Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:12515


This item is only available as the following downloads:


Full Text
,'

til
I
!
"V
ANUO XLVII. NUMERO
fklk k CAPITAL E ITCAoH OflJE IA0 SS PACA
?or ;m costes id'***
P'.T 18 .tul **
a., .
C*d I mn vbm .
i
DIARIO D
QUINTA FEiRA 19 OE OUTUBRO DE 1871.
PA1A DIITBO I FOBA DA F10V1ICIA.
Por ir* mezes adiinudoi .
Por Mit ditos idem-. .
Por nove ditos dem .
Por um auno idem .




(SUDO
ionio
17|0OO
MMBUCO.
Propriedade de Manoel Fi
de Fara Se Filhos.
a* cana:
0. Sn, Oew.o Amonio Alves 4 Filhos, no Para ; Gonces 4 Pinto, no Maranhio Joaquim Jos de Okveira d Filho, no Ceari ; Aouio de Limo. Braga, no Araca* ; Jlo Ma^Mio Ciaves, no Ass ; Antonio Marque, da Suva, no Natal Jos
Pereira d'Almeida, em Mamangnape ;FeIippe Estrella d C, na Parahyba ; Antonio Jos Gomes, na Tdla di P*ha; Belanno do. Santos Blcio, em SantoN^ntto; Domingos Jos da CosU Braga,
(} em Nzareth ; Antonio Ferreira de Agoiar, em Goyanna; Francino Tavare da Costa, em AJsgosj; Br. Jos Martinsrjfves. na Babia ; e Leite, SerqniufioNfc C. no Rio de Jai iro.
Ja**
PARTE OFnCIAL.
Ciorerao la provloc'a.
.BXl**lENT DO MA W DE OUTUffco DE 1871.
Arlo* "
O vice-preside iie Ai prov.ueh, aueadendo ao
jao representou Mauoel d' Brit) Salgueiro contra
o io desta presi leuci de 20 de margo ultimo,
reintegranio id lug>r d.f.*crivo especial do jai
j> d paz d> aegunlo dsirclo oa freguezia de
Samo Aniso Aniceto Bliat Soires de Mello, e cons-
unto da rep-esent3<;o daSilgueiro e do oDicio
da c\mar.i mnoicipal da oteada da Victoria de 27
de jul '-o u!U:n que xeraia o primeiro aqaelle of-
icio al o anuo di I8'5, em que fii d*ile destitu-
d) miovidanienle, ta-jto que em 1869 foi nelle
reiotegrado, resolve oa conforraidade do que dis-
pi o aviso de 18 le j oero de 1836, e d 7 de
maio de 1851, q-ie reja reintegrado no sobredito
olfi;io Manoel de Brito Silgueiro.expsdindo se para
essefim a* eonveoens orden'.
O veapresi lente da provincia, alteolendo
ao que re^uereu o profesor de inslruccao prima
ria Uo Pinto de Minada, e tendo em vis^a a in-
formado Jo nsoector da thesouraria provincial
de 9 de agalo ullimo sob n. 473, resolve, na con-
formdade dj paragrapho primeiro do artigo pri-
meiro da lei n. 276, d>- 7 de abril orna commisslo dos Dr.s. Joo da Silva Kara a e
Pedro de Atbayde Lobo Mosceso, para verificaren)
a impossibildade poyales, allegada pelo peticiona
rio para continuar no magisterio.
O vice pre^idtn'.e da provincia, resobre no-
mear Hita Francisca djs Anjos Chacn, pira reger
interinamente a cadeira de instrucgo primaria do
nexo feuiinno da fregueiia J-S. Jos desta cidade,
durante o impedimento da pr i|essora Graciliana
Felieissima i>bnl, e mediana a gratiticago an-
nual de 600*000. Ex.ielirara-se s necesarias
communiagdas,.
Offi :io9 :
Ao geoen
mittrado por c >
c .in.in lanle das armas, trans-
>, o aviio de 2 do corrente, em
que o Exm. nSi4M da guerra declara, que o au-
xilii coiicel i para alugael de casa privativo
dos olUcia-'* i)o< corpoi arregimenudos movis,
que nao tiverem eomiujdos nos respectivos quar-
teis, e que a elle nao teem direito os d is depsitos
de instruco e recrutas.I^oal copia remellen-
tbssouraria de azenda.
Ao mesmo, recommendando que providencie
para que as tres horas da tarde do dia 15 do cor
rente si-ja pesia a disposi^ao do subdelegado da
freguezia da Boa Vista, ama forqa de linha, com-
posti de trinta pravas intaotaria e dez de ca-
valiaria, afira de naauter a ordem publica por oeca-
sio do leilao, que lera lugar no hospital porto
gaez.
Ao deaerabarjador procurador da cora e
"nenia nacional, p aillos de medico e dggjaiaco da posseRodrigo
pertencenie a Oomiogis Pereira Mendanba, pro-
cessadoa no joizo commissario do municipio da
Escada.
Ao inspector da thesouraria de (azenda eommu-
nieando, que, segundo aviso do ministerio da ma-
naba de 28 df se'.embro ullimo, expedio se ordem
ao da fazenda para ser essa thesouraria habilitada
com a quantia de 2:7o8/\79 ri?, para occorrer
as despezaa da verbafor^a navaldo exercicio
de 1870 a 1871, fahindo semelhanta quantia de
igual rubrica do municipi i da curie
Ao IUC.-H.J, tMnsmitiindo, para os flns con-
venientes, oito ordens, sendo sete do thesonro na-
ci)nal, sob ns. 194 a 199 e 202 e urna do ministe-
rio da guerra, datada de 5 do crreme.
Ao me3mo, inteirando-o de que era 18 de
seierabro ultimo, fra dlssolvido o destacamento de
guardas nacionaes, existentes na villa de Oaricu-
ry, por ter all ebegado o de polica, que o foi subs-
tituir.
Ao rae^mo, declarando que, de aviso do mi-
nisterio da jusiica de d) corrente, consta havar
se solicitado do da fazenda a expedica-) das neces-
sarias orden?, no sent lo 3e ser essa thesouraria
habilitada com a quantia de 128*000 para occor-
rer ao pagamento de passagem e coraedorias abo-
nadas a bordo dos vapores da companhia pernam-
bacina a presos de justija e as respectivas escol-
tas de Allgis para esta capital, durante os mezes
de .'vereiro e marco des te anno.
Ao mesmo, enviando, para ter o convenien
te destino, o titulo concedendo augmento de gra-
tiflcacao ao bacbarel Ianocencio Seraphico de Assis
Carvalho, professor de rhetori;a das aulas prepa-
ratorias da faouldads de direito do Becife.
Por essa thesouraria mandou-se pagar :
leronymo Pereira Marina, ou a Evaristo
Menles da Canha Azevsdo, os vencimentos relati-
vos ao mez de setemwo ultimo, do destacamento
de guardas nacionaes existaates na villa do Brejo.
Xlommunicon-se ao commantante snpsror.
k pessa que se mostrar autorisada a quan-
tia de 796*920, era que importara os vencimentos
relativos ao tempo decorrido do primeiro de jutho
a 27 de agosto deste anno, do destacamento de
guardas nacionaes da villa do Ouricury. Intei
rou-se ao commandante superior do municipio da
Bja-Vista.
pessa competente os veocimentos, relati-
vos ao mez de setembro ultimo, dos cornetas ca-
rins e tambores, empregado3 nos corpos da guar-
da nacional deste municipio.
quem so apresentar competentemente au-
torisado es vencimentos correspondentes aos me-
zes de jnlho a -eiembro dete anno, do corneta do
) batalhao de infantana do municipio de Ohnda,
Fransiseo Xavier da Silva. Communicou se ao
ujmoaodante superior respectivo.
A' quem se mostrar auterisado a importancia
dos vencimentos do destacamento da villa de Pe-
trolina, durante os meies de jnlho e agosto deste
anno.Interou-se ao commandante superior do
municipio da Bia-Vista.
Ao inspector da thesouraria proviniial, re-
commendando que providencie de modo a serem
i mecidos a casa de deteoca-) 2776 metros de pan-
no de algodao azul, necessario para duas mudas
de roupa a 300 presos d'aqnelle estabelecimento.
Communicou-se aj doulor chefe de polica.
Ao mesmo, declarando era resposta a con-
sulta que fez, que a importancia dos pagamentos
a realisar-se em dinheiro aos arrematantes das
obras do pac.o da asserobla legislativa provincial
e recons'rnccao do theatro de Saeta Isabel, deve
correr por conta do empreslirao autorisado pelo
artigo 40 da lei do orc,am nto vigente, visto so se
ter realisado a venda de 32 apoliew das prove-
nientes do crdito, concedido pelo artigo 48 da do
orcameoto do exercicio de 1870 a 1871.
__Ao mesmo, para mandar adiantar qualro
mezes de vencimentos aos destacamentos de Flo-
resta, Salgueiro, Fazena Grande, Ouricury, Fio-
res, Villa-Bella, Bom Conselho, e .ftr-fflfev 5SH. __
de Tafaaritinga, Goyanna, itamb, Carnar, Li-'
raoeiro. Pao g'AlhnjSrftareth. Victoria e Bonito,
tudo a contarj^Sv* de novembro vindouro.Com
municon*)*'* commandante do corpo de polica.
r wTeasa thesouraria mandou-se pagar :
Antonio Domiogaes de Almeida Pocas.a quan-
tia de 107*800, despendida com o sustento dos
presos pobres da cadeia do termo de Santo AntSo,
durante o mez de setembro ullimo.Inteirou-se
ao doutor chefe de polica.
Ao professor publico da povoacao de Proprie-
dade, Martlnho da Silva Costa, e a professora da
auinta cadetra da freguezia de S. Jos desta cida-
de, Graciliana Feliciisima Cabra!,o* vencimentos, a
que tiverem direito, como se ba pralicalo oom
outros em idnticas circunstancias.
Ao doutor cbafe de polica, declarando em
resposta ao seu otileio o. 1382, de 10 do corrente,
que proponha o que acbar con veniente, a bem do
servco publico, qunlo a alteracio dos lmites dos
distncios, a que se refere o citado offlcio.
Ao mesa o, respendendo. com urna copia do
parecer da conladoria da Ihesouraria de fazenda
au seu ofllso do 1.* de setembro ultimo, sob n.
1199, a que veio annexa copia de outro do delega-
do de polica do termo de Nataretb, solicitando es-
clarecimenlos acerca da despeza a fazer-se com a
acquiicao e remessa para esta capital de menores
destinados as companhias de aprendizes marinhei-
ros.Reste sentido offlciou-se ao juiz municipal
d> termo de Cabn b
Ao en i o ii ante superior da guarda nacio-
nal do muiici,.> do Reeife, recommendando que
designe tres rinciaes superiores para fazerem par-
te 'da junta,-que em ultima instancia tem de julgar
no palacio da presidencia, a 18 do corrente ao meio
dia, as pracis do cerpo de polica, Miguel Ar-
ohaojo Ferreira Pinto e foio Evangelista da Silva.
Communicou-so ao juiz de direiio da primeira va-
ra desta eidale.
Ao inspestor io arsenal de marrana, cora-
municando que, segundo cmsla de aviso do mi-
nisterio da marraba de 3 d crreme, era visla das
provas remetlidas aquella secretaria de estado, 8
ca annullado o concurso que se proceden em
vrtnde do aviso de 24 de maio ultimo, para o
preenchimento de duas vagas de amanuense na
secretaria dessa inspecc&o.
An commandante do presidio de Fernando
de Noronba, para que providencie conveniente-
mente, no sentido de regressarem para esta capi-
tal os preso*, qoe nao estando sentenciados a cum-
prir pena nesse presidio, forara para abi remov
do i da casa de detenclo, em consequeneia de te-
rem sido alaeados da molestia denominada beri-
hr, pondo em boa gnarda os objeclos, que ser
viram a es-es doentes e acham-se a cargo do me-
dico eucarregado do trataraeoto delles, ao anal se
determina que ta nbam regresse esta ciade.
Offlciou-se ao gerente da companhia Pernambu-
cana para fazer transportar o medico e presos,
quando voliar o vapor, e communicou-se o dou-
tor chefe de polica.
Ao mesmo, solicitando que, em enmprimen-
to ao aviso do ministerio da guerra de 4 do cor-
rente, receba nesse presidio, para onde serio e n-
viados opportunamente, M seolenciados gais
perpetuas da provincia di Parahyba, Antonio Sal-
vador de Oliveira e Flix, escravo.
Ao commandante do corpo de polica, auto-
risando o engajamenlo dos paisanos Manoel Bspo
de Lima e Antonio Pereira Pimenlel, se forera ido-
neos.
Ao chefe da reparlicao das obras publicas,
para mandar execnlar a obra do forro da sala do
locutorio do Gymoasio Provincial, de conformidade
com o orcamento qne remetteu.
Ao mesmo declarando em solac,ao ao sen
offlcio, qne conforme indica, a sua Qscalsacio as
obras do lyceu de artes e ofllcios, pertencenie a
sociedade dos artistas mechancos e liberaos, e
qne vai ser construido nesla cidade, deve limitar-
se smenle a execac.> da obra, segundo as re-
gras d'arte e da seencia, cabendo a mesma so-
ciedade a sealisago econmica e administra-
tiva.
A- engonheiro fiscal interino da estrada de
ferro do Reeife a Caxang autorisando-o a decla-
rar ao gerente djssa companhia, que n ser concedida a licen;a por elle solicitada, para
construir nma estacio provisoria junto ao arco
de Santo Antonio, era visla do que informan a
esle respailo a cmara municipal do Reeife.
Portara :
Ao gerente da companhia pernambucana
mandando dar transporte para o presidio Tle Fer-
nando de Noronha, por conla do ministerio da
guerra, alm dos seis subalternos e SO pra$as,
de que trata a portara de 4 do corrate, mais
um capitao, que vai commandar o destacamento
daquelle presidio, o dous sentenciados do 4o ba-
talhao deartilaaria a p, Jos Th;odoro da Sil-
va, e Antonio Pinto Rodrigue-.Communicou-se
ao brigadero commandante das. armas.
Despachos :
Antonio Riges de Sousa.A vista da informa-
cao nao tem lugar o que requer o supplicanle
Bernardino da Silva Cosa Cirapos.Passe por-
uria na forma requerida.
Bernardino da Costa Campos.Informe o Sr.
inspector da thesouraria provincial.
Basilio Jos da Barros.Passe portara conce-
dendo a lie ;nga requerida.
Braz Jps dos Res Informe o Sr. capitao do
porto.
Companhia dos trilhos urbanos do Recite a O-
linda e Beberbe.Intorrae a cmara municipal do
Recite.
Graciliana Felicssiraa Cabral.A Jhesouraria
provincial com offlcio desta data.
Ivo Pinto de Miranda.Dirija se o supplicanle
ao Sr. director geral da instruccao publica.
Irraands.de de Sant'Anna da matriz de Gravat.
Qaanto a parle nao tem lngar o que requer e
qnanio a 2" e ultima ser atteodda a suppli-
cante.
Jos Candido da Silva Braga.Entregue se me-
danle recibo.
Joaqun Gomes de Oliveira e Suva.Passe por-
tara na forma requerida.
Luiz Lopes de Oliveira.Requera ao governo
imperial.
Luiza Mana de Oliveira Lins.Dirjase com-
panhia pernambucana
Manoel Martins de CarvalhoComo requer pa-
gos os dreitos nacionaes, sendo esta remedida ao
Sr. inspector da thesouraria de fazenla.
Mariinho de Sousa Costa.A thesouraria pro-
vincial com offlcio desta data.
Manoel Francisco de Oliveira.Informe o Sr.
Dr. juiz municipal d> termo do Cabo.
Mara Alves da Fonseca.Dirjase compa-
nhia pernambucana.
Thomaz Jos das Neves.Como requer pagos os
diretos,nacionaes, sendo esta remetlida ao Sr. ins-
pector da thesouraria de fazenda.
EXPEDIENTE DO SECRETARIO.
Offhios :
Ao gerente da companhia pernambucana re-
commendando, de ordem da presidencia, qne d
passagem a proa at o presidio de Fernando de
Noronha, na vapor que para all vai seguir, a
Luiza Mara da Oliveira Lias e bem assim a sens
dons Albos menores. Igual, mutalis mulaaiis,
eerca de Mara Alves da Fonseca.
humanos, como fazem os seguidores das seitas
disidentes.
Quem estuda perfetamenle a religiao calholica,
por modo algnin deseja trata-la com i adinrenla :
pois dominado por seus encantos estende, que
nao em seus dogmas, como em sua disciplina
existe urna philosophia sublime mu superior aos
systemas dos borneas para deixar o coraoao huma-
no divagar por camiohos inhspitos em procura de
quera he occope todas as suas dobras.
Sin, eu nao besito asseverar, qoe se houveu*
perfeito conhecimeolo da le de Jess Cbristo, f*l-
tarnos-bia disposicao de a infringir e havena raaior
zelo por este excellente mimo d* co, a rebgiao
calbolica e apostlica romana, nica verdadetra.
Muito porm sera estndar a sabedoria da espo-
sa do Cordeiro Inmaculado e as suas caridosas
disposcjJes teem para si que certos actos e deter-
minados pontos da litburgia sagrada nao passam
d meras usanzas, contra as quaes eatendem ser
conveniente desfechar nma descarga cerrada; e
porqae os vivos podem reagr, os noffenMvos mor-
ios sao os que de preferencia veem a sefr r.
Percorrendo-se os nossos templos e seus campa-
narios em procura de algnns factos apropriados,
chega-se d'e9te modo a formar um parecer, cujo
resultado redunda mu priecipalmanla em prejuizo-
das pobres almas.
Qae christo haver, Rvdms. irmaos, que enca-
re sem magua urna lei que acaba com esta utilis-
sima instituiQao, este salutar aviso, para qne os
vivos orem pelos morios, dirijam a Deus urna pro-
ce por quem asaba de entrar pelos humbraes da
eternidade ?
Effectivamente, a lei em questo prohibe darie
um ; dobre pelos aadis: abl como isto sen-
sivel I i
O toque do9 sino' recommeadado por le
ecclesiastica, com> v->mj nos sagrados caones,
cujo resumo se contera nestes dous bem classicos
versos :
Laudo Deum verum, Pleben voco, congrego CUrem
Dejuncios ploro. Pestem fitgo, Festa decoro
Louvo o Dens verdadeho, chamo o povo, reno o
(Clero,
Choro os finados, afagento a peste, abrtlhnto at
(fentat.
lo|o de orar por sua alma, aDjis tem-
com mas attenfio do juizo que ^e nos
: sendo que separando-nos do pecca% e
|de um modo mais regular e acommodaV
S que professamos, podemos conseguir a
dofligello, varincando-se'nisto p verda
Itiduda Mereja tal respailo,
vemos, Rvms. irraais, quanu descrepam
stros qoe oo querem ouvlr o dobrar
porque o som lgubre ineommoda-lhes
tu aggrava-lbes o mal, borrorisaodo-se
lo, sem se lembrarem ser este Sacramen
aes i ole reabrir as portas do co I
na penltima revolugo francezi aquel-
j entendern)' que deviam inquietar al
,dos morios lancaudo-aa no fis30 com-
ram atroar os ouvidoa com tiros para
jjo ar, Nesla ..rovideoca bygieoica se
tais zelosos da sale publica que os li-
lorss dos nossis das prohibinJo com-
it os dobres dos sinos para nli arescer a
BnJo saber que eUa se reraove com ou-
lio. o remedio aconselhado pela santa
Bispado deOlinda
CIRCULAR.
JOO CHBISOSTOMd DE PAIVA TORRES, CONEGO
PACATHeDB*L'E TTffARio'7!\,PinJfc*R BA Mo"
CESE.
Aos Rodns. vigarios do municipio do Rfife.
Rvdtns. Irmaos.A' despelto das ponderales
por mim feilas e extradas as columnas do jornal
religioso Santa CYm e no Diario de Pernambuco
foi considerada como le urna proposta da cmara
municipal d'essa cidade reslringindo os toques
de sinos e sapprimiodo completamente os dobres
pelos finados I
Tal foi a decisao de ama corporacao a outros
respeitos digna de consideradlo.
Parece, qoe, oa se ignora a santa religiio qae
protestamos, oa se qar asommoda-la aos capricho
Vamos por parte :
Louvo o Deus verdadeiro : Por estas palavrai
podemos reflictlr, que os sino3 tangidos as nossas
solemnidades cooperam para os louvores do Seebor,
porquanto tendo Deus formado todas as creaturas
para um fim conveniente, a utilidade inherente ao
bronse sagrado, sonoro por natnreza diier-nos
com saa linguagem especial : Louvemos a Deu,
porqae elle foi quem nos creou e nao nos una aos
oulros: ipse fecil nos, el non tpsi nos, P. 99 v .
O effeito que produzia no tabernculo as cam
panhinbas que adoroavam as vestes do Ponlirtce
em Israel, o effeito que prodazem os harmonlosos
in9trumentos no recinto das nossas igrejas duran-
te os offleos divinos elevando aos eos os eerate*
dos que esto prostrados diante do Deas vivo do
latar tem por seraelhante o que ouvimos nos cam-
panarios, como que dzendo-nos com a igreja : Ao
Rei Immortal e invsivel, vinde todos, adoremos,
Regi immortali tt inmsibili, venite, adoremos.
Tem pois necessdale o coracio do homem deste
auxiliar para gradualmente elevar-se cima de tu-
do quanto terreno, tornando aquella voz unisona
cora a sua nos louvores de Deu9.
Continuemos :
Chamo o povo: E' por esta razio que se te^i
collocado 03 sinos as nossas torres, e que a igreja
assim determinando deseja que seus filhos ouvin-
do-os chamar-no3 aes actos religiosos consideren)
nisto a voz do sacerdote, ou melnor a voz do pro-
prio Deus para cumprr-no3 aos no3sos devere3
espirituaes.
Esta necessidade tao notoria e geralmente re-
conhecda, que os proprios Mahometanos, entre os
quaes proh bido o uso dos sinos, para isto se
servem de pessoas designadas, as quaes em horas
convedienles sobera s torres de sua9 mesquitas e
gritim para a cidade : Venham oraco, ve-
ntura a oracio.
A' mesma necessidade tem-se tornado extensiva
at s conaas de mera utilidade corporal, e isto
desde pochas remotas : porquanto vemo3 Plutar-
co (Svrapos., 4 quesl. 5) fallar dos sioos, quaodo
estes erara tangidos para chamar os hs hitantes da
cidade ao mercado ; assim como vemos em Stra-
bo (Greg. 14) que certa tocador d harpa em
urna cidade da Caria era em urna occasiao ouvido
cora grande nleresse, mas logo que o sino chamou
o povo a feira, aquelle ficou solitario.
E o que vemos tanto em uso entre nos, pois
nao ha estabelecimento scienlilico ou industrial,
nao ha reparlicao, nao ha fortaleza ou navio que
dispense este utilssimo instrumento.
Ora, se para misteres tao secundarios vemos
adoptar-se o uso pos sinos, abusar da propria
raiao nao reconeecer a sabedoria da igreja, quan-
por meio delles chama o povo para os inleresses
espirituaes, os inleresses da vida eterna.
ItfWM o clero: Postoque o mesmo toque ou
aviso que chama o povo a assistencia dos augus-
tos my-terios da religiao seja extensivo ao clero,
devendo este em virtude das divinas dUposiedes
celebrar aquellas actos, o sacerdocio calholieo
especialuiente congregado ao toque dos sioos para
a celebracao dessas grandes e transcedentes reu-
nios, a que chamamos-Concilio,onde em nome
de Jess Cbristo e sob as influencias do Espirito
Samo tratam-se dos negocios da nossa f da disci-
flina e governo da igreja para o bem espiritual e
eraporal da grande familia catholica.
Choro os martes : -Desde o alvorecer da nossa
existencia vemos os sinos servir-nos e nos seguir
duranto a vida. Quando as salutares aguas do 5 p-
lismo cahem sobre as nossas caberas lavando-n -s
em nome da Santissima Trindade, os sinos com os
seus ag rada veis sons dio a conhecer o nosso rego-
sijo : quando um povo M alegra celebrando os
mais solemnes das de sua emancipadlo poltica a
voz do bronse se nniformisa com estampido do
canbao, e os nossos fiihos reeebem de nos esse
bello ecthusiasmo lo agradavel ao coradlo do
homem.
Do mesmo modo, que na vida, os sinos nos aeom-
panham na morte, mas de nma maneira propria
para dispertar aos quesobrevivem o caminho, pelo
qual seguirio todos os mortaes.
A voz dos sinos se confunde com os lamentos
do filho, da esposa chorando, aquelle a morta do
pai, esta a do sen consorte e reciprocamente.
quando a f nos consol, disendo : morreu
para o mundo, mas conservase na lembranca
eterna, um snffragio, urna prece pelo repouso da
sua alma como ama fresca viraclo em u n cora-
gao magoado.
Este quadro para os indifferentistas nao me
mportante e qoe evidentemente mamteata a
trata
bra
a
arel!
suspe
deiro s
D'
deste'
dos
a o
da &
11 quei
Qaa
tes lioi:
as ciuz
mam,
desinfe1
lorrun
vres p
pelaio
peste,
tro re
Abnm'o as (e-tas: -Q era ignora qae o som
harnioQWfo dos sioos nos no-sos '.ampauarioi ale-
gra-nos o coraban e o torna mis fervealf ne ser-
vitjo da Deas ? E foi por este motivo que a g re-
ja dleftincu o sea aso, como um vertadetro au-
xiliar a.augmento da nossa pieJ-de, assim cono
a permlisao de os taoger nos das do fasta naci
nal na vkila do prelado ou do soberano.
J sendo eoslume amigo tocarem-se os sinos as
selemniijtdes do nasciwento do Senhor, da Pas-
dios, tfjRrtto Sanio e asumpcao da Saniissima
Virgemam como nos ofllcios divino, os S3. Pob-
liflees Mariinho 5, Km mo 4 e Leao amplia-
ran esta concessio s feslas do Corpo de Deus e
con tecio da vrgem, extensiva a tolo o seu oita-
varie.
E detta maneira vemos como o uso dos sin is se
le n esttadido a todas as solemnidades, ou estas
sejam fesliva oa fnebres.
Sobre sia ultima parte ou;mos o qae diz a sa-
grada eongregirao dos Lupos de 21 de agosto
de 1607:
i Dte ser conservado o pi eoslume de se do-
brar es sioos tanto a tarde como pela maaha,
quando se nxer o offlcio dos defuntcs. >
Qoaalo ao costuras dos dobres por occasiao dos
Tunara** diz a mesma congregarlo no primeiro de
maio de i17 e 28 da maio da 1638 que Me deve
ser conservado: assim como por disposieao ante-
rior daiaa de 19 de junho da 1583 reprova o uso
de se dobrar os sioos so pelas pessoas nobre-, e
commando superior, nos das i ,4 do torrente
as pravas do 1. esquadran de t ria> e
de mf otaria, que deixaram de com
peclo altroa.
1.* esqnadrao de cavallara
anana, e uaa
aprt^cer a ius-
iria. ^v^_
1. esqaalrio de cavallara. _\ de faieBd lim^s e arUd, no ,rmazem d*
lpente, Sebasliao Affooso do llego Barros, ruv n 40
capaYdo serviQo activo.
4Jtii*i Duarie Borges da Silva Jnior, prompto.
2 sarge!VEdaardo Augusto Ferreira da Mo-
rae?, 6 mezesnKlicenga para o seu tra'.amento.
Guarda, Jos DI*, da Veiga e S.lv, incapaz dn
servido emquan) nib^'.ec eperagao.
Dilo, M*noel Joaqulhada Cosa Carvalho, inca-
paz do servco aclivo. >.
Dito, Amador de Birros Cavateanle una, inca-
paz do servia) aciivo. "w
Dito, Justui.Csado Lima, i\paz doservigo
activo. ^s. A
Dito, Modesto do Rego'Baplsla, incaplMo ser-
viqo activo. V
Dito, Pergenlno N-ito de Azeredo Con '
incapaz do servido activo.
Cadeia n. 40.
PASSAGKIROS.-Vindos de Maco nohiale na-
conalSfiMS te Guarde:
JoaqnraMtodrigues Ferreira e sua ftlba, e Jos
Joaquim de .' ur'a e Silva.
A provincia e o paiz acabam de soflrer \in;\
\_ grande perda. O joven pernambueano, que se fino
nao por gualquer outro christo.
ante tirn o legislador o preceito que ve-
Desttj.
mos na donstitucao. porque se rege este bispado,
na quafl paginas 291, titulo 42, n. 828 temos :
i Justamente se introduzio na igreja catholica o
aso e ign .es pelos defuntos; assim par* QQe 9
fleis se lembrem eocommendar saa9--*faas a Dsus
Nosso SeSbor, eomo para qae se incite e avive
uVUfs oBsoutria da morte, com a qual nos re-
primimos e/aislemos dos pecatfos.
E' pois ajete modo lio claro que vemos ama
delerminagao naseada nos sagrados caones e por
isso preceptiva ao cathoHeo, o qual nao deve gao-
rarser daeompatenciada igreja legislar deoiro da
esphera de suas aitribnicSes, e contra as quaes o
poder secular nao pide sem gravssima injusti^a e
opposicao ao3 seus principios commelter m-
vasSes.
E na verdade, se o resultado do synodo cele-
brado na cidade da Babia no anao de 1707 f esta
constitnlglo, se sabemos que as suas leis foram
approvadas pe!a anioridale secular na parle que
Ibe diz respeito, sendo por esta razio onrigatorias
tanto em um como no oulro foro, evidente que o
poier secular prelender caprichosamente legislar
em disposiefles puramente espirituaes, commelter
urna verdadeira iuvasio contra a qual o bom senso
se opponhe.
E estaremos obrigado?, Rvms. irmaos, obedecer
a urna lei notoriamente contraria s disposigoes
t'"P(" 11-"* 3Htl l* iH T
Ah I Deus pervitta que a illu3tri53iJia cmara
municipal do Recie .reconsiderando no sea acto
reforme aquellas posturas enteodendo-se cora o or-
dinario para de commura aecordo fazerem desap-
parecer os abusos e nunca supprimir o que ella
por si s nao pie fazer.
Lamentando, como me curapre, tao triste oceur-
rencia, que tanto tem de3gostado s confrarias e a
populacao dessa capital, pedenio-se lhes poupar
este dissabor, en'endi ser do m?u dever inderegir-
vos as presentes lettras para mais esta vez certtti-
car-vos, que me profundamente desagradayel
seraelhante disposiclo como aeoimada de injustiga
e por iss) repugnante a minha consciencla, a qml
s a Deus deve rende' homenagam.
Registrai esta circular no livro competente, _e
contai sempre cora a mioha sincera consileragao
s vossas pessoas.
Vigararia capitular em Olinda, 17 de outubro
Conego Joao Chrysostomo de Paita Torres.
do s-rvico activo.
Dito, Manoel da Cunha Saldanha Jnior, incapaz
do servigo activo.
Dito, Coussi Juvenal do Reg, incapaz do servi-
go activo.
Dito, Joaquim Cava'.canle de Ilollairla Albu-
qaerque. incapaz do servco activo.
Dito, Virginio da Silva Fraga, prompto.
1.* batalho de aitiiharia.
Gjarda, Aodr Cursino Marques Vianna, ca-
paz Jo servil}] omquaato nao fizar operago.
I." batalho da afamara.
2" sargento, Jos Marcellloo Paes Brrelo, in-
capaz do servigo activo.
Guarda, Lucio F ancisco (Jos Santos, prompto.
2.* batalho de infantana.
Guarda, Joo Martins Pontea, incapaz do servigo
activo.
3.a batalho de infaotaria.
Altere.-. Joao Paulo de Carvalho, incapaz do ser-
vigo activo.
6.* batalho da iofantaria.
Alfares, Avelino Ltndolpho da Silva Mifra, in-
capaz do servigo activo.
O mesmo Illm. Sr. coronel commandante supe-
rior manda mais fazer publico qae S. Exc. o Sr.
vice presidente da provincia, por portara de 6 do
corrente mez, iranstero para o serviQo da reserva
tacando aggregado ao 1. batalho della, o Sr. ca-
pillo da 4.* companhia do 3. baUlho da iofanta-
ria Jos Marianno de Albnquerque.
Rodolpho Joao Barata de Almeida,
Coronal chefe interino do estado-raaior.
LOTERA.A que se a :h venda a 211.* a
beneficio do patrimonio dos orphos, a qual corra
hoje.
LEILO Hoje elTecla o agente Pinto o teili<
PUBUCACbH A PEDIDO.
Apontamentos para a blogra-
phla do Dr. Ovidio ^a asaa
Lobo.
i o extrae-
k.tooti-
lleparti<;o da polica
2.a scelo.Secretaria da polica de Pernambu-
co, 18 de ouiubro de 1871.
N. 1425lllm. e Exm. Sr.Levo ao conheci-
mento de- V. Exc. que, segundo consta das part
cpacoas recebidas Aoje n'esta reparlicao, forara
boato recolhidos i casa de deteucao os seguintes
individuos: >
A' ordem do subdelegado de S. Jos, Joto da
Cruz, escravo de Henrijue da Miranda, por crime
de furto e Joa juina Mara da Conceigo por dis-
turbios.
A' ordem do da Boa-Vista, Rodolpho escravo
de Jos Coutoho por tentar soiedar-se.
Deus guarde a V. ExcIllm. e Exm. Sr. Dr.
Maaoel do Naseimento Machado Portella, vice-
presidente da provincia.O chefe de polica, Her-
mogenes Scrates Tasares de Vasconcelos.
PERNAMBUCO.
Commando das armas.
QUARTEL GENERAL DO COMMANDO DAS ARMAS
NA PROVINCIA DE PERNAMBUCO, i# DE OU-
TUBRO DE 1871.
Ordem do da n. 582.
O brigadeiro commandante das armas em exe-
cugo a lei de 26 de maio de 1835, declara ausen-
te o Sr. alteres do 9 batalho de infamara Leoncio
Luiz Pinto Ribeteo, qne a 16 de agosto ultimo en-
trando no gozo de dons mezes delicenga que ob-
te ve do governo para ira provincia da Parahyba,
finaliBoa-a 16 do corrente a dita licenga, e anda
se nao apresentou ao batalho.Luiz Jas Perei-
ra de Ctrvalho.
EDITAL.
Luiz Jo Pereira de Carvalho, dignitario da ordem
da Rosa offleial da imperial do Cruzeiro, caval-
leiro da de S. Bsnto de Aviz, condecorado com
as medalhas, mrito militar e das campanhasdo
Uruguay, Buenos-Ayres e do Paraguay, briga-
deiro commandante da9 arma9 da provincia de
Pernambnco, ele. etc.
Faco saber ao Sr. alteres do 9.a batalho de
infaotaria Leoncio Luiz Pinto Ribeteo, e a todos
quelles que poderem e quizerem fazer chegar ao
seu conbecimento, que nao tendo elle comparecido
ao batalho no dia 17 do corrente por ter-se Ana-
deado no anterior a licenga de dous mezes que
obteve do governo para ir a provincia da Para-
hvba, foi boje em ordem do dia desta guarnigao
declarado ausente, e pelo presente edital chama-
do para que se aprsente dentro do prazo de
dous mezes, a contar da data deste, sob pena de
proceder-se a respeito de sua falta de comparec-
ment, nos termos da lei de 26 de maio de 1835.
E para que o referido Ibe conste, fialavrar o
preseote edital qne assignei e fiz sellar cjm o si-
neie das armas mperiaes, e que ser publicado
nos ....,,----------,-----
. iUdeda igreja ferindo-lhes as ougas com esta -^odie dei'ddade." "_"
Tm^os^ragn*gem : Recordai-vM qowiipjmej^ efaf ^ e-0DiMad:1fi armas
por Uso preveo! a juslica divina com a reforma p "ainJbaco, em 18 de ouiabro de 1871.
da vida. ___ r Luiz Jos Pernra de Carvalho.
Afugento a peste :Foi estampado no importan-
te Diario de Pernambuco am parecer, oujo autor
citando o bailo resnmo dos canonistas presin,
como devia, bomenagem a esta phrase afugento a
peste, mas contra a mesma absolntamante se de-
clarou, renlo qae os signaos fatem augmeniar
a calamidad* I
A peste com todo o sea cortejo de oppresso
o asurrague, de que Deas se serve para punir
os pecados do9 horaens; e quaodo pelo dotare
dos sinos sabemos qae am iraio baixia a campa,
RESIST 1) LABIA
AUTORIDADES POLICIAES.Por portaras da
presidencia da provincia, de 16 e 17 do corrate,
forara Horneados : subdelegado da freguezia do
Pogo da Panella, o tenente do corpo de polica Fe-
lcissimo de Azevedo Mello; delegado do termo de
Baique, o alteres do corpo de polica Antonio Han
riques de Miranda', delegado do termo do Bom
Jardiro, Joo Falippe de Mello; subdelegado do
2a districlo de Barreiros. Manoe Moreira Borges
Ucboi; e 2a suppente do subdelegado do 2a dis-
triclo do Ex Manoel Mandes de Figueiredo.
ELEMENTO SERV *A felicitago ao governo
imperial pela publicago da lei sobre o elemento
servil, promovida pela soeiedade patritica Doze
de Setembro, acha-se exposta assignatura publi-
ca, nos 9eguinies lugares: roa do Mrquez de
Olioda n. 39, escriptorio dos rs Luiz Gongalves
da Silva & Pinto; ra Primeiro de Margo n. 9,
livrara franceza ; ra de Vital de Negreiros, phar-
macia do Sr. Cruz Muo'z; e ra da Imperatriz n.
1, caf Imperatriz.
AO LIBPRALParecen exlranho ao Liberal,
de hontem, o faci de haver S. Exc. o Sr. vice-
presidente dirigido ao Ia vice-presidente desera-
bargador Assis Rocha o convite constante do offl-
cio qae fez transcrever.
Assim, mostra ignorar as boas pratieas sempre
seguidas em casos idntico?.
Embora o Sr. desembargador A3Ss houvesse
vindo da corle, ha mezes, com licenga da respecti-
va cmara, nao estava inhibido de, chegando aqui
a noticia do encerramento da assembla geral, as-
sumir a adrainistrago da provincia, como seu Ia
vice-presidente.
As atteng5e3 que reciprocamente devem guaruar
os vico-presidentes, e que determinam a pratioa
"de convite de tal natnreza, nio podiam deixar de
levar o Exm. Sr. Dr. Portella, como 2a vice-presi-
dente, a apressar-se dar ao Ia vice-presidente
communicago daquelle fado, proporcionando-lbe
occasiao para regularmente exercer aquelle dire.to.
Assim proceden S. Exc. em,1869, para com o
mesmo Sr. desembargador Assis, quaodo aqu ebe-
gou a noticia de estarem encerradas as cmaras,
dirigindo-lhe offlcio nos meamos terni09 do que ha
da3 dirigio-lhe, sendo ceno que entao, tambera ja
eslava noraeado presidente para esta provincia.
E\ portanto, sem fundamento a aprecago que
o Liberal faz do acto de S. Exc attribuindo-o a
motivo diffarente daquelle que o dictou.
GOVERNO DO BISPADO.Chamamos a alten-
gao dos leitores para a circular que sobre a pos-
tura municipal ultima prohibindo o dobre de si-
nos, acaba de dirigir o Exm. e Rvdm Sr. onego
vigaro eapitular aos parocbos da cidade do Recire,
a qual publicamos boje no lugar competente.
NOVA IGREJA DA PE.NHA.-Damos hoje em
nossa 8' pagina a deacripgo da nova igreja da
Penha, era constrnego presentemente, como com-
plemento serie de artigo* qne tsmos publicado
sobre os missionarios capuchinhos e seus traba-
mos apslolicjH^-gH^i^ os leil;
de
res o plano'fessa construego qe>pBWlJ|^ ''^n'" n"Mlliffnl" H" fr'mrrn'-4'' Antenio de Se
cerca de um anno, foi notavelmente alterado eflT *""J '! maraaM de SanU Cruz, eo infaga
n- Xas, I*"" it__ aloonlJiill
Commando superior.
QARTEL DO COMMANDO SUPERIOR DA GUARDA
NACIONAL DO MUNICIPIO DO RECIFE, 18 DE
OUTUBRO DE 1871.
Ordem do dia n. 40.
Manda o Um. Sr. coronel coranJaodinu supe-
rior publicar para para os devidos flns os parece-
res a* junta medica, procedida na secretaria do
jmente um servidor illas xe e dedicado da causa
pubSS. Qm espirito feito na pratica da admiiis-
tracaosti^, funecionario aciivo, consciencioso e d
urna p'robSade imraaculada ; nao deixa aDsidt
si a nica r\?rdae*0 ae uma v'u* consagrada ao
trabalho queW|raziaobrigado o desempenhoea
crupuloso de suasVunc5a8- ,. .
Muilo era que, hon*inenie PP>wado ao enra
primelo do dever, lheVa8" toao o esorgo
que Ibe permitti* uma riSMj ae9(,e muitoaae-
brautda. A pontualdade atVfver* Crm qaSl
rigia a importante repartgo, xj"9 l01 "
em doze annos ; a ordem em qn4A'r"!'",e
que a dexon ; a regularidade H**
andamento dos negocios seu .
demerado das numerosas quesldes qae
nuo Ihe era commetlido ; o voto esclarecido^
que ajudsu por um longo espago a administrar,
de nma importante provincia ; todos estes mlti-
plos cuidados e encargos nao foram os nicos
encher ama vida to curta como a do bacbarel
Ovidio da Gama Lobo.
Espirito eminenlee de ama inexcedivel laboro -
sidade, Ovidio Lobo foi, a mesm* tempo que h o-
radissimo e diligente funecionario, cultor ***"
te e desvelado da scienoa do direito. No foro, n >
jornal e em varios livros, deixou clarisslmo re -
vo do que valia e do que promet i i. As suas ts-
timadas coraplagoes, publicadas sob a forma mo-
desta de apontaraentos, poem nota nm espirito
superior que juntava applioaco os mais singu
lares e elevados dotes.
Conbecia-se-lhe ura rquissimo cabedal, raro
para a sua idade, que nma nobre arabigo de sa-
ber accomulava oa por dia. Tnba-a rentada
desde os primeiro* annos; as suas lides escolas
ticas o Bzeram desde eolio coahecido, e considera-
do, pelo seu notavel amor ao estudo.
To cedo nlo no-lo ronbasse a morte ; e ura di*
o paiz saudaria nelle ama de suas gjtfas seiaati-
fleas. rt
Mas, como aquella vida devia ser eurta I ijaai-
lo intil esforgo, quanla applicaco pacieni-, I -
boriosa, iofatigavel, rremediavelraente perdida pa-
ra as lettras patrias I O joven Ilustre que, quasi
anno por anno, dava um lvro edielar, como um
novo aftesiado de sea merecimento, e que fo ao
mesmo lempo integro funecionario e cidadlo nti-
li-simo, devia flnar-se aos trila e quatro annos f
Nascera Ovidio Lobo na cidade do Reeife em 2i>
de setembro de 1836. Foram seu9 pas o corcnel
Joo Baptiza Pereira Lobo, e D. Mara Thomasia.
Nones da Gama Lobo, um e outro provnoos rte
nobre e honrada ascendencia.
Apenas entrado em seus dezoito annos, linha o
esperangoso menino completado com raro aj.ro-
veilamento o curso dos preparatorios exigid os pa-
ra a matricula em nossas escolas de diret >. Nen>
por esse ensinaraento rudimentario passara ob.-
curo. O seu Ilustre parele e disiincissmo ho-
mem de ie;tias, o padre Miguel do Sacramento
Lopes Gama, annunciava desde entao as felizes
disposigoss do applieado estudante, mimoseando-o
com livros que Ihe dava ler e propondo-se di-
rigir-lhe o gosto litterario. Foram assim o* boas
e estimados classicos de no-sa lingua os que pri-
meiro concorreram para formar o espir'o do pe-
queo estudante
Tocando estados superiores, revelou-se o jo-
ven Ovidio uma verdadeira esp-ranga para as let-
tras. Emquanto saguia o curso de philosophia pe-
rante um dos nosso3 melbores meslres, consgren-
se a traduego que publicou de uro trabalho de
Charraa sobre o somno, visto psychologicaroenle.
J por esse lempo fazia versSes mullos correeras
para o Diario de Pernambuco, e eserevia arligos
Iliterarios para pequeos jurnaes que corriam en-
tre estudantes. .
Matriculado na Faculdade de Direito em ISoi
comegou dar distinctas provas de grande mere-
c liento. A sua vida acadmica um bnlnanu
estadio de sua carretea.
Ao mesmo tempo qua frequentava o curso com
tal pontualdade, qne em varios annos nao deixou
de ser prsenle um s da aos exercicios Oicola-
res, era conhecido de meslres e companheiros co-
mo um modelo de applicago. Acompanhava a*
lisgSes com o mais atiento estndo, consultando a*
fontos mais remotas do direito, anootando com m-
cessantes pesquizas sobre os monumentos de asma-
ca os compendios que lia, e asssim, revelando um
genio e hbitos pouco proprios sua idade.
Eram paginas escrever, si nos fizessemoi car-
go de rever a vida acadmica do ilhisire jovta.
O seu amor ao esludo de par com o seu brilhaua
talento conqnistarara-lhe quasi um amigo era ca-
da mestre. Muitos foram os que Ibe deram leae-
munho da mas dislncU consideracao. O Dr. Joa-
quim- Vuelta de Castro Tavares, cuja perda senti-
dissima tao para ser lamentada, bonravao com
as mas largas entrevistas era cousas da scieacia.
O Dr Braz Florentino Heonque de Souza e o br.
Dr. Joo Jos Ferreira de Aguiar, dous ornamen-
tos da Faculdade, nao duvidavam receber o jovaa
Ovidio uma verdadeira convivencia luterana.
Em quanto seguia com reconhecido aproveita-
mento o curso de direito, consagrava-se o labo-
rioso estudante serios trabalhos de imprensa quj
o deram a conhecer vantajosamente no mnnd>
"oblicuo ama tnducco do precioso tratado ao
italiano Zupetta sob o titulo de Metaphysica das leis
venaes. Havendo-a offerecido ao Sr. Dr. Ferreira
de Aguiar. que lia comjusU celebndade na ca
deira de direito criminal, foi honrado pelo sabio
mesire com nma generosa carta em que he exal-
ta o merBcimento e a correceo do trabalho.
Collaborou com rara assidnidae para o jor-
nal catbolico Progresso, merecidamente festeja-
do por todo o episcopado brasileiro. A orthodoxn
da doutrina e a pureza do eslylo. qoe p6z a sen-f-
eo da grande caosa religiosa, Ihe valeraa altos
testemonhos de aprego por parte di eminentes va-
vista das crcumstancias locaes e das convenien
cas publicas.
SANTA CASA DA MISERICORDIA.A junta
funeciona amanhs, 20 do corrente por ser hoie
dia da festa de S. Pedro de Alcntara, padroeiro
do hospital Pedro II, cojo acto, qne ha de ter
lugar s 10 horas da manbia, deve assislir a mes-
ma junta.
INSTITUTO ARCHEOLOGICO.-Ha hoje sessao
ordinaria, no lugar e hora de cosime.
INSTITUTO HISTRICO PHILOSOPHICO.-Ho-
je s 10 horas da manhla ha sessao, para se tra-
tar de assumpto importante e urgente.
I fWIUlIfl

vel'D Antonio Joaquim de Mello, diligentsimo
bispo" de S. Paulo, honravam-no com estrella
continuada correspondencia.
Posoia o hbil oven o raro dom de saber div.-
dir o sen tempo. O gas abi flea rei*irado ai,
bastava par* encher-lhe as horas que Ihe deixa
va iseotas o estudo obrigado das maten** do cur
lo asassociacSes scentficas luteranas qu*
sur'g.arad Xa ac.dem.ea ; as
joraes qoe tinham o sen pobtico ooa ****
Pacoldade, nao podiam dispeasar-se de coopera
gao activa do disiincto estodanie.
Eram essis .modestas asoelagoes um caav*
#
te
* <
j


Diario rmambuo Quinta feira 19 d OutubroJfc \^t
iberio discossao e ao exame das mais alias e
transcendentes quest5ededireito,philosopha, his-
toria, moni e tbeologia. Em qoasi todas ai tbe-
sea traiidas o debate, o talentoso |oven fazia-se
ouvir en itatj;lo fcil, lio elegante pela sim-
plicidad* como mero pela diceo.
a'~ restas Iliterarias, qae eram do ojo, e em
4ae a flor da sociedade das letiras primeva em
ostentar as anas opulencias, nao ppdia (uriar-.'e o
esperanzoso estadaate do concorrer com urna ora-
cao quasi obrlgada. As revistas do /liten? Per-
nambucano e En$aio PkHosopliic) atiestan) o rae-
reeimeoto de suas nnjur ij pr"'-i-.' "
Distincto pela excjMescia da f maldades e pelo
moho qne as cultivwr, o javen Ovidio titha es
pirito ardente e nofcMeaente. apaixonado por lo
das as grandes idae. A ruedaclo do Mtnt* Pi
Acadmico, qae se aropunha macter no curso
nm ceno numero da e*tu Jante* pot>re% d**eu-se
grande parte ao zelo caiilcso re Ovidio I/ibo.
Quando se trabn de rlg.r un tmulo nocemiie
rio publico eraaoraenagau^o fabio Joaonim V-
lella, foi Ovidio dos que mais se esforcaram por
dar ao lembrado mesire efla prova de immorre
doura gratido. Em todas as boas obra, qoe se
deviam generosa nspincao da raocidade aca-
dmica, va se-lhe o nome eulre os mais esur-
cados.
Vinbam d'abi.do trato amenissimo com que sa-
bia repartir-se ror todos os seus compacheiros de
ide soieniiflea, da attencao que guardva todo,
as sympathias que o acariciavam.
Quando, na forma dos estatutos ento et vigor,
se tratou de eleger o orador que representasse a
ova pleiade de hachareis ecn direito na augusta
oleumidade da investidura do gran, foi Ovidio
Lctoo o eseolhido quasf urna voz. O notavel dis-
curso, qne por essa oocasio prorio e corre im
presso, d testemunho de modo porque desempe-
ihonse nesse honroso mandato.
Recbenlo em 28 de novenjbro de i8b'8 o apre-
ciado grao qne sonbe honrar em sua curta car
rer*, logo em 5 de derembro foi o bacharel Olvi-
dioda GamaL'be nomjado ioterioamenle para o
importante cargo de promotor publico do termo Jo
Recife no impedimento do Sr. coaselheiro Dr. Joo
Alfredo Correa deOliveira que o exerejt como
talento de que tera dado moetras eoy-ia adn-
tadissima carreira.
No curio espago de um mez- tfba< harel Ovidio
Lobo fez-se coohecido
accusi;des que foi obri
jury, feram modelo
raeio e de eonci
apreciaco d; v.ovas.
E tal se rfl*rau qu
Descarregam boje 19 de outubro.
Patacho InglezMary bacalho.
Barca portngucza Woodcitlemercadorlas.
.Logar ingtoz-Gtr/ o/ ihe Psiai -natai
Nao na j'id.ciara. As
sustentar perante o
senso, d justa mode-
eserupulo no' exame e
em lo de jioeiro do anno
immediaJX foi nomeado delegado de polica do ter-
mo da capital, aceitando o novo cargo, que de ne
chura modo solicitara, instancias de amigos qae,
eonhecend >-lhe os mritos, desejavam ve lo desde
logo entrado na vida publica.
Deixaodo o exereicio em 13 de marco, erabar-
cou se para a provincia do Cear como secretario
da presidensa, cargo para qae fra nono/do por
decreto de 31 de jineiro. A eooftoncyTuaca in
terrompida qne mereceu ao Sr. conslneiro Silvei-
ra de Souza, que ento presidiajf/provincia, foi o
premio den ma dedica cao verdaeiramente impar
qual a com que seivio o illuure finado es a pro-
veito.'a. adroinistracao. /'
No Ceara Ovidi Lifco alliou se a urna impor-
tante familia pelo calamento que conlrahio em lo
de outubro de I83TO com D. Firmina Becerra de
Alboquerque^Has nao quiz Djuvqne este auspi-
ciado consocio estreitasse por multo lempo o jo-
vem e dJaTncto par, que urna tremeoda fatalidad?
devia/^artar dentro em um anno.
(movido por decreto de 27 de agosto d 1835
Pira o cargo de secretario da provincia do Mara-
nhao, grande e irreparavel desgrana aguardava o
infortunado joven?. O pagamento de sua idola-
trada esposa veio condemna-lo tudas as tristuras
de urna desconsolada viuvez.
Regres^ando com li:enc.a Pernambuco pro-
cura de diversao, que Ihe era aconchada, ja de
ento se Ihe no'ava visivel qutbrantamenio e.u
saa sale. Tola apphcaeao lu era prohibida ;
e elle era incestante no trabadlo.
De volla ao Maranho, onde se ro conhecido e
apreciado nos roelhnres circuios, uni se em se-
gundas nupcias D. Anua Isabel da r.unha, ilha
legitima de Joaqnim Biptista da Cunhi e D. Mara
Taercza da Silva Cunhi, pessoas disiincs e jas-
lamente estimadas.
De 1859 1871, o bacharel Ovidio Lobo reve-
!"u---e mais que funecionari) integro e Ilustrado,
^ervindo ininterruptamen'.e o car;o de secretario
junto ao goveroo do Hiranho, g>sou intlterada-
mente da conanfa de quantos administradores se
su "cederam era JJ longos annos. As variacSes
pr-litieas em nada Influram para perturbar essa
intima curdiaiidade que sempre ligou o tecrelario
ao presidente do Miranho. Encontrara o cada
um era sea posto, activo, diligente e honradsimo.
Desambicioso de elevarlo, nunes o bacharel Or-
dio Lobo fez se por qualquer modo recommendar
para cargos superiores da admimstracaoou quaes
quer outros. Os seus ttulos de recommenlacao,
qunlaopouco cu nala Ihe aleram, foram os li-
vrw :i pab.'icava com urna periodictdade quasi
regular, os Inrmno'os trabalbos e meditados pare-
ceres com que eonsultava em queslSiS de admi-
nistrafao, os numerosos escrptos com que appa-
recia diariamente na imprensa,
Em todas as sitnacSes, e sob todos o* governos,
o infatgavel secretario acuda pela defeza dos ac-
tos administrativos que Ihe pareciam bem aconse-
lbados. Is'nto snggesldes da paixo poltica, era
jornalista imparcialissimo ao mesmo lempo que
fonecionario zeloso. Traduzia a sua liuguagem
na imprensa os dotes singulares do sen corara > ;
nunca foi impetuoso, arrebatado ou severo. Sibia
vestir a censura em formas de extreme deliradeza.
vitando cnidadosameate descer do domiuio dos
prin"ipi';s e das ideas para o campo e-treito das
recrrmtnatSes pessoaes.
Cidadio activo, mostrava-so Ovidio Lobo inte-
ressado em tudo que toca ao interesse geral. Na
uta do imperio contra o ex- IL'tiJjr do Paraguay,
deven se Ihe em muilo o nobre enlhuiasmo com
qae a populacio do Maranho correa a ali*tar-se
"itre os defensores da causa nacional. O jornal
que redipia, c.nsagrou-se incitar, estimular o
promover esse.generoso movlraenlo.
K patritica asaociacao manumissora vintr oito
. iomo, que representa em 5. Luiz o movioieato
tmancipador, quasi foi fuudada a e-for?os do il-
u'tre pernambucano.
Tal foi o fnnecionario publico, o jornalista, o ci-
dadio. Ha ainda ontro prisma em que os raros
mritos do baeharel O .odio dd Gama l, b i se dse
Eham em largos tragos.
E" no silencio do gabinete, esquivan lo-se ao
convivio da sociedade, s cora os seus liVros e com
o sen respeilavel cabedal de instrnecao, que irnos
encontrar o distinelo tpmem de leitras, lendo, Te-
lendo, annotando, compilando, methodisando, cora-
pondo e recompoodo. Diante de um material im -
menso de livros, brocharas, opsculos, revistas e
jornaes :eil o i trabalhar longas noutes, aecn-
mulando dia por dia o froclo de suas laboriosas
pesquizis. Tbde o lempo que Ihe deixa forro o ira-
balbo obrigade, tddis as pausas e horas do ocie
que outras do de boa mente ao repouso, elle as
vem trazer saa o/Qeina ntellectal.
Lomo um presemimento, um rumor vago e in-
diciso do espirito, Ihe amnonciava tao prximo
desenlace. Era Ovidio cioso dos seus momentos;
eomo elle os sabia trazer contados, medidos e re-
partidos I
Evidentemente anda va apressado. Obedeca,
talvez senlinda-o, ara ehamameolo que nao
poda forlar se.
Emprebendia muilo; o muilo qae duixou, parte
publicado, parle-em esbofo, deixa bem ver que o
lempo Ihe falla va para tanto.
A' nenhuma de suas eompo3icoes parece ter
presidido um animo folgado e isento de outras
preuewparsa. Aos seus'quadros faltm o inovi-
mento e a vida; aos contornos faltajbe por vezes
a Inz. O desejo de acabar domina o autor.
. Nem de outroraodb poden bajtar-se aqnelle fe-
cundo espirito. Apenas edictjva um litro de ion
go folego, como os Jetuitat.pernje a kittoHa, to-
quenti arguyes eonta respeilavel ordem de Jess, o
oeancavel atjtor promellia oatro livr e aanaa-
ciava-o adiantado.
^, Mil o primlro era acolhido por honrosos teste-
^JjJHis de lodps os principes da igreia brr,slli;a,
^niravK"1 'mptessio um traharaadlodie de to-
da a leg-sla^ )r94?ciifi Aa Maranhao.
A forma alpte'belrcWfei0:!3 J9-6.--liSifigr 9e
presta i eonsnft, 'parecenJrui/iM o laborioso"
compilador. Ejcreveu aiztd por ella.am reperto-
orio de todos os actos egalaSores das iacQmua'tloi-
lidades e outro sobre attnbaicSej e ompeteTiea
das assemblas provmciaes.
Eotre esjas estimadig rompilacae?, merece men
ao multo honrosa o livro de graftde f)rmato que
puWleen, ha dou- annos, o bacharel Ovidio Lobo
sobre ot dlfeitos t.dttttn dqt estraigtos no Bra-
ni. Annanciado co togio era todos o eatajogo
das principaes bvr ,mr 0 B5.
cn>en co!^ i aJri^iaaa ib tejo ci d mostrir
fciiraohos que o estrangair no lra-il gosa de ex-
ensa liberdade em (odas as relacoes da vida. E*
lutamente coBgwg.idot n tomo do enfermo. De-
bal la os amigos, que os tiohaeWe em .glande nu-
mero, o.cercaran de todos esaeadesculse cuida*
dos, m ene a morte sabe zotsbar.
A a i 1|2 horas da oaaoha. 4a 19 de setembro,
o jovam es,'eranrisi, o fecuado esoriptor, ojir-
nalista-inlatgavel, o.faBcciopafio hpprado, o ear
[ioso dedicado, o pai- exampiar,.o amigo sem do
brrza, ara Ovidio da Gama Lobq um cadver I
. Para o paiz, para as leltras, pan sua numero-
n familia, qne vacuo immenso I A funesta no-
ticia enlntou a cidade de S. .Luiz. Fecharan) se*
as repartii;d3< publicas, vestiram-se de lodo os jor-
naes, e um prestito solemnissimo condozio ao ce-
luiterio publico os raslos do Ilustre peroembu-
cino.
Nao consentirn) os empregados d secretaria
que as despezas do funeral corressem por conta
da Exraa. viava. "Como ultimo tettmunbo ao
bondoso chefe, que os dirigir por 2. annos, e
quera haviam offrtado em vida um rquissimo re-
trato tirado oleo, quizaran) tornar si o piedoso
encargo de o conduzirem i suas expensas sua
orradeira morad*. s''
A' beira do tunnoVque i fechar-se sobre to
remido despojoy^*aram-se allocucSes anlogas
a tristissiraa ca->onia.
Pernarabico7 nao podia esquecer to distirnto
(litio. A' chegada da funesta noticia do seu passa
ment, os jornaes renderam ao jovem pe nambu-
caao o teslemunho saudoso da admira^o que
elle creou tantos ttulos.
Quando o biographo do Ovidio da'Gama Lobo
perpassar atieolao quadro de sua vid ao curia
m-s lo choia de acnteciment*, cviuir, como
romecmos, que a sua m?rle p' .natura foi urna
graole perda para o pat>.
Recife, 19 de outubro de^itf7l.
O communicado iV9t. Mircelino Jos Lopes
parece que foi es^MfpW para inglez ver. Quera
nlo sabe MttkJftra que os proprietarios nada
perdem com^faalquer imposto langadi sobre a
propriedi
QuanoVa assembla provincial legislou que fosse
aograj^ido o adlieiooal de 3 O/O sobre a dcima,
que equivale ao augmento de 900 rs. rfnnuaes em
asa que pagava, e paga, na razao de 3O0#0OO, e
"assiin por dianle na mesraa razio, o que fiZeram q
geral dos proprietarios? Augmentaram 60006
por anno, e o que augmentou 2i000 foi bem hit
mano. Agora com a empreza chamada geralmen-
tecambroneo qae teem fe.to os senhores pro
prietarios ? Causa horror o dizer. O que lem
consentido que o ioquilinq pague o apparelho
humano; muros teem augmentado na razio de
30 0/0, como conhec-o aiguns, e moitos augmen-
taram na razao de 2J06O mensaes desde Janeiro
do corrente anno; e oulros desde junho titulo de
pagamento do apparelho. Se qnizer-se provar
isto, nao precisa mis do que a jope llar para todos
os ioqulin vam e estio pagan Ja agora.
Se ha quem se deva revoltar centra os proprie-
tarios, o pobre o,ue j nao sabe onde v ver di
nheiro para pagar a casa em que mora, estes sim
tem razio at de implorar providencias com as ar
mas em panho. O Sr. Marcelino, como mora fra
da cidade e nao sabe quanto ee gasta em despejo
de materias fecaes e aguas servidas, por isto acn-
selha a resistencia; setia bom que nessa occasiao
e-twesse presente, para ter a sorte daqaella vez,
que, com a espada ?iota, correa e eahio desas
Iradamente...'... isto no oitao da matriz de Santo
Antonio.
A victima doi> proprietarios.
N. 419. OS CORADOS AOS DOENTES; EN-
FEHMIDADE DO F/GADO.-AlgUBs dos fados os
mais noiavois rotativa mente a incomparavel e frica
ciadas pilulis assucaradas deBristol as moles
as do flgado; forara recentemeote publicados. O
senhor Ad airara Sedgwick, d. Hartford, faz scien
te que ellas u curaran) de u na congesto do liga
do (obstando Ictericia) e i sto dentro em tres das.
Richard M. Phelps, o bem conhecido machiuista
de Piltsburgh, OQio, esareve :
< Os doutores me tinham como am caso desen-
gaado, quand) prmeipiei a fazer uso dis adraira-
veis plalas a&tbiliosas e alterativas de Bostul.
Elles chamaran) a micha moieslia dogenemeii do
ligado, e eu senta grandes dores do laio direili,
o qual se acbava incbado, prisioabstinada do veo-
(re perda total do appete. Um curso das pun-
as restabelecerara a minha saiide, e boje acho-uie
perfectamente bom; Eu as recomraendo a todos os
que padcem iguaes encorara id >s.
A seobora Sarah Jane Deraiag da cidade de. .1 .t-
sey, conclue assim a caria dirigida ao Dr. Brs -
tol. < S a vos-sa medicina (as pillas awusaradas
de Bristol) que devo o rostabelecimeato d^ mi-
nha sade depois de haver soffrilo do urna raanei-
ra a mais cruel, dorante o espaco de tres me/.e-
de urna febre biliosa e sezoes. > As pilulas acham
se mecidas dentro de vidrnhos, e por so a saa
conserya^ao Juradora em todos os climas. Em
todos os casos aggravados ou provenientes de im
pureza do angne, a salsaparrilha de Bristol deve
de ser nsada coajnnctamente com as pilulas.
COMMEBCtfJ.
IMPERIAL
Companhia de
co nira
seguros
fogo.
AGENTES
S. P. JOmSTON & C;
Rna da Senzala-nova a. 41*.
Seguros conlra-fogo
COMPANHIA
NORTHERN.
CapiUl........2O,000:000OOCi
Fundo de. reserva .... 8,000:0001000
Agentes,
Afi'//s Lathan C.
THE ALLIANCE BRlTIgH A FOREIGN.
Life and Fire Assurance Company ostabelecida
sm 18i. CapiUl 5,000,000
O agentes desta companhia tomara seguros
contra fogo sobre predios, gneros e fazndas t
pagam aqui prejuizos devidamente provados.
Rabe Sehmetla A C
Corpo Santo n. 15.
SEGURO CONTRA FOGO
The Liverpool 4} Landa A Glob
Iasuraace Compaoy.
Agentes :
Sauflders Brothers & C.
U Corpo Santo11.
PIUCA DO RECIFB 18 DE OUTUBRO
DE 187 i.
as 3 1/2 horas oa taadi.
Cotaoes ofciaes.
.\lodao i- sorte 585 rs. por kilo.
; Algodao da Parahybi 1" orle 650 rs. por kilo
posto a bordo a /rete de 1 d. e a 0(0 (honleao)
dem idea dera647 rs. por kile posto a bordo a
frete de 1 d. e 5 OjO (boje).
AJgoaao de Macei I* sorte667 rs. portlo pasto
a bardo a frete de 7|8 i. e 5 0|0
Cambio sobre Londres 90 div 2i lii d. por
UOOO (Hontem e hoje)
Fre.e de algodao daiut para Livsroool 7i8 e
SOrJveU..,
?'."^-~. -o *igoiao da Parahyba para Liverpoo"!^
Id.e5 0,0.
Dito de um lastro de assucar dem dem35| e 5
00 por tonelada.
t. O. Stepple,
Presidenta.
J?. J. Pinto;
Secretario.
Volumes entrados
*
Volme sabidos
com
com
cora
com
f.-.zendis
gneros
fazndas
gneros
3
391
um livro utilissimo, qae faria por si ama repu-1 vlaMOto da alfndeca.
lacao. -
Tal foi o pernambucano Ilustre qoe se tloou em
S. Luiz do Maranhao a 19 de setembro, suecun-
bindo longas enormidades aggravadas p?lo la-
bor Incessante que se votava hora p>r hora.
Legou 4 tilhos urna extrema pobreza, cornada
por orna memoria honradissima. A' saa incnso-
lavel viuva, dedicou nm testamento neslas pun-
gentes palavras, ultimas que Ihe cahiram dos la-
bios :Al DK TI I ANNICOTA I
etano de
71. S&StEP
dia /C
ALFANDEGA
Rendiraento do da 1 a 17. .
M 573:537*6*7
44:98M5tfl
618:522*147
Despachos de exportafo no din /
outubro. ^\
Pan os portos/- oiwior.
Na barca francesa J/^ancien, para o Havre,,
arrogara :. Tisset trefes 4 C. II saccas com
919 t|2 kilo de algo la* ; Angosto Fradertco de
Oliveira 109 ditas com 14,899 ditos de dita.
^Na barca Dglta Jeten Isabel, para ttrer-
pool, carregaram : Saonders Brothers & C, 384
saccas com 4t.366 k'los de aJgodio.
Na barca Ingleza Jane, para o Cans, carra/
garam : Jobnston Pittr 4 C. 23,030 saeqo com
471,000 kilos de assucar mascavado.
Na barca ingleza Latina, para o Cv
.regaran) : Satn Jers Brothers.4 C. llOTSccas
'cora 8,08o kilos de assucar maicavado-
NO patacho porluguez JXberal, para oorto,
carragaram : E. R. RibeU/'& C 706 coutoaisec-
eos coto 8,472 kilos, r
Para os portos 4o interior.
Na barcafa Constancia, para Maraanguape,
carregou : Joj" Bubosa de- Cirvalho Hunaa*
barricas coopto kilos de assucar blanco.
Nabfrcaga Umbelina, para a Parahyba, car-
regou> Joo Mariios de Birros 10 garraloes com
,a *?ros de genebra.
Paulino Bezerra de Mello Andra(Hjmt fi^tooo
Franeisao Amaneio Correa ^* 60*030
Miaael. Antonio da Souza F$g0 60*000
ManoaiJnacio da PaixJir^ 60*000
W;ooo
BTralcante ^>0*000
Eogenho Capibaribe. /
to de Souza Leao S 4t)0*000
Estrada do eogenho Roncior.
Silva
Souza
da Silva
jBessone
Ibu'-aerqte Hraada
y
nsuado de Portugal,
nvidamse os credores do fallecido subdifo
.. r-rtuguez Tnomaz Vicente de Carvalho a apre-
60*000 sentarem as suas comas neste consulado no praso
* de oito dia, para serem verificadas e pagas.
Pelo joizo de orphos desia cidade, vai a
praca, de vnn Ja, no dia 19 do corrente ( quinta-
feira) depois da audiencia, a barcaca Triumplmnte
pertencente ao expolio do finado Jos Francisco
dos Santos, a reqoeriroentodomventariaBte, par*
pagamento de dividas, 10b a base da atalia^ao de
200*000 rs.eoja barcaca saaaaa a rna do Brum,
aslaleiro confronte a fabrica dooaabo.
60*000
6o*ooor
ft*000
9*000
0*00
6*000
60*000
61*000
60*000
60*009
60*000
I7
RECEBEDORIA DE RENDAS INTERNAS
GERAES DE PERNAMBUCO.
Ileudiraento do dia l a 17. 47:597*974
dem do dia 18...... 3:764*487

31:361*461
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendimento do dia 1 a 17. '. 27:974*987
dem do dia 18...... 1 401*037
29.376*044
MOVIMENTO DO PORTO.
JVapiM entrados no dia 18.
Maco 4 dias, biate nacional Deus te Guarde, de
90 toneladas, capilo Hanoel Caetano dosSin-
lu, e^nipafeo) 8, carga 364 fardos de algodao
e sal; a Bartholomen Lourenco.
Rio Grande do Sul 26 das, barca portuguera
Nova Mariana, de 308 tonelada, eapilao Jos
Tnomaz da Costa, e-juipagem l, carga 15,600
arrobas de cante ; a Oliveira & Filhos.
Observando.
Nao houve saluda?.
Joa^alm Viafrade, /ello
Loureaeo kU/ Araojo
Antonio Luja* da Expeelaeao
ll^rculano Locas da Expedjaco
Flix Qemes
Jos ,anoel*aarle
lo-. Salvador do Espirito-Santo
Eogenho Roncador
Jo*epha Mara Peres 300*000
Moradores do eugenho-Roncadw
Herculano Jos de Barros 60*000
ifyatrciseo" Jos-de Barros 60J0W
Braaotcomandes Cavalcanle 60*000
Vicente Mendes Cavalcante 60*000
,JasTavars de Lima 60*000
Manoel Tavares de Lima 60*000
Joaquina Cavalcante 60*000
Ivo Ferretra Lobo 60*000
Manoel Muuiz JaSiUa 60*000
Luiz da Franca fromes 60*000
Martt* da-Roebr e Srlia fifl990
loao Soares de Figueirelo 60*000
Manuel Soares de Figaeiredo 60*000
Antonio Soares de Figueiredo 60*000
Jos Simes de Figueiredo 60*000
Antonio Felippe Santiago 60*000
Antonio Manoel Pereira- de Mallos 60*000
Manoel de Paula Vietor 60*000
Evaristo Je Paula Vctor 605000
J>ao Gregorio dos Rais 60000
Manoel Izidro de Oliveira 60*000
Olegario Francisco da ConceicSo 60*000
Constancio Jos de Souza 60*000
Manoel Francisco da Conceicao 60OJO
Ignacio Gimes da Silva 60*000
Bernardioo de Sena e Silva 60*000
Felippe Vinsslmo da Expectacio 60*000
Antonio Lucas R boro 60*000
Rlenterio Francisco de Araujo 60*000
Francisco de Panto de Aranjo 60JOOO
Luiz Gomes de Araujo 60*000
Luiz Jos Bombo 60*000
Joio Manoel da Silva 60*000
Juparanduba
Francisco Manoel Xeoxem 60*QOO
EDITAES.
-X.
O lllm. Sr. inspector da Ibesourara provin
cial era enmprimento da ordem do Exm. Sr. vi-
ce-presidente da provincia de 17 de agosta pr-
ximo fin Jo manda fazer publico qoe a meaaa the-
souraria vende 500 apolices da divida provincial
no valor de 100* cada urna, venceodo o jare de
8 0,0 ao anno pagos por semestre na ffguada
quiozena dos mezes de jultu e Janeiro, e deveaslo
ser resgiiadas na quiazeoa deete nllimo roez ab
servaado-se a numeraco segnida e tanUs qnan-
tas ,.ermttirem os crditos votados auaxulneate
preceden Jo annoneos. Os pretendentes eoiapa-
recam na mesma ihesouraria no praso de 30 dtas,
a contar da dala desle E para constar saiaun-
dou publicar o preiente pelo jornal.
Secretaria da hesouraria provincial de Paraam-
buco 5 de outubro de 1871.
Conforme.Servin do de offlcial- maior,
Landelino de Luna Freir.
DECtARACOES.
O lancidor da recebedoria desta provincia
abaixo assiguado previos aos moradores. da re-
gnezia de S. Lourenoo da Malta de qae Catira col-"
lectados para pagaran) o imposto pessoalVo cor-
rete exereicio ae 187172.
Penedo de baixo.
Aoionio Leandro da Silva 60*000
.1 m,i Raptista da Silva 60*00)
Joo Gomes da llera 00*000
Joaquim Jos daSani'Anns 60*000
i s Gomes Martello 60*000
Franiisco Antonio de Moraes 60*000
Jos CorreadoQueiroz Barros 60*000
Jos Ignacio da Purificacao 60*000
Antonio Florencio Barbosa 72*000
Germano Jos Luiz 60*000
Joo Caroeiro 72*000
Eradlo Biptista da Silva 60*000
Manoel Isidro da Rocha Falce 400*000
Manoel Lioanio de Oliveira Mello 120/000
Boa-vista
Joaquim Francisco de Araujo 60*000
Jos Gomes 60*000
Manoel de Souza 60*000
Firmiano Jos Rodrigues Ferreira 100*000
Moreira.
Barnardino Gomes de Lyra 60*000
Marcelino Ribeiro 60*000
Loureago Ribeiro 96000
Severino Baptisia de Castro 72*000
Moradores em terris do eogenho Camaragibe.
Guilherme Manoel de Miranda 96*000
H-irculano Tavares 72*000
Joaquim de Sant'Anna Borges '.ni*030
(iuilhermioa da Silva Vieira 60*000
Fr&ociaeo Pereira da^i^va 96*000
Ginhermino Amaucio Coria 96*000
Heiriiues'Gomes de Alencar 96*000
Antonio Marcelino de Moura 60*000
Manuel Mauricio de Moura 96*000
Jos Joaquim de Sant'Anna 72*000
Agua da Materia.
Francisco Amauci Corre i 60*000
Eogenho Camaragibe.
Visconde de Caaaragibe 600*000
Miradores era trras do eogenho Timbi.
Olympio Ferreira Coutinho 60*000
Theotonio Jos Bernardo 60*000
Francisco Jos de Salles 72*000
Mmoel Alvesdo Nasumento 60*006
Jos Nunes Vianna 724000
Antonio Gomes do* .Santos 60*000
Felippe Santiago 60*000
Jos Fraccisco Gooc/lves 60*000
Julio Carneiro Leao 60*000
Jos Joaquim Campello 60*000
Manoel Joaquim Campello 60*000
Manoel Goncalves do Nascimeulo 72*000
Severino da Luz de Almeida 60*000
Francisco da Luz de Almeida 60*000
Joo d 1 Luz de Almeida 60*0M
Fransina Mara do Sacramento 60*000
Jos Florencio da Cuoba 60*000
Francisco Jo: da Luz 60*000
Felippe Duarle 60*000
Francisco los de Sant'Anna 72*000
Joo Ribeiro Pessoa 60*000
Vicente Ferreira da Cuaba 72*000
Joo Dias Campello 60*000
Antonio de Souza Falco 60*00
Manoel Ignacio Baptisla 72*000
Eogenho Timbi.
Visconde de Camaragibe
Moradores em. trras.do eogenho Moeam
biflzje.
Herculano Gongalva de'Castro
Joaquim Justino de Aranjo
Joaquim Ribeiro de Brillo
Jos Antonio da Silva
Francisco Antonio de Oliveira
Manoel Antonio de Souza
Eogenho llofambique.
Romo Alexandre Brando de Mallos
/ Maeambiqae central.
Bernardo Jas de Souza
Sern* Cwneiro da Silva
Victorino Bran*** *a&o>-
AnIonio Gancalve* Bran'dio de Mallos
Angelo de Araujo
Moradores
Moradores Jo engenho Roncador margem do no.
Manoel de Paula R-is 60*000
Man el da Cnnha e Roeha 60*000
Luiz Gomes de Sonza 60*000
Sebastio Bezerra Cavalcante 60*000
Ciaudino Jos de Souza 60*000
Antonio Felippe do Reg 60*000
Aniceto Correa da Silva 60*000
Moradores do engenho Roncara
Christovio Allemo 60*000
Flix Marinho de Barros 60*000
Joo dos Santos Rodrigues 60*000
Jos Francisco Telles de Msndonca 60*000
Joo Theodoro de Araujo 60*000
Jacintho Jos Rodrigues 60*000
Manoel de Barros Correa 60*000
Pedro Camilla Ferraz Dallro 60*000
Engenho Roncara
Jos Ferraz Daltro 200*0000
Moradores do engenho Catar
Felippe Gome* Santiago 60*000
Joo Marinho Falcao 60*000
Jos Vctor de Mell 60*000
Jos-Joaqnim da Costa 60*000
Manoel Gomes da Silva 6'tjOOO
Miaervino Apulio da Expectaco 605000
Manoel Antonio dos Santos Falcp 60*030
Teaente-coronel Luiz Francia :o de Barros
Reg 400*000
Eogenho Quisanga
Capitao o^s Francisco de Barros Reg 400*000
Engenho Penedo de Cima
Antonio Jos Duarle 300*000
Estrada de S. Lourenco da Matta
Agostioho Luas de Sant'Anna 60*000
Accurcio Jos d Medeiros 60*000
Antonio Jaciotho Pereira 60*000
Angelo Joaquim Marcono 60*000
Fraoklin Jos Carneiro 60*000
Francisco Rodopiano da Fonseca 60*000
Francisco de Paula Costa 60*000
Gabriel Campello da Costa 60*000
Ignaeia Maria do Espirito-Santo Mor 60*000
Jo Correa dos Prazeres 60*000
Joaquim Ferreira Coutinho 60*000
Joo Rib iro de Oliveira 605000
Joo Ribeiro Tr'ixeira de Mello 60*000
Joanua Maria de Jess 60* 00
Joaquim Baptista da Silva 60*000
Manoel Joaqnim de Vascoocellos 60*000
Manoel Fraocisco da Cruz 00*000
Maioel Francisco de Sjuw 60*000
Antonio Ribeiro de Sonza 60*000
Macacos
Joaqnim Marques 60*000
Miguel Joaqmra do Reg Barros 200*000
Alexandre Kooteiro do Espirito-Santo 60*000
^Carlos Augusto Ribeiro 60*000
Cosme Damio Campello 60*000
Al-xandfina Cavalcante de Albuquerque 60*000
Joo Francisco de Araujo 60*000
Tabatinga
Guilherme los dos Santos 60*000
Jo- Ignacio do Sacramento 60*003
Bellarraino Jos de Oliveira 60*000
Luiz Gomes da Silva 60*000
Jos Francisco de Castro 60*000
Jos Rufino dos Santos 60*000
Antonio Jos Carneiro 100*000
Manoel Francisco de Moura 60*000
Ignacio de Mello Cava cante 60/000
Capilo Manoel Antonio 2O0*00J
Manoel Pedro 60*000
Recebedoria de Peroarabnco, 17 de outubro de
1871.
O lancador,
Manoel Antonio Ribeiro.
200*000
60*000
60*000
60*000
60*000
60*000
60*000
do engenho Capibaribe.
Antonio Flix de Lima,
Antonio Joaquim da' Silva Pimentel
Antonio de Bnriros "Wanierley "
Joo Maria Po&cber
Joo Soares Lobo
Firmioo Alves Pacheco
Odorico Jos Daafte"
Francisco Jos'de VasconselJos
Pedro Montiro d Silva
180*000
72*6*0
60*060
ujMOi'O
72*000
Fiscal isa tao da freguezu de S. Jos, 16 de
outubro de 4871.
O fiscal da freguezia de S. Jos, faz sciente a
todas as pessoas mora loras na mesma, que d'ora
em diante passa a mandar varrer as ras de
Marcilio Dias, Vidal de Negreiros e coronel Suas-
suna, as madrugadas de demingo para segonda-
feira, terca para quarta, quinta para sexta e sab-
bado para domingo, isto at o chafarle do largo
do Viveiro ; segonda-feira para terca, largo da
Ribeira, Assurapco, e Domingos Theotonio; qoar
ta para quima-feira, Santa Rita Nova, dita Ve-
Iha, Santa Cecilia, S. Jos, travessa do mesmo
nome. As demais sero varrdas de dia : quem
ti ver lixo em suts casas podero deitar daa 10
horas da nonle de lodos os dias aqui mareados,
isto em vasilhai, --oh pena de serem multados os
que botaren) de da, as ras cima mencionadas.
O fiscal,
Ernestlno Cavalcante de Albuquerque.
Consulado de Portugal.
Coovida-se es credores do fallecido subdito por-
luguez Franciseo Leuaeaco da Silva, a apresen-
tarem neste consolado, ao praso de oito dias, as
suas cootas-para serem verilfeadas e pagas.
Codsulado de Franca e da
Suma:
Previue-se ao respeilavel publico que est a
venda a pttarmaeia de P. Manrer A C e qua ser
adjudicada a quera mais liarecer.
As proposias devem ser feisas por escriplo ao
consolado de Franca ou.daSatasa era ujas chan-
cellaras as pessoas que desejarea coaeorrer para
tal acquisicao podero obter os oeeesaarios esela-
recimeotos todos os dus das-10 as 4 da tarda at
o 1* de novembro.
Recife, 17 de oulutiro de 1691.
*------------------------- 1 1
Consulado (Je Portugal.
CooviJa-se os credores do.fallecido subdito por-
luguez Antonio loaquim de Brito a apresentarem
as suas comas neste consolado no praso jle -oito
taarTaww yeriflgadTa pggasT^'
CjasuIdiEde Portugal.
Coofidaovse os credores de taUaeido subdito
porlagaez Jos Rodrigues Martias, a apresenta-
rem neaie consulado, 00 praso de oiio das, as
snaa-contas par serem verificadas e pagas.
CwWlaDO DE PORTUGAL.
Conyidam-se os credores do fallecido subdito
,portuguet Manoel Bapsta Barbosa, a apraaenu-
0*600 frera neste consulado, no ptaso de oito da, as
150*0001 snae coutas para aere virflcadas e pagas.
Corrcio geni
.Rfilacao dos objectos registrados Bxis'enles
na admiitrai.'o do cor-re i j desti pro-
vincia, para as pessoas abaixo meucio-
Dfdas.
Andr AIvjbj Gama, Antonio Augusto da Costa
Lacera, Antonio de Amorira Garca, Ed J. Car-
rol!, Francisca Carolina Silveira do Val, Higina
Maria do Espirito Santo, Joaquim Lopes Bastos,
Jos Ellas de Moura, Jos Olimpio dos Santos, Joo
Antonio Gomes Guimares, Joo Pinto Ferreira
Guiraaraes, Luiz Candido de Araorim, Luiz Igna-
cio de Oliveira Jardim, Marianna Ribeiro Lapa,
Mauricio Francisco Ferreira da Silva (3), Manoel
Franciseo, .Manoel Jubo da Silva, Presciliano Olim-
pio Nogaeira Neves, Pedro Gaudiaoe de Rates e
S Iva, Pasquale Guglicimino.
Administra ;ao do correio de Pernambuco 16 dd
outubro de 1871.
O enea-regado do registro,
A. Gomes da Suva Ramos.
THEATRO
No vi da de do dia !
Quinta-feira 19 do corrate
Grande successo !.
BENEFICIO DE
THOMAZ ESPIUCA
Comedia drama em dous actos representada no
Rio de Janeiro pelo beneficiado, 64 vezes
O actor Penante por ordem positiva do anthor
perteocer ao sexo feminino durante a exbibicao
da acea cmica
Terminar o espectculo com a nova comedia
em 1 acto
Diabo trdz di porta.
Tomara parte as Sras. D. Jesuica e D. Carolina,
e os Srs. Lyra, Peregrino. Braga e Florindo.
Principiar as 8 1/2.
v Findo o espectculo haver trera para todos os
pontos da liotia al Caxanga.
AVISO? MARTIMOS.
HU 0 PORTO
Acba-se carga a barca portugueza Clementina
e pretende seguir com a maior brevidade : qnem
na mesma quizer earregar ou ir de passegem, tra-
te com os consignatarios T. de Aqnino Fonseca &
C. Succe'ssores a ra dotVigario n. 19,__________
~M DE JAREIRO
- Para o porto cima segne com brevidade o bri-
gne nacional Dtnnao, tem parte da carga engaja-
da, e para o resto que Ihe falta trata-se cora os
consignatarios Antonio Luiz de Oliveira Azevedo
& C, rna do Bom Jess n. f>7, l" andar.
Pjira o Porto
Vai sabir no dja 20 do corrente mez o patacho
portugnez Liberal capilo G. I. Lia), ainda recebe
alguma carga e passageiros : trata-se cora E. R.
Ra bello & C. ra do Commercio n. 48.
tOMPl\IIIl
DE
Navegapo Brasileira
At o dia 23 do corrente, espe-
rado dos portos do sul o va-
por S. Jacintko, eommandante
Aikins, o qual depois da demo
rado costume seguir para os
portos do norte
Desde j reeebem-se passageiros e engaja-se t
carga que o vapor poder condnzir, a qual deveri
ser embarcada no dia de sua chegada, encom-
nendas e dinheiro a frete at as 2 horas da tardt
de sua sabida.
Nao se recebem como encommendas senio ob-
jectos de peqneno valor, e que nao excedam a 2
arrobas de peso ou oito palmos cbicos de medi-
Co. Tudo que passar destes limites dever ser
embarcado como carga.
Previue-se aos Srs. passageiros que snas passa-
geqs s se recebem na agencia, roa do Com-
mercio n. 8.
LEILOES.
co
te* de casimiras
(VARIADAS)
A'S O lti HORAS
O agente Pinto levar leilao, a requerimento
de Rocha. & C, por autorisacie do cnsul de Fran-
g, em prsenos ae seu chanciller a por conta e
risco de quem perteocer de urna caixa marca R S
A C. n. o52. com 10 cartoes com casimiras finas,
avahadas, bordo do vapor fradeez Amazone, na
sua ultima viegem este porto.
O leilo ser effeemado s 10 1|2 horas do dia
cima dito, no armazem da ra da Cdela n. 40.
DE
Urna mobilia de amarello, com 12 cadeiras
de goarnic3< -2 dil-is de bracos, 2 ditas
de bataneo, 2 consollos e 1 sof, 1 ca-
ma fraoceza, I lavatorio com perteoces
de porcelana, 1 meia commoda de ama-
rello, 1 marqoaza, 1 meza de jantar, 1
apparador, i meza de cosinba, 6 cadei-
ras deamarelks 6 dirs americana, 2
pares delrterais de crystal, 2 caodiei-
ros agaz, 1 par de jarros, 1 tapete,gran
de e'tdito peqpeuo, escarradeiras, 1
tnarqoezao, Ion (ja para almoco, dita para
jaular, e trem de cosinba; todos estes
movis tem milito pooco uso.
HOJE
O agente Martins fat Icilao, por antorisaefio,
dos movis cima, os quaes se acham muito bem
conservados e pono oso tem, as 11 boras do dia
na ra das Triueheirae n. 44.
LEILAO
DE
Duas tercas partes d>4 Ifldo sito ra
do Bemfica n 42, na Magdaleo?. o ijnal
podapi os- prtondenUt- 4iDar com
aoiieipacSo.
a jUMo ooi i tajag-
Por mnJado d-Hlm. Sr. Dr; jok especial do
commercio d->sia ataade, a~reqaerimeoto dos ad-
ministradores da maesa fallida le Sebastiio. Jos
da Silva, o agente Oliveira expora novamente
leilo as 2|3 partee do exceHeote sobrado supra-
diio7o qual se torae recoosaendaver quanto apra-
sivel pel sua boa.CDnsirafcao aamenidade da
localidade, e proprio para quenr procura arrabal-
de saudavel, lendo a vantagem da conduelo dos
excellentes bonds:
HOJE.
ae *k> dia-em ponto, no estriptorio do nre?nw
agente ra do Bom Jesos, 1* andar.
V #
I
DE
FAZNDAS
fraacezas e iugiV/as
limpas e avariadas
HOJE
No armazem da ra da Cadeia
n. 40.
O agente de Ieil5es F. I. Pinto, levar leilo
qor ordem de diversos, e por conta e risco de
puera peruncer, nao s um grande e variado sor-
timento de fazndas francezas e inglezas limpas,
como tambera differentes fazndas com averia de
agua salgada, constando de madapoldes, algpdftes
apakas, bros e caiemirat finas.
O leilo ser effectuado no armazn da rna da
Cadeia n. 40.
Principiar s 10 horas em ponto.
. LEILAO


/*
DE
azendas avariadas
Constando de
madapoloes, alg ides, cbitas alpakaa e len-
cos de algodao
Quinla-feira i) do crrante.
As 11 horas do da.
Por intervengo do agente Pinto
No armazem da ro da Cadeia n. 40.________
LEILAO
DE
Cbapog do Gbile, differentes chapeas para
senbora e la para bordar
Hoje
A' 1 HORA DA TARDE.
Por ntervencao do agente Pinto, no armasen-
da rna d Cadeia o. 40.______________________
NE1LA0
DE
Um sobrado de um andar e rot3o e terraco,
com 32 palmos, v5o de cerca de 70 de
fundo, no bairro de S. Jos i roa oe S.
frito
Qialro metas ajtias no fondo o mesmo
sobrado, que renden) 325 mc-nsaes,' (lodo
novo e bem construido.
Sexla-feira 20 do corrent*.
A'S 11 HORAS EM PONTO.
Por iotervenco do agente Pinto, em seo ee-
criptorio, ra da Cruz n. 38._______________
LEILAO
DA
Armscao, gneros e mais pert. n es da ta-
berna, sita na roa da Bica de S. Pedro
n. 1 em Olinda.
O agente Martins tara lefia >, por ordem do lllm.
Sr. Dr. Claudio) de Araujo Guimares cnsul por-
luguez, da arm -.ca >, gneros e mais pertences da
lab 'rna cima, pertencente ao espolio do subdito
porluguez Jos Rodrigues Marlins.
Sexta-feira 20 do corrente,
A's 11 horas do da na mesma tabe'oa, rna
da Bica de S. Pedro n. 1 em Olinda.
,V<

i
4
LEILAO
DA

Armaco, gneros e mais perteoces da la*
berna da roa da Boa-Hora em Olin la
Sexta-feira 20 do corrente.
O agente Martins far leilo, por ordem do Sr.
Dr. Ciaudino de Aranjo Guimares cnsul porlu-
guez, da armaco, gneros e mais psrtences da
taberna cima, pertencente ao espolio do subdito
porluguez Jos Rodrigues Martins.
Ao meio dia do dia cima na mesma taberna
ra da Boa*Hora era Olinda.

LEILAfl
DA
Louqa da trra, armaqo egaz
do aimazem da raadoRan-
gel n. 4.
Garante-se o armazem.
O agente Martins far leilo, precedida a com-
petente antorisacao, da armaco, gaz, e buca da
trra do armazem da ra di Rangel n.4, em dous
ou mais lotes conferme avontade doscompraoies,
garantindo se a continuado da casa ao comprador
da armaco.
sabbado ti do corrate.
A's 11 horas do dia no mesmo rmazeoa.

VISOS DIVERSOS
ISSTITL'TO ARMMO E E66RAHH-
00 PERWMBIJCANO
Haver Kss3o orJiaaria quiota-feita, 19^
do correte ooUbro, pelas il horas d*,gMi-
nba.
ORDRH DO DIA.
Discosso sobre proposta
Pareceres e mais trabalbo do wmJW*
dolBatnto, 16 de tufen*
J. Soares d^AfmQ
Secretario patytoo-
s
'i
Secretaria
de 1874.
JUiao-'DU ohiaos.
Peto inno de orptoadesta eidade, vafc^praja,
da venda, no da 19 do correte (o^rntovialra) a-
pois da audieno, a barcaca mumjm enoente ao expolio do tinado Je4*MHfew*w
Sanios, reduerimento do intealiafcnle, pera-pa- '
gamento de dividas, sob a basa-dara%io Ati
1:00*, en ja barca? se aeta trna daBrutaa, **
uleiro confronte a fabrica do sabio.

1


diario de Peraambuc Quinta era 19 de Oulubro de 1871.
*'
0r*da.
Precisi-s* de no* criada para todo o aerWg
da-ama casa de penca familia : ni roa do Viga
rio o. 33.
achou
ama paUI Vello com fecho de oaro, per-
dida no 8 lo torrente por oceasiio da
ladalnha no fl^HI Portnguez, qnerendo ntre-
la la o ple taier na rna da Cruz n. 19, 1* an-
lar. oa no siflo a. 16 de Baratea (Magdalena) ira-
medito ao do Sr. Bario do Livraroeato, onde re-
alTicaras e os sigoaei cerlos dessa jcia,
lio interessa senaj dcna por ser lembran-
ca de familia.
Casa em ipipuco
AlaRi-se a casa em qne resida o Mlejido Jea-
ejulm Pires Carneiro Mon'eiro. a Porta d'Agua, em
amenisMmi pjslcio, com exeellentos eommodos
para grande familia e raagailko banho d'agna
crrante : a tratar na aetma oa com Francsco
Ignacio Pinto na roa da Crui n 31.
Ama de leite
Precisa se de ama ama de leite forra que nao
teaha Hita) : a' trllar na ra d Baro da Victoria
o. 59, oa na praea da Independencia n. 4.
Qaem precisar da ama ama para engom-
toar para casa de familia, dando preferencia a ca-
sa aatrangelra, dirjase ao patea da Matriz n. 13.
Na rna Direita n. If?, primeiro andar ha
urna escravt para alagar, que lava, cozinha e faz
e mais serrlco de casa.
Contratase annaaimenta a venda de capim a
40 rs. no v*ra e SO rs. no invern, dando flanea:
no engenho Dons Irmaos. em Apipocos.
Rogase ao Sr: aqddo Manoel da Corjceicao
o favor de vir roa Direita b. 26 a negocio de
sea interesse.
SAHIM!
R... N... 54 !
MURM,
Uozinha
Preciia-se de om ajadaote de cozinha
larga Uro americano com certiddes, provando saa
biljdade e carcter, deseja achar nm eiuprego
n ama pUntacio de algodSo como engenheiro, pelo
lempo aa safra, on com) administrador a enge-
nheiro por mais tempo, tendo bastante pratica
nesta capacidade. Tambem pode tomar conta do
machmisrao n'om engenho de assncar. Dirija-se
a roa do. impera lor n 29, no armatem do Sr.
Chapmaos qualquer tnra do dia, oa com o Sr.
Cimbell a roa da Crai n. i.
Precisa se da ara criado : a afirmar na ra
Ntfvaf laja n. 7.
lof
Fmaitis
Para o dia 2 da ttovembro prepramete taMn
los : na ra do Gabog. loja de aera b. 3.______
O aoaix) assigoado faz sciente ao respeita-
vel publico a com especialidade ao respeilavel
corpo do commercio, que tem justo e contratado
com o Sr. Serapbim Vctor de Miranda a eocader-
nacao sita na ra de Santa Rila n. 5, livre e de-
sembarazada ; se alguem se julgar com direito a
mesma, dirija-se roa de Saota Rita n. 72, no
praso de tres dias. Recita 19 de oatnbro de 1871.
_______Antonio leronymo Lopes de Loareira
Preclsa-se alagar ara pequeo de 12 annos
escravo oa forro, para o tervico domestico de pe-
quea familia : fallar na roa Duqne de Gaxias
n. 97, loja da verdade.
^^ ..i ...Mi. lilil nitt.l
Pracisa-ee de ama ama
ama que c:zlnhe com per-
feico : a tratar na ra do
Crespo n. 10.____________________
Coznhtira
Precisa-se alagar ama ama livre on escTava que
saiba eazinbar : a tratar na ra do Imperador n.
79, k ja.
Arren-Ja-se para passar a Testa ama casa
com 4 qnartos, 2 salas e cozinha, sita na Varzea,
no sitio da estacao dos omnlbos, tem bom banho
no Capibaribe, que passa ne finio do mfaaVti1-'
to : na roa do Imperador n. 73, loja (lo Sr,-Me-
deiros, se dir qnem eontra'a.
i '- -
Precisa se de urna am. que saiba lava* eo-
g -.turnar e fazer o mais servico interno de casa de
familia, e que seja de boa conducta: na ra do
Vigario n. 5, 2o andar. _
Precisase de urna ama para cozinbar e coro-
prar em ama casa de daas pessoas, agradando
paga-se bem : na roa do Alecrim n. 12, casa
terrea.
Alnga-se o andar e sota da casa sita roa
de Marcilio Dias, anliga ra Direita n. 8i, jaiada e
pintada da novo : a tratar na ra Duque de Ca-
xias p. 53.______________________________
Jos Correia Braga & C. declarara ao com
mercio que o Sr. Joo Bello de Moraes deixou de
ser 38U caixeiro. Recife 16 de ootubro de 1871
CAIXEIRO
Precisa-se da um caixeiro ccm pratica de mo-
tilados : tratar na travessa do Livramento nu-
mero 28.
Precisa-se de ama ama de leite : na ra da
Palma n. 98.
Precisa-se de ama ama forra ou escrava
para cozinhar: na ra do Imperador n. 83, terceiro
andar._________________________________
O abaixo assignado communica ao respeila-
vel publico, e especialmente ao corpo do commer-
cio, que desde o dia 16 do corrate mez deixou
de ser eaixeiro dos Sr. Jos Correa Braga & C.
Recife, 17 de ootubro de 1871.
Joio Bello de Moraes.
Alaga se o sobrado da ra da Guia nume-
ro 56.
C4PELS
Kara o dia de finados.
Porto A Bastos, com sta-
belecimento de calcado Pra-
(a da Independencia acaba de
receber novo sortimento de
capellas de aljofares e vidri-
Ihos cora inscriptas, para Jo qne avisam
as pessoas que se quiserem prevenir cora
urna d'ellas para depr do tmulo de al-
guna prente ou amigo em dia de finados
As iRScripQas sao as seguintes:
A meu pae.
A roinha me.
A mea esposo.
A ruiana esposa.
A meu filho.
A minba Giba.
Saudades.
para o dia de finados.
A loja da Uta azul roa do Ca-
bng n. 2 acaba de recsber as
1 melhorps capellas de vidrilhos que
tem vinio a esta eidade ; assim
, como capellas asapreciaveis per-
petuas arnarellas com lelreiros(ira
mortelle) o para todos os precos :
oga se as pessoas que fkeram pedidos, que a'
cvnbam buscar, visto como o numero dellas na
-rinde.
U ja pessoa habilitada encarrega-se de prepa-
rar tmalos e catacumbas, tanto na cemiterio pu-
blico como as igrejas, dando o que for necessa-
rio. para o dia 2 da noverahre prximo futuro :
na ra do Irnoaralir n. 9 e 11.
D. MirlaSeohormhaCarnerodeAlbuquerque
Lacerda, Francolino Carneiro de Albuqoerque
Lacarda, mai e irraio do fallecido Jos Carneiro
de Albaaaerque Licerda agradecem a todos os
prenles e amigos qua assistiram as exequias do
do masro fallecid) e convidara ao3 seas paren-
tes e amigos para assistirem as missas que se bao
da mandar resar no da 23 do eorrnte, as 8 ho
ras do dia, no convento d> Carrao.
F. L. de Guarni Ldbo manda rezar missas, hoje
por 8 horas da manbaa, naigreja de N. Sra. do
Carato ptr alma do ilustre bacharel Ovidio da
Gama Lobo, fallecido em S. Laiz do Maranhio em
19 deutembro.
ALOGA-SE
um moleque de 14 a 18 onos d i idade, para todo
arrie* de hotel; no Caf Cbinoz, ra Larga
doRojtrlo a. 3^ I? andar.
AOS 6:0004000
rftio venda os felizes bilhetes da lotera d
Baaia, na casatelii do arco da Conceico. ioja da
tiri-739 no Nife.
Roga 9e ao. Sr. SHveslre Pereira da Cunha
o favor de-xir a ra da Moeda n. 19.______
Alnga'se ov andar do sobrado n. 84 da
roa do Bnm : a trataf no 3" aadar d> mesmo
Na eidade de Ulinda aluga-se ou vndese
por preco rasoavel, anta casa de pedra e cal, para
pequea familia, tendo, terreno proprio para aug
mentar urna bonita cala '4e sobrado, muito perto
do banbo e da rtssa, vistt aprsivel e saaiavel:
qaem pretender d"rrija-se ao dono, no palacio epis-
copal de O inda, valendo mais as vistas do pro-
pietario e do pretendeots, do que iuformagoes
estranhas.__________
Casa pura alujar em Olinda
Alagase por t-es a quatro ccezes, nma casa
com bastantes eommodos para familia, na eidade
de Oltnda era logar perto dos bauhos salgados :
quem a pretender dirija-se no Recife a Cardoso
& Irmaos, roa do Brara n. 100' a 104, oa em
Olinda ao Illm. Sr. arcediago Dr. cnego Manoel
Tbomaz de Oliveira, ra de Mathias Ferreira.
Aos Srs. sacerdotes.
No rna da Paz, antiga do Gano n. 34, ha para
vender-se um rico e completo ornamento de p
de altar._______________________________
Precisa-se de ama ama pa-
ra lavar e engommar : na
ra do Cuqae de Gaxias n.
TTE
AS46
MABME
RA DUQUE DEC
/OYrtttfA ^BO QUBIMAD6 N. 1)
PRBVltfJ o respeWrtl poWieo e cOffi eapecialidada s Exmas. familias, que
enquantoque est prpirado'O i. aadarpaobrado de sai residencia ella conti-
na na sui arte de moJ'sti em todos os ramos descostara para senhom, no 2. andar
do mMfte sobnde. <, ^^**-%
Garante as ultimas modas, e o melborgosto macis trabamos,por quanto ella
ecebe oa notos pairees pariw'eoses pof todos os vapores. \^
46Ra ikqae de C xias -46 ~ ,
BlvanisaoiMf]
50, Io aadar.
Aluga-se um moleque e urna escrava
ar na ra do Queimado o. 2.
a tra-
Precisase na roa da Princeza Isabel n.
6, pouco adianto da estag5o da via frrea
de Olinda.
Piluias assucaradas de Brislol.
Dspepsia, ou tndi-
gesto,
dAstringencia, ou..
prisSo do ventre
habitual,
Azia do estomago e
flatulencia,
Perda do apetite,
Edtomago sujo,
Em todas as molestias que derivam
sua origem da massa do sangue: a salsa
parrilha de Brislol esse melhor de todot
os purificadores deve ser tomado conjon
lamente com as piluias, pois que estas
suas medicinas, tendo sido expressamente
preparadas para obrarem de harmona urna
com a outra, quando fielmente assimse faz,
nao nos resta a menor duvida em dizer,
que nomaior numero dos casos, .podemos
afflanear nlo s um grande alivio, como
tambem nma cura prompta e radical, isto
est bem visto, quando o doente n5o se
ache n'um estado muito alm dos recursos
hmanos.
LANMANN 4 KEMP, DE OVA Ya^BK.
Acha-se venda nos estabetecimentos de
P. ManrerdcC, J. C Bravo & C, A
Caora, B. M. Barboza, Bartholomeo 4 C
Chapas d* fero g^u^^ cobrir am**.,
Formas para assncar
Arados Americanos
Machinas a Vapi/
Machinas
V
\
ADMI1IAVI 1^11 IM^AO
SML1MITS

Nk
LOJA E ARMIZEM
DO
PAVAO
LIX PEREB DA SILVA ft G.
NA BA DA IMPERATRIZ N. 60-
St a dinheiro vista.

1
N
NAO CONTEM NEM CALOMELANOS NEM NENHM
OTRO MINERAL.
A grande necessidade e falta de um ca-
thartico ou de urna medicina purgativa, ha
muito que tem sido sentida, tanto pelo po-
vo, como mesmo por meio da faculdade
medica; e por isso, infinito o gosto e
prazer que sentimos, em pdennos com
toda a confianza eseguridade.recommendar
as piluias vegetaes assucaradas de Bristol,
como urna excellente medicina purgativa, a
qual encerra em si todas as partes e mais
ingredientes essenciaes, tornando-se em um
perfeito, seguro e agradavel cathartico de
familia. Este remedio nao composto
dessas drogas ordinariamente usadas na
composigo dessas pululas, que por ahi se
vendem, mas sim, s5o preparadas com as
mais finas e superiores qualidades de raizes
medicinaes, hervas e plantas, depois de se
naver chimicamente extrahido e separado,
os principios activos, ou aquellas partes
que contem o verdadeiro valor medicinal,
aquellas porcoes fibrosas inertes e agres-
tes inteiramente destituidas da menor virtu-
le. Entre esses agentes activos ou ingre-
dientes especficos, podemos nomear a po-
iophgtiin, a qual segundo a experiencia
mm demonstrado, possue um poder o mais
laravilhoso possivel sobre as regi5es do
figado, assim como sobre todas as secre-
c5es bihosas. Isto de combinaco com o
MRMmM^ e mais alguns extractos vege-
taes e drogas ^altamente vahosas, consti-
tuem e formam uinTpflria^Purgativa, tor-
nando-se por isso muitisshw^jpeiioj
qualquer urna outra medicina da mesmS--^
natureza, que jamis fora apresentado ao
publico. As piluias vegetaes assucaradas
de Bristol, achar-se-hao sempre um reme-
dio prompto, seguro e eminentemente effi-
caz, para a cura de molestias, taes como
sejam as seguirtes.
Hydropesia dosmem-
bros ou do corpo,
Affeeces do figado,
Ictericia,
Hemorrodias,
Mau hlito, e irregu-
laridades do sexo
femenino,
Dores de cabeca.
i
de descarocar^lgodao. j
Fogoes pe ferros I
Trilhos de ferro plra ngennos
Camas de ferro
Macacos de estivr
Frragens em geral
Cofres de ferro
Estes artigos vendem-se em
cas doe importadores.
Shaw, Hawkes A C.f
n. 4 ba do bom jesds.
(outr'ora ra.da Cruz )
Os
men
aoivido
as seos
artii
\m
LIQUIDACAO
DE ~
nmm baratas
Lindas bareges lisas, de quadrinhos
rs. o covado.
Superiores alpacas de cores, de fljres
vado.
P..1 de chevre com lindas cores e de
ris o covado.
Na loja das collumnas, de Antonio Correia de
meiro de Marco, ootr'ora do Crespo n. 13,
de listas para vestidos a 360 !
e de lstras a 500 ris o co-
supariores qualidades a 640 ^
Vasco ncellos, roa Pri
FERREIRA a C.
(Snccessofcs de JoaquiMe Almeida PinloJ
10Ra largar'dontosrlo10
( Junto ao qnartel de polica )
Oa proprietarioa d'este estabelecimento teem a bonra de identificar ao respeilavel publico d'esu
capital edo de todas as provincias do imperio, que eontnnaro a preparar PELAS FORMULAS DE
SEU FINADO ANTECESSOR os acreditados e tilsimos medicamentos brasileiros, taes como :
Estrado alcoolico, emplastro, oleo, tintara, piluias, xarope e vinho, da miracalosa JURUBEBA;
tintura e xarope do FEDEGOZO, xarope do RABO DO T\TU', PILULAS ANTI PERIDICAS, xarope
DA SALSA DO PARA, xarope de AGRIAO, xarope do MULUNGU' etc. etc., lado coin a maior per-
feicao ; p:>r isso que am d'aquelles proprietarios conta 8 annos de boa pratica na mesma pbarmacia
Ontrosim, scientiflea* haver feito am completo e variado sortimento de drogas estrangeras, e dat
mais acreditadas especialidades, achando se indo disposigo dos Srs. facultativos e do publico ere
geral, de quem os proprietarios esperara todo acolbimento.
A pbarmacia abrir se-baa qualquer bora da noite em^fo
A loja dos Arcos de Alvaro Augusto d'Almeida & C. ra do Crespo n. 20 A acab
le receber pelo ultimo vapor francez Amazonas, alguns artigos proprios para enxovaes
de noivas, e de modas para grande toilette como sejam :
Riquissimo cortes de vestidos de b'oude para casamento.
Ditos de tarlatana bordados seda para casamentos.
Cortes de seda de bonitos gostos e superior qualidade.
Colxas de seda, 15a, e la e seda.
Capellas com mantas de blonde para noivas.
Camisas de^sguiSo bordadas para noivas.
Fronhas de esguio bordadas.
LeD?os de cambraia de linbo e labyrintho.
Superiores leques de madreperola.
Cortinados bordados de differentes presos e quaiidadea.
Sedas de cores de bonitos padioas.
Ditas escocezas para vestidos, roapas de menino, eafeites, etc.
, Basquinas de gorgorao, superior qualidade.
Borns de 13a seda para senbora. ,
Mantilhas brasileira de fil de seda bordado.
Chacheoez de laa e seda.
Chapelinas de seda branca, e de crpe preto para lato.
Chapeos enfeitados para senhoias e meninas modelo inteiramente novo.
Cortes de cambraia de edr, e brancos bordado?.
L'ndos cortes de baptste FroB-Frou. ^ ,
Toil de voyage fazenda de gosto para vestidos.
Alm destea artigos qne se vendem por precos razoaveis em ootros que sao per
chiobaa extraordinarias, como sejam :
Damasco de 15a com 9 plmos de largura a 15303 o covado.
Corles de 15a Victoria com 20 covados por lOjOOG.
laacom listraa de'sda a 400 rs. o covado.
Cassai"il-&}r~J^240 e 280 rs. o covado.
Ditas mescladas mrt^ba qualidade a 3 O rs. o covado.
Alpacas largas bonitos pa^To^A 500 rs. o covado.
Lencos de esgui5o mnito finos a 3JN- 4000 a duzia.
Esteira da India, mallas para viagem, transparentes, etc., etc,
----------------------------------------------------------------- i ...
ietarios deste estabelecimento tendo grarMe necessidade de diminuir o im-
te qoe-tem Be> fazenda e grande orgehof de apurarem dinheiro, tem re-
uma vrtladeira liqnidacSo com grandes abatimentos nos precos de todoa
.\- pa e qne convidara ao respeKavel publico desta capital a vir sortir-se
pois Ihe garantem qne em parte algoma poderflo etcontMr t5o grande "sctimeiitoe mes
ilo comp#ar3o rSTo* preeoS'tqrje se llfcs pode veneir-tia loja de Pav5o ; porn ad-
vrtimlo-'Be qo* s se lea dioheirb vista. Os mesures proprietarios deste estabe-
jinjento roga a todos O;. os'devedores deste prao*%avor de virem saldar seos de-
bRa, e todos quffllea qoe esHsflrem devendo contas antigs e o niofizerem terSo de
ser encommodados jodicialraenteV^
do Parlt
H11 FALQUE
N'ESTA ANTIGA E CREDITATA
FABRICA
>
llCtlTIl II ClHITilTIIIITI 161 CIPLIT9 1IITI1IIT0 II
IHIPIIN 9M !:
Be todaa as qualidade I
U Wdor fetie* I
Be Wdaa 04 pneos I
RA DO C'RE^FO KT 4
asinhas bartao do Pavflo.
ianaa eoaa lindas litras de seda a
covado.
cominmtobrilrio B'jjo cewdo
Atlfrfa?, lrzend' "de muito gosto tecida
com seda a 720 .rs. o covado.
Ditas com quadras de seda e cores muito
delicadas a 640. v
Poil de chvre, d'uma s cor com muito
brilbo a 500 rs. o covado. X.
Merinosescossezes fazenda de /nuito gosto
para vestidos bornus e roupas do menino
a 640 rs. o covado.
Gurguro muito bonito, tendo de tovias
s cores a 400 rs. o covado.
L3s nhas nodernas com differentes gos-
tos a 400 e 500 rs. o covado.
Ditas ditas a 280 e 32Q rs. o covado.
Bareges transparentes com differentes co-
res a 100 rs. o covado.
Alpacas de cores lisas e lavradas fazenda
de muitj gosto a 500 e 800 rs. o covado.
Cassas do Pavao.
Cassas inglezas com bonitos gostos a 200
240 rs. o covado.
Ditas finissimas a 300 rs. o covado.
Ditas francezas de muita phantasia a 400
rs. o covado.
Cortes de cassas com 7 varas fazenda
mnito fina e bonita a 20500 e 30000.
Ditas d'organdy branco e de cores a
20500.
CORTES D'ORGANDY A 40000.
O Pav5o tem cortes de organdy branco
com 8 1/2 varas qne vende pelo barato pre-
Co de 40000, assim edmo finissimo organdy
branco com listrinhas e quadrinhos o me-
lhor qne tem viodo ao mercado e vende
pelo barato preco de 720 rs. a vara.
Poupelluas de seda a 8000.
0 Pavao tem am elegante sortimento de
poupelinas de s da tanto lisas como labra-
das as mais modernas que tem vindo ao
mercado e vende a 20000 o covado.
CAMBRAIAS LARGAS A 800 RS. A VARA.
O Pava > tem cambraia branca transpa-
rente de boa qualidade, com 8 palmos de
largara, que apenas precisa 4 varas para
um vestido e vende a 800 rs. a vara, dita
finissima da Escossia tendo a mesma largu-
ra, que vende a 10600.
CAMBRAIAS BRANCAS A 40000 E 40500
0 Pavao tem pecas de cambraia branca
transparentes com 8 1/2 varas que vende
pelo barato preco de 45000 e 40500, ten-
do tambem muito finas de 50000 at
100000.
Ditas tapadas oo Victorias tendo de 30500
a peca at a mais fina que vem ao mer-
cado.
Crosdenaples preto e de cores.
O Pavao tem um grande sortimento de
grosdenaples e gurguro preto para vestidos
tendo de 10600 o covado at ao mais su
perior que costuma vir ao mercado, assim
como um grande sortimento do ditos de
todas as cores e branco e um bonito sorti-
mento de setins branco e de cores que ven-
de Dor precos moito em conta.
ESPARTILHOS A 40000
CACHENEZ a 40, 50 e 60000.
O Pav5o vende espartilbos de todos os ta-
annos a 40 e 50000, cachenez parisiense
com delicado ponto e de cores, a 40, 50,
e 60000.
CORTINADOS PARA CAMAS E JANELLAS.
a 80, 100, 120 e 160000.
0 Pavo tem um grande sortimento de
cortinados ricamente bordados, proprios
para camas e janellas que vende de 80 at
160000 o par.
Pecas de cambraia adamascada com 20
varas a 100000. crochet ricamente bordado
para cortinados a 10500 o metro. Assim como
ricos damascos com 6 e 8 palmos de larga
ra proprios para colchas de camas e tam-
bem ricas cjlcbasde damasco a imitacSo de
seda ditas de crochet as mais lindas que
tem vindo ao mercado.
MUSSELINAS DE CORES A 400 RS. O
COVADO.
O Pavao tem am bonito sortimento de
musselinas de cores, padroes inteiramente
novos e cores fixas, que vende a 400 rs. o
covado. Ditas brancas moho finas a 400
e 500 ra. Metim branco da India muito fino
para vestidos e roupas de meninos a 720 rs.
o covado. Crotones de cores mui'.o encor-
nados para vestidos a 600 rs. o covado.
ROUPA POR MEDIDA NA LOJA DO '
PAVO.
O Pavao tem orna bem montada officina de
allaiate, administrada por om hbil mestre
nacional, aonde se manda fazer qualquer
obra de ncommenda, ta>to para horneas
como para meninos, garantindo-se a promp-
tidio e aceio em todo o trabalbo, e no mes-
mo estabelecimento encontrado os respeita-
fazendas
V
veis fregueies todassas.fazendas propnas
orno sejam pannos ^^.H*^*
^"Wi. novia cims^St: ^re vende maito barato para liquidar.
re os braceos e de cores, assim como todas H
asfazendas proprias para fetos de luto.
CASAQINHOS A 150,180 E 200000.
O Pavao tem nm grande sortimento de
ricos easaqomhos de seda preta mnito bem
enfeitados e modernos que vende a 150,
W e 00000, sendo azenda de mnito
mais valor, assim coo ricos chales pretos
bordados com franjas largas de retroz a
1O0 124000.
ALGOBAOSLNHO A 3*!00.
O PvSotera pecas de algodaosinho muito
boe*malidade que vende pelo barato preco
-de 3oiQ0 a pee. Ditos moito superiores
de 40OOb\para cima. Algodiosinho enfes-
tado com a largura precisa para om lenco!,
sendo liso muit encorpado a 900 rs. o
metro e dito entran^p com a mesma lar-
gura a 10280 a vara.
BRAMANTES A 10600 e ^OOO METRO.
O Pav5o tem superior bramante de al-
godo sendo preciso para um lenco! apenas
um e meio metro e vende a 10600 e 10800,
e de linbo fazenda muito encorpada, com a
mesma largor a a 20OO e 20500, dito fran-
caz do mais fino que tem 'indo ao aerea-
do a 30000, 30600 e 4#K)0.
V ATOALHADO.
O Pav5\vende superior atoalhado a 10600
e 20000 a vara, dito de linho fazenda muito
superior de 30OOft.para cima, sendo ada-
mascado.
Fazeuila |)ara lulo.
O Pavao tem um grande sortimento de
fazeHdas pretas para luto, como sejam :
Merino preto com 6 palmos 4a hrgura
para vestidos a 20000 e 20500 0 aovado.
Merinos pretos e de cord5o par'Modos
os precos e differentes qualidades.
Bombasinbas para todos os precos.
Cantees e lpicas pretas. Laasinhas cre-
tas ou cassas de laa de 360 at 500 rs. o
covado.
Cassas pretas francezas e inglezas de to-
das as qualidades.
Chitas pretas francezas e inglezas de 20C
rs. para c ma.
Crep preto para veos.
CASEMIBAS PARA CALCAS A 40, 50, 60,
70 E 80.00.
0 Pavo tem om grande sortimento da
cortes de casemiras de cores para calcas,
sendo os mais modreos que tem vindo ao
mercado e vende-se de 40 at 100000 o
corte, ditas em pecas francezas e inglezas
para ca'cas, palitots e colletes que vende da
10800 at 60000 o covado, ditas escuras a
prova d'agoa que vende a 30 o corte oa a
30 o covado, sendo estas casemiras muito
proprias para meninos de escola por serena
es;uras e de mnita durago.
NOVOS VESTIDOS A 50000.
O Pavo tem lindos cortes de vertido de-
finissimas camb-aias com bonitos bordados
de cres e tambem lodos bordados brance
que vende pelo baratissimopreco de 50010
cada corte, grande pecbincha.
PANNOS DE CAO 2H PARA CADEJRAS E
SOPHS.
O Pavo tem um grande sortimento de
pannos de croch proprios para encost de
cadeiras e de sphs, assim como um rico
sortimento de tapetes de todos os tamanhoj
proprios para salas.
MADAPOLAO BARATO A 40, 40500 E 30. '
O Pavo tem pecas de madapolo com 24
jardas ou 20 varas qoe vende a 40 e 40500
a peca, dito muito fino e largo de 60 para
cima, dito francez do melhor que tem vindo
ao mercado, assim como dito finissimo em
pecas de 40 jardas.
Corles de chitas.
a 106OO, 20000 e 20800.
0 Pavo tem cortes de cbitas francezas
com 10 covado, qne vende pelo barato pre-
co de 10600 e 20000, ditas que vende a
160, 200 e 280 rs. o covado, tambem tem
um grande sortimento de ditas finas claras
e escaras que vende a 280 e 320 rs. o co-
vado e finissimas percales miudinbas propri-
as para camisas, vestidos 6 roupas para me-
ninos que se vende a 360 o 400 rs.
LENCOS BRANCOS.
0 Pav3o tem lencos brancos abobados
qoe se vende a 20400 e 30. a dzia, ditos
grandos de marim sem ser abanhados a
30200 rs. a duzia; assim como bonitos len-
cos bordados para mos.
ROUPA PARA HOMENS.
Sobrecasacos de panno preto fino send >
muito bem feitos de 120 at 400000.
Palitos de panno preto fraques e saceos
de 80 at 120000.
Ditos de casemira de cor de 60 at 120.
Ditos da alpaca preta fina de 40 a 60600.
Ditos de dita branca e de cores 60000,
Ditos de brim de linho trancado a 60000.
Calcas de casemira preta de 60000 at
120000.
Ditas de brim branco de linbo de 40000
al 80000.
Ditas de brim de linbo de cor para todos
os precos e qualidades.
Camisas francezas e ingleaas com peitos
d'algodo de 10600 at 5| em duzia ven-
de-se mais barato.
Ditas'de meia de 800 rs. para cima. .,<-
Ceroulas de linho e algodio, francezas j
feitas na trra. _.---
Collarinhos de papel, 4rg"c'dao e linbo

.

*'
Para noivas.
p J*av3o tem rico gargarSo de seda, bran-
co. Grosdenaple branco mnito encornado.
Agracianoas brancas com lisuras de seda.
Ponpeiinas brancas de seda lisas e lavra-
das. Sedas brancas, lavradas e lisas. Ca-
pellas com palma de flor de laraoga com
ricos veos bordados, qoe todo se vende mais
barato do qoe em ootra qualquer parte.
A loja do PavaV acba-so wastantemeote abartt das 6 hora da manha at u
horas da noite ra da Imperatria n. 60.
e
1 IIUH


Diario da Feruambuc* Quiula lora 19 t Outubro d 1871
41 Rll\ DO B\R\0 DA VICTORIA 41
Nette bovo armazem tem om
aado aormento de fazendas
mceaj, inglezaa, allemlaa e to-
todas se vendem por presos
DE
Rivd se
t de Ai Ido]
sem segundo
lina Da toe de Xaxla 91
Jos de flsfWo Mata e Silva, em sos lo-
j ade Banderas continua a render tai
por baratos ^^cos qae t todos admirj
Libra de 1*., para bordar a melbor
Cajiacon

com superiores grampot frao-
60000
tdkos, afim de
aseo armazem.
acreditar a este
ARRUDA IRMAOS.
Assim como tem orna grande u^^ ?. fc,M ,> ,a
oficina de alfaiata, montada co D" d / *?* de
todos os prepares roe ha de melhor,
dirigida por habis artistas, qn
pela sna prompt^o e perfeific
nada deixam -ar desejar.
Caaemiras inglezas,
jrancexas, de todas as
cualidades, brina de
Um e brancoe, colei-
-nhoe modernos, cha-
ptot de sol de seda,
RA
da victoria
Ronpa de todos os
amanbos para homeni
meninos.
Por todos os paqa
tes recebem-sea me-
lhores e ma> moder-
qae hi

aatiga rea

NOVA
A.

N. 41.
Bario da victoria
atifa ra
NOVA
ame
MOFINA
Sste astabelecipiBto acaba de sofTrer ama reforma ra<
pendas, inalment/im tndo afim de melhor servir os seas
Jk> te tomar nyosante
em acceio, artistas e commodos, e m pontoalidade as encona-
lerosos fregaezes deixa-se de annnnciar todas u fareoda, para
A VEI
SALS.
(EIRA E GMJINA
'ARRILHA DE AYER
EM ACQO
-A molestia ou iofeccSo propiamente co-
cheada pelo norne deESCROPHULA
am dos males mais prejfalecentes e univer-
aaes qae ha em todita extensa lista das en-
fermidades de quTsoffre o genero hama-
do : disse umytelebre escriptor da medi-
cina qae JfKfis de ama terga parte de to-
dos aquejes que morrem antes da velhice
Jo v^Rnias, ou directa ou indirectamente
% escrophula : por si n3o tao distrui-
Cva, porin a principal causa de muitas
outras enfermidades que nao Ihe sao geral-
meote attribuidas.
urna causa directa da phtysua pulmo-
nar, das molestias do fjgado, do estomago
eaffecces do cerebro:entre os seus
numerosos symptomas acbam-se os segua-
les: falta de apetite, o temblante paludo e
as vezes inchado, s vezes de urna alvura
transparente e outras corado e amarellento
eo redor da bocea: fraqueza e moleza nos
msculos, digestSo fraca e apetite irregular,
falla de en?rgia, ventre inchado e evacua-
. c5o rregolar;qoando o mal tem seu as-
sento sobre os polmoes, urna tr azulada
mostra-se em roda dos olhos; quando ata-
ca os oreaos digestivos, os olhos tornam-se
avermelhados, o hlito ftido, a 1 ngua car-
regada, dores de cabeca, lonteiras, etc.
as pessoas de disposigo escropbulosa
apparecem frequentemecte erupgoes na
pelle da cabeca e outras paites do corpo,
s5o redh postas s affecces dos pulmoes,
do figado, dos rins e dos orgos digestivos
e uterin is.Portanlo, nao so mente f aquel-
les que padecem das termas, ulcerosas e
tuberculosas da escrophula que necessi-
tam de proteccao contra os seus estragos;
mas sim todos aquelles em cajo sangue
existe o virus latente deste terrivel flagello
(e s vezes 6 hereditario) esl5o expostos
tambem a soffrer das enfermidades que
elle cansa, que i 5o :A phtysica, ulcera
cBes do figado, de estomago e dos rins -
erupces e enfermidades eruptivas da ca-|
tis; rosa ou eryspela ; borbolhas, postu-
las, nascidas, tumores, ulceras e coagas,
rheumatismos, dores nos ossos, as costas
e na cabeca, debilidades femininas, flores
brancas causadas pela ulceracSo interior, e
enfermidades uterinas, hydropesia, indiges-
to, enfraquecimento e debilidade geni.
Aos pulmes a escrophula produz tuber
culos efinalmenteconsumpcSopulmonar:
as glndulas ella produz inchagoes e
tornam-se ulceras: nos orgaos digestivos
causa desarraojos que produzem indigesto,
dispepsia molestias de figado e dos rins :
na pelle produz erupces e affecces cut-
neas.
Todos estes males, U ndo a mesma ori-
gem, carecera do mesmo remedio, a saber:
purificar e fortalecer o sangue.
Talberes pare ua/.iinos a 240 e
Libras de linbavoe novello, a melhor
possivel.
Dozia deteneos de cassa com barra.
Canas de linhas com 30 novellos a
Vara de franja branca para toalhas
1/ozias de meras croas moito boas a
Dazias de meas finas para senho-
ras a
Duzias de facas e garfos cravadas a
Duzia de palitos leguranca a 120,
2(0, 320 e
Na ralbas muito finas, para fazer a
barba a
Caixas com peonas de ac com to-
que a
Caixas com pencas de Perry (asen-
da fina a
Ditas de dita dito verdadeiras a
Caixas com 20 cadernos papel ami-
zade a
Pegas de fitas para coz com 10
varas a
Pecas de trance lisa de todas as
cores a
Duzias de liuha frooxa para bordar
a 400 e
Pares de sapatos de tranca a
Duiias de baralhos muito finos a
24400 e
Ditas de agn>has para machina a
Libra de pregos francezes a
Resmas de papel almago sopericr a
Ditas de dito pautado o melhor a
Caixas com sabonetes frncta a 720 e
Carriteis de linba A'exandre a
Gravatas de cores muito finas a
Ditas pretas pontas bordadas a
Grasas de botoes de madrvperola
para camisa a
Novellos delinha branca, 400 jardas
Duzia de cartees de linba branca e
preta e de cores a
Thesouras muito finas para oohas
e costura a
Caixas redondas para botar rap a
Caixas com pos para limpar dentes
fazenda fina a
Livro das missoes abreviadas a
Copos grandes com superior banba
Magos de pallitos para dentes o
melhor que ha a
A SALSA-PARULM DE AYER
E' composta dos antdotos mais efficazes
que a scieoxia medica tem podido descu-
brir para esta molestia assoladora e para a
cura de lodos os males provenientes delta,
contm virtudes verdadeiramente extraordi-
narias e est provado incontestavelmente
pelas curas uotaveis e bem conhecidas que
tem feito detumores, erupgoes cutneas,'
eryspela?, borbu'has, nascidas, chagas an-
tigs, ulceras, sarna, bydropesia, tosse
quando causada por deposites tuberculosos
sos pnlmoes. Debilidade geni, indigesto,
syphi! s constitucional, e m< lestias mercu-
riaes, molestias das muiheres, ulceragesdo
ulero, a nevralgia e convulsoes epilpticas,
e em summa, toda a serie de enfermidades
que nascem da impureza do sangue. Vede
as certkloes no almanak e manual de sade
do Dr. Ayer que se distriboe gratuita-
mente.
Este remedio o /rudo de longas e la-
boriosas experiencias, e ba abundantes pro-
vas das sota virtudes, posto que offere-
cido ao publico sob o nome deSalsa-par-
rilha, composto de diversas plantas, al-
Vende-se em todas as boticas e drogaras do imperio
W. R. Cassels & C.
Agentes geraes.
gumas das quaes sSo^snperiores melhor
saisa-parrilha no seu poder alterante.
Aviso.As preparag5es do Dr. Ayer
s3o preparadas com especial ette.ngo ao
clima dos trpicos e tem modificares im
portantes sobre as que sao fems^fMt'o'
tros paizes. Portanto,, o publico dever
notar, e com cuidado, para que n3o seja
Iludido, que 03 remedios de Ayer, prepa-
rados exclusivamente para o Brasil trazem
totolos e envoltorios com a descripg3o
minuciosa para a sua applicag3o na lingua
portugueza, e nSo na ingleza.
VAL SEM SEGUNDO
RA DUQUE DE CAXIAS N. 91.
Jote Bigodinbo, com loja de miudezas,
avisa a todos es os seus fregnez^s que est
turando tndo pelo oreco, a vista da fazen-
da. para todos admirar, a saber :
Pegas de fitas bordadas muito finas 1^500
Thesouras grandes e pequeas o
mais fino que ha a 15000 e 1*600
Caixas com 20 quadernos de papel
liso, amisade a rs. 500
Pegas de tranca de 13a e ilgodao as
mais modernas a 160
Frascos com agua de colonia muita
fina a 400 e 500
Frascos com agua de colonia ver-
dadera a 800 rs. e 15500
Chapeos brancos para baptisados o
melhor que ba a 3*008 e 5*000
Duzias de botoes cobertos de seda
pan vestidos por todo o prego
para acabar.
Libra de areia preta a 160
Gratas de botoes de louga branca a 120
Caixas com 100 envelopes fazenda
fina a 500, 600 e 800
apelos de moldara dourada a
OOe 1*000
Feotes prelos volteados para me-
ninas a 240
Tinteiros com tinta preta a 80 e 100
Pecas de fila elstica muito fina a 20C
Latas com superior banba 60,100 e 200
Latas grandes com superior banha a 320
Frascos com oleo de Pbilocome a
OOe 800
Fraseos com macassa | Pernta a 240
Frascos om aguatie Colonia verda-
dera a 10000
Ditos com oleo de ha )osa saderior a 320
Carriteis de rstroz preto com 2
oitavas a 600
Caixas com agalhas franco zas a 160
400 240
Pecas de tiras bordadas a 500, 600
800 e 14000
Carrafas com a verdadeiri agua
florida a 1*300
riilhis da Doutrioa Cbristia as
BUKmoderoas a 400
Pacoies coto 3 jabonetes inglezes
fazenda fina a ------ 600
Escovas muito finas para limpar os
dentes a 240
1
ADVOGADO
Dr. Joaqun Correa di Araujo
67Roa do Imperador67
III a Pref isa-fe de ama ama para eoiiobar:
J\.Bla. j tratar do armaiem detrcn'e da alfan-
D. 4.
. W. BOWMAN
Engenheiro com
FUNDiQAO
PASSANDO O CHAFARIZ
Pede aos senhores de engenho e outros agricultores, e empregadores de ma-
rinismo o favor de urna visita a se estabelecimento, para verem o novo sortimenu
lompleto que ahi tem ; pois sendo tudo muito mais barato em prego do que jamis le-
iha vendido, est ainda superior em qnalidade e fortidao ; o que con a iospecg9o pes-
oal pode-se verificar.
PEDE ESPECIAL ATTENCO ArJ NUMERO E LUGAR DE SUA FUNDICAO
\TflTiArP5 A rftfina d'ap-llfl dos mais modernos systemas e em
VItpuroa O lUUctS U OgUtt tamanhos convenientes para as di-
versas circumstancias dos senhores propietarios e para descarogar algodSo.
Moendas de cnna S^J?os tamaDb0S-a8me,hores ^aeaqui
rCOtiaS QentauaS para animaes, agua e vapor.
Tazas de ferro fundido batido e de cobre.
Alambiques e fundos de alambiques.
lT*k3.MMMki para mandioca e algodao,
MaCMniSmOS para serrar madeira
oOmDaS de patente, garantidas............
lOOlaS aS maCninaS e ^iS e qUe se costoma precisar.
Faz qualquer concert de macbini8ino, a prego moirest
PnrmAfl lfi ferro lem as melDOres e mais baratas existentes no mer-
T?tinatmtninrloe Iucumbe-se de mandar vir qualquer machinismo i vonta
JCilll/UilllUtlUrta ,je dos clientes, lsmbrando-Ibes a vaotagem de fazerem
mas compras por intermedio de pessoa entendida, e que em qualquer necessidade pode
Ibes prestar auzilio. i
Arados americanosaromemos agrcolas.
--------------------:-------------------- .------------------------------------------------------------.
Podendo tedos
ser movidos a mo
por agua, vapor,
oo animaes. -
-9
CASA CAUVIN Ajus
Pharmaceutico privilegiado
suooeaaor .
Shaslopol, BB PARS.
NOVAS ESPECIALIDADES A. MARINIER
Apresentadas a Kuiemit e Sriencus e ao Inslitulo INJECCAO
Prtntiva
Sob forma de Pastilla, demuda e doseada pan
fascr de uomcuto urna sluctao
csraUva da* MOLESTIAS CSRTASIMB.
llJECTOR-PIIILIRO" .-Masar-*
' |raaa inc*neaien(a da frafllldada
EST0J0S
COB
a furnia, e de olnme de Porte-Moedl
COTESDO TODO 1RKTXUBNT0.
COLLYRIO Canlra as affrccois das palpsbrai
artpuado sob a mesaa forma.
BARTHOLOMEO i C
DeposiUrios geral para e D.4S>II> e PfMTajSiAla
3, ra larga do Bosario. PKRNAMBXJCO.
166
45000
400
1*500
13000
5U0
160
3500
44000
3dW0
500
1*000
320
800
10200
70
500
40
500
13800
2480C
23000
240
33600
43000
13000
100
500
600
50C
60
120
500
13200
200
13500
13500
160
Rof a-s ao- Illm. Sr. Ignacio V.eira da Mello,
erivio na cidada de Nazareth desU provincia.
favor de vir a roa do Imperador n. 8 a roacloii
aqnelle negocio que V. 8. se eomprometteu reali-
sar, pela ierceira chamada deste jornal, em tu
de deierabro prozimo passado, e depois para )
oeiro, passon a (evereiro e abril, e nala compno,
por este motivo de novo chamado para diu
fim : pois V. 8. se deve lambrar ana este negock
i de mala de oito annoa, e quando o aennor mi
flho se aehava no es nesU cidada_____________
ATTENCO
Aloga-se nma grande cocheira na roa da Uniao,
com dona qaartos e solio eom ontros dous qoar-
U>s, tendo Janella, tudo eaiado e piolado de no-
vo- e mnito propria para taberna oa outro estabe
ecimento : a tratar na roa da Aurora n. 36, 1*
andar. _^__^_
Para alngar-se
Um magnifleo sitio oa estrada da travesea da
Crnz das Almas, eom exilente casa bem aca-
bada, eom dnas aalas, seis qaartos, granate co-
pla, eozinba separada com dispensa, saleta a
qnarto. Boa coxeira e estribara eom mais doos
qaartos e 1 sotio para erados. Magnifico qnarto
para banho, latrinas, galnheiro de pedra a cal
cercado de gradeamento de ferro. Fleando dito
sitio perlo das estsc.3es denominadas : Jaquaira e
a do Arraial: para ver e tratar no sitio do eom-
meodador Tasso.
CASAS
Aloga-se o primero, segando andares e sobra*
sotio da casa o. 6, cita a rna do Livramenio : i
iratar na loja do mesmo predio._______________
Na ra Direila n. 6i, precisa-se fallar cum
o Sr. Sebastiao de Mello e Albaqaerque a negocio
de sea inierese.
I
Para alugar-se
Um sitio no Poco da Panilla no porto do Puna
com excedente casa, cora duas sallas, qnatro
quartos e curaba : estribara, ecebeira e qaartos
para criados, e mais duas casas meias-aguss pa-
ra fmulos ou hospedes : tratar com o commeo-
dador Tasso.
Aloge-! e ama mulata moja : a iratar tm
Jaboaiao passaudo a ponte Ierceira casa do ledo
esqaerdo ou a roa do Imperador o. ti, cartorio.
I
O magnifleo e saudavel chocolata ero p, em
pequeas lala?, a 3*200 a libra; vende-se nos
seguinte armaieo?, ra do Imperador n. 40, e
roa Mrquez de Olioda o. 53-
Andares para alugar
Alaga se o 2* e 3* adares do sobrado da tra-
vesea do Corpo Santo n. 27, proprios para peque-
a familia, muito frescos, excellente policio e rio:
a tratar no armazem de fazendas do mesmo pre-
dio, das 9 as 4 horas da tarde. _____________
Precisa-se de ama pesaos capas, dando llan-
ca, para vender capim : tratar no engenho Dons
Irmios: em Apipneos.
Folhinhas para
O abaixo assignado declara a quero se julgar
credor de Aodr Orliz hespanhol, que segaio para
a Babia no dia 13 do correte, no vapor america-
no, qae se dirija ra de Joao do Reg n. 1 qae
ser satisfei'o, apresentando seas documentos, e
nio apresentando no praso de 3 dias flear este
sem vigor. Recite 18 de outubro de 1871.
Manoel Rodrigues Teixeira.
v%v
pooca familia :
Boa-vista.
na
Precisa-se de ama ama pa-
ra eozinhar e fazer mais al-
gum servico de urna casa de
ra da Conceiclo n. 37, na
AMA
Nova o. 11.
Precisa-se de ama ama forra ou
escrava, que tenba bom comporta-
ment e que saiba cosinhar; roa
Qaem precisar de am caixeiro brasileiro
com pralica de taberna : dirija-se ru do Hos-
picio n. 30, on indique o lugar.______________
Joaquim Jos Gon$al*
ves Beltrao

Roa do Trapiche n, 5, 1 andar.
Sacca por lodos os paquetes sobre o banco &
Hinco, em Braga, e sobre os segoictes lagares en
Portugal :
Lisboa.
Porto.
VaJeuca.
Guimaraes.
Coirabra.
Chaves.
Viseo.
Villa do Conde.
Arcos de Val de Ves.
Vianna do Castello.
Ponte do Lima.
Villa Real.
Villa-Nova de FamelicSo.
Lamego.
Lanos.
Covilhia.
Vaseal (Valpasso).
Mirandella.
Beja.
Barcellos.
MARTIMOS
iOITRl FOCO.
A companhia Indemnisadora, establecida
aesta praca, toma segnros martimos sobre
navios e seos carregamentos e contra rogo
;m edificios, m.rcadorias e mobilias: ni
roa do Vigario n. 4, pavimento terreo.
GASA. DA FORTUNA }K^;
RA 1 DE MARCO OTR'ORA DO ^ EXERCICIO
Aos
DE MARCO OTR'ORA DO
CRESPO N 23.
0.
O abaixo asignado tem sempre exposto i ven-
la os fezes bilhetes do Rio de Janeiro, pagando
promptamente, como costoma, qualquer premie.
PRECOS.
Inteiro 24*000
Meio 12*009.
Qnarto 6*000.
Manoel Martina Finia.
tSaaS HjBm iBi 1U8I
Sa Iravessa da roa
das Crezes n, 2, pri-
meiro andar, da-sc di-
nhelro sobre penhores
de onro. prata e brilhan-
les, seja pal for a qnas-
tia. .Na mesna casa com-
pran-se os mesnos me-
taes e pedras.
S
s
1871.
Para todos os bispados do Brasil, or-
nadas de" lindas viohetas, e dos retratos
dos principaes hroes da guerra franco-
allena, e o sae:esso da morte do gene-
ral Lopes.
Preco 300 rs.
Livraria econmica, rna Primeiro de
Marco n. 2.
a
s
Ama de leite.
Precisa-se de ama ama de leite, exige-se bom
leite e boas ra(ormac.5es : na roa da Concordia,
sDbrado n. 10. 1* andar. __________________
1* anclar, pintado e preparado
de novo.
A pessoa qae tioha alagado o 1 andar i roa do
Padre Plorlanc por motivos que bouveram deixou
de o ir oceupar, o que se previne q lellaj pessoas
que pretendiam dito andar e qae se Ihe dizin es-
lar alagado, que se ainda o quizerem dlrijam se
ra larga do Rosario n. 22.
Precisa-fe de urna ama ou escrava para en-
gommado, paga-se bem : na ra dos Pires n. 32.
ffi S S31BM0.*
vende-se oa aloga-se am sitio no Ar- 1
raial lugar denominado Coqneiros, tra- :
vessa do Acude n. 2, com 305 palmos de K
I frente e 2.000 poaco mais oa menos de jBB
S fundos, tem casa soffrivfI, cacimba nova S
I e excellente (a prora dos mais rigorosos |
estos e verdes) com banho derepueno eai
5 xa d'agaa e banhelro simples e de choque i
I encanamento d'agaa para deairo de ca.-a |
I e para a horta. ama grande parte do sitio jBJ
5 .plantado de diversas frocteiras das 9
flat quaes, j algamas do producto. O dito fl|
I sitio torna-se reccmroefldavel pela soa jK|
55 po?ic.3o e vi?ta pitore9eo pela frescura e 5r
| salnbridade do ar e dista apenas oito oa 1
dez minutos da estaco da casa Amarella I
* como a da Porta d'Agoa: a tratar no mes
| mo nu na roa Nova n. 23.
Precisa-se de offlciaes de Darbeiro : no sar
de cabelleireiro da rna da Imperatriz n. 82.
ATTENCO
o
Vende-se por barato preco nma propriedade a
margem da cambda dos Aemedios, fazendo-se
toda vantagem ao comprador, recebendo-se parte
em dinheiro e parte em letras oa objectos de
prompta venda ; cuja propriedade contm urna
grande otaria de pedra e cal qae lastra 16,000
lijlos de alveoaria grossa e foroo qae comporta
25,000, com mais um foroo e lastro para fazer-se
telhas, ladrilhos, canos e louca, com excellente
barro para qnalqoer obra, com doas excellentes
viveiros de peixe e com casa de vvenla para
grande familia, torna-se recommendavel por pas-
sar peno a Iraha dos bonds : as pessoas que pre-
tenderem dirijam-se dita propriedade a entender-
se eom o capilao Dellim Lias Cavalcante Pessoa.
5
PHARMACIA
Especial homcopatliica S
VIUVA DO DR.
Sabino 0. L. Pinlio. g
43Roa do Rar3o da Victoria43 [
-
Para este aatigo estabelecimento acaba S
de chegar no ultimo paquete, da casa de |
James Epps & C, de Londres, am excel- |
lente sorlimeoto de carleiras e caixas de 9
todos os tamanhos. qar para globales, ]
qur para tinturas; assim como medica- I
mentos em tritoracao e em tintura, globo- 5
los, ele.; o qae lado se vender por pre- 1
$03 s:ui rszosvei.
Thesouro homeopathico do Dr. Sabino fi
O. L. Pinho. m
3* edlQo.
Muito melborailae augmentada eom am |
appendice.
At principios do mez prximo estarlo 9
venda os rxemplares desta importante y
obra.
As prepar^oes desta pharroaeia conii- |
noarn a ser feitas sob as vistas immedia- .
tas do medico do consultorio, o Sr. Dr. M
Jezmna A. dos Santos Mello,
NOVA PBLICACAO
A Farahyba e o Atlas do Dr. Candido Mendes de
Almeida.
ORSERVACOESCRiriCAS.
as livrarias franceza e universal, ra do Cres-
po D. 9 e Imperador n. 154. ._________________
Religio.
are /
d
a-||j
LUK E CALOR.
Obra espiritual para os que tratam do exercicio
de virtudes e carainbo de perfeicao, pelo padre
Manoel Bernardz, n.va ed-cao. Lisboa 1871, 1
vol. 4 6*000.
EXBRCICIO DR PERFEigAO,
e doutrina espiritual, para extinguir vicios e
quirir virtudes, do padre Affonso RodrigGp/=-ifS..
to 1869, 1 vol. 8- 2*000. ^^**^
GRITOS DA>j(LMAS
meiosparaoi^fSclr, nova edicio.Porta 1869,
EXERCICIOS ESPIRITAES
de Santo Ignacio, proposios s pessoas seculares
pele R P. J. P. Pinamonte.Rio de Janeiro 1871
8- 2*000.
PRA1ICAS MANDAMENTAES.
en reflexdes moraes sobre os mandamentos da lei
de Dos pelo padre Fr. M. da Madre de Dos.
Porto 1871, 1 vol. 8 4* 3*000.
Livraria francesa.
\
Precisa-se de nma ama
X para comprar e cosinhar : a
- tratar na ra da Alegra d 5.
IVde-se
A nuera tver achado hontera am vale da qaan-
tia de 100* a favor de Manoel Jos Feroaode
Barros, o favor de entregar na roa da Cadea o.
55, armazem, vhto qae de nada vale a oatra
qualquer pessoa^___________________________
TRILHOS URBANOS
no
Becife Olinda
e Beberibe.
Avisa-se aos senheres accionistas que a seseo
da assemb'a geral para a conclusao dos seas (ra-
balhos obre a reforma dos estatutos foi marcada
para o da sexta-fr.ira 20 do crreme, as 10 b'>ri.-
da manhaa, e a reunia ser no mfsmo lugar da
anteriores.
Recife 13 de setenibro de 1871.
O 1* secretario,
Luiz Lopes Casteliu l: i
ALUGA-SE
nma escrava para o servico de nm estabelecimm
to : a tratar na ra do Imperador n. 79, loja.
Restaurant de Paris,
Ra das Laraiigeiras n. 4.
Precisa-se de un bom cozinheiro e paga-s<
bem._______________________________
Precisase de ama ama qu
cozinhe e compre : oa ro.
das Triocheiras n. 46, primei
paga se bem.
v^V
ro andar
ADVOCACIA
BACHAREL
J. B' P. Corte Real
Ra do Imperador n. Vi.
m
m
Sustento restaurativo dft
saude
PELA VERDADEIRA PARIXHA
A, liiiBarrv d A rabia
Os abaixo asssignados fazem sciente a seus lr-
Suezes, que pelo vapor inglex La-Plata receberaa
.egunda remessa d essa excellente farinha, co|J
uso muito se recommenda para as criancas, pes-
soas debis e convalesceotes, applicada com reco-
ohecida vantagem as constipacoes, diarrheas,
nausea do estomago, tosse, escarro de sangie,
rfhthyslca, etc. etc. Preferida ainda pelo agradavel
/abor.Unirlcoa outra qualquer. ___
Aluga-se
\

\
O abaixo assigoado segando clausulas existen-
te de ama eseriplura publica de venda de nm si-
tio na Boa-viagem, conteni arvores de frneto e
duas casas de talp cem um quarto eontiguo, pas-
sade na anno de 1841 nesta cidade do Recife, dos
filhos menores de Maria Ignacia de Albaqaerque ;
protesta ; come am dos herfalros en linba recta
descendente, do referido sitio contra as vendas,
afforameotos e qaaesqaer outras transaeces que
tenham sido feitas on preteudam fazer, como Ile-
gtimos peraote a lei, o qae Ui publica e notorio,
para qae ningaem altele ignorancia e ooa f em
direito falsamente adquerido.
Recife, 16 de outubro de 1871.
Manoel Pelippe de Goveia Cavalcantl.
Urna casa terrea com soto e boas aeoornrui-
dacoes, concertada e pintada recentemeote,
-ihaig.Rflirj., Pmcn, ti |T''iTiTa .' #TPg-
na roa do Vigaria o. 4.
%al^
Cruz n. 18, 3 andar.
PrecUa-se de ama ama pa-
ra o servico de casa de pooca
familia : tratar oa ra da
Precjsa-se fallar cem o Sr. Pedro Pereira da
Silva Guimaraes Juuicr, negocio de sea inters-
se : travesm do Carmo n. 1 2* andar._______
No domioK'j as 7 horas da noute, perdeu-se
nma pulceira do pVeo do Carmo at a sachrisli
da igreja de Santa Tifreza : a pessoa que a -bou-a
dirijs-se ao pateo do Cirmo n. Iz, que sera bem
recompensado.
Pncisa-se de um criado p ra casa de ho-
rnea; solteiro : na ra da Cambda do Carmo n. 91,
! arder.
Para festa
Aloga-se ama casa em Caxangi, eom boas as-
comodacQes, ao entrar da ponte do lado esquer-
do : tratar oa ra do Vigario n. 19.__________
Sociedade Liberal Unao Be-
nelcente.
Em cumprimento as ordeos do Sr. preseme
convido aos senhores membros do conseibo admi-
nistrativo para urna sessio extraordinaria, qae
deve ter lagar no dia 20 as 7 horas da noite ; as-
sim como aos senhores candidatos j approvidos
socios effectivos e offlciados para virem prestar c-
juramento respectivo, e comraissoes qaer antigs,
quer ltimamente oomeadas satisfazerem seas
compromissos sociaes, segando as relajos toma-
das, do qae devem estar scientes.
Secretaria da sociedade Liberal Umo Benfit-
cente'em 17 de outubro de 1871.
O 1 secretario,
_____________Theophilo Pedro do Rosario.
Alagase o 2* andar do sobrado da roa es-
trella do Rosario a 31 eom bastantss commodos
para familia e muito fresco : a' tratar na lija do
mesmo armazem do Moreira.
Monte-pio portujpiez.
Sio convidados os senhores socios do Monte Pi
Portuguez qae nao estiverem inenrsos nos tj 1",
2*. 3* e 4* do art. 13, a se renoirem em assembla
geral domingo 22 do crreme, as 10 horas da ma-
nhaa, no salao do Gabinete Portugoez de Leitara,
afim de se dar cumprimeoto ao que determina
4 do artigo 24 dos estatutos.
Secretaria do Moote-pio-poriuga er Peroar-
buco 16 de outubro, de 1871.
M. S. PiabelTo,
i* secretario.
I MI1IUII



)
* *
Nr--
D\a'i de Peniambttco Quinla eira 19 de Outubro de 1871.
OSA Di FORTDItt
Aos 5:0001
Bilhetes garantidos.
4 roa Primeiro de Marco (oatr'ora roa di
Crespo) n. 23 e casas do costme.
O abaixo assignado, tendo vendido nos seos f
Uzea bilhetes nm quarto n. 918 cora 5:000*000.
am inteiro d. 1425 cora 800*000, um qaarto o.
J9WJ eom 300*000, am qaarto n. 115 cora 100*,
nm meio n. 1236 cora 100*000 t outras sortea
de iO* e 20* da lotera qae se acaboa de extra-'
hir (210a), convida aos possui dores a vi rom re-
eeber na conformidade do cogame sem descont
Acham-se i venda os bilhetes garantidos da
15.* parte das loteras, a beneficio do patrimonio
dos orphaos (211*), qae se exrahir quinia-felra
19 do crreme mez.
PRECOS.
Bilhete inteiro 6*000
Meio bilhete 3*000
__ Qnarto 1*500
im porcao de 100*000 para cima.
Bilhete inteiro 5*500
Meio bilhete 2*750
Qaarto 1*375
Manoel Ifarns Finia.
Jornal das fa- m
S milias.
Assignatura por anno 12*000 : na li- m
vraria econmica, roa Primeiro de Marco 2
! WMMM& lili
Sitio e padaoa,
Alaga-se a padaria da EocroiilBfia da Tama-
rineira n 3, com quasi todos os utenctilaj, e. o si-
tio mnito grande e bom, com bastantes arvtres de
tracto, e a eitagao dos irilhos urbano?, judio :
traur na roa da Madre de Dens n. 30. ,
eo
Nea M
sagrada por Pinhoiro.
a*
IMAs
pM itfbmpra-
-se ama historia
Paco ver ao publico e a todas as autoridades
policiaes desta provincia ou de outra qaalqaer on-
de fr encontrado o qae abixo se declara. A ma-
neira de qae se toma posse do alheio contra a
vontade do sea dono por mais tempo do qae
aquillo qae se trata.
No dia 9 do corrate mez, as i horas da tarde
foi nm cidadio brasileiro na cocbeira da roa da
Roda n. 45 alogar um cavallo pelo prego de 5*
para ir no logar denominado Salgadinbo, qae ti-
ca jamo de Olinda, para entrega-lo as 7 horas da
noute do mesmo da, e como at ao presente o
n5o tenba feito nao se sabe qual o motivo porque
nio se entrega o alheio a sea dono pelo tempo
qae tratoa ; por isso qaem deste dr noticia ser
recompesado pelo dono do cavallo e Ihe da mais a
preferencia a qaem Ihe dr noticia do supplican-
te do qae mesmo do proprio cavallo, para qae fi-
que sendo conhecido pelas autoridades policiaes e
mesmo pelo publico o modo de vida que tera.
Os sigoaes sao os segrates : o eidads de
cor parda, trajava roupa preta, chapeo de maoi-
Iha, eavaohasue e bigode, idade vinte e cinco a
trinta anno. Os signaes do cavallo, lazao rozilho
foveiro, pode ter dez a dore annos, os ps calca-
dos de branco e 'rente aber'a, urna (erida as cos-
tas do lado d'reito, relado nos dons joelho, tera
urna sobre-cana queimada na mo direita os fer-
ros, cnjas iniciaes vera a ser J. D. P. no qnarto
direito, nao se sabe pintar os ferros *j quarto di
reito, mas tara no quarto esquerdo ferro de novo
erra a marca de sea proprio dono.
m\ do opo
Aos 5:OCO000.
Bilhetes garantidos da pro-
Tela.
Ra do Bamo da
Victoria,
Outr'ora ra Nova n. 63 e casat
do costume.
O abaixo assignado acaba de vender entre o.
teus mnito felizea bilhetes a sorte de 5:000*000
era emboarlo de o. 918, a sorte de 300* em am
quarto de n. 2946 e um qnarto de n. 115 com a
sorte de 100*, alm de outras sortes menores de
40*000 e 20*000 da lotera que se acaboa de
extrahir (210), podendo seas possaidores virem
receber, que promptamente serao pagos.
O mesmo abaixo assignado convida ao respei-
tavel publico para vrem ao seu estabelecimento
comprar os felizes bilhetes garantidos, que na<
deixar de tirar qualquer premio como prova peloi
mesreos annuncios.
Acham-se venda os muito felizes bilhetes ga-
rantidos da 45* parte das loteras em beneficio do
patrimonio dos orphos, que ser? extrabiaa no dia
quint-feira 19 do crrante mez.
PREgos.
Inteiro 6*000
meios 3*000
Quartos 1*500
De 1005000 para cima.
Inteirc 5*500
Meios 2*750
Quartos 1*375
Jlo Joaquim da Costa Leite.
VfoAS.
elhor tarde q
Tableas de canoa da India a
para os cavalleirca.
v Chapman's
" Imperador numero 29.
nanea.
proprias
RuaV
Cemente Portland.
O mais superior que ten viudo a este mercado
era barricas de 12 arrobas, forradas com arces de
ferro : no trapiche Guerra, no Recife.
Vinho tinto e branco sup2-
ior
tem para vender era caixas
orna duzia Joaquina Jos .Connives Bel-
WO. roa do Commercio n. S.__________
Cadeira.
. Novo sortimento de cadeiras francesas
a Tnda no armazem de Tasso Irmios 4 C ao
caes do Apollo.
Carteira
V
V.
Vende-se urna carteira para escriptofib e
gnns objectos do mesmo : tratar na ra da
dre Deus n 30.
elogios de onro e
prata
dos melhores fabricantes inglezee, francezes e
saissos, vendem-se por prejos mnito rasoaveis, na
loja de jotas Esmeralda
RA DO CA
a w
ffr
2 S.o
f
a
3*
O
|ff

s
Livraria econo- m
mica. {
Grande sortiraento de papis pintados '
e dourados para forro e guarnigao de H
sallar, gabinetes, etc. etc.
Livraria econmica, ra Primeiro de |
Margo n. 2.
Com o devido respeito
Sim, com o devido respeito que os proprieta-
ros da Confeitaria do Campos, sita ra do Im-
perador- n. 24, a cuja frente se acba collocado
um grande lampeo que se conserva aceso nou-
te, que vera scientiflesr ao illustrado publico des-
ta cidade e seus suburbios, que alli se encontrar
constantemente o segrate:
Fiambres promptos iuteiros e as libras.
Puddings de diversos tamanbo?.
Bolos inglezes e francezes.
Pes-de 16.
Pastis folhados de frucla, de nata e de crnie.
Empadas de diversos taraanbos e qualidades.
Doce crystalisado. secco, em calda e ralado.
Pastilhas de hortelan pimenia.
Amendoas confeitadas, com casca descascadas.
Confeitos, perlinas e bonbon?.
Bolinhas seceos para cha.
Lanches diversos.
Cervej, chimpagne, vinho?, licores e cognac.
ASSIM COMO:
Apromptam qualquer encommenda de bolos e
assados, pois para isso teem nma bem montada
fabrica.
E convidamos as Exmas. familias virem visi-
tar o nosso estabelecimento, pois ne le euconira
rao sempre agrado e sinceridad?.
IBP N. 5.
adoft^v
n feito que
Espanador
ialha o mais bem feito que passivel e
arato do qae em outra qaalqaer parte, na
*a Independencia ns. 35, 37 e 39.
v a
o*
*!
I:
lliil
.Jka
Kua do ta
V.
^o publico
Ra do liberador n. 24
Ao publico sem duv.n qatm nos dirigimos,
SinKf* ,MOa tu6ms,. '^r neite jornal um
Sido qU8 6 S6f ^ \d" Cm maiU
Nao vimos com phrazes bombstica procurar
convencer o respitavel pblico que aechamos de
montar ama fabrica e loja de.eonfeiUra>!naSte.
'aria e culinaria, somente com o rcaliciosc 0^ de
chamar atteoco. para o loso estabelecimenv,
somos amigos do progresso material desta pro-
vincia, occorreu-nos por isso, a idea de facilir
a qaalqaer habitante della, a manir-se com pres-
teza e quantia resumida, de qualquer objecto ten-
dente ai tres artes cima referidas, esUbelecendo
para> esse flm ama confeitaria ra do Imperador
n. 24, sob a segninte denominacao
_____CONFEITARIA 1)0 CAMPOS.
Papel para impresso,
Vende-se por prego muito barato, havendo tres
lmannos: na ra da Cruz n. 3i, armazem de
Alvea & C
mmmm m m mm mmmm
A ra do Lommer--io n. 10, escrplo-
jio de Jos -Joaquim da Costa Maja, en-
cfflUfa-se para vender por commodos
Pre^v
Azuleja, hespanhes.
Folbas de leo galvanizado para telha-
do de versos rwnanho.
Ditas de dito draV lizas.
Bicas de ferro gaf! Cumieiras dito. '
Portadas conjnletas para
Ladnlhos. "


Attenpo
Attenpo
SEIV1 CAMBIO
Troca-se raoeda de cobre, quantia nunca infe-
rior a 50*000 : qaem pretender dirjase praca
da Independencia n. 39. loja de calcado dos Srs.
Porto & Bastos.
Famoso pinho de retina por preco que ninguem
pie vender : no armazem da bolla amarilla no
oito da secretaria da polica.
Precisa-se da nm escravo de boa conducta
para todo o servico, paga-se bom ordenado : na
ra do Rangel n. 9.
O grande rancho di Bn nos Afogados, achan-
do-se novamente preparado nao 5 em contnna-
sao do trato de todos os cavados dos sertanejos,
cora as raesma3 garantas, que sempre leve como
tambera para receber desta praga qualquer ca-
vallo para ser tratado conforme o gosto de seu
dono sendo tuo coraraodo e favoravel pelas gran-
des porpocSes que tem o mesmo rancho, quem
tiver cayados e quzer experimentar ver com
que faclidade, se tem um cavallo bem tratado e
seguro sem pagar tanto dinheiro quanto pedem
as coxeiras : quem precisar derija-se ao mesmo
rancho que fallar com os prpretarios Jos Ma-
rinho de Hollante Falco a Antonio Gomes de S
Leitio.
Vende sa a taberna sita ra da Senzala nova
ns. 6 e 22 com poucos fundos: a tratar na mesma
-Vende-se dnas partes do sitio di Capanga i
ra das Pernambucanas, que perlencem ao (loa-
do Jos Antonio dos Santo Coelbo : a tratar na
ra do Bario da Victoria n. 9, loja da Turqueza
A 4#500
Vende se borzegoins para hornera, obra taxiada
e bem feta, pelo diminuto preco de 4*500 : ve-
nham ra da Imperatriz n. 68, loja de miodezas.
FABRIA
DE
[CHAPEOS
g DE
Todas as qualidades
gj B, 24 roa larga do Rosa-
rio n. 211" andar
DESCAROQAR ALGODO
de 10 a 40 serras. Machina a vapor, forga de
tres cavallos: em casa de Shaw Hiwks & C, roa
do Bjm lesas n. 4, amiga ra da Crox.
A viuva A Filhos de Joo J)aquim de Suuz
Abren e Lima, com loja de sirguelro roa do Ca-'
bug n. 1 B, avisam a seus devedores que deixou
de ser sea cobrador o Sr. Herculano Daniel da
Silva Louriwi desde o Qin de fevereiro prximo
passado, entregando a procuracao que Ihe havia-
mos oathorgadi, nao levando em conta qaalqaer
recibo passado posteriormente.
Precisa-se de um moleqae de 10 a 12 annos
para ajudar no servlgo, de casa a nma ama qne
serve urna familia coraposta de 3 pessoas : a
ra Duque de Caxias n. 73 1* andar.
SITI3
Alnga-se o grande Mtio da estrada do Rosrinho
n. 10, cora casa para nuraero estado, havendo rnuita diversdade de fructas, bem
como pode sustentar urna porcSo de vaccas, lodo
anna, anda mesmo na maior ferga da seeca, por
ter urna graoie baixa di capira, que nunca seca,
e na distancia para qualquer dos (nios urbanos,
Eacruzilhada de Belra, ou Tamarineira, se pie
gastar de cinco a seis minutos : tratar na ra
la Madre Deas n. 30. _____________________
Fartaram na noite dajdia 7 para 8 do cor-
reate mez, do engenho Gurja de cima da fregue-
zia de Jabcatao, tres cavallos, sendo um rugo ta-
Ihado com algomas pinias de pedrez, j velho e
castrado, anda baixo e est gordo, outro castanho
escuro, grande, com una estrella pequea na
testa, tem um p outro castanho escuro, coro os quatro ps caiga-
dos e nma listra grande na frente, inteiro e ar-
digo, e todos tera o ierro MLS. Rogase as autori-
dades policiaes e a qualquer pessoa do povo que
os encontrar ou poder dar noticias exactas, o fa-
vor de dirigirem-se ao dito engenbo, onde serio
gratitlcidos com 100*.
Precisa-sa de nma peesoa para tratar de
urna doente e paga se bem : no sitio da estrada
velha do Chora-Menino, moradia do padre Fran-
cisco loao de Azevedo.
Aluga-se
O armazem do obrado da ra do A mor m n.
21, com duas frente.-, no Recife : tratar na mes-
ma ra n. 52, armazem.
Attenpo
Deseja-se fallar com o Sr. Luiz Caelano Borges
a negocio de sea interosse : na ra do Commer-
cio n. 30.
AFERICAO.
O abaixo assignadj, arrematante da aferigio dos
pesos e medidas deste municipio, participa aos se-
nhores eommerciantes dos estabelecimentos snjei-
tos a este imposto, que desta data em diante se
a-ha aborta a dita ferigio roa estreita do Ro-
sario n. 31, nos dias uteis das 9 borla da manhaa
as 3 da tarde. Outro sim participa que os seus
empregados sao os mesraos da aferigao paseada,
os quaes esta) autorisadjs pelo mesmo abaixo as-
signad i, esii os Srs. SebastiSo Pereira Pinto, Fe-
lippe Santiago de Torres Galiodo e Joaquim Can-
dido Ferreiri da Luz. Recife 18 de outubro de
1871.
__ Miguel dos Sant" Costa Jnior.
3
Se o de brica fosse unicamenie illudir a f pu-
blica, ha muito que ter'am annonciado
os seas productos, mas para correspon-
derem mais dignamenre conflanga nel-
les depositada, esperaram receber os
objectos e pessoal, que acabam de che-
gar-lhes.
Hoje, pois, qu6 a sua fabrica se acha
montada cora as mais aperfeigoadas ma-
chinas, com os melhores pelrechos e ser-
vida dos mais peritos offiuiaes europeo?,
podera os seus numerosos frejuezes e j
o publico em geral encontrar desde j.
Chapos de seda da ultima moda, sen- I
do altos e baixos.
Ditos de calr de tnds as cores. e;n ]
formatos ingieres e araburguezes. J
Ditos de feltro de todas as qualidades
e-feitios, tanto para homem como para
criangas.
Ditos de velludo para senhora.
Ditos para eclesisticos, redoudos, tri-
angulares e a romana.
Ditos armados para militares.
Ditos de pasta.
Concerta-se toda a especie de chapos j
quer de homem quer de senhora, cora a 1
maior pericia e mais barato qneem quaN j
quer outra parte, assim como se rece- J
bem encommendas tanto para a provin-
cia como para fra.
B*BBMH
Alnga-se o 1 anlar e os dous armazens
casa da ra do Vigaro n. 3, proprios para escrip-
torio e deposito de faz indas por ter grandes ac-
commodagS'.s : a-tratar com Manoel Alves Guer-
ra, pai ou fimo.
Rna do Baro da Victoria nume-
ro 55.
Os proprietarios do coligo e acreditado deposito
de iao ra do Baro da Victoria n. 55, tendo-o
reformado completamente, veera presenca do
publico annuocar os objectos qae tem venda
em seu estabelecimento, e para poupar lempo li-
onlam-se fomente aos seguintes: bolachas fabrica-
dts com a raelhor farioha di trigo, bolachmhas de
aramia, biscitiohos, faiias torradas, caf mado,
assucar, farioha do reino e cha de melhor qual'da-
de. No mesmo deposito vender-se-ha charutos da
Baha das seguintes marcas: opera, rabucos, bi-
mark, regala britnica do afamado fabricante
unstavo Alberto ; tambera existe no ditodepoMto
charutoi de Simas, imperiaes, madores loariafl,
opera e leaes, e de mais qualidades,' assioa rtOK
cigarros de diversas qualidades, e finalmente o
especial pao Ramonda.
Unicj approvado pela inspecgo de saude publica
ra do Baro da Victoria n. 53, de
Bunanni & C.
proprios para suspender barca-
das e hiates, vende-se na ra da
Cadeia n. 39.
Sitio venda
No.Arraial ra da Harmona, vende-se am si-
tio, todo plantado, boa casa e banho, qae se torna
recommendavel, j pela sua collocagao topogra-
puica e salabridade qae gosa aqnelle pitoreseo
arrabalde, e jl pela modcidade com que se pode
fazer tao ptima acquisigao. As pessoas que o
desojaren) pdem derigir-se para inLrmaroes
rna do Livramento, armazem do Balisa.
Para noivados.
Fitas especiaos e preparadas para lagos de cor-
tinados de cama : receben a Nova Esperanga,
ra Duque de Caxias n. 63 : a ellas antes que se
acabem, pois vieram somente sei-, e sao lindsi-
mos.
I boa qualidade.
Jrres.
Wa; Catharina, |sac>
casas
m
Vende se papel de sed* tin caixas para'ci-
garios: na fabrica Activi'lade ra das Trinchei-
ras n. 43.
! Garantidas!
M&chinas dj costura de Siner
!90S00!
TaojLem concerta machinas de uualquer autor
por prgos muito equitativos I Linhas e retr. z a
vender I
CHAPMAN'S
______ 20 -Ra do Imperador29
da
AMA
Precisa-se de ama para casa de fa-
milia : na ra do Vigario n. 26,
meiro and ir.
dous :avallas de sella, sendo um castanho, de
frente aberta, bstanle gordo, andador de baixo a
meio, e outro mellado, de crinas branca--, muito
bom baixeiro : os pretendemos podem ve-Ios na
ra de Riachuelo, casa de Vicente Ferreira da
Costa, das 6 as 8 horas da manhaa e das 3 as 6 da
larde.________._______
Vende-*o nina espada e Danda com mais al-
gun3 pertences, ludo em prfeito estado : a tra-
tar na ra Imperial n. 248 defronte do Valdevino
da plvora."
Aproveitem a occas&o da
pechincha
Talheres maitoffinos de dous beides a 3*600 a
duzia, ditos de um botao a 3* a duzia, talheres
cravados, cabo branco e preto, a 2* a duzia, ditos
a 1*600 : na rna Duque de Caxias, antiga do
Queiiuado ni 111
{W10O Hbr, em pequeas laliohaa : s no
afmazem do Campos ra do Imperador n. 28.
Demento Portland
Sm barricas de 13 arrobas prego mais com-
nodo do que em outra qualquer parte, vende-se
ios armazens de Tasso Irmos A C
Joaquim Jos Gonealves tettro tem">ara
5e*8rk.M seQ escr'Plorio a ra do Cjimnercio
5> osa>peros abaixo notodos, que vende mais bi
rato 09< AzeitorT, em ancoreus.
Amendoas <^ barricas.
Caf muido ev masaos de 1 libra.
Chapeos do ChifS
Cognac marca mar
Enxadas.
Farinha de mandioca de
eos de 3 e 2 alqueires.
Dita da Baha em saceos braacug.
Dita de dita era barricas, propria*, para
earticnlares. %.
Fio de algodo da Baha era novellos. -
Fouces. x
Msxados.
Nozas.
Obras de palhetas.
Papel proprio para cigarros.
Dito azul para botica.
Palitos para denles.
Pregos sonidos.
Panno de algodao da fabrica de Tdos os Santos
de Pedroso na Babia. -
Rolhas.
Rap popular da Babia.
Botim em fardos.
Rtroz dos melhores fabricantes do Pvrto-
Tapioca do Maranho.
Tabaco simme da Baha.
Verniz copal.
Vinho do Porto engarrafado, caxa de 12 gar-
rafas.
Dito de dito em barris, proprio para engarrafar
Dito muscatel, verdadeiro de Setubal.
Dito Bordeaux em caixas de urna duzia.
Dito de caj em caixas de urna duzia.
Superiores cigarros de Janeiro.
Domingos Alves Matheus, nico geme nesu
provincia da fabrica imperial de cigarros de S.
oo de Nitberoby, elabelecida no Rio de Janeiro,
tem sempre um completo sorlimento da todos o
cuarros, fumo picado e en latas. Tem igualmente
os a/amados cigarros Conde d'Eu, feitos com mag-
nifico papel de palba de milbo e fumo superior
Para governo de seas freguezes, que tem estbeie
eido depsitos flllaes. as casas dos Srs. Thomai
Francisco de Salles Rosa e Manoel de Souza Cor-
deiro Simoes Jnior, no balrro do Recife; e toda
quanto for vendido em outras casas com a firma
le Souza Novaes A C. so falsificados.
arao da Victoria
Anfi>a rin N Am,.ai, Nabuco A C. envo,,, na
Jes e treguezes a virem ao Battr Viclor,, '
apreciar o apurado Kosto com qae ao feito* di
versos arilgos quereetberam ultimaroente dal Eu-
ropa, a saber : cu-
Vestidos ce blonl com veos e arioaid.s tara
casaratntos.
Ditos de seda lisos e mitisadus
Ditos de ni de seda ricamente bordados a co-
res.
Ditos de chita e de ganga com todos os afei-
tes necessarius.
Ditos de cmbraia Victoria finissiroa.
Camisas bordadas para senhora e ismero.
Saiis e peniiadores bordados.
Meias tiuas de algodo brancas e de cores par*
senhora.
Sahidas de bailes e bournc-x de casemi..
Basquinas de seda preta.
Ricas fronhis de labyrintlio bird*-ja.
Cilxas de seda, de lia e seda, dj algodao, js-
tao e la pura.
Ara de mo.-ca de todas as cores, urna fazen-
da especial para obrir quadros, espelhur e
retrate?, demasiad.-.menie traosperenie e prepa-
rada de forma a evitar completamente o p.
Celerinhos e punhos de papel.
Chapeos de seda e de velludo para senhora o
meninas.
Fius magonicas de diversos graos.
Perfumaras de diversos fabricantes, leos, bi-
chas extractos e pos de arroz etc. tic.
Um '.-ompleio sortinenio de carteiras de roar-
fim, tartaruga, madreperla e cooro da Rassia,
radispeiisaveis de serta, e de couro da Russia ihe-
zouras e caivetes muito fios.
Um completo sonimenti de chapeos de sol de
seda, bnenlas de canoa, balea, borracha e ma-
deira. v
Charutos'tmeriore?, fumo inglez para cachim
bo, carteiras eNfcolgas de seda pa o mesmo e
ouiros muitos uC]H
m completo soriiman-o de e^pelhos doarad,s
de diversns umanbos, ivma aS*.
Sabonele irurlez era caixlntia a 1*300 a duzia
Grande pechincha
Damasco de lia com 9 palmos de largura, fazen-
d8 prapria para colchas de cama e cobertas de
piano, pelo baratissimo prego de 1*500 o cavado,
alpacas de cores de padrdes mindos a 300 rs. o
evado, las de cores mescladas e de lindos pa-
dies a 320 e 280 o covam, cambraias de cores a
180 e 240 o covado : na loja dos arcos ra !
de Margo (antiga do Crespo) n. 20 A.
ATTENCAO
Vende-so um sobrado de nm andar e sotao
novo e mnito bem acabado, com terrago na fren-
te de detraz, cozinha fora, murado, contendo qua-
tro meias aguas de pedra e cal, qae rende cada
unsa 8*000 raensal, todo no funlo do mesmo so-
brado cito na raa de S. Joo, freguezia de S. Jos
desta cidade : traur na.mesma raa, casa na
mero 4.
pn-
Povoado Montes.
Constando ao abaixo assignado que alguera mal
intenchnado anda propalando que elle tera letras
vencidas e nao pagas, vera pelo presente declarar
que falsa semelhant asseveraglo.
Povoado Montes 17 do outubro de 1871.
Joao Rufino da Silva.
Paga-se o tercero dividendo da massa fal-
lida de Sequeir A Pereira, ni razo de 2 O/o, a
ra do Mrquez de Olinda, escriptorio n. 49 ; de-
vendo os Srs. credoros apresenarem os seus res-
pectivos ttulos.
Faz-se negocio com o estabelecimento o. 85
da roa Duque de Caxias: a tratar na mesma.l
Precisa-se de urna ama que cciinhe
bem o diario de una casa e que faga
algumas compras, dano-se um mole-
que para s ir buscar: na roa do
78.
Comodona.
Na roa Velha casa n 47, faz-se todas as quali-
dades de comidas para qualquer pessoa que queira
tel-a cora muito asseio e perfeigao. Na mesma
casa tambem >e faz boa jalea de moclo para
quem se achar com fraqneza ou iresmo para re-
galo. Assim como lava se a engommi-se, tude
por commodos e razoaveis pregos, que admirar a
qsm experimentar.
Vende-e
Para acommoiar urna grande familia, um so-
brado do um andar no largo do Carmo em Oiinda*
cora um grande sitio todo morado, e tudo em
chaos proprio?, ca muito prximo a estagao da
via-ferrea; assim coraod>s baohos salgados-
quem o pretender, dirija-se a mesma casa que
achara com quera tratar, ou na ra da Cadeia n
38, primeiro andar.
LOJA DE JOHS
Ra do Imperador n. 30.
Declarase as re dendo muito barato, como sejam :
Cag. letas de iascripgo a 6* e 12*
Pulceiras com teteas a 30*.
Ditas simples a 8* e 9*.
Botos para punho, sendo da le
Cruzes de wiiro a 2* e 2*300.
Asneis cm brilbante para crianca
Ditos a 1*500 e 4*.
Talheres para menina a 3*.
Cideias plaqu a 2*, 2*500 e 3*.
Rselas para crianca a 2*.
E' barau e garante-se o metal, recebendo-se
qualquer encommenda tendente a arte
NEGREIROS-IRMAOS
10*.
a 10*.
Fara quem precisar
Urna pessoa habilitada propoe-se a corar para
l"ja : quem precisar dirija-se a raa do Duque de
Caxias n. 33, 1 andar.

Attenpo
Perdeu-se cima de Una para Caruar ama
nolga, contendo duas procuragoes ba-tantes, dnas'
cartas de ordns dirigidas, urna ao Sr. Diogo Henri-
qae [de Soaza, a outra ao Sr. Speridiio Francisco .
NepomoceBo, arabos moradores na fuelle lugar, J-
lettfas vencid.s e doeamentos dd meas deve-
dores, o Sr. Joo oliverio da Silva e Joao de Bar
ros Cavaleantr-, e constituindo aquellas Srs. raeus Precisa-se de um,sucio para urna taberna que
procuradores afina de liquidar contas com estes en,rt corn uma cerl' quantia nnnea menos de
aconteceado ter se perdido dita bolea, pjr isso ^^'- P's "egcio bom e anima : o preten-
o abaixa assignado vera prevenir qae seas ditos deDtt Pl0 dirigirse raa lo Visconde deG-jyan-
devedires ao paguera nem fagam transacoo al- na *^^- ^a mesraa precisase de ara caixeiro
fuma senio com os referid s Srs. Diogo e Speri- d< '* inno* ^e idade, p-rtuguer, prefere-se dos
dio, tob nullidada. ltimos ebegados.
Recife, 18 e oalobro de 1871.
...____ Antoni i F. Ramo i de Oliveira.
,~ Pracisa-se de nH himam qae antala de
^nagoes dt herta a jar Jim pr* o engenho Tra-
jacae do ttraju ij.. Serinhaerrj d?-la provrgcia a
Wmar v* raa di pir n. 99.
Qaem precisar de ama ama de leile,
sei ra da Couiuista n. i, que se dir
existe.
dirija-
aoode
-- Copjrata se a venda da eapim annualmente
or prego rasoavel : tra'AT BO enaeobo P*as
rmjfs, tm Apipnccs.
Hotel Aurora
Vende-se.esfe acreditado e bem afrgaezado bo-
tel na roa das Trincheiras n. 48, quasi defronte da
rna Estreita do R.isario ; tratar no mesmo
RIM0O
CAMPOS,
Ra do Imperador
n. 28.
^- COLINDAN49
E. A. Ddloache acaia de receber om
grande sortiraento de oculoj e pincen^z de-
todas as qui i latios, e vjdroj a todas as
numerales.
Ni mesma casa tem g.atjde s-rtim ntolD
\mTi?.-**'*'* ** a *joo querer acabar mm
Vndese uma machina propria para tirar
agua e descaregar algodao, assim como ama car-
rega em perfeto esudo : a tratar na ra Impe-
rial n. 5, andar terreo.
4Kuado Apollo4
Joio do Reg Lima & Filho tem para vender, 20
0|0 meuos que em outra qualquer parte, o 'se-
grate : m*
Linguicas Jas Ilhas em latas.
Alcatrao en barris.
Vinho do Porto flno em caixas.
Dito Bor'deaux dito dito.
Relogios de pareae e cima de mesa.
Novidade na loja das
seis portas.
Laazinbas de cures modernas uroprias para a
estagao presente, que se vende pelo baratissimo
prego de 400 e 500 rs. o covado, madapoio fran-
cez muito largo a 6*500 a pe;a.
Ha tambem ama grande porcio de inhas de
novello de nmeros 60 a 120 que se vende
pelo diminuto prego de 1*400 rs. a libra, fazen-
do-se differenga era porgoes de 23 libras para ci-
ma : na loja das 6 portas em frente do Livra-
mento.
Querern crner ?
Guardapisa para vestidos ; preto ou branco?
Papa-fina, larga ou estreita ?
Lengos de linho, bordados oo lisos ?
Bonitos leques, oaso mu sndalo ?
^Nuva esperanga quera tera I f I
novidade!
AcarlVfa chePar a Nova Esperanga ra Duque
ue Laxias ,. ^ benecus e bonecas, sendo Ce inci-
des luteirameirt^ovos, viudo entre elles es en-
graMdosbouecosa^ borracha: para que se can-
gara? guando qu.zw comprar qualquer objecto
sendo bom, bonito on ^faCato. lembrem-seV.go
:'-v JIanca fUi*^oqu d Gasa n. 63.
Atiendo!!!
A8000
Vestuarios francezes de lia de nma s cor para
meninos de 3, 4, 5 e 6 abnos, todos tem toque de
mofo, que mal se percebe, sao forrados e muito
bem enfeiudos, formando jaquetiuha, caiga e co-
leto, nunca se venderam or menos de 14* e 15*,
e vendem-se pelo prego de 8*, por cansa do mo-
fo : na loja do Papagaio ra da Imperatriz n. 40,
de Mendes & Carvalbo.
Farinh
i
Vende-se a 2*000 o sacco,
Deus n. 1.
d mandioca
na rna da Madre de
Jacaranda'
Veode-se Jacaranda por duzia?, oo vontade
do comprador, por commodo prego ; somente para
acabar : traur ra do Vigaro n. 1, primeiro
andar.
Pelos ultimes vapores, ebegou para o armazem
do Campos da rna do Imperador n. n. 28. os g-
neros seguintes :
Chocolate em p, on cacan puro soluvel.
Leite condensado o mais superior,.
Queiios Ludrinos, Flaraengos, phiio,- Minas e
do sertao.
Presuntos e toncinbo inglez.
narvaja M-race, Noruega, Bass e Guin-s.
Cha muito superior, graado e miado.
Alem disso
O Ciropo tem feito reunir ero seu armazem, os
vveres raau aaborosos e superiores, querendo
por essa forma entrar era competencia com os
seus collegas, na venda dos gneros proprios para
T.Sa.' / d,PMIM. flede a mais modosta at a
M paMar 80Mida 6 lniri,' fl0" e |rm"
Ninguem por certo, pori davia no cima 4.lo
*Mnia,md0S SitT qQe<*,e e contra o
aun 6 no armazem do
Loja do Pavo
SAI AS BRANCAS BARATAS
a 20500 e 3,4000.
G Pav5o vende cortes de boa fazenda
branca com bonitas barras de pregas, | elo
baratsimo preco de 20300 e 3AO0O cada
ama, grande pechincha na ra da Impera-
triz n. 60, loja do Pav3o.
MODERNAS BAREGES COM LISTRAS DE
SEDA E FRANJA AO LADO,
a 800 rs. o covado.
Chegoa para a loja do Pava-', ra da
Imperatriz n. 60, um elegante sortimento
das mais lindas bareges modernas e tendo
ao lado bonitas lis'tras asselinadas e franjas
para os enfeites. as quaes se venden pelo
baratistimo preco de 800 rs. o covado, per
haver om grande sortimento desta nova fa-
zenda ; assim como delicadsimas bareges
com lindas listras de seda, sendo fazenda d-
muila phaotasi a 640 r. grande pecbio
cha, no armazem do PavSo.
Vende-se sortes de ierra era forma geomtrica
de rectngulos, e siiuagao lopograpbica de leste
ao oeste, ou de snl a norte ao sitio dos craveiros,
lugar do Fundo. A fertilidade do terreno banba
do orientalmente pelo rio Beberibe, a faclidade de
locoraogo (a via frrea de Beberibe). a modijida-
de dos pregos, a regularidade e belleza do prnjec-
to de arruamentostudo couvida a fazer-se acquisi-
gao de uma porfi qualquer de lu agradavel e
pitoreseo tillo, especialmente es pretendentes a
habilagio camoesire e os necesM^ades de banbos
'rus. Os oretcodentes poil-'.n dirigit-se ao eoge-
ulieiro A. F. l\. S-:tie, a sua eaaa o. 0 na estrada
de Jo) de Barro, ou a ra de lnchuello, casa
o. 9 do major Francisco & da S.lveira, proprie-
tario do supraciudo sitio.
A revalesciere du Barry de
Londres
Todi a doenga cede a Rmlesciera du Barry,
que d sade. cntrgia, appetite, digestao e dt
canso. Ella cura as dispepsias, ^gastrites, hum; -
res, acidez pituita, flato, eiijps, voailos depc.s
da comida e gravidez, con tipacSes.'.i asthina,
affecgoes pulmonares, bexiga, 1,'j/ ;erebro e
sangue ; 60,000 curas, inciuiado muuas dolas na
Brasil. s
A revalesciere caocoada u Barry
em p,
Delieioso alimento para almgo e ceia^ dj^..
nutritivo, fortifioaBdo os ervos do estomago seu
caus-.r o menor peso n-Jit dr de cabega, neai ir
rita gao.
nico deposito para o Brasil em Pernamboet
na p\iarmaca americana le Ferreira lisia le C.
ra do Duque i!o Caxias u. 7. (Todo cuidaos
om as falsiticacoes.)
Pomada aipaka
E' muito conhecida esta pomada e nioii'j
apreciada por sua duissima qualidade, a Nova
Esperanga quem tem.
Jarros de porceliana
Um completo sortimento e indos Jarr>y
de porceliana (do afamado Bacar) existe na
Nova Esperanza, ra Duque de Caxias
n. 63._________________
OLEO PURO DE FIGADO DE BACALHAO
DA]
TERRA NOVA
DE
8. LACOMBE
Este oleo que o boa acceitacao tem merecido,
oiuit se recommenda pur er o raais purificado
que at hoje tem viudo, e ainda pelo bou paladar,
superior a entro qualquer : vende-se no deposito
especial de Bartholomeu & C.: ra Larga do Ro-
lara 34.
Brea.
Para o dia ds fi-
nados.
N rna estrelado Rosario n. 33, i- andar, tem
para vender ricas capellas para tmulos de aojos,
donzelas e defuntos, de saudades rxas, cravos,
perpetuas e sempre-viva, e mesmo flores bran-
cas, sendo as capellas cora leireiros de ouro cosa
qualquer disliucgo que se queira ; j se achara
promptas, e por prego molo em conta. Na mes
ma casa preparam-se bouquets de gosto cora utas
bordadas e simplt s, tambem se armam capellas,
trazendo os dom s as perpetuas dous das antes.
VELAS DE CER\
pelo menor prego possivel : na ra do Vigaro
numero 19.
Flores
.. "X- Ven5;* D* *oU* rn* Direita,
lio Das n. 9, quijos raoito frescaes
hoje Marc-
U i UiOO,-rarnhVdrrairh8 dS'lodS
as quahdads, abacaxis muito maduros, vinho do
da)-^e flWNo *ralof.
Jo er^beleeimeo}1?,
Vende-se ;tiDfl.as camelias e outras tlures pro-
prias para cabellosT-eu pinteados de senhora, na
ra da Ira ieratrii o. 82S6A3a de caelleireiro de
Odilon Durte.
,______ i
na ra 1 de
Vende-se doze barris com bieu
Margo n. ?3 (aotiga do Crespo),
A 640 rs.
Vende-se sapaios de marroqairo, obra mnito boa
pelo preco de tiiO rs. : venbam a ra da Impera*
ir z n. 68, loja de miudezas.
XTpO "
Vende-se butinas para meama< peio diminuta
prego de IJ500 o par : venham a rna da Impe-
ratriz n. 68, l"ja de miudezas junto cadaria.
Cemento verdhdeiro Portfand.
- Vende Joao Ignacio da Costa, em barricas, por
barato prego: oo armazem d dega n. 5. _______________
Popelina da seda e
la.
Fazenda' inteirameote nova no mercado
com pad r3es amito delicados, fazenda de
um elteito su'prehendente em vestidos,^-'
vende se por 10280 rs. o covado, -fi"bja
do PapagaK ra da Inp/ft n. 40, de
4MrTij "ACivlitro. '
Vende-se nina jasa de pedra a cal, cora terre-
no de dozeotos palmos de frene a trezeotos e
trinta de fundo no lugar do Fundi, ra de Olinda
confrente ao sitio dos craveiros, tambem se vende
terrenos no mesmo lugar 'rna-fe recommendavel
por Mear perto da estaeio do.Fundo e junto ao
rio Beberibe : a tratar nos dias ut-is a r.:a e;trei-
a d i Rosario n 14, luja. omiogos e dia< stroti-
dados no mesmo >ito FunJIo cc-m M.gu*l Fer-
reira Carreiro.
VNDESE
Vsiiirrl'-"nfoiarrtiagIj e aiut> jt:^L:-3
na roa -Je 3. J^o v. 19.
A verdadeira gomoia do Aearac em saecos e
barrica?, p-T menos nrego do que em outra qual-
Sucr prre ra do Vigario n. li, escrptorio de
os Lopes Devino
"Na KUA DO VIGARIO N. 19
vende-.-e viohoi do Pjno engarraAdi*. ditos em
barris, ninz de Mdxt as cores, lonas e bric-
velas c Logias de 'era.______' ____^_
Ven !c-e nm .2 cor, e bom andador : a ver na roa de Sn-
t'i Amaro o. t, e a intar ua ra da Cadtia ca-
mero 10.

<
I
f


Oiaiio de Pernaniimco Quinta fera 19 de Ouiubrq le 1871.

LAB0MM1I0 H0MOPATHIC0
DE
FEA!! D PAULA. CARDUZO JNIOR 4 C. '
41.,Rua do Imperador41.
Fiancisco de Paula Cardoso Jnior A G\ animados pela condescendeo- (
cia, que para cora elles teve o Sr. Dr Jacintho Soares Rebello, que ha 26 annoe
exerce o systema homoopathico, gozando sempre de subido conceito, a estab-
lecer nesta cidade ua-L.VBORATORIJ IIOMEOPATHICOdeprimeira ordeno,
digno da confianza e proteccao do illastrado e respeitavel publico desta previa ij
cia e do norte do Brasil, para oqne, n3) se poopando a despezas nem fadigaa
) capazes de superar lodas as difficuldades, cojo que tiveram de laclar, trabalba-
' ram ncessaatemente desde marco ultimo, julgando ter conseguido o sen desi-
dertum, tem hoj5"a satisfagSo de, annunciando a abertura de sua casa, affirr-
mar aos amigos da homeopathia, que se ju'gam completamente habilitados para
) o perfeito desempenho de todos os misteres do seo encargo.
Os elementos do seu estabelecimento foram todos importados da afamada
casa de James Epps & c\ de Londres, um dos primeiros e talvez o mais -co-
nhecido o acredita lo estabelecimento deste genero; as preparares secundaria
K
y
(dynamisaces e diluicSes) (oram preparadas com o mais escrupuloso esmero /
segundo as regras da sciencia e sob a immediata directo e inspeco dp/liesmo
Sr. Dr. Rebello, cujo nome ligando-se desta sorte ao estabelecimer>*9, a mais
segura garanta que podem offerecer os seos proprietariosi s pesjftas^, qne os
honrarem com a sua confianza, de que no preparo dos medlftmenios* n3o se (
pouparao esforcos para que sejam bem servidas, pois qu^a^Msteridade.com que
cumpre aquelles todos os seus deveres e sobretudo^^speito, que consagra
sua prrpria reputarlo, lhe n5o permittiam sacrificar a vida de seas clientes
ao interesse de terceiros.
Sem pretenderem os proprietarios depreciar os productos dos ootros
estabelecimentos deste genero, creem todava poder afflrmar que nenbum outro
excede o sea em saperioridade, e para que nenhuma duvida baja a este respeUo
poderlo todas as pessas qne quizerem fo'necer-se dos seus medicamento^ vi-
sitar e examinar o estabelecimento, oide, alm de boticas em globalos* tinta-
ras de varias capacidades desde 42 at 120 medicamentos por precarazoaveis,
enconlraro todos os^rtigos que tornam completo o sortimento/de easas desta
ordem, taes como inficetientes chocolates, p6s dentifricios, enerado de rnica,
tintura de guaca, etc um lindo vo'ume encadernado do-/*co D0 povoori-
ginal do Diyure, traduddo peloDr. Silva, Pinto e reysto e augmentado em
3.* ediccfjpeloDr. Antonio de Castro Lopes.
ISsta obra que contm mais de 300 paginaste impressSo e ama estampa
explicativa dos diversos orgSos do enrpo humart um dos mais claros livros
destinados ao ensino pratico do tratamento dp^odas as enfermidades, pois indica,
nao s os roe tica montos apropriados parjmda molestia, como a aneir
appcar e repetir as dses." ^
O prego d'eiU de iO^OOO^ra as pessas, que comprarem boticas
neste estabeleciroento, e de 12^00 para as que comprarem smente o livro.
Contando pois, com a-diosa proteccao d s amigos da homeopathia, con-
cluem'os proprietarios o seu anoancio, declarando que se acha adjacente ao sea
LABORATORIO o'consultorio do Sr. Dr. Jacintho Soares Rebello, e que se
tuoarregam de reeebr e enviar ao mesmo Sr. Dr. a toda e qual pier hora os
chamados de seas clientes.
Vio ha mato cafe
Tintara ja
S e nniea appfovad
tocia, reconhecida
carecido ate hoje. 1
Tadela do. Recite n. 51, ai
cm a casa de eibelleireiro.
LOJA
Flor daBoa-Viita
D*
Guimarlfcs
AMLIPBAC.\0
n
waoo
80000
20500
6)9000
5*000
320
320
O propietario desta beoL conhecido es-
tabelecimento continua senuve seguindo sua
wtiga forma de primelr&'Wate'ifO di Boa
flsta e para raedor prova adm'rem os
procos seguinto :
(juilas esouiaarfi claras cores osas
o cotao 160 200. a. V>o
Gambtaias de cores 240, 280 rs. e
Uas para vestido 280, 820 rs
Creps esoecezas fazenda nova
Alpacas lavradas d'um
Cambraia brart&a traosDfn6 Pe"
Cas a 3*300 e.
Ditas dita victoria a^JOOO e.
Bramente com J" palmos de lar-
gara, vara*r 2#w*
MadapolSo^peror pecas 5*000 e
tgt&AkWMs. ....
Bnm pardfr trancado pecbinclia
covadoa.......*
k)ito dito Uso muito fino a. .
Outras muitas mais fazeodas qne vende-
r por precos baratissmotf com/> sejam :
pannos pretos, ditos azoos, casemiras pretas
a de cor, merinos, brin i braceos e di co-
rea, seda para colletes, camisas inglezas para
horneas, meias, chapos de sol ele.
Officina d'atfiate
Os dignos fregaezes oncontrarSo om grao-
le sortimento de ronpas faitea desde o
mais inferior at ao mais soperior que Be
ache no mercado, assim orno se manda fa-
je* toda e qualquer obra d'encommenda
feitas a capricho, pois para este misier se
acha munido d'um perito mestre. Garante
te fazerem se menor -20% deque em outra
qaalqaer parte pelo o motivo de o fregnez
s pagar o que compra e nao o aspecto do
estabelecimento.
48Roa da lraperarlz48
JUNTO A. PAMELA" FRANCEZA
K

AGUIA BBANCA
RA DUQUE DE CAXIAS N. 52
(Outr'ora Queimado n. 8.)
A Aguia Branca tendo j recebido parto desuas
.litigas eacommendas, em spguioienlo acaba ago-
ra mesmo de recebar outras, algomas das quaes
se toroavara esencialmente precisa, e outras se
fazem apreciadas por seas gostos e qaalidades,
cotro sejam:
Meias da lio d'escccia, abenas para senhora3
e DHiin i.
Ditas i iota cun listas tarabea para senhora3
e meoiar1.'.
Ditas id-ra multe bonitas ao posto escocez.
Ditas itlem idera brancis e com listas para me
Dinas.
Ditas 3im idum para baptisados.
Dilas de algodo ompridas e eos Iistras para
neoina5.
Luvas pretas de.seda, para senhora.
Ditas de- tdre.il e de seda para meniuas.
Bonss camisiohas bordadas para senhor.i3.
Fil do seda, braaco e preto com flores miuda?.
Dito do algoJ'j, liso e com flores.
Toinjuinhas burdadas pa>a criaucas.
Lindos e modernos cbnposiubos de fuslao para
dita3.
Pentas tariarug para desembarazar ou pea-
tear.
Dio3 d^ diti travesSo para meuinas.
Dita* de borracha para ditas.
Dil le tartaroga, peijueDos, para segurar o
amarradillm ans cabellos de senhoras.
Grande sortimento de endites de sea para ves- I1 'auam.
., t0, I Com rosf, maos, e
de tartaruga para Priai Para vestir-se.
FLORES E PREPAROS PARA ELLAS
A Aguia Branca recebeu lindos ramos de flort
Anas, tauto para cabeca como para chapeos,
bem assim :
Papel verde li-o e com listas para olha.
Dito de cores para flore?.
Fulhas de diversas qualidades para rosas.
Ditas verdes e lustrosas, obra nc va e pela pri
meira vez vindas como amostra/
Franjas pretas e de diversas largaras para en
leitar vestidos,
COQUES DE TRAIGAS E DE OUTROS
MOLDES.
A Aguia Branca acaba de receber urna peque-
a porcao dos bonitos e modernos coques gran-
des de tranca e outros moldes. ^_
ROVO SORTIMENTO
DE
BO^Ei
A aguia branca, a ra do Duque de Caxias n.
S2, cuir'ora do Queimado n. 8, acaba de receber
um novo e bello sortimento de bonecas de diver-
sas qualidades e tamanbos, sendo :
Com rosto de seda, das que choran, e outrai
Fivllas de madreperola e
pulceira e Iico para o cabello.
Bonita5 b "iclnhas para meninas.
.NOVO SORTIMENTO DE ENCHOVAES PARA
I3APTI3ADUS
A aguia branca acaba ds receber novo sorti-
mento do lindos e completos enchovaes para bap-
tisados, e bem assim separadamente camisinhas
pura dito-, lindos chapeosinhos de selim branco
bordados, outros ditos cora fundo de velludo, obra
de muito gasto, e que servem tarabem para pas-
eio, sapatinhos de fe.im para o mesmo fim.
MODERNOS EXFE1TES DE FLORES,
ornados com bicos de seda, fitas de sellme flvella
de madreperola ao ultimo gosto, e proprios para
bailes, casamentes, etc., etc.
ps da porcelana, e pro-
Obras le porcelana
A agaia branca tem outro sortimento de diver-
sas obras de porcelana, sendo :
Bonitos e ricos vaso3 para pos de arroz.
Outros. para joia?.
Ouiros para jabonetes.
Outros para enfeites de mesa.
Pequeas e bonitas pas para agua benta.
Pequeos jarros para santuarios.
Outros maiores para mesas.
Bonitos porl relogios.
Lindas ce.;tinhas tambera 1 porcellana.
Escrivanias de dita.
E mnitos outros objeefcM pan enfeites de mesa.
ARMASEM DOS LEOES
RA DIQUE DE CAXIAS N. 29
Os proprietarios ueste^ grande e bem montado estabelecimento scientificam ao
Tespeitavel publico desta provincia, que se acbam com um variado e completo sortimento
a movis, tanto nacionaes como estrangeiros, sendo estes escolhidos capricho por
um dos socios quese acba. actualmente na Europa, e por isso os podem vender mais
baratos 20 % menos de que em outra qualquer parte. O mesmo tem contratado com
os melbores fabricantes daquelle continente as remessas das mais ricas mobilias feils
all. Na- ofBciaa tem os mais babeis artistas deste genero, e por isso aptos a for'necerem
mobias as mais aperfeicoadas para as casas da provincia consideradas de primeir
qrdem. Pedem, porUoto, que venbam visitar dito estabelecimenttx^'onde encontrarJc
a "rvSTriidrf do que acabam d expr, passando a examiaarem :t& e completas mobiliaa
de jacarariijaogno, faia, carvalho, amarello, etc^ ter ricas e elegantes camas de
Jacaranda, po-setim,-t3MtttrreU;-^ de amarello, guarda lonca de
nogaeira, amarello, com tampo de pedra, aparadores de dita, dito,, com dita, petit
toilettes, especialmente para fazer barba, toilettes de Jacaranda e amarello, com pedra,
e muitos outros arligos de gosto, que para se nao tornar enfadonho prescindimos de
azer menc3o delles, o-que s com a vista poderlo apreciar.
Gaz economtcj para os can-
dieiros'de porcelana.
Acaba de chegar este j bem coohecido cora-
bustivel, como o mais barato, prompto e uielado
de todos at tnje conhecldos, e se encontra ven-
da no nico deposito, i ras larga do Rosario nu -
mero 3i.
Mofo,
Meias para meninas e meninos con to-
que de mofo a 2,0000 a duzia, na loja do
Papagaio, roa da Imperatratrix n. 40, de
Mendes de. Carvalho.
Tm venda em seos armazens, alm de outros
irtigos de sea negetio regular, os segaintes, qae
fesdem por presos mais mdicos qae em ou-
* qualquer parte:
PORTAS da pinbo almofadadas.
PORTEIRAS de ierro para cercas.
SALITRE mgler.
ESTE1RAS da India para cama e forrar salas.
GANOS de barro francei para esgoto.
9ESS0 superior effl porches e a contento.
CEMENTO de todas as qualidades.
MACHINAS de descarogar algodao.
LONAS e brinzoe da Russia.
OLEADOS americanos para forro de carros.
FOGES americanos muito bons e econmicos.
VINHO de Bordeara.
COGNAC superior de flautier Freres.
PARELLO em saceos.grandes a 3J500.
AGOA florida legitime.
BALANCAS decimaes.
CADEIRAS americanas. .
RHUM da Jamaica.
AZULEJOS de Lisboa.
lO^-Kua do Crespor40
P j.s de algodao com 90 jarda/i**, 4*500
5*OjO. J
Ditas de madapolao a Jff W, 5*300, 6/, e
IftOO.
Ditas de dito infesjAo, francs superior a
10*000.
Chitas franceza de todas as qualidades a 140,
180, 300, 310 e -J60 o eotado.
Cambra!'de cores a 210 e 280 rs. o covado.
Dita I i* de cor a 320 rs. o covado.
Djurpretas para lato a 610 rs. a vara.
Rvs de cambraia lisa transparente a 3*, 3*501
Ditas de dita tapada Victoria, a 4*. 4*500, 5*
e7*.
Ditas de dita transparente, snissa mnito fina
com 17 varas, 14*.
Ditas der dita bordada com 10 jardas a 7* e
9*500.
Organdy branco fino a 700 rs. a vara.
Brilhantina branca Infestada a 440 e 500 rs. o
co% d.
Bretanha de' lindo com 25 varas a 20*000 e
15*000.
Dita de dito" infestada com 30 varas a 27*.
Bramante de linho coa 10 palmos de largara a
1/500 a vara.
Dito de algodio a 1*500 a vara.
Atoalhado de dito e de linho com 10 palmos de
largura a 1*500 e 3*.
Tt>aH>as aleoehoadas para rosto a 7* a dnzia.
Ditas de linho do' Porto felpudas a 10*000 a
dnzia.
'Suardanapos de linho a 3* e 4* a duzia.
Coberfas de chita il e 2*300.
Driss de chita adamascada forradas, 4j, 4*300
e 5*000.
Colchas de damasco de cores a 4* o*.
Ditas de fustlo alecchoadas a 5*.
Cohertas de la escuras a 2*.
Ditas de algodao brancas a 1*400.
Colleifinhos de linho a 500 rs.
Chales de merino lisos pretos e de cores 2*000
e 3*000. ;
Ditos estampados de meia casemira a 2* e
2*500.
Damascos de core? a G40 rs.
Len?03 brancos de cassa finos, 2*, 2*500 e 3*
a duzia.
Ditos ditos e de c r abainhado largo a 3* e
MMO a duzia.
Ditos ditos de cmbala de linho finos a 65 a
duzis,
Ditos deesguio de i iho a 4*, 4*500, 5* e 6*
a duzia.
Bnm Angola a 640 >00 e 1*000 o covado.
Brins de iinho de c !> s a 50J rs. o covado.
Cortes de meia casemira para caiga a 1*200 e
Ditos de casemira t^ra caiga a 3*500, 4*500
Casemiras de cores de daas larguris, 2*, 2*50
e 3* o covado.
Ditas pretas, duas larguras a 2*o00 o.covado.
Pao fino preto e azul a 2*, 2500, 3*000
3*500.
Dito dito muito fino superior a Si, 6* e 7*
covado> .-. Ini
Lans a alpacas de eores para vestidos a 400
500, 600, 700, 800 e 1* o covado.
Toalhaecora labyrintos para bandejas e para
rosto a 8*. 10* e 15*;
Camisas de fhnella branca, e de cores 2*,
2*500, 3*. 3*500 e 4*500.
Grosdenapoles preto e de cores 2*, 3* e 4* o
covado.
Dao-se amostras com penhor.
Vende-se tambem grande quantidade de roupa
feita e por medida por pregos muito reduzidas.
Contra a tosse
PAST1LH A& PEITORAES.
de *
Goram warples erystatsarla.
Ditas de angico
Naff d'Arabia.
Seve de pinbo martimo de Lagasse.
E outras mnitas que muito se recomendara pe
las'suas expelientes qualidades.
Vende na
PHARMACIA E DROGARA
DE
Bartholomeu & C.
34-RUA LARGA DO ROSARIA-34
- -
Xarope sedativo
DE
Gasea de laranjas amargas
COM
BROMURETO DE POTASSIUM
DE
filROZE
Este novo preparado aprovado pela academia
mperial de medicina, muito se recommenda pela
sua aegao sedativa e calmante, sobre o systema
aervoso, o bromureto de potassiam, nao deixa de
lar os mais ceos resultados as diversas affec-
ts do organismo e principalmente as molestias
coracao, das vas digestivas da respiragao, das
"'as genito-urinarias, na epilepsia, as molestias
aervosas da prenhez, na insomnia das eriancas
durante o periodo da dentigao etc. etc..
Vende-se na (.barmacia e drogara
de
Barlholoraeu & C. .
34-^RUA LAR3A DOROSARIO-34
RABA CHIVAS
Lindas grinaldas con) flores e botoes de
larangeiras com vivos e sem elles, vendem-
se na Nova Esperanza roa Duque de Caxias
n. 63.
Oleo para machinas
Vende-se qa Nova Esperanza roa Duque
de Caxias n. 63.
Nao harer couTul^es.
As criancas qae usarem dos collares ano-
dinos, que se venden na Nova Esperanfa,
estarlo isetos de convulses; pois sao os
verdadeiros recebidos directamente.
Bazar universal
RA DO BARiQ DA VICTORIA (OUTR'O-
RA NOVA) N. 52.
Acaba de chegar para este grande estabeleci-
mento um completo sortimento de machinas de
costura de todos os autores condecidas, os quaes
garantem por annos as dilas machinas, e se ven-
den por grecos t5o razoaveis que a todos agrada-
r, cujo' precos sao os se'guintes: 40*. 60*, 80*,
lOO, 120*, 130, 1405, 160*,-1805, 200, 220,
250* e 300*. Garan'.e-se aos- compradores a boa
qualidade de trabalho, e obriga-se a ensinar tan-
tas vezes qnantas sejam precisas para bem com-
prehender-se. Vende-se tambem pegas e mais
-perlences de sobrecalent? para as mesmas machi-
nas. Previne-se desde j que s se val ao cha-
mado para concert e ensino de machinas das que
forem compradas neste estabelecimento.
Para oratorios particulares e
capellas de engenho.
Vndese om altar donrade, bem como os res-
pectivos caslicaes e palmas tambem douradas,
igualmente vende-se dous ornamentos, doas alVas,
estolas, manguitos, sanguinhos e todos os mais
pertences, sendo um dos ornamentos bordado a
ouro fino : nesta typographia se dir quem veade
Chegarira' loja do Mercurio, roa da Imperatriz
r;M:
Ricas franjas de seda preta, lavas de pellica
Jouvin, botinas de cores para senhora, ditas de
cordavlo e bezerro para homem, oleo extraeto-
oriza, ricas fitas largas para laca, ricas gravatis
de gurgoro de seda das mais modernas e lindas
cores, e om completo sortimento de galoes de seda
para guarnecer vestidos e outros muitos objeatos
de gosto.
Roa da Imparatriz n. 86, loja denominada
O MERCURIO
pertencent
JOS BERNARDO DA MOTTA.
VEDE-SE
dous bonitos cavallos, andadores de baiso a meo,
sendo um rodado-atracado, bastante grande, e
outro castanbo, peqneao : no caes 'do Ramos no-
mero 30.
Libras sterli aas.
Veode-se no amatem de razea i 4* Att|Brto
9. da Oliveira & a, i roa io CoS^Bit 41
A FLOR DE OURO
E' este o-distintivo de urna nova e tem mentada
loja dejoias, sita a ra larga do
Rosario n. 24 A,
Os proprietarios deste elegante estabelecimento tendo em vista os esforcos que
fizeram para o coocarem as condicedes de nma grande ellentella, faltariam ao mala
rigoroso principio se nao viessem as collumnas de jornal scientiflcar ao respeitavel pu-
blico, que no me.mo estabelecimento encontrarle sempre o mais completo sortimento
de jotas, como sejam : brincos os mais modernos, para adprnarem as delicadas ore-
lbas do bello sexo, e que se vendem a 8,9 e 10* o par, ditas para meninas a 4, 5 e 6*,
ditas de coral, obra de apurado go;to a 3 e 4*," Volitabas de coral com erases de ouro
a 5*, broches modernos de 3 a 13*, ditos com pedras e em snas devidas caixinhas a
10, ll, 16 e 20*, rosetas lisas, porra bem trabalbadas, de 2*500 a 9*, dilas com (
pedras de 4 a 15*, cacoletas a 4*. ditas com Inscripcoes a 5*500, annels de diversos
gostos, e com bonitas pedras a 2, 3 e 4#, ditas de perolas, esmeraldas e rnbins a ft*,
ricas cruzes de esmeralda e rubim a 11, 14 e 16*, ditas de ouro e coral com vistas poo-
tographicas a 3, 4, 5, 6 e 7*, flgas de coral a 1*, cadeias para relogios a 10*, dittasa
6*500 a oitava, guarnieses com tres botSes para aberturas a 4*, dito3 de pediinhas a3*50O
0 par, ditos para punhos os mais modernos a 7 e 8*; alm de um variadissimo sortimen-
to de jolas de apurado gosto que reeebem por todos os vapores da Europa ; como
sejam : brincos, bracelete?, alfinetes, aderecos completos, cruzss, rosetas, aunis de
brilhantes, esmeralda?, perolas e rublos. MedalhSes, voltas, trancetlns, annels com let i
tras e de diversos modelos, ocnlos e pencinez de ouro e prata dourada, relogios de ou-
ro e prata de afamados fabricantes, salvas de prata de diversos tamanbos, ricos pal'tel*
ros e faqueiros, colheres para cha e sopa, maracas para criancas, e ama lnflnldade de ,
objectos que seria enfadonho mencronar-se. S
Os proprietarios da "Flor de Ouro garantem vender tois barato que em oovaf]
qualquer parte, para que estar aberto o estabelecimento das 6 horas da manb as 8 da,
noute. 4**nur>n
AO 65
RA DO DUQUE DE CAXIAS
(Outr'ora do Qneimado)
Tendo-se resolvido d'ora avante venderse neste estabelecimento todas as axen-
das existentes no mesmo, por precos qne todos admirarSo, acbo de mea dever partici-
pa-lo a todas as Exmas. familias em geral, am de virem visitar este estabelecuaento
ou mandarem bascar amostras, garantindo-se-lhes um bom sortimento de fazendas de
algodo, la, linho, e seda, emSm urna inflnidade de artigos de moda mandando-se as
casas das Exmas, familias, por empregado da casa, toda e qaalqaer fazenda para verem
oa escolherem.
As pessas que vendem m menor escala podero bem sortirem-se neste estabe-
lecimento qoe vender pelos mesmos precos que em qaalqaer casa importadora, tendo
a facilidade de comprar qualqner porcao.
O 65 tem om completo sortimento de ronpas bem acabadas o qoe vende por
precos mnitissimo commodos, mandando tambem fazer por medida toda e qualqner obra
que os concurrentes desejarem para o que tem um dos mais habilitadissimo mostr
alfaiate, cortando por um systema inteiramente novo. a
Os annuncios nesta praca eslo e por certo devem estar desacreditadsimos, poia
que ba casas que annunciam aqoillo que nao teem, o qae o 65 garante nunca dar-se em
seu estabelecimento, pois que s deseja bem servir ao publico em geral, para ganhar
grande nomeada em todo o mundo.
O 65 acha desnecessario mencionar os presos de snas fazendas pois que isso tor-
naria-se demasiado macante para os leitores, por ter de ser demasiado extenso seo an-
nuncio, e mesmo para se tornar menos despendroso, pois qao vendendo mnito e muito
barato mister enenrtar suas despezas. A sinceridade dos tratos do 65 jolgo qne j o
publico conhece demasiado, pois que sempre tem cumprido com aquio que annoncia.
n5o verdade ?

Cura rpida e radical dos
callos
pela pomada Galopau
Essa pomada que tao bons resultados tem colhi-
u as pessas que della tem fito uso acaba de
chegar para o seu deposito especial..
NA
.j Pharmacia e drogara
DE'
Barthotomeu & C. ra larga do Rosario nu-
mero 34-
J. 0. G Doyle tem em seu
armazem para vender
O SEGINTE :
COGNAK HENNESS.
VIMHO XEREZ.
DITO DE LISBOA,
FILTRADEIRAS.
BITTER
A' roa do Commereio n. 38.
Aza de mosca,
E' orna fazenda especial para cobrir quadros,
espelbos, retractos, etc., demasiadamente transpa-
rente e pi eparada de forma a evitar completa-
mente o p.
Sabonetes inglezes em caixinhas qae se vende
por 1*500 a duzia.
Colarohos e punhos de papel.
Vende-se no Bazar da Victoria ra Nova n. %
IiOJA
DO
GALLO VIGILANTE
Ra do Crespo n. 9
Acaba de chegir pelo ultimo vapor diversos ar
t'gos de novidade, como sejam :
Lindas touquinhas enteitadas para baptisado ;
assim como chaposinbos.
Sapatinhos de :eda e de merino. *
Meias de seda e fio de Escocia de 1 a 12 annos
de idade.
Ricos leques de madreperola todos aberto?, o
melhor que ha neste genero ; assim como ou-
tros de madreperola com seda, fazenda reqnssi-
ma; tambem recebeu grande sortimento de le-
ques de osso fingindo marftm sndalo e madeira,
tanto para senhora como para meninas.
Superiores ligas de seda para segurar meias.
Meias de borracha para quem soffre de inxacdes
on erysipela.
Seda frouxa para bordar todas as cres.
Froco de seda para o mssmo fim.
Retroz preto o de cores em carrltis.
Pitas para cartas de hachareis.
Qaadros para retratos.
Lavas de pellica, e de seda, branca pretas e de
lindas cores.
Superiores eapellas para noivas.
Lindos alfinetes de madreperola para peitos de
senhoras.
Lindas abotuaduras para colletes.
Laa de todas as cores para bordar.
Superiores pencenez de ac.
Muito finas theeouras para costura, unfaas e
para cortar cabellos.
Superiores pentes de tartaruga para arregacar
cabellos.
Tinturi inglesa para tingir cabellos, a verda-
deira.
Grande sortimento de franjas pretas, largas e
estrellas e lindas padrdes.
Lm i babadinbos e entremeios bordtdos, tapa-
dosJacareles.
a casan.
!tphia.
i da roa do Gaz : ira-
E' INTIL, NAO SE CANGEM, COM O 65 NINGEM PODE COMPETIR
RA DO DUQUE DE*CAXIAS
(Outr'ora do Queimado)
?

-

MHtrtt+t
56 ARa do Mrquez de Olinda56A
outr'ora ra da Cadeia.
LOJA DAS MACHINAS
Sendo este antigo estabelecimento assaz conhecido como principal e recommen-
dado pelos grandes depsitos e bons sortimentos com qne sempre prima em ter daa
rcalhoras, mais acreditadas e verdadeiras machinas americanas para algo
dSo, desde 40 6b serras, e havendo em todos os tamanbos diversidades de syste-
mas e melboramentos para perfeito e rpido desear .(.-amento; tornam se dignas da
serem vistas e apreciadas pelos Srs. agricoUores; os qoaes, alm disto, encontrarlo
ambem mais

Apurados vapores logomovets, de forja
de 3 4 cavallos, e pertences.
Machinas para lavar ronpa.
Arados americanos para varzea e la-
deira.
Carros de mao para atierros.
Tinas de madeira.
Baldes de dita.
Ditos de ferro estanbado.
Ditos com vlvula para lavatorios.
Ditos de madeira para compras.
Apparelhos para jardins.
Guardas-comidas.
Tampas para cobrir pratos.
Tarrachas para fazer parafusos de ferro.
Ditas dita ditos de madeira.
Trens para cozinha.
Temos de bandeijas Anas.
Emflm muitos outros artigos, que s
examinados.
Correntes para arrastar madeira.
Cylindros americanos para padarias.
Pertences avulsos para machinas.
Salitre refinado.
Breo superior.
Moinhos de diversos fabricantes pan
milbo e caf.
Debulfaadores para milbo.
Azeite de spermacete para machina*.
Camas de ferro.
Bombas de Japy.
Ditas americanas.
Cofres de ferro patente.
Canos de ferro esmaltados.
Ditos de dito estanbado.
Ditos de chombo.
Ditos de borracha.
Folies para ferreiros.
avista e neste estabelecimento poderlo ser
i
f
dy
ERNESTO & LEOPOLDO
N. 2 D Ra do Uabug N. 2 D
Acha-se montado* de forma tal este estabelecimento de joias que pode
vender aos seos numerosos fregaezes em grosso e a retalho e por precos
mu resumidos visto qoe recebe de conta propria por todos o -vaporea de
Eoropa. O gosto de desenho.de snas joias o mais hndo do paiz das
modas, caro de le, brilhantes verdadeiros, esmeraldas, robins, perolaa,
torqnezas, saphiras, coral rosa etc. etc. Obras de prata do porto tarto
para igreja cerno para servico domestico. Convidamos as Eimas. familias
a visitaren o dito estabelecimento todos os das at 9 hora i da nwte.
Compra.8e ouro, prata e pedras preciosas em obras vemas.
.. *
MUTILADO


Diario d Pcrnambuco Quinta (ira 19 de Outub dt 1871.
CYSNE*
DI
FIGUEIREDO ft LOPES.
4 BIJA DA IPERATRIZ AL 64
y O* proprietarios de6te importante e syoapathico estabelecimento de fazendas finas,
?em avisarao respeitavel publico e particuarmente a saa numerosa fregoeiia, qne o
CYSNE acaba de sortir-se de todo qaanto ba degosto e moderno em fazendas tanto
panbomens como pera senhoras.
f E' ocioso ci'ar qoe oe proprietarios da loja do CYSNE naturalmente providentes e
d'am espirito altamente conciliador dos ioteresses alheios com os seas, teem sempre
legoido o magnifico systoma de offerecer venda fazendasde todas asqualidades e pre-
coi relativo* de forma que fcilmente podem fornecer artgos de sua casa accommodados
a todas as fortunas e meios.
E sobre todas as conveniencias e meios preferivel comprar no CYSNE em con-
leqnencia da sinceridade e barateza com que negociam re eeos proprietarios.
No loivavel empento de justificaras suas operac5es convidam as Exmas. familias
i visitar a sympatbica loja do CYSNE chamando as atiendes do publico em geral para
u Mguintes especialidades e precos.
*

PARA NOIVAS.
Veos, capellas, sedas e popelinas nraocas
de corea, g 'lias, pcnhos e camisas bor-
< dadas, todo caprichosamente escolhido e
para varios precos.
CRETONE BAPTISTE.
Fazenda lisa de oma.s cor, de cores di-
versas, para vestidos e tambem propria para
tombras.
CAMBRAIAS
Transparentes de 8 1/2 varas desde
14500 at 85 a peca. Victorias muito finas
de 4 at 84000.
CORTES BORDADOS
Fazenda branca de delicado bordado
liaiioi presos aeompanhada do competente
/Ignrino.
LAS
Variadissimo e rico sortimento desde a
alisa barata de 44 at a de listras de seda
aB*-ra qtfe pelo preco qoe vendemos
por assim dlzer de graca vista do gosto
qoalidade.
BAREJES
Lindos padroes a os precos de 360 e...
400 re. o covado.
SAIAS BORDADAS
As que o CYSNE vende slo bellas e su-
periores.
LUVAS
As melhores e mais procuradas lavas de
Jonvin, brancas e de cores sao as qne o
CYSNE expoe a venda.
BALES
De cretones com babado e bordado, di-
tos de arcos a I5o00, pecbincba sem rival
no genero.
CHITAS.
Completo e grande sortimento de todos
os precos de padroes modernos e cores fl-
us.
GROSDENAPLES
Finos de todos os precos e largaras so
CYSNE pode vender barato-
FLANELLAS
De cores e brancas de 500 rs. at I 300
o covado.
ALPACAS
Lavradas de 500 rs. a 150C0 o covado,
especialidade do CYSNE que nao conta com-
petidor.
MADAPOLES
Francez de 24 jardas de 84 at 105000,
inglez de 54 at 84000, e muito fino.
DAMASCO
Com 8 palmos de largura, dito estreito.
CORTINADOS
Para camas e janellas de todos os tama-
nbos, cambraia para o mesmo fim de 20
varas a 100 a peca.
ATOALHADO
Da linbo adamascado, dito de algodo
muito finos, bramante entrancado e liso, e
barato s o CYSNE vende.
GUARDANAPOS
Grandes e pequeos.
SETINS
Para todos os precos e diversos pa-
droes.
PARA NOIVAS
Camisas bordadas, peitos colarinbo e
pnnbos lisos.
* PARA LUTO.
Merinos, princezas, alpacas, cantSo, bom-
basinas, chitas, cambraias etc., ele, por
precos que s o CYSNE vende.
PARA HOMENS E MEEINOS.
Brim pardo a 640, 840 rs., 14 e 14500
o metro, gangas de 400 e 440 rs. o cova-
do, e tambem temos o afamado brim de
angolla.
CHAPEOS DE SOL
Para bomens e senhoras dos melhores
fabricantes da Europa.
FILOS
De seda, ditos de linho, pretos e bran-
cos e mais baratos que em outras loja.
MEIAS
Para todos os tamaohos e qoalidades.
CHALES
De merino lisos e estampados, pretos com
franja de seda, ditos com franja de 13a es-
pecialidade do CYSNE.
KELLER & C
YEXDEI
AC DE TRIESTE
LEITE CONDENSA)
LVEJAI IKK
COGNAC FUO
A' ra da Cruz (Bom Jess) n.
w
Desculpem os nossos fregnezes termos sino um pouco extenso na narrado de a!-
cumas oovidades pois com quanto seja nosso interesse tambem o dos nossos fregu-
dTTpie Hprne e gostam -etda* .oa moda.
Ra 64.


t
F1GEIREB0 k LOPES.
JOAOUIM
LOPES
AMACHADO & C.
Travessa do Corpo-Santo n. 25
ARTIGOS AMERICANOS
Cylindros para padaria.
Carros de mo para conduzir fazendas.
Machinas para descarocar algodo.
Polias de diversos tajnanbos.
Canos de ferro galvaoisados para enc-
lente d'agoa.
ORJECTOS PARA CARRO
Oleado preto para gosrda-chuva de carro.
Dito de cores para forro de dito.
Chicotes para dito.
Pontas de lanca.
Galoes de seda para o forro de dito, es-
treitos e largos.
Pregos de cabeca de ir a rita.
Escovas para dar graxa.
IW%&
m dos
19 Rua Pimeiro de Mtivoo 19
Tendo renovado completamente a loja do pro dio, eiu qoe teem o sen es-
tabeleeiaeaa,
19=A rua Primeir> de f.r<;o19
com aquelle asseio e elegancia desejaver, acham-se iv-ora prvidos do mais
explendido sortimento de fazendas fio-s e moderna; de
SEDA, LAA, LINHO E ALGODO
todas do ultimo gosto, e continoam a ter como sempre, diversos
AMIGOS ESPEJES DE SDA CASA
GaranLem, com tmla
. a ft'is^ridiide, vender
por menos qne - cuer outro, porhue
recebem i m direitura
a maior parte de I uas
fazeodas. \
19 RUA l DE MARCO 19
into roa do mm\
W
- ^-
38-8S"
P t m t P-
2 & & &
3 8*8 B a
^ < g e
m ? %ti
m S S* S
f* M w S W
Su,, O
^ 55 H 0 P
i*i s
p
^ *
0 r#

.V.
a*

H

I
9
A ioja, de. eal^ado* da oU de Ooro, a*r.l>a de
recebar od grande sortimento de cacados dog
melboret fabricantes de Inglaterra, Portngal e
Fraaea, a wber r iMtinas e *erro e pclict pa-
r* hoama, botuusde ptiica r^Pta e djroae de
corea* de caaoa atlet para n-tbr, diiaa.de be-
ierro, sola grM e pipiados para rspaaj! bo-
tinas e- sapart* bordados para er'a
melhores (pie toa rMo a etiM-prupa
BoUitOnre, ota a roa do boa '
sobrad anareU.
A. Burte A C
. 48, vendem
em sen aranzem a na
a presos mnito em coota
VERDEA
taateifa franeeza nova a 720 rs.
na roa
os de rnarmore.
e defraos de dito,
commam.
vela.
no em caixa e barri? de vidro.
de Brdeos flnoe e ordinarios em eaixas
em caixa.
Froetar em conserva.
a.)ce em caixas.
Predios a veada
Cesrn,4i.
_.sobrados bovoj ora jardim ao
aaiim cono doas terrenos, um ao lado da
predios, e oulro detronie, situados na tra-
de Joto Fertandes tktfK vulgarmente cha
mado do Padre lales : agH feto escriptorio de
ftt, roi
\
Anta se vio um processo'mais perfeito e que at-
aja de tal forma a satisfazer as exigencias mais
veras da tscripturacao.
A. sua cor lindissima e nao precisa de cuida-
.o alfum para se conservar no tinteiro sempre
om a mesma cor, sem borra, crsta, bolor ou sem
idas estas maiellas inherentes todas a tintas
t s^ora conbecidas, anda mesmo dos melhores
ores estrangeiros.
Sobretudo, este estlmavel producto nao ataca a*
unas de ac, antes pelo contrario, a peona
quire um esmalte donrado qoe
uta, asss proveitoso.
! Zita tinta, nao sendo especialmente para copiar,
a coaMudo dnas, Ir, ou mais copias um ,11.ei
pois de escripia ; preciso, perm, deaar-lhe
cpapel bem molhado sem o enxugar com o mata-
-orrao, porque nao ha o risco de borrar. Parase
irar mais de urna copia, nao se afglomeram tan-
u folhas quantas copias se qnerem tirar, mas
m-m com o original tirar i urna tantas quantas
itdtsejam, sem qoe o original- fique prejudicado
4lat xtrac5es.
Occorraaqoi diier que, para copiar importa
tita Jnteiligeaeia e habUidade, sem o qoe a me-
ter unta nao satisfaz, e o deleito recae sempre
ctr* a tinta, que multas vezes quem menos
tipa tea.
i dupto qoalidade deita tinta extramaneate
reciavel,. pois que ewU que era qaaiquer es-
nptorio baja mais do que ama Unta para es di-
srics tni.'teres.
Tmc-uanto i sua dorabiiidade, ule ha a epper'
.Ismmt dovM pois que wta u'ita depo de es-
BAZAR ACADMICO
13 ROA DA IMPERATBIZ 13
DE
ULYSSES & IRMIO
Neste bem conherido e acreditado es'abeUcimento, eocontrarao nossos tmigm c fre-
gueses cigarros de palba e de papel de diversos ttulos e ais melhores qoa.TiJasTM i*
romo. Charutos dos mais acreditados fabricantes da Bahiae.do Rio de Jaaciro; teSM
assim, ponteiras para ih-.rutose cigarros, cachimbos de espuma, de porcelfene, da m*
deira de diversas qualidades, de lou^a e p de gallinhas muito finos a 2J60O a Ksa,
muHos outros rticos que drizamos de mencionar. .
Fibrica de cierros."
Bem attesta a pu: eri' ridade dos cigarros de nossa fabr.ca o grande censase qoe
detle8 tem havido no int rior e as provincias do norte. Com presteza ap/sajtasuf
qoalqner enccmmmda, remettendo-a ao'seu destino.
BAZAB ACADMICO
13RUA DA IMPERATRIZ-13
TJlysses & Irmao

LUCA EVIDROS
S NO
10 CMBCRL
Rua da
Imperatriz
DE
15
LYSSES & IRMAO
cripta soffre o choque de cidos forrtssimos, sem
se decempT ; ora, se os cidos nao tem aceto so-
bre ella, muite menea a accao do tompo a poda
destruir; isto plausivel. .
Nao s ao commercio que este meu producto
veto ser til; os profescores dos collegios, investi-
gando todos os meios para o adiantamento des
seos discpulos, tem approveitado esta tinta, que
com razio a achatam apta para desenvolver o
gosto nos educandos, em consequencia da beleza
da cor e facilidade de correr na pequea pela sna
sen'do inters- liquidez. Ha exeropk(9 de cr~ncas que havia
muito tempo tinham ama repugaaocia eztreau
para a eeeripta, logo qtte foi admiuida esu tinto
no oaiiefio, apedafea-ee dettaa a cuioaidade e-e
gosto, e ponco tempo depois o sen adiantamento
eramaWMtD.
Esta lima, i par de tantas vantifMs, tem um
uuioo iBoouoajente, deteriora-se ao contacto de
outra qualquer; cenvm pois te-la em liateiro
isentos do menor vislumbre de outra tinta, e evi-
tar escrever com a peona saja de urna wwsfJBJD
differente eytncorapative*; verificando lew, t
usar.de.tinta
-FINA DE
a quenic se)ta VKK
MuNTEIRO.
Observado.
rsas falsiflcacoes e seWfRanaa tem appa-
dnrabilidade duvidosa. Os Srs.
poden evkar o engaso dirifMo-se
;?*uiao a tinte queea
A. C. Montar o.
Tendo de cheg.ir um novo sortimento, e tendo de sjffrer urna refjrma n rpiewi
de negocio de?te estabelecimento, seos proprietarios resolveram expor em qosafao,
grande qaantidade de pratos de louga, ijellas, apparelbos de louen para jaoter e para
almoco, etc.
Grande qnantidade de copos de vidro fi-
nos para agua a 402BO, 4500 e 4S00 a
dozia, clices de vidro nos para licor a
3)5000 a duzia, ditos de cor para vinho a
2(9500 a dbzia, garrafas finas de vidro ba-
carat para vinbo a 5$500, 6^, 6500, 7(5
e 7(5500 o par, bonitas compoteiras de vi-
dro a 6(5500, 75500 e 8500 o par, gran-
de e variado sortimento de iairi s Anos par^
flores a U, H, 55, 6^, U, U, W. m,
11,5, m, m, 14/5. 154,16,5 6 185000 o
par, chamins amerianos'para candieiro a
2600 e 2^400 a duzia, escarradeiras de
vidro a 35500 o par, globos para candiei-
ros de 15500 a 25000 cada om, lampan-
sna com vidro para cima de meza, parede
aependurar a 15500. 15700, 25 e 25200
eddaama, bonitas qoartiuhas bamburgoezas
a 45500 e 5)|000 o par, lindos pa'iteiros
ce porcelana branca de 15-00 a 35 cada
dm, bonitas canecas de porcelana com frizo
a esmaltadas para cal a 65O0O a duzia,
escarradeiras e copo de crystal de cor para
eavatorio por 35000, pratinbos de vidru
Ipara copo a 30, 400 e 500 ~s. cada um',
sestiubas de vidro para passas, figos, etc
etc. a 800 rs. cada orna, compoteiras de
vidro para doce secco a 25 e 25500 cada
orna, cas'ifaes de vidro s para vela a...
15200, canecas de porcelana com tampa a
320 rs. cada urna, galbeitas de vidro para
mista a 800 rs. o par, candieiro:- de vidro
com globos a 55, 145 e 165000 cada um.
E outres artigos que deixamos de men-
cionar ; e prevenimos a quem precisar com-
prar algum destes objectos que approvei-
tem a occasiau de comprar-los por menos
20 % em raz3o de termos de liquidal-os o
mais breve possivel. Rua da Imperatriz
n.15.
OLEADOS E CASEMIRAS PARA FORRO
DE CARROS.
Vende se oleado preto grosso a 25200
o covado. D.to cor de cinza a 15200 e
cor de caf, verde e preto a 15400 o cova-
do, para acabar.
Panno fino azol escaro a 35700 o covado.
Flanella branca ingleza a 1,5100 o cova-
do. Dita muito fina azul com duas largu-
ras a 25300 o covado.
Casemrras escoras e claras de duas lar-
garas a 25400, 25600, 25800 e 35000 o
covado, as quaes servem tambem para pa-
litot. No Emporio Commercial rua da Im-
peratriz n. 15.
CHAPEOS DE PELLO PRETO A 95000.
O Emporio Commercial est vendeado
chapeos de pello preto para bomens a 95-
Ditos de castor branco a 10.5. Ditos de
palba e feltro tanto parabomem como para
crianga. Bonets de couro da Russia para
meninos a 15300 cada um. Cbapelinas de
seda para baptisados de crianza a 25500,
35 e 35500. Bonitas toaquinbas francezas
de 12a para enanca a 800 rs. cada urna.
Cbapelinas eofeitadas para senhora a 55,
65 e 75000 cada orna. Chapeos de sol de
seda tanto para bomem como para se-
nhora. Na roa da Imperatriz n. 15.
GRANDE ARMAZEM DE VARIEDADES
EMPORIO COMMERCIAL RUA DA IM-
PERATRIZ N. 15, DE ULYSSES A IR-
MlO.
Este novo e grande estabelecimento con-
tinua- sempre firme em vender barato para
vender muito, e em consequencia de nao
hater anda ehegado algamasencomm-ndas
que temos feito, e escasso como se acha o
nosso mercado de artigos de gosto: vende-
mos por mdicos precos os que se segu.
Superior panno preto PII a 65 o covado.
Dito dito Brasil a 55500.
Superiores casemiras escaras e claras
para palitots, calcas e collete.
BriDs brancos de linho de 13t 0 a 25600
a vara.
Brim pardo a 300 e 560 rs. o covado.
Madapolao francez e inglez de 55100 a
155 a peca.
Grande sortimento de chitas.
Corte? com 17 ovados de chafe a
a 45300.
Coberto'es de isa escossezes-,
Colxas de a'godo branca e de ?.5res de
35000 a 45900.
Sediiiha preta a 500 rs. o coTsfo.
Dita branca a 6 0 rs. o covado.
Cortes com 21 covados de sedaba de
lislra por 255000.
Fronhas de crivo a 600 r.
Al.aca preta sarjada a 500 rs. o corado.
Hem branca a 500 rs. o cc?adt,
Guardanapos de linho para cb a ,$600
e 35600 a duzia.
Ditos para jan ar a 75500 a dujia,
Camisinhas bordadas pa. a seniora a...
2500e 35^ 00.
Lindas cambraias Imperatriz curies de
10 jardas por 95 00.
Cortes, de cambraia de salpico cea 8
varas por 55500.
Tapetes grandes e pequeos.
Lencos de cassas para criancas a l#!SO
a duzia.
A'godo branco ede lista.
Peitos de esgoi5o de linho rrra amr
za a 15
Punbcs o par a 600
Collarinhos finos a 500 e f,o
Espartilbos bordados finos para s*abt>-
ras a S5
Meias finas para bomem, scabora,
criancas.
La fina para bordar libra a 6
Carreteis de linba Alexandre a 80
Dila em duzia a 920
Abotuadura para collete a 120, 200 300
500
Ditas para punbos a 300 e 13
Papel de pezo, almaco e peqneao d
cores em caixinba.
Latinhas de. banha a 80 rs. e em du-
zia a 900
Brincos pre'.os de burracha a aliMlo a
800 .
B t5es de duraqae prelo para pafito
groza a 1800
Grande variedade de bo'.es par paiital
e collete que se vende'barato,
Caixas com dez novellos grandes de li-
nba a 440
Ditas com 50 ditjs a 050
50 pecas cord3o de vestido 600
Peca de fita para coz 440
Sabonetes transparentes finos daza 600
Colleres de metal fino para cha, doxia a
25000
Ditas para sopa a 45
Talbares de laceas duzia 55, 65 7J 8#
e 95000
Temos de bandeijas ovaes a I0!
Ditos lizas a 5
Sabonetes finos e igaaes dazia a 1^200,
15500 e 25
Caixas de boles de osso para calca a
200
Sotaes branco, duzia a 280
Tranca de 13a e brama de caracol -dazia
a 560
Retroz preto e d eeres, oitava 240
Carnizas de meia croa muito boas a 1#
Sitineta de algod3o-decores para roopa
de montara, e decrianca covado a 500
Merino preto trancado a covado a 35300
Lencos de linbo em bonitas caizinbas du-
zia 55800
Lindas cambraias bordadas de 13a vara
15000 ,
Colxas de pello de lonlra con anas ne-
tas a 145000
Cretone matisado para coberta covado a
700
Grande sortmentos de perfumaras; na
bonito toyalet de vinhaticei.com pedra mar-
more e vidro oval, un Suarda roepa de
amarello ; seis cadiral de gnarnilo, 2 da
ditas de bracos e doas de balaoQO. todo
de Jacaranda mssico, proprio para tai
gabinete e vendemse por mdico preoa
por ser .resto. N3o ser mo vendar bo
EMPORIO COMMERCIAL
15 Rua da Imperatoria 15
Ulysses St Irmo, ^^^^
^hiveh:
E' PECHINCHA.
Cbta Tlsi' fosto fle praca a 200, 210, 280 e 3
-'covado peehiocba,
Cbfesrwresde laa escaras rauito grandes a U-
flh Ma t> Gailhrmo Carnoiro da Cuaba ; na
roa d*Crwpo o. 20.
Vende-se
a loja de toecydii UrrajjB i rt do Raafii a.
i : quera a pretender ifmMea meem*eaara-
jada Iodependencia a, 5S qa aehar ca qae
Superioy/ooft do
Geara^
ode-se aa lola do Rolim : roa do Itaaw
xiasn. 73, aD i.
UM II



,


8

D-ario de Pernambuco Quinta 'eir 19 de Oulubro de 1871
LTTTERA
Turf**":
e>
*


'
itclorma elcl'oral.
tACO, DKSKNVOI.VIMINTO. E APP1.ICACES
O'sVSrEMX IMOI'OllCIOU VI. PELA FOHMA
ECCIO.NAI.
Qaarta carta.
(COBCluttd).
A-rt. 9. Cada voianle organera a un
lista votando ein nm ; cidadio para el-1
tor, e era tantos s&pplentej adinerados
baiio do masaio eleitor. quaolos bast ni
pira, cora esto, prefazerem o numero tot.-i
dos eleitores d3 freguezia.
Art. 10. Trinta voto para eleitor, recaii
dos em um so ci-lado elegivel bastam
par o fazer eleitor; e oitros Untos pa-a
supplente recabidos em cidadao igualmente
tlegivel, o faro supplen'.e.
art. 43. Concluida a eleigSo etc. etc.
5 1.* S6 aos eleitores e primeiros sop
penles se passaro diplomas, visto que s
* noraeago destes tem a le em vista, u3o
regulando a eleigo das entras taimas snppfentes, senlo para supnrir as faltas r
corrigir o vicio da ;onceniragSo de votos
em diminuto numero de cidadaos para un
e outro cargo.
Art. 16. O presi lente da provincia, re-
cebando as listas geraes da qua iicacao do
cada itunicipio, mandar pala totalidade das
secgoos parochiaes, que ddlas c n.tar. cr
ganisar urna lisia geral dos eleitores Qua
deva d>r i provincia, e fazer o di idendo
da totalidads desPs pelo numero dos depi
tados ger.es qoi der a mesma provincia, a
Gmde chacer qual o ntinero dae'eit res
qoe rleva Sfr-ir de prop-rco e regular a
eleigo de cada um deputado
1.* O mesmo dividendo se fa dos
mesmos eleitores pelo numero dos depr-
eos provinciaes. aOm de conneccr-se igual-
mente quanlos e'eimres proporcimam um
depotado provincial.
Art. 17. Canbecido um e outro numiro
proporcional o presidente da provincia
o tomar or termo 'pgi'a lor das secgies
aleitrraes geraes o especues de provine^ :
aquellas para ele^trera os deputadns geraes,
e estis para elegerem os deputidos provin-
ciaes ; da forma que, tantos depulados ge-
gaes tanda a n'ovincia de nomear, quantas
secces eraes de provincia sero creadas ;
Mitos depatados p.-o-vinciaes, qaantas sec
{de* especiaos.
|| i, 2 3. 4, elc>etc, etc.
Da eleigo (do 2." grao)
Art. 20. Reunidos os collegios eleitoraes,
e organisadoi pela forma etc etc., e deca
rara em seguida o onm-ro dos depntad s,
qoe tiver a provincia da eleger, bem como
Dom^ro dos votos, que houver de regular
a eleigo de cada um deputado, sendo este
a omero o que ti ver resultado do dividendo
feito na forma do ari. 16, e qie tenha ser-
vido de termo regulador na organisago das
seccoes da provincia, segundo o art. 17
testo projecto (Vid).
Art. 21 Procelendo-sa a '-leicao, cada
eleitor organisir asna cdula, votand) no
cabeeario desta em um so cid 115o elegivel
para deputado, o abaixo do nome deste, em
tantos supplenles, igualmente elegiveis,
qoanlos prefacam com o depata lo o nume-
ro total da dep'itagSo da provincia, ante
pondo a cada nome de sapplent-a o numero,
qoe Iha aproaver dar na ordamsupplemen
tarda >ta; revendo em todo o caso a
nomericl ser seguida ordinalmente do
primeiro at o ultimo supplente.
Art. 26 Sarao depotados os cidadaos
elegiveis, que reunirera em urna 80. duas,
oa nias seecoes, oo mesmo em todas as
secfoes da pro'iaaa, tantos votos par de-
putah, qoanlos forem os eleitores, que,
segundo as regras estabelecidas nos aits.
46 e 17 deste projecto, deverem corapor
cada ama seccSo; e sero primeiros, se-
gundos, e terceiros supplenles etc. etc. os
que obtiverem igual numero de votos com
tasignaclo da ordera supplementar, qoe
de van partencer, segundo a numerago do
art. .1. .
? J." Se, porm, a votado da provincia
\ .. s1 distribuido por um nomero de can-
dil -Mi superior ao da deputagao da mesma
pr.vin-ia.'sero deputsdosos'que obtiverem
tu ioria relativa de votos, ; n aomero \ deputa^So ; e supplentes os
qae Ihes seguirem na votacSo com votos da
mesma quadade, at preencherem o me<-
mo nomero, sendo a ordera de'les igual-
mente determinada pela maioria relativa de
votos.
I 2. Se, ao contrario, a votado de toda
a provincia tivar se concentrado em um
eerto numero da canlidatos inferior ao nu-
mero dos deputa los da mesma provincia,
ser este preenchrdo pelos qne tiverem ob-
tido maior numero de votos para sup-
plenles.
Nos casos de empate de vjtos entre sup-
plenles de igual numera?!) (art. 21) decidi-
r entre elles a sorte : e nos casos de em-
pate en re supolentes de nuineraco diver-
desta.
sa, decidir a prioridade do numtro
moso qm sobre a applicaca do princ'pio,
a pr.>t ca d > -ystema, diz o Sr. A ibrjr
Vittl pagni :$">4 da citada Revista dos
Dons Mundos :
t Dado a conheccr o principio, s resta
descobrir o processo de applicaco.
Oa esse processo existe. Ha quasi
quinte anuos (o escriplor p rece escrever
esta; linhas rm 1869) dows homens deseo-
nhecidos um do oulro, em (bus paizes diffe-
rentes, o Sr. Anlrce, na Dinamarca, e o
Sr. H'ire, ni Inglaterra, quasi ao mesmo
lempo o crearan (salvi a prioridide do
otopi.-ta, o a circulara europea di Times
brasihiro) sinti no todo ao menos as
ms parles essenciaes.
Qaal o vicio radical do sijslema de M.
Girardin ? nicamente o desperdicio de for
cas que faz com que um partido soffraa
acen mua cao intil de um numero exagera-
do de suffragios sobre um s candidato. En
contradi! o meh d evitar esse desperdicio,
encontrado o tmn de deixar a cada candi-
dato so o numero de suffragios exgido,
aproveilando em ontros os cotos excedentes,
esl o problema resollido.
Pois bem, achou se esse mi, nada mais
simples.
Sendo os dslrictoi divididos de modo que
nomeiem certo numero de depulados, cada
e'eitor dte inscrever na sua cdula tanto i
nomes, quan'os sao os representantes, que
va eleger ni dislricto ; inscreve os por or-
ilem de preferencia ; ( Diar. de Per. cit.
do 1852 Nov) sys*. e'e.t. period>s 18,
e 22 : llem de 8 de miio de 1863 Proj.
de I i eleil. rt. 9 e 21); todava a sua
clula nunca pode, aconteca o que acon'e
cer, ser coinplada para mais de um nome.
Terminado o escrutinio divide se o numero
de lugares a precncher. O resultado d i ope-
ra cao i o nnnero necessario, mus stret-
mente bstanle cada candidato para, ob-
dita Dinamarca t.. f licito o teu monarcha,
> tea pi), e o tea teluro! .)
Km Genebra, urna astotkho dirigida
pelo Sr. Ernesto Naville, temufyfazer tri-
nmphnr nos consclhos do paz os principios
que ella sustenta com tanta energa eperst-
verar.ga
Na Inglaterra, neophilos cada vez mais
numerosos com o iilustre Stuart Mdl fren
te, convertem constantemente d idea noca,
novos partidarios.
Na America, ja se ftrimu umi liga no
seio di assembla di SetO'York e do sead)
dos Estados Unidos e pode fazer discutir as
suas aspiraces e esperanzas.
Na Allemanha, mais de um peqteuo Esta
do se prepara para o novo sgslema. ()
Na Australia, em fm, naquellas colonias
hoitl'm nascid is, ej too grandes, naqueres
estados florescer,tes, em que a tila poltica
por mais nova, que seja, j ido robusta os
parlamentos de Sydney e de Melbume Jis-
cutram solemnemente o systema proporcio-
nal. Em Syd-.ey triumphou o principio
Ter-se-hia estabelecido logo se naofra a
coincidencia fatal de urna crise ministerial.
No meio desse impulso de todas as partes
do mundo, fechar a Franca os cilios luz
nascente ?
P >r esta apreciavel reaenna esl visto.
Sr. senador, que ae coosas vao mudando
le hce ; e alo -falla muito para realUar se
a sganda hypothese prefigurada era minba
talvez utpicaprogoo~ticac3o !..
At que fiodera porm, os 20 annos. a
nova escola liberal d qnecida de si mesma, e do sea avan(a1o
progres o I..
Os dinaawqueies. con o seugoverno
monarchico limitado om o seu re ( u
rainha) ereditario,irrespoasavel, esagrado,
coito o nosso imperador, o seu figsdag. de
dnis -amaras compost >, como a n ssa assem-
tendo o, ser Aeito. E' o que chamamos quo bla ge al, alt staxam, com airrecu^abilid.di
do ex implo, aos proprios coaservadores
cente eleitoral. Fixado sse algarismo fun
damentul, aparase em cada cdula o pri-
meiro nome. Ape as um candidato chega
-io q tociente. exigid;- proclamado eleito,
e as c 4'ilas que o eleguram ficam se,m va
lor; ilep is. se em algunas das cedntns se-
guinle, vem n lugar superior da lista o
nome do mesmo candidato, elle triscado,
e, o voto ( contada para o candidato inscrip
11 immediatamente abaixo. Segue-s i o me*
mo processo al q te se esgotem as cdulas,
at que cada urna aellas t nha contribuido
para eleger um deputado. Deste modo nao
se perdn um s voto.
Eis-.qii, Sr senador, o mesmo systema
das proporcionalidades, seguindo a mes-
ma legra, os meamos principios lundaraen
laes, qiu o inaugurado era 1852, e quasi
a mesraa enunciarlo empregada no projecto
le 1863 ; di.;rindo apenas na parte rela-
t va dous detalbes de mero alvilre, que,
salvos aljuns inconvfni:ntes.qie apontarei,
e j o p.-ojecio previnio, lomara se, entre
tatito, aC' itaveis, por n3u offen lerem o prin
cipio fundamental, era a norma cardeal do
sys'.Miia.
Heflro-me, em priroeiro lugar, aulori
dada competente, ou pessoa moral, qoem
seia conferida a attribuic2o de bascar o
quocienle eleitoal-, occasio, e ao
modo de faze lo; e em segando ao meiho-
do de precisar definitivamnte as preferen-
cias entra os inscriptos as cdulas.
O primeiro alvilre do Sr. Vitet traz doos
inconvenientes, qae o projecto previnio: 1
deixar os partidos na incertesa do quocicnit y*tema, e os seos presidentes fosera elei-
tos em quinto ou sexto grao, fooveniente-
Mas aqui, dio, o valor relativo dos vo-
tos j nao est na razio flfpltce, segando a
orde*ascendente, em qae forera estes col-
locados na lista, como no vosso priroeiro
trabarao, e s serve para decidir os em-
pate.
E' verdade, quanto a ordem supplemen-
tar 1 mas isto mesma serve para demons-
trar, que a lei pode variar na fixacao dos
valores at quanto baste para bem precisar
a casJficaQo das preferenciasentre os
eleittjj da cada lista, e de todos englobada-
meate, e que aquella duplici lado de valor
rlauto doa votos eatje si,Agorada na
primeiro trabalbo nojimais do que orna
ficc5o lomada para uflttea pontos de apoto
tbeoricos do .ystema^Wp jrcional; e para
mostrar pelo resultado das cifrasa infalli-
biltdade roatberaatica de sua applicagao.
O systema lem a sua tbeoria peculiar, os
seus principios fundamentaos, aaxu norma:
mas ludo ito imptescindivelmente de har-
mona com o posilivWa leisua congenita
anxiliar. ^
Sem um fiel regulador das proporpes,
qoe ser, ora o divisor, quando o numero
l* elegendos nao estiver prefixado (como
I leic5o de eleitores), orao quocienle
previamente buscado, quando h^ouver pre
fixafio inalteravel do numero
des (como na eleicad dos deparados) o
systema nao sahiria do ideal: sem asJei, o
ftl ntffttlador, (prefixado, oa buscadoNpor
orna aatortdade competentemente por
eon^uida) n3o paseara dd fi:co, e o
ma tornar-sehia praticameote inexequivel
Saiamos, porm, da metapbysica, se ,
a ha para os qae pensam, e iSo qae
^lover Mo pela utopia, e vfj
eleiloral, e con^eguiniemente impossibiliia-
dos de (az3r c^mbinacoes previas para o-ra
de obterom urna representado exactamente
proporcional ao numero do$seas congrega-
dos ,- 2..animar a tentativa d algurafa-
zer usenfar adversarios, para, diminuinlo
as cdulas, diminuir o dividendo, e conse-
giiintemente o quocienle pira a proclama
ca) de cada eleito, e por esse modo aug-
meo.br o nuoero dest6S pelo seo lado, e
quebrar a proporcionalidade- contra o outro
O segn lo alviUe do Sr. Vitet, isto ,
de ir- se tomando unicira;nte o nome do
priuieiro candidato de cada clula, e inaii-
lisan lo-se estas, ate o mesmo candidato
obter o quocienle, e d'ahi pjr diante ri-car-
se o seu nome, o tom r se o qae baixo
inmediaiaoiente estiver inscripto, traz o in
co.ivenie.t! d;ser e-te l. cmdidato profe-
rido cora menor numero de votos om oa-
iro, que as cdulas ja apuradas e inulili-
sadastenha obiido todos, oa orna porc5o
de vot)s da mesma ordem, quo, com os
que aiuda possa ter no seguiraento da apo-
racSo, se constitua om mito;ia relaiivamjn-
te ao sobre lito, que o preferio.
E dada esta hypothese, pdese tambem
dar a segunda, e hrceira, isto da o mes-
mo caolidito kjr preterido por um da
terceira ou quarta oriera da preferencia
em minora de votos, quando por ventura
acuelle candidato, que a sorte fez apurar
depois, e deodhe assim preferencia, liver
por sua vez obiido o quocienle.
E neste cas), nem a raaioria- da votos,
que indica opiniSo mais estendija, nem a
ordem das preferencias estabelecida as ce
dnl s, tero poder contra o acaso da sorte,
na apuracJp das mesmas cdalas.
Este inconveniente pode at estender-se
casos era que os proprios eandidatos, qoe
obtiverem votos constitutivos, oa efectivos
(como Ihes qa$iram chamar) sejara prejudi-
cados, cora.per exemplo nos casos em
que, de ua lado tenha' havido concentrafao
combinada de votos por um numero de
candidatos saperior ao proporcional, que
deva dar cada partido, sendo, por acaso,
ou mesmo por esperteza dos mesarios, a
vista de signaes, que possam ser postos
as cdulas', aparadas em ultimo lugaras
cdulas dos dissennistas imprevidentes.
Por ma-ores, porm, qae sejam os incon-
venientes resultantes do alvilre do Sr. Ao-
bry Vitet, nao deixa por isso de estar este
dentro do syslema no tssencial; sendo
tambem posivel, qu napratica o resol-
tado desminta as bypotheses, que por mera
previdencia acabo de figurar.
O Sr. Aab y Vitet um dos desnudos
camptoes da nova escola liberal. Louvo-
res e adhesSo a elle t... A Franca o ap-
plauda e o acorapaahe !. .
Vejamos como o lucido escriplor concloe,
a pagina 404 da mesma Revista, o sea ar-
tigoO Suffragio Universal no futuro :
t Urna reforma s viavei quando
fundada na experiencia e nos costumes;
mas o quefdemos pedir sem demasiada
presumpeo, o que pedimos com instancia,
que nao se decida sem exame, que nao
condenme sem julgamento ; em fm, que se
lance a lista para as naedes que nos
sido dando exemplo.
Na Dinamarca, ka qumze annos, que o
stema funeciom, e, por seus resultados,
numphadt* sustos edos preetmeeitos. (Bem-
Nabor Carneiro izerra ~Cav canle.
Recife, 12 de jamo de 1871.
FrraU.
Correcco da 1* parle publicada no Diurio
z$ hontem.
2* colamna.lnhas *J2 palavran-
merosaccrescente-seordina^s.
3* columna, linbas 9 diga-se iguaes, em
lugar de iguae.
4" coloran a, linhas 53i. : era lugar
dee .
6* columna, linhas 15depois da palavra
fficial, diga-se, ou de, em lugar de onde ;
linhas 23amoldada, em logar de amol-
dados ; linhas 39deveria fructificar oraeu
ystema, orno verdadeiro syst-'ma liberal,
em logar dedeveria fortificar o meo sys-
temao verdadeiro syslema liberal.
mais meticolo o< do redimen monarthio re-
p es niativo. que o sy t ma novo, fazendo o
p e corrgida por si mesm. por isso, o
mais segoro penhor da ordera e da tran-
quillidads publica, nao o seod i menos da
perdurabilidade d) throno, e da prosperi-
dade e 'lo progresso^fcral > povo I. -
A repblica, que priunfi) felizmente adop-
tar o novo systema, c Vencer as outr*s,
mesmo as mais tumultbosaj, de qae, entre
cidadaos soberanamente livres, jamis em
passividade poltica por accidentes de luta,
j nao ha que temer, a ineobardinaco, a
anarchia, a sedico, a guerra civil, a con-
quista violenta e a posse indefinita do po-
der, por om s partido ou fraego nacional,
a dictadura de ora s a turnara, ou da raaio-
ria, o cute lo partidario de perseguido, em
somraa, na ambiciosa m'o de um chefe elec
livo !....
Sim!......
Se os Estados-Unidos norte americanos
foera regolarisados em toda a sua repre-
sentarlo, desde a particular de cada estado,
al a da Unido, pelo novo syslema, nem se
renovaran) mais oe velhos cioroes de pre-
ponderancia entre Nortee Sol. era a solo-
gao da queslo de aboticSo da escravido
teria servido de pretexto para a revoluto,
ou antes a guerra gigantesea!...
Se as repblicas platina', oo sui america-
nas, desse m aos seos partidos Manco e col
rodo, representacao proporcional, pelo novo
mente aparado, nem Flores ter sido alba
do do imperio, e depois assass ido; nem
Lpez Jijrdan estara boje" eauttitude de
belligefante f. #
Se a Franca, em soraraa, tineVse tempo
ouvido o Sr. Aubry Vilet, e adoptrao dovo
^ystema em seo eomeco de reconstituicao,
era a nova repblica, sbitamente sabida
da desolaQa e da desgraca, originarias do
velho systema, estara boje occopada em de-
bollar odientamente o partidarios da com-
mua; nem estes teriam-se tornadofra-
trecidos sanguinarios sacrilegosalgoz,
barbiros e execraveis icenbarios !... e
nem mesmo, talvez, a Universal teria ratao
de ser no slo di Franca, tendo regular-
mente os operarios desta os seos represei-
laotes proporcionaes no parlamento e nos
conselbos commonaes, para a proraocSo e
defeza dos direitos, iotere ses, aspirares
e bem estar de sua classe I..
E o que diremos do Brasil, j 13o sem
eixos, nada podendo fazer por si, nem pe-
I03 plidos, e marchando, ora ao acaso,
e ora merc dos incautos, oo vontade
mais ou menos esclarecida e generosa de
om s e soberano dos quatro poderes cons-
tituciomes da nossa forma de governo?...
E o que diremos anda delta, depois logo
da primeira seloc3o, que, sob a irrtsistivel
presso, mira se der essa ameacadora
queslo servtlt..
O ial o seu estado de creogas, de ordem
civil, de prosperidad industrial, de lber
dade poltica, de recorsos econmicos,
de crdito, e de finanzas ?......
Ao que, e qoem, primeiro se accodis:
eo interesse ferido, e asnecessi lades anda
nao providas da primeira classe productora;
ouao proletaria io e jraiseria garal da na
c5o ?............... aos conservadores
em dissoluco, ou dos liberaos em de
cepcol......ao municipio neutro na
senhoria, ou s provincias na vassalla-
gem ?.. repblica, urna e nica, aos Es-
lados confederados, ou integridade im-
perial ?......
E se, depois de tudo isto, anda houver
systema representativoem funeco, e
nao dictaduraem perspectiva, qmi das duas
conchas preponderana representac > na-
cional, pelo systema eleitoral das maiorias:
a dos favoritos e das classes privilegiadas;
ou a do povo, e das classes laboriosas e
producirs?...
Gorra, porm, tudo isto por conta de
qoem for!.... que, sea turno,^uto-
pistas c m os praticos dos extremos, en-
t*nder-se-b3o em poltica ; se o systema
proporcin', recongra^ando a tribuna com
o throno, a nago com a monarchia, n5o
se erigir de prompto em bandeira salva-
dora, fazendo enrolar de veza censuario,
flactoaote em nome liberal, por aberrado
do control................ /
?a por jos-
Os capiichluko*.
6
OS CAPDCHINIIOS EM PEn.YVMBwCO. DESGRIP-
PCAO D) NOVO TEMPLO DE NOSSA SENIIORA
DA PENIIA.CONCLUSO.
Apostlas ial< sos e dadicdas a) callo
diviao elles com dr no corago viara as
ms coudKas em que su a:uava o seo
templo niS'.a cidade. Edificado ba mais de
dozentos annos e qoandu era bem d H ren
te o aspecto do Re:ife e ,t3o p .voaijo o.
templo de Nossa Sinbora di Pnba roela -
mav i orna reforma iuportanie, que devia
comprehend r lodo o edificio por isso que
as suas maiores ruinas era n as partes m-di
essenciaes aos olTkios .ivio-w. Em conse-
piericia do calamento di cidaja hivia o
templo fie ido tres paira s abaixo do nivel
l;a de sorla que as aguas .das ebuvas
penetra va m lauta que locavaot no crpo da
igreja cao obstante se ter levantado da
pa te externa dous degros. NSsas cir-
comstanc3s a r.oftstrucejh do terap'o era
iaev tavel e de u ua u;e*swada pilpi-
tauta.
Os animoso* levitas que pr.>fes3stodo o
voto da pobreza, ien-i*o sabiio- utilmente
comprir, sem ijoa ontretmt. he sirva elle
de embarazo s gigantescas ..bras, que ero
lodosos lempos e em todas o logaras
tem elles leviotalo, nao esmorec^am, e,
depositando lo la a soa f nis promessas do
seu Alastre, trataram de levar e&ito os
planos gigantescos da suas arrojadas- conce-
pteas Elles bar comprehendem qua a
riqueza d> missionario esti n) >; rac/ao do
povo e confiados na gene os dada do povo
pernambucano corajoso e brav > a tambera
eatremamente religioso, os que eltes se
alreveram emprehaoder lo arduo; porm
ao uaesmo tempo, to glorioso trabalho I
Louvures sejam tributados esses incan
r.iveis aares, que parecem desconhecer as
fraquezis da humanidUde e aos quaes nao
attemorisam as distancias, nemas intempe-
ries do- tempo, nem o rigor das estaques!
Louvores esses apostlos modellos que
atiavessando tantas regies e climas difiV
rente em todas tea sido abantadas pa-
los seos esforcose aioda nao desmerecern
um s> tomo do conesito em que sempre
foram tidos I
Era preciso alcancar da c un ira munici-
pal a corapeteute licenca pira os iadspen-
saveis reparos do templo. Mis a cimara
deciaroo que eonodia a licen^a impetrada
porm com a eandic.3o- da recuar o mesmo
templo trezenlos palmofTiorquanio era ne-
cessario esse terreno-para a canstruccao do
mercado publico 1
N5o nosso tira ftuer censu/as f*-i
gera, mis tambera ao podemos retraliir
as ideas qua nos veni-am e nos assoberbam
o espirito.
Comprebendemos a respailamos os inte-
resses pblicos com salvaguardas da gran-
deza nacional, e nem til poico dexaraos
de recrahecer a necossidada de aformosear-
se a cidade no grao compativel cora os re
corsos da provinciae de acc>rdo cora a ci-
vilisago do scula. Tributamos cmara
municipal os raare-dd >s elogios pelo empe-
rno que mostra oa criaco de um raer.'ado
publico, que de ba muito coustiiue urna
necessidade real, e palpitante da provocia,
necessidade cuja sausfafio redunda em pro-
veilo do productor e talve mais era pro-
veito dos consumraidores.
Mis 3ja-nos licito perguntar: se os re-
ligiosos missionarios nao se vissem pelo r-
dor do seo seto na contingencia da recons-
truir o seu templo seriam fortiori obri-
gado3 a desapropriaQio para o fim de raa-
liiar-se esse recuameoto ? Acreditamos
que tanto nao avaocaria o regalismo cl
cial, apezar de por algum.s vezas j ter o
nosso governo dado bem evideute provas de
seu recalcilramento era materia de raligio.
E nao seria levanta lo o edificio do rae.ci-
do nao obstante continuar o templo no san
antigo lugar ? Por certo que sim. Pois
bem, quil a razo ponderosa e mprescin-
divel que militou para onerar esses: nobres
mendigos de um tao pezadissirao encargo ?
qaal foi essa razSo, ou essa utilidade pu-
blica de outra maneira impraticavel que jus-
tificoa essa desapropriaco forgadissima ?
Nao a eochergamos nio eacarrar-se o'ura
desojo de por este modo provocar a bumil-
dade e a grandeza d'alma d'dfses varos
merecedores por suas virtudes de conside-
rar; ao e respailo.
A mesma naiureza de edificio exclue a
idea de urna desapropriaco^nara a eroc?o
de um edificio profano e principalmente da
urna desapropriaco forcada.
Pensamos, porlanlo, que a condicao im
posta a concesso da licenga impetrada fui
om excesso de aelo da parte dos que a im-
poseram, que alm de encerrar urna irre
verencia ao lugar sagrado nao a exprs-
sao de uraa necessidade real, mas qoe veio
offerecer mais urna occasiia de patalear-
se toda a luz da evidencia o grande ac-
tamenlo qae os missionarios da Penba do-
votara as conveniencias do Estado e a m-
xima confianga qae depositara as grande-
zas do calholicismo.
Elles cuja regra nio Ibes permiti pos-
soir um chapeo para preservar suas cabegas
magestoaas dos abrasadores raios do sol,
nem mais urnas sandalias para abrigar seas
pos da ardenta dos arenpsosjesertos, elles
cojos alforges s se enebem com as primo-
rosas flores da cari dada christaa para ex
pargi-las promiscuamente por todos os seus
i.-mios de peregrinarlo, e qae nem semer
pensam no alimento do da seguate, bem
podiam desistir da empreza pelas difficul-
dades de conseguir a edificago completa do
um templo novo. E enlao ou o mercado
se levantara sem precisar-se de terreno
de sua igreja e hospicio ou o governo dara
om incommensaravel escndalo ao mando,
o qae n5o acreditamos.
Mas, para prevenir algura triste aconte
Se nao tenho, Sr. senador, doa
tincado o mea protesto I.....
Sou com toda a considerado e respeito
De V. Exc. menor collega o amigo obri-
gadissirao e criado._____________________
() Em 1866 dei alguns exampiares
meu foiheto ao Sr. Joo Joaqaim
(mea afio) pira distribuil-os por seas
gos em Ilamburgo, onde fcUecea Og^
passado. wl ulur0 0I Para contemporisar con
que quizeram chamar utilidade pablica,
e 'es sa curvaram humildes s xigaaafiias da
cimira e se propnzeram levajlar 'tem-
po novo, cojo oroamlito excede trezen
los e ciacoania con'.os da ris I Santa de-
dicago s compativel comen cwgces
magnnimos dos missionarios da.
Ougamos a descripg3o dease.
pad^So da religi) capu hi por orna
pessoa aotorisada.
O edificio da nova igreja de Noosar Sa-
nhora da Penha tem 65 metros e 7%fienii-
uieiros dacrmprimeoto cera a largora de 28
me'ros e 40 c ntriraetros. A forma ou a
contigorago do edificio a de uraa croz
ratina, conlendo tres naves om um magas-
loso zimborio viado a sua chiva (loar na
altura da 42 metros e comprehendend
nessa altura a elegante claraboia sobre a
qual tera de ser enllocada urna magem co
lossal de No;sa S nhora da Panha. Por
traz desse zimborio erguer-se-b) das
elegales torres de 40 metros da altura,
com > firrai quilrangular do 5 antros e
70 centmetro? sobre 5 me'ros e 70 centi
metros at ehvago de 20 metros, trans-
formando-sa o resto para a forma o;togQa.
Todo o edificio da orlem coryntWia.
A vista pr n:ipal da facadla qoe o ha para
a praga de N'ssa S nhora da Peona '.em
23 metros e 40 centmetros e reparta s-
era tres vistas : a central oora 13 metros e
80 centmetros da comprmanlo, o as lio
raei cora 7 metros e 30 cantimetn-s. A
altura da fachada occupala por duas or
daos sendo a maior de 12 metros e a me-
nor da 13 metros, comprehendendo-se
n'sti segunda ordem o frootespicio.
A primeira o den, oa a or em inferior,
ornada por quatro columnas e duas maias
pilastras, qoe do tras atarelo unios. A
altura dessis olumnas, qoe se baseiam so-
bre o nivel da igreja, suparior ao do pateo
em I taefro h 05 centmetros, de 10
me'ros e 40 ceolimftros, icindo sombro-
henddos nes*i altura tdos oa ornatos,
sobral metro''de dimetro. O ioterco-
loranio central da fachada tem de largora 5
metros e 70 centriraetros, e conloa duas
pepenas pilastras cora 7 metros e 20 cin-
timeiros de altura, comprehendido o ornato
qua rodeia todo o edificio e que susten a
tara arco da 2 metro e 15 centmetros de
raa, debaixo de cojo raio abre sa a po (a
riocipal, qua tem 2 metros e 70 cent-
metros sobre 5 metros e 80 centmetros de
luz : lodos os mais ornatos sao de ordem
d' mais delicado corynthio. Os dous me
oras intercolumiios tem om metro e 55
centmetros, convenientemente ornados.
Sobra essas quatro columbas ha ura en-
tablamento cora 2 metros de altura que
anda em redor de toda a tachada : sobre
esse entab'amento coraega a ordem menor
oa s gunla tendo qoatro clonwas com as
suas respectiges e orados, como- os da or-
dem maior e 6 metro* e 50- centmetros de
altura. Ni intercolumnio central de sobre
dita ordem menor abre-se urna grande ji-
nalla dividida em tres partes e ornada de
arclvtrave e frontespicio ao gosto romano.
Sobre as> qualro pequea columoas ftzs. o
entablamento e frantespich triangular que
o complemento da fachada.
As doas vistas lateraes da fachada que
corres, on lem s doas naves tambera late-
raes sao convenientemente ornada de pi-
lastras com intercolumnios arcados,no meio
dos Qjaaes abrem-se as portas correspon-
dentes s naves lateraes : sobre as ditas
pilastras anda o entablamento por rima do
qual em tico ornado de bases e cimalha.
A nave principal tem 26 raetro3 o 50
centmetros de comprmanlo desde a porta
at o primeiro arco do zimborio ; e desde
esse arco at o fundo da capalla-mr 24
metros e 60 centmetros, tendo a dita ca-
palla-mr 10 metros e 60 centmetros de
largora. A nave central sustentada por
oito columnas quatro de cada lado o qualro
pilastras, doas de cada lad >, tendo as co
lumoas 9 metro e 9o centmetros de altura
sobre um metro de dimetro, e formando
cora as pilastras 5 intercolumnios. Sobre
as columnas e pilastras comer. o enlabia-
mente de I metro e 98 centimitros que par-
corre "- interior de toda a nave e cruz.
Para cima do eatablamento segaae-se urna
facha direita oo recta com 60 centrimetros
de largura, nascendo dessa o principio do
semi-circulo qoe forma o forro da graada
ab boda da nave central.
No meio dos ci .co intercolumnios abre se
sobre a ciaaiba urna jaualla de um metro o
50 centmetros de largura sobre 3 metros
e 40 centmetros da altura arcada. Sobre
o ingresso da porta principal da nave cen-
tral na altura de 6 metros e 80 centmetros,
acha-se o coro, que lem 9 metros e 50 cen-
tmetros de comprimenlro sobre qoatro
maros de largura, o para o qaal se sobe
por doas oseadas que ficam dentro das duas
pilastras aos lados di porta principal. Igual-
mente as duas pilastras, do zimborio, que
olhSo do lado inlerio, da ivo principal
nascem dous pulpitos oa altura de 3 me-
tros sobre um metro e 50 centmetros de
dimetro. As naves lateraes tem 10 me-
tros e 70 centmetros de altura sobre 5
metros e 80 centimetros de largura, tendo
do lado da nava principal quatro columnas
como se disse, e do outro lado pilastras
qoe forraam cinco inter'colamnios arcadas
com 1 raatro e 80 ceatim;tr >s de [ando,
occopadas por ontros tantos altares alora do
que tica perto do zimborio do lado da ra
d'Assumpro, no qaal abra-se ama porta
para o ingresso dos bomens. O frtayfe^
feito docal sobdividido pela architrafve,
qae corre em todo o comprimento da nave
e da columna al a pilastra. \
A linha transversal da craz divide-sejem
tres partesa central e as duas lateraes :
a primeira occopada pelo zimborio, e, as
outras duas por duas. grandes capailas ar-
cadas, tendo de altura 16 metros e 30 cen-
timetros, de largara 8 metros e 60 cent-
metros sobre 7 metras e 05 centi me tos
de fundo. A qae fica do lado direito jdo
altar mor em lugar de ser oceupada dor
ara altar aprsenla om arco de 9 matros e
60 centimetros, sobre 6 metros e 70 ten-
timetros, dando ingresso capella do Saa-
lissimo Sacramento, de forma semi-octa.u-
gular, tendo os lados prin .ipaes 4 metros a
60 centimetros e 2 matros e 75 centmetros
os oatros, e ornados por oito columnas,
doas de cada lado com 10 metros de ahu
ra. Sobre essas columnas fica um ojota
blamento de 1 metro %AS centiraaJros,
de onde nasce om paqaeno zimooria>Ie44
metros o 20 centr i metros de aliara, seguin-
do em tudo a mesma ordem da igrgfa.
0 zimborio do cruzeiro da igreja, ba-
scado sobre os qoatro magnficos arcos,
que discangam sobre os quatro pilares de
que se fallou, tem 35 metros de altara at
sita chave, e 5 metros o 70 centimetros do
raio e por base ama mageslosa cimalha
archilravada com elegante varanda oa gra-
de de 1 metro e 20 centmetros ; por cima
da dita cimalha segoe-se um p diredo da
3 metros o nma facha qae serve de base
um intercolumnio de 16 pilastras, qua com
as suas respectivas bases e apilis de pe-
quena ordem tem a altara de 4 metros o
50 centmetros; por cima segoe-se om en-
tablamento de 90 centimetros. Os inter-
colamnios t3o 8, e em cada ura delles
iore-;e orna jaoella de 2 metros o 80 cen-
timetros sobre 1 metro e 40 centriraetros,
com os seos respectivos ornatos : por cima
do entablamento segue-se um p direito do
um metro, e depois a magestosa curva, qoe
deixa no seu centro ou- chave ama abertti'
ra semi-crcular da 3 metros e 20 centi
metros do dimetro, que eneoberlo pir
ama claraboia de forma elegante, leado 8
jaoellas de 2 metros e 40 cen'imetros do
altura o largura de 90 centimetros, de mo-
lo que toda a altura do zimborio unida
esta derradaira pega de 42 metros.
A capella-mr do arco int-rrior, qoe sos-
tanta o zimo >rio at ao seu termo circular
Formada da seis lumias semelranles em
mlos do corpo da igreja, e tem 12 me-
tros da comqrimanto o 10 metros da lrgo-
ra. Os ntarcoluranios sio 7 eabrsm o io'
tjresso ao altjr-anr por me:o d* 3 degros:
doo' de sos intercolumnios eslo nos lado
e outro por traz, outros qo4ro ficam fe-
chados por meio de orna grade. Sobre ae
ditas seis columnas nasce o entablamento
|ue circu i sobre toda a cruz, e sobre este
nasce o forro era forma de arco abatido
com qoadrados postos ua parte corva; na
parte linear remedioc-se com grandero;5w
Detraz dessa capella ba tima nave circular
que vem ser a qoarta. com 5 metro e
50 centi me* ros, ornad i cora seis coloran is
encostadas par-'diem liaba da raio relati-
vamente ao altar-mr, em cujo inlercilozaoio
abrera-se qoalro capailas circulares e arca-
das de 3 metro o 80 ceotiui'-l-'os de lar-
gura o 9 metros e 20 centi metros-do- aHutai
cora 2 metros de fon lo ; o quint nie?co
lumnio do arco lambeta abre o ingresso f
urna quinta capella quadrangular de 4 rae-
tros e 40centmetro sobra 4 rastroso 40*
cenimeiros, e esta sacaristia e toiw ._,(_-/'
ferro dessa quarta nave feito \ ducal co-
mo o das duas lateraes.
E' essa a fiel descrip^w do novo templo
em co.iseqaeacia- das altera;5as que foi pre-
ciso fazer planta do Sr. Carimim, sabio
archi ecto rouuno, baseadas em aiguraas.
circumstancias particulares do logar, clima
etc. etc. ; modificages qoe foram feilas por
um outro architacto italiano' que os zel.-sos
capuebinhos mandaram vir e qae se -cha do
seu hospicio.
Essa descripgo devoraos bondade do
incansavel missionario- Fr. Venancio Mara
Ferrara, digno vice-commissario dos capu-
ebinhos no Brasil.
O* edificio do novo
com a fachada principal
das cisas que Iba ficam
na direcgo da travessa
o oita a da igreja quasi
ra das Calgadas a a roa d'Assumpgo com
a largura de 9 metros.
No dia 6 de novembro do 1870 foi com
toda a solemnidade assenlada a primeira
pedra,. ficaodo com ella sepultado o segan-
te dstico:! No dia 6 de novembro de
IH70; no reinado de S. M. L. Pedro ,
sondo presidente da provincia, o Exm. Sr.
V
\
"p^sSfefVca-
pnebinhos laogaram a primeira pedra da
nov igreja de Nossa Senh ara da Pecha em
suta-dituigao da que tinba sido eretta no
anuo, de 1655, sita 270 palmos distante da
presente ; sonde actualmente commssario
geral o Rvm. padre Fr. Caetano de Messi-
na, e prefeito desse hospicio o Rvd. padre
Fr. Serafina de Catania Ksta lapida
marmrea se acha no feudo do ahGeirce
correspondente ao arco do cruzeiro qne d
ingresso para a capella-mr do novo
templo.
Anda nao decorrido om anno ej a
obra aprsenla om lisongeiro augmento ;
lodos os alicorees se ach .ra salientes e ao
nivel em qoe lem de ficar o templo 1 mo-
tro e 20 centimetros superior aoaivel do
pateo, e um brago do novo hospicio j sa
acha em aitura de receeer o tra vjame ato...
E isso depois de gastar mais de 1;">:000.>
s na demoligo do amigo templo I
(Continuar-se ha).
lampa vera i fiear
paralella ao correr
em (rente e- quasi
da rboira, ficaado
no alinhamento da
conselheiro Dioga jfelbo Gavalcaat^.dg A~
buqderqo, os arissionarios ap9s
VARIEDAD
AMERICA DO NORTE.Segundo as in-
l'ormagoos officiaes, no anno passado amor-
tisaram os Estados-Unidos a importante
somma de 132.139:571 pesos. S em om
mez se amortisaram 94,327:764 pesos, e
no fim do actual podero amortisarse mais.
100 milhes de pesos.
nicamente no mez de julho ultimo, a
nao obstante as leis proteccionistas dos Es-
tados-Unidos importaran se naquelie paiz,
procedentes de Inglaterra, 287:169 toaela-
das de rails, que fazem dez mil loaeiadas
mais do que a metropole despacbou para
todas as suas colonias e mais paizes.
Veaderam-se oa grande repblica duran-
te o ultimo anno fiscal 600.000:000 pesos^,
de licores espirituosos. ^r-* *"
Os veadedores da-fettaispormido pa-
ijaMBHiVcontribigo 3.650KW0 pesos, na
razo de 25 pesos cada um, o que demons-
tra que existem naquelie vasto paiz 166:000
vendedores de bebidas aoiorisados. Um
apostlo da socedado Temperanca atemo-
risoo-se em faco destes algarismos, o n'om
discurso de propaganda disse: 600 mi-
lhes de pesos em bebidas I Com este di-
nbeiro teriam podido comprar-so 100 mi-
Iboes de barris de farinha, que locariam a
dous barris e meio por cada habitante dos
Estados-Unidos,
Se estes barris se tivessem col locado em
cirros para os transportar, pondo 10 bar-
ris em cada vehculo, teriam sido necessa-
nos 10 milhes, qne eoltocados uns atraz
dos outros, e oceupando cada um 6 varas,
teriam formado urna linha de 45:455 mi-
Ibas de extensio, o qoe dara 2 vezas a
volta da trra, e representara a metade da
distancia da trra i luz. Sa osso dinhei-
ro, contina aioda a dizer esse mesmo ora-
dor, se tivesso pago em olas do banco da
um poso, ter-se-hia necessrtado de 100
pessoas para as contar em um anno.
juigamos dover reunir aqui todas estas
informaces sobre o estado econmico dos
Estados-Unidos, para que se possa conbe -
cer qaal a sKuago daquelle grande
pak.
1YP. 00 DUsVO-Rt a DO DUQUE M CftXUt

Tm


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EUHY3PF6R_MN1OSS INGEST_TIME 2013-09-16T20:32:56Z PACKAGE AA00011611_12515
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES