Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:12472


This item is only available as the following downloads:


Full Text
ANNO XLVII. NUMERO 196
I
V
AI1 A CAPITAL E L3GABH 0*PE IAO SS PACA POITI.
Por sata ditos den................... i2|000
f^rwftwMiilum...................... 24*000
CatU aaaawo svoiso................... ttO
TERCA 29 DE AGOSTO DE 1871
PA1A DIITBO I rOBA DA P1QVIICLA.
Por tres mezes adsataiet..............
Por mu ditos eau.
Por novo ditoc ider
Por na qoo idem

!
w n. mus n................... tlJBOO
Por novo ditos dem................... loKo
M
Propriedade de Manoel Figueira de Faria & Filhos.
AO ATI :
Os Srs. Gerardo Antonio Alvea i Filhos, no Para ; Goncalves Pinto, no lfarsnbio ; Joaqaim Jos de Oiiv&* d Filh, w> Pereira d'Almeida, em Mamangoape ;Felppe Estrella d C, na Parahybt; Antonio Jos Gomes, ni Villa da Penha; Belarmino dos Santos Baldo, em Santo Antlo; Domingos Jos da Costa Braga,
em Naiareth ; Antonio Ferreira de Agoiar, em Gojanna; Francino Tavares da Costa, em Alagoas; Dr. Jos Martina Alvos, na Babia; e Leite, Serqoinho d C. no Rio de Janeiro.
Jos JbfttB
PARTE OFFICIAL
Actos
?era.
EXPKDIKNTK
da provincia.
l'O DIA 16 DIJ AGOSTO.
'
> O viee-presidente da provine n resilve, de coa
turmidtd com o irt. 52 d > r-g ilamioto de II de
jalao da 1868, e en vista da compleme proposta,
flamear o cdadio Anuo'.o August) Perreira Lima
pan eaereer o lagar vag i de fiel da thesoureiro
do eooaulad > provincial.
O vice-prestdeoie da provincia, tendo em vista
#disposto na le provincial o. 99 i, de 13 de rano
da corrate anao, combinad j co u a le u. 1012 do
sesmo anno, e que o autoriza a despender a quan-
ua de Kl.iR))i para librtci) dev.riangas do sexo
fimaina, resolve para este ti ti nomear ama com-
missio coraposla dos Drs. ina.-i i Joaqnim de Sou
1A Leao, Antonio J>aqiim de Moraes e Silva e Jlo
d Silva Hamos e dos negociante* Joao Iguac.o de
Me J t ros Mego e coromeudador Aotaoio Gomes de
Miranda Leal.Expedirarase as necessarias ios
iroecSeo e eoaamuQica;des.
Offleios : W
Aa Exm. presidite da Parahyba, decla-
rando em addiiauento ao offlcio de i i do correte,
marinas, no vapor Parakybi segaio apenad meta
la da* pegas do phirol, destinado a barra do por-
ta do Cabedello, ficando o restante para ser condu
ti lo no primeiro rapar da eompanhi p-^rnambu-
eana que para alia seguir.
Ao vice provedor da Sania Casa de Misericor-
dia aotorisanJo-o nos termos de sai informagio,-a
mudar entregar a Antonio J>sc Per-ira do'Lig),
Ma amo de n )me Caetana Maria Poreira do Lig),
reeolhido ao hospital do> alinxdos, a pedid) de
seu irmao Antooio Uaria Pereira do Lago.
Ao Inspector da thesouraria do azend.i com-
mnnieando ha ver no dia 29 do mez iladj, ntralo
o c iadao Manoel Francisco B ilelh), no exereicio
interino de promotor publico da comarca de Taca-
ra tu, no impedimento do effeclivo.
A mesim, transmilnlo pira os das conve-
aieates,! ordem do iKaaouro naciaaal, sob n. 133,
d 29 de julh'i nltimo.
Ao inspector da thesouraria provincial, man-
daalo adiantar cinco datas de sold, a contar de
11 do correte, para II pragas da corpo de poli
i, inclusive um sargento, que vio destocar em
Cimbres, e bem assim a gratificagio da com mande
qae competir ao mencionado argento. Com
niuflicou-se ao c^menan-tante do corpo.
Por essa tbeseunria mandou->e pagar a
Francisco Pereira de Menlonoa & C, os venci-
fflMtos relativos a) mez de junhi ultimo, do des-
tacamento da villa de Buiqae. Commonicoa-se
0 eomnundante superior do municipio de Gara-
anuos.
Ao Dr. Joio Luit Cavahaoti d^ Albuquer
qu, a quanlia de 8:9283910, a qae se ju'ga com
djreito, na qaali hde de contratante da estrada de
rodagem de Goyanaa e Pedras de Fog).
Ao cnsul de ana mageatade Qlelsima ne-
ta capital, declarando quinto a reclamacao qae
contra e aiz de paz de egando di*tr''cto d Boa-
Vista, Ihe oi aprejantada por vanoj subiitospir-
tugaezes, qae ne.ua data mandoa-se copia de todo
ao promotor publico, afn !a prjfceder coafor
midide eom a lei contra quem achar em culpa
Offi;ioa-se nesle sentido ao referid) promotor.
Ao inspector do arsenal d* marinha, desi-
gnando o dia 2! deste mez, para o concurso dos
lagares vagn de amanuenses da seiretiria dessa
inspeceo, e nomeaado para examinadores no mes
dio concurso, os profesores Vicente de Moraes
Mello e Dr. Angosto Carneiro Monteiro da Silva
Sint-o, sendo aquelle em grammatica nacional, e
este em anthmetica.Fizeram-se s necessarias
eommanicacSes.
Aojaiz dedireito da comarca de Palmares,
rs rommend indo a reqiessa com brevidade dos
mappat eetatisii :o>, qua algamas autoridades sob
sua jurisdicQo tem dixado de enviar. Iguae*
mitatis mutaniis, aos juizes de direito das comar
ca3 de Santo Anto, Tacaral e Boa-Vista.
Ao coramanlante do ;orpo de polica, aulo-
rifando o engajamento des paisanos Manoel Ante-
ro de Souza Res e Martiniano Villar de Oli-
veira.
Ao mesmo, para mandar apresenlar ao Dr.
chefe de polica, um of!ljil e dezoi'.o pragas, alim
da destacarem no distrclo da Panellas.Exped
ram-se s necessarias comraunicag.ja?.
Ao director do arsenal de guerra, mandanlo
fomeeer por emprestimo ao commandante superior
da gaarda nacional deste municipio, o armamento
e corrame, constante do pedido junto, alim de ar-
marse o oitavo baulha > de infamara, que tem de
fazer parte da parala do dia 7 de setembro prxi-
mo viodonro, anniversario da independencia do
imperio.Commanicou-se ao commandante sa-
perior.
Ao ehefe da repartido das obras publicas,
a provando a deliberarn que tomou, de autori-
zar a factura dos alicerce* do theatro de Sania Isa
b*. com argamassa de cimento hydraulico, despen-
dendo-se mais para esse Hm a qaantia de. .
i vfl32i rs., segundo o cal*uh, que remetteu.
Gommanicou-se a tliesooraria provincial.
Despachos :
Antonio Jos Pereira do Lago. -Diriji-se ao Sr.
vice-provedor da Santa Casa de Misericordia para
auender ai sapplicante na forma requerida,
Padre Antonio di Guaba Figoetnilo.Informe o
Sr inspector da thesouraria de fazenda.
Andr de Abren Porto.Informe a cmara mu-
nicipal de Goyanna.
Bario do Livramento. Informe o Sr. enge-
oheire fiscal da companhia Prnambucani. Street
Ravlway.
t. Francisco Pinto Pessa.Como reqaer.
Coroael Joio do Bago Barros Falcio. Foroe-
ja-se.
fiaeharel Joao Luiz Cavalcanti de Albnqnerqae.
A thesouraria provincial com nffi;io desta dau.
Matkias Carlos de Araajo Maciel. lof jrme o
Sr. brigadeiro commandante das armas.
Paulo Jos Gomes da Costa.Informe o Sr. en
taaheiro Oseal da estrada de ferro do Recife a S.
Francisco, para atteoder ao sapplicaste
EXPEDIENTE DO SECRETARIO.
Oieios:
Ao juiz de direito da comarca de Flores acen-
sando de ordem da presidencia, o rscebimento da
ca.tidao de exereicio, qae remetteu. Igual, muta-
la mutandit, ao aii municipal d'aqnelle termo.
PEDIEKTB DO WA 17 DE AGOSTO DE 1871.
Actos :
O vice-presidete da provincia, atteod.'ndo
ao qae reqaeren o tHeres do 8* bitalbi) de in-
lantaria da gaarda nacional deste municipio Joa-
qun Jos Baptieta, e a vista do parecer da junta
da sade qae o jalgou incapaz de continuar no
rvico activo, e da informaijao do respectivo
eommaadante superior em offlcio, n. 118 de 8
dula mez, resolve de conformidade com o artigo
69 da lei n. 602, de 19 de setembro de 1830, traos-
feh4e para-o da reserva, filando aggregado ao
8* baulhia deste servico.
O Tice-presidente da provincia, ateniendo
a) qae reqaerea o capitio do 1 batalho de io-
faatarla da aaarda nacional deste municipio, Her-
i raiao Ferreira da Silva, a vista do parecer da
jaata de saade, f de offlcio e informacio do res-
pect vo commandante superior de 9 do-crreme,
rsao1ve.de eonforroidade com o disposto no ar-
transfori lo para o servido da reserva, ficando ag'
gregado ao respectivo 2" batalhao.
O vice-pre'iJente da provincia, alten lendo
ao qoe reqaereu o cipitao do corpa de cavtllarla
n. 2, Jos Ferreira da Mello, e a vista d > que
informn o coliman lanto superior da guarda na-
cional do< municipios do Brejo e Cimbres em of-
flcio de 8 do mez fl id i. resolve transferir o dito
capiao para o batalhio n. 37, da infamara do
municijio de Cimbres.
O vice presidanla ils provincia, *.Uondoad->
ao qoe reqoereu o alfares do 4* bitilhio de in-
famara d i guarda nacional deste municipio, Ar-
I no Jos de Almeida Pernambuco, e do que in-
formou o commandante superior respectivo em
offlcio, n. 14i de 4 do correte, resolve concedir-
Ihe a demissio que podio do dito posto.
O vice-presi lente da provincia, a vista do
offlcio do Dr. chee de polica, n. 1034, de 1 do
correte, resolve conceder ao cidado Francisco
Jos Florenco a exoneraclo qae pedio do cargo
de subdelgalo do Io districto do termo de Ca-
ruard.
O vics-presidenta da provincia le conformi-
dade com a proposta do doutor chefe de polica;
n. 1107 de II do o rente, resolve namear o ca
pit) J)o da Costa Pinheiro, para o cargo da sub-
delegado da freguezia de Caraar do termo do
mesmo nome.
O vicepresidente da proaijeia, conforman-
do-so com. a proposta do doutor chefe d e polica
em otfi:io o. 1126 de 16 do correnta, resolve no-
mear para os lugares vagos de 3 e 5 supplen-
tes do subdelegado do listricto de Jaboalao os
cidida>s segainles, na ordem em que yo eolio-
cados : Jaquim Tbimazde Barros Campello, te-
nente Francisco de Paula de Sansa Leo.
O vice-presileotj da provincia, conforman-
dp-se com a propasta d i doutor chefe de mlicia
em offlcio n. 964 de 17 da crrante, resolve no-
mear pira o lugar vago de subdelegado do dis-
tnct j de Csnhotinho do termo de S. Beato o te-
nante Eluardi Jos Al ves da Mello, e para o de
2o supplenledj mesmo subdelegado o cilado
Lourenco das Nevos Campello.
O vice-presideote di provincia, altendenda
ao que Ihe reqaereu Francisco Apoligorio Leal,
engenheiro do 5* di trelo da repartico das obras
publicas, reso.ve. nos termos do artigo 1* 4 da
lei n. 1013 de 13 de junio dasta aano, conceder
ihi seis mezes de liceaga com todos os venc men-
t.*, obrigaodo-se a fazer qaalqaer servido de sua
profisso, que f >r orleado pelo chefe daqoella
repamcao.Expediram-se as necessarias com
municaedes.
Offlcios :
Ao brigadeiro commandante das armas con-
codeado a aulorisicio, qae salicitou, para cin-
tratar um facultativo civil para servir na gaar-
nico desta capi'a', em substituicao do 2 clrur-
giao do corpo de suida do exercito, doutor Ja-
vioiaoo Reginaldo Alvim, que vai ser empregado
no presidio de Feruando de Noronha. Comrauni-
cou-se ao iaspector da thesouraria da f .zend >.
Ao mesmo prevenindo-o de qaa segando,
participou o lenle ajadaote de ordens da pre-
sidencia, o cavallo da pra^a qae o acompanba,
al-iecen e acha-se em Apipacos em tratamenlo,
convindo por isso qua o referido cavallo seja ali
considerado em diligencia.
Ao mesmo mandando per em liberdade o re-
erata Manoel Theodoro da Rocha, visto ter pro-
vado iseoco.
Ao iaspector da tbesoararia de fazenda
transmiitindj para os lias convenientes, as contas
documentadas da receita e-daspeza da enferma
ra militar, relativas ao mez de junho ultimo, e
bem assim o parecer da junta de saade que jal-
gou- as no caso de sarera recebida?.
Por essa thesouraria mandn se pagr :
A Jos Antonio de Albaquerqae Pedrosa por
coala do que se Ihe est a dever, proveniente do?
reparos, caiadura, e pmtura, que fez na fortaleza
do llriim, a quantia de 1:108*850 rs. qae ro-ta
da respectiva verba, ficando o mais para ser sa-
lisfeito quando o governo imperial votar o neces-
sario crdito.
Ao secretario interino da inspeceo da sande do
porta desta (Mide o que se Ihe esliver a dever de
seus vencimea'os.
A Alexandre Americo de Callas Brandan a im-
portancia dos vencimeotos relativos ao mez de ja-
ibo ultimo, do destacamento de guardas naci-
naes da villa de Ingazera. Communicou-se ao
commandante superior do municipio de Flores.
Ao rumio Joaqaim Silverio de Sousa, os ven
cimemos do destacamento da villa de Garanhuos,
durante o mez da jolha deste anno. Inteirou-se
ao commaadantp superior respectivo.
A empreza da illuminaco publica desta capi-
tal a quaotia de 124JI200 rs. proveniente do gaz
consumido, nos mezes da abril a junho deste an-
no com a illumioaro do quartel da companhia
de aprendizes menores do arsenal de guerra.
Commanicou-se ao respectivo director.
Ao lenle Flavio Jos dos Santos e Silva, ou
ao sen procurador Melchiades Monoel de Lima, a
qaantia de 31S260 rs. despendida como forne
cimento de luz e agua para o quartel do desta-
camento de guardas nacionaes existentes na ci
dade de Goyanna.
A pessoa competente os vencimeotos corres-
pondentes a Ia quiozena deste mez, das pracas em-
pregadas no deposito de recratas.
A mesma a importancia dos vencimentoe qae
tiver direito o cabo de esqaadra Maooel Antonio
Jatob, incluido no deposito de reerntas. Intej-
ron-se ao brigadeiro commandante das armas.
Ao inspector da thesouraria pro 'incial dizen-
do em resposta ao seu offlcio, que pode prorogar
por trinta dias o praso marcado para" a venda de
50:0001 das tpolice*, provenientes do crdito de
1:200:000* concedido pelo artigo 48- da lei do
ornamento do exereicio em llquidacao de 1870 a
1871.
Por essa thesouraria mandoa-se pagar:
A Candida Francisca de Aodrade a importancia
do ordenada, que se ficou a dever ao seu falleci-
do lilho Francisco Baldomirode Albuquerque Ma-
ralo, na qulidade de guarda da casa de de-
teacao, a contar de II de maio a 2 de junho des-
te anno.
nal do manicioio do Recife, dsclaraalo em respos-
ta* ao sen offlcio qae, segando informoa o Dr.
chefe de polica, o gaarda do 3* batalhio da infar-
tara Tbeolonio Rodrigues Seixas, fo reeolhido a
ordem do subdelegado da fregueaia da Boa-Vista,
nao como recruta, mas como indiciado em crirae
de ronbo.
Ao commandante do presidio de Femando
de Noronba, inteirando-o de ha ver resolv lo em
vista de ana proposta, qae o alfares Antonio Do-
deca Goniaga seja despernado do servico do des-
tacamento desse presidio, e considerado como aju-
dante do pbarmaceatico ah existsnte, percebendo
as vantagens dos do exercito em quanto seas ser-
vicos forem reclamados com a estada dos doentes
de berberi.
Ao juiz de direito da comarca de Garanhuos
recommeolaodo qae remella com brev.dade os
mappas estatisticos, qao deixaram de ser minis-
trados pelas autoridades sob sua jarisdiecio.
Iguaes mnlantis mulandts, aos juizes de direito de
Caruard e Buiqae.
Ao commandante do corpo de polica, cha-
ma nao a sua attenco para os abuso* corametti
do i pelas pracas.'esse corpo, existentes em S Cae-
tano da Riposa, segundo se v dos offlcios jaatos
por copia ; providenciando de modo qae se nao
reproduzain faetos seraelliantes.Communicoa-se
ao Dr. ebefe de polica.
Ao directv; do arsenal de guerra, para
mandar conduzir e recolher a essa arsenal, os ob
jectos constantes do termo junio por copia, os'
quaes perlencendo a fortaleza do Brum, forana da-
dos em consnmo, devendo apresenlar a coota da
despoza que lizer, alim de ser pagbala thesoura-
ria de fazenda.Communicau se ao commandante
das armas
Ao chefe da repartico das obras publicas,
approvaodo a dellberacio qae tomoa, de aatorisar
em vista do reclamaca do contratante da reeons-
truccao do theatro de Santa Isabel, qae os respec-
tivos ilicerses coatinaem a ser asseatado sobre
ama grade de madeira, como os primitivos.lo-
teirouse ao inspector da thesouraria provioeial.
Ao mesao para qae mande examinar se um
caixao de casa, proprio municipal, existente na
villa do Bonito, presta-sa a servir de cadeia e in-
forme no caso affl'malivo, qaal a despaza a fazer
se para esse flm.
Ao engenheiro enciregado das obras geraes,
antorisando-o a mandar construir e collocar com
urgencia o ultimo taofo da grade da ponte Sele
da S siembro, que fo destruido a atirado ao rio.
Communicou-se a tbesoararia de fazenda.
Ao Dr. commissario vaeeiaador, recommen-
lando que envi ao Dr. chefe de polica algons tu-
bos oo laminas com paz vaccinieo para ser ap-
plicado aos presos da casa da dateocao.Cimmu-
nicou-se ao chefe.
Portaras 7
Ao gerente da companhia Parnambaeaoi,
para mandar transportar aa presidio de Fernando
de X ironha, por eonta da ministeri-t da guerra r
alfares addido ao 2" bataiho de infamara, Heme-
terio Rodrigues Pjres, bam como um caixao con-
teni fardamento para as pracas aiii destacadas-
Iguaes mutatis mutandi, acarea do alteres do
2* batalhao de infamarla Franklin Benjamim Fer-
nandos Moraes, sua mulhar e do sentenciado mili-
tar Casimiro de Mello Cista, e do 2* cirorgiia do
corpo de sade do exercito, Dr. Juviniano Ragi-
naldo Alvim, sua mulhar D. Joanna Adelia Alvim,
e um seu lilho raeaor.Cjmmanicoa-se ao com-
mandante das armas.
Ao mesmo mandando dar um\ passagem de
estado at o presidio de Fernando de Noronba, a
r do vapor que Vai para all seguir, a Salvador
Correia de S Benevdes.
Despachos :
Aagelo Francisco da Costa.A' tbesoararia pro-
vincial com offlcio desta data.
Antmia dos Santos Vital.Ioforme o Sr. regador
do gymnasio provincial.
Candido Fraocisco de Aodrade. A' thesouraria
provincial com offico desta dala.
Chri-piniano Buarque de Macedo. Informe o
Sr. inspector da thesouraria de fajeada, ouvim'o
o da alfaodega.
Dr. Francisco Pialo Pessoa. Como-requer.
Gabriel Germano da Aguiar Mmtarroyos.A'
thesouraria provincial com offlcio des>a dau.
Jos Rbeiro da Vasconcellos. A' thesouraria
de fazenda com offlcio desta data.
Capiao Jo- Joaquim Coelho.Forne^a-se.
Jaaquim Silverio de Souza.Dirjase a tbesoa-
raria da fazenda.
Dr. Juviniano Reginaldo Alvim.Concedo a ti-
cen;! requerida.
Manoel da Silva G a mes.Informe o Sr. director
da repartico das obras publicas.
Rosa Catbarioa Mara da Conceico.Seja pos-
to em liberdade.
Salvador Correia de S Benevdes.Como re-
quer, da vendo ser este apreseolado ao gerente da
companhia Pernambucana, para os fios conven-
ante.'.
Vicente Ferreira da Cosa Miranda.Passe pr-
taria nomeando o supplieanle.
Virgilio Vieira da Costa Pinto.Ficara expedi-
das as convenientes coramuoicaedas uo sentido em
que reqaer o sapplicaate.
Baro do Livramento. Encaminhe-se ao go-
verno imperial.
Flavio Jos dos Sanios e Silva. -Dirija-se a tbe-
soararia de fazenda.
Joaqnim Silverio de Soaza.Dirija-se a tbesoa-
raria de fazenda.
Rosa Catbarna Mara da Concec,ao.Seja pas-
to em liberdade.
KXPEMKNTB DO SECRETAMO.
Offlcios:
ao brigadeiro commandante das armas com-
manicando bavera presidencia mandado forn?cer
os objectos, constantes do pedido qae remellen, do
deposito especial de instruccio.
Ao inspector da ibesoararia provincial, n-
teirando-a de achar-se o contiatante das obras do
paco da assembla legislativa provincial, com di-
reito ao pagamento da terceira prestacio do seu
contrato.
Daus guarde a V. ExcDomingas Jos Xog^e
ra Jagaanbe.Sr. presidenta da provincia de Pe\
nambuco, 21 de agoUo de 1871.Dr. NascimentA
Portella.
. Circular.Ro da Janeiro.Ministerio dos nego-
cios da guerra, em 8 de agosto de 1871.Illm.
Exm. Sr. Tendo se por aviso da 2 de junho uiti-
m> expedido ordem apagadoria das tropas da cor-
te para que aos olflciaes arregimentados dos corpos
da guarnca, que ni> residirem aos quarteis, oa
oalros proprios nacionaes se abonem mensal
as seguintes quamias, a saber:
Aos comman lames rs. 35*, aos fiscaes 30*, aos
capiue a subalternos sendo casados 20* e sendo
solteiros 6*; a reprasantando-me a mesma paga-
doria ter duvida em abonar aquella auxilio aos
offl;iaes doentes no hospital, aos presos de corree-
cao oa responden lo a coaselbo, e aos licencia
dea: nesta data se explica qae proaedeodo a duvi-
di apreseniada s deve ser aquelle abano felo aos
olflciaes qae esli em effectivo exereicio, oclusiva
es addidos, comunto qae sejam de corpas arregi-
mentadijs, e por exc-p^o aos que estando oas
condic/fes, e no caso de tal favor ficarem doentes
oos sea quarteis. O qae declaro a V. Exe. para
sea conbecimento e devida execucao nessa pro-
vincia.
Deus guarde a V. ExcDomingo) Jos Nogae-
ra Jagaaribe.Sr. presidente da provincia de Per
nambueo.
Cuaipra-ae.Palacio da presidencia de Pernam-
fcueo. 21 da agosio de 1871. Dr. Xasoimeoto Por-
tella.
O mesmo brigideiro commandante das armas faz
igualmente publico, que em 19 do correte contra-
hio engajameoto para servir por mais seis aonos,
coro o premio de 400* page na forma da lei o 1
sargento do 91 batalnio de iofaotaria Manoel do
Na-'cmento da Costa Lima que em inspeecao de
sale foi julgado ap'.o para lodo servico do exer-
cito.
(AMifoado).Luis Jote Perrirade Carvalko, bri-
gadeiro.
Conforme. Clemente tranalto Tavares, tente
aindaole de ordeos interino eocarregado do deta
Ine.
SOCIEDADE EMANCIPADORA.-Esw socieda-
GOVERNO DO BISPaDO. Tendo o Exm. e'
JSfStSSSSS S' SKiSSl frigfgJJ ^""^V.amemaToT.sTsTas
S._Santidade Pm IX, acompanhaado'a prme.ra leguiotes ExmTras : 0!, f VUtt "
D. Alexmdrina de Magalhies Leal Seve.
de am protesto de suas ovelhas contra os alterna-
do de que S. Santidade tem sido vctima; acaba r p-rreir. i
Jesos Cbristo, bem eomo a sua gratido seus fl- n *aa olia i ins rlrJ
Ihos -Plrlm.es. Eis as letras: Ai'*e0,AazeLredoG"^8,
Po IX ao seu amado filho Joao Cbrysoslomo rj Pulir de Mello
SJ72 !$? Cneg 9 VK"0 Cap',alif B"0DeZ5 de Campo-Verde.
. am.inftih*- a k n .. O-ADalia Sovina de Oliveira PernambaQo.
Amado fllho, sande e bencao apostlica. Um -
evidente testemunho de amor e obsequio recebe-
mos de ti as letras que eom data de 11 de feve-
reiro prximo passado a nos enderecas-te. Por
meio deltas conbecemos a tua vehemente solicilu-
de e nao leve dr em vista das gravissimas malda
des perpetradas con'ra nos e contra esta S apos-
tlica por bomens inmigos de qualquer direito n Em Fioc'k Fnlo
divino e humano, coja audacia e impiedade de- n -
testas.
D. Carlota da Silva Burle.
D. Candida Ferreira da Conha.
D. Candida Peixoto de Albnquerqne.
11). Clememioa da Silva Pinto.
D. Candida Fonceca Azevedo.
D. Candida Rosa de Moraes Barros.
D. Emilia A. Nelto.
Francisca Vieira Lopes.
"- D. Saffi^aeonS^ *"* ^"^
A Gabriel Germano de Aguiar Montarroyos a
quaotia de 2:139*588 rs. correspondente a I*
pre;laco do seu contrato, na qulidade de arre-
matante dos reparos da ponte dos Caminos.
Ao ex-professor interino da 2' cadeira de ins-
truclo primarla da fregueita de Floresta, Ange-
lo Francisco da Costa, a graliBcacio que ihe
compele a contar de 31 de outubro do anno pas-
sado a 4 de Janeiro ol mo, bem como a impor-
tancia correspondente ao al jguel da casa em que
funecionou a sua aula durante esse tempo.
A Antooio Angosto Maciel, oa ao seu proca-
rador, Francalno Augaslo de Hollanda Chacn, a
quanlia de 1:16*660 rs. proveniente do alague! de
sele mezes vencidos em julbo ultimo, da casa
ae serve de cadeia no termo de Barreiros.
ommunicoa se ao doutor ebefa de polica.
A' pessoa qae se mostrar autorisada, os vea-
eime&los relativos ao mez de jalho ultimo, do des-
tacamento de guardas nacionaes existentes na vil-
la d'Agua Preta. Interoa-se ai commandante
superior do muuicipio d) Palmares.
Ao Dr. chefe de polica, concedondo a auto-
risacao que pedio o delegado do termo de Panel-
las para alugar ama casa, qae sirva all de pri-
sio, deveado o respectivo ontrato ser sobmettido
a approvaco da presidencia,Communeoo-se a
ihesourarla provincial.
tifo W'Ja teT b,*60 da"!9""de stemfiro de 1850, Ao eoramandsnte superior d^ gaarda naci-
lleparll^o da polica.
1* seecio Secretaria da polica de Pernambu-
co, 28 de agosto de 1871.
N. 1177.Illm e Exm. Sr.Levo ao cooheei
ment de V. Exc. qae, segundo consta das part-
cipaedes recefaidas *je n esta repartico, oram
bomem recoihidos i casa de datencao os seguintes
individuos :
No dia 26 do correte :
A' tainba ordem, Calisto Lopes da Silva, at se-
gunda, e Luiz, eseravo de Jos Pessoa, indo do
presidio de Fernando, reqtfsicio do Dr. )aiz mu
nicipal da 1* vara.
A ordem d> subdelegado da B a-Vista, Angosto
Fernando* de Macedo, por ter vendido ama estain-
pilha malillsada, Maooel Ignacio de Soaza, Manoel
Conrea da Silva, Claodino Mara Lobo e Mara Al-
ves da Foaseoa, por desorden).
A' ordem So da Boa-Viagem, Francisco Nery
do Hago Barros, per ertasa e iojnriaa.
No dia IT:
A' ordem do snbdelegado do Recife, Maximiana
Mara da Conceico e Mara da Conceico. por dis-
turbios.
A' ordem do de Santo Antonio,- Luciano, eseravo
de Jos da Silva Loyo, por crime de ferimenlos. .
A' ordem snltos e Antonio Mani do Nascimento, por distur-
bios.
A' ordem d) da Boa-Vista, H iraco, eseravo de
Joio Americo de Carvalbo, por ter sido encontrado
alta noute sem bilhete do seo senhor.
A' ordem do da Capanga, Manoel Antonio j)o
Xaseimento, por suspeitas de ser eriminoso.
Deas guarde a V. ExcIllm. e Exm- Sr. Dr.
Maooel d) Nascimento Machado Portella, vice-
presidente da provincia.O chefe de polica, Her-
mogenes Scrates Tacares de Vasconcellos.
PERNAMBUCO.
REVISTA DIASIA.
GUARDA NACiON.AL.-Por porlaria da presi-
dencia da provincia, de 24 do correte :
Foi transferida para o servico da reserva, seu
pedido, o alteres do 8.* batalhao de infamara do
municipio do Recife, Joio Ferreira Mendes Guima
raes, em vista do parecer da junta de sade.
Mandon-se dar guia de passagem para.o muni-
cipio de Cimbres, para onde transferio sua resi-
dencia, ao tenente-coronel cemmandadte do 36.
batalhio da infamarla, do municipio do Brejo, Di-
dier do Reg Maciel.
Foi designado o 1." batalhio de reserva, do mu-
nicipio do Recife, para a elle ser aggregado Manoel
da Araojo Lima, alfares do 1. batalhio do mesmo
servico da capital do Para.
AUTORIDADES POLICIAES. Por portaras da
presidencia da provincia, de 2.*i do correte :
Foi exonerado, sea pedido, de subdelegado do
1.* distncto do termo do Bonito, Thomaz Jos
de Aquino Pereira, sendo nomeado para o subs-
tituir Jos|Cyprano_Bezerra de Mello.
PoraanH
Commaudo das armas.
QUARTEL 6ENERAL DO COlHfANDO DAS ARMAS
NA PROVINCIA DE PERNAMBUCO, 24 DE AGOS
TO DE i87i.
Ordem do da n. 532.
O brigadeiro commandante das armas faz publi-
co para conhecimento da. foarnicao e devido para informar, foi confrontada
efleito os avisos expedidos pelo ministerio da guer-
ra as datas de 7 e 8, que por copia ihe foram en-
viados pela presidencia com offlcio de 21 lado do
crreme.
Ministerio dos negocios da guerra.Rio de Ja-
neiro, em 7 de agosto de 1871.nim. Exm. Sr.Em
solacio ao offlcio de 2* de junho ultimo sob n. 176,
com qua essa presidencia remetteu capia do que
Ihe dirigi o commando das armas dessa provincia
relativamente ao premio qae deve perceber o sol-
dado do 9* batalhao de iofaotaria Manoel Matbeus
do Nascimento, declaro a V. Exc. qae tsndo silo o
engajaraento daqoella prac feilo oos termos da lei
de 25 de setembro de 1867, ra de davida qae,
com quanto bouvesse a deelira$o de ser por ais
anuos, ama vez terminada a guerra, tem elle di-
reito a baixa e ao premio de 300* como voluntario
da patria, e dapois de satisteito isso, pode i elle
entao engajar-se nos termos do art. 2a da lei a. 1843
de 6 de outubro do. aqao passado, comeoaodo a
correr o tempo da data em qae fr etpedio o qivo
tilhlo 'em"sob3titiic3o a qoe possue.
orneados Francisco Tiboreio de Mello e
Silva, e Joaqoim-Antono de Vasconcellos, I.* e 3 0
suppleoles do subdelegado do 1> distrcto do ter-
mo do S. Bento.
* AO LIBERAL.Em resposta ao que dase o No-
ticiario do Liberal de boutem, temos a declarar o
eguinie, que p5e bem patente que se bonve culpa
na oomeacio de Emilio Pereira de Abren para ai-
Teres da !. batalhio de reserva da guarda nacio-
nal do municipio do Recife, nio recae eia sobre
a presidencia da provincia, mas.sim e nicamente
no commandante do batalhao :
Como se v da respectiva prooosta o comman-
dante do 1.' batalhao de reserva do municipio do
Recife, lente eeroael Joaqaim Maxiiniaao Pereira
Vianna. propoz o gaarda Emilio Pereira de Abreu
para alferes da 1.* companhia, declarando ter elle
32 anaos de dada, ser brasleiro, sokteiro, nego-
ciante no Recife, cam 1:200*000 de renda, afim
de preeneher a vaga do fallecido alferes Olivera.
O commandante super r, em offlcio o. 87 de 9
de junho fllmo, aprasentando dita propasta, opi-
nou poder ser ella approvada por estar orgaoisada
de cooformidade com a lai.
Iddo % secretaria da presidencia da provincia
aa parte em qoe
pode dar se o exame a saber : se proeediam os
motivos das vagas e se os proposlos por aeccesso
linham os patios aa mesma proposta declarado'.
Nio existindo na secretaria qaa1ificac5es no
minies da nuior parta dos batalhSes da activa e
nenhuma da reserva, nio poda ser examinado se
os guardas proposlos para alferes pertencem a
este ou aquelle servico; coofiando-se nesta parte,
eomo se deve confiar, oas inforroacSes que a r*s-
peito dellea arestam os commandantes dos corpos
em suas propostas e ea commandantes superiores
nos offlcios qoe as ioformam, os quaes sio os
nicos competentes para sso.
No caso verteate, a proposta diz qae Abren 6
guara, b qae se deve sappor do mesan batalhao
oa da igual ervioo, a o commaudante superior,
declaren io estar a mesma proposta no caso de ser
approvada, por estar de conformidad* com a lei,
conflrmou esta assercio.
Em vista drsso, pergootaremos : podia a presi-
dencia da provincia recusar totalmente a appro-
vacio de semelhante proposta? Ni por eerio.
gustias, motivadas pela expoliacio de todo o nosso
dominio temporal, e cuidando em modificados i nos
offerecoste um donativo agenciado entre os liis,
a-sim como o? teas ardenies votos e os de toda
essa diocese para qae tantos males tenbam nm pa
radeiro : a qual dedicacio nao pal deixar de nos
ser mui agradavel e excitar as demoastraroas do
nosso coragio reconhecido.
Na, porm, le exhortamos, amado filao, que
contines a unir cim as nossas as toas preces e
as do clero o povo confiados aos leas cuidados
pela paz da Igrejaem completa uuiio com os de-
sejos de todos os catholicos.
Eolretanto a ti e ao povo de toda a diocese, e
como paohar do favor divino e da nossa paternal
benevolencia damos mni cordialmente a bencao
apostlica.
< Dada em Roma junto a S. Pedro aos 25 de
maio de 1871, vimimo-quinto do nosso pontifica-
do.-Pio P. IX.
BERIBERI.Damos em seguida o offlcio dirigi-
do pelo Sr. Dr. Adriio Luiz Pereira da Silva ai
Exm. Sr. viee-presidenle da provincia, acerca dos
presos da casa de detenga > atacados de berberi,
qoe se acham em tratamenlo no presidio de Fer-
nando de Noronha:
< Fernando de Noronha, 22 de agosto de 1871.
Illm. e Exml Sr.Accaso a recepeo do offlcio
de V. Exc, de 2 do crreme, no qual me recom-
menda mais 15 dtenlos atacados de berberi, os
quaes efectivamente aqu chegaram no dia 4 no
vapor Isabel.
< Com o Sr. Dr. Paulino Chaves seguem alguns
qae se acham completamente restabelecidos.
< Declaro V. Exc que a maior parle dos do-
temos qae tem sido entregaos aos meas cuidados,
j se acbam boas, e apenas ficam 12 em trata-
ment, e estes fra de oerigo.
< Terminando o presenta, cabe-me pela terceira
ves a honra de assegorar V. Exc os meas pro-
testos de esma e consideracio.
MEZ DOLOROSO.Quiota-feira (31 do correnle)
comeca o mez doloroso na igreja dos Milagros, na
oidade de Olinda, oceupando a tribuna sagrada,
todas as tardes, o Exm. e Rvra. Sr. conego vigaro
capitular.
FREGUEZIA DA CAPUNGA.Comegara ama-
nhia (30) as novenas de Nossa Senhora da Graa,
oa matriz da Capuuga, sendo os versos cantados
por diversas senboras.
ARTISTAS MECHANICOS E LIBERAES.No
da 27 do correte procedeu a assembla geral
dos membros da Imperial Sociedade dos Artistas
Mchameos e hibernes eleirao dos funecionanos
para o anno de 1871-1872, obleodo maioria de vo-
tos para presdeme os Srs. Joio dos Santos Fer-
reira Barros, Rufino Manoel da Cruz Cousseiro e
Theodoro Rampcks, d'entre os quaes tem a presi-
dencia da provincia de escolher o presidente
effectivo.
Para os diversos cargos da sociedade foram
eleitos :
l. secretarioFlix de Valois Correa.
2 o dito Pedro Paulo dos Saalos.
OradorAntonio Lenidas Durvillee Silva.
ThesoureiroCarlos Walter.
HospitaleiroAntonio Ferreira Guede'.
Procuradores Manoel Jp^ de Souza o Sil vino
Cardoso da Silva.
Commissio de lloangasCerino Rodrigues da
Silva Campos, Anselmo Ayres deAzeveio, e Anto-
nio Basilio Ferreira Barros.
Commissio de poderes e ordeosJuvencio Aa-
reliano da Cunha Cezar, Carlos Eduardo Malher,
e Jo' Vicente Ferreira Barros.
Commissio de syndicania Fredanco Skiner,
Joviniaao Xavier de Soaza, e Francisco Rodrigues
dos Santos.
COMARCA DE FLORES.-Enviam-nos a se-
gumta resenha dos trabalbos da primera sessao
do tribunal do jury do termo de Flores, presidida
pelo juiz da direito respectivo Dr. Francisco
Luiz Correa de Olivera Andrade.
i Convocada para o dia 24 de jalho, s pole
ser aberla no da 25 com 38 jo zes de faci, nao
obstante ter-se procedido naquelle dia ao sorteio
dos supplentes e haver-se esgotado a respectiva
urna.
c No dia 29, tendo apenas comparecido 36 jui-
zes de fado, nao tendo sido possivel organisar-se
por duas vezes o conreino de seotenga, em cense-
qneocia do grande numero de impedimentos, sus-
pendes e recusagSes, procedeu-se ao sorteio sub-
sidiario, e foi a sessio adiada por 3 dias.
No correr da mesma. foram submettidos a
julgamento os processosde 6 acensados, dos quaes
dous somante foram condemnsdos :. Joaquim Pe-
reira da Silva, a 12 annos de prisa i com iraba-
Iho ; e Jos dos Aojos Paeiente a 3 annos de ga
les. Todos os domis foram absolvidos.
< Ao eucerrar-se no dia 4 de agosto a sessio, o
Dr. juiz de direito expoz as vaolagens da institai-
caoeonvidon os juizes de fado a seren no fu-
turo mais assidaos e zelosos no cumprimento de
seas deveri ; daodo providencias afim de se tor-
naren! effeclivas as multas de todos os que, seodo
notificados, nio comparecern! um s da e era
mandaram escusa.
ELEMENTO SERVIL.A' proposito de nossa
noticia sob o titulo de recebemos do Sr. Dr. secretario da Sociedade
Emancipadora o offleio abaixo, qne publicamos em
satisfagao do qae ah se nos ped>*, posto qae da
no;sa referida noticia se inflra perfeitamente a
cooperagio de que nesse offlcio se falla :
a Secretaria da Sociedade Emancipadora 23 de
agosto de 1871.
Srs. Redactores.Rogo a V. o obsequio de
ccorrgir a naticla publicada em seu coneeituado
t Diario sobre a parte qae tomoa a Sociedade
tEmancipadora na manifestado dirigida ao corpo
legislativo no dia 26 do correte mez pedlndo a
immediata decretagio da liberdade do ventre.
o A Sociedade Emancipadora tendo j dirigido
< ama petlgao a cmara dos Srs. Reputados em
1870, agora nada mais fez, do que cooperar com
as outras sooie lades existentes nesta cidade, para
qae a maoifestagio de adhesio a idea da liberdade
do ventre recebesse em qoatro dias mais de duas
t mil assigoataras. De V. etc. etc. Jos Eusla-
gu/o Ferreira Jacobiua, Io secretario.
D. Isabel Mara Caoba Ferreira.
D. Isabel M.irgarida Ferreira.
D. babel da Cnnha Magalhies Leal.
D. 1-,-menia Gong^lves Cascio.
D. Joanua Victoria de Brito.
D. Joaquina Victoria Simoes Coulinho.
D. Josephina Dantas Jordio.
D. Julia da Silva Ferreira Dias.
D. Jesaina Augusta Alves da Silva.
D. Januaria Beijamim Pereira da Silva.
D. Leonor Marques Pereira da Silva.
D. Leopoldina de Guimarits Florick.
D. Mana Luzia Vaz de Carvalbo.
D. Mariana Leal Loyo Amorim,
D. Maria Candida da Silva Ramos.
D. Mara Emilia Cavalcanti Campos.
D. Maria America Nogneira.
D. Mariana de Olivera Loyo.
D. Mana da Molla Leal Loyo.
D. M. ra C. Leal Loyo.
D. Mara da Conceigao Olivera Bailar.
D. Maria da Cuma de Magalhies Seve.
D. Mariana de Magalhies ulivers.
D. Mara de SonzaColboLima.
D. Maria Duarle Pinto.
D. Mara Angosta Waoghan.
D. Maria R. de P. Cnnha Gumaries.
D. Maria Felicia de Arauio Silva.
D Mara A. Carvalho Cerqaeira.
D. Maria Lisboa da Silva.
D. Maria Augusta Reg Chaves.
D. Narcisa Spphia da Silva Maia
D. Octane Duprai.
D. Olympia Lias de Barros Seve.
D. Pbilomena Adelaide Loyo.
D. Pastora Theodorica Santos.
D. Rosa Candida Guedes Alcoforado.
D. Rita Maria Pires Cunha.
D. Sopba da Costa Ponlnal.
D. Seuhorina< Peixoto de Carvalho.
D. Thereza Mar a Fenzelly.
D. Thereza C. de Jess Lea'.
D. Toeodolioda P. Pereira de Mello.
LARAPIOS.Estes astutos senhores entrar. ;
na noite de domingo para segunda feira na quin-
tal da casa da ra do Coronel Suassaaa o. 66,
d'hi levaram diversos objectos, entre s quaes
roupas e bacas de cobre. Sarviram-se, para gal
gar o muro do quiotal de urna escada, ctijos ves-
tigios foram obstrvados, bem como a imaressio
dos ps ageis gatunos sobre a areia lamacenta de
mesmo quintal.
ILLUSTRACO HESPANHOLA.-Cbegajram os
nmeros 21 e 22 deste jornal madrle .o, replact
de gravuras e artigos importantes, sobresjahindo -
d'eotre estes' a ambigo, revista scientifica, med:
eos celebres contemporneos e novos livros; -
d'entre aquellasPars antes e deoois da jcommu
na, retratos dos novos ministros hespanbbe-, e
jardim do Bom Retiro as noutes de concert.
Coulinuam a tomar-se asignaturas paira e-- -
jornal na ra do Bom Jess n. 5 1* andar.
PHARMACEUT1C0S E BOriCAKIOS.-fflSr.Dr
inspector da sale publica marcon o prpzo de >
dias, a contar de 26 do crrante, para os uharnia-
ceulicos e boticarios estabelecidos nesta ci apresentarem os ttulos pelos quaes exejrcdm a
arte de phrmacias e as licencas qne obliverbm para
abrirem taes estabeleeimenlos.
IMPORTANrE DESCOBErtTA.Um> deicoberi.
mechanica altamente notavei fui leila por nm Sr.
Telgbman, de Pbiladelphia, diz um jornal iogl-z
Descubri elle que om forte jogo de ar, vapor, ou
agua misturada com material, com por exempl >
areia, pode fazer um buraco, ou desappancer a
face de alguma substancia, Dio obstante a mo dti
reza, em mui pouco lempo. Com areia e |um jo?
de vapor da pressio de 300 arralis por rjollegada
qaadrada, fez elle um buraco em urna massa de
corundummateria lio dura como o diamante
de um e meia pollegada de profuudidade|em me-
nos de 25 minutos (II)
De igual moio, e tendo coberto om pdaga da
vdro com papel recortado, execulou os mais lia-
dos e intrincados desenoos, tenio ompregajdo par
osle lira areia e ar comprimido.
Em ama palavra, a ulilidade desta no'a deseo
berta parece ser i|aasi illimitada, e com certeza
caear nma revolucao n> mondo inechanico.
EMIGRACAO DA INGLATERRA.Temlis vis
ta os dados estatisticos da emigrago de Inglat- r.
para os paizes estrangeiros, apreseutados pela jai
la de Londres, encarregada de esladar esta mate-
ria, e dos quaes extractamos o seguate :
Resulta qua no anno passado emigrar ara......
259:940 individuos, cujas nacionalidades sao : la
glezes 105:293: Escossezes 22:941; Irlandez *
74:283; estrangeiros 48:390 e sem patria conh-
cida 6:033.
Os emigrantes distribuirn] se da seguinte fir-
ma : *.[
196:075 para o EsUdos-Ucidos ; 35:295 para .
America britnica do norte; 17:065 para a Anstr
lia ; 8:505 para outros pontos.
Entre estes emigrante- havia-os de difireme
offlcios e profissdes :
Dos 1:750 lavradores, jardioeiros e carretera
380 segulram para os Estados-Unidos; 181 par i
a America brilannica do norte; 1:161 para a Aus-
tralia e 28 para oniros pontos. I
Os padairos e conferiros ascemlem a 261; iodi
185 para os E-tados-Uoidos; 38 para a Americ i
brilannica do norte; 35para a Australia, i 3 par
uutros pontos.
Os ferreiro; e farradores erain 234, a forai.i
para os Estados-Unidos 107 ; para a Australia
67; para a America do norte 52 e para outus
pontos 8.
HORRIVEL VULCO.-O Halttscht Zeilung pn
blica urna carta de Manilo com data de 25 de
maio, da qual tomamos o seguinte:
i R-ceiava-se ha bastante tempo que rebentas i
om vulcao, e assim aconieceu. A ilha de Cami-
guin foi o theatro d*este horrivel soccesao. H >
mezes qae os habitantes d'esta ma, bem eomo o
de Bojot e Cebri, viviam assastados per oao?a dos
repetidos tremores de trra, e esperavam anctosoa
qa- ama catastrophe pazess termo a Me sobre-
salto continuo. .
Camigain foi gradualmente abandona Ja pe.
seas habitantes, apezar dos fugitlves nio viverea



zc
completamente
dia deste racz,
so que parta
Cattruim. Dnroi
oa bMm ho
4?
\jna-h
Dt*rm d Pimambuw Terqa 29 a; ilha.5 visin'.ia-. Ni
fe um ruido mmn
prxima da ajda'a de
horas, e oementou de
ioteosidade t que o solo se arbrio, deixaodo ama
feoda de UW pi de largara. Daqoella bocea
infernal atan toxis, fe rao e pedras qae rana
Janeadas i |tAde distancia. As seta beras da
aoaie, (|uta&> em geral a escundio, ouvio-se urna
ploso horrml e araoulaoha comela a vomi-
tar columnas de fumo.
Mais de 100 pessoaa que nao poderam resistir
curiosidade de asaMir de perio quelle espect-
culo, e que se haviatn reunido em torno da crte-
ra, ficaram sepultaba debaixo das cimas.
No momelo em que escrevo aeseoterraram-se
j 50 cadveres.
Os bosques prximos incendiaran] se, obrigaodo
fogo a fugir os horneas e os animaos. E' um
spectule hoirirel e sem precedentes nos aooaes
volcnicos de*te areaipelago t >
CEREMONIA GIGANTESCA.Celebrou-se ha
poneos das em Londres orna ceremonia gigantes
ca. O capito do exercito americano Van Burea
Bates, de oito ps de altor), casou-se cora mis?
Anoa Aneo Swin, qae ainda. nws alta qoe seu
BMMfl padre tjue Itua deilou a beo^jao lem
seis ps de aiturs, e esteve presente iqaeHe seto
ama rapariga com duas cabecas que se acha ero
exposicio naquella cap tal.
MAK MKASDOSCOMMUNISTAS.-A cidade
de Naocy acaba de ser theatro de um (acto lio
grave como roysterioso. Naquilia cidade ha, ou
antes hivia, um anligo monumento conhecido pelo
nome de palacio ducal. Era un edificio g thieo,
inuilo u.iuito.e cuelo paca os Lorenos de precio a-
reeordac.5!. No amigo palacio dos doqaes de
Lorena havivse formado urna collecc,io de tolas
as antiguidades loreoas e o muscu de Naury era
visitado com intereue constante o respeitoso pelo-
eslrangeiros. II t das, este palacio, este mu eu
(ei devorado pelas cbammaa
Ao principio attribuio-se o incendio urna des-
grana casual, mas parece que um jornal O Impar
eiai de Leste publicou ao dia anterior um artigu
odioso, no qnal aeomelhava os demagogos de
Nancy a que segutssem o exeraplo dos incendia-
rios de Pars. o dito artigo liara-se os seguiute-
paragraphos :
Purifiquemos purifiquemos; a salubridade mo-
ral est em perigo e preciso aotepo la salubn
dade phy>ica.
c Purifiquemos purifiquemos ; que N'ineg srjn
digna de Pars. Nao bita larefa.
As torres de Craffi servirara de careara aos
proscriptos de 1851; o palacio ducal albergue du-
rante a sua vida ou depois de sua inqrlo lyraono-
mais ou menos rebucados qie lxerara pesar solice
nossos paes om fogo ominoso.
O palacio do goveroo foi a guarida de horneas
como Caurubert, BaxaioF, e de Failly; as caja>
eonsisioriaes vjram em juoho da 18G'j o baila offe
reeido, sabido a quem, o a raultilao servil que a
elle assistio; as igrejas eccoam ajada com o*
TeDeui de 13 de agosto de 186) e de 1839
etc. etc.
Fareraos o procesa de todo e de todos; nao
deixaremos no olvido um so culpado. O conselhp
municipal ajadar nos-ha nesu obra Ao ju-tiga
Para os homent assim como para as cousas a ex-
piacao t a purificacao sero completas.
v O sacrificio pode parecer duro, mas uj
tois do que appareate.
c A cidade, purificada e rejuvenecida, adquiri-
r depois da purkaca completa um esplendor
como nanea teve.
c N) ha que lem.tr pela de-p>za, pois muitos
cidados proporcionarlo generosamente o pe'lro
leo; alen de que, nao caro quando se compra
era grandes quautidades.
V se por aqui claramente que o jornal men-
cionado incitava ao iocenlio, e por isso um depu
lado do Mennhe ioterpellou oa assemblea o mi
aistro respectivo mr. Dufaure, sobre se o fiscal de
Nancy mi > luvia mandado processar o autor, do
artigo.
O ministro raspindei que linha pedido expli-
eacos pelo talegrapin, masque anda nio tivera
respo PROCLAMAS Forara iidos no domingo 27, na
matriz da freguezia de Santo Antonio os proclamas
segrales:
1.* denunciacao.
Mmoel da Silva Tavares, com Anua Mara dt
Couceijao.
'^lanodo Jos Soares, com Mana Francisca da
Purificacao.
Jos Pereira da Cotia, viuvo de Seuhorioha Apo-
linaria Pereira da Costa, com Auna Rita da Ib a
Cecio.
Ant mo Macario de Mei-a, com Filomena Ozona
de Castro Maciel Monteiro.
Biijaraim de Sa Pereira, cora Mara Pereira de
Jess.
Amonio da Costa lijrges, cora Augusto dos An-
jos Dorgos.
2.* denunciacao.
Jlo da S Iva Sintos com Anni Francisca do
Oliveira.
Jjs Xavier .Moles Gongalves com Alexaudrina
M^ria de Azevedo.
Coastantmo Antonio Gomes com Clara Mara dos
Passos.
Policiano Peroira de Lyra, soldado do 2o bata
itii i de infamara de-linha, viuvo du Maria da
Cruz, ci-m Mana Jjsepha da Concei^ao, vluva do
Pedro Ado; natural do Parrguay.
Sot Abilio d) Barros com Belra'ra Cerar Duarte
Puneiro.
Periandre Anjmto Uch6a de Gusmao com
Auna de Azeve lo Souza.
Alferes Belarmino Moreira Temporal, natural de
Pi-rnaiubuco e morador no Rio de Janeiro, com
J nr.ua Rosa Garca, uatural e moradora na cidade
de Nberoy.
Lwirenco doSa e Albuquerqae com Elvira Tha
rea Silvera de Souza.
B;ruardino de Oliveira, viuvo de Francisca de
Paula de M ir.ics, com Amelia Maria de Siqueira.
Ludwiz Christiao Freederick Wilekeu, natural
do Gran-ducado de Miklemburg Schworn, d'onde
veo de menor id me, com Maria Libania Pereira
i Mendonra
Jos Teiteira Coimbra, com I-bel Paulina de
Freita Tavares.
3.* denuncianfi.
Jos Farreira de Mendon^a com Francisca The-
reza Pires Falcao.
Francisco Placido Botelho com Francisca gue-
da Mariz.
Firmino Gimes da Silva Reg com Maria Can-
tionilla de M.iraes.
HOSPITAL PEDRO II.O movimento desse es-
tabeleclment de 21 a 27 de agosto de 1871 fui
de 290 existentes, entraram 32, sahiram 21, falle
ceran.7, existen! 2/,. sendo 182 horneas e 112
mulheres.
Advertencia.
Foram visitadas as enfermaras esls dias as
6 1/ 6 /2, 6 l/l, 7. 6 1/2, 6 1/2, 6 1|2, pelo Dr.
Ramos, as 7,6 1/2, C 1/2, 7, 6 !/:, 8 pelo
-Dr. Malaquias no impedimento do Dr. Sarmentu.
Fallecidos.
Senhorlnha Mara da Concecao; tubrculos pulmo-
nares.
Antonia Maria da Conceicao ; bexigas.
Mano-d entente chronica.
Joao Luiz de B.irros ; enterite chronics.
Joaquin Rodrigues dos Aoj is ; h tp.itiie chronica.
Mari Joiiqniaa da C-Jiieeicao ; anemia.
Justino Luiz de Franja ; h-pat te chronica.
LOTERA.A que se acha Yenda j 203' a
beneficio da nova igreja de Nossa Senhora da Pe-
nha, a qual corre hoje.
LEILE5. Amanha (30 do corrente) effecla
o agente Pinto o leilo o movis, loo?a, vi Iros,
erysues, obras de prata do Porto, e mais objectos
de casa de fimilia, existentes ni 1 andar do so
orado da ra do Imperalor o. 17, onde residi o
Dr. Francisco Teixeira de S.,
Ho|e ef>cii o agente Marlios o leilo em
continuar i de relogios, de curo, prata, salvas, co
Hieres, c.irrento-s, transelins e muitos outros ob
jectos dados era p^nhor, na travessa das Crnzes o.
i, andar, is II horas do dia.
PASSaGEUUjS.Vindos dos portes do norte
no vapor Presidente:
Jlo Monteiro da Cmara, Vicente Lope0 de
Oliveira, Adelioo C Duarte, Jos Mangueira do
Santo Canegal, D. Ignez Assi Oliveira e 2 fimos.
, Jos A. da Cruz, Aqdr C. Pereira Bastos. Nomeiio
O. onies, Maxlaiiano Fernandes Braga, sua fami-
lia e 2 criado., Antonio Bento de Medeiros, AnW-
5Ur JL "todiodasampalo. Abren e Lima,
F. C Barros, coronel P,rmo Leocadio de Lima
Ernesto IWtrao, Antraio Jos de Figueiredo e
teta filb.is.Juaqu.m Francisco de A. V^coneel.os,
Antoni) J. Mana Albino, Manoel J. Lopes da Silva
Nathao Ribeiro. Francisco Claudiao Dua/te W
S. Ellson. Ant.mo Francisco Maia, Manoel Lait
Meira Aotor.io la S. Goloiaries, Antonio di Co Honorato, Joaqoiai G. Seixa, E. F. de Araojo
Xima.
CESflTEHO PJJBUGO-Obiloario do dia 16 de
agosto de 487L
49 anuos,
Getulio, pardo, Perna-ncucj, 2
ctinvulsoe.
Faustaacrav., pceta, Aaipaj _
freguezia ignorare, absesao interno.
Anoa Ignacia Ferreir da Sv*,4/ja* Pef-
nambneo 3l annos, soltelra, Santo AotoMo 4JP-,
Pbilcradoa.briBca.Peroarabuco, 7 aeres, Gra-
ca ; inflamacao de intestino.
Francisco Goocalves de Arruda, braceo, Per-
nambuco 65 annos, casado, Recite ; eoogeslo gpj
monar.
Sabino, branco, Pernambuco, l meies, Boa Vis-
nnlnrn r/>lli(a
mezes, S loL i \ Ututiu-i* ktmwi kafin cerebral; o el;
loa ainJi, hoje si; ictia, a dade do Sr. do|^H
vaoi-iue a stfppcr que paralysia po*cv, e ul-
vez nada- melborarj.'podendo porra aiqoirr
aljjuiu igit. e viver por mais ca meaos
-T-
ta: entero collite.
JuHa Amelia Gousseiro Pinto, branca, Peraam-
buco, 28 annos solteira, S. Jo- ; tubrculos pnl-
mooares.
Maria, branca, Peroamboco, 0 das, boa ViU;
espasmo.
Florina Maria da Conceirao, parda, l'e.nambu
co 3o annos, casada, tlectfe; metrite ebroaico.
17
Reeemna.'clda Maria, branca, Pernarnbucq, Re-
cife; espasmo.
Benedicto, escravo, prete, frica 9* anae, *ro
vo, Santo Antonio ; fraqueza tcnil.
Joaqaina Mara, parda, Rio Grande do Ncrte, 90
annos, vluva, B a Vista ; espasmo.
Man:el, pardo Pernambuco, 15 dias, (iraca;
convulc5es.
ThMnaz de Aqa'mo Alves do Narcirrtento, preto,
Pernambuco, 36 anuos, solieiio, S; try-ipela.
Virglna Mara dos Santos, parda, Pernambuco,
13 annos, solteira, B .a Vista ; couge.-to pulmo-
nar.
CMARA MUNICIPAL.
SESSAO EXTBADI.SAHIA EM 11 DE AGOSTO
DE 1871.
PRESIDENCIA DO 811. DB. SOCIA Lb'AO.
Presentes os Srs. A-jgelo Henriques, 0". Villas-
Bas, Gameiro e Dr. Moscoso, aoro-se a .-essi >
e foi lida e approvada a acta da antecodeme.
Leu-se o segointe
EXI'EDIKNTR.
Um rfgcio circular do xm. vice-presidente da
provincia, coinmunicaado ter resolvido convocar
a assembli legislativa provincial, que tem de fu^c
clonar no biennio de 1^72 e 1873 para o dia !
de marco do anno viudouro, e designando o da
26 de novembru do correte aompara a eleican
dos merabros di referida assemb.a. e ordonapilo
que a ca.uara espeja na forma da ici i cjininu-
nlcacSes nece^sarias, tendo em vista o dis:oslo
no de ;relo n. 2633 do de selembrt) de 1860. -
Q e se especam as comrr.uni.'a^Ses.
Outro do uiesmo, remtttendo nm axemplar im-
pres.'i do relatorio, coro que o Exrh. deseuitiarga
dor Francisco de A^sis Pereira Rocha, i vice-
presidente desta proviocia passou a aMiiiistraeio
dtsta mesraa provincia ao Exm. Diogo Vtlho C-i
valcante de Aibuquerquq, e bera assim outro d*
falla com gueermesmo conselheiro como pre.-i-
dente abri a asamblea provincial, em sua sastao
deste anno.Ao archivo.
Ouiro do mesrao, remetiendo por copia um qf
(Icio do engobeiro fiscal da compaflhia Pernam
buco Street Raylwai Quo &eofOciao presidepte.
Um parecer do eogembeiro cordeador, .breo
abaixo assignado dos morad.iros da ra do Maj>
quez de Ofioda, acerca do predio de 3 andar-
contiguo aos incendiados na mosma ra.Ao II -
cal para proeeler incontiaente a restara, e mai
termo? subsequeotei.
Outro do mesmo, favoravel a peliQo de Gardo-
so & Irajo Concedeu-se, assiguando tormo de
obrigajo.
Outro do rrresme, favoravel a petico d> Jote
Joao de Amorim. Mandoo-se cordear.
Um oUJ^io do li-eal da fregotiia de S. Frei Pe-
dro Gmcalve.-i, trazando ao conhecimento daca
mar municipal a vistor!a que fez proceder no.o
brado ra do Bom Jess n. 36 Ao.archivo.
Um requerimento da comp^hia Pernambuco
Street Raylwai, pedinJn I cetiQi ua-^a corl>r os ra-
mos das arv.ires do ces Viole e Bous (Je Novera-
bra, para facilitar o transito dos trens que por all
tem de pissar.Ao uNcai para assistir o coite da
arvnres.
Um parecer do engentieiro cordeador, sobre a
peticao de Francisco (Os Raposo.Ao advogado,
e depois seja ouvda a commisso .de edilicacio,
juntndose o parecer do atvogado.
Un requerimen'o da Francisco Carneiro Montei-
ro, juntando um certilao de posse do terreni, co
ja eordeaeao requereu.A commis>ao de edifica-
cao.
Despacharam-se as pet^oes de Antonio loajhlm
G)ncalves, Antonio Pires Stares, Antonio C"zr
Ramos de Oliveira, Antonio Mara Carneiro Letj,
Bento Jos Domingues, Bent) dos SiEto Ramos
D. Candida Baptista de Azevedo Maia, Francl-co
Jos Leite, GilJino Jos deUrito, J.-s Joaquim Pe-
reira de Mendooca, Joo da Silva Ramos, J,.s^ Bo-
dngues de Souza,Jo Joo do Amorim, I. C. Doyt,
Jos Nicolao Ferreira, Jote Ciemeotioo Hmrique-
da Silva, Melchiades Maooel dos Santos Lima, Ma-
noel Goncalves Guimares, Tibureio Valeriano
Baptista, Tnomaz TWxelra Bastse Villar G Temel-
ly; e levanton-se a sesso.
Eu Lourenco Bezrra Carneiro da Cunha, secre-
tario subscrevi.
Ignacio Joaquim de Souza Leo, nro-presidea-
te. Angela Henriques di Silva.Bento Jos da
Costa.Ur. Pedro de Athuyde Lobo Moscso.los
Maria Freir Gameiro.Caetano Cariaco' da Ces-
ta Moreira.D. Silvio Tarqumio Villar-Boas.
fCndo njB4a,f*ra reeeiar-se qae cora o
o a existencia, se ai
o do lado do cerebro ca rasar
najEroo 4 existencia, si
ma eeatplft
moa amo y r tornar-lhe mais penosa a vida que
amia the restar. Alcantarilha, 7 l ootobro de
l86Q,-Wentf)q|/ -Reoeb 9lijo da cari. do correal* a.respeH J qoM cuirpra-ma dber
"4 Joidsi da de*
aeaaoe
ua rna4ii.ha *taV> commeiMo por
baran^CAbaaiarilha, foi para
ro||daSa|o|r.kV,Tj
e libar qiUM a rain ha opoMip a
a o IrntomeOo do Exn. Sr. har)
'liis as minhas idr.it a tal
-'Srnias fermiooa
PUBLICACOES A PEDIDO.
Relatorio
MF.DICO-LEGAL ACF.RfA DA DOENCA E M0P.TE
DO BARAO DE JARAGU, POR ANTONIO MA-
RA DOS SANTOS BRII.HANTE, MEDICO CIHUR-
GIO.
Portugal
i miaba mlssao eui lieautarilha
A Sra. D. Isabel do Meadonca, ti.ha do barode
Jaragu, que tiuha acompanhado seu pai do Bra-
sil para Portugal, e sea marido o Sr. Dr. Francisco
Piulo Pessoa ; qua linha viudo do Brasil por cha-
mamralo de seu sogro, para aqu Ihe traur dos
seus neg>cios (vide Jornal do Commerao de Lis-
boa, de 29 de abnl de 1870, caria;, o a aduvam
hospedados em ca*a do Sr. bario d'Alcautarilha,
residente ho lug.r de-te oome, no Algarve, vendo
que um pai e scgronj linha o tratamento medicc
necessano, vieram a Lim6a,epropozeram-me : ise
me era po^ivel ir a Alcanianla vr seu pai e
rogo ; e no caso de se poder transportar para Li--
boa, companha-lo, e prestar Iba os succerros
na vagem, para aopois qui, cercado de todos o
recursos, ser obs-rvalo e tratado
Eis aqui asimplicdade do faci. E como jul-
gasse a mis.-o simples, e de pouea demora, ace-
tela a, e fui,
Antes da mioha ida, >.>.-de 7 a; 2o do mez d
putubro, a bem do Sr. bario de Jaragu, os seus
asltenles procuraiam e deramoi segainies pare-
ceres, cujo valor mais tarde os leitores mdicos, e
nao mdicos, apreciaro os olbos da sciencia, vigo
que ao lado do duente hoaverara empieiteiros e
nao medidos, como passamos a ver :
Consulta. O Exm. bario de Jaragu taveemJ
novembro do anno Hudo am ataque, que foi julga
do de c.ngeslao cerebral, repetiodj-lne ta Lvo-
reiro do prosente anuo ; porm mais-intenio ; res
tabeleceu se em poucoi das, mas caudo-!he ape-
nas pesos-de cabeca, insomnia, eufraqnecmiento de
pernas e de bragas, muila falta de memoria.
Era 31 a'ag coiu paraiysia do movirneuto em lodo o fado "di
retu, inclusivamente a metade direita da itngua
re-friaraento geral, impossibilidade de articular pa-
lavras, pulso pequeo e lento. Reslabeleoeu sj um
tanto d'este estado ao segundo da. e nos segua-
les continuou com algumas melhoras ; ao nono
da desenvolvcu-se-lhe fibre, cabio n'um estado
comatoso, do qual melhorou lentamente fazendo
o terceiro dia ; d'ento para c o estado com
pouca derenjao mesmo.
Hoje o Sr. doente tem o lado direito completa-
mente paralysado, ceaserrando porm a sepsibili-
dade em grao ulvez exagerado, o p*o regular e
peqoeoo, a /alia fresca ten copa Unta. Gante
muito, por >ezes, sem poder conbecer-se cau parece conhee.r s pess'oas, mas iodilTereat as
oecessidades de sua epusemeio, atas ge ihe do
agua bebe, toma caldas, etc. Br-lba indidorente
estar n a vista de todos, e ltimamente asta ras-
ei ve! aem poder coohecer-se a causa : nao tem at
aoje apresentado retracc/Ses musculares.
A' vista d'sta mu raoida exposifio jnlgo qua se
poder depr*ehen)er, qae o Sr. bario de Jaragu
depois de (er sotfndo duas eongesidas cerebraes,
leve pela tereeira vez (1) alo urna cougesto, as
(I) A familia infirmou mo da d.-u* ataques como
adunte se ver, esto documento ppirscem tru
ataquti I
Queminfonaouejiepratico, joformoa-me a mo
que,
uhar
V. S.
spim
de Sil
rtspei
de Ja
refpew O SrTDrrwmas rerminon piT ahnalr
conferencia, njni o Sj.niefonto Jas d"Abfeu pre-
tex'^to J^M^^j^^M *..tj. gt
4al vespeit* emtmimo-nte irrininairtemente oui
NAO C.NVINHA EM TAL 11
E*crevi eir continente ao Sr. Dr. Juma dando
por terminado o meu compromisso, ""yi ajnjMitti
fazer outra cousa a vi-la de urna loiervenc&i tao
Kao Ireixe tW. pas^iTsem reparo a differen'ca
para meJbor fltie p ,iiw Aablo cjl.ega o Sr- Ur.
Ortigao noti.n uo Sr. doenl--', nao obstme os meios
simples detfiti*neutu.t+f>rtaa4>s py tnm^fM
melhora de*e a o Sr. luro de Jaraz ia ao temp i
aos cai(ttht (fe qne est Cfrcfidp, e. abs|enc>
rell elida de meios violeuDs quj. a-ei natrita-
meato.
O lavrador *o. perde o seu lempo qoaodo, de
pois de siiieri.J stnvnteira trz ot braoos, e
espera a nmlureza das mes-e', a vigiljinea lw
basta ; sun emquant) u caso o rejlaueiu fui sen
vo, tanto q unto o polia ser as coodiO's em qoe
seachava o*Ilustre enferma, mi*atr*veMa(ioa os
maiores perigos limitet ura su/Beieate vigiLDcia,
e eonli i ao rgimen, naturnd, e ao lampa lodo
o futuro
Permita me V: 8., por emquanto, qoe coueerve.
a iiiii.ha ,.pini..
O uso d. meios analpticos e restaaraotes (to-
d-t os meios analpticos sao restaurantes e todos
os restaurantes sao analpticos... O grifo meo),
fallara parle integrante do meu iepe*torio medic
para onde eu ja tcutiva encamraiur as Cousas,
Como V, S. muito btm sabe.
Cim referencia cadaira (le rodas) e eilchao
Je vento, ja hotiien ti ve occasiio de fallar disto
ao Sr. banio de Alcantarilha ; coma natuvl,mes-
rao a este respeifn vejo a iDgerencia aa ir. I .le
fooao J s de A) objeelos na felra. da Ladra ti
Dselo as melhoras do Exm. Sr. bario de Ja-
ragu, e a contina a ci da sale de sua Ex ma.
familia.O de V. S. moito atiento, venerador e
otirigado, Hermenegildo Jos Chave* Lisboa, ti,
de outitbro de 186, roa dos Faoqneiros n.' Hi
3. andar..
(GoafereBei.)Resurap-ds opinjdes dos tres
faculta t vos qo compoztram a confereaaia feita ao
Exm. Sr. bario de Jarago em 13 de outubro de
1869.
Foi unnimemente approvado o oso da electrici-
dade dinmica ioers i (tex'.uaes palavra) e eon-
venieuleutente appltoada e mais -tarda o aso da
st.'ychniaa externa e inieroao-eote; tratamento
analptico t restaurante.iotnaim Rimalho de
ilaceo Ofgo.Jos Casimir i meidaauiooio Cirvalho Hibeiro Vianna.
(Parecer).Esudo actual da doedea do Exm.
Sr. bario de Jaragu.
J recup>rou o conhecimento, mas eonserw
anula a moUliJade do lado d reilo Completamente
abol la. Dsvia menos pronunsado da bocea, le-
van Je j a pinta da liogua para o lado esquerdo.
Artieui.icao dos soas exiramameote dilJioil. Iuqoie-
la-se quaodogagueja, qae ,o,uo percebem. Cope
e eog'ile b;in. Cjosiip:i;.'i> Aabitual. Deeoae>a a
maiirpaiie das Veze iiiVoiuiiiaria, eicco (nos
iliriam is elliso. Esia nUvra gjier dizer falta
de letras oa vitabas na pronuncia das palavras ;
a outra s exista como parle do gauo creador 1)
quasi sempre voluntaria. Pulso regular, raas trac>.
Seolam-no ni borda do letto com os p< sobre ara
baaqiiiuho, e aln se conserva |wr uiuito lampo
sem o ampaiarem.
A' vi.-u do |ue,. s a^o pasaado desde o dia 10
do corrente mez, em qae vi o Expa Sr. barao pela
primeira- vea. nao posso aoppor. que baja um
ainolleciiumilo dis paredes dp fca aanguiueo.t
Para elle existir deveria ler luvido ma cnhafal-
gia int-nsa limitada a am ponto do encephc-l i, rao-
vimentos convulsivo-, a contractura nos memUnos
para I y udos, pul' > IVequenki e au/me no de calor.
A mu laura que a doenca tem feto, nao pos-o
ieixar de aattnbuir a urna dieta mais restaurante
qua mandei dar ao Ilustre enfermo, em harui nia
cnu a sua dade, con tituicao e gravilale da
J..'ii;a Por is-o a minia upiuiao e.mqu trataineulo co:uo a de alguus praticos, depois
de ter j passado o lempo da sua maior alensida-
de, ropruver(se fr pussivel) essa inaccao muscu-
lar, por meio da electricidade. Alcantarilha, 23
de outubio de 1869.Antonio Carvalho Ribeiro
Vianna.
Publicando estes docaraentos, sem previa aa-
lyse, smente com o Um de seguir a ordem ehro-
lulugica, direi : qoe autes do convite para ir Al-
cantarilha, Uve duas consultas, que passo a dar
taz, para que os leitores saibam e qae se passou
at resolverem o convite. Vejamos, na ordem das
dalas, o qae aconieceu desde 18 de outubro at 1
de novembro de 1869.
(Copia.)=>AlcaoiariUu oo Algarve) 18 de ooto-
bro de 1869.Juro. 3r. Dr. Brilhante.-No tenbo
a honra de oenhecer pesoalmente V. a ment-
pur indicaban de um amigo, o qual me auma a
consultar a V. sobre a molestia que abaixo exolreo
e sobre o tratamento qae se do ve ampregar :
Meu sogro, o bario de Jai agua, leve no dia 2
de fe vereiro d'este anno, no Brasil, um ataque que
foi julgado de cougesto cerebral, do qual se res
tabeleceu, Gcando-lhe porm pesos de cabeca, in -
sonia, enfraquaciraentos de pernas e de bracos e
falta de memoria. E' oecesarto notar que tem,elle
69 annos, porui a sua constiluico muito rija,
do que lem dado prova nesta sua deiradeira mo-
le-tia.
lando embarcado para Lisboa e d'ahi para Al-
cantarilha, individamente Ibe acoostlbarara ba-
nhos do mar, dos quaes, iendo j tomado orne ou
doze, no seguinte (31 de agosto) repeli-Ihe um
ataque com paraJysia do movimento em todo o
lado direito, inclusivamente a metade direita da
liogua, iiupoisibi'.idaje de anicular palavra, pul-
so peqaeoo e lento. Resubeleceu-se um tanto des-
te estado ao segundo dia, e nos seguales conti-
nuou com algumas melboras; ao nono dia desen-
volveu-se-lhe febre, cabio n'un estado comatoso,
do qual melhorou.Jeoiamente, pa>ado o ferceiro
da; de entao para ci tem melhorado algama cou-
sa lentan.ente. Hoje tem o lado Jiieito paraly-
sado, conservando, porm, baslante" senibilidade
e calor. Conhece as pessoas e parece ter conser-
vado a intelligencia, salvo quando se acha irasci-
vel, o que parece ser nroduzdu pelo calor e falla
de degestSes, passando tres e quatro dias sem
obrar.
Hontem, por exemplo, aconleeea, tornarse
mais e mais excitado, de modo que Ihe resottou
urna transpirarlo por todo o corpo, cabio em ama
especi de prostrar,ao e obrtju balan:e, viodo de-
liois a melhorar; dorrao um pouco i noute e
acna-e am pouco metbor.
Nao sei se este estado de exa lucio mental, que
por vezes o ataca, inherente molestia. Cun pre
notar que nio tem apreseniade at hoje retraecp"e>
musculares; aceita bem os caldos e engolo os com
sopa aem grande esforco.
O facultativo alopatha, qae o tem tratado desde
a sua doenca julga que o doente teve am ataque
de hemorragia cerebral, que a paralysia pouco ou
nada possa melhorar, sendo de receiir que com
aovo ataque, alguma compHcaoao de lade 4o ce-
rebro ou mesmo pulmunaf o faca suecurabir,
Remetto a V. urna carta do Dr. Vo qqal Sa-
via consultado antes de ser Informado por parle
do Sr. bario de Ourlcnry das babflkacSu da V.,
a cuja illnstracio reorro, a ver s combina coi
os medicamentos subministrados pelo mesmo Dr....
devulvepdo-me a carta, que juato eonfMeoe.il'
mente, do mesmo, a no caso de alguma nova ob-
aervacio da parte dp V. ou de appflccio de o
tros medicamentos, poder mndalos em carta a
mim dirigida, e dizer-me a importancia dos nses-
mos, para fazer de prorapto iudaniwM lo.
Outro sim, tosejo qneV. me diga o que julga
da applieacio da eleetricidade sobre u paraiysia.
segando opiaiie de martas pesidas, e ereie que
esse moderno a poderoso agente alo sari estra-
nho e es seus resultados i sciencta iaadica.
A conflanja qne nutro na probidade de V.
qae me levao a remiter-lbe mi confidencia a car
ta do Bt. ., qiie eisere ma saja devolvida.
respaitrior e a-ng?, 0,\
T
e sampre ten dito dotu... tj tereairo aeri craa
Si T ,Sao*iatr* *** **** *P#rea-
Prso 'jdr de V muito
Pmmscn Pinto Prtsi.
(Gpia) Ulm. Sr. Dr, Francisco Pinto Pasto i.
Sr. bario da Jaragu, de 69 aaaos de Idade,
hemlploga do lado direito. Tara o priraeiro
i apopltico do dia 2 de fevereiro deste an-
eo segando em 31 de agoto di mesmo anno,
conseqatncja do indiscreto conselb d um dos
baobos do mar. E' fcil dizer : tome ou faga tito...
E se o estado da medicina consistisse am fazer
recelias, todos striam medaos. Apreciar cabe
aafra do doente a indicaclo, oa ouotra Indicarlo
da am dado tratamento, o qua constilae a diCQ
ealdada do estado da medicina.
|Jm estado alduo, ama pratiea esclarecida pe-
lo estado dio o que so chama tino medico, o que
am dora da Providencia, oara os poucos que o
posirata.
Nenhora pratleo esclarecido dara ao doente o
conselho M baahos do osar, haveado o preceden-
te do primtlro e recente Insulto, e neste momento
direi : qae est em ideulicas coadiepes o uso da
ijecirieijlade.
rite- humao^earlrmmeiiio a lels, 'radada'pira
grandes commeltimentos, poderia ullisar, se o
'resulto dalase de 4 ou 5 annos, 5 o doente lves-
*** P*Hf*a' muscular, acompanhado de atr-
pala. Neste caso tiraria o doente algura proveito
prv>caRdp as orejz;espiu tpo/lisajas, ou appli
dadas aos p'0< do carpo numano.coroo se est pra
cindo heje opa |.,aizes, cade.o astado nio se
improvisa, ma< f i se. A/ora pplijda provocara
itci.vos ooJiw E' e.-U a ujipha opiui), fundada
oa rumba pratiea, e na letura dJ trabamos
Mas o Sr. ^iro, pela ,uj Jal.->, tem o amol-
cimento cerebral. Os ataques sceodera se uus aos
ouires.
E-n L'sbbi, nos meies de novembro e dezembro,
algumas vezes era janeiD, q.iandi reioro vento
nbrdeite sec^o. Nio sei expiicir'- fa :1o, raas di se
uas cirenmstancia i climatricas que apooto. Portan
ti o mea conselho, que bera difflcil se torna,Jattea
dendo a qae nio vi o doente, e s me guio pelo
qa> eo-lumi acontecer em taes doanoas, faltando
o exatrte dos orgos contldo^ no peito, principal-
mente o eoracSo a qae, quando hypertrophiado,
costuma prwocar os ataques, divdese em dous
lempos :
\." Para agora, 2* para o caso de rearjparicio,
attendeado a poca do anno.
O doente teve a hemorrhagia cerebral, qne cos-
tuma.deixar grandes estragos, forraando-se um
ncleo, algumei vezn ejtkustdo. A paralysia vai
eedendo na proporco do lempo necessano para
a sbsorpco do sangue, e diminuico do coapelo
eukystado.
Na autiga escola punham sedenbos, qae urnas
vetes era afMortwnfodo coagalo, outras derivati-
vas da irritaeo, e mais vezes e sempre araa idea
Lisa e tormentosa para o doente.
Para o caso presente daria cora vaotsgem a ar-
nira, na qaintaj dynamisaeio, qaatro vezes cada
dia. e cont nuaria'no seo u-o pelo menos am mez.
Os indicados remedios, causcum, occulos, la-
ches'n, ser vera para eombater os phenomenos ner-
voso, paralysia da lingua, da metale do cor-
po.ete.
Estes phenomenoj tolos cedem se o derrame he-
morragico se absorver.
A rnica as contus9es externas faz as pravas
qae aprsenlo. Eu anearla o derrame e mais tar
de os phenomenos nervosos.
Mas o doente est exposto ao terceiro ataque, e
oeste caso o qae deve fazer-se, e que recursos de
ve ter a familia, pira Ihe vale:, ou deixa-lo morrer
oas mos de Deas 7
Dupuytren, o celebre operador francez, quando
Sansn Ihe pronto a ihoracenlhese (tirar agua do
peito), re spondu : c deixae me marrer oas mios
Je Deas, e nie quero morrer oas mios dos ho-
meos. A familia tem a resigaar-se com as leis
da creacio, nascer, viver e morrer I
Nio po le exig.r dos medios; o que estes nio
podera adiar para si... Pecosa condieo ; o
destino I
Mas deve exigir do medico o molo suave Je ven-
cer b mal, e nSo-qnerer que u d jcate soffra resig-
nado o mal a ob tormentos com que procurara a
cura.
(Conselho preventivo). H vendo novo insulto,
'eve ler Acon'tnm ; da-se de cinco em cinco m-
nalos, de dez em des, de qiiinze eip qulnze minu-
tos, conforme os alivies. Se o pulso eetiver eoeio
e vibrante, d se este remedio.
Ni caso do doente apparecer com difficaldade.
do eogolir, indifferenca, e sera articular palavra
alguma, e pulso fraco, d Bellidma, como cima
Oca dito.
Se lioaver coma (como profunda embriaguez)
dar-se-ba opium do mesmo modo.
Q iaodo o ataque provenha de indegesto dar-
se ha Nux v.
(Modo de preparar os remedhs-). De qaaliuer
dos remedios, dez glbulos era duas oncas d'agua
(60 grainmas) da f inte. Agita, e d as colberes
de sopa ; aftasta, quando as melhoras se manifes-
taren).
As leis do reino nao permitiera que os mdicos
vendara remedios. Esta providencia da lei tem um
alcance serio.
Ha no consultorio homeoptica Libraense ara
pharmaceutico legal, que satisfaz aos uossos pe-
didos.
Nos affrontmos as escolas, e nao as justas pre-
venepes da le...
C.mo o medico oio pola ter laxa, a lei igual-
mente chama honorario ao que os Chentes do
mlico.
A este 4 condado o sacerdocio, e por jso cada
ara d o qae ple segundo a sua fortuna.
Logo qoe eofo em qualqaer casa, o meo pri-
meiro dever pdro doente livre de perigo, e se po-
der ser na primeira vmta tanto melbor.
Ao doente, depois de gosar os beneilciis do sa-
ber e da probidade do medico, pertenca mostrar-
se rico, remediado, ou pobre. O mlico Q:a sa
tisfeito logo que v o doente salvo. Esta salisfa-
c), que a eonscieueia do homom de b'am s apre-
cia, nao ten paga.
Os meas brios mdicos, qae tenho comprovalos
pela enrgica opposicao que tenho sust ntado pe-
rauta a socieJade, perigariara se pensasse d'outro
modo.
E s aqui porque nao pondo prego ao meu trab?-
Ih.i.
J-Sr. bario de Ouricury conh8ee raelh>r o meo
carcter do que aqnelhs que raa virara ciscer na
carreira publica. A elle devo a3 boas InforrajcS iS
qu V. S. teve.
I Por ultimo, tomo a liberdade de dizer a V. S."
que estimo do caracio ver o interesse e cuidado
que tem pelo seu sogro, o que provaque os vin-
cu'os moraes das familias nao estao de todo per-
dido?.
A soeiedade vaa perdendo tao nobres prineipbs,
chegando a desejar a rairte aos que teem alguma
cousa. para viverera das herancas I E' urna tri<-
te verdade. E quando a vida se prolonga, muitas
vezes tentara criminosamente, contra ella, hor-
ror I
Creia-me, Sr. Dr. Francisco Pinto Pessoa, sen
adra rad r pelo justkalojoteresse qae toma pela
vida do sea sogro.
E soa ltenlo, venerador e servo.S. CLi-
bia, 22 de outubro da 186'i. Antonio Maria dos
Santos Brilhante.
(Copia)Alcantarilha, 29 de outubro de 1869.
Ilim. Sr. Dr. Antonio Maria dos Santos Brillan-
te. Pico entregue da preciosa resposta mioha
consulta, e da receita gau faz V. o favor de en
viar-me com a indiccao des medicam ratos, dos
quaes pisso boje a fazer uso, e informar igual-
mente a V. do que se ha passado, depois da minha
pnmeira carta e remetter Ihe a opioio do faculta-
tivo, qae tem tratado mea sogro.
Sempre que se asseata e logo que procura iodi-
reitar-se, leva a mi ao peito e pela regan supe-
rior, geaie e indica pe fetaraente que all est urna
grande causa do seu mal; entretanto ufacaitati
o, qae, anda boje o exa i inou a prscrutou\ alar-
ma que aquellas phenomenos sao exclusivamente
lllhos do eatorpeeiraeato do lado paralytico, nao
-xistindo nenhum outro mal interno, e de modo
oenhum a bypertrophl}.
Ha tres dias appareceu-lhe inchada a mi di-
reita paralytica cuj humero muito Ihe doe eja
Ibe dota, sempre que se meche com a mesma
nao.
A Bfhamacio, qae ticki, das geogivas, dos
abi> e lingua, lera cessado. Darme bastante,
sendo para notar qne antes do primero ataque, e
mesmo depois, padeca de grandes insomnia de
modo que dira que se dormase, flcava bem. A
prisio da veuira por tras, quat,ro e maU dias bao
bitual, ao qae atlnbao oerto estado de excitaba
a doamemoriamento, em que algumas vezas se
acba.
Para esta caso cpslumavamos applicar Ihe agua
de Sadlili e citrato de magnesia, al fazo-lo
obrar, o qua preduzia ordmariamenle gr-uije-
descaigMe proatra^ao outras vezes e:iirr.sv,i-
eaoa os clyiiares da agua raoroa com mel da abe-
Agora qua temos da abandonar esses recursos
ser conveniente qua V. no* indique com bm-
dada a qua outros meios dvaan recorrer, na-
qjetje< casos.
O facultativo R V, qae aio Intolerante,
como todos os allopzrbas e tece a V. grandes e
merecidos elogios, diz .me ni) existe esse coagulo
enkystad), qae V. sappda.por na) baver ocoular
mente infeccinalo o doente.
Agora o que eu pens qua o doente nao re-
cuperoa aidla a mleingeneia, por que se assm
nio fora, nio (m pirece) se uio dariam esses
tresvarios e eneolerisameotos, se nao qae as iodi-
cac5es cora a mao esjuerda seriara mais exprs
svas e claras, o qu algumas vezas, verdade,
acontece: por.a, ni) ordinariamente ; de mais,
quando Ihe apresentamos diante dos olhos as lat-
irs do alpbabeto, poderia soletrar as palavras
que nos quizasse dirigir, e mesmo escrever cora a
esiuerda.
Vu escrever ao Sr. bario de Ounury, aflra
de satisfazer a V. S. o que julgar rasoavel ac-
malmente, pois, qae temas segoramente de fazer
novas consultas, e eximiramos antes que V.
marcassa o raereeimento real dos seus trabalbcs.
Nos tapeiouamoi levar o Sr.' barao de Jaragu,
apraa nos seja possivel, para Lisboa, onda V. nos
fir o obsequio e a honra de o medicar conve
neote nante ; to o que anhelamos e desde j
rogo a V. nos d o seu parecer a este respeito,
pois, qua temos pensado em ir por mar, visto aqui
nos faliarera os indispansaveis recursos.
Agradeco a V. as attenc;s de cava'.hiiro que
se digoou prodigalisar-rae em si a caru ; a espe
ro ler oecasio da comprimenta-!o. Muito ra?p"i
ttdor obrigado e sorvo.Dr. Francisco Pinto Pes-
soa.
Cipia.Blra. Sr. Dr. Fraocisso Pinto ?eisoa.
As cpnJQd'8 mrbidas do Sr. bario de Jaragu
aiada na mudaram. N'estes ataques, a paraly.-a,
a pri-o de vonlre, as m3 digestSas, a parda de
memoria, surda memoria de certas palavras,
commam, sobre tuda quando o ataque precedido
de ham irrh.igia cerebral, como teve o Sr. bario
de Jaragu uo segn lo ataque, alias teria recupe-
rado o moviueolo do hracp o perna, ou pelo me-
nos d'esta, o que mais trivial.
Nem sempre os estragos do cerebro sigaiticam
a morte oa a vida. Fiz em tem jo a autopse a
dousiuUviduos, qpe, entrar.d) no raasmo dia na
enfermara da Santo Antonio no h >sptal de S.
Jos, um anda no o, oatro veibo, arabos apopl-
ticos, o priraeiro morreu lego ; o seguado viveu
triuta das. Pela autopse venfiquei :que o pri-
mero, fulminado, liaba ligeira iniaecio arterial,
o o cerebro puucticulal) [potnlitl dos france-
zes) ; que o segundo tinba ponte de Varle re-
ducida a papas, lendo Vivido 30 dias I
Nio obstante os traba'hos feiio-, estas lesoes
ainda se achara muito obscuras ; por que, quando
Comparamos os phenomenos da vida com os es-
tragos, pela autopse achamos coasas nexplica-
vek E' por >so qua evito s?r dogmtico em me-
dicina.
O Sr. bario de Jaragu ainda nao temo kys
to cerebral. Pelo pouco tem?j que tem passado
di segn lo ataque, deve estar-sa fazendo a ab-
sorpcio do derrame lnmorrhigico. E" para isso
qae propuz o uso da .4rnic.i....
Os mais remedios foram para estar "prevenido
0) caso de terceiro ataque, que poda dar-se na
quadra, era qua estamos. Eu nio oosoivei o pei-
to do doeate.
Ha ama lei de coincidencia, aue mo-tra que as
appoplexias qjasi sempre sao precedidas de hy
pertrophia, oa oatra qualquer leso do coracio.
E' esta lei tio vulgar, qua raras vezes a autopse
deixa de a mostrar.
Sa o derrama d> cerebro se absorver pelo uso
da rnica, os movimenlos reapparecerao, e isla
no llm de mutua vez-s. E' quesiai de lemp^.
A nehicto da mi esqusrda paralytica depon-
de do embaracoda circulagao copular, consequen-
ca do fro da estacao e da para.ysia.
A priso de veotre vencer-se ha com clyster de
qaatro colheres de mel pira cada clyster, ou cora
sabio ordinario dissolvido em agua morna, (lean-
do esta cor de leite O sabio pJa ser amarello
ou bFaoco. E' o enemata soap d .s ngleze1, pra
lio pouco connecila entre no-, vUlo ter-se a nos-
sa fociedade afrancesado I
A< nonas escolas conhecem pouco a liueratu-
ra medica i^g'eza. Ets-aqui o que faria ao doen-
te. Mas h i vea io liogua sabucroa, alteroaria
Nnx v., com o Sulphur; um da Nux c, tres ve
zes ao dia, da seis era seis horas; outro dia Sul
pkur, de sais en seis ho-as Mutas vezes volta
sa o venlre, sem o aso dos purgantes, que debi-
litara o doente, e deixara-lbe o ventre mais preso
nos dias oueuips. *&
Sjbre applieacio da eleetricidade, ja disse a
V. S. o meu joizo. E, >em vaidade, posso abo-
na-lo ; por que em quaoto os mdicos estabeleci-
do3 anlae depois de 18i5.procuravam relacionar-
se, perde,ndo o seu tempo, e o esludo, applicava-
ma eu ao estudo, esperanlo ser procurado....
Empreguei o te po no estudo, e esta capital, sabe
muito bem, quantos annos e vigilias custa. Veja
se obtem o numero do peridico A Naco de 23 de
setembro, e do 1." de outubro, e vera que estou
oo -caso de abonar o receio do uso da electrici
dade.
Dizer faca-ie, e depois com o mesmo deno-
do nao aproveitou, fcil. Prover mais dif-
tcil.
Q.ianto vnda para a^ui, havendo n'issso con
veoieocias de familia libadas ao bem do doente,
pode teota-Jo ; porm na) espere tirar melhoras
taes que compeasem o sacrificio.
Qianlo Iha narre as ultimas palavras da Da
puytreu, e a resignaco com que asaboii, j que-
ra predispo-lo. Alera disto o clima al mais
doce, e os doas raezes que correr sio aqai os pe-
rigosos. Contemple ludo isto. E carao a medici-
na sacerdocio e nao arle de ganhar, por isso
ihe fallo cora a verdade as mias, alias enten-
dera que cada um chega a brasa soa sardi-
nba.
A' coofianQa, abonada pelos m-ras actos, deve
corresponder a. probidade e illuslracio medica.
Creia-me.. Da V. S. atiento venerador e servo.
S. (1, 1. de novembro da 1869. Antonio Mana
dos Santos Brilhante.
Operac&o d' cataratas
Venho npreosa dar um publico testemuoho
de minha profunda e sincera gratidao ao lllra. Sr.
Dr. Cosme de Sa Pereira pela pericia 6 delicadeza
com que rae eperou das cataratas, arrancaodo-me
da vista o denso veo qae me occullava o co e
as suas bellezas, e a torra a os entes qae n'ella
Djbis amo, miabas estremecidas (libas.
Ha alegras tao grandes, to comraovedoras, que
fura um impossivel tentar exprim las cora o voeabu
lariohumano: urna dassasexperimental quando ao
tirarme o Sr. Dr. Cosme o apparellio posto aos
olli is, aps a operario, vi a luz do dia os objectos
caros qua me cercavara o leito. Imagine-se qoo
grato poda e devo ser um c .raijio que experimen-
ta des-as alegras, e nio se lera feto idea pereila j
do reconhec.meuio, da inmensa gratidao que
tributa mmh'alraa quelle que resliluio-rae a
vista.
A a'siduida Je com que fui tratada pelo eximio
operador; os desvellos cora que esse espirito il-
lustrado procurousempro ganliar miaba conflanca,
qua sempre Ih'a dei; era ama palavra, tuio qaan-
to o mlico, que tal honroso uome merece, costu-
ma praticar em bem dos seus. doeniea; lado me
dizia, indo aluda me diz e dir-me-ba eternamente
que devo umaesuecie da culto ao Sr. Dr. Cosme
da Sa Per-ira, culto de gratidao que minh'alma
seatese feliz era poder re^der-lha.
Junte-se ao qua-teoho di:o que sou velba, en-
ferma e pobre, e estou certa de que as almas no-
iiro- comprebendero toda a grandeza do coraci i
do Sr. Ur Cosme, coraejio de ouro, onde medram
as mais bellas floras da caridada evanglica, onde
rescendera os uerfuracs inebriantes, que s a reli
g i-i sabe desenvolver.
Perde-me o Sr. Dr. Cosme se com este publico
testarauoho de mioha gratidao vou olTender a sua
recoohecidae louvavel modestia. Meu coracio es-
tilara se en nao dsse expansao aos wolimeolos
que n'ella lzaram brotar to ?nc ra qoioexponla-
oearaanie o seu digno, elevado e nebre praoeder,
a sua pericia, de'icadeza e amenidade em executai
a difflcilliina operario da extra^cio das cata-
ratas.
Receba pojs, o Sr. Dr. Cosme, com a exprsala,
de meu mais profundo reconbacimento, a sega
ranea de que jamis esquecerel os benekio que
me prestou.
Ooda28 de agosto de 1871.
Emerenciana de Arruda Cmara de Fajtq-
vs Iho roubon a \ ida a foi elle da aovo vivar
ethvrea mansa* doa.RiAjfs.
Ai daqaeile que ( quer ser vrvo- que s ansa a
illuso Ir A vida um soaho, a lonho aio
realidade, a eternidade ludq^a vida nada:
elle que soube ser fiel a religiap o feo o espera.
Si verdade que o mundo* bSo fJestonbeee i-
Qlimas qualidades, elle ifaslo, fui modele
como m.igistralo soube sempre desempeohar a
causa da Justina, como aui^rjiUoi foi llel eonsti*
inicio e assim elle vooa a eternidade.
8a viro, caro amigo, o eamiterio
Depositar no tmulo tea urna saodade,
Mas Iracas cordal de una pobra lyra
Orar por ti ao Deas da Eternidade.
Nada ser viro ; pjrqae o maalo nada r
..-------..., |,Uquc u iiiaaou e
Morrer na flor dos anuos malbar ;
Porque nasta ida de em que awrtude i
E torna mais feliz que va ao Creador.
Nio vira calar de quera chora o presto,
era de irmos as lagrimas eochagar -r
Bu vim bem triste a morada eterna.
Por miuha vez qma lagrima derramar.
Bem como a estrella, qae apagoa sea brilho,
Elle morrea i mas sim pV mundo s ;
R foi viver l Junto DiviodaJe
Su'alma j despida deste p.
Recifa, 23 de agosto de 1871.
De
B. O.

Ar*deeltMtuUt.
O abaixo assigoada penJierado que Ihe prodigali.-aram todo o sea' amigos por
oecasio do acerbo transs que acabu de soTTrer
como prematuro paisaraeoio de sau Mbo, vero
pelo presente pur si a.p-or sua familia agradecer
mui cordealmanta tantas provas de sy^iBal/aia,
tantos favores que recebeu.
Asegurando a indis aquellas, qae, no etce?
de sua caridade e benevolencia, se dignaran as-
socar-se a suar dor, a mais sincera e impefei-
vel gratidao, nao ple furtar se ao dever uV-
pecia'isar o seu collega e amigo desde a rofarmt
o Sr. Firmino Jos de Oliveira ero quem enewrro
a amlsad, dedicado e caritjbo qae > pQoVtU.as-
perar de um irmio. *
Recebam igualmente os Rvms. Srs. padre Mi-
ooel Lino do Monte Carmelo Luna, e frei Joaquim
do Eipirlto Santo os sinceros agradeeiraeotos do
abaixo assignado ; a os Srs. Dr-. arolioo Fran-
cisco de Lima Santos, Jaciotho Ra bello e Julo da
Silva Ramos qoe sucesivamente trataran ob vi-
sitaram o fluido >m sua enfermidade, dignem-sr-
contar com a lembranrt eterna que conservar
o mesmo abaixo assignad das deligeoeias que *-
zeram pela cura de seu les ditoso irtho.
Rehile, 26 deagstode 1871.
Emilio Xavier Sobreira de Meti.
il...........!
MethofJo Zaba.
Tenbo observado com a maior satisfafip qae.o
meu m-ihodo de estudar a historia universal ja
gaohando geral e unnime approvacao qusio
sua ulilidade cultura otelleclual.
Mas a esta agradavel sansacao sena duvida vea
uuir-se urna outra anda raaior, qual a observacic
que faco de que a intelligencia activa doe bjasiiej-
ros coiupreheodeu perfaitamepta o espirito d'esst-
meo raelhodo, e dalla saber co'.her ructos opi-
mas, prestando ara grande servido ao sea pa'a
pela applieacaa d esse raetbodo ao estudo da his-
toria patria,
Por essa forma vJp os meus esforgis bem re-
compensados, certo, como esloo, de que deixo o
meu methodo em Pernmbaco ;> ssoa coja niel-
dgaocia activa e lie-lmeta nao deixar de dar um
grande impulso ao estudo d historia. Mo nume-
ro dtSras pessoas cunto co n alegia oa St. DrsC
Fran;o de S e Ferreira da Costa.
Tive oecasio de examinar o roappa da hislorb
do Brasil orgaoisado por esses seohores, e achai-o
perfoito. Felicilo-os especialmente pirqoe ellea se
cooformirara com as regras que tornara o carc-
ter do methodo simples e comprehensivel.
A multiplicidade e troca repetida de symbolos
s concorrendo -ara augmentar a complicacio, a
b lie/1 do methodo c.-i em nio.augmentar o sea
numero. Por exemplo : representar os soberanos
por urna cora, os bispos pela .mittra, as batallus
por espadas cruzadas, etc. etc. si. t. re car regar o
mappa de oroaiueotos fatigantes sem oeahnma
vanlagero para a cultora intellectu!.
Para ebegar ao que hoje o meu tu .'Un do e.\-
perimentei tudo, e parecen me dever endemnr
cora bons fundamentos os symb.los ornamenlaw.
Minha experiencia de 30 annos me ant..risa di-
zer com conlanca qua para obler ura resultado
satisfactorio convera principalmente a-sanhorear-
se das localisaeOes.
S se pode e 4eve cantar com ura sacceaso
completo, quaodorlancando-se o olhar com facili-
dade e presteza de um outro local, se ebega a
realis.r pela forc intelleclnal a comprehensao do
quadro luteiro'd'e ura quadrado que repreaajaia
um se ulo, fazend* o sobresahir no momento re-
querido.
OalSrs. Dr.. Franco de S e Ferreifa Costa
comprehenderam pe fallamente a importancia
lesia base do meu methulo.e tenho a ronaaoca
em que elles vulgarisirio o sea empri'go con
vantagem para a ".struccao publica.
Pernambuco, 28 de agosto de 1871.
Conde N. F Zaba.
COMMERCIO.
Scgnros contra-fogo
COMPANHIA
NORTHERN.
Capital.
Fundo de
reserva
. o.oootiooojaae
. .'. 8,000jmtmn
Agentes,
Mills Lalhan & C.
IMPERIAL
Companhia
de seguros contra
foo.
.AGENTES
S. P.JOlfiSTOX C;
Ra du tteuzala-aora 49.
A sentida tuortc de moa Bel >mi-
go e counuad e o Ur. A tenle
InrcJra de Hendoae^.
Eila aio est mono, dorrae ; p. r^ua o Oleo da
virtu le nunca raorre.
O Sr. Antonio Moreira de Mendonja ao deixar
esta vida e partir para outra legn sua exeellen-
tissima familia a dor, e aos seus sijcero3 a maos a
tristeu. %m
Na idade de 48-annos a morte cam sea aluoeiro
SEGURO CONTRA FOGO
The Liverpool & Loa Ion d Glab
Insurance Compaoy.
Agentes :
Saonders Brothers & C
11Corpo Santo1|.
THE^LLIANGE BRITISH A FOREIGN.
Life and Fire Assnrance Companv nnlahiltirisn
era 1824. Capital 5,000,000
Os agentes desta companhia tomam seguro
contra fogo sobre predios, gneros a faiadas
pag ;ra aqu prejuizos devidamente pre vados.
Rabe ScbmeUaa & C
Corpo Santo o. 13.
i'rtACA DO rtECIFH 28 DB AGOSTO.
DE 1871.
AS 3 1/2 BOBAS DA TABA!.
Gotacoes oficiaos.
Algodio da Rio Grande do Norta-403 rs. per kilo:
sera tuspecQio (sabbado).
Algodo i* sorte>-5o3 rs. por k itaabask.)
Cambio sobra Leares 90 47 14 'A d. MT
UOOO do baoco (sabbado). ^
Cambio sobre Llsboa-3 div. 123 0,0 de premie ato
baaaa.
Descoaio dt taifas da Se i mazas -10 0<0 m
Bao.
Pele iresideota.
Uto aaaaatafiu.
ALFANOB Renraanto do da 1 a M.
dem do dia ......_ XoTlaieate la alfadMa.
Volomea aad/adoa ao faaeodu
, i com gandros W
___. f0ft
Volomes sabidos com (uaadaa 63

*


.
ir
liiario de Pernambuco Ter*
Je Agosto de 19.71.
cora gneros 1216
-j- lili
agosto.
utter farinha de
gara aojaba d*
, Descarregara
rifa,
gaucha ingle*-;t>e ?aper raglez Cognac -ideto:
Vare iag\et\8rUhantevarios genero?.
Despachos de exportacao no dia 26 de
agosto.
?ara at prtos do exterior.
Wa *arue fraoci Lonti A Jeane, para Li-
**avaeol srffgvan : Si Leitio Irmos, 439 sac-
aeanw M/g4* Jolloi da algodo.
_. Na barca brasiljira .Imizade, para o Rio da
rata, eirregaram : Bailar, Oliveira & C. 200 bar-
HHw wn H,t kHos de morar brane>.
Ma barca nacitasl Spreste, para o R'o da
eaei, camajoa : nYaneiseo Hibeiro Pinto liniraa-
rajj $00 barrica cora 17,733 kilos de assacar
aw*dp*r.
barca freneezi Btrlhe, para o Havre, car-
taaeram : Tnse frore di G.S89 coaros seceos com
KWtl^A eos uticos dos aunaos sujritos a de
nnw- 9m wo*tacIo.semana di 28 dk aoos-
fanriuast di 1871.
fefxadflrian: Unidades.
Rkmjajfata-^rigue nacional Piraiigy, Joa Jon-
anta Perea, carga assucar e agairdoate.
Porio-Birea portugueza Social, capillo Angosto
Carra*Braga, carga farinha de mandioca, assu-
car ejoutros teneros
Sydney (oss -Estaior rJiios)- Esenoa ingiera
Meril, casilia % Cauater,am lastro.
- l*totMn*> m d*27.
aran nao -5r> iftis, htate mdnw Joven Artkur,
de 91 toneladas, capitn Joaquina Mariano .da
Sooie; equipagena 7, carga farinha de mandioca
posta com
^P de poUaie.
5tettfo,
nda mareiaf 4o
I IATMAWW InsndK ca da sao* pobln**em80 OMCOg* 'waaire Ho**wi, amajada H* msmo ato
to de I87at woante.
A !** V* publico., j | >-* ea una'melnTt^ffi
9rs. boticarios e pharmaceulleni Hfea nee
la cidade, que Ibes flca marca* "f^MMle oi'to
das paraapreaeatarem nesla reparticao o tilu|e
pal qp^eM^eem. aj^a pbaraaaoiatsnem ce-
Alaanos
Alfodio em caroeo .
ttaenniM o*em lia.
Gaaaane*. moa. .
Pareos idem.......
Arroz com caaes. .
Mea descascado ou pilado
Assaear branco ....
Man. nenscavado. .
"Mbu i uflnado.....
duxia
kilog.
i
um

kilog.
. >
. orna
.
ou aen-
. litro
.
. "i kilog.
.
efarmentadas:
. litr.
> de ameodoim
ira.
neooo
i dftinamonx .
Dtalas alimenticias.
Baaniitu ....
Bellidas espirituosas
Agurdente cachaba.
Mam de eanna...... >
tatoan genobra.......
idean rehilada...... >
dem alcool........ a
Idera cerveja .... "
dem vinagre........
dem vinho de caj......
Bolacha "ina. comprehendidos os
biscoitos...... kilog.
idem ordinaria, propria para
embarque......... '
Caf ora '......
dem esco'.ha ou restolho ...
Idera torrado on molde. ... .
Cal branca, ....... >
lara-preta........
Cama secca ( xarque )..'.. >
Carvao vegetal........
Ora amarella.......
dem de carnauba era bruto. >
dem idera era velas, ....
Cha.......... a
Cocos seceos.......cento
Colla.........kilog.
Coaros de boi, seceos salgados.
Llera idera espichados.....
dem idem verdes.....
dem de cabras cortidos nm
idea de onca ....... >
Doces em calda.....kilog.
dem era gela ou massa. *
dem seceos........
Sspanadores de pennas grades duzia.
dem peqaenos......
Iem de palha.......
Esteiras de carnauba .... cento
dem propria para forro ou estiva
de navio........
E3tnpa nacional......kilog.
Farinha de aramia..... >
dem de mandioca.....
Feijo de qalqner qnalidade.
Fumo charutos......centro
dem cigarros......
Idera em folha bom kilog,
dem em folha, ordinario ou res-
tolho .........
(dem era rolo e em latas bom >
dem, ordinario ou restolho.
RaP.
Gomma de mandioca, (polvilho).
(pecacuanba ( raz ).
Angico (toros).
Cataros ....
Enxams .........
Prechaes........
Jacaranda (coucoeiras) duzia
Locha era achas......cento
dem era toros......
Linhas e e*teos......nta
Lour s (pranch5es).....
P dem de jangada......um
(Joiris ......duzia
Vinhatico costadinho de 25 a 30
millimetros de grossura. nm
dem pranchoes de dous costa-
dos at 50 millimetros de gros-
sura..........
dem taboado de menos de 25
millimetros de grossura
Valores.
300
238
530
41000
2*000
68
177
250
120
36
14000
5*000
937
671
5
10!
3*1*0
eurosganaros; a Antonio L. deOveira Ata- mh>?J*"3Ra*<$,T**Pff* aar*ra.|tMa
vedo Westsrrick-70 dias. brigne noraegnenie Valkg- VAS^J^ arC M 8,J22WM *
rte, de 118 toneladas" capito L A. Falken- """* desetembro de |BI'.
barg, aqpipagan 8. oarga raideira. a ordera. O inspector da t>a lo naWiea,
Navio tahido.M asina din._______________Orf Lott> Mo coso.
MontevideoVapor ingles Vigilarte, oapilao Van-
let, em lastro.
Navio entrado no da 28.
Ri) deJaneiro13 dia<, brigue nacional Si Paulo,
de S32 toneladas, capillo Manoel larciaoj Par
reir, eqaiaagom 10, carga caf e outras gena-
ros; a Pereira Garaeiro & G.
Obtervaeao.
Nao bouve sabidas.
ESTAR.
r
7
300
33ft
3001
337
600
300
660
476
204
476
959
39
27
258
168
442
436
763
41360
4000
1*438
566
640
37.1
350
10*000
1*133
784
2*180
48*000
244000
124000
16*000
12*000
136
681
92
27
3*000
320
1*090
613
681
545
2*180-|
170
1*703
60*000
360
1*500
5*000
95*000
3*000
12*000
6*000
10*000
103
5*000
6*000
16*000
20*000
Parante a cmara .municipal desta cidade'
ataran em praea nos das 28, 26,' 28, 29 e 30 do
corrate para seren arrematadas por quera maior
preco offcrecer as segointes rendas : o alugiMia
das casas da praija da Iudepondencia, ras de
Joao do Pego, Solelade, Imperial, das casinbas da
ribeira da f^guezia datBoa-tista, dos ulhoa dos
agoamtes da masms feeguezie, e bara assina do
Imposto do aferijSo de pesos e medida, e de 120
rs. por cada carga de farinha e ootros legnraes
vendidos nos mercados pblicos.
Paco da cmara municipal do llecife, 24 de agos-
to de 1871.
Ignacio Joaiuira de Souza Leao,
Pro presidente.
Loureneo Becerra Carneiro da Cunha.
Secretan.
duzia
144*000
96*000
Titajuba........kilog. 33
Travs........ urna 6*000
Varas para pascar. : duzia 2*400
dem para aguiraadas ... t 6*O00
dem para canoas.....ama 1*000
Cavernas de sucupira(em obra) 3*300
Eixos de cicupira para carro. par 16*000
Mslaeo........kilog. 35
Mal deabelha....... 3J
Milho.......... c 68
Oaaos ..... II
Paiha de carnauba.....molaos 1*000
Pecoury........kHog. 817
Podras de amolar ..... 31
dem de filtrar....... 18
dem de rebollo > 34
Psnnas de ema. ...... > 4*796
Piassava.........molhos 160
Ponas ou chifres de novilho ou
vacca.........cento 2*800
Sabio.........kilog. 348
Sal.....:...,. 10
Salsaparrilha........ 2*043
Snalos de couro tranco ... par 800
Solo ou graxa emrama. kilog. 340
dem em velas. ..... 476
Sola e vsquela...... > 1*200
Tapioca. ........ 204
Untan de boi.......cento 380
Vatsouras da carnauba duzia 768
lisa de piassava..... 1*260
dem de imb. .].... > 960
Alfandeg ue Pernarabnco, 26 de agoste de 1871.
01.* confereate Car/os A.L. de Souza-
O I.* conferentelate Marta C. do Amoral.
Approvo. Alfandega, 26 de agosto de 1871.
Pae$ de Andrade.
Conforme.Joaqun* Tertuliano de Medeiros.
KSCEBEOOHIA DE~RENDAS INTERNAS
GERAES DE PERNAMBJCO.
4l*adOMato do dia 1 a 26. 33:738*125
rifado dia 23...... 3:895*669
O Dr. SebStiT do Rcgo Barros de Lacer-
da, juiz de ilireito especial do counner-
cio oesta cidade do Reeife, capital da
provincia de Pernam ,uco em seu termo
por sus migestade imperial e constitu-
cional o Sr. D. Pedro 11 a quem Deus
guarde, etc. etc.
FdCo saber aos que o presente edital v-
rem e delle noticia tiverera, que por parte
da companha de navegado Brasileira,' me
fji dirigida a peligo do theor seguinte :
Illusirissimo Sr. Dr. juiz de direilo espe-
cial do commercio. Diz a companhia de
navegac5o Brasileira por sea? agentes oesta
cidade, qiie, tendo fretado.no Rio de Janei-
ro o vapor Annicota para fazer urna v agem
redonda do porto daquella cidade ao de
Belm no Para, acontece que o dito vapor
em sua viagem de volta fizera a gira e arri-
bara na costa da Parabyb1, donde secutado
lepois para o porto desta cidade foi aqoi
veriScado pela vestira qie requerea o res
pectivo commandante acbar so em estado
de nao poder navegar. Neslas circumtaa-
cas quer a supplicante protestar- haver do f
fretador e de mais qaem de direito for a
indenmisaeo de todas as perdas e damnos
que Ibe possara provir daque le facto ; e
pois requer a V. S. digne-se mandar tom >r
por termo o seu protesto e intima-lo aodit"
commandante, e por edital ao bario de
Miu que os agentes da supplic nie n^sta
cidade suppoem ser o fretador, oa a qoal
quer que o seja, nos termos do artigo 391
do reguiamento n. 737, vi lo que se nlo
acha aqu presente. Nestes termos pede a
V. S. drferiraeoto. E receber mene.
Estava sellado com o sello de estampilba
na importancia de duzentos ris, leg-lmen-
te ioalisada da forma seguinte : Recif,
2 de agosto de 1871. Henrique Forster
A C, agentas dos vapores. Ns'qual peti-
?Jo dei o despacho seguinte : Distribuida,
Como requer.- -Recite 23 de agosto de 1871.
Barros de Lacerda. Em virtude deste
despacho fora a mesma petico distribuida
ao eecrivao deste juizo Manoe! Mara Rodri
gues do Nascimento. o qual fez lavrar o
termo de protesto do theor seguinte ;
Termo de protesto. Aos 23 de agosto de
1871, na cidade do Reeife da Prnambuc,
em meu cartorio compareceu Henrique Fors
ter & C, representado pelo socio gerente
Humphry H. Suift., e disse perante mim e
as testemunhas infra assigqadas, que a
qualidade de agente da compan da de na-
vegado Brasileira, reduzia a protesto o
contheudo de sua petiejo retro, a qnal offe-
recia como parte do presente que Oca sen-
do ; e de como as-iai o disse e protestou,
lavrei este termo, no qu l depois de lido
se firmn com as ditas testemunhas : eo
Secuadino Ueliodoro da Cunha escrevi nte
juramentado o escrevi. Eu Manoel
Mara Rolrigues do Nascimento escrivo o
subscrevi. Henrique Forster 4 C, Fran-
cisco Joaquina Pereira, Alonso Jorge de
Mello, por forea do mea despacho o escr-
v5o (ez passar o presenta edital pelo qu -I
intimo ao bario de Maus, que os gentes
da referida companhia nesta cidade sup-
poem ser o dilo bario de Mau o fretador
do indicado vapor, oa outro qoalquer que
o seja, dos termos do artigo 35)1 do regu-
iamento n. 737, visto n3o acbar aqui pro-
sete para que fique bem sciente de todo
o expendido no presente edital. E p-ra
que chegue ao conhecimento de todo, man-
dei passar o presente que ser publicado
pela imprensa e affixado no lugar d > co-
lme. Dada e pascada nesta cidade do Re-
cite de Pe mam bu'.o 22 de agosto de 1871.
Eu Manoel Mara Rodrigoes do Nasci-
mento, escrivio o subscrevi.
Sebastio do liego Barros de.Lacerda.
i A roquerimaoto Je J*e Cm*do da Silva- Pe*
soa oven'ariante dos nena dfixuflos pelo, flojuic
Amonio Joaqnim de Almelda Gae,daa Alooforaio,
vio a pitea no dia 2ff do rrnte a'orna bira d
tarde diverso, neos novela do eaaoilt'dft referidr
Gaadea. _______________^___
Prlojaiz de orpbios. db laema da fUJ}
val rpraga reai^rimeoiQ. iwwpiftaaaota, nf
da 29 do correte.(ujrci-filr'O os beoA movem,
perteaeentea-ao esp.iHo tinado Antonio Joaquira
de Alaeida Qoedes Meoftirado.
P*la seeretaria da ttoMwiria dafazeuda da
provincia de^Peraantbuco ae hu jubile qoe leia
Cbristiaoe, aUegaado oo annanoiea fiiiea no
Diario de Ptrnambuco lerm sido consnnidaa ao
incendio qne teve lugar na no to d 1* de drienii
brv dB W0 no predi de sna propmdade n. 44
onde reaidia e tinha seu e ra do Bar) Ja Victoria do bairro de Santo An
tonio de* cidade, duas apolices da divida publica
da cont de re cada urna, da jaro* da 6 0,0 ao.
atrae, ns. 281S e 4881 da eraissa > Homo de 184
requerendo thosuntana para reqaiaitar da oataa
da admlnistracio outras apjilees das mesms
mantias e nontaros na forma da M de 13 ds no
verabro de I8f, o queameama ibeiouraria pw-
sata a camprir-.,
Havendo porm qualqnej' individuo que dentro
de um raez, a cotar da data Jo presente anonado
so aprsente nesla repartan e ira as referjdas
apolictw, mo-lranJo to-las recebiu. em hypotlteca
ou oalro qoalquer titulo, se nao dar ontraa apo-
lices ao supplicante. pois que no caso allegado da
perda de urna apolice involve absoluta annulla
<\o da primoira.
K pira constar se f- o prsenle annuncio.
Secretaria da Uiesouwina d hzenda de Per-
nambaoo en:, 26 de agosto de 1674.
Servindo de ofllcial-maior,
Manoel Jos Pinto.
tteflvo da opera : A rStl
exeeotali pulo h.MI, sympal
Jro Jallo Pnpe. ^
3. ilarejia solamaa miMatada -I. DE DEZEM-
w 08 iwo oompoecas oflareeMa dedicada
a illtetre aaeociacao do Sakanea Portogaea de
Lltora p|0 beneficiado or eujo motivo teve a
nonra da merecer-o1-'* socio honorario dp
anmo gabvirie nitnimm eonjiato pata orthea-
trai e a banda marcial da c(*a>o^de poliew.
6* eaande^nphoala Misada baila pelo
"ero HircedMie, iMaMdh>-Oa*iliatwr *
3 nano.
' nbnds djuappiaudldirimaujiera SamM-
,. ^0 cnraaral. da Venen exJhWo n* nauta pe-
* ctoe.latiiii proeaaor o r. Candido Ptiho.
Vm beiio paseo de danaa pela 8ra. D. Vic-
teria Haoen.
i.* -Pommada-Gpoioe aa^enoia ( pedido)
cantada pi6 habite vmpaiicoartista o Sr. Car-
loa Hatbiio.
^'*">'iue, tendo recebido sempre inequivocaa
**-* synpathia eu llfnetrado- pablieo per-
naranoeanrr, anda mals nn ve peo> a essege<
neroea puboo a protecoao que ?oe sempre e ib-
"tincadieBHe & lodo* que a elle reeorre;
Ouirosim, atecip^a deede j os sens sinceros
eord^aesjigradecimentos-* seu collegaa e ir-
mio* d'artn es Isapmes 1*1 i* Ponjie^ Qbarlea
baf,lra*H**eaaj flaai ifqpjj,^ de uj,, M
canfellfce||ciaajeeBda8 erpenSr pof Mlr-
resgMtal|eaia Martis*, oatttaolo de ekarl
^Dlelaaajjpoj daoarn (lstente) e da praw, salvas,
colheres de dita, adoiccos, pnlseiras, voltas de
perota, tranceln?, eorrentes, relogioa para se-
ahoras e urna grande quantdade de objeetoa de
onro, que serio vendidos para fiqnldicao palo
tnaior preeo.
HOJE
N> prmeiro andar dj sobrado n. 1 da traves-
sa da ra das Crozas, as II ho-as do dia
LEILAO
. *fa> de
eaissat* dainu.
Oador de ana con
'3SS*%i?&
De
Um sitio no Motocelomb, beira da estrada,
passanoo a ponte, bem plantado de coqueiros no-
vo?, e com arvoredos, um terreno no roeaaao ln-
Rar cora frente para a estrada, e no fondo a estra-
da de ff rro de S. Francisco.
Jtt trazaf Ka
A tt hmem ele> Ha..
Per ioterveari ds agente Pinte, em sea eecdp-
iono a ruadasCm> n. 38:
reaente-coronel Fraaneleie An-
te)nlo Randelra de Mello.
Leal Irmao, correspondentes e amigos do te-
nenie-coronel Francisco Antonio Bandeira de Mel-
lo, fallecido no engenho Agua-Prut aos 12 do cor-
rete convidara aos parantes e amigos do tf to ti-
nado, para que na terca-feira. 89 do correte a
8 bora- da manna se dignem de asslstir, na ma-
ula de Santo Antonio missa que Ibe mandara re-
zar pelo otaran descanco d'alma.
-***a*eaa>WWIlll.......
Mf;i*fiilaj, fif LoS> I^attillair,
di*. Filio, Miar. PaTc*
^oapet i
>nia Lg
Mia,]
Granadoa, .
naveta um treta e.-paelal depois do espectculo.
Principiara as 8 1/1.
AVISOS MARTIMOS
ESTABELKC1MENTOS UE CAKIAE.
Ra do Azeite da'Peixe (travessa da Madre Dos)
Sobrado n. 1,.......1:14I000
l\ua do Prdre Florianno.
Ca a terre? n. 63.......ttojOOO
dem n. 47.........ttO^COO
ltua do Catabonco.
Uam n. 18........3*X>,1000
ltua do Araorim.
Sobrado de 2 andares n. 26 ... 3O2J00O
Ra do Pilar.
Casa terrea n.'73......111*000
Ra da Gloria.
Casa terrean."61......240/000
Roa da Ponte Velba.
Cisa terrea a 32.......30#000
Ra dis Caicjada.-
Casa terrea o, 36.......19iO0O
Ra 3a Roda.
Casa terrea u. 3.......100/000
dem n. 5......... 103*000
Idera n. 7..........101*000
PATRIMONIO DOS ORPHAOS.
Ra da Guia.
Casa terrea n. 27......146*000
dem n. 29........193*000
Largo do Paxaizo.
Loja da frente do sooralon. 29. 192*000
Rna das Laraogeiras.
Casa terrea b. 17. .....'. 232*000
Rna de Gervazio Pires.
Casa terrea n. 39.......146*000
Roa de S. Jorge (Pilar).
Casa terrea o. 94.......240*000
dem n. 105........1514000
dem n. 102.......0 203*000
Os pretendemos deverao apresentar no acto da
jrrematacao as as flaneas, 'on compareceren
icompanhados dos respectivos fiadores.
Secretaria da Sania Casa de Misericordia do Re
;ife. 21 de agosto de 1871.
O escrivio,
_______. Pedro Rodrigues de Souza.
COMPANHIA. PERNAMRtTCANA
na
YaTeff*c$> cetelra por vapor
Macoi, escalas. Penedo e Aracai.
t ^ O vapor Giqui, comman-
danle Macado, seguir para os
portos cima ao da 31 do cr-
reme as 5 horas da tarde.
Rcct be carga al o dia 30,
encon iiiLnda*, pasiagens e di-
nheiro a frete a; as 2 h t*s da tarJe do dia da
sabida : no e.'criot.iri. do ?.,ru do Maitta n. 11.
COMPAN111A PERNAMBL'CANA
DE
Varegaco eosteira por vapor.
Parahyba, Natal, Maco, Mossor, Ara-
caty, Cear, Mandah, Acarac e
Granja.
'O vapor Pirapama, com rao 'a
te M .cedo, seguir para os por-
tes cima no dia 31 do correl-
as S horas da tarde. Recebe car
S~a at o dia 30, eccommenda-.
eiro a frete at as 2 horas i
arde do Uia <1a sahida : ^criptorio no Forte d(
Maros n. 11
---------------------.---------------------------
DE
Diversas faMeifc, miudezas e ferragens.
HOJE
$0 do correle.
O agente Pantana fr leilo por conta e risco
de qutm gMttMat da, porgo de dnzias de caai-
zas de lirato,at(adchitas, ditas de lia, rr.eias,
facas para-aaBrtatiritej bona "caivetes para traba-
Iho. e diversas miudezas, como retroa, Qu?, tran-
cas o outras, o am todo se achala patente do dia
cima 29 do-crtente, s 11 huras da manhaa no
ecriptorio do raesmo agente, ra do vigario n
4, f aaiar.
Movis, louca", vid. os, crysiaes e obras de
prata do Porto.
No Io andar do sobrado da ra do Impera-J
dor n. 17, em frente do convenio de .
Francisco.
A SABER :
Um piano forte, 1 mobilia de Jacaranda com I
aoff, 1 jirdineira,2 coasolo?, 4cadeiras de brar^o,
e 12 de guarnicao, 3 eamlieiros a gaz (finos) 6
jarras para flores, taples e escarradeiras.
Uma eama franceza de Jacaranda perfeita. I
toilet, 1 lavatorio, com espelho, 1 guarda-vestido
de araarello, 1 cabiJe, 1 cornmoda e 1 marq'ieza.
Salvas, ejysiaes, coiqerof, bules, faqueiros e
outros objectos de prata.
Um mobilia de faia branca, 1 meza elstica, 1
guarda looca, 2 apparadores ps torneado?, 18
cadeira?, louca para cha e jantar, copo?, clices,
C.mpoteira?, garrafas e muitos outros objeclos de
cesa de familia.
Quarla-feira 30 do corrente.
O agente Pinto encarregado por pma familia
que mudju de residencia levar leSo os movis,
Iouq.i vidros e mais objectos cima descriptor
existentes nn 1 andar do sobre do da ra- do Im-
perador n. 17, era que mo;ou oDr. Taixeire de
Si
O leilao principala s 10 horas.
Inspecjo
do arsenal
rinha
de ma
Faz-se publico qne a commissSo de peritos exa-
minando, na forma determinada no reguiamento
annexo ao decreto n. 1324 de 8 de feverelro
de 1854, o cseo, machina, caldeira, apparelho,
mastreacao, veame, amarras e ancoras do va-
por Pirapama da companhia Pernambneana de
navegacli eosteira, ach5U todos esses objectos em
estado de poder o vanor navegar.
Iospeccao do arsenal de marinha de Pernambu-
co 26 de agosto de 1871.
Francisco Romano Stepple da Silva,
Inspector.
HBSES
THEATRO
Companhia americana e brasilei-
ra de paquetes a vapor.
Ateo dia 1 de ssierabro esperado dos portos do
snl o vapor americano Merrmack, o qual de-
iia da demora d) costume, seguir para New-
urk, toeando no Pa e S. Tbomaz.
Para frete) e passagens, trata-se com os agen-
te* Henry Forster 4 C, ra do Com mere i o 8.
ftla>Craiide do tal pelo Rio de
Janeiro.
Para os indicados portos aeRoe por e-tes dias o
patacho nacional Mara Emilia, por j ter quasi
completo o carregarnemo'. o resto que Ihe falta
recebe-se per mdico prego ; a tratar a rna do
Vigario n. 14, primeiro andar, escriplorio de Jos
Lopes Davim.
PARA'
Uma mobilia de Jacaranda, contendo 12 cadei-
ras de gnarnio, 2 ditas da brajos, 2 consollos,
jardineir com pedra marmore e 1 sof, uma lita
de fiia com as mesrnas pegas, cideiras de balan-
do americanas, cadeiras avu!?as, 1 cama de jaca-
randa, 1 marqu zo, tuilet de Jacaranda, bancas
de mogno para cabeceira, bancas para jogo, lava-
torios de mogno com pedra, 1 espelho, toilet para
hornero, cama para criangs e muito ontros ob-
jectos usados que estaro presentes no aclo do
leilo.
. Quiota-feira 31 do correle.
toara fe!ra SO do corrate
O agente Manas, f^ri leilao dos movis cima.
os qaaes se acham muito bem conservado?, no
armazem o. 30 da ra das Cruzes as 11 horas do
dia.
Braa iartoia i MwVfMe arra Pea-
sea* Hado, tendo-d. mandar tar na missa
nan alma do tenente-coroat Eaajutco Antonio
Bandeira de Millo Jnior ttaffeU 4os reas amigos
que se dignem comparecer a^Mpnja do Livramen-
lo pelas 7 t|2 horas da maftia jara assistireo a
este acto piedoso pelo que wanflfc^am gratos.
*mm-n*mmyi*mmmWmW*v*mmmm

D. Anqa Allexandrina de Avellar Chaves, Jos
M. S. de Avallar, Manoel J. S. de Avellar e o ba-
tbarel Joaquira T. S. de Avellar, coovidam nao s
a todos os ssu parentes e pessoas de sua amiza-
de, como tamb8ir. a de eu preaao; esposo e cu-
nbado, o (loado lar. Wenceslao Garca Chaves,
para assistn-era a algunils missas [jne por alma
do mesmo mandam rezar na igreja da Santa Cruz,
pelas 7 horas da manhaa do da 311 do correte,
/primeiro anniversario de seu infausta passameoto;
a por to carid. so obsequio desde I j protestara
sua eterna gratido.

Novo Atheneu.
Por ordem da directora convido a toos os Sr?.
socios nao s effeclivos como boncrarios assiro
como aos parentes e amigos do nosso codsoco
honorario fallecido na Baha, Dr. Antonio de Cas-
tro Alvos para assistirem as missas que pelo eter-
no repouso de sua a ma. a soclednde lera de
mandar eeltbrar, quinta-feira 31 ai 8 horas da
manhaa na matriz de Santo Antonio.
Reeife 23 de agosto de 1871.
O secretario,
Eduardo J'ivme G
Precisa-se de ama am
do Terco n. 40. padaria.
da Araujo
no pateo
por Maraulio
biate D. Luiza
Irmars.
pretenJe sabir com nrevi lade o
: a tratar-se cora Gomes de Mattos
-r_
BAHA
SOCIEDADE EMPREZ VBIA
ZARZUELA HGSPyflOLA
Recita extraordinaria.
iio.n:
Subir scena a ramio liada e applaudida zar-
zuela era tres actos, msica do maestro Barbieri.
e poema do Bxra. Sr. D. Ventura de la Vega, in-
titulada.
39:633*994
CONSULADO PROVINCIAL.
HoadinaeMe do dial a26. 54:97|52i
*** 18...... 6:506*750
G1.-48UI71
IVIMINTO DO PORTO.
Navios entrados no dia 3*.
Aaai-11 diaa, bjata aaekraal floto lnvencwel, del
Jf oaelaaW, eapitao Antonio Redrigues da Sil-
vvaaajlaayti 8, carga sal e aolla; a A. R. a
IfapangaapaU horas, vapor nacional Corurine,
121 tonelada", commandante Jos Henrintte
da Sdva, qanaafera l,.carga aigpdio e outroa
amero); loeeapaahia Pernambneana.
Parante a cam ira manicipal|les a cidade es-
taro em ba-ia publica nos dias 31 do corrente
mez, e 7 e 14 do mez prximo viodouro, para se-
ren arrematados p r quem mais oforecer, por
lempo de um auno ; o aluguel do sobrado, sito no
largo do Corpo Santo da cidade do Reeife por
700* ; afferigao de pesos e medidas 1:381*, sendo
o arrematante obrigado a a Herir os da mesma ca
mar, sera indemnisaclo algama; coqaelros de
produgio, exceptaalo dez pea para o oso do pro-
pietario 1:450* : capim de planta 625*; 500 rs.
por cabega de gado vaeum 251* ; ma.-cales e bo
ceteiras 72* : alugueis.das casiohas da ribeira
71*; 100 rs. por cabega ds gado, recolhido ao
corral Idf ; 120 rs. por carga de farinba e lega-
mes 21* ; 200 rs. por cabeg de gado sumo, ove-
Ihuna a cabrum 10* ; e repeso do acougaa por
7*000.
Oj ((retenientes deverao comparecer nos rete-
ridos dias com seus fiadores competentemente ha-
biladei.
Pago da cmara municipal de Olinda, 14 de
agoato de 1871.
Manoel Antonio dos Pasaos Silva,
Pro prenden te.
Mareolino Das de Araujo,
Secretario.
lie; a eonaeantiia Pernamoacana.
tffftos iifudot na mesmo dia.
a de Janeara a portos intermedios-Visor naci
nal rVrWaVnfe. commandante Antonio Jos;Gar-
fia, eirfi i gneros.
Pela aacreuria da ttieaourarla da fatenda
daata aroiinria aa faz publico que no dia i de
seumbry aroaaio vmlonro, as dnas boras da
tarde irlo praca para sorera arrematados por
-.laaa aar neoos flzer os reparos de qne precha
' o edificio da alfandeg* desta provincia orgados
era uaa eooto oltoceotos o vistae sete mil seis-
liht de Pernanao 2 dias, vapor nacional Aon
daau.de flntteaekdas, conteaaniasHe Ino fian centos e eincoenta res, conforme o oroarnento, o
ana da Ira, equipafus 16, carga milbo a fet- qnal aera franqueado na mesma secretarla aos
>br* % aaaafcaaaaaataaiaJaia. L>]mnihnnni nrnliaaaiil n i bbbbbT^^
pretaodentes.
SeareUria da thetonraria de fazenda de Per-
aamaneo, em 26 de agosto de 1871.
Servindo de ofioul-maior,
Manee! los Pialo.
Daiaeza de
Londessa de Boroos___
Duque d'Albnquerque..
Mrquez de Cara vaca..
Febz......
Antonio .
Mordomo 1.. .
dem 2. .
dem 3......
O tambor-mor dos ton-
cos......
Um enfermeiro (guarda
dos douJo
Persooagen9.
Medina. D. Maria de las Dolores.
D. Chriatina Aguilar.
Sr. Evangelista.'
Sr. Ortir.
Sr. Monsalvez.
Sr. Das.
Sr. Medino.
Sr. Conde.
Sr. Garca.
Sr Torras.
Sr. Ventura.
Segu para o porto cima com a maior brevi
dade possivel por esta- com a maior parte da car-
ga o biate nacional Garibaldi. capito Custodio Jo-
s Vianna: tratar com Ta:so Irmaos de C ra
do Amon'm n. 37.
PORTO-
Para o indicado porto pretende seguir com pou-
ca demora a veleirae bem conbecida barca por
tugueza Social por ter parte de sea carregam6Dto
engajado, e para o resto que Ihe falta, que recebe
a frete commodo, trata-se com o consignatario
Joaquim Jos Gongabos Beltro rna do Commer-
cio n. 8.________"_ __________________
LEILOES. .
PortSo de rnassas, arroi, castanhis pilladas,
vinho encaxotado, pnosphoros, pedras
marmores e lavradae, e i caitas caro ga-
lochas.
A 31 do corrente.
0_ agente OVeirajfar leilao par ordem doExm.
barao da Soledade, na qualidade de vice-consul da
ilaa nesta cidade, e consignatario da barca italia-
taTrol, e por conta e risco de quera pertencer,
precedida a autorisaoao d'alfandega e com assis-
lebeia de um empregado fiscal de-ta repartigao e
do mesmo Sr. vice-consul. dos gneros snpra in-
dicados, sendo parte do carregameoto da referida
barca, e dos quaea venderse ho juantos bastem
para recorrer s despeas provenientes da sua ar-
ribada este porto com agoa abert
Quinta-fera
s 10 horas da manna em ponto, no armazera al-
fandegado, trapiche da companhia Peuumbucana,
largo do Corpo Santo.
VISOS DIVERSOS
Dama, cavalleiros, cortasana, loncos e aguazi*.
A scena pasaa-se tu Madrid aai 175".-..
Os biinetes achara-se a vena no escrip.Mrlp do
Precos os do costme.
Principiar as 8 1/1 horas.
THEATRO
DA
ZARZUELA
o
< aatapo das Prlaaeeaa
QUARTA-FEIRA 30 DE AG08T0
Grandioso concert vocal e inatrunental en be-
neficie dn artista
COLAS
. PROGRAMMA
1.a parte.
j awuu
Zarzoala era ora aeio, exibda eefoa Sra. Ora
nadoa, D. Mara CaetJMo e D. Luiza LarMUIr e
Plawaana
! parte.
firllhante festival pela orenettra que ser com-
Sobrado da 1 indares da ra de S. Jorge
Um sitio, um carro, dous carril-
los dous burros e um cabrio-
let com 4 assentos.
0 agente Pontnal, competentemente antorisado,
vender em leilao, nm excedente sitio, sito em
Apipncos, com bastantes arvoredos, fructeiras e
cata de vivenda, com 4 janellas ds frente, 1 quar-
ios, 1 salas e eosinba tora ; era cuja casa mora o
proessor do mesmo lagar. Na mesma occasio
se vender nm exceliente carro de passeto com
ama pareiba de eavallo, arreados, nous'narros
q am cabriole!.
HOJE
$n frente ao armazem da rna do Ir.norador n. 16,
a U horas. _________-
LEILAO
DO
to.
ftoje.
A 14 ItetJMM eaa poseo.
Por Ibterveogio do agente PiaU, em seu es-
attptoro. rna dj>
Em continuado..
Ao correr de marteUo para liquida^io -Julio
Na noite de domingo para amanhecer hon-
tem os larapios entrram no quintal de nma casa
da ra do Coronel Saassuna e levaran) ama aof
frivel trouxa de ronpa, entre cobertas de chita,
diversas pegas de roupade seohora, diversas fro-
nbas, em algumas das qnaes levou as ioiclaes em
carcter manoscripto A. A. e n.uma coberta en-
carnada as T. A., diversos pares de meias, 4 gran
des e excedentes taxos de cobre, 1 com o peso,
um de 16 librase outro de 20 a Si, e os dons cu-
tres com o peso de 10 a 12 liaras cada nm, e mais
urnas galiobas. Os ladroes f>ram manidos de
aa oseada, da qnal ae aeaviram nao para gal
gar o muro que da rna do Alecrm deita para nm
grande deposito de canos da>companhia Irayoage,
don e por cima de uma grande pilha de canos
que esta adhat ida ao muro do quintal ronbado,
passaram-na pata este, deixando o limpo da roa
pa, dos laxos, e gaUuhas, que nao darlo magro
[caldo. A estada, pelos signaei indeleveis que dei
l^oa dos dous p<, den l'igar a que se saibaque
ella tora de largara, medida das saperiiceia exler-
nas de anas peraas, SS tj deui: e das superficies
internas ou comprimeoto das traveseas 17 deci:
feqceerrendo i meama a etreamstania de ter um
< os fes que sao roligos, mais grosso qne o outro,
-aquelle cora o dimetro de 51 deci: e o outro de
4 deci: op do ladrSo que desceu nao parecen qne
desconheee aapatos, apalhetado e med 14 a 15
deci: a qaem ebegar o conherimanio daqneHes on
de alga na dos objectos, qnereodo declarar nade
(antiBameote ra do Klar a. 4$) oolav 'p acham, promette-se nao s segrede para quera
rmintil awiitfn nara aj-Ba n Praaml e os noticie, eomo recompensa generosa, receber
qomtal, pomo pira, i-na < o raarot e mesmaraa, casa n 6B.
um aobrad nho por cima.do mesmo por-
Aluga-se urna casa co n manos commodos
quintal murado, na Ca; ung, ra das Crsonlas n.
61 : i tratar na rna d Vi ario n. 33. 1 anrtar.
Precisa-se de uma ama : oa rna Nova o. 6,
seodo o servico comprar e eozinhar.__________
NOVIDAE.
A loja do Papagaio acaba de receber am com-
pleto sortimento de sedas lavradas de uma s
cor; assim como um esplendido sortimento de
poupelinas de seda, tanto um como outro sao de
lavrores ioteiramenle novos, e as cores sao as
mais delicadas que at hoje tem apparecido neste
mercado, seu prego to commodo que nao ha
quem deixe n. 40, esquina da ra Sote de Setembro, amigo
beco dos Ferreiros, loia de Mendes A Carvalho.
Irmandade do Santissiuo Sacramealo da
freguezia de S. Jos de Reeife.
De ordem da mesa r< gedora convilo a todos os
irmaos comparecer:n domingo 3 de setembro
as 11 boras da manhaa, no respectivo consistorio
ailm de proceler-se eleigao do juiz, vago pelo
fallecimente do irmo Antonio Moreira de Men-
donga.
Consistorio da matriz de S. los, 18 de agosto
de 1871.
O escrivo interino,
C. C. Campello.
CONVITE
Ccmpanliia de edificages urbanas rues,
compras de' terrenos etc.
Os Sr.'. subscriptores para a fundago dessa
utilitaria companbia, sao convdalos a reunirem-
se no dia 1* de setembro ao mei > dia, no eserip-
lorio do Sr Dr. Jos Eustaquio Ferreira Jacobi-
na, roa do nuinjada c. 79, entrada pela praea
de Pedro II, para nesta primara aaaio de IB'-
sembla gerai constituir e dar logo andamento
a dita companhia
Pernambaco, 18 de agosto de 1871.
O encorporador da companhia,
' F. 11. Duprat.
HTTip
Os aenhores aoaixo mencionados sao rogados
vira ra do Apoljo n. 4. a negocio de tuieresse
reciproco.
Uaiz de Oliveira Lima Jnior.
Silvwtre Pantaleio.
Prancisco de S larreto.
Francisco de Aisis MeHo. *
Paulino Rigueir.
Jallo Cesar Cmlcante deAlbiqnerqae.
f Dr. Jn5o GaimarSes.
Capito Jos Aveliqo da Silva Jaques.
Joaq^ira Pac#eo da Arroda Cmara._________
A Xf A Precisa-te de uma ama para caaa de
lilil familia do duas pessoas < a tratar na
roa Direita n. 3, primeiro andar.
Antonio da sallaa lala
Bernardino Jo- da S Iva, testamenteiro do fal-
lecido Antonio da Silva Maia, cordialmente agra-
dece a todas as pessoas que assistiram ao enterro
do mesmo finado e o acompaobaram at o cemite-
rio ; e de novo os convida pata a missa do stimo
dia, a qual ter lagar aa ordem terceira de S.
Francisco pelas 7 horas da manhaa do dia 30 do
cnri-An' m*. neln one era e'ernsnien* grato.
WSk DA rOMllM
Aos 5:0001
Bilhetes garantidos.
i roa Primeiro da Margo (optr'ora roa de
Crespo) n. 23 e casas do costme^
O abaixo assignado, tendo vendido nos sens fe
mes bilhetes um quarlo n. 1391 com 800*000.
am qaarto n. 1067 com 1001000, t ontraa aortes
de 40/ e 104 da .lotera qne se acabon de extra-
bit (104a), convida aos possnidores a virem re-
ceber na conformidade do cosame sera descoc
algam.
Aeham-se venda oa bilhetes garantidos da
10.* parte das loteras, a beneficio da nova igreja
de Nossa Seobora da Penba (105*), que ae extrahi-
r terca-feira 29 do corrente mez.
PRECOS.
Bilhete inteiro 6*000
Meiobilnele 3*000
Qaarto 1*500
Sra porgan de 100*400 para cima.
Billete inteiro 5<5O0
Maio bilhete UKO
Qaarto 1*375
Manoel Martina rima.
areaata>aa d an menino para caixeiro : na
rna de Hartas n. I. __________________
Precisa se de orna ama de boa conduela para
ama familia estrangMra : na roa da laaeratri n.
>, iola.________________________
Prevlnese ao 3ra acciooiataa da eompataaia
dos triilhia urbanos do Rae* Oliada e Bebaribe,
qne a aasembia geral darta companhia conti-
na era sena trabalaoa atdj|aa-a reforma dos eata-
tntoa no dia M do eoiteaSeVpelaa 10 horas da ma-
nhaa, sendo a reunio no mesmo lugar dos anaua-
oiw anteriores.
O i* aecretano,
Ltt Lopes Caatello Branco.


Otar 1 Perunmbuo* -- Terca 29 de AgosAo de l8 1
No centro da veoeza americaoa.
No centro do commercio.
O mais porto das vias frreas.
O sais perto do embarque no caes SS.de Novembro.
O mais perto dos theatros.
O mais recommendivel ios amantes do commodo.
O no ico que era no interior casa de banbos. ____;. ..
O nnico qae as familias podem hospedar-se sena recelo de encontrarem-se co peseoai o
O n'oico onde actualmente se acba o melbor chocolate hespabol qne fe podo toco a
qnalqaer hora ; assim como tambem se veode i libra. ^
O nnico Onalmente qne offerece oropleta eommodidade por ser o mais eipacoso do
A rna larga do Rosarlo n. 37 _____
Recite.
.-
ARMASEN DOS LEOES
RA DUQUE DE CAXIAS N.29
Os propietarios deste] grande e bem montado estabelecimento scientificamjao
respettavel poblico desta provincia, que se acbam com um variado e completo sortimento
de movis, tanto nacionaes como estrangeiros, sendo estes escolhidos capricho por
um dos socios que?e acba actoalmeote na Europa, e por isso os podem vender mais
baratos 20% menos de qoe em otitra qualquer parte. O mesmo tem contratado com
os melbores fabricantes daqoelle continente as remessas das mais ricas, mobilias fitas
all. Na officina tem' os mais habis artistas deste genero, e por isso aptos a fornecerem
mobilias as mais aperfeicoadas par as casas da provincia consideradas de prmeira
ordem. Pedem, i orUnto, que venbam visitar dito estabelecimento, onde encontrarlo
a realidade do que acabam d expr, passando a examiBarem : ricas e completas mobilias
de Jacaranda, mogno, faia, carva lio, amarello, etc. etc., ricas e elegantes camas de
Jacaranda, po-setim, amarello, etc. etc., guarda-vestidos de amarello, guarda looc,a de
nogneira, amarello, com tampo de pedra, aparadores de dita, dito, com dita, petits
toilettes, especialmente para fazer barba, toilettes de Jacaranda e amarello, com pedra,
e amitos outros artigos de gosto, que para se nao tornar enfadonho prescindimos de
azer trenc-ao delles, o que so com a vista f oderao apreciar.
Attencao.
O 8c tfrancieo Leonardo Cdtmo la Siqneira
lenta* bondade de vir i roa do Bario da Victo-
a, nau'ota ron Nova a. II, realtsar qne aro-
metteo desde o di 50 de jmho.
rodea-s de urna ama
fie saina cosiohar o eogoa-
_ mar : na rna estreiu do Ro-
andar ; pira urna so peesoa.
GARROCEIRO.
Preeisa-se de naa earroetiro, prefere-ie porto-
gnez: a tratar na rna do Imperador n. .
Cozinheiro
PreeJia-se de um bem cetioheiro : na raa lar-
ga do Rosario n. 44, hotel.
MOFINA
Rogare aoIHm.8r. Ignacio V.eara d*Mello, .
irivio na eidaae aaNaaarath aasu torcia,
favor de vir a roa do Imperador a. 18 a oaelufct
aqaefle negocio qne V. S. so rampromeeleo real,- r
r, pala terceira chamada deato jornal, as fias W6
le desembro prximo passado, o depots para Ja-
neiro, paason a fererefro o aaril, nada enmprio,
s por ata motivo da novo mamaaa para* dito
m ; pois V. 8. se dero lembrar ana osle negocie
de mais de oito annos, o qnando a aeahor ato
flho se achara ao as nesta cidado
Attencao
Um rapaz brasileiro qne tem boa letra
sabe algnmas operares de copias, e qne tem "al
e que
ma pratica de uberna, te offerece para eaixeiro
le algnma casa de negocio, dando fiador
conducta : nesta tvpograpbia ce dir.
a sna
para varzea e ladeira.
i/apaS de errO ga| valsadas para cobrir casas etc.
Formas de ferro para assncar. ,
Arados Americanos
Machinas a Vapor.
JlLaCilinaS de descarriar algodao.
Balanzas de pesar
Fogoes de ferro
Garrinhos de mo
Prensas de copiar
Cofres de ferro
Tachos de ferro
AO PUBLICO
Tendo mndado a miaba residencia para Apipo-
eos tenbo a honra de indicar as casas dos srs.
J. Rhigas sneeessor de J. Vignes, ra do Imperador
n. 55. on a do Sr. Vctor Pfalle, rna do Duque
de Caxias n. 6, como aquellas qoe graciosamente
se presura a iransmittir-me qualquer recado es-
cnpto on verbal.
" Gustavo Wertbeimer.
Atteufio do tr. Pp. dos Montes
Pede-te ao senhor cima qoe vi ou mande sa-
sfazer ao qne flcou devendo na Ponte dos Car:
valhos, resoltado da compra de nm cavallo qoe
all negociou desde fevereiro do correte auno, do
contrario veri o sen nome por extenso oeste
jornal. ________________________________
Flores e grinaldas
A ebspeleria imperial a rna Primeiro de Marco
n. 6, acaba de receber um lindo sortimento de
dore? e grinaidas; assim como chapeos da ulti-
ma moda para hornera e Seohoras-____________
Medico
Dr. Gustavo Adolpho Walbaum pode ser pro-
curado todos os das, por agora, na pharmacia
francea de Manrer & C : na rna Nova a 23, de
10 huras da manha at urna hora da tarde.
AOS 0:000*5000
Esto i venda os felizes bilhetes da lotera di
sania, na casa feliz do arco da Conceicio, ioja d(
mrives no Recife.
estaobado par aren-
naces etc.
Estes artigos vendem-se em
casa dos importadores.
Shaw, Hawkes 6c C.,
X 4 ItUA DO 110M JESS.
(OUTR'ORA RUANDA CRUZ )
Ptimeiro de Mar^o 19
Tendo renovado completamente a Ioja do predio, emque teem oseu es-
tabelecimento,
9=A ra Primeiro de Marqo19
com aquelle asseio e elegancia desejave*. acham-se agora prvidos do mais
explendido sortimento de fazendas finas e modernas de
SEDA, LA. LINHO E ALGODAO
todas do ultimo gosto, e rontinuam a ter como sempre, diversos
ARTIGOS ESPECIAES DE SA GASA
Garantem, com toda
a sin eridade, wnder
por menos qne qual-
quer outro, porque
recebem un direitura
a maior parle de suas
fazendas.
I9RUA1.DE MARCO 19
(Antiga rna do Crespo).
HOTEL DO OBIENTE
ua Larga do Rosario n. 44
Este acreditado estabeUciraento, offerece aos sues distintos consumidores suma va-
riedade, gosto e moito assno em snas iguarias.
Tem urna espacosa e elegante sala para alimentacao, a primeira neste bairro
Os gneros de consumo sao de primeiras qualidades.
Recebem-se assignatnras tanto para o estabelecimento, qoanio para domicilio.
Ha para recreio, sala de bilbaretc pianno ejornaes nacionae e estrangeiros.
Dispoe de cmodos e iodependentes apozeutos para hospedagem.
CASA CAUVIN *JH5R
Vende-se o bitio Olho de
Yidro.
Em Ponte de Ucha.
Este sitio tem nm sobrade de nm andar e an-
dar terreo, contm 4 sallas, 9 quarlos, t coziBhas
com boos fogde* e foroo de ferro, este sobrado
circulado de janellas. Tem em separado grande
coche ira para cavallos, casa para feitor e escra-
vos e bem assim casa para fazer farioha com seus
misteres para tal fim. Esta casa tem na frente
irnos canteiros para flores, com ponao de ferro
para a estrada do Paroameirm, grande sitio ar
borisado c m grande diversidade de fructeiras.
grande baixa para capim, podendo sustentar por-
cao de vacas leiteiras para as quaes tambem tem
commodos de recolbimeoto.
Os fundos da dita casa e sitio deitara- para a li
nha frrea que segne desta cidade para Apipucos,
e se acba livre o desembarazado, visto qne aa
quesloes que os consenbores de dito sitio tem
com os empreiteiros de ditos tr'hos apenas diz
respeito ao terreno que elles ora oceupam, e os
prejoizos que por tal motivo tem cinsado.
Os pretendemos p^dem-se dirigir ra Duque
de Caxias, Ioja n. 43, on roa do Aragao, boje
ua do Visconde do Pelotas 13. casan.
A VERDADEIRA E GENUINA
SALSA-PARRILHA DE AYER
EM ACCAO
A molestia ou infecao propriamente co-
nbeeida pelo nome deESCROPHULA
um dos males mais prevalecemos e univer-
saos qoe ba em toda a extensa lista das en-
fe rm i da des de qoe soffre o genero huma-
no : diste om celebre escriptor da medi-
cina qoe mais de orna terca parte de to-
dos aqoelles qoe morrem antes da velhice
alo victimas, ou directa ou indirectamente
da escropbola *: por si nio tao distrui-
tiva, porm 6 a principal cansa de moitas
outras enfermidades qoe nlo Ibe s3o geral-
)nte attribaidas.
E ama causa directa da pbtysica pulmo-
nar, das molestias do figado, do estomago
eaff.ccSes do cerebro:entre os seus
numerosos symptomas acham-se os seguin-
tes : falta de apetite, o temblante paludo e
as vezes incoado, s vezes de urna alvora
transparente e outras corado e amarellento
eo redor da bocea : fraqneza e moleza nos
msculos, digestao fraca e apetite irregular,
falta de energa, ventre incbado e evaca-
(3o irregular;quando o mal tem sen as-
sento sobre os polmbes, nma-tr azulada
mostra-se em roda dos olhos; quando ata-
ca os orgSos digestivos, os olhos tornam-se
avermelhados, o balito ftido, a 1 ngua car-
regada, dores de cabera, lonteiras, etc.
as pessoai de disposig5o escropbulosa
apparecem freqoentemecte erupfoes na
palle da cabeca e outras partes do corpo,
sao predi^postas s affeccOes dos pulaes,
do figado, dos rins e dos orgaos digestivos
e uterinos.Portanto, nao somente, aquel-
es que padecem das firmas, ulcerosas e
tuberculosas da escropbula que necessi-
tam de protec?5o contra os seus estragos.;
mas sjm lodos aquelles em cojo sangue
existe q virus latente deste terrivel flagello
(e s vezes hereditario) eslSo expostos
tambem a sofrer das enfermidades que
E' composta dos antdotos mais efficazes
que a scieocia medica tem podido descu-
brir para esta molestia assoladora e para a
cura de todos os males provenientes del la,
contm virtudes verdaderamente extraordi-
narias e est provado incootestavelmente
pelas curas nota veis e bem conbecidas que
tem feiio detumores, erupces cutneas,
erysipelas, borbuihas, nascidas, cbagas an-
tigs, ulceras, sarna, hydropesia, tosse
quando causada por depsitos tuberculosos
nos pulmoes. Debilidade geni, indigesto,
sypbibs constitucional, e m' les ti as merco-
A SALSA-PARRILHA DE AYER
elle cansa, qoe lio: A phtysica, ulcera
c5es do figado, de estomago e dos rins
erupc5s e enfermidades eruptivas da cu*
tis; rosa ou erysipela ; borbulbas, post-
las, nascidas, tumores, ulceras e cbagas,
rheoroatismos, dores nos ossos, as costas
e na cabera, debilidades emininas, florea
brancas causadas pela ulceraco interior, e
enfermidades uterinas, hidropesa, indiaa-
tSo, enfraquecimento e debilidade geral.
Aos pulmoes a escropbola prodoi tubr-
culos e finalmenteconsompe5opulmonar:
as glndulas ella prodoz incbaeftes
tornam-se ulceras: nos orgaos digeetivoe
causa desarraigos qoe prodozem irdjgesto,
dispept i a molestias de figado e dos rrn :
na pella prodoz erupc.5es e ffecc&es rata-
neas.
Todos estes males, undo a mesma or-
gem, carecem do mesmo remedio, a saber:
purificar e fortalecer o sangue.
riaes, molestias das mulberes, ulcerarles do
tero, a nevralgia eccnvnlsoes epilpticas,
e em summa, toda a serie de enfermidades
qoe nascem da impureza do sangue. Vede
as certidoes no almanak e manual de sade
do Dr. Ayer que se distribue gratuita-
mente.
Este remedio o fructo de tongas e la-
boriosas experiencias, e ba abundantes pro-
vas das suas virtudes, posto que offere-
cido ao poblico sob o nome deSalsa-par-
rilha, composto de diversas plantas, al-
gumas das quaes s2o superiores melbor
salsa parrilba no seo poder alterante. .
Aviso.As preparaoes do Dr. Ayer
s3o preparadas com especial attenclo ao
clima dos trpicos e tem modificante! im-
portantes ubre as que sao feitas para os-
tros paizes. Portanto, o publico devora
notar, e com cuidado, para que oao se ja
Iludido, que os remedios de Ayer, prepa-
rados exclusivamente para o Brasil trazeos
rtulos e envoltorios coa a descrpcao
minuciosa para a sua applicaeSo na lingua
portogueza, e n5o na ingteza.
Vende-se em todas as boticas e drogaras do mundo.
W.R.Casseh$C.
Agentes geraes.
41 RA m lAIlu 1)1 VICTORIA 41
armazem tem om de Hcm rnmn
Neste novo armazem tem um
rariado sortimento de fazendas
francezaj, inglezas, allemias e to-
das todas se vendem por procos
mdicos, afina de acreditar a este
aovo armazem.
Caaemiras inglezas,
francezas, de todas as
cualidades, brins de
;dres e brancos, colei-
rinhos modernos, cha-
3os de sol de seda,
inos.
RA
lar5o da Victoria
ARRUDA IRMAOS.
Attencao
Pfaarmaooutlco privilegiad*
uccesaor a
Bonlerard Sebastopol, SB. PAKI8.
NOVAS ESPECIALIDADES A. MARINIER
Apresenddis i Academia Se Scieieiai e m hiuilulo de Franca.
III ICPPfiA Sob forma de Paiilla, devedid e doseada para (aser 4
I llu CbbHU momento urna aolaccao PHEVERTIVA I ODIATIVA d
MOLESTIAS CONTAGIOSAS
HOR-PHILTRO
Graves
do volurae de um relogio, servinde
de Philtro e Sbmkga sem os
incoivenientea de fragilluade.
Coi
forma, i do volunte de nm Porle-.Voeda cocuad
TOBO TBATAMESTO.
EST0J08
OOLLYHIO Contra as afleceo das palpebras, preparado sob a mesma forma.
nrposiliu-io* cmAKIL c POTl'S*a,
r-l>taaa.4lrt tUrssw.V-l^HXAABUCO. *
Pede-se aos abano declarados terera a bonbade
de vir a\ ra de Pedro Aflbnso n. ii foutr'ora da
Praia) a negicio de seas interesse?.
Antonio Los de Albaqueraue.
Bernardo Cardoso Mureira A C. ^
Bastos & Amorim. ^"
Therencio Albano Ferreira.
Francisco Marques Leroos Ribeiro.
Manoel Mwreira de Lernos Jnior.
J(o Ferreira Carvalbo.
Joao Jos Gomes dos Santos.
Jos Nanes de Paula.
Joio da Silva Coimbra.
Francisco Florencio da Silva Grillo.
Antonio Lopes cba\es.
Antonio de Mello Rodrigues Loureir...
Jos Antonio de Gusmao.
Joaquim Antonio de Souza.
M.inoel Antonio de Snuza Ribeiro.
Alberto Jacintbo de Souza.
Joao de Soma Nunes Pinto Amorim.
Narciso Jos Franei-co Paranho-.
Augusto Jos dos Santos Miranda.
Henrique Manoel da Silv-.
Jos Maria Gomes Ribeiro.
Joao Antonio de Mallos Abren.
Joao Fernandos de Oiiveira Gamito. *
Antonio de Soma Jnior.
Antonio Soares Meirelles.
Candido Fojo de Mello.
Jlo Valentina Das Villela.
vos Gabriel Gomes.
Cl 1010
los 5:000,0000.
nilhetes garantidos da pro
?lucia.
Rna do Baro da
Victoria,
Outr'ora ra Nova n. >3 e casas
do costume.
O abaiio assignado acaba de vender entre o;
sans moito felizes bilbetes a sorte de 8004000 ero
dous quartos de n. 2391 o nm quarto de n. 1067
a sorte de 1001, alm de ouiras sortej menores
de M)#O00 e 204000 da lotera que se acabou de
extrahir (204); podendo seos poesoidores virem
receber, que promptamente serio pagos.
O mesmo abaixo assignado convida ao respei-
tavel publico para vreos ao sea estabelecimentc
comprar os feliies bilhetes garantidos, qne nac
aeijwade urar qnalqaer premio como prova peloi
mesaos annnncio?.
Acham-se Tenda os muito felizes bbetes n
rantidos da i- parte das loteras em beneficio di
nova igreja de N. S. da Peah, qoe ser extra
nlda no dia terca-leira 29 do correle met
PREgOS.
fnteiro 6*000
meios 3.1000
Quartos 1*800
De lOOtJOOO para cimi.
Intoiro 5*500
Meios 2*790
Quarioi 1*375
Joae JoaqnJm da Coeu Leu*
tifa rm
NOVA
Assim como tem orna graois
officina de alfaiate, montada cosa
todos os preparas qne ha de melbor,
dirigida por habis artistas, qs
pela sna promptidlo e perfeific
nada deixam a desejar.
Roopa de todos o
amaDD08p3ra homem
meninos.
Por todos os paqos
tes recebem-se as me-
Ihores e mais moder-
nas casemirss qne ba
na Europa.
RA
Dv
Barieda %fetorba
aitiu !.
___^_ NOVA
. -^sKaoiisSiHBSBtv^' n. k
St estabelecimento acaba de soffrer tima reforma radical em acceio, artistas e commodos, e em pontoalidade as encons-
nenaas, analmente em tndo a0m de melhor servir os seas Dnmerosos frecoezes deixa-se de annanciar todas as fazendas, par
ilo se tornar massante
LlQUlllACAO MNSTHA
^>a mais importante fabrica d chspos deso do imperio Ra do Barao da Victoria n. 23
r a"10 ^a(^ae"e estabelecimento resolveo ven cr os productos da sua fabrica pelos precos segointes:
Chapeos de sol de seda para senhoras a 55, 6, 14, 8$, di 10,5, IM, W, iU, H, i5<9. 16*, il&, 18,5, e 20,5000.
Ditos, ditos, ditvis, para hornera a.. 8. 10^. 114, iU, IU, 14,5, 15^1.16N5,17*, 18tf, 20,5, 22* e 24^000,
Ditos ditos de alpaca a.............. 45, 55, 0,5, 75, 85, 95 e 105000.
Ditos ditos de merino para liomens a.. 65. 75, 85. 95, 105, H5 e 125000.
Ditos ditos de brira d'esgnio a...... 05 75000, lodos os chapeos cima Um 15 % de descorito em dozia.
Ditns ditos de panno a.............. 25. H; 45, 55, 65 e 75000 descont 25 %.
Tambem ba um grande sortimento de fazendas para cobrir armacSese trabalba-se mais barato Jrpressado que em qual-
quer outra pirte.
Ha
Porto Calvo,
/
O abaixo assignado, tendo aceeitado no dia 8 de
maio do correte anno diversas Idtras cnmmcr-
ciaes, saccadas pelos Sr;. Francisco de Paula Lin-
doso, e Antonio Francisco Lindos, em pag:im-n-
pooco mais de dons mezes ama escrava t0 da compra que elles e suas mulberes fez das
snbtrahio da algibeira de sea senbor 3 sdalas de Pm''!, 1oe PO'U'am noengenho Gloria, outr'ora
200* cada ama, o qnal fez a diligencia a fim de Matio-G.-v-so, do termo de Poit) Calvo, da provin-
qne a escrava desse conu d mesma quantia, po- cia de Alagas, assim como ontras saccadas, fa-
rm at boje tem sido baldados o esforcos empre- vor do Sr. Jo. Vicente Lindoso, pai d'aqoelles, em
gados para esse flm, constando agora ter ella en- pagamento das rendas de grande parte qoe pos- j
fegee essa quantia a ama das sociedades de 8ue "O'mesmo engenho, como tado consta das
emancipacao para ir janlan'' al se libertar, po- rtspsctivas escripturas : previno em tempo que
TitILHOS URBROS
DO
ECIFE A9 OM\I> V
e Beber ibe.
Por ordem da directora s5o convidado
rm como urdinheir^nio ieit"servir para esse ningoem fa? negocio com taes letiras, e que nao 0s Srs. accioni>tas para, no prazo do 8 das
papar a quera j as bouver negociado, porque -,. a a- 1~ a !" w o "'
inteiramente iludido oesses contratos de compra a contar do da 2o do corrente, realisarera
e arrendamanio, val propr em juizo a ac^ao a9 prestagSo de suasaeces, da 2* eniissS^
competente para invalida-lo?. E para que assim na razio de 10 %.
conste e todos saibam que Ead valera aquellas le-, para PSSR fim <(,Ti n cr ihnnporn on.
tras, enem do abaixo asMgnado recebere ten\A J5 lhe800r!r0 **
importe m vencimeoto, faz a presente pablicacao ^"'"o n<> escriptono da companhia, das
pelos jornaes das provincias de Pernambueo e '' boras da manbaa s 2 da tarde de todos
Alagas. i os dias otis.
Engenho S. Pedro e Porto Calvo, 18 de agosto Joo Joaquim loeSf
Io secreta rio.
---------------_.. ^w-w .** K".- V^V
tiru, por ter sido snbirabido, tendo ella confessa-
do, sem dizer o que fez desse dioheiro : portanto
pede-se s pestoas que de tal dinheiro souberem
ou tiverem noticia o favor de darem parte nesta
typographia qae se dir a quem pertence.
FWDICO
DO
BOWMA1V
Vapores pequeos pa des-
caroqar algodao
Lenidas Pereira Busrque.
Araa de leire
Extracto de carne
Do Dr. batuba
Fabrica de pedras brancas na provincia do Re
Grande do Snl.
Na praca da Independencia n. 33 se d di-
nheiro sobre penhores'de ouro, prata e pedras
preciosas, seja qual for a quantia; e na mesma
casa se compra o vende objeetos de onro e prata;
igual avente se fu toda e qualquer obra de en-
comnjsda, todo qnalqaer concert tendente a
mesttfc arte.
^Vrecisa-te de ama on daas pessoas escravas
u llvrespara veaderem uboleiros : a tratar na
rna da Companbia Pernambacana n. 10 A, ou
em Santo Amaro em egoimeoto a faadicao na
penuliima case.
Precisase de ama ama de i-ite qae seja sadla e
tenba bom leite : na roa Daque de Casias, antiga
do Qaeimado. n. 111. ___________
Precisa so de ama ama para casa de pouca
familia : na rna do Amorim o. 3 i.
Precisare alagar'ama ama- para c^zinhar e
fazer o deraais servieo iu casa de pequea familia:
na tua das Cruzo* em Santo Antonio, huj Duque
Je Caxias a. 41, 2 andar.
8
AMA
n. b.
Precisa se de urna ama forra para
engomar e comprar ; i roa do Cabug
BiRf IiaLOJW r? c
Em lats de 2, 4, 8 e tf! tmtp nico deposi-
pharmida americaoi
ra Daqao de Oexias na
rerreia Maia 4 C '
a>ero 57.
QUARTOS PARA ESCUIPTORIO DE
ADVOCAC1A.
Alagare dous magnficos quartos mnito pro-
prios para advegado?, oa tai do Imperador n. 34 :
a tratar na Ioja da mesma casa ma Primeiro de
Marco n. 8, esquina.
AMA
. Precisa se de urna ama pa-
^K^.^ ra o servijo interno de urna
> casa de familia : tratar na
ras do gario n. 16.
Preciea se de urna ama
para andar com ama
enanca e fazer algara
servico da casa.: na roa
da Aurora o. 5, segando
andar
Urna jnulher de mla idad offerece-e para
amada casa de pouca familia, somente para cozi-
nhar: oa ra do Brum n. 13, casa terrea.
---'-- _
Consulado dePo'tugiI
C"nvidam-se os oradores da fallecido subdito
porlugue Domi.ig !I-iirvjet dos Saalo?, a
apreseiitarem nesse soosalado as -uas comas para
serem verificadas e paga?.
Precisa-se arrnisr mu engenho moente e
corrente, perto desta praj, de twns partid i e
peno do engenho : quem o [ver e (jeira arren-1
dar annnneie por este Diam, oa dmii-* roa
da Atirr.ra r. ?6,']f achara :x q.;em tratar.
00SS9 Mtt-ttlStt*
CONFIIARIA mu
DA
SANTA CRUZ.
De ordem da mesa geral da contraria
do Senhor Bom Jess da Via-Sacra da
Santa Cruz, convido a todos os irmaoa
coofrides, a reunirem- se no consistorio asj
di nossa igreja pelas 9 horas da maulla
m do dia 3 de seterabro vindouro para em
| mesa ge'al deliberar-se acerca da propos
la feta tm sussao de 13 do correte, por m
um irmao confrade pan ser vendido, e o 1
4sf 8eD Prodcto aplicado em apolices do jo- j
verno. o terreno beneficiado qoepo.-
i ci-nfrana no fuodo da mesma igrejfl.
Recife, H de agosto de 1871.
O escrivo,
-,,_ Tbeodoro Jos Tavaree.
*mBtt mmmmmx
Ofoial dbarbeiro
Precisa-se de dous offlciies de barbeiro : na>
ruarimeiro de Marco, antiga do Crespo, n. 7 Ar
1* andar.__________________________________
Lava-te e eniomma-se eom brevidiile e as-
seio|: na roa dai Crotes a. ti.______________
Precisa se de urna ama forra oa escrava
para o servico de pouea familia a tratar na rn*
lo Marqus de Oiioli n. S, ^ andar,
s
a
m
8
I
m


D ario de Peruambuco IWqa 29 de Agosto de 1871.


D. W. BOWMAN
Eagenheiro com
FUNDICO
* RA IIO llttl M 59
PASSARDO 0 CHAFARIZ
Pede ios sentares de engenho e outros agricultores, e euipregadores de ma-
hinismo o favor de orna visita i sea estabelecimento, para verem o novo sortimento
completo que abi lem ; pois sendo tudo muito roats barato em prego do que jamis te-
ota vendido, esti anda superior em qnalidade e fortidJo; o que com a inspecfSo pe-s
soal podo se verificar.
PEDE ESPECIAL ATTENCO Ao NUMERO E LUGAR DE SUA FUNDICO
Vflnnrpa a m a a A'ntrnn dos ro"i8 modfirnos systemis, e etn
apure O Tu Ja a agua umanhos convenientes para as diver
us circumstancias dos senbores proprietarios e para descarocar algodao.
iQflfldftS dfi OHJlllfL de.todos os tamanbos as melbores que aqu
Bodas dentadas
wwmmw ucumuao para iDHnies, agua e vapor.
Taixas de ferro fundido batido e de cobre.
Alambiques e fondos de alambiques.
Mfti**hl Til SITIAR Para maud'oca e algodao,) Podendo todos "
uLcw/uiuioiuvo e pjra 8errar ma(jejra ler mofidos a mo
Bombas lpor a8ua- vaPr'
**v***v**w de patente garantidas...................Jou aaimaes.
I OClaS aS maCninaS e pecas de que se cosioma precisar.
Fai qualquer concert de maChinsmo preco mu remido.
Formas dfi ffirrO tem as me,li0re8 e raais baratas existentes no mer-
Encommendas
Cal nova de Lis boa,
Vende Joaqnim Jote Ramos, a roa da Crat n, 8.
prlmeiro andar. -
Vende-se onoeiros pequeos para rosdar-
se: qoem es quizer dirija e ao sitio Cafando na
Mirada de PaqKto Cmara, outr'ora da Joio da
Barr.
CEMENTO.'
O verdadeiro pottland: s so vende na
ra da Madre de Dos n. 22, armaxem do
Jo9o Martins de Barros. -
Uerveja em harnl, de tu-
perior qualidade
Vende-te eos. casa de & P. Jouesten 4 d, roa.
da SeuaU-nova n. 41.
calo.
Incumbe-so de mandar vir qualquer macbinismo von-
"tade dos clientes, lembranio-lbes a vantagem do fa-
lerem soascompras por intermedio de pessoa entendida o qoe em qualquer necessida-
de pode Ibes prestar auxilio.
Arados americanos
e instrumentos agriculas.
Precisa-se fallar com os Srs. abaixo menciona-
era negocio de sea interesse : travesa do Car-
ino d. I, S andar :
Bemvennto Duarte, morador no engenho Si-
ca mb.
Joae Baptlsta AWes Monteiro, morador na Es-
cada.
Francisco Antonio Cavalcante, morador em Ga-
roeHeira.
Manoel Oelfim de Almeida, morador em Santo
AMio.
Antonio Barbosa Cavalcanti, no engenho Boa-
Vwta.
Bernardino Ferreira da Cruz, no engenho San-
Upp
I R !
da Silva, morador so engenho
Cavalcante, morador ao engenho
morador o Brejo ou
Nery
Santa Rosa.
Ftlix Jos
Novo.
Jos Francisco da Silva,
Bonito.
Jos Feiippe de Mosquita, morador no engenho
Maltas.
Jeronyrao Rodrigues, na Escada.
Agostinho Lopes da Silva, morador om Quipap.
Manoel Aoidoo da Silva, morador no engenho
Boa-Vista.
Jos Ignacio, cargeiro do engenho Gurja.
Jos oaqaim da Silva, morador no engenho
Limoeiro.
Francisco Antonio Pinto, morador em Caruar.
Flix Cavalcante de Albaqaerqae, ir.orador em
Gamelleira.
Jos Feliciano Portella, no Recife.
Ricardo Nunes Cavalcauto, morador no enge-
nho Javunda.'
Coorado Ferreira de Barre?, morador era Ga-
melleira.
Joae Alves de Oliveira, era Una.
kidro Nones Cavalcante, morador no engenho
Gurja.
Joo Apolenio Cavalcante, morador om Varzea
de Una.
Miguel A. P. Nazareth, morador no engenho
Matas.
Florencio Jos de Oliveira, na Varzea.
Joo Jos de Mosquita, no engenho Tob.
Antonio Laiz Alves, morador no engenho Boa-
Vista.
Francisco Monteiro Gusmao Lima, no engenho
Mangueira.
Paulino Fraicisco Bastos, morad ir em Fri-
na.
Francisco da Rocha Accic ly Lins.
Jo Ferreira Cavalcante.
Andr Avelino Pereira de Souza.
Caelano Alves da Silva, morador em Garael-
teira.
Epifanio de Franja o Mello, no Recife.
Flix Jos Cavalcante Jnior, moradar no engenho
iNevo.
Manoel Joaquirn Pereira de Carvalho.
Francisco Bringel de Almeida Gnede?.
Joaquirn Loorenro de Barros.
Aatomo Cariaco de Moraes, mprador era Vera-
Cruz.
Heleodoro Acacio Rangel, morador em Gamel-
leira.
J<3o Francisco do Reg llarros.
Joao Jos da Cusa Santos.
Vicente A. Cavalcante, morador no engenho S.
Roque,
Silviae Bodrignes Cardoso de Barros, na Ev
cada.
Antonio Goncalve? Dias.
Francisco Jos de O'iveira Cheia, morador na
engenho Gurja.
Precisa-sede nm caixeiro com pratica de ta-
berna : i tratar na ra da Aurora n. 33._______
Precisase de urna ama forra ou escrava que
saiba engommar bem e cozer : na ra da Aurora
n. 40.______________________________________
Precisa-se de urna ama para cozinbar e
comprar : na ra estrena do Rosario a. 14, laja
VENDE-SE
urna da* melhorea casas na povoaejw de Beber i -
te : quem pretender dirija-te i roa da Monda n.
39, das 9 heras da maosa aa 4 da tarde ; tan
bem se vende una caaa em Olinda em boa loeali-
dade, com mnitos coramodos e coa grande san-
tal.
SttttnlMBai BaUini HHfl
( 'a rubra i a transparente j
com 10 varas a 3|000
Ra do Crespo n 25,
mmmmmm m mmh o
Grande liquidapo
CAMBRAIA LISA BISPO A 3,9000
Peca de cambraia lisa fina Bispo com
8 1/2 varas a 34000 na roa do Crespo n. 20
loja de Guilherme Carneiro da Caoba,
E. R. Rabello A C. te n em sen escriptorio
ra do Commercio n. 48, os aitigos abaixo espe-
cificados qne vendem por preCos modieos, a aaber:
Vinho puro em barra e aneoretas.
dem fino do Porto em ancortlas ecaixa de urna
dnzia.
dem Madeira-secca em Larris do 8*.
Velas de cera de difirenos tamanhos.
Bngias dita.
Cachimbos de geiso amburguezes.
Essencia de canella em latas de 8 libras.
Ferragena do Pono, diversas quididades, como
sejam fechaduras.feixoa, etc., etc.
ALGX-SE o terceiro andar da casa da roa
do Imperador n. 45 : a tratar roa do Commer-
cio n. iO.
CASA DA FORTUNA
RA t DE MAItCO OUTR'ORA DO
CRESP N 3.
Aos 20:000^000.
O abaixo assigo>do tem empre exposto ven-
da os felizes bilbetos do Rio do Janeiro, pagando
promptamente, como costuma, qualquer premio.
PRECOS.-
(nteiro 2t000
Meio 12*009.
Quarto 6000-
Manoel Martins Finza.
Comedorias
Rua estrella do Rosarlo n. 35,
Na casa cima fornece-se co nedorias para fura
com asseio e promptido, chamndose a alinelo
dos sentares acadmicos que quizerem ir cedo
para as mus aulas, visto qne se dar almoco des
de 7 boras tr.< ponto at 9, on at a hora pelos
meamos m*ada, e jamar a qnalquer hora, man-
dando-so levar em saas esea*.
Precisa-s** alagar urna escrava para o ser-
vieo de nmaeau de familia : na rua 1?. Concei-
^ao da Boa-Vis la o. 3.________________________
mvs
" Aluga-sa o primero, segundo andares e sobre-
sollo da cwa n. 6, cita a rna do Livramento : i
tratar na loja do mesmo predio ____________
Aluga-se
O 2.* andar da cata da praca do CooJe d'Eu,
tendo aotio, 9 qnarto?, 3 sala< e mailo fresca,
pinudo da novo e forrada, i papel: a tratar com
Jos Henriqne da Silva Goinaariesfl na Soleiade n.
29^jo a rua daa Crnze n.38. andar.
Balaloa cola* e forin Cbegou para a rna Duqne de Caxa antga do
qoemado n. Hl nm lindo sorliin,ento de objectos
Qooa de palha como tejam cestiohas para meninas
baliios para costuras ditas para pi na mesa,
dito; para faca;; ditos para frucias, ditas para en-
tres mullos minares, maracae pur itmoj e
grande i mimento da calungas b nquedos para
anireier criasca com p)iC9 -d-jiseirA.
Convida-se aos amigos e prenles do fallecido
Dr. Manoel Tnomaz de Bitancourt Corle Real a
assislirem a una missa as 7 horas da manbia do
da 30 do correte mez, na matria da Boa- Visu,
que manda diter nm amigo do meamo fina o o.
Superiores cigar^s do Rio
de J neiro.
Domingos Alves Mathess, nico agente nesta
rovincia da fabrica imperial ne cigarros de S.
o5o de Nilherohy, e.-tanelicida no Rio de Janeiro,
tem sempre um completo sortimento da todos os
cuarrss, fuaao picado eon latas. Tem igualmente
os afamados cigarros Conde d'Eu, feitos com mag-
nifico papel de palha de railho e fumo superior.
Para governo de seu< freguezes, que tem estabele-
cido depsitos flllaes, as cssas dos Srs. Thoma
Francisco de Salles Rosa e Manoel do Sonza Cor-
deiro SimSes Jnior, no bairro do Recife, e lodo
quanto f r vendido em outras casas com a firma
de Snuza Novaes & C. fo fjlsiflcado?.
Vene-se uro marquezao em bom estado :
quem quizer dirija-se rua Velba n. 83 se dir
quem tem.
SITIO
Precisa-se alujar ou arrendar nw sitio e casa
para pouca familia, pMerind ~se nos seguimos
arrabaldes; Affictos, Rj^arinho, Epinheiro, En-
caoamento e em qualquer lugar d-stas immedia-
(os que nao exceda a urna legua de distancia da
cidad,e : quem o tivcr dirija-se ao pateo de S. Pe
dro n. 11, que achara com quem tratar.
Precisa-se de una
para cuidar em enancas:
mercio n. 41, 2* andar.
ama de boa ronducta
a tratar na rua do Cotu-
Precisase de uina ama para casa de
urna s pessoa : a tratar na rna de S.
Francisco n. 39.
25$000
Paga-fe i$i menges por urna eseran que en:
gomroe bem e faca mais algum servico. tendo boa
conducta : na rna do Pires, sobrado n. 28.

Bento Jote da Cosa propoe-se a receber em
seusarmazens alfandegaJos do cae; do Ramos is
saccas de la que all quizerem depositar, ebri-
gando se a fazer por sua conta o seguro coutra-
fogo, e respo ga do que para l for.
Freeisa-se uh urna ama para comprar e co-
zinbar : na rua de Hurtas ti. 1. _________
Precisa-se du urna ama
fuira ou escrava para con-
nli ir e lavar : a tratar na rna
Mrquez de Olinda, no 2* andar do sbralo nu-
mero 34.
Por deliberarn daciuai mesa regedora da
irmandade de N. S. da Soledade er-.cia em sua
igreja na freguezia da Roa-Vista, convida aos Ir-
ados das iransactas m sa- regadoras, para o dia
29 do correte, as 4 h >rs da Urde, rexiuir-.-e
nesse consistorio, e em mesa coujucta delifcerar-se
acerca do que disp5e o 2* do art. 44 do compr-
miso.
Consistorio dr. irmandade de X S. da Soledade
24 de agisto de 1871.
O escrivao,
_________ M?norl Borbosa de Araujo.
VIez doloroso
Xa sexta-fera do sptemhro prximo, ni raa-
trie do Divino E-pirito Santo de Pao d'Alho, pelas
3 horas da madrugada, tora lugar urna missa can-
tada, depois da qual ser arvorada a bandeira de
N. S. das Dures, devendo nesse mesmo dia ter
principio o exercicio do mez doloroso.
COMPRAS.
frascos vasios da tintura jspo'neza, e paga se a 80
rs- cada um : rna Duqoe de Caxias b. 50, e
Mrquez de Olinda o. 81.
Companhia fluvial
Vende-se 150 acedes da companbia fluvial de
navegacao a vtpordo Maranho : na rua do Vi-
girio n. 16, 1* andar, escriptorio de Joaquirn Ge-
rardo de Bastos, onde se dario os necessaros
esclarecimentos.________ ______________.
V^de-Si
os predios seguimos : om sobrado de um. andar e
soto n. 4, na roa Visconda de Itaparica, outr'ora
rna do Apollo, nm armazem tt. 16 na mesma rua
cima, e nm sitio n. 1 na estrada do Arraial: os
pretendemos podem dirigir-se roa da Aurora,
casa n.38. onle obterlo os esclarecimentos pre-
cisos.
Tilias de ferro
Vende-se telbas de ferro de 6, 8, II, II e 17 pal-
mos por menos 260 rs. do que em primeira mao:
na chapellaria imperial rua Primero de Marco
n. 6. .
Vende-se
Um terreno (proprii) em rrenn ao sitia que foi
de Nuno Maria de .Seixas no Cardeiro (hoje Cha-
cn) freguezia do Poco da Panella e perto da est-
cao d^s trilho; urbanos : tratar com o agente
de leudes F. J. Piolo, a roa da Cruz n. 38.
Uvas peras, massas e tmaras em la-
tas : rua Mrquez de Olinda n. 53, ar-
mazi'tn Uni5o Mercantil.___________
Veud-se a proprtedade denuminada
la Fazeoda na Barreta, cou legua e meia
de compriment> de Leste a Oe-te, e meia
legua de largura do norto a sul, a margem
da estrada -:e ferro do Recife a 5. Francis-
co, com casa de vivenda, grande numero de
ps de coqueiro, sendo toda a Ierra de muila
produccao. Quem quizer comprar a mes-
ma prnpriedade pode entender-se com o Dr
Juaquim Correa d'Araojo rua dos Pires
n. O, cu a rua do I imperador n. 83 \? an
dar, 'tas 10 boras da manu* as 3 da tarde.
Aos senhores de engenho.
Vende-te a retalnc as diversas machinas e-eal-
deiras a vapor, cldeiras de cobre para ctiziohar a
vapor, filtros, teos, formas e mais outros ubjec-
tes da amiga retinado do Monteiro. Para tratar
dirija-se aos proprietarios da dita retinar i os Srs.
Henrique Leiden & C, na imperial fabrica de cer-
veja n.35 rua do Bario d- S Borja (Sebn).
FLORES FIWAS
Acaba de cNegar p--iti vapnr (raocez Sindh para
o estabelecimento da TESOURA DE OURO, rua
Duque de Caxias o. 5'l, Io andar.
Nao p ga a marieira
Vende-se portas americanas a 60OD : no ar-
mazem da boi.a amardla uoolto da secrelana de
polica.
ATTENCO
o
Afioal chegou nova remessado leite condensado
da Suissa, pelo vapor Cognac, e desde J lcamos
esperando pelos seos apreciadores e entendedores
desie artigo : vende Keller A C. na rua da Crn
numtro 55.
Venle-se urna parte do engenho Fumo di
Ca, termo de Ciada, com boas ierras para plan-
tacos e eriaio de gado, e ta< para madeira
de cmstruccie lenha, pedreneiras para o fabr
eo de cal 'e propor';Ses para urna grande otaria :
a tratar em Olinda. sitio defronte da padaria d!
Floresta.
Vende-se um lustro de cristal de 4 bisos
para gaz, caudieiros de 2 bicos e arandellas ludo
de metal em perfeito e^t8do por commodo preco,
na rua das Cruzes n 38, andir, ou Solidado n.
29 : tratar das 10 >t 3 da tarde no Recife e
Das outrai horas na Soledade, pois foram objrc-
tos retirados, do palacete da mi do Viseonde de
Gnyanu pelo proprietario nao querer ricar com e
es por nao gosr do usi do gsz.
Sua do Imperador
n. 87.
Cialeo ieNt l(o aatlga e acre-
altada fabrica do Barhalho
Jo Cabo.
Nesta bm sortldo armaiem existe nm granan
sortimento de lonca franceca, moito ntlt para ca-
sa de familia, como seja alguidares papeires
e panel las, indo grandes e pequeos, e bu-
Ihoes para manteiga; indo de barro vidrado fran-
cas. Assim como um completo sortimento de lon-
ca do Barbalho, como sefa : jarros para 4 5
canecos de agua, potes de na a dona caneos,
mnriefnes, resfriaderas, quartinbas do Barbalho
e da Babia, vasos vidraoos a por vidrar para jar-
dim, caeos grandes e de meio para florea, ditos
ditos pequeos para tirar planta*, canoa vidrsdos
e por vidrar U f, 3, 4, 6, 10 e 12 polegadas,
feitos pir machina e qne aqni nao ba na provin-
cia a excepcao dos vindos de fra ; todo melhor
pela qulididi do barro e mais barato do que em
ntra fnalqatr parla. Em porco se faz abat
mereaeNO i iS^r cento ; t na rua de Impe-
rador i. J7.
FILO' DE SEDA
Ricos cortes de vestidos' de fil de seda de cores
coro palmas e flores inteiramente modernos e pro-
priee para auistir-se easaanentos, bailes, etc., ele,
lavas de pellica de Jouvin e baihelique de Ha e
seda : vende-se no Bazar Victoiia, rna do Bario
da Victoria n. 2, (amiga rna Nova).___________
Uf rehtauratit
SANTA ISABEL
tRoa da Florentina
Aceitam-se Msignantss por presos mnilo cora-
modos, garante se boa comida e moito asseio.
Tnborda
Polka pan piano, acaba de chegar algnns ex
emplares, ao armaiem de pianos e msica, do
Azevedo, rns Nova n. II
Querem comprar ?
Guardapisa para vestidos; preto ou branco ?
Papa-Ana, larga ou estreila r
Lencos de linho, bordados on lisos ?
Bonitos leques, osso ou sndalo ?
A Nova esperanca quem tem 111
E novidade!
Acaba de ebegar a Nova Esperanca rna Dnque
de Caxias n. 63, bonecos e bonecas, sendo de mol-
des inteiramente novos, vindo entre elles os en-
grapaos bonecos de borracha : para qoe se can-
cana ? qoando quizerem comprar qualquer objeclo
sendo boro, bonito on engrapado, lembrem-se logo
da N va Esperanca rna Duque de Caxias n. 63.
Vhth casamento.
O bazar Victoria icaba de receber de Pars pelo
ultimo vapor franeei ricos vestidos e veos de Mon-
de primorosamente bordados a seda, capellas, le-
ques, colchas de seda e de la e seda de apnrados
gosios : na rna do 8ario da Victoria d. 2, amiga
rna Nova.
A uga-se a casa da prapao Conde d'Eu n.
21: a tratar com Jos Henrique da Silva Guima-
tes, na Soledade, sitio n. 29, onde jnorou o Sr.
Dr. Villas-Boas, at as 11 da manhaa, e depois
desta hora at as 2 da tarde na rua das Cruzes n.
38, 1 andar.___________|____________________
GRANDE LIQUIDADO
Popelinas de cores.
Popelinas de cores de lindos padroes a 1 500 o
covado : na rna do Crespo n. 20, loja de Guilher-
me Carneiro da Cunha.________________
Joaquirn Jos Goncalves Beltro tem para
vender no seo escriptorio rna do Commercio n.
5, os gneros abaixo notados, qne vende mais ba-
rato do qne em ontra qnalquer parte :
Azeitooas em aneoretas.
Amendoas em barricas.
Cat muido em massos de 1 libra.
Chapeos do Chile, de boa qnalidade.
Cognac marca marte! frres.
gozadas.
friona de mandioca de Saata Calbarina, sac-
eos de 3 o 2 alqueires.
Dita da Babia em saceos braneos.
Dita de dita era barricas, proprias para casas
particulares.
Fio de algodo da Babia em novellos.
Fouces.
Mazados.
Nozes.
Obras de palbetas.
Papel proprio para cigarros.
Dito mal para botica.
Palitos para dentes.
Pregos sonidos.
Panno de algodao da fabrica de Todos os amos
de Pedreso na Bahia.
Rolhas.
Rap popular da Baha.
Boiim em fardos.
Retroz dos melhores fabricantes do Porto-
Tapioca do Maranho.
Tabaco siroonte da Bahia.
Verniz eopal.
Vinho do Porto engarrafado, caixa de 12 gar-
rafas.
Dito de dito em barris, proprio para engarrafar.
Dito museatel, verdadeiro de Setubal.
Dito Bordeanx em caixas de urna duzia.
Dito de caj em caixas de urna dnzia.
eguado
ct>
*H"jp!*a
5?<
&&
sSSn
m
m
CD
ca

9
VEHDESE
f
As casas terreas foreiras, no becco das Barrei
ras n. 16 e 18, Boa-vista.
As casas terreas ou meiaguas na travesea dos
Quarteis n. 32, dila a travessa dos Patos d. 13.
As casas terreas nos Arrombados em Santa Tbi-
rea n. lo e 16.
A tratar na rua da Cruz do Recife, armazem n.
54.
Oiniies de renn pretos Si
a 2#000. f
Eudo(J espon,25 i
AP'Oveitem
Lindos padrees de chitas chinezas alcocboadas,
proprias para cobertis, pelo barato preco de 280
rs. o covado, assin^omo muitas outras fazend-s
qne sh vende oara#: s na rua Bireita n. .'..'i:
Rival sem
Rna Dnque de Caxlaa m. ^1
Jos de Aze\edo Maia eSilva, eo sua lo
jada niiidcas continua a vender todo
por baratos jrec/i qcer todos admira :
Libra de 13a para bordar a meilior
que ha.
Caixas com superiores grampos fran-
cezes a
Dozias de facas e garfos de nm e
dous boiSes a
Talheres pare meninos a 240 a
Libras jielinba de novello, a roelbor
possive'.
Dnzia de lencos de cas?a com barra.
Caixas de licitas com 30 novellos a
Vara d- franja branca para toalhas
Dozias de me as croas moito boas a
Dozias de meias finas para serbo-
ras a
Duzias de facas e garfos cravadas a
Doria de palitos segoranca a 120,
240, 320 e
Na'albas muito finas, para fazer a
barba a
Caixas com penras de ac com to-
qoea
Caixas com peonas de Perry azen-
da fina a
Ditas de dita dito verdadeiras a
Caixas com 20 cadernos papel ami-j
zade a
Pecas de fitas p?ra coz com 10
varas a
Pecas de tranca lisa de todas ai
cores a
Dozias de liaba frcoxa para tordar
a 400 e
Pares de sapalos de tranca a
Dozias-de baralbos muito finos
2400 e
Ditas de agu'has para machina a
Libra de pregos fraoce.es a
Resmas de papel alroaco supe;i r a
Ditas de dito paulado o melhor a
Caixas com jabonetes inicia a 720 e
Carr teis de linha A exaudre a
Grvalas de cores moito finas a
Ditas pretas pintas bordadas a
Grasas de botces de madrvperola
para camisa a
Novellos delinba branca, 400 jardas
Duzia de can oes de linha branca e
preta e ie cores a
Thesouras muito finas para ut.has
e costura a
Caixas redondas para botar rap a
Caixas cem pos para lim.ar dentes
f. zt rula fina a
\-
6000
160
4KW0
400
11500
1*000
500
160
3A50O
45000
3*000
500
1*000
320
800
1*200
70
500
40
500
1*800
2*800
2*OG0
240
3*600
4*000
1*000
100
500
600
5ca
120;
500
1*200'
200
Lindos e riquissimos
Exmas. Sras.
Superiores iraugas pretas e (!e cores ci
Vende-se
a casa terrea o. 1 i da rua de S. Jorge (on
tr'ora Pilar); a tratar na roa Oo .Mrquez
de Olinda o. 40 primero andar.
Cura rpida-e radical dos
callos
pela pomada Galopau
Es-a pomada que lio bons resultados tem colbt-
du as pessoas que della tem feito uso acaba de
chegar para o sen deposito especial..
NA
Pharmacia e drogara
DR
Bariholomea C. rua larga do Rosario nu-
mero : i-
Carroga e bou
Compra-se urna carroc eomb.i : na rua lar
(,'a do Rosario n. it, loj. de calcado.
Compra se um* isiserna em qual per rus
da freguezia de Santo Antonio : tratar no pa-
teo di Livramenm n. II.
--------------j
ompn -se
utna bilanija de lirrc", grande, e q/e e-teja em
bom estado, com varios pesos de arrobas e libras :
ca rua da Imperatrlz n. 44, loja.
V1NDAS.
Vende-se um bote em bom estado e por pre-
co commodo : no Porte do Mallos, taberna do Sr.
Joao Valenle da Cruz._________^
Almanak de Castilho
para 1872.
Acaba iu ehfgar de Llsbo, e acha-M vanda
pa liviana eeooomie roa 1* de Marj-j n.
ifreoH d-' nren de 830|o Antonio.
?,de-
tteneno
Veniese.om terreno com 60 p,s Je frente
c 500 de fun lo. com doa casas de laipi, as qaaes
reniem 17J000 mensaes, em Beberibe di baixo,
rua do Cierigo* : a tratar ni Caroioho.nDvo na-'
mero 67.
M&cjUs.
r?Tk :
Vendsm P;?as A C. rna e.-tr^ta do R-saFi
n. 9 junto a Igreja.
- Vende-se a casa terra u M. ,iu ua .-u* os
Paz : a traiar na .ua do CronM L.meniia o 12
outrora dos Praze.-cs. das i as G hou*' da tarde,
Cbegnu para a loja da Jaodai* ss man moder-
nas cambra.as abenas para vesl.dos de senhora,
que se vende por barato preco : na rua da lnjpe-
rttriz n. 26.
Fpiiii d B rbi.
Vndod" Para j detlido, ?a laliobas U
cada urna : ffofrmaz;m d9 \ -^ ,Yora
numero 11.
A revalesciere du Barry de
Londres
Toda a doenga cede a Revalesciere da Barry,
que d sade, energa, appetite, digesio e des
canso. Ella cura as dispepsia?, gastriles, hamo-
res, acidez pituita, flato, enjps, vmitos depois
da comida e gravidez, con tipasdes, tosse, asthma,
jfTecc5as pulmonaTres, bexiga, ligado, cerebro e
angue ; 60,000 curas, iucluindo muitas deltas no'
Brasil.
A revalepciere chocolatada du Barry
em p,
Delicioso alimento para almoco e cela, muito
nutritivo, L-rdcando os ervos do stomgo sem
causir o monor peso era dr de cabega, nem ir-
ritaco.
nico deposito para o firasil em Peruambuco
na pbarmacia americana de Ferreira Miia A 3..
rua do Duque de Caxias n. 87. (Todo cuidado
eom as fa)sincac5es.)__________
Eua do Vigario n.27
No escriptorio de Jos Joaquirn Lima Bairlo ba
para vender se :
Prg s da diversas quahdades.
Fechaduras de broca-de tolos os laminhos, e dos
melhores fabricantes do Porto.
Cartilbas de donctrina Chrstaa.
Mercurio de Lisboa.
Lnhi de Roriz.
Superiores eiganos do Rio de Janeiro, da f*bnca
de S. Lodren^o, j bem conbecidos pela aceita-
cao que tem tido nata provincia.
Bcjs e rendas
Voide-se rtndas e bicos do Aracaty a precos
nunca vistos -. na loja de .hiendas de Canuto &
Pipbeir rua da Imperatrlz n. 16.
iSeif L^ayeniug Flour
Fatinha de migo j fermentada, propria.para
pao, bolos, puddings, etc., em macos de 6 libras
a venda nos ai mazeos do Tas*o Irmaos & C
Veni ios, Ua nar
trauma ni* Pi"iia n, 13.
urna raa terrea em cbio3 pro-
P*".'08; ,UA Pi.r5?.. _Ami1e n. 38, (Qapungi) :
as mism
A Nova Esperanca est resolvida a ven-
der baralissimo, para as Exmas. modistas:
enfeiles, fonvs para vestidos, bol5es, etc. e
tudo mais de quepr ectzarem ; e isto por
preco muito commodo, com a condicSo po-
rem das mesmas Exmas. munir-se destes
objeaos 6(.mente no dito eslabelecimento
onde enconlraro o bom, por ponco preco
e desta forma ambos lucrarem, isto a
Nova Esperai ca, porque vende, e as modis-
tas, por comprarem bom e barato.
\o haver couvnl As criaocas que nsarem dos collares ano-
dinos, que se vendem na Nova Esperanca,
est>r3o isenlos de convuUSes; pois sao os
verdadeiros recebidos directamente.
E' engranado e destrabe
Os _pifos de nova invencSo e que dancm
15 minutos pouca mais oo menos, mudando
sempre de cores, e repiesentando diversos
caracteres, vendem se na Nova Esperanca
roa Duque de Caxias n. 63.
Pomada alpaka
E' muito coheciC. est pomada e muito
apreciada por sua finissima qualidade, a Nova
Esperanca quem tem.
Jarros de poicellana
Um complelo soilimento de lindos Jarros
de porcellana (d; afamado Bacai) existe na
Nova Esperanca,' rua Duque de Caxias
n. G3.
hos e sem elles; "esta fazenda o qu3 ple bave-r
de melhor e mais benito.
superiores e bonitos leques de maJ
raariim, sandaln e 9O, sendo aquelles
com lindos desenlies, e estes pretos.
Muito siperiores meias lio de Escrssa
i)hor.n. as jnaes sembr se ven;-!eram poit
a duzia, entretanto quo nos as vendemos
aln deslas, temos tambera grande sortirlieoto de
outras qualidades, enlre as quaes algumas mui;o
flus.
Boas bengllas de superior canna da
casto de marflm com lindas e encantador
ras do mesmo, ne?te grnero o que de melhor
se pode desejar ; alm testas temos tamben gran-
m vidri-
eperoia,
branco:,
para se-
30400Q
por 2" f-:
India e
is figu-
de quautidade de outras qualidades, como
madeira, baleia, flsso, borracha, etc. etc.
Finos, bonitos e airosos chiconhcs de ckdeia e
de outras qualidades.
Lidas e superiores ligas de seda e borracha
p->ra segurar as rrei3s.
B>as> meias do.seda para senhora a para
oasde i a 12 annos de kisde.
Navalhas eaba de inaillm s tartaruga para
barba : sao muito boa, e de mais a mais s
sejan,
meai-
faz-r
ao ga-
tam-
t
raotidas p?lo fabricante, o dos por notsa ve
bem assegnra nos sua qualidade e delic;dez|i.
Lindas e bellas capellas para noiva.
Superiores agulhas para machina e para ciorN!
Linha muito boa de peso, frouxa, para enk
Isbyrinlh".
Bons b-.ralhos de cartas para voltarete, assim
como os lento? para o mesmo lim.
Grande e variado sortimento das melhores per-
fumarias, dos melhores e mais conhecidos fa
bricanles.
COLARES DE ROYR.
Elctricos magnticos contra as convuls5e,
fecilitam a denticao das innocentes criancas. So-
mos desde muito recehedores destes prodigiosos
cellares, e continuamos a.recebe-los por lodos os
rapar*, afim de (\m nunca faltera no morcado
como j tem acontecido, assim como pois, ponerao
aquelles que delles precisarem, vir ao deposito do
ga'lo vigilante, acnde sempre enconlraro destes
verdadeiros ci liares, e os quaes attendendo-fce ai
lim para que sao applicados, se vtnderao eom um
mui diminuto lucro.
Rogamos, pois, avista dos objectos que dbixa-
mos declarados, aos domos fregaezes e amigos a
virein comprar por preijos muito razoaveis loja
do gallo vigilante, rua do Crespo n 7.
Anda urna vez
O Campos da. rna do Imperador n. 18. avisa
aos seus numerosos tregueos e aurgos fae che>

dissoj
Lalas grinaldas com llores e botes de
laraugeiras cim \ivos e sem elle.', vendem-
se na N'jva E n. 03.
F1VELLAS DE MADREPEROLA.
Bonitas flvellas de madrepero!a lisas o
bordads proprias para pulceiras, vendem
se na Nova Esperanza rua Duque de Caxias
o. G3.
PARA AS FLORISTAS
A Nova Esperanca a rua Duque de Caxias
n. 03 acaba de receber folhas para rosas e
d*oatros moldes, a ellas antes que se aca-r
bem!!!
Oleo para machinas
Vende se na Nova Esperanca rua Duque
da Caxiiso. 63__________________.
ofre rio fcr o
ti, fraucrz-. na rj
9, jan a igreja.
g- u de sua encommenda o to desejado
amarellinhti de Estevao Ga?se, assim como q
nho do l'.io Grande, que tao grande aprecn tex
dalo os qne sabem de sua otilla le alimentici j.
Alm
O Campos lem consta ni emente cm sea arlis-
zem um completo sortimento de viveres, todoi -?
primeira qnalidade e com se tomara eofadonh:
uiu annnneio que os de-crevesse, limita-se a raen
donar os segrales :
Cftne sfeca (ie carneiro) a siOis. alibrn
6*000 a arruba.
Lingnas esc.iladas.
D.tas em salmoura
Ditas afiamlradss todas as noirtis e sabbados.
Araendnas descalcadas e sem casca.
Pjmenles de horlalica.
Charutos fnmavel a 1*500 meia caixa.
Ditos supi'rio'es m gro so e a rtalho.
Tinta purpurina s 1,5000 rs. a garrafa.
Cahiarons secco.
Ra Paulo O-rdeiro, viajado.
Mate em fotlu e em p.
Tabelias de reduceo, para o yjteiBa metriv.
Pescadas escaladas.
FABItl.
RICAS EELEGANTKS MOBIL1AS
CADAS NA BAHl\.
Na rua dojVigario n. 21, primeiro andar,
esctipttino de Domiegos Alves Matrrens.
tem para vender ricas e elegante? mobtlias
de Jacaranda, Goncalo \\res e V.nhat:
para salas, quailus e sala dej-nlar, \ r
precos mdicos.
Lib a ^terliia
Vende Juaqu rajos, a tus da Gru
lirmeiro anlar.i

JLOJIA
GALLO VIGILANTE
Rna do Crespo n. T
Os proprietarios de,ste bem conhecido Jmbele--
cimento, alm dos muitos objectos que tiaham ex-
postos i apreciacao do respeitavei publico, man-
daram vir o acabam de receber pelo ultimo vapor
da Europa, um completo e variado sortimento de
finas e mui delicadas especialidades, as qjuaes es-
tao resolvaos a vender, como e sea tosime,
por pacos muito baratmhos e coromodos para to-
dos, com tanto que o gallo...
Mnilo superiores luvas de pelca, pretajs. brna-
cas e de moi linlas cures.
Muito boas e bonitas gollintns punl:03 para
senhora, neste genero o qoe na de mais nodereo.
Superiores pentes de tartaruga para co raes.
enfeiles psra ealiec^ das

.4


Oiaiio de PernaniDjico Tert;a 9 Se Agost te 1871.
-
VNDESE
Joacjaim Jos Ramos, na tua da Cruz n. 8, i*
anear, vende alfolio'azul americanos verdadeiro
preaios amerieaao n. 3 t K.
Wu ha saais cabellos branco.
Tintura japone a.
So e astea approvada pelas as academias at
-eeiencia, reconhecida superior a toda une teco ap-
parocii at hoje. Deposito principal i roa da
-i4eu do Rocife o, 51, Ia aoar, em todas as bo
iras e casa de cabelleireiro.
JLOJA
Flor da Boa-Vista
DE
Paulo fiiiimarcs
0 proprietario deite bem onhecido es-
Ubelecirce.ito contina sempre segu ndo soa
antt'ga forma de primeiro barateiro da Boa
Vista e para mellior prova sdorrm os
precos seguidles:
Cuitas escoras e claras cores fuas
ocovadol60 200rs.a. 400
Cambraia* de cores 240. 280 rs. e 320
Las para vestido 280, 320 rs. e 400
Creps escocezas fazenda nova a,.. 640
Alpacas lavradas d'um s c&r. .. 720
Cmbrala branca transparente pe-
Cas a 3J5 0 e.....80000
Ditas dita victoria a 45000 e. 8JC00
Brmenle com 10 palraos.de lar-
gura, varas, a 20OOO e. 20500
MadapolSo superior percas 50000 e CdOuO
Algn;,3oa40OOOe.....50000
Brim pardo trancado pechincba
cvadoa........ 320
Dito dito liso rauito fino a. 320
Ootras minias mais fazendas que vende-
r por presos baralissimos como sejam :
pannos pretos, d;tos zoes, casemiras pretas
e de c6r, ra?riu3, bros brancos e de co-
res, leda >3ra colletes, camisas inglezas para
homens. meias, chapeos deso etc.
OTicina d'alfaiate
Os dignos fregnezes encont ar5) nm gran-
i i. sorttmeoto de foopas feitas desde o
rriai infurior al ao raais .uperior- que ll
ra iiu mercado, assim como se mndala
feria e qualquer obra d'encommenda
capricho, p>is p^ra este mister se
ajn munido d'um perito mestre. Garante
s Ui- ii'in se menor O % de que em outra
ilq er pule pelo o motivo de o fregoez
1 'O que compra e nao o aspecto do
estfbel cimento.
s-uad;i latfiertrlz418
JUNTO A PADAHiA FUNCEZA
Labras sfrvli tas.
Vendo se no armazera de fazendas de Augusto
F. d* Oliveira & (1, i ra lo Commercio n. 41
TAS80 IIHAW
Tara venda era sou3 armazens, aloro de ostra
migas de sea neg io regular, os saguintes, que
*endem por presos mais mdicos que em ou-
:ra aaaiqoer pirte :
POUTaS de ptoho almofadadas.
PORTEIRAS de ferro para cercas.
SALITRE icglez.
BSTSiRAS da India para cama e forrar salas.
CANOS de barro francez para esgoto.
tSSSO superior em porcSes e a contento.
BMENTO de todas as qualidades.
IACB1NAS de descarogar algodo.
faONAS e brinzoes da ttuss'-a.
WS americanos para forro decanos.
FOuOKfi aroericaaos muito bons e econmico?.
i de Bordean*.
a C sop ;rior de Gaulier Freres.
( (ELLO ehi saceos grandes a 3*300.
APA florida legitima.
PALANCAS decimae--.
CADBHiAS americana.-.
RHUU .la Jamaica.
AZULEJOS de L-li a.
i 'emento P02 tiand
Rv. barrica' de 13 arrobas prego mais cora-
s do di que em oatra qualqiu-r parte, vende-se
i :>* armazens de Tasao lnnaos & C
V
iulio de Gol'ares
V ne o verJadeiro e superior vinho do Col-
latea, que. mais a ceitacao lem em Lisboa, em
.i de p o re 28.
Contra a tosse
PAST:LIIAS PE1TORAES.
de
Goman simples crystalisada.
Dita de angica
Nff d'^rabia.
&'7 de pinho maritimo de Lagasse.
E iir* muitas qne mnito se recomendara pe-
iis'suas expelientes qualidades.
Vende na
PHARMACIA E DROGARA
DK
Baitbolomeu & C.
34- RA LARGA DO ROSARIA-34
GRANDE
LIQUIDADO
Ra do Crespo n. 20.
Nansnc liso de cores lindas para vestido a 210,
30 e 360 o covado, chitas escaras Anas :om bar-
ra a 320 o covado, baratsimo : na toja de Gui-
lierm- Cime.iro da Canha.
FIO PARA SA' COS
Veoe em casa de Okell Bindloss & C,
ra OLEO FURO DE FIGADO DE BACALHAO
DA
TERRA NOVA .
DE
H. LACOMBE
K-te. oleo que tao boa acceitaglo lem merecido,
man > se recommedda por ser o mais parificado
que at boje lem vmio, e ainda pelo bom paladar,
superior a oatro qualqaer : ven1e-se no deposiio
especial de Barlholomeu & C.: ra Larga do Ro-
sana 34.
Xarope sedativo
DE
Casca de kranjas amargas
COM
BROMRETO DE POTASSIUM
DE
LAROZG
Este aovo preparado apruvado pela aeademia
imperial de medicina, moito se reeoramenda pela
aua aejio sedativa e calmante, sobrero systema
nervoso, o bromureto de potassinm, nao deixa de
dar os mais eertos resoltados as diversas affec-
tfes do organismo e principalmente as molestias
o coracao, das vias digestivas da respiragio, das
vas gemto-nrinarias, na epilepsia, oas molestias
aervosas da prenhez, na insomnia das criangas
Carante o periooo da denticao etc. etc.
Vende-se na pbarmaeia e drogaria
Barthotomea & C.
34-RUA LAR3A DOROSAUIO-34
npoior
VnVse e wdadeiro oleo de Oriza, Pbilocome
da soeiedade hygieoica, e macai'ar vil de Alkin-
aous : no Bazar Victoria & raa do Bario da Vic-
taria n. t, (amiga raa Nova)
LOJA E ARMAZEM
DO
PARA AS FESTAS
DE
SAMTO AMTOMIO
E S. JoOo
CBEGASAI PARA A LOJA
NA RA DA IMEBATRIZ 60-
DG
FLIX PEREIM M^ .. ,
O proprietarios deste grande e>ut)eleftjment tena) em ser ama avuludpo**gi df
fazenda, e teodo continuado a rece'oerpor todos-os vnperw S|jy JlHPWtta porcSo
dai mismas, ten re.iolrido faer ama GRANDE LIQUIDACA0, ala Bioair o gnoJ
de deposito e ap-irar DINHEfRO. De toda as fajeadassqte MMfedMhafiSiimo ae U
as amostras, fleando penbor oose mandan levar eta cajt dasEai. <"-";tti inlafl^i
a pe-soas rjae nec. c'am em menor escala, n'eitt etretocimeotiBJpoderHg(Aj^j3i
oequenas porcSes pelos mesmos precs que cottipram aae caas eaporudorai;
Bonitas fazendas mmmSStm-m.m,
___ied d saa Me. vomtde do fre-
Vaezi e o proorietirio d'stg grnfa ea-
belecimeato e-promette servir em a -todnr
os fregoexe* qo Ibe btnrarea a sna casa.
ALGODQStNHO AifrWOO A PEgA
0. Pavo vende pe^as d'algodiasiaho d
multo boa. qaalidaie' tndo 20 jardas cada
ptea, pelo barato pre^ de 305OOj ditomoi-
o largo e encorpado 6tf000, dito o me
Ihor qae tem vdo ao mercado, niuito en>
corpado e largo para lancees, pela barato
prec"' de 65500, grande pacbincta.
MA0AP8LXO A 4^000 E 4S0'
0 Pavlo vende pecas de madapo.So com
24 jardas, sendo .uzeada moito superior
pelo barato prec i de 4(1500, ditas com as
mes-vas jardas a 45000, ditas fioissimas a
50500, 60000. 75500 e 80000: pecbincha
MADAPOLO FRANCEZ A 100
0 Pav3o veode tecas de finissimomada-
poiae verdadeiramente francez, tendo 22
metros oo 20 varas, pelo baratissimo preco
de 100000 peca, sendo fazenda. qae sem-
pre se venden 110000, e liquidase por
este barato preco por estar alg^ma cousa
enobuvalhada na pona de f'ra.
ALGODOSINHOENFESTADO A 10 10280
O Pavo vende verdadeiro algxllosinho
americano, tendo 7 palmos de largnra
muito encorpado, proprio para leogoes
70IKX) a vara, dito da mesma largura sen-
do trancado e muito encorpado t&i^Q.
BRAMANTES PARA-LEJSCOES A 2*400-8*80033
O PavJci venda o verdadeiro brabante de
lino tendo 10 palmos de largura* que pe.
oas'precisa para umltncel ama ^ara erma
(iuarta, pelo barato preco de 20400 vara,
dito melhor de 208 Oe 30000, teaio at
do melbor que vem ao mercado 30500-
e 40000, assim como crotones fortes para
lencoas, sendo urna encerpada fazenda fran
ceza com K) pdlmos de largara J00- rs
o metro, e bramante d'algodao com a mes
ma largura 10800.
SAI AS BORDADAS A 40500 E 60003
O Pv3o vende graade pecincha em saias
brancas ricamente bordadas, tendo cada orna
4 pannos, e vende pelo barato preco de...
405OU e 60000, sendo fazenda qae sempre
v^ndeu-se por 80 e 1O0OHO.
Fazendas para saias a 40290, 10280-a t0^G
O Pa '3o Vende superior fazenda bVirdda
a com pregas proprias para saias, 105K)O
10280 e 105tOa vara, sendo preciso para
urna saia speras 3 varas ou 3 1i2.
Aos 3000 cortes de eambraia a 20590
0 Puvl) vende urna grande porc3o
cortes de eambraia organdys; tanto brancas
como de cores, sendo com listrinbas de
cores tessidas e n3o estampadas, e liquida-
se pelo barato preco de 20500, cada corte,
tatenda qae vale muito mais.
Aos 2030 cortes de eambraias bordadas a 5000!
O Pav3o vende urna g#ande quantidade
de cortes de eambraias brancas bordadas
para vestidos, sendo com os desenhos mais
lindos e mais vistosos qae tem viodo ai
mercado, tanto em listras corridas como ada
Kooaes, e com muia fazenda para um ves
de
ALSACIANAS A l.)2t)0
Chegsram as mais liadas abadanas sen-
do urna nova e elegante fazenda de l3u
com brilbantes, listas de seda e ba tanie
larga, para vestiios, sendo n'este genero
o que este acqo tem vind de m is gosto
'8 nierrado, e vende-se 1.5200 o covado.
GRANADINAS JAPOEEZAS A 800 RS. O COVADO
Cbogou para a luja do Pavao esta nova
fazenda 69B o nome de granadinas Japone-
zas, sendo nma boni a fazenda de 13a com
bonitos qaadros de seda, p opria para ves-
tidos, tendo de todas as cores, e vende-se
a 800 rs o covado.
ATLANTAS LAVRADAS A 800 RS. tO COVADO
Gbegou e.-ta nova fazenda com o nome
de a lana, sendo orna delicada fa?enda de
13a, pira vestidos, q;;e vende-se pelo bara-
to preco de 800 rs. o covado.
NOVAS POPELINAS DE SEDA
Chegou para a lija do PavSo am grande
sortime to das mais lindas e modernas
popelinas de seda, com os mais delicados
oadres e de moito phantasia, que vende-se
[jor preco mnit> barato.
CAM3RAIAS BRANCAS LAVRAD iS A 4*
Veude-sd cortjs para -vestidos de cam-
briia braoca la rada, send. fazenda muito
Soa, pelo tanto preco de 40 cada corte,
astim como am grande sortimento de ditas
lisas, lapdase trauspareites. que ven1e-se
por meto do que em outra qualqaer parte.
CAMISAS PARA INVERN
Chegou para a Ioja do Pavo um grande
s-rt:ment de camisas escoras encorpadas,
a prova o'agu3, sendo propias paraaes-
ta'.ao do invern, e vende-se por procos
em conta.
TOALH13ALCOCHOADASPARA MESA A 3*500
O Pavo vende toalbss brancas de fustSo
a'cocb'adas, prepija* para mesas, sendo
bastante exandes pe!o barato preco de
30500, ditas encorpadas muitograndss 70.
CHALES DE MERINO* 20500
O Pav3o vende chales de mBrin moito
grandes e encorpaJos ttMKaft, ditos
imiucSo de cbinezei 20500, ditos pretos
de roda cm 4 ponas MK0OOO.
CHALES PUETOS BORDADOS
O Pa^ao vende os maiores e melhores
chales de me in pretos ricamente borda-
dos cora largas franjas de retroz, e vende
por menos do que em outra qoalqoer tarte.
CAMISAS PARA HOMENS
O Pavao vende um grande sortimento das
mejores camisas inglezas e francezas com
peitos da linbo para todos o procos e qua-
li iades, assim como ditas de ditos de
alflod5o para todus os precos e tamanhos,
tendo tambe tu para criancas, e no mesmo
estabelecimente tambem se vende ceronlas
de linbo e algod?o, tendo para todos os
pre:os, assim como meias croas inglezas
para homens e meninos, que ludo se veade
por preco muito limitado.
CORTINADOS 00RDAD0S .
O Pavao tem & nstantemeote am grande
sortimento dos melhores cortinados borda-
dos para camas e kbm, que vende-so de
Sooo at ao mais neo que .ostuma a vir
n'este genero, assim cerno bonitas eambraias
adamascadas, tanto tapadas como transpa-
rentes, proprias para o mesmo 6 a, colcha;
de crochet, damasco para camas de noivas,
e cortinas, e vende-re no Bazar oo Pavao
LASINHAS BARATAS
O Pavo tem nm grande sortimento das
mais bonitas laasmhas para vest .os, tendo
de todos os precos cores e qualidades.
jriticipiando da 200 rs. para cima; porm
t3o grande a quantidade que seria enfa-
doDha especificar qualidade por qaadaie,
s a vista do freguez e das amostras se lhe
venderSo por precos t3o cmodos qae
engue deixar de fazer um vestido de
13a por tao pooco dinbeiro.
ALPACAS DE CORDO A 640 R8,
O Pavao vende as maW lindas alpacas de
cordao para vestidos e ronp'as de criancas
oelo barato preco de 640 rs. o covado,
diias nissimas cornos mais lindos lavoree
i.
glac.
trosas como seia 10(100 o covado, e ou- lmuil modernos, assim como ditos d oro-
tras maitas fazendas de gosto e loso para cbet e redas pretas qae se venden muito
nn,ijn -. j. i__.__.-:- a. pdi ennta. na na H* Imnnr.inU m a
tor, grande pecbmcLa.
CAMBRAIAS
O Pav3o veode grande quantidade de pe-
sas de eambraias brancas tapadas e trans-
parentes, teado de 30 a pega at a mais
una qae vem ao mercado.
CHITA A 160 RS.
O Pavo vende chitas largas com bonitos
desenhos e cores flxas. pelo barato preco
de 160, o covado, grande pechincba.
LAASINHAA 160 RS. O COVAD3
O Pavo vende bonitas ISasinhas transpa-
rentes pelo barato preco de 160 rs o cova-
do, pashincha na ra da Im eratriz o. 60
CORTES DS CASSA A 20500
O Pavo vende bonitos cortes de cass.a
francoza viudo cada am em sea papel, pelo
barato preco de 20500 o corto, ditos omito
lindas 30000, pecbioehi.
CASSAS FRANCEZAS A 20 RS. O COVADO
O Pavo vende bonitas c.ssas de cores
para vestidos, pelo barato preco de 200 rs
o covado ditas fioissimas com os desenhos
mois mode.-aos que*tom viodo ao mercado,
pelo barato preco de 500 rs.
CRETONES
O Patio vende Gnisstmos crotones esca-
ros matizados, proprios para vestidos e
chambres, pelo barato preco de 640 rs. o
covado, ditos de fl roes, proprios para co-
berta, sendo fazenda muio encorpada pelo
barato preco de 800 rs. o covado.
Basquinas o casaquinhoa a 200 e 250
a O PavSo vende basquinas ou casaquinhos
imitacio de agr anas 4 800 rs. o covado, de 86 boratos glacs com delicadas crese tus- baratsimo pre?>de 200 e250OOO, sendo
MACHINAS PARA
COSTURA
Chegaram ao Bazar Universal da roa Nova
n. 22, na sartimento-de machinas para eos
lora, das melhores qualidades que existe na
America, das quaes muitas j sao bem co-
nhecidas pelos sens autores, como sejam :
Wlller & Wilsoo, Grover Boker Silen-
ciosas, Weed.elmperiaes e oraras muitas
que com a vista devero agradar aos com
pradores.
Estas machinas teem a vantagem de fazer
o trahalbo que 30 costureiras podem faz r
diariamente e cosem com tanta perfeigo
como as mais perfeitas costureiras. Garan-
te se a sua boa qualidade o ensioa se a tra-
balbar com perfeicSo em menos de urna
hora, e os precos sao tSo resumidos que de-
vora agradar ao3 pretendentes.
nico legaimente autorisado e approvado
pelo cooselho de sade.
CNICO DEPOSITO
em
PERNAMBCO
Pharmacia e drogaria
de
BARTHOLOME & C.
34Ra larga do Rosario34.
Para
AH Id
saceos e foguefeiros.
sceos
PARA ASSUCAR
CEAVEJA DE MARCA
Engarrafada especialmente para o Brasil.
Charutos de Havana
Lona para velas
Cambraia Victoria
As verdaderas trazem os numsros estampados
as pegas e nao as etiquetas. .
Vendera-se
Em casa de
T JEFFERES i C
Uido, e'liqaida-se peto baratissmj preco de je d, J a? ao
54000, sendo fazenda de mcltomaior va- nua d0 vummercio 4o
iBRINS DE ANGOLA
OS LEGTIMOS
Trazem esa cada peca um bilhe-
te com o nome
* D0S
nicos importadores
T. JEFFERES & C.
Vende-se barato, nm piano, de um dos mais
afamados fabricantes : tratar rna do Com-
mercio n. 38.
Aviso as fumantes
- Charutos de Havana
Verdadeiros e de diversas mareas, acabam de
ebegar casa de Bonrgard t C, rna do Mr-
quez de Olinda n. 15.
vestido, na raa da Imperatriz a. 6o.
POPELINAS
O PavSo receben as mais delicadas e me-
bores poopelinas de teda par vestidos,
cum os mais molernos lorores, e outaas li-
zas com as cores mais novas jue tem vio lo,
e ven le-ia 20000 cada citado, assim
como delicadas sedas de stinhai, tanto
para vest ios de senboras como de enioas,
q rende-se 20000 cada cofsdo.
ROUPAS PARA HOMKNS
O Pav3o tem consuotemeoM am grande
sortimento de ronpa, tanto de panno como
de briris branco e deedres, di casi-
miras, para todos o preces e qnadades,
e tambem se manda fazer qaalqaer pcei de
ohra & m todo aceio e prouptido,
qae se tem om perito
em coots, pa raa da Imperatriz n. o.
Cutas eatraneadas iiraetberttl 1360 rs. Mfat
O Pavao vende obius eotrancadas cosa
delicados desenhos para cobertw oh CDrti-
oas de cores flus, sendo fazenda mallo en-
corpada pelo barato preco de 360 o eooadO.
ESPiRTILHOS A 40500.
O PaviO veode os mais modernos e me-
lhores espartilhos, tendo de todos os ta-
manhos, pelo barato preco de 40500
CASEMIRAS
O Pavo vesde om elegante sortimento
d delicadas casemiras inglezas, sendo to-
das de Ui e moito levesinhn, troto pro-
pnas par horneas como para criancas, e
ditas mais eoeorptdii, ten lo de am* e de
para o duaa largaras, qae se vende o mais barato
lp*8iT8lt uarua di Imperitrii o, j.
Casaquinhos de crochet
preto
a 3j5OOO
M, Ra do Crespo n.
Wmmmmm
s
a Ioja de lonca da trra a rna do Rangel n. 4, Ii
vre e desetnbaracaoa de qaalquer importe : quem
a pretender dirija-se mesma.
'^w* y*/ '^sw' ^W ^aW "^aW ^aV <^aW ^aW N^k/ ^ah/^atW^atau'
BQvGrQO&r DB OfierQ
Groslenaple branco
al^o covado
BADJ CRESPO I. 25.
RefnadoRes de Pfirnambuco.
Chegoem i pachincha, carvao animal a 1*600 :
na acreditada fabrica dos fias das salinas de San-
to Amaro, deposio na ra da Ponte -velna n. 14,
Pete tde vender por largo tempo por ter vindo de
Lisboa grandes pargS-s por qnasi todos os avos,
e e< m os melhoramentos ultimamenu introduzi-
dos no machinlsmo, produr a dita fabrica 90 ar-
orbas por da, .eomecando de 15 de agosto em
diante.
Nova padaa aniepicana.
Hats do Pirra 4*.
Contina a fater pao e balaca da farinna espe-
cial de primeira sorte, para melbor agradar a seas
refta, 6 vende-se a j multo acreditada nova
botaxinha americana nao ioferior a Ingleza, a vis-
Ulule.
/ 1
A FLOR DE OURO
E' este o distintivo de nma nova e bem montada
Ioja de joiq?, sita a ra larga Rasado n. 2 A.
Os proprietarios deste elegante estabeleelmento lendo em vista o asfereos que
Ozeram para o collocarem as condiccoes de ama grande clieniella,f iliariam ao uai
rigoroso principio se nio viessem at eollnrnnas do jornal sclentiflcar ao respeitavel bh-
blico, qne no me mo estabelecimento eneoniraris sempre o mala completo soriimenta
de jolas, como sejam : brincos os mala modernos, para adornaren! as delieaaaa ore-
Ibas do bello sexo, e qne se vendem a 8, 9 e 10* o par, ditas para monHaaa 4, 5 e 64,
ditas de coral, obra de aparado go-to a 3 e 4*, Voltiobaa de corar con ernzes de oofo
a 6#, broches modernos de 3 a 13*, ditos com podras e emstranlevrds calimbas a
10, 1, 16 e 20*, rosetas lisas, porm bem trabalhadas, de 1*500 a 9*, das eoa ,
pedras de 4 a 13*, cacoleas a 4*. ditas com Intcripcdes a 5*S0, aunis de diversos
go'stos, e com bonitas pedras a % 3 e 4S, ditas de perolas, esmeraldas e rubios a 8*,
ricas erares de esmeralda e rubim a l, 14 e 16*, ditas de ouro e coral com vistas piso-
tographicas a 3, 4, 5, 6 e 7*, ligas de coral a 2*, eadeiaa para rslogtos a 28#, INim a
6*600 a oitava, gnarnicdes cam tres boldes para aberturas a i*, ditos de pedrlnhas a3*30O '
o par, ditos para punbos os mais modernos a 7 e 8*; altn de um variadsimo surhaen-
to de jolas de aparado gosto qae recebera por todos os vapores-da Europa; com
sejam : brincos, braceletes, aISnetes, aderecos completos, eruzes, rnzetas, anoeia de
brilbantes, esmeraldas, perolas e rubins. Medarades, votas, iraaeelinfj aane# cao Ut-
i Oas e da diversos modelos, ocnlos e pencinez de onro e prata doarjda, reiogros de on-
1 roe prata de afamados fabricantes, salvas de prata de drverioa tamanhos, rfco paute ,
ros e faqoeiros, colheres para cb e sepa, maracas para criaseis,. utastia\UMue a>-
objectos qae seria enfadonbo mencionar-se.
Os proprietarios da Flor de Ouro garantem vender mais barate qa en oatra
qaalqaer parte, para qae estar aserto o esUbelecimente das 6 horas di manta as 9 da
non te.
.
GRANDE QUEMA
65
RA DO DUQUE DE! CAXUS
(Antiga do Queimado)
Peco que se nao admirem dos prepos de algosa artigos que pa?so a mencionak j
por vezes tenbo mostrado que s desejo vender barato a fim de poder veoder m^ito.
e nSo ba quera me possa retirar do meu firme proposito ; podondo desde j asseverar
aoillastrado povo pernambucano, que nesta casa commercial se encontra sinceridad^ nos
tractos, afim de se poder conservar a numerosa reguezia que me tem honrado ent vr
em nossa casa, e pan o augmento da mesma.
PBECOS
Pecas de madapolao a 3#200, 40CO,
4^300, B| e OiJOOO.
Ditas de dito muito fino a 6500, ?&.
e O/JOOO.
Dita dito enfe'tado peca de 12 jardas a
3,5500.
Dita de algodosinbo a 3.->. >, e mais
presos.
Ditas de dito muito largo marca T a
40400.
Ditas de cambraia transparente a 3200,
3(5500 e mais precos.
Ditas de dita tapada (oo Victoria) a 4
e mais precos.
Canibraia a imperatriz muito fina e
larga.
Dita imperial com cordSosinhos, fazeeda
muito moderna.
Mosselina branca, covado 300 rs,
Bramante de linbo com 9 palmos de lar-
gnra 10800 e mais preces.
Dito de al goda o a 10500-
Atoalbado afestuado fazenda superior a
10800.
Brim dealgodo de cor a 400 rs. o
covado.
Dito da Russia, a 500 rs.
Dito pardo trancado a 300 rs. e mais
precos.
Dito branco de linbo fazenda muito supe-
rior a 10600 a vara (vale 20000). .
Grande sortimento de brins de Iinho de
cor a 500 rs. o covado, fazenda que se tem
vendido a.10200.
Grande sortimento de casemira, casta o
covado 10600, 20500 e mais precos.
Damasco de 13a fazenda finissima.
Cortes de casemira para calca a 40500,
50, 60. etc.
Fianellas de 12a riscadinhas a 640 rs. o
covado.
a duzia.
e linbo
ortf-
Lencos chinozes a 30OCO
Ditos brancos de algodo
ment completo.
Completo sortimento de camisas nacia-
naes, francezas, allemes e inglezas.
Cobertores dela de xadrez fazenda sope-
rior a 50.
Grande sortimento de baldes.
Cobertores de algodo a 10400 e20J>OO.
Casss de salpicos a 50000 a pega. [
Palitots de casemira a 50OiO e mais pre-
cos.
Ditos de alpaca a 30500 e mais pre-
cos.
Saceos para viagem.
Meias para horaem a duzia 20400, 30 e
30500 e mais precos.
Ditas para senhoras, meninos e meni-
nas.
Popelinas de seda, covado 10700 admi-
ra/I!
Completo sortimento de chapeos de
sol.
Toalhas para o rosto a 80000 a
zia.
Toalbas bordadas, de linh > do Pcjrto.
sao muito lindas, mandem bascar as amos-
tras.
Duzias de gaardanapos a 20500.
. Cortes de vestido de cambraia brinca
com babad* s a 70000.
Cortes de vestido de cambraia branda
de cor com baba dos a 100009.
Algod o de 2 larguras para leocol oo
Ibas a 10000 a vara.
-Chitas finas a 240, 280 e 320 rs. o ro-
yalo.
Bita violeta fio a a 280 rs. o covado.
Ditas em percale o que ha de mehdr a
360 rs. o covado.
E' v para crer. *
.

jc-
I tos-

00
0
a*
s
x




I
A



Riario ie J'ernaittbuco Ter^a 29 Aa Agosto 0* 1871.
po
CYSNE
U RIJA DA IHPER4TRIZ N, 64
PE
. FIGUEIREO ft LOPES.
Os proprietarios deste nevo estabelecimento. certos de que o meio de adquenr
numerosa freguezia vender barato, servir bera e haver sinceridadade nos tratos, nao
na* afa&tamos deste caminbo para bem corresponder ao favor que nossos numerosos
freguezes dos tem dispensado.
Como aluda temos algumas fazendas das primeiras compras, resolvemos fazer
redocSo era algumas dellas, para o que chamamos a aiterco do respeitavel publico :
HYOfiOLEO MTHOTRIPTICO
SSTNS.E GROSDENAPLES DE CORES.
Temos para todos os precos e quedadas.
Grosdenaple preto.
Recebemos novo sortimento e vendemos
for manos do que oulro qoalqoer.
Lias Saboya.
Aind temos ura resto desta linda (alen-
da para acabar vendemos por 900 rs.
Caries a Minerva.
Anda temos alguos estes iindos cortes
coa listras de seda, com 19 covados, pan
acabar vendemos por 200.
Cortinados.
Recebemos novo sorlimento e vendemos
por 80, 9, m, W, 183 e 22.$, cada
par.
Cambra a para cort nado a 10jJ a pega
com 20 varas.
Dita Victoria de 4J at 80000 a peca de
varas e meia.
Dita suissa transparente mimo fina.
ORGANDYS BRANCO
Temos recebido novos organdys de
4500 rs., dilos de 60 e 80000, este ulti-
o tem listras assetinadas.
Esparlilbos
Recebemos novo sortimento de espartilbos
ioglezes muito grandes, t>io de Imho.
Capeilas muito lindas para noivas, pelo
barato prego de 30 e 30500 rs.
Poupebnas de cores e brancas muito
lindas.
Camisas de meia a 90000 a duzia, pe-
chincha.
Cambraias de cores.
Temos o melhor e nais lindo sortimento
de cambraia de cores a 500 e 5G0 rs. o
metro.
. MEIAS.
Recebemos meias muito finas tanto para
senhoras como para bomens, meninos e
meninas.
Chapeos de sel.
Recebemos chapeos de sol com cabo de
marlim que vendemos por 130 180000, di-
tos de cabos de canna 90, 110 e 140000.
Cortes de cambraia de cor muito lindos
e com babados com seu competente figuri-
no, tem 18 covados por 80000.
BASQUINAS.
Recebemos basquinas de seda ricamente
enredadas que vendemos por baratissirop
prego.
Vestuarios para meninos.
Recebemos vestuarios de fustao muito
bem enfeitados que vendemos por 40500 e
50., fi branco bordado muito fino, dito
AWTI
ESSENCIAI
[T
Vestuarios para baptisados, bordados com salpicos dito preto com salpicos e liso.
sito lio Jos a lOiOOO, barato.
Camisas francezas, inglezas e suissas de
24 at 40500 rs., ditas bordadas muito finas
de 80 ate 100000.
MECEJANA.
E' ama fazenda branca muito linda e fina
para vestidas de senhoras, tem a peca 30
jardas e costa i.-0 e 220000.
Panno abretanhado largo e bom. pega de
SO varas a 1(0.
TAPETES.
Recebemos novo sorlimento e vendemos
muito barato.
Temos grande sortimento de saias bor-
dadas e vender s muito jarato.
CORTES DE LA A SIMIRAMES.
E' urna linda fazenda com os enfeites
Cambraia abarla a imitagao de croch de
cores e branca.
BRINS.
Recebemos o superior brim de Angola,
dito pardo para todos os pregos, ganga fran-
ceza a 500 rs. o covado, superior.
Pannos finos.
Temos pannos pret s finos de 30500 al
60500 rs.
Recebemos case miras de cores para 30
at 30500 rs. o covado.
CHITAS-
O Cysne tem o mais lindo sortimento de
chitas para todos os pregos e qualidades.
Bareges com listras de selim com lindos
padroes e muito modernos.
Crotones claros com lindos padroes e
correspondentes, guarnecida a saia com cores fixas pelo baratsimo prego 440 rs.
ama franja de seda na barra, vende-se o covado.
por 400000. | Luvas frescas de pellica para bomens e
Cortes de cambraia branca aberta, bor- senhoras do acreditado fabricante Jouvin.
dadas muito lindos, vendem-se por menos Fazendas para luto vendemos por monos
do sjots em outra paarte. i que em tutra qualquer parte.
Ditos bordados na barra, de cambraia' Alpacas, caoloes, princezas, bombasinas
transparente, por 80000, muito barato. cambraia preta, tic. etc.
Deiiaraos de annunciar moitas outras fazendas por nio se tornar extenso e en-
iadonho aos nossos freguezes.
Ra >Ja Imperatriz n. 64.

k LOPES.
Nunca m to ara procedo.ralis perfeiio e que ai-
Caja de tal forma a eatisfaier as exigencias mais
*ewas da f .'cripturacJo.
A sua tr lindissima e nio precisa de cuida-
dlo algam para se conservar no tinleiro sempre
lam a meso cor, 9f m horra, ersta, bolr oo sem
WUs estas amellas inherentes todas as tintas
*t ajor* conhecida?, aleda mesmo dos melbores
asMns eslrangerros.
fiabretndo, ete estimavet producto nao ataca as
?eaats de ac, ate* pelo contrario, a pnna
adfnire um esmalte dourado que, sendo nteres-
atwe, asss nroveitoso.
Sata tinta, nao sendo especialmente para copiar,
amlaio duas, tres, oa mate copias ura uei
tfapaja. i escripia ; 6 predso, porro, deixar-lne
wrio, porque nao ha o ri?co de borrar. Para se
tirar mais de uro* rf*<, nio se aijtonieram tan-
ta* felfea* qaaotis caias se quema tirar, mas
* como orifiaaJ tirar i unta tapias quanias
eiejarn, sem que o original fique prejadicado
ela* extraedes.
Oecorra aqu direr que, para copiar importa
Mita iotettigeoeia habiHdade, sem o que a mo-
flear lia** nao ntishr,, e* defeite recae lempre
ata* a tinta. que rauitae veies a auem menos
lf tea*.
sitfaaA qnalidade deta tinta tremaraent''
SMOiivat, pota ^e ewta ajpw em qoalqoer e--
atriatono baja mais do qoa ama teta para os di-
HMamisteree.
atmatunto i sai iaraMHad, lio ha a oppr
TdawM fm^tm aa *** a.
cripta suffre o choque de cidos fortissimos, sem
se decorapr; om, se os cidos nao-tem accao so-
bre ella, muito menos a accao do lempo a pode
destruir; isto plausivel.
Nao s ao commercio que este met producto
veio ser til ; os professores dos collegios, Invest-
gand > todos os meios para o adianumento dos
seus dicipulos, tem approveilado est tinta, que
cem razo a acharara apta para desenvolver o
gosto nos educandos, em consequenci da beleza
da cor e facilidade de correr na pequea pela sna
liquidez. Ha exemplos de enancas que bava
muito tempo tiohara urna repugnancia extrema
para a escripia, logo que foi admittida esta tinta
no coliegio, apoderon-se deltas a curiosldade e o
gorto, e poneo tempo depois o seu adtantamento
era manifest.
Esta tinta, par de tantas vantagens, tem om
nico inconveniente, deteriorarse ao contacto de
outra qaalquer; envm pofs te-la em linteiro
isentos do menor vislnmbre de outra tinta, e evi-
tar escrever com a peona cuja de om* preparacao
ilifferenta- e ineompativel i verileando isto, nio na
razao para >e osar de tinta que nSo seia a VIO-
LETA EXTRA-PINA DE MoNTEIRO.
Observapo.
E2 CaOTTONO
FFICAZ E"fNFLLI-WEL EM DESTaIR AS AREIAS E
EVITARA 6UA FQRMACiO ***>.
Guiados pelas indicacoes de muitos abalisados cbimicos, e medico distincto?, que
se deram ao estudo e averiguacio das causas que prodozem os padecimentos de rheu-
matismo, gotta, areias dus rhins, bexiga, figado, e d'outras visceras ; e aos enaaios dos
meios prrprios para cural-os, ebegam>s a obter om remedio, que nanea desdisse a sua
aclividade contra os ditos padecimentos.
Nio poicamente baseado em theorias que tanto avancamos, mas sim nos satis-
factorios resultados ohtidos da sua applicaco, as innmeras experieoa, que com elle
fizemos; e deste modo, seguros de seus beneficios effeitos, afootamente o recommenda-
moss pessoas q.e soffram algumas das molestias cima diUs.ou de alguns outros pa-
decimeptos do apparelho urinario, taes como o diabtico, glycosorico albuminurico
etc.
Escusado seria observar que se n5o pode designar um numero determinado de dses
de um medicamento para curar todos os individuos qoe fiadegam damesma molestia;
pois que a cura est dependente de diversas cJrcumstancias, inberentes di.'posigao na-
tural ou complejo, de cada om delles; mas comlodo, certo que o fiydroleo kiho-
trptico anti rheumalico e gottoto prodtsz sempre a cora desejada, qundo se persista em
toma lo o tempo preciso para obte-la; devecdo ter-se em vista que quanto mais invete
rado est o mal mais se deve insistir na applicagao do remedio.
Podemos tambem affiancar qoe, por mai> continuado- que s*ja, o oso deste reme*
dio n3o causa desarranjo algem as vjas digestivas, mas antes, pela propriedade emioeu-
lemente tnica, que tainbem possue, fortifica o estomago, torna mais facis as digesioes
e, n3o roncas vezes, tem frito desapparecer diarrhea, que eratn entretidas pela debili-
dade geral do apprelbo digestivo,
MODO DE USAR.
Tomam-re do hydroleb lythotriptico, nosprimeiros quatro ou ciqco dias, duas co-
Iberes de sopa, em agua assucarada, leite, cha ou caf com leite, e mesmo seui mistu-
ra alguma, oa occasiao do almogo, e outras ao principiar a janlar.
No quinto ou sexto dia e seguintes, tomam-se do mesmo moclodit), tres coiheres
de cada vtz.
Se as ourinas da pessoa doente depositara grande porga) de areias; se as dores
nepbrilicas, rheumaticas ou goltosas sao constantes; em lia, se os padecimentos sao
fortes, tomar-seho quatro rolheres de cada vez,oa tres vezes no dia, a tres coiheres
de cada orna.
Quando as areias, ou outros padecimentos, tem diminuido, torna-se s primeiras
dses.
Pelo uso do Hydroleo lilhotriptico vao sendo mais -raros o apparecimento das areias,
s dores nepbrilicas, rheumaticas e goltosas at que de todo desapparecem: neste p mto
pode dispensar-se o remedio: mil, porm, comj preventivo, tomar cada semana urna
ou duas dses delle.
Pelo que respeita alimentagao, deve ella ser regu'ada de modo que nao sobrecar-
rego o estomago, e etq quantidade tal que possa ser fcilmente digerida.
A melhor bebida sem duvida, a agua pura, mas tambem se pode osar de vinbo
simples ou pouco alcoolico. De cervep e vjnhos fortes, poucas vezes.
Sobre luda o que muito recommendamos, grande exercicio, sem fatiga, pois que
elle muito coutribue para a rapidez da cura.
N. B. Depois de tirar-fe do frasco a p> rcao que se vai lomar, deve haver o maior
cuidado em o arrolhar immedialameote.
nico deposito em Pernambuco
Pharmacia americana de Ferreira Maia 4 C, raa do Duque de Caxias n. 57, (an-
tiga d,o, Queimado.)
A' AGUIA BRANCA
RUA DUQUE DE CAXIAS N. 52
(Outr'ora Queimado n. 8.)
Ml]EI]
LEGANTE
1Rua streita do Rosario N.1
AO BOU TOM
Aciba-se de abrir este importante estabelecimento demiudezas superiores cornos
mtlhores artiffoa de luxo ede moda para homens e senhoras, variado sortimento de
perfumaras dos mais afamados fabricantes de Paris e 1/ ndres, com) sejam i ver, Lubin,
Condray, Pinaud, Regand Chonneaux, Monpelas, societ Hrgienique, Gosnel, Rimmil e
Piesre Lulia, etc., tte.
Alta noviiade
O Mu-eu Elefante roa Estrejta do Rosa-
rio n. 1 vende ricas camisas de cambraia
de linho bordadas para noivas, o tambem
de madapolo fino, bordadas e en'eitadas
de ntreme.os a 40(5, 60 e 75000 a du-
zia.
Lindos penteadores guarnecidos de ntre-
melos e rendas valenciooe, ricas caigas de
linho bordadas e de madapolo, para senho-
ras, bellissimo sortimento de golinbas e pu-
ohos cousa inteirameote nova, recebido pelo
ultimo vapor da Europa.
PARA BAPTISADOS.
O Musen Elegante receben os mais finos
e ricos enxovaes para baptizados e tambem
lindos vestidos enfeitados para crianga, ra
Estreita do Rosario n. 1.
(Tilma moda.
O Museu Elegante receheu os mais liados
e modernos chapeos de blond enfeitados
para senhoras, e tambem de velludo e pa-
Iba para mangas, e est vendendo muito
barato para vender logo, a ra Estreita do
Rosario n, 1.
Flores e plumas.
O Museu Elegante est vendendo as mais
bailas flores e plumas que tem viudo ao
mercado, assim como om lindo sortmeB.o
de franja de.da preta cousa de apurado
gosto ra Estreita do Rosario n. 1.
BOTINAS.
No Museo Elegante vende-se bolinas de
n. 20 a 3 pOara changas a 20000 o par, e
Lbyrintho
tambem vende colchas e toalbas de fust3o a
5^000 extraordinariamente barato, ra
Estreita do Rosario n. 1.
Collar electro.
At quaaoal chegaram oa verdadeiros
collares d Royer, contra as convols5t das
enancas e facilitando a denlic5o, e esto se
vendendo a 3*000 no Moseu Eleginte
roa Estreita do Rosario b. I.
s de 54 por 4^800
Na verdade barato II Facas finas cabo
de bataneo com dois botoes a 40800 a du
zia, um complete sortimento dj colhe-
Iberes de electro-plate e facas com cabo de
marfim, tu Jo por prego baratinbo qoe ad-
mira, no Moseu Elegante ra Estreita do
Rosario n. i.
AS MODISTAS.
No Mu-eu Elefante encontrarlo um com
pleto sortimento de bico de-blond branco
e preto, dito crochet, trancas e franjas de
seda de tod s as coras, grande sortimento
de galoes de algodao cousa de lindos dese-
obos, cambraia fran ceza branca e preta para
forrar vestidos, retroz de todas as cores,
entremeios e babados tapados e transparen-
tes e agolbas de ferro, osso e marfim para
crochet, ra Estreita do Rosario a. i.
Imilaeode o uro.
O Moseu Bregante vende ricas voltas don-
radas para senhoras e tambem meios ale-
regos imitando cora), perola e gata ludo
por pregos razoaveis, na ra Estreita do Ro-
sario n, i.
Mantilha brasleiras
No Museu Elegante ra Estreita do Ro-
0 Museo Elfgaate veade ricas fronhas de sario a. I, veade-se liadas maatilbas de
lbyrintho a 640 e 10201', roa Estreita do seda para senhoras a 150000, cousa vinda
Rosario n. L I no ultimo vapor.
TOJADA CONQUISTA
Ra do Cabuga' n. 6
03 donos desle bovo estabeleeirrento acaban de receber un conpleto sortineato
de fazendas finas, das qnaes s mencionara os artigds aoaixo declarados afim de que o
respeitavel publico possa fazer nma aproximada ido de que nao por meio de annuo-
cios que queremos acreditar aossa loja, mas sim pela variedade de objectos de gisto
de moda que sempre costuramos ter como sejam :
A Aguia Branca tendo j recebido parte desaas
antigs encommendjs, em sH'uimento acaba ago-
ra mesmo de reeeber outras, algumas das qnaes
se tomavam essencialmiri precisas, e cutras se
fazem apreciadas por ?eu gustos e qualidades,
coiro sejam:
Meias de fio d'escoci, abertas para seohoras
s m. qini.9.
Ditas dem com lisias tambem para senhoras
e menina-.
Ditas idem milite bonitas ao gosto etcocez.
Ditas idem iJcm brancas e com listas para me
ninas.
Ditas Mfm idf-m para tipptisados.
Ditas da algodao eempridas e erra listras para
meninas.
Lavas pretas de seda, para senhora.
Ditas de torgd e de seda pan meninas.
Bonitas camisirrlias bordadas para senhoras.
Fil de seda, banco e preto cora flores miadas.
Dito de aigodij, liso e com flores.
Tonqoinhas bordadas para mangas.
Lindos e modernos chaposinbos de fusiao para
ditas.
Penles de taatrtca pira desembaracar ou pen
tear.
Hilos do dita Ir ves sos pan menina!.
Dilnt de borracha para dita?.
Ditos de tartaruga, pequeos, para segurar o
A.-narradilho aos cabellos de senhoras.
Grande sortimento de enfeites de seda para ves-
tido.
rVfllaa de madreperola e de tartaruga para
pnleain e hg. psra o cabello.
Booiias b Icinhas para m-ninas.
NOVO SORTIMENTO DE ENCII0VAE3 PARA
BArTISADUS
A aguia branca acaba do rtceber novo sorti-
mento de lindos e completos enchovaes para bap-
tisados, e bem Mura sep;>rdani para dilir, (indos chapeosinhos do selim branco
bordados, ouipjs ditos com funJo Ce veado, obra
ile muito posto, e q>ie serv.'m ranrbem para pas-
seio, s.i'niinho? .le r im para o mesmo tim.
MiiikNOS KNFKITKS DE FLORES,
'rnados com hic.s de seJa, tiras de a'jlm e livella
de madreperola ao ultimo goste, e prourios para
bailes, casamento*, etc., tte
FLORES E PREPAROS PARA ELLAS
A Agoia Branca receben liados ramos de flore
fluas, tanto para cabe? como para ehros, *
bem assim :
Papel verde li.-o c con lisias para olhae.
Dito de cores para II res.
Folbas de diversas troaiidades para rosas.
Ditas verdes e lustra?, obra m va e pefa pri-
meira vfi vindas cerno amostra.
Franjas pretas e de diversas largaras ptraeo-
leiiar vestidos,
COQUES DE TRAMAS E DE OITROS
MOLDES.
A Aguia Branca acaba de rpeeber nrtia peque-
a porcao dos bonitos e modernos coques gvaav
des de tranca e outros moldes.
COLLARES ROYER ELECTRO MAG-
NTICOS.
A Aguia Branca acaba de receber os preverlo-
sos collares electro magntico* j bem ronheci-
dos para facilitar a denticao das enancas a pre-
serva-las das convuhSes.
S0BRE-SA1AS OU ANQDFNHASj DE
CI.ENOLINE.
Em snbslituigao aos bs tes vieram as anqni-
nhas de clcnoliue, e acham-se venda ru leja t
Aguia Branca.
QUADROSPARV RETRATOS,
A Aguia Branca recebeu variado sortimento da
quadros para retrates. ,
LENCOS BORDADOS.

A loja d'aguia l ranea, a ru Duque de frxias
n. 52, outr'ora 4u Queimalo n. 8, recehem boaitoe
lencos de cambraia de bobo primcrosa-mecla bor-
dados, e como de seu lonvavrl eostoma est os
vendendo baratauunle a 5AOC0, 6f, 8j e lOfitx
cada u>n.
TAM EM hKCEBEU
ric.'.s camisas de lio > esgaiao de Imbo ^afeitadas
cora muito gorto, e propias para noivas, oa mes-
mo oulra Exiua. seiih ira qae poss a tn ira aug-
mentar o numero de sua boa roupa brauc.
Mmmm. mimmmmm mmmm mmmm
co
N
ERNESTO & LEOPOLDO
2 D Ra do Cabua N. 2 D
Acha-se montado de forma tal este estabelecimento de joas que pt^e
vender aos seus numeroso's freguezes em grosso e a relalho e por pre?
mui resumidos visto que recebe de conla p cpria por todos os vapores i
Europa. O gosto de desenlio de suas joias o mais lindo do paiz das
modas, curo de lei, brilhantes verdadeiros, esmeraldas, rubins, perolak
turquezas, sapbiras, coral roe a etc. etc. Obras de prata do p rto tao
para igreja cerno para servido domestico. Convidamos as Exmas. famlii 9
a visitarem o dito estabelecimento todos os dias at 9 horas da noite.
FAZENDAS EN) LIQUIDAQAO
ra da Imperatriz
Os proprietarios da loja rjo Papagaio scientifu- m ao respeitavel publico desta
provincia, que esperara muito breje receber um novo sortimento de fazendas i moder-
nas, e de bom gosto, e por consegrte pfiem era liqoidaco as abaixo especificadas :
Retalbos de chita, de cassas e ISas.
Chitas de cores e rxas de 160, 200 e 240 rs.
Laaz nhas tapadas e transparentes.
Alpacas lisas e lavradas, de moitas e differeates qualidades e precos
Cassas de cores de 210 a 320 rs. o covado.
Cortes de cassa chita a 2)5400 o corte ou a 240 rs. o covado.
Cambraias brancas tapadas a 4 e 5.
Barejes de la a 30 rs. o covado.
Toalbas de linho do Porto muito grandes a 100000 a dozia.
Metim da ludia a COO rs. o covado.
L5azinha prtta de 320, 400 e 440 rs.
Alsaciannas a 14000 o covado,
Caitas pretas modo finas de 400 at 240 r;,
Esp-rtilhos de linho e algodao de 350 at 50000.
Camisas de meia, ditas francezas.
Camisas de peto bordado, Jisas, e do pregas com coerinho e stmell
Bales de panno a 30C0, dos mais moderno?.
Cc-llerinhos de papel com beira de cor e ledos brancos.
Fustes de cores para vestidos mnito largos a 440 rs. o covado.
Cortes de casimiras de 40000 al 7000!) com quadros e listras.
E outras murtas fazendas que pretendemos .'Cuidar para nao aecumu
as que esperamos receber.
ROUPAS FEITAS EM MOUIDAGiO
Na loja do Papagaio ha um grande deposito de roopaa feitos de briis e ta
casimiras, palitots, caigas, colletes e obrecasacos, qoe se liquidara por precos multo
baratos.
tte da.? larra das de edres.
Liquida-sena loja do Papagaio urna grande porc?o de se Jas laviadas dle ccrea
que se vendem por precos baratissimos, na ruada Imperatrii n. 40, esquina do bqcco dea
Ftrreiros.
Mendes & Carvlho.
ar coi
BAZ4R DA MODA
PE"
cortes de blood para casamen-
e preto.
DiverM^talgiflcaciJes e semelhancas
dnrabilidade davidoaa.
rocido, coja dnrabiidade'^ davidoaa. Os Srs.
compradora* padaaa attur aonno 4irig>ndo-se
a casas circumspecias,- e pediodo a imu aue es
fabrtoo
A. .Mo*t#ra.
Ricos
tos.
GorgurSo de seda, branco
Dito dito de cores.
Popeliaas de seda brancas.
Ditas ditas de cores as melbores do mer-
cado.
Ricos cortiaados bordados para cama.
Ditos ditos'de crochet dito.
Colxas de croebel dho. -
Ditas de 15a e seda dito.
Camisas de linho bordadas
nhoras. -
Ditas de algodao, bordadas
ohoras.
Liados lencos de cambraia de linho bor
dados,
Saias brancas bordadas.
Granadinas brancas e de cores para ves-
tido.
Lindas alpacas e fias para vestido.
Ricos enxovaes para baptisado.
Ricas chapelinas e chapeos para senho-
ras. -
Uads fust5es de cores para vestidos.
Fil d seda, a grinaldas para noivas.
Mantisas brasleiras.
Cambraia fina de 2 largaras.
Bramas**, BreUohas e esguSo de li-
akdw
Ditas bordadas e lisas para borneas. tapetes grandes para gqaiwfi.
Mandam-se ou levam-se as fazendas esa qualquer casa qae para iaso nos manden
o nome da roa e numero da morada na
LOJA DA CONOUISTA
A' ra do Gulraga' du 6.
os
ANTONIO FRANCISCO DOS SANTOS ft 0.
Pa se-
para, sau-
dades.
JOS DE S0UZ4 SOAPES A C.
Grande exposipo
Especial sortimento de fazendas de algodao, linho, ,aa, e seda, de todas as
qoali
DOS.
Artigos da moda elegante, tanto para senhoras, como para homeos e men
Completo sortimento de miudezas finas.
Grande dep sito de perfumaras dos o ais aflamados perfumistas da Europa.
Variedade em objectos de phantasia para mimos.
Nova reraessa de ricos livros para missa com encademac5o do velludo, char3e
esmaltado, e madreperola, tanto para senhoras como para meninas.
Bello sortimento de lindas e modernas joias de ouro, como sejam : cadeiss para
relogios, medalhfjes, meios adereces, brincos, broches, braceletes, collares, e abotoadn-
ras para camisa.
Ricos espelhos grandes com moldura dounda a ouro fino.
Bellas panormicas' brancas e de cores, proprias para jardins e cornijas de casas.
Assim cwmo temos a venda orna bella e perfeita embarcacSo de guerra, symbolo
da corveta S da Bandeira, e urna caisa com rica msica de peote acompaada de
timbres e rufo, tocando com a maior perfeifSo o bymno do Brasil, Vida Parisiense,
Marco Espada, Flor do Cha, Fausto, Pericholle, os Dragos de Villars, eViagema
Ortoa.
X. 50 una do Baro da VictoriaW. 50
(Inquina da de auto Amaro).
ROB LAFFECTEUR
em r ratncla. Russia, AHStria a Blgica. 0 arrobe vegetal Laffectew n i____
ke arai superior aos x&ropes de cuisinier, de Larrev e de saiteparrilh*. Oa fcil ]
a, adafraved ao paladar, e ao ilfato, elle cura radicalmente aaat niinaala, a* I
adapelte, tmplgcna. alporeaa. tuniorci. nireraa, saraia aee- [
rada, eacorbut*. e o accidentas prevendoa dos partos, da i dale crtica, a daacri-
waasi haradiUria dos humoraa.
, O anrofc* ke specialmenta reoommendada costra aa doencaa syphilitic** raoaata
radas oa rebeldes ao mercurio e ao iodaro de potaaaio.
rerdadeiro ROB LAFFBCTER, en cau do doatar GBUrjDBaO I
lafiS&fffl.r

;


8
Diario d Pemambaoo Tenja 29 de Agoalo de 1871
ASSEMBLEA GERM
i
r



CMARA DOS DEPUTtDOS.
Dcusso do elemento servil.
(Contnaaco).
O projecto fere direilos adquiridos a
sombra da lei? Quando o sen mecans
nao funccionar pora m perigo os proprio-
lariot de escravos ? (AitencSo.)
NSo tenbo s o direito de examnalo
sob estas duas faces, o roand lo qno me
fui conferido por um districto de lavrado-
res, os grandes ioteresses do paiz, intima-
mente ligados aosda lavoura, o proprio fu-
taro de miaba familia, porque eu tambero
sou um pequeo agricultor, me impoi o
rigoroso dever do condemna-lo era absoluto*
se de sua letra ou de sea espirito depre-
benda que elle coatm odiosa -espoliadlo di
propriedade dos escravos.
Por mais nobres, elevadas e generosas
que sejam as ideas que surgem, eu na.
tenho pder bastante para sacrificar o
albeio pelo sau triampho. O m?u voto
nio podara obrigar; porque eu seria un
procurador Ilegitimo. Ti> inviolavel e sa-
grado o dire.to de propriedade ero nosso
paiz, que o p oprio corpo legislativo nao
pode viola lo, sos pena de tornarse il'egi-
timo, desconociendo a constituico do Es-
tado, a sua lei orgnica.
Para responder Ia que;to. isto se
o projecto atienta contra a propriedade es
crava, preciso saber se ella existe e n
nosso paiz, de fado on de direito.
Senbons, nio ba a contstalo, a nossa
legislaQSo civel e crimha1, quer aotiga, quer
moderna, garante-a em t-da a sua pleniu
de. A couslit cao potiea do Estado. ba-
se do sjslema que nos rege, consagra-a
claramente, (Muitos apoiados,) O pare-
cer da commisso especial confessa que o
Estado a decretan legal, e que acto fra
de iuqoaliflcavel violencia arrancar o escra-
TQ a; smbor sem indemoha-lo.
O p.ojecto do poder execotivo dsconhe-
: a prepriedade dos escravos- e atienta
cratra ella? Disiinctos raembros de;ta
cmara, amigos 'de infancia, companheiios
da adversidade, aos qaaes estou ligado p*-
los tacos da amizade a mais intima, e dos"
quaes espero nao separar-nie por divergen
cia ainda mesrao de ordem superior, a que
este projecto abri no seio desta cmara,
era nJem que a re'orma servil, pela forma
porque est concebida, atienta profunda-
mente contra a propriedade escrava, e pe
em perigo a vida dos actuaos propietarios.
Dal: a resistencia tenaz que bao oppoito
sua p*ssagem. Sao opioioes que acito de-
vidaraente, mas que sinto uo poder cooi
parlilbar.
Quer quanto aos oascituros libertados
pelo art. i, quer quanto aos adultos ib: r
tados pelo art, 3o, elle estatu urna indem
nisaco. (Muit-'S apoiados.)
A desapropriafo com justa e previa in-
demnisaco, prattcada pelo Estado, quando
a utilidade publica nunca foi um altentado
propriedade dos particu.ares, (Apoia-
dos,)
O direito do senhor sobre o escravo nao
se estende aos filhos ?
D z o pjrecer da commisso especial:
A verdade 6 que, por mais que conce-
damos ao possuidor ao escravo, era Ibe
reconbecemos juz de pleno dominio, nem
bereditariedade de oppresso ou direito
sobre os n^scituros.
Esta opinio iiSj verdadeira.
O Sr. Duque-Estrada Teixeira :J2
um depulado da maioria que assim falla.
O Sr. Benjamn :J disse que venho
discutir a materia com toda a imparciali-
dade.
Se a npioio da coinmisso fosse verda-
deira a propriedade dos escravos existentes
seria Ilegitima, porque toda ella oriunda
do principio portel ventrem sequitur,
consagrado pelo mesmo direilo, e sempre
re>peitado pelos tribunaes.
O Sr. Evangelista Lobato :O parecer
nao contesta esse principio; preciso 1er
os ltimos oa-agrapb03,
Sd o senbor nao tem o direito de pro-
priedade sjhre os filhos. das escravas, por
que nio eslao gerados, Jambem a lei nao
pode crear dir tos para as gerafoes fu-
turas.
O projecto do poder ejecutivo nio con-
tada, felizm?n,< aquella opinio.
O Sr. Evangeijsta Lobato J nm
aparte,
O Sr. Benjamn :NSo lera o E>tabo o
direito de desapropriar os bens movis e
semoventes ?
Senbores, a propriedade mais sagrada,
mais respeitavel e privilegiada a de raz.
O solo por excelencia o grande produ-
ctor O bomem voU-lhe dupla estima,
qnando nelle nasceu. Qaantas affeices de
iafan:ia e de familia nao recorda-lhe o sitio
onde vio a luz do da ? O sen vitar real e
de estima nio escapou ao legislador, que
rodeou a propriedade immovel de todas as
garantas.
Pois bem: esla mesma propriedade, su-
perior a qualquer nutra em garaolias, pode
ser desapropiada qaando a utilidade publi-
ca, devidameote verificada e mediante jusla
e previa iudemoisaco, a exigir. E' a ni-
ca limitaco que a nossa constituyo polti-
ca pe ao direito de propriedade, garaoti-
do em toda a soa plenitude e considerado e
inviolavel pela lei de todas as nacSes civl-
lisadas. O direilo da desapropriacSo, que
compete ao Estado, abiange a propriedade
semovente ; qual o escravo ?
A lei ordinaria, que regula esta materia
entre nos, refere-se claramente proprie-
dade immovel. E nem a sua letra nem o
seu espirite abrangem a propriedade movel
ou semovente. Todas as garantas de ve-
rificacio da utilidade publica e previa in
demnisacjo qae offerece sea processo sio
para os be^s de raiz. Isto, porm, nio
qoer dizer que o Estado n5o tem o direito
de desapropriar a propriedade movel oo
semovente, ou qae tem o direito de espo-
liadla.
Pelo direito francez, o Estado requisita
os bens movis e semoventes, quando del-
tas precisa, e posteriormente indemnisa a o
propietario.
Consagrando a nossa consiituico o di-
reito de desapropriacao, e nao tratando a
lei ordinaria qae regis'o sea processo da
propriedade movel e semovente, eviden-
te, e claro qae o Estado pode desapropriar
os bens movis e semoventes, sem proce-
der o respectivo processo ; devendo, po-
rm, indemiiisar devidanrcnte ao propie-
tario. Isto me parece claro, e creio que
nao poder soffrer contestado..
Ora, o projecto do potar executivo s
bre a reforma servil di ou ttulo trintan-
nario de renda de G '0,5 correspondente aos
iilhos das escravas qae forera libertados, e
cria um fund i de emancipacio para iodem-
aisar os propietarios dos adultos q-ie fo-
rera sendo libertados gradualmente.
O projeco respaila, .os, Dio s a pro-
priedade existente como a futura. Des-
apropria-a, mis indemnisa. Logo, nao fe-
re a constitoici, como mai de ama vez
tem-sedilo nesta cmara. (Apoiados e
n5o apoiados.) Logo, nSo atienta contra
a propriedade- dos escravos, como se tro
incutid i no espirito doa lavra lores.
( Trocaru-se apartea. )
Ser j isla a iademnisaclo estatu la no
projecto ?
O Sr. Duque Estrada Tekeira : -O dis-
curso do njbre d pulido coaihu a Drovar
que a discusso dj art. Io foi aolecipada-
mente encerrada.
O Sn. Coelho Rodrigues :Ha de ser
dscolido desde o 1 at o ultimo, seja ou
nio encerrada a discossio,
O Sb. Benjamn : Pec/j aoj o bres depu
tidos que n3o rae interrompam ; j- sao te-
nbo o babiti (I i tribum.
O Sr Duque Estrada Teixeira ;Pelo
contrario; eu ovejo pralica da tribuna
do no bre deputado.
0 Sr. Benjamn .*Sr. presidente, a
demnsjc3o marcada no art, Io justa.
O Sr. Duque. Es ni** Teixeira di ua
aparte.
O Sr. Benjamn ; O recem-nascid >s
uo tem valor algum. Diariamente oesta
capital os proprietariis atiramos na roda-I
da caridade, E' a creaban qxie di-Ibes o
valor. E esta o projecto pa?a cora o titulo
iriotennario de renda de 6>jO&. O fundo
de emaucipaciro creado no- ar;. "9 diz ca
ramete que ogoveme' pretenrf* comprar
os adu'tos para librtalos-.
O projfecto respeita a propriedbde exis-
tente, isto nao se pMe seriamente ceotestar.
(Tn cam-se aparte, >
Senb >res\ ea tamben sou lavradw, pai
de familia, iwi sacnli->ria por certa a mi-
nha fortuna, em jro o-governo. Se
exacto como pens rstooria desta casa
que o prjecto- atienta contra a proprieiaie
escrava, i:oro explicar-seo voto dos lavra
dores que o adoptam-? Pode-se coapre-
heoder a abuegaco po'il qne traz pm-
na e que o governo representativo op reparar ?
Recompensas f E os brios do goveri>
para nao da-las, e a dignia\de- dos rpre
sentantes para repelli-las ?
fTrocara-se moitos aparte*.):
Nao e nao: s a consciencia do dever
rde impr semelhante voto. E' ama veri
dade boorosa para estacamara-e que a pa~
x5es na > podem falsear. ( Apoiados. >
diego, Sr. presidente, segunda ques
lo. projecto poe era pefigo a vid do
proprielarios ?
U Sr. Duque-Estrada Tbbwira:t>aa-
bre depuiado non n a a provar que o tr*-
je.to nao esta d vidamente *scotido.
O Sr. Benjamn rA vid intima de dos-
sas fazendas nao bem coobecida, do con-
trario nao se teriara phantaeiado tantos, p-
rigos para os seos proprielarios.
(Trocam-se apastes):
Ainda a este respeito fallo com experien-
cia, com conheciiaento da cans, pois aasso
alguos mezes do ano era rainha pequea
fazenda. J Qz ver que a escravido entre
nos est em periodo de transico, caainba
da segunda para a tereaira poca ; isto o
escravo vive Poniente, salisfeito ; feliz em
sua desgrana. A rae africana nao lera ata-
da a idea da liberdade bem desenvolvida.
As nsurmeoes qne appareceram emoulrao
pocas oram occasionadas pelo rigor do
castigo. Era o desespero do sofinments
que substitua a,humildade peh ahiyez.
O espirito de humanidade dos proprie-
larios acabou com a insarreicjlo dos es
cravos.
Uma Voz :Ainda se do aasos.
O Sr. Benjamn :S3o raros e solados,
e nunca determinados pela idea de repel r
podem jofgar-ae pfiMdidot. nao me teodo
autoris 1 para fiz lo. Sabenio qoe nesta
sesslo seria aprasentado o projecto s bre
o elemento servil, porq e o ministerio de
16 de julho se ha vi a corapromettido az-
lo, e qoe a idea da commisslo especial des-
la cmara ira a da emancipacio das gera-
(Qes futuras, em minba viagem para esta
capital conversei a respeito coro alguns la-
vradores. Todo< elles raostravam-se assos-
lados, temendo que o overno tom-'sse de
prompto urna medida emancipando todos os
escravos.
Acharam exceflente a idea da coramiss3o
especial. Cbeguei a esta capital no dia ti
de abril. No dia i'S ou 24 estiva coro o
honrado Sr. ministro do imperio, qae sinto
estar ausente, e em presenta de dons se-
nbores, cojos n!HS?s ignoro, 8. Etc. per-
gODton me: Io, Cfaal a mioba opinito sobre
a qoetlio da eiOancpacSo; Y, qual a
ppioiSo dos lavraiore d minba prothcia.
Eu respond a S. Exc djOe era ebegada a
poca de lomar se nma andida a respeito.
e que a lembrada pela commiss8o> especial
desta earnara me pareca a mais acertada, e
que os larra-lores com qir* havia cwrreT-
sado a respeito aceitavam a id da com
missaoy mostrande-se receiosee da expend
de um decreto qoe emancipas immedJafa-
menie redbs os escravos.
(Trucam-se -parles).
DiaS ddpois-foi'db nesta cmara o pro"
jecto do pder executivo sobre a reforma*
servil. Acamas- de soa d-spo
me pareceram aceita veis.
O' Su. Gmdoso* FbrftB di uro asarte:
OS. BBrmvNtM':Logo aps a cornea-
cao- da commisso especial dirig-ase aos
borrados Srs. ministros da agricuknra e
manaba, e disse a Ss. Eiccs., com a fran-
qowft que propria do-meo caracterrqoe
eu r&> vot-ra pelo projesto- como eslava
concebido; e que,, sendo a commisso eape
cjal rio conlianca lo goverao; poda esla
.uppsimir as disposices qne roe parecas
odiosas. %
O Si- Ministro- da MtaaKHA: E'
exacta?
O Sh> CARDoso-focrrES : Exc. dedt"
rou qoe vota va contra o projecto.
OSk-Benjami.u:No caso- de nao seres
modificadas aigumoa de suas drsfos(5es.
O-Sk, Ainistro iu MArw*:^E' vew
dade.
S*.-Cardos JtbTEs: HeuVa V Esac
tamben* o concorse>qne teve em-Valencax
0 9. Benja.mi.w:.^-Quando foi a Valenca
nao tinh'ainda a conamissio especial dada>

S. Exc. esqueceu-se qae o regolamento
o. 4,359 de 17 de abril de 1800 compre
beoda os segrales impostos sobre trans-
missio da propriedade dos escravos: Io,
das berancas por lesiamento e ab-intestndo,
e dos legados e doseles nter vivos; Y,
das compras, vendas e aclos equivalentes.
Estes impo?tos fazem parte da renda gcral
qoando 3o cobrado no munici io n3utro.
Tambero censuroo o artigo por estabele-
cer om fundo vago, que n3o se pota cal-
colar. Com o bataneo da receita rou
fcil o calculo; porque vera nelle discrimi-
nadas as verbas de cada om dos impostos.
O que poiso garantir ao nobre depoiado
que a qnola n3o excede a 1,500:0000.
Outrss coosideraQoes fez o njbre depa-
tado, que sioto profundamente nao poder
responder, por sentirme bastante can-
sado.
Voa, pois, eoncloir.
A sdaefaVr rnaogorada no da 16 de ja-
Iho ji te ferto algumi cousa bem da
prosperidad^ do Imperio E
moldar e remate da obra gigantesca que
o seupaaecer e eUawaado as- diposicoes- demove-ie do stneio que-em regr ose
odiosas- do projectoi Em cooversa com S?
Exc. o>3f. bario de-lpiabas, com o meu
amigo a collega o S*. Dr. Sonoa-Lima. en
condemnei as dispeei|5es d prajacto qne<
me parecsam odiosas, opinei pote sua rejei
o jugo; a \-irfganca de offensas recebidas
o seu fim. Iloje (paiece incrivel, mas
verdade que est patate) a maior parte dos
escravos considera o se,nhor seu protector,
seu pai, estima-o, adora-o. Por elle do a
vida. A li'erdade conferida a seu compa-
nbeiro de capliveiro qnasi sempre feste-
jada.
A escrava rev DO G'tao Hvre a sua pro-
pria lberdade ; ella nao sabe como agrade-
cer ao senhor ter libertdo ou consentido
que o trero libertasse seu ilbo. E? pre-
ciso nao conbecer o amor extremoso e de-
dicado de uma mi para acreditar-se que a
liberdade de seu fllh i despertar outros
sentimentos que nao sejam o do miis ampio
contentamento. As alegras do corarlo n3o
podem produzir o odio.
Se o art Io do projecto consola a mulber
escrava fazendo a felicidade de sua prole :
se o art. 3o estimula o escravo adulto a
agradar a seu senbor, afim de-*er vendido
ao governo para litrerta-lo, como se aflirma
que esta reforma quebra as relaces de
maudo e obediencia existentes entre o se-
nhor e o escravo ?
(Tro am-se apartes).
Sr. presidente, desde o anno passado que
a idea da emanciparlo dasgerac5es futuras
est aceita pelos nossos mais notaveis esta-
distas e intelligentes lavradores. (ltfaitos
apoiados). Aopini3) daquelles constado
pareceres do conselhj de estado, dos'An-
naes do Parlamento, de artigos da impren-l
sa diaria; e a uestes de factos notorios:
alguns declararam livres os filos de suas
escravas, outros aconselbaram ao governo
que fizesse passar um projecto no sentido
alludido, e muitos declararam a membroa
desta cambra que nao havia meio mais pru-
dente e pacifico de acabar-se com a escravi-
do em nosso paiz.
Uma s representado nao foi remettida
a esta cmara na sessSo do ano passado,
apezar da commisso especial opinar pela
emancipado das gerac5es futuras. Se este
projecto fosse apresentado na sesso do
anno passado, nao teria encontrado a menor
resistencia dos lavradores.
O Sn. JoAo Mendes :Apoiado.
O Sr. Cardoso Fontes :Al mesmo do
Sr. Teixeira Leite, de Vassoaras ?
O Sr Benjamjm :Moitos dos signatarios
das representares, qae leem ebegado a
esta jamara, foram de opinio favoravel i
idea da emancipacio das geracSes (atoras.
O Sr. Duque-Estrada Teixeira-:N3o
com as coDdife8 do projecto.
O Sr. Benjamim :"Algans delles mani-
fesiafam-me o atino passado a sai opinio
?aquello sentido.
O Sr Cardoso Fontes :E' bom citar
os nomes desses fazendeiros.
O Sn. Benjamim :N3o declino, porque
emendas-da coraniseaoospecttfy.e.se a roa*
mona me nao engaa, failei em reprsenla-
c5es coaira as dieposices qpa parecas
desaceitadas.
Desloa deelarapta, para a aoadamnacj>
absolotft. do projeetsy. va i um* distancia ka*
mensa. (Apoiados-), Mas as opfoecoes tio
adral unta meio tanmo. Desdo- que nao sn
approva orna on entra idea, ealendem qe
se coademnam todas, se assim Ibes convfla.
(Apoiados; troeam-se apartes),.
A eommissin especial, di gara o qae qv-
zerem em contrato, fez importantes modi-
fioaSes no pp. jecto.
O-Si. Miniam>< A Marlhu :-A
(Trocara-se apartes).
O Sn. Bivnjamim : A coramisso especial
acabou com o peculio forrado, a locaoio.de
servicos se consent neoio do senbor,. a
liberdade conferida pela autoridad ao es-
cravo que salvasse a vida do seabor,. ou
que se estaelecesse como livre. e com ou-
tras disposicoes odiosas do projecto.
(Trocam-se apartes),.
Estando a idea da emancipar;ao das gera-
Qoes fuiaras aceita ptlos lavradores...
Or Sa. Duque Esibada Teixeira : N3a
apilado.
O Sn. Benjamim;;... pjrque mudajiam
de opinio ? Vou diz lo.
O Sn. Duquestrada Teixeira O-
caraos.
O Sn. Benjamim :Apenas o projecto do
poder execulivo foi pobUcado, apparecerara
artigos na iraprensa diaria, declai aodo-o
attenta'orio da propriedade dos escravos.
Os gritos da imprensa ecboarara nesta ca
mar, onde disiinctos oradores se pronac-
ci rara por o.'casii) da discusso da res-
posta hila do tbrono contra qualquer
medida directa qoe tendesse a acabar com
a escravido
Alm disos espalhou-se o boato de que
o governo, se consegu sse a passagem do
projecto, proporia no anno seguinte outro
abolindo a escravido. Alguns lavradores
na melhor boa f deram crdito ao que se
es ere va e dizia, Viram um perigo que nao
existia. Tomaram conselho com pessoas
elevadas, porm injustas ao projecto ; e
como se lancasse era culpa a sua absten-
cao, resolveram reunir so e condemnar o
projecto.
(Trocam-se apartes).
Sr: presidente, as representarles qae
diariamente chegam a esta cmara sao
oriundas de om terror infundado. (Apoia-
dos e nao apoiados). Elias condemnam o
projecto, nao pelo mal, qae nao existe ero
suas disposicoes, mas sm pela iniciativa do
governo, que julgam Dio parar emquanto
nao fr decretada a emancipacio immediata
de lodos os escravos.
(Ha varios apartes).
Os proprieta ros nao temem a emancipa-
cio das g'-racoea futuras, seno porque a
considerara om prodomo da emancipacio
immediata.
(Continuara os apartes).
Peco aos nobres deputados qne nao me
interrompam. You perdendo o habito da
tribuna.
(Trocam-se apartes).
Qaando este projecto, depoia de conver-
tido em lei, fr execuudo, elles bao de fa-
cer jnstici s ntencoes do governo e da
maioria desta cmara, que o tem sustentado
com tanta dedicado e lealdade. (Muitos
apoiados).
Sinio-me cansado ; por isso ioterrompo a
serie de considerares que pretenda fazer
sobre o projecto, para dar ama ligeira res-
posta ao nobre deputado pelo municipio
neutro, qoe oceupou hontem a attenco da
amara.
Pelo art. 3 do projecto, os impostos ge-
raes sobre a transmissao de propriedade de
escravos sao destinados ao fondo de eman-
cipaco. O nobre depotado Dio coobece
seoio um imposto ceral sobre a iransmis-
s3o de propriedade dos escravos; d'abi
conclu qae o lttg eita marredigtdo.
de equidade com qoe y. Exc. preside aot
trabalhos desta casa, que nJo coflse-Hiir
que se me imponb1 uma regra de discusso
mais restricta, quando a maneira porque
falln hontem o Ilustrado 8r. presidente do
cooselbo abrio-me om plao de discassSo
tao largo qae comprthende todas as dspo-
sices do projecto qae occopa a attenco
?a caraira.
Noabusarei entretanto dessa induigeacia
que imploro, para renovar a discussao das
melindrosas questjs de ordem meramente
'poltica qoe suscita o p eeedimrato do ga-
binete na elaboraco e apresentaco d^ste
projecto.
Nao o lar i, Sr presidente, ao s porque
nao rae poleria restar a esperar*; i de dizer
mais, nem melbor do que j o lem dito
oradores mais aotorisalos e competentes,
que me preceder ( nao apoiados), mas
lamben para nlo suscitar e attrabir, por
meir turno, sobre ra m as injustas aproes
qot) se lesa feilo a este lado da cmara, de
pretenderraos con verter em questio poli lies
a reiVma 4o estado serv, complicanrjrr as
ditS;oldadea naturaes d* u?.teria com diti-
den^ias merampnte pirlidarias, e cj cotes
de ambicio- peasoal.
Por mim o digo, Sr. presidenie, e cre-
poder assever4o por parir de tolos os
membras- da honrada minora, a nossa dissi-
dencia versa principalmente, aeao exclusi
vamente, sobre o modo pratico se a emacipac3o < apoiados); ella nos foi
aspirada Boicmentr pela c. ascienda dos
joossos deveres, e pelo sentirasotadas altas
nos inpj- o nosso

encelamos avsubir ao poder. Nosaos ad-
versarios bao- de tnars tarde fazer jtmica
abnegac co que boj empenhamo nos
so esforcos peto inumpto de orna idea', que
devfe fazer a gharia de shm ban leira. As
garatees vndouras admirario o sacriffcio
com que latamos boje contra amigos poi
tico*, enntra os precracehss e ioteresses
mal entendidos, pawapigar ama m-cu
s nao que* no envergonba aos olhoe do ranndo-
A* consciencia do genero haroeoo einpenba-
oa-n< iriotnpho da*idea- elevad^ grande eyesponsabilidades, que
generosa on emancipado dos escravos, ba Mandato. (Apoiados-)
de-regozijar-se, vndo o nosso paiz prepa-
rar a-soa grandeza fufara sob a bases da
jasea eda moral.(Mui bem, ro-rito bem.)
Sfti GJM- GEBJBlBA (aitencio)':
Vnbo tribsna, St. presiden, expr
ao meu paiz aa-razoes porque neg-o meu
votoe'o meu-apoio prufiosta ea> discus-
8io.
E^akrprocediaseolo, qaarimporta por. o
represetitaete de naci oeomprm-sio- de
om dever ordmrt*, to na -so ne-la MaatMki
inoto mais ot>riga*ono. qaer se atceftd
na ture-a e alcaaco do aseampto, o osis
Iraoscodnte que- jimis fui- trazido- aos
nossos ebates, mer se coooiderem as jra-
vissimao- conseqaeneias qoe-, no enteodw
dos prefrios defensores do projecto, da saa
adopcan-aaode nseliar para-o paiz na-or-
dem da sna vida social, poiHwa e econ-
mica, apoiados da opposnao.) A estas
consideia#BS, s-por si saffieientes para
impoe (ioisciencia -de minb fraque/. (sao
apoiado)>>accresco ama outra qae essoai-
menle modiz respeito.
Ligado*.Sr. presdante, desda es priman
ros passo de miaba vida pabli a, ao graa-
Cio,. no caso que o governo nao aceitasso de partido-conservador, tendo sempre pres-
tado o man fraco apaio ats gaataetes desea
procedencia poltica vejo me aoje em gravo
desaccomio com asa -ga ti neta- qae tambos*
se diz conservador..
Uma Toe.-: Ble.
O Sa. Gama Gisujveira :. Desde qpe
nao coruesto a qaaUticacio poltica que ettoj
adoptavDio poda ooobre depotado exigir
mais. (Muito besa.) Vejo-rae boje,, dizia
eu, era grave desaccOrdo com am gab net,
que tambem se d de cidadao a qoam estou aeostomado a roe-
peitar- pela sua superior illustraijo, por
seos longos soevi^os e a algans dos q^es
presto alm de estima, condial amizade.
Tenho, porU-ito, oecessidade de declarar
quaes os pon torosos motivos qoe., cora vio-
leocia aos sentimeotos do-rneu coracaa, me
deierminarara. a.vr alistadme como obscu-
ro soldado as fileras da- 'Ilustrada e patri-
tica minora.
Uma Voi.:- Soldados, nao.
O Sr. GAtftA.CfciHtutiflA,: V. Es& sabe.
Sr presidente, que para enmprir este de,
ver, inscrwi rae para as diversas discussoes-
sera qoe nunca podusse obter aptlavra,
Nio a piade obter em c.nsejuencia do3 pre-
maturos encerramantos. com que o gabinete
e a boarada maiorii tem procarado pre-
cipitas a approvaco do projecto e suffocar
a discasso. (Apoiados da opposico.).
Parecea-me at ceno lempo, senboees,
que esla sofreguido do gabinete e da lion-
rada maioria, liaba por anic > mtivo o
em^enbo com qae o ministerio cb> 7 de
ni reo se esforfava por solver os seos com-
promissos fazendo qae seja quanto antos
convertido em lei o projactp qae se discute ;
porcm, o discurso bontem proferido pelo
illusire Sr. presidente do conselho, reve-
loa-me qoe com esso motivo de ordem mais
elevada tem concorrido outro d natureaa
mais especial e que eu nao quaiiticare. S
Exc. parece que enfadou-se de nao oovir
desta tribuna seno exercicios ou ensaios
parlamentares, como aqu qualificou os
discursos da opposico, S, Exc. despeitoa-
se de nao ver acudir tribuna os grandes
athtetas da palavra, aicos capazos de rae-
direm se com elle.
. O Sr Presidente do Conseiho : Ea
j expquei.
O Sr. Gama Cerqueira ; S. Exc. con-
trarioo-se por nao -ter qoe prestar a sua
alta attenco seno aos apreadizes de ora-
toria, como ficam sendo qoalicados o Ilus-
trado deputado pala provincia da Babia,
que to brilhantemenle encetou este deba-
te, o illustrissirao deputado qelo 2o distric-
to de minba provincia, qae tio importante
parte tem tido neste assumpto, os meos
dignos collegas, pelo 3o, 4o e 5 dslriclus
de Minas, que com lauta vaotagem se em-
penbaram no presente debate.
O Sr. Antonio PraOo : E' preciso n3o
esquecer o notavel orador, o Sr. conselheiro
Aleucar. (Apoiados.)
O Sn. Anorade Figueiia : Sio apren-
dzes que nada tem que invejar ao Sr. pre-
sidente do conselho.
O Sr. Gama Cerqueira : A vista disto,
que esperanca posso ter de merecer a at-
tenco de S. Exc. o Sr. presidente do con
seibo ? Entretanto uo deixarei de usar
da palavra, porque se giande vaotagem
poder-se por ao servico da patria e das boas
causas am talento transcendente, orna pa-
lavra arrebatadora, tambem o bom seoso...
O Sr. Paulino de Souza : Qae o
principal.
O Sr. Gama Cerqueira : a since-
ridade das convienes (apoiado.*). o patrio-
tismo, podem aspirar a honra de servir ao
sea paiz defeodendo cansa de seas verda
deiros roteresses. (Apoiados; muito bem,
[muito bem.)
Cont, Sr. presidente, qoe V. Exc. nao
me negar a precisa indulgencia, conceden-
do-me alguma liberdade para que ea possa
justificar mais largamente o meu voto.
A minba esperanca tanto mais fundada
por isso que tnvoco p reconbecldo espirito
O Sn. ANOaxDE FiitmA: Estir diver-
gencia que determina ou pode de.erminar
a divergencia poltica do governo.
O Sr. Gam* CtiRQi'EHix: Deixawfo d j
pa ter por effeito irritar os animo; e azedlr a*
diseosioes (aporadOs), hei de pro;arar n
tringir-me o raais possivel ao exime preci-
so do projecto ; sirvam, porm, ainda ana
vez, a poucas patavras que acabo de profe-
r do protesto solomoe contra essas actxs-
sac'oes lio injusta*;-quanto reiteradas. (Acta
dos. )>
A otes-de eatrar propiamente do assump-
to do debate, seja-mo licito, 9r. presidente,
deplorar a triste uecessidade qae nos obriza
a tratar cora tanta-sofreguido o impruden-
cia da soluco do grave problema da eman-*
cipaco servil.
, O So.Amdrade Pigoeira : Ap)iadoj..J
O Siw Gama ttaejmmA :Senbores ,
apezar das palavra perempiorias com qoe-
o gabinete de 7 de marco, era um documen-
to solemne, den como vencida a-opportuni
dade desta reforma,, nao estou anda coi|
vencido da procedencia e acert deesa apre-
ciaco.
Contestado neste ponto como ao defenJe
o gabinete ? Peasa- poder deaaonstra-la.
invocando como manifestaces da opinio^
em favor da emaneipacao os relatorios dos
presidentes de proviaci, as leis das asseu>-|
blasproviociaes, oonoedendo fimdos para
auxilio das manamiesdes, as wsociacas
philanlnopicas, o aumoro das m2oumiss*>|
voluntarias o mais crescido ou mais vulga-
risado nestes ullaaes nios.
Observo, poria^senhores, e omigo terJ
observado o paiz, que raanifestacoes mulo
O Sn. Gama Ceroy/Boia .' C>m efeilo,
fazendo orna rpida synibese dos i oconve-
nientes e perigoa que descubro na proposta
do governo, rejo qoe isle projecto alienta
contra a iuviolablidade da propriedade ga-
rantida pela coniWolcio...
O Sa. Pinto Moheiha : Apoiados.
O Sr. Gama Cerqvema :.... orgaoisa
a hita e o antagonismo entre o senbor e o
escravo ; desorganisa o trabalbo, compro-
mette a nossa prodcelo, e cora ella a ri-
queza publica e o cred lo do Estado ; e fi-
nalmente, poe em grande risco a segaranca
individual, e com esta a ordem publica,
sem que seja, por outro lado, estreme
de riscos e de incoirvoaientes para a pro-
pria crasae qoe so tem em vista proteger a
beneficiar. (Apoiados.)
Esse prjjecto consagra todos os svtffemasV
todo os metbodos conhecidos de realrsar a
emarreipaco- E a um projecto deofes,
jo akance, cajas coosequeacias o governo*
mesmo' n*r capaz de prever, e ranfo
menos de- regu+ar, qae se te qualificadb
de syst-nn de emaocipaco lenfay gradual,
prudente e, sobretado, opportaoo t
Seabure, para a governo prudente o
que devia ffctferminar- a opportanidaJe para
Juma refornw lio graro, que eqleaoVnaj ai
com a propriedade. me com a seauranca
des- cidad >s, nao-so' cw orgaoisa#> do
traoamo e coa a prodncyo aaciooaR- asas
coa as rendas puWicas, coro o credkO' do
estado, com a ordem socie+, e al com- a
egsranca e estabildsde do noaeas i os tito i -
Coer polticas ? f.VpoiadO'..> -
Era evidentemente indispensavel, como o-
reco^heeea a sabedoria do coo/selbeiros b
estado-;, entre os qaaes-coube na brilhant%-
papel ao nobre presidente d> conselb >-. era1
absolutamente htispensavel qe por meio
de estados previos, e de escrapotoeas esta-
tistcas se procurasso sondar e reconhecer a
exlensO'do mal qoo se quer reareir, para
que se pedesse tarabem>avaliar a eilensio
dos sacrificios que a reforma etfgn dq ci-
dad) e do osla do.
Era pracso que o governo tjaesse- provi-
denciado aSicazmeote e com a precisa an-
tecedencia--, sobre os sanios- de aobstitoir o
Irabalbe eseravo pelo* trabalbja- livre, qus
elle vesso-apparelbaoV com be- moioe de
fon;a indispensavel para garatrlik a-seguran-
ca e a ordem publi -a. Bu paeeiso que
hoovesse predispos'o oe-numeiteeos-cstaDe-
tecimenlosqao se tornea vigoroaamonie ne-
eessahos para educacao-das clasees que se
pretende chamar ao gozo da vida oiwiTe
dos dir.trj- polticos ; porquo, senhooes,
cumple no-eaquecer que s digno de
exercer esaeo-direilos qfiem pode fi'zer del-
les um uso coaveuientev (Apoiadas.)
Nada dislov porJ>,.se fez. > governo
nao se prooocupou em.consultar a opiaiio,
notratou de preparar aoccasio e de apnes-
sar es-a oppo#tanidade-to appeoeida-: en-
cerrou-se oo-mysterio no segredo, como
so losse anovc-oospiradoa elaborou no con-
selno de es-vaa, i p,>*taa fechadas, o asi -
noso projecto, e, paraonais ostentar a saa
i iran poten da. aqui o vao apresen tar, aom
pwtenc j ttwa projeeto quasi: samelbaole,
d iniciaiiva-.aesta aagtuta camajia..
Nao admara, portaoto, Sr. pr--si lente, :ue
poje, quand o gabinete tardamente iiNoca
o.apoo da. opinio, pracorandr>faze-la aom
pitee na toaaoraria esapreza era .nomo dtella
mais antigs, enrgicas e positivas-reclamassi ^ |evaalem,doas da&dasses mais imponan-
ba longos annos oulras reformas miis facis
de realisar-se (apoiados), como sajun a re-
forma judiciaria, a- da guarda nacional, a
da fistroccao pnblica, a da a ^ministracao
das provincias, a da orgaai>ac > municipal
(apoiados), a do rgimen eleitoral...
(fcSa. Andrade. Bmueira : -E; esta, at
urgente.
O Sn. Gama CeRQUKiRA: ..... a do e.
ecutamento e tantas oulras quo nao foeam
rinda at boje realizadas, e algumas uma
mesmo emprebeodidas.
' O Sn. PEnDiGAO M.vliieimj Apezar
das promessas reiteradas.
O Sr. Gam,\.Cerqeiiia : E.entreianto,
senhores, perco Fei a longa seria.dos, discur-
sos da cora no presente rein.do, o- rela-
tnos dos ministros, os archivos d> parla-
mento^ as colleccoes de nosso joroaSsmo, e
veris que eslas reformas a que acabo de
a ludir rigiirara ha loncos annos m extenso
rol de nossaa necessidados pnb'icas, sempre
reconhcidas-enuaca satisfeltas. (Muito bem)
Como se explica essa diversidade d j pro-
cediraento. ? Por que razio tanta inercia
taqoeza em um caso, tanta energa e pre-
efpi|ao8 em outro ?
Tal vez pudesse explica-lo a honrada com-
misso especial se, faaendo um breve com
menlario ao sai famoso parecer, quizesse
revelar n s c quera, o novo Popilio que
nos encerrou neste- circulo de ferro, e onde
que est collocado o pndulo fatdico em
que oovio ella soarem as 12 ultimas oras
do dia das sympatbias platnicas e qae
Ibe marcoa rrevogavelraente o momento
preciso para esta reforma ? (Muito bem I)
Foi lalvaa o mesmo, Sr. presidente, que
em g de maio deste anno dotou ao gabinete
de 7 de marco a famosa coraminaco co-
uda nestas notaveis palavras tempo I
ouanto a mim, nio sei se existe nem onde
existe o pndulo fatal; posso, porm, asse-
verar a V. Exc. que nao elle o regulador
do novo brasileiro. (Apoiados.) Nao o ,
porqne para os corac5es generoso? do nosso
povo havia ba muit s annos soado a hora de
comecar-se a emanciparlo (apohdos ; muito
bem, moito bem); e elle a ia realizando
pelo modo mais conveniente, gradualmente,
sem estrepito, sem onus para o Estado,
sera desorganisaco do trabalbo, sem crise
para a lavoura, sem comproraeitimenio da
.prodcelo nacional e riqueza publica, sem
perigos para a seguranca das familias, e at
sem riscos para a classe qae se pretende
beneficiar.
O Sr. Andrade Figueira : E sem ne-
cessidade de ordem superior.
O Sr. Gama CerqueIra : A differenci.
e drei mesmo o antagonismo qae se nota
entre este melhodo adoptado pela esponta-
nea e generosa iniciativa do paiz e o compli
cado systema consagrado na proposla do
governo tira ap gabinete e a seus amigos o
direito de invcarem como argumento em
favor da proposta essas brlhaotes revela-
coas do espirito' publico nacional.
Longe de favorecer e eocamiohar o mo-
vraento generoso qne se linba manifestado
no seio do paiz, a imprudente raiciaiva d >
governo veio esmorece-lo, toroa-lo impossi
vel (apoiados); veio tornar mesmo aniipa-
tbica a grande e generosa idea da emancipa-
cio, identificando-a com os psrigos eiocoa
venientes que a naci sobresaltada entrev
as disposicoes da fatal proposla. ( Moitos
apoiados.)
O Sr. Andrade Fioeira : Fallaa U -'
aoQja, que repegaa a mnitos carteleras.
.tes de nosea sociedad*a lavouca.e o- com-
mercio, para diaar-lbe : quereaios a
emancipaba; mas nao queramos <$)% por
amor do as;ravo se sacrifique o seabor;
qoeremo-la, mas por modo pradanto, gra-
dual, o que nio comprometa o maio graves
interesseado estado; queramo-la,. por
isso mesmo repelamos o voaso projpcto, que
ba de produzir suanarebia social e a miseria
publ.cakCom toda* as suas-,desa-teosas e in-
calcula.veis consequencias. (Apoiados.)
Prazea Deoss Sr. presidente, i)ue sej
fal.o o prophem, um distinti.kb>.- al e sin
cero monarchisia, aquam.outi este triste
vaticinio : tifo emancipadores-a prudentes
hu-de fazer a repblica.do Brasil. > (Apoia-
dos-.)
O Sr. Pkbdigo IHoijimn-Sera duvida
neabuma.
Q. S. Gama Cequeira:.E'certo, Sr.
presidente, que o gabinete de 7 de marco,
contrariado por essas inaoifestaces desfa-
voraveis da opinaao, finge acotb-r as rept-
sentag.oes da lavoura e do commercio. com
dosdenboso sotriso, e as considera como
maniS starjs de encommenda, c lakez como
symplomas de rebellio. qne conuir talvez
reprimir. O que diiem, entretanto, essas
represntameos que nio estoja nacoosciencia
de todo o mundo na ligio da "Uperiencia
das oulras aaco:s, na previso ia prudencia
a mais vulgar.
Sao por ventara esclavocratas os nossoa
Iivraiojv.s, como iojostameate lm sido
qualificados? Pretendem oppr i grande
idea am velo absoluto a lyraunico ? Que-
rem a conservado indefinida do statu qito t
Nao, Sr. presidente, Elles almejam, como
o governo, pelo raiar da aurora da liberda-
de e da regeoeracao; mas querem que os
rubores desse arrebol nao sejam os reflaxos
do sangoe e do incendio. Nio querem que
a luz dessa aurora allumie, no dizar brillan-
te dos lavradores de Campias, am coio
de gelo e de esterilidade, como as auroras
dos polos ; mas qae ella seja a madrugada
do dia da paz, da reconctiacio das racas,
do trabalbo e da prosperidade da patria
commum.
Esse desprezo cora que s3o acolhidas as
prudentes representagoes da lavoora e do
commercio, qoe importam apenas o exer-
cicio de am inaaferivel direito constitucional
gera, ou antes confirma a triste convcc'o
de que os acasos vio cada vez mais recu-
ando as boas praticas do systema consti -
tacional.
Nio est ainda longe de nos, Sr. presiden-
te, o tompo em qae am gabinete, do qual
pens qae fazia parte o actnal Sr. presiden-
te do cooselbo na qualidade de ministro dos
negocios estraogeiros, gabinste presidido
por um do3 nossos estadistas de maior pres-
tigio, e qae mais se distingua por sua torca
de vonUde, o finado Mrquez de Paran,
jalgou motivo bastante ama representacSo
contraria do importante municipio de Vas-
soaras, para fszer sobrestar na discusso da
um projecto da reforma jadiciaria qoe, as-
sim como este, Uvera por origem a iniciativa
do governo.
Nio pode tambdm estar ainda esquecida
a influencia qae em 4859, por occasiio da
raaarma bancaria, exerceram sobre os po-
deres pblicos do estado as representos
do iroportaote corpo do comnerao da
corte. ,
(Continuar-te-haJ
rt v) timo -u > "b61 uqtjs ofQiud*'
i
1

4 '
i
I


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EYLCOD8XO_A05NG7 INGEST_TIME 2013-09-16T21:51:19Z PACKAGE AA00011611_12472
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES