<%BANNER%>

Diario de Pernambuco ( Wednesday, December 13, 1871 )

Permanent Link: http://ufdc.ufl.edu/AA00011611/12535

Material Information

Title: Diario de Pernambuco
Physical Description: Newspaper
Language: Portuguese
Publication Date: Wednesday, December 13, 1871

Subjects

Genre: newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage: Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract: The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding: Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation: Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities: Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution: University of Florida
Holding Location: UF Latin American Collections
Rights Management: Applicable rights reserved.
Resource Identifier: aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID: AA00011611:12535

Permanent Link: http://ufdc.ufl.edu/AA00011611/12535

Material Information

Title: Diario de Pernambuco
Physical Description: Newspaper
Language: Portuguese
Publication Date: Wednesday, December 13, 1871

Subjects

Genre: newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage: Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract: The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding: Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation: Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities: Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution: University of Florida
Holding Location: UF Latin American Collections
Rights Management: Applicable rights reserved.
Resource Identifier: aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID: AA00011611:12535

Full Text
u
+
INNO XLVII. NUMERO 284
JA1A i NTil 2 IS.KS OSBS IAO SS TASA POBTI.
Por Iros y.* -t'iaja^So.................
Por ais ditos i--iia....................
Var um atino hl-uu...........
ua-da omero \ uiau .....,..,
.

61000
12,5000
844000
120
QUARTA FEIRA 13 DE DEZEMBRO DE 1871.
., i -
PABA DEITBO E FOBA DA PEOVIICIA.
Por tres mezoi adiuuudoa >.............. f#W
Por Mis ditos idem................... WOO
Por nove ditos idem......%............ SO&lo
Por nm uno idem............,.,.... J7#03
;
i
N
}
1

V
Fropredade de Manoel Figueira de Fara & Filhos
-
i
IAO AfikJsrK^sfj
Srs. Gerardo Antonio Atves 4 Filhos, no Para ; Gon$alvea & Pinto, no Maralo ; Joaqnlm Jos de Oliveira d Filho, no Ceari ; Ajttoiio de Lemos Braga, no Aracatj ; Joo Maria Julio Chaves, no Ass ; Antonio Marq&es da Suva, no NataJ; Jos ivt
Pereira d'Almeida, em Mamangnape ;FeIippe Estrella & C, na Parahyba ; Antonio Jos Gomes, na Tilla da Penha; Belarmino dos Santos Baldo, em Santo Antio; Domingos Jos da Costa Braga,
em Nazareth ; Antonio Ferreira de Agoiar, em Goyanna; Francino Tavares da Costa, em Alagoat ;)r. Jos Martins Aives. na Babia ; e Leite, Serqainbo C. no Rio de Janeiro.
PARTE 0FFICIL
Gorerao da porlncia.
F.Xi EDIENTE PO O!A 4 DE DEZKMIIRO DE 1871.
Actos:
Opresidente da provincia, lomando em con-
aiderajdo que exp>i o inyector da ihesouraria
provincial em offlcio do ! do correle, ob a 70,
resolv autorizar dou? crditos supplementares, na
importancia de 20:469i6o, se.id um de.......
4:6241-409, para a coolranaco das desperas do
art. 14 da lei du orgameulo igenie. e o outro de
lotSo-o'JOoe para as do ari. 13 da uiesraa lei, vis-
to terem sido insuffleionles as qaaatiaa votadas
pilos mencionados artigo?, segando consta das de-
UJoaslracoes annexas ao citado offlrio.
O presidente da provincia, allendenio ao que
re.qurT.iu Fraucisco B-renguer Cesar de Menezes,
PNfateer publico da pnvoaco di Altinho, e. tendo
ierioo da inslrucco publica de 8 de agisto prxi-
mo passado, sob n 285, e do inspeiLor da lueson-
rana provincial de 30 de abril, deste anuo, sob n.
699, ro-olve de coof irraMade cora o disposto no
art. 29 da lei n. 369 de 14 de maio de 1855 e 59
da M n. 891 e 2o de juaho de 1869, jubila-lo
com lodos os seus ven .'tinentos, inclusive a prati-
ieac.ia qae percebia por mais de doze annos de
mtfiattrio nos termos d.i art. 2* da lei n. 984 de
12 maio d*sle anco.Expediram-:e as necea-
saria* coinmunicaces.
flkiea:
Ao Exm. presidente do Maranhao, transmu-
tado, coberto coma iof^rniaij) do brigadeiro
cooimandante da* armas, o requerimento em que
o soldado do 8" batalho ds mi .n! na, Joaquim
Pereira de Souzi, que na qualidade de guarda na-
cional dessa provincia, seguio para a campanhi di
Pac g iay, pjda os aasentaiuentos a seu respeito,
vi* achar se contemplado romo praca reerntada
naquelle batalho, o rogando que e digne da pro-
videnciar no sent' > de ser satisfeiio o menciona-
do pedido, visto ser deferivel como considera o re-
ferido brigadeim.
Ao brigd-iro commnndant" das arma*, re-
ejurceudando que faga mudar o destacamento da
fortaleza do Buraco, o qual dtver ser r nJi i i lo-
dos os nieze-, eessando assim a pratica ij deixar-
* por muito lempo o raesmo inferior e pracas na-
jaella fortaleza, qua serve de deposito da pol
Tura.
Ao chafe de divisao naval do segundo dis-
trelo, satisfazendo, com a infirmado junta por
copia do brigadeiro comraandante das arma?, ao
que reclama em sen offlcio de 24 de novembro ul-
tim'', acerca do imperial inanoheiro Esequiel Ho-
norio Gomes Palmer.s.
Ao desembargalor procarador da cora, so-
berana e fazenda naciona', solicitando o sea pare-
cer sobre os antos de raedico e revalidacilo do
m\q denominadoBarra pertencente a Maria Ma-
chado da Conceico, o- qaaes torara remanidos
paflo juiz commissario do termo da Escada.
Ao inspector da tbesooraria de fazenda, in-
eirando o de haver designado Jo&o Carneiro di
Silva Reg para examinar em inglez e francezn>
concurso qae se vai proceder para preenchi-
nJ3nto das ragas de praticanles e terceiros escri-
turarios d.ssa Ihesouraria m substituigao do r.
Feiippe Xery Collado, que den parte de doeote.
OflBcioa-se neste sent'do ao designsdo.
Ao raesmo. mandando pagar aos negociantes
Samuel Power Johuston 4 C, a quantu de.....
28fi60, provenieole de um mostrador, viudo da
Europa para o relogio do torreao do arsenal de
marinha. Gommanieoa se ao respectivo ins-
pector.
Ao inspector da Ihesouraria provincial, au-
torsando o, em vista de sua iofirmagao, a man-
dar entregar ao provedor da irmandade de Nnssa
Senhora do Livramento da freguezia da Vmea,
Jos Rodrigues Cimpos, nediaule Banca idnea, e
depais de prestar comas, a juan'.u e y:iOi<)OU,
que 81 acha era deposito, proveniente do benecio
da parte da lotera extrthida a favor das obras di-
quilla ifrreja.
Ao mesrao, dizendo flcar inteirado de haver
Frederico Augusto Velloso da Silveira. olereiido
.i oxecutar as obras da ponte do rio Beheribe com
o abate dedius por cento no valor do respectivo
ornamento, e dando por fia lor Jos Joaquim de
Artejo, e declarando que pie effeclaar o con-
trato cora o propenente.
Ao mesrao, approvando a arremataci dos
reparos da estrada do Ambol, fea por Thoraa?
de Carvalho Soares Brandeo Sobrinho com o aba-
te de doze por cento sobre o valor do rerpeo^ivo
ornamento, e dando corao fianza apolicss da divi-
da publica geral.
Por essa Ihesouraria mandou-se pagar :
A Joaquim Jos de Sani'Anna, a importancia
da? preslagos do eng3jarnento, devidas a praga
do corpo de polica, a quera subs'iiuio.
Ao capitn Jos Firmo Pereira do Lago a qnan-
tia de 1284100, proven ente da de-peza feita com
o sustento dos presos pobres da cadeia do termo
da Onriory, durante o mez de setembro ultimo,
(jouimanicon-se ao Dr. ch-fe de polica.
Ao coramandante snprior dj guarda naci
nal do municipio do Recife.Recebi o mappa nua
V. S. me remetteu, conlendo o numero de offl-
ciaes e prafa; d guarda nacional e de 1* linba,
qua forraaram em parada no dia 2 de dezembro.
Esae numero foi de 2,202 pravas, das quaes 1,690
parteacera a rererida guarda nacional, segun-
do as v do mesmo mappa. Era vista desse nu
mero elevado da forea da guarda nacional e da
jrem, asseio e luzimento, cora que ella se apre-
seotou, tenho por conveniente louvar a V. S., re-
Cdaimendaodo-lhe que o mesmo faca aos comman-
dante?, offlciaes e pravas qae eompareeerara.
Ao Dr. chefa de policio, recommendaudo
que providencie, para qae seja remettido com des-
tino a provincia das Alagas, o preso Francisco de
Paula Ferro, qae veio do presidio de Fernando de
Noronha, e (era de responder ao jury na villa de
Traipu daquella provincia, segundo declara o juiz
municipal da pnmeira vara.
Ao rae?mo para informar sobre o que pu
blieoa o peridico Liberal n. 52, de 29 de no
veicbro ultimo, na parte qae vem assignada p >r
Gustavo Camello de Siqasira, com relacio ao ter-
mo de Cimbres.
Ao adminislrador do consulado provincial,
aura de qae remeta ao chefa da repartido das
obras publicas, urna relaco exacta das casas que,
sduda comprebeodidas nos limites das qjairo fre-
guezis dssta cidade, actualmente pagara a qaan-
tia de 13/3.0 de dcimas urbanas.
Ao juiz de direito da comarca do Brejo, intei-
rando-o de baver remettido ao Dr. chefe de poli-
ca ot mappas, qae envin, p^is qae esta auiori-
dade que incurabe'.formar a respectiva estatistica,
sendo conveniente que a ella sejam desde logo di-
ngidos para maior lacilidade e por estar assim
determinado em lei.
Ao juiz de direito do Baique, dizendo ficar
inteirado de que, apezar de sen mo estado de
.sae seguir para aquella comarca, se a tran
qoillidade publica assim o exigir,nao fazenio des-
de porterem ehegado noticias de que os grupos
da desordelros e salteadores se baviam ausentado
o maerno alguna dissolvidos.
Ao juiz de orphlos do termo do Recife, de-
clarando em resposia a sua consalta qae, nao es-
tando inda nomeado o juiz de direito qae, na
forma do art. i* da lei da reforma jadiciaria n.
vindo seja parausada a adroinistragao da justica
nese imiiortante ramo, deve coutiauar a exercar
as funcco's da referida vara, visto nao ler a quera
regularmente passa la, duraate os poucoi das,
que noturalmeote mediaro entre a presento dala
e o exercicio do novo juiz de orpna03.
Ao juiz municipal do termo d'Agaa Preta.
Representando a mesa do collegio eleiloral d'Agua
l'rela, contra o fado de se haver recusado um dos
tabellies dessa villa, nao se achaudo presente o
outr>, a traoscrevtr em seu livro de noias a acia
da eleicao, que ahi se procedeu no dii 26 de no-
vembro ultimo, para deputados assembla legis-
lativa proviucial, recusa es^a molivaJa pir iuli-
maca i sua, era virtude de protesto, que iiie foi
apres' ntado por parte da alguna eleitores, e sendo
certa que dito labellio, convidado oela mesa elei-
loral no dia 27 oaquelle raez s 5 horas da tarde
da!arara, que s comparecera com previa auto
i aeao de Vm:. neohura fundamento parece (er
a sua declaragao mesa, de que deixara elle
de coDoarecer por falta de convite da m---
ina, quando o contrario se v do ofticio do
mencionado tabeliio, em que declara ter re-
cebido lal convite. E sendo ceno anda que,
segundo consta de urna certidao do escrivo Al-
meida Alcofjrado, Ihe fora intimado no mesmo da
27 um mandado desse juizo, afim de nao comparecer
ao pago da cmara municipal dessa villa para fa-
zer a referida transcripto era seu livro da notas,
Tiando.por aviso do ministerio do mperiode 5 de ou-
labro Je 1863 jfoi decido, que nao competiJj ao
ulie.lio, um sim a cmara dos deputados juigar da
legiliraidada dos collegios eleitoraes, deve elle lau-
car no referido livra as actas das que o charaa-
rem para e.-u fim, sendo por lauto fra de duvida
que tambera assembla provincial somente com-
pele juigar da legimidade da eleieao de jsens
memoro*, nao poda o tabellio dessa termo recu-
ar-sa a fazr o referido langaraenlo em seu livro.
Empero, pois, que apenas este receba, expela Vmc.
suas ordens, alim de que sejara langadas nolivro
le olas as referidas acias, c ioo soliciloa a mesa
e*eitoral em olu:io de 29 de noverabro ultimo.
(^ommuoicou-se a esta.
Ao engenheiro fiscal da estrada de ferro do
Recite a axang, approvando a resolucao qae to-
raou de multar, nos termos do regulamenlo de 13
de aurll ultimo, essa companhia em 1004 par in-
fraeeao o'o referido regulamento. Commanieou-
se a ihesouraria provincial.
Portaras :
Ao conselho de compras de marinha, decla-
rando em resposia ao seu oflicio, que approva a
compra, feita a diffaroatej pessoas, dos objectos
necebanos pira provimento do almoxarifado do
arsenal de mariuha, os quaes constara do termo,
que r-iii -it u por copia.-lutairouss a ihesoura-
ria de fazenda.
Ao g'jreale da companhia Pernambucana,
mandando dar transporte para o presidio de Fer-
nando de Norooba ao capitao Manoel Accioli de
Moura Gondin, que em substituido do capitao
Herculano Gemido de Souza Magalhss, vai fazer
parle da coramissao que tem de examinar as res-
pectivas fortiQeacdes. -
Ao mesmo para fazer transportar ao presidio
de Fernando de Noronha por conta do ministerio
da guerra es objeclos comprados pelo corrector
geral Francisco de Miranda Leal Seve, por conta
di fazeuda nacional e cooslantes da inclusa rela-
cao.
Despachos :
Tenenie-coronel Antonio Francisco de Souza Ma-
galha??.F,)rne.ja-3e.
Bazilio Jos de Araujo.-O suppcante obtenha
o mulo de divida passado pelo 9o bitalhao de in-
famara de linba.
Bacharel Chrysolito Ferreira de Castro Chaves.
Remettido ao Sr. inspector da ihesouraria de
fazeuda para ma-.i I .r pagar |ao sapplicante.
Francisco Manuel dos Prazere3.Informe o Sr.
inspector da Ihesouraria de fazeada.
Francisco Lins Wanderley.Iaforme o Sr. ins-
pector da ihesourana provincial.
Padre Francisco Virissirao BaaJiira.Iudeferi-
do em vista das informaron.
Francisco Berengoer Cesar de Menezes.Passe
portara na forma requerid;.
Capiao Gaariel Germano de Aguiar Montar-
royos. lofoime o Sr. inspector da thesouraria
provincial.
Teen te Joo Caetano Rodovalho de Alencar.
Informe o Sr. inspector da thesouraria de fazenda.
Bacharel Jos Julio Reguoira Pinto d Souza.
Gertique-se.
Teneate-coronel Jos Antonio Pinto. Forne-
Qa-?e.
Coronel Jo- Maria Ildefonso Jacorae da Veiga
Pessc-a e Mello.Foroega-se.
Joaquim Jos de Santa Anna.Deferido com offl-
ci desta data a thesouraria provincial.
Jo Rodrigues Campello.-Entregue-se ao sup-
plicinte o producto da lotera, depois de prestar
contas e fianza.
Laiz Francisco Vieira de Luaa.Ramettido ao
Sr. inspector da ihesouraria de fazenda para man-
dar pagar.
Bacharel Manoel Izidro de Miranda. CertiQ-
que-se.
Manoel Nones Correa.Como requer.
Tenents-coronel Sebastiao Jos Basilio Pyrrho.
Forue$a- se.
Thooaz Ferreira Maciel Pinheiro. Como re-
quer, devendo o sapplicante regresssr do presidio
de Fernando no raesmo vapor, que nesta data se-
gu para all.
Thomaz de Aqoino Fonceca & CComo reque-
ren), pagos os direitos nacionae?.
EXPE01ENTE DO SECBETAUtO.
Offlcios:
Ao inspector da thesouraria provincial, de-
clarando de ordera da presidencia e para os lins
convenientes, que a cobran-ja dos emolumentos
dos ttulos de legitimacao de posse de trra?, de-
ve ser regalada pelo 39 do capitulo 3." da por-
tara Ce 27 de abril de 1861, pela qual eram co-
brado? nesta secretaria os respectivo? emolumen-
tos.
Ao prometor publico da comarca de Cabro-
b, dizendo ficar a presidencia inteirada de haver
sido pronunciado nos artgos 139 e 229 1. e 5*
do cdigo criminal o ex-tereeiro snppleote do de-
legado do termo do Ex, Antonio GeralJo de Car-
valho.
Ao gerente da companhia Pernambucana,
communicando de ordem da presidencia e para o
devidos fias, que o vapor qae hoje segae para o
presidio de Fernando de Noronha, dever all de-
morar-se mais um dia, alera do prazo marcado,
se assim o entender a coramissao que o mesrao va-
por couduz.
Deas guarde a Vmc. Joao Jos de Oliveira
Junqueira.Sr. juiz municipal do termo do Cabo.
iJircular. 2* seeca>. Ministerio dos negocios
da justica. Rio de Janairo, em 1. de dezambro
de 1871.
film, e Exra. Sr.Remeti a V. Exc. para sua
intellisencia e execuco a lei n. 2,033 de 20 de
setembro ultimo, que alterou algumas disposicdes
da legislajao judiciaria e o decreto n. 4,824 dando
reg llmenlo para amesraa lei. Segundo dispoera
o art. 6o nos 4.* e 3* desse reglamento, den-
tro de doos mezes da publicarlo da lei, que leve
lugar 21 do raez lindo, devem ser nomeados os
supplenles dos juizes subuitutos das comarcas es-
pecias?, e dentro de quairo meze3 e no mesrao dia
em cada provincia os supplentes dos juizes rauni-
cipaes, sendo ordenada a subdivisao dos termos
em districtjs especiaes para a mais conveniente e
effkaz cooperago dos raesmos suppleutes. A de-
terminacho precisa daquelle prazo para a nomea-
eo de supplenles e que ai ida era neeessario para
a curial subdivisao dos disirictos especiaes e mais
predispoaicoas, que sao indispensaveu, nao devem,
porra, demorar a pr da lei, na parte que trata das disposicpes p-'uaes
do habeos corpus das fian?as, do proeesso cival nos
tribuoaes de segunda instancia, e de todo o mais,
que, sera depeadencia do pessoal especial, nao en-
i ende essencialmente cora a nova organisacao.
Manda, portauto, sua alteza a princeza imperial
regente em nome do imperador que V. Ex-, expe-
la nesse sentido as convenientes recoramendacoas
e que cora toda a diligencia o solicitado providen-
cie na parte que Ihe incumbe, de modo que a lei
entra em plena e inleira execuco no fim dos pra-
ios marcados.
Deus guarde V. ExcFrancisco de Paula de
Negrdro* Sayao Lobato. Sr. presidente da pro-
vincia de Pernarabuco. Cumpra-se. Palacio da
presidencia de Pernambnco, 11 de dezembro de
1871.Junfudra.-Conforme, Lniz Salasar Hos-
coso do Veiga Pessoa.
t.' seceao.Palacio da presidencia de Pernara-
buco em 12 de dezembro de 1871.
Em resposta ao ofticio de Y. S. de boje datado,
tenho a dizer-lbe que deve continuar na presiden-
cia do jury porquanto segundo o aviso de minis-
terio da justica de 1 do corrate, s se deve con-
siderar desde j em execucio a lei n. 2033 de 20
de setembro ultimo, na parte relativa s disposi-
5033 penaes do habeos corpus, de fianca do pro-
eesso civel, nos tnbunaes de segunda instancia e
de tudo o mais qae sera dependencia do pessoal
especial nao entender essencialmente cora a nova
organisacao, sendo que incontestavelmente]entende
cora o novo pessoal ainda nao nomeado e com a
nova organisaQao o caso sobre que V. S. consulla.
Deus guarde a V. S.Joao Jos de Oliveira Jun-
queira.Sr. juiz de direito da 2' vara presiden-
tedo tribuoal do jury. Conforme.Luiz Solazar
Hoscoso da Veiga Pessa.
i.' secc_o.Palacio da presidencia de Pernam-
bnco, era 11 de dezembro de 1871. Nao tendo
Vmc. sido explcito na consulta que fez era offlcio
de 6 do correte, deixando de declarar a natureza
do feito, e as reelamacdM que a respeito d* mar-
cha do respectivo proeesso Ihe Qzerara as partes
fundadas na nova lei n. 2,033 de 20 de alambro
prximo flodo, a nao podendo por falta dessa pre-
eiso dar urna solacio mais fundada, declaro
Vmc. qae, segando o aviso do ministerio da justi-
ca, de 1 do crranla, junto por copia, se deve con-
siderar j em execuco a citada lei na parle que
trata das dispostrdes penaos do habeos corpus, das
Mancas, do proeesso civel nos tribuaaes de segun-
da instancia, e de tudo o mais que sem dependen
2033, de 20 de setembro deste anno, tem de asan- eia do pessoal especial, nao entender essjencial-
mir a jarisliccio da vara de orpbios e nao coa-loante edm a nova organisacao.
PERNAIBCO.
BEVXSTA DABIA.
IUM1GRAC0.O Exm Sr. conseihero presi-
dente da provincia, desejoso de ver iniciado nesta
provincia o movimento destinado aequisico de
bracos uteis lavoura, agora que se acha tanecio-
nadacomo lei do paiz a sabia extioccao da repro-
duco de braco3 escravos,promove urna reuma de
commerciantes, agricultores e proprietnrios, bera
como de todos aquelles que, nao fazendo parte des-
sas tres classes iraportantes,desejarem o engrnde-
lo da ierra que os vio nascar, a qual se deve rea-
ciraenlisar no dia 20 do crreme sll horas dama-
nnSa no palacio da presidencia da provincia.
O fim da reuniao a fundacao de ama associa-
cao que auxilie a immigracao para esta provincia,
cora a qual se possa o governo imperial entender
na concesso de vantagens e privilegios quelles
immigrantes que ella fizer vir.
Fazemos votos para que seminante reunio seja
concorrida, e para o loora resultado da idea.
DEPUTADOS PR0VINCIAE5.Recebemo3 hon-
tem o seguiute resultado eleitorai :
5.' districlo.
Collegio de Cabrob.
Monsenhor Pinto de Campo? 41
Arconcio Pereira 41
Dr. Oliveira Fonceca 41
Dr. Camboira 41
Gualter Alencar 41
Vigirio Firmino de Nuvaes 38
Dr. Gongalves Lima 3
Resumo dos collegios do Brejo, Cimbres e a-
brob:
Monsenhor Pinto de Campos 101
Dr. Camboira 101
Dr. Oliveira Fonceca 88
Vigario Firmino de Novaos 85
Arconcio Silva 82
Dr. Antonio Paulino 60
Dr. Rufino de AlmeiJa 60
Gualter Alencar 56
Dr. Salazar 48
TiULIIOS URBANOS PARA OL'.NDA.Abrise
no domingo (10) a seceao desta linba frrea cora-
prehendida entra a estac,o do Varadonro e o lar-
go do Carino, na cidade de Olinda ; mas, em coa-
sequencia das horas de partida e da necessidade
de completa regnlaridae do servico noute em
toda a Imha, s iro at a nova eslaejio os tren.-i
que partirem do Recife durante o dia, sendo os
ltimos para o Carme : nos dias nteis o que sa
do Recife s cinco horas e meia da larde, e
nos domingos e dias santificados o das cinco
horas.
MORTE CASUAL.-A's 11 horas do dia 9 do
crreme indo Andr de tal com ontros individuos
banhar-se no rio Capibaribe, no porto da olaria do
liento, na Passagem da Magdalena, ao dar um
mergulho desappareceu, s sendo o cadver en-
contrado no dia segrate, declarando os peritos
ter sido a roorte produzida por aspbyxia por sub-
merso.
PRONUNCA.Pelo juizo municipal do termo de
Tacrat foi pronunciado, por crime de furto de
gado, Antonio Vicente da Silva.
CAPTURA. Pela delegada do termo de Flo-
resta foi preso, e recolhido a respectiva cade, Joao
Francisco do Nascimento, criminoso de morte.
FERIMENTS GRAVES.A's 2 horas da tarde
de 19 de novembro, Joaquim de tal, ex-voluntario
da patria, espancou Joaquim Tbeodosio da Silva,
no termo de Tacrat, pondo se era seguida em
faga.
MUITO LOUVAVEL.O Sr. comraendador An-
tonio Jos Gomes do Correio, proprietano residente
nesta povoaca i, acaba de estabelecer qae do 1* de
janelro de 1872 em diante cada carros ou carga
de barro que for extrahido do seu terreno pague
50 rs. aquella, a esta 20 rs.; sendo o producto
applicado a auxiliar a Santa Casa na compra
de roupas para os enfermos reeolhidos ao hospi-
cio de alienados, de enjo esubeleclmento foi por
longo tempo mordomo e onde deixou profundas
saudades pelo zelo, paciencia e caridade com que
tratava aquellas infelizes.
Ha 22 annos que exercia este diguo anoiio o
cargo de membroi da antiga administraccioj da
Santa Casa, e ainda hoje arraneado le lio honro-
sa quao humanitaria tarefa nao parda este urna
s occaslo de ser til quelles desditosos; minorar os soffriraentos.
FESTIVIDADE RELIGIOSA. Os alumnos do
Rvra. JooOlynopio de Souza Lyra mandan cantar
ama missa no dia 15 do correte, na matriz da
E-cada, em aecao de graeas pelo eneerramento
das aulas. Occupar a tribuna sagrada pela pn-
meira vez o raesmo Rvm. Sr.
ILLUSTRACAO HSSPANHOLA-Veo pelo Gt-
ronde o n. 32 deste importante jornal Ilustrado,
que se publica em Madrid. Cresce de da em dia
a iir.pnr'ftrou desta jornal, j peia? lindas e me-
raentosas gravuras, e j pelos trabalhos lltierarios
que senpre iraz.
NOVAS PUBLICARES A livrara franceza
dos Srs. Lailhacar A C, ra Primeiro de Mtrc-i
0. 9, acaban de chegar algn exemplares do Re-
sumo da Grammatica Portugueza e do Epitome
da Giammatisa Franceza, obras que servara de
compendios dessa? materias no collegio Abilio,
eslabelecido na curte do imperio.
O Resumo da Grammatica Portugueza encerra
o essencial para o ensino pratico s pnmeira? ida-
des, deixando aos mestres o desenvolv raeolo das
ideas ahi expendidas; e o Epitome da grammatica
franceza contera as naco s gerae? desta lingua,
expendidas de furnia fatigado com o estado de principios que mdhor-
mente cora a pratica ir adquirindo.
MONTE PI SANTA CRUZ.-Emviara-nos o se-
guinte, pedindo sua pnhlicacao :
< Esta soeiedade celebrou no domingo ultimo a
sua installaco, eom urna missa solemne na igreja
de Nossa Senhora da Conceico dos Militares, e
depois sessJJo magna era sua seda, a ra do Im-
perador. I
< O recinto da casa se achava ricamente pre-
parado, era/rma de templo maconho.
< Compare:eram ao act diversas autoridades, e
pessoas gradas entre os quaes o Exra. conseihero
presidente da provincia, que prestou jaramente
corao socio,- 3endi-lhe nesta occasio offerecida
pela soeiedade a respectiva insignia.
c Compareceram tambera diversas associaedes
existentes nesta cidade, por seas representantes,
sendo pelos respectivas oradores recitados elocuen-
tes discursos aoalogos a fe.sta.
< A monte foi franqueada a easa da associacao
as pessoas que qaizessem visitar a soeiedade, ha-
vendo urna ladainha; depois do que foi pela mes-
ma soeiedade offerecido um sumptuoso lunch aos
aos visitantes.
< Reinou em lodos estes actos harmona e boa
ordera.
CIDADE DE OLINDA No dia 8 do corrate
foi basteado o estandarte de Nossa Senhora da
Conceico, aadroeira do recolhiraento do mulhe-
res da cidade de Olinda, tendo sido as novenas
eoncorridas e animadas. A fasta ser celebrada
domingo (17) como espleudor do costume, oran-
do ao Evangalbo e ao Te Deum o.Rvra. Jos Es-
toves Vianna. Logo qae terminar o Te Deum, ser
queimado um lindo e variado fogo de artificio,
offertado pelo protector e devoto o Sr. Luiz Jos
Gonzaga.
RECTIFICACOSS.Na alloeucjio dirigida pelo
Sr. major Porto Carreiro ao lostitulo Arcbetlogico
e Geogrkphlco, publicada honiem na Revisto Dia-
ria, deran-se, alm de oairos insignificantes, os se-
guate* erra, qae nos pedem correccao : N 3"
col. 2* linru do aspado, leia-se vendo em vez de
sendona 4* L, : Sm vez de virgulana 11 I., cu
jos nomes Rearara em vez de cujas ficaramna
S3 I., deeapilarara-o em vez de decapitaran!na
41 1., exposta em vez de esclamavana 49 I., re-
morco, em vez de remoreona '8 I., caber;, j ca-
vera'. em vez de cabeca j caveirana 4* colum-
na, 9" 1., horaens e dos em vez de homeos dos
na 27 I. males, era ver. de malesna 41 I., visi-
tar era vez de vistarna 80 1., vosso em vez de
nosso.
BAZAR DE LONDRES.Este elegante e bam
tornecido estabetecimento de fazendas e confeccoes
da mais alta novdade onde qualquer Sra. ou ca-
vallero encontrarlo nos ditlerentcs gneros de
algodo, la, linho e seda, tudo quanto do ultimo
lom tem vindo esle mercado ; re:omnaulamo-
lo ao publico era geral como diguo de ser visitado.
PROCLAMAS.Forara I i dos no dia 10, na ma-
triz da freguezia de Santo Antonio 03 proclamas
seguintes:
1.* denunciado.
Manoel Gomes Ferreira Leito, com Tneonilla
Amelia Corroa Lima.
James Heariques Palor Beatmann, natural de
loglaterra, viuvo de Preciliana Carolina, com Ma-
rianna Ribeiro da Silva.
2.* denunciacao.
Joaquim Tranquilino de Leraos Duarle, cora Eva-
rista Mananna de Leal Lanca.
O alferes Alberto Soares d'Azevedo, cora Leopol-
dina AugusU do Nascimeuto.
Joao Baplista Nepomuceno, coa Francisca Feli
cidade da Stlva.
Aotonio Ramos da Silva Gusraao, eom Elisa
Anizia da Fonseca.
Antonio Moreira Res, cora Rosa Maria das Vir-
gens Ferreira Arantes.
Antonio Beroardno de Lima, con Msria Caroli-
na da Rocha.
3 denunciaba.
Antonio Jos Mendes, com Filonlla Oliudina
Ferrer.
Thoraaz Fernandas da Cunta Jumor, com Fran-
cisca Carolina de Britto.
Alexandre Dorotho das Mercs, com Carolina
Magdalena Chrislioa Hesse.
Sabino Hercnlano Cesar Guiraaraes, cora Ale-
jandrina Benicia do Rosario.
CASA DE DETENCAO.Movimento do dia 11 de
dezembro de 1871:
Exisiiara (presos) 321, eotraram 19, sahiram o,
existem 334.
A saber :
Nacionaes 242, mulheres 8, eslrangeiros 39, es-
cravas 40, escravos 5.
Alimentados eusta do3 cofre3 pblicos Sol.
Movimento da enfermara, do mesmo dia :
Tiveram balxa:
Manoel Luiz Cavalcanle, intarmittente.
arraano Franeisco Antonio, sarnas.
Fortunato Jos Candido, sarnas.
Joaquina Moreira, febre.
Tiveram alta:
Manoel Gomes do Nascimento
Joo Antonio da Silva.
LOTERA.A que se acha. a venda a 218 a
beneficio d* igreia do Espirito 'Santo do Recife,
a qual corre no da 15.
HOSPITAL PEDRO II.O movimento desse es-
tabeleclmento de 4 a 10 de dezembro de 1871
foi de 289 existentes, entraram 23, sahiram 28
falleceram 4,existera 280, sendo 166 horaens e 114
mulheres.
Advertencia.
Foram visitadas as enfermaras estes dias as
8,8 1/2, 8,7, 6, pelo Dr. Ramos, as 7 1/1, 8, 8
1/2, 8, 7 1/1, 8, pelo Dr. Malaquias.
Fallecidos.
Vieeate Ferreira do Reg ; bexigas.
Francisca Maria da Conceico ; anemia.
Gabriel Franeisco da Cunta ; laberculcs pulmo-
nares.
Antonio Jos Venaneio ; tubrculos pulmonares.
PASSAGEIROS.Vindos dos portes do norte no
vapor fraocez Gironi :
Ptsaoo Miehele, Slcooe Gioven Ratlists, d'Elia
Raffaele Daolo e sen filho, Splnelli dasquale, Pelle-
grine RatTaele. Calabria Mgale Angelo, Giovo Vin-
censo, Bruno*Antonio, Mlle. Mara bardi, Jos Leh-
man, Albert Biorvn Ghewy, Joaquim Monteiro- da
Cruz, Joaquim Monteiro da Cruz Jnior, Joao Nu-
nes Ferreira Coimbra, Jos Peres Monteiro, Sil-
verio Guiapo Pinheiro, Baroneza de Sania
Cruz, e 4 filhos, Maria Amalia dos Res Midoes,
Maria das Doras Mello Ribeiro, Jo3 Augusto da
Cunha, Manoel Joaquim Duarte Guimares e sua
mulher, Manoel Pereira, Joaquim da Costa Maia
Jnior, Ago3tinho Freir Pinheiro, Luiz Domingos
da Souza Moutinbo, Elpidio do Vascoacellos.
PUBUCACOES A PEDIDO.
Brejo da Madre de Deus,
Srs. redactores.Por ter estado, ha muito, fra
do termo tenho deixado de dar parte das ocurren-
cias mais salientes desla localidade.
O termo, apezar da3 apprehen-oes mysteriosas
do novo correspondente do Liberal, amicissimo do
Coadjuctor da freguezia (lembre-se, que nao aura
pedrada, quem lera lelhado do vidro) que forma
castalios no ar eom o tira da desapreciar aactuali-
dade, gosa de paz e as autondales policiaes e cri-
minaos vo, quanto possivel curnprindo a sua
misso.
A le do vsntre livre foi geralmenle bem acceita
pela populadlo e nenhuma dilllculdid'j tem encon-
trado o parocho em sua execuco. Al a presente
djta consta se ter baptisado um ingenuo, nao se
s'i!>ponii3, que par oppo.-icao lei, mas por se
luverara bptisado antes della todos os que baviam
e depois della nao bouve paricao alguma. Dizera
que ha ura grande numero de mulheres escravas
da esperaoQas, e por i>so de Janeiro em diante
ser > rauitos os recera-livres,
Proiedou se no dia 26 de novembro a eleicao
para os ly.'.urgos, que ao seguinte biennio tem de
represeut'ar este districto na assembla provincial.
Coneluiram os eleitores em paz, como sempre aqu
succede, o seu mandato, eobtiveram votos : Mon-
senhor Pinto de Campos 30, Dr. Rufino 30, Dr.
Cincinato 30, Dr. Antonio Paulino 30, acadmico
Arconcio 26, Dr. Silazar 18. padro Firmino 17,
Dr. Oliveira Fonceca 17.
Deus queira que os novos representantes advo-
guera melbor a causa do povo, do que os seu? an-
tecessores que dotarara a provincia com ura orna-
mento recheiado de novos iraoostos.
No dia 28 do passado abri se a 2.* sesso do
jury deste termo presidida pelo integerrirao Or.
Catanho sendo orgo da Justina o jovera Dr. Cin-
eiaato, deserapeohando ambos a saa difficil trela.
Vieram a barra do'tribunal os reo?, o celebre Joio
Gomes que no mez de outubro, com seu irmo Joa-
quim Gomes, que evadi se, fez tres mories e tres
ferimentos graves e Joo Candido, que no tempo
da liga, ferio gravemente no distrieto de Carapols
ao pacifico Jos Bezerra que fazia parte de urna
pairulha, que o preteadeu recrular para Paraguay.
O tribuoal compenetrando-so da sua alta e libe
ral n.i-.-o sentenciou o 1* a gales perpetuas e o
2* a um anno da priso ; sendo defensor de am-
bos o licenciado Coelho Maranho.
O juiz de direito em de juigar no da 5 deste 2
larapios de cavllos, e sappoobo que ellas recebe-
rao a paga de seu suave meio de vida.
A ira punid >de tem sido causa de se reprodazir
geralmenle esle crime. Na primeira sesso deste
anno ura destes bemaventarados com mil promes-
sas de seus protectores conseguio livrar se, mas
j consta que co.it us como d antes.
Temos tido nesies das bastante chuva com forte
trovoadi em prejaizo do algodo aberlo e dos ro-
gados por queimar e de utilidade aos gados.
A safra do algodo tem sido ptima e se nao
fos--e a baratez de-Ue genero, os seriaoeijos aug-
mentaran! sua fortuna e Hcariam quite? de dividas
atrasadas provenientes da3 seceos porque teto pas-
sado.
Aifeira?- conliouam abastecidas do genero* de
primeira necesridade, e por precos soffrveis.
Por ora c o que ocCorre.
Brejo, 4 de dezembro de 1871.
Leituras moraes sobre as vantageos da uniio.
a elevac.o do horaem sem merlo, os ructos do
Irabalho.Os meninos abenecados por Jess. Pa-
rbola do filho prodigo.
Modelos da cartas, de discursos, descripcoes,.
exeiuplos excerplos de diversos autores.
Discursos acerca do csiudo da historia, a edu-
cago, a influencia da re'igio sobre o espirito e o
!eora;-io, as van;agens do esludo da grammatica
pbilosoplMea.
Noticias biographicas de Gon^alves Dias, Casi-
miro de Abreu, luso Bonifacio, viscondes da Cif-
ro e do Urugay. Algumas poesas dos tres pr-
raeiroj, etc.
Estes numerosos artigos, de lavia propria do
Sr. Dr. Borges, extrahidos dos melbores escrioto-
res de nossa liugua, juaes o palre Antonio Yieira,
Jacintha Freir, fre Luiz de Souza, Heilor Pioto,
fre Francisco i- S Laiz, primara p-la saa don-
trina, exactido das uoccoes que cunim, grande
variedade e excellenle escolha dos assumptjs, pu-
reza de lioguagera o pr ipneda le do eslylo, a ie-
quadi tenra idade dos leilores.
O todo d obra revela, por parle do Sr. Dr.
Borges, o utilissiaoo proposito, que e-.mpenbou
cabalmente, da dobrar o valor du tem;.; trapre-
gando oque os alumnos tm degasl-r a aureo-
der a 1er correte, de maneira que. eom esse conhecimento, tiles se vao fjHiiliarisan-
do cmi muitas noyes indispensaveis a lodoso
entes soclaes : c resulugo do bello ,r.blema de-
instruir edu:ando, e tratar de-de a escola prima-
ria de desenvolver e cultivar a intelligencia do
meninos, encaminhando a para o bem, forman-
do-lhes desde logo o coracu para a grande lata
da vida, em qae cada qual (era alia i! segando o
sea merecimeato.
O livro do Sr. Dr. Borges, em ama palavra,
urna boa fortuna para a insiraceo da uo'ssa in-
fancia.
O volme, de mais de 400 paginas, contend
algumas gravuras intercaladas no texto, de ama
bella execuco typographica e impressa em cx-
eellente papel.
BAHA 1' DE ABR L DE 1871
Tarceiro livro le leltnra para
meninos pelo Dr. Abilio Cezar
1 av
ua
Revista da Instrucr.i Publico da
Dar
dono
o seu a seu
Nos abaixn assigoadosinspectores de quarteiro
da fregueziidaBa Vista, nao podemos failar ao
dever sagrado o imperioso de do alio da iraprensa
agradecer sincer?ucl.: com tola a ela? da alma
as maneiras urbanas e attenciosas cora que sempre
iratou-nos o Sr. Hiraciode Gasmo Cciho, du-
rante 7 raeies que oceupou o lu;ar da subdelega-
do de>ta freguezia o qual deixou por iocommodOS
de sua stJe. Agora que o Sr. Horacio deixa
es.e lugar honroso que cjoi geral satisfazlo oceu-
pou, agora que nngtera poder atlriouir a esta
espontanea manifestaco de recooh- cimen.o, ada-
lacao vil e baixa, re^'rr^ln.lS a imprensa camo
meto mais fcil de fazer ebegar ao conhecimento
do mesmo Sr. os senti.T.eutos que a todos nos do-
miua eofferecer-llio os oossos diminutos servidos.
Luiz Jos Autunes Joo Soares da Rocha.
Joaquim Savenano Cavalcante de Albuouerque.
Antonio Soares da Rocha.Cario? Augu-ao Morei
ra de Carva'ho.Francisco Gentil de Castro e Al-
buquerque.Carlos B rrorneu Celtio da Silveira.
- Jjo Gervasio de Q.ieiMga.Gervasio Protasio
Siraoes Filho.Jos Felippe Pereira dos Santos.
Launano Antonio Apolioario.Manoel:Jos de Lima
Barros.Joaquim Jos do Nascimento.Jos Fran-
cisco de Souza Magalhes. Joo Evangelista de
Castro.Elias Baplista da Siveira Ramos.Pedro
Joaquim de Lima.Manoel Elias de Saal'Anna.
Caetano Carneiro de Alraeida.Francisco de Paula
Graca.Alipio Ferreira AntunesAlbino Carnei
ro da Paixo.Jos Francisco |MunizFrancisco
Antonio de Oliveira e Silva.Manoel Romo de
Carvalho.
TEBCEIRO LIVRO DE LEITRA PARA MENINOS
PELO DR. ABILIO CESAR BORGES.
L-se no Diario Olficial do imperio :
O Sr. Dr. Abilio Cesar Borges, fundidor do
Gymnasio Bahiano, prestou miis nm servico
instruccao popular publicando o seu Terteiro li-
vro de Intuntpara o uo da infancia, com o qual
completou a obra que encelara era 1866, quando
deu ao prelo os seus Primeiro e Segundo livros.
Na introdcelo, que contera 16 paginas, ennun-
cia o Sr. Dr. Borges, com a competencia qae Ihe
d urna longa experieocia do magisterio o eduea-
cao da iofancia, seu modo de pensar acerca do
qae deve constituir o en-ino em urna asocia pri-
maria, expoodo os defeitos que deseobre nos rae-
thodos erapregados era nossas escolas c a3 refor-
mas que julga convenienles.
O lerceiro livro destinado aos alumnos das
escolas pri narias, que formara as classes mais
adiantadas em leitura ; corneja por algumas re-
gras para ler bem e escrever bera ; vem em se-
guida urnas mstruces respeito de Deus, pas,
mestres, patria, amor do prximo ; e successiva-
mente.
Introluccoao estudo do universo: reinos mi-
neral, vegetal e animal. -Producc5es oaturaes do
Brasil. i .,
Noticias elementares : o ar, a seda, o vidro, o
sal, o papel e a gorama elstica.
Nocpes de geographia geral e da particular
Brasil. ..
Noecoss de historia santa ; de historia ao ura-
sil desde seu descobrimento al sua independen-
cia ; sobre as diversas formas do governo ; de
agricultura, ete.
Preceitos de bygienne para eonservacao
Pensameutos e consolaos extrahido ios livros
santos.
L-se
Baha:
Bem-vindo o precioso e mimoso livro da in-
fancia I Quera trabalba para a infancia, traba-
Iba para o futuro, para a pairia, para a humani-
dade emfim.
O fiorescimenlo da instruccao no Brasil sera
duvida urna quesio magna em torno da qual
como a ura unieo foco, a nm ceotro coramum
vara colloear-se todj3 os outro? problemas em
prol do seu eograndecimento. Se o progresso
actual promette para o? lempos vndouros uraa
fachada larga, sumptuosa e brilhante pelos bellos-
esbocos de seus planos, todava verao-nos ainda
cingidos por urna rbita eslreitissiraa, apertad-u
n'um pequeo eiren!o de conquistas, e n'uma
verdadeira cinta de ac de urgentsimas neces-
sidades.
< Bem ditas pois as penlas que tem por cofre
as raaos dos meninos, dus homens de amanha I
A nossa infancia bem precisa de que pensemos
muilo oella. O lerceiro livro de leitura que para
seu uso compoz recentemente o Dr. Abilio Cezor
Borges poderia ter injerto, com razao de sobra,
no sea frontespicio a arle de formar os hornea*
futuros do Brsl. E c realmente o que esse
terceiro livro de leitura, que o Ilustrado ex-diroc-
tor do Gymnasio Bahiano leve a gloria realm-n
invejavel'de olerecer s escolas primarias desta
trra, e acaba de depositar nos gabinetes dos di-
rectores de collegios, e sobre a meza dos profosso-
res primarios o da quantos apreciam as boas
lettras, com aquella autondade cora que o venera
a sua in:ome;lada vocaco, os seus longos, serio?
e aturadissimos esludos sobro a materia, que,
forja dize-lo, nao tem tido em todo imperio ex-
plorador mais activo, incansave', delicado e deci-
dido. Despeniarao nos de mostrar a homenagera
que este trabalo nos merece. Conlentamu-ncs
da apona la. Nada pode recommendar mais van-
tajosamente qualquer trabalho do que o exame
calmo e rfcfi-'Ctido que sobre elle se faz. E o que
recommendamns apenas. Lase o livro do Ilus-
tra pedagogo Bahiano.
t Verdadeira encyclopedia dos meninos, elle
nada menos do que urna especie de programan
ou de catalogo da tudo quanto pode ferir em ca-
racteres mais harmnicos o ciliar da alma da*
creancas; oa poca em que esse olhar, bera corao
a abelna que liba em certas flores, procura de
preferencia, por urna e3pero de instinclo adrri-
ravel o espirito Je Deus era urna certa classe do
materias.
t E era verdade os assumpU de que esse livn-
consta sao todos escolhidos pelo mais apurad.< di
cernimento, pelo mais tino tacto moral, de lia
muito habituado a penetrar nos mais ntimos re-
cnditos do espirito infantil para nelle recopilar
ideas, quo trabalhando nao ces.-am de aperfeicoar
o pensamenlo. Eotre outros assumptos, rarissiioa-
mente tratados entre n3 era livro para meninos.
e no emtanto essenciaes, cerno provisoes absoluta
mente indispensaveis a todos os quee>lo no lem-
po de tentarem a arriscada viagera do futuro, ci-
taremos o esboco da historia do Brasil e a coi. i
luicao do imperio, objectos em cojo estudo c. <
fermentar toda alma qa9 a si quizer com dignida-
de attribuir a tempera das almas brasileiras.
i Alm disto sebre a litteralura, sobre a b-to-
ria, a philosophia, o direilo, a esthetica, as_ arl;s
as sciencas e a religio, encontrara se n'elle a?
ideas mais sasa as mai3 aptas para elevar o es-
pirito e a alma cima da vulgaridade commum.
Para escrever um livro para a infancia,
mister aute de ludo ter podido estudar-lbe muit
da perlo a natureza. Adilisuldade de seiielh.in
te esludo cresce de ponto com o estado da incer-
teza era qne flucta ento a alma da enanca sobre
todas as couzas que a rodeiarn. Quera pode, p.
conseguinte, conscienciosamente, reunndoao helo
a Iheoria, medir vo,por vo as mais vagas aspira-
cSes.os primeiro3 impulsos da natureza humano
para o fim a que ella tende, ou para o ponto o -
posto, ba.sem duvida transposto o marco millian.
onde esUcam os que estudam a infancia com'
atravs de um oculo com os olhos prgalos sobre
os livros.
lo
da
O Dr. Abilio, ex-director de nm collegio
modeloonde aceurautou 4oze cu quatorze anno*
de iocessantes trabalhos e fadigas em bem de cen
tenares de familias que hoje Ihe tributara a mal
viva consideraco e sympathia. a mais recommen
davel gratido pelo muilo qne fez em bem da i!i <
educa jao e da solida instrnecao deseas Albos
bem pode apresentar em toda parte o seu metho-
do de ensino. Para isto nioguera Ihe contesta
direitos, so-lhe de sobra os titulo?.
i Do seu importantissimo livro entre os muit-"
bem elaborados captulos de notavel luteres-"
para todos e com espeeialidide |,ara a ordem de
leltores a quem sao offlerecidos, nao podem s re
sistir i tentaco de recommendar os piimeiros.
nos quaes se encontra exposleo nio s dos de-
faltos que o autor aeha nos meios de propagacai.
do ensido das primeiras letras, como das reformas
que julga convenientes ao melhoramento moral c
intellectual das racbiticas escolas qu.! contorno.
Em seguida leem-se traduzidas da ultima obr.
do Sr. Hippeau, a3 medidas adoptadas na patru
I da intrucelo -nos Bstadoi-Uoidcs o por cora-
./


\v;
*~v
-*..
T>

V
s
X
queneia a albores par a diffuso da instruc<#rJo
primaria.
Esta, pois, dejcoberlo lioalmente o octave!
segredo de azer oj mocos saberem o que o
meninos aprenden) as escolas. E-te donrado
templo das ideas, em que sooharam lano as ge-
neres pretritas e qui ainda boje nos bebe as
allencSjs com tanta forca, qae e, que pode ser
senao a escola ? H
Sena duvida a primeira commnnhao se faz na
anla primaria, mas para qoe easa communho
prodaza o seu effeito inllspmsavl que o livro
que se aprcseata s tenrai indiligencias dos me-
ninos seja enriquecido desses preceilos que le-
vem-lhes n'almi doctora e a paz que snnvisam o
corsco formando os .-e aimeotos; identificando
se com esses preeertos as verdades q.19 formem-
lhes o espirito, robustecen) a razio, manteado es>a
harmona do desenvtviraento do moral sea a
qoal nao ha ystenta possifel de educacjio,
t O terciro lloro de le/tura, de qae nos cea-
pamos, preeoche perfectamente e-tas duas con-
dicdss. E-t pois do caso de abrillantar a biblio
theca dos livros brasileiros, como otra de priraa
importancia e utilidade para o futuro e as letras
patrias.F. M.
Breve resposta ao Liberal do II 6)
correte.
Nao podeDdi resistir iudignacao pr, fui*la que
em mi.ti produzio a Hitara da correspondencia de
Caroar inserta no Liberal do 11 do corrente, pe-
gaei da penna no proposito de contestar as asseve-
racS toroes, alindas contra o resp.-iuvel coro-
nel Joo Vieira de Millo e Silva.
Nao , bem o sei, que o coronel loSo Vieira sj
carecedor de defeza para os que cooh cendo o, h
zara o merecjdo concedo de seu elvalo carcter,
e veem nelle o cidado rccorameodavel par Ululas,
qae o fazera credor da sstinii dos horneras de bem,
mas eu que detecto a mentira uo posso dispeo
ar-me de diaer duas patarras, com referencia a
um ficto de que tai les'.emunlia oceular e que foi
cavilosamente narrado pelo earrespundenti do
Liberal m Ciruai,
O mesquinho correspondente, e'n qaera o poder
nunca existi, faz contra o coronel Vieira insina-
roes de qaa rae nao oceuparei, porque u) desejo
manchar me na lama, de que ao sobra o ajenlo
mbii vista.
Ni) receio, que o manejo aboroinavel da calara-
ca tenha forr;a 4e abaiar a reputaca > bem Arma-
da do coronel J-ao Vieira, fazendo-o deseer da ai
tura era que soubs eollocsr-se.
No jago do baixo enredo tecilo contra c v," i
ros da tempera do coron-l Joao Vieira o corres-
pondente do Leral perlera sempre a partida,
alm de desempeobar o Inste pap-l de cao que
ladra a lira.
Pondo a raargem tuda qno vai de ridiculo ca
diatnbe do nolarcl articulista, tratarei delazr
exacta* quanio pos**, a d-'s-.ripc.o do conflicto,
qae se d,a na msnhaa de 3 do crrente na cidade
de Carca. por tecasiao da perri rrer " ro.-s da
adade a procissio da trasladara) da imag'-m de
Noasa Seulura das Dores, do hospital para a ma-
triz.
Por ora mero e in-i ocenle grac j a jigaioa na-
invada do sarg-nto do destacamento dade, pelo cidado Antonio G )nes L^ite qae o n-
panhava a procisai, aconteceu que o tublenlo
sargen'o tomado da furor, segqin'o inmediata-
mente o pobre hkc.) espancara-o de sorprezi no
pateo da matriz.
Eis aqu tuto que se passou o. foi presenciado
por mai? de 200 pesios.
pra, deum mcideaie eompUtaracnte aheio ao
coronel Joo Vieira, que delle teve rienda, quan-
do o aggressor ia ca moho da caela para s.-r re
eotaido, os s as de-leaes dos(T-'c'o> pcir.icos mis
tilicando a faci, converDra-n'o em arma de oppo-
sijao, e procurara d.-.-r-char o g Ipe, que Miz-
m;nto biteu em falso, p'iqae os borneas rasoav -
de t separa o coronel Joao Vieira de seus detracto-
re-..
^ a?si:n que o eorrest>onpente do Liberal em
C!ruar destoando destocadamente da verdade
atreven-se a asseverar que fra o coronel Vieiri
a causa i'aquella coi.ll cto, raindando provcalo
;jr um seu sobrinho.
Gusta crer, que baja quera leve en ;iio pernea
C ita o dever de fallar a verdade r...
Narrado assira, corao Pica, ara acontec ment
que testemuulii, v-ji o publico qoeconceito me
ra as noticias do correspondeala liberal de Ca-
.::!ii, eivadas do o.lio da urna poltica falsa e
'anba, e assim f..',:a juslica a qaeiu de direito
lor.
Ca-ia por boje.
O passageiro.
Ao pub ico
Ldhdd no Liberal de 11 do crreme ama pu-
blicaeio assigoada por um anoaymo de Garuar,
era que meu pai o coronel Joo Vieira de M.iio e
S:lva, atr^zr.ente injuria Jj, pri;i a o poblico que
t impenda o seu jaizo a re'perto, a: jue ira tribu-
u I c i'flpetonto o calamoiador, q'ie as irevas j atirar-se com tanto cynisrao contra a repata-
>-'o de ura homem io bem, jfja devidaraenle pu
.. b, sa livor a cora geni de d??cobrir se.
E iiretinto, eonsola-me a idea de que nao poda-
r faier irapressao no espirito publico o acervo de
Cilamnias eiojarias cuuiiias nessa pablica^Io,
t) sarem por demats conhecidos os desslfectos
de mea pai 'aq'.-u'la localidade.
Mais tarde, >o fr preciso, fare ebegar ao co-
. cimento do p^ibiic a verJadeira caiwa dos
los ultiinaiiii: t aonteciio* i-ra Garuar, e
i rei o molo poique all ;e vai dislnbuindo a jus-
tic.
renbo eomprehendiJo que a verdade deve ser
': a em tod > ca-c, e sera reserva.
;;L-:ife, 12 de dezembrn de 1871.
E: nesto Vieira 'le Mello.
Ran d r#riiambac - Quarta feira 13 d Dezembro d 1871
-------------y-
9f< /olnmes entrados com fazendas 31
1 com gneros
Volames snoidos com fazendas
1 com gneros
1,231
17
34
1,157
----- 1,291
Descarregara hoje 13 de dezembro.
Barca franeezaCo/'rnyvarios gneros.
Barca ing'enWilckalh Tegnidem.
Barca inglezaPAi/*ppa-caaos de barro.
Patacho hespanholCirmvanes gneros.
Brigoe portugaezUniao dem.
Despachos de exportando no dia 11 dr
dezembro.
Para os portos do exterior.
No nrigae norte allemio Burgemista, para o
Canal, carrfgaram : Raba Scharaettau A C 517
saccas cora 38,43o kilos de algodao.
Na barca Ingleza fJsette, para Liverpool, ear
regou : P A. Maury 3,67 Scco cora 53,09i
kilos de algodao.
Na barca porlngueza Cor^a, para Liverpool,
carregaram : Manael l-'ernandes da Costa & C. 1S9
MMM eom l'j481 kilos de ilgodo.
No vapor francez Sgndih, para Birdeaux,
carregaram : Tissd freres i C. oa sacca3 com
10,002 kilos de a'godao.
Na barca franceza Veridiana, para o Havre,
carregaram : Keller 4 C. 500 saccas com 33 177
kilos de algodao.
No vapor 'nglez Talismn,- para L;verp-i',
rarreearam : Tnoraaz ds \qnino Ptawi & Pi-
tad 119 saccas crai 12,226 kilos de slgolo.
Na barca portngueza Gralidao, para Li-boa,
earregaraai : Aoiorim Irmaos & G. 210 saceos
com 15730 kilos de assuear branco.
Na galera nortuguoza Lisboa, para o Porto,
'arredrara : Soares Primos 750 saceos com
56,250 kilos de assncar masca va 1o.
No palhabote porlugnez Rival, para a liba
de S. M'guel, carregaram : J -aj do llego Lima &
Albos 220 barricas com 16,958 kilos d9 assuear
branco.
Nonavi) fraoeez Princza, para o Canal,
arredrara : Saunders Brotaers & C 3,100 sac-
eos com w.OO'J kilos de a-suear mascavado.
N1 bngue inglea .1/717/ H'ock. psra Liverpool,
earreiaram : Mills Latban t G. 2,009 sacos com
15,004 k)s de assuear mascavado
Na ba'i-a frnceza Ester, para M irseille, car-
regaram : Keller & G. 3,100 saceos cora 232,500
kilos de assncar imscavado.
Na barca purtugaeza Diana, para o R'o da
Prata, oarregaram : los da Silva L tyo & Filtra
265 barricas com 42,673 kilos de asquear branco.
rara os portos do interior.
Na barcaea Tres rrmVs, para Murih, ca'
regram : Silva & IrraiSos 4 barricas com 360
kilos de assuear.
Na barcafa Tentadora, para a Villa da Pe-
iba, crreou Beulo de P. luimares 4 barricas
com 2'() kilos de assuear.
Na iiarcaga Mella Flor, para Bahia, carre-
garam : i Itrao & Oliveira 1 pipa com 480 litro-
de agurdenle.
RhiOEBBDORIA DE RENDAS INTERNAS
GERAES DE PERNAMBCO.
' : i monto do dial a II. !3:546792
[dora do da 12...... I:613628
25:I600
CONSULADO PROVINCIAL.
Aendimento dodia 1 a II. 16:11536G
dem do dia 12...... 7.8C370u
53.92! 071
Tfirtifij
Companhia de seguros contra
fOe/O.
AGENTES
S. P. JOlfiSTOX fe C;
Ra da seaia!f-asva u. 49
THE ALL1ANGE BRITISH & FOREIGN.
Life and Fire Assorance Company eslaboleciu
to 1824. Capital c 8,000,000
'Js sg6ntes dasta eorapaBhia tomam egoro
entra rogo sobre predios, gneros e fazendas t
nagun aqui prejuizrs devidamonte provados.
IRabe Schraeilau i G
Gifpo banto n. 15.
os conra-fego
COMPANHIA
M9ViGiT0 DO POBTO.
Kari>s entrados no dia 13
P.io le Janeiro13 dias, brigue sa Cari, de 42
toneladas, capi'.i-i F. Eng'tron, e-ju-pageiu II
em la-tro ; a K-llsr i C
Rio de J.\n"iro22 das, barca portagu za S Mi-
guel, de 750 toneladas, capilao Jaira M rnteiro de
onza, eqnipagem 16, e.n p-tro ; a Balthar
Oliveira & C. Veio recebar ordens e seguio pa-
ra a Parahvba.
Rio F.irm'iso6 dias, vapor nac'o ;l Parahgba,
de 101 toneladas, commanlanto Oliveira, eqni-
pageni 14, en lastro ; a compcr.hia l'ernam
hucana.
Navios sahidos no metmo da.
Liverooo!Vapor ingi-z Talismn, coramandante
J. Brown, carga algodao.
Porto AleareHiate brasiieira Jaren Arthur, ca-
pito Jbaquira M. de Souza, c.rga varios g-
neros.
hrs'ilieE*cuna an'strlaea Luep Murka, eapi-
lo Giovani Medamch, carg awnear.
LiverpoolBrigoe austriaco GlreTano, capillo Ao
temo Gerometa, carga ssocar e algodao.
Observocao.
Funde'a no lamato um vapor nglez Je guer
ra, mas nao teve cornmuoicacao cera a '.erra.
suas sessoes pelas 3 horss.da tarde do di* 14 do
corrente :
Ale!ra, kil"grammc.
Arr < de Marauho, idi.i.
Azeite doce, litro.
Dito da carrapato, idem.
Aguardante, dem.
Bacathao, kilogrammo.
Batatas, dem.
Gh hysson, idem.
Dito preto, idem.
Gaf em gra, Idem.
Carne secca, idem,
Cebrla-, cenlo.
Farmha de mandioca da terrra, litro.
Pumo do RiOjIilogrammo.
Fejao malaiinbo, litro.
Farello, aaoea.
Gaz, lata.
MiUio, same.
Manteig franceza, kilogrammo.
SabSo, Idem.
Sal, litro.
Tapioca, idem.
T raciono, kilogrammo.
Velas de carnauba, idem.
Veas stearinas, idem.
Vinagre, litro.
Vinho de Lisboa, idem.
Dito branca), idem.
Secretaria da Santa Gasa de Misericordia do Re-
cife, o de dezembro de 1871.
O escrivao,
Pedro fodn'gnet ae Souza.
* Principiari s 8 f/l.
O resto dos bilhetes podem ser procurados no
theatro, no dia do espectculo das 10 1|2 horas da
manha, por diante.
Depois do espectculo haver um trem para A-
pipueos e mats pontos da liona.




SANTA CASA DA MISKKiGOHDlA DU I1F.L.IFE.
A Ulm, junta administrativa da Saota Casa de
Mi.-cricordia do Recife, manda fazer publico que
na ssla de suas sessoe?, no dia 14 do mez de de-
zembro pelas 3 horas da tarde, ten de ser arre-
iatadi s a quera mais vautagens ofTerecer, pele
tempo de um a tros annos, as rendas dos predios
ern sepuida declarados.
ESTABELECIMENTOS DE CARIDADE.
Ra de lionas.
Sobrado n. 45 (andar e sotan.). 304JOOO
Ra larga do Rosario.
Srgundo andar do sobrado n. 24 A. '08000
Ra do Prdre Florianno.
dem n. 47.........1S0/C00
Ra da Gloria.
Ihsa terrea n. 61......2105000
PATRIMONIO DOS ORPIIAOS.
Ra de 8. Jorge (Pilar).
dem n. 108........2053000
dem o. 98.........2055000
Os pretenderes deverao a presentar no acto da
arrematarlo as suas flanc/a9, nu comparecern
icompaohados dos respectivos fiadores.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do Re
!ife, 2 de dezembro de 1871.
O escrivlo,
Pedro Rodrigues de Souza.
0 insulad provincial
Por esta rppartieo comeca a reerber se no dia
1 do dezembro vid-raro o imposto d.i dcima ur-
bana o o de 5 0o sobre as rendas dos bem de cor-
poracoes de mao raort, rela:ivos ao primeiro se-
mestre do presente anoo Qnahceiro de 1871 a 72,
Curren do d'ahi o praso de 39 dias para esse paga-
mento sem dependencia de multa.
Consolado provincial, l de novembro da 1871.
O adiestrador,
A. Orneiro M cha do Rios.
SANIA CASA DE MISERICORDIA UO
RECIFE
Perante a junta administrativa desta Sinta Casa
vao a praca pela renda annual da quantia de 6005
o primeiro e segn lo andares do sibrado n. 3 da
ra da Madre de Deus, pelo tempo a contar de
hojo ate" 30 de janho de 1871, ebrigando se o ar-
rematante a fazrr nelles os concertos de que prc-
cisarem.
Os preten enies pndero para seo comparecer
qnaru-feira 7 do corrente, pelas 3 horas da
tarde.
Secretarla da Santa Can de Misericordia do Re-
cife, o le dtzenibro de 1871.
O escrivao,
P'dro Rodriane- de Souza.
4VB0S MARTIMOS
Aracaty
Segae oestes dias o hiaie Flor do Rio Grande :
a tratar com Gjmes do Mallos Irmaos, ra do Vi-
gario o, M.
Para Liverpool
A barca portugneza Corra (elasse 5|6 A i, 1,
recebe algadao a frete para completar seu carre-
gameoto. Trata se na rna do Vigario n. 19
com 4 taboas, apparadores, camas francezjs de
Jacarandae amarrlh para casal, urna machina
para costara, 1 piano de armario proprio para
principiante, 1 guarda vestidos. 1 marqaezio, 2
marqaezas, 1 par de consollos, 1 guarda roapa,
1 lavatorio, 4 qoadros grandes com moldura
dourada, 2 pares de lanternas, meio apparelho
de louea para jantar, 2 jarros de porcelana, 1
espelhos cora moldura dourada em perfeito es-
tado, i cama americana para menino, 1 berco
diversas caJeiras usadas, de ama relio e Jacaran-
da, 1 bastidor, alm de amitos oatres ebject ><
que estarlo patentes aos compradores; assim
como 1 carro americano novo mallo leve e ele
gante, de 4 rodas e com 4 assentos
Pelo agente P.staoa, 00 anbgo armazem de
agencias da rna do Imperador n. 16, * 11 horas.
Companhia americana e brasilei-
ra de paquetes a vapor.
At o dia 15 do crrente esperado de New-
York por S. Thomaz o Para o vapor ame-
ricapo South America, o qua! depcis da demora do
co-tume seguir para us portos do sol.
Para frete? e passagens, trata-se com os agf n
tes Henry Forater & C., ra do Coramercio ... 8.
COMFANHIA PBHiNAMBUCANA
DR
VaTega^o costclra por vapor
Parahyba, Natal, Maco, Mossor, Ara
caty, Coar, iMaudah^, Acarac e
Granja.
O vapor iagnaribe, commanr'actt
Guilherme, seguir para os por-
tos cima no dia lo do corrent
as 5 horas da tarde. Recebe car
ga at o dia 14, encommenda.*
passageiros e dinheiro a frete at as 2 horas d<
;arde do dia da sahida : escriptorio no Forte d<
attos n. 12.
imle
p
Objectos da phantazia
Quinta-feira I i do corrente
A ra da Irnperatriz n. 7.
Sendo ricos jarros de porcelana de variados go-tos,
lindos frascos, figuras de gosto, relogius com
mnzica, caixas de rnadeira, pentes de tartaruga
para cc, espelhos de madeira, porta-relogios,
iivros de ouvir missa, caixas com | para den-
les, porta-joias, francos ern agua de Colonia,
plumas e veos para chapeos, vestidos parj me-
ninas, escovss para cabello, caixiuhas com flor
de ebeiro, chapeos para senhora, chicotes, ben
galas e muitos ootros artigos de gusto, que se-
rao vendidos ira correr do marteilo, para refor-
ma do estahelcimento.
Madama Leconte, fa> le't > pnr ratervoccSo do
agente Martins, de todas as lazo idas de sen esta-
becimento, as qaaes serao vcodls pelo maior
prego para renovar o seu estabelecimento.
A's 11 hor;s do dia cima, a ra da Iai&era-
Iriz n. 7

COMPANHIA PEKiNAMBUCANA
DE
VaTega^o costelra por vapor.
Goyanna.
O vapor Parahyba seguir pa
ra o porto cima no dia 16 o
crreme as 9 hora- da nnnte.
Recebe carga, enco^mlenda^
passageiros e dinheiro a freto at
as 2 horas da tarde : n, escriptorio do Forte do
Manos n. 12.
tfara o Araraty segu com toda a brevidade
o hiate nacional Mara Amelia, capilao e pratico
Franci-co Thomaz de Assis, ja lem aigama caraa
engajada : quera no mesn^ quizer carregar ple
entender->e cora Antonio Alberto de S)nza Aguiar
a ra do Amorira o. 60. on com o capitao a bordo.
Pata o Porto
.
Petante a cmara municipal de-ta cidade
estsrao ern pra^a nos dias 7,9, II, 12 e 13 do
corrente para er arrematada i) ir qnem menor
pr ;o otT recer, a i -r1. d; coostrucsai de i pa-
res de calacu'tibns para adultos e O pira pjr
valos e 3 pilastras de qie necessita o-cemiterin
desta mesma cidade, o'jjada na i i,
de G.uGO,* : aquellas pessoas qae qmzere a arre-
matar a dita obra h2bilitem-so na forma da le.
o reao-.r [) > da bra acb-se na secretaria da
taca ara, onde ser facultada aoj preteo-
dentes.
P.i.;o da cmara municipal do Recif*, 6 de de
zembro de 1871.
Iguacio Joaqra'ra de Souza Leao,
pro-presidente.
LourenQO Bezcrra Carm iro da Cunba,
gpere'ario.
S3j convidados os Srs. acctmis d^-ta
corajjan :a 3 reunirern-se em ssseinbla ge
ral extraordiiaria no dia I3 d^orrente
roez para tratar-se d i n-gocijs urgentes,
ijual lera logar as l Imras* do dia acirtM
m. ncionado io escriptorio do suas sesees
roa do Cahug n. Id.
llocifo, 9 de dezembro da I87I.
O secretario.
Jos Honorio Di:erra de Men zes
anta
Capital.
Faado de reserva
NORTHE
. 30,000:000*001
. 8,000:OOG*O<
Agentes,
Milis Lata <& C.
SEGURO CONTRA FOGO
Tha Liverpool & Lonalon Glob
Insarance Company.
Agentes :
Sannders Brothers & C.
IICorpo Saato II
PRAGA DO RECIFB 12 l>E DEZBMBRO.
OB 1871.
AS 3 12 HORAS DA TARDI.
Cota(5es ofiieiaes.
Assasar americano bom 2|i00 por 15 kilos,
hontem.
Assuear anvri'ano regnlar 2*1) e 2*200 rs.
por 13 kil >, oooiem.
AfsacarCanal 1/900 rs. por 15 kilos, hontem.
Cambio sobre Londres a 90 div. 25 d. por
U00O.
d. G. Stepple,
Presidente.
P. J. Pinto,
Secretario.
ALFANOEGA
Henmeolo do dia 1 a H. ,
* * 11......
Perante a earaum m>imcipi iie?u ciUdae
lirio a i ra';a nos dias 9, II, 12 o 13 .! i c r-
r- ote para ser a rematado por qu-m menor pre?
ufferecer a i bra de constrnecao de ura to.h-ir.>
nara ,-ervir de matadouro da' f,. tn-z-a do Poco
da Panelia, a valia lo em rs. 4:18**000.
As pessoas que prstenlerera arra itar c i pa
regara no pago municipal era os referidos tia-
moni ios d; lian?.
Paco da ca nra muuiciual di Recife, 7
dezembro de 1871.
Ignacio Jiaquira de Souza L-a,
Pro-presidente.
Loo renco Bizerra Carneiro da Cunha.
S it. :T n
O Dr. S-fia-nau a ho.m b de direito especial no commorcio n'e 'a cidadr
do Rcife de Pernarabiic, por S. M. Imperial,
etc. etc.
Pago saber aos qae o presente edital vrem e
d'elie n ticia tiverem, que no dia 13 de fevereiro
dojoou (ir ximo vind uro. pela* II h ras da ma-
nha, t-r logar na sala dos auditorias a rennio
dos credores da" rnhssa fillhla de Severiano Bm
'-eir de Mallo, afira d' .i-rem curapridas ai dis-
po-igSes dos artigos 8i2 e ^e^uiuies do coligo
c mmercial, sen Jo que nenhura credor ser sd
muido por procurador se e-te nao ! i poderes
especir.es para o acto, ne/n a pro^oraca-i pnd ra
ser dada pessoa que eja devedora ao fallido, ,-
mrahum mesrao precurador representar por dras
diversos credores, e caso aprsente o fallido pro-
peto de concordata, serao con-ideados como
adberentes a mesma rs votos d'aqu-Iles que nat
comparecerem na cocf irinidade do art. 1. do de
creto n. 1308 de 18 de abril de 1SL
E para que chegue ao Cnuhcimento d; l i -.
raandei passar o presente, que ser publicado peh
iiin.rensa eaixara oos lugares d > co-iame.
Pornarobuco, II de dezembro de 1871.
En, Mauoel Mirla Rodrigue- do .\ascimento, es-
crivao, o sub.-crevi.
Keci/e, 12 de dezembro de 1871.
S bastio do Rgo Barros de Laceria.
Manoel Maria hodngues do Naseirienlo.
Ao sello 300 rei*.V.S. S. n-causa.
B..rros dd Lacerda.
asa a? M'seiicordia
do keeife.
A Illma. junta administrativa da santa casa de
misericordia d > Recife, na quiuta-feira 14 do cor-
reu e, pelas .'1 horas da tarde, lera de contratar o
f rn-rirnciit) dos medicamentos que houver de
ci nsnmir a botica Jo hospital Pedro. 2o no trimes-
tre de Janeiro -a manjo do anno tulnro de 1872,
1 nd) i refer ocia aquella dos licitantes q:;s maior
abamenl i i r i bre os preeos constantes do
'.e-moreccituaiio, quo podei ser : nulado nes
la secretaria.
Se retarla da Santa Casa da Misericordia do Re
cife 9 de dezembro de 1871.
O Escrivao,
Pedro Rodrigues de Soiii'ri
ftjiatd Vsisn de 3I tceife.
A janl* administrativa da santa casa da mise-
ric irdia do Rec,:fj pr ojo (carne ver Je que houverem de c-rasumir es
lecimeotos pioj a sea cirgo, inclusive o
y de men-.icid1<>, no. trimestre de Janeiro a
sargo do anno futuro de 1872. Recebe propos-
t? na ala de cna?s?soes pelas 3 horas da t'-rde
(11 dia do c..Trente.
Secretaria da Saota Casa de Misaricordia do
R-cife, 9 de dezembro di 1871.
O eserivo,
Pedro Rodrigues de Souza.
Vai sahir com brevidade a barca portugueza
Firmeza, capitao Justiro Rodrigues Gardf-zo, por
ter a maior parte da carga prompta : para carga
a pas*ag6trs, para os qaaes t""i excellentes eom
modos-, iraia se ora E R. R^bello & C, ra do
C imraercio n. 48, on com o canitao.
Para o Porto
Seguir com a maior brevidsde, a barca portu-
gueza Clw.dina, por j t-r a maior parte da car-
ga engajada, para o res.o que Ibe Ma, e passa-
Reros, irata-se com os consignatarios Cunha, la-
maos k C, na ra di Ma-Jie de Deus n. 3i, ou
com o oapao na pra?3.
Para Lisboa
vai sahir breve por tT a maior parte da carga o
brigue porugnez Soberano , capitao Bup gan-
ga : p.Tra carga trata se com . R. R:.b>-llo & C.
ra d' ComoiTClo o. 48, on com capitao.
COMPANHIA PE!'..\ UiGCANA
DI
Navegagdo costara por vapor
Macoi, escalas, PeneJo e Aracajii.
O vapor Giqui, saguir par;
os portos acuna no da 13 de
correle as 5 horas d?. tarde
Rccfbe carga at o dia 11.
cncon men las, passagens e di
nheiro a freta at as 2 horas da tarde do da d:
sabida : no p'crintorj do Fort do Matlos n. l.
CUMPANIHV PEKiNA.MLiCANA
DE
tfavegafo eostelra po;* vapor'
Porto de Gallinhas, Rio Formoso e
Tamandar.
O vapor nacional Parahij-
ha, seguir paraos portos ci-
ma no dia 20 do corrente a
nieia nmte.
Recebe carga, encommen-
das, passageiros e dinheno a
no escriptorio do Forte de Mattos n. 12.
DE
Manteiga ingleza em jarros empalbados.
Sexta-feira 15 do corrente.
A'S 11 HORAS EM PONTO.
O agente Pinto levar leilao, s 11 horas do
dia cima dito em seu escriptorio ra da Cruz,
n. 38, cerca de 60 jarros con manleiza ingleza
lina, ltimamente despachad, a qual se broa re-
corrmendada pela sua bea qu&iidade.
SOCIEDADE
.. LIV,. E
Gonvida-?e a todos os Irma.", para a sess.-.
le quinta-feira 14 do con nte pelas 6 horas da
larde, afim da tratar-?e de n gocios de subida im-
portancia para os Ons sociaes.
nona
Manoel Ribeiv Bastos.
D. Deolinda Maria Ribeiro Bito; agradece cor-
dialmeote a todas as pessoas o.ue se dignaram
acompaBhar es reMos mortaes de seu sempre lera
bra do marido Manoel Ribeiro Basto?, assim como
junta adraini-tr.ativa do Hospital Portuguez de
Beneficencia e a irmanlade di ordem terceira ds
S. Francisco ; ao mesrao lempo convidaos ;eus
amigos para assislirem algamai miss3s que man
da dizer no stimo dia, a qnal tero iopar quaria
feira 13 do corrente. a= 7 ij hora- da manbs,
no cemiterin, e de'iip ja (i -a snmmameni^ erMa.
Aluga-se urna casa prpua para grande fa
milia, em Caxanij : a Iraiar na Passagem da
Magdalena, roa d- Pa-and n. 3o.
ESTABTO MENELECIEM 1832
Salsapara de Brislol.
LEGITIMA E ORIGINAL
|km frascos grandes
fret(
LE1L0ES.
SANTA C\S\ DA MIsIii.l^uaoiA UU
RECIFE.
A junta administrativa da santa casa de miseri
cordia d> Rec.fe precisa contratar o furnecimenio
le pao, bolacha e assuear que huverem de con
snmir todos os e-labelecime.nt03 pios sen cargo,
lucio-ice o arylo de mentbcidade, no trimestre (ie
Janeiro margo do anno futuro de 1873. R-.ccbe
proposU na sala de .-uas esom pelas 3 boras ds
larde do dia 14 o o corrate.
Secretaria da S3uta ca-a da misericorJia do Re
jifa 1> do dezembro de 1871.
O escrivlo,
Podro Rodrigues de Sooza
Leilao
DE
25 barricas cora c?rveja Bass verdadeira.
HOJE.
O apente Pestaa far leilao por onta e risco
do quem [cruucer da n-ercadona cima cm un
ou mais lotes, no largo da aifindega ; hoje s II
horas da manhai.
Das* em Oljncla
Alaga-so a caca n. 27 da ra de S. P^dra Mar-
lyr, de dous ao-iares, c.im quintal, bella vista,
fresca e com modos p^ra familia : a fallar no Re-
c.fe rna da Cadeia, bojo Marqatz de 0!;aJa, u. j"3.
loja de chapeos.
Esla para alspar o 2- andar da rna do Pa
dre Floriaoo n. 71 : a tratar na roa de ll.rtas nu-
toero (>.
Aluga-se, p:>r o^OO uiua esorava conohi i-
ra : trata se no consalado cora o fiel do thes u-
reiro.
Precisa se de ura bom toroeiro prafr-
nalba, que emenda perla!'.ament : na roa da
Senza'la Nova n. 30.
Pede e encrecUamenie ao snbdelegado oa
fregueziadeS.nl) Antonio desta ciJade do Reci
fe, quo do' as d i vidas providencias a'.g escndalos
e orgias prattcalos era um d > sobrados da rna
do Imperador p r possuaa que nffende.m a mr.ra-
lidade publica, a ponto da privar as familias a
cbo?areni h '.anril:-j p vsr^nri j.
- no. e.-d l|iiol.u op Vic- u.c r.nC.^ i. ... i
junto a i ateo da Cocee gao, vend--?e n segninte :
Caixas om vidro le gn ssura dupla 13|i3, 1CIS,
l7|lo, I9li e 2;;l', camas de ferro cora estrado
de palhraha, de 5 p ilm de largara, de gusto mo-
derno, lavatorios de I.rro com espelho bldese
n radore?.
Lciiao
THEATRO
GYMMSIO DRAMTICO
Sexta-fnira-15 de dezembro
RECITA Bra FAVOR DO
te portaguei de leilura
OECLARACOES.
.S-VNTA CAsA DE MHERICwRDI DO RE-
CIFE.
A junta administrativa da Santa Casa de Mise-
r;!)!:i40!W> rici rdia do Kecife, precisa ontralor o fiirno.5inie.i-
* lo dos gneros abaix > declarados, que tea de cera-
saramir todo' os estabeleciinentoa pos seu jar*
WJ-.WlWb !go nos metes de Janeiro a mai co" do anoo futnr-
1 ,r" pete 1872. Recebe para isto propostas' na sala de
Depon que a orchesira uver execntado a *objr
ba marcha
PRIMEIRO DE DEJ&SMBRO
expressamente ccmpoala para ser tocada as fas-
tas aumver-arias daauelle gaUioete, pelo digno s0.
co hoi orario o Sr. FraOJisco Libanio Cola- sufcj
ri a tesna a linda comedia em 1 actos, ornada de
msica, cmposiQio do Sr. Virissimo Chavea
Foca ao ai i m m m
Seguir-e-na ama bell phant.sia de finita na
lo haM artista o Sr. candido Filho, sobra nativo*
da ope a : -tu.
I UU ROBGIA
Terminar o esiestaculo com a repreeitaie
de 4* acto da apfttaodMIsMa partdia uff:
DE
600 oigos corn batatas francezas, desem-
barcadas hontem do navio fraocez.
HOJE
AS 11 HORAS DA MANHAA.
No largo da alfandega pelo agente Pestaa, em
lotes voniade.
LEILAO
DE
movis e objpctos de escriptorio
CONSTANDO DE
Urna grar.ds secretaria com armario, 1 estante
de Jacaranda envidn-gada com secretaria, arma-
rios com parii'ciras, I dito com cmas de ppela'
I bal ca-, boas car.ei.-as para I e 2 pessi as, I bur-
ra prov de fgo, I prensa para apenar panos, 2
arojf c5ds para fazeodas, 2 grandes mezas para fa
zendas, grandes armarios forrados de baeta por
dentro, e ama balaoga decimal
Um fJi, 1 meza redonda de Jacaranda, 1 relo-
gio, 2 cadeitas de bilango, I amparador, 3 eom-
modss, mar jaezas, mezas,. cadeiras, avalnos,
cast5es, mappas e muitos entroi objectos de es-
criptorio :
Qoinia-ffira 21 di corrente.
As f 1 horas cm poaf.
Scbapoeiiiriii A C, tendo liqui.lado sna casa com-
,marcil, far leilao p r in'.ervengo do ag-nte Piolo
o dos obj-c os ac'rna describios, existeotea em
sea escriptorio a rna da Cruz n. 42. !" andar.
Importante
i>iiro
m
Movis, ao co rer do marteilo.
Quinta-feira 14 do conn-te.
Sendo de orna ri: guaruteat de Jacaranda k Luiz
i XV erra pedra raart-ore < bra de gos e bem
bada, i dita de aman-Ilo, elangeree, c >m ,
modas de jacann e amattll', meza elstica
'EN
Vende-se por barato prego nma propriedade s
margem da camba dos f.'medios, fazeodo-sr
inda vantngera ao comprador, recebendo-se parM
aru dinheiro e parte era letras oa objectos de
rompta venda ; cuja propriedade corain nma
grande olaria da pedra o cal que lastra 16,000
lijlos de alvenaria grossa e forno que comporta
25,000, com mais um ferno e lastro para fazer-se
telhas, ladrilhos, canos e braga, com excelleme
barro para qaalquer obra, com dous excellentes
'iveiros de peir.e ecom casa de vvenla para
jrraode familia, torna-se recomrondavcl por p3*-
sar perto a Iraha dos boods : as pessoas que pre
enderem dirijam-so dita propriedade a entender-
ie eom o capillo Delfin Lin Ca valuante P-ssoa
Cusa em Olin bu
Ainla e't para alugar a ras* terrean. 3 da
Ladeira da Misericordia, cora 3 salla, cinuo quar-
tos, terrago na frente o atril, ci.zraba fra e b ^m
quintal, muito fresca, excelleala viga pela frente,
a para o mar pela parle de Iraz, muilo ci mmoda
para os banhos salgados, por lic^r ao i oa run
Jo RomPini em direegao aos mesraos : tratar na
roa do Cabng n. 10, 2 andar.
Na ra estrena do Rosario n. 3o (obra.li)
forneco comedorias para fra com acera e pruna
tirto mandando--e levar em casa dos issignantes
alm' c das 7 as 9, e jantar de 2 as 3, oa a hora
qoe se convencionar, a procos conmodos e varia
dade as comidas.
OGRANDE PURIFICADOR DO SANGEI
Esta excedente e admirare] medicina, e
preparada d'uma maneira a mais scientifi-
ca por CbJmicos e Droguistas mui doutos e
d'uma instruccao profunda, tendo tido mui-
tos annos de experiencia ao par d'uma lon-
gae laboriosa pralica.
A sua composico nao consiste d'um sim-
ple extracto d'um s artigo; mas sim,
composta d'extractos d'um numero de rai-
zes, hervas, cascas, e follias, possuindo to-
das ellas, sua virtude esp"ecial ou poder
em curar as molestias as quaes teem sede
ou essento, no sangue ou nos humores ;
e estes differentes extractos vegetaes, acham-
se por urna tal forma combinados ponto
de conservarem em toda a sua forca, o cu-
rativo especial de virtude, que cada um do
per si possue. A raiz da planta de Salsa-
parrilha, produzida as Honduras, a que
nos usamos nesta preparacao, sendo a qua-
lidade que todos os mdicos mais prezam
e estimnm. Na composico da alsa-
parriha de Brstol entra mais de 50
por cenlo deste concentrado extracto. Ella
nao encerra em si cousa alguma, que pos-
sa por leve ser perigosa ou injuriosa
sade; e tanto n'este, como em qttasi to-
dos os mais respeitos, ella inteiramente
diversa de todas essas mais preparaees,
as quaes debaixo do nomo de Salsaparr-
Iha, sao accondicionadas ou postas em gari
rafas pequeas, sendo receitada em doses
mui diminutas d'uma colher do cha por
cada vez. Nos pelo contrario engarrafa-
mos a
SALSAPARRIRA DE RRISTOL
em frascos grandes, e assim por este modo,
dividimos com os consumidores, o grande
proveito e vantagem alcancado por aquelles
que acondicionam sua preparaco em gar-
rafas pequeas. Cada um dos frascos da
nossa Ma!s:tg>ari'3]!ia de Bristol
oontccm a messa quantidade igual porco
contida naquellas garrafas pequeas, e alm
disso, possue ainda muito mais forca e
virtude medicinal do que aquella, que por
ventura se possa adiar contida dentro de
seis garrafas de pequeo tamanho. Por-
tanto mui natural, que aquelles, que se
acham oceupados cm preparar c vender as
suas prodceles, cm garrafas pequeas,
murmurem egritem contra os nosses fras-
cos grandes- proclamando, que a nossa Sal-
saparrha de E3rstol nao possue a
menor virtude; porrn quao effecvamen-
te sao ellos postus em silencio, quando indi-
Damos, ou simplesmente referimo-nos para
com essas centenares de cortides e tes-
temunhos autbenticos, por nos recebidos
de todas as classes da sociedade, nos quaes
plenamente attestam o poder curativo c vir-
tudes maravilhosas da nossa.
SALSAPARRILHA DE RRISTOL.
A vantagem de termos os nossos pro-
prios agentes naquellcs ligares aonde as
diferentes raizes, drogas, hervas, e plan-
tas de que se compoem as nessaa medicinas,
sao produzidas, que nos habilita exer-
cer aquclle constante cuidado e disvcllo na
minuciosa escolha; e o quo assegura e ga-
rante uniformidade de excellencia.
Em quanto que, por ohI'o lado, nos nao
aos poupamos nem dinheiro, nem dili-
gencias ; afim de alcancarmos o melhor
e nicamente o melhorde cada um artigj)
ou ingridiente que entra na sna composi-
co ; pois levados e compenetrados da
mais firme e persuasiva conl.anca; que po-
demos afoutamente dizer aos doentes de to-
das as nacOes, e de todos os paizes, que Da
Salsapare'ia e BJsrSsloS. possuera
um remedio mais efficaz e seguro; do que
nenhum outro, que vos tenha sido offere-
cido at hoje, o o qual r/r corto nao hade
mallograr vossas expectativas, na prompta
e eflectiva cura das sesruintes enfermidades:
Escrfulas,
Chagas antigs,
ulceras,
Feridas Ulcerosas,
Tiuha,
Syphilis,ouMaI Ve-
nreo
Humores Escrofu-
IOS,
Irregularidades do
Sexo
Feminino,
Nervosidade,
Debilidade Geral,
Fcbra e .Malignas e
Febrc e Sezoes
Biliosas,
Tumores
Abscessos Apostemas,
Erupcoes,
Herpes,
Salsagem
Impigens,
Lepra, febres intermitentes e remitientes,
hydropesia e ictericia, etc., etc.
Ontro-sim, achar-se-ha, que para o bom
resultado e perfeito curativo de todas aquel-
las enfermidades cima apuntadas o adan-
lamento da cura, grandemente promovi-
do e apressurado; usando s ao mesmo
tempo das nossas mui valiosa pilulas
vegetaes assnearadas de rlstol,
tomadas em doses moderadas em coflnee-
?o ou conjunctamente com a Salsapirrilha;
ellas fazem remover e expedir grandes
quantidades de materias morbifipis e bu-
mores viciados qj'c se desprendera e livre-
mente circulam espalhados pelo systema,
isto causado pelo uso da Salsaparrilha; 9
por esta forma- facilita a volta e o exercici
normal das operacSes funecionaes,
das Almas, na marii de Santo Antonio.
De ordem do irmao Joiz convido toaos os ir-
maos desta irraandade para compareciera no
consistorio da matriz, quiota feira 14 do errente
a* 5 boras da tarde, amo'de eleper ra quatro de-
finidores, cnjos logares se acham vagos.
Recif', 11 de dezembro de 1871.
O serivio,
_____________Lidio Mariano aV Alboquerqne.
aix^iro
Precisa-se de nm eaaeiro p--ra a vflla d Ga-
ranhuns, que tenha pralica de f.zeotlas o e^ereva
soffrivelmeote: tratar \ loji de f L'vramento nnfflero 6.
MtZhHtH
R roa 4o Pirev adrado n i$ pnem>*>
de ama bea coiinbeira, de boa ceudacta, fotra
oo escrava.
alarla ll^uoela de Jfell
Btarretn.
Capitao Eitevao Jo^ P*es B-froto e Calharloa
Era lia Brrelo d s S ratos cordialaieotiagradeceni"
at das acuella- pessoas que se d gaarara acompa-
nhar at o cemiteno publico os re sua mui prenda mai, M&ia Maooebt de Met
Barreto ; e de nov convtiara as msnu.3 pessea^
prenles e araigj- da (nada a assislirem a mis?*
do stimo dia, que tera lugar no da exta-feiaa.
t15 d jcirrente, a< 7 l| fioms da nan'ii', e por
este acto de cari tade < reli(.io desde j sff coa-
tes sa ra elernamepie praioa. .....
JrHoni'jJ! idr*
Pasta se Wfi por mez a una boa etucmmadei-
ra e qne foca algons easaboad-.-* e'u ca-a da po-
qutua f.iii'Hi.i. pr lar.)->e ecrava; na es.radi
Punte de Ucboa, casa n. 3, antes 4a i.rrej de
S. 1 .-.
AMA:
l*r--ria su casa A- familia
O.Mbnto.-
mna mb pao'
ra* de HorUt

I
v. /'
i

4
.

i
i
.
TI


i n
iariode Pemambacb Qdarta feira-13 Je Dezeiiibro de 1871.
!-

v
A HBHU 1)
E 0PR0S0
5'
'f SALDES DE CABELLEIREIRO
A DO IUIQUE DE CAXIA8 W S
P.imeiro de Mat^o n. 7 A primeiro andar.
OSUSUG, cabelleireiro de Pars, participa aos seos innmeros reguezes e ao pu-
Meo em geral, que acaba de contratar peritos offioiaes fraocezes para todas as especia-
lidades ; sendo nestes doas estabelecimentos cima onde o respeitavel poblico poder
4tx0jjtr.tr a delicadeza e ligeiroza que oeste genero de trabaibo tanto se exige em Pa-
i
UBLSUC nada ten ponpado para que o poblico desta cidade. que tanto Ihe tem|pr.o
digalisado a sua benevolencia, continu a freqaentar osseus SALCES MODELO, ficando
*rto o mesmo pub ico que nelles encontrar agrado e perfeicao.
Empreados dos saloes
l2oflkaes para barbear.
6 ditos para cortar cabellos.
3 ditos para o postigo.
Del uc para o pontead do bello scoo.

E' um pr iducio que se oiuem da carne do gado vaceum, da qu-.I se tira todas as
pellts, tendod, ossos etc. Elle tem todos os principios nutritivos da carne sem conter
gelatina, ou fibrina, gi rdura. N'ura pequeo volume e peso dado contem 32 vezes
mais substancia alimenticia que oulro igual de carne despida de ossos, pelles etc., por
uso por pone que se tome de;le se obtom urna forte alimentaclo, que mmediatameote
prodoz effeito como tem t>ido obasrvado em pessoas debis, por qualquer cansa oa
exanges como succedeo a um homem ferido que doas outros trouxeram pbarmacia do
Sr. Firmiano Antonio de Tanjo ( Porto Alegre ) onde recebeoo primeiro curativo, es-
tando Uta fracu que nSo podia voltar pura casa; mas logo que txmou duasoita\as de
estracturu poje caminbar sem adjuiorio,
Tal a turca alimenticia qne anida mais se revella com o que snecedeo no escravo
do Sr. capitn J ,-o Cezar de Ohveira acomaettido de thetanus, com thrismus 5o forte
que nao fo possivel einpregar-se medicacao interna, podeudo o doente tomar, intro-
duziodo-se com muita difficulddde pela abertura que havia pela falta de um dente 6/8
de eitractom carps por dia, ce-sando os symptomas nervosos oo fim de 22 das, acba-
va-se o doente em bom estado de vigor, reslabelecendo-se logo. Que um alimento
que n > cansa os orgos proprios da digesto, se conhece pelo que aconteceo ao Sr.
commenda lor Antonio Falco, que soffrondo de urna gastro interite nSo tolerava nena
a agua de frango ou l'arro. Homem de mais de 70 annos com perdas to abundantes
como liaba e sem alimentar-se e.-tava condemnado; sendo improcuo todos os remedios
intentados; o Exm Dr. Flores empregou o extratum q :e o doente tomou com repug-
nancia, porm que desde logo senlio um bem estar que alo tinlia, e pouco a pouco mais
vigor, fican io. rustabelecido em pouco dias. obrigando-o a sua gratido a dirigir ao Dr.
Ubatuba um "intestado desse beneficio ( diz elle) para que outros podessem gozal-o, e a
falta de cn.'iocimento n5o obstaste a vulgarisacSo que era conveniente que tivesse um
producto lo ntcessario. Nos casos que preciso diminuir a produec excrementicia
anus artificial, fstula sanaes, attaques hemorrhodarios etc. um valente recurso. O Sr.
I. O. Castro n'un inten>i$ zes 8 obtevo cura alimentan :lo-se com o extractum. Urna fjmilia ( do Sr. Joaqoim
Mara) dbil e nervosa, soUVia norrivelmente, coraecou a uzar do extractum e logo
restableceo-se, e o Sr. Jjaquim Mara agradecendoao Dr. Ubatuba disse-lbe :Dr. V.
correo-mecom as doencas de casa. Taes tem sido os resoltados de seo ernprego que os
principaes tue-iieus o aconselbo, eo consmalo tem quadiuplicado em toda a parte. Nao
somente applicado c raodieta aos enfermos, mas como meio alimen.icio e mesmo como
propno para vigorar o i alimentos, e dar-lhes sabor mais agradavel. J muitas familias
preferem uzal-o aouie.subsiituindo o cha, e tem enootrado nelle o recurso de po-
derem rpidamente augaentarem nos casos de necessidade as refeicoes para maior nu
mero de pessoas do que contava, oudarem alimentaco prompa quando seja preciso
nao baver demora. As pessoas debis, velbas que necessilao tomar ilguma alimentacSo
no intervallo das horas destinados para a refeico, tem no extractum um meio proaipto
de satisfzcrem essa necessidade, molbor e com mais proveto do que nenbum oulro.
As mocas que DCS dias de baile se abslem de alimentaco para conservarem a belleza
do talbe prejudi;ando rauito a saudo, uao j do exlraetum que satisfaz sem prejuizo
esse fim. E' esse producto indispemjavel a todos, especialmente s pessoas que viajam
e s que moram fra da cidade. A sua ineorruptibilidadp, peso, volume, a sua grao-
de for^a amenti ia, e sua barateza, e o seu agradavel sabor, quando bem preparado,
dSo-lhe tal superioridde que s se faz myster ser conhecido para poder ser aproveita-
da a uti'ade que elle prest. Como alimento para as crianzas tem proJuzidos os
melbores resaltados e al boje nao se conbece outro para substituir o alertamente. Nao
o extractum por si um aliaeato que cause o est.mago, que o tenha ebeio, poim
um alimento que d forcM e preenche o fim de levar a economa os elementos ani-
maes qne ella necessita, epara substituir o que Ihe falta esse peso o que certa-
mente-necessario ao estomago do homem de trabaibo pelo habito que tem, encontra-se
fcilmente por baixo preco as substancias vegetaes queexistem em qualqoer parte
como sejim as raizas, batatas, legumes, grSos, farinhas, que com o extractum se faz
ptima e btlla alimentara >.
Um homem que tome 6/8 de extractam por da, que cusa 188 rs.. ter uzado de
toia a substancia de 1 1/2 lib. de carne fresca sem ossos, pelles etc., o que por sem
dovida a'm do que se faz necesario principalmente se ajunt3r-se-lhe quaesquer
massas, legumes, farinhas, graos, batatas etc., e um pouco de gordura, com o que,
quando gaste mais 100 rs. ter urna alimentado saborosa, commoda, fcil, muito hygi-
enica e amito reparadora por 290 rs.
UZA-SE COMO CHA Meia colnerinha n'uma chicara d'agua, com sal suCficiente, e
um aromtico (salsa).
COMO SOPA De urna colherinha a duas em suiciente agua, gordura, tempeiros
e quae.-q er massas, farinhas, batatas, graos etc.
ARROZ Prepara-se como deuzo, dissolvendo a porco do extractum na agua
que se deita nelle para cosel-o.
OS LEGUMESAs carnes salgadas recaperSo com elle aforra alimenticia indis-
pensavel.
Deposito Pharmacie Americano, de Ferreira Maia & C.
57 Ra Duque deCaxias 57.
"



ssairw '
OT
34.RA LARGA DO ROSARIO 34.
Rui codDmmo procwar ittettados pira terediUr
so* preparados, t deinmof qne saa applicifto oa
NNitido okidos pelas petsoai que ae dignaramacceita-
M, bel itta credilt toga ; porque sio leropre ot
altaatedi cauaUleraihu jraiuilos, delles que lao(a
le o ctiarlaunisuiu; mas ni querendo offender as pei-
wtsqse espouUBeamenle nos offereeeram, os qne aluno
*lo traoscnploi, os fazamos publicar maniislando-lhes
oiia granulo pela auenso. esparando qoe tenham
aiiu corroborar o eonceito, acceiUfio qne Man mere-
ja aosso urope. ariAolomao t C.
IIIIIUMfc
ll!s. Srs. Bartholomeo t C.t com a sais sabida
M'.:ifacto que declaro ser o xarope Americano de ama
sifleecia exlraerdinaria, pois que soffrendo ha dias da
:T.S!a tos -, i ponto de nao poder dormir a noile a
laS!o mi' Neoma r> tere :ra ceiher fui allirudo, de todo me
o beje reslabelecdo com o nso someiile do qnasi
Dra frtr-co: pjto pois esse resultado manifest a
t, Ss. mea rec, nlicamculo. O Vr. Ss. amigo, re-
ttrader = obrle.!,. Manoel Antonio Viegaa Jnior.
- auj c^ jo -la abril di 1868.'
i;-.i;.^uko k c. -PenhoradiMimoccm
' ifcjppP'F "* btaroii^ilhar o uso do iarop-
Vegetal Americana, da na composicao, qiaida av
acbera bastante dotte da nma constipcAe, ajee m
tc.-iio completamente ronco e qne troixe ama feria
tosse, e me mpossibililoa de comprir os meas deterM
de cantor da empreza Ijrica, too agradecer-Ibes hh
completo restabeiecimeiiio, que obtire com im so ridn
do mesmo xarope, depois de harer recorrido t miilM
tratamentos. Desejare qne outros como ei recerraa
ao sen xarope para te verem almados dt lio tarri'ai
incommodo, ta fatal atttt paix. Com malor ceisidt-
relo contioio a ser de Vr. St. altetto, reterador i
obngado. Laii Cf amona. flecift SS da Mtttnkn
films Srs Bartholomet *C. -0 iarope Vegetal A
ricano que Vr. St. tm exposto i renda de toda eil-
cacia para o curatiro d'aatfcma, canorme obserrti ta-
pllcando-o a mea lho Joaqoim, menor dt tatirt
tanot; rictima d'etst flagelle, qne ate aillo par irrntT
excedente a dons tnnos baria resistido a entres xtrenof
de grande nomeada. Qneiram pois Vr. St. loctor i
txpresslo altamente tincera dt mea recoihecimeitt as
meriorio aerrico qne Ibe preataram com o indieade
xarope, acreditndome para semprt de V. Se. criada,
atiento e obrigado. Americe Sello de Mudenca. .
Riuft 3 dttnlobre da 1868.
CASA CAVIN ajumbb.
Pbanxxaceutico privilegiado
successor v
lloulevard Sbautopol, BB PARS.
NOVAS ESPECIALIDADES A. MARIN1ER
Apreseotadas a Academia dt Sciencias e ao Instituto dt Franca,
III ICPPfi Sol> > forma 9e Pastilla, deredida e doseada para
IHUUUuHU faser de momento urna soluccao
FrtTtntlTt t cirttlTt las M0LI8TIA8 COKTAtilOSAS.
IVIECT0K-PU1LTR0
do Tolume de um relogio, servindo dt
lilll.TR e SERINGA sem os
paras icoavaoiaitaa da rragllldadt.
i-Moed*
COTA IftQ C001 toraa, e de rolume de ao Porte
tO I VVV9 COTENDO TODO IRATAVBNT.
COLLYRIO Centra as affeccoia das palpebras
preparado tob a mesas forma.
lina Duque de Caxias n, 82
(ANTtGA DO QUEIMADO)
Faria & (ornes, esdAelecidcs ra 1 Juque de Caxias u
82, pretendendo reaJiaar a mnan^a jde seu ertabelecimectu
para a ra do Livramento n. 20, al 31 Je Jezembru do corre-
te anuo, resolvem fazer wna liquidaqSo gernl das fzendasex
lentes em seu citado estarelecimeuto, expondo-as desde hoje a
concorrencia publica, mediante preqos os mais resumidos pos
si\eis.
Fazer a descripqao minuciosa dos valores e qualidades de
todas sfazendas que existem no estabelecimento, sobre ser fas-
tidioso seria enfadonho, por isso, pedem os annunciautes a todos
quantos estiverem na carencia de fazenias boas, bonitas eba-
ratas, o favor de apparecerem em sua loja ra Duque de Ca-
xias n. 82, na inteucao de comprarem qualquer fazenda por
metade de seusprimitivos valores, e na religiosa certeza deque
serao bem servidos, apezai de naoserem aqui annuciadas em
esty'o seductor e fa< to as vantagens que desta liqutdaqao devero
resultar, no interesse de todos quantos quizerem comprar, por
pouco dinheiro, boas e excellentes fazendas.
RA DUQUE DECAXIAS N. 82
0 MARAVILHOSO REMEDIO DO
DR. CHAS. DE GRATH .
KIWG OF PAIM O RE DA DOR
IARA USO INTERNO E EXTERNO
CURA CHOLERA CHOLERA MORBUS,
DUrrht*, flnxo dt singue, ea um din.
Qor de cabera, o doret de oavdo ana
tras miaatoi.
Dor de dente, exa nm mnate.
jTonralgi, em cisco minutos.
DeslooncCea, em Tinte minntos.
Gargantas incbA&M, em dex minatoa.
Clica cantultoea, en cinco aainntoa.
ftbanaiatismo, em um dia.
febM e (obre intermitente, em na 41a.
Sor nai costas nos lados, tm das xc
uto a.
Toases ptjrigosas e refriados, mull
Plauresia, em nm dia.
Bardes t asthmt
Hemorrhoidas e bronchts.
Inflammacao nos ria.
Dyspeptia, erjEiptlaa.
Molestias de figado.
Falpitaas.0 dt car acia.
RESERVE SEMPRE ESTE REMEDIO EM SUA FAMILIA
AS DOENCAS SE ATBESEfTAM, QUANDO VESOS SE ESPEBAM.
OLU ELCTRICO U KINO OF PAIN" (O re da dor) qnleta e pottttvamente Jleetpt, mili de dlffaretts.
lacieetlas e dores, e alllvla mal ot aoCrlmentoa e prodos um mala perfelto equilibrio no rateme humano, o que nu d.
pode eOectuar no mesmo teuipo, eom qualquer outro remedio medeclnnl.
Este multo popular remedio est agora nsando-se feralmente, pela raxao qne mllhare: de pessoas ae tem cura/,
tratla com o dito remedio pelo Dr. Orata e outro mala.
Este Importante remedio nao se oflerece para curar todas aa doenf as, porem tao tmente para aquellas estipulis,
aat nossat dlrecf bet.
EstA operando nos principios da chlmlca e da electrleldade e por Itto, esta appllcarel para o enramento e pana <
reataurafio da teijio natural dos orgoa que aoffNm da Irregular clrculafo dos flujos dos prlnolpaes nerros. Oie
elctrico O'' Klng o l'aln opera directamente nos abeorventea, fasendo desapparecer as Inclia^oes das glndulas att
aa nm tetnpo Incrlvol, breve eeiu perlgo do aen nao debalxo de qualquer olrcumstancla.
O remedio, urna medeclna para o uso externo e Interno, oomposto dos elementos curativos, ralsea, horras, e easett
taee, como se tem usado dos notsos antepasaadoa, e daa quaes tem grande existencia no mando, para ourir todas <|
taolestlae, tmente eahendo-se quaes ellas sao.
rol um grande e especial deeejo da faculJade de medeclna durante multos annos de experiencia para aprender
axelhor tj modos qse se devlam adoptar para curar as segulntes doenf as, e que proporyoes de medettna te derla mal
EM PERNAMBUGO
NA PHARMACIA E DROGARA J>B
BARTHOLOMEO & C
IST.^34 Eua Larga do Rosario.IV. 34>
Cuidado com as faUificapes
XA RO
VEGETAL AMERICANO
E S ALIDADE
DE
BARTHOLOMEO & f
Depositarios geral para e BRASIL e PORTUGAL
3i, rva larga do Rotaho. PERNAMBUGO,
A tliarapeutica das diversas molestias do peito,desda
a nharjngite en mal da garganta at a tuberculacao
falmonar, passandopelas diversas bronchites catarrbaes
a o emphjsema acaba de ser enreqnecids eom mais
este medicamento, que tomar a priBeirs srdem entre
todos at boje conhecidos. O xarope Vegetal imerieatto,
farantlndo paramente vegetal, nlo contem em tna
tomposifso nm 10 tomo de tpio, s sim somente tac-
tes dt plantas indgenas, cojas prepriedadat benficas
aa cura da molestias qnt pertencem tot orgloa de re*
airaco foram por na observadas por longo tempo,
tem ptimos resultados cada res maia mcenles pelo
flt not jnlgamot aalorittdot a oompor o xarope qnt
agora apresentamos, o s .Derece lo aos mdicos e ao
publico, Provamos com es atUtladot abano o qne le-
amoi dito, e contsmot qne o eonceito de qne ia gosa
iarcpe Vegetal Americano crescer dt da a dia,
dtixando muito apt dt si todos os ptitortea aa voga.
illa. Sr Barthtlomet et C0 nrope Vegetal Ama-
licsno, preparado tm mi conceitntdittimt pbarmacia,
i nm nttl remedio para combater A terrivtl sstbms.
Sofra en eqnells molestis ha quatro mena, sem anda
ser combando os ataques mentaat qne linha; tete nllimo
qnt tive fot forlissimo qne ae prostoa por I diu, nsei,
orm o ten milagroso isrope, tomasdo llanta tro*
ose*, t at o pretinte nlo fm de Boro atacado Prut
Otas, ojas tn bqit rasttbtlacido por aju . Randa-
CASA CAUVIN *JSHR
O iToblema rcsolrido por U' Rigollot com o mais feliz resaltado na romposieAo deste
i papel foi conservar k mostarda todas as suas proprn.'ades, obtendo m poneos iaftUvtSj
t e com facilidade um efTeito decisivo com a menor quautidade possivel
e atedicamentos. (ABouchardat lAnnuairedethapeutiquet de 868
Exigir a assignatura 10 ludo, por que ha falcifif adores.
PARS, Bm Ymle-du-Tev.ple, 36.

I-HPERJAi PAflfiCA DE CIGARROS
S. OlO DE NlTHEROHT.
Copeiro.
Preciss-se de dd copeiro: na ra larga do Ro-
serio n. 4i.
AMA
Precisa-se de bidi rela de meia
ilade |tie saiba eotmliar e ooteprar :
ni ra V.-lha . U$.
o 4e.-' pBoUMaB flue mais tem preoccapadi
attaaejio dos lapisladore.-. e dus economisias djo-
lruoj, pa/tuulr.nit>nt8 na Inglaterra e na Prau
^, e acerca lo qpal, afnda ea 1868, L. Wolowki
!er ntitprofundo e notavel discurso, o qte trata
le definir e regularisar, maniendo o equilibrio
entre o interese e a humanidade, o trabaibo das
jrian^a as manufacturas.
Esta questao grave e mehDdroga, cometa a ser
entre d de alguma importancia, e merece que a
examinemos com criterio, tanto ir ais que foicosa-
ri.-nie na sabstituir;ao do elemento servil ter ella
le considerar-.se elScacissirea para o futuro des-
envolv ment de nossas industrias.
Recordando com o celebre economista de que
fallamos o profundo pegamento do pjota jgle
ine diz :=aA crianc o pai do homem parti-
Ihamos tambom es seu.- generosos seniimentos re-
:alivamente essas frageis e delicadas creaturas;
jua anda na primeira inicisrao da vida prestam
a tao importantes servicos sociedade.
Qualquer que seja o ensino ou o lalnr em que
te exercitem as forcas ainda debis dessas iracas
existencias, deve presidir o maior escrpulo sua
lirecci, a maior vigilancia e cuidado no empreg-i
e distribuieao do tempo, porque do seu resultado
iepende a actividade e a energa das novas gera-
;oes, e d'estas as grandes conquistas do futuro e c
progressivo aperfeiQoamento social.
Nos seculos anteriores as industrias occopavam-
se mais com os productoies. Ao seculn XIX com-
pete a gloria nao s de melborar o fabrico do
productos, tornando-o8 mais perfeitos e mais ac-
cessiveis a t;dos pelo quautidade e modieidade do
prego como a sorle a condicao, a existencia do
trabalhador, do homem.
Wolowki cita a este respeitq as palavras de
jladstone, que, em urna reuniao de operarios n-
jlezes, fa laudo-llie* tanto em seus direitos, como
em seu3 deveres, disse : aO nosso secul o se-
sillo do operario : e accrescenta que esta phrase
sao sahio de bocea suspeita, pois Glatlstone nao
pnenle ao numero daquelles quo lisongeam em
rez de servir ao nevo.
O bomem deste modo encarado como bem
primordial da produecao do bem; e o notavel au-
tor que nos referimos entende comnosco que a
lberdade que elle conquistou tira toda a sua fores
Ja energa da alma associada saude do corpo,
ia elevacao do espirito que proporciona o desen-
rolvimento progressivo da habilidade pessoal.
Foi ba-eados n'e.-ta allianca que os legisladores
inglezes comprehenderam que o instrumento acti-
vo, o operario, obedeca outras e diversas neces-
idades que as que sao partilba do instrumento
material.
Foi por esle motivo Tque se marcaram e regula-
mentaram as horas do trabaibo as manufacturas,
i se atienden sobretudo a que as crianzas rece-
oessem a um tempo o ensino da fabrica e o ensino
ia escola.
Em 186, diz, anda Wolowki; sanecionou-se
aa Inglaterra a prole, a vigilancia penetrou no
eeio das vastas communas iudustriaes, formadas
aoje era roda da machina de vapor, dessas vastas
lommanas povoadas por miihares de operarios.
.4 lei de 1802 fixou a idade em que as criancas
podiam eulrar para as manufacturas e lmitou a
iuracao do trabaibo.
Pois bem. Este grave e humanitario problema
jue levou quasi meio seculo a resolver, e preoc-
upou a attenco de tantos homens de estados
aminentes, como foram Roberto Peel Lord Aslhey,
aoje Conde de Chattsbuago, genro de Palmeiston,
a muitos oulro?, assignalando urna pagina honrosa
aa historia da civilisagao moderna, acha-se reali-
zado, e dando salutares resultados entre nos na
fabrica de cigarros de S. Jlo Nitherchy, da qual
o propietarios os Srs. Souza e Novaes.
J (vemos occasir.o o anno passado, de escre-
ver algumas linhas acerca deste importante esta-
belecimento, e h Je, depois de urna visita que ti
temos ao novo edificio ampliaremos aquelle nosso
trabalho.
A casa onde actuilmente est estabelecida a'fa-
brica sem duvida um dos melhores predios da ca-
pital.
Alm das espaeosas accommodagoes interiores
ivremente arejada como convm a to numerosa
igglomoracao de pessoas, o predio exteriormen-
te de urna architecturi simples e elegante, e fica
i poacas brabas do mar, onde com auxilio de urna
ponte os productos sao com facilidade embarcados
Precisa-se da quamia de 3665 n jur^a, pa-
ganl.--.-. mensalnsaote a quantia o> 'itf inclosiva
os juros que ror coaveseions i j, tet > por erpaco ate
um anno : quem qaizar Lwr tal negicio declare
por este Diario para ser arocurado.
Irmandade de N. S. da C DCCfiu dos
Militares.
D^vendo ter Ingar no domingo 17 do corrente
mez, pelas 8 horas da man!.fu, depois da raissa
votiva, a eleiga3 da tre.a qr.e tem de reger esta
irmandade no anno de 187 ; manda por isto o
irmo, serviudo de presidente, convidar a t;dos os
irmos para que se d'gm-t compirecer no con-
sistorio desta irmandade para tal fim.
O secretario,
Franci eo Antonio de S Brrelo.
Attenpao.
BART HOLOM EO & C
iiria cura corla a tauei ulifu e recentes, eatarrhoi pulmonar, aslbmi; tota mili, uturik
VomJjii, tm gortl eintn todo o softrimeutej dat Tin ipinlorili.
DEPOSITO GERAL
SOTIGA XO DOGARIA
M. RO larga do ROZARIO, 34
PERNAMBUGO
Ihe, poit es meas ijrdeeimintos per mt lar illrlai t
to horrivel mal. Com i mtil significativa gratidi-
tabtertwo-mt deTmet. affeetaoto e reeodhecido tritdt
Stttrint Cuare.-Sua Cata 14 dt fevereiro de 1S*X
Illms Srs BertbelomeoetC. Depois dt fluti .
mezes de soffrimeolo com nma tosse incetsaali, fute
txtnordiotrio, expeclortclo dt um eturrne amarella
do, perd total das forcas, qse o menor st'
mt fatigara completamente, cansado da tomar miis ta
tros remedios stm resol lado tire i felicidtdt de salar
Tnaaa. preparara o xarope Vegetal Americaae, e ata
elle, fcat i Deas, mt tebo rettabelecido ha auis
dois mtiet, a robusto como se oda livesst seffnaW..
critidlo me (orea a asta declaricao, qut poderle Yme
baar ato o,at qoixerem. Soa com estima di Tmet
muitos respeitador a criado. .Antonio /ot|aaa i
Coitro t SiUt. Recift dt fevereiro dt 1864.
Atteato qat asti do xsrope Vegetal Amariesit,
eompositlo dos Srt Btrtholomeo at C. para can dt at
forte dtfiaxo qae me trotue ami roaqaidle, qn eaa att
faxia adUnder, inflammacAo e dor na gargaau, latte
grande filia de respiracio, t fiauei eompltlamtilt ns
tibelecido eom am id vidro ao mtsmt xiropt; p(
qat Ihet protetto eterna gratido. Recife II dt k
neiro da 1868. t^tm rtrtsrt Artatta /wiar
Kaato raetahtciaaa.
Prteirmacoutlco privllesisda
suocesaor .
Sebastopol, SS. PABIS.
NOVAS ESPECIALIDADES A. MARIN1ER
Aprtsentadas a Academia de Seieaeias e te tnstitato de Franca.
U I P ll A Sob forma de Panilla, devedida e doseada n
INlItwuMU momento orna soluccao PKEVEITIVA E CD
MOLESTIAS CONTAGIOSAS
ira faser de
ATIVA dat
do volume de um relogio, servindo
de Philtoo e Seringa sem o
Graves inconvenientes d. fragiliaade.
Com a foriaa, e do volitase de nm Portc-Sloeda eontendt
TOW TIUTAMENTO.
ESTOJOS
COLLYRIO Contra aa affeccoia daa palpebnuv, preparado sob a mearaa forma.
Depositarios geral para o BRASIL a PORTUCAxL
w3i, ra larga do loaario." PERNAMBUGO.*
BARTHOLOMEO & C
conduzdos para os mercadea.
Cerca de duzentos meninos ah recebem o ensi-
ao manual, intellectual religioso e moral.
A mais perfeita ordem, sem a severidade de nma
rod disciplina, mas ?ntes aconseloada pelos pre-
citos pratlcos da autoridade, da am aspecto agra-
lavel a esta afanosa commana de pequeos ope-
rarios e esperancoso ncleo de futuros e moralisa-
Jos cidados.
Em um vasto salo das 7 s 9 horas da tarde
iepois do trabalho e do descanso aprendem os me-
ninos os primeiros elementos da litura da escrip-
ia e da contabilidade. Dissemos primeiros ele-
mentos porque acreditamos qae as nocoes rudi-
mentaes da escola no sao oulra cousa mais que c
instrumento com qae mais larde se deve conclu*
a aperfeicoar a edacacao. Nao casta saber 1er o
essencial e fazer uso discreto e aproveitavel
desse poderoso motor do nosso aperfeicoamentc
moral.
Depois do trabalho manual e do ensino da es-
;ola depois mesmo de algumas horas consagradas
o recreoera preciso amenisar com o lestudode
siguas dos ramos das bellas-artes as trelas in-
fantis.
Neste intuito foi creada urna aula de muztea di-
rigida por hbil professor.
Com pooco lempo de exercicio e o ardor pro-
prio da mocidade j algons dos alumnos tocam
som verdadeiro adiantamenlo os instrumentos que
scolberaro, e pode dizer-se qae a fabrica tem
boje ama banda de msica sua disposirao, o qae
ilem de accrescentar urna agradavel prenda
adacacto dos aprendzes, dispensa das festivos do
sstabelecimento, o concurso dos msicos estra-
ahos.
Ora, o grande resaltado colhido por este duplo
jystema do ensino manual e simultneamente in-
tellectual, qae os productos da fabrica de S. Joao
ie N therohy, redobranda de valor pela qualidade
a perfelrao augmentam tambera a sua procura no
mercado 9 naturalmente os avultados interesses
los productos.
Estabelecida assim com os outros estabelecimen-
tos do mesmo generb a lata da concurrencia, que,
no dizer de am notavel economista, nao oatra
eousa mais que a manifestacao pratica, a face
material da liberdade, claro est que as condicSes
do trabaibo livre comeQam ja ser assentadas, en-
tre nos em bases sensatas e de conseqaencias pro
Senas.
Ligamos am alto apreco s tentativas e aos re-
sultados desta ordem.
O Brasil precisa empregar todos os seus esfor-
cos na propaganda industrial, n5*o esqoecende
nunca que a quautidade dos productos nada re-
presenta, si ella se nio tornar ao mesmo tempo
recommendavel pela sua qnadade, e qae esta
se obtem eom auxilio efflcaz dos productores ha-
bis e intelligentos.
Acreditamos, pois, que os Srs. Souza e Novaea
presta ni am importante servicp ao paiz e temos
jempre prazer em mencionar os esubelecimentos
desta natureza, nao s em referencia a esta fabri-
ca, como a todas que estiverem fundadas oa se
tndem d'aqui em dlante as mesmas circums-
tancias. .... .
O anteo deposito nesta cidade no escriptono
de Domingos Alvos Matheus, ra do Viga-
rio D. II.
A.Zlor.
Na rin Direia d. 53 prec^a-se fallar ao Sr.
Joaquim Francisco da Silva Pinito a negjcio qua
nao lite deve ;er estranho.
Aluga-se a luja do sobrada u. 36 us ra da
Madre de Dos, a d.i esquina para a do Ii dinha : a trlar na ra do Coronel Lamenln, ou-
tr'ora des Prazeres, n. 12, das 5 as 7 bous da
tarde.
0 OLEO DE FIGADO DE 1XYCALILY0
Nutrimento
MEDICINA!
f Preparados por
Lanman & Kemp
para tisicae toda
qualidanla dedo-
eneas, quer seja
na garganta, pei-
to ou bofes.
Express a*
mente escoihido
dos melliores fi-
gades dos quaes
se extrae o
oleo, no banco
da Terra Nova,
purificado chi-
micalmente, e
suas
p ropriedades
conservadas
com todo o cui
dado, em todo o
frasco, se garan-
te perfeitamea
te puro.
Este oleo tem
sido submellido
a um exame
muitosevero, pelos chimicos de mais tale-n
ot, do governo hespanhol em Cuba.foi de-
vulgado por elle e contem
MAIOR PORCAO D'IODINA
do que outro qualquer oleo, que elle teai
examinado
I0DIN0 E'UM PODER SALVADOR
Emtodo o oleo de figado de bacalho,
e naquelle no qual contem a maior por(o
d'esta invaluavel propriedade o nico
meio para curar todas as doencas de
GARGANTA, PEITO, BOFES, FIGADO,
Tsica, bronchites, asma, calarrbo, tosse,
resfriamentos.etc.
Uns poucos frascos d carnes ae muito
magro que seja, clarea a uista.e d vigor a
todo o corpo. Nenbum outro artigo co-
nhecido na medicina ou sciencia, d tanto
nutrimento ao systema e encommodaedo
quasi nada e estomago
As pessoas cuja organisacao tem -sido
destruida pelas affcccBes das
Acha-se a venda nos estabelecimentos da
A.Caors, J. da C. Bravo, & C, P. Maurer
4 C, A. A. Barboza, Bartholomeu 4 C '
pbarmacia americanarua do Queinado n.
Oka
l.niili.i Carolina Dowsley
Jorge Dowsley (ausente) pretende, por interme-
dio de um amigo, fazer celebrar urna mis; a por
alma de saa serapre chorada mii Emilia Carolina
Dowsley, fallecida na corte do Rio de Janeiro em
17 do mez passado ; e por este meio convida os
prenles e amigos residentes nesta provincia para
a3sistirem ao acto, que ter lagar na matriz da
Boa vista as 8 horas da manhaa do dia 16 do cor-
rente mez, trigsimo do fallecimento. Dude j*
agradece o comparecimento das pesoas, a cojo
espirito de caridade faz o presente appello.
MASSA e XAROPE
DE CODEINA DE BERTHEj
Prcoanisadot por todos os mdicos contra o-1
DEFLUXOS. CATHARROS, E TODAS AS|
IRBiTAOES DO PEITO.
K. B. Xarope dt Codclna eut mereci ni
honra, alta iem rraentr* os Afediamealosl
notot, d ter registrarte como um doi medica-1
IMtoe officice* io Imperio Francet aisx>eas.ij
qualquer elogio.
AVISO- Por causa da repreliensltel fals-{
Ccacioqnc tem tuscitado o relia resultado do I
Xarope a massa de Berlh soaaos (oreados ni
lerobrar que esics ancdicameulos ta jusiamml j
conceitaado s te
tendrm em caixii-
hat e frasco- levando
a assigiiatura cm
lente.
46, Ru des colcs, t na Pharmacia CentratH.
de Franca, 7, Ru de Jcy, em Parit, c tarrr
todas as l'liiiruiecias prancipacs do BratiL
Mudanza
Antonio Secundino do Monte participa aos seu^
nameroaos amigos e fregueies qae mudou o seu
eatabeleciraento de cabelleireiro e barbeiro, silo a
n estreita do Rosario b. 10, para o primeiro an-
dar n. 4 da mesma ra. Espera nerecer 6V
seamos seas amigos e freguezes asuivalic
eoadjan;3o.
V


THari* cU fruAaibuc* Quarla fera 13 4* Dezembro d 1871
I
I DE
ERNESTO & LEOPOLDO
N. 2 D Ra do Cabug N. 2 D
Acha-se montado de forma tal este estabelecimento de jolas que pode
vender aos seas numerosos freguezes em grosso e a retalbo e por pregos
mni resumidos visto que recebe de conta propria por todos os vapores de
Europa. O gosto de desenho de suas joias o mais lindo do paiz das
modas, curo de leu brilhantes verdadeiros, esmeraldas, robins, perolas,
turquezas, saphiras, coral rosa etc. etc. Obras de prata do porto tanto
para igreja cerno para servico domestico. Convidamos as Exmas. familias
a visitaren! o dito estabelecimento todos os dias at 9 horas da noite.
Compra.se curo, prata e pedras preciosas em obras velbas.
JOAQUIM
LOPES
AMACHADO & C.
Travessa do Corpo-Santo n. 25
RTICOS AMERICANOS
Cylindros para padaria.
Carros de m5o para conduzir fazendas.
Machinas para descargar algod5o.
Polias de diversos tam.inhos.
Canos de ferro galvanisados para enca-
aamento d'agaa.
OBJECTOS PARA CARRO
Oleado preto para guarda-chova de carro.
Dilo de cores para forro de dito.
Chicotes para dito.
Pontas de langa.
GalSes de seda para o forro de dito, es-
treitos e largos.
Pregos de cabeca de marfim.
Escovas para dar graza.
LRDEOURO
N* 24 A-Rua larga do Rosari-N. 24 A
BElVJAlflIN & IKUtO
Sm.
E' s m contestacao, um m bcm montado estabelecimento de joias da cidade
do Recife, e. eendo .em proprietarios sss caprichosos na escolha dos objectos que
u:':n a venda, lemhr,.m ao respenavel publico que aproximando-se a festa, nao fo- -
ram indiferentes, mandando vir de conta propria, da Europa um variadsimo sortimen- fo '
to iue pe" boro posto e primoroso trabalho importara elegantes presentes para a filba
Idolatatrada, a atilhada querida, a consorte fiel, a mai extremosa, a raiga dedicada, e'j^S
finalmente a ti do aquelleou'aquaila que se queira mimosear pela testa do natal. jjfiga
Na endo enfadonho, respei'aveis leitores, prestai attenco at o fiaal deste ''3S
annuncio que encontrareis, com certeza. @SH
Para o bello sexo m
Pares da brincos de pbantasia a 8j, 9. 10 e 12/, ditos de coral a 3/ e i, 5||
ditos para luto a 6/ e 8/, meios derecos moderncs com brincos e alinetp' a 16/, s|
roienhas do diversos gostos a 5/, 05 e 8/ o par, pulceirinhas de coral a 75000, vol- 83
titihas de dito com cruzes de ouro a US, capletis com inseripcoVs (obra chique) a 5/ '
e 8<. figai d coral a 25, cruzes de onro e coral a 3/, i/, 6/"e 8/, ditas de esmeral-
1a, per las e ru'oin* 12/, 14/, 165 e 18/, anneis com bonitas pedras a 4/ para enan-
ca a 35300, ditos de pedras finan a 6/ e broxes para retratos a 16/ e 20/.
Aos senhores cavalheiros
E' "rnente na Flor de Ouro qne se vende joias de gosto e por pouco dinheiro
comj sejam : guimicoes com tres botoes para abertura 1/, pares de ditos e de de-
ferentes ios a 5/, ditas a 3/, ditas para punhos a 85. cadeias muito chiques a 20/,
ditas a 6/3i0 a oitava, peucinez do prata dourada a 4/, 4/300 e 55, medalhoes para
cadeias a 12/, medalhas cora le;ras a 8/; alera de nra grande sortimento de obras de
brilhantes, brincos, braceletes, alfintes, adereces completo?, meios ditos de pedras fi-
nas e coral," mealboes, voltas e tranceH'ms.anDeis cora letras e da diversos modelo?,
Ocu'.o-, peniincr de ouro, relogios de ouro e prata d-mrado e de afamados fabricantes,
^.jy astira como grande sertimonlo de obras de pratado Porto, tamo para o servico do-
* roestio, como para grejas, e garantimos ser ludo lei.
A
.1
I$

, como para igrejas, e garantimos ser ludo le.
Flor de Ouro contina a estar aberta at as
8 horas da noute
m
$8$
De clarado em tempo I AMA
A prhnelra confeitaria, p,itelaria e culinaria ;' ixijtm.
kiha-se establecida na ra do Imperador n. 24
Em sua frente a;ba se collncado um ,'ampeao cora
o segninte lelreiro : COXFEIVARIA DO CAPOS.
Os proprietarios daquelle estabelecimento teem
caprichado em fazer dalll um centro do boro e
agradavel ao paladar .
Todos os dias enoontra-se alli, grande so; limen-
to de pistelaria para lanehes, sobremesas e me-
rendar
Re^eberam tambem de sua encommenJa, um
variadsimo sortimento de caxinbas e cestiuhas
ricamente enfeitadas, proprias para os presentes
de festas do natal.
E se poem duvida no que cima est dito, que
digam os que alli se tem snprido do que necessi-
tam, no que perenee a estabelecimentos de tal na-
ureza.
Fiambras, !ct5es, pirs, patos, galinhas, pu-
dings, bolos, pasteloes, eropadas, tortas, bolinho3
para ei e djees ira calda, secco e ehristalisado,
nacionas c ostrangeiros tudo alli se eacottra com
limpeta.
S na confeitaria <* Campos, ra do Irapera-
dorn 24._____________________________|g|
Precisa-se de urna ama para
casa de duas pessoas qno saiba
cozinhar e comprar : na ra da
Precisa-se de ama ama para cozi-
nhar ora casa de pouca familia :
ra Velha n. 28, sobrado.
Precisa-se de um menino de 12 a 14 anuos:
na ra Velha de Santa Hita n. 33.
Traspasase a chave de orna casa situada em
ama das melhores ras dest. freguezia, com bas-
tantes commodos para familia, pintada e caala de
novo; garantindo se que faz-?e todo negocio:
pessoa que quizer doixe carta fabada com as ini-
ciaes J. G. no primeiro andar desta typographia,
em mao do administrador.
Aluga se por auno ou festa urna casa no
Poco da Panella, com bons commodos para fami-
lia : tratar no II ispicio n. 26, primeiro andar.
AMA
Praia nu ero 70.
Ti abalh. dores.
Na refinaria da ra do Range! n. 43 precisase
de um trabalhador que entenda dj servico, e tam-
bem precisa-e do nrn menino de 12 a !4 annos.
Prrcii-a se de urna n.ulher para
tratar de urna meaina de 2 anno9, e
pouco servico de urna casa : a tra-
tar na ra dos Guararapes n. 2.
AMA
Utencao
Na ra do Virconde de Suassuna, outr'ora ra
de Hortas n. o, precisa-se de urna ama para co-
zinhar, prefere se es:rava.
Preci.-a-se fallar a negojio de interesse, cora
o Sr Levmo Augusto de Hollanda Chacn : na
ra Direita n. 06.
FURTO
a casa em qae mora o desembargador
Castodio Gaimares, roa da Conquista n.
4, furtaram nm relogio d'oaro patente Suis-'eu particular interesse: na roa da Conceicia,
SO, descoberto com uma correte de bor- Boa-vista, armazom do Rufino,
racha, mui'.o fino, e qaetem doas pemas,,
turto este commettido s 10 horas do da 9
Precisase de ama ama pa-
ra cozinhar : praca da Inde-
pendencia n. 27 e 29.
Uma pessua caegaaa a pouco do inatto, ne-
ce.'sita muito fallar a D. V ula Mana de S. Pedro
Souza Bandeira, ou a 3eus Uerdeiros, a negocio de
do crreme mez, deairo de um qofrto de
ves. ir.
.V polica se recommenda a a preheuso
do furto e do larapio, assim como a qualqaer
pessoa a quera ditos ohjectos forem offere-
cidos, sendo g--Qerosamente recompensada
Mas?a fallida de Theodoro Ernesto de
Castro.
O kbaixo a-signados, administradores da massa
lt.'<\ l.i de Theodoro Ernesto de "a.tro, convidara!
aos credores da mesma para no praso de oito dias, I
a contar da data deste, apresentarem os seus ti- ]
tnlsatim de fazer se a clasificado de que ira-'
ta o urt. 839 do cdigo do cornmerciu.
'iiae de Mamanguape, 7 de deiembro de 1871. i
Manoel Seve Filbo.
J.ir Flix do Reg Barros.
attMcao"
D. Libinia Emilia Cesar de Aiboquerque, viuva ;
do major Joaquira de Albuquerqoe Mello, pede .1
todos as pessoa^ que tivessera tranac^oes cora o.
sea fallecido marido, de nada fazerem relativo as j
mes as trnsateles, sem cora ella se entenderem !
Reeife, 9 de dezembro de 1871.
Joaquim Jos Gon$al-
ves Beltro
Rea do Trapiche n, 5, Io andar.
Sacca por lodos os paquetes sobre o banco dt
itabo, era Braga, e sobr os seguiates lugire o
Portugal :
Lisbaa.
Porto.
Valenga.
'iuimarae.
Coirabra.
Chaves.
Viseo.
Villa do Conde.
Arcos de Val de Ves.
Vianna do Castellc.
Ponte do Lima.
Villa Real.
Villa-Nova de Fameiicao.
Lamego.
Lanos.
CoviMa.
Vaseal (Valpasgo).
Mirandella.
Beja.
Barcellos.
Cozinheira
m
Precisa-se aligar uma eoxinheira, preferndo-se
escrava, e se di bom ordenado, agradando: a tra
tar na rna larga do Rosario n. 34, bolita.
$$&$ &&$$*$$*
Maderaoiselle Mane Lavargne, succes- ^
S sora do Sr'. Godoredo, tem esbetecido a S
A seguinte tabella para os perneados, pre- w
m qo de 4/ por eada aro, send feilo na )M
X residencia das Exroas, senhoras, e 2| em c
9 seu estabelecimento : mensalidade de jR
' 100/ para perneado diario na residencia S
de suas Exmas. clientes, e de SO/ em sea cf
estabelecimento. Os penteados de noiva fqk
serao pelo preco qno se convencionar. K
Por cada coque qne Ihe fot entregue para ?S
ser penteado, receber 1/500 de seu tra- W
balbo, qae ser execatado com toda a per- &
feifo e presteza, ra Primeiro de Mar 2
co d. 14, amiga do Crespo. 5?
ompanhia Allianpa
.DE
leguros niaritimos estabelecids
na Baha em 15 de Janeiro
de 1870.
CAPITAL..Rs. 9,000:000/000.
Toma seguro de mercadohas e dinheiro a risco
narirao em navios de vella e vapores para den-
To fra do Imperio. Agencia i rna do'Com-
oercio n i, escriptorio de Joaquim Jos God-
^lvan Beltrao.___________________
aos a.-ooo^ooo
Sitio i venda oa felizes bilhetes da lotera da
lahia, na casa feliz do arco da Coneeieio, foja 4*
iirives no Recile.
Dinheiro jaros
Di-se a joros de dous por cento, a qnanlia de
3;000/000 sobre bypotheea em predio de maior
valor : qnem precisar deixe carta fechada nesia
typographia com as iniciaes A. B. C.
Aluga-se o andar terreo do sonrado o. 5 da
ra Imperial : a tratar no mesmo andar.
Precisa-se de uma para cozinhar
e ontra para lavar e engommar :
da Cadeia Velha, toja de miude-
AMA
tratar na roa
zas n, 50 A.
Alaga-se o i e 4* andar do sobrado da ra
do Rangel n 7 : i tratar na taberna do mesmo.
Couserta-se mtchiiias pura
costura. .
de qualqoer aotor por um macbiaista nor-
te-americano ha pouco chegado em
Casa de Chapman
Ra do Imperador n. 45.
Jos Francesco Ribeiro de Sou-
za e Dr. Francisco Jos Rabello, o i pro-
prietario do collegio de Santo Amaro e o
-Io prop ietario de om ouiro col egio, sao
rogados a mandarem a esta typographia a
negocio de interesse.
Precisa-se de uma ama
qae saiba lavar e engom-
mar para casa de familia
que seja de boa conduc-
ta : na ra de Vigario n.
B, 2o andar.
AMA
Pede-se ao Sr.
vir a taberna da ra
ci.
alferes Brillo do 9 queira
dos Coelbos n. 10, a nego-
Schafeitlimh & C pedem a todas as pessoas
qae se julgam seus credores nesta praca a apre-
sentar as suas comas at o dia 21 do crreme
mez no escriptorio da ra da Cruz d. 78, para
?i rem conferi'tai e papas.
Gabinete portuguez
de leitura.
De ordera do Illm. Sr. presi lente *o eo'nselho
deliberativo onvido aos membros do mesmo con-
selho se reunirera em sessao ordinaria quarta-
feira 13 do correte, as 6 horas da tr.rde, na sala
<2as respectivas sesfoes.
Secretaria do conselho deliberativo do gabinete
portaguez de leitura em Pernambuco, 9 de de-
zembro d9 187 f.
Antonio Augusto dos Santos Porto,
____________________! secretan).________
Aluga-se a rasa n. 23 da ra do Conle da
Boa-Vista, outr'ora Formosa, senlo o pavimento
terreo, primeiro andar e sota, todo coro muito
bons ccromndos : quera pretender dnp se ra
da Aurora n. 3, 2o andar, que achara cora quem
tratar.
Recebe-se, nos arredores desta capital, para
pastarem simplesroente, sendo a horas cunvenieu-
tes, pensados, recolhidos, ou para serera sempre
tratados em estribara, caval'os ou burros al nm
certo numero; garante-se a abundancia e boa
qualidae de pasto. ENapSe-se, para os animaes
racionados ou recolhidos, do boa baUa de --apira.
Ha abundancia de agua correte para bebida e la-
vagem d s animaes : na ra Direita o. 127, 2J
andar, entrada direita, dir-se-ha aonde e :om
quera so trata._________
L3L1'...... 8. .-.r'g'iaRi'.'gati.'g-i^-Mgt.-'iHBEraa
A viuva, fllhos e mais prenles de laoome Ge-
rardo Mara Lamachy de Helh, agradecem a to-
das aquellas pessoas que se dignaran assistir as
exequias, que zeram no cemiierio publico, por
occasiio do enterro de sea presado marido; e
Ibes rogara o especial favor de igualmente assitl-
rem a missa do stimo dia, que dever ter lugar
no convento do convento do ('.armo pelas 8 boras
do da qnarta feira, 13 do crreme.
Portugueza
Para casa de nm bomem solleiro, qae se trata
com asseio, precisa-se de ama sennora portugue-
za de meia idade, e com bastante capacidade, pa-
ra tomar a sea cargo todo o arranjo domestico;
eozinhando e engommando com perfeico. Fazem-
se todas as vantagens, que merecer sea bom
eumportamento : no Bazar da Moda, ra Ngva
n. 50, se dir com quem se trata.
Empreza do gaz
Pernambuco.
Esta empreza tem um lindo sortimento de can-
dieiros, arandelas, pendentes, etc., tanto em vidro
(crystal) como em metal, e ama variedade de glo-
bos dos padroes mais modernos e por procos m-
dicos. As amostras podem ser vistas no escripto-
rio n. 31 i roa do Imperador. Bicos para gaz do
raelher feitio a 60 rs. cada ara. As encoramen-
das podem ser feitas por escripto, na rna do Im-
perador junto a secretaria da polica, oa dirigidas
io abaixo assignado na fabrica S. Jos, qae serio
promptamente attendidas.
Thos. Newbigging,
_____________________Gerente.______^^
Casa no Poqo da Panella.
Aluga-se por 600J uma excellente casa na ra
do Rio n. 35 daquelle potoado, com i salas, 4
quartos, cozinba, cocheira, quartos para criados,
estribara, e mais doas raeias aguas separadas: a
tratar cora o commendador Tasso.
i \M i i?1 Precisa-se de duas amas para
A lw| A \ servico interno de pequea fami-
Z1.1tJ1/1.L7 lia : i ra Imperial n. 199, por
tima da refinacao.
Piecisa-se de ama ama para cozinhar ero
casa de pouca familia : a tratar na ra das Cru-
zes nf 29, armazem de movis.
MOFINA
Roga-se ao Illm. Sr. Ignacio V.eira de Mello,
crivao na eidade de Nazareth desta provincia,
favor de vir a roa do Imperador n. 18 a ronclnii
muelle negocio qae V. S. se compromettea reali-
zar, pela torceira chamada deste jornal, em fi
de dezembro prximo passado, e depois para ja
oeiro, passon a tevereiro e abril, e nada cumprio
e por este motivo de novo chamado para diti
om ; pois V. S. se deve lembrar qae este negoc
i de mais de otto annos, e qoando o senhor u
9ho se acbava no es nesta cidade
Preci>a-se de costureiras na loja do Bom
Pastor roa da Imperatriz n. 3.
-t
os pretendentes.
Faz-se negocio com a loja da ra Nova n. 16,
garantindo se arrendamento : a intar aa mesma
4 BOTA DE IIRII
Neste novo estabelecimento de calcadus, sito
ra do Bom Jezus n 21, sobrado amarello, amiga
rda da Cruz, o publico encontrar sempre um
completo sortimento de calcados dos meib res e
mais acreditados fabricantes de Lisboa, P.ris e
Londres, nio s para bomem como tambem para
rapazes, senhoras e criancas, cujo surtimeato
re Toreado todos os mezes atira de poderem assim
ter sempre calcados frescos, para bem servirem
aos seus numerosos freguezes, os quacs sempre
que se digoarem frecuentar o referido estabele-
cimento serio tratados com aerado e sezudez
Precisa-se alugar ara escravo Je 14 a 18 an-
nos para servico de casa de familia : a tratar com
Antonio Jo: Rodrigues de Suuza oa ihusouraria
das loteras, oa em sea sitio no Monteiro.
Precisa-sa de uma ama pa
ra cozinhar e outra para en
gommar : i tratar na ra
larga do Rosario n. 22, segundo andar.
^^
Aos 5:000,5000.
Bilhetes garantidos da pro-
vincia.
Rna do Baro da
Victoria,
Outr'orarua Nova n. 63 e casas
do costume.
O abaixo assiguado acaba de vender entre o
teas muito felizes bilhetes a sorte de 300*00*
em tres quartos de n. 14, alm de outras sortes
menores de iOjOOO e 20*000 da lotera que se
acat-on de extrahir (217), podendo seus possuido-
re virem receber, que promptamente sero
pagos.
O mesmo abaixo assignado convida ao respei-
i&vel publico para virem ao sea estabeleciiaeok
comprar os felizes bilhetes garantidos, que nli
ieixar de tirar qualqoer premio cerro pr<.v> peloi
mesmos annuncios. .
Acham-se'a venda os muito felizes bilhetes k .
rautidos d.' 7* parte das loterias em benaficio da
igreja do Espirito Santo do ltecife, que sera ei-
trahida no dia sexta-feira 13 do correnie mez.
PHEgOS.
Inteiro 6*000
meios 3*000
Quartos 1*500
De 1005000 para cima.
Icteiro 5*o00
Meios 2*750
Quartos 1*375
Jfio Joaotiim da Co-Va I.''a.
Precisa-se? alugar umajama forra
do Cabng n. 2 B.
na roa
AMA
n. 80,
Precisase de ama
engommar : na ra
! andar.
ama para lavan
Duque de Caxias
Para passar a festa.
Aluga-se ama boa casa no Monteiro, parto do
baoho : a tratar na rna do Duque de Caxias, loja
de fazendas n. 71.
AMA
Precisa-se de uma ama para casa
de pouca familia, sem filho: a tratar
na gata do Cabng n. 4. loja de 'oro.
Protectora das familias.
Os senhores contribuintes a essa associacio qne
preferem mandar pagar soas annnidades nesta pro-
vincia, poderio dirigir-se roa do Livramento n.
19,1* andar, antes do dia 14 do prximo mez de
dezembro, aflm de que os fundos possam chegar
na sede da ascociacao, no Rio de Janeiro antes do
sea venclmento 31 de dezembro de 1871.
Recife 20 de novernbro de 1871.
Narciso Francisco de Vidal.
O abaixo assignado, tendo de acabar eom o sea
negocio, roga aos sebs rooites e numerosos fre-
guezes que Ibe esli devendo em sua loja de cal-
cado a raa da Imperatriz n. 10, de vir oa mandar-
ino pagar sea debito at o lim de dezembro do
correte anno, pon do contrario ver-se ha obrga-
do, e bem contra sua vontade, entregar as con-
tas a sea procurador, para elle receber amgavel
oa judicialmente, o qne o abaixo assignado espera
dos seus bons fregueses isso nao ser necessarlo.
Recife 31 de outnbro de 1871.
Antonio Rodrigues Pinto.
Crazes
travessa da rna
ri, 2, pri-
meiro andar, da-se di-
nheiro sobre penhores
de onro, prata e brilhan-
tes, seja qnal for a qnan-
g lia. Na mesma casa com-
1 pram-se os mesraos me-
! taes e pedras.
MOBILUS
pequeas, obra de multo gosto, preprias para o
passatempo da festa, por seren muito leves para
transportar para os arrabaldes : no armazera de
Tasso Irmios & C, caes do Apollo.
i

Mile. Marle Lvergne, modista em
cabellos, recentemente chegada de Pa-
rs, tendo comprado ao Sr. Joio Godo-
fredo Pinto, o seu estabelecimento de
cabellereiro a ra Primeiro de Margo
n. 14 (anga do Crespo) offerece os
seas servicos s Exmas. Sras. desta t
bella cidade para os roisteres do sua vt?
arte ; o seo e>ubelecimento estprov- 4jK-
do de habis artistas para a boa exe- vn?
cncao de qualquer obra e corte de
cabellos. Faz os penteados em seu
estabelecimento por nictade do preco
do que est estipulado para quando
for chamada a residencia das Exmas.
ssnhoras.
O respeitavel publico encontrar em
5?' sea relenlo est3belecin ento um bello
arfe sortimento de perfumaras fraecnas
Sp e inglezas do3 mais acreditados f^bri-
rft, cantes, as-im como floras artificiaes,
# objectos de pbautasia, modas, etc. etc.
3^ 9 vende todo por precos commodos,
pois recebe directamente da Europa.
O fea estabelecimento acba- se aberlo
"! 6 horas da manhia as 9 da noute.
\
2Eonteiro
Por .300,000 is.
laga-sa aa povoacao do Monteiro : a
tratar :ia taberna
no rr.''Tio losar
la Sr. Nicolao Machado Freir,
Aluga-se
asa a. 7, a Pas-agem da Magdalena
' ciV .
. i p-v *
Antonio Caetauo da Silva
Joaquim Caetano da Silva, vera pelo presente
manifestar sua gratidio i todos os seas parentes
e amigos qae se dignara ni de acempanhar ao re-
miterio publica os restos mortaes de sea mai pre-
sado irmao Antonio Caetano da Silva ; e aprovei-
lando o ensejo vera de novo rogar as mesmas pes
soas, o candoso obsequio de assistirem a missa do
seiimo da que pelo eterno repooso de sua alma,
manda celebrar na igreja do convento do Carmo,
as 6 1(2 horas do dia 14 do correte.
asoirznoi
Cmpa
Alaga-.-e uma casa terrea em Apipucos : a
tratar na ra Sete de Setembro n. 1.
**$* *** ** mmmm
A Medico operador e par- &
W lelro.
Dr. Francisco Jacintlio Poreira da Mot.
la, a qualquer hora do dia ou da noits.
n. 3. ! andar, praga do Conde d'Eui
ontr'ora da Boa-Vista.
COXSLTAS firtATIS A(8 P08RES.

GASA. DA FORTUNA
RA 1 DE MARCO OUTR'ORA DO
CRESPO N 23.
Aos 20000^000.
O abaixo assignado tem sempre exposto i ven
la os felizes bilhetes do Rio de Janeiro, pagand<
promptamente, como costuraa, qaa!qt:?r premio. -
PRECOS.
Icteiro 2/.O00
.Meto IU009.
tvn 60(_
Mwo! Martin? Patf.
mpanhia lndemnisa(iori.
Em cumprimento do disposto no art. 19 dos es-
tatutos da mesma ompanhia, serio vendidas 43
de suas ?cc5es em tres lotes, sendo :
gjUmtote de 13 aecoe3 de ns. 116 a 130.
Dito de 20 ditas de ns. 241 a lio, 640 a 650,
971 a 980.
Dito de 10 ditas de ns. 931 a 940.
Os preteadenies deverao dirigir soas propostas
por iotervencio de corre lores geraes at o dia 19
do correte, ao escriptorio da diti companhla, rna
do Vigario n. 4.
Deseja-se arrumar um pequeo [ara caixei
ro de qualquer estabelecimento, o qual moraco.1
perto de Iguarass e d fiador do sua conducta
nesta praca : a tratar na raa Direita n.8.
Aferipo de Olinda
O arrematante da afericio de pesos e medidas
do mercado de Olinda, scicntifica a quem interes-
sar que o praso marcado da referida afericio fin- ,
da-se em o ultimo deste mez; assim como s >'
ir fazer afencoes nos estabelementos com paga
de sna vagera, os contribuimos podero dirigir-
se ao Varadouro, das 9 horas as i da tarde.
Olinda, 12 de dezembro de 1871.
O arrematante,
_ ________ Francisco Pedro AJviiico.li.
Aluga-se ama das melhi res ca-as c>: lugar
Porto da madeira era Beberibe, reedificada, aiada,
e pintada, com duas sala-, gabina-, en. quar-
tos, cozinba, bom quintal, com excellente banho
no fundo do mesmo : tratar no largo de Paraizo
n. 14 : ou na roa de S. Prancisco n. 6.
^ Acba-ss i raa Duque de Caxias n, 30, outr'orc
Crazas, e prefla-se .n'chamados para ponteados e
execula qnalquertrabalbo concernente asna art?
de cbsileireiro.
COZINHEIRA
Precisa-se, prelere se escrava, e paga-se bem :
a ra do Mrquez do Olinda n. 40, primeiro an-
dar.
ira-
Precisa se de uma criada eugommadcira :
na ra do Imperador n. 67, 2o andar, entrada
pe!) lado da ponte.
AMA
19, 1* andar.
Precisa-se de uma ama para
casa de pouca familia eslrangei-
na ra da Carabea do Carmo n.

Massa
fallida de
Irmao.
Fiuza &
Os abaixo assignados, adrainlslraJores da massa
fallida de Fiuza A Irmao, convidara aos credores
da mesma para, no prizo de olio dias, a coBtar
da data d'esie, apresentarem 03 seus tientos, aflm
de fazer-se a clas?iflceao de qoo trata o arf. 869
do cdigo do commercio!
Cidade de Msmangaape, 7 de dezembro de 1871.
Mancel Seve Filbo.
^^m__^_t_________Jos Flix do Rfgo Barros.
Precisa sa de uma ama para cozinhar: no
larga do Terg n. 71 ; pessoa qno t.-nha di 30 a
40 annos.
francisco >< es Barreto,
Gaspar de Drummond manda resar no dia 16
do eorrente as 7 horas da maubia na matriz de
S Jos, ama missa por alma do capitio Francisco
Paes Barreto ; e para assistirem a esse acto con-
vida a todos os seas parentes e amigos, o aos da-
qnelle floado. ________
a praca da Independencia ns.
m.im.Lm. i e 3 precisa-se de ama ama para
cozinhar.
.OEA.
O deposito do verdadeiro cemento de Portland e
agora no arroazem da bola aroareila no oito da
secretaria da poeia, garante-se que nmguem
pede vender por menos que nesta armazera :
quera comprar do cinco barricas para efana ter
prar.J-j abalimento. tambem se veude a realho.
Ignacio da Silva Deir avisa a seus fregu
zes e r. qu;m mais possa interessar que segu pa-
ra Pernambuco cora boa tropa de barros e qae
passsr pelos lagares segrales : Pilar, Castanha
Grande, Porto Cslvo e Escada : quem pois quiser
fazer compra' pdela encontra-lo ou avisa-lo. Pe-
cedo 3 de dszem'jro de 1871.
\0TAS
Troca-se notas do banco do Brasil e de sua*
flliaes na ra do Bario da Victoria n. 63, amiga
rna Nova, loja de Joio Joaquim da Costa Leite.
mmmm mmmmmmnmm
! Consultorio homeopa-
S thico
DO DR. SANTOS MELLO.
Roa do Bario da Victoria n. 43.
VACCTNA.
Todos os domingos e qaintas-feiras, pe-
las 9 boras as 10 da manhia vaceina-se
por preco mdico, para o qae ha muito
boro paz vaccnico.
Recebem-se chara ad>s para vaeeinar em
qualqner casa.
Consultas medicas todos os dias pela
manhia.
Chamados a qualquer hora do da e da
noute.
Gratis a parte medica aos pobres.
5
Atten$o.
As pessoas que tinbam negocios forenses com o
fallecido procurador major Joaquim de Albuqner-
que Mello, t-nharn a bondade de se dirigir*m ao
abaixo assignado, que presentemente se acba
d'elles encarregado, na roa do Imperador n. 12.
Recife. 9 de novernbro de 1871.
_____________Jao B. Pinheiro Corte-Real.
Precisa-se de uma ama para comprar e co-
zinhar, paga-se bem : na ra de Hortas n. i.
Precis-se de um caixeire ponugoez qae te-
nha praiica de taberna : na roa da Concordia nu-
mero 96.
A pessoa que precisa dos 400 a premio so-
bre nypotheca em uma escrava. queira app?reeer
na ra de Hortas n. 30, obrado.
Precisa-se de uma ama de meia ida-
de para cozinhar e ensaboar, ou so pan>
na rna da Cadm Nova n. 15.
AMA.
cozinhar :
Precisa se de 400*000 a juros com hypo-
theca em uma escrava e pelo lempo de 4 mezes .
quem quizer dar annuncie para ser procurado.
Offerece-se uma pessoa euteodida para fetcr
de engenho : quem precisar dirija-se a ra d
Roda n. 48._____________________________
Precisa-se de urna ama para casa de pone;
familia : ra estreila do Rosario n. 10. loja.
Aiuga-se por auno ou feta um bom sito nc
Apipucos, com 90 ps de laraopeiras bem carre-
gadas, coqueiros e imitas outras frutas, raaea-
xeira, mandioca, e boa casa : i tratar no Hospi-
ci* n. 10.
Precisa-se
De um menino brasileiro de 13 a 14 annos do
idade que tenhi ou nao pratica de taberna e d
inforraacoes de sua conduela : i roa dos Pesca-
dores n. 43
n. pessoa que aonunciuu precisar de 10G|S
rs. s b penbor em uma escrava, dirjase a r;i;
de Hortas n. 94.
niM
Precisase de um caixeiro cun pratica' de
taberna : na rna do Bangel n. 10.
Um mojo naciooal se offerece para fazer al-
gumas viagens ao sul ou norte do Imperio como
capitio de Baadeira : quem precisar annuncie
por este Diario.______________
Criaio
^-Precisa-se da um na travessa de S. Joio n. 26,
casa ferrada de azulejo.
Urna mulher de boa conducta que teh pra
tica de tod i o servico interno e cozcIh cum por-
eisio, se offerece para tomar o cargo de urna casa
da hornea sol'.eiro : quem carecer prjcuro no
principio da ru* Jmoeriail confronte a matru, casa
tTja a l
A MU afamada
AGUA DE FLORIDA,
DE
IRRIY & I.AX1IAX.
He o mais delicado e mimoso ao mes-
mo tempo o mais estavel de todos os per-
fumes, e encerra em si, no seu maior auge
de excellencia, o proprio aroma das verda-
deras flores, quando ainda na sua floresj!
cencia e fragancia natural. Como ummeio
seguro e rpido allivio contra as cabeca, nervosidade, debilidade, desmama,
flatos, as?im como contra todas as firaas
ordinarias enteca s decid hystericos; do
summa eflicacia e nao tem outro queofi
guale. Igualmente, quando destemperada
com agua, torna-so um dentifricio o mais
agradavel e excellente, dando aos dentes,
aquella alvurae aperolada apparentia to
altamente apreciada e desejada pelas Se
nhoras.
orno um remedio contra o mau balito
da boca, depois de diluida em agua,
summamente excellente, faz remover neu-
tralizar todas as materias impuras que se
criam roda dos dentes e das gengivas,
tornando-as duras, sadias e d'uma linda cor
encarnada. Quanto a delicadeza, riqueza
o permanencia do seu fragrant aroma, ella
por certo nao tem igual; e a sua supe-
rioridade sem rival. Ella igualmente tor-
na-se um meio inui excellente, para fazer
remover de sobre a pelle do rosto, toda a
qualidade de brotoejas, ebuliges, sardas,
pannos, manchas, impigens e espinhas.
Quando se queira servir della como reme-
dio para fazer desaparecer qualquer ua
destes disguramentos, e que tanto desfei-
am as lindas feices do bello sexo; devera-
se usal-a n'um estado de dilluico, destem-
perando-a n'uma pouca d'agua ; porm no
ratamento de qualquer espinha, usar-se-ha
della pura em toda a sua forca. Final-
mente como um admiravel meio de com-
municar as feicoes trigueiras e paludas,
uma pelle macia e d'uma transparente a!-
\"ura, dando-lhe mna linda er de rosa :
para um tal tim, ella leva a palma a todos
os perfumes que se tcem inventado at ho-
e, e existe em plena soberana sem rival.
Bem entendido tudo isto se refere nica-
mente a Agua he Florida de Murrat d
Lanman.
As imitaces que se tem feito na Franga..
Allemanha, assim como em outras partes
sio inteiramente inuteis e invaliosas ; per-
ianto recommenda-se mui especialmente
s senhoras, que tenham toda a precaucSo
e cuidado, de quando comprarem, estejam
certas que compram.
A Gencina
AGUA DE FLORIDA
DE
MlIRRAY c LANMAN,
A qual preparada smente pelos nico
Proprietarios,
nica casa neste genero
\i-M Estreila do Rosario-14
Compra e vende roupa feita
nova e velha, objectos de
cosinha e de mesa, e
tudo que perten-
lug.i-^e am venJe M I csa o litio da es-
trada dos All 8to< s. ii, cjjo sitio tem S00 pal-
mos de freute e cerca de 1,300 do tundo, com ca-
cimba, friut ;r.i->, etc. : a tratar cora Antonio Jos
Rodrigues de Soura r* ib(H.rria das loteras,
cu ex ?tj '.:'1 :r>,
MARTIMOS
E
:l\TRA FOGO.
A ooaapaDhia Indemnisadora, estabelecid'
esta praca, toma seguros martimos sobre
lavios a seus carregamentos e contra togo
im edificios, mjrcadori;i8 e mobilias: ni-
raa do Vigario n. 4, pavimento terreo.
Peie-.-e ao Sr. D. R. C qne vpuna qaVmo
antes lrier a qoaoHa que fui recebrr Co abino
assijioado, quando n *u uome por *t
tenso nei'.e Divio, n?? as-im
abaron, tant.i o S-. ',). tfW^f fir: c
melhanin negor".
1. F. S. i",
I




D.ario de Pernambuco
Quarta
eira i 3 de Dezembro de 1871.
NOVOS SORTIMENTOS
arauaxeitt do vapor
FMp*es, rm do
arlo da victoria
(ontr'ora ra Mo-
ra) n. 9.
Acaba de reeeber novas facturas.
O armazeni do vapor
Francez, ra do
Baro da victoria
( ontr'ora ra No-
va) n. I.

Calcado

i
Botinas de Suzsr e de Polak, para horneo, com-
pleto sortimento para todos os gostos vontade
do* compradores.
Botas e perneiras para montarla.
Botinas pira seoboras e meninas.
Abotinados para meninos e meninas.
Sapatdes de bzerro, ve miz, corda vio. e4e brim
branco para honaem.
Sapatos de tapete avelladados de charlot, case-
mira preta e tranca portugoeies.
Sapatos de vaqueta de verniz eom sola de raa-
deira proprios, para banhos.
Perfumaras
Fines extractos, banhas, cosmtico?, leos, opia-
tas, pose, agua de eologne, agoa divina, agua
florida, dea ti frice, lavando, agua de toilet, tintura
pan Barba e cabello, pos de arroz, sabonetes,
etc.; todo isto de primeira qnalidade dos bem co-
onecidos fabricantes, Pivsr e Coudray.
Preqos.
Quinquilharias
de phantasia e lnxo, como sejam : espelbos, Invas,
joias de onro, correte de plaqu, ricas carteiri-
nhas para dinheiro, caixinhas de costura com
mnsicas, eslerioscop de 50 vistas com msica,
boleas de seda e cestinhas diversas para braco de
sentir ras e de meninas, oculos, pencenez com vi-
dros de cores, ehicotinhos e bengalas, todo isto
de diferentes modellos e qaalidades em grande
numero destes artigos de quinquilharias linas de
gosto que nao se pode bem mencionar.
Brinquedos
O maior sortimento que se pode desejar de toda
sorte de brinquedos fabricados em diversos paizes
da Europa para entreteniment das criancas.
Carrinhos
e bercos de vimes para criancas, de noves dife-
rentes modelos presos commodos,
Em virtude das novas facturas e ordens dos fabricantes, vende-se agora todo precos
baratissimos: no armazem do vapor francez, raa do Bario da Victoria, oatr'ora ra Nova nu-
mero 7.
mmmmgmm & mi
w imiq o i MIMO vi
I Utt'
19 Ra Primeiro de Marco 19
Tendo renovado completamente a loja do predio, em rjue teem o su es-
tabelecimento,
19==-A ra Primeiro de r com aqaelle asseio e elegancia desejavet?, acham-se rflra prvidos do mais
expiendido sortimento de fazendas finas e moderna- de
SEDA, LA, LINHO E ALGODAO
odas de ultimo gosto, e continuam a ter como sempre, diversos
ARriGOS ESPECIAES DE SUASCASA
Garntela, com toda
a sinceridade, vender
por menos que qoal-
qner ootro, porque
recebera em direitura
a maior parte de soas
fazendas.
19 RA 1. DE MARCO 19
(Anliga raa do Crespo).
iime mi
DE

ROUPA FEITA
NA

Ba do Crespo n. 20.

Tendo resolvido nao continuar a ter grande deposito de roopa leiy, oereoe ao
repeitavel pabiteo, e aos negociantes de ra, am grande sortimento, por precos bara-
jissimos para arabar.
Palitots sobrecasacos de panno fino de
m a 30000.
Ditos taceos e retranqueados de casimira
de cor de 50500 a 9^000.
Ditos, ditos e ditos de panno preto de 5
atSJOOO.
Ditos, ditos e ditos Je alpaca preta de
2*500 a 5,3000.
Ditos, ditos e ditos Je alpaca branca e
de cor a 2;j00.
Ditos, ditos a ditos de bramaste de liobo
a 2*300.
Ditos, ditos e Jilos de bramante pardo a
W500.
C'cas da casemr? fie cor le 54-100 a W-
ootre rauit>3 s/Ogds o.jr presos
Cunen 'J> OoBa,
Ditas ditas preta de JMftOO a 9J0O.
Ditas de brim branco de linho d< 20OOC
a 46000.
Ditas da brim/braoco de algodao a.....
l#20O.
Dkas da brim dec-irde lOOa 35000.
Ditas de castor de 1)5000 a 2S00.
Ditas dfl brim pardo de 15000 a 2*500
Camisas d* flanella, grandes a 3*000.
Ditas de algodiio, rouito boas a 2.5000.
D.tis da linho muito bflss a 3*500.
Ceronhs de bramante a 1*600.
Caberlas de cbita a 1*500.
I^lJWI Je Itabo abainhados a 4*000.
baravl'rri > iVjra J&par, ?* Ij* ?* gi!herm8
USA da mw
A os 5:0001
Bilhetes garantidos.
I raa Primeiro de Marco (ontr'ora roa do
Crespo) n. 23 e casas do costme.
O abaixo asignado, tendo vendido nos sata te-
dias bilhetes am inteiro n. 1734 ora 5:0004000
am qnsrto o. 14 eom 3004009, am meio n. J10
com 1004000, e oatrss sones de WfOOO
304000 da lotera que se acabon de extrafei;
(217*), convida aos possuidores a virem recebar
na conforovdade do cosame am descont tlgom.
Acham-sa i venda os bilbetes garantidos da
7.a parladas loteras, a beneficio da igreja do Es-
pirito Santo do Reeife (318*), que sa extrahir na
sexta-feira 15 do corrente mez.
PRBC08.
Bilhete inteiro 4000
Meio bilhete 34000
Qaarto 148OO
Ka poreio de 100*900 para cima.
Bilhete inteiro 5*500
Meio bilhete 347SO
Qnarto 14375
Hanoal Martins Fian.
ar Precisa-se de urna na ra Dir:-
iVLTJal/m. u a. 86, ^ andar.__________
Urna parda que sabe engoramar, lavar, co-
ser e coziohar, sujeita someale pela quaotia de
5004. deseja achar quera Ih'os empreste, median'
te o pagamento com os seas ser vigas : qaem qai-
zer annaaiie.
COMPRAS.
Compra-se
Feijio em mi estado, oa avariado : na traves-
a do Oovidor, cjxeira, esquina da raa das Cra-
sos.
Compra-se orna rotla de amarello em oom
estada : qaem tiver annancie.
VENDAS.
Bom negocio
Vende-re a taberna da roa de Thom de Sonza,
antiga raa da Lingaeta n. 1, bastante ategaezada
para trra e martimos : tratar na mesma.
OBRAS GOMICAS
DE
Jos de Lima Penante.
as livrarias : franceta, industrial a econmica
e-tao venda as seguiotei obras cmicas do co-
nbecido artista dramtico Jo? de Lima Penante :
DOUS CALVOS, OS GENIOS 0PP0ST0S, come-
dia em 1 acto.
NESTE CASO E NAO ME CASO, scena c-
mica.
ESTDAXTE EM QUEBRADEtRA, dem.
O PONTO entre-acto cmico.
DEPOIS DA FESTA DE NAZARETH, scena co-
raii'a.
O ACTOR NO CAMARIM, idem.
PA1XO E TRA1CO, o igiez machinista, idem.
A SORPREZA, dem,
O KO .AMBOLE, idem.
Vende-se terrenos margera do rio Beben-
be e perto da e?tago : a tratar com o Sr. Joao
Feitosa : na ru estreita do Rosario n. 23.
Vendase os segaiotes romances a poesas,
Cavalbeiro <5a Casa Vermelba, Visinho Raymnn-
do, A Pala do Gazella, O Gaarany, O Uogo Po
bre, Maury, o jogo e o ninbo, poesas de Castro
Alve-, U Paiva e V. Palhare, tudo em bom esta-
do : oa ra da Imperatriz n. 74, toja da B M.
= Vndese a bemconbecida e afreguezada ta-
berna na ra Imperial n. 'M, ur se acbar o do-
no doeote e pretende bir para o matto tratar de
su* sale, trata-sa o negocio na mesma casa.
NDE-SE
Machinas de costara.
Chegaram ao Bazar Universal da na
Nova n. 22, am sortimento del machinas
para coatara, das melbores qnaltdades que
existe na america, das qoaes moitas ] sSo
bem coDhecids pelos seus autores, [como
sejam: Weller < Wilioo, Grover & Beka,
S.lenciosas, Weed e Imperiaes e outras
muitas que com a vista devero agradar aos
compradores.
Estas machinas tem a vantagem de fazer
o trabalho que trila costureiras podem
fazer diariamente e cozem com tanta per
frilo como as mais pereitas costureiras.
Garante-se a sua boa qualidade e ensina-se
a trabalhar com perfeicio em menos de urna
hora, e es precos slo tao commodos que
devem agradar aos preteodentes,
JOIAS
Jos de Sonza Soares & C, vendem em seu Ba-
tar roa do Bario da Victoria n. 50, am especia'
"irtimt oto de joias de ouro por resamido* presos.
Recommendamo-las ao bello sexo pernambucano.
MACHINAS
DE
COSTURA
DO
Systema Singer
Vende-se pelo baratsimo preco de
GOiSOO cada urna : ra do Baro da Vic-
toria n. 28,
Vende-?c nm sjbrado de um andar n. 49, sito
a raa Imperial, canto da travesea do Lima, so lo-
ca! pnprio para transaegofs commerciaes. Os
pret?n?ntei podem dirigirse ao propriotario das
6 n 9 i 1 manha, e da? 3 as 6 da tarde.
A papel 500 r. a caix^l
No Bazar ite Loudres a raa do Mrquez de Olin-
da B, 28.
Bengallas
O Bazar ife Londres troebeu nm elo^aente sor-
timento da bugallas com lindos castoa- ponteiras
de tnai 1 ira.
60N8 CAPACHOS.
G Saz-r de Londres ten um grande sertiroent
de capachos tecidas com palba de cjco preprics
p;ra portos de entrada e porta de sitios.
Pechincha
O Baiar de L vires vende le: jos de eambraia
de l nvo jA. emb abados a ',5 a daa.
O Baar do Loaws a ra do Mrquez da
Oim'. 1 o. 38, rrcebea pelo ultimo vapor nm ele-
(aote s .riimemo de fazendas finase de grande
|.i .:i' .. 1 proprias para bailes, tbeatros, passaios
ele, ok*.
Como Sfjam :
Cor:*? de gm-de c!i.:m*jf-ry Cordados a seda
frouxa cora lindas franjas da retroz.
Dit'j di tarlatsua branca com boafJos desenhos
a seda.frcuxa.
Dito* dfl tarlafana francesa com lindos desenbos
a sed? frouxa d cures.
6aze.de seda braaca cora salphos de iores.
Diu c?m listas assetinadas
Popeiioas b.ird3da* cora lindos desenhos.
Dita Waosparenta sendo a fazenda qaasi toda
seda.
Sultsoss de todas as core* ranjaas e 20a) bar-
ras a^-i'timdas.
Merm lavrado de todas as cores ((senda de
rano iTeito :.
Barrrjes de Itstas e \
Tikui nacional (fizeada modernissima c la t
seUa.
Bcrejes fioas oom lis.as assetioadas.
Mpacfs de iirda.i com barras de seda.
GKid sortira;nto de lias cojo bonitas barras
de sedo.
CaiUbnias e uatouclceg lisas > co.n barra?.
Cambraias soisaas e v;etoria o joe ha Je mais
fino.
Cretona* cora liodzs barra?.
Dito? lisos o c-td li*sa?.
Percales o qu na de mais gof.j.
Cittltinfeaa bordadas para seabori ( ;ompleta
Elegantes i>hapelinas d^ blonde de sda da to-
das as core e nvlde n mais raederuo.
ChapcM Dti finiiorinb:* do sarja de sea para
senboras com fracjas de reirsz e atetrisso*. cabos
de malura.
Mantilba- de seda brasilera.
Chapeos de piHaa da Itaa para senioras
Liadas peleriaM de lia bordadas a seda froaxa,
seqd brancos e de corea.
Casaeoa de sultana formando segunda saia, !
araente enleitados o guarnecidos a setim.
-1- Vende-se o seguate : ama elegante mubilia
do Jacaranda a Luiz XV ecnsiando de 12 cadeiras
de guarni{o, 1 de bracos, i ditas de balanco, 1
jiados consol*, I jardiaeirs, i sofi, l t'.ilet, i'lin-
dj lavatorio ; todos este? objeclns de jija'rand e
com 3mjo de a>arm.?re. 2 aparadores de raz,
obra t>legn!e e eom taropj A marmore, i guar-
da Monea lamtem com .'ampo d? marmore, l
guarda-vcjiido de raz, obra moita elgaot*,-1
guardarunpa de raareUo, 1 roer 1 elstica com 7
taboas ; lodo* eti 9bjecto< ootos e sem defeito,
e otr^s muitos: qu rnoTii para ?er proguradi?,
AUlLlI) T.M\ HuilGBS.^
Retmo d grararasitca purtrrgueza, 1 vol. cart.
11000.
EPITOME DA GRAMMATtCA FJ14rCSZA.
1 vi-I. eaii.i|iM
^^^ Livra."ja h.>Qu.-
Atte.$Q.Q.
Vea< ; -i fWOOie de
'i'.y.-.nna. lis p: r na roa
doO*fvi n, i i? i? .^'.'ar.
Largo do Carmo n. 39, esquina da ra de
Santa Thereza.
O propietario des te estabeleci ment convida
aos seas fregueses para virem fazer suas despen-
sas para a testa, pois est com um cimple o sor-
timento de molhados. os qnaes vende por meno3
que em outra qualqoer parte,
A SABER :
Viobo Figaeira da aaeUior marca, idem Li.-boa,
Idem Porto em barril, idem engarrafado de diver-
sas qualidades, cognac inglez, genebra de If llan-
da, idem de Oitom, idem wida iterua, dem laran-
ja, frascos com conserva muito nova, aroeixas em
(atas de diversos tasaanos, ditas em caixinhas
proprias para meninas e meninos, marmelada de
t|2ii'jra a 2 libras, doces em calda de diversa
finetas da Europa, ervilbas portagnezas e frau-
eczas em latas, queijos flimengos, idem prato,
idem de qualha, dem de Minas, macarrao, tara-
rira, aletria, gomma de mllbo, cha bysson, idem
axim, idem preto, chonhas de Lisboa era barris
e latas, azeitonas em latas e em barris-, cerveja
de diversas marcas, manteiga franceza flor, Idem
iagleza tlor, presunto do Porto, idem inglez pro-
prio para fiambre, charutos dos melhores fabri-
cantes da Babia, Alfarroba. Alem dos gneros
mencionados, existem outros muitos, os quaes
dt.'xo de mencionar por se tomar muito massante.
Os precos sero felos vista dos gneros por se-
ren todos escolhidos e de primeira qnalidade.
Cal nova
ebegada recntemele de Lisboa no patacho
portuguez Jos ; tem para vender Joa-
quina Jos Gongalves Bltr5o, no seu es-
criptorio ra do Cominera > o. 5.
FOLHINHAS
PARA
0 A10 DE 1872
As festividades sao indicadas para o bispado de
Pernanbaco. As horas das mares, o nascer do
sol, eclipces, etc. (60 pag.), sao exactamente cal-
culadas para Peroambuco : IndicaQSes estas, qae
nao se encontram as folhinha* impresas no>* ">
de laneiro.
O PRECO E' DE 400 RS. CADA
Coastam d'as seguimos variedades :
ANEDOTICA
Consta de cinceenta ancdotas inditas, illnstra-
das com numerosas estampas.
COMMERCIAL
GUERRA FRANCO-PRUSSIANA.
GUERRA DO PARAGUAY
RELIGIOSA
F0LHI1HADE PORTA
Rs. 160
Urna folha cootendo a folhinha) o kalendario.
Ou memento diario para 1872.
Um bonito volurae encadernado pe medico
preco de
Rs. 2#000
Cera meia foiha em branco pira cada dia do
anno.
lJrr;irl;i frac**a
iniTniiiniil
A 3.000 rs, apeo^.
Cambraia trn-parente cora 10 jardas a 30f0
a peca, pechincha : na rua do Crespo n. 20, loja
de Cnilherrae Carneiro da Cur.ba.
Pelo usto para li-
quidar
Vende se pelo custo, para fechar conta?, pap^i
pintado e dourado com primorosos dse hos de
d.fTerentes qoa'idades e gostos, proprio para for-
rar salas, gabinetes e capeilas, ele. Agora ple
qualqner pessoa ornar as paredes de ?na ca;a,
certos de que a importancia a despender ser igual
a que se gastara mandando-a simplesmcnte caiar:
na travessa da Madre de Deo n. 14, armazem do
Candido Alberto Sndr da Mclta & C.
A 16^000 cada um
Borneas para senhora, es mais modernos que
em vin lo a esta praca, alm de ouiras fatrndas
proprias para a fef la, como sejam as segninte?
Madapulo francez Uno, eambraias Victoria e com
barra, parea es; prrv.nes, chitas Unas, Bareges,
la?, frjsiije?, caseniira?, brins braners e da coren
de lioho a de algodao, e ouras n.uitas fazeodas
que se ven Je barato, . com a virta : na rua Di-
reito n. S.f.
cabriolet
Vende se um excellente cabriolet de quairo ro-
das por proco roromodo : na rua ta Florentina n.
ii.a casdo Gnrjao._______________________
Kival sem segundo
Rua Dnqiie de Caxias a. 91
Jos de Azevedo Maia e Silva, em sua lo*
j ade Djiudevas continua a vender todo
por baratos precos que t todos admira :
Libra de 12a para bordar a me'hor
qne ha. 60000
Gaixas com superiores grampos fran-
cezes a 160
Ouzias de Tacas e garios de nm e
dous botes a 4^000
Talberes pare meninos a 240 o 400
Libras de iinba de noveilo, a melhor
pouivei. ioo
Duzia ile lencos de cassa com barra. 1^000
Gaixas de lichas com 30 ncvellos a 500
Vara de franja branca para toalhas 160
Dnzns de meas croas muito coas a 80000
nzias de meias finas para senbo-
ras a 4^000
Xa 'tinas muito finas, para fazer a
barba a i0O0
Caixas cora pennas de ac com to-
qoea 320
Caix3s c im peonas do Pery fazen-
da fina a 8*0
Oitaj e dita dito ?erdadeiras a i,5200
Gaixas cora SO cadernos papel ami-
zade a 70
Pecas da fita: para coz c m 10
varas a 500
Pecas de tranca lisa de todas as
cores a 40
Duzias de linha frouxa para I ordar
a 400 e 500
Pare; de sapatos de tranca a i8C#-
Dotias de baralbos muito tinos a
25400 e
Ditas da agu'has para machi.ia a
Resmas de nape :i!iraco sopem r a
Ditas de (!i'o paulado o mtlbor a
Garrteis de iiufia A'exandre a
AVAKI4
Chitas fins escaras com toque de avaria a f>,
e 11 rs. a peca ou 200 rs. o covado : na rua i*
de Marso n. 20, loja de Guilherra Carneiro da
Canda.
Ja A tao sedi^o o costnme pe ba entre todos
os que luerem fazer connecer de seus esubele-
cimente por meio de pomposos aanuncios, que
com ba oto raiao se arredam os letores das
maseadi com que aos mimoseara os taes aanan-
ciantes.
O Campada raa do Imperador nnmero 28,
se qaesse seguir essa rotina antiga de fazer es-
tampar nes jornaes mais lido?, annuncios bombas-
ticos prendidos de ttulos garxafaes para melhor
chamar a attenco do respeitavel publico; maito
tena que dizer a respeito de sea bma conhecido
armazem de vveres sito rua do Imperador n.
28. Diria por exemplo: que no sea armazem
tem constantemente,, presuntos para fiambre e pa-
ra panella, salames de Lian, queijos de diversas
qaalidades, nguiVas e cbouricas, ovas da camu-
rupim, conservas inglezas e franceza?, vinbos do
Porto e.da Figaeira superior, licores fios, bola-
cbiahas, cha superior verde e preto e outros mui-
jos artigos que sao proprios para mesa, dispensa e
C3iinha. Mas nao.
O Campos s e someate avisa ao respeitavel pu-
blico desta cidade o seas suburbios, que em rasao
de e aproximar o tempo dos < Bega-bofes o tem
ella eito do sea armazem nos grato ao paladar a para que niogaexn da-
vde do qae cima se tem dito.
Pee-se ama visita a roa do Imperador n. 38,
armaiem do Campos.
- O-Bazar Victoria vende meias de la brancas
e de cores para hornera e senbora, ceroula9 de
ilanelia, eami ai de flanella brancas e de cores e
do meia da laa : aa raa do Baro da Victoria nu-
mero .
&o novsimos
Chapaos de palba o de veiudo para senbora
viudos pelo ultimo vaper, sendo por i.so o qne
ha de mais moderno no mercado. Os eufeites e
formatos sao elegantes :. roa do Baro da Victo
ria n. i, outr'ora rua Ncvi, armazem de cba-
nosde Joo Christiani. _______
Para cobertas de carros
Vende se vaquetas da lastro e coaros grandes
de lastro para gnarda lamas: na raa do Baro
da Victoria n. 1 por menos do qne em outra
^aalqner parte,
Vende-se
a taberna da Boa-viagem dtfronte da igrtja, pro-
pria para principiante e ter commodidade para fa-
milia ; a tratar na iu3j>.
Pereira da Canha IrrnUos
Rua da Cadeia do Reeife IS. 21
Vaqaelas para carros.
Bezerros de lustre e graixi
Ac da Suecia.
F. Ibas dazlneo para a'.oeir -'. ,
Ciraanlo Pariland.
Polasja da Russia.
Alcatrao da Suecia.
Pixe dito.
Navidades para a
festa
Chegaram loja de miadezas a calcado, denf-
minadao Mercurio-rua da Iraperatriz n. 80,
um completo sortirnerto de griaaidas da llore?,
luvas de pellica do Jouvia, franjase gaio3 de seda
de lindos gostos, meias inglezas para sei.hrras.
ditas para homrns e meninos, grar.:!e sortimento
de perfumaras o fco3 .'ancezes de todos 03 la
raanhos para rreninos e outros muitos objecio!
que se veode por menos do qne era outra parte.
PAR NOIVADOS."
Bonitos ports buquets.
Lindissimos leqnes da rr.aJrep?rola moldes n-
teraraente novo?.
Cortinados bordado?.
Camisas bordadas para hetaem,
Finas meias de seda para senbora,
A Nova Esperanca auem tem I
DESAPPAKEOAM AS SARDAS
A Nova Eperanea a rua do Duque de Casias
o. 63, acaba de reaeber o bem conhecido leite
de rosa branca, e tambera eite virginal, es quaes
fazem desapparreer as fardas ou panno.
Ll
Cunha rmos 4 C. era seu armaism na rna
da Madre de Deus n. 3i, taem para voodtr de
mareas accreditadas e por presos commodos :
Vinho do Porto de Pasto em barris Je quiuto
e decimos.
Dito do dito fino em barris de dito dit">.
Dito do dito lino em aaocretas encapadas.
Dito do dito de todas as qualidados em caixas
de dnzias.
ESPECIALIDADES
Chegou ama pequea rerae-sa ds vinho do Por-
to em caixas de duzia, proprio pira mimos ou
pessoas doentes.
GRilSIE
12 ISiia Ja fruperatrlz 9 9.
DE
Lourenco Pereira Mnuiles Gui-
mares.
PE-MINCHA A 2*30 rs.
Vende-se ama grande porclo de chitas trance-
zas 9na?, cores aseoraf, com to-iue de avaria, a
200 rs., e 240 o cjvado, graudd sorlim>.niJ Je cha
pos de palha de todas a3 qaa'idades p3ra homen?
e meninos a if, 2500, 3, \$ e "54, e cuira?
muitas fazendas em liquidac^o para fechar factu-
ras : na roa da Emperatriz, "a sr Nacional, no,
mero 72.
Sustento restaurativo da
eaude
PELA VERDADEITIA PAltlNHA
A, Du Birry d'Arabia
03 abaixo NttigBtdM 5!c-m sciento a seus fre-
sueze?, que pelo vapor aglez to-Flaa reei?ber: egunda remessa d'essa ex.-elente farinha, cuje
aso muito se recommeaJa para as enancas, pes-
soas debis e convalescentes, appcaia com re.
nbecida vantagem as coni'ipacocs, diarrheas
nausea do estomago, tosse, e.-carro da sangno
phthysica, etc. etc. Preferida anda palo agradavo"
sabor,Uniricoa outra qualquer.
Coques
Attenc.0
Vende-M a uberon da ladeira do Varadouro om
Olinda : tfaW ni avsm. f> :Tj,>tvo se dir ao
JompraJor.
O Bazar Victoria vonle ecqaes os mais moder-
nos e bem acabados qoa tem vindo ao mered1,
bom como riqaisimos boarnns o sibilas d= baile,
e meias brancas bordada- para sechon tmlem
de muito qt\o ; m rua do Bao da rotoria
numero 2.
Leques.
Enconlra-se no Batir Victoria nm coroilote
sortimento de leques de todas as qnalidade-, ?en-
do. madrepertla, osso, marm, sanab c raaleir?,
garante-. do Bariio da Victoria n. 2.
--Vende-eum grande sitio perto da estcao
do Saigadiuho deiiaudo os fundos para o rio Be-
berihe : tratar com o Sr. Joao Feitoa : ji rua
ot-treita do RosjiIo n. 23.
bravatas de cores muito tiaas a
Ditas pretas putas bordadas a
Grosas de toldes de madrvperola
para camisa a
XovpHf? delmba branca, 100 jardas
Du/.ia da c.n.ties ''e liaba bracea e
preta e de cores a
Thesonras mu:to fir.as para ir.has
28GC
2#000
3/5600
I 0
5O0
600
50C
60
e costara a
aixas redondas pan botar i p a
Gaixas ' para iim; ar denles
f: ztDda Una a
Livro das rr;.--ses abreviadas a
Maces do pilitoj para deotea o
melhor qae ha a
j A' rua do Commeriio n. 10, eacripto-
S rio de Jos Joa.|Um .\ C :ta Uaia, en-
*J^( contr^.-se p:ra vender por commodos
r,.v.
lffl
16.
m
galvanizado par- telha- 7^.
m
Azul, j I : ' h
F rib ;- Je f; .ro
du de diversos lmannos.
Ditas le d.to dito lizas.
Bicas i.'.j ferro gaiv^iuizado.
Cumeiras dito.
Portadas completas para cantara.
Ladnlhcs.

4 Ruado A pollo-4
Joao do Reg Lima & Filho tera para vender, ii
;10 meaos que em outra qualquer paite, o se-
guinte :
Lingui^as fas IIhas em latas.
Alcatiao em barris.
Vinho do Porto (no em cixas.
Dito Bordeaox dito dito.
Relogios do pareae e cima de mesa.
SL
ROA DO AROISEZ DCOLINDA N
E. A. Deouche acaba de recebar aro
grfinie sortimento de octiios e piDcervz da
toas as quadcdts, o vidroa de todas sj
onraerages.
Na mesma ca.-a um giaide s rtiiniv.
ie relogios de toda* as qnalrdes que vea-
dem-se muito brratcs.________
Com o publico em ge: al.
Ohjcctcs para lato I I
Brinco?, palecias, brohes, melos adtwco^
crazas, eassoletas e moldes apiramente botof,
acaha e reetber i Nova Esperan;. tua Daqi^
de Casias n. 63... a eltes___
E' sempre assim
A Nova l'lsjeranga... j".;:is a:*bade rfeebcl
novidadis! agora nesmo, recebe tantas que n >
sabe dcllas qoal annancie pcrffi reor.pre decla-
ra as segainl 0 para scieocia de slgueni.
Medaihoes de madreptr a para vclias, cruz-"":
pra o mesrao flin, bi ritas caiyinbns vazia rj^
papelao, moderiios ad^recis de madrrmeroia, 'de-
iieadas crtente de plaqu, liado* ecchovaes para
baptizados e capouMios para o mismo fin, beo
como deste ultimo artigo ncebea consa muito es-
pecial de sela copa alta, oa fallado para seoboras,
iescrever mais massante....
A retalesciere du Barry de
LoUtlrtS
ua a d( cm;a cede a Revaleseiere du Barr*,
d sade, energa, appstte, digesto e des-
Toda
que d .
canso. Ella cura as dispepsia^, gastres, huu-
res, .eidez pituta, flat.i, enjops, vmitos depoi
da comisa e gravHez, con Upaa9es,t asirme,
alTeci#o;s pulmonares, beziga, gi/ .cretro
sanfjue ; CO.COO .utas, iuclaiado mbuas de.ia? 51
Brasil.
A rev eicicre cbocolatada do Barry
era p,
Delicioso alimento para khodeo e ceio, ,
nulriiTo, f.riilicjiRdo os neros do aatoaasfec
causr o menor paso nem dOr de catees, u?'o i
rihcio.
nico di;..vif) para o Brasil em Peroan-.b,i..'
n ph: rniacin aaiarcaoa de Ferreira Maia & C.
rua da Duque do Caxias n. 57. (Todo cuidad!
om s? falsinces.)
0 verdadeiro Portland: s e vende o
roa da Madre Deus n. 22, armazem de Jo5>
Marlius de Barros.
Incendio de Pars.
No Bazar Victoria vende sa st/jieoscipios c
Importaoles vistas do Incendio dos odi-i".o<
nota veis de Paris a de diversas cidales
na, o que U.t de nwii nctavel : '& r i Jg .
ViCloria n. 2,-
l
\




iaiio de Femante*1 Quarta eira 13 de Dezembro le
1871.
GRAN DE REDUCCO EM PREQOS DE
FAZENAS
DE
FIGUEIREDO & LOPES.

u m m wmmu % u
Os proprietarios da bja do CYSNE convidara ao respeilavel pablico para virem
prove- ss do mais completo sortimento le fazeoda? finas a preces redmos, adver-
ando que estes presos s sero a diolieiro. A imperiosa oecessidade que temos em
satisfazer nossos c npr imisso;, ma obrigam a semelhantes redueles. Avisamos aos
fregaezes do- mallo qie costumam comprar em menor/,escala, qie nasta casa encon-
trarlo s'nceridade e maior commodidade nos presos.
lSo ha mais eateHos brancos.
TiqIWI japono.a.
S (i nica apppBvada jilas as academias dt
irisEcis. vc ^nbMiiU suprior a toda que tem ap-
jareado at hoje. Dpw>iio principal ra da
"iadeia do teeie o. M, i* andar, em todas as bo-
'.caj .cas do eaballeigyro.____________
LAS eom xadrrz lindo3 padis a 320
rs. o covado, pecuincua.
DITAS, bareges, liadas cores a 320 rs.
o covado, pechincba.
PENTEADOBES bordados para senbora
pelo barato prego de 45500.
COLXAS de fustfio de cor, muito gran
des pelo baratissimo prego de 55000 para
ALPACAS lisas com lindas cores e lar- acabar.
gas a 440 rs. o ovjdo, pecliincia.
MERINOS lisos cores diversas e largos a
410 rs. o covado, pechincha.
ALPAGAS IAVRADAS rbuito raodernar,
e finps a 700 rs. o covado, pechincba.
DITAS DITAS muito modernas e finas a
900 rs. o covado.
LAS COM SEDA, lindos padrees que
seos pregos Corara de 10:200, hoje vendemos
por 800 rs. o covado para acabar.
CAMBRAIAS transparentes finas a 3J5C0
CAMISAS para liomoos a 2,0000. Ditas
a 2*5500 at 4d500. I) tas bordadas para
homens a t^OOO 80000 e IO/JO00 cada
urna.
CAMBBAIA com salpicos a 50500, pe-
chincha.
CAMISAS para meninos de todas as
idades.
CHALES cbinezes com modernos padtes
muito proprios para senboras boaes-
tas. Ditus de merino lisos a 2#5O0. Di-
tos ditos estampados muito lia js a 5-5000.
a peca om 8 I/ raras. pechinctw. Di- t03 de meta> a ytfo.
SJ^'^JLf0 '' aH&2' 500-V'' LUVAS DE PELLICA frescas de Jovin a
5MX) e 70UOO com 8 1/2 varas. Ditas q*
r iuuril
tam venda e'm seus armaien*, alm de outros
irtifo* de seu negocio regalar, os siguetea, que
f.ud.m por precos mais mdicos que %a ou-
ta gualquer parte:
PORTAS de pinho almofadadas.
PORTEIRAS de ferro para carcas.
SALITRE iBglez.
ESTEIRAS da ludia para cama e forrar salas.
SANOS de barro francez para esgoto.
8RSSO superior em porcoes e a miento.
CEMENTO de todas as qualidades.
MACHINAS de 4fiscarocar algodio.
LONAS e brintes da Russia.
OLEADOS americanos para forro de Ganos.
POGOES americanos muito boas cooobmos.
VINHO de Bordeaaz.
GOflNAG superior de Gautier Frares.
f ARELLO em saceos grandes a 3J500.
*60A florida legitima.
BALANCASdecimaei.
GAI>EIAS americanas.
RHUM da Jamaica.
AZULEJOS de Lisboa.
DE


M.
transparentes com dvius c rtes na 17 varas
par 110000. Dits decoros moito lin-
das e linas a 480, 500 o 5C0 rs. o mo
iro,
SAJAS BORDADAS a 45303, 60000,8,5
e 100100. Ditas com pregas muito fiaas
BALDES DE ARCOS a OOOpara acabar
p >c iia-:ha Ditos com saias e babado bor- T
dac< mni o lindos a 65000.
FIL de s la preto e branco de superior'
rmaliiiade.
ATOVLIIADOS Rec-bemos oltimaraen-
te atoa hados di linho muito superior por
menos que em out/a qualquer parte. Ditos
de algodo o>m bonitos desenhos a 10800
2 vara. ;
TOALHAS felpudas muito superi ires a
D0OOO a duzia.
RICO1; CORTES de ves'.iJos de fil
com boinhas brilhanles proprios pera par-
tidas a 305000.
LAAS finas com tecido de barege para
acabar 360 rs. o covado.-
BOLSAS para viagens a 40500.
TAPETES de diversos tamanhos para
guarnico de sala.
PARA LUTO.
Alpacas, merinos, cantes, priacetas,
cambraias, chitas e muitas oatras fazen-
PARA HOMENS.
CASEMIRAS finas com bonitos padrees
a 90000, 60500 e 40800 o corte.
ROUPA FEITA
Por baratissimo prego inclusive superio-
res sobreca8ccos de panno fino a 200000.
pechnba.
Tambera temos ura excelK-nte alfaiate que
se encrrega de fazer qualquer pega de
obra ao gosto do freguez.
POUPELINAS.Temos um completo sor
tmenlo lano em xadrez como com palmi-
VESrDOS"broncos bordados com beba- nbas e Por baralissimos pregos.
dos para scabar, quidasepjr 120000, seu GROSDENAPLES tanto preto como de
prego foi de 160000. Ditos brancos com cores, temos um grande sortimento e por
babades b>rdados pelo b rato prego de menos jueem outra qualquer casa.
70OOO. Ditos braocoa com paiminbas de MUSSELINAS brancas iavradas muito fi-
lia de cor muilo lindos pe'o barato prego as a 400 rs. o covado.
de 50000. Ditos mr.is finos a 80000. BRILLANTINAS brancas Iavradas a 500
CRETONES lisos de cics diversas pelo rs_ 0 covado.
barato prego de BfOOO. | LENCOS brancos abainhados a 20-200,
Ditos com pintas >!e cores, fazendi su- pecbincba.
penor a 440 rs. o covado. ; BABADOS bordados finos de lindos pa-
MANTILHAS a brasi eir de fil de seda dr3es.
pelo barato prego de 140000.
Grvalas, collarrahos, ponhos e muitos
CAMISAS BORDADAS para senhora por outros artigos que s se encontra na loja do
icnos que em ostra qualquer parte. CYSNE
Ra da Imperatriz n. 64.
k LOPES.
ARMASEM DOS LEOES
ROA DUQUE DE CAXIAS N. 29
Os proprietarios deste grande e bem montado estabelecimento scientificam ao
respeilavel publico desta provincia que se acham com um variado e completo sorii-
mento de movis, tanto nacionats como estrangeiros, sendo estes escolidos por unidos
aosios que se acha actualmente na Earopa. O me3mo tem contraciado com os melhores
abr cantes daqueilecontinente as remessas das mais ricas mobilias feitas all.
Na ofiicina tem os mais habis artistas daste genrro, e por isso pedem qa3 ve*
nham visitar o estabe'ecimento, aonde encontraro a realidade do que acabara de expr,
qua se pode examinar; ricas e completas mobilias de Jacaranda, mogno, faia, carvalbo, a-
mare>, ele, ricas e elegautes camas deja caranj, pao setim, amarello, etc., etc., guarda
vestido de amarello, guarda loga de Logueira e de amarello com tampo de pedra, apa-
radores de Xo dita, peti toilettes especialmente para fazer a barba, toilettes de jaca-
randa, amreilo, pedra, secreta'ia da Jacaranda e mogno:us tureiras ae mogno, san-
tuarios, thars pira bordar, bsrgos, lavatorios com espelho, de pedra marmore e seus
pertences, cadeiras privadas, bids; etc., etc., e muitos ontros artigos que deixamos de
menciennr por se ternar tnfadonho
OLEO PURO DE FIGADO DE BACALHAO
DA|
TERBA NOVA
DE
H. LACOMBE
Este oleo que lao boa acceitaclo tem mereeido,
muito se rtCjiuraeuda por ser o mais purificado
que at hoje tem vindo, e anda pelo bom paladar,
uperior a outro qaalqner : vende-se no deposito
ispecial de Barlbolomeu & C. : roa Larga do Ro-
lara 34. >
Estopa para saceos de as-
sucar,
Vende se estopa de qualidade propria para sac-
eos de abocar por comm d.) prego : no escrito-
rio de Cuaba Manta, ra do Mariuez de Olinda
p. 40.________,_________________________
Vende-se a casa terrea n. 45, a roa des Pes-
cadores, com tres qaartos grandes, 2 sallas, cosi-
nha fora, quintal murado, casimba e portao que
deita para a ra de S. Joc : i tratar aa roa do
jarquei fie Olipda n. 40^ 1 andar.__________
Vende-se duas casas na cidade de Goyanna
no beceo do Ho?ario n. 7 : quem qnier comprar
dirijase ao pateo do Cemiterio Publico do Recife,
que acbax com quem tratar.
Superiores cigarros do Rio
de Janeiro.
Domingos Alves Mathras, nico agente oests
Srovincia da fabrica imperial ae cigarros de S
uao de Nitherohy, estabeleciiia no Rio de Janeiro,
tem sempre um completo sortimento de todos os
cigarros, fumo oteado e em latas. Tem igualmenu
os afamados cigarros Conde d'Eu, feitos com mag
nifleo papel de palha de milho e fumo superior
Para governo de seui freguezes, que tem estabele-
cido depsitos fillaes, as casas dos Srs. Tnomai
Francisco de Salles Rosa e Hsnoei de Sorna Cor-
deiro SimSes Jnior, no bairro do Recife, e todc
Suaoto for vendido em ontras casas com a firma
e Souza Novaes & C. sao falsificados.
IOS PADRES
A Nova Esperanca, ra Duque de Caxas n
63, quem vende as meih res meias de laia :
quantidade pequea, perianto ellas antes que
ae acaben._______' _______
Potassa da Eussia
nica nova existente no mercado, chegada do
oitimenavio, vendem Pereira da Cuaba Irmo :
ra da Cadeia do Recife n. SI.
Gasea de laranjas amargas
COM
RRO.MRETOiDE POTASSIUM
DE
liiitozi:
Este novo preparado aprovado pela academia
mperial de medicina, muito se recommeeda pela
na acgSo sedativa e calmante, sobre o systema
aervoso, o bromnreto de potassiom, nao deiia de
dar os mais certos resultados as diversas affee-
,oe.- do organismo e principalmente Has molestias
lo coraclo, das vias digestivas da respiracao, das
vas genito-urinarias, na epilrp aervesas da prenhez, na insomnia das enancas
durante o periodo da denligao etc. etc.
Vende-se na pbarmaeiae drogara
Baptbolomen C
34RA LaR:A DORSARIO34
RIVAL SEM SEGUNDO
RA DUQUE DE CAXIAS N. 9.
Jos rJig( dinbo, cem leja (fe piadezas,
avisa a todos os os setas fregaezes qao est
torrando tado pelo prego, a vista-da fazen-
da, para todos admirar, a saber':
Thesouras grandes e pequeas o
mais Gnp que ha a IG e I #500
Pecas de tranga de lia e algodo as
mais modernas a i 60
Frascos com una de colonia moita
fina a 400 e 50Q
Frascos com agua de colonia ver-
dadeira a 800 rs. e M50O.
Chapeos brancos para baptisados o
melhor que ba a 3&000 e 5;500O
Duzias de botoes cobertos de seda
para vestidos por todo o prego
para acabar.
Libra de areia preta a 160
Grosas de boi6es.d# k>uga'branca a 4^0
Caixas com 100 envelopes fajeada
fina a 500, 600 e 800
spelhos de moldara dourada a
800 e 1,5000
Pemes pretos volteados para me-
ninas a 240
Tinteiros com tinta preta a 80 e 100
Pegas de 6 Latas com superior banba 60,100 e 200
Latas grandes eom superior banba a 320
Frascos com oleo de Pilocme a
500e 800
Frascos com macass | Peruta a 240
Frascos com agua de Colonia verda-
deira a 10OOO
Ditos com oleo de ba josa suderior a 320
Garrttis de retroz preto com 2
oitayas a 600
Caixas com agalbas fraocezas a 160
160 240
Pecas de ttras boraadas a 500, 600
800 e liOOO
Garrafas com a verdadeire agua
florida a i 300
Cartilhis da Dontrioa Christaa as
mais modernas a 400
Escovas muito finas para limpar os
den tes a 240
10Ra do Crespo10
Pecas de algodo com 20 jardas a 4/, 4*500
81000.
Ditas de madapolao a 4, 8*, 5*500, 6/, e
6*800.
Ditas de dito infestado, francez superior a
iOOO.
Chitas francezas de todas as qnalidades a S40,
180, 300, 30 e 3ta o covado.
Cambraias de coras a 240 e 280 rs. o covado.
Dita lisa de cor a 320 rs. o covado.
Ditas pretal para luto a 640 rs. a vara.
Pegas de eambraia li;a transparente a 3*, 3*o0
e 3*000.
Ditas de dita Upada Victoria, a 4*, 4*800, 5*
e7*.
Ditas de dita, transparente, snissa muito fina
eom 17 varas, 14*.
Ditas de dita bordada com 10 jardas a 7* e
9*500.
Organdy branco juo a 700 rs. a vara.
BnlhBliiia branca iuf.slada a 440 e 500 rs. c
covado.
Br>tanha de linho com 28 varas a 20*000 e
25O00.
Dita de dhe'infestada com 30 varas a 27*.
Bramante de Hubo com 10 palmos de largara a
lim. hm.
Dito de algodo a 1*500 a vara.
Atoalbado de dito e de liubo com 10 palmos de
largura a 1_*300 e 3*.
Toalhas alcochoadas para rosto a 7* a doria.
Ditas de liuo do l'urto felpudas a 10*000 a
dU7.ia.
Guardanapos de linbo a 3* e 4* a duzia.
C bertas de chita a 2* e i*:i00.
Ditrs de chita adamascada forradas, 4*, 4*500
e 5O00.
Colchas de damasco de cores a 4* 6*.
Ditas de fusto alcocboadas a 5*.
OtortM-d la eseufae a **.
Dias de algodo hraacj a 1*400.
Colleiriuhos de liobo a 580 rs.
Chales de merino lisos pretos e de cores 2*000
e 3*000.
Ditos estampados de meia easemira a i e
2*500.
Damascos de cares a CvJ rs.
Lencas braocoa de oasa uuos, 2*, 2*500 e 3*
a duzia.
Ditos ditos e de e, r diahado largo a 3* e
3*500 a duzia.
Ditos dito de cambra;-'.'; ItIio Anos-a 6* a
duzia.
Ditos de esguiao de Itabo . , 4*500, 5* e 6*
a duzia.
Bnm Angola a 640, 800 e 1*000 o covado.
Brins de linho de con-s .i 500 rs. o covado.
Cortes de meia easeswra tara caiga a 1*200 e
1*400.
Ditos de easemira para calca a 3*500, 4*500
5*500.
Casemiras de cores de daas larguras, 2*, 2*50
e 3* o covado.
Ditas pretas, duas larguras a 2*500 o covado.
Pao tino preto e azul a 2*, 2*500, 3*090
3*500.
Dito dito muito fino superbr a 5*, G* e 7*
eevado.
Lans e alpacas de cores para v93tidos a 400
500, 600, 700, 800 e 1* o covado.
Toalhas com labyrinlos para bandejas e para
rosto a 8*, 10* e 15*.
Camisas de flanella branca, e de cores 2,
2*500, 3*, 3*500 e 4*5C0.
Groedenapoles preto e de cores 2*, 3* e 4* o
covado.
Do-se amostras com penhor.
Vende-se tambera grande quantidade de roupa
feita.e por medida por pregos muito reduzidos.
Cura rpida e radical dos
callos
pela pomada Galopeau
Bssa pomada que tao bons resultados tem colhi-
du as pessoas que della tem feito uso acaba de
ebegar para o sea deposito especial..
NA
Pharmacia e drogara
DE
Bartbolomen & C. roa larga do Rosario nn-
___________ mero 34-
J. 0. 0. Doyle ttm em ie
armazem para veader
O SEGUINTE :
COGNAK HENNESS.
VIMHO XEREZ.
DITO DE LISBOA,
FILTRADE1RAS.
B1TTER
A' rna do Commercio n. 38.
mmm _
FABRICA
DE
r*revendo necessa ia
Quando mullas lojas procuram adquirir grandes
lucros nao compadecenlo-se das bolgas alhrins,
a Nov Esperanza busca eon;egui-los sem que de
forma alguma va entesica-las; porque segu sem-
pre o seu antigo e santo systema de vender bara-
to para vender muito e chegar assim ao fim dse-
jado.
A Nova Esperanga nao almeja somente o lucro
pecuniario, suas aspiracoes sao mais benvolas,
em quanto ao interesse material, contema-se com
a mediocredade, em quanto porra ao moral, ou
entao ao csseocial que ella julga nomeadasen-
te urna vasta ambicio, que detesta e faz toda
guerra ao costume macarrnico da caresta.
A sua prevenpio necessaria, consiste em avisar
ao respeitivel pub'ico e especialmente ao bello
sexo, que ella el sempre prvida do que ba de
melb r e mais elegante no mundo das modas, e
entao necessano nao dsixarem a Nova Espe-
ranga para prefenrem outro qualquer estabeleci-
mento, porque aqui, 6 o typo da caresta, e all,
(na Nova Esperanga) 6 o epylogo de tudo quanto
e bom e barato.
No Forte do Matos, es-
criptorio por cima do trapiche
/Mutas, ha para vender carvo
das qualidades seguintes:
SUPERIOR NEVVEAOSTTE,
COK.
> FERREIRO.
Vende-se em porcSo e a retalho por pre-
ro muito commodo.
Vende-se duis casas em chaos proprios, bo lar-
go da Soledade ns. 18 e 20 : a tratar na ra da
Crnz n. 46, 1* andar.
LIQUIDACAO
Para acabar,
AVISO AS FAMILIAS.
O dono do grande estabeleeimenlo de fazendas
sito a ra da Imperatriz n 2, resolveu liquidar
todas as fazendas de sua loja, as quaes veade a
dinheiro por todo preco, tendo entre ellas, ricos
vestidos de blond para casamento, ricos veos, ca-
pellas, sedas popnlinas, lass, alpacas, cambraias,
crotones, percalles, casacos, basquinas, e nanitas
outras fazendas Qnas e grossas; assim como um
grande *ortimento de roupa feila, de casemiras fi-
nas, panos, linho e algodo que todo te vende ba-
rato para acabar.
Vende-se
Urna boa casa situada na Caponga, com 5
qaartos, 3 salas, cozioha, cacimba e om
grande quintal plantado: a tratar aa ra
Io de torco q. 7 i* andar.
CHAPEOS!
DE |
Todas as qualidades
N, 24 rna larga do Rosa- j|
rio n, 24,1/ andar
Se odesejo dos proprietarios desta fa- g
brica fosse nicamente Iludir a f pu- 5
blica, ba muito que teriam aonunciado S
os seus productos, mas para correspon- SM
derem mais dignamente conQanga nel- J
les depositada, osperaram receber 03
objectos e pessoal, que acabam de che-
gar-1 bes.
Hoje, pois, que a sua fabrica se acha
montada com as mais aperfeicoadas ma-
chinas, com os melhores petrecos e ser-
vida dos mais peritos officiaes europeos,
podem os seus numerosos fregaezes e
o publico em geral encontrar desde j.
Chapeos de seda da ultima moda, sen-
do altos e baixos.
Ditos de castor de todas as cure?, em
formatos ingletes e amburguezes.
Ditos de feltro de todas as qualidades
e feilios, tanto para hamem como para
enancas.
Ditus de velludo para senbora.
Ditos para eclesisticos, redoudos, tri-
angulares e a romana.
Ditus armados para militares.
Ditos de pasta.
Concerta-se toda a especie de ehapos
quer de hornean quer de senhora, com a
maior pericia e mais barato que em qual-
quer outra parte, assim como se rece-
ben) encommeodas tanto para a provin-
cia como para fra.
*mNL
Mel 1 m barris de quinto
Da melhor qnalidade, e prompto a embarcar
vende-se a ra do Apo'.ld n. 4.
Formas para pdins e can-
gica.
A loja de lou$a da ra Primeiro de Margo n.
16, de Bernardino Duarle Campos & C, ebega-
ram as muito desejadas formas de louca para po-
das e cangica, as quaes se vendem por mdico
preco.
VNDESE
ama boa casa situada na Capunga, com 5 qaar-
tos, 2 salas, cozinha, cacimba e um grande quin-
tal plantado : a tratar na ra Ia de Marco n. 9,
1 andar.
Libras sterliaas.
Vende-se no armazem de fazendas de Angosto
P. de Oliveira & C, ra io Commercio n. 42.
Xarope peitoral de James
nico deposito na pharmacia americana de Fer-
jeira Maia & c, 57 roa do Duque de Casias nu-
mero 57.
RA DO DUQUE DE CAXIAS
(Outr'ora do Queimado)
TeDdo-se resolvido d'ora avante vender-se nsste estabelecimento todas as fazen-
das sistemes no raesmo, por pregos qae todos admiraro, acho de meo dever parti
pa-lo a todas as Exmas. familias em gerai, afn de virem visitar este estabelecimenk'
ou mandarem buscar amostras, garantindo-se-lbes um bom sortimento de fazendas dt
aigodao, la, liubo, e seda, em&m urna inSntdade de artigos de moda maudando-se aa
casas das Exmas, familias, por embregado da casa, tola e qualquer fazenda para vereo
oa escolherem.
As pessas que vendem em menor escala poderao bom sortirem-se nesle estaba
iecimento qua vender pelos mesmos presos que em qaalqner casa importadora, tendr
a facilidade de comprar qualquer porcao.
O 63 tem um completo sortimento de ronpas bem acabada o que vende por
prec/>s muilissimo commodos, mandando Uimbem fazer por medida toda e qualquer obra
que os concurrentes desejarem pira o que tem um dos mais habilitadsimo meatrt
alfaiate, cortando por om systema rnteiramente novo.
Os aefluocios nesw praca eslo e por certo devem estar desacreditadissimos, poii
que ba casas que aanuaciam aquillo que nao teem, o que o (J5 garante nunca dawe eo
seu estabelesimeuto, pois que s deseja bem servir ao publico em geral, para ganhar
grande nomeada em todo o mundo.
0 65 acha desnecessario mencionar os precos de suas fazendas pois que isso tor
naria-se demasiado magante para os leitores, por ter do ser demasiado estenso sea an
nucio, e mesmo para se tornar menos de.-pendioso, pois que vendendo muito e s&aitc
barato mister encurtar suas desptzas. A sinceridade dos tratos do 65julgo que j o
publico conhece demasiado, pois que sempre tem cumprido com aquillo que aonnnda
nao verdade ?
E' INTIL, NAO SE CANCEM, COM O 65 NINGUEM PODE COMPETIR
BOA DO DUQUE DE CAXIAS
(Outr'ora do Queimado)
* 56 ARna do Mrquez de Olinda56A
outr'ora ra da Cadeia.
LOJA DAS MACHINAS
Sendo este antigo estabeleeimenlo assaz conhecido como principal e recommeii-
dado pelos grandes depsitos e bons sortimentos com qoe sempre prima em ter da*
melhoras, mais acreditadas e verdadeiras macklnas americanas para algo-
do, desde 10 60 serras, e bavendo em todos os tamanhos diversidades de syat
mas e melboramenios para perfeito e rpido descaroeamento; tomata-se digaas d
serem vfstas e apreciadas pelos Srs. agricultores; os quaes, alm disto, encontrarla
ambem mais:
Apurados vapores logomoveis, de forfa
de 3 4 cavallos, e pertences.
Machinas para lavar roupa.
Arados americanos para varzea e la-
deira.
Carros de mi para atierros.
Tinas de madeira.
Baldes de dita.
Ditos de ferro estanbado.
Ditos com vlvula para lavatorios.
Ditos de madeira para compras.
Apparelhos para jardioe.
Guardas-comidas.
Tampas para cobrir pratos.
Tarrachas para fazer parafusos de ferro.
Ditas dita ditos de madeira.
Trens para cozinha.
Temos de bandeijas finas.
Etafim muitos outros artigos, que
examinados.

Correates para arrastar madeira.
Cylindros americanos para padariai.
Pertences avulsos para machinas.
Salitre refinado.
Breu superior.
Moiahos de diversos fabricantes par
milho e caf.
Di'bulbadores para milho. .
Azeite de spermacete para machinas.
Camas de ferro.
Bombas de Japy.
Ditas americanas.
Colees de forro patente.
Caaos de ferro esmaltados.
Ditos de dito estanbado. m
Ditos de chumbo.
Ditos de borracha.
Folies para ferreiros.
s avista e neste estabeleeimenlo poderao Mt
MACHINAS
PA DESMRIW AIGODAO
De 10 a 40 serras.
VAPOR
para mover as machinas.
Em casa dos importadores I Ra do Bom-Jesus a. 4
Shaw Hawkes A C. i outr'ora Cruz.
m


iari* d Vmambucm (Maula eu* 16, 4* -Jleaembco 1871.


>
r
i:
SEM LIMITES
Na
LOJA E ARMAZEM
FLIX PEREIBA DA SILVA ft C.
NA BA DA IMPERATEIZ N. 60-
S a dinheiro vista
Os proprietarios deste estabelecimento tendo grande necessidade 5e dimiooir o im
menso deposito qae tem de fazendas e grande urgencia de apurarem dinheiro, tem re-
solvido fazer orna verd*deira liqaidacSo com grandes batimentos nos precos de todo;
os seos artigo:; para o que convidara ao respeitavel publico desta capital a vir sortir-st
pos Ine garantem que *-m parte algam i poderlo encontrar tSo grande sortimeLtoe me
mo nao comprarlo petes precos qne se Ibes pode vender na loja de P.vo; porm ad
virtindo-se qaa s se vende a dinheiro vista. Os mesmos proprietarios deste estabe
lecimento rogam a todos os seos devedores desta prac/i o favor de virem saldar seos d-
bitos, e todos aquelles que esMverem devendo contas antigs e o niofizerem tero di
ser encommodados judicialmente.
LSaslnhas baratan do Pavo.o
Alsacianas co.n lia jas listras de seda a
10000 o covado.
Ditas lisas com mnito brilho a 1$ o cevado
Atlantas, fazenda ue moito gosto tecida
com seda a 720 rs. o covado.
Ditas com qnadros do seda e cores muito
delicadas a (540.
Poil de chvre, d'nma s cor com moilo
brilbo a 500 rs. o covado.
Merinos escossezes fazenda de muito gosto
para vestidos bmius e roupas de memoo
a 640 rs. o covado.
Gurguro muito bonito, tendo de todas
as cores a 400 rs. o covado.
L5asmhas aodernas com differentes ges-
tos a 400 e 500 rs. o covado.
Ditas dits a 280 e 320 rs. o covado.
Bareges transparentes cora differentes co-
res a 100 rs. o covado.
Alpacas de cores lisas e lavradas fazenda
de muitj gosto a 500 e 800 rs. o covado.
Cassas do Pav&o.
Cassas inglezas com bonitos gostos a 200
e 240 rs. o covado.
Ditas finissimas a 300 rs. o covado.
Ditas francezas de muita pbanbsia a 400
rs. o covado.
Cortes de cassas com 7 varas fazenda
muito fina e bonita a 2J500 e 30000.
Ditas d'organdy branco e de cores a
20500.
CORTES D'ORGANDY A 40000.
O PavSo tem cortes de organdy branco
com 8 1/2 varas que vende pelo barato pre-
CO de 40000, assim como finissimo organdy
branco com lisiriohas e qoadrinhos o me-
Ihor qne tem vindo ao mercado e vende
pelo barato preco de 720 rs. a vara.
Ponpelinas de seda a S4QOO.
O Pavio tem om elegante sortimento de
poopelinas de.s^da tanto lisas como lavra-
das mercado e vende a 20000 o covado.
CAMBKAIAS LARGAS A M>0 RS. A VARA.
O Pa5 tem craoraia branca transpa-
rente de boa qoalidade, coro 8 palmos de
largara, que apenas precisa 4 varas para
um vestida e vende a 800 rs. a vara, dita
Qnissima da Essossia tendo a mesma largu-
ra, que vende a 10*500.
CAMBRAUS BRANCAS A 40000 E 4500
O Pav3o tem pecas de carrbraia branca
transparentes com 8 1/2 varas qne vende
pelo barato prpeo de 4-5000 e 40300, ten-
do tambem muito fio.'S de 50000 at
100000.
Ditas tapadas o a Victorias tendo de 30500
a peca ata a mais tina qie vem ao mer-
cado.
Crosicaagdes preta e de cores.
O Pavo tc:n oa grande sortimento de
grosdenaplts e gurguro preto para vestidos
tendo de 10600 o covado al ao mais su
perior qne costama vir ao mercado, assim
como um grande sortimento do ditos de
todas as cores e branco e um bonito sorti-
mento de setins branco e de cor-s que ven-
de por proco" muito ero eoota.
CASAQUINHOS A 153, 180 E 200000.
O Pavo tem um grande sortimento de
icos caaquiohos de seda pr^ta moho beoj
enfeitados e modernos que vende a 150,
180 e 2"0OOO, sendo fazenda de muito
mais valor, assim como ricos chales pretos
bordados com franjas largas de relroz a
100 e 120000.
CORTINADOS PARA GAMAS E JANELLAS.
a 80, 100. 120 e i-50000.
O Pa5o tem om grand sortimento de
cortinados ricamente bordados, proprios
para camas e janellas que vende de 80 at
160000 o par.
Pecas de cambraia adamascada cora 20
varas a 100000. crochet ricamente bordado
para cortinadosa 10500 o metro. Assim como
ricos damascos rom 6 e 8 palm s de largu-
ra proprios para colchas de camas e tam-
bem ricas cjlcbasde damasco a imi'aco de
eda e ditas de crochet as mais lindas que
tem vindo ao mercado.
MUSSELINAS DE CORES A 400 RS. O
COVADO.
O Pa*8o tem um bonito sortimento de
musseiinas de cores, padrees inteiramente
dovos e cores txas, que vende a 40o rs. o
covado. Ditas brancas muito Gnas a 400
e 500 rs. Meiim branco da India muito fino
para vestidos e roopas de mooinos a 720 rs.
o covado. Cretones de cores muito encor-
pados para vestido a 600 rs. o covado.
Metralhadoras!
Cbeg n para a loja do Pavo nm magnifljo sor-
lmenlo de df es 'tfl vestido* de eambraia cora
babados branco- e de cores, denominados a me-
traih'dora, >*nd> et fafwla a mais moderna e
e mikof gttto ojo ttin vindo este anno para a
/esta : asf*an com receben tambera nm liado
aoctimato de cortes de canl>ra cora palmuiha*
Dortada,' a la. Uf.aAa d* irmitaHihantaiia, e ven-
de-Ge todo mut > mar* barato dAqne era outra
qualqtW pftM* : a ra da I jperatru n. 60, loja
e a/mazam de Perira da Silva & C
Popelinas de seda
A WX) rs.
Ni *4> *> F-wi- vende se o elefante sorti-
mento daa melbnres e aun modernas pepettnas
de seda, qae se liquida pelo hir?tisimo prego de
14600 ri. o covi.d >, (irande pechinrha : run
da Impera* m. 10, l C.
Loja do Pavo
SAJAS BRANCAS BARATAS
a 20500 e30000.
0 Pavo vende cortes de boa fazendi
branca com bonitas barras de pregas, pele
baratsimo prego de 20500 e 30000 cad.
urna, grand pechincha o roa da Impera
triz n. 60, loja do Pavo.
MODERNAS BAREGES COM LISTRAS DE
SSDA E FRANJA AO LADO:
a 800 rs o covado.
Cheg.ou para a loja do Pavlh, roa di
Imperatriz n. 60, um eleganto sortimentc
das mais lindas bareges modernas e tende
ao lido bonitas listras assetinadas e franjas
para os enfeites, as quaes se venden pele
baratsimo prego dfe 800 rs. o covado, poi
haver um grande sortimento desta nova fa-
zenda ; assim como delicadsimas baregei
com lindas listras de seda, sendo fazenda dt
muila phaota'ia a 640 w. grande pechin-
cha, no armazem do Pavao.
Fazeuda para lato.
O Pavo tem um grande sortimento dt
fazendas pretas para loto, como sejam:
Merino preto cora 6 palmos de largur:
para vestidos a 20000 e 20500 o covado
Merinos pretos e de cordao para todoi
os pregos e diUerentes qualidades.
Bombasinhas para todos os pregos.
CantOes e alpacas pretas. Lasinhas pre
tas oa cassas de la de 360 at 500 rs. t
covado.
Cassas pretas francezas e inglezas de to
das as qualidades.
Chitas pretas francezas e inglezas de 20(
rs. para cima.
Crep preto para veos.
CASEMIRAS PARA CAICAS A 40, 50, 60
70 E 80 00.
O Pavao tem ora grande scriimento d(
cortes de caserairas de cores para caigas
sendo os mais moden os que tem vindo a<
mercado e vndese de 40 at 100000 (
corte, ditas em pegas francezas e inglezas
para ra'cas, patots e colletes qne vende dt
10800 at 60000 o covado, ditas escoras ;
prova d'agoa que vende a 50 o corte ou ;
30 o covado, sendo estas casemiras muit<
proprias p3ra meninos de escola por seren
es raras e de moita dufagSo.
NOVOS VESTIDOS A 50000.
O Pavo tem lindos crte3 do vestido di
finissimas cambias com bonitos bordados
do cores e tambem iodo bordados branct
oua vende pelo baratissin o proco ce 50OO(
cada corte, grande pichincha.
PANNOS DE CaO HE PARA CADEIRAS I
' SOPHS.
0 Pavo tem om grande sortimento di
pannos de -roch pruprius p n encost di
cadeiras e de sphs, assim como um rict
.irtimento de tapetes de todos os tamsnbo:
proprios para salas.
MADAPOLlO BARATO A 40,40500 E 50
O Pavo tem p- gas de madapplo com 2
jardas ou 20 varas qne vende a 40 e 405O
a pega, dito muito fino o largo de 60 par
cima, dito france?. do nielhor que tem vind
ao mercad", assim como dito finissimo en
pegas de 40 jardas.
Corles de cuitas.
a 106(10, 20000 e 20800.
O Pavo tem cortes de chitas franrezat
com lOcofsdos, qnf vende pelo barato pie
eo de 10600 e 20000, di1 as que vende 5
16, 200 e 280 rs o covado, tambem ten
um grande sortimento de ditas fiuas clarai
e escuras que vende a 280 e 30 r. o co
i as para camisas, vestidos 6 roupas para roe
nios qne se vende a 360 r 400 rs.
LENCOS BRANCOS.
O Pavio tem lengos brincos abnhadoi
que se vende a 20400 e -30. a duzia, dito
grandos de murira sera ser abanhados i
30200 rs. a duzia ; assim como bonitos len-
gos borddos para mos.
ROUPAPARA HOMENS.
Sobrecasacos de panno preto fino send
mnito bem feitos de 120 at 400000.
Palitos de panno preto fraqnes e sacc
de 80 at 120000.
Ditos de casemira de cor de 60 at 120.
Ditos de alpaca preta fina de 40 a 6000o
Ditos de dita branca e de cores 60000
Ditos de bnm de linho trangado a 60000
C Ig-.s de casemira preta de 60000 aU
120000.
Ditas de brim branco de linbo de 40OOC
at 80000.
Ditas de brim de linho de cor para todoi
os pregos e qualidades.
Camisas francezas e inglezas com peitof
d'algid3o dd 10600 at 50, em dozia ven
de-se mais barato.
Ditas de meia de 800 rs. para cima.
Ceroulas de linbo e algooao, francezas i
faitaf na trra.
Coilariobos de papel, algodao e Hnbr
qoe se vende milito barato pra liquidar.
Para noivas.
O Pavio tem rico grjrgnrflo de seda, bran
co. Grosdenaple branco mnito encorpado
Agraciannas branca con listras de seda
das. Sedas brancas, lavradas e lis. O-
pellas cora palma d flor d laranga coa
rii-i>s veos bordador, qnn tndo se venda ntair
barato do que em outra qnalqoer parta.
A loja do Pavo acha-se constantemente aberta das 6 borat da maobSa at as 9
borts > Mite, ra da Imnerairiz o. 60.
r mol
N'ESTA ANTIGA E CREDITATA
FABRICA
IHCOITIl II CMTiHTHHTI IM COMPUTO SMT1IIHI0 II
CHAPEOS BU !!
De todas u qualidadea I
N todoa as feitios I
De todas os praeos I

RA DO CRESPO N' 4
Eua da Imperatriz n. 40
Os proprietarios deste bem couhecido, e acreditado estabelecimento, resolvern)
fazer urna liquidago das fazendas existentes, e pelo maior prego qn podtrem obter,
nao engeilando prego algam at o fim do anno ; porlanto previnem aorespeitavel publico,
para approveitar a o:cas5o de comprar bom e barato.
Lengos brancos grrcdss de esguij j
abainhados"a 30200 a duzia.
Ditos ditos de algodo, e com abainhado
largo e pintado.
Custumes de alpaca de cores enfeitados
de seda e la para meninos.
Palitots de a'paca de cores para bomens a
30000.
Capellas e veos para noivas, ludo junto,
prego muilo barato.
Um compiti sonimento do roopas
feitas para h.mens e meninos.
Casimiras pretas e de cores, pannos fiaos
azues e pretos.
Fu toes de cores para vertidos, padroes
miodinhos a 400 rs. o covado.
Cambraias brancas bordadas pira vesti-
dos a 80500 a pega.
ROUPAS FEITAS E OFPICINA DE ALFAIATE
Urna grande quantidade de palitots, caigas,
colletes de pannos, casemiras e brins para
lodos os pregos.
Camisas de la, dilas de meia, ditas de
Ditos adamascados para camas ejanellas linho, francezas e inglezas, collarinbos de
j recoriados. linho e de papel, sortimento de mantas e
grvalas de seda preta e de cor, bournus e
Grande sortimenlo de bareges, ISasinhas otras muas fazendas, amo sej O alpacas pretas e de cores, lavradas e lisas Bramante de linbo e de algodo atoaloa-
para preces muito em cenia. ido trangado e adamascado, esguio, meias
Grande varieda Je de chitas de 240 at para horaens, senhoras e meninos, coberto-
400 rs o covado. res, colchas e outras multas fazendas que
Cassss de cores, e cambraias listadas para d3 descrevemos parao annoncio se nao tor-
diversos pregos. inar enfadonho. A dinheiro.
I Pelo prego que se vende so a dinheiro.
O PAPAGMO
NA
Ra da Imperatriz
DE
40.
Aaoca sa vio nm processo'mais perfeito e qae at-
m de ial forma a aaiisfazur as exicenciaa man
ivsru da cscriptnracao.
i na edr lindissima e nao precisa de cnida-
s tlfom para se conservar do timeiro sempre
i a mesma edr, sem borra, cresta, bolr on sem
l*s sus mawlias inherentes todas as tintas
* agora cunbeciiias, anda mesmo dos melhores
tiortss estrangeiros.
Sobrerado, este eslimavel producto nao ataca as
anas de a;o, antes pelo contrario, a ponua
-zit, asss proveitoso.
iata tima, nao acodo especialmente para copiar,
a ccmtudo duas, tri. , oa mais copias om iiet
tas de escripia ; . preciso, porm, deixar-loe
paMl bem mcihado sem a easaaar eorn o mata-
-orrao, porque nao ha o meo de borrar. Para sa
.rar mais de urna copia, nao se agglomeram tan-
ta foibas quautas copias se querem tirar, mas
x-u como original tirar ama tantas qnantaa
.nr*am, lem qoe o original qu projadicado
mu extracto?.
ccorra aqi diaer que, para copiar importa
Poopelinas brancas de teto Ifws a liwa- i "^'^tt,^'
e o defeito recae sempre
qne mnnaa veres qnem meos
cripU soffre o choque de cidos fortissimos, sem
se decompilr; ora, se os cidos nao tem accao so-
bre ella, muito menos a acgo do tompo a pode
destruir; isto paasivel.
Nao s ao commercio qne este mea prodocto
veio ser til ; os profesores dos eoilegios, Investi-
gando todos os meios para o adiantamento dos
seas dl!>cipalos, tem approveltado esta tinta, qne
com razio a acharam apta para desenvolver o
gosto nos educandos, em coaaeqoenela da beleza
da c6r e facilidade de correr na peqaena pela sna
liquidez. Ha exemplos de cr.nca qae havia
amito tempo tioham ama repugnancia extrema
para a escripta, logo que foi admittida esta tinta
o eoliegto, apoderoa-se dellas a coriosidade e o
gosto, e poaeo tempo depois o sea adiantamento
era mantelo.
Esta Unta, a par de tantas vamageos, tem am
tico inconveniente, deieriora-je ao contacto de
outra qnalqaer; ernvm pois te-la em tintero
iseat<)s do menor vislumbre de ootra tinu, a evi-
tar encrever com a peona soja de orna preparacao
difirante e moompativel, verificando isto, nao ba
razio para se osar de tinta qae oio seja a VIO-
LETA EXTRA-PINA DE MuNTEIRO.
*r i tinta,
M-nt tem.
i irona qoandadb deeta tinta extremaeaeatai
jtoeeiaveL poi qoa evita que em qnatquer as-
curio baja wm do qae ama nota para os di- 5
Tur-i rtirMy.
ananto aaa dorabidade, nio M a opp*
pon qne ata neta d*poti4eaa-'

Obsarvapo.
Diversas fallficaQoes e aemelhaneaa tem appa-
racldo, caja dnrabirmff dnvidosa. Os Sra.
idere pod* evHar o eagWo dififmdo-*e
a eeaae tireaaafjeciai, a aedtodo aUnu fneen i
[aabroo
l. C, imeiro.
i Cofres de ferro MlBer8, 0lro.
i: re upas para 0Opar car(a3i
Balanzas de pesar, Decimaes, Romanas, etc.
Tachas de ferro, P8tannad0.
Arados Americanos
ljrau.eS, para agncoltara.
Carrinhos de ma5.
Machinas a Vapor
JSECUlIaS de descarogar algodSo, de 10 al 40 serras.
i/napaS e I8rr0 gaivanisadas para cobrir casas etc..
Estes artigos vandem-se em
casa dos importadores.
Shaw, Hawkf.s 4 C,
K. 4 nUA DO B0M.JKSUS.
(outr'ora ba da Cruz )


Singer Manufacluring
Btf^OOO MdCluua.-- P*ra Familias
90*000 Machinas Para Familias
90*000 - Machinas Para Familias
90*000 Machina" Para Familias
100*0f'0 lli as Cun ram;...5.
100*000 Ditas Com Tampa
100*000 Dilas Ccm 1 capa
100*000 Dita* Com T opa
105*000 lli'...-.!. .1.1- Toda Costura
103*000 Brasileira- Toda Cotura
105*000 B-asileira? Toda Costura
105*000 Brasileirar- Toda C-sinra
l(K)*0t() Wachiuas de U ni. 'ta
1(10*010 Macbioas de Mar; -lia
100*000 Machina.; de Mam ella
100*000 Machinas de Man valia
113*000 Micbinaa Para Abates
115*000 Machin'.s Para Alfaiates
115*000 Machinas Para Alfr.lates
115*000 Machinn Machinas Para Alfaiates
115*000 Para Sapateiroa
115*000 Machinas Para Sapiteiros
115*000 Machinas Para Saf tairej
115*000 Machinas Para Sapa tiro.-
1)5*000 Machinas me-a de Exienco
145*000 Machinas mesa de ExteDijao
145*000 Machina mesa de Extcncao
145*000 Machinas mesa de Exteneao
130*000 Ma'Miin.i- Para Chapelleiros
130*000 Machinas Para Chapelleircs
130*000 Hecbioas Para Chapelleir;"
130*000 Machina Para Chapolli r,:
/Note-se bem\
v ao numero /
45 RUADlf
nico vgente
Chapman.
(Note-se hecj\
ao nimerc /
J lili
LlCfi CeNCENTM 0 C TITULADO
0 Sfir Gnjot chciou a tirar ao alcarrl a
sua scrimoniaaoaea tmargorinsnppo
o que o loi na mais soluvel. Aproveilando eta
fei descolora, efle prepara um licor cr-n-
cenlrado (calc.ilrflo.o qiial, sob u".i pequeo
volunie, conlem urna grande pnporco de
principios activos.
0 erarn de dr.ja [GolldrOO de
Guyot) possue por consequencia todas asvan-
tagens da agua de lcali r.o ordinaria, seinlcr
os inconvenientes. Baila deitar J'ce urna
.- ther d S otim. c o '' para o!
! i su : de ex ' n le :
:; I ' I.
r i i man ira i '
catran
econi
e-evii ii o a.
..:....
i a
, :.
toares, c .
. ||_
0 Alcatrftoda Gujot ei&prcgado con o niaioi ex.U ..
E3 EZDIDA. l'! coUier de cife /;.- rnn co
wpnpara urna ijarafu :
BflrtMrfiHITBS
CATARPHO OH 8EXI&A
DEFLUXGS
TOS9E PERKITA2
ar.RITAiJAO OE PETTO
TOSJE CC.VLSA
El FOMEfTivSS. Ucfr 7"~" e<>n> > ; M k <^t
AFFECgES DA PELLE
COMICH'S
MOLESTIAS 00 COURO CABEk^'JOO
.. : Uiertf dt
i


E9UUECS6ES.

Unta parte de licor c quatro d'arua ('ni lauramwrt ajHUI
FUUX05 ANTIGOS OU nECENES
CATARRHO OA BEXfCA
I
O Aleatrfto de Guyot foi txjierimenld$ oam nm verdukiro etto ni
yrineipaes hospttaes de Tranca, da Belijica e da Espanha. Foi remiheeido
que, para o* tempos de calor, elle cotulitue a heida a mitin Ityijimha, e s~
bretudo durante os tempos de epidemia. Urna intrttcfo accompmha cada vidr.
Vende-se na pharawcia e drogara de P. Mau-
rer& conip.,ruaBaro da Victoria n, 17
:
MI


r
Diario de l'ernambuco Qtiarta feifu 13 le De/embro de 1871
VARIEDAE
um re que nao e* par\ meivs
MCDOXS O diario de Perignaux, intitu-
lada a Mascarada, pablicoa hi tempo u n
artigo humorstica no qail se dizia qu; t.
Se. de Toanens, o ex-re da Araocani,
liaba ideas de padir o Ihrono da Fran.;.!
sana perceber.por isso nem adiantaiwiii -
' nem sold. S. M. Onli I loraou a san
o gracejo, ( mandou ao redactar da Ijwi'-
dade de Mire-ama a segrate carta:
S\ reductor da Igualdad'!. Nis-ic
numero de lirtje V. reproduzio urna car. i
publicada, segnnio diz, pola Mascarada,
datada de Periguatn em 17 de oambro, e
na qual se iliz que en pedir o toruno di
Franca sem sold nem adratamentos f>-
zendo-ma figurar como ra em disponibih-
dada. Esta pretendida carta completa
mente falsa. Espero, senhor, que publi-
car esta respeta no prximo numero do
sea joma!, aora de desmascarar a falsilla
de e o ridiculo com que me fez figurar a os
olbos dosseus letoras. Emcaso contrario,
ver-me-bei obrigado a coot'dize-lo pelos
ineios jodiciaes.P.0. A. de Tonnens,
re da Araucania e da Patagonia ou Nov.
Franca.
OS PERIDICOS EM INGLATERRA
Segundo diz a N>va Imprensa Liare de
Barlim, a ultima guerra operon uma grand-
mudanza na tiragem de certos orgos d
imprensa ingleza. Eis, segundo refere o
jornal allemo, o nuaero da tiragem qua
indiana de alguns d'esses peridicos :
liaily Trleorapli 170:000 ejemplares :
Standard 140:6>30 ; Daily News 93:000 :
Times 70:000; Morning Advertstr 60:OJO
Morning Posi 30:500. Nao se limita, p>
rem, s a estes, a lisie dos jornaes que
podem lisongeiar-se de torem om grande
numer de lei'.ores. Assim, uma folha bel
domad.*ria, que se limita a transcrever lo
las as noticias publicadas nos jornaes quo
tidianos, vende iuos de moio railbo d
exemplares por semana s classes mens
abastadas. O proprielario d'esto joma!,
que lem por titulo Lloyd's Weekly Netos,
foi foreado a estabelecer uma fabrica d i
papel, para seu uso, em Lottingbourno,
condado de Kmt ; alm d'isto possue um i
esteno) coasideravel de terrenos na Arg;
lia para a cultura do esparto, pima qu;
elle manda transportar para Inglaterra em
navios seos, afim deservir para a fab.ici-
fJo do pape!.
NO^A FRAUDE. Segundo conla o jor
nal South London Press, um novo m.'tbodo
de dar peso fraudada aos compradores, e ao
rnesmo tsmpo Iludir a lei, tam sido posto
em pratica por alguna commerciantes res-
pettaveis,em Londres. As bataneas de Ro-
nerval, que elles usam, sai collocadas em
cimacio uma taboa inclinada ; d >. forma qo o
a concha na qu.! o genero pasado, fique
inferior aquella onde depoam os pesos. A
consequencia que a balanga collocada
fra do equilibrio, e o comprador defrau-
dado.
N'uma das sessoas dos magistrados de
Surey, foram apresenladas diversas aecu-
saces a esto respeito ; mas vista da lei
nada podem fazer os jnizes contra 03 logis-
tas, visto que as balanzas e os pesos por
elles usados esto afferdos, e em Inglaterra
a lei executa se simplesmente segando a sua
letra.
O remedio portanto est da parte do pu-
blico, devecdo os compra lores ter todo o
cuidado em nao procuraren* as lojas dos
commerc antes, cujas bataneas esto collo-
cadas em posicSo saspeita.
MYSTERIOS DO OCANO.Diz um jor-
nal i plez que o vapor Lara, capila i Callo,
cbagado a Liverpool proce ente de Water-
ford, no dii 18 do corrente, trouxe noticia
deqan s 10 horas da manhia do mesmo
da, tinhi passalo prximo de doas navios
rifan lados, cujes nnstros estavam forado
lame d'agna, a 1 12 mha distante do pba-
rol do noroeste, e punco raiis ou menos a
uma mi ha de distancia um do outro. Pr-
ximo de um dos navios foi encontrado o
corpode um negro n. Julga-se que hoti-
vera nm abalroamanto entre aquellos dons
navios e que todos quant03 estivam a bord)
pereceram.
PRAC\S QUE CV.PITULARAM NA
GUERRA FRAN .0 ALLEMAA.-=Em segui-
da damos os nomes dos commandantes das
pravas que capitularam durante a ultima
guerra, e qne temde comparecer perante o
coase'ho de investigarlo iastituido a 30 de
setembro prximo passaJo em Pars :
Em Licb'einberg(l de agosto de 1870)
Mr. Archer, alfero* do 96 de Imba.
EmMarsal (Ii do agosto) Mr. L^roy, ca-
pitSo do rstado maior das pracas.
Em Vitryle-Fraocois (2o de agosto^ Mr
Iliraen, capillo do estado maior das pracas.
Em S;dan ( de setembro) o general
Wimpen.
Em L9on (d de setembro) o general
Tbemerin.
Em Toul (23 de setembro) Mr. Iluck,
ebefe de esquadr5o de ariilheria.
Em Strasburgo(-27 de setemoro)o general
brich.
Em Sjissons (16 da oUubro) Mr. de
Noue, teneote coronel do estado maior das
pracas.
Em Schlestadt (i de outnbro) o com
mandante de Reinacb.
Em Mitz (27 de outubro) o marechal
Bazaioe.
Em Verdun (8 de noveml.ro) o general
Gurio de Valdersbacb.
Em Neufbrisacb (16 de novembro) Mr.
de Kerbor, tenente coronel do estado maior
das pracas.
Em Pb ion vil le (ii de novombro) Mr.
Tornier, coronel do estado maior das pra-
cas.
Em La Fre (27 de novembro) Mr. Plan-
che, capitSo de fragata.
Em Amiens (30 de novembro) Mr. Woi-
rbaye, ebefe de esquadro de artilberia da
guarda movel.
Em Pbilsbargo (12 de setembro) Mr. Tail-
land, tenente coronel do estado maior dai
pracas.
Em Montmdy (14 de dezembro) Mr.
Tessier, chefe do batalbao de engenharia.
Em M-z'res (I de Janeiro de 1871) o
general Blondeao.
Em Rocroy (5 de Janeiro) o commaodante
Moli; do estalo maior das pracas.
Em Paronoe (18 de Janeiro) Mr. Garnir,
do esta lo maior das pracas.
Em Longwy (25 de Janeiro) Mr. Blassa-
roli, tenente coronel do estado maior das
pracas.
i BParii(i8 dejineiro) o general Vi-
noy.
Em B.lclia (8 do fevereiro) o Uante
i c jronl Tey Em B:lfjrt(IO defeveroiro) Br. Denferl-
iRocbereau, coronel de engenharia.
O forte Mirtier, qie capitaloa a 7 de
n;vembro, depaadia de Niufbrisam.
De todas estas pracas foi a di Bitche qae
sol ea m;ii prolongado cero. O segando-
corpj bavaro atacou-a desde 8 di agosto,
iitebe e Bi!f irt s se reoderam depois da
orilem formjl do foverno (raaott, estindo
estas duas valeates cidades diposlas aiodi
a defender-sj horoicamenl;.
__
PUNI VO MIL! TAR. C >m este mesmo
titulo teuiJS ha dias noti:ii de ter sido des-
presado em Virsalbas o sub alendante mi-
litar de 1* classe Brissy, em cmsoqueocia
da ter lomado parte na i:isurrec!o com-
munista. O Drit d os segointes porme-
nores acerca d'esti triste ceremonia :
Djjs carru.igans cellolares tinham con-
duzido os condemnidos, que foram cdloca-
dos sepiradameate em liaba, nomeio d>
qudralo formado pelas tropas reunidas
na cerca da escola m litar. Na extrema es-
q erda, fazeo lo face pira agrada da en
irada, aobiva se o Sr Brissy, no cen'ro de
um piqueta qua o escoltava. Trazia as
insignias dj sua graduaco e em vez da
barretina reguiamentar naba na mo nm
b)ii3t dit gr.gi de panoo preo. Affc-
tava um garbo que contrista vi com a posi-
c3)do!orosa e >i qie se ac'ia>a e c>m a
hum^lhcaj publica queia sofr r, ello, que
oceupara noexercito una posifio tSo ele-
vada. k%9 horas en ponto, a um sig03l
dido pelo general G:alin, coa a 1:1 lano di
praca de Paris. um longo rufo de tambores
annuocion que as formalidades prescriptM
pe!) cdigo miliar ii.n cxicu'.ar se ; priP.-
cipi.u a ceremonia pelas iro.a* apresen-a-
rem armas, d::pois do qne um ajudanteda
jas.ica militar lea em voz alu senienC'
que conlem.oj o S*. B:i.--y pinide
morte e em seguida a deciso do presiden-
te da repblica qoe comu tou a pena em
10 aunus da priso.
Logo qm lermmon a l.i.ura o ren^ral
Gaalin, que eslava a cvallo por delraa da
piquete de ex.-cacao, prontnciHi com voz
grave e sonora a formula seguinte : J din
Loiz B.issy, \s sois inligno da trazar ar-
mas ; em nome do po-o francez nos vos de-
gradamos. Em tegu da um vslbo sar
gen'.o de infantera approximau-se do con
demnado e procedeu degradicSo militar,
arrancando lne com urna navalha as insig-
nias do seu posto. Terminada esta triste
operaco e depois do tempo necessario
pira se proceder a oul'as execuras, o
S.*. B.issy ii collocado no meio d) piquete
de escolta e percorreu toda a frente das
tropas. Depois eotrou nacaTU'gem cellu
lar qae o liaba trazido, o foi levado pre-
reitora de polica p*ra depois en'rar na
cideia. A parada militar termmoa pelo
desfilar das tropas que se effectaou aos
sons de urna msica guerreira.
DUS VALENTES.Os jornaes da Ame-
ri.a do urna noticia qae merece ser repro-
duzida; trata-se da um daello. O duello
leve lugar em Porlo Principe entre os gene-
raes Marcelina Adara e Diogenes Bras; este
ultimo 6 membro da assembia nacional do
Uiily. Os adversarios deviam biter-seao
primeiro encontr c as armas escolbiJas
eram o rtwolver e o punbal. Parece que
o duello teve lugar em uma das roas mais
frequenta Jas de Porto Prncipe, Os doas
generaas que estavam evidentemente pouco
habituados ao manejo las armas, dispara-
ram 12 tiros de rewolver sem se ferirem,
Em seguida lancaram mao dos punhaes,
mas (ambem nenbura mal fizeram um ao
outro- Vista a inefiieacia das armas, jo-
garam o murro, e foi eato que a victoria
se palenteou pelo general Adam, terminal
do ludo por uma recoucilia^ao e por um
ban-uete.
CONTRA A HYDROPHOBIA k Aurora
do Lima, jornal da cidade de Vienna do
Castello, diz que existe na freguezia de S.
Mirtiuho de Gndara urna botica onde se
veudem pillas muito efisazes contra a hy-
dropbobia, que j se em f.-it experiencias
do remedio applicando-o a animaes domes-
ticos, e quo salvoj j nma rapariga que
apresentava todos os symptomas daquella
terrivel molestii.
MORDEDURA DE SEitPENTES.O re
medio para curar as mordeduras das ser-
pentes venenosas f.cilimo o foi descober-
lo ha piuco na Nova Granada. E' deitar
na feriJa cera quenle. II i mais de 70 cu-
ras por este metbc-do, diz o Jornal da
Noute.
ESPIRITUOSO DITO DE BI3MARK..
Do Jornal da Noute trauscrevemos o se-
guirte :
A crcaco do imperio allemSo snppri-
mio algumas das lega(33 da Prussia, as
de Munich, de Carlsrube, de Darmstadt e
de SiuttgirJ p r exemplo, mas dea occa-
si5o a se consli uirem oulras em Vene-
zuela, Mxico e Per. Trat-n se agora no
reichslag de pagar a esses diplmalas e a
assem lea nao adberio logo proposta do
governo. Quasi todos os parlamentos cbo-
ram odinbeiro gasto com a deplomacia.
c Uns deputados recordaram que Fre
derico o Grande antes quera 100 mil ho-
mens do que o mais brilhante e esclareci-
do corpo diplomtico. Bismark disse qne
era peta, qae naaca Frederico II proferir
semelhanle parvoice, nem quereria que os
seus enviados nao dssem nenhom ban-
quete, e quando algaem Ins perguntasse
por isso respondessem : Nao damis janlares
a ninguem porque temos nm grande exer-
cito a nossa disposico. A cmara desatou
a rir e votou a somma pedida. >
CANAL DE SUEZ. Le-se o segointe na
France :
t Depois da reani5o dos dons mares, a
correte das aguas no canal de Suez esta
beleceo-se do mar Roxo para o Mediterr-
neo, do sul para o norte. O nivel geral sa-
bio de ama maneira muito sensivel e lem
por isso evitado os graades trabalbos das
dragas, ao mesmo tempo a corrente per-
corre e limpa o leito do canal,, impedioda
a agglomerac3o das ateias. O movimento
dos seis primeiros mezas de 1871 foi o
duplo do semestre correspondente de 1870.
Al 31 de raaio ultimo alravessaram o ca-
nal 813 navios, dos quae 535 inglezes e
101 francezes, condozindo 46:000 passa-
geiros,
IMPORTANTE DESCOBERTA. Lees-
n'um jornal frau;ez: ;
c Conta-se qne o p-ofassor iWnKb Vi-
agfues, director do observatorio de Gut-
lingea, inventoa um importante apparelbo
para acanler e apagar iastanlaneammle, e
da um ponto determinad, todis os bioo
degaz de uma grande cidade. Os proces-
sos americanos inventados para este fim
necessilam a collocacao de fios conductores
elctricos, sendo por consequencia a soa
applicaco maito costosa e complicada, ao
passo qae o inventor allemao cooca no
gazometro um pequeo machinismo, qae
c imman:ea com o tubo do gaz, e que, se-
gundo a pressSo d'esle, fonecioaa oo deixa
de fuacc'.omr. A bolsa de Manchester j
approvei'ou esta invenrao, e actualmente
eslJb-se construindo mi bares de aoparelhos
oa fibrica de machinas de Linbrecbt. Bra-
xellas ser ta!vez a primeira eapitll qae
adopte esta magnifica invenc^o para a sua
illaminacSo pabica, qua parece reservada a
produzir grandes ec n>mias.
DUELLO L se o segaiate n France
de 22 do corrente :
t Por causa di uma altercaciio qae se
den entre Ciernen -eau e nm official, por oc-
casili dis depaiman'os feit>s par este ulti-
mo no priicasio d as as-assinas doj geoaraas
Lecmte e Taom.z biuve hoatera s li
ajras dt manb3i um dnollo entre o com-
mandante de Poasaargaes e Clemenceau. O
combate teva lugar as proximidades de
Piessis Piqnet. As coodices da lua coa-
siatiam na troca de doas balas de 23 a 30
p ssos de dstani. Ao sigait conveacio-
nala Olemencaati disparon ea bala fai fe-
r r o seu adversario em u na peroa; qoan-
to a ella, nada saQrea com a bla dispara-
da pela coaarnaadinte de Paassargue.-.
Tenda de .lirado as lesnmunhas que u
duella nao polla co&ttaar, os advdrsarios
separaraa-se. O feriraento de Po ssar
goes, partea n5o ser degravidade.
N37A .MACHN\.-N Creuzo', grande
estibilecimntu metdlurgco f aucez, expe-
rinrMitoti-se olti ame ote uma aova machina
por meio da quil o farro em broto se trans-
forma quasi im uedialamenta om barras.
Esta oparaclo. conhecid.i na industria pelo
no ne de puddlage rjeceasitava al aor de
nm grande numero da operarios pira a
fl-cmar. O uovo syslema, muito mais eco-
nmico, parece que vai ciusar uma g ante
revoJocSa na inda siria nvtd. urgid..
O TABACO DE FUVlO Calebrou seu-
liraamente em B;rre (FraocO l,ai coogresso
de nava espa:ie, por occasiio da festa do
padroeiro daquella villa : foi um concurso
da fumadores. Os concurrentes deviam
fumar 2ogrammis de tabaco em ama hora.
Os premio* c insistam em um cachimba de
honra e 500 grammas de tabaco. O pro
gramma tinha a assignatora do maire da
localidade. Ao contrario disto, diz a Cor*
respondencia de Hespan"ia, que diversos fu-
madores de Madrid, vio fandar nma asso-
ciacodos individuos qae se compromellam
a abandonar o referida vicio, em con.e
qnencia de se tornar muito nocivo i sa le,
por causa da m qnalidade dos tabacos qae
actualmente all se vendem. |
CALCULO CURIOSO.O nosso antigo
assigaante o Sr. L. A. Boolanger esareve-
nos o segointe :
Para se saber o dia da semana corres-
pondente a urna data qialqaer preciso,
se a indagarlo se refere ao passado, suh-
trahir do algarismo do auao corrente o do
anno a que diz resp;ito aquella data; aceres
contar dfferenca a sua quarla parte-(para
comprehender os dias dos annos bsextis),
dividir a somma por 7 ; o resta da divi-
eso indicar quintos dias se deve retroce-
der do dia da semana em que cabe a mes-
ma data no anno correnle.
Exemplo: Qoerendo saber em qie dia
da semana nasceu S. M. o Sr. D. Pedro II,
procederemos do seguinte modo :
Anno corrente 1871
Anno do nascimento de S. M. 1825
Dfferenca
i.a parte, ou numero dos an-
nos bisextos deste periodo
i'i
11
Somma 57
que dividida por 7, dejxa o resto t.
Devemos, pirtanto retroceder um dia, e
como no anno corrente o dia aniversario
do nascimento do Sr. D. Pedro II cabe em
nm sabbado, segue-se que S. M. nscau
em uma sexta f ira.
Para o futuro o calculo o mesmo, cara
a ooica diffarenca de que, em vez de re-
cuar do dia marcado, deve-se adiantar um
dia.
Exemplo : queremos saber a qae dia da
semana corresponder a data de 24 de no-
vembro de 18S6, teremos o segumte :
Anno corrente 4871
Amo da dala que se procara 1886
Differenfa
Quinta parte
15
3
Somma 18
que dividido por 7, deixa de resto 4.
Devemos pois, avaucar quatro dias alm
da sexta-feira, da da semana em que no
anno corrente cabe a data 24 de novembro;
ser, pois, terca feira o dia 24 de novem-
bro de 1886.
s anuos serul.res nao sao bisextos,
1600, 17UO, 1800, etc.
DISCURSO DE GAMBETTA, PRONUNCIADO, N'UM
BANQUETE COMMEMORATIVO DA DEFEZA DE
S. QUENTIN, NESTA CIDADE.
Senbores.Qaando se tem a satisfago
moral de perlencer ao partido republicano
democrat co, nao se deve abrigar senSo
uma ambi;lo, a de Ibe gaobar adberentes,
a de engrossar as saas llleiras, augmentar
o seu podero, afim de qae elle expresse
pelo sutfragio universal o seu espirito e a
saa vontade indiscntivel.
O suffragio universal sois vos; vos o
[iossus, est a vossa disposico. Mas
necessario dar-lbe do vosso proceder, das
vossas ideas, da vossa moralidade, do vosso
valor poltico, da vossa aplidlo nos nego-
cios, ama prova tal perante a opia.ao pu-
blica, que esta democracia, que vos consu-
miste, impanha a todos, pelo suffragio
universal, a saa forja e o sea poder. (Ap-
plausos).
Vele, de feilo, os progressos realisados
ba seis mezes e por um modo completa-
mente pratico; o partido democrtico, em
toJos os seas graos, entrn nos conselbos
locaes, e dea em todas as suas assemblas
o exemplo da moderacio, sem por isso per-
der nem um pice dos principios; o qae
demonstra qae, se se quizesse proseguir de
l 1
accordo, com zelo, nesla obra de persaasJo
de que Ibas fallo, sim t as (raqueadas de-
mocrticas attrabiriam para nos esses, anda
muilo numerosos as cidades e no3 campos,
q sustentira contra as instituices repu-
blicanas precouceilos, qje Ibas foram intro
dozidos no espirito, falsas ideas que Ibes
iocalcaram, e que v3o repelado sem pen-
sar bem dj que fazem..
Se vos todos, queestaes collpcadas nesla
cantro da democracia rural, e que podis
fazer a vos mesmos a demonstracao de qoe
11806 nuoca dabaldj quo se chama o puvo
a discutir os seus in'.eresses, vos qoizesseis
encarregar, entre vos c para vos, tiesta pro-
pagada necessaria, nao tarda-ieis a vr
nascr os fruclos djbJxa da< vossas pro-
prisas mSo*. e cada escrutinio vos traria uma
recompensa, uaestiraalo e uma victoria.
(Vives applausos). Porqua, enleuda bem
islo, o qua assegura hojo o triam lio do
partida democratizo a razio que elle tem;
quando se tem por si esta inmensa vanta-
gem, preciso fallar, preciso proceder,
alo se deixar Iludir por neaboma intriga,
nem subjugir par ueuhora obstculo;
preciso dedicar se pacientemente conquis-
ta da opn i, ser firma nos priacipi s, tole-
rante com as passoas, nunca dar a sua
opioia sano para augmento do bam-estar
geral, e enlSa fazer para ti misma uma es
pecie de mmenlo, no qual se inscreva, para
as reclamar, as reformas, os progressos, as
insttuicas, que o povo tem direilo a espe-
rar da repblica democrtica. (Vpprovaco
prolongada)
D veis sbela, na eslareia verdadera-
mente em estado de vs fazerdes respeilar
m -iropa seuao no dia em qae seris po-
derosos 00 interior; e quan lo en prgunto
.i mira mesmo qual a mais urge ale de to-
das as reformas, v dio sempre a co^iderar
joe inda se conseguir, nada sar fruclife
ro, nada pacificar as alinis, esirei.ar as
classes,p;is que apezr da lei, anda ba
classes, dig un q qu diiserem, sem um
bom qiiuho le eJucacao, de iastruccSo
bem distribuida, obligatoria, giatuila, e,
permitlam-me o lermo, ai 1 la que nao esteja
muito em mola, absolulamjuta civil (p-
pliusos).
E de fito: sa se lizesse uma verdaleira
educaco nacional, se esta edueic^' f se
ministrada de um tuoJo verdadeirameote
moderno, vrJadeiramenle democrtico, ts-
lana resolv i,i o prob.ema da biroionia n
sociedada, e assegurada de novo a nossa
nflamela no exterior.
Mas, abri os livros de historia: veris
infelizmente -que sempre o ultimo progresso
realisado o da elucaco publica. Com-
pre aendem, com effeito, os que teem inte-
resse em explorar os homens e a perpetrar
a sua estagn;o na coafuso, comprehen-
dem qae cada vez qae se faz um leilor,
mais um inimigo qae se cria contra elles
(applausos).
E ni , a meu ver, por meio do ensino
primario,sobre a importancia do qual
preciso eatender-se,Jado gratailam sute e
recebido obrigatoriamente, qoe este p:o-
gresso deve realisar-se; sobretodo, por
meio' do ensino secundario, pelo que se
chama eosiao superior, porque da elevado
deste nivel da scieocia que urge iralar,
se se quizer que a educado faca maior nu-
mero de homens jusl'.s, livres e fortes.
E' por isto que no programma repuolica-
no, como primeira reforma, sempru puz o
ensino do povo ; mis esto ensina precisa de
ser, primeiro que ludo, embabido do espi-
rito moderno, civil, e mantido coaforrae as
leis e os direitos da nossa sociedada.
Sobre isto qoereria dzer todo o meu
pensamen'o. Desejo, com toda a forea da
minba alma, qu* e separe n3) s a igrej
do estado, mas que se separe lambem as
escolas da igreja. (Applausos prolongado ).
Isto para uaim uma necessid-.de de or-
dem poltica, e acerescentarei que de ordem
social.
Querer isto dizer que o clero *enba a
ser destitu lo de q-aalmer influencia IJCial ?
Querer isto di:er que a rcugio ?ei sa-
crificada? Nao, senbores; mas cada qu^l
limitar-sc ha sua missSa, cada qual ser
mantido ms suas attribuicoas ; a mor.d se-
r censurada nos lugares coasr.grad >s re-
l.gi, e cada p.i di familia tseolher pa.a
seu filho oculto que Ihe couvir, cbiisto,
jodeu on protestante; m^s acaoemos de
confiar aos differenles cleros a educafo
das Ciian.as, se quizermos, primeiro qje
ludo, fazer delles culada as francezas, .
quizermos fazer delles homens, nos quaes
a idea da justca e da patria seja domina te.
Na igreja, receberSo o eusino dos dogmas
e aprendoi5o tudo o que do domiuio da
fe. Na escola, ensinar-se-lues-b a as ver-
dades da scienc;a, ao seu rigor e-na sua
simplicidade magestosa, e assim teres cao-
ciuado o respeito da liberdade de conscien-
cia com o de ver, que imposto ao esta lo,
de preparar eidadaos, cuja educaco. cujas
principios nao sejim limitados aos dog uas
theologicos, mas sim seguros as bases em
que se funda a nossa sociedada in.eira.
Lembrai-vos qae ha j sale annas, depois
de grandes esforcos do livre pensameiro
fi aucez, o papa julgou opportuno passar
uma revista a todos os principios modernos
d'onde procedem as nossas leis civis e pol-
ticas : a constiluico da nossa familia, da
nossa propnedade, do nosso estado, as
grandes series de direitos que constituem a
independencia de cada um de nos, a lber-
dado de exame, a liberdade da imprensa, o
direilo de reuoio, de associago. Ora
bem sobre cada um destes direitos, o papa
bradou anatbema.
Poder conceber-se, quando o poder reli-
gioso se exprime com esta franqueza, com
esta lealdade, que se abandone a educaco
das geragoes futuras a homens que pela sua
conscieocia eslo conipromellidos a ser os
propagadores de semeluantes doutrinas?
(Bravo I bravo!) Se Ibes confiar a educago,
qqando tiverem que recorrer energa de
homens credos,por taes mestres, quando
qnzerem por em movimento este povo in-
teiro, qaando lhes Lllarem dos seas deve-
res de eidadaos, qaando quizerem excitar
nelles as ideas de sacrificio, de delieaco
patria, acbar-se-bio em presenta de uma
especie humana enfraquecida, debilitada,
resignada a soffrer lodos os infortunios
como decretos da Providencia. (Profunda
sen sacio).
Eis ah, meas senbores, o maior perigo
qoe pode correr a sociedada de 89, da qual
somos berdeiros e representantes. A so-
ciedade de 89 tem por principal objectivo
fazer depender o sytema poltico e social
da idea da supremaca da razio sobre o
perdao, da idea da supremaca do estado de
cidadSo sobre o estado de escravo.
Em logar da doulrina romana, qne acos-

tama o espirito a idea de ama Providencia
myateriosa, uaica depositara das segredos
doa seus favores e d s seus desfavores;
que ensina que o homaro, as mios de Deus
nao pisas de um brlnjuedo ; em lugar dis-
to, a revoiOfiO eusina a soberana da ra:3o,
a aatoridade e a responsabilidade das von-
tades humanas, a liberdade de acc-o, e des-
cobre a causa dos padecimentos, das dos-
graets di humanilale, na i^uoroncia ou
nos erros dos homens.
Ha oitenta annos, qae estes dous yste-
mas esto diante um do outro; dividirn
se nos espiritos 3 conservaran! n pro>rio
sor ac a da sociedada um antagonismo, uma
guerra encarnicada que explica porqie,
falta -Ja anidado no ensino, escorregamas,
sem nos poder nunca arreigar, da revolta
na campresso, d" anarcaia na dictadura.
E' preciso riscar esta contrad cao, dissipar
esta confuso das intelgencias; e ha um
s meio, dasintere3armo nos na educaco
publica de um mado absololimento impar-
cial de todas as doutrinas, de todos os sy--
temas, de todas as communhes: deixar
livre escolhi ou mesmo ao capricho o en-
sino das doutrinas religiosas; 6 redisar a
saparaco destes dous mundos: o mundo
civil e pelit-.c) e o rauudo religioso, pela
qual ea comprehendo to lavia que se tenln
muito respeilo.
Aqaetle para qoeeslaaaos dispostos,para
o qual devemas dar lulo, a nossas facul-
dades, 03 no.sos esforcos, a nos-a vida,
o mundo moderao; o mundo queregutaa
dominacSo llieocratica; o mu id 1 que nao
deseja satisfazer somante os interesas ma-
teriaes, mas sim os ulereases p liticos, islo
nao depenler s:nao do direit > humano ;
o mundo que lem sie de sceacia, de ver-
dade, da livre arbitrio, de igualdade, e que
chegue declara;3j e pratioa dos deve.-'.-.
soches pala emancip3C3a e glorificaco d
pessoa humana considerada no mais liuml
de como no mus elavado. (Applausos).
Mas esti reforma m educaco o esta dis-
linccio a faz;r (eu;re o encino religioso e o
tosmociil) ligam-se por si solujj de
outro problema j ha muito proposto : a
separadlo da igreja e do estado.
Nao acho opportuno cntreler-nos com a?
pba es diversas que esta questo percorreu ;
mas quero, da relance, chamar a vossa ai-
lenco de repubcan s intelligentes e pacli-
eos para a face democralic; da questo do
clero.
Uivia anig3mute, na velba monarchu,
franceza. um grande clero, fiel a Iradicoas
de ia lepan leuda religiosa e nacional. A
igreja de Franca linba sabido conservar-se
sempre superior as prelencas ultramonta-
nas ; i or isso, havia imposto respeito ao
mundo mteiro !
Pois ba n esta igreja desappareceu, por-
que, sob pretexto de lutar contra os'prin-
cipios da revoloc-o, mas em realidade por
rastrado de domraaco, o alio clero, a pon
co e pouco do principio, e depois exclusiva-
mente se foi escolhendo entre os repre-'en-
tantes da pura doutiina romana; de sorte
que boje nao ba realmente clero Irancez pelo
menos as snas carnadas superiores. To-
dava resta anda uma pon.Tio do clero que
pideria dar-nos uma idea do clero da an-
liga Franca : o baixo clero. O baixo
clero Denominou-se assim porque, como
um escravo as mos do mostr est no ul-
timo grao; o mais humilde, o mais resig-
nado, o mais modesto dos cleros. O baixo
clero e um regiment disse em pleno se-
nado um altivo cardeal; quando mando
preciso que elle obedeca.
Nunca li, sem um movimento de colera,
esta pbrase imperiosa. Sim, perlenco ao
livre peusamento, nala ponho a par da
sciencia humana, e no entretanto nao posso
deixar de sentir um certo respeito e uma
Carta commoco qoando pens nestes ho-
mens quem se falla com tanta altivez e
que constituem o baixo clero. Nao, nao sou
indifferente pelo p-dre humilde, pelo hornera
juj, dapois de ter recebido algumas curias
docScs, muilo incompletas, muito obscuras,
volta ao seio destas robustas e sas povoa-
i.'o's rra;s donde sahio. Derivando ao
uK-suao lempo do camoonuz e do padre,
vive no meio delles, v as suas lucias dilli-
ceis e rules para a existencia. A sua mis-
sao tornar aquulies soffiaienlos mais le-
ves ; emprega-ae nisto de toda a sua alma;
.Ssista-os e eaasola-os. Nos pengos da
mvaso, vi alguns moslrarem-se patriotas
a''de:;tes e dedicados; pertencem demo-
cracia, es o ligados a ella, e se podessem
Cj;jfesS3r a sua opiniao, mais de um se de-
el ir a a democrau e republicano.
K', pas, naeus senhores, este clero dos
campos que devemos elevar, que devemos
toraar idependenie, q^e devemos emanci-
par ; e delle sa deveria formar o clero in-
leiro, para assim o arrancarmos ao papel e
servidlo, qua se designa nesla palavra
cruel: baixo clero. Vejara, pois que, Ion-
ge de seriaos inimigos da clero, pedimos
pelo co trario que elle torne s tradives
do. jcraticjs dos seas aaiepassados da
graada consUtuinie, e se associem como o
resii dos francezes vida de uma naco
republicana.
O orador declara pois q e a soluco dos
prob;eaa'as soc.aes se liga com o progresso
das massas e no esseucialmenle possivel
seuo na forma republicana.
Esta idea de repblica pura e simples li-
nha cabilo s na cabeca de gente que era
considerada Como sonhadora: mas quando
se vio todas as monarebias ettabelecidas ha
cineoenia anuos derrocarem-se urnas sobre
outras; oh ento, foi necessario cuidar
das iDstitaifoes republicanas, nao d'um modo
platnico, mas por ellas mesmas e pela sua
propr.a virtude.
E enlo viraja homens que tinbam pas-
sado a moctdade a tratar como puro sopbis-
ma o eslabeieeimento da repblica, fazerem-
se della os mais serios partidarios, torna-
rera-se os seus defensores ofliciaes, defen-
sores tanto mais aulorisados qaauto que o
seu passado nio os predispunha a desem-
penbar semelha-ite papel.
E' para regosijar; mas preciso exci-
tal-os sem cessar, c preciso vigial-os sem
descaoco; necessario reconbecer com el-
les que a saa cooverso pode ser sincera,
qoe oada pode ser para nos mais approvei-
lavel do qae a sua cooperacSo, e que, por
coosegoinie, as nossas exigeoGias redaaem
se ao seguate: cumprimenu de uma con-
verso bem jnslQcada e melbaramento do
estado republicano.
Nio temos nehuma inquietaco acerca
da consolidaco da repblica, mas para que
ella nao perca o favor popular, para que
nio possam escamoteal-a, preciso que teja
fecunda, ebeia de vida, e que seja debaixo
da su egida qoe se vealise o progresso ;
por isso, meras seaborM*, qae nos achata to
ardentes contra todo o qoe obaa ao cum-
prment deste programma qae expoz pe-
rante vos; por isso que em frente de
ama assembia que teima em retardar 1
coosiiiiiico da repblica, que recosa ao
paiz a sua capital, e qae finge conservar
como provisorio, como nominal, a forma do
governo qoe nos rege, somos levados a cri-
ticar os seus actos e a deauncial-os ao paix
como verdadeira usnrpaco.
E' por isso que convidamos todos os nos-
sos amigos a juntarem-se comnosco para
pedir, nao em interesse de partido, mas no
interessa exclusivamente nacional, qoe ama
aova assembia, uma maioria incontestavel
e certa, lome sua conta o preparar todas
estas reformas.
O que se poder objectar a este proje-
der'? que o paiz se proauniioa ? N5o, n5o f
pois que o menor exame dos seas votos
e das seus escrutinios demonstra at a evi-
dencia que a vontade do paiz 6 fundar a
repblica (applausos e acclamac5as). Mas
mesmo .alm destes escrutinios solemnes ba
um facto que se rapos e que anda mais
significativo, se possivei: a impotencia
di pro r.a assembia, que nao ousa nala,
que ua lenta eousa alguina que seja con
uad dorio com elas recentes d<'cisesda
voatade nacimal. (Sansafio). Pois que!
quando, de nm lado, a n.rio ordanou, e
de outro, a assembia reconbeceu que nio
pode contradizar esta vontade, poder-se-hia
dea mais tempo, sem commetter uma ver-
ladeira oeg*cSo da justca pa a com o paiz,
sem camprometter os saus ioteresses mate-
i.es e morass, podar-se bii adiar aiaia,
vegetar-sa mais tempo do provisorio, reca-
sr-S3 a resolver qiesli algurna e dizer
obsiinadara-mta: Uac^berais um mandito e
odores nao lim talos; la !aa" a- manifasta-
voas eleitores p coutru.csie titulo primilvo de que somos
revestaos; a Franja no tem direilo de
fallar; sarnas decidir da sua sorte? (Pro-
fundo movimento)'
Felizmente, esta linguagem nao official,
e nada se far, mesmo por parte dos mais
ardentes, para realizar tac-s desafios a so-
nerana nacional. C nd<:mnados impo-
lenca, vulados, pela propria c raposino da
assembia, s luctas esteris do.< partidos,
os deputados coraprehendaramque tempo
de sabir deas chaos, e de tornar a dar ao
suQVagio universal a livre disposico de si
prupno. ( Apiila.isos.)----- Como sempre
desde cerca de om reculo, quando a Franca
eslava ba.ra do abVrao, surgi a repbli-
ca ; sabio da coosciencia popolar e das ne-
cessidades da salva;o nacional; barda um
passado e uma berauca que nada pode li-
quidar, e os seus adversarios quereram
torna la respoisavel dos desastre^ trazidoa
pela monarchia.
Esta perfidia nao engaar o paiz.
Pela terceira vez, e pelas mesmas mos,
a existencia nacional era ameacada, e boje
atrevo me a dizer que na hora em qoe a
repblica aleancava o poder no meio do es-
gotamnto de todos os lossos recursos, ella
s poda vencer; mas trabida pela fortuna
e pe s homens, salvou o bem mais precio-
so das oacoes: a honra. (Applausos.)
Pois bem, esta repblica, que o suffragio
universal, parece cada dia mais disposto a
consolidar est cima das discasses e dos
ataques; e perguoto a mim mesmo, em
summa, donde provena, lo grande resallado.
Nao s de vi Jo aclividade e sabe doria
do partido republicano; vem de mais lon-
, e se o quizerem vamos decompr o
canjuncto destes seis milbes de suffragios
que se encontraran* na urna plebiscitaria.
Entre estes votos plebiscitarios, eram nu-
merosos os espiritos honestos, leaes, qae
foram engaados, pois que queriam a su-
premaca dos principios de 89 na sociedade
democrtica : queriam a igualdade parante
a le>; queriam a iostrueco segura, o im-
posto do sangue obrigatorio, a di n.nuico
dos pvilegios do clero, o a repartido equi-
tativa dos cargos pblicos : era gerr.e eng-
ala que acreditava na heranca di revola-
Co, e que cuidava possivei a allia:i(a adul-
tera do imperio com a democracia. Ins-
truidos pela desgraca, desembarcados das
suggesl 18 napolenicas, pertencem de di-
reilo causa da repblica e da de nocracia.
Sim, leuho a conviccio de que, afora o
bando doura lo de parsitas qne desde viole
anuos compartam a Franca entre si, afora
estes conductores da mascarada imperial
(riso) o suffragio universal as suas mas-
sas, deixou-se euganar.
Assim pois, tenharaos para cora elles per-
fti.a tolerancia para o passado, nao recri-
minamos ; entrara elies as nossas fileiras
e proseguimos juntos a realisaco de ideas
que nao correram perigos seno pelo sen
desvario, boje ja dissipado.
E ao lado desta forc imraeusa qae o
partido republicrao tem o direito da revin-
dicar e de por a obra, nao ha seno um
partido cajas pretendes sao conbecidas, sao
os homens do passado.
O sea papel repesentar o antigo r-
gimen ; mas o desmambramento deste par-
tido um facto realisado. Resta aos seas
representantes o compenetrarem-se das
aspiracoes contemporneas, renunciar a um
ieal desapparecido para sempre.
Nao esqueceremos, por nossa parte, as
gloriosas paginas que os seus antepassados
escreverara na historia da Franca, e isto
mesmo convida-os a adaptarem-se, na bora
presente, aos interesses da Franca moderna.
Proseguir por mais tempo, oitenta annos
depois de 89, a volta de um rgimen que
desapparecea debaixo das torcas reunidas
da sociedade francesa, votar-se ^ impo-
tencia e ao isolamanto sem esperanca.
Resta-loes s ama resoloco a tomar:
qae, considerando que o poder republicano
o mais lbaral de todos dos poderes ; as
suas aptides, os seas talentos, a saa eda-
cico, reservam-lhes om papel importante
e qae serlo como o eafeile do estado.
Qaanto aos qae se dzem conservadores
liberaos, estou bem disposto a classifica-los
em daas parles : os qae sao de ama per-
feita indifferenca por todo o qae nio seo
negocio proprio, e qae durante v.nte annos,
deram plenos poderes a este famoso salva-
dor qae responda pela ordem, ingenuos a
scepiicos todos juntos, qae esli espanta-
dos, no Qm deste praso, de se acharem mate
ameagados, um pouco manos ricos e na
pouco mais atormentados que d'anUs. (lia
laridade e approvacio.)
(Contiuuar-se-ha).
TYP. DO DIAKIU-RU.. DO UUQB M CAA
l\
1