Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:12508


This item is only available as the following downloads:


Full Text
/


!
\\
. -
./
/.-
I#7I#
iSCOO
lOIBIo
I7#OQO
DIARIO DE PEMAMBUCO.
-\

Figueira
O Stt. Gerardo Antonio Alvos & Filhos, no Para ; GoncalvM & Pinto, no Marinhio ; Joatrrjim Jos de Oliroira Filbo, no Ceari ; Antonio de Lomos Braja, no Aracatf; Jlo Mam Joo Cnave, no Am ; Antonio Marqnei da Iva, no Natal Jote Jatfft
Pereira d'Almeida, em Mamangnape ;Fe!ippe Estrella d- C, na Parahyba ; Antonio Jos Gomer, na Vflla a Penha; Belarmmo dos Santos Brlelo, em Santo Antio; Domingos Jos da Costa Braga,
em Naiareth ; Antonio Ferreira de Agriar, em Goyanna; Francino Tavares da Costa, em AJagofcs; Dr. Jos Martins Alves, na Babia; e Leite, Serqoinho & C no Rio de Janeiro.
PARTE OFFICIAL
Coveruo da provincia.
BXPEDIKNTE 00 DA 4 DE "OUTUBRO DK 1871.
Actos :
- O viee-preaideote da provincia, attendendo
\j fae requeran a inaandae de Santa Cecilia
re na igrf ja de Nos-a Seohora do Livraraento
delta eidade, e tenuo em vista a informaco do
Extn. vigilia capitular de 26 de setembro ultimo,
resolv de cooormidade coro o 3 do art. 27 do
acrelo u. 2714 de 19 de dezembro de 1860 appro
ar RdditaraeHtj feito ao respectivo corapnmisso
Mistante -tos artigas abaixo transcriptos.
< Art. 1.* 1" dj diuheiro existente do cofre
dft irniandade tirar--e-ha a quaotia de 500/000,
par a fasta da ms.-a padroeira e a de No-sa Se-
atiora do Flix Parto.
g 2." Tirar-ae-ha mais a para o oflicio soierana di nossos innaos fallecidos,
owao determina o arl. 07 do nusso compromisso,
aeah'o o resto paro occorro dos oosso irralo in-
sganles pela forma abaixo indica.
< Art. 2.* 1. Os irmios doenics que nao se
acharera debitados para cora o cofre desta irman-
dade, tero a quaotia de 204000 por roez para o
sea tralamenio sendo este dinheiro recebido em
duis prestac.
{ 2.' Fallecen io qualqaer irmo em estado de
pabraza, a irmaddade ser obrigada a concorrer
eom tquaulia de 601 para o seu enterro, no caso
de nada dever irmandade.
< Art 3.* 1.a O jaiz, na mesa da po-se, Ho-
rneara ama coiimissio hospitaleira, a qnal funcio-
nar todo o anuo e ser cuiuposta de tres innaos
lieifcHVK o procurador geral, que sera o presiden-
ta 4a commisso, o thesoureiro e ouiro irmo.
i j 2 O thesoareiro prestar todos os mexes
:onta do dinheiro que houver despendido com os
rmias ooeotes.
c J 3." Fica responsavel a coinraisso pelos
aboso* que firea) commettidos e entrar para o
caito cora a quantia que dispender com qual-
qaer Irmao que nao estiver as condic5e do art.
% 1*.
< Art. 4.* No dia 22 de outobro ter lngar o
aaiprimento do que disp5a o art. 1* deste addi-
tamuio.
' Art. 5.' Si os irraos professores-tero dire-
i a* soccorro de que trata o art. 2*.
Art. 6." Fi:am revog.das as disposicoes em
oenlrarir.
O lee-presidente da provincia aliendendo ao
requereu o capitn da 8* companhi do 2* ba-
talhao de infantaria da guarda nicional do muni-
cipio do Recife, Joaqunn Silvano de Souza, e a
vista de informaco do respectivo commandante
superior em ollteio n. 900 de 3 do correte, resol-
v. da cooformidade cora o art 54 da le n. 60i
de 19 de setembro de 185, triusferi lo para a 2.a
<*4apan!}a do batalhao o. 4 da mssma arma e mu-
aicipio.
. vice-oxesiJent* di provincia, atundendi a
praposta ao teme- coronel commandante do 16/
batalhao de infamara da guarda nacional do mu-
nioipio de Pao d'Albo, sobre a qual informou o res
pestivo commandante superior em offlcio de 22 do
mei prximo tia lo, resolve no.uear o guarda Fran-
cisco Cavakaute de Albuqoerque para o posto de
alteres da 3' companhia do dito batalho.
O vice-presidente da provincia atteodendo ao
que requeran o tenante qu artel mestra do 3* bata-
Ihao de infantaria da guarda nacional dete moni
cipio Jos da Silva Loyn Jncior, e a vista do pare-
cer da junta de sade que o jnlgon incapaz do ser-
vico activo ; f de offlcio e informaco do cum-
mandaute superior respectivo em offlcio, o. 201,
de 3 do crreme, resolve de conformidade cora o
art. 63 da lei, n. 502 de 19 de setembro de 1850
ir&asirir o dita tenante para o servico da reserva,
icando aggregado ao 2* batalhao dalla.
O vice-presidente da provincia, attendendo
ao que requeroa o capito Raymando Pereira de
Sonta do batalbo n. 52 de infantaria do mnnieipio
do Ex, e a vista do que inf.rmou o commandan-
te superior respectivo em officios de 28 de novem-
hre e 13 de jnlbo ltimos, resolve que ao mesmo
capillo seja dada a guia de qne trata o art. 45 do
decreto n. 1130, de 12 de margo de 1853 para o
mnnieipio do Crato, na provincia do Cear, onde
Jxji a sua residencia.
O vice presidente da provincia, attendeaio
ao que.requereu o paire da companhia de Jess,
Clemente Negri, que exerce o lugar de 1 capello
do presidio de Fernando de Noronha, e tendo em
vista a informaco do vigario capitular de 18 de
julb ultimo, sesolve conceder-lhe dons raezes de
lisenca cora os respectivos venc meatos para tratar
de sua sale nesta capital deixando em sea lugar
o Rvd. da mesma ordem, Joo Baptista Reuberti.
Exjpediram-sa as necessarias commanicacdes.
Oficios :
Ao brigadeiro commandante das armas re-
metiendo copia da guia do sentenciado Jos Fer-
rS; a qaal foi enviada pelo jniz raanicipal da 1.a
vara, em conseqneneia de requisico desse com-
bando.
; Ao mtsmo, mandando por em liberdade o
recruta Francisco Antonio dos Anjos, que provon
Iseoeo legal.
Ao inspestcr da thesouraria de fazenda com-
munieando haver o brigadeiro commandante das
armas nomeado o alferes honorario do exercilo
Chrlafnoiano Buarque de Mtcedo, para exercer o
lugar de amanuense da enfermara militar, em
snbstitaicao do teneote reformado, Luiz Jeronymo
Igaaefo dos Santos, que passou a ser empregado
ni secretaria d'aquelle commando.
Ao mesmo enviando para os as convenien-
tes, copia do aviso expelido ministerio da gierra
era 19 de setembro ultimo, acerca do abono de
vetoimeutos, feito ao teneute honorario do exerci-
to Heliodoro Avelino de Souza Honteiro.
Ao mesmo transmitlindo, para os devidos ef-
feitoi. as comas documentadas da receila e despe-
ra di enfermarla militar desta capital, relativas
, ao on de agosto ultimo, e bem assim e parecer
era duplcala da junta de sade, que as examinon
Ao mesmo, remetiendo para os devidos flos,
a filiaeo do tambor Pedro Paulo Mauricio, enga-
jidi para servir na 4a coapanhia do 1 batalhio
de infantaria desle municipio.
Ao mesmo. remetiendo para ter a devida exe
cacto copia do aviso de 19 de setembro ultimo,
am qae o Exm. Sr. ministro da agricultura, auto-
risa a .venda de alguns lotes de trras devolutas
no aicipio d'Agua-Preta, s pessoas indicadas
oo citado aviso.
Ao mesmo, devolvendo as proposias feitas
para a arrematado do eoncerto, de gue netessita
i barca de viga n. 4 da alfandega desta capital, e
jcriodo que o mencionado concert deve ser
contraU'lo com Joaquim Aagusto Rodrigues, caja
oropoata na importancia de 2:7501000, preferi-
ve^seraalo ce asta de seu offlcio, com referencia
softilspector daquella alfandega.
A0 asmo, enviando as cartas de aprsenla-
cOBcoJlose padre Manoel Joo Gomes, aflm de se-
rem entregues, depois de pagos os respectivos di-
retm.
- Ao mesmo, mandando despachar semas de
JiroMos qqatro eaixas, contando enveloppes e pa-
inel para o expediente da secretaria da presiden-
cia, as quaes vieram da Europa no vapor Gla-
jtttr.
- Ao mesmo, communicanao qae a 18 de se-
. wibto ultimo, Maximiano Jos de ioojosa Varejo
rw no exsrciclo do cargo de jojt mqnicipal e
de orpbaos do termo de [tamb, na qaalidade de
3 supplenle.
Por essa thesoarana mandoa-se pagar :
Ao gerente da companhia Pernsmbucana a quao-
tia de 11:166^666, proveniente da snbvencao re-
lativa ao mez de setembro ultimo, com qne o go-
verno imperial auxilia men-almeate aquella com-
panhia.
A' Alexandre Americo de Caldas Brando, a
importancia dos veocimemis relativos ao mez de
agosto ultimo, do destacamento de guardas nacio-
naes existente na villa de (agazeira. Coramuni-
coa-se ao conmandanle superior respectivo.
A' Juvencio.Aureliano da Cnba Cesar, a quan-
tia de 973S0, proveniente de annuacios manda-
dos publicar no Jornal do Recife pelo conselho de
compras do arsenal de gnerra, durante o trimes-
tre de julho a setsmbro deste anno. Ioteirouse
ao director do arsenal.
Ao inspector da tbe3onraria provincial, de-
clarando em soluco a consulta feita pelo fiscal da
eojleetoria de Olind, e qua se refere o seu ofi-
ci n. 574 de 23.de setembro ultimo, que, em vista
da terminante disposico do 58 art 16 da lei do
orcaraento vigente, s no consalado provincial e
nao as collecDrias, permittida a cobranza do
importo de 5*000, estabelecido pelo referido pa-
ragrapho.
Ao mesmo, para mandar adiantar ao thesou-
reiro da repartidlo das obras publicas, a qnantia
de 13:250*000, que toma-se necessaria para as
desperas com as obras por administrarlo no cor-
rente mez.Communicoase ao chefe daquella re-
parlicao.
Ao Dr. chefe de polica, para qua providen-
cie sobre o que 'representa Pedro Gomes da Co3ta,
na peticao juma por copia, as9ignada por sea pro-
curador Jos Beroardino Pereira da Brito.
Ao commandante superior da guarJi aacio-
nal do municipio do Recife, recommeodando a ex-
pedicio de sais orden*, para qae seja dispensado
do sarvico activo o narda Maxi'ixano Ferreira da
Fonceca, perten:ente ao Ia batalhao de infantaria,
visto ter de ser noaeado inspector de quarteiro.
Communicou-se ao Or. chefe de polica.
Ao promotor publico da comarca do Recife,
declarando que, attentos os fados referidos no com
mmica i) o que fez publicar no Diario de Pernam-
budo de hontem, use dos meios legaes para qae
sejam resguardados os ioteresses da justica no
processo, qae se refere e promova a respensabi-
lidade de quem oalla houver ineerrido.
Ao commissario vac:inador, para que com
urgencia enve alguns tobos espillares on laminas,
eontendo pnz vaccinieo, qne requisita o juiz de di
reito da comarca de Caruar.
Ao juii commissario do termo d'Agua-Preta,
declarando em soluco a dnvida qua se refere a
sua informaco que, navendo oo juizo commissa-
rio do termo do Bonito escrivao competentemente
nomeado e juramentado, nio poda pele fado da
suspeico do respectivo jaiz qae toda pessoal,
ser elledespensade de fonecionar na diviso e de-
marca;! > que te proceden as trras do enge-
nho Floresta, perteneeote aqnelle termo e para a
qaal f&ra Vrac. nomeado juz commissario ad hoc ;
sendo qae a competencia qae ihe d o art 34 do
regulamento de 30 de Janeiro da 1854, deve ser
entendida para os casos de nomeaco ou provimen-
to, e nanea na bypotbese dada e em termo esjraoho
onde j existia um legalmente prvido.
Portaras :
Ao cooselbo de compras do arsanal de mari-
nha, approvando os contratos que celebroa com
diversas pessoas para o fornecimaoto de objectos
de material da armad), constantes do termo qae
remetteu por copia.Commmanicoa se a thesoa-
raria de fazenda.
A' cmara municipal do Recife, iBleirand-a
de havAr approvado a arremataco dos alagaeres
das dilTerentes casinbas da ribelra da freguezia de
S. Jos, e bem a--un do imposto de afericao de pe-
sos e medidas
< A' cmara manicipal de Olinda, dizendo qae
para poder a do Recife dar execuglo ao disposto
no aviso de 27 de junho de 1865, relativamente a
cobrancas dos foros dos terrenos comprebeodido-
neste municipio e qae erara pago? a essa cmara,
toroa-se preciso que enve os esclarecmantos ne-
cessarios este respeito, taes como, designaco dos
terrenos, nomes dos foreiros e que qaantias pa-
gara.
A cmara municipal de Caruar, approvan-
do a arremataco dos impostos municipaes das fre-
gaezias da Caruar, S. Caetano e Altinho, cons-
tantes dos termos que remetteu por copia, bam
como a resolacao, qae tomoa a mesma cmara,
de por era arremataco os impostos da freguezia
de Panellas, visto nao se achar anda empossada
a respectiva cmara.
Ao gerente da companhia Pernambacana,
para mandar transportar at o presidio de Fer-
nando de Noronha 50 pracas e 2 subalternos do 9.
batalhao de infamara, que vo all destacar, btm
como a respectiva bagagem.Communicou-se ao
brigadeiro commandante das armas.
Despachos :
Antonio Wiiruv > Pinto Bandeira de Accioly de'
Vasconcelos. Informa o Sr. inspector da thesou-
raria provincial.
Antonio do Nascimento Pereira de Mello.
Pasas,
Andr de Abren Porto. Iaforme o Sr.
aheiro ebefe das obras publicas.
Amonio Pimo Cardozo da Gama.Concedo a li-
ceoca requerila, pago? os direitos da fazenda, sen-
do e-te remettldo ao Sr. inspector da the-ouraria
de fazenda para os (ios convenientes.
Alejandrina Mana da Concelco.Entregne-se
mediante recibo.
Antonio Borges de Souza.informe o Sr. rege-
dor do gymnasio provincial.
Capito Andr Cordeiro Coelbo Cintra.Informe
o Sr. inspector da thesoararia provincial.
Basilio Jos da Hora.Junte-se e remetta-se ao
Sr. inspector da tbesouraria de fazenda para in-
formar.
Companhia Pernimboeana.A' thesouraria de
fazenda eom oficio desta data.
Chryspiniano Buarque de Macado.A' vista da
inforraaeo, nao tem logar o que reqaer.
Elias Franciseo Mindello.Encaminhe-se.
Francisco Manoel Buarque de Vasconcelos.
Iaforme o Sr. inspector da thesouraria provincial.
Francisco Antonio dos Aojos.Seja posto em li-
bertada.
Francisco de Paola da Caoha Bastos. Provi-
denciou-se nesta data no sent io,- era qae requer
o supplicante.
Irmaodade de Santa Cecilia, recta na igreja de
Nossa Sinhora do Livramento desta eidade.Pas-
se portara approvando.
Joo Valpasso da Cuoha Ribeiro-Certifique.
Joaquim Xavier de Lona Miranda Couto.Nao
tem lugar o que requer.
Jos Das dos Sanios.Informe o Sr. inspector
da thesouraria de fizenda.
Joo Francisco de Sooza.Passe portaria.
Padre Joo Jos de Araujo.Informe o Sr. ios
pector da thesouraria provincial.
Joo Francisco Regs Quiotella.Informe o Sr.
inspector da thesoararia de fazenda.
Manoel dos Res Soires Mirenides.Deferido.
Baeharel Manoel Joaquim Ferreira Estoves.
Passe portara coneedendo a liceoca requerida.
Manoel Rufino de Camino.Nao tem logar.
Abaixo assignados moradores a roa do Mrquez
de Olinda.A cmara municipal ja providencia
no sentido do qae reqaer os sapplicantes.
BXPB01EHT DO SECRETARIO.
Oficios ;
enge-
Ao brigadeiro commandante das armas, in-
teiranlo-o de haver a presidencia mandado satis-
fazer o pedido, qne remellen, do commandante da
fortaleza do Brurn.
i Ao inspector da thesoararia provincial, cora-
mtmicando, de ordena da presidencia que, segundo
offlcio do engenbeiro chefe da reparticao das obras
publicas, acham-se colloeados e funcionando des-
de o 1.a deste mez, mais de 44 bicos de gaz, destri
buidos a partir do Caldereiro at Apipncos, os
'lusos reunidos aoa 45,qae comecaram a faoecio-
nar no 1.a de setembro ultimo, prefaiem o numero
de 91, contratados com a empreza da illuminaco
a gaz desta eidade.
Ao-douior chefe de polica, declarando ficar
a presidencia inteirada de haver sido nomeado em
30 de setembro ultimo, Vicente Ferreira Nobre
Pelioca, para o lagar de escrivao da casa de de
tenco, em substituicao a Bernardino Antonio Viei-
ra, qae nao aeeitoo a nomeaco.Communicou-se
a thesouraria provincial
RepartifFio da polica
1* seceo Secretaria da polica de Pernambu-
co, 10 de outobro de 1871.
N. 1378Illm.' e Exm. Sr.Levo ao cooheei-
mento de V. Exc. qne, segando constadas part
eipaedas recebidas boje n'esta reparticao, foram
hontem recolhidos i casa de detencao os seguintes
individuos:
A ordem do subdelegado do Recife Lemman
Francois, a requisico do respectivo consol.
Aoriemdo de S. Jos, Marta escrava de Ber-
nardina de liritto, por disturbios, Joaquim Pinto
da Fonceca, por crime de ferimentos; Lniza es-
crava de Rita Mara da Conceico, Jos de Freitas
Lima e Manoel Goncalves dos Santos, por crime
de furto.
A ordem do da Boa vista, Luiza, escrava de
Trajaoo da Costa Mello e Manoel escravo de Vi-
cente Jos de Brillo, a reqaerimento dos respecti-
vos senhores ; Si I ve rio Jos Francisco e Manoel
Teix ira, por embriaguez e insultos Ant mi Joo
Climco, Joo Francisco de Souza, Martioiano, es-
cravo de Joo Joaquim Alves e Anna Joaquina da
Anannciacao, por disturbios.
A ordem do da Capunga, Antonio Maria Leite
Braga, por crime de furto.
A ordem do da Varsea, Francisco Ramos Perei-
ra, por disturbios.
A ordem do da Boa-Viagem, Joo Antonio da
Silva, por enme de ferimento.
Por offlcio de 14 de setembro ultimo, commoni-
cou-me o delegado de Salgoeiro, qus pronunciara
a Julio, escravo do -Manoel de Sa Araajo Nevea,
como incurso as penas do art. 193 do cdigo cri-
minal.
Dos gaarde a V. ExcIllm. e Exm. Sr. Dr.
Manoel do Nascimento Machado Poriella, vice-
presidente da provincia.O chefe. de polica, Her-
mogenes Scrates Taares de Vasconcellos.
PERNAMBUCO.
REVISTA. DIARIA.
ELEMENTO SERVIL.S. Exc.'oSr. vicepresi-
dente da provincia, em camprimento do aviso cir-
cular do ministerio da agricultura, de 30 de se-
tembro ultimo, expedio s doas circulares abaixo
s camares muuicipaes e aos parochos das fregu-
zias da provincia, eommunicanio-lbes para os de-
vidos effeitos a integra da lei sobre o elemento
servil, qde vigora no imperio desde 28 daquelle
mez.
Estampando essas circulare- em nossas colum-
nas temos em vista divulgar o mais possivel as or
dens promptas dadas por S. Exc. para evitar da-
vidas no futuro.
Ei-las :
t 4" scelo.Palacio da presidencia de Per-
nambueo, 9 de ontnbro de 1871.Para campri-
mento do aviso circular do ministdrio da agricul-
tura, commercie e obras publicas da 30 de setem-
bro fiado, remetto a cmara municipal de... .ora
exemplar da lei o. 2040 de 28 daquelle mez, que
declaroa livres os filhos da mulher escrava as-
cidos desde sua data e decretoo outras provideo
cas, e recommeodo-lhe que d promplamente to-
da poblicidade a mesma lei, f zendo conhecidas de
seos monlcpes as soas respectivas disposicSes por
editaes affixados dos logares mais pblicos. Dr.
Manoel do Nascimento Machado Portella.
S9cco 4.aPalacio da presidencia de Par-
nambuco, em 9 de ootobro de 1871.Para cam-
primento do aviso circular do ministerio da agri-
culiuja, coramercio e obras publicas de 30 de se-
tembro fiado, remeto a V. Rvma. um exemplar im-
presso da lei n. 2040 de id daquelle mez, que de-
claroa livres os Albos de mulher escrava nascidos
desde sua data, e decretou outras providencias
e recomraendo-lhe que d promptameote toda a
pnblicidade a mesma lei, annunciaado as soas dis-
posiedas por espaco de 30 das na estacao da missa
conventual.
Outro sim recomraeodo a V. Rvma. que em
quanto nao forem preparados os livros de qae
trata o 5a do art. 8 da lei e que opporianamen-
te Iba serio enviados, deve V. Rvma. contiauar a
fazer os registros de nascimentos e bitos nos li-
vros de que actualmente se serve, campriodo, po
rm transferir para os novos as verbas dos nasci-
mentos e bitos occorridos desde o dia 28 do so-
bredito mez de setemhro, e qae ja estejam escrip-
turados por ignorancia da lei ou em quaoio dorar
aqaella impossibilidade.
< A escriptaraco dos nascimentos e bitos sera
feita como at agora, sendo comtudo essencial qne
nos assentamentos V. Rvma. declare a data do dia
em qne occorrer qualqaer daqaelies fados, o no-
me, sexo, cor, filiaeo do individuo, e. bem assim
o nome do senbor, de seas pais. Deas gaarde a
V. Rvma.Dr. Manoel do Nascimento Machado
Portella, *
Sr. vigario da freguezia de...
THESOURARIA PROVINCIAL. Por portaria
da presidencia da provincia, de 9 do crreme, foi
exonerado seo pedido, de ajadante do procara-
dor fiscal da thesoararia provincial na comarca
de Itamb, o Dr. Maximiano Jos de Ioojosa Va-
rejo.
POSTURA MUNICIPAL.Por portaria da presi-
dencia da provincia, de 7 do correte, sob propos-
ta da cmara municipal do Recife, foi approvado
provisoriamente a seguate postara :
c Art. 1.a As refinarias e padarias oo fabricas
que trabalham com fogo, s podero d'ora em di-
ante ser estabeleeidasnos lugares designados para
as ferraras, caldeiranas e outras offleioas.
Art 1.* As oficinas e estabeleeimsntos, qae
trabalbarem com carvo de podra, deverio ter
charains qne condozam todo o fumo. As cha-
mras devero ter altara superior a qualqaer edi-
ficio em circamvisinhanca no permetro de 50 me-
tros ; e para collocaco on prolongamenio das
charains, tica marcado o prazo de 90 das. Os in-
fractores incorrero na multa de 30* e o duplo
na reincidencia.
PROROGACO DE PRAZO. *or portara da
presidencia de 9 do correte, foi concedida ao ba-
eharel Zafarino de Almeda Pinto mais um anao de
praxo para a impresso do Diccionario de Botani
ca escripio por seu fallecido, irmao Joaquim de
Almeida Pinto.
FESTIVDADE RELIGIOSA. A (mu de SS.
Cosme e Damio, da villa da Igaarassii, ser cele-
brada no dia 29 do correte rois domingo), com
*
tolo brilbantismo do costme, para o qae nada
tem ppopado os respectivos escarregadoe.
L018RIa._a, qae ^ acha a venda a 110." a
beneficio do hospital da ordem terceira do Carrao
do Recife, a qaal corre hoje.
USiTTERlO PlBLICO.-Obitaario do da 9 de
oulubro.
Agaoii, branca, Pernambuco. 6 armos, S. Jos;
Famuno, pardo, Fernambaco, 8 aanoe, S. Jue ;
intente.
Antonio Jos Fereira, pardo, Cear, 50 aoaos,
solteiro, Boa Visur hospital Pedro II; toberculos
pal minares.
Antonia Mara da Conceico, parda, Parnambu-
co, 50 aonog, viuva, Recife ; colite.
Riearte de Carvalbo Ramos, tranco, Parahyba,
46 anoos, casado, S. Jos ; apoplexia.
Olympia, parda, Paraamonco, i aon >, Santo An-
tonio, easa dos expostos ; demico.
Maria, branca, Pernambuco, 1 b^ra, S. Jos*,
espasmo.
Manoel, braoeo, Peraambaeo, 4 anno?, S. Jos ;
eclampsia. .
Dr. Antonio Silvio Ferreira de Carvalbo, branco,
Parnamboco, 25 annos, solteiro, S. Jos ; pbtysica
pulmonar.
Ao Sr. desembargador Doria
D jury de "
goetes, e manifestaeds de grandaza... ~Eai2a*o
Levantou-se ajsassao a orna hora da tarde. SZt^L**0
PUBLtACOES A PEDIDO.
'HRONUM JUDKIARU.
TRIBUN4L DA. II KL l AO.
SESSO EM 10 DE OUTUBR) DE 1871
ntBSIDBNCU DO EXM. SB. CUNSBLHEIRO CAETANO
SANTIAGO.
Secretario Dr. Virgilio Coelho.
As 10 horas da mauha, presentes os Srs. desem-
aargadores Gitiraoa, Guerra, procurador da cerda,
Lourenco Santiago, Almeida Albuquerque, Assis,
Doria, Domingaes da Silva, Regoeira Costa. Sooza
Leo e Freitas Henriqoes. abri-se a sesso.
Passados os feitos derara-se os jnlgamentos se-
(uintes:
BECliaSO DE KALLE.VC1A.
Ricorrenie, o juizo especial docommercio ; re-
corrido, Joo Franciseo Borges Ferreira.Juizes
os Srs. desembargadores Almeida Albuquerque,
Giliraaa, Doria e Loorenco Santiago. Improce-
dente.
AGGRAV03 DE PETICAO.
Aggravaate, Antonio Coelho de Aodrade; aggra-
vado, o joiao. Jarzes os Srs. desembargadores
Guerra, Regueira Costa e Domiogues da Silva.
Nao lomfram coobecimeotp-
Aggravaotes, Marqoei Santos & C.; aggravado,
o joiio. Juizes os Srs. daserabargadores Sooza
Lelo, Doria e Guerra. Daram provimeolo.'
Jolgoo-se a desistencia requerida por Mara An-
glica da Silva.
appbiaacSbs civeis.
Do Juizo mnnieioa: do Recife.Appellante, Joo
Baptista da Farias Leite ; appeilados, Jos Vicente
de Mallo e ootros.Nalia a demarcaoao.
Do juizo manicipal do Recife.Appellante, Joo
Gomes da Costa ; appallado, Jos Easebio Alves
da Silva.IV f-irmada a spoteofa.
Apptlaote, Jos r'erraira Coelbo; appellado, ba-
eharel Luiz Lopes Cabello Branca. Desprezados
os embargos.
Appellante, Jos Cesarlo oMr* Mello ; appellado,
baeharel Ernesto Adolpao de VaseonceHos Chaves.
Desprezados os embargos.
Appellante, O Cesara Candida de Gasmao ; ap-
pellado, Amonio da Silva Gasmao. Desprezados
os embargos.
Appellante, Joaquim Silverio de Souza; appella
do, Joo Duarte Coelho.Confirmada a sentenca.
Embargante, Joaquim Salvador de Siqneira Ca-
valcante ; embargado, Salvador da Siqueira Ca-
valcante.Desprezados os embargos.
Do juizo mun cipal de Camaragiba.Appellan-
te, Joo Francisco Alves da Silva ; appellado, padre
Antonio los Pinto.Reformada a sentenca.
Do juizo municipal de Serinhem. Appellante,
o curaJor geral; appellado, Vicente Mendes Wan-
derlay.Reforxiada a sentenca para considerar li-
vre os escravos appellanles.
Do juizo munieipal da Parahyba. Appellante,
Antonio Angelo Fernandas; appellado, o carador
geral.Confirmada a sentenca.
Do juizo municipal de Macei.Appellante, D.
Anna Francisca de Gasmao ; appellado, o cura-
dor de Loiza e ontros.Confirmada a sentenca.
DELIGENCIA CRIME.
Ao Sr. desembargador promotor da justica :
Do jury de Mossor. Appellante, Francisco Jo-
s do Nascimento ; appellada, a jostica.
Do jury de Caruar.Appeliantes, o juizo e Jos
Feliciano Pereira ; appeilados, o promotor e eu-
tros.
Do jury da Imperatriz.Appellante, o promo-
tor ; appl ado, Vicente Ferreira Lopes.
Assigoou-se dia para julgamento dos seguintes
leitos :
APPELLACOSS CRHIES.
Do jury da Fortaleza.Appellante, o juizo; ap-
pellado, Manoel Jos Ribeiro.
Appellante, o juizo ; appellado, Raymando Jos
Francisco Ferreira.
Do jury de Cascavei Appeilante,Benedicto Ma-
noel do Nascimento ; appellada, a justica.
Do jury de Bananeiras.Appellante, Laurenlino
Alves da Silva; appellada, a justica.
Appellante, Lourenco Bezerra da Gama ; appel-
lada, a justica.
Do jary da Recife.Appellante, Joo Antonio da
Silva Santos; appellada, a justica.
Do jary da GranjaAppellante, o juizo ; appel-
lado, Jos Raymoodo da Cuaba.
Do jary da Independencia.Appellante, o juizo;
appellado, Antonio Soares da Rocha.
Do juizo municipal do Aracaty.Appellante, Vi-
cente Gurgel do Amaral ; appellado, Antonio Fran-
cisco Pinneiro.
Do juizo manicipal do Recife. -Appellante, An-
tonio de Siqneira Cataleante ; appellado, Antonia
Carlos Pereira de Burgos.....
PASSAGENS.
Do Sr. desembargador Lourenco Santiago ao Sr.
desembargador Almeida e Albuquerque :
Do jury de Mamangoape.Appellante, Manoel
Joaquim de Oliveira ; appellada, a justica. Do
juizo dos feitos da fazenda.Appeliantes, o juizo e
e coronel Jos Peres Campello ; appellado, o juizo
e o brigadeiro Gaspar 4de Menezes Vascoacellos d
Drnmmond.
Do Sr. desembargador Almeida Albuquerque ao
Sr. desembargador Doria :
Do juizo da AtalayaAppellante, o juizo ; ap-
pellado, Jos Ferreira dos Santos e outro. Do
jary de Saboeiro.Appellante, Luiz Antonio de
G oes ; appellada, a justica.
Do Sr. desembargador Domingaes da Silva ao
Sr. desembargador Regueira Costa :
Do juizo municipal do Recife.Appeliantes, Dr.
joaquim Antonio Carneiro da Caoba Miranda e
ontros ; appellado, Dr. Manoel de Barros Brrelo ;
appellante, a junta da Sana Casa de Misericordia ;
ippellado, Jos Lucio Lins ; appellanle, Roberto
rjaroi e ontros ; appeilados, Jorra Caroll e outros.
Do Sr. desembargador Sooza Leo ao Sr. des-
embargador Freitas Ileariqoes :
AppellacSes civeis.Appellante, Antonio Corroa
de Sena ; appellado, Antonio Baptista Barbosa ;
appellante, a cmara municipal ; appellado, An-
tonio de Moora e Silva.
Appellaco crime,-AppelUntas e appeilados, o
juizo, Jos Luiz Vera Croa e.ootros.
Do Sr. desembargador Freitas Hanriqaas ao Sr.
desembargador Gitirana : '
O OQUieto de jusdicco aqtro o, juizo dos feitos
da. fiaenla, e o ii orpbci ii tlw\\ de Macelo.
iii:i \l(HIO
MEDICO LEGAL, ACERCA DA DOENC.V E MORTE
DO BAR.0 DE JARAGU, POR ANTONIO MARA
DOS .SANTOS BR1LHA.NTS, MEDICO C1NJB-
' GIO.
Bxame medico legal.
(Cootinuaco.)
Ao Sr. baro de Jaragu nao podoriam ser ap-
plicados os estudos gimnsticos, attendendo sua
idade e a doenca.
Fica, pos, esclarecido o exame e dnvidas que
apresentei na inspeeco que dz ao baro de Ja-
ragu oo dia 11 de Janeiro de 1870.
O Sr. btrao d'Alcanlarilba, depois de feita a mi
nha inspeeco e exame, fez urna junta par con-
trariar o meo parecer medico-legai, e esta-den o
juizo que se segu :
Os facultativos abaixo assignados, reunidos era
conferencia, declararaic o seguiute, etc. :
'1.a Tmha ora amolleciraenio cerebral cora pa-
ralysia geral incompleta e alternada da rao-
vimento e sentimento nos dilTerentes membres.
2.a Que as suas faculJades imelrectuaes team
attingido o grc de demencia.
3.a Qae o prognostca era desfavoravel pela na-
nburaa esperanca da cura completa, attendendo
sobra tu do aos sessenta e nove annos.
4.a Que o tratamento deve ser principalmente
tnico, analetico'e hygienco.
5. Qae sendo consultados sa convira mudar
a residencia da Ilustre pessda para local oo ier-
ra grande e populosa, entenderam qua se nao
acbaria em circunstancias de se poder transpor-
tar para longa sem grande incommodo e risco. E
por se acbar na soa trra natal por convenien-
cia propna em casa de sen irmo, e entre fa-
milia que muito estima e qua sempre tem esco-
Ibido em oulras pocas quaudo tem viudo a Por-
tugal, i onde se do todas as conveniencias hy-
gienieas desejaveis. >. Alcantarilla, 13 de Janei-
ro de 1870.Hermenegildo Jos Chaves, em Sil
ves ; Jos Cazemiro da Fonceca Almeida, em La-
gda ; AJexaodre Jos Assis de Camino, em La-
goa ; Antonio Camino Ribeiro Vianna, em Algoz.
O quinto quesito nao tem o estylo medico, e pa-
rece feito Je ensommenda. A diccao Do os in-
quieta. Fallam bem, e esereveram melbor...
O telo do Sr. baro d'Alcantarilha crescia oa
proporcao dos meas ioformes I Pois ama opnio
isolada davx-lhe tamo etiidado ?
Como visse que a juma nada liaba adiantado
em favor do baro de Jaragu, eserevi ao Sr. cn-
sul geral do Brasil as seguales cartas :
Illm. e Exm. Sr. cnsul geral do Brasil.A si-
tnaeo do Sr. bario de Jaragu precaria. Esta-
o abandono.da medicina e dos mdicos :
1." Porque os methodos empregados eslao ba
nidos pelos proprios sectarios da aotiga escola.
3.a Porque os medicas, tendo faito mal e nao
bem, nada mais Iha fazein tendente a obur a cla-
reza da razio, da voz, a continencia de orina, a
entregara ao lempo, a bygiena (que elles nao po-
z-ram em pratica) e dieta analptica (restauran-
te) a obtenfo de melhoras I
B' fcil ser medico de diploma, ou < empreltei-
ro > (como diz* F. M. de S. Malbao) ; porra,
muito diffleil ser medico sacerdote da arte, oa ho-
rnera lastrado, descieucia e coosciencia.
A exposicao do exame qae fiz ao Sr. baro de
Jaragu, na presenta do vice-consul do Brasil,
que para esse Pira, veio da Laga a Alcaitarilha.
j deve etar no poder de V. Exc. O informe de
que o baro de Jaragu vive aqui, aonds nao ha
botica, nem medico, oam acougue, e por isso pri-
vado dos grandes recursos que sempre cercara nm
horaem da soa gararchia nobiliaria e de avalla-
dos meios igualmente foi posta na presenca de
V. Exc.
Agora tenbo a dizer a V. Exc. que o estado do
Sr. baro de Jaragu (alque permute ser trans-
prtalo a Lisboa, ou mesmo a Pars, e parece-me
que a minba opnio, alheia aos manejos e man
dato dos novos baronetes, > lera peso na batan-
ea da justica, visto que repugno firmar com o
meu punho as astucias baixas e deshonestas, e fl-
eo sempre sobranceiro a taes manobras, e seo de-
dicado aos priocipioa de direito natural Os fi-
lhos sao berdeiros natos dos pas, e estes sao ber-
deiros dos filhos. O nosso cdigo civil, que anda
tem algamas falhas, nesta parte um avance
clarissimo para o fnturo da nossa sociedade e fa-
milias.
Mas nm facto autorisa-nos a fundamentar o
meo conseibo, e : e Sr. baro de Jaragu tem
lado passeios de tres legoas em carroagem, sem
inconveniente algum. Logo pode embarcar no
porto mais prximo, qae fica a duas leguas d'Al-
cantarilha. e seguir no vapor para Lisboa. O lem-
po est magnifico.
Com extrema repognaoca tomo a liberdade do
fallar na vida privada de qualquer pessda ; porra,
na parvaUuira tado se diz e tudo se sabe ; por
isso que me atrevo a dizer o que voz publica, o
que eu tenbo presenciado.
Sr. cnsul, ha va eo sido interrogado pelo Sr.,
viee-consnl do Brasil, se seria conveniente que o
Sr. baro de Jaragu recebesse de sbito a pre-
senca de algoemque lbe podesse causar gran-
de commocao ? Percebendo a diplomacia da per-
gunta, respond na sua presenca e do baro d Al-
caniarilha : qne tal apparico nao motivara com-.
raocao, e pelo contrario lbe poderla servir de ale
gria. Acabava de dizer isto : bate-se porta, e
apresentam Ihe a Sra. D. Isabel e seu esposo o
Sr. Dr. Francisco Pinto Pessa. Obaroebaro-
neza d'Alcantarilha Gcaram varados I O Sr. baro
de Jaragu mostrou -se alegre, e como qaem sin-
dicava a causa da ausencia destes.
Hoje, Sr. cnsul, passeavamos eu. a Sra. D. Isa-
bel, urna menina da casa que nos bopedon, filha
do Sr. Joo da Sanl'Anna Cabrita (ha cabritos qae
nao pertencem a esta familia___), e ao desembo-
car na estrada real passava otrem com o Sr. ba-
ro de Jaragu; a filha quiz fallar ao pai, e o trem
nao parou I Continuamos no ivasseio, e seriara
duas horas da tarde, te ido o trem passado s on
ze e meia da roanha, voltava o trem, e o Sr. ba-
rio de Jaragu. vendo a filha, coraecou a gritar,
a bater nos vidros, vjsio que o trem nao parava
a filha correo, gritouque parassem ; pararam
ento... A commocao da filha foi grande e a ale-
gra do Sr. baro de Jaragu creo -a ndifiaivel;
porque se fez muito rubro no rosto. De lpente
appareceu o genro, qae foi recebido cora rauita
sati*fa:co do sogro___ Eis aqui o qoe a o tenho
presenceado, fra do sacerdocio medico....
Mas, Sr. consol, um amigo 00330, a eomraenda-
dor J. A. M. B instou para qae
Sasse da missao de vir aqui examinar o doente,
izendo-me; qoe V. Exc. apoiar esta diffleil mis
honesto nos meos devo-
res : en estou ausente dos meas clientes, para
qoe? Fara medicar e aeompanbar, srfT neeessa-
rio, para ahi o Sr. bario de Jaraga.
Ter prora pta decisio a ida do Sr. (Orief 5*
ella senao eHeetaa, retirar-mehei quanto antes.
a T: Btc- 1ae e,t coaflada a alta raisso de
tirar o Sr. bario de Jaraga da localionde, e da*
e9pecuacr5es ponco airosas para qne, itfcnleand^
zlo pela vjda do subdito brasileiro, especala c
os mems de Ihe velar, mas sim os meios e mane-
jos de o reterera sitoacao desfavoravel ao sen res-
tabelecimento.
Peco a V. Esc. o favor de rae avisar se deva
oo nao reliraMD, e se dispeisavel qoe ea
aeompanhe o filustre enfermo.
PdeV. Ex;. fazer o oso que entender desta miaba
carta, na certeza de qne afflrmo todo com a f-r-
ga Ja ao juramento da minha profisso. Crean:
V. Exc, amigo venerador e servo.Antonio Ma-
rta dos Santos Brillante.
Alcantarilha, 20 de Janeiro de 1879.
Illm. e Exm. Sr. consol geral do Brasil. Ven-
tas odium parit. Ainda renov a recente narra-
tiva de novos acooteeimeDlos. O Sr. bario de Ja-
ragu tinha trazido do Brasil soa filha e urna Dita
tutelada, qne agora na ausencia d* filha lbe fazia-
corapanhia. Esta menina retiroa por nao soffrer
os destemperos da baroaezs, que fez o papel de
afilhada do bario, drama que V. Exc. eobhece, re-
tiroo de casa, ficando o ave s.
O Sr. bario de Jaragu est pois solado dos ca-
rinos de soa filha e neta f
Segando informim, o lastre doente, tendo al
gnm conheclmento do isohmento, grita, proeora o
quarto d'onde Ihe apnarecia a neis...
Foi para isto que elle fez o sacrificio de traxer a
familia que Ihe era cara t
O escndalo grande ; toda a povoafo em ru-
mor mormura contra tal attentado.
Em caso semelhante sendo eu filho, decida n<
cessariamente a qoesto intimando o baro de Al-
cantarilha a entregar-me moa pai no prazo de dua.*
h iras, razendo-o responsavel pelas legitimas coa-
sequencias...
' intimacio socceda-se a resoluco do proble-
ma, dada a negativa... E' para estes desaforos quo-
se inventaran) os rewolvers. Um Albo resolva
assim a qoesto.
Eslraaham todos a demora na solacio de?ta
queslio.
O doente est sem tratamento. o lempo tem esta-
do ptimo para a retirada, e pede mudar: es es-
tou preso pela dnvida oa incerteza da soluco, vis-
to que pedera aeompanbar o Ilustre en-
fermo.
Se acaso ahi me ponderassem estas oceorreocias
eu nio tena aceitado lio dora misso.
Acho-me ligado aos bons principios, que sao o*
Oireiios legitimos e recoobecidos pelo illustre doen-
te. Diga-me V. Exe. se haver demora, porqus
oeste caso retiro-me.
Creia-me V. Exc. amigo venerador e servo.
Antonio Maria dos Santos Brithante.
Alcantarilha, 27 de Janeiro de 1870.
(Continuar seka.)
Questo de sedulas falsas.
A' prepsito da ridicula comedia de sedulas fal-
sas qoe se esl representando no juizado manicipal
da Ia vara d'erta eidade, comedia com qne se tem
procurado (isnaraillibada replselo do honestos!-'
mo Sr. teneote coronel Sebasio Antonio do Reg
Barros, appareceu inesperadamente no Liberal d<*
5 do correte urna declaracao do Sr. Jos Joaquim
do Reg Barros, muito geralmenle condecido p- ;
antonomasia de Cazuza Pelisco, prevenindo ao res-
peitavel publico de que o negocio nao se entenda
com elle, e procurando d'est'arto evitar ) dezar *
que d'ani Ihe podessa provir. Dizemos inespera-
damente, porque nngoem se^uer se pedia lem-
brar de que esse senhor, somonte connecido peio
engragado epilheto j referido, livesse a malta pre-
tendi de confundir-se com o tenente-coronel Reg
Barros, sendo cario que a ephemera patente oe
que gosra por commisso, fiodou, acabada esta a
j completamente cahira no olvido.
Se da estupida comedia que nos referimos po-
desse provir algum dezar, cortamente nao recahiria
sobre um Petisco, cuja importancia problemtica
ningue ii lembra.
To pouco poderia recahir sobre o tenente-coro-
nel Reg Barros, que muito acuna dos malignos
botes da calumnia ha de pulverisar o miseravel
embuste com que mangos pequeninos o preten-
den) enlamear.
Os bonrosissmos precedentes do Sr. tenente-co-
ronel Reg Barros sao j nm garante seguro de qae
a justica ha de manifestar-se, mais cedo oa mais
tarde, em prol aa sua caos?. O cooseoco dos bo-
rnees de bem, qoe conbecm o sea carcter inte-
gerrimo, a opinio publica despida de paixoes par
tidarias, sao j sea favor.
Descanse, pois, Sr. Pelisco, qoe jamis se poderx
confundir com o tenente coronel Reg Barros, qne
por demais conbecido, e ha de, cora a soa pr.-bi-
dade, fazer voltar face de seas infames calumnia-
dores a lama que lbe qoerem atirar.
J /(.
Um voto de agradecimeuto,
Reconheco o carcter Ibano e modesto do Lu
Sr. Dr. Villas-Boas, e, pois receio, consignando
nesias linhas sea nome, offander a jnsta so*cepii
bilidade, espero, porrt, que S. S. me desulpar
attendendo qoe compro um dever repselo de gca
lidio.
Urna escrava miaba de nome Raymunda, soffria
ha moito de orna dr citica, acompanhada de ou
tras molestias qne a imposibilitara de andar : Ja
sem esperanca de vida recorr ao Illm. Sr. Dr
Villas-Boas, qoe tomando-a aos seas cailad.
coroo-a perfeitameote, nio s isto: nenhnma pa-
ga quiz receber em troca do sea trabaiho.
A scieocia anda, ao prineipio humanitario
sempre digna de louvor. Aceite, pois, o illm. Sr.
Dr. este tenue, porm sincero reconhecimento rin
graiido, que a abaixo assignada lbe consagra.
eternamente.
Recife, 10 de outubro de 1871.
Thereza Florentina Ltile.
8r. Dr.
O methoilo aba e o
< ollac ()
IU
O Sr. Dr. Collaco principiando a questio cien-
tfica (Diario de 20 da setembro) analysa a for
raacao do mapna e apresenta as cores qoe repr >
sentam ti paizes, porm sempre eom ama to a
vootade qne procura ridicalarisar o conde Zbu
lombaodo de seas 30 annos de applicacao, qu.o !'.-
assim poderia vender seo charlatanismo aos tolos.
eo me encarre-1 porra no aos domos, entre os quaes est iraplict -
' oa antes explcitamente oomprehendido o Sr. Pr.
Collaco.
sao, e qae se fosee oecas3ario aoompaobava o Sr. Heleve-se essa questo e entro na scieotifica.
baro de Jaragu d'Alcanla/ilba, para Lisboa; A Diz 0 r rjr. Collaco oo presente seeolo. XIX.
nossa ebegada o baro d"Alcantarilha, irmao do no anno de 1804 est repre-enudo um syraboi-
doeola feeboo o os as portas, e ficariamos na ra qUe j sapoleo, imperador, porm oo se saben
se am homem iodiffereote e oontrario aos tramas ^ e uem Dlsceu eic.etc.i conao governoo e aca-
njanos e desleaes nao nos recebesse, com pasmo- bou f.sl ^,.,.0^ t historia d'esse grande bo-
sa fraoqoeza, na soa casa... O barao d Alean- mem r ^___
^^^^aS^AXStSS I (.)Tem deixado de se pabilor e;>e arugo ^o
tambem oio esuvam era casa para aquellos qoe abunlanca de maifria.
ouir'ora tiobara sido tecebjdos cora, nwioa 9 (o-1 Kt*wc*o.

V



4
Diario d Prnmboe Guara feira 11 dt Outubro d 1871
Collado

S
>#
S

Pensando-selfm, JuJga-sa que oSr. Dr.
nio escreveo srameote par o publico.
O Sr. Dr. Collaco quer a historia de Napoleao
oo mappa, eu irei dzeodo o que se deve fater.
lr-se-ha aterrado.
Ns anuo de 1769 no 4. compartimento ama crui
grega amarella nasciment de um hornera iHnstre
franeei, flanolao ; 1795, 1 oompartimeato meio
cheio cerco e featalha de Tonlon onde Napoleai se
torna -conhecdo ; 1796 compartimento meio
cheio, batalhas de Menteootte, MiHesmo D#go,
Mondovi, Lodi, e BorghMo 1797, compart
ment cheio, toma* de Mantua a Warroser ; 2*
compartimento meio chalo, batalha de Favonie,
Tagliamonto, Tanrr etc. te.; 0.a compartimento
cheio, tratado tt ampo-Fermio etc. etc. ; 17J,
iacompartinienftasio cHalo.'batalha das P>'ram|-
des; 1799,1* ci^rti manta meio cheio, batalhas
de Thabor e de fceoker ; tlixo de enumerar ba-
talhas por baUlht M 1W0, eaqiie Napoleao ga-
nha a batalha de HareDgo ; no mesmo anuo no 5
compartimew cruz grega, Napoleao eonsol Boro
Carobaears e Lebruo, divisao no poder supremo;
em 1801, 9* compartimento eheio, concordata com
a Santa Se ; em 1804 7 compartimento, cruz gre-
ta, publicaco do cdigo civil etc. etc. ; em 1801
.* compartimento cheio, Napoleao imperador ; em
1805 o compartimoot) meio chelo, batalhas de
Aasterliiz e Tra falgar ete. etc. ; passemos em si
lencio para nao cancar 03 factos memoraveis at 'elasse.
"Art. 2. Os passageiros ai terio entrada o
carros com um bilhete ou passe de circalacao,
impeientmente orneeio por nm atente da cora-
mina.
Art. 3. Os passej Jndiearao o aome 4o pasea -
geiro e o dia da viagem, e nao poderla ser trans-
feridos.
Art. 4.* A companhia emittira bilhetes de asig-
naturas raensae?, com o abale de dez quine-por
cento ao mez.
Art. 5.* Nao serao almitlidas asslgnaturas seno
oaraas Ia e2 classes.
Art. ti.* As asignatura* pdeos eomprcheder
tambera os di as santificados, ou tmente os dias
uteis, seiundo convencionar o assignaote.
Art. 7.* E' expressa nente prohibido a qualqaer
passageiro :
1. Viajar em earro de dasse supemr a que
Ihe der direito o sea bi hete.
2. Viajar as varantes ou plataforma* do>
carros, e deOrucar-se pata fra.
| 3. Entrar oa sahir ifcw aros e pausar derim
para tutro carro estando o trem em moviraento.
4.a Fumar nos saISss oa carros (echados de
Ia classe.
5.a Couduzir materias inflamaveis ea objee-
los, cajo chairo potsa ieeomnodar
passageiros.
6.a Viajar descalco em carros de 1.a oa 2.
1814,1a compariimeato meio cheio batalha d Pars;
5* compartimento cheio, soberano, Luiz XVIII e
por idea de relacao abdicaco de Napoleao ; em
1815 Ia compartimento meio ebeio batalhas de
Pleuras e Waterloo ; em 1821 no 4 comoarti
ment crui latina, un re de um hornera Hnmiaen
le, Napoleao. Eis em breves traeos e colorindo-se
no mappa a historia de Napoleao.
No scalo XVIII diz o Sr. Dr. Collaco one no
anno 1774 acba um soberano fraocez Luiz XVI e
oisto cifra se os grandes aconteciraenlos do reina-
do d'esse infeliz soberano I
Sr. Dr Collaco, queira-se dar ao trabalho de se-
guir eomigo o camin o que tive na historia de Na
polelo. .
Em 1754, 4a compartimento colloqne se ama
cruz grega, nascimeoto de nm hornera celebre,
Luiz XVI; m 1774 5* compartimento cheir, sobe-
rano, Luiz XVI .sobe a lo roo ; em 1783, 9a com-
partimento ni 'io cheio, tratado de paz do Versail-
les; em 1787, 7o compartimento cheio. convoca-
cao da assembla dos notaveis ; em 1788, no mea
mo compartimento e o mesmo symbolo, convoca
{lo da segunda assembla dos notaveis; em 1789,
no mpmo compartimento e mesmo symbolo, re-
uniai dos Estados Geraes ; no mesmo anno, 7
compartimento eheio, revolugo do povo'de Pars
e temada da Baslrba ; nomesrao ann>, 7" eompar
tmenlo meio cheio, abolicao dos direitos feadaes,
ele. etc. ; era 1790 7 compartimento meio eheio,
lei que determina a divisao da Franca em depar
tamento ; em 1791 moldara, grande aeoateciraen-
to, fuga de Luiz XVI ; raesrao anno 8a compart
meato meio cheio, tumulto oa insurreicao do Cara
po de Marte; mesmo anuo, 7a compartimento
eheio, as-embla legislativa; era 1792 1 compar-
timento cheio, guerra com a Austria ;. no mesan
anno, 7' compartimento eheio, convenci nac onal
e declaracao da abolcao da realeza ; em 1793, 4a
compartimento, morte de um imminente, Luiz XVI,
lado cor amarella.
Deiyo de collocar os borneas Ilustres no 4' com-
partimento, para abreviar.
Sobre os Estados-Unidos veja se o que se pode
fazer, se acham-se ou nao as mesmas contienes
em que a historiado Napoleao e de Luiz XVI.
Em_1773. 8a compartimento deurado cheio, re-
vokicao de Boston; em 1775, 1" compartimento
meio cheio, diurado, bataltn de Bunker's Hill, na
qaal sao derrotados os inglezes ; no mesmo aon<;
7a compartimento cheio. nuoiao de um congresso
em Philadelphia ; em 1776, moldara anrea, inde-
pendencia dos Estados-Unidos ; em 1777. 1 com
partimento meio eheio, batalhas do Treotofl. Prin-
Pnncetown e Saragota ; em 1778, 9 compaoi-
ment, cruz greg X alliaoc com a Franca ; 1"
compartimento meio cheio batalha de Ouessont,
etc. etc.; em 17S1 e 1782, 9a compartimento
cheio, paz, reeonhHcimento da independencia pela
laglatrra ; en 1745, 6a coTpartimeoto meio cheio,
de coberia seientica, Franklin des'-bre a electri-
cidade s> bre os oara-raios ; em 1789, 5o compar-
timento cheio. Washington presidente da Rep-
blica ; em 18i5, 1 compartimento cheio, ded .
ra^ao de guerra Ioglaterra. etc. etc.
Avista do que tenho apreseatado, v o publico
que se bera que nio esiejara representados no
maipa todos os aconteciraenlos, por isso nao de
deix de os poder fazer representar.
Eotrelanto o que disse a respeo das tresques-
t5es'exposta', pode dizer-se qnanto ao Brasil, fa-
zendo apparecer o gnerra dos hollandezes, bala
llia, revolugo de 1710, a d* Minas de 1789, a de
Parminbuco de 1817, 1824, 1831, 1848, etc.
ele. etc.
Mas o Sr. Dr. Coliseo, querendo ara pretexto
para condemoar o metodo, traz em >m f.v.ir
'Ji enca de factos ; entretanto nio ha quem
co saiba que o methodo Zaba nao contm a his
lona universal completa, pirquanlo o seu autor
a d como nm specimen p ra se formar e mesmo
completar o sea mappa addazindo-lhe os oatros
fados iue nao eslao inscriptos ; porm c mstiiue
iste raza i para se qualificar de rh irlatani.-mo o
mtihodo Zaba ?
Nirgui eos irais que fallan sobre a materia de onvir di
zer, e ignorando todo.
Agir urna observado sobre um pont) do ter-
ceim artgo do Sr. Dr. Collaco.
Diz-elle : nos Estados Unidos v-se 12 quintos
f-tutpariimentos chelos, temos (2 soberanos. Ser
(^uc o grande inventor do methodo Zba nao .- a i b 1
fazer disiincgo entre soberanos e presidentes de
repnblica ?
$ai admir ir como se diga isto em orna questo
seria ; pot a como se escaninha todos os meios
de deprimir o hornera e o methodo, fa? se isto.j
Ora, o soberano, rei, imperador, sulto, schak,
ele, a primeira autoridad-, o chefe da naga",
e o que o presidente da repblica nao ser tam
bem o chefe supremo da nacao ?
Ser porque o presidente tem um prazo limita-
do de temp i para exercer essas fuocoes que o fata
perder esse carcter supremo ?
Nioguera dir que soberano e presidente de re-
publica nao sao da mesma jerarchia social, a nao
ser o Sr Dr. Collago.
E eendq assim, para que eollocar os presidentes
de repblica no 4 compartimento Se sabe se
que irata-se da repnblica, ninguem dir que o
symbolo no 15 compartimento qutr dizer rei, e
is'.o indicado pela cor qne determina a nacao.
Recife 6 de outubro de 1871.
Jos Augusto Ferreira da Costa.
(Continuar se ha).
DeclaraQilo preventiva.
Oabaixo assignado, casad propietario e fazeo-
deiro na p"vincia do Pianhy.'Ohde tem seu domi-
cilio lendo iiontem no Diario de Pernambuco de 4
do corren;-, urna relacao nominal di- guardo na
eionaes designados para o servico do 1* esquadrao
da eavallaria desta capital, deparoa com o sea ao
e ioscr po no numero dos guardas desigua los
ao 3* batalhao de infantaria, e porqae o abaix
assignado, alm de ser exudante do 4.* anno da
Faculdade de Direito desta cidade, capitn secre
tario geral do eommando superior da guarda na-
cional do municipio de Marvo da mesma provin
eia do Piahy e se acha competentemente licencia
do para poder estadar aqai a sci-ncii do direim,
declara portaoto, qaem competir, e a quera por
aeeaso tiver lido a alladida rel-cao que nao ple
enera deve, por sem duvida, referirse tal nome
oa designacao pessoa lo mesmo abaixo assigna-
do, e sim talvez lgam indivao de igual aome,
seoSofji alguma pilheria de raau gosto que de.-
preza.
Recife, 9 de oatubm de 1871.
Arislides Cesar cTAlmeida
4.* seecao.Pala:io governo de Pernmba-
co m 21 de junho de 1870.
Remello ao Sr. superintendente A. de Abreu
Porto, dos tnlnos urbanos do Rjcife Olinda, par
sea coohecimento e execugo, o regalaroento dest
data incluso por copia dado para o servijo desta
empresa.
fVancisco de Assu Pereira Rocha
C0P1-4-O vieep,residente da provincia, ten do ero
vista o requer nenio de 19 de abril ultimo, do
saperratendeote da companhia dos trilhos urba-
Hos *o R-cife Olinda, e os parecer da direc
tona da me-ma companhia e do engenbelfo che-
le da repartigao das obra publicas; resolve, *e
ccaforroidade com o art. 4 3a da lei n. 667 de
23 de abril de 1866 e aris. 14, 17 e 18 do con-
trato te 22 de jnlno 1868 approvar o geguin
REGLAMENTO
DOS TBENS DR PASSAOEIBOS
Art. 1.a Os ireas diarios sero compostos de wa -
goes para tre- classes de passagetros, os qua
pagare os procos flxados Das tabellas annxas A
B, C
Art. 8.a Ninguem podereondozr nns earros de
Ia classe, espingarda era oulra jualquer arma de
fogo ; e para poder fan lo nos de 5a on 3a classe,
preciso que a arma esteja descarregada, o que
deve ser verificado pelo contmetor.
Art. 9. Nao serao admiuidas nos earros crian-
gas menores de seis annos sem pessoas que as
condatara, sendo qne as menores de tr?$ sanos
serio levadas ao eolio e nada pagaran, e de-la
idade at seis anuos pagaro metate do valor da
passagem.
Art. 10. E' interdicta a entrada as estaco; e
nos trena:
1.a As pessoas embriagadas on indecentemen-
te vestidas.
2. As que padecerem molestias contagiosas.
Art. 11. A diposigao d) art. 8 nao se refere
aos agentes da torga publica que viajarem era ser
vico da polica.
Art. 12. Os passageiros sem bilheto, oa que
apresentarem nasses concedidos outrem ou em
dia differente do qae resar o mesmo passe, paga-
ra > urna vi?gem inteira, quaquer que seja n^pon
to que fe dirija.
Art. 13. O paisageiro que exceder o traje to
que se der i mlbete por elle comprado, oa qae
viajarem carro de classe superior que Ihe der
direito o bilhete oa passe pagar o duplo do ex
cesso.
Art. 14. O passageiro qae inflingir qaalquer
das disposigSes do presente regnlameoto, e, depois
de advertido pelos empregado* da companhia, per-
sis'ir na infraccao, ser posto fra da esta cao, on
carro em oue estiver, restituindo-se Ihe o valor do
bilhete que hmver comprado, se nio tiver eome-
cado a viagem.
DOS TRENS DE CA.R0.1.
Arl. 15. Cada passageiro pode transpertar gra-
tuitamente e sob sua noca responsabilidade, nm
volume de bagagem cuj peso nio excela a dez
kilogrammos-; contanto qne possa, ser collocado
por baixo do sen lugar e nao incommode aos de-
ntis viajantes.
Esta cooeessao nao se entende seno aos ob-
jeclos de aso ordinario, taes como nrapa, artigos
de toillele, et;.
Art. 16. Toda a bagagem que nao se aebar na*
condigSes do ariigo antecedente, devs ser regs-
trala 6 ser transportada de conforraidade com a
tabella an^exa sobre a lettra D, polo trem de
ca-ga.
Art. 17. IUvera diariameote pelo menos um
trem de carga do Recife Olindi, e outro desta
para aqoella cidade, mas em horis em que nao
liajam trens para passageiros.
No'haverao trens de carga, nos dias santifica-
dos nem noule.
Art. 18. Nenhuma carga, bagagem on aniHa!,
ser despachada sera que os respectivos dono?
ou despachantes declarem no acto do pagamento
d frete o lugar en que devem ser descarregadas
atina de ser collocalo no volume nm rotulo ira-
pressojart. 35) devendo se for era algama das es-
tagSes intermediarias, haver pessoa prompta para
reeebe las inmediatamente (art. 28).
Art. 19. As raercadorias despachadas para as
estagoes da Eocruzilhada, Ohnda ou Beberib, po
dem ahi permanecer al 24 horas.
Art. 20. Fmdo o prazo marcado no artigo ante-
cedente, pagaran 03 destinatarios ou douos a ar-
mazenagem de 50 rs. diarios por nnidade ou frac-
go de l'1 kilogrammas pelos pnmeiros trinta dias,
e deste prazo em diante 100 rs. pela mesma uni-
dade.
Arl. 21. Os objectos de grande volume e peso,
porm de pouco valor como tijollos, cal, madeiras.
etc., pagaro o frete indicado na tabella E, deven
do a cal s-r ensacada, e os objectos carregados oa
descarregados a cusa oa pelos proprios donos, on
despachantes, podando poim f-lo pela compa-
nhia mediante ajuste previo.
Art. 22. Os objectos do maior responsabilidade,
como : vidrns, longa, mobiliss e oatr's dessa na-
tureza pagaro o frpte estipulado na tabella D,
c.im augmento de 50 % e sera cirregados e des-
carregados a cusa, isto pelos proprios donos ou
despachamos.
Art. 23. A companhia nao obrigada trans-
portar volames de peso superior quinheatos ki
logrammos, nem to poueo objectos re ans valor,
como joias, dinheir >, etc., seno cobrando, alm
do respectivo frete, mas meio por cento ad valo-
ren, e d'darando no respectivo conhecimento a
importancia pela quai fi :a responsavel,
Art 24. Os animaos e aves dome-ticas so pode-
r sor transprtalas se esltverem acondicioo das
dentro de caix^s, barricas, caposiras ou gaiolas,
e pagando frete duplo ao estipulad > na tabella D.
Os caes, poim, .- podero ser despachados se
estiverera amordagado-, e pagaro o importe de
urna passsgem de 3a classe.
Art. 25. 03 animaes de qaalqaer espcele que
nao forem retirados das estagoes immediatamente
depois de ahi chegarem, p)dero ser recolhidos a
qualquer deposito por conta e risco de qaem per-
tencer.
Art. 26. E' expressameme prohibido o transporte
de plvora oa outra qualqaer materia inflimma-
vel, exsepto com autorisago do doutor chefe de
polica e em carro especial.
Ar. 27. A responsabilidad* da companhia cessa
com a eolrega los objectos aos donos ou destina-
tarios, salvo os casos especificados neste regula-
meato, e para os quaes est deflada a respoosa
bilidade.
Art. 28. A carga qae nao forj recebida Imme-
diatamente as estagSss intermediarias e nao espe-
cificadas no arl. 19, podero ser transportadas
pela companhia at a estago qae filiar mais pr-
xima, isto al a da Encrnziltiada ou Olinda,
pagando o destinatario ou doni o excesso da via-
gem e arraazenagem se a houver.
Art. 29. A companhia nio responde pelas ava-
rias inherentes natorez*. das mercadorias, como
deteriorarlo de fructas, dimraaigo de pesoj com
basti, espmtanea efferve/cencia, evaporagao, ou
eschoaraento de lquidos; a^Sim cjmo nao ser
responsavel por avaria de qualqaer natareza qae
nao for proveniente de negligencia de seus em-
pregado<>.
Ar. 30 Os despachos serio feitos por um co
nhecimento fornewdo ao despachante, e s vista
d'elle serij entregues os objectos.
Art. 31. A companhia obrigada a transpor-
tar dentro de 24 horas 03 objctos despachados,
sob pena de urna multa correspondente ao duplo
do valor do frete.
Os das santificados nio si) contados para com
pletar o praro da expedigao das mercadorias.
Art 32. O4 objectos qae no flm de sessenla dias
nio forera retirados das esuedes, serio vendidos
era hata publica por conta e risco de quem per-
lencer, para pagamento das despezas qae estivo-
rem sujeitos, recolhsodo-se o excedente ao depo-
sito publico; precdanlo, porero, annuacios nos
jornaes por espago de cioco dias pelo meaos.
Pica licito aos lonos ou despachantes abandonar
js objecl s transportados pelo prego da divida de
arraazeGagem.
ArL 33. No calculo dos fretes as fracases de
dez kilogrammos pagarle por unidades inteiras,
assim como na importancia total do frete de ara
despacho as fracg5es menores de 10 rs. serio con
lados como 10 rs.
Ar!. 34. As mereadoras qae rn poderem ser
misturadas eom ontras, sem daranifi:a la?, s po-
derio ser transportadas em wagn especialmente
fretado para esse flm.
Art 35. Os object s que nio se acharem suffl-
eienteroente aeoodidraadjs e que nao tiverem
um eadereco oa marca intelligivel, polem ser re-
cosado on entio serio transportados sem respira-
ssbilidade da companhia, fizendo-se esta declara-
gSo nos respectivos conbecimentos.
Aft. 36. Sempre que um despachante ou carre-
gador precisar de un wagn para a carga com-
pleta de sua mercadoria, deve r?qnisita-lo com
antecedencia de 24 horas, Ocaodo o expedito: su-
jetto nm* malta de 54000 por cada wagn, ae
mercadoria nio foi remeitida estacao na hora
convencionada.
DISPOSigES DtVKBSAS.
Art. 31 A companhia poder sob roqnisicao de
qua^oer pessoa e sem prejuizo do servico, expe-
dir trens especiaos de passageiros ou de raer calo-
ras, mediaate as condigSes segunres:
1.a A tata dos trens e*peciaea comprehender
urna parte hxa qae ser sempre de 20|000 rs., -e
oaica variajej jeguaJo a diauncia, jortm auaca
superior a SDO at Olinda oa 10)00 att In-
crnztihada. \
2.a Se t roquisigo for para viajar tas *Mo ho-
ras da n Jote al cinco da manbia, aagmenttr-se-
ha 50 0/0 a taxa variavel.
3.a O trmn especial de passageiros constar de
nm carro le Ia ciaste o de oulra bagagem se lor
exigido. .
4.a O trem especial de carga sera comporto do
namero de wagoes qae for requisita*, e o sen
prego ser de 2O00O, laxa feita, e Jo fete dos
wag5e< exigidos com o abate de 20 670.
Art 38. A importancia dos trens especia es
paga no acto da reqnisicto, e ao cantratador se
entregar urna declaracio da hora em que dever
aos deraais -partir o trem.
Art 39. Se o trem especial nao estiver prompio
a hora mrcala, poder o prejudicado haver da
companhia o (rete pago e mais 50 0/0, salvo oa
casos de torga maior.
Art. 40. Nao pariindo o trem especial na hora
estipalada era conseqaenca de mi vonlade oa
negligencia de qaem o Inaver reqmsltado, perde-
r este o frete pag'.
Art. 41. Os trens especiaes podBTu, na sna vnt-
ta para as officinas ou ponto de partid, ser con-
tratados com o abate de 50 0/0 sobre os precos
estipulados no art. 37, comtaoto que uio tenham
de ir alm do ponto de onde partirara on da offl-
cia.
Art. 42. Os ;adaveres s podetn ser iraotperta-
dos em wagoss -oofcwtos e pelo preoj on iougo
de ara carro de 3a classe.
Art. 43. O superintendente complsate para
representar companhia as reclamagoes de
qaalquer natureca dos que se julgarem prejudica-
dos pelos empregados das eslagSes e do trafago.
Arl. 44. Toda redamago qne-refarlr-se a al-
gama laxa indevidamente paga oa cobrada, perla
oa avaria, deve ser immediameote dirigida ao che
fe da estago do Recife, Olinda on Bncratilhada,
de cuja deciso poder o relmante recorrer par
o superintendente, mas isto dentro do qjareot e
oito horas, eabendo porm dessa deciso, reeuros
uni jmente para a directora.
Art. 45. Os empregados da companhia nio po-
.tem exigir frete nem retribuicio algama qne nio
estiver de accordo con esse regnlameoto e tabel-
las aooexas.
Art 46. Era cada um dos trens podero ser
transportados gratuitamente dous passageiros e
150 kilogrammos de carga em servigj publico, po-
rm com o competente passe fornecido vista de
crdem do governo da provincia.
Arl. 47 Os emprejidos a compiohia sao
obrigados a ministrar aos expeditores oa despa-
ensotes e bassageiros todas as informagSes nees-
sarias para a intelligensia do presente regula-
mento.
Art. 48. Era cada nm das estagSes, quer prin-
cioaes, qaer intermediarias, devem estar exposioi
ao exame dos interesados as tabellas nio s das
horas de partida e ebegada dos trens, como dos
pregii de passagens e cargas.
Art. 49. Os trens de carga poderao levar um
carro de terceira e mesmo ontro de segunda elasse
para as pessoas qae tiverem de aeompanbar a
carga.
Art. 50. Os carros do passaeeiros e o? de carga
serio lotados pelo fiscal do governo de acord eom
o, superioteudenle, e sob pretexto algam psder
essa lotagao ser excedida.
Art 51. As eslagoas dividem-ie em principies
i ne erm-diarias; as priucipaes sao as do Recife
Eoornslhada e Olinda, e as intermediarias si)
todas s demals de que tratara as tabellas A, B, C
eD.
Art. 52. as estag5es principaes haverajam che-
te, on liel de armazem e os vigas e agulfieiros oa
gaarda-desvios qae o servigo exigir.
Art. 53. as estagoes Intermediarias havar ape-
nas um bilheteiro e os vigas qae forem precisos e
agulheiros.
Arl. 54. aos chefes d.s estacSes principaes com-
pele a respoasabilidade nio so dos va ores recebi-
dos em bilhetes e ctofcecimentos de carga, eorao
tambera de todo o material e trem rodante que fdr
recolhido s respectivas esrtag3es.
Arl. 55. Para execocio da disposigi.' do ariigo
antecedente deverao 6s chefes de-las estafOes
prestar peranle i superintendencia eVa contento
della, flanea idnea e proporcional aos valores que
Ibes forem confiados.
Art. 56. Os bilheteros das estagoes interme-
diarias, bem como os*conductores prestar igual
mente fhnca idnea pelos valores qae Ihes torera
lambem confiador.
Arl. 57. Os chefes das estag5es principaes pres-
tarn eonias semanlmnte, e os bilheteros e con-
ductores diariamente dos valores que Ibes forem
confiados.
Art. 58. Os chefes de estago nio receberio ba-
gagem nem mercadorias para descarregar seoi)
de conformidads com a gma qoe as deve sempre
acompanhar, e no easo de fallar algam volme
dos mencionados na guia da descarga, devero re-
clamar dentro de vraie e quatro horas cenradas da
cli- g.ida do respectivo ttem.
Art. 59. Os conheciraontos _de frete e as gaas
da carga serc pascadas de livros detaliocora-
plsumente rubricados pelo presidente da direc-
tora.
Art. 60. O superintendente o nico res-
ponsavel perante a directora pelos valores dos bi-
Iheies, freles e mais obiectos que a companhia
precisar para regalaridade do trafego e servigo da
linha.
Palacio- da presidencia de Pernambuco, 21 de
junho de 1870. Francisco de Aisis Pereira Ro-
cha. Confere, Antonio Aunes Jacomt Pi-
res.
r=HACA DO RECIFE 10 DiTOTUWff)
DE 1871.
as 3 1/2 bobas na tardi.
CoUtfto* officiaes.
Algodo da Parahyb Ia sort 701 rs. por kilo
. posto a bordo a frete de 3|4 e 5 0|0 (hoolem).
[dem dem dem681 rs. por kilo porto-a bordea
frete de 1 d. e 5 OjO (oontem).
dem dem dem708 rs. por kilo posto a bordo a
frete de II1I6 d. e 5 0|0 (bootem).
Akpio *0 Rio Graos** Noria 667 rs. par
kilo porto a bordo a frete a 1 d. e 8 0,0. -
Cambio sobre- Londres 90 iv 24 IL8 d. por
l000(hontem).
Dito sobre uo 90 tf|v 24 M 4., e do banco 24
1|2 d. por UOOO.
Cambio wfcre Pari6 90 liv. 48t>rs. por franco.
f. i. Pinto,
Pelo presidente.
BerMfdino e Vasconcellos,
JBL Pelo aacretario.
ALFANDKGA
ReMimdMo de a 1 9 .
dem do da 10.....
*m:tH6*751
37:629*707
310:1764458
Movimiento da aladega.
Volames entrados
H
com
coa
Voluaes
I
sabidos
eom
eom
fzendas
geaeros
fazenu
gneros
14
417
213
484
431
697
dem
Descarregam boje 11 de'outabro.
Patacho amsricnoIza taboado.
Bngue ioglezWereldburg cunhete ac.
Brigue al'emioCoronavarros gneros.
Brigue inglezCoila canos de ferro.
Brigue portagaezBella Fqueirensalagedo.
Brigue portaguezTriumphp -varios gneros.
Despachos de exportaca'o no dia 9 de
otilubro.
Para o porto* do exterior.
N brigne inglez itfnrtf, para Liverpool, car-
regarara : Sannders Brothers t C. 130 saccas com
11,292 kilos de algodo.
No vapor ioglet Gfadinfor, para Liverpool,
carregaram : Aotnmo Daarte Carneiro Vianna
553 saceos com 40,201 kilos de .ilgodio ; Keller
4 C 1,000 conros verde salgados e 1,000 ditos
seceos salgados com 33000 kilos.
Na barca portugoez Audacia, para Liver
pool, carregaram : Rabe Schamethau A C 315
saccas cora 24 616 kilos de algodo.
Na barca inglesa Mrteor, para o Canal, car-
regaram : Luiz Jos da S Iva Guimares 168 sac
cas com 12,600 kilos de alindas e 42 saceos c m
3,150 k'los de assucar mascavado ; Sauoders Bro-
thers & C. 164 saceos com 12,300 ki os de dito
mascavado.
No patacho portaguez Litera/, para o Porto,
carregaram : E. R. Rdbello & C. 300 saceos con
21,500 kilos de assucar mascavado.
Para os portos do iotrior.
Na barcaca tispardate do Norte, para Ma-
manguape, carregou : Francisco A M. Jnior 3
pipas cora 1,440 litros de agurdente,.
Na barc.ga Benedicto, para Macei, carre-
gou : Francisco Alves Martins Jnior 4 barricas
com 260 kdos de asucar.
Na barcaca Unto do Norte, para a Villa da
Penha. carregon : Juo Uartios de Barros 2 bar-
ricas com 137 kilos de assucar e 6 frasqaeiras
eom 48 litros de geaebra.
Na barcaga Floridt, para Camaragibe, car-
regou : Jos Gomes Brasileiro de Amorra 2 ca-
xas com 15 litros de genebra.
RECEBEDORIA DE RENDAS INTERNAS
GERAES DE PERNAMBUCO.
Rendimento do dia 1 a 9 20:5511463
dem do da 10; ... 3:403*370
~23~93i#833
Pedido aos Srs. passageiros.
Rogase as pessoas que tiverem de embarcar
que munara-se de bilhetes antes de tomarem as-
sento.
Prefo das passagens.
do Recife a Olioda on B berihe.,
Ia elasse 4Q0 res
2a diia 300 i
3a dita 200
At a Enermilhada, porm, ser o cos'.o de ca-
da ama das classes menos SO por cento.
Nos domingos o dias santificados haver trem
de hora era hora.
O su per i atonden lo, Andr de Abreu Porto.
COMMERCIO.
Seguros contra-rogo
COMPANHIA
NORTHERN.
Capital........10,000:000*00(1
Fundo de reserva .... 8,000:000*000
Agentes,
iWiilf Lathan C.
IMPERIAL
Companhia de seguros contra
fogo.
CAGENTES
S. P. JOtmSTON & C;)
Roa da Senzala-nova n. 41.
SEGURO CONTRA FOGO
The U verpool dr Loorton 4 Glob
Iusorance Company.
Agentes :
Sannders Brothers 4 c.
11Cerpo Santo H.
THE'ALLIANGE BRITISH 4 FOREIGN.
Life and Pire Assorance Cotnpany estabetetjdt
em 1824. Capital 5,000,000
Os agentes desta companhia tomam segT.ro*
contra fogo sobre predios, genefos e faendm e
pagan aqni prejaisos dvldamest'pfovadoi..
iRabe Schinettatt di C
Corno anto a. 15.
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendimento do dia-1 a 9 41.097*618
(dem do dia 10...... 1 675*312
12:772*930
MOVIMENTO DD PORTO.
Navios entrados no dia 10.
Terra-Nova -* 8 das barca ioglea //Jen Isabel
de 239 tonelada?, capitao Glass, eqnipagem 11,
carga 2999 barricas com bacalhao ; a Jubastuo
P?ter A C.
Te>ra-Nova 34 das, patacho ioglet Isabel, e
162 toneladas, capitao Willtam Sapp, equipa-
gem 8, carga 2500 naiticas cora bacalhao; a
Corga & Irmo.
Havre 39 das, barca franceta Santo Andr, de
268 toneladas, caprto Hirael, equipagem 12,
carga dilT^rfntes mercadorias ; a Burle Si C.
JVauoj sahidos no mesmo da.
Hossor patacho norte-allerao Tecla, capito
J. Oldeleber, era lastro de pedra.
O inspector Ja alfandega faz publico, qae
nxisiindo na mesma os voluraes abaixo declarador
no easo de serem arrematados para o consumo,
de conforraidade com o diposto no capitulo 6.a
titulo 8.a do regulamento de 19 de setembro de
1860 e art. 13 do decreto n. 3)17 de 31 de dezem-
oro de 1863, os seos donoa on consignatarios de-
vero despachadlos no prato de 30 das, sob pena
de, fiado elle, serem vendidos por sua conta, sera
que Ibes fijue competindo allegar contra os effei
tos d'essa venda. *
Anime 1 7.
Marca E P S-N. 4U* aixa fMa de Liver
pool no vapor inglez La Pbu, entrada no arma-
zem era 15 de outubro de 1890, consignada a Cir -
los Pinto de Leos & C.
dem N. 5Urna dita, Idea idea Mem.
IlemN. 6.Urna dita, idem dem dem.'
dem HLqaadrado-N. 9-ma dita
idem, consignada a H. Leger.
demN. 110-Urna dita idem idem ida.
Ilem E SN. 18Urna dita idem dem, consig-
nada a Carlos Pinto de Lemos & C.
dem P.L &C diaraante-N. 679-Uma dita
idem dem, coasignada a Arauio & C.
demN. 680-ma dita, idem idem Idem.
dem 98 16 dous diamaotesSem oumeroUrna
caixa vinda de Liverpool na barca ingleza Delphi
na, entrada em 6 d dezembro de 1870, consigna
da a Thomaz Jefferiej di C.
dem D P W CN. 6734Urna dita da mesma
procedencia, entrada na mes na "data, consignada a
D P Wild k C.
Idean D B-A 4 CN. 111 -Um fardo idem,con-
signado a Alves & C.
MeraN. 113Uro dito idera idem idem.
lleraN. 115Um dito idem idem idem.
demN. 117Um dilo dora idem idem.
I lera-n. ICOUra dito idem idem idem.
demN. 102Um dito dem dem idem.
demN. 104Ura duo idem idera idem.
demN. 106Ura dito idem idem dem,
demN. 109Um dito idem idem idem.
demN, 119Um dito idera idem idem.
dem J M PN. 3Um diti vindo no navio in-
glez Gladiator, idem, consignada a Jo> Mara Pal-
meira.
dem A & C. trianguloN. 70.Urna caixa vio-.
da no mesmo navio, entrada em 16 de dezembro,
consignada a Alves & C,
dem M. G & CN. 3.")0.-Uma dila vinda de Li-
verpool no mesmo navio, entrada em 16 de Janeiro
de 1870, consignada a Monteiro Gregorio & C.
IlemN. 1422Urna dita idera dem dem.
Idera A & CN. "i-lima dita idem idem ilem,
consignada a Alves & C
Idem H L diamante B WN. 91Urna dita
idem idem idem, consignada a II. Leger.
I Ifin M G & -IN. Ti\ -ITm-i dita idem idem,
consignada a Monteiro Gregorio & C.
Idera M G 4 C triangulo ON. 1530Urna dila
dem dem idem.
IlemN. laolUrna dita idem idem idem.
demN. 1532Urna dita idera idera idem.
dem -N. 1533Urna di a idera idem idera.
demN, 13 ii-Urna dita idem idem dem. |
IderaO. 1555 Urna dita idem idem idem.
dem A N C L-N. 4-Urna dita idem idera,
con.'igoada a Alves & C.
dem U diamante P T -N. 121 -Urna dita idem
idem idem, consignada a S. P. Jobnston & C-
Idera M C 4 CN. 3l9.-Uma dila idem, en-
trada em 12 de Janeiro, consignada a Monteiro Gre-
gorio.
dem A & C-M-N. 3Urna idem idem, consig-
nada a Alves & C.
loem MG& CN 35!-Uma dita idem idem,
consignada a Monteiro Grejuno & C
demN. 1423.Urna dita idem idem dem.
dem N. 1421 Urna dita idem idem dem.
dem A & C, G & H-N. 3503-Uma dila idem
idem, co isigoada a Alves dt I*
dem S P JnhnsionSem numeroUm volme
idem, entrado em 31 do jaoeiro, coasgaado a S P
Julin-lon & G.
Ilem J R & C, SN. *9TTm surrao rindo do
Rio de Janeiro, entrado e.m 9 de fevereiro de 1871,
ignora-se'a cousigaacao.
dem S 4 C D iravessoN. 337Urna caixa
vinda de Liverpool na barca ingleza Tiiugscude,
entrada em 18 de fevereiro de 1871, consignada a
Slv ti.-: din & C.
demN 338Urna d ta idem dem, eairada em
21 de fevereiro, idem.
Idem-N. 339-Uma dita, idem, entrada em 24
de fevereiro, id m.
dem D P. W, C N 6907Urna dita idem idem,
entrada em 7 de marco de 1871, dem.
Idem-N. 6831Urna dita idem dem, entrada
em 7 de marco de 1871, idem,
Alfandega de Pernambuco, 9 de outubro de
1871.
fmfltt Xutiir Sobreira de M/lo.
dem dem.Sem numero.Trinta o urna di-
ta*, Idem, idem, entradas em 7 de marco, idem.
' dem J diamante.Sem numero. Tres ditas,
idem, idem.
Sem marca.Sem namero.Oito pesos, dem,
dem, goora-se a consgaselo.
Ilem idem.Sem numero. Oilo dito?, dem,
i den.
dem idem.Sera numero. Um dito, idem,
idem, entrado am 17 de mareo, ilem.
Mam J A AH. 824 urna barrica, vinda de
Liverpool no MrMto iarttMc OMMfon, entrado em
29 de marco, aonsigUNa a Joa,uim Antonio de
de Araujo.
dem idem.-41.823.-4Jma dita, idem, dem, en-
trada em 30 de marco, idem.
Idera Idem.N. 8. Urna dita, idem, idem,
idem.
Letreiro.Sem numero.Um barril, dem, idem
Uno.
Alfaodega de Pernambuco, 7 de^ratnbro de 1871.
Emifio Xavier Sobreira de Mello.
1 *

EfHTAES.
O IHm. Sr. inspector da ibesnuraria provin
cial em cumpriiueoto da ordem do Exm. Sr. vi-
ce-presidenle da provincia de 17 de agosto pro
xiino Bndo manda fttter publico qne a mesma ihe-
ouraria vende 500 apohees da divida provincial
no valor de 100* cada ama, veoeeodo o jaro de
8 0,0 ao anno. pagos por semestre na segunda
qmnzena dos roetes de jnlhe e Janeiro, e devendo
ser resgatadas na qoinzeoa deste ultimo mez, ob
servando-se a numerado seguida e tantas qnan-
las permittirem os crditos votados anoualinenle
precedendo annuncios. Os pretendemos compa-
recam na mesma thesonraria no ora-o de 30 das,
a contar da data deste E para constar se man
don publicar o presente pelo jornal.
Secretaria da thesonraria provincial de Peroam
buco 5 de" o'ntobro de 1871.
Conforme.Servicio de offlcial maior,
LaodHino de Lana Freir.
Nos termos do 16 doactordi interp"relativo
para regalar a execacap e convenja 1 consalar de 4
de abril de 1863, entre o Brasil e Portugal, fac, >
conuar de ordem do Sr. Dr. joiz de orphaos e au-
zentes do termo do Recife que nesta cidade falle-
cern) os subditos portuguezes Manoel Rodrigues
de Preitas, esUbetecido qoe foi con ama coxeira a
ra do Imperador, de sociedade com Jos Ignacio
Borges e Manoel de Azevedo Sanios, morador que
foi a roa'do Amorim e o padre Jos Antonio dos
Sanios Lassa, fallecido em Traip na provincia das
Alagas deixando bens neata provincia, nao deixao-
do oeohura dos tinados berdeiros cinhecldos, pelo
qae se faz o presente aviso pira que chegue ao
contiecimento de qaalquer interessado qae "exista.
Recife, 6 de outubro de 1871.
. O esenvo interino,
_____________Theophilo Alves da Silva. >
0 Dr. Sebastilo do Reg Barros de Lacer-
da, joiz de direito especial do commer-
cio desta cidade do Recife de Per-
nambuco por S. M. a qaem Deus guar-
de etc.
Paco saber pelo presente, qae no da 9 de no
verobro do correle asno, pelas U horas da ma-
nhaa, na sala das audiencias, ter lagar a reunan
dascredores da massa fallida de Fernando Stepple
da Silva, na conforraidade do arl. 135 do regula-
meato n. 738 de 25 de ocvembto de 1850, adra de
que reunidos todos os credores em minba prsenca,
verifiqaem os seas crditos, coacedam oa negoem
a concordata ou formero contrato de unio. ai-
ntittido por procurador se este nao tiver poderes
especiaos para o acto, e qae a procoracao nao
pode ser dada pessoa que seja devedora dos fal-
lidos, nena o mesmo procarador representar por
loas ou mais diversos credores, bavendo se os qae
nao comparecerem por si oa por sens pro-uralo-
res, como adberentes concordata para cuja con
oessao serao cootados os votos dos ausentes assim
notificados.
Em cumprimeoto do qne lodos os credores da
referida maesa fallida compareca) em dilo da,
hora lugar designado, sob pena de se proceder
i sna revelia.
E para que chegue ao cooheciraeoto de todos
mandei fazer o prezento edilal que ser afflxado
aos lugares do costume e publicado pela im
pransa.
Dado-e pagado cesta cjdade do Recife de Per-
nambaco aos 5 das di mez de outubro de 1871.
Ea, Ernesto Machado Preire Pereira da Silva,
esenvao subscrevi.
Ao sola 300 rs. V. S. S. ecaosa.-Barros de
L cerda.
SsaaiMIo do Reg Barros deLacerda.
DECLARACOES.
O lancador da recebedorit de rundas internas
geraes desta provincia abaixo assignado previne
aos donos dos estabeleelmentos da freguezia da
Varzea de que foram collectados para pajarera
o imposto sobre industrias e profissoes no crten-
te exercicio de 187172.
Industrias e Valor loca-
prolissoes. tivo.
Estrada do Caxang
Flix Jos Caetano Vendedor
de carne
secca toa-
ciaho, sa-
bio e oa-
tros gene-
ros do paiz
em peque.
na escala.
Caxangasnh'"-.
Jos Marcelino Goagal-
ves Salgneira.
Escrivo do
juiide paz o
subdelegado
Recebedora de Pernambuco, 9 de
1871.
O lanzador.
Manoel Antonio Ribtir.
Pelo juizo de orphos do termo de Girada um
de ser arrematado de conforraidade com o dispos-
lo no decreto n. 1695 de 15 de setembro de 1869,
o escravo Antonio, no dia 12 do correte mez, An-
da a audiencia do jnizo.___________________
No dia 11 do crreme mez de outubro em
audiencia do Dr. juiz municipal da 2a vara, tem
de ser arrematado pelo lempo de 2 annos, C mo-
zos e 10 dias, os alngueis da casa teirea, sita na"
ra Imperial, juot 1 da casa do fallecido Victoria-
ao, perleocente a Jos Lopes Bias, por execocio
qae Iba move a caraara municipal desta cidade,
cujo- alluguel de 16* mensaes, como consta do
escripto em mo do porteiro do juizo.
1504609
36*000
oulnnro de
O inspector da alfandega faz publico que
existindo na mesma os volames abaixo declara-
dos no caso de serem arrematados para consume
de conforraidade cora o disposto no cap. 6 tiL 3'
do regulamento de 19 ds siembro de 1860, e arl.
18 Jo decreto n. 3,217 de 31 de dezembro de
1863, os seas donos ou consignatarios deverao des
pacha-Ios no prazo de trinta dias, sob pena de fin
do elle, serem vendidos por saa conta, sem que
Ihes fique competindo allegar contra os efleilOs
dessa venda.
Armarem n. 7.
Marca A A J C.N. (W4.-Una barrica, vinda
de Liverpool no navio inglez Redbreast, entrada
no armazem em 14 de Janeiro le 1870, consigna-
da a Joaqun) Antonio de Araujo.
Ilem dem.N. 604. Urna dita idem, dem,
idem.
dem idem.N. 606. Urna dita, idem, idem,
idem.
dem idem.-N. 607. Urna dita, idem, idem
idem.
dem A J A S-N. 1132,-Uma dita, Nem idem,
idem.
dem idem.N. 1.Um fardo da raesma pro
cedencia no navio ioglez Oline Blanch, entrado em
28 de Janeiro de 1871, coasgaado a Braga Sou
&C.
dem M.N. 480 Uina caixa, idem, no navio
ioglez Reveilet, entrado em 1 de fevereiro de 1871,
consignada a Alves & C.
dem idem.-N. 481. Urna dita, dem, dem,
Idem.
dem A A J CN. 633.Urna barrica da mes
ma procedeneta, no oivio inglez Oline Branch,
entrada em 3 de fevereiro de 1871, consignada a
Joaqnim Antonio de Araajo.
Idera idera.N. 636. Urna dita, idem, idem,
idera.
Idera idem.N. 637. Urna dita, idem, idem,
idem.
dem idem.N. 638. Urna dita, dem, idem,
idem.
dem idem.N. 639. Urna dita, dem, idem,
ilem.
dem idem.N. 640. Urna dita, idera, idem,
idera.
dem idera.N. 632. Urna dita, dem, idem,
idem.
dem idetr.N. 633. Urna dita, idem, idem,
idera.
dem idera.N. 634. Urna dita, idem, idem,
idera.
Idera J P 4 C-Sem numero.-Quarenta e urna
caixa da mesma pncedenea no navio inglez
Flyng Sceid, entradas em 17 de fevereiro de 1871,
consignadas a Johnslon Pater & C.
dem J diamante Sem natnoro. Oilo ditas,
idem, idem, dem.
Idero J P A C Sessenta e oito ditas, idem,
idem, Idera, entradas era 18 de fevereiro, idem.
I lera J diamante.Sem numero. Cinco das,
idem, idem, idea.
dem idem.Sera numero.Vinte ^e qaatro di-
tas, dem, idem, Idem, entradas em 20 de feverei-^
ro, dem.
dem J P & CSem numero.Cento e sracoeiw
ta o seie ditas, idero.
dem idem.N. 1.lima dita, idem.
Idera i*em.N. 4.Urna dita, idera
dem dem.N. 5.Urna dita, idem.
dem I diamante.Sem numero.Vinte e sinco
ditas, dem, idem, airadas em 21 de fevereiro,
dem. ... ,
J P & CSem numeroQaarenta e nove ditas
idero. .
dem idem.- Sera numero.Qaarenta 9 quatro
ditas, idera, entradas ero 24 de feverein, idem.
dem J.diamante.Sem numero. Cineoenta e
oito ditas, idem. .
dem J P 4 C-Is. 2. Un ta, entrada em
23, idem.
dem J diamante.Sem numero r,;j.ceeott e
sete dilas, entradas em 17 de fevereiro, idem.
dem J P & CSsm namero. Qaarenta e seis
ditas, idem.
dem idero.-Sem numero.-^Qainze di*.a>, dem,
entradas em 1 de raarc,o de 1871, idem.
dem J diamante.Sem namero.Trio e ama
ditas, dem, dem.
dem idem.Sem ntiroero.Cinco drtas, idm
entradas em 4 de marco, idem.
dem J P C-Sero numero.Dnas *tas, idem,
Mem.
No dia 12 do correte, linda a audiencia do
Dr. juiz de orphaos, serao arrematadas ero hasta
publica por quem raaiores vantagens effereeer/as
casas terreas n. 114 da ra de S. Jorgep terrena
de marioha, e n. 63 da ma d<* Gaararapes, solo
foreir avahada esta por 1:000* e aquella por
2:000*_________________________________
No dia 13 do corrvnte, depois da auditoria'
do Sr. jaiz de paz da freguezia de San o Antonio,
as 2 hora* da tarde, tem de ir em praca publica e
serem arrematados doas bue*, sendo ura deno-
minado tD. Jonnna, avahado por 50*, e oufio
deaomioado tEsperanza por 30*, penhorado*
vJuva de Fiancisco Joaquim do Nasciraenlo, por
exceucio de Jos Lopes de Azevedo.
SANTA CASA DA MIsElUCORDIA DO RECIPE:
A Um. junta administrativa da Santa Casa da
Misericordia do Recife maoda fazer pablieo qoe na
sala de anas sessoes, no dia 12|do mez de oolnbro
pelas 3 oras da tarde, tera de ser arrematados
a qaem mais vantagsns offerecer, pelo tempe d*
um a tres annos, as rendas dos predios em segai-
da declarados:
ESTABELECIMENTOS DE CARIDADE.
Ra da Matriz da Boa Vi:la.
Casa lerrea n. &6........ 303*600
Roa do Calabooeo.
Casa lerrea n. 18......;)02*0ii>
Raa de Monas.
Sobrado n. 45 (andar esolo.). 304*000
Ra do Prdre Florianno.
Idero n. 47.........180*fi00
Ra do Amorim.
Sobrado de 2 andares n. 26 302*000
Ra da Gloria.
Casa terrea n. 61......240*080
dem n. 93...... 180*000
Raa da Ponte Velba.
Casa terrea n. 32.......360*000
Raa da Roda.
dem n. 5......... 103*000
PATRIMONIO DOS ORPHAOS.
Ra da Guia.
Casa lerrea n. 27......146*000
dem n. 29 -......193*000
Largo do Pazaizo.
Loja da frente, do sonradon. 29. 192*000
Ra de S. Jorge (Pilar).
dem n. 101.......0 203*000
dem n. 108........205*000
dem n. 98.........2O&8O0O
Sino da Mirueira.......121*000
Os pretendemos deverao apresentar no acto da
irrematacao as snas flaneas, on comparecers
icompaniados dos respectivos fiadores.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do Re-
ufe, 22 de setembro de 1871.
O escrivo,
Pedro Rodrigues de Souza.
. SANTA CASA DA MISERICORDIA DO
RECIFE.
Pela secretaria da santa casa de misericordia
do Recile se faz publico que o IHm. Sr. tbesiurei-
ro interino raajor Lauren'.ino Jos de Miranda far
pagamento s amas do trimestre vencido de julho
a siembro, 00 salo da ca-a dos exposlos. pelas
8 horas da mantoa do dia 16 do correte, deixan-
do de serem pagas aquellas qae nao apreseMa-
rera as chancas que Ihes foram confiadas.
Secretaria da santa rasa de misericordia do Re-
cife 7 de oulubro de 1871.
' O escrivo,
______________Pedro Rodrigues de Sooza.
O lanzador da recein>dorja de rendas internas
geraes desta provincia abaixo assignado, previoe aos
moradores da freguezia daVarzea.de qus foram tot-
lectados para pagaren) o imposto pessoal no corrente
exercicio de 1870 a 1871.
Senozinho do Caxang.
Valor locativo.
Koble......... 400*010
Raa de S. Francisco do Caxang.
de
Antonio Rernardo Quinteiro.
Eagenho Brara.
Hermenegildo Eduardo do Reg
Monteiro........
liba do Retiro.
Jos Rodrigues de Carvalho.
Francisco de Paola Correa
Araujo........
Engeoh) Poota.
D. Arselina Xavier arneiro Rodri-
gues Campell 1......
Barbailio de Fura.
Manoel Autonio Vieira. -
Antonio Duarte de Olivelra. .
Arabol.
Jos joaquim Alves.....
Largo da Matriz.
Marcos de Almeida Lima. .
Manoel Jos Moreira
100*001
300*800
200*00
100*000
400*000
500*000
200*004
500*600
Travessa do Corredor de S. Joao.
i50**>
300*000
Joaquira a'AssuotyCio Queirz.
Corredor da Varzea.
Aotooio da Silva Gimes. .
Joao Pereira francisco. .
M llanca.
Joio Vieira Botcio.....
Jerooyrao Baptista da Silva. .
Bvbeiouro.
Francisco de Salles Meneies. .
Pedro Dias de sis. ....
Franeisco de Paula choa de Albu
qaerque.....
Francisco Anlonio de Olivefra. .
Anlooio R .drgnes da Silva Valle.
Manrique Lacerre.......
Manoel Jo Raposo.
>edro Antonio ttActp.
Aooa Mana da C oeoicao Baplhrta.
Joaqnim Jos Los.
J aqhim Franciseo de Panla An-
" l-anida JeroBymo BaplW a Silva. .
40O*OW>
3061000
S0O*O0O>
60*ftft
6u#eoo
60*00
60*080
64***
60*000
80*000-
2001"
V

% v


t

f
Otario de Pemambnoo Quarta leira II de Outubfo de 1871.
m
Cltttdiao deBritto
Joaquina Lobo de Fj
Ignacio Rodrigue
Jiaquim de Paula. I
Joaguim Colbo de Meio. .
Bogeoho do Mel.
Joo Al ves de Sonn.....
Escama de Paixe.
Laiz de Franca Albuqaerque. .
Bstevlo de Preitas Fragoso.
Francisco *Leio,.....
Mancel Dantas da Silva. .
Antonia Jos do Espirit-Sanio. .
Ji Joiquira Da.....
PeKsmino Alves de Mello .
Tole.
Antonio Joaquina de Sani'Anoa.
Joaquini Jos de Sant'Anna. .
JPgadinha.
Jos T.-tles dos Santos. '
Joo Dantas.......
Honlciro de S......
TorrSes.
Felipas Correa de Lyra. .
Flix Jos dos Santos Barata .
Luiz de Franca Cavalcante. .
Moaoel da Costa Cardoso Lima. .
Manoel Jjaquira da Silva Rocha
Sebasiio Carneiro da Cunha .
Apainario Carlos. .....
Felipas enicio Rodrigues. .
Manoel Ferreira......
Jos Estevaj de Porciumeula. .
Maooel Moreira do i Sanios. .
Juriacanga.
Manoel Rodrigues Conrado. .
Jos Pereira de Santiago. .
Sardio ha.
Joio Evangelista Cavalcante .
S. Paulo.
Domingos R jdrigues da Silva .
Salamenha.
Jos Joaquioi do Reg Barros. .
Eogenho Carado.
Clandiao Correa G mes. .
Calisto Bispo de Jess. .
Francisco Gomes Baraana.
Francisco Rodrigues dos Santos .
Eugeuho Curado.
Ignacio Liy; la da Paixo.".
Jos Rodrigues dos Santos. .
Jos Severino da Silva. .
Jos Cae tao dos Praieres. .
Jet Kslevao de Aguiar. .
Manool Rodrigues dos San os de
Jesu-..... ...
Mauoel JoaquiH d'Aquino. .
Mauool Maioel 11 ixnno de Jess.
Pedro Rodrigues dos Santos .
TaoniiZ eaerra Cavalcanle. .
Francisco Crra Liborio. .
Antonio Alves de Oveira. .
Eogeobo Sao Cosme.
RuCro Cavalcanle de Albnquerque
Quilombo.
Jo* Pedro Alexandrino de Saboya.
Catle.
Barnardino Jos Gomes Campello.
Joaijuiui os de Sant'Anna. .
Pesqueira.
Autoaio Florencio Ja Silva. .
Jos G loaes 'laa pello.....
Bernardj Jos Alves.....*
Francisco Ja.- de Alraeida Carva-
lao.........
Joao Francisco de Sonza ... .
Antonio Caroeiro da Silva. .
Antonia Campello Baodeira. -.
Francisco Jos de Saut'Aona. .
Ciernen* Jos Correa. .
Jjaquicn Alves de S lul'Anna .
Francisco Carneiro das Chaga?. .
Antuuio liodr.gues Campello .
Francisco das Clwgas Leilo .
Angelo Rodrigues Custodio da
Tnndade........
liento .ipi ra Campello. .
Casimiro Rodrigue* Colbo. .
Fraacisoo Josde Souza. .
Vitor Matbeus. ... .
Paulo Correa d JoSj Al es Campello.....
Joao Carneiro dai Cbagas .
Jos Francisco Manso.....
Jos hidra Campello.....
Manuel Das de Mendonca .
J'iaou'O! Francisco Ama ocio .
Piquete.
Julho Joaquina de Siot'Anna. .
Otaria.
Amaro Pinheiro Rodrigues da
Palma........
J is B oto de Freitas.....
Manoel Pedro do Nascimenlo. .
Jequi
Amara L^pes dos Santos. .
Damin Nobre Lima.....
Felippe S khi.im de Sant'Aooa. .
Eaz-nho C iva da Oaja.
Agostinho Jos Tbeodoro da Silva.
Eogeabo Santo Amarioho.
Antonio de Albuquerque Mello. .
Ignacio Cavtcanie de A'buquerque
Joio X4vier R.drigues Estoves .
Joao de Altiuquerque Mello. .
Joao Aaionio da Cruz.....
Manoel Telles dos Aojos. .
Jos Antonio Gomes.....
Hiaario Francisco da Silva. .
Manoel Flix dos Santos. .
Man el Lobato d Jesns.
Ftlix da Costa Barbalho. .
Juviao Jos dos Sanios. .
Eustaquio Alves da Gu\rda .
S. Francisco.
Maooel Ju.- Ignacio.....
Antonio Justino de Sant'Anna. .
Maiwel Elias Filgoeira. .
Jangadinh.
Felippe Cavalcante.....
Nicolao Tolentino......
Lambe.
Manoel Ji>< da Costa.....
Francisco Gomes Clandino. .
Lucas Gomes Pereira.....
Francisco- Estoves de Lyra. .
Mlos Jos de Sooza.
Recebedona
I87i
ecjooo
liUOOO
601000
60*000
60/000
lOOOO
60*000
604000
60*000
601000
601^00
605000
60*000
601000
60*000
60*000
601000
6010CO
1001000
3001000
loOldOO
4001000
96*000
1001000
1001000
601000
601000
961000
9dl000
60*000
601000
200*000
60*000
100*000
1001000
60*0. .'0
601000
1001000
1001000
lOiooo
60*000
C0*0iK)
60*000
601000
6011)00
1001000
60*000
10i 1*000
200OO
200*000
3001000
60*000
' 601000
601001
72*000
60*000
60*1100
60*000
60*000
100*000
6O*"0O
60*000
60*000
60*000
60*000
60*000
60*000
60*000
60*000
60*000
100*000
60*000
6*C00
60*000
100*000
60*000
eo'Kjo
60*000
60*000
60*000
60*000
100*000
60*000
0*000
00*00"
60*000
60*000
60*000
60*000
100*000
200*000
6' i*000
60*000
6iiJ5iOO
60*000
60 i 01M)
60*000
09*1100
60*000
60*000
100*000
60*000
60*000
72*000
72*000
601000
601000
60*000
60*000
200*000
60*000
de Pernambuco, 9 de outnbro de
O lancador,
Manoel Antonio Ribeiro.
THTRO
santo amo
Sexta-feira 13 de outubro
Espectculo extraordinario em beneOcio dos ar-
tistas hespanhoes Omz, Miguel Dias, Niy e Conde.
Estes artistas tendo sido obrigados, em conse-
qaencia d'um embargo (sem justa cansa reque-
rmenlo de Manoel Alvares) a desembarcarem de
bordo do vapor S. Jacintho, onde ja se acbavam
com saas familias prestes a seguir para a provin-
cia da Babia, se virara por es-e raesmo motivo for-
cadwj a flcar em trra, sem ler pessoa alguma
que Uies prestasse auxilio, sem meras para se
uiaateretn e sem ronpa para vestirero, porm como
em toda a parte ha bons e raaos, encoatraram por
am doas eavalheirog que sejcoodoeudo do estado
em que elles se acbavam ibes abriram as portas
9 "s casas; os quaes sio os Srs. Teixelra, es-
uneiejido com urna palaria roa da Florentina,
onde actualmente se a;hara hospedados, e Aoto-
UL ii!e 3arle Coimb. proprietario do theatro,
qtre mes proporcionou os meios de poderem dar
este MMetacolo anm de poderem accudr as snas
oecessidades.
Pur broas beneficiados confiando na bondade e
prcteccao que o .Ilustre publico pernambucano
sempre se dispensar a todos aqnelles que verda
dwrtoienle precisara, qosan esperar a sua valiosa
IJavacao pana Ora tao justo.
G eipactacnlo devidido em tres nartc "
I." PARTE.
1.' Ejercicios gymnasticos por algoas artistis
i' Arta cmica por Floriano
Meu yoy voc me mata
! PARTE.
l nto da zarzuella
m pelos Sh.Orthe as
V
Exercicios gymBa*ticos.
3." >A|rrB.
*fw de Fgaro da per barbeiro de S#-
0 mallo aparvalhado
E' este o devertiaiento que os beneficiados offe-
recera ao respeitavel pobllco.
0; baoeQciados desls j agradecen) a todos os
Srs. anias, Unto nacionaes como estrangeiroa,
a maneira graciosa pela qual se prestarara tra-
balhar, coadjuvando os nesta horrivel emergencia.
O beneficiado pede as pejsoas qne o honraren)
o Iaror de sotlsfazerem o sea importe para pou-
par o trabalho de cobrar.
A% 8 1(2 horas.
w 8r. Flaviano a represen lacio
THEATRO
MAXIMBOMBA
(Em Seberibe)
Domingo 15 do corrate. Era beneficio do ac-
tor comieo
Lulii.
Subir, a -cena pela primeira vez a galante co-
media
Paiviaha 11 o esperou.
Pelo beneficiado Lul'e Mara grande da BocaMa
malla.
Em seguida Papa-ovo, cantar a canjoneta c-
mica
Banbo fro em maiambomba.
Oara fim ao espectculo cem a pantomina
A Frtta Damiat Na qual tomam parle, Paraizo, Engole-Cobra,
Papa-Ovo, Joanna G jrda e Calisto.
Os bilhetes vendem-se na Povoacao n. 30.
AVISOS MARTIMOS.
Attenc&o
J. H. B iros, capito da barca iogleza Woodland,
entrada por arribada toreada oeste porto cora car-
regaraento de taboado, e tendo sido cindemnada,
urecisa frotar pava o porto de Monte-Video e Bue-
nos-Ayres um navio que carregue cerca de
300,000 ps de taboado era pranchoe9 : os pre-
tendentes dirijam-se a ra do Commercio n. 8,
1* andar. ___________________________
COMPANHIA PERNAMBUCANA
Navegando costeira por vapor
Macei, escalas, Penedo e Aracaj.
O vapor Giqui comraandacte
Guilberme, seguir para os por
tos aciraa no da 14 do corrent
as 5 horas da tarde. Recebe car
fa at o dia 13, eQcommenda.-.
eiro a rete at as 2 horas d;
arde do dia da sahida : escriptorio no Forte di
dattos n. 12.
jassagoiros
AVISO
Augusto Xery da Silva Lobo, capitn do brigue
nacional Alberto, entrado por arribada Toreada
oeste porto, com am carregamento de cebo em
pipas, de Montevideo, tendo sido condemnad, pre-
cisa frotar um navio para levar seu carregamen-
to de cerca de Ht pipas para o Canal para or
leus, e ouiros termos conforme a carta de frea
ment. Recebem-se propostas em carias toen idas
at meio dia de quinta-feira 12 do cerrente, no
escriptorio dos consignatarios no largo do Corpo
Santo n. 9, aonde os pretendentes podem dirigir se
para qualquer informaeao.
COMPANHIA PE1LNA.MBUCANA
DK
v'avegaco costeira por vapor
Parahyba, Natal, Maco, Mossor, Ar
oaty, Cear, Mandah, Acarac e
Granja.
O vapor Pirapama, comman
danle Azevedo, seguir para
os portos cima no dia 14 dr
correte as 5 horas da tarde
Recebe carga al o dia 13.
encommendas, passagns e di
nheiro a frete al as 2 h>ras da larde do dia di
sahida : no escriptorio do Forte do Mallos n. 12.
COMPANHLV PERNAMBUCANA
DE
Navegando costeira por vapor
Mamanguape.
O vapor Corurtpe, com
mandante Silva, seguir;
para o porto cima m
dia 12 do corrate as
horas da tarde.
Recebe carga, eacom-
raendas, passaga.ros e diolie.ro a frete at as 2
lioras da tarde do dia de sua sabida : escriptoric
ao Forte d Mattos n. 12.
1
I
Seguir com a possivel brevidade o palh-bote
Emilia, capito Pereira : ainda recebe carga a fre-
te : a tratar com S Leilo Irraoe ra da Ma-
dre de Dos n. 1.
DAS
Messegeries martimos.
At o dia 11 do corrente mez espera-se da Eu-
ropa o vapor fraocez Amazone, o qnal depois da
demorado qpsturae seguir para-Buenos-Ayre?,
tocando na Baha, RioJaneiro e Montevideo.
Para condicoes, fretes e passagens, trata-se na
agencia, ra do Commercio n. 9.
No dia 12 do crreme mez espera-se dos por-
tos do sul o vapor francez [ronde, coramandante
Giost, o qual depois da demora do cosame se-
guir para Brdeos, tocando em Dakar (Gore)
Para frotes e passagens, trata-se com os agen
tes Henry Forster A C., roa do Commercio u. 9.
RIO DE JANEIRO
Para o porto cima segu com brevidade o bri-
gue nacional Dando, tem parle da carga engaja-
da, e para o resto que Ihe falla trata-se com os
consignatarios Antonio Luiz de Oliveira Azevedo
A C., rna do Bom Jesns o. 87, i andar.
Freta-se ou a volume.
A barcaca Santtnha, do Rio Grande do Norte
at ao mesmo porto da capital, por menos preco
que outra qualquer : a contratar com o annnn-
elante a bordo da mesuia, na trapiche do Bario
do Livramento.
Jos Manoel Ramos.
LEILOES.
LEMO
DE
Hoje 10 do corrente
\ ^i/e ADreQ nclnir o sea leilio de am
expldftdido ortimento de fazenda ioaleas, por in-
SSSSSr^.yS01* ?,T- NeQaarta.feira 11 do
cernate, as it oras da manha, em sea arnia-
cem a rna do Mrquez de Olinda.
iOO caixas maica P, com cebla nom
vindag pelo Triwnpho.
Hoje
O agente Pestaa fars leilio por coma e risco
de quem pertencer de 100 caixas com ceblas no-
vas, superior qualidade, valas pelo navio porlu
goez Tnumpho, as quaes sero vendidas boje no
largo da alsndega em 4 oo msis lotes.
Duas tercas parles do sobrade silo ra.
_ do Bemfica n 42, na Magdaleo?, o qual
' podem os preledent;s eximioar com
anticipado.
A. 1 lo torrente.
Por mandado do IIIm. Sr. Dr. juiz especial do
commercio d-sta cilade, e rejoeriraeoto dos ad-
ministradores da mass fallida de Sebasiio Jos
da Silva, o agente Oliveira. expor novameate
leilo as 2|3 partes i exe'illeote sobrado snpra-
dito, o qual se torna recommendavel quanto apra-
sivel pela saa boa eonsiruccao e amenidade da
localidade, e proprio par-a quera procura arrabal-
de saudavel, tendo a vantjgem da eondaco dos
excelleotes lnds:
Qaiata-feira
ao meio dia em ponto, no <)seriptorio do mesmo
agente roa do B->m Jess, 1 andar.
DE
200 barricas com farmlia de trigo (avaria-
das)
(Juinla-fuira 12 do correte. -
.. A'S II HORAS EM PONTO.
O agente Pinto far teilo, por autor3acao do
cnsul de Franca, era presenca de seu chnceller e
por conta e risco de quem pertencer de 200 bar-
ricas com faricha de trigo avariadas, bordo da
barca franceza ilaurice, ltimamente ebegada
este porto.
O leilo .'era ellectuado s li horas do dia ci-
ma dito, no armazem do Sr. Tasso Irmos no caes
do Apollo.
DE
Urna parte do sobrado n. 22 dos Qoatro
Cantos em Olinda.
Urna dita em ouiro sobrado oa mesma ra.
Duas partes no sobrado n. 2 da* roa do Cor-
doniz nesta cidade e 40:6O0#l)26 rs. em
dividas activas.
Sexta-feira 13 do correnta.
O agente Martins tara leilo, reqaerimento dos
administradores da massa fallida de Manoel de
Souza Carneiro pirapo, e ptr mandado do Illm.
Sr. Dr. juiz especial do commercio, das partes das
casas e dividas aciraa perteocontes a mesma massa
(aa importancia de 40:6000i6).
Em s?u escriptorio, a ra Jo Mrquez de Olin-
da n. 15, s II horas do dia.
tuno
DE
50 barricas de enxadas ferro ordinario de
2 11-2, 3 3 1|2 e 4. libras, 20 barricas
ditas azuladas de 2 1|2, 3 e 4 libras e
porc5o de ps de ferro, I catea com 120
chapeos de palha do Chile avariados.
A. 13 do correle.
O agente Oliveira far leilio, por conta dos pro-
prios fabricantes das ferragens supra-indicadas e
sem limiuco de preco, assim como por ordem
do Sr. Pedro M. Maory e por c.nia e risco de
qnem pertencer, d s chapeos do Chile, avariados
bordo do vapor americano S. Jacintho
Si-Kta-frira
das dez horas da maha em vante. ero sea es-
criptorio a roa do.B >rn Je Sexta-feira 13 do corrente, s II horas em
ponto, na agencia da rita do Bom Jess
n. 23 (ooti'ora da Cruz).'.
Mobilia de Jacaranda, camas para meninos,
guar la-roupa, guarda vestidos, mesas elsticas
cadeiras, pianos, secretarias, relogios de ouro e
corrente, faqueiros de prata, e diversas joias, e
ranitos entros objacto* que no dia estao paten-
te aos Srs. concurrentes.
O agente Pontnal, far o leilio cima no dia e
hora mrcalos, ludo ao correr do martello, como
de co-tum nste estabelec ment.
LEILO
DE
Homiiii
Sfxta-feira 13 do corrente.
O agente Pestaa, far leilo por conta e risco
de quera pertencer; de i mobilia de mogno, 1 dita
de amarello, 1 cama franceza, espelhos, 1 guarda-
ronpa, mesa elstica, censlos, mesas, vidros, ve-
neziaoa! toucadores, e mohos outros objectos de
casa que se achara j patentes, ao dia sexta-feira
13 do corrente, s II horas da manha no escrip-
torio do agente n. lo, andar, roa do Vigario.
VISOS DIVERSOS
Aos Srs. assigoantes des te
Diario, que se aeham em
atraso depagamento da-ubs-
crip^ao, vamos rogar quei-
ram mandar saptisfazet-a,
afim de nao soffVerem inter-
rnpco na remessa do mes-
mo Diario.
O abaixo assigoado faz scienie ao respeitavel
publico e ao Sr. Francisco P.ibeiro Pinto Guimaraes,
qne senbor larabem de ama pequea parte do
sobrada d*.rua do Vigario n. 17, como herdeiro de
Fran-cisco Mathias .Pereira da Costa e em lempo
tratar dos recursos qne Ihe permitiera a le
Recife, 9 de ontabro de 1871.
Maximino da Silva Gusmao
%m
Precisa se de nma ama pa-
ooraprar, cezlnbar e fazer
-:1.m*u ^081 W50 de ama
caaa de penca familia : na rna da Coneaicae n.
37, na Boa-VUla. *^
FEITOR
Precisa-se de am feilor para o engento Mega
da comarca da Goyana, traur no mesmo ente-
cho com o proprietario o Sr. Hear.qae Olymplo
Tavares da Rocha, on nesta Braca com o seu cor-
respndeme Joo Pereira Montinho, em seo eacrin-
torio a rna do Marqnes de Olinda n 38.
A socidade tres R R R flea transferida para
com a segunda lotera do mez da novembro,
Beligio.
LZ t^LOR.
0*a iapltitoal para os qae traum do ejterojeio
> '"''I8 o caraiobo de perfeielo, pelo padre
Manoel Brnardiz, nova edico. Lisboa 1871, 1
vol.4 .6*000. .
EXERCIC oe perfeicAo,
e doutrina espiritua||ra extingair vicios e ad-
quirir virtudes, do padre A*on.'o Rodrigues.-Por-
lo 1869, t vol. 8* J000.
BMTOS DAS ALMAS
.1 meaos paraos aplacar, nova edieio.Porto 186J,
l voL 8* JOOa
EXERCICIOS ESPlIUrAES
de Santo Ignacio, propostos s pessoas seonlaraa
iwlo R P. j. p. Praamome.Rw de Janefro 1871
9- 8*000.
PRA1ICAS MANDAMENTAES.
na reflexoe joraes obre os maodamentos da le
de Daos ele padre_Fr. M. da Madre te Dos.-
Porto 1871, i yol. 8 4 3*000.
__________ Llvraria franceza.
Monte Po Portagruez
De novo sio eoavidados oa Srs. socios do Monte
F'io Portuguez que nao estiverem comprehendidos
nos 5 1*, 2, 3 e 4 do artigo 13, a se reuoirem
em assembla geral, no sali do gabinete por-
tuguez de, leitnra, para se dar camprinjento ao
qne deterajioa o do art. ti dos estatatoa, do-
mingo 15 de outubro, pelas 11 horas da manh.
Secretaria do Monte Pi Portaguz de Pernam-
buco, 9 de outubro de 1874.
M S Pinheiro,
Io secretario da assembla geraL
Casa de oampo.
Alnga-se nma excedente e grande casa de cam-
pe margera do acude do Monteiro, com duas
grandes salas; uroa saleta, 7 quartos, com cozinha
bemarejada, grande e bera planudo sitio, grande
ysternacom agua para beb-r, tena,tra alem de
estribara casa oara pretos, feitor e coebeira, tala
e qnartos para hospedes : a tratar na ra da'Tm-
peratriz n. 34, loja.
TRILHOS URBANOS
do Recife a Olinda e Be-
beribe
Nao tendo hoje comparecido numero legal de
accionistas para que podesse a assembl geral
fueccionar em cootinnaco de scus trabalhos acer-
ca da reforma dos estatutos, foi a sesso adiada
para exta-feira 13 do jrrenle, pelas 10 horas da
manha, sendo a reuolo no mesmo lugar das an-
teriores. E porque pela terceira ve deu-se a by-
pothese'previst'a no artigo 12 dos estatutos que
regem a companhia, o presidente da assembl
geral manda fazar constar aos senbores accionis-
tas, qne no dia cima declara Jo a assembl func-
ciooa/ com os accionistas presentes ou represen
lados, qup constituar um quarto do capital da
companni. Reeife*9 de outubro de 1871.
Luiz Lopes Castello Branco.
i" secretario.
O Sr. Lourenco Alve Ferreira unha a bon-
dade de ir ra do Rangel n; 67 a negocio.
4:000,^000
Preelsa-se da qnantla aci-oa a uros de ora e
meio por cento ao mez dando-se por garanta 2
predios de dobrado valer: quem quizer dar dita
quantia annuncie para ser procurado
iSa3BSfcT"""
O Dr. Jos dos Aojos Vieira de Araorira, e seus
tilh'-s cor4eabnente agradecem as pe.-soas qne
Ibes Szerarn o caridoso obsequm de acompaobar
ao (siierio o cadver de soa mulber e ai, D.
Maximilla Joaquina de Mendorca Amortm ; e,
aproveiUndo o eosejo, anda convidara as mes
mas pessoas, bera como aos mais amigos e paren-
tes, para ouvirem as nm as que mandara resar
00 dia 12 do corrente as 8 horas da manbia, no
convento de Nossa Sanb ra do Carmx
B. W. BOWMAN
Engenheiro com m
J! RINDICO
*9 RA flO BftllH 4%
PASSAHDO 0 CHAFARE
Pede aos senbores de eogenho e oatros agricultores, e empregadoras de ma-
tjinismo o favor de ooa visita a sea estabelecimento, para verem o novo sorUmeoto
mpleto que ahi tem; pois sendo todo maito mais barato em preco do que jamis te-
iba vendido, est ainda superior em qualidade e fortid5o; o que com a iaspeccJo pes-
10al pode-se verificar.
PEDE ESPECIAL ATTENCO Ao NUMERO E LUGAR DE SUA FUNDICO
Vapores e rodas d'agua ^TSSIS'SK'JS
versas circumstancias dos senbores proprietarios e para descarocar algodio.
MOOIldaaS dO C2UHL8* de- t0d8 S tamaD;'s as melnores que aqu
aOCiaS UentadaS par aaimaes, agua vapor.
Tazas de ferro fundido batido e de cobre.
Alambiques e fundos de alambiques.
ItfoiVhiniantria P^a mandioca e agod3o,l Podendo todos
IttftbUimaUiUB e para Mrrar madei a Iser movidos a m5o
RnmhaR |Por a8a- vaPr
wvauuiw e patente, garantidas............Jon animaes.
TOCtaS aS maCninaS e pecas de que se costoma precisar.
Faz qualquer concert de macbinism0) a preco moi resumid0.
Formas de ferro lem as me,hores e mais Daratas existentes no mer-
P'nPfimmaTlflnC,ncumlj3se de maill'ar v'r qualquer macbiaismo vonta-
uuv/UJJiuicuuao de os dientes, lembrando-lhes a vaotagem de fazerem
iuas compras por intermedio de pesoa entendida, e que em qualquer necessidade pode
Ibes prestar auxilio.
AradOS ameriCanOS e insirumentos agrcolas.
I
.
Pedro Bapflsta de Santa Rosa.
Qu nta feira 12 do crreme lera lugar na igreja
de S. Francisco urna missa resada por alma do
mesroo finada, a qual ter lugar as 8 horas da rna
nlia, e para enjo Dm sao convidados os seus p-
renles e amigo?
Missa fnebre de 7.-. dia: por alma de Ri-
carthi de Carvalho Ramosftf... convida-se a
familia e aos am gosfff para as 7 horas do dia
14, na igreja de N. S. do Livram>mto.
_________________N. 838-ttt
Hospital Portuguez de Benel-
cenca em Pernambuco.
A junta administrativa deste hospital, mnilo
penhorala attencao com que foi^eotbida a (es-
ta do 16* anmversaris da installacao do estabe-
lecimento ; apressa-se a vir agradecer, em geral.
a todas as pessoas qne directa ou indirectamente
je dignaram dar nma prova do apreco em que
teem a missao de cridade a que elle se de iica.
E-n le iivor de lio dedfeados senttraeatos de hu-
manidade, a mesma junta, manda rezar, no ora-
torio da hospital, no domingo 15 do corrente as
7 horas da noute uo a ladainba a S. Joio de D us
pela vida e prosperidade dessas mesraas pessoa*",
a qnem, a junta, novamente tem a satisfacao de
convidar, para a acompanbarem nesta prova de
religio.
Nao tendo sido possivel expor no domingo pas-
tado a apreeiacio do publico, todas aa prendas
ouerecidas em axilio da maooteaco dos enfer-
mos pobres no hospital haver, rao domingo pr-
ximo nm novo basar dessas prendas, entre as
qnaei ha guitas de apret quo todas sero dis-
tribuidas.
O aar estar aberto as 4 horis da Urde, des-
de quando urna msica tocar, era considerarlo
as pessoas que a elle concorrerem.
Hospital Portngue de Ben4ce*nda em Per-
epeaneo, 10 de ootnbro de 1871.
Joo Jos Rodrigues Mendos,
t provedor.
Luiz Doprat,
____________________secretario.
ATTENCAO
Quera aanaacioa prec*sat de quatro coalas de
ris a aramio sobre bypottoca em predios, quei-
ra dtrijir se ra do Drju.aa de Caxiu n. 75, 1*
andar, entrada pela praca de D. Pedro II, das 10
horas as i e dessa hora em diante na roa do
Hospicio n. 88, andar torreo.
K ptssoa qne annuncia precisar de .owt
a premia de um e meio por cento : dirija-se a rna
de Santa fJU n. 3. .
Praciai-sada ama ama
pan coziatMr pan easa
de homem aolteire, qne
seja.iat a de boa codoc-
ta ; prefere-se es era va :
tratar na ra do Baro
ja Victoria n. SO, no Bazar da Ufada.__________
', Perdeu-ae no dfa 8 do corrente ao saatr da
matriz de Sanio AaMaie depois da mista das 11
horas, nm lenco de labyriatho marcado com ca-
bello, enjo nome Laotaae : quem achou-o ove-
reado restMni-lo poda entregar nesta typographia
ao Sr. Ferreira qne ser recompensado aa exigir-
ARMASEM DOS LEOES
RA DUQUE DE C4XIAS N. 29
Os proprietarios deste grande e bem montado estabelecimento scienClficam u
respeitavel publico desta prov.'ncia, que se acbam com um variado e completa sortimento
de movis, tanto nacionaes como estrangeiros, sendo estes escolbidos capricho por
um dos socios quese acba actualmente na Europa, e por issj os podem vender mais
baratos 20% menos de que em outra qualquer parte. O mesmo tem contratado (ja
os melbores fabricantes daquelle con>inente as remessas das mais ricas mobilias feitas
alli. Na ofGctna tem os mais babeis artistas deste genero, e por isso aptos a fornecerem
mobilias as mais aperfeicoadas para as casas da provincia consideradas de primeira
ordem. Pedem, portento, que venbam visitar dito estabelecimento, onde encontraro
a realidade do que acabam de expr, passando a examinaren).: ricas e completas mobilias
de Jacaranda, mogno, faia, carvalho, amarello, etc. etc., ricas e elegantes camas de
Jacaranda, po-setim, amarello, etc. etc., guarda-vestidos de amarello, guarda looca de
nogaeira, amarello, com lampo de pedra, aparadores de dita, dito, com dita, petits
toilettes, especialmente para fazer barba, toilettes de Jacaranda e amarello, com pedra,
e muitos outros artigos de gosto, que para se nao tornar enfadouuo prescindimos de
azer menc^o delles, o qae so com a vista poderlo apreciar.

u y
TIMBA OE
ft GRANDE SALAO DE CABELLEIfiElRO
RA DO DUQUE DE CAXI.S M. O
(ANTtGA DO QUEMADO)
DELSta SICCESSOB DE J.IYNE
Havendo comprado o estabelecimento de cabellelrelro, faz d'isso selente ao respeitavel pn-
blico de P rnambnco, convidando-o ir visitar es-o estabelecimento, onde ba de encontrar todos os
trabalhos com asseio, perfeico e urgencia. Tambera o previne de que tem peumarias unas, por
preco comrando; e ontrosim qne faz todo e qualquer trabalho de cabello relativo sua proflssao.
P. S. -Avisa aos seas numerosos fregueses qne eootioda na sua onira cas>, rna Primeir
da Margo, amiga o Crespo, n. 7 A, 1* andar, onde bao de encontrar grande sortimento de perfumara
e objectos de pbaausia.

Oabelleiret'O de Pars. Ra Duque de Caxias n. 50 e
ra Primeiro de Marco n. 7 A primeiro andar.
TTli* arr
1NTERESSA LER
A loja dos Arcos de Al varo Augusto d'Almeida 4 C. ra do Crespo n. 20 A acaba
ie receber directamente alguns artigos de moda que passa a mencionar.
Hquissrmo cortes de vestidos de btonde para casamento.
.*" TWts de tarlatana bordados seda para casamentos.
flbw'CrUs de seda de bonttoa gosios e superior qtnalidade.
Golxas de seda 13a, e 13a e seda.
Capellas com' mantas de bloode para noiva.
mu, Camas de esgno bordadas para noiva.
Lencos (te cambrata de linbo bordados.
Cortinados bordados de diferentes precos e quadades.
Becoe de lia e seda para senbora.
Chapelrnas de crpe preto bem eneitadas para loto.
Chapeos enlejiados para menina modelo inteiramente novo.
Mintrihn brasileira de fil de seda.
Cortes de cambraia de cor, e brancos bordados. _. __ -^-..
Oi^imz di eeo>. -KitU-., -' *-* ^J >*
ToiT de voyage fazenda de gosto para vestidos.
Crotones de padroee noves.
Grvalas de mato gosto para senhora.
Aaqpiniae de crina.
Alm destes artigos qne se vendem por precos tmixa& toa octroxqi: I)erda-
leiras pechinchas oomo tMni: tLVs Jv
Cambraias de cores a 240 e 280 rs. o covado.
Ateaca* largas boailos ttdr5es a 960 rs. e covado.
Lencos de esgui3o muito finos a 3^. 3#>00,4jJOOO e 54000 a dazia.
L3as de cores a 280 rs. o cowado.
Esteiras da India para forro de salas.



/

FsuAiul>ac -- Quaila oira 11 Ue Outubro d* .611
MOFINA
41- IDA DO BARAO DA VICTORIA 41
ute novo armuem tem nm
uado sortimento de fazendas
raacexa ingratas, anemias e to-
das toda se vendem por precos
sdicos, afirn de acreditar a este
wvo armaxem.
Caaemiras inglezaa,
Iraocezas, de todas as
nulidades, brina de
Aiu e raseos, colei-
riuhos modernos, cfaa-
o* de sol de seda,
toof.
RIJA .
DE
AMUM IRMOS.
*araW da leior 14
atiji raa
r
N. 41.
Assim como tem orna grande
oficina de alaiate, montada con
todos os prepares qoe ha demelhor,
dirigida por habis artistas, que
pela soa promptidao e perfeicic
nada deixam a desejar.
Ronpa de todos o
amanhos para hornero
meninos.
Por todos os paqat
tea recebem-M as me-
Ihores e mais moder-
nas casemiras que h
na Europa.
RA
K
Bario da Victoria
itifara
Roga-se ao litro. Sr. Ignacio V.etra de Mello,
arivo na cidade deNazareth desu provincia,
favor de vir a roa do Imperador n. 18 a conchan
aquelle negocio que Y. S. se comprometten real'.-
atr, pela terceira chamada deste jornal, ero fia
de dezembro prximo pastado, e depois para ja
oairo, passou a tovereiro e abril e na** cumprio.
por eete motivo de novo chaado para din
flm ; pois V. S. se deve lembrar que este negocu
de mais de oito annos, e guando o senhor mi
Oho se achara no es nesta cidade
ATTENCAO"
Aloga-se urna grande cocheira na roa da Uoiao,
com dona quartos e solio com ontros duus qaar-
tos, tendo janellas, tndo eaiado e pimado de no-
vo e mnito propria para taberna on ontro estabe
ecimento : a tratar na ru da Aurora n. 36, 1
andar.
Para alugar-se
Uin magnifico sitio na estrada da traveisa da
Cruz das Almas, com excellente casa bera aca-
bada, com duas salas, seis qaartos, grande co-
pia, cozinha separada com dispensa, saleta e
qaarto. Boa coxeira e estribara com mais dons
qaartos e.t sotao para criados. Magnifico qaarto
para banho, latrinas, gallinheiro de pedra e cal
cercado de. gradea memo de ferro. Ficando dito
sitio perlo das estacSes denominadas : Jaqueira e
a do Arraial: para ver e tratar no sitio do com-
mendador Tasso.
*
CASAS
Aluga-sa o primeiro, segundo andares e sobre-
sotao da casa n. 6, cita a ra do Livramento : i
tratar na loja do mesmo predio.
A
K. 41.
ste f*tf*lecimen* acaba de soffrer uma reforma radical em acceio, artistas '^^^ff ^JiSdiTS.
tarta, tinalrnette em tude afim de melhor servif os seos numerosos fregueies deixa-se de annuociar todas as razenau, pan
rdto se tornar masante_______________ .-----------------------------
0 PEITRAL DE CEREJA
DO
DR. AYER r ,
'Para a cura radical e certa de todas as molestias da garganta e do pe|to, conslipa-
coes,tosses, bronchites, deuxos, rouquido, coqueluche, angina, etc.
Este xarope peiloral o resultado de
odros annos de estndo por ura dos pri-
meiros mdicos da America do Norte e de
experiencias minuciosas nos principies hos-
pitaes do mundo ; receitado pelos medi-
dos mais distioctos do scalo actual, e
Ocgno de toda a confianca: Io por ser efi-
caz, alcanzando com uma certeza infallivel
ojjassento da molestia ; 2o, por ser inno-
cente e appiicavel a qualquer pessoa de
'.jnalqufr idade ou sexo, ao bomem robusto
u cringa da mais tenra idade, e nao ser
grande quanl idade ; o 3o por nao ser se-
creta, pois qualquer medico pode obter a
formula de sua oomposic5o, dirigindo-se
pessoalmente, ou por carta, aos agentes
geraes, ra do Visconde de Inbauma n.
81, Rio de Janeiro.
A grande fama que tem grangeado este
remedio, devido s admiraveis coras da
phtysica pulmonar, molestia esta tio penosa
e fatal em suas conseqoencias-qae aqoelles
que s5o atacados dos primeiros symptomas
devem ser tratados o mais cedo possivel, e
perigoso se fr tomado, por acaso, em \ o primeiro remedio que applique, dever
Peitcral de cereja do Dr. Ayer
ser eficaz, pois nao ha tempo|de fazere-m
e experiencias. As pessoas atacadas da
phtysica geralmente fazem pouco caso de
seo mal, at- que seja (arde para cora-la;
nesta, mais do que em qualquer outra
cosa, tem sua origem o predomioio exten-
so e fatal de uma molestia que mostra os
seus estragos com innmeros e assombro-
sos casos na estalistica da morlandade.
Milbares de casos de molestias pulmonares
qne tinliam zomtado de todos os recursos
da sciencia, tem sido corados radicalmente
com o uso do
Gomludo dever de todos combaler esta
:eiiivel molestia no seu principio, bem
como todos os males que podem conduzir
- a ella, como tosses, resfria Ida Jes, deflnxos,
. ddr de garganta e bronchites; qualquer
rouqoidSo deve ser tratada immediatamen
e. A experiencia mostra-nos que o Peito-
ral de cereja de Ayer cura todos estes pa-
decimentos, quasi sem excepcao, e raro
o logar nos paizes onde conhecido, qae
s2o tenba numerosos exemplos de curas
eitas por (la. Se se pode presiar f ao
que homens de todas as classes affirmam
lo que elle tem feito ; se podemos acredi-
tar em nossos proprios sentidos, quando
vemos as perigosas affeccoes" do polmao
cederem a elle; se podemos crer no teste-
auunho de iutelligentes facultativos, cuja
obrigacHo conservar os factos; e final-
mete, se permittido acreditar em cousa
al.uma, est incenteslavelmen'.e provado,
que este remedio cura todas as classes de
molestias cima designadas melhor do que
tolos aquel I es at hoje couhecidos. Bas-
tam uoicainenle as suas virtudes intrnsecas,
e o inc ntestavel bem que tem f-ito mi:'
lhares de doenles, para que surgisse e se
sustentasse a repulaco de que goza. Em-
quanta que muitos outros remedios inferi-'
res a este, e que forana acollados pelo
vulgo, falharam e foram depois abandona-
dos ; este, teo ganbo amigos pela expe-
riencia, e pelos beneficios que tem prodi-
galisado aos aflictos que a elle tem recor-
rido, e que. nunca poderlo esquecer as ma-
ravillosas curas obtidas, porque sao nume-
rosos de mais, para serem olvidadas. Ne-
nbuma casa de familia deve estar sem uin
vidro deste xarope mo; pois nos ataques
repentinos de angina, de croup e nos pa-
roxismos da coqueluche a que est5o sojeitas
as enancas, nao ba tempo de cbamar oin
medico, nem de fazer remedios, e este xa-
rope allivia immediatamente, sentando a
crianca do perigo.
AVISO.As preparac^es fa Dr. Ayer
sao preparadas coa, especial attencao ao
clima dos trpicos, e tem modtpcagOes im-
portantes sobre as que sSo fetas para -oo-
tros paizes.
Port.nto, o publico dever notar, e com
cuidado; para que n3o seja srdidamente
engaado, que os remedios de Ayer, prepa-
rados exclusivamente para o Brasil, trazem
rtulos e envoltorios com a descripc3o mi-
nuciosa para a sua applicacjio na tingue
portugueza
Vende-ee em todas as boticas e drogaras do mundo.
W. R. Casseh $ C.
Agentes geraes.

0 MARAVJLHOSO REMEDIO 00
DR. CHAS. DE GRATH .
ELCTRICO
KLLVG OF PAIM O RE DA DOR
PARA USO INTERNO E EXTERNO
CURA CHOLERA E CHOLERA MORBtJS,
Mudanca de consfiiltorio me-
dico.
O Dr. Adriio Ldk Pereira da Silva devendo re
(ressar brevemente do presidio 4a Femando de
Noronha, mudou o sen cousniorio medico Ja roa
larga do Rosario n. 30, para-a mesma rna o. 10,
Io andar, por cima da pharmacia do finado Pinto,
onde o sea culiega e amigo o'Dr. Malaqnias, con-
tina a dar consallas diariamente das i
horas do da.
,uo MBfM, na ti*.
mar 4 et>*;, dsrM da ooTld a
ana mmate*.
r i Arate, mi na minute.
fawmlgfc, cinco aintea.
i Tinte Kinatef.
I inhadw, im ainntoi.
$tm T*liai, *te aiante*.
, mam Ala.
taa iatenteate, a a ala,
Dor ui coitei ei laAta, ai imi
Tomm parigoaaa ftnU*,-tm
FlavMla, m Ala.
Inrdat asthau.
HamorrlMiAM broaehla
Iifltam>cao noi rlaa.
DywayiU, wytlaaha,
Xoltitiai d* flgaa*.
Falpitacu i* cor(at.
Aluga-se o 1 anclar e os jus araiawns ta
'casa da roa do Vigario'n. 3, proprios para escrip-
lorio e deposito commodacSas : a tratar com'Manoel Alves Guer-
' ra, pai oq fllho.__________________________
5o# 'le grhtificacao.
! --Furtaran de 26 30 Jo prximo passado nac,
da casa, no Poco, do finado Gibsu, t em que mo-
rn o Sr. desenaba rgador Rocha,, nm paletot de
panno inglez encerpado, nm annel de onro macico
com iniciaes e ama moeda de preta donrada : al-
gasia pesaoa pudendo dar informacio dirija-se
casa Fopradicta oq a ra do Bom Jess n. 10,
oatr'ora rna da Cruz.____________________
Aluga-se o segundo andar 4a casa sita ra
do Imperador n. ii, a tratar na ra Duque de
CaxUa n. 63.
S
RESERVET SEMPRE ESTE'KEMEDIO EM SUA FAMILIA
AB DQKWAS SE APRESEJTAM, QADO JOROS SE ESPERAS.
OLEO EL.EOTRJOO O "K1NO OF PAIN (O a* da dor) KjnlU poittlTaataU lmlj* ut < dOai
on, aUlTte mI o Kttrtmento* proda aa mal ptrfalto wjuUlbrio no iritema kaaaaa, taai
taar a* mmmo tompo, con /jmlqwr ontro naMdlo mtdoclaal.
EMa nlu popolar romedlo MU acora miando- genlmnu, pl raijo qa airaait a pmoai m tea |
la* com o dito amadlo pelo Dr. Orata oatroi mal.
Cate Important remtdlo nao m oONwo para arar todal ai doenijaa, poraa to adarau para aqnellai i
ZMA operando no* principio da hlaalca da leotrlcldade por lato, U appUoaT! para o earaaMt parM
MKaara^o da aof ao oatnral do orgao que toffrem da lrragalar clronla^ao do fluxo do principa na OH
aastrlos O Klng of Paln opera dlreotamant noa abaorreata, talando deaapparaoer ai Inohaow da |la1llMaaf
tm aa Uanao lncrlrel, brara xa parlgo do ata nao dabalzo da aalf aar airamttancla.
"" | --..--..i-.,-----rfiri-1rTilniintninnrillin. lilla.imim,lananaa
aaat, como aa tem asado do noaas anMpaandoi, e da qnae Ua araada uiteaola no mando, para arar tadmtef
maiaalln, aomanu ahmdo-a quaa ella no. -
Fol am grande Myulal Aamj da facnldadd madaerna aaraate aaito anno do partal para afta
* modo qe m darlaa adoptar para arar a aegnlntM doamoaa, a qu praporooai d aiflintn a daaai
AC
RO
DYVETOT
nica casa neste genero
(4--Raa Estreita do Bosario--14
Compra e vende roupa feita
nova e velha, objectos de
cosinha e de mesa, e
tudo que perten-
Jqaim Jos Goncjal-
ves Beltrao
Roa do Trapiche n, 5, 1* andar.
Sacca por todos os paquetes sobre o banco d<
Aunho, em Braga, e sobre os seguintes lagares sp
Portugal :
Lisboa.
Porto.
Valonea.
Guimare.
Coimbra.
Chaves.
Viseo.
ViHa do Conde.
Arcos de Val de Ves.
Vianna do Castello.
Ponte do Lima.
Villa Real.
Villa-Nova de Faoielicao.
Lamego.
Lanos.
Covilbaa.
Vascal (Valpasso).
Mirandelia.
Beja.
Barcellos.
Para alugar-se
Uon sitio no Poqo da Panella no porto do Paula
com excellenle casa, com duas sallas, qaatro
qaartos e cczinha : estribarla, cocheira e qaartos
para criados, e mais duas casas meias-agoas pa-
ra fmulos ou hospedes : tratar com o commen-
dadnr Tasso.
AMA
Precifea-se de uma
ama para o servido
de casa de orna fami-
lia composta de duas
pessoas, exceptundole o lavar e engom-
mar : nesta typoprapbia se dir quem.
CASA DA FORTUNA
RA t* DE MARCO OTB'ORA DO
CRESP9 N 3.
Aos 20:000^.000.
O abaixo as.-ignado tem sempre exposto ven-
da os felizes bilhetes do Rio de Janeiro, pagande
oromptameDtd, como costuma, qualquer premio.
PREgoS.
Inteiro 4J000
Meio *009. '
Qaarto 6#000-
Manoel Martins Fiuxa.
s
SEGUROS
MARTIMOS
E
Vi
OVIUA FOGO.
A companhia Indemnisadora, estabelecid
lesta praca, toma segaros martimos sobre
lavios e .seas carregamentos e contra foge
iva edificios, m.? rea dorias e mobilias : n:
roa do Vigario n. 4, pavimento terreo.
"ADVOGADO
Dr. JoAQinM Correa de Araujo
67Roa do Imperador67
MMWHI INHaM
Alugs- e ama mulata mofa : a tratar em
Jaboatao passaudo a ponte terceira casa do lodo
esquerdo ou a roa do Imperador n. 12. carlorio.
Precisa- se fallar com o Sr. Jos Francisco
Xavier de Mello, que foi senhor do engenho Com-
portas, a negocio de sea ioteresse : na roa do
Rangel n. 9, padarla.._____________________
Precisa-se de ama ama livre on escrava pa-
ra o servico de ama casa de poaca familia : oa
ra do Barao da Victoria, aotiga roa Neva n. 46,
primeiro andar.__________________________
IMPERIAL FABRICA DE CIGARROS
DE
S. JOO DE NlTHEROHT.
Ura dos problemas qne mais ter^ ftfupado
auencao dos legisladores e dos tenjomlstas mo-
leraos, particnlarmente na lo'aterra e na Fran-
ca, e acerca do qaal, anda m |j68, L. Wolotrki
fes nm profundo e notav,', dlscorso, o qne trata
le definir e regulans^r, mantendo o equilibrio
entre o interesse e hamanidade, o trabalho das'
crianca nasjnar,tt[aCiura8.
Esta quest?.o grave e uiehndwsa, comec> a Ser
entre nos -ie algutaa importancia, e merece que a
examinamos com criterio, tanto mais que forzosa-
mente na substituicao do elemento servil ter ella
le considrar-se efflcacissima para o futuro des-
envolvimento de nossas industrias.
Recordando com o celebre economista de que
fallamos o profundo pensamento do poeta ingles
Sue dii :=cA crian? o pai do horneras parti-
arnos tan:bem os seas generosos sentimentos re-
lativamente essas frageis e delicadas creatoras,
que anda na primeira iniciaQo da vida prestam
a to importantes servicos sociedade.
Qualquer que seja o ensino ou o labor em qne
se exercitem as torcas anda debis dessas tracas
existencias, deve presidir o maior escrpulo sea
direceo, a maior vigilancia e cuidado no emprego
a distribuido do tempo, porque do sea resaltado
depende a actividade e a energa das novas gara-
ndes, e d'estas as grandes conquistas do futuro e o
progressivo aperfei^oamento social.
Nos secuks anteriores as industrias occopavam-
se mais com os productores. Ao scalo XIX com-
pete a gloria nao t de melborar o fabrico dos
productos, tornando-os mais perfeitos e mais ac-
cesjiveis a todos pelo qoantidade e modicidade do
pre$o como a sorle a condicao, a existencia do
irabalhador, do bomem.
Wolewki cita a este respeito as palavras de
Gladstone, que, em orna reoniao de operarios in-
glezes, fa lando-lhes tanto em seus direitos, como
em seas deveres, disse: O nosso scale o s-
calo do operario: e aecrescenta que esta phrase
nao sahio de bocea ospeita, pois Gladstone nao
prtense ao numero daquelles que lisoogeam em
vez de servir ao pevo.
O bomem d'este modo enearado como bem
primordial da produccao do bem; e o notavel an-
tor i qne nos referimos eoletide coronosco qoe a
liberdade que elle conqaistoa tira toda a sea forja
.da energa da alma associada sande do corpo,
da elevacao do espirito que proporciona o deses-
volvlmenio progressivo da babilidade pessoal.
Foi bascados n'esta allian^a que os legisladores
ingleses comprehenderam qne o instrumento acti-
vo, o operario, obedeca a outra? e diversas neces-
idades qoe as que sao partilba do instrnmecio
material.
Foi por este motivo que se marcaran) e rega.a-
nentaram as horas do trabalho as manufaetarts,
e se atienden sobretodo a que as chancas rete-.
nessem a am tempo o ensino da fabrica e o ensino
da escola.
Em 1862, diz anda Wolowki; sanccioaccse
Precisa-se de ama ama perleita eogomma-
deira e copeira : a tratar na ra de Joao Fernan-
dos Vieira n. 34.
Para orna familia de duas pessoas
precisa-se de ama ama que cozinho e
engomme : a ti atar no largo do Cor-
po Santo n. 4, 1* andar, das. 10 hora;
do da as 4 da tarde.____________
Eagommadeiia.
Precisa-se de nma escrava engommadeira qoe
seja perita : na ra Velba n. 28, sobrado.______
Ama de leite.
Precisa-se de uma ama de leite, exige-se bom
leite e boas informaedes : na roa da Concordia,
sobrado n. 10, Io andar-.
roa do Vigario n. 16.
Precisa se de ama ama pa-
ra o servico interno de uma
casa de familia : tratar na
Feitos de linho
O R n A nos
O novo estabele.-iraento de fazendas finas ra
do Mrquez de -Olinda n. 28 acaba de receber pe-
lo ultimo vapor os mais lindos e modernos peitos
["de linbo bordados, que se vendem por precos C"m-
modos. A elles anU's que se acabem.
8ustento restaurativo da
saude
PELA VERDADEIRA FARINHA
A, Do Barr} d'rabia
Os abaixo asssignados fatem sciente a seas fre
guezes, que pelo vapor inglez La-PJala receberara
Segunda remes-a d'essa excellente farinba, coje
uso muito se reeommenda para as enancas, pes-
soas debis e conValescentes, applicada com reco
nbecida vantagem as constipares, diarrbeas.
nausea do estomago, tosse, escarro de sangue.
phthysic, etc. etc. Preferida ainda pelo agradavei
abor.Uniricoa outra qualquer.
Sitio
Precisa-se de am sitio para qaatro estrangeiros
veueravel eoafrarla de Saata
i Rita de Cassla.
De ordem do conseibo administrativo convido a
todos os nossos irmaos que tenbam interesse em
tirar das antigs catacumbas existentes em nossa
igreja os restos mortaes qne all se achara, a tira
los no praso de 36 das, afim de serem concedidas
aitas catacumbas para jazjgos perpetuos quelles
Irmaos que as requererem.
Secretaria da veneravel confra/ia de Santa Rita
deCassia 4 de outubro de 1871.
O secretario,
_____ Francisco Lopes da Silva.
An lares para alngar
Alaga se o 2* e 3* andares do sobrado da tra-
vessa do Corpo Santo n. 27, proprios para peque-
a familia, muito frescos, excellente posicao e rio:
a tratar no armazem de fazendas do mesmo pre-
dio, das 9 as 4 horas da tarde.________________
Precisa-se
padaria, na rna estreita
de preferencia perto da estrada dos bonds
rigir se na rna da Crnz (Bom Jesos) n. 55.
adi-
AVARIADO
. Algoda .j::;encano de listras para rou-
pa cy "escravis a 240o covado : na roa
do Crespo n. i-i.
I* ailar, pintado e preparado
de novo.
A pessoa < je traba alngado o 1" aadar ra do
Padre Floriao. pa motivos que bouveram deixou
de o ir ocenpar, o que se previne q lellas pessoas
qoe pretend...n dito andar e qoe se Ihe diiia es-
tar algalo, que se ainda o qnizerem dirijamse
ra larga Jo Rosario a. 22.
Precisa-se de ama ama oa escrava para en-
goimnado, paga-se bem : na roa dos Pires o. 32.
Alaga-se am moleque e ama escrava : i tra-
ar na ra do Qaeimado n. 2.
ar nm preto para
osario n. 9
AMA
Precisa-se de uma ama
hvre on escrava para
comprar e eocnbar : na
i na da Matriz da Boa-
vista n 5:
N
**A PHARMACIA B ROG ARI A-*
BARTHOLOMEO fe Q
W.-34 Rut Largado Roaario. 1. 3-t
Cuidado com as falsificares
tos sus.
Proprietarios.
Todos os proprietarios deeu cidade do ftecife,
si convidados a comparecerm a roa do Impe-
rador o. 12, asa do Sr. major AlbuqueFqae, do
da 13 do raer eorrente ao meio d>a afim de ira-
taren da orgaowacao de ama sociedade com o filo
eapecJal de motsmente se deeoderem dastfo-
pelia que soffraas em seas reaet ioterosses.
Recito, 9 de Mtobro de 1871.
Nmeros preprietarios.
^1\a
Precisa-se de ama ama pa-
ra casa de familia : 4 roa de
Hortas o. 30, sobrado .
AMA Preeisa-se de uma ama para servir
***H A a duas pessoas : na rna estreita do Ro-
sario o- 27, andar.
AIM\ DE LEITE.
Precisa-se de ama ama de leite ; a tratar no
largo do Viveirn, Passagem da Magdalena, sino do
eoflanendador Manoel Joaquim -Ramos e Silva.
Precisa-se de uma ama qae teoba bom leite:
na roa de S. Jorge n. 40, casa de Jeronymo Fer-
reira dos Santos. _______________
No pateo da Ribeira o. 21 se dir qaem pre"
cisa de ama pessoa habilitada para caixeiro de
padarla.______________
Preelea-so de uma ama para casa de pou-
ea familia : no pateo di Terco 43.________
CAIXEIRO.
Precisa e de nm caixeiro qne tenba pratiea de
fazendas e qne escreva soffrivelmente, para a vil-
la de Garaabofla,-* traUr na rna do Livramento
n. o.
Alaga-se a casa terrea sita na travessa dos
Pires n. 7 constando de i salas, 6 qaartos cosi-
nha fra e qoartos para eseravos, banheiro com
agua do Prata e encanamento de gaz, a tratar na
adaria junto.
BanHSwW 9B9K HIHil3Mp3fialw
Vende-se oa alaga-se am sitio no Ar- M
B vaial Inrrnr rlnnmniHn PnnnoirAn f*4_
s
s
s
20,000 RS.
na
Precisa-te de ama ama no* eegommadeira
yua dos Pires sobrado n. 8.________________
O abaixo asignado parteeipa aovrespeitavel
publico, qoe venden a sna botica e drogara sita
na roa do CsJbugi n. II, ao Sr. Jos Rodrigues
de Sonsa Crnz, livre e dtsembaracada, e qaem se
jalear redvr da mesma manda a conta i meama
eeie, g de outubro de 1871.
joaquim MartUrt di Crnz Crrela.
CompaDhia Recife Drainage,
A companhia Recite Drainage oovamente roga
aos senbores proprietarios qne quando tiverem
qkqi2er queix* *tMr <0Dre condaeu dos
traliMbadores da companhia on reclamac/Je? a res-
peue das obras qne se exeeutarem em suas casas,
' *r**'D dirigirem te ao criptorio da crapa-
nbia na roa da Imperatrit a. 36,- aoude existe om
livro especial para aelancarean taes reclamacoes.
Os gerentes,
_______- Law & Blount
Alagase somentet para a festa ama can o ha
bem arranliia, perto da ertaeio de Parnameirim,
contando 1 asHi, 2 qoaYtos-, eoztaha H", uo tm
sala de jamar, eom cacimba e bamba de exeelien-
te agua, banho crreme com banheiro, ocj para
lavagemde roapa eaoimaes, drcnlada de-sombra
por arvorelos at o banho : na *U estcie indi-
cara- o lagar.
raial lugar denominado Coqneiros, tra-
vessa do Acude n. 2, com 305 palmos de
frente e 2 000 pouco mais oa menos de
fondos, tem casa softrivel, cacimba nova
e excellente (a prova dos mala rigorosos
estos everdes) com banho derepuctio ai-
xa d'agna e banheiro simples e de choque
encanamento d'agna para dentro de casa |
e para a horta. ama grande parte do sitio a
.plantado de diversas frncteiras das 5
qaaes, j algumas do producto. 0 dito gjf
sitio torna-se recommendavel pela sna sa
posicao e vista pitoresco pela frescura e S
salubridade do ar e dista apenas oito oa 9
dei minutos da eslacio da casa Amarella 1
como a da Porta d'Agna: a tratar no mes 5
rao on na roa Nova n. 23.
Mmmmm m ***?
Joanna Accioly Bezerra Moreira, viova
de Joio .Gomes Moreira, faz constar pelo
presente, que dissulvea amigaveimente
sociedade qu fiaba (como repre.eDta; te de
sea finado marido) sob a firma de Moreira
ct Prim na cidade de Mamangoape provin-
cia da Parabyba, conforme a respectiva es-
criptara de dissoluc5o e partilba, lavrada
as notas do tabelliSa Serrano, d'aqaella ci-
dade em 13 de julbo do correte anno de
1871, e regstrala no meritissimo tribonal
do Commercio de Pernambnco sob n. 93,
em data de 7 de outubro de mesmo anno.
ficando desde aquella poca cargo do ex
socio o Sr. Manoel Gomes Moreira, a li-
qadacSo da referida extiocta firma, sem
mais reaponsabilidade da annonciante.
Precisa-se de ama pessoa capaz, dando flaB'
ca, para vender cpim : a tratar no en/Who Dous
Iraads: em Aplpucp,
O abaixo assienado tendo comprado aos
Sr?. Chaix A Gassier a sua fabrica de cerveja
sia ra da Florentina o. 20, convida quem se
juigar credor da referida firma, a apresentar sna
conta no praso de-tres dias.
- Recife, 9 de oowbro de 1871.
A'exandre Americo da Caldas BrandSf.
Preciea-sa de ate amassador pira a padaria
da SoJedatfe d. 2 A.
ua Inglaterra a prole, a vigilancia penelrou do
seio das vastas communas industriaos, formadas
boje em roda da machina de vapor, dessas vastas
uommuoas povoadas por roiihares de operarios.
A lei de 1802 fixou a idade em que as criancas
podiam entrar para as manufacturas e (mitn a
iuraco do trabalho.
Pois bem. Este grave e humanitario problema
qae levou quasi meio seculo a resolver, e preoc-
capoa a attencio de tantos homens de estados
eminentes, como foram Roberto Peel Lord Aslhey,
hoje Conde de Cbattsbuago, genro de Palmerston,
9 muitos ontros, assignalando ama pagina honrosa
na historia da civilisacSo moderna, acha-se reali-
zado, e dando salutares resoltados entre nos na
faljrica de cigarros de S. Joao Nilherohy, da qual
-ao proprietarios os Srs. Sonza e Novaes.
J tivemos occasiao o anno passado, de escre-
r algamas lionas acerca deste importante esta-
belecimento, e hoje, depois de nma visita qae B
temos ao novo edificio ampliaremos aquelle nosso
trabalho.
A casa onde actualmente est estabelecida a fa-
brica sem dnvida um dos mellrores predios da ca-
pital.
Alm das espacosas aceom moda (des otfl'im'es
livremente arejada como convem .. tan iiereaa
agglemoracio de pessoas, o predio iwriorraeii-
te de uma archttectura simples e elegarte, e Oca
a pencas brabas do mar, onde com auxilio e or.ia
poote os productos sao cora facilidade embircadoB
a coodazidus para os mercados.
Cerca de dozentos meninos ahi recebem v eu-i-
no manual, intellectoal religioso e mcral.
A mais perfeita ordem, sem a severidade de etna
rude disciplina, mas antes aconselaada pelos pre-
citos praticos da aatoridade, d am aspecto agra-
lavol a esta afanosa communa de pequeos ope-
rarios e esperancoso ncleo de futuros e moral^a-
dos cidadaos.
Em um vasto salao das 7 s 9 horas da trdo
depois do trabalho e do descanso aprendem os me-
ninos os primeiros elementos da leitura da e3ctip-
ta e da contabilidade. Oissemos primeiros ele-
mentos porque acreditamos qae as noches rudi-
mentaes da escola no sao outra cousa mais qae o
instrumento com qae mais tarde se deve concluir
9 aperfeicoar a educaco. Nao casta saber 1er o
sssencial e /azer aso discreto e aproveitr/ei
desse poderoso motor do nosso aportoifoamento
moral.
Depois do trabalho manual e do ensino da es-
cola depois mesmo de algumas horas consagradas
ao recreio era preciso amemsar com o ,estndo de
alguna dos ramos das bellas-artes as trelas m-
antis.
Neste intuito foi creada uma aula de muzic;. di-
rigida por hbil professor.
Com pouco tempo de exercicio e o ardor pro-
prio da mocidade j algons dos alumnos tocam
:om verdadeiro adiantamento os instrumentos que
sscolheram, e pode dizer-se qne a fabrica tem
hoje nma banda de msica sna disposicao, o qpo
ilni de accrescentar uma agradavei prenda a
iducaco dos aprendizes, dispensa dias festivos o
' m'
Qhos.
Ora, o grande resultado colhido por este daplo
lystema do ensino manual e simultneamente n -
iellectual, que os productos da fabrica de S. Joao
de N'lherohy, redobraoda de valor pela qualidade
e perfei^ao augmentam tambem a ua procara no
mercado 9 naturalmente os avultados interesse.
des productos.
Estabelecida assim cora os outros estabelecimen-
:os do mesmo genero a Iota da concurrencia, que,
no dizer de am notavel economista, bao outra
eoasa mais qae a manifesiaco pratiea, a face
material da liberdade, claro est que as cendiedea
do trabalho livre comecam ja ser assentadas, en-
tre nos em bases sensatas e de conseqaeocias pro-
ficuas.
Ligamos am alto apreco s tentativas e aos re-
sultados desta ordem.
0 Brasil precisa empregar todos os seus esfor-
cos na propaganda industrial, nao esquecendo
nunca que a quantidade dos productos nada re-
presenta, si ella se nao tomar ao mesmo tempo
recommendavel pela saa qualidade, e qne esta t
se obtem com auxilio efflcaz dos prodaejores ha-
bis e intelligentos.
Acreditamos, pois, qae os Srs. Sonta e Novata
prestam um importante servico ao paiz e lem.w
lempre prazer era mencionar os estabeleCimentos
testa natureza, nao so em referencia a esta fabri-
ca, como a todas qne estiverem fondadas oa se
,'undem d'aquem diante as mesmas cirenms-
taneias.
0 nico deposito nesta cidade no escriptorio
Je Domingos Alves' Matbeas, roa do Viga-
rio n. 21.
______________________ A. Zalear.
O PUBLICO.
0 abaixo assignado faz sciente ao respeitavel pu-
blico e especialmente ad corpo de commercio que
deixou de ler caixeiro da casa dos Srs. Tasso Ir-
maos A C. desde o dia S do correte. Recito 28
de setembro de 1871.
______________Manoel de Ifesquita Bastos.
Na roa do Alecrim b. 20 precisa-so
de ama ama para todo o servido de
ama familia composta de duas pea*
soas.

estabefecimento, o concurso" dos msicos estra-
s
I
ADVOCACU
BACHAR5L
J. B* P. Corte Beal
SIlua do Imperador n, 12. j^'
MAR SWail Wwt
\ v



*ta
__
D'no d# PsrJiambueo Quurta (eir 11 J- Qutubro de 1871.
*
> A
i
;


\f r
\\
AMA
Na roa do Corredor do Bispo n. 5,
pwcis se de uro mi para e servido
do ama casa de i peasoas.__________
Precisa-se de offlciaes de Darbeiro : do sa-
tto de cabelleireiro da fu da Imperatriz o. 82.
Companhia Allianpa
DB
legaros martimos estabeleeidt
na Bahiaem 15 de Janeiro
de 1870. \
CAPTAL..R8. J,000:000#000.
Toma seguro da mercadonas e dinbeiro a risa
martimo em navios de vella e vaporea para den-
tro fon do Imperio. Agencia i roa do Com-
ercio a 5, escriptorlo de Joaqoim Jos Gon-
Cafre Beltrio.___________________________
Precisa-se de ama ama
para comprar e cosinbar :
tratar na ra da Alegra n. 5.
*%*
Pede-se
A quem tiver aebado bontem um vale da quao-
lia de 100* a favor de Manoel Jos Fernanda*
Barros, o favor de entregar Da roa da Cadea n.
55. armazem, vi; toque de nada vale a outra
qnalqaer pessoa. -
Ama de ieite
Precisase de urna ama de Ieite,. forra on es-
crava, que nao tenha filbo : a tratar na ra For-
roosa n. 21, casa da esquina que tem grdame de
ferro.
C4SA DA PORTUltt
Aos 5:0001
Bilhetes garantidos.
k roa Primeiro de Marco (oatr'ora roa di
Crespo) n. 23 e casas do costme.
O abaixo assignado, tendo-vendido nos seos f
lixes bilhetes um quarto n. 196 eom 800/000.
do ioteiro n. 2767 com 100/000, outras sortea
de 40/ e 20/ da lotera que se acabou de extra -
bir (209"), convida aos possnidores a virem re-
eeber na conformidade do costme sem descont
Ignm
Actaam-se venda os bilhetes garantidos da
8.* parte das loteras, a beneficio do hospital da
Ordem Terceira do Carao do Reeife (210*), que
se exrahir quarta-felra li do crreme mez.
PRESOS.
Bilhete inteiro 6/000
Heio bilhete 3/000
Quarto 1/500
Im porcio de 100/000 para cima.
Bilhete inteiro 5/500
Meio bilhete 2/750
Quarto 1/375
Manoel Martins Finia.
Rival sem f-egimdo
Raa Duque de Casias n. 91
Jos de Axevedo Maia e Silva-, em sua h-
j ade miude/as continua a vender tnd<
por baratos [ recog que todos admira :
Libra de 13a para bordar a melbor >
que ha. 6i$000
Caixas com superiores grarnpos fran-
cezes a 160
Duzias de facas e garios de um e
dous boies a 40000
Talberes pare meninos -a 240 e 400
Libras de linha de novello, a melbor
pos8ivel. 10500
Duzia de lencos de cassa com barra. IfJOOO
Caixas de liabas com 30 novellos a 500
Vara de franja branca para toalbas 460
Dozas de me:as cruas muito boas a 34500
Duzias de meias finas para senho-
ras a 44000
Duzias de facas e garfos cravadas a 3000
Duzia de palitos segurancia a (20,
240, 320 e 500
Na ralbas muito finas, para fazer a
barba a 1,5001
Caixas com peonas de ac com to- .
qae a 320
Caixas com e-.nas de Perry (azeo-
da fina a 800
Ditas de dita dito verdadeiras a 10200
Caixas com 20 cadernos papel ami-
zade a 700
Pecas de fitas para coz com 10
varas a 500
Pecas de tranca lisa de todas as
cores a 40
Duzias de liaba frouxa para bordar
a 400 e 500
Pares de sapa los de tranca a 10800
Duvias de baralbos muito finos a
20OO e 280G
Ditas de agu'has para machina a 20000
Libra de pregos france/es a 240
Retinas de papel almaco superior a 30600
Ditas de dito paulado o melhor a 40000
Caixa6 com Fabontes fructa a 720 e 10000
Carriteis de liaba A'exaodre a 100
Gravatas de cores mnito finas a 500
Ditas pretas pontas bordadas a 600
Grosas de botSes de madrvperola
para camisa a 50C
Novellos de linha branca, '00 jardas 60
Duzia de carios de linha branca e
preta e de cores a 120
Tbesouras muito finas para un has
e costura a 500
Caixas redondas para botar rap a 10200
Caixas com pos para limpar dentes
fizenda fina a 200
Livro das missoes abreviadas a 10500
Copos grandes com superior banba 10500
Macos da pallitos para dentes o
melbor que ha a 160
ATTENCAO
Vende-se por barato prego urna propriedade a
tnargem da camoda dos Remedios, azendo-se
toda vantagem ao comprador, reeebendo-se parte
em dinbeiro e parte em letras oa objectos de
rrompa venda ; cuja propriedade contera ama
grande otaria de pedra e cal qae lastra 16,000
lijlos de alvenaria grossa e torno qae comporta
25,000, com mais um forno e lastro para facer-se
tenas, ladrilho?, caaos e loaca, com excedente
barro para qnalqaer obra, com dous excedentes
viveiros de peixe e com casa de vvenla para
grande familia, torna-se recommendavei per pas-
sar.perto a knha dos bonds : as pessoas qae pre-
teaderem dirijam-se dita propriedade a entender-
se eom o capillo Delflm Lias Cavaleante Pessoa.
Criado.
Precisa-se de um criado para o servigo de casa:
na ra do Duque de Caxias n. 50, antiga do Qae i
mado, Ia andar.
Precisa-se de ama ama ou escrava para co-
zinhar someote, agradando paga-se com generosl-
dade : a tratar na rna do Plresa. 31
Precisa-se de um
Terco n. 63, padaria.
I PHARMAOA^
Especial hciucopaffalca
VIUVa'dO DR.
Sabino 0. i. Pinho.
43Roa do-Bario da Victoria43
Para este aaligo estabelecimento acaoa
de chepar no nltimo paquete, da casa de
James Epps A C, de Londres, um exeel-
lente sortimento de carteiras e caixas de
lodos os tamanbos, qur para glbulos,
qnr para tintura-; assim como medica-
mentos em trituracao e em tintara, glbu-
los, etc.; o que lado se vender por pre-
gos mu ratoaveis.
Thesoaro homeopathico do Dr. Sabino
0. L. Pmho.
3* edigao.
Muito melhorada e augmentada com um
appendice.
At principios do mez prximo -estarlo
venda os ejemplares desta importante
obra.
AS preparicSes desta pharmacia conti-
nuara a ser feilas sob as vistas immedia-
tas do medico do consultorio, o Sr. Dr.
Jezaino A. dos Santo* Mello.
NOVA PBLIC.\gAO
A^arabyba e o Atlas"do Dr. Candido Mendes di
Almeida.
OBSERVAGES'CfliriGAS.
as livrarias fraoceza e universal, roa do Cres-
po o. 9 e Imperador n. oi.
s
s
Consultorio homeopa-
thico
DO DR. SANTOS MELLO.
Ra do Barao da Victoria n. 43.
VACCINA.
Todos os domingos e quintas teiras, pe-
las 9 horas s 10 da maobaa vaccina-se
por prego mod co, para o qae ha muito
bom puz vaccinieo.
Recebem-se chamad, s para vaccioar em
qualquer casa.
Consultas medicas todos os dias pela
manlia.
Chamados a qualquer bora do dia e da
nonte.
Gratis a parte medica aos pobres.
A.os 5:O0O$O
Bilhetes garantidos da pro-
vincia.
Ba do Barao da
Victoria,
Outr'ora ra Nova n. 63 e casa*
do costume.
O abaixo assignado acaba de vender entre ot
Mas maito felir.es bilhetes a sorte de 5:000*000
em um bilhete ioteiro de n. 2(99, um quarto de n.
I9G com a sorte de 800J e era um quarto de n.
2678 cora a sorte de 100#, alm de outras sortea
menores de 40*000 e 20*000 da leteria qae se
acabou de extrahir (209), podendo seas poesaido-
re virem receber, que promptameate serio pagos.
O mesmo abaixo assignado convida ao respe-
lavel publico para virem ao sen estabelecimenu
omprar os felizes bilhetes garantidos, que nic
leixar de tirar qualqaer premio como prova peloi
sesmos annuncios.
Acham-se i venda os maito felizes bilhetes ga
raotidos da 8*. parte das loteras em beneficio de
hospital da ordem terceira do Cirmo, qae seri
ntrahida ao.dia quarta-feira lt do crrante mex.
PREgOS.
Inteiro 6*000
meios 3*000
Quartos 1*500
De 1000000 para cima.
Inteiro 5*900
Meios 2*750
Quartos 1*375
Joao Joaquim da Costa Leiu.
Vioho tinto e branoo sap>
)ior
de carcaveilos tem para vender em caixas
de uma duzia Jaqrjim Jos GongaNs Bel-
""trio, roa do Commercio n. 5.
Cadeira.
Novo sortimento de cadeiras francezas
venda no armazem de Tasso Irmaos & C. ao
caes do Apollo.
COMPRAS.
Nesta typographia
sagrada por Pinheiro.
compra-se uma historia
Compra-se ama casa terrea bja, qae tenha
commodos para familia no bairro da Boa-Vista; a
tratar na roa do Hospicio n. 13.
ai ** mmmmm*
Aluga-se duas casas terreas em Apipncos: a
tratar na ra Sete de Setembro n. 1 (antiga tra-
vesea dos Ferreiro).
O abaixo assignado faz publico a quem inte-
ressar possa, qae tem jasto e contratado com o
Sr. Francisco Ferreira da Silva a compra de urna
casa de taipa com um terreno qae tem 200 pal-
mos de frente e 300 de fardo' na estrada velha
d'Agua fra perto da estacSo deste nome. Se al-
gera pois se julgar com direito a oppr-se a refe-
rida venda queira faze-lo no praso de tres dias na
ra larga do Rosario n. 14. Reeife 7 de outubro
de 1871.
______________Lourengo Jos de Freitas.
Para a festa
Alaga-fe uma cazinha b?ra preparada perto da
estagao do Parnameirim, contendo 1 sala, 2 quar-
tos e cosinba, (nao tem sala de jantari com cacim
bae bomba, de cxcellente agga, nbeiro correte
com banheiro e lugar para lavar-se roupa; cir-
cnlada de sombra por amredos ale o banho :
; tem contra a falta da sala de jantar, e alguma
menina nao pr/cisar ir ao banbo de coque, sapa-
tinhos e espartilho : na mesma estagao se indica-
r.quem.
ltenlo
Officina m-rmoraa
10 TRAVESSA DA ROA BELLA 10
Nao ba duvidapor falta da mndreidade do prego
no que sedeixa de mandar collocar as sepul-
turas de parantes e amigos ama lapida para con-
servar a memoria dalles, pois a mencionada ofQ-
ciua apricha era desempenhar com gosto e per-
feigio qualquer trabalho rela'ivo ao estabeleci-
mento, como sejam : laminas de marmore com
competentes ioscrtpgoes, pelos resumidos pregjs
de 10* 20*000, pedras pa consolos, jardinei-
ras e toilettes ; pule-se e lustra-se obras usadas e
tarabem se faz todo e qualqaer concert tanto em
marmore como em crystal, louga e. porcelana,
tu Jo por pregos mri^reduzidos.
VrNDAS.
Gas econmico para os can-
dieiros de porcelana.
Acaba de ehegar este j bem coobecido com-
bnstivel, como o mais barato, prompto e asseiadn
de todos al hije coobecidos, e se eneontra ven
da no nico deposito, a roa larga do Rosario na
mero 31.
Relogios de onro e
prata
dos melhores fabricantes inglezes, franeezes e
suissos, vendem-se por pre;os maito rasoaveis, oa
loja de joias Esmeralda
RA DO CABUGA N. 5.
4Kua do Apollo4 -
lolo do Reg Lima & Filho tem para vender, 20
|0meaosqae em outra qualqaer parte, o se-
grate :
Lingnicas das libas em latas.
Alcatrao en barris.
vmhodo Porto flno em, caixas.
Dito Bordeanx dito dito.
Relogiosjle pareae e eima de mesa.
Superiores cigarros do Rio
de Janeiro.
Domingos Alves Matheus, nico agente ae.U
roviocia da fabrica imperial de cigarros de S
oa/) de Nilherohy, etabel acida no Re de Janeiro,
tem sempre um completo -sortimento de todos oe
cuatros, fumo picado e eai latas. Tem igualmente
o* ajamados cigarros Conde d'En, feitos com mag-
oifleo papel de palha de milbo e fumo superior
Pa governo de seas fragnezes, qae tem estele
ido depsitos flllaes, as casas aos Srs. Thomai
Francisco de Salles Rosa e Manoel de Souza Cor-
deiro Simoes Jnior, no bairro do Reeife, e todo
qaanto for vendido em outras casas com a firma
de Souza Novaes dt C. slo falsificados.
Pomada alpaka
E' ronito conhecida ?ta pwla e nr
.ijireciada por soa finfs
Esperaoca quem ict...
Jarros de porcellatia
Um completo sortimeoto de. lindos Jarros
de porcellana (do afamado Bacar) existe na
Nova Esperaoca, rna Deque de Cuias
n. 63. _________________________
OLEO PURO DE FIGADO DE BACALHA0
DAI
TERRA NOVA
DE
H. LACOMBE
Este oleo qae tao boa acceitagao tem merecido,
maito se recommeada por *er o mais purilieido
qae at hoje tem viudo, e ainda pelo bom paladar,
superior a entro qualquer : vend-se no deposito
sspecial de Banholomeu & C.: ra Larga do Ro-
tara 3.
proprios para suspender barca-
c. se hiates, vende-se na ruada
Cadeia n. 39.
VNDESE
Attenpao
Precsa-se da quantia de z:000a000 a premio,
pelo lempa qae se convencionar, danlo-se dous
scravos por garautia, oa a de iOOxOOO passao-
o-se ama lettra : os escravos porm fleam es
sejs servigos pelo premio : quera qgiter annun-
cie por este Diario para ser nrocurado.
Precisase de ara menia) para caixeiro : na
ra do U.ispicio, taberna n 26.
Na roa Direita n. 64, precisa-e fallar com
o Sr. Sebastiio de Mello e Albaqnerqne a negocio
de sea fnteressp.
ALGA-SB
uma casa em Bebexbe : a tratar com J. I. M. Reg
roa do Commercio n. 3i.
forneiro : no pateo do
jgt lavar Precisase de um ama para
JWljMMLM. comprar, cozinhar e faier mais al
gum servigo de casa de pouca familia : a tratar
na ra de Pedro Affonso, outr'ora roa da Praia
o. 53, !? andar.
- A pessoa que precisa de 4O0J a premio
sob garanta de dous predios, queira dirigirse
roa Anguija fl. 94, qna se dir quem di._______
- Precisa-se de ama engommadeira : na tinm-
rarla fraoceza rna da Imperairlz n. 85.
O Sr. Gaberme Jorge da Motta tem urna
carta vinda de fortugal na roa estreita do Rosa-
rio a. 9. .
0 magnifico e saudavel chocolata em p, em
pequeas latas, a 3*200 a libra; vende se nos
segnintes armazens, ra do Imperador n. 40, e
ra Mrquez de Oliml n 53
Hospicio n. 46.
PrecL-a-se de uma mulher
que saiba cozinhar bem, for-
ra oa captiva : na roa do
Precisase de uma ama para casa de
horaera solteiro : ra da Praia n.
38.
Quem pretender alugar dous pretos proprios
pjra armazem de assucur, pode drigir-se a ra
da Soledade, sitio n. 33.
SITI3
Pao Ramonda:
No bem conhecldo^ acreditado deposito de pao
sito roa do 3arao da Victoria n. 55, para mais
commodidade dos senhores passageiros da ma-
chamhomha acha-se venda dito pao ; no mesrao
deposito encontrar-se-ba sempre cigarros de di-
versas qaalidades e charutos da 3ahja das segolh-
tes marcas : Bisraarck, opera, trabucos, regala
britnica e jmperiaes de Simas : no deposito da
ra do Barao da Victoria n. 55, de Booanni de C
Novidade na loja das
seis portas.
LJazinhas de cores moderoas proprias para a
estagao presente, que se vende pelo baratissimo
prego de 400 e 500 rs. o covado, madapolao fran-
cez muito largo a 6*300 a pe;a.
Ha tambera ama grande porgao de linhas de
novello de nmeros 60 a 120 que se vende
pelo diminuto prego de 1400 rs. a libra, fazen-
do-se differenga em porgoes de 25 libras para ci-
ma : na loja das 6 portas em frente do Livra-
ment.
Folhintias de Laeromert, para 1872 ; vende-
se na livraria Enciclopdica, ra da Cruz n. 52.
Flores
Vende-se lindas camelias contras flores pro-
prias para cabellos, ou perneados de senbora, na
roa da Ira >eratnz o. 82, casa de eaoelleirelro de
Oiilon Duarte.
Vende-se ama caa terrea na Capunga (ra
daAmizade) n. 38, em chaos.-proprios: a tratar na
rna de Marcilio Dias n. to.
ATTENCAO
Vndese a taberna da
quina do neceo do Lima
ra Imperial n. 49, es-
a tratar na mesma.
CALCADOS.
A icja de calcados da Bota de Ouro, acaba de
receber nm grande sortimento de salgados dos
melhores fabricantes de Inglaterra', Portugal e
Franga, a saber : botinas de bezerro e pelica pa-
ra homens, botinas de penca preta e duraque de
cores e de canos altos pira senbora, ditas de be-
zerro, sola grossa e gsspiadoe para rpate?, bo-
tinas e sapatinhos bordados Jos melhores que
tem vindo a essa praga : oa toja da Bota de Ouro
sita a rna do Bom Jess n. 21. sobrado ama-
relio^__________________
Superior caf do
Ceara'
Vende-se na loja do Rolim : ra do Duqne
de Caxias n. 73, amiga do Queimado.________
Potnssa da Kussia
tm barrts : nos armazens de Tasso Irmaos &
Companhia. .
Tra>passa se ou arranda e um bom *!iio unto
a ponte do Maduro, em 3anto Amaro das Salinas,
atravessando para Beln), rom urna grande, casa
de moradia, dous quinues murados, quarto> para
teitor e escravos, eom haixa de capim e muitas
fructeiras, mnito terreno para plantagSes, torna-
se recommendavei por pa'sar a linha dos boods
perto e a da raaxambomha de Otiada : quem
pretender dirija-se ao mesmo sitio.________
Prei*a-se de uma ama para cozinhar
e comprar : na rna do Livramento n. 1
AMi
A, loja.
Cxeii-o
Precisa-se de um qae tenha pratica de molha-
dos e d fiador de sua conducta : na ra do Im-
perador n. 14. _____
Per leu se no da V a noiie da ra dos Os-
sos era continuagao pela da Palma, da Paz at a
do Sol, am lengo nranco de grade larga e bieo es-
treitj, com as iniciae? B. S. C. : gratiflea-se ge-
nerosamente pessoa que o acfcou ra de S.
Francisco o. 29.
Quem aniuocioo precisar de 4:000*, dando
como bypoiheca dous predios, apareca na roa do
Bario de S. Borja o. 14, que se Ibe dir qnem di.
Joaquim Jos da Pooseea tero vendido ao Sr.
Felippc Santiago de Alraeida a sna taberna da Ca-
punga ra das Creoolas o.33, e julga n>da dever
pesia pr?ga ou lora della, porm se alguem se
julgar seu redor queira apresentar 'snas contas
para aerem paga, vto tor de retirat-se para Por
logal a tratar de sua eaade.
Attenpo
- Contrata se a *anda de capim aonaalmeote
por prego raieavel : lratax no eogenbo Daos I Precia-se^fe am eaiieiro de cito nove annos
Irmiu, em .Vniaet*. ipara liberna do pateo o Paraizo o. 20.
Para o dia de fi-
nados.
#
Na ra eslreiu do Rosario n. 35, Io andar, tem
para vender ricas capelUs para tmulos de anjos
donzelas e defuntos, de saudades rxas, cravos,
perpetuas e sempre-viva, e raeirao flores bran-
cas, sendo as capellas com leireiro? de ouro con)
qualquer distiuegao que se queira ; j se achara
prornptas, e por prego mnito em cunta. Na mes-
ma casa preparam-se bouqueis de gosto cora litas
bordadas e sirapfts, tarabem se arraam capellas,
trazendo os donf-sas perpetuas dous das antes.
Joaquim Jos Gongalves Bertro tem para
vender no sen escriplorio i ra do Commercio n.
5, os ganaros abaixo notados, qae vende mais ba-
rato do que em ontra qualquer parte :
Azeitonas em ancoretas.
Amendoas em barricas.
Caf muido em massos de 1 libra.
Chapeos do Chile de4>oa qualidade.
Cognac marca marte! frres.
Enxadas.
Parnba de mandioca de Santa; Camarina, pc-
eos de 3 e 2 alqueires.
Dita da Babia em saceos branecs.
Dita de dita em barricas, proprias para casas
particulares.
Fio de algodao da Baha em novellos.
Fouoes.
Majados.
Nozes.
Obras de palhelas.
Papel proprio para cigarros.
Dito azul para botica.
Palitos para dentes.
Pregos sortidos.
Panno de algodao da fabrica de Todos os Santos
de Pedroso na Babia.
Rolhas.
Rap popular da Baha.
Botimem fardos.
Retroz dos melhores fabricantes do Porto-
Tapioca do Maranhio.
Tabaco simonte da Babia.
Verniz copal
Vinho do Porto engarrafado, caix de' 12 gar-
rafas.
Dito de dito em barris, proprio para engarrafar.
Dito moscatel, verdadeiro de Setubal.
Dito Bordeaux em caixas de urna duzia.
Dito de caj em caixas de uma dnzia.
A 20500 rs.
Xa loja de Paulo CSulmarSes.
Bolina d marroquim de todas as cores para
senbora a 2*500.
pilas de duraque preto enfeitadas, para senho-
ra a 31000.
Chitas rxas com palma, cor fixa, covado a
160 rs.
Bnm pardo trincado fino com pinta de mofo,
covado a 400 rs.
Ca o covado 1*.
Atoalhado de atgodlo, gosto moderno, metro
1*600.
Brius de Angola verdadeiro, metro l|18o.
Casemlra chava de ouro, propna para costume,
covado 2*500.
A' HUA DA IMPERATRIZ N. 48
Juoto a padiria franreza.
Libras sterlinas.
Vende-se no armazem de fazendas de Augusto
F. de Oliveira & C, ra lo Commercio n. 42.
UVA
FERRAL
ehegada hontem a 700 rs. a libra oa 1J600 o kilo:
so no armazem do Campos ra do Imperador
numero 28.________^____________________
Vende-se a casa terrea n. 131 a roa do Vis-
conde de Goyanna (oatr'ora Mondego), as proxi-
midades da linha dos bmls : a tratar na roa do
Crespo n. 12, i andar.___________________
Vende-se na antiga ra Direita, hoje Marci-
10 Dias n. 99, queijosmnito frescaes do reino a
11 e 1*500, farinba de milbo de todas as qaalida-
des e magias das ltimamente ebegadas.
A 10500
Vende-se botinas para meninas pelo diminuto
prego de U300 o par : venham rna da Impe-
ratriz n 68, loja de miudszas junto a padaria.
Earmht d maudiu-a
Vende-se a 2*000 o sacco, na roa da Madre de
Deas o. 1.
Popelina da seda e
la.
Faz-nda inteiramente nova no mercado
com padies maito delicados, fazendi di
am efleito sarprehi?ndente et vesiiiios, e
vende-se por 10280 r*. o covado, oa loja
do Papagaio, roa da Imptratriz n. 40, de
Mendes < CaTvalho.
Ao publico
Ra do Imperador n. 24
Ao publico sera do vida a qnem nos dirigimos,
pois para isso fazemo* inserir nete jornal um
annuneio que deve ser Hilo por todcs com m'Ji'a
attenco.
Nio vimos com phrazes bombsticas, proenrar
convencer respeitave publico que acabamci de
montar ama fabrica e i-.j"i d- nmlMrt*. oaste-
laria e culinaria, tomeiu- com p fcjrfoto* fin de.
chamar attengau para o ljj?o staheleclmenlo,
somos amigos do pro^re-is > material desta pro-
vincia, occorreo-n& por i;>,i. a ;ji de facilitar
a qualquer babilanu tel|.i, h mcnir-ecom |jres-
teza e quaptia refumida. o> tmalqoer object: ten-
dente as tres artes aeim < ntmS, *"iisbele;endo
para sse fim ama eoofeiaria-a ra &j Impfador
o. 24, szb a .egalnte denomii
co.vramiuA do cu-pos.
Vende-se a casan,
tar nesta typrgrapbia
4 da ra do Gaz : tra*
A 640 rs.
Vende-se sapalos de marroqiirn.obra maito boa
pelo preco de 640 rs. : venham a ra da Irapera-
triz n. 68, loja de miudezas.
A 4^000
Vende-se espartilhos para meninas e senhoras
pelo diminuto prego dt 4/000 : venham nova
loja de mindezas da ra da Imperatriz n. 68 ; ve-
nham a elles, antes qno se acaben).
A 431500 7
Vende se borzegains para homem, obra taxi?da
e bem eita, pelo diminuto prego de 4*500 : ve
nbam roa da Imperatriz o. 68, loja de miudezas.
MODERNAS BAKEGES COM LISTAS DE
SEDA FRANJA AO LADO.
Chegoa para o armazem do Pavita um
elegante sortimento das mais lindas h.ire-
ges e iazinbas modernas, tendo ao lado
bonitas listras asselinadas com franjas para
os eneites, as qaaes se vendem mais barato
do que em ootra qoalquer parte, porhaver
grande sortimento desta nova fazenda na
loja do Pavao roa da Imperatriz n. 60.
Madapolao barato a *&#.
Vndem se pecas de madapolao maito su-
perior tendo 4 palmos de largura. *com 24
jardas cada peca pelo arato preco de 5,5500,
por ler um leve toque de mofo, sen5o se-
ria para muito mais dintieiro. Dito francez
finissimo muito largo, por tar o mesmo de
feito qoe larga logo que seja lavado a 7(>000
a peca, gran Je pecbincha roa da Impe-
ralriz n. 60, na loja do Pav5o de Pereira da
Silva & C.
NOVAS BAREGGS A 400 RS. O COVADO.
O Pava* vende delicadissimas e modernas
bareges para vesidos, pelo barato preco
de 400 rs. o covado na ra da Imperatriz
n. 60.
A verdadeira gorama do Acaract em saceos e
barricas, por menos prego do que em quer parte rna do Vigario n. 14, esc ptorio de
Jos Lopes Oavim.
Vende-se o engenho Cunee i gao da Batheris,
na comarca de Cmaraibe, provincia d-3 Alagoas,
duas legoas distante da villa do Paso, porto di
embarque, e em altura que deve passar a nrojee-
tada e j contratada via-forrea de Mace: a en-
contrar com a de Una ; moente'e eonenie onve-
niecternente preparado a todos os respeilos a..
melhor modo de facilitar o respectivo trabalho
com o raaior aproveitamento ; moendo por uma
machina a vapor de torca de tres e meio cavallos
inglezes do mais moderno systema e sobretodo 'o
uma admir'avel siraplicidade, possuindo os melho-
res efmais aberdosos terrenos possivel para tana
e qualquer lavoura, tendo uma legoa de fund e
mais de meia de frente, dando assim lugar a mais
dous engenbos de soffrivel tamanno para moerem
com agua. Reunindo alem de outras as vanta
gens de tres pbrtos de embarque e a prrximidade
de mercados, como sejam a Villa do Pa^so, Purtu
Calvo, novoagoes de Tahuminha e de Camaragibe.
Vende-se com a safra prestes a colher pata mai.
de 3,000 pies de assncar, ou com a que se est a
criar, que nio devera ser inferior. Tambem se
vender alguna poneos escravos, boiads, a.sim
como iguus uteocilios, movis de-cara de viven-
da, etc., etc. Tamben se arrenda por aliiuns au
ne.J, e mesmo.com alguna escravos, etc., podendo-
se retirar a machina a vapor e deixar molinote
para ammaes, com tanto porm que se compre a
safra existente : a tratar no referido engenho ou
nesta cidade com o Sr. Tavares de Mell, praga do
Corpo Santo n. 17.
Lembranqa terapo
O propietario do armazem do vveres roa do
Imperador n. 28, vem por meio desie annuneio
prevenir e avisar ao respeitavel publico desta ci-
dade, qne o sea armazem um dos que com mais
vantagem pode satisfazer as suas bem entendidas
exigencias, pois para tal lira tem feito reunir uo
mencionado estabelecimento o mais completo i r-
timento de acepipes, e para que os dignos leilores
deste annuneio nao tenbam occasiao de massada
toma a fesolugao de limitar se a lembrar poniente
os gneros que elle tem como especial novidade, e
o seguinte :
Lindas caixas com confeitos, proprias para pe-
queos presente?.
Chocolate em p, este chocolate tem a vantagem
de poder-se fazer me; rao na mesa.
Leite condeasado, a melhor marca conhteida.
este Ieite convem principalmenie aos collegios, ho-
cis e hospitaes, pela presteza c m que se oltem
qualquer preparado delle.
Tmaras do Egypto, raramente vindo a e-t-
mercado.
Licores finos: Chartrejze, Curago, Anizete,
Creme de rosa, etc., etc.
ALEM D1SS0 O CAMPOS
pode garantir que o sen armazem um centro do
borne agradavel ao paladar, pois nelle se encon
trara sempre tudo qur-nto pode necessitar ums
despensa, cozinba on mesa desde a mais bem sor-
(ida at a mais mediocre.
AGORA ANDA
annuncia tambem fei.o mulalinho em saceos e a
retalho.
Sitio venda
No Arrahil ra da Harmona, vende-se um i-
f'o, lodo pbptado. toa casa e banho, qae se torna
recommendavei, j pea sna eoiloeagao lopogra-
pbica e salubridade qae goea aqnelle pitoreseo
arrabajJe, e j pela modieidade com qne se (.de
tuet tao ptima acqaisigo. As pessoas que o
dese|arem |.J;m derigir-se para inf^rmagoe- a
ra do Livramento. armazem do Bilisa.
Para noivado.
Fita* <'?i'rci?es e preparadas p.ra lagos de eor-
tinados de rama : retobea a Nova Eperanga,
ra Duque de Caxias u. 3.: a rlUt antes que se
acabeui, pois vii r-.m suutetite ~c e :2o lttj
mos.
fiachinas para desca-
roijar algodao.
No escriplorio de J >aqum Gerardo de Puto-',
ra do Vigario n. 16, 1" and.-.r. \.;ndem se mi-
chinas de 18 >errs para descarocar-alf E. A. Burle C, em seu avinazem ra
da Cruz o. 48, vtndjra a prego- n uito ni: senil
p?ra acaliar :
Ladrillos de marm:r<\
Taboas e degros de dito.
Mann coramam.
Uannite.
Fio de vela.
Cogoac fino em caixa e barris de vidro.
Vinhos de Brdeos finos e ordinarios em uoai
e barris.
Licores em caixa. t
Fructa= em conserva.
Azeita doce em caixas.
a Victoria
Nlv:
2.
et.ei-
i-:;
B -
3 p v
a. ~ -
3 f
" *
,oa ^_
V D
_
3 o
o.
o T3
3?a
S 1 VI

o
- 5
^T
i _3
B> s

O. m _3 Q
M
3
I 9
.&> fl
P3
33,
e
Querem comprar ?
Guardapisa para vestidos ; preto on branco?
Papa-Sna, larga on estreita-?
Longos de linbo, bordados ou lisos ?
Bonitos Seques, osso ou sndalo ?
A Nova esperanga quem (era I I
E novidade!
Acaba de ehegar a Nova Esperanga ra Duque
de Caxias n. 63, bonecs e bonecas, sendo de mol-
des inteiramente novos, vindo entre elles os en-
gracados bonecos de borracha : para que se can-
eara? quando quizerem comprar qaalqcr objecto por4000.
sendo bom, bonito ou engragado, ienibrem-sc logo
da Nova Esperanga roa Duque de Caxias n. 63.
An%a ra ilv: i>,
Amaial, Nabuco & C. convidara os eu- ami-
ts e frefklezes a virem ao Bazar Victoria para
apreciar o apurado gosto om qne vio leitos di-
versos artigos-quereceberam ltimamente da Eu-
ropa, a saber :
Vestidos de blonl com veos e gtiualdis tara
casa me ii tos.
Drtos de seda liso? e mUsados
Ditos de fi! de seda ricamente bordados a o-
res.
Ditos de chita e de gnga com todos os
tes necfs- arios.
Ditos de cambraia Victoria fiuissiraa.
Camisas bordadas- para senhora e hornera.
Saias e pcnliadores bordados.
Meias linas de algodao bran.-as a de cures
senhoia.
Sabidas de bailes e bouinox ds casemi.-. ,
Basquinas de; se'ia preta. %
Ricas fronhai de labyrinthe borc.das.
Cilxis de seda, d laa e teda, do algodao, ftx*-
ao e la pura.
Ata de mo'ca de todas as c6re, um? fasea-
da especial p>ra c brir quadre--, espejhoi
retrate?, derri;:?sd,-rr"r:!e transp-rente e prepa-
rada de forma a evitar compietamente o j.6.
Cnlerinhos e ponhos de \ apel.
Chap-.s da seda e de. v.-liudj para Brabera,e
meninas.
Fit.-.s masnicas de diversos graos.
Peifumar-ES te diversoe t_bi cantes, leos, i.i-
nh3c, extr-etts e [ de -.rrz el-, i te
Um oropleto sortinutito d-> caitiiras de mar-
fim, tartaruga, madreperla e coiro da Uur- >,
iodispeusaveis de seda, e de couro da Russia, tfie-
zomas o cauiv(-s maulo finos.
Um cmplate sortitnenii) de chai Js de sol a
*eda, beogallas de canoa, balea, Borracha e av.-
deiHa.
Charutos superiores fumo inglez para cachirc
bo, caei.as e bolca< ;:e seda p^ia o mesmo c
ouiros multes ci jectos.
Ura coTij!eto >ortimen:o de diversi s Cmannos-, de i a 2oi.
Sabonete inglez em calimbas a lj,":00 a daz>.
para impressfto,
Vende-se por prego muito barato, havendo- ;:;.
tamanhos: oa ra da Cruz o. S. armaz-j;; de
Alves & C. i_________________
Cemento verdadeiro l'ortla J.
Vende Joao Ignacio da Costa, em barr--.-.-.
barato prego : ijo armazum da aM-diiba dr
dpga n. o-.
_J!l
A ra do Cofnaer'Jo n. 10, esenp' -
rio de Jos Joaquin ria Cmm Maia, tn-
co-tra-sa para vender por c.mmodos
prrg. s :
Azul-jis hespai.le.5.
Pslba! de torro galvanizado pera telha-
do de diversos lamautls.
Dics de dito dito lizas.
Bicas de ferro galvanizado.
Ctiiieira dii\
Pori:.!>- coTnp tas para cantarla.
Ladrilhi s.
mm mm mm
Popel
! 50 palmos !
Cano ce chumbo estanhado para -gua ou
CHAPMAN'S
29-Ra do Imperadori9.
S"
1
vendem cerveja mayense
Rheno.
A revulesciere du Barry do
Londres
Toda a deenca cede a Revalesciere da Barry,
qus d sade, energa, appelite, dictan o es
canso. Ella cura as dispepsias, rastrees, humo*
res, acidez pituita, flato, enjps, vmitos depois
da comida e gravidez, con -tipag6es,t> asthii,
affecgSes pulmonares, bexiga, liga' -ere!
sangue ; 60,000 curas, incluido mimas dellas no
Brasil.
A revalesciere chocolatada du Barry
em p,
Delicioso alimento para alraogo e cela, muito
nutritivo, fortificando os ervos do esuimgo m
causar o menor peso era dr de cabega, ncm ir-
rita gao.
nico deposito para o Brasil em Pernambuco
napharmaeia americana de Ferreira Maia & C,
ra do Duqne de Caxias n. 57. (Todo cuidado
eom as falsificagoes.) ,
Espanadores
De palba o mais bem feito qne possivel e
mais barato de qne em oalra qaalquar parte, na
praga da Independencia ns. 35, 37 e 39.
dous cavallos de sella, sendo nm casianho, de
frente aberta, bastante gordo, andador de baixo a
meio ; e outro mellado, de criuas branca?, muito
bom baixeiro os prelendentes podem ve los na
ra de Riachuello casa de Vicente Ferreira da
Costa, das 6 as 8 boras da raanhSa e das 3 as (i da
tarde.
Mofe.
Meias par meninas e meninos com to-
qoe de mofo a 2fJ0O0 a duzia, na loja do
Papagaio, ruada Impemtratriz o. 10,. de
.Meo Jes & Car val no.
MI I PO'
a 33200 a libra, em pequeoas laimhas : so co
armazem do Campos ra do Imperador n. 28.
Cemento Portland
Era barricas de 13 arrobas prego mais com-
oodo do que em outra qualquer perte, vende-se
Til armazens de Tasso Irmaos t C '__________
* Grande pecbincha
Damasco de la cora 9 palmos de largura, fajefi-
da prspiia para c-lehas de cama e cobertas de
piano, po b.ira'.issimo prego de 1J3C o civad:;
alpacas 'de e >res de padrSes miados a 500 rs. o
covado, las de cores mesclidas e de lindos ps-
drSes a 30 o 2S0 o eova lo, cambraiis de core? a
280 e 240 o covalo: na loi* dos arcos rna !
de Margo (amiga do Crespo) n. 20 A.
HWntlga franieta nuva
MinRue'ra n. 2.
VNDESE
a 720 rs. : na roa da
\
TTENCO
Vende-m um sobrado Je um andar e solio
novo e muito h^m acabado, com tarrago na fren-
te de d.-traz, cozinha fjra, mnrado, conttndo qna-
tro meias aguas fe pelra e uof.a 8*000 mensl, ludo no ftin'o do mesmo so-
brado cito na roa c S. Ko, freguozia de S. Jos
desta cidade : tratar na mesma roa, casa ca-
mero 4.
Attenco!! I
Venie-se sorUs da t-ira am forma geomelnea
de re.laognlos, < sitaejo topograpaica- de leste
ao oeste, oa desnl a mrte ai silio dos craveiros,
lagar do Pnndao. A ferlilidade do terreno banba-
do orientalmente pelo r'o Beberibe, a facilidade de
loe-mocio^s va frrea le Btberibf) a modiiida-
de dos prego', a regularidale e belloza do projec-
to de arrunnentostitlo eoovida a (azer-se acq
le urna porgib qualquer de liio agradare; -
pitoreseo iili.>, especiftlraenie os prelendeotes a
habitar'* campr-stre i os neces-itades de banin-
frio?. k)< pretndeme podem drigtr-se ao enge-
uheir' F lt. Sutte, < hja cas" o. 9 na-esiroi
de Jo te Barros ou a roa do Itiacboello, casa
. 9 do majjr Frunc?.;o h-. da si!'*, propie-
tario do supraeitedo sitio.

-

M





/-
p
iaiio de Peruamimc Quarla feira 11 de Oui
1871.
LABORATORIO HOMEOPATHICO
DE
FRANCISCO E PAULA (ARDOZO JHOR 4 C
41. Kua do Imperador41.
Fiancisco de Paula Cardoso Jnior A C*. animados pela condescnden--
cia, que para cora elles teve o Sr. Dr Jj.iatbo Soares Rebello, que ha 26 anuos
exerce o systema homoopathico, goz indo SHtnpre de subido conceito, a estabe-
lecer uetta cidade um-UBORATQRI > HOMEOPATHICOde primeira ordem,
digno da confianca e proteica^ cia e do orle do Brasil,- para oque, u5> se poupando a despezas nena fadigas
capazes de soperar lodas as difficuldades, co.n que tiveram de Indar, trabalha-
ram incessaotemecte desde marco uliimo, julgando ter conseguido o seu desi-
dertum, tem hoje a satisfacao de, annunciando a abertura de sua casa, afir-
mar aosamigos da homeopathia, que se jugam completamente habilitados para
o perfeito desempenho de todos os mlsteres do seu encargo.
Os elementos do seu estabelecimento foram todos importados da afamada
casa de James Epps & \ de Londres, um. dos primeiros e talvez o mais co-
ohecido e aeredita o estabelecimento deste genero; as preparares secundarias
(dyoamisaces e diluices) foram preparadas cora o mais escrupuloso esmero
segn lo as regras da sciencia e sob a mmediata direco e inspeco do mesmo
Sr. Dr. Rebollo, cujo nrae ligand<>-se desta sorte ao estabpleciaenlo, a mais
segura garanta que podem offerecer os seos propietarios s pescas, que os
liiaiarem cima sui ooniunca. de qua no preparo dos medicamentos n5o se
i yuparao esforcos para que sej >m bem servidas, pois que a austeridade,com que
cumpro aqoelies to os os seus deveres e sobretudo o respeo, que consagra
a sua pr< pria reputaco, lhe nSo permilliam sacrificar a vida de seus clientes
ao interesse de terceiros.
Sem pretenderen os proprietarios depreciar os productos dos ootros
estbiedmentos deste genero, enera todava pod^r afirmar que nenhum outro
excede o seu em supe ioritlade, e para que nenhurna duvida baja a esto respeito,
poder>) todas as pssas qoe quizerem fo necer-se dos seus medicamentos vi-
sitar e examinar o esta'ieteciiteut'), o de. a'm de boticas emglobilos e tintu-
ras de varias capacidades desda 12 at 120 medicamentos por precos razoaveis,
enconlraro todos os artio< que tornam completa o sortimento de casas desta
or.lom, taes como: excellentPS chocolates, pjs dontifricios, encerado de rnica,
tintura de guaco, etc um lindo vo ume eocadernado domedico do povoori-
j nal do Dr. Mure, tradu ido pe. Dr. Silva, Pinto e revisto o augmentado em
3.* edieco pelo Dr. Antooio de Castro Lopes.
Esta obra que contera mais de 500 paginas de impresso e urna estampa
explicativa dos diversos orgos do c>rpo human> um dos mus claros livros
deatioadoa ao ensiao pratici du tratamento le todas as enfermidades, pois indica,
ao s os raeiicimeutos apropriados pa^a cada molestia, como a maueira de
applicar e repetir as dse.-..
O preco d'ella de 105000 pira as pessas, que compr3rem boticas
neste csiabelecin'.-nti, e de 12#)00 para as que comprarera smente o livro.
Contando pois, com a valiosa protocolo d s amigos da homepathia, con-
clnem os pruprielarios o seu an'iuncio, declarando que se acha adjicent1? ao seu
LABORATORIO o c nsaKorio do Sr. Dr. Jaciotho Soares Rebello, e que se
eiKirregam de recebar e enviar ao mesmo Sr. Dr. a toda e quul juer hora os
cbamadO) de seus clientes.
fcr-'V; 7;. Ti i iiiiPUMiBir niwTiiTlf "\11 <
i
(
)
i
i
I
f
(
I
i

O'
rv
ALCA?
LICOR CONCENTRADO C TITULADO
O Sr Gujet chegou a tirar ao alcalrao a
sua acrimonia e o seu amargor insupporlaTes,
o que o loma mais soluvel. Aproveilando essa
feliz descoberta, efle prepara um licor cr-n-
centraiio dealcatrao.o qual, sob um pequeo
raltime, conlem urna grande propurcao de
principios activos.
O i tcr4o ,\f Gajot (Goudron de
Guyol) possuc por consequencia todas as van-
tagens da agua de alcatrao ordinaria, sem ter
os inconvenientes. Basta deitar d'elle urna
colher de caf n'um copo d'agua para obter
logo um copo de excedente agua de alcatrao
sem gosto desagradare!. Cada qual pode
d'essa maueira preparar a sua agpa de al-
catrao quando d'ella precisa, o q'ie offerece
economa de lemp i. I transporte
e evita o maneje linda airao.
0 Aicctr&o de t i. com
VanUgem muitns lis:-.:;-.- :.i.. o:; muios
inertc, nos casos d delliu'>s. broncbiles,
tosses, catarrlics.
0 Alcatrao ala Coyol empregado com o mcor xito as iiiole^li;i;- wginiHes
E2I BEBIDA. Dun eeOur de caf para um copo d'aguu ou uut culkeres dt
topa para urna garafa :
BRONCHITES
CATARRHO DE BEXIGIl' -;
DEFLUXOS
TOSSE PERNITAZ
IRRITAQAO DE PITO
TOSSE CONVULSA
ffl F0KNT<;9ZS. ~~ Licor puro ou con? umpouco d'agua:
AFFECgES DA PELLE
COMICH6ES
MOLESTIAS DO COURO CABEZUDO
EM I1UECC0ES. Vma parU de licor equatrod'agua {momntmiattiramumUmfdM.}
FLUXOS ANTIGOS OU RECENTES
CATARRHO DA BEXIGA
O Aleattrfto de Guyot foi experimentado com um verdadeiro xito nos
yrincipaes hospitaes de Franca, da Blgica e da Espanha. Foi reconhecido
que, para os tempos de calor, elle conslitue a bebida a mais hygienica, e so-
bretudo durante os lempos de epidemia. Vina intrueco accompanha cada vidro.

,-.: :&-\ Iiarmacia c r^ r i
u'cj coinp., rii.:ii].uu') da
Vi'.
de T. Isa-
i-mi ii, r
A' AGU BRANCA
RA DUQUE DE CAXIAS N. 52
(Outr'ora Queimado n. 8.)
A Aguia Dranca teodo j recebido parle de saas
antigs eocoinraenila?, em seguimonlo acaba ago-
ra murrio de receber outras, algasias das quaes
se toroavam esencialmente precisas, e outras se
fazem apreciadas por seas gostos e quahdades,
corro sejam :
Meias de fo 'escocia, abertas para senhoras
e rfl-nins.
Ditas iiem eom lisias Urabem para senhoras
e meoioa-.
Ditas iilem mnilo bonitas ao gosto escoeez.
Ditas dem dem brancas e com listas para ma
ninas.
Dilas dem dem para baptisaaos.
Ditas de algodo compridas e com Iislras para
meninas.
Laras pretas de seda, para senhora.
Dilas de torzal e de seda pan meninas.
Bonitas camisinhas bordadas para senhora.
Fil de seda, branco e preto com flores miadas.
Dilo de algodo, liso e com flores.
Touquinhas bordadas para crianzas.
Lindos e modernos caposinbes de fusilo para
ditas.
Penles de tartaruga para desembarazar ou pen-
tear.
Ditos de dita travesos para meninas.
Ditos de borracha para dilas.
Ditos de tartaruga, pequeos, para segurar o
amarradilho aos cabellos de senhoras.
Grande sortimento de enfetes de seda para ves-
tidos.
Fivelias de madreperola e de tartaruga para
palceira e Iqo para o cabello.
Bonitas b Icinbas para meninas,
NOVO SORTIMENTO DE ENGHOVAES PARA
BAPTISADS
A aguia branca acaba de receber novo sorti-
mento de liados e completos enchovaes para bap-
tisados, e bem assim separdamente caroisinhas
{ara ditos Uudoschapeoginhos de setim branco
ordados, oulros ditos com fondo de vellado, obra
de maito gosto, e que servem tambem para pas-
seio, sapatinhos de se:im para o mesmo flm.
MODERNOif ENFEITES DE FLOHES,
ornados com bicos de seda, fitas de setim e fivella
de madrepwola ao ultimo gosto, e proprios para
bailes, casamentas, etc., ele.
FLORES E PREPARS PARA ELLAS
A Aguia Branca recebeu lindos ramos de floro
finas, tanto para cabera como para chapeos,
bem assim :
Papel verde liso e com lisias para foiha?.
Dito de cores para flores.
Folhas de diversas quadades para rosas.
Ditas verdes e lustrosas, obra neva e pela pri
meira vez viudas como amostra!
Franja* pretas e de diversas largaras para en
feitar ve-tidos,
COQUES DE TRANQAS E DE OUTROS
MOLDES.
A Agola Branca acaba de receber ama peque-
a porgao dos bonitos e modernos coques gran-
des de tranca e outros moldes.
NOVO SORTIMENTO
DE
BOLECAS
A aguia branca, a ra do Duque de Gaxias n.
L52, ontr'ora do Qaeimado n. 8, acaba de receber
um novo e bello, sortimento de nonecas de diver-
sas quadades e lmannos, sendo :
Com rosto de seda, das que choram, e outras
que fallam.
Com rosto, maos, e ps de porcelana, e pro-
prias para vestir-se.
Obras de porcelana
A aguia branca tem outro sortimento de diver-
sas obras de porcelana, sendo :
Bonitos e ricos vasos para pos de arroz.
Oatros para jolas.
Outros para jabonetes.
Oatros para enfeites de mesa.
Pequeas e bonitas pus para agua benta.
Pequeos jarros para santaarics.
Oatros maiores para mesas.
Bonitos port relogios. ,
Lindas cestinhas tambem de poreellana.
Escrivanias de dita.
B muitos oatros objectos para enlejes i* BKM|
I ha Mate cabellos
Tintura japona.
So" a nnica approvada pelas as academias de
vc-eneia, reconheoida saparior toda m um ap-
aaneido al hoje. Deposito principal ron da
iadsia do Recite n. 51,1* andar, em tddas as bo-
icas e casa de cabelleireiro.__________
IiOafA
Flor da Boa-Vista
DE
Paulo' Guiarles
O proprietario deste bem conhetido es-
abelecimeoto contina empre seguiado saa
mtiga forma de primeiro baratelro da Boa-
7isia e para melbor prova adm;rem os
precos seguales :
Cuitas escaras e claras cores flxas
o covado 160 200 n. a. 400
Jambrais de efires 240, 2O rs. e 320
Las para vestido 280, 320 ra. e 400
Creps escocesas fazenda no va a.. 10
V.pacas lavradas d'um s cor. 720
Cambraia branca transparent pe-
cas a 35500 e.....80OOG
Ditas dita victoria a 4)51000 e. 80000
Sramente com 10 palmos de lar-
gara, varas, a 20000 e. 2(5503
Uadapolo snperior pecas 50000 e 60000
\lgod3o a 40OOOe.....50000
3nm pardo irancado pecbincha
covadoa...... 320
Dito dito liso maito fino a. 320
Oatras moitas mais fazendas qae'vejiaV
r por precos baratissimos como sejam :
pannos pretos, ditos azuea, caiemiras pretas
a de cor, merinos, brise brancos e de co-
res, seda para eolletes, camisis inglezas para
aomens, meias, chapeos de sol etc.
Oificina d'alfaiale
Os dgaos fregirezes encontrarlo om gran-
de sortimento de roupas feitas desde o
mais inferior at ao mais superior que se
acbe no mercado, assim cono se manda fa-
zer toda e qnalqoer obra d'encommenda
feitas a capricho, pois para este misier se
acha munido d'um perito mestre. Garante
se fazerem se menor 20 % de que em ouira
qualqaer parte pelo o motivo de o fregaez
10 pagar o que compra e nSo o aspecto do
estabelecimento.
48 Ra da Imperatrlz48
JUNTO A PADARIA FRANCEZA
ti
DE
Tem venda em seus armazn:, alera de oatros
tragos de sea neg io regalar, os seguintes, que
ftnaem por presos mais mdicos que em ou-
7a qualquer parte :
PORTAS de pioho almofadadas.
PORTE1KAS de ferro para cercas.
SALITRE inglez.
ESTH.1RAS da India para cama o forrar salas.
SANOS de barro francez para esgoto.
SESSO superior em porcoes e a contento.
OEMENTO de todas as quadades.
MACHINAS de descarocar algodao.
LONAS e brinzSes da Ru3sia.
OLEADOS americanos para forro de canos.
70GES americanos maito bons e econmicos.
yiNHO de Bordeaux.
COGNAC superior de Gautier Freres.
'RSLLO em saeeos grandes a 3#5O0.
AGUA florida legitima.
BALANZAS decimaes.
CADEIHAS americanas.
RHUM da Jamaica.
AZULEJOS de Lisboa.
Contra a tosse
P ASTi LII AS PEiTORAES.
de
Gotsma simples crystalisada.
Dila< de angico *
NafT d'Arabia.
Seve de pioho martimo de Lagasse'/
E oatras mullas que maito se recomendam pe
las'suas excellentes quadades.
Vende na
PHARMACIA E DROGARA
D8
Bartholomeu & C.
34RUA LARGA DO ROSAIUA--34
Xarope sedativo
DE

Gasea de laranjas amargas
COM
BUOMRETO DE POTASSIUM
DE
IAKOZI-
Este novo preparado apruvado pela, academia
imperial de medicina, muito se recoramenda pela
lervoso, o brumureto de potassiam, ojio deixa de
lar os mais cerros resollados as diversas alTec-
;6es do organismo e principalmente as molestias
lo coracao, das vas digestivas da respiraco, das
ras geuito-uriuarias, na epilepsia, as molestias
nervosas da prenhez, na insomnia das criangas
luranie o perioao da denlico ele etc.
Vende-se na ibarmaoia e drogara
de
Bartholnmeii & C.
34-RUA LAR3A DOROSARIO-3
piba noivas
Lindas griaaldas com flores e botoes da
larajjgeiras com vitos e sem elles, vendem-
se na Nova Esperaoca ra Duque de Caxias
n. 63.
Oleo para machinas
Vndese na Nova Esperanca ra Duque
de Gaxias n. 63.
Nao liaver convulees.
As criaacas'que usarem dos collares ano-
dinos, que se vendem na Nova Esperanca,
est^ro isentos de convuUoes; pois sao os
verdadeiros recebidos direcUmente.
Manteua a 800 rs.
Vndese manteiga nglezi flor 800 rs.; do
Progresso do Paleo So C*rmo n. 9. ^^___
Para oratorios particulares e
cabellas de engenho.
Vende-se um altar donrade, bem como os res-
pectivos caslicaes e palmas tambem douradas,
igualmente vende-se dous ornamentos, duas alvas,
estolas, manguitos, sanguinhos e todos os mais
perlen:es, sendo nm dos ornamentos bordado s
ouro fino : nesta typographia se dir quem vende
---------------------..--------------------------
.'_-.
10Ra do Crespo10
Pecas de algodo com 20 jardas a 41, 41500
5*0 O.
Dilas de madapolio a 4, 5^, 5^500, U, s
6^500.
Dius de dito infestado, francez snperior a
101000. ^
Chitas francezas de todas as qoalidades a J40,
280, m 3SO e 360 o cavado.
Cambraias de coras a 240 e 280 rs. o covado.
Dita lisa de cor a 320 rs. o covado.
Ditas pretas para lulo a GiO rs. a vara.
Pecas de cambraia usa transparente a 3 J, 31501
Dilas de dita Upada Victoria, a 41, 41500, 51
e 71.
Duas de dita transparente, soissa mallo fina
com 17 varas, 141.
Ditas de dita bordada com 10 jardas a 71 e
91500.
rgaoly branco fino a 700 rs. a vara.
Brilhanlioa branca infestada a 440 e 500 rs. o
covado.
Breanha de liaho com 25 varas a 201000 e
251000.
Dita de dilo infestada eom 30 varas a 271.
Bramante do liuho com 10 palmos de largura a
2 500 a vara.
Dito de algodao a 11500 a vara.
Atoalbado de dito e de linho com 10 palmos de
largara a 11500 e 31.
Toalhas alcuenoadas para rosto a 7/ a duzia.
Ditas de linho do Purto felpadas a 101000 a
duzia.
Gmfdwapse de hnfco a 31 e 41 a duzia.
Cuberas de chita a 21 e 21500.
Ditas de curta adamascada forradas, 41, 41500
e 51000.
Colchas de damasco de cores a 41 di.
Ditas de fostao aluchoadas a 51.
(/bertas de la escuras a i}.
Dias de atyodao brancas a 1J400.
Colleirihos de lin'w a 500 rs.
Chales de merm lisos prelos e de cres 21000
naiooa
Ditos eslampados da meia casemira a 21 e
21500.
Damascos de cores a GiO rs.
Lencos brancos de > esa finos, 21, 21500 e 31
a duzia.
Ditos ditos e de cor abaiohado largo a 31 e
31500 a duzia.
Ditos ditos de eaml> ;.ia de linho finos a 61 a
duzia.
Ditos deesgnio de .aho a 41, 41500, 51 e 61
a duzia.
Bnm Angola a 640, 800 e^ 11000 o covado.
Brins de linho de c -s a 'M rs. o covado.
Cortes de meia eftseStra para cal?a a 11200 e
11400.
Duos de casemira p- -acalca a 31500, 41500
51500
Caemiras de cores d daas largaras, 21, 2J50
e 31 o covado.
Ditas pretps, duas larguras a 21500 o covado.
Pao Gao preto e azjil a 2*, 21500, 31000
31*00.
Dito dilo muito fino snperior a 51, 61 e 71
covado.
Lans e alpacas de cores para vestidos a 00
500, 600, 700, 800 e U o covado.
Toalbas com labyrintos para bandejas e para
rosto a 81,101 e 151. s
Camisas de Amella branca, e de cores 21,
21500, 31, 31500 e 41960.
Grcsdenapoles prelo e de cores 21, 31 e 41 o
covado.
DSo-se amostras com peobor.
Vende-se tambem grande quantidade de roupa
feita e por medida por precus muito reduzidos.
ura rpida e radical dos
callos
pela pomada Galopau
Essa pomada que tao bons resaltados tem colbi-
du as pessoas que deila tem feito aso acaba de
chegar para sea deposito especial..
NA
Pharmacia e drogara
DE
Bartbolomeu & C. ra larga do Rosario nu
mero 34-
Bazar universal
RA DO BARQ DA VICTORIA (OTR'O-
RA NOVA) N. 52.
Acaba de chegar para este grande estabeleci-
mento um cou pelo sortimento de machinas de
costura de lados os autores conhf cid s, os quaes
garaatemrxr annos as ditas machinas, e se ven-
dem por preces tao razoaveis que a t> dos agrada-
ra, cujo* nrecos sao os segninlee : 401. 601, 801,
I0n. iO, 1301, 140, 1601, 1805, 2001, 2201.
2501 e 3001. Garaute-se a>s compradores a boa
qaalidade de trubalho, e obiiga-se a en-inar lan-
a vezes quanus sejam precisas para bsm com-
prehender su. Vende-se tambem pejas e mais
pertences de sobresaleales para as mesmas machi-
nas. Previne-se desde j que s se vai ao cha-
mado para concert e ensmo de machinas das que
forem compradas neste estsbelecinjento
J. 0. 0. Doyle ttm em beu
armazem para veadr
O SEGUINTE :
COGNAK HENNESSA.
V1MH0 XREZ.
DITO DE LISBOA,
FILTRADEIRAS.
BITTER
A' ra do Commercio o. 38.
Aza de musca, .
E' orna fazenda especial para cobrr qaadros,
espelbos, retractos, etc., demasiadamente transpa-
rente e preparada de forma a evitar completa-
mente o p.
Sabonetes inglezes em caixinhas que se vende
por 11500 a duzia.
Colarinbos e punhos de papel.
Vende-se no Bazar da Victoria roa Nova n. 2.
Chegaram loja do Mercurio, ra da Ioaperatriz
D.
Ricas franjas de seda preta, lavas de pellica
Jouvin, botinas de cores para senhora, dilas de
corda vio e bezerro para homem, oleo extracto-
oriza, ricas fitas largas para laco, ricas gravatis
de gurguro de seda das mais modernas e liadas
core, e am completo sortimento de galSes de.seda
para guarnecer vestidos o oatros amitos objectos
de gosto.
Ra da ImparatrLz o. 86, loja denominada
O MERCURIO
perteaceat
JOS BERNARDO DA MOTTA.
VENDE-SE
dous bonitos cavallos, andadores d oaixo a meo,
sendo am rodado apatacado, bstanle grande, e
ootro caslanbo, pequeo :-no eaes do Ramos nu-
mero 30,
JLOJA
DO
GALLO VIGILANTE
Rna do Crespo n. 9
Acaba de chegir pelo ultimo vapor diversos ar-
laos de novidade, como sejam :
Lindas teoquiohas enfeliadas para baptisado ;
assim como chaposiohos.
Sapailnbos de seda e de merino.
Meias de seda e fio de Escocia de 1 a 12 annos
de idade.
Ricos leques de madreperola todos abertos, o
roelbor qoe ba neste genero ; assim como oa-
tros de madreperola com seda, fazenda reqaissi
ma i tambem recebeu grande sortimento de le
quts de iso fingindo marflm sndalo e madeira,
tanto para senhora como para meninas.
Superiores ligas de seda para segurar meias.
Meias de borracha para quem soffre de iniases
on erysipela.
Seda froaxa para bordar todas as cres.
Froco de seda para o mesmo lira.
Betroz preto e de cores em carritis.
Filas para cartas de bachsreis.
Qaadros para retratos.
Luvas de pellica, e de seda, branca pretas e de
lindas cores.
Superiores capellas para noivas.
Lindos alliuetes de madreperola para peitos de
enhoras.
Luidas abotaadaras para eolletes.
La de todas as cores para bordar.
^Superiores pencenez de ac.
Maito finas ibesoaras para costara, unhas e
para cortar cabellos." x
Superiores penles de tartaruga para arregagar
cabellos.
Tintura ingleza para tingir cabellos, a verda-
deira.
Grande sortimento de franjas pretas, largas e
estreiias e liados padrdes.
Lindos babadinbos e ntremelos bordados, tapa-
dos e transparentes.
FLOR DE ORO
E' este o distintivo de urna nova e tem montada
loja de joias, sita a ra larga do
Rosario n. 24 A.
Os proprietarios deste elegante estabelecimento tendo em vista os esforcos que
fizeram para o eollocarem as condieces de ama grande chentella, filtariam ao mais
rigoroso principio se nio viessem as collumnas do jornal seientiBear ao respeitavel pu-
blico, qoe no me.-mo esiabelecim-mto encontraras sempre o mais completo sortimento
de jolas, como sejam : brceos os mais modernos, para adornarem as delicadas ore-
Ibas do bello sexo, e que je vendem a 8. 9 e 101 o par, dilas para meninas a 4, S e 61,"
ditas de coral, obra de apurado go a SI, brocees modernos de 3 a i 31, ditos com pedras e em soas devidas caixinhas s
10. 1, 16 e 201, /osetas lisas, porm bem trabalhadas, de' 21500 a 91, ditas com
pedras de 4 a 151, cacoietas a 41. ditas eom InscripcSes a 515C0, anneis de diversos
gostos, e com bonitas pedras a 2, 3 e 4J, ditas de perolas, esmeraldas e rubios 61,
ricas cruzes de esmeralda e rubia; a 12, 14 e 161, dilas de caro e coral com vistas pho-
tographicas a 3, 4, 5, 6 e 71, ligas de coral a 21, eadeias para relogios a 20i, diltas a
61500 a oitava, gaarmedes com tres botoes para aberturas a 41, ditos de pedrlahas a3l500
o par, ditos para punhos os mais modernos a 7 e 81; alm de am variadsimo sortimen-
to de joias de aparado gosto qpe recebem por todos os vapores da Europa ; como
sejam : brincos, braceletes, alfioates, aderemos completos,' cruzes, rosetas, anneis de
brilhantes, esmeraldas, perolas e rubins. MedalbSes, voltas, tranceln.*, anneis com lat-
irs e de diversos modelos, oculos e pencinez de ouro e prata donrada, relogios de ou-
ro e prata de afamados fabricantes, salvas de prata de- diversos tamanbos, ricos palitei-
ros e faqueiros, colheres para cha e sopa, maracas para enancas, e ama inflnidade de
objectos qoe seria enfadonho meacionar-se.
Os proprietarios da Flor de Ouro garaatem vender mais barato que em ouira
qualquer parte, para qoe estar aberto o estabelecimento das 6 horas da manh as 8 da
noute.

V
AO

RA DO DUQUE DE CAXIAS
(Outr'ora do Queimado)
Tendo-seresolvido d'ura avante venderse neste estabelecimento todas as fazen-
das existentes no mesmo, por precos que todos admiraran, acbo de mea dever partid
pa-lo a todas as Exmas. familias em geral, afim de virem visitar este estabelecimento
ou mandarem buscar amostras, garantindo-se-lbes um bom sortimento de fazendas da
algodo, la, linho, e seda, enifim urna infnidade de arligos de mi da mandando-se j
casas das Exmas, familias, por empregado da casa, toda e qualquer fazenda para verem
on escolherem.
As pessas que vendem em menor escala podero bem sortirem-se neste estabe
lecimento que vender pelos mesmos precos que em qualquer casa importadora, tendo
a facilidade de comprar qualquer porc3o.
O 65 tem um completo sortimento de roopas bem acabadas o qoe vende por
precos moitissimo commodos, mandando tambem fazer por medida toda e qualquer obra
que os concorrentes desejarem para o que tem nm dos mais habilitadissimo mestrs
alfaiate, cortando por um syslema inteiramente novo.
Os aDnuucios nesta praca esio e por certo devem estar desacreditadsimos, poii
que ha casas que annunciam aqnillo que nao teem, o que o 65 garante nunca dar-se em
seu estabelecimento, pois que s deseja bem servir ao publico em geral, para ganhar
g ande nomeada em todo o mundo.
O 65 acha desnecessario mencionar os precos de suas fazendas pois que isso tor-
naria-se demasiado macante para os leitores, por ter de ser demasiado extenso sea an-
nuocio, e mesmo para se tornar menos desendioso, pois qus vendendo muito e maito
barato mister encurtar suas despezas. A sinceridade dos tratos do 65 julgo que j o
publico conhece demasiado, pois que sempre tem cumprido com aquillo que annuncia,
nao verdade ?
E* INTIL, NAO SE CANGEM, COM O 65 NINGUEM PODE COMPETIR
RA DO DUQUE DE GAXIAS
(Outr'ora do Queimado)

feur Jt JtC
> N
56 ARa do Mrquez de Olinda56A
outr'ora ra da Cadeia.
LOJA DAS MACHINAS
Sendo este antigo estabelec ment assaz conhecido como principal e recommen-
dado pelos grandes d psitos e bons sortimeotos com que sempre prima em ter dai
melhoras, mais acreditadas e verdadeiras maehiua* anaerlcaaas para algo-
ta.?, desde 10 60 serras, e havendo em todos os tamauhos diversidades de syste-
mas e melhoramentos para perfeito e rpido desear* camento; tornam se dignas de
serem vistas e apreciadas pelos Srs. agricultores; os quaes, alm disto, encontraro
ambern mais:
Aparados ^vapores I.OG0M0VH9, de torga
de 3 \ cavallos, e pertences.
Machinas para lavar roupa.
Arados americanos para varzea e la-
deira.
Carros de mo para alterros.
Tinas de madeira.
Baldes de dita.
Ditos de ferro estanhado.
Ditos com vlvula para lavatorios.
Ditos de madeira para compras.
Apparelbos para jardins.
Guardas comidas.
Tampas para cobrir pratos.
Tarracbas para fazer parafusos de ferro.
Ditas dita ditos de madeira.
Trens para cozinha.
Ternos de bandeijas finas.
Vende-se nma taberna sita a ra de S. Joo
n. 19, propria para principiante.
Emfjm muitos outros arligos, qae
examinados.
Correntes para arrastar madeira. .
Cylindros americanos para padarias.
Pertauces avolsos para machinas.
Salitre refinado.
Breu superior.
Moinbos de diversos fabricantes para
milito e ca'.
Debulha'lores para milho.
Azeite de spermacete para machinas.
Camas de ferro.
Bombas de Japy.
Ditas americanas.
Cofres de ferro patente.
Canos de ferro esmaltados. ..
Ditos de dito.estanhado.
Ditos de chombo.
Ditos de borracha.
Folies- para ferreiros.
s avista e neste estabelecimento poderlo ser
COMGAO BE OURO
* DE
ERNESTO & LEOPOLDO
N2 D Fu do Cabug N.2D
Acha-se montado de forma tal este estabelecimento de joias que pode
vender aos seas numerosos fregaezes em grosso e a retamo epor precos
mui resumidos visto qoe recebe de conta propria por todos os vapores de
Europa. O gosto de desenbo de saas joias o mais liado do paiz das
modas, ouro de le, brilhantes verdadeiros, esmeraldas, rubins, perolas,
turqoezas, saphira, coral rosa etc. etc Obras de prata do porto tanto
para igreja orno para ser vico domestico. Convidamos as Exmas. familias
a visitaren o dito estabelecimento todos os das at 9 horas da noite.
Compra.se ouro, prata e pedras preciosas em obras velhas.
msm
I lli


Diario de Peruambuco Quarla eira 11 de Outubro de 1871
t
i

I
\

l'

-.*

)

DO
CYSNE
D
FIGIEIREDO ft LOPES.
61 RA DA IMPERATRIZ N, 64
Os proprietanos deste importante e syrapathico estabelecimento da fazendas Anas,
vem avisar ao respeitavel publico e particularmente a sua numerosa freguezia, que o
CYSNE acaba de sortir se de todo quanto ha de gosto e moderno em fazendas tanto
para homeos como para senhoras.
E' ocioso citar qae os proprietarios da loja do CYSNE naturalmente providentes e
d'um espirito altamente conciliador dos interesses albeios com os seas, teem sempre
leguido o magnifico systqma de oflferecer venda fazendas de todas as qualidades e pre-
(os relativos de forma que fcilmente podem fornecer artigos de sua casa accommodados
a todas as fortunas e meios.
E sobre todas as conveniencias e meios preferivel comprar no CYSNE em con-
lequencia da sioceridad e barataza com que negociam os seus proprietarios.
No lojvavel empento de justificar as suas operaces convidam as Exmas. familias
a visitar a sympathica loja do CYSNE chamando a3 atiendes do publico em geral para
u seguintes especialidades e precos,
PARA NOIVAS.
Veos, capellas, sedas e popelinas brancas
e de cores, g lias, pmhos e camisas bor-
dadas, todo caprichosamente escolhido e
para varios precos.
CRETONE BAPTISTE.
Fazenda lisa de urna s cor, de cores di-
versas, para vestidos e tambem propria para
sombras.
CAMBRA1AS
Transparentes de 8 1/2 varas desde
15500 at 8)5 a peca. Victorias muito finas
de 4,5 at 85000.
CORTES BORDADOS
Fazenda branca de delicado bordado
baixos presos acompanhada do competente
figurino.
LAS
Variadissimo e rico sortimento desde a
lia lisa barata de 45 at a de listras da seda
mis cara que pelo preco qoe vendemos
por assim dizer de graea vista do gosto
qualidade.
BAREJES
Lindos padres aos presos de 360 e..
400 rs. o covado.
SAIASBORDADAS
As qoe o CYSNE vende sao bellas e su-
periores.
LUVAS
As melhores e mais procuradas tovas de
Jorjvin, brancas e de cores sao as qoe o
CYSNE expe a venda.
BALDES
De crotones com babado e bordado, di-
to de arcos a 155u0, pechincha sem rival
ao genero.
CHITAS.
Completo e grande sortimento de todos
os precos de padres modernos e cores fi-
tas.
GROSDENAPLES
Finos de todos os precos e larguras s
o CYSNE pode vender barato-
FLANELLAS
De cores e brancas de 500 rs. at 15300
o covado.
ALPACAS
Lavradas de 500 rs. a 150C0 o covado,
?especia lidade do CYSNE que n5o conta com-
petidor.
MADVPOLES
Francez de 24 jardas de 85 at 10,5000,
inglez de 55 at 80000, e muito fino.
DAMASCO
Com 8 palmos de largura, dito estreito.
CORTINADOS
Para camas e janellas de todos os taa-
nnos, cambraia para o mesmo fim de 20
varas a 100 a peca.
ATOALHADO
D linho adamascado, -dito de algodo
muito finos, bramante entrancado e liso, e
barato s o CYSNE vende.
GUARDANAPOS
Grandes e pequeos.
SETINS
Para todos os precos e diversos pa-
dres.
PARA NOIVAS
Camisas bordadas, peilos colarinho e
punhos lisos.
PARA LUTO.
Merinos, princezas, alpacas, canto, bom-
basinas, chitas, cambraias etc., etc., por
precos qoe s o CYSNE vende.
PARA HOMENS E MEEINOS.
Brim pardo a 640, 840 rs., 15 6 10500
o metro, gangas de 400 e 440 rs. o cova-
do, e tambem temos o afamado brim de
angola.
CHAPEOS DE SOL
Para bomens e senhoras dos melhores
fabricantes da Europa.
FILOS
De seda, ditos de linbo, pretos e bran-
cas e mais baratos que em outras loja.
MEIAS
Para todos os tamanhos e qualidades.
CHALES
De merino lisos e estampados, pretos com
franja de seda, ditos com franja de 13a es-
pecialidad e do CYSNE.
MK5?Te5!MaM
Desculpem os nossos fregnezes termos sujo om pouco extenso na narrado de al
fumas novidades pois com quanto seja nosso interesse tambem o dos nossos fregue-
ses qoe querem e gostam andar na moda.
Ra da lmperatriz n. 64.
FIGHDO & LOPES.
- i M
JOAQUIM
LOPES
MACHADO ft C.
Travessa do Corpo-Santo n. 25
ARTIGOS AMERICANOS
Cylindros para padaria. .
Carros de m3o para eonduzir fazendas.
Machina? para descansar algodSo.
Polias de diversos tamanbos.
Canos de ferro galvanisados para enca-
namento d'agua.
OBJECTOS PARA CARRO
Oleado preto para gu?rda-cbuva de carro.
Dito de cores para forro de dito.
Cliicotes para dito.
Pontas de lanra.
Gales de seda para o forro de dito, es-
tratos e largos.
Pregos de cabeca de marfim.
Escovas para dar graxa.
BB8SH
JOff DOS SANTOS IVIS i II
19 Ra Primeiro de Marco 19
Tendo renovado completamente a loja do predio, em que teem o sen es-
tabelecimento,
19=-A ra Primeiro de Manjo19
com aquello asseio e elegancia desejave-, acbam-se agora prvidos do mais
explendido sortimento de fazendas finas o modernas de
SEDA, LAA, LINHO E ALGODO
todas do ultimo gosto, e continuara a ter como sempre, diversos
ARTIGOS ESPEGIAES DE SUA GASA
' Garantem, com toda
a sin-eridade, vender
por menos que qoal-
quer outro, porque
recebem em direitura
a maior parte de suas
fazendas.
19 RA I.' DE MARCO 19
(Afitiga ra do Crespo).
CASA CAUVE^ a. barber.
Pharmaceutioo privilegiado
euccwesor
toulevard Sebastopol, 59 PARS.
NOVAS ESPECIALIDADES A. MARINIER
Aposentadas a Academia de Silencias e ao Instituto d Franja,
IU IPPP Afl So* f> de Pistilla, devediio e doeada para
iiULtunU asor de mouieuto una soluctio
Preventiva e cirativa ios MOLESTIAS C0NTAGI03A8.
IMCTOR-FIHLTRO
do valva* de uro relogio, sorvindo da
l'IIII.TRO e SERINGA sera os
nvti liCMvettenUt da frafllidaia.
ESTOJOS *" ^At^ita*!?*
COLLYEIO Centra as affeccois das palpebr
preparado sob a mesma forma.
DA1] D Al AMF A O "1 Depositarios geral para e BR4S1X e POIITI 4L
VAlll UUliUH&U flC U 3, m Ivp do Rosar. PEI^NAMBCQ,
KELLER & C.
YEIBEH
CO DE TRIESTE
LEITE CONDENSAN)
fjfflll D MU
COGNAC FIO
A' ra da Cruz (Bom Jess) n. 55
1&'S&128S8$?SSSS
?O on
M;iM&*&^<&
3

en
i
o
o
SO

w
cr* tt
1 s
oo.g
O T3
S a
4 P ^
"ti f II
p-
p
s
P
o
80
i *=*
9 9
II

co pu
!
P.P
w a
el
t-M, c+ a^
m
Uva, se to om proeessofmais perfeito e qae at-
aja de tal forma a satiafazer as exigencias mais
trena da escriptoraco.
i ana cor lindissima e nao precisa de cnida-
o alptm 'para se conservar no tinteiro semprej
jm a mesma cr, sem borra, crsta, bolr ou sem
4a estas maullas inherentes todas as tintas
t agora conheeidas, anda mesmo dos melhores
atores estrangeiros.
sobretodo, este estimavel producto nao ataca as
anas de ac, antes pelo contrario, a penna
iqnire um esmalte dourado qae, sendo inters-
une, asss proveitoso.
lata tinta, nao sendo especialmente para copiar,
a comtado ditas, tres, on mais copias ara met
poii de escripia ; preciso, porm, deixar-Ihe
papel bem moihado sem o enxugar com o mata-
irar mais de orna copia, nao se agglomeram tan-
ta folhas qnantts copia se qaerem tirar, mas
m- e com o original tirar urna tantas quantas
:de!ejam, sem qoe o original fique projndicado
U* extra^See.
Occorre aqai dizer que, para copiar importa
au inlelligeacla e habihdade, sem e qne a m-
lr tinta nao satufai, e o defeito recae sempre
cfcre a tinta, qoe muitas vezas qaeo meaos
sipa tem.
i dopla qnalidae desU tinta extremamente
prsciavei, pois qae evita que em quatqner ee-
nptorio baja mais do qne ama tinta para os di-
ario misteres.
Yaqnanto i sns dnrabilidade, nao ha a o&dK
(Jtorduvida pois que esta tinta depoiidl
cripta soffre o choque de cidos fortissimosl sem
se decompdr; ora, se os cidos nao tem accao so-
bre ella, multe menos a accao do tompo a poda
destruir; isto plausivel.
Nao s ao commercio qae este mea producto
veio ser til; os professores dos collegios, investi-
gando todos os meios para o adiantamento dos
seus discpulos, tem approveitado esta tinta, que
com razo a acharam apta para desenvolver o
gosto nos educandos, em consequencia da beleza
da cor e facilidade de correr na pequea pela sua
liquidez. Ha exemplos* de enancas que havia
muito tempo tinham nma repugnancia extrema
para a escripta, logo que foi admittida esu inta
no coliegio, apoderon-se derlas a enriosidade e o
gosto, e poneo tempo depois o seu adiantamento
era maniteeto.
Esta tinta, i par de tantas vantagens, tem um
nico inconveniente, deteriora-se ao contacto de
ontra qualqoer; ceovm pois te-la em tinteiro
isentos do menor vislumbre de ontra Anta, e evi-
tar escrever com a penna suja de ama preparacao
differente e incompativel; verificando Isto, nao ha
ratlo para se usar de tinta que nao seja a VIO-
LETA EXTRA-FINA DE MuNTElRO.
Observapao.
Diversas fatsifieacdM e semelhancaa tem upa-
recido, coja durabiMade dovidoat. Os Srs.
compradores podem evitar o engao dirigindo-se
asas cireamspectas,i.e- pedindo a tinta que en
fabrico
A. C. Monteirc.
BAZAR ACADMICO
13 RA DA IMPERATRIZ 13
D '
ULYSSES i IRMftO
Neste bem conbecido e acreditado estabelecimento, eDcuntrarao nossos amigos e fre-
gnezes cigarros de palha e de papel de diversos ttulos e d fumo. Charutos dos mais acreditados fabricantes da Bhiae do Rio de Jneiro ; ebem
assim, ponteiras para (hrutse cigarros, cachimbos de espuma.de porcelana, de ma-
deira de diversas qualidades, de louca e p da gallinhas muito finos a 2(5600 a doiia, e
muitos outros arti.os que dcixamos de mencionar.
Fj brica de cigarros.
Bem atiesta a superir ridade dos cigarros de nossa fabroa o grande consumo que
delles tem bavido n" int rior e as provincias do nprte. Com presteza apromptamoi
qnalqner enccmmenda, remettondo-a ao seu deslino.
BAZAR ACADMICO
13RA DA 1MPERATRIZ-13
Ulysises & Irmao
LOUCA EVIDROS
NO
EMPORIO GftlffilCHL
15 Ra da lmperatriz 15
DE
ULYSSES & IRMAO
Tendo de chegnr um novo sortimento, e tendn de s iffrer nma refjrma o systema
de negocio deste est?be!ecimento, seus proprietarios resolver^m expor em liquidac3o,
grande quantidade de pratos de louca, tijellas, apparelhos de louca para janlar e para
almoco, etc.
Graode qnantidade de co?os de vidro 0-
nos para agua a 40200, 45 duzia, clices de vidro fln-is para licor a
35000 a duzia, ditos de cor para vinho a
2^500 a duzia, garrafas finss de vidro ba-
carat para viobo a 55500, U, 6*300, 7(5
e 74500 o par, benitas compoteirasde vi-
dro a 64500, 75500 -e 8500 o psr, gran-
de e variado sortimento de j*rr. s finos para
flores a 34, 44, 55, 64, 75. 85, 94, 105,
114. 125, 135, 145. 155,165 e 184000 o
par, cbamins ameri -anos para candieiro a
24200 e 24400 a duzia, escarradeiras de
vidro a 34500 o par, gluboa para candiei-
cos de 14500 a 2500'J cada um, lampari-
saa com vidro para cima de meza, parede
aependurar a 1450u. 14700, 25 e 24200
eddauma, bonitas quartinhas hamburguezas
a 44500 e 55000 o par, lindos ps iteirof
ce porcelana branca de 15-00 a 34 cada
dm, bonitas canecas de porcelana com frizo
n esmaltadas para caf a 64000 a duzia,
escarradeiras e ropo de cryslal de cor para
eavatorio por 34000, pratiulios de vidr.
lpara copo a.320, 400 e 500 rs. cada um',
sextinhas vidro para passas, flgos, etc
etc. a 800 rs cada urna, compoteiras de
vidro para doce secco a 25 e 25500 cada
urna, cagiieaes de vidro s f r-i vela a...
15200, canecas de p Tcelana com lampa a
320 rs. cada urna, g^ihetas de vidro para
missa a 800 rs. o par, candieiros de vidro
com globos a 55, 145 e 165000 cada om.
E outres artigos que deixamos de men-
cionar ; e prevenimos a que precisar com-
prar algom destes objectos que approvei-
tem a occasio de comprarlos por menos
20% em razao de termas de liquidal-os o
mais breve possivel. Ra da lmperatriz
n. 15.
OLEADO 5 E CASEMIRAS PARA FCRRO
DE CARROS.
Vende se oleado preio grosso a 25200
o covado. D lo cor de cinza a l-yiuo e
cor de caf, verde e preto a 15400 o tova-
do, para acabar.
Panno fino azul escuro a 35700 o covado.
Flanella branca ingleza a tfHOOo cova-
d >. D ras a 2430o o covado.
Casemiras escuras e claras de duas lar-
guras a 25400, 24600, 25800 e 3,5000 o
covado, as qaaes servem tambem para pa
l'tot. No Emporio Commercial ra da lm-
peratriz n. 15.
CHAPEOS DE PELLO PRETO A 95000.
O Emporio Commercial est vendeado
chapeos de pello preto para bomens a 05-
Ditos de castor branco a 104. Diios de
palha e fultro tanto parahomem como par*
enanca. Bonets de cooro da Russia para
meninos a 15500 cada um. Cbapelin-s de
seda para baptizados de crianza a 25500,
34 e 34500. Bonitas toaquinbas francezas
de lia para chanca a 800 rs. cada urna.
Chapelinas enfeitadas para senbora a 55,
65 e 74000 cada urna. Chapeos de sold
seda tanto para bomem como para se-
nbora. Na roa da lmperatriz n. 15.
GRANDE ARMAZEM DE VARIEDADES
EMPORIO COMMERCIAL RA DA IM-
PERATRIZ N. 15, DE UlrYSSES MiO. .
Este novo e grande estabelecimento con-
tina sempre firme em vender barato para
vender muito, e em consequencia de n5o
baver ainda chegado algumas encomm^ndas
que temos feito, e escasso como se acba o
nosso mercado de artigos da g sto vende-
mos por mdicos precos. os qoe se segu.
Superior panno preto PII a 64 o covado.
Dito dito Brasil a 54500.
Superiores casemiras escuras e claras
para palitots, calcas e collete.
Brins brancos de linho de 143:0 a 24600
a vara.
Brim pardo a 300 e 560 rs. o covado.
Madapolo francez e inglez de 54IOO a
155 a peca.
Grande sortimento de chitas.
Cortes com 17 ovados de chaliz a 55000
a 44500.
Cobertores de 15a escossezes.
C.'lxas de a'god3o branca e de cores de
350O a 45900.
Sedit ha preta a 500 rs. -o covado.
Dita branca a 6'O rs. o covado.
Cites com 21 covados de sedinba de
lislra rTor 255000.
FrOBbtt de crivo a 600 rs.
Alpaca preta sarjada a 500 rs. o covado.
I em branca a 500 rs. o covsdo:
Guardanapos de linho para cha a 24600
e 35>00 a duzia.
Ditos para jan.ar a 75500 a duzia.
Cmisionas bordadas pa a senbora a...
500 e 35' 00.
Lndas cambraias lmperatriz orles de
10 jardas por 95 00.
Cortes de cambraia de salpico com 8
varas por 55500.
Tapetes grandes e pequeos.
Lt-ncos de cassas para enancas a 15100
a duzia.
A'god5o branco ede lista.
Peitos de esgoi3o de linho para comi-
za a 14
Punhos o par a 800
C'illarmbos finos a 500 e 600
Espartilhos bordados finos para senho-
ras a 55
Meias finas para bomem, senbora, e
cnangas.
Lia fina para bordar libra a 65
Carreteis de linba Alexandre a 80
Dila em duzia a 920
Abotuadura para collete a 120, 203 300
500
Ditas para punhos a 300 e 15
P^pel de peto, almaco e peqaeno d
crts em caixinba.
Latinhas de. banba a 80 rs. e em du-
zia a 900
Brincos pretos de burracha e alfioele a
80
B toes de duraque preto para palitot
groza a 1800
Grande variedade de boioes para palitots
e collete qne se vende barato,
Caixas-com dez novellos grandes de li-
nba a 440
Ditas com 50 ditos a 650
50 pecas cordao de vestido 600
Peca de fita para coz 4 40
Sabonetes transparantes finos duzia 600
Calieres de metal fino para cha, dozia a
2#UO0
Ditas para sopa a 44
Ta! ares de faccas duzia 55, 05 75 84
e 95000
Temos de bandejas ovaes a 105
D;t s lizas a i 5
Sabonetes finos e iguaes duzia a 15200,
15500 e 25
Caixas de botes de osso para calca i
200
Sutaes" b-anco, duzia a 280
Tranca de la e branca de caracol dozia
a 560
Retroz preto e de cores, oitava 240
Carnizas de meia crua muito roas a 14
Sitineta de algodo de cores para r- upa
de montara, e de enanca covado a 5>0
Marin preto trancado a covado a 35300
Leucos ae linho em bonitas caixinbas du-
zia 55800
Lindas cambraias bordadas de 13a vara
15000
Colxas de pello de lonlra com duas vis-
tas a 145000
Cretone matisado para cob8rta covado a
700
Grande sortimentos de perfumaras; um
bonito toyalet de vinbatico com pedra mar-
more e vidro oval, um guarda ronpa de
amarello ; seis cadeiras de gnsrnicSo, 2 da
ditas de bracos e duas de balanco, tudo
de Jacaranda massico, proprio para om
gabinete e vendem-se por mdico precn
por ser resto. Nao ser mo vender no
EMPORIO COMMERCIAL
15 Ra da lmperatriz 15
Ulysses & Irmdo.___________
GRADU
LIUIDACAO
E" PECHINCHA. mnA nmn
Chita lisa oto de prac 800 2i0> 280 e 3S0
o covado pechincha.
Cobertores de laa escoras muito grande a *f.
Na loja de Guilberme Carneiro da Cuaba : na
K de Crespo n. 20.
Yende-se
a loja de loaca da trra sita ra do Ranga] r.
4 : qaetn a pretender dirija-se mema on a pra-
ga da Independencia n, 33, qat achara cm qaea
tratar. .
Yende-s ou aJoga-se doas ea9nhjs na lla-
trii da Vanea, sitas na ra do Pogo, com seos
qoiolaes coi respndanles as mesmav que val a
estrada de detrax, tenio varios armados de Iruc-
tos: quetn prelendet diriUse a roa leHorts.
sobrado da esquita o. *, Io andar.
/
V



Otario dd PefhaifibtUft -U Quarta feira* 11 4e Outubf de 1871
VARIEDAD

y


V/
LSI SOBRE EUPRSGfH MILITARES N \
COLOMBIA, 0 cogresso dos E ti-lb>-
Unidus di Col rabia decretou :
Art. Io Nao bav^r oais na repblica
empregos militares seoJo os indispensaves
para o servifo lia for^a pobci orgao-ada.
Art. 2o Emquant.) n5o se f-xpedr o
cdigo militar, subsistir na qrgaaisa^iiie
servieo da torca publici os empregos re-
conhecilos pehs dispos.g5w igeoBS.
Art. V Para a rtasigoifio fe qae t
ta o | lo do art. 49 iia constituido, coa i
derar-s *-b3 como generaos da repnh i \
todos os colombianos maiores de 21 sooos.
Art 4o Excepto o general em cheto do
etercito, qae ser oomeadocomo determi-
o a disposicSo consiituciooal mencionaba
no artigo precedente, os geoeraes. coronis,
tenentes-coroneis e sargentos mores, que
seemareguem oo servido di torea poblici
organizada. ser3o nomea los pelo poder ex-
ecuiivo com a approvcao do senado. Nio
estao to esi* reunido, far-se-hao p-do mesmo
a< Boroeaco-s interinas e commonicar-se-
nao dita corporscSo na prxima reuns >
Art. 5o No futuro, era o congre so
n?m o poder executivo federal poder con-
ferir bonra, dislincc5es, accessos, titulo?.
graos nem empregos militares.
- Esta prohibido n3o comprehende os
litlos e graos s i^ntilii-os que as uni\ ; i -
dides, casas de educad i e coliegios puMi-
eos ou privados possam conferir, segando
seas regulamontos, aquellas que se d ii -
juera- ao estado das s'.ieocias militiras i
masosdiins titu'os e g effeitos latees de serte alguma.
Art. (i Os emprego> militares da f .re i
publica orgauisaJa s5o exer;idos em cora,
missao como empreg s civis; e os indi vi
doos eocarregados d >s ditos" empregos
tem, durante o seu exercicio, o titulo que
a cada um delles corresponder.
Art. 7' O? militares, os orpbSos, as
viuvas e os invlidos qie gozam dependo,
contiuar3o a receber as que Ibes corres-
ponder, segundo as dispusieres vingenles,
oa qualid.-do. de p-usiooistas civis.
- t Art 8 Ficam derogados lodosos l-
talos, graos e empregos militares que le
nham sido confuidos. No futuro a lista
militar ou relaca nominal, seguad" a sm
ciasse e ant'guidade, da guarda colombiana,
torraar-seba so dos generaos, caefes e
oficiaes empregados na forrea publica qae
sa acliem em exercicio.
Ari. 91 Sao derogadas todas asdUpc-
sico-s contrariase presente lei.
O da em Bogot, I de abril de 1871.
Jicobo Snchez, presidente do sonado do
plenipoienciari'-s. Pablo Arosemena, pre-
sidente da cmara dos representantes.
Carlos M. Tonima, secretario do senado do
plenipotenciarios. Vctor Mdlarino, secre-
tario da camara dos representantes
ESTVriSTICV. Dimos era seguida
ama" compiraco dos nascimentos naturaes
com 03 o'scimentos legitimes em alguos
Estados da Europa :
Austria. Em 1857 a populaco desle
imperio era d^ 37,450,883 habitantes. Em
relaclo a 1,287,957 nascimentos legtimos,
n3o se contavam mais de 147,094 illegiti
mos, na I nascimento Ilegitimo contra
iesitimos*
Baviera.Km 1860 tiuha nma populaco
de 4,685.146 almas. Nascimentos legili
mos (exclusive as craucas que aascoraai
mortas) 122,678, Ilegtimos (dem) 37,425
ou um Ilegitimo contra 3,28 legtimos.
Blgica Era 1860 tiolia 4,731,957 al-
mas. Os 'ascimentos legtimos foram
134,196, illagitimos 10,472, ou I illegiti
mo contra 4 4.82 legtimos.
Franja.. Ea 4861 tinha 37,386,313
almas. Os nascimentos legitimo; foram
887.578, e illegitimos 69,297 ou I iilegdj
mo contra 42,81 legtimos.
Hcspanha. Em 1860 a populacho era
de 45,673,248 almas. O nascimentos le-
gtimos foram 54l,231.e ilegtimos-----
32,222, ou 4 Ilegitimo contra 16,80 legili
mos.
Prussifi (reino ant'go). Em 1861 a po
pulacao era d? 18,444,877 almas Os as
cimentas legitimas foram 664,864, e illegi-
timos 60,454, oa I ilegitimo contra 44,02
legtimos.
Saxe-Real. Era 4864 a p'polaco-era
de 2,225,?40 almas. Os nascimentos legi
timos foram 76,910, e illegitimos 13,81)5,
ou 4 Ilegitimo contra 5,54 legtimos.
A ILHA DE SANTA KILDA.Depoi8
FOLHETIM
AILHOOFOGO
iumv\< i;
POR
ALEXAXDRE DUNAS
Tres cadveres, e un s6
rnorto.
' (Continuado do n. 301)
Mas como soccedeu esta morte ? per-
guntou Euzebio, qoe nao sabia neuhum
pormenor.
Foi visitar alguns enfermos que estavam
a bordo de um judco ; a canda em que
elle ia naufragou, e quando lirarara da agua
o mea pobre Sr. j estava morto.
Ai meuDeas I bradou Euzebio.
E que perd para todos, meo charo
senbor I Era to bondoso e caritativo I
Quer-me parecer, miaba Qlha, que
baolem nao me dizia o mesmo.'
Oo I Sra. I E' que me enteadeu
mal. Acaso poderia eu dizer outra coosa
dobomem cojo pao comi e que me servia
de pai ?
Ab O Dr. Bazilio tinha a menina
em lugar de filba ?
Pois est claro. E se livesse vivido,
deixar-me-hia ao abrigo de toda a miseria,
e agora nao sei o qae ser de mim.
A rapariga desfazia-se em lagrimas, e
Euzebio, que a suppunha em relaces n5o
maito favoraveis com o Dr., n3o sabia que
pensar. Todava, disse Ihe :
Minhi filba, eu coidarei de si. Tenha
presente qoe nanea esquecerei o qae fez
por mea respeito ; hei de arranjar Ihe um
bom commodo.
N'esta cidade ? Oh I nao, nlo. Ignora
porveotora que ama rapariga honrada na
que se proesdeu ea 3U| ^^B* ao
rc-'nseamento gerai dapi P^rolno-'
Unido, cunhec-o se que tinha sido omittida
a pequea iiln de Santi Kilda, amis occi-
dente do grup) das Hbridas (Escossia) ;
esta omissao, porm, foi reparada. Sbe-
se hoje que ba naq lella ilhota 71 habitan-
tes dos q -sos 43 do sexo feminino e 23 do
masculino. N5> existia all seno urna
cinca e os'a rrtesma estava moribunda
ih corea de oto ann s que n3o se crase-
gue criar aennma das crianzas nascidas
uaqaella Iba.
UVIA "FAMILIA E UVU ATORIDADE
A'S DIRElTAj. L<)-si ni pefiodlo fran
cez Plogres du Nord : <
No muniiipio de Vercbio, no departa-
mento do Nord, foi praticado um desses
actos brutaes querevel m da parte de seus
utores tanta ignorancia como makad?z.
A polica, avisada pela voz publica,
dirigi se casa de Marcellina Rousselle,
o exigi que Ihe apresentasse sua filba Ad-
lia, de 27 aonos de idade, a qual havia al
gu a lempo tinba deSappareci lo. A infeliz
stiva entaipadi em urna casa de torno, ves-
tida com ama camisa e orna sa;a esfarrapa-
das, deitada a uracmio sob' urna pouca de
palha podre, com a porta fechada e tranca-
da por fra, e ten lo por nico respirad uro
um ourao de algumas pollegadas de da-
metro, pato qnal passavam o alimento po-
bre emparedada.
A djvassa averiguo i os seguales fac-
i? : Pelo mez de fevereiro, AdeliaRiussel'e,
era conseqnenca de uns amores contraria-
d is, fii gradualmente perdeudo. o uso da
razao. Manifestou-se a loucura primeira-
mente por exagerada devoco, lembrando
se o pirocbo da aldea de queem mar;o, a
horas mortas da noile, Adelia foi ter com
elle, podin lo que Ihe abrsse a porla da
igrpja, p rqne, dizia ella, precisava 'de re-
zar. Dapoi, foi atacada de outra monoma-
na, tnt.ndo por diversas vezes, pegar fogo
cama. Os visinbos, receiosos de aigum
incendio que* os pr-judicasse, deram parte
ao mntre.
Este dirigio-se casa de RousselK a
qual \hi pedio que mandasse a filba para um
hospital porm a expensas do muni-
'ipi >. O mitre, aitendendo a qoe a fa-
m nao annuio. Foi ent5o, isto ba Ir? me
a;*, que Rousselle, ajudada pelos filho3, en-
narcerou a tilha na casa de torno contigua
sua morada.
O que mais para sentir e lastimar
em t.do isto que o maire, sendo interro-
gad), redondea que nao Ihe pareca que a
familia de Adelia Rousselle tivesse sido do-
ra isiado rigorosa para com a rapariga. E
a desgracia estava empa edada havia tres
mezes!
A mai e o irm3o va o refponder pela
soa deshaman dade perante os tribunaes;
mas o maire ser porventura castigado pela
sua inercia e negligencia era tomar conhe-
cimeatoe dar providencias acerca dd um fac-
i qualidcadq como crime pelo cdigo pe-
oal, do qual sera duvida elle ha de ter al -
goma noticia ?'
ENVENENAMENTO. A imprensa diaria
de Antuerpia deu notiaia do eavenenamento
de cerca do 200 habitantes da muaicipa-
dade de Beveren. Eis abi os pormenores
que a esse respeito d o Prcurseur.
* Nos das 45 e 16 de julbo passado
urnas cincuenta pessoas foram sbitamente
atacadas de vmitos e caimbras de estoma-
go. A 30 do mesmo mez deram se novos
casos, e, finalmente, a 6 de agosto a enfer-
midade parecen tomar carcter epidmico,
e os mdicos do lugar j nao bastavam para
acudir todos os doentes. No dia 14 ex-
pirou urna das victimas, de nome Cometi
Dhooghe.
As autoridades de Ttrmonde, sobresal-
tadas com o occorrido, procederam a averi-
guagoes, das quaes constou que todos os
atacados haviam comido carnes salgadas.
Nao havia mais que dovidar. as familias
que m tinbam abstido dessa aiunentacao,
nenhum caso da referida molestia se havia
manifestado.
t A po icia local mandou exhumar o ca
da ver da Dhoogbe e submette-lo autopsia
At agora ninguem foi preso ; alguns doen-
tes anda se achara em perigo de vida.
FUTURA EXPOSICiO DE VIENNA.Em
maio de 4873 effecluar se-ha urna exposicSo
universal em Vienna d'Austria. O espado
destinado para ella m famoso parque do
Prater mais vasto qae o de todas as ex-
posigoes precedeules. O local da exposicao
poda aceitar a posiejo que se offerece s
europeas na maior parte das casas de Bi-
tavia ?
Se prefere voltar para a Hillanda,
minba tilha, pagarei a sua passagem.
Ah I Sr.! Os meus parentes mor-
rerara e na minba trra apenas encontrarei
tmulos ; mas na > importa, e com quanto
saiba quantos perigos encerra urna compri-
da navega^ao entre horneas aem f nem
virtudes, aproveitarei o seu offerecimento
e vo'larei pira a Holhnda. Djvo memo
na do meo bomfeitor o consarvar-ms pura
e honrada.
N'cste cmenos oaviram-se gritos, qoe
vinhara do andar principal.
Que i to ? pjrguntou Euzebio.
NSo sei, respoadea a rapariga, tea
lando dislrahir a atlencao de Euzebio ; al-
guma rixa de raalaios.
N5o, redargaio Euzebio com modo
imperativo, estes gritos sao de mulber.
Ent5o n9o s a menina que mora n'esta
casa ?
E primeiro qae a hollaodeza podesse op-
por-se aos sens desejos, e n3o obstante os
rogos da rapariga, subi correado por urna
escada, que, segundo, pareca, deitava para
Os andares superiores.
Atravessou quatro ou cinco salas cheias
de mercadorhs, e medida que se adianta
va, oovia mais claros os gritos; mis esses
gritos sabiam como qae de oatro andar
mais alto, e elle procurava e oo vil esca-
da alguma qu o coodozisse.
Aflnal,' avistou n'um recanto da casa urna
escada de bamb, sobio at um alcapo, e
ao passar por elle vio o espectculo mais
siogular que poda imagiaar-se.
A especie de galera oude penetrara Ea
zebio liaba o aspecto de urna casa de ne-
gros de Madagascar.
Era ama sala circular ; avistavam-se
por ama rotula a cidade, os bosqaes e-o
porto.
A sala tinha por aicos movis am sota,
om bah com enfeites de cobre, e alguQS
vasos de barro.
de Londres em 1851, noHvde-Park, media
81,591 metros qoadrados; o d' de Pars,
m 4855, nos Campos Elysios, 403,456; o
da de Loodres, em 4862, em Bromptom,
186,125 ; o da de Pars, em 1867, ao Cam-
po de Marte, 441,750, ao pasto que o da
futura exposicao de Vienna, a qoe dos re-
ferimos, ba de medir 2,330,631 metros qoa-
drados.
O palacio prracip I da exposiclooccupar
orna rea de cerca de 950 metros. O Pra-
ter, com as suas magnificas arvires secula-
res, ha de formar como urna moldara de
verdor era torno do palacio.
U PAIZ EM DISSOLUCAO.-O mar,
diz um jornal francez, est lze-do rpidos
progressos n^s costas de Yorksbire. Nada
menos de 3 ou 4 melros de terreno sJo
cada anno usurpados pelas ondas, isto ,
cerca de 39 acres entre Spurn Point o Flam-
borougdt H^ad ; ou 3,900 acres por secuto.
Rareuspuro foi outr'ora am importante
porto de mar, qoe enviava um membro ao
parlamento de Eduardo I; mas depois que
Belmigbrode aoi desembarcou em 1399 a
cidalej n3o existia seoio de nome e nos
dnsdo secuto seguate havia completamente
desapparecipo.
Aubuin, Hartburn e Hyde sao aldeas que
s se encontram em mappas e documentos
muito amigos, e Kilness, que perdeu sua
cathedral em 1826, parece condemoada a
ter o mesmo destino das cidades vUinbas.
1UFA0.De Laroche escrevem um jor-
nal balga :
i Pas ou oestes oitimos das urna tromba
collossal p ir Davantage e D*ochamps, e pelas
aldeas circumvisinhas. N3o possivel cal-
cular-se.a violencia do vento e dos resulta-
dos de suacarreira deseBfreada. E' neces-
sario ter estado em.um dos lugares por
onde elfa passoo para se azer idea. Pare-
ca um sonho. Em Esprangeleus grande
numero de casas foram destru tai completa-
mente, outras icaram sera techados e outras,
emana, com as paredes ton di.las de alto a
baixo. Em Dochamps urna cent -na de faias
colossaes foram arrancadas docn3o, e a vio-
lencia era tal que ha tondas de-alguns me-
tros em volt dos buracos que- ficaram us
lugares das arvores.
< O tronco de urna das faias-arrancadas
pelo vento medta 2 m, 30 de cifcomfereo-
cia, e a massa de Ierra que acompanhou as-
raizes era de cerca de 4 metros quadra-
dos.
Foi urna verdwJeira davastac3o. A trom-
ba iio s arraocava e derrubava ludo quan-
to encontrava, como- produzia effeitos extra-
vagantes. Passou sobre o reservatorio de
agua de Dochamps e carregou com toda ella.
Os des.reos sao incalculaveis.
IJTTERATRA,
Os capnchlnhos.
| 5o
OS CAPUCHINHOS EM PERNABv'CO. FR. 8E-
BASTIO.FR. SERAFIM.--0 NOVO TEMPLO
DE NOSSA SENHORA BA PENHA. COfy.U-
SO.
A ausencia de' Fr. Gaetano toi mitigada
pela virlude e pelos estorbos de Fr. Sebas-
tio sen digno su -cessor na prefeitora.
Fr. Sebastio nao ia- ento abrir o sea ti-
tulo de crdito; Pernamboco j Ihe^deva
muito : soa divida j era aatiga.
Esmerilhemos alguns desses titulos- por-
que todos nos impossivel aprsenla*.
, Em 4849 a freguezia de Tracunbaem re-
cebra os doces influxos de sua palavra
evanglica, que n3o poucos benefkios Ihe
prodigalisou e de tal orde:a que o chefe de
polica foi o orgao offcial da grado da
provincia.
No ann) de 4857 fez elle urna excors3o
apostlica de Jaboatao al Bezerros.
Por todos os lugares foi elle dexando ci-
mentados os fruclos de sua palavra evan-
glica alcanzados com innmeras (adigas po-
rm com intima satisface)- Jaboatao e Es-
cada anda hoje se recordara- desses das em
que em seu seio o grande raissiooario repe-
tio'o fervor catholico dos primeiros apost-
los. Os conselbos nessa occaiao espargi-
dos ainda calara e continuara) calar no
coraba i de muitos.
Ipojuca pela voz imponeole da sua matriz
que responda de que beneficios devedra
Fr. S3basti3o.
Durante o corlo -espago de urna semana
elle ajudado por ura inaumeravel concurso
A liis removeu uraa montanba de pedra<,
cavou o grande entulbo, que existia da au-
tiga matriz, abri os alicorees da nova ma-
triz, cujo cai.to tem 414 palmos de com-
prroeoto e 43 de largura, fez limpar um
logar para nolis se conslruir nm cemrtero,
cajo permetro flcou todo fechado em roda
por um valado, e levaotouabi um cruzeiro,
assim como oatro em ponto maior no pateo
da matriz. J eram servidos por assim di-
zer excessivos e bastantes para fazer ranas-
cer de momento a" grata lembranca daque le
que os prestou, porm ainda nao estava
concluida a miss3o de 'Fr. Sebastio em
Ipojoca. Ao retirar-se deixou eHe ara e
barro em tal quantidade que mais ee n3o fa-
zia mister para to la a ob a o lra disso,
como que por a:crescmo, a qoantia de
dous contos irezentos o tantos mil ris I!
E' justa a admiracau, que se extasa com
taes prodigios 1 E esse dinbeiro foi o re-
sultado das esraolas adquiridas pelo chrisraa
qoe applicou om grande numero dd fiis ..
Os mais raocorosos nimigos se deixaram
estreitar no mis doce abraco de amiadee
os odios desapparecerara' como por eosaa
to. Singular preponderancia da palavra di-
vina empregada pelos missinnarios da Pe
nha I... E devida que ? A consciencia
publica que responda. Sempre que a po
reza da virtade esliver aliada portentosa
conlianca da f os resultados ser3o estes,
os effeitos nao fa bario.
Em Grvala nao foi menos esplendido o
banquete da religio, que durou 44 das.
Sempre a f consegnindo fazer prevalecer
suas prerogativas reclamadas pela aatorida-
de ingente do missiooario da Penda. A re-
conciliado dos nimigos foi geral devida
onicaaente torca mora' do- ongido do Se
o-bor. TeioU e tres casamento e qaarenta
baptisados, pouco mais ou meos, foram as
flores primorosas, que colbeu Fr. Sebasti3o
em Grvala; alm do cemiterio, que dei-
x-ou muito adiantado, eda quaalia de 69#,
esmolasadqoirids par* esta obra e o con
certo da igreja. O^e poderia mis coase-
garr o iacansavel measageiro da f de um
lugar com as proporcSes de Grvala ?
Em Bezerros demoroo-se elle l-> dias,
que foram 15 estancias de gloria para os
aonaes- do catholicismo em* Pernambuco. A
inimzade confessou se vencida e retirou-se
com too o lri>te sequilo de suas conse-
quencias-; surgi como por encamo um de-
cente cemiterio de 200 palmos qua Irados
(que denwndon um aterro de 5 palmos na
parte interior era consequencia de ser o ter-
reno de pedregulbo e n3o permittir a aber
tura das sepulturas), todo murado com urna
Iparede de pedra e cal e com um formoso
Icrazeiro; os casamento? e os baptisados
foram em grande numero. A disposico
dos fiis para o- banquete eucbaristico foi a
mais significativa possivel; mas nao foi ple-
namente satisfeita- porque um s padre nao
pode vene ir tanto trabalbo. Tirou de es-
molas para o cemiterio e a igreja setecen
tos- e tantos mil ris com que pagou os pe-
dreiros, carpinas e tijollo para ladrilbar a
igreja, deixando anda 6545500 que entre-
gou ao Rvd. vigario para concluir o cemite-
rio e os reparos qae fslvam na matriz. E
tuto-isso operado nicamente pelo suave
jugo da palavra do missionario, sem que
coaeco alguma se impozesse nao ser
qae nasce do reconbeciraento do erro appro
vado-e abracado pela GOotriccSo do corac3o I
Santa religiSo! s ta sabes abrir os iaaufe-
riveis tbesouros d> caridade cluistai para
tornares la o fecunda- a f do raissiooario 1
Por mais insuperaveis que parecam ser
as dvfiiculdades ellas jamis conseguem aba-
far a forct da vonlade quando o obreiro
per.inaz e de animo varonil.
Desse numero era Fr. Sebastio. como
todos os missiooarios da Penba. Era se-
tembro de 4854 sahio elle de novo ao cul
tiyo da vinha do Seshor, e dirigio-se para
Barreiros, onde caegou no dia 46 e abri
no dia seguinte as raiss s, que durarara 15
dias, concorridas por seis rail pessoas I Im
ponente enthusasrao e aiada mais imponen-
tes prodigios! realsaram-se glandes servi-
dos ai matriz aova, arruinada pelas aguas
da grande cheia que assolou Peraarabuoo
nsse aoao, os quaes forara avallados era
mais de um coato de ris; 134 casamentos
de concabinad-i> resultaran! do influxo da
palavra divina, alm de moitos, que se se-
pararam pelos impedimentos, qoe Ihes pro-
hiban) se onirem raalrim raialmente ; mais
de 100 baptisados, inclusive alguns adultos
de 46, 20 e mais anaos, augmeotarnm o
aumerb doa convivas do Srabor; perto de
mil eonfissoes tornaram mais solemoe a
festa da commoahao e moitas familias fica-
ram no firme proposito de cootinuarem na
devoejo o SS. Rosario e Coracao de Mara.
Taes foram os fruclos das flores qoe em
Barreiros derramou o virtuoso levita. Quem
A cama era urna rede, qae atravessava
toda a casa.
N'essa rede estava am hornea), segando
pareca, adormecido ou deitado.
Mas o qoe chamou a attenefro de Euzebio
foi ver a mulher que dava os gritos.
Era,nma preta da mais correcta e explen-
dida belleza.
Urna verdadeira Venas de bano.
N3o con la va talvez qoinze annos ; as li-
onas do semblante eram de orna regolari-
dade perfeita; o p?s;oco e os hombros eram
obra prima, e toda ella am modelo de esta-
tuaria.
O falo qae tinha era desse panno de seda
e algodo azul com riscas de ouro e purpu-
ra que se tece em Tunis" e qoe as negras
cbamam Fonta.
A Venus preta pareca victima do mais
profuado pezar.
Tinba em cada urna -das mos nm ferro
agudo com que se feria o peito e os bra-
cos.
Corria-lhe o.sangue por todo o corpo.
A casa, alluraiada pelos raios do sol que
entravam pela rotula, nao tinba claridade
sufficienle para que Euzebio podesse des-
linguir bem o qae vira logo ao primeiro re-
.aaceiar. #
Mal.perce' eu o que a negra estava fazen-
do, adlanton-se para a conter.
Mas ao estender a mi achou-se em
freate do homem qae estava na rede, e
recuoo aterrado.
Refez se n3o obstante, e afastando os
bambs para entrar mais claridade, tornoo
a filar os o I nos no homem da rede : ora o
cadver do Dr. Bazilio.
A cara paluda, mas tal como Eazebio o
acabava de deixar no andar baixo.
Euzebio sentio fraquejarem Ihe as per-
as ; tinha os cabellos erizados, recuou, e,
sem poder afastar a vista do cadver, cor-
rea para o alcapio por onde entrara e dei-
xou-se cahir pela escada.
Qaaodo Eazebio Van den-Beck se vi
sala donde poneos momentos antes d
com a hollande7a, a su i comxogo era tal
qae leve de assentar-se.
Tinha a testa banhada em suor ; O seu
corpo pareca convulsivo, e O coracao pulsa-
va-I he precipitadamente.
Para respirar o ar, levantoa um transpa-
rente cbioez que havia na janella.
Deitava esta para am peqaeuo jar Jim
cheio de arbustos e plantas europeas.
Dous raalaios se davam silenciosos nm
trabalbo, qoe prendea a atlencSo de Euze-
bio, tal ponto que o distrahio dos seus
terrores.
Os dous borneas preparavam nma especie
de fogaeiraque j tinha mais de dous me-
tros de altura, e contiaaavam eo'loiaodo
acbas symetricameate para Ihe dar propor-
coo.s enormes.
Entre urna e outra carnada de acbas po-
nham palha e ramos resinosos.
Euzebio saltn pela janell chegou-se aos
malaios'e pergontou Ibes :
Que diabo esto voces fazendo ?
NSo v ? respondeu um em mo bol-
landez : estamos fazendo urna (ogaeira.
E verdade qae e-tao amooloaado o
material de orna' togueira.
Pois est claro._
Mas paja que serve a togueira ?
Os raalaios deram aos hombros ecoati-
.nuaram o sea trabalbo.
Euzebio repets a perguota.
E o morto, respoodeu um, quer atira-
lo ao mar como se fosse am c3o ?
E dizendo isto, apontou, nao para o an-
dar baixo nem para o alto, onde Euzebio
tinba visto o cadver de Bazilio, mas para
am kiosko indio collocaio ao canto do jar-
dim.
Enzebio dirigio-se para o kiosko, arras-
lado por ama invencivel curiosidade.
A porta estava om velho de barbas brac-
eas, qae vesta o trajo dos brahmanes de
Malabar e qae segando pareca, vigiava o
trabalbo dos malaios.
O cadver ? pergontou Euzebio.
O anciSo, sem responder, indcou-lbe Q
cofibecer essa poToac.30 dir S9 foram oa
nao ahondantes esses fracCos.
D'ahi seglo elle para Ag^a-Preta oode
firmou anda mais o edificio da to nunca es-
quecido pelos t>eus antecessores, e deixando
gravados os signaes indeleveis de sua pas-
sagem, contiouou sua derrota para a colo-
nia militar de Pimenteiras. Abi construio
ura espacoso cemiterio com a sua compe-
tente capellinba, cujo orago Nossa Senbo-
ra da Penba, que deixou beatos no dia 12
de novembro, ficando prompta a escavacao
do aliceres para urna igreja qae ah se de-
vria construir.
Era carioso ver a presteza e devocSo
com que os contriclos de ambos os sexos,
desde a maior juventude at a inerte velbi
ce, se banbavam de suor condozindo pedras
e aias para a construeco da igreja a qual
est consagrada Nossa Seabora da Con
ceico e o affao e dedicaco com que traba-
Ihavam no cemiterio e sua capellinba, de-
vendo ter particular menco raais de 30
carpinas de S. Benedicto, que para dito
fim de t3o longe vieran) prodigalisar aqui
servigos to valiosos ieligi3o e a* patria,
sem paga alguma, afora o prazer de ajuda-"]
rem eus irmaos aqoi moradores. Di-
zia o Diario do 30 de dezembro desse
anno.
E tudo isso era pouco porque anda n3o
eslava ebeia a medida dos desejos do incan-
savel ministro do Eterno I No dia 42 de
novemb.ro appareceu elle na povoaejio de S.
Benedicto da freguezia do Alliubo. Abi
emp-nhou-se com tanto affao no servico da
religio, subindo elle mesmo altas ldeiras
oa distancia de meia legua a frente do povo
ao qual anima va ao trabalno, que no dii 17
eslava concluido ura cemiterio de 400 pal-
mos de frente e 90 de fundo e tamb.'m om
cruzeiro de 50 palmos de comprimenlo
lendo p e meio de faje para ser enllocado
oa frenle da igrtja.
Os beneficios raoraes representados pelos
casamentas* baptisados e communhes Dio
foram menos eflicazes e ostensivos; dir-se-
hia que ama completa regeneracao havia
feit i renascer os poros desses lugares lava-
dos pelas palavras aspiradas do missiona-
rio da f, e qoe a religio abrindo seus co-
fres de gracas tinha escolbido para seu ins-
trumento de amor o fervoroso levita da Pe-
ona. Suas palavras calam nos esp ritos dos
ouviotes depurando as Obras deseos cora-
ces, suas aecss captivam pela religiosi-
dade que as acorapanha e os trinmphos da
f embalados as auras fagueiras de uraa
certeza divina revestem-se do maior bnlban-
lisrno possivel.
Seus trabalbos na cidade do Ro-Formoso
onde chegou no dia 15 de dezembro, foram
edificantes, e magnifica a colbeita que ate.au-
eou. Sera descansar dos iocommodos de
nma viagem penosa e s anhelando chamar
as ovelbas desgarradas aos verdadeiros
apriscos, logo no dia 46 pela tarde dea co
meco ao seu ministerio apostlico ; e em
cada dia de misso mais se augmentan o
numero dos ouvintes, cada dia mais de-
monstrares se dava de devocSo, cada da
pareca que ura novo trinmpho obliaha o
missionario em prol da moral e di reli-
gio.- ?
No dia 22 fez elle sentir a necessidade de
erigir-se um cemiterio no lugar e essa idea
por assim dizer elactrisou o coracio de to-
do o povo.
i No dia 23 cada urna das pessoas que
f rara missa, levou urna pedra ao lugar
do cemiterio e muitos homens alm disto
levar<.m ps e encbadas : s 6 horas da
raanha mais de 200 homens com ps e
cuchadas deram priocipio cava dos ali-
corees, que abrangom 300 palmos de freDte
e 100 de-funda: logo que se deu princi-
pio parti o missionario com um grande, nu-
mero de borneas de todas as i lados paa o
lugar ondi haviam pedras, e abi chegando
foi o primeiro tomar uraa pedra sobre a
cabeca, dizendo que Dos que estava obser-
vando este traba bo, nao poda deixar de
encher de gracas filaos, que trabalhavam
com tanta devocio por amor do prximo e
gloria do mesmo Deus. Todos os que
acompanbaram o missionario cootinuaram
asste trabalho por espajo de duas horas
aesse dia e em cada um dos dias sub e-
quentes, sendo qoe as mulheres lomando
outra direccao iam ao rio buscar ara.
No dia 26 deu-se principio ao asseota-
mento dos alicorees para o qoe se offore-
ceram ledos os pedreiros do logar e alguns
jornaleiros trabalbarem grataitameate um,
dous e mais dias, e, cousa admiravel I no
dia 27 achavam-se os alicerces ao rz do
co5o 1 Novo'espectacolo e talvez raais to-
cante : mulheres de todas as classes, coa-
ioterior do kiosko e afastou-se para o dei-
xar passar.
Eazebio eotro n'uma sala allomiada por
doze tochas collocadas em candelabros de
bronze, e por alampadas de orna frua
digna dos etruscos.
No meio estava o cadver, que Euzebio
conbeceu immediatamente.
Era o cadver do Dr. Bazilio.
Em nada se differen^ava o ultimo cada-
ver dos doqs que vira primeiro, nem pelo
semblante, nem pelo falo; era o mesmo, o
me&m'Simo.
Defronte do cadver, e por baixo de am
ninbo que continba a imagem do deus
Brahma, diante da qual ardiam tres alam-
padas, estava urna mulher assentida n'uma
cadera de ouro com as costas para a pa
reda. -
Esta terceira reprodcelo do cadver
.poz fra de si Euzebie. Transportado
am mondo phantastico, n3o sabia se estava
vivo oa sonbando.
Pareca que o sizo o abradonava; n5o
obstante, desle o momelo em que os seos
olhos se encontraran) com os da mulber
que velava junto do cadver, n3o poderara
apartar-se della.
Era urna rapariga, o3o de pelle bronzea-
da como a das indias da Sonda, mas sim
de um amarello claro como o das mulheres
de Visapour. .
Destioguiase pela regulandade das li
nhas qoe caracterisam a raca caucsica, e
os seus olhos, rasgados e formosos, cons-
tituiam urna excepcSo entre as mulheres da
soa cor, porque eram de um azul sombro.
Tiaba o peito ceberto por ama ligeira
coarte3 com eafeitesde ouro.
Urna facha de mousselioa Ihe rodeava a
cintura, segurando as sai as, qoe a cobriam
completamente at aos pos.
0= bracos, dedos e pscelo estavam car-
regados de braceletes, pulseiras, aoneis e
collares. Na cabera ojo tinha nenhom etf-
feite ; prenda-Ihe, porm, os negros c.
bellos* orna simples corda de flores e olbs
de toiro,
dieces e idades, desprezando os preconcei-
tos da poca e em numero de 3,300 foram
os nobres vehculos pelos quaes foram trans-
portados os loiolos qae se acbavam no por-
to para dar-se principio ao magestoso mo-
nameflto de encontr cojas paredes se
v3o quebrar todas *J soberbas requisices
do orguibo e todo o cortejo das velleida-
des humanas.
Ao romper do dia 1 de Janeiro de 1865
aps o acto da celebraco do sacrificio
incruento toi conduzida era solemne pro-
cissao de d'cz mil pessoas a imagem da San-
tissima Vi-ge.m ao lagar do cemiterio, .te-
ve eol3o lugar o acto da bencSo de soa pri-
meira pedra, com a invoca(3o d Corac3o
de Mafia.
Muitps casameov'os de concobiaado? moi-
tos ba( usados e crescido numero de 2500
confi8si >&$ foram os froclos benficos do li-
dar afa toso do abeacoado missionario, al
da grai de traasfornacSo dos costames em
triumpl o s e somonte da moral e da reli-
gio.
Foi nsssa occasiSo que no derraderro dia
de missEo que o Fr.. SebastiSo de Emola,
o verdadeiro typo apostlico, apresentou o
quadro postblico porm real da bnmildacto
christa bocamos o Diario de 29 de Janeiro
de 4855
Prejender descrever cora vivas core
os factos que se passaram, as emoc&Vs qae
se sentirara no dia 31 de derewbro, pre-
tender um impossivel Erro ultimo da do
anno, era o ultimo dia da missao, era o Di-
urno dia em que tinha de ser oovida a ftt-
lavra de Dos enunciada pelo mtseioaario,
era o da da beDc3o, era o dia das gra$,
era o dia da despedida da missionario.
* De manhaa toi cantada a missa conven--
tual pelos clrigos da freguezia, urna or-
ebestra composta das mozicas das dos so-
ciedades toroou mais magestoso este acto,
que foi assistido pelo maior numero de pes-
soas qae lomporlava a igreja.
< o missionario.? O missionario'esla-
va trabalhaodo na obra do paiz ; e de toito
conseguio reunir tarde em sua hemilde
casa dous proprietarios que ba muito vivan!
ioimsados, e coja choque de ioteresses e
odios aziam receiar tristes conseqoencias, e
qaando os vio debaixo do mesmo tectopros-
trou se aos ps d'aq'oelle que se julgava of-
fendido pedindo perdo por parte do que
se dizia offensor, entao pozeram-ss os dous
de joelhos aos ps do padre pedindo que se
erguesse, agradecern! tanta bondad e fi-
zeram protestos de esquecer o passado.
Nesse interim um dos mencionados pro-
prietarios vendo abi o Rvd. vicario com
quem estava iamisado, dirigio-se esponia-
nearaente elle, apertou-lhe a mioem sig-
na! de respeito e ainisade. E o missionario ?
O missionario, exttico, absorto, enlevade
de prazer, contemplava o poder immenso
da palavra de Deas e pareca estar dizendo
l comsigoest concluida tuinha nisso.=
E, com eftoito, estava concluida a soa mis-
sao pir que elle nao pedia fazer mais do
que o que fez, nio poda oh ter mais trinm-
phos para a religio. A o vel-o nessa ele-
vac3o d'alma, nesse transporte de prazer
diz-se-bia que elle eslava inspirado por nm
poder sobrehumano. E' o prazer de fazer
bem que eleva o homem dtvindade.
< Impresionada por tSo alegres emocas
sobe o pregador radiante ao pulpito e Bar-
rando- os effeitos prodigiosos da palavra de
Deus, menciona o grande numero de eon-
fissoes, os casamentos de muitos consabina-
dos, o louvavel procedimenlo de outros, a
coociliacoes, a devocSo do povo, sua dedica-
c3o, eoascieocia e penitencia e conclue di-
zendo qae todo isto demonstra va que o povo
estava em paz com Deus, paz com o prxi-
mo; paz comsigo mesmo e por 3S0 o aben-
coava em nome de Deus. Antes porm de-
leitar a bencao disse que era na.ural qae
entre o seu querido povo boavpssem sgaos,
que se julgassem. por elle offei;ddos por
haver combatido seo orgnlbo, su < avareza,
seus mos hbitos, seus prazeres. seus vi-
cios, seus peecados e seus crimen o se bem
que tudo isto fez por amor de Deus e do
mesmo povo, comtudo pedia perdao qaem.
quer que se julgasse ofendido e-pedio ao
vigario e esperava delle como pastor quft
era qae Ibe perdoasse as offensas feilas s
suas ovelbas ; e logo prostou se aos ps do
vigario com loda a bumildade e contricc3o,
proslro i-se de um modo tao pathetico qae a
priraeira resposta que tevs do vigario e do
oivo, foram lagrimas e pranto. Pareca
que urna faisca elctrica sabmdo da bocea
do missionario tinha tocado todos os cora-
C068.
(Continuar se-ha.)
Estava mada e im novel como urna es-
ta oa. S os olhos revelavam que existia,
os olhos qoe liana Otos em Euzebio.
Quera f perguotoo-lbe o rapaz.
A rapariga mostrou n3o o perceber.
Eazebio pegou-lbe na m3o.
Aquella mao estava fria, e b3o obstante
pareca Ibe que o abrazava.
Veiiua, disse-lbe elle fazendo-lbe oa
signal com a mao.
A rapar ga baixoo os olhos,* fez com a
cabeca ara signal negativo e mostroa o ca-
dver.
Eazebio lembroa-se ent5o dos costames
indios, e soppoz qa3 aquella mulher estava
destinada togueira.
Apontou eolo togueira fazendo nm
gesto ioterrogativo.
A rapariga iacnou tristemente a cabeca,
e tirando nma flor de loiro da cofa qoe
tinha, offerecen-a ao moco bollandez.
Euzebio pegn na flor sem saber o qae
fazia.
Mas impossivel, exclamava Eazebio;
impossivel qae to brbaro costme,
abolido j na lidia, possa existir em Ba-
tavia. Por oatro lado, esse homem n3o
era sea marido, e os preconceitos religiosos
nt podem coademna-la a morrer. Vos
fallar ao governador. e n5o consentirei qae
urna mulher to moca e bonita morra d'esse
mo-io.
N'este comeaos pareceu i Euzebio oavir
o riso sarcastico do Dr. e voltou se julgan-
do eacoatra-lo de p oa assentado. -
Mas o cadver eslava no mesmo logar,
rgido, immovel.
Succambiodo entio esse terror cres-
cenie qae o obrigoa a afastar a vista d'a-
quella miravilbosa creatora, cobrio a cara
com as mios e Qgio se,m olhar pira traz.
% s

~ (CoMtnuar-n-ha)
TYP. l>0 DIAWO-BA DO DUflUE Di CiXIAJ



Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EUN71RG8H_EGTEVO INGEST_TIME 2013-09-16T22:03:45Z PACKAGE AA00011611_12508
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES