Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:12509


This item is only available as the following downloads:


Full Text
ANNO M.VII. NUMERC 233
I
I I




"i

I '
1
-
----------
......
?ABA A CAFITAi E 1SABXS OH)S IM> SS ?AA JOB?*.
Por tras ibpzc* rttauia*fyi
?or seis dnoi dTn .
fT rm.anno lem.. .
Cada aamero avaiso. .

coa
S4.J000
no
QUINTA FEIRA 12 DE OUTUBRO DE 1871.
......
I* BEITSO 2 FOHA DA PaOYUOA.
Por tres mszes adiantados
Por Mis ditos idem. .
Por. nove ditos dem .
Por mn aono idem .
" 4




f#7W
10#MO
171009
DIARIO DE PEMAMBIJCO.
V(T
Fropriedade de Manoel Fignera de Faria & Flhos.
AO A4JBBTS1
-------------- i i
Srs. Gerardo Antonio Al ves & Filbos, no Para ; Goncalvea Pinto, no Maranho ; Joaqoim Jos de Oiiveira & Filho, no Ceari ; Antonio de Lemos Braja, do Aracarj ; Joio Maris Joo Cnaves, no Ass ; Antonio Marques da Silva, no Natai; Jos Jutix
Pereira d'Almeids, em Mamangoape ;FeIippe Estrella 4 G, na Parahyba ; Antonio Jos Gomes, na Villa da Peana; Betaraino dos Santos Buido, em Santo Antao; Domingos Jos da Costa Braga,
em Nazareth ; Antonio Ferreira de Agoiar, em Goyanna; Francino Tavares da Costa, em Alagoas; Dr. Jos Martina Alves, na Babia ; e Leite, Serqainho 4 C. no Rio de Janeiro.
PARTE OFFICIAL.
C'onaanndo Tai anuas.
tflfASTEL GEMKBAf. DO COSIUANDO DAS AflMAS
NA PnOVI.ICIA DE PERXAMBUCO. 9 Dli SE-
TEMSRO DE 4871.
Orikm do da n. 5s0.
O iirl^adeiro oommandaaie das armas Caz publi
z eara que taoha o devid elf-ita o segain'.a :
Qae por oftl'.io expedido pela reparticao do aja
liase! general Da dtta da j de setembro ultimo,
io Q. I4:3'i3 se declarou que o Sr. leaeato ra-
-iiwi) da stimo biulbao de infantaria Eraiglio
Fr*ocseo de Sjaia Magalhes foi promovido a ef
fsellvidie desta pasto p>r decreto ds 13, e por
pafttria ds 18. mu; lo re'-nd > mu de setembrod
cUasifloado no 9" batalha la mesma arma, lendo
renunciado o resto da liceae. de trss mezes qae
gozara para tratar de negados de sea inie-
resae. .
Q je 03 senhoras ollidaej promovidos ou elassi-
Hrdi q-jj carpos destaguaroi-a pelai rleos do
u.a do' exercito uliimaraente publicadas se reunam
aos carpas que lloarara perleocenio.
Qae se apreseutaram ueste q jart-'l (eoeral vin-
ia da curie na vapor Cruzeiro do Sul a 7 do cor-
rile, os Sr*. lente do 9 bitalhSo de infanta ra
tCuigdio Francisca de Sauza Magilhes, e refor-
mad Jas Ignacio Rioeiro Rima, os quaes rha-
ram, o* primeiro recoihido ao eu respectivo corpo,
a segundo do deposito de recratas onde se acha-
v. aSid o.
(Asiigoad). Luiz Jos Pereira de Carvalho, bri-
gideiro.
Conforme.Clemente brancilio Tacares, lenlo
a;udaate de ordeos encarroado do delalne.
DlftRIO DEPERNftWBljCO
IlECIFE, JDE OUTUBRO DE 1871 -
Noticias da Europa.
Arrtanbeceu llantera no lamaro o vapor fraocez
Amazone, trazando datas : di Hamburgo 20, de
Londres 23, de Pars 24 e de Lisboa 28 de setera-
br. Eis o que eolhemos dos jornaes e nrtas re-
etSst.
PtMA. Slensugem d) presidente da r-
pnbtca assembla nacional Encerramento
astembla, que dece abrir s de novo 4 de
dettnbro. Os prusstanos evacuaram os fortes
4i Pars, llich fort i condtmnado a deportando
m mmi prora de guerra. Desarmmenlo da
futra nacional. Projecto especial.
Itlia.Inaugurando 4o.tnel do Monte Cenis.
Festejos em Tunm. Solemnisou-^e em Jtoma o
iiade setembro. Nao houve desordens.
Inulvthira.A Irlanda reclama a sua autono-
ma, *ob o governo da rainka. Gc,oes e jjffi-
unau Discurto de lord Derbf.
AfjsTno-HiMQRiA.Decreta si a avilnomia da Bo-
hemia. Resistencia das dietas. O partido alie-
mee e federalista oppoe se. O imperador XAus-
tria e re da Hungra, vae ser corvato re da
Hohema. Reforma eleitoral.
Wvuik.Relorma do exercit. nauguracao da
va-frrea de Moscow Varsovia. Embauca-
dor em Pars.
iuECtk.No departamento a commissao da guerra
rejeitao projecto de reforma do exeicito apre-
stado pelo gooerno.
rAxciCA.Augmento de tarifas dos caminaos de
ferro. Grees.
Hollanda.Discui so do re na abertura do par-
lamento.
'jmehti.Aodo ministerio, suas ideas. Desor-
dens nos Principados Danubianos.
Hespanha.Viagem do rei. Cessou o confli:to com
Mmeos. Noticias da Havana.
t'RTVGKL.Encerramento das cmaras. Carta
do correspondente.

FRANCA.
A assembla nacional suspendeu as suas essoss
ao a 17 de setembro para as tornar a abrir em
i de dezembro.
0 Sr. Tbiers d rigi urai mensagem assem-
bla observando que esl reunida na oito mezes,
duranle oa quaes se conclnio a paz, se readjuirio
a I orea necessaria para governar, se transportou a
limiaistraeao deBordeus a Versaiilss, e foi doma-
4a a insurreico mais hjrrivel qae lem ha vida ;
n?le periodo restabaleceu-se o crdito, pagoa-sa o
: 'sata da Franca ao inimigo, e se empregou a
maior vigilancia nos incidentes da oecupacao es-
:rangeira, militas vezes lemerosos, se emprehenden
nova consti'.uijo do exercito, se restabeleceram
u relaco commerciaes por osgociaQoes cora to-
da* as nacSes visinhas, e se tratou finalmente de
ebegar a remir do poder d s estrangeiros o solo na-
c jaal.resgate que tolos os diis prognde, e de res-
urar i ordem nos pensamentos, depois de a res-
tiurar D03 factos. Nota que depois detes trabalhos,
?e seria estranhivel o desej) de descsncir, mas
oio vim pedir descanco asserabla.
Diz o presidente da repblica franceza que o
rao precisa porem do lempo para trabalbar
mais, preparando os a-sumptos para a discnsso
do aono futuro, ordenan lo o orera?n'-o regular,
ior possivef, condumio a reforma pralica do
ercilo pela reorgaoisaco dos regiraeotos caja
uiale se perdeu, e que necessario equipar,
distribuir e armar, vigiando e regalando a mar-
luda adminisiragao, segundo o pensamsnio di
issea'blea e do governo, terminando as negocia
<;., qae devem asseatar sobre base fita o systema
comraercial da Franca, e contiuindo o irabalho
nQntoe incessaoie de restaaiar o paiz perturba-
do por duas terriveis guerra?. O geranio preci-
sa ibis de se oceupar em lodos estes importantes
a .-ampios.
Ueeorda depois o Sr. Tbiers assembla q e e3-
ta> prximas as eleicoes dos conselhos eraes
<*.* Separlameotis, especies de con-elbos de
tamiuas em que devem tomar parte os depatadoi,
qjasi todos ja meabros dessas corporacSss, e que
nestaaaao mais necessaria a prosaaei dello? p#r
ser aova a lei: b timbera c iudispensav;l que
t- depatades vio coinraaniear com os eleitores, e
ver at qae posto elle* approvam os actos da a>-
.4-mhlcae o Sos estamos cominovidos, profundamente cora
movidos, e como nai est-namos assim quaodo se
trala'de regular oprejentee o fataro ? Trata
se oa Saber Je nos devenios con-tituir pela traiie-
cao io passado. tradkeao gl ,riosa de mil nnnos,
ou te-tntreganio-nos a torrpUe que precipita aoje
tu naces para um futuro incgnito', devnnos io*
mar (arma nova pana chegarmos paci/icamenle aos
noufii nobres destinos. O paiz alvo da alten-
^0 aBStxonada do universo ser monarchia ou
repuUka ? Adoptar urna ou outra das duas f;
mis qae dividem baje os povos ? Qae maior pro
oieau S offereeea jamis a urna grande naci
qSS.ternos em qae boje nos apparece ? I
. Ea perganlb se de espantar que tal proble-
ma at agite. Qaanto mais sinceros e patriota?
formo tuto mais nos dave agitar. JE vie ; olhae
V'ir* as afies. Eslao quase todas perturbadas
orno o* com o especlaculo que llie estamos dando
1 ,i?en50i 0-? *-" commovidos, mas esta agitaco
posa diniMir o socogo e sarenidade de qae nossos
npinio cveoaaa.
O preaMetU da i
gavera? prepara novoi trabalhis ; diz qas a om-
raisso do orgamenio j approvara dons tercos das
reeeitas propostas, asegurando assim o servci
dos emprstanos ao> capitalistas nacionaes e es-
trangeiros ; que o que falta votar se refere i au-
tori-aco, servico iodispeoeivet que se despresou
vinie annos, mas que aecessario nao perder de
vista, aob pena de deslealdade para com as gera-
co's luura ; uestes iuipostos entra o das mate-
rias primas.
O Sr. Tuiers explica como depois do augmento
do do irapisto no registe, no alcool, no assaear, no
cafi, e noubaco, o governo procurou novos recur
sos e pensou que o imposto as materias primas te-
ria a vantagem dse repartir melhor, divi lindo -se
inliiiamente, e ficanlo pirtanio menos sensivel.
Trata depois do dcima sventual, mas desiste
delle por agofa, visto que produzno inqaietacoas
(nos espiritos e duvidas acerca da sua necessidade.
T) crdito nao precisa agora desta especie de Oa
dor ; os valores francezes sobem snecessivamente,
e o governo entende que se potlem addiar as discus-
5es aceres das materias primas, e de ootras feotes
de receita, e da proprio dcimo qae propoz, por
isso que os 360 milOeas votados asseguram o ser
vico da divida, e respondera pelo brio da assem-
bla no qae diz respeito a camprir as obrigacSes
da naco.
Durante o addiaraento, diz o Sr. Taiers, o go-
verno lie .ir cji.no a iripolaca; deura navio em pa-
ngo, onde marinliairos e viajantes qoem 03 seas
esforgos para escaparem ao desastre cotmnam.
Felizmente n- j vemos o porto no borisonte e es-
ta vista alegre e anima os coraeOes. Sejaraos mi-
dos. Trabalhemos sera desordem e dingiio por
v o estado recobrar simultneamente patria,or
dem, liberdade e bem estar. A's mais vetustas
glorias accresceniar a de se ter salvo pelas suas
proprias mos d > maior e mais araeacador entre
todos os nanfraglos.
A mensagem foi escotada, ora com toda a alten
cao, ora com murmurios. A direita quera qae a
reuoio fosse em novembro falln contra, mas vo-
too a favor.
Este documento fque publicamos em nossa 8*
pagina) tem sido favorareimente acoihido pala im-
prensa ; cansaram algnma estranheza as palavras
qae se referem forma da governo, parecendo
qae o presidente da repblica sejinelina pela mo-
narchia constitucional.
As snas ideas sobre tributos tembet nio podem
ser acolbidas sera discussao, n'uma poca em qae
tnumpha a liberdade commercial.
O Sr. Thiers recebsu um despacho do go-
verno anstrisco que procura provar qae a recon-
eiliaeao da Austria cora a Alleraanua em Gostein
nao eontm amesca algaraa contra a Franca nem
contra a paz gerai.
Os prnssianos entregaran! no dia 20, de ma-
nha. s trepas francesas, os fortes damargem di-
reita do Sena. A popalacio de Pars mostroa-se
hostil mas era silencio. Nao occorreu iocideote no-
tavel.
Partecipam do Havre tsr ardido inteiramen-
n o vapor Ijxfagette vinlo de Sew-York, na noule
de 21 de setembro.
O coeselho de guerra eoademaou Roebefort
a deponaco para urna fortaleza. Moitrot a depnr-
tacad simples, e Maret a 5 annos de prisas, e 500
francos de malta.
O conselh) negiu provimento ao recurso nter-
posto por Ferr, Ferrat, Urbain e Verdure.
Os ltimos telegrammas desalentara a noticia de
ter sido convocada a commissao permanente da
assembla; e confirmara a noticia de estar o go-
verno arranjando os stimos quinhentos milh5es
mediante letras do thasonro endossalas pelas pri-
raairas casas bancarias da Europa, e pagaveis em
Londres nos meies de abril e maio prximo.
Continua em socego o desarmamento da
suarda nacional. Est j effectuado em Lyon, Saint
Etienne. Ni mes e Touloase. A classe media que
a mais ancorara ida Ja cora o servico militar das
guardas nacionaes, approva o desarmamento
A cobran;* das cootribaicoes directas e do con-
sumo d em tola a Franca resultado superiores
aos dos annos anteriores.
O uiiimo acto da assembla nacional foi ap-
provar, por 533 votos contra 31, o seguate pro-
jecto :
t Art l. O presidente da repblica autoriza-
do a concluir com o governo do imoerador da Al-
leraanha urna conveneo especial sobre as segra-
las bases:
a Os productos manufacturados das partes ce-
didas da AIsacia-LoreDa serlo admittidos em fran-
qua desde o 1* de setembro correnle al 31 de
dezembro prximo e sujeitos ao pagamento do
quarto dos direilos exig'dos na nova fronteira des-
de o l'de Janeiro prximo at o 1* de jalbo segaiole
e da melada dos 'direitos desde o 1 de jalbo de
1872 at o Io de j albo de 1833, mediante a reci-
prociJade para a adraisso na Alsam Lorena, dos
artigas necessarios industria local, c as deter-
minadas no art. 3 da presente lei.
f As tropas allemes retirar-se-ho dos depar-
tamentos do Aisne, do Aube, di C;e d'Or, do Al-
to Saooe, do Doubs e do Jura.
exercito de oceupacao ser reJozido a CO
mil borneas.
Art. 2. Todava a introdueco era Franca dos
productos manufacturados das fabricas da Abacia
e da Lorena ser limitada n'uma medida propor-
cional produeco do aono de 1869, d dazidos o
consumo proprio e a media da exportar-So.
t Art. 3. 03 productos manufacturados france-
zes, destinados ao consarao da Alsacia-Lorena, po
derao ser alli iotroduzldos a titulo de reciprucida-
de e com as condicSes da pauta especificadas no
art. 1* em proporgao do consamo.
Art. 4.* Os direitos redazidos consignados
no artigo 1 na> sa entendem seno como di-
reitos estabeUcidos segunda as paulas actaaei.
i Os direitos de entrada addicionaes qaa pode-
riax ser impostes aos productos fabricados es-
trangeiros em compensasao dos direitos estabelecl-
do sob"ro estas materias em Franca, sero rece-
iiidoc
c Art. 5. Eslabalecer-se-ha um -praso para a
evacuacao dos seis departamentos.
1 Art. 6. O presidente da repblica fica aato-
torisado a ratificar qaalquer tratado baseado
as eondiedes proscriptas pelos artigos prece-
dentes. >
ITALIA E ROMA
Desmente-se o boato de ter part lo de Roma
o cardeai Baaaparle para a Italia cora ama carta
de Sua Santidade.
Diz a Opinione que a Pranc 1 aceita os fastos
oonsam nados era Italia, e nanea pensou em das-
trui-los, e so despja qae a iadependeocia espiri-
taal do papa saja manlida e assegurada, qae lies
foram as coraraancaedas do governo de Versainas
ao governo italiano.
O summo pontfice adiou para novara aro a
ooraeacao dos bispos.
O consalho municipal de Roma decids quasi
par ananiraidade mandar fuer o basto do senador
francez Ronjean, fuzilalo pela commaia, o qaal
bavia sida constante defenjor da independencia ita-
liana.
O anniversarlo da entrada das tropas italia-
nas era Roma, no dia 20 da setembro foi celebra-
da ofBeialraente nao havenlo desordena a la-
mentar.
A mensagem do cireulo roraiao, convidando o
general Gariba|d de ir a Roma nesaa da, contara
mais da 1400 asiigoaturas; Giribaldi recusoa se ;
assistlo porm sen filho Ricoiate. Apesar da cha-
va at tropas foram pom pa, pasiou a r ministro da guerra; noate hauve illamina-
e5es.
No dia 1* de dezembro deva rannir-se em
Rama' urna confaraacia talegraphica ioternacional i
o Roverao italiano tencin convidar nicamente os
estados qae assigoaram a convenci letegraphica
ibiemacional de Vienna da 1868 oa a ella adhe-
riram posterior raen le.
Fez se no da 12 a primeira experiencia com-
pjela do lannel do monte Cenis. O combay gas-
tou 40 minatos de Rardonnchs a Fournaoa, e 55
na volja que foi duai horas depois sem eocootrar
fumo da primeira viagem. A temperatura mxi-
ma era de 25 graos centgrados.
A' ceremonia da iaaaguracao assisliram quasi
todos os ministros de Italia, delegados da Franct e
delegados da Soissa. O rei Vctor Manoel resol-
veu nao assisttr ceremonia para evitar alguma
demonstrado da Saboia de que a Franca podesse
aggravar-se. O Sr. Tbiers tambera resolveu nio
assstr a essa ceremonia.
O jantar dado pela mnnicipalidade de Turim da-
piis da inaugaracao do tunnel dos Alpes, foi de
mil^alheres; ass stiram e conde de Rmusat e Vc-
tor Lefrane, ministro francezes, os ministros ita-
lianos Viseont Veuosta, Sella, Custagnolla e de
Vincenzi; e os representantes da Austria, da Al-
lemanha e da Snissa.
O maire na primeira sale agradeeeu aos con-
vidados, e fez um brinde a Vctor Minoel que foi
applandilissimo. 0 conde de Rmnsat exprima-
do os sentimentos de araade da Franca para com
a Italia, disss: Nos somos todos de rica lat
t na, todos unidos e este o momento de lembrar
c es lacos da aaio. > Depois felicitando a Italia
e o sea rei, observando qae o lannel do Monte
Cents obra de paz e de bem comraum, e cha-
mando a Tunm aereo da renascenea italiana, con-
clnio cora as segamos palavras : Bebo em 00-
c me da Franca e da repblica independencia
Y das duas nacoes e liberdade. >
O Sr. Viseont Venosta bobea sade da rep-
blica franceza a dos seas ministros, amisade da
Franca, paz ao progresso e prospendade
geral.
Biancheri em nomo da cmara dos depntados
brindon cdade de Turim.
Vigliani em norae do senado memoria de Ca-
voar.
Um representante da Alleraanha falln acerca
da necessidade de faxer outro tnanel alravez do
monte Santo Gothard.
A iraprensa italiana qne exalta a fasta da mn-
nicipalidade de Turim. faz votos para qae nao fl-
quera era palavras vis, as express5es cordeaes
trocadas entre o governo italiano e francez as
festag do tunnel do Monte Cenis.
Ao jantar da maaicipalidade de Turim, seglo se
outro dado por Vctor Manoel, a qae assisiio a
cine, os ministros de Italia e os de Franca.
O servico dos viajantes ha de comecar no
meado de oainbfo.
O rei da Italia parti para Verona para
assistir as manobras militares que all ae vio
fazer
Fallecen o visconde rte VHIeetrenx, eoertega-
do de negocio* da Franca em Italia. Eslava m
r lorenca e era o secretario da legacio antes da
ansencia do ministro Cboiseuil.
Pedio a sua demissao de prefeito de Palermo
e de commandante geral das tropas de Sicilia o ga-
nara! Madici. O governo ficou Dastante embaraca-
do cora semelhinte pedido porqae recea qae a
sahiia do general Medlci, que gosa de multas sym-
pathias entre os sicilianos, sej sigaal para novas
perturbabas.
Os jornaes libantes da Saissa publicara o
convite para o congresso eatholico qaa devia reu-
air-se nos ltimos das de setembro em Soleare.
O fim da renniio combater o dogma da infalli-
bilidade do papa.
INGLATERRA.
A rainha Victoria vai melhor. Tavc um incom-
mod j da sade, e depois um abeesso no braga,
Picando em grande estado de fraquea, de que I be
ha de levar lempa a restabelecer-se.
0^ Irlandezes reclamam um parlamento In-
dependente, e qaa a rainha os governe constitucio-
nalmaute ; nao querso obedecer Iaglozes.
O governo mglez pnblcoa a corresp ndencia
havida entre o ministro dos negocios estrangeiro-,
cora os portadores de obrigac5as. dos carainhos de
ferro dos principados danubianos; por ella se v
que o Sr. Rossell de opinio qae nio ple nem
deve haver intervencao offlcial em questoos de di-
vida estrangeira ; cada qaal veja em qae se mette,
e nao coate com o goverao para Ihe liquidar as
iransaeSes; tal em poncas palavras o sentido
que domina nesta correspondencia.
Ainda dar a desintelligenca dos operarios
cora os patroes era New-Castle, onde eslo che-
gando corno emGateshead mnitos operarios eslran-
geiros. Os patroes concordara em augmentar o sa-
lario, maa nao draittm diminuieia ns horas de
trabalh >.
Os operarios dizem qae a coacesso dos salarios
intil porque os salarlos variam segundo as leis
econmicas, e que as horas de trabalbo fleariam
sendo sempre as mesmas.
O Times que ningaem ple accasar de affecto
aos operarios de opinio que se dave conceder
aos.operarios a dirainuico pedida as horas de
irabalho, e mostra que a sociedade tem ioteresse
em os contentar rasoavetmente, para evitar as
desordena resaltantes da man viver daqaella
classe.
No condado de Mantraouth prepara-se urna
11 va mente com esses mesaos sentimentos de Ingla-
terra, a par vos lembrar qoanta importancia
essas popalacdas ligam gloria militar, e a todas
as colisas de semelhanie genero; e comtodo'aeja
qnal for a prosperidale material de afguns deases
paizes, e patnciparmaate da Franca, o sen com-
mercio a as suas relac/Sas commerciaes eom as
oniras poleacia? sao iisigniaeantes comparativa
mente eom sua popula cao e coro es seas re-
earses.
Nos, em Inglaterra, e o muada inleiro desta
opinio, somos a grande naci mercantil; e tam-
bera um faeto ineontostavel qae somos ama poten-
cia, cuja influencia poltica invariavelmente exen
cida pelo lado da paz.
* E qual lera a razio disso ?
Alguna escrfptoree ettrangeiros, e talvez al-
ga ns dos nassos tambera, tem dito que porque
Jemos raedoda querr, que detestamos os perigos
e qne recaemos na saa presenca.
A miaba resposta que neotiom paiz estran-
geiro nio capaz de apreseMar ama conquista
militar da granlaza e das conseqneneas da da
Iadia, e da outras das noseas possessSes onle
cada pollagada de terreno fot conquistada pela
coragem, espirito empreeniedor, e dedijagao de
nossos compatriotas. (Applansos).
Se nos abstenaos eystliematicamante da entrar
em discussoes, e seno damos grande valor glo-
ria militar, .teos exuberantemente provdo qae
nio par qne a guerra oos faca rae lo, on porque
nos sintamos ineapazes de a emprehender; mas
sim porque a nossa opinio que toda a goerra
iaatil nna'erim, ou para me exprimir em ter-
mos os mato moderados potsiveis; porqae a guerra
6 a perveva da natareza humana e da indas-
tria.
< O principio geral que seguimos as nossa?
relacoes eitraogeiras, deixar tranquillos os ou
tros povos, com a conviecao de que proeedendo
assim, esses povos nos deixaro sacegadoe.' Nata
ramente, ha asisto excepcSe?, como ha excepces
nm todas aa regras humanas. Eocontram-se ge-
nios ardeatas qae pretendem qne o principio qae
vos expliqoei ja nao do naaso tempe. Essas pa-
lavras jamis me impressionaro. Ha mnito qne
aa onco, sem deltas fazer caso algam. Respeitarei
sempre oass principio, emqaanto nao achar outro
melhor.
Lord Darby responden assim ; accusacSes qne
a maior parte da imprensa europea fez a Inglater-
ra, pala Srtaacao en qae se collocoa para cora a
Franca depois da derrota de Sedan e da entrega
deMetz.^^
ALLEHANI1A.
O imperador Gaiiherme por ama proclamacio
datada da Gastein, agradece ao povo allemaa aa
demonslrac/398 de jubilo e cordealidaie eom qae
receben as tropas allemes no sen regresso pa-
tria.
A idea da allianca da Alleraanha com a Austria,
foi conceaWa pelo conde de Bismark em Versailles
que a commanicn logo ao conde da Beust. Este
foi 01 pool.) de partida das conferencias de Gastein
a da SahSlirgo.
A Auprensa allamia entende que as decisdes
da assemSnea nacional franceza aeerca da con
vanco relativa sos producios industriaos da Aija-
da e da Lorena talvez obstem realisaca do Ira
talo; porque o ajuste era haver reciprocidada na
entrada das materias primas francez 15- neeessarias
para a fabricaco, e a assembla nacional france-
za dispoaera que a beveria para as mercadorias
necessarias para o consamraq, o que i primeira
vista parece difireme.
Entretanto, parece nao haver embarazos serios
ao campnraento das estipalacoa.? do tratado de
paz, poi? a evacuacao das tropas alleinas vai con-
tinuando cora actividade.
Foi para Franca o prefeito da polica de Berlira,
o Sr. de Wurrae para regular da acord eom o
governe francez as iademnisaeiia aos allemes
expulsos de Pars; o numero eieva-sea 42,632; a
indemnisarSo esi cotada em 3,863:668 thalers,
deluztdos 7 milhdas de francos j pagos.
O principe de Bismark terrainou a saa via-
gem chegando Berlim no dia 20, sendo esperado
na estacao pelos ministros e outras pessoas de ira-
portaocia.
O imperador Gaiiherme foi eneontrar-se em
Lindan com oseu genro o graa -duque de Bade, e
embarcarara ambos para a ilba de Maioand, pelo
ago de Constan ca.
O eoade de Benst foi a Reichendall visitar a
princeza de Bismark.
O imperador Gaiiherme conceden a G.a-Craz
d'Aguia Negra ao conde de Beust.
O reicbstag nao ple reuoir-se autes do dia 15
de oulabro porque precisamente tem de ser con
vocadra o cooselho federal que tem de preparar os
projeetos de lei.
Dz-se qae os depalados Babel e Lieb-Koecht,
sociali-tas e aguadores allemas tencionam na
prxima sessao interpellar o principe de Bismark
a respeito do modo porqae tem sido tratados oa
Allemanba os demcratas socialistas.
, Na Silesia foram conde ornados a seis mezas
de priso dous horneas qae em casa de nm paste-
Iheiro disseram mal do imperador Gaiiherme e do
sea filho, cujos bastos estavam sobre o mostra-
dor,
_ Formoa-te um batalbao de operarios do ca-
raioho de ferro em nnmero de 500 pracas, o qaal
ser addido as tropas allemes qae esto em Fran-
ca. Parece qae o fim desta medida dar oceupa-
cao aos macb mistas que desampara oa as fabricas
e obriga-ioi a sabir da Alleraanha.
zerera outro tinto era todos os Landtags da mo- <
narebia.
A imprensa reorora esta resoluco a laxa-a de
precipitada e inuiil ; q em se abstem cede o ter-
reno.
A concluso, no decurso do presente aano.
da ponte sobre o Hollandsch Diep, poderi ser con-
tinuada, d'aqui a alguns mezes, com a janelo d-
Flessnrgire a roda do caminho de ferro.
Osservicos exiguos aos empregados do Wi-
No decreto imperial lido pelo imperalor re- lorslaad augmentara de anno para anuo. Aprar
conhe-e este es direitos do reino da Bohemia, e rae fjzer meneao d'este corpo com maiu-sati-f-
promette jara-Ios na sua ceroacao ; mas observa cao
que a Hungra e oulros e3tados do imperio leem ,' 0 projecto de urna nova organlsaco adcia-
iguaes direitos que elle tambera ha de respailar, e ria vos ser dentro em breve apreseotad Oa-
por isso recorameDd!.a dieta qne1, a ni mando-se1 de tros prajectos, relativos adrainlstraeio da in
sentimentos moderados conciliadores-,, eslude o tVi, vos sero tambera dentro em poueVapre/t-n
modo de terminar o confleto constitucional sem j ll(j09. i^uu.pivjcu
cffensa dos direitos da Bohemia nem violaco dos; gItSo promplo9 a|gtlD3 proectos de lei, rela-
que assistem aos outros paizes do imper o. Con- ,VOs ao melhoramento dos rendiraentos do estado
clue promettendo apresentar nova le eleitoral, e a reforma do systema do imposto, ea nnia melbor
ontra para a proteceo das duas nacionalidades. organisaco das penses dos empregados civis.
nossas possessCes do ultramar
e diunouicao das
pontos a
grave de 33 mi! operarios,que pedem umaugmen-- Dixem os jornaes allemes que burguezia
cabe precaver-se contra 03 socialistas que a araea-
eam p-arqu* a oobreza e ao clero ihes cusa a sas-
ier-se e nio podara salvar a sociedade.
O govoruo de Berln ordenou que nao fosse
nomaad professor algara para o Schle-wig do
Norte, coja populacao dinamarqaeza, que nao
esteja no caso de ensinar o allerao qae as escolas
primarias obrigatoria.
territorio de qae trata aquella que segondo
o tratado de Praga art. 4.- estabelece que seria en
trege Dioaraarca, no caso de,assim e requerer
o vol popular, que ainda nigaem coasultou.
Parece que no tratado de allianca entre a Alleoa-
nha a a Au-tria e estabeleceu alguma causa oeste
seu;i-l.. largando pesilivamepta a Austria a pro-
teccao qaa uu&ca ple tornar eflicaz para com a
Dinamarca.
Abrio-se na da 11 em Mayense o congresso
dos catholicos allemes com um discurso de Mgr.
Monfaug, recemmendando fidelidade igreja e
amor a patria. 4*3Utir>iri duas mil calhoticos, o
congresso dorou qualro dia?.
Reunirara-se em Eiosiadeln ( Saissa ) para
protestaren) contra o goverao de Baleo que apo-
sentan um fuaedonario ultramontano.
Ogovarnodissolvea a numerosa assembla
dos catholicos ultramontanos qua se reunir no da
17 em Deggendorf na Baviera.
AUSTRO-HUNGRA.
. Abriraro-se no dia 14 de setembro tolas as
dietas provio'iaes. Em todas excapto aa Galbia e
00 Tyrol, o governo apresentoa um projecto de lei
eleitoral. Os depalados da partido constitucional-
ao qual perteacera os allemies, na compareceram
nasdieta. da Alta Austria, da Maravia, a da Carniola.
Na dieta da Bohemia hitive grande enthasias-
rc) qaaQdoseleuodeirjta quacoaSraiaa aaton-
mia ao ruino, e promette qae o ira aerad ar a jurr.i
quando. le coroar-se rei da Uaheaia.
K lostencio dos allems* n&s asaemblas da
Oaiica e da Bahamia aecreacam as do partido cha-
alo coastitucioaal asaamblas da Maravia,
Alu ojtrla. ** wmoV, e amef 1 de ti*
lo de 10 por canto nos salarios,
horas de trabalbo.
Tem havido meetiogs era diversos
favor da resistencia dos operarios.
No dia 18 celebroa-se ara grande meetiog era
Chelsea (Londres) com o fim de sustentar as gre
ves; o Sr Odger pronanciou am discurso volen-
tissimo contra as fortunas eolios;aes adquiridas
por cortos patroes.
Muitos dos operarios que tem ido d'Alleraanha
para substiluiram os gvevistas de New-Castle ea-
barearam de novo para a sua patria.
Cbegoa a Falraouth ogra-daque Alexis cora
a esqaadra rassa vinda de New-York.
O banca da Inglaterra elevou a laxa dos des-
con los, em consequencia dos pagamentos que a
Franca tem feito Allemanba. A promptido com
que o gaverno francez resolveu satisfaier a iodem-
aisaco ia produzindo urna crise monetaria, como
receava o Sr.Tiiers; esta-se tratando daobter das
principaes casas inglezas acceiies de letras do go
verno francez para as prestadles a pagar na Alia-
manha.
Lord Darby assistindo um banquete dado
pelo corpo de com mercio, e responden lo a ara
toast, pronancioa am longo discurso, do qaal tira-
mos o seguinte eximo :
c O espirito do coramercto e o espirito das em-
prezas commerciaes sao os maiores iaimigos do
espirito militar e aggressivo. Se tivesse preciaao
de am xemplo fallar-voshia das relacoes entre o
nosso paiz e os Estados-Unidos em diversas pocas
do ultimo meio scalo. Os dons paizes acbam-se
animados un pela outro de sentimentos benevo-
lentes ; e coratado na ousarei pretender qae a
paz se tenha manlido entre elles, se ambos nao U-
vessem sido movidos pela conviecao de qae na
sera possivel fazer a guerra sem dar am golpe
fatal na prospendade nacional.
c Se me permittido lancar os olhas para ontra
parte do mundo, pedir-voa-hei para examiii
podar do sentimento raih'Ur da ppula
todas as grandes poteqcias coqv.nflr)^!
As bases da nova lal eleitoral sao as segoictes.
A eleifio continuar a ser por classes ; os repre-
sntame* do commercio nao sero Jeitos pelas
associacoes commerciaes, mas pelos negociantes
de maior vallo oa qae pagarem maior contribuico
industrial. O povo dos conselhos ruraes e urba-
nos ter maior numero de representantes, porqae
ser mais baixo o censo, islo ficar sendo de
dez fforins as cidades principaes, de 8 as de se-
gunda ordem e de 5 nos conselhos ruraes ; na ca-
pital ser de 20 flanes como na lei antiga. As
eleiQas serio directas. as provincias da nacio-
nalidade mixta os collegios eleitoraes sero organ-
sados do modo mais homogneo qua fr possivel.
Na dieta bnngara objacloa-se qae a nomea-
cao do ministro do commercio Luiz Jisa nao era
parlamentar porque nao liaba assento na cmara.
O conde de Andrassy respondeu qua os ministn s
niaeram parlamentares porserem daputidos, mas
por tere ni a sea favor a maioria do parlamento.
O bi?po hngaro Jekelf ilusy da diocese de
Siuhl-weisse.boug foi mandado chamar perante o
eonselha de ministros, onde de ministro, onde lhe
foi lido am decreto desapprovando o sea proced-
ment, e recordando-lhe que o dogma da infallibi-
lidade nao poda ser proclamado sera autorisaco
do imperante.
O bispo declaroa qae se sabmeltia autoridade
do mooarcha.
Foi mandado para S. Petersbargo o ministro
d'Austria na Haia o bario de Lingeoau.
A imprensa austraca assegara calorosamen
te que a Austria nao aoheitou a conferencia de
Gastein ; que fora convidada a ella pelo governa
Imperial da Allemanba, ao qaal o vigor da Franca
assustava mais agora do qae antes da goerra.
Os jornaes continuam a coramentar a entrevista
de Salxburgo, e cada am pretende saber mais
qae os outros o qae alli se ajustou ; limitando-se
porm at hoje a asseverar qae d'ora avante a
Austria a Allemanba procederao sempre de
accordo em todos os negocios, combinando a sua
accao eommnra segundo foram apparecendo as
qaestSas.
Era Salzbnrgo o conde de Bausl e o principe de
Bismark trocaram entre si as maiores atleaeoes e
obsequios. Ha porm muita gente qae duvida da
iincaridade de ambos porqae Beust tem uve/a do
ministro allumio, e o principe de Bismark nio
valia o chaoceller austraco pelo que elle julga
valer.
nrjssu.
O exercito russo j est tolo armado com a es
pogardade agplha do modello Kainck. Leyoa
anno e meio a realisar-se esta reforma e a fabricar
0 carluxame sufficiente para qualquer eventaal-
dide.
No primeiro de outubro deve lnaugurar-se
a linha frrea directa de Moscow a Varsovia.
E' urna liaba estratgica, o perfeitameate cons
trnida nesse sentido.
A Hussia presta grande attancio aa desenvolvi-
mento das suas communicacoes tetegraphicas da
Austria al o Japo e China, paizes com que j
comrannica por meio de ara cabo submarino.
Vai ser nomeado embaixador em Pars o
conde Orloff.
SUECIA.
Depois que a Allemanba e a Austria se declara
ram fiadores da paz europea, as assamblas legis-
lativas team sido convidadas a decretar os raeios
para reorganisar os exercitos.
A assembla legislativa da Sueea abri quasi
exclusivamente para esse fin. Na Halianda diz o
discarso da cori qua oecessario e indispansa-
vel reorganisar o exercito, e reformar os impostos.
E' est) um syraptoma evidente da confianc que
os estados secundarios prestara" aos decididos garan-
tes da paz.
No discurso da cora d'EI-Rei da Suecia, diz
que a primeira das questoes a da defeza nacio-
nal, para urna naco cuja liberdade data de te npos
imraemoTaes, e que liga o maior apreco sua in-
dependencia. Accrescenta-se que sera duviia os
destinos dos povos dependera de Dau?, e qna o paiz
mais certificado aqaelle qae melbor observa os
preceitas religiosos, mas que neobuma naco ple
manler a sua independencia sem velar por ella
eomsollicilude.eabnegaca. cAimocao descuido-
c sa nao d a forca qae resiste'oa hora da prova-
c cao. Na historia das nacoas um aono ple ter
1 imraensa importancia e perigoso deixar para as
incerle-as de araanha o que se pode fazer hoje-
Conclue a rei Carlos observando qua d'abi re-
sultar para os raambro3 da assembla a satisla-
cao de terem cumprido o sen devere para a patria
felicidade e seguranca.
A commissao de guerra da cmara dos depata-
dos regeitou o projecto do goverao sobre a reor-
gaoisaco do exercito.
HOLLANDA.
No dia 18 de 'setembro verificou-se na Haya
a abertura da sesso dos estados geraes. Como
se ver do discurso qae n'esss occasiao profanlo
re, as relacoes interiores dos Paizes-Baixos sao
excellentes. O rei declaroa qae era necessario
organisar o exercito, e reformar o systema de con
tribuicoe'. O diseureo da coroa o seguiote :
t Seohore3.Julgo-me feliz de poder fazer, no
acto da abertura d'esta sesso, commuoi;acoas
favoraveis eom relacao aos interessas da patria.
t Do mesmo mote que na anuo passado obtive
a cooperaeio benvola dos estados belligerantes
para a manutencao da nossa neutralidade ; tam-
beaf desle essa poca as relac5;s com todas as Do-
lencias se conservam no p mais satisfactorio.
c Vi cora a maior gratido a pirn'dpacao cor-
deal de ama nacao visinha, a bomenagera.so!emoe
que prestamos recentemente memoria dos solda-
dos gloriosamente raortos. .
t A maneira por qua o exercito e a minnha se
desetnpenbarara da sua raisso, tanto na mai pa-
tria como as colonias, continuara a dar toda a
satisfaco.
t Tendo-se mostrado a necessidade, a organisa
cao das nossas toreas militares dever soffrer al-
_ torgas miiitires dever
taraeoes era relami com o regulamento projecta-
do do systeraa de fortifleacoes e com a modifica-
cao da lei sobre a mtlieia.
t As nossas inslituicoi de ensino corresponden)
em geral ao sea fim. Alguns ramos, porm, ca-
recen) ser completados e regalados de novo, o que
trata da se preparar.
1 Qaanto colheila, as provis5e5 nao sao em
grande parte deslavara veis.
.A pesca prospera.
t" O commercio e a inluslria, que supporlaram
a influencia da guerra melbor do que se tieba pre-
visto, entrara, na paz, n'am periodo da novo des-
envoivimento.
O e>tado, assim como as provincias, 13 com
muas, os ualeringues, e as as-pciacoaa particu
lares dedicara tolos os seas caid^q? q} U*M
jbo5 ^e nViHade publica.
A situacio das
geralmente satisfactoria.
A iranquillidade quasi que nao tem sido alte-
rada,
c Urna abundante colheila de genero? alimenti-
cios proraette urna compensadlo a outras perspec-
tivas menos favoraveis da agricultura colonial.
No commercio sao visiveis os sympiomas d.
nulborameotos.
< A communicacao directa cora a raai patria,
por meio da navegasao vapor, foi feliimente es-
tabelecida. Todavia, resta prover ainda a graves
interesses.
Projeetos de grande importancia sero, pd?,
subraettidos vossa discussao. Que o desenvolv-
ment dos verdadeiros interesses da nossa eara
patria seja o pensamento e o fim de todos, e possa
electivamente a bencio indispensavel acompanbar
as vossas deliberacdes.
c Declaro aberta a sesso ordinaria dos estados
geraes.
BLGICA.
O governo belga projecta augmentar as tarifas
dos carainhos de ferro, apezar de ser conhecidj
que do seis milhes de francos de rendimento li-
quido annaal.
A imprensa liberal combate este pensamento. A
Eloile Belge diz que o rei nao qoer assignar o de-
creto elevando as tarifas. O Journal de Bruxelles
allianca que para tal ele vacio oo preciso decre-
to, mas basta ama ordem ministerial; pola a re-
dueco nos preoos bavia sido feita tambraa por
ama determioaco ministerial.
Ainda nio cessou completamente a resisten-
cia dos operarios, apezar das propostas feilas pe-
los fabricantes Cail, Hallot & C, que nio foram
aceita?. As propostas erara que o tempe de tra-
balbo fosse de doze horas obngatoiias, tendo o jor-
nal pago s horas, e duas horas supplaraentares,
quando fosse necessario, mas facultativas, excepto
para os conductores de machina.-.
DiZ-se qae os operarios nao aceitaran), de modo
qae se acham fechadas algumas fabricas de cons-
truccoes de machinas.
Os patroes resolvern) convocar orna reasiio,
convidando para ella os ehefes de todas as ofici-
na. e tres operarios de cada urna d'ellas, para s
tentar ama conciliaco, destes interesses desencon-
tradps.
ORIENTE.
Os novos ministros tarcos saa favoraveis s re-
formas. O novo gran-vsr Mahmoud-Paeb I-
lustrado, tolerante a liberal. Servar-Paeji minis-
tro da justica esteva na legaco de Pars, e per'
correa toda a Europa. Era intimo amigo e confi-
dente de Aali-Pach. iT bomem de saber a da
espirito liberal. Eaad-Pacha, ministro da goer-
ra, hornera de 35 annos, alumno da escola mili-
tar de Constanlinopla e das escolas de Pars e de
Bruxellas.
Um dos secretarios do sulto escreveu por sua
ordem ao novo grao-visir dizendo-lhe que a Tur-
qua tem feito grandes progressos, mas que ainda
lhe falla muito caminho a andar, que a legislarlo
deve conforraar-se com os costomes, porm nio
tanto qne lespreze os progressos que os podem
melborar, e que sobre tudo necessario confiar os
ficipregos de justica a borneas dignos, probos e
capazes.
Tera havido em Pera bastantes casos de cho-
lera, e em Smyrna tambem appareceram alguna.
Dizem dos Principados Danubianos que o po-
vo atacou os judeus no mercado, e que dava caba
dVIes se nao tivesse acudido a polica.
Havia-se sspalhado que os Israelitas tinham fur-
tado urna creanca para a sacrificaren) a Deas !
HESPANHA.
Cominea a viagem do re D. Amadeo.
A imperalnz Eugenia chegou a Madrid na
dia 15 dirigindo-se immediatameote para Cara-
bancher.
j- Diz-se que o Sr. Figueirola ser encarroa-
do da pasta dos negocios estrangeiros.
As economas realisadas no ministerio do fo-
mento, na parto que diz re3peito a imlruecio pu
blica, elevam-se a tres milboes de rea/e*.
Dizem os jornaes hespaobes que se falla
de nma entrevista entre o rei de Hespanha e o rei
de Portugal na fronteira, entrevista a que nao se-
ria eslranha a visita do principe Humberto.
O imperador de Maocos raaniou para Ma-
lilla as torcas necessarias para fazer respeilar tratados. De Malaga tambem parti um vapor
hespanhol com urna torca de 200 baroens. A re-
raessa de tropas de accordo cora o governo hes-
panhol com o fim de castigar os Kalaylas, que hos-
tiliaam a praca da Mellle.
Cessaran as divergencias entre o imperador da
Marroces e o governo hespanhol sobre o entnpn
ment do artigo 2. do protocollo de 11 de juuha.
qae estabebele urna indemoisaco de 20 mil du-
ros para as viuvas e orpbos dos hespanhes mor-
ios injustamente. O imperador de Maocos e-
j de accerdo e obriga-se cumprir os ajustes
Os jornaes hespanhes publicara as notidas
que receberam da Havana. As tropas do gover-
no continuam aiada em aeco conslanie coulra *
insurreico ; mas nao obstante as numerosas apre-
seniaces, a ilha nao se acha completamente pa-
cifisada.
Em Gaymaro, matou o brigadeiro Velasco sju-
homens urna excurso de alguna dias, queimaa
do-lhes alguns acampamentos abandonados. Apra-
sentarara-so onze horneas. ,
A guerrilha de Rey matou-lhe naqaellas imnn
diaQ5e3 mais quatre hamens, destruindo-lhes tam-
bera alguns acampamentos. -
Os chafes do Bana entregaram-ae todos, ca
um delles com a gente qne o acompanhava, a
sem derramamento de sangue ; fleando deste mo-
da eampletamente pacificada aquella parle da ilha.
na iurisdiccao do Espirito Santo.
A columna do general Mara percorreu algnn
pontos, e os montes de Camaguey, fazendo ao Ini-
migo quartorze raortos, e aprehendendc-lbe nov
armas de fogo, aljamas brancas, seiscentas cap-
sulas e sessenta e dois eavallos. Ao mesmo lem-
po esta columna queimou cento e triota barraca?
que forraavam o acampamanto, conduzipdo quin-
ze lioraeos qae se lhe apresentaram.
O ebefe de guernlhas Callejas foi capturado era
Espirito Santo Apresentaram-se naqaello pom
mais cinooenta horneas. As apre-entacDes >5>
succes-ivas era toda a parte. *
O commandante Boet ia marchar para operar
na linha de Gaymaro, D. Domingos Guirait f >
processado por homicidio, em consequeooia da ic-
cusacio feita-par um dos seus apresentados.
9eu irmo Francisco foi preso na Havana.
quando vinha de Veraeruz para Nova-York, porqa*
A A iHiinit.4A irtni.MaHia fnm Han irmao -o
o ser indultado juntameate com sea irmao
lhe tinha imposto a coaco de vallar para o.
Estados-Unidos. ... ..... ...,,,.
D. Joiq Cemente Zeaea foi tavisio te -e- W
k '
>



_______
0 m rrumbow Qibiia feira 12 d Ofeibro d 1871
*

X
v
%
ras da mantisa tro da Vf de agosto b& planada*
de Cabana. Mostrea se profundamente resignado,
adiase que, camquanto as suas mos ~m nao ti-
veesem atadaato de saogae, julgava-se em par-
le responsareT'Jelo qae e aavit derramado,m
consequeoela da ter trabalhado e esaripto a-favor
da revolucao.
O Eco de Mar*, di noticia da execucao do W-
rlrel cabecitha Femando Callejas qoe harto sido
preso. Aperar de todos estes resaltados,- a Hes-
panha tai manlar nnv*s roforcos para iibei
Ultiman teiejwninit.
Reeeberam-se ero-Libja aitiaia hora os se-
guiles ;
Madrid, 25.-<*tlldera*e infundado opiato
que correa na bolineare dtoeidencia do minis-
terio por causa mento. Os mialnl^aes-eoasiderarn sera a
eleicao da presidencia do come ha, nao obstante
diier o bnparoM qne os republicanos aBrmaram
narcunio d.)Gino Boniato a ajile que |reva-
leeia a intransigencia. O premio grande da lote-
ra conbe an n. 18.232, e os de tres mil oseados
aos ni. 13.355 para Puente reas, o 8,300 para
Olivenca.
a Paris, 25.Recebeu-se agora ama certa de
Versailles desmeblinde categricamente o boato
de ter sido convocada hoje a commisso perma-
nente da assembla. A mesia carta toolirma
qoe o goveroe e-t arranjaoda os stimos qun
nentos mndes med ante letras do liiesouro en-
dossadas pelas priraeiras casas bancarias da Eu-
ropa, e paga veis era Landres nos mezes de abril
e maio proxi no3. desarmamento da guarda
nacional flcou hontem a noite compie>a'nea:e ter-
minado etn Lyon, Saint-Etieone e Nimes. Conti-
na eta Tohsa. A c braoga das conlriboa$oes in-
directas e de consumo d em toda a Franca re-
saltados superiores acs dus annos passadns.
t Madrid, 26.U rei ch.'gau a Saragocj s 4
h iras da tarde ; mullida) immeusa o saudnu com
enthasiasmo. Os republicanos piojeolaot ama
manifestacio. A renniao da maioria da cmara
ser no dia 30. "^presentarse ha a candidatura
de Sagasta contra Hivero para a presidencia : diz-
se qoe Sagasta desiste. Celebrou se em Deauvi;-
le a conferencia boarboniea no da 23. Resol -
ven se mandar educar a Inglaterra o principe
Alfonso. D. Chnsioa tomou a direccat do parti-
da, SappSe segara a fu.-o dos moderados. Ter-
miuja aevacuacao dos departamentos immediatos
a Pars. >
Paris 26.Tornase a fallar na retirada do?
ministros francezes Julio Simn e general Cwsey.
O Sr. Thiers trabalhi racessautem-rnte naelabo-
rapio de projeelos de lei e na reorganizado di
paiz. Todos os prefeitos de Franja foram convi-
dados a Ir successiw mente sua residencia em
Fontaineblau para Ibe darem conta do estado dos
espiritos nos seus respectivos departamentos.
PORTUGAL.
Em 27 de setembro escreve nosso correspon-
dente de L'sbo :
t Encerraram-se a 22 as cortes por commisso,
limitaodo-s o acto leitura do respectivo decre-
to feita pelo Sr. Fontes Pereira de Mello, presi
denle do eonselho de ministros. Fura votada a
le de meios tendo apenas 7 votos em contrario.
O Sr. Fontes declarara expressaraente que
nio pod a tomar a respoasabilidade o'um oreameu-
to que nao tinha organisado, mas que adoytava
as rectificacoes fritas pelo seu antecessor, menas
no que diz respailo a suppressao de verbas para
reparacao de estrada?, piis tal economa falsa,
senda origen de maiores gastos o desperdicios.
Falla-se j em inodfleago ministerial, de
anda segunda as versoes mais dignas de crdito
sabir o Sr. Andrade Corvo da pasta dos estran
geiros para ser mais tarde nomeado nosso minis-
tro na curte de Madrid.
Dt-se que interinamente ser nomeado para
a pasta dos estrangeiros o Sr. Fontes Parara Ja
Mello, d.'ixando a da fazenda, e eanlo com a
des estrangeiros e a di guerra. Sao indignados
-para a da fazenda os Srs. Casal Ribeiro e Anto-
nio de Serpa Pimantel, tendo o Sr. Serpa mais
probabilidades. Parece que o Sr. Antonio de Ser
pa tera grande repugnancia em trocar a sua vida
defunecionario publico ejornalista pelas lides fio
parlamento e do gabinete. Afi.-ma se pois que
este cavalheiro far grande sacrificio era annuir;J
mas se assim Ih'o exigir o partido poltico a que
astil ligado (o regenerador) que remedio se nao
ceder 1
Consta que j estao dadas as convenientes
orJeas para se fazeram as tabellas de despeza
as reetifleacoes que foram mencionadas nos lti-
mos ornamentos, em conformidad a com a resolu-
co tonada pelo parlamento.
< Noticin piucos das depois da qu Ja do ga-
binete Avila Carlos rito, qua o governo con-
tratara com o Sr. S-na Preiias, redactor que foi
do clebre Popular da Tarde, escrever elle a his-
toria dot Acores, mediante o estipendio de 4(i0
por roturas, ou -lO te aquelle Sr. tivesse de ir
as3 Acores para esiudar os documentos etc. Gn
tara j contra es regeneradores e suas prover
hiaes prodigalidades. Foi ni ultimo dia de sesso
em ambas as casas do parlameu'.o. Na electiva,
o Sr. Osorio de Vasconcellos inerpellou o minis-
tro do reino, o Sr A. Rodrigues Sampaio, e na
cmara dos pares, foi o marquez de Vailada que
o inter'Ogou sob.e este assumpto. O Sr Sam-
paio responleu que j achara acuelle contrato
feiid pelo seu aatecessor (o marquei d'Avila e
Bolama) e que estando legr.I o contrato o fari3
cumpnr, e o rescinliria, seo primeiro volme
da projeclada historia nao correspondesse.
Na cmara heraditaha declaroa o proprii
marques d'Avila que fizera o contrato por con-
fiar na capacidade do Iliterato em questo, e que
se o primeiro volume ne sausflzesse, elle raar-
qufz se respensabilisava a repor a somma que o
inesmo escriptor hoavesse recebido, e qas uo
l muito lisongeiro para a pessoa de qus se ira-
la, pois no caso de nao ter as condicoes esti-
puladas obra, est da pane de quera escreve
o rj; o- as quantias recebidas por conla. Mas
para quem sabe qnanto o marquez d'Avila
ponpado, e ecooaraico no mais rigoroso sentido
da .palavra, lde avaliar quanta contiaaja Ibe
no merece o futuro historiador do arcmpela
K8 acoriano. Em todo caso nao houve oncurso,
como em lempo se abrir para a historiada gaer
ra da Peoinsula, e os commentanos a que dsu
lugar este ultimo acto ministerial do ministerio
deaussion*no, deram a este episodio certa feico
de escndalo' um tanto pronunciada.
O im-tutl do Commercto que levantara a an-
tipaooa, a proposito de ter dito o Partido Cons-
tituate, folha que representa os horneas da d.c-
tadura de 19 de maio de 70, que Sena Freilas
maito conscienemo. lem se divertido a copiar do
defancto Popular da Tarde que aquelle cavalhei-
ro redigio, os trechas qoe mais provocaram em
1870 as iras do ministerio publico, laes como os
que se referan) a muitos personagens do paco e
a diversas creaturas qnetem ou parecer ter iaa-
mediata relaedes com os monuraeotaes escanda
los qoe a lanterna e depois o Popular da Tarde
citavam todos os dias e cujo veidideiro funda-
mento, pertence ao- tribunas av.'rguar.
Anda mais; o proeesso do e-oroieI d'Africa
Tfleotonio Coelho Borges foi snnoado, sendo
ama das testemanhas do proeesso Sena Freilas.
Do que re al toa dizerem umbem qoe foi grande
indiscripQo admlttir a contrata! com o governo
pesoaque, pelo daeorrer do pcocesso, ple ser
implicado ne|le. Nio sei se todo Isto condm-
*"4UMl, entretanto cont maito em resumo parte
da celeuma a que esse favor ministerial dea mar
gera, mesmo porque j cau sa estas liberalidades dos cofre3 pabiijos, depnis
de lerem ha doos annos mettido as algibeins do
faaccioaalismo n'ama prensa para Ibe extrahi-
rem a substancia em favor do fisco.
c Ontro episodio lem dado que fallar nestes ni
limos das, e o que se tem no Centro Promotor
ios melhoramentos das classes laboriosas discutido
a comrnuna de Paris, ha vendo caberas ?squenta-
das que all tem advogado, parec> mesmo qae at
os sens proprlos dilirios, a gente circanspe:ta
{jueh mata entro os assoclados) tem desertalo;
as sesafies do Centro Promotor toroaram-se tamul
taosas e o marquez d'Avila emquanto ministro do
reiao, deixoo o Centro sem advertencias nsm ri-
gires, porque bera escaldado flcou por ter manda-
do (echar pela polica as portas do Casino Lis-
bonense depois de algnmas conferencias lemocra-
ticas, nio consenlindo que hoavesse mais curio-
sos, onde os prelectores pr 'mettiam discutir pela
raz os fundamentos da religiao eatholiea.
c ntralo qne foi no poder o Sr. Sampayo an-
tigo presidente e um dos fundadores do Centro
Promotor, e sea presidente honorasio, pedio ao
presidente elTectivo, Manoel Gomes da Silva hon-
radoi industrial, proprielarlo de importtntes'offlci-
nas de calcado e antigo redaitor de urna folha de
operarios, que avisasse os seas consocios, e nao o
eoUotassem a elle ministro do reino as tristes
cireamstancia da ter de se esqaecer qae era so-
cio e velho amigo do Centro Promotor.
a Parece que o Sr. Gomas nio gostou da adver-
tencia paternal e qae ao apreseniir em assembla
geral o qoe se havi passado entre elle e o minis-
tro, se levanton grande indignaban, votando-se lo-
go alli, por insignificante mioria qae o retrato
do Sr. A. H. Smpyo fosse sfeAlo lagw de
honra em que se achara colloq^^H ks an
nos, per deHberafio do roesrn Celi HWMlor,
n'uma de suas salas. Se algmnas pessoas at en-
i5o hariam declarado p los jornaes qae wiwrit-
tiara de socios, agora, depois desla revniMU la
grata contra quem taz il;rec*r maito aqaette ios
titulo, maitos aun sa tem despedido, metivando
em cartas e correspondencias peridicas a saa de-
libera^ao.
- Outros, come ftampayo est no poder,bsteni-
se de se deraittirein para qte nao paree adlat-
elo, mas continuam a nao as-stir aquellas agita-
ias discu^sdas era qae siguas horneas ineo(Tridas
abusara da eredulidade dos mais rades, desviando
assim-o cenlrt dos Has para qae fora instituido.
As quesldes soeaes de mais alcance lera do
all trata tas (aconveni esta na altara de t tes assaraptos, o qo bastan-
te para desvarar horneas, alias laboriosos e ho-
nestos, mas a quera sedazem as mrateos de ama
toqnella que Ibes falle ao sabor das pautes. Taes
sao as predicas a favor dt Internacional e as ideas
errneas e perigosas q e all tem rogado sem cor-
rectivo.
c Hontem qnasi todos os jornaes da capital se
oeeupavam do Centro e das suas ferven^as ulfa
socialistas. Estes assumptos (lizia ama destas
< f ilnas) tracidoi a telli do debate ao seio dessas
- sociedades, nao fazem seno derramar meorias
i cerabrinas, principios sem base de applicacai,
a moswar emflm, imaginacio das classes opera-
< ras urna ierra de promissao so digna de um
i cont das Mil eVmi Soults, e islo quasi sem-
pre com .sacrin'co penoso da lgica e da razia.
t E' natural que pronunciada como est a opi-
nio pnblica 'onira essas discussdes, e despresar
da a salutar advertencia do governo, se mande
preceder nos termos da le contra aquella asao-
ciacio.
l" is dir) que os poderes pblicos fazem bem
sendo rigorosos.
Outros itrio qae mal vai a machina secial
qnando se Ibe tapara todas as vlvulas de sega
ranea.
i .Na Inglaterra essas vlvulas sao os meetings ;
em Portugal ondeo meenng producto extico
ainda aao aclimatado, representa a assoeiacao ope-
rara osa vlvula. _
< O fu'urc dir quera lioba razio.
c Remelto-lbes una documento curioso da Inter-
nacional, dirigido ao ministro do reino de lies
pauli a.
< Contara os jornaes de hontem que se filiou ca
igreja pre-byteriana bespanbola, qae lem o seu
templo em Lisboa na ra da C-onceicao Praga
das Flores, o Sr. Hanrlque RibsiroFerreira de Al-
bu merque, qae irmio do Ilustre poeta Taemaz
Ribeiro.
< Parece que um dos motivos que determina
ram aquelle sacerdote f.jue tambera o Sea sendo
na sua nova religiao) a mular de religiao, foi o
desejar contrahir matrimonio. A solemnidad d-i
abjuracio e da entrada do novo rito assistiram al
guus amigos do Sr. Ribeiro e maltas cairas pes-
soas."
< Nao tenho agora aqu ma> a Delphma do
Mal do ios gne poeta ; mas algures, se bem me
record, ba urna referencia affectuosa mage-ta
de da evanglica mis-io que seu irniao exaren,
o muitos outros extremos de eearecimento o-
de s casam com o sentimooto do mais puro amor
Ira Ano as considera coas que a esse alto eaointo
sio inspiradas pela responsabilidad do minsten
sacerd >tal II................................
O verdadeiro acontecimento desla qunaena,
nem sao as projectadas inodicaroas rainisteriaes,
nein as dissidencias do Centro Promotor, nem as
prodigalidades ministeriaes.
Successo, luciao'o sim, porm, deraais elexa-
do alcance para a patria a perda que u paiz
itTreu no d:a 19 deste mez.
Morrea Luiz Augusto-Rbello da Silva, no vi-
gor da idade. quando poder>a, sea Providencia
aprouvesse conceder-lhe dilatada vida, curiqueier
o ib siuro di nissa liiteratara ou completar pelo
menos o que j muito seria, os trabalhos histor-
eos que Ibe .irlav ,ii entre raaos.
Poi um tocto quasi geral. Ao sabiraento cora-
parecerara tolos quantos le-graram conhecer mais
de perto o eminente escriptor.
A guarnido de L?b6a foi tambera prestar as
ultimas honras ao finado, que semra os ra&is al-
tos cargis, taes como par do reino e ministro i
estado honorario. Era profunda a'tristeza. Sa
bre a sepultura de Rebello da Silva, profiri tf
marioso poeta Raymundo de Bnlhao Pato, um so
berbo improviso. Derramaram se buudantes la-
grimas sob as vibragoe3 desse vale sandoso que o
enthasiasmo inspjrava sobre o cadver daquelle,
que depois de Jus Estevao, po.-suxa a voz mais
eloquente de todas quantas lera ennobrecdo a tri-
buna parlamentar ou a cadeira do magisterio.
t E-uava alli ouv/ndo Bulhio Pato, e (laminado
por singular conamocio e recordava-rae do sentido
adeus, que naquelle mosrao ceraiterio, ha oito ao
nos,_ Rebsl/o da Silva, soltara entre arrojos de ele-
vacjfo orlora por sobre a campa de Jos Estevo
Coelho de Magalhaea.
Qaando o sol e esconde no honsonte, sepul-
< tando a trra em trevas, disse Bulbo Palo, del
xa-nos a saudade, mas tarabem nos deixa a es-
peraoga de tornarmos a recebar o seu calor ;
mas m oh sol das nossas almas I para que te
i escondes para nunca mais voltar ? Rehallo da
Silva, Luiz Augusto Rebello da Silva estava em
toda a florescencia do sen'talento, em toda a pu-
an;a do sea espirito. Traba anda maito para
< dar a sua patria qae elle tanto amou I Foi
i grande em todas as artes. Jornalisla, justou
com os^roaiores campeoes desse campo aberto
s paixoes mais exaltadas e venceu muitas va-
ze; romancista, escrevea aos vinte annos o
Rauso por llommo; aos vinte e cineo.a Moa-
iade de D. Joao V ; orador, medio-se* com os
vultos giganteos, da tribuna, oa batalboa an seu
lado, ao lado de Manoel Passo, de Jos Ese
< vio, de Garren; profe3sor, na memoria de todos
estao vivos os- primores da sua eloquencia, os
Ibesooros do seu saber. E oxal que elle ti-
vesse j ipplicado a actividade do seu immen-
so espirito as bella? lettras, porque nao teria-
moi a deagraca de perder laocedo. Apoltica
iicon3!ante, varia, cortada .de paixSes corrosi-
vas, uio era para aquella organisa^o sensivel
> e delicada, para a grandeza daquelle corado.
Soffreu muito ; encarou a morie frente a frente
com coragera" heroica o resignacao christaa I
Eu que condec os finos quilates daquelle ca-
racao, que fui compaobeiro delle,, seu.amigo,
< que passei a sea lado o mais bello lempo da
miaba juventud?, que Ibe davo avates pblicos
< e finezas intimas, vanbo aqni desfolbar urna
saadale vivida e regada de lagrimas s/bre a
trra que o vai sumir para sompre a nosso
olhos, aqui onde nao vnha desde q;ae perd
c o ente qae mais ama va no mando 1
Chamara a este campo, onde lado tem um tom
de tristeza e melaocholia, as arvores, dar, as Ares
campo de soliJao ;nao ; nao I porque a jui vem
reunir se os uoso3 nrtai ras afluelos, pbvoando o
das nossas mais caras recordaedes.
t Bescanga dilecto amigo; descansa abi corpo
fatigado n'esse eaeerro, emquaoto a tua alma res-
gitala e re liuda das injusticas do mundo sobe
arepoasar asombra dt jastica Diviaa. Dorm;
em paz, querido dilecto, e que a luz da tua i n-
raarcessirel gloria nos sirva de lenitivo a nossa ira-
raeasa saudade I >
Tal foi o grito d'alma qae Bulhio Pato solloo
a beira d'aqaelle inmolo, onde junto das clnzas da
sa pai foi jazer a 20 desle mes pelas 2 horas da
urde o insigne escriptor, no cemiterio occidental.
c Depois de Bulhio Palo, niognem mais orn
lli.
c Na cmara electiva, na vespera, raaito? dela-
tados hariam feito, e algaos com verdadeira ios-
plracao, o elogio fanebre de qaem tontas vezs an-
tes de ser chamado ao paralo, Rastrara aquella
assembla.
Na cmara dos pares tambera foram encarecidos
os mritos singulares de tao perigrino talento.
< Talo qae ha de ilustre na tribuna, oas let-
tras, na scincia, na poltica, na impreosa, e varios
merabros do corpo diplomtico, asslstirara ao fune-
ral de Rebello da Silva.
i Tinham silo extremamente aflictivos os mo-
menhs fiases desse grande engenho. Oh-corecea-
se-lhe a razio que sempre Ihe brilhra to evida,
e por intervallos notoo como horrivel perder a
luz do espirito, e qaaoto engaadora a existencia
do hornera.
f O fretro foi conduzido n'am coche da casa
real como campria a am coaselbeiro' da cora e
par do reino, indo ontro.coche com sacerdotes, e
ambos ladeados por criados da casa, e seguidos
por nra piquete de laoceiros. Pegara ra s relas
do caixao no cemiterio oa ministros di estado ac-
tuaes e diversos pares e depatado, acadmicos e
joroalhui.
< .Qaando o corpo deicea. i ierra deram-se as
desoargas e salvas nsnaes.
a Nascra Rebello da Silva em Lisboa a 2 da
abril de 1821. Era fllho de L-iiz Antonio Rebello
J* Suva, ara dos depaiados das constftnlotes de
185T Daixa rlnva e filhos. Foi romancista, his-
toriador, jornasta e orador. Manifestoa-se bri-
llantemente em toda as formas da eloqaoca e
pelo mallo qae moslroa valer, sabio a lugares eun-
nentes oa repblica.
Era maito novo anda qaando foi admiltido aa
HoeieAae PkHtmatica, que tinha a sua sede aa
roa da Atalaya, em Lisba, e onde se adasutrom
em debates e atecussoes Iliterarias e polticas os
mais estudiases mancebos de enii. Poaco depois
putlicoti Rebello da Silva ao jaroal d'aqaella so-
eiedade trabalhos que i prooiettiam muito. Cursos
doos annos a sawsidade de Coimbrvae aav
ionou, for aflPnio afeitar o espirito as reara*
a campendioa. acolhaa-se-oaferoo Lisbdaeat
t841.
c ResbhileeHo fez apparecer na ReviMa Pm-
vrrsai Ostmtnse o romanoe histrico jl mural
U'ii-soipar fomisio.
S-gokraai-se-lbe innameravtij pablieacoe qae
determiaaram as posses do sea talento. Em 1844
foi aemeado sowo da academia real das ciencias
de Lisboa:; ra 18JB foi despachado otteial da se-
cretaria de con-elho de estado, sendo depois pro-
movido secretario do aaesmo eonselho. Ea 1848
raio pela .priaaira rz depntado as cortes, o que
Ihe foi conferidn era soccesslras legislaturas
'^imo jornasta ha as paginas da Carta da
Discussao, da Patria, da Itiprensa e Lei e outros
peridicos, artigos rigorosos de polmica, Como
historiador temos delle os volamos da Historia
de Portuiai nos sculos XVtl t XVTIL
t Professor do curso superior de lettra? todos
se reeordw ainda do sen genio deslumbrante e
das gallas d*aquelle estyllo incompararel.
i Em 18ii foi flsoal da gorerno janto ao thes-
tro de D. Mana II e redactor do Diario do governo
Bm 1857 foi proprietario da typographia universal
com o Sr. Ribeiro de S.
A rela^ao das suas obras muito avahada e
encoatra-se na Diccionario Bibliographico do Sr.
Innoceocio Francisco da Silva. '
_ Deixa importantes manuscriptos inditos qae
rao sor editada* brevsmeate com antonsacao da
viuva do Ilustre escriptor.
ltimamente andar* collgindo os rolantes
de cont. eieodas historeos, de ji em 1876 cita-
ra prompto o primeiro rolume para entramo
prelo.
Foi urna parda irrepararel, 8 nessa mesma
semana, lio funesta para as lettras patrias, Boa-
va se no Porto Joaquina Guilaerme Gomes Coelho,
(que tisoa do pseudnimo de Julio Dini) e qne
Untas joias de precioso anecio nos deixoa as Pu
pillas do Sr. Reitor, na Morgrdinha dos Qanaviaes.
na Familia Ingleza, e nos Ftdalgos da Casa Mou
risct...
< Na manhia da 15 layirnava a fataltdade que
tao cedo levara desla vida esse talento especial de
orna originalidabe da sentimenlo inmiUvel I...
Mas cuidava ea qae ans qaatro oa cinco diss de-
pois tarjara de luto as paginas solas e fugitivas
desta correspondencia, para Ibes fallar da viarez
em que nos Oca a litteratora e a eloquencia por-
tuguesa com a raorte de Rsbello da Silva. A com-
misso central Primeiro de Oezarnbro de, 140 foi
qua-i toda ao funeral de son consocio.
t Estes dous annos de 70 a 71 tem silo nata vo-
ragem j foca e aqu.
As ultimas noticia? de Maco dio a cidade em
socago. Troaxeram as cartas particulares algumas
das pnKlaraaeoas meeidiarias qae all lizaraua cir-
cular os promotores da sedicao que por poaco nao
lancou-se as horrores da anarebia e da pilbagera
aquejle nosso importante e-tabeleciraento. Consta
plo telegrapho, que a 24 do crreme foi uaquelle
circulo reel8i|j depaUdo o Sr. Francisco Mara
da Canoa.
J partirara para Madrid os quadros escolta-
ras e nutras obras d'arie qae tem de figurar na
expasigio hespano-lozitano. J eato anoaociados
os coraboiosoe preeos redutidos para a viagera de
recreo. E' quasi de graca : 800 ris ida e volla
dando diroito a um mez de demora em Ma-
drid,
u A familia rea! eel em Ciscaas, el-rei D. Fer
Bando e sua esposa, era Paco d'Arcos.
As praias muito anima las; em S tubal grande
numero de familias haspanbolas.
Veio ha das Lisboa o reverendo PeJro Ma
na d'Aquilar, capelio e professor que foi de ais
tona e fteographia na escola normal de MarvHIa,
onde esiive sete annos por collega e amigo. Fon-
dn era Guimares am instituto de sardos e mu
das, de que. se centam raaravilhas.
< O Comnurcio do Parlo, o Jornal do Commer-
cto (de Lisboa) a Religiao e Patria (de Guimares)
e muitos ootros peridicos dos mais sisudos oceg-
para sesenaraentsdosresultadosoblidos pelos pro-
cessos e traballia perseverante do Sr. Pedro Mana
de Agnilar. Aa,u3liepedagogistaolaveJ tem rece
biJo alumnos mesmo da fora de Portugal, e sei Que
seus pas oa tutores nao eslo arrepentlitos de-i
haverera confiada aos cuidados e inoessanles des-
velos de to zeloso educadr. E' rerdadeira raente
admirarel o grao de nsttaocio, relaiivameote ele
vado a que chegam os seas discpulos, surdos mu-
do--.
poneos. Entretanto, la marh monte. Oxatt qae
' -sejam eRcazes I A indiffereac e apstbia deitam
e aauliiplicam as suas raizas sobre a nossa -ororer-
bial indolencia.
t Falla-s em madaocae de goTernafloms ciris.
E' natural risto ser outra a polWea do ministe-
rio.
Nesse dia ao meio dia accrescanla nosso cor-
respondente :
< Entrelem-se as foi has desta manhia com os
a'suaptoa aa vpera. A pefra levantada ao om-
tro Promtttt anda (e aar creao) o tasmi iaa
raieioes das jornaes de ledas as nares.
Trata-so de urna derfeila qoe algoa.' socios
daqaella aasocisco, outr'ora importante, fizeram
ao Icistro 4b reino, como Uto* dtsae, a dii reinci-
dencia naadiacossoes polticas e deseabeluadas so-
bre assunaplai sociaes. Os socios pacatos retiraro-
se, o comHpa am trata- de si e MD i it ou nao
quer perder o tempo cora a cousa publica, ficaram
era maiona os mais es turrados dando em resultado
ser fechado o centro, qae parece j tr feto o %eu
tempo. Nio porm nata vaotagem, diga se tirar
aos operaras ata campa de palestras. Porqne em
lagar de fallarem e mesmo estontearem em Ingar
pnblico, podero faze-lo clandestinamente em clubs
secretos, fra das vistas da aatoridade.
c J aojo reaa noticia das muitas subatiiuc,oes
projectadas de autoridades administrativas.
t Eelebram hoje algaos jornaes -o 61" aniver-
sario da gloriosa batalba do Bussaco. As obras
do moaanasento vo em grande desenvilviraento,
segando li ha dias. Preside aquellas obras o Sr.
Costa Caseaes.
e Diz o Diario de Noticias: hoje que o governo
da Prossia redamen ao gorerno d Brasil ama
indemoisacao par prejuisos causadas a algaos
subditos allemies pelo bombardeameato e assalto
da cidade de Psysand, pelas tropas brafiileiras em
4864 e 1865. O governo imperial asga sa a pagar
t Deixa 400 contos de ris forte?. E* ea'lea-
mentiiro seu (lili Emilio.
O Sr. Goncalves Franco hara eomecado o
sea tyreeinio commercial no Maranhaj). Era mui
to estimado geralmeote.
t Afflrma boje um dos jornaes polticos qne o
governo tenciona propdr am Janeiro s cortes a
reorganisaco do exercilo, a reforma administra-
lira, descentralisando-se algans servicos, e procu-
rando-se activar a vida local ; propor a reforna
a engenharia. A'earca de laipostos,H9ila-se diz
ainda ; falla se na possiMIidade da se resillar
brevemente a modiflcaeo ministerial a que alia di
na minha de 27, entrando o Sr Antonio de Serpa
para a pasta da fazenda. Parece qae pelo minis-
terio das obras publicas se vai estudar a possbili
dade de corascar desd ji o camiaho de ferro do
Porto para o Kobo.
< Um telegrama ebegado agora mesmo diz qoe
se revolfararo quatro batalhdos do exercilo da In-
dia. O Sr. viscoude de- S. Januario mautioba a
disciplina em Pangira, e organisava a resistencia
aos revolutos. Jgaora se o motivo da sublevarao.
* Da eerto o governo ter esta hora tomado
as providencias mais enrgicas para defender
araella parte da monarchia, empenho patritico
em que ser ajudado por lodos os portuguezes,
porque a tod is toca defender o de:oro, a honra e
os interesses da naco.
Ouvimos qne no arsenal j se Irabalha para
abreriar a partida aos soccorres de mar e ierra
De 5 a 6 de ouiubfo espera-se em riagem
para Pernarabuco, o vapor ingiez Olinda ; e de 4
a 6, para o Para, Maranho e Cear, o vapor ingiez
Siaranhense.
bllelas da America do Xorc
esta dos-Unios
O Sr. Conolly, fiscal da municipalidade de New-
York,_ acensado pelos jornaes da pouea limpeza
a rademnisacio, fundando-se no procedimanio de ^ ffi5o9. ES^^^ml^Z^Sm^mm
alguns gorernos europeos em casos anlogos,
c Nao sei o qae-naja de verdade em ludo sto.i
Em 28 1 hora da tarde adicciooa elle :
i O Sindk entrou dos portos do Brasil a 26.
Ernesto biester e Emilia Adelaida estao no laza-
reto. A i aprensa oecupa-se estrondosamente do?
triumplus alcanQsdos na sccqi brasileira pela in-
signe artista porlugueza, e preparara se ovacjSss
para um dos primeiros dias de outubro, em que
deve reapparecer na Fernanda.
i Cbegoa hontem am telegratnroa da India por-
tugueza ao governo, com qoe o visconde de S. Ja-
nuario, vice re da India partecipando que se ha-
viam sublevado em Ga quatro corpos do exercilo,
e reclamando com a maior urgen:ia soccorros pa-
ra submetter os revoltosos obadieocia.
< O rainiiierio reuni logo em eonselho e man-
dn apromptar logo e logo as corvetas Eslephania
e D Joao dentro em 48 horas.
Parece que vsi ser expedido ara corpo com-
O Sr. Pioheiro Ghsgas, qne sobstiinio o Sr. A.
Rodrigues Sampao na redaceo da Revolucao de
Setembro, esl escrevendo a Historia completa e im
parcial da comrnuna de Paris.
Falla-se na edicaca de um grande Iheatro
popular em Lisboa, para 3,000 espectadores; e
para entradas, baratissiuias, que nao excedam 200
res os melhores lujares.
Gomes Cardim, bera conheeido no Brasil, en-
saia no Circo Plice um novo espectculo em que
deve ganbar bstanle. Os lugares sao quasi de
graca. O centro do circo ajardinado, com seu
lago, repuebo, flores, lazas, lugos de salla, coros
mfantis, scenas cmicas, jogos malabares,, come-
diazmhas para riso, e mil outras bugigangas -ce
nicas, cmicas, ab3ardas, divertidas e esiapafur-
dias. Enche-se-lha a casa a gaoba dinheiro, que
o esseocial nestas emprezas em que se nao arma
ao loucor.
Falla se em Lisboa na creacao de urna com-
pannia edificadora, modelada pela qae existe na
vil|a da.Figueira, e que dar em resultado a ac-
qaisicie de predios a pcestaci53S.
A esqoalra ingleza.que estava oo Tojo, fa a
Cascaes onde fez*alguns exercicios e Matuarai, a
que el-rei assistia aa corveta portuguesa Eslepha-
nia. Muitas familias que estovara em Cintra, par-
tirara para Cascaes para preseneiaram asevolu-
O Sr. Nicolao de Brito estabelecea em Paris
con successores em Bruxellas e Amslerdam (J
bara me recerdo do qae li ha dia) urna agencia
com a denorainacao de Luso-Brasileira, cajo fin
facilitar o mais possivel lodas as transacoes en-
tre as principaes praeas e mercados francezes, e
Portugal e Brasil
< O binso predial re:ebea ana proposla dos
bancos de Inglaterra, Braxellas, Franca e Haya
para toraarem 60 mil accoes daqaella estabeleci-
rnsnto que esto ainda por emitiir, conesrrendo
lozo com libras por accio e comprometiendo se
a fazer cotar as accdi9 na^uellas praeas. Parece
que a proposta nio ser accaito por se opporem
os estatutos do banco.
Verilcoa-9e a renniao da asssrabla geral da
AMOciaeo Commesial de Lisboa. Foi dispensada
a leitura do relatora, e proceden se logo ap-
provaclo da a:ta e eleicao da commisso de
ex ame.
Traia-se de fandar-te em Lisboa ama Procu-
\raioria central d clero portuguez. E' ama espe-
cie de corapanhia oo assocacao em qae os socios
concorrem com amas certas e determinadas pres-
laedss, adquiriodn por ellas graade numero de
vant*cens. Km tendo 1000 subscriptores come?a-
r a funcciooar esta empreza.
t Uiz-se qae o mmisiro da fazenda tenciona pre-
parar proposlas de lei qae eqailibrem a receita
com a despea, fazenJo economas qae nao preju-
diquem os servljos, e creando as re jeitos oecessa-
ras para resolver a traes* fiaawefa,
Apresenton as saat cradeochws o Sr. de Gua-
le, novo ministro da Russia nestt corte.
Mebrarara-se no dia 23 na S Patriarehal as
exequias annuaes por alm. do Sr. D. Pedro IV
qoe ba 37 annos alleec a 24 de setembro no pa-
co de Qaelax. A 24 por ser domingo nao se po-
dan) fazr oficios fnebres. Assistiram el rei D.
Luiz l e o Sr. D. Parrando e iofante D. Aupnto, a
corte, e deputa;e3 as associa;5es e piquetes do3
corpo3 da gaarn'cJo de Lisboa. Hoave as salvas
faneranas do estylo-
c Luiz Augusto Palmeirim, o notso celebrado
poeta, e-t escrevendo actualmente orna reratocao
as deas e theorias q^ie se Ihe afflgnram rataes para
a continuado da existencia de Portugal eomo na-
gao independente. fundase este trabalho, em
grande parte, noatro que tem portitalo Autonoma
Porfugueza e qoe se pablieoa anonymo, porm jue
se sane ser do illa-tro ceg, professor jubilado de
fphilosophia e historia da escola normal de Marvi-
ma, Joo Neppraajno de Seixas. Comprazo roe
em citar com oavor os romes doi meas collegas e
amigo?, mas ereiam qae seo me cegar o affecto
e nha raaior alcance de peusaraentos poltico. O Sr.
Palmeirim desenvolvendo acuelle precioso opnscu
lo qae a demasiada modestia do sen adtor daixou
pleto de capadores, tirado i sorte, e rauil) mata
rial de guerra. Pelo canal de Suez deve chegar
em 3o das punco mais ou menos.
Ja ba tempas que os jornaes de Ga denuncia-
vana o desgosto de algans postos do exercilo da
lodia por cortos fados qae taxsvara de desconsi-
deracoa?, e receiava-se que ease desgosto tivesse
alguma manifeslaeio.
t Nao vai muito longo que o govemador geral
Pestaa teve de ceder parante urna revolta militar
na India evitando o aceitar o auxilio enrgico que
Ihe era offereeido pelo govemador da India in-
gleza. Esta transigencia, que algans taxaram de
falta de energa, fui nao obstante louvada por mui-
tos para que ni seria bamilhacio ver que soldados
portuguezes fossam subneltidos por bayoaetas bri
tannicas.
Ha mais de oito dias qoe pslo ministerio da
marrona e ultramar se linnam expedido ordens
turminaoles para se organisar um contingente de
180 praeas, ccmmandaJas por um raajor para en-
viar quanto antes para a India. E' claro que, so-
brevindo a noticia telegrapbica da rebeluo em
Ga, a expedicio dos soccorros de genis e mae-
nal reclama urgencia maior.
i Compre ao governo dar promptas e acertad.i-s
providencias para ser dabellada a insurreico. Te.-
legraphou se para obter mais esclarec raemos do
govemador geral, o qual se tinha concentrado em
Pangim.
t Ninguera nesta coojunctura se recusar, di-
zera as propnas fallas da opposici^ om Lisboa,_
prestar o sao auxilio o governo e fac.litar a aegao
ao gabinete.
< O Visconde de S. Januario nao estara dispos-
to, segundo declara no telegrarama, transigir
com os rebeldes. O raaia que dizia o govemador
do -e pereebia. Espera-se hoje novo despacho
submarino.
< As corvetas estao recebando mantimentos para
tres metes. E' opiniao das pessoas quo conhacem
o ultramar, que convm canservar no Estado da
India aro regiment europea para evitar as exi
gencias do3 indgenas, principalmente depois que
um dos governadores transigi com os revoltosos.
< A occasio para a vagam cxcellente, porque
a barra de Ga fecha em maio e abre em agosto.
Todava a agua que as crvelas Eslephania e D.
Joao demandara faga com qae teoliam de fondear
em Aguada.
t Espera-se que o governo esclarecen publico
sobre o que se passou aaquella possessao.
f A' tal distancia, porm, maito problemtico
qae a forra expedicionaria chegue tempo de
prestar os scrvieas reclamados; em lodo o caso
de grande vniagem qae se demore para dar
forca autoridade.
< A disciplina era raantila pelo govemador em
Pangira, onde se concentrara como tica dito mais
cima. Ignora-se ainda o motivo da subtevacao.
t A's vezas urna fatalidade. O qne alli bauve
ha pouco mais de anoo e meio (salvo erro), sendo
govemador o Sr. Pestaa, comegou por se ter up-
priraido a msica ara das corp s indgenas I
f Diz-se tambem que para Ga ir s a Esle-
phania, e qae a corveta Infante D. Joo desuda-
da Mfto, oa le as cousas vo de mal peior.
f A' data das ultimas noticias, a ordem publica
apparenlemante se manlioha, mas continuava a
clandestina fermeotopao.
f Falla se em qae ser substituido o contra-al-
mirante Sergio de Souza, actual govemador de
Maro e particular amigo de el-rei pelo major
Salgado qae foi ha pouco tempo comrnandanle do
collegio militar e do asylo dos filhos dos soldados
em Mafra. Outros iodigitam. o capillo Quintino
de Macedo, e outros flualmente o general Tavares
de Almeida.as noticias de Maco chegam a 2 de
agosto ultimo.
< As noticias da provincia de Angola alcaocam
a 21 de agosto. Nao se bavia alterada a ordem
publica. 0 govemador geral da provincia havia
determinado que por urna syodicancia se invest-
gassera de peno as cansas qae deram origem a
revolta do batalnao de caca lores a. 4 ; e- e alfrez
Jos Hornera de Almeida Costa Cabral, indicado co
mo o principal culpado na mesioa revolta, acbava
se j respodeado eonselho de guerra.
Alcancam a 5 de agosto as nolieias de Mo-
zambique. Havia socf go e era regular o estado
sanitario.
O govemador geral da provincia nao tinha ainda
nio quiz demitlir se. O maire nomeou. o gen-ral
Mac Clellan para o cargo de fiscal. Conolly appel
loa, e Mac Clellan ni > aceitn o encargo.
Dizera de Trtola -as Antilbas ioglezas que ha
all sete rail pessoas sem casa para viverem era
consequencia d as ultim s tremores de ierra.
Depois de um anno- de activos escrupulo-
sos trabalhos.lconclaio seaformacio do censo dos
Estados Uidas. Desojaramos dar a saber 03 in-
teressantes pormenores d'este trabalho que pe
em relevo a constituicao d'aqnelle novo paiz que
cresce com tanta rapidez, tanto em populacao como
em cuitara. O numero total dos habitantes eleva-
se a 39,470:284 ; esle algarismo decompa se da
manera seguale: brancos34,305:641 ; raca afri
cana, oa descendentes d'ella, 4,980:079; indios
uaturalisados 23,684 ; chas 58,980.
A populagie oceupa 49 departameolos entre es
lados e territorios. O estado qoe conta maior po
pulacio o de Nova-rork, o qual dispon de
4,381:750 individuos; o territorio menos poroalo
o de Wyoming. qne .- tara 9,118 habitemos. O
segundo estado, pela extensa a de populacao,
Pniladelpbia, que tora so 3,521:791 almas. A maior
populacao negra enconlra se na Georgia, qne lem
545,142 lodividuos d'aquella raga, e a esta segae-
se a Virginia em 512.841. Os indios esto em
maior numero na California, aoode se eoulam
7,241, e tamb ra naquelle estado era que ha
raai- r populacao china ; esta eleva-se a 49,310.
Os jornaes americanos que acabam de che-
gar, com jm inieressantes promenores a respeito
da grande manifestacio patritica celebrada pelos
italianos resideales em Nova-Y^rk, eom o lira de
commemorarem o anniversario da annexacao d
Roma, com a qual licou completa a nnificaco da
Italia.
A manifestacio venficou se no da 2S de agosto.
Infelizmente o dia apresentou se nublado ; mas
nao obstante a chova, os patriotas filhos da Italia
nao desanimaran), e a magnifica proeissio em qae
liguravam passagans hisiorioas da amiga e mo-
derna Italia, psrcorreu urna parle das mas d'a-
quella cidade, levanio comsigo, dizem os mesrr.os
jornaes, as sympathias da immensa maioria da
popnlacao, debandando na praca da Irving.
Alguns dos 'naoitesiaotes encarainharam-se de-
pois para Sullzer's Park, aonda pronunciaran), dis-
cursos allusivos ao objecto da maniesta^ao. o
presidente da commisso, o Sr. Carrcdi, o general
Segel. e o coronel Sigualdo. Todo se passou na
raelhor ordem.
Escrevem de Novi-York que os contribuinles
d'aquella cidade rasolverara dirigir um protesto
contra as enormes fraudes comme'.tidas pelo ad-
ministrador municipal. No dia 4 d'eue mez dere
ra barer ama grande renoiaa publica para se ira
tar dos meios mais t ID razas cora que se pozesse.
termo a tao escandalosos exceesos.
Um despacho telegrapbico transmiuido de
Nova-York, diz que o cabo surawrioo qne se est
estendendo actualmente para unir as Antiihas en-
tre si, e todas ellas cara o continente americano, e
o resto do mando civilissio, j ebega a Santa Lo
zia e Barbadas.
O presidenta Marino fJ captando e fucilado
pe s revolacunafios
E' este o espectculo qne nos sp/esenUm as
repblicas da America do Sal aoode a ordem se
nao tera padido estabelecer aa maior parte deltas,
oao obstante os gorernos de forc.a qae exitlem
era algumas.
PEMAIBiCO.
RETOTA BIAEIA.
ESTRADA DE FERRO DO CAXANGA'.-W
nonte por vjita das 5 horas da tarde o trem des
estrada que d i Recife sahio s 4 horas e 25 mi-
nutos encontron-se com ontro trem que descia de
Apipacos, na carra do poroado do Monteiro. Kio
sendo paasivil parar completameala os dous treos,
qnando ees se avistaram, houve entre riles nm
pequeo cnoqae. do qaal apenas resultou ficar
um carro com urna plata-rorma estragada e urna
das machinas com o chasse-pif,e machucado. Ne
nhum aaaaagetro soffrea, e a nica Interrompcio
que experiment.au o trafego foi a suppressao"do
trem das 5 e 40 mioulos, qua nio parti de Ani-
pacos. p
NOVO ATHENEU.~Em consequencia do passa-
mento docons.cia D*. Aatonio Silvio Perreira de
Garvalho, resolveu a s^cedada Noto Atheneu sos-
pender osseu- trabalhos at o dia 16 do correte,
manifestando as'in a respecliva directora o seu
pezar por to infausto accontecimento.
HOSPITAL PORTUPUEZ.-NIo se tendo podido
concluir a venda das prendas off-rtedas iwra o
bazar do Hoapiial Portugus de Benefkeuea, no
da da fasta, por eaosaoa ehuva que cahio dorante
o da; a directora resolveu exp -l?s de novo no
domingo prximo (15), esperando coaeorrea:ia e
ammacao.
O li-n justo e humanitario que se destina e
producto d basar, reunido ao bom e zeloso em-
prego qae d a junta administrativa do Hospital
Portuguez, chamarao sem dnvida, estamos cerlos,
as almas piedosas e bemfjze|as a iran alli levar o
sea obelo, com a raotogem de trazerem oto objec-
to que Ihes record a oerigrraacao caritatira qne
DINHEIRO.-O vapor Cururipe tronxe
Srs. :
Goocalves Irmio & C,
Amftrira Irtnios & C
iMo QuiriBo de Agailar A C
1 whnteiro, Torres 4 C.
Agostinho F. da Silva Leal & C.
Albino, AnJorimA C.
Silva Maia & "..
PARA-QSUL DO IMPE!H0.-0 vapor f
Amazone ^evou para o sul do imperio -UOpsa-
geiros, sendo 30 Jo nosso por! a.
GNEROS DR E5TIVA.-0 vapor francez Amci-
zone tronxa : Iti barns e 10 meios manteiga a A.
F. de Carvilbo, 100 barris e 150 meios a orden
150 caixis queijis a ordem, 70 a Carga Irmaos
65 a Souza Bisus 4C, o a A. G. Pires A C, l
a J. S. .10 Amaral, 78 a J. C. Braga A G., 13 a,J.
J. Alves; 40 cixas sardnlias a J. G-rardo de Bas-
tos, 10 a J. F. de Paola Ramos; 20 caixas rtafco
ao dito. 24 a Keller A C.; 30 caixas eongnae a
Tis.-et frres.
para os
I-.SODJOOO
690A50
534*400
'JOOJOOO
5005000
5003000
200*000
voltada costo, cootava porm faze-lo brevemeat
para completar a visito dos portos da provincia
A expediuao contra o Braga ficra definitivamente
adiada para o prximo futuro anno
Era Inharobane houve oo da 18 de abril ama
explosio no armazem do almoxarifado, a qaal,
alm dos prejaizos na edificio e em maitos objec-
to?, caosoo a morie do Sr. Jos Ritteiro Pareira de
Garvalao, ex tbesouretro do alraoxurife, de 3 pre-
tos, edo fiel dos irmazen?, Meando multo feridos
os Srs. Joaqoim Ribeir Pareira de Garvalho, di-
rector da alfandeg, Jos da Silva Calheiros, tlie-
sourero almoxarife, e Jeremias caeano Dias, es
crirSo di legaco, os qoaes pouco depois suecum-
'uiram.
t De3le apaohado se r qae si) poaco satisfa-
torias as ootidas das colooias. Maito se tem dito
no parlamento e eseriplo acerca das reformas qae
o rgimen colonial esto recramande. As ricissito-
des polticas da metropole, aioda qae uos tootos
ambiciosos nio deixara qoeqUalqaflr gorerno per-
dure o teapo necessarb para se fazer alguma
eousa boa em admioistracij interna on colonial, e
sobretodo a inopia do ihesoum, cada rez msis en-
fraqoecida pela repugnancia dos conlribaioies em
pagar o qae devem e qaando o devem pagar, dio
esses tristes resaltados.
i Uuaa naci colonial precisa da ama boa e na
merosa marrona, o qae casta muito diohero, mas
da ceolo por am, qaando as colooias esli lran-
qallfas e o commercio acba garaiitlas para se dila
tar e donar raizes, pois a natarez em lodas ellas
prodiga.
t As oseillaQSes de mesqciohas veleidades par-
tidaria! relixam a adrainistracio : a profasio de
eleicSes desmoransa os contribuintes, os agentes do
fisco, e aogmen j o dficit, e qaaodo nio o aae
ment, conserva-o. Isto triste, mas a pura ver
dade I
t A estas horas conduzido. ao cemiterio com
graneo acompanhamento o bera conheeido ban-
na ambigua posgic de oj fplhelo sem progeoitor> ueiro Jos Goncalves Franco, chefe da firma eom
far om grande e patritico-serri?o.
Todos o? nJe*>de p?er|aBfta auil-ierla sao
Votlcias do Pacifico
Temos noticias das dilfarentes republuas da
America do Sul.
De La Guayra annunciam com data de 8 do
agosto, que a r volur-j conlinua na parte orien-
tal da repblica de Vaoezuella. O governo era-
prega grandes esforcas para fulTear a insurrei-
gao. Da La Gaayra tiuham saido dous vapores
da guerra com tropas sob ocommando do general
Esenbar, o qaal vai reforcar ac olurana do general
D Vctor Rodrigues, com o flm de repelar os re-
vjlu ri-marios de Burceiona e o disirieto oriental.
O gorerno da repiibliea faz grandes foraei-
raentos de armas e muniefias. Noticias posterio-
res accresceotam, qua o general Blanco :oi der-
rotado, tendo os habitantes de toda a parte orien-
tal tomado armas contra elle.
As noticias de Panam alcanzara a 21 de
agosto. Reina tranquilidade naquelle estado, mas
receia^e que nao conlioue assim, por sso que
muito grande a cppo^icao que enconlra o governo
para mandar cumprir o decreto da emiti do
emprestirao forjado no interior do paiz.
O pariilo branco on liberal, continua ainda no
poder, e est resolrido a nao ceder o sen posto
aos negros seja qual for o sacrificio.
A 10 de agosto alcanzara as noticias de S.
Salrador. Pelo qae vemos, a assembla nao re-
coobeeeu como presidente o Dr. Duelas, e nouuou
o general Gonzales para presidente provisorio.
O presidente receben ero aadiencia a D. Fran-
cisco Alvarado, como enviado extraordinario e
mioistro plenipotenciario de Honduras. Tinham-
se enlabolado nogociaed s para a uniao das re-
publicas de S. Salvador e de Honduras, eom a
capital da nnio em Amapao.
As ultimas noticias de Hopdnras dizem que
prosegniara os trabalhos para a va frrea, e que
nao havia falta de operarios. Em Porto Cortez,
j se tinha construido o edificio da e3:aco e va-
nos \vago)s. A 29 de agosto acha-se abena
eirculaco a lioha at S. Pedro.
Os povos da Costa Rica achavam-se .-n'.husi-
asnaados com a constraecio do caminho da farro
do Atlntico, qae se acba em proiecto, jugndo-
se qae as obras comejariam nos fias do mez de
agosto.
Em Guatemala reinava completa tranruilidade
saida da ultima mala. O governo tinha reali-
sado varias reformas e estar oceupado em rever
o cdigo.
Os consoles estraogeros tioham re:onhacido o
actual estado.de conzas.
Com data de 4 de agosto dizem do Chili,- qae
foi apresealada ao coogresso ama nova lei de
reforma, estabelecendo a liberdade religiosa, o
jury em materias crimioaes e a eda:aeao gra-
tuita.
Em Valparaizo seolio-se a 11 de agosto nm
tremor de trra, e no dia 20 outro em S. Sal
vador.
O chamado rei da Araucania tioha fagido para
Buenos Ayres, e os seas subditos comejavam a
descobnr os seas manejos fraudulentos.
As receitas da alfaodega no mez de oho ele-
varam-e a 2:519,254, 14 pesos fortes. Calcula
se que as receitas do primeiro semestre do anoo
apresentoriara comparadas com as do periodo cor-
respondente do oltimo anno, ama diraioui;ae de
meto mtlhio de pesos.
Em Callao tioha havido HamioacCe3, rogos de
artifleh e sereuatas, em honra da iadependencla
peruana. ..
A eleicao presidencial deri venflur-se em
outubro prximo. Era portento glande a agiuco
que reioara em todo o pite. Prado pare:'. ser
o candldado mais farorecido.
Desde o dia 5 de agosto tinham se sentido 300
abalos de trra em Iquiqae. ......
O camiobo de ferro de Eben Ferimafe jt tralla
sido inaugurado. -
Segundo noticias do Equadcr ama gaerrlna de
revolucionarlos tioha atcalo a cidade do Miinte-
Christo, capturando um chefe poltico ; mas oZo
encontrando apcio por paita dos isabehDos fugl
ram pedindo abrigo em casa do cnsul do Per.
Em Munano proclamou so o catado de sitio,
CONCERT EM PAL4C10.-Domingo (8Vpr-
dnzio o passaio e coocerlo dudo oo jardim do pa-
lacio da presidencia 306*700.
MSICA NOVA.-Da Irthographia do Sr. A, J.
de Azeredo, ma do Bario da Victoria o. n,
acaba d sabir luz a lida walsa Anjo di mu
noite, composici do desliado professor Celas, e
lio condecida entre n?.
FUNDOS BRASJLEIR03.-Eram assim rotases
na praga de Londres a 2(i de set imbro : 5 % de
185 de 92 i/t a 93 ','2- 5 % de 1871 de 83 a,P&,
e 4 /a % de 1863 de 93 a 94.
TELEGRAMMAS C0MMERCIAE5. Da t6 de
setembro 7 huras a meia da larda sao os se-
guiotes telegrarama do3 Srs. Pinto Leite & Sobri-
ohos e Knowbs & Fasar, ambas de Londres :
Oalgodio est calmo com baixa etfotn.
pregos : de 8 3/. a 10 >/z de Parnambuco, 4*9
''! 9 Va ao Mfei, de 8 J/4 a 9 3,'s o da,Pa-
rabyba, de 9 a 10 1/2 o do Maraohi", de 8 a/4 a'l
V o do Rio Grands do Norte, e a 9 ','* o do Cear.
O awuiar tica firma da 27/6 a 28/6 o braoc,
de 2l/6 a 25/6 o louro e de 16/ a 24/ o mascava-
do de Pemayabuco.
idem de 2 i I,', a 3/D
i
A borAoha borracha
segundo a qiialidade.
O caf muito firme ao3 praeos : de 56/.a &O/O
do Rio, de 50/ a 6 o da Baha, e de 5:/ a &5 o
do Cear.
LIB5RDADE Ni domingo (8), por oecasiio ta
fesla do 16. aanivarnario do Hospital PcrtugOM, o
Sr. Joaquim Rodrigues Tavares de Mello, ero re-
gosijo pjr sernelhante motivo, alfirriou gratuita-
mente sua escrava, parla de 2 annos, eharoaia
Maria, Glha da sua es;rava Seaasiima. A expon-
taneidade do acto, e mais que tudo o mc-tivo levou o Sr. Tarares de Mello a assim pratieartor-
nam o seu ame rec immendavel posteridad:
FABRICA DE CHAPEOS.-A raa Larga do Rr-,
ario n. 24 primevo andar, acaba de ser montada
uma nova fabrica de chapeos, tanto para homsra
como par* seuhira. havando abi o<> naelhores-ft
mais elegantes muelos, como melhor se verado
do MMOCfo n'outro logar publicado.
LOTEHIA. -A que se a:ha vmda a 211 a
beneficio do patrimonio dos orphas, a qual corre
do da 19.
PAS5AGEIROS. Vindos da Europa no vaptar
francez Amazone :
Hirsig'ia Carraim e 1 filho, Aol'IIarom Dia?, I.
B. Fialho, L?raeLaiz, Coroelio Grapani, Poii'o
Jucunda de B., Gsorge Jacob N.. Eoilie Aogoslo
Alder, Manoel Mirie L Aalonio Alves da Silva,
Aagulto Creton, Lois Vernk. Augusto Labelie,
Vctor Guoivoo, Fariata P., Bojcbe Josef, Ade-
lioo Doburcq, Luisa Dabaa e 1 iho, Edoaard
Treg, Georga H imberg, Antonio Gonca ves, Lao-
poldino Augusto da S. Mello, Joao da S. Paria,
JosRodngies Caahoto, Perosrd) Jo- da Silva
11., sua roulher e 1 fllho, Antonio Lmz Taixeira,
Aogelioa Eiias F, Maria Joaquina Tavares, Fiar
Rozella, Joseph Manten; Hero Pietro Paolo.
Vindis deMamanKuape no vapor nacioaal
Gururipe :
Antonio Joaqoim Pereira, Antonio Francisco
Luiz, Joo Frazio, Francelino Jaaqaim de Biisei-
ra, Argomiro Pareira da Silveira, Jos Felix.dn
Reg Barros.
-- Sabidos para o sol 00 vapor francez Am-iso-
ne:
Dr. Mantel G. da Costa Alve3, sua mulher 1 uV
Iba e 6 criados, Mr. Le Marquns de Saral, D Anr
na Olympia do Campos, 3 filhos e 1 criados, Fraa-
cisct Ricardo B. Supuran 1 e 2 filbos, Maximiaa*
da Silva Ga-naao, D. Jos Julin Carneiro, Dr. t-
frino de A. Pinto Moatinho, Francisco Baroaa,
Jos de Souza Castello, Eduardo Pereia, Dietz
O' Grady, George Phalen, Michael Iragle e Gaorg
Cosbry, 4 raarujos tnglezes. Manoel A. da Porciaa-
cula, Antonio Joaquim dos Sintos.
UKalTERIO PUBLICO.-Obituario do dia.lda
outnbro.
Isabel, parda, Pernambuo, 6 metes, Boavi?;
bexigas.
Crispim. pardo, Poroamboeo. 18 metes, S. Jaafc;
bexigas.
of Rodrigues Martins branco, Porlagal; 4J
annos, solteiro, Boavista ; beriberi.
Florentino da Silva, prelo, ignora-se, 40 aanaa
casado, Boavista ; apopiexia.
Luiz Rodrigues da Silva, branco, Pemamtoeo,
20 aanos, solteiro, Baarisia ; anemia. ^
Jaeintha de Jeaos branca, Poiiogal, 37 aanos,
casada, Alagadas ; hydro-perieer.
marrtar qae gyTarMiesta pra'%-Jos Goncalves em consequencia da sitaacao dilRci! oft qne S9
Fraaao & Filho. Alnla nio libha 65 aouos. acha o oair.
COWIUNICADOS.
Sob a-epigrapoe-fYo criminalpublico o
Liberal um pequeo caramunicado no qual
procura censurar o digno snbdeltgulo da Pas
gem, major Beflarraioo do Reg Barros par
ter prendido a um fclieiro de bonds, qae "
da passagem para o Recif atropeloa cora o i
a nm menor, que se diz orpbao d pae e
que soccamblo poucoidIa3 depois do f<
que srffren.
Nio se limitoaa. isto a aecusacio fita ao tj
mo major, diz arada o ccmmnnicante: a sul"
gado da Magdalena nio so nao prenden o
obstante o menor Maver falleeid), carao at
lende despronoociar ao referido acensado.
A iojaslica destas accusicOes cbrlga-ooi i- rf
a imprensa rc-farir o ficto tal qaal elle se dWfca-
flm de quesejuigue convenientemente o nrhMt
mente da autoridad^ qno neste asnina con*)
lodos os negocios o;ne teem sido satmiottidosa- sta-
preciacoj tem sempre procara Jo conformar4 *
com a lei, salvar os ioleresses d prtiQ^comoS
de seu dever.
Gondazindo tr belieiro Manoel Pilfl d* Rgniar
(
i*
^
man
*


diario d Praambuc
-u.

. *
*.
\>-


Oritriki-G d 1871.
um d><3 carros da eompahnia de bon.ls da Passa-
gen para a cidade, succedeu que vi carallo em
que vinaam montado um menino a ama malher
se espaotasse do ett.ro e ite depois de lerem
passada os borros e quando o mesmo cavan se
aehava em paralello eom o carro, de sorte que ao
bolteiTO que la no centro da plata-forma da (renta
era impossivel ver o qae se pasava de nm dos.
Tendo-se esmaltado o eavailo e nao podendo,
sejurar-se bao aa pessoas que nelie iam, tiveram
da catu'resal lando da queda fiir o menino of-
fenjjttp Vuma peroa. Saa ra.e, qae com elle
viaflfe qae nada sotfreu refere o ht'.i assim e
accreseanta qae nenbuma culpa leve o bolleiro.
Dado o facto o digno subdelegado mandou pro-
ceder Imasdiatameatfe ao referido carpo de -dali-
ca*, aa beodo qae o bolieiro liaba viudo do Rio
da Jaaairo com om contrato por forga do qual
de ve aqu permanecer por alguns anuos, atteo-
deado aiula a ane elle de oeobum modo procu-
na ausenur-se nao obstante nao baver sido
preso em flagrante, deixou de determinar a saa
prisSo, instaurando o respectivo processo.
Antes da pronwwia aprisao do iodcialofa-
cultativa, tica ao prudente arbitrio da autordade
e por Unto sempre qae ella nao fr decretad
nao se diurna ntracco de lei, nao se tam mo-
tivo para censura.
O Liberal, porm, nao pensa assim; ent-rade
mais liberal o proeedimento da aultridade qae
unmeiiiuaieete prende o indiciado e o trata de
proeassar, muito embora ao depois o desprooun
ci e fique ella oom os prejuizos ren
priso.
B*essaasua tbeona.
Da msalo jaez a censura feitapelo pretende
despronune-iar. Se o Sr. msjor* Bellarmiao des-
pronaueiar o bolieiro nao faz mais do que o sea
.1 ver, pois tfonlo na* informan) pessoas insus-
peias neohuma base para a prenuncia offerece o
processo.
Uma nica censara se ple fazer ao maior
B-;llar.mino e a de ter instaurado o processo e
i'to porex;e>so de zelo, por amor ao cargo qae
exerce.
T jdos os diaa ae dio destares nos jarainhos d>
farra o a autoridade se contenta em proceder a
ligairjs interrogatorios, 8
i'ind) a casnalidade do acto
pcoaeas.'. EUU a ver Ja de.
Esja-^a pais o com uaaicaale o saa odio ao
Sr. majo? BoUarrain e vr q le como autordade
ueuhu na procede melhor, como o Ligara de
reconiecer
Os moradores da Passagem.
a*zer por mira wm> fus a affecco, qae sac-
cumbie, apresen* -s meamos symptomas; mas
se a affecco de aabos (ot a mesma, e se o tenenle-
coronel Joo de saeAtbaquerque nao fji victima
de'envenenamemo, como o dUseram os pro'essores
Tardieu e Roassiu, eolio tarabem saa irmao alo
suecumbio a eaveaanameuto ; embora diga o con-
trario o parecer medico legal redigld) na capital
da provincia da Babia; parecer que aprsenla ta-
canas nota veis e importantes em quesiois desta
ordem, e pecca em diversos pontos, deixando a lei-
tura de certas pecas e cartas juntas ao processo,
caja copia tenho e fleon em msu gabinete de ira-
baibo, impressoes bem dejagradaveis e saspeitas
desfavoraveis, como pretenda moslra lo, e pode'e
faze-lo, se nao tirar repugnancia de emprebender
es-a tarefa.
Nao duvido qus aa procure a jora por era duvi-
da aa conclusoes da analyse feita aqui, e al qae
se queira que essa analyse seja submettida ao exi-
me e Juiza dos lentas da Paculdade de Medicina da
Babia, qae proceder 4 analyse das visceras do
bacbarel Victoriano dVjJs e Albuquerojie, por ae-
rcm mais competentes do qae os professores Tar-
dieu e flonssio, mas Isto s far rlr, e expr ao es-
carnee aquel!es q je o preteoderem.
Basta: raajs orna vez liciram confundidas meus
detractores e nmigos. Deas Ihes perdoe e Ihes
permita correecac.
Parla, 23 de setembro de i87i.
DrlJoaqum dt Aquino Foneeoa.
AGRADEC1MENT0 t
La\u Francisca Accioti. rosidenie na ra de
Santa Thereza n. Si, soffrendo de ama grave mo-
lestia nos olhos, no decurso de seis aonoi e de cu
ja molestia eslava privada da vista : vem por
meio desta agradecer ao Iilra. Sr. Dr. G. Naegali,
a cura grave desle padecimenio, na operacao por
S. S. feita no dia 18 de seierairo deste anoo, e
fue teve feliz resultado, do qae em poucos dia ja
se ach arestabelecida, pelo flne faz saus votos
le agraieciinanloj, principalmente sendo esta ope-
racao gratis, falla palacaridade d) Sr. Dr. G Nae-
geli.
ontenla em proceaer a. .
Z&WSSSR K' Declarado preventiva.
A
Srs. redactores__Nae repet coostaalemente
i|ue o leuaaU-totttBal Joio de SA e Albuquerque
nao tnilia soecumbido propinagao de veneno,
como se procurava fazer crer. eaanilyw cliimica,
que procederam aqui, em Pari?, os professore-
A;nh. TarJieu e Fr. K assin, veio cou^rmar de
urna inan-4ra indubitavel i-lo mesrao.
Cbsgando a e-la capital, tive a inlenc5o de pro-
curar o profassor Tardieu, a qaem eu havia e.c-
Cripto, ei julhj do anno patsadJ, a respailo do
que ahi publieou um collega, que leve a facilidad^
de afflnnar, em correspondencia estampada no
Diario de Pemambuco, que o referido Ko de S
ti Albuiuerque navia sido vjelima de onveneua-
meLto por subitaocia vegetal hyposih.'aisante des-
oanhscida, correspondencia que, a pedido meu,
f-rt iradazida em/rancez por pessoa competente e
remeida por mim, depois de revaslda com o sello
do consulado de Franca ao referido prufessor,
atini de que elle visse al qae ponto ia alevianda-
w. (le am ficullativ.% que aemmnivj raa havia
isullaij; mis'mU'ei de proposito, porquanto eu
aio quera qae se dissesse nessa capital, onde ludo
se diz, qm rninba visita tinha inlliido sobre o es-
pirito do disticii pr.'fessir de medicina legal da
fiouliaie de Pars ouda tenho a honra de contar
amigos, tanto mais quanto infelizmente ha nessa
cidade quem, ju'gaodo-se por si, supponha qte os
medies da Pars, ra^siin da catheg ria desses
que procederam analyse das visceras do referido
tente coronel S e Albuquerque, sao capazos de
pFejtarsa a fallar verdade por influencias' indl-
viduaesou oec^niarias, e lioha rlugado ao mea
conhcimenlo que se havia dito que ea vinha a
Paris, nao a es.ensas rainbas e na esperanQa de
restibel"cer minha sale deteriorada, mas da fa
milia Ucha Cavalcaate, e alVn da var se poda
obter se dos peritos encirregaio3 Ja analyse des-
sas visceras parecer desfavoravel ao pretendido
ijnvenenamento.
Agora, q.ie c^sa analyse veio confirmar o que
sempre tfflrmei, e unificar o que expuz na pre-
sent do chefe de polica e foi subuetdo consi-
deradlo dos professore: Tardieu e R ussio, me as-
siste o direito de azorragar os miseraveis que, ji
porsi e ja por seas assalariados, tanto me insul
tarara; masno quero servir-mu desse direito, e
contentme com explos ao desprezo daquelles
que se estimara.
Em qualquer paiz, que nao esse, homen3 qae
por influencias individuaes ou pecuniarias tivessera
escripto o publicado o que fji l|Jo oeasa capital,
isto qaa o lente-coronel Jdo de S e A bu-
querqua havia sido victima de envenenamenio pre-
medilaJ i, e o tivessem dito para agradareiu pa-
rantes e amigos )U receberem recompensas, Oca-
ara corridos e se apressariam de desapparecer
do lugar, em que livessem representado lao infame
papel; mas nesia cidade elles se apresenlam cora
a mesraa cara e conlinuam, porque Ibe3 falta ver-
gonha, que.nunca tiveram, e, em idnticas cir-
cunstancias, proceder) da mssraa maneira, urna
vez que tenham para isto os mesmos motivos.
Muito soffri, e soffri tanto mais quanl i esperava
qae a verdade triumphasse por si m,-sma, e islo
seria mais demorado, como foi, de que minha im-
paciencia me fazia desejar. Nada escrevi^ qae
tjsae publicado, respeito d'esse pretendido enve-
nenamento, posto que, se livesse dito e repetido o
cenirarn, e hoovene sido por is'.o mailo insaltado
em artigos, que ea nao lia, mas sempre afflrmci
sem resjrva aquillo de que eslava|plenamene con
vencido, e anda o atllrmei cathegoricamente o
Sr. conselheiro Di >go Velbo, qae foi a ernambu
co, segando me constava, encarregado por alguera
que se acha mni altamente collocado, de saber da
verdade respeilo de-se envenenamenio. Agora
estoa plenamente satisfeito, porque inamphoa a
causa da innocencia, e posso ter a gloria de dizer
que proced como um homam de bem, deixando a
Deu?, em cuja exis'.enciu ainda nao deixei de crer,
a punicao dos misera veis qae tanto e sem razo
me offanderam, e o fizram por qae ea saslenlava
a verdade e me nao deixava arrastrar por coosi
deragdes individuaes, nerainba a cubardia de re
caar diante das ameagas, com que procuravam in-J
timidar-me.
Sem qae o pedisse, fui agraciado por S. M. o
-Imperador com a commenda da imperial ordem da
Rosa. O ministro do imperio, felicitando-me, em
carta, por islo, me dizia que o fazia tanto mais
quanto essa graoa era urna man tstaco espon-
tanea de S. M. o Imperador; e no diploma, qae
maodei tirar, vem dito que easa graca devida
aos distinctis e relevantes servicos prestados por
mim kumauidade e em jujras commissoes. Pois
bem I No jornal Opiniao Nacional, do Rio de Ja-
neiro, urna correspondeBia, remettida de Parnaro-
beco, foi publicada, era que se dizia que essa
commenda era a recompensa dos servais que ea
navia prestado familia Ucua Gavalcanie em re-
laclo qaesio do eovenenamento do referido S
e Albuquerque, e um intrigante, que por ah anda,
deiiou entrever, em ama carta que foi publicada
a me veio s raaos que 4u devia esta graca de que
fallo 3ervico3 polticos prestados ao partido con-
servador, e ciioa meu porne, cano para mostrar
fue, baratendole at mim gricaa semelhanles,
poda elle pretender ao que pedia, talvez parque
tem em sea favor, e pode allagar altos servicos
poltciaea prestados na fregoezia de Santo Amaro
de Jaboatio, e mesrao um diploma de doutor em
direito, que d'aqoi mandn comprar em urna da
universidades da Allemanba, que os vende, sem
comtado permittir all o direito de exercicio.
Creio qae ningaem julgara extranbo que eu, de-,
fots de taalos insultos recebidos, me exprima com
carta acrimonia. Se nanea dei importancia a lati-
dos de caes famintos e rabugentos, sempre Uve em
muita conta a opiniao daquelles que se estimam, e
por isto que me resolv a eacrever estas liabas.
Eslava analysando em ama serie de artigos, que
pretenda publicar, o parecer medico legal redigido
na capital da provincia da Babia relativamente
aaalyjadaj visceras do bacbarel Victoriano de S e
Atbaqaerqae,que sempre estimei;mas a con-
esiao cerebral, que scffrl na noate de 5 de novem-
bro do anno pauado, veio nterromper esse ira-
*" 'libo, quando olio artigos ja estavam conclu ios, e
^^^bt ota collega e amigo. Ahi iartl Uaha sucenobtdo affeisco
_je i do irmao Joao de S e Albuquerque, e
4H>conclulo-se qae ambos linham sido victimas do
-SM>mo envenenamento. Nao vi o bacbarel Victoriano
M Si e Albnqoarque daraata a molestia qae le-
roa-o sepultara, e por oonsequeacia nao podso
O abaixo assignado, casad proprielacio e fazsn-
deifo na provincia do Piauhy, ondetem eu domi-
cilio lendo bon'.em no Jkario de Pernambuco de 4
do eorreote, urna relacao nominal dos guardas na
cioeaes (esignados para o servico do Io e3quidrao
de cavallari fisata capital, deparou com o seu no
me inscripto no numero dos guardas designa tos
qo 3' batalhao de iofanlaria, e porque o abaixo
issignado, alm de ser e^ladaote do 4.a anno da
.'acaldada de Direilo desta cidade, capio secre
ario garal do com mando superior da guarda na-
.ional do municipio de Marvo da mesma provin-
cia do Piauhy e se acha competentemente licencia-
do para poder esludar aqui a scicna do direito,
declara portante;, quera competir, e a quem por
accaso tiver lido alludlda relacao que nao ple
enera deve, por sem duvida, referir se tal nome
ou designacao pessoa lo mesma abaixo assgna-
do, e-sim talvez lgam iadividuo de igual nome,
seno foi alguma pilheria de maa gosio qao de.-
preza.
Recife, 9 de outubro de 1871.
Arislides Cesar 'Almetda
MOVWIITI B8 PORTO.
Nnvios entrados no un t.
Bordea ux e portos Iniermedios17 dias.vapor fra<
cez Amazone, de 1907 toneladas, coramandanle
Joret, equtpaKem 117. carga fuendas e oatre
gneros: a Tisset Fidre?.
Trieste86 das, brigae norle allemJo ta, de 184
toneladas, capito P. I. Koeppe, eqaipagem 8;
carg 2901 barricas com farinba de trigo; a
Sannders Brothers & C.
Liverpool 44 diaa, barc Ingleza. Woodville, de
361 toneladas, capillo Wiliiam Lurence. eqai-
pagem 13, arga dillerenie gneros ; a Antonio
Jos Dtas.
a-#0 das, brigue oortuguez fMampago, de
163. lOfieUdas, capillo aofel Jas Baarte, eqa-
pagem 12, earga vanos genesos a Tbomaz de
A. Foneeca 4 C.
Maraanguape11 horas, vapor nacional Cururipe,
de SM toneladas, commaodante Jos H 4a Sil-
va, eqaipagem 17, carga 550 fardos de algo-
d5o ; cemoanUia Pernambac?na.
Navios sonidos no mesmo da.
BahiaPaiaoJn aacericano' JiwnM Miller, caDilo
Berg, cargajagto la qae Ifcmxe'de New York.
LiverpoolPalacio austraco,Arnuda, capital G
Ruppel, carga algodo.
Rio da Prau e portos intermediosVapor franeez
Amazone. eommandante Jo re, arga parte da
que irouxe dos portos da Europa.
EDITAES.
O Hlra. Sr. inspector da- thesouraria provin
cial em eurnprimanto da ordem do Exm. Sr. vi-
ce-presideote da provincia da 17 da agosto pro
ximo ando manda fuer publico que a mesura the-
souraria vende ii)0 apol ices da divida provincial
no valor de lOOf. cada urna, vencando o juro de
8 0[0 ao anao pagos por semestre na segunda
quiozena dos m^ies de jnlhj e Janeiro, e devendo
ser regaladas na quinzana desta ultimo mez, ob-
servando-so a numerado seguida e tantas quao-
tas permitlTem os crditos vutados aooaalmente
prucedendo annancios. Os prelendentes compa-
recam na raesraa thesanraria no ora*o de 30 dias,
a contar da data desta E pasa constar se man-
Jou publicar o presente pelo jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco o da OQtubro de 1871.
Conforme.Servinlo de oficial-maior,
Landelino de. Lnna Freir.
Secaros conlra-fogo
o
GOMPANHIA
l^pital......... 20,000:000/000
Fundo da reserva .... 8,000:000*000
Agentes,
. Mills Lathan & C.
IMPERI
Compaiihia de
fogo.
seguros
contra
2.a seceo.Secretaria da presidencia de Per-
nambuco em 10 de outubro de 1871.
Edital.
Por esta seerelana se faz publico de conformi-
iade com o art. l. 3* do decreto n. 4668 de 5
de Janeiro ultimo, qae por portara desta daa foi
nomeado para servir provisoriamente o offliio de
partidor e de3tribnidor do termo da Escada o ci-
dado Francisco Jos da Silva Santos.-
O secretario,
fifias Frtderito de Almeida e Albuquerque
DECLARACOES.
No dia l do corrate, finda a audiencia do
Dr. juiz da orphos, serao arrematadas em basta
publica por quem maiores vantagens offerecer, as
casas terreas a. 114 da ra de S; Jorge, terreno
do marinha, e n. 63 Ja ra da* Guararapes, solo
foreir avallada esta por 1:000* e aquella por
2:OO0_______________
^AGENTES
S. P. JOHtiSTON & O,
Ra da Sienzala-nova u.
49.
SEGURO CONTRA FOGO
Tb Liverpool & Lon<1on & Glob
Jnsarance Compaay.
Agentes :
Saanders Brotbers & C.
11Gorpo SantoU.
THE ALLIAiXCE BRIT1SH A FOREIGN.
Life and Fire As3urance Company eslabelecida
em 1814. Capital 5,000,000
Os afrentes desta corapanhia tomara seguro.-
contra iogo sobre predios, gneros e fazendas e
yagam aqui prejuizos devidamente provados.
-tRabe Schmettau & C
Corpo Santo n. 15.
HULGA DO RECIPE 11 DE OUTUBRO
DE 1871.
43 3 1/2 HORAS DA TAEDB. .
Gota;oes officiaes.
Algodao 1' sorie 592 rs. por kilo e 599 rs.
lambi sobre Londres 90 div 2i 1(2 d. por
14000.
Cambio sobre Parts 90 drv. 395 ra. por franco-
Cambio obre Portugal90 d|v 120 0|0 de premio.
h. G. Stepple,
Presidente.
P. J. Pinto,
Secretario.
ALFANDEGA
Rendimenio do dia 10. .
dem do dia 11.....
310:176*458
61:576/010
371:752*468
movlmento
Volumes sabidos cora
> > com
da alfudega.
rateadas 185
gneros 376
-----561
Descarregam hoje 12 d6 ontubro.
Lugar inglezRatxr bacalhao.
Patacho inglez Isabelieta.
Patacho amercniIzataboado.
Barca inglezaHe/n Isabelbaealho.
Barca inglezLavina idem. '
Barca francezaSanto Andr mercaderas.
Brigue allemoCoronavanos gneros.
Brigae norte-alletnaoBurgermuster Stuveidem.
Brigue inglezCoi'facarvo.
Brigue portagaezTnmpAovarios gneros.
Brigue portugusRelmpagoidem.
Barca portaguezaWoodvillecar vio.
despachos de exportacSo no dia 10 de
outubro.
Para os portos do exterior.
No vapor inglez Gladiator, para Liverpool,
carregaram :, Amonio Duarte Carneiro Vianoa
307 saccas com 19,918 kilos de algodao.
Ne brigue inglez Mary, para Liverpool, car-
regaram : Saanders Brothers & C. 129 saccas com
(0,980 kilos de algodao.
Na barca portagneza Audacia, para Liver
pool, carregaram : Rabe Schamethau & C. 68
saccas com 4,942 kilos de algodao : Maneel Fer-
nandes da Costa & C. 134 saccas com 26,397 kilos
de "algodao.
Na barca franceza Mauricien, para o Havre,
carregaram : Tisset freres 4 C. 1,000 coaros sec-
eos com 1,300 kilos.
Para os portos do interior.
Na barcaca Benedicto, para Mossor, carre-
garam : Alheiros Olrveira 4 C. 1 pipa com 480
litros de aguardeote. ,
Na barcaca itpa.date do Norle, para Ma-
manguape, carregaram : Braga Gomes 4 C 4
barricas com 270 kilos de assuear braoco.
RECEBEDORIA DE RENDAS INTERNAS
GERAES DE PERNAMBUCO.
Readimento do dia 1 a 10. 23:9544833
dem do dia 11...... 1:26845
2fcM343W
*-
No dia 13 do corrmte, depois da audiencia
do Sr. juiz de paz da reguezia de Samo Antonio,
as 2 horas da lardo, tem de ir em praca publica e
serem arrematados dons boles, 'siodo am-deoo
minado oD. Joanna, valiado por 504. e oufro
denominado lEsparanfai por 34, penhorados a
viuva de Francisco Joaquim do Naseimento, por
execacao de Jos Lopes de Azevedo.__________
SANTA CASA DA MISERICORDIA DO RECIFE.
A (Um. junta administrativa da Santa Casa do
Misericordis do Recife manda fazer publico que na
sala ere suas sessdes, no dia 12|do mez de outubro
pelas 3 horas da tarde, tem de ser arrematados
a quem mais vaniagsns offerecer, pelo tempo de
um a tres anuos, as rendas dos predios em segu-
ESTABELECIMENTOS DE CARIDADE.
Ra da Matriz da Boa Vi: la.
Casa terrea n. 56.......2034000
Ra do Calabouco. ^^
Casa terrea n. 18......3204000
Ra de If iras.
Sobrado n. 45 (andar e solio.). 3044000
Ra do Prdre Fiorianno.
idem n. 47.........1804000
Ra do Amorim.
Sobrado de 2 andares n. 26 ... 3024000
Ra da Gloria.
Casa terrean.61.....*. 2404000
dem n. 93 ...... 1804000
Raa da Ponte Velua.
Casa terrea o. 32.......3604000
Raa da Roda.
dem n. 5.........1034000
PATRIMONIO DOS ORPHOS.
Ra da Guia.
Casa terrea n. 27 ...... 1464000
dem n. 29........ 1934000
Largo do Pazaizo.
Loja da frente do sobrad m. 29. .
Ra de S. Jorge (Pilar).
dem n. 102.......0
dem n. 108 .........
dem n. 98.........
Sitio da Mirneira. "-, 1214000
Os pretendemos devero apre orrematacao as suas flaneas, ou comparecerea
icompanhados dos respe Jtivos fiadores.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do Re-
;ife, 22 de setembro de 1871.
O escrivao,
Pedro Rodrigues de Souza.
SANTA CASA DA MISERICORDIA DO
RECIFE.
Pela secretaria da santa casa de misericordia
do Recife se faz publico qae o Illm. Sr. ihes u: ei-
r interino raajor Laurenlino Jos de Miranda far
pagamento s amas do trimestre vencido de julbo
a setembro, no sallo da ca-a dos exposlos. pelas
8 horas da manba do dia 16 do correte, deixan-
do de serem pagas aquellas que nao apresenta-
rem as enancas que Ibes foram confiadas.
Secretaria da santa casa de misericordia do Re-
cife 7 de outubro de 1871.
O escrivao,
Pedro Rodrigues de Souza.
TBE&TItO
SANTO ANTONIO
Sexta-feira 13 de outubro
Espectacok) extraordinario em beneficio dos ar-
tistes Sespaaboes Ortiz, Miguel Dias, Noy e Conde.
Wjwaa-tendo std-obrigados, era eonse-
qoencw d am embargo (sen jasta cansa reaue-
nmot de Manaei Alvares) a desembarcare de
bordo Ao yaper s. Jantho, onde j se acbavam
eom sou fanMftB prestes a seguir para a provia-
cia da Baha, se viram por ese mesmo motivo ftjr-
5*do9 flear ata trra, sem ler pessoa alguma
que Ihes prestase auxilio, sem meios para se
roanierem e sem ronpa para vesiirenj, porm coso
em toda a parte na bons e moa, encanlraram par
ui duus cavalheuros qoe selcoodoendo do estado
era que elles se acbavam Ibes abrirara as portas
de. suaa.aasas; os fases sao os Srs. Teiteira, es-
tabeleoioo nom ama padaria ra da Florentina,
00t **5f**,Bnto Ba abam hospedados, e Anto-
nio Jos Duarte Coirobra.propneiario do teairo,
que Ibes proporcionou os meios de poderem dar
este espsctacaio am de poderem acoudlr as suas
necessidades.
Por isso o beneficiados confiando na bondade e
proteegao que o illustre f ubtia peroambncano
sempre toe diepeatar a todos amelles que terda-
deirsnaeote precisara, ousam esparar a sua valiosa
co&djuraeao para fim lao justo.
O espectculo devi i ido em tres partes.
1.' PARTE.
L* Eurcicios gymnaaticos por algans artistas
aaciooaes.
1* rea cmica par Floriano
Meu yoy voc me mata
1 PARTE.
i. Duelo da zarzuella
CIMPA^OIE
cantado pelos Srt. Onii e Dias.
2. Exerciios gymnasticos.
3.* PARTE.
! rea de Fgaro da opera barbeiro de Se-
vilha.
Sagaino-se pelo Sr. Flaviano a representaj
da seena cmica
0 matulo apinaliado
E' este o devertimelo i|U* os beneiiados offe-
recem ao respeltavel panlieo:
Os beneficiadas desds j agradecem a todos os
Srs. artistas, tanto naotonaes como estrangeiros,
a maneir graciosa pela qual se prestaram tra-
balliat, eoadipvando os oe-ta horrivel emergencia.
O oeneflcitKlo peda as pe*soas que o honraren)
o favor desoiUfazjrem osea importa para pon-
par o trabalno de cobrar.
A's 8 lj2 horas.
Avrsos MARTIMOS.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Vavega^o costelra por vapor
Femando de Noronba.
O vapor nacional Parahy-
ba, seguir para oporto ci-
ma no dia 14 do corrente ao
meio dia.
Recebe carga at o dia 13,
encommondas, passagoiros e
dinbero a freteat s O horas da minha do da
da sahid.: no escriptorio do Forte do Maltos n. 12.
Atfancao
J. H. Barns, capito da barca ingleza Wooiland,
entrada por srribada forcada neste porto com car-
regaraento de taboado, p lendo sido condemnada,
precisa frotar para o porto de Monte-Video e Bue-
nos-Ayres om nato que carregue cerca de
300,001) ps de taboado era pranchSes : os pre-
lendentes dirijam-se a ra do Commercio n. 8,
! andar
oa a Tolume,
A aircaca Sanlinis, do Rio Grande do Norte
at'ao- mesmo porto da capital, por menos pre co
que oatra qnalqaer : a contratar com o annoo-
eianie a bordo da mesma,' no trapicha do Barao
do Livramento*
Jos Maooel Ramos.
Para P*r*>
Val sabir ao dia 20 do crrente mez o patacho
pertognei Liberal eapliao G. L Lial, ainda rwebe
alguma carga e passageiros : trata-se eom E. R.
Rabello dr C. ras do Commercio n. 48.
LEIIOES.
DE
10 caixaf oom qaeijos flameogos desem-
barcadas hontem do vapor.
Uoje 12 do correte
' O agente Pestaa far leilo, por cenia e risco
de quem porteneer de 10 cixas com queijos fla-
uaeogos desemoarcados do vapor de hontem, os
quaes serao vendid >s a vontade; boje na porta do
Aunes, as 11 horas da manba.
DS
200 barricas com farinha de trigo (alaria-
das)
HOJE
A'S I HORAS EM PONTO.
O agente Pinto far leilo, por autorisacao do
cnsul de Franca, em presenca de seu chnceller e
por conta e risco de quem pertencer de 200 bar-
ricas eom farinha de trigo avarisdas, bordo da
barca franceza Mauricea, ltimamente chegada
este porto.
O leilo ser effectuado s 11 horas do dia ci-
ma dito, no armazem do Sr. Tasso Irmos no caes
do Apollo.
DE
Urna parte do sobrado o. 22 dos Quatro
Ganlos em Olinda.
Urna dita em outro sobrado na mesma ra.
Duas partes no sobrado n. t da raa do Gor-
doniz nesta cidade e 40:000^026 rs. em
dividas activas. *
Seita-feira 13 do correnti.
O agente Marlins far leilo, requerimento d, s
administradores da massa fallida de Manoe1 de
Souza Carneiro Pimpo, e por mandada* do Illm.
Sr. Dr. juiz especial do commercio, das partes das
casas e dividas cima pertencenies a mesma massa
(aa importancia de 40:800*026).
Em 33U escriptorio, ra do Mrquez de Olin-
da n. lo, s 11 horas do dia.
VISPS'lffeBSOS
EegiSo.
UBE4UWR. f\\ri
Obra espiritual para os que tratara do nxertieio
de virtudes a eamiabo de peffeieab. Ma padre
Manoel Bernarda, nova cao. Lisboa 1871, 1
vol. 4" 8*000.
EXERCrCK) DS PEPFEiCAO.
e dontrma espiritual, para extinguir vinos e ad-
quirir virtudes, do padre Alfonso Rodrigues.Por-
to 1869,1 vol. 8 2*000.
GRITOS DAS ALMAS
e meios para os aplacar, nova edicao.Porte 1869,
1 vol. 8* ?000.
EXERCIC10S. ESPIRITAES
de Sanio Ignacio, propo'stos s pessoas seculares
pelo R P. J. P. Pinamonte.-Rio de Janeiro 1871
8* 2*000.
PRA1ICAS MANDAUENTAES.
ou reflexoes moraes ore os inaQdaEen'vos da lei
de Deo pelo padre Pr. M. da Madre te Dos.
Porto 1871, 1 vol. 8 4o 3*000.
_________ Livraria ftinceza.'
O abaixo asignado f^z scienle ao respeitavel
publico e ao Sr. Fraoci. qae senhor tambem de urna pequea parte do
sobrado da raa do Vigario n. 17, como herdeiro de
Fran-cisco Mathtas Pereka da Costa e em lampo
tratar dos recursos que Ihe permitiera a lei.
.Recife, 9 de outubro de 1871.
_____________Maximino da Sil .a Gusmo.
Monte Fio Fortuguez
De novo sao convidados os Srs. socios do Monta
Pi Portoguez qae nao estiverem comprehendidos
nos I, 2, 3e 4 do artigo 13, a se renolrem
em aisembla geral, no salao do gabinete por-
tugnez de leitnra, para se dar camprimonto M
que determina o | 1* do arl. 24 dos estatutos, do-
mingo.15 de outubro, pelas 11 horas da manha.
Secretaria do Monte Po Poriuguez de Pernam-
buco, 9 de outubro de 1871.
M. S. Pinhfro,
Io secretario da assembla gural.
Casa de campo,
Alaga-so ama excellente e erando casa da cam-
po margem do acude do Monleiro, eom duas
grandes salas, ama slela, 7 quartos, com ootinba
bem arejada, grande e bem plantado sitio, fraudo
cysterna com agua para beb-r, lendofra inmb de
estribara casa para pr^tos, f.iitor e cochetra, sala
e quarios para hospedes : a tratar na roa da Im-
peratriz D.-34, loja.
GOMPANHIA PERNAMBUCANA
hega$do costetrapor vapor
Macei, escalas, Penedo e Aracaj.
O vapor Giqui commandacte
Gailberme, seguir para os por-
tos cima no dia 14 do correnti
as 5 horas da tarde. Recebe car
ga at o dia 13, encommenda*.
passageiros e dinheiro a frete at as 2 horaa d
.arde do dia da sabida : escriptorio no Forte d(
tfattos n. 12.
,E1LA0
DE
50 barricas de enxadas ferro ordinario de
2 1[2, 3, 3 i [i e 4 libras, 20 barricas
ditis azuladas de 2 1|2, 3 e 4 libras e
porc5o de ps de ferro, 1 caixa com 120
chapeos de palba do Chile avariados.
A 13 do corrente.
O agente Oliveira far leilo, por conta dos pro-
prios fabricantes das ferrageos supra-indicadas e
sem limitaco de precos, assim como por ordem
do Sr. Pedro M. Maury e por conta e risco de
quem pertencer, dos chapos do Chile, avariados,
bordo do vapor americano, S. Jacintbo
Sexta-ftira
das dez horas da manba em vante, em seu es-
criptorio a raa do H .m Jess n. f3. 1* andar.
TBILHOS URBANOS
do Recie a Oiinda e Be-
beribe
Nao lendo hoje comparecido numero legal de
accionistas para que podesse a assembla geral
fuoccionar era coQtiuuaco de seus trabadlos acer-
ca da reforaia dos estatutos, foi a se3?ao adiada
para sexta-feira 13 do corrente, pelas 10 horas da
raanha, sendo a reunio no mesmo lagar das an-
teriores. E porque pela tercera vei deu-se a hy-
pothese prevista no artigo 12 do3 estatalos qae
regem a companhia, c presi lente da assembla
geral manda fazar constar aos senbores accionis-
tas, que no dia ac ma declralo a as-embla func-
cionar com os accionistas presentes ou represen-
tados, que constituara ura quailo do eapttal da
companhia. Recife 9 de ouiubro de 1871.
Luiz Lopes Castello. Dranco.
Io secretario.
AVISO
192*000
203*000
205*000
205*000
Augusto Nery da Silva Lobj, capilo do brigae
nacional Alberto, entrado por arribada forcada
neste porto, com um carregamento de cebo em
pipas, de Montevideo, ten lo sido condemnade, pre
cisa fretar um navio para levar seu .carregamen-
to de cerca de 449 pipas para o, Cmal para or
dena, e ontros termos confirme a carta de freta
ment. Recebem-se propostas em carias fecbidas
at meio dia de quinla-feira 12 do corrente, no
escriptorio dos consignatarios no largo do Corpo
Santo n. 9, annde os pretndanles podem dirigir se
para qualqoer inf irmaga i.__________________
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DR
VavegacSo eosteira por vapor
Parahyba, Natal., Maco, Mossor, Ara-
caty, Cear, Mandara, Acarac e
Granja.
O vapor Pirapawa, comman
dante Azevedo, seguir para
os portos cima no dia 14 de
corrente as 5 horas da tarde
Recebe carga al o-dia 13.
encorr mendas, passagens e di-
nbero a frete at as 2 h >ras da larde do da da
sahida : no escriotario do Forte do Mallos n. 12.
Sexta-feira 13 do corrente, s 41 horas em
poni, na agencia da ra do Bom Jess
n. 23 (outi'ora da Cruz).
Mobilia de Jacaranda, camas para meninos,
guarda-roapa, guarda vestidos, mesas elsticas
caderas, pianos, secretarias, relogios de uro e
corrente, faqueiros do prata, e diversas joas, e
ranilos outros objaclos que no dia eslaro paten-
te aos Srs. concurrente?.
O agente Pontual, far o leilo cima no dia e
hora mrcalos, todo ao correr do marlello, como
de co.-turne nsle eslabelec menlo.
I
f
THEATRO
COMPANHIA DRAMTICA
HOJE
Quinta-feira 12 do corrate
BENEFICIO DO
SCENOGRAPH) E MACHINISTA DO
THEATRO.
Primeira representaco, neste tneatro, da muito
graciosa e sempre applaudida comedia em 3 actos,
ornada de msica, intitulada:
O
I
Seguir com a possive 1 brevidade o palhsbote
Emilia, capito Pereira: ainda reeebe carga a fre-
te : a tratar eom S Leilo Irmos ra da Ma-
dre de Dos n. 1.
COJflP AIHI1
DAS
Messegeries maritimes.
No dia li do corrente mez espera-se dos por-
tos do sul o vapor francs Girme, eommandante
Giost, o qual depois d demora do costante se-
gnir para Bordos, tocando em Dakar (Gore)
i Lisboa.
Para frotes e passagens, trata-se com os agen
tes Henry Forster & C., rna do Commercio u. 9.
LEILO
DE
UOBIIill
Sexta-feira 13 do corrente.
O agente Pestaa, far leilo por conta e risco
de quem pertencer, de 1-mobilia de mogno, 1 dita
de amarello, 1 cama franceza, espelhos, 1 guarda-
roupa, mesa elstica, consolos, mesas.vidros, ve-
nezianas, toucadores, e ranilos outros objeetos de
casa que se achara? patentes, no dia sexta-feira
13 do corrente, s 11 horas da manba no escrip-
torio do agente n. 15,1* andar, rna do Vigario.
O Sr. Loureoco Alves Ferreira unba a bon-
dade de ir ra do Rangel n. 67 a negocio.
iOOO^OOO
Precsa-se da qaantia cima a jaros de um a
meio por cenlo ao mez dando-se por garanta 2
predios de dobrado valer : qnem quizar dar dila
quantia annuncie para ser procwado.

O Dr. Jos dos Aojos Vivir de Amerita, e seus
flllrs cordealmente agradecem as pe soas qus
Ibes fizerara o caridoso obsequio ds acompanbar
ao cemiterio o cadver de saa mullir e raii, D.
Maxirailla Joaquina de Mendocca Amcilnf; e,
aproveitmdo o eosejo, aioia convidara a3 mes-
mas pesseas, bem como dos mais aaigo?, e paren-
tes, para ouvirem as mis>as qao mar.d^m resar
no dia 12 do corrente as 8 hna- da manba, no
convento de Nossa Senhora do Carraa.
- iiiigwnimiMHii.iliwiriiii i frsaosEs*

Pedro Baptista de Saata Rosa.
Quinta feira 12 do corrente ter lugar oa igreja
de S. Francisco urna missa resada por alma do
mesmo finado, a qual ter lagar as 8 horas da ma-
nba, e para cujo Qm sao convidados e.i seos p-
renles e amigos.
DE
JOTAS
EMCONTINUACAO
Segue-se pelo Sr. Penante,
ea, ornada de msica
a linda -scena com-
iMANHA VOU PED LA
Terminar o espectculo eom a interessante es-
media em um acto, ornada de msica, iftitula-
da : i,r\ '
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendimoato do da 1 a 10. 12:772*930
dem do dia 11. .' 3:143*210
"|8;WW140
No espectculo toma parle toda a"aompanhia.
Os bilbetes no escriptorie do toaalro.
Principiar s 8 1/2.
N. B. Em om dos intervallos os beneficiados
rao agradecers pessoas qae se dignanm aoeei-
tar os bilhetes de camarotes para o sea beneficio.
RIO DE JANEIRO
Para o porto cima segu com brevidade o bri-
gae nacional Damao, tem parte da carga engaja-
da, e para o resto que Ihe falta trata-se com os
consignatarios Antonio Luiz de Oliveira Azevedo
& C, roa do Bom Jess n. 57, Io andar.
Missa fnebre de 7.*. dia: por alma de Ri-
cartbi de Garvalbo Ramosfff... convida-se a
familia e ios-aro gosf-ft para as 7 horas do dia
14, na igivja de N. S. do Livraoipoto.
__________________ N. 838-j-tt
Hospital i'ortiguez de Benei-
cenca em Pernambuco
Companhia americana e brasei-
ra de paineles a vapor.
At o dia 16 do corrente esperado de New-
York por S. Tbomaz e Para o vapor ame-
ricana Nortk America, o qual depais-da dainora do
eostume seguir para os portes du sul.
Para passagens, ele, trata s oom os agentas
Henry Forster 4 C-, pa do CjXMnetcto- n. 8^
E 0 ULTIMO
O agente Marlins far leilo, por ordem
de Mauricio Jos dos Saatos Ribeiro, para
liqui Jafo final de todas as cauellas dadas
em peohor, constando de objeetos de bri-
] Ihantes, oo.ro e prata, relogios e ootros
maitos objeetos, que foram dados em pe-
nhor do seo estabeiecimeoto da praca da
Independencia n. 33
Quarta-Mra 18 do corrente
A's H hora do dia
pendencia n. 33.
llaT
DE
Daas tercas partes do sobrade alto ra
do Bemfica n 42, na Magdalen?, o qaal
podem o pretendenUs examinar com
aoticipacio. a ^
A i* o eemmU.
Por mandado do Illm. Sr. Dr. juiz especial do
eomroercio desta cidade, e rejaerimento dos ad^
ministradores da massa fallida de Sebasuao Jos
la Sirva, o agente Oliveira expor novameaw a
leilo as2|3 partes do exeellente sobrado sapra-
dlto, o qaal se torna recommendael quanto apra-
sivbl pela ana boa construecao e amenidade da
localidade.-e proprio para quem procura arrabal-
de saudavel, lendo a vantagem da condacao des
exeeHeates boads:
A junta administrativa deste hospital, muito
penhorala attencao com que foi acoltda a fes-
ta do 16* anmversario da insiallaeo do eslabe-
lecraenlo ; apre9sa- se a vir agradecer, em geral,
a (odas as pessoas que directa ou indirectamente
se dignaram dar ama prova do apreco em qae
teem a misso de.caridade a que elle se dedica.
Em louvor de lo dedicados sentimentos de hu-
manidade, a mesma junta, manda rezar, no ora-
torio do hospital, no domingo 15 do correte as
7 horas da noute u pela vida e prosperidade dessas mesmas pessoas,
a quem, a junta, novameate tem a satisfaso de
convidar, para a acompanharem nesta prova de
religio. _M
Nao tendo sido p-.ssivel expr no domingo pa3-
sado apreciago do publico, todas as preseas
na praca da Inde- -0(Terecida3 era axilio da maoutenao enfer-
mos pobres no hospital; bavera, no domingo pr-
ximo um novo bazar dessas prendas, entra as
quaes ba muilas de apreco que todas serao dis-
tribuidas. .
O bazar estera aberto as 4 bons da tarde, es-
de quando urna msica tocar, em eonsidera;ao
as pessoas que a elle concorrerem.
Hospital Poriuguez de Beneficencia om Per-
nambuco, 10 de ontubro de 1871.
Joo Jos Rodrigues Mendes,
provedor.
Luiz Daprat,
secretar io. ,
ftninta-feira
ao meio dia em ponto, no eseriptorio do mesmo
agente raa do Bm ftsos, 1 andar.
de Sanu RHa n. 3.
Precisa-se de amassadures oa nadara bes-
panhola em Sanio Amaro.

i




ATTENCAO
Qnem annnneiou precisar de quatro costos da
ris a premio sobre hypolheea em predios, quei-
ra dlrthr se rna do Duque de Csxias n. 75 !
andar, entrada pela praca de D. Padro Ifc das lf>
horas ule dessa hora em dlante na roa do
Hospicio n. 28, andar terreo. __________
A pessoa que annucia precisar da 4:000^
a premio de om e meio por eanlo : dirija-s a rna
m



Caixeiro
Precisa-se de na ea*iro com pratica de rao-
inaos e pinfla, qa fiador a sua cosdoeu :
a tratar m roa estagtta do Rosarlo n. 3.
AMA
Aliga-se ama preu para todo o
servico : na roa larga do Rosario n.
18 loja de lelleiro._____________
Irmandade de N, S, o
Terco
O secretario da irmandade de N. S, do Terco
convida a todas os cbarisslmos Irmos para do-
mingo !5 do crreme mez, pelas 10 horas da raa-
nhia, do consistorio da matrii de S. fos, iflm de
esa meta geral se proceder a eleicio dos fanecic-
narios qne tem de reger esta irmandade nos annos
de 1871 a 1871. n ., ...
Consistorio ia matriz de S Jos do Reeife 11 de
ontnbro de 1871.
Jos Martins da SlvaBorges,
Secretario.__________
S. L. IWO,
Perleace-lbe o meio bllhete n. 1271 da 371 lo-
tera da Corte.
O secretario,
F. H Ferreira.
CASA DA F0RTBH4
Aos 5:000*
Bilhetes garantidos.
^ roa Primeiro de Marco f/rotr'wn roa d
Crespo) n. 28 e casas do costme.
O abaixo assignado, tendo vendido aos seos fe
lea bilhetaa um quarto n. um inleiro d. 2425 com 800*000, um qaarto n.
2946 com 300*000, um qaarto n. 115 com 100*,
um meio n. 2236 com 100*000 outraa sortes
de 40* e 20* da lotera que se acaboa de extra-
bir (210*), convida aos possuidores a virem re-
cebar na conforraidade do costsme sera descont
algam.
Acham-se a venda os biftetes garantidos da
15.a parte das loteras, a beneficio do patrimonio
dos erpbaos(2lT*), queso exnbir qainta-feira
19 do crreme maz.
preqos.
Bilhete inteiro 8*000
Meio bilhete 3*000
Qaarto 1*500
Im poreao de 100*000 para cima.
Bilhete inteiro 5*500
Meio bilhete 2*750
Quarto 1*375
. Manoel Martins Finia.
AMA
Precisa se de ama que compre e co-
zinhe : na rna de S. Francisco n. 54.

AMA
armazem.
Precisa-se de urna ama para co-
zinhar : na raa do Apollo n. 14,
Precisa-se de um mpleque de 10 a 12 annos
para ajudar no servico de casa a ama ama que
serve a ama familia composta de 3 pessoas : a
rna Duque de Caxias n. 73 andar. _____


Preeua-se de urna ama para cosinbar e com-
prar fin ama casa da daas pessoas: na ra da
Canfca do Carmo n. 11.
E&
-




CAPELLAS
Para o dia de finado?.
Porlo & Bastos, com esta-
belecimento de calcado Pra-
ga da Independencia acaba de
receber novo sortimento de
capellas de aljofares e vidri-
tbos com inscripris, para (o que avisam
as pessoas que se quiserem prevenir com
orna d'ellas para depr do tmulo de al-
gam prente ou amigo em dia de finados
As insciipges slo as seguintes:
A mea pae.
A minba mae.
A mea esposo.
A minba fsposa.
\ mea filbo.
A miaba filba.
Saudades.
s
Jornal das fa- i
milias. j
Assignatura por anoo 12*000 : na li- |
vraria econmica, roa Primeiro de Margo L
n. 2.
Mudanza d ooaanltorio me-
dico.
O Dr. Adriao Loiz IVfrerra da Silva devendo re-
gressar brevemente te presidio de Feriando de
Noronba, modoo o seu consultorio medito 4a roa
larga do Rosario n. SO, para a.mesma roa n. 10,
Ia andar, per cima da pbarmacU te finarlo Pinto,
onde o sen collega e amigo o Dr. Milaqnias, con-
tini a dar consallas diariamente das 10 as 11
horas do da.
llari* d F.iuuuJDao Quinta teira 12 d* Outubro d* 1871
Alnga-se o 1* andar e os doos rmateos da
casa da raa do Vlgaro n. 3, proprios para escrip-
tono e deposito de fszandas por ter grande* ae-
commodac,des : a tratar com Manoel Al ves Guer-
ra, pai ou Qlbo.
5oJ de gr&tificac&o.
Fnrtaraj de 16 a 30 do prximo passado mrz,
da casa, no Poco, do finado Gibson, e em que mo-
rn o Sr. desembargador Rocha, um paletot de
panno ingles encornado um annelde onro maeico
com iniciaos e orna moeoa de preu dounda : il-
gama pessoa podendo dar Inforroacao dirija-se i
casa rupradicta ou a roa do Bom Jeene n. 10,
oatr'ora roa da Cruz.
Alnga-se o segundo andar da casa sita ra
do Imperador n. 42, tratar na rna Duque de
Caxias n. 53.
AMA
Precisa-se de urna ama
livre ou escrava para
comprar e combar : na
ma da Matriz da Boa-
vista n 5.
Aos 5:000$OO.
Bilhetes garantidos da pro-
vnola.
Rua do Barao da
Victoria,
Outr'orarua Nova n. 63 ecasi
do costume.
O abaixo assignado acaba de vender entre o;
eos muito felizes bilhetes a sorte de 5:030*09(
em uui.quprto de n. 918, a sorte de 300* em um
qaarto de n. 2946 e um quarto de n. 113 com a
sorte de 100*, alm de outras sortes menores de
40*000 e 30*000 da lotera que se acabou de
estrahir (210), podendo sous possaidorc virem
receber, que p.-oniptamen'.e serao pagos.
O mesma abano assignado convida ao respei-
tavel publico para virem ao sea estabelecimenfc
Gmpr&r os felizes bilhetes garantidos, que na.
eixari de tirar qaa'.quer premio como prova pel-v
tresillos 3anuncios.
Acham-s-3 venda os muito felizes blhett-s ga-
rantidos da 15' parte das loteras em beneficio do
patrimonio dos orpHaos, qu6 sera extraaida ao dia
quima-fe ira 19 do crrante raez.
PREgos.
inteiro 6*000
meios 3*000
Uarlos 1*500
De 1005000 para cima,
ioieiro 5*500
Meios 2*750
Qnarlos 1*375
Joao Joaquim da Costa Leite.
i ao PUBLICO i
79? O abaixo assignado, 2o cirurgio da $t
^ armal,i, medico, da corveta Paraense.
esta.-i-.midi rre-te porto, a bem de seu B
direit i da sqa reputado vera prevenir 0
aj raspeilavel publico desta cidade, que Q
nao cjut'uuda a sua pessoa com a de al- 35
gaem, d; procedimeoto irregular, que %fc
jgt por ah passa como medico da dita car- W
^ veta, afim de que nao recaa sobre o ^
abaixo assignado a responsabilidade dos W
ift autos indignos de tal pessoa. W
Outro sim declara o raesrao abaixo m- gF
9 assignado que nao Heve a pessoa alcuma W
^ dista cl-lade. m
Recife, 11 de outubro de 1871.
Dr. Odi'/on Baptista de Oliveira. &
HOTEEi
POPULAR
Com este titulo vai ser aberto disposfeo do
respeitavel publico, na rna do Bario do Triumpho,
(amiga do Brom) no dia li do crreme, o hotel
cima mencionado, o qaal offerece todas as van-
Ugens por se achar coilocado junto a estacio dos
bnnds, e juntamente por ter comraodos safflcientes
para admittir qnalqoer pessoa qne all queira des-
cansar, no qual encontrarlo lodos os atas qoal-
quer comida com asseio e promplidlo. Outro sim
tarabeai recebe-se asslgnaturas mensaes : asiim,
pois, esperando do respeitavel publico sua ben-
vola proteecio fien de qne Ihe coadjuvem com
.ia-. presentas, a flaneando nao dar motivos que
d>goste qaalquer pessoa que honrar com sna
preseoca o mencionado hotel.
Faco ver ao pnblico e a todas as autoridades
pollciaes"desta provincia ou de outra qaalquer on-
de fr encontrado o que abiixo se declara. A raa-
neira de qae se toma posse do albeio conlra a
vontade do sea dono por mais lempo do qae
aqoillo que se trata.
No dia 9 do correte mez, as 4 horas da Urde
foi nm cidadao brasileiro na cocheira da roa da
Roda n. 45 alagar um cavalio pelo preco de 5*
para ir no lngar denominado Salgadinho, qae li
ca jnnto de Olinda, para entrega-lo as 7 horas da
noute do mesmo di?, e como at ao presente o
nao tenba feito nao se sabe qaal o motivo porque
olo se entrega o albeio a sea dono pelo tempo
que tratoa ; por isso qaem deste dr noticia ser
recompesado pelo dono do cavado e lhe d mais a
preferencia a qaem Ibe dr noticia do supplican-
te do que mesmo do propro cavalio, para qne fi-
que sendo conhecido pelas autoridades policiaes e
mesmo pelo publico o modo de vida qae tero.
Os sigaaes sao os seguales : o cidadle de
cor parda, traja va roupa preta, chapeo de maui-
Iha, eavaiiaqae e bigode, idade viute e cinco a
trinta annos. Os sigaaes do cavalio, lazao rozilho
foveiro, pode ter dez a doze annos, os ps calca-
dos de branco e frente aberta, urna ferida as 'cos-
tas do lado direito, relado nos doos joelno, tero
urna sobre-cana queimada na mo direita os fer-
ros, cajas iniciaes vem a ser J. D. P. no qaarto
direito, nao se sabe pintar os ferros do quarto di-
reito, mas tom no quarto esquerdo ferro de novo
com a marca de seu proprio dono.
AOS SRS.
Proprietarios.
Todos os proprietarios desta cidade do Recife,
sao convidados a oir.parecerem roa do Impe-
rador n. 12, casa do Sr. rcajor Albnqoerque, no
dia 13 do mez crreme ao meio d-a afim de tra
tarem da organisa^lo de nua sociedade com o Oto
especial de mntaamente se deffenderem das tro-
pelas que sofrem em seas reaes ioteresses.
Recife, 9 de outubro de 1871.
Nmeros proprietarios.
Antonio Ferreira G. de Andrade. 2* tenete
da armada julga nada dewr nesta praca, porm
se alguem julgar-se seu credor.'queira apresentar
:ua conta a bardo di crvela a vapor Paraense
surta neste porto.
Para banhos do mar
Aluga-se '-'.raa excedente casa caiada e pintada
de novo na Boa Viagern, propria para se passar a
festa : a tratar na ra larga do Rosario n. 34, bo-
tica.

Um amigo e coliega do professor Claudioo dos
Santos Lopes Castello-Branco, manda rezar na
matriz de Santo Antonio, a s 7 horas da manhaa
de i J do corrento f*sexta-fira) urna missa de s-
timo dia, pelo sea eterno repoaso ; convida pois
aos seaprente?, amigos e collegas para assisti-
rem a esse acto de araisade e religiao, antecipaa-
do desde j o sen eterno reconhecimento.
tgumammmgBmummmamBmmmmB
mi DE LEITE.
Precisa-se de ama ama de leite ; a tratar no
largo do Viveirn, Passagem da Magdalena, sitio do
commendador Manoel Joaquim Ramoa e Silva.
20,000 RS.
Precisa-se de urna ama Ma engommadeira : na
raa dos Pires sobrado n. 28.__________
O abaixo assignado panecipa ao respeitavel
publico, qae venden a sua botica e drogara sita
na ra do Cabng n. ti, ao Sr. Jos Rodrigues
de Sooza Cruz, livre e desembarazada, e quem se
julgar creder da mesma mande a conta mesma
botica.
Recife, 8 de outubro de 1871.
Joaquim Maitinbo da Cruz Crrela.
3
s
m
Jos Pedro das Nev, tendo de mandar cele-
brar missa solemne no dia 14 do crrenle mez
pelas 8 horas da manbla na igreja da Madre de
Dens por alma de sua idolatrada esposa Mara
Leopoldina do Reg Neves, 1* anniversario de sea
fallecimento convida aos leas prente?, amigos e
prenles da mesma nada para assstirem este
acto de caridale, pelo que se confessai eterna-
mente grato.

\t.vo Atheteii.
A directora dessa associaclo litterarja onvida
aos prenles e amigos do finado consocio honora-
rio Dr. Antonio Silvio Ferreira de Carvaiho, assim
como aos Srs. socios alo so effectivos como hono-
rarios para assstirem as missas que a sociedade
manda celebrar, segunda feira 16, as 8 horas da
manbla (stimo dia do seu falU-elmento) no con-
vento do Carmo ; pelo que desde ja se confessa
s mu mmeme grata.
i.,- .m*F. \
FABRICA *
CHAPEOS!
DE
Todas as qualidades
% U na largado Rosa-
rio h. 24,1, andar
Se o desejo dos proprietarios desta fa-
brica fosse nicamente Iludir a f pu-
blica, ba muito que teriarn annanciado
os seas productos, mas para correspon-
dereni mais dignamente cooSan^snel-
les depositada, esperaram receber osr
objectos e psssoal, ?jue acabam de he-
gar.-lbes. 3g
H.ij, poi*, que a sua fabrica seaaha
montada com as mais aperfuicoadasdOia-
chinas, com o melbores potrenos ^ser-
vida dos mais peritos officiacs eoropeo,
podem os reos numerosos frejjuezes e
o publico em geral encentrar desde j.
Chapeos de seda da ultima moda, sen-
do altos e baixos.
Ditos de castor de todas as cores, era
formatos ingieres e amburguezes.
Ditos de feltro de todas as qualidades
e feito?, tacto psra homem como par,a
criaosas.
Ditos Se velludo para geobora. .
Ditos para e:clesiastico, redoud:s, tri-
angulares e a romana.
Ditos armados para militares.
Ditos de pasta.
Concerta-se toda a especie de chpeos
quer de hortem quer de senhora, com a
maor pericia e mais barato que em qaal-
quer outra parte, assim croo se rece-
bem encoramendas tanto para a provin-
cia como para fra.
Roga-se ao Illm. Sr. Ignacio V.eira de Mello,
arivio na cidade de Naxareth desta provincia,
favor de vir a ra do Imperador n. 18 a concruii
aquello negocio qae V. S. se comprometteu reali-
sar, pela terceira chamada deste jornal, em fim
de dezembro prximo passado, e depois para ja-
ra ja
apnc
neiro, passou a tevereiro e abril, e nada compilo,
e por este motivo de novo chamado para ditc
Qm ; poia V. S. se deve lembrar qae este negocie
de mais de oito annos, e qaando o senhor s
Bbo se aehava no es nesta cidade
ATTENCA
Alnga-se nma grande cocheira na roa da Unilo,
com dous quartos e solio com oatros doas qoar-
tos, tendo janellas, tndo eaiado e pintado de no-
vo e ranito propria para taberna ou outro estabe-
ecimento : a tratar na rna da Ancora n. 36, 1
andar._________________________________
CASAS
Alaga-ss o primeiro, segando andares e sobrs-
jotao da casa n. 6, cita a ron do Litramento : i
tratar na loja do mesmo predio.______________
Oozinheira e eiiRommdeira.
Na raa da Imperatris o. 27 precisa-se alagar
orna cozinheira e ama engommadeira que sejam
peritas e deera fiador de conduela.___________
AlJga-se o sobrado de um andar e sollo
ruado Poucinho o. 26, defronte do sobrado do Sr.
Temporal, com coramodos para grande familia,
quinta 1 bom e cacimba: a raa Imperial sobrado
n. 98.
Precisa-se de urna engommadeira
raria franceza raa da fmperairiz o. 55.
na tintu-
O Sr. Gnilberme Jorge da Molta tem urna
carta vnda de Portugal na ra estreita do Rosa-
rio o. 9.
Alnga-se doas casas terreas em Apipucos: a
tratar na raa Sete de Setembro o. i (amiga tra-
vessa dos Ferreiros).
Attenpo
Precisa-se da quantia de 2:000*000 a premio,
pelo tempe que se convencionar, danto-se dons
escravos por garanta, ou a de 400*000 passan-
o-se ama leltra : os escravos porm flcam os
seos servicos pelo premio : quem quirer annun-
cie por este Diario para ser procarado.
Precisa-se de uro menino para caixeiro : na
ra do Hospicio, taberna n 26. '
Na rna Direita n. 64, pretisa-se fallar com
o Sr. Sebastiio de Mello e Albnquerque a negocio
de sea imeresse.
ALUGA-SE
ama casa em Bebejibe : a tratar com J. I. M. Reg
roa do Commercio n. 34.
O magnifico e saudavel chocolate ero p, em
pequeas talas, a 3*200 a libra; vende-se nos
segointes armazens, ra do Imperador n. 40, e
raa Mrquez de Olinda n. 53-
sim
r
Livraria econ-
mica.
Grande soriimeoto de papis pintados
e dourados para forro e gnarnicao de
sallas gabinetes, etc. etc.
Livraria econmica, rna Primeiro de
ilarc n. 2.
I
de
amni mmmmmMmmmm
Honte-pio Popular
Pernambucano
Um vitta do aue dispos o art. 48 dos eslata-
sm.gando ordem do Irmao director, Vio convi-
dados o ooosefecti vos a se charem na ca,a
dasefcua, as 10 horas da manhaa do dia 10 do
florrratf, afim de ler lugar a eleicio do eonselho
aimnitrativo e eomsiua? de comas, que tem de
idBecionar no dcimo sexto anoo so;il (de 1871
4672.)
ieerflaria da sociedade Monte Pi P .pulir Pdr-
aicl>oc*c. liHBpbro o> 1871.
Vaas Machado Anlane,
l' sterHrio.
Sociedade Beneficente Seis
Marqo de 1817.
Manda celebrar urna missa na igreja do Carmo
sabbado 14 do corrente por alrai da Exraa. Sra.
D. Maximilla Joaquina de Mendonc,a Amorm, es-
posa do nisso socio Dr. los dos Aojos Vieira de
Amorirn, e para cojo fim convidamos todos os so
cios e amigos e prenles para assstirem.
Secretara da sociedada BeneSjeme Seis de
Margo de 181. aos 11 de ootobro de 1871.
J. M. S. Jnior,
Secrttario.

bacharel ntoafo flvlo Fer-
reira de arralho
Convida-se a familia, prenles e amigos do Aa-
do bacbarel Antonio Silvio Ferreira de Carvaiho
para assstirem algamas missas pela alma do mes -
mo finado, Da igreja da ordem terceira de S. Fran
cisco, pelas 7 horas da manhaa do dia 14 do cor-
rate, stimo dia do seu passamento.
FEITOR
Precisa-se de nm feitor pora o engenho Megao
da comarca de Goysoa, tratar no rcesno enge-
nho com o propietario o Sr. Henr qne Olympio
Tavares da Rocha, ca nesta pra^a aom o eu cor-
respondeote Joai Pereira Montinrn, ero seu esrrip-
'.orio a ra do Marfjiet rie Olinda n 38.
A soeiedaJe tres 11 H R Sea iransfeotaa para
com a segunda lotera do mez de'novembro,
Perdea-se no da 8 do corrente ao s'ahir da
matriz de Santo Antonio d?pois da missa das 11
horas, nm lenrp de labyrimbo marcado com ca-
bello, cojo nome Lecbina : quem achon o que-
rendo restitui-lo pode entregar nesta typographia
ao Sr. Ferreira que ser recompensado se exigir.
Traspassa se ou arrendase nm bom sitio junto
a ponte do Maduro, em Santo Amaro das Salinas,
atravessando para Belm, com urna grande casa
de moradia, doas quiotaes murados, quartos para
leitor e escravos, com baixa de capim e militas
fracteiras, muito terreno para plantaeoe?, torna-
se recommendavel por passar a linha dos bonds
perto e a da maxambomba de Oiiuda : quem
pretender dirija-se ao mesmo sitio.
AMA
A, loja.
Precisa-se de urna ama para cozinhar
e comprar : na ra do Livramento o. 1
raa do Vigarin n. 16.
Precisa se de urna ama pa-
ra o servigo interno de nma
casa de familia : tratar na
Para alugar-se
Um magnifico sitio na estrada da travessa da
Cruz das Almas, com -exeellente casa bem aca-
bada, com daas salas, seis quartos, grande co-
pia, cozinba separada com dispensa, saleta e
quarto. Boa coxeira e estribara com mais doas
quartos e 1 sotao para criados. Magnifico qaarto
para banho, latras?, gallinbeiro de pedra e cal
cercado de gradeamemo de ferro. Fleando dito
sitio perto das estarces denominadas : Jaquira e
a do Arraial : para ver e tratar no sitio do com-
mendador Tasso.
Para alugar-se
Um sitio no Poco da Pane lia no porto do Panla
com exeellente casa, com dnas sallas, qnatro
quartos e cczinba : estribara, cocheira e quartos
para criados, e mais daas casas meias-agoas pa-
ra fmulos oa hospedes : tratar com o commen-
dador Tasso.
m Precisa-se de ama
ama para o servigo
de casa de orna fami-
lia composta de daas
pessoas, exceptuando se o lavar e engom-
mar: nesla typographia se dir qaem.
Alng-:e urna mulata moca : i tratar em
Jaboatao passaudo a ponte terceira casa do lodo
esquerdo on a raa do Imperador n. 12, cartorio.
Precisa-se de urna ama livre oo escrava
ra o servico de nma casa de ponca familia :
ra do Bario da Victoria, amiga rna Neva n.
primeiro andar._________
Para orna familia de daas BtSHB
precisa-se de ama ama qae coziohe e
engomroe : a ttatar no largo do Cor-
po Samo n. 4, 1* andar, das 10 horas
do da as 4 da tarde. ] S
pa-
ila
46,
Na roa do Imperador n. 21,
roceiro.
Currocero
precisa-je de ear-
AMA
Precisa-e de urna ama para ca>
de familia para cosinbar e comprar, pra-
fere-se escrava: a tratarna Praca da Independen-
cia n. 8 e 10.
COMPRAS.
Nesta tvpographia
sagrada por Pinbeiro.
compra-s n
tona
COMPKA-SE
nm sitio na Torre qne tenba aceommodifes e
terrenos para plaotacao de capim : a tratar oo
escrUitono do conselbeiro Jos Beoto, roa do im-
perador n. 57.
Compra-se um cabnolet de quairo rodas co-
berto e em bom estado : na rna das Floros n. 7.
VNOAS.
Gaz econoifticu para os ean-
dieiroa de porcelana.
Acaba de cb6gar este j bem coonecido cu-
bustivel, como o mais barato, prompto e asseiado
de todos at hije coohecidos, e se encntra ven-
da no nmeo deposito, i roa larga do Rosario nu-
mero 34.
Novidade na loja das
seis portas.
Laaiinhas de cores modernas proprias pira a
estacio presente, que se vende pelo baratissimo
prego de 400 e 500 rs. o covado, madapolo fraa-
cez muito largo a 6*500 a pe ja.
Ha lambem ama grande porcio de nhas de
novello de nmeros 60 a 120 que so veride
pelo diminuto preco de 1*400 rs. a libra, fazen-
do-3e differenca em porcSes de 25 libras para ci-
ma : na loja das 6 portas em frente do Livra-
mento.
Ama de leite.
Precisa-se de ama ama de leite, exige-se bom
leite e boas intormac5es : na roa da Concordia,
sobrado n. 10, 1 andar.
1" andar, pintado e preparado
de novo.
A pessoa que traba alngado o 1 andar ra do
Padre Florlano por motivos que noaveram deixoa
de o ir occapsr, o qao se previne q ellas pessoas
que pretendiam dito andar e qne se lhe dizia es-
tar altigaio, que se anda o quizerem dirijam se
ra larga do Rosario n. 22.___________
Precisa-se de ama ama ou escrava para en-
gommado, paga-se bem : na ra dos Pires n. 32.
Aluga-se un moleque e urna escrava : tra-
ar na raa do Qneimado n. 2.
mmm gees?
8Vende-se ou alnga-se um sitio no Ar
raial logar denominado Coqueiros, tra-
vossa do Acude o. 2, com 303 palmos de
| frente e 2 000 pouco mais on menos de
S fondos, tem casa soffrivel, cacimba nova
SI o exeellente (a prova dos mais rig irosos
I estos e verdes) coro banbo de repudio ca-
5 xa d'agua e banhelro simples e de choque
1 encanamento d'agua para dentro de casa
rjgl e para a horta. urna grande parte do sitio
2 .plantado de diversas fructeiras das
B quaes, j algunas dao producto. O dito
I sitio torna-se recommendavel pela sua
^ posicao e vista pitoreseo pela frescura e
S salubrdade do ar e dista apenas oto cu
i dez minntos da estacio da casa Amarella
3 como a da Porla d'Agua : a tratar no mes
I mo ou na rna Nova o. 23.
Para o dia de fi-
nados.
Ni ra estreita do Rosario n. 35, 1 andar, tem
para vender ricas capellas para tmulos de as jos
dmelas e defuotos, de saudades rxas, cravos,
perpetuas e sempre-viva, e mesmo flores bran-
cas, sendo as capellas cora letreros de ouro com
qualquer distoccao que se queira ; j se achara
promptas, e por preco moito em eonla. Na mes-
isa casa preparam-se bouquets de gosto cora fitas
bordadas e simples, tarabem se armara capellas,
trazeodo os donrsas perpetuas dous das antes.
Farinhi d* mandioca
Vende-se a 2*000 o sacco, na ra da Madre le
Deus o. 1.
vcneravel contraria de anta
Rita de Csala.
De ordem do conseibo administrativo convido a
todos 03 dossos irmos que lenhara interesse em
tirar das amigas catacumbas existentes em nossa
igreja os restos mortaesque all se acham, a tira
los no praso de 30 dias, afim de serem concedidas
ditas catacumbas para jazigos perpetuos quelles
irmos qu as reqaererem.
Secretaria da veneravel confrara de Sania Rita
de Cassia.4 de outubro de 1871.
O secretario,
_________ Francisco Lopes da Silva._____
Au lares para alagar
AIuga.ee o 2 e S andares do sobrado da tra-
vessa do Corpo Santo n. 27, proprios para peque-
a familia, n.ato frescos, exeellente posicao e rio :
a tratar do armazem do fazendas do mesmo pre-
dio, das 9 as 4 horas da tarde.
Fredsa-se
atajrar nm preto para padaria, na roa estreita
do Rosario n. 9___________________________
. Precisa-se de nma ama pa-
ra casa de familia : raa de
Hortas n. 30, sobrado
----------r-----;----- O absiso assignado faz sc:ente ao respeitavel pu-
n,Tn??? ?, ?* .* qUJ' b0!D oH: i b:,' e especialmente ao corpo de commercio que
na raa de S. Jorge n. 40, casa da Jeronyrao Fer- deixou de sef catiro da casa dos Srs. Tasso Ir-
roo & C. desde o dia 5 do corrente. Recife 28
le setembro de 1871.
Manoel de Mosquita Bastos.
Na ra do Alecrim n. 20 precisa-se
de ama ama para todo o servico de
ama familia composta de daas pes-
soas.
Declarado
Joanna Accioly Bezerra Moreira, viuva
de Joao Gomes Moreira, faz constar pelo
presente, que diss'ilveu amigavelmente a
sociedade qu tirina (como repre enla te de
seu finado marido) sob a firma de Moreira
A- Primo na cidade de Mamangoape provin-
cia da Parabyba, conforme a respectiva es-
criplora dedissologo e parlilha, lavrada
as notas do tabelliSo Serrano, 'qoella ci-
dade em 13 de julbo do corrente annode
1871, e registrara ni, meriiissimo tribunal
do Commercio de Pernmbuco sob n. 93,
em data de 7 de outubro do mesmo anno,
ticando desde aquella poca cargo do ex
socio o Sr. Manoel Gomes Moreira, a l-
juidacri'j da referida exlincta firma, sem
mais respons-ihilidade da annonciante.
-' 0 abaixo asignado tendo comprado aos
Sr?. Chaix & Gassiei a sua fabrica de cerveja
sita ra d.i FloreBiina n. 20, convida quem se
julgar cred.r da referida firma, a apresentar sua
conta no praso de tres das.
Recife, 9 de outubro de 1871.
A'rlsodre Amerco de Caldas Braodao.
Popelina da seda e
laa.
Fazena inleiramente nova no mercado
com padies muito delicados, fazenda a
nm efJeito su'prebndente em vestidos, e
vende se por 10280 rs. o covadQ, na lo ja
do Papagaio, ra da fmperatriz n. 40, oe
Mendes & Carvaiho,__________________
Flores
Vende-se lindas camelias e outras flores pra-
prias para cabellos, ou perneados de senhora, ta
ra da Imieratnz d. 82, casa e cabelleireiro fie
Odilon Duarte._________________
Machinas para desca-
ro No escrploro de Joaqaim ararlo ra do Vicario n. 16, Io and...-. o-;>;> se. ir.n-
chinas de 18 serras para Meavo;ai klfi tao.
I
Vende-se ura sobrado de um andar o -.
novo e muito bem acabado, cora terraco na fren-
la de ddraz, cozinha fura, murado, contendo ira*-
tro meias aguas de pedra e cal, qne rende cada
urna 8*000 raensal, ludo no fundo do mesmo so-
brado cito na ra de S. Joao, frpguezia de S Jos
desta cidade : tratar na mesma rna, casa cu
mero 4.
10500
A
Vende-se botinas para menina- pelo diminuto
preco de 1*500 o par : venham ra do Impe-
rairiz n 68, lija da mitidens jantoa padaria.
Precisa-se de uto amassador para a padaria
da Soledade n. 2 A.
^m
rt-ira dos Santos.
10 PIUCO,
No pateo da Rbeira n. 21 se dir quin pre-
cisa da urna pessoa habilitada para caixeiro de
padaria.
Precisa-so de nma ama para casa de pou-
ca familia : no pateo do Terco n, 63.
s
Folhinhas para m
1871. g
Para lo Jos os bispados do BtasH-, or- m
nadas de Iradas vlnhetas, e do.; retratos ^S
S dos principaes hetes da guerra franco- a
alienas, e o suc;esso da morte do gene- B
5 ral Lope?. 3
Si- Prf?o 500 rs. 9
af Livraria econmica, ra Primeiro do M
Marco n. 2.
Rogase ao Sr. Antmio Manoel da Cooeeicao
o favor de vir raa Direita n. 26 a negocio de
seu Interesse.
CAIXEIRO.
Precisa se de nm caixeiro que tenba pratica de
fazendas e que escreva soflrive'menle, para a vil-
la de Garaabnos, a tratar na ra do Livramento
n. 6.
C.ixeiro
Preci-a-se de nm qae tenha pratica de molh?.-
dos e d fiador de sua conducta : na rna do Im-
perador n. II.
SEM CAMBIO
Troca-se moeda de cobre, quantia nanea infe-
rior a o0*000 : quera pretender dirija-se praca
da Independencia o. 39. loja de /alcedo dos Srs
Porlo & Bastos.
A 11 A Precisa-se de ama .
AJILO, ca familia, que saiba cozinhar e engom
mar com perfeico
2* andar.
para casa de pou
ar e
a tratar na raa Nova nT 37
zwnar.
A viuva & FillKude Joao Joaqaim de Suuza
Abren e Lima, com loja de sirgoeiro raa do Ca-
bug n. 1 B, avisam a seus devedores qae deixoa
de ser sea cobrador o Sr. Herculano Daniel da
Silva Loorino desde o fira de fevereiro prximo
passado, entregando a proenracao que Ibe havia-
mos outhorgado, nao levando em conta qualqaer
recibo passado posteriormente.
Atten$io
Urna pessoa que mandn bascar na Prussia, urna
ambulancia homeopathica, afim de retirar-se para
o serto, massobrevmflc uovas resolucoes, tenciooa
retrar-se para Europa, por este motivo expon a veo
da; quem qnizer, pois.rauoir-se de medicamentos
de plena eonilanga, approveitar a oecaso; d-se
tudo pelo casto, iflm de liquidar. A saber: 99
vdros de tintara mai. 233 vidros sonidos de tin-
tura dyuamlsad, 139 vidros de 4 grammas com
glbulos preparados, esseocia de rnica, glbulos
inertes, Mfttear de leite, opodeldec de Rhas, bryo-
nia, rnica alcoot de 93 e 60. graos em vidros flnoi,
hT.!KW.?i,caJrt9ir" 'W8 e vr'" de 40 ta-
MMf2!^. f madei'a para ^ e li0 lab09'
, wuVn 0d,a o. 50, pr. nb para dito, m um< de marmol? i Z-
ia-M d a-n ip para co- lelra eirargica para HglMn: a raa Imoer.al
iMbrado p. 98, a qia^qu-T f'fi'a.
OompanhiiRecit'e Driuage.
A companhia Ileeife Dr^inage novaraente roga
aos senhores proprietarios que quando liverem
qualquer queixa a f.zer sobre a conducta dos
trabalhadores da companhia oa reclamacSe? a res
peite das obras que se execatarem em suas casas,
se sirvam dirigirera se ao escriplorio da compa-
nhia na raa da Imperatriz n. 36, aonde existe nm
llvro especial para se laoc,arem taes reclimafiSes.
Os gerentes,
Law & Blount.
Alaga se somente para a festo ama casinha
bem arranjada, perto da e-tico de Parnameirim,
conttndo 1 sala, 2 quartos, cozinha fra, nao tem
sala de jamar, com cacimba e bomba de exeellen-
te agua, banho corrente com banheiro, "p$o para
lavagera de roopa e aomaes, circulada de sombra
por arvoredos at o banho : na dita estacao indi-
car o lagar.
Precisase de urna pessoa capaz, dando lian-
i, para vender capim
Irmos \, em Apipucos.
-----h *v i* u uiux uvuduu buuuii, \aa>uu\j iiou
ca, para vender capim : tratar no engenho Doas
Perleu-se no da 8 a noite da ra dos Os-
sos em contiouacao pela da Palma, da Paz at a
do Sol, tm lene/) braaco de grade larga e bico es-
treito, com as iniciaes B. S. C. : gratiflca-se ge-
nerosamente pessoa que o achou ra de S
Francisco n. 29.
Na raa do Corredor do Hispo o. 5,
pncis se de ama ama para o servico
do urna casa de 2 pessoas._________________
Precisa-se de officiaes de oarbeiro : oo sa
o de cabelleireiro da rna da Imperatriz n. 82.
Precisa-se de nma ama
para comprar e cosinbar :
tratar na rna da Alegra n. 5.
Vende--a urna armacao e alguns perten:es .
na ra de S. Joao q. 19.
- *
i
AMA
m Popelina de seda I
Com toque de avaria 0
%*. A ra do Crespo n. 2o.' &'
POPELINAS DE SEDA lindos padmes &
tf a 500, 600, 800, l*0C0 e 1*200 o :o?a- m.
MADAPdLAO a 4*000, 4*500 e 5*000 59
a pe(a. Jh
ALGaDAOZINHO a 1*800 e 3*000, e
com 20 varas a 5*. f&i.
CHITAS BOX AS a 160 rs o covado. M|
CHITAS PRETAS finas a 200 rs. o co- *g
W vado. *
BAREGE para luto a 240 r 0 ALPAGAS LaVRADAS a 500 e 00 0^
*X rs. o covado. l
X LJa de 5
< MANOEL DAS XAVIER. ^
Basquinas de seda
Kiiuissimas basquinas prelas de seda entena-
das com gosto e ia^ignias maonicas de diversoe-
gros, bordadas a ouro : vende se no Bdar Vil-
lora ra do Bario da Victoria n. 2 (amiga ru-v
Nova).
m
m
Breu.
^la^
Ptde-se
A .-uem tiver achado bonlem um vale da qnan
ta de' 100* a lavor de Manoel Jos Fernandes
Barros, o favor de entregar na rna da Cadea n.
55, armazem, vito que de nada vale a on'.ra
qualqaer pessoa _______^_^^_
Vende se doze barra com brea
Miren n. 23 (amiga do Crespo).
na rna t-rfe
Ama de leite
Joiqom Jos da Fonseca tem vendido ao Sr.
Felippe Santiago de Almeida a sua taberna da Ca-
punga rna das Creoulas n.33, e julga nida dever
nesta praca oa fra della, porm se alguem se
jolgar seu credor queira apresenur suas coatas
para serem pagas, visto ter do retirar-se para Por
tugal a tratar de sua saude.
Attenpo
Precisa-se^de nm caixeiro de oito a nove annos
para a taberna do pa'eo do Paraiao n. 20.
Precisa-se de urna ama de-leite, forra ou es-
crava, qae nao tenha iho : a tratar na rna For-
mosa n. 24, casa da esquina qne tem grdame de
ferro._______ ______________
Criado.
Precisa-se de um criadj para o servico de casa:
na roa do Duqae de Caxias n. 50, antiga do Quti
mado, l* andar. _____________[_________
Precisa-se de ama ama ou escrava para co
zrahar somente, agradando paga-se cora gtnerosl-
dade : a tratar na roa do Pires n. 31________
Piano.
Vende-se um piano de mesa proprio par prin-
cipiante : a tratar na ra do Padre Florlano n. Vi,
2 andar. ________________________
NOVIDAOE!
Tapetes orientaes d velludo
acolchoados
O novo estabelecimenlo de fazendas linas rtia
do Mrquez de Olnd n. 28, receben pelo ultimo
vapor nm lindo sortimento destea novos tapetei,
tanto para sals como entradas e janeJIi*. Bu.
qnaliaade, tecido e deseohos o melbor que se
I de desejar.
Hospicio n, 46.
'iecira-se de urna luu-rier
qne siib cwKohar bem, for-
ra ou captiva : na ra do
Jji Precisa se de uro escrava engommadeira que
sejs ptn'ti : ca ra Veba n. 2^, ??br:do.
Precisa-se de nm
Terco n. 63, padaria.
forneiro : no pateo do
Preci a-s-i de uiim im. para
A.*M.mL comprar, c.iiiihar e fazer mais al
gnm servico de casa de pouca firoilia : a tratar
na rea de Pedro Alfonso, outr'or ra da Prafa
c. S3, Io andar.
viMrata-se veSda-Je capirn annual.Tieule
por pre;o rasoavel: ti trabar no engenho Dous
J'-rr.r;r, en? Aoipucc.
Aproveitem a occasiao u
pechincha
Taiheres muitofflnos de dons betoas a 3*600 a>
duzia, ditos de um botao a 3* a duza, talhere-i
cravados, cabo branco e preto, a 2* a duzia, d.t'irr-
a 1*600 : na rna Duque de Caxias, amiga do
Qneimado ni 111._______________
Burros hespanhoes
Acabam de chegar ni brisn Bella Figurrensc
doas burros aMK) granaesebonitcs prrrai toa pita
irar raca : a tratar no e.-jrip!wio do K H. Ra-
;iio a c re t conmeroio t. w.
R
.


v.

Lu **
X> -*rio d Peniaiubut
tetr* 12 de Oitubro de i871.
DO
*
CYSNE
DI
FIGUEIREDO a L0PE&
64 BUA DA IMPERATRIZ N, U
Os proprietarios deste importaote e sympathico estabelecimeuto de fazendas finas,
em avisar ao respeitavel publico e particularmente a saa numerosa freguezia, que o
CYSNE acaba de sortir-se de todo qaanto ha de gosto e moderno em fazendas tanto
pan homeos como para senhoras.
E* ocioso citar que os proprietarios da loja do CYSNE naturalmente previdentes e
4'nm espirito altamente conciliador dos interesses alheios com os seos, teem sempre
seguido o magnifico ystema de offerecer venda fazendas de todas asqnalidades e pre-
tos relativos de forma qae fcilmente podem fornecer artigos de sna casa accommodados
a todas as fortunas e meios.
E sobre todas as conveniencias e meios preferivel comprar no~CYSNE em con-
equencia da sinceridade e barateza com qae negociam es seus proprietarios.
No loavatel empento de justificar as suas operacSea convidam as Etmas. familias
a visitar a sympatbica loja do CYSNE chamando as atlencOes do publico em geral para
a segtiintes especialidades e presos.
PARA NOIVAS.
Veos, capellas, sedas e popelinas Drancas
de cores, gollas, pohhos e camisas bor'
dadas, todo caprichosamente escolhido e
para varios precos.
CRETONE RAPTISTE.
Fazenda lisa de orna s cor, de cores di-
venas, para vestidos e tambem propria para
sombras.
CAMBRA1AS
Transparentes de 8 1/2 varas desde
*4500 at 84 a peca. Victorias muito finas
de 44 at 8*000. .
CORTES BORDADOS
Fazenda branca de delicado bordado
baixos precos acompanhada do competente
Igorino.
UAS
Variadissimo e rico sortimento desde a
lia lisa barata de 44 at a de listras de seda
xnis cara que pelo prego que vendemos
por assim dizer de raga vista do gosto
a qualidade.
BAREJES
Lindos padroes aos presos de 360 e...
*00 rs. o covado.
SAAS BORDADAS
As que o CYSNE vende sao bellas e su-
periores.
LVAS
As melhores e mais procuradas (uvas de
foovin, brancas e de cores s5o as qae o
CYSNE expoe a venda.
BALDES
De crotones com babado e bordado, di-
tos de arcos a 1,5500, pecbincha sem rival
io genero.
CHITAS.
Completo e grande sortimento de todos
is precos de padroes modernos e cores fi-
:sg.
GROSDENAPLES
Finos de todos os precos e largaras s
CYSNE pode vender barato- >
FLANELLAS
De cores e brancas de 500 rs. at 14300
. covado.
- ALPACAS
Lavradas de 500 rs. a I ->0C O o covado,
especialidade do CYSNE qae nSo conta com-
petidor.
MADAPOLOES
Francez de 24 jardas de 84 at 104000,
inglez de 54 al 84000, e muito fino.
DAMASCO
Com 8 palmos de largura, dito estreito.
CORTINADOS
Para camas e jane lias de todos os tama
nhos, cambraia para o mesmo fim de 20
varas a 104 a peca.
ATOALHADO
Da linho adamascado, dito de algodo
muito finos, bramante entrancado e liso, e
barato s o CYSNE vende.
GUARDANAPOS
Grandes e pequeos.
SETINS
Para todos os precos e diversos pa-
droes.
PARA NOIVAS
Camisas bordadas, peitos colarinho e
punhos lisos. *
PARA LUTO.
Merinos, princezas, alpacas, caotSo, bom-
basinas, chitas, camhraias etc., lc, por
precos que s o CYSNE vende.
PARA HOMENS E MEEINOS.
Brim pardo a 640, 840 rs., 14 e. 14500
o metro, gaDgas de 400 e 410 rs. o cova-
do, e tambem temos o afamado brim de
angolla.
CHAPEOS DE SOL
Para horneas e senhoras dos melhores
fabricantes da Europa.
FICS
De seda, ditos de lint o, pretos e brac-
eos e mais baratos que em ootras loja.
MEIAS
Para todos os tamanhos e qualidades.
CHALES
De'merin lisos e eslampados, pretos com
franja de seda, ditos com franja de !a es-
pecialidadedo CYSNE.
Descalpem os nossos freguezes termos siao ura pouco extenso Da narracjo de al-
runas novidades pois eom quanto seja nosso ioteresse tambem o dos nossos fregue-
sa qae querem e gostam andar na moda.
Kua la Imperatriz a. 64.
FIGEIREDO & LOPE!
JOAQUIM
LOPES
MACHADO a C.
Travessa do Corpo-Santo n. 25
ARTIGOS AMERICANOS
Cylindros para padaria.
Carros de m3o para conduzir fazendas.
Machinas para descansar algodSo.
Polias de diversos tamanhos.
Canos de ferro galvanisados para enca-
namento d'agoa.

OBJECTOS PARA CARRO
Oleado preto para gu?rda-chova de carro.
Dito de cores para forro de do.
Chicotes para dito.'
Pontas de langa,
Gal5es.de seda psra o forro de dit>, es-
treitos e larpos.
Pregos de cabega de raarfjm.
Escobas para dar graxa.
19 Ra Primeiro de Marco 19
Tendo renovado completamente a loja do predio, em que teem o scu es-
tabelecimento,
19=-A ra Primeiro de Marqo19
com aquelle asseio e elegancia desejavet*. acham-se agora prvidos do mais
esplendido sortimento de fazendas finas e modernas de
SEDA, LAA, LINHO E ALGODA
todas do uitimo gosto, e continuam a ter como sempre, diversos
ARTIGOS ESPEGIAES DE SA CASA
Garanten), com toda
> a sih-.eridade, vender
por menos que qual-
quer oulro, porque '
nectbem a maior parte de suas
fazendas.
19 RIJA
I.' DE MARGO 19
ra do Crespo).
CALCADOS
A toja de ciliados da Bota de Oam, aeaba de
receber ani graodp sortimento de calcados dos
Blhores fabricante? de Inglaterra, Portugal e
Franca, a saber : botina de bezerro e pelica pa-
ra horneo*, botinas de priica preta e duraqae de
cores e de canos aitos para tentara, diui de be-
zerro, olla gr6sa e ga.*piados para raptze, t.
(as e sapainhos bordados ,para crianzas do.
fres oOt m 'indo a esa praca : na leja d
la de Ooro, sita a tna do Bom Jesui d. ti*
obrado amaren.
VNDESE
eijia fraoiitpcva a 7iO rs.: p.a roa da
Jfaogaeira o. ?.
E. A% Borle & C, em tea .-.rmaiem a raa
da Cf ox n. 48, vendern a precos >nuita em conta
para aeabar :
Ladrlhos de marmore.
Taboas e degros de dito.
Maon ccaimnm. '
.Hanoi te.
Po de ved.
Cognac lino ero caixa e barris de vidro.
Vnoos de Bjrdos flnos.e ordip. rios c-m caixes
e barr?.
Licores em earxa.
rructaa em conserva.
Azeita dece em caiws.
RELEER & C
TEWDEM
AC DE TRIESTE
' LEITE CONDENSADO
i i Ma
COfiNAC FINO
A' ra da Cruz (Bom Jess) n. 55
w
ATTENCAO
feaik a tatema da roa Impaiisl 0.49, ei-
ijama 0
SO
a
9
o
o
g
Anrci vio i'.ui proceso.'mais perfeito e que ai-
>.a no al foin.:i a utktutt as exigecoias m
-*r-j i tua cr linJiasima e nao precia de ccida-
o Jcam pafa te conservar no tinieiro sempre
i -aa i mesma c6r, *em borra, crnU, bolr en sem
^*s istas matellas inherentes todas as tiotas
m ?ora coohec.da., aioda meamo dos melhores
miotm estrange.ros,
iobretodo, esta eatlmavel producto nao ataca as
esas de a {o, antea pelo contrario, a penca
t.jnir nm t-sniatte doarado que, sendo inieres-
lasie, e asss ptoveitoio.
Eu tinta, r.an jeodo espechlmente para copiar.
i wsjrido dnas, tres, oo mais copias 9 >
^, -\' feripta ; preciso, pc-rm, il&xar-lbe
.. .ti era Mothado s-m o enxngar om n ir.au-
orrao. porqae f.ao na o risco de borrar. Para se
-i/ a >i* de urna .-ocia, nao se ajrg^meram tH-
i, f.ha.- atMta^ copia se qjereai tirar, mas]
-m cub ttfiioa! utar a uina nUs uaaniasj
Ocurre aqtii i'ior ine, par* copiar importa i
t' iRf*u'witf ^ haMdade, tra e ue a me-
VI ;:irta d1} iati..r. o dtVo recae se/epre
ctr a ttnia, qae maiu s > qWB5 m(*,cib
cipa em.
i dunla qoalidade i?ta tiu femarntcie
;.riciavel, j>of qae tmti qu* m'ie-Jqner es-
! c'orlo baja mais o que t."ijj par,
*tht mistrP!".
ZjBK&ro' 1 sua iurabUioaJ, tfo fas b opptr
ffcor Isvda pots que tsta tinU dapcif ii ?*
: cripta scffre o choque de cidos rortissimos, sem
se decompflr; ora, se os cidos no tem aceito so-
bre ella, mnite menos a accio do tompo apodo
i destruir ; isto plaosivel.
Nao veto ser mil ; os professores dos collegios, investi-
j gando todos os meios para o adiantamento dos
peas discpulos, tem approveitado esta tinta, que
com razao a acharara apu para desenvolver o
. Rosto nos educandos, em consequencia da beleza
I da cor e tacilidade de correr na pequea pela sua
i liquidez. Ha exemplos de enancas nue havi?
muito tempo tinhara urna repugnancia' trema
para a eHcripta, logo que foi admittida esta tinta
no coliegio, apoderou-ss deltas -aturiosidade e o
gofio, e penco tempo depois ,o eu adiantamento
era mamtwto.
Esta tinta, i par de (antas vaniagen?, tem um
untco inconveniente, deteriora-se ao contacto de
outra qualquer; caavm pois te-la em tlnteiro
lientos do menor vislumbre da outra tinta, e evi-
tar escrever com a peona suja de urna preparacao
diff|rente e incompative!; verificando isto, nao ha
razao para se usar de tinta que nao seia a VIO-
LETA ESTRA-FUIA DE MoNTHRO.
Observapo.
Diversas faMiScacoei e emcIhaBca tem appa-
r'idn, coja durabilidade dovMosa. Os rs
iOBfPmpot yo4*a ev4tsr o engaao dirigludo-se
i :as .r?iWftaAt aedinto a tinta que eo
alfico
i: .ft ggnteiro,
BAZAR ACADMICO
13 RA DA IMPERATRIZ 13
DE
ULYSSES & IRMAO '
Neste bem conlecido e acreditado es'abelt cimeiilo.tncoutrarSo o/* sos r,niipos e re-
guezes cigarros de paiba e de papel de diversos ttulos e d-'s melhores quadadea de
rateo. Charutos dos mais acreditados fabricantes da Babia e do Rio de Janeiro ; e bem
assim, ponteiras para charutos e cigarros, cachimbos de espuma, de porcellma, de ma-
deira de diversas qualidades, de louca e p de gallinbas mui'.o finos a 24600 a duzia, e
mojtos outros rticos que deizamos de mencionar.
Fabrica de cigorros.
Bem atiesta a stipeiiiridade dos cigarros de nossa fabrea o grande consumo qce
dellea tem bavido no interior e as provincias do norte. Com presteza prompiamos
qualquer cnctmmenda, remettendo-a ao seu desuno.
BAZAR ACADMICO
13RA DA IMPERATRIZ-13
Ulysses & Irmao
LIQlDigAO.
LOUCA E VIDROS
15 Ra da Imperatriz 15
DE
LYSSES & IHMO
Tendo de-ctegar nm novo sortimento, e tendo desdTrer urna reforma- o sysieixs
de negocio deste estabelecimento, seus proprietarios resolveram expor em Hqoidaco,
grande quantidade de pratos de louca, lijella?, ap arelhos de Ioc* para jantar e para
almoco, etc.
Grande quantidade de coaos de vidro fi-
nos para agua a 44200, &5C0e i?J800 a
duzia, clices de vidro finos para licor a
34000 a duzia, ditos de cor para violto a
2)5500 a duzia, garrafas fitus de vidro ba-
car! para vinbo a 5^500, 64, 600, 74
e 74500 o par, bonitas compoteiras de vi-
dro a 64300, 74500 e 8i00 o par, gran-
de e variado sortimento de jarres finos para
flores a 34, 44, 54, 64, 74, 84, 94, 104,
114, 124, 134,144. 154, 164 e 184000 o
par, cbamins americanos para candieiio- a
24200 e 244CO a duzia, escarradeiras de
vidro a 34500 o par, globos para candiel-
ros de 14300 a 24000 cada um, lampari-
saa com vidro para cima de tuna, parede
aependurar a 14500. I4700,~24 e 24200
eddauma, bonitas quartinhas hanibarguezas
a. 44500 e 54000 o par, lindos palleiroa
ce porcelana'branca de 14^00 a 34 cada
dm, bonitas canecas de porcelana com frizo
a esmaltadas para cal a 64000 a duzia,
escarradeiras e copo de crystal de cor para
eavatorio por 34000; pratinbos de vidro
lpara copo a 320, 400 e 300 rs. cada urna,
sextiohas de vidro para passa?, figos, etc.
etc. a;Q0 rs cada urna, compoteiras de
vidro para doce secco a 2f e 24500 cada
urna, casiicaes de vidro ptu vela a...
14^00, canecas de porcelana com tampa a
320 rs. cada urna, gaibeitas de vidro para
missa a 800 rs. o par, c:ndieiros de vidro
com globos a 54, U4 o 104COO cida nm.
E outros artigos que deixamos de men-
cionar ; e prevenimos a queiurtdjar com-
prar algum uestes objtctos que approvei;
tem a occasia de comprar-los por menos
20/0 em ra25o de terms de liquidal-os o
mais breve possivel. Ra da Imperatriz
n.15.
OLEADOS E CASEMIRAS PARA F RRO
DE CARROS.
Vende se oleado preto grosso a 24200
o covado. D.to cor de cir.za a 14200 e
cor de caf, verde e preto a l->400 o eova-
do, para acabar.
Pacno fino azul escoro a 34700 o covado.
Flanella branca irgleza a id400 o cov
d'. Dita mui'.o fina azul com duaj largu
ras a 24300 o covado.
Casemiras escuras e claras do duas lar-! nba a iu
garas a 24400, 24600, 2.4800 e 3QCQ o
covado, as qdats setvem tambem para pa-
lltot. No Emporio Commercial ra da l>n-
peratriz d. 13.'
CHAPEOS DE PELLO PRETO A 94000.
O Emporio Commercial est' vendeado
chapeos de pello preto para homens a 94-
Ditos de castor branco a 104. Ditos de
palba e feltro tanto parabomem como para
crianga. Bonets de couro da Russia para
meninos a 14300 cada um. Capelinas de
seda para bapii&ados de crJanga a 24300,
34 e 343C0. Bonitas tor.quinbas francezas
de 13a para crianga a 800 ts. cada urna.
Chapelinas enfeitadas p-.ra senhora a 54,
64 e 74000 liada urna. Chapeos de sold
seda tanto para bomem cerno para se-
nhora. Na roa da Imperatriz n. 15.
GRANDE ARMAZE.Vf DE VARIEDADES
EMPORIO COMMERCIAL RA DA IM-
PERATRIZ N. 15, DE ULYSSES A- IR-
MAO.
Este novo e grande estabelecimento con-
tina sempre firme em vende:* barato para
vender muito, e em cjusequcmcia de Da
haver anda che gado algumas tnconDtn odt
que temos feito, e escasso co-to te acba o
nosso mercad i de artigos de.; sto; vende-
mos por mdicos pregos es qoe se segu.
Superior panno preto PII a 64 o cavado.
Do dito.Brasil a 34500.
Superiores casemiras esiuras o cLras
para palitots, caigas e'calltte.
Brins brancos de linho de 143 0 a 24000
a vara.
Brim p Madapoio francez e inglez de 54100 a
154 a pffa.
Grande sortimento de chitas. | por
-
Cortes com 17 ovados de chaliz a 54008
a 44300.
Coberto es de 13a escossezes.
Colxas de a'godo branca e de cores dt
34'.00a 44900.
Sed i; ha preta a 300 rs. o covjJo.
Dita branca a 6' 0 rs. o covado.
Cates com 21 covados de edinba d
listra pof 254000.
Fronhas de crivo a 600 rs.
Alpaca preta sarjada a oO rs. o co-ac^.
I-Iem branca a 300 rs. o covado.
GuanLnapos dd linho para cb a 24.600
e 34600 a duzia.
Ditos p-.ra jan ar a "4300 a duzia.
Camisinhas bordabas pa-a stnhora a...
-.500 t 34rCO.
Lindas caiubivias Imperatriz corles c>.
10 jardas por 94 00.
Cortes de-cambraia de salpicj com S
varas por 54500.
Tapetes grandes e pequeos.
Ltqgos de cassss para criangas a l#IOC
a uzia.
A'godSo branco e de lista. ,
Peitos de esgnio de liaba
za a 14
Punhos o par a 800
C.llariiibos finos a 500 e .'00-
Espaitilhos Dordados liaos par leobo-
ros a 54
para Cfffi:-
Mcias firi3s para bomemi ser:hors, e
cianeas. \
LTa lina para bordar libra a 64
Carretela de liaba A'txandre a 80
Da em duzia a 920
Auotuadui-j para coltete a I O, 260 30fo
500
Ditas para puchos a TOO e 14
P.-pel.de peto, almago e peqneoo d
cores itn Ci.vinba.
Lalinli.'.s de. banba a 80 rs. e em -
zia a 9.0
Brincos pre os de burraoba e atfiogte i
800
B loes i!e durq-ie preto para paiitot
groza a 1800
Grande vatiedade de bo.oes pata pa!i!c:
e colV.l; que se veoie barato,
Caixa* c. dL-z novillo- gran'h'S de li
^'"CC^oOditisaOo
50 pegas c< rt!3o de vestido 600
\\\a do fita para coz 4iO
Sabonetofl traiip^ranls linos duzia 000
Colleres de metal fino para cha, dozia i
24COO
Ditas para sopa a 44
Talhares de faccas duzia 34, 64 74 s4
e 94000
Tornos da bandeas ov^aes a 104
Dit- s izas a I 4
Sabooe'.es finos e iguses duzia a 14200,
14500 e 24
. Csixas de boias de osso para caiga a
200
Sotaes branco, daza a 280
Tranga de laa e branca de caracol dezia
a 560
Retroz preto e do cores, oitava 240
Carnizas de me i a cra nsuo toas a 14
Sitineta de algodo de coi es para rtopa
do montana, o de cri:nga (ovarlo a 5(0
M^rifi preti ttangadoa covado a 34300
Leugos oe inbo em bonitas taixinbas du-
zia 54800
Lindas arabraias brdalas de laa var
14000
Colxas de p< lio de lontra cem- duas vis-
tas a I44.0OU
Ctetone malisado para cob:-ta-covado a
70')
Gr. nde seit mentjs ih peifumatias ; nm
bonito toyaet le rifthatico com pedra mar-
more e vijio ov.1, um guarda ronpa de
amarelio ; seis cadeiras de gu^rcigio, 2 ete
diUf do brgos e dus de balando, tudo
do Jacaranda iftassc, proprio pa.-a aa
i ^ubicte e vendtm-se por mdico preco
por ser resto. Nao ser m vender no
EMPORIO COMMERCIAL
.15 R.a da Imperatriz 15
Ulysses & lrmd.
&HA*29K
LIQUMMC A M
Veade-se
a loja d loriga da ierra i.u ra 4 : quera a |>iete)der iriji-se mes/na ou >. :<.-
Qa da Uilpeodpneia o, 33, ijae *onra e Superiqfe^af do
B" PECHl.VCLIl.
Chita lisa gesto de pra.;a a JO, iO, 280 o 320 '
o covado pectiit '.:.
r/tlcwioi di :Sa whtuhm milito prcaj a 2^.
Ka tola de ailhermt Csroairo ta Cucha : a>' Vender na leja d-.i Solio : roadfl Dn^
la q Crepo n. SC de Ctxias o. 73, aoiija do Qaeitsado.

i
%
a

roa


**,':,: v~- I

iaiio de Pernainifttci
ra 12 ie OuiuLro le 1871.
/
LABORATORIO HOMEOPATBIGO
DE
FRANCISCO DE PAULA CAROZO JNIOR 4 t.
41.Ra do Imperador41.

Fiancisco de Paula Cardoso Jnior & G*. animados pela condescenden-
cia, que para cora elles teve o Sr. Dr Jacinlho Soares Rebello, que ha 26 anuo
excrce o systema homoopatbco, gozando sempre de subido conceito, a estabe-
lecer nesti cidade ua-LABORATORIJ HOMEOPATIHCOde prinwira ordena,
digno da conanca e protecc5o do Ilustrado e respeitavel publico desta provj- {
cia e do norte do Brasil, para oque, n) se poupando a despezas nem iadigas
capazes* de superar todas as difficuldades, coca que liveram de luctar, trabalna-
ram incessantemeote desd3 marco ultimo, jnlgando tar conseguido o seu desi-
dertum, tem hojea satisfazlo de, annunciando a-abertura de soa casa, afir-
mar aos amigos da homeopathla, que se ju'gara completamente habilitados para
o perfeito desempertho de todos os misteres do seu encargo.
Qs elementos do seu estabelecimeto foram todos importados da afamada
casa de James Epps & C*, da Londres, um dos prkneiros e talvez o mais co-
nhecldo e acredita lo estabelecimeto deste genero; as preparares secundarias
P'(dynamisac5es e diluiges) foram preparadas com o mais escrupuloso esmero
segundo as'regras da sciencia e sob a immediata direco e inspecSo do mesmo
Sr. Dr. Rebello, cujo nome ligando-se desta sorte ao estabelecimeto, a mais
\ segura garanta que podem cfferecer os seus proprietarios s pesas, que os
' hoararem coma sui coafiancri, 'de que no preparo dos medicamentos nao se
pooparao esforcos para que sejam bem servidas, pois que a austeridade.com que
cumpre aquelles todos os seus deveres e sobretudo o respeito, que consagra
sua prrpria reputaclo, lhe nao permittiam sacrificar a vida de seus clientes
ao interesse de terceiros.
Sem pretenderen os propietarios depreciar os productos dos outros
esttbelecimentos deste genero, creern todava podar affirmar que nenhum outro
excede o sen em superioridade, e para que nenhuma duvidahaja a este respeito, /f
podero todas as pessas qoe quizerem fo-necer-se dos seus medicamentos vi- v
i
\
Vio ha mala, eabellos br&aeoa
Ti"
S e nniea app
ciencia, reconbeeii
jareado at boje,
iadeia do Recife n. 6t, ai
teas e casa de eM^nwero. j ji m
IjOJA
Flor da Boa-Vista
DE
Paula fiburies
O proprietar'ro- 4e*te bem eMbiciV es-
iabeleciment contina sempre seguindo sua
mtiga forma de primeiro birateiro da Boa
Vista e para melhor prova adnA-em os
precos seguirte* : m
Guitas escuras e claras edres Gxaa
o covado 160 200 rs. a. 400
Oambraias de cores 240,280 rs. e 320
L5as pita vestido 280, 3sO rs. 40Q
Creps scocezas fazenda nova a.. 6 40
Alpacas lavradas d'um socr. 720
Cambraia branca transparente pe-
cas a 30500 e. ~ 8/fOOG
84000
\
\
>
i
sitare examinar o estaoelecimento, oide. a'm de boticas em globilo3 e tintu-
ras de varias capacidades desde 12 at 120 medicamentos por precos razoaveis,
enconlrarao todos os artigo* que tornam completo o sortiraento de casas desta
ordem, taes como: excetletites chocolates, pos dentifricios, encerado de rnica,
tintura de guaco, etc um lindo vo-ume encadernado domedico do povoori-
ginal do Dr. Mure, traducido pelo Dr. Silva, Pinto e revisto o augmentado em
3.a edicc3o pelo Dr. Antonio de Castro Lopes.
Esta obra que contera mais de 500 paginas fie irapressao e ama estampa
explicativa dos diversos orgos do corpo humano am dos irnis claros livros
destinados ao ensino praticxlo iratamento de todas as enfermidades, pois radica,
nao s os rao lie montos apropnados para cada molestia, como a maneira de
appli ar e repetir a> dses.
O preco d'dlla de 10^000 pira as pessas, que comprarem boticas
oeste estabelecinenio, e de 12(5)00 para as que compraren! smente o livro.
Contando pois, cora a valiosa proteccao d s amigos da homenpatbia, con-
cluem o> proprieiarios o seu anoansio, declarando que se acha adjacentJ ao seu
LABOR\TRI0 o consultorio do Sr; Dr. Jacintho Soares Rebello, e que se
encarregam de reoober e enviar ao meino Sr. Dr. a toda e qual }uer hora os
cbaaradoj de seus clientes.
2*800
60000
320
320
Ditas dita victoria a 4iJ0O0 e.
Bramente com 10 palmos de lar-
gura, varas, a 2$000e. .
vjadapolao superior pesas 5*000 e
Algodao a 40000 e. .... 50000
3rim pardo trancado pechiocha
covadoa. ....
Dito dito liso muito fino a. .
Outras muitas mais fazenn que vende-
r por precos baratissimos como sejam :
pannos pretos, ditos zoes, casemiras pretas
3 de cor, merinos, brins brancos e de co-
res, seda para colletes, camisas inglezas^para
homens, meias, chapeos de sol etc.
Oficina d'alfaiate
Os dgaos fregaezes eoeontrarSo um gran-
de sortimento de roopas feitas desde o
oais inferior at ao mais superior qae se
icbe no mercado, assim como se manda fa-
zer toda e qnalquer obra d'encomnjenda
eitas a capricho, pois para este misler se
icha munido d'um perito meslre. Garante
je fazerem se menor 20 % de que em outra
qualquer parte pelo o motivo de o freguez
t pagar o que compra e nao o aspecto do
estabelecimeto.
48Hita da Impcratriz48
JUNTO A PADARIA FRANCEZA
i..~a
- >-*.*
wjera;r^e|<3(R
BRANCA
DE CAXIAS N. 52
(Oatr'ora Queimado n. 8.)
A Aguia Braccs ten-io j recPbido paite do ?uas
ja encomrtliniJi, era segu^meoto acaba ago-
ra rr,"jrnn de raeeber oulrj.-, awoaiai das quaes
H tornavam esseneialmente prpes', e outras'se
fazem apreciadas ptr sea gosus .e qualidade,
coa:o sejam:
M ias te fio d'acoc-b, f.berta9 para fenhora
e r.i nm $.
Ditas itera com listas tambera para seatioras
e meoina<.
Ditas iitL-ra mnito bonitas ao ?o?to jeocez.
Dita idem idera braocjs e cora listas para me
ninas.
Ditas dem idem para baptizados.
Ditas de algodo comprids e com listras para
Bseomas.
Ln'vas pretas Dita de torcal e de seda para meninas.
.1 initas cainisihas bordadas para senhoras.
Pil d seda, branso e preto com flores miuda?.
de algodao, liso e cera flores.
louquinhas bordadas para crianzas.
Liodus e modernos ebajtoaiab^s de fusto para
ditas.
Pales Je tartaruga para descr.ibarac.ar ou pen-
te
dita travessos para menraas.
Dito? de borracha para ditas.
Ditos de tartaror, pejueoos, para segurar o
amarradirao sos eb i!o3 de senhoras.
Grande sortimento Je enfeites Ce seda para ves-
tidos.
'vallas de raadreperola e de tartaruga para
pulceira e teco pnra o cabello.
Bi''D NOVO SORTIMENTO DE ENCH0VAE3 PARA
BAi'TISADOS
A aguia branca acaba de receber novo sort'f
ment da ira los e completos enchovae3 para bap-
usados e bem asim separadamente camisinhas
para dito--, lindos cliapeosinhos de selim branco
bordados, outros ditos com fundo de velltido, obra
de muto gesto, e que servera tambem para pas-
jeio. sapatinho da sem para o mesmo flm.
MODERNOS ENKEITES DE FLOKES,
ornados cora bicos de seda, fitas de setiraje flvella
de madreperola ao nltirao go.-to, e proprios para
bailes, cas .maiitos, etc., etc.
FLORES E PREPAR09 PARA ELLAS
A Aguia Branca receben lindos ramos do floro'
finas, tanto para cabeca como para chapeos,
bem assim :
Papel verde li?o e com listas para folha?.
Dito de cores para llores.
Folhas de diversas quaii Jados para rosas.
Ditas verdes e lustrosas, obra neva e pela pri
meira vez viudas como amostra.
Fraja pretas e de diversas larguras para en-
fetar vestidos,
COQUES DE TR\r\g\S E DE OUTROS
MOLDES.
A Aguia Branca acaba de receber urna peque-
a porcao do9 bonitos e modernos coques gran-
des de tranca e outros moldes.
ROVO SORTIMENTO
DE
BOXjECJlS
A .n?u;a branca, a ra do Duqne de Casias n.
53, outr'ora do Queimado n. 8, acaba de receber
um nov e bello sortimento de bonecas de diver-
sas qualidades e tamanhos, sendo :
I Com rosto de seda, das que chorara, e ontras
que fallam.
i Com rosto, maos, e ps da porcelana, e pro-
prias para vest r-se.
Obras de porcelana
A aguia branca tem outro sortimento de diver-
1 sas obras de porcelana, sendo :
Bonitos e ricos vasos para pos de arroz.
Outros para joias.
Outros para jabonetes.
Outros para enfeites de mesa.
Pequeas e bonitas pias para agua beata.
Pequeos jarros para santuarios.
Outros maiores para mesas.
Bonitos port relogios.
Lindas ce-iinhas tambera de poreellana.
Escrivanias de dita.
E muitos outro3 objectos par-a enfeites de mesa.
m
Tm i venda em seus armazens, alrn-de outros
irtigos de sen negocio regular, qs segeintes, que
rsndem por presos mais mdicos qua- em ou-
7a qualqner parte :
PORTAS de pinho almofadadas.
PORTEIRAS de ferro para cercas.
SALITRE ingle?.
SSTE1RAS da India para cama e forrar :*las.
CANOS de barro francez para esgoto.
8ESSO superior em poredes e a contenie-
CEHENTO de todas as qualidades.
HACHINAS de descarocar algodao.
LONAS e brinzoes da Russia.
OLEADOS americanos para forro de canos.
70GOES americanos muito bons e econmicos.
VINHO de Borde*ax>,
COGNAC superior de Gautier Preres.
7ARELLO em saceos grandes a 3*500.
AGUA florida legitima.
BALANQAS decimaes.
GADEIRAS americanas.
RHJJM da Jamaica.
AZULEJOS de Lisboa.
Contra a tosse
PAST1LBAS PElTOftAES.
de
Gomma simples crystalisada.
Ditas de angico
Naife d'Araba.
Seve de pinho martimo de Lagasse.
E outras muitas que muito se recomendara ?e-
las^snas excellentes qualidades.
Vende na
PHARMACIA E DROaARIA
m
Bartbolomeu & C.
34-RUA LARGA DO ROSARIA-34
10Ra do Crespo10
Pecas de algodao cora 20 jardas a 4$, 4J5O0
Ditas de madapoBo a 4#, St, 5*500, 6*, e
6*100. ,
Ditas de dito infestado, francez superior a
10*009.
Caitas francezas de todas as qualidades a 240,
280, 300, 3!0 e 360 o covado.
Carabraias de cores a 240 e 280 rs. o cov-ado,
Dita lisa d cor a 320 rs. o covado.v
Pitas pretas para luto a 610 rs. a vara.
Pecas de cambraia lisa transparente a 3*. 3*501
e 5*000.
Ditas de dita tapada Victoria, a 4*. 4*500, 5*
*7*.
Ditas de dita transparente, suissa muito fina
ora 17 raras, 14*.
Ditas de dita bordada com 10 jardas a 7* e
9300- .o.
Organdy braneo fino a /00 rs a vara.
Brillantina branca infestada a 440 e 500 rs. o
Bretnha de linho com 25 varas a 20*000 e
25*060-
Dita de dito" infestada com 30 varas a 27*.
- Bramante de linbo com 10 palmos de largura a
2.-500 a vara.
Dito de algodao a 1*500 a vara.
Atoathado de dito e de linho com 10 palmos de
largura a 1*500 e 3*.
Ibalhas alcocboadas para rosto a 7* a ouza.
Ditas de linho do Porto felpudas a 10*000 a
Gaardanipos de linbo a 31 e 4* a duzia.
Cobertas de chita a 2* e 2*500. .,.,,-
DiIs da chita adamascada forradas, 4*, 4*300
e5*000. ., '
Colchas de daraajco de cores a 4* o*.
Ditas de fusto alcochoadas a 5*.
Cobertas de labraras a J*.-
Dias de algodao brancas a 1*400.
Colleirinhos de linho a 300 rs.
Chales de merino liws pretos e de cores 2O0
e 3*000. .,
Ditos estampados :'e meia casemira a 2* e
2*500.
Damascos de cores s 0**rs. ....,. ,.
Lencos blancos de rassa laos, 2*, 2*500 e 3*
a duzia. t .,
Ditos ditos de cor abarahado largo a $> e
3*500 a duzia-. .
Ditos ditos de earot na de Irano unos a b$ a
Ditos de esguiio de I -iho a *** 4*500, 5* e 6*
a duzia.
Bnm Angola a 0. tf.W) 1*090 covado.
Bribs de linho de cir. s a 50J rs. o covado.
Cortes de meia ca^-mira para cal^a a 1*200 e
Ditos de casemira' s*- caiga a 3S0O, 4*500
5X500
Casemiras de cores- duas largura?, 2*, 2*50
e 3*1 o covado.
Ditas Dretas, duas lardaras a 2*oO o covado.
Pao Ono preto e aaul a- 2*, 2*3G0 3*000
Dito*4ito muito fino saperior a 5*, 6* e 14,
covdo .,.
Lans e alpacas de cores para vestidos a iuO
500, 600, 700, 800 e 1* ceovado.
' Toalhas cora labyrintos para bandejas e pira
rosto a 8*, 10* e 15*.
Camisas de flanella branca, e de cores 2*,
2*500, 3*. 3*500 e 4*500.'- -
Grosdenapoles preto e de eores 2*, 3* a 4* o
covado.
Do-se amostras com penhor.
Vende-re tarabem grande qnantidade de roupa
feita e por medida por precos mnito reduzidos.
Cura rpida e radical dos
callos
; pela pomada Galopau
Essa pomada que tao bons resultados tem cclhi-
du as pessoas que della tem feito uso acaba de
ebagar para o seu deposito especial..
NA
Pharmacia e drogara
DE
Rartholomea & C. ra larga do Rosario no-
mero 34-
A FLOR DE OURO
E' este o distintivo de urna nira e bentmontada
loja de joias, sita a ri larg do
Rosario n. 24 A,
Os propietarios deste elegante estiibelecimento lendo em vista os esforeos que
flzeram para o collocarera as eondiecdss de.orna grande clieatella, fiariam ao mais
rigoroso principio se nio viassem as collumoas de jornal scJemificar ao respeitavel pu-
blico que no rae:-mo estabelecimeto encoatrarae sempre o mais completo sortimento
da joias, como sejam : brincos os mais medarnos, para adornaren as delicadas sre-
Ihas do bello sexo, e qoe se vendem a 8. 9 o 10* o par, ditas para meninas a 4, 3 e 6*,
ditas de coral, obra de apurado goto a 3 e i*, Voltlnhas de coral cora eruzes de ooro
a 5* broches modernos de 3 a 13*, ditos com pedras e em snas devidas caixinha a
10 4, 18 e 20*, rosetas lisas, porem bem trabalbadas, de 2#500 a 9*. ditas com
pedras de 4 a 15*, cacoletas a 4*. ditas com iBScripcoes a 5f5G0, aoneis de divenoa
gostos, e com bonitas pedras a 2, 3 e 4*. ditas de perolas, esmeraldas rubras a *,
ricas ernzes de esmeralda e rubim a 42, 14 e 16*, ditas de onro.e coral comvistas pho-
\ logra phicas a 3, 4, 5, 6 e 7*. figas de coral a 2*, cadeias para relogios a 20*, tiasa
? 6*500 a oitava, guarmeoes com tres botoes pira aberturas a 4*, dito3 de pedrinhas a3*BO0
8 o par, ditos para puntos os mais modernos a 7 e 8*; alm de um vanadissimo sertimen-
w to de joias de apurado gosto que recebeni por todos os vapores da Europa; con
L* sejam : brincos, braceletes, alfiuetes, aderecos completos, eruzes, rozetas, anoeis de
brilhantes, esmeralda?, perolas e rnbns. MedalbSes, volta, trancellns, anneis com let-
tras e de diversos modelos, ocnlos e pencnez de ouio e prata donrada, relogios dei ost-
ro e prata de afamados fabricantes, salvas de prata de diversos tamanhos, reos palitei-
ros e faqueiros, comeres para cha e sopa, [caracas para enancas, e urna inanidaoe de
objectos que seria enfadonho mencinar-se. ,
Os proprietrios da Flor de Ouro garantem vender mais barato que era ontra
qnalquer parte, para que estar aberto o estsbelecimento das 8 horas da manha as 8 da
non te.
Xarope sedativo
DE
Gasea de laranjas amargas
COM
RROMURETO DE POTASSIUM
DE
I.AROKS
Este novo preparado aprovado pela aeademia
iraperial de medicina, muto se reeommenda pela
toa aeco sedativa calmante, sobre^ o systema
aervoso, o bromurato de potaseinro, nao deixa de
lar os mais certos resultados as diversas affec-
;oes do organismo o principalmente as molestias
io coracao, das vas digestivas da respiracao, das
fias geito-urinarias, na epilepsia, as molestias
nervosas da prenhez, na insomnia das criancas
inrante o periodo-da denticao etc. etc.
Vende-se na [harmacia e drogara
de
Bartbolomeu & C.
34-RUA LAR3A DOROSARIO-34
PIBA OIVA
Liadas grioaldas com flores e botes de
larangeiras com vivos e sem elles, vendem-
se na Nova Esperanza roa Doqae do Caxias
n. 63.
Oleo para machinas
Vndese- na Nova Esperanza roa Duque
de Caxias n. 63.
'o haTer convnl^5es.
As criaagas qoe osarem dos collares ano-
dinos, qae se veadem na Nova Esperanca,
estarlo isentos de convulses; pois sao os
verdadeiros recebidos directamente.
ABMSEH DOS LEOES
RIJA DUQUE DE CAXUS N. 29
Os proprieiarios deste grande e bem mootado estabelecimeto scientifleam ae
respeitavel publico dest provincia, que se acham com um variado e completo sortimento
de movis, tanto nacionaes como estrangeiros, sendo estes escolhidos capricho poi
um dos socios que-e aclia actualmente na Europa, e por isso os podem vender mais
baratos 20 /0 menos de qae em outra qualquer parte. O mesmo tem contratado com
os melbores fabricantes daqae'le continente as remessas das mais ricas mobilias eitas
alli. Na ofQcina tem os mais babeis artistas deste genero, e.por isso aptos a foraeceretn
mobilias as mais aperfeicoadas para as casas da provincia consideradas de primeira
ordem. Pedem, portento, que venham visitar dito estabelecimeto, onde encontrarlo
a realidade do^ue acabam de expfir, passando a examinarem : ricas e completas mobilias
de Jacaranda, mogno, faia, carvalho, amarello, etc. etc., ricas e elegantes camas de
Jacaranda, po-setim, amarello, etc. etc., guarda-vestidos de amarello, guarda louca de
nogaeira, amarello, com lampo de pedra, aparadores de dita, dito, com dita, petib
toilettes, especialmente para fazer barba, toilettes de Jacaranda e amarello, com pedra,
e muitos outros nrtigos de gosto, que para se nao tornar enfadonho prescindimos de
azer menguo delles, o qae s com a vista podero apreciar.
. Potassa ta Russia
em barris : nos arinazeos de Tasso lrmaos &
Compaoha.
Vende se na amiga roa Diretu, hoje Marci-
l'.o Dias n. 99, queijos muito freseaes, do reino a
it e liSOO, farinba de ailbo de todas as qualida-
4k e mac,3as das alttmameale chegadas.
Violo*
Para oratorios particulares e
capellas de, engento.
Vende-se nm altar dourade, bem como os res-
pectivos oasticaes e palmas tambera douradas,
igualmente vende-se dous ornamentos, duas alvas,
estolas, mangnitos, sanguinbos e todos os mais
perlences, sendo ora dos ornamentos bordado a
ouro fino : nesta lypograpbia se dir quera vende
Chegaram loja do Mercurio, roa da Imperatriz
n. 86:
Ricas franjas, de seda preta, lavas de pellica
Jouvio, botinas decores para senhora, ditas.de
cordavo e beaerro para homem, oleo extracto
oriza, ricas fitas largas para lapo, ricas gravatis
de gurgura de seda das mais modernas e Iradas
cores, e um completo sortimento de galSes de seda
para guarnecer vestidos e outros muitos objectos
de gosto. '
Roa da Imparatnz n. 86, loja denominada
0 MERCURIO
pertencente
JOS BMNAnbO DA MOTTA.
Meias para meninas e meninos com to-
que de mofo 24000 a dozia, Da loja do
Papagaio, ra da Imperatralrii D. 40, de
Mendos & Carvalho.
VNDESE
dous boaitos eavallos, andadores de baixo a mel,
sendo um rodado apitaeado, bastante grande, e
entro castanbo, pequeo : no caes do Ramos nu-
mero 30.
Bazar universal
RA DO BARQ DA VICTORIA (OUTR'O-
RA NOVA) N. 52.
Acaba de ohegar para este grande estabeleei-
mento um eonplto sortimento de machinas de
costura de todos os autores conhecid s, os quaes
garantem por aonos as ditas machinas, e se ven-
den) por preoos tao razoaveis que a trdos agrada-
r, nujos precos sao os segrales : 40. 60, 803,
100,1,120, 130*, 1405,160*, 1305, 200, 220,
230JI e 300*. Garante-se aos compradores a boa
qualdade de trabalho, e obriga-se a ensinar tan-
tas vezes guantas, sejam precisas para bam com-
prehender-se. Vede-se tambem peras e mais
perltnces de sobresalentes para as mesmas machi-
nas. Previae-se desde ja que s se vai ao cha-
mado para concert e ensino de-machinas das que
forera compradas neste estabelecimeto._______
RA DO DUQUE DE CAXIAS
(Outr'ora do Queimado).
Tendo-sfl resolvido d'cra avante vender-se neste estabelecimeto todas as fazen-
das existentes no mesmo, por pregos que todos admiraro, acbo de mea dever partici-
pa-lo a todas as Exmae. familias em geral, aQm de virem visitar este estabelecimeto
ou mindarem buscar amostras, garantindo-se-lbes um bom sortimento de fazenda3 de
algodSo, It, b'nho, e seda, ejnfim urna infinidade de artigos de moda mandando-se as
casas das Exmas, familias, por embregado da casa, toda e qualquer fazenda para vereo
ou escolherem. -
As pessas que vendem em menor escala podero bem sortirem-se neste estae-
cimento qoe vender pelos mesmos precos que em qualquer casa importadora, tendo
a fecilidade de comprar qnalquer porcao.
O 65 tem um completo sortimento de roopas bem acabadas o que vende por
precos muitTssimo-cummodos, mandando tambem fazer por medida toda e qualquer obra
que os concurrentes despjarem para o que tem um dos mais babilitdissimo mestre
alfiste, cortando por um systema inteiramente. novo.
Os annuocios nesta praca eslao -e por certo devem estar desacreditadissimos, poii
que ha casas que annunciam aquillo que nao lee, o que o 65 garante nunca dar-se em
seu estabelecimentoi pois que s deseja bem servir ao publico em geral, para ganhar
grande nomeada em todo o mundo.
O C5 acha desnecessario mencionar os precos de suas faaendas pois que isso tor-
naria-se demasiado macante para os leitores, por ter de ser demasiado extenso sen au-
nando, e mesmo para se tornar menos desendioso, pois que vendendo muito e muito
barato mister encartar suas despezas. A smceridade dos tratos do 65 julgo que j o
publico conhece demasiado, pois que sempre tem cumprido com aquillo que aanoncia,
nao verdade ?
E' INTIL, NAO SE CANCEM, COM 0 65 NINGUEM PODE COMPETIR
RA DO DUQUE D CAXIAS
(Outr'ora do Queimado)

MNrr xjic
J. 0. II Doyle tem em sea
armazem para veader
OSEGUINTE :
COGNAK HENNESS.
VIMHO XEREZ.
DITO DE LISBOA,
FILTRADEIRAS.
BITTER
A' roa do Commrcio n. 38.
Aza de mosca.
E' urna fazenda especial para eobrir quadros,
espelhos, retractos, etc., demasiadamente transpa-
rente e pi epararla de' forma a evitar completa-
mente o p.
Sabonetas inglezes era eaixinbas que se vende
por 1 500 a duzia.
Colarinbos e punhos de papel.
Vende-se no Bazar, da Victoria ra Nova n. 2.
Libras sterliaas.
Vende-se no armazem de fazendas de Augusto
f. de Oliveir a, i ra lo Coosmro n. 41
IOJA
DO
GALLO VIGILANTE
Risa do Crespo n. 9
Acaba de ebegir plo ultimo vapor diversos ar-
t'gos de novidade, como sejam :
Lindas touquinhas enfeit.adas para baptisado ;
assim como chaposinhos.
Sapatinhos de seda e de merino.
Meias de seda e do de Escocia de 1 a 12 annos
de idade.
Ricos leques de madreperola todos abortos, o
melbor qoe ha neste genero ; assim como ou-
tros de madreperola com seda, fazenda requissi-
ma; tambem receben grande sortimento de le-
ques de dsso fingindo marfim sndalo e madeira,
tanto para senhora como para meninas.
Superiores ligas de seda para segurar meias.
Meias de borracha para- quem soffre de inxacdes
qn erysipela.
Seda trouxa para bordar todas as eres.
Froco de seda para o mesmo flm.
Retroz preto e de cores em carritis.
Fitas para cartas de bactureis.
Qaadros para retratos.
Lavas de pellica, e de seda, branca pretas e de
lindas cores.
Superiores capellas para noivas.
Lindos alfiuetes de madreperola para peitos de
senhoras.
gLindas ibotuaduras para colletes.
Lia de todas as edres para bordar.
^Superiores pencenez de ac.
Muito finas tnesouras para costura, unbas e
para cortar cabellos.
Superiores pentes de tartaruga para arregagar
cabellos.
Tintara ingleza para tingir cabellos, a verda-
deira.
Grande sortimento de f ramas pretas, largas e
estrellas e lindos padrees.
Lindos babadinhos e entremetas bordados, tapa-
dos e transparentes.
Vende-se a easa n. r da roa do 6az: tra-
tar nesta iTpographia.
k .
i
56 ARa do Mrquez de Olinda56A
outr'ora ra da Cadeia.
LOJA DAS MACHIMAS
Sendo este antigo estabelecimeto assaz conhecido como pri
dado pelos grandes depsitos e bons sortimeotos com qoe sem
itelboras, mais acreditadas e verdadeiras machinas anteric
Sa, desde 10 60 serras, e havendo em todos os tamanhos
mas e melboramenlos para perfeito e rpido descarr camento;
al e recommen-
rima em ter dai
m para algo-
rsidades de syste-
narn se dignas de
serem vistas e apreciadas
lambem mais:
Apurados vapores looomovbs, de forca
de 3 4 cavallos, e pertences.
Machinas para lavar roupa.
Arados americanos para vanea e la-
derra.
Carros de mo para atierros.
Tinas de madeira.
Raides de dita.
Ditos de ferro estanhado.
Ditos com vlvula para lavatorios.
Ditos de madeira para compras.
Apparelhos para jardins.
Guardas comidas.
Tampas para eobrir pratos.
Tarracbas para fazer parafosos de ferro.
Ditas dita ditos de madeira.
Trens para cozinha.
Temos de bandeijas finas.
pelos Srs. agricultores; os quaes, alm dish, encontrarlo
Emfim muitos outros artigos, qae
xaminados.
Corrents para arrastar madeira.
Cylindros americanos para padarias.
Pertences avulsos para machinas.
Salitre refinado.
Rreu superior.
Moinhos de diversos fabrieantes para
milbo e caf.
Debolbadores para milbo.
Azeile de spermacete para machinas.
Camas de ferro.
Bombas de Japy.
Ditas americanas.
Cofres de ferro patente.
Canos de ferro esmaltados.
Ditos de dito estanbado.
Ditos de ebumbo.
Ditos de borracha.
Folies para ferreiros.

s avista e neste estabelecimeto poderlo ser
1
ERNESTO & LEOPOLDO
N. 2 D Ra do Cabug N. 2 D
Acha-se montado de forma tal este estabelecimeto de joias que pode
vender aos seos numerosos freguezes em grosso e a retalbo e por precos
mui resumidos visto que recebe de conta propria por todos os vapores de
Europa. O gosto de desenho de suas joias o mais lindo do pas dM
modas, ouro de lei, brilhantes verdadeiros, esmeraldas, rubina, perolas,
turquezas, sapbiras, coral rosa etc. etc. Obras de prata do porto tanto
paraigreja como*para servico domestico. Convidamos "p111"*- "Ouuas
a viaiurtm o dito estabelecimeto todos os dias al n* *% norte.
Compra.se ouro, prata e pedras preciosas t*.obras vema*.
I


mn.

4
.

|

I
->
'
Diario do Pernambuco Quinta eira 12 de Outubro do l$pl.


2C
D. W. BOWMAN
Engenheiro com
JUNDICAO
59 RA no mu n 5
PASSAHDO 0 GHAFARIZ
Pede aos senhores de engenho e oatros agricultores, e empregadores de ma-
ebiniuao o favor de orna visita a seo estabelecimento, para verem o aovo sortimentc
completo que ah tem; pois sendo tado maito mais barato em preco do que jamis te-
nia vendido, est anda superior em qualidade e fortido; o que com a iaspecc3o pes-
oal pode-se verificar.
PEDE ESPECIA! ATTENCO AJ NUMERO E LUGAR DE SUA FUNDICO
VftnnrAfl A rnrlaa ri'atril a dos mais modernoi systemas e em
apuro rUUct UagUd lmannos convenientes para as di-
versas circumstandas dos senbores proprietarios e para descarolar algodo.
.06ndas dp osin na de t01i0S os lamaDQ08' as me,Qore8 w* *w
xtoaas (entauas para anmaes> agua e W90Tm
Taxas de ferro fundido batido e de cobre.
Alambiques e fundos de alambiques.
Machinismos
Bombas
Vinho tinto e branco' sup> Pomada alpaka
] 10r E' Bollo conhecida esta pomada e moilo
de carcavellos tem para vender em caixas preciada por sna finissimaqoalidade.a Nova
de orna dozia Joaqun. Jos oocalve* Bel-, E*pwaoca quera lera.
Jarros de porcellana
Uaa completo sortimento de lindos Jarros
JeiporeelhBa (4o afamado Bacar) existe na
Non Eaperaoca, roa Doqae de Caxias
o. 6.
para mandioca e algodo,,
e para serrar madeira
Podendo todos
ser movidos a mo
por agoa, vapor,
oa animaes.
lOaS aS maClUaS e peca8 de que se C09tQma precisar.
Faz qualquer concert de machiDismo, a prC0 mDi ^omido.
Formas dfi ffirrO tem as rae'0res e mil& baratas existentes no mer-
En*nTtlTnPnfl<4Incuml)e'se ^e manc,ar vir qualquer machinismo vonta
juwuiuiuuuao de dos cijentes, lembrando-lbes a vaatagem de fazerem
a as compras por intermedio de pessoa entendida, e que em qualquer necessidade pode
Ibes prestar auxilio.
Arados americanos e ra8lrQmeDt0S agriC!5S
BM FALQUE
N'ESTA ANTIGA E CREOITATA
FABRICA

DI
os^[?i3(D3 s>a ad>a
trao, rna do Commercio n. &.
Cadeiras.
Novo sortimento de cadeiras francezas
venda no armazem de Tasto Irmos 4 C ao
caes do Apollo.____________^___________
Belogios de ouro
prata
dos melhores fabricantes inglezes, franeeres e
snissos, vendem-se por prejos maito risoaveis, ni
loja de joias Esmeralda
RA DO CABUG N. S.
4 Kua do Apollo 4
JoSo do Reg Lima & Pilho tem para vender, 30
0|0 menos que em ontra qualquer parte, o se-
guinte :
Linguicas das libas em latas,
Alcairao em barra. \
Vinbo do Porto fino em caixas.
Dito Bordeanx dito dito.
Relogiis de pareoe e cima de mesa._______
Superiores cigarros do Rio
de Janeiro
Domingos Alves Malheus, nico agente nesta
SroviDcia da fabrica imperial e cigarros def S.
do de Nitheroby, estabelacida no Rio de Janeiro,
tem sempre am completo sortimento de todos o
ei/arros, fumo picado e en Utas. Tem igaalmentt
os afamados cigarros Conde d'Eo, feitos com mag*
niflco-pappl de parha de railho e famo superior
Para governo de seas freguexes, qae tem estabele-
cido depsitos (Hlaes, as casas dos Srs. Thomai
Francisco de Salles R isa e Manoei de Souza Cor-
deiro Simoes Jnior, no bairro do Recife, e todo
oaanto for vendido em ouiras casas com. a firma
le Soaia Novaos 4 C. sao falsificados.
OLEO-PURO DE FIGADO DE BACALHAO.
* DA|
TERBA NOVA
DE
_ H. LACOMBE
Este oleo qae to boa aeceitoco tem merecido,
maito se reeommenda por ser o mais parificado
qne aoje tem vmlo, e anda "polo bom paladar,-
superior a ootr qaaiqner : vende-se no deposito
s^cul de Barinolonieu 4 C.: ra Larga do Ro-
Querem comprar ?
Goardapisa para vestidos; preto ou branco ?
Papa-fina, larga oa estrella ?
Lencos de linho, bordados on lisos ?
Bonitos leqnes, osso oa sndalo f
A Nova esperanca qaam tem 111
E novidade!
Acaba de chegar a Nova Esperan? rna Dnqne
de Caxias n. 63, bonecos e bonecas, sendo de mol-
des iotpiramente noves, vindo entre elles os en-
granados bonecos de borracha : para qne se ean-
cam? qtnndo qnizerem comprar qaalqaer objecto
sendo bom, bonito on engracado, lembrem-se logo
da Njva Esperanca rna Duque de Caxias n. 63.
VNDESE
CIISTIITIIIITI IDI COMPLETO S0BT11IHT0
CHAPEOS DE SOL:
Be todas as qnalidades I
Be todos os feitios I
Be todas os precos!
DO CRESPO
mmk ler



A loja dos Arcos de Alvaro Angosto d'Almeida t C. roa do Crespo n. 20 A acab
e recebar directamente alguns artigos de moda qne passa a mencionar.
Riqotssimo cortes de vestidos de blonde para casamento.
Ditos de tarlatana bordados seda para casamentos.
Cortes de seda de bonitos gostos e superior qnalidade.
Colxas de seda, la, e la e seda..
Capailas com mantas de blonde para noiva.
Camisas de esguio bordadas para noiva.
Lencos de cambraia de linbo bordados.
Cortinados bordados de differentes precos e qnalidadei.
Borns de lia e seda para senbora.
Cbapelinas de crps preto bem enfeitadas para loto.
Chapeos enfeitados para menina modelo inteiramente novo.
Maotilbas brasileira de fil de seda.
Cortes di cambraia de edr, e brancos bordados.,
Ch^cneaez dn 13a e seda.
Toil de voyage fazenda de gosto para vestidos.
Cretonee de padroes novos.
Grvalas de mnit > gosto para senbora.
Anqninbas de crina.
Alm destes artigos que se vendem por precos razoaveis tem ootros que s5o verda-
't'j-afi pecbiochas como sejam :
Camraias de cores a 240 e 280 rs. o covado.
Alpacas largas bonitos padres a 500 rs. o covado. i
Lencos de esgaio maito finos a 3,3.3#500,40000 e 50000 a dnzia.
Uaa de cores a 280 rs. r> covado.
Joaqutm Jos Goncalves BeKrae tem para
vender no sea esoriptorio a roa do Commercio n.
S, os gneros abaixo notados, qae vende mais bi-
rato de qae em ontra qoaiquer parte:
Ateitonas em ancoretas._
Amendoas em barrica*. .
Caf mado em massos de 1 libra.
Chapeos do Chile de boa qnalidade.
Cognac marca marte! frres.
Enxadas. *
Parinha de mandioca de Santa] Galbanas, pc-
eos de 3 e S alqaeires.
Dita da Babia em saceos brancos.
Dita de dita em barricas, proprias par* i
particulares.
Pi de algodao da Babia em loveHos.
Ponces.
Maxados.
Notes.
Obras de palheta*.
Papel proprio para cigarros.
Dito nal para botica.
Paulos para denles.
Pregos sortidos.
Panno de algodao da fabrica de Todes os
de Pedroso na Babia.
Roibaa.
Rap popular da Baha.
Botn em fardes.
Retrez dos memores fabricantes de Porto-
Tapioca do Maranhao.
Tabaco si monte 4a Babia.
Veraii copal.
Vioto do Porto engarrafado, cati de1 ti ctr-
rafas.
Dito de dito em barris, freprio para engarrafar.
Dte moscatel, verdadeiro de Setabal.
Dito Bordeaux em caixas de ama duzia.
Dito de caj em caixas de urna duzia.
Samo

*
A 2^500 rs.
Na loja de Paulo Gnisuaraes.
Botinas de marroqmm de todas as cores para
senbora a 2*500.
Ditas de duraqae preto enfeitada, para senbo-
ra a 3*300.
Chitas ixas Com palma, cor f^a, covade i
160 rs.
Bnm pardo traslado tino com pinta de mofa,
covado a 400 rs.
Casineta cor de cioza, duas larguras, idem idea
o covado 1.
Atoalbjdo de alccdao, gosto moderno, metro
1*600
Brins de Angola verdadeiro, metro i 28o.
Casemlra chava de ouro, prosna para costuroe,
covado 2*800.
A' RIJA DA IMPERATR1Z N. t
Junto a padiria franeeza.
A verdadeira gomau do Aoarac em saceos e
turneas, por menos proco do qae em oatra qual-
quer parte ra do Vigario n. 14, escriptorio de
Jos Lopes Divina.
Vndese o engeDho Coneeiclio da Batheria,
na comarea de Camaragbe, provincia de Alagoas,
duw legoas distante da villa do Paso, porto de
en**r(Ja,)> 6 em altura qae deve passar a projee-
taaa e ja contratada via-ferrea de Macei a en-
contrar eonj a de una ; moente e correle conve-
nientemente preparado a todos os respeitos ao
melhor modo de facilitar .o respectivo trabatbo
com o maior aproveitamento ; moendo por ama
machina a vapor de forca <1e tres e meio cavallo3
ingleaes do mais moderno systema e sobretodo tfe
ama admiravel simplicidade, possaindo os memo-
res epnais oberdosos terrenos possivel para can
e qaaiqner lavoura, tendo ama legoa de fnndo e
mais do meia de frente, dando assim lugar a mais
dons engennos de stffrivel tamanho para moerem
com agua. Reenindo alem do outras as vanta-
eos de tres portos oe embarque' o a prexioaidade
8 mercados, como sejam a Villa do Passo, Porto'
Gatvo, povoa^oes de Tahaminba e de Camaragibe.
Vende-se ora a safra prestes a colher para mais
de ifli)b pies de assacar, ou oom a que se est a
cnar, fn nao *ever ser mfeiior. Timbera se
vender alguna poneos escravos bajada, assim
j como ignns trteocitios, movis de casa de viven-
I da, etc., etc. Tamben se arrenda por algnns ati-
nes, -e mesmo coro alguns escratos, otcn podendo* ,
se retirar a machina a vapor e deixar molinote
pera animaes, com tanto porm qae se compre a
safra existente : a tratar no referido engeaho oa
esto eidde com o Sr. Tmres de Mello, Braca do
Lembrawqa lempo
O proprietario do armazem de vveres i roa do
Imperador n. S8, vm por meio deste awmncio
Srevenir avisar ao respeita-vel pnblioa desta ei-
ade. qne o sea -armazem nm dos qae com tnais
vanlagem pode SBtisfazer as suas tem entendidas
exigencias, pois para tal fia tem feito reunir is
mencioiado estabelecimento o mais completo sor-
timento de aceptees, e para qae os dignos leitores
deste annancio lo tenham oceasiio de massada
toma aresolucio de limitar-se a lembrar smente
os gneros querelle tem como especial novidade, e
6 o seguirte :
Lindas caixas com coofeitos, proprias pan pe-
quenos preseates. t,
Chocolate em p, este chocolate tom a vantagem
de poder-se faaer me-rao oa mesa.
LeHe condenado, a roelhjr marca conhecida,
este leite convem principalmente os coHegios, ho-
teis e bospitaes, pela presteza eom qaalqaer preparado deHe.
Tmaras de Egypto, raramente vindo a. este
aereado.
Lieores ritos: Chafireaze, Caraco, Azete,
Greroe de rosa, ele., etc.
ALEM DrSSO O CAMPOS
pode garantir que o sea armazem uta centro de
borne agradavel ao paladar, pois nelle se encon-
trara sempre tudo qaanto pode oeeeeeitar ama
despeina, cozinba oa mesa desde mais bem sor-
tida at a mais medioore.
AGORA ANDA
annancia tambem feijao mnlatinho em saceos a
retamo.'
A revalesciere du Barry de
Loiitlres
Todi a deenc.* cede a Revalesciere du Barry,
qae di sade, energa, appetite, digeno e des
canso. Ella cura as dispepsias, gastrites, humo-
res, acides pituita, flato, enjdps, vmitos depon
da comida e gravidez, con tipacSes.t) asthma,
atToccSas pnlmfinares, bexiga, fli' -erebro e
sangne ; 60,000 curas, incluindo munas deltas no
Brasil.
A revalesciere chocolatada do Barry
em p,
Delicioso alimento para almoco e ceia, maito
ontritrvi, fortilicar.:lo os ervos do estomago sem
causar o menor peso nem dr de cabera, nem ir
ritacao.
nico deposito para o Brasil em Pernambuco
na pbarmacia americana de Perreira Uaia & C.
ra do Duque de Caxias n. 57. (Todo cuidado
com as falsificacoes.)
Espadadores
De palba o mais bem feito que 6 possivel e
mais barato do que em outra qualquer parte, na
pra^a da independencia ns. 35, 37 e 39.
deus cavallos desella, sendo um castanho, de
frente aberta, bastante gordo, andador de balxo a
meio ; e ontro mellado, de crinas brancas, maito
bom baixeiro os preteodente? podem ve los na
rea de Uiachaello casa de Vicente Perreira da
Costa, das 6 as 8 heras da manliaa e das 3 as 6 da
tarde.
o

UVA
F1RRAL
ebegada bontem a 700 rs. a libra oa 1*600 o ko:
6 no armazem do Campos ra do Imperador
numero 28.__________________^____^_
Vende-se nraa casa terrea na Capnnga (roa
da Amizade) n. 38, em ehaos.proprios: a tratar na
roa de Marcilio Das o. 15.
S-J
pBo.
U
ti
si


*
e
e
Polbinhas de Laemmert, para 1872 ; vende-
se na livraria Enciclopdica, roa da Cruz n. 52.
A 41000
Vende-se espartilbos para meninas e senboras
pelo (HaMito preeo de 4*009 : veoham aova
loja de miadezas da ra da Imperatriz n. 68; ve-
oham a elles, antes qae se acabem.
Ao publico
Ra do Imperador n. 24
AO'Oobhco sem dnvida a quem nos dirigimos,
pois para isso fazemos inserir neite joru i um
annuncio que deve ser do por todos com muita
attencio.
Nio vimos com phrazes bombsticas, procurar
convencer o respeitavel poblico que acabamos de
montar ama fabrica e loja de confeilaria, paste-
iaria e culinaria, somente com o aalicic-.i flm de
chamar attencao para o nosso estabelecimento,
somos amigos do progresso material desta pro
vincia, occorrea-nos por isso, a idea de facilitar
a qaalquer habitante della, a mnnir-se com pres-
teza e qnantia resumida, de qaalquer objecto ten
dente as tres artes cima referidas, estabelecendo
para esse fim ama eonfetaria a roa do Imperador
D. 24, sob a spgninte denominacao
________CONFEITaRIA DO CAMPOS.________
A 4^500
"Vende se borzeguins para homem, obra taxisda
ebem feta, pelo diminuto preqo de 4*500 : ve
nham rna da Implratrlz n. 68. loja de miudezss.
Ru-a do Barao da Victoria
Aitiga ra Novan. 2.
Amaral, Naboco & C. convidam os seos am-
ges e fre^uezes a vlrem ao Bazar VTetorla para
apreciar o aparado gosto coa qae sao feitos di-
versos artigos qae reeeberam ltimamente da Ea-
ropa, a saber :
Vestidos de blond com veos e gfinaldis para
casamentes.
Ditos de seda lisos e mi usados .
Ditos de fli de seda ricamente bordados a od-
res.
Ditos de chita e de tanga com todos os enfei
tes necesarios.
Ditos de cambraia Victoria flnissima.
Camisas bordadas para senbora e Lomera. x
Sai;s e peotiadores bordados.
Mias linas de algodo brancas e de cores para
senbora.
Sahidas de bailes e bournox de casem,*.
Basquinas de seda preta.
Ricas rochas de labyrintho bordadas.
Cilxas de seda, de laa e seda, de algodo, fus -
to e la para.
Aza de mosca de tod?s as cores, ama fazen-
da especial para obrir qnadros, espelhor e
retrates, demasiadamente transparente e prepa-
rada de forma a evitar completamente o p.
Colorinos e pnnhos de papel.
Chapeos de seda e de velludo para senbora e
meninas.
Fitss masnicas de diversos graos.
Perfumaras de diversos fabricantes, leos, 1ia-
ohas, extractos e pos de arroz etc. etc.
Um ompleto sortimento de cartelras de mar-
flm, urtaruga, madreperola e cooro da Russia,
iodispeusaveis de seda, e de coaro da Rossia, tbe-
zooras e caivetes maito Anos.
Um completo sortimento de chapeos de sol de
seda, bengallas de canoa, balea, borracha e ma-
deira.
Charutos supsriores, fumo inglez para cachim-
bo, cartejras e boleas de seda para o mesmo e
oniros minios objectos.
Um CDipleto sortimento de espelhos douradss
de diverses tamanhos, de 4* a 25*.
Saboneta inglez em caixinhas a 1J500 a duzia.
Papel pan impressao,
Vende-se por preco moito barato, havendo tres
tamanhos: na ra da Cruz o. 54, armazem de
Alves & C. __________ _____________ .
Cemento verdadeiro Portland.
Vende Joo'Ignacio da Costa, em barricas, por
barato preco: no armazem da escadisha da alian-
dega n. 5.
A' ra do (iramerjo 10, e.-cnptj-
rio de Jos Joaquim da Costa Maia, en-
contra-se para vender por eommodos
precos :
Azulejos hespaohes.
Folhas de ferro galvanizado para telha-
do de diversos tamanhos.
Ditas de dito dito lizas.
Bicas de ferro galvanizado.
Cumieiras dito.
Portadas completas para cantara.
Ladrilhos.
tul
! 50 palmos !
Cano de chumbo estaobado para agoa oa gsr
por i 5000.
CHAPMAN'S
29,- Ra do Imperador-
29.
proprios para suspender barca-
das e hiates, vende-se na ra da
Cadeia n. 39.
Sitio venda
No Arraial roa da Harmona, vende-se nm si
Ita, lodo plantado, boa casa e banho, que se torna
recommendavel, j pela sua collocacao topogra-
phica e salubridade qae gosa aqnelle pttoresco
arrabalde, e j pela modicidad com que se pode
fazer to opuma acqnisiclo. As pessoas que o
desejarem pdem derigir-se para infurma^Ses
rna do Livramento, armazem do Ralisa.
Para noivados.
Fitas especiaes e preparadas para la^os de cor-
tinados de cama : reeebeu a Nova Esperanca,
roa Duque de Caxias o. 63 : a ellas antes que se
acabem, pois vieram somente seis, e sao hndissi -
mos.
A 640 rs.
Vende-se sapatos de marroqnim, obra muito boa
pelo preco de 640 rs. : veoham a ra da Impera-
triz o. G8, loja de miudezas.
Iffl 1PO'
a 3*200 a libra, em pequeas Utinhas : so do
armazem do Campos rna do Imperador n. 28.
Cemento Portland
Em barricas de 13 arrobas preco mais com-
ooodo do que cm ontra qualquer parte, vende-se
ios armazens de Tasso lrmos & C
Grande pecbincha
Damasco de la com 9 palmos de largura, fazen-
da prapria para colchas de cama e roberas de
piano, pelo baratissimo preco de 1*500 o cavado,
alpacas de cores de padres miados a 300 rs. o
covado, las de cores raescladas e de lindos pa-
droes a 320 e 280 o cova lo, cambraias de cores a
280 e 240 o covado : na; loja dos arcos rna !
de Marco (annga-do Crespo) n. 20 A.
Vndese a casa terrea n. 131 a ra do Vis-
conde de Goyanna (outr'ora Mondego), ms proxi-
midades da linba dos bonds : a tratar na roa do
Crespo n. 12,1 andar.
Alteneo!
Vende-se sortes de trra em forma geomtrica
de rectngulos, e situaco topograpbca de leste
ao oeste, ou de snl a norte ao sitio dos craveiros,
logar do Fundao. A ferlilidade do terreno banha -
do orientalmente pelo rio Beberibe, a facilidade de
locomocao (a via frrea de Beberibe). a raodijda-
de dos prego', a regularidade e belleza do projec-
to de armamentos tudo convida a fazer-se aequisi-
co de urna porco qualquer de to agradavel e
pitoresco sitio, especialmente os pretendemos i.
habitaco campestre e os necessitades de banb
fros. Os pretendemos podem dirigir-sc ao eng9-
uheiro A. F. R. Sette, sna casa n. 9 na estrada
de Joo de Barrea, ou a roa de Riachacllo, casa
n. 9 do major Francisco Jj da Silveira, pronrie-
lario do sapracitado sitio.
DOS PREMIOS DA
8.a
LISTA GERAL
210.
a
PARTE DAS LOTERAS CONCEDIDA POR LE PROVINCIAL N. 330, A BENEFICIO DO HOSPITAL DA ORDEM TERCEIRA DE NOSSA SENHORA DO CAUCO DO RECIFE, EXTRAHIDA EM II
DE OUTUBRO DE 1871.
c
*
%
ffl

US, REMS. im PREMS. M
1 6* 177 64 i
S _ 83
4 88
14 __ 92
17 _ 94 1
1S 209
11
23 18
31 27 *#
41 34 H
44 36 _
i 38 mm
4 3
M 40 !*
65 42 6*
7 80
78 . 62 _
81 .^ 70 .
81 . ^m 76 mm
5 m 78 _
97 __ 91 ^_
100 m^ 99 _^
1 _ 300 __
3 _ 2
3 ^^ 3 _
6 m^ 11 _
ft. M, 14
14 tt 17
38 *. , 23 .
as 33
- a m 36
3T M. 41
39 , 41
88 48 _
M 88 Mi
74, y. 62 MS
74 69 _
--- 77 __
NS. PREMS.
379
.87
C*
9
401
3
13 -
14 -
18
17
n
-
34 10
3 6*
3 -
39 -
43
45 -
49 -
56 -
66 -
68 :
70
71 -
79 -
W
88 _
95
98 _
508 _
27
29 -
41
47 -
48 -
87
58 -
70 -
**
6*
NS. PREMS.
572 6^
78
80 m
83
88
89- -
93 -
600 -
1
6
10
11
14
19
27
33
42
44
49
84
57
61
63
69
72
73
86
88
9
97
701
10
14
1
19
23
31
38
NS. PREMS. NS. PREMS.
64
751
56
59
76
81
89
99
804
6
11
12
24
33
49
80
57
78
10*
64
64
64
948
49
80
56
59
60
65
73
74
75
92 -
99 -
1005 -
8' -
10 -
13
30
38 -
86 46
90 - 50
93 63
98 - 69
980 - 76
1 - 77
8 84
7 94
13 - 96
18*1* 1192
X 4 7
27 - 8
33 - 10
36 - 18
37 20
41* 24
43 28
45 t- 32
l4
64
*0*
64
*8. PREMS. 1 NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. MS. PREMS.
1133 64 1284 64 1807 64 1768 64 1902 64
40 1300 8 8 - 13 _^
41 11 15 11 - 18
43 14 21 13 - 12 *i
48 22 28 " 19 28 !*
46 24 ' 28 r- 22 26 64
48 a ^^ 40 -" 26 - 30
50 39 ^^ 41 " 27 - 32 _
8 40 ^^ 42 - 33 33 a^
59 45 4 43 " 38 - 87 _
75 47 64 48 " 47 67
77 -w 48 81 50 78
82 53 4*4 53 _ 81 79 ...
83 ** 61 4 77 . 60 88 __
93 64 63 86 83 .M. 80 IO* 89 ,_
1204 64 * _ 89 6* 93 _
5 12 16 70 72 79 1601 5 8 l 98 97 t-1802 -3 6 .7 18 97 2008 14 -
18 87 14 18 ^mw
25 89 16 . 36 | ,'
20 92 26 37 ^_
29 1415 ... 27 42 4
35 ~ 17 _ 28 I4 11 80 64
42 _ 26 _ 30 84 n * 1 83
44 32 _ 33 404 *7 - 60
45 34 _ 38 64 32 - 64
47 38 41 ' 40 68
51 39 ^_ 43 52 - 69
83 45 ^_ 74 . 83. - 70 a
58 46 _ 76 84 - 97
81 ' 88 M ' 82 57 '2120 _
61 61 _ 87 H ! 23 4f
65 i 63 __ 88 80 - 28 i **
68 71 _ 92 85 38
73 86 _ . 1700 i - - 36
76 $ 89 4 8 . m 4*
82 91 64- '
KS. PREMS.
2147 64
84
66
70 _
7o
84
91 IO*
2200 64
1
5 1*4
7 64
11
18
17
18 _
22 _
23
28 m
34
38
36 !*
38 64
43
44
46
84
87
58 _
82
66
68
69
78 m*
80
i
90
64
64
2302
3
8
7
13
18
16
21
27
30
31
38
40
43
30
51
57
88
67-
70
83
84
88
87
92
93
96
98 -
2402 -
18
6 -
13 -
19 -
22 -
2* -
28 8#4
NS. * HEMS. NS. PREMS. NS. ] PREMS.
2433 64 2667 6* 2840 64
54 74 43
59 78 46
60 82 49
64 - 90 50 _
67 97 53
71 2705 59 --jl
75 7 65
88 12 66
86 13 70
89 104 14 ip 86
98 64 17 IO* 89
2500 21 *04 92
3 _ 30 64 96
16 _ 31 97
23 34 _ 2904
36 M 52 o* 6
37 _ 68 64 22
48 59 IO* 23
80 --- 60 64 27
Sff ._ 71 . 30
79 73 41 f
91 aa 78 46 O*
92 ... 77 51 64
99 78 52
2600 maa 81 68
2 _ 85 60 -
6 _. 88 62 04
18 __ 98 69 64
27 97 73
31 4 2801 IO* 78
32 64 21 84 79
39 - 28 83
50 . 29 _ 90
52 33 91
63 _ 38 M 94
66 37 97



Diario de Pernambaco Quinta feira 12 de Oulubro de 1871
^^MM
VARIEDAD
1
.s
3
'

-
MSNSAGEfl D3 TrtKRS .VASSEMBLSV
NACIONAL FHANCEZV.
Ssobores > 0- (levar do governo i/a -
tere3sado ni boa distribaico d v:-s i;
trabslhos, taita como vos d estes na b ia
distribuiQa) dri seus, porq ia uns e out o-
devem tamior ao bem comoum d i pai/., <>
dever do gqyarno dar-vos a conhieer :
sea santim-mte sobro a resolacto q proposta.
Estaes reani ios lia quni oito MZ*au\
como sabis, esses ofto mez^s valem o
anul. Concluir a pz,'reassurair as relias
do esta'lo espalbaias ou quebradas tras-
portar oda a admioistraco'deBirdeos po
Versales, dominar a iosorreicio mais t*r-
rivef qua sa tem coohecido, rastabelece o
crdito, pagar o nosso rsgate ao iaimigo,
velar qao idaoiraaote sobre os incidentes
da occapaco estrangeica para prevenir ss
suas conciencias, s vezas assustado"i>.
einprebender urna nova cmstituico do ex;r
cito, restabeiecer as nossas rehc.'s co7i -
marciaes por n^gochcOe coro todos o
nosso? visinhos, chegar finalmente emau
cipaco do slo, qua tydos os dia< progrile
e tratar de restabalecer a ordena na3 id- <,
depois de a ter restabalecido no3 a :tos, eii
a!n o qua ba uito raszes estaraos flenla
junios. E be.n sabis que o'este t rabil y >.
se a vossi parte granda, a nosa n) c
menor. Pois bem: se depois de tan
estfeos pedisse-uos boje ana momento Je
descdco ao paz, oslo demasiid) jone*
demasiado sensato e est demasiado :-><-
tiraado a ojadir o linte das forcas buoia-
(jas oara n > lo lancar em rosto.
Mrt &10 sa trati di descanso. Sanaoras,
nao do3Cjii50 que ea e os meus collejas
pedliai >s; o te ropo para trabalhar, p.a-a
preparar o a3sarapto das vossas delibva-
cas do prximo ann >, pan formar um or-
: amento normal, sa posivel, pira terrri -
oar a reorgaaisaco pratica do exercito, s
qaal coo3tst em reconstituir os tumos re-
gimentos, em dir-'hes a unilade que par-
derara, em equpalos, em distribui-lo?, em
arma-Ios ; para vigiar a marcha da admi-
nistrado; para regula-la em conformidad i
con as vo.ssas ideas c com as nossas ; pira
terminar as negociares que devem assentar
o nosso systeroa commercial em bases (ir-
me 3 ; pira coatinaar finalminto e3sa obra
nfi'iita e iacessante da reorgamsa;o da
um pai transtornado por doas guerras hor-
riveis no exterior c no interior, guerras
m xeraplo e cujos terrivei-i effeito3 po-
em todava attenuar-se pela n^a cora-
mam adheso.
Nao pois; repito-o, para descansar mas
pan trabalhar que vos pedimos tempie
iora sibilidade perante o paiz.
Mas vos, senhores, nao tendes os vossos
motivos para interromper est longa legis-
latura ? E' preciso restituir ao pa z os
caoselhoj geraes, conselhos de familia, to
indispeosaveis como o grande couselbona-
cianal que aqu formamos. E' preciso ele-
gec esses conse'hos, re;ni-'.os, abrir a sui
sesso, qae* nao se effectua bi dous annos.
Ora, vos, seohores, que qoasi todos ten
das sido ou seris matnbros d'essoscdnse-
qos, soridl indilTerantes eleico que vai
restituir Ihos a existencia, indifJerentes
diraeco dos seos trabilbos, ao espiriip qua
presida sal marcha, applicac3o sempre
duTicil de urna legislarlo nova ? Mnais
estar ausentes em semelbantes momentos ?
E nao a vossa prdseoca to ioispensi-
val oas vossas capitiei di departamento co-;
mo em Versa!h;s ?
Atnda nao ludo. NSo podis repre-:
sentar o ^aiz com vordade, com autoridad^
seoSo observandoo bem, procurando ada-
rgar as modificacoes que otempo(ep,r
tempo de'e boje entander-se os mezas, os
das, as horas) qua o tempo, difctf, prod-iz
n'elte e que devem regular o no^o pansa-
manto, o nosso procader, fioilraanta o;
nossos voto?.
O paiz v nos trabalhar, onve-nos falur,
jaga-nos ; forma sobre todas as cousas a
sua opioi5o propria ecomo nao tem nma
tribuna para exprimida, ni iaiimida.de do
ar onda pote dtzer-nos o que pensa e o
que quer.
E, depois. senoor^s, fallemos com toda a
franqueza e confessemos (cousa qua, da
resto, licito confassar) que oslara:>s com-
movidos, pro'andamen'.e commovidos
E como o no havemoi da estar ? Trata
se n'este momento, para o paiz, dos raai -
res interesses imaginaveis. Trata-se da
regulara sua sorte presento e futura. Tra-
ta-se de sajer se dave' constitu-r-se em
coaformidade com a tradic^o do passado,
tradicto gloriosa de mil annos, ou se, en-
tregando-so torrente que precipita hoja
as nacas para um futuro descoohecido,
dave revestir urna nova forma, afimde pro-
seguir pacificamente nos seus nobres des-
tinos.
O paiz, objecto de ltenlo apai do universo, ser repoblica ou monarchia ?
"Adoptar umi ou outra d'essas duas formas
de governo q>ie dividem hoje lodosos pj-
vos ? Que nfitor problema se propoz jamis
a urna grande nafa i ?
E pergonto, senhores, de estranhar que
esse problema nos agite ? Qaanto mais
sinceros e patriotas tormos, mais deve affec-
tar-nos. E olhai, vede as outras naces,
ellas esto quasi tao perturbadas como n;
pelo extraordinario' espectculo qae lhes
estamos dando.
Nao ha pois motivo para nos censurare
por estarmos tSo fortemente commovidos.
Davemos estar: Valertamos menos se o
n5o estivess6mos tanto.. Mas anossa emo
to tem que ser inevitavelmente a do paiz
e por legitimo que seja o motivo d'ella de-
vemos receiar que, prolongndose, tiro
a'gama cousa serenidade de qae os DBSS03
nimos carecem.
Assim eenhores, qae separar-oos por
algomas semanas pira velar pela oganisa-
Ci departamental da Franca, para resta
belecer ou modificar, se fr preciso, a sua
tradicSo ; pr-vos em relaco com o'pai?
para regular os vossos peasameotos pelos
' seas, ao passo que o governo emprega o
tempo que Ihe deixels em preparar os vos-
sos e nossos trabalbos, ami necessidade
sentida e reconhecida por vos, sentida por
toda a Franca.
Admittida essa necessidade, sargia orna
qaesto -grave. Para faxer face aos enor-
me? encargos qae nos deixoa o nltimo go-
verno, encargos qae eqaivalem ao duplo
da vida pablica, j duplicada por elle, eram
preciaos oovos impostos; procaramo los
detidameote e proposemo-los-vos resoluta
mente.
A vossa primeira commisso de orea
ento aceitn e aprovaiton j qoisi daas
15 partes it'slles, e essas daas tercas
parles bistan para dar ama garantti solida
aos*h.'Ssos empreatimoj lo bem recebidos
pelos cap.taiislis fraocezese es'.rangeiros.
A parte d'estes impostos qne ficiva por
votar destinada especialmente a fazer face
ao servido da amortisafio, servico impor-
tnle. rispeasavel, porque preciso asse-
purar, nfo s'o jqrd dos emprestmoJ mas
tanb-'m o reembolso d'estes, assumpto de
primeira o'rdaa q-ie oi descuralo durante
O annos e jua p'eciso em.orehenler
oovamanle sob p na da faltar ao futiro, as
,'-r.iQoes -futuras.
Essa parte dos impojtos, ainda nao vota-
da, cer;amea'te necessa ii como aoatra ;.
mas menos urgente e algumis enaanas
consag.-adas ao sau dtil) exim nosir
grande d mora.
A parte do; impostis q e diuiaada a
ciju_)rir esst parte dis aossas obrigag>s,
ompuoha-se esoacialmenla de impostos so
ore ?.s materias prirms Depois de aog
mentir certos impotos qoe podiam sap-
o'ljf miis forte grvame, taes corno o
regislo, os almoes, os assucares, os cafs,
os tabacos foi preciso pen!ar em impostos
aovo'. Auxiliados dss Ijzes da horneas
espaciaes, lemas procarado estes novos re-
cursos, e pensamos qua os impostos q e
pasassem sobr asmateriss primas teriam
t vantag;m da dtvi ii; -se melhor, de dividir-
se, al ao infiaito e ds seren assim meno;
scisieis para o contribua^. Mis sema-
Ihanle quast) nao simoies; provocou na
yossa commissi'o d .s orcameotos um la-
borioso exam-, e e-z tenaseer objecc5as
antigs e trouie urna revista da todos os
impos'os posiiveii. Assim devia succeder,
a isso d5) nva seoo- t importan ia do
assuui;to e a seriedade CWn que oi exa-
minado.
Essa exame exigi e devia exigir varios
m ze?, e assim ebegamos hora presente
sem t-rmos chegado a um accordo defini-
tivo
Tendo-nos occorrido a todos a necessida-
de de urna suspmsao e nomeada urna com-
misso pa'a tixar o dia da vossa separado
e da vossa nova reuni i, o governo afim
de apasigoar, por meio' de transacc5e,
dis?c:i;5;s que devidem s vezes os nos-"
toa nimos sem dividir os nossos corafes.
i nig n )u propor-vjs o reslabelecimeato de
ora dirimo eventoa! temporario, que teca,-
(Jiisse ao mesmo tempe sobre todas ascon-
tribuicas e qua fosse o supplemenlo segu-
ro do<.nossos recorsns, se de hoja at os
primaros das de i87 n"o tivesseraoi es-
colhidq. cutre os differentes impostos que
estSo em esludos.
Todava esse dcimo, ainia que propo*to
como recurso eventual, ioquietou alguos
nimos e provocou ai observarles que sus-
cita todo o imposto, e veio a ^wrguuta de
se era realmente indispensavel.
Res ilvemos portanto retira-lo.
De mais o g iverno reconhecendo que o-
ere lito nao tinna urna necessidade indis-
pensavel d'essa garanta snpptementar e
que 03 capitalistas, tendo coofianca na pro-
hilada e na riqueza da Franca di6patavam
entre eiles os valores fraocezes, cujo proco
s,e elevava a olhos vistos, consenie em adiar
todas as questoes de impost03 : impostos
sobre as materias primas, impostos sobre
as diversas rendas, finalmente imposto do
dcimo.
A tranquilhjadd de animo que vai conce-
der-nos a WJ -s a estancia no seio do paiz,
a intimidada com que cada qual pider
consultado, permittir-nos-ho, quaado re-
gressardes, examinar com miis altenco.
com mais fructo, as numerosas questsS
que esses novos impostos suscitato, eo
cielito ter n'isso a garanta de um exama
miis sereno e profundo.
A'guem tsm pensado q je se pira obede-
cer a urna necessidade evtente nos separa-
vamos hoje, conviria talvez tornar a reu-
nir-nos mais cedo, afim da prov.nr aos capi-
talistas a tiossa solicitude em cumprir os
compromissos do paiz.
O governo, senhores, nao ojnlgSassim
e deve diclarar-vo-lo com (raajuaza. Desde
que a interrupeo actual dos nossos traba-
lbos nada sigaitica que possa prejudicar no
mais miuimo a pissibilidade e a vontade
da cumprii es nossos compromissos, pode
mos satisfazera necessilaie da um dssean-
cosulficiente.
A vossa commi3s3o propoe vos qae fi-
xeisovosso regresso para 4 de dazembro.
Tomamos ante o paiz a raspensabilidade de
ama cruz designaste a ultima morada do
cbrisloe onsegaio deixar wncloidos os ali-
corees do maro para fechar o terreno bem
como a qaantia de 7000000 em dinheiro
para a coodosio dessa obra tS> pi^e edi-
ficante. Ni Escada cenclaio o moro do ce-
mitario, limpoo cercou o valado, dentro
de doas das limpott o grande cemiteriodos
colricos ; fea carrejar porcio de pedraa,
6 8 milheiros 'de tij dos qae estavam na
olaria, algama ara e barro al qae se
prestoa aa obra do comiterio e tirou alga-
mas esm olas para a coadjavacio das obra3
da matriz
Foram estes alguos dis relevantes serv-
003 de Fr. Sebast'o quando assomia a pre-
fritara de Porsambuco em 4860 ; mais nao
era preciso'para qae elle a par das sympa-
thias e amar do povo gramgeaas? a conflan-
fa de seu superiores. .
Era preciso corresponder essa confiar-
ca que assentava no magastoso quadro de*
seus servicos passados, e por isso ella nSo
arrefecen em san ardor, mostrndoseaaia
vez mais empanbado e mais sollicito no
planto da palavra divina. E' qae elle era
o typo sincero do apostlo verdadetr. e
como os priaeiros var5es da igreja a su-
premaca do cargo cada vez mais faz.ia cres-
cer o funlo da sua humildade celeste.
No masmo aano de 4860 seguio elle
p;ra Giranbuns erapragiodo ah 45 dfas
em semaar com sua palavra evanglica as
mais sublimes virtudes ; e depcis foi visi-
tar a bella obra da Papaeiica, que trntos
disvellos bavia merecido do sempre lembra-
do Fr. Crntano. Ahi tambem missimoa e
na volta ainda Jemorou-se em Garaobuns
vioto das. Seus esloroos foram cofoados
do extto mais atisfaetono.
Construio-se. dis?e o Diario do 2f> de
favereiro de 18 ti I, coastroio se, para se
poder levantar a pare-de exterior de um>dos
corredores* da matri om grande alitartfe"
com 220 palmos de exterrso, 7 de lagjira
e 8 de profuadidade ; devebdo-se aos es-
toicos desse virtuoso- vua, que era o pri'
osetro dar exemplo, a cond'occo das pe-
alm de um etpacoso cemiterio de 200 pal-
mos em quadro, todo morado de pedra e
cal abrangendo a parede 7 palmos de altara
e 3 palmos e urna polegada d largora-r-
obra qae elle deixon completa f ram os do-
ces resollados do benfico influxo do mis-
lionario.
Dahi passoa-se elle para a freguezia de
Buiqae onda na"o foram maaos estroadosas
as consqutfcis de sua paternal visita.
, E assim por esse modo ia eHe espalhaudo
largas mos e com o mais acrisolado ara r
os dulcissimos donada sua palavra iospira-
da que todo envidava afim de gan'oar since-
ros cidados para a trra e almas puriiea
das para o co. Sa,-.i caracio nuaca e fir-
lava com o Damero e grandeza dos henafi-
cio;, qua espargia e cada vez eaa alma boo-
dosa procura centuplicar as occasi5ea de
denamar mais abondantemente o rico vaso
de sua cardade apostlica._ A mSo do des
tino porm j pesava sobre elle.. .A ampu
Ibeta, qae marcara a duraeSo da existeoci i
do preclaro varo bavia escoado o ssu ulti-
mo grao de ara e elle leve de vergar pira
a trra d'onde havia sabido, pagando assim
o tributo contrahido pea humaoidade com
a primeira queda, para que seu espirito po-
desse subir radiante aos esbabellos do
Eterno...
Que fatalfdade I diria o espirito qocuIj-
do das ideas do seculo e desconbeced)r da
harmona e ordena qia presidem aos actos
la Parfeiti Sabedoria... Qae fatalidade I
dira ainda a philosopuia racionalista que
anota se descuida de mieuiar a cada das
maravilhas do Eteroo e se esfonja aempre
Oar ue^ar a mo* caridosa, qse cootinua-
mea. traz o Sip*emo Arclitecto sobre as
chaira* da liumaai la>a sofredora. embora
reb;jV?'... O cbriMo porm, que abra-
cado com o facha Mapagavel da fe, ujue
abraza em queimar, recebe com* contriela
dumildade as determijScBes do Bei dos res
e S3ubor dos senhores-, apenas-do transpor-
te da d ar deixa escapar urna lagrima de
gralido e saudade po-jua sane p/oe os be-
neficios d Providencia sao oestaocaveis e
dras pelos seos" ouviotes, os qaaes as I que seus mslrumeotas sempre estaepredes
iam buscar na distancia de-urna legua: a tinados nos-conselhos d*eternidade...
quantia de 3:0035 atienta a caresta do ma I Pernambuco eborou amargamente a parda
terial mais preciso o3o- seria sur lo seo Paulo, e pranteou o com razo. O
consistorio e a sacrista e jontou moia pe-
dra e madeira, bem coao qoatro:entos mil"
ris de esmoias. para amaama obra.
fieiente para pagamento desta obra qae
padreiros se coackuio em 4-0 dws-.
< Atoda de vemos a esse digno missio-
oario um befifl e elegante cemiterio com
721 palmos de circomferencia, teito de ma-
deira de muita- dixaco e completamente
embocad' para se rebocar. Aoerescendo
que em om de seos lados ao norte se ele-
vam trez cruzes, urna grande dq centro e
duas menores sobre o-muro, nos exiremos
em que se frmanv os angatos- do qua-
drada.
< Para se acabar de aperfeigoar esse
vacio, que deixava elle era' immenso- como
vo-o scoasebir- como ella e de peli io ex-
pressamente ; mas ficai certos qoe nao
pa-a suotrahir-nos vossa fiscalisaco.
Essa. fiscal3ago pedimo-la ; qaarerii-
mos qoe as vossas vistas o> se separas-
sem am momento de n3, porque n5o se-
eis te3temunhas ser.o da urna applictcSo
incoss'inta ao trabirao, tao ditfici!, da reor-
ganisaco do paiz ; no verais era nos se
nao obreiros laboriosos suecumbindo ao
capsaco, mas movidos por esse intaresse
nico qae inspira a tripulaco da um navio
em parigV), no qoil todos, tripulago o
passageiros, unam os seus esforfos para
subtrabir-so a um commum dasa3tre.
Felizmente, senhores. j vamos apparcer
o porto no borisonte, e essa vista regosija
e reanima os.nossos coracoes. Perman-'
camos unidos ; trabalhemos com ordem, e
dirigidos por vos, o Estado recuperar ao
mesmo lempo a patria, a ordem,. a lber
dale, o bem estar; e a todas as suas anti-
gs glorias accra;cantar a de se ter salva-
do a si proprio do maior e "
tador dos naufragios.
do mais assus-
Era a sensibili lade elevada ao sea zenith
que se desfazia'em pranto e lagrimas. O
vigario banhado em lagrimas levanta o mis-
sionario dizendo que suas ovalhas nlo.ti-
nbam offensas perdoar, seofo beneficios
agradecer, e o povo em pranto pareca
confirmar este jarzo.
O que mais era mister para encher o
qaadro de suas conquistas e completar a
cori vrenla d3 suas gloriis iomarcassi-
vais ? A hamildade'a casta flor qoe gra-
ciosa so poda brotar nos amsnos o fliridos
prados do christlanismo; e quando ella en-
grinaldi a fronte do missioaario po se aqae-
ce em seu peito aaaoroso seus resaltados sao
mais dilatados, seas fractos sao mais saso-
ojdos. Era ella por excellencia a virtade de
Fr. Sebastiio.
Algans dias depois o presidente foi.p or-
g3o do recouhecimento da opinio publica
pelos servicos qae prestoa o farvoroso apos
tolo na cidale do Rio Formoso.
Jaboato e Escada foram de novo em 1857
o tbeatro de seat trinmphos. No pnmeiro
desses lagares iratou elle da promptiflca-
c3o do cemiterio no mesmo lugar onfle se
fjziam os enWrramenlos sem que ao menos
edificio e se continuar a- parado do corre-
dor pode- elle) adqptrir sete cenaos e tan-
tos mil ris. inclusive as oflerta do Ssnto
Cnrysma; qae par graca especial ale S. Exc.
Rvma. aqu admioisirou.. <
c Se tantas mercs ajuntarmos outras
de maior valia, qaaes sejam a admioistraco
do Santo Cnrysma mais. de 2000 passoas.
a da commoabo i um' grande numero de
penitentes, a do baptismn 100- prvulos,
mcluindo-se um. adulto, e a do matrimonio
quarenta e taalos conjugas alguna dos
quaes viviam e a peccado mortal, recnhe-
ceremos que inurto devemoa, primeiro
Deus, e depois. esse santo hornera, qae
por suas maaeiras delicadas, pela clareza
e conviecj) com qae se exprima: ensinan-
do e explicando os preceitosda nossa reli-
gi, consegaio chamar moitos peccadores
rebeldes a caminbo da sal vacio e fazer em
saa despidid lavir-se em lagrimas de agra-
decimentoi e saudade um auditorio de psrto.
de dez mil pessoas, >
Sao. na verdade, grandes e bellos- ,os
fractos da chato i ismo. Desde o pano;^
ma consternado!' porm glorioso das cata-
cumbas, at dosso8 dias tem-se desenrolado
ama s cada. ainda n3o qoeb*ada, de triam-
phos assombrosos que purificado as aras
santas do martyrio, conslituem os balnartes
poderosos sobre qae se arrima a civilisacalo
mo lerna.
.E o que levamos dito faz provar bastante
para firmara influencia benfica qie nessa
desenvoluco do espirito humano tem tido
os capuchinhos e particularmente os capu-
chinhos da Penba.
Fr. Sabastio sc'ente das licSes de histo-
ria e sustentando Com todo o empanb) a3
tradif.oes de sua ordem ludo envidava para
um s momento nao desmsntir as sympa-
thias, que havia ganiofio coracSo dos povos;
instrameoto enviad) psla providencia para
em Pernambaco continuar a obra da res-
tauracSo moral to garbosamente encelada
por seus antecessores elle nao media dis-
tancias, nosondava abysmos, nSo poupava
sacrificios para levar com a palavra do Eter-
no os elementos de vida qua sabam elevar
as nacoas, deixando em suas passagens
esses templos, cemiterios, e3ses crazairos,
essos acudes, qno, formam os-vrenles ia-
malhetes de-sua grandeza; e assignalam ou-
tras tantas conquistas do Verbo Reganera-
dor.
Por isso nanea o vimos descancar, mai -
to embora o flagello da paite se ostente pa-
voroso e alterrador: temos a prova disso
em Ciraar I Caroar em 4862 gemia op-
preeso pelo pezo e pela devastac) que s5e
fazer o cholera-morbos, o presidente de en-
to, o Dr. Ambrozio Leiib da Canha, (se
nos nao falta a memoria) reqaisitou aoRvd.
Pr. Sebastiio, como prefeHo, um missiona-
rio para hir n'aqaellas paragens assoladas
distribuir o censlo da regio, e_no tar-
dn qae o burel do capuchinho ahi so
apresentasse inspirando a conflanca que nua-
ca faltoo a palavra do apostlo da f. O
combate foi renhido por qae o mal eslava
intenso, porm a victoria foi certa: o cho-
lera desappareceu e o missioaario deixou
mais arreigada a verdade do christi mismo
oo amago desses povos qae sempre se raos-
traram doeeis Is doutrinas do Gorgota.
A 8 de novembro deste mesmo anno le-
vo Cimbres a grata satifagao de recebar em
seu seio o prototyoo de todas as virtudes,
o inimitavel Fr. Sebastio, qoe ainda ama
vez nao desmentio o sea reconhecido reto
pe) apostolado. Quinte dias de om traba-
lhar insano, for m quinze dias de admira-
cq paca esses povos sequos pela palavra
divina, de glorias para o humilde missioaa-
rio e de acontestaveis trinmph >s para a
sacroaanla rligiSo do Calvario. Osfructos
nao deixaram de corresponder i i insa
nos esforcos: 80 casamento iaclui mai-
tos de concubinados, 180 baptisaoj, inaa-
meras confissSas e o cbrysma administrado
pelo visitador padre Pedro Marinho Falco,
(qae se portoa dignamente) 2560 pessoas,
apenas com o mesquiabo s-alario- de dous immensa a espbera da eternidade aos re-
gajos do^Creador ; os amptatheatros do-ca-
tbolicismo sestiam a falta de um de seus
mais denodados athtetas, dacjuelle que sem-
pre talou com desamor os- enxertos- nos
campos da vinba do Senhor,. os-espacoe-di
cardade eslavas mais empaUedecid >s pela
ausencia do apostlo dedicado que em seu
esmero coosagrava suas vigilias ; e os- eo-
rcoes dos catoolicos coofraogiam-se ao
peso de urna dor aguda qae dilacera va-Ibes
tedas as fibras e razia-Ibes patentas todos
C6 cruis effeitos- da saparacio final do ami-
t*go devotado, do medico espir.tual da sea
especial sympathia... Pernambaco tieha,
por tanto, razao de chorar...- E todos viFam
a< sinceridade do sentimeuto qae domicou
seo peito varonil.
Mas sobre a iateosidade da dor velara, o
divino Consolador. Osangoe vertido as
summidades do Gosgotba naco foi para fccar
iafruclifero e os apostlos sempre se reg^p-
duziram com prodigilidade ao espaco e no
tempo. O verbo-detverdad- e-amor sem
pre se fez ouvir em toda a seri nao atar-
rompida dos lempos pela bocea de seus- mi-
nistros e de seus enviados.....Por seo
fie aos Placidos succedam os Caetancs, aos
aetanos seguem-se os Sbaloes e a estes
os Seraphins...
Fr. Sebastio eslava parfeitamene subs-
tituido por Fr.' Seraphira. de Calaaia, por
esse typo fecuodo de tooVas as virtudes, que
jamis deixou manchar-se sua alma nos
laivos do deleixo pelo servico do Mesire.
Sobre elle pouco diremos porque nos fal-
tara os apoDtamento3, mas a reminiscencia
grata dos brasi eiros sdpprir nossa parte a
nossa laeuna..
Tomando sobre s.oas hombros, a prefei-
tura do hospicio de Pernambuco Fr. Sera-
phim nao era estranbo no scenario, pelo
contrario a sympathia geral j, lauraava sua
fronte garbosa, e Iba bavia conquistado o
titulo de missionario completo: os prece
denles abonavam o sea crdito e justifica-
vara saos dirertos adquiridos.
A provinc da Parabyba, alm de outras,
conhacia j o morecimeuto do humilde ca-
puchinho ; que o digam Santa Rita, onde
elle levantou um cemiterio da 200 palm
quadrados, nivellando todo o terreno qoe
era ba-tante desigual, Lacena, que elle
igualmente deve o tar sen cemiterio cerca-
do e assim guardado das irreverencias e
das devastacSas d s aniraaes, e Mimangua-
pe onde- di mesma maneira conseguio a
ereceo de um canit'rio, aeompanhando
esse seu insano trabalbo da mutos casa-
meoto3, biptisado3, retractacoes e reconci-
liacoes da inimigos; qoe o diga o Rio
Grande do Norte, onde com o auxilio do
povo el'ie chegou abrir um grande canal
para communicar com o mar urna grande
lagoa, trabalbi qae ficou tSo perfeito qae
com pequea dsspeza o governo conseguio
ter um vasto e seguro porto; qua o digam
todos esses logares onde sua voz convin-
cente se tinha feito ouvir deixaolo traeos
bem salientes de beneficios reaes para a p -
tri e para a regio, para o individuo, para
a familia e para o Estado. Se nao nos
infiel a memoria foi na capital do Cear
que elle levantou uo. magnifico cruzeiro
qae pola ser coosiierado um modelo no
gmero.... Sempre assim ; sempre os capu-
chinhos trabalhando em prender as artes
religiao, e a ralig.o ao amor .dos povos
para salvar) das almas e progresso moral
da ha-nandade.... E por isso que a es-
tima os tam coberto com o seu beuefiio
manto ea-gratido os .tem amparado nos
botes impuros da maledicencia.....
Fr. Sarafia por lauto j era bam conhe
cido... E foi sob estes felizes auspicios qae
elle acceifoa a prefeitura de Pernambuco.
Acompanhemo-Io.em algumas da suas sao-
daveis exenrsoas
A comarca do Brejo raereceu em 1865
saa especial sympathia. Chegado sem ser
esperado e le por 12 dias que tiveram sea
principio 29 de outubro, fez oavir a pa-
lavra de verdade com o anatbem completo,
de tolos os vicios e erros e concluir alcan-
Cando prodigiosos effeitos : cincoeata casa-
smenlos iocluiado alguas de concubinados,
sessenta baplisados, e confissio de 4,300
pessoas qae di mo do respectivo parocho
receberam o pao da vida, foram os saluta-
res resultados alcancados em paro beneficio
moral da igreja militante, sem ficar em ol-
vido o lado material pois que com auxilio de
sua palavra inspirada faz elle demolir om
gr.nde morro junto nova igreja doBom
QoQselho para nesse lugar.ser construido O
. A INTERNACIONAL. Damos hoje a
carta exposico dirigida ao Sr. ministro do
reino de Hespanhi pelo Sr. Francisco
Mora :
CONSELHO FEOEBAL DA Itr.ClAO HESPANHO-
la.Cidado mjjpi^'o do-^eino.As idas-
injustas que formara da associaco interna-
cional d operarins nao s os ontros piizea
da Europa mas tambem a livre Hespanba, a
nafo que se prza de ter. a constituiclo
mais democrtica do mando, obrigam nos a
levantara nossa ruda, mas franca voz.
A associacSo internacional de operarios
veio apreseatar d'uma maneira clara e ter-
minante o- problema da emancipacio econ-
mico-social do proletariado. Eeta poderosa
associaco siaiflca a cmvocaco dos trabi-
lbadore3 vi a da intelligencia.
- Cansados j da parle puramente material
e mecbanica qoe tem desempan'oalo na so-
ciedada, reconbeceram qai as caihegorias
e diatinecoes sociaes, longe deserem basca-
das na naturia, onica tregua legitima e u
que se podram fundar, sao onicamente o
producto de erros e conveniencias que aute
a razo nada vafem, o por isso os proleta-
rios senti.ido-.se borneas e comprehendendo
que entre ellos e os que occupim elevadas
posices nao existe ootra difiareiifi que a
dos privilegios, qu estes enconlraram ao
nascer, proteatam contra urna organisaco
social que difide os homens em dous gru-
pos, um de sensores, ricos e intelligentes,
e ootro de escra'ms. mserateis e ignor-
les ; 9 proletarios vendo tambera os pro
gressos da scienela e achando-se entregues
desde a mais tanra idade s penosas tare-
fas do campo ou da oflicina sem disfructa-
rem deilas, pedem a soa legitima participa-
Co nes-a sciencia que consideram patrimo-
nio universal, fundndose em qae ella o
producto- do iraballio d-- todas as geracoes
o n5o dos-que iajustamenta^rraonopolisam ;
o sendo finalmente os proletarios qae se
lies pede f para um dogmaique nopodera
aualyiar por falta de inslruoco e obedien-
cia para urna le feila pelos privilegiados,
sem consentimento sea, sent jo a sua dig-
nidade de bomens humiloada e dispem-se
a repara-la, organisando-so para destrairem
tudo que se obteoba ao triumpho da jus-
tifa.
O direito poi* que assis-te aos operarios
para realisar a sua completa emancipacio,
est biseado na propria natureza; isto
nao s_-natural, mas tambem justo, e por
ser natural e justo, deve ser legal, se por
acaso a lei nao om sircasmo laucado no
rosto do infeliz proletario.
Cooaprehendemos perfeitamenle qoe nem
sempre bastante afirraar quando se-aspi-
ra ao Sriumpbo da justica. E' preferivel
definir em cada caso o qae se eotende por
jastica edemonstra como e com que celos
se espera obter o triampho.
O direito romano, no qual se- nspiraram
e iuspram aioda legisladores das naces
modernos diz r E' justo dkr a cada nm o
que Ihe devio. Preferimos intsncional-
mente esta definico por ser de origem co-
nnecida e gerakaente aceita, com o qae evi-
taremos distrahir a alten;o- procurando um
meio de repallir o qoe podenamos dar.
Cabe agora esta pergucta: O qoe e de-
vido a cada um-? Segundo nosso ver, o lio
mem, quer seja considerado individualmen-
w, que* seja refarindo-se especia, tem
necessidades physicas e necessidades mo-
raes; para satisfazer s.primeiras, recorre
pro-lucgo, e para as segundas, instru-
Co ; com a inslrucco facilita e augmenta a
prodaccSo eredoz cada vez ma3 o esforco
material; com o augmento e facilida le na
reprodcelo colocase cada vezemmelho-
res condicoes de inslrucco.
Assente isto, declaramos qae o que de-
vida a cada hornera, a Liberdade a a Igual
dude ; comprehendei comtudo bem, cida-
do ministro, o que significara para nos
estas palavras ; pederis comprehende lo
fizando a vossa attenco no que Oca dito.
Liberdade igual e completa para o aperfei-
coaraento das facoldades humanas. Igual'
dade de direito em quanto aos meios de as
applicar sempre e tanto quanto o exija a
necessidade de gozos que todos, e cada um
dos bomens experimenten. Com a permi-
t harmona desles dous principios, que
pader realisar-se entra os bomens a Fra-
ternidade, e com a pratica desta sublime
divisa : Liberdade, Igualdad^ e Fraternida-
de, que ser possivel praticar a sua syo-
these, a justica.
Como llevis comprehender, cidado mi-
nistro, a importancia da Internacional oo
fica reduzida a fazer etim que os operarios
conbecam o seu direito, formulem urna jus-
ta aspiracao a se organisem para a coose-
guir. ..
Destruida a aotiga aristocracia, e tendo a
classe media conseguido collocar-se no seu
I ig-r at aze-ia sua humilde vassalla, a
classe operara, o proletariado, que sent
pesos em cima de seas fatigados hombros a
pasada carga das daas outras ; que nao v
nem pode ver as prerogativas e privilegios
do capital snao a substituido do anligo
feudalismo senhorial pelo feudalismo capi-
talista, qae v, o'uma palavra, que este
tande de urna maneira pertinaz e poderia-
mos at dizer, fatal, a separar o dever dos
direitos reservados, eaes para si e fazendo
cabir todo o peso dos outros sobre os ope-
rarios, vio-neste facto e nesta tendencia a
monstruosa e criminal cegueira que domina
aquella classe, hontem nossa irma e hoje
a nossa mais encarnizada immiga, e julgou
que era de imprescindivel. necessidade qae
saja dado a cada um o que Ihe devido,
nem mais nam meaos, ou, pomo nos dize-
mos, que cada um escolba integro o produc-
to do seu trabalbo; ainda mais claro, cida-
do ministro, porque ba cousas que nanea
sero demasiadamente ditas ; que aquello
que quizer consumir ou gozar teoha por
dever produzir na mesma proporco"do pro-
ducto consumido.
Realisar-se-ha assim a nossa formula,
NAO MAIS DIRK1T0S SEM DEYEBES, NAO MAIS
devebks sem DiHEiTOs, formula que contm a
mais severa critica do passado e do presen-
te e a mais consoladora promessa para o
futuro. < ,
E' esta a aspiracao da Internacional,
cidado ministro; por isso a classe opera-
ra, compreaendendo por urna vez os seus
inleresses este sublime1'idear, abrac'ou se
sua bandeira sem reparar tus inconvenien-
tes e perigos que traz comsigo a realisaco
deste fim
Ora bam ; se a International conseguir
realisar a ju>ti:a e se a lei se oppozer, a /
.'. cima da lei. Os operarios
i i.. r ocii'- .(liiscutivel e iooegavel d
levar a cabo, a sua organisaco e realisar i
aspiracao a que se proprjem. Conseguirlo
isto com a lei ou nao obsiabte a lei.
Nao acontece, porm, assim ; bem longo ,
disto, as leis bespanbolas, inspiradas as
ideas democrticas da revoluco de setem-
bro, respeitam os direitos individnaes e re-
conbecem o direito de associaco para todos
os fins da vida humana, apezar de restrin-
gidos pela pretoripeo da qae todas as as-
sociacoes ho de estar conformes com a
moral universal e a soa direceo nao ha de
residir no estraogeiro. Estas resriccSee
qae podem considerar-so como verdadeiras
limitacoes do direito porque ama colloca-o
sob o criterio da aotoridade e a outra tolba-
Ihe o passo com as fronteiras artificial qae
os bomens criaram para as nacas, nao
affeclam em coo'sa algama a Internacional,
porque ella nao se oppde, mas pelo contra-
rio, proclama a verdadeira moral, isto a
harmona das relaces humanas cora as ex-
tensas leis de nossa mi, a natoreza, e nao
tem a sua direceo no estrangeiro nem pede
t-la, porque carece de direccff.
O exame dos oossos estatutos, de qoe re-
metamos um ejemplar, provar vos-ba isto,
servindo ao mismo tempo para desvanecer
os erros sobre este ponto qaa posases ter
e motivados talvez pjlas declaraces feila
nacfr.tes por ura eonbBCido ecooomiata-o
pela recente circular de um celebre e fu-
nesto hornera de estado. Esta associaco
inimiga do principio dtautoridade, fundada
principalmente para destrui-ho, pois reco'
oheca sr elle'a causa da presso que nos
envilece, e da desigualdade qae aos ani-
quilla, nao commetteu a torpe ineoBoequen-
cia da o conservar em seu seio; eotre nos
Ininguem raanda e ninguem obedece, segun-
do a opinio formada geralaente estas
'ideas.
Por consegrante, a OrternacionaV n3o se
parece em cousa alguraa com essas c apa-
nblas commerciaes perraittidas pelo gover-
no, verdadeiras sociedades coja direceo re-
side fra de Hespanba.-
Nao se parece to pouco com esaas so-
ciedades de crdito perintitidas protegi-
das pelo estado-,, e cuja verdadeira direceo
reside igualmente fra da regia nespa-
nhola.
Nao-se parece- emira com essa organisa-
co religiosa permittida, protegida o paga
pelo estado a despeito da coosciencia, liber-
dade e bolsa de milbares decidamos, e a
qual poese tambem o seu centro director,
verdadairo poder,, fra de Hespanba.
. Nao; a federa?*) regional-bespanirala
to livre dentro d federado internacional
dos trabajadores, como pode s lo a Hes-
panha, aao obstante as suas relaco.'S eso-
lidariedade com as nacSes europeas.
Entretanto, apezar da Asmiacao Iaien-
nacionai'aio ultrapassar os Umitas da jus-
tica e d* lei e de realisar urna grande mis-
sao social, foi objecto de calumnias eper-
seguicoes absurdas em Hespanba por parte
das aoloridades superiores a-subalternas,
patrocinadas pelo anterior aaiDstro vosso
predecessor. Em. localidades distinctas, ja-
zem encarrados as car cor es ci.aadSos noa-
nestos sob pretextos mais ou menos habili-
dosos, mas na sua realidad pelo onica. de-
licio da pertencerem a esta Associaco,
sem qoe para isso se bajam. preenchido as
formalidades, da lei.
As autoridades n'algnns pontos na per-
miltram o e.stabeleciraentc- das nossas fede-
racoes lcaos ; n'outros issolveram-as; e>
finalmente, D. Prxedes Mateo. Sagasta,
revestido com o carcter de ministro, res-
pon den do a nm digno internacionalista, de-
potado s cortes, que o iuterpellra acerca
do3 abasos de autoridad* commetwdos palo
goveroador de Barcelona, declaroa qae nao
permiltiria a propaganda das ideas da In.
lermcional. Depois dasle facto as perse.
guicoas teem augmentado em moitos luga
res, com pretextos mais ou meaos frivolo^
e os industriaos e capitalistas, secundando
o pensamente da auioridade, difficnltam a
boa marcha e *o desenvolvimeato da asso-
ciaco.
Isto nao deve continuar assbn, cidado
ministro ; vos, como chefe do novo gabine-
te, proclamastes face do pa'rz a poltica
de reprasso; nos preferimos essa poltica
estpida poltica preventiva; comprehen-
dereis porm qae nao sao sofficientes as
promessas, necessitamos provas da vossa
sinceridade ; prodigalisaram-nos tantas e sao
tantos os desengaos qae temos recebido
que nao etamos no caso de nos coBtentar-
mos com ellas I
A Internacional quer mudar completar
mente as bases desta sociedade de escravos
e senhores, de operarios e prganosos e
substituidos por outros para qoe o traba-
lbo, nica foote da riqueza e prosperidade
dos povos, seja a catbegora "soci 1 a qua
aapirem os horaens, que confundidos em
urna nica classe, a de prodact res livres,
possam realisar sobre a bem cultivada tr-
ra, os eternos principios que coostituem a
justica.
' Sabemos porm demasiadamente qoe isto
nao se realisa com desordens immotivadas
nem com ephemeras revolucSes polticas. -
S com a propaganda o com a discusso
activa dos nossos principios, que conse-
guiremos a unidade necessaria de aspiracbes
afim de qae a sua pratica seja um facto no
mundo social. -
Nos tambem queremos a ordem, cidado
ministro; amamo-la mais que aquelles que
se intitulam seus defensores; desgraciada-
mente sabemos quo cara nos custa a des-
ordeno. I Nos porm nao queremos a ordem
da classe privilegiada ; essa ordem a paz
dos sepulchros, a lons* de chombo colo-
cada sobre os direitos do povo, o imperio
da forca domiaando afinal a fra e sabia
razo. .
Tambe ai respeitamos as leis do nosso
paiz, leis, qae foram feitas e promulgadas
sem o nisso consentimento, mas qae con-
signa m de urna maneira clara e terminan-
te o direito qoe tamos de emiltir libre-
mente as nossas ideas. Seo governo jalga
qoe faltamos a essas leis e se se jalga com
o direito de nos castigar, que o diga fran-
camente, declarando-nos fra dessas leis;
do contrario, respeite e faca respailar de
urna maneira publica e solemne os direitos
que nos assistem como cidados de om paiz
livre, por isso pedimos o prosegoimento
das causas instauradas contra mui.os ope-
rarios honrados e laboriosos sob pretextos
habilidosos, como dissemos j, mas qae na
reaiidade f sao motivados por pertencerem
Internacional.' E' este o onico meio qaa
existe para respeitar a lei e faxer 'com que
a respeitem,
(Continuarse-ka).
TTP.OOIMARIO-tlU DO
CAXIU
> *
*

v .
v


t
af


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EKWWJQJSP_4V7OOG INGEST_TIME 2013-09-16T21:28:56Z PACKAGE AA00011611_12509
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES