Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:12499


This item is only available as the following downloads:


Full Text
AMNO XLtyJ. NUMERO 223

-*
jl
--* ^P?
SA8BABO 30 0t SETEMNO DE (871.
-
UBA A CJTAL E LCCARIS OIDE IA0 SE PACA FOITI.
?w Tes mexeMi(*;ant Por seis iosTiSm .... V.....<* "........ <#OC**
Por r.Oi acao idem..............,...... 144000
Cada mumero avaio................. ISO
fJJA 01190 WU i A JWniCIi.
*
Por tras mezes idiantadee o .
Por tete ditos idea.....#
Por note ditos idea.....
Por ea at\uo ideo.....

fu
OJMO
*7#WO
'
BMAMBUCO.
Propriedade de Manoel Figue**a de Faria & Filhos.

? Aa ai
0$ 8rs. Gerardo Antonio Alvei Pboi, no Pari ; Gonotlve & Pinto, no Miranhlo ; Jotqoim Joe de Otilare Filho, no Cetra ; Aniaiip de Lemoi Brift, no Artctty ; Jlo Maria Julio Chave, no Amq ; Antonio Marque* da Silva, no Natal; Jet
Pereira d'Almeida, em Mamangnape ;Felippe Estrella 4 C, na PtnJrj ; Antonio Jote Gome* na VHIt a *jabe; Belaraino dos Surtos Brido, em Santo AntSo; Domingos Jos da Coste Bniga,
em Nazareth ; Antonio Ferreira de Agriar, ea Goyinna; Frencino Tavares da Costa, ea Alagoei; Dr. Jos Martina Atol, na Babia ; e Leite, Serqninfao A C no Rio de Janeiro.
PARTE OFnCIAL.
*
3.* Ninguem poder. edificar, reedificar e demolir qualquer
casa sem brenca da cmara municipal, e sobre previa informaco
..
i

*
Clore rao da provincia.
LE N. 1023.
0 Dr. Manoel do Nascimento Machado Portella, vice-presidente
fes, que a assembla legislativa provincial, sob propesta da cmara
municipal da villa de S. liento decreloa as seguintes posturas :
TITILO I.
Atuamentb, elegancia e regularidaie exterior dos edificios.
Art. 1 Todas as raas que se abrirem nesta villa e povoacSes
lo municipio torio a largnra de oitenta palmos e as travessas ses-
senta, e nenhuin predio ser construido sem licenca da cmara pa-
ra esta mandar proceder ao armamento. O infractor ser multado
em 10*000 e carregar com as despeas da demolilo da obra, ca-
. so esteja fra da cordeac/io e nao queira demolir a sua custa.
Art. 2.' As c sas terreas que se levantarem nesta villa e as po-
voacSes do municipio nao tero de frente menos de quatro e meio
inietros e sendo de sobrado terao igual dimensao de um a outro an-
dar. As* casas sero todas de cornija, as portas terao dous metros
de altura e um metro e vintc' cenfeshnos de largura e as janellas
euardarao as devidas proporcoes : os -infractores soffrerao a multa
de 5* e demolirao a obra, sendo o' mestre da mesma multado em
10*000.
Art 3
casa sem licenca da cmara municipal, e soore previa inrormacao
do fiscal respectivo, para que fe proceda a cordea?o : pena de o*
de muha. A frente dos edificios dever remar ou avancar se esti-
verem fra do alinhamenlo.
Art. 4a Todos os proprietarios de casas desta villa e-povoa^oes
. do municipio, cujas frentes ainda estiverem em preto serao obriga-
-dos a caia-las seis mezes depojs .da publicacao das presentes posta-
ras : pena de 53000 (te multa.
Art 5. As frentes das casas e os oitde3 que deilarem para o
lado das travessas e beccos sero caiadas annualmente do 1* de se-
tembro ao ultimo de outubro, sob pena de 5*000 de multa.
Art. 6." As casas que deitarem os fundos para frentes de ou-
tras ras, serlo muradas e calcadas e os muros terao portas ou ja-
-nellas ao menos fingidas, sob pena de 4*000 de multa.
Art. 7.* Os proprietarios de casas nesta villa e povoaco s do
municipio nao poderlo fazer balcdes as frentes deltas, coime fim
vde evitar a excavacao das aguas ; as calcadas terao dous metros de
largara c acompnharo a ondulacao e declive dos terrenos onde
.forem edificadas, de nudo a evitarem-se degros : os infractores
soffrerao 5*000 de multa.
Art 8. Aquellos (Jue requererem licenca para edificareme no
-fim de deroito mezes nao concluirem as obras, serio multados em
20*000, e se dentro desse prazo nao derem principio a edificacio, fi-
car cassada a licenca e serao multado* em 10*000.
TITULO II.
Da limpezadas ras epiafas. *
Art. I." Os proprietarios ou- inquilinos conservarlo Hmpas as
frentes, oitoes e muros de suas casas e os donos de terrenos, ren-
- deiros ou foreiros, rocarao as testadas da suas comprehensdes em
tempo asignado pelo respectivo fiscal : pena de 5*000 de multa.
Art. 2." Os proprietarios e inquilinos de predios desta villa e
.povoacoes do municipio, fleam obrigados a mandar varrer todos os
sabbados a freote dos mesmos at a distancia conveniente, com-
prehendidos os beccos e travessas : os contraventores soffrerio a
multa de 3*000.
Art. 3.* Todo aquelle que deitar animaes mortos as ras e nos
lugares contiguos a villa epovoacoes eno meio das estradas, sof-
frer a multa de 2*000.
Art 4.a A mesma pena ser imposta aquelle, que vendo um
animal seu morto em ditos lagares immediatamente nao o fuer re-
mover para outra parte.
Art. 5. Os proprietarios e inquilinos de casas desta villa e po-
voacoes do municipio, nao podero tancar as pracas, ras e beccos,
luto ou outra qualquer cousa que possa incommodar ou damnificar
0 publico, devendo os fiscaes designar lugares para taes depsitos,
os contraventores soffrerao a multa de 4*000 e serio obrigados a
fazer a remocao sua custa.
Art 6.* Todo aquelle que fizer excavaees as ras e pracas
desta villa e povoacoes do municipio ser obrigado a entulha*las,
apenas conclua a obra em virtude da qual foram ellas feitas. Os
contraventores pagaro a multa de 2*000 e sero obrigados a entu-
1 ha-la<. goh pena de ser feita pelo fiscal a custa dos mesmos.
Art. 7" Fica prohibido deitar-se as frentes das casas desta
villa e povoacoes do municip o, couros e carnes a seccar. Os in-
fractores serao multados em 10*000.
Art 8. Os proprietarios e inquilinos conservarlo emJxxn esta-
do as calcadas dos predios : os infractores sofTrero a multa de 2*.
Art. 9." Os proprietarios e inquilinos da praca da matriz, se-
ro obrigados a remover at a distancia de dez metros as pedias
solas, existentes as frentes de suas asas, sob pena de 6*000 de
multa.
TITULO Itt.
Da polica municipal.
Art. 1.' Ninguem poder ter luja aberta nesta villa e povoa-
oi'- do municipio sem licenca animal da cmara municipal, sob pe-
na de 10*000 de multa.
Art. E' prohibido conservar abertas as lojas depois das nove
horas da noute : pena de 4*000 de multa.
Art. 3. Todos os commereiantes e taberueiros inclusive os
que veaderem particularmente em cira. tero aferidos annualmen-
Ue seus pesos e medidas, sob jwna de 30*000 de multa, A revisio
ser feita em j un lio e a afericao em Janeiro.
Art. 4 O negociante que Mr encontrado cota pesos e medidas
talsilicado5 soffrerao a multa de 20*000.
Art. 5. Os pesos e medidas serao desde j pelo systema mtri-
co decimal francez, sob pena de 30*000 de multa.
Art. 6. Todo o mscate e boceteira que vender sem apresen-
.tar conhecimento de lia ver pago os impostes, ser multado na
quantia de 6*000.
Art. 7." Ninguem poder duianteo tempo festivo armar barra-
cas para botequins na villa e povoacoes do municipio, sem licenca
ola cmara : os contraventores seta multados em 10*000.
Art. 8. A feira desia villa e povoacoes do municipio ser aos
sabbados, salvo cahindo nesse dia a festa do natal c ento lera lu-
gar no dia anterior : pena de 5*000 de multa.
Art. 9." Ninguem poder armar barracas nos pateos das feiras
1>art nesses dias fazer quitandas ou qnalquer negocio, sem licenca
da cmara municipal, e em Lugar por ella designado, devendo obs-
truir as cavidades que forem feitas : os contraventores soffrerao a
multa de 8*000.
Art 10. Os cavallos que conduzirem cargas as feiras, apenas
descarregarcm, sero retirados inmediatamente do centro da mes-
ma feira e conduzidos para lugares onde nao embaracem o transito :
os contraventores soffrerao a multa de 2*000 ou vinte e quatro ho-
ras de priso.
Art 11. E' prohebido vender ou comprar por atacado at 3 ho-
ras da tarde,'farinha u outro qualquer genero de que baja falta no
mercado, para o revender no mesmo mercado ou conduzi-lo para
ra, sob pena de 10*000 de malta.
Art 1*. Na pena do artigo antecedente incorrero aquelles que
com malicia demorarem a venda de genero a titulo de maior preco
at 3 horas da Urde pan ento e entregar por atacado aquelles
que ocomprarem.
Art. 13. Os negociantes ambulantes nao poderlo abrir venda
de suas mercadorias neste municipio sem licenca da cmara : os
infractores sero multados em 5*000.
Art. 14. Todo aquelle que vender bebidas espirituosas a es-
travos, (linos familias ou fmulos, sem escripto de seus senhores,
pas e amos, soffrer a multa de 2*000.
Art. 15. Ninguem poderi neste municipio dar tiros de salva,
nem soltar boscaps ou fogo do ar nos festejos sem licencada c-
mara municipal : os infractores soffrerao a multa de 10*000.
Art. 16. Todo aquelle que tirar madeiras, trepar cercas ou for
encontrado dentro de cercado ou quintaes alheios sem licenca de
seus denos: soffrer 2*000 de mult, alrn de ser obrigado a sa-
. tisfazer o damno causado.
Art, 17. Tudo aquelle que iogar cf m fllho familia, fmulos ou
escravos, soffrer 5*000 de multa ou cinco dias de prisio.
Art 18. Pieam prohibidos os jugos de parada, os demais jogos
de dinheiro sero permettidos mediante licenca da cmara muni-
cipal, os contraventores sorerio 10*000 d multa ou oito dias de
prisfc. -
Art 19. E' prohibido criar porcos solios dentro da villa, as
povoacoes do municipio e as fazendas de criar gados, sob- pena de
2*000 de mult por cada cabeca.
Art 20. Todo aquelle que oriar cabras, dentro da villa e po-
voacoes de municipio ser obrigado a recolhe-las de noute em pri-
aie segura sendo os donos obrigados, quando solt-las a mandar
fd-iaa fra'das ras : os contraventores pagarlo a multa de 5*900
mrTii. cabeca aue fr encontrada a noute as calcadas.
Art 21. As inhumacoes serio feitas das 6 horas damanhia
as 9 da tarde os contraventores serao multados em W*O00.
Art 22. Fica vedado a exhumacio de cadveres antes do pra-
to de dous annos, excepto quando tr de pessoa que tenib a Meea-
do de epidemia, no qual caso ser elaedo esse preze a 8 annos ou
quando haja ordem da aoapxidde rompelente, sob pena de 20(000
de multa.
Art. 23. Fallecendo repentinamente qualquer possa, nio ser
sepultada sem previa participadlo da autoridade policial, para as
convenientes averiguad-oes : os contraventores soffrerao a mult de
30*000 ou dez dias de priso.
Art. 24. Nenhum cadver ser inhumado com menos de vinte
e quatro horas, a cootar do momento em que pessoa expirou. Os
infractores sero multados era-10* ou 3 dias de priso.
Art, 25. Fica prohibido matar gados para o consumo desta
villa e povoacoes do municipio em matadouros que nao tenham si-
do designados pelos fiscaes e obtidos com licenca das simaras mu-
nicipaes. Os infractores sero multados em 20*.
v Art. 26. E' prohibido talhar carne a noute, e os acoognee se-
rlo fechados as 6 horas da tarde sob pena d 20* de mult.
Art. 27. Qualquer pessoa que falsificar gneros expostos a ven-
da ou guarda-Ios corruptos verificado que seja por exame saatario,
alm da perda delles, pagar 30* de mult.
Art. 28. Fica prohibido o uso de bannos nos amdei fontes
destinados ao abastecimento d'agna potavel, sob pena de 4*000 de
multa.
Art.'29. E* prohibido matar e esquartejar rezes nos matadou-
ros pblicos sem licenca da cmara municipal. Os infractores sof-
frerao a multa de 10*. *
Art. 30. Ninguem poder laucar noj ros e ribeiros, acudes e
cacimbas deste municipio quaesquer immundicias, que possam
corromper as aguas, sob pena de 10* de multa.
Art. 31. As pessoas que tiverem caes dentro da villa e po-
voacoes do municipio, conserva-los-ho amarrados ou acoimados.
Os contraventores soffrerao a mult de 5*000 e mortos os e i es.
Art 32. O gado ovelhum e cabrum encontrado a noute as
calcadas e passeios das roas da villa e povoacoes do municipio,
alm da multa decretada no art.JK) do presente titulo, nao appa-
recendo os respectivos donos dentro de 3 dias para pagarem a
mult, ser vendido em praca e o seu producto recolhido ao cofre
da cmara, para depois de tirada a importancia da mult ser o res-
tante restituido ao dono quando apparecer.
Art. 33. Fica prohibido vender-se dentro da villa e povoac5es do
municipio, plvora, fogos de artificio e todos os gneros, suscepti-
veis de exploso, a nao ser em casos para esse fim to sement des-
tinados e em distancia de 40 metros fra das mas, precedendo li-
cenca da cmara, a qual de ignara o tugar onde devem ellas ser
construidas. Os infractores sero multados em 30*".
Art. 34. Fica prohibido a fabricarlo de fogos de artificio.-den-
tro desta villa e das povoaedes do municipio, os fogueteiro edi-
ficarlo casas para as offleinas somente em distancia de vinte me-
tros das roas. Os infractores soffrerao a malta de 30*.
Art. 35. Em caso de incendio em alguma casa o primeiro que
o observar mandar tocar o sino parocnial havendo-o, e na falt
de qualquer igreja mais prxima, o signal ser duas badaladas e um
curto repique repetido por dez rezes com pequeo intervaito. A
pessoa que der o aviso ser recompensado pelo dono da casa com a
quantia de 5*.
Art 36. Todo o tberneiro ou qualquer pessoa que consentir
em suas casas adiuncios nocturnos de escravos ou de oatras quaes-
quer pessoas em bebedeiras, com alaridos e vozerias, inquietando e
" socego publico, ser multado em 20*.
Art. 37.- Ficaiu prohibidos em todo o municipio os batuques
sambas. Os contraventores pagaro 2* de multa.
i Art. 38. Ninguem poder tapar, mudar ou empedir urna es-
trada geral ou caminho particular e mesmo veredas depois de feitas
e transitadas para abrir nutras, ainda mesmo em lugar mais com-
modo, sem proceder licenca da cmara "municipal, sob pena de 12*
de mult.
Art. 39. E' prohibido correr e esquipar a cavallo no largo da
matriz desta villa e tambem amanear potroas ras da vtlla e das
povoacoes do municipio, sob pena de 20# de mntta e cinco das de.
priso.
Art. 40. Ninguem poder!, em horas dte silencio teantr voz**.
rias, que perturbem o socego publico, sobrpena de i24 bofas de
priso.
Art. 41. As pessoas que proferirem palavras obscenas no meio
das ras e com gestos offenderem a moralidade publica, soffrefo 8
dias de priso.
Art. 42. Somente naspharmacias poder-se-ha vender qualquer
remedio ou droga. O infraetores sero multados em 30* e na re-
incidencia, alm da multe, ser-lhe hao apprehendjdos os objectos
estranhos a sua profissao.
Art. 43. Os pharmaceuticos tero em lugar seguro e fechado
a chaves, as substancias venenosas e nao poderlo' vende-las a pes-
soa alguma particular, sob pena de 3* de mult.
Art. 44. Ficam prohibidas as vaquejadas dentro desta villa. Os
infraetces soffrerao, cada uin, a ralta de 10*. \
Art. 45. E' prohibido o uso de empanadas ou de ufupemas as
portas e janellas das casas desta villa e povoacoes do municipio, os
infractores sero multados em 2*.
Art. 46. Aquelles que matarem reaes doentes. cansadas ou
aperreadas para o consumo publico, soffrerao a multa de 10* e a
carne ser inutilisada a sua custa.
Art. 47. A matanca de gados para o consumo publico, sera
feita das quatro as 6 hora da tarde, e s poder ser a arne ex-
posta venda no dia seguinte, os contiventoresoffrerio a mult
de 5*.
Art 48. Ninguem poder ter acougue aberto neste municipio
sem que tire annualmente licenca da cmara", os infractores sero
multados em 10*.
Art 49. As portas dos acougues sero gradeadas : os contra-
ventores soffrerao a mult de 10*.
Art. 50. Os donos dos acougues e carneceiros serio obrigados a
mandar lavar as balancasj^ cepos e bancos em que tiverem de cor-
tar carnes e os conservarao sempre limpos, sob pena de 5*000 de
multa.
Art. 51. Fica prohibido de oraem diante aos marchantes ven-
der carne verde de meio dia em diante : os infractores soffrerio a
multa de 10*. -;
Art. 52. A eamara municipal remecer aos marchantes ou a
outra qualquer pessoa, carral sufllcieoie onde sejam recolhidas as
rezes destinadas ao consumo publico, devendo o dono das rezes
pagar 80 ris por cabeca e nao podero ser recolhidas era outros cur-
raos : os contraventores pagaro a mult de 1* por cada rez.
Art. 53. A eamara fornecer aos marchantes bataneas grandes,
e pequeas, cordas, machados e os pesos necessarios.
TITULO IV
Da agricultura
Art. 1. Fica exclusivamente destinado para plantaodes o terre-
no comprehendido nos limites seguintes : principiara do sitio
Olho d'Agua de dentro, seguindo rumo direito para o sul at as
margens do rio Cauhoto e para o norte, partir do mesmo sitio em
linha recta, at encontrar a estrada qne da villa de Garanhuns vae
ter a Queimadas, d'ani seguir pela estrada da Jurema at esta po-
voacao e Vahi pela estrada que vai para Panellas at encontrar
esta freguezia costeando-ajH pelos Jjimites deste municipio, compre-
hendehdo toda freguezia de'Quipsjae a parte do districto de Ca-
nhotinho at encontrar o mesmo ponto no rio Canhoto.
Art. 2. Ninguem poder crear e onservar soltos nos lugares
ora designados para plantacoes, gados de quaesquer especies, a nao
ser dentro de cercados seguros, amarrados % pastoreados : os con-
traventores pagaro a multa de 5* por cada cabeca, alm do prejui-
zo causado. *
Art. 3.' Fica absolutamente prohibida a crea$ao de gado ca-
brum nos Jjfestes deste municipio, e nos demais terrenos onde se
cultivar mandioca : os infractores soffrerao a multa de 2* por cada
Art. 4* Os donos dos sitios designados para a agricultura, de-
verlo ter enrraes seguros para prender os gados de qualquer espe-
cie que all forem ter, devendo immediatmente communicar aos
donos para os mandarem conduzir e nao sendo estes conhecidos, on
nao mandando os donos conduti-los sero entregue* ao respectivo
fiscal para impor-lhes a multa do art. 2'. "
Art. 5.* E prohibido maltratar-se os gados que entrarem as
rocas com tiros, pancadas e ces bravios, sob pena de 20* de mult
alm do damno causado.
Art. 6. Neftjram lazendeiro poder refrigerar teus gados, du-
rante a secca, nos sitios destinados para a agricultura sem rasen-
timento dos respectivos donos ou rendeiros, sob pena de pagarem
por cada cabeca 5| de mult.
Da creado dos gados.
Art. !. Todo o mais terreno deste municipio gue nao r de-
signado para plantajes, ser destinado para creacao de gado de
qualquefespecte e aquelles que quizerem plantar nelle deveraofa-
ter cercas seguras que tenham um e meto metro, ae airara, e etn-
eeeote centesimos de urna a outra estaca n/ra Vitar destrajeoea,
sob pena de 10*000 de mult.
Art. 2 Ninguem poder entrar em pastos alheios para cacar
animaes domsticos e silvestres, assim como abelb^g, derribar ar-
vores que sirvam para alimentaclo e descanc^ dos gados e tirar
madaijes sob pretexto algum sem previa luenga dos donos : os con-
traventores soffrerao a multa de 5* on. 3 das de priso.
Art. 3. Se, porm o dono So j-^to nao qaizer dar guia ou li-
cenca nara se procurar os animaos, podsr-te-na fazer sem este, de.
M
\
vend no entanto recolber-se no cijrral da fazenda para d'ahi poder-
se coidotir os que ihe pertenoerem, peran'e duas testemunhas pelo
Nenhuraa fajeada ser constituida sent que o seu pro-
na adquerido por compra ou arrendamento um terreno
as sajuintes proporcSes para uma fazenda, de cincoenta vaccas e
J lo^I4uas ; o terreno tr qainhentos metros de frente e
eco nBe tundo DJara uma fazenda de cem vaccas e dous lotes de
egaas iJBiTenojedir 400 metros de largura e S mil de compr-
meme e eaftg-progressvamente, sob pena de 30*000. de mulla.
^T^^^ama .fazenda de Crear gados de qualquer especie,
deixara de tu- afta nu cacimba franca para os gados beberem, os
infractores setiollattados em 30*.
A ^rt,j?'" ^ gado vateum e cavallar existente neste muni-
eipo, serao ribrados com a marca B, na p "ou quarto esquer-
do, cora excepec somente de das crias at o momento de apartar :
os contraventores w3o multados em 1* por cada cabeca.
Art 7.* Todoi os criadores do municipio apresentaro a cma-
ra os ferros e signa>s de que usam, indicando a situaco de suas fa\
zendas, aflati de seiem laucados em livro especial, sob pena de
10* de mita.
Art. e.*Ipdos osazendeiros deste municipio sao obrigados a
Slantr annfflnente noi terrenos de suas fazendas, ao menos 50 ps
e raandacaru : os- miradores, comprehendidos os criadoras, sof-
frerio a multa de* 5*.
Art. 9. Todo aquelle que aniquillar um p de raandacaru ser
multado em 5JO00.
Art. (O. Ninguem podtr tirar couros de gados alheios que
forem encontrados mortos, em previa licenca de seus donos, sob
pena de 5*000 de multa.
Art. 11. O creador ou faiendeiro que nao quizer gado alheio
de qualquer especie em seus pastos primeramente avisar aos donos
desses gados para manda-Ios rearare nao sendo este retirados o
creador ou fazendeiro desaltemlio proceder de conformidade com
o art 4." do titulo 4." das presents posturas.
Art. i. Todo aquelle que derrubar angico ou manicoba em
as primeiras aguas nos campos de criar e nao queimar as folhas
inmediatamente soffrer a mult de 10*00!).
Art. 13. Todo aquelle que tocar fogo no terreno alheio de criar
ou de cultura, sem licenca do dono ou mesmo no seu, sem tomar
as cautelis precisas para evitar o prejuizo de terceiro, soffrer a
multa de 20* ou dez dias de priso.
Art 14. Todo o criador, agricultor ou fazendeiro deste munici-
pio ser obrigado logo que appareca era seus pastos ou fazendas
rez, animal ou criac.10 desconhecida, tirar o respectivo signal ou
ferro e ir apresenta-lo ao ju^z municipal do termo, para que este,
depois de exigir do secretario da cmara, sa os mesmos signaos ou
ferros se achem ellos registrados, proceder eomo for de lei.
Art 15. Todo aquelle que tocar fogo em recados sem as caute-
las neceesarias para evitar que o fogo se communique s roeas ou
matos visinhos soffrerio a pena de 20* ou dez dias de priso.
Art. 16. Todos os plantadores do municipio apresentaro a
cmara nmnicipal at o mez de setembro annualmente cincoenta
bicos de aves que damnifican as lavouras, pena de 5* de multe.
Art 17. Os doaos ou enea i-regados das solas que se uzerentfo
campos de pastar do municipio pagaro annualmente por cada ca-
beca de gado vaceum 500 rs. e por cada cabeca de gado cavallar
1*000, sob pena de mult de 5* por cabeca.
Art 18. Fica creado o imposto de 500 rs. por cada cabeca de
animal cavallar nascido no municipio. Os infractores, soffrerao a
multa de 5* por cabeca.
Art, 19. O gado ovelhum e cabrum pagar o dizimo, pena de
1* por cabeca. .. ', Sj
Art. 20. 0 imposto dos tres artigos antecedentes serao apphe&!
dos pela cmara municipal na umlruccio de um acude d'agua pn-
tiveCde am cetnitprie e ae moa-tasa de mercado' nesta villa e as
poyo^M do 1 il r Ipto, CRWBdo
essas obras.
logo que jestivwem concluidas

r -
TITULO VI.
Dos empreados.

nho
Ar.
8 5.? Apre?enhr a eamara enntodas as suos'sessdes ordinarm
um relatorio eireumstanciado em qnedarao conta da flscahsaco do
respectivo distrieto e das multas qne tivwem imposto, podendo pro-
pr as medidas quejulgarem convenwnieB.
% 6. Pxer correices dentro da villa e*povo5oesdo municipio
no Kde cada mez, e fora delle no me, de maio de oada anno, anm
de ^Sincrem se sao observadas as posturas e deHberaodes da c-
mara, bem como se as estradas geraes, as quaes terao-20 palmes de
largura^ e.as particulares 10, sob pena, de mult de 5*000, se
achara devidamente abenas, para o qnelh* fornecer a>eaaara ama
ajuda de custo rasoavel*r
Art. 8. Os fiscaes por qualquer oraissao de seus dereres sero
multados at a quantia de 10*000.
Art. 9. Ao porteiro eompete :
S !. Ter em sua guarda as chaves da cmara.
% % Abrir as portas da mesma s e-horas e mera da manha,
quando a cmara tiver de funecionar e sempre qne for preciso para
as audiencias das differentes autoridades ou para qualquer aeto
publico.
f3. Varrer as salas, espanar os movis e manter o aceio e
aridade da casa.
4. Durante as s&^ses da cmara de vera conservar-se junto
porta do salo para fallar as partes, recebendo-Ihes as poticoes e
Ihes dar o devido destino.
v 5. Cumprir eom degencia as ordeos da cmara e as de seu
presidente.
S <>" Aeonipanhar ao fiscal quando este julgar necessario,
dentro da vi'la, e cumprir o que pelo mesmo Ihe for determinado,
para melhor desempenho de seus doveres, escrevendo tambem os
termos de multa, se assim for ordenado pelo-fiscal.
% 7.* Cumprir o que Ihe for ordenado pete- secretario, no que
for tendente ao servico do secretario e seu expediente.
Art. 10. O porteiro por qualquer falt d cumplimento de de-
veres ser multado at a quantia de 5*000.
Art. 11. Aos cordeadores, nos respectivos distridos que sao os
mesmos dos fiscaes incumbe :
1. AI inflar, antes que se d comeco, todos os edificios pbli-
cos e particulares que na villa e povoacSes do municipio se houve-
rem de se- levantar em vista da licenca da cmara.
f 2.* Observar e cumprir exactamente os preceitos syraetricos
e regulares. ,
1 3.* Declarar na licenca o alinhamento dado com a precisa
clareza e particularidade. *
4. Indemnisar ao propretario dos prejuizos gue houver da
soffrer pelo irregular alinhamento que Ihe for dado.
5.* Examinar os edificios arruinados que ameacarein qual-
quer ruina, informando o fiscal, quando noexerca este o empre-
go de cordeador para intimar aos donos dos mesmos edificios para
arrasa-los.
Art. 12. O cordeador por qualquer omissao de cumprimento
de seus Jcveres, este, multado na quantia de 4*000.
Art. 13. O lugar de cordeador poder ser exercido polos
fiscaes.
Art. 14. Ao administrador do matadouro compete:
1. Velar na conservacao e limpeza do curra! da cmara
partee ipando a ella os reparos que forem necessarios, c licando su-
jeito a faze-los a sua custa, quando estes provierem de culpa ou
negligencia.
2* Nao permittir que rez alguma na villa ou seus suburbios
e as povoacSes seja morta sem ser previamente examinada, e em
outro qualquer lugar que nao for o matadouro, excepto se Ihe for
la licenca escripia pelo fiscal.
19. O administrador do matadouro ser multado at a
8*000 por qualquer omissao de seus deveres.
r Art 16. As obrigaedes do administrador do. cemiterio se acua-
rio marcadas no respectivo regulamento e ser multado por qual-
quer falta em seus deveres at a quantia de 10*000.
rpaTe
Art 1(
TITULO VIL
Ordenados e emolumentos.
kr. 1.a A cmara municipal desta villa para o bom desempe-
. de saas attribuicSes tera os seguintes empegados : um secre-
tario, ftm advogado, um procurador, um fiscal na villa, outro na
freguezia de Quipap, outro na povoacio de Jurema, outro na po-
voago de S. Benedicto, outro na povoacao de Po Ferro, outro na
povoacio de Caxoeirinha, outro na povoaco de Canhotinho, outro na
povoac/10 de Queimadas e outro na povoacio de Jucup, um por-
teiro, nove cordeadores, nove administradores do cemiterio e novo
administradores de matotlouros
Art 2. Todos estes empregados serio de nomeacio da cmara
municipal que os poder demittir quando nao Ihe merecerem con-
tiiinc "*
Art 3." Ao secretario incumbe, alm das obrigacSes que Ihe
sao impostas no art. 79 da lei do l.' de outubro de 1828, o seguinte:
i. Escrever as actos das sessoes da cmara e l-las para que
possam ser approvadas e assignadas pelos vereadores que a ella ti-
verem assistido.
2* Ler as peticSes das partes e os documentos que as acom-
8 3 Escrever os despachos ou accordios da cmara em ditas
Deticoes'e nos respectivos livros os termos de juramento e contrato,
tomadas de contase organisar os balancos para serem remetuo a
assembla provincial.
8 4." Escrever toda a correspondencia da cmara e registra-ia
no livro para isso destinado. .
Art 5* Registrar no livro competente as cartas ou ttulos dos
einorettados que o devem fazer por titulo Ou artigo de posturas
assim como as marcas e signaes de que trata o art. l. 8 ao
titulo 7.
8 6 o Classiucar todos os papis do archivo, emassa-los meldi-
camente e fazer o que mais necessario fr para que sejam bem
onnsfTVidO'* m
8 7, Exigir, por escripto do procurador o que necessario for
mra o expediente da-camara.
Art 4.* O secretario por qualquer omissao de seus deveres
ser multado at a quantia de 10*000 que aera descontada em seus
ordenados. "
Art 5* Ao advogado compete
8 L* Auxiliar o procurador as questoes judiciaes para a eo-
bran^a e arrecadaeSo das rendas, unpostos, direitos e multas mu-
mcipaes; Re nder M consu|tas> ^gex^ e representacSes da ca
mar municipal, sempre que as consultas, oficios, representacSes
'^r^^u^r^alm das obrigacSes marcadas no art
II da lei do de outubro de 18*8, obrigado ao segrate .
g t Fazer todas as despezas que estiverem autorlsadas por
lei ou artigos de posturas e as que forem determinadas pela
cmara.
g Promover com toda actividade a arrecadacao das rendas
mnmeinaes, qualquer que for a sua natureza, impostos, rendas, e
S i empregando os meios. pacificos, j os judiciaes, mas estes
Swroluitar por especial autorisacao da cmara municipal,
g 3 A apresentar at o 3 dia de cada sesslo ordinaria, suas
Anntas devidamente documentadas e escrituradas regularmente e
bem assim em moeda o saldo que houver em favor do cofre, ao
qual ser o mesmo saldo recolhido.
|A Propor a cmara tanto os meios de augmentar suas ren-
das eomo de os tornar mais fcil e menos dispendiosa a sua arreca*
d*5l 5." O procurador respoasavel pelos pwjuizos que por sua
negligencia dr aorendimento da cmara, o qual ser pago pelo
dador que se obligar, e poder ser multado at 20*000 por qual-
quer falta em que possa incorrer.
. Art 7 Aos fiscaes compete .
II. Vigiar na observancia-das posturas e leis provinciaes,
promoveodoa suaexecucio por advertencia quer particularmente
e quer por mekwde editaos, tonundo-os effectivos. K,0
4 8 1- Visitar diariamente os acougues e matdouro^botoq.uins
9 casas de mercado e quaesquer estatatamentos quejpossam .nte-
esMT salubrtdade pubttea, aflm de prodenc>ar conba os abas 8
^ilaserem rewelto aos objeotes^qoe nelles sao expostos
femr^r Altes aos rntraventores das posturas municipal
cSlSS isnra^^StenSffi aeaaja.1 mandar arre.
cadadas pelo respectivo procurador na sirma estabelecdo bq ^T
o art. V do presento titulo.
f 4. Executar todas as ordeip da eamjr, .
Art. 1.a Os ordenados dos empregados da cmara serle mar-
cados annualmente no respectivo orcameuto, e alm de seus orde-
nados tero emolumentos os seguintes empregados :
8 1." O secretario tera de cada liceaca concedida pela cmara
seja qual for o seu objecto 500 rs.
8 2.* De registrar qualquer marca ou distinclivos 300 rs.
3." dem de cada titulo ou carta 1*000.
8 4.* Das certidoes que passarem dos termos de juramento,
que prestaram perante a cmara as autoridades do termo, a ex-
cepcao dos juizes de paz, tera o sereter o 500 rs. pagos pelos
mesmos.
8 5. De quaesquer outras certidoes que passarem a requeri-
mento de particulares, perceber 1*000 pela busca, e 500 rs. poi-
cada uma pagina escripia.
8 6. O fiscal perceber de cada termo de multa 600 rs.,
pagos polos multados.
8 7." O cordeador ter 800 rs. por rada palmo de terreno que
alinear.
TITULO VIH.
DisposicSes diversas.
Art 1." Em qualquer impedimento dos empregados da cmara
somente a esta corape'.e dar-mes substituto, os quaes tero direito
a metde do ordenado do-effectivo pelo temp que servir, exce-
dendo de 30 dias.
Art. 2. As multas em que por ventura incorrerem os emprega-
dos da cmara, somente Ihe podero ser impostas por ella d-.pois
de ouvidas.
Art. 3." As penas e multas das presemos posturas, serlo du-
plicadas as reincidencias.
Art. 4.* Fica prohibido o estabelecimento de fundicSes e cal-
deraria dentro do recinto da villa epovoacpes do municipio, os in-
fractores serao multados eiu 30*000.
' Art. K. As fabricas e estbelecimentos do artigo antecedente
serao encontradas com licenca da cmara, e em lugares por ella
designados e sempre em distancia de 100 meos do recinto da villa
e povoacoes do municipio, os infractores serio multados em 20*000.
Art. 6.. Todas as multas e penas dos artigos das presentes
posturas, serao duplicadas as reincidencias.
Art 7.* Ficam revogadas as- dsposic5es em contrario.
Mando, portento, todas as autoridades a quem o conhecimen-
to e execufao da presente resolucao pertencer, que a oumpram e
facam cumprir to Lnteiramente como nella se contera.
O secretario da presidencia desta provincia a Caca imprimir,
publicar e correr. Palacio da presidencia de Pornambuco, 13 di
agosto de 1871, 50 da independencia e do imperio.
L. S. Dr. Manoel da Nascimento Machado Portella.
Sellada e publicada a presente resolucao nesta secretari da
presidencia de Pernambuco^ios 18 de junho de 1871.
O secretorio,
Elias Frederko d Almeida 0 liupttrque.
LEI N. 1026.
0 Dj Manoel do Nascimento Machado Portella, vice-presidente
da provincia de Pernambuco Faco saber a todos os seus. habitan-
tes que a assembla legislativa provincial, deeretou e eu sanccionei
a resolucao seguinte ,
Art 1 Fica o presidente da provincia autorisadp a jubillar
com o ordenado por- inteiro proessora publica de instruccao pri-
maria Joanna Justina de Siqueira Varejao.
Art 2 Na jubilaclo concedida ao professor publico Luiz Igna-
cio de Olivelra Jardim se comprehender a gratificacao que o mesmo
nercebia em virtude da lei n. 369 de 14,Je man de 1855 art. 2.
Art 3" O diploma a que tem direito Anaeleto Publio de Mo-
raes Carvalho por ter comuletado os estudoa do curso coramercial
nernambucano ihe ser passado com as assignaturas do director
geral da instruccao publica e do respectivo secreteno.
Art 4. A aposentadona concedida pelo art 4." da le n. 960 de
12 de iunho de 1870 ao tenente Joaquim Herculano Pereira de bouxa
Caldas deve ser com o sold da patente que tinha no corpo de po-
flaa
' Art 5.' Ficam revogadas as disposicoes em contrario.
atondo, portento, todas as autoridades, quem o conheci-
mento e exeouclo da presente resolucao pertencer, que a cumpram
e facam cumprir to inteiramente como nella se eontem.
O secretario da presidencia desta provincia a toca imprimir, pu-
blicar e correr. Palacio da presidencia de Pernambuco, 13 do ju-
nho de 1871, 50 da independencia e do imperto.
L. S. Ttrsjhmoel do Nascimento Machado PorUtt,
Sellada e publicada presente resolucao nesta secretaria d*
presidencia de Pernambuco aos 13 de junho de 1871.
*Ja O secretario,
I Elias p&rko de AfMsMe e AUHfmy,



*,
*

j
,r~


t
11
v
;
7


TOMOR.
"JC :t\lttik
lhan* d 1*mantee*
Safcbado $ da SetewiliTO d 1*71
crrespMdeaela do Diaria de
PcrnaMbne*.
PABAHYRA, 28 DB SKTKMI0.
Nio paita etcmer-lhe pelo eosteiro Pirapamn,
ejue passou honlem para essa porto; porgue,
quando o mea ciceroni treuxe-me a noticia de sua
chegada, jfot tarde mis'horas, a que algo ae
cootrarioa.
Approveti boje api. Jacmtlm para corrige- essa
TalU, 4a qual pe(;j-BBP descaln*.
Niodeixam da srlBtere*aates as no lotee que
teaho i coramucar-ltt na-pHmuie occ**Bo.
A traujuillilala apMica, safando astaforraa-
$8es que possi, partaaneee {alterare! era toda
provincia.
O estado da atg unaea iiJrridiial 6, nio oba-
ttnte, desagrawrVelefiTalgawas localidades, de-
vido s causas qae, de ouiras vezas, teoho enu-
merado, e qne alada persisten.
Corre, com corto, que (ora atsassinado no
termo de Palos, s cidado Antonio da Costa Ma-
chada pelo aatac d* rapte de ama boa sobrinba, a
na oecatAo eaa que procarava sufctrahi-la ao po-
der do mesmo raptor.
o engenhoGenllo da frepuetia do Livraineato,
proprtedadedo ieaeate~ooroael Antonio Cartee Pe
reir Pinto, o escravo Joo Guedes assassiaou o
feitor Severoo s focadas, sendo logo capeando e
reecfliido a cadeia desta capital.
Km Araruna Coi espaacado brbaramente um
hornera leiageoario de nome Hanoel da Cuela, e
consta que o paciente acha-se em perigu 4e vida.
Nio ae verifico* felizmente a noticia 4 essassi-
ato do tenente do corpo policial Joio de Carvalho
Parnambueo, oo termo do Ponsbal, que eerren aqai
eom todos os visas da verdMe, e que sea impor-
tante Diario na seceo dos aperMesdescre-
veu com as cores mais horrorosas.
Acabara de helar cartas d'aqnella localidad'--
<]ue a desraeniem caballele, algamaa 4o proprio
tenente, que eecreve nio 4o ontro mas des te m na-
to, declarando que ashi-se sio como aaa pero.
O amigo Practooso qae era sympataico do ex
-desmentido, e eu sinceramente acorapaobio em
seu regosijo.
A garanta da propriedade particular contia
a soflrer ataques stKjeessivos era sua segnnoca.
Os tartos de cavados nao eessara 4e repetirse
em que a polieia trate 4e repriml-los efflcacmen-
te peos raeios sua di psito.
E'oma raca privilegiada a do*ladro >s 4e ca-
Tallonesta boa trra, por milagro de que sfnto,
excasado diier-lae/mio como nlnguera o igaara.
A* salubnda Je pabkea tem melhorado nestes
das sensivel'Dente, devido, segundo me diz oFrnc-,
taoso suspeosao do tempo invernoso que tem
corrido, o qual, pelo ae parece, vae balalo em
retirada.
A ultima ebeia qae trooxe o rio Parahyba, nio
eausou prejuito a'guro aos canaviaes plantados
Maoot
blea previ
rtanlo o
rio*, ou
esta
Fra a eiadi) esliera v#J por su as qu alidada*
apreoiaveia e houestidade da carcter. ^F
Sea satoeato foi fqMPffttsitao. f*rqa
nado gosava de nqtfiH" afreoSes e geral
apreco.
Delxa ama espesa Incoajotavel e sete innocentes
fllhin&oa na orfmendade.
D >u ska Musir familia e a sea raagoade fr-
ailo o Exm. Sr. Dr. Jos Evaristo meas sinoeroa
petarnos, por tio infausto quio prematuro acoateci
ment, e peco ao Deus Omnipotente que recolua. rea noaa vi
su loa a maocio 4ae juatoi. I aaargens Igu
O teale de rbetorrea do Iveen des* capital o ea- transporte "
timare! Sr. afnoel Portno Arauha, foi aposenta"
por aeto da presidencia, no referido tapar, com
vaatageas da lei a. 371 de de abril do
pastaste.
DetUtte foram devilameate r8erado
ton|9 a prestigiosos aervicpa aaqaee impor
siaMIee* mate de instruccao seaudaria, aae,
alias, aempra te recordar da eloqname peraap-
tor^ ae,.por taares aanoa, arKeefez onrrlrcera
mxime aproveitamento dos alnranos.
O distincto Sr. Profiri, com q/ianto fatigado
por leogo exercicio do magisterio, retira se toda-
va helo de (orga e vigor, e ttpaz de prestar
marte boas senteos ao patr. em otros qnaesqaer
cargos pblicos, para o qae diepde das habilita-
c5ea e illastracio necessariaa, amo gerairaeate
atieslada.
espero, pas-, que o goveraoTiao delxari te ap-
pr jveita-lo como merece, recaiheado ea fruaos de
ssa capactele e experiencia, fazendo assim urna
acquisici'i digna de apreco, que ser sobremodo
tpplandida.
ro lateaem aposentado, por doeote, o Sr. Fran-
cisco de Assis e Silva, no lugar que oceapava de
i.* escriptorano do tbesouro provincial, cora o
ordenado correspondente ao tempo de ex-^relep
qae servio na mesmt reparticao.
Foi nomeado amanuense da secret-ria do ge-
verno o-Sr. Dalcidio Aagasto Cesar, qae me pa-
rece ncogo intelligente a capaz de deserapenhtr o
lagar.
O-Catao ParoayDtmo fet a sda solemne re
surreiQo no da t do correte, com ama part
da que estere brilbante e esplendida.
0*men ciceroni, qne dnvidava ja perseveranea
do eatimavel RMjor Aranha Chacn, flcou de quei-
xo cabido; as li foi estender a gambia com
todo o garbo de sen flexivel corpindo, vottaado
saiufeito do divertimeato.
A casa, onde est faolala a sociedad'!, es
pacosa e ellegaote, e mantem-se aberta iodos os
das i disposieo dos soeios qae desojara frequen-
tala.
-Faeo votos para qae as tonaas se maatenham
em liu auspicioso pe ; e creio qae posso asaeve
rar isto, era qaanto o mesmo major acbarse i
testa da sua dire-fo.
Esta ji vai muito exten mino aqui o qae tinha a dizer-lbe.
4orn
ada
atama.
- tafltOMi jornaes ata 6 do ..
- t<* aocerrada a saambtanrov
31 do pstala, ^^
atareo* te para da novembro
lian dapaua i a.seaBbla geral.
Os Srtv Jos Marta Berna e Fra,________
Gntfeh, ciddios norte-americanos, e lenulm Coa-
Iba Frageeo, brasileiro, pediram atseablea pro
icial desta provineia, permiiso para sbeles
entre a cida4a da
em atante a Ara
geirea _e carga m peni
rstetaa Parlia.
de obras pnbbeas, u_
rol apreseatalo ara pfojecta aajta-
oo -
otros
mente
ae<)atwcUa.tn0;BJ,iJ|tm.
Qw ais ipajtagamTfiePJabr
' da via fraa de uoe rataa
os peticlcajarios.
everia es trabalhos da estnata eorateai -
4o pmo 4e daos amos depais de assigna e con-
trato, e terminar um nao depois.
O pewno da provioaia gajapmir tYeann oo
atmpaPMa uva prevrlegto xfhhlvo pelo rraze de
3 aooos, para que outra nao p0jM constenr ca-
Brnbos de ierrona dlroeco do qae se trata
sendo a empreza preferida a outra qnalqaetlanai-
dade de circo mstaocias e vaotigeos paraaexteo-
ci da liaba farrea oa eoaalraogao de outri qual-
qner para o sol oa Interior da provincia
JMa espaeo da JO aaaaa garantidaaanpreftv
os Juros sobre o capital de 300.0001W pa se
goiou maoeira:
I.* de 5 por cent o ao ann: dorante
cio an-
enlo ao auno durante cinc* ao
to auno durante ehrto an-
3IARI0 OE PERNAMBUCO
em suas mrgens; pelo contrario servjo Ihe de
beneficio, f^nilisaodo e refrescaodo a trra, que
e de ama uberdale esplendida oessa zona,
Ci ebegaram algn* nmeros do /orna! do Ite-
| /ir, trazeolo impressos o 4* e 5# artlg.s do bern
condecido Epaminondtt da polieia, sobra a admi-
nistracio do Exm. Sr. Dr. Jjs Evaristo, 3* vice-
presidenle da provincia em rxereiel*.
Contera e'les orna resposta sensnborona e palu-
da i coniesta^io enrgica qae o Jornal da P
trahyba oppoz s suas suspeito-as e injustas apre-
ciacoes com re a ci i mssma alministr 5S0.
O paritaoo Catatar nao adduzio am s ficto, que
oflsrecesse raat-ria nova e digna de considersc.ao
lemitou-se a repetir o que j tinha dito para fazer
sabatina, ao nudo Atmulher do ptlho, e paste
por l muito bera I
A verdade incontesiavel qne o distincto pa-
rahyano tem fei o orna adminisiraco imparcial e
tasticeira, que muito tem agradado aos homeos
onesios de ambos os partidos ; e quando tiver de
entregar o basta) do commanlo ao sea diga3 suc-
etwor se recolheri a vida privada coberto das
Peocaos dos s--us comprovincianos e amigis.
Nao ser o desneitado Epammvidas e outros de
igual jaez que poderao e nbaciar-lbe o mrito, de-
minuindo o prestigio que S. Etc. tem adqaerido
cesta importante phase de saa vi Ja poltica; por-
que cima dessa sucia desacre litada est a opi-
oao pudIi !a que compre re?pitar, e esea tem-se
pronuociado por s-us orgos do molo maii lucido
ero fvor do illastre cavalheiro.
C utra fictos, dizem os ratos do foro nio ha
ar/tumentos.
0< pr!os do Despertador leem gemido com es-
tirado*a pedidosdo Inga, da lavra do Sr. alte-
res refirmado Assnmpfo rbula daqaella villa,
entra o estimavel Dr. Antonio da Trindade Anto-
nes M:ira 11-oriqne, e o oio meos d'goo Dr. Fe-
lician_i ILionque H.rdman, por caofa de intereises
srdidos de advogacia I
Ntsj^artigos o sobredito alferes lera procar'do
tisnar a_reputado desses honestos eidadaos sob a
capa .-effr* do -dizem e consta, nao poupando
igualmente o di.-iincto juiz de direita da comarca
o lotegerrimo Dr. Joio da Malta Correa Lia, ara
dos ornaraeotos de sua oobre classe.
Mu tem lido resposta coodigna de todos os
el) -ndidos.
O r peiiavel magistrado pelas columnas do
Publicador e Jornal da Parahyba. tem pulverisa-
do di molo mlis claro e positivo todo qaanto
Matee- pedidos se ba articlalo cora referen
cia i snaadmimslracao jndiciaria; e o Dr Anto-
nio da Triodade acaba de fazer inserir nsqnelle
uUimo jornal um artigo flrraado cora sea nm-,
em qae, pirado em alto relevo as boas qaalidades
do sea detractor, tira hmpo todas as accuaacfos
que Ibe tem sido sacadas e ao Dr. IIrdraao, res
tabelceodo era toda sua paren a verdade dos
fictos.
Viremos agora cora qae se sai o Sr. alteres As
taatpei, cuja chronica hirripilanie todos conhe-
cera e admirara; a, anda mais, a impavidez com
que tenia esraanlhar reputaras alnei s, alias es-
coimadas de t"da macula, elle que deve resguar
dar soa cauda trato do fogo, por causa de algura
incendio que ibe nossam atacar.....
Igml cruzada tem-se levantado no mesmo pe-
ridico, em artigos do alto seriio contra o h Dr. Jos Mari* Moscso da Veiga Pessoa, digno
juiz da direito da comarca do Teixeira, o qual tem
silo defendido em comimnicados impressos zw
intsmo Jornal da Parahyba do modo mais cabal e
completo, com gerai applaoso de todot qae apre
ciam as irarainentes qualilades que ornam tio
djslioeto carcter.
A razio da eeleama eonbecida e apreciada.
Cartea potentados daquellas regidas invias esta
vam aeosiumados a dominar os magistrados da
comarca snpradita oo peto prestigio de sua fami
lia oa pelo terror e ameitae de seas capiogas 5
mas tenlo ncontralo no rgido magi-tradi nra
horoem niiff reate aessesmanifostos.vistoquenio
se deixa seduzr nor falsos dolos, nem se intimida
com as bravatas dos mos vingam-se de sea des-
aponumento pelas columnas da juelle jornal, inves
tindo e deiurpando os facto oecorndos, erabora
sem nenhum ex>to appareote.
Eotr lauto o Sr. Dr. Mo3 o da Veiga projegue imH
firme na sua espinosa raissio, contando era seu
lavor toda populacio >aa e moral sada da comarea,
fM se agrupa era roda do estandarte da lei que
elle arvorou datde qae tomou poste de seu impor-
tante cargo. n
Fazera .s sinceros votos para qae Deus o guie
empre p-la m a na vereda que tem irithaao at o
presente corauoio aproveitamento do bem publieo
e d.s raiere-se da jusiiea lio raeootc-bados
apellas regioes.
O Dr. Manoel Lile Cesar Loureiro, advgdo
distincto e ntemiro imporianie do partida eaotaf
vador de Pianc, tem idi perseguido pelo juiz de
direito da comarca Dr. Alraeida Pires, que all se
eollocon ao servijo da faeco liberal, coulra a es
peetava de t"dos, qne, pelo mans, eraeravam
achar nesso magistrado am espirito imparcial e
justiceiro.
Entre otra* pieardlas, iostaaron-lbe ara pro-
cess oor causa do desapparecimento de aas aoios
de snraraano crune, quando aqaaila dootor exer
cicia o eargo de promotor publico da comarca,
eondarnnaudo-o, .pesar da de/eza mais completa
qae o ex-pr iraet'ir prodoao era tea favor I
O Dr. Cesar Loureiro appelleo para a rea ci do
flistrieto, de lio injusta quio ioqaa a decisio, e
todos euperam que alcanQar do egregio tribunal a
r^aracaj qae Iba devida, visto como aaquelle
23do?eafPeM0 C*priCh0 "^ tWn <0,rlda am
eiu? Umb9m Mmo qae ,Mti5a BWnlbeaeri
BECIPE, 30 DE SGTEM3R0 DE 1871.
Votlrlas do norte do Imperto.
Amanbeceu honctn em nosso porto o vapor S
Jacmlho, trazeodo datas : do Amazonas II, do Pa-
ra 17, do Maranhao O, do Cearl 25, do Ro Gran-
de e da Parabyba 28 do oorreoo.
AMAZOXAS.
*- O dia 7 da setemoro foi devdamenle solem-
nisado na capital, havendo Te-Deum, espectculo
e am profuzo jantar, dado pela offlcialidade is
pravas do 3. batalbio de artllbaria de lioha.
PABA.
F.iram approvalos pela presidencia da pro
viacia os estatutos da sociedade promotora da ios-
truccao publica, se o do a directora eleita compos-
ta dos senhoras : Dra Freitas, presideote ; Dr.
\uue?, pnraeiro vogal ; Maooel Roiae, segaodo
dito Drs. Mendos e Cruz, secretarios
Depois de pequea demora sf guio para Par-
nambuco pelo Maranhao a canhonira fraojeza
Canea
Cora destino i Peroambaco tambem sabio de
Belra 00 dia 18 do correte, a cur*eta brasileira
* ara8- ^ *a A ou.'iaiidade deate naviu de guerra festejou o
anniversano da independencia do Brasil, cora um
sumptuoso jantar bordo, ao qual assistiram as
principaes autoridades e grande numero de fami-
lias da capital.
A offlcialidade da corveta Maa biiadou aos
seas cullegas da Bahiana com am baile de despe-
dida. r
Consgnalo aos Srj. Norat & Irmios viera de
Liverpool no vapor Ctattnu, am poqaeno vapor
destinado a navega?,, do rio Madeira, de ferro,
com capaji.lade para 800 arrobas da carga, me-
drado 50 r es de compriraenlo, e movido por urna
macblna da forc de 12 cavados.
Ambn ao porto de Barn o brigae francez
Suena, por ter desarvorado na altara das barrei
ras de Caratatuba, debaixo di mao (erapo, quaod.
deraao lava o marera viagera para o Havre.
A presidencia da provincia marcou o dia 17
de dezembro prximo para a eleicjio de deputado
a3sembla provincial, no bienoto d6 18721873.
ABANHAO.
A sociedade Onze de Agosto festejou a iode-
peodeocia do Brasil com um baile, e am concert,
nos das 7 a 8 do corren, que estiveram concur-
ridos e animados.
Fallecen, na capital, no dfa 19 do correte,
o secretario da presidencia, nr. Ovidio da Gama
L bo, acerca de qoal diz o Paiz '
Hoje is 2 1/2 horas da maobaa fallecen o Dr.
Ovillo ua Gama Libo, secretario do governo e re-
dactor do Puiticador Maranhense. Empregado
zIjso, ioteliigentis.imo e muito dedicado, a soa
perda mui x-osivel ao servico publieo ; escriplor
distincto e trabalbador, deixoa Ba itnprensa ora
n .me respeitavel, ,jae ba de ser perpetuado p-tas
obras que escreveu ; typo eompleto do bono pii de
li-. a sua inconsolavel esposa e os innocentes
i. de 4 por
nos.
8. de 3 por eento
nos.
4* de 1 por wnto.10 armo dnrtirtt quino ap*
Esugtranta de jproa esssari mesmo artes de
a?50s1 ^^ 08 empre aoferir oa Jr m^
video do de 8 por eento pelo rneaoi.
Fiado o pratn de 3amws na primeia bypp-
these on eessala a gaxintia dos joroa aaaegunla
P**,OT*_? governo fater bovo contrato eoo a em-
preza sob as mesmae condicPes;
Garantir tambem o governo a dreito de desa*
propracio ilos terrenos oecessarispara o leito da
estrada, etc.
O qae abi flea o franstuapt* 4 proiecto qpe
respeito foi presente na assimbla provincial
pala coan missio de obras pobtieta.
Fazemoa votos para que si levt a effeilo es-
se melhoramento para a proancia tio catecedora
deltas.
A Patria conta esta bstorla, qoe dar que
penar a mais de ama beati:
lof irmam-oos qae ba piocos das fallecen nes-
ta cidade am individuo di nome Pedro Penba, so-
bre cuja morte, eontamde moitat coasas extraor-
dinarias e al ceno ponto Derivis.
Dizem por exemplo, qne e (ando elle moribun-
do maodaram n'o sacramentar, e qne quando de
saa casa se retiroa o Santlsslmo, am bando de
arubih esvoacava pr cima detle.
Cootam mais qoe ao fazerera alga tas p-ssoas
seniraella ao cadrver tfesse individuo, acarara, es-
pantadas e ebeia de susto por verem inopinada
mente entrar una galllnba preta a ciscar em re-
dor do eorpo-gailioha esta qoe sendo perseguida
por urna das pessflas qae Taziam sentinella nao fo
todava aleaocada, por causa da ligeireu com
que corna e desappareceu: isto leve lugar a meia
eme, segundo nos tero referido mais de ama pes-
Dizem anda qae una imagnm qpe esfav i ea-
becetra do cadver, den, sem qoe niogoem lhe
1 Ksse, ama qaeda, e fleando com ama das mos
quebrada.
Attribnem lado a um castigo Divino, ou antas
maiaicao que pesa va sobre esse individuo, pelo
facto de maltratar elle saa proprla mil, em
quera at, dizem, dra pansidas por varias ve-
O Dr Gervasio Campelln Piros Frnrtfa, loli de
direito da capital do Piaoby, foi detoittido pela as-
sembla dessa provincia, por sentenea de 30 do
mez passado, como ioeursu 00 artigo f!9 8 8* do
c"digo criminal, combinado cim o art 24 do mes-
mo cdigo, (tentativa de falsidade.)
Por elevada cid de com o nome de Ama-
ranthe a importante villa de 9. Goncalo.
L se era diversos jornaes da Teresio*:
S,.b a deoominacio da cidade do Amarxmhe,
m, a c?nhec,,,. <'ora em diante, a importante
villa de S.Goocalo-era vfrtnde da recente ro-
lacao provincial noraero 734, de 4 do correte.
' *fV Pneira villa da provincia ;)t. je a
com Oefras e PUrnahyba. qoanto i popnlacAo aue
tolos os das augmenta *^
Amaramos 3 o emporio do eonmiprcio do sul
da provincia, e prometa vir a ser no fatnro ama
grande cidade, talvez mesmo superior a Tbere-
zioa.
Dos Ibe qaeira
flihrahos ch irarao com a mais craciaotedr aquell-
que Ibes fui o amparo e a alegra aos raelbores
annoi da vida.
O Dr. Ovidio f> secretario do governo desta
provine desde 1859 at seu falleeiraeoto e em lo-
do este tempo, serviode com pre-ideotea de diver-
sos ere los polticos, raereeea de todos pleaissims
cooanca, por qae no etereteio de sea cargo cara-
pna leairaente os sens deveres, sera se deixar ar-
rastar por paixdes polticas.
Ninguem poder deixar de fazer-lhe esta ius-
tica. '
t Jfascea a 29 de setembro de I83 Gibo do
commMdadjr Joio Dapttsta Pereira Lobo, e D
Mana Thomazia da Gara Libo.
Obteve o grao de bacharel em seieaeia so-
ciaes e jundieas oa hePtasde de direito do Recife
em 5 de ooventbro de I88S.
t Era 5 de dezembro desse mesmo anno foi no-
meado para servir interinamente o Cargo de oro-
motor publico da eanital de Peroambaco
t P./r decreto de 31 de jioeiro de 1839 foi no-
meado secretario do goveroo*da provinjia do Cea-
ra, sendo por deereto de 27 de agosto do dito ara-
o nomeado para igual eargo nesta provincia.
Era socio de diversas sociedades iliterarias e
_ dar das prsperos e dilata-
dos,grandeza oa extensio, no trato e no animo
varonil de feos 81 nos.
O municipio conta perto de 40 annos de exis-
tencia, tendo sido cr-ado em vinude do decreto
de de julho de 83JJ; a sede do termo con-er-
voo-*e por rnoito tempo arredada de rio da Par-
oahyb. cerca de cinco leguas, at que por lei (en-
nere 30b) de 10 de agosto de 1860 foi trao-ferida
para o local em qne jal actualmente, entre a fz
do rio raptad! e a do riacho Mulato, marg-m
ao Parnabyb, legar fronleiro i povoaco de S.
Franeiseo-, da pnviocia do laranhio, fffec-
tuando-te a transferencia no anno segrate a 20
de jnnbo.
Mi-don annos a cidade
hits,- ntt ftquera canos de gueno pdem iba-
lar a rapatucio bera firmada do bario de Taqoary,
qot) d devidamente acatado no paiz pelos teas
Mrvtaat, nobrett do carcter, e severa probdade.
A rdera pablia nio tem toffrido maior alte-
rapia ; mas constantemeate ehegam de diversos
pontos noticias de aatasematos.
^ ltimamente ea Caolod, por octasiSo de am
cerco qae fez a escolta de polica na choupana em
.ae ea nava o crianinoso Joio de Almeida, no
lagar Sitada, fot morta a toldado da mesma
tiro d'esse arirainoaa, que sondo ra-
Iroente mtrto con- Otos da escolta.
tVl^Po do sequilo da celebrrimo Jos
J*0* 9", 6xen,P|o de fazerraisteacia qniz
iQ^s*, seaa-lae p:rm funaate.
ut *c,b* m inuguraa a etjola nocturna
uitimaaenp arcada, seodo nomeado para seu pro
fessor o Ir. am medicina Antonia Mareot Tellea.
Achara sennriculados parto de tea a'twinos.
t GhegatlPtomou possa do carpo de medico da
compaobia de aprendizes marinbeiros o Dr. Ca-
jado.
a O Dr. Joaqun Antonio Marques Riaairo pe-
dio e obtere sua demssio do cargo de medico da
Casa de Misericordia.*
Leaos do Cearente :
* Era Mara Pereira o Sr. capillo Francisco de
Almeida Braga e sua mulher D. Rosa Florinda da
Triodade conferirn carta- da lber da de a 26 es-
cravos: e para tornarem firme e llosa essa saa
rtaolncjktt mniara publicar a seguinte decla-
racio :
O capitao Frtneisea de Almeida Braga a toa
mulher D. Rosa Florinda da Trindade, residentes
nxtUtada- do Bom Principio da fjreguezla Ja Te-
na team fater publico pelos jornaes que em 19
de abril do crreme anno deram de sua esponta-
nea vontade lberdade por carta da alforria aos
seas escravos, cujos nomes sio os seguiotos :
Mari, Lojrenca, Late, Joaqum. Jorge, Hiduvi-
ges, Marganda, Victoria, Anoa, Francisca, Gar-
trudes, Domingos, Rozanra, Mjrianna, Vicenci,
Vicente, Clara, Candida, Maooel, Thereza, Cae-
tana, Mara, Maooel, Mara, Bonifacio e Aoto-
0 ; a querem por esta declaracio tornar
man firma a valioso o sea acto de alforria
nos sens mencionado! eacranos, protestando ai
mesmo tempo contra todo a qualquer documento
qne appareca contra a lberdade dos referidos es-
cravos. Boa Priaeiplo, !. de agosto de 1871.
Francisco da Almeida Braga.Rasa Fioriada da
Trindade.
c Comaunicam nos de Amarracio :
' A escuna Bailo ao sabir da barra, no da 15
do correte, com destino Caena, com carrega-
ment de gado, abri agaa, seodo obrigada a en-
calbar. Salvou-se toda tripolacao e apenas perdeu-
se ua bol >
RIO GRANDE.
Em 97 do corrale escreve da capital nosso
cerrespondeote.
< Est em aerphali o lugar de promotor pu-
blico da comarca de S. Jts, por se achar de li-
cengao respectivo fonecionario Dr. Affonso Bar
bosa da Cuoba Moreira, e nio tiaver naquella co-
marea quem queira aceitar a nomeacio interina
do Dr. juit de direito Pedro Fraocelino GoJraaraes.
< Por esta, razio ji oio bou ve jury no termo de
Coyanninua. em detrimento de oito reos presos,
que atrito Qcarara privados de seas jalgamento.
No tempo do Sr. Dr. Estelliu e de antros jai-
zes de direito, nunca se deram semelhantes oc-
urrencias to prej adietaos marcha regular da
administra cao da jostica.
A bexiga desappareceu d'esta cidade, oom
eoja pobreta atacada do mal despenden secerca
de 4:0001 por conta dos cofres pblicos.
* Era S. Jos de Mipib, porm, este flagello
cratr.a com ioteosidade taoto assJm que anda
hontem segundo consta foram remettidos alguBs
soceorros para rmela, localidade, de ordem de
Exm. Sr Dr. Delnoo Augusto Cavakaate de Al-
buquerqoe.
c Acaba de chegar esta capital, remettido
pelo delegado de polieia da cidade da Imperatriz,
o criminoso Justin> Ferreira Lima, qae, segando
J Iha noticlei, foi ara dos autores do brbaro as-
sassinato do infeliz Veriato, no distrlcto de Barri-
gudo l'aquille termo.
< Noticias recebids de Porto-Alegre referem
um seno conflicto entre o respectivo vigario e ara
tal Jos Ferreira da Molla, resultando ara ferimea
to gravo oa mi de un irmio oa cunhado do
raesmo Ferreira, que tomara parte no dito con-
flicto. 1
1 Dizem qoe com a presenca do Dr. juiz muni
cipal Jeronyrao Americo e da promotor publieo da
comarea que, da cidade da Imperatriz, seguiram
para a villa de Porto-Alegre, serenaram os nimos,
gosaado todos de pleno soeego.
c O Sr. Dr. cbafa de polica por sua vez dr.
sobre tai acomacicoeutOL as mais acertadas provi
dencias.
t Por 'lo ia hontem foi exooorado i seu pedi-
do o subdelegado de Mar), Joaquina Varella Ve-
nancio Borges, e nomeado para subslitar lo o ci
Jado Jote Canato de Sonta.
Hoja A larda segu para a comarca de S. Jo-
s, afim de tomar coota do commando do destaca
menta all esetacionado, o teen te Hercules Pin
dbyba- deCtrvaih vqna no dia 21 chegar* do alto
serto, onde estivera destacado por ptrlo de um
anno.
A eleicao para depotados proviaciaes
per bate lotacio pan a cobrtnca do Imposto de
JU/' sobre vencimeotoa ; a o tupradiu tribu
Considerando qiw as lotacSes adralntrat
SaS*,' SfiSSaf-3< d0 decre, d
iXdeautDbre da IHTf, erara especialmenta api
phcadas a cobranea do mencionado imposto io-
bre veocimeotos, pra exiineto, e nio podera ser-
vir para regulara cobranea do sello e direitos de
30 7. do augmento que (veram os desembarga-
pares das r laefles eivts. do referido art 12, nomo ji fip declarado ea ca-
to idntico por despacho desta miuisterro de 18 de
maio de 1808;
Considerado qoe s era vtrtude do decreto n.
4721 de f) da abril d crranle anno se mandoo
proceder lotacao adortisiratira pan a cobran-
ea do sellq ediretos Ju raarei pecuniarias, fl-
ando assim ravogada a legisla ;o anterior qoe
ts fazia dependentes de procesto judicial;
Consideran lo, finalmente, qae a cobranea
do.-tes impostos no caso a qae se referem os re
correles diimitada ao accressimo do vencimento
decretado na indicada lei, e nie deve comprehen-
der qualquer differeoc* de lotacao que nao exis-
tia legalmente formulada para esse flm :
< Hesolveu dar provimaoto ao recurso de que
se trata, mandando restituir aos recorremos a
maona do sello a direito8 de 30*/ Que tiverem
pago da iadevida differenca de lotacao. >
PROVINCIA DE SERGIPE.-0 Diario de Be-
ln, 00 Para, dh qae por cirta imperial de 2 de
agosto foi nomeado presidente da provocia de
Jergipe o Sr eoronel Joio Wilkeos de Mallos.
FESTIVIDADES RELIGIOSAS.Hoje san ce-
lebrada oa S de Olioda a feslividade de S. Jero
oyrao, qae annaalmente ah celebrada palo
Rvt. cabido, oecupaodo a tribuna sagrada o
Rvi>. padre Jos Esteves Vianna.
Terminando boje os exercicios do mez doloroso,
qae tem sido feitos sob a direccao do Exm. Sr.
eoaego vigario capitular na sua igreja em Olinda
(MiUgres) araanhaa pelas 9 horas ten lugar a
feslividade que ser celebrada eom aquella pora-
pr e brilhantismo que devido a Exeella Virgem
das Dore. A' tarde pelas 5 e meia horas prioci-
para o Te-Deum, O:cuparao a eadeira sagrada
ao Evangelho o padre Jos nVteves Vianna e no
Te-Deum o padre M raoel Joio Gomes.
JACLDADE DE DfREITO.-Cora o praso da
quatro mezes, coutados de 29 do correte, adia-
se coucur-o o provimento vitalicio da eadeira
de geographia e historia, do curso preparatorio
annexo
FESTIVIDADS RELIGIOSA.-Araanhaa cele-
brase, na matriz da B*a-Vista, a festa de S. Mi-
guel, padroeiro da irmandade das almas da fre-
guezia, orando ao evangeirto o Rvra. fre Joio de
Santa Thereza, e sendo a orchsstra regida pelo
professor Colas.
DINHEIRO.O vapar S. JaaMko trouxe para
os Sr.:
Pereira Carnero & C.
Jos Rodrigues de Soaza
Joaquim Jos Gracalves Bellri?
J"aqaim Gerardo de Bastos
J. O. C. D .vle
P. M. Meo y
Francisco Jos da Costa Caima raes
Antmio G. Ma?edo Coutinho
AO FISCAL DO RECIFR-Chamamos
(io desta empregado municipal pan a

L000*000
9I640
909*900
752*400
7lo*00
420*000
20(^000
a atten-
pratica
ci de ieu caixeiro Fabriciano Plato de Miranda.
Sim.
Goncalrn da Silva & C, dem, sendo o caixeiro
aquem se reftra t nomeacio, MigtMl Archanjo
fioncalves da Silva. -AEt. rag'strada.
* Jos Antonio da Silva Machado, ebaojando-te o
caixeiro, cuja iascrlpfio te palo, Udefonso da
Cosa Moura. Como raqaan
Beato Machado & C. sendo o caixeiro qae deve
ser eliminado Ildefonso da Costa Moura.Na for-
ma requerida.
Jos Antonia da Silva- Machado, snecetsor de
Machado A Moora, pan tambara eliminar-so o
caixeiro Jos Mari Rodrignes do Almeida.Co-
mo reqner.
Francisco Joaqun Ribeiro de Brtto pan regis-
'^Ihe a escriplura antenupcial celebrada por
elle como mtor de D. Anna Carolina da Foneeca
e pelo futuro espato desu Frantoo Jos da Silva
Gulraaraes.-Seyt rassirada.
Domlngoi Nones Beirao e Manoel Nones Beirio,
para registro de seu contrato social.Visto ao Sr.
desettbirgador fiscal.
Companhia dn seguros Allanca, para ser levan-
tado o deposito da flanea qoe prestara para poder
fuocciooar nesta praea, visto ewstir en faaaaWa
flanea prestada oa forma da lei.-Vista ao Sr. des-
erabargador fiscal.
Companhia The Commercial nio Assovanee,
pan se lhe dispensar o registro de seas estalntos.
visto ja terem sido registrados na secretoria de es-
tado e pnbi cadas na corte e na Babia. 1 fio de es-
tabelecer-se nesta praca pela aotorisacio qne eb-
livra do governo. (A petigio acha-se datada,
como se v da respectiva estampilla, un ii da se-
tembro de 1870, e veio pela primefra vet agora
preeeoca do tribunal, que pn.ferio o segninte des-
pacho : Vista ao Sr. desembargador fiscal.)
Protesso da r no Machado Freir.Yuta ao Sr. desembaxgador
fiscal.
Dito dito de Martnho de Oliveira Borges.
Adiado.
O Exm. Sr. conselheiro prndente encerru a
sessio, por nio barer mais qae detptcbar-te, e
lia meia horas do da.
SESSO
abusiva de se agglomerarem as carrocas da al-
fandega na ra da Madre de Deas, -prejadicaode
o transito publico, e cansando atropellos aos vian-
dantes, alguna dos quaes consta nos j tem sido
aecoraraetiidos pelos bois, qae poxbam aquel es
vehculos, as occasions de passar entre dnns
del'es. Convra tomar algnma medida no sentido
de obviar o duplo inconveniente que aponamos.
COFEITARIA.Abre-se boje urna nova con-
felaria ra do Imperador n. 24. All se pode-
rao muir os nossos assignantes dos geoeros pro-
.pnos de tal eslabeleeimento.
LOTERA.A qpe se acha a veoda a 209", a
beneficio oa nova Igreja de Nossa Senhora da Pe
aha, a qnal corre bojo.
LETLOHoja (30) effeetna o agente Pinto s
II horas em ponto, era frente a aesociaco com-
mercial, o tedio da barca iogleza Woodiand;
conforme se acba annanciado no logar compe-
tente.
JUDIOARIA. EM 28 DE SETEMBRO
DE 1871.
KMDENCU DO XM. SR. CONSEUfEIKO A. F. PB-
BETTI.
Secretario Julio Guimaraet.
Ao raeio dia deelarouse aberta a sessio,
ettando reunidos os Srs. desembargadores Silva
Gulmaries, Reis e Silva Accioli e Doria, e os Srs
depatados Miranda Leal, Candido Alcofirado, Ola-
lo Bastos e Alvaro.
Lida, foi approvada a acto da tessao anterior.
LGAilBKTOS.
Jtiizo municipal e do commercio da villa de
Atalaia, provincia das Alagoas : appaHaoles auto-
res os administradores da massa fallida d Antonio
Jos de Figaeiredo, appellado roo Francisco Jos
1:000*000 de Oliveira Jnior ; juize-os Srs. Aecot, Doria,
Olinto Bastos a Alvaro. Foi reformada a. sentenea
appellala.
Appellante Thomaz Duart de Aqnino, appella-
do Joaquira da Cunta Preire ; appellante Andrt
BaibLsa Saras, appellada D. Victoria Rufina de
Azeyedo ; appbllanie Salvador de Siqaera Caval-
cant, appellado Joaquim Salvador Pessoa de Si-
queira Cavalcanli : appellante Manoel Ribeiro
Bastos, appellado Thom Joaqomdo Naacimento ;
appellante Mantel Duarte Rodrigues Pinu, appella-
dos os curadores fiscaes da fallencia da AnUnio
los Gomes. Alialw a pelido dos Srs. depa-
tados.
Continuara sobre a mesa os feitos entre partes,
embargante Salvador de Siqueira CavIcanti, em-
bargado Joaquira Salvador Pessoa de Siqueira Ca-
valcanti.
O Sr. Candido Alcoforado nio apresentou o feto
adiado a sea pedida na sessio passada, entre par-
tes, appellantd Manoel da Silva Ribeiro, appellado
Antonio Pinte de Moraes Costa.
PASAOBM.
Da Sr. desembargador Aeeioli ao Sr. desembar-
gador S;lva Guimaries : appellante Leonardo An-
tonio do Espirito Saut. Porto, appellado Manoel
Joaquim de Alera.
Eocerron se a sessio a urna hora da larde.
Curapro o rigoroso devar de registra mais um
oh aportante no decurso do crrante met
Succarabio na idade da 3lfauno,Tlnima de um
t eixon o Dr. Ovidio seo recursos de qaali-
dade alguraa saa viuva e 4 flibos, 3 meninas e 1
menino, todos de menor idade. Seria jo-to qae o
governo Imperial viesse era auxilio desta desliosa
familia.
c Era sigoal de pezar o Exm. Sr. viee-presidra
te da provioaa mandn fecnar hoje a secretaria
ao governo, cajos empregados tomaram laio psr 8
das. '
n.~^.^*J"1"88!Qoilil'?nwo18 orfi!ada a com
panhia de earraj de ferro ( bonds) na capital d)
Maraahii, deveodo em breve comecar Va traba'
nio Laite de Metrelles. Era sea testamento deixou
livre os sens esenvos, a i este nobre acto aceres
centn outra Hsposc5> qae arada maUo faz real-
car, instlalo os sesmos escravos seos herdei-
ros. Os escravos sio 7 e os bens que legn ehe-
gam a 14 contos. ^
Repeotmamenle fallecen, na cipltal. o neao-
cunte Jos P,nto da Costa. ~
Fallecen ra mais: o ngocianle Gaspar Pes*
soa Je Paria ; e lavndor Theophilo Jos dos Sa ,-
los, do Coda; e o negociante do Alto-Meanra. Joa-
quim Jo^ de Azevedo.
A* esforc-.s do coronel Joio Candido Pereira
de Cistro do Icat, toram capturados 8 aseravo*,
22 armas fluas, 1 pistola, 10 facas e faede. nos
quilombos le-se lagar. '
No da 21 de agosto, ot Srs. Dr. Jos di Sil-
va Mala. Aotooio Joaqjraj amos Villar asna mu-
Iber, libartaram gratuitamente i soa entran Ha-
ra.
A baronew de Anajatuba, depots de cele-
brar-se a missa pela alma de sen esposo, o bario
o esmo^nome. eotregon a carta de taanlade ao
aaa o-eravo Paotoleio em remuncracio dos tervj-
que prestou ao dnado e era attenoSo aos cai-
que leve cora este durauto a sua eaferra-
do Amarante tinha
apenasjMM casa, a do Sr. coronel Rayraundo An
tsnio Borges ; Boje se bera nos informara nio terr
ineoos.de 430, sendo 1/3 de tena e o resto de
pilha ; a sua populacio ser de 2,000 almas pelo
menos. ^
A cidade de Thsresina tinha apenas qvarenta
t aapt babitaot't em piano de 1851, quao-io ae
cliainava Villa Nova boje estima se era 7,000
almas a saa popolago, cnj-i deseovolvimento ne
te* ltimos dez anno muito inferior ao d> pri-
mero dascenio, fiado era 1861, havendo talvez urna
dmereoca de 60 por cenlo para menos no derra-
ieiro periodo.
. ,*, ElD. ,s65 comava-se aqui 963 edificios, sendo
43J mais 00 menos solidos e 530 frageis (casas
de palaa); foram no raa^rno anuo, moras para o
coosurao puWici 3,281 rajes, segundo lesa no an-
nexo n. II do curioso relator!- dj ilustre vice-
presidente Dr. Manoel Jos da Freita-.o
_____ ORARA.
Em 23 do crranla escreve nosso correspoBdeote
4a capital :
Pon* on eansi nada tem aqui ocurrido qoe
raereca ser referido.
Foi moito festejado o dia 7 de sttembro, ha-
vendo th-atro em grande gala na vesaertv e ao
da parada, baile era palacio dado pela guarda na
cicoal, qas este ve rnoito coaeorrido e brrtnaote.
Augmenta a se tona cada vet mais desa-
brida a oppoMicio da Imprecis liberal adraiais-
iracao llliistrada, prudeote e jasticeira do Exm.
bario de Taqaary. Tu > serve d pretetto, cae-si
ganda o desojo rmmoderado de censurar ao poa|
de invectivar se ao prndente por ter nomeado I
ama eomnitsao para estodar a apreseotar ura
proj'do de reforma sobre iaslroecio publica,
coosa qne se fas pw teda a pane, e aqai mesmo
tem sidi feia por presidentes de diversas erado*
polillos.
O Cearente (jornal) qae ltimamente mostra-
nte mais moderado e comedilo, -rrepion car'
reir, traba de acesiar sem violencia sttas bt-
i^m9****1**' taPldd-o sem rregoas
B porqne t
1L1 0*,1 n0cf<> uu> proleeto de le
Tf^rtfL- niJeolir o prititeglo por irra-
iig iP W *"' f,b"e* '
- ja foi
marcada para a ultimadominga di mez de dezera
bro vmdouro.
O numere dos candidatos, segundo corre, j
sobe 50, portante al- o fazer desta 83 serio ta-
boqoeados. *
PERNAMBUCO.

Quando por amor da cania pob'iea ot orgios
1. 12T h BBdw, e teraam-sa aerrnMi>-
sas. pbdara ,ser deseolpados ; as nMe*, gJojjaV
iiSt^Ste WMMa^-m enM >* f*nttdo
. Porventnn jprlan a provinaia al rema eonsa
co a na sanccSo iW tengo prteilegk. t
Se a Itbricadeieevdoadatfijoii^offltie
horamenlode reeoaaaeidaa vaagaos e utilidale,
para gao arntuogi -
a B VTST A DI A RA.
FESTA DE LIBKItvDE.-GooK) aoonnciaraos,
ba das, lera lugar amaohia pela 11 horas do
da, no sali dos espectculos do theairo de Sanio
Antonio, ra da Florentina, a sessao magna
anniver-aria da fuudaco da sociedade Emaoci-
padoraldo Recife.
A sociedale tea consegodo libertar e contri-
trado efflcazreaate para a ebtencio da lberdade
de multas infeNzes que tivrram a desdita de nas-
cerera sob 01 ferros do eaptiveiro ; e aman ha por
uceasiio da sua festo fari entrega de todas as car
ta- de lberdade para o qoe pede i todas as aifer-
riadas qae all comparecaan.
Para ama festo, qae por si mesma diz todo
qoanto de oobre a geoeroso comaaem ira, nao ha
mister de convidar ninguem, porque estamos con
vencidos de qae todos os amigos da extinecio do
es;ravos irio anda esto vez queimar o locaoto do
coracio britilerro no santo aliar da liberdtdo.
AROI1 DE PALACIO. At dua sociedades
Daze de Setembro a dos Artistas Meckanieot t Ja-
beraes orgaoianm para amanhia das 4 horas da
ta-de 8e i/2 da nonte. o l rceiro passeio 00
jardim do palacio da presidencia em beneficio do
Lyteu de Arles e O/jicii*.
O jardim e-Ura uecorado com baoJeiras illu-
mma*o-se a ooite giorno. Tocario doas ban-
das de msica, e estera aborto o basar de pren-
da.
Dlzeodp qne o producto desta fasto destinado
a auxaiiaf a e. mslruccao do palacete do Lycem de
Arles e Of/ictes, eremos ter dito quanto ba-te para
chamar concurren! s i urna obra "tleriioria d.-
que eeto dependente o futuro da instruccao pro-
fissioaaa,
EMPUESADO DAS ALMNDEGS.-Pelo ai-
nisieri) da rateoda se commooicoo direeterto
geral da contabihdade do thesonro, para os dev-
dot effeito, qoaS. A. Imperial a Regente ea no-
me do Imperador, hoave por bera decidir, por
sua inmediata fesolueio de 9 do correte, tema
da sobre consulto da sec?ao di fazenda do con-
seibo de estado, opa ot emprega'es das alfaeda
Saa devem continuar a gozar i favor do an 95
rtfnlaaeato b. 2 647 de 19 de setembro de
lew, fisto nao ler sid i a saa di*po da pelo art. 35 Jo deereto n. 4.8M) de 20 de a iril
do anno paseado, o qual reuumd., as gratiflea-
edes dos toa empregados toe respeo (vos orde
nado, nie fet atis do qoe meihorar-ihes a con-
dicio nos casos de molestia e de aposento doria
eiuquaoto qoe e prinmro aaloris >a o g.Vtjrno pa-
ra aposentar oa vaatagera especial e^iBsegui-
temente a remunerar por ata modo os qn" no
loogo praso da mais de 30 ipoos tlveram presu-
PASSAGEIROS.Entrados dos portes do Borle
no vapor 8 JacitUk :
D. Juan Arevali de Vllacs, Jos Guelfe Kopke
Coria Pinto, Sebastiio agi Tarqnino da Silva.
Francisco de Salles R beiro ampos, Carlos E de
Mesauia F-lci 1, Alfredo Emilio Falcio, Uomio-
gos Jos Saboia e Silva, Manoel Cornelio de Mos-
quita, Pedro R beiro de Oliveira Pilho. Antonio
Sergio da Cruz Muaiz, Maooel Jos do Nas:imen-
to, Jos Joaquina Amando- de Almeida, Nicolao
*f, *'anoel Antonio Pires, Francieco do Reg
T. de Brito, Antonio Thoraai C. da Cunha, Jop
llufiuo de Sonta Rangel, Joio Pinto de Vasoon
celloa, Caetaoo Daniel de Ctmlfto, Heiriqae de
Sa Leitio, Joio Jos do Nascimeoto, Francisco de
Oliveira Lns, nm filbo, e l1 criada.
Seguam para o sul :
D. Mara Jos Faria JordSo. sem criados. Fran-
cisco de Paula Rosa, Migner dvs Anjo Torree,
And- Coeard, Adalberto de Soaza Bntga, Miguel
Archanjo Galvio, F P C. de Albuaa*rqoe e
suasauhtra, D. Miria Pastora da Cosa e 7 fl
Ibos e 2 cr.ados, Djmingos Igoacio de Souza Va-
fete, Athanasio Antonio P-reira, 1 pra{a, Jos
Lopes Cardozo, Domingos Pereira da Silva, Joio
Pedro Macifl vraoha, Rut.em Julio Tavares, Dr.
Gervazio Carapello Rre,s Ferreira, Dr. Loiz Con-
tiuho, Hereulano Francisco Goncalves, Valfredo
Padilha e soa senhora, Candido Brnno Fernn-
des, J, Ferreira Garca, Jos Joaquira do Vale,
S'bastiao de Almeida, Candido Marques de Sant'-
Anu, Antonio Martina de Arda, Carlos dos Sao
tos Figchel, Silvtrie Martms da Cuoru, e 1 cria-
do, Jos Joaquim Souto de Castro, e 1 criado,
Claudioo e seas Albos, e 7 reerutas do exercito.
UKMITERIO PUfiLICO.-Obiluario d) da 28 de
setembro.
J-is-pba Mara da Concelcio, prela. Pernaraba
co. 25 aooos, solieln, Santo Antonio, tubrculo
pulmonar.
Silvano, braneo, Pernambuco, 2 annos. Boa-
Vista, bexigas.
Mina, parda, Pernambaco, 3 metes, Santo An-
toniov deseniiii.
Manoel das Neves de
pardo, Pernambaco, 26
pbtysica pulmonar.
Fehppa Jaeiniha da Silva, preta, Pernambaco,
30 sanos, solimr, S. Jos, gastro intente.
Izbel Mara da ConeeiCAo, preto, Perna nbuco,
36 aneos, solteira, Saato Antonio, gastro inierilri.
Manoel, pardo, Peroambnco, 1 dia Graca, es-
pasmo.
PUBLICACOES A PEDIDO.
Pa'ahyoa do Nofii,
Ao Exm. Sr. Dn. Jos Evarbik, vice-
PnESlDE.NTt DA PROVINCU.
Os jornaes de hontem aonunoiana baver side
presentada S. Exc. urna propona para cana-
lisa?o d'agca e iUarainacao a gaa da capital.
Sao sem duvida mu iraporiantea semilhanles
melhoramentos, mas de esperar qoe S. Exc.
nao dtixe de abrir coocurrencia, aflu da que se
realisea ellos eom a' mxima economa a ores-
lesa. r
Consta-nos baver nesta pnca quem pretenda
concorrer, e qne esto no caso ni s de levar a
effa to promptamenie como tambera daoffereccr
vaotagasts i fazenda publica.
Nautas coodicte*, Exc. zalozo pelos interes-
ses da provocia a sen eargo, nio dallar de
marcar praso para apresenlacio das proposta-
publicando se os editaos, como cosame, nos
contratos de semilhanie nataresa.
Assim podar S. Ex.i. f .zer nm contrato com
vantagens para a provinciao ate para de-
sejar. r
aVt
COMMERCIO.
Albuquerqne Maranhao,
annos, .softefro, S. Jos,
r.^iny. Lb., t J*?.^iif^a* ^ffj^f ,do wl'otot o distlocto servcos to astado,
p^la ocata aoaantMtfp} t ^ w TRIBUUE3 DA REL tCO.-Era 18 de agosto
GoraprahRMamaa a taenatpnaaoa at at alt"D0 (oi Pedidj pelo ministerio da fazenda o
certe poato sao aeeaatarioa .ot igMa*afcjMBO *eiaia* *T, -
I^Sf/?If?!*Ll^a^tav*tfepat aaot-eaj^ A' Ibatowarla da rtaJa ida que undo *do
nfo f9 y*tPtay de vflg t* coMBjaag^, prpeate ao Vibuaal do tbawoja o recnrioter-
mas pira isto. desesndo ao catea qae tejfett, pasto pelos desembtrgadoret da relacio d oal
^te&VZSi!!*/"* t*M#**M Ido raa urotiAcu d> dauso d* oasaurari opa Utos
JJ^t^^F *****,. $ j^dajJEa idnetVrtop paeiiiiiBjjSp por alia. Uu coaira" o
ffii _,_ ^ 7?.- WUM dp V na da fiWM .ipaaaaJwaate
t^tX*&*&&'^^k^**"',**' X,gid05 ^'"Wta? aoreatioioam
g,o. M emy^odMitpaiBpl,,, seos 'encmenlos,. Sade do art. tU la. a..
*r^m ^|itrtatcao^pBflaio]l7i d Sdejob.) do uno patudo, foaado
cnROMn ji meuru.
ntllll >\l. DO CO711IERCI0
ICTA DA SESSAO ADMINISTRATIVA DE 28 DE
SETBVIBItO DE 1871.
rotsroEKCu no exm. sr. oohsblhbiro anseluo
FRANCISCO PERETTI.
As 10 horas do da, esuoJo reunidos os Srs
lepuudos secretario Miranda Leal, Olinto Bastos,
Candid-> Alcof.ra Jo Alvaro, fallando com causa
verbalraeDte participada o-Sr. nuppf-nteS Leitio,
e pre-eote o Sr. -tobara barga do r hVca, o Exm. Sr
conseloairo presideate abri a sessao.
Lida, fei approvada a acto da sessao de 2L
BVBDIBMTB.
Com'eadereco do Erna. Jar. eoaaelbeiro presi-
daole asi raqueriinenio da Firmnate Benjamn
Lins de Vaaoeoeallos, awmpanha'U) de um aties-
tado do vigario F. Btraoho -O Inbanal resolveu
que fostem esses paptis archivados i espera do-
asclareomeotos qna for-m sulicilados.
Foram a rubricar os seguale* livrot:
D.ario da J >a imm Antonio de Vaseoneellos, Co-
piador de J. aqui n G Tardo de Batios, Diario e
Copiador de Barros Mendes A C,
DESPACHOS.
Nos segainies requerkoantua para carlidSes de I*????,0
radia nana ni .mtrJ'
Segaros contra-fogo
COMPANflfA
NORTHERN.
aW.......tOyCOfcOOjOOl
Fundo da reserva .... b\0OO:OOOjooc
Agentes.
Mus Laihan C.
IMPERIAL
Companhia de seguros contra
fogo.
CA0WH
S. P. JOmtSTON i o,
Ra da Senzala-aoTa ata. 41.
SEGURO CONTRA FOGO
The Liverpool 6 Loados & Glob
Insurance Compaoy.
Agales :
Saunders Brotberg C.
IICorpp Suatali.
THE ALLIANCE BRmSH FORRrGN.
Life and Fire Atauraoce Coaapaav eslabelecida
em 18Ji. Capitel OfiQOjm '
Os agentes desu corapaabia toataa teguros
contra fogo sobra predios, genero* e- fateoda* a
pagara aqui prejuizoa deidaoieote paavados
Baba Scbotauau A G
Corpo Santo n. 15.
rHAUA DO RSaFI 2 DB S81SIC1RO
DB 1*71. ^w
3 i/1 HORAS Da tajobj.
GotioSes oHdaei.
Aigodio de Mostord i* sorte 0P$a iUrs por
tata ia'paccia-dttff ra. par ^-
kilo (hoja).
! tona ~89. por ^.(kntes e
Sf?" d8 M'Xer0S U*Snt9 ne8W "' tSSt de Goyan
Io* alaria Rodrigos, caixeiro PbilooMDo lino- ,.J.,i^,Tij1_,.
canco de Mino te.-Cert.Bflja.sa 1*1111" ** s"'*8 Tabicada 4 PaMPAy,
Phllomaao laotoeocii de Miranda, pedindo igual AF*** tfotlUlaaii .
certidao.Como pede. H. Siappat,
Manoel Ferreira dos S ralos, sendo o caixeiro qut ~ IVaaMatMa
matriculara Jm> Ferreln d-t Saatos.Deferido. A. B. P. de
Agotinno A Irmios, eaaraandosi o caixeiro Mo
inscrito P"ta firma exioeu de Agostinho Jos
do. &atts A C a flwra aoaoaaatam, Claudia ALFAflpifla
Ferreira doa Santa*.-^!!** se ReBdimento do dia a 1 4
Maooel Jos dos dos Saatoa.-la/orme t aaaraiaria a reipeite da '
estamo'ih* % ua pance ler sido osada.
fias que se agera, para animarse a rfgiiiro :
dat ihratMcSea 4a caueiros quett aabara Juout. nOTlaMB^P 4a alfaaje)f*
\
v

.<.

'- a*
imam*?*}
4**70*331
~ ,.
ttMUjftSl

XSiS^&ti&Si


iJifWw de Penramkaca Sabbutla 30 de Setembra rfe 1&7I.
*
*

v
Volara sjildos eoia fsesodas
eom eres
genero
Brigae
"" rae

90 dsssltobro.
ido**
Brigue *lfcfe<~JIfc-JiHiiho.
mm iaiiu-Miry -dem.
"wgW-trmggcz-AfKa Fijurireniavmios ge-
JNroS.
Brea tsgleziCeht of Aame-idem
Bexa isgleca~Metsor -idem.
LsgaT InglesSara/ Switto -mercalorias.
Logar i'ogte*-G IHm iagtotam- baealbo.
Pataeho norle-alleraor/Mcia-firiBba de ingo.
Patacho qorte aHemoi/eios-.varios gneros.
Patache smeelcaooJames MMervarios gneros.
Paachoflfa*ido-/g-faPdP-
Despechos de txportafo no dia 28 de ,
setembro.
Par of portas do exterior.
Ho vapor ingle Talismn, para Liverpool,
eerresaram; A. Burle & (1 196 saccas e 31 far-
dos eom 18,979 i|2 kilos de algodo.
Na sumaca hespanhjla Traviata, para Bar-
cellona, oarregaram : Pereira Carneir* 4 C. 151
saccas eom 10,926 kilos de algndo.
Na e>cuna bespinhola Prisea, para Bireel
lona, oerreg >u : P. M. Maury 150 saccas com
10,942 1(1 kilos de algodio.
Para os porto* do interior.
Na barcaca Alamanguape, para Porio Calvo,
carreaos : Braga Gnes i Barricas eom 130 kilos
de stesear braaco.
RECEBEDORIA DE RENDAS INTERNAS
^EiUES DE PERNAMBCO.
Readlmento do dia i a 28. 45:9711480
Idea do dia 29...... 3:445*831
^^Enoar proceder aoa ooncertos de que precisa
ete'lerrea n. *7.d na do Padre Floriano, as-
Sftj K> ao (alimento do maro do quintal da da
l7Wru* do Noguelra, recebe para isso pro-
eeaias afira de eoniratasHts qusm par menos
ir; os esclarectmentas peer) ser dados nesta
CONSULADO
Hcsseesto do dia 1 a 1
li$m do dia 29. .
49:417*311
PROVINCIAL.
8. 77:932*009
. 42:8o8Jlo6
90:790*165
---.' -
M0VIMENT0 DO PORTO.
Natas entrados no dia S9.
Portos do norte 9 das, vapor americano S. Ja-
ctntho, e 1312 tonelada?, comroandante G. At-
kins, eqaipagem 41, carga diff-rentes gneros;
Hsnry, Forster 4 C.
As.- 24 das. Oate nacional Adelino dos An-
jos, de 64 toneladas, capitao Manoel Francisco
Monteiro, equlpagem 4, carga algodo e outros
gneros ; i J >s Lopes Oavio.
Turra-Nova 35 das, brigue inglez Jane, de 237
toneladas, capitao M. Dougall, equiparara 12,
carga 3000 barricas com bacalho; Jjhnston
Tateri C
Rio de Janeiro lo dias, barca portugueza Har-
mona, de 389 tonelada?, callao Antonio Jo*
da Croz, equipagem 15, carga barr ;as vasias,
lastro e outros gneros : Thoraaz de Aqui-
no Fonceca & C.
Ass 29 das, brigue brasileiro Esperanca, de
14 toneladas capilao J. F. Teixeirs, equipa-
ren] 11, earga sal; Amonm Irtnaos & C.
xg'.iio para o 11 i de Janeiro.
Navio sahido no mesmo dia.
Rio-Grande do Norte Bribne norte-alleaio Eu-
ropa, capitao J. Schad, m lastro.
ECITAES
secretaria.
Secretara da SeMtJfesa ia Misericordia do Re-
cita Ufe setembw#1871.
O Baerivlo,
. Pedro Bodrtaurs de Souxa
I H>
ndlN.
Administrarlo "dos corrcis de Pernambuco
30 do setembro de 187!.
Halas pelo vapor ingle Talismn da linha de
Liverpool.
As malas que tem de seren condoxilas pelo
vapor cima mencionado nara os portos da Euro-
pa (menos para Lisboa), fechara te aestt adrarais-
tracao a 1 hora da tarde.
O administrador,
Alfonso dn Rogo Barros.
dos crrelo ale
30 de setembro
Idminlstraco
1'ernauibuco
ttl.
Mala pelo vapor americano S. Jaetnlho.
A correspondencia que tem de ser expedida boje
S30) pelo vapor cima mencionado para os portos
lo sal, ser recebida pela maneira seguate:
Macos de jornaes, impressos de qualqner nata-
reza e cartas a registrar at 1 hora da tarde, car-
tas ordinarias at 3 horas, e estas al 3 1|2, pa-
gando porte duplo.
As cartas e jornaes que se dirigirem ao Rio da
Prata pagaro previamente, aquellas a taxa de 300
rs. por 15 graramas ou fraccao de 15 grammas,,
e estes 40 rs. por 40 grammas ou fracce .de 40
grammas,, na progresso estabeleciJa as tabellas
C e D aonexa3 as instruecSes do de deiembro
de 1866.
O administrador,
Alfonso do Reg Barros
Admioistrag3o dos correios de Pernambuco
30 de setembro de 1871.
Mala pelo vapor Mandah da eompanhia Per-
nambucana.
A correspondencia que tem de ser expedida boje
(30) pelo' vapor cima mencionado para os portos
do nortate a Granja, ser recebida pela maneira
segrate :
Macos de jornaes, impressos de qualqner natu-
reza, e cartas a registrar, at 1 hora da tarde
cartas ordinarias a' 3 horis, e estas al 3 1|S
pagando porte duplo.
O administrador,
Alfonso do Rgo Barros.
v Pern*m(iico 30. de setembro
de 181!.
Malas pelo vapor Giqm' da Vompanhia Pernam-
bucina.
A correspondencia que tem de ser expedida hoje
(30) pelovapor cima mencionado para os portos
do sul at Aracdn' sera recebida pela maneira
seguinte :
Magos de jornaes, impressos de qualquer natu-
reza, e cartas a registrar, at 1 hora da tarde,
cartas ordinarias at as 3 horas, e estas at 3 1|3
pagando porle duplo.
O administrador,
Alfonso do Reg Barros.
THEATRO
Faculd de de direito,
EDITAL
De ordem do Illm. Sr. conseheiro vice-director
Di*. Pedro Aatran da Malta e Albuquerque, e em
camprlmento do avio imperial de 13 do corrente,
fago publico que est posto concuo, com o pra
xa de quatro mezes, a contar da dta desto, a ca
deira de geograpnia e historia do corso prepara-
torio, annexo esta faculdade, vaga pela ubilago
qae obteve o respectivo professor bacbarel Mnnoel
Ferreira da S.lva : pelo que os que se qulzerem
inscrever deverlo apresentar-se desde j com do-
cumentos que provera : l.#, sua qualilade de ci-
dado brasileiro; 2,.mai ridade legal; 3.', mo-
ralidade atistala pelos respectivos parochos, e
fjlha corrida nos lagares onde houverem residuo
nos cinco ltimos annos ; 4.", capacidade proles-
sional, a qual prova-se exbibindo o candidato al
gura dos segrales documentos: titalo de capaci-
dade na materia era concurro, conferido pelo con-
*rfho direetjr de instrnego primaria e secundaria
da corte; titulo de professor, tambera da materia
em concurso, concordo pelo governo imperial;
diploma de doutor, ou de bacharel, as (acuida-
des do imeerio ou academias estrangelras ou de
bacharel em letras. As pessoas notaveis por seo
talento, e reconhecidamente habilitadas podarlo
ser dispensadas da prova de capicidade pelo go-
verno : os que nao apresntarem documentes que
provem a saa capacidade, oa nao foram dispensa
das de prova della, passaro por um exime antes
de seren aimituios loscripgo : tudo de con-
formidade com o art. 4o do regulameoto de 5 de
raaio de 1836. E para constar mandn o Exm.
Sr. vice-direcor afflxar este ediial, que sert pu-
blicado uesta provincia, na corle e as provincias
raais prximas ...
Secretaria da Faculdade de direiio do Recite,
29 de saiembro de 1871.
O secretario,
loi Honorio B. de Menezes.
C01PANHI4 DRAH4TIGA
Grande successo !
Domingo Io de outubro
Segunda representa gao da grande, magnifica
frenticamente applaadida comedia em 2 -dos
COMPifWfiflA
- DI
MavegapSo Bhrslelfa
At o da 8 dr ooinbro er-
perado dos portos do sal o vapor
Brwfeiro do Sul
(iwado
mandante Cardozo,
da demora de eost
eom
depeis
lipa-
Desde j recebem-se passacelros etogaja-se a-
earga que o vapor poder ecmduzir, a goal deveri
ser embarcad* no ala de snaehegada. Encommeo
das e dinheiro a frete at as 2 horas da tarde
do dia da su asida.
Nao se recebem eomo eaeommendas senio ot>-
jeotosde peqoeno valor eqnnioexcdam a doas
arrasas de peso on 8 peinaos cnteos de
Todeoque pasear destss limites deber ser
osdo eomo earga.
Previne-se aos senhore3 passageiros jos anas
passageos se recebem na agencia, roa do Com-
mercion8.__________________________ i
COMPANMJA PEKAMBCAA
ni
Varegaeio eostelra por Tapo
Parahyba, Natal, Mscso, Mossor, Ara-
caty, Csd, Mandah, Acarac e
Grasas.
e vapor Mandah comisan
dente Julio, seguir para
os portes Mima no da-30 de
crreme as 6 horas da leude
Recebe carga al o dia 29
encomraendas, passagens e di
nherro a frete al as i horas da tarde do dia da
sahida : no senatorio do Forte do Mattos n. 11.
^e^ ff.
PARA O
PORTO- '"'
Va i sabir eom brevidade o patacho portngesi
Liberal, capitao Gnilherme Joaquira Leal, por ter
parle da carga engajada, para carga e passageiros,
paraos qmes tem excellentes commodos, tratase
eom R. R. Rabello A C, a roa do Commercio o.
48, on eom o capilao.

LEILOES.
LEILO
BA
Barca ingleza Doodlani, de 446 toneladas
fli'je.
A*S II HORAS EM PONTO.
Em frente Ass'iciatao Commerciai.
Alberto H. Bu ros, capitao da baria ingleza Doo-
dland, arribada nesle porto, por torga maior, far
leilo em presenga do consol de S. M. Britnica,
eom licenga do inspector da alfandega, eom assis-
tencia de am empregado da mesma repartigo
para o flm oomeado, por intervengo do agente
Pinto, e por cenia e risco de qaem perteneer, do
casco, ma>iros, vergas, veame, velas, ancoras,
correles e mais pertences da referida barca, tal
quat se acha ancorada ueste porto, onde foi legal-
monte condemoada.
Os pretendentes poderlo desde j examinar dita
barca, assim c mo o inventario em poder do refe-
rido ageute, e comparecerem ao leilo no dia, ho-
ra e logar cima mencionado?.
)ga
LEILO
1'
O importante papel de mestre Jerooymo, des-
empenhado pelo Sr. Tnoaaz Espiuca ; tomando
igualmente parte na comedia os Srs. Brochado,
Peregrino, Braga e De-Giovanni, e as Sras. D. Ca-
rolina, B Olyopia.
Seguese pela Sra. D. Jesaina, a linda e sem
pre spplaudida cansoneta
O caf cantante
Bepoi?, para satisfazer a pedidos, a menina
Olympia e o menino Luiz, cantaral o.engragado
e muito applaudido duelo
A panella do feilifo
Terminar o espectculo a linda e muito applau-
dida comedia em laito, original brasileiro, orna-
da de masica, inti talada :
Qaem pens nfto cisa
Tomam parte as Sras. P. Carolina, D. Paulina
e os Srs. Brochado, Peregrino, Braga e Lyra,
Principiar as 8 1/2.
SOCIEDADES
DE
45 barris com vinho do Porto marca M.
Sfgunda-feira 2 de outubro.
O agente Pestaa far leilo, por cenia e risco
de quera per.encer, de 45 barris com vinho do
Porto, os quaes serio vendidos em 1 on mais lo-
tes vontade dos compradores, no dia segunda
feira 2 de ontubro s 11 horas da roaohaa, na
porta do arraazem do Sr. Annes defronte da al-
fandega.
LEILO
DE
.25 barris com vinagre de Lisboa
Segunda-feira 2 de outubro.
O agente Pestaa far leilo por conta e riscc
de qnem pertenc r, de 25 barris com vinagre de
Lisboa, em 1 ou mais lotes no dia cima segunda
feira 2 de outubro, na porta do arraazem do An-
nes defronte da alfandega.

1
achim em
atrfiso depigamiifoasiibs-
dfio, vamos wg-ir ram mandAr saptisfazel-a,
ate de nao soffeerem iDier-
ra^Le aa remessa do mes-
mo
D.
-&. Theo. Justo
recolben se ao silencio para que o penolleo esteja
persuadido qoe elle j langoa o mes enato de ris.
0 Sr. Xbeo. Justo responda peigsnt qne lhe fiz
no Otario de 7 do corrente, se fn s eneommenda
do vapor (o qae eu duvido) veoba entender-se
comes abeixo assignado partsssksrscer oade exis-
te o meutHOOJOOO.
CaelamJos Menees.
Alus-se o i and.r do sobrado da roa da
Sensata nova n. 30, para psqsnoa toesSX *>'*
sala, 2 quarto?, despensa e eosraha, muito fraseo :
i tratar na loja.
Atosle serreosefeop%tiio
AQnal descubri se qae
briosaj eme nao ba am
fanccSes de lord de espor
sBlswiajiri
poast exercer as
se^resrio, por
verade
rase-
t, sos
rauiojoven marchou para o Rio de Janeiro sera
iostroir-se e l aBnoa millas atfolas das
do rglaseme-1aisura teneatis. Ser
que nao existe qaem desempenbe
goss I 1 S de tao alta cathegoria-
illago ser lirada.
O honorato de exerciV).
Hospital Portugnez de Benefi-
cencia em Pernamknco.
No domingo 8 de outubro prximo, dever ter
lagar a festa do aooiversario da installacao des-
te hospital; o qne se faz publico para conheci-
melo das pessoas que por caridade, dezejam fa
zer ofertas de prendas pira o basar. E-tas po-
derao ser derigidas at ao da 6, aoa membros das
commisides cojos nomes se seguis :
Recite.
Os Srs. :
Antonio Jos Coimbra Guimare;.
J o Carlos Bastos de O'.iveira.
Manel Ferreira Barlbolo.
Commendador Joio d) Reg Lima.
Jos Aatonio de Souza Bastos.
Joao Pirelra dos Sanios Fsrofa.
Jos da Silva Layo Sobrnho.
Santo Antonio.
Os Srs. :
Jos Josqnim da Costa Maia.
Antonio Augusto dos Santos Porto.
Manuel Ribeiro de Carvalho.
Manoel Jos Machado.
Jos Perneado? Lima.
Jos Joaquim Alves.
Joaqun da Silva Costa.
Boa-vista.
Os Srs. :
Jos Alves Lima.
Joio Pereira Montiobo.
Flix Pare ra da Silva.
Bernardino Gomes de Carvalho.
Miguel Jos Barbosa Guimare?.
Antonio Lupes Pereira de Mello.
S. Jote.
Os Srs. :
Theolonw Flix de Mello.
Jos Josquim da Cucha.
Vicente Alves Machado.
Commendador JosS Joaquim de Lima Beirao.
Joio da Silva Ferreira.-
Joio Ferreira da Silva.
Nossa Senhora da Graga.
Os Srs. :
Comnenlador Jo- da Silva Loyo.
Manoel Jo- Dantas.
Manoel Jos Caroelro.
Antonio Baptista Nogueira.
Manoel Teixeira Bastos.
Jerosymo Joaquim Fiuza de Ohvelra:
Msneel da Silva Nogueira.
Tassagem.
Peds tos senhures de eogenho e ootros agricultores, e empregadores de ma-
rinismo o fevor de tuna visita a sea estabelecimento, para verem o aovo sortimento
iomplelo que abi tem; pois sondo tudo muito mais barato em proco do 400 jamis to-
aba vendido, est atada superior em qualidade e fortidao; o qae con a iMpeecao pe3-
loal pode-se verificar.
PEDE ESPECLA1 ATTENCO Ao NUMERO E LUGAR DE SUA FUNDICAO
TnpuiDO O JTUUao UttgUtt umanbos convenientes para as di-
versas circumstaneias dos senhores proprietarios e para descarocar algodo.
Boendas de canna ;8\?os lamaDh0?' M Mtbor<* ^ **
IVOtiaS GtadaS para Mimae9, 2gua e vapor.
tazas de fierro fundido batido e de cobre.
W. B
Engenhfb eom
FUNDICAO
a

5* rija no mu TI 4
PASSARDO 0 CHAFARIZ
Alambiques e fundos de alambiques.
Machinismos
para mandioca algodio,
e para serrar madei a
Podendj todos
ser movidos a mo
por agua, vapor,
de patente, garantidas...... -.....) < u animaes.
as machinas

1 OUdS ao Jiiauuiuao e ^^ 6 que se costoma precisar.
Faz qualquer concert de macbDi8mo> appeco ^ reM-id0.
Formas de ferro
Encommendas
tem as melbores e mais baratas existentes no mer-
cado.
Incumbe-se de mandar vir qualquer macbinismo vonta-
de dos clientes, lembraudo-lhes a vautagem do faasrem
soas compras por intermedio de pet-soa entendida, e que em qualquer necessidssss pode
Ihes prestar auxilio.

Arados americanos

e instrumentos agricohs.
as
=
CASELLEIISEIROS
SATTRO & CARNEIRO
Antigos officiaes da Thesoura de Oaro.
m
Acbam se estabelecidos com sa'o de caballeireiro rna Doqoe de Ca-
xias n. 59 Io andar.
lt*
%tv.
vi
A THIS6IIM DE
LEILO
DAS
Maia importantes
Migel Jos Alves.
Fr>oeisco Jos da Costa Aran
PerMite a cmara municipal deata eidade,
estar em pra^a em os dias 29 e 30 do correte,
e I, i e 3 do mez de ontubro vindoaro, para se-
rem arrematados sor qaem maior preco offereeer,
os alugneis das eazinbas ns. 15, 16, 18 e 20,
lado do norte da tibeira da freguezia de S. Jos,
e bem assim o imposto de 120 rs. por cada car'
ga de farinhae oatros legames vendidos nos mer-
cados pblicos das freguezias de Boa Vista e S
Jos, servioo de base a qoantia de 2:500JOOO
annaalmente e por lempo de am anno.
Os pretendentes deverao comparecer no paco
da mesma cmara em referidos dias munidos de
fiauca. *'
Paco da cansara municipal do Recile 28 de se-
tembro de 1871.
Ignacio Joaquim de Souza Leao,
pr-presidenle.
Lourengo Bezerra Carneiro da Cunha,
secretario.
fleraate a cmara municipal desla eidade,
estar em pra;a, em os dias 28 e 29 do corrente
e 1, 2 e 3 do me: de outubro vindoaro para se
rao arreaba lados por quem maior prego offerecer.
os espacos onde actaalmente se vende em bancos
as fressuras na ribeira da freguezia de 8. Jos,
servindo de base a qaantia de lo^OUO annaal-
mente cada um e por lempo de tres anaos.
As pessoas qae pretenderem arrematar corapa-
regaan no paga da mesma cmara em os dias in-
dicados, manidos de Tancas.
Paco da cmara municipal do Recife, 28 de
setembro de 1071.
Ignacio Joaquim de S>uza Leao,
Pro-presidente.
Lourearo Bezerra Carneiro do Caoba,
Secretario..
DECLARACOES.
DO
1
^ BMINGO, DE OUTUBRO
0 passeio no jardn, de palacio
Tocarao" alternadamente daas bandas de ma-
sica. .
Illurnlaaco 11 giorno
Estar aberto o bazar de prendas.
A entrada se receber de eada pesta o qae
diciar a saa generosidade, em beneficio do
l-yceu de Artes e Offlelos
A entrada pelo portao do lado do norte e
sahida pelo do lado do sul.
N. rs.E' prohiDtdo tirar-se Dores.
THEATRO
DA
UMBELA
NO
Campo das Princesas
IO J K
RENEFICIO DO ACTOR CMICO
D. Kaphael Granados e i. Mara
Herreros
O programma aeha-se pnbliCadc no Jornal do
Recife.
N. B. Depeis do espectculo havera trem para
Aptyucos, tocando em todos os poetes do costme.
Para liqaidaqao.
A' 3 de ontubro.
Schapheitlin di C, tonde de liquidar a toa easa
commerciai nesta praca, faro leilo, por interven-
go do agente Oliveirs, do mais perfeito sortimen-
to de fazendae de soda, Iraho, la e de algo J*, to-
das proprias do mercado e cuja nomenclatura se-
ria enfadonha, tanto mais por serem bem conheci-
das e apreciadas pelos seos antigos amigos e fre-
guezes, quem convidan) para o mesmo leilo,
que ter lagar
Ter^a-feira
pelas 10 horas da manhia, em sen antigo arraa-
zem sito rna do Bom Jess, ontr'ora ros da Cruz
n. 42
Os Srs.
del
raoio-
tfareelno Jos Goncalves da Ponte.
Olmda.
Os Srs. :
A ionio Ramos.
Joaquim Ger-rdo de Bastos.
Angelo Baptista do Naseimento.
Luiz Jos da Costa Pinto.
Hospital Portnguez de Beneficencia em Per-
nambuco, 29 de setsmbro de 1871.
O secretario,
Luiz Duorat.
COMPANHIA
DO
BEBERIBE
O Srs. accionistas desta eompanhia qoe
quizerem mnDir-se de folheios contendo os
trabalhos e operar,5es desta empreza decor-
ridos no anno finan^eiro do i de maio de
1870 30 de abril d > corrente anno ; pn-
dem dirigir se ao escriptorio da referida
empreza roa do Cabog n. 16 qoe lhes se-
rio torneado. ....
Escriptorio da eompanhia do Bebenbe,
28 de setembro da 1871.
O secretario.
Jos Honorio Bizerra de Menezes.
GRANDE SALftO DE CABELLEIREIRO
RIJA DO DIQU2 DE CASIAS M. SO
(ANTtGA DO aUEIMADO)
DELSl'C, SVimSOR DE JAY1HE
Havendo comprado o estabelecimento de cabelleireiro, faz d'isso scieato ao respeiiavel pu-
blico de P. rnambnco, convidando-o ir visitar esse estabelecimento, onde ha de encontrar todos os
trabalhos com aeseio, perfeicas e urgencia. Tan bem o previne de qne tem 1 efumarias finas, por
preco commodo; e outrosim que faz todo e qualquer tr .balh > de cabello relativo sua profhsao.
P. S.-Avisa aos seas numerosos freguez'8 qae confiad* na sua oolra casa, rna Primeiro
de Marco, amiga do Cre-pi, n. 7 A, 1* andar, onde bao de encontrar grande sortimento de perfamaria
e objectos de pbantasia.
ft
i
Cabelleire o de Paris. Ra Duq ie de Oaxto n. 50
ra Primeiro de Marojo n. 7 A primeiro andar.
DS
Movis de escriptorio, periencrUes mtf-
sa i aluda de Marques Brona & C
Q oarta-feira 4 de outubro.
Por ordesB dos administradores da mesma mae-
sa, o ageste Peataaa far leilo dos movis e mais
objectos existentes no eaeriptorfak a saber :- i co-
fre de ferro, 3 carteiras, 1 secretaria, i armario,
i balea:, i machina de copiar e mesa, 7 eadeiras,
I dita para escrivania, 8 bancas, 3 livros eos bres-
co para escripturacao, 7 ditos mais peqnenos, 2
lavatorios, 3 venezianas, 3 mappas, i tabella pera
libras, ama por0o de diarios velaos, 1 vapor com
vidracas, lt duzias e & escovas para sapatos, 14
conchas psra lavitorios. Todo ser vendido em
lotes no dia cima quirta-feira 4 de ontubro, s
II horas da manba, no mesmo escriptorio, largo
do Corpo Santo o. 6, 2* andar.
AVISOS MARTIMOS.
SANTA CaSA DA MISERICORDIA
RECIPE.
A Itlma. jama administrativa da santa casa d<
ssiaerieordia do Recite tendo de reconstruir o pre-
Sie qae possae o patrimonio dos estabelecimentes
se caridade rea da Moeda, com doos andares e
soto, transformando-e em outro de um s aaiar
qse eontenha dous armazsns, um no pavimento J
terreo e outro no sobrado, e os predios ns. 2 e 13
da rna do "Bnrgos, precisa contratar eseas obras
com qaem per meno-i preco se quizar enearregar
de dewstaa-ks, sedeado serem. aproveHados os
mrteriaee qae forera tirados dot amigos predios
ejnrgados em bom estado.
O* presendentes dever? apresentar as soas pro-
"sesadas eos dedaraeio de tai-
toada nma Cas Indicadas obras, CgBDanhis sUlmCtsIl^ 6 Vr retsns da^awa easa deiiwicordia do He- P"^ Mmmmmmm o siaaiici
issialbei|t)4f|l>
O Mrivio,
fedo Rodrifues de Santa.
BEBERIBE
Os moradores desse aprasivel e sauda-
vel arrabilde engajaram ama banda de rna-
sica marcial para no Domingo Io de ooto-
So, tocer das 4 horas da tarde as 8 da
neute deironie da estacio terminante dos
trilbos q je "para a! I i teta de levar os pas
gsgtiros e visitantes,
1MERESA LEU


nocii i>toi:

u aenvo
te Mise
KtaSa
4o Recife.
Tele a jama adminlstrgtva desta jauta casa
n 6e mieles a vapor.
Al o dia 1 de ootubae espetado dos portos do
:LmA,nfAi+ ti o vapor americaaw Sesfl America o quai de-
lSen(^Ul* pois da demora to ootiome, segair para New-
Verle, tocando no Paras S. Thomaa,
EMCONTINACAG
i
da liquidaqo das cautellas da-
das era penhor, constando de
objectos de brilhantes onfe
e prata.
Qunta-feira 5 de on-
tubro*
LOSO-BfUISILEIRO
De ordem do Sr. presidente da mesma socieda-
de convido a todos os socios para comparecerem
I sesso de domingo 1* de ooiobro as iO horas
da manba roa Santa Rita Nava n. I.
Antonio Machado Reveredo,
t* secretarte hWerhio.______
Ao publico
Ra do Imperador n. 24.
d pobHco sem davida a qaem oes dirigimos,
pois, psra Isso fazemos inserir neste jornal am an-
esacio qoe de ve ser lile por todos com muita at-
Movimos eom phrases bombasteas, proearar
oaveaeer o respettavel publico qoe acabamos de
noatsr ama fabrica e loja de confeitaria, pstela-
fie e trinarla, smente eomo malicioso flm de
enastar atieneo para o nosso esubeJecImento ;
Iqoer EtVTdeMm, a snlr-se com pres -
este es iree artes aeima relendas; eswftetex
do para eeae Oa ume-eonfeitaria a rna do t
*^^assttisTkWlBt
A loja dos Arcos de Alvaro Angosto d'Almeida & C. ra do Crespo n. 20 A acaba
le receber directamente alguns artigos de moda que passa a mencionar.
Biqaissimo cortes de vestidos de blonde para casamento.
Ditos de tarlatana bDrdados seda para casamentos.
Cortes de seda de bonitos gostos e superior qaalidade.
Colzas de seda, 13a, e 13a e seda.
Capellas com mantas de blonde para noiva.
Camisas de esguiao bordadas para noiva.
Lencos de cambraia de linho bordados.
Cortinados bordados de differentes presos e qualidades.
Borns de 13a e seda para senbora.
Cbapelinas de crpe preto bem e eiladas para luto.
Chapeos enfeitados para menina modelo inteiramente novo.
Mantilbas brasileira de fil de seda.
Cortes de cambraia de cor, e braceos bordados.
Chacbeaez de 13a e seda.
Toil de voyage fazenda de gosto para vestidos.
' Crotones de padrBes novos.
Grvalas de maito gosto para" senhflra. %
ABquinhas de crina. A .
Alm destea artigos qoe se vendem por precos raxoavels tem ootros qoe sao verda-
leiras pechinchas como sejam : .
Cambrias de cores a 240 e 280 rs. o covido. I
Alpacas largas bonitos padrSes a 500 rs. o covado.
Lencos de esgniSo moito finos a 30.30500, 40000 e 40000 a duna.
L3as de cores a 280 rs. o covado.
Esteiras da India para forro de salas.



" fa FALQUE
N'EST ANTIGA E CREDITATA
FABRICA
ai
iciiTii ii ciRimniiiTi mi ciiro miiiiiw H
30)2
^Sj?3te
i Manrlok) Jos os Sestee Ribeiro, ara leiisi
per taterveneie so agente Martiss, en llquWeclo
le todas ai centellas dads*s era peber,em sea f-1
UbeJecimento pra9 da iodepenlesesa a. 33, e
leetM-se de se
5.Hi
jtmm de Jsias, forra os ee-
as* Uso : m traiar n roa Por-
eefsisa que tea grdame de
Para frotes l,pisssssns, tratt-e eem es ages- eonsuwe de brilhanee; oaro e srate
te Renrj Forster C., roa do Cojnmercio a, 8, [ A'i 11 horas do da acim,
le sf*s ases pera coxiatr/ o
na de HorUs q, 1,
IB Itt
RA DO CRESPO N'4 |
CMAFBO
Be todas as cualidades
De todos sa feitios 1
fie todas oa prseost
L>


>
heipuibro de 18 l
n
4i-
Nette wro aravizem tea
^triado wtimento de fazeadan
fttncexij, inglexas, Hernias e to-
te todtt m ^endem por pwcoa
nodicot, afim de acreditar a este
oto armaxem.
Cawmiraj inglexas,
fraacexas, de todaa as
twdidades, brins de
Ana e brincos, colei-
Tinhos modernos, ch-
feos de sol de seda,
Seos.
RA
DS
DA VICTORIA 41
ARRUDA 1RMA0S.
grandi
nortada con
arto da Victoria
iifi ru
NOVA
N. 41.
Anta como tem
oficina de alfaite,
todos os preparos qne he demelbor,
rriftda pdr habis artista, qat
pela ana promptidno e perfeicac
nada deixa* a deosjar. *"
Ronca detodotos
amneos para hoauen
meninos.
Por todos os paqae
tes recebem-M as me-
lhores e mais moder-
nas casemiraj me ki
na Europa.
RA
K
arlo d* victoria
tiuru
NOVA
H.41.
Novo Atheneu
D eooforeiidade, en isposicSes dos esla
PH-Ctarito a_t MM aralo, extraordinaria de seguada-feira
1 de oujabra, as 4 horas, aflm de proceder-se a
eleiciodi directora e mais commiudet.
Reclfatt de setembro de 1871.
O I.* secretario,
Eduardo Jayme.
S^)

Firwno Jos de Oliveira, em testemunho de ira-
*ao ao benemrito pernarabueaoo e nunca istia
efcorado conde de Boa-Vista, manda celebrar no
4ia 4 de oolubro, s 8 horas da mmhia, primeiro
aoniversario do sen passamemo una missa resada
peto descanso eterno de soa alma. Convida per
tanto ao prenles e amigos daquelle Ilustre flaa-
do, para que se dignen-, coneorrer a esse acto, tor-
arrdo-o mars solemne.
*
=
IMPERIAL FABRICA DE CIGARROS
S.
DE
DS.N
o.
THKROHY.
Este eeubofecimento acaba de soffrer ama reforma radical em acceio, artistas e commodoi, e em pontualidade as encoa
, tinalmente em tndo afim de melhor aervir os seas numerosos fretuexea deixa-se de annnnciar todas as fiiendas, Dar
3o ae tornar massante r
REMEDIO INFALLIVEL
Para as sezoes, febres intermittete?, remitientes e biliosas
DESCORERTO E PREPARADO PELO CELERRE MEDICO E CHIMIGO -
Jo5o Jos de Carvalbo Moraes, Luiz Al-
fredo de Moraes, e Jos Candido de Moraes,
sommamente magoados pela infansta nova
do passamento de seu sempre lembrado tio
e amigo Dr. Sebastilo Goocalves da Silva
fallecido na Europa no dia 3 de agosto
passado, mandam celebrar urna missa de
rquiem e memento pelo eterno repooso de
soa alma, e para este acto que dever ter
logar na ordem terceira de S. Francisco,
pelas 7 horas e meia da manbaa do dia 3
de outabro, sexagsimo de sea falleciann-
to, convidara todos os seus amigos e pa-
rantes, e bem como os do finado, assego-
raodo desde j que muito os obseqoiarao
aquellos que os acompanbarem nessa ulti-
ma prova de muita estima e amizad que
tribntavara ao finado.
Rec.fe, 28 de setembro de 1871.
Nesta poderosa e impagavel prepararlo,
rao entra quina, arsnico e nem bismulbo.
Este roaravilhoso remedio nicamente
composto de om so producto vegetal, e
esse mesmo desconhecido at boje a scien-
ciacbimica.
As sez5es, febres intermitientes, remit-
ientes, biliosas e perniciosa inflammatoria,
todas tendo sua origem na mesma causa, e
prodozindo os mesmos effeitos, porm em
fri differente de intensidade, necessitam
do mesmo tralamento. A causa acba-se
nos efluvios contagiosos que se despren-
dem da vegetado corrompida, dos panta-
nos e das aguas encharcadas. E' um ve-
neno subtilissimo e insidioso que se absor-
ve pelos pulmes e penetra no sangoe, de
sorte qo a molestia s vezes accumula se
por muito lempo no systema antes de fa-
icr sentir se.
Este veneno effluvia), que o sangoe re-
bebe pelos pulmes, opera as sezoes da
maneira seguinie : sua intensa irritacao no
yslema faz eocerrar todo o saogue no
corpo nos excretarios internos.o ligado,
< s rins, o pncreas, o baco, o estomago e
os pulmes,alguns dos quaes ou todos
elle s> amontoados do saogue retirado
Vende-se em
DR.J.CAYER
da superficie do corpo ; eis a causa do
periodo fri.
A febre causada pela reccao, quando
o saogue abandona os excretorios internos
e arroja-se superficie, como n'um ouiro
esfoico violento para expulsar o veneno
atravz do ootro excretorio chamado pelle;
lo pouco consegue a natureza neste se-
gundo esforco .como no primeiro. Depois
segu o desmaio e prostrago que natural-
mente succede s grandes agitarles, e o
instincto do nosso organismo o faz abando-
nar a tentativa at que, recobradas as tor-
cas, renova no ontro dia a lula desespera-
da. Succede depois o desassocego, grande
calor na supercie do corpo, a pelle e o
semblante, inchados, terriveis dores de
cabeca, oppresso e latidos as fontes,
pulso cheio e forte, oorina muito corada e
sede intensa ; eis o periodo de calor. De-
pois de algum tempo (que v^ria gerahnen-
te de duas a cinco horas), urna transpira-
cao copiosa prcorre por lodo o corpo.
Estes symptomas violentos passam e dei-
xam somente urna sensato de prostrago
completa, se que o ataque nao tem foto
algum mil orgnico. Se n3o se toaar al-
leslia, os accessos continuam a repetir-se
com urna regularidade correspondente ao
seu iypo, e com orna violencia proporcio-
nal intensidade do veneno, modificado
pela resistencia constitucional, ou medicinal,
que se Ihe opponba. E' evidente, pois,'
que qualquer remedio destinado a corar
esta molestia, deve destruir este veneno no
sangue, ou arroja-lo fra delle. Com
grandes e pomposos annuncios tem-se offe-
recido muilos remedios para a cara destas
molestias, porm ou nao tem sido bastante
efcazes ou teem prodarilo effeitos preju
diciaes sade em geral. A quina, ainda
que seja o grande recurso, em que o povo
quasi em geral maor confianca tem, pro-
duz multas vezes effeitos desastrosos, e to-
mada em grande quantidade semprepre-
judiciosa sade geral. A preparacio que
aqui offerecemos ao publico, n3o contendo
em si aenboma dessas substancias injurio-
sas, por ser nicamente vegetal, promette,
se fr empregada segundo as direccoes na
lingna portugueza, que acompanba cada
frasco : estimular os grandes excretorios
internoso figado, o baco e os rim~i se-
parar do sangue o veneno offensiv e ar-
roja-lo do corpo.
gum remedio adequado para curar a mo-
odas as pharmicias a drogaras do imperio
W. R. Cassels & C.
Agentes geraes.
m
A ..rge ojio do Foco da ^ &0 *m*mm
Aluga se por festa on por anno urna casa com
vutriveis accommodaefles, lendo um jardim ao
ado. arvores fructferas e dando fructo, como sa-
j'Otixelros, mangueiras, laraogeiras, goiabeira
piMiat, figaeiras e frucla-pao, etc., cacimba d
agua de beber, porta: e grade 'le ferro ua frente
Ja u, -oa caa, e um dito no fando do mesmo
6Ho, -ajo olha para a igreja da N. S. da Saude :
juen; a pretender dirija se ao TWifo na iiande-
ga,ai ".tar enm o doai,cnante Jeiuino F. da Silva,
^JL. ,nRar (\o Caldeireiro onde reside.
Suiiiorts cigams do Rio!
deJneiro.
Diiiigos Alves Malbeus, nico agente
ITOviccia da abrica imperial ae
Jjo de Nilherohy, e.Habelacida n
MUDNCA
0

O bacbarel Amaro Joaqaim Fonceca de
Albuquerque, transferio seu escriptorio
m de advogacia para a casa. n. 3.'! roa do
w Duque de Caxias, amiga do Qaeimado,
* onde, nos das otis, ser encontrado das
j^ 10 horas da manha s 3 da tarde.
0 00<
nesta
cigarros de S. |
no Rio de Janeiro,;
tem sempre um completo sorlimento de todos os'
acarra-, fumo picado e en latas. Tem igualmente
os afamados cigarros Conde d'Eu, feitos com mag. '
tfeo pape! de palba de milho e fumo superior '
Para governo de seu i freguezes. que tem estabele- '
cido depsitos fillaes. as casas dos Srs. Thomai!
Francisco de Salles Rosa e Manoel de Souza Cor- '
Aluga-se
o segundo andar do sobrado n. 38
a tratar na loja.
da ra Nova:
Aos 5.000OO.
Bllhetes garantidos da pro-
vincia.
Sua do Barao da
Victoria,
deiro Simoes Jaior."o barro o ReciFe""" tod' Outr'ora tUd Nova ti. 63 e COStli I
qoaplo or vendido em onlras casas com a firma A*. t
de Sonza Novaes & C. s3o falsificados. I. COSttMUt.
O abaixo assignado acaba de vender entre o i
seus muito felizes bilbetes a sorte de 5":000f 000
em um quarto de n. mi, a sort de 800* em um j
analto de n. 1892. e ora quarto de o. 2686 com S
* "22S.de 300*' a'm de oatras 8ort8 menores de'
W00 e 201000 da leteria que se acabou de ex- ]
tratar (208), podendo seus possaidores virem re-
ceber, que promptamente sero pagos.
O mesmo abaixo assignado convida ao respei- ]
tavel publico para vfrera ao sen estabelecimenu I
comprar os felizes bilhetes garantidos, que nac I
deixarade tirar qualquer premio como prova peloi i
mesmos annuncios. '
Aeham-se & venda os maito felizes bilhetes ga
raatidos da 12 parte das loteras em beneficio di
nova igreja de N. S. da Penba, que sera extrabida
no da sabbado 30 do corrente mez.
PRECOS-
nteiro 6*000 *
meios 3*000
Quartos 1*300
De (00)9000 para cima.
Inteiro 5*500
Meios 2*790
Quartos 1*376
' ______JoSo Joaqnlm da Costa Leit.
Joaqnim Jos Gon ves Beltro
Ra do Trapiche n, 5, Io andar.
Sacca por todos os paquetes sobre o baaco di
into, em Braga, e store os seguitss Jugaros en
Portugal :
Lisbea.
Porto.
Valeoca.
Cuimaraes.
Goimbra.
Chaves.
Viseo.
Villa do Conde.
Arcos de Val de Vez.
Vianna do Casteo.
Ponte do Lima.
Villa Real.
Villa-Nova de Famecis.
Lamego.
~ Lanos.
Covilhia.
D. Mara Rosarla de Ollvelra
Paula.
Manoel Francisco de Paula, Vicente Jos' de
Oliveira, Glicerio Coelbo do Espirito Santo e mais
prenles da finada cima mencionada agradecem
cordialraente a todas as pessoas que se dignaram
acoropanbar ao cemiterio publico o cadver de
sua mui presada esposa e irmia, e bem assim as
corporales religiosas e sociaes, contraria de
Santa nita de Cassia. e de Nossas Seohoras do
Bom Parto e Rosario do bairro de Santo Antonio,
Monte Pi Popular Pernambucano, Imperial Ar-
tistas Mchameos e Liberaes Amor ao Prximo,
Coracao Livre e Club Popular; e de nevo roga
mos mais suas presencas para assistirem a missa
do stimo dia que ser celebrada na confraria de
Santa Rita de Cassia no dia 30 do corrente pelas
7 horas da manha, de cujo obsequio provaro
aos pungidos mais um acto de caridide e religio
propria das almas bem formadas e piedosas.
'-.3*
i.
OlO D
2J** Srob.le 'J>"
attencio dos legisladores e dos economistas me-
lemos, particularmente na Iog|trra e na Fran-
ca, e acerca do qoal, ainda em 1868, L. Wolowki
fez um profundo e nolavel discurso, o qne trata
de definir e regularfsar, maniendo o equilibrio
entre o loteresse e a humanidade, o trabalho das
cruncas as manufacturas.
Esta quesiio grave e melindrosa, comeca a ser
entre dos dealguma importancia, e merece que a
examinemos cora criterio, tanto mais que forzosa-
mente na substituicio do elemento servil ter ella
de considerar-se eflescissima para o futuro des-
eDvolvimeolo de nossas industrias.
Recordando com o celebre economista de que
fallamos o profundo pensamenlo do poeta ioglez
}ue diz :=A crianca o pal do homerrt part-
amos tambera os seus generosos sentmenlos re
lativamente essas frageis e delicadas creaturas,
que anda na primeira ioicafo da vida presura
I to importantes servicos sociedade.
Qualquer que seja o ensioo ou o labor em que
se exereitem as torcas ainda debis dessas iracas
existencias, deve presidir o maior escrpulo sua
lireccao, a maior vigilancia e cuidado no emprego
e distnbuicao do tempo, porque do seu resudado
depende a aclividade e a energa das novas gera-
eoes, e d'estas as grandes conquistas do futuro e o
progressivo aperfeiccamento social.
Nos jecutos anteriores as industrias oceupavara-
je mais com os productores. Ao seculo XIX com-
pete a gloria n5o f de melhorar o fabrico do?
produelos, tornando-os mais perfeilos e mais ac-
eessivei* a todos pelo quantidade e modicidade do
preco como a sorte a condico, a existencia do
trabalhador, do boroem.
Wolewki cita a este respeito as palavras de
Gladstone, que, em urna reunio de operarios in-
glezes, fa,lando-ibes Unto em seus dreitos, como
em seus devere?, diese : O nosso seculo o se-
clo do operario: e acerescenta que esta phrase
nao sabio de bocea suspeita, pois Gladstone nao
perieuje ao numero daquelles que lisongeam em
tez de servir ao nevo.
O hornera d'este modo encarado como bem
primordial da produeco do bem; e o nolavel au-
tor que nos referimos entende comnosco que a
liberdade que elle conquisten tira toda a sea torca
da energa da alma associada saude do corpo,
da elevacio do espirito que proporciona o desen-
volvimemo progressivo da habilidade pessoal.
Foi babeados n'esta allianca que os legisladores
inglezes comprehenderam que o instrumento acti-
vo, o operario, obedeca ootras e diversas neces-
idades que as que sao parlilha do instrumento
material.
Foi por este motivo que se marcaran) e regura-
meotaram as horas do trabalho as manufacturas,
e se atienden sobretodo a que as crtancas rece-
oessem a uro lempo o ensioo da fabrica e o ensioo
da escola.
Era 1862, diz ainda Wolowki; sanecionon-se
Pode ser procuradla Ten-
Ja de ac de Trieste da ver-
dadeira marca 1, 0 e 00 em
casa dos S s. Keller & C.: a
ruada Cruz N. bb 1
Afinal chegou nova remessa de leite con-
deosado da Suissa, pelo vapor Cognac, e
desde j Acarnos esperando pelos seus apre-
ciadores e entendedores desie artig: vende
Keler d C Ha rna da Cruz n. 55.
&m
rna do Vigario o. 16.
Precisa se de urna ama pa-
ra o servico interno de orna
casa de familia : tratar na
Precisa-se de duas amas, sendo para cosi-
nhar e mais servicos internos de pequea famlia-
na rna Imperial n. 199, por cima da reflnacio.
TRLHOS URBANOS
_____ DO
SECIFE A* OIMVDA
Por ordem da directora sSo convidados
os Srs. accionistas para, no prazo de 8 dia
a contar do dia 2 d'outubro prximo Ando
erahsarem a ultima prestac3o de suas aceites,
da 2* emissSo, na raz5o de 10 %.
Para esse fim ser o Sr. thesooreiro en-
contrado no escriptorio da comoanbia, das
II boras da manhSa s 2 da tarde de todos-
os das nteis.
Recite 28 de setembro de 1871.
Joo Joaquim Alves.
4o secretario.
Criado.
Precisa-se de um criado para servico de easa :
na ra do Duque de Caxias, amiga do Queimado
_____________________________*
D. Joaquina Emilia da Silva Viilaca, D. Mara
Gonealves da Silva Pereira, Domingos Aniones
Villaca, Luiz Antonio Pereira, Hermenegildo Gon-
ealves da Silva e Joaquim Gonealves da Silva; ten-
do recebido pelo vapor inglez, chegado ultima
mente, a confirmacao da Infausta noticia de ter
fallecido na Europa no dia 3 de agosto prximo
passado, seu prezado mano e cunbado Dr. Sebas-
no Gonealves da Silva. deeejando sufragar soa
alma, pedem aos reverendsimos sacerdotes que
quizerera celebrar raissas por alma do dito finado
o racana na seguoda-feira 2 de outubro as 7 horas
as seguales grojas: matriz do Recife, de Santo
Antonio, de S. Jos e da Boa-Vista, convento de
. francisco, dito do Carmo, e no hospicio de Nos-
sa Seohora da Penha, onde pelas 8 horas do mes-
mo da sera celebrado o memento pelo-repouzo
eterno de sua alma. Os cima inscriptos rogara a
todos os prenles e amigos do dito fioalo quei-
rara coneorrer a osle acto de relgiao e anisado,
pelo qae protestara desde ja sua gratidao para com
toaos que se dignarem assistir ao dito acto.
'
-
Missa.
Vasca! (Valpasso).
Mirandella.
Beja.
Barcellos.
mmwamwmm
, C4SAS
Aluga-se o primeiro, segundo andares e sobre-
souo da casa u. 6, cita a ra do vramento : i
tratar na loja do mesmo predio.
AU
ISO!
DTVETOT
Unjea caa neste genero
14-Ioa Estrella do Rosario--.*
Compra e vende roupa feita
rjova e velha, objectos de
oosinfaa e de mesa, e .
______tudo que perten-
SESROS
MARTIMOS
Antonio Augusto Perreira Lima, traspassado de
dorpela infamia noticia da morte de seu presado
irrcao, Godofredo Augusto de Souza, em Caiazei-
ras, na Parahyba, manda rezar urna mis?a por
sua alma.segunda-feira 2 de oulubro, 7 horas
da manha, na igreja de S. Francisco, e para es
fe lira convida seu prenles e amigo.
IWrtiiffJ^iajaajj
MOFINA
Roga-se adfJtafgr. Ignacio Veira de Helio
nvao na cidade deNaiareth desu provincll
avor de vir a roa do imperador n. fe a eoaerair
aquelle negocio que V. 87e comprometteu rea-
ar pela terceira chamada deste jornal, em flnj
de dezembro prximo pastado, e depois para Ja-
neiro, passou a feverefr e abril, e na la cumprio,
e por este motivo de novo chamado para dito
fim ; pois V. S. se deve lembrar que esto negocio
de mait de oito anuos, a quame o tenhor m*
ibo se acbava no es nesta eidade
Na Iravessa da roa
das Crazes n, 2, pri-
meiro andar, da-se di-
nhelro sobre penhores
de oaro, prata e krilhan-
les, suya qoal for a frai-
la. Na mesma casa com-
pram-se os mesraos me-
taes e pedras.
Dous amigos do fallecido Joo Pereira Guima-
raes convidara aos parenta e aos mais amigos
asiMirem urna missa que por sua alma mandara
rezar na matriz do Corpo Santo, no dia 2 de eu-
tnbro pelas 7 horas da manbaa.
4M
--. ,
Vende-se o sitio Olho de
Vidro.
Em Pqnte de Uchoa, -
Este sitio tem um sobrado de um andar 4 an-
dar torreo, conten i sallas, 9 quartos, JeoJnE
E
. vontha foco-
a companbia Indemnisadora, establecida
ncsta praca, toma seguros maritiinos sobre
J.VS!5,f.a8 ^''f'nentos e contra fogo
a do Vgarlo n. 4, pavimento terreo.
Ads^oo^ooif
aftTes to Rafe, io, fojt m
ATTENCAO
Alogi-se ama grande eochelra na r".ia da niao,
com dous quartos e solio com ouiros dous quar-
to, leudo Jaielias, lado eaiado e ptnudcf de no-
vo e mnito propria para taberna ou outro esC*be-
o : a tratar na ra da Aurora o. 36, /"
com bous fcgfies e foroo de f "o 'e'stoS"
circulado de jaoellas. Tem em sopando m2
cocheira par, cavallos, casa paraTtor e S
"ajor i.ulx Braoelsco Brrelo
de Almeida.
Manoel Pereira Camello Pessoa pelo presente
convida a todos os seus amigos e prenles e do
nnado cima, para assistirem a urna missa qne
por ana alma manda celebrar na igreja de !* S
do Carao, pelas 7 horas do dia 4 de ontnbro, tri-
geimo dia do seu passamento ; e para esse acto
oe relgiao e caridade desde j se confessa eieroa-
raete grato. ___________-
Ainda urna breve resposta.
No aso em que se faz a pergunta por esse se d
a resposu ; regra maito correte e conhecida
por todo3;-comecaram por um motte, offerece-
mos tambera o nosso.
na Inglaterra a prole, a vigilancia peneirou no
jieio das vastas communas indusiriaes, formadas
aoje em roda da machina de vapor, dessas vastas
oramunas povoadas por mihares de operarios.
A le de 1802 fixou a idade era que as crianca
podiara entrar para as manufacturas e limitou a
duracao do trabalho.
Pois'bem. Esto grave e humanitario problema
que levou quasi meio seculo a resolver, e preoc-
cupou a attencio de tantos homens de estados
eminentes, como foram Roberto Peel Lord Aslhey,
hoje Conde de Cbattsbuago, genro de Palmersion,
e muilos outros, assignalando urna pagina honrosa
na historia da civilisacSo moderna, acha-se reali-
;ado, e dando salutares resultados entre nos na
rabrica de cigarros de S. Joao Nilherohy, da qual
ao proprietarios os Srs. Souza e Novaes.
J livemos occasiso o anno passado, de escre-
ver algumas lindas acerca desie importante esta-
belecimento, e hoje, depois de urna visita que fi
temos ao novo edificio ampliaremos aquelle nosso
trabalho.
A casa onde actualmente est estaielecida a fa-
brica sem duvida um dos melhores predios da'ca-
pital.
Alm das e-bacosis accoramodac5e3 interiores
vremente arejada como convtn a tao numerosa
agglemoracao de pessoas, o predio exteriormen-
te de urna architeetur* simples e elegante, e flca
a peucas bracas do mar, onde com auxilio de urna
ponte os productos sao com facilidade embarcados
a conduzidos para os mercades.
Cerca de doieotos meninos ah recebem o ensi-
oo manual, iotrlleclual religioso e mcral.
A mais perfeita ordero, sem a severidade de urna
ruda disciplina, mas antes aconselaada pelos pre-
eites praticos da autoi idade, d um aspecto agr-
lavel a esta afanosa eommnna de pequeos ope-
rarios e esperancoso ncleo de futuros e raoralisa
ios cidadaos.
Em um vasto sallo das 7 s 9 horas da tarde
Jepois do trabalho e do descanso aprendera os me-
ninos os primeiros elementos da leitura da escrip-
ia e da contabilidade. Dissemos primeiros ele-
mentos porque acreditamos que as normes radi-
mentaes da escola n'o sao outra cousa mais que o
nstrumenio com que mais tarde se deve concluir
J aperfeico^.r a ertucaco. Nao custa aber 1er o
issencial e faier uso discreto e aproveitavel
lesse poderoso motor do nosso aperreicoamento
moral.
Depois do trsb3lho manual e do ensino da es-
:ola depois me-ino do algumas horas consacradas
jo rocrcio era preciso amenisar com o estudo de
Jlguns do* ramos das bellas-;.rtes as tarefas ta-
fantis.
Neste intuito foi creada urna aula de muzica di-
rigida por hat>il professor.
Com pouco lempo de exercicio e o ardor pro-
prio da mocidade j alguns dos alumnos tocara
ora verdadeiro adiantaraento os instrumentos que
jscolieram, e pode dizer-se que a fabrica tem
boje urna banda de msica sua disposicao, o que
ilra da accrescentar urna agradavel prenda
jduca<;ao dos aprrndizes, dispensa dias festivos do
stabelecimenlo, o concurso dos msicos estra-
ahos.
Ora, o grande resultado colhido por este duplo
ystema do ensino maoual e simultneamente in-
telleetual, que os productos da fabrica de S. Joao
ie N Iberohy, redobranda de valor pela quaidade
3 perfeigao augmentara tambera a tua procura no
mercado s naturalmente os avultados rateresses
los productos.
Eslabelecida assim com os ouiros eslabelecimen-
ios do mesmo genero a lula da concurrencia, que,
ao dizer de um nolavel economista, nio outra
:ousa mais que a manifetacao
Roga-se aos senhores capites de eampo o
favor de apparecerem ra estreita do Rosario
n. 23, a negocio de sen Interesse.
O Sr. Andr de S e Albuquerque rogado
a vir entender-se c^m Tasso irnos em liquida-
cao a negocio de mutuo interesse.
Precisa-se de urna tma pa-
ra cozinhar e que seja de do*.
conduela : na ra do Viga-
rio n 5, 2- andar.
NI TIO
Alnga-se om bom sitio com grande casa de so-
brado, caiada e pintida, com commodos para
grsnde familia, commodos para escravos, cochei-
ra, estribara, casa de oanho e muilas arvores, na
Passagem da Magdalena : a tratar com Domingo
Alves Malhens, a rna do Vigario n 21.
Precisa-se de urna ama forra pa-
ra pouca familia : na ra larga <*o
Rosario n. 20, aodar.
Para passar a festa
Aluga se um sobrado com grande qutnfal mu-
rado, cacimba e algumas fructeras, cora tillantes
commodos para familia, em Olinda, uo pateo de 5.
Pedro-novo : a iratar na ra Imperial n. J A, ta-
berna^_______
TTTECAO
Vende-se por barato prego urna propredade a
margem da camba dos Wemedos, fazendo-se
toda vantagem ao comprador, re?ebendo-se parte
era dinbeiro e parte era letras ou chjectos de
prompta venda ; cuja propriedade contm urna
grande olaria de pedra e cal que lastra 16,000
imS de a,veDar'a grossa e forno que comporta
25,000, com mais um forno e lastro para fazer-se
telhas, ladnlhos, canos e louca, com excellente
barro para qualquer obra, com dous excelleutes
viveiros de peixe e com casa de vvenla para
grande familia : as pessoas que pretenderen! di-
njara-se a dita propriedade a entenderse com o
capilao Delfim Lins Cavalcante Pessoa.
SOCIEDADE EMANCIPADORA.
De ordem do Illm. Sr. Jos Malheos Ferreira,
presidente da directo couvido a lodos os soeios
da sociedade emancipadora para a sesso magna
que deve ter lugar no domingo 1. de outubro s
II horas da manh no theilro de Santo Antonio
rna da Florentina.
Todas as alforriadas devem comparecer esea
sesso, para receberem as suas carias de liberda-
de que se acbSo na secretaria da sociedade.
Sollcito dos Srs. socios ou nao, que nos honra-
ren) com a remessa de cartas de liberdade de
seus escravos e deelaracao de liberdade do veatie
de suas escravaj se digr.era remetle-las at-o dia
30 do corrente.
Secretaria da sociedade
setembro de 1871.
Jos Eustaquio Fereira Jacobina.
_______ 1.' Secretario, _______
- OffeTfce se para caixeiro um rapaz brasilet-
ro com alguma praca de padaria, dando fia-
dor a sua conducta : quem precisar dirija-se-a
esta typogr&pbia que se dir quem ou annuncie
para ser procurado.
emancipadora, 20 de
a raaoifesiacao pratica, a face,
material da liberdade. claro est que as condicoes L^AJ^.h qae aDDU0CI0U Plisar de 500#,
Jo trabalho livre comecam j a ser assentadas, en-1:",. h?Pfnecl nmi casa C0IB s'" Po de.ia
re nos em bases sensatas e de eonsequencias pro-
Isso nio baile, uo
E' medonba sovacada.
nada
andar.
I
'.-.
\m
----:_
e
Precisa se de orna arca para ooainbar
?ervicoa de urna calt da DMuenaferailii 'ra-
ta* a Pri^a o Cor/e aE6 V 30f5ao^i,r
vos e bem aisim caa para azer farioba com
mwlere para tal fim. Eea casa le TL
bons cantelras para flore, com portio de faro
para a estrada do Parnameirim, Mude StoJ?
bonsado c,m grande diversidaoo 4.Jruteiraa,
grande baixa para capim, podendo wUwtmt
cao de vacas leiteiras para as quaei umbam toa
commodos de recolbimenlo.
O ruados da dita casa a sitio deitam para a U-
uba frrea que segu desta eidade t^/plpaeof
J ie acfcj livre e .dejembarackdoVvlato qEtm
qn'flatjs que os courtobore da dito sitio ten
oomM ampreltefre de ditos trilhee apeMs db
reapafio ao tertaao qM ilai ara ocennaak '
prejfliios flae par tai motivo tm
apouwl
ArJ
!
"V* o,
Entlo, vem-oos dizer qne a sala estar acesa ?
Para que mente T Quem-nio sabe que o tal baile
deixon de ter rogar por que a polica nio comente
maraeati e sambas tus roas decentes da cilade I
Sr. Paxolla, o sanfaor sempre paxolla, isto ;
nariz e dente da meatira.
Olio, o nlertuado tambera sabe das cousas.
i J28S' ebegoupara passar a revista de mo.
iraoos'dltos eaneeas, e o que'euconrroof umasw-
vctttrai Parada, que tioha por gelo a escoria leciai,
e por frueta os perames da caixinha. E qne sor-
rato se traba a sspefar d'esse eogrediente? O cor-
lo de que resulton M paxouas corr8renJ Mm
cara entre as mioi, como legalmento liioto de
ryoder con)pirecer e qualqaer baile.
Qu vergenha, meu Dens l
Os moros, tio asafamadoj1, correado '^qui pan
* r.e1Lu.8CS d0.?Q.#i ^*ochoumeuio.
Ora bolas Sr. Ummlo, Krle nao quer dizer cor
ral, onde poit osudos vio ostavar e terreno.
d.u lXL"lhZ '?? W 4ue dase en charo f
Poil o oosso brado e^te
Yf o corto I
toas.
Ligamos um alio apreco s tentativas e aos re-
sultados desta ordem.
O Brasil precisa empregar todos os seus esfor-
{os na propaganda industrial, oao; esqoeceodo
aunca que a quantidade dos productos nada re-
presenta, si ella se nao tornar ao mesmo lempo
reoromendavel p-la sua quaidade, e que esta f
ie obtera com auxilio elflcaz dos productores ha-
seis e inleiligentos.
- Acreditamos, pois, que os Srs. Souza e Novaes
westam um importante servico ao paiz e temos
lempre prazer em mencionar os estabelecimenios
lesta naiureii, nio so em refereocia a esta fabri-
ia, como a tsdis qoe esUverem fundadas ou se
fundem daquiem diante nal mesmas circums-
ancias.
O nico deposito netu eidade no escriptorio
Je Domingos Alves Matheus, ra do Viga-
fio n. SI.
mmmmmmmmm
Advogudos
m Os hachareis Jos dos Aojos Vieira de
M Amonm, e Miguel Bernardo Vieira de
*^v Amorim tem seu escriptorio rna do _
Duque de Caxias n, 35, 1 andar. 0
**?????
eidade, queira apparecer nesta Ivpographia que se
Ihe dir quera pretende fazer este negocio.
- Preci?a-se de um caixeiro portaguez de I i
a 16 annos. que tenha pratica de taberna : na ra
da Concordia o. 96.
CASA. DA FORTHA
RA 1 DE MARCO OUTIfORA DO
CRESPO N 23.
Aos 20:000^000.
rMe.vfsado
ao mm
0 abaixo asiigeadofu scienteao rwpehavel pu-
blico e especialmente io corpo de commercio qoe
deixon de se caixeiro da cata dos Srs. Taaso Ir-
roaos A C. desde o dis 5 do corrent. Recife 28
de Miembro de 1871.
Haoel de Masquta Bastos.
Sitio.
0 abano asignado tem empre exposto i ten.
la os felizes bilhetes do Rio de Janeiro, pagande
oromptamente, como costuma, qur.Iquer preaua.
PRECOS.
Inteiro 24*000 .
Meio 124009.
Quarto 64000.
Manoel Martina Finta.
;linH HMHUSISi
ADVOGADO
Dn. Joaow Correa ue Araujo
67Rda no Impekador(J7
atsfMKsinimnj
Aluge- e orna mulata m^ca ; a tratar tm
Ja boa tao passaudo a ponte terceira easa do ledo
esqnerdo on a ruadlo Imperador n. ll,oarMfi
i 11 i Precia-as de una ama para ***
AiflA pT-r cozio
Alfonso o, 3, amiga da Praa.
Alega -e o lo os iravessa do Caldereiro n. 4
na fregueiia io Porp da.Paielis : a trtr na bo-
t-^a praca do Conde d'Eu n it
ADYOCACU
BAClAWL
J. B' P. C6rte Seal
Ra do Imperador i .__. 1"
mms-wmm

tJ
\
/N
,N


>

I
*
\
..
. /
-r
'



rio
Bb.i'lo 30 'le S k:ilro 4*^871.
Jumentos hegpaahoes
Acabaa i hnir io brigae BeU^Figtuim,
Jfious jumentos maito grandes a. sofitos proprios
Eira tirar rae : i tratar do esenptorio dt E. H.
abollo Afc, >a-oComcreio4 48.
B
o publico
O abaixo asstalo faz scieote ao respeilavel
pabco e especialmeute ao corpo do ccraraercio,
que deixoa de ser "empregado di casa dos Srs.
neis, Naseiroento 4 C
Recife, 13 de setembro de 1871.
__________Antoaio do Naseimeolo Borges.
- 0 thesonreiro do Club Popular, abaixo as
igoado, dedart-de ordem do oonselbi deiiberm
lito do mesa Cmb, que deixou de ser geme en-
E*Jor .V Sr "cisco Flix das Mercj
i oh* ,0*i oi tM,i>id por Sr. JoJo da Cas-
ir) sirva, a qoem. d'ora em diante davero os so-
cl*} 9HH 8BM mensalidades em vista de recibo
asignado Mfaeelarante : deixandi o mesrao Sr.
roto de ser wbrador pelo eu estado de saude e
velnoe. Recife" 19 de setembro de 1871.
. Domingos Soriaoo Cardias,
.___ Tuesonre ro.
Partaram na nolle de 22 para 23 do correte,
de segundo sitio passando a undico em Saoto
Amaro, um poltro e uro quarto, sendo o poliro
rodado, pequeo, de segunda moda, eom o ferro
AM; o qoertao tastaobo, de bom Umanbo, eom a
. sarnelha enxada, signal de reladura as mo;,
21", > ,eo *nd*r* tem no coenio o ferro da
if*"" *lem de oa,ro : 9aea> "s apprehender
ou der noticia no mesmo lugar, ra do Lima n.
lOjSerTecom pen sa do.
*-0 abano assignado fat scieuta a seus fre-
Saeres que deixou de ser seu caixeiro Antonio da
osta Pontos no di a 24 do correte, e desta data
em dtante nao levar em conta recibo ou assigoa-
tnra alguma por elle. Recife 27 de setembro de
71.
. _____ Manoel Bodrigues Teixelra.
Muga se a padaria da Floresta, em Olioda.
eom lodos os ntencilios proprios para o trabalho
de pi, de bolachas e massas, nao falla nada, s
botar a farioha e no mesmo dia trabalbar, at le-
nha para dia tem, moito perto de agua e le-
nba, eom muitas freguezlas para o mate, eom eom
modos para dous cavallos para a venda do pi, e
para familia : a tratar na mutua padaria.
Offerece-se urna ama para eogommar ou
cozntaar em casa de familia oo ds rapaz solteiro :
a tratar ua travesea da ra do Torres, sobrado de
varanda de pi por cima da cocheira.
Idioma hespanhol
Na roa do Rao;el n. i, 2 andar, se dir qnem
eosina a !er, escrever e fallar grammatiealmente
o hespanaol, seodo esta a mais moderna
~~ Preeisa-se de omi ama para casa de pouea
familia : a tratar na ra Duque de Caxias o. 97
Santa Cisa da misericordia
No hospital dos lasaros oeeessita-se de um eo-
lioheiro e um servente : a tratar no mesmo hoa-
pim eom o regente _______________
Olinda.
Traspasas-te o arreodamento da grande casa
ra de S. Pedro novo, que foi do Sr Ramos, e
est muito limpa, assoalbada e fresca, e alem
disso perto do banbo : a tratar na ra do Hospi-
cio n. 23. a qaalqoer hora do dia, ou no caes da
Assembla n. II no Recife.
Libras ster!
faz
P. de Oliveira i, C. i tttl 1o (
Materiaes ^
Na olsria denominadaAmarelladefronte do
hospital Pedro II, vende-se materiaes muito bous,
e por menos do que em onu*. qualqaer parte.
E' botuto
Fronhas da paro lioho bordadas: eslo expos-
tas a venda na ra Daque de Cavias n. 63.
terreas,
vndele doas moradas de casas
sendo urna na ra dos Mariyrios n. 38, e outra lio
fundo da raesma, na ra do Catdeireiro' n. 35 : a
tratar na rna de Santo Amaro n. 0.
(Jal de Lisboa
Jos Henrique da Silya precisa de um bo-
lieiro : na ra das Crazes n. 38, no andar:
pode ser procurado das 10 as 3 da tarde, oa na
Soledade, sitio o. 29, ond9 morou o Dr. Villas
Boas, a qnalqaer hora.
Cartas
O Illm. Sr. Dr. Haximiano Lopes Machado tem
duas cartas no escriptorio da compaohia peroam
bacana, caes da Assembla.
Ao Mr s. profesa ores prl Diarios
de ambos os sexos.
Acharase i venda as lvrarias dos Srs. padre
Ignacio e Nogueira, e Barbosa de Mello, exempla-
res do oposculo de moral religiosa, a preco de
610 rs cada um.__________ v w
Aloga-se urna boa casa eom bastantes eom-
???h P'gei da Magdalena, que foi do
fallecido Dr. Firmo : a tratar na mesma confron
te o hospital portugus.
Vende-se no trapiche da companhia, desembar
ricada, a 3*.
Cftrro.
Vende-se um carro de qoatro aaseutos para
dous cavallos cora arreios : os pretndanles po-
dem ve-Ios na ra de Reachoello, casa de Vieeoto
Ferreira da Costa, das 7 as 9 horas da manhia e
das 3 as 6 da tarde.
Attenpo
Vende-se urna earroca para venda d'agua, e 1
famoso boi: oa ra do Atalho n. 1, primeiro por-
tao ao voltar a caixa d'agna do Pira*.
C\RNE DO SERTO. '
QVende-se soperior carne do tertio : na ra do
lirum o. 6o.
065.
fina do Duque de Ca-
xias
" de recebar um laportante sortimento de
poopelmai de lia, s qsaas abrem o preeo de 500
r. o covado, nao deixem de vir ver esta linda fa-
hi* WdadeJra gomma do Acarac em saceos e
Ju"ncas, por menos arco do que em outra nual-
oer parta i rut do Vitarte n. 1 i, escriptorio de
MLopea Davim.
as pes-
soas que quizerem aprender dirijam-se ao lagar
indicado.___________________^_
Precisa-se de orna ama pa-
ra todo o servido ; na ra de
Horias d. 30. sobrado.
^m
Aloga-se uma grande easa eom sitio, no
Barbalbo, por aooo ou para a resta, eom 6 salas,
8 qnartos, 2 cozinhas, leudo portio de ferro ao
lado e jardim, quintal morado, cora qoarios para
escravos e ostias bemfeitorias, eom commodos
para doas familias, por isso qoe ha independen-
cia : a tratar na roa Aogusu n. 64.
perador n. 79, loja,
Precisa-sede urna ama,pre-
ferindo-se escrava, para eozi-
nhar : a tratar rna do Im-
Aluga-se ama casinha para passar-ss a fes-
la, bem preparada, cRm sala, 2 quarlos, enzinha,
nao tem sala de jantar, tendo cacimba eom boa
agua para beber -e bomba, mnita sombra de arvo-
redos, banho correte eom banheiro de pe ira e
ea!, poQo para lavar ronpa e cavallos, perto da
estacao de Paraameirim : na mesma estacao se
indicar.
_ Alnga-se a mei-agoa n. 6 no becco do Fal-
cao : a traur na roa dos Pescadores n. 17.
O testaroenteiro e inveotariante dos beos
do fallecido DamiSo Pereira da anha, sci-
enlifica a qoem e coasiderar credor do
refirido fallecido, que aprsente sua conta
no praso de 15 dia, afim de ser examinada
e satisfeita m sea deviio tempe; ra do
Mrquez de Olioda, loja 44.
Thomaz Fernandes da Cunha.
Francisca XaYtorttnnes.
Manoel Berreira dos Santos convida a todos os
pareates e amigos de sua prezada irmaa cima
meociouada pan assistirem a Issa do stimo dia
qoe ter lagar no dia 2 de ootobro do correte'
aono, na mairiede S. los, as 6 horas da manha.
Cabetletretro.
Satyro Jos de Moraes tendo comprado o estabe-
leetmento de cabelleireiro tntitolado a tranca
monstro- sito i ra Duque de Caxias n. 59, 1
andar, aesba de dar sociedade no mesmo estabe-
lecimeoto ao Sr. Pedro Carneiro de Almeida e
tendo sido ambos offlciaes do bem conhecido salao
da lesonra de ouro, coniam ser por seus amigos
e rregaezes procurados para os misteres de sua
proflssao, garaoiindo qoe farao quanu a sea al-
cance esl3ji para satisfazer cora a maior dedica-
cao a saa crescida clierviella.
Ferro galvanisado
Proprio para cobrir casas. estacSes, co-
xeiras, armazeDs, etc.
2550 fo bas de d ilerentes taraaolios e
grossuras, cb gadas ltimamente e anda
na alfandeea.
Eaglish Salvanized Iron, 2550 Con-aga-
ted Sheets.
Sympaon & C. n 10 ra do Bom J*
as. ontr'ora rna da Cruz.
VENDEN
ora par de venezianas moito largas, para varanda.
cora muro pouco uso e por praco commodo : na
raa do Livra ment, loja n. 36.
Vende-se travs, eachamis, caibros e madeiras
de sicapira de differentes dimensCes : tratar na
roa do Apollo n. 25, escriptorio.
Arevalescere duBarry de
Londres
anH S80?* cede Rev*>eeere da Barry,
eania ?.dde enw**/. PPe'u^ die3lio e dfM
ras ^1HEll*en1M Ppalas, gastrltes, humo-
L S' pi,Dito> to> J*. ntos depois
MuSSr e ,r*Tid1' eonHipac6ea,t) asthma,
BrallL CUrM' meluin<*0 muas deltas no
A revalesciere chocolaUda da Barry
_ em p,
nntwlf1080, '.'o para almoco e cela, muito
autrivo, fortifleando os ervos do estomago aem
cansar o menor paso nem ddr de cabeca, oem Ir-
Unico deposito para o Brasil db Pernambnco
* pnarmacia americana de Ferreira Maia & d,
raa do Duaoe de Caxias n. 57. (Todo cuidado
e2gj_fatoiflea{8e>.)____________^^
-- 1:0. C. Doyle tem
vender o seguiste :
Cognac Henneesy.
ViBho Xeret
Dito Lisboa.
Filtradoras.
em seu armazem para
-- Joaqun Jos Gncalves Belirio tem eara
vendar no sea esenptorio roa do R)ihmereio n.
o, os geotriraMnio miados, qae vende mai b i-
rato do que em outra qualquer parte :
Azatofaas era anecretas.
Amendoas em barricas.
Caf moido em masaos de 1 libra.
Chapeos do Chile de boa qualidade.
Cognac marca marlel frres.
Baxadas.
Parinba de mandioca de Santa Catharina, sac-
eos de 3 e 2 alqueires.
Dita da Babia em saceos braceos.
Dita de dita em barricas, proprias para casas
particulares.
Fio de algodio da Babia em novellos.
Fouees.
Maxados.
Noxes.
Obras de palbetas.
Papel proprio para cigarros.
Dito aznl para botica.
Palitos para denles.
Pregos sonidos.
Panno de algodo da fabrica de Todos os Santos
de Pedroso na Babia.
Rolha?.
Rap popolar da Baha.
Bolim em fardo i.
Retroz dos melnores fabricantes do Porto-
Tapioca do Maranho.
Tabaco simme da Baha.
Vernlz copal.
Vinho do Porto engarrafado, caixa de 12 gar-
rafas.
Dito de dito em barris, proprio para engarrafar.
Dito moscatel, verdadeiro de Setubal.
Dito Bordeaax em caixas de orna dozia.
Dito de caj em caixas de ama duzia.
Pomada alpaka
E' moito eoohecida esta pomada e moito
apreciada por saa flnissima qualidade, a Nova
Esperanga quem'tem.
Jarros de porcellana
Um completo sortimento de lidos Jarros
[de porcellana (do afamado Bacar) existe na
Nova Esperanza, roa Duque de Caxias
n. 63.
Um piano da um dos melnores fabricantes: na
rna do Commercio n. 38.
A sociag&o
DE
Guarda-livros
-No domingo de oulabre, pelas II horas da
maanaa, no palacete da sociedade Recreativa Ju-
veniude, ao paleo de S. Pedro, ter logar a pn-
meira, sessao para a in?lalla{o provisiria. Pa-|
ra este lim sao convidados lodos os Srs. guarda
ivros residentes nesla pra?a.
Na roa das Peraamhucanas ( tpunga) n. S6,
precisa-se ue orna ama, e prefere-se scrava.
Coztnheiro
Precisa se de um perfeito cozioheiro : a ra do
Mrquez de Olioda n. 19, outr'ora da'Cadeia.
D-se800j premio sobre hy otheca : qnem
pretender dirija-se estacio do Caldereiro, fal-
lar eom o empregado que dir quera d, oa an-
ooncie para ser procurado.
Aviamentos para carros
Vieira & C, tem para vender era saa cocheira
na roa Nava n. 59, o seguate ;
Escovas de palfaa para lavar cavallos.
Encerado pira forro de carros.
Dito para ps.
Dito para goarda chova.
Tapete e panno azul para forro.
Seda azal para forro.
Lanternas a pregos de cabeca de marflm.
Botocs e borlotas de todas as cres.
Vaquetas maito grandes.
Chicotes e sola da trra.
Galo largo e estreilo.
Latas eom graixa para limp?.r arreio?.
m
Preci a-se de urna ama
ra comprar e cozinhar
pa
na
_ ra do Daque de Caxias, ju-
nga da Queimado n. SO.
Joao Christiani
Participa aos seos amigos e fregnezes que se
ajfea de novo estabeleeido era sua aotiga toja
rna do Bario da Victoria, outr'ora rna Nova n.
44, onde sa enconlra um escolhido sortimento de
chapeos de- todas as qnalidades, quer para -ho-
rneas quer para senboras.
No sitio do Cafando precisa-se le um meni-
no de J2 aonos para cuidar de algn- aoimaes :
.juam eativer oa circurastaocia de se prop5r, diri-
ja-se ao mesmo sitio, oa estrada de Paulino Cma-
ra, outr'ora de Jalo de Barros, ou typographia
oeste jornal, a fallar cora o Sr Ferreira.
Na ra do Alecrim n. 20 precisa-se
de ama ama para todo o servico de
ama familia compesta de duae pes-
stas.
Precisa se da orna ama de lene
na ra da Moeda o. 33.
a raur
Aluga-* una casa no Monteiro, cora banbo
joato a raesma : tratar na refinacio do mesmo
Jugar. h
Alugam-sa dous pretos possantes proprios
para .o servico do armazem de assucar, bem co-
ci um pardmho de 14 anoos proprio para copei-
ro e oairos servicos : ra estreita do Ros* rio
f. 3C, primeiro andar.
CASA DA FORTaJM
Aos 5:0001
Bilhetes garantidos.
i rui Primeiro de Marco (ontr'ora roa d<
Crespo) o. 23 e casas do costume.
O abarxo af sigaudo, tendo vendido nos seus (a
lites bhatfc ura cuarto n. 1922 eom 5:000*000.
nrn qaano n. 19.>2 eon 800^000, om qaarto n.
2686 eom 300*000 e outras sortea de ij e 20/
I ta lotera que seae.acou de extrabir (208), con-
vida aospoasui dores a viren? receber na confor
Htidade do cosame sem descont algum.
Acham-M venda os bilhetes garantidos da
12.' parta das oterias, a ben?8eo da nova igreja
de Nossa Senbjra da Penha(209"), que se exrah,-
f sabaado 30 do correte mez.
pp.Egos.
Bilbete imeiro 61000
Meiobilhete 3*000
. Quarto 1*500
la porfo da 100*900 para cima.
Bilhete inreiro 5*500
Meio bilhete 2*750
Qaano 1*375
Manori Martins Finia.
Para alugar-se
Um magnifico sitio na estrada di -travessa da
Oroz das Almas, cora excellenie casa bem aca-
tada, eom duas salas, *e9 quartos, grande co-
pia, cozmha separan eom dispensl, saleta e
quarto. Bda coxeira e estribarla cora mais doas
quartos el satao para criados. Magcifleo quarto
para banho, latrinas, gallioheiro de pedra a cal
cercado de gradeameato de ferro Fieando dito
sil perto das estacoes denominadas : Jaquaira e
a da Arraial : para ver e tratar no sitio do com-
metdador Tasso-
Teireno a' venda.
yeade-se um exeellente terreno na roa Impe-
,i pIoprio'loio "rrado, prompto para edificar,
tonoo duas frentes, perto perto para desembarque
oe materiaes eom 110 palmos de frente e 300 de
ruBio : a informar na ra Nova n. 7, loja, e tra-
ur eom o proprtetario na diu ra Imperial, casa
jMto a de n. 280. ,
. ~ E- A. Borle & C., em seu armazem roa
oa oros n. 48, vendem a precos muito em conti
para acabar:
Ladrilhos de marmore.
Taboas a degros de dito.
Manni commum.
Mannite.
Fio da vela.
, Cognac fino em caixa e barris de vidro.
Vinhos de Brdeos finos e ordinarios em caixas
a barris.
Licores em caixa.
Fructas em conserva. .
Azeita doce em caixas.
LemBran^a (etnpo
O proptittario do armazam de viveren ra do
imperador u. 28, vem por meio deste anenncio
adIenre.av,Mrao "osipeita-wel publico d.'sta r-
vanti.m LVeu ar'nazcm u"> dos qae eom ouis
"SuP^? m,-Lie!r 5Qis l*m entendidas
Lindas caixas eom confeitos, proprias para pe-
queos presente?. v v v
Chocolate em p, este chocolata tem a vanUgem
de poder-se fazer memo na masa.
Leite coBdensado, a melhor marca conhfcida
esto leite convem principalmente aos collegios, bo-
tis e Iwspitaes, pela presteza cjm que se obtem
qualquer preparado delle.
Tmaras do Fgypto, raramente vindo a ete
mercado.
Licores fios: Chartreze, Coraeo, Anizete,
Creme de rosa, etc., etc.
ALEM DISSO O CAMPOS
pode garantir ce o sen armazem um centro do
bom e agradave ao paladar, pois nelle se encon-
trara serai:re indo quanlo pie necessitar ama
desp;n'a, cozinha oa me?a desde a mais bem sor-
tija ate a mais mediocre.
AGORA ANDA
annuocia tambera fei.o mnlatinho em saceos e a
retalhn.
LIQUIDACAO
DE
10Ra do Crespo10
madapolao a 4*, 5*. 3*300, 6*, e
superior a
PARA IVOIVAS
Liadas gnnaldas eom flores e botoes de
larangeiras enm vivos e sem elles, vendem-
se Da Nova Esperarla ra Duque de Caxias
o. 63.
Oleo para machinas
Vende-se na Nova Esperanza raa Duque
de Caxias n. 63.
Xo ha ver eonvnlces.
As criaocas qoe usarem dos collares aun-
amos, que se vendem na Nova Esperanza,
estri isentos de convulsoes; pois sao os
verdadeiros recebidos directamente.
proprios para suspender barca-
gas e niales, vende-se na ra da
Cadeia n. 39.
Vende-se
lguns terrenos do Sitio denominado Peixioao, que
lica entre Olinda e Beberibe, a raargem do rio :
a tratar no mesmo.
TBILHS URBANOS
DO
Recife Olinda
e Beberibe.
Nao tendo hoje comparecido flamero legal dos
seahores accionistas aflm de proseguir a assem-
bla geral em seus trahalhos da reforma dos esta-
tatos, foi a ee-so adiada para o dia 2 de outuoro
(secunda eira) prximo fuloro, Dlas 10 horas da
raanbaa, ?endo a reunio no raesmo logar dns an-
teriores. O presidente da aserahle'a eral maoda
fazer coostar aos >eohores ceiooista^ qae, dan
do-se mais ama vez a hypolhese do art. 12 do tu.
3" dos aeioaes estatutos, a assembla funcciooai
em dito di eom os accionistas presentes ou repre-
sentados, qua consiituam um quarto do eauital da
companhia.
Recife 26 de setembro de 187!.
O secretario,
_______Luiz Lonas Castillo Brsnco.
Jeronyrao Delac, estabeieciao cuu. 3aiau oe ca-
belleireiro na ra Primeiro de Mar$o (antiga do
Crespo) n. 7 A, 1 andar, avisa ao respeilavel pu-
que dissolvea amigavelmente a sociedade
bllco
aae tinha eom o Sr. Felippe Stotiago de Almeida,
ucando o activo e paseivo cargo delle anona-
dante.
Recife 26 de setembro de 1871.
-?
Lavarse e engomma-se
ra Aafnsta n. 83.
con perfeicao : ua
COMPRAS.
ROLAS
Compra-se nra casalzioho de rolas de Harabor-
go, que sejam brancas, paga-se bem : nesta ty-
pogxaphia >e dir quera qoer comprar.
Nesta typographia
sagrada por Pinheiro
Vende se o engenho Conceicao da Batheria,-
na comarca de Cmara libe, provincia de Alagoas,
duas legoas diante da villa do Passo, porto de
embarque, e em ahura que deve passar a projec-
tada e i contratada va-ferrea de Macei a en-
contrar eom a de una ; moente e correle conve-
nientemcnte preparado a todos os respeitos ao
melhor modo de facilitar o respectivo trabalho
cora o maior aproveitamento ; moendo por urna
machina a vapor de forca de tres e meio cavallo*
inglezes do mais moderoo systema sobretodo de
urna admiravel simplicidade, possoiodo os memo-
res etmais uberdosos terrenos possivel para cana
e qualquer laryoura, tendo ama legoa de fundo e
mais de me:a de frente, dando assim lugar a mais
dous engenhos de s^fTrivel Umanno para moereni
cora agua. Reuoindo ilem de outrae as vanla
gens de tres portos de embarque e a proximidade
de ntercados, como sejam a Villa do Passo, Porto
Lalvo, jjovoag5es.de Tahumwha e deCamaragibe
"22? c-om a afra Preates a colher Para mai<
do 2,ef paes de assticar, oo cora a qae se est a
criar, qae nao dewsra ser inferior. Tambera se
vendeta alguns poneos eaeravos, boiada, assim
comoaiguns uteocilios, movis de casa de viven-
da, ele., etc. Tambera m arrenda por alguns an
nos e mismo cora alguna escravos, etc., pedendo-
se retirara machina a vapor e deixar molinote
para aniraaes, eom tanto porm que se compre a
safra existente : a tratar no referido engenho oa
nena cidade eun o Sr. Tavares de Mello, praca do
Corpo Santo n. 17. r
PAO RAMONOA
nico deposito no Recife rna das Cruz n. 13 sem
alteracao de precos.
Vinho tinto e branco supe-
iior
de carcavellos tem para vender em caixas
de ama dozia Joaqaim Jos Gncalves Bel-
tr5o. roa do Commercio n. 5.
ra
s *>
5 p \
E!. I
Sa

2?
o
a-
*
fe
eom 25 varas a 20*000 e
Cemento Portland
Em barricas de 13 arrobas preco mais com-
modo do qoe em outra qoalquer parte, vende-se
aos armazens de Tasso lrmaos & C
Publicapoes musicaes.
Acabam de pabcar-se tres lindas pecas
para pianoa saber:
A celebre Tcrentelle por Beriol fils,
preco 20500.
LINDA, grande mazurka de concert,
ultima publicado musical do maestro Ca
zalbore, a qual fui terminada pelo maestro
I. Smolts, preco 20000.
PETIT LAZZARONE, linda polka apo
litana, pelo finado maestro Cazalbore,
preco 10000.
A' venda no armazem de pianos e msi-
cas do Azevedo, ra do Bar5o da Victo
ria t>. i 1, oatr'ora roa Nova.
N. B. Est-se gravando a linda walsa
por Collas, o Anjo da meia noute.
OLEO PURO DE FICADO DE BACALHAO
DA|
TERRA NOVA
DE
H. LACOMBE
Este oleo qoe lo boa acceitacao tem merecido
muito se recommenda por ser o mais purificado
que as boje tem vindo, e ainda pelo bom paladar
soperior a outro qoalquer : veode-se no deposito
especial de Banholomea dt C.: roa Larga do Ro-
sara 34.
Na roa estreita do Rosario n. 24, 2 andar
vndese ara plano de mesa eom excellentes vozes
e perleramente conservado.
4
I
com^ra-s^uraa historia
19
na estagao da eonpanhia do Rec;fe a-Olinda e
Beberibe, panno velbo branco qual ]uer porco :
de 8 horas da manhaa as 4 da tarde.
Para alngar-se
Vm tiUo no Poco da Panella no porto do Paola
eom exeellente casa, cora doas salla.-', qoatro
quartos e ectinha ; estribarla, cocheira e qoartos
para criados, e mais duas casas meias-agoai pa-
ra fmulos oa hospedes : a tratar cora o coramen-
dador Tasso.
Comprase umou doas buhares cora todos os
seos pertences : a tratar oa roa do Barao da Vic-
toria (ootr'ora roa Nova) n. 8'J.
VENDAS.
Preeisa-se de um que sejafeopeiro : quem te
julgar habilitado dirija-se ho Caf Imperatriz, ro
da Impar atril, n. 1para traur.______________
ibax Jsstnado declara ao publico e ao
i assiajo
graT,
coramnslo em g deixoa w empregado do Srs. Tasso Irmioa
& C ,|eeife 28 de seterabrode 1871.
, ManyeHiesgoita Bastos.
%1VV Precisa-se da nina ama queco-
f ainiw ecomnre.e todo raajs serticot
Leman Frres
vende cerveja ilajenc* e vinho do Rheno.
Siti venda
No Arraial roa da Harmona, vende-se om si-
tio, todo plantado, boa casa e banho, que sf-prna
raconsraendavel, ja pal* sua eollocajao Umtfz-
phica e salobridade qae gosa aqaelfe pitoeeto
arrabalde, e ji pela modicidade cora que se tole
fazT to ptima aeqatsigio. As pessoas qae o
roa do livrameoio, arroatem de- Betiaa.
Licores higinicos finog
DE
Diveria q^daden
A 20000 a garre.
50 palmos !
^mJS ehumbo estaobado. para agua ou gaz
por ipiKf.
CHAPMAN'S
29-Ra do Imperador-29.
Vende se ama ca era chao proprio, cora 2 portas, 2 salas, 2 qoaitos'
cozoha fra, qainul. na cidade de Olinda, ra de
S>. Pedro Martyr: quera pretender dirija-se ao na-
teo do Carmo, sobrado de nm andar n. 13.
itZl^T,*3"'*' um PiaD0 de am "os mais
meio D 38riCaDt9 "' ,rattr rna do Gonj-
Queda lias popelinas.
Ceblas.
Vende-se em molhos a U280, e o ceoto a II
oo armazem do Aones defronte da alfandega
no de Jos Joaqnim da Costa Maia, en- !
eontra-se para vender por commodos B
| precos : |
Azulejos hespanhes.
Folhas de ferro galvanizado para telha- M
do de diversos tamaobos.
Ditas de dito dito liza?.
Bicas de ferro galvanizado.
Cumieiras dito. .
Portadas completas para cantara.
Ladrilhos. 1
Itfl
Chegaram para o novo estabeleclmento de fezao-
das fin i roa do Mrquez de Olioda o 28^*
mais nodos co-tes de sed pira vestido* eutoh
zeoda pela saa qnalidade e preco se recrara oda'
___________Prego flxo-SajOOQ.
nioirar
deve sahir cem a maior brevidade a tarea norta-
guez Climentina por ler grande parte da "cana
de conta enguada ; para o resto da carga e ose
sageiros tratase eom os consignatarios T de
Aquino Fonseca & C. Suceessore a. roa do Viea
no n. 9.
GRANDE
LIQUIDACAO
(COM PEQUEO DELEITO) '
a m0?! P00' ""/inM oefeito,
toja de Goilairme Carneiro da Cunha, raa do
crespo n. 20
Grande liquidapao
LAAZINHAS A 3JO RS. O COVADO.
Moito lindas llszinbaa proprias para a praca a
320 rs. o covado, pechlncba : na loja de Goi-
Iberroe Caroelro da Canba, ra do Crespo n. 20
Uiffl I (IOk\
S'guira cora a possivel brevidade o pailebote
Bmtlia, eapitao Pereira: ainda recebe carga a f.-*-
te : a tratar cora Sa Leito lrmaos raa da Ma-
dre dedeos n. 1.
Vende-i um ceileute lawrna, na~Soe
dade, hvre e dserabar*cadade qual-iuer dehito
Uem a pretender dirija-se ra da Imperatriz n.
0 motivo Ja vena te lu ao co-nprador.
6'.)
Cal nova de Lisfioa a 4$
ViMide-se f i de etiopizcoip pe
Rodriitu
dra a 4
ua d.) Commercio 4\&\H%n
Beben oe
tratar na
A 2^500 rs.
W loja de Paulo Gnlnaaries.
se*ora"-,iSorro,,B,a, de ,odM M cores P"8
ra?3l0W4araqae pre, BWtode P"a senho'
loO1??' rtXM Cm Paln,l, eor x'* covade a
cov"4oUlOd00rsrai,5ld<)flDOCOB1 *DU de mofo'
o eSrSo"*01, ** C'nM' da" Ur8ari'- iim idem
iJSS1**0 t*,gwlio> I10 moderno, metro
toSSim" onr-prumirprt cosame,
A' RA DA IMPERATRIZ k 48
wnWt padaria fran|exa.-
Para vraUio* particulares
cas$Uaj de engenho.
Vende se um itav doonde, bem como js
PMMtw &stlcie3,e pa,'ai 4ambem doara'das
Wfe fons orwtneC^s. doas alva!
Srtenses fefUDbo! 8 tod^ *
0 dos oraamentos bordan:
Ra do Barao da Victoria
Antiga rtia I Nov t p. ^.
Amaral, Naboco & C. convidara os ;eus ami-
gos e freguezes a virem ao Bazar Victoria para
apreciar o apurado gosto cora que sao feilos di-
versos arligos quereceberam ltimamente da Eu-
ropa, a saber :
Vestidos de blond eom veos e grioaldi3 para
easamentos.
Ditos de seda lisos e mlisados.
Ditos de fll de seda ricamente bordados a c-
res*
Ditos de chita, e de ganga eom todos os enfei-
tes necessanos.
Ditos de eambraia Victoria flnissima:
tamisas bordadas para senhora e horaem.
Salas e pentiadores bordados.
Meias finas de algodo brancas e de cores oara
senhora. r
Sabidas de bailes e boarnox de caseraira.
Basquinas de seda preta.
Ricas fronhas de labynntho bordadas.
Ctlxas de seda, de laa e seda, de algodo, fus-
ta e laa para.
Ata de mosca de todas as cores, ama fazen-
da especial para cabrir quadro?, espelhor e
I retratos, {demasiadamente transparente e prepa-
rada de forma a evitar completamente o p-
Colerinhos e punhos de papel.
Chapeos de seda e de velludo para senhora e
"meninas.
Fitas masnicas de diversos graos. *
Perfumarlas de diversos fabricantes, leos ba-
nhas, extractos e pos de arroz eto.tc.
Um -rompiera sor ment do carleiras de mar-
tira, tartaruga, madreperla e couro da Ru^la
indispensaveis de seda, e de couro-da Resfia tbe-
zouras e canivees muito finos.
Um completo sortimento de chapos de sol de
deir 8 de canua' bale,a' """"racha e raa-
Charutos superiores, fumo inglez para cachim
bo cartelras e boleas de seda para o mesmo e
outros muttos onjectos.
Um completo sortimeoto de espelhos donradis
de diversos umanhos, de 4/ a 23jT
Sanonete inglez em caixinhas a U500 a dazia.
Pe?as de algodo cora 20 jardas a IJ. 4*500
5*0X).
Ditas de
6*500.
Ditas de dito infestado, francez
10*000.
Chitas francezas de todas as qaalidades a 210
280, 300, 320 e 360 o covado.
Cambraias de cores a 240 e 280 rs. o covado
Dita lisa de cor a 32,0 rs. o covado.
Ditas pretal para lulo a 610 rs. a vara.
Pecas de eambraia lisa transparente a 3*, 3*50*
Ditas de dita tapada Victoria, a 4*, 4*500, 5*
e 7p.
Ditas de dita transparente, suissa muito fina
eom 17 varas, 11,5.
Ditas de dita bordada cora 10 jardas a 7* e
VpvQUL
Organdy branco fioo a 700 is. a vara.
Br.lhantina brauca ursuda a 440 e 500 rs. o
co\ado.
lirehr.ha de linho
25*000.
Dita de ditoinfeslada eom 30 varas a 27*.
Bramante de linho cora 10 palmos de largura a
21500 a vara.
Dito de algodo a 1*500 a vara.
Atoalhado de dito e de linho cora 10 ramos de
largura a UoOOe 3.
Tualbas alcochoadas para rosto a 7* a dozia.
Ditas de linho do PvNo felpodas a 10*000 a
dozia.
Guardanapos de huno a 3* e 45 a duzia.
Cuberas de chita a 2* e 2*dOO.
I)ii e SOOO.
Colchas de damasco de cores a 4* > <'*.
Ditas de fuslo alcochoadas a 5*.
Cobertas de la escuras a 2*.
Ditas de algodo brancas a 1/400.
Colleirinhos de linho a 500 ts.
Chales de merino lisos pretos e de cores 2*030
6 OaSUiJU.
Ditos estampados de meia casemira a 2* e
z*o00.
Damascos de cores a 640 rs.
LeoQos blancos de cassa finos, 2, 2J00 e 3
a dozia.
Ditos ditos e de cor abainhado largo a 31 e
3*500 a dozia.
Ditos ditos de eambraia de linho finos a IJ a
duzia.
Ditos deesgoio de lioho a 4*, 4*500, 5* e 6*
a duzia.
Bnm Angola a 6iO,,800 e l*GO0 o rorado
Bros de linho de'cores a 50J rs. o covado.
l*iOo'flS me'a ca-emira Para M|Ca UWO e
5*5003 de Casemira Para ca|ea a 3*-50O. **soo e'
Casemiras de cores de duas hrgura?, 2* 2*300
e J* o covado. '
Ditas preti, doas larguras a 2*300 o covado.
3*600 Prel aZUl a I' 2*m **m
Dito dito muito lino superior a 3*, G e 7,>
covado. m
n!f,5fw?*'f,SM de Pore3 Para vestidas a ICO
500, 600, 710, 800 e 1 o covado.
Toaihas con labyrutoa para bandeiu
rosto a 8*, 10* e 15*.
Camisas.de fijiella branca.
2*500, 3*, 3*500 e 445(0.
Grosdenapoles prelo e de cores 2*, 3* e i* o
covado.
Do-se amostra.' cora penhor.
Vende-etambem grande qcar.dade do rcapa
feta e por medida por precos muito reduzidos.
MJ&SA
DO
GALLO VIGILANTE
Rna do Crespo n. 1
Acaba de ehegir pelo ultimo vapor diversos ar-
tigos de novidade, ct>mo scj.im :
Lindas touquinhas enfeitadas para bantisado :
assim como chaposinbos.
Sapaliohos de teda e de merino.
Meias de seda e flo de Escocia de 1 a 12 annos
de idade.
Ricos leques de madreperola todos aberto o
melhor que ha neste genero ; assim como ou-
tros de madreperola cora ed, fazenda requissi-
ma ; tambera recebeu grande Sortimento de le-
ques de aso fingindo marflm sndalo e madeira,
tanto para,seDhora como para menina?.
Superiores ligas de seda para separar meias.
Meias de borracha para qoem soffre de inxacSes
on erysipela.
Seda frouxa para bordar todas as cres.
Froco de seda para o mesmo fim.
Retroz prelo e de cores em carritis.
Fitas para cartas de bachsreis.
Qoadros para retratos.
Luvas de pellica, e de seda, branca pretas e de
lindas cores.
Superiores capellas para noivas
iehoru ^'"^ *' madreperola P,ra P"w e
Lindas abotuadnras para cohetes.
Laa Oe todas as cures para birdar.
superiores pencenez de ac.
Muito fioas thesouras para costura, anbas e
para corlar cabellos.
cabeUosrreS PeDteS de tarUro8 P3" arregacar
deir1"1" n8'eU P3ra ,ingir cabellof' a T8rda-
e para
8 de jures if,
Flores
d.ra/id/ndMNovE,pe,rftD* do Duque
de Caxias n. 63, esta replecto de (lores de todas
qnem primeiro chegar colher as
as qualilades
mais vi cosas.
rea-
Grande pechincha
Damasco de laa eom 9 palmos de lareura fazn-
K;.Pi .ar,,Trao Pre0 d8 J*500 o cavado,
S' d5e,.eo;M de Partes miados a m rs.
^a'fanein'68 m63clldas 6 dlind<" Pa'
ao e 28 wva l0 cambraiis da cores a
ww e 2W) o covado : na." loja dos arcos roa !
o< Marco (an;m do Crespo) o, 20 A.______
Ca
noa.
Vej)Ie-e urna csnem parfeito estado, a qual
fyega d ih rtiUMiros de tijolos de alvensrii grossa :
OOrv floo : nest. typographii1 m l'ai?"dJ m3>> B ^"^ "' % "' P"SR d" C"
Grande sortimento de fraejas preta, largas e
estrenas e Irados paiioes.
Lindos babadinhos e entremeios bord dos, tpa-
nos e transparentes.
Querem comprar?
Guardapisa para vestidos ; preto oa bronco?
Papa-fina, larga ou estrella ?
Lencos de lioho, bordado* 00 lisos ?
Bonitos L-qnes, osso ou sndalo ? 1
A Nova esperanca quem lera I L|
E novidade!
Acaba de chegar a Nova E>poraec roa Dnaue
de Caxias n. 63. bonecos e nonecas, seodo de mnl.
des ioMraoenie novos, vindo entre elles o en-
graoados bonecos de borracha : para que sTca-
caro? qoando quizerem comprar qualquer objeto
da m va E'peranc rea Duque de Caxias 3.
8#jtim para cintos
de superior qualidade e cores di moda a i* o
"Y*do. fraocem finas eom babado crespo a
o#oOJ, estas pt himlias t iu nava loja d
ROSA BRANCA
ra da Imperatriz n. M ; a frente" d
de lislras zoes e b'anca? para evitar <




Oaiio de FernamDaoo Sabbudu 30 de Sttembro le 1871.
ka Mala cabello a forneo*.
Tintara ~}apobe a.
S e -ornea apprvada pelas as academias de
eaeia, recuaheeida superior a toda que tem ap-
MlMido at boje. Deposito principal i ra da
Jaiala do Reeife n. 51, Ia anar, em todas as bo
4 e casa de cabelleireiro.
admrem os
400
320
400
6i0
720
85000
8000
a#Roo
6r90oO
MMA
Flor da Boa-Vista
DE
Panlo Gyimares
O proprietario deste bem conheci'do es-
tabelecimento contina sempre seguindo sua
ntiga forma de priroeiro barateiro d
?nta e p*ra melbor prova adir
procos sei rites :
Cuitas escuras e claras cores fixas
ocovado 60 200 rs. a. .
Cambratas de cns 240, 280 rs. e
Lia para vestido 280, 320 rs. e
Creps escocers fazenda nova I..
Alpacas lavradas d'um s cdr.
Cambraia branca transparent pe-
cas a 3>S 0 e.....
Ditas dita victoria a 45000 e. .
Bramme com 10 palmos do lar-
gara, varas, a 25000 e. .
Madapolio superior pecas 54000 e
AlgoJlo a 45000e.....55000
Brim pardo trancado pecbincba
aovado*....... 320
Dito do liso muito fino a. 4 320
Omrai mutas mais fazeod.is que vende-
r por precos baratissimos como sejam
pannos pretos, ditos azues, caemiras pretas
e de cor, marinos, brins brancos e de co-
rea, .-.da para collctos, camisas ingieras para
horneas, m ias, chapeos de sol etc.
Oficina d'alfaiale
Os dgaos fregoezes encontrarSo nm gran-
de sortiuiaato de roupas feitas desde o
mais inferior at ao mais superior que se
acbe no mercado, assim como se manda fa-
zer toda e qnalqaer obra d'encommenda
feitas a capricho, pois para este mister se
acha arinco d'um perito mestre. Garante
aafaiereai se menor 20% de que em outra
qaiq-ier p-rle pelo o motivo de o fregaez
i pagar t> que compra e nao o aspecto do
esta Desciment.
483*aa da Imperatrlz48
JUNTO A l'ADARIA FRANCEZA
ADMIBAVEIi
m t mm fu";
o
S
DE
FLIX PEREIBA U SILVA ft i!
NA RA DA IMPERATRIZ N. eo-
lito a dinheiro visto
Os proprietarios deste estabelecimento teodo grande necessidide de diminairo im-
menso deposito que tem de fazendas e grande urgencia daajmrarem aiabeiro, tem re-
sollido fazer urna verdadeira liquidacio coa grandes abatimanto aos precos de todos
os seus artigo: para o que coovidam ao respettavel publico deeU capital a rir sortir-se,
pois toe garanten que em parte algamr poderlo encontrar tio grande sortipaentoe mes-
roo nao comprarlo pelos precos que se Ibas pode Tender na toja de Favao; pora ad-
virtindo-se qne s se vende a dinheiro vista. Os mesmos proprietarios deste estabe-
lecimento rogam a todos os seas devederea desta pra?a e favor de viaem saldar seos d-
bitos, e todos aquellos que esiiverem deveodo contas antigs e nio fizerem terio de
ser encommodadjs judicialmente.
mu t
T randa era seus araiazens, alm de oatros
uio." i* -.un neg io rogular, os seguintes, que
nauem por pregos mais mdicos que em ou-
tra enalgaer parte :
FOrt'AS .lo pioho almofadadas.
PORTKIHAS de ferro para cercas.
SALITRE loglez.
SrjjClAS la India para cama e forrar salas.
GANOS m tarro francer. para esgoto.
SSSSO i iperior em porc3es e a contento.
fJKHKN'ra de telas as qualidades.
MACHINAS de descansar algodao.
LuNaS o brinzSesda Russia.
OLEADOS americanos para forro de canos.
9 ><; "3 mericanos muito bons e econmicos.
V\ i". Bordeaux.
C > d iperior de Gautier Freres.
?.v".. O em saceos grandes a 3,1500.
A >'A ""-'(rida legitimi.
DALAXCA5 deimae.
CADEIft xS americanas.
RH'M d i Jamaica.
AZfLRns de Lisboa.
c
p.tra a toase
PASTLUAS PBITORAES.
de
Da simples crystalisada.
ii'a fie angico
Naat d' .rubia.
S de pinato martimo de Ligasse.
E ouiras muitas que maito se re:om.3dam pe
las'sais ex;t)lleotrs qaalidadea.
Vende na
PHARMACIA E DitOGAMA
DK
Btrtholomea & C.
3i--Rr.V LARGA D) ROSVRIV-3
"~X^rop3 sedativo
DE
Csc* de l.ranjas amargas
COM
BROMURSTO DE POTAgSIUM
DE
li'a nov> preparado aprovado pela aeademia
taperial i nedicioa, muito se recoramenda pela
u-i aeca sedativa e calmante, sobre o systema
nervoso, o nromnrelo da potassium, nao denca de
dar v man certos resultados oas diversas affec-
eoe^ do nrtranismo e principalmente as molestias
do coraci, dis vias digestivas da respiracao, das
vas g^Qit i-urioarias, na epilepsia, as molestias
nervo-as la prenhez, na iasomna das criangas
daraa'e o periolo da denticio etc. etc.
Veude-se na ibarmacia e drogara
de
Bmboloa)8u & C
34-RA LAR3A D0R03ARIO-3
oces, fructas e flores.
Ra da Cruz o. 13' vende todos os das :
Presunto em Hambres a libra.
LiR''h*!> todos os das, e diff-irente>.
Ge a >\* oio da vacca em copos.
D'*e* crystatisados de difTerentes fructas.
B dios, po iius e b >ns boceados.
Bn !-ij 18 com bollinhos, enfeitadas]
B a |u ^< de crav>s para noiva3.
Piivn* avuUas e em boupuet.
S'rvtt i idos os das a noote. ______
Jos Antooio Pereira
teas pan vender na sna fabrica da ra do Bario
" da Victoria n. 4 (aatiga ra Nova) charutos dos
miii acrfdilados fabricante' da Babia, como se-
j un Imperiae, Normas de Havana, Operas, Ama
4ot*\ Loa Iriaos e Leae, de Simas. Imperiaes,
Exposicao, Lmceires, Bigarrilbos, de Cardeso.
nrivioes, Expo -icio, Havanas, Flor de Suspiros,
Loidre*. Almirantes Brasileins, Trabucos e Re-
gala Imperial, de Joaquina Jos dos Rala, e mais
qaaiidales de ontros fabricantes. Fuios Daniel
Baep^ody, Ro Novo, Minas, atirntalo, Para e
Garanh-im. e cigarros dos mesm s fumos;
NOVIDADE.
k loja do Papagalo aeaba ie reeeber om com-
pleto sort'mento de sedas lavradas de ama f
cdr; assim como um xplendido sorlimento de
Eiupelioas de seda, tanto nm como ontro sao de
vfores intelramente noves, e as cores sao as
mais dalicadas que at boje tem apparecido neste
mercado, sen preeo to commodo que nlo hi
quem dixe ite comprar : na rna da Imperatriz
n. 10, esquina da ra Sato de Setombro, amigo
beco dos Ferrelros, loja de Mandes A Carvalho.
Pavilhao da Aurora,
Rna da Iaaaperatrlz n t.
O proprietario deste acreditado estabelecimento
avisa eos seus numerosos fregueses qne Ibe ebe-
garam pelo uiumo paquete da Europa grande sor-
tioeeato de chapeos para senbora, da ultima moda
de Pars; 'in eoaao sedas, popeliaas, sabidas
de bai'p, e outru multas fazendas de tost, qne
deixa de mencionar para se nie tornar eafadonno
Toda* as suas fazendas do san estabelecimenlo sio
vestidas por meaos qne emonira qnalqnar parte.
Uaaaliihaa barata* do Patrio.
Alsacianas com lindas listras de seda a
1#OO o covado.
Ditas lisas com muito brilho a 4| o covadai
Allantas, fazenda de muito gosto tecida
com seda a 720 rs. o covado.
Ditas com quadros de seda e cores muito
delicadas a 640.
Poil de cbvre, d'ama s cdr com.moilo
brilbo a 500 rs. o covado.
Merinos escossezes fazenda demoito gosto
para vestidos bomas e roupas de menino
a 640 rs. o covado.
Gurgurao maito bonito, lendo de todas
as cores a 100 rs. o covado.
La;-s unas rxodernas com diferentes gos-
tos a 400 e 500 rs. o covado.
Ditas iiii-s a 280 e 320 rs. o covado.
Bareges transparentes com differentes co-
res a 160 rs. o covado.
Alpacas de cores lisas e lavradas fazenda
de muit.1 gosto a 500 e 800 rs. o covado.
CassasdoPavSo.
Cassas inglezas com bonitos gostos a 200
e 240 rs. o covado.
Ditas finissimas a 300 rs. o covado.
Ditas franceas de muita^hantasia a 400
rs. o covado.
Cortes de cassas com 7 varas fuenda
muito lina e bonita a 2500 e 3(5000.
Ditas d'organdy branco e de cores a
2'500.
GAMBRAIAS LARGAS A 800 RS. AVARA.
O Pava i tem cambraia branca transpa-
rente de boa qualidade, com 3 palmos de
largora, que apenas precisa 4 varas para
um vestida e vende a 800 rs. a vara, dita
Qnissima da Escosaia tendoa mesma largu-
ra, que vendo a 1)5600.
CAMBRAIVS BRANCAS A 4i5000 E 40500
O Pavo tem pecas de cambraia branca
transparentes com 8 1/2 varas que vende
pelo barato preco de 45000 e 4$500, ten-
do tambem muiio Gnas de 50000 at
10#OO.
Ditas tapadas ou Victorias tendo de 30500
a pega at a mais fina que vem ao mer-
cado.
CORTES D'ORGANDY A 40000.
O Povao tem cortes d organdy branco
com 8 1/2 varas qne vende pelo barato pre-
Co de 4,3000, assim como finissimo organdy
branco cm striobas e quadrinhos o me-
lbor que tem viodoao mercado e vende
pelo barato preco de 720 rs. a vara.
Crosilenaples preto e de cores,
O Pavj tem nm grande sorlimento de
grodenaples e gurgurSo preto para vestido-
tendo de 106OJ o covado al ao mais so
perior que costuma vir ao mercado, assim
como um grande sorlimento de ditos de
todas as cores e branco e um bonito sorli-
mento de setins branco e de cores qae ven-
de por precos muito em conta.
Ponpelfaas de seda a 2AOOO
O Pa-o tem nm elegante sorlimento de
poupelinas de seda tanto lisas como lavra-
das as mais modernas que tem viudo ao
mercado e vende a 20000 o covado. .
ESPARTILHOSA40OOO
CACHENEZ a 40, .50 e 6#X)0.
O Pavo vende espartilbos de todos os ta-
manhos a 40 e 50OOD, cachenez parisiense
com delicado ponto e de cores, a 40, 50,
e 60000.
CORTINADOS PARA CAMAS E JANKLLAS.
a 80, 100, 120 e 1S0OOO.
O Pavo tem om grande sorlimento de
cortinados ricamente bordados, proprios
para camas e jane i las que vende de 80 at
160000 o par.
Pecas de cambraia adamascada com 20
varas i 100000. crochet ricamente bordado
para cortinados a 10500 o metro. Assim como
ricos damascos com 6 e 8 palmos de larga-
ra proprios para colchas de camas e tane-
bem ricas colchas de damasco a imitaco de
seda e ditas de crochet as mais lindas que
lem vindo ao mercado.
MSSELINAS DE CORES A 400 RS. O
COVADO.
' O Pavo tem nm bonito sorlimento de
mussetinas de cores, padroes inteiramente
novos e cores fixas, qae vende a 400 rs. o
covado. Ditas brancas muito finas a 400
e 500 rs. Metim branco da India maito fino
para vestidos e roopas de meninos a 720 rs.
o covado. Cretones de cores maito encor-
pados para vestidos a 600 rs. o covado.
ROUPA POR MEDIDA NA LOJA DO
PAVO. '
O Pavo tem ama bem montada oficina de
allaiate, administrada por om hbil mestre
nacional, aoade se manda fazer qnalqaer
obra de encommeada, tanto para horneas
como para meninos, garantin i >se a promp-
tiJo e aceio em todo o trabalho, e no mes-
mo estabelecimento encontrarlo os respeia-
veis fregoezes todas as fazendas proprjas
orno sejam pannos da todas as cores qaa-
diades e precos, novas casemiras de gosto
re ns brancos e de cores, asean como todas
asfazendas prprias para fetos de loto.
CASAQUINHOS A 150,180 E, SOflttOQ.
O Paylo tem nm grande sorlimento de
ricos casaquinhos de seda ureta moiio beta
enfeitados e modernos
nos qne etj
YeSfi
le-se
a loia de louca da trra sito i rna do Rantel n
4 : narn a preteader rlja-sa i bniiu ou i pra-
ca ** Udepeateacia o, 33, oae aehari cem qaea
uatar
AL60BAOSWHO A 3#M0.
O Pavfc Ai pecas da algodaosinbomuito
boa qualidade oae veade pelo barato preco
de 30268 a pe. Ditos maito superiores
de 4#000 para cima. godJosinoo enfes-
tado coai a largara precisa para -na ien?ol,
sendo liso maito encorpado a '-JWO rs. o
metro e dito entrabado com a mesma lar-
gara a 10280 a vara.
BRAM aNTKS A WOQ e l^SOO O ME1R0.
O Pavo tem superior bramante de al-
godao sendo preciso para nm lenfol apenas
um e meiometro e.vndoj iJBO e 108OO,
e de linbo fazenda muita encorpada, com a
mesma largura a 20000:6 20BOO, dito fran-
cez do mais fino qoeteor'indo aa-merca
do ^ 3i|O90, 30600 e4^0.
ATOALHADO.
O PavJo vende superior aloaihado a146O0
e 20080 a vaca, dito de linbo fazenda'BKHlo
superior de 30008 para cima, sendo- ada-
mascado.
Faz e ni! fiar a Jauto,
O PavSo tem um grande aoriimeneode
fazendas pretas para lato, como sejam :
Merino preto com.6 palmos da l.rgara
para vestidos a 20008 e 20500' o covado
Merinos pretos e de cordo para todos
os precos e difTerentes qualidades.
Bombasinbas para todos os procos.
Cantos e alpacas pretas. Lasinlias pre-
tas ou cassas de lia, de 360 at-500 r's. o
covado.
Cassas. pretas francezas e inglezas d te-
das as qualidades.
Chitas pretas francezas e inglezas de 208
rs. para c;ma.
Crep preto para vaos.
CASEMIRAS PARA CALCAS A 40, 50, 6&.
70 E 801/00.
O Pavo tem om grande sorlimento de
cortes de casemiras de cores para calcas,
sendo os mais moderos que tem vindo ao
mercado e ven de-se de 40 at' 16$000 o
corte, ditas em pecas francezas e inglezas
para ca'e^ui, palitaU a eollotes qae vnde de
10800 al 80800 o covado, ditas escuras a
prova d'agoa qaa vende a 5(5 o corte ou a
30 o covado, sendo estas casemiras maito
prprias para meninos de escola por serem
es;uras e de moita daraelo.
NjDG8 VESTIDOS A 50000.
O Pavo tem lindos cortes de vestido de
finissimas camb-aias com bonitos bordados
de cores e tambem iodos bordados branco
que vend, pelo baratissimo preco de rj|0C0
cada corte, grande pecbincba.
PANNOS DE CtO :H PARA CADBtRAS E
SOPHS.
O Pavo tem om grande sorlimento de
pannos de croch proprios para encost do
cadeiras e de sphas, assim como um rico
sorlimento de tapetes de todos os lmannos
proprios para salas.
MADAPOLO BARATO A 40, 40500 E,5&-
' O Pavo tem peca de madapolo com 24
jardas ou 20 varas que vende a 40 e 40500
a peca, dito muito fino e largo de 60 para
cima, dito (ranees do melbor que tem vindo
ao meneado, assim como dito finissimo em
pecas de 48 jardas.
Cortea de caldas.
a 10600,20000 0 20800.
O Pavo tem cortes de chitas fraacezas
com 10 covado, que vende pelo barato pre-
go de 10600 e 20000, ditas que vende a
160, 200 e 288 rs. o covado, tambem tem
um grande sorlimento de ditas finas claras
e escuras que vende a 260 e 320 rs. o ca-
vado e flaissiatas percales miudinbas prpri-
as para camisas, vestidos s roopas para me
nios qae se vende a 360 e 400 rs.
LBNQPS BlAaVCOS.
O PavJo tea ancos brancos,, abaunados
qao se vende a 20400 e 30. a dotia, ditos
grandos de morira sem ser abaohadoe. a
30200 rs. a duzia; assim como bonitos len-
cos bord-dos para mos.
ROUPA PARA HOJIENS.
Sobrecasacos da piano preto fino sanio
muito bem feitos de 120 ate 400000.
Palitos de panno preto fraques a saceos
de 80 at 120000.
Ditos de casemira de cor de 80 al 120.
Ditos de alpaca preta fina de 40 a 80808.
Ditos de dita braaca ede caras 60000.
Ditos da brUn de liado trancada 60000.
Calcas de caemira preta de 60000 at
120000.
Ditas de brim branco deanho de 40000
at 80000.
Ditas de brim de lioho da cor para todo
os precos e qualidades. '
Camisas francesas 6 inglesas eom peitos
d'algodo de 10600 at 50, em duzia ven-
de-sa mais barato.
Ditas de meia de 800 rs. para cima.
Ceroulas de linbo e algodao, francesa 6
(eitat na trra.
Collariohos de papel, algodao a Uabo
qae se vende maito barato para liquidar.
Para novas.
O Pavo tem rico gurgnrao de sada, bren
ca. Grofdenaple brtftea nraito eacorpado
Agraciannas brinete com lotrat 'da aadi.
Poopelinas brancas de sada ais 6 lafra-
flas. Sedas brancas, lavradaj* lisa*. Ca-
MACHINAS PARA
COSTURA
Cbegaram ao Bazar Universal da roa Nova
q. 22, am sortimento de machinas para cos-
tara, das melbores qualidades que existe na
America, das quaes mnitas j sao bem co-
ndecidas pelos seas autores, como sejam :
Weller 4 Wilson, GroVer 4 Boker Silen-
ciosas, Weed e Imperiaes e ootras muitas
A FLOR DE 8R0
E' este o distintivo de urna nova e em mentada
loja de joias, sita a ra larga do
Rosario n, 24 A. *'
Os proprietarios deste elegante estabelecimento tendo em vista os estorco qoe
flieram para o eollocarem as condicedes de orna grande clientella, faltaran ao mais
rigoroso principio se nio vieseen ai eollnmoas do jornal scisntilcar ao resaeitavel pn-
blico, qne no me.-mo estabelecimento encontrarle sempre o mais eamaleto softimento
de jolas, como sejam : brincos os mais modernos, para adornaren a| delcaias om-
inas do bello sexo, e qne se vendem a 8. 9 e 10* o par, ditas para meninas-a 4, 3 e 64,
ditas de eoral, obra de apurado goto a 3 e 4a, Voliinbas de coral eom crazas de onrol
a 5/ broches modernos de 3 a 134, ditos eom pedras e em soaa devtdas eaixinhae a
10 11, 16 e 20, rosetas lisas, porm bem trabalhada?, de 54300 a 94, dita* com
pedras de 4 a 164, eacolelas a 44. ditas com loscripcdes a 54600, anneis de diversee <
gostos, e com bonitas pedras a 2, 3 e 44, dUas de perolas, esmeraldas e robins a 64,
ricas crurea de esmerelda e rnbin a 11, 14 164, ditas de onro e coral com vistas pho-
toeraphicas a 3, 4, 6, 6 e 74, flgas de eoral a M, oadeias para reante* a 104, ditua a
645OO a oitava, guarnieses com tres toldes para aberturas a 44, dito3 de pelrmtus a34800
o par, ditos para pnnhos os mais modernos a 7 e 84; \ta de nm vanadissimo sortimen-
to de iotas de apurado gosto que recebem por todos os vapores da Luropa ; como
seism : brincos, braceletes, alfluetes, aderemos completos, cruies, rosetas, anneis de;
brilbantes, esmeraldas, perolas e rubins. MedalbSes, vollas, Iraneeltoa, aunis com let- s
tras e de diversos modelos, ocnlos e peneinex de onro e prata dourada, reiogtos e on-
ro e prata de atamados labricantes, salvas de praU de diversos Ufnaaoos, ricos paiitei-
ros e faqneiros, eofteres para cha e sopa, maracas para criaocas, e urna tnnniaaae ae.
objectos qae seria enfadonho mencionar-se.
Os proprietarios da Flor de Ouro garantem vender mais barato que era outra
g|) qualquer parte, para que estar aborto o estabelecimento das 6 horas damanna as t
noule.
qae com a vista
pradores.
Estas machina!
"tribalbo que 3
diariamente e co
coma as mais pe
te se a saa boa q
balbar eom perft
hora, e os precos
vem agradar aos
o agradar aos com
a vantagem de fazer
lureiras podem faz- r
com tanta pp.rfeicao
. ncostureiras. Garan-
ladee ensinasea tra-
em menos de orna
lif resomidos que de-
; endentas.
ib*

3>S
\

o
^
nico
que veade 1 M#J
18d e 20,4000, sendo atenda de maito
mais valor, assim como r'uos chales pretos pellas com palma de flor d
bordados com franju targu de retroz
m e 12,9000.
1 com
ricos veos bordados, qae"tn
barato do qae em oatw qaalaoar parto.
Aloja do Pavlo acba-se constontemente iberU das O boru da maabia at 11 6
hars da noite, ro di mpentri n. W,
legaimente autorisado e approvado
pelo conselho de sade.
' ONKO DEPOSITO
em
PBRNAMBUCO
Pharmacia e drogara
de
BARTHOLOME 4 C.
34Ra larga do Rosario34."
Para saceos e fogmetelrs*.
$%ccos
PARA ASBUCAR
CERVEXA DE MABCA
Wa
Engarrafada especialmente para o Brasil.
Charutos de Havana
Lona para velas
Cambraia Victoria
As verdadeiras trazera os nmeros estampado,'!
as pegas e nao as etiquetas.
Vendem-se
E-ii casa de
. T. JEFFEBIES & C.
46 Ra do Gummercio -r- 46
.BRINS DE ANGOLA
OS LEGTIMOS
Trazena em cada peca ana bi lte-
te com lome
DOS
nicos importadores
__________T. JEFFERIES A C._________
Cura rpida e radical dos
callos
pela pomada Galopeau
Essa pomada qne tao bons resoltados tem colhi-
du as pessoas que delia tem feiio oso aeaba de
chegar para o sea deposito especial..
NA
Pharmacia e drogara
DE
Rartholomea 4 C. ra larga do Rosario nu-
mero 34- -
RA DO DUQUE DE CAXIAS
(Outr'ora do Queimado)
Tendo-seresolvido d'ora avante venderse neste estabelecimento todas as fazen-
das existentes no mesmo, por precos qae todos admirarao, acho de mea da parta-
pa-lo a todas as Exmas. familias em geral, am de virem visitar este estabetecuaento
oa mandaren boscar amostras, garantindo-se-lbes nm bom sortimenlo da fazendas de
algodao, 15a, linho, e seda, emfim tima infinidade de artigos de m casas das Exmas, familias, por empregado da casa, toda e qnalquer faaenda para*e*em
oa escolherem. ,
As pessoas que vendem em menor escala poder5o bem sortrem-se neste estabe-
lecimento qoe vender pelos mesmos pre?os qne em qoalqaer easa importadora, teado
a facilidade de comprar qualquer porejio.
O 65 tem um Completo sortimento de ronpas bem acabadas o que venda por
presos moitissimo c<>mmodos. mandando tambem fazer por medida toda e qualquer obra
que os concurrentes dsejarern, para o que lem nm dos mais habilitadis.-imo meatre
alfaiate, cortando por um systema inteiramente novo.
Os annaocios nesta prafa esto e por certo devem estar desaereditadissimee, poii
qne ha casaque annanciam aqoillo qae nao teem, o qae o 65garante nanea darfeem
sea estabelecimento, pois que s deseja bem servir ao publico em geral, para gaobar
g ande nomeada em todo o mundo.
O 65 acha desnecessario mencionar os precos de snas fazendas pois que isso tor-
naria-se demasiado macante para os leitores, por ter de ser demasiado extenso sen an-
noncif, e mesmo para se tornar menos despetodioso, pois qaa vendeido muito e moito
barato mister encurtar suas despezas. A sinceridade dos tratos do 65 julgo qoa-jio
publico conhece demasiado, pois que sempre tem cumprido com aqoillo qae annunaa,
n3o verdade ?
E' INTIL, NAO SE CAN CEM, COM O 65 NINGUEM PODE COMPETIR
L
RA DO DUQUE DE GAXIAS
(Outr'ora do Queimado)



HCKJl iAC
56 ARa do Mrquez de Olinda56A
outr'ora ra da Cadeia.
LOJA DAS MACHINAS
\
Sendo este antigo estabelecimento assaz conhecido como principal' e recommen-
dado pelos grandes depsitos e bons sortimentos com qae sempre prima em ter das
melnoras; mais acreditadas e verdadeiras mchicas americanas para algo-
dfc>, desde 10 60 erras, e havendo em todos os tamanhos diversidades de siste-
mas e meihoramentos para perfeito e rpido descaroeamento; toro a m se dignas da
serem vistas e apreciadas pelos Srs. agricultores; os quaes, alem disto, encontrarlo
jambem mais
T-
Bazar universal

RA DO BARQ DA VICTORIA (OUTR'O-
RA NOVA) N. 52.
Asaba de chegar para este grande eslabeleei-
mento nm coapleto sortimento de naobinas de
costura de todos os autores coohf cid ;s, os quaes
garantem por anoos as ditas machinas, e se Ven-
dem por precos tio moa veis que a todos agrada-
ra, cajos oreos sao os seguintes: 40, 60J, 80,
* 1SJA O*. 1404, 160d, 1804, 200*. 2J04,
lo e 300. Garaote-se aos compradores a boa
qualidade de Irabalbo, a obriga-se a ensinar Un-
tas veies quantas sejam precisas para bem eom-
prenender-ss. Veade-se tambem pecas e mais
perteoces de sohresaleotes para as mesmas machi-
nas. Prvjae-se desde ja qne ? se val ao cha-
toado para concert e ensiao de machinas das qne
torem compradas neste estabelecimento.
Farinht demilho,
Yeade-ae fariaha de milbo molda a vapor dia-
riamente, pelos precos segaintes : grossa, para
angu, pintos e naaaarwnoe a 100 rs., para eangica
e pao de provenca a 110 rs., e para cnacs a 140
r*~ eaa arrobas e Bala barato ; na rna do Coto-
vello n. IS.
CASAS
Vans-se dnaa casas terreas na fregaeiia de
Santo Antonio, muito frescas por nSo terem casas
defroote, eom eommcDicacSes internas, teado tras
"as. aabinete, unco onarUH, qomiaea (
-se i roa Imperial sobrado n. 98.
ATTENCAO
A 13#5O0 a arroba.
TenaV-ie velas le oMaposisio maito bem fabrl-
Apurados vapores l'womovds, de torca
de 3 4 cavallos, e perteoces.
Machinas para lavar roopa.
Arados americanos para varzea e la-
deira.
Carros de mao para atierros.
Tinas de madeira.
Baldes de dita.
Ditos de ferro estanbade.
Ditos cora vlvula pera lavatorios.
Dites de madeira para compras.
Apparelhas para jardias.
Guardas comidas. '
Tampas para cobrir pratos.
Tarracbas para fazer parafasos de ferro.
Ditas dita ditos de madeira.
Trens pan coxinha.
Temos de bandeijis finas.
Em fin maitos entres artigos,2qae so
examinadoa.
Correntes para arrastar madeira.
Cylindros americanos para padarias.
Perteoces avalaos para machinas.
Salitre refinado.
Bren superior.
Moinhos de diversos fabricantes para
milbo e caf.
Debulhadores para milbo.
Azeife de spermacete para machinas.
, Camas de ferro.
Bombas de Japy.
Ditas americanas.
Cofres de ferro patente.
Canos de ferro esmaltados.
Ditos de dtto estaobado.
Ditos de chombo.
Ditos de borracha.
Folies para ferreiros.
avista e neste estabelecimento poderlo ser

GRANDE NOVIDADE.
Resuscitou a grande liquidapfio do arma
zem e loja da ra do Duque de Ca-
sias il 29.
f Cambraias transparentes de 20500, 31, 30500 e 44 l peca. Ditas Ykioria de 4|,
4450Q4 64 a peca. Dita de torro a 24200. Ditas de corea a tOf, 2*0 6 S| rso cova-
do. fiptis de obres claras e escuras a 2*0 e 280 rs. o cotado. Dita* petcajai flofia 320,
36O-a>*0O -n. Pecas de madapo!3o fiaos 1 44, 40500, 54, 54S0 e 64- Mil aliofio-
sinbo, 120500, 30, 34500, 405QO e 50. DiUs Barca T, largo, a 50500 e e| liM, 9
listra de soda 1400 e 500 rs. o covado. Alpacas de seda finas, a 800 attn rs. o cova-
do. Liados tortee de caeemiri de cor a 50. Ditos de meia casimira a 24J09. 0ito aja
toqaes de mofo a 10. Ditos de brim pardo trancado e Uso a 14. Brim 1
00 a 280 rs. o covado. Gangas de cores, 1 320,380. 400 a 500 r*. o 4
merino liso decor, a e 24500. Ditotaitampados a M, **000 '
2:500. mu Ve erin preto 1 3J500 e 44. Dita* de cantor L
U a 10120. Laaeea da cissa com barr de cor 1 14 e 14200 a*
^^X&Si^T^T^^ 8fi? a }We44400. Ditos idamascadoi | 2400. ,8a* bwac^.*
**mv ti S*m daiui fazendas tea muitu ooUM m tarii impoass*tol awn0M-l.
LJ


*
*uri d Pv^Vh^ho^^ S*WI
Q;fe-taM>r d, im
DO
CYSNE
DI
FKI0REDO a LOPES.
SUIDA IMPGRATR1Z N. 64
proletarios deste imprtame' e sympatbico estabelecimento de fazendas finas
rrtw?fi? ""P6'13.1 Pi*IiC0 e particularmente a sua Dumerosa fregnezia, qQe o
CT5WB cab de sortirs* de todo qtunto ha de gosto e moderno em fazendas Unto
pan nomeos cono para senborss.
a^JH??0 ar ** os W61'^8 da ,0Ja do CYSNE natoralmente providentes e
ITO espirito illa mente conciliador dos interesses alheios com os seos, em sempre
Bjmao e magnifico ploma de offerecer venda fazendas de todas as qualidsdes e ore-
Jfljreltlrvos de forma qaefcilmente podem fornecer artigos desna casaaccommodadds
i tois as fortonas-ejBem;
E aobre todas as conveniencias e meios preferivel comprtr no CYSNE em con-
Mqiwncii da sincendade e barateza com qae negociam os seas proprietarios.
^.J? 'oivsve enjpenlw de joslificar as soai operares convdam as Exmas. familias
rfftttr a sympatWca loja do CYSNE chamando as attencBes do publico em geral para
u fega tutes especialidadese precos.
PARA NOIVA8.
oos, capellfis, sedas e popelinas orticas
e de cores, g >Ilas, pon ios e camisas bor-
dadas, lodo caprichosamente escolhido e
pare Tirios precoe.
CRETONE BAPTISTB.
Fnendi lisa de ama s cor, de cores di-
veras, para vestidos e tambem propria para
ombras. x
CAMBRA1AS
Transparentes de 8 I/i varas desde
5)5500 at Sfi a peca. Victorias maito Bnas
de 40 at 8*000.
CORTES BORDADOS
Fazenda branca de delicado bordado
baixos precos acompaada do competente
figqrino.
LAS
Variadissimo e rico sortimento desde a
lia lisa barata de i j at a de listras de seda
mais cara qae pelo preco qae vendemos
por assim diier de graea vista do gosto
e qnadade.
BAREJES
Lindos padroes aos precos" de 360 e...
400 ra. o covado.
SAASBORDADAS
Aa qae o CYSNE vende sSo bellas e su-
periores.
LVAS
Ai memores e mais procuradas loras de
JoOTm, brancas e de cores o as qoe o
CYSNE expe a venda.
BALOES *
De crotones com habido e bordado, di-
tos de arcos a IiJSO, pecbincba sem rival
oo genero.
CHITAS.
Completo e grande sortimento de todos
oa precos de padroes modernos ecores fi-
tas.
GROSDENAPLES
Finos de todos os precos e largaras s
O CYSNE pode veodr barato-
FLANELLAS
De cores e brancas de 500 ra. at 15300
o covado.
LPICAS
Lavradas de 600 rs. a lOCO o covado,
especia lidade do CYSNE qoe n5o conta com-
petidor.
MADVPOLES
Francez de 24 jardas de 85 at 100000,
inglez de 55 at 85000, e maito fino.
DAMASCO
Com 8 palmos de largura, dito eslreito
CORTINADOS
Para camas e janellas de todos os tama-
nbos, cambraia para o mesmo fim de 20
varas a 1041 a pepa.
ATOaLHADO
Da linho adamascado, dito de algodao
maito finos, bramante entrancado e liso, e
barato s o CYSNE vende.
GUARDIS APOS
Grandes e pequeos.
SETINS
Para todos os precos e diversos pa-
droes.
PARA NOIVAS
Camisas bordadas, peitos colarinho e
ponaos lisos.
PARA LUTO.
Merinos, princezas, alpacas, cantSo, bom-
basinas, chitas, cambraias etc., etc., por
precos qae s o CYSNE vende.
PARA HOMENS E MEEINOS.
Brim pardo a 640, 840 rs., 1# e 15500
o metro, gangas de 400 e 440 ra o cova-
do, e tambem temos o afamado brim de
angola.
CHAPEOS DE SOL
Para bomens e senhoras dos melhores
fabricantes da Europa.
FILOS
De seda, ditos de lineo, pretos e brac-
eos e mais baratos qae em oatras loia.
ME1AS
Para todos os tamaiihos e qnalidades.
CHALES
De merino lisos e estampados, pretos com
fraDja de seda, ditos com raDja de 12a es-
, pecialidadedo CYSNE.
Desculpem os nossos freguezes termos siao om poaco extenso na narracjfo de al
gomas novidades pois com qaanto seja nosso interesse tambem o dos nossos fregu
es qoe querem e gostam andar na moda.
Ra da lmperatriz n. 64.
Chapas de ferJU** ..
Formas paraassncMa.,,^^,^^^^
Atados Ameroanoa^,,^,^.
Machinas a pord,to(,dnMBlfcI.
machinas *, Trilitos de ferro pnmt^m.
FogSes americanos
ierro gmiu ttttlamu.
Macacos de estiva
Cofres de ferro mma, OTlros
Papel deombrulho
Estes artigos vendem-se em
casa dos importadores.
Shaw, Hawkss & C,,
r. 4 ra do bom jes8,
. (octh'ora ra,da Cruz )
4 LOPES.
j m to om procedo mais perfeito e qne ai-
aYfcaa tal forma a aaosfater as exiieMiaa mais
ataa A* tKriptori{V>.
As cor ndissima oa* precias da culda-
i para se conservar no tintero sempre
ima eflr. sem borra, crela, aclr on sem
i muelas abastle* i tedas as timas
i eonaeodas, alada masara dos aelborM
estrangmros.
nodo, este esttmavel producto nao ataca as
"9. sutes pele centrarlo, a peona
""^aitedouiadD sjaei-seBdoiaisMa.
aja. aaaa provertos.
aT L25*** Mndo PseWsMnls para copiar,
^gnOo dnas, tres, on mis copias um ,nei
jpmettp* ; preciso-, petera, deixar-lfce
momado tan o Mingar cem o ma-
l^ort8BlMBsr. Parase
i ama copia, nao as igglomerkm tatv
aasfa* copias se querem rar, mas
i* tri|WBl Urar k ma timas qosouu
i o srlfiaal ftqas prs}adkado
tsSkSsSSvgmm
meos
mSfJKUSSK
sj^sttsiliadat.asla. ha aoppr fltrico
r^^^^< P^s^ Isa^lsPap at-
eripia soffre o choqne de cidos forUssimos, sem
se deeosspor ; ..ra, se oa acasos ato lem accao so-
pre ella, maite meaos a accao do tomoo a ode
destruir; isto plaiveL ^^
Nao s ao commereio que este mea producto
veloi ser atil ; os protestares o* eollefios. InTesti
gando todoa esmeiss am o adnMsrtento dos
seos discpulos, tem approveitado esta tinta, su
com razio a acbaram apta para desenvolver o
gosto bos educandos, em conseqneucia dabelea
da e4r e facilidae de correr oa pequea pela sua
liquidez. Ha exemplos do eran cu qne asvia
muito tempe tinbam ama repugnancia eitrem
para a esenpta, logo que foi admitiida su Udi
no collegio, apoderon-se deltas a curiosidade e o
gosto, e.ponco tamas dspoia o seo adiantamento
eca maoitesto.
Esu tmu, par de untas vanugeas, cam on
mico inconveniente, deieriora-se ao contacto de
outra qMtqoer; eenvm pois te-la eq oteiro
lientos do aunor vislinbre de outra aU. e evi-
ur escraver com a osooa soja da asa prnaracio
dlnereote e incompativel; veriflcandi) ietc, nio ha
^.?.e aMr &tinto 9De n sel* a YIO-
Sio finalmente ebegadaa a esta praca pela aeguada ver as verdadeiraa preparacoet
Dr. Radwat A C. de New-York.
Depois de algona annos, em qoe as falsilcacSes de Hamborgo e mesmo de New-
^ork tiveram entrada oeste mercado, aproveitaodo-se do bem merecido concert qoi
estes remedios haviam alcancado por sem maravilbosoa effeitoa consegniram introdozir
se, llodindo o poblico incauto, con oaa radoccio de prece, nollificande o verdadeirt
mrito destas admira veis preparacoes, imitando as verdadeiraa; porm desacreditan-
do-aa com seos nolios effeitos, Jembroa-se o aator de faier a declaracao abaixo, e i
dar diplomas aos qne ven-ierem oa seas legtimos preparados.
Prevna-se o respeiuvel poblico de qae as verdadeiraa preparacoes do Dr. Ra-
dwat s se vendem nos depsitos cima declarados e trazem am rotulo igaal ao deatt
innoncio.
. N abaixo assignados, declaramos e certificamos, que os Srs. Raymnndo Cark Le-
te irmao, da eidade do Rio da Janeiro, ao imperio do Brasil, sio os noasoa agentei
gerae8, pela venda da nossos remedios, tanto ao dito imperio come no reino de Parta
gal. Noticiamos ao poblico, qoe nao se podem obter os remedios do Dr. Radwat C
?*'2e it PreParad08 o laboratorio do mesmo dootor na eidade de Nbw-York nw
ttados-nidos), sen3o das pesa-as qoe podem nrodnzir a praaeote certificaclo e attas
tacao e qoe a prodozem, subscripta e assigaaoi 4. Dr- Badwai C. e dos Srs. Ray
mudai Carlos Leite irmSo como ao p. Tdd e cada om dos remedios do Dr. Ra-
Sficaclo a ,COIBPailD8do de "doa" smelhMtet u qpe parecem aop desta cer-
.?"ie'88 bwB a Miloi,P da firma do Dr. Rawaj *C. ao p dapresanu
leruflcacao e comparase com o facsime oaa cedulaa com todos os frascos ecaiiinha
Radwat & C.
- que nao sei*
fAVflNA DE MuNTEIRO.
Observa^ao.
?2?rr?!t*odem *** dWg.nda^s
l?** *&****** iedioTTnata qoa aa
A> & Montan,,
Os propriaUrwa d'este
10--Rua langa^ do rlostrio10
Jeoto ao quarteJ Js poM)
tsssaaM"
fsicio,; p ir Isso qp>: nm d^jfy
Oatrosim, scROMlam bter- M
taala aenMadab ateasandS4ag, a
-****

Uvsaa*i)Qbaattss
I l
A' AGUIA BRANCA
RA DUQUE DE CAXIAS N. 52
(Outr'ora Queimado n. 8.)
abenas para senhoraa
\JtAtaii Brane* tend0 recebido parte de suas
p? 4S*^men**eat esoimento acaba ago-
2 E%??J6 recebe on,ras- alon>9 H1 "^.""eislmenie prpeisas, e oolras se
eio aeja P' 9ea8 esl08 e P"*.
Meias de flo d'scocia,
9 meninas.
Ditas dem com listas tambem para senhoras
o meninas.
Ditas dem muitc bonitas ao gosto escoces.
Ditas idem idem brancas e com listas para me
afnas.
Ditas idem idem para baptizados.
Ditas de algodo compridas e com listras para
ajenias*.
Lavas pretas de seds, para senbora.
Ditas de torcal e de seda para meninas.
Bonitas camisiohas bordadas para senhoras.
Pil de seda, branco e preto com flores miadas.
Dito de algodao, liso e com flores.
Tooqoinhas bordadas para crianzas.
Lindos e modernos chapeantes de fusto para
ditas.
Peales de tartaruga para desembarazar ou pen-
Ditos de dita travesos para meninas.
Ditos de borracha para ditas.
Ditos de tartaruga, pequeos, para segurar o
imarradilho aos cabellos de senhoras.
FLORES E PREPAROS PARA ELLAS
A Agia Branca receben Jindss ramos ds loras
finas, tanto para cabeca como para ehpoa, s
bem assim : ^^
Papel verde liso e com listas para tomas.
Dito de cores para flores.
Foibas de diversas qnalidades para rosas.
Ditas verdes e lustrosas, obra ni va e peta pri-
meira vez vindas como amostra.
Franjas pretas e de diversas larguras para ss>
leiiar vertidos,
COQUES DE ?RA.AS E DE OUTROS
MOLDES.
A Aguja Branca acaba de receber nma peque-
a porci dos bonitos e modernos coques
des de tranca e ontros moldes.
ROTO SORTIMENTO
DE
BOMECAS
1 A aguia branca, a ra do Boque de Cazias a.
| 52, outr'ora do Queimado n. 8, acaba de receber
nm novo e bello sortimento de bonecas de diver-
sas qnalidades e tamanbos, sendo :
Com rosto de seda, das qae cboram, e ontras
brande sortimento de enfoites de seda para ves- qe httaas.
p?n* a. x i Com rosto, mao. e ps da porcelana, e pro-
f iveiias de madreperola e de tartaruga para Prias para vesr-se.
puleeira e la^a psra o cabello. flhroo Aa nnrnl
Bomtas b icintias para meninas. KJbTas porcelana
NOVO SORTIMENTO DE ENCHOVAES PARA
BAPTISADOS
A aguia branca acaba de receber novo sorti-
mento de liados e completos enchovaes para bap-
asados, e bem assim separadamente camisinbas
iara dito:, lindos ebapeosinhos de selim branco
tordados, qolros ditos com fondo de velludo, obra
de multo go-to, e que servem tambem para pas-'
seio, sapatinho de se im para o mesmo flm.
MODER.NOS ENFEITES DE FLORES,
ornados com fcicos de seda, fitas de setim e fivella
de madreperola ao ultimo gosto, e proprios para
bailes, casamentos, etcetc
vS aguia branca tem outro sortimento de diver-
sas^ obras de porcelana, sendo:
Bonitos e ricos vasos para pos de arroz.
Outros para joias.
Outros para abneles.
Outros para enfites de mesa.
Pequeas e bonitas pas para agua tenia.
Peqoeoos jarros para santuarios.
Outros mai res para meias.
Bonitos port relogios.
Lindas cestinbas trobem de poreellata.
Escrivanias de dita.
E moitos outros objectos pira enfeitcs de mesa.

ARMA SEM DOS LEOES
RA DUQUE DE CAXIAS N. 29
Os proprietarios deste grande e bem moDtado estabelecimento scieutificm'ao
respetlawi poblico desta provincia, qae se acham com um variado e eomplet. sortimento
do movis, tanto oacionaes como estrangeiros, sendo estes escolhidos caprichu DOr
um dos socios qaese acba actoalmeote na Europa, e por isso os podem vender Tais
Daratoa .20 /, menos de que em outra qualquer parte. O mesm tem contratado com
os melbores fabricantes daquelle con-inente as remessas das mais ricas mobiiias feitas
alto Na officioa tem os mais habis artistas deste g.oero, e por isso aptos a foi necerem
SS n ma'8 Pere,coada8 Para casas da provincia consideradas de primeira
L^SSa^uT' JOrl?Dt0'I"6 veohamvisiur dito esUbelecimento, onde encontr
JSSSfta qU" aCab/m de exp/* P8Mndo a examiBarem : ricas e completas mobilias
vZXSm Lmo?' {m> arvalh0' amare,l' elc etc- ricas e e'egant-s camas de
2,,8?"I1, aT110 b}- elS" 8uarda-ve>^os de amarello. guarda lo,ca de
E?' SP" Com tmpo de pedra aParadores de dita, dito, com -lita, petU
totlatt^, especialmente para fazer barba, toilettes de Jacaranda e amarello, rom Dedra
!,?rQl T,9 nM'gOS de gI0St0' ^ Para se n3 loro3r enfadonho preiciodimos d
azer mencao delles, o que s com a vista poderSo apreciar.
BAZAR ACADMICO
13 ROA DA 1MPERATR1Z 13
DE
N (h ULYSSES i IRMiO
Nesle bem conhecido e acreditado e.'abel.cimento, cocootrarSo nossos amigos e fre-
fn^ HIr0S d;P*,b,.e de PPe'* d,vers"8 lu"^ e d4s melhores qoalidadea de
2' ? S S m^ai8 acred,lados ^fricantes da Babia e do Rio de Janeiro ; e bem
assim, ponteiras para corotos e cigarros, cachimbos de espuma, de porcellaoa, de ma-
deira da diversas qnalidades, de louca e p dn gallinbas muito finos a 20600 a duza, e
mullos outros rticos que deizamos de mencionar. '
Fabrica de cierros.
wia.B!2.8!!25a SBpe,rf.ridade dos c8arro8 de no8" fabrea o grande consamo qoe
delles tem havido no interior e as provincias do norte. Com presteza apromotamoa
qoalqner enccmmenda, remettendo-a ao sea destino. p apromptamoi
BAZAR ACADEMCO
13RA DA IMPERaTRLZ-13
tJlysses & Irmo
ERNESTO & LEOPOLDO
N 2 D Ra do Cabu N. 2 D
Acha-se montado de forma tal este est belecimento de jo as qae pod
vender aos seas oumerosos freguezes em grosso e a retalho e por presos
mui reaamidoa visto qae recebe de conta p.opcia por todos os vapores de
oropa. O gosto de deseobo de suas jotas o mais liado do paiz das
modas, ooro de lei, brilhantes verdadeiroa, esmeraldas, robioi, perolas,
tarqoezas, saphiras, coral rosa etc. ew. Obras de prata da pi)rto tanto
para igreja cumo para servico domestico. Convidamos as famas, familias
a vi>itarem o dito eatabelecsmeoto todos os dias at 9 trras da noite.
Compra.be ooro. prata e podras preciosas em obras veU.
Aza de mosca.
W au blenda especial para cobrir qnadro?,
wpalaos, retractos, etc., demasiadamente transpa-
jpotee preparada de forma a evitar completa-
Sto* es i Dilates em eaixinhas que se vende
-^MWaV e ponaos de papel.
yaa*-M ao B*w d Victoria ra Nova n !
GRAMIME
fi" PECBJNCHA.
o oovads Pttsfiwoa*. '
rn do Crespo n. <0. "
T-r-
Ctiegaram
Mdarnas aaqnlnhs de eriociiaa, demildes eom-
'Bsadernoi : reerba a Nova jbperaaca Ur.rvtUL. i
Callas .63;aeB.T. ^ eoperlor ,J.%* ^.
"t>t"' 'r "'--------5---------------------i------- em porcio e a reulao: aarna oTKnttei
fapel i'ara fo ro iie sal s mum* p. 39. i"sDda~ ,
^alivraiw oBooiea ra f de U ,. i..li fi*
#oniio e vanado aoriimenlo de Ul <> u% 'lUfi G/A
tasa de Ms Lataaa C. a da
edoarados para torro de salas, Veod^Maai
les, ate., etc. Hjneum m
M


r-


TT


8
Duri d Pertiftobacd Sabbdo ^ d Setenio <* Wl
i
VARIEDAD
REPURLICl FR VNGEZ V Na")
se resu-
belece a conflaocj no governo dj Frjoea.
Cnegaram i Londres, l/verpool, Soatbam .
pton.Douvre, Folkestone e Newhaveo ura* fran nos, e ornados
qaantidade consideravel de baixellas, pe
dras e objectos preciosos, procedentes de
Franca.
D.'s 700 millies depositados no baico
de Broiellas puls princpaes casas e fm-
lias de Franca s foram retirados 170.
SAUOE PUBLICA. Sob esse titulo o
Tima, n'um artigo tratando das prevencS*
a tomar contra o cholera asitico que araea-
fa invadir a Inglaterra, recommenda a se-
guate bebida, que j foi de moita ullilade
as invasoes precedentes :
Infuslo composta concentrada de casca
de laranja 3 oncas.
Xarope simples 3 oncas.
Agaa filtrada frvida i gallas.
Mistora-se bem, e junta -se 3 oncas" dn
acido sulpborico diluido, tebendo-se de
om trago por copo; de vinho.
Ui ga 5o equivalente a pouco mais de
quatro litros e meio.
QUE TAL .' O osso do calcanhar d .
re Eduardo IV foi vendido ha das em In-
glaterra por meia moeda, segundo diz o
Guardian, e isto cora extraordinaria i<-
cortezia para com a sanlidide da magos-
ta de.
O re Eduardo aorreu no pilado de
Westnintfer em 9 de abril de I 483.
RIO T'WRE.Urna asosiaco dearchio
logos em S)ma, dispoe-se a explorar o
leito do rio Tibre, para recoltrer os thesou-
rosque all jazetn ha mais de 3000 amvs.
E' o chefe diquefla associagSo arcbeologica
o Sr. Alexandre CastaJlani.
EX^OSICAO. 1 da de setetflbro
devia'tei Sld0 aberra* era Liverpool otea
grande expolio de Minoras oleo e
aquarella. Para Cima de 200 qnadros os
principaes artistas ingleses all devena*
ser expo-tos.
Em Inglaterra grande o apreco que se
di piateras a aquarella ; genero este mul-
to pouco desenvolvido
ouiros- povos.
Consiste n'am passarj do Paraizo M
metido do lamraho ordinario, tofo ello f<
lo com brilhintea e rubios; o bflb, os ps
e as azas sao de orna bel'eza peregrina. As
duas peanas mais compridas dat azis si o
reprolozidas por dous dos de ooro muito
de brilhaates inoito
peqneninos e moventes.
Todas asparles componentes, emfim, es-
to a .abadas com pasmosa e initnilavel ha
biLdade.
e conhecido entra
TRAGEDIA. Urna horrivel tragedia do-
mestica acaba da ter lugar era Londres.
Um individuo, soa esposa e ama irmaa dts-
ta durante algum tmpo, viviam junto*.
ltimamente, porm. parece que havia ora
certo resfriaminto entre os dous esposo,*,
causados pelo ciume que se traba apodera-
do do espirito da e-posa ; afioal ebegou a
crise a ponto de ter a irm5a desta de sahir
do domicilio conjugal. Mas, longe de cora
este faci se reslabelecer a harmona entre
os dous esposos, augmeotou ao contrario o
esmorecimento da affei?o qoe entre elles
existir. ,
Na quaria (eir da semana passada, le
vaniou-se a esposa, de manba cedo, para
ir preparar o almoco para sea mando ;
plisado algum lempo, levantou-se este o
dirigi-se para a casa' da jantar, onde en-
controu a mesa j posta e o almoco prom-
nto, mas n5o vio sua molher; chamou-a
diversas vezes, e como ella- nlo respndese
dispoz-se a ir procara-la nos quarios inte-
riores. Abri urna das portas, e horroroso
espectculo se Iba deparou; sua molner
cahe-lhe nos bracos, tendo urna enorme fe-
rida na garganta, faita c m orna nayalha
de barba, que jazia aos ps deila, mima
enorme poca de sangue. Foi inmediata-
mente transportada para o hospital ; mas
n5o ha esperaoca3 de a salvar. Este fado
doloroso tem causado grande alarma, ecor-
rem s bre elle diversos boatos.
COMMUNISTAS FRANCEZGS Se'.edos
oenlsiriados pelo terceiro oonselho de guer-
ra de V rsales appellaram para o conselho
de revisSo.
Julga-se concedida a commataclo d& pena
capiu! imposta Li'lier.
Oh qne tem de soffrtr depirlaclo o'um
recinto unificado, serio enviados proviso-
riamente para o forte Boyard; pwto da ilha
de Aire,
Os senWflt.'.'adt deportaco simples ou a
trabalhos forcados por toda a vida, serlo
expedidos para Nova Caledowa, n'om navio
que acaba de se f/QMT em Toulon.
Julga-se queCl/nent, condemoadoseis
mezes de pnsao, e Courbet tres mezes,
cumprirlo a seoeoca na cadeia de Santa
Pelagai.
Por outro lado, dj-se, qoe o destino de-
unitivo de rousset, Aswi, Verdure, Cham-
py, Rgere a Fera;, e liHbwet, na costa
o:cidenial d'Africa. Se assim losue, fica-
.:'.m snbmettidos om rgimen b.rtante
psalo, vestidos com o uniforme do presi-
diarios, nlo tendo outro borisonte mai do
qua as rauralhas da cadeia, sujeito om
traballio quoiidiarx, sob a .mcessanle ins-
pec?5o do guardas.
Jourde e Rasiocl comprirSo o seu des-
terre, mais suave, na ilha do Lltobo. Por
mais qoe ae dija que o nome ii5o faz ao
caso, aqu o aonae quadra perfe 'tamenle a
ilha, que rida e desolada com" Dio hs
.jotra. Mas ao menos os presos' ficarSo
livres desde as cinco da manbaa al s oito
bo-as da noote, para disporem do Upo
sua voDtade.
Todos os das para all vai urna fancha
cora prorisois da ilha Royale, as quieff 5o
destribuidas aos presos, qne as preparas
sea modo. O alimento cotnp3e-.ie de li-
bra e meia de pao ou 450 gramm as de
biacoito, algwraas vezes fariftba de mano'ioea,
carne fresca de vez em qoatido, mas niara
meado devacca ou porco, salgada, fejSes
ou arroz, e urna pequen quandade de-
azeite.
'** Serio *n?primdoi os eapitoa^H
i. A missa ser dita em idioma vnlg
iste em allemlo. O mesmo saccede
co os corsos de theologia nos seminarios.
6* Todas as missas, beocaos roatrimo-
niaes, e ceremonias Tooeraras serlo gratui-
tas. Todo o p d'alar a favor dos padres
ser supprimido, sabstituindo-se com am
augmo.nto de vencimento-
7* A igreja deve pftr de parle a pompa e
a vaidade dos enterros ; um nico padre
se anean egar das' funccSes ecclesiasticas
nos enterros dos ricos e dos pobres.
8* Ser abolida a confissao auricular.
9a As romanas, que distrabem dos tra-
balhos os povos dos campos, ficarSj suppri
mida, e com ellas as procissoes.
(0a O culto das imagens deve cessar em
absoluto.
11* O coito das reliquias ser prohibido
pelo estado, e abolido completamente.
H^^l

binhos estavam prep;
!ilea_ leMejcaerara
rados pan iwo;
seguir a carreira
atfo vos eeparardej de hW8
s preaentes, dando assim
I da vossa dedicacio s ideas
wr% liberaes.
Recebei, etc.A. Tkieis
A marrana de guerra ingleza ha tem- r
poa a eata parte tem soffrido desastres suc-(me proposito de 3 .K deixarem
ceiiivos. O novo couracado repulte mov- por qaalqaer raceio Ou wggeelio.
do a hlice, de 3,749 toneladas e forga de
o*tolado, e logo com aquieto paciencia e otris virtodes, na, exprsalo de
MORTE 1UREPARAVEL. O theatro in-
glez acaba da soffrer urna perda irreparavel
na pessoa de Walter Montgomery, actor
especialista da Shakspeare. de grande re-
putai;o e reconhecida habilidade.
Era casado ha pouco tempoc>m umi se
nhora americana, e eslava em vesperas de
fazer urna digressao pelos Estados-Umdos.
Em L'-ndres represeniou no theatro Gaiety;
mas, segundo o depoimento das tesiemu-
nhas, parece que a sua constante applicac3o
no estado dos diversos personageni de
Shakspeare, da tal modo actuaran) no seu
espirito, e alera disso as suas esperances
nos lucros d'aquelle theatro de que se tinha
feito empresario, n3o sendo realisadas, le-
varan no a commetter soicidto, disparando
urna pistola na bocea.
SERVIO POSTAL INGLIT.A memo-
ria a anual publicada pelo adadnitrador do
correio do reino anido, d cent estol anno
das scgu.njes importantes iooovacoes: a
aequisiclo dos telegraphos pelo estado, a
introduzcan dos bilhetes de visita postaes,
e a redcelo do timbre para os peridicos.
Esta mamorh demonstra quanto sao gran-
des as vantagens que ofere:e o systema
das tarifas econmicas.
Tanto na circulado dos peridicos, como
na da correspondencia particular e bilhetes
de visita, houve nm augmento consideravel
devido a reducQ5o do prego do porte. Cal-
cula-so que circulara semanatoeate pelos
cerreioa do reino anido 1,668:000 bilhetes^
ou termo medio, 86,736:000 por anno. A
guerra no continente europea inflaio con-
xideravelmenle na circulago da correspon-
dencias entre Iaglaterra e as nates eslran-
geiras.
Durante o anno de 1870 entraramno
porto de Londres 7,375 navios de vela e
3,793 vapores, formando um total de
11,163 navios, on 306 menos do que em
1859. Esta diminoiclo, que garatea
todos os ramos de hnportacao, foi devida,
sgundo todas presumpeftes, guerra fran
co prusiana.
PATRIOTISMO. Ha um ?ntigo legado
a urna igreja de Londres de um tal Thomas
Chapmao.o qualoo seu testamento, datado
de II da marco de 1815, delxou urna
somata de dinheiio igreja Bow em Cne*-
pside, pira qae se pregasse tolos os annos
nos principios de agosto, am serm3o para
commemorar a derrota da celebre armada
hespaohoia. Al hoje tem sido religiosa-
mente cumprida aquella disposicJo testa-
mentaria.
TABACO O consummo do tabaco nos
Estados-Unidos em 1870 foi je 86,178.100
arralis de tabaco, e da 1,3*8,205,000
charutos, o que equivale ao consumo annual
de 2 1/4 arrateis de tabaco e 35 charutos
por cada hornera e mulher nos estados..
INGHTERRA. Esta nac3o tem em
construeco actualmente os seguintes na-
vios : ,
Ametbyst 14 pecas, 1,405 toneladas,
350 cavados ;
Decoy- 4 pecas, 295 toneladas, 60 ca-
V dllOS "
Turyi pecas, 5,030 toneladas, 1,000
cavallos; _.
Goshawk I pecas, 293 toneladas, 65
cavallos;
)
Marin4 pecas,
vallos;
Kestrel i pecas,
cavallos ;
Baleigh 22 pegas
cavallos ;
Thetis13 pecas,
cavallos.
295 toneladas, 60 ca-
462 toneladas, 100
3,210 toneladas, 60
1322 toneladas, 350
I

SUIS3A.Diz um jornal de3te paz que
ltimamente tem sido vistos peixes de
um tamanao enorme no lago Wallonstadt,
um dos qaaes se affirma tem 6 ps de com
primento a largara em propdrcao. (
Muitas pesoas qoe se banhavam naquelie
lago Unham desapparecido, e jolga-se agora
que terao sido victimas d aquel les peixes,
qoe as hajam agarrado pelas per as e le
vado para o fondo. Em consequencia disto
vio agora algans homeus scienticos pro-
ceder a investigacoes as aguas d'aquelle
lago, para se descobnr a causa de om
acouiecimento to mystertoto e de que al-
gumas victimas j se contam.
PRECIOSIDA DE. Dir um jornal de Na*-
poles que o Sr. Franconeri fez para a exp-
sito industrial de Millo um trabalho a que
se pode affoitamente chamar ama maravi-
lla.
MONTE CENIS. As despezas totaes do
tunnel do Monte Ctnis, sobera a 65 milhOes
de francos pagos pela companhia do cami-
neo de ferro da Italia do norte, no dia ou
autes da abertura do tunnel.
O governo fran :ez deveria pagar 19 mi-
lh5as de francos, se aquella obra ficasse
completa no praso de 20 aonos, contando
desde 1862 ; mas se ficasse prompta antes
d aquello pra?o a Franca comprometteu-se
a pagar 500 mil francos mais por cada anno
ganho sobre o praso estipulado.
Como houve 11 annos gan'ios, a Franca
em a pagar mais 5 nvlhes & 500 mil fran-
cos alm dos 20 milhes do tratado ; tem
alm disso a pagar, 5 por cento de juro so-
bre o dinbeiro que se gastou na obra me-
dida qae proceda de anno em anno. As
sim o qoe a Italia tem a pagar ser quan-
tia inferior a 20 milhSes, vantagem ganha
peles esforcos que fez em adianwr a obra.
Se a construeco do tunnel excedesse o
pra.5o estipulado de 20 annos, seria entao
a Italia quem tena a pagar 500 mil francos
por cada anno mais. Houve ama occa-
3i3o em que o quartz duro que os escava-
dores eocentraram no lado de lodane, tor-
nou muito difcil o poder-se predizer em
quanto lempo o tunnel (icaria finalisado.
Felizmente, porm, a massa do quartz
stratum tinha s a espessura de 380 metros,
depois do que se nlo encontrn mais subs-
tancia alguma de seria resistencia. A obra de
abobada em todo o tunnel excelleote ;
e nao ha a temer inconveniencia alguma
pelo fomo, vapor, ou ar mephitico.
AUSTRIA. N'ama reaaio dos velhos
catholicos, que ha pouco leve lugar em
Vienna, fixaram-se as onzes seguintes bases,
em qae se hi de fundar a reforma reli-
giosa.
Ia O municipio deve recobrar o direito,
que teve desde a origen* do ebristianismo,
de nomear o sea parocho, e os demais di-
rectores espintuaes, collocando se assim ao
nivel dos Israelitas, e dos protestantes que
de ba moito tempo gosam desse beneficio.
2* Os eclesisticos de vera ter vencimen-
tos fixos e sufficienles para a ma subsis-
tencia, e para poderem vi ver de um modo
conveniente.
3* O celibato dos padres ha de ser aboli-
do ; todo o padre catholico deve ter o di-
reito de casar se, como soccedia nos pri-
meiros tempos do christianismo.
VARIAS NOTICIAS E8TRANGE1RAS.
Mr. Jobo Gilbert, o presidente da sociedade
dos pintores a aquarella de Londres, e mui-
to conhecido pelas soas illostrac5es em di-
versas obras inglezas, principalmente as do
historiador romntico histrico, William
Harrisoo Ainswortb, vai receber a dignidade
de nobreza* como reconbecimeato publi-
co de ama arte, que na soa moderna forma
de expressao particularmente brrtannica,
e qoe a sociedade de pintores aquarella,
tanto tem feito para propagar e- sustentar
desde a sua-instituicao em 1804.
Prla dignidade que vai ser conferida i
Mr. Gilbert, ficar esta senbor com o trta-
me nto dtjtfr GHhrl.
** Diz rm jornal do Egypto qne se deu
ba dias nm caso taooatavel no Cairo. A
esposa de um tal Mam.'II, italiano, perdeu
a vista em consequencia de orna opbtalmia
de que foi accommeltida.
O m Tidty proenroo obter um frasco com
acido prossico, e tendo- chamado de parte o-
doutor italiano, que tinta* tratado da esposa,
e um ajudante dalle, attroo-lhe o cootedo*
do frasco ao resto.
** Os americanos- inventaran? a maneira
de mudar as anas babitaeSes de om local
para outro, sera ser precien*' desmancha-las
oo remover a mobilia, e at nent mesmo
as familias sahirem1 de casa-. Gortaat-se as
casas pelos alicerees, ao longo db slo ;
collocam grandes rolos de pi por debaixo,
como se faz usnadnente para arrestar vigas,
e ligando-a com cor rentes bastantes fortes a
urna locomotora, esta as- Bajaba at ao local
que o proprietari preferio.
N3o ba muito tempo soccedee isto a om
immenso predio, do tamanbo de quabaer
dos nossoe qoarteiroes da btisa. opera-
o da retoslo foi ftita de aoite, os mora-
dores do predio ojae entao dermiam aada
sentirn), e-no outro- dia ima^ine-se qnal a
con fu sao dilles ao encontrare-se em ostra
vvzinbancav e acacharen-fe transportado
a orna milba distante*do Incal primiltivoVI
%" O jornal ingler-l*ncWc.'iBia o segeiD-
te dialogo,.que teve lagar na roa,, entre oaa
oficial de-marinha e-um1 oficia)-do exer-
cho.
0. MiC evidente- qae mwio poaco pe-
demos esperar do exercito. Nao vos po-
dis tornar-celebres de modo algum, aaa
ao menos fazendo encalhar un navio graade
orna vez cada semana; como nos fazemos.
0 E.T. verdacbv maa fazemos o qoe
podemos. Anda orna noil daalas deica-'
roos soltarem-se os cavallos da nossa tifo
goard, en>Aldersbotav eqoasi todoa ficwam
estragados; (com eiapbaie) lOficaram logo
morios, e quasi todos- os outros ferides e
estropiado.
O iW.Bem t nao mo-comoco; e se
continuarem a fazer fiascos, desses no acam-
pamento de Berkshire, a afio ficara inde-
cisa en) qoal admirar mais, se o exercito
se a armada.
E* esta, urna satyra beta significativa aos
irecentes- encalhamentos. dos navies Agitt*.
court e Repulse, sulfura dos 230 ca-
vallos em Aldersbolt, qoe aqai marros noti-
ciado.
*.* Os joroaes americanos Baticiam que
cartas de Yokohama dizem que houve em
Kobe no da 21 de jniho am tufSo t?,o vio-
lento, qae causn a perda de 400, vidas.
Diversos navios naufragaran), entre elles i
Pride oflhe Thames. Q* prejaizoa s3o cal
culados em 980:000(5.
% Em Liverpool foi presa por um poli-
ca ama mulher qae estava depenaando
urna gallinha viva. Quanio foi capturada
estava a gallinha quasi depennada, e qaando
o polica pegou nella anda esperneava. No
tribunal anda estava quente.
A molher negou que tivesse commettido
aquella croeldade; mas apezar disso foi
condemnada a tres mezes de priso.
%* Na semana fiada em 19 de agosto
registraram-se em Londres 1,992 nasci-
mentos e 1,715 bitos; isto menos 136
nascimentos e mais 173 bitos do que o
termo medio correspondente mesma sema-
na nos ltimos dez aonos. Entre os bitos
contam-se 65 mortes violentas, incloindo 12
suicidios, 4 por atropellamentos as roas, e
outros 4 assas-nados, ni) obstante contar
a cidade de Londres nove mil e tantos agen-
tes de polica civil I
.** O vapor inglez lioUand fez a vagem
mais rpida de que ba memoria, entre os
ponos de Liverpool e Calceta.
G stou nicamente 33 das, dos qaaes 2
e 5 horas em passar pelo canal de Soez.
% O capillo Hall, do navio Polarts, que
se destina a explorar o polo rctico, tem
recebido diversos presentes antes da sua
partida para aquella arriscadissima exped
Ci. Um delles era ama caixa de zinco
sellada, e com o seguate letreiro :
< Para nlo ser aborta at que o Polarit
tenha chegado aos mares areticos. >
Na conducho, porm, da mencionada
caixa para bordo, aconteceu-lhe um desas-
tre, qae a fez arrecentar, e o aegredo do
presente foi assim descoberto. Continha a
caixa sebo para eixos patentes, com o qual,
pedia-se commuita instancia ao capitlo Hall,
ou aquellos que lbe sobrevivesiem, se ser-
vissem ensebar o eixo deste mando ron-
ceiro, caso o ebegassem a encontrar no
polo.
V O Journal Oficial traz a segante
carta dirigida por Thiers ao ministro Larcy:
Meu caro collega e amigo.Nao aceitei
como definitiva a vossa demiseeo, e nlo.a
aceito anda como til. Peco-vos, pois, que
a retiris, porque o vosso tugar est mar-
cado n'um governo que sempre quiz reunir
ao sea seio a representacta de todas a
opinioes moderadas e que nanea cessou de
defender os grandes principios sociaes, pe-
los qaaes eu e vos coaaoateaaos juntos to
longo tempo.
c Estou certo que aeris unlfarsalmenta
e
$00 cavatfos, o qM faz parte da es juadra
da primeira reserva, eocalnou era ura banco
de ara ao p do pbarol Nore, prximo a
Sbeernoss. O banco onde encalhou diz-se
estar bem marcado as cartase, diz ano
correspondente de um jornal inglez que no-
ticia este facto que o acontecer isto em
um local lio conhecido, causa admiracjlo a
toda as pessoas. i 0)1 Repulse poz-se a
nado na primeira maro ata que houve;
julga-se qoe nlo soffreu a varia i aportante ;
no entanto, vai ser meiiido na doka para
ser examinado.
O vapor nlo tinha" piloto a bordo na occa-
silo do sinistro ; os ofliciaes que estavam
na ponte erara, capitao R lian Is, e cora-
mandante Henry S. L y.
A Independencia Belga d mais o se-
guate remedio contra o cholera, que, se-
gundo diz o descobndor, o Dr. Mr. Lisler,
de Marselha, infallve!.
Consiste este remedio em urna soluto
de olphato de cobre, addkionad > ao lau-
danom de Syjleobara.
Diz Mr. Lsler que este remedio nunca
lbe falhon dorante a epi lea de 1865,
quando, em centenares de doentes de que
tnrtou, nenbum morreo.
Offerece se-nos reciiOcar ura engao na
reedita qae no dia & do co rente transcre-
vemos do Times, contra o cholera. Onde
se diz:Xarope simplesdeve lr-se 12
oaeas, e q5o^.
Urna BOticia para os archeologos. Diz-
se que foi h alguos 'das descoberto em
Mirlo, o sarcepoago de porphyro, qae con-
lm os ossos de Santo Ambrosio, ajue all
tinbam sido depositados juntamente com os
restoe de S. Gervasio e Proiasio, no anno
1014r istO' seis seclos depois da. raerte
do notavel ariebispo. & sarcophago esta
va escondido oa crypta da- baslica, e foi
encontrado qoaodo- estavam mudando apo-
siclo do altar.
D>'zem algons jomaos estrangeiros
qoe em muito poiico tempo ser aoounciado
oEQcialmente o caeemento da priaceza Maria
Isabel, da- Prussiav com o gra-dpque Alexis,
da R'ussia.
O grl-daque tem 22' annos de idade ;: a
prmceza a fiib mais vela do principe
Frederico darlos, e da princeza- Mara de
Anhalt, tem 16 annos de idade.
V Um dos membros do club Alpino,
recommenda aos -fefiriato qoe visitarem os
Alpes, qae usando oos sapatos pregos de
cabeca quadrada collocados em duas- ou
tres erdens diagonalmente do centro da sola
do p para os lados, se torna impossivel
escosregar-se. Faz esta recommendaclo
visto j ter a experiencia de 10 annos.
no da Malfelta celebre por soa dootrina,
conseibo, prudencia, regalar observancia,
rriY
Os eapiichluho.*.
2-#
OS CATOCH1NH08 NA. BROPA, ASIA E AFBICA.
(Continaacao).
Nao sao esses os aicos exemplos, que
do offereee a historia: Gdoova, -Piernn-
te. Vneto, Toscana, Napolis, Sicilia, toda
a Italia, Franca, Hespanha, Germania sao
ootias tantas repetigoes- desses grandiosos
feikoa da orna heroicidada evanglica.
lo tempo, ceifador insensivel qne tudo
destre com o seu perpassar veloz, nlo tem
podido soquer abater o reducto da f, qoe
anima os coracSes destes inveneiveis atble-
las do cristianismo ; elles tem sabido guar-
dar e venerar o enreqoecido deposito de
suas tradiccoes,. timbrando por se elevarem
toda per i co pos si vel no comprimeoto
de seos sagrados deveres. Nos dias que
correes to saiarados do impiedade e cor
cpelo, elles se conservam inclumes, quaes
rochas impenetraveis no immenso pelago de
tanta depravaclo, de tanta sensualidade ;
sua f nlo vacilla, sua piedade nlo se abala,
sua caridade nlo causa, nlo enfraquece;
ettes slo hoje o que foram bontem, e serlo
amanhla o qoe al boje, se certo qoe o
passado, confirmado pela resuda.le do pre-
sente, serve de garanta para o futuro.
- Em 1954 e 1835 os capuchinhos repro-
duiram o mesmo fervor, a mesma carida-
de, as mesmas scenas tocantes de 1576 e
1630: o hospital de Mili) foi anda o feliz
iheatro de seus assombrosos prodigios.
Seas servicos foram to patentes e acompa-
nhados de tal importancia que o municipio
offereceu-lhes urna ret"il).ocao em recom-
pensa de tantos esforcos e de tanta dedi.a-
Co. Mas, santa abnegaclo s propria das
almas abrasadas do fogo inextinguivel da
caridade, elles a recusaran) respondendo
qoe se considerawm bem felizes por terem
ido a ventura de cumplir com urna das
obrigacOes do seu ministerio. Em 1856
tendo se extinguido o cholera o muoicipio
de Marn qaeo zelo desmarcado, a cari-
dadfi christa, a pia abnegaco de que de-
rom exemplo os muito eximios capuchi
'yam titulo, que haviam creado na con
gamo municipal e na populaco de Milio ilo, que
um debito gravissimo de profundo reconhe-
cimento para com ma veneranda oorpora
cao, jd por tantos ttulos benemrita da
cidade de Milao.
Cerio qae nlo era preciso am documento
mais expressivo para o triampho moral de
ama corporaejo qualquer. Mas o governo
de Millo nlo por certo o menos defecti-
vel quando se trata de sinceridade e convic-
Cid; se outra pro va nlo tivessemos a si-
tuaclo presente do papado constituira prova
plena do nosso ayanco. Mas nlo, .nos a va-
mes encontrar na mesma oecasilo do bene-
ficio : tres'annos mais tarde (negra ingrati-
dio I) era esse titulo de benemerencia cal-
cado aos ps pelas allicacoes de Mazzini e
Garibaldi, e os capuchinhos expedidos de
Millo : o devedor relapso que nlo poda
pagar.sua divida de gratidlo, regurgitando
da mais reqainiada protervia corra com o
credor, qae nlo lbe exiga pagamento e que
at mesmo dispensava o seu reconhecimen-
to. E os capuchinhos por urna irona toda
celeste se con ten ta va m com pedir perdi se
nlo haviam cumprido dignamente o sea
unto ministerio... Santa humildade 1 s
tu s'capai de elevar i alma ao ultimo apo-
gea de toa grandeza enebendo o coraclo de
urna esperanza toda divina. -.
Era, porm, precito cumprir em toda a
aui integridade-omntes et docte omnes
gmteso Salvador, e diffundir a dootrina
calBolica per tpda face da tem. Os capa-
zeil^C abnegaco, que sempre o
distingairan? S9 disseminaram. por todos os
pontos e foran.' afrontar o manyri no fir-
vencer
Foi om
tulo"mais'qu'e'j/ntaram-^03 j adquiridos,
para completar o ingente f>'ael da sua
grandeza.
Acompanhemo-los nessas suas novas vic-
torias.
Em 1551 embarcaram para Bysancio coai
destino Constantraopla Giovane Zuave e
Giovaoi da Troya. Rainava entlo na Tur-
qua Solimlo, o Grande, orgalhoso pelo
triumpbo, que bav a alcaocado sobre os
cbristlos Que ambicio condozia essei
dous desconbecdos paragebs t3o longin-
quas ? que genero de comrercio goiava
seus passos e animava seus intentos ? quem
erara elles ? Nio levaram comsigo ricas ta
pecaras, nem costosas .joias: om simples
habito cobria suas carnes maceradas, e t>da
a sua riqueza consista em um livro e urna
cruz. A$ armas Ihe erara desconbecidas e
entretanto elles nlo temiam os afamados ja-
niz iros de Soiimo, marebavam descalcos
com a placidez retratada no semblante e
com passo seguro para a prca mais puWi
ea e abi mesmo no ceatro da mais deseo-
freada rmpiedade proclamavam a impostura
de Mihomet, a mentira do Alcorlo, e em
seu lugar faziam resplandecer a omnipolen-
ci-a do verdadeiro Deu e do seu Cbristo, e
tornavam bem saliente a verdad do Evao-
gelbo. Era o mesmo que lavrar a seotenca
de mor fe, que s nlo realisou-se porque
elles foram resgatados preco de muito
ouro pilos commerciantes catholicos, re-
celosos de alguma medida geral que tim-
bera os poderia afifectar. Era essa1 a pri
raeira tentativa dos capuchinhos, que servi-
ra de incentivo para maiores emprezas,
porque o evangelio ardor qoe abraeava
seus coracSes magnnimos nlo arrefeceu ;
elles bem sabiam que os flagellos e a morte
sempre foram a partilba do apostolado
cbristlo, e ja estavam de resoluto assenta-
da para o sacrificio. E' por isso qae logo
vimos seguir apressados os Giuseppe da
Leonessa, Pfetro de la Croce, Dionigi da Ro- y
ma e Egidio de Santa Mana, para compar-
tilhar dos tropbos dessa hita gloriosa. As
prises da Turqua atopetadas de cbristlos,
vietimas da pirataria daqueiles tempos, olTe-
receu a suspirada occasio aos missiooarios:
Giuseppe foi o medico dos doentes e- o con-
solador dos afllictos, recebendo em recom-
poasa soffrimentos, que o deixaram qnasi
morto.
A peste nlo kdtou com todos os seus
horrores : mas os capuchinhos a I i esiavam
para^ abracar os atacados como irmlos e
assisti-los como sacerdotes. E a prove de
que elles nlo temiam affrontar o inimigo
temos em Pietro e ionizigi-, que vieram
ser soas victimas gloriosas. Guiseppe so-
breviven para o emprego de novos esforcos
e para receber mais tarde a palma do mar-
tyro, escapando da morte per ter silo des-
pregado do cruel instrumento e guiado
Italia por um aojo. A Turqua liaba porm
recolhdo os irados desse zelo e dessa. de-
dicacio desmarcad; inilnares de infieis
haviam entrado para o gremio catholico :
estavam satisfeitos os desejos dos intrpi-
dos apostlos, mas nlo estava ebeia a me-
dida de suas aspirares.
Em Canda amiga Creta Ignazio D'As-
piro reproduc o mesmo enthusiasmo re-
ligioso e expanda a mesma. car idade con-
segurado erigir era diversos lugares cinco
convento ; e quando desprendea-se d i
vida terrena no Io de setembro de 1569
todo o povo proclamava a sua santidade e
como santo o re verenda va. E am sempre o
mesmo- desinteresse e o mesmo espirito de
caridade que animavam esses filbos do
Evangelho.
Os servicos prestados pela ordem contra
o mahometismo foram relevantsimos. O
crescente enthusiasmo pela invoocibilidade,
que lbe queriam atlribuir ceitos espiritos
timoratos ou eivados de odio para com o
Christianismo, ameacava anniqoillar o poder
catholico e assostar o ibrono do Mahomot
na mesma Roma dos papas. Era p rm
humana e divinamente impossivel quo o al-
ong do Aleono veocesse e subjugasse a
Cruz do Evangelho, e quo assim suplan-
tado a principio imperecivel da verdade a
civilisaco se visse calcada pelo dedo ferre-
nho da barbaria. A guerra das cruzadas
nao cram sinplesmente religiosas, eram
igualmente regeneradoras do elemento ci-
vilisador amesquinbado e abatido pela bar-
bara dos Turcos : Urbano II o demonstrou
no concilio de Clermont, e os fados com-
provavara soas palavras ; < durante os qua-
trocentos annos depois das ultimas cruza-
das, diz Bergier, as sciencias, as artes, o
commercio, a industria, a civilisaco, fize-
ram mais progressos entre nos do qae os
oito scalos qoe as precederam. O ma-
hometismo alo poda vencer. No dia 7 de
ontobro de 1571 dea-se emfim aqaelle
combate memoravel; a mais furiosa ba-
batalba naval de que ha memoria. Esta
jornada gloriosa para os christos foi a
poca da.decadencia dos turcos; pois nella
.inaosjnio s perderam bomens e baixeis, caja
ongrt* perda pode reparar-se, sealo anda a opi-
o principal poder dos povos
conquistadores ; poder que se adquire urna
vez e que nlo se recobra nun:a. (Bonald.)i
Foi ella accresceata Cervantes, que < aoa-
teu o orgulbo ottomano, e deseagaoou o
un.verso, qae julgava as frotas tarcas in-
veneiveis.
A religilo tinha tambera ah seus minis-
tros para assistlr ao triampho esplendido
da civilisaclo : Veoeza' bavia enviado
seus dominicanos e seas franciscanos, lies
panha seos jesutas e o papa os seos < apu-
chinhos. .
Com effeito trinta capuchinhos acompa-
nharam essa gloriosa expediclo e foram dar
a ultima demlo obra eocetada pelos An
selmos Pietramolara, Goiseppe da Sant'Aga-
ta, Ludovico Belga, Antonio Spagnnole e
Girolaono da Pistoja. M. Gunaldi estava
soa frente. A coragem que armada ra-
dia vam esses religiosos no mais renhido do
combate enchia todos de admiraclo e es-
psnto, e fazia triplicar o valor desses bra-
vos, qufl coabatiam por Christo e Santa
Mara. Nlo somos nos quem o diz, Gra-
riano, Sansovino, Brovio, Bolta quem
o altala. Com taes ornamentos a victoria
nlo poda ser seolo pelos soldados da Cruz.
Po V mais tarde fez o elogio dos capuchi-
nhos, < os capuchinhos, disse elle, porta-
ram-se admiravelmente. E a histori? re-
comea essas verdidei como a eipresslo
de summa verdade.
A Dihucia coob em partilba Giaco-
D'Arembergb. Entretanto Raguza, onde
elle bavia estado, deseando pelo Adritico,
cborova ioonaolavel a perda do seu primo-
gnito ; e o seu senado wpplicando Pau-
lo III este enderessoo lhe a carta de 27 de
agosto de 1540. Maa a Dalmacia nlo ba-
via sido esqueeida ; os eepuchinhos de Ve-
oeza e das Marcas, constantemente a visita-
vam ungindo-a con a sua palavra inspirada
at qoe em 1581 Apolono da Brescia foi
expressamente dar-lhe o signal de amizada
dos Albos de S. Francisco.
O Oriente bavia conhecido e testemunba-
do a constancia e sollicitode dos capachi-
nhos; mas nlo basta va, era moito pouco
para salisfazer o ardor qae Ibes ha va as-
pirado Matteo de Bassi por sua vez inspi-
rado e protegido pela fortaleza do habito
franciaeau'i. Irmlos pela caridade de tola
a humanidade e sobre carrejados da es-
piuhosa, porm, doce iocumoencia de ma-
nifestar e desenvolver a doutrina do Calvarlo
por todos os povos aem levar em conta
suas respectivas nacionalidades e s eoca-^
raudo- como linbagens de urna mesma fa-
milia, os capuebiobo nao deveriam prodi-
gaiisar seos beneficios somonte pelo Orien-
te, aoas vistas se espraiavam por mais vas-
to campo e sui ambicio de expaodir a fe
calholica Bao eacootrava medida nos limites
das Bac&es. E' verdade que no Oriente
estava, por assim dizer, o coraclo da im-
piedade, qoe ameacava tragar o Chriatw
nismo na voragen de sen dosencadeamonv
4o, ma o Oceideme nlo se aligara va me-
aos abalado pelo grande numero de seitas,
que o cootaaMnavam, e peles arrojoe do
protestantismo, qua aagando as paix&ee hu-
manas,- promettia tomar formas gigantescas.
Valtellina se achava empregnada de pro-
testantis e sociaiinos, que delta haviam-
feito seu acampamento ; o erro campeava*
de fronte erguid^- tanto mais quanto coa-
lava a seu favor com o paz oilicnl e rom
o clero 'T de sorte que a iota era desastrada1
e mais porfa la pela- astucia do inimigo,
que, ao mesmo tempo que se impoohat
procurava tambera convencer pelos seas
philosophos. Nao 3.a, porm isso razo
para qoe a- milicia.d Bvaogelbo arreecasse
seo zelo apostlico.- Os capuchinhos- se
pnepararam p ra fenr essa ba taina moral
em Valtellina. S. Carlos Barromeo, Fran-
cisco da Bormo, Bazsilio, Ignacio da Ber-
gamo e Mattia da Milano foram es soldados
escomidos. O clero se oppt z-e represen*
too ao goveroo, que logo proscreveo o in-
gres-so de qualquer sacerdote cstraageiro
para julgar o Caibolioismo. Eotrelanto o
povo mostavs alguma dilkcco pelos capu-
cbinbos e estes correspandiam perieitamen-
te afrontando'todos o-pangos para con-
firma-Tos na f. Tratados pelos. Grijea
como forasteiros elles seguiam sea cami-
nbo de beneficios e caridade cortos- da vic-
toria, que nao- se fez esperar maito, pota.
que Valtellina logo provoo que a Italia em
pacte alguma sympathisava com o proteetan
tismo.
Oa soldados da f, robustecidos- pelo
verbo de verdade, que os anima, sdepoem
suas armas qoaedo conseguem extirpar o
cancro da herasa e do erro; oo quando,
vetacKfo para a trra, alcancam a palma v-
rente do martyrio no campo glorioso de
seus sacrificio; em quanto resta um ini-
migo em p elles avaocam sobranceros, es-
cudados na joatica de soa causa. E' essa a
verdade de todos os dias, qae a lata cons-
tante em qoe osoilla a humanidade ae encar-
rega de compvovar.
Oa capuchinhos comprehenderam esse-
dever. Apalpando as chagas, qoe naqual-
les tempos eorroiam o coraclo da igreja.
elles presentiram os- gemidos da Soissa, e
papa l se encaminnaram. Era Zwinglio,
que agucava mais o j aliado paabai da
heresia, e controverta o peccado original, a
Eucbarista, os saatos, o papa & celibato,
mostrando-se por esse modo o digno filho
de Lnthero. 0> espirito religioso se senta
dividido e os cantees haviaaa formado duas
ligasa christae a barromea. Os ser-
vicos dos capuchinhos foram reclamados,
porque sabia-se quanto esses padres eram
otis aos povos, pelo bom exemplo de soa
vida, por seus costumes, oracoes, e petas
suas predicas ungidas de zelo apostlico,
segando as palavras de Golbery. De
prompto se apresentaram Francesco da Val-
deitorre, Battista da Lugano, Sebastiano
d'Altorfe, Fortunato da Milano, teodo sua
frente Francesco da Bormo, commissario
geral, que foi por morte substituido por
Francesco da Brescia, e este por Stefano da
Milano, seguidos de novos apostlos, taes
como Fabrizio da Lugano, Ludovico da Sa-
xonia e Angelo da Milano. A palavra un-
gida desses apostlos prodazio os mais Ba-
lotares efleitos, os mais bellos fructos foram
recolhidos, algoos conventos foram erigidos e
Zwinglio vio bem rareadas suas fileiras
pelas muitas desorejes, qae se deram para
as fileiras cathoUcas. Deixemoa fallar o
protestante Raoke. < Os jesutas e os ca-
puchinhos, diz elle, trabalbaram com gran-
de saccesso. Foram creadas as irmanda-
des de Maria. qae abracavam em sua asso-
ciaco mocos e velhos. as predicas, a con-
Qsslo foram frequentadas com zelo, repro-
duziram-se as peregrinaces s imagens mi-
lagrosas, e foi esse o me o -de aplacar a
severidade das penitencias, qae os peca-
dores se haviam imposto. Os nuncios nlo
poderam loavar tanto quanto mereciam os
servicos prestados particularmente pelos
capuchinhos italianos. Desde logo se apre-
sentavam as conversoes ; os nuncios recs-
biam junto si os convertidos, os prote-
giam, lhes recommendavam a caridade para
com os seus semelhantes e que fondassem
caixas pas em seu favor com as contribni-
C59S dos Seis e sob a vigilancia dos prela-
dos ; e nlo poucas vezes conseguiram re-
cuperar parochias, que jalgavam para sem-
pre perdidas. Aasim o christianismo en-
controo geralmente poneos obstculos na
Suissa e abi se estendeu pacificamente. >
E' o sea miior elogio.
A Franca tambem entrou as vitai dos
capuchinhos. O calvinismo, arrogante pela
protecelo, que encontrava as altas clasees,
ha vi a invadido a bella torra de Garlea Mar*
tell, os prejajzos religiosos mal ntarprala-
dos de envolta com outras causas, que alo
importa aqu relatar, havia originado e ali-
mentado a guerra dos guelfos e gbeli
Conde e Guxa attearam a guerra civil, dan-
do em resoltado os mssacrea de Vajti
S. B'T'ihelemy lio injustamente expktedes
^m desabono dos cbritaoi, o sangt
tinha jorrado pelo campo, apando
sentaram oa capuchinhos peta
cardeal de Loreaa. (t
TYOSAW^SinTSI


s




i


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E8DVKDKXU_GG2MOB INGEST_TIME 2013-09-16T20:20:44Z PACKAGE AA00011611_12499
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES