
gao para tratar do territorio por ella redamado
juntamente com as nagdes alliadas, s quaes ja te-
ria para esle fim dirigido notas diplomticas.
Pelo mesmo Sindh recebemos foMias da cidade.
de Rio-Grande do Sul at 29 do passado, levada;,
a Montevideo pelo paquete nacional Caldern. Es-
te navio, qae entrara no porto do Rio-Grande n.>
da 21, bavendo encallado na volt a do La garuar.
vira-se obligado a detcarregar o carvo e toda a
carga qae condazia para o Rio da Prata; e abada,
assim so conseguir safar-se, a favor da endiente
no da 28. seguindo a 29 para Montevideo.
as folhas recebidas encontramos noticias da
capital de S. Pedro at 23.
O presidente da provincia solicitara o auxilio d
goveroo Imperial afira de ser definitivamente exe-
catada a le proviocial qae autorisa a contratar a
iotrodaego de 40 000 emigrantes.
Tendo de ser retirado e 7* batalhio de i afama-
ra que fazia a guarnicao do Rio, e do qual j ha-
via embarcido ama ala no Cali;ron, devendo a
outra seguir pelo CamSes, mandara a presidencia
chado Coelho de Castro; retario, commendador l aqaartelar o 2* batalhio de guardas aacionaes. Bj
r
i


. ;-
tai11 *l T jfl 3f|
------------------------
iu-lB
111
J
muiR
.-.'
iari d Ftrnambace* *- Quinta feira 14 dt Dezembro d 13?
ji mu
f
r
'





ta medida havia' silo receblrla rjesfavoravelraentel
pela populacio e por alguns orgao, da imprensa,!
que pareciara attribui la a motivos elsttcraes.
Regreaaa#a>-a capital, no dia 14, o baro de S.
Borja, eBdgdante das armas da provincia.
fio da mamlgararam-sn, oa cidade de S. Leo-
pollo,os MMMbs da estrada de (erro entre Ham-
burg Barf tipital.
Haviam enejado, com intervallo de das, 43 tres
dragas a vapor qae devera ser empregadas na
abertura da barra de Patotas.
Cintra a geral espeetaiiva nhtm sido, per ora,
limita las as entradas de gado para as charqueadas
4a provincia.
Continnava etn larga escala o contrabando na
fronteira. Eram avahadas m 1,000:000* as fa-
tenda existentes na fivrr*.
A Reforma de Jaguarao dava a segainte no-
ticia :
< Pelo promotor poblic* toram dadas ao Sr.
uiz municipal deste termo duas denuncias contra
o coronel Atrogildo iPereira da Costa, ama pele
rime de contrabando, e oulra pelo de resisten-
cia.
i Ei?, por emquasto, o qae dea de si o conflicto
jue leve lugar no Passo doCenturio.
Poliuua da roeeana localidado noticiando ura com
bate entre duas peqaeoas fardas dos partidos em
lula no Batato Oriental accrescentavam o se
gainte:
Ntsoooitro perderara os colorados o cap
lo Posse, o mais valen te da sua forca, e liaou fo
rido na cabera e n'am braco o tenente-coronel
esta cidade, eraig ado, aonle foi medcalo pelo Dr
S8rafim Abren, traiendo em sua campanilla mais
4 sol lados forillos.
Esta aeontecimento deu-se no dia 23 do cor
rente de manba. Na tarde des-e dia os blancos
prepararam-se para o Manto da povoaca*, e o
comegaram as Ave-Maras.
f I' .mn, os colorados, ja sem chefes, abanJo
naram s 10 horas da ooute o posto, eera lancha,*.
qoe Ihes eiviou a ine'-a de rendan geraes desia
cidade, emigraram para esta cidade desembarcan
do no porto em frente repartir-", vinl) cada
homem com sna espingarda. Vera urna ; nato
ridade ..lli .-e achou para recabar essta emigr.l s,
daram cora roas armas.
DeSam'Anna do Livramririto, esTevirm em data
de 13 ao Jornal do Commtrcio de Pelotas :
Ant -hontem, qu-brou UJia (>erna o estimado
principe I). Felippe Mara de. Bourbon. Na oeoa
sio de montar em niti c.avallo, brandeoa o sellin,
devido a e lar a silba nal aperlada, do que resol-
toa comeQar o animal a corcovear, adrando ao
chao, depois de aljtuu- instante?, o illustre caval
leiro.
t E'te fatal acontecimento coostfrnnu toda i
populacao que sabe apreciar e admirar as distrae
las qualiJades da nobre principe.
Felizmente, saa alteza aeba-se livre de peri-
go. Est em tratamento em casa do Sr. Jo- Supi,
respeitavel nego:ioie de.-t.i praca, e os prrn-o i-
cuidado? medicas furani-lhe dispensados pelo Sr.
Dr. Jos Firpo.
Mais un barban atlentado ha a registrar
nos annaes do crime. Anda desta vez o* verdu-
gos sao <.s bandidas e assassinos que infestara a?
campias orieutaes, ea vietima um infeliz e hon
rado brasileiro.
Na nouie da i do correte, em casa de Joo
Luii, homem de 50 anos, residente em Cunha-pi
r, n'um pequeo rancho do I ido oiisnul, dous
individuos de nacionalidade david sa, porm eom
certeza pertencentes as repu'dicas di l'rata, se
apresentaram. e depois de trocaren) algunas pala
vras, candu'ram o pibre velho a urna sanga pr-
xima e ah o mataran a g >lpe de balas.
E-la sanguinolenta .cena foi obrigada a pre
senciar a compauheira de J .o Luiz, qae tinba nos
bracos duas innocentes criancinlias, filbas d
assassinad. Os barbaros nao se compadecern
das lagrimas daquella inalher e dessas rafeltzes
criaoca?.
t Depois de consnmma lo este mandilo crime,
os infames malvados conduziram a mulber ao re-
ferido rancho e cornpelliram-a a entregar tud
quanto de valor havia, que nao era mais que uns
arreios praleadi s e ins goilican!es economas.
Deu-se ontro crime ha pouco terapo no mes
mo lugar. A victima foi anda um b'asileiro de
nome Jeramias, de 30 annos de idade. Deste facto
faltam-me anda os pormenores.
Em Pelotas, Marcos Jo-'quim Fnn;ico, ex-pra
t loexercit assassioara, com duas facada?, 9aa
ui'her Maria da Conceicao, com quera havia ape
na* o mezes que se casara, e que delta se tioba
apartido por motivos dasconhecidos. Preso algn
das depois, fallecer o criminoso na priso ; snp
p8e-se que inanido, por nao se haver alimentado
dorante o tompo em (|ua e9tivcra escondido.
.Na Louba, lugar p meo Untante da ultima cila-
do. Wra gravemente ferdo com um estoque Joa
qaim Finnino Rodrigues, morador naquel e sitio,
por Narciso Flix da vsta, capataz da charju-'a-
da de Jo; Antonio M 'reir, depois de urna acri
m ni isa altercacao entro ambos. O ag^ressor con-
seg ira evadir-?.'.
Na mesma cidade de Pella, D. Thereza Ber-
narda dos Santos libutara, na pa bapti^mil, urna
cria, nucida a lii le sfiembro do correle anuo.
A Bag caegara o D--. Buteocourt, tenlo conclu
,ia os patudos cecessanos para o estabelecimento
da li lia lelegraphica entre aquella cidade e a de
Pelotas, com estacas em Piratiriy e Cangussi'i. Os
h>hitantes das Cacimbinhas iira'pedir ao giverno
di provincia para estaoeleeer ama estaca.! nessa
lojalidade, contribuiodo elH nssse sentido com o
que eslivesse as suas forca?.
V ano.Joaquim Pereira do Santos, Antonio
Francisco dos Santos Bastos, Lula Saveriano Ri-
belro, Manoel Victorino da 'iota arros, Jorge
Xavier da Silva e Antonio MdnJes Limoeiro, ap-
provados siroplesmente
Clnica (6* auno).J >ao Bantisla de Castro An-
drado. Caetaoo Joaquim da Suva Aranio, Jis
Francisco Manso Sayao. Jj~j Martina de Urvalho
Monro, Jos Vieira Faienda, approvados ptenar
mente.
O resultado dos xamea da i* cadeira do 3*
i ano (chimica'j da Escola Central foi o segrale *
loprovados plenamente com o grao 9, Carlos Luir
Maules Jnior e Manoel de Saidanba da (iama ;
cera o grao 8, iieit Albuquerque e \ntonio Jos de Mello Souza; com
o grao 7, Candido Gonc da Castro Abreu Magalhata ; eom o grao ti, Fabio
llostilio de Moraes Reg, Godofredo Jos Pana-
do, Luiz Sobral Pinto Cavalanw de Albuquer-
qoe, Francisco Jos de Freitas, Aarao Leal de
Carvalho Res e Francisco Bicudo Varella Lessa.
Approvados simplesmente cem o grao 5, Eduar-
do Adolpho de Lima Barros, Francisco Thenwio
Porto Netto e Guilherme Candido Xavier de Grita;
com o grao i, Zeferlno Antonio de Mira e Eduardo
Macedo de Azarabuja, e com o grao 2, Evaristo
Adolpho Joselh.
llouve cinco reprovados e deixaram de fazer
exame seis alumnos.
O resultado dos erames de desenbo do mesrao
anno foi o segninie : approvados plenamente com
o grao 9, Lndgero Brnesto Lassance Canha ; cura
o grao 8, Godofredo Jo.- Furtado e Albeito Ma-
ceao de Azambuja ; com u grao 7, Eduardo Ma-
cedo e Azambuja, Jeronymo de Castro Abreu
Magalhaes e Callos Luii de Sales Jnior; com o
gr) 6, Pahio Hostilio de Mor es hVgo, Jo Maria
Mendes Goocalves, Antonio Jos de Mello Souza,
Francisco Jos de Preitss, HettorSoural Pinto Ca-
val ante de Albuquer^ue, Candido Gancalyes Gj-
mide, Guilnerrae Candido Xavier de Brito, Candido
R beiro de Souza Mendonca, Jos de CnaUo Al-
meids, Joaquim Jas da Silva Nogueira, Raymundo
do Mranla Osorio, Pedro Peixoto de Araujo,
'duardo Adolpho de Lima Barros, Aarai Leal de
Carvalho Rei?, Lu Alfonso Braga, Manoel de Sal-
danha da Gama, Julio Tilo Teixeira Mendee
Francisco Theresio Poito Neto.
Approvados simplesmente com o grao i. J' o
Goncalves de Araujo e Francisco Biculo Varella
Lessa ; com o grao 3, Luiz Sobral Pinto Cavalcai
de Albaquprque, Joo Sabino Damaseeno e JC-fe--
rino Antonio de Mira ; com o grao i, Jo.; Carica
Luiz Bitteocoart e Alvaro Pamplona ftlbar da
Fanscca ; c com o grao 1, Evaristo Adolpho Jo-
selh.
Hiuve um reprovado.
No relatarlo distribuido na ultima sessia da
:-:.-oirbla geral do M-aate Po Geral coa sfcuntes eselarecimentos i respe'ln do movimtntu
occ:>rri1o durante o bieunio de lc?69 a 187I.
O numero dos contribuintes existentes subi
n-s-e pnriodo a 1,831, importando em..........
2 ilO.'JSi 38 a somrai das respectivas m.crip
roe-, o que corresponden! a pea-oes no v;.lor au-
iiual de l,097:7o'l!12; e falleceram 59 eootri
Doiola*, que ti .-1 -111 entrado para os ci fres com a
quanna de U1.3735388, d->ixaado ssuas fam
liae. -"n pon-oes anuuaes, a somma de..........
:W: 118*1)60.
Itemiram-se qmtro contribnintp, mediante o
pagamento da quautia de 17:34700, e nutres
quairo elevaram suas ineripcde, importando o
correspondente accrescimo era i>:993jtf33.
In-creveram se como socios dur^ute o bieonin
111 empregados publico?, repre-enlando .-uas
inscnpcSes a importancia de 1x0:636*338, e a-
pen-e* ^nnnaes, a que '.erodireuo suas familias
a de 60:318*166.
Haiiiiaram-se e foram inscriptas 330 pensio-
nistas, perceb'ndo D'n-oes aonuaes equivalentes a
somma de 38:891#796; e falleceram durante o
benno 63 iifiision'-ias qne percebiain pendes no
valor de 17:39o'613.
A ri cena l quidada da estabelecimeoto foi de
1,108 |.0761, sendo proveniente de annndade-
179:i:ii!i97, dejoias 62:0863791, de em' lunen-
tos 8(i8o0, -19 multas aus conuibuintes retrdala
rio1-5:18i3781, do descont as pensoes.......
<8 2oC8S0, do beneflcio e rem^nesceotes de lote-
ra? 3*3:530?, de uros de apnlices e premios
331:383*313. de rademusar,o-s 2:130*129 e de
renos-o i 581*.
A despeza liquida da quantia applieada com-
pra de apolices e ao pagamento de saques das the-
sonrarias provinciaea, bi de 959:719*i3o, -end
do 927:318*799 a somma empregada no paga
meuto de. uhnxjes, de 9:660*819 a despendida
cora gratificaces aos empegados, le 2:166*95,3
a cousamida cora o expeli-nie. c-mpra de u-
vros impressae", e de 20:372*832 a destinada
m rasiiiuiedef, indemnisaco^g e eveoluae?.
Appticarara-se 149-300*000 eomora de apa
ices, e 110.879*885 ao pagamento de letras no
cadas pelas thesourarias das provincias para in-
demnisacao dos snpprimentos por ellas filos ?
oaixas espeeiaes
O Mido que passa para e biennio de 1871 1873
4 de 8:812*363 era dioheiro, 30.000*000 em con-
ta correle no Banco do Brasil e 3,000.000*000
loroioae* em apolices da divida pobliea.
Para melborar a receiti do estabeleeimenlo
embrida no relen lo relaiorio a oonveoiencia de
satleaxerem-se por trimestres vencidos as pensoes
loe ara -ao pagas na corle aieosalmeute, harmo-
isaa io--e dtsi'arle a pratica da corte eom a da*
provincias, onde aquelle pagameuto feito Iri
rnensal asente.
O resultado dos exames de hootem na FaeuJdade
ue M-jd'cma t>i o segrate :
i* aono medico.J.>o Salostiano Moreira Mou-
rJo, Sniusliano 8'mplicia detalles Ven e Genai-
no Marjaes Mancebo, approvados plenamente;
Pedro G .mes do Val e Amonio Pereira Hiber >
iui uarae', approvados simpiesmeale.
H ove um reprovado.
3 anuo uwdieo.Sanuei da Silva Pereira, Aa-
"siiauo tioncalvr de Santa Portugal, Francisco d-
Salle* Al .no Franco, AntuBio l de Vaseoncelio*
i Praueweo (usiaeao Ferreir Alves, approvados-
^1 en ajenle.
O Rio-Granense, fclha de Porto-Alegre, publi
con um cilicio do cnsul geral da Biasil, em
Montevideo, ao presidente da provincia de S. Pedro
do Sul, do qual exiratamos o seguate :
Ao ter a ho ira de ofQciar aV. Exc. ^peco li
cenca para tomar a liberdade de apresentar a V
Exc. tres famlias allemaas, constantes da relaco
anoexa, em numero de treze pessos?, que vieram
a este coosnlalo geral solicitar pa-sagem para
e?.-a provincia como immigraue?.
K provincia de Sania Catharina, d'onde sao naturaes
os menores, e u'alli foram parar no Rosario de
Siota F, engaadas con falsas informaeoes, senao
ms lila seducen, que por cartas Ibes filara o Dr.
Rafner, le rrelhores vantagens que poderiam co
Iner na lran=ferencta do -lo.
i Era breve, porm, so desilludirao das vanta-
gens decantadas pelo referido doutor, e se viro
era verdaleira miseria, pelo qae procuraram vol
tar a patria, que ji urna vez as havia bera rece-
bido.
Foi, por certo, ama severa lico que tiveram
e qae servir por seu turno para obstar novas
aventaras di parte daquelles que, no Brasil, alm
Ja trabadle honesto, eu^ontram garantas suas
pessoas e bens
As familia?, que se refere o ctalo ofDcio,
sao :
Luiz Scbermann, sua mulher e S fillias.
Jo c Scbermann, sua mulher e 2 lilhos.
Fernando lusend e saa mulher.
RECIFE 14 DE DEZEMBRO D3 1871.
\"rt Chegou boni6m pela manha o vapor francez
Sindh, con datas do Rio de Janeiro 7 e da Baha
10 do correte.
Sob as rubri:as P rior encontrarlo os leiiorea por extenso as omicia?
de mais imporiancia ; aim das quaes s ichamos
uos jornaes i que seguem :
MINAS GEIUES.
Temos folhas da capital at 1 e do Jaiz de Fra
al o do c nrente.
Do Pharol desta ultima dala extraliimos as se
guioi'-s aaticias:
Fallecen no dia 1* do corrente, em sua fazenda,
em Maihias Barbosa, o Sr. mijor Altino Silvno de
Lima e M-llo, depo3 de longo soffrimento.
Em lins da remana pass.ada um menino alie-
mao, de cerca de II annos de ilade. estuprou a
urna erioa'ioha livre de 7 anno?. O Sr. delegado
le polica tomcu promptamente conhecimenio do
lacio.
t Sexta f-ira 1 do corrente, ao raeio dia, mais
oa msno?, desmoronoa um barranco de trra na
o-trada de Pedro II, em nma das secrCi^s dos Sr?.
Mariano Brandao 4 G. Uranio sepultados dous
escravo! do Sr. tenentecaraoel Carvaiho de S
J.;aa de El-Rei, ura >le nema Joo, pard de 16
annos que flcou com a cah^ca fracturada e a per-
na lirelra quebrada e outr.i de nome Francelino,
eriou o, q.i que foi encontrado em p sem coqiu
sa alguma. Foram baldados todos os meios qne
se emuregaram para os salvar, tal era a quanti-
dade de ierra.
O delegada de polica logo que leve conbeci
men'.o do facto, foi ao lagar, acompanhaM de pe
ritos, e proceden ao respectivo corpa de delicio,
nao resultando suspeila de crime das iudagaeoes a
que proceden, ao contrario, reconhuceu havi-r
ido a desgraca lba lo ea*o.
- Do otioiador de Minas', extractamos o se-
grate :
' A's tres para as quatro horas da madrugada
do dia 23 do corrente evadiram-se do xadrez lo
quartel de cavallaria de linha nesta eapital os de-
sertores Joo Custodio Looo, Joaquim Jo.- d
Santa Auna, Antonio Loorvoc) Je Oliveira, Joo
Francisco de Sonta, M noel Francisco da Nasct-
mento Martioiino Processo Signaid, Clemente An
Ionio da Silva, o recruta J. s Rosa da Andrade i
o soldada Jos Lucas de Ouveira. que achava-se de
sentiueila.
a S. Exc. o s'r. Dr. pre.-ilente da provincia,
ogo'jue leve conhecimento do fa-.to, fez expedir
escollas para a captura dos eva-ores.
A'ra dassa providencia, foram d* prompto
expedidos pula repsrticao Comueteote telegramma-
e circulares s autoridades polielaes da provin-
cia.
Foi preso em Goyaz, e vai ser rem-tiido para
esta provincia, o reo Manoel Jo-, de Moraes, em favareim de 1869 assassinou no termo da Por
miga a Joo Jos da Silva, pelo que se acha pro-
nunciado no art. 193 do cdigo criminal. >
s. r.u'i.o.
Temos folhas da capital at 3 e de Santos at 1
do correte.
Segundo o Crrelo Paulistnno fra assigna
da o contralo entre a presideacla da provincia e
a empreza dos bonds para a capital, sendo a em
prea represenada por sea procarador o cuuse-
Ihero Martin Francisco.
a presidencia, diz a mesma folba, aceitn a
prnpota de Jiannuico na largura dos trilito?,
snjeitando- por saa parte a empreza a que
mxime das passagens fosee flxado, nao em 300
mais em 200 rs.
t A empreza l *a obrigada a coraccar as obras
d miro de ciuco metes, mas cousia que em don
netes estaro elias em andamento, podendo estar
concluidas en cinco oa seis metes. >
Fallecer na capital, a29, o conego. Dr. lile
fooso Xavier Ferreira, ura dos dislineos ulnas da
quena provincia. CooUv 76 anuos ue idade. Oo
leve o gra> e Dr. om 1838. efoi norneado conego
da cathejral em 1811, a lente de ih-ologia dog-
mtica, era que aposent ase em -1870, tendo c-
euiMdo iaaib--in varios cargos de eieico popu-
lar. Era pregada sagrado de alio merecimenio,
e um vulto nota ve! na clero 4 S. Pialo.
< Era enir- n6s, diz o Carrtio Paulii'ano, um
dos ltimos cmlemporaueos da indepenUencia, aa
fQal foi figura importante, propugnando era proi
illa eom o entriusiasmo que na |uella quadra ce-
br.soii lautos i'iuiisUs.
t a i ha ma:t i fue o digno patriota deixou ep i
rever sen dvouraeDto pela cia flvraria do que possnia de raelhor em prol do novo
estabelecimento.
Traham comead s os exames de prepara-
loiios.
Da cidade do Tiet escreveram ao Comi
PnHlhtnn ero dala de 18 do passada :
Manoel Alves de Almeida I/ma, lendo deman-
dar baptisar 3 criancas captivas, nascidas a lo de
agosto, a 6 e 7 de setembro do correte anno, foi
a casa do vigario respectivo e declaron-lhe qoe os
re cebes-e e baptiMsse como livres, para me (ara-
bem gozassem do privilegio da lei da emanoiateio
do veotre ttvre.
t Factos desta orlara s honrara aqoelles qoe
os praticarn ; e revelara anda qae a lei aqu foi
tao bem reeebida, que ainda raesmo aquelles qae
o- sef rsm antes de sua promulgado vao gosar de
seu privilegio. >
O Artense pub'lca urna correspondencia de
Silvetra na qual te l o seguate:
t A m da crise tremenda qne a lavoura est
alravesssodo, em face das quesl5es sociaes que
ora se agitara, estaraos sraeacados de no anno fu-
turo nao ter a eoslamada abundancia de eomest-
veis pela razo deste municipio ter tido nma ver-
ladeira emigraco de trabajadores para a estra-
da de ferro D. Pedro II.
i O prec i elevado que pagam os empreiteiros
encara gados do serviga daqaeila estrada ha attra-
hi lo por tal frna os nossos trabalhadores de ro-
ei, que este anno nao se fet a 4* garte das plan-
tarles dos mais annos
SANTA CATHABINA.
Recebemos foibas da capital que alcaacam a
30 do passado; s reYreiu noticias de inieresse
local.
Escrevem-no?, porm, o seguinte :
t O pagamento sos oavins da estacao tem sido
ex'raordinariamente demorado, e islo deu causa a
de-ordens e furtos, nao s a bordo dos navios como
a'. em trra.
t A thesourarla afiaal teve ordem de pagar as
folhas d w vapore* Amazonas e Brasil, mas f-lo
de modo que excitou maltas qoixs.
O Brasil ti: la a uira folha iue importm em
5:C0O*O0O; m ndaram-lho entre esta quantia,
*>00*0J0 era moeda defr'bre de detreis; para o
tinajflnfij, cuja fotha era de qaatro cont? e tanto
f ai ara 100* iibetn em chaprahas de dez rei>.
Imagine o lempo que ?e perde em contar estas
quantias em tat esp.cie e o enfaio que causa um
tal trabalho.
RIO DF. 1ANRIRO.
A alfa niega da c.te arrecadeu de 1 a 6 do
corrente 339:111*300.
Eis as noticias commercias da ultima data:
EITectuaram se pequeoas transaagSej em cara
bio sobre Londres a 24 1/1 d. papel bancar, 21
3/8 e 21 1.2 d. papel particular; repassou se tam-
bera algnm papel bancano a 2i 3/8 d., e particu-
lar a 21 5/8 d. As iransaeces sobre Franca foram
menos regulares a 381 rs.
Negociou-se um lote de soberanos a 10*330
para o flu do mrz.
Um pequeo lote de apolices do emprestirao
n.clonal de 1868 oble ve 1:120*.
a Vendeu-se um pequeo lote das acc/aes do
uraco do Brasil a 210* a dinheiro.
< Em ac.ivjs de companhias natou-se algum
jnovimenD; regularara os seguiotes precos : Na-
vegaco a vapor, 33 de premio para lo e31 de Ja-
neiro; Ferro Carril Nitherohyeose, 10*Mito at o
fim de Janeiro, vontale do comprador; navega-
cSo do Alio-Amazonas, 420* para o llm do mez e
Doeas de D. Pedro II, 8* e 63 le descont a di-
oheiro.
Sabiram para Pernarobuco : a i, barca gre
ga Zora, galera hollandeza lelo, barca ingle (a-
zelle ; a 4 pitacho porloguez Villa Flor, e brigue
escuna norte allemaa Etzhorn.
BAHA.
Leraos no Crrelo :
Hontem r"!)) termraou a su-tentacao de theses
Da fi>'u!dade de medicina, sendo approvados ple-
namente os segrales estudantes:
Antonio de Azevedo Momeiro, Antonio Man-
leiro Alves, Augusto de Srazi Marque?,. Evaris-
to de Souza Marques e Thomaz Rodrigues da
Cruz.
i No dia 16 do mez passado foi brbaramente
espancado no lugar Cajueiro, peneocenle .ao dia-
trido de Uoa o indio Eraygdio Jos Joaqawi, ins
sector de quarteiraa da' subdelegacia de Olivenca,
por Cimillo Guimares, e Roberto Guiars?,
lambem indio?. O subdelegado de Olivenca nroce-
d-u a corpo de delicio no i (Tendido, que remenea
a pioraotoria 1a comarca. B
No dia f '! do mez passado, na fregttezia da
?edra Rranca, do termo da Tapera, ara grupo de
indios embriagados iravarara una f irte altercaco,
e ch?gando vias de facto, resultou qae om dus
indios, coi'heclo por Izidoro Gordo assassinou
com treta facadas ao seu cornpanheiro conhecido
por Izidoru Magro, que saecumbio instantnea-
mente.
O Dr. delegado Jiaqaim Simoes Daltro e Sil
va, proceden ao competente corpo de delicio para
instaurar o processo contra o criminoso, que con-
segnio evadir-se, e lera dalo as providencias
seu alcance, allm de poder ser elle captura-
do.
Na tarde de 2 do corrente, na villa de Ala-
oinbas, fai assassinadq or sea lio Martinho Jos
Monieiro, o infeliz Jos Ferreira, que falleceu 21
horas depois.
O r.ssasino foi preso legua e meia arredado
da villa, sendo a sua captura efectuada pelo l-
ente de polica e pracas do destacamento, que se
preparara a conseguir lo feliz resultado.
O rea veio porseguraoca para as cadeias des-
ta capital, e a autoridade procedeu a corpo de de-
licio, e instauren a processo.
i O Sr. Dr. chele de polica acaba de louva-la
pelo re-ulula da diligencia, que eaipregou para
semelh.anto priso, e Ihe ordenar que ultima o pro-
cesso no termo legal. >
O brigue francez Jenne Aimie, capito Bojns,
sabido h.ntera (7) desie porto as 3 e meia horas da
urde e mi carregamento de Jacaranda, algoJo,
cafe o piassaba arnboa as 11 horas da nolie, por
" haver manifestado incendio a bordo, ignoran-
do-?e a causa.
0 capillo e a tripola?ao ?nlvaram-3e da lan-
cha do navio, o qual foi encalhar na Popta de
N issa Senh-ara. Oa earrega l ires foram s Srs.
Ferraro e Finos e Emilio ehamp:on, 03 qoaes Ira-
lam de salvar a'gnmas mercadonas do carrega
ment. >
Sabnado, 16 do correnie ao meio-dia, ter lu-
gar na faculdade do medicina a solemnidade da
coilicao do grao de doutor aos estadanles que
lerminaram o curso deste anno.
Consta-nos -jue sao 5) os qae teera derece-
ber o ref-rido grao.
Temos o petar de noticiar o fajjleeimen'.o
lo Dr. Luiz Felippe de Sampayo Vianna. jaiz de
direit da comarca do Lrgalo, na provincia de
Sergipe
Com quinto professasse dootrinas contrarias
as nossas, mereca-nos comtulo o Dr. Luiz Folp-
pe particular estima, que garalmente conquistava
om suas i xcejlentc? qnalidades.
Como magistrado, dotado de reconhecida intel-
ligenca. soube sempre alliar a severidade do car-
t'o a eqnidade de um coracao compassivo. Sua
raorte nos penalisa em extremo, e damos os eos-
>os sinceros pezames a iDa illnsire familia.
O carahin regnlava sobre L ndres 24'/-. a 24
a/8 d. por 1*000.
A a f. narga renden de 1 a 9 Jo corrente, rs.
167983*410.
Pinto Barboia & C 4:000*000
De nossa praca levou esse vapor para a Eu-
ropa 7,100 francos.
PARA A EUROPA.Com 7 recebldos em nosso
porto, levou o Stndn 175 passageros, sendo : 36
para Lisboa e 139 para Brdeos.
CORREDOR DO BISPO.-Moradores desta roa
nos ditem que estio em apuros com o lixo de
casa, porque o fiscal nao aner que seja lancade
nos terrenos devolutos da localidad, e a carrosa
da llmpeza da cidade all nunca vas. Chamamos
pura sso a aitenco de quem competir.1
EXAMES PRIM.VRI03.Ante-bontem teve lu-
gar o exame dos alumnos habilitados da quarta
eadsira da freguezia de S. Ja-, de que profes-
sor o Sr. Antonio Jovino da.FoBceea, sendo appro-
vados com destincoes o i meninos Anatbolio da
Costa Reg Honleiro e Vicente de A ptenaroeote os meninos Pirraino Alexandre Garaes,
Alberto Gainault Cabral e Francisco das Chaga?
do Monte.
CONCURSO.Comecoo ante hontem o concurso
para provimento das oadeiras vagas de instroeco
primaria do sexo masculino, sendo 13 os concor-
reales : Bonhomera Rosa Lima Leal, Pedro Ratis
de lopjosa Varejo, Vindimial Ribeiro Sures'
Joto Pedro da Silva, Pacifico Paulino Malaquias,
Antonio Vieira de Barros, Jos Firmrao Ribeiro,
Jos Belizario Mariano Palco, Benjamn Martinia-
no dos Aojos, Manoel Ferreira Guedes, Bernardo
Teixeira de M mn, Miguel Archnj i da Silva Bra-
ga, e Joo Ferreira Vuelta de Arauja.
SOGrEDADE LIBERAL UNIO BE^EFICENTE.
Esta associaco solemnisou no dia 8 do corren-
te o sea quarto anniversario, com missa solemns
na igreja da Madre Deus Immacuiada ianeeicn
padroeira da me-ma corporar;o, e ao depois com
sessao magna, qual assictiram coraraisses das
socielades Monte i'u Popular, Monte Po Santa
Cruz, Artistas Meebanieos e Liberaos, Gabinete
Ponugnez, Uoi.k Beneliceate Martima e Club Po-
pular, pronunciando os respective* oradores dis-
cursos de feicitacao. Lago era seguida occapa-
ram a ailencao das pessoas preentes os Srs. so-
cios honorarios Jos Fauwino Porto, e Floriano
Correa de Brito, os aeadtraicos Souza Bandeira
Filbo, Rocha Carvalho, e Ohveira e Silva, e o so-
cio.efTeclivo Sacramento.
A notle e-teve em exposico a casa das sesses,
sendo visitada por diversas familias.
CONSULADO PROVINCIAL. Esta repartido
fiscal acha-se funecionando, desde 3 do corrente,
n'am dos compartimentos do palacete da eompa-
nhia Pernamoacana, para onde foi transferida
por ordem da presidenca da provincia, emquanto
se fazem o? reparos de que precisa o torreo da
alfandega, onde ella luncciooava. A casa presta-
se s exigencias do servi'50, especialmente pela sua
proxirnidade do centro oommereial.
RA DO CORONEL SUASSUNA. Pedemnos
para lembrar a conveniencia de ser quanto antes
calleada urna grade de ferro na bocea do canoo
de escoto da cidade, existente na travessa que vai
da ra do Coronel Suassuna (outr'ora Augu-ta)
para a do Gazometro, para se evitarem desgra-
nas.
NOVA POBLICACO.A livrara dos Srs. N-
gueira & Medeiros, a ra Primeiro de Margo a. 2,
acabam de ebegar alguns exeraplares do romn-
ceteO castigo da soberba e o premio da virlude,
os quaes se vendera a 500 rs. o exeraplar.
EXAMES.No dia 9 do correte tiveram lugar,
conforme a deierminaco do Sr. Dr. delegado Ili-
terario respectivo, os exames das alnmnas da es
cala publica primaria da Eoeruzilhada do llo-a-
rinho, cargo da professora D. Francelina Mau-
rina da Silva Alboquerqne.
As 11 horas da manba, enorporada9 todas as
alnmnas, presididas por un me tre, e acompa-
rhadas de muitas pes-oa? gradas, da escola diri-
giram se ermida de Nossa Senhora da Concei-
1 cao da Estrada de J io de Barro, onde o Rvd.
I io Servulo celebrou ama missa votiva ao Divino
Espirito Santo, aps a qual todas voltaram es-
co1*, comejaedo as 9 horas os eximes.
Foram examinadas 3 alumnas, as quaes respon
derara satisfactoriamente as perguotas que Ibes
foram feitas, oblendo-se o seguate resallado : ap-
provadas cora destiuceo Maria Afra Ferreira e
Clara Thereza dos Sanio?, eapprovala Jacintia
Isabel dos Santos.
Todos mostrarara-se milito satisfeitos eom o re-
soltado do* exfarcos da prolessora, pois que como
ootorw all, ma desvsladi de snas disci-
Lpula e iacansavel no desempenho da seus arduos
levere.
i E VISTA DIARIA.
CORPO DE POLICIA.-Por portara da presi-
dencia da provincia, de 12 do eorrente, foi dorait-
lido de alfires do corpo di polica Pedro Goncal-
ves de Carvalho Ferraz, por haver abandonado o
destacamento de I arab, levando corasigo os ven
cment"8 das pracas.
SOCIEDADE EMAXCIPADORA.-Devem renoir-
se no dia 15 (exta -feira), ? 7 horas da noni#, no
wlaa do Club Pernarfibuco, as directoras nea e
velha, afira de se proceder posse.
PRoXUN 1 A.Pela delegacia de polica do ter-
mo do B o Formoso foi pr n inciado, como incar-
so na pana? do artig 193 da codiga crimnsl Jo-
s Candido Ja Silva Ferreira.
ASSASSINATO. Na nonte de 10 do crreme
foi as-assmado, dentro do sn proprio rancho, e
crimino-o 4a mprte Manoel Xarela, ignorando-se
qual o antor de seraeihanlo crime.
DINHEIRO.-O vaporfrancez Sindh tranxe pura:
300:000*000
loiu Q iirrao d'Agnilar dt C.
L uion and Brasbao Bank
Bubk of Rio e Janeiro
A-norim Irmo & C
Wllv di He||.
l'issel frers
Bailar, Ohveira A C
Pereira Caraerro & C.
um dos qne primeiro -ireadiram idea da creac. I Augusto Prederiea de Otiveira & C
de ama bablioiheca nesta cidade, despejaado Ju | Francisco Ribeiro Pinto Gaimaraes
12;0O*iM)0
98:000*000
35:000*1109
50:000*000
37:126*000
33:0011*000
3l:00i'*0(l0
10:00-4 00
8:000*000
ESTAT1STICA POSTAL.- A administracao do
correio expedio hontem malas para a Europa, peto
vapor francez Smdli, cora 5461 cartas cora 8365
portes, 716 jornaes cora 1323 portes, 10 segaros
com 42 portes e 1 amostras com 17 portes sendo:
Para Franca.
11.0 carlas.com 2028 porte3
88 jornaes 139
i amostra 17
3 seguros 8
Para Graa-Bretaoha.
1146 cartas com 2730 portes
210 jornaes 221
2 seguros 18 >
Para Portugal.
3082 Carlas com 3673 portes
135 jornaes 948
Para Italia.
93 cartas com 112 porte;
13 jornass 17 >
5 seguros 16 >
PASSANENTO.-Dentro d'um dos w.icSs da
e.-trada de ferro de Olinda falle :eu hontem pela
manha quando vinna para o Recife, o Sr. Manoel
do Reg Barros, agricultor da freguezia de Saot"
Amaro de Jaboato, e cidado recommendavel
pela saa nobreza de carecer. Sea enterro ser
hoje, pela 8 horas da manha, na capella do ce-
miierio.
OUTRO PASSAMF.NTO. Anie honlem non-e
den alma o Cred r, na cidade da Oliada, vic-
tima ae antigos padecimento?, o Dr. Abilio Jas
Tavares da S Iva"; jaiz dos fetos da f.zenda nesta
provincia, na idade de 43 annrs. O linadoifrraou
se era direito na cidade de Olinda, onde nascra
a 21 de abril de 1828. Exerceu os cargos de pro-
motor publico, jnz de erpbao?, chefe de polica e
juiz dos feitos da fiz na, na cidade do Recife, e
juz de direiio da comarca de Nazareth.
O finado era olBcial da ordem da Rosa, e e-teve
na administracao desta provincia, como seu vce
presidente, por algara ternpo.
A' sua ineoasolavel familia nossos sioecros pe
sames.
JURY DO RECIPEAnte-hontem foi julgalo o
reo B-lchior dos Reis Pavao, pronunciado no art.
193 do cdigo criminal, sendo condemnado no grao
mlio do mesmo artigo.
VAPOR AMERICANO.Hontem s 6 I|2 hora?
da tarde, fnndeou no lamaro o vapor amrican
South America, procedente de N-w York palo
Para, mas nao commuaicoa com a lera.
LEIL.AO.Hoje effeciua o agenta Martina o de
objectos de phantasia, perfuma'ia, bengalas, chi-
cotes e mui'os ouiros artigos pfoprios para orna-
mentos de salla, na roa da Imperatriz n. 7, loja de
madama Leconle, s 11 horas.
LOTERA.A que se acha a vsnda a 218 a
heoeOcio da igreja do Espirito Santo do Recife,
a qual C rre ho da 15.
CASA DE DETENCAO.Movimenlo do dia 12 de
dezembro de 1871:
Existiam (presos) 334, eotraram 3, sabiram 9,
sxistem 328.
A saber :
Nacionaes 239, mnlhere3 6, estrangeiros 37, es-
cravas 41, escra.vos 5.
Alimentados cusa dos cofres pblicos 248.
Movimeoto da enfermara, do mesmo da :
Tiveram nalxa:
Jo- Josqaim Baplista, rndigestio.
Francisco Antonio de Barros, conslipaco.
Emiliano Pereira de Lyra, gastrne.
Cesano (escravo) de Maria Figueiredo, Lambigo.
Tiveram Alta:
Joo Bazilio.
lo Manoel de Souza.
Mariinha. escravoWde Jos Joaqnira.
'ASSAGSIROS.-Vodos dos porlos do sul no
vapor francat Stmtli:
Anastasio Rivarola, Doir.iug Pitia Coria,
Joaquim J dos Santos, Aodi Broktratred, Ma-
na da Rocha da Silva, J. de Abreu Lima, Jos
Georges i'aranhos da Silva, Marebalii Vicento,
Trediru Wallhof, Berlino Guedes Julio, E. V, de
l'risto.
Sabidos para Europa no mesmo vapor:
Captio Lahirigouy-n, Marganda Loriot, Maria
Candida da Rilva, llaichegiam Guiseue, Pierre
Eluard de Houi, Guerineau Vctor, Luu Miguel
Vieira.
C8M1TERI0 PUBUCO.-Obituario do dia 10 do
corrente :
25 annos,
li anno-,
Capuoga ;
Jos Catraio, reto. frica, 70 annes, solleiro,
Boavista; aongesto cerebral.
Jos Marqnes dos Sanios Carregal, branco, Por-
tugal, 35 annos, casado, Afogados ; phlhysica pul-
monar.
Emilia Maria da Conceicao Souza Gomes, bran-
ca, Peroambuco, 33 anm?, viuva, Graa; ente-
rite.
Bernardo Valente, branco, Portugal,
solteiro, Boa vista ; beriberi.
Jos dos Santos, brando, Portugal,
solteiro, Boavista ; alienaco mental.
Julio, pardo, l'ernambuco, 3 annos,
Maula.
Leandro, pardo, Peroambuco, 9 mezes, Santo
Antonio ; bexigas.
11 -
Joaquina, branca, Pernimbuco, 1 anno, Graca;
convn!s5es.
Amaro, branco, Pernambaco, 6 mezes, Recife ;
hepato enterite.
Joo Baptisla, pardo, Pernambucc, 21 annos sol-
teiro, Boavista, hospital Pedro II ; anemia.
Rescemnascida Maria, branca, Pernambaco, Re-
cife ; espasma.
Agosnoho da Cruz Villa Nova, branco, Pernam-
bnco, 80 annos, viuvo, S. Jos ; letano.
Lut de Franca, pardo, l'ernambuco, 21 anno?,
solteiro, S. Jos ; bypelrophia do c:racio.g3
Manoel Baptista FgueireJo, branco, Portugal,
55 annos, viuvo, Recife ; asphixia" por sabmerso
Maria, preta, Pernarabuco, l aono, Santo Anto-
nio ; convulso*?.
Jo3qoim Jas de AnJrade, braoco, Peroambuco,
17 annos, solteiro, Boavista, hospital Pelro II; be-
xigas.
Antonio Francisco de Barros, preto, Pernamba-
co, 17 annos, s lleiro, Boavista, hospital Pedro II;
tubrculos pulmonares.
Gabriel, branco, Peroambuco, 20 metes, Boavis-
ta ; pulmona.
Mana, branca, Pernarabuco, 2 raezes, Santo An-
tonio ; espasmo.
Cliuerio Franco da Silva, pardo, Pernarabuco,
22 anou?, casado Boavi.-ta ; perdnete.
Manoel Flix R^f-iiues, pardo, Pernambuco, 32
anuos, vi" -olestia interior.
Maria, 1 .mbuco, 5 anuos, S. Jos ;
i ote rite.
CHRONH 1.11 IH< RM.
rRIHIJV.r4 Di RKL.I^'.iO.
SESSAO EM 12 DE DEZEMBR ) DE 1871-
.'RESIPEN'OIA 00 EXM. SR. C0XSELHE1B0 CAETANO
8A5TIAG0.
Secretario Dr. Virgilio Coelho.
As 10 horas da manha, presentes os Srs. desem-
bargadores Guirana, Mola, Assis, Doria, Dorain-
gues da .Silva, Regueira Cos'.a e Souza Leo, fal
tando cora causa os Srs. desembargadores Guerra,
procurador da cora, Lour-anco Santiago, Almeida
Albuquerque e Uchoa Cavalcanis, abrio-se a ses
sao.
Passados os feit03 derara-se os julgamentos se-
aintes:
RECURSO COMMERCIAI..
Recorrentes, Martina & Leopoldo ; recorrido, o
jalao.Jutes 03 Srs. desembargadores Assis, Sou
za L"o, Motta e Domiogues da Silva.Jalgaran
a quebra casual.
RECURSOS CRIMES.
Recorrente, o juico de direito do Recife ; recor-
rido. Manoel de FonlesGiuae?.Jnizes os Srs. des
embargadores Motta, Gitiraoa, Doria e Regueira
Com.Improcedente.
Recorrente, Cesario de Mello e Silva ; recorrido,
0 juizo de direito do Ip. Juizes o? Srs. desera
bargadores Girana, Domiogues da Silva, Assis e
Doria. Reformaran! a sentenc e absolveram o
recorrente.
Recorrente, Clementino de Hollanda Lima ; re-
corrido, o juizo de dir ato de Baturit.Juizes os
Srs. desembargadores Gitirana, Doria, Assis e Mol-
la.Improcedente.
BABEAS CORPUS.
Paciente Manoel Joaqnira de Sonza. Concede
ra n ordem para o dia 16 do corrente.
AGGnWOS DE PETICO.
Aggravante, Antonio Jos da Costa Aranjo ; ag-
gravado, o juizo municipal do Recife.Juizes os
Srs. desembargadores Domiogues da Silva, Gitira-
na e Doria.egaram provimento.
Agjravaote, Manoel Fernandes da Silva ; aggra-
vado, o jazo Juizes os Srs. desembargadores Re-
gueira Cosa, Soaza Leao e Gitirana. Negaram
provimento.
Aggravante, Dr. Alvaro Fragoso de Albuqner-
que ; aggravado, o juizi. Juizes os Srs. desem-
bargad! res Souca Leo, Doria e Gil rana.Nega-
ram provimento.
PASSAGENS.
Do Sr. desembargador Gitirana ao Sr. desembar-
jador Guerra :
Do juizo municipal do Sobral. D. Francisca
das Chagas Bandeira de Mello; appellado, Joaquim
Goncalves da Silva.
Do Sr. desembargador Motta ao Sr. desembarga
Jor Assis :
Do jury da Inperatriz. apneliante, o juizo ;
appellado?, Sabino Francisco do Nascimento e ou-
tros.
Do Sr. desembargador Doria ao Sr. desembar
ador Dommgues da Silva:
Da j'cry du Salgueiro.Appellante, o juizo ; ap-
pellado, Jos Barbosa de Ohveira. Do jury de S.
M..lheu?.Appellante, Francisco Je Abreu Barros;
appella jos, Jos Pedro de Souza e ouiros.
D i ir. desembargador Domingues da Silva ao
5r. dosembaricador Regueira Costa :
Do jury da Floresta.Apellante, o jnizo ; ap
nellado, Jacinih >, escravo. Do jury do Assari.
Appellante, Pedro Celestino de Sonza.
Do Sr. desembargador Regueira Costa ao Sr
leserabargalor Souza Leo:
Appetlac5es civeis.Do juizo manicipal do Re-
cife. Ipsellanie, Manoel Rodrigues Cola Maga-
lhaes ; apollad >, Tliomaz de Aquino Fonceca
Appellante e appellados juntamente, D. Anna Ui -
sua de Ohveira e D. Folisarda J.aquina de Aie
vedo.
Pj Sr. desembargador Souza Leao ao Sr. des-
embargad r Dchoa Cavalcante:
Appell-icrjes crime?. Appellante, o promotor ;
appellado, Manoel Gomes di Silva. Appellante,
Jos Jercnyrao da Silva ; apaellada, a jastici.
Ao Sr. desembargador Gitirana :
Appellante, Francisco Goocalvas Netto, como tu-
1 r do orphii Arthur ; appellado, Mantel Joaquim
Baptisla. Embargos remeiti.1js.-Da juizo muui
cpal de Macei.Embargante, Macario da Costa
Moraes: embargado, Rodrigo Antonio Brasileiro
Macelo.
Assignou-se dia para julgamento dos seguintes
leitos :
APP31XACJOE9 CIVE1S.
Oo jnizo municipal do Recife.Appellante, II.m-
rique Jos Alves Ferreira ; appellado, Rodolpho
Velloso de Azevtdo.
Appellante, Jos Laiz Ferreira da Casta ; appel
lala, D. Mara da Conceicao Chaves.
Di juuo municipal da Imperatriz.Apjel ante,
Antonio Furtado Cavalcante de Aibaqnerqne ; ap-
pellado, Ignacio da Canha Albnqnerque.
APPEIXACAO CRIME.
Do jury de Papary.Appellante, Joo Bernar-
do ; appeilada, a ju-tiea.
DESTRIBDigAO.
Apellafo civel :
Ao Sr. desembargador Motta :
Do jnizo municipal do Recife.Appellante, An-
tonio Carlos Pereira de Burgos Ponce de Len ;
appellado, Antonio de Siqueira Cavalcante.
AGGRAVO 0E PET1CA0.
Ao Sr. desembargador Uchoa Cavalcante :
Do juizo municipal do Reeifs.Aggravante, Ma-
noel alvesJBarbosa Sobnnho ; aggravado, o juizo.
As 2 heras encerroa-se a sessao.
Aos senhores deputadoi foram deUribaid.s oa
livros diario e copia Jor d Manoel de Abreu Ma-
cedo, copiador de Francisco Gomes de Olive ra So-
orinlio, diarfo da viuva de Guilherme da Silva Gal-
maraes & C, copiador de Joaquim Jos Goncalves
Beliro.
. DESPACHOS.
Petiode Joaquim Gomes FTreira de S Leitio
subraettenlo registro a nomeaco de seus ca-
xeirea Antonio-. Jos Duarte e Jote Gomes do Ol-
veira.Regstrele.
De Man el Gomes Ferreira de Si Leilio sabmel-
teado lambem registro a que eonfenra a sea
eaixeiro Francisco Antonio Moreira da Costa.
Seja registrada.
De Jos Jacintho de CarvaHio, no mesmo sentido,
sendo o eaixeiro nomeado Jo: Joaquina, de Santa
Anna.Como requer.
De Jos Luit de-Sonta ".Verrelra, aprsratanlo
para ser admitida registro a nomeaclo qus dera
a Olegario Roberto de Araujo, para eaixeiro de
saa padaria ra de Marcilio Das n. 40.Defe-
rido.
Di Patricio Jos Tavarea de Vasconcellcs, apre-
sentando para ser tambera admitlida registro a
que dera a seu eaixeiro Patricio Jos Tavares de
Vasconcellos Filho.-Sim.
De Burlaraaque, Araujo & C, pedindo que se
rascreva no competente registro a que deram aos
seus eaixeiro?, Joo Maria de Medeiros, Bernardo
Jos de Araujo e Fausto Angusto Guedes Ico.
Como requeren!.
De Joo de Deas Olivera Santos pedindo tam-
bera o registro da que dera ao seu eaixeiro Ma-
noel Francisco da Silva.Como pede.
De Francisco Pereira de Meireies, tamben pe-
dalo o regis'roda qae conferir ao sen eaixeiro
Agosnhoda Rosa Cesii.Na forma requerida.
De Francisco Leite Barbosa, para se ihe certi-
ficar estar ou nao registrada a noraeafio do sea
eaixeiro Daniel Antonio das R>i?.Certiflqne-se.
De Jeronymo da Cosa Lima, para se Ihe certi-
dcar quantos caixeiros tem feito inserever ao ser-
vico de seus trapiches af;ndegadosCunhe An-
gelo. Pa?se-se a ceriido requerid-.
De Jos da Costa Reg Um, pai-a se Ihe dar
por ceriido se Eulampio Leandro de Gonveia esl
ou nao inscripto wmo caxeiro de, Auku-s o Octa-
viano de S>uza & C, e desle jnando.- D-so a
ceriido pedida.
De Antonio Ja Co>.la Ribeiro, para se Ihe certi-
ficar se Ernesto Martn. ou nao eaixeiro d'elle.
-Sira.
Do mesmo, para se Ihe regi-lrar a nomeaco de
eaixeiro qne dera a Joo Ferreira da Silva, e dar-
a baixa no registro da que havia dado ao sen ex
eaixeiro Joaquim Alves Pinto Das. Como 1 a-
qner.
De Miguel de Figueirda Faria, para ser desone-
rado da llanca que prestara ao agente de lei'.oes
Francisco Antonio Ponlual Jnior, scieniifieanio-
se ao dito agente oa ao sea preposio aflm de pres-
tar novajrlanca na forma da lei- Como requtr,
ticand 1 certo o supplicanie de que ainda depois de
substituida a tianca, fica esta subsislinda pelo lem-
po qne a lei prescreve.
Da compaohia iugleza de segaros t The Roiyal
Insurance Company apresentaodo o decreto de
sua aulorisaco para poder fanccionar nesta pra-
Ca era como copia ean duplicata dos seos estatu-
tos, a procurarlo outorgada aos sens agentes nes-
ta cidade e o recibo da rancio em dinheiro, afim
de sa proceder as formalidades legaes para que
pelo governo da provincia seja declarada e reco-
nhecida a agencia que se tem de esubelecer.Vis-
ta ao Sr. desembargador Os;al.
Rehabilitaco de Ant.nio Joaquim Save.Conti-
nua ad-ada.
Dada a hora (lie meia da manha ), e nada
maishavendoa despacharlo Exm. Sr. conselbei-
ro presidente eocerrou a ses.*a.
JESSO JUDICIAR1A, EM 11 DE DEZEMBRO
DE 1871.
aR.SIOENCIA DO EXM. SR. GONSELUEIRO A. f. FI-
RKTTI.
Secretario Julio Gmmaraes.
Ao moio dia declaren se abena a sessan,
sstaudo reunidos os Srs. desembargadores Silva
'juimares, e Reis e Silva, e os Srs. deputados Mi-
randa Leal, Candido Alcofarado, Olinto Bastos, e
Alvaro, faltando sera participado o Sr. desembar-
gador Accioli.
Lida, foi approvada a acta da sesso pass.tda.
O esenvo A!buqaerque registrn o ultimo pro-
testo de letra a 5 do presente mez, sob 0 a.
2485 ; e o escrivo Alves de Brito a 9 do dilo mea
sob o n. 2403.
O Sr. Candido Alcofarado nao apresentou o fei-
to adiad) a seu pedido na sessio paseada, entre
parles, appellantes os adnamistraiores da niassa
fallida de Antonio los de Figueireda, appellado
Jos Alves de Agolar.
PASSAGENS.
O Sr. desembargador neis e Silva apresentoa
para ser presente ao Sr. desembargada Accioli os
feito?, aos quaes o mesrao Sr. desembargada fet
sua declaracao de passagem, entre partes, appel-
laule o administrador da ma3sa fallida de Sebas-
tin Jos da Silva, appellados Feidel Pinto & C,
em liqnidaco ; appellante Joo de Azevedo Ra-
mos, appellado Antonio Ganjalves Ferreira Cas-
cao.
DKSTTUBClfXO.
Ao Sr. desenibaigador Silva Guimares : appel-
lante Joaquim Salvador Pessoa de Siqueira Caval-
cante, appella la a directora da caixa (Pial do
Banco do Brasil ne>ta cidade.
O Exm. Sr. conselheiro presidente dirigi duas
portaras ao contador interino do foro commercial:
a Ia r' commtudando-lhe qua na coniagem dos
fetus que correm no foro commercial tenha en
vista o diaposto nos avisos n. 2:13 do 21 de ages-
to de 18o'a | de marco de 1867, publicados na
Jornal do Recife n. 281 de 0 do corrente mez: e
a 2a letenuiaando Ihe que nao proceda conia-
gem de traslados de feitos que subam o supremo
tribunal de jusuca sem que Ihe conste baverem
-id apreseotados 30 Exm. Sr. conselheiro presi-
dente.
tncerrou se a sesso I hora da tarde.
PUBCACQES
A PEDIDO.
A eleipo do 4 dis
tricto.
Catharina, parda, Pernambueo, 6 annos. S Jos;
vnola.
Bania Maria do Sacramento, parda Pernambu-
co, 80 annoe, viuva, Santo Anhnio; diarrbea
Tribonal do cum-aerclo.
ACTA DA SESSAO ADMINISTRATIVA DE 11 >
DEZEMBRO DE 1871.
?BESJGGNCiA GO EXM. SR. CONSELHEIRO ANSELMa
E0 GXM. SR. CO.NSKLIIFJRO
FRANCISCO PKRKTTI.
As 10 horas da raauha, reunidos os Srs. depu
lados secretario Miranda Leal, Olinto Basto?, Can-
dido AIcoToralo o Alvaro de Almeida,S. Exc. o Sr
conselheiro presidente declarou aberta a sesso.
Foi lida e approvada a acia da sesso de 7.
BXPKHKlfrB.
Cilicio do conservador do cemmercio de Maeei,
remellando a roa cao dos livros sellados rubri-
cados, para oommeroianiea daqaeila (iraca oo mez
de nov-mbro ultimo. O tribunal resolveu que
fosse archivado.
Ofli'io Ai mesmo conservador, enviando o pro-
cesso c o orgioaJ da nwevaeo da uanc* do agen-
te de iHo Aaionio Barbosa de M T^os Cabral por
wr fallecido o fiador. Respooda-se que Bca-ae
eo'endido.
OlBcio da junta dos correctores, remllenlo as
coiaioV Ulciaes da semana de 4 a 9 da deaem-
uro.Foi nindad'j para o archivo.
Jornal offioaa*, de n 176 a 280. -Para o archivo.
Livro do registro oa corr*pond acia rfluiai :
rtgalarmenta escriptarado al o n. 282.
Nnoca tive gosto pelas oslenlacoes e jactsnciae,
mxime quando teera por fim por-me em evi-
dencia.
Se alguma? vexes le-nho occuoado a attenco pi-
11 comselos pue dizem respeiio a mioha hu-
milde indivrdsaldede, impulsos da propria dtgni-
dade, e aggre.>oea injustas t;m sido a can>.
Assim, serapre me abstive de arrradecimentos
publ co?, que podessera parecer ura meio defaier-
me valer.
Fui eleito membro da as?embla provincial, tres
vez-s pelo 2' disiricto e urna pelo i*, o nunca fli
ostento a minhi ratido, sena servinio aos iute-
resses da provincia, e devotando-me aos mesa
amigos. Sem ?-r horaeopatba, aprecio e observa o
res non verba,
l-io posto,eoufesao qne nao tenho g-ito para
pr g^ero dos irinnm hos propnos, nem para chc-
raraingas das derro as.
E foi por esta razo que me abstive de apreciar
as ultimas occurrencias eleiioraes do 4districto :
nao estavam raen sabor, nem o canto da victo-
ria, era a tamuria por cansa das Jiilicaldades que-
me crearam.
Era todas as circumstancias, em qne me acn,
sei guardar as conveniencias de certa ordem.
Na lula, confesso o, sou talvex lenas, antes que-
ro ser vencido, do que reeoar por temidez; mas
terminada ella, se vencedor, obdec- regras da
genero-ida da, nao augmentando a afit gao ao af-
ilelo ; se vencido, o rae i primeiro seoiiraento *
do perlo e esqueeimeoto, porque, digo-o com o
coragi aas raaos, nunca o odio me domina.
Por lanto. passada a eleico, suppuz-rne de co*1
lae saldadas cora todos, e nem o odio, nem o es-
peito me ticaram a litejar no espirito.
Empenhti-me no pleito sera clculos de diver-
gencias, sem mtencoes de me faier operario d*
dsIeeafQea.
Delerinioaoi-me circumsiancaa espeoiaes, e na
aoimo deliberado de quebrar os races do pas-
cado.
Do neo proposita de silencio, porm m win
tirar o Sr. Dr. Ernesto Vieira de Me/o, q
eaa seu afn de commemorar o iriumpbo que ob-
livera, publicou mn artigo, nm rae, enir-a moras
jactancias, mirodnzio a segrate alervosia :
A art ala cao, a araeaoa, a mentira, a elamm.
indo se lovidlou eom o nm de difflculiar a miada
eleicao e arredar os que me auxilia*.
Vejo bera do artigo do Sr. Ernesto Vieira, qne
ti io quant > nio dirigido ao Sr. Dr. Aupu-to de
i nveira, tera subscripto a raira ; mas n me faca
:argo de dar-lbe respoaia conafdau, narqN oae
vf jo pr.veii em Iravar oplcaaica sobre o mea a
en proced ment na eleigo; ao publica nao ia-
L
r
^

~M

.**



de Pmatofeac Qumt eira 14 de Dezembro 5
IVil.
1

i
'\
_=
tsressa certamente assa lavagern de roopa suja.
Se (era maito erapoatrio en (ate la, oecaso e lu-
gar roais prepri podar eneooirar, e eu nao fugi-
w aprovoeae^o.
O ditti tu, e h'rW n da irapreosa, nao aceito, e
afeoaa para naj deixar sera reparo iquella sera
ner. %|(ru considerate.
A qwsWwiitoral qua aeaba de decidir 'o 4
plriaia, ni) tai provooada.por mira, fin e raeu
fcoio, o 8r. Francisco Rapnel de Mello Reg, fi-
temos tenlativas no sentido de evita-la.
..Na espectativa de ora aecordo digno estiveraos
al o dia II v novamcro nltimn, sen darmoa ara
lfso. tea adiantarnios trabaihos, como outros
Mrrelfi 'a am.
Nesse da, malograda a rainha nltima tentativa,
eotrei eolio em accordo cora ot doui depilados
geraes do distrioto, qne, como qualquer outro, li-
hara o direito de intervir na eleicao, e ama indi -
cacao de pessoas recommeodaveis pelos seos ser-
bos politieos foi assentada. As priraeiras cartas
escripias, no sentido dessa recommendagHo teem
data de 13 daqaele me;, posterior as que em sen
lido contrario lorara destribaidas. Os qne aoda-
ram por ultimo, nao foram certamonte os provoca-
dores.
Acredito que o Sr. Esnesto Viaira n5o contes-
tar que soffri no di.-ineto cruzada to encamica-
da, que raro tenho visto centra adversarios pol-
ticos I
E era em nomo de pessoas respeitaveis do raeu
partido que se me Java batalha, sera qne eu aou-
besse ao menos o poique baria desmerecido da
conftaacat
T da raialia dedieacao de tastos annos, todos
oe sacrificios dos das drill seis tolo o esfjreo as
latas as raais porfiadas, de nada valorara-rae ; fui
hostilizado como se Ora o mus perigosodos adver-
sarios 1
Como a consciencia nao mo arga de traicao
aspesseas nemas ideas, riquei tranquillo.
era me aherou o animo a circarastancia, de
encontrar no districto em contraposicio aos raals
devotados amigos, imgratos que me feriara cora
as preprias armas que para elles consegu I
Qie a eleicao do 4o disinato correa pleiteada
activamente, que tudo se empenhou contra mira,
prova-o bastante o faci de, emquanto os outro
dislrietas elegiam livreraeol* os seus representan-
tw, aqaelle- exloreia-se sob a pressao de uraa
cbapaI
Nem assira recorr a expedientes que nao sao
dignos de quera se preza. Nao raendigoji votos,
nao recorr a tr.raace5es, nao solicitei o concurso
de um s d'aquelles ele.lores que eu presuma se-
rera-me alversos.
Se, pois, o Sr. Ernesto Vieira no tpico do sea
artigo, a que rae reflro, altadlo a mim, consinta
que Ibe digaavaucou a maior das inexacti-
As mentira, as araeaeas, as promessas, a ca-
lumnia fjram as armas contra mira empregadas.
Na? haver oo 4* districto, acredito-o eu, um
bomem que se presumade bem, que se atreva
a diz t ler ouvido de mim promeisa oa ameaca,
e muito menos que eu calumniasse e mectissj,
ou depreraisse de alguem.
A opposieio que tiz a eleicao do Sf. Ernesto
Vieira foi muito leal e franca. Em raiulu excur
sao pelo 4 districto, s me dirig quelles que
liaba raiodi pira suppo-los meus amigos, e a
nenham fallei snlo em termos convenientes.
E emais, desde que cavilosamente se fez ali
acreditar que eu advogava ulereases contrarios
aos do governo e aes de sua chapa, em nome de
quera podena eu fazer ameagas ?
Perante o eleitrado do 4* districto, esta quar-
tada do Sr. Ernesto Vieira, torna-se por demais
irrisoria.
A palavraadahcaoestou ceno, nao m'a di
rigi o Sr. Ernesto Vieira ; elle melhor que nin-
guera sabe que nao deseo nunca as humilba-
c5es.
Se eu souVse a arto das zmbalas ao menos,
o Sr. Ernesto Vieira nao teria boje motivos de
ufania ptlo resulta io da eleicao: as auras qne
bafejaram o sen triumpho teriam soprado em di-
receo diversa.
O que ceno que entrei na lela cora os
meus nicos recursos.
Se a maioria absoluta dos eleitores que concor-
reraai a eleicjlo me conferio um assento na as-
seubla provincial, devo-o ao exclusivo apoio dos
meus amigos do districto. Nao tive pjr mim ou-
tro apoio, era o solicitei de niognera.
Tambera nao fui ao districto salvar o men nome,
nao flz para isto es/orco algara ; motivo diverso
rae dirigi os passos.
Era todo o caso o resultado da eleicio rae satis-
fez, porque k-gitimou as miohas pretendes no 4o
districto.
Posso, por tanto, dizerbem alto-trinmpheiO
raesmo nao poder fazer a Sr. Ernesto Vieira ; se
esta eleito, o trinmpho nao seu, dos seus pro-
tectores.
Como o Sr. Ernesto Vieira, foi eleito o Sr. Dr.
Silva Reg, que, posto rae informem ser pessoa
estimavel, nao lera todava um s conhecido no 4*
districlo.
Entretanto nao trabo pezar de ver o Sr. Ernesto
Viira eleito, oem o leria se eu nao o fosse. O re-
sultado da eleicao nao foi, nem era o meu ti u,
saiba-o disto o Sr. Ernesto Vieira.
I'assou a eleicao e eu fiquei, coma serapre es-
tive de animo Calmo : n) busco desabafos nem
desforras. E se em r-eu espirito, isento de pre-
veao s como est, podesse a:u la aniohar-se a
ida de reraot vnganga, nao quererla oulra que
nao fosse o juizo imparcial dos meus correligio
carios pditico?, e o arrepaodraeoto quehoje oo
raais tarde tero aquelles que me hilaram com a
Justina a que tinha dire'.o.
Bista-me sto.
Uecifs, i'i de dezembro de 1871.
/. Pedro Brrelo de Mello R-go.
Segaros contra-fogo
COMPANHIA
NORTHER
Capital.
?t4e de reserva


20,000 :OO0jWO0
8,90:0(ieOO
Agentes,
MilU Lathan C.
CQilo meritori i.
De um granie auxilio para as obras da igreja da
Gonce cao Jos Militares, foi a b-m .la de dous cornos
de ris que dea o irrao tiem'ei.or o Exra, Sr. Bi-
ro de U;inga, raaito porm restiva anda a fazer
se na referida igreja, e c irapene.rado desti neces-
sidade o inesmo Sr. baro dea ainJa mais quinhen-
(03 mil ris. pira re incluir o doundo na capilla
mor.
nio inten^o nossa offascar os relevantes ser-
viq.s prestados por mui'.os outrns irmaos e raesmo
devotos que promovern) a festa da anceigio dos
Militares pois somate procuramos darconhecLnen
!) das acede? generosas que aiaJa sao praticados
por a!guus catbjlkos sera outra esperaag de re-
compensa neste mundo.
AccSes desta ord~m esto a-mi de todos os elo-
gios.
Sociedade dos Artistas Me-
chanicos e Libe raes,
Eu nome da Sociedade dos Artistas Mecbani-
eos e Liberaes o abaixo assignado, director da
mesma sociedade, agradece a alta prova de con-
siieraco que Ibe foi tributada na sua sessao an-
niversari pelas prirneiras autoridades 4a provia-
cia, por graade numero de pessoas (Ilustres e
consideradas, pelas diversas soeieda es que fuoe-
cionam nesta cidade e que alli se fizeram repre-
sentar, e finalmente pelas deslindas familias e
exeessivo numero de pessoas, que j por convite,
ej expontaneamente se digoaram visitar a casa
de nossas seseo a e aulas.
Igualmente era nome da sociedade se dirige um
voto de reconheclraento e grtidao a nobre irman-
dade do Santissimo Sacramento da Boa vista pe-
los obsequios que nos dispensaran, nSo s pon-
do o venerando templo a sen cargo a nossa dis-
posicao para oelh celebrar-se a parte reiigiosa
dos nossos l'istej is, como dando-nos o mesrao^tem-
plo ornado e aoa aconipanliando eocorporada nos
actos que alli foram celebrados.
Ilocife, 3 de dezmbr de 1871.
loao dos Santos Ferr ira Barros.
~^~ i
COMMtBClO
IMPERIAL
Compaahia de seguros contra
f020^
;AGENTES
S. P. JO/TNSTOxV & C;
ta da erzala-nova n. 11
THE ALUANCE BBITISH d FOREIGN.
Life aad Pire Assurance Company estabelecda
mi lti. CaplUl 5,000,000
Os agentes desla eorapasbia tomara seguros
contra rogo sobre predios, gneros e fazendaa a
pagara aqu prejuizos devidamente provados,
fflabe Sebraettan C
Corpo Santo n. 15.
SEGURO CONTRA FOGO
The Liverpool & London & Glob
Irjsurance Company.
Agentes :
Saonders Brothers & C.
11Corpo SaotoII.
PRA^ADO-RECm 13 DE DEZEMBRO.
DB 1671.
AS 3 1/1 HORAS DA TARDE.
Cotatffos officiaes.
Mo houve eolaedes.
i. O. Stepple,
Presidente.
P. J. Ptuto,
Secretario.
ALFANDEGA
ftendimento do da 1 a 12. .
dem do dia 13 ....
439:792*779
60:311*477
o00:10ia2."i6
oTlmento da alfndega
Volumes entrados
com
cora
Voluntes
sabidos cora
com
(azendas
gneros
fazendas
gneros
345
812
177
582
1,157
739
Descarregam boje 14 de dezembro.
Barca fraoctzaCo/i'flny varios gneros.
Patacho hespanbolCarinvarios gneros.
Brigue portuguezUnio idera.
Patacho ooite- allemoAvance ideru.
Barca ingleza Willage Qitem carvo e raacbl-
nisrao.
Patacho norle-allerao Mane & Sophecarvo.
Despachos de exportaco no dia 12 de
dezembro.
Para os portos do exterior.
Na barea portugueza Diana, para o R;o da
Prata, carregaram : Jos da Silva Loyo & Filko
12 pipas com 5,760 litros de cachaba.
Na barca ingleza Boomerang, para o Canai,
carregaram : Rabe Scnamellau 4 C. 631 saccas
com 44,921 kilos de algodlo.
Na barca ingleza Helen Finlayun, para Li
verpool, carregaram : Mills Lathan & C. 81
saccas com 6,G02 kilos de algodo.
Na barca franceza Vertdiana, para o Havre,
carregaram : Ksller 4 C 200 saccas com 17,351
kilos de algodo ; E A. Burle 4 C 828 couros
seceos salgados com 9,936 kilos.
Na barca portugueza Gralidao, para Lisboa,
carregaram : E. R. Baballo 4 C. 40 saccas com
3,458 kilos de algodo e 845 saceos com 63,375
kilos de assusar raa-cavado.
No vapor francez Sgndih, para Bordeaux,
carregou : Madama Adour 1 sacco com 15 kilos
de assucar braoex
No navio portuguez Venus, para Liverpool,
carregaram : Saunders Brothers 4 G. 1,110 sac-
eos com 81,030 kilos de assocar mascavado.
No brigue ioglez Mary Block, para Liverpool,
carregaram : Mills Lathan 4 G. 2,400 saceos com
180,000 kihs de assucar mascavado.
Na galera porlngueza Lisboa, para o Porto,
carregou : Joaquim Jos Ramos e Silva 400 saceos
com 30,000 kilos de assucar maseavado.
No palhabote portuguez Rival, para a Illra
de.S. Miguel, carregaram : Antonio Muniz Macha-
do Jnior 20 barricas com 14,150 kilos de as
sacar branco.
= No pitacbo norte-allemo Marta, para o Rio
da Prata, tanvgtram : Pereira Carneiro 4 C. 400
barricas com 49/.71 kilos de assuear branco.
No brigue porluguez Soberano, para Lisboa,
carregaram : E. R. Rabello 4 C. 62d couros sec-
eos salgados com 7,440 kilos.
Na barea ponugueza Saphira, para Lisboa,
carregaram : Thonm de Aquno Fonseca 4 Fiihos
101 saceos com 5,890 kilos de gomraa de man
dioca.
Para os portos do interior.
Na barcaca Unio do Norte, para a villa da
Penha, carregaram : Beltr) 4 Olivera 2 barri-
cas com 119 kilos de assucar branco.
RECEBEDORIA DE RENDAS INTERNAS
GERAES DE PERNAMBUCO..
aendmento do dia 1 a l. 25:1604420
dem do dia 13...... 1:790*570
26:959*990
CONSULADO PROVINCIAL""
aendmento do dia 1 a 12. 53:921*043
dem do dia 13...... 7.939*716
61:860*759
MOVIMENTO DO PORT.
iVouio entrados no dia 13.
Rio de Janeiro e lS*bia 6 diis, vapor fraocez
Syndh, de 1903 toneladas, commandanle Masse
nei, equipagera 125, carga differentes gneros
a Tis.-el Frere.
Baha 4 oias, vapor ioglez de guerra Gladiator,
commandaute Bedmgfeld.
Bjeoos-Ayres 32 das, galera be-pauhola Joa-
quim Serra de 563 toneladas, capito Jos Isern,
equipagem 18, carga couro e sebo ; Amorm
Irmaos 4 C.
Rio-Grande do Sul 40 dias, patacho norte al-
lemo Almulh Calhanm de 108 toneladas, ca-
pio BaumanJ, equ pagem 6, carga carne ;
ordem.
Navios sonidos no mtsmo da.
Porto Brigoe porltguez Relmpago, capito Ma-
noel Jos huirte, carga assusar e algodo.
Bordeaux e pjrtos intermedios Vapor francez
Syndh, commaodante Massenet, carga a mesma
que irouxe dos portos do sol.
Observacao.
Suspenden do laraaro para o Rio Grande de
Norte a barca franceza Tamaulepis, capito See-
tout, com o raesmo lastro qtre trouxe do Rio de
Janeiro.
Llera para Parihyba, baria noruegoense Stella,
capito Oloen, com o mesrao lastro que trooxe do
Rio de Janeiro. **
EDITAES.
O Dr. Sebaslio do Reg Barros de Lacerda juiz
de direile espacial do commercio nesia cidade
do Recite de Pernambuco por S. M. o Impera-
dor ele.
Fa;o saber aos que o presente edital virem e
delie noticia tiverem. que do dia 14 de dezembro
do correte aono, se ha de arrematar por venda
em praga publica lesse juiao, depois da respecti-
va audiencia o segu ote :
Urna mobilia de Jacaranda contando ura sof,
do e cadeiras, duas ditas de braco, duas ditas de
balanco, doos consolos e urna jardineira avaliada
por 400*000, prego da adjudicado 300*000.
Un pianno de Jacaranda por 250*000, preco da
adiudieaco 186*500.1 *
Ura toilette de jaearaed com pedra por 50*000,
preco da adjudicado 37*865.
Urna coramoda de dito por 50*000, preco da
adjudicaso 37*665.
Doos consolos de madeira de amarello por 60*,
prego da adjodicicSo 45*000.
Urna cama franceza de madeira de amarello por
50*000, prego da adjudicago 37*665.
Ura guarda vestido de madeira de amarello por
50*000 prego da adjudicago 37*665.
Um guarda louga de dito por 40*000, preco da
adjudicago 30*006.
h ms aparadores de madeira de amarello por
10*000, prego da adjudicago 7*500.
Duas meziohas de msdeira d amarello por 12*,
prego da adjudicago 9*000.
Dans lavatorios de madeifa de amarello por
8*000, prego da adjudicago 6*000.
Um tocador de madeira de amarello por 5*000
prego da adjudicago 3*666.
Urna machina de costara por 40*000, prego da
aiiqdoafio 30*000. wwr r*
Doos sofas de madeira de amarello por 50*000,
prego da adjudicago 37*665.
Urna meza elstica por 40*060, preco da adju-
dicago 301000. Os qnaes objectos forara penho4
rados por execugo de Jote Aniones Guiraaraes
contra MaDoel Jet Lapes.
E nao bavendo langador qne cabra o prego da
avaliagao a arrematado ser feita pelo prego da
adjudicago cima declarada.
E para que ebegne ao conheeimenlo de todos
raandei passar o presente que ser publicado pela
impreosa e afixado no lugar do costante.
Reclfe, 29 de novembro de 1871.
EBfJ*! Mirla RudrlgMs do Naseimeoto es-
crivjrj o' sWiscrevl.
Recife, 29 de oovenbro de 187|.
Ao sello 300 rs. V S S ex-casa. Barros de
Lacerda.
SeCastiao do Reg Barros de Laarda.
OECLARACOES.
SANTA CASA DE MISERICORDIA DO RE-
CIFE.
A junta administrativa da Sania Casa de Mise-
ricordia do Recite, precisa contralor o forneciraen-
to dos gneros abaixo declarados, que tere de eon-
iummir ioio os eaiabelecnentos pos seu car-
go nos mezes de Janeiro a margo do anno futuro
de 1872. Recebe para isto propostas na sala de
suas sessSes pelas 3 horas da tarde do dia 14 do
crreme:
Aletria, kilogramrao.
Arros de Maranhao, idem.
Azeite doce, litro.
Dito de Garrapato, idea.
Aguardsute, dem.
Bacalbio, kilogrammo.
Batatas, idem.
Gb hysson, iderar
Dito preto, idem.
Caf em grao, fdera.
Carne ecca idem,
Cebla.-, cento.
Farinba de mandioca da terrra, litro.
Fumo do Rio, kilogrammo.
Feijo mulatiuno, litro.
Farello, sacea.
Gaz, lata.
Milbo, sacco.
Manleiga franceza, kilogrammo.
Sabio, idem.
Sal, litro.
Tapioca, idem.
Tmcioho, kilogrammo.
Velas de carnauba, dem.
Veas siearinas, idem.
Vinagre, litro.
Vinho de Lisboa, idem.
Dito branco, idem.
Secretaria da SazttfrCasa de Misericordia do Re-
cife, 5 de dezembro de 1871.
O escrvo,
Pedro Rodriguerde Souza.
SANTA CASA DA MISERICORDIA DU RECIPE.
A Illm, junta administrativa da Saeta Casa de
Misericordia do Recife, manda fazer publico que
na sala de suas , zembro pelas 3 horas da tarde, lera de ser arre-
matados a quem mats vanlagens oflerecer, pelo
tempo de um a tres annos, as rendas dos predios
em seguida declarados.
ESTABELECIMENTOS DE CARIDADE.
Ra de Horias.
Sobrado n. 13 (andar e solio.). 304*000
Ra larga do Rosario.
Segundo andar do sobrado n. 24 A. 308*000
Ra do Prdre Florianno.
dem o. 47.........180*000
Roa da Gloria.
asa terrea n. 61......240*000
tPATRIMONIO DOS ORPHAOS.
Roa de S. Jorge (Pilar).
Idem n. 108........205*000
dem n. 98.........205*000
Os pretendemos deverao apresentar no aeto di
irrematago as suas angas, ou comparecererr
compannados dos respectivos fiadores.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do R
ufe, 2 de dezembro de 1871.
O escrvo,
Pedro Rodrigues de Souza.
Consulado provincial
Por esta repartigo corneja a recebar se no dia
de dezembro vidonro o imposto da decima ur-
bana e o de5 0|o sobre as reodas dos bens de cor-
poragoes de mo mora, relativos ao primeiro se-
mestre do presente aoDo financeiro de 1871 a 72,
correndo d'abi o praso de 30 dias para esse paga-
mento sem dependencia de multa,
Consalado provincial, 21 de novembro de 1871.
O administrador,
A. Coraeiro Machado Ros.
SANTA CASA DE MISERICORDIA DO
RECIFE
Perante a junta administrativa desta Santa Casa
vio a praga pela renda annual da quaotia de 600*
o primeiro e segn lo andares do s)brado n. 3 da
ra da Madre de Deas, pelo tempo a contar de
boje at 30 de junho de 1871, obrigaodo-se o ar-
rematante a fazer nelles os concertos de que pre-
cisarem.
i>s i.re'.en leales podero para isso comparecer
quana-feira 7 do crreme, pelas 3 horas da
tarde.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do Re-
cife, 5 le dezembro de 1871.
O escrvo,
Pedro Rodrigue' de Souza.
Santa lasa de Misericordia
do kecife.
A Illma. junta administrativa da santa casa de
misericordia di Recife, na quiota-feira 14 do cor-
rente, pelas 3 horas da tarde, lera de contratar o
fornecimento dos medicamentos que houver de
consumir a bolica do hospital Pedro 2* no trimes-
tre de Janeiro a margo do anno luturo de 1872,
tendo preferencia aquelle dos licitantes que maior
abatmento fzer sobre os pregos constantes do
raesmoreceituario, que poder ser consultado nes-
ta secretaria.
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do Re-
cife 9 de dezembro de 1871.
O Escnvio,
_______________Pedro Rodrigues de Souza\
SANTA CASA DA MISERICORDIA DO
RECIFE.
A junta administrativa da santa casa de miseri-
cordia do Recife precisa contratar o fornecimento
de pi, bolacha e assucar que h uverem de con-
sumir todos os estabelecmentos pios a sea cargo,
inclusive o azylo de mendicidade, no trimestre de'
Janeiro margo do anno futuro de 1872. Recebe
proposta na sala de soas sessSas pelas 3 horas da
tarde do dia 14 do correte.
Secretaria da santa casa da misericordia do Re-
cife P de dezembro de 1871.
O escrvo,
Pedro Rodrigues de Souza
estado de poderem os vaporea continuar a na-
vegar.
nspecg do arsenal de marnta da Pernambu
co 12 de dezembro do 1871.
Francisco Romano Stepple da Silva,
Inspector
anta Casa de Jlfserleoriu do
Recife.
A junta administrativa da santa casa da mise-
ricordia do Recife prfeisa contratar o fornecimen-
ode tcarne verde que houverem *e consumir os
-eslabeleeimentos pios a sen cargo, incldsive o
asylo de mendicidade, no trimestre de Janeiro a
margo do anno faturo de 1872. Reeebe propo3-
?8 P* **'* *e 8DfM *i6es P6'" 3 "aras da l?rie
do dia 14 do crrante.
Secretaria dia Sania Casa de Misericordia do
Recife, 9 d dezembro de 1871.
O eserlvio,
Pedro Roirigues de Souza.
THEilHe
GYMKASIO DRAMTICO
Sexta-feira 15 de dezembro
RECITA Em FAVOR DO
Gabinete pertagnez de leilnra
Depois que a orcheatra liver exeeulado a sobar-
ba marcha
PRIMEIRO DE DEZEMBRO
expresbanla ctmposta para ser tocada as fes-
tas anniver.-arias daquelle gabinete, pelo digno so-
cio honorario o Sr. Francisco Libanio Colas, sub
r i scena a linda comedia em 2 actos, ornada de
msica, composigo do Sr. Virissimo Chaves.
m AO i FIO A9 iffi
Segnir-aa-ha orna bella phaatisia de flauta, pe-
lo hbil artista o Sr. candido Filho, sobre motivos
da opera :
LUCRECI4 BORGIA
Terminar o espectculo com a representago
do 4* acto da applaudidissima parodia buffa:
eirus m m\
o
Principiar s 8 1/2.
O resto dos.bilhetes podem ser procurados no
iheatro, no dia de "speclacolo das 10 1|2 h.-ras da
maohaa, por dame.
Dpois do espectculo haver um trem para A-
pipucos e mais pootos da linha.
AVISOS MARTIMOS.
RIO DE JANEIRO
Para o pono cima segu nestes doze dias o
brigue nacional Isabel, lem parle do seu carrega-
meolo engajado : para o resto que lhe falta tra-
ta-se cora os coosigoatarios Aotonio Luiz de Oll-
veira Azevedo 4 C, ra do Bom Jjsus n. 57, !
andar.
Aracaty
Segu ne3tes dias o hiate Flor do Rio Grande :
a traiar cora G;mes de Maltes Irmaos, roa do Vi-
gario n, 26.
Para Liverpool
A barca portugueza Corea (classe 5(6 A 1, 1,
recebe algadio a frete para completar seu carre-
gamento. Trata se na ra do Vigario n. 19
ia americana e brasilei-
ra de paquetes a vapor.
At o dia 15 do corrente esperado de New-
York por S. Thomaz e Para o. vapor ame-
ricano South America, o qual depois da demora do
costume seguir para os portos do sul.
Para fretes e passagens, trata-se com os agen
les Henry Forster & C, ma do Commercio u. 8.
COMPANHIA PEKNAMBUCANA
VaTegacio eostelra por vapor.
Parahyba, NaUrt, Maco, Mossor, Ara>
caty, Cear, Mandah, Acarac 6
Granja.
O vapor Jaguar ibe, commandactt
Guilherme, seguir para os por-
tos cima no dia lo do correnti
as 5 horas da tarde. Recebe car
ga at o da 14, encommendas.
jassageiros e dinneiro a frete at as 2 horas d;
arde do dia da sahida : escritorio no Forte di
tfattos n. 12.
COMPANHL\ PERNAMBCANA
DE
%'avegaeSo costelra por vapor
Gojarjna.
O vapor Parahyba seguir pa
ra o porto cima no dia 16 do
crreme as 9 horas da noute.
Reeebe carga, encommenda;
passageiros e dinneiro a frete at
as 2 horas da tarde : ni escriptorio do Forte do
Mattos n. 12._________________
Para o Aracaty segu com toda a brevidade
o hiate nacional Mara Amelia, capito e pratico
Francisco Thomaz de Assis, j tem aiguma carga
engajada : quem no mesmo quizer carregar pode
enteoder-se cem Aotonio Alberto de Souza Aguiar
a ruado Araorira n. 60, on coro o eapio a bordo.
LEILOES.
Importante
Leilit
DE
Movis, so correr do martelfo.
MOJE.
Sendo de nma rica guarnigo de Jacaranda Lniz
XV com podra raarraore obra de gosto e bem
acabada, 1 dita de amarello, etangeres, com-
modas de Jacaranda e amaiell meza elstica
com 4 taboas, apparadora, camas francez as de
Jacaranda e araarelli para casal, urna machina
para costura, 1 piano de armario proprio para
principiante, 1 guarda vestidos. 1 raarqnezao, 2
roaiqnezas, 1 par de consollos, 1 guarda roupa,
1 lavatorio. 4 qoadros grandes com moldura
dourada, 2 pares de lanternas, meio apparelho
de louga para jamar, 2. jarros de porcelana, 1
espelbos com moldara dourada em perfeito s-
lalo, 1 cama americana para menino, 1 bergo
diversas cadeiras usadas, de amarello e Jacaran-
da, i bastidor, alera de mullos outros objecin
que ejurao patentes aos compradores ; assim
com^caft.|#?tic.ano novo mullo leve e ele
K^jiA4 raaas e ecm i assenios
Pel.ii|JJ|^iO; P'-st^Mi' no anligo annszem d"
agerlaia^W.^topirrador n. 16, s 11 horas.
Glande
LEILO
DE
Objectos de phantazia
HOJE
A ra da Imperatriz n. 7.
Sendo reos jarros de porcelana de variados gobios,
lindos frascos, figuras de gosto, relogios com
muzica, caixas de madeira, penies de tartaruga
para cc, espelb.os de madeira, porta-relogios,
iivros de ouvir missa, caixas com pos para dea-
tes, pona-joas, frascos com agua de colooia,
plumas e veos para chapeos, vestidos para rae-
ninas, escovas para cabello, caxnhas cora flor
de cheiro, chapeos para senhora, chicotes, ben-
galas e muilos outros arligos de gosto, que se-
rio vendidos ao correr do marteilo, para refor-
ma do estabelciraento.
Madama Leconte, far leilio por intervengao do
agente Manas, de todas as fazeadas de seu esta-
beciraento, as quaes serio vendidas pelo maior
prego para renovar o seu estabelecimento.
As 11 horas do dia cima, ,a ra da Impera-
triz n. 7
Copeiro.
AMA
Precisi-se de um cpeiro: na ra larga do Ro-
sivio n. 41.
Precisu-s de-uma prela de me.
Hade que saiba coziohar e comprar -
na roa Velha n. 116._________
Precisa-se da.quana de 3005 a joros, pa-
gando-se mensalmeote a quanlia de 30/1 dcUuvo
*| os juros que for convencionado, isi) por espaeo de
um aono : quem quizer fazer tal oegocio declare
por este Diario para ?er orocurado.
Irmandarie de N. S da C ncetgo dos
Militares.
lie ven da ler lugar no domingo 17 do coreante
moz, pelas 8 horas da manhia, depois da missa
votiva, a elego da mesa que tem de jeget esla
irmaodade no ann de 1872 manda, por feto o
irmao, serviodo de presidente, convidar t dos os
irmaos para que se dipnea comparecer uo con-
sistorio desta irmandade para tal lim
O secretarit.
Franjii-co Antonio de Sa Barreto.
DE
Manleiga iogleza era jarros empalhados.
Sexta-feira 15 do corrente.
A'S II HORAS EM PO.NTO-
O agente Pinto levar leilio, s 11 horas do
dia cima dito em seu escriptorio roa da Proz,
o. 38, cerca de 60 jarros cjra manteiga ingleza
tina, ultimameote despachada, a qual se torna re-
commeadada pela sua boa qualidade.
Grande
LEILAO
DE
M'bilia, crystaes, luuga, maclna de eos-
"tura, siibo, Sfcllim e pertences.
Terca-feira 19 do corrente.
NO
Sitij da Ponte d'Ucua dafronte do caes
do mesmo nome.
O preposto do agente Oliveira, fir leilo por
ordem de orna familia que mudou de resdeocii,
de ama booita mi bilia de Jacaranda toda comple-
ta, urna dita de faia branca franceza, cora -oa,
cadeiras, ditas do balaogo, jardioeiras, consollos
com tampos de pedra, 1 xcellente cama de jaca-
randa para casal, guarda-vestidos, guarda-roupa,
commodas, 1 perfeita machina de costura de Ha-
ll t Grover, tocadores, toileis, 2 mezas novas elas-
icas, guarda-looga envJragado, guardalivros,
apparadores, apparelhos para jantar e cha, facas,
garios, castigaos, copos, clices, garrafas de crys-
taes, jarros, quartnheiras, veuezianas, cabida',
trens de cosinba, e muilos outros objectos uleis e
necessarios para casa de familia; no sitio da
Ponte d'Ucha defronte do caea ; o leilo princi-
piar s 11 horas, por serem muilos os lotes.
llavera um trem especial para conduzir gratis
os Srs. concurrentes ao referido leilio, que parti-
r do arco de Santo Aotonio s 10 horas da ma-
nha.
LEILAO
Attenpao.
Na ra Direita n. 53 precisase fallar ao Sr.
Joaquim Francisco da Silva Piotto a mfocio que
oio lhe deve ser ejtranho.
Aluga-e a litta t&Mbtffaj}. 36oa.rua da
Madre ile Dos, a da esqnma para a do Blspo Sar-
dinha : a traiar na la do Coronel La:nenba, ou-
tr'ora dos Prazeres, o. 12, ds ii as horas da
tarde.
lamilla Carolina Dowsley
Jorge Dow-ley (ausente) pretende, por mierme
dio de um amigo, fazer celebrar urna missa por
alma de sua sempre chorada mi Eaiilia Carolina
Dowsley, fallecida na corte do Wo de Janeiro em
17 do mez passado ; e por esie meio convida ca
paremes e amigos residentes nesta provincia para
assistirem ao aeto. que lera lugar na matriz da
Boa vista as 8 horas da maohaa do dia 16 do cor-
rente mez, trigsimo do fallecimento. Desde j-
agradece o comparecimeoto das pessoas, a cojo-
espirito de caridade faz o presente appello.
ATTENCM)
Vende-se por barato prego urna propriedade a
margeno da camba dos amedios, fawndo-se
toda vamagem ao comprador, recebendo-se parle
em dinheiro e parte em letras cu objectos de
rrempta venda ; cuja propriedade comm urna
graade olaria de pedra e cal que lastra 16,00o1
lijlos de alveoaria grossa e Torno que comporta
5,000, com mais mu furno e lastro para fajer-se
telhas, ladrilhos, canos e louga, com xcellente
barro para qnalquer obra, com dous exeellemes
viveiros de pexe e com casa de vvenla para
grande familia, torna-se recommeodavel por pas-
sar perto a linba dos bunds : as pessoas que pre-
tenderen dirijam-se dita propriedade a entender-
se cora o capito Dellim Lias Cavalcante Pessoa.
Casa em Olinda.
Ainla est para alugar a casa terrea n. 3 da
Ladeira da Misericordia, com 3 sallas, cinco quar-
tos, terrago oa freole e airaz, coaiaha fra e bom
quintal, muito fresca, xcellente vista pela frente,
e para o mar pela parte oe traz, muito cemmoda
para os bichos salgados, por ticar ao p da ra
do oriilioi em direcgo aos mesmos : tratar na
roa do Cabog o 16. 2" andar. ___________
i\'a ra estrella do Rosario u. :!o (-obradt)
fornecc comedorias para fra cora aceio e promp-
lidio mandaodo-.-e levar em casa dos assignantes
almogo das 7 as 9, e jamar de 2 as 3, oo a hora
que se convencionar, a pregos conmodos e varie-
dade as comidas.
mmmn
No pateo do Carmo n. 20 2* andar, preei.-a se do
ama que faga compras para nma s re3^oa.
Desappareceu no dia 10 para o dia 11 dous
bois de carroga, ura liso com as galbas de vacca,
no meio das albas com signal de besia e urna pin-
ta branca no lado do braco esquerd>; e o outro
boi do mesrao tamaoho j velho com as ponas fe-
ebadas ja um pouco gasta, quera trouxer no Vivei-
do Muniz ser bem recompensado.
TRILHS URBANUS UO RE JF A BE-
BERIBE.
Ao Sr. Dr. gerente da corupinhia, fazem sentir
muilas pessoas do commercio a taita de um trem
todas as coates para Del. t < as 9 1|2 horas, pois
esli privados ue dormir em a,:i-le arrabalde por
nao poderem ir as 8 112 da nome, ultimo trem qua
parle do Recife para alli.
Para o Porto
COMPANHIA
bO
BEBERIBE
S5o convidados os Srs. aecrorjisras de-la
companrjia a reunirem-se em assembla ge-
ral exlraordioaria no dia 18 do corrente
mez pelas 12 horas do dia no escripto-
rio de snas sess5es roa do Cabug n. 16,
aQm de se deliberar sobre um pequeo em
prestimo que a mesma companhia necessita
contrahir: prevenindo-se ao3 Srs. accionis-
tas qne de conformidade com a segunda
parte do artigo 23 dos sem estatutos, a rea-
niau ter eH ctyidade com o numero dos
Srs, accionistas qu3 a ella comparecerem.
Recife, 13 de dezembro do 1871.
O secretario.
Jos Honorio Bizerra de Menezes.
Ins,pe(#o do arsenal de
marrtiha,
Paz-se poblico que a commissio de peritos exa-
minando na forma de;erraloala no regulndote
aonexo ao decreto n. ',32a de 5 de fevereire de 185*
os cascos, machinas, caldeiras, appareffios, mas-
HlV8Ja^ eorg dos vapores
2nri> Gma curwripe da Companha Per-
nambucana de Ba^egacio coateira ; e bem cono
]P2r t"*** oprWtSTtfe Caetano Lou-
W099 Suirrs, ehou todm e"w objectt
Vai sahir com brevidade a barca portugueza
Finneza, capito Justino Rodrigues Cardoao, por
ter a maior parte da carga prorapta : para carga
e passageiros, para oa quaes tem exeellemes com
modos, trata se ora E. R. Rabello de C, ra do
Coraraercio n. 48, ru com o capitn.__________
Para o Porta
Seguir com a maior brevkhde, a barca porta*
goesa Ctaudina, por j ter a maior parle da car-
ga engajada, para o res'.o qne Ibe falta, e passa-
geiros, trata-se cora os coosigoatarios Cucha, Ir-
maos & C, na ra da Madre de Deas b. 3k, oa
com o capito na praga.
DE
movis e objectos de escriptorio
CONSTANDO DE
Urna graodi secretaria com armario, 1 estante*
de Jacaranda eovidragada com secretaria, arma-
rios com partileiras, 1 dito cora caixas de papelao'
1 balean, boas carteras para 1 e 2 pessoas, 1 bur-
ra prova de fgo, 1 prensa para apenar panos, 2
armagojs para fazeudas, 2grandes mezas para fa-
zendas, 2 grandes armarios forrados de baeta por
dentro, e urna balanca decimal.
Um sof, 1 meza redonda de Jacaranda, 1 relo-
gio, 2 cadeias de bitango, I apparador, 3 com-
modas, marquezas, mezas, cadeiras, lavatorios,
castigaos, mappas e mo.it .s outros objectos de es-
criptorio :
Quinta-feira 2! do corrente.
A tt hora em ponto.
Schapheillind & C, tendo liquidado sua casa cora-
mercial, far leilio por intervengao do agiote Piolo
lo dos ul.jec os cima descriptes, existentes em
seu escriptorio roa da Cruz n. 42, 1* andar.
VISOS DIVERSOS
mn
wtr.m
Para Lisboa
vai sabir breve por t- r a maior Darte da. carga o
brigue portuguez t Soberaa >, capilao Bogigan-
ga : para carga trata-se com E. R. RrJketlo & C.
roa do Commercio d. 48, ou cora o capito.
COMPANHIA PBRNAMWJG/uNA
M
Nwegaco costetrapor vapor
Macei, escalas, Penedo e Ai acaj.
^CjMT^BMSf. O vapor 6e,ti, seguir pan
os portos aeima no dia 13 de
corrente as 5 horas da tarde
Recebe carga at o dia li,
encora mondas, passagens e di
nheiro a fcete al as 2 horas da tarde do dia da
sahida: no escrinaoriodoTbrte do Mallos n. 12.
CGiMPAPftA PERNAMBCANA
DE
are,ac* ostclra por vapor*
Porr.o de Gallinhas, Rio Formoso
Tamandar.
O vapor nacioaal Parahy-
ba.seguir paraos portes ci-
ma no da 20 do corrente a
meia noute.
Recebe carga, encommen
das, passageiros e dinheiro a
(rete no escriptorio do Forte do Mattos a 12.
SOCIEDAD!
m.. LIV.-. E POP,.
Convida-se a todos oa Irms.-. para a sess.-
le quinta-feira 14 do correle pelas 6 horas da
tarde, adro de tratar-se de negocios de subida im-
portaocia para os Pos soclaes.______________
Aloga-se ou vende-se a ca-
sa eshio da estrada dos Af-
nietos n. 22, o qual tem 200
palmos de frente e cerca de
1,300 de fundo, com cncimba, frocteiras,
etc., assim como vendera-se verrenos aos
lados do mesmo, tendo as ('entes e os fun-
dos murados, sendo na verdade excelleote
acqoistfSo para edidcacSo, nao td por ser
bem perto da cidaie, como por passar pela
frente a \ia frrea do Arraial: a tratar com
Antonio Jos Rodrigues de Soura na thescu-
rara das oleras oa em seu sitio do Mon-
teiro._________________________________
Oasa em Olinda
Aluga-se a casa n. 27 da ra de S. Pedre Mar
tvr, de dous aodares, com quintal, bella vista,
fresca e comaoodos para familia : a fallar ao Re-
cife ra da Cadeia, lioje Mrquez de Olinda, n. 53,
loja de chapeos. ______
Esta para alugar o 2
Hara M .noria le Jlello
Barrrto.
Capito Bstevo Jos Paes Barreto e Calbarma
lmilia Barreto dos Santos cordialmente agradecer
a todas aquellas pessoas que se digmram acompa-
uhar al o cemiterio publico os restos moriaes de
sua mui prezada mi, Mari Manoela de Mello
Barreto ; e de novo coovidam as raesmas pessoas,
prenles e amigos da tinada assistirem a missa
do stimo da, que ter lugar oo dia sexta-feira.
t-docorrewe, as 7 1|2 horas da maohaa, e por
este acto de caridade e religio desde ji se con-
pWWg eleriaaeote gratos
CASA DA mi\M
Aos &0O0*
Bilhetes garantidos.
L nu Primeiro de Mar {o (ontr'era ma o
Crespo) n. 23 e casas do cestume.
O abaixo assignado, lando vendido nos seos f*
mu bilhetes um ioteir n. 27111 coa S:000#000
am qoarto n. 14 cora 39OJ0OQ, >jud meio n. -.'!
ora 1004000, a oatras sones da 10*000 o
10*000 da lotera qoa se acabos de extrahir
(217'), convida aos possaidoves a virem reeebor
na conlormidade do cosame aem descont algara.
Acbam-s a venda os bilhrtes garantidos da
7.* parte das loteras, a beneficia da igreja do Es-
pirito Santo do Recite (218*), qm se extrahir na.
sexta-feira 15 do crreme mez.
PRESOS.
Bilhete inteiro 6*000
Meio bilhete 3*000
Qoarto 1*500
Km porsao de 100*900 aaia cima.
Bilhete bnteiro 5*500
Meio bele 2*750
Qoarto 1*375
Manoel Martins hinia.
Urna parda que sabe engommar, lavar, co-
ser e combar, sujeita somente pela quantia de-
500*, deseja aebar que Ih'os empreste, median-
te o pagamento eom os seus servidos : quem qui-
zer aunan sie.__________________________
For um cont de ris
Vende-se nma easa reedificada de novo, eom o
terreno que tem 200 palmos de frente e 300 de
fundo com alguna arvoredos, s o terreno vale o
nreeo porqnanto se vende na estrada de Agua-
Fria : tratar na ra larga do Rosario, fabrica
de cigarros n. 14. ______________________
andar da ra do Pa-
a tratar na roa de lionas ou-
dre Fio nano n. 71
mero 94.______________________-.__-
Precisa-se de ara bom forueiro para for-
oalbs, qne emenda peifeitamente : na rna da
Sanaalla Nova o. 30.____________________
:.- No escriptorio de Viceate Ferretra da CosU
junio ao arco da Cooaeicio, veode-se o seguale :
caixas cora vidro de grossura dupla 15)13, 16|14,
17|15,19|14 e 13|i5, camas de ferro com estrada
de palhioha, do 5 palmos de largura, de gusto mo-
derno, lavatorios de ferro com es peino, baldes e
regadores.
AMA
Precisa se de urna ama
para coxiohir e comprar,
prefere-se qne tenha mais,
de 30 annos e qu* soja
acetada : ra da Impera-
triz n. 64, loja.
Casa em Olinda
Aluga-se, at o lim de marco de 1872, o sobra-
do e loja n. 41. da roa de S. Boato, cara bstanles
commodos, e pela quaotia de duaentos mil ris :
trata-se na ra de S. Francisco n. 72, Cotlegio da.
Concejero. .
Aluga-se urna boa coiinueira para cooprai
e cozmhar para casa de pene* (aauu : na rM dv
vramento n. ii, 2 andar.
>



a* ds Veztmhkc* Quinta feira I4 d Dezembro i 1811
GORACAO i OH
I DE
ERNESTO & LEOPOLDO
N. 2 D Ra do Cabug N. 2 D
Acha-se montado de forma tal este estabelecimento de joias que pode
vender aos seas numerosos fregaezes em grosso e a retalho e por presos
mu resumidos visto que recebe de conta propria por todos os vapores de
Europa. O gosto de desenbo de soas joias 6 o mais lindo do paizdas
modas, curo de lei, brilhantes verdadeiros, esmeraldas, robins, perolas,
turqoezas, sapbiras, coral rosa etc. etc. Obras de prata do porto tanto
para igreja como para servido domestico. Convidamos as Exmas. familias
a visitarem o dito estabelecimento todos os das at 9 horas da noite.
Gompra.se ouro, prata e podras preciosas em obras velbas.
JOAQUIM
LOPES ,
MACHADO 8: C.
Travessa do Corpo-Santo n. 25
ARTIGOS AMERICANOS
Cyndros para padaria.
Carros de m5o para conduzir fazendas.
Machinas para descarocar algodSo.
Polias de diversos tamanbos.
Canos de ferro galvanisados para enca-
aaaento d'agaa.
OBJECTOS PARA CARRO
Oleado preto para guarda-chova de carro.
Dito de cores para forro de dito.
Chicotes para dito.
Pontas de lan?a.
Galoes de seda para o forro de dito, es*
treitos e largos.
Pregos de cabera de marBm.
Escovas para dar graxa.
Cozinheira
Precisa-se alocar ama cozinheira, preferindo-se
escrava, e se d boro ordenado, agradando: a tra-
tar na roa larga do Rosario n. 34, botica.
Mademoiselie Mane Lamine, soeces- *t
^ ora do Sr. Godofredo, tero esubetecido a _\
seguinte tabella para oa pentealo-, pre- 9
go de 44 por cada oro, send j feito na
residencia das Exmas. seohoras, e 2/> em
seo estabelecimento : tnensalidade de
100* para perneado diario na residencia
de soas Exmas. cliente!, e de 00* em seo
estabelecimento. Os perneados de noiva
serao pelo prego que te convencionar.
Por cada coque que ibe fr entregue para
ser peoteado, reeeber 1*300 de seu tra-
balho, que ser execntado eom toda a per- 'A
feigo e preste, ra Primeiro de Mar- _[
co n. ti, antiga do Crespo.
K**ft ** ***
Companhia Allianpa
DE
seguros martimos estabelecida
na Baha em 15 de Janeiro
de 1870.
CAPITAL..Rs. 5,000:000*000.
Toma seguro de mercadorias a dinbeiro a riset
nartimo em naviss de vella e vapores para den-
lo e fra do Imperio. Agencia na do Com-
iwrcio n. 5, escriptorio de Joaqoim Jos Gon-
lru Beltrao._______________
AOS 5:000^000
Esto venda os felir.es bilhetes da lotera da
iabia. na easafelix da arco da Coneeico, toja di
nrive no Recife.
A FLOR DE OURO
NB 24 A-Rua larga do Rosario-N. 24 A|
BEXJOin & IHMAO
E' sem coitiestago, nm dos bem montado eMabeleciroento de joias
final de-te
2^
m
da cidade
Recife e sen proprietarios ssas caprichosos na escolba d'os objectos que
exc5em venda, lembram ao respeitavel publico que aproxtmando-se a resta, nao fo-
rara indiferentes, mandando vir de conta propria, da Europa um variadsimo orlirnen- rga*
to que pelo bom gosto e primoroso trabalho importam elegantes presentes parea urna jb
idolatatrada, a alilbada querida, a consorte fiel, a mi extremosa, a amiga dedicada, e,^.
finalraente a tedo aquelle oo aqnalla que se queira mimosear pela Jesla do natal.
Nao endo enfadonbo, respeitaveis leitores, prestai aliento at o
annuncio qoe encontrareis, com certeza.
Para o bello sexo
Pares da brincos de phantasia a 8*, 9J. 10 e 121, ditos de coral a 3* e 4*, *
ditos para lato a 6* e 8*, meios adereces modernes com brincos e alfinetes a 16*, _$_$
rozetinhas de diverso gostos a 5*. 6* e 8* o par, pulceinohas de coral a 7*000, v<>l-
tinhas de dito com cruzes de ooro a 5*, cazoletas cora inscripgSes (obra cuque) a 5*
e 8* ligas & coral a 2*, cruzes de ooro e coral a 3*. 4*, 6* e 8*, ditas de esmeral-
da perolas e rubios 12*. 14*. 16* e 18*. anneis eom bonitas pedras a 4* para crian-
za a 3*500, ditos de pedras finas a 6* e broxes para retratos a 16* e 20*.
Aos senhores cavalheiros
E' smenle oa Flor de Ooro que se vende joias de gosto e por pooeo dinbeiro
como sejam : guuoigoes com tres boloes para abertura M, pares de ditos e de dif
ferentes gostos a 51, ditas a 3*, utas para punhos a 8*. cadeias mnito chiques a 20*.
ditas a 6*300 a oitava, pencinez de prata dourada a 4*. 4*500 e 5*, medalboes para
cadeias a 12*, medalhas com letras a 8*; alm de ura Rrande sortimento de obras de gjgj
brilhantes, brincos, braceletes, alfinetes, aderecos completos, meios ditos de pedras fi-
as e coral, medalhoes, voltas e trancellins, anneis com letras e de diversos modelo?, ^
I$^ oculos, pencinez de ouro, relogios de ouro e prata lloarado e de afamados fabricantes, ^
SES aasira como grande sortimento de obras de pratado Porto, tanto para o servigo do
3_x meslico, como para igrejas, e garantimos ser tudo lei.
A Flor de Ouro contina a estar aberta at as
8 horas da noute
A luga-se o 1* e 2* andar do sobrado da roa
do Rangel n 7 : tratar na taberna do mesmo.
CoDseita-se machinas para
costura.
de qualquer autor por um macbaista nor-
te-americano ba poaco chegado em
Casa Ra do Imperador n. 45.
Portugueza
Pan easa de um bomem solteiro, que se trata
eom asseo, precisa-se de ama senbora portugue-
za de meia idade, e com bastante capacidade, pa-
ra tomar a sea cargo todo o arranjo domestico;
eozinhando e engommando eom perfeirao. Fazera-
se todas as vantagens, que merecer sea bom
eomporumeoto: do Bazar da Moda, roa Nava
o. 50, se dir com qnem se trata.____________
Empreza do gaz
Pernambuco.
Esta empreza tem um liado sortimento de cao-
dieiros, arandelas, pendentes, etc., tanto em vidro
(crystal) como em metal, e ama variedade de glo-
bos dos padroes mais modernos e por procos m-
dicos. As amostras podem ser vistas no escripto-
rio o. 31 roa do Imperador. Bicos para gaz do
melher feitio a 60 rs. cada om. As encommen-
das Dodem ser feitas por escripto, oa rna do Im-
perador junto a secretoria da polica, oo dirigidas
ao abaixo assignado na fabrica S. Jos, que serao
promptameote attendidas.
Thos. Newbigging,
Gerente.
Casa no Poqo da jVanella.
Aloga-te por 600* orna exeellente easa oa roa
do Rio o. 35 daquelle povoado, com 2 salas, 4
quartos, cozioha, cocheira, qoarlos para criados,
estribara, e mais doas meias aguas separadas : a
tratar com o commeodador Tasso.
Precisa-se de doas amas para
servigo interno de pequea fami-
lia : roa Imperial o. 199, por
tima da refioagio.
AMAS
P'ecisa-se de ama ama para cozinhar em
casa de pooea familia : a tratar na roa das Cru
zes n. 29, arroazem de movis. ________
Precisa-se alagar amafama forra : na
do Cabug n. 2 B.
roa
AMA
n. 80, W
Precisa-se de ama ama para lavan
engommar : na roa Duque de Caxias
andar.
AMA
Precisa-se de orna ama para casa
de pooca familia, sem filho : a tratar
na roa do Caboga o. 4. loja de ->uro.
Protectora das familias.
Os seohores contribnintes a essa associaco qoe
preferem mandar pagar soas anoaidades nesta pro-
vincia, poderlo dirigirse roa do Livramento D.
19, | andar, antes do dia 14 do prximo mez de
dezembro, aflm de qae os faodos possam chegar
na sede da asfociacao, no Rio de Janeiro antes do
sea vcnclmento 31 de dezembro de 1871.
Recife 20 de novembro de 1871.
Narciso Francisco de Vidal. ___
I
MOFINA
de Son-
xa e Dr. Francisc Ji>s Rabello, o 1 pro-
prietario do collegio de Santo Amaro e o
8 proprietario de om outro col egio, sao
rogeos a mandaren a esta typographia a
negocio de intereste._________
Precisa-se de orna ama
qoe saiba lavar e engom-
mar para casa de familia
qae seja de boa conduc-
ta : na ra da Vigario n.
5, 2" andar.__________
alferes Britto do 9 queira
dos Coelbos n. 10, a neg-
AMA
Pede-se ao Sr.
vir a taberna da ra
ci.
Roga-se ao Hito. Sr. Ignacio V.elra da Mallo,
erivao na cidade de Nazareth desta provincia,
favor de vir a ra do Imperador n. 18 a concloil
aquelle negocio qae V. S. se compromettea reali-
sar, pela terceira chamada deste jornal, em fia-
de dezembro prximo passado, e depols para ja
aeiro, passoa a fevereiro e abril, e nada comprio
e por este motivo de novo chamado para dit<
fim ; pois V. S. se deve lembrar qoe este negocit
de mais de oito annos, e qoano o senhor sw
(ib o se acbava ao es nesta cidade
Precisa-se de costareiras na loja do Bom
Pastor ra da Imperatriz o. 3.
aos pretendentes.
Faz-se negocio com a loja da ra Nova a. 16,
garantiado se arrendamento : a tratar na mesma
Schxfeitlimb c C nedem a todas as pessoas
qae se julgara seas eredores nesta praga a apre-
sentar as suas comas at o dia 21 do correte
mez no escriptorio da roa da Cruz n. 72, para
serem conferidas e pagas. _______
0 abaixo assignado, tendo de acabar eom o sea
negocio, roga aos seos mnites e numerosos fre-
gaezes que Ihe esto devendo em soa loja de cal-
cado ra da Imperatriz n. 10, de vir oa mandar-
me pagar sen debito al o flm de dezembro do
correte anno, pois do contrario ver-se-ha obriga-
do, e bem contra saa vootade, entregar as coa-
tas a sea procurador, para elle receber amigavel
ou judicialmente, o qae o abaixo assignado espera
dos seos bons fregaezes isso nao ser necessarlo.
Recife 31 de ontobro de 1871.
Aotonio Rodrigues Pinto.
mmmmmmmmmwmmm
PI10RI8
NOTAS
Traea-se notas do banco do Brasil e de soas
liaes na roa do Bario da Victoria d. 63, antiga
roa Nova, loja de Joao Joaquim da Costa Leite.
MMIIIIHII1
Consultorio nomeopa-
8thico
DO DR. SANTOS MELLO.
Ra do Bario da Vtctoria n. 43.
VACCINA.
Todos os domingos e quintas-Miras, pe-
S las 9 horas as 10 da manbia vaecina-se
I por preco mdico, para o qoe ba maito
~ bom paz vaccinieo.
Recebem-se charaad s para vaeeinar em
qualquer casa.
Consaltas medicas todos os das pela
manbia.
Chamados a qualquer hora do dia e da
noute.
Gratis a parte medica aos pobres.
5
S
i
m mispui mm**
Attenco.
As pessoas que tinbam negocios forenses coa o
fallecido procarador major Joaqoim de Albuqaer-
que Helio, t-nham a bondade de se dirigirem ao
abaixo assignado, qoe presentemente se acha
d'elles encarregado, na roa do Imperador n. 12.
Recife. 9 de novembro de 4871.
________Jeio B. Pinbeiro Crte-Real.
Precisa-se de urna ama para comprar e co-
zinhar. paga-se bem : oa roa de lionas o. i.
cozinhar
Precisa-se de orna ama de meia ida-
de para cozinhar e eosaboar, ou so para
: na rna da Cadea Nova n. 15.
LIQUIDACAO DE FIM DE ANNO
AO 65
RA DO DUQUE DE CAXIAS
(Outr'ora do Queimado)
Este estabelecimento acaba de receber om importante sortimento de diversas la-
cadas propriaa para vestidos, sendo poupelmas de seda, sedas, las, percales, ditas com
barras proprias para babados, lindas cambraias crox, e em fim urna infioidade d'arti-
gos de moda, tudo proprio para a festa, o flue tudo vender por presos kteiramente
razaaveis, em conseqnencia de estarmos prestes ao fim do anno, e o 05 nao quer ter
grande trabalho com o sea balando, preferindo tomar dinbeiro a fazendas, convida-se
portanto ao respeitvel publico a virem sortir-se na loja do 65 aonde compraro por pre-
qae nao obterSo em ootro qualquer estabelecimento ; em fim ver para crer.
RA DO DUQUE DE CAXIAS
(Outr'ora do Queimado)
Caixiro
Precisa-se de om caixeiro para a villa de Ga-
ranbaos, qae tenha praiica de fazendas e escreva
soHrivelmeote: trauma loja de fazendas, roa do
Livramentn nnmero 6.____________
coziltiiu
Na roa do Pires, sobrado n. 28, precisase
de ama boa cozinheira, e de boa coadneta, forra
oo esciava._____________________
mmm
das Almas, na matriz de Santo Antonio.
De ordem do irmJo Juiz convido indos os ir-
maos desta irmandade para comparecerm nu
consistorio da matriz, quinta feira 14 (te corrento
as 5 horas da tarde, am de elegerem quatro de-
finidores, enjos lugares se acham vagos.
Recite, 11 de dezembro de 1871.
O escrivio,
Lidio Mariano de Albaqaerque.

A BOTA DE OURO
Neste aovo estabelecimento de calcados, silo
roa do Bom Jezas a. 21, sobrado amarello, antiga
rna da Cruz, o publico encontrar semnre nm
completo sortimeoto de calcados dos melhores e
mais acreditados fabricantes de Lisboa, Pars e
Londres, nao s para homem como tambera para
raMies. seohoras e criaocas, enjo sortimento
retorcado todos os mezes afim de poderem assim
ter sempre calcados frescos, para bem servirem
aos seus nomerosos freguezes, os qoaes sempre
que se digoarem frequentar o referido estbele-
cimento serao tratados com agrado e sesudez.
Precisa-so alugar um escravo de li a 18 an-
nos para servico de casa de familia : a tratar com
Antonio Jos Rodrigues de Soaza na thesooraria
das lotera?, ou em sea sitio oo Monteiro.
Na travessa da roa
das Cruzes n, 2, pri-
meiro andar, da-se di-
nbeiro sobre penbores
de onro, prata e brilhan-
tes, seja qoal for a qnan-
tia. Na mesma casa com-
pram-se os mesaos me-
taes e pedras.
Offerece-se orna pessoa euteodida para feior
de engenho: quera precisar dirija-se a roa da
Roda n. 48._____________________________
Precisa-se de urna ama para casa de pooca
familia : roa ertmtta d Raaana n. 10, loj.
' Alaga-^e p<>r aunu oa ie-ia um boei itu no
Apipacos, com 90 ps de laraogeiras bem carre-
gadas, coqoeiros e moitas ootras frutas raaea-
xeira, maodioca, e boa casa : tratar no Hospi-
cii D- 10.
Precisa-se
v^^
Precisa-se de ama ama pa
cozinhar e oatra para en-
gommar : tratar na roa
larga do Rosario n. 22, segundo andar._________
IHOMLIAS
pequeas, obra de multo gosto, priprias para o
passatempo da festa, por serem muito leves para
transportar para es arrabaldes no armazera de
Tasso Irrolos A C, caes do Apollo.
De um menino brasileiro de 13 a 14 annos de
idade que tenht ou nao pratica d taberna e de
informales de saa conducta : roa dos Pesca-
dores n. 43.
n pessoa que annunciou precisar de 400f
rs. seb penbor em ama escrava, dirija- a rna
de Hortas o. 94.
O

Trabalhadores.
AMA
.\a reuuaria da roa do Raogel n. 43 precisa-se
-je um trabalhador que entenda do servido, e lam-
tem precisase de nm menino de 12 a 14 annos.
Precisa se de ama mulher para
tratar de orna menina de 2 anuos, e
pouco servico de ama casa : a tra-
tar na ra aos Gaararapes n. 2.
ATTENCAO
.. Libania Emilia Cesar de AiUuquerque, viuva
-Jo major Joaqoim de Albuquerque Meijo, pede
. .d'i- as pessoa? qae tivessetn iransac;des com o
:u fallecido marido, de nada fazerem relativo as
mesnas traosacedes, sem eom ella se entenderem
Recife, 9 de dezembro de 1871.
Precisa se de um criado oa criada livre oo
escrava, para casa de homem solteiro : na ra da
Camboa do Carmj o. 21, 1 aodar.
^H^a
Na ra da Palma n. 42,
precisa-e de ama ama para
cozinhar.
Antonio Caetauo da Silva
Joaquim Caelano da Silva, vem pelo presente
manifestar soa gratidao todos os seos prenles
e amigos que se dignaram de aermpanbar ao ce-
miterio publica os restos mortaes de seo moi pre-
sado irmo Antonio Caelano da Silva ; e aprovei-
lando o ensejo vem de novo rogar as ine-mas pes-
soas, o caridoso obsequio de assistirem a mista do
stimo dia que pelo eterno r. p. u -o de saa alma,
manda celebrar na igreja do convento do Carmo,
as 6 1|2 horas do dia 14 do correte.________
Companhia Indemuisadon.
Em cumprim?nto do disposto co arL 19 dos es-
tatutos da mesma companhia, seo vendidas 4'i
de soas ?cc5es em tre3 lotes, endo :
Umtote de lo aeches de ns. 116 a 130.
Dito de 20 ditas de ns. 'il a iio, 6iG a 630,
971 a 980.
Dito de 10 ditas de ns. 931 a 940.
Os pretendentes devero dirigir saas propostas
por intervengo de corretores genes at o dia 19
do correte, ao escriptorio da dita companhia, roa
do Vigario n. 4._____________^^
AMA
Precisa-se de ama ama ara cozi-
nhar em casa de ponca familia :
roa Velba o. 28. sobrado.
Joaquim Jos Gomjal-
ves Beltrao
fina do Trapiche n, S, <* andar.
Saci por todos os paquetee sobre banco d
/Leo, em Braga, sobra M sainintae iagarw *a
Lisbaa.
Porto.
VaJeuca.
Onimaraes.
Coimbra.
Chaves.
Viseo.
Villa do Conde.
Arcos de Val de Vea.
Vianna do Castalio.
Ponte do Lima.
Villa Real.
Villa-Nova de Famelicao.
Laaaego. *
Lanos.
Covilhia.
Vasca! (Valpasso).
iMMWil
ADVOGADO
Da. Joaquim Corra de Arauo
07Roa do Imperador67
mmmwmmmmmmmwmi
FURTO
Da casa em qae mora o desembargado.
Custodio Gaimares, ra da Conquista n.
4, fortaram um relogio d'ooro patete Sois-
so, desooberto com urna corrente de bor-
racha, muito oo, e que tem doas pernas,
turto este com me ti ido as 10 horas do dia 9
do correte mez, dentro de um quarto de
vestir.
A' polica se recommenda a apprebeosSo
do furto e do larapio, assim como a qualquer
pessoa a quero, ditos-objectos forem offere-
cidos, sendo generosamente recompensada.
Masa fallida de Tbeodoro Ernesto de
Castro.
Os abaixo assignados, administradores da massa
fallida de Tbeodoro Ernesto de Castro, convidam
aos eredores da mesma para no praso de oito das,
a contar da data deste, apresentarem os seas t-
tulos afim de tazer-se a elassificacio de qoe tra-
ta o art. 859 do cdigo do commereiu.
Cidale de Mamanguape, 7 de dezembro de 1871.
Manoel Se ve Filbo.
Jos Flix do Reg Barros.
^^^ ^^^ *^^* ^^^ "&l ^^^ ^^\ ^^^ <^^ ^^^ J^^ 3^^^^^^^^
A Hedlco operador e par-
X telro.
Dr. Francisco Jacintho Pe reir da Mot-
ta, a qualquer hora do dia oa da noite, 9
n. 5, 1* andar, pra^a do Conde d'Eo, ^
outr'ora da Boa-Vista. ff
CONSULTAS GHATIS AOS POBRES. 9
mWfmmWWm. w^m lili
lttenco
Na rna do Vi'coode .de Sosenos, outr'ora ra
de Hortas o. 3, precisa-se de ama ama para co-
zinhar, prefere se eserava.
Alnga-se ama casa terrea em Apiparos: a
Talar na roa Sele de Setembro o. f.
Massa
fallida de
Irmo.
Fiuza &
Os abaixo assignados, administradores da mas;a
fallida de Fuza & Irmao, convidam aos eredores
da mesma para, no prazo de oio das, a coBtar
da data d'este, apresentarem os seas ltalos, afim
de fazer-se a classificaro de qae trata o ari. 859
do cdigo do cemmercio.
Cidade de Mamanguape, 7 Je dezembro de 1871.
Manoel Se ve Filbo.
Jos Flix do Reg Barros.
Declarado emtempo
A primeira confeitaria, pastelaria e culinaria
acba-se estabelecida oa roa do Imperador n. 24
Em saa frente aha-se collocado um lampeo com
o >egointe letreiro : CONFEITARIA 00 CAMPOS.
Os proprietarios daquelle estabele:imento teem
capriebado em fazer dalll om < centro do bom e
agradavel ao paladar >.
Todos os das encootra-se alli, grande sortimen-
to de pastelaria para lanches, sobremesas e me
rendas
Reeeberam tambem de saa encomaenda, um
variadissimo sortimeoto de caxinbas cestinbas
ricamente eifeitadas, proprias para os presentes
de festas do natal.
E se poeea davida no qae cima est dito, qoe
digam os que alli se tem saprido do qae necessi
tam, no qoe pertence a estabelectmentos de tal na-
tureu.
Fiambre, leitoes, pirds. patos, ganhas, pu
diogs, bolos, pasteldes, empadas, torbs, boiinbos
para cha e doces em calda, seseo e chrstausado,
aacionaes e eetraugeiros todo all ae encobra com
limpea.
S na confeitaria do Campos, roa do Impera-
dor n. 24. I-
AMA
Praia nu i ero 70.
Precita-se de unva ama para
casa de duas pessoari que saiba
cozinhar e comprar ; na ra da
%^
Precia-He de ama ama pa-
ra cozinhar: praca da Inde
pendencia n. .27 e 29.
Urna pessoa chegaaa a poncer do ouito, ne-
cefsita muo fallar a D. Paula Mara do S. Pedro
Soaza Bandeira, oa a seus herdeiros, S negocio de
sea particular Interesse : na roa da CwttfcH
Boa-vi'ta, armazera do Rufino.
Aos 5:000#OO.
Bilhetes garantidos da pro-
?lacla.
Rna do Barco da
Victoria,
Outr'ora ra Nova n. 63 e cosos
do costume.
O abaixo assignado acaba de vender entre o
mus maito felizes bilhetes a sorte de 3O040OC
em tres quartos de n. 14, alm de outras sortes
menores de 40*000 e 20*000 da lotera que se
acabou de extrahir (217), podendo seos possaido-
res virem receber, que promptamente serao
pagos.
O mesmo abaixo assignado convida ao respe i-
tavel publico para virem ao sen estabelecimenu
comprar os felizes bilhetes garantidos, que nv
eixr de tirar qualqoer premio como prova peo
aiesmos aanuncios.
Acbam-se^ venda os muito felizes bilhetes ga
rantidos da 7' parte das loteras em beneficio da
igreja do Espirito Santo do Recife, que sen ex-
trada no dia sexta-feira 15 do correnie mez.
PRECOS.
Iuieiro 6*000
meios 3*000
Qaarlos 1*500
De 100(5000 para cima.
Inteiro 5*500
Meios 2*750
i Quartos 1*375
Joao Joaanim da Costa !,'.
w
i
Hile. Marle Lavergne, modista em
cabellos, recentemenle ebegada de Pa-
rs, tendo comprado ao Sr. Joao Godo-
fredo Pinto, o seu estabelecimeato de
cabellereiro a ra Primeiro de Marco
n. 14 (antiga do Crespo) offerece os
seus servicos as Exmas. Sras. desta
bella cidad'e para os misteres de sua
arte ; o seu estabelecimento esta prvi-
do de habis artistas para a ooa exe-
eucSo de qualquer obra e corte de
cabellos. Faz os penti-ados em seu
estabeleei ment por metade do prego
do que est estipulado para quando
for chamada a residencia das Exmas.
senhoras.
O respeitavei publico encontrar em
seu referido e;:abelecii ento um bello
sortimento de perfumaras francezas
e ingleza; dos mais acreditados fabri-
cantes, assim como flores artificiaes, ,4
objectos da phantasia, modas, etc. etc. ^
e vende tudo por pregos commodos,
pois reetbe directamente da Europa.
-.0 sea estabelecimento acha-se aberto
*@' das 6 hora da manhaa as 9 da noute. ^!

&
w
WROS
MARTIMOS
E
O^THI FOGO*
A companhia lodemnisadora, estabelecida
testa praca, toma seguros martimos sobre
avios e seus carregameotos e contra fogo
im edificios, m :rcadori;<8 e mobilias: na
ua do Vigario n. 4, pavimento terreo.
Pede-se ao Sr. D. E. C. qae venba qoanlo
antes trazer a qaantia qne foi receber do abaixo
assignado, quando nao ver o sea nome por ex-
tenso neste Diai o, e a maneira ptla qual assim
abusn, tanto o Sr. D. tre3 dias para realisar se-
melbante negocio.
J. F. S. C.
Companhia de seguros martimos
I lilidade Publica
A direceo convida aos Srs. accionistas a so
reunirem segunda feira 18 do corrente, ao meio
dia, em seu escriptorio a ra do M.rquez d n. 34, para eleicao de um director, visto nao ter
aceitado esse cargo o que foi eleito.
Recife, 13 dezembro de 1871.
Os dirctores,
Feliciano Jos Gomes.
Thomaz Fernandos da Cunha
Monteiro
300,000 1 is.
For
Aiaga-9 uua casa na povoagao do Mcnteiro: a
tratar na liberna lo ?r. Nicolao Machado Freir,
no mesmo lugar_____________
.ME
Acha-se a roa Duque de C*xias n, 30, outr'ore
Cruzes, e preeta-sa a";himados para penleados e
execula qualquer trabalho concernente a sua arte
de cabelleireiro.
Deseja-se arrumar um pequeuo para caixei
ro de qualquer estabelecimento, o qual moradoj
peno de lguarass e d Qador de sua conducta
nesta praga : a tratar na rna Direita n.8.______
Aluga-se urna das melhores casas nc lugar
Porto da madeira em Beberibe, reedificada, caiada,
e pintada, com duas sala?, gabinete, cinco quar-
tos, cozinba, bom quintal, com exeellente banho
no fundo do mesmo : tratar no largo de Paraizo
n. 14 : ou na rna de S. Praocisco o. 6.
Precisa-se de urna ama para
casa de pouca familia estraogei-
na ra da Camba do Carmo n.
AMA
19. t andar.

Francisco pies Barreto,
Gaspar de Drnmmond manda resar no dia 16
do corrente as 7 horas da maoha na matriz de
S Jos, urna missa por alma do capitao Francisco
Paes Barreto ; e para assstirtm a esse acto con-
vida a todos os seas prenles e amigos, e aos da-
qoeUe floado.
AMAi
cozinhar.
la praga da Independencia ns.
e 3 preoisa-se de urna ama para
Precisase do om caixeiro com pratica de
taberna : oa rna do Rangel 0. 10.___________
_ Um mogo nacional se offerece para fazer al-
gunas viagens ao sal oa oorte do Imperio como
capillo de Bandeira : qaem precisar aonnocie
por este Diario.
Criado
Precisa-se de un na travessa de S. Joo n. 26,
casa forrada de azulejo.____________________
Urna mulber de boa conducta que tem pra-
tica de tod o servigo interno e cozioha com per-
feigao, se offerece para tomar o cargo de ama casa
de bomem solteiro : quem carecer procure no
principio da roa Imperial confronte a matriz, casa
terrea n. 4.
Perdeu-se hootem pela manhaa urna procu-
ra gao bastante, assignada por Joao Bernardo do
Reg e ootros : quem a tiver achado, qusrendo
restituir, podo entrega-la nesta typographia.
Para quem precisar de btonos salgados alu-
ga se urna casa em Olinda, ^obiluada e com com-
modos para grande familia : tratar na rna dos
Quarteis n. 18, 3 aadar. _____
ra de
AVl Precisa-se de nm_ ama : na
a.JUX 3, Frauciso n. 54, eK de pouca fa-
Aluga-se
A casa n. 7, Passagem da Magdalena
lar com J. I. de M. Reg.
tra-
Precisa se de urna criada eogomraadeira :
na rus di Imperador o. 37, 2o andar, entrada
pelo lado da ponte._________________^^^^
O deposito do verdadeiro cemento de Portland e
agora no armazem Ja hela araarella no oo da
secretaria da polica, g3rante-se qne niognem
pode vender por menos que neste armazem :
quem comprar de cinco barricas para cima ter
grande abatimento, tambem se vende a re;allio.
Ignacio da Silva Ueir avisa a seus fregue-
zes e a quem mais possa interessar que segu pa-
ra Pernambueo com boa tropa de burros e que
passar pelos lasares egmntes: Pilar, Castanha
Grande, Porto alvo e E-cada : quem pois quiser
fazer compras poder encontra-lo ou avisa- lo. Pe
nedo 3 de dezembro de 1871.
AU
Mftl
DYVETOT
nica casa neste genero
l4--Roa Estrella do Rosario--M
Compra e vende roupa feita
nova e velha, objectos de
cosinha e de mesa, e
tudo que perten-______
oa ra Bella n. 3.
Precisa-se de urna ama pa-
ra o servico de orna familia
de tres pessoas, paga-se bem :
Precisa-se de urna ama pa-
ra o servico de casa e com-
pras : trata-so na roa Mr-
quez de Olioda, sobrado o. 34, indar._______
^m
Sociedade Emancipadora.
Convido a nova e amiga drecge para a sessao
de posse no Clob Pernambucano, as 7 horas da
noite do dia 111 do corroo. Recife 12 de dezem-
bro de 1871.
Ftrreira Jacobina.
Aluga-se o aciir tarreo do sobrado 0. 6 da
ra Iipoeri! : a tratar oo misino aodar.
Manoel do llego Barros,
Joao Augusto do Reg Barros, Domingo* do
Souza Leao do Reg Barros, Sebastiao Manoel dj
Reg Barros pedem aos seas pareles e amigos o
caridoso obsequio de assistirem aos ltimos suf-
fragios que se tem de fazer ao corpo de seu sem-
pre chorado pai Mooel do Reg Barros, boje li
do corrente as 8 1|2 da manhaa na capella do ee-
miterio publico e desde jase confessam eterna-
m^nte gratos por lao carid"?o obsequio.
4.a bd.alhSo de InfanrarU da
gaarda naHonal.
^0 commandante e ofDciaes do i* balalhio da
guarda nacional, ferelos de dor, pelo fallecimento
do seu coilega e amigo o capillo Henrique de Mi-
randa Haonqoes, man Jam no dia 20 do correlo
mez selobrar missas pelo repooso etreo do mes-
mo fallecido, as matrizes do Pogo Panella, ar~
zea e ao C invento do^Carmo, prineipiaedo as V
liaras da manba, e para esse acto de caridado
c invidam a familia, pareles e amigos do falleci-
do seodo o trigessimo dia de sua morte._______
t-^_S_9_9__H9_H_B-HHHa_MHa_|HMBHHI>
ALUGA-SE
Na cidade de Olioda ra de S. Pedro Aposto-lo
a casa terrea o. 13 quem quizer falle oa casa
junto n. 14, com o Sr. Gaspar A, Vieira Gaimares,
ou Antcnio Ramos, morador na mesma ra que
esto autorisidos para alaga-la.
Precisa-se de
nheiro, no Caes
bem.
um bom cozinbeiro cozi-
do Apollo n. 69, paga-so
En gom madeira
Paga-so 305000 por mez a urna boa en-
gommadeira, e que fa(a alguns eosaboado
em casa de pequea familia, prefere-ae es-
crava : na entrada da Ponte n. 2, antes da igreja de S. Jos.__________
Chapeos para Senhora
O Baiar Victoria, rna do Bario da Victoria o.
2, antiga roa N-.v.i, re-ibeu pelo ultimo vapor
um rico sortimento de chapeos e chapelinas de
seda de velludo e de crep, (citados com gosto
para senbora. Ditos de seda, velado e feRro, tam-
bem enlejiados para meninos e meninas bem co-
mo um variado sortimento de leqne de todas as
qualidades, o=;o, marftm, madeira, sndalo e
madreperola.____________________________
A pessoa que precisa de 300*000 a premio,
dirija-se ra de Hortas n. 30._______________
sito no forte da praia
tratar oa padaria da roa do
Aluga-se o sobradiobo
de S. Jos o. 2
liaugel o. 9.
%m
Precisa se de urna ama pa-
ra todo o servigo de orna ca-
sa de doas pessoas : tratar
nolargo"*d^trsenl de Goerra n. 3.
Maooel Fructuoso da Silva, morador na roa
do Hospicio o. 2t, declara seguoda vez que nao
se respoosabilisa por qualquer detrito contnbldo
em seu norn*. seja qae pessoa for, d i saa casa 00
de fra, e s nm ovando o pirtador escriplo sen,
caja Irma seja reenhecida verdadoira.
i
\

----------


m '- p-
Diio de Fernanibueo Quinta eira 14 de Dezembro de 1871.
^
NOVOS SORTIMENTOS
arataxem do vapor
Fraaeez, roa do
Calcado
O armazem do vapor
______ Frasees, rna do
Bario da Vlctorta ^ ^. Baro da victoria
(eutr ora roa No- J| H ( t,p* rna *
va) o. ^' ?)
Acaba de reccoer novas facturas.
Quinquilharias
da pbantisa e laxo, como sejam : espelhos, lavas,
joias da ouro, correla de plaqu, ricas carteiri-
nnas para dinheiro, caixinhas de ceslara eom
msicas, esterioscopo de 50 vistas eom msica,
boleas de seda e cestlnhas diversas para braco de
enh ras e de meninas, oculos, pencenez eom vi-
Iros de cores, chicotiohos e bengallas, Indo isto
de difTerentes modellos e qaalidades em grande
numero dastes artigos de quinquilharias Anas de
gosio que nao se pode bem mencionar.
Brinquedos
O maior sortimento que se pie desejar de toda
sorte de brinquedos fabricados em diversos paizes
da Europa para entrelenimento das crianzas.
Carrinhos
Botinas de Suzer e de Polak, para homem, eom
plato sortimento pira todos os gostos vontade
des compradores.
Botas e perneiras para montara.
Botinas para senhoras e meninas.
Abotinados para meninos e meninas.
Sapatoes de bizarro, ver ni z, corda vio. e de brim
branco para homem.
Sapatos de tapete avellndados de harlot, case-
mira preta a tranca portuguezes.
Sapatos de vaqueta de verniz eom sola de ma-
deira proprios, para banhos.
Perfumaras
Finas extractos, banbas, cosmticos, leos, opia-
tas, posas, ama de cologoe, agua divina, agua
florida, dentifnee, lavando, agua de tolet, tintura
para barba t cabello, pos de arroz, sabonetes.
etc.; tudt> istc de pnmeira qualidade dos bem co-
nbecidos fabricantes, Pivar e Coudray.
m jmmr m Precisa-se de ama na roa Direi-
:liTll.(in. 86, andar.
COMPRAS.
Compra-se
Feijio em mi estado, ou avarado ': na travs
sa do Ouvidor, cjxeira, esquina da roa das Cra-
sos.
Compra-se ama roala de amarelio em bom
estado : quem tiver annancie.
e berros de vimes para enancas, de
rentes modelos procos eommodos,
novos dille-
Pregos.
En
baratissimoi
mero 7.
virtade das novas facturas e ordens dos fabricantes, vende-se agora tudo presos
no armazem do vapor francez, ra do Baro da Victoria, outr'ora roa Nova na-

O a e+
?- Sd
o 3 2 S*p-
f-8 *< p o p
a' 3
-lis*
So pu
C o -,
ggr *" sr o
* B =>-
& P O O
i q^
ll I
lie
O
w
o
!
3.
o
VENDAS.
Bom negocio
Vende-se a taberna da ra de Thom de Sooza,
antiga roa da Liogaela n. i, bastante arreguezada
para trra e martimos : tratar na mesma.
OBRAS GOMICAS
DE
Jos de Lima Penante.
as livrarias : franeeza, industrial e econmica
e-tao venda as segaiotes obras cmicas do co-
nhecido artista dramtico Jos de Lima Penante :
DOS CALVOS, OS GENIOS OPPOSTOS, come-
dia em < acto.
NESTE CASO E NAO ME CASO, scena c-
mica.
ESTUDANTE EM QUEBRADEIRA, idem.
O PONTO entre-acto cmico.
DEPOIS DA FESTA DE NAZARETH, scena co-
miea.
O ACTOR NO CAMARIM, idem.
PAIXO E TRA1CA0, o iglez macbinista, idem.
A SORPREZA, idem,
O RO.:AMBOLE, dem.
Aos 2.U0O coilerinhos de
papel a 500 r*. a caixa
No Bazar de Londres a ra do Mrquez de Olin-
da n. 28.
Bengalas
O Bazar de Londres recefaeu am eloquente sor-
timento d) bengallas eom lindos castoe* ponteiras
de marflm.
BONS CAPACHOS.
O Bazar de Londres tem un grande sortimento
de capachos tecidos eom palha de cuco proprios
para portes de entrada e porta de sitios.
Pechincba
O Bazar de Londres vende lencos de eambraia
de linbo j embaraados a a duza.
O Bar ae Lmdres a ra do Mrquez de
Alinda n. 28, receben pelo ultimo vapor um ele-
gante sortimento de fazendas unas e de granje
phantazta proprias para bailes, theatres, passeios
ata, etc.
Como sejam :
Cortes de g ze do cbambery bordados a seda
frouxa eom lindas franjas de retroz.
Ditos de tarlatan branca eom bonilos desenhos
a seda freuxa.
Ditos de larlaiaoa franeeza eom lindos desenhos
a seda frouxa de cores.
Gaze de seda braoca eom salpicos de cores.
Dita eom lista) assetinadas
Popelinas bordadas eom lindos desenhos.
Dita transparente sendo a azeoda quati toda
seda.
Sultanfs de todas as cores franjadas e eom bar-
ras assetinadas.
Merino lavrado de todas as cores (fazenda de
muite efleito).
Brreles de listas e qoalro-'.'
Tlela nacional (fazenda modernissiaia de ia e
seda.
Barejes linas eom listas assetinadas.
Alpacas de cordao eom barras de seda.
Grande sortimento de lias eom bonitas barras
de seda.
Cambraias e nanzouckes lisas : cora barras.
Cambraias suissas e victoria o que ha de mais
fino.
Crotones cora lindas barras.
Ditos lisos e eom listas.
Percales o que ba de mais gosto.
Camisnlias b.riadas para seahori: joniplolo
sortimento).
Elegantes cbapelinas de blonde de s Ja de to-
das as cores e niulde o mais raoderiio.
Chapaos ou sombrinhas de sarja de seda para
senhoras eom franjas de retroz e UAotifesos, -atoe
de marflra.
Mantilla de seda brasilera.
Chapeos de palha da Palia para senioras.
Lindas paletinas de 10a bordada* a s:-da frouxa,
sendo brancos e de cores.
Casacos de sultana formando segunda saia, r.-
camen'e enlejiados e guarnecidos a setim.______
Vmdc-sao seguiote : urna elefante mobilia
de Jacaranda a Lniz XV consUndo de 12 eadeiras
Cal nova
chegada receDtemeole de Lisboa do patacho
portuguez c Jos ; tem para vender Joa-
qun: Jos Goncalves BelirSo, do seu es-
criptorio roa do Commercio d. S.
19 Ra Primeiro de Marco
Tendo renovado completamente a loja do predio, em qrj!
tabelecimento,
19
teem o sea es-
Machinas de costura.
Cbegaram ao Bazar Universal da rna
Nova n. 22, om sortimento del machinas
para costar, das melhores qualtdades que
existe na aoerica, das qnaes muitas j sSo
bem conhecid?s palos seus autores, jcomo
sejam : Weller Silenciosas, Weed e Impenaes e onlras
muitas qae eom a vista devero agradar aos
compradores.
Estas machinas tem a vantagem de fazer
o trabtlho que trinta costureiras podem
fazer diariamente e cozem eom tanta per-
fciclo como as mais flerfeitas costoreiras.
Garante-se a sua boa qualidade e ensina-se
a trabalhar cora perfeico em menos de urna
bora, e os presos slo t5o eommodos que
devem agradar aos p-etendentes,
JOUS
Jos de Sonza Soares & C, vendem em sen Ba-
tar a rna do Bario da Victoria n. 50, um especia'
Ttimtnto de joias de oaro por resumidos precos.
Hecommendamo-las ao bello sexo pernambucano.
MACHINAS
DE
COSTURA
DO
Systema Singer
Vende-se pelo
600000 cada urna
toria n. 28.
baratissimo prego de
roa do Baro da Yic
Largo do tormo n. 39, esquina da ra de
Santa Tbereza.
O proprietario deste estabeleciment convida
aos seus fregaezes para virem fazer suas despen-
sas para a festa, pois est eom um completo sor-
timento de molhados, os qntes vende por menos
que em outra qaalquer parte,
A SABEB :
Vioho Figuelra da melhor marca, idem Lisboa,
idem Porto em barril, idem engarrafado de diver-
sas qaalidades, cognac inglez, genebra de Hollao-
da, idem de Ottom, idem wida tierna, dem laran
ja, frascos eom conserva mnifo nova, ameixas em
latas de diversos tauanh?, ditas era caixinhas
proprias para meninas e meninos, marmelada de.
i|2 libra.a 2 libras, doees em calda de diversas
rucias da Europa, srvilhas prtupueza* e frn-
cea*rnn'tatac, queijo fUmongos. idem prsto,
idam de qualba, dem de Minas, macarro, talba-
rtrn, aletria, gomma de milbo, cha hysson, idem
uxim, idem preto, chouricas de Lisboa era barrls
e latas, azeitonas em latas e em barris, cerveja
de diversas marcas, manteiga franeeza flor, Idem
ipgleza fbr, presunto do Porto, idem inglez pro-
prio para fiambre, charutos des melhores fabri-
cantes da Baha, Alfdrroba. Alem dos gneros
mencionados, existeui outros mullos, os quaes
FOLHINHAS
PABA
0 AM DE 1872
As festividades sao indicadas para o bispado de
Pernaubuco. As horas das mares, o nascer do
sol, eclipces, etc. (G0 pag.), sio exactamente cal-
culadas para Pernambuco : indicacoes estas, qae
nao se encontram as folhinba impressas no>' >
de laneiro.
O PRECO E' DE 400 RS. CADA
Coosiam d'as segrales variedades :
ANEDOTICA
Consta de cincenla ancdotas inditas, Ilustra
das eom numerosa* estampas.
COMMEBCIAL
GUERRA FR.\NCO-PRUSSIANA
GUERRA DO PARAGUAY
RELIGIOSA
A 16#000 cda um
Bornons par senbora, os mais modernos qae
em vindo a esta praea, alero de ontras fazenda*
proprias para a festa, como sejam as sepnrars :
Madapolio francez fino, cambraias Victoria e eom
barra, percales, cretones, chitas Unas, Barepes,
laas, fnstoes, casemira?, brins brancos e i cores
de linho e de algodo, e ouiras mnitas faienflas
qae se ven Je barato, eom a vista : na ra Di-
reito n. 55.
C abrile t
r
PORTA
FOLHIflHA DE
Rs. 160
Urna folha contendo a folhinhai o kalendario.
Ou memento diario para 1872.
Um bonito volume encadernado peU mdico
pre^o de
Rs. 2#000
Cem meia folha em branco pira cada dia do
anno.
Llvrart.i francesa
JLJLi .1
A 3.000 rs, a ptc-K
Cambraia transparente eom 10 jardas-a 3*000
a pega, pecbiucha : na ra do Crespo n. 20, loja
de Guilberme Carneiro da Cimba.
Pelo ousto para li-
quidar
Vende se pelo casto, para fechar eontas, pap"i
pintado e douradi coni primorosos dse tus de
differentes qualidades e gostos, proprios para for-
rar salas, gabinetes e capellas. etc. Apira pie
qualquer pessoa ornar as paredes de sua ca-a,
certos de que a importancia a despender ser igual
a qae se gastara mandando-a simplosmente caiar:
na travessa da Madre de Dos n 14, armazem do
Candido Alberto Solr da Motta 4 C.
de gti: nicao, S de bracera ditas de blaneo. 21 deixo de mencionar por se tornar multo massante.

19=A ra Primeiro de arijo19
eom aquello asseio e elegancia deiejaveu, acham-se a^ora prvidos do mais
eiDlendido sortimento de fazendas finas e modernas da
SEDA, LA, LINHO E ALGODAO
todas do ultimo gosto, e continuam a ter como sempre, diversos
ARTIGOS ESPEQUES DE AS
Garantem, eom toda
a sinceridade, vender
por menos qne qual-
quer outro, porque
recebem em direitura
a maior parte de suas
fazendas.
19 RA I' DE MARCO 19
(Antiga ra do Crespo).
IrBANBE UIIDACi
lindos contolos, i jardineira, I so, i. loibt, i Ira
do lavatorio ; todos e3tes objectos de Jacaranda e
eom tampo de marrmre. 2 aparadores de raiz,
obra elegante o eom tampo de marraor?, guar-
das-lonija tambora eom tampo di marmoie, t
guarda-vestido de raiz, obra tnuito elegante, 1
guaida-roti;ia de araartllo, i mesa elasca cora 7
taboas ; iodos estes objectos noves e 6m defaito,
e outros muilos: quem quiter annnosie a sn
morada para-?er procurado.
Os precos erao feilos vista dos gneros por se
rem todos escolhidos e de primeira qualidade.
AVAHADO.
Chitas finas escuras eom toque de avaria a 6
e 7 rs. a peca on 200 rs. o covado : na ra !
de Mar^c n. 20, loja de Guilherme Carneiro da
Cunha.
Navidades para a
festa
Cbegaram a oja de miudezas e calcado, deno-
minadao Mercurio-rna da Imperatrii n. 86,
um completo sortimento de grinaldas de flores,
lavas de pellica de Jouvia. franjas e galoes de seda
de lindos gostos, meias inglezas para senhoras,
ditas para homens e meninos, gramle sortimento
de perfumaras e fosos trnceles de todos os la-
machos para meninos e outros mallos objectos
que se vende por menos do qno em ontra parte.
PARA VIVAMOS.
Bonitos ports buquets.
Llndissimos leques de madrcperola moldes in-
teiramente novo?.
Cortinados bardados.
Camisas bordadas para b )mam,
. Finas meias de seda par .enbora,
A Nova E.-p&ranca auem tem I I I
DESAPPARECAM AS SARDAS
A Nova Esperanca a ra do Duque de Caxias
n. 63, acaba de receber o bem condecido leite
de rosa branca, e tambem'leite virginal, os quaes
fazem desapparecer as sardas on pannos._______
GllV\OE
n
Vende se um ezcellente cabriolet de qaatro ro-
das por preco commodo : na ra da Florentina r.
4l,a casdo Gurjao.
Kival sezn ^egundo
Roa Dnque de Casias o. 91
Jos de Azevedo Maia e Silva, em saa lo-
j ade miodezas continua a vender tudo
por baratos precos que r todos admira :
Libra de 13a para bordar a melbor
que ha. 60000
Caixas eom superiores grampos fran-
cezes a {60
Duzias de facas e garios de nm e
dous boles a 4^(000
Talheres pare meninos a 240 e 400
Libras de linba de novello, a melbor
possivel. 11500
Dazia de lencos de casaa eom barra. IQUO
Caixas de litigas eom 30 nuvellos a SOO
Vara de franja branca para toa!has 160
Dozas de me-:as croas muito boas a 3^500
ozias de meias finas para senho-
ras a 4*000
Na albas muito finas, para fazer a
barba a 1*000
Caixas eom peonas de ac eom lo-
qne a 320
Caixas eom peanas de Perry fazen-
da fina a S7i
Ditas v dita di'.o t6rdadeiras a 1*200
uaixas ccm20 caderuos papel ami-
zade a 70t
Pefas de filas para coz eom l
varas a SOO
Pecas de tranca lisa de todas as
cores a 40
Duzbs de liaba fronxa para bordar
a 400 e 500
Pares de sapatos de tranca a 1*800
DoTias de baralbos miiuo finos a
640D e 2800
D.tas d agu'bas para machina a *0<^
Resmas de i'apel alniaco sopern i a SdttCO
Ditas de dilo pautado o melbor a 4* 00
Carrtei* da Mana A exandre a 16'/
Sravalas decores muito liaas a 500
Ditas pretas pona bordada a 600
Grosas de botes de madrvperola
para camisa a
Novellos elinha branca, iOO jardas
Dazia de car'5es de liuha branca e
preta t de cores a
Tbesouras muito nuas para unbas
e costura a
Caixas redondas para be tai rap a
Caixas o tu pos para limpar dente
fizenoa tina a
Livro das misses abreviada a
Macos de paMitos para dentes o
melbor qoe ha a
A' ra do i;ommer:io o. 10, escripl > m|
rio de Jos Joaqun da Costa Mata, en S
contra-so pira vender por eommodos t
precos: fjj
Azulejos bespanhes.
Folhas do trro galvanizado para lelha- %%
do de diversos tamanhos. *ff
Ditas Ce dito dito lizas.
Kicas de ferro galvanizad'.
Cumieiras dito. M
Portadas completas para easiaria.
Ladrillos. itk
50:.
Gfe
120
500
l*xO0
2oe
l*5(Xi
460
m

F0LDINU\S
DE
11HIEDADES
PARA O ANNO DE 1871*
Contendo :
kalendabio adoptado diocese de Perasiiibuco'
tabella dos eraolumeu'. s que sao cobrados
ap'is ecre arias dos tribunars do commercio.
precos e horas das partidas dos trens das_ estra-
das de ferro e das eompauhias de tafegajo prc
vinciaes nacionacs ou estrangeiras.
le da extineao de elemento serva.
lista dos novo3 nomes das rnas aesia iiiade.
A 400 rs. na torrara Universal.

-
Fzenda nova
A' ella antes qoe se acabara :
Merino da china fazenda muito lx>a para vesti-
dos a IJMQ o covado III
Ra do garao da Victoria n- +8 loja da -Norma.
O 8 @-d @@w/@
DE
ROUPA FEITA
NA
r
Ba do Crespo n. 20.
ao
Teudo reaoivido n5o contiouar a ter grande deposito de ronpa feita, ofterece
MsoetUvel publico, e aos aegociantes de lora, um grande sortimento, por precos bara-
tsimos para acabar.
*>
Falrtts sobrecasaco de panno Sao de
12* a 30*000.
Ditos saceos refrnqoeados de casimira
de cor de 5*300 a 9*000.
Ditos, ditos o ditos de panno preto de 5*
i 12*000.
Dito, dito e ditos de alpaca preta de
*500 a 3*000. .
Ditos, ditos e ditos de alpaca branca e
de cr a 2*800.
Ditos, ditos e ditos da bramante de linho
a 2*500.
Dito, ditos a ditos Je bramante pardo a
. >:. as Je casemira de cor de 5*500 a 0*.
I
onlrofi maitos artigos p'jf pre?os
Uneir dt Conha.
Ditas ditas preta de 5*500 a 9*000.
Ditas de bria branco de linho de 2*000
a 4*000.
Ditas, de brim branco de algodo a.....
Dius de brim de cor de 1^600 a 3*000.
Dita de castor de 1*000 a 2*500.
Ditas de brim pardo de 1*000 a 2*500
Camisas de flanella, grandes a 3*000.
Ditas de algodJo, muito bas a 2*000.
Ditas de linho muito boas a 3*500.
Geroulas de bramante a 1*600.
Cobertas de chita a 1*500.
Lencos de linho abainhados a 4*000.
II
} Na roa do Cresp)25 m
LOJA DE Ok
M.VNOEL UIAS XAVEB
0 Vende-se : &
J lio sedico o costurr.e que lia entre todos
03 qae querera fazer conhecer de seus estabele-
cimentos por meio de pomposos annuncios, que
eom bastante razio se arredam os leitores das
tnassadss eom que nos mimoseara os laes annun-
ciantes.
O Campas da raa do Imperador nnmero 28,
se qaizesse seguir eisa rotina anti?a de fazer es-
j tampar nos jornaes mais idos, annuncios bombas-
ticos prendidos de ttulos garrafaes para melhor
I chamar a at'.encao do respeitavel publico; muito
tena qoe dizer a respeito de seu bem conhecido
armazem de vveres sito ra do Imperador n.
28. Dira por exemplo: que no seu armazem
tem constantemente, presuntos para Hambre e pa-
ra panella, salames de Lion, queijos de diversas
qaalidades, lingni?as e chGuricas, ovas de camn-
rupim, conservas inglezas e francezas, vinbos do
Porto e da Figneira superior, licores finos, bola-
cbinnas, cha superior verde e preto e outros mu-
tos artigos que sao proprios para mesa, dispensa e
cozinha. Mas nao.
O Campos so e somente avisa ao respeitavel pu-
blico desta cidade e seus suburbios, qne em rasao
de se aproximar o lempo dos Rega-bofes tem
e'.le 'tito do seu armazem um centro de tudo que
nos grato ao paladar e para qae ninguem du-
vide do qoe cima se tem dito.
Pedo-se urna visita a roa do Imperador n. 28,
armazem do Campos._____________________
- O Bazar Victoria vende meias de Ia brancas
e de cores para homem e senbora, ceroulas de
lanelia, cami a., de flanella brancas e da cores e
de mela de laa : na ra do Bario da Victoria nu-
mero 2. ______.
3$ Slna da Imperatrlz 72.
DE
Lourenco Pereir Meudes Gui-
mares.
lECislNCHA A 200 rs.
Vende-se ama grande porcio de chitas franco-
zas tinas, cores escuras, eom toque de avaria, a
200 rs., e 210 o jovaio, grande sortimento de cha-
peos da palha de todas as qualidades para homens
e meninos a f, 2/300, 3J, 4 e 51, e nutras
muitas fazendas em liquidacao para fechar factu-
ras : na raa da Iraperatriz, Ba:sr Nacional, nu-
mero 72.
moer ca'
"i,
i
B
m

MOINHOS para
kl e 5*. t
FITAS brtneas d a'jodao de dive- (
sas larguras a 609 rs. a dnzia de pe- v"
|,JS i i
LENCOS de cambraia do linho ina- 'Si
Ohadcs a Sf, e 61 a dtizia toa eatt* (A
vale o dinheiro que se da \
RiM pudo trancado sfado para A
roupa de escravoe a 40<) rs. a vara.
CAMBRAIAS.transparentes a 20
31 e 3200 a peca.
ALPACAS de cores lavradts wo
re. covado !...
Ra do Crespo o. 25.
Sao novii-simos
Chapaos de palha e de velado para senhora
viudos pelo ultimo vapor, sendo por isso o que
ha de mais moderno no mercado. O* enfeiles e
formatos sao elegantes : roa do Barao da Victo
ra n. 14, outrora ra Ncva, armazem de cha-
peosideJMoChritiani.___________________
Para cobertas de carros
Vende se vaquetas de lastro e coaro grandes
do lustro tiara guarda lamas: na ra do Barao
da Victoria n. 1 por meaos do qae em outra
qIqoer par'*_________________________
Sustento restaurativo da
saude
PELA VERDADEIRA FARINHA
A, Du Barr)' d'Arabia
RA DO MAROEZ DE 0LINDAN4>
E. A.' Deouch'. c grande sortiiunid do oculta .. mceorz d-,
todas as qualidades, fi vidroi de todas.
numpra'Vs.
\ u> :m casa tem grande s-rUm-ow
tle relogios \ todas a: ^'' di Ji
deui-se wuilo btalos. ______
~Oom o publico em geral
Obioctos para luto II
Bnoeo?, pulceiras, broches, troles aderecos,
eruzes, cassololas e moldes inuir.imente novos
acaba de receber Nova Bsperauca a ra Duqn
de Casias n. 63... a cites
E' sempre assim
A \')va Esperanca... jamis acaba de reepb?,
novidades I gora mesmo, recebe lantas que r>a?
sabe dolas qual anuuncie I porem sempre decla-
ra as seguinios para scieucia de algnem.
MedalhOes de madreperola para voltas, cruzas
pa o mesmo Oro, bonitas eaixichas vaziag do
ppela", modernos aderemos de madreperola, de-
licadas correntes de plaquA, lindos enchovaes oar?.
baptisados e cha#ensinhos rT o mesmo fim, hem-
como deste DltifflO artigo receben cousa muito es-
pecial de seda copa alta, un velludo para senhora?,
lescrever mais (>'massante....
Os abaixo asssignados fazem sciente a seus fre-
gnezes. que pelo vapor inglez La-Plata reeeberan
'egunda remes.-a d'ea excellente farinha, cuje
uso muito se recoramenda para as crianqas, pes-
soas debis e -convalescentes, applieada eom reco
nhecida vactagero as constipacoes, diarrheas.
nausea do estomago, tosse, escarro de sangue.
phthysie, e:;. etc. Preferida anda pelo agradavel
sabof.Uniricoa outra qualquer.
Coques
O Bazar Victoria venda coques os ma> moder-
nos e bem acabadas qua tem viudo ao mercado,
bem como riqusimos b;arnus o sahidas de baile,
e mrias brancas bord:da3 para senhora tambera
de moilo goslo : na raa do barao da Victoria
numero i.
l-aratissimo para acabar, oa loja de Guilberme
Azeitonas
Veade se a H a ancorea :
sfltasl
na ra do Amoris
Gor^aro de seda
\Zt? Receben a luja da America e*ta liu- '*B?
da fazenda para vestidos: ra do Cabu-
irn 10.
Vende-se
a taberna da Boa-viagem defronte da greja, pro-
pria para principiante e ter eommodidade para fa-
milia : a tratar na mesma.
Pereira da Cunha Irmaos
Ra da Cadeia do Recife K. 21
VENDEM:
Vaquetas para carros.
Bszetros de lustre e graixs.
Ac s Suecia.
F.lhas de;zinco para iatoeiros.
Cimento Poriland.
Potas-a da It issia.
Alealrio da Saecla.
Pxe dito. ____________:_#_____________
ititencta
Venda i8 *4a*en*a.Ja.^Wr* do. Varadouro cm
Olin-ia : tnwin-rff.-0 Wrtwo se dir uT
jomprsdor.
Laques.
A revalesciere du Barry de
Londres
Tod;. a dionea cede a Revalesclore du B3rry,
queda saiide. energa, appetit, digesto e de*-
canso. Ella cara as dUpepsiaa, gaitrites, bnm<
res, acidez pituita. Hato, enjps, vmitos rt.-pot*
da comida e gravidez, con tipjo6es,tJ astlima.
affecc-oes pulmonares, bexiga, tiga' erebro t
sangue ; 60.000 curas, ufluindo memas dellas te
Brasil.
A revalesciere cbocolat3da do Barry
em p,
Delicioso alimento para almoco e ceia, moit
nutritivo, fortificando os neros do eslMtja en
causar o menor peso uem dr de cabeca, nam ir
ritaco.
Ubic.i deposito para o Bra.-il era Peroambn\
na pharmacia americana da Ferreira Maia A ..
rna do Duque de Caxias o. W. (Todo cuidad
eom as falsiea?5es.)
Encontrase no Bazar Victoria um completo
sortiraeoto de leques de todas as qualidades, sen-
do madreperola, o3so, martlm, sndalo e madeirs,
garante-se a qualidade e aparado gosto : na ma
do Bario da victoria n. 2.
Veade-te am grande sitio perto da esueSc
do Salgadinho deitando os fundos para o rio t:-
beribe : trar eom o Sr. Jo3o Feitosa : na ra
estreita do llosarlo n. 23.
CEMENTO
0 Ycrdaddro Porlland : s se vendo na
roa da Madre Deus n. 2,'rmazem de Joo
Mariins de Barros.
A31L.I CESAR BUr.iiKS.t)
Resume a gramrcaiica porlngueza, t vol. cari.
tJOOO
EPITOME DA GRAMMAI'CA PRANCBZA.
1 vol. can. 21000.
Livraria franeeza.
Vende-se os seguintes romances e poesas,
Cavalheiro da Casa Vermelha, Visinho Hayronn-
do, A Pata do Gazella, O Goarany, O Meco Po
bre, Maury, ojog eo ninho, poesas de Castro
Alves, L. Paiv* e Y. Palhares, tudo em bom esta-
do: q rna da mperatri?. o. 74, Inja da Btaf.
Vende-se lexrtnes margeiu do lio Beben-
lo : a tratar eom o Sr. ioao
4^ e perto da eifjcio : a tratar eom o Sr.
r>"?3 : na ri etireilo to Rosario u. 23.
Incendio de Pars.
No Bazar Victoria vende-se stoleoscopios c::,
Imporlaolcs vUtaa do incendio dos edificio'' Tais
nolaveis de Pars e de diversas cidades da Euro-
ps, o roe ha de mair nolavel; na ruado Baro da
Victoria n. ?.
u
Vende-se am sobrado do um andar n. 49, silo
a i iu luipeml, eanto di lr;.c-a do Lima, em lo-
cal proprio para transaccSfa coromerciaw. O
pretendeztlH p'jem dirigir sa ao proprietario 3V
ti ai 0 U uanbaa, das a as % da tarde.
ILtblYtL
i


Oiano de PernaniDuc* Quinta feira 14 de Dezembro le 1871.

GRANDE REDUCC&O Effi PREQOS DE
FAZENDAS '
NA.
LOJA DO CYSNE
DE
FIGEIREDO ft LOPES.
64 RA DA IIKUTIH N, U
Os proprietarios da loja do CYSNE convidam ao respeilavel publico para virem
prover se do mais ompleto sortimento de azenda3 6as a presos redazidos, adver-
tindo que estes precos so serao a dinheiro. A imperiosa necessidade que temos em
satisfacer nossos nmpromissos, as obrigaro a semelhantas redactos. Avisamos aos
freguezes do mallo qae costumam comprar em menorescala, qie nasta casa encon-
trarlo s'nceridade 6 maior commodidade nos presos.
LAS com xailrez lindo3 padijs a 320 PENTEADORES bordados para senbora
rs. o ova Jo, pechincba.
DITAS, barepes, liadas cores a 320
o covado, pechincba.
ALPACAS lisas com lindas cores e
gas a 140 rs. o covado, pechincha.
MERINOS lisos cores diversas e largos a
4iO rs. o covado, c pechincba.
ALPACAS. LAVRADAS muito modernas
e finas a 700 rs. o covado, pechincba.
DITAS DITAS muito modernas e finas a
900 rs. o covado.
LAS COM SEDA, lindos padroes qne
seus precos foram da 1(51200, hoje vendemos
por 8C0 rs. o covado para acabar.
CAMBRAIAS transparentes fina?a3JS00
a peca c;m 8 i/t varas, pechincha. Di-
tas Victorias a 450.'O, 40500, 5JOOO.....|
54500 e 75000 com 8 i/i varas. Ditas'
transparentes com dous c rtes <>n 17 veras
por ll5QU0. Dit^s decores moito lin-1
Vio ha mal cabellos braceos
Tintora japoneza.
S6 e nica apppvada pelas as academias de
sciancia, reconbaeiia superior a toda que tem ap-
oarecido at hoje. Deposito principal i ra da
".adeia do Recite n. 51, Ia andar, em todas as bo-
iras cata de eabellelreiro.
pelo barato preco de 40500.
rs.: C0LX\5 da fusto de cor, mnito gran
des pelo baratissimo prego de 50000 para
ar. acacar.
CAMISAS para homens a 20000. Ditas
a 20500 at 40500. Dtas bordadas para
homens a 60000 80000 e 100000 cada
urna.
CAMDBAIA com salpicos a 50500, pe-
chincba.
CAMISAS para men;nos de todas as
idades.
CHALES cbinezes com modernos padias
muito proprios para senhoras hones-
tas. Ditos de merino lisos a 20500. Di-
tos ditos estampidos moito fines a 50000.
Ditos de metim a 10 00.
LUVAS DE PELLICA frescas de Jovin a
30-,
LAS finas com tecido de barege
acabar 360 rs. o covado.
para
para
Alpacas, merinos, cantes, princetas,
cambraias, chitas e umitas outras fazen-
das e tinas a 460, 50J e 5(50 rs. o im- BOLSAS para viagens a 40500.
^IM MBDADAS = !W ** SSfflSL*-' *"*"
e lO.-yJOO. Ditas com pregas muito fijas PARA LUTO
a 30500.
BILOES DE ARCOS a 15000 para acabar
pechin ha Dito? com ssias e babado bor- T
dado mui o Lados a 60000.
FIL de s la preto e branco de superior
qualidade.
ATOALHADOS Recebemos ltimamen-
te atoalhados di linbo muito supeiior por
menos que em oulra qualquer parte. Ditos
de algodo com bonitos desenhos a 10800 g Dechnua
PARA HOMENS.
CASEMIRAS finas com bonitos padroes
a 90000, 60500 e 40800 o corte.
ROUPA FEITA
Por baratissimo preco inclusive superio-
res sobrecasacos da panno fino a 200000.
a vara.
TOALHAS felpadas muito superites a
90000 a doiia.
RICOS CORTES de vestidos de fil
crm bollinhas brilhanlcs proprios p;ra par-
tidas a 300009.
VESTIDOS brancos bordados com baba-
Tambem temos um excelknle alfaiate que
se encarrega de fazor qualquer pega de
obra ao gosto do freguez.
POUPELINAS.Temos um completo sor
tmenlo tanto em xadrez como com palmi-
nbas e por baraiissimos precos.
GROSDENAPLES tanto preto como de
por
dos para acabar, liquidase por 120000, seu
prego foi de 160000. Ditos brancos com core?, temos um grande sorimento e
babadcs bardados pelo b trato prego de menos .jueem oulra qualquer casa.
70003. Ditos brancos com palminhas de MUSSEL1NAS brancas lavradas moito fi-
13a de cor muo lindos pelo barato prego as a 400 rs. o covado.
dey222;,JPil3 mai! n?3 a **30, i BR1LIIANTINAS brancas lavradas a 500
CRETONES lisos do cores diversas pelo rs_ 0 COvado.
barato prego de5000.
D l is com pintas de cores, fazendi su-
perior a 4 40 rs. o covado.
MANTILHAS a brasi eir de fii de seda
pelo barato prego de 140000.
LENCOS brancos abainbados a 20200,
pechincha.
BABADOS bordados finos do lindos pa-
droes.
Gravatas, collarinhos, ponhos e moitos
CAMISAS BORDADAS para senbora por ontros artigos que s se encontra na loja do
menos que em octr-a qualquer parte. CYSNE
Ra da Imperatriz n. 64.
& LOPES.
ASEM DOS LEOES
RA DIQUE DE CAXIAS N. 29
Os proprietarios deste grande e bem montado estabelecimento scientificam ao
rspe'lavt-1 publico dcsta provincia qua se acham com um variado e completo sorti-
mento de movis, tanto nacionats como estrangeiros, sendo estes escoltados por omdos
sosios que se acha actualmente na Eoropa. O mesmo tem contractado com os melhores
fabr.ciutes daquellecontinen'e as reaessas das mais ricas mobiiia3 feits all.
Na oilieina tem os mais habis artistas djsta genero, e por isso pedem qne ve-
rham visitir o est*be'ec ment, aonde encontrado a realidade do qneacabom de expr,
qu3 se pode examinar; ricas e completas mobdias de Jacaranda, mogno, faia, carvalbo, a-
mare'L', etc, ricas e elegantes camas deja caranda, pao setim, amarello, etc., etc., gaarda
vesl^o de amarello, guarda louga de nogi.eira e de amarello com tampo de pedra, apa-
ndo es dedto dita, peti to.lettes especialmente para fazer a barba, toilettes de jaca-
randa, amarello, padra, secreta-iai da jacaraid e mognocus tureiras ae magno, san-
tuarios, thears para bordar, barcos, lavatorios com espelho, da pedra marmore e seus
pertences, cadeins privadas, bids; etc., etc., e moitos ontros artigos que deixamos de
mencionar por se temar tnfadonho
Superiores cigarros do Rio
de Janeiro.
OLEO PURO DE FIGADO DE BACALHAO
DA|
TERRA NOVA
DE
H. LACOMBE
Eite oleo qae tio boa acceitacio tem merecido,
omito se rfc'iramenda por ser o mais purificado
qae at boje (em vinJo, e ai oda pelo bora paladar,
jperior a catro. qualquer : veode-se no deposito
pecial de Bartbolomea & C.: rna Larga do Ro-
tarla 34.
Estopa par.: saceos de as-
sucar,
Venie-se estopa de qnalidade propria para sac-
eos de a'socar por eommodo prego : no escripto-
rio de Canha Manta, rna do Mar mez de Olinda
n. 40.
Attznyao.
Ven tase nma casa terrea roa do Visconde de
ioyanna, ba poaco reedificada : a tratar na ron
do Creapo n. 18, i* andar.__________
Vndese a bem conheeida e afreguezada ta-
berna na roa Imperial n. 150, por se aebir o do-
no doente e pretende hir para o mallo tratar de
sua sanie, trau-ie negocio na mesa casa.
Domingos A Ivs Matheus, nico agente nasta
provincia da fabrica imperial de cigarros de S
Jlo de Nitherobr, esiabelacida no Rio de Janeiro,
tem seropra um completo sorlimento de todos o?
cuarros, fumo picado e en latas. Tem ignalment*
os afamados cigarros Conde d'Eu, feitos com mag
nifico papel de palha de milbo e fumo superior
Para governo de seuj fregaezes, qae lera estabele-
cido depsitos fillaes. as casas dos Srs. Thomai
Francisco de Salles Rosa e Manoel de Souza Jor-
ieiro Sirodes Jnior, no balrro do Recife, e todo
nanto for vendido em outras casas com a firma
e Sonza Novaes & C. sao falsificados.
AOS PADRES
A Nova E^peranca, roa Duque de Cazias n|
63, quera vende as meih res meias de laia : a'
quantidade pequea, portante ellas antes qae
se acabem.
m iiuku
f tm venda em seus rmaseos, alm de ontros
irtigos de sea negocio regalar, os segointes, que
fmaem por precos mais mdicos qae em oa-
ti qualqner parte:
PORTAS de pinbo almofadadas.
PORTEIRAS de ferro para cercas.
SALITRE mglez.
BSTEIRAS da India para cama e forrar salas.
CANOS de barro francs pera esgoto.
9KSS0 superior ero porcoes e a contento.
CEMENTO de todas as qualidade*.
MACHINAS de desearocar algodao.
LONAS e brinzoes da Rassia.
OLEADOS americanos para forro de canos.
rOGOES americanos moito boas e ecoatmteoe.
VINHO de Bordeaux.
COGNAC superior de Gautier Freres.
PARELLO em saceos grandes a 3J500.
AGUA florida legitima.
BALANCAS deeimaes.
CADEIRAS americanas.
RHUM da Jamaica.
AZULEJOS de Lisboa._______________________
Xarope sedativo
DE
Gasea de laranjas amargas
COM
BROMURETO DE POTASSIUM
DE
LAUOZE
Este dovo preparado aprovado pela icademia
mperial de medicina, moito se recommaoda pela
ma aecao sedativa e calmante, sobre o systema
oerroso, o bromureto de potassium, nao deixa de
iar os mais certos resallados as diversas affec-
:es do organismo e principalmente as molestias
io coracao, das vias digestivas da respiraclo, das
as genito-orinarias, oa epilepsia, as molestias
nervosas da prenbez, na insomnia das criangas
dorante o periodo da denticjto etc. etc.
Yende-se oa pharmacia e drogara
de
Bartholorneo & C.
34-RUA LAR3A DOROSARIO-34
DE
MO
15500
160
500
i i55O0
55000
RIVAL SEM SEGUNDO
RA DUQUE DE CAXIAS N. 91.
Jos Bigodinbo, com loja de miudezs,
avisa a todos os os seus fregaezes que est
torrando todo pelo prep), a vista da fazeo-
da, para todos admirar, a saber:
Thesouras grandes e pequeas o
mais fino que ba a -1 000 e
Pecas de tranca de 13a e algodao as
mais modernas a
Frascos com agua de colonia maila
una a 400 e
Frascos com agua de colonia ver-
dadera a 800 rs. e
Chapeos brancos para baptisados o
melhor qae ha a 35000 e
Dozias de botdes cobertos de seda
para vestidos por todo o preco
para acabar.
Libra de areia prela a
Groaas de botoes de tonca branca a
Gaixas com 100 envelopes fazenda
fina a 500, 600 e
spelbos de moldara donrada a
800 e
Pentes pretos volteados para me-
niuas a
Tinteiros com tiota preta a 80 e
Pecas de fita elstica muito fina a
Latas com superior banba 60,100 e
Latas grandes com superior banba a
Frascos com oleo de Phocome a
500 e
Frascos com macass I Perata a
Frascos ecm agna de Colonia verda-
deira a
Ditos com oleo de ba josa suderior a
Carriteia de retroz preto com 2
oitavas a
Cakas com agulhas francezas a 160
160
Pecas de ttras bordadas a 500, 600
800 e
Garrafas com a verdadeire agua
florida a
Cartilbas da Dontrina CbristSa as
mais modernas a
Escovas muito finas para limparos
denles a 240
160
120
800
15000
240
100
20C
200
320
800
240
1.5000
320
600
240
15000
15300
400
10Ra do Crespo10
Pecas de algodao com 20 Jardas a 4/, 4f 500
SJUOO.
Ditas de ruadapolo a 4J, if, 3/S500. 6*. e
6*500. ^^
Ditas de dito infestado, francs superior a
Chitas francezas de todas as qaalidades a 240,
280, 300, 320 e 36 o covado.
Cambraias de cores a 240 e 280 rs. o covado.
Dita lisa de cor a 320 rs. o covado.
Ditas pretas para lato a 640 rs. a vara.
Pecas de cambraia lisa transparente a 3, 3J504
Ditas de dita tapada Victoria, a 4/, 4*500, 5/
e7*.
Ditas de dita transparente, soissa moito fina
com 17 Taras, 14#.
Ditas de dita bordada com 10 jardas a 7* e
9*500.
Orgaody branco fino a 700 rs. a vara.
Bnl&aalina branca infestada a 440 e 500 rs. o
covado.
Bretanha de linbo com 25 varas a 20*000 e
23*000.
Dita de dito'infestada eora 30 varas a 27*.
Braaanle de linbo com 10 palmos de largara a
2/500 a vara.
Dito de algodao a 1*500 a vara.
Atoalhado de dito e de linbo cora 10 palmos de
larcura a 1*900 e 3*.
Toalbas alcochoadas para rosto a 7* a dazia.
Ditas de linbo do Parto felpadas a 10*000 a
duiia.
Gaardanapes de linbo a 3* e 4 3 a dazia.
Caberlas de chita a 2* e 2**uO.
Dii?s de chita adamascada torradas, 4*, 4*500
e 5*000.
Colchas de damasco de edres a 4* 6*.
Ditas de fusta> alcochoadas a 5*.
Cobertas de l escaras a 2*.
Ditas de algodao brancas a 1 400.
Colleirinhos de Iraho a 500 rs.
Chales de merino lisos pretos e de cores 2*000
e 3*000.
Ditos estampados de rr.eia casemira a 2* e
2*508.
Damascos de cores a 610 r?.
Lencos brancos de cassa fttot, 2*, 2*500 e 3*
a dazia.
Ditos ditos e de cor abainhado largo a 3* e
3*500 a dnzia.
Ditos ditos de cambraia e linbo finos a 6* a
dnzia. .
Ditos de esgaiao de lioho a 4*, 4*500, 5* e 6*
a duzia.
Bnm Angola a 640, 800 e 1*000 o corado.
Brins de lioho de cores a 500 rs. o covado.
Cortes de meia casemira para calca a 1*200 e
1*400.
Ditos de casemira para calca a 3*500, 4*500
5*500.
Ca; emir as de cores de duas largaras, 2*, 2*50
8 3* o covado.
Ditas pretas, daas larguras a 2*500 o covado.
Pao tino preto e azul a 2*, 2*500, 3*000
3*500.
Dito dito muito fino superior a 5*, 6* e 7*
covsdo.
Lans e alpacas de cores para vestidos a 400
500, 600, 700, 800 e 1* o covado.
Toalhas com labyrintos para bandejas e para
rosto a 8*. 10* e 15*.
Camisas de fl.-mella branca, e de cures 2*,
2*500, 3*. 3*500 e 4*500.
Grosdenapoles preto e de cores 2*, 3* e 4* o
covado.
Do-se amostras com penhor.
Vende-se tambem grande quantidade de ronpa
feita e por medida por precos muito reduzidos,
freventflo necessa ia
Qaando muitas tojas procuran) adquirir grandes
lacros nao compadecendo-se das boleas alluias,
a Nova Esperanca bnsca consegui-los sea qae de
forma alguma va enlesica-las ; porque segu sem-
pre o seu amigo e santo systema de vender bara-
to para tender muito e chegar assim ao fim dse-
jado.
A Nova Esperanca nao almeja someote o lacro
pecuniario, suas aspiracoes sao mais benvolas,
em quanto ao interesse material, contenia-se com
a raediocredade, em qoanto porra ao moral, oa
.Tillo ao cssencial qae ella jalga nomeada sen-
te ama va-ti ambicao, qae detesta e faz toda a
guerra ao coslume macarrnico da caresta.
A sua prevencao necessaria, consiste em avisar
ao respeiuvel publico e especialmente ao bello
sexo, que ella est sempre provida do qae ha de
mlh ir e mais elegante oo mundo das modas, e
e.nlo necessario nao deixarem a Nova Espe-
ranza para preferirem outro qualquer estabeleci-
meoto, porque aqu, o typo da caresta, e all,
(n.i Nova Esperaoca) o epylogo de tudo qaaato
e bom e barato.
JNo Forte do Matos, es-
criptoiio por cima do trapiche
tantas, ha para vender carvo
das qnulidades seguintes:
SUPERIOR .NEVVEAOSTTE,
COK.
? FERREIRO.
Vende-se em porco e a relalho por pre-
co mujto commodo.
Vende-se daas casas em chaos proprios, fio lar-
go da Soledade ns. 18 e 20 : a tratar oa rna da
Cruz n. 46,1* andar.
Potassa da Russia
Umea nova existente no mercado, chegada oo
ultimo navio, vendem Pereira da Cuoha Irmo :
raa da Cadeia do Recife n. II.
LIQIJIMCO
Para acabar,
AVISO AS FAMILIAS.
O dono do grande estabelecimento de fawndas
sito a roa da Imperatriz n. 2, resolveu liquidar
tedas as fazendas de sua loja, as quaes vende a
dmheiro por todo preco, tendo entre ellas, rieos
vestidos de blond para casamento, ricos veos, es-
polias, sedas popelinas, lass, aJpaeas, cambraias,
cretonas, percalles, casacos, bssqainas, e omitas
outras fazendas finas e grossas; assim eorao nm
grande sortimenlo de roaps feita, de casemiris fi-
nas, panos, lioho e algodao qae lado se vende ba-
rato para acabar.
"i"
Vende-se
Urna boa casa situada na Capunga, com 5
qaartos, 2 salas, cozioha, cacimba e am
grande quintal plantado: a tratar na mi
i de Marco n. 7 i andar.
.
Cura rpida e radical dos
callos
pela pomada Galopeau
Essa pomada que tao bons resaltados tem colhi-
du as pessoas que della tem feiio aso acaba de
chegar para o seu deposito especial..
NA
Pharmacia e drogara
DE
Bartholomea & C. raa larga do Rosario nu-
mero 34-
J. 0. 5 Doyle tem em seu
armazem para vender
O SEGUINTE :
COGNAK HENNESS.
VIMHO XEREZ.
DITO DE LISBOA,
FILTRADEIRAS.
BITTER
A' roa do Commercio n. 38.
fBHs mmm-mmm
FABRICA
RU l DO BRUMIN. 52
(Passando o chafariz)
O engenheiro Alberto tendo voltado da Europa roga -
quelles senhores que o tem procurado queiram apparecer no
escriptorie para entendercm-se com elle sobre seus negocios.
Igualmente avisa aos clientes que ha diversos machiuismos
a chegar breve, merecendo urna visita de exame.
Aquellts propiietarios quequizeretn formas podem desde
j fu2er suas encommendas, pois a casatm em viagem e car-
regando numero sufliciente para suprir a todos quantos queiram.

s
DE
tt
I
CHAPEOSg
de g|
Todas as qualidades
X U tu larga do Rosa- g
rio n. 2i 1/ andar
Se o desejo dos propiietarios desta fa- jtt
brica fosse anicamente lladir a f pu- 5
blica, ha moito qae teriam annunciado 51
os seus prodactos, mas para correspon- M
derem mais dignamente confianca ntl- 5
les depositada, esperaram receber os 1
objectos e pessoal, que acabaa* de che- SM
gar-lbes. 55
Hoje, pois, qae a sua fabrica se acha IMJ
montada com as mais aperfeigoadas ma- JjjSi
chinas, com os melhores petrecbos e ser-
vida dos mais peritos officiaes europeos, |
h podem os seus namerosos fregaezes e 1
2 o publico em geral encontrar desde j. S
Chapeos de seda da ultima moda, sen- I
jffiS do altos e baixos.
Ditos de castor de todas as cores, em ffi
I formatos ingieres e amburguezes.
Ditos de feltro de todas as qualidades |
! e feitios, tanto para bomem como para ss
K| crianzas. H
Wk Ditos de velludo para seohora.
Ditos para eccleslastcos, redoudos, tii- S
I angulares e a romana.
Ditos armados para militares.
Ditos de pasta.
Concerta-se toda a especie de chapeos aBI
I qner de bomem quer de seohora, com a jgg
! maior pericia e mais barato qae era qaal- 5
I qaer oatra parte, assim como se rece- 9
I bem encommendas tanto para a provin- j
cia como para fra.
iwittffitti wmmmmm*
Mel un barris de quinto
Da meiuor qnalidade, e prompto a embarcar :
vende-se a roa do Apollo n. 4.
Formas para pdins e can-
gica.
Aloja de louca da roa Primeiro de Mareo n.
16, de Bernardino Daarte Campos & C, chega-
ram ss moito desojadas formas de louca para p-
dins e cangica, as quaes se vendem por mdico
pre^o.
VEWDESE
ama boa casa situada oa Capnnga. com 5 qaar-
tos, 2 salas, cozinha, cacimba enm grande quin-
tal plantado : a tratar na raa 1* de Marco n. 9,
Ia andar.
Libras sterlirias.
Vende-se oo armazem de fazendas de Angosto
f. de Oliveirt & C., roa lo Commercio n. 42.
Xarope peitoral de James
Uoico deposito na pharmacia americana de Fer-
jeir Maia ft C, 57 ra do Duque de Caxias nu-
iwmtt,
56 ARa do Mrquez de Olinda56A
outr'ora ra da Cadeia.
LOJA DAS MACHINAS
Sendo este antigo estabelecimemo assaz conhecido como principal e recommeo-
dado pelos grandes depsitos e bons sortimentos com qoe sempre prima em ter das
melboras, mais acreditadas e verdadeiras machinas americanas para alce-
da, desde 10 GO serras, e bavendo em todos os tamanbos diversidades de site-
mas e melboramen'.os para perfeito e rpido desean camento; tornam se dicnai di
serem vistas e apreciadas peloa Srs. agricultores; os quaes, alm disto, encontririt
tambem mais:
Correntes para arrastar madeira.
Cylindros americanos para padariai.
Pertences avolsos para machinas.
Salitre refinado.
Breu superior.
Moinhos de diversos fabricantes par
milbo e caf.
Debulhadores para milho.
Azeite de spermacele para machina.
Camas de ferro.
Bombas de Japy.
Ditas americanas.
Cofres de ferro patente.
Canos de ferro esmaltados.
Ditos de dito estanbado.
Ditos de chambo.
Ditos de borracha.
Folies para ferreiros.
Aparados vapores locomoveis, de Jorca
de 3 4 cavallos, e pertences.
Machinas para lavar roopa.
Arados americanos para varzea. e la-
deira.
Carros de mao para atierros.
Tinas de madeira.
Baldes de dita.
Ditos de ferro estanbado.
Ditos com vlvula para lavatorios.
Ditos de madeira para compras.
Apparelhos para jardins.
Guardas-comidas.
Tampas para cobrir pratos.
Tarracbas para fazer parafasos de ferro.
Ditas dita ditos de madeira.
Trens para cozinha.
Ternos de bandeijas finas.
Emfim muitos ootros artigos, qae so avista e oeste estabelecimento poderlo w
examinados.
MACHINAS
Fu mam alao
De 10 a 40 serras.
VAPOR
para mover as machinas.
Em casa dos importadores I Ra do Bom-Jess n.
Shaw Hawkes C. ) outr'ora Crm.
C A S A C VI tA1AMER. rharmac W^^*^^* ^r^*T W Boulevard Sebastopol, 56. "PARS.
NOVAS ESPECIALIDADES A. MARINIER
Apreseirttdis i Anden e Seieneii e m taitituto il Frtici.
INJECCAO
MOLESTIAS
Sok i lormi de Ptslilli, devedida e doiMdi para faier i
momento ama solcelo PUTUTiri I 0BB11
sTivi da.
CONTAGIOSAS
WTOR-PHILIRO
Graree
do volunte de ara reiogio, servind
de Puiltbo e Skinca sem os
inconvenientes de rrMiliaade.
COLLYRIO
BARTHOLOMEO& C
rom I AO Ci orw, do olue de ibi PorU-Steed mKmb
ESTOJOS TOBO TRATAMBNTO.
Contra as affecQois daa palpebras, preparado sob a mesma forma.
'
.


'
Deposiurios geral para o BRASIL e PORIX'CAL
34, raa larga do Rosario.'- PKIVNAM^OO.*


A

*

i
.
7
-
Di vi* ds Fernaibucs)
AW&IKAVEIj XIQUIDA^AO
SEM LIMITES
Nk

LOJA E aRMaZEM
po
PAVAO


DE
FLIX PEREIBA DA SILVA t C.
NA RIJA DA IMPERATRIZ N. 60'
S a dinaeiro ft vista

Os proprietarios deste estabelecimento tendo grande necessidade de diminair o im
menso deposito qae tem de fazendas e grande urgencia de apurarem dinheiro, tem re*
solvido fazer urna verdadeira liqaidacSo com grandes abatimentos nos presos de todos
os seos artigos: para o qae convidam ao respeitavel publico desta capital a vir sortir-s<
pois Ibe garantem que rn parte algami poderao encontrar to grande sortime&toe mei
mo n3o comprarlo petos presos qne se Ibes pode vender na loja de Pavao; porra ad
Tirtindo-se que s se vende a dinheiro vista. Os mesmos proprietarios deste estabe-
lecimento rogam a todos os seas devedorea desta praija o favor de virera saldar seos d-
bitos, e todos aquellos qus estiverem devendo contas antigs e o nio Ozerem terao d<
ser eacommodados judicialmente.
1,5 sin has barata do Pavo.o
Alsacianas com lindas liaras de seda a
l 1000 o covado.
Ditas lisas com muito brilbo a l-> o covado
Allantas, fazenda de muito gosto tecida
com seda a 7O rs. o covado.
Ditas com quadros de seda e cores muito
delicadas a 6iO.
Poil de cbvre, d'uma s cor com muito
brilbo a 500 rs. o covado.
Merinos escossezes fazenda de mnito go?to
para vestidos bjrnas e roupas de meuino
a 640 rs. o covado.
Gargorao muito bonito, tendo de todas
as cores a 400 rs. o covado.
LSasinbas nodernas com differentes ges-
tos a 400 e 500 rs. o covado.
Ditas .l.t s a 280 e 320 rs. o covado.
Bareges trasparentes cora differentes co-
res a 400 rs. o covado.
Alpacas de cores lisas e lavradas fazenda
de muito gosto a 500 e 800 rs. o covado.
Cassas do Pavao.
Cassas inglezas com bonitos g03tos a 200
e 240 rs. o covado.
Ditas nissimas a 300 rs. o covado.
Ditas francesas de muita phanUsia a 400
rs. o covado.
Cortes de cassas com 7 varas fazenda
muito fina e bonita a 2)9500 o 35000.
Ditas d'organdy branco e de cores a
20500.
CORTES D'ORGANDY A 45000.
O PavSo tem cortes do organdy branco
eom 8 i i varas qne vende pelo barato pro-
co de 40000, assim como finissimo organdy
branco com lisirinhas e qoadrinhos o me-
Ihor qne tem vindo ao mercado e vende
pelo barato preco de 7:20 rs. a vara.
Ponpel'nas de seda a *.
O Pa5o tem om elegante sortimento de
poupelinas de s -da tamo lisas como lavra-
das as mais modernas que tem vindo ao
mercado e vende a 2i>000 o covado.
CAMBRAIAS LARGAS A 800 RS. AVARA.
O Pava) tem camnraia branca transpa-
rente de boa qnalidade, com 8 palmos de
largura, qne apenas precisa 4 varas para
um vestid e vende a 800 rs. a vara, dita
finissima da Es-".os?a tendo a mesma largu-
ra, que vendo a 10600.
CAMBRAIAS BRANCAS A 40000 E 40500
O Pavao tem pecas de cambraia branca
transparentes com 8 1/2 varas que vene
pelo barato preco de 45000 e 40500, ten-
do tarabea muito finas de 50000 at
100000.
Ditas tapadas ou Victorias tendo de 30500
a pe^a at a mais fina que vem ao mer-
cado.
Crosileniples preo e de cores.
O Pava o tem um grande sortimeuto de
grosdenapks e gurguro preto para vestidos
tendo de 106OJ o covado at ao mais sn
perior que costnma vir ao mercado, assim
como um grande sortimento de ditos de
todas as cores e branco e um bonito sorti-
mento de setins branco e de cores que ven-
de por procos muito em cunta.
CASAQUINHOS A T50, 180 E 200000.
O Pav.j tem um grande sortimento de
'icos casaquinhos de seda preta moho hetn
enfeitados e modernos que vendo a 150,
180 e 2"0OOO, sendo fazenda de mnito
mais valor, assim como ricos chales pretos
Bordados com franjas largas de retroz a
100 e 120000.
CORTINADOS PARA CAMAS E JANELLAS.
a 80, 100. 120 e 160000.
O Pavao tem om grande sortimento de
cortinados ricamente bordados, proprios
para camas e janellas que vende de 80 at
160000 o par.
Pecas do cambraia adamascada com 20
taras a 100000. crochet ricamente bordado
para cortinados?; 10500 o metro. Assim como
ricos damascos com 6 e 8 paira is de largu-
ra proprios para colchas de camas e tam-
bera ricas colchas de damasco a iruracao 4e
seda e ditas de crochet as mais lindas que
tem viudo ao mercado.
1
MUSSELINAS DE CORES A 400 RS. O
COVADO. K
O Pavao tem um bonito sortimento de
masseiinas de cor*, padre* inteiramente
novo* e cores fixas, que vende a 40 rs. o
covado. Drtas brancas mao finas a 400
e 500 rs. Metim branco da India mnito Seo
para vertidos e roopas de meninos a 7 O rs.
o ovado. GretoDes de cores muito encor-
pados par vestido a 600 rs. o covado.
Metralhadoras!
Cheg n para a toja do Pavao cm magnifl :o sor-
limeot de cortea de vestidos de cambraia eom
babadn branco* e de cores, denominados a me-
traJhadora, sendi esta hienda a mais moderna e
de meihnr go t > que tem vindo e*ie aono pan a
(esta : assira com > receben tambera om lindo
sortinv nto de roetes de cambraia com palmmha
bordada,* a ri. A>md* *MB9a pbawail, e- veo-
de-te tndo mnito mais tralo de- qne ero ootra
qtulqner part-* : na roa da I aperatnx d. 60, loja
e armaiem de Pereira da Silva k C.
Popelinas de seda
A llOOre.
Na loja do P vnode-sa om elegante sorti-
OMSto das mclhores e mais modernas popelina-
de teda, qae se lquida pele baratsimo preco de
1*80 rs. o covado grande pechincha : a roa
da Imperatru n. 60, loja de Pereira da Silva A
C-
Loja do Pavao
SAIAS BRANCAS BARATAS
a 20500 e 30000.
O Pavao vende cortos de boa fazendi
branca com bonitas barras de pregas, pele
baratsimo preco de 20500 e 30000 cada
urna, grande pechincha na ra da Impera
triz n. 60, loja do Pav3o.
MODERNAS BAREGES COM LISTRAS DE
SEDA E FRANJA AO LADO,
a 800 rs. o ovado.
Chegou para a loja u .'tv5o, ra di
Imperatriz n. 60, um elegante sortimentc
das mais lindas bareges modernas e tende
ao lado bonitas listras assetinadas e franjas
n.ii a os enfeites. as quaes se venilem pele
baratsimo preco de 800 rs. o covado, poi
baver om grande sortimento desta nova fa-
zenda ; assim como delicadissimas baregei
com lindas listras de seda, sendo fazenda d(
muita phantasia a 640 rs. grande pechin-
cha, no armazem do Pavao.
Fazenda para lato.
O Pavao tem um grande sortimento de
fazendas pretas para luto, como sejam :
Merino preto cora 6 palmos de largan
para vestidos a 20000 e 20300 o covado
Merinos pretos e de cord5o para todoi
os precos e differentes qnalidades.
Bombasinhas para todos os precos.
Cantos e alpacas pretas. Lasinhas pre-
tas ou cassas de lia de 300 at 500 rs. (
covado.
Cassas pretas francezas e inglezas de to
das as qualidades.
Chitas pretas francezas e inglezas de 20C
rs. para cima.
Cr^pe preto para veos.
CASEMIRAS PARA CALQAS A 40, 50, 60
70 E 80:00.
O Pavao tem nm grande sortimento d
cortes de casemiras de cores para calgas:
sendo os mais modernos que tem vindo a(
mercado e vende-se de 40 at 100000 c
corte, ditas em pegas francezas e inglezat
para ca'cas, palitots e colletes que vende de
10800 at 60000 o covado, ditas escuras s
prova d'agoa que vende a 50 o corte ou 5
30 o covado, sendo estas casemiras mnitt
proprias para meninos de escola por seren
es-uras e de muita dnelo.
NOVOS VESTIDOS A 50000.
O PavSo tem lindos cortes de vestido di
fioissimas carobraas coro bonitos hordadoi
de cores e tambem todos bordados branc<
que vende pelo baratissimo prct;o ce 50OO(
cada rrte, grande pechincha.
PANNOS DE CRO JHE PARA CADE1RAS
SOPHS.
O Pavao tem um grande sortimento di
pannos de rroch proprios para encost di
cadeiras e de spns, assim como um rici
sortimento de tapetes d: todos os tamanbo:
proprios para salas.
MADAPOLO BARATO A 40, 40300 E 50
O PavSo tem p-cas de madapolao com 24
jardas ou 20 varas que vende a 40 e 405O
a pega, dito muito fino e largo do 60 pan
cima, dito france. do melhor que tem vindt
ao mercado, assim como dito finissimo en
pecas de 40 jardas.
cortes de chitas.
a 10800. 20000 e 20800.
O Pavo tem cortes de chitas francezai
com 10 covades, que vende pelo barato pre
o de I600 e 20000, ditas que vendo ;
i6(, 200 e 280 rs o covado, tambem ten
um gra> de scriimento de ditas finas elaraf
e escuras que vende a 280 e 320 rs. o eo
vado e finissimas percales miudinbas propri
as psra camisas, vestidos 6 roopas para me
ainos qca se vende a 360 o 400 rs.
LENCOS BRANCOS.
O Pavao tem lencos brincos abanhadoi
quo se vende a -20100 e 30. a duza, ditoi
grandos de murim sem ser abanhados
30200 rs. a dnzia ; assim como bonitos len-
cos bordados para roaos.
ROPA PARA HOMENS.
Sobrecasacos. de panno preto fino s'nd
muito bem feitos de 120 at 400000.
Palitos de panno preto fraques e sacc
de 80 at 120000.
Ditos de casemira de cor de 60 at 120.
Ditos de alpaca preta fina de 40 a 60000
Ditos de dita branca e de cores 60000
Ditos de bnm de liobo trancado a 60000
Calcas de ca.-emira preta de 60000 srrt
i20t'OO.
Ditas de brim branco de linbo de 40OOC
at 80000.
Ditas de brim d linbo de edr para todoi
os precos e qaalidades.
Camfsas francezas e inglezas com peitot
d'algodao dn 10600 at 50, em duza ven
de-se mais barato.
Ditas de meia de 800 rs. para cila.
Ceroolas de linho e algodSo, francezas t
feitas o* ierra.
CoUarianos de papel, atgorrao e Snb(
que se vendo motu barato pira rtqordar.
Para niva?.
O Pavan t m rico gungorao de seda, bran
co. GroadeMpte branco mnito encorpado
Agracianna branca eom listras o st-da
Poupelinas branca? d seda lisa3 e lavra-
das. Sedas brescad, (radas e lisas, em-
pellas com naltM $ flor de laranga den
ricos veos bordados, qoo todo se vende mau
barato do que em ootra qoalquer parte.
uiuta (eir 14 de 1).-sembr d 1871.


i-rrALin
N'ESTA ANTIGA E CREDITATA
FABRICA
a
IICIITI1 II CIIIT1ITIIIITI 101 COILIIO IIITI1IITI II
CHAPEAS DE SL:
De todas as qualidades I
De todos os feitioi I
De todas oa precos I
RA DO CRESPO N' 4
Ra da Imperatriz n. 40
Os proprietarios deste bem coubecido, e acreditado estabelecimento, resolveram
fazer urna liquidacSo das fazendas existentes, e pelo maior preco que podtrem obter,
nao engeitando preco algum at o fim do anno ; portanto previnem aorespeitavel publico,
para approveilar a occasio de comprar bom e barato.
Lencos brancos grrndes de esgui5j j
abainhados'a 30200 a duzia.
Ditos ditos de algodo,
largo e pintado.
com abainbado
Um compiti soriimento de roupas
feitas para Dmese e meninos.
Casimiras pretas e de cores, pannos fiaos
azues e pretos.
Fu toes de cores para vertido?, padr5es
miudinhos a 4f O rs. o covado.
Cambraias brancas bordadas para vesti-
dos a 80500 a peca.
ROUPAS FEITAS E OFPICINA DE ALFAIATE
Urna grande quantidade de palitots, calcas,
colletes de pannos, casemiras e brins para
todos os precos.
Camisas de la, ditas de meia, ditas de
linho, francezas e inglezas, collarinhos de
linbo e de papel, sortimento de mantas c
grvalas de seda preta e de cor, bournus e
outras muas fazendas, cuno sej m:
Bramante de linho e de algodao atoaba-
do trancado e adamascado, esguiao, meias
para homens, seohoras e meniuos, coberto-
I res, colchas e ontras moitas fazendas que
Custumes de alpaca de cures enfeitados
de seda e 13a para meninos.
Palitots de a'paca de cores para homens a
30000.
Capellas e veos para noivas, tudo junto,
pre?o muito barato.
Ditos adamascados para camas e janellas,
j recortados.
Grande sortimento de bareges, liasinbas
e alpacas pretas e de cores, lavradas e lisas
para precos muito em ce uta.
Grande variedale de chitas de 240 at
400 rs. o covado.
Cassas de cores, e cambraias listadas para B desbrevemos parao annuacio se n3o tor-
d.versos precos. nar enfadonho. Ad.nhe.ro.
r v I Pelo preco que se vende so a d.Dheiro.
40 PAMMO
Cofres de ferro de Maers e ostros -1*4
i: re upas pan COpiar ^rtas.
Balanpas de pesar, DeCi.es, Romanas, etc.
Tachas de ferro, fltlDhld0.
Arados Americanos
UrraeS, para agricultura.
Carrinhos de mao.
Machinas a Vapor
JILaCilinaS & descarocar algodo, de 10 at 40 serras.
UnapaS (le ierrO galvanisadas para cobrir casas etc.,
Estes artigos vendem-je em
casa dos importadores.
Shaw, Hawkes A O,
s. 4 ra do bom jbsds.
(outr'ora ra da Cruz )
'/
v
1UHAS DE COSTURA
DE
Singer Manufacturing C.
yooo
'.05000
90/000
90*000
NA
Ra da Imperatriz
DE
ii
40.
MENDES & CARVALHO
M^chiuas
M-.cliiiia.-
Miu-hinas
Machinas
Pira
Para
Para
Para
tOOOiO
100*000
100*000
100*000
Ditas
DUaa
Ditas
ita<
Com
Cora
Com
Com
Familias
Familias
Familias
Familias
Tfip
Taropa
Tamt-a
105*000
103*000
105*000
105*000
Brasileiras Toda Costara
Drasileiras Toda Costura
BiMleiras Toda Costara
Bra'ileira? Toda Costara
lOOiOCO Machinas do
100*OCO Machioas de
100*000 Machinas de
100*000 Machinas de
Haiii bu3
Muivi
Manir-, j
Manivp.
115*000
115*000
115*000
118*000
Machinas Para Alfaiates
Machinas Para Alfaiates
Machinas Para Altalates
Machinas Para Alfaiates
115*000 Machinas Para
115*000 Machinas Para
115*000 Machinas Para
115*000 Machinas Para
Sapatt.'-"'
Sapateir
Sapaieir -
S|Mtfirr-


5*000
li5*000
145*000
145*000
Mchicas
Machinas
Machinas
Machinas
me a da
mesa de
mesa de
mesa de
130*000
130*000
13<*0OO
130*000
Macbiuas
Machinas
Machina*
Machinas
Para
Para
Para
Para
Exiencii
Extenan
Exti'Dcn
Ka I ";";
Chape'1'- '-
Chapelle r.s
Capelleirof
ChaDelleirh?
A loja do PavSo acha--e constantemente aberta das 6 oras da manhaa ate ai 9
boro da noiie, roa da Imperatriz n. 60.
*
tasca M vio ora processo'mais perfeito e que at-
* fl tal forma a satisfazer as exigencias osis
tvtraa da escriptnracao.
k toa cor lindissima e nao precisa da enida-
a alfnm para se conservar no tinteiro sempre
* a mesma edr, sem borra, erosta, boir ou em
ida astas mazellas inherentes a tedas as timas
. Agora conheeidas, anda mesmo dos melhores
iteres estrangeiros.
Sobretodo, este estimavel producto nio ataca a*
mas de a;o, antes pelo contrario, a penna
iqnira om esmalte donrado qae, *endo inters-
utt, asss proveitoso.
Sita tinta, nao sendo especialmente para copiar,
a comtado dnas, tres, on mais coplas um mes
eo da escripia ; preciso, potm, dehur-lhe
i papal bem molbado sem o eoxagar can ri*
tan-
., mas
ti-i cena o original tirar ama tantas qaantas
jam, sem qne o original fique prejudicado
mu axtracSes.
V/orre aqu diier qne, para copiar importa
uta intelligencia e habilidade, sem a qne a me-
ter tima nao satisfaz, e o defelto recae sempre
jira a tmu, qae moitas veres qnem meaos
tipa tem.
dupla qaaiidade desta tinta extremamente
reciavel coi* que evita qae em qpalqaer es-
ni torio naja mais
rtos nnsteres.
**onantr. a sna durabilidad, nio ha aopfr lDr
SMSOff avias pou qae su tinu itpeS d a- >
cripU softe o choque de cidos forlissimoe, sem
se decompr; ora, se os cidos nao tem acc sa-
br ella, muite menos a accao du tompo & pode
destruir; isto plausivo!.
Nio 6 s ao commercio que este mea producto
veio .ser til ; os professores dos collegios, investi-
gando todos os meios para o adianumento dos
seus discpulos, tem approveitado esta tinta, qae
com razio a acharara apta para desenvolver o
gosto nos educandos, em conseqnencia da belea
da cor e facilidade de correr na pequea pela sna
liquidez. Ha exemplos de ensacas que navia
muito tempo tiobam ama repugnancia extrema
para a escripia, logo qae fol admlttids esta tinta
no coliegio, apoderoa-ee deltas a enriosidade e e
gosto, poneo tempo depois o sea adianumento
era manifest,
Esta tinta, i par de tantas vantagans, tem om
nico inconveniente, deteriora-se ao contacto de
ootra qualquer; CRnvm pois te- la em tinteiro
sontos do menor vislumbre do ootra lisia, e evi-
tar escrever com a penna saja de ama preparacao
difireme e incompativel; verificando isto, nio na
razio para se asar de (iota qne nio seja a VIO-
LISTA EXTSA-rlNA DB MuOTHRO.

Note se bem
ao numero
nico fi gente
) W. H. Chapman.
(
Ntese ltw\
ao numero /
45RUAD1MPERA0R45
L.COB CONCENTRADO E TlTUt.*
0 Sur Guyot chegeu a tirar ao alcalrao a
sua acrimonia e o seu amargor insuppcnaveis,
o que o loma mais oluve!. Aprovcilando e.sa
feliz descoberta, elle prepara um licor con-
centrado de alcntrSo.o qiial, sob nm pequeo
volnrne, cojit^m urca grande propo-cao de
irincipios activos.
0 Alcalino le Gu?*'i (Collern de
Gujot) possue por conseiiutucia toda as viii-
tagens da agua de ct: jo ordinaria, sem i os inconvenientes. Baila Utita.- d'elie urna
co'her de cate n'nm copo d'agua para o!-. t
logo um copo 'lo exulten'* ua de !n i
sem gusto desugrd-frel. uda qo;-l
d'ess* BMifeira prep' r*r a gu
calroipK:; !" dVi ,>r.
enonemia -i" lampo, ;
evitao niamij \A i r .....>
0 aicalvAa '-' >-;
var.Uigein muii i*
im i les, no* cau >' : '< ;
lOSbeS, Clt-:ii -
Obsorvaqao.
0 aioatrfto fj BEBIDA. U,na cj'.her de caf para um copo d'iyt uu iIuli cothare dt
to,iJra urna garafa :
brokchites
catarrho de bexic
cefluxc:
tosse pernita2
irritara-0 de peito
tosse convulsa
El POluTNTACCSS. Licor .uroou com um>oucod'a?t*
AFTECCES DA PELIJE
COMICHES
MCLESTIAS DO COURO CA8Ekw.(lDO

M mJECCCS.
Vmaparlede!!Creqtntrod,'igua (,tt*~*Hi*!rm-^~w*'*l
FLUXOS ANTKJOS OU RECEStES
CATARHO DA BEXrCA
Diversas falsiflcacoes e semelhancas tem apa-
recido, coja dorabilidade 6 duvidkwa. Os Sn.
Bl compradores podem evitar o engao dirigindo-se
do que urna tmu para os dn [^* ^.^ipeema,^ P^odoTtinU joa eo
1. C. sfosiet'ro.
O Alcatr&o Je Gyt foi eaptrlmetUad* nm m verdadro esito no
irintwaes lm}1ats i franca, da Blico e ib Bapaia. Fot reenhccido
que, para os lempos de calor, elle c^lllue a bebida a mais hygienira, e so-
bretodo durante ot tempo de epidema. UmaiRUmc^eompanhaemJu vidto.
Yende-se na pharmacia e dro,?apfa de P, Man-
rer & comp., ra Bar3o

iT8I Diali de Pernambnce Quinta ein 14 de Dezembro de 1871
,*..*
=r
UrmATORA.
Desebafamento.
A VUK ABISTOCRATA.
Vossa Excollencia mostra desprezar-mf.
indifferente Qnge nio ma ver,
mas as vezes a farto p5e-se a olhar-me
como qaem ama sem ousar dizer.
Ignoro a razio porque se esquiva
de eocoDtraros meus oltios sobre os seus.
A miob'alma tambem una pouco altiva,
nem sempre preode-se aos caprichos meu=.
Teme acaso que aos olhos morios quasi,
possara erir os seus ? Receio v5o !
Vossa Excellencia vai ouir a pbrase
a mais franca e Gal de ama paixo !
Amo-a IVossa Excellencia como a rosa
qae embriaga o jardim. Nio pilbena !
Gosio de ve-la paluda e formosa
debrugada a janella, e sempre seria.
Nisto consiste o culto que tributo
seabora, gentil aristcrata t
Mas, fallando em sentido absoluto,
o mea amor todo demcrata !
Detesto esses palacios de poeira
que iosultam quasi ssinpre o homem pobr;,
como vejo tambem que grande asneira
ser-se do re creado e ser se nobre I
Comprehenchr d3o po3S-> a fidalguu
de minha torrafoco da ambigSes,
onde muitos Qdalgos Hoja emdia
vivem commetter negras acgois !
J v Vossa Excellencia que me casta
alimentar assim lio livre amor '
Talvez mesmo nao ache muito jasta
esta revelagio... Sir peior.
Apreciando os dotes qua a aainreza
dera aosea corpo anglico e ideal,
am > tambem a sua fornitura,
e acbo ser isto muilo natural.
franco, qual sou, e liberal em todo,
nao costumo dizer o que nao sinio.
A verdade sosenlo mea escudo,
e eu, qasndo fallo serio, nunca mioto.
O que teriho a dizer-lbe em mea reclamo,
era isto s. Nao quero exagerar-me.
Vossa Excellencia sabe j q je a amo,
nao me aborrega, floja desprezar-me.
Ao menos para o publico sensato
eu serei, aiual o que era dantas,
e jurarei, por esse amor intacto,
uao am-r a mulberes ioconstaate.
1871.
Eduardo de Carvalho.
VARIEDADE
DISCURSO DE GAMBETTA, PRONUNCIADO, N UM
BANQUETE COMMEMORATIVO DA DEFEZA DE
S. QUENTIN, NESTA C1DADE.
(Conclusio.)
.....Tambem ba entra ellas verdadei-
ros e sabios conservadores; sao contradic-
tores otis. No systema democrtico, sao
precisos dous partidos, combatendo-se em
publico e luctando para o poder sem vio-
lan ca, com as armas da razio e da sciencia.
E' preciso um partido das reformas, o
partido de innovaces; um partido ma s
particularmente preoccupado dos progres-
sos e dos melborameutos, qae dirija a ca-
beca da sociedade, qua tenha a impaciencia
da justiga, mas que podada sabir fura da
sua rbita, se nao fosse mantido e mesmo
moderado na sua marcba por um segundo
part Jo que llie serve de freio. E' pois ne-
cessario outro partido mais tranquillo, mais
tmido, resistindo sempre, mas que saiba
ceier voz da opinio e camprir as refor-
mas maduras.
E' no equilibrio destas duas fracgas po-
liticas, i biixo da protecgio das leis e ga-
ranta dos direitos que colloco verdadera-
mente o machinismo do governo republica-
no e a condigio da ordem.
.....Assim pois, podemos separar-nos
alirmando que a Frang estabeleceu defi-
nitivamente a repblica e que em breve
Ddos os partidos se renovario os plebis-
citarios desi,ludidos, os conservadores ins-
truidos pela experiencia, comprehenderao
cada dia melhor as garantas de ordem e
de lberdade que s o governo republicano
offerece.
Talvez nos saja dado, e tenbo a peito ex-
presa: esta esperanza no lucto qae nos
reooio, assislir, com o concurso de lodos
os cidadaos, a fundad i do grande partido
republicano nacional, que nao tem outra
mbito seno estabelecer a prosperidad^
do paiz, sellar a uniio de todos os france-
zes pelo reconbecimento e barmonia de
todos os direitos. Entio a naci, reunmdo
todas as suas forcas ama e livre, podar
olhar para a Europa, exigir o qae Ihe per-
tence e o lagar que lbe devido.
MISCELNEA ESTBANGEIBA
Um individuo encarregou um pintor
de lbe fazer am quadro representado am
casteilo, e um c3o a ladrar porta.
O pintor levou-lhe o quadro, e o indivi-
duo diz-lbe :
< Este cao nao est ladrando.
Responde-lbe o pintor :
iE'a bora da comida, e sem davida
tem algum osso na bocea.
C.soa-se eia Rroxellas o principe Pe-
dro Bonaparte com ama senbora de appel-
lido Rifflio, que usava de ba maitos annos
o titulo de princeza Bonaparte.
- Os planos de defeza esli sendo a
ordem do dia em Franca. EstSo se pre-
parando grandes obras de fortificagao em
Belfort, em Bezangon e em toda a fronteira
oriental. Trata-se de converter Belfort na
praca de armas mais importante da Franca.
Todas as gargantas e desfiladeros do Jara,
vo ser igualmente fortificados.
Diz a Libert, qae o famoso general
La Cecilia, qae tanto deu que fallar dorante
a commuoa, est refugiado em Aranguez,
onde vive muito modestamente.-
As tropaa allems qae anda se con-
servara em Franca, classiticam-se pela or-
dem dos corpos e pelas localidades qae oc-
copam da maneira seguale :
t l9 A segnoda dvisio bavara, occapa o
departamento de ArJenoes, o disiricto de
Montmedy (Mease), o dislricto de Brey
(Meartbe Mozelle), e campo de Chalons, at
nova ordem.O estado maiore st em Ciarla-
ville.
t 2 A sexta divuJo (prussianos) occapa
o departamento de Mame, teodo o seu es-
tado maior em Riirns.
t 3* A decima oitava devisao (prussianos)
occapa o departamento de Mosa, excep-
tuando o dislricto de Montmedy, e o de-
partamento de Meartbe e Mozelle, assim
como o districlo da Briey. Nancy aonde
se acha o quarla! general do corpo de oc-
cupagio, serve tambem da residencia do
a.-tado-maior da decima oitava diviso.
4 A quarla divisi oceupa os depar-
tamentos do Alto Mime e dos Vosges, com
Belfort,^ a parte franc3za do antigo depar-
tamento do Alto Rbeno. O estado-maior
acba-se em Eond.
As edicac53S no novo bairro Naman-
cia (ponte de Vallecis) teem-se desenvolvi-
do extraordinariamente, diz um joro \\ bes
panhol. As boaitis quintas Oe recreio qae
all existem ba a accrescentar o novo palacio
qae lli vai edificar o ministro de Portugal
em Madrid, no sitio mais ameno e de me-
Ibor vista no dito bairro, e nos arredore.da
cidade.
Um individuo foi ouvir a zarzuella Os
Magyares. Pergunlanio se-lhe sabida se
tinba gostado,vre3pondea :
Nida absolutamrate ; toda aquella gente
muito mal educada ; filiara e cantara t)
dos ao mesmo lampo, e nao se pode per-
ceber o que dzepi.
Em Philadelphia celebrouse no prin-
cipio deste mez, o centesimo anniversario
do North American, o jornal mais antigo
nos Estados-Unidos.
Na linba do caminbo de ferro entre
Pars e Orleaos, vai se experimentar nos
trens um novo metb do de illuminagio por
meio de gaz comprimido. Dous recipien-
tes de ferro faodido collocados no wagn
das bagagens, conteem o fluido que se
transmilte s lanternas das carroagens por
tubos elstico. O conductor do trem, por
meio de urna torneira, augmenta ou imi-
nue a intensidade da luz, que tornar fcil
em todos os wagons quilqner qualidaJe de
leitura, qae boje quasi impossivel cora a
actual Iluminlo.
Tem se desenvolvido ultiraaraante
urna epidemia e.ilre os reptis d> jardim das
plantas em Bordeas. llavera quinza das
que o mal se declarou, e j grande numero
d'elles, diz um jornal humorista, tara pas
sado d'esta pira melhor vida ; morrom ans
aps outros, sem a sciencia Ibes poder va-
ler ; serpeles, lagarto?, camalers, e sa-
lamandras partero de assustadora maneira
para o outro mundo.
No dia 9 do orrent, reonio-se por esse
motivo, no museo, urna cousulta de natu-
ralistas. Toda a gente pergunta se eiles
negras, oa
todo
com
o imposto,
semelbante
ira > tomar o pulso as vboras
aos lacraos da collecgio,
Diz a Unido de Leste que a futura es-
posa de Gambelta urna filna de Eramanuel
Arago, proprietario em Fauguerolles, perla
de Marinando.
Assevera o Progris du Midi qae ao
ebegar a Marselba o principe Pedro Bona-
parte, vi ido de Bruxel'as, em directo
Corsega, (ora reconbecido na raa por alguns
operarios, que quizeram arremessalo
agua, valando-lbe os agentes da antoridade,
qae o arrancaram dis raaos da popolaga.
Diz-se que o governo francez vai con-
ceder o grande cordo da LegiSo de II rara
aos ox-mioistros de Estado hespanbes To-
pete e Sagasta.
No di i 18 houve um grande banquete
na corte do imperador Francisco Jos, de
Austria, em hoara do gri-duque Miguel da
Rassia, que tencona passar dous ou tres das
em Vienoa. Ao jantar assislram muitas
notabilidades, e noute, terminado o ban-
quete, o gri-duque e sua esposa, a princeza
Olga, assistiram incgnitos representarlo
da Gr duqueza de Gerolstein.
Do 1 de Janeiro era dianle principiar
a cobranza das contribuios tanto em Roma
como em todas as outras cidades italianas.
Os romanos, que na saa maior parte esta-
vara at agora isenlos de
est3o moito det-gostosos
medida.
A opera Africana, que actualmente
se canta no theatro lyrico de Bruxellas,
conta j 60 recitas seguidas, sempre com
encientes e continuando anda em scena
O terceiro conselho de guerra estabe-
lecido em Versalbes traton ltimamente do
julgamento dos tres redactores do jornal
Pre Duchesne. Vermescb e Willaume,
qae audara fgidos, foram condemnados
pena de morte, o Humbert, redactor de
diversos jornaes comraunistas, a trabalhos
pblicos por toda a vida.
Em Macn constituio se urna com-
misso para elevar um monumento Limar-
tine. A estatua ser de bronze e collocar -
se-ha na prac,a Barre, d'aquella cidade. Foi
abarla urna snbscripg5o nacional para se
levar a effeito o pensamento.
Segando refere o Imparcial, de Ma-
drid, os subscriptores de emprestimo bes
panhol as pragas estrangeiras negam-se a
fazer adianlamentos ao thesouro hespanhn!,
manifestando que nao eutregaro quantia
alguma sem que se veneno os prasos de-
signados para esse fim. A quantia que
por este motivo deixa de perceb.T o the-
souro n'esta occasio eleva-se somma de
150 milbo's de reales.
Naafragoa as aguas de Comillas
(Santander) urna lancha de pesca morreado
12 pessoas das 15 de que se compunha a
tripalago e salvando-se as restantes, gra-
gas ao arrojo empragado pelo patrio de ama
outra lancha que correu em auxilio do
nufragos.
A ramha de Hespanha mandou prepa-
rar por sua conta em diversos bairos da
Madrid sopas econmicas para attenaar a
miseria da populagio pobre durante o pre
sent invern; em consequencia d'isto prin-
cipiarlo a destribuir-se desde domingo em
diante 650 ragoes diarias s familias ecas
sitadas.
Em Logo (Hespanha) foram captara-
dos pelos agentes da antoridade dous bo-
rneas e ama molher qae andavam a passar
moeda falsa. as suas bagagens foram en-
contradas maitas moedas falsas, bem como
urna grande quant-a em curo e prati de lei,
o que tudo foi aprehendido. Em Valenga
tambem foi preso ura individuo qae andava
passando notas falsas do, Banco de Hes-
panha.
Em Mauresa (Hespanha) foi pelos ares
ama fabrica de plvora, morrendo os cinco
erapregados que n'ella trabalbavam. Ignora
se o qae dea causa a catastrophe.
- Rabealou am grande incendio, lti-
mamente, em Genova. O voraz elemento
tomava proporg5es terriveis, acoando-se
quasi de todo destruida a raa de Rhone.
rdea'o palacio da Cora ; ara vonto far-
ta impellia o incendio pira os outros bair-
ros. Por en qeanto nio ha mata prme-
ores.
Os bailes da Opera em Paris parece
qna foram definitivamente aulorisados pelo
general Ladmirault e qae principiarlo em
9 de dezembro. J
- Conslf que a rainha do Harjoyer, ac-
tualmente em Boma, vai abracaran catboli-
cismo.
=* Ni linha farrea de Paris rleles val
dzer-se a experiencia de illuminar os tren;
com o gaz comprimido. Do recipiente dis-
posto no wagn das bagagens o floilo ser
trans nittido aos pbares dos trens por meio
de tobos de caoutcho.ic. hto ter a vant-
gem de se p>der er dentro, das carraspeos,
o qae agora se faz com bstante dmvul-
dade.
Hoove oltimame-iie na Blgica um
duello entre um olcial prussiaoo e o joven
oarquez de Lameth, qua fez bruidtemen
le a ultima campanba. O duello foi es-
pada e o oifi:ial prussiano morreo de um >
estocada que lhe atravessoa o pulmio.
O duque de Aamale passar todo o
averno em Paris.
D z a Poltica que o rei Vctor Ma
noel eonleorou com crazas italianas todos
os chafes e officiaes do gabinete militar d
rei Amadeo, sendo smente excluido d'essa
graga o Sr. Roiz Zorrilla, ajadanie do rei e
lio do ex-presidehte do conse ho de mi-
nistros.
O professor Vilingfu")3; d rector do
observatorio de Gottingan (Allemanha) in-
venloa am importante apparelho para acen
d:r e apagar instantneamente e de ura pon-
to determinado todos os candiairos de gaz
de ama vasti cpital. A B)'sa de Man-
chester aproveitou-se j do invento e eons-
truem-se actualmente railbares d'osses ap-
parelhos na fabrica de m>cbinas de Lim-
berebt. Bruxellis sara provavelmente a
primeira capital qa adoptar para a ^aa
illumaago este magnifico invent, que vira
produzir grandes econ irnias.
Diz o Gaulez qae o visconde de
Saint-Romn fizera no Jockey Cub a apos-
ta de i,U i) napoieoes de qua antes de seis
mezes reappareceria era Frang o rgimen
anterior guerra. Outro jornal accrescen-
ta que se tem feto apostas aialogas por
toda a parte e principalmente na classe me
da, muito affeigoada estes azares.
Os diarios de Berlim queixam-se da
falta de polica qoe se obseiva n'aquella
capital e dos pequeos servigos qae ella
presta lo publico, em consequencia dse
repetirem diariamente os ataques a mu ar-
mada e outros escndalos indignos de urna
cidade como Berlim.
Correu ltimamente nos bairros po-
pulares de Pars o boato de que Napoleo
III se achava n'aqnella capital incgnito, e
que fra reconhecido quando andava a visi-
tar os monumentos incendiados.
Resalta de orna estilstica estabeleci-
da pela prefeitura de pohc:a. qae se achara
actualmente em Paris 12,000 familias prus-
sianas.
Um grande incendio destrnio, no
principio de noverabro um dos bairros mais
bellos da cidade de Sandbnrst (Australia).
As perdis maleriaes clculam-se em......
30.000:0001000 ris.
- Diz urna correspondencia de Paris,
que o ministro da guerra est resolvido a
estabelecer nos principaes departamentos
da Franga, escolas militares pelo systema
das que existem na Allemanba. O esludo
da lingua allera tem-se tambem propagado
de ll modo qae nao ha collegio em que nao
se eosine aos alumnos de 7 annos, a fallar
o idioma dos veacedores de Sedan.
Diz urna folha bespanbola, que tendo
um lente de Madnd a ousadia da dizer da
sua caJe.ra que tilo ha Deus, os eslujantes
o apuparam no mesmo instante com um
grande estrepito de assobios, tira ido o len-
te completamente corrido e vexado.
Diz-se que o general Ladmirault diri-
gir ao presideale da repblica franceza
urna carta perguntaodo-lhe se poda asar
dos direitos que Ine confere o estado de si-
lio para snpprimir os jornae3 bostis ao go-
verno actual e que Thiers lbe responder
que nao devia sabir da reserva que tem
conservado at aqui.
Tem-seespalbado por Paris e Berlim
urna grande quantidade de notas falsas alie-
raas, do valor de 25 thalers, que se sup
p6e serem fabricadas na prim.ira daquellas
capitaes. A polica procede a pesquizas
para descobrir os criminosos.
J foram abertas em Paris as snbscrip-
;oes para se elevar am monumento me-
moria do natavel romancista Alexandre Da-
mas, fallecido em Puys, em 5 de dezembro
de 1870. Promovem a subscripgo a so-
ciedade dos autores dramiticos e a socieda
de dos bomens de lettras.
Est sendo julgado em Londres am
individuo que no espago de 18 mezes lan-
gou fogo a 109 casas, estabelecimenlos,
etc., daquella capital, com o nico fim de
ganbar o premio que se costuma dar pri-
meira pessoa que vai dar parte de um in-
cendio estago dos bombeiros.
Na noite do dia 10 de novembro, foi
cortada a srvore da lberdade da praga Pi-
card, em Bordeus. De manhia, pala volta
das 5 horas, um transente encontrou a
arvore cortada em dous bocados, am por
dentro, e outro por fra da grade qae a
circumdava; via-se evidentemente qae ha-
viam saltado por cima de la, e a golpes de
machado commettido esse attentado, apro-
veitandose da ausencia da um guarda.
O antor do crirae poz no lagar da arvore
urna estaca com um papel pregado em que
se achavam escripias as seguintes palavras:
A estatua do imperador Napoleo III foi
partida, e (angada ao mar, por isso esta-
mos no nosso direito de despedagar esta
arvore.
A' meia noite anda a arvore se achava
intacta. Esl-se tirando urna devassa para
castigar o autor de semelbante vandalismo.
O Gaulez jolga muito possivel qae o
ministro da fazenda de Franga, Pouyer Quer-
tier, far urna viagem a Londres, com o fim
de concluir qaanto antes as negociagdes en
tabuladas por causa do tratado de commer-
cio. Como em Londres predominam as
ideas livre-cambistas, diz-se que Pouyer
Quertier se far acompaabar de nm dos
mais ardentes partidarios dessas ideas.
No dia 17 de novambro sofreram a
pena de morte em Villacarrillo (Hespanha)
quatro desgranados, todos naturaes da pro-
vincia de Cidade Real.
J principiarais em Paris com grande
actividade os trabalhos para a recoostraegao
do palacio da Legio de Honra, a qual,
como se sabe, costala com o producto
^T
obscripfio que para esse li se
do
abri.
Os restoe mortaes de Alerodre Du-
mas, qoe brevemente aerlo transportados
para Paris, iro ropoosar no cemiterio do
Pre-Lacbaise, depois de se Ibes fazsrem
solemnes exequias.
A imperatriz viuva de francisco I da
Austria est perigosamente enferma e recela-
se muito pelos seos das.
Principiou em Versalbes julgamento
dos individuos implicados na demoligo do
palacio do Sr. Tbiers no lempo da com-
rnuna.
Vio continuar effl Pars as publca-
ges histricas daquella capital, publicar-oes
que foram emprehendidas durante a admi-
nistrag) do bario Hausemann e para as
qoaes t.ava ama repartido especial sasten-
Uda pala municipa Jade.
O imperador do JapSo vai estabelecer
no seu paiz ama fabrica de flago de seda
eoropea, para cujo fim j foram contrata-
dos com boas vantigens vinte operarios de
ambos os sexos, frapceza?.
O conselho acadmico da nniversidade
de Edimburgo decidi que de ora em diante
nao se opponba nenhum ob.-taculo ios-
cripgio ou a Jmisso das senhoras que se
apresentem para fazer exames na faculdade
da medicina.
O re Ama deu ordenou que o principe
berdeiro figure como sol Jado na companhia
de carabineiros infantis estabelecida no Es-
caria!.
Foi apresent do real sociedade scien-
tilica de lords, era Londres, um novo pro-
jecto d navegagSo aerea, da que autor o
Sr. D. Eduardo ngelSmtigosa, be'panhol,
que trabalba ha 17 nnos na sologao desee
projecio.
Diz ura jornal ioglez que o principe
de Giftscbakoff ir brevemente Berlim
pira assegur..r a execjgo, ha trato lempo
reclamada, do art. 5o do tratado de Praga.
Era presenga do desenvolvimenlo da esqua-
da allemaa no mar Rillico, a Russia nao
jolga poder sustentar a sua existencia como
grande poten ia martima seno fortificando
a Dinamarca e assegur dade.
Diz um peridico de Lille que teve
tugar ha das um dueho entre os Srs. Ro-
tours, deputado, e Sint-Lg-r, conselheiro
ger si, por motivo de ama qu:slao que boa-
ve entre ellas no conselho dos caminos de
ferro do N rdesle. O Sr. Rotours foi eri-
do no lado direito, quecrando se a espida
com o golpe. A f rida qae pareca de poa-
ci gravidade, tornou-ie mortal
No prximo armo de 1872 deverve
rificar se em Londres ura c ragresso inter-
nacional penitenciario. O livro em qae o
Sr. de Girardin irabilha ha dez annos ap
parecer por esta occasio. Esta obra, que
se intitula Do direito de punir o segui-
mento dos Delictos e das penas de Bec-
caria.
O cabido metropolitano de Pars vai
mandar collocar em um dos maros da pri-
so de Roquette orna iapide commemorativa
em recordagio do assassinato do arcebispo
de Paris, do abbade Deguerry e da outras
victimas da commaoa. A lapide ser de
marmore e contera s os nomes das vcti-
mas e a dala da sua morte.
Fallecen em Paris o advogado Ducou-
dray, defensor e genro de Verdura, mem-
bro da communa.
A comraisso permanente da assem-
bl< franceza occopa-se muito actualmentr
da questo financeira. Adquirir se a cer-
teza de que o thesouro nao necessita dos
auxilios do banco e que pode com os seus
recursos proprios, attender a todas as ne-
cessidades at ao Io da Janeiro. Continua-
vara suspensas as medidas de venda das
reservas do banco e augmento do sea ca-
pital.
O general Cleuseret foi offerecer os
seos servigos ao presidente da repblica
mexicana.
~ No dia 10 de novembro, foi inaugu-
rado em Berlim o monumento de Schiller.
O imperador, o principe imperial, as prin-
ceza, piincipe Frederico Cirios, marechal
von W ngel, generaes von Selchow e
Itzenplitz, o presidente da cmara dos de-
potados, e grande numero de deputados
estyeram presentes.
Depoh da apresenlago da estatua s au-
toridades municipaes o priacipal burgo-
me.'tre Hrr Seyder, faz um discurso, e o
veo da estatua foi tirado no meio das entu-
sisticas acclamages da multido, que re-
verentemente saadou a estatua.
Aos amadores de antgaidades offere-
cemos o annuncio muito singular que publi-
cou o jornal birmingham Daily Post.
E' o seguinte :
< Um cavalbeiro est ancioso por vender
um antigo e feio relogio bollandez (16G5).
Seria um ornamento proprio para urna ca-
bana de indio. Oirija-se a... etc.
O Fgaro escreve isto : Eis o effei-
to produzido as familias pelos excesso3 dos
/ores pensadores da communa. Urna insti-
tuigo religiosa do 10 bairro tinba ba 18
mezes vinte discpulos... Hoje tem ella
1401...
Um homem de moito boa posigio so-
cial, coota o Fgaro, disse-nos, que lbe li-
aba sido necessano ir a casa de 15 label-
liies para oblar 10,000 francos, com excel-
entes garantas.
< Todos os habitantes dos campos em
Franga retiram o sea dinbeiro dos nossos
esenptorios, lhe respondiam. Preferem es-
conde lo e enterra-Io, a deposila-lo, mesmo
com grandes nterasses I Que confianga
inspira a situagao poltica em qoe se eocon-
tra a Franga f
Mr. Robert Pgot, proprietario do
jornal The Irishman, publicado em Dublio,
foi condemnado pelo tribunal daquella cida-
de a i mezes de prisio na cada de Ricb-
mond Bridewell. em consequencia de arti-
gos publicados no referido jornal, qae con-
tinuara injurias graves aos juizes por occa-
sio do julgamento de Kelly, aecusado de
homicidio, por ter disparado nma pistola
contra o oflicial de polica Talbot, de qae
lhe resultou a morte.
Os consolaos de guerra em Franga,
para o julgamento dos crimes praticados no
governo da communa, preferiram 134 sen-
tengas conderanatorias e 191 absolutorias,
desde 4 a 6 de novembro.
O total dos jolgamentos 773 conlem-
nagoes e 10,645 absolvgoes.
Em lifracombe (Inglaterra) um rapaz
cabio ao mar de bordo de am navio, mas
foi salvo por am dos marinheiros William
Alien, qae immediatamente se deitou agua,
vestido como eslava, at mesmo esqaecen-
do-se de tirar am cachimbo qae tinba na
bocea; dentro em pouco tornoa a appare-
cer i superficie da agua com o rapaz nos
bragos, e o cachimbo anda na bocea.
Foram jagados era conselho de guer-
ra era Versalbes doze reos acensados de
roobo e demoligio da casa de Mr. Tbiers.
O julgamento oceupou quatro sessoes. No
dia 23 do correte o conselho condemnou
Arnaod. Gamboo, Eodes e Ranvier a 20
annos da trabalhos pblicos e 5,000 francos
de multa, e perda dos direitos civis.
Andrieux a 10 annos de priso, 100 fran-
cos de multa, e perda dos direitos civis.
Footaine a 20 annos de trabalhos pbli-
cos, 5,000 francos de multa e perda dos
direitos civis.
Mirault a 10 annos de trabalhos pblicos
e 200 francos de multa.
Lain, Tboain-Beaopr e Gerard por te-
rem em seo favor circomstancias attenuan-
tes, a 2 annos de prisio e 10 annos de
perda de direitos civis.
Barr a 5 annos de prisio, 100 francos
de multa e perda dos direitos civis.
Gaillonet a 1 anno de priso e 10 annos
de perda dos direitos civis.
ACREDITOU O ESTABELEC1MENT0.-
Em certo drama que se representava n'um
dos tbealros da Blgica, chegou o momento
de se deixtr cahir um prato, fazendo-se
pedagos, segundo a idea do autor.
Succedeu que n'uma das noiles o prato
cahio ao chao, mas sem quebrar-se.
Levantase entio um dos espectadores e
diz com certo ar de triumpho :
c Aquella prato da minha fabrica. >
LONGEVIDADE NOTA VAL.No dia 31
de agr-sto ultimo, celebrou-se com toda a
solemnidade no coilegio de Santa Isabel, em
Madrid, o centniro de D. Rosa Gregoria
de Tejada, que nasceu a 30 de agosto de
1771, apreseotando-se ella na igreja toda
vestida de branco. Por mere de Carlos
III entrou como alumaa interna para aqoell-
collegio em 4 de novembro de 1777, e
desda ento at boje all tem vivido sempre.
Goza de boa saie, e tem em perfeto esta-
do todas as facuidades intellectuaes.
TERRIVEL PREDICQO.Um astrono
rao communicou Academia das Sciencias
de Franga urna Memoria, resultado de 20
annos de observagoes e estudos, em qoe
pretende mostrar que a la, cansada de ha-
bitar as alturas, ha de deixar-se cahir so-
bre as nossas humanidades com a maior
frescura e descortezia do mundo, dentro de
592 annos, 4 mezes e 13 das I Quera nos
dra poder presenciar lo maravilhoso es
peclaculo!
O HISTORIADOR GEORGE GROTE.O
celebre historiador ioglez George (rote
acaba de fallecer na idade de 77 annos.
Depois de permanecer alguns annos no es-
critorio de seu pai, foi em 1832 eleito
membro da cmara dos communs, pela ci-
dade de Londres, votando pelo espago de
nove annos com os whigs, reproduzrado por
muitas vezes a sua proposta em que reque-
ra para que as eleigoes (ossem por escruti
nio secreto, o que agora se estabelecer
provavelmente na Inglaterra, como medida
repressiva do governo contra os intemacio-
nalistas ; mas elle, desgostoso por nao ser
votada a soa proposta, affastou se da pol-
tica em 1841, epublicoa entio a saa His-
toria geral da Grecia em 8 voluntes. Esta
obra, em qoe tanto se esmeroo. e que o
estudo mais completo qae existe sobre
sociedade grega, mereceu geral acceitagio.
Grote tambem autor da preciosa historia
r.ommentada sobre Plato e os contempor-
neos de Scrates, e deixou por acabar urna
obra pbilosopbica sobre Aristteles. A un
versidade de Londres e o University Calle-
qe, enrgicamente por elle defendidos no
parlamento, lhe devem, senio a existencia,
pelo menos o sen desenvolvimento acta
sendo elle tambem que em grande parte
contrbuio para a reforma do British Mu-
seum. Antes da sua morte recusou urna
cadeira na cmara dos lords, qoe lhe foi
offdrecida por lord Gladstone.
Os partidos no Paraguay.
Y: le necesaria na espbera moral, como
o na nalureza pbysica a continuidad-; da
aego. Assim como os bomens, as arvores
e as plantas se transformara lenta, mas
constantemente, passando do periodo do
crescimento ao do completo desenvolvimen-
to, e deste ao da decadencia e da morte,
sem que baja um s momento na existencia
que deixe de contribuir para esta marcha
natural; assim tambem as sociedades ha-
manas caminham incessantemente para o
cumprimento de seus deslinos. Cada dia
que passa traz o seu contingente, e todos
sao anneis qua formara a cada da histo-
ria.
Nao raoorta que um povo se veja pros-
trado e na apparencia sem forgas, nem por
isso se interrompe a obra, segu o seu ca-
minbo, e os germens que encerra dio o seu
fructo e preparam novas phases de saa exis-
tencia.
Assim succede no Paraguay. Aquelle
povo identificou-se com o seu governo a
ponto ta!, que para a destruigio de Lpez
fui preciso destruir completamente o povo
paraguayo. Fieou prostrado e parecendo
baldo de forgas e de vida Nao importa;
tem era si o germen vital, que se lhe agita
as entranhas e o impelle a entrar na nova
senda que tem a percorrer.
E' certo que ba e.ementos estrangeiros
qae contribuem tambem para essa agitacao.
Precisamente orna das condigoe. da nova
existencia do Paraguay. Pode dzer-seque
antes nao exisliam all esses elementos.
Os poucos estrangeiros que a desconfianga
do governo permittia que residissem no paiz,
estavam, como os naciooaes, snbmetlidos
vontade omnipotente do governo, qua,
por urna condescendencia quasi irrisoria,
se cbamava Presidente da Repblica ; mas
as portas do Paraguay estavam hermtica-
mente fechadas a toda a influencia civlisa-
dora oa liberal do exterior.
A situagao mudou completamente. Hoje
est o Paraguay aberto de par em par a
correles das ideas modernas, bem como
aos emigrantes de todos os paizes. Aotraos-
porem as frooteiras do Paraguay encon tram-
se restos de am povo antigo, educado no
culto da dictadora. O abalo foi violento,
e nio 6 de estranbar qae prodaza revol-
goes e transtornos. Dalle brotara, natural-
menta os doas partidos qoe necesariamen-
te existem em toda a sociedade : o partido
da tradigio e o partido do progresso. E.
quando menos se espera, novos factos vm
de confirmar as observagoes anteriores, em
todo verdadeiras.
Talvez qae alguns dos leitores se recor-
dem de alguns artgos publicados na Tribu-
na, em qae procuramos estodar a ndole e
as tendencias dos partidos oesta repblica.
Naqoelle estado chamava-se i attengJo para
o tacto de denominar-se partido nacional o
partido blanco, e liberal o colorado, e acba-
vamos adequados estes nomes s tendencias
qae jolgavamot descobrir em cada partido.
Pois bem: os bandos qoe no Paraguay tem
iniciado a lata com mi armada as roas
da capital, adoptam as mesmas denomina-
goes de partido nacional e partido liberal.
Nio ser significativa e eloquente esta coin-
cidencia ? Nao est ella revelando as ten-
dencias de cada partido?
Estude-se a situagao do Paraguay. Aquella
paiz nanea conheceu a lberdade. A prin-
cipio houve a donomraagio colonial e a t-
lela dos jesutas, depois o jago da Franca e
a tyrannia de Lpez, eis abi a sna historia.
A tradicio do paiz pois, e nio pode dei-
xar de ser, a do governo pessoal. All o
partido conservador por isao o nacional.
A lberdade e a democracia sao novidades
que repagnam tradigio paraguaya, que
vio necessaria mente de ene ntro a soa tra-
digio com a sua historia e com os seos cos-
to mes.
E' natural ao mesmo lempo qae os es-
trangeiros imbuidos de outras ideas, educa-
dos n'oalras doutrinas, acostomados a res-
pirar e a vver n'ootra atmospbera sympa-
tbisem com os poucos Paraguayos liberaes
que all existam, e lhes presten o sea
apoo.
Nio explica isto naturalmente o que suc-
cede no Paraguay ? Nio justifica as deno-
minaroes de partido nacional e de partido
liberal t Nao demonstra 'as tendencias de
cada ura?
E saiba-se que o qua succede no Para-
guay succedeu mais ou menos em lodos os
paizes. Tomemos para exemplo a llespa-
aba. A tradigio de Hespanha no comego
do presente secuto era a da moaarchia ab-
soluta. As antigs tradiges de lberdade,
consignadas nos lr ,s mnncipaes e as car-
tas lerntoriaes linbam desapparecido sob o
sceptro das dynastias das casas de Austria
e de Bourbon.
E' certo que n'um dos ngulos mais fe-
lizes da Pennsula, na aotiga Cantabria, sub-
sistan! ainda os loros qae lhe tinham sido
legados pelos antecessores; mas isto era
ama excepgj local que nio destrua o re-
gimen geral do reino. As iiberdades de
Castella tinham succambido em Villalarcom
os Comuneros no scalo XVI, as da Cata -
lunha em 1640, e o resto que das mesraas
ficou desappareceu de todo, quando Felippe
V triumpbou em 1713. Quando appare-
ceo Napoleio I e fitou os olbos na Hespa-
nha para a unir ao seu carro imperial, a
pennsula bespanhola contava longos anuos
de absolutismo ; o poder realbavia all lac-
eado profundas raizes, a monarebia, sem
lmites nem freio, constitua a existencia
normal da nagio bespanbola.
Com a invasio dos exercitos francezes
tambem as doulrinas liberaes invadirn a
Hespanha. Ilavia j all penetrado o sea
germen com as novas daquella tremenda re-
volugio, grande as suas doutrinas, grande
nos seus extravos, que proclamara os di-
reitos do hornera, mas essas ideas eram o
patrimonio daquellas poucos cidadios dados
ao estudo, que, illudiodo as per&eguges da
inquisigio e a vigilante inspeegio do gover-
no, tinham-se imbuido das doutrinas dos
escriptores francezes do scalo precedente
e seguido o curso dos acontecimeotos na
Franga desde 1789. O povo hespanbol
nio era nem poJia ser liberal. O ver da-
deiro partido nacional era enlao o partido
absolutista.
Vieram os acootecimentos, succederam-se
as revolugoes. As ideas diffundiram-se. Os
inleresses identificados com o antigo rgi-
men debilitaram-se. Crearam se novos in-
leresses, e hoje eremos qae so pode asse-
gurar que o povo hespaobol na saa maio
ridihbtral.
Essa transformago verificar-sel a com o
tempo no Paraguay, como em toda a parte ;
mas nio obra de um dia, nem de ura anno.
No entanto muilo natural q e o exercicio
e a pratica do novo rgimen, da nova vida
era que entra aquelle paiz encontr serias
resistencias e tropec com graves obstcu-
los. S por um milagro podara assim dei-
xar de succeder, e como o milagre niio suc-
cedeu, as eleigoes ultimas mostraram a
efervescencia dos partidos, e a pouca dis-
posigao em que se achara pira a tolerancia,
sem a qual nio ba lberdade nem rgimen
democrtico possivel.
Assim, como succede sempre em taes
casos, cada um dos partidos langa ao outro
a pecha de ter dado origen s desordena
occorridas. O mais provavel que ambos
tenham razio. Mnito tempo. ba de ainda
decorrer no Paraguay antes que se aclimem
all as novas instituiges. As repblicas do
Prata sabem-n'o por dolorosa experien-
cia.
O ESTADO DA AUSTRIA.
A Austria desde 1815 qae est ose llanta
de um para outro rgimen, sem aceitar de-
finitivamente algum eslavel. A centratisagio
unitaria s praticavel por meio do abso-
lutismo, secundados por alliangas polticas
e apoiado interiormente pelo clero. Foi
esta o systema do principa Mettermcb, que
governou a Austria cerca de cincoeota an-
nos, at que a revolagio da 1848 incrustoa
todos os elementos de qae se compunha a
monarebia e todas as ideas que fermenta-
vam nuin estado de luta e de antagonismo.
Precedeu am desencadeameoto geral de
ideas comprimidas, e d'aqui o estado anar-
cbico a que a revoluc > chegoa; mas a l-
berdade brilbara um instante ni Europa, o
suilicieute para qne a vissem e a admiras-
sera. Veio a reaegio geral e inplacavel, o
ministerio- Schwartzeuberg-Bacb coutinaoa
a poltica de Metternicb, e a concordata de
1855 carregou os poyos de novas cadeias;
o systema porm havia sido ferido de mor-
te, e prolongou-se-lhe a agona at 1859.
A guerra da Italia abri era nova. Entio,
e por meio de urna derrota, disse-se que o
absolutismo enervara o espirito publico,
que a cenlralisagio excessiva era incapaz de
agrupar as forgas da monarebia e de as en-
tusiasmar para a sua defeza, e em conse-
cuencia disto se formn o ministerio Gola-
chowki, qae se chamoa liberal e federalista
ao mesmo tempo. O diploma de ouiubro
organisou as dietas provinciaes, conesdendo-
Ihes attribuiges importantes, creou para
os negocios commons am reichstag destina-
do a ser o germen do parlamento austraco.
(Continaar-se-ha).

1

-
f-



.

(.


I
4
*
i
TYP. DO DlAKlO-rtU DO DUQUE DB CAXlA
L
L


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EXQ3PL1DN_4T88AR INGEST_TIME 2013-09-16T20:39:24Z PACKAGE AA00011611_12536
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES