Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:12504


This item is only available as the following downloads:


Full Text
'.....'
AUNO XLVII. NUMERO 228
UBI A ClPITAi E UJSA3IS QMZ 1AO S ?A6A POHTI.
Km tres n&eze.s Hiaasa^os............ eC00
seis.ditos i.i-ai/i............'....... 12^000
Voraainio iJeui...................... tlfOOO
.Cada montero avulso................... J29
SEXTA. FEIRA 6 OE OUTBRO DE 1871.
PA2A DIjTKO E JOBA DA P2Q7HCIA.
Por tres mezes adiantattos
Por mu ditos dem. .
Por nove ditos dem .
Por ura anno dem .
i

7M
4SH0O
somo
S7I00O
DIARIO DE PEMAMBUCO.
Propriedade de Manoel Fi-jueira de Faria & Filhos.
ao Anm:
' Pereira d'Almeida, em Mamangnape ;Felippe Estrella C, na Parahyba; Antonio Jos Gomes, na Vffla da Penha; Belarmino dos Santos Blelo, em Santo Antlo; Domingos Joa da Costa Braga,
em Nazareth ; Antonio Ferreira de Agoiar, em Goyanna ; Franeino Tavans da Costa, em AUfoas ; Dr. Jos Martins Alves, na Bahia ; e Leite, Serqoinbo 6- C. no Rio de Janeiro.
i
1

\*
,*,
-
PARTE OmCIAL.
overao da provincia.
KXPBMGNTE l>0 DA 3 DE SBTEMBRO DB 1871.
Actos :
O vee-presideole da provincia, a visia do
offleio do dOQlor chefe di polica, u. 1305, da 33
de correle, resolve considerar de oenhura effeilo
as comeajSos dos cidados Joaquina Franjeo Je
S>i.'.i Leao e Joaquina Francisco de Souza L?o
Jnior, para os cargos de subdelegado e prime ro
xuppleaie do districlo de Garjah dafregoezia de
Santo Amaro de Jaboato, visto nao os tereni acei-
tado.
O vice-presdenta da provincia, de confor-
midade coco a oroposta do dontor chefe da polica,
en offleio n. 1305. de boje datado, resolve nomear
para o cargo de subdelegado do districto de Gur-
jih o cidado Antonio Ribeiro de Albuquerque
tfaranhao.
O vice-presidenie da provincia, altan dendo
ao que requereram as profesoras publicas de ras-
truclo primaria; igoei Barbalbo Uchoa Cavalcante,
da cadeira da povoaco da Luz, e Hermilla Lydia
tuedes Aleeforado.dade PedraT .-nada, e tendoem
vista a ioformacao do director geral interino da
inuruccao publica, de 15 do crrante, sob n. 336,
resolve, na conformidade do artigo 23 da lei n.
598' de 13 de uni de 1864, antorisar as referi-
das professoras a psrmutarem entre si as respec-
tivas cadeiras.Expediram-se as necessarias com-
muaieaedes.
Oficios :
Ao inspector da thesoursria de fazenda, au-
orsando-ca proceder nos termos d sua infor-
maco, acerca do pagara-nti que sollieila o l-
ente -coronel Francisco Miguel de Siquelra, na
qualidade da primeiro substituto do juiz munici-
pal e de orphos do termo da Iogazeira.
Ao mesmo, rommun :;mJ o qne a 9 do cr-
reme, assomlo o vereador Manoel Correia Caval-
cante de Albuquerque Lacerda, o exercicio das
fuaecSes de juiz municipal e de orphos do termo
do Bnique no impedimento do effeclivo e dos res-
pectivos su ptenles.
Ao mesmo, inteirando-o de que a 20 deste
raez, entrou o aeharel Anslerliano Correia de
Crasto, juiz municipal e de orpbaos dos termos
reunidos de Tacarat e Plorcsta, no goso da II-
ceoc,a.
Ao i ispeclor da tbesouraria provincial, re-
commendando que faca recolbar ao cofre dessa
reparticao a quantia de 6:30641000, em que impor-
tou o donativo agenciado em beneficio do Lyceu
de Artes e Oflbios, a qual ser entregue pela res-
pectiva eoromisso.Corooiuoieou-se a esta, agr-
decenio-s o zelo e ioteressa qae desenvolveu no
deeempenao de sua misso.
Ao dontor chefe de polica, para que, em
vista do exposto pelo brigadeiro commandaote das
ama?. eom referencia ao alferes do 9.* batalbo
de ioantu-ia. Jos Luiz de Souza, que consta,
achar-se n vttto do Trtampto, pertenceule ao ter-
mo de Flores, recommende novamenle aa delega
do de polica daquelle termo, que faca retirar dallfl, _* oooeiegMo aa rrejuezia oe s. tre re-
sta capital o referido alfares, afim de dar-se d Connives do Recife, devolvendo o raappa es-
A' Itulino Manoel da Cruz Coussero, a quantia
de 1:4335000 qae, legando a infor macao junta
por copia, do engenbeiro encarregado das obras
geraes, se Ibe est-a dever, proveniente do saldo
do a'ccrescimo de obras, que se obrigou a fazer
no lazareto da flh do Pina.
A' Jos Antonio Cabral, a de 154000, dispendi-
da coma condumio1 para o arsenal de guerra dos
obje!#S CoraojaBicoa se ao respectivo director.
A' Manual Jos dos Santos, os vencimentos rela-
tivos ao mez de agosto ultimo, das pracasda guar-
da nacional destacadas em Aguas Bellas, e a pes-
sda que se mostrar autorizada os do offlcial com-
aun Jante dessa destacamento durante o referido
mez.Conmunicou-se ao commandante superior
do municipio de Garantan-.
A) inspector da tbesoafaria provincial, u-
torisando-o no< ttrmos da sua infortnagao, a man-
dar que sajara aceitos nessa repartirlo, como pro-
va das despazas feitas com as obras da capeila do?
Miliares em Olinda, por conta do beneficio da lo-
tera ltimamente exirahida a favor de taes obras,
os documentos para e?se tira, apresentaios pelo
vigario capitular
Por essa Ihesouraria mindoo-se pagar :
A' Francisco Jos Laile, a quantia da 24400Q,
dispeodida com o alugual da casa, que ro termo
do Cabo serve de quanel ao respectivo destaca
ment, a contar da 20 de junho a 20 de setembro
deste anno.lnteirou-se ao Dr. ebefe de polica.
Ao delegado do termo do Buique ou a pessda
por eile autorsada, a de 704000, dispendida com
o sustento de urna forga de sessenta pravas, que
dorante tres das aompaobara aquella delegado
com o tim de capturar criminosos. Communicou-
33 ao Dr. chefe de polica.
--' Ao inspector do arsenal de marlnba, appro-
varn a deliberacao, que tomou, de considerar
despedido o escrevente das offleinas de-.-? arse-
n:il, Joao Jos da Luna Freir, nomeando para o
iubslituir a Luiz Manoel Viegas Communicou-se
a Ihesouraria da fazenda.
Ao Dr. chefe de polica, doclanmdo aoorova
do o contrato que l.i o delegado do districto de
Panellas com o tenente Antonio Jos Goncalvas Pi-
res Ferreira, de urna casa para, servir all da ca-
dei'a, mediante.o aiuguel de 2004000 ananaes.
Communicoa-se a ihesouraria provincial.
Ao director do arsenal de-guerra, mandan-
do fornecer ao agente da enfermara militar ama
perna de pao para urna prag que se acna all
doeote.-Jnteirou-se ao brigadero commandante
das armas.
Ao commandante do corpo de polica, dizen-
do que ple engajar no corpo sob seu commando,
se fr apto, o paisano Jos Cyrino .Guabiraba, na
3ualidade de substituto de Joo Correa da Araujo,
araote o tempe qae falta a este para completar
o eogajamento.
Ao juizmuoicipal do termo de Petrolina de-
signando o da 3 de dezembro vindouro, para a
convocaco do conseibo municipal de recurso na-
quelle termo, visto nao se ler reunido no.dia an-
teriormente marcado pela presidencia. Coramu-
nlcou-se a camra mdnicipal respectiva.
Ao subdelegado da fregnezia de S. Fre Pe-
sos pobres da cadeia do termo de Uarrairos, a f declarar que nenbum contracto fez o Exm. Sr.
contar de Janeiro a julhodesta anno. -I 'Preiideate da provincia para a estrada de
Ao Dr. chefa de polica concadendo a autori- Goyanna.
sacio que solieitou, para poder o delegado do dis-
tricto de Paoalles, contratar coa qaetn melbores
garantas offerecer, o fornecimeoto aos presos po-
bres da respectiva cadeia, dsvendo o contrato ser
submettido a approvacio da ^residencia. -Iotei-
roa se a thesonriria provincia!.
Ao capillo do porto, dizendo em resposta ao
sea offleio, qae ple mandar enadaraar, nao so
os diversos volumes da legislarlo, que se acham
em brochara, mas tarabea! o rlaiorio do Exm.
Sr. ministro da marinha, e offlefos da presidencia.
Comrannicoase a tbesonraria de fazenda.
Portaras :
Ao gerente da companhia Pernambucana
para fazer e transportar at as Alageas, por coala
do ministerio da guerra, ura caixao contando oh-
jacios que ?e destinara a companhia de infantaria
de linbajdaquella provincia.Expediram-se as na-
cessarias communicacS .
Aos agentes da companhia de navegacao
brasileira mandando dar transporte para a corte,
per conta do ministerio da guerra, ao 2* cadete 1*
sargento de cavallaria ligera, Jos Carnero Ma-
eiel da Silva.Communicou-se ao brigadero com-
mandante das armas.
O contrete que se refere o Liberal de hon-
tem, foi ordenado em 2& de abril pelo Exm. Sr.
coawlheiro Diogo Velh) e effautuaJo perante a
thasou caria.
^Sfaseeolamos taaalein-c;ae nanhuraa apolce.jqaim do E-pinto 9nU),
qaiJdeiie,
CONVENTO DE S. FRANCISCO.-Aote-hontem
os religiosos deste convento solemnisrfam o di
commemorativo do transito do patriarcha ds sua
ordera. O acto esteve exolandido e na altura do
zelo que merece o culto oatholico, e que stncta-i
mente obserrado pelos (litios de S. Frauci -co
foram oradores, ao Bvangalho o Rvm. Fr Joa-
e ao Te-D*un o Rvdra.
la famHia, como mu'tas outras, quera qae ea i
icesse tratando I Nao dase ea; quera me apre-
sentou fot o Sr. Dr. Lima Leito; emquanto el!
viver e esliver sio, nao volto mais.
i Por esto lempo havia em L'sboa um medico.
para esta
execucio a ordeno expedida a seu respeiio pelo
ministerio da guerra.Igual recommendacao fez-
se ao juiz de direito da comarca de Flores.
Ao inspector do arsenal de marinha, autori-
saado-o nos termos de sua ioformacao, a mandar
alistar na companhia de aprendizes artfices o me
norGraciliano, fliho de Rosalina Mara da l'urili
cacao.
Ao mesmo, para mandar alistar na compa
nhia de ajiiBces desse arsenal, visto estar as con-
diedes legaes, o menor de nome Jos, que se re-
fere a sua intormacae dada acerca do requerimen-
to de Francisco de Assis de Medeiros Pinto.
Ao juiz d direito da comarca do Buiqoe,
acensando a recepcao dos mappas eslatisticos, que
reraotteu, e foram ministrados por diversos juizes
de paz dessa comarca, e recommendando a re-
nessa com brevidade dos que anda faltam.
- Ao commandante do corpo de polica, deter-
minando que faca augmentar com mais tres pra-
vas o destacamento existente em Santo Amaro de
Jaimlio, e com cinco o da cidade de Oiinda.Ex-
pediram-se as necesarias cammunicacoes.
Ao etoogenbeiro encarregado das obras mili-
tares, recommendando que, de conformidade com
a requisico do brigadero commandante das ar-
mas, mande caiar as casas, em que resillara na
fortaleza do Brura o respectivo commandante e
aeuajudante. Fizeram-se as necessarias comrau-
uicajdes.
Ao chefe da repartido das obras publicas,
autorisando-o, de conformidade com a sua infor-
madlo, a declarar ao superintendente dos trilbos
urbanos do Recife a Olioda, que pode abrir provi
seriamente o servir do ramal de Beberibe, exi-
g ado aquellas condicoes que entende convenan-
te?.
Portara :
A' cmara municipal de Olinda, para infor-
mar se anda subsiste o aforamenio do pantano e
terreos adjacentes, ferio a Manrique Guibson, de-
clarando se oforeirocurnprio as cbrigacioes do seo
contrato especialmente a do dessecamenlo do mes-
mo pantano, e quaes deixou de satUfazer, bem
como que terrenos foram reivindicados, em virtu-
de das accoas propostas em juzo por essa cmara
nos termos do contrato ; em que estado achara-se
taes aeches ; e quaes resta, anda intentar e sobre
que terrenos.
Despachos:
Aoreliano de Barros Corroa.Nao tero, lugar o
oae requer, vista do disposto no arl. 54 da lei
o. 602 de 1850.
Bacharel Candido Alves Machado Informe o
Sr. inspector da ihesouraria de fazenda,
Clementino Pereira Pasaos Cavalcante.A' vista
da ioformacao, nao tem lugar o qae requer.
Coronel Francisco Miguel de Siqueira.A' the-
ouraria da fazenda om offleio desta data.
tguez Barbalho Uchoa Cavalcante e Hermilla Ly-
dia Guedes Alcoforada.Passe portara na forma
requerida. ,
Isabel Adelaide de Siquelra Granja. -Informe o
Sr. Dr. iaiz de direito da comarca da Boa-Vista.
Jos Si Leito Jnior.Como requer.
Leonor Melequaes.Informa o Sr. vice-prev
dor da Santa Casa de Misericordia.
Bacharel Manoel Henrique Cardm Informe o
Sr. engenheiro chefa da repartidlo das oras pu-
blicas.
Manoel Nones Per ira.Eneaminhe-se ao go
veno imperial.
Tenente Miguel Joaquim do Re'go Barros.De-
clare O supplicante qual o offleio de Justina a que
concorre. v
gociedade dos Artistas Mecbaoicos e Liberaes.
Paste portara nomeando o primeiro.
WiHiam Richards.Declare o supplicante por
quanto pretende transferir a companhia Santa
Taereca o dominio til do terreno de marinha n.
1 sito no Varadouro, freguezia de S. Pedro Mar-
tyr 4a cidade de Olinda, do qual foreiro.
EXPIWKKTI DO WA 25 DE SETEMBRO DE 1871.
Ofid*: ,
eyector da tbesouraria de fazenda, com-
monieai > qae a 12 do correte reassamio o ba-
Julio Rigaeira Pinto de Sooza, jaU
omM A do termo do Rio Formoso, o exercicio
0es do cargo de juiz de direito daquella
comarca, renunciando o resto da li cenca que Ihe
oraconeedlda pelo conselheiro presidente da re-
layvo.
Por estt thesooraria mandn-se pagar :
tatisticoque remeiteu, alim de que seja reforma-
do, por vr nelle conlempUdos crimei que se d-
ram era 1869, e dever a eslatistica em orgaaisa-
cao contar somonte os crimes commettido) no au-
no passado, cumpnndo que os daquelle anno ve-
nhara em mappasupppletorio, como dispoe o res*
peclivo regulamento na segunda parle do art. ?6.
Ao director dasociedade dos artistas mecha-
nicos liberaes, autorizando o a mandar receber
a quantia de 5394 que segundo communica o en-
genheiro fiscal da companhia Pernambuco Street
Railway, existe em seu poder, provanienle do pro-
ducto total das passagens no dia 22 do corrate,
destinado pelo respectivo gerente para auxilio ao
iyceu d'artes e offlcios.
Despachos :
Agoslioho Francisco Gomes.Prove o suppli-
cante ser herdeiro do fnado Manoel Francisco Go-
mes.
Abaixo assgnado membro da direccao proviso-
ria da sociedade Moote-pio da Santa Cruz.Re-
forme os supplicantes o prsenle projecto da esta-
tuto ou subraeliam este a deciso do poder com-
patente.
Francisco Cecilio Manso.Remettido ao Sr. ins-
pector di tbesouraria de fazenda para attender ao
supplicante
Ivo Pinto de Miranda.A' vista das informa
edes dos Juizes de direito e municipal nao lera
lugar o que requer.
Bacharel Joao da- Costa Ribeiro Machado.Fi-
cam abonadas as faltas de que trata o supplican-
te, sendo este remettido ao Sr. inspector da tbe-
souraria de fozenda, para os in3 convenientes.
Conego Joo Chrysoslamo de Paiva Torres.-A"
ihesouraria provincial com offleio detta data.
Joaquim Das dos Saatos.Infor no o Sr. ins-
pector da thasouraria provincial.
Jos Polycarpo de Freilat.Remetlido ao juiz
municipal de Serinbem, para attender ao suppli-
cante.
Moreira & Bastos.Informe o Sr. director do
arsenal de guerra. .
Pedro Targino da Cunba Sampaio, Marcos Ma-
rrano de Oliveira e outro'.luforrae o Sr. ins-
pector da tbesouraria provincial.
William Richard.Informe o Sr. inspector da
tbesouraria, provincial.
EXPEDIENTE DO DA 26 DE SRTBMBRO DE 1871.
Acto :
O vicepresidente da provincia, attendendo
ao qa> requoreu o servenluario vitalicio dos offl-
cios de escrivo de orpbaos, .tsenles, residuos,
crirae e civel da comarca de Pao d'Albo, Hypolito
da Silva, resolve conceder-lho tres mezes de licen-
ca para tratar de sua sade, onde Ihe convier.
Offlcios :
Ao Exm. presidente do banco do Brasil, cam-
mur.icando que foram recebidos na ihesouraria de
rendas desta provincia os 200:0004, remanidos
por aquello banco no vapor fraoeez Sinih, por
conta da 1* prestaco de 800:0000, parte do em-
prestimo de 1,800:0004, conirahido pela mesraa
provincia.
Ao inspector da ihesouraria da fazenda, in-
teirando-o de que o inspector do arsenal de ma-
rinha nomeara de conformidade com o disposto no
L6* do arl 12 do respectivo regulamento, Jos
arinho de Araujo para exercor interinamente o
logar de portelro do referido arsenal, visto ter o'
proprieiario entrado no goso de 3 mezes de licen-
ca para tratar de sua sade.
Ao da fbesonraria provincial, autorisando-o
a receber da tbesouraria de fazenda a quantia de
200:0004, dando-lbe um saque de igual importan-
cia contra o banco do Brasil e a favor do thesouro
nacional, pagavel a 8 dias de vista c por conta do
emprestimo contrahido pela provincia com o refe-
rido banco.Eipediram-se as necessarias comrau-
nieveoes.
Ao mesmo declarando qae convm, em vie
de sua informar o, com referencia aos pareceres
do procurador fiscal e da coutadoria, que seja
pago na razo de 24000 diarios, come se pratica-
va a respeiio do eetabelecimento do Dr. Joo da
Silva Ramos, o tratamiento de cada ara preso da
casa de detenco, que for remettido doente para o
hospital Pe 1ro II, cumprindo qa* expeca suas or-
dens nesse sentido.Commancofeme ac proveder
da Sania Casa de Misericordia. "'
Ao, mesmo, mandando pagar a Jos Mana
Ferreira Braga, on ao seu procurador, a quantia
de IO84109, despendida com o lento dos pre-
EXPBDIENTE DO SECRETARIO.
Offleio :
Ao Dr. chefe de polica aceusando, de ordem
da presidencia, o recebimento do offleio, em qae
parlicipou ter concedido a Hermelindo Luiz de
Carvalho a exoneracao que pedio do cargo de es-
crivo da casa da detenco, nomeando para o
substituir o cidado Baroardino Antonio Vieira.
Commanieou-se a thesonrara provincial.
EXPEDIENTE DO DIA 27 DB SETEMBRO DE 1871,
Acto :
O vice presidente da provincia attendendo ao
que reqnereu o tenente Luiz Jos da Costa e Silva
da guarda nacional do municipio de Alhandra da
provincia da Parahyba, e a vista do qae informoa
o commaodanle soperor dos municipios de Olinda
e Iguarass, resolve, de conformidale com o dis-
posto no art. 45 do decreto n. 1130, de 12 de mar-
co de 1833, aggrega-lo ao 9' batalbo da Olinda.
Communicou-se ao respectivo commandante su-
perior.
Offlcios :
Ao inspector da'thesourara de tazenda, intei-
rando-o de baver resolvido, nos termos de su in-
formago, augmentar com trinta mil res mensaes
os vencimentos que actualmente percebe o machi
oista da barca de excavaco n. 2. Francisco de
Paula Marques de Oliveira.Igual commaaicacn
fez-se ao inspector do arsenal de marinha.
Ao inspector da ihesouraria provincial remet-
tido varios reqoerimentos de Joo Hippolito de
Meira Lima, por si e como herdeiro de sea fliho
Antonio Maiaqnias de Meira Lima, ambos arrema-
tantes de diversas obras publicas, maias executa-
Jas e ontras encaupadas as estradas da Victoria
e Pao d'Alho ; anm de que, examinando o objec-
to de taes requerirpenlos, desarimine os difTecen-
tes pedidos, que nelles se cootm, e informe espe-
cifica lamento sobra" cada um dalles, de modo a
podar a presidencia resolve-los.
Aojdirector do arseual de guerra, autorisando
a comprar om fogo econmico para a cosinha da
enfermara militar em substituirlo do que all se
acha arruinado, devendo este ser recolbido ao
mesmo arsenal.Expidiram-se as necessarias com-
municagoes.
Despachos :
Francisco da Silva Reg.Certifique.
Hyppolilo da Silva.Passe portara concedendo
a licenca requerida.
KXl'EIENTE DO SECRETARIO.
Offlcios :
A o juiz de direito da comarcado Garanbuns
aceusando, de ordem da presidencia, a recepcao
do offleio, era que parlicipou haver sido condem-
nado no grao medio das penas' do arl. 129 8, com
binado com o art. 49 do cdigo penal o escrevente
juramentada do cari rio de orphos desse tsrmo,
Antonio Florealioo dos Sanios, app rilando este da
decsio.
Ao da comarca do Bonito inteirando-o de llave-
ra n sido recebidos os mappas eslatisticos que envin,
recommendando, de ordem da presidencia, que re-
menea com brevidada os que anda nao foram
ministrados pelo juiz municipal e delegado desse
termo.
Ao gerente da companhia pernambucana re-
commendando de ordem da presidencia, que mande
dar transporte a r al Macei, em lugar destinado
a passageiro de estad, no vapor |que segu para o
sul, a'Anna Rosa de Araujo Farias.
c ominando das armas.
QUARTEL GENERAL DO COMMANDO DAS ARMAS
NA PROVINCIA DE PERNAMBCO, 5 DE OU-
TCBRO DE 1871.
Ordem do da n. 579.
O brigadero commandante das armas publica
para conbecimeoto da goarnico e devido efcito,
que a presidencia na data de 2.do crreme, no-
meou o Sr. capito reformado Mtnoel Alexandri-
no de Albuquerque Pitta para exereer interina-
mente o eraprego de Almoxarifa do presidio de
Fernando, em substituice ?ao Sr. capito tambem
reformado Manoel Candido de Oliveira Croa, que
tem de vir esta capital depdr no processo de in-
vestigaco instaurado ao Sr. coronel graduado Jos
Angelo.de Moraes Reg.
0 mesmo brigadero commandaote das armas
faz igualmente publico, que a presidencia alten-
deudo ao que re luereu o Sr. capito do 9* bata-
Iho de infantaria Pedro Velho deS Barreto, re-
solveo, de conformidade com o art. 4 2' do de-
creto n. 3579 de 3 de Janeiro de 1866, conceder-
Ibe 3 mezes de licenca com os vencimentos do art.
5 1 do citado decreto, para trata/ de *ua sa
de nesta provincia.
(Assgnado).Luiz Jos Pereira tXhialho, bY-
gadeiro. BJi^BoY'
Conforme.Clemente brancilio Tacare*, lente
ajudante de ordens encarregado do detalho.
Conmando superior.
QDARTEL DO COMMANDO SUPERIOR DA GUARDA
NACIONAL DO MUNICIPIO DO RECIPE, 5 DE
OCTUBRODE 1871.
Ordem do dia n. 3. ,
Manda o Ilim. Sr. coroa! commandante supe-
rior fazer publico aos cornos sob sua jurls-
diccao que o Exm. Sr. vice-presidente da provin-
cia, conceded, par portara de 22 de setembro
prximo passado, ao Sr. tenente do i batalbo de
infamarla Joo Goncalves Ferraira e Silva, -seis
mezes da licenca para sabir para fora de districto
do corpo tratar de seas negocios.
Qae o mesmo Exm. Sr. por portaras de & do
corrate met transferio ao Sr. capito Joaquim
Silverio de Souza, da 8* companhia do 2 batalho
de infantaria para a 2* do 4* da mesma arma ; e
ao Sr. tenente quartal-raestre do 3* batalbo Jote
da Silva Loyo Jnior para o 2* batalho do servteo
da reserva, ao qual car aggregado.
Rodolpho Joio Barata de Almida,
Coronel ebefe ioterno do estado-raaior.
de oetro qualquer contrato, tem Antonio do Mello Albuquerque, offleiando beste o
, (?rioieira-prestaco do empres- Rvdm._ Fr. Joo Baptista, e na m fsa o Rvdra. Fr.
icadr. smente ao pagamento do Antonio de S. Cimillo, gnardio de Olinda.
Ccncorreu grande numero de sacerdotes 'secu-
lares e religiosos do Carmo.
. ESTABELECIMENTO I)E CARIDADE.Movi-
mento do hospital de Nossa Senhora da Conceicao
dos Lazaros, do Io ao ultimo de setembro de
1871.
Existiam li homens e 11 mulheres, entroe
d mulher, morreu i mulbtir, exislem actualraentn
14 homens e li mulheres.Total 28.
Advertencia.
Foi visitado o estabeleciraento pel respectivo
medico deste o Mira. Sr. Dr. Tarquino Silvio Vil-
las-Boas nos dias: 5, 8, 12, 16, 20, 24, 28 e 30
do raez (lodo.
Existem empregados neste estabelecimento 8,
a saber: capellao 1, medico 1, regente 1, dita 1, bar-
beiro i, cozmheiro 1, srvenlos 2.
>Hospicio da Nossa Senhora da Conceicao dos La-
zuoSj 2 deoutubro de 1871.
O regente,
Jos Paulino da Silva.
O mordomo do mez,
Ribeiro de Costa.
LOTERA.A que se acha a venda a 210.* a
benedeio do hospital da ordem terceira do Carroo
do Recife. a anal corre no dia 11.
CEUITEIUO PUBLICO.Obituario do da i de
ontubro.
Pedro Baptista de Santa Rosa, Pernambueo, 58
annos, viuvo Varzea; molestia interna.
Anna, branca, Pernambueo, 2 mezes, S.Jos;
convulfdoj:
Joo Mara, branco, Portugal,'40 annos, casado,
Boavista ; hydropesia.
Manoel Correa aa Silva, pardo. Alagos, 40 an
nos, solleiro, (militar) Boavista ; desintena.
Manoel Gomes da Silva, prelo, Rio Grande do
Norte, 25 annos, solleiro, Boavista, bepitos-phlenito
ebronico.
Manoel, es:ravo, pardo, Pernambueo, 25'dias,
Boavista; convalsroes.
PERNAMBCO.
REVISTA DIABIA.
NOTICIA INEXACTA.-Estamos aatorisados a
. quer
siio-Tesgatada. A
tima tem sido applicadr. sraente ao pagamento
dbitos da'provincia, o quaes est) pagos at de
zembro do anno passado.
INSTITUTO ARCHE0LO316O E GEOGRAPHI-
COReunise hontera, sob a presidencia do Exm.
eoneiheiro monsenhor Maniz TVares, e eom as-
aistetcia dos Srs Drs. Soares de Aievedo, Aprigio
Guirnares, Ayres Gama, Soases Branda o, Baptista
Regneira e Fooseea de Albuquerque, e dos Srs.
coronel Leal, padre Lio o do Monte Carmello e
major Salvador Henrique.
E' lida e approvada a acta da antecedente.
O eenhor secretario perpetuo mencione o se-
guate expediente:
Um offleio do secretario da illustrissima cmara
municipal agr laceado ao Instillo a offarta de
ama collecco de suas Revistas Interado.
O mesmo senhor si cretario perpetuo da contal
das segrales offartas :
Varios ns. do Diario de Pernambueo, pelo con
socio Dr. Figaeirda, algucs ns. da Santa Cruz,
Americano e Assuense, pelas respectivas redac
Sdss. -Todas esus offortas sao recebidas com
agrado e mandam-se archivar
Entra, era discusso o parecer adiado da sesso
passada sobre a refirma de alguos arligos do3
estatutos, e depois de nella tomarem parte varios
sennores, sao approvadas as seguites altera-
jedes:
O art. 4.* dos estatutos Qca alterado no menti-
do de ser Ilimitado o numero dos socios effec
tivos. '
t Ao ari. 5.a ficam snoprmldas as palavias
vagando algum do quarenta.
O a^t. 7.* tica alterado no sentido segninte :
i Aos lagares de socios effec ti vos podera ser'
adrailtidos tantos natoraes como os estrangeiros ;
e cada um deltas entra eom a quantia de 301000
e os correspondentes 154000; a titulo de joia
quando recebem o sea diploma, isento de mensa-
lidade?.
h/ O art. 7a d additivos fica substituido pelo
seguiote :
Os socios effsetivos qae por am anuo deixa-
rera de comparecer as sassdes do instituto sem
partecipaco do impedimento, considerar-se-ho
eliminados. >
V-m a mesa e vai a imprimir a seguala pro-
posta :
11 Proponho que sem orejurio dos arto. 25 e 33
dos estatutos seja adoptada a dwposico segrate :
Art. as coafereocias ordinarias do instituto
depois do-expelie tte e quando nao haja alguma
memoria ou qualquer traballio a ser ido os so-
cio* iirntMrfT eulreler-da lib sobre qualquer
ponto relativo aos fias do insiitalo.
i As cenversacSes recahiro ou sobre assurap -
tos lembrados na ocea?io por qualquer dos so-
cios, ou sobre alguna dos que estejara propostos
e incluidas na ordem do dia.
f Qualquer socio podar fazer propostas de
pontos e o presidente deliberar sobre a sua o-
cluso em ordam do dia.
t as actas constar o ponto sobre que tenha
versado a conversacao, a summa da controversia
e qaalquer deciso, segando fr deliberado em
cada sessao. Sala do Ioititalo, o de outubro de
1871.Dr. Aprujio GmmarSes.t
Vem a mesa e vai respectiva commsso urna
psopostapara admisso di socios.
Nao havendo -mais nada a tratar, levanta se a
sesso.
IoNSTITUTO HISTRICO E PHILOSOPHICO.-
Hontam, reuni se esta sociedade sob presiden-
cia do Sr. Bandeira de Mello.
Urna oftarta das theses e dissertaco para o pr-
ximo concurso da FacutJade de Direito, pelo socio
honorario o Sr.. Dr, Antonio Carneiro Antunes
Guirnares.Foi reeebida com especial agrado.
Um offleio do Sr. H Correa de Brito, pedindo
tres mezes de licencaFoi concedida.
Um offleio do Sr. Adolphc Tacio da Costa Cirne,
participando nao poder comparec-r a sessoIn-
leirada.
Entrando-:? na primeira parte da rdem do dia,
que versava sobre a continnaco da diseusso da
reforma dos estatatos, erarara sobre o art. 4. os
Srs. F. Borgei, Baodeira de Mello, Albino Meira,
Ferreira di Silva, Bellerophonte. Picoa a djjeus-
sao adiada para a sesso seguinte, tendo sido* dis-
entidos os artigos do capitulo 2
Entrando se na segunda parle da ordem do dia,
obteve a palavra o Sr. Ferreira da Silva, que de-
fandeu a seguate tlie-e :E' licito tancar mao
da propriedade alheia em extrema necessidade f
respondado. sfflrmativameate o programma da
these.
Tendo de defender a these mencionada o Sr.
Bandejra de Mello, passon a-cadeira da presidencia
ao vice presidenta o Sr. CardeiroL^o ; e obtendo
a palavra, falln negativamente these. O Sr. F.
Codiceira, como proponente da these, pedio a pa-
lavra, e refutou argumentlo formulada pelo Sr.
Baodeira de Mello.
Obtendo a palavra o Sr .F. Borges, corroborou
a afirmativa ao programma da these. Occupiado
de novo a tribuna o Sr. Bandeira de Mello, cerro-
baron anda sna opinio.
Enirando-se na terceira parte da ordem do da,
oceupou aattenco da casa o Sr. Albino Meira, que
deseavolveu a egainte these -.H-iver urna pro
pnedaie Iliteraria ? Se ka, em que amiste f A
A contrafaccao contra o direito natural ?faj-
lando em afirmativa. ProcedenJo-se ao sorteio
da these, foi escolhda a seguate Qual o verda-
dero fundamento da propriedade f sendo o pro-
ponente o Sr. Manoel Ferreira da Silva, a foram
escelbMW na Srs. Costa Cirne, Bandeira de Mallo
e F. Bortes
LEILAO.Hoje 6 do corrente, conforme se acha
aanunciado no lagar competente d'este. Diano,
effecta o agente Pinto o leilln de fazeaia, min-
dezas e sab onetes inglezes. em san escrptorio
ra da Cruz n. 38.
SANTA CASA DE MI3ERlGORDIA.-Por deli-
beran) da Junta administrativa, em sesso de
boniera, foram mandados admitir, no collegio dos
orpbaos, os menores Cosme, filio de D. Guilhermi-
na Custodia Alve da Assiz, e Joaquim, fliho de D.
rsula Senhorinha Monteiro Pessoa.
MONTE PO PORTUGUEZ.-Hoje as 6 horas e
raeia d\ tarde, no sali do Gabinete Portuguez de
Leitura, deve reunir-se o coosolbo fiscal do Monte
Po Portuguez.
LEITURAS POPULARES.Sob este titnlo acaba
de ser encelada no Rio lie Janairo urna publicaco
mensa I eoitendo trabalhos de litieratora nacio-
nal, tanto era pro.'a como em verso, lando os au-
tores daldea o pensamento. de divulgar o mais
possivel o frncto das loeubraedes dos nossos es-
eriptores. No primeiro-pampblelo vm trabalhos
dos Srs. Cunha Vasco, Luiz Deiphino, L. Guirna-
res Jnior, Barros Jnior, /.aluar, Machado de
Assiz, e Serpa Jnnior.
VL\-FERREA DB BATURITE1.Os accionistas
desta companhia devem raalisar a primeira pres-
uco de suas aecSes, na razo de dous por cento,
ate o dia 12 do correnta, no escrptorio da com-
panhia Peraambacans.
PUBLICACOES A PEDIDO.
RELATO RIO
MEDICO LEGAL, ACERCA DA DOENCA E MOftTE
DO BARAO DE JARAGU; POR ANTONIO MARA
DOS SANTOS I1RILHANTS, MEDICO CIRUR-
GIO. --*
(Cootinaaco.)
Moralidaiemedica- Sr. Or. Lima Leito.
Aebando-me de cama no raen 5 anno do curso
medio eom ama febre inflamatoria, fui tratado por
elle, e bem.
Prourei-o depois de restabelecido para Ihe re-
munerar, nao o tea merecimento, mas significar-lhe
o mea recoDhecimento.
Poz-me a mo no hombro, e disse-me: < reti-
re se tranquillo, barqueirn nao paga a barque-
ro Entend e entend bem, que era um preeeito
de moral-medica, praticada eotre mdicos; porque
elle aceres entouV. j meu ccllega h
* Neste lempo os novos doutores lioham, effecti
vamente, para os mais aatigos urna extrema consi-
Jerarca;.; sua tonga dade se prenda serapre a
idea de urna grande experiencia alcanzada por
iongos esiudos, fortalecida pelo conbecimento de
mil dffleoldades na pratica. Achava-sa entre elles,
tendo alcaocado o seu fim, menos paixo e rivali-
dade, mais benevolencia, e urna especie de lympa-
ibia paternal e pr .fessional.Notice sur Gui Patn,
pag. IX. .
Accrescenta Reveille-Pariso a seguinte nota:
Este respeiio para os mdicos mais an'igos
tema mantido por longos annos na faculdade de
Pars; era tal, que o medico Hyacioto Tneodoro
Barn (nascido em Paris aos 12 de agosto de 1707,
morto um 27 de margo da 1787) tendo ficado ceg,
muito- mdicos novos faziam urna parta das suas
visitas, e entregavam-lhe religiosamente o pro-
ducto.
Assim se pratcava naquellewtempos... Volian-
do eu d'Africa, prncipiei a merecer a confisnga do
Dr. Lima Leuo, tratando- as suas doenris, e
indo ver-lhe alguos dos seas clientes.
Pedio-me para ir tratar ama senhora, que em
1856, estava atacada de cholerina. Fui (rita-la, e
curou-se. Qniz pagar-me; e respondi-lhe : man-
de pagar ao Sr. Dr. Lima Leito.....eu vira aqni
em seu lugar.....
Constou-me depois o segninte: que esta senhora
dissera ao seu medicoento o Sr. dontor man-
da-me ura cirurgio para me tratar ?l O Dr. Lima
Leito re.-pondeu : pouco importa o titulo que Ihe
queira dar, < elle sabe, estuda e trata a raim.....
.....
Alguem, visita da casa, veio contar-rae o da-
logo, dizendodeves estar muilo agradecido ao Dr.
Lima Leito I....
O Dr. Lima Leito instou sempre comigo para
qae me fosse doutorar I Elle nao fondiraentava o
seu conselho, insista e uada mais. Moralisando a
admiraco do paciente, vi que era das uea que
preferera a ignorancia eom diploma, ao saber sum
diploma, nao podando obter mais do diploma do
que obteve de mim, fazenda-Ihe a cura t...
Certa nullidade, querendo ser dontor, sem ser
douto, foi a ama universidad a da Blgica procurar
o diploma de dontor. Aonando facilidade na obten-
cao do diploma, pedio mais um diploma para o seu
cavallo. Em rasposta, dsseram-llie: < c nao te
raos diploma para cavallos, s o temos para burros,
e por is-o Ih'o conferimos. >
Um destes pa'ssou pelas pro vas na escola do Por-
to, e flcou habilitado a curar em Portugal I Lamen-
tando eu esta desgrana ao Dr. Lima Leito, respon-
deu-me: nio se afflija, entre tantos mais um nao
faz mal....
A sociedade portugueza, vive de sophismas; pas-
sou da aristocracia para a democracii aristocrti-
ca e subserviente, esta tem todos os vicios da pri-
meira, sem nenbuma das virtudes.... Ainda quer
a cirurgia, qne estuda o homem, e faz da seiencia
urna unidade, no estado em que a julgava Gui Pa-
tn : ligava eom mnia razo om preco inestiraa-
vel ao qae se chamavafaire ses hum&nits.Um
dos grandes motivos de repulso qae elle tiaha,
assim como qualquerraeli:o da faculdade, contra
os cirurgidas, dependa da falta que estes tinhara
da educaco liberal: desde entao se affectva de
os considerar com plebe illetr, e de os eolio-
car sobre a mesma linh da contraria dos barbi-
tonsores.Loco Rato, e pag. XVII.
meu coevo, que a raorte prematura rouboa i so-
ciedade e amilia, o Dr. Jos Antonio de Souzi
Conealves. Este medico morava na rna do Ouro, a
periencia a escola sacerlocio da-medicina, era
educado na Universidade de Coimbra.
t Foi-Ihe i fferecido o lagar Je medico da Casa P>..
em Belm. O Dr. Paiva, medico deste estabeleci-
mento, tinha ficado impossbilitado de trabalbar por
ter tido urna apoplexia. O Dr. Gongalves aceitou o
lugar, com a coodico de fiaren) o ordenado ao Dr.
Paiva emquano elle vivesse, e assim o pratieto
dous auno?, tempo de sua existeoeia. E note-se
bem, o Dr. Goncalves gastava 240 res diarios no
oraoibas, para ir fazer o sarvico durante os doa.
aonos de vida do seu collega. Nobro exemplo da
uioralidade-medica !...
Como praticaram os mdicos com o Dr. Chave.,
d Alcacer? E com onlros seus discpulos?...
Mais tarde o diremos, e n'ontro lagar, para mes-
trarraos o que vai por esia LUboa, aonde vai la-
vrando a moral pervertida de ama escola teta
pudor I___
Medicina orthodoxa. Aphorismos transito-
rios:
1. Nestes lempos a voga dos mlicos em-Lis-
boa anda na razo directa da falta da provas do
seu mrito.
2.* Se a isto se ajuma a m figura que fizerara
na respectiva escola, mais voga teem.
3.* Se a isto se ajuoiar os trala despropsitos
que meitem em meia dozia de palavras que escre-
vam ou digam, cresce-Ibes anda muilo mais a
voga.
4* Se em cima da ludo isto Ihes morrem a cada
passo doenles qua a arte devia salvar ou palliar.
ento uo leem mos a medir. (Esculapio, n. 122,
Dr. Lima Leilo).
5." Aqu era Lisboa, o raadieo, qnaato mato re-
pata(o (em de estudioso, menos voga (em : nao sa
quer aqni pois que quera cura saiba curar.
jDiz se: o medico que muilo esluda, porqu-
:iao teme que fazer. Segue-se que o medico que
tem n uito que fazer om ignorante, valo que
igoor ule em medicina quem nao estuda mono.
7 'ansa-se aqu que o medico que lera muiu
voga, o tem tempo para estudar : loga, por igu-i.
conse lueocia, o medico qae tem muila voga, nao
curar, visto que preciso estudar e mu;
aber curar.
Pelo que, os ignorantes aqu sao os qne team
'in medicina, e tanto mais voga quanto roa
sludam, isto quanto mais ignorantes-
sabe
para
8.
voga
nos
Mo.
.
l'ugir as conferencias de responder s ob-
jacc5i s de algum collega, e de esclarecer em bem
do do inte algum ponto difflcil, tirando a cada mo-
raent o relogio para ver as horas como quem tem
rauiu pressa, ou Jiz-ndo qae 0 esperara em casa
do coide; marquez ou duque de tal, mantem po-
deros imenla e augmenta muitissmo a voga dos
os.
Perguntamos seja a quem fr porque provas
medi
10.
scieni li:as se recomrandara os mdicos que mais
voga t em em Lisboa ? Podemos afflancar de ante-
mo c ie ninguem nos responde, porque ningum
ha ca iz de responder-nos. (Esculapio n. 127, Dr.
L L. ;
(lassificacao dos mdicos da casa real.
( Vi le Jornal do Commercio de Lisboa, 29 da
marco de 1862. )
As c asses sao ires: a primeira a dos mdicos
effectiv >s (sao os que tratam, ou tratan(es); a se-
gunda ; a dos medios permanentes) que satisfa-
zem as indieaedes dos effectivos, ou subservientes):
a tare, ira a dos mdicos consultantes (que dos
casos nais graves devem ser ouvidos, e paru-
Ibar d responsabilidade de que nao fizassem oa
loio-).
O Sr D. Luiz nao tomou em considerado a elas-
siticac > cima indicada...
Os p irenibeses sao meus.
Brilhante.
A es s respailo diz urna das acreditadas capa-
cidades da escola de Lisboa o seguinte :
i Mi ito de < industria deixei para e fim um
fido q e claramente falla a favor do assumpto d
que est iu trataudo, com quanto, se ao na or-
dem ch 'oaologica, mas na da importancia relativa,
seja un dos primeiros; i qaiz deixa-lo bem gra-
vad > n memoria dos meus ouvinte*. O Sr. IV.
Luiz < ( estava presente...) mandou da/ igual
remera raco pecuniaria a todos os facultativos da
re 1 caara (todos teem igual erudiccao e saber,
nao a isim ?), e, o que anda mais igual consi-
deract, < determinando que o primeiro medica
da cmara fosse substituido, no seu impedimen-
to, peb cirurgio mais amigo.
Qual o nhas mais abaixo diz:
c O ira prova de consideraco que tambero,
deve c ommemorar, reeebeu neste anno a escola,
medico cirurgica de Lisbd., sendo escolbido an:
dos seu i leotes (jubilado), o Sr. Dr. Beraardino An-
tonio G ames, para ir representar Portugal no con-
gresso nternacional de Constantinopla
Tanho para mim que serei interprete (eu
escrevariai'nf corpo escolar e e de toda a classe medica con-
gratulando o sabio professor pelas demonstraros*
de apreco qae reeebeu naqaelle congresso, j sen-
do Borneado presdante de urna das commissdes.
j ven lo aquilatar, como valiosas, os fictos (tann>
vezes sepelidos desJe 1833, notando todos os ob-
servadores, qae qaalquer epidemia, quando reas-
parece tem ndole diversa. Isto meo), que re-
ferir tas opinioes qae nelles assentara.*.
as qualro linhas com que o c orador termi-
nou a eilura do sen discurso, apresenta um flora-
que deixar a arder o juito de todos os rbetoti-
cos, ai oda os meaos selectos. Vejamos:
i P irguoiai aos doeotes e aos cadveres i <
cadav res fallam ? I ) os segredos da medio
oa... etc.
O s ibio no sea gabiaete falla com os morto.
qae s o os livros, aonde translnzem as idas_ do*
que p snsaram e escreveram em vida; mas nao os
inleri oga, l as suas opinioes. Nos cadveres je-
tuda i genio, e investiga nelle as lela da vida. Eu
escrew algoreso estadar as lels'da vida, quer
oo vivo quer no morto: isto entendem todos o
que nao oram diaote do re...
Disjc. recitado na preaena do Sr. D. Luu
essp sol. da abert. das anlas da esc. mod. cir. Lisboja, em 5 de ootubro de 1866. Vide Jorn
da Sf. das Se, Med. de Lisboa, 1866 pag. 231.
(CMitwar-se ha).
Urna palavra acerca do ensluo
Os mesires pblicos as e-colas normaos nao
apreidem a parte iheorica das materias estable-
cidas pelo programma goveroativo, mas, o que
forma o verdadeiro objecto da escola normal, -
Sr. Dr. Lima* Leito padio-ma para Ibe ir Ira-1 meihpdo do ensino.
tar outra doente que elle tinba mandado sacramen- .* f m da le que nma consa sabe
tar I -Pedi-lha algumas informacues da doente., e orna p' arte. a.^mijler_'
respondeu : v, eu nao Ibedou ioformacao alga- be-lo- commua.car aos outro
ma eramlne bem, qne n primeiro dever de um nio Quem no ensino na
fundamentando-o, nao distincco bem clara e necessana, anda nao
no qae vir, faca o prehende a importancia da in A doente tinba om Maitos nao sabem dar a razo do aborrecimen:.
v. o.
de um
medieo, faca o sed julio,
em nformacSss alheias, mas
que sabe e a scieneia ensina
aiazarca consecutivo de nina hyperirophia do ven-
trcalo esquerdo e dilta;5o do ventrculo diraito
do coraco, que Ibe venc; mais tarde lew a ase.-
te : flz-lne a paracentese na presenca do Sr. Dr.
Lima Lei{io. A doente ainda viven tres anuos. S>
e outra -
e mxime aos m-
tiver presente e>:
do estudo nos meninos, da aversio que estes t
escala e ao mestre, do horror e do prantod.
enanca, quando deve ir para a alta ; mas se su
aiten'der, bem pdem logo comprehendar o mo-
tivo.





j, .;--,..
kV *.-<*ai''3

i

>
1
I
k
I.
*\
Diario do rorn&mbuce Sexta eira 6 do Outubro do 187)
Todo o menino ha de ser hemem, elle est ero
preprorair)$tf* R*'der o germen do bem e
do al. para d8P8 bom ^ mo *BCUll)' d?8
primeiras impresso"es em proveito oa darano da
ociedada. fita a graode responsabilidade dos pro-
enltcres, doeroestres, dos edoeadcres diante de
Deas e da aaoeea.de.O mor ao bero, o sacrificio
de si mesao, vafee lado. Siber eseolhar o cami-
obo mais fcil, ajuoiar o til ao agradavel, delei-
tar ensilando, sao as coasas que o mostr elemen-
lr deve lar presente no exerciclo do seu impor-
tatu ministerio, cojo premio, j se fibn, ser m-
gratidio, e esqueciosanto pela parte dos ajneos ;
mereeimento e ?atifc^o pela parte de Dais e da
cooseiencia. E' vnrade innrtavel o. aaslaa eomo
ib sao os eaohoan que retraen} os pofos, assim
rabera nao a pelontoria que eJaca os meninos;
mu a rastruecao, a educaclo bem dada, boa or-
den), o bom exeraplo. __
Portaoto naa escoiai normaos que se resolvero
estes probleaaa: por qae modo os mesares devem
eosinar a leltara serianess, a e eriptnra a His-
toria Mirada, a aritbmeea, etc. Como devem,
cor assim dizer, tornarse roturaos cora elles,
como 4erm empregar o lempo e ter sempre avi-
ada a atlencao dos alumno* as b iras a aula ;
anal sel* o horario, e se na aula ficain diversas
dass s, qaal a distribuicao dos trabalhos a todas
se atil e como de ve se formar urna escola de
mutuo ensino, ele. etc.
is'-ftorqae nos exanes de habilitaco nao se
pergunta aos candi latos, se o nomo ioclae em si
oate partes, se m o verbo e o nome sio ne:es-
sarios e outras perganias seroelhantes ; mas por
qae molo o mestre deve explicr aos meninos a
breve ibeoria da proposicjto par depois passar ao
ensino das palanas qne a compSm, isto 6. a par-
te elymologiea, para que o menino, que, fallando,
exprime coneeto .quasi sempre simples, possa re
ce onecer os elementos principaes, fazer a anaiyse
lgica, e depois faeilroeute, como por um i conse-
cuencia, faiar a etymologica. Por que modo fazera
eomprebeader aos meninos a theorii do nome, do
adjecuvo, do verbo, etc. Por que modo, iog > depois
de ter ensinado um preceilo de (rammalica, faiem
applica-lo oralmente no livro de le tura ou por
meio de trabalbo escripto. Quando eo/icara a lei-
tara, como faiem para que o menino, depois Se
ter lido um concelto, exprima o mesmo com as
suas palavras para faser-lhe aprenu-r a exprimir
os seus coneetos appropriada e correctamente, e
para nao acosturaa lo a urna leitura machiaI.
Lomo proceden) para explicar aos meninos o pri
m?iro ficto da historia sagrada, e que moralidale
faiem gravar so coracao d elles, e como passam
a en-lnar por este f.icio o catnecismo. Se ensioara,
e eomo os principios de bygienne e de urbanidade.
A um menino que na> saoe r, eomo se Ihe di a
primeira lico de historia, etc. E assim continuan-
do outras perguntas acerca de outras ntileria*.
E' portanto verdade incootesiavel, que se no en-
sino nao se escolhe um bom methoio, nao se pode
conseguir resaltado algum vantij a > : o mestre
qae nao tem me:hjd > co no um ceg no deserto.
Padre Djnalo Borrucio.

O Liberal
Em sen de-ojo de deprimir de t'd >s e de todo,
o Uberal, baldo de factos, recorre a calumnia.
i' por isto, qae em sen numero de boje, sor/o
titaloPriaeiro aos leustez ama apreciacio
inteiramente inexacta ao contrato da estrada de
rodagea de Goyanna a Pedras de Fogo, altiibuin-
do injusta e calumniosamente ao Kx.n. Sr. vice-
presidente arraajos de familia.
O que ha sobre ess^ contracto o seguiole :
Os diversos laucos d'aquella estrada f ram tres
vezes i praca, e por terem de ser pagos eiu apo-
lices, e pela baraten doy preeos, nao appareeeu
em nenhuroa dtllas concurrente algum.
Em vista disto, e nos t rmos do art. il da I. i
n. 963, que determina ^ne os contratos di enfpre-
sas sejam realizados peralte a presidencia per
meio de proposla. ouvidas as repirticoos compe-
tentes ; foi sub nettida a presidencia urna propos-
ta a qiul depois de correr os devidos tramites,
foi aceita, sao as condiec,i5e9 em qae ora offere-
eida mas de conformi lada com os calcul is e mo-
diftcacSes da repariicao das obras p.ibicas.
Pelo citado artigo de lei os contratos de em-
presas no oorrera pra^a, porque dependera de
a>ntes e modificares a que a liiitaco nao so
presta.
Portanto nesse contrato nada houv de irregu-
lar, niu de arraojo de familia.
E nem foi f ito pelo Enn. Sr. Dr. Portella, f j o
Exii. Sr. eoaselheiro Diogo Ve'ho qa? o raaodou
elfectuar, em data de 7 dn abril ultimo.
Pelo que flea expoto, v-se claramente que o
Liberal, mal informad) dos factos, mente do ingrato desejo da agredir o* seus ai-
versarios, atira-se ao Sr. vi ce-presiden te, e a oatros
que nao merecom nem qaerem merecer as suas
boas (cracas.
O Sr. conselheiro Diogo Vell carcter honesto
e distincto, est muito cima da suspettt da faz^r
contratos em seu gabinete, fallando as formalidades
le?ae*.
Q uato ao faeto qae refere o Uberal de esta-
rem as obras do contrato se id j pagas em name-
rario, em \vz de apolices; nao passa isto de pura
idveucao.
Ni empresiimo contrahiio at aqui nio se n-
citii i quamia algama para eruortisac^o oa reco
Ihi n-nti de apolices, e nem a lei qae decretoa o
emarestimo, tratou dessa especie, dea autorisacaio
franca a presidencia para proceder do modo mais
conveniente na -ua applicacio.
!'-ia que a verdade do fado, sendo calum-
niosa em todas as suas. partes as argaiedes do
Uhtrm, assim como inteiramente falsa a asse-
vancSo de que ha ja parale do Sr. vije-presidente
interessado eiu tal contrato.
' -^ liada o proeesso de sedulas
falsas.
i Tenho assistiJ > imoassivel e silencioso acerca
do raaito qae se tem dito sobre esse processo, e
das accasaco's qas me tem sido feita, por nao
'.r como diz o Liberal, intimado previamente ao
Sr. Dr. promotor publico para esse rim.
Pois oem. O silencio algum is vezes urna
arma poderosa, para mostrar que senosentio
que de mo joga-se contra um individuo ; mas
tambero ha outras occaside2 em que conserva-lo
quasidar ama prova irrefragavel da leviandade,
falta oa rime qae se tem commettido.
Tenho lido com bastante aitencao os diversos
artifos, que tem sido publicados nao s nesse
jornal como no Diario-d- -Pernambuco, nos qaaes
me feita a accu roado ao Sr. Dr. prometor publico para aquelle
am.
Allegara que, na qaalidade de. eserivao, e eor-
renda-me o dever de fater as iatimae58s necessa
ras para o an lamento de qaalquer causa em
que offi :ie, o qae alias co oaso contestar, nao o
fi, eqae me limitav a mandar ni recado ao Sr.
Dr pronotor publijo.
Nao posso coaseotir que seja me feita urna ae-
cusaejao de seraelhante quilate, sera ha.ver motivo
justo, nem sobeja razio para produzi-la ; princi-
palmente porque esloa em miaba conscieneia
tranquillo, sobre ter procedido sempre regular-
mente no qae loncerneqte ao < ft;io que exer?a,
eomo e publico e notorio.
8ei que es?a utiraaejio poda ser feita por offl
cial do juizo com o competente mandado passado
por-mim ; mas porque tenho Interesa em que
ao baja a menor duvida ou difflaildade por ess
oa aquella falta no andamento dos processos em
qae traia'bo, deixo de mo esse meio, e ven
-pessoalroeate fazer as inmacSes que sao pre-
cixas.
Praticaodo aspira sappoDho ter maior garanta
para bem oficiar nesees preceeew, entretanto
aceusa-aw o Literal de nao ter fa aquella inti-
macao qae alias era de aeu dever para que es-e
processo corresse regoUMBWte por ser o Sr Dr.
promotor publico inleeesaado per parle da jnsli-
ca. O que me aconleceu acontecera a qualquer
offlcial que fesse faer a referida ataao.
No dia 18 foi ao. eajiajplof rs do 8r, Br. prorao
*.or pablieo aflm de aMma-to, para, ao dia 29 com
parecer na audiencia do jutzo municipal da i*
vara para assistir ao ioqueriio -de lastemunbas
nesse praemo, e nilo o tendo encontrado, ped ao
Sr. Dr. Jaaqoim fos da Foncaca qae ieto mesmv
transmiUttse ao 8r. Dr. prorntit-.* pubtieo, em n-
xao dos moiiee aifaieres que iinh, dadifflculda-
de encqpira-lo em outra hora e de ser o proees-
eo no referido dia 1 ; o que tendo sido presen-
calo pelo ar. solicitador Vicente Lietoio da Cosa
CapeJlo, perants elle raesmo me prometlea o
fl. a!.11**!!* r owa "romanicacio a sen
Peilas estas considerares o publico sai
proprio Sr. Dr. promotor publico que rae
jasikca que merecer.
Recife, 5 de outubro de 1871.
Antonio S\
N. WI.-UM REHEDfO VBGFTAl* AS
BROSO.Afloal cUefoo-se a descobrir a essencia
coucentrada de um producto vegetal, na effleaci-
simo remedio positivo, contra todas as eofermida- dres no navio franeet Luiza, entrado
des precursoras da pbthisca. A arvore da sa le,
pola qae assim vedadeirameaM qae se deverla
chamar, da qaal se extrae este iaestimavel thar-
sonro, a anacahuite do Mxico, e o peitoral da
anacahuita forma a preciosa eompoaicae que al
canea sempre a victoria sobre as enfermidades
inimigas dos orgaos da respiracio. Jamis houve
remedio algum que se fizesse dentro em lio poneo
t-rapo lio universalmante popular. Os gratos tes-
teroonbos dos cor ages agradecidos, que'padece-
ram de tosses, esquinencias, muquidlo, ioflamma
cao do peito, broncblias, astbn, calharro, cons-
tipa coes, phthisica, etc., se recebsm cada dia aos
centenares de todas as quatro partes do mundo.
COmMERCHL
Segaros contra-fago
COMPANHIA
NORTHERN.
dem
agosto de
ater eTC.
M AB-N. 150-mi dita
Capital. . .... 80,000:()0000('
i'uudo de reserva . 8,000:000#000
Agentes,
^ UilU Lalhan C.
IMPERIAL
Companhia de seguros contra
fogo.
CAGENTES
S. P. JOUHSTON & C;
Ra da Senzala-nora n.
4t.
SEGURO CONTRA FOGO
The Liverpool & Lonion A Glob
Insurance Corapsuy.
Agentes :
Sannders Bfothers : C.
11 Corpo SaatoH.
THE ALLIANCE BRITISH 4 FOREIGN.
Life and Fire Assnrance Company estabelecid
em 182i. Capital 5,000,000
Os agentes desta companhia tomam seguro.'
contra fogo sobre predios, gneros e fazendas t
pagam aqui prejuizos devidamerrte provados.
Rabe Scbmellaa & C
Corpo Santo n. 15.
iKACA DO RECIPE 5 DE OUTUBRO
DE 1871.
AS 3 1/1 HORAS DA TARDE.
Gotacoes officiaes.
Algodao 1* sorte 599 rs. por kilo
Apolices da divida publicade 6 0|0 a 99 0|0.
Apolices da divida provincial de 8 0,0 a 98 0|0
Cambio sobre Lonires 90 div i 3\\ d. por
1*000.
a. a. Stepple,
Prasideate.
P. J. Pinto,
Secretario.
Rendimento do
dem do dia 5
ALFANDEGA
da 1 i .
121:112X677
42:8811913
168:094af0
Movl**ieuto da alfadega.
Volumes entrados com fazendas 452
com reneroa 394
Volumes sabidos
846
com
com
fazendas
gneros
141
662
-----863
Descarregara hoJe-8 de outubro.
Brigue inglezCoi/avarios gneros.
Brigue norte allaiooSurj/WMUMier Stuvedem.
Brigue inglez Wereldburg farintia de trigo.
Lugar iogleaGeril of tke Peiad -varios generes.
Lugar inglezSarat Suntho dem.
Patacho americano Iza ub jado.
Pbtacne americanoJame* Uillervarios genero?.
Patacho norte allemaoJfe/ios varios gneros.
Barca ingiezaTalismn--farioha de trigo.
Urigue portugaezBella Figiuhenszlugda.
Vapor inglezGladiatorvarios gneros.
Despachos de exportaco no dia* 4 de
omubro.
Para os portos do exterior.
Ns brigue inglez Mary, para Liverpool, car
regaram : Saunders Broihers & C 190 saccas com
20.853 kilos de algodao.
No brigue inglez City of Kandy, para Livor-
pool, carregarara : Thomaz Jeffenes 4 i* 319 sac-
cas cora 27,349 kilos de algudao.
No brigue hespaobol Mara, para Bircello
na, carregarara : Peretra Ca'raeiro 4 C. 2 saccas
com 164 l|f kilos de algodao.
Para os portos do interior.
Na barcaca Espardate d) Norte, carregou :
Braga car brauco.
Na barcaca Duas Imitas, para Mari, car-
regou : Joio Martios de Barros 6 frasqueiras com
48 litros de geoebra, 8 barricas com 53 kilos de
assacar branco e 2 aerris com 193 litros de vi
nagre.
Na barcaca Sania Candida, para a Paraby
ba, carregarara : A. Oltveka & C l pipa com 480
litios de agurdente.
Na baroaea Gratidao, para a villa da Penha,
earregou : A. deS. Cames 1 pipa eora 480
litros de agurdenle e 3 barricas com 175 kilos
de assacar branco.
RECEBEDORIA DE RENDAS INTERNAS
GERAES DE PERNAWJUCO.
Rendimento do dia 1 a 4 8:ti30i98
(dorado dia 5...... I:6240i4
9:6741212
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendimento do dia l a
dem do dia 5 .
2; 565 87
763*$02
3:32?07J
MOVIMIENTO DO PORTO.
Navio sthiilos to dia 5.
Barjeloaa sumaca hespanhola Traviata, capi
tao Getaldo Casis, earga algodao.
bsertaeSo.
Nao houve sntradas.
EBITAES.
illbo, o Sr. Br. promotor publico.
^mt claraweote que naa houve de
geenor inierease oa vantagem em
S taltmacao para que o Sr. Dr.
prosaanr pBWWo asaittisse a iaquMieie das tes-
lemnohas neise proasteo ; e por esaa razio nao
e cabiael a aceataena que me e feita qne sobre
infundada revela sosate a n voaUde -in se
aoflUm.
O Inspector da alfandega faz publico, que
existindo na mesraa os volumes abaixo declarados,
no caso de serera arrematados pata consumo, de
coaformidade com o danoslo ao capHolo 6* titulo
3." do rsgalamento de 19 de setembro de ltiO e
art. 18 do decreto n. 3117 de 31 de dezembro da
1863, oe seus donos ou ooos'gnatarios de ver a des-
pacha los na prazo de 90 das, sob pena de, lindo
elle, serem vendidos por 9ua conta, sasa qae lees
Oque compeiiudo allegar contra os eTeitos desea
venda.
Armaiem o. 9.
Marea M A T diamanta a F-N. 1-Uma cama
viada de Liverpool no.oavio iaglea AmitzoH, entra-
do para o armasem em 18 de fevereiro de 18C9,
consignada a Jobnelon Pater C.
demX. 2Un dita, idem idem iden.
dem H L.Ceaio e noventa e oilo gigos viudos
do Havre no navio fraiicez Aire, entrado em %i
de setembro de 169, consignado a H. Lef ar.
Iiem F. diamante N. 873.i.Urna barrica vio-,
da da Liverpool no navio inglez May Field, entra-
do em 9 de dezembro de 4869, consignado a MIIsj
Latbam & C ,.
dem letreiro-aons barrif vmdos de Liverpool
no navio inglez Posea/, entrada ** mala da
1970, consignado ao mesrao.
agosto de 1970, consignado a Minoe
bosa. (
Idem-N. 45!Urna dita, Idm, dees, Mena.
demN. 451Urna dita, idea, dem, idea.
lleraN. 453-Urna alia, idem, idem, Mem.
demti 484Urna dita idem, idem, Meta.
IdaraN.4S3 Urna dita, idea, idem, Mesa.
demN. 43-U na dito, idem, idean] Mera.
Idc.ruN. 457.Urna dita, idem, idam, idem*
demN.-458Urna dita dem, ideas, idean.
Ilem N. i"9Una. dita, ileso, ideas, ideas.
Mero A A SN. 1040 -Urna dita vteda te Li-
verpool no navio ing'.ez Emi[yt consignado a Joa-
quira. Amonio Aarago.
Idees 8 BSea nomeroCar saeeo da mesrna
rocedeneia uo vapor inglez Gladiator, entrado era
4 de oalnbro de 1^70, ccnalguaa ~a~ Sannders
Brothers A C.
dem J P de CN. 1Urna caixa da mesina pro-
cedencia no vapor Inglez Navegntor, entrado ero 9
de noverabro de IWO, r asignado a oniwton Pa-
lor en
demN.2-ma dita, Idm, idem, dem.
demN. 3 -Urna dita, idem, idem, idem.
demN. 4Urna dita, dem, Idem, dem.
demN. o -Urna dita, Iiem, idem, idea,
dem N. 6Urna dita, idem, idem, idem.
demDias MN. 18U ta barrica da mesma
procedeneh no navio inglez Cigetna, entrado em
10 de noverabro de IS70, idem.
IlemN 17-Umadifa, idem,idem. idea."
Idem-N. 18Urna dita, idem, idea,idem.
demN. 20Urna dtta, dem, Meta. Mero.
MeroN. 13-Uma lita, idem,entrada* \\.
demN. 14-Uma'a'ila, idem, Hnitdea.
Uemf. 15Umadha, dem idem, idea, .
demN. 16Urna dita, idem, idem, idem.
Idea V A B sem numeroUrna carca,vinda do
Porto no navio portnguez Juditk, entrado ero 21 de
noverabro de 1870, c asignado a Veres & Barbeta.
liare* V ABSem nomeroUrna dfts, idecto,
idm, Id' a.
dem A BN. 703-Dita, iea idea, idea
demN. 706Dita, idem idem, consignadas a
Angelioo Jos dos Santos Andrade.
Marca AC JSea numereUrna eaixa vin-
.1a de Liverpool se navio inglez Gladiolu, ntralo
em 15 de dezembro de 1870, consignado a J. Anlo
nio de Aranjo a C
Marca M P DN. 130 Urna barrica da mesrna
procedencia no navio inglez Deanphire, entrado
em lo de dezembro de 1870, consignado a ioi
Antoi.ioMoreiraOias; .
demN. 131Urna drta, idem, idem, idea
MeroN. 132Urna dita, idem, idem, dem,
dem N. 134Urna dila, idem, Idem idem.
demN. 133-Urna dita, idea, idem, idem.
IdemN. 136Urna dita, idem, idem, idem
demN. 187Urna dila, dem, idem, idem.
Idem-N: 138-Urna dita, idem, idem, idem.
Idem-N. 139-Umadita, idem, idea, idem.
demN. 140Urna dila, idem, idem, idem.
Idem-N. 141-Uaia dita, idem, idea, idem.
demN. 142Urna caixa, idem, idem. idem.
Marca V AL N. 790Uma barrica da mesma
procedencia no vapor inglez Gladiolus, entrado em
16 de dezembro de 1870.
IdeaN. 836 -Urna dita, idem, dem, idem.
dem J G B-N. 40-Urna dita, idem, idem, en-
trado em 17.
dem V A LN. 814Urna dila, idem, ilem,
idem.
*Idem-N. 82-Uma dila, idsm, idem, idem. ,
demN. 814-Urna din, idem, idem, idem.
Idem-N. 831Una dita, idem, idem, idem.
Idem-N. 814-Urna dita, dem, idem, idem.
Maica J G B-.N. 6U na lita da mesma pro-
cedencia e navio entrado em 20 de dezembro de
1870, consignado a JcSquim Geraldo Bastos,
demN. 7-U.na dita, idem, idem, Idem.
Idetn'-N. 8-Ussa dita, idem, idea, Idem.
demN. 9- Urna dila, idem, idem, idem.
Marca V & L-N. 788 -Urnadita, dem, dem,
ignorase aquem foi consignada.
Idem-N. 791-Urna dita, idem, idem, idem.
demN. 797Urna dita, idem, idem, idem
Idem-N. 809-Urna dila, idem, idem, idem.
Idem-N. 815-Uma dila, idem, idem, idea).
demN. 8i3-Uma dKa, Idem, dem, idem
IdemN. 825-Urna d^a, idem, Idem, idem.
demN. 837Urna d ta, idem, idem, idem.,
Marca i. G BN. 1-Uraa diu, enWa.em: 31
do dezembre de 1870, e consignada a Juaa.n iraGo-
raido Basto*,
demN. 2-Urna dita, idem, idem, dem,
demN. 3-Urna dita, idem, idem, idem.
dem -N. 4 -Urna dita, idea, idea, idem.
Marca V-A L-N. 784 Urna dito idem gunora-
se a ccnsignicao
Idem-N. 783-Urna dita idem, idem.
Iiem-N. 786-Uraa dita idem Meen idem.
demN. 78-7Urna dita idem idem idem.
dem -N. 789-Uma dita dem idem dem.
Idem-N. 794Urna dita idem idem dem.
Idem-N. 793-Urna dila idem idem idem.
Idem-N. 796-Uma dila idem idam idem.
Idem-N. 793-Uiaa dita idea idea idem.
Idem-N. 803-Urna dita idem iaV.m idem.
Idera-N. 805-Uma dita Idem idem idem.
Idem-N. 806-Urna dila idem idem idem.
demN. 810-Uma diu idem idem idera.
demN. 812-Uma-dita Mem idem idem,
Iiem-N. 813Urna dita idem dem idea,
demN. 816-Uraa diu idem idem idem
I lera-N. 818Um*. d demN, 821.- Urna dita dem idem idem.
demN. 826Urna dila idem idem idem.
MemV. 827-Urna dita idem idea idera.
demN. 828-Umad ta ip-ira dem idem.
dem N. 829-Urna dila idem idem idem.*
Idem-N. 835 -Urna d,ta idem idera idem.
MarcaJjs F. P. Juaior S. N.- Urna caixa vindn
de Liverpjol, no navio inglez Ama:c entrado na
mesraa data cima, consigaada a J. P. Peraira JU'
nior.
Marca-J G BN. 5Urna bwfie, i d \ mesma pro
cadeneta no navio inglez Gladialus. entrado erai-t
de dezembro de 1870, consignada a Joaouim Gerar-
do Bastos. .. _
Marca-V L-N. 792-ma diU dem dem
idem igaora-se a consignacio.
Ide*-N. 793-Urna dita idea idem ideffi-
IdemN, 799-Urfu dita idem idem Me-
IderaN. 01-Urna diu idem idem idem.
Idem-N. 802Urna dita idea Mem idea.
dem N. 804 Urna diu idem Idera idea-
IlemN, 808Urna dita idem idem idem.
demN. 8J1Urna dita idea idem Mam.
Id.raN. 817 Una dita idea idem idea).
IderaN. 8li* Urna dita Mea Mera idea,
dem -N. 820Urna dita idem idea ideas.
I iemN. '430-Uaa dila idem i lera idea.
Idem-N. 832 Urna dila idea idam idem.
MemN. 833Urna diu dem idea iiem.
dem -N. 838Urna dita idem Mea Mem.
demN. 800-Uoa diu idem idem idem.
Alfandega de Pernambuco, 4 de outubn de
1874.
__________Emilio Jaattr Sofreir i titilo. __
O Dr. Sebtr?o do Reg "ftTros (f6*-Lct-
da, juiz, de direito especial do commer-
cio desta cidade dio RjtiCe di P aabco por S. H. a qoem Deas ^par-
de etc.,
Fago saber pelo presente que de nevo pnete.
este juizo propostas em cartas fechadas com o
praso de frintj das a contar da pub.ieacao dete,
para a arrematagio por venda das escravas se-
gnintes: Rosara, ereoula de 30 anuos poa:o mais
oa menos, sadia^ cem habilidades avadada par
l,200#000, e Manela cret-ola eora 18 aune l
ilade avahada torobem por 1,200/, sem habihaa-
des, cujas eserava* por ordem desttjnizo liveraa
o anata da quarta para do valor qne foram ava-
lisdasr fleando ea 90OJO00 cada urna e vao
prac< a requerimento do curador Asea) da maesa
fallida de Tbomac da Figaetmdo qaem peraaa>
cem as mesmaf ; a anematajaa sera falta pela
firma que determina o art. 1* do decreto o. 1605-
de 13 de setembro de IKi I
para que ehegae ao oopfieciaanto de todos
maodoi fazer oprezenie editar qne era. afflxado
nos legares do costurae publicado nelanm
prensa,
Dado e passado nasla cidade do. necife-dt Per-
nambuco aos 5 dias 4> mea de outubrae 1871.
Eu, Krneslo.Maonado Fteice Pacalra'da Silva,
eserivao subserevi.
Ao seUe 309 rs. Vi S. 5. eznaasa.+-Bajroa de
Laeerda.
Mastio do IUg.r Barrot JiLiHeria,
termo do Recife, que ne-ta cidade- feeeeraa os
subditos portuiuetes Jos Barbo! Capertiao, es
lablleci Jo que foi coa casa le neg :io 4 ra
Nova n. 67.loi Gomes Teiga f o:io do eslabele-
t cimento eommercial, sob a Arma (Taiga A Vianna,
do Livramenlo, e Virginio Freir de Olivei
cora esubelecimento no pat os finados Sem berdeiros conaecidos, pelo
qae se Faz o presente a vi,-o pan qne ehegae ao
eonhecimento de qaalqner iaten ssado qae exista.
Hecife, Jda outubrt 0*4*14.. -
ao,
DonjRfos PIs Farreira.
mi^
Nos taraos do ili aeaorda nurareia
yo para regular taieeuco 4a waveras SMsnlar
4a 4 de aarii daiftU entra o Brasil etPortafel,
Uto eosslar itmtm Ao Dr, jaK4eaMMa|e
O inepalor da altaAdeka faipobliea, que ex
Istindo oa saesma os volcanes ubaixo declarados
para eonsaaano, por se achawrn eomptebendidos
no arl. 30618 I* e 3* do regilaeealo de 19 de se-
tembro dO-ltaO, os seus doaos oa eousifaauries,
deverao dispasha los no praso de 10 dias, sob pa-
na de flodo alie serem vendidos por sua conta sem
que ihss Aaae competindo alkgw eontra oe effa
ios dessa venda.
Armaaem nv 7.
4eaixaaarcaslLCPnaKr, 1%0, 4*6,156,
vlnds deLierpool no vapor inglez TaNsman,
entrado em 18 iv mez prxima pusfalo, a ordem.
Alfandega de Perca mbuao, 2 de outnbrn de 1871.
' Emilio Xavier Sobreira de Mello.
Por esU repariicao se faz publico, qae foi
preso pelo strbdeWgad da freger! ra Bea-Vfsta,
e se aeha reeolbido casa de detencao o preto
ManoH, eecravo de Jos da Bocha ^Vanderley, afim
de qae o mismo senhor trate qusnto antes de re-
clamar a sna entrega, manido de dneamentos pro-
batorios da >eu dominio legal.
Secrtlana de polea d Pernarobaca 3 de outn-
bro de 1871.O secretario, Eduardo de Barros P.
de Laeerda.
DECLARACOES.
Fallenci,
Nao tendo tido logar a reuniac dos credores da
massa fallida de Jos Antonio >la Costa Valente.
no da 30 de eterabro prximo r>assado ; sio pelo
presente convidados, por despacho do Illm. Sr. Dr.
juii especial dn eommercio, i renirem-se no dia
7 do corrente as 11 horas da nitnbSa, na sala das
audiencias, para tratar-se na verifleacao dos cr-
ditos e da formacao do contrat a de aniao.
Reeife 3 de outubro d 1871.
O escri'o do eommercio,
Ernesto M Frtirt Prea da Silva.
SANTA CASA DA MbKlUCOKDIA DO HECIFE.
A IHm. junta administrativa da Santa Casa do
Misericordia da Recife manda fazer pablieo qae na
sala de suas sessdes, no dia 12|do mez de outubro
pelas 3 horas da tarde, ten de ser arrematados
a qaem mais vanugms oflerecer, pelo lempo de
am a tres annos, as rendas dos predios em segui-
da declarados:
ESTABELECIMENTOS DE CAR1DADE.
Travesea de S. Jos.
Ra de II iras.
Sobrado n. 43 (andar e sonto.). 304*000
Ra do Prdre Florianno.
Casa terre? n. 63........ 203J0O0
ldemn.6"7.........18O#C00
Roa do Aioortm.
Sobrado de 2 andares n. 26 ... 3024000
Ra da doria.
Ciea terrea n.*-61......240*000
dem n. 93 ...... 1804000
Idera-n. 36......... 2034000
Roa da Ponto Velba,
Casa terrea n. 32.......3604000
Ra da Roda.
dem n. 6......"... 1034000
dem n. 7.........1014000
PATRIMONIO DGS ORPHAOS.
Roa da Guia.
Casa terrea n. 27......146*000
dem o. 29........1934000
Largo do Panno.
Laja da frente do sobradou. 29. 1924000
Ra de S. Jorge (Pilar).
dem n. 102.......0 203*000
dem n. 108........ 2034000
dem n. 98.........2035000
Mera n. 96.........204400.
Sitio da Mirneira........ 121*100
Os pretndanles deverao apresentar no acto da
arrernataco as suas aucas, oa compareceren
acompinbados dos respectivos fiadores.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do Re
te, 22 de setembro de-187i.
O eserivao,
_^_______Pedro Ri ariques de Souza.
nspec^d c arsenal de
marlnha.
Faz-se publico que a tommisso de peritos exa-
minaado na forma dele mimada no regula ment
annexo ao decreto n. 1324 de o de fevereiro de
1834, o cseo, machina, cal Je ira, apparellio,
mastreacao, veame, amarras e ancoras do va-
plor Cqmarage da companhia Vigilante de rebo-
que, achou tolos essss ob ect^s em esudo de
poder o vapor oontiaaar no servico em que se
eraproga.
lnspeccio daarsens' de marraba de Pernambu-
co 4 de outubro de 1871.
Francisco Romano Stepple da Silva
Inspector.
THEATRO
COKPAXHI.%
DE J
Navegapao B]-as
ile
ra os do norte.
At o dia 8 de outubrl
perado dos portos do sul o
Crttieiro do Sul ((retado)
mandante Cardozo, o qaal depois
da demora de eostume seguir pa-
oom-
Desde ji recebem-se paaaaaairos a angajaaa a
carga qne o vapor podar coaafctir, a qaal datara
ser embarcada no diada suabjgaa. Encomajen
das e dinheiro a frete atl as 2 -horas da tarde
do dia da sw sabida.
Nao se recaban como enceamendas seno ot-
j actos de pequeo valor e que nki exeedam a daas
arrobas de paso on 8 palmos cubicas da medieic
Todo que passar destes limitas devari ser atabal-
eado orno carga.
Previne-se aos senhores passagelros que suas
passagens s se recebem na agencia, roa do Com-
arelo a C _^____________
ARACATY E CHU'.
Seguir coro a oossivel brevidade o pilhubole
Emilia, capitao Pereira .* anda recebe carga a fro-
te : a traUr cora S Leilo Irraos raa da Ma-
dre de Dos n. 1.
COMPANHIA DRAMTICA
Grande siicccsso !
Sibbdo 7 de outubro
Tereeira representa;ao da grande, magnifica e
frentica mente applaujida comedia em 2 ctos :
DAS
Messegeries maritimes.
At* o da II do corrente mez aperase da Eu-
ropa o vapor fraaeez Amazone, o qual depois da
demora1 do costurae seguir para Buenos-Ayres,
locando na B->hia, Rio Janeiro e Montevideo.
Para condices, frotes e passagens, trata-se na
agencia, ra do Commercio n. 9.
No dia 12 do corrente mez espera-se dos por-
tos do sol o vapor fraocez Gironde, commaudaole
Giosl, o qaal depois da demora do costums se-
guir para Brdeos, tocando em Dakar (Gore)
Lisboa.
Para fretes e passagens, traU-se com os agen
tes Henry Forster & C, ra do Commercio n. 9.
PARA O
PORTO-
Vai sabir com brevidade o patacho portuguei
Li6ei-al, capitao Guilherme Joaquim Leal, por tei
parte da carga engajada, para carga e passageiros,
paraos quaes tem exceJIeotes oommodos, tratase
com E. R. Rabello A C, a ra do Commercio n
48, oa com o capitao.
Sane para o O.r infallivelmente no dia 10
do crrante o hiate Dos te Guie ; qaem nelle efui-
zer calregar dirija-se ao escrlptorlo de Bartholo-
meu I/iureneo ra da Madre de Dos n. 2, a
tratar com Jlo Al ves de Quintal
RIO DE JANEIRO
Para o porto cima segu cora brevidade o bri-
gue nacional Damao, tem parte,da carga engaja-
da, e para o resto que Ihe falta trata-se com os
consignatarios Amonio Luiz de Oliveira Azevedo
& C, raa do Bem Jess n. f>7, Io andar.
LEILOES.
45 sacra< com algodSo.
HOJE
A'S 11 HORAS EM PONTO.
O agente Pestaa, fsr letlo or conta e risa
de qaem pertencer. de 13 sacets com algodao, as
quaes sero vendidas era 1 solle no da sexta-
feira 6 do eorrente, as 11 horas da manilla em
ponto, no armazem do Sr. Martins._________
DE
Movis e otrtros objectos
hoje.
O agente Pestaa, far leilo por conta e nseo
de-quem perteneer de diversos movis cmo se-
jam : 1 mobilia de mogno completa com pedras,
1 dita de amarollo, diversas cadeiras, la\atorios,
mesas, 1 guarda roapa de mogno, me=a para es-
criplorio, vidros, apparelho para cha, e rauitos
oniros objectos necessarios para casa, e serlo
vendidos no dia cima sexta-feira 6 do corrente,
no escriptono do agente, raa do Vigario n. 13, 1*
andar.
LIMO
Segue-se pelo muito conhecido artista Penante,
que se chava auzeate desta capital ba 8 annos,
o interessante entro-acto cmico
FOI A PARS
(Aate3 da guerra)
Terminar o espectculo a linda e muito ap
plaudida comedia em usa acto, ornada de msica
Qaem pensil nfto cisa
O rtsto des almetes echase no eseripterio do
theatro.
Principiar as 8 1/2.
SOCIEDADES
DOZE DrttfllItO G ARTISTAS
Mili E IMRffi
SABBADO; TDO CORRENTE
0 passeio m jardn k palacio
Tocarlo alternadamente duas bandas de mu-
sica.
. Illumnac&) gorno
qae
Estar aberto o basar dprenda*
A entrada se recebar de cada peesa o
dictar a suagewcosidade, era beneie do
i yca le tries e OiRlelos
A entrada pilo portao do tais do aorte e
sahlda peto dn ludo do sal.
N. B.E' prohioado arar-se Hom.
-
AVISOS MAWTW0S
.....
MU I PORTA
^eve saBlr ecm a aular brevidads a burea port-
KZattXUBKS VtA .fS.
sagetros irwrsi com ot conrtgMiarlog T. de
Aiaieo Ponsilea A C Sitejanaana ra do Viga-
rio n. t.
DE
Sabonetas inglezes
fl'je.
A'S 10 l|! HORAS
Por iniervenco do agente Piulo, em seu es-
criptorio, ra da Cruz n. 38
LEILO
DE
fazendas avariadas
Uonsfcando
DE
Madapolio, algodao, chiu. cerca de 500
saceos vasios, 1 caixa com popel as de
seda, 1 .dita com cadarco de lioho, e %
chapeos para senhora.
HOJE
As tt horas-em panto.
O-ageme Pinto levar leilo, por ordem de'dl-*)
versos, e por conta e risco de qaem pertencer,
differenies fazenaas inglezss com averia d'agoa
salgada; s 11 horas do dia 6 do corrente, ea
set. escriptorio roa da Cruz n. 38.
deslino a am dos pbrlos de Inglaterra,
para receber ordeos.
A. 9 do corrente.
O atente OHveira far '-"tiirr*- eonti e risco
de qu?m pertencer, em urna k do cseo ae re-
ferido lindo e veleiro brigue Bt ira Alberto^u-
ci cerca de 20000 arrobas de'ags.rc mjtodofjeu
massame, veame, aoeoras, amarras, lancha e bo-
te, todo em aalbor- estado posaifsl, corno pode
ser previamente variBeada petoa iretendeolavaa
sitioCora dos Passarifchos jamo s barcadas
do Exa. ba-ao da Livmaauo ;
Se^unda-feira
ao meio dia ea ponto, ao lugar da Associacio
Goaaerclal deata praca.
Superior mobilia
a O do eorrente
O agente Oliveira far leilo, por ordem de nm
negociante prestes retirar-se da provincia, de
completas mobilias de Jacaranda e de amaretie-
com lampos de marmore para sala de visita, de
janur e de gabinetes, todo em perfeito estado e
de goslos os mais modernos, inclusive guarda-ves-
tidos, eomroodas, eabides, lavatorios com espelbo,
mezas compridas e redundas, marquezao de ama-
rello, tpeles diversos e capachos, vVnaJanas,
ciystaes como sejaa oompoteiras, garrafas, copo,
laoteruas, galheleiro, loncas para differentes ajs-
teres, toabas adamascadas e guardanapoa de h-
nho para treza, ditas de labyrntho, frnbasde
renda e pannos de crochet, malla de viagea,ha-
laros para frucias, bab de Cedro, jarree para
agua, e aln d'estes artigas numerosos entres
uteis e indispensaveis, addicionando brioca, veita
de oaro modernas, uro lindo adereco de mosaico
canteado Irioete, pulceira e brinco!1,e corrente da
ouro para relogm, etc.
Teroa-feira
das 10 horas da manha em diante, casa aa raa
do Vigario n. 10, 2* andar.

DE
PREDIOS
O ag?nte Puntual, omietentcmente aotorisado
vender cm lei lo 1 sobrado silo ao pateo- do Pa-
nizo n 18, 3 partes da casa em que morou aji-
nado Jos Affonsa Ferrelra (em Apipucos) ceden-
do senessa venda nraa parte da heranc.ados mes-
mos proprietarios, 1 casa terrea sita a travess
ra do Principe (amigamente denominada \
em solo proprio, em t alas, iiuartos, cosinba
fra e cacimDa, e ara terrado com 200 palmes d
frente fundo, sendo pegado esta um caixlo
com portas, rotula, etc., faltando tao smenle o
repartimento, estando o mais nasneeiraas eondi-
c5es da de n. 10:
TERgA-FEIRA 10 DO CORRENTE.
5No armazem rna 'o Bom Jess n. 2) (oalr'ora
ra da Cruz), s 11 horas.
LELAO
DE
JOIVS
O leilaa da jota* annunciado, pelo ag-'nte Mar-
tins, ca transferid) para o dia que ser opporia-
namente annunciado.
VISOS DIVERSOS

AosSrs. assigiumtesdeste
Diario, que se acham em
atraso depag ment da*ubs-
eripQao, vamos rogar quei-
ram mandar saptisfazel-a,
afim de nao soffrerem inter-
rupc^o na remessa do mes-
mo Diario.
r


LEILIO
DE
Queijos
Sabhado 9 do corrente.
Por intervencio ds aeeoie Pinte, em seu escrip-
torio ra da Crnz o. 38.
LEILO
DE
Hospital ForlugHez de Benefi-
cencia em Prrnanikco.
Domingo, 8 do corrente, lera lugar a fesia do
l" anoiversario da installaco d'este hospital.
O estabelecimento estai franco tpdas as pei-
soas qne o qaeirara visitar, desde s 0 botas da
manha al as 9 horas da noute.
A's dez horas da manha, em pont?, soletanisar-
se-ha a festa de S. Joiio de Uros, patrono do tas-
pita!, no >eu respectivo oratorio ; sendo celebrada
mlssa cantada com msica de orcbeMra e serm
em -ccao de grabas e em luuv..r do mesa pa-
trono.
Em acto contiono o senhor provedor pai
entregar } menores Elisa e Delmira as
liberdade com que o muito pre-timoo socio <
hospital o Illm. Sr. Candido Alo.-rlo Sodr da
t, coroquanto ausente, deseja testemanhar a
da o seu alfdCto ao- lias de candade e benefleaav
cia, i qae o esubelecimento se dedica.
A's 4 horas da larde sero abertos os basara, e
estarlo expostas as prendas offereedas pela eari-
da"de publica, am auxilio da manutengo dente
hospital.
- Duas msicas marciaes tocarao alternadameaM
durante a tarde em aprazivel agradecimente to-
das as pessoas queeoncorrerem fe.ia.
A junta administrativa do mesme hospital palo
presente convida lodos os seus socies electvas,
benemritos e bomfeitores; bem assim ao pahtite
ea geral asistir festa, visitar o e=tabeleciaec-
lo e prestar o seu valioso concurso no3 baures
de prendas.
Reconbecida a mesma junta sympathia qae o
publico costuma proaigalisar ao hospital antoaiaa-
se agradecer o acoltiimerto, qae sem datada
prestar ao seu convite x
O motivo da transferencia da festa desta boepi-
lal para esse dia foi, era particular, esperando o/u
houvese para o publico urna conduce ma fcil
e eommoda, como b actualmente.
Hospital Portuguez de Beneficencia em Jar-
nambuco, o de outubro de 1871.
Joo Jos Rodrigues Mendes,
provedor.
buz Duprat,.
secretara.______
"TEMO
Vende-se por barato preeo ama proprieda
margera da camha dos Aemediai, fazenoVt
toda vantagem ao comprador, recebendo-se j
em dinheiro e parle em letras oa objectcl
prompu venda ; Guja propriedade oootm i
grande olaria de pedra e cal que lastra I
lijlos de al venara, grossa e forno que coopta A
26,000, com mais aro forno e astro para fas
ty
tenas, ladrillaos, canes e louca, cora
barro para qualquer obra, com dous exi
viveiros de peixe e cora cava da viv
graude familia, torna-se recommendavel
sar perto a linha dos bonds : as-pesaoi
No armaTem" da roa" da Copjpanhia Pernaraha- Lj". 0a( es Jiao*DrtBa Ans Cavalesai
easa as. 8 e 10.
318qaej0s de quaiha
Sabbado 7 do frrente
As 11 hora do- din.
Por iniervenco do agente Pinto
H
Brigue brasileiro
iorto com agua
azia procedente
DO
Albino, arribante este r
aberfa, en Ttgttn qae I
de Bacnos-Ayre, i
I* andar, pintado e pte
de novo.
A"pMsoa qne libha areyrsM-o Io
Paira Plortano por motivos qae nos
de o ir oeeapnr, o qae se previne ar
qne prelflirdiam dito andar e que
tar algalo, que se aladaqoiier
ua h wa do Rosario n.-W
H'i'fPasa-^e de urna ama oa esc^gtl^|^J
da esc]
Mga-se bem : aa ra dos



diario de Pernambuco Sexta eira
f

i
s
ATJUCO
ftgs wier | wi- owude de ama* eaa
PaaMfem da UM Wklates da poota grande, <
wm blistaotes cStmjfS*, sollo, quintal murado
e aaa corredor tai ter 10 baabo : e ama ier-
Alarle de orna cata na roa dos Pescadores di-
^^m roa ireita o. 3, 3* andar.
SS
- Aluga se o 2* andar do sobrado da
Seasa ora n. 30, para pequen familia,
sala, I aarios, despensa e coiinh, moito fresoo
ra da
teado i
sw
loja.
Ao publico
Ra do Impera'lor n. 24.
A* publico sera duvida a quero nos dirigimos,
os, para Isso rateaos inferir neste jornal ura an-
BiajKio quu dsve ser h Jo por todos eora muita al
iio vitaos e>m phrases bombsticas, proearar
roncer o respeilavel publico que acabamos de
Mar una fabrrea e loja de conftilaria, pastela-
rta eolinaria, sortete cora o malicioso fim de
chamar silencio para o nosso estabelecimento ;
somos amigos de progresso material desia provin-
cia recorrea-nos por isso, a id*a de facilitar a
qaalqoer habitante della, a munir-se cora pres-
teza quaotia resamida.de qualqoer objecto ten-
dente as tres artes acirna referidas ; eslabeleeen-
do para esee lira orna cooMtaria a ra do Impe-
rador n. 24. sob a segrale denominacao
CO.XF&mRIA DO CXMPOS.
Ama de teice
Precisarse de urna ama deleite, faraones-
erara, qae nao tenha fllho ; a tratar na roa For-
mla D. 21, casa da esquina que lera grdame de
ierro.
sommercio e ao pu-
blico,
<31 revino pelo retente aonuocio, para qua, nia-
|Q*m descosto ou faija Iransaeclo alguroa com as
seguiotes iettras por mira aceeitas, provenientes
das partes qoe coraprei no engenho Cachceirhha,
as quaes Iettras se acbam era mo das pesroas
abaixo mencionadas saber : em mo do Sr. Pe-
dro de Mello e Silva isas Iettras, sendo cada urna
de 1:000*, a priroeira veaoivel em raaio de 1872, e
a segunda vescivel em malo de 1873. Em rolo, do
Sr. Frao:iseo Mauricio de Mello orna lettra de
8001 veBdvel em maio le 1871 Em mi do Sr.
Manoel de Mello e Silva ama lettra de 8004, Tea
lvel em maio de 1871 Em mo d)Sr. Laureo
tloo Fi-rreira de Albuquerjue orna lettra de ....
1:0003, venc val em maio de 1872; visto qoe se
apresen a nm equivoco pelo qual deixo de as pa
gar, oque farei logo que elle frdeslindado.
Engeobo Cachoeirinba, 27 desetembro de 1871.
Jos Teixeira Lima.
Monta Fio Portuguez
Em cbservancia da 1* parle do art. 22 e de
eonformidade com o qae prejeitua o 1' do
artigo i'k dos estatutos, sao convidados os Srs.
socios que nao seacbarem ioCursos nos 1*, 2,
3*9,4* do artigo 13,a se reunirem em aisembla
ni, no salao do gibinete portuguez de leitura,
ingo 8 de outubro pelas 11 horas da maoha.
Secretaria do Monte Po Ponugez de Pemam-
buco, t de outubro de 1871.
M. S. Pioheiro,
1 secretario da aerubla geral. N
Aluga-se
ama grande'casa em Santo Amaro, junio fabri-
ca do Siarr, ltimamente acabada, tendo agua, gaz.
e gran Je quia:al com arvoredos de fruclo : tra-
tar na rua da Aurora n. 115.
Monte-pio Brasileiro.
Deordem do Irma) director ronvMo a t)dos os
senhures ocios e as demais aisaeia^ojs, que por
qualqalir circumsi.viiMa nao Ibes teobi sil i entre
gaeaouovite, para compireserem no domingo 8
rwnte, as 9 Inras da maoha, ni igreja de
S. 6ffO$ilo, aflrn de assstirem a missa solemoe e
em seguula a sessao magna d> aoniversario de
sua lastllajij, no {' andar do sobrado n. 32 na
pr*c_a do Conde d'E i.
Secretaria do Monte-pio Brasileiro i de outubrn
de 1871.
Jeronymo Bruno,
1 secretario.
Chapellerie des Da-
mes
Rua do Bar&o da Victoria (ou-
tr'ora rua Nova
A" este estabelecjmento ja muilo acreditado pelos
bellos sortimeotos/acabam de chegar grandes ca-
vidades em chapeos para senhora, tanto em palba
como em velado, todos com formas muito moder-
nas e de grande pbaniasia, assim & mo tambem
recebemos lindas chapelinas para senhora.
Recebemos chapeos e chapelinas para lucto de
muito gosto; todos estes arligos lornam-se recom
raeodaveis pela nevidade; portanto rogamos s
excellentissimas senhoras qae hajam de visitar
nosso estabelecimentto que se acha aberto at s 9
horas da uoute.
Continuamos enfeitar e concertar qualqner
chapeo para senhora, pondo os as formas e en-
feites os mais modreos, pois qae recebemos'sem-
pre liados eofeites.
Na mi Direita n. 6i, precisa-se fallar cum
o Sr. Sebasliao de Mello e Albuquerque a negocio
de seu inie'es'e.
1871
Plalas assucaradas de Bristol.
t-'aixelro
Precisa-se de ora menino para caixeiro
beroa : a tratar no largo do Carrao n. 39.
de la-
A preta que annnnciou precisar de 500*000
para re-to de saa alforria, snbiocando oaservicos;
dinja-sea rua do Pires, sbralo n. 28._______
PjSI casa de urna modista franceza precisa-
se de algoma mulberes costareiras: a tratar no
2 andar da casa da rua do Duque de Caxias n.
46, (antiga rua do Queimado o. 2) entrada pelo
becco do Peixo Frito.
D se quantia de 500* sob hypotheca : na
rua de Hor'as n. 94.
CASA DA NftTtiflA
A os 5:0001
Bilhetes garantidos.
1 :a Primeiro de Margo (oatr'ora roa di
Crespo) n. 23 e casas do costme.
O abaixo assignado, tendo vendido nos seas te
les bilhetes am qua rio o. l% cora 800*000.
umioliro d.1767 cora 100*000, e oatras sones
de 40|i e 20* da lotera que se acabou de extra-
hir (W*), eoovids aos possuidores a virera re-
cebar na eonformidade do eos turne sem descont
algUDBj
Aciam-ge i veada os bilhetes garantidos da
8.' parte das jeterias, a beneficio do hispital da
Ordem Tercelra do Carmo do Reeife (210'), que
se exrahir quarta-feira II do crrente mez.
PRESOS.
..... Bilbete mteiro 6*000
' Meio bilhete 3*000
Quarto 1*500
Km porcio de 100*000 para cima.
Bilhete iob-iro 5*500
Meio bilhete 2*750
Quarto 1*375
Manoel Manas Fiau.
Aos 5:000$O.
Bilhetes
Rua
garantidos da pro-
Tela.
Ateneo!!!
-lt5ga.se pessoa qne deixou ha oito mezes a
casa do oi d'Yvetot orna p rcSo de livros de
raedisiaa, sem delibtracao afguma, que dentro de
se dias_ toaba a b.indade de vir busca-los, na
falca soro vendidos por sua conta, pelo que der.
Projramma da festa de Mossa
Hit autissiaia Neahora d
Carmo do Frontespiclo.
No sabbado, 7 do correte mez, as 5 horas d<
tarde, te logar a beDc,So da ima^m de Nossa Se
n'aora d Carmo erecta, no nlncho do mesmo fron
tes nielo.
lira* de boqaet de logo do ar anuuneiar a
c-)ncla religiosidsd.
oes msicas militare) do 1' batalhao de
arlilharia da guarda nacional o 2* Je infamarla de
liana, t iro, nesta occasio, lindas p.gas do
seo repertorio.
oida se distribuir ao al,run3 regisjros da
misma i aagem, lithgraphalos era Genova.
Oepois do que ser levaniada a bandeira, per
correado antes ao redor do pateo, uesta occaslao,
subir aos ares diversas gyrandolas de fogo do
ar. e nm lindo balo.
Na madrugada de domingo ter mlssa rosada.
As 10 horas la raanhaa desse da entrar a fes-
U, sendo o celebraste o Ilustre prior do mesrao
coaveoto e orador o cloquete padre Manoel An-
tiwiio de Mello Albaquerque, e a orchestra ser
exeeatada por habis prolissionaes na materia.
Fia! a e.-ia am oatro balo subir aos ares.
Ai 5 horas da larde, depois que as referidas
mosieaa tiverem satisfeito os assisteutes com esco-
midas pecs de msica, um bonito balo, prepa-
rado coa esmero pelo hbil curioso Ovidio Fer-
reira da 3ilva, s- soltara.
Seguir se-ha o tiraraento da bandeira que ser
entregue a jaiza da fesia d > futuro ^nno.
As % oras da.nouie entrar o TDum sendo
pregador o eximio padre mestre Leonardo Joo
Grego ; dando Om o* actos religiosos.
Desejanlo, porra, os encarregados da fe-la de,
entreier por mais algum t-mpo as pessoas qae
concorrenra para a mesma festividade, e com
eapecialidade aos moradoret do paleo do. Car rao
resolvern qneimar ura liado fogo de artificio,
falto por am dos meihores fabricantes deste gene-
ro; com o qaal Gnalisar a festa oeste aano.
Higos nesta eidade do Exra. Sr. Eliziario
Sintos, Baro de Angra, mandara
'temo da alma de saa chara consor-
aeta Bibiana dos Santos celebrar ama
taiera e memento na igreja do Parai-
h correte mei, as 8 horas da ma
i" qual emvldam a ^dos qua&tos
dam amigos de S. Exc aasim como a
tofw MM qae se bem assim nao coosiderem-
ttsttn [o espirito de piedade e rellgiai.
Precisa-se de ama ama
qne sarba engommar e
ensaboar : roa do Impe
rador n. 57, segundo an-
dar, entrada pelo lado da
ponte.
d*a*
der oueira
datlB"
MMXM a pwaam de dops por cento
i de ama casa : quera preten-
| carta nesta typographia dirig
tfute.de Campo
Cmpo o favor de
do Baro da
Victoria,
Outrora rua Nova n. 63 e cas'at
do costume.
0 abaixo assignado acaba de vender entre 01
iea muito felizes bilhetes a sorte de 5:090*000
em am bilbete inteirdMe n. 2499, um quarto de n.
196 com a sorte de 800* e em ura quarto de n.
2678 eora a sorte de 100*, alora de outras sortea
menores de 40*000 e 20*000 da Icteria qae se
icabou de extrahir (209), pode&do seos possuido-
ra> virem receber, qae promptamente sero pagos
0 mesme abaixo assignado convida ao respet-
lavei publico para virem ao sea BstabelecimenK
comprar os felizes bilhetes garantidos, qoe ca
Jeixr de tirar qualquer premio como prova pelo.
raesmos annuncios.
Acham-se Toada os muito felizes bilhetes ga
rantidos da 8' parte das loteras em beneficio do
hospital da ordem terceira do C rmo, que gerf
extrahida no dia quarta-feira 11 do correte mea
. PRECOS.
Inteiro 6*000
meios 3*000
Quartos 1*500
De 100)5000 para cima
Inteirc 5*500
Meios 2*750
Quartos 1*375
___________Joao Joaqnim da Costa Leite.
Drogara Ruffier Marte er.
Acba-se presentemente de passagem emPer-
namhuco o Sr. Emmanuel Rafier representante da
mais importante drogara do Rio de Janeiro, o fim
d'este senbor alargar o circulo j vasto di sanas
operac5d3 commerciaes facilitando asiim aos Srs.
droguistas e pharmaeeuticos ^de Pernambuco ob-
terem gneros de primeira quaiidide reuoindo ao
raesmo terapo urai barateza nonca vista nessH
mercado convidamos pois, aos nossos assignaotes
Dar aproveitarera a occasio opportuna. O Sr.
Eramanuel Rufier esta bospedaqo no hotel Victo-
ria do Reeife.
Irmandade de S. S, da iloncei-
0a do Povoado dos Montes
_ Dj orlera do [Uro. Sr. Dr. juiz de capeHas, con-
vido a lodos os carissimos irmaos comparecerem
em nosso coisistorio no da 6 de outubro viodoa-
ro, aim de pr-se em exeeugo o art. 24 do nosso
cerapromisso. *
Secretaria da irmandade de N. S. da Conceicao
dos Montes, 29 de setetnb-o da 1871.
Joajuim Jos Mnreira,
_________________Secretario interino.
Ao commercio
O abaixo assignado, lera justo e contratado a
compra da taberna sita na roa do Amorim n. 15
ao Sr. Jos Ferreira Alves Carioca ; portanto se
alguem se jalgar com dirnito a mesma por qual-
quer titulo, se aprsente no praso de 3 lias, fin-
dos os quaes nao se attender a reelaraaco alga-
osa. Reeife, 3 de colubro de 1871.
_^______p 'mingos Rodrigues Cristetto.
Liberdade
Urna eserava de babilidade boa conducta, pre-
cisa da quantia de 300* para o completo de saa
liberdade,e sujeita-se aaublocar os seos serviros
quem I lie ftr essa esmota; quera quizer annun-
cie por e.sse diario.
Wa roa do Baro da Victoria, ontr'ora roa
Nova n. 40, segundo andar, ha ama eserava para
alogar-pe, a qual lem bastante pratiea dos arraoios
de casa de familia.
Instituto histrico e pkilosophi-
co pernanlioeaao.
Huje as 10 horas do da reunir-se-ha esta so-
ciedale no lagar do costume.
Cusa para alugar.
O 2" andar da rua da Cadnia n. 4.
Otferece-ne ama pessoa, para eriado de al-
gama casa estrangeira : quem preciar de seo
presumo dirija se roa Nova n. 25, b tiea.
Precisa-se de urna ama para Iodo
ervico : na roa de Horcas n. 30,
/lili/I. sobrado".
MMMMMtS
B WMWMRrBH
AVARIADO
Aigodi americano de listras para roo-
p\ de escravos a 240 o covado : na roa
de Crespo-a. 15.
^wiwiis^nvlWM ...-------_-----r^^-
r^agenho e pedreiras.
Arreada-se ttm eogeoho disunte desta praca
iiboo legoas, cem boa sobrado de vvenla, casa
pare lavradorn, eapeUae ptimas trras de plan-
tac5es, pedrairas runo* de queimar cal. Eau
propriedadeofreaa grande,- vaocagens is pesadas
qae se pFopMrem fazer em grande eseala forie
cimenta de cal e qmasqaer obras : a tratar a
rua da Soie4ade % 78.
se urna txcetlenw baixa de captm na
ra*a.dtVenlara ,r*f a larga
n. 34, botica.
fAO CONTEM NM CAL0M5LAN0S NEM NENHDK
OTJTRO MIEBAL.
A grande necessidade e falta de om ca-
thartico ou de orna medicina pai-gativa, ba
moito qae tem sido sentida, tanto pelo po-
ro, como mesmo por meio 4a faculdade
medica; e por sao, infinito o gosto
prazer gue sentimos, em pdennos co
toda a cofianea o seguridade, recommenda
as plalas vegetis asmcm-adts te Bristol,
como urna exeeente medicina purgativa, a
ifual encerra em si todas as partes e mais
ingredientes essenciaes, tornando-se em nm
perfeito, seguro e agradavel cathartico d
fnajlia. Este remedio nao composto
dessas drogas ordinariamente usadas be
omposieSo dessas pululas, que por ah se
vendem, mas sim, sao preparadas com as
mais finas e superiores quafidades de raizes
medicinaes, hervas e plantas, depois de se
ba>ver cliimicamente extrahido e separado,
os principios activos, ou aquellas partes
que cotem o ver4adeiro valor medicinal,
daquellas porches fibrosas inertes e agres-
tes inteiramente destituidas da menor virtu-
ie. Entre esses agentes activos ou ingre-
dientes especficos, podemos nomear a po-
iophgtn, a qual segundo a experiencia
mm demonstrado, possoe um peder o mais
jaravhoso possivel sobre as regiCes de
figado, assim como sobre todas as secre-
tees biliosas. Isto de combinado com o
leptandrin, e mais alguns etractos vege-
taes e drogas altamente valiosas, consti-
tuem e formam urna pilula purgativa, tor-
oando-se por isso muitissimo superior,
qualquer urna outra medicina da mesma
aatureza, que jamis fora apresentado ao
publico. As pilulas vegetaes assucaradas
de Bristol, achar-se-h5o sempre um reme
'o prompto, seguro e eminentemente efi-
caz, para a cura de molestias, taes cerno
sejam as seguintes.
ou indi- Hydropesia dos mem-
bros ou do corpo, |^
Afiecces do figado,
Ictericia,
Hemorrodias,
Mau hlito, e irregu-
laridades do sexo
femenino,
Dores de cabec/a.
Dspepsia,
gestao,
dAstringencia, ou..
prisSo do ventre
habitual,
Azia do estomago e
- flatulencia,
Perda do apetite,
Estomago sujo,
tWMAN
Engrenheiro com
FNDICO
S9 RUA IIO BRUM St
PASSAWDO 0 CHAFRIZ
*
... .fd\iQS senhores de eogeaho e omroa agricnltores, e emprsgadores de ma-
m'8m or de uma *'*' 8eu **>e,cie>to, para vereo o novo sortimenic
^mpieto^qoe ahi ten; pois sendo tudo moito mai barato em preco do qne jamis te-
fi I~T^ Mt ainda qwtHdae e fordao; o qoe com a iaapeccao pes-
oal.podMe verificar.
-i>IT SPECIAL ATWNgAO A NmiERO E LUGAR DE SUA FUNDICAO
VADOrOS 6 rodiS d'fLfnia. dos m**s moderilos eternas eem
*V *W,IB t*gic* tamanbos convenientua para as di-
versas feoni8tancias dM eahores proprieurio e para desparocar algodlo.
uLOOIHI&S d6 CATlflft de todos 8 tamaDQ08> as melbores qne aqu
Roas dentadas ^ tmMS, ^ vapor.
Taxas de ferro fundido batido e de cobre.
Alambiques e fondos de alambiques.
MaChlrncmrw Para mandioca e algodSo,] Po>ndj todos
wuauiomyp e 1>wa 8errar nadeira \ ser novidos a miio
Bombas, ,-* por *?Da* wpor'
M**'**w de patente, garantidas............Joo aoimaes.
i oaas as maennas e pecas Q6 que se Costoma precisar.
FaS qualquer COnCertO dft machinsmo, a preco mui resamido.
Formas ff ferro tem as melbores e mais baratas existentes no mer-
Rnnmmon rio e iQcimbe-se de mandar vir qoalquer machioismo vonta
wuuuilllUCUUdS deos cltenaes, lembrando-lheaa vaotagem de fazerem
mas compras por intermedio te pessoa entendida, e que em'qualquernecessidade pie
Ibes prestar auxilio.v
Arados americanos e ns,rumento8 ,&&*. v
Rival
ifiO
400
14500
41000
*00
160
500
4,1000
3.J000
509
i
320
Em todas as molestias que derivam t
sua origem da massa do sangue: a salsa
parrilha de Bristol esse melhor de todo
os purificadores deve ser tomado conjun
tamente com as pilulas, pois que estas
suas medicinas, tendo sido expressamente
preparadas para obrarem de harmona uma
com a outra, quando fielmente assim se faz,
nao nos re'sta a menor duvida em dizer,
que no maior numero dos casos, podemos
afancar n5o so um grande alivio, como
tambem uma cura prqmpta e radical, isto
est bem visto, quando o doente nao se
aehe n'um estado muito alm do peewaos
humanos.
LANMANN & KEMP, DE OVA Y^RK.
Acha-se venda nos estabelecimeutos df
P. Maurer.C, J. C Bravo 4C,
Caora, B. M. Barboza, Bartholomeo & G
Co-rre J. Paulo Lnpes Neves man 11 dizer nma
missa resada no dia 9 do corrente, as 6 boras da
maiiha.i, ua igreja de Carmo desta eidade. pelo
repui-n eterno da illnstre finada a Exma. Sra. D.
Mara Francisca do Espirito Santo Azevedo, tri-
gmino dia do seu fallecirftento, em prova da arai-
zade e ci>n-iJer..cJo que consagra sna familia.
Cutxeiro
No hotel da rna larga do Rosario n. 29 precisa
se de u'ii caixeiro, paga-se bem.
as o. 59 4o andar..
Felippe Santiago de Almeida p rticiua ao
publico que comprou a taberna n. '3 sita roa
das Crioalas, ua Capunga, ao Sr. J aquim Jo- da
Fonseea, livre e desembarazada de qualquer de-
bito coocernente mesma. Capunga S de outu
bro de 1871._____________________________
- Dase snc elade em ama refinaco, entrando
o socio com 2:000f : quam pretender deixe carta
fecbada nesta typographia, indicndola sua mora-
da pira ser procurado.
Hospicio n. 46.
Preei-a-se de uma mulber
que aaiba cozinhar bem, for
ra ou captiva : na rua do
Vanliin da prnqa do Conde
d'Eu.
Roga-se a todos os sejah res qne se interessam
pela coBStruegao oeste jardim o favor de compa-
reeprem sabbado 7, as 7 boras da noite, em casa
do Dr. Hoscoso, para se tratar de neg-.oio letpor-
lanie1 e espera qae pinguen fa'te.______
CiS-i para alagar.
Aiuga-se o 2* andar da rua da Cadeia n. 4.
SITIO
nn aiii.ii,
Alugase am bom sitio com grande casa de so-
brado, caiada e pintada, com comnwdos para
Rrandc familia, commodos para estraves^ cochei-
ra, estribara,-ea?a de c-antao e muitas atvotea, na
PasMgm da Magdalena : a tratar comltanlngo=
Alves Mathens, a rua te Vigarin n il
AMA
Precisase de nma ama forra pa-
ra posea fantiia : na rua larga de
Rosario o. 10. Ia andar.
Para a fetta
Aloga-se um sitio cercadj e bem tratado, perto
do rio da Igreja na Vanea : na esquina do Ro-
sarlo da Varzea se dir qoem tem.
Attenpo
A eserava qae precisa de 600* para a sna li-
berdade, dirjale roa do Hospicio n. 28, andar
terreo, qoe acnar ar T\a 7"
Monte Pi t'ortuguez
(ONSELHO FISCAL
Sao convidados os Srs. membros deste coosellu,
a reun r-se em sessao ordinaria, uo lugar do coa-
Ame, sexu-feira de eorrenie s 6 meia boras
^a tarde.
Secretaria do conelho fiscal do Mjate fio Por-
tufoM, 4 deootatrro de 1871.
4* secretario
A. R.-Hcgaira.
Na rna de Hortas n. 140, h mna senhora
ae se enearrega de lavar Ogoramar com per '
icio, tanto roupa de bomem coaao de aaafaora ;
pois quem precisar de seos earvij p^U-utatn-
eet no logar Indicado qae atibar com que tra-
mr ; tambem se alguma pesf5a oe Icjiia aam
tratar almoco e jsttvna mesma caJ
aprompur com moito atMo e ti bpcu na '
em qae se ajastar.
A.
CMLLEIRMROS
SATYRO & CAENEIRO
Antigos olliciaes da Thesoura de Ouro.
Acham-seeaiabelecidos com sa'5o de eaballeireiro rua Duque de Ca-
mfiESSALEfi
A loja dos Arcos de Alvaro Angosto d'Almeida 4 C. rua do Crespo n. 20 A acabs
le receber directamente afguns arligos de moda qae passa a mencionar.
Biquissimo cortes de vestidos de blonde para casamento.
Ditos de tarlaiana bordados seda para casamentoa.
Cortes de seda de bonitos gostos e superior qaalidade.
Colxas de seda, la, e laa e seda.
irCapellas com mantas de blode para noiva.
Cam-aas de esguiao bordadas para noiva.
- -3-* Lencos de cambraia de linbo bordados.
Cortinados bordados de differeatas precos e qualidades.
.Borns de Ja e seda para senhora.
Chapelinas de crep preto bem e feiudas para luto.
Chapeos enieitados para menia modelo inteiramente novo.
Manttlhas brasileira de fil de soda.
Cortes d- cambraia de cor, e brancos bordados.
Ch-ctaenez de 13a e seda.
Toil de voyage fazenda de gosto para vestidos.
detones de padres novos.
Gravsia? de mnito gosto para senhora.
Aaqninhas de ciina.
Am de.stes arligos que se vendem por precos razoaveis tem outros que sSo vrda
leiras poebincbas orno sejam :
Cambraias de cores a 240 e 280 rs. o covado.
Alpagas largas bonitos padreas a 500 rs. o covado.
Lencos de esguiao muito finos a 30. 30300,40000 e 54000 a dozia.
Laas de cores a 280 rs. o covado.
Esteiras da India para forro de salas.
sen ttrundo
Jos de Azevedo Mata a Iva, tm ib lo*
j ade aaiodezas continua a vender todo
por baratokvprecoi qae t todos admira :
Libra de 19a para bordar a melhor
qoe ba.
Caixaa com toperiores grampos. fran-
cezes a
Dozias de facas e garios de um e
dous botes a
Talheres par; meninos a 240 e
Libras de liaba de noveHov a melhor
possivel.
Duza de lencos de casaa com barra.
Caixas de lbhas com 30 novellos
Vara 4* franja branca para toalbas
Dozias de menas croas muito boas a
Dozias de, meias finas para senho-
ras a
Dozias de facas e garfos cravadas a
Dozia de palitos seguranca a 120,
240, 820 e
Na alnas muito finas, para fazer a
barba a
Caixas com peonas de ac con to-
QMa
Caixas com peonas de Perry (alen-
da fioa a
Ditas de dAa dito verdadeirai a
Caixaa com $9 caderuos papel ami-
zade a
Pecas de filas para cz com 10
varas a
Pecas de tranca lisa de todas ai
cores a
Duzias de liuhf frcnxa para bordar
a 400 e
Pares de sspatos de tranca a
Dozias de baralhos muito finos a
2 Ditas de agrj'bas para machina a
Libra de pregos francezes a
Resmas de papel altnaco soperior a
Ditas de dito panado o melhor a
Caixas com sabonetes fructa a 720 e
Cnrrteis do isba A exandre a
Grvalas de cores muito finas a
i Ditas pretai pon'as bordadas a
s I Grosas de botoes de, madrvperola
psra camisa a
Novellr^ de linha branca, 400 jardas
Duzia de cartoes de imita branca e
preta e de cores a
Thesouras murto finas para ochas
e costura a
Caixas redondas para botar rap a
Caixas com pos para iimpar denles
Lzcnda fina a
Livro das missss abreviadas a
Copos grandus.com sope ter banha
Macos da palillos para dentes o
melhor qoe ba a
800
15200
70
5W
40
500
1-5800
2800
2000
240
35600
45000
15000
00
500
600
500
ao
120
.500
Ii9xoo
200
15500
15500

160
mmm mmmmmmmmm
s
Consultorio homeopa-
tbieo
DO R. SANTOS MELLO.
Rua do Baro da Victoria o."43.
VACCINA.
Todos os domingos e quintas feiras, pe-
las 9 boras a-10 da maoba vacciaa-se
por prer;o mod eo, para o que ba muito
bom puz vaccinieo.
Recebem-secbamad.s para vaccinar em
qualqner casa.
Consultas medicas todos o; dias pela
manla.
Chamados a qualquer bora do dia e'da
nonte.
Gratis a parte medica aos pobres.
s

unha 4? Manta, veod^m a
rua do Mrquez de Olin-
da n, 40, o seguinte :
VINHO XEBEZ suoerior, em caixas.
COGNAC MAHTRLL dem.
VfNHO BOREFAUX, iaem.
AZKIT3 DOCE REFINADO, idem.
VINAGRE BRAN O, irlera.
CAF DO CE ARA. saceos.
Charutos de 8chnorbusch
Regala britnica.Regala Imperial,
Operas. Conchas. Trabucos, de am milheiro
para cima.
CIGARROS DAS FABRICAS DO RIO DE NO-
VAES E LIZAUi;, de diversas qualidades, venda-
se em barricas.
IIASILMN STREET RilLWAY CMPAN' LI1TED
Oo dia de outubro em diante a partida dos t'rens ser regulada pela tabella seguate

JDA
Reeife........
Rua do Sol.. ..
Rua Forcoosa. .
OfflciiUf).......
Soleda.le........
Caminho Novo..
Manguiuiu ....
S.Jos........
Torre......... .
Ponte (l'ljehoa.. 6.1
Jaqueira.......6-5
Parnameirira... 6.9
Saat'Anna......
Casa Forte.....
Calderreiro....-
Montro.......
Porta d'Agua...
Apipucos.......
En:inainena5...
Pedra Motle....
S. Brai........
Cxaag TARDE.
V0LTA.
Cijtangi.k---
S. Brez.......
PbdraHoll...
Eaea melo..
Apipucos.....
Pona 'Agua... |. S
Mostr.......5.86
hfteiro ....
Casa Forte..... 6.4
rSant'Aima*----6.6
l>arnameirim... 6.10
Haqawra........
tPoatad^cMa 6.t6
hrorra*!-.....6.18
S.JosS.........6.10
tnguinho...
mkibo Novo..
ledade.......
_ iuas.......6-a6-!
aa Formosa... 6.3 6.3
<|0Ol...w O.J
DOMINGOS E DAS SANTIFICADOS.
iRMfr.
5.30
'?O | 8.30 1 9.
1.0
paxang.t...
| $.08
-1 -
7.5 | 8.35 | 1.50
I
5.451

4.0
EXPRESSO
4.SO | *.0|
G.0| 7.10 1 8.|,'|
1.0 | 2.30
4.30
EXPRESSO
6.351 6.18
6.35| 7.45| 8.30|
L* mSs^x^s& 11vsrMiaenrt a *****wgMr:
Walfri Swcnson.
AJDANTEDOGERENTl.


Ferunmbuco Soxla ftiir 6 d Outufcro de 1871

W\
41- TOA DO BMO Di VICTORIA 41
Nette novo ajmazem tem nm
fiado BOrtimeoto de fazendaa
tmotui, inglesas, allemlaa e to-
jas todas se vendem por presos
odicoa, afim de acreditar a este
o<>to sjmazem.
Casemtras inglezas,
fraaeezas, de todas as
fiiilidades, brioa de
tVm e brancoe, colei-
rinbos modernos, cba-
- jiios de sol de seda,
RA
DE

-I
i
i
\
s
\
K

rr
ARRUM IRMAOS.
HtaraW da victoria
iti|> ro
NOVA
N. 41.
Assim como tem ama grandi
oficina de elfaiate, montada com
todos os pregaros qne ba demelfeor,
dirigida por habis artisai, qne
pela so a promptidao e perfeieio
nada deixao desejar.
Ronpa de todo* os
amanos para homem
meninos.
Por todos os paqtu
tea* recbenme as me-
lhores e mais moder-
naa casemiraa qne bi
na Enropa.
RA
Bario da. Vctor la
aalaja res
NOVA
N. 41.
MUDANCA I
*
O baebarel Amaro foaqaim Foneeea de
Albaquerque, transferio sea escriptorio
de advogaela para a casi o.. 55 rna do
Doqoe de Caxias, amiga do Qaeimado,
onde, nos das uteis, aera encontrado das
10 horas da manhaa as 3 da Urde.
3ste estabelecimento acaba de sofirer nma reforma radical em acceio, artistas ecommodos, em pontoalidade as encom-
aesdas, finalmente em todo afim de melbor lervir os sens numerosos fregnezes deaa-se de annunciar todas as ueodaa, para
A VERDADEIRA E GENUINA
SALSA-PARRILHA DE AYER
A molestia ou infeccao propriamenta co-
nhecida pelo nome deESCROPHULA
um dos males mais prevaleceoles e univer-
saes qae ba em toda a extensa lista das en-
fermidades de qoe soffre o genero huma-
no : disse um celebre escriptor da medi-
cina que mais de urna terca paite de to-
dos aquelleVque morrem antes da velbice
slo victimas, ou directa ou indirectamente
da escrophola : por si nao ta > distrui-
liva, porm a principal causa de muitas
outras enfermidades qoe nao Ihe sao ^eral-
mente attribuidas.
urna causa directa da phtysica pulmo-
nar, das molestias do flgado, do estomago
eaffecces de cerebro:entre os seus
numerosos symptomas acbam-se os segua-
les : falta de apetite, o semblante paludo e
as vezes inchado, s vezes de urna alvura
transparente e outras corado e amarellento
co redor da bocea: fraqueza e moleza dos
EM ACCAO
msculos, digestao fraca e apetite irregular,
falta de energa, ventr incbado e evacua-
c5o irregular;quando o mal tem seu as-
sento sobre os pulntes, urna (r azulada
mostra-se em roda dos olhos; quando ata-
ca os orgos digestivos, os olhos tornam-se
avermelhados, o balito fetrdo, alnguacar-
regada, dores de cibeca, tonteiras, etc.
as pessoas de disposicSo escropbulosa
apparecem frequentemente erupcs na
pelle da cabeca e outras partes do corpo,
s5o predispostas s affeccSes dos pulmes,
de figado, dos rins e dos orglos digestivos
e uterinos.Portanto, n5o somente, aquel-
les que padecem das frmas, ulcerosas e
tuberculosas da escropbula que necessi-
tam de proteceo contra os seos estragos;
mas sini todos aquelles em cojo sangue
existe o virus latente deste terrivel flagello
(e s vezes hereditario) esto expostos
tambem a soffrer das enfermidades que
elle causa, que _o :A pbtysica, ulcera
coes do figado, de estomago e dos rins
eropefos e efermidades eroptivas da cu-
ts ; rosa ou erysipela; borboJbas, postu-
las, nascidas, tumores, ulceras e cbagas,
iheumaiisraos, dores nos ossos, as costas
e na cabeca, debilidades femininas, flores
brancas caqsadas pela nlceracao interior, e
enfermidades uterinas, bydropesia, indiges-
to, enfraquecimento e dehilidade geni.
Aos pulmes a escropbula produz tuber
culos e finalmenteconsurnpco pulmonar
as glndulas ella produz incbaces e
toroam-se ulceras: nos orgaos digestivos
causa desarrar.jos que prodozem indigestlo,
dispepsia molestias de figado e dos rins :
na pelle produz eruptfes e affecces cota-
Deas.
Todos estes males, t( ndo a mesma ori-
gem, carecem do mesmo remedio, a saber:
purificar e fortalecer o saogue.
A SALSA-PARRILHA DE AYER
ET composta dos antdotos mais eflicazes
qoe a scieocia medica tem podido desco-
lorir para esta molestia assoladora e para a
ora de todos os males provenientes della,
contera virtudes verdaderamente extraordi-
narias e est provado incontestavelmenie
pelas curas nota veis e bem conbecidas que
lem feito detumores, erupeges cutneas,
erysipelas, borbu'bas, nascidas, cbagas an-
tigs, ulceras, sarna, bydropesia, tosse
qnando causada por depsitos tuberculosos
eos pulmes. Debilidade geni, indigestio,
ypbilis constitucional, e m lestias mercu-
riaes, molestias das mulheres, ulcerares do
ulero, a nevralgia e"ccnvul?5es epilpticas,
e em summa, toda a serie de enfermidades
que nascem da impureza do saogue. Vede
as certides no alcaanak e manual de sade
de Dr. Ayer que se distribue gratuita-
mente.
ste remedio o fructo de longas e la-
boriosas experiencias, e ba abuodantes pro-
vas das suas virtudes, posto que 6 offere-
cido ao publico sob o nome deSalsa-par-
rilha, composto de diversas plantas, al-
gumas das quaes s5o superiores melbor
salsa-parrilha no seo poder alterante.
Aviso.As preparares do Dr. Ayer
sao preparadas com especial attenco ae
clima dos trpicos e tem modiftembo *
portantes robre as que s'o feitas para oo-
tros paizes. Portanto, o publico dever
notar, e com cuidado, para que nao seja
Iludido, que os remedios de Ayer, prepa-
rados exclusivamente para o Brasil trazem
rotlos e envoltorios com a descripcSo
minuciosa para a soa appbcacSo na lingoa
portugueza, e n3o na ingleza.
Vende-se em todas as pharmacias e drogaras do imperio
W. R. Cassels $ O.
Agentes geraes.
22 de Novembro.

No centro da veneza americana.
No centro do commercio.
O mais perto das vias frreas.
O mais perto do embarque no caos
O mais perto dos ihealros.
O mais recommendavel aos amantes do commodo.
O nnico qne tem no interior casa de banhos.
O orneo qne as familias podem hospedarse sem receio de encontrarem-se com pe9?oas de
*Wta soapeita.
O nico onde actaalmeote se acha o melhor chocolate hespanbol qne se pode tomar a
'D Jqoer hora ; assim como tambem se vende libra.
O nnico finalmente qne offerece completa commodidade por ser o mais espacoso do Recite.
A na larga do Rosario n. 37 ^^______
---------------=-------------1------------------w------------------------------------------------'-----~"--------'---------'------- .
Ramal de Beberibe.
Acha-se aberto este ramal at a po\oag3o do Beberibe.
TABELLA DO RAMAL DE BEBERIBE
lem principio no I: de outubro 'de 1871.
Partida dos trens nos dias uteis.
Para orna familia de dnas pessoat
precisa-se de tima ama qoe coiiohe e
engomme : a tratar no largo do Cor-
po Santo n. 4, (* andar, das 10 horas
do da as 4 da tarde.
Precisa-se de um caixeiro de 12 a 14 ao
nos : na ra Velha de Santa Rila n. 83._____
! Engommadu a
Precisa-se de urna escrava engotnmadeira qoe
seja perita : na roa Velha n. 28, sobrado.
30#000.
D-se esta qnaotia metisalmente.pelo aluguelde
nm serv nte eseravo : no collegio da CoBeeica<
No sitio do Cafund precisa-se Je um meni-
: no de 12 annos para cuidar de alguns animaes :
i quera estiver na circomstancia de se propdr, diri-
ja-se ao mesmo sitio, na estrada de Paulino Caraa-
j ra, onVora de Joio de Barros, on A typographia
: deste jornal, a fallar cora o Sr. Per re ira.
Precisase da orna
na roa da Moeda n. 35.
ama de leite : a tratar
Ama de leite.
Precisa-se de nma ama de leite, exige-se bono
leite e boas informacSes : na roa da Concordia,
sobrado n. 10, 1* andar.
/ " Ida.
ESTACOES. DR 1IANHA. DE TARDE.
noras. Horas. Horas. Horas. Horas. Horas. 3.45' 3.48' 3,80' 3.82' 3.56' 4.0' Horas. Hora*. 8.45' 5 48' 5 50' 5.52' 5.56' 6.0' Horas. 6.45' 6.48' 6.50' 652' 6.56' 7. 0' Horas. Horas.
Encruiilhadav... Estrada-Nova... Agua-Fra...... Fondo..-....... Porto da Madeira Beberibe........ 5.48' 5.80' 5.52" 55*' 6. 0' 6.45' 6.48' 680' 6.82' 686' 7. 0' 7.4S-7.48' 7.50' 7.52' 7.86' 8.0' 845' S48' 8.50' 852 8.56' .9. 0' 2.45' 2.48' 2.80' 2.82' 2.86' 3.0' 4.45' 4.48' 4.80" 4.82' 4.86' 8. 0" 7.W 7.48' 7.50' 7.52' 7.86' 8. 0' 8.45' 8.48' 8 50' 8.52" 8.56' 9.0"
Volta.
ESTACES. DE MANHA. DE TARDE.
Horas. Horas. Horas. 8.20' Horas. Horas. 920'i 3.20' Horas. Horas. 5.20' Horas. Horas. Horas.
Beberibe....... 6.20' 7.20' 4 20' 6.20' 7.20* 8.20'
Porto Madeira 6.24' 7 24' 8.24' 9.1 3.24' 4.24' 524' 6 24' 7.24' 8.24'
Fundi......... 6.28' 7.28' 8.28' 9.28'B 3.28' 4.28' 5.28' 6.28' 7.28" 8.28'
Agua-fra...... fi.W 7.30' 8.30' 9.30'l 3.30' 4.30' 530" 6.30' 7.30' 830'
Eatrada-Sova... 6.32' 7.32' 8.32' 9 32*1 3.32' 4.32' 5.32' 6.32' 7.31 8.32'
Eocnuilhada___ 635' 7.35* .835' 9 35| 3.38' 4 35' 5.35' 6.35' 738' 8.38'
Horas.
9.20'
9.24'
928'
9.30'
9.32'
9.3S
1 MADAME ANTOfNSTTE, modista franceza, ol-
timamente ebegada a ita eidade, tem a honra de
, levar ao conbecimento do respeitarel publico, e
com especialidade das Exmas. seohoras e familias,
1 qne est habilitada para faier qualqoer trabalhi
de costera, como enchovaes para casamento e bap-
tizado, roupa branca de senbora, vqidos para
soirs, bailes, etc., etc. Garante as ultimas modas
por qoaoto recebe os melhores jornae qoe Ihes
dixem respeilo, assim como afiaoca -qne em ne-
ohuma ouira parte se ha de encontrar mais esme-
ro, bom gosto e promptidao nos trabamos de sen
genero, pela longa praifea qoe tem de soa arte por
te-la exercido com vantagom as cfdades de Lyon
e Pars.
LUTO EM 24 HORAS
Precos mdicos.
N. 2Roa Duque de Caxias, 2* andarN.
________ s
MOFINA
Roga-se ao Illm. Sr. Ignacio V_ra da Mello,
rivio na eidade de Naiareth desta provincia,
favor de vir a ra do Imperador n. 18 a concluir
aqnelle negocio que Y. S. ae comprometteu reali-
sar, peliterceira chamada deste jornal, em flor
de desembro prximo passado, e depois para ja
aeiro, passou a (evereiro e abril, e na 1a enmpric
a por este motivo de novo chamado para ditc
9m ; pois Y. S. se deve lembrar que este negocie
da mais de oito annos, e quando o senhor ii
Sho se acbava no es nesta eidade______
ATTENCO
Aloga-se urna grande eecheira na rna da Uniao,
coro dcos quartos e solio com outros dous qoar-
tos, tendo Janellas, ludo eaiado e piniado de no-
vo e mnito proprla para taberna ou outro estabe
eementii : a tratar na ra da Aurora n. 36, i
andar.
CASAS
Para alugar-se
Um magnifico sitio na estrada d tnvejsa da
Cruz das Almas, com excellente casa bem aca-
bada, oom duas salas, seis qoartes, grande co-
pia, cizinba separada com dispensa, saleta e
quarto. Boa coxeira e estribarla com mais dons
quartos e 1 soto para errados. Magoifl ;o quarto
para tauho, latrinas, gallinheiro de pedra cal
cercado de gradeamenio de ferro. Ficando dito
sitio perto das eslaedea denominadas : Jaqnaira e
a do Arraial : para ver e tratar no sitio do com-
meDdador Tasso.
Para alugar-se
Um sitio no Poco da Panella no porto do Panlr.
com excellente. casa, com duas salla, qaatro
quartos e cczinha : estribara, cocheira e quartos
para criados, e mais dnas casas meias-agoas pa-
ra farnolos oq hospedes: tratar com o commen-
dador Tasso.
Olinda.
Traspassase o arreudamento da grande casa a
roa de S. Pedro novo, qoe foi do Sr Ramos, e
est muito limpa, assoalhada e fresca, e alero
disso perto do banho : a iratar na ra do Hospi-
cio n. 23, a qualquer hora do dia, ou no caes da
Assembla n. li no Recife.
Aloca-sa o primeiro, segundo andares e sobre-
solio, da casa n. 6, ella a rna do Livramenta : i
'.ratar na loja do mesmo predio.
l
DYVETOT
nica casa neste genero
14-Roa Estreita do Rosario^
Compra e vende ronpa feita
nova e velha, objectos de
cosinha e de mesa, e .-
tudo que perten-
Joaqnim Jos Gonpal-
ves Beltro
Roa do Trapiche n, 5, 1 andar.
Sacca per todos os paquetes sobre o banco de
Urano, em Braga, e sobre os seguimos lugares en
Portugal :
Lisboa.
. Porto.
Yalenca.
Gcirnaraes.
Coimbra.
Chaves.
Viseo.
Villa do Conde.
Arcos de Val de Vei.
Vianna do Cas te lio.
Porte do Lima.
Villa Real.
Villa-Nova de Famlica-,
Laniego. '
Laso*.
Covilhla.
Vascal (Valpasso).
Mirandella.
Beja.
Barcellos.
s
8
Na Iravessa da rna
das Grnzes h, % pri-
meiro andar, da-se di-
nhelro sobre penhores
de oaro, prala e brilhan-
tes, seja qnal for a qoan-
tia. Na mesma casa cora-
pram-se os mesraos me-
taes e pedras.
Frofessor italiano
Um Italiano que eosinou na Italia e na Suissa a
lingua italiana, arithmetica, geo;rarhia e geome-
tra, deseja tomar alguns tiscipulos para essas
materia?, preferindo alumnos 0 mesmo n3 hora?
vagas se encarrega de ensinar escriprurico por
partidas dobradas, e de fazer algumas escripia."
de casa franceza ou italiana ; bem como abri
om curso le lingua italiana, qoe 'accionara as 8
horas da tarde, na ra da Aurora n. 23, casa do
Sr. J. Smoltz.
Aluguel.
Precisa-se alugar urna negra escrava de bons
costumes, qne saiba bem coziuhar e fazer o ser-
vico interno de orna casa de ponea"familia, ese
agradar pata-sebem ^dirija-se-a rna Bella n. 37,
sobrado de aons andares.__________________
Costnreird,
Na ra dos Ossos n. 26, c-.se se com prompti-
dao e perfeicao qualqaer roapa para senhoras e
meninas, e mesmo aljumas costuras de alfaiate.
Engommaaeira
Lava-se e engomma-se cot perfeieio : ua
roa Augusta n. 83.
*
Aos Hwh. professores prloiarlos
de ambos os sexos.
Achara se venda as livrarias dos Srs. padre
Ignacio e Nogoeira, e Barbosa de Mello, exempla-
res do opsculo de moral religiosa, a preco de
610 rs. cada om.
* ilm ja para urna menina de anno e meio :
zm.lwBi_. tratar no principio da estrada los
AITliclos, sitio n 33.
m Precisa-se de ama
ama para o servifo
de casa de orna fami-
lia composta de duas
pessoas, exceptondo se o lavar e eogom-
mar: nesta typographia se dir qnem.
GAS1. DA FORTUNA
RA 1 DE MARCO OUTR'ORA DO
CRESP3 N 23.
Aos 20:000^000.
0 abaixo asfignado tem sempre exposto ven-
la os felizes bilhetes do Rio de Janeiro, pagande
oromptamnte, como costuma, qualquer premio.
PREgos.
inteiro 24^000
Meio 12/009.
Quarto 6*000..
Hanoel Martins Fiuza.
s
ADVOGADO
Db. Joaqim Correa de Araujo
67Roa do Imperador67
5
MKG_*gS_W
Alug8- e urna mulata moja : a iratar em
Jaboatao passaudo a ponte terceira casa do lodo
esquerdo on a ra do Imperador n. 12, cartorio.
Ama de i>ite
Preei?a-se de urna ama do leite : a tratar na
roa do Marqnez de Olinda, sobrado n. 31, segn
do andar.
AVISO
Desappareten na nonte de sabbado do da 30
um preto com om caixao contendo miudezas e tr-
ra geos indo coberto ctm nm encerado e tendo
na lampa estas eniciaes M A A, e a chapa com a fir-
ma da casa, rogase a pe.-soa qoe o encomrar de
o apprehender e evar na ra Nova n. 3,9 loja de
Soma A GoimarSes.
Hara da Coneei$o Ollvelra
B^ltar.
Francisco Ferrara Pa'lar Jnior, HenriqueBer
nardes de Oliveira, D. Mariana da Cunba Maga-
Ihae- Oliveira e Francisco Ferreira Bailar (ausen-
te) agradecen cordialmente a toda> as pessoas que
se dignarira coo-luzir at o cerriterio os restos
mortaes de sua ch^ra molher, ftlha e ora, D. Ma-
ra da ConeeicSo Oliveira Bailar, e de u vo rrgam
aos seus prente^ e amigos o caridoso obsequio de
assistirem rris$a,que pelo eterno repouso de soa
aiim maa !ain celebnr oa igreja matriz do Corpo
Santo, s 8 hnrai da manlia do dia 7 do corren-
te, pelo que se ccufssam gratos.
AOS 6:0004000
Kstio venda os teiizes bilhetes da lotera da
iahia. na casa feliz do arco da Conceicio, oja d
'nrivea go Recife.
AMA
Preeisa-se de ama ama qne saiba
eosinhar e engommar ; e ontra qne
saiba engoromar e coser : na rna do
R osario Larga n. 22, segundo andar.
los Bom Ramos de Ollvelra.
Celicina Colho Ramcs de Oliveira, Rosa Ame-
lia de Oliveira Duran, loaquim Antonio de Carva-
Ih'i, Victorino Domiuguas AI ves Maia a loaquim
Baplista da Silva, eordia'mente agradecem aos .-em
anngos, prenles e mais p.-ssoas, o piedoso obse-
quia de terem comparecido ao enterro de seo pre-
sado esp 'so, irio.io, cunhaJo e especial amigo,
Jos Boro Ramos de Oliveira, e Ihes pedem se dig-
nem assisllr n; dia 7 do cerreni; a raissa do sti-
mo dia de seu passam nlo, s 7 horas da manhaa,
qne ser celebrada na igreja da veoeravel ordem
lerceira de S. Fraacisco a'e>ta cidaJe.
lio_lagos e das aatflOcados.
Da Eoertuilbada s 6.15, 7.15, 8.15, 9.15 da manh ; 1.15, 2.15, 3.15, 4.15, 5.15, 6.15,
7.15,8.1 da noote.
De Beberibe as 6.45, 7.45, 8.45 a 9.45 da manba e 2.45, 3.45, 4.45, 5.45, 6,45, 7.45
S.I8 da noote.
*' '- ..... -----------i------------------------- -------------.-----------------------------------------~~-----------!-----------1------------------
OBSERVACO.
M dias otis sane do Recife s 11 horas e 50 minutos da manhaa e velta de Beberibe 1
) nm trem de carga, que alm da carga e bagagem condoz pasaageiros, indo e voltando
mexpresso o Recife at Encrnzilha, etc.
i !. de ootobro em diante, nos sabbados, vesperis de dias saotlfleados e nos doroiogos. ter
sa trem s 10 horas da pale do Recife o ootro do B^eribe.
O SUPERINTENDENTE,
A d'Abren P^rto.
Sustento restaurativo da
SHude
PELA VERDADEIRA FARINHA
A, Db Barry d'Arabw
Os abaixo atssignados tazem sciente a seos fre-
guezes, qoe pelo vapor iogle La-Plata receberarn
|egonda remessa -d'essa excellente farinha, caje
uso muito se reeommenda para*as criancas, pes-
soas debis e convalescentes, applicada com reco-
nhecida vantagem as conslipacoes, diarrheas
nausea do estomago, losse, escarro de singue.
phthyslcj, etc. etc. Preferida anda peo agradaval
sabor.nlricoa ontra qoalqner. ^^^
Ama" de leite
Pracisa alugar urna ama qae tenha bom leite
, e que tj_f|a_aa tratar na raa fionMde Ca-
. X'-' ei) n. 2. w
SEGUROS
MARTIMOS
E
A companliia Iodemoisadora, estabelecidt
jesta praQa, toma segaros marimos sobrt
navios e seos carregamentos e contra toge
?m edificios, m rcadori3 e mobilias: n;
roa do Vigario n. 4, pavimento terreo.
Preciase de urna ama para o servico de
orna casa de familia : na rna do Caes 22 de no-
vembro -ti. 30,1 andar.
^. HA ^. Precisa se de orna ama pa-
\\T_\m\ ra servico interno de orna
^W ^^HW ^Pk casa de familia : tratar na
rna do Vigario n. 16.
A luga se
ata sobrado em ffenie ao hospital Pedro II, com
3 salas, 5 quartos, quintal murado, e sitio coro 4
ooqMiros e outras Iructelras, margena do rio, e
fwr praeo mnito mdico ; a faltar com Antonio
Carnetri da Gr__
Pedro *o* da Costa Caslello
franco.
Maooel Antonio Azevedo Moreira pelo presente
convida aos seus anvgos e de seu fallecido sogro
para assistir a urna roissa qoe por sua alma man-
da celebrar na igreja de N. S. da Peona pelas 6
horas do dia 6 do crrante, 1' a universa rio do dia
de seo passamenlo; e para ee;e acto de religio e
earidade desde j se coofessa eternamente grate.
__SV_Am9_M%rV^^_il<%_HAI
CV>zinha.
Pre:isa-se de nm ajudante de cozinha : oar'na
la fa do Rosarlo n. 44.
Preeisa-se fallar era o Sr. Jos Francisco
Xavier de Mello, que foi enhor do engenho Com
portas, a negocio de seo nteres-e : na roa do
Rangel n. 9, padaria.
cuPerial fabm^PM cigarros
be'
S. JoAo be Nitheuohy.
Um dos problemas qoe mais um preoeenpado
attenco dos legisladores e dos economiius Mo-
lernos, particularmente na Inglaterra e os Fran-
ca, e acerca do qual, ainda em 1868, L. Wolowki
fez um profundo e ootavel discorso, o q'ie trata
de definir e reeolarisar, maniendo o equilibrio
entre o iuteresse e a bumanidade, o trabalbo das
:rianca< as maoufacluras.
Esta ijuesiao grave e melindrosa, comeca a ser
entre noi de alguma importantia, a merece qoe a
examinemos com criterio', tanto mais que forzosa-
mente na snbsliioicio do elemento servil ter ella
le considerar-se emeacissima para o fotnro des-
envolv ment de nossss industrias.
Reeoruando com o celebre economista de qoe
fallamos o profoodo pensamento do poeta, ioglex
que diz :-A crian? o pai do hornera parti-
Iharoos tambem os seas generosos senlimenios re-
lativamente essas frageis e delicadas creatoras,
]ue ainda na primeira iniciacao da vida prestam
j to importantes servicos sociedade.
Qualquer que seja o ensino ou o labor em que
je exercitem as torcas ainda debis dessas fracas
existencias, deve presidir o maior esernpolo soa
direccao, a maior vigilancia e coidado no emprego
9 distribuirlo do lempo, porque do seu resollado
leoende a actividade e a energa das novas gera-
;6es, e d'estas as grandes conquistas do futuro e o
progresivo aperfeicoamento social.
Nos stcnl anteriores as industrias ocenpavam-
.e mais com os productores. Ao seclo XIX com-
pete a gloria nao r de melhorar o fabrico dos
productos, tornando-os mais perfeitos e mais ae-
esjiveis a todos pelo qontfdade e modictdade do
pre$o corro a sorte a corjico, a existencia do
trabaihador, do homem.
Wofciwki cita a este respeito as palavras de
Sladslone, que, em orna reunio de operario! in
glezes', fa lando-lhes tanto em seus direitos, como
ero seos deveres, disse: <0 nosso seclo o se-
ola do operario: e accrescenta qae esta pbrasa
oo sahio de bocea sospelta, pois Gladstooe nao
penen je a numero daqueltes que lisongeam em
Tez de servir ao pevo.
O homem d'este modo encarado como bem
primordial da prodnecao do bem ; e o notavel au-
tor que nos referimos emende eomnosco qoe a
liberdade que elle conquiston tira toda a sea forra
da energa da alma associada saude do corpo,
da elevacao do espirito que proporciona o desea-
volvimento progressivo da habilidade pessoal.
Foi baseados n'esia alliauca que os legisladores
inglezes coraprehenderara que o instrumento acti-
vo, o operario, obedeca outras e diversas neces-
idades que as que sao partilha do instrumento
material.
Foi por este motivo que se marcaram e regnla-
mentaram as horas do trabalho as manufacturas,
se ailendeu sobretudo a que as criancas rece-
Dessem a om lempo o ensino da fabrica e o ensino
la escola.
< Ero 1862, diz ainda Wolowki; sanecioncu-se
aa Inglaterra a prole, a vigilancia penetren do
eio das vastas communas indostriaes, formadas
boje em roda da machina de vapor, dessas vasta
commanas povoadas por multares de operarios.
A le de 1802 flxoo a idade em qoe as criancas
podiara entrar para as manufacturas e limitou a
iuraQao do trabalbo.
Pois bem. Este grave e humanitario problema
que levon qoasi meio seculo a resolver, e preoc-
copou a attenco de tantos homens de estados
eminentes, como foram Roberto Peel Lord Aslhey,
boje Conde de Chaltsbuago, genro de Palmerston,
s muitos outros, assignalando urna pagina honrosa
na historia da eivilisacao moderna, acha-se reali-
sado, e dando salulares resultados entre nos na
fabrica de cigarros de S. Joo Nitherohy, da qual
o propietarios os Srs. Souza e Novaes.
J tivemos occasiro o anno passado, de escre-
ver algumas liohas acerca deste importante esta-
belecimento, e hoje, depois de urna visita que fl
temos ao novo edificio ampliaremos aquelle nosso
trabalho.
A casa onde actotfraeote est estabelecida a fa-
brica sera duvida um dos melhores predios Ja ca-
pital.
Alm das ef;pacosas accommodarrjes Interiores
livremente arejada como convm a lio nurct-'os*
igglomoraeao de pessoas," o predio rxiTiorini-r-
'*de urna architectur simples e efraante-, e iv
a pencas bracas do mar, onde com anxilre le n a
ponte os producios sao com facilidade t-M.li-.r-sd-s
9 conduzidos para os mercades.
Cerca de duzenti s meninos ahi recebem o enci-
no manual, intelleclual religioso e.mcral.
A mais perfeita ordem, sem a severidade de orna
rod disciplina, mas antes aconselnada pelos pre-
citas pratteos da autoridade, d nm aspecto agra-
lavel a esta afanosa communa de pequeos ope-
rarios e esperancoso ncleo de futuros e morali-a-
los cidadios.
Em uro vasto salo das 7 s 9 horas da tarde
depois do trabalho e do descanso aprendem os ve-
ninos.os primeiros elementos da leitnra da escrip-
ia e da coniabilidade. Dissemos primeiros ele-
mentos porque acreditamos que as nocSes rudi-
aientaes da escola no sao ootra'coosa mais que .
instrumento com que mais tarde se deve concluir
9 aperfeicosr a edneaelo. Nao costa saber ler n
essencial e fazer nso discreto e aproveiiavel
lesse poderoso motor do nosso aperfeicoamento
moral.
Depois do trabalho manual e do ensino da es-
:ola depois mesmo de algumas horas consagradas
jo recreioera preciso amenisar com o -estudo da
alguna dos ramos das bellas-arles as tarefis in-
ns.
Neste intuito foi creada urna aula de mozica di-
rigida per hbil professor.
Com pouco lempo de exercicio e o ardor \>to
prio da mocidade j alguns dos alumnos locara
om verdadeiro adiantamento os instrumentos qua
9scolheram, e pode dizer-se qoe a fabrica Um
hoje orna banda de msica sua disposi$a>, o qo
ilm d accrescDiar urna agradavel prenda a
aducaco dos aprendizes, dispensa dias festivos do
estabelecimento, o concursa dos msicos estra-
ahos.
Ora. o grande resallado colbidp por este duplo
lystema do ensino manual e simultneamente in-
:elle;tual, que os productos da fabrica de S. Joao
le N theroby, redobraoda de valor pela qualidade
9 perff gao augmentara tambem a tua procura ao
mercado e naturalmente os avultados raleresses
los productos.
Estabelecida assim com os outros estabeleeimec-
:os do mesmo genero a lula da concurrencia, qoe,
ao dizer de om oolavtl economista, nao outra
.onsa mais que a manifestaras pralica, a U:*
material da liberdade. claro esl que as condic *
do trabalbo livre comecam ja ser assentadas, en-
tre nos em bases sensatas e de consequencias pro-
Bsoas.
Ligamos um alto apreco s tentativas e aoi re-
bultados desta ordem.
O Brasil precisa empregar todos os seos esf >r-
cos na propaganda industrial, nlo* esqoeceodo
auoea qne a quantidade des-productos nada re-
presenta, si ella se nao tornar ao mesmo tem' >
recommendavel pela sua qualidade, e qae esta 6
te obtem com auxilio efflcaz dos productores/ ba-
is e intelligento?.
Acreditamos, pois, que os Srs. Sonza e Novaes
prestam um importante servico ao paiz e temos
lempre prazer em mencionar os esiabelecimeoio
testa naiureza, nao so era referencia a esta fabri-
ca, como a todas qoe estiverem fundadas on se
Tndem d'aqui em diante as mesmas circums-
laneias.
O nnico deposito nesta eidade & no escriptorio
le Domingos Al ves Matheus, roa do Viga-
rio o. 21.
A. Zalnar.
Preeisa-se de urna ama livre on escrava pa-
ra o servico de urna casa de ponca familia : na
roa do Bario da Victoria, amiga roa Nova o. 46,
primeiro andar.
Precisa-se
deka e copeira :
des Vieira n. 34.
de ama ama perfeita erjgomma-
a tratar na. roa de Joio Fernn-
No principio da roa Imperial, casa lerrea n.
4. existe urna ama de boa conlela, que se offe-
rece pa servico inurne.
i; 12; m
Muga-se o 1 e 2* andares ra do Padre Floria-
no, pfnudo e prorapto 'jo n jvo li tratar aa roa do
ir.\)B. i%
10 PIUCO,
O abaixo assignado faz sciente ao respettave! pu-
blico e especialmente ao corpo de commercio que
deixou de ser ea'xeiro da casa dos Srs. Tasso l-
maos & C. desde o dia 5- do corrente. Recife 2S
de selembro de 1871.
_____________Manoel de MesquiU Baato?.
Na ra do Alecrim n. 20 precua-o
de urna ama para lodo o servico de
urna familia composta de dnas pes-
soas.
IIWHWMilll
S ADVOCACU
i RAGHAREL
J. B- P. Corte Real S
Roa lo Imperador a. li, Wf
Mmw-wmnmnmm*
iircwL
X
>-
:



-'
s

I
D iric d Pernambu
C0MPANM1A
DE
EDIFICACES
Cidade do R^cife
, directora provisoria dessa companhia conti-
fia a todos os seohores subscriptores para eoropa-
recerem sexla-fe6do correle a Ih rs da tarde
jfno escriptorio do Sr. Dr. Jacobina, roa do Quei-
[mado d. 79, aflm de approvarem a acta da seso
interior e tomarem resulucjio definitiva obre a
lueorporacao da companhia.
Recite, 2 de oulubro d 1871.
M. P. de Ucraas Pioheiro.
Espirito Santo de S. Fran-
cisco.
Por ordem do irmio juiz da irmandade do Divi-
no Espirito Santo do convento de S. Francisco,
convido aos i: maos para assistirem a testa de S.
Francisco que, tem lagar no dia 4 do cerrante mez
palas 10 horas do dia e o mesara irmo juit espera
qae comparecam visto termos recebido canvite para
o lito acto.
Consistorij da irmandade 'do Divino Espirito
Santo erecta no convento de S. Francisco, 1 de
ootubro de 1871.
O secretarlo,
M. G. Agr.

r
Precisa-se de nma mulher que saiba bem
oosiobar, para casa de ama seobora francea : a
tratar no 2* andar do sobrado da roa do Duque
de Caxias n. 40 (amiga do Queimade n. 2) entrada
pelo becco do Peixe Frito.
Na ra do Pire?, sobrado
n. 28, precisa-se de nma ama
que eja boa cozinheira.
^Ho^
Pode ser'proeurado a ven-
da de reo de Tiieste da ver-
dadeira m rea 1, 0 e 00 em
cas?< dos S s. Keller & 0.: a
ruada Cruz N. 5
Ainal chegoo nova remessa de leite cot-
deosado da Suissa, pelo vapor Cognac, e
desdej Gcamos esperando pelos seus apre-
ciadores e entendedores deste artigo : vende
Keller G Ha roa da Cruz n.-55
Precisa-se de duas amas, sendj para cosi-
ohar e mais servidos internos de pequea familia:
na roa Imperial n. 199, por cima da reflnacao.
AMA
Na roa do Corredor do Bispo n. 5,
prteis-se de ama ama para o servido
do orna casa de 2 pessoas._______
Precisa-se de urna ama qna
engomme bem, e faca mais al-
gnm servico, torra oo escrava :
na roa do Pires, sobrado n. 28.
AMA
Precisa-se de offlciaes de Darbeiro : co sa-
li de'cabelleireiro da roa da Imperatriz n. 82.
Sitio
Preclsa-se de um sitio para qnatro estrangeiros
de preferencia perto rigir se na ra da Cruz (Bom Jess) n. SS.
Companhia Allianpa
DE
seguros martimos estabelectdit
na. Baha em 15 de Janeiro
de 1870.
CAPITAL..Rs. 2,000:000*000.
Toma fgaro da mercadonas e dinueiro a risc
martimo em navios de vella e vapores para den-
tro e fra do imperio. Apencii roa do Com-
mereio n 5, escriptorio de Joaqnim Jos Gon-
Salvas Beltrao.
: t Offerece se nma ama para costuras e algnos
servieos leves de casa : a pessoa que qnizer di-
rija se ao.pateo da matriz de San "o Antonio n. i,
no 2* andar.________
Precisa-se de urna ama que saiba conuhar,
Sara easa de pooca familia : no Rjcife, ra da
roz n. 29. ___________^____'__
na ra Nova, leja
TRILHOS URBANOS
DO
J*ETFiE A' Ol**
Por ordem da directora sao convidados
os Srs. accionistas para, no pra^o de 8 dias
a contar to dia -2 d'outubro prximo finio
eralisarem a nltima prestado de suasactes,
da 2' emissao, na razao de 40 */0.
Para esse im ser o Sr. tbesoareiro en-
contrado no escriptorio da conpanbia, das
i i horas da manlia s 2 da tarde de todos
os dias otis.
Recite 28 desetembrode 1871.
Joo Joaqnim Alces.
Io secretario.
Ans Srs. accionistas avisa se que a sessao tTas-
sembla geral em continnacao de seos trabalbos
sobre a reforma dos estatutos ser no dia-9 do
corrente (segunda-lra) pelas 10 horas dama-
nha, e no mesmo lugar das anteriores.
Recsfe, 2 de onlatro de 1871.
O Io secretario,
_________________tuiz Lopes Catttllo Branca.
Furtaram em a noute de huntern (3) da por-
ta do Ctnb Fernarobucano desobre umcavaltoque
abi se adiava, um selin inglez e manta, com pou
co uso, endo um par de estribos pequeos depra-
ta. Qoeai o aprehender quera levado a roa do
Imperador n. 17, cocheira, que ser gratificado.
O Sr. Andr de Sa e Albuquerque rogado
avir entenderse c ni Tasso Ir naos em liquida-
cao a negocio de mutuo interesse.
n. 86:
Ricas franjii de seda preta, lov e pelliea
Jouvin, botinas de cores para senhora, ditas de
cordavio e bezerro para homem, oleo extracto-
oriza, ricas Otas largas para laco, ricas gravatis
de gurgurao de seia das mais modernas e liadas
cores, e nm completo sorliraento de gal<5es de seds
para guarnecer vestidos e outros moitos objectos
de gosto.
Roa da Imparatriz n. 86r loja denominada
O MERCURIO
pertencente
JOS BERNARDO DA II0TTA.
- Na ra das Cruzes o. 38 andar, lera para
vender os objectos segnintes, em completo estado
de perfeljao, e com psqueno nso, por ter sjdo de
ama psssoa que madou de residencia e nao ne-
cessitar dos ditos objjctos, podero ser vistos das
10 horas da manhia s 3 da tarde, e vende-se por
muito barato preco.
I lastre de 4 bicos com correnles e pendentes
todo de chrystal, 3 candieiros de 2 bicos de metal,
3 ditos o 1 bico de dito, 7 arandellas, tudo para
o gaz carbnico, 17 globos para os mesraos, 6 lan-
gas para cortinas, 2 venezianas, 1 larapeo para
jardim, 56 judas do esteira, 1 relogio de parede,
140 ps de capos de chambo proprio para enca-
ar guaecom 1 torneira, i guarda roupa de
amarello, pejueno, e I carteira de dito para loja.
Tambom se*vende um cavallo ac marflm gordo e
bom.___________________________________
No sitio da Soledade n. 29, tem Jo Heori-'
ue da Silva para vender 1 cavailo ac marflm,
gordo, bonito e bom de celia, e 1 mellado gordo e
bonito tambem para sella e carro ; podero ser
vistos das i da urde s 10 da manha.
tico deposi
Vinlio tinto e branco supe-
rior
de carcavellos tem para vender em caixas
de nma duzia Joaquina Jos Goocrives Bel-
trao, rna do Commercio n.^5j
GRANDE
E
Fronbas de pon!
las a venda na tu*
'bonito
oho bordadas
Duque
estiio
. =~ expos-
de Caxias n. 63.
Na roa lotreita do Rosario n. 24, 2 andar,
vndese ntu plano de mesa com excellentes vozes
e ptrfei'amente conserrado._______________
Uadeira.
Novo sortimento de cadeiras francezas
venda oo arraazem de Tasso Irmaos & C. ao
caes do Apollo.
Espanadores
De palba o mais bem feito que possivel e
mais barato do qae em oatra qualquer parte, na
pra^a da Independencia os. 3o, 37 e 39.
o i:i>a
AS
Chegaram para o nevo estabelecimento de fa-
zendas finas roa do Mrquez de Olinda n. 28 es
mais lindos corles de seda para vestidos, caja fa-
zenda pela sua qaali adee pr>co se recommeoda.
___________Preco fixo-80j0a0.___________
Vende-se nma casa terrea na Caponga (roa
da Amizadf) n."38, em chaos.propries: a tratar na
rna de Marcilio Dias n. 18. "
Ittenco
Vende-se um sobrado de um andar e sotao no-
'o, e muito bem acabado, com terraco na frente e
traz e cosinha fra, e morado, ecntendo qaalro
meia-agoas de pedra e eal que rende eada ama
4 tnensal, todo no fondo do dito sobrado sito na
ra de S. Joo freguezia de S.Jos desta cidade: a
tratar na mesma roa casa n. 4._________/
Relogios de onro e
prata
los melfiore- brieantes inglezes, trancezes e
snissos, ven<* > por prejos muito rasoaveis, na
]oj de joiti.___.i^lda
~ RDA DO CABUG N. 5.
COMPRAS.
VENDE-SE
doos bonitos cavallos, andadores de tarxo a mete,
sendo um rodado apatacado, bastante grande, e
rutro castanho, pequeo : ne caes do Ramos nu-
mero 30.
Precisa-se de um criado
numero 7.
Alaga-se o Io andar do sobrado da ra larga
do Rosario n. W : a tratar na pharmaeia de Fer-
reir & C___________ <
A \ff A Precisa-ee de urna ama para o servi-
aa-JlLa. eo de casa de ponca familia : a tratar
ca roa da Cruz n 18. 3 andar. ________________
Precisa se de ama ama de boa conducta
nara andar ;om crianzas : a tratar na raa do
Commercio n. 44, 2* andar.
Precisa-se de urna ama-
para comprar e cosinbar :
tratar na ra da Alegra n. 5.
ROLAS
Coffipra,-se um casalziubo de rolas de llambur-
go, que sejam braucas, paga-se bem : cesta ty-
pographia se dir quem quer comprar.
Nesta typographia
sagrada por Pioheiro.
compra-se urna historia
VJV
VENDE-SE
dous eavallos de sella, sendo am castanho, de
frente abena, bastaste gordo, andador de oaixo a
meio ; e nutro mertado, de crinas brancas, emito
bom baixeiro os pr-eiendentes pndem ve los na
ra de'Riaehoelio casa de Vicente Ferreira da
Cosa, das 6 as 8 horas da manhia e das 3 as da
tarde.
4Ruado Apollo4
Joao do Reg Lima & Filho tem para vender, 20
0(0 meaos qae em oatra qaalquer parte, o se-
gointe :
Lingaicas das IIhas em latas.
Alcatrao ex barris.
Vinho do Porto tino em caixas.
Dito Rordeaox dito dito.
Relogios de pareae e cima de mesa.____________
Superiores cigarros do Rio
je Janeiro. '
Domingos Alves Mathens, nico agente nasts
rovincia da fabrica imperial de cigarros de S
oao de Xitherohy, esta bel acida no Rio de Janeiro,
tem sempre nm completo sortimento de todos o
cigarros, fumo picado e en latas. Tem igualmente
os afamados cigarros Conde d'Bu, feitos com mag-
nifico papel de palha de milho e fumo superior
Para goverao de seas fregaezes, qae tem esUbeie
sido depsitos fillaes, as casas dos Srs. Thomai
Francisco de Salles Rosa e Maooel de Sonza Cor-
deiro Simdes Jnior, no balrro do Recife, e todo
aanto for vendido em outras casas com a firma
e Sonza Novaes & C. sao falsificados.
Ferio galyanisado.
Proprio para isas, esucoes, co-
I Vi'ir"i<;
irTTJ"/
_
(COM PEQUEO DP7FEIT0)
Brim branco de linho fino, com psqueno defeito,
a 800, IJOOO. e (#200 a vara, pe.-hincha : na
loja de Guliherme Ciroeiro da Cuuha, roa do
Crespo n. 20
Grande liquidapap
LAAZINHAS A 320 RS. O COVADO.
Muito lindas laazinhas propri** para a praca a
320 rs. o eovado, pechlncha : na loja de Gai-
Iherme Cirneiro da Cunba, ra do Crespo n. 20.
Pomada alpaka
E' muito conhecida esta pomada e muito
apreciada por sua fin ssima qualidade, a Nova
Esperanga quem tem.
Jarros de porcellana
Um completo sortimento de lindos Jarros
de porcellana (do afamado Bacar) existe na
Nova Esperanca, roa Doque de Caxias
n. 63._________________
OLEO PURO DE FIGADO DE BCALHAO
DA|
TERRA NOVA
DE
H. LACOMBE
Este oleo que tao boa ;iceeitac.ao tem merecido,
muito se recommenda por ser o mais purificado
qae at boje tem vindo, e ainda pelo boro paladar,
superior a outro qualquer : vende-se no deposito
tspecial de Banbolomeu sara 34.
. Iks e
grossuras, rl aamente e anda
na a!fande?3.
E i ted Sbeets.
Sy.xpson & C n 10 ra do Bom Je-
fus. ootrora ma r)a Cruz.
Vende-se
a loja de louca da trra sita roa do Rangel n.
4 : quem a pretender dkija-se mesma oo pra-
r- da Independencia n, 33, que achara cm quetr
tratar.
Caixeiro,
Ne ca hioez ra larga du Rozario n. 31
precisa-se de um caixeiro que tenha pratica de
hotel, pagase bom ordenado.
rV A nuera liver achado nontem um vale da quan-
tia de 1004 a favor de Manoel Jos Fernandos
Barros, o favor de entregar na roa da Cadea n.
53, armazem, virio que de nada vale a oatra
qualquer pessoa. ______________
Pretisa-se de nma ama para ea lia, na ruado Caha n. 6. Loja da conquista,
se dir qaem precisa,
aixeiro
Pregase ie um caixeiro que teoba bstanla
ortica de taberna; a tratar na ma estreita do
Rosario a. 47. .
na estaco da coupanhia do Recre a Olinda e
Reberie, panno velho branco qualquer porcao :
de 8 horas da manbaa as 4 da larde.
Compra-s urna casa terrea bja, qna tenha
corqmodos para familia no bairro di Boa-Vbia ; a
tratar na ra do Hospicio n. 13.
1TJDAS.
Atten^o
Sitio -para alugar
Na estrada de Santo Amaro para Be!m sitio
n. 8, ha para alugar urna casa com sitio, lendo
omito terreno para plant.inrs, e pasto pira ani-
maes, com incitas arvures de fruelo : trata-se
com Antonio Alves Barbosa roa dos Guararapes
O 52, sobrado.
Jumeot >s he panhoes
Aeabam de ch^gar no brigue Bella Figueirense.
dous jamemos mu.los grandes e bonitos proprios
para tirar ra a : a tratar no escriptorio de E. R.
Rabello & C. ra do commercio n. 49.
AMA
Precisa-se de-ama ama
para cozinhar e comprar,
na roa do Daqae de Ca-
xias, oatr'ora ra das
Crnzes, n. 22, andar,
entrada pela travessa do
Ouvidor.
No pateo da ribeira n. 21 se dir quem pre-
cisa de ama pessoa habilitada para caixeiro de pa
dar. __________
Para escriptorio.
Pre:isa-se de um caixeiro com as necessarias
h.ibilitacSes de e na roa N.m n.50..
DROGARA universal
NO
RIO DE JANEIRO
Rna da Atsembla m. 5
mmn nnmiii-t
GRANDE DEPOSITO DE
. Drogas allopathicas, horoeopithicas e veterln?ras.
Esseneias Anas e agua de tior de larangeira.
Perfumar i.i." inglezas e francezas.
Sabonetes, extractos e mais irtigos.
Productos chimiC'.s das melborts fabricas inglezas
e fran:ezas.
otates finos esiraBgeiros de refei(ao e me-
dicinaes, preparados especiaImenie
para este clima.
Representante as provincias sea Albo
Emmxniki. RurFIRR.
M ira na roa da Cruz n. I.
Esta casa nica depositara do afamado plur-
al cetico Rinoli de Rlmini, autor do Centerba
composto, Em. R nm (especifico contra a Solitaria).
Uonefor*, para magaezia'fluida ; Gatellan, ho
Mopathia ; Cleaver. Rowland, Payne, perfuma-
as ; Van Loy, chocolate.
PRINCIPAL AGENTE AUTORISADO.
de Blanijard, Chevner, Broa. Chassaiog, Delan
grenier, Alb-.yspeire, LabeHonye, Grimanli. La-
harrqne, Clerambourg. Deloodre, Warik lrmc
(Agua de florj ; Ligasse. preparac5es de seiva
de ;)inbeiro. e dv>* afamados fabricantes de prj-
ductos ebimicos Sinith, Evans, e liorson, bem
rio de muitos oraros que laoiil mencionar
Aluga-e p 2, e 3* andares de ama casa sita
na roa de Imperador n. 49 : a tratar na raa do
Bario-da Victoria n. 22 (ootr'ora Nova).
Aos donos de sitios
DA
na ii
na cocheira da Cempanbia Per-
na roa do Brom, "a
S'j- '' 'a ni>-
Na agencia cominera;.! de loilges a ra do Bom
Jssus o. 23 (oulr'ora da Cruz):
Vende-ee por pre^o muito barato ricos quadros
com moldura domada e pintada a oleo o qae ha
de melhor n'este genero, niagnifcaa novis ( no-
vos) cofres de ferro (Mepner), rame galvanisa-
d) para crea de jar Mis, chicotes para bolea de
carros e cabriole!, chapos do Chile e outras qua-
liJades para bomens e erean^as e muitos ootros
artigos que so Mato: qaem quizer fazer boas com
pras dirija-se *> dito estabelecimento.
Ivendem cerveja mayen&e e vioho do!
IBbar.
Itihame do. Rio Grande do
Norte
muito boog e grandes ; acha-se venda no hiate
D. Miza, que est ancorado era frente do trapiche
do Baro do Llvrameato.
Vende se na amiga'raa Dirella, "hoje Marci-
lio Dias n. 99, queijos muito fresae* do relao
tt e UoOO; farinha de milho de todas as cualida-
des e ma;as d.is ulti.x. nenie ciiegadi-.
ATJm "
Vende-se botinas para meamas pelo diminuto
preco de 14500 o par : venham raa da Impe
ratnz n. 68, loja de miad?z^ jon'o a pafaria.
Vende se um ierren.i aterrado e com urna
mei-sgua, assim como tero un viveiro de peixe :
quem preiender dinja-se a tMve.-a de Santo A-
maro das Salina*, a fallar cun o Sr. Ang.-lo.
Pot .ssa da ftussia
Companhia.
^640 rs.
Vende-se sapalos de marroq ildt.ob a omito boa
pelo preco de 640 r?. : venham a ra ia Impera-
triz n. 68, loja de miudezas.
A 4#0U0
Vende-se espartuhjs para m-min* e senhoras
pelo diminuto preco de 4*000 : venham i nova
loja de miudezas da roa da Imperatriz n.' 68 ; ve-
nham a elle?, anies qae se acab.-m.
A 4^500 X
Vende se borzegains para hornero, obra taxi?da
bom feia, pelo diminuto preco de 40O : ve
nham ra da froperairiz n. 68, loja de miudezas.
HOTEL
Vende-se ou.arrenda-ae um hotel bastante aire-
g^uezado, cito ni povoado dos Monte?, roa d
Concordia n. 26; iratar no mesmo com o pro-
prietaiio Jos Pelippe de Freitas Ferreira; assim
como vende-se tres casa de taipa citas no mesmo
povtado e a tratar com o mesmo.
Vende-ss
com poneos fondos
taberna na roa Imperial o. 161,
tratar na me J. 0. C. Doyle tem eai sea
armzem para vender
O SBGUINrE :
GOGNAK HBNNESS.
VIMHO XKREZ.
DITO DE LISBOA,
FILTRADEIRAS.
WTTIR
A revaksciere du Ba Londres
Toda a deene,a cede a Revalesciere da Barry,
qns di satide, energa, appelitp, dlgestio e des
canso. Ella cura as dispepsias, gasirites^humo-
re?, acidez-pituita, flato, enjpe, vamrtos .jjepo*
da cnouda e gravidez, on tipag,t j3 \ iWhm,'
affecejes pulmnnaree, bexiga, Hg' cerebro e
anguo ; 0,000 curas, incluindo mujias deltas no
Brasil
A revaleciere chocolata da dovarry
em p,
Delicioso alimento para aimocc e ceia, muito
nutritivo, fortifleando os ervos do estornaea sera
causar o'menor peso nem dfir de cabera, nem ir-
rita gao.
nico deposito para o Brasil em Peroambuco
na pharm.-.eia americana de Ferreira Miia & C.f
roa do Duque de Caxias n. 57. (Todo cuidado
com as falsificac3ef.)
Grande pechincha
Damasco de la cora 9 palmos de largura, fazen-
da prap/ia para colchas de cama e eoberlas de
piano, p-lc) baratsimo pre;o de 150 o ovado,
alpacas de cores de padrdes miados a 300 rs. o
eovado, laas de cores mesclidau e de lindos pa-
drrjes a 320 e 280 o covaio, cambraias de cores a
280 e 240 o eovado : m[ loja do3,areos ra 1*
de Marco (amiga do Crespo)"n. 20 A.
Cal iiov de Lisfoa a 4jJ
Vende-se a ra do Apollo n. 30, armazem de
Rodrigues & Mirtins, barris de cal nova com pe-
dra a 4*000.
Para oratorios particulares e
capeilas de, engenho.
Vndese nm aliar dourade, bem como os res-
pectivos casticaes e palmas tambem douradas,
igualmente vndese dous ornamentos, duas a I va*,
estolas, manguitos, sangoinhos e tolos os mais
penen;es, sen lo um dos ornamentos bordado a
ouro tino : nesta typographia se dir quem vende
l ULTIMA HOll t.
065.
Rna do Duque de Ca-
xias
acaba de receber um importante sortimento de
poupelinas de lia, as qunes abrem o orejo de 800
rs. o eovado, nao deixem de vir ver esta linda fa-
wnda.
I
UVA
FERRAL
ehegadi hoolem a 700 rs. a libra oa 1*600 o kilo:
s no armazem do Campos ra do Imperador
numero 28.
Cemento Portland
Em barricas de 13 arrobas preco mais com-
modo do que em outra qualquer parte, vende-ae
ao* armaren* ite T"f> Irmaos t, r.
Vende-se a casa tenea n. lt ama a-i Vis-
conde de Goyanna (oolr'ora Mondego). uas proxi-
midades da nona dos bnnls : a tratar na ra do
Crespo n. t2,1* andar.
Aza de mosca.
ff nma fazenda especial para eobrir qudro?,
espelbos, retractos, etc, demasiadamente transpa-
rente e pi eparada de forma a evitar completa-
mente o p.
Sabonetes inglezes em caixtftbas que se vende
por UoOO a duzia.
Colarinhos e punhos de panel.
Veode-ae no Bazar da Victoria ra Nova' n 1
Chegaram
modernas anquinhas de
modos o rao4ornjhj
IiOJTA
DO
GALLO VIGILANTE
Rna do Crespo n. V
Acaba de chegar pelo ultimo vapor diversos ar-
t'gos de novidade, como sejam :
Lindas touquinbas enfeiladas para baptisado ;
assim como eaposinbos.
Sapatnhos de seda e de merino.
Meias de seda e fio de Escocia de 1 a 12 annos
de idade.
Ricos leques de madreperola todos abortos, o
melhor que ha neste genero ; assim como ou-
tros de madreperola com seda, fazenda requissi-
ma; tambem receben grande sortimento de le-
ques de dsso lingindo marflm sndalo e madeira,
tacto para senhora como para meninas.
Superiores ligas de seda nara segurar meias.
Meias de borracha para quem soffre de inxacdes
ou erysipela.
Seda fronxa para bordar todas as cres. .
Froeo de seda para o mesmo flro.
Roiroz pretoe de cores em carriiis.
Fitas para cartas de bachsreis.
;, Ojailron para retratos.
Cavas de pellica, e de seda, branca prelas e de
lindas cores.
Superiores capellas para noivas.
Lindos alfinetes de madreperola para peitos de
enlioras.
Liodas abotoaduras para colletes.
Lia de todas as cores para bordar.
Superiores pencenez de acp.
Huno finas thesouras para costura, unhas e
para cortar cabellos.
Superiores pentes de tartaruga para arregacar
cabellos
Tintara ingiera para ttngir cabellos, a verda-
dera.
Grande sortimento de franjas pretas, largas e
estreitas e lindos padroes.
Liodos babadiobos e entremeios bordidos, tapa-
dos e transparentes.
Joaqulm Jos Goncalves Beltrao tem para
vender na sen escriptorio ra do Commercio n.
5, os gneros abaixo notados, qae vende mais ba-
rato do que em oatra qualquer parle :
Azeitonas em ancoretas.
Amendoas em barricas.
Caf mado em massos de 1 libra.
Chapeos do Chile de boa qualidade.
Gogoae marca marte! frres.
Enxadag..
Farinha de mandioca de Santa' Catbarina, 'sac-
eos de 3 e 2 alqueires.
Dita da Babia em saceos brancos.
Dita de dita em barricas, proprias para casas
particulares.
Fio de algodo da Babia em ncvellos.
Fonces.
. Maxados.
ozes.
Obras de palbetas.
Papel proprio para cigarros.
Dito azul para botica.
Palitos para deotes.
Pregos sortidos.
Panno de algodo da fabrica r>e Tcdos os Santos
lo Pedreso na Babia.
Rolhas.
Rap popular da Babia.
Botim em fardos.
Retroz dos melhores fabricantes do Porto-
Tapioca do Maranhao.
Tabaco simonte da Bahia.
Verniz copal. *
Vinho do Porto engarrafado, caix de; 12 gar-
rafas.
Dito de dito em barris, proprio para engarrafar.
Dito moscatel, verdadeire de Setubal.
Dito Bordeaux em eaixas de nma duzia.
Dito de caj em caixas de ama duzia.
Publicaqoes musicaes.
Acabam de pnb'icar-se tres lindas pecas
para pianoa saber:
A celebre Terentelle por B-riol 619,
preco 4500.
LINDA, grande mazuika de concert,
ultima pub!icac3o iBQPirjal do ma-$trn O-
zalbore, .a goal fui terminada pelo maestro
I. Smolts, precn 26U00.'
PLTITLAZZAR-jNE, linda pmka napo-
litana, pelo tinado maestro Cazaibore,
preco i^OOO.
A' venda no arraazem de pianos e msi-
cas do Azevedo, rna do Bar5o da Victo-
ria o. H, ootr'ora ra Nova.
N. B. Esta-so gravando a linda walsa
por Collas, o Anjo da meia noote.
proprios para suspender barca-
das e hiates, vende-se ua ruada
Cadea n. 39.
Sitio venda
No Arraial roa da Harmona, vcndu-se um fi-
lio, iod j pbLtad'i, boa casa o baoho, que so torna
recommandavel, j pela sua collocacao topugra-
pbica e salubridade qae gosa aqnello p.ton
arraoajde, e j pela modicidade com que se nile
fazer tao ptima acqnisica. As pessoas que o
desejarem pdem derigir-se para inlviroacOes
rna do^Livramenlo. armazem do Ba'isv
Para noivadps.
Fita^ ospeciaes e pieparadas para'lacos de cor-
tinados de cama: recebeu a Nova Esperanca, a
rya Duque de Caxias n. 6:i : a ellas antes que se
asabem, pois vieram smente sei e. sao lindis;! -
mos.
Machinas para desca-
ropar algodo.
No escriptorio de Jiaqnim Gerardo de B.to?
i ra do Vigario n. 16, Io andar, vendem se ma-
chiuas de 18 sciras para descarocaralgodo
Pra a testa do hospital"
portuguez
Modernos chapeos de palha.'dc velado e de se-.
la para :enhora. enfeitalos cern roslo, fljres ar-
irlciaes para eof it- de cb--c* e de vestido, lu-
'as de pelica, bournoux de difTerene gosto, ch-
leos de saja para crianca, golo injtlez, venie-;e
10 Basar Victoria, ra do Baro da Victoria n. 2,
intiga ra Nova.
m\
A 20500 rs.
Na loja de Paulo GulutarSes.
Botinas de-marroquim de todas as cores par
i-enbora a 24500.
Ditas de duraque preto enfeitadas, para senho-
ra a 3*000. "
Chitas rxas com palma, cor flxa, eovado a
OO rs.
Biim pardo trancado (too com pinta de mofo,
novado a 400 rs.
Casineta cor de cima, dna's larguras, idem idem
) eovado 1*.
Amainado de algodlo, gosto moderno, metro
1*600
Brins de Angola verdadeiro, metro l|i8o.
Casemlfa chuva de ouro, proprta para costme,
eovado 1*800.
A' RA DA IMPERATRIZ N. 48
Junto a padiria franeeia.
Vende-se
lgons terrenos do sitio denominado Peixinho, qae
fla entre Olinda e Beberibe, a margem do -rio :
a trotar no mesmo.

Vende-se am terreno com 300 palmos de
frente, proprio para ediflcar-re nm peqaeuo sitio
por ter igaos arvoredos, defroaie do poni de
Agna-Fria: as pessoas que preteBderem. deriia-
D5a fcdoT0-' eriactono o
VEPDESE
A verdadeira gomma do Acarax em saceos e
barricas, por menos preco" do que em outra qual-
quer parle ra do Vigsrio n. 14, escriptorip de
Jos Lopes Davim.
Vende se o. engeoho CdoeMfeo da Batberia,
na comarca de Camara^ibe, provincia de Alagoas,
duas legoas dictante da villa do Passo, porto de
embarque, e em altura que deve passar a projec-
tada e j coutratada va-frrea de Macei a en-
contrar com a de Una'; moente e correte oove-
nienlemente preparado a lodos os respeitos ao
melhor modo do facilitar o respectivo trabalho
cora o maior aproveitamento ; moendo por urna
machina a vapor de forca (le tres e mel cavallos
inglezes do mais moderno systema e sobretudo Je
urna adrairavel simplicidade, possuindo 03 melho-
res efmais uberdosos terrenos possivel para can*
e qualquer lavoura, lendo urna legoa de fundo e
mai3 de meia de frente,.dando assim lugar a mais
dous engenhos de siffrivel larnanno para moerem
com agua. Reunindo ilem de outras as vanta-
Sens de tres portos de embarque e a proximidade
e mercados, como sejam a Villa do Passo, Porto
Calvo, povoacoes de Tahnminha t deCamaracibe.
yea^,e c-om a ?afra Presles a cu'her para mais
de 2,000 paes de assucar, ou com n que se est a
criar, qae nao dever ser inferior. Tambem se
vender: alguna poucos escravos, biiada, asim
como lguos ntencilios, movis de casa de viven-
da, etc., etc. Tamben se arrenda por alguns an
oes, e mesmo com alguns escravos, etc., pedendo-
se retirar a machina a vapor e d?ixar molinote
para animaes, com tanto porm qne so compre a
safra existente : a tratar no referido engenho nu
nesta cidade com o Sr. Tavares de Mello, praca d
Corpo Santn. 17.
Lembran<;a teuipo
O proprietario do armazem de vveres a ra do
Imperador n. 28, vem por meio desie annuncio
prevenir e avisar ao respeitavel publico desta ci-
dade, qne o sea armazem nm dos que com mais
vantagera pode sati.-fazer as suas bom entendidas
exigencias, pois para tal Um lera feito reunir 00
mencionado estabelecimento o mais orapleto sor-
timento de acepipes, e para qne o dignos leitores
deste annuncio^ oao tenbara occasiSo de roassada
toma a resoluta.) de limitar se a lembrar somente
os gneros que elle tem como especial novidade, e
o srguinte, :
Lindas caixas com confeilos, proprias para pe-
queos presentes.
Chocolate em p, este cboeolate tem a vantagem
de poder-se fazer me.'ipo na mesa.
Leite condensado, a melhor marca eoohtcida,
este leite convera principalmenie aoscollegios, bo-
tis e hospilaes, pela presteza com que se obtem
qualquer preparado delle.
Tmaras do Egypto, raramente vindo a este
mercado.
Licores finos: Charlreaze, Curado, Anizete,
Creme de rosa, etc., etc.
ALEM DISSO O CAMPOS
pode garantir que o sen armazem om centro do
bom e agradavel ao paladar, pois nelle se encon-
trara sempre ludo quanto pode necessitar urna
despensa, cozinha ou mesa desde a imu bem sor-
tida al a mais mediocre.
AGORA ANDA
annnncia tambem feijo mulatinho em saceos e a
retal 04.
Vtnle-se urna casa de pedra e cal, com terre-
ho de duzemos palmos de frente e irezentos e
rima de fundo no lugar doFundao, raa do olinda,
onfrtOte ;:o .-iiio dos eravelros, tambem so vena"!
errenoj n iremj lagarjt orna-se recomuiendavel
icj-Dcar pertoda c-stacao djjFuodo e juuto ao rio
leberibo : a iratar nos MMleis a ra eslr-ita d)
\o3ario n II loja, e dominaos e dias saniillead<.j
io mesmo sitio Fundo com Miguel Ferreira Car-
eiro.
em sen armazem a rna
a precos oailoem-coma
E. A. Burle (1
fia Crnz n. 48, vender
>>ra acabar :
Ladrilhos de marmore.
Taboas e degros de diio.
Mann eommum.
Maunite.
Fio de vela.
Cognac linoem caixa e barris de vidro.
Vinhos de B)rdos finos e ordinarios em caixa-
barris.
Licores em caixa.
Fructas em conserva. ,
Azeita doce em caixas.
4-
Querem comprar ?
Gaardapisa para vestidos ; preto onbranco?
Papa-fina, larga ou estreila t
Lencos de liriho, bordados ou lisos ?
Bonito leques, osso ou sndalo ? .
A Nova esperanca qaem tem III
E novidade! .
Acaba de chegar a Nova Esperanca ra Dnqae
de Caxias o. 63, boneces e bonecas, sendo de mol-
des oteiramente novos, vindo eniro elles os en-
grasados bonecos de borracha : pan que se can-
eara ?,quando qnlzerem eomprsr qaalquer objeclo
sendo bom, bonio on engracado. lembrem-se logo
da N va K-peranca rna Duque de Cgxiy n. 63.__
Vende-sAJfi
Ur nena typrgrapbi
4 da ra ao Giz : i ira-
tt. VICTO
Ru^ do Barao da Victoria
Auiga ria. Novl 2.
Amaral, Nabuco A C. convidara os 'eu< am:-
Jes e freguezes a virem ao Bazar Victoria para
apreciar o apurado gosto cora que sao feitos di-
versos artigos que receberam ltimamente da Eu-
ro;ia, a saber :
Vestidos de bloni com reos e grinaldis para
asaeteados.
Ditos de seda lisos e miiisados.-
Ditos de fil de seda ricamente bordados a c5- -
Q9
Ditos do chila e de ganga cora todos es er;f-i-
es necesranos.
Ditos de cambraia Victoria flnissiro.
camisas bordadas para senhora e hornero
Saifs e penadores bordados.
Meias finas de algodo brancas e de cores para
lenhora. '
Sabidas da bailes e bourn< x de casemira
Basquina- de seda prela.
Ricas frnrhas .'< labyrinlh i liordades.
Cclxas de ed, de la; a srj,, tao e laa pora,
Au de m .-.-a de todas as cores, um* fazen-
da especial para c ibrir quadros, cspelhor e
relalos, unasiadarrenle liaosparente e prep^.
rada de forma a evitar completa mente o p.
Cnlerinbos e punhos de papel.
Chapeos de seda e de velludo para senbora e
meninas. .
Fitas macenicas de diversos graos.
Perfumaras do diversos fabricanies, leos, ba-
nhas, extractos e pos de arroz etc. etc.
Um completo sortimento da carteiras de mar-
flm, tartaruga, madreperla e conro da Russia,
indispeusaveis de seda, e de conro da Russia, the
zouras e caivetes muito fios.
Um completo sortimento de chapeos de sol d*
seda, bengillas de eaona, balea, borradla e ma-
deira.
Charutos superiores, fumo inglez para cachim-
bo, carteiras e boleas de seda para o mesmo e
ouiros muitos objectos.
Um cor.plelo sortimer/o de espelhos dooradis
de diversos tamanhos, de 4* a 25/1.
Sabonele inglez em caixinbas a 1*800 a duzia.
Florea
O jardim da Nova Esperanca rna do Duque
de Caxias n. 63, est replecto de flores de todas
as qualiJades : quem pnmeiro chegar colber as
oais vi cosas.
Papel para impresso,
Vende-se por prejo muito baiato, haveodo tres
tamanhos: na ra da Cruz n. 34, armazem de
Alves & C.
Cemento verdadeiro Portland.
Vende Joio Ignacio da Costa, em barricas, por
barato preco: no armazum daescadiuha da allan-
dega n. 5.
A' ria do Cbmmerio n. 10, escpoto- I
rio n'e Jurf .loaquim d Costa Mais; en- X
cunta-se para vender por commodus jj
I precos :
Azulejos hespanhes.
Fullia- de f>'rro galvanizado para tena-
[ do de diversos tamanhos.
Dilas de dito dito lizas.
Bicas de ferro galvanizado.
ICumeiras dilo.
( Portadas completas para cintari.
Ladnlhrs.
! 50 palmos !
Cano de chumbo estanbado para agua oa gaz
por 4*000.
CHAPMAN'S
59 Ra do Imperador29.
H W
a 3*200 a libra, em pequeas latiouas : s no
anrazem do Campos rna do imperad >r o. 28.
l'apfl i ara fo-ro de sal s
Chegon para livra Kwmksr ra 1* de
Marco n. 2, um b no c variado brlimealo de
papis pintad e dourados para Lt'o de salas,
qnarics, gabinetes, ele, etc.
MDTIW8
"i\


Oiaiio de FenamJDuoo Sexla leu ie Ouiubro ie 1871.
Soha-
Soe
Ciencia,
MWC1*)
Sdtdo
jets e ca*
MM V
Flor da Boa-Vista
DE
Pulo Goimares
0 propriettrio deste bem onhecido es-
tobeleeimeitte contina sempre segundo sua
intiga forma de primeiro barateiro da Boa-
AttJI

prova
admrem os
400
340
400
6W
720
85000
80OO
Vista e paramelhor
precos seguioles:
Guitas escuras e claras cores fixas
0 covado 160 200 rs. i. .
Cambraias de cores 240, 280 rs. e
Laaa para vestido 280, 320 rs. e
Creps escocezas fazenda nova a..
Alpacas lavradas d'om s cor. .
Cambraia branca transparente pe-
cas a 355.0 e.....
Ditas dita victoria a 40000 e. .
Bramente cora 10 palmos de lar-
gara, varae, a 20000 e. 2550^
Madapoln superior pecas 50000 e G0OuO
Algod3oa*,JlOOOe.....50000
Briin pardo trancado pecbiocba
covadoa....... 320
Dito dito liso moito fiao a. 320
Oatras moitas mais fazendas qae vende-
r por precos baratissimos como sejam :
panQos pretos, ditos azaes, casemiras pretas
e de c6r, merinos, brins brancos e de co-
res, seda para colletes, camisas inglezas para
horneas, meias, chapeos de sol etc.
Oflicina d'alfaiate
Os digaos regaezes encontrarn om gran-
de sortimento de roupas feitas desde o
mais inferior at ao mais superior que se
ache no mercado, assim como se manda fa-
ler toda e qoalqaer obra d'encommeqda
feitas a capricho, pois para este misterio
acha munido d'um perito mestre. Garante
ti f ^orem se menor 20 /0 de que em outra
qna\j'ier p^rte pelo o motivo de o freguez
l pagar o que compra e nao o aspecto do
di.'anelecimento.
49 Slua da linueratrli48
IUNTO A PADAKIA FRANCSZA
1 i* i Vi
Ai
>
> -
\
f "u a Nveoda em seus arnmens, alru de ontros
%li Tendal por procos^tnais mdicos que em ou-
tra ualqner parte :
PORTAS de pinho almofadadas.
- PORTEIUAS de ferro para cercas.
SALITRE ingles.
Sr^iUAS da India para cama e forrar salas.
CAS' )> Je barro francez para esgeto.
GE3S0 saperior em porgues e a contento.
EtfNTO de todas as qualidades.
MAG4NAS de de?carocar slgodo.
LJU \ e brinzoes da Russia.
OLE '.'IOS americanos para forro de canos.
nericanos muito bons e econmico?.
m i Bordoaux.
Giki.'UC uporior de Gautier Freres.
LO era saceos grandes a 3J500.
di leiima.
1ULANUS deciuoae*.
C\ DS I HAS americanas.
RUUi! la Jamaica.
AZ'Jt-EJOS de LUboa.
-
Contra a tosse
PASTiLIIAS PE1T0RA1S.
de
Goman simples crysUsaJa.
D'.'.:--- de angico
Naff .'Arabia.
Seve da pinbo marilimo de Logasse.
E outr-is muitas que muito se recomeudam pe
as.stus exjsilenies qualidades."
Vende na
PHARMACIA E DROGARA
DR
- Bartholomen & C.
31RA LARGA DO R0SARU-3
Xarope sedativo
DE
Casca de hranjas amargas
COM
BROMUtfETO DE POTASSIUM
DE
imiioze
Kse novo preparado apnvad > pela academia
imperial de medicina, mnito se recommenda pela
-?ua accao sedativa e calmante, sobre o systema
nervoso, o bromureto de potassiam, nao deixa de
dar os mais cortos resultados as diversas affec-
cSas do organismo e princioalraente as molestias
do coracao,-das vas digestivas da respiracao, da*
vias geaito-urinarias, na epilepsia, as molestias
nervosas da prenhez, na insoawia das crianzas
cturaato o periodo da denticio etc. etc.
Vende-se na tharmacia e drogaria
de
Bartholomen & C
"3-RUA LAR3A D0ltO3.\RlO-3i '
1 ......- i-.^i .....- ------------...
oces, fructas e flores.
Etna 'a Crui n. 13' vende todos os das :
Prezanto nm Qamb-e; a libra.
Lanchas todos os das, e diferente*.
Ge'a de mi de vacca ra copos.
Doces crysusados de diflerentes fructas.
Bollos, polios 6 b .ns bocea I.
Baodeijas com bolliobos, enfeiu-las.
Buuiu3ts de cravAs para noivas.
Flores avulsas e em boopuets.
Sorvetes todos os diaa a nouie.
JMW BIi fclVIDAV \O
ITES
LOJA E ARMAZEM
PAVAO
DE
FLIX PEREIBA BA SILVA
NA BA HA IMPERATRIZ N. 60
So a dinheiro & vista
Os propnetanos deste estabelecimento tendo grande necesidade le diminuir o in-
menso deposito que tem de fazendas-e grande nrgencia de apurarem dmheiro, tea re-
solvido fazer urna verdadeira liqaidacSo com graodw abatimentos nos precos de todos
os seus artigos: par*o qae cjnvidamao respeitavel pablico desta capital a vif aortir-se
poislnegarantemque em parte algami podero encontrar to grande sortimentoe mes-
mo nao coraprarao pelos pre.cos qae se Ibes pode v*ader Mioja de Piv5o; pgrm ad-
virtindo-se que s se vende a dinbeiro vista. Os me$mos preprietarios deste estabe-
lecimento rogam a todos os seos devedores desta praca e favor de viiem saldar seus d-
bitos, e todos aquelles que e3tiverem devendo contas antigu e o MoQzerem ter5o de
ser encommodadjs judicialmente. '
DE OURO

-
' "


I'
Jos Antonio Pereira
tim para vender na sna fabrica da ra do Barao
da Victoria n. i (amiga ra Njva) coarntos dos
mais acreditados fabricantes da Babia, como se-
im I nperiaes, Normas d Hvana, Opras, Ama
dora-, Lin1rino3 e Laes, de Simas. Iaiperiaes,
Expo^i^i, '^lOMiros, Bigarnlbns, de Cardeso.
H3i>ipes, Eipo Londres Al.oirantes BrasHeiris, Trabucos e Re-
gala Imperial, de Joaqaim Jos dos Res, e mais
qaadades de ontro3 fabricantes. Pumos Daoiel
Baepandy, Rio Novo, Mioas, Maranhao, Para e
Garanh io. e cigarros dos meamos tumos.
iWIDADE.
A loja do Papagaio acaba de receber ara com*
pleto sortimaato de sedas lavradas de urna
edr; assim como ura explendido sorliment de
eonpelinas de sada, tanto ara como outro .ao de
favrores imelraaente novos, e as cores sao as
mais delicadas qd* at boje tem apparecido nesie
mercado, sen preco iao commodo que nao ha
quem deixe le comprar : na ra da Imperatriz
a 40, eMaia da ra Sote de Setembro, antigo
beco dos PerrHiros, loia de Mandas A Carvalho.
Lindas grinaldas com llores e botes de
larangeiras c wvos e aaa elles, vendem-
se na Nova E fan?a roa Duque de Casias
n. 63.
Oleo, para machinas
Vende-se na Nota Esperanga rna Duque
de Caxias n. 63.
Nao baver eBvul?5es.
As cria ocas que aia/en dos collares ano-
dinos, que se venden na Nova Esperanca,
estarao isentos de cmvulsSes; pois sao os
verdideiros recobidos directamente.
L5 siuhas baratao do Parto.
Alsaeianas com HnJas tstras de sfida a
Ir(X) o covado.
Ditas lisas com muito brilbo a l# o covad
Allantas, fazenda de Oruito gosto tecida
com seda a 720 rs. o covado.
Ditas com quadros de seda e edres muito
delicadas a 640.
Poil de chvre, d'uma s cor com moilo
Drilbo a OOrs. o covado.
Merms escossezes fazenda de muito gosto
para vestidos bnnus e roapas de menino
a 6iO rs. o covado.
Gurguro muito bonito, tendo de todas
as cores a 400 rs. o covado.
Las'nbas nodernas com differentes gos-
tos a 400 e 500 rs. o covado.
Ditas ititaa a 280 e 320 rs. o covado.
Bareges transparentes com differentes co-
res a 160 rs. o covado.
Alpacas de cores lisas e lavradas fazenda
de muito gosto a 500 e 800 rs. o covado.
CassascloPavo.
Cassas inglezas com bonitos gostos a 200
e 240 rs. o .covado.
Ditas finissimas a 300 rs. o covado.
Ditas franezas de muita pbanUsia a 400
rs. o covado.
Cortes de ca3sas com 7 varas fazenda
moito fina e bonita a 2J500 e 3000.
Ditas d'organdy branco e de cores a
205'10.
CAMBKAIAS LABGAS A 800 RS..AVARA.
O Pav) tem Cmoraia branca transpa-
rente de boa qualidade, com 8 palmos de
largura, que apenas precisa 4 varas para
ura vestid) e venle a 800 rs. a vara, dita
flnissima da Escossia tendo a mesma largu-
na, que vende a 10600.
CAMBKAI vS BRANCAS A 40000 E 40500
O Pavao tem pecas de cambraia branca
transparentes com 8 1/2 varas que vende
pelo barato preco de 45O0O e 40500, ten-
do tambera muito unas de 50000 at
100000.
Ditas tapadas ou Victorias tendo de 30500
a peca at a mais tina que vem ao mer-
cado.
CORTES D'ORGANDY A 40000.
O P^vo tem cortes de orgaody branco
cora 8 1/2 varas que vende pelo barato pre-
Co de 40000, assim como fioissimo organdy
branco cora listriohas e quadriohos o me-
Ibor que tem viudo ao mercado e vende
pelo barato pre?o de 720rs. a vara.
Grosienaples preto e de cores.
O Pavao tem um grande sortimento "de
grosdenaples e gurgurao preto para vestidos
tendo de 106OJ o covado al ao mais su
perior que costoraa vir ao mercado, assim
como um grande sorliment de ditos de
todas as cores e branco e om bonito sorti-
m-Dto de siitinJ branco e de cores que ven-
de por precos muito era conta.
Poupc!aas de seda a .$000
O l'jaj tum um elegante sorliment de
poupelinas de seda tanto lisas como lavra-
das as mais modernas que tem vindo ao
mercado e vende a 20000 o covado.
ESPARTILHOS A 40000
CACHENEZ a 40, 50 e 60000.
O Pav5o vend espartilbos de todos os ta-
rnanios a 40 e 50OOJ, cacbeoez parisiense
com delicado ponto e de cores, a 40, 50,
e 60000.
CORTINADOS PARA CAMAS E JANELLAS.
a 80, 100. 120 e 1-50000.
O Pavao tem om grande sortimento de
cortinados ricamente bordados, proprios
para camas e janellas que vende de 80 at
160000 o par.
Pecas de cambraia adamascada com 20
varas a 100000. crochet ricamente bordado
para cortinados a 10300 o metro. Assim como
ricos damascos com 6 e 8 palmos de largu-
ra proprios para colchas de camas e tam-
bem ricas olebasde damasco a imitacao de
seda e ditas de ero het as mais lindas que
tem vindo ao mercado.
MUSSELINAS DE.CORES A 400 RS. O
COVADO.
O Pavo tem um bonito sorliment de
musseiinas de cores, padrees inteiramente
novos e cores fixas, que vende a 400 rs. o
covado. Ditas brancas muito finas a 400
e 500 rs. Metim branco da India muito fino
para vestidos e roupas de meninos a 720 rs.
o covado. Cretons de cores muito encor-
pados para vestidos a 600 rs. o covado.
ROUPA POR MEDIDA NA LOJA DO
PAVO.
O Pavo tem urna bem montada oflicina de
allaiate, administrada por um hbil mestre
nacional, aoode se manda fazer qoalquer
obra de encommenda, tanto para bomena
como para meninos, garantind -se a promp-
tido e aceio em todo o trabalno, e no mes-
mo estabelecimento encontrarSo os respeita-
veis freguezes todas as fazendas proprias
orno sejam pannos de todas as cores qua-
dudes e precos, novas casemiras de gosto
re ns brancos e de cores, assim como todas
Jisfazfin las proprias para fatos de luto.
CASAQUINHOS A 150.180 E 200000.
O Pavo tem um grande sortimento de
ricos casaquinbos de seda preta muio bem
enfeitados e modernos que vende a 150.
180 e 200000, sendo fazenda de muito
mais valor, assim como ricos chales pretos
bordados com franjas largas de retroz a
100 e 120000.
ALG0BA0S1!H0, WO.
O Pavo tem.pecas de"a^ovuftisinhomoito
boa qualidade que vende pero barato jasco
de 30200 a pee%. Ditos muito superiores
de 40000 par* ima. Algodosinho eofes-
tado com a largura precisa para om lencul,
sendo liso mdito encorpado a 900 n. o
metro e dito entrancado oom a mesma-lar-
gura a 10280 a vara.'
BRAMANTES A 10600 e 103050 METRO.
O Pavo tem superior bramante de al-
godo sendo preciso para um Iencol apenas
um e meio metro e vende a 1600 e 10800,
e de liDho* fazenda muito eecorpada, com a
mesma largura a 2*5SOOe 20500, dito fran-
cez do mais fino que tem i indo ao merca
do a 30000, 30600 e 40000.
ATOALHADO.
O Pavo vende superior aloalbado a 10600
e 20000 a vara, dito de lioho fazenda moito
superior de 30000 para cima, -eendo ada-
mascado.
Fazeatla para luto.
O Pavao tem om grande, aorti ment de
fazeHdas pretas para loto, como sejam:
Merino preto pora 6 pateos de largura
para vestidos a 20000 e 20500 o covado
Merinos pretos e de cordo para todos
os precos'e differentes qualidades.
Bombsiobas para t9dos Os precos.
Cantes e alpacas pretas.: Llasinhas pre-
tas ou cassas de 131 de 360at 500 rs. o
covado.
Cassas pretas francesas e inglezas de to-
das as qualidades.
Chitas pretas francesas e inglezas de 200
rs. para cima.
Crnpe preto para veos-
CASEMIKAS PARA CALCAS A 40, 50, 60,
, 70 E 801)00.
O Pavo tem om grande sortimento de
cortes de casemiras (te cftres para calcas,
sendo os mais. modernos que tem vindo ao
mercado e vende-se de 40 at 100000 o
corte, ditas em pecas francesas e inglesas
para ca'cas, pautla e colletes qoe vende de
10800 at 60000 o covado, ditas estow* a
prova d'agoa que voDde a 50io corte 99.
30 o covado, sendo estas casemiras moito
proprias para menteos de escola por serem
es :uras e de muita duracio. .
NOVOS VEStIDOS A 30000.
O Pavo tem lindos cortes de vestido de
fioissiraas camb'aia* com bonitos bordados
de cores e tambem todos bordados branco
que vende pelo baratissimo preco de 50OOO
cada corte, grande pechincha.
PANNOS de cao :h para ademas E
SOPHS.
O Pavo tem om grande sortimento de
pannos de (roch, proprios para encost de
cadeiras e de sphs, assim como um rico
sortimento de tapetes de todos os tamanhos
proprios para salas.
MADAPOLO BARATO A 40, 40500 E SI
O Pavo Jem pacas de madaptlo com 24
jardas ou 20 varas que vende a 40 e 40500
a peca, dito muito fino e largo de 60 para
cima, dito francez do melhor que tem vindo
ao mercado, assim como dito nissimo em
pecas de 40 jardas.
Corte de eMtao.
a 10600, 20000e20300.
O Pavo tem cortes de chitas francezas
com 10 covado, qae vende pelo barato pre-
co de 10600 e 20000, ditas que vende a
16o, 200 e 280 rs. o covado, tambem tem
um grande sortimento de ditas figas claras
e escuras que veude a 280 e 320 rs. o co-
vado-e fiaissimas percalesmiudinhas propri-
as para camisas, vestidos 6 roupas para me-
ninos que se vende a 360 e 400 rs.
LENQOS BRANCOS;
O Pavo tem lencos brancos abanhados
quo se vende a 20400 e 30. a duzia, ditos
grandos de marina, sem ser abanbados
30200 rs. a duzia; as'sim como bonitos leo-
gos bordados para mos. .
ROUPA PARA HOMENS.
10ftua do Crespo10
Pecas 6e algodao conv SO jardas a 44, 4^500
8*Duj de madapollo 4j, 5^,5*500, 6A e
Diu's de dito infestado, irancez superior <
phiias franceas de todas as qualidades a 240,
80 390, 30 e 360 o covado.
CaaibcuM de res a 240 e 280 ti. o covado.
Da lisa de cor a 320 r. o covdo.
DU6S proias ear loto a &M) rs. a vra.
Peen de catobraia *?a transparente a 3|, 350
9 DHas ie dita tapada Victoria, a 4J, 4*300, 64
e 7|
Oit de Ata transparente, snissa moito fina
cono 17 varas, 144-
Ditas de dito bordada com 10 jardas a 74 e
9J500.
Orgaody branco floo & 700 rs a vara!
Bnlhontma branca infestada a 440 e 500 rs. o
Brelnha de Knbo com 23 varas a 204000 e
254000.
Dita de diio infestada com 30 varas a 274.
Bramante de linbo com 10 palmos de largara a
2 500 a vara.
Dito de algodo a i4500 a vara.
Atochado de dito e de linbo com 10 palmos de
iMttir 14500e 34
Toalnas alcochoadas para rosto a 74 a dona.
atas de bobo do Porto felpadas a 10*000 a
Guardanpos de llnho a 34 e 44 a duzia.
Caberlas de ebia 24 e 24500. r ^
DiUs de chita adamascada forradas, 44, *4jO0
e54000.
Colchas de damasco de cores a 44 es.
Ditas, de fusto alcuchoadas a 5f-
Cobertas de li escuras a 24-
Ditas de algodSo Brancas a 14400.
Colleirinbos de linho a 500 rs.
Ciialf3 de merino dfoioa pretos e de cores 2*000
e 34000.
Ditos estampados c-o meia casemira a 24 e
2*500.
Damjscos de eores ; 610 rs.
Lencos blancos de v -,a lino^ 2*, 24500 e 34
a dua.
Ditos ditos e de c> r sbainhado largo a 34 e
3*500 a duzia.
ta de linbo finos a 6* a

ho a 44, 44500, 54 e 64
J e 14000 o coado.
* a 50o rs. o covado.
-na para calca a 14^00 e
i calQ.i a 8*500, 4*500
las largaras, 2, 2*30
Diios ditos de camb
dazia.
Ditos deesguiio de li
a duzia.
Bnrn Angola a 610, f
Brins de linho da c
Corles de meia t*u
1*400.
Ditos de casemira pa
5*500
Casemiras decores dr
e 3* o covado.
Ditas pretas, duas larguras a 2*500 o covadn.
Pao fino preto e azul a 2*, 2*500, 3*000
3*500.
Dito dito multo fino superior a 5*, 6* e 7*
covado.
Lana e alpacas de eores para vertidos a 400
500, 600, 700, 800 e 1* o covado.
Toalbas com lbyrintos para bandejas e para
rosto a 8*, 104 e 154.
Camisas de fhnella branca, e de cores 24,
24500, 3, 3*500 e 4*5C0.
'Grosu&poles preto e de cores 2*, 3* e 4* o
covado.
Do-se amostras com penhor.
Vende-se tambem grande quantidade de roupa
feita'c por medida por precos muito reduzidos.
Para saceos e fogneteiros.
PARA ASSCAR
CE RVEJA DE MABC4
* as
Sngarrafa Gharntos de Ha vana
Lona para velas
Gambraia Victoria
As verdadeiras trazem os nmeros estampados
as pegas e nao as etiquetas.
-Vendera-se
Em casa de
T. JEFFERIES & C.
46 Ra do Gummercio 46
-BRINS DE ANGOLA
OS LEGTIMOS
Trazem em cada pee a um MS he-
le cota o nome
DOS
nicos importa clores
T. JEFFERIES A C.
E' este o distintivo de urna nova e lem moni
loja ejoias,sita a ra larga do.
Rosario n. 24 A,
Os proprietarics desta elegante estabelecimento tendo em vina os esfor^os qoe
fiteram para o collocarem as condiccoes de orna grande clientella, fltariaro ao mate
rigoroso principio se Bao viessem a collumnas do jornal scientiBcar ao respeitavel pa-
blico, que do memo estabelecimento encontrara sempre o mais completo sortimento
de jolas, como sejam : brincos os mais modernos, para adornaren) as delicadas ore-
Ihas do bello sexo, e qae se vendem a 8, 9 e 10* o par, ditas para meninas a 4, 5 o 84,
ditas de coral, obra de apurado go.-to a 3 e 44, Voltinbas de coral com ernzes de onro
a 54, broches modernos de 3 a 134, ditos com pedras e em snas devidas caixinhas
10, 1, 16 e 204, rselas .lisas, .porm bem trabalhada?, de 24500 a 04, ditas coa]
pedras de 4 a 154, eacoletas a 44. ditas com InscriucOes a 5*5X0, aaaeis de diverson
gostos, e com bonitas pedras a 2, 3 e 44, ditas de perolae, esmeraldas e rubina a 64,
ricas cruzes de esmeralda e rubira a 12, 14 e 164, ditas de ouro e coral com vistas pbo-,
tograpbicas a 3, 4, 5, 6 e 74, figas de coral a 2*, oadeias para relogios a 204, dittas a
6*500 a oitava, guarmedes cora tres botos para aburturas a 4*, ditos de pedrlnUu a3*508
o par, ditos para ponhos os mais modernos a 7 e 84; alm de nm variadsimo sortimn-
to de joias de apurado gosto que recebeoo por todos os vapores da Europa; como
sejam : brincos, braceletes, aluetes, adereces completos, cruzes, rosetas anoett de >
brilbantes, esmeraldas, perolas e rubina. Medalboes, voltas, trancelins, anete com let-
tras e de di venios modelos, oculos e peneinez de onro e prata doorada, relogios de ou-
ro e prau.de afamados fabricantes, salvas de prata de diversos tamanbos, ricos palitei-
ros e faqaeiros, coiberes para cha e sopa, maracas para enancas, e urna mtimdade de
objectos que seria enfadonbo mencionar-se.
Os proprietarios da Flor de Ouro garanten) vender mais barato que em outra
qualquer parte, para que estar aoerto o estabelecimento das 6 horas da manh as 8 da
no ate. ,
AO 65
;.


RA DO DUQUE DE CAXIaS
(Outr-ora do Queimado)
Tendo-se resolvido d'ora avante vender-se oeste estabelecimento todas as fazen-
das existentes no rnesmo, por precos qae tedos admirarlo, acbo de meo dever partici-
pa-la a todas as Exmas. familias em geral, afim de virem vishar este estabelecimento
ou mandarem buscar amostras, garaotmdo-se-lbes um bom sortimenlo de fazendaa de
algodao, la, linho, e seda, ernfim urna infinidade de artigos de mda mandando-se i*
casas das Exmas, familias, por rapregado cfa casa, toda e qualquer fazenda para veren
oa escolherem.
As pe^s6as que vendem em menor escala podero bem sortirem-se neste estabe-
lecimento que vender pelos mesmos precos que em qualquer casa importadora, tendo
a facilidade de comprar qualquer porgao.
O 65 tem um completo .sortimento de roupas bem acabadas o que vende por
presos muitissimo c>mmodos; mandando tambem fazer por medida toda e qualquer obra
que os concurrentes destjarem para o que tem om dos mais habilitadsimo mestre
alfaiate, cortando por um systema inteiramente novo.
Os annuQcios nesta praca estao e por certo devem estar desacreditadissimos, pon
qoe'ha casas que annuuciam aquillo que n5o teem, o que o 65 g; seo estabelecimento, pois que s deseja bem servir ao publico em geral, para ganhar
g ande nomeada em todo o mundo.
O C5 acha desnecessario mencionar os precos de soas fazendas pois que isso tor-
naria-se demasiado macante para os leitores, por ter de ser demasiado extenso sea a-
nuncio, e mesmo para se tornar menos despendise pois qus vendendo muito e moito
barato mister encurtar suas despezas. A sinceridade dos tratos do 65julgo qoe jo
poblico conhece demasiado, pois que sempre tem cumprido com aquillo qoe aonoficia,
n5o verdade ?
E' INTIL, NAO SE CANCEM, COM O 65 NINGEM PODE COMPETIR
H
>
RA DO DUQUE DE CAXIAS
(Outr'ora do Queimado)
"

56 A
ura -rpida e. radical dos
callos
pela pomada Galopeau
Essa pomada qne tao bons resultados tem colin-
do as pessoas que delta tem feito uso aeaba de
ebegar para o seu deposito especia!,.
NA
Pbarmaeia e drogara *
D
Bartholomeo & C. roa larga do Rosario no-
mero 34-
Ra do Mrquez de Olinda56A
outr'ora ra da Cadeia.
LOJA DAS MACHINAS
Sendo este antigo estabelecimento assaz conhecido como principal e recommen-
iado pelos grandes d psitos e bms sortimentos com qoe sempre prima em ter da
:; elboras, mais acreditadas e verdadeiras machinas americanas para algo
da?, desde 10 60 serras, s bavendo em todos os tamanbos diversidades de syste-
mas e melboramentos para perfeito e rpido desear, gamento; tornara se dignas de
serem vistas e apreciadas pelos Srs. agricultores; os quaes, alm dist >, encontrarlo
tambem mais :
Bazar universal
RA DO BARAQ DA ?ICTORIA (OUTR'O-
RA NOVA) N. 52.
Acaba de ebegar para este grande estabeleci-
I ment um completo sortimento de machinas de
costura de todos os. autores conlueids, os quaes
garantem por anuos as ditas machinas, e se ven-
dem por precos lio razoaveis qae a todos agrada-
ra, eujos nrecos sao os aegaintes : 40i. 60, 80,
100*. 1201, 1304, 1405, ICO*, 1804, 2004, 220*,
250* e 3004. Giraute-se nos compradores a boa
qualidade de trabalno, e obriga-se a eu-ioar tan-
tas vezes quanlas sejam precisas .para bem com-
prehender-sd. Vende-se tambem pegas e mais
pertences de sobresalentes para as mesmas macbi-
nas. Previne-se desde j que .' se va.i ae cha-
mado para concert e eneioo de machinas das qne
forem compradas oeste estabelecimento.
S ob recasa eos de panno preto fino seodo
Lmoito bem feitos de ii& at 40*000.
Palitos de panno preto fraques e saceos
de 80 al 424000.
Ditos de casemira de cor de 64 at 125.
Ditos da alpaea preta fina de 41 a 65000.
Ditos de dita branca e de cores 65000.
Ditos d brim de nono trancado a 65000.
Calcas de casemira preta de 65000 at
125LO0.
Ditas de brim branco de linho de 45000
al 85000.
Ditas de brim de lioho de cor para lodos
os precos e qualidades.
^o^SLIa lT-peilos **?.
a aigoaao ae 15000 at 55, em dazia Yen-f Santo Antonio, multo fre>cai por nao terenreasas
Farioha demilho.
Vende-se larinba de railho moida a vapor dia-
riamente, peto precos seguirte; ; grossa, para
ang, pintos e passanohos a 100 rs., para eaogica
e pi de provenca a 120 rs., e para cuecs a 140
rs., em arrobas mais barato : na ra do Coto-
vello B.-J. ~
Aparados vapores lo60moves, de orca
de 3 4 cavallos, e pertences.
Machinas para lavar roopa.
Arados americanos para ranea e la-
deira.
Carros de.m3o para atierros.
Tinas de madeira.
Baldes de dita.
Ditos de ferro estanbado.
Ditos com vlvula para lavatorios.
Dites de madeira para compras.
Apparelhos para jardins.
Guardas comidas.
Tampas para cubrir pratos.
Tarrachas para fazer paralases de ferro.
Ditas dita ditos de madeira.
Trens para cozinha. '
Temos de baodeijas finas.
Emfim amitos oatros artigos, qae
examinados.
Correntes para arrastar madeira.
Cylindros americanos para padaras.
Pertences avolsos para machinas.
Salitre refinado.
Breo soperior.
Moiobos de diversos fabricantes para
milbo e caf.
Debolbadores para milbo.
Azeite de spermacete para machinas.
Camas de ferro.
Bombas de Japy.
Ditas americanas.
Cofres de ferro patente.
Canos de ferro esmaltados.
Ditos de dito etaobado.
Ditoa de chombo.
Ditos de borracha.
Folies para ferreiros.
s avista e neste eslabelecimento podero ser
de-se mais barato.
Ditas de meia de 800 rs. para cima.
Ceroolas de linho e algodao, francezas e
feitas na trra.
Coarinhos de papel, algodSo e linho
qae se vende muito barato para liquidar.
Para noivas.
0 Pavo tem rico gurgurSo de seda, bran-
co. Grosdenaple branco omito encorpado
Agracian as brancas con listras de seda.
Poupelinas brancas de seda lisas e lana-
das. Sedas brancas, lavradas e Usas. Cik
pellas com palma de flor de laranga con]
ricos veos bordados, qoe todo se vende mais
barato do que em outra qaalqaer parte.
A loja do PavJo
bOril da
acha
mente aborta das 6 horas da
CASAS
na freguezia de
_ nao terenreasas
efronte, com eommunieaedes internas, tendo tres
salas, gabinete, cinco quartos, qnintaes e cacim
barTrit-
-Wt roa Imperial sobrado n.
ATTENCA
A 13#500 a roba.
Vende-te velaa de coroposicao muito bom fabri-
cadas, com o sortimento completo, pelo preco ac-
ma : na ma do Vigario n. 26.
Cavallos.
Ha pera water na ra da Crux n. i3, cocheira,
V> eavallfppf prego oom modo.
GRANDE NOVIDADE.
Resuscitcra a grande liquidbalo do arma- .
zem e loja da rna do Duque, de Ca-
xias n. 29.
Cambraias transparentes de 25500, 35, 35500 e 45 a peca. Ditas Victoria d,4#,
45500 e 65 a peca. Dita de forro a 25200. Ditas de cores a 260. 240 e 280 rs. o cota-'
d". Chitas de cores claras e escaras a 240 e 280 rs. o covado. Ditas percalas finesa 320,
360 e 400 rs. Pecssdn madapol3o fiaos a 45, 45500, 55, 55500 a 65. Ditas deajajegio-
MDho, a 25500, H, 35500, 4550O e 55. Ditas marca T, largo, a 55500 e 65 Lias wm
listra de seda a 400 e5O0 rs. o covado. Alpacas de seda finas, a 6j0 80'i rs. o cova-
do. Liad js cortes de casemira de cor a 55. Ditos de meia casemira a 25500. Dito* oom
toques de mofo a 15. Ditos de brim pardo trancado e liso a i#. Brim prdo trancad fl-
oo a 280 rs, o covado. Gangas de cores, a 320.360, 400 e 500 rs. o o*a4e. Caatef de
merino liso de edr, a 25 e 25500. Ditos estampados a 15. 45500 e 01- Dito* 4 li-
sos a 25500. Ditos de casemira de cor a 255C0. Chapos de fostao de cor i a a
2:500. Ditos de merm preto a 35500 e 45. Ditos de ca-tor a 35500 e 45. I aa-
U a 11120. Lenco* de cassi com barra de cor a 15 e 15200 a dazia.
oa 15200 e 15400. Mas adamascados a 25500. Set.m brai
Alm deslaj fazcoda tea muius cetras que seria imf
MUTILADO
riEerva
mm


Diario d Fcruambudo J&Ktt* feira 6 4a Outubro 4 14171.


I
\>
t
"
m
^--^

DO

VTSNE
FIGIJEIREDO ft LOPES.
64 RA D4IMPERATRIZ \ U
proprietarios deste imprtame e sympathico estabeleciraento de fazendas finas,
van avisar ao respeitavel publico e particu.armente a sua numerosa freguezia, qoe o
CYSNE acaba de sortir-se de tudo qaanto ba de gosto e moderno em fazendas tanto
pan horneo como para senboras. *
lioso citar que os proprietarios da loja do CYSNE naturalmente providentes e
'oMt; espirito altamente conciliador dos interesses alheios com os seos, teem sempre
lega > e magnifico systoma de offerecer venda fazendas de todas as qoalidades e pre-
ivas de forma que fcilmente podem fornecer artigos de sua casa accommodados
a todas as fortunas e meios.
E sobre todas as conveniencias e meios preferivel comprar no CYSNE em con-
cia da sinceridade e barataza com qoe negociam es seos proprietarios.
l> lo-jvavel empenao de justificar as suas operacoes convidam as Exmas. familias
lar a sympathica loja do CYSNE chamando as attencSes do publico em geral para
u seguales especialidades e precos,
PARA NOIVAS.
M, capellas, sedas e popelinas Draocas
de Dres, golias, penos e camisas bor-
dadas, lodo caprichosamente escolhido e
para varios precos.
CRETONE BAPTISTE.
Fazenda lisa de nma s cor, de cores di-
versas, para vestidos e tambera propria para
sombras.
CAMBRA1AS
Transparentes de 8 1/2 varas desde
14500 at 84 a peca. Victorias muito finas
de 40 at 80OO.
, CORTES BORDADOS
Fazenda branca de delicado bordado
baixos precos acompanhada do competente
Igorino.
LAS
Variadsimo e rico sortimenlo desde a
lia lisa barata de 40 al a de lislras de seda
mais cara qoe pelo preco qoe vendemos
por assim dizer de graca vista do gosto
qoalidade.
BAREJES
Lindos padroes aos precos de 360 e...
400 rs. o covado.
. SA1ASBORDADAS
As que o CYSNE vende sao bellas e su-
periores.
LUYAS
As memores e mais procuradas luvas de
Jouvin, braobas e de cores s5o as que o
CYSNE expoe a venda.
BALOES
De cretones com babado e bordado, di-
tos de arcos a 105UO, pecbincba sem rival
no genero.
CHITAS.
Completo e grande sortimento de todos
es pregos de padroes modernos e cores fi-
las.
GROSDENAPLES
Finos de todos os precos e larguras su
CYSNE pode vender barato-
FLANELLAS
De cores e brancas de 500 rs. at 10300
o covado.
LPICAS
Lavradas de 500 rs. a I0QCO o covado,
especialidade do CYSNE que nao corita com-
petidor.
MADAPOLES
Francez de 21 jardas de 84 at 100000,
inglez de 50 at 8*000, e muito fino.
DAMASCO
Com 8 palmos de largura, dito estrello.
% CORTINADOS
Para camas e janellas de todos os tama-
nhos, cambraia para o mesmo fim de 20
varas a 10$ a peca.
ATOALHADO
Di linho adamascado, dito de algodao
muito finos, bramante entrabado e liso, e
barato s o CYSNE vende.
GARDANAPOS
Grandes e pequeos.
SETINS
Para todos os precos e diversos pa-
drees.
PARA NOIVAS
Camisas bordadas, peitos colarinho e
punbos lisos.
PARA LUTO.
Merinos, princezas, alpacas, canto, bom
basinas, chitas, cambraias etc., etc., por
presos que s o CYSNE vende.
PARA HOMENS E MEEINOS.
Brim pardo a 640, 840 rs., 14 e 10500
o metro, gangas de 400 e 440 rs. o cova-
do, e tambera, temos o afamado brim de
angola.
CHAPEOS DE SOL
Para bomens e senhoras dos melhores
fabricantes da Europa.
FILOS
De seda, ditos de linho, pretos e bran-
cos e mais baratos que em outras loja.
MEIAS
Para todos os tamaohos e qualidades.
CHALES
De merino lisos e eslampados, pretos com
franja de seda, ditos com franja de 15a, es-
pecialidadedo CYSNE.
Desculpem os nossos freguezes termos siao um pouco extenso na narraeao de al-
lomas novidades pois com quanto seja nosso interesse tambera o -dos nossos fregu-
tes que qaerem e gostam andar na moda.
Kua 4a loaperatriz n. 64.
k LOPES.
JOAQUIM
LOPES
MACHADO & C.
Travessa do Corpo-Santo n. 25
< *.. j*
ARTIGOS AMERICANOS
Cylindros para padaria.
Carros de mo para conduzir fazendas.
. Machina; para descarocar algodSo.
Folias de diversos tamanbos.
Cacos de ferro galvanisados para enca-
camento d'agua.
OBJECTOS PARA CARRO
Oleado preto pana gurda-chuva de carro.
Dito de cores para forro de dito.
Chicotes para dito,
Pontas de lance-.
Galoes de seda para o forro de dito, es-
(reitos e largos.
Pregos de cabera de marfim.
Escovas para dar graxa.
SWl^Si & m^l^
IJ
19 Ra Primeiro de Marco 19
Tendo renovado completamente a loja do predio, em que teem o seu es-
tabelecimento,
19= A ra Primeiro de Marqo19
com aquello asseio e elegancia desejave, acham-se agora prvidos do mais
esplendido sortimento de fazendas finas e modernas de
SEDA, LA A, LINHO E ALGODAO
todas do ultimo gusto, e continuara a ter como sempre, diversos
ARTIGOS ESPECUES DE ^UA CASA
Garantem, com tuda
a sinceridade, vender
por menos qne qoal-
qoer outro, porque
reetbein em direitura
a raaior parle de saas
fazendas. '.
19MA1.DE MARCO 19
(Antiga rita di Crespo).
CASACAUVtN.UUBB.
Pharmaceutioo privilegiado
succesaor
Boulevaid (Sebastopol, 65 PARS.
NOVAS ESPECIALIDADES A. MlNlEH
Apretinadas t AnHuma de Sriencias e ao InMilrto d# Fraflff,
113-lPf PAO ^ ,ornl <* Pa*'H", Uetdida e deseada paa
IKULVbMU hwr de momento'Un sohir^ia'
Prctira corUa ai M0LI8TIA8 COXTAGIOSAI.
LWIHMTIM)
do vQlume t\t nm relogio, servindo da
I-H1I.TR0 c SERINGA sem 01
Crifli iocBvenientti U fr*cillda.
-Moe*
tv) | UJUO COTBDO IODO HTATAUBNTO.
DOLLYBIO CnW* as afectte1 tfes ptoebr*
preparado ob > meSm form,
ferro pintdo e gaalvanisado.
ipas ferro U,
Formas pawf asihcar
Arados Americanos JW,, Wert
Machinas a Vapor de(orci ,,,.
Mac tinas & desmot igodio.
Trhos de ferro ^^^^
Fogoes americanos
Camas de ferro omAaa
vwinnr ^ grandes e pequeas.
Macacos de estiva
Cofres de ferro & m]ms t omrog.
Papel deomomlho
N Estes artigos vendem-se em
casa dos importadores.
Shaw, Hawkes de C,
' K. \ RA DO BOM JESDS.
(odtr'ora arADA Cbdz)
Di'posiarios geral para e BRASIL e POBTUCAla
" m larga dlH ERUAJBUCX
X**Ol te vio om processoTmais perfeito e qoe at-
*j i tal forma a Mtisfazer as exigencias mais
VSCM da escriplnracao.
k iaa cr lindissima e Dio precisa de coida-
o alfntn para se conservar no tinteiro sem ufe
oa a mesma e6r, sem borra, crsta, bolr oa sem
kIm estas manilas inherentes i todas as tintas
t agora conbecida's, aluda mesmo dos melhores
ores estraugeiros.
Sobretodo, este eatlroavel producto nao ataca as
unas de seo, antes, pelo contrario, a peona
dqoire um esmalte doorado qne, sendo interes-
cte, asss proveitoso.
K4a tinta, nao sendo especialmente para copiar,
comtodo dnas, tres, oa mais copias era oiei
'pois de escripia ; preciso, porm, deixar-rae
: papel bem molbado sem o enxogar com o mate>-
orrao, porque nao ba o risco de borrar. Para se
irar mais de nma copia, nao se agglomeram tan-
u fomas qnantas copias se qaerem- atar, mss
M-w coffl o original tirar nma unfts qnantas
tdfjMB,sem qoe o original flqae^prejadicado
lai extndes.
Occorre aqui dizer qoe, para copiar importa
tita intlligencia e habilidade, sem e que a me-
aor tinta nao satisfaz, e o defeito recae sempre
,-tr a tinta, qne umitas Tesa* 6 quem, moor
!p* tem.-v
i dupla qoalidade desta tinto extreaamente-
pftcUVei, pois que evita qoe em qualmer
[o caja mais do que urna tinta pa-a
n _
Bl
cripta soffre o choque d cidos fortissimos, sem
te deeompr : ora, se os cidos nao tem accao so-
bre ella, muito menos a accao do tompo a pode
destruir; isto plausivel.
^o s6ao eommareto qoe este meo prodocto
velo ser ata ; os profeesores dos collegios, investi-
gando todos os meios para o adiantamento dos
seos discpulos, tem approveitado esta tinta, qoe
ctm razio a acharara apta para desenvolver o
gdsto eos- educandos, em eonseqoencia da beleza
da. cor e acilidade de correr na peqoena peta sna
-flgaidz. H* exemplos de enancas qoe bavia
moito tempo tlbham orna repugnancia extrema
para a escripia, logo qoe foi admittida esta tinta
m coliegio, apoderoo-ee derlas a curiosidade e o
goo,e pooco"tempo depois oseo adiantamento
era maaitesto.
!5sta tinta, par de tantas vantagens, tem om
nico iDCOovenieote, deteriora-se ao cooucto de
odhra qualqoer; ceovm pois te-la em tinteiro
MatMdo nieoor vtelombre de ootr tinu, eevi-
t escrever com a penna saja de nma preparacao
Brete e incompativel; verifleaodo Uto, nao ha'
Observa(?o.
Diversas falslflcacdes a semelhancas tem appa-
coja *wa*4rMa<*e dnviaos. Os Srs.
loret podes evMar o eofaq ttrigMkH
einsaataseBBjp paitado a tata qoeeo

13 RA DA 1MPERATR1Z
DE
ULYSSES 'IIIMO
Neste bem conhecido e acreditado estabelecimenU, eocuntrario nossos amigos e fre-
gueses cigarros de pailia e de papel de diversos ttulos e ds nfelbores qualidades de
fumo. Charutos dos mais acreditados fabricantes da labia e do Rio de Janeiro ; e bem
assim, pnteiras para thirutos e cigarros, cachimbos < e espuma, de porcellana, tfe ma-
deira de diversas qualidades, de lou?a e p de ga!linha muito finos a 2(J600 a razia, e
muilos oulras arti,os que du'xamos de mencionar.
Fibrica ele cignijros.
Bem atiesta a sHperkridade dos cigarros de nosa fabr'ca o grande consumo que
dellea tem havido nn intuior e as provincias do norte. Com presteza apromptamoi
qualqoer enccmmenda, remettendo-a ao seo destino.
BAZAR ACADMICO
13RA DA 1MPERaTRI?-13
'Ulysses & Irmao

LOCA'E V.IDROS
Ra da Imperatriz 15
DE
DLTSSES & MO
Tendo de ebegar um novo sortimento, e tendo de s .lrer urna reforma o systema
de negocio deste est?belecimenlo, seus proprietarios resolverm expor em liquidado,
grande qnanlidade'de pratos de louca, tijelas, apparelhos de louca para jantar e para
almu?o, etc.
Graode qoantidade de.co .ns de vidro fi-
nos para agua a 4jJ2uO, 455CO e 4iJ800 a
duzia, clices de vidro finos para licor a
3J000 a duzia, ditos de cor para vinb) a
2)5500 a duzia,-garraas finas de vidro ba-
carat para vinuo a 5^500, 6?, GoOO, 7)J
e 7a|KO o pr, bontas cnDaputeirasde vi-
dro a 6&oO, 7)5500 e8500 o pr, rau-
do evaiiarr. s Quos para
flores a U, <. M, 60, 70. 85, 90, 100,
110, 120, 135, U0. 150,160 e 180OOU o
par, cbamins aftericanos para candieiro a
i'tO e 20400 a duzia, escarrdeiras de
vidro a 3.'> ros de 10500 a 2j>0D cada um, lampari-
saa com vidro para cima de meza, parede
aependorar a 10500. 10700, 20 e 20200
eddauma, bonitas quartiuhas hamburguezas
a 40500 e 50000 o par, lindos pa ileiros
ce porcelana branca de 10200 a 30 cada
dm, bonitas canecas de porcelana com frizo
u esmaltadas para cal a 60000 a duzia,
escarradeiras e ropo de crystat de cor para
eavatorio por 30000, pralinhos de vidr
Ipara copo a 320, 400 e 500 rs. cada un >,
seitiubas de vidro para passas, figos, etc.
etc. a 800 rs- cada urna, compoteras de
vidro para doce secco a 20 e 20500 cada
orna, castices de vidro s pura vela a...
10200, canecas de porcelana com tampa a
320 rs. cada urna, gaibeitas de vidro para
missa a 800 rs. o par, candieiros de vidro
com globos a 50, 140 e 160000 cada um.
E outros artigos que deixamos de men-
cionar ; e prevenimos a que precisar com-
prar algum destes objectos que approvei-
tem a occasio de comprar-los por menos
20 % em razSo de termos de liqoidal-os o
mais breve possivel. Ra da Imperatriz
n.15.
OLEADOS E CASEMIRAS PARA FJRRO
DE CARROS.
Vende-se oleado preto grosso a 20200
o covado.' Dio cor, de cinza a -10200 e
coi de caf, "verde e preto a 10400 o cova-
do, para acabar.
Panno fino azul escuro a 30700 o covado. groza a 1800
Cortes com 17 ovados de chaliz a 30000
a 40500.
<'oberto~es de 15a escossezes.
Colxas de a'god5o branca e de cre's de
30uOOa 40900.
Sediiiha preta a 500 rs. o covado.
Dita branca a 6r0 rs. o covado.
C-irles com 21 covados de sedirjha de -
lisura por 250000.
Fronba8 de crivo a 600 rs.
Alpaca preta sarjada a 500 rs. o covado.
I iem branca a 500 rs. o covado.
Guardanapos de linho para cha a 20600
e 30UOO a duzia. "
Ditos para jan ar a 70300 a duzia.
c. imiinhas bordadas para senbora a...
2(5 500 6-30! '00.
Lindas catubraias Imperatriz cortes de
10 jardas por 90 00.
Cortes de cambraia de salpico com 8
varas por 50500.
Tapetes grandes e pequeos.
Lencos de cassas pira crianzas a 10100
a duzia.
A'god3o branco e de lista.
Peitos de esgoilo de linho para carni-
za a 10
Punbos o par a 800
Collariribos fino-, a 500 e 600
Espartilbos bordados finos para senho-
ras a 50
Meia.-; finas para bomem, senbora, e
cianeas.
L3a fina para bordar libra a 60
(Jarretis de linba Alexandre a 80
Dila em duzia a 920
Abotuadura para collete a 120, 200 300
500
Ditas para punbos a 300 e 10
Papel de pezo, almaco e- pequeo de
cores em caixinha.
Lalinhas de, banha a 80 rs. e em du-
zia a 900
Brincos pretos de borracha e alfioete a
800
B loes de duraque preto para psiitot

i
Flanella branca iogleza a 10400 o cova-
do Dita moito fina -azul com duas largu
ras a 20300 o covado.
Casemiras escoras 6 claras d duas lar-
guras a 20400, 20600, 20800 e 30000 o
covado, as quaes servem tambem para pa-
;tot. No Emporio Commercial ra da Im-
peratriz n. 15.
CHAPEOS DE PELLO PRETO A 90000.
O Emporio Commercial est vendeado
chapeos de pello preto para bomens a 90.
Ditos de castor branco a 100. Ditos de
palha e feltro tanto para bomem como par
crianza. Bonets de conro da Russia para
meninos a 10500 cada um. Chapelins de
seda para baptizados de crianza a 20500,
30 e 30500. Bonitas tonquiobas francezas
de lia para enanca a 800 rs. cada urna.
Cbapelinas enfeitadas para senbora a 50,
60 e 70000 cada urna. Chapeos de sold
seda tanto para bomem como para se-
nbora Na roa da Imperatriz n. 15.
GRANDE ARMAZEM DE VARIEDADES
EMPORIO COMMERCIAL RA DA IM-
PERATRIZ N. 15, DE ULYSSES A IR-
MO.
Este novo e grande estabelecimento con-
tina sempre firme em vender barato para
vender muito, e em consequencia de nao
baver ainda ebegado algumas encommendas
qoe temos feito, e escasso como se acha o
nosso mercado de artigos de g sto'. vende-
mos por mdicos precos os que se segu.
Superior panno preto PH a 60 o covado.
Dito dho Brasil a 50500.
Superiores casemiras escuras e claras
para palitots, caigas e collete.
Bros braocos de linbo de 103:0 a 20600
a vara.
Brim pardo a 300 e 560 rs. o covado.
Mad a pollo francez e inglez de 50100 a
150 a peca.
Grande sortimento de chitas.
Grande variedade de bo'oes para palitots
e collete que se vende barato,
Carxas com dez novellos grandes de li-
nba a 440
Ditas com 50 dit is a 650
50 pegas cordo de vestido 600
Pega de fita para coz 440
Sabonetes transparentes finos duzia 600
Colleres de metal fino para cha, duzia a
20dOO
Ditas para sdpa a 40
Tacares de faccas dozia 50, 60 70 8A
e 90000
Temos de bandejas ovaes a 100
Dit s lizas a <0
Sabonetes finos e igaaes duzia a 10200,
10500 e20
Caixas de botes de osso para calca a
200
Sutaes branco, duzia a 280
Tranca de 13a e branca de caracol dozia
a 560
Retroz preto e de cores, oitava 240
Carnizas de meia crua muito boas a 10
Sitinela de algodo de cores para roopa
de montana, e deepianca covado a 5
M-rin preto trancado a covado a 30300
Leucos ue linho em bonitas caixinhas do-
zia 50800
Lindas cambraias bordadas de 13a vara
10060
Colxas de pello de lontra com duas vis-
tas a 140000
Cretone matisado para cobert covado a
700
Grande sortimentos da perfumadas;
bonito toyalet de vinhatico cosa podra'-o
more e vidro oval, um guarda roopa
amarello ; seis cadeiras de goaraicto, %
ditas de Dragos e duas de balango, t
de Jacaranda massico, proprio para
I gabinete e vendem-se por mdico i
N3o ser mo vender so

\ por ser resto.
EMPORIO COMMERCIAL
15 Ra da Imperatriz 15 j
es & Irmdo.
Ulysst
<-ntYB>i:
-LIQlDACAt
E1 PECHINCHA. t*
Cbita lisa josto de praja a O, 0, 280 e 3J0
o oVaido- peohiDcBa. ^^__^. ..
Cobertoroi da lfa>e35 ^52?
kt|A|n I>mi
Cerveja nortvay
de saperior qnalidide, em garraf H^B. ven-
de-se m porcao e a retalbo : na rna di fcrtraei
de Olind n. 39, 1* andar.
_________ --------mJ
Libras ste*rHfl|^
Veode-se no artaatem de faxeadu B Aurastc
P. de Oliveira 4 C., rna lo Commercr 3. 41
VKNB-88 un* eaaa 4e **. fio tBfwo
r?-rr

T*
^*W



.*_
8
Diario de Pernambuco' Sex(a eira 6 de Outubro de \tl


\
i.
\*s
>
LITTERATURA.
BOBGES, KA ttSSO FNEBRE DO NOVO
ATHENEU, EM MEMORU Di SEU SOCIO 110
NOBABIO 0 ANTONIO DE CASTRO ALVES, E>l
24 DE STEMBttO DK i87 i.'
Ese eu Javo expirar.. se a Abra marta
Reriver d?d pode a Unto alent
. Onipanheira uiBa crui na s.dva c.-rtn
E plao'a-a oo mau iojco monuwent .
(Castro Alvks).
Seohores.A mocidade, sempre alegre c
prazenteira, irajando pesado lo*.-., chora por
a'guera.
E' que elL grande e nobre na alegra,
coma na dr;*
Uonlem un riso faguero Ibe pairava nos
labios, applaadind o as sublimes producgos
de um genio ; boje as lagrimas, eloquente
pbrase de urna saudade profanda Ihe escal-
dan as faces, carpindo om Gompanheiro
illstre que as inspiradas cordas de sua
lyra Ihe cantava epopas.
Significativo quadro. onde o solucar djs.
pareles, amibos e compaobeiros se con-
funde coiB os bymnos sagrados dos aojos
em honra do peregrino bere, que bera
cedo-flnilou su i grandiosa romaria no uni-
verso. *
Assim a veloeidade do genio, que como
um meteoro de luz apparece, brilba soma
se na immensidade do espago.
Fdtaiidade ou nio, a eternidade Ihe per-
tenci'na Ierra e no co.
E conn assim nao deveria ser se mag;s-
toso e d vno era-he o talento?
Maf sen neme ? Sanbores! Esse j nou um monumento, e mate tarde e.-tar
gravado eraout/os para a posterida ie, que
entiuniasta levanlai hosannas a Castro A -
ves.'.como nos Ihe erguemos ovacoes.
Sim, meus senhores, sen nome ah fica
prorranciado, symbolisando eternamente a
sublimidade di tres elevados sentimentos
amfliv araizade e caridade.
Qoe tgam as bollas filhas de nosso paiz
a innocencia daquelle amor paro de poeta;
Qu alle 4a sinceridad*) de sua araizade,
que para elle era um culto, o coracio desta
uiocidade, partido no delirio de urna dr
acerba; ^
Que o gemido do pobie, do escravo o (lo
enfermo seja a jr*a exuberante de su i de
dicacao pelos infelizes, a verdade profe-
rid* por mimares de vozes, o unisono
canto de louvor entoalo por seus cenci-
dados.
Agora o que restado poeta, ammte, ami-
go e christo?
Muilo, senhores,sua memoria, ou re-
presentada lente recinto entre estas apres-
tos fnebres, ou no corceo de todo3 seus
irmios.
Gomo Alvaros de Azevedo, possuia vasto
conhecimento da liiteratura allemla, fran-
cezi e ingleza, como elle, penetrava nesse
ddalo immenso de sciencia sem nunca
imitar.
Genio creador, inventor inspirado, dese-
iiiiou com vivas cores as bellezas da rica e
encantadora natureza da patria.
Arrojado no pensamento, sublime na
idea, niegoem Ihe levou vantagem no seo
estylo predilecto.
Como C. de Abren, erao poeta de tima
harmona arrebatadora, de orna meloda
amena e doce.
Tcdo isso, porm, como que estava su-
jeito a om fatal engao.
Vmte e qoatro annos erao lempo ma-
cado no grande e infallivel livro do deslino
vir'a do joven e distincto poeta.
Para a immortallade j Ihe acenavam
teus pas e um irmo tambero eminente
poeta.
A formosa e linda provincia da Babia foi
o berco digno de t3o Ilustre familia.
Aindi bem, irmos,precioso legado nos
deixou o nosso Ilustrado companheiro.'
Ousi: As Espn as Fluctuantes, Gonzaga
ou a Revolugo de Minas, o poema dos Es-
cravos; soberfjo thes.uro para a mocidade
estudiosa, magnilica prenda para a patria,
qoe o ama-a. e p?ra tpdos inde'.evel lem-
branga.
Grande f>i. seohores, a perda que soffre-
ram a patria, as lettras e mocidade ; difli-
cil vacoo da preen :her-se, mas fercoso
cam 03 decr
'inli
riso de resignaos o boj labios
at seu ultimo instanteera que a immor-
ta idade era sua.
Ele vestigador da nalurezi va no per-
pa9ar.da vida o alvorecer de um dia, o es-
plendor delle nomeio de seu curso, e pouco
depois o destrabar da tarde.
Era poeta, era um genio, assim pensava,
e 89 im deixou o involucro material que j
ihe era pesado.
Rjsignado niio diz -.FataMae, nem pro-
nuncia a phraso de Gheoier; um sorriso
lodo seo discurso, orna lagrima toda sua
saudade.
Que mais para desejar do joven intelli-
gente, do irmio querido ?
O sorriso,qoem sabeje orna boroica
resignacSo, ou orna amarga irona ?
A lagrimaessa foi /por vos, mocidade,
patrio e templo da inlRigencia. *
E' impossivel cessar de chorar, urna luz,
que se apago.i, urna flr que perdou o per-
fume, urna aurora,-Jjoi no chelea a raiar,
porque o furacio foldou-lbe o firmamento.
Silencio... Silencio... amigos para que
perturba-lo, deixemi-lo descansar, quemis
lardrf fallaiemos com elle, por ora digamos
saud sos: Al logo, irmio. at logo, amigo,
e talvez oucamos timbm mais larda da
losterid>de ; muilo bem, mocidad*1, moto
o -m, a vossa dadiva sombra Ilustre e ao
volto giga ite foi leal e si;era, como de ir
mos, tu vos saio. Dixi.
Fhederkx) Borces
O capuchtnhas.
%i"
OS CAPL'CIIINIIOS EM PERfAMBCCO FR. PLACIDO,
FR. CAETA.VO.
(Contiuuaco).
Creou e deu incremento duia aulas com
permis.3o da presidn ij, assfatou un for-
moso cruzeiro, esquerda do collegio da
Seohorn di Bom Conselhoerigi umsiogelo
Citniterio, e nao se cdvidoa da m a tria, de
novo principiando urna outra ao lado op
posto da aniiga povoa^So.
E por esse modo rgaDisoo Fp. Caelano
um corpa de moral todo pralico capaa de
levar imaginicao as mais suave: impres
so'S e ao corafo as mais locantes (oovic-
cQes dis verdades eternas do caiholici>mo;
a raagfltade infinita que desee resptaode-
cente dos escabellos do Eterno e que se os-
tenta, radiante, nos bracos amorosos ama
cruz e na fachada imponente de um lempki,
al o morn i silencio dos cemiterios, com-
memorando no balancar trislonbo dos cy-
prestes, a fragilidale e o nada da bumani-
dade, se achavam bem representados no
presente grandioso que o acrisolado amor
ilo capuchinho entender oflerlar aos filbos
do Papa cafa-. E p3ra cumulo de seos im-
mensos se.-vicos confippou a uocco salva-
dora do baptismo appl'cando a chrisma
7000 pessoas E par todas essas obra9,
que a lombranca e" a dedicafo dos gover-
nos nunca comprehenderam, e cuja uti.ida-
de nao qulzcram aitender a assemb a pro-
vincial arbitrou {:300fS00O deslina los
auxiliaras despezas das orphSis do colle-
gio e compensar as professoras! E
um governo qua se diz catholico I
Boiqne tambera merecen a atleDCjio do
portentoso monge. Elle levantoo a ma-
triz qoe aaparou sob a egide protectora de
S. Fehx de Cantalice, sepultando em sua
fiase milhare8 de ponas de faca, de estoques
pistolas e b3las de clavinotes, expres^So viva
da dr do coraco nascida nos sinceros ac
centos de um contricto' arcependimento;
erigi um espago30 cemiterio, e chrismou
2924 pescas..
Ni Lago i do Monteiro-renovou e augmen-
tou o templo 24 palmos, fez um cemiterio
e co istmio um grande acude, obras esas
que todas erara reclamadas pe'as necesida-
des p Iptanies dos Lagoenses e qoe se
tornaram para elles de summa otidade.
D'ihi passou passou para Ingaieira onde
fez brilriar os attrativos de sua palavra evan
gelica, lovantou um lindo cruzeiro, sepul-
tando em sua raiz jmmensas ponas de fa-
cas, pistolas e balas de clavinotes, creou
um patrimonio para a igreja de S. Jos e
formn um acude.
FOLHETIM
AILHA DO FOGO
POR
ALEXANDRE DMAS
. (Continuaco do n. 227)
III
O pacto.
Qoando Euzebio conoprehendeu que
Ester iD'Orrera, nao teve limites o seu deses-
pero.
Arraocava os cabellos: erguia os bracos
para 6 co e dava gritos aflligidores.
O Df. continuava sentado no mesmo
banco, lomando caihimbo. Nao disse se-
. qaer Dina palavra, era fez demonstraba>
algara para serenar a dr de Euzebio.
O pobre moco entrou por fim a chorar.
As lagrimas sSotambera urna consolac5o, e
mitigaram o desespero do rapaz, qoe, sen-
tado borda da cama e afastando os ca-
bello qoe cobriam a cara de Ester excla-
mou:
Ah senhor I No sabe o que per-
co. Imagine que nos educamos juntos-; a
sua casa Ocava ao lado da minha, e assim
nos divamos ambos aos brinquedos da in-
fancia, como depois sopportamos juntos as
desgranas da vida. Anda nio tinba dez
annos e j me chamava sea marido. Ob I
Qaem me dira qae to cedo vela-bia pal-
uda, gelada, mona t Ab i mea Deas, mea
Deas !
f le commum, respondeu o Dr.
saborea! o a cachimbada. Nos florecemos
para nos morcharmos depois, e Telizes dos
qoe morrem na jnventode, quando a vida
ama flor perfumada, e desgranados dos qae
morrem na velbice, quando a existencia
est secca e eorogada. Ea son j velbo, e
se dissesse qae foi menino, sympathico,
alegre e encantador, rir-se-hiam de mim,
n3o jeerto
E desatou a rir, com aqoelie riso que
tanta repognaneia caasava.
Eaiebio estremecen, levantoase, e tr-
*
taarca de Pajea di
irce^iida. t^T
aente ern* Gi
a de que o encarreg
ent3o o Dr. Francisco
do o espirito publico se acbivT agitado
n'iquelle logar elle segoio de ana esponta-
nea deliberafo para Paje de Flores, onde
reparou a igreja das Varas e firmou os
principios mais incoocussos ca mMt pu
Mica.
Em 9 dias que compozeram os tr apostlicos do veneravel capu:hinbo anda
elle- edificoo um grande cemiterio com
100 palmos de fundo e 50 de largo,-no
fundo da capella-mdr e ao lado di sachris-
tia, tendo em um lado umi capellina -de-
dicada Nossa Senbora da Penha; nao fl
coa porm essa obra completa por oSo ha
ver ollcial de pedreiro ; e ,sendo- terreno
pedregoso e improprio pira o fim destinado
Uve de elevar nm grande aterro d ar I
ultura de 8 palmos em lodo a cemiterio
Abolindo por este modoem Paje. o abusivo
e inconveniente costme dos .enterras-nos
templos elle prestou um sar v$o real co-
marca de Paje de Flores, onde deix-. tam-
bem iosiituida a consolad tu devocSo do
mez mariano.
Em Biisa-Verde (povoaclo) missionou
elle 7 dias e empeobou-se ni fietnr de
ara acode, que de ha muilo se havia prin-
cipiado, e o) concluindo pela sua pequea
demora, deixou-o todava em bom p, fez
Ibe um.grande paredio, formaado urna ex-
celleoie caixa, (toe com mais afjum jeqoe-
ao servipo ser ma das melbores obras
oeste genero pelo cenlro. dando urna grao
de importancia, qae asss sontia a fiti de
semethanle obra. Isio dizia o respectivo
vigaro er27 de deaembro de 18S:.
Taltfoi o aelo qo desenvolveu incansa-
vel mis i-iii-ario oa toma rea verificaram-se 68 casaent03, 105 baptisa-
dos, applicaram-se o santos oleo* i 112
prvulos e allt)s de- ambos os. sexos e
chrisraaram-se 5i40ft pessoas. ligantes
sao por certo- os esf>r$o qoe prodo' em
-taes resultados I'
O anoo de *855 estava predestinado- nos
arcanos do omnipotente para testemunbw
um faci estrondoso almejado pela igreja
pernambucaQa e suspirado por tidoi os
coraces calholieos,. qae ai ida se nao cki.
xaram vencer pelas suges45es pretenciosas
dos denominados espirito* fortes.
Sao bera conheeidos os ai varas de 19 de
Janeiro de 1759 e 25 de evereiro de \im\
pelo qoal e regalismo baoio da igreja oor-
tug'neza a corporacao- dos jesutas e apode-
rou-sedeseus bae.. N3o- occasiao o
porluna para ti acjrmos a defeza dos extre-
mados hroes da companhia de Sialo Igna-
cio de Ljyola. H ea 4814 e por esse
mesmo Mario dissemos & tal respailo ab-
gumas palavras: anda boje consagramos o
mesmo nodo de pensar.
Entre nos porm os con-equencias do
acto decoramunal do regalisrao foram mais
terriveis e mais desastradas ; a igreja per-
nambiicana mais qae qua quer outra chorou
amargamente pela violencia do marqoez da
Puntal,
O magesloso tamplo do collegio que
outr'ura bava sido a casa da oracao dos
iucangaveis filnos de Sanio Ignacio de Loyo*-
la nesti provincia est va entregue mais
alta prolanacio a ponto- de dentro do san
recinto se amarrar nao poacas vezes caval-
los pela reda-f... Nao poda excedor-se
mais 6 espirito de reaeldia e nena ablr
mais a degrtdacao moral pela reiaxacaTi dos
lafos qoe prencham e crealra ao se Crea-
dor e que ligam a trra o co, pelo aagas-
to da religi5o.
Um tal estado do coazas porm devia
eri) e abrip os alicercas
palmas de fundo e
_ wpmn.
ito da ConhaTigaeiredo qae de bom
grado e coa louvavel satisfaced ajulheu os
votos pios da provincia qae em pesp se re
gosijava p=la benfica reslauraf5o.
E Fr.'CaehO di Massiaa, o mi.-sionaric.
incansavol, que nunca se esqueceu de tra-
balbar na reprodocSo d^s talentos, que Ih
haviam sido confiad js, o capuc iobo bene-
mrito, ,que com a uncco de sua pahvrj e
cem aioroa moral do seo caja lo sabia con-
verter as bailas em podras, a plvora em
arj, cal 8 barro,, as facas, os estoques e
os bacarmrtes era outr s tantos iosiruraen-
tos para a ereccao dos templos e dos ce-
miterios, o rar8o iuslre q ie sempre o go-
ttrno acboo no caminbo da piz pira tr..ba-
mar em'proi do gremio soda I abalando o
germen das rdvoltas e mokas vezes extir-
pando mesmo raizes que j comecavara a
vigorar, foi por assim a alma que animou e
qae conseguio essa restauradlo; fji elle
que empenhou-se 'para com o Exm. presi-
dente de ent5o e que por outro lado furia
leceu a irmandadj que considera va a era-
preza superior s soa torgas. N-m to
pouco me esqaeoerei do re^emaneadar
vossa gratid) o mencioaado Rvm, pidre
prefeito do hospicio de Noisa Saobon da
Penba, que to assiguaiaJos servicos nos
preslou >a empenlando se pelo bom exit >
da nossa pretengo, j esclarecido nos com
os seas prudentes e luminosos conselnos, e
j hualmen* excit.ndo o povo coocorrer
com as euas- esmolis para as obras desta
igreja. Eram essas as palabras do joiz
desea irmandade ea> seu re .i torio masa
Eregedora. E O'qoe mais p/deria fazer o
?lustrado capachinofr^-ste serwco s por
ti se ia bastite para tornar immorredoura
a memoria de F'r. Caetanu de iVfessina, se
com uutros oao formaste elle a bulla corda
de gloria do benemeiito*missionario.
m 1850 preparou se de novo Fr. Cela-
no-para continuar a labora ,51 dos campos
do Senbor e a 25 de setembro parti com
destino Papacaga onde ia continuar dar
incremento ao collegio, que adi tinba feto
erigir se. Mas- a Providencia era seoe altos
designios tinba Iransiornado os planos de
sua viagem e Ibe bavia assigoalado urna
derrota mais dilatada porm mais laureada
de t razes. \28-desembarcou -lie na villa
do Pa'sso da Camaragibe onde foi obrigado
missonar pelo grande numero te pessoas
{-que afluiudo ao seu desembarque moslra-
ram desejos bem pronunciados de ouvir a
pala-ira do Senbor.. Domorou-se abi T dias
que d3o foram perdidos para o bem das
almas eservico-da religiao; pois que con-
'segoio effecluar 70 casamentas de amance-
bados, muitos baptisados, om perdo geral
entre inimigos e O levantainento de urna ca
pella de Nossa Senbora d > Bom Conselho
de 20 palmos em quadro. dentro do cemite-
rio, que estava quasi entregue ao.despreso.
J era grande a colbeita porm nao estava
anda concluida, resta va alguma cousa para
completar a tarefi do-ioexcadivel apostlo.
Sobstituio a forle cerca que fe:hava o-cemi-
terio por um muro de podras, mandando
fazer e logo collocar urna grande cruz na
frente do porto da entrada e mais quatro
pequeas para os qaalfo cantos do cemite-
rio. e assentou no adro da igreja da villa
um grande e bonito cruzeiro nao se esque-
ceodc de calcar O pedras o paleo da mes
ma igreja com o auxilio de lodo o povo de
ambos os sexos. Sanios mvsierios do ca-
tholicismo cojos esplendidos triumpbos
sempre se patenteam por um modo-adaira-
ve 1 e portentoso. Dahi seguio Fr. Caetano
cessar fazendo baquear a pretendida victoria1 (para, o Gavio, que conserva h je o nome
ao espirito do mal. Dir se-hia o Eterno quiz -
por esse modo tornar bem saliente o vacuo
que bavia aberto o regalismo pela ausencia
forcaffa dos jesutas e tornar por demais efi-
caz o castigo de lio 'descmmunal arbitfa-
riedade.
O corceo catbolico gemeeu, mas afinal
o Supremo Consolador encarregou se do
remedio e f i -elle mesmo habitar no templo
abandonado para qua o cristianismo alean-
casse um esplend lo e primoroso inum
phe... No da 8 de aetembro de 1855 ef-
fectuou-se a reconciliaco do templo que
havia sido entregue irmanda ie do Di /ino
nando a seatar se ao p do cadver, ex-
clamen :
Jess I Jess que se de mira !
Isso agora outra coasa, disse o Dr. ;
lameiite-se pela sua propria forte e d livre
corso ao egosmo humano. Cosfesse, pois,
qoe nj chora tanto por sua mulher como
por si, e acertar.
Egosmo, Sr. Cuida qae a dr
qae sinto seja egosmo ? Pois bem, se
egosmo, creio que me matar, porque
unto em mim que nao poderei sobreviver
minha mulher.
Tanto meluor para o meu amiguinho,
tanto meluor se cumprir a sua palavra, e
eu nao lamentarei essa morte, como nao
sinto a d'aquella rapariga, qae deixou a
existencia sem ter conbecido mais do qae
as bellezas da vida. Morreu sem saber o
que sao os desengaos, as decpeles e as
miserias que conslituem a bisioria do ho-
rnera. Talvez sontie anda as excedencias
da outra vida.
Euzebio Van den-Beck cobrio o semblan-
te cora as mos sem responder ; de vez em
quando ooviam-se os seas solocos, contras-
lando com o riso do Dr.
Aquello riso fazia um terrivel mal ao
pobre rapaz, que, nio podendo conter-se,
se levaniou dizendo:
Sr., desespera-me dsvras o ter de
dar urna liclo um homem da sua idade
e experiencia ; mit na verdade qae, pro-
cedendo assim, falta & todis as considera-
coes qae a dr merece.
Na minha idade, mocinho, lem-se
adquirido certos hbitos, e ea tomei o cos-
tme de n5o respailar o que emendo qae
no devo respeitar.
Pois bem, redarguio Euzebio com
estridente voz, ea pagar-lhe-hei na mesma
moeda eoo tentarei elassiflear o sea es
tranho scepticismo. Qoer fazer o favor de
se retirar ? Ea tenho apenas este qoaito
para orar, e a sua presenta, qae scea as
miabas lagrimas, para mim nsupporia
vel e odiosa.
O Dr, pocheu pelo relogio com pronan-
ciada friez, vio qae horas eram e disse :
O reconbecimento que ba pouco me
promettia por ter viado prestar de gra^a os
meu auxilios a orna pessoa que nao co-
nhecia, doroa nem mais oem menos do
qne orna hora e qaareota e sele minutos.
E j demiis, amiguinb,! Nao cudei que
durasse tanto.
-D;to sto pegou no cb3po e encami-
nhou-se para a porta.
Aquella replica parecen dura Euiebio ;
mas, como no fundo era justa, ele fez um
movimento para deter o Dr.
Este, que vio o movimento de Euzebio,
paroa oo bambral da porta,a crescentando :
H\ pouco vi-o jurar qoe nJo sobre
viveria sua mulber, e, qiundo nio se
trata de gratidao, pode acreditar-se na pi-
lavra de algum humeen ; ora como o Sr.
tem a prelsncao de ser home'm e honrado,
perguoto-lhe se tenciona reunir-se sua mu-
lher.
Sim, repondeu Euzebio com aspec-
to sombro.
- N'esse caso vou pro'var-Ihe qae a
minha amizade, por inexplicavel que Ihe
pareca, nio ama palavra vaa. Abi tem
este panhal; e um kriss malayo. Est em
pefonhic.0 aom o famoso veneno ameri-
cano chamado Curare. Urna simples pi-
cada com a ponta d'esse panhal basta para
produzir a morte instantnea. Tome, Eu-
zebio Van den-Beck, e nada tem qae me
agradecer.
Obrigado, disse Euiebio pegando no
panhal pela folba.
Cuidado... olbe qae primera pi-
cada homem mono, e o Sr. talvez tenha
alguma coasa que fazer antes.
E o Dr. entrou a rir, accresceotando :
At i vista, mocinho, al vista.
E sabio.
Adeus, responden Euzebio.
O rapaz licou i ; ajoelhoa -se ante o
cadver, mas nao Ihe acudi -memoria ne-
nhoma das oraces da infancia.
Porque os seus labios se negavam a pro-
nunciar o nome de Dios e da Virgem ?
Dir-se-hia qae a presenta do malfico
Dr. afogenlava d'aqueiles sitios lodo o seo-
tmenlo religioso.
Euzebio reparn n'am vaso de flores qoe
(rouxera Da vespera sua mulber. Pegou
aa flores, fez amacori e po-la na fronte
lo cadver.
Depois deitoa-se ao lado de sua mulher,
tornon a beija-la e abraca-la, passon-lhe o
braco esqoerdo por baixo do pescoco, e,
do com a mi direita o kriss, qae
boi

deBom Conselho, e antes de completaren
24 oras de sua estada nesse engenbo mais
de tras mil pessoas Ihe pediam fervorosa-
mente agraca de ouvir sua palavra iuspi
rada." Como recusar-se elle que sempre ca-
prieboa em derramar com prociencia o pa
to espiritual ? seria tr>bir~sua coosciencia
e Iludir ao mesmo terapo seus desejos
Missionou tres dias e por satisfazer ao pe-
dido do respectivo prupnotario levaulou um
cemiterio e deisou quasi promptos os ali-
cerces de urna igreja de 80 palmoj de fun-
do e 40 de largura. Passou ao engenho
Frecheiras onde raissionra por doas dias,
'Mas n'esta cmenos vio o Dr. Bazilio,
quetinha entrado nos bicos dos ps e ohava
para elle sorrindo-se.
Euzebio Vaa-den-Beck levaotoa ?e invo-
luntariamente, e, com a rapidez do raio,
precipitou-se sobre o Dr.
Este esperou-o de p firme, sem que se
Ihe notasse no semblante a menor altera
cao ; o sea sorrir qae tomoa a entonagio
do rugido da hyeaa.
Mal o rapaz chegou ao p do Dr., este
agarrou-o pela mo onde liaba o.punbal e
reiorcea-lh'a com tanta forga, que Euzebio
largou a arma empegoabada ; e sem Ihe
dar lempo pira mais uala, abracou-o pela
cintura, e com a destreza deum luctador
de profisso derrobou-o meio aturdido.
Poz-lbe am joelho sobre o peito, e se-
gurando-o com a mo esqoerda, apanbou
om a mao direita o kriss, apoiando a pon
ta no peilo da Euzebio.
Ola, amiguinho! bradava e le. Queria
estreiar o panhal no proprio que Ib'o dea ?
Isso nio de fidaigo, Sr. Euzebio.
< e- linba-lhe dito, respondeu Euzebio
forcejando intilmente, que a sua presenga
me odiosa.
Ingrato I exclamou o doulor; odeias-
me, qoando eu te quero como minha pro-
pria carne !
E se me quer, para que est caceando
da m.nha dr ? De que servio dar-me
esse ponhal, para depois impedir que .me
mate ?
Para impedir qae te males, nio. Eu
voltei para ver como te servias do pu-
nhal.
N3o se tioha ido ? Eu cuidet que es-
tava s; para que voltou c ?
Talvez para te salvar, e para asaistir
comedia qae preparavas.
Pofs bem t faca com que a comedia
acabe em tragedia. Tem abi o punbal, e a
vida ser me-ba insupportavel se ih'a ficar
devendo. Mite-me, mate-me, gritava Eu
zebio tornando a fazer inuteis esforgos. O
nico favor qae pode fazer-me, matar-
me.
Isso mesmo, injurias e sempre in-
jurias. Vamos, vejo qoe progrides; antes
quero || tuas injurias do qde os teos pro-
metlimtntos de gratido. Mas, vamos ao
oteo, ta qoere reunir-te Ester, e nao
podi
qare
inde mais de-65
amanee li v;;uerdin matr.mOnalmeQ-
te, os desaSectos se recouciliaraoj, levanlou-
s-> um bellissimo cemiterio tapado e cohor-
te de telbas com a respectiva capella de 20
pilmos era quadro soba invocado de Santa
Therjza o fe-se o licerces (Je om novo
templo de 80 palmoi da fundo e 40 il
largara, de xaudo oincancavel apostlo TOOi
de esmolas e 1:3000 pira serum recebidos
por tillo o mez dejunbo f Em capellas
missionou por doa3 vezes i miis de qoatro
mil pessoas e dirigi se pira a villa 'As-
sembla, ondo se Jem iranio qua tro dias ef-
fectuou o casamento de mais de qaarenia
amancebadas e deixou reunido o material
solficiente para a creaego de urna igreja e
murar tolo o cemiterio! Dirgio-se para
Qoebrangulo onde comee jo a santa misiio
no dia 26 de outubro eiicerr.>ndo-a no di.
3 de novembro. Os resultados nao poda-
ram ser mais edificantej; e lio satisfacto-
rios foram em vista' do estado em que se
aehavj aquelia fregoezia que admiraram ao
mesmo missiooario.
Cabiram por ierra todas as intrigas, pois
qae o perdi e a reconcriiaco foram pu
blicas, casaram-se pertu de 50 amancebados,
eooftssiram-se milharc* de pessoas, o povo
carregou 50 litihas pesadissimas para a co
berta da igreja, e muita ari e pedras para
as paredes do corpo da igreja, apirou-se
6i0 de esmola e os propietarios repar
tirara entre si pedido do veneravel missio-
oario as nova purtas, ferrageoe, pregos,
cal, tijollos ele, ele, levanlou annexa
aova igreja ama capella de 30>> palmos de
tundo e 20 de largura para a qual foram lo
go no dia- 2 de uoveoibro trasladados a pa
Oaptismale opadroeiro, continaaodo os ira
nainoda nova ifejiondeseviamemprega-
das dez doee i dz e mil pessoas! Abeogoa-
dos esforces que alm do recoabecimento
publico de urna populagao agradecida teve
a conssio- olficial do Exm. conselbeiro An-
tonio Coeluo de S e Albuquerque, ento
presidente da provincia das Alagas pelo
seu officio de 20 de deaembro de iSS&f
Fot s-depois de espargir essa* flores
odorferas da f que elle pode fazer sua via-
gem Papaciga onde chegou no dia 9 de
uovembrocooduz ndo a protectora do-collegio
para ter enllocada no aliar da capella que
abi ihe havia sido erecta. Afasia foi pomposa
como saOera s-r todas aedos missionarios
daPenha..... A' 10 do- mesmo mez abri
elle nova msso ora Papacaga.
Admiran\os prodigios que anda dessavez
operou o virtuoso vaiio i parece que o anj
do> Senhor o guiava para esses lugares lio
mpederoiJos a lira de levar ultima eu
deiicla a ogeate forga moral do cathocismo
e demonstrar o graude ascendente dos mis-
sionarios da Penha... A comarca de Gi-
ranhuas com a regenerago e os desenvol-
vinientos da fraguezia de Papicaga contrahi >
urna divida que jamis poder pagar alo
ser abragaodo-se sinceramente com a f e
espargindo com profusio todas as flores da
caridade catbolica, porque, podemos dizer
sm teTboj- de erro, c acontec ment de Pa-
pacaga conslitu um dos estrondosos triara
phos do catbolieismo- em Pernambuco.
Duranlo a sua estada nesse lugar qae de-
moro u al 20 de abril o diligente apstol
conclu o as obras do collegio do Bom Gra-
selbo fallando apenas ladrilnar e caiar para
o que deixou 35 40 mit tij dos, 8,000 de
aiveoria grossa, 10,000 telbas para em iem-
po proprio retalhar lodo o estabelecimento
e a quanlia do 586)5850, levanlou em 36
horas um cemiterio com 200 palmos em
quadro e dentro delle erigi um forraos i
templo de 60 palmos de cumprimenio e 30
de largura, assentou a primaira pedra da
grande matriz, fez levantar no pateo da ma-
triz am chafariz, pozando urna pena d'..gu.
para o collegio e para completar a saa mi-
mosa cora de gioria nssse- logar celebrou
alguns actos da semana sania a s quaes con
correram parto de quarenta mil pessoas I
Santa reiigio s tu sabes, inbitrando no
coragio humano essa cbamraa sempre viva
da caridade, fazer brotar essas estupendas
maravilhas que extasiam a admirago do uni-
verso e causam extrema com n<'gao ao co-
ragao mais endurecido I Fr. Caetano foi o
aajo tulelar desses povos adormecidos nos
oa louuii-io
fofos le tos d>s crimes e dos vicios enviado
para despertal-os pressuroo$e gualos pe-
los ca oriasa
miss
Anda nio estavMBkp extiocti o fogo
do amor do prximo, qoe abrasiva o cora-
gio do preclaro missonario, osm arrefecido
o zelo apeitolico qoe enebia todoe os espa-
go > de sua vida: dediodo aos triumpbos
da f elle nio sabia poupar esforgos, om
fortar-se sacrificios fossem elles de qae
natureza fossem. Saa saude que definbava
nio Ihe embarga va o passo ; elle marchava
avante em sua carreira de gloria e a enfer-
midads que Ihe indicava ao longe o espec-
tro horrendo da mortenio o fazia recoar,
que o temor da morte nao se litera para
elle. Por isso em outubro de 1858 elle de
novo sabio explorar os campos do Se-
bor pelos sertoes de Pernamboco.
A sua primera estacio foi oa reguezia
da Luz, onde missionou doos das, mas doos
dias que encheram o espago de doos anuos
em seus resultados. A reconciliacie. de
grande nomero de iniraigos, o ragresse de
104 membrps para os ampbitbeatros do
catholfcismo pela via segura do baplisino, o
concurso i!o 1,000 individuos pooce mis
oa menos ao solio augusto do cODftssioua-
rio, o matrimonio de 80 concubioades, fl-
cando outros dispoilos repeliir dati o
hrrenlo cancro das familia*), a erecsode
um novo cemiterio de 100 palmos com > Soa
capell nha ao fundo, cojos alicerces ficanm
pouco.cima dos alicerces, e paraa qual
deixou oilocentns e tantos rail ris, e aVC-
:go de am naagesloso cruzeiro no patfe da
matriz, fora os frucioe abengoados desses
dous dias que Ocaram para sempre grava-
dos na memoria do habitante de Nossa
Senbora da Luz,-
Tambem missionou tres di-as em Tabocas
onde foi innuraeravel a eoncurrencie do po-
vo que affluio para ouvir a palavra do en-
viado do Senbor.
D'ahi seguio o ingente missiotari para
a fregaezia da Gloria de Goil, onde chegou
no dia 15 de outubro e exerceu seo-mtais-
terio apostlico por espaeo de de&dias in-
interrumpidos. E nio foi infructfera a soa
palavra: duzenlos concubinatos despiretn-
se dos pesttlentos andrajos do crime e re-
vestiram-se das punficadoras veste* db ma-
trimonio catholioo ; cutres tantos- bapiisa-
dos encheram de galardo- os amphitbeatroa
lo- cathocismo, e quasi duas mil pessoas
tomaram parla no banquete eacoaristico f'r
E nao foi s esse o triuiepho alcarjoadoajai
pela paiavra do-missionario..... Oamor do
prximo ganhou o coragao do povo* e as ini-
mizades mais rancoro3as, os odios-mais in-
veterados deram-se po* vencidos, e-os am-
plexos da reconciliagio encheram- de since-
ra alegra todos o< coraceS espectadores.
Era porm aecessario qoe a memoria de
sua passagem se tornasse indelevd e qae
mu sigaal visivel demoostrasse a omnipo-
tencia d'Aqoelle em cujo nome ella fallava.
Erigi um cemiterio de- 200 palmos qaa-
drados, com a saa competente capaila eolio
cada no centro, dadicada Santo Urbano,
o que era de urna necessidada indeclinaval
para o asseio da matriz. E reconbecendo
a grande falla d'agua que sentiam os habi-
lanies desse lugar, fez um grande acode
com 32 palmos de profundizado, 200- de
baldo, perladamente construido e capaz de
remediar a secca por espaco de 3 aanos
pelas suas dimenses...
Taes foram as pegadas "que deixou Fr.
Caetano na freguezia da Gloria de Goit.
Nazaretb tambem merecen as vistas com-
passivas do illasirado missiooario, qoe logo
o foi consolar, deixando am cemiterio de
pedra e cal, com 300 palmos em quadro,
em cujo centro assentou a formosa igreja
dedicada S. Sebasliio, que oo dia 6 de
novembro do mesmo anno de 1858 receben
soa bengSo.
' Mas acaba, verdugo, bradou Eu-
zabo,
Tem um punco de paciencia, porque
a paciencia o segredo de toda a vida e a
origem da toda a forga.
E, assim dizendo, segorou o punhal en-
tre os denles, abri o petinho da camisa
de Euzebio, e descobrio-lbe o paito com
tanta sereuid.de como se se tralasse de
urna operagio de cirurgia.
Bazilio, depois de ter bem segoro a Eu-
zebio, disse-ljjfl:
Tu julgas encontrar na outra vida a
qu amas ?
Que quer isso dizer ?
Se o tea desojo de morrer tem por
onico fim reunir--te Ester...
Semduvida...
Pois bem, sa a morte, em vez de
reunir as almas, pelo cootrario separa-as,
qoe leras alcancado, se depois dj morte
nio ha tal aniio, e nem sequer a negacio,
em que acreditam alguns que se teem por
sensatos ?
Mas Senhor Deas exclamou Euzebio;
at quando querer atormentar-me este de-
monio ?
Atormentar-te Nio penra em tal.
lia tres boras qis andas desorientado, e
eu trato de pacbar-te para o bom caminho.
Demais, prosegoio o doutor, como qae
fallando comsigo mesmo.de que serve ler-te
aqu preso, se posso dispor da toa vida
qoando me aprouver ? E depois, has de
estar mal n'essa posigio, porque ea na mi
nha nio estou bem. Levantemo nos, e con-
versemos.
E, juntando a aegio s palavras, ergueu-
se e dea a mo Euzebio. para que fizesse
o mesmo.
O rapaz levantou-se.
Agora, meu charo Euzebio, dame
d'ahi esse- banco.
Euzebio, .que, sem poder explicar o mo-
tivo, nao poda furtar-se ioflaencia do Dr.
chegou-lhe um banco, e ficou-se de p.
Obrigado, Ibe disse Dr. E, agora,
qae ests mais tranquillo, parece-me qoe
te das muila pressa em deixar este mundo.
E que necessidade tinha de esperar ?
Viva por ella, e bem a v alli morta.
E mostrou o rgido cadver de saa mu-
lber.
E' verdade, sim, est aorta e bem
morta. Mas cuidas acaso, o
No dia 29 seguio para Vicencia, onde o
valor de sua palavra conseguio ajereegao de
ura elegante templo de 90 palmos de tundo
e 40dtf*largoia, tendo a capaila mor 28
palmos, o qual no di) de Natal do mesmo
anno guardou reverente os Sagrados mysle-
ros do sacrificio incruento, a am cemiterio
de 150 palmos quadrados com o sea altar
no centro.
(Contmuar-se-hi.)
que a vida nio lera j para ti consolaO'is
nem alegras ? .
Se representou toda esta comedia s
para me dizer isso, advi to-lbe que a sua
bemfeilora solli ilude ser intil. Disse e
repito. N'este mundo s amei Ester, e j
nio tornarei a amar. Nada importa que
deteuha boje a minha mi ; se nio fr boje,
ser aminbia.
O diabo o jare : vejo qae amas tanto
como pode amar om mortal. A minha cu-
riosidade est satisfeila, porque nio ba em
mim, fica sabendo bem isto, nem benevo-
lencia nem afleigio, mas s curio idad-.
En fago as minias experiencias as almas,
como os meus collegas as fazem no corpo
humano : ama cousa qae me distrahe.
Finalmente, observou Euzebio, aca-
bemos com isto, e diga o que quer d) mim.
Se a saa ceriosidade est satisfeila, deixe-
lae cumprir o meu deslino. E para iss
nio tem mais do que restitur-me e-se pu-
nhal, etado se concluir em poucos se-
gundos.
Decididamente, isso pressa de main.
Eu nio tenho por felicidade tanta impa-
ciencia, porque, como levantaste este pu-
nbal contra mim, e vives por ser isso do
meu agrado, eu qae devo regalar es
das, as horas e at os minutos da toa exis-
tencia ; cuido qae sers bastante, honrado
para negar-me semelhaote direito.
Mas em summa, qae qaer ? Expli- *
que -sd.
Ora vejamos, Euzebio Van-den-Beck : '
ta, qae s am bomem sensato, como po-
derte soppor qae o Dr. Bazilio, qoe Dio
se incommoda por causa de pessoa ne-
nhuma, e que honlem nio quiz ir ver o
governador de Java, qoe deve ter morrido
jje de manbia, e i qaem teria salvado
com um alomo do que ten as algibeiras,
viesse da sna casa loa, qae distara mi-
iha e meia, e-viesse com am tempo borri-
vel, para assistir de graca ao eoterro de om
cadver, e para ouvir os teas lmenlos ?
Porque, nio davides do que le digo : qoan-
do sahi de casa, j sabia que tai molber
tinba morrido.
Oh I bradou Euzebio, passando a mo
pela testa : est me eodoudea da I







V
U
(Comm
ia)
FYP. DO fcUfUO-RU DO DUQQK Wt CilU
-


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EUN4381NY_W15W1T INGEST_TIME 2013-09-16T22:09:05Z PACKAGE AA00011611_12504
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES