Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:12432


This item is only available as the following downloads:


Full Text

V
*>
\

t

! '*
i
ANNO ILVII. NUMERO 156
?ABA A CAPITAL E LVGARSS OVDE IAO SE fAGA POITE.
Por tres sseies adiautados .
Por seis dito* dem .
*or ubi anno idwr.....
Oda atunero valso. .

*
000
124000
244000
320
QUARTI FEIRA 12 DE JULHO DE 1871.
Por tres mezes aduattdos .
Por seis ditos dem. .
Por nove ditos dem .
Por am auno ideui .
FAJA DEITBO E FOBA OA fHOVIflCIA.
# 4 4

W710
131500
2042*0
274000
Propriedade de Manoel Fignera de Faria & Filhos.
AO AdBlTllS :
Os Srs. Gerardo Antonio Alves & Filhos, no Para ; Gongaives dr Pinto, no Maranhao ; Joaqaim Jos de Oliveira A Filbo, no Cetra ; Antonio de temos Braga, no AeuMf; Jlo Alaria Joo Chaves, no Am ; Antonio Marones d* Silva no Natai Jos Jostio
Pereira d'Almeida, em Mamanguape ;FeIippe Estrella d C, na Parahyba ; Antonio Jos Goaes, na Villa da Penba; Belarmino dos Smsm Bnlcao, em Santo AnSo; Domingos Jos da Costa Braga,
em Nazareth ; Antonio Ferreira de Aguiar, em Goyanna; Francino Tavares da Costa, era Alagoas; Dr. Jos Mtrtins Alves, na Babia ; e Leite, Serqninbo & C. no Rio de Janeiro.
DIARIO DE PEjjUMBUC
RECIFE, 12 DE JULHO DE 1871.
noticias do norte <3o .aiperlo-
Amanheceu h ratera em nosso pono o vapor bra
Ue.ro Jrinos, vindo d:> Para e escalas, irazeado
latas : do Para 2, do Miranho V, do Cear 7,
do Rio Grande 9 e da Parahyba 10 do correte.
AMAZONAS.
A risita provincial no exercicio de 1871-1872
foi oreada em 5i0:39oJ7i6 ri s.
PARA.
Tendo ehegado de Santarm, onde juiz d-> di-
it.ito. devia assurar as redeas da administrago
provincial, uj da 3 do corrente, o Exm Sr. Dr.
Abel Graga.
No dia 1 do correle enirou no ejercicio
de commanlaute dai armas o brigadeiro Maooel
da Cuaba Wanderley.
Aehava-se examinando a alfandega da capi-
tal o eonselbeiro Raphael Archanjo Galv>.
Falleceu o coosal inglez Heury W. Hernn*.
No dia 27 de junho f >i eleito presidente da
praga do commereio o negociante Gasavo Sepel-
nerg.
A subscripto em favor do papa elevava-*e
4:266$.
Pela presidencia da provincia foi designado
o dia 10 do crreme para se celebrar as exequias
olficiaes pela princeza D. Leopoldina.
A alfandega deBelm rendeu no raez de ju-
nbo 461:135.3*60.
MARANHAO.
Forana prorogados al 10 do corrente os traba-
Mo da assembla provincia!.
A presidencia da provincia llrmou o segrate
contrato :
Art. 1." A companhia de navegaco a vapor
do Maranhao obriga-.se a fazer nos nos llayscur,
Meanm, Pindar e Momm, na baca entre esta ca-
pital e Alcntara e para os portos de S. Bento,
Csricuinao, Guiraaraes. Cajapi, Gururupu e Tury-
ass melada da navegaco a vapor, declarada na
tw n. 8S9 de 29 de junho de 1870, ja faz-indo a
conveniente alierago no numero das viagens ac-
tualmente realisadas oas hnlia- existentes para al-
!uns d'iqaelles pontos, j estabeleeendo novas l-
nas para os lugares ainda nao frequentades pelos
8801 barcos.
t Art 2." Todo servico contratado dever ter co-
meco n prazo de 21 mezo* contados da dala da
a signatura do presente contrato, pagando a com-
panhia ao ttiesouro publico provincial, por cada
mez de demora, a mulla de 2u0 em relago
- i-li urna d;s liabas de navegaco, e Meando ipso
factj reseinlido o. presente contrato.se a demora
exceder de 12 meze>.
t Art .'i. O presente contrato durar por 20
anuos a contir da data de sua assgnaiura.
Arl. i." A companhia obriga-se a fazer urna
vi age u mensal no rio Muaim. at onde, fr nave-
." i v.t a vapor com a subvengo de 400J, duas via-
.;'.'r ra-rasaas, a cdide de Alcntara, villa de S.
I rato u Cajapi, com a subvenco de 3003 por
ambas as viagens, urna viagem mensa) a Pericu-
man e Guimires, eom a subvengo de 4303000
inermes, se estender a viagem at a villa de Curu-
nap, e alm desta a de 2033 se cuegar al a ci-
ii 11? do Tury-ass, duas viagens mensaes a La-
geiB-Graade, no Alto Hearim, com escala pelas
"viiias do Arary e Victoria, com a subvenco de
7004 por ambas as viagens, urna viagem mensa!
a villa de Umco, com e>cala pelo porto da Ga-
harra e cidaJe de Vianna com a subvenco de
."MO, tras viagens mensaes da cidade de C)Xias
com encala pelo Rosario, Itapecurmirim, Coroa-
t.i, Godo e algum outro ponto que offereca vuata-
alguma.
a Art. o.* A companhia obriga e ainla es-
Ualer a ni vega cao da Lagem Grande no Alto-
Mearim al as Pelreirascom escala por S. Luiz
i mzaga em um pequeo vapor, fazendo, po-
pen, urna so viagem mensa! com a subvenco de
rJOOlOOO.
o Log, porai, que se ache feila a limpeza e
di;s)bitrucco do rio, tornar-se-ha obriyatoria
mra a companhia a navegaco a vapor at a
Barra do Lorda, sondo ento esta subvenco aug-
i.:"niad> eom mais 2005 mensaes.
Art. Fica entendido que a viagem contra-
a i para Pencuman, Guimares e Tury-ass
distineta das que a comoanhia obrigada a f>zer
na e.ista do oorte, em viriude do seu eoutrato com
o governo geral.
> ai'.. 7. Se antes de (indar o prazo fixado
pelo art. 2. a companhia fizer todis ou algomas
il.'.s viagens contratadas oara os \> m: at agora
nao navegados porseus barcos, ter direito ao pa-
gamento das subveneoes correspondentes.
Art 8. Logo, p'orm, que a eompanbia rece
ber qualquer subvenjo em viriude d'este con-
trato, ser em igual quan;ia reduzida a subvenco
que ora per:ebe na linha do Itapecur, nao po-
deudo a mesma companhia em caso algum vir a
perceaer inaior subvenco do que a mrcala no
presento contrato.
a Art. 9." As subveneoes estipuladas sero pa-
gu no li o de cada raez. e a. companhia ter direi-
t ellas por quaesquer viagens extraordinarias
que lara por ordem do governo.
Art. 10. A companhia tamhem se obriga a es-
tender a navegaco da cidade de Caxias al os Pi-
cos, com escala pelo porto do Padre, Fri e Al
iu-ida, fazendo urna viagem raensal com a sub-
vnco de 4003000 logo que o rio se acbe livre
i obstculos que hoje ofTerece navegago;
precedendo o parecer de urna commisso de pes-
aou pralicas e entendidas, que para esse fim ser
;i mi jada a aprazimeolo das partes coniraiantes,
ui forma da legislacao commercial.
< Art. 11. Em urna das viagens que izer na
costa do sol da provincia a companhia compro-
tneue-;e a tocar na povoaco das Barreirinhas,
jiiedianle a snbvtDcao mensa! de500a000.
n ArL 12. Com igaaldade de vantagem a com-
Viohia ter direito a ser preferida para a obra da
limpeza e desobstraccao do rio Itapecur nos
termos da 1.* parte do art. 8.a da citada le n.
#89, e no caso de incumbir-se ella de tal obra,
fifiM sem effeito a coodico estipulada no Goal do
art. 10.
< Art. 13. O mesmo direito garantido a com-
panhia, sobre a limpeza do rio Mearim, desde a
Lagem Grande at a Barra, do Corda, mediante a
t Art. 14. A companhia compromelte-se a em-
(iragar barcos aceiados e com a sufflciente capaci-
ciade, qar para a carga, quer para a commodida-
de dos passageiros, poaeodo coniinuar a servirse
dos que ora possue, ama Vez, porm, que se achem
em boro estado.
a Art. 15- Nos portos de escala dever a com-
panhia ter armazens coberios detelba com as com-
modiffjss para passageiros e cargas. Nestes arma-
zens sero receladas sera restncclo alguma e sob
a responsabilidade da companhia todas as cargas
tarcos.
f Art. 16. A for$a e loUcao dos vapores serao
reguladas pela companhia, tendo em vista a pro-
uulidade dos ros que tem de ser navegados de-
nrendo, porm, os vapores que flzerem as viagens
-i capital para Alcntara. Gaimarass, Gururupu
b Tary-issa ter a ferc de 70 a 100 cavarlos, e os
que nzerem as viagens da capiul do Rosario a o
porto da Gabarra a torca de 50 a 70 cavallos.
o Art. 17. A companhia observar a njas ngo-
" r *\ pontualidade quanto a partida dos vapores e
a saa demora eos porto* de scala aqai menoiona-
das, o que todo ser por ella regalado com appro-
vaco do governo.
Art 18. A companhia empregar o numero
de barcas de reboqus que forera precisas para sa-
lisfazer as necessidades do commereio, de maneira
que nao haja demora no transpone das cargas.que
lorein levadas aos seus armazens.
Art. 19. O preco dos fretes e passagens ser
livre, nao excedendo porm estas a taxa de 500 rs.
por legua, inclusive ecuoedorias e. aquelles os pre
{os ordinal ios e sendo o mximo fixado em urna
tabella organisada pela companhia com approva-
gao do governo. Os correios pblicos sero trans-
portados gratuitamente.
Art. 20. O preco dos passagens dos militares e
empregados pblicos em servico, dos presos de
justiea, dos recrutas e quaesquer outras dadas por
eom i do governo e h mu assiin o frele do que for
embarcado por c:nla delle ser 30 % menos do
que o marcado para os demais passageiros e car-
gas.
Art. 21. Quando o-govrno smpregar os va-
pores em coiimiisso espacial e nao houverem ca-
iros para substitui-los ser a companhia dispensa-
da das viageus que por tai motivo Qearein preju-
dicadas.
Art. 22. Nao se realisando qoalqucr das via-
gens redondas de que trata o art. 4' pagar a
companhia ao ihesouro urovincial a multa corres-
pondenio a metade da respectiva subvenco e na
do Itapecur al acidado de Caxias 1003 rs., salvo
caso provado de forca raaior.
< Arl. 23. As multas de que trata o prsen-
le contrato sero impostas administrativamente
pelo governo e cobradas executivamente pelo mes-
mo molo em pregado para com as dividas activas
da fazenda provincial.
Art. 21. A companhia ser isenta de pagar
impostos provibeiaes durante o lempo desse con-
trato sobre as barcas e mais objecios importados
para o servico da navegac) vapor as linhas
contratadas, obrigando-se o governo da provincia
a solicitar a mesma iseucao pelo.que toca a con-
tribuido geral.
Art. 25. A companhia se conformar com as
disposicoss do regulimento provincial de 59 de
julho do anno passado pela qual foram marcadas
as atlnbuicSes e devere3 do fiscal creado pela lei
n. 889, inclusive pagamento da parte dos venc-
raernos do mesmo empregado, que, entretanto nao
ter ingerencia no que pertence a mera adminis-
trago e economa da companhia, salvo no que fr
offensivo das condicoes do presente contrato e das
leis em vigor.
Art. 26. A disposicao do art. 22 deste contrato
comprehenJe todas as mais viagens que a compa-
nhia se obriga a fazer.
Art. 27. Os casos omissos no presente contra-
to sero regulados pelas disposices das leis pro-
vincias .429 de 20 de atiosto de 1856, e 889 de
29 de junbo de 1870 e para que este contrato pro-
duza os effeitos devidos foi redazido ao presente
termo no qual assignam o.Exm. Sr. vice-presiden-
te da provincia Dr. Jos da Silva Maia e os Srs.
directores da compaabia de navegaco vapor do
Marauho, presentas o contrato, Jof Moreira da
Silva, Carlos de Brilto Bayona, Roberto Hesketh
Hall, Maooel Jos Soares e Dr. Augusto Cesar da
Suva (tosa. Ea Marcellino Jos de Azevedo Perdi-
go, chefe da 3" seeco da secretaria do governo,
no impedimento do official-maior, o escrevi aos 3
das do mez de julho de 1871. E ea Ovidio da
Gama Lobo, secretario do governo, o subscrevi,
Jos da Silva Maia, Jos Moreira da Silva,. Roberto
Hesketh Hall, Garlos de Brillo Bayma, Manoel Jos
Soares, Augusto Cesar da Silva Rosa.
A alfandega rendeu no mez de junho......
170:6063300.
Lemos no Paiz :
< No dia 20 do passado fallecen em Bacunluba
(S. Bento) d'oude era habitante, Francisco Eusebio
do Valle, cora 93 nnos de idade, deixando 10 fi-
lhos, 46 netos e 5 bisnetos; ao todo 61 descen-
dentes.
No da 21 falleceu na villa de S. Bento Dama-
zia Mara de Garvalho, cora 100 anuos de idade
deixando 12 filhos, 40 netos, 53 bisnetos e 3 tata-
ranetos; ao tolo 117 descendentes.
Falleceu tambera no mez passado urna velha
Je nome Veridanacom 110 anoos de idade. Nao
sabemos qual a sua descendencia, nem se a te-
ve.
Urna pessoa recentemente chejada do-Tury,
refere que tendo osaquilombadjs de Montes-ureos
(Maraeassum) prendidos dous indgenas e os acou
lado, deixando-os ir depois, os indgenas daquelles
contornos reuniram-se para tirar urna vinganea
propria de selvageos. Acomraetteram o quilombo
nao deixarara urna s pessoa viva. Tres' dos
aquilombados que escaparam foi porque nao te
achavam no lugar nessa occasio; andavam em
servico por fra.
Estes que deram noticia dr lerrivel mortici-
nio, apreseniando-se as autoridades do Tury.
Galeula-se que o quilombo tena amas 100
pessoas de todas s idade's.
O Sr. Dr. Delbo Belleza, de Caxias, alforrou
dous escravos, e na mesma cidade a sociedade ma-
snica Justiea e Equid*de duas enancas.
PIAUHY
Em 22 de junho escreve o nosso correspon-
dente da Therezina :
i Bata provincia va gosando de perfeita tran-
quillidade. como nunca leve outra, devldo esse
lisongeiro estado primeiramente ihlole pacfica
de seus habitantes e depo9 confunga que inspi-
piram as autoridades actuaes sob a admiuistracao
benfica e moralisada do Exm. Sr. Manoel do Reg,
que vai manteodo-se na serena esphera de um
administrador recto e imparcial, pelo que todos os
das sobe na estima, consideracao e reconhecimeo-
to de seus alrainistrados. Se tera-se destinguido
por urna moderaco recoramendavel, sabe ainda
melhor uzar de energa uando jalga necessaria,
caracterstico dos governos moralisados que tem
consciencia perfeita de seus actos; e este res-
peilo confirmo o juizo que Ihe transmit!.
t Nao ha ama s queixa dos municipios que
elle nao leoha de prompto applicado o remedio le-
gal, e quando necessano corlar o n gordio, nao
hesita em demittir immediatamenle o funeelonario
que tem sido causa dalla sem indagar por sea
credo poltico, como acontecen com am supplen-
te de subdelegado de Piracuruca, contra quem
appareceram represedtacoes (andadas, e com o
collector de Campo-Maior por negligencia a arre
cadaco das rendas provnciaes, o qual despeitado
por isso siogrou para os liheraes.
c Se o esiudo e a applicacao de ama aclividade
inexcedivel aos negocios que se enlendem com os
melboramentos moraes e materiaes da provincia
valessem independeotes de outros meios para dar
impulso ao progresso do Piauhy, uenhum adminis-
trador tem envidado maiores esforcos, era mani-
festado ioteneoes mais paras do que o Exm. Sr.
Manoel do Reg. Mas desgracadamente. por cau-,
i tas accummuladas de alemas passadai admios-
tracoes, o thesoaro publico provincial por ana pe
noria financeira nao pode proporcionar S. Exc,-
lodas as torcas para levar effeito as grandes me-
didas que projecia em beneficio desta pobre pro
vincia; e nem, a prxima rennio da assembla
Ihe poder mais habilitar com os meios neeessa-
rios porque, como tem acontecido em outras e a
falla do (hrono denunciou dar-se as rendas ge-
raes, as fontes da receita tem deserescido sensual-
mente nesta provincia, e nao se pode sem perigo
sobrecarrega-las de novos impostos. Alm aislo o
orcamento lata aiada eom am granja aV^cii.
f Entretanto parece que S. Exc. pretende em
parte melborar este estado de cousas com ama
rigorosa economa, peosamento que o domina des-
de que assnmio o governo; no que tem consegui-
do ludo quaoto humanamente possivel estar ao
seu alcance.
< A moderaco a imparcialidade do Exm Sr.
Reg Barcos avali*-se perfeitamenie, aftwidendo-se
que no paco a> quasi 6 mezes de administra eo
nao Bao (em dado urna nica demisso um
adversario, nem mandado proceder contra nen-
Imm, como ainda nao indagou pelas crenejs poti-
cas do candidato ou reqaerente, de que extstem
innmeros exemplos.
c Sem embargo disto,contioa em vas declaia-
coesva inculcada opposico do peridico hnprtnso,
que, como sabido, de ha annos se tem converti-
do em um pelourinho onde se acontara semanal-
meiiie lodas as repntacoes bem firmadas desta pro-
vincia e os melheres caracteres do partido conser-
vador, sem exceptuar os mesmos presidentes, que,
como o actual, atm de guardar a mais restricta
justiea em todos os seas actos, tem at enchido de
favores aos seus adversarios, como fcil de
pro va r.
a Com i lcito, tendo de fazer novas nomeacoes
de suppienles dos juizes municipaes para alguns
termos, em que tinbam sido nnllas as anteriores,
aproveitoa algn- bomeos qualificados do partido
liberal ; nomeou para Oeiras 2, o coronel Corio-
lano, inno do ex-deputado e ex-oresidente desta
provincia, Dr. Polydoro Burlamaque, e o leme-
coronel Madeira Brando ; para Paranagu 3, in-
clusive o coronel Lustosa, irme do conselbeiro
Parauagua, e 3 para Campo-Maior ; nomeou a di-
versos ofQciaes liberaes, entre os quaes 3 exaltados
desta capital ; o promotor, de Piracuruca, Dr. Pe-
dro Ras ; o collector de Campo-Maior ; o profes-
sor da villa da Independencia, aiiihado e protegi-
do do coronel Jos de Araujo, dono da lypogra-
phia da Imprenta, algumas autoridades policiaes,
sem fallar as muitas licencas que tem concedido
com veociraentos a empregados liberaos retribui-
dos, como ainda ha pouco a um irmo e a um cu-
nbado do Dr. Frenas. Ora, um presidente que
procede desta maneira com seus adversarios po-
lticos ; que acolite cora a raaior urbaoidade e Iba-
oeza, porque S. Exc. am pereito cavalheiro, em
outra qualquer provincia deste imperio, onde nao
se erguesse em systema de opposico a calumnia,
a diffamacao, a injuria e a invenco, longe de me-
recer a mais leve censara, s teria delles, se tos-
sen} justos e honestos, os mais justos loavores ;
porqaanto rigorosamente fallando cada lugar que
se preeoebe com am adversario ningaem deixar
de convir que ama occasio de menos de satis
fazer um sea correligionario, que se jalga com
ncontestavel direito, e nem elles os liberaes pen-
saran) e procedern j mais ou menos aqu de
modo diverso.
c Felizmente todo o Piauhy, sem exeptuar a
maioria Ja parte sa do partido liberal, nao s aca-
ta e respeita no Exm. Sr. Dr. Manoel do Reg, o
seu carcter circumspeto e justiceiro, como um
administrador bem intencionado e na altara do
cargo que to acertadamente Ihe investio o gover-
no imperial, como anda todos os das do Ihe pro-
vas robustas da estima e consideracao em que
tido por sea cavalheitismo e maneiras distiactas,
por sua imparcialidade e recudi. E tempo vira
em que os piauhyenses se ho de convencer cada
vez mais de que nunca foram de mais as attenedes
e veneraco as virtudes cvicas do Exm. Sr. Dr.
Manoel do llego.
i: ka ii a.
A mesa administrativa da assembla pro-
vincial lirn composta dos Srs.: baro de Aqui-
raz, presidente ; Drs. Joaqnim Mendos da Graz
Guimaraes e Manoel Ambrosio da Silveira Torres
Portugal, secretarios.
O vapor Ipojuca, da companhia Pemambu-
cana,'seguio do porto da Fortaleza para o da
Granja e escalas 8 do correle.
O Exra. diocesano tuha sahido em visita pas-
toral freguecia de Soure.
Agencaram-se donativos para o papa em
Lavras 3863580, em Jaguaribs-merim 2153340, |-
era Nova Jerusalra 2123, e na freguezia da Ca-
choeira 2683300 res.
A alf radaza da Fortaleza rendeu no raez de
junho 130:1583160.
L9mos na Tribuna Cathohca :
' Durante este invern no mbito de 12 leguas
cabiram no Ip 56 faiscas elctricas, das quaes
16 se empregaram u'um cabero de pedra, que i-
cou to la lascada ; duas que se de-pregarara suc-
cessivamente sobre a casa do Sr. Antonio Ray-
mundo Pere3 raataram alguns auiraaes pequeos
e proslraram toda gente da casa por cerca de 5
minutos, teuic durado a claridade por mais de
um minuto.
RIO GRANDE.
De ama caria escripia por pessoa seria de
Canguaretama. villa na provincia do BJo-Gran le
do Norte, extraamos o segainte :
t Est se desenviiivendo por aqu urna moles-
tia horrivel as mulheres. Mais de dez, entiy sol-
teira3 e casadas, j se acham accoramettidas.
Queixam-sa ellas de am bolo que sobe do baixo
ventre at o coraco, obrigandoas gritar tao
alto, que se ouve na distancia de 300 pasto; mas
nao sapponha que sao gn;os cofnmuns; elles era
tudo parecem latidos de cachorro ; repettem mui-
tas vezes por dia, e de mez era mez reapparecem.
Nao tem havido cura. Os mdicos dzem que se
transmitte por mitacio; e j as cranlas do
mesmo sexo esto soltrendo do mesmo mal. Fe-
lizmente era nossa casa ainda vai tudo em paz.
Em outras villas e povoaces tambera tem appa-
recido iguaes casos e em grande numero. >
PARAHYBA.
Lomos no Jornal:
Reconhecendo a difficaldaae de contrahir na
vislnba praca da Ptrnambuco, sob condicoes ra-
zoaveis, o etnprestimo autorisado pela le n. 391
do anno passado, procarou S. Exc. o Sr. vice-
presidente da provincia realisa-lo na corte com o
Banco do Brazil, exemph do que ha poneos me-
zes praticara-se na provincia do Para, que con-
seguir ser-lbe emprestada por aquella estabele-
cimealo a somma de 600 contos, em eonta cor-
rente, juro de 8 por canto e amortisavel no pra-
so de dez annos.
t Nesae intuito dirigio-se S. Exc ao nosso dig-
no e respeitavel amigo, Exm. Sr. senador Frede-
rico de Almeida, que da melhor vontade presin-
se lomar si o trabalho, eommettido sua dili-
gencia e dedeacao; sendo que, pelo ultimo vapor
do sal responder, dando a mais satisfactoria so-
lacio a respeito.
c O Banco do Brasil (ara nossa provincia um
em pre? limo de 300 contos, sob as mesraas conli-
cds do da provincia do Para.
a A operacao de certo, ventajosa e, levada
effeito como esperamos, remover os embaraces
com qae latamos actualmente, e habilitar-nos-ba
neutral sar as consequencias da crise finan-
ceira, porque temos passado.
I Sabemos qne na primeira opportanidade se-
|urao as ordena necessarias para a realisaco do
emprestimo, que, entretanto ser apenas de 230
contos, visto que parte do crdito da lei j esta
esgotada, em viriude da emisso de apolices, el-
fectuada na provincia de conformidade com o, re-
gulamento do 19 de Janeiro pretrito.
A aolicitade do Exm. Sr. vice-presideae em
assumpto de lauto tateresse a actaalidade para
a provincia digna de todo o louvor, reconhe -
cimento, bem como a efflcaz coadjuvaoo, que no
mesmo sentido Ihe presin S. Exc. o Sr. senador
Frederico de Almeida e Albaqoerque.
Costamava a adminisiracao do correio dea
ta capital remedar meosalmente s agencias
S. Joo e Porabal o doheiro necessario ao naga-
menio dos salarios dos estafetas, que daquelles
pontos conduziam as matas para os deaais do in-
terior.
Essas reoessas erar feitas em oficios regis-
trados.
< Entretanto, no rrtez de marco ultimo, apro-
veitoa a menina adminisiracio um portador de
conliaara, viudo de Pombal,' para mandar o sup-
pr'rrjoma.j'rpii *J^plro ^ew.ja, qa>-, rece-
Bendo-o, rconhecea faltarem os de dezemlKo, fa-
neiro e feverairo ; o qne communicou referida
adminisiraco ; sendo que esta coramunicaeao s-
meote veio-lhe as mios no dia 10 de abril, quan-
do ja tinha sido expenda a mala do centro, na
qual ara registrados nao s nova remessa de di -
nheiro, como offlcios para o jaiz de direito da co-
marca.
Esla mala, porm, cheganflo seu deslino,
nao cootioha taes objectos.
Em consequencia de averiguarles e pesqui-
sas respeiio, verificou se ser o autor da fraude
o estafeta Adelino Cesano de Oliveira, que com
todo o cuidado descosa os volamos, qae Ihe eram
entregues <>, extrahindo delles o que Ihe convi-
nha, preparava-os de novo levando-os assim a seu
destino.
A visto do que requistou, em 19 do corren-
te, a administracao do correio sua priso S.
Exc. o Sr. vice-presidente da provincia ; endo
que no'diaseguintsteve. cotnmunicaijo de que
achava-se el.e j preso em Pombal, por haver-
se conhecido ali ser o autor dos extravio?, a que
nos referimos.
a Adelino Cesario o mesmo estafeta, que an-
teriormente dissera-se roubadn, quando couduzia
a mala daqnella cidade.
< O prejuizo caus-do, alm do extravio da cor-
respondencia particular, pode or^ar em uns 4003
ou 500 ris.
Esperamos que as autoridades facara a devida
juslica, puoindo com todo o rigor da lei a esse
criminoso, para exemplo de outros e seguranza
dos panieuiares.
PERNAMBUCO.
REVISTA DIARIA.
D1NHEIRO.O vapor brasileiro .-trino* trouxe
para os Srs. ;
F. Jos da Costa Guimaraes
Lehmann frres
J. Rodrigues de Souza
Luiz A. Siqueira
Narciso Jos Ferreira
J. da Coneeico de O. Figoeredo
A. Luiz dos Santos
A. Hyvarnat
Tas-o Irmaos
Bernardo Jns de Araujo
Domingos Ferreira Maia
Domingos Alves Matheas
Gomes de Mallos & Irmo
Jos Carioso de S
Francisi Nones da Silva
Tronxe mais esse vapor :
Para a Bahia
Para o Rio de Janeiro
'
4:7043000
4:3403000
3:100*000
3:1003000
2:972*000
2:000*000
2-000*000
1:700*000
1:250*260
1'160*000
1:400*000
600*080
495*660
428*310
3003000
9:617*910
119:258*420
DISTINCCO HONROSA.-A Associaclo Com-
raercal Beneficente envin ao nosso di'tincto ami-
go o Sr. Dr. Francisco Leopoldino de Gusmao Lo-
bo, o diploma de socio honorario, em attenco aos
relevantes esforz empregado' pelo mesmo Sr. na
assembla provincial pela redueco dos direitos
sobre o algodao.
Nos nos asso,iamo a benemrita associacao
nesta dnmonstraijao de justo apreco.
FREGUEZIA DOS AFOGADOS Ainda conti-
na a falta d'agna no chafariz dessa freguezia ;
apezar das reclamaes* repetidas, nenhuma pro-'
videncia se den. alm da collocaco de um peque-
oo cano de cerca de poilegada de dimetro no ar
rombamento feito pelo povo, o que pouco ou qua-
si nada fornece d'agna ao pnblico.
BONOS.A maasfra porgue foram sentados,
tanto na ru do Cabng como na do Rom Jess,
os trilhos da co-npanhia dos bonds, merece ser
examinado por qnem disso incarabido, afino de
se evitar o atropllo dos outros vehculo* e mesmo
de aniraaes, quando comecar a funecionar esa
companhia.
A PARAHYBV E O ATLAS.-E' este o titulo de
um opsculo, escripto e publicado pelo Sr. Dr Ma-
xiraiano Lopes Machado, proposito do Atlas do
imperio do Brasil, puhlicado no anno prximo
(indo pelo Sr Dr. Candido Mendes de Almeida, no
Rio de Janeiro. No opacolo do Sr. Dr. Lopes
Machado muitas e interessant=s observa coes faz o
seu autor sobre aquella trabalho geographico.
Agradecemos a cfTerta ffe am exeraplar que nos
fez o Sr. Dr. Lopes Machado.
PROGESSO LEROUGE.-^ecebemos da redac-
cao do Correio Peambucao, e agradecemos-lhe
cordejlraente o obsequio, um volume do romance
qa tem o titulo degta noticia, e que, depois de
publicado naqnee jirnal em folhetms, foi caida-
doamente irapresso em avulso.
O Processo lerouge um lindo romance que
prende e captiva a attenco ; alm disso foi ver
tido para o portugaez eom muito cuidado e de
forma a eooservar-Jhn o colorido typico da pbra-
se do sei autorEmilio Gaborau.
PASSAMENTO.Falleceu e sepultoa se hontem
no cemiterio publico no meio de um numeroso
corlej i de pareles e amigos, o Dr. Joaqnim da
Silva Gusmao, natural desta provincia e formado
em medicina pela faculdade da Bahia.
O Dr. Joaqnim Gusmao primou pela exoelleneia
de seu carcter.
Os nossos pezames sna Exraa. familia.
CAUSA IMPORTANTE.Pedem-nos a seguinte
publica ci:
O merissimo a venerando tribunal da rela-
cao desta provincia, dando mais urna f rova da il
Instraco e justiea com que coslama proferir
os seas julgameatos, acaba de confirmar em urna
de suas ultimas sesses, a absolvi^o obtida pelo
Sr. David Alves da Costa Leite, por meio de seu
patrono o advogado do toro desta cidade Dr. Jorge
Doradlas Ribeiro Pessoa, no tribunal do jury da
cidade de Macer, capital da provincia das Alagas,
por oceasiio de ser jnlgado o processo, qne contra
o mesmo Sr. David to instaurado por denuncia
dos directores da eaixa commercial da referida ci
dade, os quaes prelendiam attribuir ao dito Sr. Da-
vid, qne alias fazia nicamente a eseripturacAo da
mesma cahea, e isto sob a nsoeccao e exame dos
mencionados directores, o desfalque ltimamente
verificado nesse e'tabeleciraento.
Honra, pois, e veneracio ao colendo e egregio
tribunal; gloria e jubilo ao Sr. David Alves da
Costa Leite por ver a ana repntaoio tao digna-
mente resubelecda. >
LOTERA. a que se acha *enda 199.a
beneficio da nova igreja de Nossa Senhora da Pe-
nba, a qual corre no dia 13.
PASSAGEIROS. O vapor Armo*, vindo dos
portos do norte, tronxe os segaintes :
Manoel Antonio Pires, Amonio Parcha, Antonio
Thomaz Carneiro, Jos* Gomes de Araujo Quin-
tal, Joaquina Maiimiano, Ernesto Emiliano Mon-
leiro, Manoel Jos fie Almeida Jnior, Antn
Francisco Monteiro da Silva, Abdon-Pelinto *la-
nei e 1 fllho menor, Antonio TexeJra Pmaentei,
de. I Hauoel da Rocha PiaW, Anwuio aBgw oe Cv-
valho, FraBcisco de Almeida Braga, Jos Bernar-
do dos Santos Leal, Antonio Braulio de Oliveira,
Benio Jos tfeoriques, Antonio Seban, Lucio Ribei-
ro Guimaraes, Benedicto-da Silva Ganedo, Fran-
cisco da Assis Ganedo e 1 escravo, Pamy Clau
de Ma/ie Eliooe e Jo e Joaquina Rimalbo.
Seauem para o sal :
CapLiSo Juio Angusto da Sefra", !?rancisco Fer-
reira'Monteiro,Atbaliba de Moura Ribeiro, Jacob
'Ahu, Dr. Antonio Sabino r> Monte-, Dr. alemo
Ferreira de Paula, Jos FraDeisco da> Costa, capi-
tao Tertuliano da Costa, tmate Manoel Finoioo
da Costa, Franorseo de Arreda, Phijpmena Mara
dos Anjos e Severino .Augusta de Anorade.
CEMITERIO PBLICO.-Obiinano.do da S* do
crranle i
Bento de Souza Maksa, branc, Portugal, 26 as-
nos, solteiro. Boa- vista ; febre amarella.
Amelia, branca, Pemambuco, 2^raezes, Boa-Vis-
ta ; espasmo.
Narciso do Naseimeolo, preto, frica, 80'aooos,
solteiro, Boa-Vist, hospital Pedro U; miente
chrnnica.
Francisco das Ctagas, preto, Pernambuco. 27
annos, solteiro, Boa-Visia, bospia'Pedro !t; inte-
riie chronica.
Jeronymo ttibeiro Rasado, bra^oo, Portugal, 50
annos, casado, Boa-Visia ; tetaoo.
Mara, parda, Pernambuco, 3 das, Santo- Auto-*
nio ; espasmo.
Ildefonso, pardo. Pernambuco. 3 das, S\ Jos,
hemorrhagia umbelical.
______
CltKOMri JlDHiARM.
TRIBUNAL DA R!L.U:O.
SESSaO EM 11 DE JLH ) DE 1871
PRESIDENCIA DO EXM. SR. CONSELHE1RO- GA1TA.10-
aawiaui).
Secretario Dr, Virgilio CoeUto.
As 10 horas da manha, presentes os Srs. desem-
bargadores Gtirana, Lourenco Santiago, Almeida
Albuquerque, Doria, Domingues da Silva, Reguei-
n Costa, Souza Leo e Freitas Henriqnes, faltando
com causa os Sr. desembargador Guerra, procu-
rador da cora, abrio-se a sessao.
Paseados os feitos deram-se os julgamentos se-
gaintes :
RECURSO CRIMK.
Recorrente, o juizo de direito da Imperalriz; re-
corrido, Manoel Barbosa dos Santos.Juizes os
Srs. deserabargadores Doria, Freitas Manriques,
Souza Leo e Gitirana.Improcedente.
APPELLACOES CRtliBS.
Do jury da Parahyba.Appellante, o juizo ; ap-
pe lado, Hoberto da Silva Pinto.A' novo jury.
. Do jury de S. Joo.Appellante, o juizo ; appel-
lado, Jos Vieira Borges.A'novo jury.
Do jury de Garuar.Appellante, o juizo ; ap-
pellado, Jos Rufino Pereira. Maodaram que o
juiz appellante arrazoasse a appeliaco.
Do jury do Sobral.Appellante, o juizo ; appel-
lado, Vicente Francisco Ferreira. Improeedante.
AGGRAVO S)K PBTigA.l.
Aggravanle, a Santa Casa da Misericordia ; ag-
gravado, o juizo,Juizes os Srs. desembargadores
Doria, Loorenco Santiago, Alneida Albuquerque.
Nao tomaram coohecimento
PA99AJJ8N3.
Do Sr. desembargador Gitirana ao Sr. desem-
bargador Lourenco Santiago :
Do jury do Aracaty.Appellante, o juizo ; ap-
pellado, Francisco Xavier de Oliveira.
Do Sr. desembargador Lourenco Santiago ao Sr.
desembargador Freitas Henriques :
Do jury do Pao d'Albo.Appellante, Luiz Jos
Martins, appellada ; a justiea.
Do Sr. desembargador Almeida Albuquerque ao
Sr. desembargador Doria :
Appellaces criraes.Appellante, o juizo ; appel-
lado, Miguel Jos Alberto. Appellante, o juizo ;
appellado, Manoel Jos do Nascimento. Appella-
goes civeis.Appellante Maria dos Anjee Curado;
appellado, Luiz Gomes Silvero.
Ao Sr. desembargador Souza Leo:
Appellante, Antonio Firraino Pereira da Cu-
nta ; appellado, Jos Francisco Pedrosa.
Do Sr. desembargador Doria ao Sr. desembar-
gador Domingues da Silva:
Do jury de Pianc Appellante, o juizo ; appel-
lado, Francisco Marinho de Espindola. Do, jury
do Recite.Appellante, o juizo ; appellado, Joa-
quina Maria da Coneeico. Do jury de Tamboril.
Appeilaule, o juizo ; appellada. Mana Ferreira
da Concejdo.
Dj Sr. desembargador Domingues da Silva ao
Sr. desembargador Regueira Costa:
Do jury do Recife.Aopellanle, o promotor pu-
blico ; appellado, Canuto,Candido Ramos. Do jui-
zo de direito de Caruar.Appellante, Jos Pauli-
no de Messias; appellada. a justiea. Do jury da
villa de S. Francisco.Appellante, Damio Ferrei-
ra dos Santos; appellada, a justiea. Do juiy do
Inga.Appellante, Antonio Rodrigues Correia; ap-
pellada, a juslica. Do juizo municipal de Bana-
neras.Appellante, Maria Mdreira da Silva ; ap-
pellado, Manoel Vicente Pereira de Mello.
Do Sr. desembargador Rgueira Costa ao Sr."
desembargador Souza Leo:
Appellaco crime. -Appellante, o juizo ; appel-
lado, Antonio Googalves de Aiene.tr.
Do Sr. desembargador Souza Leo ao Sr. des-
embargador Freitas Henriques :
Appeilacao crime.Appellante, o juizo ; appel-
lado, Joo Gomes da Silveira.
Ao Sr. desembargador Gilirana :
Appellaces civeis.Appellantes, Anna Francis-
ca do Monte e outros ; appellados, Francisco Anas-
lacio de Maria e outros. Appellante, Manoel Tho-
maz de Albuquerque Maranhao ; appellado, na-
ci Vieira de Mello. Embargos reuieltidos. m-
barganle, Joaqnim Salvador Pessoa de Siqueira Ca-
valcante ; embargado, Salvador de Siqueira Car
vajeante.
Do Sr. desembargador Freitas Henriques ao Sr.
desembargador Gitirana :.
do
Reeorrente, o /bizo de direito de Maoei ; reeor*
n Jo, o Dr. Antonio Joaqnim de Simza Paraizo.
AGGItAVOS PE PETICAO.
Ao Sr. desembargador Guerra :
Aggravante, Joo Rodrigues Lima ; aegravado.
o juizo
Ao 8r. eserabargader Doaaiogne* da Sirva :
AggraraDie, Joo francisco de Almeida ,aggr.i-
vado, o juno.
Ao Sr. desembargador Regueira Cosa :
Aggrava*rte, Svmph?onio Olyoipio de Queiroga ;
aggravado, jnizs.
Ao Sr. desembargadr Soma Leo :
Aggravaote, Francisca de Pauto Correia de Arau -
jo ; aggravado. o juizo.
Ao Sr. desembargador Freir Henriques :
Aggravante, Justino Pereira d Faria ; aggrava-
i, o juizo.
. A8BAV0 DE aSTRirmTO.
Ao Sr. desembargador Doria :
Aggravante, Viceme Mendes Warniorley; aggra-
vado, Joo Baptisia da Coneeico.
AWEJXAgOD- ORIME.
Ao Sr. desembargador Souza Lea:
Appellaole, ojuizo de direito da raoeralriz; ap-
pellado, Paulo Francisco da Barros.
Ao Sr. desembargador Freitas Heoriquas :
Do jury da FbrUleza.-Appellawerios Saba.
Gknete ; appellada, a justiea.
AmxAgAO STHL.
Ao Sr. dP-embargador Guerra :
Do juizo rounicipal do Maoei-Appellant?.
Luiz de Franca L>ma e sua roulhep appellad.-.--.
Amonio Maria de Aguiar, sua mulber e outro.
Por substiluigo ao Sr. desembargador Luuren
eo Santiago.
Do juizo inunicipa) do Recire.^-Appellate, An-
lnio Francisco Pies de Mello Barrete% appelU-
das, Leal & raio.
Ao meio diaencerrou-se a sesso.
Do jury do Grato.Appellante, o juiza; appel
lado, Luiz de Souza. Do jury do Jardiffi.Appel-
lante, o juizo; appellado, Joo Antonio de Vera*
DBUGENCIA CRIME.
Ao Sr. desembargador promotor da justiea:
Do jury de Iiamb.Appellante, o juizo ; appel-
lado, Jos Carneiro dos Santos.
Appellante, o juizo; appellado, Jos6 Raymundo
da Cunha.
DELIGENCIA CIVEL.
Ao Dr. carador geral:
Do jozo municipal de Serinhem.Appellante,
Alexandre Rodrigues da Silva ; appellado, Jos
Joaquim da Silveira.
Ao Sr. desembargador procurador da corda :
O conflicto de jurisdicco entre o juiz dos feitos
da fazenda de Maoei e o de orphos.
Assignou-se dia para jolgamenio dos segaintes
feitos :
APPELLACES CIVEIS.
Do jaizo municipal do Cabo.Appellante, Ma-
noel Pedro do Reg; appellados, Manoel Joaquim
e seus filhos.
Do juizo dos feitos.Appellantes, a viuva e her-
deiros de Francisco Martins dos Aojos Paula ; ap-
pellado, Ignacio Francisco Cabral Cantanii.
BESTRlBUigAO.
Recursos crimes :
Ao Sr. desembargador Domingues da Silva ;
Recorrente, o iaiao de direiio do Recife ; recor-
rido, Manoel los de Paiva Pinto.
Ao Sr. desembargador Regueira Cesta :
Recorrente, o juizo de direito do Teixeira ; re-
corrido, Antonio A. L. da Maria.
Xa Sr. desembargador Souaa Leo ;
miBUNAL DO CBfHltBRClO
ACTA DA SaSSAO ADMINISTRATIVA DE 10
DE JULHO DE 1871.
PRESIDENCIA 30- EX. SR. COH6BLRB> iSSELXO
raAJSOsCO PER1TTI.
Secretario, Julio Guimaraes.
As 10 horas da manha, reunido* os Srs.
deputados Oliato Bastos, Gandido Akeferado s
Alvaro, faltando com causa o Sr. Miranda Leal, o
Exra. Sr. conselheim presidente abri a sessao.
Foi lida e approvada a acta da sessao de 6.
npiDium.
OfOcio da jimia dos correctore% remettendo as
eot'ages offlciaes da semana Coda dt i 8 do
corrente.Para o archivo.
Mappas dos armazens alfandegados no edificio
Alfandega Velha ns. 3, 5 e 7, e M trapiche Tasso.
Conferido coa-o precedente, seja archivado, nao
haveodo duvida.
Livro da correspondencia oficial : regular e
correctamente feito o registro al n. 193.
Foi assignada a carta de matricula do eoramer-
ciante Eduardo Candido de Oliveira.
Distribniram-se os segointes livros : Diario de
Jos da Silva T-.oyo & Filho, dito- de Mie*ado 4
Brando, dito do agente de leiloes Francisco Igna-
cio Piolo, dito de Luiz Fonceca de Macedo, e sup-
plemeoto do diario n. 5 de Jaaqoim Bernardo
dos Reis.
DESPACHOS.
Requer meDtoe:
De Jos Alves- da Silva Guimaraes, verba no re-
gistro da procuragio qne dera a Francisco Ferrei-
ra Novaes no sentido de ficar ella sem effeito.De-
ferido.
De Simpson & C, registro de urna proeuragac
bastante.Regislre-se.
De Clarinda Brilhante da Silveira Cosa, idem
da autorisago que Ihe dera seu marido, para pos-
suir 25 acedes da companhia dos trilhos urbanos
do Recife Olibda.Faga-se o registro reque-
rido.
De Anna Maria da Conceigao, certido de se
achar ou nao matriculado neste tribunal o sea cai-
xeiro Franciscj Jo*e da Silva Santos.D-se a
eenido requerida.
De Manoel Tiburcio Marques, dem de ter sid
nos exercicios de 1866 1871 inscriptos os seus
caixeiros e quaes os seus nomes. P*asse-se cer-
tido requerida.
De Carroll & C, idem, idea, com relago ao
exercicio de 1870 1871.Geriifique-se.
Da Manoe! de Soza Cordeiro Simoes, certido
igual, quanto ao caix-iro do suoplicante, e com
relago aos exercicios de 1866 a 1871.Como
pede.
De Domingos Manoel lartins, tambem igual
certido tendente ao exercicio de 1870 1871.
Como requer.
Do Baro do Campo Vc-rde, submettenlo re-
gistro a noroeago de seus caixeiros Francisco Xa
vier Temporal, Hermino Franklin da Costa e S
e Jos Felippe Santiago.Seja registrada.
De Raymundo Jos Tavares, submetiendo a re-
gitro de sea caixeiro Paulino Jos de Oliveira.
Registre-se.
De Castro & Antunes, apresentando igualmente
regiwo a de seus caixeiro Panino Jos Antu-
nes.Na forma requerida.
De Jos Joaquim Alves de Miranda & C, tam-
bem apresentando registro a de seus caixeiros
Jos-da Silva Marroqnim e Prxedes Ferreira Ca-
valcante.Sim.
De Perdigo Olivoira 4 C, idem, sendo os cai-
xeiros inscreverom-se Affonso Fiuza d e Frederic Pereira Moulinho.Na lrm. pedida-
De Joaquim Lopes Machado & C, idem, sendo
os caixeiros noroeados Jo- Boteloo Pinto de Mes-
quita e Luiz Gomes Bandeira de Metto.Regis-
tre-se.
De Silva 4 Joaqnim Felippe, submettendo tam-
bem registro a de seu caixeiro Jos do Reg.
Araujo. Coma pedem.
De Tavares 4 C, oflereesqdo registro a de seu
caixeiro Al avaro Aflbnse. de Oliveira.Faga se o
registro pedido.
De Goilherrae Carneiro da Cunha, pedindo oer-
tido de ter sido ou nao jegistrada a noraeacio de
sea caixeiro Joo Manoel da Silva Braga Certift-
qne-se.
De Felippe Santiago de Aqukao, para se Ihe r~*
gistrar a nomeag de sea caixeiro Jos dos San-
tos BarceMos.Attendido.
De Justo Jap Gomes Teixeira, para certificar-
se Ihe estar ou nao registrada a nomeago de sera
caixeiro Ignacio Cavalcaate de Arbuquerque.
Certifiqese.
De Joo Bautista Boaventura Rodrigues de Al-
meida, para se Ihe certificar se tem caixeiros raa
triculados ueste tribunal, e quaes os seas nomes.
-D-se a certido requerida.
De Machado 4 Braado, suocessores de Silva
Rocha & Machado, para se Ibes permittir o nao do
livrocopiadorque pertenceu firma, a qae
succederam.Como requerem.
Dos correctores geraes desta praca, para ser ao-
carainhada ao governo imperial a peticiq em que
pedem sejam igualados os seus emolumentos aos
que percebem os correctores das demala pragas
do imperio.Requeiram por intermedio da presi-
dencia.
COM INVORMAQAO DO SR. DBtnOAROADOH WSCAL.
De Manoel Ribeiro Bastos, documento submet-.
tido registro.Nio tem lagar, i vista do parecer
fiscal.
De Freitas 4 Mallos, contrato social, tamben)
submettido registro.Saja registrado.
Summario. adiado das duas alfanas sesadas. O
tribunal por ana deeisio julfou nio derer prov-

e


. mi
5
Tliano da PeruanViJca f- Qutirta feira

-^
egurr sumraavio e coademnoa na f,us en-
cansa ao snmeMnado, quem manaba entregar o
saotoecimente do imposto derfois de registrado.
Hala mata havetido a despachar^ o Bxm. Sr.
eoBseHieiro presidente enoerrou a sesie s 11
Jmms e meia do dia.
SE8SO JDICIARlA, EM 10 DB JULHO
DE 187i!
EMBOTCIA DO .KM. SB. C0KSKLH81R0 4. V. P*>
B.BTTI.
Secrettrto Julio Gutmaret.
A- mero dia declamu-se abena a sessSo,
elaado reunidos os Srs. desembargaores Su-
ya Guimares, Reis e Silva e Accioli, e os Srs.
deputados bandido Alooorado, Olwto Bastos e
Alvaro, tatuado cora parcipacao e Sr. Miranda
-*'8?'\ .. mHtir o advocado Emigdi
Lida, fot approvada a acta da sessao pas-1 PMtr%um attli
sMa.
O escrivo Aibuquerque registro o ultima-oro
teste de letra a 4 de presarte sob a. 2424
a o escrivo Alvos de Bnte a I do dito mea sob'
o nuTwro 2327.
Foram li los don oHeios de 27 do met psssadn
do tm. Sr. cooselheiro presidente da relayo
eommunieando haver designad o Sr. desembaT-
ga4.tr Gi tirana para rever o feito entre partes, ap
pedante Jos Barbosa de Carvalho, apoellado An-
tonio de Snuti iJrat; e o Sr. dusefObargador renco Santiago para n feito em que san partas, ap-
pedante Salvador d Siquein Cavaleatite, ppella-
de Gabriel Antonio d Ilustro Quintaos.
XCCOBDAO A-SIGNADO.
Embargante Jos Joaqun da Silva Brrelo, m-
bargado Ivo Antonio de Aadrade Luna; app^lante
o brigxder Joaquim Bernardo de Figueiredo, ap-
pelladoe Or. jaquim Aniouio Cmaro da Cunta
Miranda.
JULGAMBNTOS.
Juizo especial do eommercio : ap3ellant s exe-
ntados Aadrade & Reg, appeilada equente D
Aona JosephatPereira dos Santo* ; juizes os Srs.
Reis e Silva, Accjuli, Alvaro e Candido Alcoforado.
FoieooBrmada a sentenca appellada eom o. voto
ilo Exm. Sr. coosettieiro presidente, sendo v-
tos vencidos os Srs. Alvaro e Candido Alcofo-
rado.
Apoellaate Manoel Duarte Rodrigues Pinto, ap-
pellados os curadores fiscaes damissa fallida de
Antonio Jos 6ome*: adiado a pedido de ~um do-
seobores deputados.
'BBSIGNACAO DE DIA.
Appellantes'Johnstou i'ater & C, appellados Tasso
lrmaos.
O primeiro dia til.
PASSAOKNS.
OSr. desembargador Beise Silva jnroo e passou
ao Sr. desembargador Accioli: appellant* Jo-
Francisco no Reg Mello, appelladu Manoel Jo-e de
-S Araojo.
DISTRIBUICOBS.
Ao Sr. desembargador Silva Guimaraei: ap-
pellante Jos Osario de Mello, appellado Joo da
Cunha Reis; apellante Feliciana M*na Oyinpia,
appellados os herdeiros do bacharel Juvencio Alves
Ribeiro oa Silva.
Ao Sr. desembargador Accioli: appellante An-
dr Birbosa Soares, appellada Victoria liulioa de
Axevedo; appellaotes >ilva Bocha & Machado, ap-
pellad-s os curadores scaes da massa fallida de
Fonceea Santos.
OCHAVOS.
Jnizq especial do cimmercio : aggravantes Fon-
ceea de Santos, aggravado o jnizo ; agravante Ga-
briel Antonio de Castro Quintaes, aggravado o ba-
cbarel Xabor Carneiro Bezerra Cavalcinte; ag-
gravantes Magalbaes lrmaos por seu curador tts-
cal. aggravados'Tapeinbeck C.
O Eira. Sr. conselbeiro presidente negon pro-
pnenlo.
Julio especial do eommercio-'. aggravante Leo-
bina de Barros Csvalcanle L'm, aggrava tos Luu-
reiro de C. ( Exm. Sr eonselheiro presidente or-
den ni uma diligencia.
Nada mais havendo a despachar, o E\m. Sr
presidenta enoerrou a sessao a urna hora da
tarde.
*. Finalmente, qaal a ext'/tsae Me tero as tra-
versas vninha .
< Paco da cmara municipal do Recite, 21 de
juobo de 1871.r. Pitaifgn.Approvado.
Ontro do Sr. Or. Angelo; Henrtt,aes, pediado que
se officie ao Exm. vice-^presidente, peJindb soiu-
cao da approv*co da uostura addicioaal de 7 de
iunh) do cotrente aoriP. ioorovado.
1 0 mesmo Sr. Dr. Abgelo Henriques apresentou
a seguate proposfa ^
t Propoabo que /?e solicite do Exm. Sr. vice-
presidente, a retorci de paioTda. polvjra do For-
te do Buraco. p?ia lugar tonga da cld.ide.pelo sen
estado de ruina.% perige em que est a cidade..
i Recife. 21 de junho de 1871. Henrigues da
St'ft".AppnWado.
tima iidicacao do Sr Or. Pilanga, para se offl-
eiar as autoridades criminaos do termo, para ad-
_ lio Marques Viaoa, qae
| contratou o esta cmara de tratar das causas
dos presos pobres.
(utra do esmo, para se offloiar ao Exm Sr.
vice-presideme, pedindo aulonsacao^para mandar
aier os concertos reparos da poH do 1
por ajministraco.Approvada.
Conceden se dous nuces de iioeoga ao fiscal da
fregoecia de laboaio, com ordenado, nendo a gra-
tillcacao para o seu substituto; e se ordeoou que
se offlciasse ae raesmo.
Despacharam-se as peticSes de Antonio Martin
Duarte, Antonio de Paiva TVixeira, Flix Lmf Ca-
valcante (2^, Frederico de Castro Carvalho, Fraii-
cisco Ignacio de Oliveira e Joao d'AssdmpQo Oli-
veira, t itr el Antonio dos Santos, D. Isabel Eii
rita Poge de Figneiredo. Jo-e Osario de Mello,
Joo Pereira dos Santos Tarefa, Joan Carneiro Ro-
drigues Campado, Jos da Silva Neves, Jo- Ca-
mello do Reg Barros Joanna Francisca da Con-
ceicao, Br. Joo Baptista Osanova, Miguel Gon
calves da Loe, D. Mar ana de Fanas Botelho, Nas-
cimanto Mouteiro ti C, Pedro Alexandrioo Rodri
gus Los, Porfirio de Soata Pinheiro, Fedro Jo-
ne 'Lnic Souia Almeida (2), Ulyfses" 4 Ir mo
Viceote de Paula de Oliveira Villas-Boas, e Victo-
riano Palhares; e levanton sea fem.
Eu Lourencj Bezerra Carneiro da Cunha, secre-
tario sabscrvi.
Declaro era tmp3qne o contrato celebrado com
oDr. Emiglio Vianoa gratuito.
RecireiS de julho de 1871:
En LoSVeoco Becerra Carneiro da Cunha, secre-
tario o escrevi. *
Ignacio fonqain Ae Souza heno, pro-Dreidentp.
Jos Mina Prtire Gameiro.Cnetano Qi/ritco da
Costil Moreirn. Dr. Siloio Tarquimo Villas han*
-Dr. Prxedes Gomes di Souza Pitanga.ingeh
Henriques da Silva. -
RESUMO DO BALA.N.CETE DA RECEITA
R DESPEZA DA C.\M\RA MUNICIPAL
DO RECIFE, NO MEZ DE MARCO
DE 1870.
exercicio de 18(59 1870.
Receita.
Saldo do mez defevereiru pr-
ximo lindo.............. 31:4285169
Receita arrdeadada no mez de
marco................. 16:64800,9
CMARA WTJNinPAL.
SESSAO EXTUAOP.DINARIA AOS 21 DE JONHO
DE 1871.
BESIDENCIA B0 SU. BR. SOUZV Lu.
Presentes t Srs. Dr. li-nto C>ta. Gameiro, Dr.
i'iunga, Costa Moreira, Dr. Moscoso, Br. ngel-
Henriqaes, anrio-se a s-ssao e foi lida o approva-
da a acu da antecedente.
I-eu-se o seguinte
nM'EmF.KXE :
Uma petigii de Koiurmioo Alves de Arocha,
com de esta cmara informar.(Jae >e offiot Xom re/e-
reocia a afjnuaclqu Jeu e.-la cmara acerca
das oroposta* apres--ntadas para o contrato do pri-
vilegi i d trms;pnrle das caruos verdes.
Um oflau do jais municipal da primeira vara,
coramiinii-aiido ler entrado no exercicio do cargo
Inleirada.
Oiiiro do delegado do segundo distrioto da ca-
pital, bttndu diversas reolamai;es, tendentes a
.alunndade publica, a facilidade do transito pu-
blico, e do aboso de andarem animaos de diverjas
especies vagando pelas ras da povoaco.Q.ie
se cffleie a fiscal.
Odtro do gerente da companliia Draynage, re-
camando aitida urna colleecao das posturas de-u
cmara.Que S'jam enviadas, fazendo constar de
nao haver obrigaco de ministrar- as.
Oalro do procurador, pedindo qae so Ihe mande
levar em conta a quautia de ISJOO, proco por-
que comprou por ordeno desta cmara a tullcelo
las leis geraes do imperio de 68, 69 e 70.Ao
Contador.
Oulro da mesmo, informando sobre om ofHcio
do alrainistrador da osa de detenejio. Que se
offl-ie ao Exm. vicepresidente, cogindo-se a c-
mara a informago do procurador.
Outro do mesmo, trazendo ao conhecimento da
cmara o preco que exige Anir de Abres Porto,
sobre a desappropriaejio de um terreno, na rna
da Gaia.Adiado por proposta do Sr. presidente.
Outro do administrador do eemiterio publico
desta cidade, trazendo ao conhecimeolo da cma-
ra, achar-se muito arruinada a travo que serve de
comieira da casa que serve de repartilo dos em-
prefados do mesmo eemiterio. Aoeogenheiro
para examinar e orear.
Outro do procurador, apreseotando os balance-
tes da receita e despeza desta careara, no trimes-
tre de Janeiro a marco do correte exercicio de
1870 1871.A' eommissao de polica.
TJaa informarao do engeoheiro eordeador, so-
bre o offlcio do fiscal da freguezia de S. Jos, no
qual pede providencias para que a reparticao das
obras publicas connue com os canos de e"goto
dos beecos do Peixoio e tra vessa do Mooteiro.
Qae se offlcie ao Exm vice-presideote, pedindo
providencias neste sentido.
Outra do mesmo, favoravel a peticlo de Jos
Bicardo da Costa.CoBcedeu-se.
Outra do mesmo, favoravel a peticis do Dr.
Joan Baptista Casa .Vova.Coneedeu se.
Um offlcio do solicitador, pe lindo a quaatia de
iOO/OOOpara dispender com cusas judiciaes-
Ao contador para dzer se ta verba.
Outro di fiscal da fregoezia de Santo Antonio,
participando que a compaohia Recife Drayaage,
lea deitado no beeco do ouvidor e travessa da
roa do Bario da Victoria, canos em duas casas
por fra das paredes.Q je se offlsie ao Exm. vi-
ce-presidenie, p^diaia que d providencias affia
de qne a compaohia reraova oa enterre os canos.
Outro do Qscal da freguezia de S. Jos, coramu-
nicando, que o arrematante da asa qae serve de
guarda na ribeira da misma freguezia, eumpno
eom as clausulas do sea contrato.Ioieirada.
Outro do flseal da fregoezia dos Afogados, re-
metiendo um termo de infraeea as posturas man-
cipaes, eommeltida por Jos do Nascimento Albu-
querque.Ao procurador.
Dm requer ment de Jos Icidoro Pereira dos
fiis, pedindo pagamento da gratifleaeo que Ihe
iver sido e^Dcedida pela cmara pelo tervie) qu;
diz respeito a escnpturaeao da mesma cmara.
Ao eontalor.
Outro de Gnilherme Augusto de Atbayde e Jo3o
Saraiva de Araa|o Galvao, escrves do erime d^s
juizes muoicipaes desta cidade, pedindo a estilara
neaKsacao do contrato com os mesaos eelebrado. \
A commiselo de polica.
Ua parecer de Sr Br. Moscos i, aeerea da peti-
jao de Jlo Liiz de Aran jo. Adiado a reaueri-
mento do Sr. Dr. Pitanga.
O Besa Sr. Dr. Pitanga apresentou o seguate
KqaerinteMo :
Befueiro qae o eagenheiro se dirigindo ao lo-
4e Jomo Lutz de Araujo, e declare :
1. Qial a ttenao do terreno de qae trata
foioLuiz de 'Aratijo.
.* Oial a exiaoso do terreno da cmara
qoe exist-) unio aquelle terreno.
* 3.' Em qae distancia estao eoikxndas as tra-
HHM vidaias.
i* Qaal o terraoo qae extite ao lindo desle
?0 ektfar ao bm projetado.
48:075788
Despeza.
-importancia despendida do
mez de marco...........
5aMo que passa para o mez
9:QI303
seguinte................ 39:0635765
46:0761788
Je
Cmara municipal do Recife, 3 de juIqo
1871.
0 procurador,
Jos Simplicio de S Estoves.
PUBCACOES A PEDIDO.
O Mr. Dr, .los < tiran:
Nao tenho facilidade de ler o Liberal, % por islo,
mais tarde do que desejra, acudo aos reclamos
do Sr. Dr. Jos Bantista Gitirar.a, em relacio aos
negocios do municipio de Panellas.
Ac.-eto que na levar a mal que eu nao me
deixe em silencio, a vista do qnoto Ihe approave
relatar ao publico, e nem lomara (como m voniade
a su:: pe-soa o qu^ passo a pon i'-rar. IV do ineu
dever e lealdade no abandonar os meas amigos do
Hilarlo disinti a .ipreracoes menos usas, desde
que entre mim e elies ha p'erfeita solidarieJale em
assiuiiptos polticos.
Por esta razao consentir o Sr. Dr. Gitirana que
Ihe conteste a assercio dshaverem os conserva-
dores de Panellas uroposto. concordata aos libs-
raes. levados do reoeio de nao poderem vencer a
eleieao. nao obstante as ameacas e promesas que
faziam as autoridades I icae-i, e o alvitre de man-
darem entrar povo armado na villa.
Sobre ser exagerada semelhante asserco, re-
sente-se ainda de inexactidao e mxima injustica.
As autoridades de Panellas, eu o asseguio, obe
deciaro, durante a eleieao, ao pensamento da maior
moderacao, e os conservadores nao pretenliam
vencer o pleito senao pelos meios regalares, *
cooliavam na maioria de eleitores e supplentes
para a r ir.ii.ii-i i da mesa parochial, e na maioria
dos votantes, que era icontestavelmente sua.
Nestas condices, nem careciam as autoridades
fazer promessas e ameacas, nem havia qne receiar
dos liberaes, que' s tinham por si o jmz de paz.
Se concordata se fez, a razao nao fui o receio de
]ue falla o Sr. Dr. Gitirana, fii outra muito di-
versa, que S. S. nao deve ignorar ; foi o ler-se
aqui entendido ser conveniente harmomsar qne!-
les que as elei^oes de juizes de paz e eleitorrS
de 1863 esliveram em accordo ; foi alguem, e eu
termos escripto cartas insumes no sentido da
concordata.
Tres dias antes da eleieao. ainda rece de Pa-
nellas, objeccoes concordata, e redohrei de ins-
tancias. As miohas cartas ali chegarain na ves-
pera da eleieao, e a composicao foi de prompto o(-
erecila.
J v o Sr. Dr. Gitirana, que nao tem razio em
dar ao accordo, qne foi aeceilo pelos liberaes, ara
certo r de triumpho, nem filiar em abuso* da
autoridades, em cujo espirito estava inlirado o
pensamento de semelhante accordo.
Conveoca-se o Sr. Dr. Gitirana de uma verda-
de, e que o meo dosjo. e lambem o dos meus
amigos, nao levantar luas desnecessarlas ;
nao culloear as diversas luealadis do dVtricto
era ebulicao e rivalidades esteris, e assim con
veto antes coaceder do que excluir. Beputo erro
conquistar unanimidade, quando se pode conse
guir maioria tem lua.
Jo e mostr o Sr. Dr. Gitirana exclusivista,
oe n afierra lo a poltica Je exterminio da. sita-
5o passada, que eoovir, mais tarde ou retis ce-
do, en <|iie injusto tanto S. S., como o Liberal,
em insinuar que estamos a sorle de uma poltica
de violencias e perseguiciJes.
Pas ando da eleieao as Tactos que ihe sao pos
soaes e que S. S. os relatou ao publico, consulta
que nao Ihes d o valor e peso qne leseja.
A anecdot ( hespanholada ) de ama autoridade
que se armou de rewolver, pira fazer pergunta-,
mas qaa'aflnal nao fez perguntas, nem appareceu
com o rewolver, nao merece as honras de vir a
leltra redunda.
0 faeto praticado por Mamel Florentino dos
Santos, qae em vez de aceorametter o Sr. Dr. G ti
raoa, ceatentou-se em apunhalar-lhe a b Isa de via-
gem, podia-o mencionar, se a discripeao fosse mais
verosmil.
U' lodo qnaoto expoz o Sr. Dr. Gitirana,_v se
que Santos proeedeu por effeito de allucinacao, ou
apenas quiz fazer medo, e conseguir que S. S. mu-
dasse de eamioho.
E'teve elle com o Sr. Dr. Gitirana na igrej3,
eneontrou-o na ra, e nao o oBendeu, nem Ibe di
rigi palavra ; depois armoa-se de ponto em bran-
co, fez patente a iateseao ajgressiva a S. S., e pa
blicamerrte col loe m -se na estrada per onde tiaba o
Sr. Dr. depassar >
Nao procede assim qaem tem a iatencao de ma-
tar oa offender outrem. Em tudo tato ha oa loa-
cara, oa graceja para intimidar.
E nem se apegue o Sr. Dr. ao Interrogatorio do
sea portador, por qae todos ni sabemos como se
ageilam interrogatorios quaado se quer dar es-
curo oa claro aos qaadros.
Eolrelaato convm notar modo injusto por
qne se houve o Sr. Dr Citiraaa para oom as auto-
ridades de Panellas. O qne quera que eaa flzes-
tmmt
Que prendesje a prnessaise Santos por qne
apunhaloo, nao un iodltiduo, aan om sasoe de
tiagem t
O Sr. Dr. bomen da le; dir se o case. de
prisao, ou da preces-, iodepndeDte de qaeixa.
0 llgado tomo co'iheeinwnto dpKta, e tu
dotar, eston rw, y xa vr e i-TBlniT coae
qaeacias desagraav/.s. Ceoo inoHtie'fa au
tondadee reputo-a \im dos carnctereaaais hones-
tos daquella localiitade.
Em relacaoVto Sr. capitio CordciroAbrinhr. do
Sr. Manoel dos Santos, a justica do^. Dr. Giti-
rana sobe de ponto. 0 Sr. Cprdeiro i um moco
digno e de hein, incapaz de proteger attontados.
ainda i|iii praticado? por seu tio; e aeej elh sub
delegan, de Panellas.
Execcia este cargo, e o perdea por ter ildo no-
meado para um domo da guarda nacional, e at
hoje nao foi ainda unmeado de novo.
B quando fosse autoridade policial, nem elle, nem
o tenente-coronel Santos podem ser responsaveis
pelo excessos e mans feitos des seus prenles.
Pee>> descuida ao Sr. Gitirana, se com stas linhas
loe cavo coniranedade.
Recife, 9 de julho de 1871.
P. 8. de Mello fygo.
0 juiz municipal 'do Cabo ao
publico.
Om inimigo mea, com o fia de ver se emban-
ca a mtnha reconducio da juiz municipal e de or-
phos do termo do Cabo.publicou adrede no Diario
de hgje um artigo ne qual me iujuria e calumnia
atrozmente ; como hornero e como juiz, apresso-
meeuT prevenir ao publico, qne passa a chamar
a respon-abililade o autor desse artigo; nico
meio de defez compativel com a mioha digaida-
de. Becife, 11- de Julho de 1871.
Joo Gonzaga Bacellar.
si:i.\ ionio
APBESENTAOO EM 15 DE M.UO DB 187i A
DIHECTORIA DA COMPANHU DOS TRILHOS
hbANOl DO RECIFK k OLIiND.V B BEBERIBE
PEA. SDHERINTRNDBNCU, HKLATIVAMENTE
AOS TRABALHOS E DESPEZAS FRITAS POR
ESTA, NO MEZ DE AIIH'I. DE 1871 .
Becife, 8 de maiode 1871. *
llim. Sr.Por (ste mea relatsrio veti V. S. w
actos de rainha admioistraco durante o mez de
abril prximo passado. ao qu'l V. S. encantrar
as notase foi has de pagamento das semanas at
o da 19 de abril prximo pastada,.assim como as
folhas da estacan d Olinda, e as dt linha de Be
beribe juntamente os recibos e coutas pagas por
esta superiateijdenoii, s a fjlha dos eraoregados
de mez, empraltads feilas na linha de Bebaribe,
desearrego de triiho". carvao, pedras, e trabalhos
noule na linha de Beberibe.
Semana de 3 a 8 de abril 1:3793870
dem de 10 a 13 dito 2:104*300
(lera de 17 a 21 dito 2:1755940
dem de i a-j9 dito 2:148*165
7:808*475
Folba das despezasdo mez de
abril 1:270*620
Trato docavallo pertencente
ao superinteodffite 50*000
Emprimados de mez.
l'qninzna l:0Wi()0O
i-' UiU l:378dti00 2:387*000
11:496*095
:=; = = = =
8ilhetes recebidos no mez de
abril 10:400*000
Dioheiro entrega, dos bilheles 10:824*240
Assignaturas 734*500
Carga 442*460
12:001*200
O superintendente,
A. Abren Porto.
A commisso de exame de coatas apresentou
seu parecer, e encontrando as comas de accordo
oom os documentos annexos, peilio a respectiva
approvacfo ; o queteve tugar, em sessao de 2 de
junho.
E-criotorio da companhia dis trlhos nrbano
do Kecile Oliuda e Bebenbe, 11 de jnlho de
1871.
/ Joao Jhiqntm Alces,
i* secretario.
ELEICAO
das juizas, escrivSas e mais devotos que
ha i de djst'j.ir o mez iariaiio no aaDo
de 1872, na igreja (1 flossa Seobora
do Rosario eorf Tygipi.
Juizas por eleieao
A< tilmas, e Exma-. Sras. :
D. Franceliua. esposa do lllm. Sr. Br. Antonio Jos
da Costa Bibeiro-
D. Thereca, esposa do lllm. Sr. Dr. Flix de Fi-
gueira Fana.
D. Francisca, esposa do lllm. Sr. Malaquias de La-
gos Ferreua Costa. .
D. Carlota, espesa do lllm. Sr. Manoel Bodrigues
da Costa Magalhaea.
Juizas por devor5o.
As Ex mas. Sras. :
D. Canaida Julia dos Santos Neves.
D. Aula, espasa do lllm. Sr. Jos de Freilas Bar-
bosa.
D. Anna, esposa de Primino Cavllcanti Figueira de
Menezes. .
D. Sebastiana, esposa de Joao Cavalcanti Figueira
de Menezes.
D. Minan esposa de Manoel Fer reir Cbsta.
D. Mara, esposa de Aotuoio Alves de Miranda
Gimares.
D. Mana Cavalcanti Msnezes da Cunha.
. Candida Oiynjpia de Medeiros >ranj).
D. Emilia, esposa do Illa. Sr. Vinaio-de Freitas
Ta vares. _
D. Adt lina, esposa do lllm. Sr. teneote Jos de
Mello Moote-Negro.
D. rnnmazia, viuva do lllm. "ST..I)r. Candido Mar-
Iiih de Almeida.
D Mana, eposa do lllm. Sr. teaente Jote. da. Costa
Santos. ,
Jnizas protectoras. .
As Ex-mas. Sras. :
I). Candida Joaquina de Medeiros.
D. Maria, espost do lira. Sr. Marcelino Antonio
Pereira.
Escripias por eleieao.
As Ex mas. Sras. :
D. Josepha, esposa do Sr. capillo Jos Caetano.
D Maria, e>posa do lllm. Sr. Dr. Jo- Mana de
Aibuquerque Lima.
E crivas pordevocjio
As Exmas. Sra<. :
D. Anna, (Iba do lllm. Sr. Francisco Casado da
Fonceea.
D. Maria, esposa do lllm. Sr. Luiz Marques da
Cunha.
D. Carlota Joaquina de Medeiros.
D. Herraeanda, esposa do lllm. Sr. alteres Fran-
cisco Allooso de Albujuerque.
D. Thomazia, esposa do lllm. Sr. Marcolino Diogo
Lmelo.
D. Mana Eugenia de Aibuquerque.
D. rsula Mara dae Virgen.
Mordimos e mordomas.
Todos os devotos respectivos.
Procurad rea.
Jos Mara de Medeiros.
Ernesto Jos de Menezes.
Thesonreiro
Firmino Manoel da Silva Braga.
0 vicario,
Joaquim Jet de Furias.
Goyanua.
Os abaixos assignados, vende publicada
no snpp'emento n. 48 do jornal Mercantil
desta cidade datado'de 4 do correte mez,
uma represeniaco de alguns dos habitan-
tes desta freguezia de Goyaona, ao Exm. e
Rvdm. Sr. vigario capitular, em favor do
Rvd. vigario o virtuoso Sr. padre Antonio
Dias da Costa, concebida em termos desres-
pe i tosos ao mesmo Exm. e Rvdm. Sr, e
offSBsivos dos Srs. major Antonio Pinheiro
de Mandones e Rvd. padre Manoel Caval-
canti; de Assis Biierra de Menezes, e teodo
assigoado essa represeatacSo sem a terem
lido, confiados na peseea qae para isso Ibes
aprsenle, dizendo' sur em favor degelle
v rtuoso Rvd. vigario, e Dio qaerendo os
abaixo assignados riscar seas nomes desea
rspresentaco. como aotros fkeram, jmIo-
presente Ten declarar qoe retiram suas as-
igaatoras m parte que offende a outro!, I
uma vez foe prestaram nicamente m[
fevor do drto Rvd. Sr. vigario, e nanea
sentido ofensivo a teroetras pessoas.
Ro8-se aos Sr*. redactares do Diario de
Pernambuc > a publicarlo da presente de-
clararlo a que se negou a redaccSo do
Mercantil desta cidade.
Goyanna 26 de junho de 1871.
Jos da Silva Oliveira.Ernesto Moreira
Souza Ribeiro.Manoel d'Almeida Silva.
Joa^orm Cardosode Almeida.Jos Ferrei-
ra Campos.-JosFerreiraBragJ. Joa-
quim Barboza.Maaoel Domingoes Baptista.
Antonio Jalio de Senoa.Jos Goncalves
da Silva.Manoel Vieira da Costa.Joa-
quim Antonio de Miranda.Agneljo C. de
Medeiros.Eustaquio Jos da Fonseca.
Francisco Gomes d'Araujo Vasconcellos.
Jos Gomes d'Araujo Vasconcellos.Joa-
quina Gomes da Aibuquerque.A. Jos da
Silva Barreto.D imin^os Tertuliano Soares
Caetano P. Soares.Estevo Candido da
Silva.Bartnolomeu Gomes ae Albaqoor-
que.Francisco A. de Souza.Joaquim
Jos da Casta Lette. Francisco Jos da
Costa.Cacianno Hypolito da PariflcacSo
Franceno Ferreira Crespo.
N.431EXFERMIDADES SEM NOME.Milha-
ras de pessoas padecem, as quaes nao leem oe-
nburaa molestia especifica No entretanto seniem-
se apticas, inseasiveis e ialin*eren:es, comem
seai voolade. dormem sem o desejado deseanei, e
no todo sentemse miseravelmente desvalidas sem
caasa plausivel.
A causa appareote de tudo isto provea) de urna'
retardada digesto, do estado semi, trpido do li-
gado, da inaclividade dos intsstinos. Atim de se
re-tituirem os orgios inertes a um estado fle salu
tifera aciividade, nao tem mais do qde langarem
mo das plalas assncaralas de Bristol.
O Dr. Benjamn Wallis.de Boston, deopiniiio
que < nao ha nada que com ellas se possa com-
parar, para os caso onde ha taita deeaergia vi-
tal ao estomagle suas dependencias, e onde exis-
te Dina debilidad geral e depres.-o aupronte
sem com todo apresentar uma distiacta forma de
molestia qualqueri.
Tod s os que padeoem de prostraeo physica
acompanhada de abalimento do espirito acharo
que as pillas assucaradas de Bristol Ihes serv
rao de immeoso beneficio.
Como se achem mettidas dentro de frasqiinhos
de vidro, ellas conservam-se perfeitss em todo< bs
clima-'. Em todos os casos aggravados os prove-
nientes de impanzas do sangae, a salsa parrilha
de Britcil, dever ser asada conjuntameote eom
as plalas.
COMMEBCIO.
THE ALLIANCE BRITISH & FOREIGN.
Life and Fire Assnrance Company estabelecida
em I8ii. Capital 3,000,000
Os agentes desta companhia lomam seguros
coaira logo sobre predios, gneros e fazendas e
pagam aqui prejuizos devidamente provados.
Babe Scbmettau & C
Corpu Santo a. 15.
IMPERIAL
Companhia de seguros contra
fouo.
AGEMTES
S. P. JOtmSTOS A C;
lina da seazala-noTa o. 49.
SEGURO CONTRA FOGO
Tbe Liverpool d- London & Glob
Insurance Company.
Agentes :|
Sannders Brotbers & C.
IICorpo SaatoII.
COMPANHIA
-logo
NORTHERN.
Capital........20,000:000*000
Fundo de reserva .... 8,000:000*000
Agentes.
Milis Lnthan & C.
BA DA CRUZ N. 38.
fKACA DO RECIFE ti DE JULHO
DE 1871.
AS 3 1/2 HORAS DA TARDB.
Cotaces officiaes.
Algodao | sorte619 rs. por kilo (hontefn).
Algorto da Parahyba 1* sorte 6i6 rs. por kilo
a frete de 4 f116 e 5 0|0(hontem).
dem dem idem620 rs. p>r kilo a frete de Hil6
d. e 5 0(0 d. 3|4 d. e 5 0|0 (buje).
Cambio sobre Londres 90 dfv 23 7|8 d. e 2i
1|8 d. par 1*000 (hontem).
' ri. G. Stepple.
Presidente.
P. J. Pinto,
Secretario.
ALFANDEGA
Rendimento do dia 1 a 10. .
dem do dia 11......
JiO:629#6Q:i
32:123*976
242:733*379
Hovimeat da alfande^a.
Volumes entrados com fazendis
. con gneros 2IS
Volumes sahidos
218
com fazendas
com gneros
S7
73
132
Desearregram h'je 12 de julho.
Brigae inglezBMieretortas.
Brigue iBgiezAjrio-farinba de trigo.
Itrigue inglez-IVi/aVjfecarvao.
Brigue hespanhol-ioinvinho.
Brigue portuguez9OTipi"ndovarios genero?,
arca inglezaWnr/e/An varios gneros.
Barca ioglezaSilvre Strtanmercadorias.
Pata-hi inglez Free idem.
Barca franceza.Worjdietvinho.
Patacho portuguezMichaelense pedras.
Patacho ingietLevante f..rioha de trigo.
Patacho hespanhol-TAmofa) Ivinho*.
Patacho italiano Margantevarios gneros.
Despachos de exportando no dia 10 de
julho.
Para os portos do exterior.
No brif ne porlngnei Adelino, para o Porto,
earregaram : Adriano de Aibuquerque 1 ca xao
com 20 kilos de doce em ma,sa ; Antonio Lui de
Oliveira Axevedo 50 cooros seceos cora 350 ditos;
Manoel da Silva Mata 58 oouros seceos com 522
ditos.
No patacho nacional Bom Jess, para o Rio
da Prata, earregaram : 1. da Silva Loyo & Fdbos
480 barricas com 63.484 kilos de assoctr branco
e 230 ditas com 26,734 ditos de dilo mascavado.
Para os portos do interior..
Na barcaca Prudencia, para Mamangoapej
earregaram : Joao Pereira Pedroso lrmaos, 1 eai-
xa eom 23 kilos de sabio e 1 lata oom 22 ditos de
fume. -!.,,
No vapor nae ooal Arinos, para o Bio de Ja-
neiro, earregaram : Arraioio 4 C. 3 barricas c
100 barriqninhas coa 168 kibs de doce em
RECEBEDOflIA BERRENDAS INTERN
MOVIMIENTO DO PORTO.
AS
Rendimento do dia 1 a 10.
dem do dia 11. .
3:064*617
?0:072*23
CONSUDO PROWipUL.
IletadiroeaU) dod4*10. *10;9?V2*
Uta A II...... U"3"
Ml:8i7*b79
Navios entrados no dia 11.
Rio-iirande do Sal25 das, brigue nacional Es-
peranca do 164 toneladas, capitao Jos Francisoe
Teixeira, equlpagem 11, carga 7,836 arrobas de
carne : a Oliveira Filhos & C
Rio-Grande do Sul 14 dias, brigue nacional Ar-
rojo- Multo, de 2*3 toneladas, capitn Vital Jos
da MotU, eqttipagem 16, carga 14,000 arrobas
de carne ; a Retoode & C.
Montevideo 2 dias, patacho hesoaiihol Pm.
Aente.lt 140 toneladas, capitao Raphael Bius.
equipagem II, carga 3f98 quintaos bespanboes
de carne ; a Pereira Carneir" & C.
Antuerpia 60 dias, patacho francez Alphonse &
Marie, de 162 toneladas, capitao Duioog, equl-
pagen 9, carga differentes gneros; Keiler
4C.
Para e portos intermedios 9 dias, vapor nacio-
nal Arinos de 856 toneladas, commaodante Jo-
s Candido Daarle, equipagem 52, carga diffe-
rentes gneros ; a A. L. de O. Azevedo & C.
Macei 2 dias biale nacional S, Joao, de 32, to-
neladas, capillo T. F. de Azevedo, equipagem 5,
carga madeira ; Fernandos lrmaos.
Navio sahido no mesmo dia
Rio-Grande do Sul Barca portuuueta Nova Ma-
riana, capitao Jos Thomaz da Cista, carga
assucar.
ECITAES.
A cmara municipal de Reeife achando-se an-
torisada pela le provincial n. 938 de 18 de junho
de 1870, a coatrahir nm empresiimo de 300:000*.
vencendo o juro convencional de 9 S|0, convida a
quera convier fazer dito empresiimo a apresentar
suas propostas, pudendo o mesmo emure.-tim i ser
effectuade em t>es prestaces /com intervallo de
seis niez-s de ama'a outra ; devendo a amirtisa-
gao dcste capital ser feita na razao de 10 0)0 e
juros correspondentes, wndo comeco seis mezes
depois. que principiar a funccionar o mercado
publico, para cuja eonstruccao destinado o mes-
mo empresiimo. D 30 dias para a preciarlo das
propostas.
Paco da cmara municipal do Recife 7 de ju-
nho de 1871.
Bento Jos da Costa,
Pro-presidente.
Lourenfo Bezerra Carneiro da Cunha,
Secretario.
O Dr. SsbastiAo do Reg Barros de Lacerda, juiz
de direito especial do eommercio n'esla cidade
d Becife de Pernambuco por S. M. I., que
Deus guarde, etc.
F.iCo saber pelo presente que no da tres de
agosto do correte anno se ha de arrematar por
venda a quem mais der em praca publica deste
juizo, d-poisda audiencia respectiva, o sobrado de
2 an lares, sota. soore soto dentro, sito a ra do
Livramento n. 6, sendo em cada andar e solea
sala adame e atraz, 6 quartos cosinha fra, pe-
queo quintal murad), encamelo para gaz,
agua e despejo, avallado por 60:000$. o qual vai
a prac\ por execucao de Jos Remandes Gomes
contra Joo Evangelista de S, e na falla de lao-
cadore* que cuora 0 preco da avaliacao ser a
arrematacau feita pelo preco da adjulicaco cora o
abatimemo da lei.
E para constar mandei passar o presente que
ser alllxado no lugar do costume e publicado pela
imprensa.
Dado e passado nesta cidade do Recife de Per
uambuco, aos 11 dias do mez de jullio de
1871.
Eu, Eroesto Machado Freir Pereira da Silva,
escrivo o subs;revi.
Sebastta do Reg Barros de McerAi.
A cmara municipal do Recita, tendo de cous-
traif um mercado publieo, de conformidade com
a planta e ornamento approvado, e para o qual
est autorisada a cnoirahir um empre-iimo de
300:000*000, e nao seodo fcil a acquisir;o desle
capital, convida a quem se quizer eucarregar da
pita conslrucco, mediante as cundieres ahaixo
edelaradas, a apre.'entar a sua proposa no peno-
do de trinU dias.
Conliocoes para a edificaca do mercado publico.
1." O mercad i publico ser construido de cou-
lormidade com a planta e ornamento approvado,
sob a inspeccao do engenbeiro da cmara, e no
Junar para islo destinado.
2." Esta construeco ser feita a cu-ta do con-
tratante at a entrega difflniiva.
3.* A cmara ser obrigada a fazer os paga-
ments na razio de dez por cento do contrato com
os juros i- >nip- ti-titf-*. tendo eomecojesies paga-
mentos no (im de primeiro semestre depoia da en-
trega difflniiva e de eomecar a fuoccionar o re-
ferido edillcio, sendo taes pa(tame- 4." O contratante ter direito aos juros de seu
capital na proporco do eu eroprego, ou por uma
conveocao nao excedendo elle de ivo por cento
cxmo esi estipulado na le o. 938 do correnle
exercicio.
5.' 0 contratante receber como garanlia de sea
capital o edificio constru M e suas rendas at com-
pleto emboltjo de seu contrato
6.* O contratante ser ongado a uma multa de
20:000* se se la-tar da construeco do que hou-
vr contratado, assim como haverada cmara dita
qantia se por causa della houver reciso du con
trato.
Paco da cmara municipal do Becife, 7 de ju-
nho de 1871.
Bento Jos da Costa,
Pr-presidente.
Lourenco Bezerra Carneiro da Cunha.
Secretario.
Peraule a cmara moxucipal desta cidade,
estar em oraca nos dias 10, 11 e 12 do correte,
para ser arrematada a obra da cousirueco de 1
telheiro para servir de matadeord da freguezia
do Poco da Penella aullada em 2:882*0CO. As
pessoas qub pretenderen! arrematar comparecam
no pago,da cmara municipal em os referidos dias
munidos de flanea.
Paco da cmara municipal do Recife, 8 de julho
de 1871.
Ignacio Joaquim de Souza Leao,
Pr-presidente.
Louren;o Cezerra Carneiro da Caoba,
___________^ Secretario. .____________
Juiz dos feitos da fazeiiifa .
O Dr. Abilio Jos Tarares da Silva, oltlcial da or-
dem da Rosa e juiz privativo dos feitos da fa-
zenda desla provincia por S. M. L e C. que Dos
guarde, etc.
Faco saber que em virtude de execucao da fa-
zenda nacional contra Claudio Dubeux sero ar-
rematadas no dia 13 de julh i oroxim futuro, na
sala das audiencias, pelas 11 horas da raanha,
sete casas penhoradas ao mesmo executado, seudC
nma assobradada (a de sua residencia), avaliada
em 3:000*, e as outras seis terreas a 1:000* cada
uma, todas de lijlo e cal, situadas na povoaci^
de Apipucos, ra Nova, en Irento ao rio Capi-
banbe.
E para que ebegue ao conhecimento de todos
maBdei lavrar o presente, que ser affixado no lu-
gar do costume e publicado pela imprensa.
Dado e passado nesta cidade do Becife de Per-
oambnso aos 17 do junho de 1871. Eu Luiz
Francisco Barreto de Almeida, escrivo o e.'crevi.
Abilio Jos Tavares da Silva.
uECLARACOES.
Qoinu-feira 13 de jalho, depois de oda a
audiencia do lllm. Sr. Dr. juiz dos feiios da fazen-
da, ir a praga por venda a casa terrea de pedra
e cal oa ra do Paco da Patria o. 18, com ama
porta e duas janella<, tendo de frente 29 palmes
67 de funda, com 2 salas, 4 quartos, ozinha,
quintal murado, cacimba io.lependente, tudo em
bom estado, sendo o solo foreiro marnba ava-
hada era 4:000*, e pertencente ao espolio da' fina-
da Mana Aototia da Luz. Essa arrematarlo tem
lugar a requeriraento do testatneoteiro e iaveeta-
riante do espolio p ira o firn de se pagar o sello de
heranca e desnetas do inventario.
t"ou.suladu>, provincial.
0 aaixo assigaado lacador do consulado pro-
vincial avisa aos Srs. proprietarios de predios ur
bauos, e donos do estebelecimenlos das fregueiia5
dos Aflagados, Poco da Paoella,secc5es da Varzaa
WXf twn-vi erJ*boala,J' 1"8teado sido oomeado per peruria
li'-niHni^ Sr- admiQ,sl",*or do raesmo consulado dauda
de 10 do correle mez, para proceder os diffe-
rentes langamentos dos impostos decretados pela
lei do orcamento vigente, qae d principio aos
seus trabalhos no dia 14, pelo que pede aos mea-
mos Srs. qae tennam promptos os seas recibos e
mais documentos inherentes ao que dii respeito
a{lm de que possa proceder com regnlaridade e
sem vzame das partes, dando principio aos seas
trabalhos pela freguezia dos Afogados.
laocador,
tIuaoro Teodolo de Manos Ferrsira.
SANTA CASA DA MISERICORDIA DO
RECIFE.
Peraate a lllma. juou administraliva da santa
casa da misericordia do Becife, na sala das suas
sessoes, pelas 3 horas da larde do dia 13 do cor-
rete, tem de ser arrematado por qaem por menos
prego flzer o fornecimento de medicamentos bo-
uca do hospital Pedro II,. no trimestre de jalho a
setetnbro deste aooo Os pretendentes podem pa-
ra isso consallar nes'a secretaria o receituario
cora os respectivos precos.
Secretaria da santa casa de misericordia do Re-
cife 3 de julho de 1871.
O escrivo,
______________Pedro Rodrigues de Soaza.
%ao(a Casa de niaterlcordla do
Recife.
Pela secretaria da santa Casa da misericordia do
Becife se faz sciente qne no da 18 do corrate,
pelas 9 horas da manha, no sallo da casa dos
expo-ios o lllm. Sr. ihesoureiro interino major
Laorentrao Jos de Miranda far pagamento do
trunes re vencido de abril a junho, s amas que se
apreseotareo ondazindo as enancas que Ibes fo-
ram confiadas.
Secretaria da Santa Ca-a de Misericordia do Re-
cite, 10 de junho de 1871.
O escrivo,
^_________Pedro Rodrigues de Sooza.
Manta Casa de Misericordia do
Recife. .
A lllma. junta administrativa da santa casa da
misericordia do Becife tendo de fazer as obras de
i|ne precisam os predios n. 37 da rufa da Moeda e
2 e 13 da rna dos Burgos, perteneeotes aos esta-
beleciraentos de caridade, contrata taes obras c m
quem por menos prici se quizer ehcarregar de
effectna-las mediante cenas coudicoesj para o qne
devero os pretendentes dirigir saas propostas
mesma junta atim de rerem apreciadas.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do Be-
cife, 10 de junho de 1871.
O escrivo,
______________Pedro It idrigues de Souza.
No oa 16 do e-irenie linda a audiencia do
lllm. Sr. Dr juiz de orphui lera de ser arrema-
tados os dominios directer-dos terreno?, naVrna
Nova freguezia de Santo AWenio, perieocenles, ao
casal do tinado commendador Thomaz de Aqumo
Fonceea, a rquerimento do inventarame eom
anuencia de todos os mteressado-, os pretenden-
tes diriiaru-se ao porteiro do juizo para verem as
ava'iaccfrs.
Santa casa da misericordia do recipe.
A lllm. junta administrativa da Sasta Casa do
Misericurdis do Becife manda fazer publico qne
na sala de suas sessoes, oo dia 13 do mez de jolbo
pelas 3 horas da larde, lera de ser arrematados
a quem mais vantagsns oerecer, pelo lempo de
um a.tres aun i-, as rendas dos predios em segui-
da declarados:
ESTABELECIMENTOS DE CABfDADE.
Iftia do Prdre Fluriannr.
Casa terrea n. 45........ 180*600
Casa ierre? o. 63...... 205*000
Ra da^ Calcadas^
Casa terrea o. 32. 0 a .. .' 132,1608
Ba do Calabouco.
dem n. 18......... 320*000
Ra do Amorim.
Sobrado de 2 andares n. 26 ... 302*000
Ra do Pilar. ,
Casa terrea n. 73......211*000
Ba da Gloria.
Casa terrean.061......240*000
Breca do Abren.
Sobrado de 2 andares n. 1. 400*000
Ba do i o i; Fui era Olinda.
Casa tarrean- II...... 96*000
dem n. 12........ 96*000
PATRIMONIO DOS ORPHAOS.
Becco das Boias.
Sobrade de 2 andares n. 26 367*000
Ra do Encantamento.
Sobrado de 2 andares n, 14 1:200*000
Ba na Sanzala velha.
Casa terrea a.' 18 241*000
Idem n. 1. 6........ 208*000
Ba do Pilar.
Casa terrea n. 101.....205*000
Idem n. II

\
a
205*000
201*000
360*000
dem n.
dem n. 99.......
Bna larga do Bosario
L .ja do sobrado n. 34......1:809000
Primeiro aivlar do dil .o 402*000
Os pretendentes devero apresentar no acto da
irreraalacao as suas flaneas, ou, comparecerem
ncompanhados dos respectivos fiadores.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do Re-
:ife, 26 de junho de 1871.
O escrivo.
Pedro Rodrigues de Souza.
AdminUtraci dos crrelos de
Pernambuco 1* de julho de
189f,
Malas pelo vapor Arinos da companhia brasi-
leira.
A correspondencia que tem de ser expedida
hoje (12) pelo vapor cima mencionado para os
portos do sal, ser recebida pela maneira se-
guinte :
Macos de jornaes, mpressos de qualquer natu-
reza carias a registrar at 2 horas da tarde,
cartas ordinarias at 3 horas, e estas at 3 !|2
pagando porte duplo.
THEATRO
Sociedade dos artistas
AMANHAA
Qinta-fei a 13 de julho
Representado extraordinaria
EM BENEFICIO DE
Maiame Zlia.
AVISOS MARTIMOS.
Companhia americana e brasile-
ra de paquetes a vapor.
At o dia 15 do correte esperado de New-
York por S. Thomaz e Para o vapor ame-
ricano North America o qual depois da demora do
cosame seguir para os portos do sal.
Para frotes e passageos, trata-se eom os ale-
les Heury Forster 4 C., roa do Commercio ^.8.
DAS
Messegeries iraTitirfes.
No dia 12 do correnle mes espera-se dos por-
tos do sol o vapor francez Gircnde, commandante
Somer, o qual depois da demora do costante
seguir para Bordaos, locando em Dakar (Gore)
Lisbte.
Para toases e >if. tma-se a agescia,
roa do GoaUMHrar n. 9.
PARA.
O patacho oorte-allemo Mntili, segu para, o
jmtw cima, recebe carga a frele coromodo: a tri-
ar eom Joaquim Gerardo de Bastos, a roa do VI-
larie o. 16, primeiro andar, escriptoria*
>\
vi


\


diario de Periiambuco Qawla eira 12 Je Juba de 1871.
y
PARA O
ARACATY.
Segoe coa brevidade o hiate Noto. Inoeneitel :
para csrga? e paseos tratase raa do Vigsrio
o. U, t andar, escnplono de Jos Lones Davim.
PARA'
Para o indicado porto pretende seguir cnm bre-
vldade o patacno portdguet Gnribaldi por ter a
matar parte de sea carregaroento, e para o resto
que loe falla, que recebe a frute commodo. trata
sa coa o consignatario Joaquim Jos oncalves
MHfio ra dt C vninereio n. 5
Para Lisboa
o hrigue portuguer Cotele, capillo.'. J. da Costa,
vai sahir com brevidade por ler prorapia a raaior
pane da carga : para o r*sm que Ihe falla trata-
sitom us consignatarios E. H. (tabello & C, ra
do Coromercin n. 48, ou f mi n capta.
companhia peknambucana
;de
Siarcgao costeara por vapor.
Parahyba, Natal, Maco, Mossor, Ara-
caty, Cear, Mandah, Acaracn e
Granja.
O vapor Pirapama commansa
te Azevedo, seguir para os por-
toa cima no dia iodocorrenu
as 5 horas da tarde. Recebe car
ga at o dia I, encommendat,
paasageiros e dinheiro a frete at as 2 horas di
tarde do dia da sahida : 9scriptorio no Forte d<
Manos n. II
Para a Baha
Recebe carga at sabbado, 19 do rorrete, e a
frete mdico o patacho italiano Marghcrita ; quem
oelle qnizer carregsr pode entender-se com os
consignatarios E. A. Burle A C, ra da Cruz nu-
mero 48.
Freta-se.
O capi'o E. Henrsheim do navio norte alie
cnao Cturrier precisa fretar um ni vi i de Ia ciar-
se ou praca necessaria era qualquer outro ; aura
de poder reembarcar 6rKX) couros seceos pouco
inais ou menos, 41)00 chifres e 11 fardos com reta-
ibos de couros, tudo procedente do Rosario coro
destn i a Barcellona em dirmura. Offerlas em car-
tas feixadas subscripiadas ao eapito, devem ser
entregues at o dia 13 do cor: ente no consulado
allemn : para mais explicarles em caa dos con-
signatarios. ________________
,
PABA
BAHA
O brigue francez Alphonse & Mario, chegado
hoBtem de Antuerpia, recebe carga a frete com-
modo para o porto cima, e 'partir com muila
brevidade : a tratar na ra da Cruz n. 55.
LEILOES.
LEILA
DE
Cadeiras, con3olos, espelbos grandes, 2 pares de
jarros, bacas de porcelana, cabidos de amarello,
frascos grandes, thear para trancar cabellos, cabe-
ras de raadeira, texoura fina, escovas, pentes, 4
duzias de toalhas, 9 capachos, 6 peotiadores. esto-
jo de oavalhas e muitos outro*. pertences da casa
de cabelleireiro a ra do Baro da Victoria n. 18
primen o andar :
HOJE
O agente Martins far leilo dos objectos acmei
e mais pertences da casa de cabelleireiro da ra
do Barao da Victoria n. 18. s 11 horas do dia.
LEILAQ
da escuna norte alema
Courier
A 13 do corren te.
O agente Oliveira far leilio por ordem de E.
Ilerrosneim. capitao e proprietario da escuna nor-
le-allemaa Couner, lotnco de 116 toneladas on
cerca de 14,000 arrobas de carga, e da qual sao
consignatarios Henry Forster & C, em t>resenca
do Sr. confu da Allemanha, nesta cidade, e por
conta e risco de quem pertencer, da dita eseona,
com toda sua mastreacjio, veame completo, anco-
ras e rorreles, lancha e b )te e mais pertences
tal qual se acha no ancoradouro d'este porto, onde
aportou era 11 do mez prximo passado arribada
com agua aberta no proseguimento de sua viagem
do Rosario de Sania F coro destino Barcelona :
Quinta-feira
ao meio dia era ponto, no lugar da Associacao
Commercial d'esta praca, podendo o.- pretendeotes
examinar cora antecedencia a escuna no lugar
onde se acha, como o respectivo inventario em
nao do referido agente.____________________
DE DIVERSOS
MOVIS
Pertencentes aura familia que se retira
para a Europa
SABBADO
l. do corrate
O agente Pestaa far leilo por conta e risco
de urna familia que se retira para a Europa, sen
do lima mobilia .de raogno, cadeiras, maquezas,r
gnar Ja tonga, urna bella mesa elstica, commodas,
mesas, urna machina para cozer saqcos, venezia-
nas e mnitos outros objectos que se aeharo pa-
tentes, sabbado 15 do crreme, a' 11 horas da
manhaa, na ra Vigario, eseriptorio do agente
n. 15, primeiro aniar.
LEIL40
. DE
Urna mobilia de jacirand
constando de 18 cadeiras de gaarn(o, 4 ditas de
brac, is, 2 consolos e m '-:i de meie de sala com
pedra e 1 sof, um excelleole piano, 3 candelabros
de bronze,. ura grande gnarda-roupa de amarello,
1 aparador, 1 mesa piastra da amarello, 1 o-mo-
rami com as comoetentes vistas, nma porcao de
q.aadros grandes e pequeos, 1 apparelho de por-
celana para jamar, um dito para almoco, copos e
clices
QUINTA-FEIRA 13 DO CORRENTE.
0 agente Martins far leilo, a requeriraeoto do
inventarame d.is bens do finado Joaquim de Al-
meida Pinto, e por despacho do Mo. Sr. Dr. juiz
de orpbos, dos movis cima, existentes no pri
meiro andar do sobrado n. 10 da raa dos Quar-
tes, s 11 horas do di.
LEILO
(Luas de facas cabos de marflm, i relogios de
mesa, 2 cadeiras de abrir, 12 dilai de gaarnicao,
I mobilia de aroarell* e muitos outros objectos,
sexta feira 14 do corrente
Na ilha dos Ratos, casa junto-a eslacao dos trilbos
Urbanos do Recife Olinda.
U agente Pinto Uvara a leilio por conta e risco
de quem jwrteneer, os objectos ocima laeaoiooa-
dos, os qoaes sarao transportados pava a caee su-
pra mencionada, a qual est para alojar-*. O
ieilo lera lugar no dia sexta feira 14 do corrente,
devendo ter comecoas 10 horas.
Pa
1
Papa!
No Caf Chinez rna larga do Rosario a. 31
encootia-se das 6 1|2 ai 7 1|2 horas da remaba
a saborosa e nutritiva papa de teite. Recebem-se
assignataras para ella. Chamamos a altearan da
classe caixeiral. Tambem se faroew cocaenorias,
betp como s acceitara assignalnras po; mdicos
preces.
Caixeiro
AVISO
O Sr. Francisco Antonio da Silva Malar tenha a
bondade dingir-se a ra de Nogueira m J, a ne-
gocio qne an ignora ; se nao appareper ae expli-
car o UPROCO.
Precisa->e lo
ra do Sriio D. 29.
urna una para ccsinbar : a
No Caf Chinez rna larga do Rosario neces-
sitase de ara menino 14 a 18 anooa, com prattea
de copeiro.
DE
Urna g'amle bandeja de prata, salva e co-
Iberes lambem de prata, relogi >s de ouro
e prata para bomeos e senhoras, adere-
cos de coral, ditos de ouro com pedras
linas, perolas, cazoletas de ooro e mui-
tos outros objectos
Sexia-feira 14 n corrente ao meio dia om ponto,
e em continuacao ao leilo de movis que deve
ler lugar na casa da ilha dos R.tos, par interven-
cao do agente Pinto.
LEILO
DR
dous bons engenhos
a S8 do corrate.
Por ulterior despacho do Illm. Sr. Dr. juiz de
direito especial do coramercio d'esta cidade, re-
querimento dos administradores da massa fallida
de Siqneira & Pereira, o agen:e Oliveira expor
oevamente a leilo publico, ns bera coohecidof en
genhos denominados Justara e Monte du'o,
ambos silos no termo de Ipijuca 'esia provinc,
os qaaes forara penhorados por execucao de ditos
administradores viuva e hajdeiros do Dr. Igna-
cio Nery da Fonseca, e adjudicadas indicada
massa :
Sexta-feira 28 de jnlho
ao meio dia em ponto, no escriptorio do referido
agente, rna da Cruz n. 53, primeiro andar, onde
se dar previas informaedes.
VISOS DIVERSOS
INSTITUTO ARCHEOLOfilCO E GEOGRAPBI-
CO PERWBBLCW
llavera sesso or linaria quinta-feira, 13
dn corrente, julho pelas 11 horas da ma-
oba.
ORDRM DO DA.
Pareceres e mais trabaltios de coramis-
soes.
Secret ria do Instituto, 10 de julho de
1871.
J. Soares SAzevedo
Secretario perpetuo.
Na raa Direiu n. 20, andar, ha>para ala-
gar um bom erial> e copeiro de h>a conducta.
Offtciti drt bHfbeica
Na raa Primeiro de Margo (antiga do Crespo)
0. 7-A, i andar, preclsa-ae de asi offleial de bar-
beiro.
CHOCOLATE
DE
Saude,
CHOGOLATE
Homeoptico.
Vende-ae o verdadeiro ehoeolate hinnepaUico
e de saude : na pharraacia de Saraiva 4 C, raa
Direit n. 118 amigo botica do Peix.
O abaixo assiguado, leado sido uomeado por
portara do Sr. administrador do 1* do corrente
mea, para raer o laocaraemo da decima orbana e
mais impostes da freguezia de S. Jos, para o
exercicio de 1871 a 1872, dar principio aos re-
feridos laocameatos no dia 13 do mesrao mez, pe-
las ras de Marcillo Dias'(Direita) Lombas Va-
lentinas (Aguas Verde-) Coronel Sua-una (Hor-
itfi ; faz saber aoe io^uilinoe d w predios para
que tenhara promptos sens recibos ou arreoda-
mentos m >, afim de por elles se fazer o lan^a-
menlo, nio se atteodendo os que pareeerem dolo-
sos ou lesivos a fazenda, fixando oeste caso o pre-
co provavel de alaguel que poderla reader em re-
lacio a capacidade e lacalidade delles em alugael
pagos pc Primeira seccao do consulado provincial, 11 de
julno de 1871. '
Servmdo de lanzador.
Juo 'aptislt do Regn.
Luz e pngresso.
Com esle titulo sahir o mais brevemente pos-
sivel um jornal, no formato do Correio Pernam-
butano e provisoriamente urna vez por semana,
cojo flm promover especialmente os interesses
do commercio e d'agricultara, das industrias e das
artes, e lado quanto posa interessar ao melhora-
mento do paiz, menos a poltica que nao ter in-
gresso em suas columnas.
A falla de ora jornal desta ordem se tem torna-
do bastante sensivel provincia, e presumimos
que, lodos aquelles que concorrerem com o pres-
tigio de soas luzes e de suas asignaturas para
sna snstentaco e raaior brilhantisrao, prestaro
ura relevante servico ao paiz, as circunstancias
era que elle se acha.
Subscreve-se nos escritorios das associacoes
Commercial BeneQcente. Commercial Agrcola, da
Sociedade dos Artistas Mechanicos e Liberaes, em
(odas as livrarias desta cidade, as papeladas dos
Srs. Paula Monteiro e Cirdoso Ayres, e u.-i typo-
graphia Mercantil, ra do Torres o. 10, razo
de 3a por trimestre, pagos aJiantados entrega
do primeiro numero de cada trimestre.
Farpas
Chronica mensa! publicada em Lisboa, por
Raraalho Ortigao Eca de Queiroz.
O numero de maio acaba de chegar. Acha-se
venda por 1 000 rs. na Livraria Franceza.
AVISO.
Perdeu-se no dia 9 do corrente mez, da povoa-
Qao de (pojaca at o engenh^ Macaco, da mesma
freguezia urna lettra da quanlia de 400, acceita
pelo Sr. Domingos Paes Barreno Lins, em 20 de
maio do mesmo anno, a vencer se a 21 mezes
contados da data em que foi passada. Previne-se
portanto ao Sr. Domingos Paes Barreno que nao
a descont caso lhe seje apresentada, bem como a
qualquer pessoa. Declaro que a lettra est sem
as9ignatura da credora, e portanto mu fcil sera
fazer-se qualquer traosacc/io.
Engenho Macaco, 11 de jnlho de 1871.
Rosa Bemvinda Vieira da Cunha.
Francisco Severino da Costa e seas lilhos Anto-
nio Aquilino da Ccsia, Francisco Licerio da Costa,
Juvenil Severino da Costa, Alexandrina Seqaeira
Reis da Costa e Jos Cyriio da Costa, cordealraen-
te agradecem aos seus amigos e prenles o pie-
doso obsequio de terera comparecido ao eoterro
de sua presadsima esposa e mi. Leopoldina dos
Reis Costa, e Ihes pedem se dignem assistir no
dia 13 do corrente, pelas 6 1|2 horas da manhaa,
a algumas missas que, pelo renoaso eterno da li-
nada, serai celebradas na igreja do Pilar.______
Sustento restaurativo da
saude
PELA FARINHA
AREHLESCIERE DI B4RBY
Esta farinba qne to grande aso tem na Euro-
pa, muito se recommenda para as crianzas e pes-
soas debis e convalescentes. Cirno medicamento,
infallivel para os casos: priso de ventre. Iie-
morrboidas, ms dgestdes, azia, amargos de boc-
ea, dores de estomago, diarrha, eoxaqaecas, af-
feccoes de ligado, dos pulmoes, dos rins, da be-
xiga, f te, etc., contendo muito raais principios nu-
trientes e restauradores para os mscalos, ervos
e cerebro, qae, tres vezes o sea peso em carne,
e por consequencia, de conservar melhor as for-
cas pbysicas e moraes, restabelecendo as fanccdBs
digestivas estragadas, dar appetite e convir aos
estmagos anda dos mais enflaquecidos.
Seu uso to simles como fcil : a Revales-
cine du Barry deve ser riesfeita e eozida como a
farinha ordinaria, podendo ser usada na agaa
imple, coro vinho branco, no caldo sem Roedura
e no bom leite, faztndo-se anda bolos cora man-
leiga, laite ou assucar, etc., etc.
nicos depositarios em Pemambuco, pharmacia
e drogara de S-raiva A C.; raa Direita u. 118,
antiga botica do Peixe.
DE UIOVEIS
LOUCA, CRYSTAES. OB DE OURO E ELOGIOS
A SABER :
Um piaoo forf, urna mobilia a Luiz XV, ama
dita de Jacaranda com I sof, 2 ont-olos cora pe-
dra, 2 cadeiras de bracos e 12 de',guarnicao, qua
dros, cadeiras de balauep, 2 bancas de ogo; 2 -s-
pelhos dourados, candieiro a gz, jarros para Oj-
re?, Uncas para rortinado?, tapetes de salas, 1
cama franceza, 1 lorete de Jacaranda, i lavatorio
cora pedra, 1 commoJa 1 la vate rio, 2 marqaezas
e 2 cabidos.
Urna m-sa eUstiea, 1 gaird louca, 1 aparador,
1 sof, 12 cadeiras, 1 apparelho de louca para
cha, 1 dito para jaour, copn, cauce, garrafas, i
O abaixo assigu- do tem justo e contratado
com os Srs. Amaral & Filho a compra da armario
da casa da raa da Imperatriz a. 68, livre e desem-
barag da de qua'quer duvida que possa appare-
eer ; mas se por ventara algaera se jalgar com
dirsito a mesma, lenha a bondade entenderse
com o abaixo assignado na raa Mrquez deOn-
da, antiga Cadeia, n. 50 A, tsto' o praso de tres
da-, a contar desta data em dianie. Recife ti de
julhj de 1871.
Beraardino de Azeveio Fereira Maia.
Precisa-se de um mestre de masseira : na
rna 4a Guia n. 56.
Precisa-se de un.a anu para cozohar, com-
prar'e engommar para easa de pouca fam lia
preferiado-se escrava : tratar ne-ia typ^graphi,'
Sociedade Liberal Uniao te-
nefieente.
Por ordem superior sao convidados os senhores
socio? instaladores e effeetivos a comoarecerera
na nossa sede social as 6 1|2 horas da tarde do dia
12 do correte, para, em assembla extraordina-
ria, traiar-se de materias importantes. Este convi-
te refere-se : aos quites e oo quites.
A ordem da discusso a segrate : juramen-
tos de socios approvados, se comparecerem ; dis-
cusso sobre os que sa acbam iniciados as penas
do art. 20 d s estatutos. Decretando a mesma as-
sembla, se antes nao satisGzerem o preceito de
seus compromissos:suas penas.
Secretaria da sociedade Liberal Unio Benefi-
cenle em 7 de julho de 1871.
O Io secretario,
Theophilo Pedro do Rosario.
Precisa-se de urna
mero 31.
ama ua ra Ueila nu-
0 professor publico J >o Lande-
lico Doroeilas Cmara continua oas
horas vagas (tres da tarde em dian-
te) a leccionar particularmeoie pri-
meiras lettras, gramraalica portu-
goeza, arithmetica, etc. etc.
Relativamente s senhoras, a ca-
jo ensino se tem dedicado, prop5e-
se a habiltalas para o coocarso
ao magisterio primario, prometteo-
do-lhes empregar todo o zelo, es-
forco e assidmdade a sea alcance.
Os interessados podem entender-
se com o mesmo roa do Rangel.
n- 40. ,
Irmandade de Santa Cecilia, da igreja de
N. S. do Livramento.
Por ordem da mesa regedora convido a lodos
os irmo* desta veneravel irmandade para a mesa
gei al no dia 13 do> crreme, s 10 horas em pon-
to, para tratar de negocio tendente a irmandade.
Consistorio em mesa, 9 de julho de 1871.
Jos Flix da Trindade,
Secretario.
>---* -
vvv..
LV.VOCENCIO RODtUGUES LIMA.
Iacinlba do Reg llar reto Lima, Anna M iria da
Conceicao, Joo Rodrigues Lima, Paulina do Reg
Brrelo Lima e Mara da Conceicjio, convidara as
pessoas de sua araizade para ouvirem a missa do
stimo dia na matriz do Corpo Santo, quinta-feira
13 do corrente, as 7 horas da manhaa, por alma
do seu muito prezado esposo, filho, irmo e ca -
nhado Iunoceneio Kolrigues Lima, fallecido em
Nazareth ; pelo qie Ibes se rao eternamente
g ralos. _____
ATTENCAO
o
Precisa-sede 1:200000, dando-sa por aegoran-
ca araa mulalinha cora 17 aonos, e ama cria,
como tambem urna safra de 40J pes de assucar,
daudo o bypotbecario 50OS0O0 logo ao pausar a
scriptura, e o remanecente se ira recebendo em
quantias pequeas conforme as precisoes, obri-
gando-se a remetter todo o assncsr : quera qui-
zar fater esse negocio, dinja-se esta typograpbia
com as iniciaes A. B.
Honbo de reloglo
Roubaram hontem rO do crreme da casa na
roa do Carino em Olinda um relogio patente in-
glezLeverdo fabricante Joseph Penlington de
Liverpool n. 128,787 o norae do fabricante est na
caixi e em ama das pegas da machina, e corren-
te de gosto inglez, com sinete tendo araa pedra
com iniciaes, estes objectos sao de ouro de lei:
pede-se aos Srs. ourives oa a quem for ofbrccido
o favor em aprehender e entregar ao sea dono
no Recife a ra do Commercio n. 46 que se gra-
tificara.
i MI
Jos Rodrigues da Silva Rocha, socio da firma
Silva RJha & Machado que tem girado nesta
praca com negocio de ferragens e miadezas a roa
do Queimdo n. 12 (hoje Duque de Caxias) roga
a quera tiver ttulos da referida firma baja dj os
apresentar em dito estabeleciraenlo para sereu
pagos por Machado & Branio snecessores e rei-
ponsaveis pelas obtisaedes daiuHIa tlrma.
Criado.
Precisa-se de nm criado para toda servici de
ura estabelecimento e qae d ftader a sua conduc-
ta : na ra de Margo n. 15.
Precisa-se de ama araa que engmate
| raa da Peana n. 23, andar.
na
Participase ao respeitavel publico com. es-
pecial i dada ao corpo do commercio que se acha
justo e contratad) o hotel da fu de Santa Mita
Nova n. 3, com Manoel Domingos Freir, seal-
gueni se julgtr com difeito ao dito hotel aprsente
os soas documentos no praso de 3 das a cortar
da data desle e nao o fazendo perdero o direito a
qualquer reelamaco que appareca.
R-cife 12 de julho de 1871.
\ Manoel Domingos Freir.
Tendo sido aberta a fallencia de Bilihazar
Maros d'liveira, desdA o da 7 de joaho prximo
passado. e constando, ao abaixo assignado qui o
me-mo filudo tem dorsos credores na cidade do
Hcifd, vem pelo presente os convidar, para qae
comparegam perante o Sr. Dr jalz do commercio
da cidade de Gyanna, onde, foi aberta a mes-
roa falleasia, afim de justificaren) os seus cr-
ditos poderem entrar era rateio. Cidade de
Gojanna 8 de julho de 1871.
O curador fiscal.
'.oaquiro. Cifoeiro Mosquita Meli.
Preeiaa-se de ama ama que eosiobe e eo-
gomme com perfeic) para cas de homeai soltei-
ro; a tratar na roa da Palma o. 103.
OITerece se um rapaz pra caixeiro chegado
a pouco do matto; iratar na roa da Cruz n 36,
com Braga Gome k C.
A M A Na ra ao M am.l\. da Cadeia, n. 50 precisa-se de ama ama
para eosiobar.
Os abaixo asignados pelo presente declarara
ao resneitavel corpo do commercio, qne dissolve-
rn! f migavclmente a sociedade qae existia na
loja de miadezas sita roa da Imperatriz n. 86,
debaixo da firma social Das & Multa, fieando o
socio Jos Bernardo da Molla cora activo e abri-
gado pelo passivo da extracta firma, e desonerado
de toda e qualquer responsibilidade ex socio
Manoel Joaqaim Das. Recife 7 de jniho de 1871.
Manoel Joaqaim D>as.
J R*rnarlr> d Molla.
O abaixo Mieiguadu declara ao puoi.cu o priu-
eipalmente ao corpo do commercio, que deixou de
ser caixeiro do Sr. Antonio Feroaodes Ramos de
Oliveira; assira como, tambeat declara qae Oca
sem effeil ama procaraco que o raesm senbor
me passou para tratar da cobrancas e tudo o mais
que contralla na dita procaraco; out-osim, muito
agradero ao mesmo senbor o bom tratameolo qae
deu-me durante o lempo em que estive era sua
casa.
Recife, 8 de julho de 1871.
Joa QoHfalte Rodrigues Franca Spbrinho.
9^ALT0Li',
Nava resoluto
O Campos est vendendo os
seguintes geaeros
E por que pre?o ?
Todo to barato que admira.
Manieiga em latas de om kilo por 3(1000.
Carne secca (de carneiro) a 240 a libra e 6/
arroba.
Cebollas em resleas a 1*500 o rento.
Leguas escaladas a 200 rs. cada ama.
Ditas afiambraia*, todas as quartas e sabbados.
Carne e queijos do serto.
Lraguas em salmoara.
Ameodoas confeitadas e descascadas.
Fgos para as noutes de S. Joo e S. Pedro.
Traa purpurina a 1*000 rs. a garrafa.
Seraenles de hortalica muito novas.
Charutos em grosso e a retalho.
O Campos vem solemnemente garantir a todos
os habitantes aesia capital e seus suburbios que
o sea armazra um
Centro especial de novidades, no que diz res-
peito a
ACEPIPES
Em quap-lo aos precos porque tem resolvdo
vender todos os seus seeros, s coc
A vista.
Vaatageia para os p^is de
familia.
Urna senhora de boa moral propoese a ensinar
a fazer flores com perfeico, e bordados de tape-
caria, bera como outros de lodas as qa.lidades, a
f.'Zer croch e todas as qnalidades de irabalbos de
la, tudo com delicadeza e gosto pelo diminuto
preco de 3* mensaes ; tambem recebe alguma
menina, moca ou mucama que qneira ncar pen-
sionista. Na mesma casa tambem eosina-se piano
alguma dessas meninas qae queira aprender
pois ha piano e bom mestre : Irta-se oo 1" andar
do sobrado do paleo do Paraizo por cima da loja
de alfaiale o. 29, fieando a escada no becco.
Nutrimento
MEDICINA!
Preparados por
Lanman de Kemp
para tsica e toda
qualidanta dedo-
eneas, quer seja
na garganta, pei-
to ou bofes.
Express a-
mente escolbido
dos memores li-
gados dos quaes
se extrae, o
oleo, no banco
da Terra Nova,
purificado chi-
micalmente, e
suas
propriedades
conservis*
com todo o cui-
dado, em todo o
frasco, se garan-
te perfeitamen-
te puro.
Este oleo tem
sido submettido
a um exame
muitosevero, pelos chimicosde mais tale-n
ot, do governo hespanhol em Cuba.foi de-
vulgado por elle e contem
MAJOR PORQAO D'IODINA
do que outro qualquer oleo, que elle tem
exam>oado
IODINO E'UM PODER SALVADOR
Em todo o oleo de figad de bacalho.
e naquelle no qual contm a maior porfo
d'esta invaluavel propriedade o nico
meio para curar todas as doencas de
GARGANTA, PEITO, BOFES,FIGADO,
Tsica, bronebites, asma, catarrao, tosse,
resfriamentos.etc.
Uns poucos frascos d carnes ao muito
magro que seja, clarea a uista,e d vigor a
todo o corpo. Nenbum outro artigo co-
ahecido na medicina ou sciencia, d tanto
nutrimento ao systema e encommodando
quasi nada o estomago
As pessoas cuja organiscSo tem sido
destruida pelas affecces das
Acha-se a venda nos estabelecimentos de
A.Caors.J. da C. Bravo, 4 C.,P. Murer
4 C, A. A.Barboza, Bartholomeu 4 C 5
p.aanacia americanarua do Quei.uado n.
(Junha .^? Manta, vendem a
ra d>Ma quezde Olin-
da n. 40, o seguate :
VINHO XEREZ >uoerior, era csflus.
COGNAC MARTEIX ideen.
VJXHO BOREFAUX. i em.
AZITE DOCE REFINADO, dem.
VNAGRE BRAN O, idera.
CAF DO CEAR, saceos.
Uharutus de 8chnarbusch
Regala britnica.Repalia imperial,
Operas. Conchas. Trabacos, de um milhiro
para cima.
CIGARROS D\S FABRICAS DN RIO DE NO-
VABS E LlZAR, de diversas qualidades, vende
se em barricas.
A' AGIA BRANCA
RA DU8LE DE CAXUS N. 50
(Outr'ora Queimdo n. 8.)
acaba de receber de Bglaterra nm bello sortimen-
to de objectos, qne alem de senrpre necessarios
boje se tornam essencialmeate precisos vi 4a da
falta que delles ha no mercado, sendo :
Fitas de velndo pretas, otras com orejas bran-
cas, e oo iras de diversas e lindas cores, e todas
com differentes larguras e superior qualidade.
Franjas, trancas e galSes de seda de modernos
dbseohcs e gostos, e igualmente sonidos em cores
e largaras.
Novas e bonitas trancas e galoes de la, tam-
bem sonidos em larguras, cores e moldes, e lio
proprios para vestidos como para roupinbas de
criangas.
Trancas brancas de algodao com nova forma em
caraces angulares, leado nesse genero mu tas e
diversas larguras ; oniras nos mesmos gostos po-
rm mescladas ; oolras trancinhas branca* de
can ces miud estreness teera constantemente merecido geral
agrado.
Babadinbos frisados e outros preparados para
frsr se a voniade.
Um bello sortiraento de galoes pretos de la com
differentes moldes e largura?, proprios para vesti-
dos de lato.
Bot6es finos de madreperola para camisas,- ou-
tros pretos e de cores para vestidos.
Isso alem do constante sortimento de enfeiles de
jeda, la e algodao, de que sempre se acha provi-
da a loja da Aguia Branca.
brancas, bordadas e outras com
buhados.
Na loja da aguia branca vende-se bonitas saias
brancas com largos e delicados bordaaos, e oa-
tras com bordados de pregas pospontadas, obras
modernas e de gostos.
Fil de seda, branco 6 preto com salpico-.
Dito de algodao, liso com salpicos e llores mia-
das.
LIVRINHOS COM DESENHOS
para crochet, marca etc.
FOLHAS DE PAPEiS COM DESENHOS
em po ntoairmor paa os mesmos fins.
Aonunciar noie (ticos e rendas de labyrintho
objectos esse qae se adiara em qualquer parte,
serii fastidioso, porm assim nao acontece porqu
esses que a Aguia Branca airaba de receber sao
de uma nova e superior qualidade, A Aguia Bran-
ca a roa Duque de Caxias n. Si racebea hico *
rendas de labyrintbo, qae por sua amostra vieran
perfeitamente emitaodo a teridos de grades ebrio*
e feilos no paiz, mostrando al o aho releva qat
se cooaece as outra?. isso ale da nondade e
bom gosto dos deseohos.
Tambera receben outros bicos e riMas esnvlto
proprias para roupas de senhora e meninas.
Receb'u igualmeite om bello sommento de
rendas e bicos de crochet defina qoalidadfl e agra-
daveis lavuures. Asim, pois, os preieadantes serio
bem servidos tanto nos prrgjs como as qoaii-
dades.
BARRETES, EM PONTO BR
meia para recem-oascidos.*
PERFUMARAS INGLEZAS
A Aguia Branca tem recebido finas per-
fumaras iDglezas, sen.lo extractos coocen- .
trados de agradaveis ebeiros, pomadas fi-
nas entre as quaes se nota a d'alpaca, agua
da colonia, dita de lavaader etc. etc. assim
como finas escovas ingiezas, e opiata pera
(lentes. Tambem recebeu variado sorti-
mento de saboqetes, que os est veodeado
baratamente.
Caixinbas com 3 sabooeles aroajauco a
11. ditas com 3 ditos transparentes a !#,
05000 e 20000.
Enchovaes para baptisadoe.
A loja d'Aguia Branca rna Duque de Caxias
n. 5, acaba de receber lind-s enchovaes de diffe-
rentes gostos e preces para baptizados, assim co-
mo bonitos chapeosiuatos de usiao primorosamen-
te enfeitadni para o mesmo fim, no mesmo pas-
seo. Tambem recebeu modernas e bonitas ca-
raisinhas bordadas com punhos para senhoras,
golinhas cora punhos e sem eiles, tanto de renda
como de cambraia, bicos de seda brancos com
vidrilbos.



9
0

SO
P
P<
o
w
o
I
3.
o

CB
I
P
p
B
oo pl
m
i
P
P-
O
o
en
I


B
PARA LIQUIDAR
lf.t.3m.ZZZ ke?.:oitcs
10000 CADA UM^
com cabos de faia, sendo os macnados de ac muito bom, proprios para carpinat
oa engenbos: vende-se ra Nova n. 11.
Cadeiras americanas
com bracos e assentos de pallioha : rna Nova, armazem n. 11.
Pregos americanos
de 2 a 3 pollegadas, proprios. para barricas, a 80 rs. a libra: roa Nova, armazeta
n. U.
Taxas americanas
cabeca redonda de 5/8 de comprimento, proprias para tamanqueiros, on ootro qualquer
mister, com toque de ferrugem, a 80 rs. o maco de meta libra, oa 80 a caita com 150
macos: roa Nova, armazem n. 11.
VEI/OCIPEDES
com duas rodas, proprios para bomem, a 200 cada um. & de graga, mandando-os vir
custam 1500 cada nm: vende-se ra Nova, armazem n. 11.
Grampos de pao para segurar eupa
sendo de madeira, proprios para prender a ronpa que se bota a secca/ em cordas,
240rs. a dozia ou 60 a caia com 36 duzias. E' dar, nao vender: roa Nov
PARA EH6EHHO
om recebedor e conductor de btgaco da moenda, levando por si a bagaco na distancia
que se quizer, economisando o trabalbo de duas pessoas. E' talvez o nico que exie
nesta provincia: vende-se muito barato, ra Nova n. 11.
CASCAUVI
AMtDTIIirD Pharmaoeuiico privilegiado
. DIAlU.vULn, suo.-SRor
lioul.vard Sebastopol, GG PAIfS.
NOVAS ESPECIALIDADES A. MARINIER
Aprtsenladj^ a Afailemia de Sricucias e ao bistilutu de Frwfa,
III ICPP Af Sub rr'na de pJ51'llj- |{|4|LuuAl> '' (ir i', miento unu s.ul.if<4o
PmrealiT* curativa das MOLESTIAS C0STAG10SAS
COTA ir\C Com a forma, e dt olul* 4c a> Vortc-JtOB
DO I UtlUO COTKXDO TtWO KkTAMBNTO.
OOLLYBIO Contra as affeicdw das paip*e
preparado sol a aiesma (ot u.
T 1 nVTTAT AlfFA Q f Depw^^ 8eral P"* e BBASWL > fORTUiAI.
Al ilULUlttJLjU Ot Ir U> n* larga da Banrio. PJblF; NAMUCXa. ,


~r
Diarw d* t*wmiu iTr-nririiiiii
i


D.
W. BOWMAN
Engenheiro com
FUNDICIO
n MA IM [BRIM *
PASSAHDQ 0 CHAFARE t t
Pede os senhores de engenbo e outros agricultores, e empregadores de ma-
drimimo o favor de nma visita a seu estabeiecimento, para verem o novo sortimento
completo que ah tem ; pois sendo ludo muito mais barato em preco do que jamis te-
nsa vendido, est ainda superior em qoalidade e fortidao; o que com a inspecclo pe-s
soal pode se verificar. .
PEDE ESPECIAL ATTENCO Ao NUMERO E LUGAR DE SUA FUNDICAO
TT^^., ^ -rtJn AJnnmn dos mais modernos systemas, eem
YapOreS e rOiaS a aglia tamaohos convenientes paris diver-
cas circumatancias dos- senhores propietarios.
Moendas de eanna *s tm,'*os as melbores <"M ""
JiOdaS Ql6IltaClaS para aoimaes, agua e vapor.
Taixas de ferro fundido batido e de cobre.
Alambiques e fondos de alambiques.
ManVinicmnc Para mandioca e a!godao,i Podeodo todos
JILct>l/lllUA9UiU e pjra serrar madeira ser movidos a mo
TOnmHac pnr agua' vapor'
JjOUlUao e patente garantidas...................Jou animaes.
Todas as machinas
*
Foiograpt* imperial
i
CALERA E PISTURA
DE
ruLt^fptKS^r Si\f f*. "oo nemP bLuiho.
Este maravilboso remedio nicamente
REMEDIO INFALLIVEL
Para as sezOe?, febres internttentes, remitientes e biliosas
BESCOBERTO E PREPARADO PELO CELEBRE MEDICO E CHIMICO
? (
DR. J. C. AYER
aovo _
[^btrgi n. 18. esquina do paleo da. matriz. Ostra*-
Ihos que desde entio, tem sabido de nossa ofktoa
;em feralmente agradado, sendo recebides por
liguas com admirado peto extraordinaria pro-
gresao que ltimamente tem tido a ptiotc grapbi,
l por outros com alegra, por verem a prevmcia
iouda com um esUbeteeimento digr.o d ea, e in-
jootestavetmente o primeiro que nqsse gflpero
composto de am so producto vegetal, e
esse mesno descoobecido at boje I scien-
cia cbUnica.
As sezoes, febres intermitientes, remit-
ientes, biliosas e perniciosa inQammatoria,
todas tendo sua origem na mesma cansa, e
B8?S*: Kffin?S3C?|p^Dd0 f mfmos ets^prmem
e pegas de que se cosioma precisar.
FaZ qUalqiier COnCertO a macbinismo a preco mui resumido.
"Pnrmftft (1A fprril tem S m*lb(>re8 e mais b*1*3138 esistentea no mer-
PnAAmmaniloa Incumbe-se de mandar vir qualquer macbinismo von-
JDUCuiniIieiltlab tade dos clientes, lembrando-lhes a vantagem de fa-
zerem saascompras por intermedio de pessoa entendida e que em qualquer necessida-
de pode Ibes prestar auxilio. _____ ____________
CHAPELLERIE DES DAMES
Acaba de chegar a este estabelejimento um completo sortimento de chapeos para
seoboras. de grande phantasia ; toroam-se recommendaveis pelas bonitas formas e en-
lejes. Recebemos tambera chapeos de merino para luto pesado, fzenda de muito
nosto^ portanto reci mmendamos s excellentissimas senhoraN que se dignem visitar
aofso -stabelecimenlo, que actoalmente o que se acha mais bem sortido destes
nigos.
RA DO CABUGA N. 12, Io ANDAR._____________________
"TECHINGHI
Chegon para a loja do Papagaio om grande e bonito sortimento de sedas iavrada
de orna s cor; as cores sao as mais modernas, e mais delicadas qne tem vindo 5
este ameredo, e vendem-se por prego moito barato : porque a porto muito grande, na
oja do Papagaio, ra da Imperatriz n. 40, esquina do neceo dos Ferrtiros.
jlguma para
perando que o poWico de Pernamboeo sabera
preciar nossos esforcos e recompensar nossos sa-
crificios.
Convidamos a todas aquellas pessoas, nacionaes
i estrangeiras que gostaoi das artes, on tiverem
aecessidade de trabamos de photographia a visi-
tare o nosso estabeiecimento, que estar sempre
iberio e sua disposicao todos os das desde as 7
aoras da manla at as "da tarde.
Para os trabamos de photographia possoimofaia
rersas machinas dos melbores autores francezes-
nglezes e aHroemes, como sejam : Lerebours et
Secretan, Hennagis, Thoroaz Ross, Voigtlander I
Jooh e Wulf. ltimamente recebemos tres nova
machinasi sendo urna dellas propria para tomar
obre ojmesmo vidro 4 ou 8. jroagens diversas e
soladas, e outra de 6 a I* imagens diversas e
igualmente soladas, de sorte qtie no caso d
grande concurrencia pederemos retratar sobre
urna nica chapa at 8 pessoas diversas e isola
grao differente de inteosidade, necessitam
do mesmo tratamento. A causa acba-se
nos efluvios contagiosos que se despren-
dem da vegetacSo corrompida, dos panta-
nos e das aguas encharcadas. E' um ve-
neno subtilissimo e insidioso que se absor-
ve pelos pnlm5es e penetra no saogue, de
sorte que a molestia svezes accumula se
ppr muito tempo no systema antes de fa-
zer sentir se.
Este veneno efluvial, que o sangue re-
cebe pelos pulmoes, opera as sezoes da
maneira seguinte: sua intensa irritaco no
systema faz encerrar todo o saogue no
corpo nos excretarios internos,o ligado,
os rins, o pncreas, o baco, o estomago e
Precisa-pe de nma ama
para andar com urna
enanca e fazer algom
servido interno : na ra
da Aurora n. 5, segun-
do andar.
Ama de leite.
Precisa-se de nma ama de leite : na ra do
Queimado n. 28, t andar, boje Mrquez de Ca-
xias.
m
m
Cigarros espe- j
ciaes e famop- J
do para cigarros i
e cachimbos o me-1
Ihor possiveL fa-g
ibricado no Fari
por Jos JulioB
i Sampaio P i r e s,
9 nico deposito em m
i Pernambuqo, pra-1
g ^a d 5 Independen- j|
m ca n. 39, loja de m
Porto & Bastos.
A MUI AFAMADA
AGUA DE FLORIDA,
DE
nntiMY A i.nnt\.
He o mais delicado e mimoso ao mes-
mo tempo o mais estavel de todos os per-
fumes, e encerra em si, no seu maior auge
de excellencia, o proprio aroma das verda-
deras flores, quando ainda na sua flores^
cencia e fragancia natural. Como um meio
seguro e rpido allivio contra as dores de
cabeca, nenosidade, debilidade, desmaios,
flatos, assim como contra todas as formas
ordinarias decidenteca s hystericos; de
summa eficacia e nao tem outes queos
iguale. Igualmente, quando destemperada
com agua, torna-se um dentifricio o mais
agradavel e excellente, dando aos dentes,
aquella alvurae aperolada apparencia tac
altamente apreciada e desejada pelas Se
n horas.
orno um remedio contra o mau hlito
I da boca, depois de diluida em agua,
1 summamente excellente, faz remover neu-
j tralizar todas as materias impuras que se
criam roda dos dentes e das gengivas.
tornando-as duras, sadias e d'uma linda coi
encarnada. Quanto a delicadeza, riqueza
j e permanencia do seu fragrant aroma, ella
| por certo nao tem igual: e a sua supe-
rioridade sem rival. Ella igualmente tor-
na-se um meio mui excellente, para fazer
,' remover de sobre a pelle do rosto, toda z
qualidade de brotoejas, ebuliges, sardas,
pannos, manchas, impigens e espinhas.
Quando se queira servir della como reme-
dio para fazer desaparecer qualquer um
destes disfiguramentos, e que tanto desfei-
am as lindas feicoes do bello sexo; devera-
se usal-a n'um estado de dilluifo, destem-
perando-a n'uma pouca d'agua ; porm no
ratamento de qualquer espinha, usar-se-ha
della pura em toda a sua forca. Final-
mente como um admiravel meio de com-
CO^TRA FOCO*
A companbia Indemnisadora, estabelecidi
aesta praca, toma seguros martimos sobre
cavos e seus carregamentos e contra fogo municar as feices trigueiras e paludas.
em edificios, mercaduras e mobilias: ns
rna do Vigario n. 4, pavimento terreo.
Joaquim Jos Genial-
ves Beltro
Ra do Trapiche n, 5, 1 andar.
Sacca por todos os paquetes sobre o banco de
mbo, em Braga, e sobre os seguintes lugares cu
Portugal :
Lislwa.
Porto.
Valenca.
Guimaraes.
Coimbra.
Chaves.
Viseo. *
Villa do iJonde.
Arcos de Val de Vez.
Vianna do Castelk.
Ponte do Lima.
Villa Real.
Villa-Nova de ParoetieSo.
Lamego.
Lanos.
Covilha.
Vascal (Valpasso).
MirandeUa.
Beja.
Barceilos.
AVISO
us abaixo assignados tendo comprado o espo-
lio do fallecido subdito portnguez Virginio Freir
de Oiivetra, estabelecido na prai a de Santa Crnz
d. 4. consumo dito espolio na sua maior totalida-
de de divjitis activas oeta praca e lora della,
vero pelo jre,D'.e peJir a todos es devedorss do
dlM espolio <)ue joanto antes venliam ajunar e
aldar a soa- cori(3, afim de evitar inionurivM
c bjtfpvias. p-cifi de jouba de 1S7{.
urna pelle macia e d'uma transparente al-
vura, dando-Uie urna linda cor de rosa :
para um tal fim, ella leva a palma a todos
I os perfumes que se teem inventado at ho-
!je, e existe em plena soberana sem rival.
I Bem entendido tudo isto se refere nica-
| mente a Agua he Florida de Mcrray 6
Lanman.
As imita#es que se tem feito na Franca.
AI lemn ha, assim como em outras partes :
sao inteiramente imitis e invaliosas ; por-
tanto recommenda-se mui especialmente
ssenhoras, que tenham toda a precaueje
e cuidado, de quando comprarem, estejan)
certas que compram.
A Genitda
AGUA DE FLORIDA
DE
.MURRAY A LANMAN,
A qual preparada smente pelos nicos
Proprietarios,
LANMANN d KEMP, DE OVA YgRK.
Acha-se venda nos estabelecimentos d<
P. Maurer C, J. C Bravo 4C., A
Caors, B. M. Barboza* Bartbolomeo & C
Companhia Allianpa
DE
seguros martimos ecitabelecids
na Baha em 15 de Janeiro
de 1870.
CAPITAL..Bs. *,000:000*08*
Toma seguro da mercadorias e dianelre a riscr
martimo em navios de vella e t apures paca den-
"ro e (6r do Imiierio. Agenci n ra fo iatd-
tercio i; ."!, escriptw Je Juwit
las para cartes de visiu, e assim em menos de os pulmoes,-alguns dos quaes on todos
am quarto de hora despachamos 8 difireme; elles sao amontoados do saogue retirado
pessoas que pecam cada urna, urna dusia de cartes
nais ou menos, com os seus retratos gmente, on
am grupo com outras.
Encarregamos-nos exclusivamente da direccao
feitura dos trabalhos de photographia dei-
lando pericia e talentos do distincto pintor
illemio, o Sr.
Jorge A. Roth
is trabalhos de pintura, a aquarela, a oleo, e a
pastel.
O Sr. Roth acha-se ligado a nossa empresa por
ama escriptura publica, e at o presente tem-se
iesvellado na execucao de seas trabalhos.
No nosso esta bel eci ment acha m- se exposlos ou-
tros trabalhos importantes do Sr. Roth, tanto em
xiniaturas aquarella como oleo, retratos a
leo, quadros sacros e diversos outros trabalhos.
Tomamos encommendas de retratos oleo at o
.amnho natural, assim como de quadros sacros
para ornamentado de igrejas ou capellas. Tam-
bem aceitamos encommendas de quadros histori-
as.
Asseguramos que os presos dos diversos tra-
jalhos da nossa casa sao mui rasoaveis.
SABTES DE VISITA NAO COLORTOOS 10(500 A
' DDZIA
2art5es de visita com o colordo ao natc-
ralA 16,5000 ADCZIA
Retrates em miniatura oleo ou aquarella de
16 20000 cada um, indo convenientemente en-
caminado em moldura dourada e regulando o
msio da pessoa retratada de 3 a 4 pollegadas e
odo o quadro palmo e meio de tamanbo.
Jnlgamos que bastarao os precos cima para
larmos idea da baratesa dos trabalhos do nosso
istablecimento, quanto sua perfeicao cada um
Tenha julgar por seus proprios olhos.
As melhores horas para se tirarem retratos no
iosso estabeiecimento sao das 8 horas da manha
i da urde; entretanto de urna hora s 5 da tarde
im casos especaes pde-se tambera retratar qual-
iuer pessoa.
Nos dias de* chuva, ou por tempo sombro po-
temos retratar, e asseguramos que esses dias sao
js mais favoraveis aos trabalhos de photographia
pela docura persistencia da luz, e ptr termos o
aosso terraco construido com laes proporedes e
melhoramentns, que arada choveudo jorros ne-
hum inconveniente lia para f;izr-se bellos re-
ratos.
da operficie do corpo ; eis a causa do-
periodo fri.
A febre cau-ada pela reaeco. quindo
o sangue abandona os excretorios internos
e grroja-se superficie, como n'um oniro
estoico violento para expulsar o veneno
atravz do ootro excretorio chamado pelle;
t8o pouco consegue a natureza neste se-
gundo esforco como no primeiro. Depois
segu o desmaio e prostraco que natural-
mente succede s grandes agitaces, e o
iostineto do nosso organismo o faz abando-
nar a tentativa at que, recobradas as tor-
cas, renova no ontro dia a luta desespera-
da. Succede depois o desassocego, grande
calor na superficie do corpo, a pelle e o
semblante, inchados, terriveis dores de
cabera, oppressao e latidos as frotes,
pulso cheio e forte, ourina muito corada e
sede intensa ; eis o periodo de calor. D3-
pois de alguna t-icupo (i i te de duis a cinco horas), uma transnira-
co copiosa parcorre por todaoorpo.
Estes symptora^s violentos pissam e dei-
xam somente uma sensato de prostracSa
completa, se que o ataque nao tem fe<{to
algum mil orgnico. Se n3o se tonar al-
guna remedio adequado para curar a mo-
Vende-se em todas as pharrmcias e drogaras do imperio
W. R. Cassels $ C.
Agentes geraes.
lestia, os accessos fontnwam- a repetir-se
com uma regularidade correspondente ao
seo lypo, e com ama violencia proporcio-
nal mtensidade do veneno, modificado
pela resistencia constitucional, ou medicinal,
que se Ibe opponha. E' evidente, pois,
que qualquer remedio destinado a curar
esta molestia, deve destruir este veneno no
sangue, ou arroja-lo fra delle. Com
grandes e pomposos annuncios tem-se offe-
recido tnuilos remedios para a cura destas
molestias, porm on nao tem sido bas'.ante
efcazes ou teem produzio effeitos preja-
diciaes sade em' geral. A quina, ainda
que seja o grande recurso, em que o povo
quasi em geral maior confiaofa tem, pro*
duz muitas vezes effeitos desastrosos, e to-
mada em grande quaatidade sempre pre-
judiciosa sade geral. A preparadlo que
aqu olTerecemos ao publico, nSo conteni
em si [vnlimni dassas substancias injurio-
sas, por ser nicamente vegetal, promeite,
se fr empregada segundo as direccSes na
lingna portujuea, que acompauba cada
frasco: estimular os grandes excretorios
internosofigado, o bago e os rins a se-
parar do sangue o veneno offensivo e ar-
roja-lo do corpo.
41 REA DO BARIO DA VICTORIA 41
jr-m37.m tf.m nm DE ASSTI COmO t

o 3j BCi
o-o
Om
^
o S
'BS
sis
rq !"
C CD
221
O =
gff
8."g
na --
ai %
i
. t> -
-*
i 't>
a "
I
- 6
_, M O O
1
Neste novo annazem tem nm
variado sortimento de fazendas
francezai, inglezas, allemJas e to-
das todas se vendem por precos
mdicos, afim de acreditar a este
aovo armazem.
Casemiras inglezas,
francezas, de todas as
qnadades, brins de
:res e brancos, colei-
rir.hos modernos, cha-
peos de sol de seda,
unos.
AW1UDA IRMOS.
:".....I
RA
Sarao da Victoria
Assim como tem nma grande
officina de alfaiate, montada com
todos os preparo? que ha de melbor,
dirigida por habis artistas, que
pela sna promptido e perfeicao
nada deixam a desejar.
Roupa de todos os
amanbospara homens
meninos.
Por todos os paqne
tes recebem-se as me-
lbores e mais moder-
nas casemiras qne ba
na Europa.
antiga raa
NOVA
N. 41.
3323
' 2.S'* 23
_o,Q. Q._5
tio.-g'sg =
= s 8 9
iirlifK
2" o= c 2 _
3gO=gSL
Este estabeiecimento acaba de soflrer nma reforma radical em acceio, artistas e commodos, e em pontnabdade as eucom-
aendas, finalmente em tndo afim de melbor servir os seus numerosos freguezes deixa-se de aDnunciar todas as fazendas, par
aSo se tornar massante
T3 O
s3il
Is=
-^ ~ c
o
'* -3 O i
tr
l|
- -9*2
H.
t A fl* "I
- DJO
B?ft
VI a 3)
o o
o O
Cg r>
US
3!f-
3-:J-
5-3 3 3
9 m *
hra Is
III? fftt
Custodio los Alves Guimares, nico socio ge-
rente da casa commercial de Guimares, Pontes
4 C, desta praca, .previne qnem interessar pos-
ja, que est protnovendo a dt&solucao da mesma
firma, e entrar em segoida Ba respectiva liqni-
dacao ; sendo que nao ba letras pelas quaes esteja
a firma responsavel, e nem o annnnciante as pre-
tende firmar durante a mesma dissolucao e liqui-
dacao.____________________________^__
Escripturaqao ruercantil
Urna pessoa habilitada e jue dispoe de tempo,
propoe-se a fazer alguroas escripias commerciaes,
prometiendo asseio, exactidao e poutaalidade :
3uem de seu presumo se qnizer utllisar queira
irigir-se u raa do Apollo n 51, pavimento terreo,
onde acnar com aaem tratar.
^a mais importante fabrica de chapeos deso do imperio Ra do Barao da Victoria d. 23
0 dono daquelle estabeiecimento resolve-se para acabar mais depressa em vender os productos da saa fabrica pelos pro-
cos seguintes:
Chapeos de sol de seda para senbora e m';!:ra? a........'.............. o000
Ditos de ditos a balSo a............................................ "01'0
Ditos, ditos e ditos finos a................................... ..... 850QO
Ditos, ditos e ditos, de marfim................................... I0#000
Ditos, ditos e ditos, para homens...... ........,................ l000
Ditos, ditos e ditos..............;...............'................. JlfiS
Ditos, ditos e ditos de paragon...............'...................... 155O0O
Ditos, ditos, ditos de ditos........................................ 1GS000
Ditos, ditos e ditos cabo Je marnn............................... I70OO
Ditos, ditos, ditis e ditos............... ........................ 185000
Ditos de alpaca muito superior...,................................ 45000
Ditos de merino.-.____........".................................. 6^^
Ditos d'esguio.................. ................................ 65; 00
Ditis d'algod'o para homens e sentioras.............................. 5000
W OomedoriaS Companhia phenix pernam-
Continna-3e a fornecer comedonas para fora, na blii'HIa.
ra estreitado Rosario n. 35, sobrado, mandando-1 Qs senaores accionistas sao convidados a cor-
se levar almoeo de 7 a 9 horas da manhaa. e jan-1 pareeerera no escriptorio da companhia m dia 13
tar de l a 3 horas da tarde, conorme a vontade do corrente a j t,ora a tarde, para em assembla
do assignante.____________________________ geral, ser resolvido o que convier avista do relato-
l.\M>U HOSPITAL. rio das apuraroes realisadas no periodo rindo em
TbeTreasurer woold thank the merchants hol- 30 de junbo prximo Ando,
ding fees belongiog to this iastitution lo seod same Recife o de ianho de 1871.
to n. 38, roa do Commercio. Pela companhia Phenix Pernambncana,
J. H. Trindade.
F. F. Borges.
em duzia descont de 15 %
dem idem.
dem idem.
idem idem.
idem idem.
idem idem.
idem idem.
idem idem.
idem idem.
idem idem.
idem idem.
idem dem.
idem idem.
idem 25 %
IVA PAMA
americana ra dos Pires n. 45, contina a fazer
pao e bolacha de fannha especial de 1* sorte para
melbor agradar a seus fregneies.________^^^
L. Antonio Sique^ra.
Mudanca
J. 0. G. Doyle faz publico que raudou o seu ar-
mazem de fazendas da ra do Commercio n. 48r
para a mesma ra n. 38.___________________
Aluga-se o primeiro andar do sobrado u. ir
da ra Imperial : tratar no andar terreo. 2o an-
dar.d
Precisa-se de um criado
tratar na ra Nova, loja n. 7.
para um sitio : a
Na ra de S. Bom Jess das Cnoulas
o. 42, la.a-se e-engomma-se com asseio e
perfeicao ; rnais barato do que em oa.'ra
qualquer parte. _______
AlT
RO
DYVETOT
nica ca*a neste genero
H-Raa Esreia do Rosario-Si
Compra e vende roupa feita
nova e velha, objectos de
oosinha e de mesa, e
tudo que pertenr
Preeisa-se de ama ama ou de uma
escrava 'para cozinhar e engommar pa-
ra pouca familia : na ra da Soledade
n. 32,ou ra da Cadeia do Recife nu*
mero II, loja.
s
Reformas de cau-
telas.
0 gerente da casa de penhores tra-
vessa da ra das Cruzes n. 2, avis a to-
da- s pessoas que teem cautelas venc- .
das, cujos premios nao teem sido pagos,
que nu praso de 20 dias venbam refor- ;
ma-Ias, sob pena de serem seus penhores.
vendidos om leiiao.
Grande hotel central
a ra larga do Rosario nume-
ro $9.
Neste muito conhecido hotel se encontram ex-
cellenies quartos e Salas para alagar, que otfere-
cem commedes para familias, onde se encontra
nao s o maior asseio e limpeza.ccmo bom servicp,
banhos frios e quintes e todas as commodidades I
indispensaveis vida' tndo por mdico preco. O |
i lugar central em qne este estobelecimento est
coliocado sofficiente recommenda?o para ser
concorrido.
A luga se
am Sitio na Torre, com expeliente casa de vivenda
e banho frente desta no rio, sendo ptima mo-
rada para eslrangeiro : a tratar na ra do Pires
p. 29.__________________________________
Uma pessoa habilitada propoe->e a fazer al-
'guroas escripias commercia". prometiendo asseio,
: exaelido e pontaalidade : qnem de sea presumo
se qnizer nuUsar, queira se dirigir ao becco dos
Torres, Io andar n. li.
Aluga-se um mulato de 18 annos de idade
a tratar na ra da Paz n. 24.
Desappareceu
;*io dia 6 do corrente mez desapparecen da por-
ta do armazem do Sr. Bernardino da Silva Cost3
Campos, na roa do Imperador n. 28, nma nena
rassa, coiu cangaiu, suja, ctfda aparada, I
Soctedade C V. C.
Periiiuta-s na fregueia de Santo Antonio
uma excellente cas urrea rom bons commodos,
quintal e agua do PraU, por um sobrado de nm
s andar, ou pelo !'andar, com tanto qne seja em
boa ra : a tratar na praca da Boa-Vista n. 5,
2 andar.
.nangular, e uma roctura, "^e.la qual bem co-
heeida: quemap?rehenl-la pode levar ao enge-
aho Gordeiro qne ser bem recompensado.
Tkft j Precisa-se de urna ama uq cttfinb-<
\ IM A com l*wfe'5? e pe4" *? t> eonda:
Lna rua do Vigario o. 5.
Picei-a-se par* nm casa de {taa.-a familia : aa rua dol Ba-
rio da Victoria, antigi roa Nova o. JUn primeiro
-*ft> ri Bgiwu ii. vt precua-s de nma
.una J-'inea idade para ir pira o man em com-
panbii orre.m sol'eim. _____
Caixeiro
Qaent pre;iar de uro menino com' a'gama pra-
tira para caixeiro de taberna, dirija se roa Im-
?erial n. t, i andar.
(B41E g
reduepao de juros m
O abaixo assignado estabelecido
com casa de penhores travessa i
da rua das Cruzes n. 2, resolveu |
reformar a tabella dos juros das 1
iransac(5os effectuadas em sua ca- m
sa, desta data em diante, assegu- l
raodo a todas as pessoas, que alm J
da garanta que oflerece seu esla- Wk
beleciuaento, acredita, que todos
fiordo contentes com o mdico pre- I
mi que pagarSo, sem terem em S
risco sua preciosidades dadas as !
vezes,|a agiotas semulados, que as S
I tendem no fim do prazo ajustado, B
91 sem mais formalidade{alguma.
Ainda mais s pessoas que ti ve- i
a cautelas vencidas a quizerem evitar
5 que sens objectos sejam vendidos
B em leilSo, venharo ftformal-as, qoan-
m to antes, que aproveitario uraoem
MI da redoccao dos precos da data da
M reforma em vante.
Recile 10 de julho de 1871.
Juli Isaae.
wm- mimmtmm ms wn
Caixeiro
Precl-s* <** nm c****'1"0 portugnez que tenna
pratiea de taberna e afflance sna condecan nv
uateod r _: Aing-se o i andar e so Mdo olirado da*
roa las i}rnzes u. 9 : a tratar na iu> un tu
matriz d? Samo Anioniu a. 28, loja.
\\
J
N


/

'
h
Ahw-se
Una ** o beeo do Fundi o. 5, entrada pela
roa 4a Gloria o. t5, hoje ra do Mrquez do Al-
buquerqat : i trajar na ra da Imperatriz, arma-
zem n. 8.
Precisa-se de molberes para o servi-
do da fabrica a vapor de Mearon roa do Visconde de Goianoa n. 157.
Precisa-sa de urna malber de made, para
tomar flauta do portio, 6 cuidar do servico
eterno de daas pessoas : tratar na fabrica
de rap de Mearon d C, roa do Visconde
de Goiappa a. 157._______________________
Altigs-se
a sala da frente, alcova e mai alguna qnartos do
terceiro andar do sobrado n. 28, ra do Queima-
do : tratar na loia.
AVISO
Ts*lo fallecido os propretarios da pharmaela
estatoellecida nema cidade, ra do Barao da Victo-
ria o. 25, sob a firma de P. Manrer A C, e estando
a proceder-se ao inventario dos es polios dos (iaa-
dos parante o consulado da Franca a que .parten-
cia an) delles, e o da Suissa a que partencia o ou-
tro, fa-se publico para eonhecimento dos interes-
ados que com o dito fallecimento cessou a pro-
euracao que traba oSr. Adolpho Rigord, o qual por
uso delxou a administraco do estabelecfraenlo,
desde o dia 3 do crreme mez.
Outro sim, faz-se publico que o Sr. I. Kirchho-
fer, formado em pbarmaeia pela faculdade da Sa-
bia, fica encarregado da administraco interina do
esUbeleeimeiHo, e o Sr. Leonardo Kufin lica en-
carregado das cobranzas.
Ao mesmo lempo roga-se aos devedores da dita
harmacia queram quants antes saldar seus Je-
itos.
Pernambuco, 5 de junho de 1871.
da Palma n. 31.
Predwse de urna ama li-
vre o eserava, que cozinhc
bem e lave : tratar na tua
7 y>. Pr.cisase dr tuna ama
V^. ^M|\ %\ forra ou captiva para e ser-
^KJ tCTw) ^M vico de urna casa de ponca
familia : a tratar na roa do Barao da Victoria na-
mero 13.__________________. ,
Oiarm.
Alnga-se ou arrenda-se urna na (reguezia da
Boa-vista, no estado de logo se trabalbar, tambero
tero barreira para mandar-se tirar barro, caso
agrade, e contrata-se : quem pretender dirjase 4
casa de escultura em marmore rna do Impera-
dor n. 80.____________ __________^__
. Na estrada de Jqu Fi uaudes Vieira n. 2
precisa-se alagar nm raoleque nu nm pretu velho.
Para casa de familia.
Qnem se qulzer prover de ricos oratorio de ja-
carauda, obra do Porto, mu ito bem feita. e com
imagens, sendo o preco razoavel : na ra do Vi-
gario n. 27. escriptorio.
Ilurio le Pcrnanibucto Quafla
f\tten#to
PALACETE
A' roa Direita dos Afogados, contiguo a prtote,
acaba de ser construido um lindo predio todo a
moderna, ornado de figuras e a frente guarnecida
de azulejos, est todo murado, tend um grande
portio de ferro ao lado e gradiameoto por cima do
mnro, tendo mais um portio que d para a esta-
cao da liona frrea ; alm dessas commodidades
tem mais um grande terreno com 400 palmos de
comprmanlo e 100 de largo, todo murado para
nm encllente jardim, e ao fondo um caes que
deita para a liara frrea, as commodidades in-
ternas do andar terreo, alm de ser toda canalisa-
da a gaz sao as seguales : 3 grandes salas, 2
grandes alcovas e i quarlo, cezinba fora, sala para
eogomraar, quarto para criado, cocheira para um
carro ; no 1 andar, aim do sotSo, 2 salas, 1 ga-
binete, 2 alcovas, 1 quarto para despensa 6 1
grande terraco com 80 palmos de comprimeoto,
todo cercado de grade de ferro que traz toda ci-
da Je dj Recife e o mar de bario de vista, a casa
lola cercada de janellas e portas envidracadas
que -eontam-se 20 ao todo, fleando o caes a borda
da clmboa que devide com a estrada de ferro, on-
de se toma banhos salgados e ebegaro canoas : a
tratar na loia de joias, Coraco de Ouro, ra do
Cabo?*. i
Boa reconpensi
Perdeo-se orna caixa de tartumga branca, apa-
relhada de ouro com as iniciaes I B. L. quem a
tiver achado, derija-se ra Direita n. 21, pri-
mero andar.
Continuando a recalcitar afguns individuo?,
:ontraventores na celebradlo do Divino Sacrificio,
era estarem nflevidaraeute paramentado1, poster-
gando d'esi'arte a pastoral, exaraia ho Diaria de
Pernam&HCO de 22 de maio, e Correio Pemambn-
7110 0* mesmo dia, e annoucios inseridos nos re-
feridos jorna^oo dia 28 do referido mez, Dedi
nos a quero competir queira evitar semelhante
escndalo, dado com tanta publicidade. Permita
Deus que a nos tentativa oo seja baldada.
____________Um catholico assistente.
Na praca da Indepeudeccia n. 33 se d di-
nheiro sobre peohore* de ouro. prata. e pedras
preciosas, seja ual (or a quantia ; e na juesma
casa se compra e vende objectos de ouro e prata ;
igualmente se f;s toda e qualquer obra de en-
commenda, todo e qualquer concert tendente a
mesma arle.
CRIADO
Quem precisar ds am, cuja conducta se afanca
pneira dirigir se rna Ia de M Precisa-se de ama auia : na ra B-lla nu-
mero 31.________
OOereca-se i iiuguel orna mulata e-crava
aeostnmada ao servico interno de casa de faralia :
a tratar ra da Cadeia d. 33.
MlfSl M
ADVOGADO gg
Dr. Joaqci| Correa de Akaijo M
67Ra do Imperador67
mm
AVISO
O abaixo a --i^naJj decara que seu caixeiro
Lnciaoo Mauverne fetirou-se de sua casa no dia
16 do mez proKim passa seta ter prestado as devidas coalas, pelo que nao o
considera mais seu ixeiro e nem se respoosabi-
Is por qualquer dent ou transac^o que elle
por ventura tenha feitb em mine do roeamoabai
so assignado, o qual dagava-the mensalmeote sens
ordenados, sendo quelee receben relativamente
ao mea nliirao mm dol que havia vencido. Recife
2 de ju.'ho de 1871.
Lniz'Jor Pereira Simoes.
Massa fallida
DE
AmorR. Fragoso. Simios & L
timo ilvldeodo
Paga-se o stimo divifiendo ri'io de 2 0,0, te-
das as qaintas-feiras d 11 hora da manba a 1
da tarde, no escriptorio da ra co Vigario o. 1I,
1 andar. ,
Costuras e modas
As Editas Sras. qnequizere|,.irjarcotD
gosto e moda, possuir vestid* cortados
segando a? regras o^r1* osidoi com per-
fe?5o, e guarnecidos com cniquisdio e se-
gando os minelos dai moditas mw alia-
martas da Europa ; ijrijam-se roa rio da Viotori.1 d. 1)7 no 1 andar. D.
Urraca Canega!. Gannte-se mnita promp
lidio, e precos mais (baratos do qoe em
ootra parte.
Alagare o segundo andar e soio ea ra
Direita n. Si: tratar ni loja do mesmo.
Os abaixo afsignaduj declaram ao reapeitu-
vel publico, e com especialdade ao ejrpo do eom-
tnercio, que ne-ta data dissolveram a moiadade
que tinbam na taberna sita a rna Direita o. 36,
sob a firma de Gonjalves 9t Oliveira, ficando o ac-
t:vo e passivo :'i cargo do socio Obveira.
fiecife, 8 de julho de 18,
Joi .Varia Gaifaket Pereira.
Joaqun Jos ie Oliceira.
Cozinheira.
Vreeiea-e de urna-na araWinhar e fazer
as compras : ra da Fkiren^na n. 20, fabri d''
cerveia.
Ropaje ao Sr. Fraocis
o favor de vir a roa do Duq<
egocio qae nn igtora.
da Cimba Car
de Casias n. 21 a

Da r;i do Sel n. 33,1" logir um croado, ;f livu di i a )4jg|
DOS i
A' rna do Hospicio n. 28, andar terreo, se dir
quem d albura dinheiro a premio sobre hypoihe-
ca : de manha at. 10 horas, a tarde das 3 em
diante. ______________
Precisase de um fachinaa : na padara da
roa do Rangel n. 9._______________________
Offerece-se uraa ama de leile sem tiltto a
tratar no oitao da matriz de Santo Antonio o. 18,
1 andar.________ ________________
Precisa-se de alguns refinadores : na ra da
Senzala-nava o: 30.
Eogommado.
Engomma-se com perfei^io e promptido por
preco commodo : na ra do Jardim n 1.
mmmm mmmmm
K
RECIFE R DE JLHO DE 1871.
Sotiedaie BBB
^m
CASA A FORTUNA
Aos 5:000,5
Bhetes garantidos.
I roa Primeiro de Marco (oatr'ora roa di
Crespo) n. 23 e casas do costme.
O abaixo assignado, tendo vendido nos seos le
mes bilheies d jus tercos n. 37SO com 000*408, um
terijo n. 995 com 300400, nm inteiro n. 413 com
10OAOQG e o n. 642 com KiGfi, sendo um de dou-
tercos e nm de um terco., outras sortes de 40*
e 2u/ da lotera qtre se acabou de extrahir {t98"),
convida aos possaidores a virem receber nacon-
formidade do cosiume sem descomo algum.
Achatn-se a venda os b'.lhetes garantidos oa
7.a oarte das loteras, a,beneficio da noa*greja
de Nossa Senhore da Penha (199.'), oue se extra-
bir quinta-feira d3 do crreme mez.
P8Ef;rS.
Bilhete inteiro 6*000
Doue tercos 4*000
Um tergo 2*000
Era porcao de 100*000 para cima.
Bilhete inteiro 5*400
Dota* tercos 3*600
Um terco 1*800
Manoel Martin* Finia.
___________i_____________________________________________________________i_
Leonardo de Siqueira
Cavaicante
chamado rna do Mrquez de Oliivla n. 4o.
DR6AR0S
DO
ItECIFE A* OLINfilA
e Bejberibe.
Este ram.il de hora awante nos domin-
gos e vesperas de santificados a soa tabella
igual a de Olinda, observando que s-
mente partir depois da partida dos trens
de Oiinda.
Escriptorio da companhia b' de julho de
1871.
O snperintendentp,
v A. de Abren Porto.
Roga-se ao !ll~. Sr. Ignacio V.eira de Helio, *,
crivao na cidade de Nazareth desta provincia,
favor de vir a roa do Imperador n. 18 a i-oncluir
aqnelle negocio qce V. S. se comprometteu reali-
sar, pela terceira chamada deste jornal, em fin
de dezembro prximo passado, e depois. para Ja-
neiro, passon a (e'.ereiro e abril, e nada enmprio,
e por e-'te motivo de novo chamado para dito
fin ; pois V. S. se deve lembrar que este negocie
de mais de oito ?.nnos, e qupnao o senfacr sn
fiho se acbava no es nesta cidade
AOS 5:000^000
Estio venda os (ettzm Muletea da lotera d-
Jahia. na casa reliz do arco da Conceico, loja d(
inrives no Recife.
i
i
i-_
l I 11
A pe9soa -ora coja casa estiver ceulta a escra-
va Marcella, umlata clara, de 30nnos de idade,
ais ou meaof,'cabellos pretcs e longos, alta ma,-
gra e n.uito g-aga ; lenha a hondade de leva-la
a casa n. 8. -rua daCoode da Boa-vista, amiga-
mente ra Formosa, que ser bem gratificada ; do
contrario protesta-se proceder legalraente, contra
qoaiquer individuo que a tenha em sna compa-
nhia, a titulo de ama hvfe. como corista tie se
aenaem urna ca*a na fregaezia de S. Jos, .desta
cidade, desde o dia 23 de junho prximamente
(Indo.
5
M mem i ra
das Cruzes n, % pri-
meiro andar, da-se di-
nbelro sobre penhores
de ofiro, prata e ferillm-
les, seja pal for s qoan-
tia. Ha mesma casa com-
pram-se os mesaos me-
taes e pedras.
Criado.
Na ra es'treiia do PrOario n. 36, hotel precisa-
se de um criado.
Alugam-se duas easas, sendo pina casa ter-
rea atraz da matriz de Sacio Antonio n. 1, e nm
segando andar na rna dei>ombai Valentinas n.
86 : a tratar itraz da rfairiz de Santo Antonio d.
28, sobrado. ____
IOJA
GALLO VIGILANTE
Rna d Crespo n. 9
Os propretarios deste bam cnhecido eatabele-
cimento, alm dos mditos objectos que tinham* ex-
postos a apredaeio do respeiiavel publico, man
dram vir e acabam de receber pe > ultimo vapor
da Europa, um completo e variada sortimento de
finas e mui delicadas especialidades, as qnaes es-
li resolvidos a vender, como 4e sen eostnme.
por prteos muio baratiobes e commodoa para to
dos, com tanto que o gallo...
Uuito superiores Invas de pelica, pretas. brna-
cas e de mpi liadas cores.
Huito boas e bonitas gollinbas e punhos para
senhora, neste genero o qne Da de ais moderno.
Superiores penies de tartaroga para coques.
Lindos e riquissimos enfeites para eabeca das
Exmas. Sras.
Superiores tranijas pretas e de ores om vldn
Ibos e sem elles ; esta faunda o que pode baver
de melhor e mais bonito.
Superiores e bonitos jleques de madreperola,
marflm, sndalo e Osso, "aeodo aquelles braneos,
com lindos desenhos, e estes pretos.
Muito superiores meias fio de Escossia para se-
nhoras, as quae sempre se venderam por 30*000
a duzia, entretanto que nos as vendemos por 20*,
alm destas, temos umbem grande sortimento de
mitras qualidades, entre as quaes algamas muito
lio as.
Boas bengallas de superior esnna da India e
casio de martina cora lindas e encantadoras figu-
ras do mesmo, neste genero oque de raelbor
se^dedesejar ; alm destas temos tambem gran
de quanlidade de outras qualidades, como sejam,
madeira, baleia, Asso, borracha, etc. etc.
Finos, bonitos e airosos chicotinhos de cadeia e
de outras, qualidades.
Lindas.e superiores ligas de seda e borracha
para segurar as nreias.
Boas meias de seda para senhora e para meni-
nas de 1 a 12 airaos de Idade.
Navaltias cabo de marlim e tartaruga para fazer
barba ; sao muito ooas, e de mais a mais sao ga-
rantidas pelo fabricante, e nos por no;sa vez tam-
bem asseguraroos sua qualidade e delicadeza.
Lindas e bellas capelias para uoiva.
Superiores agumas para machina e para croe' M.
Liona muito boa de peso, frouxa, para env er
labyrinlho.
Bons baralhos de cartas para voltarete, assim
como os len'os para o mesmo fim.
Grande e variado sortimento das melhores per-
fumaras, dos melhores e mais conhecidos fa-
bricantes.
COLARES DE ROYR.
Estrieos magnticos contra as convalsdes, e
fscilitam a deniicao das innocentes criancas. So-
oos deSde muito recebedores destes prodigiosos
coHares, e continuamos a recebe-los por lodos os
vapores, afim de que nunca faltem no mercado
como j tem acontecido, assim como pois, poderlo
aquelles que delles precisaren-, vir ao deposito do
gallo vigilante, sonde sempre encontrarlo destes
verdadeiros ciliares, e os quaes atlendendo-se ao
lira para que sao applicados, se venderlo com um
mui diminuto lucro.
Rogamos, ^pois. avista dos objectos qae deixa-
mos declarados, aos oossos freguezes e amigos a
virem comprar por precos muito razoaveis a loja
do gallo vigilante, ra do Crespo n 7._________
CASA 110 OURO
Sua do Barao da
Victoria,
Outr'orarua Nova n. 63 ecasos
do costume.
Blfhetics garantidos da pro-
vincia.
O abaixo assignado acaba de vender entre o:
was ranito felizes bilheies a sorte de 3:000*000 em
um bilhete inteiro de n. 78$. a sorte de 900* era
em um terco de n. 3730 e um terco de n. 95o com
a sorte de .48(1* ; alm de outras socles menores
de "*000 e *>*oOO da lotera qne se acabou de
extrahir (198), podendo seas possaidores virem
recetier, que promptamente serio pagos.
O mestnt' abaixo assignado convida ao respei-
iavel pqblieo para virem &o sea estabelecimeatc
comprar os fehzes bilheies garantidos, que isac
deiiar de tirar qualquer premio como prova pelo;
mearnos annu&cios.
Acbampe a venda os muito felizes bilheies ga
rantidos nova igrp deN. S. da Penaa. que seva extrabkla
no PRECOS.
Inteiro 6*000
Dous tercos 4*000
Um tere 2*000
I De 100:5000 para cinw.
, Inteiro 5*400
Dous tercos 3*600
iJra terco 1*800
Jo5i. j.'.aqnun da Costa Leita.
Tasa dFfortom
RA l* DE MARCO OUTIt'ORA DO
CRESPO 5. 23.
Aos 20:000^)00.
O abaixo assignado tem sempre exposto a ven-
da os felizes bilhete* do Rio de Janeiro, pagando
prompiaiEeme, como costuma, qualquer premio.
PRECOfi.
Inteiro 24*000
Meio 12*009.
Quarto 6*000-
Manoel Martins Finza.
Despensa, econmica
No rmazem de- Matmore junto a ivpographia
d Diario, na antiga ra das Cruzes, tem para ven-
dor o segointe :
Queijes do ultimo vapor a 3*200.
Doce de.goia'bade 800'rs. a 1*500.
Manteiga ingina muito fio a.
Dita rfaaceza a 800 r.
Carne do sertio, o melhor qne se pode deaejar.
Linguacas a mais saborosa possivel.
Queijos do serio.
Dito prato.
Diversas massas para sopa.
Vinhos do Porto, Figneira e Liboa.
Cha o melhor que ven ao mercado.
E ostros ranitos gneros que recommenda 9>
^espeoaa economa.
Vende se ama mobilia de amarello a Luiz
XV, de bom gosto, e mais pertences da mesma :
na loja do sobrado da roa de Hartas n. 30.
S MANTELETES S
g| e casaquinhos de crochet pretos de I
lindos gostos a H e H\Kl
Roa do C'espo u, 25 \^
vndese libras de caoella pisada e penetra-
ba em peneira na esquiha da Ponte-velha, ta-
derna n. 43, do Sr. Pedroso.
801 KA
Vinho Pavao
Vende-se este superior vinho com a marea Pa-
vao, sendo puro e muilo fraquinbo, proprio para
usar as horas de comida, e vende-se por preco
muito em coma, em barris de 5 e de 10*: na ra
da Imperatriz a. 60, loja do Pavao. _______
Azeite de peixe
Vndese azeite de peixe em barris: a tratar na
rna da Imperatriz o. 60, loja do Pavao.
Vende-se o deposito da rna Augusta, defron-
le da taberna do Sr. Vare|io, proprio para prin-
cipiante, por ter poneos fundos : a tratar no
mesmo.
faul Ohauvia
rafa do Conde d'ttu n. 94
Vende-se ama muito boa machina de costurar.
propria para costureira, alfaiate e sapateiro.
SITIO
Vende-se um sitio no Arraial, no becco do Bar-
thelomeu, casa nova, toda eovidracada, com c*si
de banho, cacimba com muito boa agua e bomba,
tem -qumhentos e ta'ntos ps de arvoredos novos,
latadas de maracaja-ass, o terreno proprio e
torna-se recommendavel por ser perto do novo ra-
mal do mesmo Arraial: tratar no trapiche do
caes do Ramos n. 4, das 10 horas da manbaa s
3 da tarde, ou no mencionado sitio.
VNDESE
Dma mobilia de amarello contendo as seguintes
pecas. 1 sof, 2 consollos, 12 cadeiras de guarn-
gao, 2 de bracos e 1 cama franeeza : tratar na
rna "Velba n. 87 2* andar.
Vende-se o deposito da roa Augusta, defron-
te da taberna do Sr. Varejao, propria para princi-
piante, por ter poneos fundos : a tratar no mes-
mo.
VENDE-SE
Qnatro bois especiaos e 4 carros com todos os
sens pertences por preco razoavel ; porque a
pessea deseja retirar se para fura do Imperio :
Quem precisar dirij-se a ra de Santa Rita, no
correr da igreja n. 59, qae acbara com quem
tratar.
* vBiei* a taberna do paleo Terp> n. 6 :
a tratar na mesma.
&T-TENGO
5
Vende-se a taoerna da ra de Santa Rita n. 3,
bem afreguezada, propria para principiante por
ser commoda no prejo : para ver e tratar na
rnesraa encontrarao com quem tratar.
Vende-se urna boa casa com comraodos para
grande familia por ter 3 quarto*. 2 salas e 1 ga-
binete, erm quintal e coznbi fra no largo do Pa
raizo n. 4 : a tratar na ra Direita u. 10.
Seis liodos aunis cern pedras de brilbao-
tes, a precos mdicos.; vendem-se na ra do
Crespo n. 7, loja do Gallo Vigilante.
Preoi^a-ee de um caixeiro para laberua. de
14 a 15 annos, com pratica : no pateo da Santa
Cruz, na Bqh-vista, n. i.
Prcisa-!o e uma ama de meia
idade e seria para cozibbar em casa
de rapMM solteiro* : a tratar narua
di Madre de Dens n. 34, P1 andar,
casa de Caoba, Irraos
& Companhia.
A*na ce leite.
A' ra do Pilar d. 64 precr-a-se de urna ama de
leite. exyjindo-se que eja sadu e teoba bom leite
e em abundancia, prefere-se sem ftlho.
COMPRAS.
COMPRASE
fraseo- vatios da tintura jjpooeza, e paga se a 80
rs- cada um : ma Dque de Caxias n. 50, e
Marijwz de O'ioda n. 51.
Piche
Compra-se piche ero barr* : oo eecriptorio da
companhia pernmljacana nj Fjrte do Matos nu-
mero I i
PO'tO
Comora-se um portio de ferro, sendo j U9ado,
tenio 10 palmos de largura : a tratar na .ra da
Imperatriz n. GO. ,
Compra-se nina taboieta para frente tfe es-
tabeleeiraenio quem tiver e qoizer vender-a ra
dp Imperador, d. 20, loja.
VNDAS.
^ozinheira
a de nma coznheira qae RaiDa.cn a-j
pnr com ,rfas obrigjSes: na rtaa Duque fe Ca*
X'ast; i
Vende-se am terreno no principio da roa
Imperial junto a matriz nova, coro a frente feila e
nm oiio para nma casa e cacimba, e tambero
vende se urna casa terrea com nm sirio na roa da
Ca*a Forte : drrijam-se a roa Direita n, 66.3
andar.
Veude-se a caa da iri-vessa da ra da Fal-
ma n. 2 A quero qcUer ... a ra do Mrquez
de Caxias n. bi, I -j *-.
. Vende-se a tfljerna da roa da H>ra, estrala
de Joo-de Barro- qu ier dirija-s
mesma ra* na seguoda taberna, qae achara efiw
oagt^H (rilar n-'c-'d^K i.il Madapoloes
Grande redueco em precos
N. 65
rna Duque de Caxias.
Vende se a peca de madapolo com 20 varas a
3*200. 3*0)0. 4*. 4*300 e *J, dito muito no a
-; j~00, 6*, 6*300 e 7*500, dito francez, fazenda
superior, com 22 metros a 9* peca. A
ATOALHADOS
Grande sortimento destas fazendas e cnjta o me-
tro 14500,1*600 e 2*600.
CHITAS
Grao de sortimento. o covado a 200, 240, 160,
286 e 300 rs., ditas precaile, o que ha de mals
superior a 360 e 4*.
CHAPEOS DE SOL
A0 65
roa Duque de Caxias, acaba de receber nm
grande sortimento de chapeos de 39I de seda, que
vende a 9* e II* cada nm.
AO 65,
rna Duque de Caxias, a 2* o metro de braman-
te, poro oho. eom palmo de largara.
POUPEUNAS DE SEDA.
Ao65
ra Doane de Caxias. que acaba de receber um
lindj sortimento destas lindissimas fasendas, e ven-
de baralissin, custa e covado 1*600 e J*800.
valem>2*tm
A 2*500 |
a doria de gaardanapos; na imcornparavel loja
do 65 roa Daaac de Caxias.
Ao 65
roa Duque de Caxias ; grande sortimento de
cambraias transparentes mutto finas a 3*5O a
peca, ditas lapadas muilo linas, peca 4* e mais
precos.
A 5*000
am cobertor de lia listrado, fazeDda ranito supe-
rior, lenie o 65, a roa Duqne de Cax-as.
Aos enhores de enqcnho
Vonde-se a retalho os otencilio' e machinas da
da refioacao do Vlooteiro : a tratar na imperial
fabrica de eerveja des Srs. H. Leiden & C, pro-
prietarios da dita fabr'ea e refinscao.
AVISO ESPECIAL.
Um machinista perito encarrega-se da cooca-
Qao de todos os^utencilios e machina? por pYegjs
commodos*.
POR
Jm Gabor.au
Tradoccao do Correio Permmbucano
2*000 o volme.
Vende-ie na Hvraria francza, roo i de Bfarco
u. 9, e no escriptorio da redaojo do Cun-cw Per-
nambucano, rnrdo Imperador'n. 27, 1 an'iar.
:enj tem leite ao |XS it
''o da Cap-
boa iiieira, e
o i Cfcora-me-
Calpado barato
Boriegoros de bazerro para hornera a 5*.
Ditos de phantasia para senhora a 2*
Ditos de dita nara menina e n *:
Vende-se na pi^fi Ja Indepeu 39, l'ija
de Porto 4 Bast-u.
RIVAL SEM SEGUNDO
RA DUQUE DE CAXIAS N. 91.
Jote bigodinlio, com lija de uioaez*,
avi&a a todos os os -eus fregaezes que est
torraodo todo pelo ore$o, a vjt^a da fazeo-
da, para todos atimirar, a saber:
Pecas de fitas bordadas muito Unas 1,5500
Thesouras grandes e pequeas o
mais fino qne lia a i<$0OOe ^500
Caixas com 20 qoadernos de papel
liso, amisade a rs. 500
Pecas de tranca de 13a e algodSo as
mais modernas a <6o
Frascos com agna de colonia muita
fina a 400 e 500
Frasco aun agua de colonia ver-
dadera a 800 rs. e <5G0
Cbapos braneos para baptisados o
melhor qpe ba a 3000 e 5->0()0
Duzias de b/ites cobertos de .* la
para vestidos por todo o preco
para acabar.
Libra de arria preta a IfO
Grosas de ootoes de lonca branca a -'*.
Caixas com 100 eovelopes fazeDda
fina a 500, 6C0 e 800
Espelbos de moldura dour'ada a
800 e {OOO
Pentes pretos volteados para me-
ninas a 240
Timeiros com tinta prela a 80 e lu(;
Pecas de Oa elstica-muito tina a 200
Latas com superior banba 60, iO e 2( 0
Latas grandes com superior banba a 320
Frascos com oleo de Pbilocome a
500 e 800
Frasees com macass Pernea a 24<>
Frascos eom ag^oa de Colonia verda-
deira'a l#000
Ditos wm oleo de ba )0sa suderior a 320
Carritos de retroz preto com 2
oitavas a 600
Caixas com agulhas francezas a 160
160 240
Pecas de tiras bordadas a 500, 600
800 e 15000
Garrafas com a verdadeire agua
florida a !30
C-rtilhjs da Doutrina Christa as
mais modernas a 400
Livro das missoes abreviadas a 1(5500
Copos grandes com superior banha 1^500
Marcos de pallitos para denles o
melbor qoe ba a 160
Pacotes com 3 saboneies inglezes
fazenda fina a C00
Escoras muito finas para limpar os
den tes a
240
i*~
Quem qaizer muir se de movis por precos
commodos, nao tem mais que fazer urna visita ao
grande armazem de obras de rriarceneria, a roa
do Imperador n. 47, cojo dono acaba de receber
do estrangeiro, nm completo sortimentj da raobi-
lias de gosto, tend tomado a seguinte
Resoluiao :,
Vender barato Dar vender muilo.
NOVHUIIF,
Acaba de chegar o verdadeiro viuho verde de
uva pura em caixas de 12 garrafas e o acreditado
vinho especialissimo pasto em decimos de pipa ;
i vendedor nico recebedor destes vinlios achase
anlorisado a garantir a especialidade dos mesmos;
ra do Vigario n. li, Io andar, escriptorio de
Jos Lopes Davm ; onde sempre se encontrar
um deposito de vinho do Porto ( o melbur que
tem vindo a este mercado) em vigessimos d1 pipa
e em caixas de 12 garrafas, que se vende por me-
nos preco do que ero qualquer outr parte.
Attenqao
Vende*se o j acreditado medicamento contra os
calos : na rna Primeiro de Marco n. 3 (antiga do
Crespo), e na rna do Mrquez de Olinda o. 50 A
(antiga da Cadeia).
Ra do Barao da Victoria
N.2,
Antiga ra Nova.
Amaral Nabuco A C. iroprietario desie prande
estabelecimento participara aos seus amigos e fre-
guezes que acabam de receber ara grande sorti-
mentd de diversos objectos e vendem por precos
mais mdicos do que em outra qualquer parte :
a saber:
Paletots, calcas e coletes de casemira ingleza li-
na para bemem.
Camisas de linho inglezas e francezas li?as e
bordadas de n. 36 a 47.
Ditas do fianella e de meia.
Seroulas de linho e de algedao.
Chapeos de feltro fino.
Ditos de sol de seda inglezes para borneas e se-
nboras.
Chapelinas de seda e veludo para senbora.
Camisas bordadas para senhora.
Peitos bordados para camisas de senhora,
Ticbns de cambraia bordados,
Sintos de seda de cores, fazenda de muito gosto.
Baldes braneos e de cures,
Saias de la e de cambraia bordada.
Casaquinhos com gilla e manguitos bordados.
Vestuarios de cambraia eufestada para bapti-
zado.
Chapeos de seda e de merino para meninos,
Luvas de oellca preta?, brancas e de cores para
bomem e senbora.
Indispensaveis de conro da Russia para se-
nbora.
Aibans cem msico para retratos.
Insignias masnicas de diversos graos,
Cburutoe da Baha e do Rio de jaa-ir j e umo
ioglez pira cachimbo
Joaquun Jo?e tionealves ti.-.iirao tem j.ara
vender no seu escriptorio ra do C iinmereio n.
3, os gneros abaixo notados, que vende mais ba-
rato do que em outra qualquer parte :
Azuitonas em ancoretas.
Amendoas em barricas.
Caf mado em massos de 1 libra.
Chapeos do Chile de boa qualidade.
Cognac marca marlel frres.
Enxadas. .
Farjnha de maodrca de Santa Catbarica, sac-
eos de 3 e 2 alqueires.
Dita da Babia em saceos braneos.
Dita de dita era barrica?, propria* para wsas
particulares.
Fio de algodo da Babia em novello?.
Fouces.
Mxados.
Nozes.
Obras de palhetas.
Papel proprio para cigarros.
Dito azul para botica.
Palio< para denles.
Pregos sonidos.
Panno de algodo da fabrica de Toios-W Santos
de Pedreso na Baha.
Rolhas.
ap popular da Baha,
olim em fardoj.
Retroz dos melhores fabricantes do Portq-
Tapioca do Maranhao.
Tabaco simonle da Baha.
Verniz copal.
Vinbo do Porto engarrafado, caixa de 12 gar-
rafas.
Dito de dito cm barris, proprio para engarrafar.
Dito moscatel, vertfadeiro de Setubtl.
Dita H-Tdeaux em caias
Dito d,e csj em caixas de tuna i v
Cimento
Purihande de primer* qoalidade. barricas com
13 a li arrobas por I0|fl(j0. > no armazem de
Candido Alberto Sodr da Mola 4 C. traveua
da Midre de Deus n. 14.
Papis paw cigarro
De todas as qualidade*, e por menos prco do
qne era mira qualquer part-, dinheiro a vlia,
>o. uu armazem de Caoilidu Albertu Sodr da Mou
A C. a travesea da Mad e de Deus n. 14.
t'ape;s d* tirados e piutados
proprios para forros de caa., capelias e orato-
rios, c- id |Qai nos preco possivel, oo armazem ds Candido Aiber-
10 Sodr da Mota &6. i iravessa da Madre Deus
n. ti
Kual >eai
Rna Duque de
alindo
Caxias a. 91
Jos de Aztuedo Mata e Silva, em sua lo-
j ade Diiude^as erntinua a vender todo
P"r baratos |>rec.r>8 que todos admira :
Libra de la para bordar a melbor
qoe ha. 6(J000
Caixas com superiores grampos fran-
cezes a 160
Duzias de facas e garfos de-um e
dous b'.oes a ifJOOO
Talbcrea pare meninos a 240 e iuO
Libras deiinbade novello, a mtlbor
possivel. 15500
Duzia de lencos d cassa com barra. licGO
Caixas de lii-has com 30 novel los a 500
Vara d-,< franja firinca para toalbas 160
Dnzias de meias cruas muito)oas a 34500
Duzias ras a 400
Duiias de facas e garfos cravadas a 3000
Duzia do palitos seguranca a 120,
240, 320 e 500
Na albas muilo fio;s, para fazer a
barra a 15000
Caixas cora pennas de ac com to-
qoe a 30
Ciix;is c 'itt pennas de Perry fazen-
da toa a r 8 r
Di'as de dita dito verriadeira* a l'.O
Caixas comiO cadernns papel ami-
zade a 70*
Pecas d^ fita> pr-ra cc'z &m 10
varas a 5CO
Pecas de tranca lisa de todas as
ores a 40
Duzi-'S de liuha fr^ oxa para toriar
a ;00 e ROO
Pares ..'e s;ipn!os de Irans a 18C0
Doiias de baralhos muito iucs a'
25400 e 2o800
D tas de ao'has para rr.;ichna a 20t0
Libra de pregos france/es a '2*0
Bermas de papel almaco soperii r a 35600
Dilas de dito piolado o melhor a 46?00
Caixas c m abonetea f;ucta 720 e 14000
Carrteis de iDba A exaodre a IrO
Gravitas de rores milito fioas a 5( 0
Ditas preta pintas bordad.is a 600
Grosas de botes de madrvperola
para camisa a 500
Novello.* elinbr branca, 400 ardas 60
Duzia de carees de linba branca e
preta e de cores a 1-0
Thesouras muito fioas para ochas
e co^lura a 500
Caixas redondas para botar rap a i#2C0
Cixas cora pos para lim. ar denles
f zemia fina a 200
Urveja etn harH, de *u
perior qlil: de
Vende-se cm casa de S. P. Juhnnin A C, rui
da Snzala nova n. 42.
Lencos eom loque
A loia dos arcos vend- lencos
de
ovara
de esguiao com
toque de uva ra a 3 a dnz'a, cas-as de cor<-s ;i
240 e 280 rs. o covado, chitas cretooes rom bar-
ras a 400 rs. o covado, alpacas muitu linas o>
lindos padriVs a 300 rs. o entrada : na ra Io de
Marco, eoti'orado Crespo, n. 20, e.-quina da ru-
das Lrozes.
Na5 hh utU cadera nem
ffbre amareJa
Eai cr.sa d# J. 0. C. D.yle ha um sorliment-, ie
filtradores pelo melbor hystema, p>-is qu-m usar
a agua panada ior elles licar livre de lo terh-
veis molestias. Tambi-m receben o bem ennhee.-
do c desejado vinho sheny, e p?ia tudo venda etu
seo aam>zj!ii ,i rna do Commeicio n. 38.
Vendt'-se a casa larrea n II, it:i a ra d i
Oitao do Amoaro, em Olinda : a ira tar ra do
Mrquez de Olinda n. 40.
Uilcados
Botinas de brirn e duraquo branco bordados de
selim a o par : na ra >l i B.m Jess u. H,
oja.
FUNDAS
A pharmacia americana de Ferreira Maia & C.
acaba de receber pelo ultimo vapor um grande
sortimento de fundas, e enlre ellas alguma? de
pe ruma elstica, as mais reeommeodadas peios
mdicos para a cura das hermias : ra Daqoe de
C-ixias n. 57. mitr'nra Qupimado.
Munteis:a fina ingleza
em latas de 1. 2. i, 7. U e 28 libras cada urna :
no ?rmazem de Tasso Irmos & C, ra do Am;-
ren n. 31.
PICHINCHA
220 RES
CHITAS ESCURAS E CLARAS, CORES
FIXAS E I.INMSSIMOS PADBftES A 20
RIS O COVADO. SO A RA DA IMPERA-
TRIZ N. 26. VENHAM \NTES QU SE
ACBEM.
Vende'se nma carroc*
ra Nova, loja n. 7.
e boi : a n-atar na
A 5:800
PECAS DE CAMBRAIA VICTORI v*COt
10 JARDAS A 35800 RIS. TORNA-SE RE-
CQMMfeNDAVEL PELA B>A QUALUADE,
SO A RA DA IMPERATRIZ N. 26.
Vende->e a casa ttrrea roa d Floriji n.
2 em Olinda a qu.al de pedra e cal, tem bastan-
tes commodos para familia, chaos proprios, rarj-
teira?, quem precisar pode dengir-se a mesma
casa y'- tira com quem tratar.
CLCUDOS
para crianzas*
Grande sortimento de calcados para crian
dos melhoies que tem vmdo a esta praca : na
loja de calca-Jo da ra do Bom Jesui n, 21, loia do
sobrado amarello.
Vonte-sc barato um piano de um hs r.ia
afamadas fabricantes: a tratar na rna do Com-
inelo n. 38.
O mo ftiMto!!!
R /tinas enfei:adas para seaboras a i
vende-se na ra da Imperatrir n. 32, I
i


, iano de fernanipuc Quarta fetra 12 de Julho le 1871.

VNDESE
^
Joaquim Jos Ramos, na ra da Cruz n. 8, i"
ndar, vende algodao aznl americanos verdadeiro
t prepo* amnrinann n. 3 < l.
fto na mal cabellun braaco.
Tintura japonesa.
S e nnica approvada pela? as academias de
sciencia, reconheeida superior a toda que tem ap-
parecido at hoje. Deposito principal ra da
.'.aeia do Recite n. 5i, 1* anclar, em todas as bo-
ticas e casa de'caMIeireiro.
LIQUIDACAO
Ni
LOJA E ARMAZEM
DO
i iva bnuwl
sempre a Nova Esperanza!!
' AO BELLO SEXO.
Esta loja bem conhecjdi pela sua elegancia e
superioridade de seus objectos. acaba de receber
rouitos artigos para o que respetosamente convida
10 bello sexo a viiita-la, aflm de compraren) aqu I
lo que prensarem para preparo de veslidos toi-
lete ou tocadores, e mesmo qualquer objecto para
faier algnm preiente...|pois que sDna Nova Espe-
ranca ticaro satii-feitos, j pela qualidade e pre-
cos razoaveis, e mesmo por que a Nova Esperan-
ca ufaua-se em nao se impacientar em dar a es-
eoiher os objectos, prestando-se cora o agrado
em que costu a receber a todos, aflm de que
saibam com o firme proposito de voltarem ou
mandaren) a mesma loja, logo que precisen) de
qualquer artigo por pequeo que seja.
LUYAS DE PELLICA.
Recebeuas de L:>boa a Nova Esperanca para
oomens, senhora e meninos, sendo brancas e de
NOVIDADE.
Bico de qnipure preto com branco, a Nova Es-
peranca s qoem tem t
Caixas para joias.
Nova E dalo para guardar joias.
Filas largas para cintos.
Recebeu as de muitas qualidades a Nova Espe-
ranca.
Para extinguir panos on sardas.
A Nova Esperanca tem leile de rosas brancas.
Para Ungir cabellos.
Tem a Nova Esperanca a verdadeira tinta in-
gleza.
Para refrescar apelle eaformozia-la.
A Nova Esperanza ra Duque de Caxias n. 63,
.ende verdadeira albina branca de Lais.
Perfumaras
As melhores, e do mais conhecido fabricante,
anto (raocez como inglez, esto expostas venda
a ra Duque de Caxias n. 63, na Nova Espe-
anca. .
Extracto?, banha, oleo, sabonetes, agoas de co-
lonia, de laranja, florida e de lavande, etc., etc.,
tudo de superior qualidde : vende-se na Nova
Esperanza ra Duqne de Caxias n. 63.
Agora sim !
A Nova Esperanca, a ra Duque de Caxias n-
63, receben um lindo sortimento de laa para bor.
dar, vindo as cores mais procuradas, branca, pre-
la. escarate etc. etc. a *^la antes &IM se abe I
Bonitas fazendas
PARAASFESTAS
DE
S1VTO ANTONIO
E S. Joo
HEGARAM PARA A LOJA
DO
CEMENTO.
O verdadeiro portland. S se vende na
raa da Madre de Deus n. 22, armazem de
jea) Martins de Barros.
Libra* st**li ias.
Vende-se no armaum F A" Ovfira A (1, a na lo Cnmmerciii n. 'i2.
lu ,.
Tem venda em seus armazens, alera de outros
rngos de seu nego> io regular, os 3eguintes, qne
tendera por precos mais mdicos que em ou-
m uuaiqner parte :
PARTAS de pinho almofadadas.
POBTEIRAS de ferro para cercas.
SALITRE irjglez.
ETEIRAS da India para cama e forrar salas.
CANOS de barro franeer para esgoto.
GSSSO superior em porcoes e a contento.
CEMENTO de todas as qualidades.
MACHINAS de d9Hcamrar algodo.
LONAS e brinz5es da Russia.
OLEADOS americanos para forro de carros.
fOGES americanos muito bous e econmico.*.
VINHO de Bordeanx.
COGNAC superior de Gauu'er Freres.
FARELLO ein saceos grandes a 3o00.
tCA florida lP2iiima.
l'AKA PAAB1A.
Vende-se cestos : na ra do Domingos Jo
nMrtiD- n. 8i, (Senzala-Vellia).
.-raneis
*
LIOUIDACAO
Parra os seahores de engenho
tcrcin.
Chila, fazenda bem conbecida pela sua fortidao,
mais largas qne ehitas, para rnupas de escravos a
00 rs. o covado : na ra do Crespo n. 20, loja do
'.iuilnerme.
TERRENOS
Vende-se em grandes ou pequeas porcoes, o
grande terreno que foi do Sr. Machado, sitio deno-
minad Jaqueira. distante da estacan do Fundao
eem pasaos, com frente pjra a estrada do mesmo
Dome, cim muitas arvoref de frneto. Este terrino
proprio, e por ser de barro presta-:e para qual-
quer plantaclo, e muito se torna recr.mmendado
por Bear perto do rio e da estacao. O prego
muito mdico : a tratar na rna Nova n. 48, no ar-
mazfcm da Norma, ou com o Sr. Trislo F. Torre?,
que todos os domingos e das santificados o acha
rao nesse lugar.
nir: terreno na ra da Hora, estrada de Joao de
barros, com ICO palmos de freule B 110 a 450 de
fundo, com algumas arvures de fructo, por mdico
ireco : a tMUr na ra do Vigari > o. 14, 1* an
aur eacriptono.
HV.
Graxi em boite?.
Vende-so a verdadeira urna ingleza ere bciSes
4o fabricante D^yand Mirl>n : no armazem de J.
A. Koreira D as ra da Broa n- 26.
Grande
UQiOfO
Jftmpeiinus e seda
Ponpelinas e fda de lindos paJroes o mais
moderno que hn chegadi no ulnmo vapor, a 14500
e covado, na ju d Crespo n. 20, loja de Suillier-
me Carneiro da Cunha.
Vende-se urna can..i peunena para familia :
na ua do J'^mire n. 35, Boa-vista
PAVAO
NA RA DA IMEEATRIZ 60-
DE
FLIX PEREIBA DA SILVA ftC.
Os proprietarios deste grande estaoelecimenta tendo em ser ama avallada porreo de
fazenda, e tendo continuado a recetar por todos os vapores e navio immeosa porcJo
das msstnas, tem rewlvido f.zernma GRANDE LIQtuAQO, aflm da demioair o gran-
de deposito e apurar DINHEIRO. De todas as fazeudas qoe se veode baratissimo se dio
as amostras, ficando penbor o o se mandan levar em casa dasEtmas. familias, assim como
as pe-soas qoe neaociam em menor escala, n'este esta'^elecimeato se poderlo sor.ir eia
pequeas porcoes pelos mesmos preces que compram as casas exportadoras.
ALFAIATE
qoe se encarrega de executar qaalqoer en-
commenda da sua arte vontade do fre-.
guez, e o proorietario d'este graode esta-
ba lee i men'o e promette servir bem a todos
os fregaezes qu Ihe bonrarem a sua casa.
ALGODOSINHO A 31500 A PEQA
O Pdve vende pecas d'algodiosioho de
muito boa qflalidfle, tendo 20 jardaa eada
ee^a, pete barato preco de 35500, ditomui-
lo laqro e encorpado 64000, dito o me-
Ihor que tem vi -ido ao mercado, muito en
corpado e largo para leocoes, pelo barato
preco de 64500, grande pecbincba.
MADAPOLO A 4000 E 4^500
O Pavlo vende pecas de madapolSo com
24 jardas, sendo fazeada muito superior
pelo barato prego de 43500, ditas com as
mesnas jardas a 45000, ditas fioissimas a
5,J500,6,5000. 75500 e 85000. pecbincba.
' MADAPOLO FRANCEZ A 105
O Pavao vende pecas de fiaissimomada-
polSo verdaderamente francez, tendo
metros ou 20 varas, pelo baratissimo preco
de 105000 pe?a, sendo fazenda qoe sem-
pre se vendeu 4000, e liquida-se por
este barato preco por estar algjma cousa
enohuvalbada na pon*a de fra.
ALGODOSJNHOENFESTADO A 15 15280
O PavSo vende verdadeiro algodiosiabo
americano, tendo 7 palmo3 de largara e
muito encorpado, proprio para leocoes
75"O0 a vara, dito da mesma largura sen-
do trancado e muito encorpado i52w0.
BRAMANTES PARA LEXCOES A 2*iOQ 2*8003,5
O Pavao vende o verdadeiro bramante de
linho tendo 10 palmos de largura, que ape.
oas precisa para um lencol orna vara e 1 ma
qrjsrla, pelo barato prego de 25400 vara.
dito melbor de 258 0 e 35000, ten lo at
do melbor que vem ao mercado 35500
e 450OO, assim como crotones fortes para
lengoas, sendo urna eocorpada fazenda fran-
ceza com 10 palmos de largura 300 rs.
o metro, e bramante d'algodo com a mes-
ma largura 15800.
SAIAS BORDADAS A 45500 E 65009
O Pavao vende graade pee i ocha em saias
brancas ricamente bordadas, tendo cada orna
4 pannos, e vende pelo barato preco de...
45500 e 65000, sendo fazenda que sempre
vvndeu-se por 85 e i050i>0.
Fazeudas para saias a 15200, 15280 e l.'On
O Pa /o vende superior fazenda bordsda
3com pregas proprias para saias, 15200,
15280 e 155C0a vara, sendo preciso para
urna saia ape, as 3 varas ou 3 1|2.
Ans 3000 cortes de caubraia a 2530O
O Pavao vende urna grande porcao de
cortes de cambraia organdys ; tanto brancas
como de cores, sendo com listriuhas de
cores tessidas e nio estampadas, e liquida-
se pelo barato preco de 25500, cada corte,
fazenda que vale muito mais.
Aos 2O0O cortes de cambraias bordadas a oOi
O Pavao vende uma g-ande quantidade
de cortes de cambraias brancas bordadas
para vestidos, sendo com os desenbos mais
lindos e mais vistosos que tem vindo ao
mercado, tanto em listras corridas como ada-
gooaes, e c m mua fazenda para um ves
tido, e liquida-se pelo baratissim> prego de
55OO, sendo fazenda de meito maior va-
lor, grande pecbincba.
CAMBRAIAS
0 Pavao veace grande quantidade de pe-
gas de cambraias brancas tapadas e trans
parentes, teado de 35 a pega at mais
tina qae vem ao mercado.
CHITA A 160 RS.
O Payo vende cbitas largas com bonitos
desenho's e cores fixas, pelo barato prego
de 160, o covado, grande pecbincba.
LAASINHAA 160 RS. O COVADO
O Pavao vende bonitas laasinbas transpa-
rentes pelo barato prego de 160 rs o cova-
do, pashincba na ra da Imperatriz o. 60
CORTES DE CASSA A 25500
O Pavj vende bonitos cortes de cassa
franceza vindo cada nm em seu papel, pelo
barato prego de'25500 o corte, ditos muito
lindas 35000, pecbincba.
CASSAS FRANCEZ AS A 20o RS. 0 COVADO
O PavSo vende bonitas cissas de cores
para vestidos, pelo barato prego de 200 rs.
o covado ditas fioissimas com os desenbos
ni lis modernos qoe'tem vmdo ao mercado,
pelo barato prego de 500 rs.
CRETONES
O Pavo vende Goissimos cretooes oscu-
ros matizados, proprios para vestidos e
chambres, pelo barato preco de 640 rs. o
covado, ditos de fl roes, proprios pira ro-
bera, sendo fazenda muito eocorpada pelo
PAVAO
ALSACIANAS A 16200
Cbegaram as mais lindas alsacianas sen-
do uma nova e elegante fazenda de l
com bnlbantes listas de seda e bastante
larga, para vestidos, sendo n'este genero
que este anno tem vind > de mis gosto
ao mercado, e vende-se 15200 o cotado.
CRANADINASJAPOEEZAS A 800 RS. O COVADO
Cbegou para a loja do Pavlo esta nova
fazenda com o nome de granadinas Japone
zas, sendo nma boni a fazenda de 13a com
bonitos quadros de seda, propria para ves-
tidos, tendo de todas as cores, e vende-se
a 8u0 rs. o coado.
ATLANTAS LAVRADAS A 800 RS. hO COVADO
Cbegoa esta nova fazenda com o nome
de allanta, sendo orna delicada farenda de
15a, p3ra vestidos, qie vende-se pelo bara-
to prego de 800 rs. o covado.
NOVAS POUPELINAS DE SEDA
Cbegou para a loja do Pavlo um grande
sortime lo das mais lindas* e modernas
pon: elinas de seda, com os mais delicados
oadres e da muito phantasia, qu vende-se
oor preco muito barato.
CAMBRAIAS BRANCAS LAVRADAS A 4J
Veude-se corUs para tejidos de cam-
t.i braoca la-rada, sead'i fazenda muito
fina, pelo barato prego de 45 cada corte,
assim como um grande sortimento de itas
lisas, lapadas e transparentes, que venle-se
por meos do que em nutra qualquer parte.
CAMISAS PARA INVERN
Chegou para a loja do Pavao um grande
sortimenlo de camisas escoras enoorpadas,
a prova 'agua, sendo propiias para a es-
tago do invern, e vende-se por precos
em conta.
TOALIUS ALCOCHOADAS PARA MESA A 3*300
0 Pavo vede toalbss brancas de fusilo
alcochoadas, prooiias para mesas, sendo
bastante grandes pelo barato prego de
35500, ditas encorpadas muito grandes 75-
CHALES DE MERINO* A 25500
O Pavao vende cbales de merino moito
grandes e encorpados 25o0, ditos
imiuglo de cbinezei a 25500, ditos pretos
de renda com 4 pontas 25000.
CHALES PRETOS BORDADOS
O Paspo vende os maiores e melhores
chales de me in pretds ricamente borda-
dos com largas franjas de retroz, e vende
por menos do que em outra qoalquer parte.
CAMISAS PARA HOMENS
O Pavao vende um grande sortimento das
melhores camisas inglesas e francezas- com
peitos de linbo para todos oj pregos e qua-
lidades, assim como ditas de ditos de
algodlo para todos os pregos e tamanbos,
tendo tambem para criangas, e no mesmo
estabelecimente tambem se vende ceroulas
de lipho e algodao, tendo para todos os
prejos, assim como meias ernas inglezas
para bomens e meninos, que tudo se veade
por prego muito limitado.
CORTINADOS BORDADOS
0 Pavlo tem constantemente um grande
sortimento dos melhores cortinados norda-
dos para camas e janellas, qoe vende-so de
85000 at ao mais rico qne postuma a vir
n'este genero, assim cerno bonitas cambraias
adamascadas, tan'.o tapadas como transpa-
re-jtes, proprias para o mesmo Su, eolebas
de cruchet, damasco para camas de noivas,
e cortinas, e vende-fe no Bazar ao Pavlo.
LASINHAS BARATAS
O Pavo tem um grande sortirxento das
mais bonitas llasinhas para vesti ios, tendo
de todos os precos cores e qualidades.
orincipiaoJo ib 200 rs. para cima; porm
to grande a quantidade que seria enfa-
inn, a especificar qualidade por qualidade,
s a vista do freguez e das amostras se loe
venderlo por pregos to cmodos que
engues deiiar de fazer um vestido de
lia por tac pooco dinbeiro.
ALPACAS DE CORDAO A 640 R8,
O Pavlo vende as mais lindas alpacas de-,
corduo para vstidos e roupas de crlangas barato prego de 80 rs. o covado.
oelo barato prego de 640 rs. o covado,! P"In"8 ou ""l^os 205 e 253
ditas fioissimas com os mais lindos lavoret Pavo veQde .Dsia.d,oas a casaqamhos
imitagaode agraciaDas 8(0 rs. o covado, de seda Prtlos r,?10*ete ee^ad.os' peo
b. nitus gJacs com delicadas cores e las- baratiSMmo prec)de 205 e 2550.0, seDdo
trosas como se ia 15000 o covado, e ou-,01"'10 moderaos, assim como ditos de cro-
iras muitas fazeudas de gosto e laxo para'CDet e reudas Pret2 m
vestido, na roa da Imperatriz n. 60.
HACHIIS PAR4
COSTURA
Cbegaram aoBazir Universal da ra Nova
n. 22, um sortimento de machinas para cos-
tura, das melhores qualidades qu existe na
America, das quaes muitas j slo bem co-
nhecidas pelos sens autores, como sjam :
Weller & Wilson, Grover & Boker Silen-
ciosas, Weed e Imperiaes e outm muitas
que com a vista deverlo agradar aos com
pradores.
Estas machinas teem a vantagem de fazer
o trahalbo que 30coslureiras podem faz-r
diariamente e cosem com tanta perfeigao
como as mais perfeitas costuraras. Garan-
te se sua boa qualidade e ensioa-se a tra-
balbar com perfeigao em menos de uma
hora, e os pregos slo to resnmidos que de-
vem agradar aos pre.tendntes.

I
GRANDE ARMAZEM DE VARIEDADES
EMPORIO CMMERCIAL '
1 15Ena da Imperatriz15 i
ULYSSES & IRMO
Neste grande estabelecimento encontrar o respeitavel pnblico um pomo de
tudo, qne vendemos por pregos muito resumido por ser o systema qoe adoptamos
vender barato para vender muito, e tirar-mos apenas 40 % de lucro do descont qoe
temos das casas importadoras; e garantimos aos nossos freguezes que podemos faceras
mesmas vantagens que as casas acreditadas em vender barato. As pessoas aue nos bon-
rarem com sua freguezia encontrarlo em nossos tratos sempre a lealdade e constancia
divisa deste estabelecimento. Chamamos aitenglo do respeitavel publico para a grande
variedade de artigos de qae se compe este sumptuoso eslabeleeimento, como abaixo
se segu :
Crytaes e vldlros.Grande sorti-
mento de lindas garrafas para vinho, de
i<



nico legalment autorisado e approvado
pelo conselho de sade.
NICO DEPOSITO
em
PERNAMBCO
Pharmacia e drogaria
de
BARTHOLOMEU A C.J
34Ra larga do Rosario34.
1^1
Para saceos e foguetelros.
PARA ASSUCAR *
CERVEJA DE MABCA
engarratada especialmente para o Brasil. /
Charutos de Havana
Lona para velas
Cambraia Victoria
As verdadeiras trazem os nmeros estampados
as pecas e nao as etiquetas.
Veqdem-9e
Em casa de
. T. JEFFERIES & C.
46 Ra do Gommercto 46
iBRINS DE ANGOLA
OS LEGTIMOS
Trazem em eada peea nm bilhe-
te com o nome
. D0S
nicos importadores
T. JEFFERIES A C
POUPELINAS
0 Pavlo recebeo as mais delicadas e me-
lhores poupelinjs de seda para vestidos,
d>m os mais modernos lovores, e outaas li-
zas c .m as cores mais novas qoe tem v.n lo,
e vende-sa 2^000 cda civado, assim
como oel cadas sedas de listinhas, tanto
para vest ios de sennoras como de meninas,
q vende-se 25000 cada covado.
ROPAS PARA HOMisNS
O Pavo tem constantemente um grande
sortimento de roupa, tatoto de panno como
de bri is br uco e dsctjres, dd case-
mira<, psri todos 09 preges e qaalidades.
em cuota. Da ra da Imperatriz n.,6-
Guitas eatraofadas paracobertas a 360 rs. o eoTadu
O Pavo vende chitas entiangadas com
delicados desenbos para cobertas ou corti-
nas de edres fixas, sendo fazenda moito en-
cornada peto barato pr"Co de 360 o cooadO.
ESPaRTILHOS A 45500
O PavSo vende os mais modernos e nu-
Ihores espartilbos, tendo de todos os ta-
manbos, pelo barato prego de 45O0
CASEMIRAS
O Pato veade um elegante' sortimento
P4 suriiuieuiu uc iuuya, ijw uo ijhuuu tumu de delicadas casemiras inglez is, sendo to-
Vende-se uiniHidite sitio com caa de pedra mira<, par.) todos 09 preges e qaalidades, pnas para homens como para changas, e
e ca com mil e uaios palmus de frete coiruma e ^a^^ se manda (azcr qualquer pega de. ditas mais eocOrpadas, ten lo de orna e da
&?i^ar.1ttSTrttt|*a c,muioacaioepromptid5o, para 0 duas larguras, qnese rnde 0 mais barato
Ipcssivel, na ra da Imperatriz o. J.
Hiarij n.
I que se tem um perito.
Grande
LIQUIDACAO.
Na ra do crespo 11. 20.
Loja de Cuilherme.
Laas de cores miuda3 a 80 rs o covado.
Bramante de Jinbo com 10 palmos de lareura a
2*300 vara. *
Chitas claras e escuras a 160, 200 e 2i0 o co-
vado,
Bitas riscados prasianos 280 o covado.
Ditas chinezas para coberta a 2i0 o covado.
Cambraias, organdys miodas a 240 e 280 o co-
vado.
Ditas bordadas brancas e de cores para corti-
nados, a 320 o covado.
Ditas bispo lisas tina* a 3 a pega.
Ditas brancas com 10 varas, a 3*000 e 3*300
a pega.
B;ta Victoria, a 4* a peca.
Massuiiu branca, a 400 rs. o covado.
'Mdapolo fraocez, a 6* a peca.
Dito inglez de bom a especial, a 4*000. 5*, 6*
e 7* a peca.
Aigodosi abo a 3*, 3*300 e 4* a pega.
Alpaca de cor com listas, fazenda superior a
360 rs. o covado.
Dita branca, com flores miadas matisadas a
500 is. o covado.
Dita preta coa fbr branca, o" 500 rs. o co-
vaii). ,
Ditas de cores padroes miudos e modernos a 360
T. o covado.
Lingos de cassa com barra de cor, a 120 rs.
cada um.
Ditos de linho embainhados a 4* a duzia.
Cbila, fazenda bem conhecida pela saa fortidao,
maij larga qae cbila para roupa de escravos, a
200 rs. o eovado.
Casemira preta superior, a 1*500 n covado
Cortes de casemira de cor, 3*500,- 4* e S*.
Cortes de meia casemira, a 1*200.
Casineta preta e de cor, a 500 r.. o eovadi.
Canga amarella lisa e de lista, a 360 rs. o co-
vado.
Algodao iargp merca T a 5* a peca.
Da-se amostras com penbor.
MIS!* SSSBHS
Chales de renda pretos
S P^' r m
mmmmmmdmm sa
vidro Bacarat a C. 75 e 8000 par, bo-
nitas compoteiras de diversos gostos e pre-
cos', taras de chrytal para cbmpag?e ; c-
lices de vidro verde fino< para vinho do
Rbeno a 2#30O r, a duzia, ditos de dito
rouxo para vioto B-irdeau? a^48t0 rs.
a duzia clices litios para licor a 30500 rs.
a duzia, copos finos lapidados para agua
a 4oOO, 40300 e 50000 rs. a duzia, escar-
radeiras de vidro de cores a 30500 e 40 e
par, glande sortimento de globos de vidro
para candieiros, chamins para candieiros a
200 e 240000 o ceato, e a 240,320 e 400
rs. cada uma, pratiohos de vidro para copos
a 400 e 500 rs. um.
Perfumarlas. Sabonetes finos e
grandes a 10500, 10800 e 20400 a duzia,
ditos ingiezes o que ba de melbor a 20 a
duzia, ditos pequeos transparentes a 6t)0
rs. a duzia, latinhas de banha de familia a
80 e 128 rs. uma, 900 e 1200 rs. a duzia,
frascos graudes com bauha a 640, 80a e
10000 rs. oleo de Pbilocome a 800 a 10000
rs. o fiasco, dito de babosa a 500 e 600 rs.
o fjasco grande sotimento de agua de co-
louia,- agua Divina, agua Florida, agua fran-
ga, tnico Oriental, extractos finos ingiezes
e francezes, pos para dentes, pomadas ex-
posig5o, copos grandes a 20500 rs. cosm-
tico Uno, pacotes de pos de arroz a 400,
600 rs. um, bonec as pan pos de arroz a
WO ^s.
Chapeos.Chapeos de seda preta e
de castor branco forma Vctor, para lumen
a 110 e 120000, ditos de palha ventilado-
res a 30200 rs., ditos pretos de feltro copa
redonda a 30500 rs., ditos brancos a
302 0, ditos de merino e de seda preta de
50 a 70000 um, ditos de palha para man-
ga de 20 a 20500 rs. um, bonets de panno
preto enfeitados para meninos a 3-je 305oO
rs. um, cbapelinas de seda enfeitadas para
baptisado de crianga a 30 e 30500 rs. um
bonitas cbapelinas de filo de seda branca
enfeitadas para senboras e meninas 60
a 70000 uma, chapeos de sol da seda com
cabo de marfim a 90500, 110, 140 e
170OOJ rs. um, ditos com cabo imitagao de
unicornio a 90 e muitas outras qualidades
tanto para hornees como para senboras e
criaogas, sendo de percale 1>300, 105jO
e 20000 rs.
Fazendas.Lindos e modernos corles
de percale de barra com figurinos a 70000
com 14 covados, bonitos cnes de seda
com 21 covados por 280000, cortes de cam
braia branca fina com babadinbos, borda-
dos proprios para partidas a 70000; tendo
8 varas de fazenda para o corpoe 15 varas
de babados, cortes de laa escosseza com
15 covados a 30000, finissimas e moder-
nas cambraias brancas com listras a Impe-
ratriz peca de 10 jardas 90000 ditas mar
ca bispo e Victorij de 40 a 60600 rs. pega,
cambraia branca para forro pegas ae Lu
jardas a 20400 rs., bonitos cortes de laa
com 16 covados a 50500 rs., ditos de
chaly a 50000, pegas de cambraia branca
de salpicos com 8 1[2 varas a 50500, bo-
nitas las de listras a 560 rs. o covado,
grande pechincba de las finas de bonitos
padres a 260 rs. o covado, fazenda que
vale 400 rs., bonitas e finas chitas france-
zas de nma s cor a 300 o covado, perca-
les muito finas e de delicados padres a
320 e 360 rs. o covado, finissima chita
franceza clara a 340 rs, o covado, chitas
escuras franceza finas a 260, 280 e 300 rs.
o covado, ditas para cobertas bonitos pa-
dres a 360 rs. o covado, bramante
de linho com 10 palmos de largora a
20400 rs. a vara, esguiao de linho finissi-
mo a 200.0 a vara, bonitas alpacas de uma
s cor para vestidos a 500 rs. o covado,
setim de algodo de diversas cores, bonita
fazenda para vestido de senhora e roupa
de crianga o 500 rs. o covado, riscadinhos
finos de cores a 280 rs. d covado, cbila
preta fina a 280 rs. o cu vacio-, guarda na pos
de linho para almogo ou cha a 20600 e
30600 rs. a duzia, ditos de dito muito fi-
nos e grandes para jantar a 80 a duzia,
servem para toalbas de ruaos, toalhas de
linho grosso a500rs. cada uma, ditas fel-
pudas a 800 rs., coixas brancas de algo-
do com barra e franjas, grandes a 40900
rs., ditas brancas e de cores de 20700 a
40500 rs. cada uma, bonitos cobertores de
laa de lindos padres a 80 e 130000, ditos
de pello de lontra com duas vistas a 140,
camisinbas de cambraia bordada e enfei-
tadas a 20500 e 30OOO rs. cada uma, visti
dinhos de cambraia bordados para baptisa-
dos de mangas a 60 e 120010 om, cami-
sas bordadas para senboras a 50500 rs..
uma, pentiadores de nanzuk bordad/ para
senboras 40500 rs, um. caixinhas com uma
duzia de leogos de linho finos abainhados
por 60000, lengos de cassa finos com bo-
nitas estampas a 30600 rs. a duzia, dit s
grandes de cambraia com cercaduras a
0100 rs. a d.-.zia, ditos pequeos de cassa
com diversos desebhos a 1200 rs. a duzia.
bonitos lengos de cambraias bordadas a 10
um, cobertas feitas grandes de chita fran-
ceza a 20:SOO uma, cobertores brancos de
la codd barra a 20500 e 30000 rs., alpaca
preta sarjada a 500 rs. o covado, dita bran-
ca finas a 560 rs. o covado, dita preta de
de 440 a 800 rs. o covado, seda preta a
500 rs. o covado, grosdenaples branco com
loque de mofo a 640 rs. o covado, japo
de seda encarnada a 900 rs o covado, finis-
sima brilhaitma de listras brancas e par-
das a 640 rs. o covade. nho.
Este estabelecimento acha-se aberto desda as 6 horas
15Ra da Imperatriz
EMPORIO COjWUE
4 { ULYSSES- i IBMA0.
Gangas de lipbo para roupa de aucas
a 420 rs. o covado, brim de linho branco
trangado muito superior e a 10300 p
107C rs. a vara, dito pardo de linho a
30 e 500 rs. o covado, seroollas france-
zs de cretone e de linbo 10800 20500
r orna. E outras muitas fazendas que
vendemos por pregos razoaveis.
Porcelanas e Iueas.Delicadas
canecas de porcelana esmaltadas para eaf
80 a duzia, ditas de ditas com frisos de
cor 60 a duzia, canecas de porcelana bran-
ca para creme a 305CO a duzia, copinbos
de porcelana branco para ovos 4^200
duzia, tigellas de porcelana branca para
caldo 500 rs. ditas grandes para farinha
a 10, bnitos aparelhos de louga ingleza
com froiso de cor completos- para jantar,
constando de 20 duzias de pratos diversos,
2 sopeiras, 4 saladora, 8 pratos com lam-
pa, 4 mol.heiras, 16 pratos travessos por
1200, ditos completas para almogo da mes-
ma louga 110, grande sortimento de lou-
ga avulsa, constando de pratos. com tampa
sopeiras, molbeiras, pratos travessos, pra-
tos avulsos com frisos de diversos tama-
nbos, pratos com coras 20700 a duzia,
ditos pagode Cbinez, grande quantidade de
tigellas pintadas de diversos tamanbos,
I bules, bacas, que se vende por mdicos
precos.
Qulnqullbarlas Ricos candieiros
para gaz de vidro e porcelana, feitio de jar-
ro, 140 e 160 cada um, ditos de vidro
de cores 6o, lamparinas, grande sorti-
mento de vidros de metal para dependorar,
para cima de mesa e para parede, (600
1080020 e 20500, eum grande sortimen-
to de jarrss de diversos tamanbos e gostos
de 50 200 o par.cssticaesde vidro de cor
para .vela 30 o par, lindos praiihos de lou-
ga esmaltado com tampa para sardinhas e
outras 20 20500%ada um, indos bules de
louga da China 20500 30 e 30500 cada
um, sextinhas de vidro de cores com azas
para cartes 10500 20 cada uma, bonitas
quartinhas hamburguezas de';40 50 o par.
copos de barro, bonitos temos de bandejas
ovaes 110, ditos quadrados 70, grande
sortimento de bandejas avulsas de 10300 l
20000 cada uma,ditas parafarinba 10200
uma, lalberes de facas com cabo de me -t
fino 120 a duzia, ditos de ditas cabo de
osso finas ue 50500 100 a duzia, come-
res de metal fino para sopa 50 duzia,
ditas de dito para cha 20400 a duzia,
cooxas para sopa e para assucar, port-braa
zas de lalo 500 rs. um, lindos palitei-
ros de porcelana branca fina 10200,
1050o, 20, 30 e 40 cada um, galheteiras
de 3 e 4 vidros.
Calcado.Bolinas de bezerro para
hornero 60 o par. ditas gaspiadas para
senhora 30 e 30200 o par, ditas de ditas
para crianga a 20 o p'ar, sapatos de tapete
e de tranca para bomem e senhora, de
10500 10800 o pan ditos de tapete ave-
riados para criangas 10 o par.
nindexas. Duzia ol carriteis de li-
ona de Alexandre 200 jardas 920 rs.
caixa com 50 nvelos le liiiba branca
680 rs., la muito fina para bordar bonitas
cores 6.S40O a libra, duzias de caixinhas
de ^rampas 400 rs., duzia de caixinhas
de alfinetes pretos e brancos 10300, lo-
ques de papel para o tbeatfo 200 rs., di-
tos de madeira enitago de sndalo, muito
bonitos 20, thasouras fieas de ponta tor-
ta paraunbas '60 a dua'a, pentes irans
parentes finos para alizar \. 20 a duzia, ca-
dirgo de linbo de diversas larguras branco
360 rs. a duzia de pegas, tranga de la e
fina de cores para debruo) 240 e 400 rs.
a pega, tranga branca de caracol 560 rsa
a duzia de pegas, trangas de la de cora-
de caracol 600 rs. a dizia de pegas, m.
taxe branco de algodo 80 rs. a duzia de
pegas, caixas de agulhas aancezas 4 papis
por 220 240 rs. o miileiro, agulhas para
crochet, toncas de la francezas muito boa
nitinbas para mangas a 800 rs. uma, cai-
xas de superior pap-1 imizade 700 rs.,
ditas de dito de cores a 800 rs., caixas de
100 envelopes 5001 rs., papel aimaco
pautado, dito de peso,; dito para forre de
casa, meias cruas para :rangas 3S00 a
duzia, e inglezas muito finas sem costara
de numero 2 '8 de 'i05OO 505COa du-
zia, meias pira meninas de todas as idade
30500 o dua'a, ditas inglezas sem costu-
ra para bomem 50500, e muito finas i
60500 a'duzia, ditas era p de cor 80 e
80500 a* duzia. superiores meias inglezas
para senlnra 60, 8->, 100 e 160, kvas
de fio da Escoja finas, brancas e de cores
para seoborn 30 a duzia, superiores la-
vas de pellicas brancas, pretas e de cores
para bomem e senhori, grande sortimento
de bengallas, espmgaudas para criaogas,
brincos e alfinetes de iurracba para loto, e
correntes para relogio^ 800 rs., jogos de
vispora 320 rs., grajratas de seda de 200
rs. 20500 cada umi graode sortimento
de bples e guarnigei para camisas de bo-
mem de 400 rs. a 20 Jwda uma, tioles de
madreperola grande arpara colletes, grande
sortimento de aboloaoras para coHetes, o
ditas de os^ para pafctots e colletes. groza
de bolfes de osso ara caiga 240 rs.,
pegas de fita de sarja 4e cores sem beira de
n. 1 i 700, ditas de 4iia de selim estretta
e l rgas e 240 50O rs. pegas de filas
de veludo eslreilaireta 610 rs. ditas
largas, e mullas outas miudezs qi e dei-
xarjQOS de mencionaij/por se tornar enfado*
manha as 9 da ooite.
AI.
i
a
di
\'

A.-4. 1
->i


Diario #* ^einanibuco Quarla eira 12 de Julho da 1>871.
i. *
y
I ,r
*
*
1 *
?
LOJA
DO
64
CYSNE
mi Dimmmn \ u
DE
FIGUEIREDO a LOPES.
Os proprielarios deste novo estabelecimento, gratos para com o respeitavel pu-
blico peto icolhiraento favoravel que tem recebido de seus fregaezes; sinceramente Ihe
agradecemos tSo expootanea como grata coadjovacao. Certos est raps qne devemos
cootinaar a,, receber este favor porque o nosso programan ser fielmente cumprido
qae vender barato e haver sinceridade nos traios.
Convidamos portanw as Exmas. familias e aos mscales a virem ao nosso estabe-
lecimento oa mandar bnscar as amostras das fazendas v que recebtmos ultimajaente,
pois temos fazendas da mais apurado gosto e do melhor qae vera ao nosso mercado.
Grosdnaples
Temos o melhor sonimento deste arti-
go e vendemos por menos que outra qoal-
quer casa.
Ditos ds cores.
O Cysne tem o mais lindo sortimento e
de superior qualidadc que vendimos for que vendemos
25500 e 21800 rs.
SETINS DE CORES.
Temos de todas as qualidades e
mais baratos que outro qualquer.
E' PECHINCHA
Vestuarios para baplisados.
O Cysne tem vestuarios para baptisados
muito lindos e vende por menos do que em
outra qualquer parte.
CRETONES. '
Recebemos crotones de cores escaras e
claras proprias para vestidos de senhoras
por 440 rs.
LENCOS.
O Cysne tem longos precos'at 95000, ditos de cambraia de linbo em
canas d"e duzia a 75000. ditos brancts,
de'cassa muito finos a 20500 rs., itos de
Alpaca layrada com cordao a 560 rs. o cores fxas proprios para rap a 4^000 a
covado, dita com dores e listras a 640, 700, duzia.
900, ItfOOO e 15200 rs.. estas ultimas sj Tapetes para guarnirlo de salas, de todos
t3o finas qoe ninguem dir que laa, sao ns tamanhos o por mtnos prego do quo em
omito largas. outra qualquer casa.
Las Saboya Bretanhas de superior qoalidade a 1,
Recebemos urnas laas c m seda, fazenda 1500 e l$40rs. a vara,
mteiramente nova no mercado, ttm um bri-1 FLANELLAS.
Ibo que as turna reoommendavel.
Pechincha
Poil-de-Chevre fino o com muito bri Ib
a 560 rs. para acabar.
C.'rtes a M'nerva
E' upa fazenda de la com listras de seda
de cor que faz urna via extraordinaria com
9 o 20 co vados por 225000.
Cortinados
Temos de todas as qualidades, tanto de
cores como brancas e por meros do que
em outra qualquer parte.
Casemiras de cor, sendo-: verde, ama-
rella,.e encarnada.
Chales de merino.
Temos de 25500, 45, 55500 e 65500 rs.
ditos cbinezes a 145000, estes ltimos tem
seda e sao muito lindos e proprios para
Tenaos completo sortimento e vendemos urna senhora bonetla.
por menos que outro qualquer. i F||G bordado, liso fino, dito com salpi-
Cambraia para c rmanos de sujerior eos. dito preto liso e com salp.cos.
quatidade com 20 varas a 115000 a peca.
Colxas brancas de fusto a 257C0 rs.,
ditas de cores a 25800 e 60OO rs., ditas
mnto grandes com bonitos desenhos a
I250C0.
Atoalhado.
Temos atoalbados de linho muito largo,
dito de algodo adamascado.
Bramante de linbo com 10 palmos de
largura, dito de algodo a 15800 rs. o
metro.
Brins pardos o de cores para todos os
precos, dito loDa branco proprio para
roopa de bomem fazenda de superior qua-
lidade.
Para luto.
O Cysne tem chitas pretas de superior
qoalidade, cassas pretas e com salpicos,
^rjr&V100 de M e ssa >" ;3k
ano ao cor a /0uuu a pega. ^^ p(jr barato ^^
Cambraia de cor Algoalo enfestado com 9 palmos de lar-
Temos cambraias de cores com barras a gura proprio para lences, toaibas e outrbs
560 rs. o metro, ditas miudinhas a 500 rs. misteres, qoe vendemos pelo barato prego
5o finas e cores fixas. de 900 rs. a vara,
Meias para h >mens, dibs pa a senhoras, | Completo sortimento de casemiras de
ditas para meninos e meninas, de todos os core?, ditas pretas para todos os pregos,
precos s qualidades. pannos finos para todos os pregos. Tam-
Esparthos bem temos um bom alfaiate e nos encar-
Temos espartilhos de diversos tamanhos repamos de mandar fazer qo-lquer pega de
o pregos. obra que ficar ar gosto do frpgn*-z.
CHITAS
O Cysne tem o melhor sortimento de
chitas Anas desde 280 at 440 rs., pode-
mos alDangar ferem cre fixas.
MADAPOLOES
Temos madapoloes desde 45Q0O at
16500C, porm esta qualidade tem 40 jar-
das oo 32 vaias muito largo e eocorpa-1
do. Dito francez com 24 jardas a 85 e
I150C0.
Cambraias Victorias finas desde 45500
at 85000 rs.
Ditas transparentes fin-s de 35500 at
1450C0, porm stas sao largas.
Cortes de cambraia branca com 8 varas!
com llores bordadas muito lindas a 75000.
ORGANDYS BRANCO
I
COFRES DE FERRO
i FERRO
Estes artigos acbam-se a venda
em casa dos importadores
Shaw, Hawkks & C,
ra da Cruz n. 4.
HV'DIOLEO LITUOTIIPTICO
JlLVTI rhrvmTICO E GOTTOSO
ESSENC1ALMENTE EFFICAZ E 1NFALLIVE EM DESTRUIR AS AREIAS E
EVITAR A SUA FORMACO
Guiados pelas iodicacSes de amitos abalisados cbtmicos, e medico* distinctos, que
se deram ao estudo e averitjuaco das causas que prodnzem os pdecimentos de rheu-
matismo, gptla, arelas dos rltitis, oexiga, figado, e d'outra visceras; e aos ensaios d-s
meios prepriospara cural-os, checam actividade contra os ditos padecimentos.
Nao nicamente bascada em theorias qoe tanto avengamos, mas sim nes satis
factorios resoltados- obtidos da sua applicaco, as innmeras e*perieoci8s, que com file
fizemos ; e deste modo, seguros de .^eus beneficios tffeitos, afb'utameoie o recommenda-
mos pessoas q e sofitam algumas das molestias cima" ditas, ou de algons outros pa-
decimntos -do apparelho urinario, taes como o diabtico, glycosurico albuminuria)
etc.
Escudado seria observar que se n5o pode designar om numero determinado de dses
de. om medicamento para corar todos os individuos qoe padegam da mesma molestia ;
pois que a cura est dependente de diversas circumstancias, inherentes dispwicao na-
tural ou compleigo, de cada um delles ; mas comludo, certo qne o hydroleo lutho-
triplico antirheumatico egottoso prodtz sempre acora desejada, qundo se persista eml
toma lo o lempo preciso para obte-la; devendo ter-se em vista que qoanlo mais invete
r.uto est o mal mais se deve insistir na applicagao do remedio.
Podemos tambem afBancar que, por mais continuado que stja, o uso deste reme-
dio au causa desamujo algnm as vias digestivas, mas antes, pela propriedade eminen-
temente tnica, que tambem possue, fortifica o estomago, torna mais facis as digestes
e, nao poocas vezes, tem feito desapparecer diarrhea, que eram entretidas pela debil-
dade geial do apparelho digestivo,
MODO DE USAR.
Tomam-.'edo hydroleo lythotriptico, nos primeiros qoatro oo cinco dias, duas co-
Iheres de sopa, em agua assucarada, leite, cha ou caf com leite, e mesmo seiii mista
ra alguma, r>a occasio do almogo, e outras ao principiar a jantar.
No quinto ou sexto dia e seguintes, tomam-se do mesmo modo dito, tres coiheres
de eada vez. '
Se as ourinas da pessoa doenle depositam grande prelo de arelas; se as dores
nephriticas, rheumaticas ou gottosas sao constantes.; em fio, se os padecimentos sao
fortes, lomar-se-bo quatro colDeres de cada vez, ou tres vezes no dia, a tres comeres
de cada urna.
Quando as areias,- ou outros padecimentos, tea diminuido, torna-se s primeiras
dses.
Pelo uso do Hydroleo lilhotriptico vo sendo mais raros o apparecimento das areias,
?s dores nephriticas, rheumaticas e gottosas at quede todo desapparecero : neste ponto
pode disperisar-se o remedio : ntil, porm, como preventivo, tomar cada semana urna
ou duas dses delle.
' Pelo qoe respeita alimentago, deve ell? ser regulada de modo que nao sobrecar-
regne o estomago, e em quantidada tal que possa ser fcilmente digerida.
A melhor bebida sem duvida, a agoa pura, has tambem se pode osar de vinho
simples ou pouco alcooco. De cerveja e vinhos fortes, poucas vezes.
Sobre Jodo o que muito recommendamos, grande exercicio, sem fadiga, pois que
elle muito contribue oara a rapidez da cura. ,
N. B.. Depoisde tirar-se do frasco a porgoqoe sSvaTlomar, deve haver o maior
cuidado em o arrolhar immediatamente.
nico deposito em Pernambuco
Pharmacia americana de Ferreira Maia 4 C, ra do Duque de Caxias n. 57, (an-
tiga do Qaeimado.)
----------1_
(O
S
s
9
ss. a
f.
8>S.
. o

-
r.
-

09
o o
3
9 g
-. JT a.
C
x
_. s
3 O
3 2
"ere'
3 .
2 p o
e S
c 3
o t
00-^ "I 5* 3
3 o =
SoS"w
' *
SL i
99
#*
p
O
0
ST2 o
P3
h

^5
O
9
M
3
n
n
ro
ce
O' 2
C-
O

api
o
8
9 g.
o S* o
9
2#
5"
-i
9
9 f*

O N
3 9
(6 '
3
9
9
n>
o_
5"
co
O
00
9> 8
OS' I
p p* o
o P
hP
y 0
a CD
S- P-
p Pi O
o p
1 M
P 02
w 0 0
to O
N!
^=^3
eimm ^5"!S^^
e ^^ i wftfr?M
>' \&t*?
^^
m ujSgajZ SS2sja-^

p-S^fj* B? -T^iv2 *
05 B^->fe car', -'gjj'fj
* Barw
<=> Ttb
^ H^S- Hr~t3a~"^4
*-* "*&% w*ii -v^ "i<3
s y ff"ir-'flj
00 jflft'^'5B
CT> ba^.y^g^pB
B ^p^^ft
ha
o 6^jl'^sf il.\5B ^d

p
se>
B 2L^^~p9
cr
0 grr'ff li'^ll
O
O
FAZENDAS BARATAS
. NA
LO JA DO PAPAGAIO
A' ra da Imperatriz n. 40, esquina do becco
dos Ferreiros
DE
MENDES 8: CARVALHO
Os tovos prop ietariis deste bem conhecido estabeleciment'o, avisam aos seos
numerosos fregoezes e com especiadade s excellenlissim3S familia', que acabam de
receber um novo sortimento de fazendas modernas e de esmerado gosta, de sedi, 13a,
linbo e.alfforo. que vendero mais barato que qualquer outro estabelecimenlo ; assim
como vendero as J existentes pelo maior prego que encontraren!, para n5o accomola-
rem as antigs enm as modernas. Portanto, previnem s excetlentbsimas familias amigas
da economa domestica que aproveitem a oreasiao de, com pequeo dispendio' pode-
re m refazer-se de qualquer fazenda que precisen).
Declaramos (S pregos de algumas fozebdas, para provar o que dizemos.
Madapoloes de 4, 5, 6, 7 e at 10)5000 a pega.
AlgodOnzinho de 2#500 a 8i5000 a pega.
Chita a ICO rs. o covado.
Cortes de chita para vestidos a 1*5(600.
L'azinbas de diferentes qualidades de 320 a 500 rs. o covado.
Cortes de percalas com 14 covados a 5$000.
Dit-js de cassas, padroes miudinhos, a 2(5500.*
Alpacas com flores de todas as cores a 400 rs. o covado?
Chitas rxas cor de lyrio, de cor tixa, a 360 rs. o covado.
Cortes de cassas com salpicos de cor a 5 Ditos de cambraia branca bordados e de salpicos a 6(5000.
Baies de la de cores modernas a 4^000.
Lengos chiuzes brancas e de cores a 35 a dozia.
Ditos brincos de cassa a -j a duzia.
Chales de m< rn lisos e estampados de <2^50O a 5(5000.
Colchas de fusto, 'grandes, brancas, a 2 Hramantt de linho de 2>'00 a 250OO o metro.
Algodo entestado liso e trangado de 1-jl a 1^400.
i.olchas de fa&ti de cor de 25500 at 6(5oOO.
Hrins de linho de cor de 500 at 800 rs.
Cas-as de cores de padrovs midos e grados.
Bastas de todas as cores a 600 rs. o covado.
Fiauellas di cores a 640 rs. o covado.
Para luto
Princetas pretas a 640. 800 e 1*5000.
Lazinbas pretas a 440 e 500 rs. o covado.
Cassas pretas a 040 rs. a vara.
Chitas pretas a 300 rs. o covado.
Alpacas pretas a 5i0, 600 e 800 rs. e covado.
Bombazinas, lisa e trangada, a 1*5200 e 1*5800 o covado.
Merinos tragados ede'cordo para differentes pregos. ,
Outras muitas fazendas, como sejam : atoalbados de linho e algodo, gaanana-
pos pardos e brancos, algodo enfestado liso e trangado, bramantes de buho e algodo
para lenges, cortinados bordados para janellas, flanellas e damascos de tjdas as cores.
Ofcina de alfaiate na loja do Faoagaio
Alm de haver um grande sortimento de roupa feita de todas as qualidades, tanto
de brins como de casemiras, caigas, rolletes e palitots, ha um bonito sortimento mo-
derno de CASEMIRAS de cores, proprias para a estago, e cortes de gorguro par?
colletes.
Panos finos pretos e azues.
Casemiras pretas muito finas.
Brins brancos de linho de todas as qualidades.
Ditos pardos trancados e lisos com listras.
Ditos de cores de todas as qualidades.
Seroulas francezas de linho e algodo. v
Camisas francezas e inglezas, bordadas, com pregas, com collarmho e sem elle.
Ditas de meia de differentes pregos.
Ditas de flanella, bracas e de cores, para usar por baixo.
Ditas inglezas para meninos.
Chapeos deso de seda para 8, 10 at 18*5000.
Collariobos e punhos de linho. y
Grande sortimento de gravatas, mantas de seda pretas e de cores, e um especial
sortimento de popelinas de cores, dos padres mais modernos qne tem viud.> ao mer-
cado.
Fornecem-se amostras ou mandam-se levar pelos caixeiros.
E8S
ATTENQAO
FLOR DE OUBO
Forte mama de annunc^ar I vive o Diario de Pernambuco cheio de 1160006?, veti-
de-se alo, vende se aquillo, e urna ioflnidade de cousas f para masjarem a aliencao lo
respeitavel pnblico! nn eDtanto, os proprielarios do novo h bem mnntado etobelecimento de
joias, intitulad.)FL0I1 DE OUROsito ra do Rosario larga a. ii A tendo preparado com
tuda a elegancia e goto nao virn para o cooceitaado Diarto de Pernambuco apregoar qoe
tem as melbores joias de ouro, prata, brilhantes e mais pedras preciosa?, todo da uiraa
moda, e que vende mais barato que em qualquer outra parte, se elles quizessem seguir erta
rotina de annunciar, diriam que esto cooipletameote sortidos (le bellos aderegos, cadeia-
para relogios. anneis braceletes e nma influidade de artigos que ser eafadnoho mencionar
e que .- com vista poderia o respeitavel publico e com e3pecialidade as Exmas, Sras, fre-
quentando dito estabelecimento, a -na vonlade apreciaren).
*
Nunca te vio ora procewo'rnate perfeito e qne ai-
Hoja de tal forma a satisfazer as exifeocial mais
vera. da < scripluracao.
A sna cor ndissima e nao precisa de cnida-
*oalgnm para se conservar nn tinteico sempre
eom a memu cr, sen borra, cr-ta bolr nn sem
as estas maceHas inherentes i todas as tintas
at agora eonbeetda?, anda mesmo dos melbares
antorea estrangeiros.
Sobretnno, este esthnavel producto nao ataca a
peonas ae *co, antes peto contrario, a penna
adfsire Da marte donraae (fue, aendo inters-
sante, aseas prove.itoso.
Esta tinta, nao sendo especialmente para copiar,
4i eomtodo dnas, tre, ou mais tplas nm h ex
Jepois de escripia ; precisa, porm, deixar-lbe
o papel bero moihado sera QMKaaar con o aiata-
aorrio, porque nao ha o ri^ca Je borrar. Pana se
tirar mais da nma copia, nao se agglomeram tan-
tas fumas mantas copias se qoerem tirar, mas
vae-se ohs o riginal tirar urna tantas Ranlas
sa deejam, sera qae o original nq pelas exirace9.
Oeeorre aqai diier que, jara copiar importa
muila intelligeacia e habilidade, aem o qne a me-
ntor nota nao satisfaz, e o deleito recae sempre
otare a tinta, qae atritas etea.d fuem menos
colpa tem.
A dupla qoalidade desta lista extretoameole
apreciavet, pois qae evita qoe em qualquer es-
enptorte %afa aaH do que ama tinta para os di-
versos misteres.
Bmqnaou ana iorabilidade, nao ba a oppot
a meaor cripta soljre o choque de cidos tbrti9simost sem
se decompr; ora, se os atados nao tem aegao so-
bre ella, muite menos a accao do tompo a poda
destruir ; isto plaasivel.
Sao s ao commercio qne este mea producto
veio ser til ; os professores dos collegios, invesli-
I gando todos os meios para o adiantaraento dos
i seus diecipulos, tem approveitado esta tinta, que
eom rszao a acharam apta 0a ra desenvolver o
gosto nos educandos, em conseqneneia da beleza
da rr e facilidade de correr na pequea pela sua
liquidez. Ha exeraplos de enancas que havia
rooito tempo tinham nma repugnancia extrema
para a escripia, logo que fo admittida esta tinta
no coliegio, apoderon-se deltas a eonosidade e o
go--to, e penco tempo depois o seu adiantamenlo
era manitesto.
Esta tinta, par de tantas vantageos, tem nm
nice inconveniente, deteriora-se ao contacto de
outra qualquer; envera peis te-a ero linteiro
isentos do menor vislnmbre de ootra nU, e evi-
ur escrever comanenna soja de nma preparac.ao
ditTerente e incompativel; verificando isto, nao ha
razo para se osar de tinta qoe nao sejl a VIO-
LETA EXWA-WNA DB MuNTEUWX
Sao finalmente chegadas a esta praga pela segunda vez as verdadeiras preprameos
do Dr. Badway 4 C. de New-York. y
Depois de alguns aonos, em que as fa!siflcac5es de Haroburgo e mesmo de New*
York tiveram entrada neste mercado, aproveitando-se do bem merecido cooceito qot
estes remedios baviam alcanzado por seos maravilbosos effeitos consegairam introduzir
se, illndindo o poblico incanto, com orna redoccSo de prefo, nollificando o verdadein
mrito destas admiravefs preparacSes, imitando as verdadeiras; porm desacreditan-
do-as com seos nullos effeitos, lembrou-se o autor, de faret a declaracSo abaixo, e s
dar diplomas aos qne vetflerem os seus legtimos preparados. ,
Previna-se o respeitavel poblico de que as verdadeiras preparares do Dr. Ra-
dwat s se vendem nos depsitos cima declarados e trazem om rotlo igoal ao dest
annancio.
Nos abaixo assignados, declaramos e certificamos, qae es Srs. Raymondo Carlos Lei-
te i Irm5o, da cidade do Rio de Janeiro, no imperio do Brasil, sao os nossos agentet
geraes, pela venda de nossos remedios, tanto no dito imperio como no reino de Porto
gal. Noticiamos ao poblico, que n5o se podem obter os remedios do Dr. Radwat 4 C
(e qoe s3o preparados no laboratorio do mesmo dootor na cidade de New-York nos
Estados-Unidos), seno das pessoas qae pdem prodnzir a presente certificacSo e altes
tacSo e qne a prodnzem, subscripta e assignada do Dr. Radwat 4 C. e dos Srs. Ray
mondo Carlos Leite Irmao como ao pe. Todos e cada nm dos remedios do Dr. Ra-
dwat & C. sao acompanhados de cdalas smelhantes as que parecem ao p desta cer-
tificacao.
Examne-se bem a assignatura da firma da Dr. Radwat C. ao p da present
sertificacao e compare-se com o facsmile as cdulas com todos os frascos e caixinhaa.
Radwat & C.
Observa?o.
Diversas falsiiicat5es e leraelnancas tem appa-
reeido, caja dnrabilidade Jovidosa. Os Srs.
compradores polem evitar o engao dirigndo-se
a casas eireomspectas, e pedindo a tinta qne en
Ubrieo
. C. m*eir:
Vende-SB na roa do Baro da Victoria, oo-
tr'ora ra Nova n. 49, o amarzera de ionca Ina e-
ordinara, a qualquer pessoa que se quizer esta-
belecer, a dioheiro, en com alguro pra?o com ga-
rante a rootade do pr^prir taric; no mesmo ar-
mazem, vende-se a dinheiro vista, apiiaralbos
para cha de porcelana, deurados e de frisos de-
cores, ditos de porcelana branca, apparelbos pa-
ra jantar de pcrc-lana tranca, ditos para' jantar *
de friso verde e aznl. itxrteccr, **
sos de porcelana para flores,
(as, copos para ag ja, clices para v.oho e chara-
panhe, de cbrystal e lapidados finos; e outras
muitas pecas qne ser eofadonbo mencionar por
extenco. qne ee vende or menea do que ero oo-
tra qualqosr- parte de 5 a 10 por cerno, por ter
o dono do anafcafi com o e tabeleeimeato.
fcRWDE
w
Na roa do Crespo m 20.
Ch'rtas de tima f cor proprta sera a praei, e&r
uo cioza e cor de ganga, muito lindas a tnu e 300
dttus para cha, va-1 vada : M ^ (iuHberme Carneiro da
compoteu-as, gwra-1 ^ *"
BAZAR DA MODA
DE
JOS DE SOUZA SOARES k C.
Grande exposipo
Especial sortimento de fazendas de algodo, linho, 12a, e seda, de todas as quali-
dades.
Artigos da moda elegante, tanto para senhoras, como para homens e meninos.
Completo sortimento de miudezas finas.
Grande deposito de perfumaras dos nais affamados perfumistas da Europa.
Variedade em objectos de phantasia para mimos.
Nova remessa de ricos livros para missa com encadernac5o de velludo, cha rao
esmaltado, e madreperola, tanto para senhoras como para meninas.
Bello sortimento de lindas e modernas joias de onro, como sejam : cadeias para
relogios, medalhoes, meios aderecos, brincos, broches, braceletes, collares, e abogade-
ras para camisa.
Ricos espelhos grandes com moldora dourada a ouro fino.
Bollas panormicas, brancas e de cores, proprias para jardins e cornijas de cssas.
Assim como temos m venda orna bella e perfeita embarcado de guerra, symbolo
da corveta Sd da Bandeira, e urna caixa com rica msica de pente acompanhada de
timbres e rufo, tocando com a maior perfeic.no o bymoo do Brasil, Vida Parisiense,
Marco Espada, Flor do Cha, Fausto, Pericholle, os Dragues de Villars, e Yiagem a
China. *
M. 50Ra do Baro da victoriaX. AO
(Esquina da de Santo Amaro),
RtACO fc ESCURO
*s
late itt
ingas
Pala, que vendem-l
goes a preco commo
urgft
delhsqnetri
eai vessn-
elo upor hm-
peqdehH poTr
Oemenco ^ortiund
Em barricas de 13 arrobas i preeo man
nodos qoe em ootrafosknner parte, nende-ae
o aroaaiens e Tasso traaos C.
Veana nm cautlente osles pastad
fog: na roa Duque de Caasas n. M, Bit'ara
Qaeimado.
Machinas
' Vendero-e maehmas de costar en> eninA
mine em porta estalo na roa Dtrefta n. 61.
TERMICIKKO E CBEfRiElt
0 Senhor Chtrier compitura tas desco-
beru ujuiitu-4o ioduri de ferro ao Oleo de
BacsIhSn desinft'Udo. Este Oleo de Figido de j
lc;bn femiRioeo Um lodts propriedade
ce (Ia ferro ^i^*rp- fsr'l-^iTrte n*nri
i......> >ic entre. Hort ...yt
t -ai preparaijoei fernif inea* iPihelaAoa Xa-'
rep). cowem em Udas m doencat oade ae
emprega o ferro. Tiaica pulmonar, bronchitei,
rarlMiuno, eerrafiries, iTipigeni, gota, i*u-
Oeaiolariamlo o Oieo de Fijado de Baealhto,
o Suior Cfietrier 4eo a esta preciosa prrpara-
.o thrapNitira om eheiro e sabor agradaveis
q-ie nenhuma ieenaa'rnudes Ibc (iram.
Calaatteclante doseobrrta. oe. eraneoo *
-'i autor cma Il^dslba >io.hror, :gaiieu
iiMdo Oleo de-Finado rttBacalbi'io deslnfec OaUMMl^oao rr~tt'>AUt r'or*>riclmfinleaiodoa
a antros, em touas as molestias onde M prega o Otto d* Fraila de Bncalho.
*er>er maia pormenores os res lorio medi-
frase. rosttiu<\
PknrmnWa VtWBVB'. B **** *"#*. Wsilrar*
Nt ffioina iihannae.a acbio-sao TIKHll ELUil f.a CGA, ce N.Dt'S |>'ii>iracAes Uaka.
O TSPrXTTOLKF.RrtHIOenrii AtKlCi rara eursr elmu'as, frridaa,cortaduraa cornuales.
|Sa.tUtJHMOS ^e BISISUTH "oniuosias icslra sdiHrrtlJ,denteri, dore delnmgo,et--.
UavasiSABj&, em Jtio de Jani%, l)cpof<:HKU.B et C". Baha, Unaaiaa ianao etC*
Pernamfmco, P. Marbe. et ". Maranfimt, Pcbbehu St C. Pnria Alegret
V Jaso ftT.to. Pilota*. AWTJBO Ll_^
matisiao enroaico, turrhas alios, dTipep-
sias, contales cencas diffireis e fraque?, ts da
m


Diario de Pernambaco Quarta eira 12 de JullMTite 1871
^r
' .*
VAREDDE


t
O secretario do conselho geral da asso-
ciacao internaciooal dos operarios de Lon-
dres dirige ao director do Times a seguinte
carta :
Hing Mbom, 12 de jaoho de 1871.
Mu senhor meo :
No da 0 do correte remeneo, o jjSr
Julio Favre urna circular a todas a, poten-
cias europeas convidando-as a perseguir o*
membros da associacSo internacional de
operarios.
.t Bastar para dar a conhecer o carcter
desse documento, algumas simples obser-
vares.
No prembulo dos seus estatuto* esta
provado que a internacional se fundn era
28 de setembro de 1864, n'um meeting pu-
blico celebrado eui Saint-Martin's Hall, Long
Acre., em Londres.
t Por motivos que s3o particulares seus
suppoe o Sr. Julio Favre a sua origem em
18(i.
Pan oxpr os nossos principios, o S.\
Julio Favre precie citar a nossa folha de
25 ,le margo de 1869 ; e que que cita ?
O peridico d'uma sociedade que nao a
internacin!.
pretenda lr extractos dj folheios de
Gabet, qoando na realtdade ha interpelia-
Qes da sua lavra, ira'paca que foi descolar-
la em pleno tribunal, e que seiu a indul-
gencia e Cabet teria oailo lugar, como
castigo, expuisSo de Julio Favre da as-
semola de Pars.
l)e quantos documentos altrbuio Julio
Favre iuternaciooal, nenbum pertence a
essa sociedade.
i Port'xemplo, escreve : A allianca de-
clara se tbea, diz o consellio geral consti-
tuido tm Londres em juiho de. 1869.
Nunca o conselho geral emitiio seme-
lhante declaraco.
s Na sua circular, que tem pretences de
se dirigir igualmente contra o imperio, Julioj
Favre nao faz oais do que repetir contra a
internacional as invencoes policiaes das au-
toridades imperiaes, invencoes que se der
rubaam raiseravelunnie perant3 os tribu-
naes do aperio.
i E' sabido que nos seus dous manifes-
tos de juiho e de setembro de 1870, o euQ-
selh i geral denunciava os planos de con
quista da Prossia contra a Franca.
MaisVjiante, o Sr. Reittinger, secretario
particular do Sr. Julio Favre, dirigio-se era
naide a algn* membros do conselho geral
para ooter ama dem nstraco contra o Sr.
de Bisinark, e rogava^lhes encarecidamenle
que nao se fallasse de repblica.
t F'zerani-se os preparativos para Dina
domoiistracao em f.vor de Julio Favre, cuja
enejada se esperava em Londres, apezarrio
coselbo geral, que no seu manifest de 9
oe setembro lioha prevenido os operarios
de Paris corara o Sr Jalio Favre e seus
collegas.
Que diria o Sr. Julio Favre, se a in-
ternacional, aproveitando a sua vez, remet-
tesse urna circular a1 todos os gabinetes da
Europa, chamando a sua atiendo para o?
documentos publicados em Faris pelo falle-
cido Sr. Milhere ?
o Seu ailecinoso e seguro servidor
John Hales, secretario do conselho geral da
associai;ao internacional de perarios.
O verdadeiro assassioo do arceblspo
Darboy f j o Sr. Thiers. A cnmmuoa tintia
por moitas e nanitas vezes offerecido a tro-
ca do arcebispo e de nma porcSo de padres
s pela de Blan jii, que eslava em poder de
Tbiers. Thiers recusoa-se a isso obstina-
damente..
t Mais abaiio l-se na referida circu-
lar :
Depois do domingo 28 de maio de
871, o5o pode baver nem paznem tregoas
possiveis eni$a' os operarios de Franca e
aquelles que' se apropriam dos seus produc-
tos... Os fpevernos da Europa eochem di
recriminaces a sociedade internacional;
grit;im : vAbaixo a associacao internacional
dos operarios! abaixo a organisacao do tra-
ba I lio contra a conspiracSo cosmopolita do
capital, primeira fonte de todos estes de-
sastres Thiers ni5o acara;terisa seo3ocom
o epitheto de despota do trabalho, de que
pretende sor o I bertador Picard ord.-
nou que fossem cortadas todas as com.mu
nicacas entre os internaconaes fran:ezes e
os do estrangeiro O conde Joubert, cum-
plice mumificado de Thiers em 1835, de-
clara que preciso extirpa-la de lodos os
paizes civitisados. m abalisado escriptor
france/., completamente esiranlio no:sa-as-
soiaco, diz, pelo contrario : Os membros
da commisso central da guarda nacional,
assim como a maior paite dos membros da
communa, sao os espirites mais activos,
mais inielligentes e mais enrgicos da asso
ciajo internacional dos operarioshomens
honestos, sinceros, dedicados, iotelligentes,
paros e phanaticos, na boa ac;epco da pa-
lavra.
O espirito burguez, impregnado das
ideas da po icia, julga que a associacao
urna conspiraco secreta cojo corpo central
ordena aqoi e alli exploses em certis pai-
zes A nossa associacao, porm, n3o de
facto seno o laco que une os operarios dos
diversos paizes do mundo civilizado. O vi-
ren') em que cresce n5o outro seno a
propria sociedade moderna ; ella n> pode
str desarraigada por nenhuma carnificina,
por maior que se ja O nico meio que os
poyemos irad^m empregar para a fazer
desapparecer justamente o de fazer dcs-
apparecer o despotismo do capital sobre o
trabalho, que a condc3o da sua existencia
parasyta.
O ultimo paragrapho desta circular
conceb o.nps seguintes termos : .
O Paris dos operarios e a sua c^ra
mona serosempre olhados como os pre-
cursores de ama nova sociedade. Os seos
martyres esto collocidos no altar do gran-
de Corac3o das classes operaras. A bisto-
ria j registrou os seus exterminadores, esse
labo eterno que todas as oraces dos seus
padres n3o conseguuo apagar das suas
paginas.
Entre os membros do conselho que as-
signaram a circular figuram os noAes de
B. Lucraft, George Odger, W. Mottershead,
Gowell Stepney e Cb. Murray. O secreta-
rios corresp mdentes de Franca, da Alleroa-
nha. de llollanda, de Hespanha, da Blgica,
da Suissa, da Italia, da Hungra, da Polonia,
da Dinamarca e dos Estados Unidos est3o
tambera oella assignados, bem como Har
mann Iung, presidente ; John Weston, the-
soureiro ; George Harris, secretario finan-
ceiro, e John Hall, secretario geral.
nao so reonem apparenteuaente em nenhuma
parte.
Gom este systema de clubs e sub-dmsoes
perdem se de vista os grandes nteressesdo
paiz e a poltica converte-se n'um jogo de
mesquinhas ou bastardas intrigas.
DOCUMENTO CURIOSO.-L-se o se-
grate no Jornal des Debates :
t Tendo o re i de Barman, mandado cons-
truir um teiegrapho para uso dos seos vas-
salios annuocioo-lhes esta resolocao nos
seguales termos:
i O fundidor da cidad'de Mandalay e do
Real-Palacio, senhor do mar e da trra,
lord do 9 oprate celeste, e possuidor de
muilos elephanles brancos e da arma de
Sekyak o de ladra, gosando do direito de
vida e morte, o grande ebefe da justica,
sendo extremamente dedicaio ao bem estar
do seu poo, introduzio oo annn de 143t
teiegrapho, que coastitoe urna sciencia
cojos elementos podein ser comparados ao
trovo e ao relmpago, pela rapidez e brilho
e que seus illustres aotepassa^os nunca co-
nheceram:
< Ao mesmo lempo que mandava estabs-
lecer a refoVida linha tetegraphica, o rei de
Barmah faza traduzir na lingua do paiz uro
cdigo telegraphico, oa Leepeedeepeka ,
compilado pelo seu mraistro do interior.
< Este cdigo deve ser muit> til, se se
avahar a exienso das palavras e dosnomes
ni referida liniua pelo nome do ministro,
que se chama Kyee Atven Woo Yajw Myoza
Men Mengyee Menbla Mana Tseetioo '
as soas bandeiras no arsenal de Inspruck,
7 de novembro de 1805,'copia de Meynie'.
* NapoleSo dando princeza de Haizfeld
o perdi de seu marido, 28 de outubro.de
1806, copia de Charles de Boisfremont.
apole3o-recebenJo ao campo de Fin-
keosteia a embaixada da Persia, 27 de abril imitada, porque o trabalbo constante das
Os peridicos de Pars publicam um ma-
nifest emanado da junta ceutral da inter-
nacional reunida em Paris, que demonstra
n3o se dar a associacao por, vencida.
Diz assim esse documento :
Operarios : urna luta sem precedente
na historia do mundo se acaba de empe-
ntar.
Diz-se que estamos derrotados. Se o
nosso deve- nio fosse seguir avante e sein-
pre avante, dirvos-hiamos: a reaccao em
razao.
f Mas o nosso dever obriga-nos a dizer-
voa : deixai que a reaccSo cante victoria e
proceda. Desarmaram-vos ; mas venceram-
vos realmenie ? '
Em Pars sois anda c Quando se contam cem mil, nnguem
.se retn v,.lunariamente da luta. A le
fraoceza, d, a vos operarios, o poder poli
tico. Deixa-loheis fnRir mais nina vez das
vossas raaos? Nao ; na ptissivel.
i N3o leudes nem clubs, nem reunioes.
nem orgaos; ag:ui>ai-vos vos que estreme-
cois o cireilo \\U, em redor da associa(3o
mtern .cional dos operarios^ S ella pd
condozir-vos emancipac3o e arrancar-vos
ao jago d,o capital e dos padres.
A associac3o internacional dos opera-
rios actualmente a g:ande criminosa. To-
dos os capitulacionistas, todas as incapaci-
dades da capital a aecusam das desgracas
da Franca, do incendi > de Paris.
t As desgracas da Franja repellimo-las
para sobre os Trocho, os Julio Favre e
ootros.
c O incendio de Paris! Aceitamos a
responsabilidad.
t A velha sociedade deve perecer e pe-
recer.
e Um esforco giganteo a abaloa j : um
ultimo esforco a deitar abaixo.
Operarios 1 N3o ha diseusses intesti-
nas, nao ba divisoes.
c s armas 1 s armas! Somos o nu-
mero e o direito, e por conseguinte a forca.
A reacc3o tomoo-nos as armas, mas n3o as
listas de votar.
i Avante I Atante! Viva a repblica
social I Viva a communa!
*

Lo se o seguinte no diario A Internacio-
nal, que se publica em Londres :
c Foi publicada urna circular dirigida
pelo conseibo geral da associac3o internacio-
nal a todos os seus membros da Europa e
dos Estados Unidos. Esse documento
muito extenso e relata os acontecimentos
polticos que se deram em Franca depois
do dia 4 de setembro de 1870 (quando os
operarios de Paris proclamaram a epnbtto)
at queda da communa.
Fallando dos saccessos recentes de Pa-
ris que aterraram o mondo, o conseibo
diz :
t O Paris dos operarios, no acto do seu
. proprio holocausto, incendiou os seas mo-
numentos e edificios, para que os vencedo-
res, que despedacaram o corpo vvente do
proletariado, o3o podessem jamis entrar
triumphantemente na architeetnra intacta
das suas habitares... Se os actos com-
mettidos pelos operarios toral de vanda-
lismo, foi o vaodalismo do desespero e n3o
o do triumpbo, o3o aquello qne 'os obristios
commetteram nos tbesooros valiosissimos
da antignidade pag3a. >
Fallando depois da morte do arcebispo
de Paris, accrescenta :
Paris, 19 prairial auno 79.A todos os
cidad3os :
Em presenga dos furores desencadeadis
pela reacc3o contra o proletariado, do de-
ver de todos os membros da asociac3o
dos operarios protestar com todas as suas
forfas contra um novo retrocesso bar-
baria.
AccuS se a communade. toda a especies
de torpezas, de roubos, de violencias e de
incendios.
Nunca Paris esteva mais socegado como
dorante a communa.
Se, durante a luta encarnicada contra os
soldados da reaccao, Qouve desorden?, nun-
ca ellas foram commettidas petos sollados
do direito do trabalho.
Honve incendios. Mas apezar delles te-
rem sido aleados pelos versalbezes, Pars,
espesmiiado pelos janzaros de todas as
reaccoes e de todos os despotismos nao te-
ve seqaer o direito de se enterrar debaixo
das suas ruinas aos gritos daViva a com
minia I Viva a repblica social 1
Operarios de tolos nara-nos assassinos, ladro '.s e incendiarios ;
compete-vos jolgar e escolher.
Oede que o inundo exisie, o proletario
o escravo do capital, do clero e da no-
breza.
Admittiado mesmo que commetlemos to-
dos os criines de que nos aecusam, n3o s3o
os nossos oppressores mil veze3 mais cul-
pados do que nos ?
Estendemos-lhes a mo e repelliram-nos.
Operarios, o nosso crime o de termos
querido a liberdade do mbalho, a emanci-
paco da mulher, n'uma palavpa, o direito
de vver.
Durante alguns dias chegamos ao nosso
ideal; suecumbimos, mas n3o fomo3 ven-
cidos.
N3o se pode vencer o socialismo porque
elle a justica, porque elle o direito.
Vmde a nos; abramos o camin'oo e janque-
mo-lo com os hossos cadveres: s3o as ba-
hsas para os nossos lhos.
Nao devemos recuar, a luta priocipiou ;
Paris* rnostrou-vos o que pode o povo.
Avante, e vioguemos, pela ruina da socie-
dade actual, os nossos irmos mortos, afim
de nos subtrahirmos ao jugo dos nossos op-
pressores saculares, os padres, os reis e o
capital.
. Viva a communa Viva a repblica so-
cial 1
GBUPOS POLTICOS.O Gaulois divide
em seis faeces? nada menos, a assembla
nacional fraoceza; como se dissessemos,
seis assemblas dentro de orna s :
1.* Extrema esqoerda; presidente, Luiz
Blanc ; 20 membros, o muito.
2.a Esquerda republicana, ou reaniio do
jogo da pela; presideotes, Ramean, maire
de Veraailles, e Leroyer, que subslituem o
Sr. Arago; 110 membros.
3.1 Republicaoa conservadora; presiden-
te do mesmo nome ; 90 membros.
4. Reooi3o Saiot-Marc-Girardra (orleaois-
mo poro); presidente, Saint-Marc; 120
membros. (Os grupos Feray e Saint-Marc
formam o que se concordoo em chamar
centro).
.* ReuoiSo da direrta reunida, ou des
Reservoirs; presidente, Moulin (da Pay de
Dome)#240 membros, entre legitimistas e
fusionistas.
6a e ultima: 55 oa 70 bonapartistas qdt
BOMBAS INCENDIARUS.As pesquizas
feilas pela polica de Paris em casa do chefe
insurgente Urbain, levaram a descobrir raui-
tas hilas explosivas e bombas incendiarias.
A respeito*- deslas ultimas, curiosa a des-
cripco que faz o Gaulois :
A bomba, diz aquella folba.'compd-se
de um recipiente, urna especie de garrafa
hojuda, cheia do liquido incendiario (nitro-
glicerina ou petrleo), e feriada com urna
tampa alravez da qual passa urna mecha,
cujos extremos penetra ura no liquido e o
outro sai para fra.
O recipiente est revestido de ama es
pecie de armadora de verdadera metralha,
como a dos projectis chamados ntemelas,
amalgamada com urna complica. de cal
que adhere slidamente e q e serve de forro
garrafa, foimaado .om conjuncto solido e
macisso. O peso da bomba 6 consideravel.
Laocada cootra um objecto incendeia e
mata ao mesmo lempo, sendo portaoto mais
temivel do que a metralha s, urna vez que
tem quasi a masma eficacia como instru-
mento destinado a dar a morte. todava,
d seu principal fim o incendi j ; e nesie
genero de inventos o mais aperfeicoado
qne se conhece. Essas bombas foram em-
pri'gadas com bastante freqoencia pelos in-
surgentes nos nltimos dias de luta.
< Actualmente, as autoridades militares
,no perdem um momeato em procurar e
descobrir todos os depsitos de t3o perigo-
sos projectis
O TUNNEL DO MONTE CENIS. Diz
um diario francez que a circulado pelo tun-
nel do monte Ceuis n3o poder principiar
em ag sto, como se desejava, por se darem
circumstancias imprevistas.
Parece que urna das causas 6 o fumo
das locomotoras viciar de tal mod) a atmos
phera, que raorreram aspbixiados na ori-
meira tentativa para percorrer os 12 kilo-
metros que o tunnel tem de extenslo, d.ras
dos tres macbinistas que guiavam a locomo-
tora. Alem dsso insupp irtavel o calor,
pois se eleva a 32 graos. Presentemente
estudam-se os meios de ventilac5o, leud-
se j pedido para Inglaterra machinas fumi-
gatorias aperfeicoalas, que se espera deem
os desejados resultados.
PRECIOSIDADES PERDIDAS. L-se
o seguiole no Temps :
Eis a relacac das principaes tapecarias
que figuravam n?s salas de exposic3o da
manufactura dos Gobellros e que foram
destruidas pelo incendio.
Esta lisia abre-se precisamente pela
represenlac3o de um incendie, fragmento
das batalbas de Scipion, do pintor Julio
itomain, execuiada em tecilo no reinado de
de Luz XIV por Le Blond. Esta raagni
tica tapecaria tinha 4 metros e 50 centme-
tros ae altura e 2 metros e 80 centmetros
de largura.
Segue-se, com as mesmas dimensss.
A Escola de Alhenas, Iragmepto, execulada
por Jean Jaus, desecho de Rapuael (fim do
17 seculo.)
t Baialba de Constantino contra Maxen-
cic, copia do quadro de Raphael e Jules
Romain, fragmento (lado esquerdo da bata-
Iha), executada sob a direcc3o de Charles
Le Brua, por Lefvre, pai, com ornatos de
o uro (fim do 17 seculo),
O Parnaso, de Rapbael, fragmento
(lado esquerdo) execulado por Jans, filao
(6m do 17 seculo).
0 Parnaso, idem, fragmento (lado es-
querdo) execulado por J. Jans, filho.
Triompho alcancado por Baccho, copia
de Raphael e Noel Coypei, tapesstria exe-
cutada no cotneco do 17 scalo por Life-
vre, filho, tendo de altura 5 metros e de
largura 7 metros e 5 centmetros.
Baialua de Alexandre, Poras Tencido,
copia de om quadro de Lebrn, fragmento,
com ornatos de ouro, circumdada de um
rico bordado, executada nos ns do 18
seculo.
Os touros, tapecaria executada em
1725 por Ovis de La Tour. Esta rica peca
e outras tres com assumptos anlogos fa-
ziam parle da tinturara bem como oito
pecas mais, cojos modelos origioaes, pre-
sente do principe de Ora age a Luiz XIV,
tinham sido ejecutados na India.
c Eotie as tapecarias histricas antigs
tigoravam as do imperio, entre as quaes se
notam :
< O general Bonaparte visitando os em-
pastados de Jada, 11 demarco de 1799,
copia de Grs.
< O general Bonaparte perdoando aos
revoltosos do Cairo, 23 de outubro de 1798
copia de Gurin (fragmento ; o terco da
composicao.)
c O general Bonaparte dando ama espa-
da ao chefe militar de Alexandria, juiho de
1798, copia de Mulard (fragmento ;o ter-
co da composic5o.)
< Napole3o dando ordens antes da bata-
Iha de Austerlitz, 2 de dezembro de 1805,
copia de Carlos Vernet (fragmento ; meta-
de da composicao.)
t A rendfclfo de Venna, cpis de Gi-
rodet Triosoo, 13 de novembro de 1805
("fragmento ; metade do fadro)
< O 76 regiment de linha encontrando
de 1807, copia de Mulard.
t Retrato da imperatriz Josephina, por
Letbire, tapecaria executada em 1809.
Entrevista dos imperadores ipoleao
Alexandre sobre o Niemen, 25 de junho
de 1807, copia de Gautherot
NapoleSo recebendo a rainha da Prus
sia em Tisitt, ::6J0e jluo de 1807, copia
de Berton.
t f^apoleo era Tilsitt. condecorando um
soldado do exercito russo, 9 de julbo, copia
de Debret*
< As mais notaveis de entre as pecas
modernas era a fundaco do maseu hist-
rico de Versalhes, sob a forma allegoric,
copia de AUux e Conder, tapecaria execu-
tada pelos Srs. Luiz Rtvcoa, Pedro Mu.ni.
Hup e Mamgant, concluida em 9 de se-
tembro de 1843 ; e o Louvre e as Tuiqeras
pelo Sr. Alaux, Conder Snior e mde
Cndor, tapecaria terminada em vi de Ja-
neiro de 1857.
i Nesla ultima tapecaria.. cuja prrda as
circumstancias t^rnam bem daploravel. o
Louvre (lado do rio), a galera do Louvre
at as tulherias e o pavilno de Fire erara
representados no estado emque se achavam
os edificios em 185-2. Um plano geral
inscripto na cercadura, indiciva o conjunc
to das construccoes anteriores a esta data,
e dos executados depois para reunir e Lou-
vre s Tulherias.
A8 MACHINAS DE COSTURA.-L seo
seguinto na Chronica da Catalunha :
< N'um dos principaes estabelecimentot
de Barcelona, no qual funeconam moitas
machinas de cozer, acaba de .ser introdu-
zida urna reforma digna do ser conbecida e
CORONEL DOMBROWSK1. Este pola-
co, irm3odo celebre caudiiho communista,
foi preso nao longe do Jirdira das Plantas.
Eslava confundid < n'um grupo numeroso ;
mas elle-mesmo se delatou querendo pro-
testar contra orna maldiclo laucada por um
dos assistente-i contra os polacos em geral.
Quer dizer que o senhor polaco "?
perguuioa-lhe o seo interlocutor.
Eu nao I... respondeu Dombrowski
perturbando-se.
A sua confuso causou eslranbeza as
pessoas que o acompanhavam, as quaes o
designirara aos agentes da polica. Levado
para a cadeia, apezar de Ihe encontraren)
cartas de sea irmSo, obstinouse em njgar
a sua ide itidade.
SUPERST.^O. L-se o seguinte no
Pall Mal Gazette :
* No tribunal superior de Berlim acaba
de ser julgada urna cansa, pela qual se v
que anda est arreigada- entre os polacos
e magyires a superstic3o dos vaupir s,
segundo a qual os morios sahem durante
a noute dos seus tmulos para irem sugar
o sangue das pessoas. com quem tiverara
relaces durante a vi la.
t Um fidalgo polaco tinha fallecido no
seu castello de Rdslasu em fevereiro pas-
sado, ficando toda a s ;a familia de perfeita
saude ; algumas semanas depois sea filho
mais velho foi atacado de um mal desconue-
cido e inexplicave;, qae o arrebaton desie
mundo em poocos dias, dando-se idnticos
casos entre ootros dos seus prximos p-
renles. Em vista disto, pois, desde logo
se julgou que o finado pa era um vampiro
e que os accidentes que se davam erara o
resultado das suas visitas. *
Um fi.bo segundo, qoerendo fugir
sorta de seu irmo, mandn exhumar o ca-
dver de seu pai, corton-lne a caneca, que
cpllocou debaixo dos ps, em quaoto que
outro individuo recolhia o sangue que sabia
da ferida e que era destinado a ser bebido
pelos pareles anda vivos. O abbade da
freguezia, porm, iuterveio no acto e evi-
tou o seguimento da operacao. Urna se-
gunda tentativa fu; posta em execuc3o e
desa vez o acto con^ummou se. Algumas
pessoas da localidade que o observaram
deram parte delle s autoridades e o re-
sultado desta absurda superstico foi o ser
condemo do na primeira instancia a 3 me-
zes de prisa > o violador do tmulo. Ap
pellou da sentenca, mas o tribunal superior
parece deci .ido a confirma-la.
*
HORROROSO ESPECTCULO.L-sa o
seguinte n'um diario estrageiio :
Entre os cadveres sepultados as im-
mediacoes da fabrica, do gaz, em Pars,
havia os de algumas mulheres em completo
estado d decomposic) e conservando an-
da as hornveis coolorses da violenta ago-
na. Todos estes despojos, encerrados em
carruagens cobertas e calafetadas como as
que se usam para os trausportes dos gabi-
netes anatmicos, foram levados para o
cemiterio de Montmartre.
No square da torre de Saint-Jacques,
onde os enterrameotos foram feilos anda
mais precipitadamente que era oatros sitios
e horas nocturnas, os bracos sahiam da
trra o davam que pensar aos moradores
da localidade. Diz-se que houve pessoas
moribundas ou meio vivas que foram enter-
radas em covas mal calcadas e que a agona
deltas fra bornvel.
c No cemiterio de Mootmartre parece
que foram muitos os enterramentos dos
moribundos, e no Pre Lchaite, em Mont-
matre e no Trocadero contam-se cousas de
fazer arrepiar os cabellos.
Priocipiou j a calcnac5o, e eis como
ella se execota : abrem-se setteiras junto
entrada das casamatas e fura-se o tecto das
mesmas para estabelecer urna corrate de
ar. Regase em seguida o interior com al-
catr3o e deita-se-lhe o fogo. Os arredores
satqram-se com cloro e acido fnico. Os
soldados executam e vigirnoslas fnebres
manobras. >
QUEVEDO. O Bien Public anounca a
morte de Mr. Quevedo, autigo ministro fla
ex-raioha Isabel, de Hespanha, ferido por
urna bala, do modo seguate :
O Sr. Quevedo ia visitar um amigo na
avenida da Grande Arme, quando foi preso
pelos guardas naciooaes diante da barricada
do Arco do Triumpho ; na occasiao em que
elle mostrava os seus papis, afim de pro-
var a sua oacipnalidade de hespaohol, dis-
paro u-se um liro, e Mr. Qoeveo foi ferido
na m3o.
Levaram oo logo para a sua babitacao,
onde apezar dos cuidados que Ihe foram
prodigalisados, nao tardoa muito um re-
sultado funesto.
Mr. Quevedo, dotado de-urna intelligencia
das mais disuadas, era om dos principaes
poetas contemporneos de Hespanha.
Existe um grande numero de tragedias e
de poesas, qae reyellam verdadeiro ta-
lento.
muloeres empregadas as referidas machi-
nas produzia mais cedo ou mais tarde doen-
cas incuraveis.
As machinas de cozer, qae at agora
funecionavam com o esforco de cada ope-
rara, irabaluam agora jautas, segundo o
numero que se deseje, e sem o auxilio e
nenhuma mulher; obedeced uniformemente
a uma forca motora do vapor, por meio tle
um simples mechaoismo (este e invent))
adaptado a cada urna deltas.
A ms->ao da operara fica mediante este
systema, reduzida a dirigir s com as m3o-
o lecido que coze, baoind -se, p^r tanto,
o prejuJicial ex-rcicio dos ps em particu-
lar^! era geral de todo o corpo. A marcha
da macbiua, rapla ou pansach, assim como,
a sua imraobildade, sao regulados sera o
uenor esforc) pela propria eperaria,
soa vontade. segundo o exija a obra em
que e.-t trabalbaudo.
ENTRADA TRIUMPHAL EM BERLIM.
O Daily News publica os beguin es porme-
nores da fesla militar que houve na capi'al
da Prus.-ia, por occasiao da entrada trium-
phal das tropas alleraes.
As festas verificaram-se com o mais
bello tempo.
As ras, depois da3 cinco botos da ma-
nha, estavam apiohadas de povo. Treos
especiaes trooxeram constantemente grandes
massas de curiosos, calculando se era....
00.000 os' forasleiros que vieram assistir
soleranidade. Suspeoderam-se os negocios
e fecharam-se as lujas.
Eraquanto o povo procurava logar nos
diversos sitios por onde bavia de passar o
cortejo, os soldados sahiam dos seus quar-
teis dirigiodo-se para o campo dj Teiupe-
Ibof.
Comquanto se tratasse de reunir no
mesmo ponto 45,000 homens por meio de
pequen >s destacamentos chegados de todas
as direcces, este mowmento fez-se com a
menor confuso possivel. Pouco depois das
11 horas, os ajudanies de campo do prin
cipe Augusto de Wurteihberg foram annun-
ciar a ste que tudo eslava prompto para a
n'.cepcao do imperador. A totalidade do
corpo do exercito principal eslava alli re-
presentado. A cada arma juntavam-se os
respetivos baialhoes, esquadres, bateras,
etc., representando o resto do exercito da
AllemaDba.
No flanco direito da primeira fileira
viam-se os oliGciaes do estado-maior em li-
oha de batalha. A partir da extrema direi
ta guravam os officiaes generaes e o estado
maior que n3o tiveram a felicidade de tomar
parte na guerra. Junto destes acbavam-se
indistinctameete diversos personaaens de
idade avancada que deviam ser geaeraes e
of&ciaes de estado-maior chamados reser-
va para seguir as tropas de mvas3o. Entre
elles e as bandeiras francezas eslava todo o
estado-maior do quartel general, reuni3o
brilhaote de principes, generaes, coronis,
facultativos, etc.. todos dspostos em tres
leiras. Em frente desbs o separados, es-
tavam* os ebefes e commandantes superiores
do exercito. Podbieski, Bluraenibal, Stoscbe,
Streple. general Scblottheim nao eslava
alli.
O imperador Guilherme n3o se fez
desta vez esperar, como succedera na revista
do exercito do Mease em Champigoy. Per-
coireu a.cavallo a freote da parada, acom-
panhado da imperatriz, da priuc-za real, dos
principes, e seguido poroiu trens que coo-
1 -ziam as damas de sangue real e as prin-
cezas convidadas. Felcitou o principe Au-
gusto de Wortemberg, que estava frente
do seu exercito. Depois verificou-se a sau-
ilacSo real das boas vinda.-, a; iii.j.uilia Ja
de tres salvas de applausos dirigidas pelo
principe Augusto. Q imperador dirigio-se
en 3o para o flanco direito onde estava a
primeira brigada e depois proseguio rpida-
mente a sua marcha pela frente das diver-
sas div.ses, aprestntando a infamara as
armas, por brigada, e a cava lana braudin-
do as espadas por cada regiment na sua
pasSogem.
A' medida que o imperador passava
por diante das divisoes, estas puabam-se
era mareba e iaoi lomar posic para a ce
rem raa da entrada, a infantaria em quatro
lileiras doljradas e a cavallaria por secces.
A vanguarda da columna, formada pelo pri
ineiro regiment dos guardas a p, fez alto
e ensarilhou armas peno da barreira, na ex-
tremidade da avenida de Tempelhof, espe-
rando a passagem dos dignatarios que a de-
viam preceder no desfilar. A populacfio da
cid ule nao vio a tropa seno qoando esta
desceu a ra da Bella-Allianca pela Porta
de Halle. Neste ponto a passagem era in-
terceptada por urna estatua coliossal repre-
sentando Berlim. Prximo desta' estatua
estavam os dignatarios civis prestes a dar
as boas vindas aos vencedores por occasiao
da sua entrada na capital.
Era perlo de urna bora quando o rufar
dos tambores e os sons das msicas e cor-
netas, misturados com os applausos, annun-
ciaram aos curiosos reunidos perto da Porta
de Brandenburg que o destilar das tropas
devia ser pela praca de Postdam. Os vivas
resoaram logo de ledos os lados. Divisou-
se a pluma branca e o uniforme branco do
velho general Wrangel, que depois^ de ter
contribuido para os triumphos passados,
presidia boje aquello, no qual a soa muita
idade nao ibe permiura tomar i>arte. Se-
guio-o o su estado-maior composto de ge-
neraes, como elle, na inactividad*, e de
oatros, que por diversas causas nSopoderam
figurar na recente guerra.
< Vinham em seguida osestados-maiores
de campanha tendo sua frente o general
Blumenthal, todos vestidos com os seus far-
damentos de guerra e nao com os uniformes
de parada. Depois os ebefes que exerce-
ram as funeces de goveroadores civis du-
rante a guerra, Biltenferd, Falkenstein, Bo-
om e Fabrico. Atraz destes seguiam-se a
cavalio os generaes commandantes dos di
versos corpos do exercito, e depois os per-
sonagens que tinham onir'ora commandado
corpos ioteiros do exercito da Allemanba. O
duque de Mecklembourg-Sthmenn ; o prin-
cipe real da Saxonia,o feldmarechal Stein-
metz e os geaeraes Manteuffel, Werder, van
der Tao e Goaben, qae tarnbem tinham
commandado exercitos nSo figuravam nesta
serie mas vinham nos corpos dos chefes su-
periores que a precediam.
c Depois de am intervallo appareceram
os hroes da historia: Bismark, Moltke e
Roon. Qae de applausos os acolheram l
Airaz destes vinha o rei Guifoerme, monta-
do no seu cavado de batalba. Segaiam-o os
fel-marecbaes da casa real, o principe real
da Prossia, o principe Frederico Carros,
um grupo numeroso de principes e de con-
vidados todos vestidos com brilhantes uni-
formes.
Depois destes vinham os officiaes infe-
riores de diversas nacionalidades allemaes
com os seus tropbas, aguias e bandei-
ras.,
Segoia-se a infantaria e faz recordar
euccessivamente pelos seos tropbos as vic-
torias de Saiul-Privat, Givonoe, Stains, Pi-
srreiitie e Le Bourget. Rufa q tambor e
a msica faz oavir os seus sons', mais os
gritos de enthusiasmo da multidio aba-
fam-os.
< Ao passar pela porta de Brandeboerg.
o impera ior para para ouvir" a felicitado
que Ihe dirigida pelas donzellas de Berlim,
e abraca a leitora a menina Blasear. A'
entrada do passeio das Tilias recebe nma
segunda felicitac3oque Ihe entregue pelo
burgomestre e pelos magistrados da ci
dade.
f Chegado extremidade do passeio o
imperador volta o seo cavallo ; os principes,
geaeraes, convidados e o seu estado maior
rodeiam-no e as tropas passampela sua fren-
te. Os infantes dividem-se em companbias
e os cavalleiros em meios esquadres. Do
palacio real um grande numero de senhoras
presenceiara este tocante espectculo.
A multido enorme por toda a parte ;
no palacio, na tribuna que se eleva entre o
palacio e a Opera, na Universidade e na
roa.
Urna parte das tropas desapparece peh
ponte do palacio ; outras tomara lugar em
Lustgarten, no cenlro do qual se eleva a es-
tatua anda coberta de Guilherme III.
Os que conduzem os trophos dispe-
em-se em tres leiras diante da estatua, j
rodeada pelos ministros, consolheiros eou-
tros elevadas funecionarios.
< Tomadas todas as disposicoes, o prn-
cipe Augusto de Wurtemberg dirige-se ao
impera or para Ihe dar pane que tudo e^t
preparado e enlao este chega seguido de um
numeroso cortejo de principes.
< s tropas apresenlam-lhe as armas e
os que conduzem os trophos depoem-os
junto da estatua. Durante este tempo ru-
tara os tambores, tocam os sinos e por fim
o capello-mr sobe ao monumento e recita
urna curta oracao.
O Sr de Bismark aproxima-se em se-
guida do imperador e pede-Ibe a permissSo
de tirar o veo que cobre a estatua. Um
momento deoois o veo cabe e um enthu-
siasmo indescnpiivel brilba Da multido. O
imperador descobre-se e d lentamente nma
volta'em redor da estatua de seu pai.
c A's cinco horas a ceremonia estava con -
cloida.
PRISI0NE1R0S NA ALLEMANHA. De
um relatorio otlicial publicado em Berlim.
resulla que em 25 de maio anda estavam
na Allemaoha, c mo prisiooeiros francezes.
1,024 officiaes e 174,674 subalternos e
soldados. Acbavam-se internados em Ste-
tio, Magdeboarg, Wesel, Glogan, Moguncia
e outros pootos.
A FABRICA DE GOBELINS. Le se o
seguiole no Diario Oficial de Paris.
A destroc3o dos Gobellns n3o 13o
grande como nos primeiros. momelos se
julgou Podemos asseverar que s urna
pequea parte do edificio foi devorada pelas
chammas, e que deltas poderam ser salvos
os irabalnns de tapecarias, que j desde
segunda-feira tem sido collocados oas salas
a qoe nao ebegou o incendio. A fabrica
de tpeles da Savonoerie, a oflicioa de
tinturara, a admiuistrac5o o os alojamentos
n3o foram alcancados pelo elemento des-
truidor.
t Nos armazens incendiados, algumai
bellas pecas poderam ser perservadas. Ci-
taremos entre outras : O Senhor Mono, d<-
Philippe de Champaigne, e o retrato de
Luz XIV, de Rigault, que ra urna formusa
obra de fabrico.
Finalmente a colleccao de modellos
anligos, foroecida recentemente pela adun-
niatracio dos mazeus, est quasi iotacta. >
exposico martima. a doracao
da exposico martima internacional de N>-
po-es foi proloncada por mais dous meze* :
a Franca mandou ltimamente para a'.li
urna grande quantidade de objectos.
Estes esto divididos tm 10 grupos fir-
mando qoareota classes oo secces.
O numero total dos expositores inscrip-
tos de 2,338, divididos do seguiole mo-
do :
Austria-Hungra, 170 ; Paizes Baixos,
125 ; Franca 96, (dos quaes s 30 pode-
ram madar os seos productos); Inglater-
ra, 75 ; Hespanha, 70 ; Blgica, 68 ; Alie-
manila do Norte, 6; Norwega, 4; Italia,
1774.
A INTERNACIONAL. L-se o seguinte
n'uraa-fc Iba estraogeira a cerca desta terr.-
vel sociedade.
Sao curiosos os promenores que pu-
blica um diario de Bordeas sobre a orgs-
nisi.-o interna da Sociedade Internacional
de operarios, cuja influencia se faz sentir
de um modo desastroso onde quer que en-
contra elementos para perturbar a ordem e
minar os cimento* da sociedade.
< Em principio, iodos os membros da
Internacional, sao obrigados, cada qual no
sea paiz, a empregar todos os seas esforcos
para reunir em urna associacao as diversas
sociedades operaras existentes. As grves
teem sido am dos meios mais poderosos e
segaros para a Internacional ganhar adep-
tos. Onde quer que exista ama seceo,
pe-se logo em relaces com os membros
da commisso de operarios e estabelecem
promptamente urna intelligencia formal.
Principia sempre por fazer organisar em so-
ciedade preventiva, de crdito ou outras
as corporaces de qae procara as adhe-
ses.
< Expede-se.lbgo a cada associado om
diploma qae o acredita como tal, e em cu
jo reverso est impresso em francs, alle-
m3o e ioglez am me ve resumo dos prin-
cipios da Internacional, tratando esta muilo
poaco dos operarios, e sendo o sea fim
principal o estabelecimento do socialismo.
Alm do diptesM, recebe eada membro om
folheto, qae contera os estatatose -
mentos r
'
v
'v
r
a-
(Co*ttnuar-se ka.
~? 00 OlAtUOMUA o WQU DB CAXA
a
.*i-.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E5QWG0X0M_NTOBRP INGEST_TIME 2013-09-14T02:57:15Z PACKAGE AA00011611_12432
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES