Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:12525


This item is only available as the following downloads:


Full Text
~-
V
i

i
\
*


I ,.
*
'-
-
ANO XLVII. HUMERO 249
HU A Ckmtl t 106AMS oide iao ss pasa jobtk.
rISIO-S ........
6.JOGO
24COO
14*000
no
TERCA FEIRA 31 DE OUTUBRO DE 1871.
PASA MITO l JOBA DA PEOYIICiA.
^Hi adiuudof
Por seis dnot idem. .
Por nove ditos dem .
Por Din fimo idtm .
.325
9
Propriedade de Manoel
da Faria
' :
A A
rara*
*'
-ir
>t;
Ql Srs. Gerardo Antonio Alves Filhos, no Par*; Goncalve 4 Pinto, no Maranhlo ; Joaqram Jos de Oveira & Filho, no Ceari intonio* d,eJLemoi>Braa, no Aracaty > Joitf Maris Mo.Chtni, Aub ; Antonip' Mahjnes di Silva, no Natal; JoU Jwet>
Pereira d'Almeida, eia Mamangnape;Felppe Estrella 4 G, na Parahyba; Antonio Jos Gomes, na Villa-aja Penfiaf jelarmind <$ dantos BnWo,-em Sanio AnUo'; Domingos Jos* da Costa Braga,
em Nazareth; Antonio Ferreira de Agoiar, em Goyanna; Francino Tavares da Coste, em Alagoas ; Dr.fJoaVfilartinAjUves, naBahia'.;.eiite',.Serqmho C. lo Rio de Janeiro. 0s4
-------------------------------------------------------------------------------------------------------1 -----.___:____________t:--------- %. i \ *" -
PARTE OFHCIAL.

Ministerio do imperio.
Em 18 de oatubro eorrente fui dirigido ae
r-resileote da provincia di Babia o seguidle :
i Illm e Exm. Sr.Acensa e recabimanto do
(.ffiiodB V. Exc. de 27 de j lhi d) correla aaao,
no qual con dispo9jgio do aviso q. 216 le 2? ae junho de 1834,
relativa a eonvoeaco dos inmediatos em votos aos
vareadoras quedeixar. m de comparecer ssessfles
das cmaras monte:;'-- at completar-se o ame
ro legal para estas se celebrare n c ansti'.ae o cri-
is previsto nos arts. 153 etoi i> coJig > crrai-
tsL
Em resposu declaro a V. Exc. qae, vista do
citado atiso edo Je n. 377 de 17 dj junho de 1861,
g 5, a simples falla de observancia do meio esi-'
beleeldn no ari. 2Sda tai de i dacutubro de 1828
nao plesujelar a proeed'mento criminal quao-
do nao houver desob; lienciaa ordem exores<-a de
auioriJade supsrior, ou nao occorrerem eireuras-
tancias especiaos.
Dius guarde a V. Exc./ A. C. de Oliceira.
Sr. presidente d i provincia da Bahia.
Na me.sina dala reinclterara-se: A'scelo,
ds oegocios do iTiperio do conselhode estalo,
{tara eonaallarom seu parecer, as leis da provin-
cia do Ciar promulgada* em 1870.
O offlcio do presidente da provincia do Piauhy
de J de agosto ulti.no, prestando esciarecimontos
sobre o assumpto d que trata o aviso de 17 de
abril do corrale anuo dirigida mesms seceo.
O oficio do D. abbale do mosteijo de S. Beato
do Rio de JaQeiro, como repre-eotente da ordem
beoedietina, sjlicitanJo permiss-} para^alorar as
ierras arreo latas de seu patrimonio, e distribuir
pelos escravos que libertara, para que as culiiv ;n,
a.- que resUin devolutas.
Em 19 solicilou-se do arcebispo e dos bispos
. ,l- taos, a remessa de infirmares sobre neg
eos ecfilesiasiicos dai aaa dioceses, e indicarlo
da? prorMeocios qus par^cerem mai; adequalas,
p(raserem conugoaJas u> relatorioqae tem de
Mr apreseniadi assenbla geral na proxiou
rsooo.
Por decretos Jo 18 :
Fcz-se merc d titulo de baro laVilla do C>n-
d ao D.-. J 5i Gomes Ferreira Velloso, daprovio
cu da Bahia.
Foram nomaados:
Givalleiro da ordem da Rj. o 2o teoente do 1*
batalbao de artiliaru a p, Joaqu'm de O.iveira
Farnandes, de coof.wmidade com o 1* do irt. 9o
do decreto n. 2833 de 7 dedezembro de 18ol; e o
addido de Ia classe 1 -gaco do Brasil do Estalo
Oriental do Uroguay, /ose de Alneida e Yascon
cellos, S eoojrmilaJe coj o 3' do arl 9o do
referido decreto.
Foram concedidas :
A medalba de 2' el* se, do.-igaada no arl. 1 das
otrujf3oa .j,. *. nfjre u.decreto u. 1579 do
1', de margo de 1855, aa cilalai M3aoel More
ra da Sil?a, pjr serviles presta Jos c^m risco de
ua vida.
Pensdes mensaes:
Da GOf, em prejuizo di meio-so'.di que j per-
cebe, a O. Mario Ginjveva de Mello Bnrlamaque,
viufa do brigaleiro reformado Dr. FreJerico Leo-
pollo Cesar Burlamarque.
De igual quaotia a Apollnaria Lopes, mi do
eapito do 42* corpa de v>!untarios da patria Al
cio de Senna Castro.
Da 42/, a D. Josepha Lopes Grillo, viuva do te
neale do 46 corpo de voluntarios da patria, Jos
l'.oeiro de Vascon:ellos.
Da 181, sem prejuizo do meio sold qa8 lhe
competir, a D. Amalia Juveniana de Albuqnerque
l.38:a. viova do alf-.Tes do 11* batalbao de infinta
na, Mafcellino Franco da Silveira Lessa.
Foi elevada a 48$ a p orfu de 30/ mensaes,
coocedida a D. Etelvina Alalaide Mandes d'Amo-
nm, vian do eapilo 1' cirurgiao do exerciio Dr.
Francisco Mandes d'Amarim por decreto de 20 de
outubre de 1866 e j approvada, indepeadenlemen-
le da qaantia de 12/ que vence de meio sold.
Foi concedido na meoia data airar de licenca
a Candido Jos d'AraojoVianna, mo^o B talgo com
exarcicia na casa imperial para eflsctuar o casa-
mento de sua fllh i legilima, D. Francisca Carolina
d'Araujo Viaaaa, com Antonio Carlos Correa de
Maoezes.
Por cartas iroperia? da mesma data foram
lomeados :
2%vice-Bresidenie da provincia de Minas-Garaes
o baeharel Francisco Leite da Co.-t Belm, e 4, o
bacharel Balbino Gandido da Cunha.
Secretario do gov roo da provincia de S. Pedro
do Rio-Grande do Sul, o baeharel Tnaophilo Do>
mingos Alves hibeirc.
Commendador da ordem de Cliristoomonsanhpr
D. Miguel Ferrini, auditor da ia'.rnaciatura apos
tohea nasta corte.
Foram naturalisados:
Os subditos portaguezes Aatonio da Costa e
Francisco de Oveira ; o francez bichare! Julio
Emilio Rnflhr; o hollandez endric von Wyk; e
o italiano padre Nicolao Mara Bsrardi.
Foi apresentado o paire Francisco Jos Cabral
na igreja parochial de Nossa anlnra das Dores da
villa de Itapicnromirim da diosesa e provincia do
Miranbo
Foram concedidas as bonras de conego da ca-
pilla imperial ao padre B >rnab Jos Teixei a de
Aadrade; da eatbedral da dioceee de Olinda so
padre Aatonio Piuto^de Abreu.
Ministerio da Jiisalca.
Da 16 de eotubro.Deciaroa-sa ao'presidente
de Pernambuco, em respesta ao sea offlcio de 18
do mei fado, que referindo-se o*/iso de S4 de
inaio de 1869 aos offlciaes privados*- ou demittidos
ao.' postos, nao ple ser applicadq ao tenente-co
ronel-chefe do sta rior de Taearal, Aotonip Serafija de Sonza Fer-
raz, qae, por ter sido uailicada a sua promocao,
toraara ao lagar de ebefe de estaoo-maior, da cujo
exercisio fui posteriormente dispensado per coa-
>eaieneia do servigo publico, nos termos do art. 61
da lai de 19 de setembro de 1850.
Reiteroa-se a autori-aco concedida pre
ttdente da provinciajdo Piauhy, em aviso de 9 da
favereiro de 186), para a compra de um escaler
destinado ao servico das visitas da policii, nao de-
vendo despender com a saa acqaisicao-mais Je
3991, importancia do orcamento constante da co-
ma, ora devolvida, que acompaa ju o offlcio de 2
de jaoeiro daqualle auno.
Goramanicon-se ao presidente do Mararlhao
qae, aso competindo ao bacharel Candido Emyg-
di9 rareira Lobo, nomeado juiz municipal e- de
jrphos i S termos rennidos da Carolina e Ra-
cilio, ajada de cu to maior de 300/, deixa da sar
upprovada a daSfX/ arbitrada pela mesaae presi
danta, deveado o referido bacharel restituir a dif-
ferena it 500/ qae de mais rectbeu.
Deeiai r a o presidente da provincia da
Rio-GraaSe da Sal, em additamento ao aviso d "
do corrate, que, eomqaaato, vista des art. 17 e
li do decreto n. 4,382 de 23 de dezembro de 1*68,
compita to forano imperial a proroga$ao d pra-
* para eatrarem em exereicio as empregados des-
w miallterio, podero o presideotes da provincia,
R*'! M8ta pondarosoi, e cota dependencia de ul-
terior ipprovacao do metrao goverao, conceder
aeaa proraaolo prorlseriameiile, rundo as dis-
^ ,*i.?r l*"111"" qae os meemos empregados
a selieifea nesta secretaria a devido tempo, alie
gando impeaimento; e qne assim deve-se proca
dar a respeito do tabelli) Jos Vicente da Silva
Telle.->, licando, portanto, approvado o acto a qae
se refere o offi:io n. 2432, de 10 do mez fiado.
Dia 18.Por decretos desia dala :
Fui ex '.aerado o bacharel Joao Baptista de Mo
raes do cargo da sacratario de polica da provin-
cia da S. Paolo.
Poi removido o juiz municipal e de orphaos,
bacharel Luiz 6otue Ribeiro, a seu pedido, do
termo da Janaaria para o de Montes-Claros de
Forangas, amb is aa provincia de Minas-Geraes.
Fo"t*ni uomeados :
Ouacliari! Francisco Amiatas da Costa Barros
juiz nraaiciDal e de orphaos dos termos reuaido:
do Natal e S. Goncalo, da provincia do Rio-Gran-
de do Norte.
O amanuense Da secretaria de polica da pro-
vincia de S Paulo, bacharel Lupercio da Rocha
Lima, secretado da mesma reparticao.
Recom;nendou-se aos presidenies das provin-
cias do Para, Ceari, Rio Grande do Norte, Sergipe,
Bihia, Espirito Santo, Rio da Janeiro, Santa Ca
imnua, Minas, S. Paulo, Goyaz e Matto-Grosso,
qoa reme:iam, com a maior urgencia, o mappa da
torca da guarda nacional exigido ptlo aviso circo
Ur de 4 le abril ultimo.'
Por decreto desta dala foi reunido o termo
Je S. loo B.iptista ao de M cia de Mmas-Geraes, e creado no da Arassuahy,
na mesma provincia, am lagar de juiz municipal
que accumular as fufijjcdas da juiz de orphaos.
D.a 19. Pela decWto n. 4,802 de 19 de ouiu-
r>ro, crreme foi creado no termo do BomJardim,
provincia dd Parnambuco, um lugar de juiz mu-
nicipal que accumular as func5es de juiz de or-
phaos.
G"ir,municou-se ao presidente do Maranho,
em resposta ao offlcio de'17 de juoho ultimo, que
para o g iv,tu imperial poder resolve.' sobre o
requerimento di maj ir commandaote da 7' secto
Je batalbao da reserva Antonio de Seflis Pereira,
pedindo ser aggregado ao batalho de infantaria
n. 32. em cuja districto est residilo, uecessa-
rio que o me*mo effleial prove, com parecer da
junta de sale, achar-se prompto para o servico
activo.
Didarouse ao preiidete da Piauhy, em res-
posta ao offlcio n. 77 de 22 de dezembro ultimo,
un qual fiart -ipou ter, em contrario determiaa-
;o de seu antecessar de 27 de abril,. ordenado
que fosse observada e maotida a resolucao de;sa
presi lencia de 11 de raaio de 1869, declarando
sem efteito as portaras de 28 de agosto da 1866,
12 e 16 de junho, e 16 e 18 de jnlho de 18S8, pelas
quies tioham sido nomeaJos varios offlciaes da
guara nacional do municipio de S. Goocalo, sem
proposta dos commandantes dos respectivos cor-
os, Don infjrmacaa do commandante superior, e
sem attencao ordem gradual do accesso e de ou
tras coodiQdes ostabelecidas na lei; que S A. a
Princeza Imperial Regente, em nome do Impera-
dor, honve por bam approvar o acto do meslo
presiJeate, porquanto do exame dos respectivo pa-
pis conclue-se que as noraeaedas alludidas fo-
ram" infringidas as disposigOS dos arts. 33, 48, 54
e 55 da lei de 19 de setemb o da 1850.
Dia 21.Declarouse ao presidente da provincia
de Pernambuco, em resposa aos ofncios ns. 208 e
210 de 18 e 21 de seiembro ultimo, que, referin-
do se o a,viso da 10 de agosto nado, a ex'iuccS)
absoluta e nao annexacia e desanoexigio de
offlcios, casos em qae as assemblas provinciaes
usara de urna competencia que dever ser respai-
lada at ulterior interpretadlo do poder legislativa,
c, rao ja se decidi em aviso circular n. 2 de 30 de
Janeiro de 1857; nao poJe ser aaendida a repre-
seotacao dos serventuarios Orlando Miqaelino de
AlmeiJa e Ignacio Vieira de Mello, aquella 1 ta-
belliao e esirivio de orphaos, resldaos e capailas,
e este 2 labelliao e escrivlo do civel e erime, do
termo de Nazareth, os quaes reclamara contra as
leis proviaciaes ns. 526 da 3 de junho de 1862 e
981 do 1 le maio ultimo, que Ibas redaziram as
alihbuicSss.
ao presidente da provincia do Piauhy, que
para o governo resolver sobre adesignacio dos ca-
pites Domingos M*:h ido de Gerqueira, Clemente
da Castro Nazareth e Jos Florindo de Castro para
majtres dos batalhoes da guarda nacional ns. 11,
20 e 23, de qae trata o offlcio de 19 de julho ulti-
mo, convm que informe se aquellos corpos acnam-
se na* conJicg5es exigidas pela circular de 18 de
novembro de 1859.
dada por Mr. Spooaer deve satisfazer as exigencias
do maior trafego do mando, pois a laeomctiva de-
nominadaPequea maravilba,traasportou 110
oirros vasios, 7 ditos carregados, pesando 101 to-
aelalas, formando am trem com aa comprimenio
Je 1,323 ps, isto 1|4 de milha.
Transcreverei aqoi as palavras de Mr. Tyler,
flscdl das estradas i* ferro, por parte do governo
inglez, tratan to d) caminho de ferro da Festiniog.
A adopc,b da locomotiva n >sta aquena lioha
mu lo importante, e foi evi Jenta-droa experiencia
nano f.-liz. A baratezaaom qae -e.-ta linba^de
ser constru 3a,. a qaantidade de trabalho qae se
ple levar a effeito sobre ella, e segaranca com
que os tr ns a percorrem, tornam-a'a un) ese ji-
po, que incontestavelmente ba de ser seuiido,
mais cedo'ou mais tarde oeste paiz, na Inda, e
aas colonias oode ba necassidade de construir li -
nhas baratas,ou como um principio para dsenvol-
ver os recursos de am paiz novu
V. Exc. se dignar dar a estas considerares, que
eu tenbs a honra de levar aoeonhecimento de V.
Exc, o acolhiraenio qae entender.
Deus guarde a V. ExcIllm. e Eira. Sr. coa-
selheiro U.ogo Velhi Cavalcante de Albaqaerque,
ligaijsirao ministro e secretario da estado.dos ne-
gocios da agricultura, commeriio e obras pabli-
ca;.Manoel da Cunha Galco.
Loodres, 20 de jaibo de 1870.Illm. e Exm.
Sr.A qaesto que se ventila, respeito da lar-
gura entre os trilbis de estradas da ferro lera-me
obrigado pesquisas e estudos que eu nao es-
perara.
Consltenlo com alguis eag -nheiros sobre esta
materia, soube qae, alera das estados j feitos e
de qae eu j dei noticia a V. Ek ;. em mea offlcio
de 13 do corrate, oatros se estio elabiranio,
rlanksdeud e outros duus eDgenheiros dos mais
eminentes da IogRterra estao inspeccionando um
trabalho.
A compaa das Indias mandn urna corarais-
sao de ehgenheiros Suecia e Noruega, que deve
ter partido em 16 do correte, estudar os cami-
ohos da ferro de via estrella nirrow guage da-
quelles paizes.
Recorrendo ao Bleue took na parte relativa aos
caminhos de ferro da India, tive de ler algaras dos
interessantissimos relatnos apresealados por Mr.
Oauven ao secretario de estado da India.
Teoho a honra de remetter a V. Exc. os relat-
nos dos aanos de 1860.1869 e 1870.
O de 1860 o primeiro rotatorio apresentado
ao goveroo brtannico sobre estradas de tarro da
li lia, c ratera esclarecimentos iraportantissimos, e
mais Inleressantes para o Brasil, em que foi era-
pregado o masmo systema qae na Indi. Mostra
3U8 a< estradas do farro da ladia t n a garanta
e 5 0/0 e quaes os tsrmos desta garanta ; qual o
systema de fisealisacio, as estipulares sobre as
tarifas e a largura da vis.
A tabella paginai 40 compara a extensao das
principaes estradas de ferro do mando, o capitel
oellas dsspendido, o sea custo auxiliar, recita
geral e por milha, despesa total de eonstrucca e
de cada milba ; a re:eiU geral e por milha; pro
boa oparacd^Nia pro/rada de'Mit' Wa acolhida e graa'geou as symjialhias qffe mere
Jera' dj-Oia n. 50 do masmo-,ef5f .cem osen, caractene. as altas quaMades que, ador-
nam o sea espirito, ,se^ue amanliSa pjra Assurap
taDUvaiaViderem 23 ie juoho ue, .QojTonTld S,Exc taWez eaoontre serios fstorfos
*>' tjabilhls imraaalat.os de saa^issao, pela, di-
inia profunda era qu > sa 4u>m os poderes
t'a"stido e-s-represeotaulesla nacao.
*r'e se-eoterraram a^sesiiS'Jo eonnreaso
_fik prsideoci da ^provincia
i3rmasraa data.
[ofouria.-Tenenie-iiradaaiii; o alfe,-
alha arma Bina^jcto Auioto
o, colasBisaioado^ 21 diunao de 1869
aj, leaetye para/i 1 batalbr de t-4
dal^m chafa do exarcto
mesmo canmanJo, sob n. 27.
F.eando por asta forma corrigido o engao que
se deu oo decreto de 18 de Janeiro da 1368, que
o pro no ve a a alfares com o noma de Benedicto
Gomes Machado.
Por portara de 18 do crranle foi exonera-
do, a seu pedido, do lugar da coadjuvante interino
do curso preparatorio aonex? escola militar o
bacharel era aatbemalicas Evaristo Xafier da
Veiga.
Hlalaierlo dos estrangelroa.
Por decretos de 4 do eorrente f irara promo-
vidos a ministros residentes, na Hsspanha, Casta-
o Miria de Paiva Lopes Gima, com o vencimeato
de 10.000/ qae percabia oosoencarregado de ne-
gocios, e na Coufelaraci Saissa, Julio Constancio
de Villenenve, sem veucimenlo algum.
Por decretos da m-sraa data foi posto em dispo-
nibilida Je, na forma da lei, Jio Wilksns de Mattos.
cnsul geral no departa nenio de Lorelo, repblica
do Per e oomaado para a substituir naquelle cm
preg) o bacharel Jos Vicente de Azrelo C Juli-
ano.
Por decreto n. 4,796, de igual data, daterminou-
se qae o enviado extraordiosrio e ministro pleni
poteocitrie ac Barhm fosse urabera acreditado
nos reinos de Bavier* e Wartemb8rg, e nos grao-
ducados d> Bade e Usste, por azerem estes esta-
dos parte do Imperio Allemao.
Mlalsterio da raarioha.
Por decretos de 6, 17 e 18 do correte foram
reformados :
O eapitiq lente, Candido Beoicio da Silva, oom
o sold que actualmente percebe, e a gradaacio
de capitn de fragata, na cooformidade do alvar
de 16 de dszambro de 1790, visto coatar mais de
30 aonos de servico, e acbar-se incapaz de oelle
continuar.
O eabo de esqua Ira do corpo de imperiaes raa-
rinhe.ro, Claudiano Bernardino, no mesmo posto,
e com o respectivo sold > por ioteiro, na eonformi
dade do art. 1* { 3' do r-go amanto annexi ao
decreto o. 1.46S de 25 de outabro de 185i, e o 2.a
sargento do mesmo corpo, Antonio Conradi Fer-
reira Braga, oo mesan posto, com metala do
respectivo sollo, na lrma do art. 29 do regula-
ment aanexo ai decreto n. 411 A de 5 de junho
de!S45.
Por tltDftp de 14 do correte fora.a nomeados,
Francisco Angosto de l.ma Franco, amanuense da
ca-,,.,r!IIS.' L'a,IY.\IXL'Ut\\,'t* Ucretariafd.lnspsccio da arsenal de marinha da

Hlalsterlo da agrlcnllnril.
Lndres,'13 de ialho de 1870.Illm. e Exm. Sr.
Julgu de meu aever cbamar a aiten;o de V.
Exc para a sresaluco qae se tem de operar, se
nao me engao, na coastruccao das vas frreas.
A locomotiva do systema Fairlie e o caminho de
ferro da Festiniog bao de proluzr este resal;
tado.
Aquella locomotiva pelo seu systema de cons-
truccaq omito mais leve, e oo entretanto mais
poderosa. Suas diitpn-ois, muio menores do que
as das locme Uvas geralmaale empregadas as es-
tradas de ferro, as tornara apropriadas para as de
via estraita torrte guagt.
Do caminho de ferro de Fesiiaiog eu j tive oc-
casia i de tratar em urna iofbrmacao que prestei
ao Sr. ministro do Brasil nesta corte sobre a pro-
posta do eapilo Chr, Palm, e n'u na carta que di-
rig a V. Exc.
Naqaeila occasio eu emit! a miaba opiniao in-
dividual, baseada no exame que tiz do caminho de
ferro de Festioiog, e que me causn a maiz viva
impressao: hoje posso fallar estribado na autori-
dade dos engenheiros os mais competentes de mui-
los paizes.
Para levar a conviccSo ao animo de V. Exc te-
oho a honra de remetter quatro foljietos.
O 1 trata do material rodante' a peso rduziJo.
O 2a trata da locomotiva Fairlie.
O 3 trata do problema dos caminhos de ferro e
dos caminhos de ferro futare.
0 4 trata das experiencias feitas no caminho de
ferro de Festiniog e outros.
As experiencias tiveram lugar debaixo da pre-
sidencia do Duque de Sa'tharland, e na preaabea
do engenheiros da Rnssia, da Inglaterra, da india,
da Franca, da Suecia, da Noruega, da Saissa e da
Allemanna do Norte. H
Pela leitura desles folhetos, crei que S. Exc
chegar s segrales eooclusdes :
1' Necassidade de diminuir o peso de freno ro-
dante : o sea custo de eonsiraccao e de conserva-
do -lramenso. As locomotivas multo pesadas
esmigalho os trjlhos, qae em mallos lugares nao
durara seis mezes.
2.a O systema de locomotiva Fair ie multo van-
tajoso;' estas locomotiva sao mais levas. Dio os-
nllao taoto, e por coaseg-aiote se deteriorara me-
aos, e nao estragm tanto as trilhoti.
3.a O caminho de farra da Festioiog ama da-
monstraco a mais coocludeole da conveoieocia
da coostrucQj) de camiohos de fetro com via aa-
treita marrow ftage. A bitola de 1! ps nollega-
das, racommeadada per Mr. Sptwaar, deve ser
adoptada. ,
4.' O juro qae percebem actualraante os accio-
oistas da estrada de ferro ingiere? muito diraiaute
pu quasi aullo; porque, ambara a reeeita das es-
tradas seja immeosa, grande parta desapparace
00 casteio; e a reeeita liquida representa.ama pe-
quena parcella em relacao ao grande capital des-
pendido na construccio.
8." O costo das estradas de ferro actualmente
to excessivo qae o sea desenvolv meato nao pode
icompanbar as necessidades, sempre crescentes,
de aso nal vias farreas.
aV A bitola de 2 ps e G pallegid/s, recommee-
ceila. proporciooalidade
capital despendido.
No appeodice, pagina 45 em diante, V. Exc
contrar aa lacillos garaaa para construc;?
estradas de ferro na India.
Na legislacao brasileira nao existem ainaa ^-.4
feccionadas clausulas geraes. Qaando se trac:a
de fazer qualquer concessSo, necessario recor-
rer aos contractos feitos cim as diversas compa-
nhia-.
P.rece, portanto, de conveniencia efTecluar.6s.te
trabalho.
Pelo relatorio de 1889, a pagina 28, V.Exc. po-
de ver o adiantamento das estradas de ferro na
India e quanlo o Brasil est atrasado.
Farei ama iigeira comparacao.
A extensao das vias farreas da India de 4,096
milhas; no Brasil 419 ; differenca 3,677 raimas.
O capital despendido na India 78,986,635,
no Brasil 3,223,000; differenca Sf? 75,761,655.
Reeeita liquida na India 26 2,100,122,
Reeeita liquida no Brasil S 310,496,
ao cambio medio de 24 pences por 1/000.
"Tinalmente, no relatorio de 1870, V. Exc encon-
trar no appeodice, pags. 3i, o relatorio do capillo
Tybi, enganneiro fiscal do governo, sobre o cami-
nho de ferro de Festioiog, e sobre a Coovenieucia
do systema Fairlie as estradas de ferro da via
estreita.
Mr. Dauvers tarabem trata da quesla pag. 6
do seu relatorio.
Ji v V. Exc. que a questo da largara, da via
das estradas de farro do maior alcance % acba-
se hoje oeste -paiz entregue ao estulo dos horneas
..ais eminentes.
Sa ea poder colher algunas informaros?, as
transraitlirei raraeliatameite a V. Exc
A importancia da qaesto toroou-se para o Bra-
sil tanto mais grave, que os 35,000:000/000 do
emprestimo que o governo pedio ao corpo legisla-
tivo para o proloogamento da estrada de ferro D.
Pedro II ple servir nao s para este prolonga-
ra rato, como mais do dobro desta extensao, na
hyoothese de se empregar a via estreita.
Deus guarde a V. ExcIllm. e Exm. Sr. con-
setbeiro Diogo Velho Cavalcante de Albaqaerqae,
digaissimo ministro e secretario de estado dos oe-
gocios da agricultura, commercio e obras paiili
ca?.Manoel da Cunha Galo&o.
Por portara de 18 do corrate foi nomeado
para medir (erras aas colonias do Mucury o ba-
charel Pedro N alasco Amado da Harta Forjaz Paos
ueme, com os veacimeatos mareados na tabella
que se refere o decreto b. 2,922 de 10 da maio de
18G2, |para o engenheiros de 3' classe, e trans-
porte oo mximo.
Mlalsterio da guerra.
Por decretos de 18 de outubro r
Passaram aggregados s armas qae perten-
eem, a cooformidade da ImmediaU e imperial
resoluta} de 20 de julho do aaao prximo pasea-
do, tomada sobre coasulta do coaselho supremo
Fe Tho-
ual emprego 00 arsenal de marinha de Femara-
EXTERIOR.
militar, os capules Joaquina Jos Bapsl
maz Alfonso da Silva, este do 3* batalho de in-
fantaria, e aquella do 3* regiment da cavallaria
ligeira.
Foi reformado eom o respectivo sold por inlei-
ro, na cooformidade do disposto uo 1* do arl.
9* da lei o. 648 da 18 de agosto da 1852, o cap
lio do 2 batalaao de infatuara Francisco Aatonio
Carneiro da Cunha, visto aehar-se impossibilu-
do para o servico do exercito, em coosequencia
de ferimento de arma de fogo recabldo em com-
bate.
Foram considerados gradeados nos postos de
comraissao em qae se acham na con/ormidade das
disposiedes do art. 3" da lei n. !j813 de 8 de outu-
bro de f870, conlaudo antiguidade dessa grada-
cao desde a data da citada lei, como o declarara as
i inmediatas e imperiaes resolucoas de 8 de abril
desie aono, tomadas sobre coasalta da seecio de
guerra e marinha' do conselho de estado, os se-
grales offlciaes: ,
Arma de artilhana. 2" tenantes gradaadoa os
2" tnsales de commissao Carlos Eugenio de Aa-
drade Guimares, coraraissionado em M de de-
zembro de 1860 por Saa Alteza Real o Sr. Coala
d'Ea.Ordem do dia addieional de n. 41.
Eiequiel Jos Goncalves de Maeedo idem em o
1 de outubro de 1868, pelo general Daque de Ca-
xias.Ordem do dia n. 25V.
Arma de cavallaria.Arfares graduados os al-
fares de commissao Firmina Gorges Ballogarda,
dem om 17 de aasanaJaro de 1886, pelo corann-i_
Bsenos-Ajtcs. 14 de outubro
de 1S91.
Os primeiro- das da qaiazeaa amontoarara so-
bre a cabeca do Sr. presidente Sarmiento ama
vtrdaleira tormenta.
Sopravao vendaval da todos os lados: osjornaes
daqui gritavam como surlos, e os das provincias,
sobretulo de Cordova e do Rosario, elevara i a v 1
a Jim diapasao ainla mais temivel.
podo por causa do velo opposto pelo prasidea-
!di qae transfera a capital da repblica para
0 deserto de Villa Mra. .
Nao ha va desgraca qae os joroaes nao valici-
na-sem aJ5. Exc. Chaaarlbe o himera meis
popular da repblica, era a menor gentileza cara
qae mimosea vara n seu primeiro magistrado.
Das segoidos dorna 'ese chovisqueiro, e nao
faltaram as pradiccdis de qaeS. Ex seria racebi-
Jo Ko R vano e em Cordova cora paradas, em lu-
gar da fiares, qae antes lhe linhara ajumado para
a abertura da exposico.
" E' eseusado observar que a Nacin contrariava
aqueile eoocerto ioferoal, com art g h bem elabo-
rados em que provava que o Sr. Sarmiento tinha
andado bsm inspirado negando sanccoaauella lei,
qae realmente castava a ser tomado ao serio por
qualquer observador desapajxonado.
Q lem sabe se S. Exc l no mysterio e silencio
do seu gobinete, ao comparar os artigo? dos que
baje o atacara ora os eseriplos do spu novo defen-
sor, nao teva desconflangas amargas de se ter extra-
viado qaando, ao sahir da poder, rompeu com o
partido do ganeral Mitre, laucando-se aos bracos
daquello- qae, poaco a poaco, e ara por um, Ibe
lem preparado as sitaaco** mais espiohosas ?
Mas, seja com for S. Exc soffrea estoica ment
toda a celenma dos eus aggressores, e osta mes-
ma lave fin, cono todas as cousas desta Irista
moodo; e ple dizer-se que hoje se transforma em
risadas amarellas, ao ver que o Sr. presidente Sar-
raiento, apezir de veto e tudo, foi muito bam recs-
bido, labio no Rosario como em Cordova. Ser
sempre verdade que ninguem pode ser propheta
na saa trra 1
No domingo 8 dss'.e mez, S. Exc. o Sr. presi-
dente parti cora os seus ministros D.\ Flix Sars-
llald e Avellaneda, ficando as redeas do governo
as maos do Dr. Adolf Alsina. viee presidenta da
repblica. A comitiva presidencial, ni qual vai
iaclaida a guarda pessoal da S. Exc, leve suas
ovaedes regalares no Rosario, e desembarcan em
Cor tova por entre as acclamacoes de urna grande
mullidlo, prevenida pelo telegrapho, do momento
preciso da chegida. S. Exc ja visitn os princi-
paes estabeleci mentes e pontos do local da exposi
ci, e amrahai devem ter lagar as ceremonias da
berlora, qae canamente deixaro oo espirito dos
Oirdovezes remiaisceacias iadeleveis.
'escusado preveni-lo que lhe maolarei tolos
os pormenores relativos a esta fostivi iale, porque
ji me conhace por coaseiensioso nos meas devares.
A Nacin foi o primeiro jornal que receben aqai
1 noticia de ter passado nessa corte a lei sobre o
elemento servil.
Com o estroado dos foguales, que desde a cessa-
r-o da guerra franco-prussiana nao ouviam raals
aqai aas portas das typographias, annunciou o seu
boletn, no quil dava a fausta not ca da triam-
pba moral qne o nosso pai. acabava de oblar, gra-
c.as i persevaranca do gabinete di Sr. Visconde do
(lio Branco e do espirito o abrmenla molerado
Idos nossos representan .es da afio.
Todos os jornaes redigidos com criterio e corj
levafio felicitaram o no3so imperio sem reserva
llguraa por este immanso passo tao pacificavenle
dado aa estrada do progresso.
Entre os jornaes qae representara as colonias
estraniairas, o Standart e o orgio alternan Druji-
che ZiU**9, offareceram igoalmente a.* mai, cor.
deaes felicitacdas de maacira que aqai a;, pfgij
' ;hr ~
u> alada levp ffedasii. nos das- es^roitfacYo,
de safecionar q piojecto de .lei sobra as ebras que
sa d"voa'fazer no por^j de.BaeaosiAyres.
Wia-,1 Waiaajitidil>lsl3rf'gHiJ-ain ,pro
le suppnminao as laga'rjojs argffitia- no Brasi
na Europa, conservando as dos Estados-Unidos e
do Chile.
O sealo, recoohaceodo a grande importancia
da lagaco nessa corte, assim como os servicos da
legacso na Earipa, conseguio que a cmara dos
deputados recoosiderasse a sua decis), o que esta
fez, ficando em p tolas as lagacoes em qaesto.
Emquanto o ebefe da repblica preside em
Cordova a am acto publico que podsna ser coo-
siderado como poaio de partida de urna oova era
de prosperidade, se opaiz estivesse era clrcuras-
tancias de iraoqailidade, as noticias dis fronteiras
tomara cada dia nra carcter meio assusli Jor. As
iavisoes maltiplicam-se de um molo verladeira-
mente deploravel, emquanto qae o servio das
guarai(5as vai de mal a peicr. Anda houtem a
Nacin pub icou um artigo muito bam elab arado, e
sobretodo corroborado por iaforraagSes fliedigoas
e minuciosas, que revela sera rebuco a miseria e a
desgrac. das provincias da fronteira. Se o gover-
no ni tomar as mais serias providencias, ple
considerar se destruida por muitos annos a pros-
peridade daqnellas regidas.
Muito susto causaran por aqui esta semana
urnas B)ti;ias viudas de Corrientes que diziara ter
bavido em Saladas sete casos de febre araarella.
Felizmente logo se conhecea que eram falsas
aquellas noticias, inventadas til vez par algam des
tes especaladores era vendas da terrenas no cam-
po, que nao re -aira diaate de nanhura meio para
oblar os melh >res preeas.
E a polica, ou nao qur, ou nao se atira a
descobrir afonte destas 'requemes noticias, para
castigar os desalmados qua assim lancam o ter-
ror no seio de militares de familias.
Comquanto as bexigas facam anda bastantes
victimas, o estado sanitario em geral bom, e al-
gnmas chuvas que tm cahilo limparara a ;.th-
raosphera, ao passo que conjuraran] as desgraca9
comqueasecca ameaesra todos os esteDelaM-
mentos ruraes.
No dia 20 deve partir daqui para esta o Sr.
general Bartholomeu Mitre. Alliado e amigo sem-
pre Uei e leal, com saa vasta iotelligeocia, este
redactor da Nacin sempre tem sabido f izer jas-
lica s nossas coasas e aos nossos h iraens, e al
a mostrar-nos franca sympatbia. Diz mu que vai
a essa corte para traseros restas do sea filho que
ahi leve tim tao prematuro. A03 flumiDeoses,
que sabem ser gratos, e sobretodo bospitaleiros,
cumpre mostrar para cora o sea Ilustre visilaate
os seotiraeatos qae seus mritos e seu carcter
devem inspirar.
Montevideo. 19 de outubro le
sfi. x
Appareotemeote melhoroa a sitafo critica em
que se achava esta repblica. O governo obleve
recursos para vivar mais quatro ou cinco mezas,
embora com coadicdes mai oaerosas, e igora o
ganeral Bartle, que ple bem dizer que segu
risca o preceito ueaprs mn le Muge, mostra-
se mais animado, pareceuda oatra va acariciar
ideas>te paz, que tolo o muodo se erapenha em
ajustar, e qui nioguem v realisar-se.
Qae o emprestimo coatrahido merece aquella
classificajo, nao resta davida. proprio Sr. mi-
nistro da fazenda, pondo o cumpra-se na lei que
o autonsou, disse positivamente qua erara nsuf-
icientes para attender s necessidades do Estado
os recursos outorgalos pela dita lei, e provou-o
com a eloquencia irrefatavel dos algarismos, por
esta forma :
SeguaJo a tabella junta, o emprestirai de. .
4,500,010 / ouro, vem a dar naci um proluc
to liquido de 3,230,000 / papel, o isto em oito
mensalidades, isto e, cada 70 pesos papel do era
prestador, equivalem a 100 pesos ouro, obrigacj
do E-tado.
c Ainla que a lei estabelece que no acto de e(
fectuar-se o contrato se entreguem ao poder exe-
cativo tres mensalidades, equivalentes a.......
1,000,003 /, vem esta so>araa a litar reduzida a
198,000 /, sm censequencia dos adiantamenlos
feitos ao erario desde junho ultimo para alten Jor
s daspezas ordinarias, para o servio das divi-
das publicas, aos uros que os emprestadores co-
brara sobre 4,500,000 / desde 1 de julho ultimo,
eommi-'sdas de garanta e interesses sobre os adi-
antamenlos (tudo o que a lei has concede), e com
a qj ella insafficiente quaatia ha que attenler s
daspezas oreadas para setembro, obrigando assim
o poder executivo a tomar adiantamentos sobre
as mensalidades seguintes em que est dividido o
pagamento do emprestimo.
c Entrar em mais demonstrabais sobre este
ponto, coasidero intil, conhecendo que a noces-
sida te urgente da situaco que obriga S. Exc.
(o presidente) a por o cumpra-te em urna le
tada sem o estudo e criterio devido, e de tao de
sastrosas consaqumeias para a marcha futura
da fazenda publica.
i Emqaanio ao direito de 2 % sobre a expor-
ta ci, est ao alcance de todos quo injusto
fazer pesar sobre a devastada campanha, qua ha
soffrido nao sd dous annos da urna gasrra asso-
ladora, mas tarabem a seeca e a banca no prega
dos gados, e deve sar terrivel que, qaando pare-
ce que coraegam a tomar valor seus productos,
veoham a impor-se-lhes cootribuicfos da cerca
de 20"/., qaando o poder executivo nao pode aio
da fazer effaetiva a directa, qua s estabelece uns
i '/ A
' Contina o ministro por este estylo, que de-
raonstra a Qdelidale da pintara da situaco do
paiz que fiz era minha ultima correspondencia, e
termina afflrmaaJo que na futuro nao sera erais-
sao girantida com reodas o qua teoha a repbli-
ca, ma3 simplesmente eraisso de papeP-moeda.
Nao obstante, cora essa omisso aioda ficou
adiada, o commercio recebeu a celebracao do em
vida, qi quaes era nenhum caso poderao ssir en-
tregues a lypo menor de 40 /.. >
Como se v, a admioistracio Bartle faz a sua
quidago brilhaMeraeote. Sao sate railhoes
ojeio que acejescem divida publica, ou perto dV
16,000 e ratos, s para que ella possa chenar ao
seu Om. Sa fizessem e balaQco desta presiden
"cia, como Gzeram o do imperio de Napoleo III
chegar-sa-ma certanwote concluso de qce, re
lat va lente, ella aioda lera castado mais caro
Ha das foram julgados, os celebres irrao*
eto a% *ew.n*yar,aaiores da* minas que tanto ileram
que fallar no tempo da administrado do general
Flores. -Os reos nao poderamesqaivar-se s pro
vas do seu crirae, e procuraram basear toda a
sua defeza em recrimlaacoaa cantra BasUsen'.'-
e outros hom.ras polticos do Estado Orienta!.
A situadlo das forras bel ligera ales quasi a
mesma. Aparicio cooservavaee no departamento
de Taquar^mb, e B>rgeS, governista, no de Pay-
sand, ambos ao norte do Rio-Negro. Mumz blan-
co, no departamenio do Cerro-Largo, e o g raer!
Ca-tro, colorado, no de Durasao. E assim segu>-
a festa.
. Pobre paiz 1
O vspor inglez Oriental, que hontem chegon da
Europa com liji camgamento geral, penleu ?-
totalmente as pedras da Ba-Viagem, quasi a
entrada deste pjrto. Tem-se conseguido tirar del-
le cerca da 400 toneladas da carga, mas algunu
j avariada Daus pequeos vapores mandado-
em seu auxilio, tambera soffrerara avarias. En-
tretanto o tempo eslava bom, e o mar quasi se-
reno.
Muita sensaco prodozio aqui a noticia da pe: -
da do capor Corumb da linba de MattoG'oss.
Eis como a Revista Mercantil dasereve esle la
menlavel successo em seu numero de 14 di cor-
rente :
< O paqueta Corumb, magnifico vapor de 60(>
toneladas, bem contiendo no Rio da Prata pir sua
velocilade, tinha sdhido da Assompcao 00 dia 3,
s 10 horas da maoha, para trazer a este port<>
malas e pasageiros da sopra mencionada- pro
vincia, e concluir a 14' viagem redonda da I uh .
t A's 7 1/2 horas da noute, pouco mais ou me-
aos, achava-se no norte dO Aquino, rio Paraguay,
navegando sampre encostado margom do Ch 1
co, como lhe cumpria, na forma do regulamento
da Davegaca fluvial, quaodo avistou, primeiro .
luz branca do mastro de outro vapor que soliia o
rio, e depois, ao elfectuar a noute, tambem a sua
luz encrnala.
a Guiando sempre a estibordo, ou para a su >
direita, como devia, aproxiraou-se cada vez mais
da costa do Chaco, at onde podia, sem varar.
O ootro vapor qae devia imitar a mesma mano-
bra qae o affjstaria, cogindo-se costa do Para-
guay, guia ao cootrano para o seu lado esqotr-
do, e vem cruzar o caminho que devia parcirrer
o Corumb.
t Esle reeonhecendo o erro de seu companheir.
que Ibe aprsenla todas as luzes, prova de qn<-
vem sobre e le, para a machina, e seu comman-
dante, pralicos e guarnira gritara para obrigar o
outro vapor a desviar-se. Em um instante a
abalroacao realiza-se.
f O Corumb recebe um terrivel choque rio la-
do de bombardo, entre a caixa das rodas e a eu-
xarcia do iraquele, abriodo um immenso rombo,
que depois verificare ler doze ps quadrados.
Felizmente elle eslava lio prximo da'eosta.
que pode encalhar oeste momento supremo ; o
que lhe eviiou ir a pique, e concorreu pan que
nenbnma vida se perdesse.
t O vapor que abalrooa com o Corumb era o
de guerra brasileiro Taguary, qae subia. E?ia
canboneira, construida com solidas madeiras, tem
na proa um arieto, que foi a causa da rx'.enst>
da avaria produzida no Corumb.
Todos os passaceiros testemnnharam o fxclo, <
o attribuem a erro na navegacao da canhonheira,
cojo prlico, na occasio, nao eslava em cima da
tolda
Os aganles da empreza em Assurapcolo, imme-
diatamente expediram outro vapor da mesma fi-
nita, o Cecilia, qne tomou os passageiros e malas
e os trouxe a esta porto onde chegou com felici-
dade no dia 10 do correte.
a mesma revista, em artigo de fundo, se lm
as seguintes consideraces, mu judiciosas, a pro
psito desta navegacSa, de que muita gente mes
mo entre nos nao faz cabal idea :
Lioha de navegacao do Matto-Grosso.O ser-
vico desta imprtame hnha, contratado pele3 Srs.
Conceicao A C com o governo do Brasil, acaba V
sollrer um grande c nir.it rapo o sinislro do Co-
rumb qae o Cuyab fazia as viageus regalare
do Alt: Paraguay.
c O servico da navegacao para Matto-Grnssi
com dias flxos e em prazo breve, mais difficil
do que podem suppr as peasas qae s conhecem
e3te trajelo pelo mappa. Smente a perseveran
ieos sacrificios pessoaes e pecuniarios dos Srs.
lonceico A C, eraprezar03 desta Ijnha, conse-
guiro methodicar este servico em to curto tem -
po e cora to bom resaltado.
a De Montevideo a (rayaba ha urna distancia do
2,073 milhas maritimas, isto os vapores da em-
preza do Alto Paraguay fazenfuma navegacao d*
4,146 milhas, em sua viagem redonda percorrend
ros, dos quaes, o de mais fcil navegacao era, Tis-
ve-Jha ainda muitos annos, o pesadelo dos marinhe:
ros mercamos de todas as nac5e3,.e os outros dou*
o Sr. Lourenco e o Cuyab, durante seis mezes Ou
anno nao tem mais de 2 1/2 a 3 palmo3 tf'agoa,
havendo necessidade muitas vezes de desviar
troncos da arvares enormes que ocstruem o leii.>
cerrando o passo.
Os esforco3 dos emprezarios desta linba p -
dem avallar-sedevidaminte, considerando que era
14 mezes que desempenham este servido j viras.
ir a pique dons dos seos vaporas, o Amelia, oo*
com grandes despezas consegu rara salvar, e c
Corumb, que no estado em qne si acha, pJo-so
considerar navio perdido para a empreza.
t Apezar destes lamentaveis cootratempos, o
Srs. Conceicao A C. nao desaniman), e om essa
energia que lodos Ibes reconbecera, e de qae Mo
dado provas em saa larga e honrosa carreirj
commercial, proseguem eom perseveran^ ero sen
proposito de ligar a remota provincia deMaito-
Grosso com os emporios commerciaes do Prata *
do Brasil. Grapas a to Ion va veis eaforcos, Coay-
ba aomente diste boje de.z dias da Montevideo
do vizinho imDerio.
15 / de premio
la taxa.



*
-

aossa feliz rerorma leve uto echo raiap,lbaDle cjmo
ha de ter no mundo inteiro, sobre,ndo naqil9e
relbi mnao. era que ji a au^^ fimilia doj
nossos imperadores tem ad-^^wj,, o grandes
jympatbias f lem dalo pe,* Trtuld8 t5.j es.
peodida brilho ao nome bfazi>,djro
Sr. Bailo de Colap-pe, qae teve aqui muito
a u /c.iem-seo 0 que fcil veriflear-se no lugar do sinislro.
a saneco de outra medida flnan-1 examinando a posicio i 0vmmbi 6a o*_war.
caiVa8 ron lamenU Sae cVti "obra a mesa de reeebida, seria respoosabiltdade cabe aojavera,?
ffiaSSVoi^Si^o. ff alad que autorlsou iraperial.e desde J chamamos a atteocao_do Sr.
rSSS a salteTOUs cora os fornacedores ministro da marinha par esta grave qaesto, qu.
mg irado tua s de divida ioterna at a somma deve ser elucidada no wabrwwpo.
te se danomiaaro.^^re^S'cr'edifolVro-i^C^fi'mTq^os^preaarloa j apresentar,.
ereado pela dita lei, sern a ouro, cooj exoia-, mp^
ao de qualquer oatra mo3da cread ou pat. -nil0 apreciad lem aio a-ai a jmporiaote lei
crear. 1 sobre o elemento servil, seccionada no dia 28 a <
i 3 O poder executivo celebrara ajustes com setembro. Todos admirara o criterio do povo bn
os credores por firaecmantos de guerra, daodo sileirc, resolveudo com tanta calma e sabedor*
era pagaraanto c|e ?3urcrditos litlos da dita di-. nm problea to dlfflcil.


r IJITILMIB 1

a "I*


Dttrio d Petnambuo* A-?r;a^eir* T de Outubro de 1871
So Mi'.ito so Brasil, ao dlslioeto visconde do
Rio Braneo, que laoUs qnalidades solida revelan
nesta companhia parlamentar, a todos, emm, que
teatsociaram a realsaci de lio-grandiosa medi-
4a, palo fatuta esplendido que ella nos prepara,.
Agora pi-ie ler orgulho de ser brasileiro ;
en o si oto e o proclamo.
roaoR.
RIO JANEIRO
10 nYmjBRO DI 4871.
Homero, as 8 Vz botas da manhia, o aroericaan
Jos Weinslaltf, mandar roaSete de Setembro
a. 64, dirigio-se na do? ourives n. 90, onde
eompron nm revolver deearregar. Da voHa para a nasa pretenden
Weinstio, segando nostnforroam; assasssinsr -a
Pierre Juvanoi e sua malher, moradores na mes-
tnacasa.
Nao podendo conseguir seo de-ejo, por estaren*
Jawnot e sua malher talvez prevenidos descea
o mto Weiustain, pira a rna, offde felizmente f
proso, anda com o revolver, ordem
delegado do i* districto do Sacramento.
deira de Gouvi, < recolhido ao xalrn da pol
compareceram e procftjecara a essa deligenuao
mesmo Sr. subdelegad), lente Paria, inspector.
Madureira Ramos, e o sargento Antonio Jos Lessa,
do 5* districto da guarda urbana.
- 17 -
DoHio da Trata temos fainas t 10 do correle
pelo vapor inglez Tygko Brahe.
O presidente Sarmiento sanio- a 8 de Fuenos-
Ayres para CcrJova, afim de inaugurar ali a ex-
posicio universal. *t) vi;e-prseideate Alsina asv
umio a presidencia, eforavn nornea los mini-tro.
do interior e dos cnltos os Drs. D mingos e Teje*
dor. Um teregramma comrannica qae o generar
Mure embarcara no prlmero paquete para vir a
esta corte.
De Montevideo a noticia mais importante ad
realissgio do emprestimo de i milbr*as e meio
propisio ao governo oriental pelos Srs. Hsrrera &
Eastman. Destrninlo esta dperagio tolo o temor
de eabir-se no rgimen iopaptlmoida, o eorom-r-
cio a receben com ronita satisfaga, baixand* logo
o premio do ouro de 15 a 10 /o, em que flcava.
No da 3 do correte. 7 horas da ooile, o pa-
quete da linha de Matto-Grosso Corumb, que de**'
ca, foi mettido a pique pelo vapor de guerra bra-
sileiro Taquary, que subi.. Como este vapor teo
na proa nm ariete, inve tado do Corumft, fez-lhe un rombo de roais de
12 ps qoadrados, com que principipu a afuadar
se da proa, salvando se os passageiros, malas e
gaarnicao nos escaleres do Taquen y. Levada a
noticia Assumpco pelo commissario, deseen lo
fo o Cecilia, da mesma linha, para tomar o* pas
sageiros e as malas, e com elles chegou Monte-
video pouco .antes de sahir o Ticho Brahe.
Eis como pessoa que vinha de passagem nos re-
lata o fact'-:
i No dia 3, as 10 horas da manhia, sahimos d;
Asjsmpco no paquete Cnrnmb. A's 7 oras e
43 minutos estavamos a 45 leguas, no ponto de-
nominado Aquino, abaixo de Villa-Franca, quan
do avistamos urna luz Reconhecondo ser nm va-
por que vinha aguas cima, continuamos a na
vegar direita, apresentando-lhe sempre dosso
jiharol encarnado; elle, ero vez de seguir o sen
caminho esquerda, dirigio-se sobre nos directa-
mente, apresentaodo-oos suas duas luzes decir.
Debalde encintamos costa do Chaco para nos
desviar, isto s> bre e. tibordo, debalde paramos
a machina. Re-abemos nm formidavel choque no
lado e-querdo entre o tambor dis rodas e a enxar-
cia de proa, que nos fez un rombo de 12 ps qua-
drado?, pelo qual agua entmu logo era ui quami-
dade, qua se nao temos a praia prxima, qual
anicamos a toda a forja, iramos immediatamente
a pique.
O vapor que nos fez esta avaria reconheceu
se ser o brasileiro de guerra Taquary, que vinha
aguas cima. O praiico que eslava de quarto
nao guardava seu posto na occasio do sioistro.
Tinha descido prac d'armas para tomar caf.
Consta-nos que enloqueceu. >
S bre o mesmo assurapto l-se no Telegrapho
Martimo do dia 9 o seguate :
O vapor brasileiro Corumb. Segundo nm
lelegramma expelido do Rosario de Santa F ao
Sr. gerente neita cidade, com data de hoje, Ihe foi
corr.municado que aquelle vapor, perteneenle a
empreza de navegagao do Alto Paraguay, e que
devia chegar amanha a nosso porto, conduzindo
a mala de Mano Grosso, foi mettido a piqae no
Rio Paraguay, pr xirao Villa-Franca, pelo vapor
de guerra brasileiro Taquary, de proa encoraoa-
da. Nao honre falizmeute perda de vida.
i -Era consequeocia deste daiastre, o vapor Ce-
tilia, da mesma empreza, deve chegar amanha
eooduziodo taoto os passagoiros, como as malas
deque aquelle era portador.
Este fado vero provar urna vez mais a perse-
veranea da gerencia e dos emprezarios, os Srs.
Conceiclo A C, que fazem constantes sacrilicios,
para manter em p esta empreza, em beneficio do
commercio em gcral. Sentim s este serio con-
traste, e congratulamos ao Sr. gerente nesta cida-
de pela pontaalidale com que concorreu para fa-
zer menos penosa ao commercio a falla do vapor
na linha do Alto-Paraguay.
E' realmente para lamentar este incidente lao
grave para a linha de navegagao de'lfato-Grosso,
que nao tem poupado sacrificios para executar
seu contrato, mas que tambera tems offrido tantos
i uotratempos.
Nao obstante elle, as malas de Coyab ebega-
ram Montevideo no piazo marcado, e j se achara
ntsta corte, trazidas pelo Tijcko Brahe.
Relativamente s fjrgas em campanha, refere-
se gora que Aparicio eslava em Tacuaremb,
sem que Moniz se Ihe livesse Incorporado sinda, e
juc o exerHto di governo, contando 2,000 horaens
da i tres armas, marebava sobre elle.
Pelo paquete inglez Corditheira, da linha do Pa-
ciliin, recebemovhontem foihas do Rio da Prata
a' 13 do corrente.
A' 12 encerrou-se o congresio argentino. O
presidente Sarmiento tinha chegado a Cordova.
(ndebavia muita aoimagao, lendo sido brilbante a
iauguragao da exposicao.
Asfuiha-i de Monteido do os termos do con-
trato celebrado entre a ea>a de Herrero & Eas-
tman e o governo oriental para tomada do em-
prestimo do qnatro railho'es e meio. Pela somma
total do emprestimo os tomadoras pagaro ao go-
verno ao typo r!e 80 / 3,600,000 em- meosalida
dea da 400,000, sendo entregues as vencidas no
acto da assignatura do contrato. A titulo de cora-
missao o governo pagar sobre a somma total 3
0/0, que serlo deduzidos propreionalmeate em
-------cada raensalidade.
Sobre a guerra civil neohuraa noticia positiva
encontramos.
A barea franceza Notre Dame de Bom Port, em
visgem de Londres para Montevideo, hacendiouse
a ornas42 leguas da fox do Prata, tendo se decla-
rado o fago no deposito de carvio. A tripolago
foi salva pela barca italiana Emilio .Barnabiiu,
qne a conduzio Babia.
Na Assurapcao houve no de oulobro, por (c-
easiao da eleieao do vice presidente, serios distur-
bios que duraran) todo o dia. Diz-se que o cele-
bre padre Duarte, priMooeiro da Uruguayana, .to-
mn parte activa nestas scenas violenus, em qne,
nouve morios e feridos. Segundo a Voz M Pue-
blo, a seguranea da vida e propriedade' naqaella
capital era neobama.
A 5, a casa do deputado Goniatez Granada, o
qqal felizmente se aebava anseaie. foi aasalUda
por ons 20 individuos armadose faca e revoivers.
A lo senador Olomel P a Uvbaai foi cercada
por mitas pessoas, que fre^nentemte batam a
porta peraunaniopjr elle, sem que se aoubesso
com que intengos.
A's 8 horas da noute, diz a re/erida Jlba, a
mas da Assumpgo fijam desertas, vondo-se ape-
nas as cDcrnzilludas grupos sioistros que espe-
rara fazar algusaa victiaw.
Do Pai-ili -o irouxe o CoriUhira data de Valpa-
raizo at 30 do pastado. A 18 o novo pr,e-idete
do Chile, Erraneriz, lomando poase do argo, or-
!;anicou o seu gabinete com a nouieago de 0. Eu
ogioAltarairaoo para apasta do interior e es-
traogeiro, D. Abdon.CMuenles para a de cultos e
iMrnecij p blia, -D. Gamillo H. Cobo par* a da
faienda e D. Anoinal Piulo para a guerra e ma-
naba.
Urna caru da Bolivia relean :
a Ceg por ama mesquiaha ambicio, -Morale*
atacou com (oreas de liaba p -recinto eca fue ira-
baste a assembta coMtitnjple. Os membros do,
eoofresao, auxiliados pelus operarios, dlenderaro-
repelliadoo alaijne, e Uoraie.s reroa-se para
*otoe, ende e( organiaadi fjjal. A aasam
bla assumio tambem urna attitude bellica e ota-
para-se para a lata. ^
nessa ecsasiao Ramos Cardoso preostra em pro
sen^a do subdelegado que Antonio Italiano Ihe pa-
gana eai casa o sangue que elle MU eslava derra-
mando. E todo flcou em paz 1
Na capital aticidaram-se por estrangalacio o
crioolo Adacto, escravo do eapitiq Aguiar.
Ja -
Do Rio da Prata recebemos hontem foihas at 17
do corrente, pe > paquete inglez Otteida. Em na
Barros Velloso, candidatos i I v.deira do anno
do curso superior da mesma angola.
O Liberal Campanente^ da C.rnpMha da Prin-
ceza, em Minas, di as, seguites noticias em da
de 8 do corrente :
ORvm. vigario, de Caldas, Francisco de Pau
la Trindide, lera dado. Iiberdade aos seguinKs es-
cravos, naicos que possuia : Mara e seas Albos
Laiz, Jcao,laalum e Auna ; Jorguina, Rila, Fran- nbama das lna3 repblicas platinas occorrera tac-
cisca, fanbeL ahriella e sea lino Pedro; Flo4
reneio e seas Binos Jos e Francisco.
< O Sr. tenente coronel Marliniano da Silva Ren
lirandao den carta de liberdade i sua escrita
Ignaeia. Actos como estes nao precisara de con*
montas. >
20 -
O paquete nacios! Carnets, entrado hontem,
troQxe-nos foihas das provincia de 6. Pedro do
Sul e.Santa Catharina, alcaofanlo a 12 do corre-
le as de Porto Alegre, a lt as do Rio-Grande e a
15 as do Desterre
S. Pedro.S-gundp un offlcio do general com
mandante das ariMsj deviam ser inteTnado o\)
eoviados para a capital da provincia um numero
inap pequeo de' emigrados orienta*?, qB na n
lo a)gum mi
Urna comsaWsio de 11 memoras, noaeada fel
lo|a maconiea Amor da Patria, ao ralle des Beae-
dietinos, fii ant -boatem, felicitar o Sr. eoMelswire
Safcjanha Marmho, por ter sido elle o iedieador da
concessao e-aiaoumissdes no Oriente dos BenedJc-
liods.
ra, e beta assim para contratar com a Repblica
rgenthu o etabeleclmento de nm cabo que, cor-
rendo o rio Paran, facilite as communicagdes le-
legrapMeas de ambas as nacoes.
. 110 G1UNBK DO SUL.
A imprensa da provioeia .acolbdra, em geral,
com satisfacao a noticia da promulgarlo da lei de
28 de setembro ultimo.
No dia i do corrente reunira-se a Associagao
Commarcial, am de nornear um praaidente e aut
vice-fresideiss, que compretassem a directora
qae tam da servir durante o auno ociaI de 4871 a
Vm, recabrtio a no-neaiio pos Ira.! Emento Jos
ns, para o priraeiro, e RieuolWer para o se- os contratantes dedutir-aw-aa em fvor daqUelles
O vapjr leglez Oriental em viagem de Liverpool
para Montevi leo, bajeu a 15 do corrente as Pe- _
dras da Boa-Viagem pert) deste ultpnojiorto. Sa- Gonjalves de Oliveira.
hirara a seu soccorro diversas embareaedes, mas
-alSfa flma hora s tiabam podido salvar 400 to-
neladas dd carga.
grJSjlb
GOTAZ.
Reeebenam 'foihas d'osu provincia at 7 de so-
te nbro. Apaas encontramos a prisao, no termo
de S. Joao-tndiisia, em cuja cadda se acha, do in-
dividuo Antonio Wenceslao-'Duque, que ha pouco
assassinou cdn un tiro ae proprlo pai, Aotonio
n do Sr. suV bolgao do pajz wziflho tem-proiMirado abrigo em
ato Dr. Ban^Iierritorio brasileiro ; havendd s14p a presidencia
n 'da polica : autorizada pelo governo impeiial a pagar a esses
emigrados a etapa, quando. nao possa de onlra
Mftaem-de S. Sebaio, provincia de S. Paulo:
, c Rteceu o bcrogenariobadi* Aotoni#*Pinto,
qpe ba 30 anuos enrcia,as funceoes de nosed* vi-
. [ario Todos o esrtoavam pele seto bello cafae
forma proceder ou dar-Jbe' destino menoronerps.r *er. Ha cerca deura anno coaetera lile lber
" *^ /*nJ. i .>na naiMB.-ta am niliHfl^A lin IdBslS^S^SH
eos colres pnbeos. .*
Havia chegad eo Rio' Gjraede ow. Noel d,Or-_
mano, empretario ddLeampanhia de illumioaglo a1
gas, coro dous engeafieiros da mdsma cempanhia ;
os anaes depois de visitarem as' tidales de Pelota*
e Rio Grande deviam-Ir capital, afim d9*princi-
piarecr/os trabalnas para a conflrnacao do gazo-
raetro e assentameblo de tubos.* Eipra*a de bre-
vemente o-material da'enpreza.
Tinam sido Ja. remetidos para esta cflrte os**/
tatutos da compMia*da Estrada de Fjrro de S.
Leoi)old;',/(im*de |ubir,em saccao Imperial*-'
E-ta.am e,nt,andameato na capital, as obras do
nospicie da SoaieJade Brazileira de Beneflehcia
UoiJo, concorrndQ ero-sen auxllfb, com /arte do
nativos, pessoa*
Hootera na escola militar defenderam tbese, pe*
rante S. A. o ir. onde d'Eu e o Sr. miaistm da
KOifm, os Srs. Drs. Jeronymo Frao siseo- Coiho,
Jos Francisco de Castro Leal e Aauoio da Costa
nialitioadaa-do-oin ^Jtoto *e.^o
- A conJpanriia 1njradade,-"l quar*pwWHTO Cva
por Guethyba, no prazo de 14 mezes dera aos ac
cionistas um dividendo de 37 0/0.
No Diez lindo rendera a alfaudega da capital
85:721*271; e ajnesa de rendas 11:419/433.
. Tomara posse ao novo cargo de agente da colo-
nsagao o Sr. Kraemer.
A bord i Jo vapor Tupy, em viagem do Rio-
Pardo para a capital, dera-se o segrala desastre :
uro crioulo de nome Pedro, escravo do Sr Juveo-
co Peixoto da Fontoura, brincando perto da rra-
china descuidou se e fot esmagado pela manivela,
tendo o crneo partido.
Noticias recebidas de diverso? pontos di pro-
vincia deraon-travarn que o raoviroento e-iancipa
dor diffundia se cada vez mais. O dia 7 de setem
bro ultimo fra assignalado por moitis casos de
manumisso, libertando a sociedade emancipado-
ra de Passo-Fondo dez escravos, entre os qaaes
sei- meninas, quasi todas brancas, e a Libertado-
ra Cruz ltense dezeseis, sendo nove por sua pro
pria conta e sete por acto de particulares, entre
estes o Sr. Alexandre L'uiz da Silva, que mano
miltio tres. Em S. Borja, por oceasiao do Te- j
Deum celebrado em solemnisagio daquelie da,
forara entregues pelo Rvm. vjgario cartas de roa-
oumissao a duas crianets. Mais duas escravas
firara igualmente libertadas, urna pelo Sr. Jos
Pedro de Encobar e eulra por D. Anna Joaquina
Lopes de Almeida. Constava tambera que o Sr.
Visconde de Porto-Alegre alforriara diversos es-
craves em sua estancia de S. Borja.
No Rio Grande o Sr. Ilogeno Adolpho de Freitas
conceder carta de lib^rdado a d-'z, anda pelo
mesmo motivo.
A luta fratricida no estado liraitropbe influa
.penosamente no animo das povoag5esda fronteira.
Urna carta de Santa Victoria refera o seguate :
Estamos por aqui assustadissirnos. Approxi
ma-se fronteira urna forga de mil e tantos ho-
meos dos blancos ao mando de Burguera e Achala.
Esses venalos destruirn* completamente a xar
queada do coronel Thomaz Jos de Campos e as
estancias de outros brasileiro;, matando, roubanda
e qneimando tado. Hoje chegou a noticia que
Angelo Muniz tambem se approxima da fronteira,
tendo j passado o arroio de S. Luiz >
Sobre este (acto l-se o seguinle no Jornal de
Pellas:
Chegou houtem, s 7 e l/i boras da nnnts.de-
Santa Victoria, o vapor Arroio de Pelotas, com
data dessa fronteira al 6 do corradle.
No dia 3 all hegara de Seb.tl.aty o hiato
Santa Victoria, com as seguales nolicias do Es
tado Oriental:
O patrio daiuee hiate referi que tendo ido
com san navio bascar madtras, fdra por ama
partida blanca intimado de tsrra pare que d-=e
rundo ; nao TazerMo caso da iotimacao, segua sua
viagem quando fura abordado por urna lancha
guarnecida de boraens armados que obrgarara a
dar fundo, levando-o em seguida para ierra.
Conduzido presenga do general Bargoera,
commandante da forga, este obrigou o patrao a
transportar a elle e a toda forga a margena oppos-
ta, no seu hiate no que levou tres dias.
c Essa forga compunba-se de mil homens mais
on menos, todos maltrapilhos e mal armados.
a Estiveram acampados na estancia do Sr. co-
ronel Thomaz Jos de Campos, onde Qteram
grandes estragos, qneimando e quebrando todos
os trastes da casa e portas da mesma, e por ulti-
mo, querendo laegar (ogo a esta com urna garrafa
de agua-nz, o que nao levaram a effeito por pe
didos do mesmo patrio.
c Na passagem a nado da cavalbada morreram
como cerca de 100 cavallos dos mais gordo?.
c Referi aioda o patrao qne o commandante
Burguera iudagou delle qual a forga que exista
em Santa Victoria, com que recursos cootava a
fregneia para sua defesa, e se as casas de nego-
cio esuvara bem sorlidas; o patrao responder
que nao sabia, porque a ultima vez que all fora
apenas esteve alguns instantes na freguezia.
Essa forga contava ultima hora que se
achava na Paloma recebendo armamento, tarda-
mente e munigoes.
Eis-ani as informagoes que ao subdelegado
de polica de Santa Victoria, .foram dadas pelo
patrao a que cima nos referimos, e que por pes-
soa fidedigna nos foram dalli transmitidas. >
Do Algrete commnnicavam haver sido assassi-
nado no Estado-Oriental o subdito brasileiro Fe-
lippe Nery de Freitas Noronha, que fugra da-
quella cidade em 1864.
Em Bag tinham sido perpetrados, durante o
mez de agosto, varios assassinatos, entre outros o
do fazendsiro Pedro Jos de Vareas pelo tambem
fazenieiro Marcos Anastacio de Oliveira, que lo-
grara evadirse*. Foram capturados os criminosos
Onofre de Medina Martins e Francisco de Paula
Tcenle.
Em Pellotas fallecer o captao Jos Maria Li-'
eour. Haviam sido manumettidosdousescravos :
ora por seu senhor, Antonio Teixeira de Mesquita.
outro por meio de sqbscripgo de diversas pes-
soas.
L-se no Jornal do Commercio daqnella cidade :
t Na frfgue-zia de Santa Isabel, no da 4 do
correte, na xarqueada dos Srs Nobrega, Abran
& C, foi assaisinajlo por um preto de pioprieda-
de dos mesmos senbores, o cipataz do enabeleci*
ment, Sr. Francisco Pinto, da Costa, porlngu i,
soiteiro, de 30 annos. O Sr. Costa esteye uluuia
mete empregado na xarqueada do Sr. Domingas
Soares Barbosa, e ba pouco.' dias havia seguido
para o logar onde infelizmente perdeu a vida,
cora grande pezar de todos que o couheciaui e'
Ibe apreciavam as bellas quililaJes que possuia.
Falum-nos pormendres'dssse triste e lameota-
val aconlecimento, e apenas sabemos que o br-
baro, assassino acaa-se era podar da jasiica. >
Na madrugada do dia 10 de setembro fiodo, na
villa do P*fso-Fuudo, evad:ram-se da eada, ar-
rumbando o assoalbo, seis criminosos, presas pof
differentes crimes.
O lempo, (olha do Rio-Grande, aceasava de ir-
regularidades a administrado da alfanJega da.
mesma cidade, qual attriouia a diminuigo do
rendimento desla reparligio.
Em 13 do eerrente acbavam-se surtos no porto
do Bio-Grande 50 navios, d'onlre ns quaas 28 na-
cioaass.
S.uta Catharina. Preparawm-se os partidos
para a prxima eleigao, de que deve resaltar a
lisia senatorial.
L-se oa JUganeraquo de "i do eorreote :
No Rio-Verraelho, a 20 lp passado, acbando-
ae no lugar caamado Caplvareiro, Manoel Bamos
Cardoso e nm tal Antonio, italiano, travaram-se de
razoes*,/B tal foi a dispara, que chegaram a vas de"
faci,' aspancapdo-se e ferindo-se gravemente am
ao eul'ro ; it na presenga do inspector do quinto
qnar'eirao aqaelle districto e de mnlas pessoas
oue all seaehavarn presentes.
*< Dirigindn-se os dous feridos, o inspector, e
mais pessoas casa do subdelegado FranciscoMar-
quesda Rosa, este mandoa-o! qae se retirasem
pra tuai amas e tratas! em de se corar, qne era
qoaalo podia fazef era favor dees, constsnio que
dade a seas escrevos em numero' de 12. ,
.Heotem, s 9 l/*Oru da manhia, tentn sol-
cldarW,^rrando-se do-caes dasaiiuw ao asa*.
o he-paohl Dahiel Martins Peftira. .^
0 rondadle do logar pedio auxilie ao-.catraetro
MandeT Antonio de Araujo, que, em na bote, co*
segu15*salvar Daniel.
Conduzido a:pr9sepi;a do 'Br. esnitao MarqoV
Ac'brinhojfo dhesbanhol re mettido p^r esla, se-
nhor para a-polica ordem lio resajjeuvo subde
legado.
* 23 M
O Echo BananaUnst 4e Jl do corrente, refer;
as seguints noticias :
Cafezaas.-- cafezaes
'resceTam Se rmwrT extraofoTnlTio,*'! DlTopnnao
lavradores entendedores -da enltura do caf, deve
baver urna colheita abundante no anno futuro.
No cartorio do Sr. Jos Pelippe de Andraie foi
registrada a carta de liberdade qne o Sr. Dr.'draz
Barbosa da Silva outorgou ao san escravo Joao
Cassanje, pelos sen* boas servieus.
O Puruhybano del8 do corrente d a seguinle
noticia :
Cafezal. Do da 12 a 14 do correte os esfc-
zaes das diversas freguezias do manicipio acba-
vam-e brancos de iflir ; mas na noite de 14 pa-
ro lo cabio em alromas taseodas grossa chuva,
que derriboa mana Sor ; Isto, em nosso entender,
muito infllo contra a (otara colreita, que pareca
ibuu-lantissima. Daus queira qne hija engao
nesso.
Compareceram 20 eleitores.
presidencia da provincia por Joio Vallet e Joao
Hilsdorf, fazendeiros residentes em S. Joio do Rio
Claro, para a importagao de 60 colonos allemSes,
destinados ao servigo da lavoura em saas respec-
tivas fazendas.
e O governo, diz o Diario, auxiliar a empreza
com a passagem dos colonos menores de 2 a li
annos, qne aoompanharem seas pas, oa propor
gao de 4 por familia, e nao excedeodo de 30|> e
auxilio para cada passagem, e de Mi para oadoa
eolooos. adultos do sexo mascobno, sala con a
900 o numero das pstaseos auxiliadas, inclusive
a dos menores. Da divida He colonos paraeom
Imperial Associafio Typographica Fluminense
dirigi a sua alteza imperial a segrate manifesla
gao :
-< Senhora.A Imperial Assoeiago Typographi-
ca Fluminense, por sen eooselbo administrativo.
em seu nome e no de toda a daseea qne perteace,
vem resprosaapresentaraoMguslo throno de vos-
sa allezt imperial o seu velo de enlhusiastico ap
plauso pela adopgao da iei que declara de condi-
go livre todos os nascidos desde sua data.
i Comegada pelo aagurto espeso de vossa al-
teza imperial, nos campes o Paraguay, a obra
meritoria da abolioao di eseravido nesta parlada
America, o generosa idea encontrou cbo nos
poderes coostituilos da nagaa, e declarados livrts
os nascidos de 28 de setembro por diante, nao
est loog o da do camplemento daqueila obra
liumonu i ria qae, cercando de .gloria o augusto
throno da mooarehia brasileira, perpetuar nos co-
ran'i > do povos por Vir os nomes augustos de vos-
sa a t-za imperial, de sua magestade o Imperador
e do invicto general que, viogaodo a honra nacio-
nal com a espada, libertoo non parte da bumani-
dade com a penna.
a A Iaperial Auociaeao Typographica Flumi-
nense, nao podendo ser iodiffereote a estes (actos
t&o grandiosos, i pede respeilosamenle a vossa al-
teza imperial te digne de receber benignamente
esla manfest&cao de sea voto de applauso ao (ac-
to percursor da feheidade nacional.
Rio de Janeiro, 19 de outnbro de 1871.Ma-
noel Frao-isco do Espirito Santo. Vlnerfo Vctor
;.->ngalves da Foneeea.Uermillo Macedo.de Men-
douga.Antonio Lua Gomes dos Santis. >
E ao Sr. presidente do conselho de mimstros a
seguale :
Illa), e Exro. Sr.E' esta, Exm. Sr., a intgra-
le uoia .propoita "adoptada uuauimmeou 4*j|3fcitas para a
conselho administtaUvo da Joperial AssWieeWvsial nlneira.
Typoepaphiea FlodMtitlre :
i Nioguera mais "asee estravoiaesae paiz, o
prologo ; nraguem mais -escravono mondo, ser
o epiiugo da (rande obra-que fez man y res como
Joan Browo e Abrabio Ldi)1ov
Aquella prologo acaba ne ser escripto pelas
duas cmaras do Brasil e pe*a regente em nome
do Imperador a todos um voto de enthuslastieo ap
plauso ; eu o proponho era nome desta eorpora-
co, em nome da Imperial Assoeiacao Typogra
phica Fluminense, em nome de todos os typogra-
phos.
i So o at)provarde9, que seia dirigida, e en
gue por urna commissao de tres membros, o
mensagem a sua alteza imperial a prioeeza regen-
te, a cada nm dos presidentes do senado e da c-
mara tos senbores de'putaJos, pelo desta asseea-
gao e oatra ao chefe do gabinete que sanecionou
a le n. 2,040 de 23 de setembro de 1871.
i Digne-se, pois, V. Exc, como teaaz propug-
oador da idea, de receber o voto qne esta mensa-
gem exprime, que o de toda a classe a qae temos
a honra de representar.
f Rio de Janeiro, secretaria d Imperial Asso-
eiago Typographica Fluminense, 19 de onlnbro
Je 1871.
AS. Exc. o Sr. Viscapde do Rio Branco. dig-
oissimo presidente do cooselho de ministros.Ma-
noel Francisco do Espirito Sanio.Alberto Vctor
Gongalves da Foneeea. liencillo Maeedo de Men-
donc-i.Antonio Laiz Gomes dos Santos. >
Aos senbores presidentes do senado e da c-
mara dos deputados foram entregues por esta as-
soeiago idnticas manifeslagoes.
O eoblelegado de S. Jos de Jicuby, onde te
den o erinte, dirigrado-se so rafar do delicto,4e-
vando era soa eompanhia am offlcial de juslca e o
cidadio Antonio Ferretra Navas, encontraram
te cora o delnqueme em caminho, e tendo-lbe
dado a voz de prisio, desechou no offi-al nm
tiro, que felizmente nao o oflenden, e evadj-se.
matto CRdsso.
Recebemos noticias da capital desla provincia
at 24 do passado.
Prosegua ea teas trabalbos a aseembla pro-
vincial, (aja mesa achava-se composta dos seguin-
ts Srs. : Dr. Jos da Costa Lette Falcan, presi-
dente ; eommeodador Manrique Jos Vieira, vice-
presidente ; tenente-coronel Cslestino Correa da
Costa, i.* secretario ; conego Jos Joaquina das
Sralis Ferrera, 2^ secretario; capito Thomaz
Pereira Jorge e teneote-aorooel Joto de Sonta Ne-
ves, snpplentes.
Deixra de ser publicado o peridico Primeiro
de Marco, e appTrecra no dia 7 do passado o pri-
meiro numero do Liberal, (olha poltiea e noticiosa.
O presidente nomera ama commissao para
i'xaminaro respectivo arsenal de guerra,
^flfflcialidarle do hatalhio o. t de infantana
(lreTo da 17 de agosto da baile ao tenente-co-
ronel Francisco Jos Cardozo Jnior, presidente da
provincia.
Fra capturado, e recolhido cada de Villa
Maria^Pedro Gongrves. ooobecido por Pedrao,
autor do assassirrato de Alexanire Jos de Oliveira
em 1859.
No dia 17 Ora astass'ntdo no recinto do qnar-
le o sargento do batalho n. 21, Manoel Camillo
da Costa, pelo sargento Henriqne Frederico de
Mesqoita.
De Villa Mara recebra a Situaco, periodic*
da capital, a seguiote communicago :
t l de agosto.Ha poneos dras,'as immedia-
eoes d'esta villa, no lugar deuorain-do Passagem
Vftlba, dons individuos as-assinaram a nm pobre-
bomeracnamado Flor'ano Ferrera de Souza.
< Depois d'este acto de barbaridad?, anda em
cima rijfolaram-no, Castraran* n'o, etc. etc.
c Algumas pessoas qoeviram o cor,o antes de
ser levado sepultura, desconfiam que fosse muti-
lado antes de ser assassisado. -
t O tiro foi dado na bocea, e queima-bucha,
tanto que at as barbas ficaram chamuscadas, en-
contrando-se mesmo na bocea do morto anda pl-
vora sem ser queimada.
Os dous individuos sobre qaea recahem as
suspeitas, senio moradores das immediagoes da
Passagem-Velha, mandaram-se mudar para os la-
dos de Pocon.
, O delegado Pinho, qae tao logo soube do facto,
tomou enrgicas e acertadas providencias, mas ja
nao os pode mis encontrar no lugar, e trata de
averiguar o caso.
c Dizem qne sao os assassiaos Pedro de Almeida
e Fraucisco de Almeida, dous iranios.
c Seguramente esses individuos seguiram de Po-
con, para Minas-ou S. Paulo, por onde j teem an-
dado romo carearadas.
HmAS-CElURS.
Recebemos folbas de Mioas-Geraes at 19 de on-
tubro, que dao uoticia das se*uiotes captaras :
O Sr. teneote Joao Mara Berqo, que tinha
seguido para-o arraial do Atrerao, cncarregad>
de colher roformacSes sobre a morto do negociante
Manoel Gomes Rodrigues, a qail n-tieimos em
um dos ltimos nmeros deste jornal, voltou .esra
capital nagmanhla de 4 do corrente, cooseguindo
capturar Antonio Vicente Alves, Manoel Jos de
Moraes e sna malher Anna Rila, indignados como
uns dos autores d'aquella moTte.
E' mais um servigo prestado por S. S., pelo
dual se torna digno de Unvores.
Por acto d9 11'do corrente o Sr. vice-presi
dente da provincia designou a segunda domiga
ibz de Janeiro prximo -vlndouro par r
a eleigo dos deputados que teem de ser
19* legislatara da assembla provin-
signal de regoa'jo pela ealebragao do consorcio de .
sua ultima olba.
PERNAHBGO.
a importancia do auxilio concedido palo governo
imperial para as passagens, sela* dos.menores eo-
mo dos adultos. Igualmente ser paga a subven
ni* correspondente aos qpe presentarem ao agen-
te do governo, encarregado na cidade de Sanies
de fiscalisar a axecugSo do contrato, vista o> un
6xemplar da declarago exigida na -condigao 3* do
mesmo e de altes lacio do agente consular do
Brasil, qne mencione a idade, naturaldade, filia-
gio, protissae, estado, religiio e numero de emi-
branies, com desigoago especial dos menores e
saas idades.
< O contrato vigcrara durante o eorreote exer-
cicio ; pideado ser prorogado pelo governo impe
rial, se assim convier.
* Estas condigss sio as raesmas dos contratos
celebrados eom o desmbargador Gavio Peixoto
e commendador Joaqnim Bonifacio do Amaral.
< O governo imperial deelaroa, em aviso de i4
de abril prximo passado, estar prorapto a prestar
igual auxilio a outras pessoas que qoizerem in-
troduzir colonos oa provincia, mamidas as citadas
condig5es.
As chnaas que tinham cabido ltimamente
haviam sido muito benficas para os cafezaes. A
este respeito l se o seguiote aa Gaitta de Cam
pinas de 15 :
< Nio 003 engaamos qoando, ha dias, calcula-
mos das chuyas prsperos resultados para os nos-
sos lavradores. Os cafezaes esto Ibreseendo de
um modo admiravel, segundo dizem de todas as
partes do municipio. A colheita seguinte, pois,
ai ser abaodaath-sima e como poucas vezes, a
continuarem correndo bem os tempes. Nem, por-
tante, geada, nem praga cederam as bellas
condigo*s da nos-a trra, e antes oareee terSm-se
revigorado da nova sei va, a sabor das propicias
alternativas do clima.
Fallecer em Taubat o advogdo Dr. Manoel
Dias da Sirva.
A' presidencia da provincia, diz o Diarto de
S. Paulo de '11 do corrate, foram apreseotadas
arias propostas de vas frreas, que partiudo da
cidade do Amparo voat Campias.
Os proponeotet offerecem se para lazer um trig-
ino urbano ou urna linha frrea, eom machina de
vapor, dispensando elles garanta de jaros, e dan-
do a favor da iastrnecao publica, 2 0/0 dos lu-
cros que a empreza aaferir.
Refere ara Ja o mesmo Diarlo
t Depois da graode secca, qae dava-oos os
rearares cuidados, e que tantos reales causou,
atormente eom as qaeiroalasobverais ltimamen-
te algama chava, tragas ao Todo
REVISTA DIARIA.
GYMNASIO-PfteVrNaAk-'WbJra. Sr. onse-
lheiro presidente a-provea* i a riti no domingo
mista aa capeta 4o geaaii, percorrendo em
seguida todo o eMMto, aaasist.ado ao aimogo do*
alumnos. S. Exc. peteBteoo a saa tatisfago pe-
la ordem, acelo a rtguleridtde dooatabelecimento.
SOCIEDADE 006 ARTISTAS MICHANICOS E
LIBERAES.Hoatem ava commissao desta so-
ciedade dirigio-se i palacio afim de felicitar a
Exm. Sr. cdQtelbeiro presidente da provioeia, da
qoem espera essa digna assoeigao lodo o apoio e
cooperagio.
GUARDA NACIN* iL.-A offl:ialidade dos eor-
pos do muoicipio do Recife, teod i sua (rente a
Exm. Sr. coronel commandante superior, foi bon-
fem comprimeoter a Exm. Sr. eonserbeiro piti-
denle da provincia.
DINHEU10. O vapor ioglez Omiia treoxe
para :
Bank of Ri) de Janeiro 200:-OtVK)0
Pereira Carneiro & C 65:000|000
Augusto F. de Oliveira A C 30.000#00*1
Keller A C 13:377*000
Os vapores Ipojuca e Jaguar ibe levaram non-
ten* :
Para a Fortaleza 190:330*510
Mossot
Natal
Parahyba
Peneda
Aracej
23:000*000
40:1061600
21:707^830
756*000
3:000*000
OIARIO DEPERNAMBUCfi
RECIFE, 31 DE OUTUBRO DE 1871
\llelis lo siI do Imperio.
Cnegou hoatem pela manhia o vapor inglez
Oiwda, trazenlo dUs : do Rio da Trata 17, do
Rio d' Janeiro 23, e da Babia 28 do crrante.
Alm do que damos por extenso sob as rubricas
Parle Oficial, Exterior e Interior, ea'(miramos
mais nos jornaes as que seguera.
BBPBUri\S DO PACIFICO
Tomara posse do cargo do presidente da rep-
blica do Chile o Sr. Errasuriz, que no mesmo dia
18 ooraeou os membros do aovo ministerio e os
qae deviam corapdr o conseibo de estado.
O ministro o'iejital o Sr. Uirrietaofferecra nm
banquete ao novo p,rsidoie, ao qual assistira ledo
e corpo diplomtico.
Houve no dia 23 era Vaiparaizo pm grande in
cendio qaa destrato grande numero ue importan-
tes propiedades. Os prejuizos eram avahados em
iOO.008 pesos.
0 general Moral?z, da Bou'vja, oqp algans opti-.
cianstas de Montevideo annueravam em viagem
expediconana para Matio-Grosso, procurava re
solver as suat divergencias eom a assembla cos
titninte, com uro arremedo de NapoljSo, no fim
seibo (Jos quinbenlos, decromweH, no parlamento
inglez.
O caodlbo encedor de Melgarejo tacn cora
forgas de linha o recinto do congresso qne, defen-
dido por grande numero de operarios armados,
conseguio repellir o assalto erecbassar o chefe da1
repblica para fra,d> capital.
Moralez wtiri/a-e para Potos, ondeorganraava'
novas lorcis, er,q.uanto qae a asserpbla osteqa*b
attitude bellica.
RPPUJKJCA pAt>**uqpAX-
Ha noticias ai< 30 do passado.
No dia !. devia elfectuar-se a elqi
tores qae hio de escolher o v/ce-oreii
.publiea.
As cmaras aatrjiaram.o governo a ceder aoj
mdros Caygos os terrenos da capella de Ilh.
O senado rejellao. pela segunda Jvez nrru ola'
do poder execavo em que este pedia reconside-
rasse a sentna proferida contra o ex-miplstro
Gil. ^
Foi approvad pelas cmaras o cpptfclto 4a na
vegaejo do alto ~
margeos.
*
^W.Em virtude de requisicio do Exm. Sr. Dr-
IreTe de polica d'esta provincia, Lndgero Gongal.
ves a Silva, foram capturados no termo de Arara
quara, provincia de S. Paulo, os reos Manoel Tho
maz Garca e sua mulher "Constanga Barbosa de
Jess, prouunciados no districto do Aterrado, ter-
mo de- Pissos, por compllcidade no assassinato de
Jos Antonio Silva Sobrioho.
Os refeiido3 Tos vio ser remettidos para o
lugar da culpa,
O Pharol, do juiz de Fra, de 13 do corren
le, d as segrales noticias :
t Achara-it r'ecolhidos cadi d'esta cidade
Jos Antonio de Aodrade, Antonio Exequiel de
ABdrade e Francisco Xavier das Chagas, trabalha-
d ires da estrada de (erro, a que oa ooile do 11
do correte esbordoaram-se e ferirara-so as pro-
ximidades da pon do Zamba. Pelo que nos in-
formara, Ctaagaa ful o provocador, e flcou mais (e-
rido qae os outros.
a Um correspondente do Noticiadcr de Minas
informa essa fotha da existencia de um assassino
que reside s marg-res do Jequitinhonha, e que,
entre outros crimes, tem perpetrad) os se-
grales :
t Trtbalhava em um garimpo, e passando um
rapaziuho que, por engao me dirigir am inno-
cente gujcejo, elle avangoa sobre o misero, tras-
passou-o com a fa*a, e assist iropassivel queda
do cadver.
t E-icooiraodo-se com um homem que trazla
ama espingarda, entrn em negocio, (ez pontana
sobre uro pobre velho, e vendo que o matara,
eomprou arma por 12*.
t Indo casa de urna autoridade policial da
Terra Branca, e acbaodo-se ahi um homem eom
qaem antipathrsra, desleehou-lbe um tiro e rav
tou-e.
f Bs-e malvado ae?utado de 10 homicidios,
mata por Oivertimento, cbaraa-se Augusto de Sou
ta, tem 2a annos, Je por tal modo temido, que a
polieia o nao incomraoda.
Pelo qae diz un correspondente de Grao-Mo-
gol, calcnla-'se en mais fle 400 o numero de eri-
mijosos impunes acontados n'aquelle termo.
joaqnim Apoliuario, espanga de Joio Jos de
Figaeiredo, indo ao B**jo das Amas cora o fim de
matar a Alberto de tal, fui por este yaleniemente
repeilldo na Iqta a (erro fro que travaram e cahlo
morto, depois de receber cerca de 30 facadas.
PIBAN.
Temos folbas da capital at 11 e de Paranago
at i 4 do correte.
No dia '3 ctiegara-a Coritbt o presidente da pro-
vincia de volta de orna excarsao marrana.
Achava sa no exeicicio do cargo de secretario
da capitana do porto de Paranaga o Sr. Antooio
R. dos Santos Rangel.
Falleeka o teen te-coronel Panllao de Oliveira
Franco -
O Qezenote de Dtzembro, em data de 30 do ps-
sado, publica o segninle :
Na freguezia do Rio-Negro, qne actualmeate
ba provincia o ibeatro dos mais sanguinolentos
dramas, dense no dia 18 do correte um aovo
facto horroroso, que significa bem a falta de segu-
ridade o'aqnelle districto.
Jos do Rosario, estando a disputar com Pe-
Jro Fernandes, enfufecen-se tanto que deorlhe
ama eacetada, e em aegulda nm tiro ; Pedro, fl-'
cando morlalmente feddo, deu urea tao forte faca-
da no ventre de Jos do Rosario, que sahiram Ibe
pela fenda os testioos. dot do Rosario anda
montou avallo, porm pequea distancia ca-
S. PAULO. I
Temos foHiag da capital atf0 do corrente.
Xodia 15 inaagnrra-ie em Jnndiahy a su
toerstrnctara ao letto da estrada a tetro linaaa.
Os engenheiro* da estrada daram por ejsa,
oecisiib nm jantar s' pessoas que atsisiiraa*
lfuerte' jrto.
Referrip-Be essa inanguracio, diz o Correi
Paulistarto :
t Ao qne consta, e pelo que te depreheade
d'este Ht>prta,Bt pess na raareba' dos trabailibs,
dentro df i on qaatro metes terlo es Ituaoos o
O governo foi aatorisado
linha telefrapbleentra ca
Paraguay e colQnIsa;o d suas Ejosto e nobrepraz'er dJ "owvh* o sybHe da loco
motiva, sjgnal de viciara do esforfado eropeaho
_ esubeldcer ama
1 e o'Passo da Pa-
ora qae rgaaisaram aquella empreza.
A 16 f6r asignaio o carril1) celebrado coa a
Pudoroso, qae
servio se ouvir nossas preces, e portante nos
adiamos clieios de esperancas. A geada, comlu-
do, arada nos (ez hoja urna ligeira visita I
A' msia nauta ffe 11-para 42, diz o Crrelo
Paulistano, foi assassinalo nesta capital, na ra
da Constitnrgio, Joo Marraonio da Silva, mogo de
18 a 20 antros, empregado no thesouro provin-
cial, ti.10 do cipitao Benedicto Iauoceacio da Sil-
va.
Receben 2 ou 3 facadas, seudo nma no lado es-
querdo ao peito, e fallecen poucos minutos de-
pois.
Ao qae consta fra a morte praticada em con-
seqoencia de desaguisado bavido na occasio en-
tre o aggressor qae passava na ra e o assassfna-
do e alguns amigos *ue com Me ejtavam emuma
caa prxima ao lugar do conllcto.
O assassino eonseguio evadir-se, mas a polica
pi'Z-se-ihe no encalgo. No dia 13, sabsndo que o
perseguiam o assassino Jos de Oliveira disse que
nofot o matador, mas um companheiro sea cora
o qual passeiava na noute do delicto, e que erle e
o companheiro ao passarera pela casa onde esta-
vam o assassinado e outros rapazes, forara por es-
tes Insultados, nascndo dahi a disputa, e que o
companheiro deu as facadas em razio de ser es
bofeteado pelo mogo assassinado (Joio Marinonio),
que s priraeiras trocas de palavras saltara pela
janeila a ra o os perseguir at o ponto era qae
travou-se o conflicto.
Foi no mesmo da ignalmeote preso o com-
panheiro de Oliveira, conforma se l na seguiote
informagio dirigida pelo chefe de polica mes-
ma folba :
Aham-8o recolhido i cidal* loto Antonio de
Oliveira e loi Martins de Carvalbo, indiciados oo
assassinato qne mve lugar oa nonte dn da 10 do
corrente, na pesfa de JoSo Marinonio da Silva.
Ambos conessam^erem tdo .parte da luta
quo houve com o offeadido, pofm, cada um del
les attrlbue ao outro o assassinalo.
O Qiario de S Paulo notiela que o coronel
Antonio Joaquim de Freitas Leitio e sua senhora
D. Leopoldina Gomes de Oliveira Freitas, fazen-
deiros de Mogymirim, querendo guiar a condigio
de seos escravos nascidos de 1865 para c, aos
que Ihes naseerem depois da' promulgagio da lei
da emancIpacSe do ventre. acabam de aar liber-
dade a seis crionios seos, de 3 mezes a 6 annos de
dade, de nome Joao, Januario, Benedicto, Jos,
Vutore Mara, Blhos legtimos de tres casaes de
escravos seus, de nomes Joao Anela c Theodora,
Sabino e Benedicta, Bernardo e Albina.
Todas as cartas foram registradas no competen-
te hvro de oo'.as do tabellio Miguel Ribeiro de
Camargo, no dia 7 do corrnie.
Eslava mareado o dia 15 para se proceder
sleigo dos depdtados proviaciaes, que tem de fa-
zer parte da nova l.'gislatnra no biennio de 1872
a 1873.
A 13, s 6 horas da larde entran no porto
de Santos a fragata a vapor Lencaster, da mari-
nba dwguerra'araericana.
mo'DE JAXKIRO.
Eis as.noticias com neici.es da ultima dala :
t Os banc is abriram hoje de manhia a 28 3/4
d., prego a qne nao oos conata qne se Uzease irn
lac^ao algama. .___'_
jc.-O papel'particolar foi negociado a 23 7/8 e
24 d. Mais tarde, porm, elevaran* os bancos sua
laxa a2i d. e os par'.iculares aJ4 1/8 a 24 I/i d.
A estes algarismos efretnaram-se iraosac
edes impwuows, e quertleva o total das opera-
pes desta qoinzeas a cerca de '070,00^. Bu
raucos patsou-si algura papel a 396 e 398 rs.
pr franco. Em marcos bancos nada se fea.
Os soberanos fecharan* (rouxos, tendo-se
vendido boje lotes regulares a 10*400 a dinbei-
ro, 10*350 a dinheiro e a praze e 10*300 a di-
oheiro. *
As apolices geraes de 6 0/0 oegociaram-te a
99 3/4 0/oe/l:00W a dinheiro-e as do empresti-
mo nacional da 1868 a 1:133*000 tambem a di-
nheiro.
i Em accoes 4e bancos e companhias apaas
nos Manten a rapta de algumas partiias das do
Baoco Rural a 2084 dinheiro, a de ama da3
compacbias las Doeas de "Pedro a 4* de des-
cont a dinheiro.
. Em caf flzera.m-se vendas|men03 que regu-
lares.
Ssbirara para Pernambuco : a i", patacho
inglez Wiliian Anning ; a 18, barca iugjeza Ty-
nedale ; a 20, birca,*oriugueza Nova.Symprilhia.
Estavam carga para Pernambuco : bri
gue norie-allereo llcinnich, galera (ranceza Pe-
irapolis, briguo haspanbol Juyme^barca ingteza
lawkkope e brigue inglez Glanavan, barcas portu-
gnezasiFi'raeza, Venus, Corea, iBratidao. Acoria-
na e Cfautfina. |
B3PIBITO SAUTO. .
Temos-noticias da capital al 18 do corrate.
Na dia. 9 comegaramos trabalhos da assembla
provincia!, lando ento o presidente da provipcia o
seu reiaiorio. .
fallecer o vigario de Carapioa, An,onio Mar-
tos de Caslro.
BAHA.
Tendfl sido xenerada* o Dr. Jns CarJesro da
Caoh de promotor publieo.de llho?, oi ooroea'.
ido para o subsirwlr o *r. Joao Baptista Gura-a-
rries.
Ptiltceu o eapelrio docemiteno pabco pa-t
dre Jos aria de Alatida Varella.
Afliisoca^o Gaaercial elegea o nego-
ciante-Jas- La ir At*eo e Silva para depntado
do tribual do-pommereio, era snbstituigao de om
fallecido'
No dia 6 de setembro do correte anoo, fal-
lecen oa-idade de W anoos, na freguezia de-Mar^
moniclpit8taeaplt*i,'B.:Maria Francisca de Jo-
sas, senhora distincla por suas virtudes e fa-
milia.
Alforriou 52 de saas cras, de todas as dades,
repapilado por ellas nanitas de seos neos.
O Sr.Aagah Mortiaula Stlve;8aslos, mora-
dor na fr.Haeta de Boroflm, do termo da vatla da
Feira de Sad'Anoa, acaba de conferir darte da hi
berdad a orna -mi* tserav de tome fcaia, ero



FERiMJsWTO GRAVE.-No logar Campo Ale-
gre, do termo de Papacagj, Joaqun Ignacio de
Mello Cabral ferio gravemente a Joaqnim Pin
|*1'Arco, pondo-se logo em faga.
ASSASSINATO.A's 7 horas da noute de 20 do
correle, no lugar Coruja, do termo de P.paetca,
Francisca de Salles Virgens issassioou seo pro-
prlo marida Theodoro Moateiro, sendo presa em
flagrante.
LIBERDADE.-0 Exm. Sr. Dr. Maooel do as-
cimento Machado Portella, digno 2o vice-presiden-
te da provincia, liberten gratuitamente, no sabba-
do 28 do crtente, a sua escra va Rosa, am com-
memoragio do aooiversario do passamato de sua
Exma. mi.
MONTE-PIO PORTUGUEZ.-D*mlngo (29) reu-
no-se a assembla geral desta iosiiiuiglo, achan-
do-se presentes 128 socios ; e procedendo-se as
eleigSes, derara o segrate resoltado :
Directora
Manoel Jds Carneiro.
Francisco Ribeiro Pinto Guimaraes.
Antonio Baptista Nogoelra.
Jeronymo da Costa Lima.
Tbe3onreiro.Antonio Lopes Braga.
SaDslitutos. Do vice-presideote, Marcelino1 Jo-
s Gonglves da Fonte ; do 2- secretarlo, Ceeario
Acacio da Silva Papoula ; do thesonreiro Maooel
de Azevedo Aodrade.
Conselho fiscal
Presidente.Joao Luiz Ferrera Ribeiro-
! secretario. Jos Theodolindo dos Santos
Porto.
2 dito.Maooel Souza Leal Flores.
Caoselheiros.-Amonio Rodrlgaas Pinto.
Jos Lopes Albeiro.
Jo- Joaquim Alves.
Manoel Jos Machado.
Jos Joaquim Lima Bairio.
Joaquim Maooel Perreira Souza.
Maooel da Silva Poales.
Joio Carlos Basto Oliveira.
Maoool Ribeiro Carvalho.
Maooel Al ves Correia.
Joio Ferrera do3 Santos.
Francisco Jos dos Passos Guimaraes.
Joaquim Jos Rodrigues Costa.
Joaquim Duarte Campos.
Manoel Jos de Miranda.
Joaqnim Baptista da Silva.
Jas Antonio Fernandes Fradique.
Antonio da Silva Ramos.
Antonio Joaquim da Silva Brlo.
Joio Francisco de Souza.
Antonio Ferrera de Almeida.
Marcelino Gongalves de Azevedo.
Commissao de conlas. Berpardlno Gomes de
Car va III. leroaymo Jo., (ti i m P.b* OfrrefM, .f ho
Lino Marques.
SOCIEDADE D03E DE SETEMBRO.Esta pa-
tritica assoeiago remellen para a corte, no va-
por Cruzeiro do Sul, a eliclagio ao governo im-
perial pela promulgado da \:\ sobro o elemento
servil.
Dorante os poucos das que decorreram entre a
redaegao e a remessa da feiicitagio, foi ella assig-
aala por mil e quiohentas pessoas de todos as
classes desta cidade.
Urna comrassio, composta : dos Exms. Srs.
general Joaquim Jos Gongalves Footes (residen-
te honorario da sociedade Djsb da Setembro), ba-
rio de Pirapama, conselheiro Felippe Lopes Netto,
Dr. Francisco de Faria Limos, Dr. Francisco Pi-
res Macha lo Portella (ax-presidente effectvo da
sociedade Dose de Selembru), foi eocarregada de
apresentar a feiicitagio ao governo imperial.
EM TRANSITO.Com 3 recebidos ero aoao
porto, levou o Uncida para a Europa i46,passa-
geiros.
LON'GEVIDADE.-rFaileceu domingo, oa casa do
Sr. Joio F. da Silva Mendonca, a ra da Coocei-
gao, urna mulber com 89 anuos de idade, tendo
gosado de tedas as suas faculdadss nielleeluae-
at pouco antes de fallecer.
P.IXA E FACADAS-.Domingo, por volta das 7
horas da tarde.no o'voalo do Mooteiro, travaram-
se de razdes Joio Patricio, pardo, e outros que se
achavam embriagados.
O soldado de polica de nome Roque, aeoHinde
procurou apasigua los, e foi desa'.leadllo pelo pri-
mero, que o insultou.
Nio podendo com os rixosos, voltava Roqae
quando encontrn-s- enm os seos companbeires
Clarrtinoe Joio Henriqnes, todos do posto policial
do povoado.
Rennindo-se, voltarara elles aos rixosos, e derara
algumas praochadas em Joio Patricio, quo desea-
paralando urna facca, ferio gravemente a Roque
ao haxo-ventre e a Claudrao na espada* dtreita
levemente, feriado por sua vez um dos soldados a
Joio Patricio mui levemente oo ventre a-jba- ea-
bega.
Ao lagar do confleto aendio o Sr. Dr.'delegado
da capital que preudeu nio s a Joio Patricio,
mas tambem aos soldados, que, ioformam-iios es-
lavare embriagados igualmente.
Fizerara se os curativos nos feridos, sendo Ro-
que transportado ao Reeifa, onde hontem atlrde
achava-se em perigo de vida.
ANN1VERSARIO. Completa hoje 33 anno S.
M. o re de Portugal.
ORC AMENTO MUNICIPAL.Termina Jipje o de
18701871, e comega amanha o de-18Tl187?.
DIARIO DE PERNAM3UCO.Se cbogar poje o
vaporooifricajio do sul do imperio, (wsjribaire-
raos amannaaqnosso numero^ do quiuta-eira.
SOCIEDADE LJBrUL UNIAO BENEFICENCIA
-Hoje as 7 bora's da noito baver tesio,e^c*nr-
dinaria da assembla geral; saoportanteras-gados
os senbores socios, assim como convido apa candi-
datos approvado*,socios e ufficiados, para-.prfrta-
rera o rtspectivo juramento e os senbnres.aoape.
cemmisioaados a prestarera o reaultalo qe s--as
miss5', sobre penas do que a le disponbe.
PBOCLAMAS.-Furara lidos no dia 29 a aa-
triz da freguezia de Santo Amonio os proclaou
segrales :
i.* denunciagao.
Dr. Eluardo Augusto de Oliveira, com Aaadt*
CclhO de Lemos.
A*o.Htii)ho Joao Maibdua,.com Mara TberezA.a
;Jesus, africanos.
Jte Xavier Carneiro de Barros Campello, mo
Olympia Carneiro Moateiro.
Anreliaqo Eleulorio Alvarasdi Svajioa Man*
Magdalena de Jeans.
Lmz Francisco Slmoas, com Joaana. 4a Mait
^ analo ta Thomaz, coai Beniga*Mar/*id
Porficagao. "2.
^Jia Lopes da Silva Carioso,-*'*^-**-*
Luiza de FrangaMiranda, com Maria ABeba^aai*
que*.
Guilhsrme Keiley Hallydiy.
interno LeopoPio dos Santos, com Antonia a-
fl PauTiM de OTeira S*t> a>nr4aa*iiia
Eutslia Paulina dos Sanios.
Jo.' Falippaide GusmaoUboa, e* Joanua Jna-
com Amalia AJjMS
rynck Pires Nabuco.
Manoel do Naaciuisolo Costa Lima, can Joaaca
Francisca de Scuza.

WIIHII 1
i
s





I
m
\*\
-


l>< iui+* Pefnmbiw Tewjh feira 31 de Oiobro 87
*
L
i
Rsbe'.lo, eom Mara
Bernardina Radi+jue
P Uebd* J i
Hvoillo HffpCArfft
Amella Monteire di Praoe.
Joo Antonio dos SanioSilva, cora Bernardina
Emilia Valladares de Pontee.
Pedro Lat do Eipirito-See*, eem Isabel Maria
da Espirito- Santo.
abase* Joto da Sika. com Sirven a Mana da
Assumpco.
O bacaarel Al/redo Mantesa roa de Oiiveira, com
Peres* rail. de Oiiveira.
Marealioo Jos do*-. &nlos, eom Liara Cantina
das Chsgaa,.
0 Dr. Joaqoim Gomes de OKteira, eom Serafina
Eulalia de OHmin.
Mal- Pereira da Silva, eom Emilia Francisca
Daaiel Sarmdato de Gasmao Goabiraba, oooaJ
Hartas Jesajoa de Jess.
_____ i* dewmeisfto.
Dover dio Gomes de Oiiveira, eom Mirtela
*-*
reir.
vares Prauelro, eom Ama Amelia Pe
Manoel Marques da Silva, eom Jetona dos San
ios Martins. ^
Qyeriaao Bruno de Oiiveira, viuvo, eom Izidora
Mana da fionceigao.
. Jos Placido Lacas Bira, eom Lodovina Felisa*-
da di Si^Beira Margue.
.Jalo Soares da Franca, eom Eulelvina Francis-
ca de Panla Michado.
BORBACHA^B MANGABEIRA.-Lemoa bo
Otario do M.de Janeiro :
O visgo da arvore da mangaba, coagulada
Co soiucao da pedra-burne, e paea lo por pren-
sa, da borracia, que lm sobre a do Para a vao-
lageta d j er branca pir si, dispensando, pois,
a otortfloacio, qoe ordinariamente razase eom ar-
snico. Temos i vista nm pedaco assm prepara-
da, e informara nos qne os Srs.- Lfl:oq, Oiiveira A
C., negociantes aesta corte i ra do Vuconte de
luha na a. 13, mandando amostras da mesma
a Europa, j a respsito reeeberam de Lonlratl
as mais ao.madoras noticia. A raangabeira
maito comnoum em Minas, e abunda eai todo o
norte do Imperio. >
CARAU.Desta cidade nos escrevem em 25
do carrete :
Aqu foi geralraente bera aceita a lei sobre o
elemento servil. Todos esto satisfeitos eom a
libcrtacao do ventre. Era de argeate necessida-
de a proraulgaco de semelbante lei, embora o
despeito ds eertos individuos que, feriaos em seo
srdido interesse, procuraran) justificar sua op-
posicSo eom capciosos pretextos que desappare-
esm em face da idea capital, a qul, se ti ver de
feitos na pratica, poder ser modiOcada em seus
aocessorio', proporclo qui taes defeitos forem
sendo coobecidos; tanto mais quaoto 'anda na o
espaco de oito anuos, para principiar o governo
a cumprir o oou que oontrahio eom ospioprie-
tarios de escravos.
J nao existe o coronel Pedro Paes de Soa-
sa, morreu em sua fazenda de Taeail a 2i do
torrente, na idade de 73 annor.
Era hornero muito popular nesta comarca,
onde naiceu, no mesmo logar de sua mor.du.
Pouco deixoa e sua fazenda, que gaslou em
granle parte eom a pobreza.
Ds ideas lheraes, foi om desses poucos b.)
mens qne, sempre Armes em seos priucipios po-
lticos, nunca renegaram suas erencas.
Deixa no partido liberal desta comarca am
vacuo difflcil de precncherse. Aterra Iheseja
leve.
Estao grassando as bexig*a por este termo,
sendo benignas no raaior numero ds caso, e
accommettendo par ora aiuJa poucos iodivi
dos. Entretanto, consta que morreram della,
em Laga de Gatos um negociante, e na Taqua-
ra urna mulher. Teem-se vaecioado muitas pes-
soas, principalmente meuiaos, eom o puz vacci-
nieo mandado pelo governo.
Alm deste mal, estamos lutando cora outro,
o furto de cavados : esta iadustria acba se mui-
to vulgarizada por aqui. A festa aproxima-se,
e os vadios querera comprar cora pjuco oa an-
tes DeahuiD Irabalho. >
HOSWTAL PEDRO II.-O movimento desse es-
tabeleclmento de 23 a 29 de ontubro de 1871 foi
de 30i existentes, eatraram 31, sahiram 33, falle-
cern) 5, existem 297, sendo 17o homens e 122
mulheres.
Costa, eom Maria dartMra o ter nao encentra drffl :n toadas, todoamei
?* /** ***pre ** lensanaeoto do UL
m* *aao nevo i
Ura bofennim oenf montado na porta da aldeia,
eom caf, bolos de milho, caagica, cusc, parpo
onas, peixe lasada, frito, ensopado, farinha a ci-
garros, o recceio dos seoteneiado.
Quera pertenae esta usca volante ?
Boa tdeia I... abenqoaia cabaca ana de tal
auca se lembrou para nos mandar de encora-
meada eom o typep de bonestidade 1 E assim o
mondo I Um hornera que anda n5o occapou
emprego algara que nSo o transformasse em eom-
mercio sea; qoe por onde passa deixa .'triste
reoerdagao de om procedimeuto ignobil, asco-
Ibido paia servir de norma, de midelio de vir-
tudes, de ty'po de probidade nesta ilha, onde to
distmcios caracteres tea servido I...
Malfadado presidio 1 Se algum infeliz sentea
eiado roubado em sea mesquiuo) TtnfimfTUq pe-
la caresta dos generas qae Ihes vendem os es-
xeiros do tal ftotequlm onza boqnerjar, oa ao me-
nos comparar os lempos ido3 eom o lempo pre
sent la se aprsenla a maldita solitaria, sedenta
de viagaoe* peta omparaeio impertinente e des-
respeitsdot, e a pobre coado t so em papos, de
aranfte.
Sr. presidente, Sr. commandante das armas os
inelizes senteoeiados existentes aesta i:ni, nao po-
den continuar a ver impassiveis unta immorali-
dad*!
O tal grwlla, s empegados em pescaras tem
por soa conta quaro senteoeiados. Tem na pro-
pria easa oa armasen) de hunda., osa, loja de i
miudezas e tus alambique de agurdente,, qae
vende aos senteoeiados e soldados a preeo de gua-
rro mil res cada garrafa f
Isto publico, lodes sabea ; abi vao mais de
eom pessoas qne podem ser otrvidas a resptito,
emprgados qoe agora seguem e qne aqai servi-
rn maitos annos podem informar a Va. Excs. o
como tem ido por e eese Judeu Errante ; offl
ciaes qoe aqoj estiveram de-tacados e qae tam-
bera seguem para essa capital, sao ostras tantas
teslemunhas do qae relatamo?. Urna svndicancia
e a verdade apparecer.
Mas, alguem dir, o qae faz o commandante da
ilba ?
Nada pode faser sea ter coohecimerro do qae
se passa. na> qaerendo dar onvidos a boatoj, vi-
ve illuJido, julga que snas ordena sae eumpndas,
qae o regulamento observado, deixa que o
vio comprometiendo.
O ten en ^-coronel. Antonio de Campos Mello,
um militar bnoso, Aonesto a mais nao ser possi-
vel, tem bos daiejos, mas faltando qaem Ihe
ajade, tem de mais qaem o procure oorapromet-
rer. H )j ) nesta ilba ningaem seenieide, ama
babel.
Se o eommandante falla no regulamento, ootros
dizem, venba diabeiro I Temos documentos e alies
serSo publicados.
Fernando, 2i de catabro- de 1871.
G. E.M.
**
RIGE
INTERNAS
MBGO.
1744362
7:3WflB2
U
mmum
CONSUUDO PR0VBK3AL.
Rendimento do dia 1 a 28.
(dera do dia 30. .
45.3i7483
3.261*333
48:6124365
MOVIMENTO D6 PORTO.
Navios entrados no da 90.
Rio de Janeiro e Babia 6 das, vapor Dilles'
Oneida, de 1872 toneladas^comaandnte W.
W. Herbert, eqoipagem I3T, arga vanos g-
neros ; Adamson Hoirie & C.
Mossor pelo Ass l d1nr Kate nacional
Graciosa, de 96 toneladas, cawtio Vicente P.
Ferreira.da Coala, equipagsa 9i carga 480 far-
des de i#Man, sel a aires gevees ; t*#r*o-
laeneu Lueo.
Nenio* sekidm tw mesmo dt.
Barcelona Sum*q bespsibola twen kdeiia,
capitao Aoteoio CsteHo; carga algodo.
Granja e portos insraMcsros Va#or brasilirq
Ipojftca, commandante Monra. carga varios g-
neros.
Aracajrj e pon intermediosVapor nacional Ja-
guaribt, eommaadante Gailherme, esrga va-
rios geaeros. *V -;
Sjwiarapton e portos intermedios Vapor inglez
Oneida, eommandante Herbert, carga a mesma
que trooxe dos portoj do sel e algodo dcste
porto.
taes,I
10 ba
6eanti
comi6i__
cb xobij
bro, SO f t0es
eom 12 palii
Ib
rdel
da brta,
[a 16 qole-
polegada,
lasdebran,
l|a33|i polegadas
, 60 breeas de corrate
; lOaXedeas de repu
'trra, 40 fronbasde
Jez de 3|8 de grosso-
1 le0Htoferro4|
de comprmante e
T* de 3|8 de grossora
eomprimerito e 8 de. largo, 20f
lenooes de brim, 10 arrobas de oleo stFlmbacat
1 resma de paaei BoUaada, 0 praneb5es de anfa-
reuojjicn^a. perobaoii mma*u de 3 a33 ees
?r*W*ta.ia a d b'e 3 s toe**-
"f". S fio, pac gaipdasta da ffl palmos M cora-
primeis e 8 a lOpaTsaadas em fft^rotas
**** groASi da paona, *co, 10 arrobas de
prego de anco para R&o, 2 arroiw dapregos
h!nce/elde e 3 Po'l*. 5 qwttw de re-
bitas de S48.de dimetro e 1 ij2 polegada de cam-
prnaetaa,, meios de sola da larra, 6 dazias, de
taboaa de costadinho de po-carga de 2 polegadas,
4 dazias de taboaa de po-carga ie 3 polegadas
EDITAES.
Com o flm tmente de asaltar e injuriar- o Sr.
capitao Trajino Aliplo de Carvalbe Meodooca, ma-
jor da pracado presidio de Fernando, foi mandado
para esta cidade ceno individuo, a respeilo de qaal
no relatorio da eommissao do syudict ncia de qae
flz parte teve o governo a oecessana informtcao
E-tou bem a par dos negocios do presidio de
Fernando ; e pretendo se o Sr. capitao Trajano o
nao fizer, dar conbecimento ao publico para ser
bem apreciado o carcter do actual commanlante
Sr. tenente coronel Antonio de Campos Millo.
Felizmente o Sr. capitao Trajino bastante ca-
nbecldo nesta provincia, e nao teme qne lbe seja
lancado na face fastos que o envergonbs.
Recife, 28 ds ontubro de 1871.
Decto de Aquino Fondea.
COMMERCIO.
O Illa. Sr. iaspattor da theseuraria provin-
cial em curaprimento da ordem do Exra. Sr. vi-
ce-presidentl da provincia de 17 de agosto pr-
ximo flodo maula (azer publico qoe a mesma lbe-
soarana vende 500 apoliees da divida provincial
no valor da 1004 cada ama, vencaodo o jare de
8 0|0 ao anno pagos por semestre aa segunda
qainzena dos meses de jolbo e Janeiro, e devando
ser resgatadas na qainzena desie altimo mes, ob-
servando-se a numerar;ao segnida e tanta qoao-
tas permittirem os crditos votados annoalmeote
precedendo aonaneos.' Os pretendemos eompa-
recara na mesma thesoacaria no pra.-o de 30 das,
a contar da dala desta E para constar se man-
dou publicar o preiente pelo joman
SiirreUria da thesourara provincial de Paroam-
buco 5 de outnbro de 1871.
Conforme.Servindo de ofSeial-maior,
Landelino de Lana Freir.
sitad
Advertencia.
Herr,
tubrculos pul-

^
Foram v9itauas as enrermarias estes aias as
6, 8, 8,7 1/2, 9, 9 1/2,10, peloDr. Ramos, as 7
1, 7, 7 1/, 6 1/2, 7, pelo Dr. Malaquias.
Fallecidos.
Alexanlrina Maria da Conceicio
monares.
Backer; deliriam tremeos.
Maria Isabel; tubrculos pulmonares.
Jos Ferreira ; tubrculos pulmonares.
Amalia Maria Fraueisca Xavier ; bexigas.
LOTERA.A que se a-:ha venda a 213' a
beneficio da Sania Casa da Miser.cordia do Recife,
a qaal corrre no dia 6.
PASSAGE ROS.Entrados dos porios do sul no
vapor inglez Oneiia :
Arstfdes FeTaz Moreira, Moyses Maclmel, Hen-
ry Spancer, William Rawiiuson, Francisco Ferreira
Rjrges, flypolito Machado Freir Perei.-a da Silva,
Joo Baptista Paebeci, Pielro B llolli, Cario Bol-
lolli Abraban Eishwid, Vicente Ferreira de Fa-
rias, Joaqnim Jos Alves, Eugenio Maria da Costa
Paiva, Antoine Ferdinaod Laboariau.Jjaquim Ra-
mos, Silviao Anlonio Henrique.
Seguem para a Earopa : Manoel Antonio
Aives Franco, Macoel da Cunba, Jos Francisco
de Abren.
Sabidos para o sul n) vapor brasileiro Jo-
guaribe .
G'egorio Villa Nova, Jj;epha A B. de Macedo,
Porfirio de Souza Freir, Temistocles Goncalves
de Aodrade, Antonio Soares de Mello, Tbeotonio
Wbeiro da Silva, JjaquimMonteiro da Roza Luna,
F. Tavares da Costa e ana senbora, Bernardino de
Azevedo Cruz, Manoel Gongalves Almeida Leite,
Vicente Pereira M)nle Negro, Cssar Angosto Za-
nothy, Francisco Joaqnim da Costa Barbosa, Dr.
Adel no A. Luna Freir e sua familia, Pedro Ortlz
de Caroargo, Jos Ferreira ds Silva e 1 criado,
Domingos A. Machado e Jos Manoel Baptista.
Sihidos para o norte no vapor brasileiro
Ipojuca :
Manoel Elodio Ferreira, Jos Gomes Monteiro,
Carolina Carlota de Castro, Julio Augusto da Silva
Naves e soa senbora, I. Maaoel da Silva Ramos,
Manoel Goncalve3 Soares de \raorim, S. P. -Bar-
rete, Manof Antonio Pire3, Tbereza Mafia de Je
sus, Trajano Augusto Moreira Lemo?, Esievo
Jjs de Almeida. Jos Varella Souza Braga, Boni-
facio Francisco Perreira da Cmara e 1 criado,
Abel da Cosa Pmbeiro, Jos Leandro da Silva,
peodomiro Cezir Doarte Ribeiro, Eloy C. de
Souza, Francisco Gomes Marques da Faiceca,
Miguel Roba, Joaquirn Antonio Pereira Vinagre,
Bernardino Ferreira Lustosa, AnluBes D. de Vas
coniell >s. Francisco Tfiaofllo da Rocha Bexarn,
Anlonio de SijuMra e Silva e JjSo Custodio Pereira
Paiva.
UKHITEaiO PUBLICO.-Obituario do da 28 de
outabro.
Cirios los Teixeira de Azevedo, bramo, Psr-
njmbuco, 56 annos, casado, Poc; ar de vento-
Jos, pardo, Peraarnbueo, 5 mezas B ja-Vista :
convalsoes.
Antcnio, escravo pardo, Pernambaco, G mases,
Santo Antonio; espasmo.
Miria Caetana de Mello fJaimarae--, branca,
P^rnambueo, 29 annos, casado, Poco; cmara de
sangue.
Amalia Mfi Francisca Xavier, parda, Cear,
30 annos, soHeiro, Bjs Vista, nojpital Pedro II;
vanla confluente.
Mo Biptista Ferreira da Ahoaiciaeao, branco,
Pernaartraeo. 53 annos, casa Id, BjJt-Vista ; amo-
aciment cerebral.
Mara Calorinda da Foneee, braoia.Pernambu
c. 2o annos, casada, Poco; myelite.
Jos, perdo, Pernambaco, 7 anno?, Bja-Vista
espasmo.
Maria, prett, Pernambaco, ama hora
ttano.
Augusta, branco, Pernambneo, 6
Vista; desinterla.
IMPERIAL
Companhia de seguros contra
fogo.
CAGENTES
S. P. JOmSTON & C;
Rua da Senzala-noTa u. 4t.
Segaros conlra-bgo
GQMEaVNHIA
NORTHE
O inspector Ja alfaiuega taz puuco, que
sexta-faira 3 de noveajbro prximo vindouro, de-
pois do asAo da, a porta da mesma reparticao,
jero venaTdas ero hiato pablica, livre de dlreit03
ao arrematante. 120 cestas de vlnae em obras, no
valor teta I de 200*, a saber : 80 k i lograra mas ds
cestaj para compras no valor de 40|, a 500 rs. a
kilogrammo, e 40 ditas pequeas para costura, no
valor de 160, a4 o k.logrammo, as quaes vie-
ran} do Pona aa barca portugaeza Social, entrada
em 18 de julho altimo.
Alfandega de Pernambaco, 30 de outabro de
Emito Xavier Sobreira de Mello.
Capital,
'uudo de
.......50,000:000*000
reserva .... 8,000:000*000
Agentes,
Mills Lathan C.
THE ALLIANCE BrUTISH & FOREIGN.
Life and Fire Assurance Company eslabelecida
im 1824. Capilal 5,000,000
Os agentes desta companhia tomam segaros
iontra fogo sobre predios, gneros e fazendas e
agam aqai prejuizos devidamente provados.
IRabe Schmettao A C
Corpo .Santo n. 18.
SEGURO CONTRA FOGO
The Liverpool A Lonlon & Glob
Insurance Company.
Agentes :
Saonders Brothers & C.
IICorpo Santoii.
PRAGA DO RECIFE 30 DE OTUBRO
DE 1871.
as 3 1/2 horas na tard. '
vCota&5es officiaes.
Algodo da Parabyb 1- sorte 647 rs. por kilc
posto a bordo a frete de 1 d. e 5 0|0.
P. J. Pinto,
Pelo presidente.
Duboorcq,
Pelo secretorio.
ALFANDEGA
ftendimento do dia 1 1 28. .
dem do dia 30. .
835:i32*098
52:733*789
S. Jos ;
annos, Bja-
PBIICACOES A PEDIDO.
Fernaiido.
Come m Pie*.
Sr. presidente da previoela, vame de nal a
**** i liba, que dizea os bieteriadores, sa*
aira de luu4o do mar em eoaseqaeaeia de revo-
lucoas valeaaieM, paree eondemaada a entrar
agora no ventre de om empregado qae aqai se
aeha, maldita gikpi. tt lhe eBefte 0 laxo. o.
me mais qne todo qaam> come muito I
(*;?> an:a se vio tanto eyaismo I Qaer dinbelro e
888:165*887
MovI-aeato da alfodega.
Volamos entrados
com
com
Volumes
sabidos com
com
fazendas
gene/ds
razeadae
gneros
381
708
142
271
1089
413
Doscarregam hojp 4 de novembro.
Htate americanoHarriet Breuster Tarinba de
trigo.
Escuna americana -Ein Mayvarios gneros.
Lagar inglezSedwell Jame carvao.
Patacbo ioglezBertha mercadorias.
Barca inglesafmogsneidam.
Pataeho americanoS, T. Barlcer vanos gneros.
Patacho norte-allemaoDeintaridera.
Patacho norte allemo- Zecat Gebrudtraerca-
dorias.
Barca nerte-allemoMakm. Digndmadeira.
Despachos de, exportfo no dia 28 de .
outubro.
Para 01 portos do exterior.
No vapor ioglez Oneiia, para Liverpool,
carregaxarn : Saunders Brothers A C 421 saecas
com 43J15 kilos de algodlo ; Thomaz Jefferies A
C. 323 eitas com 24,630 ditos de dito.
No navjp inglez Jefas Pesie, para Liverpool,
earregao : rfenry Willmer 56G sac;as com 4J502
kilos le algodo.
No brigae inglez Woodeville, para Liverpool,
carregarara : Jobnston Pater A G 116 saecas com
196 kilo da algodo ea\10t saceos eom 157,500
dtoe'de asnear maseavado ; Uenry Forster A C.
204 saecas cera 15,031 kilos de algodo.
No navio fraoce tanto Andr, para o Havre,
carregaram t E. A. Borle A C. 89 saecas com
6,756 kilos de algodJo.
No brigae portngaex Tiiumpho, para o Per-
la, carregaram: Soarej Prunos 101 saecas cora
9,111 kilos de algodo.
No vapor inglez Ofimfa, para Liverpool, car-
regsram : Simpsoo Brothers A C. steeas com
IS1 kilos de algodo.
Para os rjortos do interior.
No vapir nacional jUcoh, para o Para,
carregaram: Maris 4 C. 100 barricas com 7,957
kilos de assucar braneu ; Thaedora Chrlslia&i O
meias -ditas eom 3,705 ditos de dito. -
Na barcaca Dovs tmtos, para Villa da ?
A cmara muoicipal desta cidade tendo ds
contratar com quera por menos fizer o servico
da limpeza das quatro freguezias da cidade oa de
cada ama das freguezias de per si, convida pelo
presente comparecerem no dia 3 de novembro
vindouro.
O servico da limpeza ser feito pela maneira
seguinte :
A* ras que partirem do arsenal de marinha
emdirecgo ao Mondego e que fdTera calcadas
serao aarndes todos os dia?, sendo anteriormente
regadas.
As que Ihes forem parajlelas e qne nao forem
calcadas serio ciseadas as tercas quintas e sab-
bados, sendo tambem anteriormente regadas.
As qae a estas forem perpendiculares sero var
ridM nw segundas qurt3 e sextas felras d to-
todas as semanas, sendo, tambem conveniente-
mente humedecidas assim como sero eiscadas as
que Ibes forem parallelas e aue nao forem calca-
das.
Todas as praoas oa largos sero tambem varri
dos e ciscados segando a ordem de suas cclloca-
efles 3 vezes por semana.
O lixo das varreduras das casas ser recebido
pelas carroQas porta das mesmas nos das em
que estas roas tiverem de ser varrida?, e ser
depositado nes lagares qae forem designados
pelos fiscaes.
A arrematadlo ser feita pelo tempo de seis
mezes, Picando a resci-o do contrato ad-libitum
da cmara, estipulando as multas nos casos em
qae forem applicaveis.
Servido de base a quantia de 810* por emana
sendo a fregaszia do Recife......-. 150*000
a de Saoto Antonio 2)0*000
de S. Jos...... 200*000
da Boa Vista.... 230*000
Paco da cmara municipal do Recife 28 de ou
tubro de 1871.
Ignacio Joaqnim de Souza Lelo
Pro presidente.
Lourengo Bezerra Carneiro da Cunha.
Secretario.
OECLARACOES.
SANTA CASA DE MISERICORDIA DO
RECIBE,
Perante a junta administrativa da Santa Cass
vai praga pela quantia de 200*000 rs. de renda
annual, a propriedade que possue o patrimonio
dos orpbos, no lugar da Mirueira, a qaal foi l-
timamente demarcada.
Os pretendentes devero comparecer pelas 3
horas da tarde do da 2 de novembro vindouro.
Secretaria da Santa Gasa de Misericordia do
Recife, 27 de outubro de 1371.
O ssenvo,
Pedro Rodrigues de Souza.
tinta, verde em latas, 1 toroo pequeo de 6 polega-
das para baneada, 20 travs de 45 50 palmo*
de coraprimento e 9 a W polegadas de face, e 4
narris de veroiz da collar.
Tambem o canslbo nb mencionado dia 5 de no-
vembro prxima vindouro, de Igu U forma, contra-
to por tempo da tres mezes o ferneciraento de ce-
mento para as obras do porte.
Sala das sessoes do eonselbo de compras de ma-
nara de Pernambaco 28 de ontabre de 1871.
O secretario,
Alexandre Rodrigues dos Anjos.
THEATOO
GYMASIO DRAMTICO
amm mmrn)
COIPAMIA DRAMTICA
InaugnrafAo
Terca-foira 1 de outubro
Espectculo em grande gala paca solemuisar o
faustoso anniversario natalicio de
S. M. O Sr. D. LUIZ I
e posse de S. Esc o Sr.
PRESIDENTE DA PROVINCIA
A' ohegada de S. Exe.. a orebetra, derigida
pelo maestro Colas, execotar
O hymno nacional
Segoiodo se pelos artistas da companhia dra-
mtica, ante a angosta efugio de S. M. Fidelsi-
ma
0 liynmo de D, Luiz I
Dspola represf itar s ha o moito desejado e
sempro applaudido drama em 5 actoi, original
portuguez do dntiocto escriptor o Sr. Jos da
Silva Mondes Leal, intitulado :
Cempanfaia aaericana e brasilei-
n de paquetes a vapor.
At o dia 1 de novembro esperado dos portos do
sol oJiW americano NertU America, o qual de-
pojs da dernora do cosame, seguir para New-
Tork, teeaa*) no Para e S. Thomaz.
Para passagti, etc., trata-se eom os agentes
Mean Forste A C, roa do Coramercio n. 8t
Baha.
Para a parto cima segu eo a roaior brevi
dade po-sivel, o palhabote nacional Ganbaldi, ca-
pitao Casio lio Jasa Vianna, por estar com parte
da carga engajada, para o resto trata-se eom
Tase Irmos le C, roa de Amova n. 37.
COMPANHIA PERNAMBCANA
DI
Navegando costea por vapor
Macei, escalas Penedo e Aracaj.
O vapor Jaguaribe, commandante
Guilberme, seguir para es por-
tes cima no di 30 do eorrenu
as 5 horas d tarde. Receba car
F ga at o dia 28, encommenda.',
ssageiros e dinheiro a frete at as 2 horas ds
tarde do di da sahida : escriptorio no Forte dr
Vatios n. 19.
potar
que
tello ; baos
- pro de fogftT'
Sexta-fura a.
O agente Maraaafi
qaem perftMer, de t
serio vetdldos pelo ma
Ne nevo armaaemda
s 11 hrras do d>.
(o tos oalros obj'ecto^
ao correr ,do mu-
cofre de ferro a
FAZENDAS
Quinta-faira 1 de novembro
Rabe Schmetau & C, faro lilio, por iatervea-
Co de agente Pinto, de nm cmatelo variado
aertiSMMo de (axenda* inglesas traacexa* e alle-
mes, existentes em seo armazera-do. largo da Cor-
po Saoto n. 15, onde se efiecftiar o leilao, o osa!
principiar s 10 hora.* da cima dte.
VISOS DIVERSOS
Hospital Pertogiwz e BeneOcea-
eia
AVISO
Do Rio de Janeiro esperado al o dia 3 de
nevembro o vapor nacional Diamante o qaal de-
pois de algons das de demora seguir para o Pa-
ra. Recebe-se carga e passaaeiros, a tratar com
os agentes Henry, Forster C roa do Coramer-
cio n. 8.
Personagens.
Conde de S. Thiago
D. Francisco de Atbayde
Jos Angusto
D. Jeronymo
Jos de Albaqaerqae
Manoel Mana
Pedro
Domingos
Um continuo
D. Maade Rezende
l). JoaflSa'*
DJ'Eugenia "
Tfiereza
Urna pobre, criades,
ele. etc.
Actores.
Sr. Thomaz.
Sr. Silva.
Sr. Braga,
Sr. Peregrino.
Sr. Senna.
Sr. Penante.
Sr. De-Giovanni.
- Sr. Plorindo.
Sr. Lyra.
D. Jesuina.
D. Olympia.
D. flenriqneta
0. Joaquina,
pretendentes, convidados
OttPiAHB*
BE
Navegapao Brasileira
At o dia 8 de novembro, espe-
rado dos portos do sal o va*
por Presidente, eommaodante
Garca, o qual depois da demo
rado costume seguir para o.-
portos do norte
Desde j reeebem-se passageiros engaja-se i
carga que o vapor poder conduzir, a qaal dever;
ser embarcada no dia de sna chegada, encom-
nendas e dinheiro a frete at ao mtio dia de soa
sahida.
Nao se recebem como encoramendas seno ob-
j setos de pequeo va^r.e qae nao excedam a 2
arrobas de pese oa oito palmos cbicos de medi-
Cio..Tudo que passar deste3 limites dever sei
embarcado^orao carga.
Previae-se aos Srs. passageiros qae suas passa-
geos so se recebem na agencia, roa do Coot-
mercio n. 8.
Barca Clementina.
Segu cora a maior brevidade para o Porto este
oavio por ter j sua maior parte da carga promp
ta : para o resto e passageiros trata-se com os
consignatarios Thomaz de Aquino Fonseca A C.
Suecessores, na rua do Vigario n. 19.
A escuna portugueza Agitia, capitao Pedro Au
gusto da Fonseca, acha-se proposta para o porto
cima ; para carga trata-se com E. R. Rabello A
2-, rua do Commercio n. 48.
Terminar o espectculo com a espirituosa e
muito applaudda comedia em 1 acto, ornada de
msica, original portoguoz do prapteada escriptor
Antonio Mendes Leal, denominada :
Aracaty
No dia~3 de novembro, depois da audiencia
do Illm. Sr. Dr. juiz muoicipal da vara civel,
tem de ir a praca pof venda os movis constantes
do escripto em mo do poiteiro do jaizo, cuios
movis v5o a pra$a por exeeueao que moVe Ma-
noel Coelho Pinheiro contra Leonel de Lacerda
Machado ; os licitantes comparecm no dia, hora
e lugar cima dito. Os movis sao de gosto de
boa quahdade.
SANTA CASA DA MISERICORDIA DO RECIPE".
A Illm. junta administrativa da Santa Casa do
Miserieordis do ReeJfe manda fazerpublico quena
sida de suas sessoes, o dia 2 do mez de novembro
p.rtas 3 horas da tarde, tem de ser arrematado
a qaem mais vamtagsos offerecer, pelo tempo de
um a tres auoos, as rendas tos predios em segui-
da declarados:
ESTABELECBNTOS DE CARIDADE.
Rua deHonas.
Sobrado n. 45 (andar e solio.). .
Tina do Prdre Florianno.
dem n. 47.........
Roa da Gloria.
Cfttk
Aviso especial.
Para maior eommodidade das pessoas, qae se
aatecipam oa compra dos bilhetes, a direceo jul
g a Cnvenieate reservar urna qaaotidade de ca-
deiras numeradas, para por esse meio, lerem os
lugares garantidos.
Os bilbetes acham-se desde j no theatro, pelos
presos seguales:
Camarote de ordem com 5 entradas 8*000
Dito de 2a de n. 1 a 7 e de 14 a 20,
com 5 entradas 10*000
Dito de dita de n. 8 a 13 com 5 ditas 12*000
Cadeira numerada 2*003
Dita avalsa 2000
Platea |*ooo
N. t. O theatro acha-se, ioteiramente piolado
de novo.
Acba-se em ensaios, para sabir brevemente
seena, a muito graciosa comedia burlesca em 4
actos, a qual foi rspeesentada no Rio de Janeiro
mais de 200 vezes, intitulada
Orpheu na ropa
Parodia da opera bufia
Orpheu nos infernos.
THEATRO
Segu em poucos das o
Grande : a tratar com Gomes
a rua do Vigario n. 26.
hiate Flor do Rio
de Moitos Irmos,
A junta administrativa mand res no oratorio
do mesmo hospital no da 3 da noveoaro preximo
as 8 horas da raanha, urna missa pei eteroe re
pouso da alma do socio beoemerito Pedro Rautisu
de Santa Rosa para assistir a este acto de rengib
e candada ; sao convidados a familia e os atara
ao tinado.
Secretaria do Hospital Portuguez de Betsafleea-
cta em Pernambuco 26 de outabro de 1871.
Luit Duprat,
. ____________Secretorio
Na bvraria franeeza rua do Crespo, na
loja de msicas do Sr. Ateved rua Nova, e na
pnotograpbia imperto! rua do Caboii o. 18
acbam-se ejposUs photographia3 da vera efflge
.do veoerava) vulto de N. S. da Peaha, padroeira
do hospicio dos RR PP. Missionarios Capaehinbos
e qae se venera naqaele hospielo. Ha pbjtogra-
phias para o preeo de 500 rs., de 3* e de 5* con-
forme o tamanln.
Na rua da Praia do C .Idereiro o. 23, lava-
se e eogommase com perfeico e aceio por proco
commodo. "
Imperial Ia(ltuto Pernambaca
lio de Agricultura.
A directora do Imperial Instituto Pernanabacano
de Agricultura, nao tendo ainda reaiisado acqui
sicao da propriedade agrcola destinada fazenda
modelo, por nao satisfazerem as propostos apo-
sentadas s condico's requeridas, e seremexees-
sivo9 os preQos pedidos, recebe novas propostas
para a venda de um engenbooa de qaalqaer pro-
priedade rural, que se ache as seguictes con-
diro.'.; :
V Estar na visinhanca de alguma estrada da
ferro ou de rodagem.
2o Prximo a terrenos variados, e ter agua ao
menos suficiente para os trabadlos de irrgaco.
Sala da directora do Instituto 23 de outabro de
1871.
O secretaric, j _
' Boarqoe de Macedo.
A' frete.
Com destn* a Bahia segu brevemente o vel-
leiro Zwei Gebruder, toma carga oara aquello por-
to : tratar rua da Cruz, com Keller A C, o. 55,
consignatarios, armazem.
PARA O
PORTO-
A barca portugueza Motta Ribeiro, capitao Joo
Baptista de Lima, vai sahir em brevidade : para
carga e passageiros trata-se com E. R. Rabello &
C. rua do Commercio n. 48.
BAHA
304*000
80*C00
240*000.
li*000
193*000
192*000
terrea a.' 61
PATRIMONIO DOS ORPHgJS.
Roa da Guia.
Casa terrea o. 27 ......
Id.jm n. 29........
Largo do Paxaiso.
Loja da frente do sobraden. 29. .
Roa de S. Jorge (Pilar).
Idiroi n. 10 -......201*009
idom n. 108........205*000
Id.ima.98. .-. ._ J084000
Os pretendentes- deverao apresentar so atto da
orramatocio as snas Sancasi oa compareeerwii
ieompsnbados dos respectivos fiadores
Secreuria da Santo Casa de Misericordu do R
Me, 28 de outubro de 1871.
O eserivio,
________ ftro Rodrigues de Souza.
Tery-feira 31 do corren te
O artista portuguez Francisco Ignacio Gnerrei-
ro e soa Sra. Eafrasi* H. de A. Guerreiro, de
passagem para o Rio de Janeiro, resolversm dar
alguns espectculos nesta cidade, e para satisfa-
zer a bastantes pedidos feitos pelos joroaes desta
capital, partecipa ao respeitavel publico, que
sus companhia tem agregadas as meninas Riozas,
as quaes tomam parte no primeiro espectculo
qae ter lugar no dia 31 de outubro, para feste-
jar o anniversario de S. M. El-rei D. Loit I rei
de Portugal.
Ordem do espectculo.
Hymno nacional e o do D. Laiz I, toeado pela
orebestra.
i.* A comedia drama em um acto, original por
Ljpguez, peto Sr. Braz Martins, Intitulada :
ABEHCOADA DIABRRA
Segu nestes prximos dias para o indicado
porto o patacbo nacional Cassilhas : quem no mes-
mo qnizer carregar poder tratar coa o seo con
signatario rua do Vigario n. 14, escriptorio de
Jos Lopes Davin.
A barca portugueza ilfana Luiza, capitao Jos
da Silva, vai sabir com brevidade : para carga e
psssageiros trata-se eom E. R Rabello 4C., ma
do Commercio n. 48.
RIO DE JANEIRO
Para o porto cima segu com brevidade o bri-
gae nacional Dumao, tem parte da carga engaja-
da, e para o resto qae lhe falla trata-se com os
consignatarios Antonio Luiz de Oiiveira Azevedo
A C, roa do Bom Jess o. 57, f andar.______
Pili 0 PORTO
Com muito pouca demora neeie porto, seguir
vagem com destino aquelle, o brigae portuguez
Triumpho. Recebe carga e passageiros: tratar
eom Soares Primo, roa do Vigario n. 17.
Precisa-se de u a ama que saiba cozinhar,
comprar e fazer todo o servico de urna easa es-
trangeira e de poocas pessoas : na rua da Impe-
ratriz n. 9, loja._______
Aluga-se urna boa casa defrunle da estadio
dos Arrombados, caiada e piolada de novo, com 2
salas, 3 quartos, cozinha fra e quintal morado,
propria para pastar a festa : na rua DireKa nu-
raero 28. _____________________^_^__
ALUGA-SE.
Para passar a festa a casa ooie mora
Antonio Alves de Miranda Guimares na
Agoazinha de Beberibe pela qaantia de
1:200(5000 : tratar coro os abaixo assig-
oados a qaem foi adjudicada ero praca pa-
blica a referida casa ; declarando os mes-
raos qae o Sr. Gnimares nao lem autori-
sar;5o alguma rara alugar, ou dispor da
qualqoer forma da Besmi casa.
Recife, 25 da outubro de 1871.
______________Tasso Irma > & C.
Roga se ao Sr. Animio Manoel da Conceico
o favor de vir rua Direita n. 26 a negocio de
seu interesse.
Aluga-se urna escrava suiente para cusi-
nhar, sendo casa de pouca fauna: tratar no
n. 24 da rua do Caldeireiro.
urna cosinheira escrava.
tratar na rna Nova n. 50
Precisase alagar
para casa de familia ;
1* andar.
s
LEILOES.
Conselho de compras de ma-
raba.
O eonselho no di Ijaaovembro proxim Vto'
donro avisto de propostos recebidas at as H ho-
ras da maobas, promove a eorapr sob as condi-
edes do estyle, do objecto o matoriaj da aroiasa
seguales :
Personagens.
Anselmo
Tbeodoro
Anlonio
Luiza
Artista.
Sr. Guerreiro.
Sr. Brochado.
D. Eufrasia.
D. Carolina.
Ia O duelo da Paftella de feitico, pelas roeni
as Riozas.
3.* A comedia em am acto, tradacio do fraacez
As pregas do capito
Personagens.
Capitao Sr Guerreiro
Condesea D. Eufrasia.
A comedia em nm acto, traduco do fran
4
cez
0 p8gem o regente
Persanagens
Cavalheiro de Hertaoul Sr. Guerreiro.
Cotuunca, soa rnutber D. Eofrazia.
Vicente, lio da Coastaaca Sr. Brochado.
5. e ultimo. A comedia em acto oroal
muiiea.
PahIo e Vipfljinia
Pelas meninas Riosas.
03 ailbetes ao eerietari do rbetrro.
PrhKipiari as a i/*-
de
LEIHO
DA
Armado e gneros da taberna da rna Im-
perial n. 49, (em om s lote) esquina da
travessa do Lima.
Hoja
O agente Pinto, competentemente autorisado, fa-
r leiio da taberna cima indicada, a qual torna-
se recommendada por estar bem aortida e locali-
sada
O leilao ser eflectuado s 11 horas do di ci-
ma na dita taberna.
LEILAO
DE
movis e um cofre de ferro
Sendo orna mobilia de Jacaranda a Cuiz XV
urna dita d mogoo, orna dita de ama-
relio, marqaezas, marqnezes, sofs, bsn-
cag de Jacaranda, c?deiras avolsas, mesa
elstica de amarello, um guarda Iouq de
mogno, guarda vestidos, cadeiras de ba-
taneo, camas fraocezas de Jacaranda e de
amarello, jarros, candelabro 'de crystal,
appirelbo de ton?* para almoco, dito de
Caixeiro
Offerece-se um rapaz de bo.i conducta, da
idade de 13 a 11 annos para caixeiro de quilqner
estabeleciment, excepto de taberna ou padaria :
quem pretender dirija se ao escriptorio desta ty-
p graphia qoe se dar as uformaeSss necessana.
CASA DA FOKTllT
Aos 5:0001
Bilhetes garantidos.
i roa Primeiro de Marco (oatr'ora roa d
Crespo) n. 23 e casas do costme.
O abaixo assigoado, tendo vendido nos seos fe-
lite bilhetes om meio n. 1230 com 5:000*000,
um inleiro n. 716 com 800JOOO, nm meio n. 811
ecm 300 e ontras sortes de 40 e 204 da loteria-
qae se acaboa de extrahir (212*), convida aos pos-
soidores a virem reeeber na con(ormidad6 d)
costme sem descont algum.
Acbam-se a venda os bilhetes garantidos da
7." parte da lotera, a beneficie da Santa Casa--
de Misericordia (213"), qae se extrahir segun-
da-feira, fl do mez vindouro.
PRECOS.
Bilbete inteiro 6*000
' Meio bilbete 3*000
Quarto 1*500
Em porco de 100*000 para cima.
Bilbete inteiro 5*500
Meio bilhete 2*750
Quarto 1*375
Manoel Martins Fiaza.




T*

'
Mudanza.
Do dia 10 do correte em Oante estar modado
para a roa do Imperador n. 48, i* andar, o gabi-
nete de cirurgia dentaria de F. Mais, o qaal dessa
date ero diante ser ahi encontrado, todos os da.
a qualqoer hora. O mesmo, como al aqu, coo-
tlna a prestar-se s chamados.______________
Anda o Sr. Theod Justo.
O promettimento feito a om lerceiro das letras
que dase traseT asignadas pelo Illm. Sr. sen so-
aro (a quem nao coohego) e como o tratante do
Sr. Theod Jaste ha maito qae me filadle, faco este
pedido para qae o pablico fique ialeirado de que
o dito Justo ainda nao laocoa o rae-u 1:000*000
seguramente porqua os purgantes leem sido fr-
eos, carece pinho.
setano Jos Mendes.
^s^
Manoel Sodrignes de
Almeida.
Joo Anlonio de Almeida e sena irmos cordial-
mente sgradecem todas as pessoas que se digna-
raro assitlir ao acto fnebre e acompanhar ao ce-
miterio pnblieo'os restos mortaes de sen mui
presado trmio Manoel Hodrigues da Almeida ; e
de novo pedsm-lhes o obieqoio de assisrem al-
gunas missa qoe mandam celebrs.r pelo repooso
eterno do mesnso finado, as 7 toras da manbaa d*
dia 3 de novembro, "na matr'.z da Boa-Visto.
mkWkmmmkWKwmmmkwm
V

F-


1

~>
*
Eiam 4. Fri!*U>wctT^ Trgi tara ,31 Qtf.oko. *M3U
VIGOR 0 CABELLO
DO CELEBRE E FESTEJADO CHIfflCO_________
DR. AYER.
SSof PRODIGIO E EMPERHO Da EPOCa
5S. rn 2 r ro ecaoto pelo contrario, sej o cabelle ruco e spero, eis qot
IS^WS!^^'^* eepresslva qae seja, por si s, eso-
re a tsaume om aspecto sera iQteresse. ^
rece, a ts> f desejamos moi respetosamente chamar a aptciat |ttfiflfi3o (las
.eabora. Vcavalbeiros de bonv goslo rara a delicada preparado cima^jonad.
O Viqor do Cabello e o resaltado de orna looga serie de estodos profanos,
prebendidos pelo incansavel chimico Dr. Ayer, auxiliado por ootros professore eini-
3m, com o fio de descobrirem urna nova preparacio para os cabellos, que, tm
coottr as propr edades nocivas qw se encontrara nessas oatrn. qoe mais tarde ou*
na. a perdadw cabellos, fose realmente ffiew para consegu.r ootros effeftos de
U muito Jwjados^ ^ ^ QW lDlart> em contm subsUncia algoma inju-
riosa. Nlo soja as mos, nem a cabaca, e nena a cambra.a ma.s fina. O Vigor pro-
Conservar, awrmeotar e aormoseat os cabellos.
SSdir a rorSo da caspa. EviUr e corar a queda dos cabellos e restau-
rar a Tortora! tXm os cabellos macios. sedosos e bn hantes perfonando-oi
SL om odor dara delicadeza. D nova vida aos orgaos v.taes de que depende o
^inS drCabeHo fazendo-o crecer hndame e vietso. Goui o uso quot.d.ano
SwJ? iv^rneutralisadas, o a, glandes capillas nao se ackem *>r-
f9mptda%DhoTZi e homens que aotes da dade se vem chelos de cabellos brancos, e
oa tem Sa espejea Sfvr restituid, a sua belleza Datura!, este bel o orna-
IITJSZ rVosiiar-slwo quando virem os effeitos qae pdem conseguir com o
% NiS- Paraos toilettes em geral. Dio se poder ncontrar perfume mais agr-
davel o delicioso do que o Vigor de Ayer. _;
Vende-se em todas as drogaras, pharmacias e
armariDnos do mundo.
W. R. CASSELS a C.
DEPOSITAMOS E AGENTES GERAES PARA O IMPERIO DO BRASIIL.]}
fijo de Janeiro
m so Aos 5:000,5000.
Bllbetee fIMoe 4a pr
Tela.
Rita do Bario a
Viciara,
Ouf'ora ra Nova n. 63 e caas
do co*u#te.
O abaixo assignado acaba da vender entre
moi multo felitea bilhetes a sorte de 3:000*000
era um meio bilhete de n. 1,230 e ura meio de r>.
2 522 com a sorte de lOOf, am de ootras sortet
menores de 10*000 e 20*000 da laten* qae se
acaboa de xtrahir (III), podenco seos potaai-
dorta virem receber, qae prompumente serio
Umesmo abano asignado convida ao respei-
'tavel publico para virem ao sea estabelecimenu
looiprar os feuzes bilhetes garantidos, qae ni*
deixar de tirar qualquer premio como prova peloi
meamos annoneios.
Aeham-se i venda os mnito fellzes bilhetes ga
rantidos da 7a parte das loteras em beneflcio da
saota casa da misericordia do Uncir, qoe sers
extrabida no dia segunda-feira 6 de novembro
viodooro.
PREQOS.
Inteiro ft#0O0
meios 3/000
Quartos 1*500
De iOOfJOOO para cima.
inteiro 5*300
Mojos 2*750
Qaartos 1*375
Joao ioattim da Costa LsiU.
Joaqnim Jos Gon vg Beltrao
*ot do Trapiche n, 5, l* andar.
?^co por todos os paquetes sobre o banco de
ttiho, em Braga, e sobra oa segaintes lugares ea
Pormcal:
Lisboa.
Porto.
Valenca.
Guimariee.
Coimbra.
Chaves.
Viseo.
Villa do Conde.,
Arcos eVal de Ves.
Vianna do Casteo.
Ponte do Lima. ,
Villa Real.
Villa-Nova de Famelicio.
Lamego.
Laaos.
Covilhia.
Vasca! (Vaipasso).
Mirandella.
Beja.
Baroallos.
ATT EN CAO CASAS
..",. Alnaa-st o seenndo andar sol
Vende-se por barato pre^s urna propriedade a
margen da eamboa dos Remedios, fazendo-se
toda vantagem ao comprador, reetbendo-se parte
em dinbeiro e parte em" letras, oa objectos de
prompta venda ; enja propriedade conim ana
Saode olria de pedra e cal qae lastra 16,000
oos de alvenaria grossa e forno que comporta
18000, com mais um (orno e lastro para fazer-se
tel'bas, ladrilhos, eanos e loq^a, com exeellente
barro para qnalquer obra, com dous excellentee
tiveiros de pelxe e com casa de. vvenla para
grande familia, torna-se recommendavel por pas-
sar perto a linha dos bonds : as pesseas que pre-
tenderem dlrijam-se dit propriedade, a entender-
se com o capillo Delflm Lios Cavalcsnte Pessoa.
Aluga-sa o segando andar aobresotio escasa
o. 6, cita a ra do UmmenS): pouco edifica-
da, com mnitos coomodos, agua, gas etc.: a
tfaur na loja do roesmo predio.
CapaS Q6 IGrrO gawanisadas para cobrir casas etc.,
Formas paraassucar
Arados Americanos
-
Machinas a Vapor
JXLaCuinaS ,je descarocar algodSo.
Fogoes pe ferro
Trilhos de ferro para engenbos
Camas de ferro
Macacos de estivr
Ferragens em geral
Cofres de ferro
Esies artigos vendem-se em
casa dos importadores.
Sha,w, Hawkes & C,
^. i CK DO bom naos.
(outr'ok*. ra^d*. Cruz )
O abano assignado taz saber aos senhores
dooos das casas do largo do Paraizo de n?. 3, 8,
9, 13,13, 16,17,11,13,25, 27 S 28, qoe boje o
possuidor dos solos das ditas casas por compra
que fez Exma. Marqueza do Recite: portanto
faz a presente declarado para intelligencia dos
meamos sethores e a auem mais ioteressar possa.
Jeaqnim de S Lopes Fernandes.
Achou-se um annel oa Pas?agem da Magda-
lena : quera for dono dirija-se i taberna da esqui-
na do Hospital Portogaez, qae dando os signaes
certas se lbe entregar, pagando o presente an-
nuncio._____________________________________
Irmandade das almas erecta na matriz do
SS. Sacramento da Boa-vista.
De ordem da mesa regedora convido a todos os
nossns irmios para comparecerem em nosso con-
i-torio na mesraa matriz no dia 1* de novembro
pelas 10 horas da manhaa, para em mesa geral
procedermos a elevan da nova mesa regedora qae
tem de reger a nossa Irmandade no anno compro-
mis.ar de 1871 a 1872, corno dipoe os arts. 22 e
25 g 107 do no3?o compromiso.
Consistorio da irmandade das almas na matriz
da Boa-vista 24 de outubro de 1871.
O escrivia,
Jos Alfonso Monteiro.
TRILHOS URBANOS
do Recife a Olinda e Be-
ber ibe
Per ordem da directora convido aos senhors
accionistas para se reunirem no-dia 31 do corren
te pelas lOboras da manhaa, nc salo da esUco
da ra da Aurora, para ouvirem 1er o relatorlo
deste semestre como determina o arligo 13 dos
estatuto!.
Joao Joaqoim Arres,
1* secretarlo.
'*S^;,
w. i
CASA. DA FORTUNA
RA 1 DE MARCO GUTR'ORA DO
CRESPO N 13.
Aos 20:000^000.
O abaixo assignado tem sempre exposto i ven*
la os felixes bilhetes do Rio de Janeiro, pagande
oromptamente, como costuma, qualquer premio.
' PRECOS.
Inteiro 14*000
Meio 12*000.
Quarto #000-
Manoel Martina Fioza.
111I1111M1I1II
Sustento restaurativo da
saude
PELA VERDADE1RA FARI.NHA
A, DBarry d'Arabw
Os abaixo asssignados fazem sciente a seas fre-
guezes, qae pelo vapor ingles La-Plata receberam
Jegunda remessa d etsa exeellente farinha, cuje
uso mnito se recommenda para as erianeu, pes-
soas debis e convalescentes, applieada com reco-
?Decida vantagem as constipares, diarrheas.
oaasea do estomago, tosse, escarro de sangue.
nhtbyslc, etc. etc. Preferida ainda pelo agradare)
sabor.Unlricoa ontra qnalqaer.
Esto por alagar oa andar 4o sobrado
da roa da Imperatru n. 47 : i tratar na roa For-
ososa n. 8.
ADYOGADO
H|. Dr. Joaquui Gorrlv de Arajo
8 67RA DO Impmuldor67
llfiHffiHIiHttVHsll
A pe ma qae innuncioa comprar ama mesa
de jacarSod com lampo de marenore, dlrija-se
roa Marcilio Dias n. 31, antlga roa Dtrelta.
Ama de leite.
Precisa-se de ama ama de leite, exige-se bom
leite e boas informacOes : na ra da Concordia,
sobrado n. 10, andar.__________________
Precisa-se de urna ama
para comprar e cosiobar :
'.tratar na roa da Alegra n. 5.
Na travessa da roa
Crazes n, 2, pri-
neiro andar, da-se di-
nhelro sobre penhores
de ooro, prata e brilhan-
tes, seja qnal for a qnan-
a. Na mesma casa com-
pram-se os mesraos me-
taes e pedras.
a
AMA
Era casa de pequea familia precisa-
se de urna ama para cosinhor : na ra
Nova n. 31.
H


LIQUIDACAO
DE
...ZE'SDAS BARATAS, Ji.
Lindas bareges lisas, de qoadrinhes e de lisias para vestidos a 3b0 ^
CSuperioros alpacas de cores, de ores de lblras a oOO res o co- }
' Poil de cbevre com lindas cores e de sopariores qaalidades a 640
ris o covado. .... ,, _
Na leja das collumnas. de Antonio Correta ue Vasco ncellos, roa Pn-
meiro de Marco, ontr'or doCrespo n. 13, ^ mmmmf\WSM\\M
MACHINAS
PAIA KaXUlHIU ALfiOBA*
De 10 a 40 serras.
VAPOR
para mover as machinas.
Em ca6a dos importadores] Ra do Bom-Jesns n.
Siiaw Hawkes C. | ootr'ora Cruz.
Soc;dade Rec eatim ju-
Tentuie.
A presidencia desta sociedade tendo de mandar
reaar os responsos e mementos prevenidos pelo
art. 38 dos estatutos, convida aos Srs. assoclados
assistir estes actos que terao logar no dia 2 do
vindouro pelas 6 l|2 horas da raanbaa na igreja
do Divino Espirito Santo.
Secretaria da Sociedade Recreativa Juventuie,
28 de outubro de 1871.
O 1* secretario,
A. Alco'orado.
MOFINA
INTERESSA LBR
A
i ,
Os abaixo ssignados participara ao publico e
com especialidade ao corpo do comraercio qae
Besta da'a compraram aos Srs Amrrim k Soma
o sen estabelecimento de molhados sito roa de
Vidal de Negreiros o. 21 com todo activo e pas-
sivo, ficando a cargo dos abaixo asignados toda
a liquidado e a dita firma de Arcorim & Souza,
livres de toda a responsabilidae.
Recife, 21 de outubro de 1871.
Nogueira A Souza.
Sociedade Nova Uniao.
De ordem do Sr. presidente, sao convidados to-
dos os socios desta sociedade. para comparece-
rem no dia Io de novembro vindouro, pelas 3 ho-
ras da larde, na sala oesta sociedade, aftm dse
eleger os novos membros qoe lera de fuocciooio
no anco de 1871 a 1873, como determina o 16 dr
art. i" de no-sos estatutos.
Secretaria da sociedade Nova Uoio, 27 de ou-
tubro de 1871.
Manos da Silva.
Secretario interino. _______
Precisa-se de ana ama pa*
ra todo o servico : na roa de
Hortas n. 30. obrada.
Do togeoho Aguiar, furtuara dous cavallos'
sendo um rodado cor de chombo com algamas
pintas de pedrs na cabera, nm lanto sellado,
inteiro muito novo, sem andares, o outro tam-
bera rodado, mas, claro, e mais pequeo, um
tanto creando, anda baixo at mel, castrado,
tambera mailo novo : qqem os aprehender oa del-
les der noticia derija-se ao dito engenbo, ou oesta
praca, no largo da Santa Cruz n. U, que ser
recompensado ; o ferro com que os mesraes ca-
vatios esiao marcados o seguinte : X X.
Roga-se ao Illm.Sr. Ignacio V.eira de Mello,
crivo na cidade de Naiareth desta provincia.
favor de vir a ra do Imperador n. 18 a conclnii
iquelle negocio qne V. S. se comprometteu reali-
sar, pela terceira chamada deste jornal, em fin
de dezembro prximo passado, e depois para ja
aeiro, passon a fevereiro e abril, e nada cumprio.
s por este motivo de novo chamado para diu
Qm ; pois V. S. se deve lembrar Bne este negocie
de mais de oito annos, e quando o senhor ce>
8ho se achava no es nesta cidade_________^^
ATTENCAO
AlDga-se urna grande- cocheira na ra da Uniao,
com dous quartos e solSo com outros dous quar-
tos, tendo janellas, tudo eaiadu e pintado vo e mnito propria para taberna oa oatro estabe
ec memo : a tratar na ra da Aurora n. 36. 1
andar.________._________________________
aos banhos no Monteiro
Alagase por festa a casa n. 3 que tem urna
pitombeira na porta, na travessa da Levada no
Monteiro, tem junto nao s os banhos do rio
como os da levaaa : tratar na esquina do Lama-
rao casa nova antes de chegar ao Monteiro, ou
no Recife, i ra Nova n. 7.____________________
Companhia do gaz.
PERNAMBUCO
Chamamos respetosamente a atteoejio dos con
snraidores de gaz para o seguate :
As ms luzes sao geralmeate ocasionadas por
gum defeito nos bicos, oo ob;trucQo nos ap-
parelhos. Aonde eiislir seme(hanies defeitos a
companhia ter prazer em remedia-los sem des-
peza ao consumidor.
Para assegurar urna luz boa, os bicos devem ser
modados pelo menos, de seis era seis mezes Um
bico bem dr 20 at 50 por cento mais luz (gas-
tando a me;ma quantidade) de que um bico de-
feitaoso e do mesmo tamanbo.
A companhia tem sempre um grande sortimen-
to de bicos, dos mt Inores fabricantes, os quaes
vende aos censumideres pelo custo.
Qualquer qneixa dirigida ao abaixo assigoado
na fabrica do gaz em 5. Jos, oa no escriptorio da
companhia roa do Imperador, ser prom ll-
mente aiteDdida'
Fabrica do gaz 23 de Outubro de 1871.
I*o. Newbigging.
Eogenheiro.
8 FABRICA
DE
SCHAPOS
DE
Todas as qualidades
| X i \ ra larga do Rosa- g
rio b. 2i I,- andar
Se o desejo dos propietarios desta fa- B
m brica fosse anicamen'e Iludir a f pu- S
blica, ha muito que tirara annunciado Wa
os seos productos, mas para correspon-
J! derem mais dignamente confianza nel- !
| les depositada, esperaram receber os I
i objectos e pessoal, que acabara de che- jM
g gar-lbes. S
B Hoje, pois, qoe a sua .fabrica se cha {&
montada cora as mais aperfeicoadas ma- m
^ chinas, com os melhoros pelrecnos e ser-
I vida dos mais peritos ofilciaes europeos,
&B podem os seos numerosos fregu zes e
3 o publico em geral encentrar desde j.
Cbapos de seda da ultima moda, sen-
g do altos e baixos.
Ditos de castor de todas as cores, em
I formatos ingieres e amborgoezes.
Ditos de feitro de todas as qualidades
m e feitios, tanto para horaem como para
S crianzas.
Ditos de velludo para senbera.
Ditos para eiclesiasticos, redoudos, tri-
I angulares e a romana.
Ditos armados para militares.
m Ditos de pasta.
JR Concerta-se toda a especie de chapeos
quer de hornera qner de senhora, com a
_- maior pericia e mais barato qne era qoal*
I qaer outra parte, assira como se rece-
H bem encommeodas tanto para a provin-
! cia como para fra.
Companhia Allian(ja
teguros martimos estabelecida
na Baha em 15 de Janeiro
de 1870.
CAPITAL..Rs. V*X>:000#000.
Toma seguro de merwdorias e dinheifo a riscc
naritimo em navios de vella e vaporea para dec-
ro e fra do Imperio. Agencia i roa do Com-
nercio n 6, escriptorio de Joaqnim Jos Gob-
^lves Beltrao.
mmmmm niwii|
S Consultorio nomeopa- |
- thico
DO DR. SANTOS MELLO.
Roa do Bario da Victoria n. 43.
VACCINA.
Todos os domingos e quintas reirs, pe-
las 9 horas as 10 da manbaa vacclna-se
I por preco mdico, para o qae ha muito
B bom pnz vaccinieo.
S Recehem-se chamad, s para vaccinar em
qnalqaer casa.
K Consultas medicas todos os dias pela M
| Chamados a qoalqoer hora do dia e da |
noote.
' Gratis a parte medica aos pobres.
ia mbi .mwfum*
Precisa-se de um caixeiro qae leona pratica
de taberna : na rna do Amorim o. 17- ^^^^
I
m
Aluga-so
Urna casa terrea com soto e boas aecommo-
dac.5es, concertada e pintada recentemente, na
liba do Retiro, Passagera da Magdalena : tnu-se
na roa do Vigaria o. 4.
Com urgencia
Preci?a-se com orgencia de orna ama de
leite, que tnha boru, e abundante quanti-
dade e sem fllho, paga-se bem ; nesta ty-
pographia a tratar com o administrador no
Io andar : na mesma- ,precisa-se de omc
ama para ctmprar o costobar para casa de
nma familia composta de duas pessoas;
a tratar na mesma casa.
*mL
Precisa-?e de urna ama para o servico de
urna casa de familia : no Caes 22 de novembro. n.
30 1. andar. j_
Banhos
Alnga-se urna exiellente casa em Olinda, ao pe
da capella dos Milagros, propria para quem pre-
cisar tomar banhos : tra'.ar na roa do Apollo
n. 22_________

Ana de leite.
Preci^a-se alagar urna ama, que tenha bom le-
la e seja sadia : tratar na ra do Duque de Ca-
xia?, outr'ora Croze's n. 2.
v$^
A loia dos Arcos de Alvaro Aogasto d'Almeida 4C.i raa do Crespo n. 20 A acaba
de receber pelo ultimo vapor francez Amazonas, alguns artigos proprios para enxovaes
de novas, e de modas para grande toilette como sejam :
Riqaissimo cortes de Vestidos de blonde para casamento.
Ditos de tarlatana .-bordados seda para casamentes.
Cortes de seda de bonitos gostos e superior qoalidade.
Colias de seda, lia, e 13a e seda.
Capellas com mantas de blodepara noivas.
Camisas de esguio bordadas para noivas.
Fronbas de esgoiao bordadas.
Lencos de cambraia de linho e labyrintho.
Superiores leques de madreperola.
Cortinados bordados de differentes presos e qualidades. ;
Sedas de -res de bonitos padres.
Ditas escocezas para vestidos, roopas de meoino, eofeites, etc.
Basquinas- de gorgorSo, superior qualidade.
flornus de lia e seda para senhora.
Mantilbas brasileira de fil de seda bordado.
Cbacbeoez de lia e seda.
f Cbapelinas de seda branca, e d crep preto para loto.
Cbapos eneitados para senhor as e meninas modelo inteiramente novo.
Cortes de cambraia de cor, e brancos bordados.
L:ndos cortes de baptjste a Frou-Frou.
Toil de voyage azenda de gosto para vestidos.
Aim destes argos que se veudem porprecos razoaveis tem ootros qoe sao pe-
biobas extraordinarias, como sejam :
Damasco da lia com 9 palmos de largara a 14500 o covado.
Cortes de lia Victoria com 20 covados por 10(5000.
Lias com listras de seda a 40j rs. o covado.
Ditas mescladas mudo boa qoalidade a 320 rs. o covado.
Cassas de cor a 240 e 280 rs. o covado.
A'jtfcas largas bonitos padr&es a 500 rs. o covado.
escos de ^sgoiio mnito finos a H e AiJOOO a duzia.
Esleir da Jodia, mallas paraviagem, transparentes, et Tito da Silva Guimares, convida a seus pa-
rentes e'amigos para assstirem oo dia 3 de no-
vembro as 7 horas da manba na raairiz da Boa-
vista ama missa de stimo dia por alma de sua
fallecida molher Maria Ca lana de Mello Guima-
raes.
I\ Qfiv \ Precisa se de urna ama pa-
^>. T0k\^h\ r* ser^S de urn* casa de
^y \SM V pequea familia : ra das
Cruz n. 18, 3 andar.
AVISO. '
Perden-se ama letra da qoactia de 556*700,
sacada em 30 de seteabro prximo pa sado i oito
mezes de praso, sendo sacador Joao Christiaui e
aceitantes Aguiar A Irmao, de Maeei. Previne-
a quem dita letra for apreseotada a nao fizer tran-
saccio alguma, pois qoe flea a mesma de nenhum
effeito.
Precisa-se de ama para casa de fa-
milia : oa ra do Vigario n. 26, pri-
meiro andar. ________
AMA
ALGA-SE
um moleqae de 14 a 18 onos d) idade, para todo
o servigo de hotel; no Cafe Chinez, ra Larga
do Rosario n. 31. 1* andar.___________
Aluga se
o segundo andar do sobrado da roa Nova n. 38 :
a tratar na loja. _________

Aloga-se o granie sitio da estrada do Rosrinho
.10, com casa para numeroa familia e era bem
estado, havendo muita diversidade de fructas, bem
como pode sustentar ama porcao de vaccas, todo
aooo, aioda mesmj na maior ferija. da ecca, por
ter orna grande baixa d=< capim, que nunca seca,
e na distancia para qualquer dos trilhos urbanos,
Encruzilhada de Belm, ou Taraarineira, se pode
gastar de cinco a seis minutos : tratar na roa
da Madre Deas n. 30.__________________._______
Precisa-se alugar uro preto para servjco in-
terno e externo : napadaria da roa da Florentina
d. 3. Na mesrea 'ambem precisa-se de urna ama
para cozinhar.
Precisa se da urna
de oma pessoa :
Eella n. 29, sobrado.
AMA
ama para o serv-
a tratar na ra
i V A t'tocif ?e de urna ou duas ama?
aillo, paia todo n servreo de casa de pouca
familia : na roa do Vigario d. 33.
Quem nver para alugar um preto de raeia
ida le para o ? erv} j de um sitio, dirija-se ao largo
da ribeira de S. .Le o. 5.
Americana, ra de 'iervasio Pires n. 45, con
tina a fa:er a ji mnito a:reditada nova brla
cbinbi americana, nao inferior a ingleza e na
mesma fabrica se pao e bolacha das melhores fa
rinhas do mercado para melhor agradar aos seus
fregoeze?.
Precisa-se de nma ama
qae saiba cozinhar bem : na
_ roa do Doqoe de Caxias, oo-
tr'ora rna das Crozes o. 22. segando andar.
V^%
Monteiro
Alnga-se ama casa na povoaclo do Monteiro : a
tratar na taberna do Sr. Nicolao Machado Freir,
no mesmo logar.
Aos Srs. carpinteros e do-
nos de obras.
Cavernas de 14 a 20 palmo de aste, le sicu-
plra verdadeira proprias para grandes canoas, bar-
caca?, alvarengas etc.
Travs de qualidade, de coropnmento de JO a
60 palmos, sendo moiUs "de .icopira, macjarao-
duba, e sapacaia : para ver e tratar no pateo da
Concordia, armazem de materiaes.____________
- Aiuga-se para pasear a (esta om.sino com
casa no lugar do Caldereiro jonto ao sitio do Illm.
3r.Dr. Alcoforalo, tendo omitas fructeiras, teodo
banho no foodos do ski : quem ommaetj*-
rija-te ao iearao sirio, oo na roa do Caldeirelro
nomero 32.
.lug-se o pimelro andar, solio e loja da
ra da Guia n. 56.
Afilares para alagar
Alagase o 2* e 3 andares do sobrado da tra-
vessa do Corno Santo n. 27, proprios para peque-
a familia, mnito frescos, exeellente posicio e rio:
a tratar no armazem de fazendas do mesmo pre-
dio, das 9 as 4 horas da tarde.__________________
Troca de chapeo
Querendo desfazer dirija-se ra da Croa n.
,1* andar.______________________________
Aloga-se o i' andar da casa ra da Guia
n. 46: a tratar i roa do Marooei de Olinda n. 49
Precisa-se de urna ama livre oo escrava pa-
ra o servido de urna casa de pouea familia : oa
rna do Bario da Victoria, antiga roa Nova n. 46,
! andar.
Atoga-se"uma exeellente casa em Olinda ra
do Carmo para os banbos do mar : i tratar no
Corredor do Bispo o. 58 ; na mesma casa vnde-
se ama exeellente machioa de costo ra
Caruar.
Ao Sr. Antonio Jos Dnarte, de Carnar, roga-
se-lbe o especial obseqoio de apparecer no caes
o Apollo a. 69, a ter a bondade de annnoclar
aonde pode ser encontrado._________________
Feitor
Preciea-ie de nm feitor par om sitio : dirija-se
a A. B. oa confeitariaBrajo e Oararoa do
Imperador r>. 26.
BRAZILIAN STREET
Railway Company (Limited)
A estacao aova de Apipucos estar aberta ao
publico no 1 de novembro prximo; deixando es
trens de3te dia em diante de tocar na esta ci an-
tiga.
Recife, 28 de oatubro de 1871.
Walfrid Sweoson,
Ajudante do gerente.
Precisa-se alagar ama sala com quarto para
morada de urna pesoa s: na raa do Crespo na-
mero 7. _________ _____________
1 e 2e andar.
Aloga-se o e 2 andar roa do Padre Flo-
riano : a tratar na roa larga do Ro?arlo n. 22.
Pernambuco Street Railway
Company.
De ordem da directora d'esta companhia, con-
vida-se aos senhores accionistas a realisarem a ul-
tima prestaejio de 30 por sent do valor das sais
acedes at o dia 14 de novembro prximo fntaro,
no escripto, travessa do Brnm n. 2t N'esta oc-
casiao serio os recibos trocados por certitdes das
Recife 25 de ootnbro de 187!.
H. E Swift.
Asst Ireasnrer.
Perdeu-se
no abbado a urde ama palseira de cabellos com
retrato, sendo o cabello ora tanto castanho e j
com principio de mofo, e o retrato colorido : a
pessoa que tiver achado, querendo restituir, pJe
levar ra do Ouro o. 72, que ser gratificada.
n. 39 oa 46.
Precisa-se da orna ama forra oa cap
Uva, qoe seja boa cozinheira, pera casa
de poaea familia, promeite-se bom tra-
lamento : trata-se oa roa do Hospicio
Ama de leite.
A raa da Detencao o i i, pr^cisa-se de ama que
seja sadiae tcnba leite em ab'indoia. preferindo-
se i qae nao trooxer
C4PEI1AS
l'ara o Jia de finado?.
Porto d- Bastos, cem esta-
belecimento de calcado Pr?-
r;a da Independencia acaba da
receber novo sorlimento lo
capellas de aljofares e vidri-
Ihos com iuscripi..'S, para [o que avisara
as pessoas que se quiserem prevenir jjorrs
urna d'ellas para depflf no tomulo de* a1-
gom prente oa amigo em dia de finados.
As inscripgSes sao as segointes:
A meu pae.
A minba mi.
A mea esposo.
A mii ha esposa.
A meu ilho.
A miaba lilha.
Saudades.
para
dia
o
A leja
bug n.
de finados.
da lita azul roa do Ca-
2 acaba de receber as
melhores capellas de vidrilhos que
tem vindo a esta cidade ; assira
como capellas as apreciaveis per-
petuas araarellas cora letreircs(im-
mortelles) e para todos os precos:
oga se as pessoas qae flzeram pedidos, qne as
cenham buscar, visto como o numero dellas v&>
grande.
Urna pessoa babiliada encarrega se de prepa-
rar tomlos e catacumbas, tanto na cemiterio po-
blico como as igrejas, dando o que for necesa-
rio, para o dia 2 de novembro prximo futoro :
na ra do Imperador o. 9e 11.
Capellas mortuarias
' BE.
. Fino raarmo"e
Na loja do Gallo Vigilante
Vende-se cpelas mortoarias
de Gtio marmore, com flores
em grande relevo, que devem
ser preferidas as capellas de
q ;e at aqu se tem asado, vis
to qne a sua natur?za permute qne se nao
deteriorem com o tempo, como acontece
c>m as outras.
r V .
, y.
Para o dia de fi-
nados.
.*,.
Na roa estreiu do Rosario n. 35,
! andar, tem para vende^ capellas
mortuarias para se bottr as cata-
combas, de flores artiflciass rxas e
brancas, seodo saudades, rosas o
cravos, com lacos e letrein com as
secuintes Inscripcoes : meo pai, mmha mai, roen
esposo, esposa, fllho, Alba, irmio, irmaa, avo, avo,
saodades e lembraBi^s, 3/, Si e 8< eida nma,
tanbem se fax de perpetaas e sempre-vivas na-
toraes. ^_____^__________
Os Srs. abaixo declralos sao rogad >s a
mandarem oa virem ao escriptorio deste Di/trio
a negocio :
Dr. Francisco de Paula Rabel lo
Jos Francisco Ribe'-o de Sonsa, (Joo do eol-
legio de Santo Amaro




~v
-\
f
.

i
L

*

i
k

(
,P ific de Pcrnanibuco Terina feira 31 de Ojitufrro de 1871.

KJ&M. -A
D. W. B0WMA!N
Engenheiro cm
FNDICO
I 19 RUA IIO BttUH *9
PASSANDO 0 CHAFARIZ
Pede aos senhores de eogenho e outros agricultores, e etnpregadores de ma-
Cinismo o favor de ama visita a sea estbelecimento, para verem o novo sortimenu
/>op!eto que abi tena; pois sendo tndo muito mais barato em prece do que jamatoe-
aba vendido, est ainda superior em qualidade e fortido; o que com a inspeccSo pes-
io al pode-se verificar.
PEDE ESPECIAL ATTENCO A NUMERO E LUGAR DE SUA FUNDICO
IfannVAa O rnHQ d'ftOTia dos mais modernos systemas e ea,
w apuivo O rUlUliD i* *g**<*> tamanhos convenientes para as di-
versas circunstancias dos senbores proprietarios e para descarocar algodSo.
Moendas de canna *^ ^^. *< qo.^
OClaS CntauaS para aoimaes, agua e vapor.
Tazas de ferro fundido batido e de cobre.
Alambiques e fundos de alambiques.
INTanhiniamna Para maDdioca e alRodao.) Pbdendo todos
iliaOmnItlIllUa e para serrar madeira (ser movidos a mo
Rnmhaa lpor a8a' vapor'
DUlUUaD _e patente, garantidas............Jou animaes.
X OCiaS aS maCniUaS e pe^as de que se eostoma precisar.
C aZ qUaiqUOr C0nC6rT)0 _8 macbinismo, a pre^o mui resumido.
Pnrmflfl fA fAl"l*n lem a9 memores e ma's barata existentes no mer-
1?nAAmmAn iUCUinnicnUtlb ]t _08 dientes, lembrando-lhes a vantagem de fazersm
mas compras por intermedio de pessoa entendida, e que em qualquer necessidade pode
bes prestar auxilio.
AradOS ameriCanOS e instrumentos agrcolas.
Irmandade das almas
Por autorisaco da mesa regidor da irmanda-
ie das alonas da mairiz do Corpa Santo, convido
lodos o nossos irro-is TeBiraffi-ae no consisto-
rio da mesma irmandado no lia t* de novembro
pelas 10 horas da m.iihvi, adm de eleger-ee
nova mesa qoe tem de fonceiooar no )' via-
denro de 187.
Consistorio da irmandade da alma* 36 de ou-
labro de 1871.
Jos Mnteiro de Siqaeira,
Escrivo.
Precisa-se de ama ama : na ra Diretta oa-
mero 61.
Dinhuiro a jaros
D-se at a quantia de fcOOO* com premio e
hypolheea : a tratar em Girada com o Dr. Candi-
do Freir. ________________ ,
Ama de leite.
Precisa fe de urna ama de leite que d boas in-
fonnacdes e pagase bem : na na da Concordia
n. 10, sobrado. ____!_______
_S*
r;

-

i
O. Mara Carolina Fonceea de
arela.
Joaqaim Alvaro Garca profundamente re:o-
nheeido s pessoas que se dignaram aeompanbar
ao cemiterio publico os restos roorlaes de sus
mu prosada esposa D. Mara Carolina Fonceea
de Garcia, vem solieitar-lbe o piedoso obseqaio
de ssistir s missas que manda celebrar na ma-
triz da Boa-vista, s 8 boras da manlia do dia
3 de novembro.
Alugise ama boa casa, na pjvoaco
Caxang : tratar na ra do Vigario n. 19.
de
Irmandade
das almas da matriz Jo SS. Sacramento da
Boa-Vista.
De ordem da meea regefor* convid a todos os
aossos irmaos para comparecerem na mosraa ma-
triz no dia 2 de novembro, pelas 9 horas da ma
nhla, para assistirraos o officio solemne pelas
almas.
Consistorio da irmandade das almas da matriz
da Boa-Vista 21 de outobro de 1871.
O escrivo,
J- .Iffonso Monteiro.
Alaga se ucQ3 escrava
rio n. loja o selleiro.
O escrivo interino,
Joao Francisco da Silva.
Ecrava
na raa larga do 'tosa-
HM DELEITE
Precisa-se de uma ama de leite, preferindo-se
escrava e sen fllto : na ra larga do Rosario u.
12, andar, junto a botica.
Cruzeiro
Precisa- o deum c.ixeiro de 12 a 13 annos com
ortica de taberna eque d fladir de sna conduc-
a, prefere-se portuguez: a tratar na ra deflor-
las n. 43, taberna.
?rec!-se i! ura eaixfiro portuguez do 18
a 20 annos da idade, que teuha pratica bastante
ile taberna.o que.rf fiador d: sua coada:ta : a
tratar n i raa d"3 Co Ihos n. 26.
Fehx Crrela Je Velloso lem una ca ti na
ro do Crespo n. 16, 1* andar, vinda do M>r-nbio
Precisa su alugar nma casa bem mcbilnada
para nns estrangeiros. nue seja nos bairros da
Boa-Vista on Santo Aatmio, paga-se bem : a tra-
lir na roa do Vigario n. 10.
Precisa-se de uma ama : na raa de Pedro
AtfoDso n. 12
Irmandade
de San) luua da tladre de Deoa
De ordem do lilm. Sr. provedor sao convidados
todos os nossos irmaos para se reunirem era mesa
geral no de novenbro prximo futuro, a 10
horas da machan, no referido consistorio, afim de
se tratar de negocios tendentes a interesse de noa-
sa irmandade, e em seguida tratarse de eleger os
E'.um producto que se obtem da carne do gado vaccom, da qoal se tira todas as ^^"^.K" "" a irmandade no anuo
pelles, tendoes, ossos etc. Elle tem todos os principios nutritivos da carne sern conter
gelatina, ou fibrina, gordura. N'um pequeo volume e peso dado contem 32 vezes
mais substancia alimenticia que outro igual de carne despida de osso9, pelles etc., por
isso por pooco qne se tome delle se obtem uma forte alimentaco, que immediatameote
produz eleito como tem sido observado em pessoas debis, por qualquer causa ou
exanges como succedeo a um hornera ferido que dous outros trouxeram pbarmacia do
Sr. Firmiano Antonio de Araujo ( Porto Alegre ) onde recebeo o primeiro curativa, es-
tando tao fraco que nao podia voltar para casa; mas logo que ttmou duas oitavas de
estraetnm pode caminbar sera adjuiorio,
Tal a torca alimenticia que ainda mais se revella cora o que suceedeo ao escravo
io Sr. capitao J-iao Cezar de Oliveira acommetiido de tbetanus, cora tbrisraus tao forte
que n5e foi possivel empregar-so medicagao interna, podendo o doenU tomar, intro-
< nzindo-se com moila dilficuldade pela abertura que bavia pela falta do um denle 6/8
. e exlractnm carris por dia, cessando os symptomas nervosos ro Qm de 22 dias, acha-
va se o docnte em bom estado de vigor, restabelecendo-se logo. Que 6 um alimento
quena cansa os orgos proprios da digesto. se conhece pelo que aconteceo ao Sr.
commendaior Antonio Falcao, que soffrendo de uma gastro intente oaotolerava nem
?. agua de frango ou d'arroz. Homem de mais de 70 annos cora perlas t5o abundantes
como tinba e sera alimentarse estava conderana-io ; sen lo Lmproficuo todos os remedios
intentados; o Exm. Dr. Flores empregou oextratuu q. e o docnte tomoa com reptig-
naTOnn porm qo d-s.o logo sentiaum bsni estar qne oSo tinha, e pouco a pooco mais
vigor, licando restabelecido era pouco dias, obrigando-o a sua gratid5o a dirigir ao Dr.
Ubatubi ura atistalo desse bpneRcio ( di? elle) pan que outros podessem go?al-o, e a
falta de conhecimenlo nao obstas-e a vulgsrisnr^o que era uiutura cpre Ovbssb'OBI
producto 15o necessario. os ca?os qoe preciso diminuir a produ-'go excrementicia
anus artificial, fistola sames, attaqnes hemorrhoiarios etc. um valente recurso. O Sr.
I. 0. Castro n'um intenssimo aUaqne hemorrboidal que o levoa a cama durante me-
zes s obteve cara ahrnentando-se cota o extractan!. Uma f milh ( do Sr. Joaqaim
Mara) dbil e nervosa, soffria honbelmente, cnmeccti a ozar do exlraclum e lo?o
restabeleceo-so, e o Sr. Joaqaim Maria agradecendoaoDr. Ubatuba disse-lhe:Dr. V.
correo-mecom as doencas de casa. Taes tora sido os rebultados de scu empreg i que os
Drincipaes mdicos o acon-elho, e o cons-mmo tem quadtuplicado em t' da a arte. Nao
somente applicado : modieta aos enfermos, mas como meto aBmca.icio o mesmo -orno
proprio para slimentos, e dar-lhes sabor mMs agradavel. J mnit s a ilias
prefeiera uzal-o noue, sobsiituindo o cha, e tem encentrado nelle o recorso po-
derem rpidamente anguentarem nos casos de necessidade as refeicScs para \< r nu-
mero de pessoas do aecontav, cu larera alimentacSo prompta quanlo seja preciso
nao baver demora. As pessoas debis, velhas que necessto toa-ar lguma alimentaco
no inlervaKo das horas destinadas para a refeicao, tem no exlnctum um meio prompto
de satisfaz.^rem essa necessidade, melhor o com mais proveito do que nenhum outro.
As mocas que nos di3S de bsile se sbstem de alime; Uq9o psraconservarem a belleza
do talba prejodicando muito a saode, atlo j do extractum que satisfaz sem prejnizo
tsse fim. E' esse producto indispensavel a todos, especialmente s pessoas que viajam
e s qoe moram 'ora da cidade. A sua incorrujlibilidad.5, peso, volume, a sua gran-
de for?a a'imenti ia, e sna barate/a, e o sea agradavei sabor, qoando bem preparado,
dSolhe tM soperioridide que s se taz mysler ser conhecilo para pol^r ser spreveita-
(!a a utilidade que elle prest. Como alimento para'as crianzas tirt proluzdos os
melnores resaltados e at hoje nSo se conhece oulro para sudtiluir o aleitamento. N5o
i o extractum por si ura alimento que canse o estmago, que o lenha cheio, porm
um alimento que d forca3 e preenebe o fim de levar a economa os elementos ani-
maos qne ella necessita, epara substituir o que llia fa'ta esse p-so o que certa-
mente necessario ao estomago do homem detrabalho pelo habito que tem, euconlra-se
fcilmente por baixo prego as substancias vegetaes qae existem em qualquer parte
como sejam as raizas, batatas, legomes, gr5os, fariahas, quo com a extractum se faz
ptima e bella alimentado.
Um homem que tome 6/8 de extractam por dia, que custa 188 rs.. ter uzado da
toia a substancia de I t/i lb. de carne fresca sem ossos, pelles etc, o qie por sem
davida a'm do que se faz necesario principalmente se ajuntar-se-lha quiesqaer
massas, legumes, farinhas, grSos, batatas etc., e om pouco de gordura, com o que,
qaando gaste mais 100 rs. ter uma alimentacu sabo;osa. commoda, fcil, muito bygi -
enicae muit> reparadora por 290 rs.
UZA-SECOMO CHA Maja coluerinha n'uma chicara d'agua, com sal sufficiente, e
um aromtico (salsa).
COMO SOPA D urna colherinha a duas era sufficiente agna, gordura, tempeiros
e quaesqaer massas, farinhas, batatas, graos etc.
ARROZ 'repara-ee como duuzo, dissolvendo a porfo doeftracttm na agua
que se deita nelle para cosel-o.
OS LEGUMES As carnes salgadas recuperan com elle a torca alimenticia indis-
pensavel.
Deposito Pharma:ie.Americane, deFerreira Maia &C.
57 Ra Duque de Caxias 57.
Os E cadenees residentes nesla capital maniaro
ctlebrar no (lia 3 de novembro vindouro, as 7 bo-
r.is da mann&a, uraa rai.-si na greja de N. S. da
Peana, por alma do te.nea'4 Antonio Tor.uato de
Almeida. e e-de wnvidam o puentes e ami
gos do Quado para assistirera a e:se acto de reli
gio e eariade.
;..... ..." :r','s
Precisa-se aiugar uraa casa, ou f-smo um pe-
ijueno sitio nos sagninles lugaro, Torre on Ar
raial : tratar ni ra do Oabn?a o. 6, loja da
Conquista. _______^_^__^___^^_
II iga-se a pj'Sja qoe por tn^auj ua noute
de ^9 do eorrento leTOn ara chapeo de pillo preto
ia casi do Sr. Corone! TbeoJoru Suva, o obsequio
do restituir lo sea d.uo na ra Formosa a. 6,
javor, o mencionad.; chapeo novo, tem forro
cor de caf, e foi comprado em C3sa de 1. Cbris-
tiani.
Superiores cigarros do Rk
de Janeiro.
Domingo Alve Hatbeas, nico agente ntsti
provincia da fabrica imperial ae cigarros de S
Joto de Nilberony, estbelecida no Rio de Janeirt,
tem empre nm completo sortimento de todos o
agarros, fumo picada e ea latas. Tem ignalmenli
?JB'm"*11 cifawoB CoBde d'En, feitoe cota mag
o > papel de palta de milho e tamo saperior
""J1 veno de seus freguezes, qoe tea eslabele
ej fle^btitea flllaes, as casas dos Sr. Thomi
raci9co de Salles Rosa e Maooel de Soma Cor
amn Sinow Jonior, no batrro do Recite, todc
q*M for VM4ido m o otras casas com a firns
deSoaxa Noraes 4 C sio falsificado.
RUA DO AROUEZ DE OLINDA N49
E. A. Delouch* acaba de receber um
grande sortimento de ocolos e pincenez de
todas as quadades, e vidros de todas as
aumerafoes. .
Na mesma casa tem grande sortimento
de relogios de todas as qoalidades qae vea
dem-se mnito baratos.
Aproxima-se o tempo em qae a nova Esperanca
roa Duque de Caxias n. 63 (antiga raa do Quei-
mado) mais precisa scientillcar aos seas freguezes
e com especial idade ao bello sexo, o qoe vai re-
cebendo visto qne ella alem do bom sortimento
qae tem coastante (como igualmente conbecido)
comeea a receber suas encommeodas le cbjectes,
os quaes a nova Esperanca nfana-se recebe-los de
tal gosto e-perfeicao sSo (lies (Me justamente
quando lbe falu o tempo, pela grande concurren-
cia qae tem de seus apreciadores aos quaes ella
se confessa grata : anal a noiva que podera pre-
parar sea enxoval a capricho? qoem podera pre-
parar um bonito vestido ? um chapeo ? ter um
bonito coque ? amaclar os cabellos com finisimo
estrado de oleo? asar de nm agradavei aroma em
sea lenco ? ter nm moderno e elegante cinto f
pessuir um lindo cortinado bordado em sna cama?
bapti-ar ama enanca com ura rico vestuario, ia-
patinhos e idea ? asar de ama camisa bordada ?
sem qae d um passeio nova Esperanca ? per
ceno ninguem o conseguir..................e ella qae
deseja o bem estar de todos, apressa-se em adver-
tir qae (como sempre) est inteirameote provida
do qae na de melhor no mercado relativamente ao
genero de negocio a qae tem-se dedicado.
VNDESE
Um sobrado de am andar o sotao, na raa de
Hortas n. 52.
Um terreno na raa da Hora, estrada de Joao
de Barros, com 100 palmos de Irente e 440 de
fundos.
Um terreno no Arrajal, com 50 palmos de fren-
te e 200 de fondos.
Qoem pretender dirija-se a ma do Bom-Jesus
n. 23, (ontr'ora da Craz) qae achara cora qoem
tratar.
NA RUA DO VIGARIO N. t9
vende-se vinhos do Porto engarrafados, ditos em
barns, reiroz de todas as cores, lonas e brinsoes.
velas e bogias de ;era. ___
VNDESE
Um sitio na '.^nga. ua ra da Amizade com
boa casa de vivendi, n.uralo na frente e com
portao de fenv; quem pretesir Jinji-se ama
do Bom Jesns n. 23 (ontr'ora da Cro?) armazem
que c-a'on'.rara c.im quem traiar.
lmanak do Castlho
^^ para 1872.
Ac^ba te ch?gar de Lisboa, e acha-se vnda
na livraria econmica ra de Marino n. 2, de
fronte do arco de Santo Antonio
Libras sterlinas
Vende Joaqaim Jos Ramos raa do Bom Jess
o. 8, 1* andar.
Do bom
Olinda
Alugi-se um sobrado e uma casa terrea na
ra do Vlalhis Perreira, com !n-:antes commo-
dos para familia, prxima aos banhos, por tempo
determinado: contratar na ladeira da Ribeira,
casa terrea n. 9.
Todo este annuncio annuncio especialmente
dirigido aos amant-r9 do b>m, elles devem diri
gir se a confeitaria'doCarupos a ra do Imperador
n. 24, onde encontrarlo sempre acepipss de inn-
meras quadades
Assira como .'
Lh da ludia o mais superior.
Chocolate era p e em pao.
Amendoas coofeitadas e confeito.
Kica3 cs:xnhas cora ditas proprias para presen-
tes.
Pastelaria a todas as horas, etc.
Fiambres inteiro9* s libras.
Eratim para se poder saber o qae acabamos de
diier s indo pessoalmente
Confeitaria do Campo9.__________
~Vde-5e um bom sitio na eslrada dos Af.
(listos quasi era frente a igr->ja n?. 20 e 22, con-
tendo daas casas e grande terreno murado em
sna maior parta, com muitos ps de coqueiros. sa-
potizeiros e oulras fructeira9, baixa para capirn
etc., tornando-se mnito recomraendado nao so por
ser bastante perto desta cidade como por passar
em sua freate a estrada de ferro : a tratar na roa
Nova n. 80, 1 andar, das 6 as 9 1|2 horas da
manla e das 3 "1|2 as 6 da tarde.____________
i
Qaanta agua florida falsa e 'aborfceH (Mil
inania agua divina que mais parece infernal I I !
mas a nova Esperanca, qoe nao cotseme qee os
amantes do xique gastem seu dinheiro neesas
agois, qae nao passam de str. dos fbafarTs es-
trangeiros, ou mesmo oacionae, mandoo vir afamado fabricante Rigand, a sua excelleatel(a-
oanga do Japo, a qual est tuptricr a indas a
oulras ; j pelo agradavei cbelro que deixa esca-
par, j por suas benficas qoalidades, visto qne
rateramente vegetal (assim o diz o sincero fabri-
cante) para a conservarlo da pelle e do rosto
agua de kananga detada na quantdade d'agua
necessana para o toncador, branqaeia a pelle, tor-
naodo-a saave e avelladada, evita e dissipa as es-
piaba, commanicando pelle ama cor do rosa
transparente, o qae muito bonito...... alem disto
um agradavei cnero para o lene/.
Cemento verdadeiro Portiand.
Vende Joao Ignacio da Costa, em barrica?, por
barato pre^o: no armazem da escaditha da alian-
dega n. B._______________________________
Ha rato que admira
Na loja das seis portas contina haver am com-
pleto sortimento de fazendas baritas, a saber :
chitas de 240 rs. o covado de difieren es cores,
laas de 400 rs. o covado, cani. r,;- e 2i0 r.-.,
core: seguras, assim como malaptloVs baratos.'
sendo (rancez fino a 34300 a prca, Imba de l ion
a libra, mais barato do que em outea q'jaiqaer
parte._________________________________
A revalesciere (iu Barry de
! Garantidas!
\l&chinas de costura de Singer
!90S900!
Tartihim e->ncerla machina-' e qualquer anfr
por pn-co ruuuo equitativo. Lioha e rer z a
vctr I
C11APWA-N S
SO -lina doThi|.-radnr20
4---litm da /upoito4
l io do llego Lima 4 Fiihj loo para vender, 20
0|0 roeuos que em ontra joalquer parte, o se-
grate :
Linguicas 'as Ilhas em i*Us.
Alcatio en barns.
Vmho do furto lino ern canas.
Dito Dordeaux dito dito.
Relogios de pareae e cura de mesa.
Lon
tires
Toda a deenca cede a Revalesciere du Barry,
qae d sade, energa, appetite, digesto e des
canso. Ella cura as dispepsia.-, gastrites, humo-
res, acidez pituita, flato, enjps, vomito depoi
da comida e gravidez, con tipajoes,.i astbim,
affecSes pulmonares, bexiga, figi' .erehro e
singue ; 60,000 caras, iucluindo muras deilas oo
Brasil.
A revalesciere chocolatada n Barry
era p,
Delicioso alimento para almoco e c'eia, tnuilc
nutritivo, forlifleando os ervos" do estomajo ten
cansar o menor peso nem dr de cabeca, nem ir
rita?ao.
nico deposito para o Brasil era Pernamhuct
na pbarmacia americana ie Perreira Mi. & C.
roa do Duque de Caxias n. 37. (Todo cuidadi
cora a9 falsincaQgeg.)______________________
Pomada aipaka
E' mnito conhecida esta pomada e muito
apreciada por s.ua Qni9simaqua!idaflf', a Pov
Esperanca quera tem.
Jarro de porcellana.
Um completo sortimento de lidos Jarros
de porcellana (do afamado Bacar) existe na
Nova Esperauca, roa Duque de Caxias
o. 63.
OLEO PURO DE F1GADO DE BACALHAO
DA
TERRA NOVA
DE
H. LACOMRE
Este oleo que-tao boa acceilacio tem merecido,
muito se recommenda por ser o mais purificado
jue at hoje tem vtndo, e ainda pelo bono paladar,
luperior a outro qnalquer : vecde-?e ao deposito
special de Bartholomea 4 C. : ma Larga du lio-
jara 34.
A' ma do Commeru n. 10, escrplo
rio de Jos Joaqaim da Costa Maia, en
contra-se para vender por commodos
preoo :
Azul* jos li3.-|.ai,'iBS.
Folh.i- t furo gaivaaiz.ido para lelha-
do de diversos lmannos.
Ditas de dito*dilo lizas.
Uicas de ferro galvanizado.
Curaitiras dito.
Portadas compltala para cintaria.
Ladnlhcs.
s
proprios para suspender barca-
das e hiates, vende-se na ruada
Cadeia n. 39.
VIHHO BOBDM"
Fabrezan
WlLSO.NS HETTvendem era sen egeri, un io es-
te superior vinh", em caixas de uma duzia Be
garrafas e por preco mui'o razoavfl!, vito a ex-
cellenle qualidade: prac do Commercio n. ti.
Gem mil tijollos
Con'.ratam se na r bra do tho3tro.
Attenpo
Na ra Duque de (kxi n n. 15,- farnece-se comi-
das em casas particulares, por prec. >s coraraodos.
Preeiuse Jm orna ami para engommar e
cozinhir : na na da R-iia n. i
A TDSIIU DE IIH
GRANDE SALO DE CABEILEIREIRO
RIJA OO DUQUE DE CAXIAS N, 5O
(ANTIGA DO QUEIMADO)
OELSIJ. SUmOR DE JAIME
Haveodo comprado o esUbelecimento de cabelleireiro, faz d'iso sciente ao respeilavel pn-
bltco de P mamoneo, eonvidando-o ir visitar esse estabelecimento, onde ha de encentrar todos os
trabamos com asseio, perfeicao e urgencia. Tambem o previne de qae tem pefaraarias finas, por
preoo commodo; e ootrosim que faz todo e qualquer twbalho de cabello relativo sua proflssio.
. F- ^t-AVIS* aos 8eus numerosos freguezes que coutini na sna outra cas, ra Primeirt
de Marco, antiga do Crespo, n. 7 A, f andar, onde bao de encornar grande sortimento de perfamarii
oojeetos de phantasia.
Cabelleirero dePari,. Hm Duque deCixias n.-50
rna P/iraeio de Mar^o n. 7 A primeiro aodar.
I'rc;?a--e (te ama am
para coiinhar, comprar e n-
go:nm.ir : na ra das Tria*
cheiras n. 4i, Io andar.
%^^
Vi:-ferrea de Olinda
O Sr. qae annunciou a va dalle bilhetes desta
compaohia com descont, queira ter n boodade de
declarar o motivo pirque nao relira sen-litante
annuncio, pois que, desJe que foi publicdmela
primeira vez, teeai sido procurados tat-s bilWtes,
e S. S. diz que j os vendeu. Recife 28 de oatn-
bro de 1871.
Joao Jjaquim AJes,
Io secretario!
COMPRAS.
VELAS DE CERA
pelo menor .preco possivel : na ma do Vigario
numero 19.
Ferro da Suecia
Nos armazens de Tasso Irmaos A C, Caes do
Apollo.__________
Vende se a casa terrea n. 85 ra dos Pes-
cadores, com tres qnartos grandes, duas talas,
cosinba fura, quintal murado, cacimba e portao
que deita para a ma da Praia de S. io : a tra-
tar i ma do Marque: de Olinda n. 10.
Compra-se ama mesa redonda de jacaran
d com tampo de marraore branco, nao prde
por grande, anouocie.______
Cab a
Compra-se ama cabra bicho qae ti bastante
leite : oo pateo d );Terco n. 8.
VENDAS.
Vende-se vmho da Flgueira e de Lisboa
iOO rs. a garrafa, e ea caadas a 3, saperior
wrne doseriio maito gorda a .160 rs. a libra, a
800 rs. o kilo e e:n arroba I0 : na taberna da
raa Ja Si.i:ala-veilu n. iOi, esquina d Becco
Lsrgp.
Manteiga inglezu.
Vende-se a 800 rs. a libra e U'tO o kilo : na
roa de Pedro Alfonso n. I, antiga ma da Praia.
Vende-se duas machinas novas para furar
ferro : na ma do Bario do Triqmpho o. 79.
Tinta violeta extra-fina de
Monteiro
Meias botijas U300
Quattos 1^000
Oitavos 600
Por estes oreos s era casa de Boargard & C,
raa do Mrquez de Oljpda o. 15.
Vende-se a taberna sita ra do Aljube da
cidade de Olinda : a traiar na mesma.
Vende-se
um sitio na Capuoga, roa da Amizade n. II, com
boa casa de vivenda, morado na frenie e com por-
tao de ferro : quem o pretender dirija-se roa do
Bom Jeso! n. 83, ontr'ora da Crnz, armazem, que
encontrar cora quem tratar.
Popelina da seda e
la.
Fazenda inteiramento now. r j merea.do
com padres muito delicados, fazenda d
um eleito su prebndente em vestidos, t
vende se por li>80 r3. o covado, na leja
do Papagai', rna da Imp ratriz n. 50, de
Mendes & Carvalho,________________
Tem 6 annos
om bonito cavado rodado apatac3;, anJjcr de
baixo a tneio, o qual vende-se por baratsimo
pre^o, no caes do Hamos n. 30.______________
Joaquim Jos Goncalves Beltrao tem para
vender no seu escriptorlo ra do Crameriio n.
5, os gsneros abaixo notados, que vende mais bi-
rato do qne em oatra qualquer parte :
Azeitonas em ancoreras.
Amendoas em barricas.
Caf muido em massos de 1 libra.
Chapeos do Chile de boa qualidade.
Cognac marca martel frres.
Enxadas.
Farinba de mandioca de Santa; Caibarina, ,sac-
os de '] e 2 alqneires.
Dita da Babia era saceos' brancos.
Dita de dita em barrica?, prop'!a pr casas
particulares.
Fio de algodo da Babia em ooveiiof..
Foaces.
Masados.
Nozes.
Obras de palhetas.
Papel proprio para cigarros.
Dito azul para botica.
Palitos para denles.
Pregoa sonidos.
Padno de algodo da fabrica de Tedfs os Santo
Pedroso nde a Bahia.
Ruina.
Rap popular da Balita.
Botim em fardos.
Betroz dos meihores fabricantes do f i rio-
Tapioca do Maraaliio.
Tabaco'simonte da Bahia.
Verniz copal.
Vinho do Porto engarrafado, caixa d*. 15 gar-
rafas.
Dito de dito em barris, proprio para r-ngarrafar.
Dito moscatel, verdadeiro de Setubai.
Dito Bordeaux em caixas de urna duaia.
Dito de caj em caixas de ama dntia.________
Breu.
Vende-se doze barris com brea : na raa i de
Margo n. S3 (antiga do Crespo).
CEMENTO
O verdadeiro Portland: s se vende ca
roa da Madre Dens n. 22, armazem de Jo5o
Martins de Barros

CAPELLAS
de viirilhos eperpetuas ama-
relias,
No dia de ilnaos elar!o venda na porta do
cemiterio, para eomm "i dad* da familia, o sor-
lirtT-nn e lamfftio.
Libras strli tas.
Vendes*JttiTmazm de fazendas de Aognst
f. de Olivfjwijlt C.. raa -lo Commercio n. \i.
O compeadio elementar do syf*ma mtrico
decimal organiaado por J. G. dos Santos *'a ven
da as livraria do Srs. De Lelhai;ar & Sueira i Medeiros rita 1 de Margo 'antiga d
respo) n. i e 9, J. W. de Moler s a rna do Im-
perador n./9,ManoelCardoio Ayresa ra la :ruz
na fregofia de S. Frai Pedro (t.-Iv-v
iinn
Relogios de ouro e
prta
dos meihores fahrican'.-s inglezes, francezes e
suissos vendera-se por piejos muito rasoaveis, na
loja de jotas Esmeralda
RUA DO CABU N. 5.
Bazar Universal
Ra doB;rao da Victoria u,
22, otrVa ru Nova
Acaba de chegar para este grande tiHrlrrl* >
ment um c mp'no sedimente te machinas de
rostura de looVs o autbores ccohecidos, os qsaej
giranttt pir annos as ditas machinas, e se ven-
dein por preijo.i tao raaoavtia que a todos sfrada*
r, cojos presos sao es segnintes: i0 fr#,
80J, t0, 120<, i;i0, iiO*. I6l>, !80, 2(0,
nt, WOJ e 300* rs. Garanta, aos cuirpra-
doies a ba qualiJade do irabalho e cl.rifa--
a ensinar tantas vezes qoantas Dejara precisas
para bem comprehender-se. Vende-se lan.br,
pe^as e mais perlences de sobrecalentes para
as lesmas machinas. Previne-se desde ja qne
s se vai ao rtltinado para conserro e ensmo de
machinas das que torern compradas nesia est-
bplectmrnto.
*
Livraria industrial
Waifredo & Sonta, ciehiiflci'm ai respelfave
publico jtie abrem t)< je *3 de ODtubro seu novo
estabelecimento ob o ltalo de I.IVRAttlAJ.N-
DUSTUIAL ra do liara da Victoria u. ^(on-
tr'ora ra .\'iv.i) eo:n inri escomido sortimento de
livrus de direilo, litteratnra, .-ciencias earies, edu-
cacao, classico, devoc1), roroanjes, etc, fi',
obied-j para escriptono, papelsria, albuns para
retratos, bonitos artigo para de.fentio, vros era
braiiio e oatros objt-ct >s e( ncmeoies a livraria.
Encarregamst! do ene-rameodas de qualqu--'
genero para o imperio e paizes esiaigeiros, coi.:
promptidio o por preco razoavei^.
Catalogo de algRUsSvros oovos
que se acfcnij ve;!: ucsta
casa.
Colliccoes do la Biholheqne Nitlonale, constan-
do de um grande numero de oi/as imporiante?, as
qoaes se vt-ndera separadamente por 280 rs. o v>
Ivme.
Ditas de L'Ecole nmltu-lle, I vol. a 330 rs.
Rocambol)*, ndir^S i popular m i 'lampas, i v.
3C0 rs. i ja ha 24 voiuini p tb!
Qarrcii, discursos i arlaoMDtartrs e memorias
biographieas (obra nova) vol;
mHelenaromn :e '. -brr, r, v ) I vol.
Carvalho, Rosa da Moutauna, l vol.
Beli-t, rn?mori83 de um aixe.ro in uru o. : \
da vida C'jmmemal, I vi I. S
Favores doCdoA Portngar, l v I, !;':oO.
A. Callel, o Inferno I
.Novo alnum.k de lci):brar ? Ib o brsi
para 1872, I vol. I n fh. 1 : l
Grande rol! cea' del hiajia de Laensmerl pi-
ra 1872, oOOts.
Grande yortlrceto ie livres evos con rt;. ;
a guerra de franca.
ii moircsinedils do Lamartine, i vol. grtud .
A. Esiuin s, hi-toire dea Mariyrca >;e l.i Libei .
t vo'. graud''. cun rstsrapas.
dem ideni, btsU>iru des Montagmrds.
Archive; ludiciaire?, recueil rcmplat desdi:-
casiions l'gislalives et des dei)t? rcsrltants #
grands proco; ooliti rae?, joga en France de v i
a 1810, 1 vi grandp, obra mnito alil aos .-et'o-
res aizes e advogado?.
Dr. J-'- Serian) de Sonza, lirias !e pl >! p .
racional e moral, (obra nova) 1 vol. in
cente impres o m Pa.i>|7,ti.iJ._____________
Vende-ja p r ;:. 50 mnito b ruto, hav tres
tamiirh-is: na ra da Croa n. o i, umiM ie
.Uves & CT ___________________________,
yniiA e
Ura bom e elegante (obrado de tira andar e -o-
:fi) de 40 paliaos de Urgo e 80 de fundo, ten:
poria-cocheira ejugar para carro e.estribara ;
tem tr.uitos quarto?, bom quintal c:m arvoredo-,
e grande deposito d'agua de chuv.i no mesmo ; e
rende 1:300* annual. cauado na raa da Concor-
dia boje Marqoez de Herval n. 113 : tratar na
mesma roa u. 138 A.________________
C?om o devido respeito
Sim, com o devido respeito qoe os proprieta-
ri-s da Confeitaria do Campos, sita ra do Im-
perador n. 24, a caja frente so acba eoHoeado
U'O grande larppeo que se conserva aceso a nou-
'- Latinear ao illcstralo publico
e, .|ue vera ^niij.^, que ilH n eMftftrari
ta ciliado e seus m... '
constanterronte o segrate :
Fiambres promplos inteiros e as I bras.
Puddings de diversos tamanbo?.
Bolos mg'.ctps e frincezes.
Pacs-de l.
Pasleis Mbadjs de fructa, de oala c de crme.
Ernpadas de diversos lamaiilios e i'jaliades.
Doce crysta'.isado, secco, em calda e ralado.
Pasiilhas de Itortelan pimenia.
A nendois confeiladas, com casca descascada?.
Gonfeitos. per tinas e bonbons.
Boliuhos seceos par cha.
Lanches diversos.
Cerveja, rbampagiie, vinhos, licores e cognac.
ASSIM COMO:
Apromptam qualquer rrcomroirada de bolo; e
assados, pois para isso t.ero na a bem montada
fabrica.
E convidamos as Exna-. familias i virem vis
tar o nosso estabelecimento, pois ne le encontra-
rao sempre agrado e sinceridad*.
Para noivados.
Fitas espociaes e preparadas pora lacos de cor-
tinados de cama : receben a Nova Esperanca,
roa Duque de G*xla_a. 63 : a tilas antes que -.
acabem, pois vieran) rnente sei-, e sao liodi-i-
mos.
OapsLs raquim
As capsulas do rquim tor/am se cora a maior
facilidad, e nao causam a mencr;ndi9posic.3o d)
estomago. E' o medicanieio de mais saluiar ef-
feito as gonorrheas ehrcaical ya recentes^
DEPOSITO
Pharroacia de Ferreira & C.
SUCCESSORES DE i A. PINTO
10-RA LARGA DOROSARIO-K
(Junto ao qu riel du polica.)
T
V< rulo-se o > brido de n*m andar 1*.: roa de
Lorau Viicntims r guas-v. r-
>opri.): : a tratar na raa Nits c. 50, : tintar.
IIUII.W
euCeliailas ptr italiora a :i<%
Na ra. da Imper niz n. 86, ii.j .jo BMNVto.
*
t
I HfGiWL
\\
I




//
I

I
u
Dituio de PernamDuo* Terca elra 31 de Ouiubro le 1871.
i

LABORATORIO HOMEOPATHICO
DE
I
FRAN ISCO DE PAULA CARDOZO JUNIO & C.
41.Roa do Imperador41.
>
Francisco de Paula Cardoso Juoior d Ca. animados pela condescndtn-
cia, que para cora elles teve o Sr. Dr Jiciniho Soares Rebello, qae ha 26 annos
exerce o systoma homoopathico, gozando serapre de subido conceito, a estabe-
1) lecer nesta cidade naLABORATORD HOMEOPATHICOde primeira ordem,
\ digno da confianca e prutecro do illastrado e respeitavel publico desta provin-
cia e do norte do Brasil, para o qoe, nb se poopando a despezas neao fadigas
\ capazos de superar lodas as difficuldades, cora que tiveram de laclar, trabalha-
rara incessantemenle desde marco ultimo, jnlgando ter conseguido o seu desi-
dertum, tem hoje a salisfaco de, annunciando a abertura de sua casa, affir-
mar aos amigos da homeopathia, que se ju'gara completamente habilitados para
j o perfeito desempenho de todos os misteres do sen encargo.
Os elementos do seo estabelecimenlo foram todos importados da afanada
casa de James Epps & C, de Londres, um dos primeiros e talvez o mais oo-
nhecido e acreditado estabelecimenlo deste genero; as preparaces secundaria*
(dyoamisacSes e diluigrjes) foram preparadas com o mais escrupuloso esmero vj
segundo as regras da sciencia e sob a immediata directo e iuspeco do mesmo '
Sr. Dr. Rebello, cujo nome ligandu-se desta sorte ao estabelecimenlo, a mais
segura garanta que podera olferecer os seus proprietarios s pesdas, que os
honrarem coma sua confianza, de qae no preparo dos medicamentos nSo se
pouparSo esforcos para que sejam bem servidas, pois que a ansteridade.com que
compre aqoelles todos os seus deveres e sobretodo o respeito, qae consagra
sua prrpria reputado, lhe nao permiltiam sacrificar a vida de seas clientes
ao interesse de terceiros.
Sem pretenderen os proprietarios depreciar os productos dos oatros
estabelecimenlos deste genero, creem todava poder affirmar qae nenbum oatro
excede o sea em soperioridade, e para que nenhuma duvida baja a este respeito, /
podero todas as pessdas qae quizerem fonecer-se dos seus medicamentos t- v
sitar e examinar o estabelecimento, oide, alm de boticas em glbulos e tinta-
ras de varias capacidades desde 12 at 120 medicamentos por precos razoaveis,
encontrarlo todos os artigos que tornam completo o sortimento de casas desta (
ordem, taes como: excedentes chocolates, pos dentifricios, encerado de rnica,
tintura de guaco, etc um lindo vo'ume encadernado domedico do povoori-
ginal do Dr. Mure, traducido pelo Dr. Silva, Piolo e revisto o augmentado em
3.a ediccSo p?lo Dr. Antonio de Castro Lopes.
Esta obra que contera mais de 500 paginas de impressao e ama estampa
explicativa dos diversos orga~os do corpo humano um dos mais claros livros
destinados ao ensino pratico do tratamento de todas as enormidades, pois indica,
no s os roeiicamentos apropriados para cada molestia, como a maneira de
applicar e repetir as dses.
O preco d'ella e de 105000 para as peasas, que comprarem boticas
neste estabeleci.n<;nt'>, e de lfjOOO para as que comprarem smente o livro. (
Contando pois, cora a valiosa proteeco d clnem os proprietarios o seu annuncio, declarando qae se acha adjacente ao sea
LABORATORIO o consultorio do Sr. Dr. Jacintho Soares Rebello, e que se
encarregam de recebar e enviar ao mesmo Sr. Dr. a toda e qual juer hora os
chamados de seus clientes.
BRANCA
RA DUQUE DE CAXIAS N. 52
(Outr'ora Queimado n. 8.)
n--------!----------------------;-----------------------------r-,-----
'lio ha mal eabeHe we4
tiotiraijaponeia. .
S nica approvad* pelas u academias; 4*.
*, Canela, reconhecida superior a toda qae teca kp-
ouweido at hoja. Deposito principal i roa 4
Mata do Recite n. 61,1* aadir, em todas as bo-
iqi > ca* de cabellelreiro.___________
FASSO IMOS i C,
ffsc veada em mus armazen, aUm d* onfros
rtifst da seo negocio refalar, os Minian, ene
fendem por procos aaau muco qie esa ou-
tra qualquer parte :
PORTAS de pinto almofadidas.
" de. ajB^M^yiai.
salas
'JBfaftS&~
COGNAC superior de Oaaor Ireres.
FARELLO em saceos grandes a 3|50Q.
AGUA florida legitima.
BALANCA9 deeimaes.
CADEIRAS americanas.
RHM da Jamaica. .,
AZULBJOS de Lisboa

Contra a tosse
PAST1LHAS VanORAEtL
Oomma limpias erystalsda.
Bitas de angieo
Raffe d'Arabia.
Ser de pinho maritimo de Lagasse.
E ouiras maitas qae amito se recomendam pe
las'saas excellentes qualidades.
Vandal
PHARMACIA B DROGARA
m
Bartholomea & C.
34-RUA LARGA DO BOSARIA-34
Xarope sedativo
DE
A Aguia Branca tendo j recebido paite desuas
amigas eocoinmendas. em seguimento acaba ago-
ra mesmo de receber outras, algamas das quaes
se !orn:vam esencialmente precisa, e outras se
fsZem apreciadas por seas go.-l s e qualidades,
oiro sejim :
Meias da fio d'escocia, abertas para senhoras
e meninas.
Ditas dem com listas tambem para aecharas
e menina'.
Ditas idera mnito bonitas ao posto estocez.
Ditas idem idem brancas e com listas para me
n as.
Ditas idem idem para baptizados.
D3S do algodo compridas e cem Iistras para
menina'.
Loras pretas de seda, para senhora.
Ditas de torcil e de seda para menina?.
f mitas camisiuha? bordadas para senhora.
Fil de seda, branco e preto com llores miadas.
Dito do algodao, liso e com flores.
Tooqainhas bordadas para crianzas.
Lindos e moderso chaposiuos de fustao para
ditas.
Palas de tartaruga para desc-mbaracnr oa pcn-
wr.
I itos da dita trave-sos para meninas.
Ditos de borracha para ditas.
Ditos de tartaruga, peijnenos, para segurar o
anarradilho aos cabellos da senhoras.
le sortimento de eni-ites de seda para ves-
tido?.
Fivellas de madreperola e de tartaruga para
pulceira e lago para o cabello.
Bonitas bicinha? pira meninas.
NOVO SORTIMENTO DK ENCHOVAES PARA
DAPTI3ADOS
A aguia branca acaba de receber novo sorti-
mento de linios e completos encliova3s para bap-
tizados, e bem a.-sirn separadamente camisinhas
Eira dito-, lindos cbapeosinhos de setim branco
ardados, outros ditos com fundo de vellvtdo, obra
de muito gosto, e que servem tambera para pas-
seio, sapatinhos de se'.im para o mesmo fim.
MODERNOS EiXFEITES DE FLOBES,
rrnados com bicos de seda, Otas de setira';e fivella
e madreperola ao ultimo gosto, e proprios para
bailes, casamentos, etc., etc.
FLORES E PREPAROS PARA ELLAS
A Aguia Branca receben lindos ramos de flor*
Anas, tanto para cabeca como para chapeos,
bem assim :
Papel verde ll.=o e cora listas para folhas.
Dito de cre3 para flores.
Fnlha3 do diversas qualidades para rosas.
Di;as verdes e lustrosas, obra neva e pela pri
mpira vez viudas como amotra.
Franjas pretas e de diversas larguras para en
fcitar vestidos,
COQUES DE TRANCAS E DE OUTROS
MOLDES.
A Agnia Branca acaba de receber ama peque-
a porcao dos bonitos e modernos coques gran-
des de tranca e oatros moldes.
NOVO SORTIMENTO
DE
BOLECAS
I A aguia branca, a ra do Duque de Casias n.
52, outr'ora do Queimado n. 8, acaba de recober
nm nov e bello sortimento de bonecas de diver-
sas qualidades e tamanbos, sendo :
| Com rosto de seda, das que choram, e outras
que failam.
Cem rosto, roaos, e ps de porcelana, e pro-
prias para vestr-se.
Obras de porcelana
A agnia branca tem ontro sortimento de diver-
sas obras de porcelana, sendo :
Bonitos e ricos vasos para pos de arroz.
Outros para joias.
Ouiros para jabonete.
Outros para enfeites de mesa.
Pequeas e bonitas pias para agua benta.'
Pequeos jarros para santuarios.
Outros maiores para mesas.
Bonitos port relogios.
Liadas costinhas tambora de poreellana.
Escrivanias de dita.
E amitos oatros objectos para enfeites de mesa.

Gasea de laranjas amargas
BROMURETO DE POTASSIUM
DB
LillOZE
Este novo preparado aprovado pela academia
imperial de medicina, muito se reeoramnda pela
roa accao sedativa e calmante, sobra o systema
nerroso, o bromareto de potassinro, trio deixa de
lar os mais eertos resaltados as diversas affec-
cSes do organismo e principalmente as molestias
lo coracao, das vi as digestivas da respira cao, das
as genito-urinarias, na epilepsia, as molestias
nervosas da prenbez, na insomaia das criancas
dorante o periodo da denticao etc etc.
Vende-se na pbarmacia e drogara
de
Bartholomea <$ C.
34 -RA LAR3A DQRQ3ARtO-3>
PiSItA JVOIVJ.fi'
Lindas grinaldas com flores e botoes de
laraogeiras com vivos e sem elles, ren'dem-
se na Nova Esperanza roa Doqne de Casias
n. 63.
Oleo para machinas
Vndese na Nova Esperanca rna Ddqne
de Caxias n. 63.
Ilo ha ver coarnlccs.
As erraneas qee dsarem dos collares ano-
dinos, qne se vendem ra Nova Esperanca,
estaro isentos de convulsoes; pois sao os
verdadeiros recebidos directamente.
(AI H WlO
10Ra do Crespo10
Pecas de algodao com SO jardas a ia, 4*500
Ditas de madipolao a 4, 5 5500, 6/, e
6^X00.
Ditas de dito infestado, francs superior a
Cbltas'fraaetzas da. todas as qualidades a 340,
80. 300. 3 e 360 o corado.
Cambraias de tres a 240 e 280 rs. o covado.
Dita lisa de cor a 320 rs. o covado.
Ditas pretas para loto a 640 rs. a vara.
is de cambraia Usa transparente a 3i, 3*501
e 5*000. '
tas da dita tapada Victoria, a i J, 4M0, 5*
Ditas de dita transparente, snissa multo- fina
17 varis, 14*.
Ditas de dita bordada com 10 jardas a 7* e
9*500.
Organdy braaco fino a 700 rs. a vara.
BrilbantiMB branca infestada a 440 e 500 rs. o
co\ada X
Bretanha A Huno com 28 raras a 20*000 e
15*000.
Din da dito'lnfestada com 30 varas a 27*.
Bramante de linbo com 10 palmos do largara a
l>0BfrftSMK
Dito de alfodSo a 1*500 a vara.
Atoalbado de dito e de linho com 10 palmos de
largura a 1*500 3*.
Toalbas alcocboadas para rosto a 7* a dnxia.
Ditas de linho do Porto felpadas a 10*000 a
dazia.
Goardanpos de linho a 3* e 4* a dazia.
Cobrus de chita a 2* e 2*500.
DiUs de chita adamascada forradas, 4*, 4*500
e 5*000.
Colchas de damaseo de cores a 4* d*.
Ditas de fustao alcochoadas a 5*.
Cobertas d la escaras a 21.
Ditas de algodSo brancas a 11400.
Colleirinbos de linho a 500 rs.
Chales de merino lisos pretos e de cores 2*000
3*000.
Ditos estampados de meia casemira a 2* e
2*500.
Damascos de cores a 640 rs.
Lencos brancos de cassa Anos, 2*. 2*500 e 3*
a dazia.
Ditos ditose de cor abainhado largo a 3* e
3*500 a duxia.
Ditos ditos de cambraia de linho finos a 6* a
dazia.
Ditos de esguiao de hubo a 4*, 4*500, 5* e 6*
a dazia.
Bnm Angola a 6W, 800 e 1*000 o covado.
Brins de linho de c6res a 500 rs. o covado.
Cortes de meia ca.-err.ira para calca a 1*200 e
1*400.
Ditos de casemira para calca a 3*500, 4*500
5*500.
Casemiras de cores de daas largaras, 2*, 2*50
e 3* o covado.
Ditas pretas, duas largaras a 2*500 o covado.
11
3*500.
Pao
no preto e azul a 2*, 2*500, 3*000
fino superior a 5*, 6* e 7*
vestidos a 400
MASEM DOS LEOES
RA DUQUE DE CAXIAS N. 29
Os proprietarios de/ste"1 grande e bem montado estabelecimento scientifleam au
respeitavel publico desta provincia, qne se acham cm um variado e completo sortimento
de movis, tanto nacionaes-oomo estrangeiros, sejdo estes escolhidos capricho por
um dos socios quese acua actualmente na Earopa, e por isso os podem vender mait
bratos 20 % menos de qoe em outra qualquer parte. O mesmo tem contratado com
os melhores fabricantes daqnelle continente as remessas das mais ricas mobilias feitas
aili. Na officioa tem os mais habis artistas deste genero, e por isso aptos a fornecerem
mobilias as mai3 aperfeigeadas para as casas da provincia comideradas de primeirs
ordem. Pedem, portante que venham visitar dito estabelecimento, onde encontrarJo
a reelidade do que acabam de expr, passandoa examiaarem : ricas e completas mobilias
de Jacaranda, mogno, faia, carvalho, amarello, etc. etc., ricas e elegantes camas de
Jacaranda, po-sclim, amarello, etc. etc., guarda-vestidos de amarello, guarda looca dt
nogaeira, amarello, com lampo de pedra, aparadores de dita, dito, com dita, petiD
toiiett"
e
RIVAL SEM SEGUNDO
RA DUQUE DE CAXIAS N. 91.
Jote Bigodinho, edm loja de mudezas,
avisa a todos os os seas fregaezes qae est
torrando tudo pelo preco, a vista da faien-
da, para todos admirar, a saber:
Pecas de fitas bordadas muito finas i/fOO
Thesouras grandes e pequeas o
mais fino que ha a l^OOOe i #500
Gaixas com 20 quadernos de papel
liso, amisade. a rs. 500
Pecas de tranca de 19a e algodo as
mais modernas a 160
frascos com agua de colonia milita
fina a 400 e 500
Frascos com agua de colonia ver-
dadera a 800 rs. e IffSOO
Chapeos brancos para baptisados o
melhor que ha a 35000 e o$000
Duzias de botoes cobertos de seda
para vestidos por todo o preco
para acabar.
Libra de arela preta a
Grosas de botoes de louca branca a
Caixas com 100 envelopes fazenda
fina a 500, 600 e "
spelbos de moldura dourada a
800 e
Pentes pretos volteados para me-
ninas a
rnieiro8 com tinta preta a 80 e
Pecas de fita elstica muito fina a
Latas com superior banba 60,100 e
Latas grandes com superior banba a
Frascos com oleo de Pbi locme a
500e
Frascos com macass | Perula a
Frascos som agua de ColoBia verda-
dera a
Ditos com oleo de ba josa suderior a
Carritela de retrox preto com 2
oitavas a
Caixas com agalhas francezas a 160
160
Pecas de ras bordadas a 500, 600
800 e
Garrafas com
florida a
Cartilhis da Doutrina Corista as
mais modernas a
Pacotas com 3 sabonetes inglezes
fazenda fina a 600
Escoras muito finas para limpar os
lentes a 240
a verdadeire agua
160
120
800
I 000
240
100
20C
200
320
800
' 240
14060
320
600
240
11000
14300
400
Dito dito muito
covado.
Lans e alpacas de cores para
500, 600, 70, 800 e i* o covado.
Toalhas com labrriotos para bandejas e para
rosto a 8*, 10* e 15*.
Camisas de fl.nella branca, e de cores 2*,
2*500, 3*, 3*500 e 4*500.
Gnfsdeuapoles preto e de cores 2*, 3* e 4* o
covado.
Do-se amostras com penhor.
Vende-se tambem grande quantidade de roapa
feita e por medida por precos muito reduzidos.
Cura rpida e radical dos
callos
pela pomada Galopau
Essa pomada qne tao boos resaltados tem colbi-
du as pessoas qae delia tem feito aso acaba de
ehegar para o sea deposito especial..
NA
Pharmacia e drogaria
DE
Bartholomeu 4 C. ra larga do Rosario nu-
mero 34-
J. 0. C. Doyle tem em seu
armazem para veader
O SEGUINTE :
COGNAK HENNESSA.
VIMHO XEREZ.
DITO DE LISBOA,
FILTRADEIRAS.
-BITTER
A' roa do Commercio n. 38.
A FLOR D1OURO
E' este o distintivo de urna nova e bem montada
loja de joias, sita a ra larga do
Bo6ario n. 24 i
Os proprietarios doste elegante estabelecimento tendo em vista os estorcos qai
flteram para o oollocarem oaa condicedes de ama, grande cUentella, faluriam ao mais
rigoroso principio se o viesaem as collomaaa do Jornal sciltfcar ao respeiuvel pu-
blico, qne na meimo esubalecimento encontrar asnpj o maie completo sortimento
de joias, como sejam : brincos os mais modernos, para adornarem as delicadas orc-
inas do bello sexo, e qae se vendem a 8. 9 e 10* o par, ditas para meninas a 5 e 6*,
ditas de coral, obra de aparado gosto a 3 e 4*, Voluntas de eoral com croiM ds ooro
a SI, broches moderaos de 3 a 13*, ditos com podras o emiou devidaa eaizinnaa a
10, 14, Id e 20*, rosetas lisas, porra bem trabatbadas, de 2*500 a 9*. ditas codo
nedras de 4 a 15*, cacoletas a 4*. ditas com Inscripgfies a 5*M0, sonis de ditera
gostos, e com bonitas pedras a 2, 3 o 4*, ditas de perolas, esmeraldas s rubras a 6*,
ricas ernzes de esmeralda e rubim a 12, 14 e 16*, ditas de ooro eoral com vistas pho
tograpaieas a 3, 4, 5, 6 e 7*, figas de coral a 2*, eadeiis para reiogoe a 20*, dinas a
6*500 a oitava, guarnicoes com tres botoes para aberturas a 4*, ditos de pedrlnhas a3*500
o par, ditos para pannos os mais modernos a 7 e 8*; alm de oro variadimimo sortimea- \
to de joias de aparado gosto qae recebem por todos os vapores da Earopa ; como'
sejam : brincos, braceletes, alneles, aderecos completos, erazes, roieus, aatei da
brllbantes, esmeraldas, parolas e rubios. UedalbSes, volUs, tranceln, anaeis com let ,
tras e de diversos modelos, oculos e pencinez de euro e prata donrada, rslSgios de oa- i
ro e prata de afamados fabricantes, salvas de prata de diversos tamanbos, reos pali.ei-
ros e faqaeiros, coiberes para cha e sopa, maracas para criaocas, e rna inaidade da-j
objectos qne seria enfadonbo mencionar-se.
Os proprietarios da Flor de Ouro garantem vender mais barato qne em outra
qualquer parte, para qoe estar aborto o estabelecimento das 0 loras da manta a* (i da
noute.
AO 65
RA DO DUQUE DE CAXIAS
(Outr'ora do Queimado)
Tendo-se resolvido d'ora avante vender-se neste estabelecimento todas as azen-
das existentes no mesmo, por precos que todos admiraro, acbo de men dever partici-
pa-lo a todas as Exmas. familias em geral, afina de virem visitar este estabelecimento
ou mandarem buscar amostras, garantindo-se-lhes um bom sortimento de fazendas da
algodo, 13a, linho, e seda, emfim urna innidade de arligos de moda mandando-se ii
casas das Exmas, familias, por empregado da casa, toda e qualquer fazenda para verem
ou escolherem.
As pessdas que vendem em menor escala poderlo bem sortirem-se neste estabe-
lecimento que vender pelos mesmos precos que em qualquer casa importadora, tendo
a facilidade de comprar qualquer porc2o.
O 65 tem um completo sortimento de roupas bem acabadas o que vende por
precos muitissimo cemmodos, mandando tambem fazer por medida toda e qualquer obra
que os, concurrentes desejarem para o qoe tem um dos mais habilitadissimo mestrs
alfaiate, cortando por um systema inteiramente novo.
Os annuocios nesta praga est3o e por certo devem estar desacreditadsimo*, poii
que ha casas que annunciam aqollo que nao teem, o qae o 65 garante nunca dar-ae em
seu estabelecimento, pois que s deseja bem servir ao publico em geral, para ganhar
grande nomeada em todo o mundo.
O G5 acha desnecessario mencionar os precos de snas fazendas pois que isso tor-
naria-se demasiado macante para os leitores, por ter de ser demasiado extenso sen an-
nuncio, e mesmo para se tornar menos despendioso, pois que vendendo muito e muito
barato mister encartar sua3 despezas. A sinceridade dos tratos do 65 julgo que ji o
publico conhece demasiado, pois que sempre tem cumprido com aqoillo que annuncia,
nao verdade t
E' INTIL, NAO SE CAN CEM, COM O 65 NINGUEM PODE COMPETIR
RA DO DUQUE DE CAXIAS
(Outr'ora do Queimado)

t,

DO
Alcatrao de guyat
LICOR CONCENTRADO E TITULADO
E' um poderoso remedio contra as seguales
molestias : breoebites, catarrbos pulmonares,'tos*-
se, rebeldes dtfloxos, irritacao de peito, males da
garganta, pbtisica palmonar, deys pesia, catar
rho de baxiga, molestia de pelle, perda de cabel-
los, puraacSei antigs e recentes, etc., ele.
DEPOSITO'
Pharmacia de Ferreira 4 C.
SUCCESSORES DE J. A. PINTO
10-RA LARGA DO ROSA RIO-10
Xarope de fedegoso
E' de oda effliacia verdadera mente maravi-
fbosa como calmante do systema nervoso e ap
GALLO VIGILANTE
Ra do Crespo n. 9
Acaba de chegir pelo ultimo vapor diversos ar-
t'gos de novidade, como sejam :
Lindas tonqainhas enfeitadas para baptisado ;
assim como cnaposinbos.
Sapatinbos de seda e de merino.
Meias de seda e o de Escocia de 1 a 12 annos
de idade.
Ricos leques de madreperola todos abortos, o
melbor que ha oeste genero ; assim como oa-
tros de madreperola com seda, fazenda reqnissi-
ma; tambem recebea grande sortimento de le-,
ques de d tanto para senhora como para meninas.
Superiores ligas de seda para segurar meias.
Meias de borracha para quem soffre de inxac5es
oa erysipela.
Seda frouxa para bordar todas as cres. -
Frcco de seda para o mesmo fim.
Retroz preto e de cores em carritis.
Fitas para cartas de hachareis.
Quadros psra retratos.
Luvas de pellica, e de seda, branca pretas e de
lindas cores.
Supjrjores capellas para noivas.
Lindos alfiuetes de madreperola para peitos de
seuhoras.
Liadas abotaaduras para colletes.
La de todas as cores para bardar.
Superiores pencenez de ac.
Moito flaas thesouraa para costura, unhas e
para cortar cabellos.
Superiores pentes de tartaruga para arregacar
cabellos.
Tinturi ingleza para tingir cabellos, a verda-
deira.
Grande sortimento de franjas pretas, largas e
estreitas e lindos padroes.
Lindos babadinhos e entremeios bordidos, tapa-
dos e transparentes.
D. Aona Francisca da Fonceca Pimenta pre-
tende vender a olaria denominada Taquary, no
todo ou retilbando o terreno ; assim pois quem
pretender dirija-se a annunciante na estrada no
va do Caxanfr para contratar, aflm de qae com
dados certas possa obter licenca do jaiz de or-
pbaos para dita venda, visto ter sna fiiba menor,
parte.em dita olaria.
56 ARa do Mrquez de Olinda56A
outr'ora ra da'Cadeia.
LOJA DAS MACHINAS
Sendo este antigo estabelecimento assaz conhecido como princ'pal e recommen-
dado pelos grandes depsitos e bons sortimentos com que sempre prima em ter dai
melhoras, mais acreditadas e verdadeiras machinas americanas para algo-
d3, desde 10 60 serras, e havendo em todos os tamanhos diversidades desyste-
mas e melboramentos para perfeito e rpido descarocamento; tornam se dignas da
serena visUs e apreciadas pelos Srs. agricultores; os quaes, alm disto, encontrarlo
ambem mais: .
Caf moka.
Fonceca A Santos vendem em sea armazem es-
te superior caf, por preco muito raz/avel, visto
a excellente qnalidade : roa do Amorim n. 39.
Apurados vapores logomovets, de forca
de 3 4 cavallos, e pertences.
Machinas para lavar roupa.
Arados americanos para varzea e la-
deira.
Carros de m5o para atierros.
Tinas de madeira.
Baldes de dita.
Ditos de ferro estanhado.
Ditos com vlvula para lavatorios.
Ditos de madeira para compras.
Apparelhos para jardins.
Goardas comidas.
Tampas para cobrir pratos.
Tarrachas para fazer parafusos de ferro.
Ditas dita ditos de madeira.
Trens para cozinha.
Temos de bandeijas finas.
Emfim muitos outroa artigos, que
examinados.
Correntes para arrastar madeira.
Cylindros americanos para padarias.
Pertences avolsos para machinas.
Salitre refinado.
Breo superior.
Moinhos de divers fabricantes pan
milbo e caf.
Debulbadores para milbo.
Azeite de spermacete para machinas.
Camas de fefro.
Bombas de Japy.
Ditas americanas.
Cofres de ferro patente.
Canos de ferro esmaltados.
Di los de dito estanhado.
Ditos de chombo.
Ditos de borracha.
Folies para ferreiros.
s avista e neste estabelecimento poderlo tw

Gas econmico para os can-
dieiros de porcelana.
Acaba de ehegar est) ji bem conhecido com-
3a*tivel, como o mais barato, prompto e asseiado
de todos at h>je cochecidos, e se encontra ven-
da no nico deposito, raa larga do RQsarionn-
aasro 34.
ATTENCAO
respiratorias,
na pbtisica palmonar, sna virtude contra o teuno
oa ospasmos, e convalsdes iaeontestavel, a nin-
guem ba qae a desconhan.
DEPOllTO
. Pharmacia de Ferreira A C.
SUCCESSOJIES DE J. A. PINTO.
10-RA LARGA DO ROSARIO-10
Vende-se a uberna da raa d* Senxalla-Aovs ________(Jato a qnarlel de pofloia.)
n. 6 e SI, com poneos fundos: i tratar na mes- Vende-se ama armadlo e aliuns Mrtances
" na ra de S. Joio n. 19. "
-- Vende-se um piano de mesa qnasi novo e
muito proprio para qualquer principiante, garan-
te se o bom estado do piano ; a tratar na ra Da-
queje Caxias n. 6, 'amiga das Crozes.
Vende-se ama ptima lazeoda de criar gado
e plantacao de algodSo, nos limites da fregaezia do
Limoetro com a do Brejo da Wsdre de Dos: a
tratar no engenhojNovo da fregoeziade Muribeca.
Vende se um pequeo sitio na Boaviagem, tendo
boa easa de vivenda, neva, com ptimo terreno
para piantacSo de capim, e na melhor loealidade:
a traur na rna da Madre de Dos n. 36, primeiro
andar.
ERNESTO & LEOPOLDO
N.2 D Ra do Cabug N.2D
Acha-se montado de forma tal este estabelecimento de joias* que pode
vender aos seus numerosos fregaezes em grosso e a relamo e per precos
mui resumidos visto qoe recebe de conta propria por todos os vapores de .
Earopa. O gosto de desenho de suas jotas o mais lindo do paiz das
modas, ouro de lei, brllbantes verdadeiros, esmeraldas, rubina, peroles,
turqueas, saphiras, coral rosa etc. ele. Obras de prata de porto tanto.
para igivje como para servico domestico. Convidas** ae limas, familias
a visitarem o dito estabelecimento todos os dias at horas da noite.
Compra.se ouro, prata e pedras preciosas em obras velbas.
i
% I
| ftrffltl



Diari* d l*rnaiui>uoQ -4 Tera Ifira 31 da Outubro d 1871.
*

\
.
V
i



DO
GYSNE
DI
PKEIREDO ft LOPES.
M RA DA 1PER4TRIZ \ U
proprietarios tost Importante e sympathico estabelecimento de fazendas finas,
^JSuar re,Peltavifll publico e particularmente a sua numerosa freguezia, que o
CYSNE acaba de sortir-se de'tudo quanto ba de gosto e moderno em fazendas tanto
para homens como para senboras.
^E' ocioso citar que os proprietarios da loja do CYSNE naturalmente providentes e
d*nm espirito altamente conciliador dos ioteresses alheios com os seus, teem sempre
egoido e magnifico systoma de offerecer venda fazendas de todas as qualidades e pre-
(o relativos de forma que fcilmente podem fornecer arligos de sua casa accommodadot
< todas as fortunas e meios.
E sobre todas as conveniencias e meios preferivel comprar no CYSNE em con-
eqroncia da sinceridade e barateza com que negociam os seus proprietarios.
No loavavel empenbo de justificar as suas operac5es convidam as Exmas. familias
visitar asympathica loja do CYSNE chamando as atiendes do publico em geral para
ai leguintes especialidades e precos.
KELLER & C
VEIDEH
ACODE
LEITE CONDENSADO
CERVEJA DE NOREfiA
COGNAC FINO
A' ra da Cruz (Bom Jess) n. 55
PARA NOIVAS.
Veos, capellas, sedas e popelinas orancas
de cores, ggllas, ponbos camisas bor-
dadas, todo caprichosamente escolhido e
para varios precos.
CRETONE BAPTISTE.
Fazenda lisa de nma s cor, de cores di-
versas, para vestidos e tambem propria para
ombras.
CAMBRAIAS
Transparentes de 8 i/i varas desde
14500 at 80 a peca. Victorias muito finas
de 40 at 84000.
CORTES BORDADOS
Fazenda branca de delicado bordado
oaixos precos acompanhada do competente
fgurino.
LAS
Variadsimo e neo sortimento desde a
la lisa barata de 40 at a de listras de seda
tuis cara que pelo preco que vendemos
por assim dizer de graca vista do gosto
qualidade.
BAREJES
Lindos padrSes aos precos de 3G0 e>..
400 ra. o covado.
SAAS BORDADAS
As que o CYSNE vende s5o bellas e su-
periores.
LUVAS
As melhores e mais procuradas luvas de
iouvin, brancas e de cores 83o as que o
CYSNE expe a venda.
BALOES
De cretones com babado e bordado, di-
tos de arcos a 10500, pechincha sem rival
ao genero.
CHITAS.
Completo e grande sortimento de todos
os precos de padrSes modernos e cores fi-
tas.
GROSDENAPLES
Finos de todos os precos e larguras s
a CYSNE pode vender barato-
FLANELLAS
De cres e brancas de 500 rs. al 10300
o covado.
ALPVCAS
Lavradas de 500 rs. a 10C0 o covado,
especia lidade do CYSNE que n5o conta com-
petidor.
mad\polOes
Francez de 24 jardas de 80 at 400000.
inglez de 50 at 80000, e muito fino.
DAMASCO
Com 8 palmos de largara, dito estreito.
CORTINADOS
Para camas e janellas de todos Os tama-
itos, cambraia para o mesmo fim de 20
varas a O0 a peca.
ATOCHADO
Da linho adamascado, dito de algodSo
muito finos, bramante entrancado e liso, e
barato s o CYSNE vende.
GUARDANAPOS
Grandes e pequeos.
SETINS
Para todos os precos e diversos pa-
drees.
PARA NOIVAS
Camisas bordadas, peitos colarinho e
punhos lisos.
PARA LUTO.
Merinos, princezas, alpacas, cantao, bom-
basinas, chitas, cambraias etc., etc., por
precos que s o CYSNE vende.
PARA HOMENS E MEEINOS.
Brim pardo a GiO, 840 rs., 10 e 10500
o metro, gangas de 400 e 440 rs. o cova-
do, e tambem temos o afamado brim de
angola.
CHAPEOS DE SOL
Para homens e senhoras dos melhores
fabricantes da Europa.
FILOS
De seda, ditos de linho, pretos e brac-
eos e mais baratos que em ootras loja.
MEIAS
Para todos os tamanhos e qualidades.
CHALES
De merino lisos e estampados, pretos com
franja de seda, ditos com franja de la es-
pecialidadedo CYSNE.

P
8-
P
I

W
o
P
3.
Descujpet) os nossos freguezes termos siao um pouco extenso na narracSo de al
fumas novidades pois com quanto seja nossointeresse tambem o dos nossos fregu
US que querem e gostam andar na moda. I
Ra FIGEIRE DO & LOPES.
JOAQUIM
LOPES
MACHADO a C.
Travessa do Corpo-Santo n. 25
""t
ARTIGOS AMERICANOS
Cylindros. para padaria.
Carros de mo para conduzir fazendas.
Machina; para descarocar algodgo.
Polias de diversos tamanhos.
Canos de ferro galvanisados para enca-
namento d'agoa.
OBJECTOS PARA CARRO
Oleado preto para guarda-ebuva de carro.
Dito de cores para forro de dito.
Chicotes para dito.
Pontas de lanra.
Galoes de seda para o forro de dito, es-
treitos e largos.
Pregos de cabeca de marfim.
Escovas para dar graxa.
19 Ra Primeiro de M&rco 19
Tendo renovado completamente a loja do predio, em que teem o seu es-
tabelecimento,
19=A ra Primeiro de arqol9
com aquella asseio e elegancia desejaveit, achan-se agora prvidos do mais
explendido sortimento de fazendas finas e modernas de
SEDA, LA, LINHO E ALGODAO
todas do ultimo gosto, e continuam a ter como sempre, diversos
ARTIGOS ESPEGIAES DE SA GASA
Garanten!, com toda
a iin-eridade,. vender
por menos que qoal-
,guer outro, porque
recebem m direitura
a.aiawr parte de suas
fazendas.
19 Wi I.' DE MARCO 19
' do Crespo).

BAZAR ACADMICO
13RA DA 1MPERATR1Z 13
DE
LYSSES & IRMO
Neste bem conhecido e acreditado estabelecimento, encontrarlo nossos amigos e fre-
guezes cigarros de paiba e de papel de diversos titulos e das melhores qualidades d
fumo. Charutos dos mais acreditados fabricantes da Babia e do Rio de Janeiro ; e bem
assim, ponteiras para charutos e cigarros, cachimbos de espuma, de porcellana, de ma*
deira de diversas qualidades, de louca e p de galinbas muito finos a 2,5600 a duzia,
amitos oulros rticos que deixamos de mencionar.
Fabrica de cigarros.
Bem atiesta a snperk ridade dos cigarros de nossa fabrica o grande consumo que
deltes tem bavido no interior e as provincias do norte. Com presteza apromptamoa
qoalqaer enccmmenda, remettendo-a ao seu destino.
BAZAR ACADMICO
13RA DA IMPERATRIZ-13
Ulysses & Irmo
LOUCA EVIDROS
Imperatriz
DE
LYSSES & IRMAO
Tendo de chegar om novo sortimento, e tendo de solrer urna reforma o systema
de negocio deste estshelecimento, seos proprietarios resolveram expor em liquidado,
grande quantidade de pratos de louca, tijellas, apparelhos de louca para jantar e
almoco, etc.
f


doni cavaljos de sella, sendo um castanho, de
rwnte abena, bastante asado, andador de bsixo a
BMSo,e ostro malladap de crina brancas, .muito
neni baixeiro : os pretndeme podem .ve*ios na
Wde Riactonalfl, caja de Vicente Perreira da
Corta, das 6 as tf horas da.manhaa e das as 6 da
Urde.
E. A., Borle. & C, em seo Vmsem a ra
da Cr'oz o. 48, venden) a presos omito em conta
p'm acabar:
Ladrilhos de marmore.
Tboas e degraos de dito.
MaoD commoro. ;
Hanoi :e
rio
Grande quantidade de copos de vi*lro fi-
os para agua a 40200, 40500 e 40800 a
duzia, clices de vidro finos para licor a
30000 a duzia, ditos de cor para vinho a
2*5500 a duzia, garrafas finas de vidro ba-
carat para vinho a 5,5500, 60, 60500, 70
e 7*5500 o par, bonitas compoteiras de vi-
dro a- 6*5500, 7*5500 e 85500 o par, gran-
de e variado sortimento de jarrea finos para
flores a 3*5, 40, 5*5, 6*5, 7*5, 8*5, 9*5, 100,
11*5, 120, 130, U5. 155, 16*5 e 180000 o
par, cbamins americanos para candieiro a
6200 e 25400 a duzia, escarradeiras de
vidro a 30500 o par, globos para candiei-
ros de 1*|300 a 20000 cada om, lampari-
sna com vidro para cima de meza, parede
aependurar a 10500. 10700, 20 e 20200
edda urna, bonitas quartinhas bamborguezas
a 40500 e 50000 o par, lindos pateiros
ce porcelana branca de 10200 a 30 cada
dm, bonitas canecas de porcelana com frizo
u esmaltadas para cal a 60000 a duzia,
escarradeiras e copo de cry3tal de cor para
eavatorio por 30000, pratinbos de vidro
Ipara copo a 320, 400 e 500 rs. cada um,
sextinhas d vidro para passas, figos, etc.
etc. a 800 rs. cada urna, compoteiras de
vidro para doce seceo a 20 e 20500 cada
urna, casiicaes de vidro s para vela a...
102CO, canecas de porcelana com tampa a
320 rs. cada orna, galheilas de vidro para
missa a 800 rs. o par, candieiros de vidro
com globos a 50, 140 e 160000 cada um.
E outros artigos que deixamos de men-
cionar ; e prevenimos a quena precisar com-
prar algum destes objectos que approvei-
tem a occasio de comprar-los por menos
20 % em razo de termos de liquidal-os o
mais breve possivel. Roa da Imperatriz
n. 15.
OLEADO3 E CASEMIRAS PARA FORRO
DE CARROS.
Vende se oleado preto grosso a 20200
o covado. Dito cor de cinza a 10200 e
cor de caf, verde e preto a 10400 o cova-
do, para acabar.
Panno fino azul escuro a 30700 o covado. groza a 1800
Cortes com 17 novados de chaliz a 5000
a 40500.
Cobertores de la escossezes.
Colxas de a'godo branca de cores Je
301)00 a 40900.
Sedidia preta a 500 rs. o covsdo.
Dita branca a6'0 rs. o covado.
Cortes com 21 covados de sedinha de
listra por 250000.
Fronhas de crivo a 600 rs.
Alpaca preta sarjada a 500 rs. o covado.
Llem branca a 500 rs. o covado.
Guardanapos de linho para cb a 20600
e 30600 a duzia.
Ditos para jan"ar a 70500 a duzia.
Camisinbas bordadas para senbora a...
S500e 30COO.
Lindas cambraias Imperatriz cortes de
10 jardas por 90 00.
Cortes de cambraia de salpico com 8
varas por 50500.
Tapetes grandes e pequeos.
Lencos de cassas para crianzas a
a duzia. .
A'godo branco ede lista.
Peitos de esgnio de linho para carni-
za a 10
Punhos o par a 800
Collarinhos finos a 500 e 600
Espartilhos bordados finos para senho-
ras a 50
Meias finas para li mera, senbora, e
enancas.
L5a fina para bordar libra a 60
Carreteis de linba Alexandre a 80
Dila em duzia a 920
Abotuadura para collete a 120, 200 300
500
Ditas para punhos a 300 e 10
Papel de pezo, almaco e peqoeno d
cores em caixinha.
Latinbas de, banba a 80 rs. e em du-
zia a 900
Brincos pre'.os de burracha e alfinete a
800
.toes de duraque preto para palito
101OQ
Flanella branca ingleza a 10100 o cova-
do. Dita muito fina azul com duas largu-
ras a 20300 o covado.
Casemiras escuras e claras de duas lar- nba a 440
Grande variedade de bo:oes para palitot
e collete que se vende barato,
Caixas com dez novellos grandes de
Ivendem cerveja mayense e vinho
mu
de
. 10 de vela.
Cognac fino em caixa e barris de vidro.' '
Vinhos de Bordees finos e ordinarios em cuxas
e barris.
Licores em eaixa.
Frnctas em eotiserva.
Atena doce em oaim.
Piedios a Vviuta
Vndese dona sobrados nefros eom jardim a o
lado, asim como dotts terrenos, om ao lado de
nin dos predios, e ontro defronte, atinados na tra-
vesa de Joio Fernandos Vieira, vnfgarmenW riba-
,raado do Padre Inglez: a tratar ao eaeriptorto ate
8- P- Joboiton & c, ma de D. alaria Ce?ar n. t) , laca se vio nm proceegoJmaU perfeito e que at-
aja m tal forma a satisfacer as exigaacias maia
waraa da scripturacio.
A ma cor Iindissima e nao precisa de cuida-
o aJirnm para se conservar no tinteiro sempre
jb i mesnia car, sem borra, ersta, botrooeni
'4 estas maiailas inherentes a todas as tintas
t airara conbecidas, anda mesmo dos mehoiea
torea estrangeiros.
Sotretndo, este estlmavel producto nao ataca ai
Mtu,s dejeo, antea pelo contrario, a penna
iqain nm esmalte doarado .que, sendo interes-
nt, asss proveitoso.
Rail tinta, nao sendo especialmente para copiar
i eomtndo'duas, tres, ou mais copias nm mat
nota de escripta ; preciso, porm, debtar-rbe
papil bem molhado sem o enxogar com o mata-
orrao,pr(joe nao ba a moa de horrar. Paia se
irar mais de orna copia, nao se agglomeram tan-
u foibaa .qnantas copias se aerem w, mas
la-ai como original tirar i urna tantas quintas
iMaaijam, sem que o original fique arekrficade
>iu xtrac^oes.
Ocoojreaqui dizer qna, nana epiarjmBert
tita inteHigencia e baiiWade,4em om ajne-
aor 6nu nao satisfaa, e o defeito recatsempre
ofcr a tinu, que maius veres -mSH menos
loa tem.
'Icpla qnalidade deata Unta lexaraaamente
.{.MUveL pois queevia ane em qnajqoar as-
r.ptoro baja mais do que nma trata, para, oa fli-,
taqMnto saa durabilidade, ao ba pfr
cripta soffre o choque de cidos fortissimos, sem
m deaompr ; ora, se os cidos nao tem ae$ao so-
bre ella, -muta menos a aecao du tompo a poda
destrnir; lato ptausivel.
Nio e sd^ao commercio que este meu producto
veio ser til j os professores dos colleiios, investi-
gan* todos os meios para o adiantamento dos
seus discpulos, tem approveitado eU tinta, que
com raxap aacharam apta para desenvolver o
gosto aoa edncaadoe, em consequencia da bolera
da oto e (acidade de earrer na pequea pela sua
SS^J"* fWWPiw de ensacas que havia
muitP tepfeo Bnham urna repugnancia extrema
para estnpta, logo que foi admittida esu tinta
no collegio, apoderou-ee defias a oorkwidade e o
gosto, aneo tarop depoia o sen adiantamento
Esu tinta, i par de Untas vaaiafew, tm um
umoo mconienieate, deteriora-se ao contacto de
ontra auilipier; convm pois te-la em tinteiro
iseotos do menor Tslnmbre de ontra teta, e-*jvt-
eacraw iwteaqwana snja^e ataa prparaoaa
incofnpatiel; Tarificando isto, naoha
TviO-
OfcserFapao.
Divarsaa UkHtoacfiaa e a**melhancaa tesa
rectdo, cuja daraoilidaMe duvidosa. Os
compradowe podem ertur o engao dirig.
i casas ^euawawtaB,iaptndo atnta Wg
(abnco *^
4. C Mtmkiro,
guras a 20400, 20600, 20800 e 30000
covado, as quaes servem tambem para pa-
rtot. No Emporio Commercial ra da Im-
peratriz n. 15."
CHAPEOS DE PELLO PBETO A 90000.
0 Emporio Commercial est vendendo
chapeos de pello preto para homens a 90.
Dit03 de castor branco a 100. Ditos de
palha e feltro tanto para hornera como para
crianca. Bonets de cooro da Bussia para
meninos a 10500 cada um. Cbapelinas de
seda para baplisadqs de crianca a 20500,
30 e 30500. Bonitas tonquinhas francezas
de 12a para crianca a 800 rs. cada urna.
Cbapelinas enfetadas para senbora a 50,
60 e 70000 cada urna. Chapeos de sold
seda tanto para hdmem como para se-
nbora. Na roa da Imperatriz n. 15.
GRANDE ARMAZEM DE VARIEDADES
EMPORIO COMMERCIAL RA tfk IM-
PERATRIZ N. 15, DE LYSSES IR-
MlO.
. Este novo e grande estabelecimento con-
tina sempre firme em vender barato para
vandei1 mello, e em consequencia de n5o
baver anda chegado algumas encommendas
que temos feito, e escasso como te acba o
nosso mercado de artigos de gesto! vende-
mos por mdicos precos os que se segu.
Soperior panno preto PII a 60 o covado.
Dito dito Brasil a 50500.
Superiores casemiras escuras e claras
para palitots, calcas e collete.
Brins braocos de'linbo de 103( O a 20600
a vara.
Brim pardo a 300 e 560 rs. o covado.
Madapolo francez e inglez de 50100 a
15# a peca.
Grande sortimento de chitas. &
Ditas com 50 ditos a 650
50 pecas cordo de vestido 600
Pega de fita para coz 440
Sabonetes transparantes finos duzia 600
Colleres de metal fino para cha, duzia a
20000
Ditas para sopa a 40
Talbares de faccas duzia 50, 60 70 $0
e 90000
Temos de bandeijas ovaes a 100
Ditos lizas a 10
Sabonetes finos e iguaes duzia a 10200,
105OOe20
Caixas de botes de osso para calca a
200
Sotaes branco, duzia a 280
Tranca de 13a e branca de caracol duzia
a 560
Betroz preto e de cores, oitava 240
Carnizas de meia croa muito boas a 10
Sitineta de algodSo de cores para n upa
de montara, e de crianca covado a 500
Merino preto trancado a covado a 30300
Lencos de linho em bonitas caixjnbas du*
zia 50800
Lindas cambraias bordadas de la vara
10080
Colxas de pello de lontra com duas vis-
tas a 144000
Crelone matisado para coberta covado a
700
Grande sor.imentes.da perfumaras; um
bonito toyalet de viuhalic arpeaU i?*"*"
more e vidro oval, om guarda roupa dT"
amarello ; seis cadeiras de gnnrnic5o, 2 de
ditas de bracos e duas de balanco, todo
de Jacaranda mastico, proprio para om
gabinete e endem-se por mdico preco
por ser resto. Nio ser mi vender no
i
MPORIO COMMERCIAL
15 Ra da Imperatriz 15
Ulysses St^Irmo.
Ghega para todos
Presirtrtas de Lamege de superior qnalldade a
At**hfc*airt8r) rs. o killd : era casa do P-
<% C., roa BslreiU do Rosario n. 9, junto a
ag.________________________________
VBNDE-SE um sitio na Estrada Nova, eom
6 casas e*19 jMs e eequeiro a arveres de fruto de
diteros qualidades, tendo terreno para levantar
mais de fi elsi9 e com grandes fondos para
iplanu de eapim, e verduras (o terreno proprio)
qMDMVteatBrrk}a-st a ra de S. Miguel n. 8,
5 ao Alegados.
Vndense
a toja de lauca da trra sita ra do Rangel n.
4 : qaera a pretender dirija-se meso on i pra-
ga da Independencia a, 33, qne achara eam qumn
laatar-
100 milheiros
De telhas e lijolftw de todas is quilMadea, ven-
de-se por manos 5*000 em milbeiro do qne em
outra tmlquer parte: oa otaria da roa dos Pra-
ares n. SO, de Jos Garoeiro di Canoa.
A
\ MUTILADO
mm



*^a*i
Oisri d rraAihc* Ter<;a teirar 31 Ja Ouhibro Ja lUt-l



LITTJGBATRi
I'H.4 LICIUHI
A MKM0NA DAQLEUES QCE JA NAO SAO_l)KS-
TB MUNDO.
K o que fr o mundo se n
Dio h uvera lagrimis ?
(A. lleiculano.)
EPICEDIO.
y re Mil deOi vila a lu apparec.-mo*.
B'o primeiro vagido que plumos
No iwr>Cpj simibii ve:u molbarnis
0 instes olh nial aberios inda
nu lagrima hgo.
-p,..s qnaudo por nossos pus queridos
\" Ja iiapilsm.i! lavados sonijj,
Necfal anda deste mnuda, oascios
Di remolo pjrvir qne nos acea,
Temos ai receber as bent.rs agoas
Urna lagiima anda.
Cu-rumos, e co'.nnosco vai crescendo
A ii!'g)i qne naseeu lambemwinnoseo,
A iiiagji qne trouxemus ditsd'j bercu ;
V. entao que temos nnatt vida iasaaa t
E que lem>, cis 1 Mo gralo nwso-
uja lagrima acerba I
Tal o nosso apanagio cerlo e triste I
Til o fsdarin nosso sobre a torra
chorar, sempre chorar, do breo campa,
i: ii i Agar na deserto abandonad ;
Chorar se." tregoa...qne esta vila toda
Urna lagrima dub:;i.
To dono a infancia, e j passou de ha muito ;
lij b?la a uiocidaJ.-, e ja defina;
Lj invern mil ao peso, curva, inerte,
A velhice ah ve:u... e, co'a velbiee.
De smargn desprater e desengao
Una lagrima triste .'
liaras, glorias, amores, esperanza,
p eren, illa3es, alias, anhelos...
Tudo muda en'o tetuoo tuJo passa ;
t u que ujs lija em tantas coutiugencias
E o que nu Bca do= vaivens da vida T
Urna lagrima ajinas I
jza-se. > breve o go.-o se dissipa
Co no i iI't melindron, como a nuvero,
ii: BiMuo deSaolelno o fatuo fjgj;
!.'.;..' oso, pirra, fica a lembranca
t a audarte a jr i-doce, e Co'a saudade
Urna lagrima cen.
" u conJiclol Misera sorte !
> i |ieie, i>u triuiuphe, ou cante, ou gema,
Un lir tu, ou vila alm, cm qualqner phase
a ?mnw nidada erraote e desvalida
ciupfludo as lea da frgil nalurezu
Uuia lagrima chora.
Qjnulo ao mar do mundo sempre turvo,
Perdida a esp'ranc de separo porto, ,
Jrt >em rumo e seiu norte, voga esmo
o pebre lenho da existencia humana
Qaa naufraga por fin... oh I que rnente
Urna lagrwaa resta.
T.-rrivel fido o nosso Pois que estamos
Nene-vale de lagrima*soturno,
0.1 t seja adversa, qe propicia seja
a ftnlla que nos guia, a estrella nossa,
O.oliouo revelai do roxos cil s
Um.i lagrima temos.
Umalagrim : eis'hi no que se cifra
T do o nos*o del"rro. e fado" iwsso I
tna lignina : ei< toda a aossi heranc* !
I'ni lagrima : el< Bisa vida l,d I
Urna Ijgriraa ardete e dilorida,
Una lagrima sempre I
l\>' Uso, meus irmaos. ineus caros socios,
Eu, que al nao lenho nao ser mo prauto
O. profundo semir e de saudale,
11 n> ceroitero amargamente
-|>indo a irreparavel oerda vossa
Uoia lagrima verlo.
\ .' Quaodo^um da so trovador caucado
(Que epitaphios e tmulos regeita)
Hria i Parca cruel da vida o fio,
V>. que flearde*. romo elle agora,
ra lagrima dai-lhe de piedade.
Urna lagrima ao menos I
2 de novembro de I87(i.
FUAMCINO ClSMOSTANU.

I
; V


cmiirui
ilt.PWDWsKa. diss que
poQ:a domar urna cobra cascare, to bim
como qoalquer odio malibir. A brutali-
daile do cangalaeiro era pedir a paga ajiaa-
tada fez demorar ^-funeral 4 diag.
< Uq acrbata ha das em Texas tentn
ilar ura triplo salto morU em cima daci-
valio. O director d circo no dia *ejainli
maniL-iu cuaiaar oairo saludor a Nuw-Or-
lean?.
Um iadi\iduo em New-Jdrsey n3o lave
paciencia, e salto fra da carruagem em
que la antes do coinboio ter parado. A sua
viuv.1 requerea coxpanhia do seguro
< Foocos individuos ousariam por polvo.
ra a seccar ao ) do braz:iro. Um indivi-
duo do Cuiad ousou. A s.ia familia alllic
ta receiiar uro sjtiafacl) a ootxia'do local
oode elle para, i
Km Massacbussets, ha dias, juigoo
Mr. Jukiu- que era capaz d) atravessar a
linha no momento em que a Ijomoliva
pasiiva. discursos lonerariis beira
da sepultura f^ram bastante Impressiona-
dores
c Um indi vid jo visou sua esposa para
uo iccender o luma cona petrolio. O
vestidos deiU serviram perfeitamente a sua
segunda esposa.
nu mii nif a tea fiibo para n5o ir
patiDhar io ge I o porque estava muito del-
gado. No dia segtfnta j a mi nao botou
tanta carne'na panella.
CXI'OSIlliO UNIVERSAL EM VIENNA
O systeoia adoptado para o edificio des-
tinado" exposiro universal de Vienna em
IS73 o dos edificios que Dermitlem ao
publico visitar toda a exposicSa sem pa:sar
-las vdzes segcldis pela mesma sala. O an
dar principal, cujo comprimento ser de 005
meiros e a largtKa de 205, compor se-ha
de tima galena principal qne atravesse toda
a exteuco do edifleo, qual se juntar)
dos dous lados galeras transversaes. O
pjnlo s-ii formado pela graode rotonda
que cortar a grande galera pelo meio.
I-Mi rotunda sor a irnir coDStrucfSo co
berta, sem apoto, que tem existido. Ter
um dimetro de 102 metros e urna altura
de 70 metros ; ser construida de ferro,
cujo desenlio do Sr. Scotl Russel. A ga-
lera principa! ter umi largura de 25 me
troi e as transversaes 15 meiros com um
compr-mefilo de 75 metrjs. Estas u timas
jjUWfo separadas por corredoras da largara
le 35 metros^ destiuados a receber os ob
ectos que possim ser exposlos em lugir
desooberl-. Toda a superficie coberta coiu-
prehTi lera 103:000 meiros qoadrados. De-
fronte da grande galena priocioal deveele-
var-88 a sala para a expisico di bellas ar-
tos. Cobfl-a ha umi superficie dd 6:095
metros.
Para seguraiif dos objectos de arte que
all forero expstos, ser cercada por um
pequeuo corr dor feciwdo. Um pavilhl1),
tambom 'fachado, sei destinad- e\p>si-
qo dos amadores. Galeras coartas condu-
/.'rao da sala destinada s bellas artes e
ouira tola envidra;adi, e aos lugares des-
tilados exposifo de diversas plaas e
aquarios. Paralelamente linha do Danu-
bio ser edifi;.do um edificio especial dos-
tinado s machinas, com um comprimento
de 80J metros e om a largura de 28 me-
tros. A propria calcida do Danubio servir
para a exposico dmachinas e de appare-
Icos bvdraucos.
pie ha lempos. > ftir8iram-s sem di
par* alh Jna*rit-). K thi hi, vaadi
sea iaimigo eslava ral. arm^k daf
a daga que elle pror^rflraziajpfcenul
Brigi com isto tdferslilk qt
era ccibarde, viu qo una ar0i lio ca
cousaalgama servirla", e arrancando pmpl
que lista va cravado na trra, acMOUpsi
Koji. O resultauo do conbate, durante
gum lempo, pareca incerto, quando K
ohi, espiando umaoc:asiio oppofuna.Hj
rou am golpe, e os do.is irmaos logranai
prostrar o ad ersirio, situfazindo o desjo
apaiionado qu: por lodos aqaellej annas M
nJ linln abanlonid. Ah! o es'pdCtacalo
d flbos piedosos (dit o japoQez) esli beai
calculados part excitar emuIar;ao et lodjs
os peitos. r i i
Mai como podemos nos explicar que um
a.sassitio escape as garras da le, e coaserve
o restante da sua exisleocia [ornove com-
pridos anoos. V
COMMUNISTAS Vssi, Jjardi. Billioray,
R'igere, Paschoal Grous el e tidososoutros
m-mbro< da ommnna, sentenciados a -tes
Ierro pelo conselno di guerra di Vorsalbes.
esli j no forte de Boyar d, situad; na em
boiadura do Goaiente; onde esperam a Che
gada do transport de guerra que os ha-de
condu/i ao sea destino. O c nselli) de
guerra de VersaIhes condemn)a r.a suases-
sao de 25:do mez passado, Poli ;l, capitio
communisla.'a ciaco an os di p.isio; Hm-
rique Baaer, estad me, a pnsio perpetua ;
e Lera!, f.ndi or de bronze, a un amo de
p?isao. A Sra. BreliQ (oi absolvtda.
VARIEDAD
AOS JORNALISTAS.Vamos apresentir
o publico o methodo segointe adoptado
- po" signes jornalislas americanos para noli
ciarern urn successo fatal, qoalqaer qne seja,
s:ia qu> a nos^a sensibilidade soffra gran-
de impresslo. e 30 raesmo tempo ficarmos
em poucas palavras scientes do fado. E'
um aethodo muito deli:ado, e muito me
Ihor do que rematar a noticia dizendo:
' Morreo no meio f*as mais horriveis ago-
nas.
Ahi vio urnas poacis de noticias nesle
gnero:
Um homem em New-Hamphsirs comea
PENNA DE TALLIAOUm jornal ja-
pone?., oSliinbun Zasshi, nirra a seq;uinte
noticia forlemente Ilustradora dos costumes
japonezes.
t No auno de 1863, nm japonez chama
Jo Yadaiyn, da villa de Nakagawa, na pro-
vracia Je Riku- hio. leve ama dispata a res-
peito de urna porfi de terreno, com um
collegada mesan villa chamado Chodaiyu
Son?, a quem elle matn no campo e fugio
iramediatarienle. Os filhos de Ciodaiyu,
chancados Kajoe Kohiclii, respectivamente
das edades de 18 e 14 annos, reseitiram-
se prof-m lamente da morte violenta de seu
pae. e resolveram vingil-o
Depois de pro:nrarem por toda a parte
o assassino pelo espa?o de 8 annos, solfren-
do durante todo este lempo todas a) ladi-
gas imsginaveis, ainal encontraram o seu
inimigo Yadaiyu nj dia 28 d-j lerceiro mez
na vila de Hitokubi, no dapartamento de
Ezashi (ao p de lladdaie.)
Yad:iyj vendo logo que era impossivel
escapar," disse : Bem, com grande alegra
03 encontrarei oo "sitio onde mat-ii vosso
GUSTAVO TMDOU.- L se o seguate
emuua diario francez:
Acaba defalLcer em Bruxellas, navo^-
de de 30 anois, o Sr. Gustavo Trid)u, ex-
raembro da commuoa de Paris, deixando
>eguodo fe diz urna foriaoa de ,200:'XX)-|
francos latero ictonal. O papel qao o
Sr. Tridiu destrapenhou no movimenio re-
vo ucionario destes ltimos anuos, merece
que delle3 nos occupjmos. Victimas das
idis radicaes s qiaos sacrificou a suafor-
luna e a nu sale, quando cbego.i o mo
memo decisivo n5o pode dster a revoluco,
na fatal pndente em que ai suas proprias
dnuirinas a tinham precipitado. J.u;io Ole-
re, as suas biographias dos Homens da
Commnna, diz que Tridoa era um do3 re-
volucionarios mus conhecidos e mais perse-
guidos pelo imperio. Era lilho de um pe-
qreno proprietario da Gie d'Or, que euri-
queceu comprando beus ao3 emigrad ,s, que
depois tornou a vender com lucros en **
mes. Tiiiou naseeu em D joo estndou
direilo erm Paris onde fui recebido como
advogado. Depoi* de ter escripto em di
versds peridicos pouco conh cidos do bair-
ro Latino, fundou o Innocente que che
gou a tirar 11: jQO ejemplares, sendo sp
piimido ao cabo de poneos dias. Em se-
guida pablicou a Critica, que nao leve
raaior duracio. Um folheto -qoa escreveu
iir.it'iUdo Os Hebertittas, coniribnio sobre
tudo para dar-lhe ama merecida reputajio
dtj escrijitor de talento
Tndoa foi a alma de todis as conp-
racoes tram-das contra o^imperioj, pelo (yie
foi muilo perseguido sempre. Durante a
sua permanencia no carcer# de Santa Pe
Ugia relacionoa-se com Blanqui, de quem
flcou sendo amigo e discpulo. Preso em
ISJi no caf da Renaissance com ostros
i idividuos, foi acensado de pertencer-u sociedide secreta e condemnado a 15 me-
xes de prisio. O governo quera castigar
p>r este meio a sua presenta e partecipa-
?io nos congressos de L;ege e de Gdoenra
nos q laes manifastara em termos violentos
o seu odio contra o imperio. Complicado
no processo de Blois como cmplice do at-
tentaJo contra a segurauca \> estado e a
vida do imperador, Tridoa fajgio para Bru-
xellas.
a Regressando a Franfa depois do dia
4 de selemb o faodou com Blsnqai A pa
tria em perigo. de cojo peridico foi um
ios.mais assiduos colaboradores. Tdoa,
cujo.carcter era pouco valoroso, nio se
atreveu a tomar parte njs successos da 31
de outubro, apasar de ser um dos mais
fortes adversarios dog-iverno da defeza na-
cional. Por fallas de provas nio p&de sar
preso por occasiio deste moviraento i a -
surreccional. as eleicoes da assombla
Tridou foi eleito pelo departamento da C6
te d'Or, mas demittio-sa ao mesmo tempo
que Rochefort, Rane e Mikm. Nomeado
membro da' communa pelo 5o districto
(bairro do Patheon e das Escholas), Tridou
foi cjlocado na commissio execativa e
JDRBMSie o minora
aumeie a vutar e a tjmar
na delibaracao da communa.
Tridou era dm jornalista de talento qoe
poz a sua peana e a sua fortuna ao serv-
co da causa rdvoluciofljri.i, mis :ujo valor
o-cTSrtepondia a vehemencia das soas
co^vi&C&e. Apesar do sea faoitisms u5o
Ihe faRiva tino poltico, como o prooo
nio se deixanio arra^tir pe o caminbo de
medidas insensatas-que a communa empre-
beodera. Ningum imaginava, diz o Sr.
.lerc, ao 1er os artigo enrgicos do Sr.
Tridoo, que o s:n aator era um mogo d-
bil, pallido e de aemb.lan'e dt'scomposto,
paracendo convilecer de umvdoenga grave.
0-se quo os ltimos aconieciraeQtos acat
barara de tbite-lo e tornaram quasi mortal
a doeoca qaa de ha rxuito padeca. Esta
previsi) ui) tardou a reaisarse em Bru-
xellas, onde os fiweraes da Tridoa deram
lugar a qaa os inteiuicionastas os convar-
tessam em urna manifestacio poltica, cor-
rende tirfo dos solidaiioe da" aiiociaeio
o enterro cv;i, ao qual assistuam as sc-
eles belgas da Internacional, qaa coaduzi-
ram ao cemilerio o caixio'fnebre coberto
com um pamo eoeamado. Ca ia um dos in-
dividuos qqe co npunbam a comitiva lavava
na casa d i casaco i ma perpetua. Prximo
do tumolo prononciaram-se discuis s incen-
diarios, notan lo se principalmente o profe-
rido pelo sargento B icbot. G-astrvo Tridou
chegara a Bruxellas com o nomo supposto
de Moral, e ji bstanle doenta. A polica
ho i;norava a sua-presenta, mas rispei
twdooseu estado do sale fin.;io que ua-
da sabia.
e recoabeca
pertOM^
0j0|
nuante
clusio.
que a leitqra
50.
u Ihe clf|
mnou-o e
dos romances
FOLHETIM
AMaDOFOGO
HOni\(i:
POR
ALEXANDBE DUNAS
XV
Ai bailarina branea.
tContinuagio do n. 247)
O javans estava anda,' eectivamente,
ni mesma compostura araoacidora.
N'aqoella instante, um dos criados do
jrinctpe approximou se d'elle e disso-lue
em malao e em voz baixa alguffls pala-
\ras* -y
Q prhcpTi!6pT)ndea, no mesmo idioma,
' atteolou com oJio nos doas bollandezes, e,
passado um asante de silencio, tornou a
jQtar-se, dizendo com a maior serenidade.
Tem razio, Sr. Eazebio ; doodo
quem faz caso de palavras de bebado.
Perdi, xcelleocia, ponderou ota-
Leiliio ; aqui nao ha bebados, e o que se-
guramente qaer dizer que nio se de ve
fazer caso de um homem qne beben vinho.
O javaoez nio respondeu.
Vire se li para as saas bailarnas,
Sr. Mae, disse Eazebio tomando a palavra,
e tentando assim cortar a polmica.
)iz bem, Van-den-Beck, respondeu
Vamos, tocaootra danca, para ale-
grar a gente.
Kmqoaolo Maes e Eazebio trocavam estas
palavraa, preparava-se o baile. Thsermay
jI ter :om Harruch e disse-lhe em malaio :
Esti Jeilada a rede, de modo qne s
de emporrar a victima para cahir no
I ac.
O cacador valenle, responden Harruch,
tio procora auxilio. Armado de valor e
intrepidez, ataca "sozinho a panlhera negra
nos sens proprios covis..
* E, naoob'tant, Harroch, precsame
de ti. Os doas bollandezes desconfiara de
mim e nada acetario da ininha mi. Aju-
da-na> agora, para estares comno:co qaan-
do sar a hora da carnificina e da pilha
fem.
Harruch alimenta-se com os fructoi
silvestre*, com a agua dos rios e cornos
feslins onde o homem, como o tigre, espa--
tifa os seus semelhantes, qne nio poJem
ser Ibe desagradaveis.
Mudaste enio, e nio s o homem d'a-
qnella celebrejnoute, emqrje os verdadeiros
crentes juraram a morte dos. horneas d)
norte.
Harruch nio jurou naquella noute ; e
que Ibe imporlam os homens do norte, oo
os-qse fossBam a trra ? Nem com uos
era crea ootros Hvrruch teve nem tem
parte. Ea possuo o que nio podem tirar-
me, porqpe. nem os filhos de Mahoma nem
os christios teem podido arrogarse direilo
algrun sobre os raios do sol.
Harroch, nio fallas veedade ; tu ten
algam motivo para defender o bollaodez.
Comproa te ?
Tbsermay ia continuar, quando nm ho-
rnera vestido de preto se approximou d'e'.le,
e Ihe disse algnmas palavras ao oovido.
Esse mesmo homem observon que Har-
ruch nio tirava os omos das bailarina, e
cerno se soubosse o que prendia a attet.co
do indgena, acercon-se delle, e baleu.lbe
no hombro.
Harrach eslremeceu, orno se senlis.se o
abalo da faisca. elctrica.
Harroch, disse o desconhecido, julgas-
te qae a danzarina de cor branca, que tem
flores de malat. na cabera fosse irmia dv
negociante hollandez qae est ilhnrga
d'elia ?
E porque me pergunta isso ?
Porque tratas" como irmSo o qoeii da
mesma cor que a bailarina.
Equem o eosinoa a ler no mea co-
ra?io 1 disse Harruch.
VICTIMA DE ROM VNCES Um menino
de 18 annos, natural-de Romnd (aos^VuS-
ges) de ama familia honrad), mas p'ibre,
acaba de compi'ecer peranto ajuslifa de
Epinal, accisado de ruubos ni estradj. ..
A sua historia a seguate :
As ms I ituras arras: iran-o a mi ca
mioho ; sua imagiiuc30 sobre-exiitada do-
minou o seotimejto da coisciencia, e nm
mancebo dotado de excellentes disposicQiS
tornou-se um malfeilor e chefe de bandidos
aos 18 annos; pudendo a-ptrar a um me-
Ihor destino.
Um lio delje, cura enf Baile, prximo a
Epioal, tinha'comecado a sua edacacio, e
encontrand)lliefeliz aplidio, tinha-o metli-
do no collegio de Chatelet.
O joveo.Toussaint muito depressa apren-
deu as linguas antigs; -studoa o allemio
e o i'igle'z : e raostrnu-s8 iatelligente, e?tu
dioso e assiduo. Emfim, na destriimicio
dos premios, em agosto de 1870, obteve
10 distinccds.
Por este tempo, aontec:a a mvasio
prossiana; o collegio facha se; e Toussaint
fica com os seus estudos cortados.
Cai Ihe as mios um romance,Xes Ohi-
valiers de la Grve. Quer transportar o ro-
mance a- vida real. Para urganisar urna qua-
drilba de.salteadores, cajo ebefd elle mesmo
s bemfeitor.
Os 2:000 francos bem depressa sio gas-
tos. Toussaint v illa sua villa natal e
nio se atreva a entrar na casa paterna.
Mas necessario viver. Faz parar os ve-
hculo as estradas. Com um.lenco ea-
carnadoatj 'o roda di ah ca, urna pisto
la eu; cada ibo, prou.aucia elle a ameaca
do costurae: A bolsa ou a vida I
As bolsas dos aldeios, de qua elle con
seguo apodrar-se, coitam poacj di-
abeiro.
Toussaint volta para casa de seo lio..
All espera viver melbor.
No dia 28 de maio iatroduz-se em casa
do cura de Baile e eseoude-se no celleiro. A
criada descobre-o a ella dispara ama pisto-
la contra ella. A baila perde se entre o
vestuario, rasga o corpo do vestido e so
faz urna ligeira feriJa. Mis o sora do tiro
attrae g me e Toussaint preso.
Nj obstinte os esforcos do sea to,
qae o tinha condnzido ao hospital de dou-
Jos, a j>stica apoderou-se della e encoa-
trou-lne na ana carteira um plano de urna
associacio destinada a combater com os
gendarmes e a praticar roubos as entradas
em alta escala.
Ao principio liveram aigumis suspeitas
em quanto ao seu estado mental; mas o
exame dos mdicos afastou todas as ideas
de loacnra. Toussaint tem perfeita coas-
ciencia de todos os seas actos, tanto que
os deplora, protesta o seu arrependimento
NOTAVEL MULHER. O jornal amerft
cano Bostn Adoertter, publica o extracto!
da biograpbia de urna muiber notavel. urna
tal M. Vitoria Claflin Woodhull de New-
Yorl, deCrptis pelas numerosas prefissTns
da t baaqueira, correctora, curandeira, edi-
tora, atlhora, e candidali presidencia dos
Estados-Uoidos.
Depois de mencionar qaa ella nascera
em Homer, no Ohio, em t8fr$, e qae era
a setmi de dez filhas, que a mi dalla era
maniaca, o pai brntal, a sua infancia a mais
desgranada possive!, e qae tendo 14 annos,
obrigada por seas pas, casara com o Dr.
Cann ng Woodhull; a bir-graphia continua
nos seguinlej termos:
Durante a'guns annos viven urna vida
errante, algumas vezes girihando algum di-
nlie ro, a maior parte das vet.es na mais
abjecta pobreza, e sempre dsprezada ou
maltratsda por sen mando.
Por ultimo os espiriios dissdram-he qoe
se (osse estibeiecer em Bates, no Iadiano-
polis, annanciaodose como curande ra e
tratar toda a quililado dedoengis. Assim
o fz, tornndose logo o objecto das.con-
versas de toda a cidade, praticava milagres
e tornou se rica. .
Assim conlinnou ela de cidade em ciJ..-
de, at que-o sea readimeato annoal's
elavou a 95 contos.
Susteutava todos 03 seus parentes mais
prximas oa afastados, e anda Ihe sobrava
dinheiro para capitalisar-; e qaaodo a sua
forana em 1869, se elevou a 670. cintos,
os espiriios disseram-lhe queassa profisso.
Em dtzembro da 1869, diz a biograpbia,
tyanosthenes, qne era um dos familiares da
nossa herona, Ibe entregara um memorial,
que ella dirigi ao congresso, e Ihe inspi-
rara ora discurso para proferir no capitolio,
t pelo qual ella adquiri as boas graejs do
general Bulter, juiz Longhridge, e de ou-
iros horneas de estad).
Em 1870 pro oz se ella presidencia, e
est actualmente em face do paiz como can-
di dala pie!le cargo.
^Hmeote digeridas, a nio sere-a
,'uella abaixo por um trajo
te de baleia.
am boticario no mesrae
lcacia de ma din-o-
lufo ckim mait tetras e
Meadas do animal pkoepffco, o vitello ata
rinho, a qoal o editor eaa ootra parte do
jornal diz qae elle proprio experimentou e
acboa ser efljente ornis nutritivo do s-
cula.
Ora! ler no lea coraejo apenas um
divertimento para quam domina os espiriios
e reina sobre os elementas"
E s esse ?
Ta o disseste.
N'esta occasiio estiva Eazebio lembrda-
do se da sua qoerida Ester.
Qier-me parecer qae vai. tomando
Eogana-se ; vejo apuna* com os oaos,
sem o coracio tomar paite.
Sempre o~ mesmo, sempre fiel s
recorda(joes e sua molber.
Sempre.
Desejava conhce-la, para tbe dar os
parabens.
Se a conhecesse, acharia natnral e
inevitavel o qae Ibe parece agora extraor-
dinario.
Ora vamos, conlinuou Thsermay ; vejo
qoe o codicillo do Dr Basftio nio ter
xito.
Hei de saber araanhia o qae encerra
de-extraordinario' esse apndice ao testa-
mento.
Nio duvid que seja como diz, mas
acredite me ; nio se exponha multas vezes
s sedceles d'esaes diabinbos de satas. E'
cousa perigosa para o seu descanso e para
a sua riqueza.
E, dito ^ftV encaminhoa/se o javanez
para o recato onde Harroch tlaha ph*slp a
caixa das cobras.
Eazebio, para despregar os olhosda bai-
larina e aproveilar ao mesmo lempo a oc-
casiio em qoe eslava s com Harrach, disse
i" este :
Nio te esqaeceste do promettimento
que me fiaste ?
Harruch nio respondeu. Devgmot notar
que qaando o desconhecido vestido de pre
to falln com Harruch, Ihe offereceu o ca-
chimbo qne trazia, e bastaram algamas fu-
macas para aletargar o iodigeoa.
Ensebio repetio a pe*gonU e o indgena
fazendo um esforto ao bmbo da anaiquilla-
QUE CYNISMO O seuointe facto con-
tado por jornaes de Nova York; denota um
cyni-mo poaco .vulgar, e nenhuns senti-
mentos. '
t Um rapaz anda novo comparecea ha
dias parante o jury para responder a urna
aecusacio de violacio em urna rapariga de
5 aonos. O defensor allegou a loacora, e
o accasad', para dar appareocia da verda-
da defeza, fazia caretas e contarses.
Mas em vio. O jury achoa o culpado, e o
juiz disse-lhe:
t Est provado qne cornnetteste nm cri-
ma h rrivel. Violla urna rapariguinha da
5 anuos da idade. Felizmente a sua lena
idade nio Ihe permitte o comprehender toda
a gravidade do ulirage qae loe inflingiste.
Os Hiorraenores do seu crime horroroso re
voliam ; enebem a todos da mdignacao.
Durante os poucos annos qae cu tentio ser-
vido de procurador substituto do districto
deste coadado. tenno julgaio tres monstros.
com figura humana, culpados de crime
igual, e todos tres foram condemnados a 20
annos de prisio. >
t Para proteger de futuro estas inhobn-
lias exaancas. e para salvaguardar.a sociedat
de e obstar a qae o coracio materno seja
presa da angustias iocessanles, ei de usar
de toda a minia inflaencia na prxima le-
gislatura, para qae esta pena passe para a
de morte a todo o individuo que violar ova
cranla menor de 10 annos, visto que o
raonstro capaz de um tal altentado, nio
diao de viver na so;iedade. Condemnote
a 20 annos de dotengio as prisas do es-
tado.
O acensado, oavindo a sentenca. poz
lim s Caretas, e teve a audacia e sangue
fri de dizer : Por Daus! qaiz fazer de
doudo, mas nio o consegu. Para ootra
vez, re^resentarei melhor.
CULINARIA Um jornal inglez canta o
segointe :
t A acquisicio de Alaska pelos Estados-
Unidos promette apresentar alguns novos
gneros de dieta aos Yankaes. O jornal
Alaska Herald, recommenda o uso conti-
nuado da carne do ledo do mar, da baleia,
as qaaes segundo alfirma aqueje jornal
tornam o homem virtuoso, ea mulher cor-
pulenta. Dii oomtado, que taes iguarias,
ORIGINAL DESCRjrciO. Um jornal
inglez, publicado ne JapSo, publica a tra-
dcelo seguinte de um pequeo jerniA il-
lusirado japonez editado em Yeddo,T Da
qoal descripto o recente tufo qoe teve
logar no mar interior, e deseobado i
pecio da babia de Kobe, depois daqoelli
calamidade. Vamos tambera traduzi-lo Uo
litteralmente qaanto for possivel, para se-
guir m os o original japonez.
t A Graode Onda-Tempesta le era kisbin,
Uzomi e Setsu.
< As repentinas mudancas e movimenlas
do ecco e da trra sio cansadas pela e
orulhada dos elementos machos e (eme!
e pela peleja do vento e da chava. Ai!
nem mesmo a influencia dos deases, on de
Buddah, pie preva'e er governapde-os.
Foi na noute do 18. dia do 5." mez d
4.1 (cibra) anno de Meiji, e cerca das 10
horas, que o.vealo e a cauva os toraaram
excessivaraarte violentos, e urna grande
onda tempestads levantndose, nio s-
mente os vapores, mas tamben cerca de
700:000 botes grandes e pequeos foram
arremassados praia em Ilinohana e Ku-
man aira no Kishm, em Sakai, e em Tempo-
zra, distante de Osak. .No Ajik wa, no
Kajikawa, na praii em Nishin imiya, e em
Kikage nada (o Mar-sombra) no porto de
Hiogos, e prximo a Kabe, perto de 12 va-
pores do rio, foram a remessados larra
secca em um momento.
"Os outros grandes juncos foram arreman-
sados uns em cima dos outros atravessaaro
em cruz.
As casas dos habitantes das villas na praia,
e prximos dos ros, os armazens de re tem.
e as propriedades divinas do principe, os
botes e as gndolas foram feil.-s em pada-
cos; os reherios Sbialo, e os templos Bud-
dhistas, as arvores, os montes e as nascen
tes, nio s as habitaces humanas, mas
tambem as vaccas e os cavaIIos; e o Dame-
ro dos contusos e morios 6 ignorada. No
momento desta terryel destruigio, velhos
e novos, m chos e femeas, choravam e bar
ravam ; e o som de tudo isto era dos mais
d'gios de compaixio. O numero dos mor-
tos foi em proporcio ao tamanho das loca-
lidades (visitadas pela tempestada.)
Foi um acontec manto maravilhoso, sam
igual as gerabees aoteriores. Na manhia
se/uinte a chuva parou, e o vento doado
tornou se socegado, e ento pala vez priraei-
ra, os homens se senliram a vontade em
seus coracoes. >
Oferecemas cora muito gasto esa noticia
japoneza Ilustrada reiaccio da Revista
de Portugal, pea jolgarmos era harmona
com os intuitos da sua folba.
ment qae o prostrava, exclamou. cora voz
desfallecida :
Qaa me quer o negociante europeu f
Que nio esqaecas o promettim9nto
d'ir a tumba casa. ^
O europeo que m^apS^ce, porque
precisa de alguma ^atfsa. Os da sua rafa
comprara e ywtn ; abandonam a sua pa-
gouo por estas distra^oas', disse-iheToser-Mrfa ftarflaacar no desterro, nao fazem
ma? v I** presentes inuteis. Q.ae quer o europeo?
Algumas informages respeito do
Dr. Bazilio.
O Dr. Bazilio um grande espirito;
vive n.o espaco, emquanto que nos estamos
na trra. Tem a chave de tpdos os cor-
ceas, e elle dar Harruch a que ha de
abrir o coracio da formse europea, em
cujos luiros cabellos se reflectora os raios
purissimos do sol.
Qne qaer dizer este homem ? bra-
dou Euzebio, jalgando que elle se referia
aua esposa. Mas existe anda esse maldito
Dr. Baz lio ? Nio um sonho todo isto ?
Falla, Harrach, falla, conlinuou cerrando
os puobos cora raiva; qoalqaer qae seja a
promessa que esse homem te tenha feito
para te associar aos seus planos contra
mim, se queres, tu, que dizes ter sondado
os mysterios do mondo dos espiriios, res-
ponderme e en te darei todo o oiro de que
precisares.
Harrach continnou sem prestar alten-
Ci, identificado com os espiriios qae evo -
cava. >
E, encarando de frente com Enzebio,
murmarou :
Devemos desconfiar de todo, at de
nos mesmvs.
Comprebendo-te, Harroch.
Qoe dizes ?
Fiz mal em seguir aquel le doudo.
Quem?
O Sr. Maes.
As folhas seccam-se, e desapparece a
espessa lolhagem da primavera. Ser aca-
so um sabio o que pretender que floresca
a tilia no meio de invern f
Oh to coodemnas a minha t t...
NOTICIAS ESTRANGEIRAS.
i Alli, responden a mulher designando
ara operario; est alli jogando o domin ;
meu georo.
f Nio seu genro, responderam os oito
guardas, um macaco ). W lrnran oo
perseguirlo do fugitivo, seguidos pela mu-
lher e pelo operario, que tinha ficado encan-
zinado por oavir chamar-lhe macaco.
Foi s prximo a ponte de Austerlitz que
ludo se explicoo.
All puderam agarrar o verdadeiro Minard,
que estava quasi a entrar em um combale
singular com um enorme ci.
% No novo peridico do Sr. Duvernois.
L'Ordre, figurara muilas profiscivs de fe
de candidatos bonapartistas por oe;asiio d-.s
eleicas daparlamenlaes. Urna do Sr.
Dassanloy, antigo alfaiate do boulevard dos
Italianos, antigo proprietario "da poque, o
mesmo Sr. Dassanloy qoe, dorante o cerco
de Pars pelos prussianos, se passeiou, di-
zem, pelas ras de Bruxellas vestido de
conselbeiro geral: casaca bordada, chapeo
armado, espada e qua n?m pela demonio
quer largar a farda. Teima de alfaiate.
Ootra circular ejusdem farias d'ura tai
Barb, dirigida ao3 eleitores de Lanne-
mezan.
Barbee bonapartista, e Barbe pede para
representar os bonapartistas no conseibo
geral; mas como o Sr. Barb bom co-
nbecedor do corado humano I Oucam-noJ:
(Continuar-se-ha).
Dapois de ter dourad a ierra e os
mares, depois de ter fecundado os campos
e acariciado com os seus raioj as flores e
os-frudos, escoode-se o sol na seu leito de
vapor e vem depois a noute. Ser um sa-
bio o que scentficamente qaizer por o sol
durante as trevas, ou qaizer que elle ap-
pareca antes da h >ra marcada palo So.a
Supremo ?
Ea devia ter me resignado separa-
c/o que Dous me iraponha, pensando em
qae ella e ea nosteriamos encontrado al-
gum dia n'outro mundo mais ideal, mais
sublime, mais perfeito.
O bom upas da morte, continuou o
indiano; o sabio contempla os seos frac-
tos de oiro, e darme trao luilUmeote ao
abrigo da sua sombra mortal.
Oh I Eu nio le comprehendo, Har-
rach, replico Eazebio. Queros acaso di-
zer qae ea nio devia aceitar a riqnezf pro-
cedente desse maldito ? Cessa de fallares
por parbolas; rogo-te te expliques, Har-
ruch.
Harrach, disse j qaanto podia dizer
volvea indiano; nio posso dizer-te mais,
porque vou ficar adormecido por effeito do
opio.
Nio, has de fallar; A necessario que
falles, exclamou Eusebio, agarradoo vio
lentamente por am braco. Falla, Hir-
ruc'i, falla; ajuda-me a triumphar da em-
boscada daqaetie demonio.
Os esforcos e as instancias de Ensebio
foram baldados; i mi de Harrach abri-
se, cahio o cachimbo no meio do cbio,
quebrando-se em mil pedamos, e o indiano
ticou privado de todos os sentidos : s os
olhos ficaram abarlos, reflactindo se nelles
todas as mpresses qoe senta.
Ensebio Van-den-Beck levautou a cabe-
Ca, e com grande admiraco Ihe parecen
qae tudo andava roda de si.
A composicio qoe enchia o cachimbo de
indio espalhava um aroma lio poderoso,
que os bollandezes qae aspiravam as suas
emanares principiavam a soffrer os ef-
feitos.
Quiz sair para respirar o ar Iivre.
Mas, no instanta em que Eusebio .entou
levantar-se, urna forca superior o prendeu
cadeira, como se algum braco de ferro o
agarrasse rijamenle.
Da repente, e por traz delle, onvio-se am
grito spero e gulural.
Voltoo cabeca e vio Harrach.
Como d'antes, os olhos do indio eram
vivissimos, mas tinham perdido a extensio
esttica.
Pareciam dua3 linguas de fogo oscilato-
rias.
E Eusebio segoio a direccio dellej, e
avistou os tres oa quatro asqaerosos replis
coolidos na caixa.
E vio qoe a bailarina, poz o p sobre
ama das serpentes; o animal irritou-se, e
enroscon-se nella, ameacando-a com o seu
veneno.
Aderes, mas icos e convidados, todos
correram para a porta do pavilbio. soltan-
do grito de espanto, e apenas ficaram na
sala do festim a bailarina desmatada, Har-
ruch sem sentidos e Eusebio.
Mas este oltimo correo para o pa'xo, e
agarrando a serpents pelo pescoco, sepa-
roa-a do braco da bailarina, e sem Ihe dar
tempo a qoe se enroscasse no delle, saca-
dio-a fortemente contra a parede.
A bailarina, sem pronnnciar orna s pa-
lavra moslroulae ama lerida que thtna no
hombro. .
E contemplando-a Eusebio n'aaaelle ins-
tante, pareceo-lhe qae era aquella malher
da mesma figura, de mesma appareacla
qae Ester.
Tinht-a nos bracoie cmdava qae era
sua esposa moribunda.
fo nio morreras, disse-lhe elle i*x>m-
pletsmente allocinado. Nio te quero ver
morrer, porque te amo Es...
E nio acaboa de pronunciar e nono.
Urna risada sarcaitica o interropr* do
oolro lado da ala.
(Coulinutr-u-t.
DO DUQOI 01 Cilla!
TY?.DOUIUO-
MUTILADO
(___iubliEL

n

-
\
*+
%
i
v-
m
rv1"*"?
rr:
.u


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EL4QSPTOP_S1RTGZ INGEST_TIME 2013-09-16T21:31:13Z PACKAGE AA00011611_12525
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES