Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:12514


This item is only available as the following downloads:


Full Text
AMO ILII. NUMEfi 238
i
0
t

I
I
I

flA A CAPITAL E
,Po; tres r.istj iiutJ')/ .
jrPor teis titos iomoi.....
- r ubi aji ii] .Cada numero avniso
LCGA.3E3 0?B WAO SE PACA P03TI.
6*000
12,1000
84*000
130
QUAOTI FEIBA 18 Df. OUTUBRO OE 1871.
' PA1A DZITID I fDBA DA MQ71ICIA.
Por tres meza* sdiantados -,..........."-,
Por seis ditos idom.................
Por nove ditos dem................
Por nm anno dem ................
DIARIO DE P
6#7M
1SH00
tomo
17#00O
Propredade de Manoel Figueira de Faria & Filhos.
AO ACIII:
Cs Sa. Gerardo Antonio Alves Filhos, no Para ; Connives d Pinto, no Majanillo ; Joaqnim'Jos de Oliveira Filho, no Ceari ; Antonio de Lemos Braga, no Aracty ; Jlo Alaria /alio Chaves, no Ass ; Antonio Marques da Silva, no Natal; Jos* Jattf.
Pereira d'Almeida, em Mamacgnape jFelippe Estrella d C, na Parabyba ; Antonio Jos Gomes, na Villa da Penha; Belannino dos Santos Baldo, em Santo Antlo; Domingos Jos da Costa Braga,
em Natareth; Antonio Ferreira de Agoiar, em Goyanna; Francino Tavares da Costa, em Alagoas; Dr. Jos Martina Alves, na Babia; e Leite, Serqninho d C no Rio de Janeiro.
PABTE OHICIAL
<-liveruo la provincia.
EXI'EOIK.NTE III DA li) DE euruuBO DK 1871.
Afta :
O vice-pre-Idenle da provincia,} attendendo
ao que rcuuereu Francisco Jos da Silva Sanios, e
inforraou o jniz municipal a Je orphaos do termo
di sida, > de confocmidade eom o artigo 1." 2. do decreto
'i6 visoriamente exereer a serventa vitalicia do offl
co de parti 1 ir e destribuidor do dito termo o re-
ferido Silva Santo.*, u qaai eolrari logo em exer-
cicio.
O vice-presiden'.e da provincia, attendendo
ao que reqnereu o hachare! Ernesto V eir de
Mallo, promotor publico da comarca de Palman,
resolve, coDceder-Jhe quaronia das de liienca
e.ofo ordenado, na forma da lei, para ir ao interior
da provincia tra'ar de .-aa saude.Rspadirara-se
as ntvcessanas conimuoicaeoes.
ObVios:
Ao Drigadeiro eoramanlaote das arma*, di-
zrado qae, para poder dar ciirapriment ao dis-
posto oo aviso do ministerio da guerra de 23 de
seteabro ultimo, torna-se necessario, que declare
te o soldado do (J. batalhio de Infamarla, Jos
Soares Cavaleanie, julgado iucapaz do servico, em
inspeeeo de saude, chegou a receber a primeira
prestado do premiode voluntario.
Ao inspector da theaoctraria de fizenda,com-
nmnieaudo que, segundo aviso do ministerio da
justica de 28 de setemhro uliim, solicitou se do
da fazenda a exped cao das convenientes urde as,
oo sentid; de ser essa thesoarara habilitada, por
coala do actual exercicio, com a quantia de OOi
arbitrada, na forma da le', para as despezas de
transportee prmeiro estabelecimento do bacharel
Jgnicio Aecioly de Vasconcellos, nomeado juiz
imnicipai e de orphaos do termo da Puril:acao
dos Campos, na provincia da Babia.
Ao mesmo, Inteiraado-o de que, em aviso do
ministerio da justica de 2o de setembro ultimo,
ri.irneip iii-.-e baver-se solicitado do da azeuda a
sxpediQao de ordens, aflm de ser habilitada essa
nesouraria com a quantia de 45J00O para paga-
>Bsnto das despezas com transporte de presos.
Ao inspector di thesouraria provincial, para
nuadar entregar ao ecnomo do gymnasio a quan-
tia de 85010'W. em que imporlaram cincoenta ci-
ma de ferro, compradas pelo regedor do mesmo
gymnasio, em vi-tuda de auiorisago da presiden-
cia. Commurciiii-se ao regedor.
Ao mesmo, mandando pagar ao regente da
M'upaohia Pernambucana a quantia de 1085000,
proveniente de passagens e comedorias alionadas
por coala da provincia, a bordo dos vapores da-
quella corapanhia. como se v da inclusa eonta.
Ao regador do Gymasio Provincial, antori-
-aado-o a mandar concerur as quarsnla e tantas
turnas de ierro d'*se twubetecuaeato, a razio de
A)M da ama.--&Mmaneoa-34 a thsouriria
provincial.
Ao juix de dreito da comarca de Caruar,
remetiendo algumas laminas com puz vaccinieo
para ser appltcado as pessoas dessa cidade e seas
ai-redores.
Ao chefe da reparticao das obras publicas,
para que mande orear as despezas necessarias
para forrar a sala do locutorio do Gymnasio Pro-
vincial, eomo solieitou o respectivo regedor. Com-
municoa-ce l este
Ao gerente da companbia Pernambucana, re-
commeodaolo que faQt seguir para o presidio de
Fernando de Noreoha, no dia 1* de corrente, o
vapor que a 20 deste mez tinha de partir para o
Rio Formoso, cuja viagem se effectuar depois que
d'alli regressar o mesmo vapor, (cando assim dis-
pensada a viagem de novembro para aquelle pre-
sidio. Expediram se as necessarias cjmmunica-
C099.
Despachos:
Carlota Lucia de Brito. Entregue-se medanle
recibo.
Bacbarei Ernesto Vieira de Mello.-Como're-
.jmr.
Bacharel Ignaeio Aecioly de Vasconcellos. -In-
lormeoSr. inspector di thesouraria de fazenda.
Jos Vjrfario Paes Brrelo.Informe o Sr. Dr.
jhfe de polica.
loio Augusto de Pinho Victoria. Passe por-
tarii.
Leopoldo Affenso Ferreira.Informe o Sr. di-
rector do arsenal de guerra
Manoel Martios de Carvalho.Informe o Sr. ins-
pector da ibis arara le fazends.
Thomaz Jos das Neves.Informe o Sr. inspec-
tor da tbesouratia de fazenda.
EXPEDIENTE DO SECRETARIO.
OlBcio :
Ao brigadeiro commaodante das armas, re-
metiendo, de orlem da presidiada, o passe que
siliciton i ida e volia nos trens da va frrea do
Recife a S. Francisco para o brigadeiro Hygino
Jos Coelno, tenente-coronel Antonio Francisco de
S)uz* Magaihes e major Antonio Dornellas C-
mara, que vio em commissao examinar o estado
do material do exercito, a cargo das fortScagoes
do uitoral da provincia.
EXPEDIENTE DO DIA 11 DS OOTUDRO DE 1871.
Acto :
O vico presidente da provincia, attendendo
jo pe requere a o bacharel Pedro Aflonso Ferrei-
ra, resotve releva-lo da malla, que Ihe foi imposta
pelo jais de direito da comarca de Palmares a 1 de
dezembro d; 1869, por nao ter e mesmo bacharel
tomparscido no dia e hora qoe Ihe f ira designado
para assktir, eomo promotor publico d'aquella co-
marca, aos trabalhos da reviso da lista dos jura-
ili? do term; d'Agua Preta, visto estar nessa occa-
sio imposibilitado de comparecer por motivo de
alasita.Commanicou-se thesouraria de fi-
zan da.
OfSps :
Ao Kxj). ministro plenipoleac'iario e enviado
extraordinario do Brasil na Graa-B;elanba remet-
teadoama eertido passada pela alfandega desta
capila!, afim de servir na liquida^o das contas
das daas dragas vndas da Europa para esta pro-
vincia, em viriaie do_coatrato celebrado pelo go-
verao com a Soclet .Noavellss de Forgas & Chao
tieTa de Marseilles, como rejaereram os respecti-
vos consignatarios Augusto Fredenco de Oliveira
A C, visto tar-havido dnvida acerca dos doca-
m^atos sutorioruv.nt apresentados para'; aquelle
tica.
Ao Exm. conselheiro presidente do supremo
tribunal Os jastica participando que a 23 de setem-
bro ultimo entrn o bacharel Francisco Teixeira
de S no exercicio do cargo de juiz de direito da
comarca da Limoeiro.
Ao viee-provedor da Saqta Casa de Miseri-
cordia atitriJaado-o uos termos de sui iniormacao,
a mandar entregar a Candida Gomes dos Santos a
sducauda Pergeotina, pertencente ao collegio das
orpiiaa,
Ao inspector da thesouraria de fazenda con-
cesesio a atorisaco -que solicito*], para rtmetter
Be do commandanto do vapor que vii
residi lo Fernando de Noronha, a
100/000, que se torna necessaria ao
*aque!i8 presidio, afina de ocorrer
*s sspwsj | sea cargo.
Je transmluindo, para os fins con-
quantia d> 600.000/000, em cinta do emprestimo
contrabido pila provincia com o Banco do Brasil.
Ao m 'sai Jj/ol/eaJ-t as follias e prets em
doplicata, relativos aos veacimentos de um ofllcial
e 25 pracas di gaarda aa'ioqal, que estiveram
dsuca hs na villa do Granito, a coatar d) 1* de
novembro a 13 da tXnrobrj da mmo p-is-le atim
de que mande efselnar o pagamento de laes ven
ciraeatos sob a ra^p) modula le da prsidmeia,
visto nao existir crdito para iss^'
Ao inspaetor da thesouraria pro
rolativaqwste i entrega por' essa thesouraria da
,.'oviocial maa-
dando entregara) thesoureiro da, Santa Casa de
Misericordia, major Laureniino Jos da Miranda, a
quantia de 68/0C0, em que imporlaram ao raen
saudades relativas aos rae*es de julho a setembro
deste anno, dos filhos dos voluntarios da pitria
existentes nos collegios de orphaos. Communi-
c u-sejao vice prerjdor.
Ao mesmo declarando em resposla ao sea
oillcio, qa.'n'iie man lar p?s da caixa de depsitos para a da reeei a geral a
quantia de 50:000/000 a:i n de ir-s occorrealo
as despezas cargo dessa reparticao.
Ao mesmo autorisandoo nos (erraos de sua
infjrmaao, a mandar eatragir ao thwoareiro di
coranissao encarregada das obras d igrej de
Nossa Ssnhira do Livramento da cidade di Victo
ra, Julia) G)oca!ves da L'rai, medtate danta
idnea, a qiaatia de 1:038/000, que se a:ha nm
deposito, provenioa'.e d) beaelciida parte de lote-
ra extrbida ltimamente a favor d> taes obras.
Ao raesra) declarando que proceda, de con-
forraidadj com parecer da conialoria dessa thesou-
raria, a que se refere o sen ofBcio de 12 de agosto
ultimo, sob o. 477, acerca do abono aos de jusliga da fazenda provincial da porcentagem
pela arrecadacao do sello de heranc.as.
Ao mesmo inteirandoo de haver re30lvid) de
conformidade com a sua inf)rmacao, relevar An-
tonia Maria da Luz, da multa em que tocorreu,
por nao ter averbado, dentro de 30 das, no consu -
lado provincial a escritura da compra, que fez de
daas casas, ns 6t e t 5, -itas na ra do Oaro, fre-
guezia de S. Jos desta cilade.
Ao mesmo maadando pagar a Francisco Pe-
reira de Mandones & C. os vaacimeatos, relativos
aos mezas de julho a agosto deste anno, dos
guirdas aacioaaes destacados no termo de Baique.
Communicou-se ao commandante superior do
municipio de Garaohuns.
Ao commandante superior da guarda nacio-
nal do municipio do Recife, recommendaalo a ex-
pedidle de suas rleos u > seotido de recolher o
coronel commandante do 2 batalhao de infantaria
ao deposito especial de instruccao um sellim com-
pleto e urna cabecada, cora uraa bri le; objectos es-
tes que Ihe foram fornecidos em agosto de 1867,
segundo declara o brigadeiro commandante das
armas.Tambem ofcioorse ao commandante su-
perior do maniciqio do Rio Formoso, para fazer
recolher ao mesm> deposito os objectos constan
tos da relapao junta, os quaes foram fornecidos a
esse commando superi-r em juaho a'aqaelle anno,
e communicou-se ao referido brigadeiro.
Ao inspector da saiide publica para manear
preparar urna ambulancia dos medicamentos, in-
dicados na relacio que remenea, aflm de ser
enviada sera demora para a povoacao de Agua
Preta.
Ao director do arienal de goerra traosmil-
tindo, para os fis convenientes, copia do avisa
circular, expedido pele ministerio da guerra era
25 de selemoro ultimo, acerca da plvora e muni-
coes, remettidas pelo arsenal de guerra da corte
para esta provincia, e constantes de nota, tambem
junta por copia.
Ao commandanto do corpo de polica autori-
zando o engajamonto dos paisaaos Militao Feitosa
ampos, Dionisio Bezerra Leite, Jos Bnrly a Ma-
noel (ouralves Rodrigues, se forera aptos.
Ao engenheiro encarregado das obras geraes
recoramendaodo que faga executar de conformidade
com o orcamento, que remetleu, os reparos de que
necessitam as rampas dos caes da,ra da Aurora,
Forte do Matto? e ponto de Santa Isabel.Comma-
nicou-se a thesouraria de fazenda.
Ao mesmo, para mandar fizer os concertos,
de que ainda carece o edificio, em que uneciona
aFaculdade de" Direito desta cida le oreados em
l:209/8i0. Expediram-se as necessarias com
munieacoes.
Portaras:
Ao gerente da companbia Pernambucana,
mandando dar transporte por conta do ministerio
da guerra a prdi do vapor que vai seguir para o
presidio ae Fernando de Noronha, ao velho Fran-
cisco Xavier de Paiva, pai do sentenciado militar
Silvano Xavier de Paiva, que se acba naquelle
presidio.Communicou sa ao brigadeiro comman-
dante das armas.
Ao mesmo, para dar urna pa-sagem de esta-
do at a provincia do Cear, a r do vapor que
segu para o norte, ao padre Francisco Constancio
da Costa.Iguaes, mutalis mutandis, acerca de
Joaquira Antonio da Cunha e de Vicente Ferreira
Chaves, que segoe para a Aracaty.
Dita, concadnelo permisso a Bernardino da
Silva Costa Campos para embarcar, com destino
ao presidio de Fernando de Noronha, no vapor que
tem de seguir para all, os gneros constantes da
inclusa relacao.Igual, mtilotts mutandis, acerca
de Alexandrma Maria dos Prazeres.
Despachos:
Tenente-coronel Alexandre Augusto de Frias
Villar.Forneca-se.
Abaixo assigoados roembros da associacao pro-
vincial Monte Pi Santa Craz.Entregue-se me
diante recibo.
Antonia Maria di Lnz.A' thessararia provin-
cial com officio lesta data.
Angosto Cesar da Cunha.- Informe o Sr. cense-
Ihairo presidente do tribnnal da relacao.
Alexandrina Maria da Conceico. A" vista da
nformaco nao tem lagar o que reqaer a suppli-
cante.
Andr Avelino Cesar.Informe o Sr. regedor do
Gymnasio Provincial.
Abaixo assigoados moradores na ra da Unio.
Informe o sr. engenheiro chefe da reparlicio
das obras publica*.
Antonio Jos dos Santos, Flix Antonio de Je-
ss.Informe o Sr. engenheiro chefe da reparticio
das obras publicas.
Alexandrina Umbelina de Freitas.Nao (era
tugar o que requer.
Augusto Francisco de Oliveira & CComo re-
qaer.
Companbia Pernambucana.A' thesouraria de
fazenda com officio desta data.
Eustaquia Constancio Redevivo. Como re-
qaer.
Francisco Manoel dos Prazeres.Satisfara o
supplicanle a exigencia comida no decreto n. 3508
de 30 de agosto de 1865. )
Francisca Maria das Chagas.Informe o Sr. Dr.
chefe de polica.
Irmandade da ordem terceira do Carmo.Infor-
me o Sr. inspector da thesouraria de fazenda.
Dita da Santa Cruz da Misericordia ds cidade
de Goyanna.Informe ao Sr. inspector da thesou-
raria provincia1.
Dita de Nossa Seohora do Livramento desta ci-
dade.Fieam expedidas as convenientes ordsns
no sentido que requer a supplicante.
Joaquim Jos de Sant'Anna. Informe o Sr. Dr.
chefe de polica.
Joo Burges Alves.Informe o Sr. vice-prove*
dor da Santa Casa da Misericordia,
Jos Rabello Padilha.Forneca-se.
Jos Alves da Silva uimarles.-.Como
qner.
Joaqaira Harmilio Candida.Informe o Sr. Dr.
jniz de direito da comarca de Olinda.
Leonor Melequaes.a' vista da informacio nao
tem lugar o que requer a supplicante.
Manoel Teixeira da Crcamo Ralalau.Allegue
o supplicante o que pretende.
RschatBl Mauuf ffenrfqaes CrdS.A petieSo
que alinde o supplicante foi remedida ao eoge
aheiro da repartilo das obras publicas.
Pedro Alejandrino de Luna.Requeira pelos
canaes competentes.
Severo Jos Francisco. Iaforrae oSr. inspector
da the-ouraria de fazenda.
William Richards.Nao tem lagar o que requer
o snpplicaote .
EXPEDIENTE DO SECRETARIO.
Officios :
Ao Exm. conselheiro presidente da relacio
acensando de ordem da presidencia, o recebimen-
to do officio em qoe participou ter concedido 30
dias de licenca cora ordenado ao juiz de direito da
comarca do Boique, bacharel Joo Hircano Alves
Maciel.
Ao juiz de direito da comarca do Buiqne,
dizendo flear a presidencia inteirada de haver en
irado hontem no goso da licenca de ura mez, que
Ihe foi concedida pelo conselheiru presidente da
relacao.
Ao commandante do corpo de policia decla-
rando de ordem da presidencia, que no foro com-
mura devera ser julgados o tenente e pracas desse
corpo, a que se refere o seu o officio n. 561 de 27
de setembro ultimo.
Ai ommandante do destacamento da villa
do Granito comrauoicando de ordem da presiden-
cia, que procedeu regularmente, prestando ama
praca do destacamento ao juiz de direito da co-
marca; pira ir em serviej publico ao termo de
Cabrob.
c ouiui milo das armas.
QCARTEL GENERAL DO COMMANDO DAS ARMAS
NA PROVINCIA DE PERNAMRUCO, i 7 DE OU-
TUBRO DE 1871.
Ordem do da n. 581.
O brigad iro commandante das armas d sciencia
guarnicao para os fins conveniontes:
Q je o Sr. major graduado do 2* batalhao de in-
fantaria Luiz Antonio Ferrs Jnior, renunciou no
dia 10 do corrente licenca de dons mezes que
por portara de 12 de setembro ultimo obteve do
governo pira trata ment de sua saude, como se
f -i publico em ordem do dia da reparticio do
ajudaote general n. 788, visto achar-se restabele-
cido, procedimenlo leuvavei e que revela da parte
do mesmo Sr. major o interesse que loma pelo
servico.
Que Presidencia da provincia das Alagas, em
offleio de 9 deste mez, coromonicoo, que o Sr.
major do 9 batalhao de infantaria Jos Cesario
Varella da Franja em viagem para esta provincia,
all desembarcou 6 por doentq,
Que H do corrente se apresdntoo nesie qaar-
tal general, vindo daqneila provincia a*~ap
Gequt, o Sr. alferes-quartsl-mestre do 9? batalhao
de infantaria Francisco Jos da Silva, que all se
achava em deligencia; o qual ficoa reunido ao
dito batalbe.
Finalmente, que nesta data desligado do 9 ba-
talhao de infantaria onde se achava addido o Sr.
alfere; do 8 da mesraa arma Clementino Pereira
o*03 Passos Cavalcante que tem de embarcar para
a corte no prximo vapor que se espera do
no rte.
(Assgnado).Luiz Jos Pereira de Carvalho, bri
gadeiro.
Conforme.Clemente trancilio Tavares, lente
ajudante de ordens encarregado do detalhe.
eoodijBg so tinha um mandato : iralar de por
qualquer prepo firmar a pu. Portanto, tolas as
leis que tem promotgid > ofn carcter eonstiinin-
te e orgnico, si) um actode nsarpacao oacao,
porque tomos attribuicdes que a naci nao Ihe
conceder.
Assim, pois, essa tristsima situaeao poltica -
lera um remedio prompto, effi:iz e decisivo : a
dissoluci) dessa assembla. e a convocsgao d
nutra com carcter constituinte, encarregada de
fundar e organisar a repblica.
Emqaanto a asserabl se reunir em Versainas
a guerra civil araeacar a Franca.
Da tod)s os departamentos vio chegando repre-
sentares para que a assembla seja dissolnda.
Leo envin urna assignada por noventa mil
cidaSios de malor idade. Ura poder irresistivel
do povo, a soberana nacional, revoga os poderes
de seos maniatarles.
A assembla de Verstiles poder seguir a sua
conjoracao contra a repblica, poder resusriiar
os erres econmicos do proteccionismo, eos eiros
al ninistialivos da centralisacio, podara organisar
contra o sullrazo universal gerarchlas oligarchi-
eas, e contra a democracia|poderes reaccionarios ;
raas jamis poder dar a algnma dessss obras o
carcter de dnracio e de firmeza que teem as
obras nascidas da vonlade e do peosamento de
um grande pnvo.
Para se preparar para Indo sso tinha que pro-
longar o seu mandato, usurpando a soberana di
naco ; o qne effectuon, declarndose assembla
constituinte.
Mas as grandes -ida les, as de eipirito vivaz e
animo decidido, resolvidas a tudo para maoter a
repoSlca. levantarse hao contra a assembla
reaccionaria e usurpadora, e dar- comeco guer-
ra civil.
A guerra civil ter hoje all borrivel carcter,
porque entre os contendores levantar-se ha um
terceiro que vai -aggravar os males de todos ; o
prussiano deten v-r de una parte cmsideravel de
territorio, e credor de outra parte nao menos c.n-
sideravel do thesouro publico ; e que jolgando-se
falto de garantas, tomar aseo arbitrio as que
demandar a desordem da naci vencida, a quem
as impor pela forga das armas.
A quanlos e a quo grandes males chega o em-
peono de assentar urna tbeoria reaccionaria, jul-
ga-la hoje to acreditada come em lempos passa-
dos, e tratar de reabsa-la sein attender resisten-
cia profunditsima dos espirito*, e s crrenles das
ideas I
As geracoes presentes nao sao aquellas que as
ciara e cresciam na f que eguisra seus pais,
que desde o ber^o se consideravam patrimonio
eterno de um monarcha, era cujo nprae, em cojo
sango*, prosapia e tradicoes, viam todos os sig-
naes da eleicao divina e tod os esplendores da
mageslado nacional.
Estac ger:c^es sao IHha9 do phylosophica sca-
lo passado ; naseerara e educaram-sa na rerola-
ejem que nao Ihes ser permilti4o repou-
i quwo teUati rondado unta nova so
eefcriaf e*m embriaguee divina das
ilas,"lapos de haverem asseguraifo a liberdad
do consciencia.e da pensimento, fuularai sobre
as ruinas deste velbo mundo o verdaleiro go-
verno econmico t depois resolver) o problema
social para completar a emancipaci) religiosa, a
einancipacio poltica do povo, com a emancipicio
econmica ; termino ultimo que hnje se divisa na
senda luminosa do progresso.
Taes sao ponco mais ou menos a* ideas que
depois das ultimas catastrophes de Pars lavram
era Franca.
Foram-aomeados para o 2o orpj de ca vallara,
do municipio do Brej): tenente quartel me^tre o
aiferes Manoel Jjiqumi Alves dos Santos, altores
secretario o Io sargento Francisco Barenguer de
Carvalho Cesar; alfoces da I* companbia, o 2* sar-
gaalo AalDiit) 6or*->>e -Vetrosp ; tenente da 2, o
altere* Laiz Alves Maoiel; capitai da 4" n teneote
Antonio de Araojo e Albuquerqiw. alferes o 1
sargento Carolioo Jos Rodrigues de Lima.
Poi designado Delphim Lms Cavalcante Pessoa,
capiii) da 6* companbia do 6 hatalhio de infan-
taria do municipio do liecife, para servir de ma-
jor desse batalhao.
Foi nomealo Raymondo Cyriaco do Carvalho ca-
pitio d. 5" companhia do 52* bitalhio de infanta-
ria, do municipio do Exti.
sDISTRICTO POLICIALPor portara la nresi-
denca da provincia, de 14 do corrente, foi creado
nm districto de subdelegada, no 2 de paz da fre-
gueza de Aguas-Bellas, sob denomioaeio de
Asnrema, comprehendendo os limites do referido
districto de paz.
ELEMENTO SERVIL.A sociedade SMQSiet
R'generaiao celebrou a 13 do corrente, urna ses-
io magna em commemoracSo da promnlgacao da
lei de 28 de setembro ultimo, que estata sobre a
plemento servil. A sessao e'lpve bajtanie concor*-
rida, reeitanlo-se elnqientes discurso. Proce-
den se tres ioiciacSes, urna filiacio, e deu-se li-
bardado dnas eseravas, pardas, urna de 6 annos,
e ontra de 13.
APPELLA$OE3 I OVIS.
Do uno municipal do Recife. Appettaote, An-
tonio Francisco Paes de Mello Marrano ; appHa-
dos, Leal A Irmio.Desprezarara os embargos.
Do uuo uiuuiipai da Acarac.__flppilUnir ~
Franciscli Jos Alves e ontro ; appellado, Mano!
Luiz Persira Brandao.Confirmada a sentenca.
Do juizo municipal de Barreiros.Appeilante
Antonio Flix de Souza ; appellado, Joo SSjttr-
me de Mello, tutor dos menores Jos Aunes e ou-
tro3.Reormaram a sentenca.
PASSAGBNS.
Do Sr. jdeserabargador Gilirana ao Sr. desem-
bargador LourenQo Santiago :
Do juizi, municipal de Ipojaca. -Appellante, Jo-
s Francisco do Reg Barros, como alministrad'r
de sua lilhi ; appellado, Francisco Manoel de Si
queira. Di juizo municipal de Macei.Appeliao-
te, Manoel Joaquim da S'lva Leo; appellado*, Dr.
Jos AngeSo Marcio da Silva e ontro.
Ao Sr. djesembargador Guerra
NOVO MUNDO.-wVcaba de chgar de N w Yoik
o 12* onmero do interessante jornal Novo Mundo,
n- all se publica ero portoguez sob a dreccio
do Sr. Rodrigues, cheio de moroeotosas gravuras e
bem escrintos assumptos, destacando-se naquel-
las o retrato do distincto poeta bahiano Castro
Alves.
Cora estes numero termina o 2o semestre e o !
anno da assignatnra, pelo que os actuaes subs-
criptores e aquellas pessoa* que desejarem inscre-
ver-se, o deveri) fazer at o fim do correnta mez
na livraria franceza, ra Primeiro de Marc)
n. 9.
Commando superior.
QARTEL DO COMMANDO SUPERIOR DA GUARDA
NACIONAL DO MUNICIPIO DO RECIFE, 16 DE
OUTURRO DE 187i.
Ordem do dia n. 35.
De'.ermina o Ilim. Sr. connel commandante su
perior, que no da 22 di corrente mez, pelas 8
horas da raanhaa, esteja formado o 4 batalhao de
infantaria, afim de assamir o commando do mes-
mo o Sr. tenente coronel honorario do exercito,
nomeado por decreto imperial de 20 da retembro
lindo, Ernesto Machado Freir Pereira da Silva ;
para o qu o senhor commandante interino dar
suas ordens, afim de que todo o batalhao s< aebe
em sua respectiva parada, e ahi aguardar as suas
ordens.
Rodolpho lodo Barata de Ahneida,
Coronel chefe interino do estado-maior.
EXTERIOR.
Assembla de Verstiles.
As folhas verdaderamente lberaes insisten)
era qaa a conspiracao a favor da monarchia per-
siste astuciosa e audaz na desditosa Fringa ; e
3ue o duque de Anuale quem dos seas espen-
idos castellos a dirige.
Anuuncia-se j que esse Orleans dar em Cba-
lilly festas, bailes e banquetes sobre o cadver da
patria. Rodeado all de s;us cortezios,-jnlgando
que a Franca toda sua, sem ter esquecido nem
aprendido consa al urna no desterro, aquelle re-
presentante dos Bourbons dar-seba ao trabalho
de corromper e conspirar para converter a rep-
blica em proveito de sua ambiciosa familia.
E, hoje bem notorio : se os Orleans desejam
reinar, os seus ulicos ainda teem maiores de3e-
jos que ellas reioem. Depois da celebre sessio
em que Thiers ameacou com a sua retirada todos
os da direta, reuoiram se elles, e pensaram em
faze-lo substitnir.
A angustiosa situacio da Franca, a necessidade
imprescindivel de pagar as rademnisacSes de guer-
ra, e de acoderar o termino da oceupacao es -
trangeira, a presenca dos prnssianos nos proprios
arredores de Paris, onde montam guardas, e que
urna injuria viva independencia nacional: to-
das estas circuinstancias, emlrr, qne saltara aos
olhos das pessdas menos Ilustradas, nao penetrara
no coracao daqaclles patriota. Pelo coatraro.
Desde, que a Franca repblica, dedicam-se
com o maior ardor a calumnia la ; as festas esco-
lares de Leo parecera-Ibes orgias escandalosas;
as guardas nacionaes sio hordas de commums-
tas; Uarselna, mais da meaos da, arder desde
03 alicorees at aos telhados; o jury de Pao ura
jury perverso ; e as municipalidades republicanas
sao grupos de conjurados.
A calumnia eranm cahe a jorros sobre todas as
instituicoes democrticas contrarias restaurarlo
da flor de liz, e do ferrete da raaccao sobre as car-
nes abrazadas da Franca.
Essa situaeao por extremo grave, e affecta to-
das as nacSes da Europa, pondo de novo em pa-
ngo eminente as pequeas nacionalidades.
Entre a assembla de Versailles e a naci fran-
ceza ha completa disparidade de ideas.
A assembla qner e a naci nao qner tentar
novas restaurares.
A assembla que (o volada entre o furor dos
combates, cora es prnssianos senhores de todo o
ste da Franca, e sob o golpe da rendirlo de Pa-
rs, dividido e mal onsiuido o governo da defeza
nacional, dispersos no campo da batalha os de-
fensores da repobhca, aterrados os nimos pela
re- perspectiva dejoUdora da eontinuacao da guer-
ra : a asamblea em lio tristes e excepeionaes
PERNAMBCO.
REVISTA DIASIA.
FABRICAS DE FIAQi E TECIDOS. Usando
da aulorisaco do art 1" da lei provincial d. 1000
de 13 de junho ultimo, e attendendo que, abena
as concorrencias por edilaes, para a concessio dos
favores de qne trata dita lei ]nelh que conlra-
tasse a exploraco de uraa ou mais fabricas de fia-
ciii e tecidos do a'godao nesta provincia, .-o foi
apresenlada para esse lim a propusta do Sr. Anto-
nio Valentim da Silva Barroca, resolveu a presi-
dencia da provincia, em 14 do corrente, contratar a
referida empreza mediante as clausulas seguintes :
c I." Fica concedida Antonio Valentn) da Sil-
va Barroca,. seus sceessores e concessionarios,
o privilegio exclusivo per doze aonos contados da
lata d assignatnra do presente contrato para a
consttucQo e exploracio de urna ou mais fabricas
de flaecio e lecidos de algodao.
t 2* No caso de construcCao eexpluracio de mais
de urna fabrica a duracio do privilegio ser con
tala da referida data da assignatnra do contrato,
para todas as fabricas ainla quando nao comecem
ellas a funecionar ao mesmo tempo.
t 3.' A primeira fabrica trabalhar ao menos
com 30 toares e torga motora de 20 cavallos, de-
vendo funecionar no praso de 2 annos contados da
supracitala assignatura deste contrato.
c 4.a Os predios da fabrica ou fabricas e suas
dependencias, ficam isenlos da decima urbana e de
quaesquer impostos provinciaes ou manicipaes du-
rante o praso do privilegio.
i 3.* Serio tambera isenlos de direitos provin-
ciaes, as materias primas consumidas pelas fabri-
cas e de direitos de exportacio o fio tecidos e mais
obras, que foram aellas confeccionadas.
t. i.*. O empresario, seus sceessores ou conecs-
sionarieVse obrigam a raanter, educar e ensinar
es officios de Qanderos ou teeeloes a doze nrphio*
escolha do presideote da provincia, de 12 a 15
annos de idade sera estipendio''Jflgnm dos cofres
putilico. '" ')''
, 7." Passados 03 referidos.5 annos, os sobre-
ditos aprendizes vencerio como bfflciaes o salario
qne merecerem e for ajustado, obrigando-se mais
o empresario, seus sceessores ou concessionarios
admiiiir annuaimenle seis ou mais orphaos da
mesma idade, de ura e de outro sexo, conforme o
incremento da fabrica ou fabricis que fanecio-
narem
( 8* Palo naojiumpriraento das condic5es ci-
ma exaradas sajita se o empresario, seus sueces-
sores ou concessionarios a multa de 1 a 5 contos
de ri.s, que ser imposta pelo presidente da pro-
vincia, conforme o caso cora recurso para uro jui
zo arbitral eomposto de um arbitro nomeado por
cada urna- das paries contratantes e um desempa-
tador por accordo de ambas.
( 9.* Para gosar dos favores concedidos no pr-
seme co atrito e garanta das multas prestar o
empresario Banca idnea pela sobredita quantia.
i 10* O empresario obriga-se a informar an-
imalmente ao presidente da provincia, logo que a
fabrica ou fabricas comefarara a funecionar o Da-
mero de edificios, offleinas, offlciaes a qaaatidade
das materias primas consumidas e a das confeccio-
nadas as fabricas e quae-quer outros dados esta-
(Uticos que Ihe forera exigidas.
t 11" Logo que o edificio para a primeira fabri-
ca estiver concluido ser regulado por accordo
entre o presidenta da provincia e o contratante a
modo de tornar efftcliva a isencao de direitos a
qne se refere o presenta contrato.
GUARDA NACIONALPor portara da presi-
dencia da provincia, de IV a 16 do crreme:
Foram privados dos postas os seguales offlciaes,
por nao torera solicitado patele no defldo praso,
do t* corpo de cavaMam da* guarda nacional do
municipio do Brejo : tenante da 2' companhia
Elias Francisca Bastos, alferes da 4' Alvaro "To-
lentino de A'fReia. Catanho.
MUDANCA. O eartorio da fazenda provincial,
escri vio Cintra, acaba de ser transferido para a
rna Estrea do Rosario n. 3 no 1 andar da casa
em que se acba o consultorio homeopathico do
Sr. Thenorio.
MSICA NOVA.Mais ama eomposici-- musi-
cal acaba de sabir i luz da offHna lyitngranhica
do Sr. A. J. da Azevedo, ra do Bario da Victo-
ria n. 11, chama-se ella Sara, e escripti oelo
professor Rummel. E' fcil e agradavel. Cus-
a I 000.
DEPOSITO DE PAO. O da ra do Bario da
Victoria n. 55 acaba de soffrer grandes melhora-
mentos, tornan In-se recommendavel por ser o de-
posito de pao Ramonda, na freguezta de Santo
Antonio.
I .MNTJfcPW POPULAR PliRNAMBUCANO.-
Bau Mi4ade beoeficenle reunio-se domingo (15)
era assembla geral, para eleger o novo eonselho
director que tem de servir no anno de 1871 a 1872.
Para a organisacjto da mesa eleiloral reeebersm-
se 128 listas, qne deram o segrate resaltado :
PresidenteJos Luiz da Costa R noli a.
1" secretarioRufino da Costa Pinto.
2 dito Francisco de Assis Monteim Pessa.
Escrutadores -Pedro Paulo dos Santos e J ao
Leopoldina do Reg.
Apnraram se para a composicio do onselho
director 40 listas que nao deixar&m conhecer qual
das dnas chapas qne se debatem triacopbar.
LOTERA.-A qae se a;ha venda a 211.'
beneficio do patrimonio dos orphaos, a qual corre
do da 19. ,
LEILO.Hoje s 11 hojas em ponto, effeetna
o agente Martins o leilo de miro, prata ebrillnn
tes da praga da Independencia, e mais urna burra
de ferro com fechadnra de 18 liognas.
UEMITER'O PUBLICO.Obituario d) dia 16 de
outnbro.
Maria, Dranca, 18 dias, S. Jos ; espasmo.
Ao'.ouio, pardo, Pernambuo, 6 meze3, Boa-vista.
bsxigas.
Carlos, branco, Pernambuco. 4 mezes Boa-vista,
gastro enterte.
Cathanoa, escrava, preta, Pernambnco, 10 an-
nos, solteirajraca; bevigas.
Joio Tslle, branco, Pernambuco, 44 annos caza-
do, Saoto Antonio; ascite.
Feliciano, pardo, Pernambuco, 5 das, S. Jos ;
imperfeicoes do recio e dos orgaos geni'aes.
t'HROXM'AJ.OM'I.iKIl.
rniHiix.iL da ni'i.uio.
SESSAO EM 17 DEOUTUBR) DE 1871.
'RESIDENCIA DO SXM. SR. CONSELHEIRO CAETANO
SANTIAGO.
Secretaria Dr. Virgilio Coelho.
As 10 horas da manhia, presentes os Srs. desem-
oargadores Gitirana, Lourenco Santiago, Almeida
Albuqnerqae, Doris, Domingues da Silva, Reguei-
ra Costa, Souza Lelo e Freitas Henriques, faltan-
do cora cansa os Srs. desembargadores Guerra,
procuradores da soroa, Assis, abrio-se a sessao.
Passados os feitos deram-se os julgameatos se-
zuintes:
AGGBAVO DE Pl-.TiCAO.
Aggravaate, Hermogenes de Gnsraio ; aggrava-
do, o juizo. Juize os Srs. desembargadores Lou-
renco Santiago, Almeida Albnqaerque e Souza
Lelo.Negaram provimento.
BECURSOS CHIMES.
Recorrente, Joaquina Manoel da Rocha Franco ;
recorrido, o juizo de direito da Granja.Juizes os
Srs. desembargadores Regueira Costa, Sonza Lelo,
Doria e Gitirana. -Handaram a urna deligencia.
Recorrente, o juizo de direito de Mossor ; re-
corrido, Clementino de Goes Nogueira.Juizes os
Srs. desembargadores Domiogaes da Silva, Reguei-
ra GoSta, Almeida Albuqnerqae e- Gitiraai.-Im-
procedente.
CARTA TBSTEMUNHAVEL.
Do juizo municipal do Recife. Aggravante,
Francisco Secuono Ribeiro de Aguiar Montar-
royoi ; aggravado, o juizo.Jaizes os Srs. desem-
bargadores Freitas Henriques, Regaeira Costa e
Gitirana.Nao lomaram onbecimento.
appellaqSes crimes.
Do jury de Misslo Velha, comarca do Crate.
Appellant^ojoiz); fppellado, Saverino Landim.
Do jury de S. Bento.Appellante, o juizo'; p-
pellalo. Antonio Vaz de Souza.A' novo jury.
Do jury do Agoa-Preta.Appelhnto3, o jaizo e
Joaqun) Luiz da Vera-Craz ; aopellados, o juizo
e Jos Luiz da Vera-Cruz.A' novo jury os dous
reo?.
Do jury da Independencia.Appellante, o juizo;
appellado,\ntonio Soares da Rocha.A' nma deli-
gencia.
Do jury de Bananairas.Appellante, Laureniino
Alves da Silva ; appellada, a jastica.Improce-
dente.
Do jury de Cascavel. Appellante, Benedicto Ma-
noel 3o Nascimenlo ; appellada, a jnstiQs.Impro-
cedente.
Do jurv da Fortaleza Appellante. o juizo ; ap-
pellado, Manoel Jos Ribeiro.Improceder^ *
Do jury do Recife.Appellante, J* a, nonio da
Silva Siotos; appellidt, a jo-j^, _A> novo jary.
Do jury do Buique.-Aj- eiitntes, Loarenco Be
rra Ha flama a ao'- ____ii-j. :..-t:.^
Do juizo municipal do Ceara.Appellante, Jj-.'-
Samico ; afpellado, Pedro da Costa e Silva.
Do Sr. dfsembargador Lourenco Santiago ao Sr.
iesembargador Almeida Albuquerque :
Do jury de <". iranhuns. Apptllante, o jorzi .
appellado, Antonio Joaqnira da Silva. Do jury d
Canguareana. Apoellante, o juizo ; appettado
Antonio Apolinario de Lima.
Do Sr. dasembargador Almeida Albuquerqs j
>r. desembalrgador Assis :
Do jaizo municipal do Recife.Appellante*, o->
herdeiros dej Hercnlaao Deodacto dos Santos ; ap
pellado, Manuel Januario de Barros. Do jary d*
iRuarassii.Appeiuall, o juizo; appellado, Maaael
Gouveia de Souza. Do jary do Cabo.Appellan-
te, o juizo ; appellado, Manoel da Malta Pimenlef.
Do Sr. desembargador Doria ao Sr. deserabar-
gador Domingues da Silva:
Do i n izo de direito do Limoeiro.Appellante, Ma
noel Francisco de Oliveira ; appellada, a jisticn.
Do Sr. desembargador Regaeira Costa ao Sr.
desembargador Souza Leio :
Do juizo municipal do Recife. Appellante,
Santa Osa de Misericordia ; appellado, Jos Lnri
Lins.
Do-Sr. desembargador Souza Lelo ao Sr. de---
smbargador Freitas Heariques :
Do juizo municipal de Agoa-Preta.Appell in-
te, Pedro Goocalves da Rocha ; appelladas, D.
Francisca Feliciana Lopes Bastos e filhos. Do jo-
zo municipal do Reeifa.Appellantes, os herdei-
ros de Bernardino Jos Mohteiro ; appellada, Mari i
Annunciada do Carmo Rocha Costa.
DELIGENCIA CtVEL.
Ao Dr. curador geral:
Do juizo municipal da Fortaleza.Appellante.
Gelulio Francisco deSampaio a outros ; ippalh-
dos, Thereza Maria da Costa e onlros.
DELIGENCIA CRUIK.
Ao Sr. desembargador promotor da Justina :
Do jury de Mamanguape.Appellante, Joo Ma-
riano Damaceno ; appellada, a justica.
Do jury de Caruar.Appellante, o tenente Lu-
ciano Jos de Nogueira Mello ; appellado, Joo dj
Croz Cordeiro.
Asrigooa-se da para jalgamento dos seguintes
teitos :
APPELLAQ5ES CIVEIS.
Do juizo municipal da Escada.Appellanto, Bel-
miro da Silveira Lins; appellados, Eograncio Cae-
tano de Oliveira e c utros.
Do juizo municipal de Iguarass. Appellante.
Jos Lauuto do Reg Barros ; appellado, Dr. Fran-
cisco loio Cirneiro da Cunha.
Do juizo municipal do Recife.Appellaute, An-
tonio Francisco Paes de Mello Brrelo; apella ;s
I.-al & Irrao.
APPELLAQO CRIME.
Do jury de Mamanguape.Appellante, Mstuei
Joaquira de Oliveira ; nppellada, a ju-in;a.
DESTBIBUigO.
Aggravo de instrumento :
Ao Sr. desembargador Souza Leo :
Do juizo municipal de Ipojuca. Aggravantt.
Antonio da Rocha Vieira; aggravado, Hermino
Laureniino de Andrade.
AGGBAVO DE PET1QAO.
Ao Sr. desembargador Almeida Albuqnerqae:
Aggravante, Joo Ferreira da Silva ; aggravado,
o juizo.
Eocerrou-se a sessio a 1 hora e meia da tarde.
/.erra da Gama e ou
deformada a .*
tigo 193
.-os; appellada, a josuca,-'
'/.Hitsnc para o grao mato jo
ar-
rHIBllWAL OO COHHERCIf!
iCTA DA SESSAO ADMINISTRATIVA DE 16 DS
OUTUBRO DE 1871.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. CO.NSELHEIBO ANSELM9
FRANCISCO PEBETTI.
s 10 horas do dia, estando reunidos os Sr%
deputados secretario Miranda Leal, Olinto Basto.
Candido Alcoforado, Alvaro de Almeida o Exm.
Sr. conselheiro presidente abri a sessio.
Lida, approvada a acta da sessao de 1L
EXPEDIENTE.
Offleio do administrador da recebedoria, devoi-
vando o requeriraento de Manoel los d>s Santo-,
sobre o qual foi proferido o seguinte despacho .
Certifique se
Offleio do secretario da relajio enviando, abor-
to inadvertidamente peb Exm. conselnelro presi-
dente d'aq elle tribunal, ara officio do Exm. pre-
sidente das Alagas reponiendo ao qae se Ihe di -
rigi em 11 de setembro ultimo.O tribunal man-
dn que tossera estes papis guardados no archivo
Officio do presidente e secretario da junta d. i
correctores, remellando as cotacSes offieiaes d l
semana finda era 14 do corrente.Foi mandado
para o archivo.
Jornal offlcial de n. 230 a 234.Para o archivo
Livro de registro da correspondencia officia':
regularmente escrpturado at o n. 246.
Ao Sr. depuiado -Joaquira Olinto Bastos foi destri-
buido o livro copiador de Joio Pereira Mootinno.
"DESPACHOS.
Requerimento de Manoel Francisco Carneiro A
C, pedindo permisso para continuarera sua es-
criptaracao nos livros em qae se fuia a da flrm.
a quera substituirara os snpplicantus, da Carneiro
Tavares A. CComo requeren).
Do tenente coronel Americo Netto Firmiano d*
Moraes, maior de 32 annos de idade, natural Ja
cidade de Macei, onde remide, provincia das A'a-
gas, e j lendo exercido o commercio de gros?.>
trato, pe lindo ser nomeado corrector geral daqnel-
la praca.Vista ao Sr. desembargador fiscal-
De Joo Licio Marqaes, socio da firma fallida d*
Marques Barros A d, pedindo ser rebahiliUJo.
visto ter sido, quanlo a elle supplicante, jurga di
casual dita fallencia.Anisado a nomeado o offl-
cial Ferias Torres para lervir de escrivio nest*
proeesso, v elle com vista ao Sr. desembargada
De Mariz dt C, sobmettendo a registro o sen
contrato social.Vista ao Sr. desembargador fis-
cal.
De Francisco Jos Carneiro, submettondo ra-
gis tro a nomeacio de seu calxeiro Pedro {os Cor-
rea, e pedindo qae se d fcaixa no registro da n
dra a Antonio da Silv^ Braga Jnior, visto o ter
dispensado de s^ ,ea eaixmro. Como oedei
08 Jo'. "aria Ferrslra Guimaries, umbem sn-
roe"^ddo registro a nomeaejo de se" '
ofino Muniz de Son.Regialr* c4ixeir.
De Pedro Arthur de V* ,e.
tambem i registro ..concellos, snbmeit-'nd
Singlehorst sua nomeacio de calxeiro dt
D* CSim.
- uuarte Borges da Silva Jnior e Miguel Lii-
Songey, apresentando registro o sen conirj:.-
social.Vista ao Sr. desembargador fiscal.
De loio Jos da Silveira e Joaquira Ferreira i.
.
I
I ILt^BL



Djgm de Ptruambao. Qur>f|a feira i8 Outubro de 1871
=fc
Rocha, mostrfldo sathMti o tispacho de 12 do
corrate.Yi-UaoSr. desembargador lscal.
De Marques & C, offereceodo registro o seo
ODtrato social.Visls ao Sr. desembargador 6*
cal.
53 Lehman Ftres 4 C. pe diodo qQe se Ibes
certijue amatriculi de sed ca'xeiro Augusto
Ftraindo do Reg.Ct-rlifiane te.
De Manoel dos Sanios Leal, fazeodo goal ped-
o quiC i:) jeu caixeiro Manoel Joaqc-m ds Cu-
nta. Deferido.
Da Femando los Cortea, ceidlo dd continuar
como n caixeiro Jeronymo Ji Correa.D se.
Z certidio requerida. '
Da Frinclsco Joaihtra de Freltas, certidio va-
la do lom. 7 (Li. 13o, de ser caixeiro da empreza
de illnmioacao rt desta cldade.-Passe-se.
De Enrique Soares de Aievedo, cerudao igual
Na forma requerida. .
Duvida do Sr. Dr. cOcial roaior no sen ido de
ser ordenado qae Antonio Saiyro Fernandes & L.,
deMaceid. eumpram quinto ao contrato soca,
qae subra'etteram i regisiro o preceo do 5? 7o do
ai!, i do decrelo de 9 de abril de 1670.-Proce-
de a davida.
COM INFORMACAO F1CAL
Reqeerimenlo de Diego Augu-to dos Reis e Je
nio Antonio do Nascimcnto, ennirato social.
Begistre-ee na-forroa do decreto n. M9.
De Jor Marques da Silva, distrato so-rial da fir-
ma Meara Silveira & CRegistre -.e na forma do
decreto n. i39i.
Nada mais houve, sendG p?lo Kx n. Sr. cense
Iheiro presidente encerrada asesso s 11 horas
e roela.
ravirira raargem do rio junto ao arco de



SESS
l DE OUTUBRO
JUDICIAR1A, EM
DE 1871.
FRISroSSCU. DO KXM. SR. CONSEUIEIRO k. F. PB
KETT1.
Secretara Julio Guimares.
Ao meto da deelarouse abert a sessan,
atando reunidos os Srs. deserabargadores Silva
Gnimares, Keis e Silva e Accioli, e os Srs. dipu-
tados Miranda Leal, Candido Alcohrado, Olinto
Bastos e Alvaro.
Lida, foi approvada a acta da sessao passida.
O protooll i do regisiro de pro'.estii de lettras
conserva a mesma numerario e data indicadas na
acta da sessao de 9 lo correte.
O escrivij Alvss de Brito, registrn o ulumo
protesto de letra a 11 do presente mezsjb n. 2377.
ACCOBDOS ASSIGNADOS.
Appellanle Salvador de Siqueira Civalcante, ap
pellado Ioaf|'itm Salvador Pessoa de S'|ueira Ca-
valcaote; appellanle Jos Joaquim Gimes de Abreu,
appellados a viuva e herdeiros de Jos Antonio de
Barros Waoderley ; appellanle Jote Jaquim Pe-
reira, appellalo o laclnrel Joaquim Francisco de
Miranda.
JULGA.MENT03.
Julio especial do commercio: embargante ap-
pellaotes executados Andrade & Re.-zo, embargada
appellada excrate D. Ana Josepn Pereira tos
Santos ; juizes os Srs. Res e Silva, Accioli, Can
dido Alcoforado e Alvaro Foram reesbi lo os em
bargos, sendo voto vencido o Sr. deiembargidor
Reis e Silva.
Appejlacte Chrislovo Vieira L-ilao di Mello,
appellado Serafn Alves da fcoctia Birlos; appel-
lante Leonardo Antonio do Espinto Santo P.Tlo,
appellado yj.inofl Joaqun/de Alem; appellanle
Antonio Francisco Pereira de Lyra. appellado* D.
Mariaona Franrisca de Airen e Lima e outro ;
appellanle Antonio Joaquira de Vasconcelos, ap
pellados os administradoras da raassa fallida de
Joo Ferreira da Costa Soares e outro ; anpellan-
tes Correia 4 C e outros, appellados Ilenrlqie
Martins Saldauha 4 C.-Adiados a pedido dos Srs.
deputados.
PASSAOKSS.
D > Sr. desembargador Keis e Silva ao Sr. desem-
bargador Accioli: appellanle Andr de Abreu
Porto, appellados os aimims.rid res d.i raassa LI
.ida de Amorim, Fragoso, Sanios 4 C.
Di Sr desembirgador Accioli ao Sr. desembar-
gado: Reis e Silva": appellanle* CSir Augusto
Zmiti. appellado o administrador Ja raassa fallida
de Pedro da Silva I! go.
ACCnAVOS.
Juizo especial do commercio : aggravante Tho-
maz Dilton. Iiqudanteda raassa fallida de Rostnn
so Roiker & C, aggravado o juiz>.
O Exm. Sr. conselbeiro prndente n."gou pro-
vimento.
Juizo municipal e do commorcio ua vina ao
Cato : aggravanta Manoel Ignacio de Jess e
entro, aggravado Pedro R idngues de S->uza.
O Sr. desembargador Silva Guiaiaraes negou
provimento.
Eacerrou-se a sssao urna hora da tarde.
CMARA MUNICIPAL.
4 DEOUr
Santo Aatono, porque a'.n de obstruir a pass;
gem tira a belleza da ra. nao poiendo {>"
Servada no caso d) ter obrigacS) a companbla de
ter esucao all ;"e nesles lerraos pensa a comis
so que se deve informar.
Pao/> da cmara municipal do Recife de ontn
bro de 1871.Dr. Prxedes Gomes de Souia Pi-
tanga e Jos Mara Freir Garaeiro.-Approvado.
DMpachuamse as.petic.5es de Antonio Mar
ques da Silva, BermrJina de Seoa Lemos, Bastos
Oliveira 4 C. Bartholoroea Loureoc., Belartnino
A'ves^deArocha, Bernardino de Souza Pinto, Do-
mingos Jos Ferreira, Dr. Ernesto Feliciano da
Silva Tarares, Francisco Ribeiro Pinto Ga,m,arae,,*:
Frarrtisco Jos dos Praieres, Francisco Correa oe
Arauio Cordeiro, Francisco de Castro Carya!!to (2).
Frei Fetippe de S. LuU Pairo, Francisco Joio Ho-
norato Serra Gaude, Caldino Antonio Alves rer-
reir, Hermenegildo Eduardo do Reg Mmtei^,
los Emiliano Horeira, major Joio Francisr i do
llego Maia, Jos-Ferreira da Costa, Joaqui^ Tneo
touio Soares Avellar, Dr. Joio Thom4 d Silva,
Jaao Jos Fernandos de Carvalbo, J de Mello, Jos Rodrigues Colhov Joaquina Beoe-
Jicta Vieira da Silva, Joaquim.'Barbosa de O.i-
veira, Joo Domiogues dos P^ssos, Jjaiuim Gre-
gorio dos Reis, Manoel Tavwes Limas, Minoel Pe-
reira di Silva, Mireira & Pereira, Paulino Rcdri-
iies Fernandos Chaves, M. Sarment, e Tiburcio
Pinto d'Almeida, e levantou se a sesso.
Eu Augusto Geninino de Figueiredo, cffl-ial-
maior servalo do secretario a escrevi.
Ignacio Joaquim de Souza Leao, pr-presidente.
lw Mara Freir Gumetn.Hr. Prxedes 0MH
de Souza Paanga. Angelo Henriqaes da Stlva.-
Ot, Pedro de Ath'iiide Lobo Uoscoso.-f. Silvio
Fni-qwi'nio Villas Boas.
Ayra O eng nhelroCtr: V .
cao agradece i deslinda moei-i JTV-**mS-,^?
ePenambucoquac.
o coraprimeniar na noit .
=?=
Mthusiasmo vieram
1 do correte pela
bnco Street
que nio pole
visto estar do <^*w" ,"" Wleid* demoD8,ra5io
Pr*Per' .4e Hlutre mocidade que demoualra
?J_*er.leira*enle sent prazer na prospari
Aaterial ta grande oacao brasilaira.

dade
PUBLICACOES A PEDIDO.
O
U)r.
5E5SO EXTRAORDINARIA A03
BRJ. DE 1871.
PBKS10ENCIA DO SU. DR. BENTO COSTA.
Presentes os Srs. Gameiro, Dr. Pitanga, Henri
ques da Silva, e Dr. Villas-Bw-, abrio-se a
fi l\ e fj iJa o i^prvada a acia da antece-
tiiie.
Leu-se o seguinte
EXPEDIE.NTE.
Un ofBcio do Exm. vicepresidente da provin-
cia, remenea lo urna petica1!- de Jos Tirginio Gm-
caires Fialho e mais papis que Ihe sao conier
nenies para ser informados oela cmara muni;i
pal.A' commissao de peli^Ses.
Ontro da companhia da estrada de ferro do Re-
cife ao Caxang, con despachj di Exn. vice-pre;
idento da provincia, manJaodj informar. A'
commissio de edifliagao.
Oatro do capitao do porto, diodo esclarecimiento
acerca dapiiicio de Hermenegildo Eluardo do
Reg) Monteiro.Inteirala.
Ontro do subdelegado Io snpplente da fregaezia
de S. Jos, coaa.runnicando achar-se era exercicio.
-Inteirada.
Outro do administrador do cemiierio publico
desta cidade, pedindo que se conserve o mesmo
numero de serventes que faziam o servido do ce-
miterlo.A' cammissao de cemiterios.
Ontro do fl'cnl-da freguezia de S. Fr. Pedro Gon-
?alvea do Recife, remllenlo um termo de infrac-
ro tarrada contra Victirino de Almeida Rabellj
* Jos Ricardo da Costa.A) procurador.
Oatro do fiscal da freguezia de S. Jos, remet-
iendo nm recibo do mordomo thesooreiro da santa
casa de misericordia.Ao archivo.
Ontro do fiscal da freguezia do Por;o, remetten
d > nm termo de infracto de postura lavrado coa
ira Prancisco Carneiro Monteiro.Ao procurador.
Ontro do fiscal da fregnezia de Muribeca, in
formando a pelicao de Hermenegildo Eduardo do
Reg Monteiro.Foi indeferida a peticao.
Urna petieio de Nazaretli & Pires.A1 commis-
sao de saiile.
Um requerimento do Sr. vereador Aogelo Hen
riqnes nos segnintes termos:
Nao tendo a cmara municipal apoptado ama
tabella de casta?, reqaearo que se adopte a ta-
< bella da thesouraria provincial, relativamente
ao expediente da secretaria.
Raijo da cmara municipal da Recife, i de
outubro de 1871.Henriqaes da Silva.Appro
rada.Ao advogalo.
Um parecer da commissao de peticoes favoravel
ao requerimenio de Vicente Altes MachadoAp
provado o parecer, e conceden-se a licen^a re-
querida.
Outro da mesma, tomando- en eaosideracao o
abanto assignado dos padeiros e refinadores esta-
toeleefdos em diversas raas desta cidade.Appro-
vado e que se cfflcle ao Exm. vice-presideate.
Ontro da commissao de edificacSes nos seguio
tes termos:
A ommissio de edifleacSe*, reunida ao en-
genheiro desta camera, ao gerente e engenftetro
da companhia Street Railway, se dirigirtm ao lar
go das Cinco-Ponas onde existe o terreno que de-
re ser ajardinado pela companhia Draynage, .e
que em nada se ippde para que sejam all menti-
dos ditos triihos, por Isso que se abriga a prepa-
rar o jardim da mesma maneira; a commis-
eio de parecer que se Informe presidencia, que
pole ser attendida a representarlo da companhia,
em que pede raanotencao dos tn'bos assentados,
por isso que alera de ser mais conveniente ao pu-
blico, pouco altera a planta do ajardinamenlo
do terreno para so destinado, cujo trabalho ainda
e ni) realisou, por estar esperan lo a companhia
eoearregada qne se termine este incideote.
Paco da cmara municipal do Recife 4 de ou-
tubro de 1871.Dr. Praxede? Gomes de Souza
Pitanga e Jos Mara Freir Gameiro.Appro-
vado.
Oatro der mesmo, untbeornos segainors terntos :
Se i} i coDtpaio da estrada de ferro de A"p>p!i
eos, a ob4afo de ter urna eatacao no ponto
terminal de sua 1 nhetbv deve ser permanente,
e nao pravuoria, e como takestabjleeiia em ama
das eaaaa que Iba tka confronte, ..^no no la Jo
do caes obstrnindo a .viJan publica,a-^irartdo o
aformoseamenti de'1 r.I ea a obflfaco
4>nce>arij ;. or a ala : netis condiccSes parece a commissao qne
Dio dere consentir faier esncio praviiorja de
nteioil Zaba e o He.
Collado. ()
IV
Hivendo mostrado a sem razao,>om qae o Sr.
Dr. Collaco combatea o methodo Z-iba, em rela-
qo a historia de Napoleio, Luiz XVI, Estados-
Uuilose Brazil, tratarel de analysar a parte de
seus artigos em rea gao a 3 pontos da historia
sania.
Antes de ludo para evitar escrpulos ao Sr. Dr.
Collago, devo fazer urna observagao qiaato ao
meu artigo III.
D,sse eu : em I8li, no S" compart nenio cheio
aimrello, soberano Luiz XVIII e por idea de
relaco abdic; gao de Napoleao. Se o Sr. Dr. Col-
laco nao quzsr es>a i lea de relaca j quanto a
tal fa:to, acceite uraa moldura que signilica gran-
de acontecimenti e que a abdicarlo de Navpo
leio, depois do cero e tomada de Paria pelos
russos, prussauos, e austracos.
Entremos na historia santa da qual trata o Sr.
Dr. Collaco no seu terceiro artigo ( de salera-
bro.)
D.z o Sr. Dr. Gillaco que nao qneren lo abuzar
do publico nao analysa toda a deffbeneia e ira-
prolicuidade do raappa. Mas referilo a historia
sania diz : que o oiscimentode Nosso Senbor
lesus Christo, horrebile dietu I ni? se acha men-
ci mido ni mappa Ziba, es?e aconteciinento t>
cheio*de consequencias sociaes e miraes; assim
como filiando do bspiismo e mora de Chrisio
nao traz a historia das pessoas que representa
rara em factos de tal raagnitude ; ne;n como as-
ceu, viven, raorreu ect.
Igualmente diz que S. Joao o precorsor de
Chri se sabendo o anno em que nascen, como viveu,
iii'rreu tte. >
Ora se o Sr. Dr. Collaco nao q^iiz abusar do
publico analysanJo o diarltitanismo Do mappa Ba-
ba, abusou dizendo consas que nao sao reaes e
ue esto ao alcsnce de quera for imparcial e es-
dar com attenc) o methodo Ztba.
No oiappa Zaba nai es' ioscriplo o nasciraen-
lo de Christo, verdade ; por isso nao presta I...
Quero ver se posso corrigir essa falf. Colluqae-
se no 4o compartimento do anno 1 da era chris
la urna cruz grega tzul, nascinenio de ura ho-
mem Ilustre da igreja, ou rnflhor attendendo-sa
a magnitude do fado urna moldura azul no mes-
mo auno, grande acontecimeito na igreja, ou en-
tre o piro hebreu, aascimento de J sus Christo ;
e em cada anno qne ba um f .cu na vida de Je-
ss Ctiritto como sao fictos especiaes pdera ser
representados pela moldura. Assim temos o nas-
ciroent), a adoracao dos magos, a malanga de
Heredes que ple-se representar no 3 eompar-
limenio cheio, perseguidlo, predica, baptismo, e
os diversos milagres.
Sobre S. J. o p ie-se cflllocar nma cruz grega
azul no anno 1* di era chnsla'e signilica as-
cimento de 3. Joao Bapli ta, e outros factos que
igualmente se pJem fazer representar por raeio
de molduras na historia e-p cial da vida de um
borne m.
Qaarito a taes factos todis sabem que sio ver-
daeiro- milagres e unicos^e como taes nao p-
dem ser representados senio por yoiholo par-
ticulares o que poderia dispensar a reproduegao
das molduras.
Ni final do artig>III o Sr. Dr. Collago promet-
te analysar a hi.-toria antiga e mostrar a rauti-
lidade do methodo e mappa. Dz tambera que nao
vera representado no mappa os diverso) paizes
como sejam a Suecia, Suissa, Dmaraarca, Marro-
eos, Irlanda, China, Eihiopia e 11 >i y etc. etc.
Mas alm de que muilos dos paizes aponlados
pelo Sr. Dr. sao de ponca importancia como a
Ethiopia, 0 Japio, ect. sendo que, s depois da
navegagao para a India que pelas relago's que
se deram, de ommercio, procunu-seesiudar-se
as phases desses paizes e principalmente da Chi-
na, onde se eoconiraram t idas as maravillas da
sciencia enropfa.
Verdadeiramente na historia s e representam
taes paizes muito secundariamente ; mas aceres
ce que nem por isso intil o mappa e medio
do Ziba, por quanto plem ser representados no
mappa os diversos povos, componde-se as cores,
desde que sao engoladas as simples ; assin corao
cores simples e mesmo compostas que pe dem sig-
nificar um paiz ou povo na historia ailiga cujis
estalos desappnreceram plem na -historia da
idade media e moderna determinaren) paizes dif
ferentes daquelles que deitiram de existir.
Portanto os 13 paizes meuclonatos plem rece-
ber um supplemento qne. ser raaior que elles e
>erao todos os paizes celebres e cuja historia me-
recen) a attengio dos estudiosos.
Queira-se ser cordato e nio se procure arran-
car pretextos das cousas.mais fufis para querer
torna-Ios era argumentos comprobatorios quanlo
nao passam de bem preparados sophismas porm
fracos [quando apparecem argumentos racio-
naes.
Depois de todo isto o qae diz o Sr. Dr. Colla-
go que no artigo seguate aoalysai a historia
antiga toda defflciente e truncada no raapraZ.ba.
No artigo segninte acompanha lo h.-i mostran
do, como at aqu, a maneira falsa que tem sido
empregada pelo Sr. Dr. Collaco na refuiagao da
utilidade do methodo Ziba.
Quanto ao remate do artigo o Sr. Dr. Collago
nio < lamente de coragao o descrdito do paiz,
vendo que nio ha charlatio era impostor que
oio seja aqu acolbide como se l-a um hoimm
superior >, porquanto como provar i, nao existe
nem impostura nem charlatanismo como a todo
o panno se tem querido apregoar, e fszer passar
como veradeiro.
Entreunto julguei dever trnscrever estas pa-
l.ivras afim do publ.co eonbecer a questao a qae
ponto chegou.
JGiMpreKa do asselo e llanpeza 4a
Idadc do Reelfe.
CpifVSrs. engeaheires chefes da companhia
Rec/, Drainige-Acenso recebido o aviso que
Vncs, dirigiram-ms hontem,. participando, que
ansies oito das tem de ser co'Iocado o appawlbo
da. lairina era meu predio n. 9} ra da Concor-
dia, e qne eu appareca no escriptorio da empreza
para fazer ae'scilha da classe do mesmo, e qne
designe ama hora em que possa achar-me em dito
predio, para marcar o lugar aonde deve ser col-
locado ; certode que nao comparecend lera a
companhia de o mandar collocar aonde ulgar
conveniente.
Em resposta digo-Ibes para levar ao cmhefii-
raeoto da companhia, que a referida casa nao
miiiha ; mas roe esi bypothecada : todava en-
tend, que o apparelho deve ser o da terceira ciar-
se, que o de casto de oOjOOO, por ser o de me-
nor prego, e oio *er rico o proprietario e achirse
fra da cidade, e alm disto por ser a caria de
pinho, e o vazo de barro vidrado, ama das expel-
ientes madeiras apropriada ao meo paiz, pir ser
de ranita duragao e>reservada de nos ioseetinhos
conhec los por cupira : emq tanto ao lugar da
collocagao do beln apparelho de pinho, aoole a
jaquelina da dita casa designar.
Aproveito a occasiao para fazer sciante a mes-
ma companhia, que eu j eslava cerro do ari. 9
mencionado no aviso que rae dirigirn) relativo a
innova gao do contrato da empreza, celebrado pelo
presdeme da provincia era 18 do dezerabro de
186o, era vista do contrato primitivo firmado era
2o de setembro de 18o8, pe? ex-presidente o
Exm. Taques, que nao sendo obrigatorio, assim se
toroou cora a celebre inn iracao.
Sinto que o aviso de V.n 's. nio tenha referen-
cia positivamente a mira, por nao reztdir nessa
casa e nem no Recife ; porque nao annuindo eu
a coUocago do appirelho na casa era que rezi-
disse, tena de resistir a que os empregados da
compaohia eDtrassem no interior de mintia casa,
e mesmo a polica, salvo a poder de forca.
No regalamento eitido por Vmcs., diz o art. 6,
quaudo a companhia tiver de execuur os seas
trab3lho-, participar ai director das obras pu-
blicas, e quando os proprletarios e locatarios, nao
permam inraote o dia ingresso aos empregalos
da companhia collocagao dos apparelho, e que
no caso de opposigao serio obrigados pela auto-
ndade policial, a qaem devero recorrer os rele-
ridos empegados : a todos resista eu, e at a
propria polica; s entrariam no interior de rai-
nh* casa, com soldados armados e arrombando as
portas ; porque nao sio leizinhas provinciaes e
regnlameo'.inho firmado por ura ex-vice-presiden
te que destrona a constituigai dos brasileiros que
assim diz :
Todo o cidao'ao tem em sua casa um asylo ia-
violarel. De noute nao se poder eotrar nelia se-
nao por sen consentimento ou para o defender de
incendio ou innundagii; e de dia ser franquea-
da a sua entrada nos casos e pela maneira que a
le determina. Vide os arls. 209 a li do cdigo
criminal, onde se de-ignara os casos era que per
mittido a entrada na casa do cidadio, e marcam-
se as penas para os que a invadirera lora dees.
Srs. eugenheros, em vista da consttuicao do
meu paiz nao p le haver le alguma que obrigue
ao ci Ja Ja.) consentir a entrar no interior de sua
casa, col ocar-se nm caixio de pinho, cora um
vazo de barro vidrado e lalvez mais um caao de
barro, e depois dizer-se, o preco 50000, sem
proceder ajuste e nem coaseotraenlo do proprie-
tario.
O propretirio ou locatario que resistir ao con-
tracto est era sen direito, e nennum crirae tem,
antes sabe ser cidada brasileiro; por que resiste
estas lixinlus e regmamentos, que sio contrarios
mesma constituiga.i.
Tidos querem o asseio e limpezi da cidade,
peto coatrato primitivo, por nao ser obrigatorio,
THE ALUANCE BRITI9H & FOREIGN.
Life and Fire Assurance Company eslabelecid
sm I8i. Capital 8,000,000
SO agente* desta companhia tomara seguros
contra logo sobre predios, gneros e fazendas t
pagara aqui prejuizos devidamente provados.
iRabe Schmettau & C
Corpo Santo n. 15.
SEGURO CONTRA FOGO
The Liverpool A London'4 Glob
Insurance CompaoT.
Agentes :
Saunders Brolbcrs & G.
11Corpo SantoH.
PIUCA DO RECIPE 17 DB OUTUBRO
DE 1871.
as 3 1/2 nonas da taboi.
CotacSes offioes.
Assncar bruto regular fla Parahyba 24150 rs.
por 15 kilos posto a bordo (hontem).
Algodio 1* sorte 579 e 585 rs. por kilo.
\poiices da divida provincial de 8 0$ a 98 OO.
il. G. Stepple,
Presidente. *
P. /. Pinto,
Secretario.
ALFANOEGA
Seadiraento do dia 1 a 16. .
dem do dia 17.....
531:165X936
42:3714751
573:5374687
Mortmento da alfndega.
Volnmes entrados com fazendas 104
com gneros 418
Volumes
sabidos com
> com
razendas
gneros
186
402
52
588
L'ver
C. 103
- Descarregam hpje 18 de ontubro.'
Brigue norie-allemioIdafarinha de trigo.
Patacho inglez Mary bacalho.
Barca francezaSanio Anir -varios gneros.
Barca ioglezaLavinacarvio.
Barca poriugufzaWoodcillemercadorlas.
Lugar ingles-Gerfi of Ihe Peiad -canis de ferro.
Lugar ingletSaral Suntho dem.
Brigue a PernioCorona -vanos genero?.
Brigue portugusYiumpftjrarios gneros.
Brigue portaguezRelmpago -dem.
Despachos de exportaco no dia 16 de
oiUubro.
Para os portos do exterior.
Na barca portugueza Audacia, para
pool, carregaram : Kabe Scuameltau &
saccas com 7 768 kilos de algodio.
No pstacho norte-atlemao Corona, para Li-
verpool, carregou : Henrique Willmer 221 saccas
com 16,696 kilos de algodio,
Na barca frauceta Mauricien, para o Havre,
carregaram : Tisset freres & C. 305 saccas com
1.092 k.los de algolao.
Nibrigui inglez Jane, para o Canal, cirre
garam Johnston Pater A C. 1,400 saceos com
10,500 kilos de assucar mascavado.
Para os portos do interior.
Na barcaga Gloria de San'Anna, para o
Porto Calvo, carregou : Ibs Bornes Brasileiro de
Amorim 1 frasqueira cora 15 Iflros de geoebra.
Na barcaga Amizade Ptrnambucana, para
Mamanguape, carregirara : Braga Gomes & C 3
barricas cora 200 kilos de assucar branco.
No biate nactonal Sobralense, pa o Araca-
ty, carregaram : S Leitio Irmios 4 barricas cora
381 kilos de assucar refinado ; Antonio Gomes P.
10 frasqueira cora 63 litios da genebra e 3 bar-
ricas com 9 litros de cerveja ; Jos Francisco
Maiiuho 10 fra queiras e 2 barricas com 144 litros
de genebra e 3 barricas com 95 litros de drveja ;
Costa & C. 13 barricas com 1,408 kilo3 de assucar
brano.
RECEBEDORIA DE RENDAS INTERNAS
GERAES DE PERNAMBUCO.
Rendimento do da 1 a 16. 41:9884829
(dem do dia 17...... 5.609414o
47:5974974
e nao por esta ionovagii do contrato prirailijto, 0 >r
ser muito oneroso, para os proprietaVios ; |d|Bs
at a companhia o privilegio da faltada prorojli
cobrar dos proprietrios, recolher o dinheiro} em
seas cofres, e deltas receber a compaohia; p*"iri-
legio que se concede aos cofres pblicos, e nio
urna companhia parlhnlar; mas esta est em seu
direito, e somenle resta aos proprietarios agrade
cerem aos eletos do povo por lio boas leis.
O referido regulamento, citado no av.so que re
cebi, e no qual est consignado e art 6 que men-
cionara, nao pode ter execucao por que ainda nao
fii submetlido assembla geral legislativa, on
ao goverao imperial, para approva-b, em vista di
aviso circular do ministerio dos negocios do im-
perio, n. 266, de 1 de outobro de 1359; e por isso
os proprietarios e iocataros podera resistir este
regulamento do ex-vlce presidente da provincia.
Assim, pos, lenho respondido aos senhores en-
genheiros da compaohia Recife Draynage, para
ievarem querendo, ao conhecimento da mesma
companhia.
Dispooham os senhores engenheiros deste pe-
queo proprietario, qne tributa aos mesmos se
nbores engenheiros todo o respeito e consideraco
suas pessoas. Sin de Vmcs.Muto atteoioso
obrigado e criado.Marcelino Jos Lopes Sitio
da estrada do Arraial, 12 de setembro de 1871
CONSULADO PROVINCIAL.
tfcndimento do dia 1 a 16. 26.6134331
dem do dia 17...... 1.961*656
27:9744987
Consulado de Portugal,
Convidam-se os credores do fallecido subdito
portugus Toomaz Vicente de Carvalho a apre-
senlarem as suas contas oeste consulado no praso
de oito dias, para serem verificadas e pagas.
Consulado de Portugal.
Gonvida-se os credores do fallecido subdito por-
Juguez Franciseo Lcnrengo--da SHvj, a apresen-
tarem neste consalado, no nraso de mto dias, as
soas cootas pera serem verilteadas e pajas.
lospee^o do arsenal de
cnirlnha.
Faz-se publico qae tendo ne3ta data o capilio
do vapor bralsro Anicota, reqaerido a esta ins-
peegio para ser este vistorialo, o qae feit em
vista dos mnanosos exame, e no que diz respei
to a cada perito, a commissao 8 de parecer qne
este vapor com o joncerto que fez pode seguir
sua viagem al o Para sera grande coohnga.
Inspeegio do arsenal de msrinha de Pernarabu-
co 16 de outnbro de 1871.
Francisco Romano Stepple da Silva,
_________________Inspector.___________
Fiscalisacio da freguezia de S. Jis, 16 de
outubro de 1871.
O fiscal da freguezia de S. Jos, f.iz sciente s
todas as pessoas mora loras na me-ma, que d'ora
em diante passa a mandar varrer as roas de
Marcilio Dias, Vidal de Negreircs e coronel Suas-
suaa, as madrugadas de domingo para segnda-
tela, terga para quarta, quinta para sexta e. sab-
bado para domingo, isto at o cbafiriz do largo
do Viveiro ; segunda-feira para terga, largo da
Ribeira, Assnmpglo, e Domingos Theotonio; quar
ta para quinta feira, Sanli Rita Nova, dita Ve-
Iba, Santa Cecilia, S. Jos, travessa do mesmo
?orne. As demais serio varridas de dia : quem
tiver lixo em sms casas poierio deitar das 10
horas di noute de todos os dias aqui marcados,
isto em vasitbas, sob pena de serem multados os
que botarem de dia, na- ras aeima mencionadas.
O fiscal,
________Ernestlno Cavalcante de Albninerqne.
Pelo jaizo de orpbios desia cidade, vai a
praga, de vnnla, m da 19 do corrente ( quinta-
feira) depois da audiencia, a barraca Triumphante
oerlencente ao expolio do finado Jos Francisco
dos Santos, a requerimento do inveotariaote, para
pagamento de dividas, seb a basa .da avaliago de
1:2004000 rs.coja barcaga se acha a ra do Urum,
estaleiro confronte a fabrica do sabio.
O laogador da recebedoria desta provincia,
previne aos donos de estibelecimentos da fregu
zia de S. Loureng da Mata de que foram cillec
tados para pagaren) o imposto sobre industrias e
paoflssoes no crrente exrci:io de 1871 a 7.
Estrada do eogenho'Camaragibe.
Guilhermina da Silva Vieira, taberna 604000
Estrada do engenbo Timbi.
Francisco Jos de San'Anna, idem 604000
Joio Ribeiro Pessoa, idem 604000
Estrada do engenho SI gambique.
Hircnlano Gongalves de Castro, idem 6O4OO6
Estrada do engeoho Camaragibe.
Joio Maria Poncher, idem 6O4OOO
Flimino Alves Pacheco, idern 6O4OOO
Estrada do engenho Roncador.
Jos Redondo Cavalcame de Albuquer
que, agouaue
Zichiiias Maria Bessone, taveroa
O mesmo, mercador por grosso de
agurdente
Manoel Jos de Brito Barreires, mer;a-
dor por miudo de fazenoas
O mesmo, taberna
Bernardino de Albuqierque Miranda,
agougue
Estrada de 3. Lourengo da Malla.
Accureio Jos de Medeiros, casa de
pasto
Gabriel Campello da Cosa, padaria
O mesmo, taberna
Joao Correa dos Prazeres, padaria
Joaquina Ferreira Coulinho, taberna
Joai Ribeiro de Oiiveira, inem
Joao Ribeiro Teixeira de Mello, taberna
Joaona Mana de Jasas 'dem
Joaquim Baptisla da Silva, idem
Manoel Joaquim de Vas soncellos, idem
Manoel Francisco da Cruz, dem
Manoel Francisio de Souza, idem
Antonio 11.b -iro de Souza.idem
Micacos.
Alexandrina Ca val can ti de Albaquer-
qae, idem
Recebedoria de Pernambuco, 17 de eutubro
1871,
O ian:alor,
Manoel Animio Ribeiro.
ara o Porlo
20 da crreme rae z o patacho
[apiao G. I. Lial, ainda recebe
agelros: trta-se com E, R.
lo Commercio n. 48.
COMPAXHIA
DE
Navegado Brasileira
At o da 23 do torrente, espe-
rada dos portos do sul o va-
por S. Jacinlho, eommandante
Aikins, o quil depois da demo-
rado eosluine seguir para OS
portos do norte.
Desde j recebera se passageiros e enga]a-se a
carga que vapor poder conduzir, a qual devera
ser embarcada no da de sua chegada, encom-
nendas e efinheiro a frete at as 2 horas da Urde
de sua sabida.
Nao se ricebem como encoramendas senio ob-
actos de pequeo valor, e qne nao exeedam a i
arrobas dejpeso on oito palmos cbicos de medi-
cao. Tudo qae passar Oestes limites devea ser
embarcado) como carga.
Previne-se aos Srs. passageiros que suas passa-
gens s6 sb recebem na agencia, ra do Con-
mercio n. %
LEILOES.
LEILO
DE
lo de 1 andar e soi5o^ s(6 roa
de Hortas n. 5
pontnal, competentemente aotorisado,
lcilio o sobrado cima
HOaYE.
No armazem i rna 10 Bom Jess n. 23 (ontr'ora
rna da Cru), s II horas.

60J0O0
604000
604090
305000
604000
C04000
1004000
604000
604000
604000
604000
604000
604000
604000
60400)
694000
604000
604000
604000
604000
de
DE
JOIVN
EilGONTINUAGAO
E 0 ULTIMO
O agente Martins far leilSo,. por ordera
de Mauricio 'os dos Santos Ribeiro, para
liquidado nal de todas as cau'.ellas dadas
em penhor, constando de objeelos do bri-
dantes, ouro e prala, relogios e otrtros
maitos objeelos, que foram dados em pe-
nhor no seu estabelecimeoto da prava da
Independencia o. 33
HOJE
A's 11 horas do dia na praca da Inde-
pendencia n. 33.______^_________
Leilo
DE
130 caixas com ceblas.
fije.
O agente Pestaa, far leilo por coota e risco
de quera perteocer, de 130 caixas com ceblas ao
correr do n;artello, hoja s 11 horas da manhaa
no armazem do Annes defronte da alfndega.
MOVIMENTO DO PORTO.
Navios sahidos M dia 17.
LiverpoolBarca ingleza Cely of Kandy, capitao
David Morshale, carga algodio.
LiverpoolPatacho norte aHemio Helios capitao
H. Petersen. carga algodio.
ParahibaPatacho ingles Jza6/, capitao William
Sopp, carga parte da que trouxe de Terra-
Nljva- r.
Buen Ayr-Patacho americano Iza, capKao W.l-
liam Tnompson, em lastra
Observacao.
Nio houve entrados.
* EDITMS,
Beberibe.
Principiando o seu 4* artigo o Sr. Dr. Collago* .
repele que com o mappa eo se ebtem o charla- caaos-
tanismo do saber, visto como saber que Napoleao
era 1804 foi imperador e nada saber o mesmo ;
Luiz XVI, Jess Christo ele, entretanto pelo
desenvolv ment qae dei no mea artigo anterior,
bem vio o publico que nao charlatio o metho
do Ziba,
Uraa consa, entretanto me faz admirar : o
que o Sr. Dr. C.llago implique com dar sobera-
nos (re) aos Estados-Unidos, pela simples razio
da no mappa oceuparem o 0 compartimento e
oio o 4 como quer o Sr. Dr. Collado, e depolsj
de baver dito isto, accrescenta formar nma rao
narchia falsifuar escan^alosamene historia
da grande repblica.
No raeu srtigo' anterior hou respondido esse
ponto, conhec?odo todos que um presidente de
repblica est na mesma relaco em qne nm re,
visto ser elle chefe supremo da nagio leudo to-
das as garantas e privilegios, e sendo da eleigio
pipular.
ComO o Sr. Dr. Collago torna a referir-se a
historia moderna, reservare! para o artigo se-
guate a analyse desses pontos da historia mo >
derna.
Recife 11 de outabro de 1871.
Jos Augusto Ferreira da Cosa.
{Continuar tena.)
A estrada de ferro da Olinda veio dar
nova vida esse ameno e wudavel arra-
balde cojos elementos* de progresso estav^m
embolados ou privado de produzir o effeito
merecido, em conseqoencia das arenosas e
quasi intran:i ta veis estradas que para all con-
duziam, cando por tanto os mais dilettan-
les apreciadores daquelle clima e do excel-
lenle banho obrigados a vencerem a du-tan-
via e (s pessimos caminbos com as condu-
ges qae encontravam.
Hoje porm a facilidade ecommodidade
do transporte que por li iusigni&cante pre-
go offerece a companhia dos Trilbos Urba-
nos do Recife pilada, nio ba quem deixe
de visitar esse aprasivei arrabal de e fruir o
melbor banho doce que ba na circumvisi-
nbanga da capital, pois que rene talvara
da agua do JaboatSocom a frieza e Utapide?
de Paratibe.
Os divertimeofos com qne os moradores
daqoelle povoado costomam entreter ao pu-
blico, iste tonreamentos, corrida de sac
eos e outros que se ir3o annunciando nao
podem deixar de incitar na populaeio dista
j tao gran le cidade balda de distraegoes, o
desejo de matar naqnelle ameno local as
horas de ocio dos domingos e dias san'.ifi-
Um asignante.
A
{) Este aitigo
ijs.
aeba-se era nosso.jioder ji ha
A HEOAOgAO.
COMMERCIO.
IMPERIAL
Companhia de segaros contra
fo2-
^AGENTES
S. P. JOimSTON & C;
Roa da Senzala-aova m. #
Sepros eoBlra-bgo
COMPANHIA
NORTHERN.
Capital.
Fondo de
20^00:000*000
rflervs .... *,0000/000
AfenW. _
Mills LlkaM C.
O Ulm. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial em enmprimento da ordem do Exm. Sr. vi-
ce-presidente da provincia de 17 de agosto pr-
ximo Ando manda fazer publico que a mesma the-
souraria vende 500 apolices da divida provincial
no valor de 100* cada urna, vencendo o juro de
8 0,0 ao anno pagos por semestre na segunda
quinxena dos mezes de julho e Janeiro, e devendo
ser resgatadas na qninzena deste ultimo raez, ob
servando-se a ouraeracao sauda e untas qnan-
ias permit rem os crditos volados annualmente
precedendo annuncios. Os pretendente3 compa-
regam na mesma theaonraria no.pra^o de 30 dias,
a contar da datadaste ti para constar se man
don publicar o presente pelo jornal.
Secretaria da the-enraria provincial de Pernam
buco 5 de ontubro de 1871.
Conforme.Servlndo de offlcial maior,
Laadelioo de Lana Freir.
Parame a cmara municipal desta cidade
estarao em praga nos dias 14, 16, 17 e 18 do
corrente para serem arrematados por quem maior
prego offeie^er os alugueis dos talhis n. 19 e
canto do lado do norte da ribeira da-freguezia de
S. los.
Os prtendentes a taes arrematagoes, compa
recam nos dias indicados no pago municipal, mu-
nicipal, munidos de suas liangas na forma da
le.
Paco da cmara municipal do Ilecie, 13 de ou
tubro de 1871.
Ignacio Joaquim de Souza Leao.
Pr-presidente.
Lourengo Bezerra Carneiro da Cunha,
_______________ secretario.____________
A cmara municipal desta cidade, pelo pre-
sente convida aos prtendentes a arrematagao do
in posto de 60 res por ada p de,.eoqaeiro de
prodcelo, exceptan lo 10 pos paslVo oso do
proprietario, pela quantia anoual de 901*000, e
bem assim os alugueis de diversas casinbas da
ribeira das freguezias de S. Jas e Boa-vista, a
comparecerem at o dia 18 do corrente munidos
deflMca.
Paco da eamira municipal do Becife, 13 de ou
tnbro de 1871.
Ignacio Joaquioi de Sonsa Leao,
Pr-presidente.
Lonreoo zorra Carneiro da Cunba.
Secretario.
co
Corrcio geral
Rolago dos objeelos registrados exis entes
na administragao do correii desta pro-
vincia, para as pes-03s abaixo mencio-
nadas.
Andr Alves Gama, Antonio Augusto da Costa
Lacerda, Antonio de Amorim Garca, VA J Car
roll, Francisca Carolina Silveira do Val, H'gina
Maria do Espirito Santo, Joaquim Lopes Bastos,
Jos Elias de Maura, Jos Olimpio dos Santos, Joo
Antonio Gomes Guimarae, Joao Pinto Ferreira
Guimaraes, Luiz Candido de Amorim, Luiz Igna
ci de Oliveira Jardim, Marianna Bibeiro Lapa,
Mauricio Francisco Ferreira da Silva (3), Manoel
Francisco, Manoel Julio da Silva, Presciliano Olim-
pio Nogueira Naves, Pedro Gaudiaoo da Rates e
Silva, Pasquale Gugli.'imiuo.
Administra;io do correio de Pernambuco 16 de
outubro de 1871.
O enea'regado do registro,
X. Gomes da Silva Ramos.
DECLARARES.
Consulado de Portugal.
Canvida-se os credores do fallecido subdito por
tuguez Antonio loaqnim de Brito a aprsentarem
as suas contas oeste consulado no praso de oito
dias, para serem verificadas e pagas. _______
Cjosuiadode Portugal.
Convidan) se os credores de fallecido aubdito
portuguez Jos Rodrigues Martins, a aprsenta-
rem neste consulado, no praso de oito das, as
suas tontas para serem verificadas e pagas.
CONSULADO DE PORTUGAL,
Convidam-se os credores do fall
portngaat Manoel Baptisla Barbosa
rem neste consulado, nc praso V
suas coalas para serem vtrifleadas 1-
Novidade do dia!
Quinta-feira 19 do correte
Grande successo !
BENEFICIO DE
THOMAZ E8PICA
Comedia drama em dons actos representada no
Rio de Janeiro pelo beneficiado, 64 vezes
Segae-se pelo actor Florindo a sceua cmica
O actor"Pennie por ordem positiva do autbor
pertencer ao sexo feminino durante a exhibigao
da seena eomica
Terraioar o eepectacalo com a nova comedia
em 1 acto
Diabo Atroz da porta.
Tomara parte as Sras. D. Jesuina e D. Carolina,
e os Srs. Lyra, Peregrino, Braga e Florindo.
Principiar s 8 1/1
ftFindo o espectculo haver trem para ledos os
pontos da liaba al Caxang.
AVISOS MARTIMOS
Acha-se carga a barca portgoeza Clemenlina
e pretende seguir com a maior brevidade : quem
na mesma quizer carregar ou ir de passagem, tra-
te cora os consignatarios T. de Aqui no Fonseca &
C. Saccessores a rna do Vigario n. 19, ,
BIO DE JJfflMT
Para o porto cima segu com brevidade o bri-
nacional Darmo, tem parte da carga angaja-
para a i esto qua_ Iba. falta trata-se, cosa os
aatarkra Antonio Luis de diveira Asevedo
roa do Bom Jess n. 57, i* andar.
DE
tes de casimiras
(AVARIADAS)
Quinta- feira 19 do correnle
A'S 10 li2 HORAS
O agente Pinto levar leilo, a reqneriraecte
de Rocha & C., por autorisagao doconsul de Fran-
g, era presenga de seu cbancelier e por conta e
rico de quem pertcncer de uraa caixa marca R S
& C. n. 55!, com 10 candes com casimiras finas.,
avahadas, a bordo do vapor francez Amazone, na
sua ultima viagem este porto.
O leilo 9er envernado s 10 l| horas do da
cima dito, no armazem da ra da (adela
a. W.
Doas tercas parles do sobrade sito' ra
do Bemflca n 42, na Magdalena'* qaal
podem os pretndenos ex'minar com
acticipagSo.
A 19 do corrente.
Por mindado do Illm. Sr. Dr. jniz especial do
commercio d'sta ci iade, e requerimento dos ad-
ministradores da raassa Mli Ja de Sebastian Jos
da Silva, o agente Oliveira expor novamente
leilo as 2|3 partes do excelente sobradoanpra-
dito, o qual s torna recim-nenda^el quinto apn-
slvel pela sm bi construego e amenMMe da
localidale, e proprio para quem procura arrabal-
de saudavel, tendo a vauUgem da conduco dos
excellentes lionds:
Quiata-feira
ao raeio dia em ponto, no escriptorio do mesmo
agente ra do B>m Jess, 1 andar.
Urna mobilia de amarello, com i2 cdeiras
de gua-nielo, 2 ditas de bragos, 2 ditas
de balango, 2 -consollos e t sof; \ ca-
ma franceza, 1 lavatorio com perteaces
de porcelana, t meia commola de ima-
rello, 1 marqueza, 1 meza de jantar, 1
apparador, 1 meza de cosinba, 6 endei-
ras de amardllo, 6 ditas americanas, 2
pares de laternas de crystal. 2 cndiei-
ros a gaz, 1 par de jarros, 1 tapete gran-
de e I dito pequeuo, escarradeiraf, 1
marquezlo, lonca para almogo, dita para
jantar, e trem de cosinba ; todos 'wtfcs
movis tem muito pnuco oso.
Quinla-feira 19 do correte.
O agente Martins far leilo, por autorisacao,
doi movis cima, os quaes ?e acham ranito em
conservados e ponco u>o tem, s 11 hora do da
na ra das Trincheiraa n. 4V
FAZENDAS
francezas e nglezas
limpas e avariadafi
Qainta-feira 19 do corrente.
No armazem da ra da Gatitcin
n. 40.
O agente de leiloes F. I. Pinto, levar a le'.lo
qor ordem de diversos, e por cenia e rtsco'de
pnem pertcncer, nao s nm grande e variado scr-
timento de fasandas franceza e iiigkW ||>i>s,
como tambera differenlec lajead as sem' alaria "de
agna salgada, costando de raadapolSe, al|o*6?
apakss, orina e casemirat finas.
'
i
:


diario de Peraambuco Qoarta eira 18 de
Oaiaft de 1871.
* .*
*
O lelOh ser eflVolaUo oo
CaJeia o. 40.
Principiar a iO horas en
1
NEU
DE
Um obrado de um andar e r oto e terrac,
com 92 palmos, vo de cerca de 70 de
fundo, no bairro de S. Jos i roa de S.
Joi*
Qualro meias a*uas n) fondo do mesmo
sobrado, que renden 32* mensae? ,'(tado
novo a bem coosirui SexUr(era 20 do correnti.
A'S i I HORAS EM PONTO.
Por iDler?eDfio do afete Pioto, em sea es-
critorio, raa da Crm n. 38.
LEILO
DA
Arauc/So, gneros e mais pertenes da ta-
berna sita na ra di Btca de S. Pedro
n. 1 em Olroda.
O agente Martin? far lella >, por ordem do lllm.
Sr. Dr. Ctaadta) de Araafo Guimaraes coduI por-
tugus, da arnc3o, gneros e mais perlences da
tabarna aciraa, pertencenle ao espolia do subdito
portaguei Jas Rodrigues Martins.
Sexti-feira 20 do corrente,
A's 11 horas do da na mesma taue'na, i ra
da Be de S. Pedro e. 1 emOlinda.
LILAO
DA
Armaga, gneros e mais pertences da ta-
'berna da ra da Boa Hora em Olala
Sexta-feira 20 do edrrente.
O agente Martias far leilo, por omem do Sr.
Dr. Cfaudino de Araojo Guimaraes cnsul portu-
gus, da armacao, gneros e mais pertences da
Ubsrna cima, pertencenle ao espolio do subdito
portuguez Jos Rodrigues Martina.
Ai meio dia do dia cima na mesma taberna
ra da Bia H>ra em Olinda.
CAIXEIROS.
Precisa-se, para caixeiro?, de dous meninos
portugals de 11 a 16 annos de dada e recen-
(emente ebegados de Portugal, para irem para o
Brejo da Madre de Deus : tratar com Manoel
Aievedo de Aodrale, ra Primeiro do Marco
C4PELLAS
Para o dia de finado?.
Porto & Bastos, com esta-
belecimeoto de calcado Pra-
(a da Independencia acaba de
receber novo sortimento de
capellas de aljofares e vidri-
loos com mscrpi,ois, para |o que avisara
as pessoas que se quiserem prevenir com
urna d'ellas para depdr no tmulo de al-
gum prente ou amigo em dia de finados.
As inscriptas sao as seguintes:
A meo pae. .
A minha me.
A mea esposo.
A mioha fsposa.
A meu filbo.
A miaba filha.
Saodades.
1 \- '

para
LEILAO
DB
fazendas avariadas
(ooWim lo de
madapol9S, alg des, chitas alpakas e len-
cos de algodao
As 1 i horas do da.
Por intervencao do agente Pioto
No armiiem da rnt da Cadeia n. 40.
VISOS DIVERSOS
INSTITUTO ARCHEOLOGCO E GEOGRAPM-
.C0PERMMBCA50
Haver sesso oraaria quintafeira, 19
do correte outubro, pelas 11 horas da ma
nha.
ORDEM DO DIA.
Discusso sobre proposta
Pareceres e mais trabalbos do commis-
ses.
Secretaria do Instituto, 16 de outubro
de 1871.
J. Soares d'Azevedo
Secretario perpeiuo.
Criada.
Precisa-se de urna criada para todo o servico
da ama casa de pouea familia : na roa do Viga-
rivn 31'_________________________
Quem achou
urna pulseira da cabello com fecho de onro, per-
dida no djrainga lo lo corrente por occasio da
ladainba no Hospital Portuguez, querendo entre-
ga la o role fazer na ra la Cruz n. 19, 1 an-
dar, ou no sitio n. 16 de 13 unfi ;a (Magdalena) un-
ir. -Jiato ao do Sr. Barao dj Livrameoto, onde re-
cebera alvi^aras e os sigoaj certos dessa j c i a,
oae ninterd-a senaj a d,ua p>r ser lu.iibran
ca de familia.
Casa ein spipnc)
Aijti-ss a casa ero <]tia reiiia o f ille^ido Joa-
qun Pifos Carneirj Mon'.eiro a Porta d'Agua, era
aaenitaim i pu^ii, con exeellent^s commodos
pirafrand) familia e magnifico banli > d'agua
corrente : a tratar na mesma o com Francsco
I meio Pinto na ra da Cruz n 31.___________
Ama de leite
Precisa 9e de orna ama de leite forra que na
teiihafllhi : a tratar nam d'Barao da Victoria
d. 99, ou na praca da Independencia n. i.
Qie;n precisar \le urna ama para engom-
mar para casa de familia, dando preferencia a ca
n estrang'ira, dirija-se ao pateo da Mitriz n. 13.
o dia de finados.
A loja da Ota azul ra do Ca-
bng n. 2 aeaba de receber as
meibores capellas de vidrilhos que
tem vindo a esta cidade; assim
como capellas as apreciaveis per-
petuas amarellas com lelreiros(im
mortelles) e para todos os precos :
oga se as pessoas que Inorara pedidos, que as
cenham buscar, visto como o numero dellas nao
grande.________________________________
Precisa-se alugar un pequeo de 12 annos
escravo ou forro, para o ser?ico domestico de pe-
quena familia : fallar na -ua Duqne de Caxjas
n. 97, bija da verdade.__________________
Pracisa-se de urna ama
ama que ozinhe com per-
fsi^ao : a tratar na ra do
Crespo n. 10.
Cozmheira
Precisa-se alugar urna ama livre ou escrava que
saiba cazinhar : a tratar na ra do Imperador n.
79, l( ja. _________
=r_=
MODISTA
MADAME ANTOt
46ETJA DUQUE DE C
I rOOWORA DO QUEIMAD0 li J)
PREVINE o respeilavel publico com especialidade s Exmas. familias, que
emquanto que est-se preparando o i." andar i p sobrado de soa residencia ella conti-
na na sua arte de modista em todos os ramos de costera pra senboras, no 2." andar
do mesmo sobrado.
Garante as ultimas modas, eo melborgosto em seos trabalbos, por qoanto ella
ecebe os noves padroes pariziensea por todos os vapores.
46Ra Duque de Uxias-46
til t Precisa se de urna ama de idade e
_.iIL_. que saiba eczinhar, para urna pessoa :
a tratar na ra da Cruz n. i"._______________
Rogase ao Sr. Silvestre Pereira da.Cunha
o favor de vir a ra da Mieda n. 19.
Qaem precisar de um caixeiro brasileiro
com praiica de taberna : dirija-se ra do Hos-
picio n. 30, on indique o lugar.______________
E
dega n. 4.
Precisa-sede urna ama para cozinbar:
a traiar no armazem defronte da alfan-
Na cidade de unaia aluga-se ou vende-se
por prego rasoavel, urna ca de pedra e cal, para
pequea familia, tendo terreno proprio para aug
mentar urna bonita casa de sobrado, muito perto
do banho e da missa, vista aprasivel e saulavel:
quem pretender dirija se ao dono, no palacio epis-
copal de Olinda, valendo mais as vistas do pro-
pietario e do pretndanla, do que inforraacSes
estranhas.
Casa pira alugar em Olindi
Aloga-se por tres a qualro mezes, nma casa
com bastantes comraodos para familia, na cidade
de Olinda em lugar peno dos hanlios salgados :
quem a pretender i'irija-se no Re:ife a Csrdoso
& Irmos, ra do Brura n. 100 a Wi, on em
Olinda ao lllm. Sr. arceiiago Dr. c neg Manoel
Thomsz de Oliveira, ra da Mathias Ferreira.
Aos Srs. sacerdotes.
No ra da Paz, antig do Cano n. 3i, ha para
vender-se um rico e confelo ornamento de p
de altar.
. Na ra Direita n. 127, primeiro andar ha
urna escrava para alugar, que lava, cozinha e faz
o mais servico de casa.___________.________
Contratase aooualmente a venda de capim a
40 r. no vorao e 20 rs. no invern, dando flanea:
Do engpnho Dona Irmaos, em Apipncos.________
Uoga-se ao Sr. Antonio Minoel da Conceicao
fawr de vir roa Direita n. 26 a negocio de
hu loteresse.
SAHIB!
R... Ni* 04 !
MURIM,
Arrenda-ae para passar a fesia urna casa
cou 4 qaar'os, 2 talas e cotinha, sita na Varzea,
no sitio da esUijao aos mnibus, tem bom banbo
no Capibaribe, que passa n f Dio do mrf.tio si
lia 1 na ra do Imperador n. 73, loja do Sr. Me-
deiros, se dir quem contra a. _________
Precisa se de nma ama que saiba lavar, en-
gommar e fazer o mais servigo interno de casa de
familia, e que seja de boa conducta : na ra do
Vigario o. 5, 2 andar
0 abaixo assignado serondo clausulas existen-
te de nma essriptpra publica de venda de um si-
tio na Boa-viageni, contendo arvores de fracto e
daas casas de ta;pa erra um quarto contiguo, pas-
sade na anno de 1SU ne3ta cidade do Recite, dos
filhos menores de Maria Iguacia de Albuquerque ;
protesta ; come um dos herdeiros en linha recta
descendente, do referido sitio contra as vendas,
afloramentos e quaesquer outras tranacgoes que
tenham sido feitas ou pretendan! fazer, como Ile-
gtimos perante a le. o que faz publica e notorio,
para que Braguero sftecte ignorancia e Doa f em
direito falsamente adqaerido.
Reciff, 16 de outubro de 1871.
_______Manoel Felippe de Qoveia Cavalcanti.
Precisase fallar ct o o Sr. Pedro Pereira da
Silva Guimaraes Jjnicr, negocio de seu inters
se : travessa do Carmo n. 1. 2* andar.
No domingo as 7 hiras da noute, perdeu-se
urna palceira do paeo do Carmo at a sachristi
da igreja de Santa Tti reza : a pessoa que achou>a
dirija-se ao pateo do Carmo n. li, que ser bem
recompensado.
Monte-pi portuguez.
Sao convidados os senhores socios do Monte Pi
Portngnez que nlo estiverem incurias nos 1,
2. 3o e 4' do art. 13, a se reuoirem em assembla
geral domingo 21 do correte, as 10 horas da ma-
nha, no salan do Gabinete Portuguez de Leitura,
aflm de se dar eumprimeuto ao que determina o
4* do artigo !4 dos estatutos.
Secretaria do Monte-pio-portuguez em Pernam-
buco 16 de outubro de 1871.
M. S. Pinbeiro,
_______ 1' secretario._______
Pricisa-se de um criado o ra casa de ho-
rnera soiteiro : na ra da Camoda do Carmo n. 21,
1* andar.
__Precisa se de urna ama para coziobar e com-
prar em urna casa de duas pessoas, agradando
paga-se bem : na ra do Alecrim n. 12, casa
w#re.
- Aluga-se o andar e sota da casa sita ra
de Marcilio Das, antiga ra Direita n. 81, caiada e
pialada de novo : a tratar na ra Duque de Ca-
'*."S3'______________________________
- Jos Curreia Braga & C. declarara ao com-
mercio que o Sr. Joo Bello de Moraes deixou de
*r sea caixeiro. Recife 16 de outubro de 1871
CAIXEIRO
Presin-se de um caixeiro com pratica de mo-
loadas : i tratar na travessa do LivrameBto nu-
fecisa-se de urna ama de leite : na ra da
ttt 98._____________________________
Precisa-se de ama ama forra ou escrava
para eotinhar: na ra do Imperador n. 83, (eiceiro
aaar___________________________;
O abaixo astigaado communica ao respeita-
t* publico, e especialmente ao corpa do commer-
Jjr ixeiTo dos Sr. Jos Correa Braja & C.
Wtffe, 17 de outubro de 1871.
_________ .UM Bello da Uarm.
~THc B|* se M1 ** 'O* d4 Guia ame*
50, andar.
Precisa-se de urna ama pa-
ra lavar e engommar : na
ra do Cuque de Cxias n.
Precisa-se oa rea da Princesa Isabel n.
6, ponco adianto da estatfo da via frrea
de Olioda.
Cootrata se a renda de capim annualmente
por prego rasoavel : tratar no engenbo Deus
Irmaes, em Apipueos.
1
(japaS de IdrrO gawanisadas para cobrir casas etc.,
Formas paraassuear
Arados Americanos
Machinas a Vapor
Machinas de ^^^^^
Fogoes pe ftiro
Trilhos de ferro para engenhos
Camas de ferro
Macacos de estivr
Ferragens em geral
Cofres de ferro
Estes artigos vendem-se em
casa dos importadores.
Shaw, Hawkes C,
n. 4 ra do bom jess.
(otr'ora rada Cruz )
lll^lllt 1VI I, IilQCIOA^AO
SEM LIMITES
N
LOJA E ARMAZEM
DO
l
1MERESS4 LES
A loja dos Aros de Alvaro Augusto d'Almeida & C. ra do Crespo a. 20 A acab;
le receber directamente alguns artigos de moda que passa a mencionar.
Riquissimo cortes de vestidos de blondo para casamento.
Ditos de tarlataua bordados seda para casamcntps.
Cortes de seda de bonitos gostos e superior qualidaje.
Colxas de seda, 15a, e la e seda.
Capellas com mantas de blonde para noiva.
Camisas de esguio bordadas para noiva.
Lencos de cambraia de linho bordados.
Cortinados bordados de diferentes presos e.quadadci.
Borns de 13a e seda para senhora.
Cbapelinas de crpe preto bea e feitadas para luto.
Cbapos enditados para menina modelo inteiramente novo.
% Mantilbas brasileira de l de seda.
" Cortes de cambraia de edr, e braceos bordados.
Chcbeaez da la e seda.
Toil de voyage azenda de gosto para vestidos.
Cretones de padrees no vos.
Grvalas de mnit) gosto par senhora.
Anquinbas de crina.
Aim destes artigos que se v-.ndem por precos razoaveis tem outroj que slo vrda^
eiras pecbincbas como sejam :
Cambraias de cores a 2iD e 280 rs. o covado.
Alpacas largas bonitos padr5es a 500 rs. o covado.
Lencos de esgoio maito finos a 3. 34500,40000 e 500O a dazia.
Las de c6res a 280 rs. o covado. ,
PAVAO
DE
FLIX PEREIBA DA SILVA dtt
NA RA DA IMPERATRIZ N. 60-
S a diaheiro vista
Os propietarios deste estabelecimento tendo graade necessidade de diminuir o im-
menso deposito que tem de fazendas e grande urgencia de apurarem dinheiro, tem re-
solvido fazer nma verdadeira liquidaco com grandes abatimentos nos precos t todoa
os mbs artigas: pao que convidanao respeilavel publico desta capital a vir sortir-se
pos Ine garantem que em part alguma podero encontrar tio grande "sorlimeiitoe mes
nao n3o comprarlo pelos precos qae se Ibes pode vender na loja de Favo ; porm ad-
virtiBdo-8e qo s se vend a dinheiro vista. Os mesmos proprietarios deste estabe-
lecimento rogara a todos,os seosevedores desta praca favor de rirem saldar seos de-
bio>, e -todos, queltes qu* estiverem devando conias antigs e o nio fizerem terao de
ser eocoauBodads judicialmente.
82
Km
LIQUIMCIO
DE
FAZE'SDAS BARATAS
Lindas bareges lisas, de quadrinhos e de listas para vestidos a 360 gi
rs. o covado.
Superiores alpacas de cores, de fl ;rts. e de listras 300 res o co
vado.
P,1 de chevre com lindas cre3 e de supariores qualidadss a 640 ?*^
ris o covado. ^^
Na loja das collumnas, de Antonio Correia de Vasconcelos, raa Pri- g||
meiro de Marco, otr'ora do Crespo n^3, _________________@^
Consultorio homeopa-
thico
DO Dt SANTOS MELLO.
Ra do Bario da Victoria o. 43.
VACONA.
Todoe os doipiago a quintas-feiras. pe-
las 9 boras 10 da maaha* vacclua:s
8 por prejo mdico, para o que ba maito
bom paz vaccinieo.
m Recebem-3e chamadas para vaccinar em
I qaalqaer a;a.
Coasalta? medical todos os dias peta
S manbaa.
Chamados a qaalqaer hora do dia e da}
S noute.
Gratis a parla medica aos pobres.
U
s
FERREIRA a* C.
(Soceessores de Joaquim de Afmeida Pinto)
10Ra larga do Rosario10
( Junto ao quartel de polica )
Os proprietarios d'esle etabelecimento teem a boora d scientiflear ao respeilavel publico d'est
capital edo de todas as provincias do imperio, que continuarlo a preparar PELAS FORMULAS DE
SEU FINADO ANTECESSOa os acreditados e utilissimos medicamentos brasileiro?, taes como :
Extracto alcoolico, emplastro, oleo, tintara, pilulas, xarepe e vinho, da miraculosa JURUBEBA;
tintara e xarope do FEDEGOZO, xarope do RABO'DO TaTU, PILULAS ANTI PERIDICAS, xarope
DA SALSA DO PARA, xarope de AGRIO, xarope do MULU.NGU' etc. etc., ludo com a maior per-
feicao ; pir isso qae am d'aqaelles proprietarios conta 8 anno9 de boa pratica na mesma pbarmacia
Outrosim, scientifleam haver feito um completo e varalo sortimeoto ii droga3 estrangeiras, e da:
mais acreditadas especialidades, acbando se tutlo i dispoiico dos Srs. facultativos e do publico en
geral, de qaem os proprietarios esperara todo acotblmento.
A pbarmacia abrir se-ba a qualqaar hora da noite em caso argente.
DROGARA ESPECIAL
HOMEOPATHICA
DB
JOS' AL VES THENORIO & C.
RA ESTREITA DO ROSARIO N. 3.
Jos Alves Tbenorio, professar em homeopalbia, tendo-se retirado do
laboratorio bomoopatbico e consultorio de seu Ilustre e finado amigo o Dr.
Sabino 0. L. Pioho, que por -mitos ennos estiveram sob sna direegao, tem-
se estabelecido sob a firma de Jos Alves Tbenorio de C, roa estrella do
Rosario n. 3, ende, animado pela confianca com qae honrar; m-no os amigos
da homeopalbia, Ibes oflerece e ao respeitavel publico um completo sorti-
meoto de todas as preparacoes homeopticas conhecidas, recebidas das mais
acreditadas casas de Londres e Pars, e indgenas, bem como iodo quanto
diz respeito a homeopathia e sua pratica, esperando que continuem a hnra-
lo com a mesma confiaoc, para o qae n5o se poapar esfor?os.
PR^OS DAS BOTICAS
GLBULOS.
i botica
i t
l
f
I t
i
de *2 medicamentos 104
i 24 c
c 36 c
i
60 <
ISO
304
3W
W
m
i botica
i <
i
* <
i c
!
tintcbas
do 12 medicamentos
t" 24
48
60
120
28*
40*
50*
60*
110*
Sao otis essas boticas aorSrs. mdicos, scahorw de eegeobo. fazen-
deiros, chees de familia, c>pitaede navios, e i..feral a tod')-qaantos qai-
zerem dedicar-se a pratica da baowopathia.
Madicamentos avnlsos pelos precos das pttnp drogaras, bem como
chocolate MtuoNeiEs e oo NUR.wtto pava" oso m dotates em tratamenio
bIo systema bomeopathico.
r ?
11_*
l^ssliihs karata* do Parla.
Alsacianas com lindas lustras de seda a
I*o00 o covado.
Ditas lisas con muito brilbo a 1> o ce vado
Atkntas, fazeoda de maito gosto tecida
com seda a 720 rs. o covado.
. Ditas com quadros de seda e cores muito
delicadas a 640.
Poil de chvre, d'uma s cor com muito
brilbo a 500 rs. o covado.
Merinos esoossezes fazenda de muito gosto
para vestidos bornus e roapas de menino
a 3iO rs. o covado.
Gurgurao maito bonito, tendo de todas
as cores a 400 rs. o covado.
L5as nhas nodernas com differentes gos-
tos a 400 e 500 rs. o covado.
Ditas ditas a 280 e 320 rs. o covado.
Bareges transparentes com differentes co-
res a 160 rs. o covado.
Alpacas de cores lisas e lavradas fazenda
de muitj gosto a 500 e 800 rs. o covado.
CassasdoPa\ao.
Cassas inglezas com bonitos gostos a 200
e 240 rs. o covado.
Ditas finissimas a 300 rs. o covado.
Ditas fraecas de muita phanUsia a 400
rs. o covado.
Cortes de cassas com 7 varas fazenda
muito fioa e bonita a 20500 e 3*000.
Ditas d'organdy braceo e de cores a
2*500.
CORTES D'ORGANDY A 4*000.
O Pdvao tem cortes de organdy branco
com 8 1/2 varas que vende pelo barato pre-
co de 4*000, assim como finissimo organdy
branco com lisliiobas e quadrinhos o me-
Ihor que tem vindo ao mercado e vende
pelo barato preco de 720 rs. a vara.
Ponpelinas de seda a 9000.
O Pava o tem um elegante sortimeoto de
poupelinas de seda tanto lisas como lavra-
das as mais modernas que tem vindo ao
mercado e vende a 2*000 o covado.
CAMBRAIAS LARGAS A 800 R3. A VARA.
O Pava) tem cimbraia branca transpa-
rente de boa qualidade, com 8 palmos de
largura, que apenas precisa 4 varas para
um vestida e vende a 800 rs. a vara, dita
finissima da Escossia tendo a mesma largu-
ra, que vende a 1*600.
CAMBRAIAS BRANCAS A 4*000 E 4*500
O Pavao tem pecas de cambraia branca
transparentes com 8 1/2 varas que vende
pelo barato preco de 45000 e 4*500, ten-
do tambem muito Qnas de 5*000 at
10*000.
Ditas tapadas ou Victorias tendo de 3*500
a peca at a mais fina que vem ao mer-
cado.
Crosieaaples preto e de cores.
6 Pava.) tem um grande sortimeuto de
grosdenaples e gurgurao preto para vestidos
tendo de 1*60J o covado at ao mais so
perior que costuma vir ao mercado, assim
como um grande sortmento de ditos de
todas as cores e branco e um bonito sorti-
meoto de setins branco e de cores que ven-
de Dor piveos muito em conta.
ESPARTILHOS A 4*000
CACHENEZ a 4*. 5* e 6*000.
O Pava o venda espartilbos de todos os ta-
manbos a 44 e 5*000, cacbenez parisiense
com delicado ponto e de cores, a 4*. 5*,
e 6*000.
CORTINADOS PARA CAMAS E JA.NELLAS.
a 8*, 10*. 12* e 16^000.
O'Pav5o lem um grande sortmento de
cortinados ricamente bordados, proprios
para camas e janellas que vende de 8* at
16*000 o par.
Pecas de cambraia adamascada com 20
varas a 10*000. crochet ricamente bordado
para cortinados a 1*500 o metro. Assim como
ricos damascos com 6e 8 palmos de largu-
ra proprios para colchas de camas e tam-
bem ricas colchas de damasco a imaco de
seda e ditas He crochet as mais lindas que
tem vindo ao mercado.
MUSSELINAS DE CORES A 400 RS. O
COVADO.
O PavSo tem um bonito sortimeoto de
musselinas de cores, padrres inteiramente
novos e cores fixas, que vende a 400 rs. o
covado. Ditas brancas muito finas a 400
e 500 rs. Metim branco da India muito fino
para vestidos e roopas de meninos a 720 rs.
o covado. Cretones de core3 maito encor-
pados para vestidos a 600 rs. o covado.
1 ROUPA POR MEDIDA NA LOJA DO
PAVO.
O Pavao tem orna bem montada officina de
allaiate, administrada por om hbil mestre
oacionfl, aoode se manda faier qoalqner
obra dfl'ncommenda, tanto para homens
como para meninos, garantindo-se a promp-
tidSo e acoio em todo o trabalho, e no mes-
mo estabetetJtaenlo encontrar5o os respeita-
veis freatprti todas as fazendas proprias
orno sejam pantos de todas as cores qua-
diades e precos, novas casemiras de gosio
re ns brancos e de cores, assim como todas
asfazendas proprias pan falos de luto.
CASAQUINHOS A 15*. 18* E 20*000.
O PtVSo lem um grande sortiaaento de
(Meo* casaqcinhos de seda preta maito bem
enreitados e modernos que vende t 154.
18* e 90*000, sendo fazenda de muito
mais valor, assim como ricos chales pretos
bordadof com franjas largas de retroz a
104 e 12*000.
A loja do Pavao acha-se eonUni!Bea| ibttU das
horas da noite, i raa da. Impwtriz a. 60.
ALGODAOSMHO A 3*?eO.
O.Pivao tem pecas de algodSosiabo muito
boa qualidade que vende pelo barato preco
de 3*200 a peca. Ditos muito superiores
de 4*000 para cima. Algod3osinhd enfes-
tado com a largura precisa para um lencol,
sendo liso mutto encorpado a 900 rs. o
metro e dito entraado com a mesma lar-
gura a 1*280 a vara.
BRAM YNTKS A 1*600 e 1**00 O METRO.
0_ Palo tem superior bramante dt al-
godao sendo preciso para om lencol apenas
um e meio metro e vende a 1*600 e 14800,
e de licibo fazenda muito encorpada, com a
mesma largura a 2*00e 2*500, ditofran-
cez do mais fino que tem 'indo ao merca-
do a 3*000, 3*600 e 4*000.
ATOALHADO.
O Pavao vende superior atoalhado a 14600
e 2*000 a vara, dito de linho fazenda maito
superior de 3*000 para cima, sendo ada-
matcado.
Fazenda para luto.
O Pavao tem am grande sortimeoto de
fazendas prelas para luto, como sejam:
Merino preto com 6~palmos de Lrgura
para vjsti Jos a 2*000 e 2*500 o covado.
Merinos pretos e de cord5o para todos
os precos e differentes qualidades.
Bombasinbas para todos os presos.
Cani5es e alpacas pretas. Lasinhas pre-
tas ou cassas de la de 360 t 500 rs. o
covado.
Cassas pretas francezas e inglezas de te-
das as qualidades.
Coilas prelas francezas e inglezas de 260
rs. para c ma.
Crep preto para veos.
CASEMIRAS PARA CALQAS A 4*. 5*. 6*,
7* E 840(50.
O Pavo tem om grande sortimento de
cortes de casemiras de cores para calcas,
sendo os mais modreos que tem violo ao
mercado e vende-se de 4* at 10*000 o
corte, ditas em pecas francezas e inglezas
para ca'cas, palitots e colletes que vende de
1*800 at 6*000 o covado, ditas escuras a
pro va d'agoa que vende a 5* o corte ou a
3* o covado, sendo estas casemiras muito
prof rias para meninos de escola por seretu
es:uras e de muita duraco.
NOVOS VESTIDOS A 5*000.
O Pav5o tem lindos cortes de vertido de
l'ii-sienas camb"aas com bonitos bordados
de cores e tambem lodos bordados branco
que vende pelo bratissimo preco de 5*0C0
cada coi te, grande pecbincha.
PANNOS DE C.W :H PARA CADE1RAS E
SOPHAS.
O Pavo tem um grande sortimento de
pannos de rrocb proprios para encost de
cadeiras e de sphs, assim como um rice
sortimento de tapetes de lodos os lmannos
proprios para salas.
MADAPOLAO BARATO A 4*. 45500 E 5*.
O Pavo tem p cas de madapolo com 24
jardas ou 20 varas que vende a 4* e 4*500
a peca, dito muito fino eJargo de 6* para
cima, dito francez do melbor que tem vindo
ao mercado, assim como dito finissimo em
pecas de 40 jardas.
Corles de cbltas.
a 1*600, 2*000e2*800.
O Pavo tem cortes de chitas francezas
com 10 covados, que vende pelo barato pre-
go de 1*600 e 2*000, dilas que -vende a
160, 200 e 280 rs. o covado, tambera Um
um grande sortimento de ditas finas clara*
e escuras que vende a 280 e 320 w. o co-
vado e finissimas percales miudinhas propri-
as para camisas, vestidos 6 roapas para me-
ninos que se vende a 360 e 400 rs.
LENCOS BRANCOS.
O Pavo lem lencos branco3 abanbados
que se vende a 2*400 e 3*. a duzia, ditos
grandos de murim sem ser abanbados a
3*200 rs. a duzia; assim como bonitos len-
cos bordsdos para maos.
ROUPA PARA HQMENS.
Sobrecasacos de panno preto fino sendo
muito bem feitos de 12* at 40*000.
Palitos de panno preto fraquei-o saceos
de 8* at 12*000.
Ditos de casemira de cor de 6* at 12*.
Ditos de alpaca preta fina de 4* a 6*000.
Ditos de dila branca e de cre 6*000,
Ditos de brun de linho trancado a 6*000.
Calcas de ca.emira preta de 6*000 ata
12*000.
Ditas de brim branco de linbo d* 4*000
at 8*000.
Ditas de brim de linbo de corpara todos
os presos e qualidades.
Camisas francezas e ioglezas ean'peitos
(Falgodo da 1*600 at 5*. em daz:a ven-
de-se mais barato.
Dilas de meia de 800 rs. para cima.
Ceroolas de linho e algodao, francezas e
feitas na trra.
Collarinhos de papel, algodo e linho
que se vende muito barato para liquidar.
Para noivas.
O Pavo tem rico gurgurao de soda, bran-
co. Grosdenaple branco muito encorpado.
Agraciannas brancas com listras de seda.
Poopelinas brancas de seda lisas lavra-
das. Sedas brancas, kvradas e aas. Ca-
pellas com palma d flor de laranga com
ricos veos bordados, que todo se vende au
barato do qae em oatra qaalqaer parte.
t koiae da manbJa at a* $

^


fHarn d
fernaiufcwo
QiUMta 1eira l* d Outubro i
*

i
\
k
i

\

i
(
. s i
\
r. *
*
r l
i
:
'i *
Ti V
:
\
i

-


Ncate novo armazem tem nm
miado orUmeiito de fazendaa
trancexaj, inglem, alinala e to-
ta* todaa ae vendem por presos
ttodieot, afim de acreditar a este
acto armazem.
Caaemiras nglezaa,
mncezas, de todas as
ajaalidades, brins de
cAres e brancos, colet-
rihoi modernos, cha-
poe de sol de seda,
Ifioe.
RA
da victoria.
Hija rsa
41 MU DO BARAO DA VICTORIA 41
_____.______ DE Assim como t
ARRUDA IRMAOS.
NOVA
N. 41.
Assim como tem una grande
oficina de alfaiate, montada coa
todos os preparos roe ha de melhor,
dirigida por habeia artistaa, qne
pela sna promptidio e perfecto
nada deixam a desojar.
Roopa de todos os
amanbos para homent
meninos.
Por todos os paqa*
tes recebem-se as me-
lhores e mais moder-
nas caaemiraa qne tu
na Enropa.
RA
K
Bario da Vctor!
ottga na
>
N. 41.
Bate estabelecimento acaba de soffrer orna reforma radical em acceio, artistas e commodos, e em pontaaadade as encom-
esdas, finalmente em todo afim de melhor servir os sena numerosos freguezea deixa-se de annnnciar wdas as faxendas, pan
ajo ae tornar massante
PILLAS VEGETAES CATHMTICAS
^ss^s
NSo ha necessidade mais
geral em todos os paizes
do que a de um purgante
que seja ao mesrao lempo
innocente, Ic^z e digno
de toda a confia ni; n.
As pilulas que ora offere-
cemos ao publico preen-
chem estas condc5es; pois
podem ser tomadas pelas
pessoas mais iracas sem
perigo algum, n5o tendo
em sua composico mer-
curio nem oatro agredien-
te nocivo sade, mas
sendo composlo de agentes vegetaes mu
fortes, sao bastante eficientes e activos
para purificar os corpos mais robustos.
Qaantos sao os males que, se no sea
principio fossem combatidos enrgicamente
com um simples purgativo, no seriam de
urna vez vencidos ? Grande numero das
molestias que estamos sujeitcs se deve a
om estado sujo e irregular do estomago,
figalo ou ventre.
hor purgativo que conliecemos e
DO
DR. AYER
que podemos recommendar ao publico sSo
as PILULAS DE AYER que exploran e pu-
rifican! toda a extensao do canal alimenti-
cio, e dao vigor a todas as partes do orga-
ni.-mo, corrigindo sua acc5a.viciada e fa-
zendo recuperar sua v'Ualidade. E' um re-
medio inestimavel contra ir de cabeco
nervosa, enxaqueca, prisao do centre, he-
morrhoidas, molestias do figado, febre gas-
tro heptica, o todas as molestias biliosas
que teem sua origem no entorpecimento do
figado que causa a escassez da bilis na ia-
flammaco deste orgo que produz derra-
mamento da bilis no estomago ou em um
desarranjo geral dos orgos digestivos.
A ICTERICIA produzida pela absorp-
c3o da bilis no sangue, dando pelle|e aos
olhos urca cor amarellenta; na) e someote
dolorosa por si, porta condui aos mais se-
rios soffrimentos. Para cura la toma-se de
ama a cinco pilulas todas as manh5as, feto
bastante para mover o ventre suavemente
at que se recupere a acc5o sa do sys-
tema.
A dgspesiajOQ indigestao, tem sido tan-
tas vezes curada com estas pilulas, que nio
davidamos em dizer que soberano reme-
dio para este incommodo. Emqoanto o
vermes, vejam o que diz o Medical Expo
sitor de Nova-York: as pillas do Dr
Ayer temos adiado um dos melborea reme-
dios para os vermes, bichas e lombrigas .
Nao podemos ennumerar aqoi todos os ca-
sos eio que sao vantajosas estas pilulas,
tantas sao as molestias que se podem cem-
bater com o em prego de um bom porgati-
o como sao ellas.
Em falta de oppetite, sSo excellentes;
como digestivo para a comida, n5o ha coosa
melhor. Nao se tem poupado trabalbo
nem despeza para levar estas pilulas a om
grao de perfeic3o tal, que nada deixa a
desejar; sao o resultado de annos de estu-
dos laboriosos e constantes. Para alcancar
toJas as vantagens que resultam de uso de
catrticos, tem-se combinado somente as
virtudes curativas das plantas qae sao em-
pregadas na confecc5o das pilulas. Sua
composic5o tal, que as enfermedades que
estao ao alcance de sua acc3o, raras vezes
podem resisti-las ou evad las.
Vende-se em todas as boticas e drogaras do imperio
. W. R. Cassels &. C.
Agentes geraes.

A TNM OE ODIO
GRANDE SALaO DE CABELLEIREIRO
ra no dique se caxias iv. so
(ANTtGA DO QUEIMADO)
DBLSl'G, SI CCESSOR DE JillE
Haveodo comprado o estabelecimento de cabelleireiro, faz d isso sciente ao respeitaveI pu-
blico de P> rnambuco, convidandoo ir visitar esse estabelecimento, onde ha d? encontrar todcs os
trabalbos com asseio, perfeicio e urgencia. Tambem o previne de que tem pefuraarias fina?, poi
preco commodo; e outrosim qae faz todo e qualquer trabalbo de cabello relativo sua profissao.
P. S.-Avisa aos seus numerosos fregaezes qae contina na sna outra cas', ra Primeirc
de Marco, antiga do Crespo, n. 7 A, 1 andar, onde bao de encontrar grande sortimento de perfuman!
e objeelos de pbantasia.
Oabelleirero de Pars, Kua Duque de Otxias n. 50 e
ra Piimeiro de Marco n. 7 A primeiro andar.
STw. rowman
Engenheiro com
FUNDIDO
.V* RIJA DO BftUJ 5*
PASSANDO O CHAFARIZ
Pede aos senhores de engenho e outros agricultores, e empregadores de ma-
ciinimo o favor de ama visita a sea estabelecimento, para verem o novo sortimentc
completo que ahi tem; pois sendo todo moito mais barato em preco do que jamis te-
aba vendido, est ainda superior em qaalidade e fortidSo ; o que com a inspecelo pes-
oal pode se verificar.
PEDE ESPECIAL ATTENCO Ao NUMERO E LUGAR DE SUA FUNDICO
Vatinroe a rnrlaa H'oo-no dos mais modernos systemas e em
V BpurW rUUtt U ag Uct tamanhos convenientes para as di-
versai dreumstancias dos senhores propietarios e para descarocar algodSo.
Moendas de canna edxeSs os tamaDh09'as me!bores qoe aqui
Bodas dentadas para aDmaes, agua e vapor.
Tazas de ferro fundido batido e de cobre.
Alambiques e fundos de alambiques.
UTanhirnamna para mandioca e algodSo.l Podendo todoe
UliUOlliUo e para serrar madeia [ ser movidoi a ma>
RIVAL SEM SEGUNDO
RA DUQUE DE CAXIAS N. 91.
Jet Bigodinbo, com lija de miucezas,
avisa a todos es os f-eus fregnezes qne est
torrando tudo pelo preco, a vista da fazeo-
da, para todos adairar, a saber:
Pecas de fitas bordadas muito fin?3 I #300
Thesoaras grandes e pequeas o
mais fino que ha a l | Caixas com 20 qoadernos de papel
liso, amisade a rs. 300
Pecas de tranca de 13a e algodo as
mais modernas a 160
Frascos com agaa de colonia muita
! fina a 400 e 300
Frascos com agua de colonia ver-
dadera a 800 rs. e 10500
Chapeos brancos para baptisados o
melhor qae ha a 300 e HOOO
Duzias de bot5es cobertos de seda
para vestidos por todo o preco
para acabar.
Libra de areia preta a 160
Grosas de botoes de !oaca branca a t'20
Caixas com 100 envelopes fazenda
fina a 300, 6(0 e 800
spelbos de moldura donrada a
800 e 1000
Pentes pretos vcUeados para me-
ninas a 240
Tinteiros com ticte preta a 80 e 100
Pecas de fita elstica muito fina a 20C
Latas com superior banba 60,100 e 200
Latas grandes com superior banha a 320
Frascos com oleo de Pbilocme a
500e 800
Frascos com macassa | Perula a 240
Frascos com agua de Colonia verda-
deira a I0OOI
Ditos com oleo de ha losa suderior a i 320
Carritels de retroz preto com 2
oitavas a 600
Caixas com agolbas francezas'a 160
160 240
Pecas de ttras bordadas a 500, 600
800 e 13000
Garrafas com a verdadein agua
florida a I 300
Cartilbis da Doutrina Cbriitia as
mais modernas a 400
Pacotes com 3 saboneies inglezes
fazenda fina a 600
Escoras muito finas para (impar os
dentes a 240
.
por agoa, vapor,
oo animaes.
JDOmDaS ,je patente, garantidas.
XOaaS aS maCinaS e pecas de qae se costama precisar.
Paz qualquer concert de macbi08nlo, a preco mn resomido.
FormaS d6 ffilTO lem as me'DOres e ma's baratas existentes no mer-
cado.
EnCOmmendaSIacuml)6"se de mandar vir qn^'l^er machinismo vonta
i4uvviuiuouuao ,je doi c|jente8f lembrando-lhes a vantagem de fazerem
4oai compras por intermedio de pessoa entendida, e que em qaalquer necessidade pode
Mm prestar auxilio
Arados americanos e iD6luqieBO ,grc(!,c.
ADVOGADO
Dr. Joaquim Correa de Ara ojo
67Rca no Imperador67
mmmwmmmwmmMi
AOS 5:000^000
so i venda os felizes b^lhetes da lotera da
iahia, na casafelii do arco da Conceico. ioja tji
mrivee no Recife.
Almanak de Castilbo
para 1872.
Acaba de ehfgar de Usnoa. e acta-s venda
na livrana eeooonw|,*raa 1 de Marco d. 2, de-
frente d'-> sr de Santo Acloco.

Jn ardo de
Rival sem segundo
Ra iHique de Caxlaa 91
Jos de Azevedo Mala e Silva, em toa lo-
ado miodezas continua a vender tudo
por baratos preces qoe t todos admira :
Libra de Ha para bordar a melhor
qoe ha. 6,0000
Caixas coa superiores grampos ran-
cezet a 160
Duzias de facas e garios de um e
dous botbea a 4,9000
Talberes pare meninos a 240 e 400
Libras de linba de novello, a melhor
possiveL r 1^500
Dazia de lencos de cassa com barra, i 000
Caixas de liohas com 30 no' los a SOO
Vara de franja branca para .Ibas 160
Dozas de metas croas moito boas a 3/1500
Dozias de meias finas para senho-
ras a 4|000
Dozias de facas e garfos cravadas a 3,5000
Dnzia de palitos seguranca a 120,
240, 320 500
Na al has muito finas, para fazer a
barba a 1,5000
Caixas com pennaa de ac com to-
que a 320
Caixas com pennas de Perry fazen-
da fina a 800
Ditas de dita dito terdadeiras a 10200
Caixas com 20 cadernos papel ami-
zade a 7(X
Pecas de fitas para coz com 10
varas a 500
Pecas de tranca lisa de todas aa
cores a 40
Duzias de liuha frooxa para bordar
a 400 e 500
Pares de sapatos de tranca a 10800
Duzias de baralbos muito finos a
20400 e 208OC
Ditas de ago>has para machina a 20000
Libra de pregos francezes a 240
Resmas de papel almaco superior a 30600
Ditas de dito paotado o melhor a 40COO
Caixas com sabonetes fruda a 720 e 10000
Camteis de linba A'exaodre a 100
Grvalas decores moito filias a 500
Ditas pcetas pontas bordadas a 600.
Grosas de botoes'de madrvperola
para camisa a 50C
Novelloe de linba branca, 400 jardas 60
Duzia de eartoes de linba branca e
preta e de cores a 120
Thesouras moito finas para ochas
e costura a 500
Caixas redondas para botar rap a 10200
Caixas com pos para limpar dentes
fazenda fina a 200
Livro das missdes abreviadas a 10500
Copos grandes com superior banba 10500
Macos de pallitoa para dentes o
melhor qoe ha a__________________160
AC
os
DYVETOT
nica casa neste genero
(4-Rna Estreiia do Rosario-14
Compra e vende roupa feita
nova e velha, objectos de
cosinha e de mesa, e
tudo que perten-
M0F1NA
Roga-se ao Uto. Sr. Ignacio V.eira de Meljo,
erlvio na cidade do Naiareth desta provincia.
favor do vir a ra do Imperador o. 18 a concluii
iqoelle negocio qne V. S. se eomprometten rea-
sar, pela tereeira chamada duste jornal, em n
de deotmbro prximo paseado, e depois para Ja-
neiro, passon a fevereiro e abril, e nala cumprio,
e por este motivo de novo chamado para ditc
Qm ; pois V. 8. se deve lembrar qne este negocie
de mais de oito annos, e qnanao o senhor 1*1
flho se achava no ea nesta eidade____________
ATTENCO
Aloga-se orna grande cocheira na roa da Uniao,
com dous qnartos e solio com outros dous qoar-
tos, tendo janeilas, tndo eaiado e pintado de no-
vo e mnito propria para taberna oo outro estabe
ecimento : a tratar na rna da Aurora n. 36, 1
andar.
CASAS
Aloga-se o primeiro, segundo andares e sobre-
sodio da casa n. 6, cita a roa do Livramento : i
iratar na Ioja do mesmo predio.________^__
Na roa Direita n. 6i, precisa-se fallar com
o Sr. Sebastiao de Helio e Albuqoerque a negocio
de sen inieresie.
O magnifico e saodavel chocolata em p, em
pequeas latas, a 3J0O a libra; vende se nos
segointes armazen?, ra do Imperador n. 40, e
roa Mrquez de Olioda o. 83________________
Andares para alugar
Aloga se o 2* e 3* andares do sobrado da tra-
vessa do Corpo Santo n. 27, proprios para peque-
a familia, muito frescos, excedente posiclo e rio:
a tratar no armazem de fazendas do me;mo pre-
dio, das 9 as 4 horas da tarde.
Para alugar-se
Um magnifico sitio na estrada di travesss da
Cruz das Almas, com excedente rasa bem aca-
bada, com duas salas, seis qnartos, grande co-
pia, cozinba separada com dispensa, slela
quarto. Boa coxeira e estribara com mais doos-
quartos e 1 solio para criados. Magnifico qnario
para banho, latrinas, gallinheiro de pedra e cal
cercado de gradeamento de ferro. Pieande dito
sitio peno das estacoes denominada : Jaqnsira e
a do Arraial : para ver e tratar no sitio do eom-
mendador Tasso.
Para alugar-se
Um sitio no P050 da Pane lia no porto do Paula
com exeellente casa, cora duas sallas, quatro
quartos e ecrinha ; estribara, cocheira e qnartos
para criados, e mais duas casas meias-agoas pa-
ra fmulos ou hospedes : tratar com o commen-
dador Tasso.
m Rfl m Precisa-se de ama
f* III ama para o servico
fm III H de casa de orna f*n-
tawAWaVlAfli lia composta de duas-
pessoas, eiceptoando se o lavar e engom-
mar: nesta typographia se dir qoem.
Aluge-:e urna mulata mofa : 1 tratar rm
Jaboa&o passaudo a ponte tereeira casa do ledo
esquerdo ou a rna do Imperador n. (2, cartorio.
Joaquim Jos Gon^al-
yes Beltrao
Rna do Trapiche n, 5, 1* andar.
Sacca por todos os paquetes sobre o banco &
iinho, em Braga, e sobre os seguintes lugares n
Portugal:
Lisboa.
Porto.
Valenca.
Guimaraes.
Coimbra.
Chaves.
Viseo.
Villa do Conde.
Arcos de Val de Vei.
Vianna do Castello.
Ponte do Lima,
Villa Real.
Villa-Nova de Pameiicao.
Lamego.
Lanos.
Covilhia.
Vascal Valpasso).
Uirandella.
Ceja.
_______Barcal los.______________
MUROS
MARTIMOS
E
CONTRI FOCO*
A companbia Indemnisadora, estabelecida
aesta praca, toma segaros martimos sobre
aavios e seos carregamentos e contra toge
ita edificios, m^rcadorias e mobilias: n>
roa do Vigario n. 4, pavimento terreo.
GASA. DA FORTUNA
RA 1 DB MARCO OUTft'ORA DO
CRESP N J3.
los 20:000^000.
O abaixo assgnado tem sempre exposto i ven-
la os felizes bilhetes do Rio de Janeiro, pagando
?rompumente, como costama, qualquer premio.
PRECOS.
Inteiro 14^000
Meio 131089.
Quarto 6*000-
Manoel Martina Fio.
IMH B W MIS HMHII
Precisa -se de urna pessoa capaz, dando fian-
ca, para vender capim : tratar no engenho Dous
Irmos: em Apipucos.
8-------------------g
Folhinhas para
1871.
Para todos os bispados do Brasil, or-
nadas de lindas vlnhetas, e dos retratos
dos principaes hroes da guerra franco-
alle-naa, e o sneuesso da morte do gene-
ra) Lopes.
Preco 500 rs.
Livraria econmica, ra Primeiro de
Marco n. 2.
Precisa-se de officiaes de oarbeiro : no sar
de cabelleireiro da ra da Imperatriz n. 82.
ATTENCO
o
Vende-se por barato prega urna propriedade a
margem da camba dos Aeoiedios, fazendo-se
toda vantagem ao comprador, recebendo-se parte
em dinheiro e parte em letras ou objeelos de
prompta venda ; cuja propriedade contm urna
grande olaria de pedra e cal que lastra 16,000
tijolos de alvenaria grossa e torno que comporta
23,000, cora mais um forno e lastro para fazer-se
tenas, ladrilhos, canos e lou^a, com excedente
barro para qnatquer obra, com dous excedentes
viveiros de peixe e cora casa de vvenla para
grande familia, torna-se recommendavcl por pas-
sar perto a linba dos bonds : as pesseas que pro-
tenderem dirijam-se dita propriedade a entender-
se com o capital Delfim Lins Cavalcante Pessoa.
ati
s
PHARMACIA
Especial homcopathtea
DA
VIUVA DO DR.
Sabino 0. L. Pinho.
43Roa do Bar5o da Victoria43
Para este amigo estabelecimento cana
de ebegar no ultimo paquete, da casa de
lames Epps & C, de Londres, um exeel-
lente sortimento de cariaras e caixas de
todos os tamanhos, qur para glbulos,
ucr para tintura:; asum como medica-
mentos em trituraco e em tintura, glbu-
los, etc.; o qne tudo se vender por pre-
sos k.u rszesveh.
Thesouro homeopalhico do Dr. Sabino
0. L. Pinho.
3" edi^ao.
Muito melhoradte augmentada com um
appendicn.
Al principios do mez prximo estarSo
.. venda os r xcmplares desia importante
obra.
Ai prepar>.;5es desta pharmacia comi-
noam a tas oo medico do consultorio, o Sr. Dr.
J^zoina A. dos Santos Mllo.
NOVA PUBLICAQAO
A Parabyba e o Atlas do Dr. Candido Mendes de
Almeida.
OBSERVACOES,*CRITlCAS.
as livrarias franceza e universal, ra do Cres-
po p. 9 e Imperador n. 5\.__________________
Para banhos do mar
Aluga-se cma excel'ente casa cauda e pintada
de novo na Boa Vagem, propria para se pa.sar a
festa : a iratar na ra larga do Rosario o. 31, bo-
tica.
AMA
Precisa >e de urna que compre e co-
zinbe : na ra de S. Francisco n. 54.
Beligio.
Ni Imessa da na
unes b, t pri-
ciro andar, da-se di-
nheiro sobre penhores
de oirof prata e brilhan-
(es, seja qial for a qoan-
lia. Ha mesna casa com-
pran-se os mesnos me-
taes e pedras.
LUZ E CALOR.
Obra espiritual para os que tratam do exercicio
de virtudes e carainho der perfeicao, pelo padre
Manoel Bernarda, nova edicao. Lisboa 1871, i
vol. 4 6#0O0.
EXERCICIO DE PERFEICAO,
e doutrina espiritual, para extinguir vicios e ad-
quirir virtudes, do padre Affomo Rodrigues.- Por-
to 1869, i vol. 8- JOOO.
GRITOS DAS ALMAS
e meios para o; aplacar, nova edicto.Porto 1869.
1 vol. 8* 21000.
EXERCICIOS ESPIltITAES
de Santo Ignacio, propostos s pessoas seculares
pelo R P. i. P. Pinaraonte.Rio de Janeiro 1871
8 2*000.
PRA1ICAS MANDAUENTAES.
en reilexoes moraes sobre os maodamentos da lei
de Dos pelo padre Fr. M. da Madre (e Deo?.
Porto 1871, 1 vol. 8 V 3<00O.
Livraria franceza.
Alerta! !
Previne-se ao Sr. Dr. direetor da instruecao
publica e aos pas de familias, que lancero suas
vistas a um celebre professur no pateo do t.....
qae alem. de nunca estar na aula, acontece que
reina all a desmoralisacan, plantada pelo proprio
professor, que muitas vetea manda os alumnos
dar psios, adeos, e offerecer cravos aos viinrus,
isto com grande applauso de toda a familia._____
AO PUBLICO
Previne-se ao respeitavel publico qae est a
venda a pbarnncia de P. Maurer & C. e |ua ser
adjudicada a quem raais (ff-rcer.
As propoitas derem fer feita por escripto ao
consulado de Franca ou da Suissa em cuj.s chan-
cellaras a pessoas que desejarern concorrer para
tal acqoicicio poderlo obter os necesarios esrla-
recimeotot ledos os das das 10 as i da tarfle at
o 1* de novembro.
7 da outubro de 1871.
Ama de leite.
PrecUa-se de urna ama de leite, exige-se bom
leite e boas informales : na roa da Concordia,
sobrado n. 10, 1* andar._________
P andar, pintado e preparado-
de novo.
A pessoa que tinha alagado o 1 andar ra do
Padre Florlano por motivos qoe bouveram derxon
de o ir oceupar, o que se previne qiellas pessoas
que pretendiam dito andar e que se Ihe diiia- es-
tar alugalo, que se ainda o quizerem dirijan-se a
rna larga do Rosario n. 22.
Precisare de urna ama ou escrava para en-
gommado, paga-se bem : na rna dos Pires n. 32.
Veode-se ou aluga-se um sitio no Ai- m
S raial lugar denominado Coqueiros, ira- J
91 vessa do Acode n. 2, com 305 palmos de I
t frente e 2.000 pouco mais ou menes de
S fundos, lem casa scflrivel, cacimba nova
I e excedente (a prova dos mais rigorosos
Mi eslisever5e?) com banho derepucrio ai>
5 xa d'agua e banhelro imples e de choque
I encarmenlo d'agua para dentro de casa
gg e para a horta. urca grande parle do sitio
s,plantado de diversas frncteiras das
H quaes, j algumas do producto. 0 dito
sitio torna-se recommeudavel pela sua
S posieao e vista pitoreseo pela frescura e
| salubridade do ar e dista apenas oito oo
dez minlos da eslacSo da casa Amarella
? como a da Porta d'Agua : a iratar no mes
B mo ou na rna .Nova o. 23.
VM
Precisa-se de urna ama
para comprar e cosinbar : a
iratar na rna da Alegra n. 5.
I' de-se
A nuem tiver adalo bonlem um vale da quan-
tia de' 100* a favor de Manoel Jos Fernanda
Barros, o favor de entregar na ra da Cadea n.
So, armazem, tMo que de nada vale a oulra
qualquer pessoa._______________________
Aluga-se nm molequee urna escrava : .i :
ar na ra do Queimado n. 2._____________
TR1LH0S URBANOS
DO
Eecife Olinda
e Beberibe.
Avisa-se aos senhc res accionistas qoe a su*;
da as?erobla geral para a conclusio dos seus ira-
balhos i( bre a reforma dos estatutos foi marcada
para o da sexia-fcira Odo corrente, as 10 hori-
da manha, e a reuniao ser no mesroo lugar di*
anteriores.
Recife 13 de miembro de 1871.
O 1* secretarlo,
Luiz Lopes Castello Branco.
ALUGA-SE
umaeserava para o servido de um estabelecimen-
to : a tratar na rna do Imperador n 79, Ioja.
Restaurant de Pars.
lina das Larangelra* n. 4.
Precisa-se de un bom coiinheiro e paga-se
bem.__________________________________
Jv ^ Precisa se de urna ama que
^\ ^\^^N oo2nhe e compre : 3a raa
^St \A) VW das Trncheiras n. 40, primei-
ro andar: paga se bem.
ADVOCACIA
BACHAREL
J. B' P. Corte Real m
8 Ra do Imperador b. 12. H
M-ttlIHllttpiil^
Sustento restrurativo dn
saude
PELA VERDADEIRA FARI.VHA
A, DoBarry dAraba
Os abaixo asssigoados fazem sciente a seus fre-
guezes, que pelo vapor ioglez fui-Plata receberara
Jegunda remes-a d'e>sa exeellente farioha, cuja
uso muito se recommenda para as chancas, pes-
soas debis e convalescentes, applicada ara rico-
ohecida vantagem as constipacoes, diarrheas,
nausea do estomago, tosse, escarro de saogue,
phthysica, etc. etc. Preferida ainda pelo Dgrad.vtl
?abor,Uniricoa onira qualquer._______________
Na ra do Ko.ario da Boa-Vista n. t8, prt-
cisa-se de urna ama para cozinhar e lavar.
Aluga-se
Urna casa terrea com solio e boas aeconnni"
dacSe?, concertada e pintada receniemente,. na
liba do Retiro, Passagem da Magialena : lrit-e
na roa do Vigarie n. 4 _______________
Preciia-se de urna ama pa-
ra o servico de casa de pouca
Emilia : tratar na na- da
Cruz n. J8, 3 andar.
Para festa
Alaga-se urna casa em Caxang, com boai ae-
comodaedes, ao entrar da ponte do lado esquer-
do : i tratar na ra do Vigario n. 19._________
Sociedade Liberal Un o Be-
nefcente.
Em eumpriuento asrdeos do Sr. precenlo
convido aos senhores membros do conseibo admi-
nistrativo para urna sessio extraordinaria, qoe
deve ler logar no da 20 as 7 horai da noite ; as-
sim como aos snoores candidatos j approvaac?
socios effectivos e offlciados para virem presn
juramento respectivo, ecommis.5es quer aottas
quer ltimamente nomeadas satisfazertm seun
compromissos sociae?, segundo as reltcoss inm.i-
das, do que devem e>ur sciente..
Secretaria da sociedade Liberal Uniao Benflt-
cente em 17 de outubro de 1871.
O Io secretario,
Theophilo Pedro do Rosario.
Alagase o 2* andar d) sobrado da roa f s-
trelta do Rosar o n 31 om hastant'j comino '"s
parafimib'a e moito fre.-c.i: i ir Alar na L L-. i'o
ramo ariK3;fir do Mjrrira.
V


D dro de JPernajnhuco Quarta eira 18 de Outubro de 1871.

k^
1
ii

i
, -1


9

CASA Di FORTUNA
Aos 5:000*
Bilhetes garantidos.
k ru Primeiro de Mirco (oatr'ori nu to
Crespo) n. 23 e casas do cosame.
O abaixo assignado, teodo vendido nos seas fe
Uzea bilhetes nm qaario n. 918 coto 5:000*000,
om ioteiro o. l25 cora 800*000, nm qnarto n.
946 com 300*000, um quarto n. 115 eom 100*.
nm mel n. 36 cem 100*000 a outras sortea
da iO* e SO* da lotera que se acaboa de extra-
bir (110*), eonvida aos posguidores a virem re-
cebar ni conormidade do cosame sem descont
algum.
Acham-ie i venda oe bilhetes garantidos di
15.a parte das loteras, a beneficio do patrimonio
dos arpbios (211*), que se exrauir quiota-feira
19 do correte mez.
PRECOS.
Bilhete inteiro 8*000
Meio bilhete 3*000
Quarto 1*500
Im porcao de 100*000 para cima.
Bilhete inteiro 5*500
Meio bilhete 2*750
Qo?rto 1*375
Manosl Martins Finia.
Jornal das fa- m
milias. 5
Asignatura por anno 12*000 : na li- gH
vraria econmica, roa Primeiro de Marco I
n. i.
Fago ver ao publico e a todas as autoridades
policiaes desta provincia ou de outra qualquer on-
de fr encontrado o que ab lixo se declara. A ma-
neira de que se toma posse do albeio eootra a
vontade do en dono por mais tempo do que
aquillo que se trata.
No dia 9 do correte mez, as i horas da tarde
foi um cidadio brasileiro na cocheira da ra da
Roda n. 15 alngar um cavallo pelo preso de 5*
para ir oo logar denominado Salgadinho, que ti-
ca junto de Olioda, para entrega-lo as 7 horas da
noate do mesmo dia, e como at ao presente o
nao teoba feito olo se sabe qual o motivo porque
nao se entrega o albeio a seu dono pelo tempo
que trato a ; por Uso quem de? te dr noticia ser
recompesado pelo dono do cavallo e Ihe d mais a
preferencia a qoem Iba dar noticia do supplicao-
te do que mesmo do proprio cavallo, para que fi-
que sendo coohecido pelas autoridades policiaes e
mesmo pelo publico o modo de vida que tero.
Os signaes sao os seguintrs : o cidade de
cor parda, traja va roapa preta, chapeo de man-
lha, cavan naque e bigode, iJade vinte e cinco a
trinta anoo. Os signaes do cavallo, lazao roziTho
foveiro, -pode ter det a doze annos, os ps caca-
dos de'fcranco e 'rente aber!, urna terida as cos-
tas do lado direito, relado nos dous joelbo*, tem
ama ^obre-cana quemada na mao direita os fer-
ros, cujas iniciaes vem a ser J. B. P. oo quarto
direito, nao se sabe pintar os frrea do quarto di-
relto, mas tom no quarto esquerdo ferro de novo
eom a marca de sea proprio dono.
SEM CAMBIO
Troca-se rooeda de cobre, qn&niis, nunca infe-
rior a 50*000 : quem pretender dirija-se praca
da Independencia n. 39. loja de calcado dos Srs.
Porto & Bastos.
Famoso pinho de rezina por prego que ninguem
f.oe vender : no armazem da bolla amarella no
oito da secretaria da polica._______________
Precisa-se do um escravo de boa conducta
para todo o servico. paga-se bom ordenado : na
roa do Raogel o. 9. ______
A viuva & Filbos de Joao 1 iaquim de Souza
Abreu e Lima, com loja de sirgueiro ra do Ca-
bula o. 1 B, aviaam a seas devedores qae deixou
deer sea cobrador o Sr. Herculano Daniel da
Silva Loarino desde o fin de fevereiro prximo
paseado, entregando a procuragao que Ibe Gavia-
mos onihorgad 3, nao levando em conta qualqoer
recibo passado posteriormente.
Precisa-se de nm moleque de 10 a 12 asnos
para ijadar ni frvido de casa a nroa ama que
serve a urna familia composta de 3 pessoas : a
ra Duque de Casias n. 73 4* andar__________
SITIO
Alaga-fo o granie >itio da es!rad* do Rosrinho
o. 10, coib caa para numerosa famHa e era bem
estado, havendo muita diversidade de fructas, bem
orno pode tieteotar urna porgao de vaccas, todo
jdo.i, aindi mesan na maior'ferca da secca, por
ter urna grande baixa d- capim, qne nunca seca,
.na distancia para qaalqaer dos trilitos urbanos,
Eacrazilhada de Be'.m, oa Tamarineira, se pode
gastar de cinco a seis minutos : tratar na roa
da Madre Dea* n. 30.
Sitio e padaria.
Aluga-se a padaria da Encrozilhada da Tama-
rineira o 3, com quasi todjs os u'.eneilloj, e o si-
lio muito grande e oom, cora bastantes arvares de
fraclo, e a estagao dos trilhos urbano?, junto :
tratar na ra da Madre de Deus o. 30.
Aos 5.0C000O.
Bilhete garantidos da pro-
?laela.
Ra do Baro da
Victoria,
Outr'orarua Nova n. 63 e casca
do costume.
'. O abaixo assigoado acaba de vender entre o.
saos muito felizes bilhetes a sorte de 5:0004001
em amanarlo de o. 918, a sorte de 300* em um
quarto de n. 2916 e um quarto de n. 115 com a
sorte de 100*, alm de ooiras sortes menores de
10*000 e 20*000 da lotera que se acaboa de
extrabir (210), podendo seos possuidoret \irem
receber, qne promplamente sero pagos.
O mesmo abaixo asignado convida ao respa-
lavel publico para virem ao seu estabelecimenti
comprar os felizes bilnetes garantidos, qne ni<
deixar de tirar qualquer premio como prova pelo:
mesmos annuncios.
Acham-se venda os muito felizes bilhetes ga-
rantidos da 15" parte das loteras em beneficio do
patrimonio do* orphaos, que sera extrabida no dia
quiota-feira 19 do correte mez.
PRESOS.
Inteiro 6*000
meios 3*000
Quartos i*500
De 100)5000 para cima.
Ioteirc 5*500
Meios 2*750
Quartos 1*375
Joio Joaquim da Costa Leita.
FEITOR
Precisa-se de um feitor para o engeoho Mega
da comarca de Goyana, tratar no mesmo enge-
nho com o proprietar6 o Sr. Henrqoe Olyropio
Tavares da Rocha, ou ne9ta praca com o sea cor-
respondente Joi Pereira Moutinho, em sen escrip-
torio a roa do Mrquez de Olioda o 38.
Livraria econ-
mica.
Grande sortimento de papis pintados
e dourados para forro e guarnicao de
sallas, gabinetes, etc. etc.
Livraria econmica, rna Primeiro de
Marco o. 2.
AUDACIA
A exeraplo da Zulmira r.ie-sa comprar tirlo
e outros igaaes. Depols temos o seguro.... E' sem
davida bom meio de nao precsar fazer caucues
era descontar papagaios.
O Cognac.
Attenco
Furtaram na norte do dia 7 para 8 do cor-
rala mez, do engeoho Garja de cima da fregu-
zia de Jabcatai, ir? ea-vallos, sendo um rayo t-
lhadoeoai algumas pintas de pedrez, ja velho e
castrad anda baixo e est gordo, outro -castanbo
escuro, grande, com urna estrella pequea na
testa, tea uti p<; alfada, ardigo e castrado, e o
outro casuolio escaro, cora oe quairo ps calca-
dos e ama Jistra graode na frente, ioteiro e ar-
digo, e todos tero o ferro MLS. Rogase as autori-
dades policiaes- e a qualquer pessoa do povo qne
os encontrar au poder dar ootieias exactas, o fa-
vor de dirigirera-se ao dito engeoho, onde serio
ajratifleidos com 100*.___________________
O grande rancho do Ba nos Afogados, arhan-
de-se novameote preparado nao so em coolinaa-
cio do trato de todos os cavallos dos sertaoejos,
com as mesmas garantas, que sempre teve como
tambero para receber desta praga qualquer ca-
vello para sct tratado conforme o osto de seu
deno senJo lado commodo e fav ravel pelas gran
des porpo?5es que tem o mesmo rancho, qaem
liver cavallos e quizer experimentar ver com
que facilidade, se tem um cavallo bem tratado e
seguro sem pagar Janto dinheiro qntnto pedem
as coxeiras : quem precisar ierija-se ao rne-in
rancho qne faltar com os proprietar.os Jos Ha-
rinfco de Hollan'a Falcao e Antonio Gomes de S
Leitao._________________________________
Com urgencia
Ppe:sa-se de um.i am de leite, qae te
nha abundante e bom leite ; sem filho, pa-
ga se bem, que qu>zer dirija-se a csia ty-
pographia no.I* andar a fallar-cora o ad-
ministrador.
| FABRICA *
1CBAPE0SI
m DE Mj
Todas as cualidades
g B, 24 fiia larga do Rosa- g
rio la'HV andar
Club dos proprieta-
rios
k cororoissio incombida" da redaccSo da peti-
cao de queixa ao Exm. Sr. preidote da provin-
cia, contra os'abasos da execocio dos trabalhos
da empreza Reeife Draioage coovida aos Srs.
proprletarios para eoderessarem suas reclama-
5aa oil declararem as videncias soffridas em
seus direilos, oo escriplorio do Dr. Joaquim Jos
da Fooceca, pateo de Pedro o. 6, oode se reu-
nir a referida commlssio, at o dia 18 do cor-
rete aflm de serem alteo :idas e devdameole
contempladas ot citada pelicao.
A commisso convida anda a aquelles dos Srs.
proprietarios qae arada na> se ioscreveram raa-
los, dirlgiodo-s ao estabeleciraeoto do Sr. Rioeiro
ra do Imperador n. ii, onde encontraro o res-
pectivo livro.
. ROUBO.
A pessoa a inem se offerecer um relogio ame-
ricano, grande, de parede o. 391; appreheodendo-
o e levaodo-o ao largo da Ribeira de S. Jos u. 9:
nao s se recompeosar como flear-se-ha obriga-
do ; assim como se proceder contra quem tal oe-
gocit flzer.
Pai-se oegocio com o estabelecimeolo o. 55
da roa Duque de Caxias: a tratar na mesma.
Precisn-se de urna ama qae coziohe
bem o diarlo de urna casa e qae faca
algumas compras, Jaodo-se om mole-
qae para as ir bascar : na roa do
Brora o. 78.
COMPRAS.
Nesta typograpbia
sagrada por Piobeiro.
compra-se orna historia
VENDAS.
nelhor tarde que minea.
Tabicas de caooa da Iodia a 500 rs., proprias
para os cavalleircs.
Chapmau's
Rus do Imperador numero 29.
Cemento Fortland.
O mais superior que tem viudo a este mercada
em barricas de 12 arrobas, forradas com arces de
ferro : no trapiche Guerra, oo Reeife. ______
Oarteira
Vende-se urna carteira para escriptorio e al>
gaos objectus o mesmo : tratar na ra da Ma-
dre Deus o 30.__________________________
Com o devido respeito
Sim, com o devido respeto que os proprieta-
rios da Confutara do Campos, sita roa do Im-
perador u. ii, a cuja frente se acha collocado
um grande lampeao qne se conserva aceso noa-
te, que vera scieotiflear ao illustrado publico des-
ta cidade e seus suburbios, qae all se encontrar
constaoterrente o segrate:
Fiambres promptos iuteiros e as libras.
Puddings de diversos lmannos.
Bolos inglezes e francezes.
Pes-dc l.
Pastis folhados de fructa, de nata e de crme.
Empadas de diversos lmannos a qualidades.
Doce crystasado, secco, em calda e ralado.
Paslilhas de hortetao pimeota.
Amendoas confeiiadas, com casca e descascadas.
Coofeitos, per-linas e boaboos.
Bolmhos seceos para cha.
Laoches diversos.
Gervej, cfaampagne, viohos, licores e cognac.
ASSIM COMO:
Apromptam qualquer encomraenda de bolos e
assados, pois para isso teem ama bem miniada
fabrica.
E convidamos as Exmas. familias virem visi-
tar o nosso estabelecimento, pois ne'le encontra
rao sempre agrado e sioeerdade.
Vinho tinto e branco supe-
,iior
!e carcavellos (em- para vender em caixts
de orna duzia Joaqoim Jos Goncalve* Bel-
trap, roa do Commercio n. 5.
Uadeiras.
Novo sortimento de cadeiras francesas
venda no armazem de Tasso Irroaos & C ao
caes do Apollo.
Relogios de onro e
prata
dos melhores fabricaotes inglezes, francezes a
suissos, vendera-se por pre;cs muito rasoaveis, oa
N. 5.
loja de joias Esmeralda
BA DO CABUG
. Espanadores
De Dalba o mais bem feito qae possivel e
mais barato do qae em outra qualqoer parte, na
praca~ da Independeocia os. 35, 37 a 39.
Ao publico
Ra do Imperador 24
Ao publico sem dovida a quem nos dirigimos,
pois para isso facemos inserir nesta jornal nm
aonnoeio que deve ser lido por todcs com maita
atteocio.
Nio vimos com phrazes bombsticas, procurar
convencer o respeitavel publico qae acabamos de
montar ama fabrica e loja de cooTeitaria, paste-
laria e culinaria, soraente com o malicioso nm da
chamar attnca para o csso' estabelecimento,
somos amigos do progresso material desta pro-
vincia, occorreu-nos por isso, a idea de facilitar
a Qualqoer- habitme della, a munir-se eom pres-
teza a qaantia resomida, de qualquer objeeto ten-
dente ai tres artes aeima referidas, estbelecendo
para esse flm ama eoofeitaria a ra do Imperador
0. 24, sob a seguinte denominacao
__ CONFE1TARIA DO CAMPOS._______
A 4$500
Vende se borzeguins para homem, obra taxiada
e bem feta, pelo diminuto preco de 500 : ve-
nham ra da Imperatriz n. 68, loja de miodezas.
proprios para suspender barca-
das e hiates, vende-se na ra da
Cadeia n. 39.
D
ar-
il
5'
2

"gg1
I*
h

(5
Papel para impressao,
Vende-se por preco muito barato, haveodo tres.
tamaohos:
Alves & C.
oa ra da Cruz n. "A, armazem de
A' ra do Comraer jo n. 10, escr>ptoi
rio de Jos Joaquim da Costa Maia, en-
conlra-se para vender por commodos
precos :
Azulejos hespaohes.
Folhas de ferro galvanizado para telha-
do de diversos tamanhos.
Ditas de dito dito lizas.
Bicas de ferro galvanizado.
Cumieiras dito.
Portadas completas para cantara.
Ladnlhos.
1UTOM.1
Attenpo
de 10 a 40 serras. Machina
tres cavallos : em casa deSnaw Hawks & C, ra
do Bom Jess n. 4. aotga ra da Croz.
Precisa-si de urna pessoa para tratar de
ama doente e paga se bem : no sitio da o-trada
-velba'doCiiora-.:-:enno, moradia do padre Fran-
cisco Jot de Azevedo.
Attenco
i
Cuia pessoa que mandoa buscar na Prusaa, urna
ambiaJancia boueopatilica, aflm de retirar-se para
oserto, mas sobrevioio novas resolucdes, teociona
retirarle para Eoropa, por este motivo expe a veo -
da; quem qoiier, pois.moair-se de medicamentos
de pieaa eonflanc. approveitar a occaaio ; d-se
ludo pelo eu.-t), m de liquidar. A saber : 99
vidros de tintura mi. 253 vidros sonidos de tin-
tura dyoamisada, 139 vidros de 4 graramas com
glbulos preparados, esseocia de rnica, globolos
inertes, assucar J4 ieite, npodeldoc de llhus, bryo-
nia, rnica aleool de 93 e 60 graos em vidros fino?,
vidros sortidos, carteira* cheias e variis de 40 tu-
bos, caixiohas de madeira para 60 e 140 tubos,
acerados para golpes, taffeta de rnica, etc. etc., e
bem assira 2 armarrahos de amarello e 2 banqoi-
nhae para ditos com lampo de marmore, e 1 car-
teira cirargica para algibeira: roa Imperial
sobrado o. 98, a qnalqner hora.______________
Aluga-se
O armazem do sobrado da ra do Araorim o.
Si, eom daa frente*, oo Reeife : tratar oa mes-
ma roa o. 52, armaz*>m.
Se o desejo dos proprietarios desta fi-
brica fosse unicarriente Iludir a f pu-
I blica, ha muito que ter.'am annnnciado
d os seas producto?, mas para e irrespon-
j- der&in mala digr,. i-.-n'e caslianga nel-
3a les depositada, es^eraram receber os
objectos e passoal, que acabara de che-
5 gar-lhes.
H.ije, pois, qae saa fabrica se acha
montada com as maia aperfeicoadas ma-
coioas, com os melhores petreehos e ser-
vida dos oais peritos offieia^s europeos,
podem os seus oumerosoa fregutzes e
o publico era geral encontrar desde j.
Chapeos de eda da ultima moda, seu-
Sdo altos f. baixo.
Ditos de castor de todas as cores, em
I formatos inglezes e amburguezes.
Ditos de feltro de todas as qualidades
_ e feilios, tanto para bomem como para
91 cnangas.
Ditos de velludo para tohcra.
Ditos para ecclesiastico*. redoudos, tri-
angulares e a romana.
Ditos armados para.militares.
Ditos de pana
Coneerta-se toda a especip de chapeos
quer de hornero quer de seuhqra, com a
^ maior pericia e mais barato qae em qual-
I quer outra parle, assiai eorao se rece-
Mj bem eoeomraeoddS ianlo para a provio-
5 cia como para fra.
Vende sa a taberna sita ra da Sozala nova
ns. 6 e 22 com poneos fundos: a tratar oa mesma.
Vende-se duas parles do sitio da Capan*
ru.'i das Pjrnambucanas, qae periencem ao naaf
do fos Antonio doe Santo C'elho : a tratar na
ra do Bario da Victoria o. 9, loja da Turqueza.
DESCAROQAR
ALGODAO
a vapor, forca de
i

Fiedius a venda-
Vende se dous sobrados novos cora jardim ao
lado, assm como dous terrenos, um ao lado de
un dos predios. outro defronte, situados oa tra-
vessa de Joac Feroaodes Vieira, vulgarmente cha
mado Jo Padre Inglez : a tratar no eseriptorio de
S. P. Johnslon & C, ra de D. Mara Ce-ar o. 42.
ttenpo
Deseja>se fallar eom o Sr. Luiz Caetaoo Borges
a negocio de sea iolerosse : na ra do Commer-
cio o. 30.
AFERIQAO.
O abaixo atsigaai), arrematante da afericao dos
pesos e medidas deste municipio, participa aoa se-
OBores comm^rciaotes dos estabelecimeolos sujei-
los a este imposto, que desta data em diaota sa
a-Ju aberta a dita afericio raa ettreita do Ro-
sario n. 31, nos das olis das 9 horas da manuaa
s3 datard?. Outro sim participa que os seus
erapregiio a) os mesmos Ja afartco passada,
os quaej es) miorisados pelo mamo abaixo as-
aigaid. e si) >m Srs. Sebastiio Pererra Pint, Fe-
lipje Siqiag) di Torres Giliodo e Joaquim Can-
* ^rreiri da Laz. rVciP 18 Je oaluro de
W'i /o-uJaotor.
I'EDIIIII
E' o que exig'mos de certo professor particular
oo pateo dj T...., que oio abaodooe a aula para
andar pelas roas a pedir diariamente dinheiro em-
prestado (para nunca mais pag r) a qoem o co-
nhece, e pelo amor de Dos, que est morreado
de fome, a aquelles que ignorara quem i o Sevan-
dija.
Aluga-se o i* aadar a os dius armazens tta
casa da ra do Vigario o. 3, proprios para eserip-
torio e deposito de fazindas por ter grande i ac
commodacSas : a tratar com Manoel Alves Guer-
ra, pai ou filho.
Precisa-se de ama para casa da fa-
milia: na raa i) Vigario n. 26, pri-
meiro aodir.
AMA
Povoado Monvs.
Cooslando ao abaixo assigoado que alguem mal
intenehoado anda propalando que elle tem letras
vencidas a oaj pagas, vem pelo presente declarar
que a falsa semelbtote asseveraci).
Povaaio Montes 17 de outabro dj 1871.
Joo RuBoo da Silva.________
Pagase o terceiro divijeado da raassa lal-
lida de Seqaein & Pereira, ni razio de 2 O/o. a
roa d, M*r ji-t de Oiioda, esaripjorio n. 49 ; de-
venro n< .-;.-. crvlort at|r-sfr,,arpT> jj eus-res-
1 IUIV-
1.11 Vil lili
P>-los uUimcs vapores, chegou para o armazem
do Campos da ra do Imperador o. o. 28, os ge-
oeros seguiotes :
Chocolate rap, ou eacau paro soluvel.
Ceite condmsado o mais superior.
^ueips LoHdrino?, Flameogos, prato, Minas e
dosertao.
Presuntos e toucioho ioglez.
Jerveja Maine?, Noruega, Bass e Gaioss.
Ca muito superior, graado e miado.
Alem disso
O Campos tem feito reunir em sea armazem, os
vveres mais aborosos e superiores, querendo
por essa /jrma entrar^ em competencia com os
seus eoUegas. na venda dos gneros proprios para
mesa, e dispensa, desde a mais raodosta at a
abastada e bem soriida de iguarias tinas e gratas
ao paladar. -
Nioguem por certo, pori duvida no aeima dito
pois que j lulos sabara que oofe se encontra o
BOM no armazem dp
CAMPOS,
Hua do Imperador o. 28.
Sitio venda
No Arraial roa da Harmooia. veode-se um si-
t'o, todo plaotado, boa casa e baoho, qae se torna
recommeodavel, j pela sua collocacao topogra-
phica e salabridade que gosa aqoelle pitoresco
arrabalde, e j pela modicidade com que se pode
fazer lio ptima acquisicio. As pessoas que o
desejarem pdem derigir-se para infurmac5es
roa do Livrameoto, armazem do Balisa._______
Para noivados.
Fitas especiaes e preparadas para lacos de cor;
tinados de cama : recebea a Nova Esperanca,
raa Duque de Caxias o. 63 : a ellas antes qae se
seabem, pois vieram somente sei--, e sao liodissi-
mos.
| inniii I
I Popelina de seda 0
& Com toque de avaria j
& A ra do Crespo n. 25. O
0 POPELINAS DE SEDA liodos padrSes
Joaquim Jos Goncalves Bltrao tem para
vender no sea escriptorio ra do C immer :io n.
5, os geoeros abaixo Dotados, que veods mais bi-
rato do qne em outra qualquer parle :
Azeitooas em ancoretas.
Amendoas em barricas.
Caf muido em massos de i libra.
Chapeos do Chile de boa qnalidade.
Cognac marca marlel rres.
Eoxadas.
Farioha de mandioca de Santa"; Catbarina, 'sac-
eos de 3 e 2 alqoeires.
Dita da Babia em saceos braocos.
Dita de dita em barricas, proprias para easas
particulares.
Fio de aigodo da Baha em novellos.
Fooces.
Maxados.
Nozes.
Obras de palhetas.
Papel proprio para cigarros.
Dito azul para botica.
Palitos para denles.
Pregos sortidos.
Panno de algodio da fabrica de Todos os Santos
de Pedroso na Bahia.
Rolhas.
Rap popolar da Babia.
Bolim era fardo?.
Retroz dos melhores fabricantes do Porto-
Tapioca do Maranhao.
Tabaco simonle da Bahia.
Verniz copal.
Vioho do Porto engarra fado, caixa de 12 gar-
rafas.
Dito de dito em barris, proprio para engarrafar.
Dito moscatel, verdadeiro de Setubal.
Dito Bordeaax em caixas de urna duzia.
Dito de caj em caixas de ama duzia.
Superiores cigarros do Rio
de Janeiro.
Domingos Alves Mathens, nico agente nesta
provincia da fabrica imperial de cigarros de S
Joao de Nitherohy, estabelecida oo Rio de Jaoeiro,
tem sempre um completo sortimento de todos o:
cizarros, fatuo picado e en latas. Tem igaalmeote
os afamados cigarros Conde d'Eu, feitos com mag-
nifico papel de palba de railho e fumo superior
Para goveroo de seas fregaezes, que tem estbele-
cido depsitos fillaes, oas casas dos Srs. Thomai
Fraoeisco de Salles Rosa e Manoel de Souza Cor-
deiro Simoes Jnior, oo balrro do Recite, e todo
qoanto for vendido em outras casas com a firma
de Souza Novaes & C. sio falsificados.
Ra do Brao da Victoria
Alltifrl lll N< Vt p. 2.
Amaia", Nanoco C. convidara es eus-ami-
Sts e freguezes a virem so Hazar Victoria para
apreciar o apurado poio ovm q0e %j0 ten0i d
verses arllgos qocrcctbciam altirLamente da En-
rona, a "ber :
Vestidos de blonl cora veos e grinaldis para
casamtnlos.
Ditos de seda lisos e mttisidcs
Ditos de fil de seda ricameole bordados a c-
res.
Ditos de chit e de ganga com todos os enfei-
tes necessario?. .
Ditos dt cambraia Victoria fioissima.
Camisas bordadas para senhora e feomeci.
Saiis e pentiadores bordado?.-
Meias finas de aigodo trancas e de cores para
seonora.
Sahidas de bailes e boumtx de casemwo.
Rasqu as de se la prela.
Ricas (rochas de Isbyrinth > bordadas.
Ct'lxas de seda, de lila e sedi, de algodio, fus-
tao e la pura.
Aia de mosca de todss as cores, nrr.s fazen-
da especial para cubrir quadro?, espelhor
retratos, demasiadamente transparente e prepa-
rada de forma a avilar completamente o p.
Cfeleriuhos e punhos de papel.
Cliapdos dn seda e de vrllud) para senhora e
meninas.
Fil&8 mconicas de diversos graos.
Pe fumarias de diversos fabricantes, leos, ba-
nhas, extractris e pos de arroz etc. uc.
Um completo sorti nenio d-> carteiras do mar-
fim, tartaruga, madreper. la e couro da Rossia,
indispensaveis de zouras e caivetes muito finos.
Um completo sortimeni de chapos de sol de
seda, bengjlljs de canoa, Calea, borracha e ma-
deira.
Charutos superiores, fumo inglez para cachim
bo, carteiras e boleas de seda pira o mesmo e
outros muitos onjeclos.
Um completo sorlimeoto de espelhos doarsd-;
de diversos tamanhos, de i a 25/.
Sabonete ioglez em caixinhas a 11500 a duzia.
Querem comprar ?
Gnardapisa para vertidos ; preto on branco?
Papa-lraa, larga ou cstreita ?
Lencos de linho, bordados cu lisos ?
Bonitos leques, os-o cu sndalo ?
A Nova esperaoga qaem em I 11
E no vi (I a de!
Acaba de chegar a Nova Esperanca roa Duque
de Caxias d. 63, boceces e bonecas, sendo de mo-
des inteiramente novos, vindo tnlre elles os en-
gracados bonecos de borracha : para que se cat-
gara? quando quizerem comprar noahroer objeeto
sendo bom, bonito ou encragado, erebrem-se logo
da Njva Esperangs ra Our,uc; de Caxias o. 63.
mmmm
KSvendeQ cerveja m yense e vioho do!
SJllheno.
m
Aenco!!!

m
a 500, 600, 800, 1/000 e 1/200 o cova
do. -
MADAPOLAO a i/000, i/500 e 5/000
a peca. _
ALGODAOZINHO a 1/800 e 3/000, e
com 20 varas a 5/.
CHITAS ROX\S a" 160 rs o covado.
CHITAS PRETAS finas a 200 rs. o co-
vado.
BAREGE para lulo a 210 ris o co-
vado.
ALPACAS LAVRADAS a 500 e #00 9t
t. o covado. fy
Loja de S
Aproveitem a occasiilo da
pechincha
Tataeres muito[finos de dous botoes a 3/600 a
duzia, ditos de um botio a 3/ a duzia, talheres
era vados, cabo braoco e preto. a 2/ a dnzia, ditos
a 1/600 : ds ra Duque de Caxias, antiga do
Qneimado ni 111_________________________
Borros hespanhoes
Aeabam de ebegar no brigue Bella Figueirense
ious barros muito grandes e bonitos proprios para
tirar raga : a tratar no e.-criptorio de E. R. Ra-
bello & C roa do commercio o. Vi.____________
CHOCOLATE EM Pf
a 3/200 a libra, em pequeas latiohas: s no
armazem do Campos roa do Imperador o. 28.
Cemento Fortland
Em barrieas de 13 arrobas prego mais com-
jiodo do que em outra qnalqner parte, vende-se
nos armazeos de Tasso lrmios h C
Rna do .Sarao da Victoria nume-
ro 53.
Os proprietarios do amigo e acreditad > deposito
de pao roa do Bario da Victoria o. 55, teodo-o
reformado completamente, veem prevenga do
publico aonuociar os obj(c'os que tem venda
em seu estabelecimeolo, e para poupar it.mpo li-
mitm-se sneote iossegointes: bolachas fabri a
dis com a meihor farinha d: trigo, bolactrohas d
araruta, bisc.itioho?, fatias torradas, caf mado,
assucar, farinha do reino e cb de meihor qual'd:-
de. No mesmo deposito vender-se ha charutos da
Bahia das seguintes marcas: oper?, raoueos, bis
mark, regala britnica do afamado fabrico1
Gustavo Alberto; tambera existe no dio deposito
charutos de Sima", imperiae-, amadores londrinos
ojera e leaes. e d mais qua'idadea, asim eofW
cigarros de diversas qua'idades, e tioatmeo'e o
especial pao Rxmooda.
Uoio approva lo pela laataaofo de saode pobliea
roa do Bar) da Victoria n. 55, de
' __________Brmanni i f. ^^^
Veode-se na ?niiu;i m Dreit. boje Marci-
lio Dias n. Or, quet'n* ntiio h*escjss dos ltimos
chegaios a 2/e 1/iOO, larloba de railho de todas
as qustidadfs. ahAaxis rnait) maduros, vioho do
Porto muito Un) a 12 annos engarrafada, otro'
amitos genero, por seu don i qo-rer acabar com
o estabeleeQ^en^,.
Vende e papel de iedt m. jainj para el-
garro^: ai fabrica ActiTi.'ii r;.a Ja Trincbfi-
ras n. W
Grande pechincha
Damasco de la com 9 palmos de largara, fazen-
da prapria para colchas de cama e cobertas da
piano, pelo baradssimo prego de 1/500 o cavado,
alpacas de cores de padrdes miados a 500 rs. o
covado, lias de cores mesclidas e de lindos pa-
drees a 320 e 280 o cova lo, cambraias de cores a
280 e 2M> o covado: na; loja dos arcos ra !
de Marco (antiga do Crespo) o. 20 A.
ATTENCO
Vende-se um sobrado de um andar e sollo
novo e omito.bem acabado, com terraco oa fren-
te de detraz, cozinha tora, morado, contendo qua-
iro meias aguas de pedra e cal, qae rende cada
ama 8/000 raensal, tudo no fundo do mesmo so-
brado cito na ra de S. Jlo, freguezia de S. Jos
desta eidade : tratar na mesma ra, casa nu
mero i. __________
Vende-se ama machina propria para tirar
agua e descarriar aigodo, assim como ama car-
reca em perreito estado : a tratar na ra Impe-
rial p. 5, aodar terreo.
A 8^000
Vestuarios francezes de la de nma s' cor para
meninos de i, 4, 5 e 6 aonos, todos tem toque de
mofo, qae m.'l se perceb, sao forrados e moito
bem eiMeitados, formando jaquelinas, caiga e co-
lote, nunca se venderam por menos de ii/ e 15/,
e Vndem-se pelo prego de 8/, por cjusa do mo
fo : na loja do Pafigaio roa da Imperatriz o. W,
de Meles & Camino. ______
Farinh \ d mandioca
Vende-se a 2/000 o sacco, na rna da Madre de
Dos n I.
4--Ku.do Apollo 4
Joao do Reg Lima & Filho tem para vender, 20
0|0 menos que cm outra qualquer parte, o se-
guinte :
Linguicas ias Unas em latas.
Alcatrao e-a barris.
Vinho do Porto fino era caixas.
Dito Bordeaux dito dito.
Relogios de pareae e cima de mesa.
Novidade na loja das
seis portas.
Lazinhas de cores n:odernas Droprias para a
eslago presente, qae se vendo pelo baratissimo
prego de 400 e 500 rs. o covado, madapolo fran
cez muito largo a 6/300 a pe;a.
Ha tambera ama grande por cao de inhas de
novello de nmeros 60 a 120 que se vende
pelo diminalo prego de 1/400 rs. a libra, fazen-
do-se differenga era porgSes de 25 libras para ci-
ma ; oa loja das 6 porlas em frente do Livra-
ment.
Loja do Pavo
SA8 BRANCAS BARATAS
a 20500 e 30000.
O Pavo vende corles de boa fazenda
branca coro bonitas barras de pregas, pelo
baratissimo prego de 20500 e 30000 cada
ama, grande pechincha na ra da Impera-
triz n. 60, loja do Pav5o.
MODERNAS BAREGES COM LISTRAS Dt
SEDA E FRANJA AO LADO,
a 800 rs. o covado.
Chegou para a loja do Pav5<\ ra da
Imperatriz n. 60, um elegante sortimento
das mais lindas bareges modernas e teodo
ao lado bonitas listras asselinadas e franjas
para os enfcites, as quaes se vendem pelo
baratis.'imo preco de 800 rs. o covado, prr
baver um grande sortimento desla nova fa-
zenda ; assim como delicadsimas bareges
com lindas listras de seda, sendo fazenda dt
muita phaotasia a 640 r.. grande pechin-
cha, no armazem do Pavo.
Para o dia de fi-
nados.
Ns ra es'.rtia do Rosario n. 31, 1 andar, tem
para vender ricas capellas para tomulos de anjos,
donzelas e defonto, de saudades r-xas, cravos,
perpetuas e sempre-viva, e mesmo flores bran-
cas, sendo as capellas com le'reiros de onro com
qualquer distiuegio que se queira ; j se acharo
prompla?, e por prego moto em eonta. Na mes
raa casa preparara-se bouquets da gnalo com titas
bordadas e simph, tambem se armara capellas,
trazendo os don< s as perpetua* duus das .-mies.
VELAS DE CERA
pelo menor prego possivel : na ra do Vigario
no mero 19.
Flores
Veode-se liadas camelias e oalras flores pro-
prias para cabellos, on perneados de senhora, na
raa da Imperatriz o. 82, casa i caoelleireito
Odilon Dqarte.
de
Jacaranda'
V*3de-*e jaearand-por dazia, ou vontade
do comprador, por commodo prego ; soraente para
1 acabar : a t.'ataf a ra >. Viaro. n. I, primeiro
aodsr,
SITIO.
Vnlt-se sortes de torra em forma geometra
de rectngulo?, e stuaco tcpographita de leste
ao oeste, oa de sal a norte ao sitio dos craveiros,
logar do Fundao. A ferlilidade do terreno hacha-
do orientalmente pelo rio Deberme, a facilidade d
locomogo (a via frrea de Bfberibe) a modiida-
de dos pregos, a regularice e belleza do projtc-
to de arruaraentos ludo convida f;ir-s?. acquisi-
gao de urna porgao qaalqotr de to agradavel e
pitoresco sitio, especialmente es preter.dentes
habitago campestre e os necesitadas de bsvhos
frios. Os pretendenles podem dirigir-se ao enge--
uheiro A-. F. I. Sette, i soa casa o- 9 na esiraia
de Jco de Barros oa a ra de Itiachoello, casi
n. 9 do major Francisco Jo- da Silveira, propie-
tario do supracitado s-ilio._________________^
A revalesciere du Dan y dt?
Lonlr-s
Toda a doenc cede a Revalesciere da Barr-y,
que d sade, energa, appetite,. digesio e des
canso. Elia cura a dispepsias, gastrites, homo-
re?, acidez pituita, flato, enjdps, vmitos depes
da comida e gravidez, en tipacdes.n a>!hs:a,
affecgSDs pulmonares, be-xiga, flj*/ .erebro e
sangne ; 60,000 cuia- alojado mu as deltas no
Brasil.
A revalesciere chocolatada do D3rry
em .
Delicioso alimento para aimojo c ceia, ssaH
nutritivo, fortifleaudo os nrvos"do estnmsgo rsrr
causar o menor peso rcm dr de cbeca, ero :r
rilcao.
nico deposito para o Rrasil ea Perowabuc
oal pbarmacia americaua te Ferreira Mn'a & ".
ra do D-jqoe de Cixia* o. 57. (Tedo saldad
cora as faisificagoes.)
Pomada alpaka
E' muito coohecida esta pomada e muitc
I reciada por su3 linissmai]uHlidaiie,a Nova
Esperanca quem (em.
Jarros de porcellna
Um cmplelo sormente de lindos Jarr"
de porcellna (do temado Bacar) existe aa
Nova Esperanca, ra Doqne de Caxias
n, 63.______________________
OLEO PURO DE F1GADO DE- DACALHAO
DA|
TERRA NOVA
DE
11. LACOM8E
|Este oleo que to boa aeceitago era merecido..
imito se recoramenda por ser o mais purificado
qae at hoje tem viodo, e anda pelo bom paladar,
superior a eutro qualquer : vende-se no deposito
sspecial de Bartholomea & C. : ra Larga do Ro-
lara.____________i___________________
Brea.
Veode se doze barris com brea : na roa de
Margo n. 53 (aoiiga do Ciespr-).
A 640 rs.
Ven le-se sapatos de marroqzim.obra mnito be a
pelo prego de iO rs. : venham a ra da Impera-
tr z n. 6S, loja de miudezas.
A |j}500
Ven le-se botinas para meaioas pelo diminu
preco de ljo'00 o par : venham raa da Impe-
ratriz n. 68, loja de raiuJ izas junto a padaria.
Cimento verdcleiro Portland.
Vende Joio Ignacio da Costa, em barrica, per
barato prego : no armazem da escadi ha da alia?-
dega o. o.______________________________
Popelina dd seda e
la.
Faztnda inteirammte nova no mercad
com pad oes muito delicados, lazeoda de
nm edeito so'prehendnte em vestidos,
vende se \ or l|80 ri. o covado, na loja
do Papagai \ ra da Imp ratriz n. 40, de
Mtndes A Carvalbo,
Vende-e ama :asa de pedra e- cal, com terre-
no de duremos palmos de frene e trezentos e
triuta de f'iodono logar do Fundao, roa de Olinda
confr.nte ao sitio des craveiros, lambem ?e vende
terrenos oo mesmo logar 'ornare recommendave!
por car perto da estaco do Findao e junto a
rio Beberibe : a tratar aos dias rrtia a ra estrei
a do Rosario n i, l"ja. e domingos e dias.santi-
IcaJos ni me;mo Ufo Fonto -nm Mga"l Fer-
ralra Carreiro._______________
V.ci!e-:e uttj arinajiD e a gnus pfrtn;
na rus de :'>. Wk> o 1.
VEDESE
A verdadeira gjra.ua do Acarac em mccos a
barrica*, por menos prego do que em oatra qual-
u-r paite roa do Vigario o. II, escriptorio de
os Lopes Divim._______________________
N.\ RA DO VIGARIO N. 19
veode-e viohos do P>r:o engarrafadvs, dit s e n
barris, retroz de tod;. as core, lonas e brio.-c. s.
velas e logias de tera.___________., .
, 'Vi-nlc-se nm i.\;(!! n e cavail-j Je no '.)
boi iia cor, bom aod- i- : .i ver n ra de
ij Amaro.o. I, R a u.l r oa ra di Cadeia ca-
mero IS.
L "*~9P


V

5
Oiaiio de FernamDuco Quarla fe.ra 18 de Ouiubro le 1871.

\
)
i
)
I
I
LABORATORIO HOMEOPTICO
RE
mnm m paula carbozo mm 4 c.
41.Ra do Imperador41.
Fiancisco de Paula Cardoso Jnior & C*. animados pela condescenden-
cia, que pira com elles leve o Sr. Dr Jjjiniho Soares Rebello, que ha 26 anms
exerce o systema uomoopathico, gozuido sempre de subido cbnceito, a estabe-
lecer nesta cidade umLABORATORIO HOMEOPATHICOde primeira ordem,
digno da confianca e proteccao do [lastrado e respeitavel publico desta provin-
cia e do norte do Brasil, para o que, na* > se poupando a despezas nem fadigas
capazes da superar lodas as diDculdades, com que tiveram de Indar, traBalna-
ram incessaatemeate desde marco ullimo, julgando ter conseguido o seu desi-
dertum, tem aoje a salisfa?3o de, anmmciando a abertura de soa casi, afir-
mar aosamigos da homeopathia, que se ju'gam completamente habilita.'os para
o perfeito desempenho de todos os misteres do seo encargo.
Os elementos do seu estabelecimento foram todos importados da afamada
casa de James Epps & de Londres, ura dos primeiros e talvez o mais co-
nhecido e acredita!o esi'bslecimento deste genero; as preparares secundarias
(dyuamisac5es e diluirles) foram preparadas com o mais escrupuloso esmero
sagunlo as regras da sciencia esob a immediUa diregao e nspcg.5o do mesmo
Sr. Dr. Rebello, cojo nome ligando-se desta sorte ao estabelecimento, a mais
segura garanta que podem offerecer os seus proprietarios s pessas, q.ue os
hwarem coma sua confianca, de quepo preparo dos medicamentos nao se
pouparo esforgos para que sej.mbcm servidas, pon; que a austeridade,com que
cumpre aquellos tolos os seus deveres e sobreludo o respeito, que consagra
sua prrpria repntacSo, lhen5o permittiam sacrificar a vida de seos clientes
ao interesse de terceiros.
Sera pretenderem os proprietarios depreciar os productos dos outros
est3ba!ecimentos deste genero, croem todava pad^r afirmar que nenhum ootro
excede o seu em superioridade, e para que neobuma duvida h*ja a este respeito,
poderSj todas as pessas qoe quizerem fo"necer-se dos sens medicamentos vi-
sitar e exaninar o estabeleciment), o dj, a'm de buticas em globilos e tinta-
ras da varias capacidades desde 12 at 120 medicamentos por p-e<;os razoaveis,
encontraran dos os artigo- qae tornara completo o sortimento de casas desta
ordem, taes como: excellentes chocolates, pos denlifricios,' encerado de rnica,
tintura de gua :o, etc ura lindo vo'ume encadernado domedico do pvoori-
ginal do Dr. Mare, tradudo peloDr. Silva, Pinto e .revisto e augmentado em
3.a edic?5o p.'lo Dr. Antonio de Css'ro Lopes.
Esta obra que contara mais de 590 paginas de impressSo e ama estampa
explicativa djs diversos orgos do corpo humano um dos mais claros lvros
destinados ao ensino pratico do tratamento de todis as enfermidades, pois indica,
n5o s os melicimentos apropriados para cada molestia, como a maneira de
app.ar e repetir as dses.
O prego d'ella de 10/SOOO para as pessas, que comprarem boticas
neste estabelsca^nt>, e de 120000 para as que comprarem smente o livro.
Contaadi pois, com a valiosa prolecelo d s amigos da homeopathis, con-
cluem os proprietarios o seu annanco, declarando que se acha adjacente ao seu
LABOR VTRIO o c nsoltorio do Sr. Dr. Jacotho Soares Rebello, e que se
encarregam de raceber e enviar ao masmo Sr. Dr. a toda e qual raer hora os
chamados de seus clientes.
13o lia mais cabellos forneos.
Tintura japonesa.
S a nica approvada dlas as academias d
ciencia, reconhecida superior a toda ue tem ao-
jareeido at boje. Deposito principal 4 roa 4
'.adeia do Recite n. 51,1* aniar, em todas as bo
ivas easa de eabelleireiro.
iiZ$
A' AGU
RANGA
RA DUQUE DE CAXIAS N. 52
(Qur'ora Queimado n. 8.)
A Aguia Branca tendo j recebido parto de suas
Migas eccommencijs, em seguimenlo acaba ago-
ra mesmo de recebar outra-, algunas das quaes
N tornavam eueacialmente precisa', e outras se
tazeos apreciadas pir seas gostoa e qualidades,
cono sej-'m :
Meias de lio d'eseocia, abarlas para senhoras
f m a a .
iia5 iJ-j;>.i com listas tambem para senhoras
e menina*.
Dita? idea muit b mitas ao gosto eicocez.
Ditas dem Jem brancas e com listas para ra3
ninas.
D.las iim idm para br.ptisaclos.
Ditas de algodio compridas e com Ostras para
menina*.
Lavas pretal de seda, para scnbora.
de torlil e de seda para meninas,
amuinhai borJ.iJas para seuhoras.
F:I d- ?eda. brando e preto com flores miadas.
Dito de lgida, liso e coro flires.
Touqcriuhas bordadas paia crianzas.
[indos e modernos ehape^sinbos de fusilo para
dita .
Pentea de tartaruga para deseobarafar on pen-
l tos lita '": regios para meninas.
Ditos d borracha {:>r< ditas.
Utos de tamrag, pequeos, para segurar o
amirradiibo aos cabillos de senhoras.
0;ap:!. sottnenlo de eufeites de seJa para ves-
tido?.
Fiv.'lla de madreperola e de tartaruga para
pnlcaira e beq para o cabello.
i!'*cita- b le unas para :>i :iipa.
NOVO S0RT1MENT0 DE BSCHOVES PARA
APTSADOS
A aguia branca acaba de receber novo sorti-
sieoto de linios e completas enchovaas para bap-
tisados, e bem atsim separadamente eamisiatus
cara dito-, lindos cbapeosinhos de selim branco
idos, uutrus dito; com fundo de vellado, obra
Je muito gosto, e que servem tambem para pas-
:-c'n, sapatinhos de se m para o mesmo lim.
MODERNOS BNPEITES DE FLORES,
ornados com bco3 de seda, Gtas de setirtije flvella
e rcadreperola ao ultimo go: te, e proprios para
bailes, as jcios etc., etc.
FLORES E PREPAROS PARA ELLAS
A Aguia Branca recebeu lindos ramos de floro
linas, unto para cabera como para chapeos,
bem assim :
Papel verde liso e com l3tas para fulha?.
Dito de cures para flore?.
Fulias de diversas qualiJades para rosas.
Ditas verdes e lustrosas, obra neva e ^>ela prt
meira vez viudas como amostra.
Franja' preta^e de diversas larguras para ea
feitar vestidos,
COQUES DE TRAKQaS E DE OUTROS
MOLDSS.
A Aguia Branca acaba de receber urna peque-
a porcao dos bonitos e modernos coques gra-
des de tranca e outros moldes.
NOVO SORTIMEBTO
DE
BOLECAS
A ?guia branca, a ra do Duque de C {2, cuir'ora do Queimado n. 8, acaba de receber
um novo e bello sortimento de bonecas di diver-
sas qualidades e tamaohos, sendo :
Com rosto de seda, das que chorara, e outru
que fallam.
Com rost\ mos, e ps da porcelana, e pro-
prias para vostir-se.
Obras de porcelana
A aguia branca tem oatro sortimento de diver-
sas obras de porcelana, sendo :
Bonitos e ricos-vasos para p$ de arros.
Outros para joias.
Outros para jabonetes.
Outro3 para enfeites de mesa.
Pequeas e bonitas pas para agua beata.
Pequeos jarros para santuarios.
Outros maiores para mesas.
Bonos port relogios.
Lindas ceslinhas tambera de pore':.aai.
Escrivanias de dita.
E moitos ooiro3 objectos par-. >ofgites de me^a.
IiOJA
Flor da Boa-Vista
DE
Paulo Guimaries
O proprietario deste bem conhecido es'
abelecimeato contina sempre seguindo ana
tntiga forma de primeirobaratelro da Boa-
Vista e para melhor prota admrem os
presos seguintes:
Guitas escuras e claras cftri otas
o covido 160 200rs. a. 400
Jambraias de C6fes 240, fSOrA e 320
L3ai para vestido 280, 320 rs. e 400
Creps escocezas fazenda nova a.. 610
\lpacas lavradaa d'om scdr. 720
Camb/aia branca transparente pe- ,
as a-35C0 e. 8,5000
Ditas dita victoria a 4000 e. 8^000
Uramente com 10 palmos de lar-
gara,'varas, a 2|J000 e, 2t500
Madapolo superior pecas 50000 e 65000
.*J^odoa4,5000e, .... 5^000
8rim pardo irancado pechincha
covadoa. ...... 320
Dito dito liso muito fio a. 320
Outras mullas mais fazendas que^ende-
r por presos baratissimos cottiKfljiam :
pannos pretos, ditos azrjes, caseayfai pretas
i de cor, merinos, brins brancoa e de co-
res, seda para cohetes, camisas inglesas para
omens, meias chapeos de sol etc.
Oloii*a? d'alfaiate
Os digaos fregueses encontrarse ot gran-
le sortimento de roupas feitas desde o
mais inferior at ao mais superior que s
iche no mercado, assim como se manda fa-
;er toda e qualqoer obra d'encomoienda
feitas a capricho, pois paita este misier se
icha munido d'um perito meslre. GaraDte
lefazerem semefioi* 20% de que em ontra
qualqaer parte pelo o motivo de. o fregnez
i pagar o que eompra e n5o o aspecto do
estabelecimento.
48 Ra da Impcrariz18
JUNTO- A PADARIA RANeCZA
91
rOSt& AFLORDEOURO
1
ftm i venda em seos armazeus, alm de outros
irtigos de seu ogoi io regular, os seguintes, que
fsndem por presos mais mdicos que em oo-
Ta qualquer parte :
PORTAS de pinbo almofadadas.
POBTEIRAS de ferro para cercas.
SALITRE inglez.
KSTEIRAS' da India para cama e forrar salas.
CANOS de barro francez para esgote. -
SESSO superior em porgSes e a content.
CEMENTO de todas as qualidades.
MACHINAS de descarocar algodao.
LONAS e brinzoes da Russia.
OLEADOS americanos para forro da caitos.
DGOES americanos muito- bons e econmicos.
VTNHO de Rordeaux.
COGNAC superior de GautiarFreres.
FARELLO em saceos grandes a 3*300.
AGUA florida legitima.
BALAN6A9 decimae.
CADEIRAS americanas.
RHUM da Jamaica.
AZULEJOS de Lisboa.
Coitra a tosse-
- -PASriLHASPEITORAES.
de
-.
ARMASEM DOS LEOES
RA DUQUE DE CAXIAS N. 29
Os proprietarios deste]' grande e bem montado estabelecimento scientificam ?
respeitavel publico Jesta provincia, que se acham com um variado e completo sortimentc
de movis, tanto nacionaes como estrangeiros, sendo estes escolhidos capricho por
nm dos socios quese acha actualmente na Europa, e por isso os podem venier mais
baratos 20% menos de que em outra qualquer parte. O mesmo tem contratado com
os melbores fabricantes daquelle con'inente a3 remessas das mais ricas mobilias feita
alH. Na ofOcioa tem os mais habis artistas deste genero, e por isso aptos a foraecerem
mobias as mais aperfeicoadas para as casas da provincia consideradas de primeira
ordem. Pedem, portmto, que venham visitar dito estabelecimento, onde encontrarte
a realidade do que acabam de expr, passando a examiaarem : ricas e completas mobilias
de Jacaranda, mogo, faia, carvaiho, amarello, etc. etc., ricas e elegantes camas de
Jacaranda, po-3etim, amarello, etc. etc., guarda-vestidos de amarello, guarda-bofa d
nogueira, amarello, com tampo de pedra, aparadores de dita, dito, com dita, petiu
toilettes, especialmente para fazer barba, toilettes de Jacaranda e amarello, com pedra.
e muitos outros artigos de gosto, que para se nSo tornar enfadonho prescindimos de
azer meollo delles, o qae s com a vista poderto apreciar.
Gaz ecoQomicj para oa can-
dieirs de porcelMsm.
Acaba de el ^o com-
bustivel, como o as^^^^K p.'orapto, e asselado
de todos at fe i eacontra ven-
da no nico fdB^B^^Ikrga do Rosario cu
mero 34.
Mofo.
Meias para meninas e meninos com te
qae de mofo a 2000 a dozla, na loja do
Papagaio, roa da Imperatralriz n. 40, de
Meades c* Carvalbo.
Gomm slftptes cryilalSstar
Da' de angico c i
Naff d'Arabia.
Seve de pinbo martimo de Lagasse.
E outras muitas qae muito se recomendara pe
lis^saas ezcellentes qualidades.
Vende na
PHARMACIA E DROGARA
DE
Bartbolomeu & C.
34-RUA LARGA DO R0SARIAr3y
Xarope sedativo
DE
Oasca de liranjas amargas
COM
BRO.MURETO DE POTASSIUM
DE
Este novo, preparado aprovado pela academia
mperial de medicina, muito se recommenda pela
ma aegao sedativa e ealmaMe, sobre o systema
ervoso, o broraureto de petassinm, nao deixa d
lar os mais certos resultados as diversas affec-
jo*es do organismo e principalmente as molestias
lo coracao, das vas digestivas da respiracao, das
ras genito-orinarias, na epilepsia, as molestias
iiervosas da prenhez, na' insomnia das crianzas
turante o periodo da dentioao etc. eto,
Vende-sa na pharmacia e drogara
de
Bartbolopoen & C.
34-RUA L.AR3A D0R0SARI0-3
PIRA MOIVAS
Lindas grinaldas com flores e botoss de
larangeiras com vivos e sem elles, vendem-
se na Nova Esperanca roa Duque de Casias
n. 63.
Oleo para machinas
Vende se na Nova "Esperance roa Duque
de Casias n. 63.
NAo ha ver conrulces.
As crianQas que osarem dos collares ano-
dinos, que se vendem na Nova Esperanza,
estirto iseatos d covuls5es ; pois s5o os
verdadeiros recebidos directamente.
10Ra do Crespo10
Pecas de algodio com 20 jardas a 4j, 4*300
Vas de madapolio a 4/, 5/, 5*500, 6* e
6*500.
Ditas de dito infestado, francex superior a
10*000.
Chitas franeezas de todas as qualidades a 240,
280, 300, 320 e 369 o covado.
Camfcraias de cores a 240 e 280 rs. o covado.
Dita lisa de cor a 320 rs. o covado.
Ditas pretas para lulo a 640 rs. a vara.
Pecas de cambraia Usa transparente a 3*, 3*50f
e 5*000.
Ditas der dita tapada Victoria, a 4*, 4*500, 5*
e7*.
Ditas de dita transparente, suissa muito fina
com 17 varas, 14*.
Ditas de dita bordada com 10 jardas a 7* e
9*500.
Orgaady branco fino a 700 rs. a vara.
Bn'hantina branca infestada a 440 e 500- rs. o
colado.
Bretanha de linho com 25 varas a 20*000 e
25*000.
Dita de dito'infestada eora'30 varas a 27*.
Bramante de linho com 10 palmos de largura a
2,500 avara.
Dito de algodio a 1*500 a.vara.
Atoalhado de dito e de linho com 10 palmos de
largura 1*500e 3*.
Toalhas alcochoadas para rosto a 7* a duza.
Ditas de linho do Porto felpudas a 10*000 a
duna. ,
Guardanapos de linho a 3* e 4* a duza.
Cobertasde chita a 2* e 2*300.
Ditas de chita adamascada forradas, 4*, 4*300
e 5*QO0.
Colchas de damasco de cores a 4* o*.
Ditas de filstio alcochoadas a 5*.
Cobetas de II senras a 2*.
Ditas de algodao brancas a 1*400.
Colleirinhos de linho a 500 rs.
Chales de merino lisos pretos e de cores 2*000
e 3*000.
Ditos estampados de meia casemira a 2* e
* Damascos de cores a f40 rs.
Lencos braoeos de r-ssa Bnos, *, 2*300 e 3*
a duza.
Ditos ditos e de c ; abainhado largo a 3* e
3*r>00 a duzia.
Ditos ditos de camb...a de linho finos a 6/a
duzia.
Ditos deesguiio de l. >ho a 4*, 4*500, 5* e 6*
a dazia.
Bnm Angola a 640, S00 e 1*000 o corado.
Bros de linho de ct s a 503 rs. o covado.
Corte- de meia can\'ira para caiga a 1*200 e
1*400.
Ditos de casemira pata cal?a a 3*500, 4*500
5*500.
Cemiras de cores de duas larguras, 2*, 2*50
e 3* o eovado.
' Ditas pretas, duas lrgnras a 2*500 o covado.
Pao fino preto e azul a 2*, 2*500, 3*000
3*500.
Dito dito muito fino superior a 5*, G* e 7*
covado.
Lans e alpacas de cores para vestidos a 400
500, 600, 700, 800 e 1* o covado.
Toalhas com Iabyrint03 para bandejas e para
rosto a 8*, 10* e 15*.
Camisas de Amella branca, e de cores 2*,
2*300, 3*. 3*500 e 4*500.
. Grosdenapoles preto e de cores 2*, 3* e 4* o
covado.
Do-se amostras com penhor.
Vende-se tambem grande quantidade de roupa
feita e por medida por precos muito reduzidos.
Cura rpida e radical dos
callos
pela pomada Galopau
Essa pomada qne tio bons resultados tem colhi-
du as pessoas que delia tem feito uso acaba de
ehegar para o seu deposito especial..
J NA.
Pharmacia drogara.
-. DE
Bartholomu & C. roa larga do Rosario nu
mero 34-
*E' este o distintivo de urna nova etem montada
Joja de joias, sita a ra larga do
Rosario n. 24 A,
Os proprietarios deste elegante estabelecimento leudo em vista os estorbos $i9
fizeram para o coUocarem as eondiceftes de nma grande cHentella, fllarim ao mais
rigoroso principio se nao viessem as eollamnas do jornal scientificar ao respeitavel pu-
blico, qne no memo estabelecimento encontraras sempre o mais completo sortimento
de jilas, como sejam : brincos os mais modernos, para adornaren) as delicadas ore-
lbas do bello sexo, e que se vendem a 8, 9 e 10* o par, ditas para meninas a 4, 5 e *,
ditas de coral, obra de apnrado go. to a 3 e 4*, Voltinbas de coral com ernzes de onro
a 5*, broches modernos de 3 a 13*. ditos com pedras e em suas devidas caixinhas a
10, 14, 16 e 20*, rosetas lisas, porm bem trabalhadas, de 2*500 a 9*, ditas com
pedras de 4 a 15*, escoletas a 4*, ditas com Inscripcfcs a 5*5C0, anneis de diversos
gostos, e com bonitas pedras a 2, 3 e 4*, ditas de perolas, esmeraldas e rubios a 6*,
ricas rruzes de esmeralda e rnbim a 12, 14 e 16*, ditas de onro e coral com vistas pho-
tographlcas a 3, 4, 5, 6 e 7*, figas de coral a 2*, cadeias para relogios a 20*, ditlas a
6*500 a oitava, guarnieres com tres botos para aberturas a 4*, ditos de pedrlnhae a3*500
o par, ditos para ponhos os mais modernos a 7 e 8*; alm de nm variadissimo sortimen-
to de joias de apurado gosto qne recebem por todos os vaporea da Europa ; como
sejam : brincos, braceletes, alflnetes, aderecos completos, ernzes, rosetas, anoeis de
brilhantes, esmeraldas, perolas e rublns. MedalbSes, voltas, tranceln, anneis eom le-
tras e de diversos modelos, oculos e peneinez de onro e prata doorada, relogios de on-
ro e prata de afamados fabricantes, salvas de prata de diversos tamanhos, ricos palitei-
ros e faqueiros, eolheres para cha e sopa, maracas para enancas, e nma inflnidade de
objectos qae seria enfadonho mencionar-se.
Os proprietarios da Flor de Ouro garantem vender mais barato qne em outra
qualquer parte, para que estar aberto o estibelecimenlo das 6 horas da manh as 8 da
noute.
AO
RA DO DUQUE DE CAXIAS
(Outr'ora do Queimado)
Tendo-se resolvido d'ura avante vender-se neste estabelecimento todas as fazen
das existentes no mesmo, por precos que todos admirarlo, acbo de meo dever parti
pa-lo a todas as Exmas. familias em geral, aficn de virem visitar este estabeteciraento
ou mandaren) buscar amostras, garantindo-se-lhes um bom sortimento de fazendas da
algodao, 15a, linho, e seda, emflm ama inflnidade de artigos de meda mandando-se ii
casas das Exmas, familias, por empregado da casa, toda e qualquer fazenda para veras
oa escoiherem.
As pessas que vendem era menor escala poderlo bem sortirem-se neste estabe
lecimento que vender pelos mesmos precos qae em qaalqaer casa importadora, tendo
a facilidade de comprar qualquer porcao.
O 65 tem um completo sortimento de ronpas bem acabadas o qne vende pr
presos mnitissimo commodos, mandando tambem fazer por medida toda e qualquer obr:
que os concurrentes desejarem para o que tem um dos mais habilitadissimo mestre
alfaiate, cortando por nm syslema inteiramente novo.
Os aonuacios nesta praca esiao e por certo devem eslar desacreditadissimos, pois
que ha casas que annunciam aquillo que n5o teem, o que o 65 gsrante nonca dar-se em
sea estabelecimento, pois que s deseja bem servir ao publico em geral, para ganhar
g-ande nomeada em todo o mundo.
O 65 acha desnecessario mencionar os precos de snas fazendas pois qae isso tor-
naria-s demasiado macante para os leitores, por ter de ser demasiado extenso sea ai
nuncio, e mesmo para se tornar menos despendise, pois qos vendendo muito e maito
barato mister encurtar suas despezas. A sinceridade dos "tratos do 65 julgo qae ji o
publico conhece demasiado, pois que sempre tem cuaiprido com aquillo que annoncia,
nSo verdade ?
E' INTIL, NAO SE CANCEM, COM O 65 NINGEM PODE COMPETIR
ROA DO. DUQUE DE CAXIAS
(Outr'ora do Queimado)
Bazar universal
RA DO BARQ DA VICTORIA (OUTR'O-
RA NOVA) N. 52.
Acaba de ehegar para este grande estabeleci-
mento um completo sortimento de mchicas de
costura de todos os autores conhteid >s, os quaes
garantem por.aonos as ditas machinas, e se ven-
dem por preces tao razoaveis que a indos agrada-
r, cojos precos sao os seguintes : 40|, 60J,-80J,
lOOi, tm, 130#, 1405, 160*, mi, tOOf, 220*.
250jf e 300J. Garan'e-se a^s compradores a boa
qualidade de trabalho, e obrlga-se a ensinar tan-
tas'vezes'quantas sejam precisas para bem com-
prehooder-se. Vende-se tambem pecas e mais
pertences de sobresajentes para as mesmas machi-
nas, previne-se desde j que s se vai ao cha-
mado para concert e ensino de machinas das que
forem compradas neste estabelecimento.________
J. 0. V. Doyle tem em sea
armazem para vender
OSEGUINrE :
COGNAK HENNESS.
VIMHO XEREZ.
DITO DE LISBOA,
FILTRADEIRAS.
BITTER
A' roa do Commercio n. 38.
rara oratorios particulares e
ca-pellas dt engenho.
Vende-se nm "altar dourade, bem como os rs-
pectivos casiiQaes e palmas tambem douradas,
igualmente vende-se dous ornamentos, duas arras,
estolas, mangoitos, sanguinhos e todos os mais
pertenees, sen 1o nm dos ornamentos bordado a
ouro flno : nesta lypographia se dir qaem vende
Chegaram loja do Mercurio, ra da Imperatriz
n. 86:
Ricas franjas de seda preta, lavas de pellica
iouvin, botinas de cores para senhora, ditas de
cordavSo e bezerro paTa homem, oteo extraeto-
oriza, ricas fitas largas para laco, ricas gravatis
de gurguro de seda da mais modernas e lindas
cores, e nm completo sortimento de galdee de seda
para guarnecer vestidos e outros muitos objectos
de gosto.
Ra da Imparatriz n. 86, loja denominada
O MERCURIO
perteneent
JOS BEniVARDO DA MOTTA.
VENDE-SE
doos bonitos cavallos, andadores de biiso a mel,
sendo nm rodado apitacado, baatante grande, e
entro casUnho, pequeo : no caes io Ramos uu-
mero 30._____________
Libra8SteL____
Vende-se no armazem de fazendas de Augusto
f. de Oliveira 4 C, i ras, te Commercio d. A
Aza de mosca.
E' nma fazenda especial para eobrir qaadros,
espelhos, retractos, etc., demasiadamente transpa-
rente e preparada de forma a evitar completa-
mente o p$.
Sabonetes inglezes em eaixinhas que se vende
por 1*300 a duzia.
Colarinhos e punhos de papel.
Vende-se no Bazar da Victoria ra Nova n 2.

-

IiOJA
DO
GALLO VIGILANTE
Rna do Crespo a. 9
Acaba de chegtr pela ultimo vapor diversos ar
t'gos de novidade, como sejam :
. Lindas touqainhas eoteitadas para baptisado ;
assim cono chaposinhos.
Sapatinbos de ceda e de merino.
Meias de seda e fio de Escoca de i a 12 antros
de idade.
Ricos leques de madreperola todos aberto?, o
melhor que ba neste genero ; assim como ou-
tros de madreperola com seda, fazenda requissi-
oa ; tambem recebeu grande sortimento de le-
ques de sso flngindo marfim sndalo e madeira,
tanto para senhora como para meninas.
Superiores ligas de seda para segurar meias.
Meias de borracha para quem soffre de inxaces
on erysipela.
Seda frouxa para bordar todas as cres.
Proeo de seda para o mesmo fim.
Retroi preto e de cores em carritii.
Fitas para cartas de hachareis.
Qaadros para retratos.
Lavas de pellica, e de seda, branca pretas e de
lindas cores.
Superiores eapellas para noivas.
Lindos alfiuetes de madreperola para peitos de
senhoras.
Lindas abotuaduras para colletes.
Lia de todas as cores para bordar.
Superiores peueenez de ac.
Muito finas tbeeouras para costura, nabas e
para cortar cabellos.
Saperiore* pentes de tartaruga- para arregace
cabellos.
Tintan inglesa para ttngir cabellos, a verd-
deira.
Grande sortimento de franjas pretas, largas e
estrellas e lindos padrees.
Lindos babadinhos e ntremelos bordados, tapa-
dos a transparentes.
56 ARa do Mrquez de Olinda56A,
outr'ora ra da Cadeia.
LOJA DAS MACHINAS
Sendo este aniigo estabelecmento assaz conhecido como principal e recommea-
dado pelos grandes depsitos e bons ortimeatos com qne sempre prima em ter daa
melhoras, mais acreditadas e verdadeiras machinas americanas para alga
d5, desde 10 60 serras, e havendo em todos os tamanhos diversidades de syste-
mas e melnoramenios para perfeito e rpido descarreamento; tornam se dignas de
serem vistas e apreciadas pelos Srs. agricultores ; os qoaes, alm disto, encontraro
tambem mais:

Aparados vapobes l>gomoveis, de forfa
de 3 4 cavallos, e pertences.
Machinas para lavar ronpa.
Arados americanos para varzea e la-
deira.
- Carros de mao para alterros.
Tinas de madeira.
Raides de dita.
Ditos de ferro estanbado.
Ditos com vlvula para lavatorios.
Dites de madeira para compras,
Apparelhos para jardn.
Gnardas comidas.
Tampa3 para eobrir pratos.
Tarrachas para fazer parafusos de ferro.
Ditas dita ditos de madeira.
Trens para cozinha.
Temos de bandeijas finas.
Corrents para arrastar madeira.
Cylindros americanos para padarias.
Pertences avolsos para machinas.
Salitre refinado.
Breo 8nperior.
Moinhos de. diversos fabricantes para
milbo e caf.
Debalhadores para milbo.
Azeite de spermacete para machinas.
Camas de ferro.
Bombas de Japy.
Ditas americanas.
Cofres de ferro patente.
Canos de ferro esmaltados.
Ditos de dito estanbado.
Ditos de chombo.
Ditos de borracha.
Folies para ferreiros.
Vende-se a easa n. 4 da rna do Gas ; & ira*
tai Beata typographia.
Emfim muitos outros artigos, qae s avista e neste estabelecimento poderle ser
examinados.
DE
ERNESTO & LEOPOLDO
N. 2 D Ra do Cabug N. 2 D
Acha-se montado de forma tal este estabelecimento de joias qee pode
vender aos seas numerosos fregoezes em grosso e a retalbo e por precos
mni resumidos visto que recebe de conta propria por todos os vapores de
Europa. O gosto de desenho de saae joias o mais lindo do paii das
modas, ouro de lei, brilhantes verdadeiros, esmeraldas, rubias, perolas,
torqoezas, sapbiras, coral rosa etc. etc. Obra de prata do porto Unto
para igreja cerno para servico domestico. Convidamos as Exnas. familias
a visitaren o dito estabelecimento todos oe din at 9 horas da noite.
Compra.se onro, prata e pedras preciosas em obras reinal.
f


Diario d* Pernambuco Quara eira 18 de Oulubro da 1871.
'
*
I
f
j
i
i
>
i
0

DO
CYSNE
DE
FIGIEIREDO a LOPES.
U MJ4 DA IHPERATBIZ \ 64
09 proprietarios deste importante e sympathico estabelecimeato de fazendas finas,
vem avisar ao respeitavel publico e particularmente a sua numerosa freguezia, que o
CYSNE acaba de sortir se de tudo quanto ba de gosto e moderno em fazendas tanto
para borneas como para senhoras.
E' ocioso ciar que os proprietarios da loja do CYSNE natnralaiente providentes e
d'um espirito altamente conciliador dos interesses alheios com os seos, teem sempre
leguido o magnifico iyslcma de offerecer venda fazendas de todas as qualidades e pre-
sos relativos de forma que fcilmente podem fomecer artigos de sua casa accommodados
a todas as fortunas e meios.
E sobre todas as conveniencias e meios preferivel comprar no CYSNE em con-
tequencia da sinceridade e barateza com que negociam es seus proprietarios.
No lo jvavel empeobo de justificar as suas operages convidam as Esmas. familias
a visitar a sympatbica loja do CYSNE chamando as attencBes do publico em geral para
u seguintes especialidades e precos.
PARA SOIVAS.
Veos, capellas, sedas e popelinas Drancas
de cores, gollas, ponboi e camisas bor-
dadas, tudo caprichosamente escoihido e
para varios precos.
CRETONE BAPTISTE.
Fazenda lisa de urna so cor, de cores di-
versas, para vestidos e tambem propria para
sombras.
CAMBRAIAS
Transparentes de 8 1/2 varas desde
*500 at 85 a peca. Victorias muito finas
de 45 at 85000.
CORTES BORDADOS
Fazenda branca de delicado bordado
baixos precos acompanhsda do competente
Igoroo.
LAS
Yariadissimo e rico sortimento desde a
lia lisa barata de 45 at a de listras de seda
ruis cara que pelo prego que vendemos
por assim dizer de graga vista do gosto
qualidade.
BAREJES
Lindos padr5es aos precos de 360 e...
400 rs. o covado.
SAAS BORDADAS
As que o CYSNE vende s5o bellas e su-
periores.
LUYAS
As melhores e mais procoradas lovas de
/ouvin, brancas e de cores sao as que o
CYSNE expe a venda.
BALDES
De crotones com baba do e bordado, di-
tos de arcos a 155C0, pecbincba sem rival
ao genero.
CHITAS.
Completo e grande sortimento de todos
os precos de padroes modernos e cores fl-
u.
GROSDENAPLES
Finos de todos os precos e larguras s
o CYSNE pode vender barato-
FLANELLAS
De cores e brancas de 500 rs. at I 300
o covado.
LPICAS
Lavradas de 500 rs. a iOCO o covado,
especia lidade do CYSNE que n5o conta com-
petidor.
MAD\POLES
Francez de 24 jardas de 85 at 105000,
inglez de 50 at 85000, e muito fino.
DAMASCO
Com 8 palmos de largura, dito estreito.
CORTINADOS
Para camas e janellas de todos os tama-
nhos, cambraia para o mesmo fim de 20
varas a 10$ a peca.
ATOALHADO
Di linho adamascado, dito de' algod3o
mnito finos, bramante enlrangado e liso, e
barato s o CYSNE vende.
GUARDANAPOS
Grandes e pequeos.
SETINS
Para todos os precos e diversos pa-
droes.
PARA N01VAS
Camisas bordadas, peitos colarinho e
ponhos lisos.
PARA LUTO.
Merinos, princezas, alpacas, cantSo, bom-
basinas, chitas, cambraias etc., etc., por
precos que s o CYSNE vende.
PARA IIOMENS E MEEINOS.
Brim pardo a 640, 840 rs., 15 e 15500
o metro, gangas de 400 e 440 rs. o cova-
do, e tambem temos o afamado brim de
angola.
CHAPEOS DE SOL
Para bomens e senhoras dos melhores
fabricantes da Europa.
FILOS
De seda, ditos de linho, pretos e braa-
cos e mais baratos que em ootras loja.
ME1AS
Para todos os tamanhos e qualidades.
CHALES
De merino lisos e eslampados, pretos com
franja de seda, ditos com franja de 13a es-
pecialidade do CYSNE.
Desculpem os nossos freguezes termos siao um pouco extenso na narrado de al
fumas novidades pois com quanto seja nosso interesse tambem o dos nossos fregu
US que querem e gostam andar na moda.
Ra la Imperatriz n. 64.
FIGEIBEDO & LOPES.
.s*-**ap*
JOAQUIM
LOPES
-MACHADO ft C.
Travessa do Corpo-Santo n. 25
ARTIGOS AMERICANOS
Cylindros para padaria.
Carros de mao para conduzir fazendas.
Machina? para descarocar algod3o.
Polias de diversos tamanhos.
Canos de ferro galvenisados para enca-
namento d'agua.
OBJECTOS PARA CARRO
Oleado preto para gnsrda-chuva de carro.
Dito de cores para forro de dito.
Chicotes para dito.
Pontas de lanca.
GalSes de seda para o forro de dito, es-
treitos e largos.
Pregos de esbega de rrar'm.
Escobas para dar graxa.
Li<3
KELLBR & C.
AC DE TRIESTE
LEITE CONDENSAD!)
CBM1 MICA
COONAC FINO
A' ra da Cruz (Bom Jess) n. 55
Sil5
e! i i
MI' DOS SANTOS NEVES k lUAO
19 .Ra Prmeiro de MfT^o 19
Tendo renovado completamente a loja do pro lio, em que teem o seu es-
tabetecimento,
19=A ra Primeir> da ar^n19
com aquello asseio e elegancia desejave acham-ss *#ra prvidos do mais
explendido sortimento de fazendas finas e. modernas di
SEDA, LA, LINHO E ALGODAO
todas do ultimo gosto, e continan a ter como sempre, diversos
ARTIGOS ESPECIAES DE SDA GASA
Garantem, com toda
a sineridade, vender
por menos que qoal-
qoer outro, porque
reciben em direitora
a maior parte de sosa
faseodas.
i.I DE MARCO 19
(Antiga ra do Crespo).
m
A lji di cateados da Bola de Obro, aestta e
reoeber ora'grande sortimeDlo de cafados dos
melhores fabricantes de Inglaterra, Pertagal e
Franca, a saber : botinas de bezerro e petica pa-
ra horneas, botinas de peiiea preta e duraque de
cores e de canos altu pira srtuora, duas efoe-
awro, sola gressa e gaspiato para rapazas, bo-
e sapatmhos bordados para eriatteas dos
?*MMe eu'viodo a est| prac : na loja d
lttjOuro, siu i rn do Bom J aus'n. 11
obrado amarelle.
VRSESE
nova a 7J0 ri.:
' B. A."Borl &C., m seti armazm roa
da Croz t. 48, vendem a precos muito em conta
para acabar:
Ladhlhos d marmore.
Taboas e degros de dito.
Mann commuro.
Ma*pite.
Fio de vela.
Cognac fino em caixa e barris de vidro.
Vlfbos de Bodos ftnos e oruihsrios- em caixas
e narria.
Licores em caixa.
'Fructa? em conserva.
Aieadoe*"em caixas.
Vendle on alaga-e* m*'asa stiavia es-
da pi)f da eio da Boa-
BAZAR ACADE
13 RA DA IMPERATRIZ 13
ULYSSES i IBMaO
Nesle bem conhecido e acreditado esiabelccimenlo, encontrarto nossos amigos e fre-
guezes cigarros de palha e de papel de diversjs titulo e d:s melhores quandades de
fumo. Charutos dos mais acreditados fabricarles da Bbiae do Rio de Janeiro ; e bem
assim, ponteiras para charutos e cigarros, cachimbos de espuma.de porcellana, de ma-
deira de diversas qualidades, de lou?a e p de gallinhas muito finos av 2^600 a dnzia, e
moitos oolros rticos qtiu d> somos de mencionar.
Fabrica de cigarros.
Bem attesta a sureiuridade dos cigarros de nossa fabrea o grande consumo que
delles tem havido no int rior e as provincias do norte. Com presteza apromptamoi
qualqner enccmmenda, remeUendo-a ao seu des'.ino.
BAZAR ACADj,,
13RA DA IMPERATRIZ-13
Ulysses & Irmao
LUCA E.VIDROS
15 Ra da Imperatriz
DE
LTSSES & IRMlO

Tendo de chegar um novo sortimento, e tendo des.ffrer orna reforma o syslemi
de negocio deste esubelecimento, seus "proprietarios resolvenm expor em liquidado,
grande quanlidade de pratos de lou^a, jellas, apparelhos de toota para jantar e para
almoco, etc.
B
trida <|ne segne em freate
viagem, muito fresca por ficar
cent?, com boaa acommodu
na roa do Hospicio n;
n. Vi, loja, onde se
da parje do tus-
ara Camia : tra
"RSfff
Xuea se vio om processo[mais perteito e que at-
aja de tal forma a satisfazer as exigencias mais
taras da escriptnracio.
1 sua cor lindissima e nao precisa de cnida-
o ilgnm para se conservar no tintelro sempre
on a mesma cor, sem borra, crsta, boldr on sem
> ti agora cocheada?, anda mesmo dos melhores
atores estrangeiros.
Sobretodo, este estlmavel producto nao ataca a*.
mus de ac, antes pelo centrarlo, a penna
dquire nm esmalte donrado qne, sendo Interes-
ante, asss proveitoso.
. lau tinta, nio sendo especialmente para contar,
eomtudo dnas, tres, on mais copias nm juez.
cois de escripia ; preciso, porm, deitar-lhe
:0pet beru methado sera o enxngar com o raata-
orrio, porque do ha o risco de borrar. Par* se
rar mais de urca copia, nio se aggloraeram tan-
as folbas quantas copias se qnerem tirar, mas
ta- se eom o original tirar tima tantas quantas
(desejam, sem que o original flqus prejndicado
tai oxtraedes.
Cfcerreaqni dizer troB, para copiar importa]
itU intelligencia e hab lidade, sem equeame-
or tinta nao satisfaz, e o defeito recae sempre
o'br i tinta, que muitas vees qaem manos
tica tem.
i dnpia ojoalidade desta Mata extremamento
liqnan'to" "i sua durabilidade, lio b aafper
sBorovld peisu mm tiota d*poirdees-
cripta sofTre o chope de cidos fortissimos, sem
se decompr; ora, se os cidos nio tem accio so-
bre ella, mulle menos a accio do tompo a poda
destruir; isto 6 plausivel.
Nao s ao commercio qne este men producto
Veio ser mil ; os professores dos collegics, Investi-
gando todos os meios para o adiantamento -dos
seus discpulos, tem approveitado esta tinto, qne
eom razio a acharara apta para desenvolver o
osto nos educandos, em oonsqneneja da beleza
a cor e faeilidade de correr na pequea pela sna
liquidez. Ha eiemplos de cr.cncas que havia
mnito tempo tinbam urna repugnancia extrema
para a escripia, logo que foi admittlda esto tinto
ao coliegio, apod,erou-e derlas a eoriosldade 6 o
gosto, e poico tempo depois o sea adiantamento
era manitesto.
Esto tinto, i par de tantos vantagens, tem nm
nco inconveniente, deteiioa-se ao contacto de
oofra oroalraer; cunvm pois te- a em ttotehro
feentos do menor vistnmbre de outra tina, e evi-
tar escrever eom a penna taja de ama preparaoio
Grande quantidade de cooos de vidro fi-
nos para agua a 4J200, M00e 45800 a
duzia, clices de vidro finos para licor a
35000 a duzia, ditos de cor para viaho a
2(5500 a duzia, garrafas finas de vidro ba-
carat para vinho a 5$50\ 65, 6500, 75
e 75500 o par, bonitas compoteiras de vi-
dro a 65500, 75500 e 8*300 o par, gran-
de e variado sortimento d* jnrr. s finos para
flores a 35, 45, U, 65, 75, 85, 95, 105,
115, 125, 135, 145. 155,165 e 185000 o
par, cbamins americanos para candieiro a
25200 e 25400 a duzia, escarradeiras de
vidro a 35500 o par, globos para candiei-
ros de 15300 a 25000 cada um, lampari-
saa com vidro para cima de meza, parede
aependurar a 15500. 15700, 25 e 25200
eddauraa, bonitas quartiuhas hamburguezas
a 45500 e 55000 o par, lindos pa'iteiros
ce porcelana branca de 15200 a 35 cada
dm, bonitas canecas de porcelana com frizo
a esmaltadas para caf a 65O0O a duzia,
escarradeiras e copo de crystal de cor para
eavatorio por 35000, pratinhos de vidro
para copo a 320, 400 e 500 rs. cada um',
sexnbas d<3 vidro para passas, figos, etc.
etc. a 800 rs. cada urna, compoteiras de
vidro para doce secco a 25 e 25500 cada
urna, casiicaes de vidro s para vela a...
I520O, canecas de porcelana com tampa a
320 rs. cada orna, galbeitas de vidro para
missa a 800 rs. o par, candieiros de vidro
com globos a 55, 145'e 165COO cada um.
E outros artigos que deixamos de men-
cionar ; e prevenimos a quem precisar com-
prar algom destes objectos que approvei-
tem a occasiSo de comprar-los por menos
20 % em raz5 de termos de liqoiial-os o
mais breve possivel. Ra da Imperatriz
n.15.
OLEADOS E CASEMIRAS PARA FORRO
DE CARROS.
Vende se oleado preto grosso a 25200
o covado. D.to cor de cinza a 15200 e
cor de caf, verde e preto a 15400 o cova-
do, para acabar.
Pacno fino azul escuro a 35700 o covado.
Flanella branca ingleza a 15400 o cova-
do. Dita muito fina azul com duas largu-
ras a 25300 o covado.
Casemiras escuras ft claras de duas lar-
guras a 25400, 25600, 25800 e 35000 o
covado, as quaes servem tambem para pa-
litot. No Emporio Commercial ra da Im-
peratriz n. 15."
CHAPEOS DE PELLO PRETO A 95000.
O Emporio Commercial est vendeado
chapeos de pello preto para homens a 95-
Ditos de castor branco a 105. Ditos de
palha e feltro tanto para homem como para
crianza. Bonets de couro da Russia para
meninos a 15300 cada um. Chapen's de
seda para baptisados de crianza a 25500,
35 e 35500. Bonitas touquinhas francezas
de 13a para enanca a 800 rs. cada urna.
Chapelinas enfeitadas para senhora a 55,
65 e 75000 cada urna. Chapeos de sold
seda tanto para homem como para se-
nhora. Na ruada Imperatriz n. 15.
GRNNDE ARMAZEM DE VARIEDADES
EMPORIO COMMERCIAL RA DA IM-
PERATRIZ N. 15, DE ULYSSES IR-
MAO.
Este novo e grande estabelecimento con-
tina sempre firme em vender barato para
vender muito, e em consequencia de n5o
baver ainda ebegado algumas encommendas
que temos feito, e escasso como te acha o
nosso mercado de artigos de grsto f vende-
mos por mdicos precos os que se segu.
Superior panno preto PII a 65 o covado.
Dito dito Brasil a 55500.
Soperiores casemiras escuras e claras
para palitols, calcas o colleta.
Bros brancos de linho de 153>:0 a 25600
vara.
Brim pardo a 300 e 560 rs. o covado.
Ma da poiao francez e inglez de 55100 a
155 a peca-
Grande sortimento de chitas.
di Arente el:
Iizao paraje
OTA EXlttA
cando isto, nio ha
seja a VIO-
Observado.
Diversas falsificas
recdo, raja
compradores i
i casas eirami
>s eanseThancas tem appa-
Hklade dnvtesa. Os 8rs.
vitar ft ogao dirigindo-se
!,!> pedmdo a tinta qne en
i. c:

f JUUIDB "i
Cortes com 17 ovados de chaliz a 50OG
a 45300.
Cobertores do 13a escossezes.
Colxas de a'godSo branca e de cores de
35'.'00 a 45900.
Sedi ha preta a 500 rs. o covado.
Dita branca a 6 O rs. o covado.
C-ites com 21 covados de sedinha de
listra por 255000.
Fronhas de crivo a 600 rs.
Alfaca preta sarjada a 500 rs. o covado.
I tem branca a 500 rs. o covado.
Guardaapos de linho para cha a 25C0C
e 35600 a duzia.
Ditos para jan ar a 75500 a duzia.
Camisinhas bordadas para senhora a...
2500 e 35' 00.
Lindas cambraias Imperatriz cortes de
10 jardas por 95 00.
Cortes de cambraia de salpico com S
varas por 55500.
Tapetes grandes e pequeos.
Lencos de cassas para criancas a 1510C
a duzia.
A'godao branco e de lista.
Peitos de esgoi5o de linho para mi-
za a 15
Punhos o par a 800
Cjllarinhos finos a 500 e 600
Espartilhos bordados finos para senho-
ras a 55
Mdias finas para hrmem, senhora, e
criancas.
LTa fina para bordar libra a 65
Carreteis de linba Alexandre a 80
Da em duzia a 920
Abotuadura para collete a 120, 200 30C
500
Ditas para punhos a 300 e 15
Papel de pezo, almaco e peqneno d
cores em caixinha.
Latiohas de, banha a 80 rs. e em du-
zia a 900
Brincos pre'.os de burracha e alfinete a
800
B t5es de duraque prelo para pauto
groza a 1800
Grande variedade de botes para palitot
e collete que se vende barato,
Caixas com dez nvellos grandes de li-
nba a 440
Ditas com 50dit)S a 650
50 pecas cordo de vestido 600
Peca de fita para coz 440
Sabonetes transparantes finos duzia 600
Colleres de metal fino para cha, duzia a
25000
Ditas para sopa a 45
Talbares de faccas. duzia 55, 65 75 U
e 95000
Temos do bande'jas ovaes a 105
Dit:s lizas a <5
Sabooeies finos e igmes duzia a 15200,
15500 e 25
Caixas de boifles de osso para calca a
200
Sutaes b*anco, duzia a 280
Tranca de 13a e branca de caracol duzia
a 560
Retroz preto e de cores, oitava 240
Carnizas de meia crua muito boas a 14
Sitineta do algod3o de cores para re upa
de montara, e de crianca covado a 500
Merino preto trancado a covado a 35300
Leucos de linho em bonitas caixinhas du-
zia 55800
Lindas cambraias bordadas de 13a vara
15000
Colxas de pello de lontra com duas vis-
tas a 145000
Crelone matisado para coberta covado a
700
Grande sorl'mentos de perfumaras; um
bonito toyalet de vinhatico cOm pedra mar-
more e vidro oval, um guarda ronpa de
amarello ; seis cadeiras de guarnicSo, 2 de
ditas de bracos e duas de balanco, tudo
de Jacaranda massico, proprto para um
gabinete e vendemse por mdico preco
por ser resto. Nao ser mi vender no
EMPORIO COMMERCIAL
15 Ru da Imperatriz 15
Ulysses & Irmdo.
LIQIJIDACAO
E1 PECHINCHA. *
Chita m gosto de praca a 200, 40, !80 e 310
i covado pechincha.
Cobertores de lia esenras muito grandes a SJ.
N* loja de Guilherrae Carneiro da Cuaba : na
rnWCrtsto n. .
Vende-se
a loja de lonja da trra sita ra do Rangel n.
4 : qaem a pretender frija-se msma on I pra-
c,a da Independencia n, 33, qu kchart eem qnem
tratar-___________' _________.
Superior caf do
Ceara
Vende-sena loja o I *roa do Duque
de Gastan. 73, antiga Qnemtdo.


O ario <* Pemambuco Quarla U
de Oulubro de 1871

I
i
x


\t

|
I
?
i
I
EnmATURi
------------------------------------------^-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
^-^ttearB>aa eleleral.
UlKAOO, DESfcNVul.VIKSNTO K aipi.ica:oks
DO STSTKXV IMOI'ORCION! VL PEL FO IV K
SECCIONAL
Quarla carta. ()_
///. Rematando o men protesto cootVaa refir-
na eleiloral ii'j sentido d-reclo censuario
sustentaolo a preferencia, era que p ra
coiu esle systema, e iidos os que asseut:m
no principio da raa oii<, e>t o das prop r
aonalidades, seji-ne" licilu fazer algum1.;
iranscripco)!, e sobre ellas < cosida'a
ces, que me parecerem proposito.
eomefirti por transcrever do Diario ck
Pernambuco de 30 de setembro de 485i.
em que se acoa publicado o meu traba h >
inaugnrador, os periodos, que mais intima
mete se pr na ; e conJuirei,vertend i da Revista dos
bous Mandosda 15 da maio to auno
prximo lindo, algnns tpicos do lucido a.r
t go do Sr. Eugene Aubry Vitet com refa-
ci ao nuv > esterna.
Eis a transa ipcio do supracilado Di-
rio:
AO Mo.VUlCIIAE AOS SHS ni-PRESENTANTES DA
-VUliO. l'M NOVO SISTEMA ELECTORAL Sr.C
-IONAI. REPRESENTATIVO
lasque je comwencii a tournn-
mes penses vers les affniert
publiques.. je ne le fu par d-j
moti[t dintel!; ema conduele
depun ce mment l jusqu ce
jmtrs cst unepreuve de ie qai
hovance. Jetrou vai une occi-
sin cu je crus pouvoir [aire du
bien, je suicis exuclement ce q-ie
man arar me dictoil. Je ni lis
nucum livre et ne eluiiai pnr
Ifiopinions des autresje pennit
poui moi meme.
(THOMAZ PAI.NB.)
< Laucando as vista* pelo nosso p i.otn do.* teabo o araiemplido I ua pas-
sdj de lua e Jsseoco;s, ura presente
du leceios, e um futuro de ameagas, ludo
tem sido p .ra o m u espirito um objecio
melindroso de profundis, serias, o ma-
duras lofbxois. Lina reforma qui.-i
radical em nossas insiituicea tem-se-nia
apreseatado como um t necessi ia le de pri-
meira*inluic3o!.. >
Em 1851) projelei a I e em um perio-
dio acadmico o Albina, live ocea publicar um artigo em que deixava en-
trever algnns principios do meu systema
sobre urna no>a basee verdadeira for-
ma de goveruo reprasentativo.
E' de um novo systema, eleiloral, que
tend a prevenir a grande luta dos par
tidos, a cortar os abusos contra a lber
dale do voto, e hirmonisar os espirito*
na represeotafao nacional, que teabo con
cebilo a organhacao.
Se as miabas ideasinerecerem a alten-
q5 i do pjbii;o; e se algum bomem da
sciencia me qaizer bou;.ir, cbimando-me
a urna f anca discuss3o, pee) Ibe, desde
j, que ce faga conhecido, e uiQ se vi.-ta
com o modesto manto do anoaymo.
i Uiaeieico e tem quasi sempra sido,
urna causa de dessentim^ntos, urna onie
de odios, e uina origem de males!. Os
partido polticos inflmiau-se, ameacain-
se, estigmjtisam se, e lutam, apenas va o
se aproximando de urna poca de eloico;s,
pocha terrivel para eiles I. por que tem
de decidir de sua vida ou de sua mo.-le,
de suas ruioas, ou do seu engrandec-
melo ludo isto porque os represen
tar.les at bojd tem bornate consistido,
na escolba da maioria; porque, co.no
sabido, aoaa chapa deve prevalecer ne
cessariameate contra a oatra chapa, h a
() Por allluen:ia de materia deixamos
depab'iear esti carta logo depois das tres
prime ras, que foram pnblicidas nos Diarios
de 17, 21 e 2 de julho prximo Ondo.
(Da redaccao).
FOLHETIM
L LM DO FOGO
muw m
POR
luWMRE BOMAS
(.CoutinuacSo do n. 237)
VIII
A consnla.
A doenca de Enzebi, com todas as ner-
vosas, foi demorada e crael.
A' sobrexislaco cerebral e demais symp-
lomas qae se apresentaram, snccedeu urna
languidez alo menos grave do qae o del.rio
que a preceder.
As facilidades intellectuaes do maco p*re-
ciam, sen5o extinctas, pelo menos como que
adormecidas. Perder a memoria e a la-
cnldade de pensar; fallava raras vezes, e
n5oreparava em cousa alguma do qae e
passava em torno de si.
S experimentava alguma sensacSo ou
deepertava um pouco do letbargo, quando
Ester se asseotava cabeceira da cama.
O amor sua mulher augmentava ma-
naira qae perda todos os demais senlimen-
tos ; pareca qae Ester era o anjo qae Ibe
conservava a existencia.
Estava horas nteiras o'.hando para sua
mulher, e quando esta por um signal, pali
vra ou gesto denunciava a ternura qne sen
ta, o olhir de Euzebio animava-se, e sem
que os seus labios articolassem ama pala-
vra, relembrava na expresso da physiono-
mia todo o sen amor e todos os*seasjra
meatos.
Pelo contrari, se Ester por algoos ins-
tantes era obrigada a afEastar-se do enfermo,
.Eazebio eslava triste, inquieto ou impacien-
te. Se a ausencia se prolongava, cresciam
. as angustias do paciente ; exaltava-se, gri-
tava, e s tornava a estar quieto quaado
Ester apparecia.
Acerca do passado, oa para melhor d-
zer, acerca da noote em qae foi procurar o
Di. Bazilio, nada Ibe occorria, nada recor-
dava; pareca qae de todo se liaba esqoe
cido.
Sem qae reparasse maito as madancas
qae a barao^a tinba prodazido na sua vida,
servia-se dos criados qae o rodeavam como
se eslivesse costamado a t los, mas sem
procarar a expli^cSo de coosa algosa.
Nem reparou sequer na samptaosa casa
qae habitava, nem ao ver a rica mobilia que
a. adornara se lembrou dos seus pobres
trastes antigos.
Assisliram-lhe os melboras mdicos ^
< repieseniaf) nacional ni) s r roa s qu
a expr s>3 i da chapa qus ve ceu !!!
t Um systun decleicSes, pois em que
so g ranta o direi'o de representar o voto
* lauto da maioria como da m'njria, iacon-
t testa elnente ser o systema mais racio
t nal, mais justo, e mai; conveniente em
om govflrno livre, como o di n>j a
* forma. E-.te syslema o que posso \
txp;?der:
' Almitlida, como est, a divisa) do ira
i pero em proviuciss, comarcas, etc. ele,
a uj populago ser tambem dividida
cm seceos represefttatlvas, compostis
* di um numero legal da volantes livre
rxent ra 'triculados. Dgo-numero leg*-!,
porqje deve s:r fixido par le. Tantas
brem as secvojs di urna jrovincia, quan-
t'S :epresentanies djve dar estJ provin
< cia.
Cada seccio repre enUliva ter uni
< ceir) de reun5) pira seus mcmbro3,
oade se deve proceder a eleicSo, depois
de so havtr n )meado um mesa presi Icii
ciil, qae deve s r tirada deotre o< pro-
* e''JS iiiembros
as rabeas de comarcas haver, em
cada urna de per si, ama scelo correge
dora, cuj att ibuigao ser averiguara
veiafS) e apurado das d versas secc5e$
rcpresentaiivis coraprebendidas em seus
< distclos. Nis capitaes de provincias
havei, em cidj urna dellas, urai sc?3o
capital, cuja at'.ribuig3j ser averiguar a
apuradlo das scegoes co/iegedoras.
O numero de caodidilo, que deve conter
cala lis-a de provioci', dj.vd ser o das
seccoes repre entativas, em qui esliver
dividida a sui pioulacao Cida voto
le o duplo ca. acter de numero e val >r:
* o numero repre entisingilannentc a in
dividualida le do votante, e o valoro
gri de capacidade, qu* tem ell-, e o
emq.ic lem collocad) o seu esco'.hido : o
* primeiro grao e o primeiro nnnuro >3o
* representados pelo voto superior da lista,
aoqiul chimarei coostitutivo.
Val o voto consiutivj 1, e p3o va-
i or tixo dista un dade, que a lei tem de
i regu ar a differea dos oatros votos entra si, e do numero
e valor djstiS para com o numero e va
Lr complexo, que ella tem fixvlo para
* dar um reprientaat: por exsraplo
i urna centena.
f Um voto constitutivo valer (por flecho
* legai) dous .103 inferiores immedia'o*.
< qualro dos inferiores immediatos ostes
* ltimos, e assim df d:aate. E chami-
remos todos os votos inferiores *upple
i matarlos p irque sorvem, ou para eleger
os supplenles na escalla do3 numeroj di
lista, ou pira suprir algum o a guns vo-
tos constitutivo!., que se h-jam perdido
I** as superfluidades da vohcSo, sendo feita
c a conjjutaco respectiva segando o valor,
t em qae estiverem para om o d'aqttellcs
votos, informa prestabelecid Exera-
po :
Todos 03 votos constitutivos das diver-
t sas seccoes divididos igualmente pilo nu-
t mero que a lei liver predeterminado para
* dir n:n representante, daro necessaria-
mente tintos repreeeotantes quantas fo-
rem as secces representativas existente*;
tolos os primeiros votos supplementarios
das diversas secces divididos igualmen-
te pilo numero legal, daro lautos p.i-
t meiros supplente*, quantos forem aioda
as diveraja seccas: pilomesmo proces-
i so, todos os segonlo3 votos sapplementi-
rios designaram os segundos supplentes,
t os terceiros os terceiros snpplentes, e
* assim por diante. Assim :
Se a populacho de urna provincia esti
t ver divid la em feis scelas de |0-3 vo-
tante; cadj urna, a 1 sta de todo3 o vo
tintas desia provincia contera 6 caadida-
tO): se lol '3 os primeiros candidatos,
que receberem os votos constitutivo?,
t reuoirem, cada um de per s, o numero
* de votos, que a lei tiver determinado
Bitavia, o como Ester visse qae o doente
n i sentia melhofas, reuo'o os facultativos
em consulta para emitfirem a sua opinio.
Todavii, como por terem passado da Eu-
ropa pVa a Iniia, os disc pnljs de Escul-
pi nao haviam desmentido a3 suas tradic-
qoos, os Drs. cstiveram em Batavia, como na
Europa, em orapleto desaccordo.
Dividiram-se era dous campos.
Dous dechraram qaa a sc'encia h n5o
linha nada a fazer e qne Euzsbio era 'nmera
perdido.
Outros dous deram E leras mais pr-
ximas e lisongeras esperances.
Havia mais nm : o quinto.
Este calou-se.
a sua voz poda inclinar a balance fa-
\.r d'um dos dous partidos, e era isso exac-
tamente o que elle nao quera.
Todava, comprometido pelos rogos de
Ester, disse :
< Sr*., a cura do enfermo muito ?"s
sivel se o mal nao peiorar ou nao tomar
maiores proporcoas. Ss pelo contrario o
mal se aggrava e adquire maior desenvolv
ment nao respondo por coosa alguma.
Quauto ao tratara ento, isso dea assuraplo
para discussoe3.
Um aconselbava o quinino em dses con-
sideraveis, o otro pretiu lia conjurar o mal
com opiados; o lerceiro recom neodava as
sangras e as sanguesugas; o qoarto a die-
ta absoluta e abundantes porgantes.
o que afrmou que se o doente melbo-
rasse havia esperances e que se pelo con-
trario peiorasse nao responda por cousa al-
guma, esse disse:
Se ministraren) ao enfermo o cardnus
benedictas e os banbos sulplnrosos de Pan
gbesango, ha cinco probabilidades de cura
contra cinco negativas.
Os medicas ao sahirem da consalta deixa
ram a pobre Ester i5o idiota como seama
rido.
Estava s e quasi abandonada. No esta-
do em que vi a seu marido, n5o cuidara de
adquirir relaces de amisade. Alm disso,
a m repatacSo do Dr. Bazilio e o escndalo
do codicillo traziam os herderos as boc-
ca8K e ms boceas, dos habitantes da Bata-
via, de modo que Ester apenas contava com
o tabe:ii3o, o qual se Ibe offerecra para
Ibe adiantar todo o dioheiro qae fosse pre-
ciso, porque os tribunaes ainda o3o tinham
dado aos doos esposos a posse da riqaeza
do Dr.
Ester foi pedir conselho ao tabelliSo, qae
era o seo nico amigo.
Seria meio dia quando Ester ebegou a
casa de Maes, que se estava preparando
para sabir.
Ella expoz o motivo da sui vistla, e elle
oavio-a sean pestanejar.
para coostit tir ota representante,
clhs os representantes das seegi
s em uutnero cono era valores
relativamente as secc;a que os b,
rem : Os seas supplentes, os i
votados segando a escalla dos a
ordinaas, em que estiverem coito
lista, serSo tambem supplentes,
era numero como en valores ignaeTrela
varaante a3 secSas, que o; e'egeram.
Expendido o metholo, con) esti, sup-
pooha-fe":
t Uiia provincia divilida ero3comar-
cas, cadi comarca em 2 sec-;ojs ppre-
< sentativas. cada sac^I) conteni 100 vo-
tiotej e sendo nuhiraa no molo de psn-
sar poltico e na eso'ba de seo represen
tante e de seas snpplentes: o resoltado
da eleicSo ser,qae cadi sef3o das um
representante com 100 v)to3, e cinco
supplentes graduados-, oo ordinalmentr
* numerados, tambem com 100 votos cada
< om. i
Mis supponha-se :
Que as secc5 nosejam aoaoimls no
modo de pensar, e na esolha 'da- seus
representantes, e apreseat4m-sj prpmis-
ca^mente, como candidatos dlas os 4'!
cilados, n. 1, n. 2 e n. 3, etc., et;..
at o n. 40, e recabara todos voti^So va-
riada, isto : o candidato o. 1 100
votoi constitutivos nasecc3o A e 50
tambara constitutivos Oa sec;3o B e
U as outras secces:
O candidato n. 2,-50 voto constitu-
tivos na secc3oB, 50 tambem cuns-
titutivos na secfoC, 100 da primai-
ra supplencia di sceloA, eO as
outras sec$38:
Us canlidatos os. 3 e 4, etc.. etc.
O candidato n. 55) constitutivos d3
scc-30 E.100da prineira 'supplencia
da seceoL>, 50dasegnnlj suppleo-
c3 dssecgSo C, e O nis oas osiraa
secis:
t O caadidato n. &, 40 constitutivos,
da sec?oF, 50 da primaira supple i-
cia daseccSoG, 100 da segunda s ip
plencia da secc3oD, 50 da segunda
supplencia da sejfoC, 50 da segun-
da s ipplencia da sec;3oB, e 100 da
qainta supolencia da seccSo A.
O candidato n. 740 constitutivos da
seceso F, 50 da primeirsapplencia
da seceso E, iOOdaterceira suppleu
cia da secc3of>, 50 da terceira sap
plencia da >ecc3o C, 50 da-terceira
supplencia da sccf3oB--, e SOdaquin
* ta supplencia da mesma secc3o F,
em qui teve os votos constitutivas.
O candidato n. 8r 20 votos-coast, etc
* Todos os mais cmdidalos- tiverao- ama
i votado variada entre as seccoes, e na or
dem das suppltncias.
Por um resallado aritmticamente in-
t filvel e neossario, coasequeateda.com-
i binacao e cotejo Jos nmeros a valores
relativos dos votos entra si, e de soa ra-
i laco cora o numero e valor complexo Q
t x ido por lei, IO0, os & primeiros, can-
i didatos sabi am eleitos- representantes
f Eis a apuraco.
O candi latn. 1, co.a 150 votos-cons-
titutivos entre as secc&es A e B-, tendo
< por conseguate 50 votos superfl os.
c O candidato n. 2, com 100 votos cons-
titutivos entre as seccois B e C, tor-
ce mndo-se a vot c as outras seccis Ihe deram su, erflu
t Os candidatos n. 3 e 4, etc etc. ^l
t O candidUo n 5. com SO votos co^st.
da sec. E, e 100 da prmeira sflp-
da sec.D, qua tendo o valor de 50
consl- representa-os, e nafaltaossuppre:
superflua a supplencia.
O candidato a. 6, com 40 votos const.
na sec F, 50 da primeira sap. da sec.
i E, que valem 25 eoost. 100 da seguoda
sap da secD. que tambem valem 25
const, 50 da seguoda sup. da secG,
t qae valem, 12 '/ const. o resto da vo-
o taco snpplementar tornar-se bia aqu su,
Oh I a doenca grave, disse elle,
raas felizmente ha om remedio.
Um remedo I Ah I O %t, sabe de
algum remedio que possa curar o rasa po-
bre Euzebio? Falle, supplico-lb'o eu ; es-
tou decidida a sacrificar toda a riqueza de
raeu lo, se necessario fosse.
Nada tem qne sacrificar, minha Sra.,
e longa de custar algama cousa, o remedio
duplicar o seu capital e s r fonte de pros-
peridade e riqaeza.
Em sarama, que reme lio ?
O trabalho.
O trabalho I repatio Ester assora-
brada.
Sim, minha Sra. A ioaccjo para o
cerebro o qae .a falta de alimentos para o
estomago. O hornera coademoado dieta
intellectoal homem perdido, e tanto como
se o condemnassem urna dieta material
ou physica. Trate de se oceupar n'alguma
cousa, de modo que se despertara nelle de
sejos, inquietaedes e cuidados, qui s3o os
estimulantes da vida, e v lo-ha recuperar
a salida e as forcas agora esgotadas; agi-
te-se, e ba de viver.
Mas se elle nem pude coordenar as
ideas t
Bem sai; mas todo isso vira pooco
e pouco. O rabalbo como o jogo ; mal
que o dado mostra urna das suas Taces,
despertase no jogador a febre do ganbo.
Oh I O trabalho, miaba Sra., a panacea
universal qae ha de salvar sea marido. Di-
go isto por mim : se eu n3o livesse traba-
lho era capaz de rae sohidar. O trabalho
faz-nos esquecer os pezares e os desgostos.
O Sr. tem pezares ? exclamou Ester.
Pois ao lado da Sra. Maes nao devia t-Ios.
O tabelliao crou, mas nao se atrapa-
Ihou.
como Ihe dig), mLba Sra., prose-
guio ell j ; o trabalho sobrepe-se s dores
da alma como s dores pbysicas; e eu, al-
ca:hinado sobre os maus alfarrabios e pro-
cessos, e sobrecarregado pelos deveres da
minha proflss3o, deveres t3o difflceis de
cumprir neste clima abrasador, vivo pelo
trabalho e n3o vivo sen3o por elle. Creio
que se chegasse a (altar m?, morreria, por-
qae sem elle me faltariam os elementos de
que precisa a aclividade do raiu espirito.
Por consegniote, don Ibe de conselho qua
experimente o remedio com seo marido.
Faca corusque a attencSo delle se file nos
interesses da casa, e i pouco e pouco des-
appirecer a atona qae o anoiquilla. Mal
qae o vir mais allviado, induza-o a nego-
ciar de qualqaer modo que seja; compre
planlaces e casa em Batavia; cultive caf
ou cannas; refiae asacar ou venda cb, o
que qaizer ( em summa, faca alguma coosa,
e assim como eu faco, qper de dia quer de
pefflua, relativamanta ao numero e valor
fixado por lai: mas ciim oa nmeros e
valore osvotis dav^m ser, ol s rela-
tivos ajamiro e val r leg1. aami tam-
bera relativos entre si, sgae se queqaaod)
houverem dous compatidores coios nume
ros e Yilores dos votos supoiementario
excedam, cu estajam aqu;m do numero
e 'ilof legal, ler se-hi dsproceler a es-
colhi a.te idenlo-se aos ntmiroso va'o-
re; dos mesaos votos e itrt si. As ira
poK :
O candidato d. 6, tendo por c mp:il-
d r o caolidato n. 7, ni v./njij cons-
titutiva, porque ambos tivaram 40, e
leodo os nam'ros e valores dos saus
votos supplementarios obrepissado (com
aqaalles 40) ao numeru e a'or legal, feita
a rsped va computadlo tem a preferen-
cia na escolha, por estaremos seus votos
em raz3i supe ior de numero e vk>.\
rehtivamante a); votos doc nlida'o n. 7,
que teve de menis 5) vjtos da -101018
supp na, equivdeatas (pela ec3o da
le) 1 9,10 de votac) constitutiva, ma
or qua 3 2|IG da masma votas!t, *
que foran reduzidos os 100 votos do
mesrao grao da supplencia, que teve a juelie
candidato. E assim, o candidato n. 7,
Jev i de cad.r'o lugar de representad i
ao n. 6, tornando-so o 1. supplenle da
Fuellas sec;5.'s, qoo promiscuimente Ibe
erum votifS).
< Por esie processo ir-ee-h ao infinito, e
desigcar-seh at o ultimo supplentados
40 iaodulalos, na hypolhese dada, sendo
rarsinos os desempates nr sorteio, que
de algum nodo alera o principio electivo.
* Ajui talvez se'd'ga, que dominou o
principio da ma oria.
c Oirei, qae a mu ra inste eiso n3>
um principio, qae absolutamente preda-
mini, e sim u-m resultado di oasbinaco
do3 nmeros e valores entre si, e da re
lacio, em qus esto eies para cora o nu-
mero e valor legal Ihe de centro e ds m-ididi, prene-i, e
qoebra-lha a forc."i. de que ella.dispae e
abusa, quando s-j aprsenla soberana*
t- Por este segando resollido da eleicSo
os- representantea- teem um* ponto da pa
rilada com os represen antes formados
pefo-nosso syste na actual de eleicjies, e -:
represenlandopromiscuamenla as s -ccoes,
repr^seutam a totalidade da provincia.
i Pelo primeiro resultado, porm, os re-
presentantes teem outro ponto de pan-
dada cora os das eleces por circuios, e
por catases; por isso que representam
particularmente as secces, qae os ele-
geramt.
Eis aqu, prtanlo, um s systema rea-
rando oa si as excelleucias da todos 03
systemas existentes.
< Por elle a nac3o tem da ser melhor-
mente representada; por quanto as ne-
cessidades locaes, os interesses desta oa
daquelk. classe de cida daos podem nata-
ramente lar um echo em urna socc re-
presentativa; desta reflactir en> sea re-
presentante, e deste raflectir por sua vez
n > reciato legislativo.
Por ella desaparecer esse espirito
exiceroado de partido... por isso que n3o
ba oecassidade, para que um partido seja
represaolado, de suplantar o outro!..
Nao hit, propiamente, partido decabido
no recinto das cmaras I., e deve por
conseguate o carcter das leis depender
anijs de urna fuzio de ideas, que tenda
naturalmente a produtir um espirito de
ordena, de harmona, e de coa iliacjo, do
qua Jo arbitrio caprichoso e do predomi-
nio abso'uto de om s partido !...
O ecclectismo das ideas e d. s princi-
pios ter, entio, nma ban Jeiri no mundo
poltico.!., e o systema representativo,
snrgiodo laminoso e cheio de b.ilho, ir
resplandecer e aformosear a fronte da hu-
manidadel. .
< Esta systema nao s para o Brazil,
para o mondo !.. .
noote, cuide sempre as seas negocios.
Fazendo assim, tam a cara certa.
A Sra. Van-den-Bik encara.va como que
assombrada no collossal tabelliio, pergan-
tando entre si se o remedio n3o era 13 > pe-
rigoso como o mal
Eu jalgnei, poaderou ella, que O Sr.
Maes leria de noute aigumas- distraccoes.
Isso om erro, minha Sra., um
erro grave, e vejo que ma julga mmeira
do vulgo., A verdade que em coDsequen-
cia da minha posicao e relac-oas, e ao verera
que tenho boa mesa e bom sarvico, dizera
alguns: Maes uni gastrnomo. Erro !
Engao t Mu ao! O volgacho que assim se
exprime ignara que o tabelli3o se v nanitas
vezes obrigado a proceder conira as seas
inclinaces.
Mas accrescentam :
Mal escurece, j Maes passeia de trem
como um Nabal N3o : o tabeBiao n3o pas-
seia, vai ver alguma plantaco que admi-
nistra ou que o proprietario deseja bypo
thecar.
Nao obstante, contioaara as linguas ofi-
ciosas :
O tabelliao vai ao tbeatro chino cora
muito mais freqnencia do qae reja, mas
que o valgo nao sabe ao que me obriga
a minha delicada profissao.
A sua profissSo ?
A minha profissio, sim, Sra. Porque
nesse tbeatro sel que voa en-ontrar os tra
(antes, quera persigo judicialraanta, por-
que nao ignorar de certo que o nosso
coraraercio realisa numerosas transaeces
com os subditos do celeste imperio. Pois
bem: por causa do ioteresse qae me inspi-
ram os meas clientes, tenho militas vaze3
de passar ooutes inteiras de raocbo com
esses velbacos, at os ver cabir embriaga los
debaixo da mesa.
Creio que me convence, redarguio
Ester sorrndo imperceptivelmante.
Fallo por experiencia, minha Sra.
Mas, contintroa at iste Sra., como se
ba de obter de um enfermo esse resoltado
que diz ? .
Oh mioba Sra.'! Ha mil maneiras.
Basta queme aponte ama.
E" mostrar-lhe o prodacto da traba-
lho, aigumas moedas d- ouro.
De oaro ?
Sim, de ouro, porque elle coitado,
nio Ua de ter visto muitas na sua vida.
Diga Ihe: Eazebio, este dioheiro nosso,
mas querem roubar-nos. A' primeira des-
tas palavras, abrr-se-bSo os seas olhoscom
laz aova; segunda, tratar a sua cabeca
de coordenar as idaaa, e a partir deste ins-
tante ha de. racupartf toda a clareza da in -
telligeiaeia.
-r- Mas se ou Iba diaser qae a nqaaa (qr-
Eis aqu, S*r. sead r, o esqueleto on
antes o feto do systema proporcional, dado
premiuramente laz do mando, e envol-
vido ainda as nublosas faxas da melbapbi-
scj pelo novel utopista I...
Fazando transcripto de tolo o artigo em
o n. 25 da Ravoloc3o de Novembro, de 2 de
outnbro do masmo anno, o illaslre patriota
republi'-ano,Dr. Antonio Borges da Fonse-
ci, redactor em chefe deste jornal, fe1-a pre-
ceder direcoramanlaj-io seuin'e :
Ao paiz.
A crise se pi'.ri'n^. e todo e qualquer
trabalho de organisacao dos ser por nos
p.nsado.
t Por este motivo lioje do Diario de Per-
nambuco n. 220 di 30 de setembro damos
o artigo do Sr. Habor. '
* Pensemos, pensem is lodos, porque o nosso
voto tem de ser decisivo no dia da crise;
porque do nosso voto deve vir a morte da pa
tria, ou a sui redempeao.
t Pensemos, tendo em vista o que diz Tho-
maz Paine, e vem como epigraphe ao artigo
Bara discrepante da opi-nao dos semi sa-
bios, o Ilustro republicano, par esta simp'es
recommen laclo, deix u vr, qua a sai n3>
era tam decretoriamente pela rejeicji in ti-
ntine do raeu tribalbi; e antes, que este,
ee.ido ddorgamsacSo, poderia sar aceito al
raesmo na reconslituico dapatriaem
Demacrada pura.
Cortamente pelo novo syslena, e por urna
prudente sombinaco de gras eleitoraes,
uu-s orna]* sdutarmente coro ella se bar-
mtisi. podara as repblicas corrgir-sa do
pernicioso partidarista}presidencial, e con
seguir a verdidea nacionalisacSo do seu
primeiro representante, ficando por esse
modo, nico talvez, d:Struido peta raiz o
mais forte, e at boje irrespondivei argu-
mento, que contra ellas se tam sus* lulo '...
Seja isto, porm. dito, por ora, dte pas-
sagera e smente par assignalar, que o
novo systema. eleitora!,seBdo o que nwis-iel-
raente traduz na pratb* o principio a so-
berana nacinil, o que mais garanta-offe-
reca est-iblidade dos govornos, quer de
(rma monarebico representativa, qaar te
publicaaa.
Co ivieto desta verdade, fui lvalo a faaer
urna prognostcacS), quaado pobquei o sys-
tema conferenciando escolsticamente acar-
ca deste, com algn? col egas, entre os
quaes me record do j boje fallecido Dr..
Manuel Jos de Cerqoeira .Mandes, e do Dr.
Ant nio de Araojo Arago Bu'cao, cujo tes-
temanho n3o ser suspeho V. Excsendo
elle, como tambi-m o era aquella outro, com-
provicciano de V. Exc- de quero m is pr-
ximo vive, do que de ai m, desde enta-o
apartado.
Em 10 anuos-, dice eu accenfiadamen-
terem ar escolstico-, o meu systema es'ar
vigorado e dando frtelos no Brazil : e em
20- estar transpfantado, fazendo- seitas e
alvoroco no mundo-1: .
Nao sendo eu propheta, bem pode V.
Exc caprehender, corao interprete judi-
cioso.qaeea s poderia ter aventado isto;
primeramente, por ver que o systema,
sendo accessivel qualqaer inteligencia,
vevdadeiro em principio, e prometttdor da
bons resultados, por si mesrao se diffuodi*
ra ; e depois, porque, tendo S. .M- o Impe-
rador indicada na falla do tbrooo daquelle
anuo a necessidada urgente da reforma
eleiloral em sentido mais franco e mais con-
forma com a legitima base doregioaan cons-
titucional, ti ve a supposicao de que os bo-
mns proeminentes, qne a redigiram, esta-
vara serimente' empenbados na obra da re-
generac3o I.. mxime, tendo ellos proclama-
do do alto o mesmo- ecclectismo poltico, de
que eu trez anuos passados, tinha sido
tambem iniciador, meditando, desde enlio,
no systema proporcional, por mim concebi-
do, como ponto essencial e impresciodivel
de programma respectivo !..
Illndi-me I...
O nepotislfi, como a 'perot, no arroz
tana est ameaga-ia. terei de Iba explicar o
motivo ou cansa dessa araeaca.
Sempre h* de vir a saber essa causa,
mais tarde ou mas cedo.
Oh Isso n5o, Sr., n3>Iba falle nun-
ca do testamento.
Pois eolio invente o que Ibe parecer,
qnalquer cousa qne o despene, porque do
contrario, a atona ha de condazilo
mor'.e.
A pobre Ester estava tilo abatida e can-
sada de besitaces, qne entrou em casa de-
cidida a por em pratica o ramedo do ta-
beili3o. Mas como podara despertar" aquella
intellig-'ncia alethargada ?
Um dia em que Eazebio se conservara
horas e horas com a cabeca reclinada no
paito de sua mulher, julgando esti que seu
marido estara mato mais tranquillo, resol-
veu-se a fallar-lhe.
Querido Eozebio, disse-lhe ella, n3o
sabas qne somos ricos ?
Euzebio oavio-a com indifferenca e en -
trou a brincar com os cabellos de Ester.
Desapparecea j, continuou ella, a
miseria qae tanto temas; olha.
E atirou para cima da cama um panhado
de moedas de oaro.
Euzebio olbou para aquello ouro com re-
pugnancia, e ropellioo corao se o eslivesse
molestando.
As moedas cahiram no meio do cha).
Dapois beijou sua mulber na testa.
Eazebio, continuoa. Ester, n3o te ale-
gra o seres rico e ver-rae 13o bem vestida ?
Euzabio alteatou nella com ternura; Es-
ter proaeguio :
Asora j nao saio com os pobres
vestidos qae d'aates asara, e cuilei que rae
amaras mais agora veodo-me assim.
Euzebio fez como que om poderoso es-
forco, e respoadea acertadamente pela pri-
meira vez desde qae cahira de cama.
N3o foi assim, disse elle, qae ea te
conheci, nem foi assim qne o nosso amor
cresceu. N5o eras tu tSo formosa e nao
rae amavas do mesmo modo antes de seres
rica ?
Ento ainda me amas, replicn Ester,
vendo o mo resaltado do remedio e pro-
curando valer-se de outro mais convin-
cente.
Amo.-te, mas boje mais do que nanea.
Acredito isso mesmo, mas temo que
ebegue a faltarme o tea amor.
Isso impossivel! bradoc Eazebio
dando aos hombros.
Creio, mas como at o entimentos
rtais profundos, teem sea termo neste
mando.
Qaem diz isso ? Qaem diz isso ? bra-
doa Baieblo.
"t- \Jm bornea de maito aber qae co-
dos antigos romanos, era o mais precioso
'adubo do nosso rgimen politic 11 e os
grandes nautas do Estado, nio querendo
esquecer os bons servidos da ulica eqaipa-
gem, trataram de realizar a reforma man-
iendo ainda o principio da maioria, ji oao
relaHoa deoada provincia, como era pela
lei da 19 de agosto de 1846, mas sim
absolut de cada districto para um s de-
potado !... Foi um engodo ao espirito lo-
ca' parapolo em gaerra com o espirito
nacional; pira o qual mais tmdia a opiniao
provincial: e assim menostraba'bo dar pelo
falseador systema da maioria eleiloral (I)
o triumpbo de cada candidato oilicial, onde
cada nepote imposto pela adminislracSo, ou
pelos chafes polticos por esta apoiados f..
Tres annos gastara m nesta obra de sophis-
maci constitucional, concluida pela lei de
setembro de 1855 !...
Amedrontados com a primeira execo(3o
desta lei, por sar cowo nova e nio se
acbarem ainda amoldados ella as nflaet.-
cias locae?. presumiduS por si de soberanos.
tractaram oa grandes estadistas de reformar
a nova lei, restabeiecendo a representaco
da maioria rel.uivj, e drado aos dislrictos
m ior circumscripcao, para tres depatados f
Conclaio-se a nova obra com a promoi-
gag3o da lei da agosto de 1860. Oilo aanos,
pois, gastaran) os nossos' estadistas erepre-
seotantis da naci em esperiencis tclhas.
e, por seus pac vos effeitos, j tao coobeci-
das no mundof.,..
E assim, ia expirar, como eiiVctiramentu
expirou, m primeira dilacSo, e est bo>e
quasi a espirar na segunda, o praso dentro
do qaalno Brasili supposto paiz da li-
berdaae devena fortificar o meu systema
o verd'idtiro systema liberal!...
Verdade que a deoiUvso, qae aos
trouxe o fado, foi smente quanto ao ponte
geograpbico da mioba livre- patria ideal!. .-
por quanto, pou-o tempo depois de minha
prognosiicac3o> e anles mesmo de findo o
primeiro quarra do praso nella prefigurado,
quando o Brasil andava s tontas eom a pri-
meira reforma, a remota Dinamarca, que
com no3Co oofl-as relaces n3o ro-antraha,
sanio as de comaiercio, recebeado apenas
por eoderego dos seus oacionaes entre nos
estibeiecidos'as coiaces da nossa praca
po- vi do nosso primeiro,mais ant go
noticioso e circulante jornal o Diario de
Pornambuco, teve de adoptar e de por exac-
ta menta era pratica o-systema, que ose/i-
d'S para o Brasil, deveria, em 20 an-
uos, segundo as miabas vises, estar
transplantado 6 fazendo progresos ni
mundo I
Em 1863 conhecida j-por todos a ira-
proQcuidade da segunda-reforma, e levantan
do-se propaganda da elecao directa sensi-
taria, como medida salvadora, refutei-a em
ama serie de artigos publicados no Progres-
siria Constitucional', publicando em seguid
no Diario s-Pemambuco* de 8 da maio o
projecto de lei, qae se acba transcripto
no folheto, no-qual se vas-disposicoee-se-
guintes:
(Continuarse ha.)

VARIEDAD
BXTREMA SUSCEPTILIDADE. O lar
moso Bassy d'Amboise, da qaem rezara a
ebronicas e romances fraacezes, ao atra-
vesaar ama naute- a* Ponte-Nbva, em Paris.
foi inlerpellado por ootro viandante, com
a sef uinle pergunlu :
Sabe dizer-me que horas s3o ?
A da tua morte responden soaerba-
menle Bassy, varando com a espada omal-
fadado interlocutor.
(1 ) as pago. 62 e 86 do mea frolbel,
destingoem artigos abi transcriptos.do
Progressisla Constitucional,r-poblfcadoa em
1863 a maioria electiva* da maiosfa deli-
berativa, o direito de se fazer reoresoalar
do direito de decidir.
nhecia bem os bomens e quera ovemos,
a felicidade que desfractamos.
Referes-te ao Dr. Bazilio?
De certo.
Oh I O Dr. Bazilio, murimiroai Euze-
bio seniando-se na cama e opprimindo a
testa com as raaos. O Dr. Bazilio I Saaio
Deus I Nao foi euto um sonbo t
, A verdade que a sua scienci* me
salvou a vida e u,ue a sua bondade n?s en-
riqueceu, accrescentou Ester temerosa ao
ver a agilacao do marido.
Mas Euzebio nao a ouva. O Doma do
Dr. produzio nelle urna uotavel mudanfa ;
parecia um espectro. Tinha os oaos aber-
tos e nao va; mal poda articular urna pa-
tarra, e parecia at que tornara a cabir no
horrivei delirio que o tinha prostrada. Ao
cabo de alguns minutos exclamea :
O Dr. Bazilio! Sim... sim... agora
me lerabro. O puobal mlaio, o pacto, os
ires cadveres, a bollandeza, a prata, a ma-
Iber amarella de olbos terriveis, com aquello
olhar fri e penetrante como a ponta de
urna espada. Mas isso era verdade ? Ea
nao sonhei ? Sim, sim. Ea vi lado, vi la-
do. Ab I Ester, Ester! Vem; nio te alias-
tes de mim, na > me daixes. Oav.es ? Nao
te arredes de ao p de mim, porque se te
affaslas, vira esse homem coi o sea riso
diablico e separar-nos-ha.
E o desgranado abracava sua mulher a
opprimia-a contra o peito.
Mas continuava as suas caricias, interrom-
pendo-se cada passo cora exclamabas a
palavras sem ordem nem sentido.
Ester, aterrada, qae alm do dirilirio te-
ma a loucara, prodigalisava-lhe tambem nu-
merosas caricias, dizeodo-lbe :
Socega, tranquillisa-te; foi am so-
nho.
Tado era em balde : em vez de socegar,
augmentava-se-lhe a pallidez, trema como
varas verdes e corria-lhe o soor pela testa.
Nio, nio, murmorava elle; s ba om
remedio de salvacf o, e esse meio abando-
namos esta maldita trra, cheia de espec-
tros e phantasmas qae me querem apartar
de Ester. Obi Partamos, panamos I
E, faxendo um supremo esforco, laocoo-
se para fra da cama, arrastando comsigo
sua mulher e cahindo desmaiado no meio
da alcova.
Ester, julgando-o morto, priocipiou a
gritar, dizendo. que chamaisem lodos oa
mdicos: felizmente Dio chimaram nenhom
e ao cjbo de am qoarto de hora recaperou
o doente os sentidos,
(Continuor-uka).
T?. 00 DlARJO-a., DO DUQUE DI C*iul

-
I MITIUHB 1


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ETAE2TRTY_B56FHE INGEST_TIME 2013-09-16T20:17:41Z PACKAGE AA00011611_12514
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES