Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:12381


This item is only available as the following downloads:


Full Text
\
i
ANNO XLVII. NUMERO 105

H *f. *
tABA A CAMTAL E ITCAKS OBE IAO St PARA fdBXL
Por toa ames adiaotnios ............... 64000
Pur Mi* ttoi ton..........7. ...... I3J0OO
*>Wp..................... 84*000
Cwa rntOMro avolM................... WO
.
< i

TERCA FEIM 9 0 MAIO DE 1871.
FA1A BimO I F01A DA PH0YD.CIA.
Nr tras asese* adiantados............... t ,
Por Mil ditos idem........
fot nove, dito idem.......
Por sjb auno idem ....-.-

.
6|7M
131800
17

ir*
Propriedade de Manoel Figtieira de Faria & Filhos.



AO

-
O rr. Gerardo Antonio Alves 4 Filhos, no Para ; Gonfalves 4 Pinto, no MaranhJo ; Joaquim Jos de Otivaira Pereira d'Almeida, em Mamanguape ;Feh'ppe Estrella & C, na Parahyba ; Antonio Jos Gomes, na Villa da Penha; Belarmino dos Santos Baldo, em Santo AnUo; Domingos Jos da Costa Braga,
em Nazareth ; Antonio Ferreira de Agoiar, em Goyanna; Francino Tavares da Costa, em Alagoas; Dr. Jos Martina Alvea, na Babia; e Leite, Serqainbo C. no Rio de Janeiro.
INTERIOR.
RIO i: JANEinO.
fi Dt ABRIL BE 1871.
Par Uta de S* ao correa fe l noroeado 2* es-
rlpenrano da abesouraria de Sergipe o pratieante
til nesaea Hweoraria Candido Maciel Souto de
Aarade.

Do Rio da Prata recebemos hontem pelo vapor
inglez Mendoza folhis at 19 do eorreDte.
As Boiicias de Baenos-Ayres referem-se quasi
emetnsivameme epidemia, que all pareca ir ti-
oalneote dimlnnindo, tendo o numero de bitos
no ltimos das de:rescido de 276 a 226.
Relatinseote repblica do Uruguay nada ha
d> importancia. Apenas encontramos algumas no-
ticias vafas a respeii de blancos e colorados, di-
zendo-se qae aqoelles ameacavam Paysand, mas
trae a praa se achava bem defendida e a coberto
de quatqnsr ataque Ambas as parcialidades pa-
reciam evitar un combate, e anda quando fossem
aoraenfe o< bUnoos, como dize.n as folbas de Mon-
tevideo, que assim procedessem, o resultado seiia
tempre o mesmo, prolrahirse a guerra at qae o
eansago ebrigue a faifr a paz.
* Co Montevideo continuavam a procurar-se por
tMNa; os modo soecorros para Buenos-Ayres.
Mf-M ter bavido no Paraguay urna tentativa de
assaesfaato sobre a pes-oa de D. Cyrillo Rivarola,
prMSMte sqaella repblica, disparndose con-
tri fie um tiro, coja bala Ihe rogou o rosto.
A aoeidade Amizade Fraternal por oecasjio da
f*se de sua adraiaistracjb, a 22 do crreme, deu
liberdade i pardtnba Zlinda, de tres annos de
idade presumiveis.
A teehora da pardnha, na mese* occasio, de-
positou aa eaixa econmica, como dote da liberta -
da, quantia qae recebara da seciedade.
Actos como estes dispensam loavores.
27
Pojo Quapori, ehegado hontem dos portos do
sol, tivemoi datas das provincias de S. Pedro e de
Santa Cathanna, nleangaodo a 16 do correte as
de Porto-Alegre, e a 21 as do Rio Gran Je e Des-
terro.
Ha provincia prime ira mencionada, em sesso
da auembla provincial, de 13 do corrate, pro-
eedeo-se eleicAo da mesa, e recahio ella nos se-
ninies Srs. depatadff : Dr. Borges Fortes, presi-
dente ; coronel Simdas Lopes, vico-presidente ;
Dr. Pinto, 1* secretario ; Berlink, 2 dito.
Ho lia 18 mandn a assembla celebrar exe-
quial pelo eterno repouso da Sra. princeza D. Leo-
poldina.
Oecupava.se ltimamente aquella eorporagio
cora a discussio de projectos da mxima impor-
tancia para a provincia.
Pora approvado, sera debate, em prlraeira dis-
cusiio, o projeclo n. 40, apreseotado pelo Sr. Sil-
va uoes, que aatorisa presidencia a mandar
fazer os estados e orcamento, e levantar a planta
da iim porto na enseada de S. Domingos das Tor-
res, na costa do Atlntico, dser endeudo para esse
m at i quantia de 50:000* ; tambero tora ap-
provado, para entrar em discusso, o projeclo que
aatorisa a presidencia a tomar acedes di compa-
nhia que para a conslrucco de urna estrada d
ferro entre Porto alegre e Santa Catharina orga-
oisar o Dr. Sebastiao Antonio Rodrigaes Braga,
U asom'ma de 600:0004, poJendo o governo, pa-
r realizar o pagamento das ac(oes, fazer as ope-
racSes de crdito que julgar mais convenientes
provincia.
Pigou em terceira discussao oulro projecto au-
torizando a mesma presidencia a despender at
30:000* para ligar Pelotas, Bg at S. Gabriel
no da 23 de marco, no passo do Baptista de Qua-
rahy, eraigrnu a for;a entreriana ao mando do
general Kicardo Lpez Jordn, em numero de
1,014 horneas, sendo geoeraes 4, coronis 8, l-
enles-coponeis II, majoree 21, capitaes 22, t-
enles 38, alferes 33 e pracas de pret 903.
O armamento, em drmrnio numero, fot arre-
cadado e recolhido ao deposito de Algrele.
O commandante da respectiva fronteira trata-
va de f izer internar os offlciaes e pravas, e pre-
tenda logo que se Ihe apresentassem aqaelles ge-
neraos, faze-l i* seguir para esta capital. >
Em Santa Catharina assumira o cargo de chefe
de polica da pr vin:ia o Dr. Gailherme Cordeiro
Coelho Cintra.
esta cidade Porto Alegre, pela Cachoeira por
uieio da linha telegraphica. _
Os Srs. Caetano Pinto & Irmao e HottSWaiasig
A C, eommerciantes em Porto Alegre, apresenla-
ram astembla um memorial, pelo qual se obri-
gam a iotraduzir na provincia, no espa;) de dez
annos, 40,000 colonos.
O Sr. barao de S. Itorja assumio o commando
das armas da provincia no dia 13 do corrente.
Foi comeado o majur Julio Anacleto Falcao da
Frota para xercer as fuaccoes de juz ommissa-
rio ai koc na colonia de S. Lourenco, vi-to have-
rem-sealli suscitado diversas questSes entre o res-
pectivo emprezario e varios habitantes.
Forana annullados os trabalhas da junta reviso-
ra da qualiflcagao de volantes da parochia de
Santa Cruz, marcando-se Ihe a terceira dominga
de maio prximo faturo.
Ni capital, urna praca do 4 batalho de infan-
taria tentou assassinar, degollando-o, a Alfonso de
Oliveira Baodeira, ollicial de alfaiate. Attrahindo
a victima para lugar escuro, ah, traicoeiramente,
deulheum grande golpe no pesclo, pondo-se lo-
go em fuga.
tAo Rio Grande chegara, viudo da capital, o Sr.
tenente-ctronel Francisco Antonio de Moraes, no-
rjieado delegado de polica para o termo daquell?
eidade, bem como dou- offlciaes subalternos e vio-
te pravas do carpo policial, que foram reforjar o
desUcimeoto lili existente, aQm de garanlir-se a
sguranca publica, que nestes ltimos tempos nao
se achava as coodiedes desejada>.
RMisamira o cargo de capilao do porto o Sr.
capitao de mar e guerra Jos Pereira Pinto.
- A presidencia da provincia approvara o contra-
to celebrado pela cmara municipal cora o tenente
oaroiol Antonio Marlios de Freitas, para o alu-
rl do quartos do novo e velho mercados e ven-
do carne verde.
Incendiara-se no porto da eidade o patacho por-
logaez Ar, nao attingindo o incendio as propor-
0 t dea soecorroj empregados. Anda assim cal-
calim-te os prejuizos em cinco ou seis contos de
Ha da 7 do corrente aportara all o transporte
Bftldinn proveniente do Paraguay, conduzindo
a aaa bordo o batalno 7 de infamara, comman-
dAe peto coronel Amorim Rangel. Compoe-seesse
batalho de 450 pragas, e deve ficar (azendo a
guarnico da eidade.
Em Dig continuavam a empregar-se diligen-
oiis par o dwcobrimento dos autores do assassi-
Ha do Dr. Podro Mana de Oliveira.
Ot amigos do loado pjomoviam ama subsenp-
co, qo ji orcava por STOOO^OOO para auxiliarem
as iatortdades as pesqoizas a aje proceden), e
Diarem i quem denunciar, %m proas, os
Entretanto consegairi evadir-se do
.onde o kaviam posto incommuoicavel, com
mais cinco presos de poacs circurostancia, o inli-
vidoo Picileo, ex prac> do corpo provisorio, so-
bre a pessoa do qall recahtam graves suspeitas de
Oemplieidade na mor te daquelle cidado.
Km Pelotas consiava, por pessoa ebegada da
oatapinha, qae na fregoexia D. Pedrito fura as-
aatiiaado o lenente-coronel Jos Bonifacio.
Toldo acabado da perder ama carreira, onde
legara 600001, e trayando-se de razoes, talvez
M o contendor, dahilhe proveio i morle com um
Uro do revolver.
Aebi-so fanccionaido a linha telegraphica da-
uelli eidade i villa de Caraaquara, e dentro de
poucos di as so ligar a communicacao com a ca-
Celebraram-se hontem na eapella imperial so-
lemnes exequias offlciaes pela sentida morte de
S A. a princeza Sra. D. Leopoldina, duqueza de
Saxe.
S. M. Imperial, acompanhado de ranitos mem-
bros da corte, o miaisterio, autoridades civis e mi-
litares e mnitas pes-oas gradas assistirrm s fa-
nebres ceremonias, em que offleiou o Rvm. Sr.
hispo diocesano, sendo as absolvcoes dadas por
S. Exc. Rvma. a pelos monsenhores Flix, Reis,
Lyra e Mellp.
Toda a igreja eslava ricamente ornada de esto-
fos e emblemas mortuarios, tendo no prtico da
enlrada a seguinte nscripgao : / mio populi
sui exaltabilur el i pleniludint snela admira-
bilur.
No corpo da igreja ergua-se o rico cenotaphio
erigido para as solemnes ceremonias.
Tem elle a forma polygonal, sendo interinronte
um exgono e externamente um dodecagono.cnjas
faces relativas, proporcionadas entre si, dao-ibe
um aspecto monumental e magestoso, digno do
assumpto e fim a que foi destinado.
Um elevado embasamento, com eseadaria as
suas maiores face, serve de stylobato a toda a
peca constituida por seis columnas de ordem co-
rinttiia com pedestaes, dos qaaes sobresahe, em
cada um, urna pequea quanella, sustentando om
castical que se prolonga com os cirios ao alto das
columnas ornadas de estria ou canelares at o
terco inferior, donde presos a um estragado pon-
dera festoes de flores mortuarias.
Entre os pedestaes das columnas que fecham as
faces lateraes ha, a cada lado, duas grandes quar-
tellas, sustentando tanto n'um pedestal, onde ter-
minara, como sobre a com ja que as corda, trpo-
des com luz, cuja cor dava ao acto um carcter
de tristeza apropriado. -
Sobre o entablamento da ordem que tornija
toda a peca resaltando em cada columna, ha seis
pedestaes com trpodes tsmbem c >m luz e orna
das de festes de Adres e folhas. Junto desses
pedestaes circunda um corpo ctics ornado com
seis quartellas, na direccio e eixo de cada colum-
na, apoiaodo-se sobre esse eorpo tido ama capa-
la em forma de cora, no pice fla qual assenta
um pedestal, su'lenlaodo uiu atajo na &cf2o do
apagar o facho da vi la. as faces maiores desse
pedestal v-seo emblema daeternidade.
Do tecto di igreja, sobre o mausuio, que mede
a altura de 73 palmos, pende urna aranea, em
cujb centro v-se orna cruz rodeada de vinte es-
trellas symbohsando o Imperio.
A decoracao do catafalco, que foi subordinada i
da eapella, e elegante e ricamente ornamentada e
magestosa. Grinaldas de flores mortuarias enro-
lan! as columnas do terco inferior at encentrar
os capiteis, dos quaes pendem, aligarse ao roeio
da face das arobitravas festSes de flores.
Do centro das volutas das grandes quartellas do
embasamento pendem umbem "grandes festoes de
flores que preenchem as graciosas curvas que as
constituem. as faces anteriores de t)das as
quarleilas, folbas de acanlho douradas enrique-
cen) esse apago, como esmalte a Ibaraa branca
de que eslo ebertas.
De.tro do catafalco sobre a urna, qae foi sujei-
la na sua forma ao mesmo estyio da decoragao
geral, repousa o calllete coberto com um rico
panno de velludo bordado, sobre o qual se collo-
cou em volla em crep e ornada de saudades ro-
xas a cora da chorada prinieza. Junto aa urna,
allumiala por quatro bramidos, ardam a cada
lado daas trpodes queimando perfumes. as
duas maiores faces anterior e posterior do entabla-
mento, est os escudos das armas da casa de
Saxe e do Brazil, cuberas de crep.
as ponas do mausoleo, terminadas pelo dra
gao da casa de Dra ganga e onde dous anginbos
chorara a finada princeza lm-se os seguintes ver-
sculos t Contersa sund nupicia in luctum, et vox
musicorum ipsorum in tamentum. ( Machab.
cap. 9. v. 41. )
t Rex el omnes serv ejus flevertum ploratu
magno mmis. ( 2 Reg. cap. 13 v. 36. )
No centro da cpula interna, que recamada
de estrellas de ouro, v-se urna cruz fechando as
linbas das engras ou ngulos da abobada.
Brandoes era castgaes de prata allumiavao so-
bre a cornija do eniablamento, e sobre_ os de-
gros das escadas e sumptuosa construegao.
O plano deste cenotaphio, bem como a direicao
de toda a obra,, de sua ornamentago e da da
igreja, foram incumbidos ao Sr. F. J. Bittencour-
da Silva, que teve occasio de confirmar os lisont
geiros crditos de que justamente goza como ar-
chilecto e zeloso cnltor das bellas arles.
Todo o trabalho est primorosamente feito, re-
velando a pericia da construegao. A obra de car-
pinteiro faz honra ao raestre J. T. Martina Ribeiro,
e a armarlo aos Srs. Lopes A Sobrinho, que em
ludo, como tomos informados, salisflzeram a di-
reegao do archilecto da obra.
A estatua, os anginbos e os dragoes sao obras
do Sr. Chaves Pinhero, sendo os capiteis e mais
ornamentos de escultura feitos pelos Srs. Qairino
Antonio Vieira e Severo da Silva Qaaresma. As
trpodes foram feitas pelo Sr. Pedro Augusto llama-
Iho, e as ti >res da fabrica do Sr. H. Pinto Catalao.
O mstico das luzes e perfumes foi preparado pelo
chimieo o Sr. Eduardo Janvrot.
A parte musical constou de ama missa de Ho
sari, execalado por numerosos cantores e orclies-
tra sob a direegao do maestro o Sr. A Fiorito.
A oragao fnebre foi recitada pelo Sr. conego
Jos Joaquim da Foneeca Lima.
Prestara m as competentes honras militares, for-
mando na praga de Pedro II, duas brigadas da
guarda nacional e ama de 1* linha sob o comman-
do do Sr. commandante superior da guarda na-
cional.
Durante o oflkio fnebreaJeram-se no mar e
em trra descargas de cinco em cinco minutos ;
os edificios pblicos, as legagdes e consolados e
muitas casas particulares conservaran) baodeiras
em funeral; estiveram fechadas a* secretarias de
Estado o muitas outras repartieres.
pri-
iPes-
Est na verdade rico, variado, e offereee um
lindo aspecto oJiazar organisado pelas ssohora
qne coadjuvaraa a eommissao brazileira de soe-
corros para os francezes indigentes. Divde-se
elle em daas parles, orna distmad s tojas, as
qua es objectos do elevado prego e outros de
phantazia de esmralo gosto estao conveniente-
mente disposto?, outros numralos (sao 2,000)
isrioados primeira tmbola. A direcelo das
lojas est confiada s senhoras visoondessa da Ca-
choeira, baroneza de Suruhy, Maria Amalia de
Azambnja Carvalho de Moraes, D. Maria Amanda
Paranagn Dana e D. Maria Eufrazia Marques
Lisboa.
Enire os objectos do bazar realcam um
moroso quadro adamascado, representando a
ca Milagrosa, offerta dos Srs. Deap A Anloage,
os qaadros a oteo dos Srs. Martini e Monrean, as
ricas joias na toja da direila, nma soberna jarra
do Japao, cestas de fiares primorosamente feitas,
ricas almofadas, urna mesa de xaro da India, o
outros productos de phantazia feitos com muto
bom gosto.
Os premios da tmbola sao de valor real. Desde
um quadro a oleo de valor superior a 100d al as
garrafardevmhodo flnoPbrlo e outros objectos
que figurara nos premios do valor de l|, mas qae
seguramente valem mais, ha premias de todos os
pregos intermediarios, formando urna collecgao va-
riada e complexa, cujo exame merece a attencao
dos qae j se mu ni rara de bi I heles para ene logo
tao innocente quanto legitimo vista do caridoso
intuito. Em resumo, a eommissao especial qne
organisoa o bazar merece um voto de lonvor, tan-
to pelos esforgos qae em prego a para renalr esta
bella collecgao.fomo pela dedicago coro que al-
era fica horas e horas a dirigir esta festa de '
ficeucia. .!
foi fabricado pelos meamos Sra. Maylor
de-
A Companhia de trilhos de ferro do Jardim Bo-
tnico (Bonds), offerecen ao Sr. presiden* do
conselho, visconde do Rio Braceo, para alvie, da
infeliz popalacao de Bueoos-Ayres a qnantla de
1:000*000, qae S. Exc. remettea commissio de
soecorros.

Approvando a promogo qne por actos de bra-
vura fez o meu muito amado e prendo gaoro, S.
A. Real o marechal de exeroito conde d'Bu, qoan
do commandante em chefe do exercito en opera-
goes no Paraguay, dos offlciaes do exercito msnelo-
nadoi na relacao que com este baixa, assiganda
pelo visconde do Rio-Branee, conselhiiro de oatnlo
senador do imperio, presidente do conselho de mi-
nistros e ministro e secretario de estado dos nego-
cios da guerra : bei por bem determinar que os
ditos ollciaes cont a amigad eda daa ditas com-
anles da referida relaca-). O mesmo ministro e
secretario de estado dos negocios da guerra asim
o tenha entendido e faca executar.
Palacio do Rio de Janeiro, em 27 de abril de
1871, 50 da io^^-deMi t> ou imperio ~r.<*n %.
Toins
Branco.
runrca de S. MToImperador. Titconde in We-
Corpo de engenheiros.P&r* capiaes oa l" le-
uenles :
Eugenio Adriano da Caaha e Mello, contando
antigoidade de 19 de ouiubro de 1869 ; Gailherme
Carlos Lassanee, i Jem de 28 de outubro de 1869.
Arma de tnfantaria. Para capilao, o capilao
Francisco de Paula Argolo, contando antigoidade
de 28 de outubro de 1869.
Pan alteres, os alfores em eommissao : Aotonio
Fernandos de Souza Couceiro, contando antigoi-
dade de 18 de agosto de 1869 ; Felippe Santiago
de Abren, idem; Jreneu Barbalho Bezerra, idem;
Joaqaim (ioncatves Gomados, idem ; Joaquim Ma-
chado de Souza, idem; Marcolino Jeronymo da
Silva Bezerra, idem.
Palacio do Rio de Janeiro, em 27 de abril de
1871 Viietnie do Rio-Branco.
Por ilevato de 13 do corrente W noraeado cora-
nandaote-iai armas da provir. >- Mallo-Gros-
so, o tenente-coronel graduado jo do esta-
do-maior de 1" classe, Francisca Jooe Cardoso Ja-
nior.
Por decretos de 27 tambera do corrente :
Foi transferido do commando das armas da pro-
vncia do Para para o da da Bahia, o bngadeiro
Hsrcolano Sancho da Silva Pedra.
Foram nomeados os brigadeiros Manoel da Ca-
cha Wanderley Lins e Lu t Jos Pereira de Car-
valho, este para, o eommando das armas da pro-
vincia de Pernambuco e aquella pare o da do
Para.
Foi reformado, na eonformidade das disposigoes
do do art. 9* da lei n. 648 de 18 de agosto de
1852, o brigadeiro graduado do corpo de enge-
nheiros Patricio' Antonio de Sepalvedi Ewerard,
visto soffrer molestia incuravel, que o torna inca-
paz de continuar no servico.
Por decretos de 24 do corrente foram nqmealos:
Inspector em eommissao da thesouraria do Pa-
ran o i' escrpturario da alfandega da eidade do
Rio-Grande do Sul, Candido Jote Pereira, fleando
sem effeitoo decreto que noraeararpara a dita eom-
missao o chefe de secgo da thesonraria do Espi-
rito Santo, Torquato Caetano SimSes.
2* conferente da alfandega do Maranho, o 2*
dito da das Alagas, Thomaz Velloso Tavares; fl-
eando sem effeito o decreto que nomera, para a-
quelle lagar o gaarda-mr addido alfandega de
Paranagu, Leopoldo da Cmara Lima.
Por cartas imperiaes de 22 do corrente foram
naturalisados os subditos hespanhol Jos Antonio
Garca, e belga padre Joo Nicolao Reater, resi-
dentes na provincia de S. Pedro do Rio-Grande do
Sul.
Por portara de 27 do correte :
Foi prorogada por tres raezes, com o respectivo
vencimento, a heeoca de igual lempo concedida em
24 de Janeiro ultimo ao inspector de saade publi-
ca da provincia do Maranho, Dr. Fabio Augusto
Bayma, pelo presidente da mesma provincia.
Concedea-se licenga a Antonio Maria Marques
Ferreira para continuar a ter botica aborta n (re-
Juezia da Boa-Vista da eidade do Recite, provincia
e Pernambuco.
eatiUoa,
AC.
O vapor com osen, maeniuismo completo
manda 2 1|2 nalmee digna.
i marcha foi de 9 milnaa por ora, sendo i pros-
ss60 libras por (ulUgada. oaadrada.
I.ie abril.
. Assistimos hontem i experiencia de ama bomba
eonairujda aob i direccio do Sr. leoenle-corouel
Carvalho as offleinas do corpo de bombeiros, e
destinada provincia daa Alagoas.
E' a primeira bomba de incendie fabricada as
oHeinas daqoelle eorpo, e o reeullado da experien-
cia foi satisfactorio.
O trabalho dos oficinas, apezar dos seas limita-
dos conbeeimentos em tal materia, digno de
elegi. ,
PuDceionou a principio i bomba com duas man-
goairaa, i* qaaes ae kaviam adoptado etgaicnos
do eievag, e, apezar do vento ser nm tanto for-
te, a agua subi altara de cerca de 70 palmos.
tmai a primeira experiencia, adaptou-se a urna
das mangaairas o esgaicho de jorrar ou de alagar
de 2 Ii2 pottegadu de dimetro, o qual nao s
preeoclie satisfactoriamente o fim a que sa desli-
na, como atira a agua a nma litara aasaz elevada.
E' este um dos melnramentos inrroduzidos pelo
Sr. toncte coronel Carvalho.
Ttabalbaido com na t nungneira, pos-.-e
atinar agua a nina, akari medi de cera palmos,
quer os mangotes de aspirar sejim introdazidos
Mi algam dnpoiilo de agu, qusr esta seja deitada
a baldee na oaixa di bnabnt
Acompanham a bomba dona carros, om dos
contera as farra mentas, e oulro ama aseada
lien.
exeapelo de ligaos trabalho* de torneiro
, confiados aa Sr. Lanar, todos oa oa-
feitos nae ofleinas do eorpo.
ba da coaitrucgo elegante ; mede 100
de eomprraento, 51 da altura e 50 de
trar na eidade, que ftt coberta de barricadas.! ,, ..,...
A artilharia dos fortes produz grandes estragos de N3o n.V(. Z" ""5 '[. ^ cbrrent nu.
nm e ootro lado. Espera-se ora moviraento s' m,Tn StvKS iuSJLTu assemb? geral
reaegao em Pars, i
Mi villa de S. Jos do Norte arrecadara a mesa
de renda* geraes, no mez de margo fiodo (despa-
ehot de exportado), a quintil de 11:5401913.
L-ae no Ato Qrandtme :
c Das coraraunicagoes traasrnittidas presiden-
cia pelo Sr. commandante das armas consta que
O commercio da eidade de Santos, espontnea-
mente, e por um generoso senlmento de philan-
trophia e aridade, ao ter noticia do flagelo qae
assola Baeoos-Ayres, promovea urna roMecta de
esmelas e em om s dia levantoo a somma de
9:400*, que o Sr. Cannllo de Aadrade remetteu
ao Sr. baro de Maua. Bello exemplo para inii-
ur-se offereeeu assim i eidade de Santos.
r28-
Por carta imperial te 27 do corrente, foi no-
meado, senador pela provincia di* Alagas o com-
mendador Jacimho Paes de Mendonga.
Per poruria de 26 do corrente mez foi conce-
dida a exoneraco qae pedio o eogeohero de 1*
el*soFirnio Jos de Mello do lugar de engeoheiro
fiscal da estrada de ferro de S. Paulo.
Por decreto n. 1,7 i9 de 22 do corrente foi con-
cedida autorisago para funoeionar companhia
urbaqa da estrada de ferro Prlense 6 foram ap-
provados os respectivos estatutos.
30 '
Por cartas imperiaea.de 22 do corrente:
Foram apresentados os padres Marcolino Fran-
cisco de Souza Madureira e Felisberto Caetano de
Alcntara, este na igreja paroehial de Nossa Se-
niora do Rosario do Cayrii, e aqoeHe na de Nos-
sa Senhora da Conceicao do Caite, do arcebispado
e provincia da Babia.
'Por decretos de igual data :
Foi promovido a -oficia! da ordem da Rosa,
Francisco Candido Rodrgaos de Castro.
Foram nomeados:
Oficial da mesma ordem, Laarindo Jos Alves
de Oliveira. Cavalleiro da de S. Bento de Avia, o
capilao do exercito Francisco das Chagai Pinheiro.
Tere hontem logar a experiencia do vapor Cahy,
construido pelos Srs. Maylor & C. para a navega-
cao fluvial na provincia do Rio-Grande do Sul,
Kir encommenda do Sr. Jos Laiz Rodrigaes da
osa.
O vapor mede 85 pea inglezes de comprlmenlo
na linha d'agna, 13 ps de bocea e i 1)1 pea de
ponial. O maehinisrao de alta pressio, systema
de cyunin oscillates, da forga uominal de 30
O*
caica, de vinbatteo murado, tem algumas ins
fm, aborta da meial ama/olio. Akorabade
aaixto, su trabalni eom a agua langa-
M prorio%nqae ou por maio de manga
-a de q/ujsjner dutincii recebando a por
A manta re sattorwr ao das laaa de expulsio reunida, o qne
d granee torga aos esgaicho?.
? exeerieneie foi teta na preaenga do Sr. mi-
niado da agricultura, de varia i peasoas gradas, e
noaMadamenle de aifana engenheiros que, exa-
minindo i bomba, a acharan exeellenie. O mas-
parecen, apezar de incompetentes. O Sr.
coronel Carvalho obaequosuaenle respon-
qoanta* pvgnnUs iba dirigiam, dando a lo-
peesoa* prnaentea qaanti* ejjnJieacSss po-
ijar, a as provceando elle mismo.
rtiows Mtricos presUdo* pelo Sr. te-
i-eoroiMr no eommando do eorpo de bombei -
roa, qns boje prima nao s pela pericia com qae
irabllna. ma* tambera pela disciplini e moralidad
de qne ae ama praga* teera dado ranius proras.
Atiendeftdo ios reoarsos de qne se dspunha, o
tibrieo destn bomba pode considerar-se urna es-
pecie de pequea maravilha. Applicando i lio
uteis irabalhoi is horas vagas das suas pracas, o
Sr. tenente-coronel iransformou os seas soldados
em habis operarios, desviando-os ao mesmo lem-
po dos vicios a qne leva a oeiosidade, e inspiran-
do-Ibes sentimentos dedignidade, baseada na cons-
eiencia do proprio valor.
OURIO DE PEBNUMBUCO
RECIFE, 9 DE MAIO DE 1871.
Noticias da Europa.
Por via da Bahia recebemos as seguintes noti-
cias da Europa, all levadas pelo vapor inglez Ca
mies, que sabio deLisb-ia a 19 do pvssado, adian-
tando quatro dias s noticias que recebemos pelo
Douro:
t Londres, li de abril.Thiers annunea qoe
as victorias qae os insurgentes se altribuem sao
sem fundamento de veracidade. Qae sraente al-
guns combates insignificantes tem tido lugar,j>
qae as noticias publicadas pela coramuna sao to
falsas como os seus principios. O correspondente
do Times em Pars diz qoe o jornal Affranchun-
ouncia que os insurgentes lomarara 2,000 prisio-
neros da3 tropas de Versailles, na quarta-feira. A
commaua decretou a demoligao da columna da
praga da Vendme. Contina o bombardameos
di bairro dos Campos Elyseos. A porta Maillot
as casas em volta da esiaglo do caminho de ferro
estao reduzdas a monloes de ruinas. O qaarte!-
genenl do marechal Mac Manon esta em Ville
l'Etranger; espera-se granije concenlragao de
tropas.
Madrid li. Versailles li i tarde.-Vivo ca-
nhoneio na direccio de Asnires. Diz-se qoe se
tem trocado negociag3es para a sabmissio dos re-
beldes. Conllnaam chegando tropas Versail-
les. a'
c Londres 15 de abril.Diminnio muito a lata
quinta e sexta-feira dianie de Pars. Os insur-
gentes ainda nao tomaram posse da ponte de
Neuilly. A companhia est razendo preparativos
de defez para o caso de ser sitiada. Os insur-
gentes moniarara orna batera de pecas de grande
calibre no Trocadero, as qoaas fazem fogo sobre o
forte do Monte Valeriano. Calcala-se que desde o
fim do sitio pelos allomaos, mais de 500,000 pessoas
dixaram Paris. A commana dissolven sete bata-
Ihdei da guarda nacional, em consequenea da sua
altitode hostil. As tropas de Versailles preparara
se para dar um golpe decisivo ; esperayam-te or-
neas pan o ataque hontem noite. Tem havido
anos disturbios emOdeasa. Os gregos, anearan
os iadeos. O popalicho foi dispersado a ponta da
bayoneta. Esperase Lesseps, quedeve chegar
hoie a Inglaterra.i
Madrid 15,1 Versailles 11.-A assembla ap-
orovou a lei nonidpal por i99 votoa contra 18.
Hoave hoje am encontr em Asnires sem eonse-
qaeocia. Nio ha noticia de nenhom feit nolavel
mero suficiente de membros .
Wid 17, Versailles 16,-Prosegue oeanho- ^^J^^^^^Lo
rtte dP/W Iviif nu" n.?"rreCC'0D-d- lai<^ a9 ac'* ilativas eleicao reiu na provin-
Os fortes de Yssy e Vanves disparara success.va- cia de Pernambuco para preencMrem-se as vagas
. in.i.. ii u i.. -. -a dos Srs. senadores fallecidos marquez .de Olnda e
Aigy. Z^SSUS o reAh'-a conde da Ba-V9la ; e as concebentes i eleicao
no sabbado e no domingo dianie de Pars. O) m- feju n. da Dahia nar nreenpher-se a vasa do Sr
Sa?TJSZ LU?&1VSSda/ 2T Sai vLonde ff$SS&X g
em tSLlflt J? S 22S5, A lQ'a Na "*> preparatoria da cmara dos depu-
nSd. E'r. fnPS **&**"**. 5 r,-' "M e 28 do passado, foram lides e mandados
t ;oA9Pnel" I0raM,C07dTraT- Ahb8Lena, imprimir os seguintes pareceres de eommissao :
deia 22E2Z1Z Si ifiSSSttSS*?: A commisslo de conslituigao e poderes, tendo
violentamente o forte do Monte-Valeriano. As j examinado a acta de apuragaodai deigoes do i-
3 disincto da provincia do Cear, a que se maodou
subsistencias comegam a fallir em Pars,
pregos tem anbido muito. A eidade est agora
completamente sitiada, e foi intimada para render-
se dentro de 2i horas. Thiers annunea que as
tropas continuaro os seus esforgos para conservar
as suas posigoes at chegar a occasio para a ac-
gao decisiva ; entretanto nao se espera senao a
chegada de tropas e material. Os movimentos das
tropas allemaas parecem mostrar a existencia de
preparativos para iolervirem brevemente.
< As folbas francezas recebidas em Portugal da-
vam as seguintes noticias :
< Eocoatraram-se valores importantes em po-
der de qnasi todos os prisloneiros qae chegam a
Versailles. Muitos trazam as algibeiras joias de
prego procedente de roubos.
< Lullier foi de novo preso pelos seus antigos
collegas da Communa, e diz-se qae o fazilaram
bem como a Eudes.
A Communa maodou, forca, armar e metter
nos qoarteis os seminaristas.
Continuara a ser roubadas muitas igrejas.
< Monesnhor Darboy, o abbade Degnessy, di-
versos mlsslonarios e ns cincoenta ecclesiasticos
regalares foram presos. Alguns receberam teri-
mentos graves.
c A maior parte das violencias sao feitas por
guardas nacionaes acompanbados de mulheres ar-
madas..
noticias do
Palloeen na Anslria o almirante Tagehof. o hroe
ao eombate naval de Lisea >
, Londres 16.-0orcamento militar parao nn-
oerio alwmio ser de 83 milhSes para 370,000 ho-
meos, on 90 milbdea para 400,000 homens ; a ul-
tmn ifta aera provavetmeote votad! nomo subsi-
dio em lempo de pai.
Londres 16.-As noticias da Versailles izem
aue ni* tem havido mais aoontecimentos militaras
diante de Paris. O general Cluserel aanuncia que
aa tropenjto Versailles atacaram o forte Vanves
na noiiSa li, mas foram repellidas ; e o general
Ende* annunciou qne as tropea da Versailles sof
freram perdis enormes e foram repellidas ao longo
de toda a liona, e que esta ama victoria para ser
inscripta na bandeira da commana. As operagoes
da esqaadra de canhoneiras pertencente com-
niuna foram paralysads per urna baixa conside-
ravel das aguas do Sena, causada pela abertura
das represas em Soresnes. Corre que o forte Issy
foi muito damnifica lo pelo fogo das batera i de
Versailles. Aa relegues entre a eommissao cen-
tral e a commana anda sao de am carcter de
nouca amlsade.
e Versailles 18.
sal do imperio.
Araanhecea hontem em nosso porto q vapor
brasiieiro Tocanims, trazeodo datas : do Rio de
Janeiro at o 1*, da Bahia at 4, de Alagas al 7
do corrente.
Sob a rubrica Interior enconlrarao os le lores
por extenso aa noticias mais importantes, alm das
quaes apenas dio os jornaes as qne seguem :
PARAN. -
Temos folhas de Coritiba at 19 e de Paranagu
it 20 de ibrfl.
. s"n aneerrada na da 15 a sessio da assem-
bla provincial.
Nesse mesmo dia effectuou-se, em presenca
do presidente da provincia, de muitos membros da
"rkU* ;nj~~*, A" "*mj.rAsni';inAL,4e SaDl';
vanas autoridades e de pessoas grada?, a inattgtt1' --^jr
ragiq dos trabaihos da estrada que deve ligar a
provincia do Paran de Matto-Grosso.
A presidencia da provincia sancckrara era
data de 10 do corrente a reso'.ugaj dajanembla
garantindo o jaro de 7 por cento a(*>2gnno pelo
prazo de 30 annos, companhia qae fr organisa-
sada pelo engeoheiro Antonio Pereira Reboagas e
outros concessionarios da e3irada de ferro de An-
tonina Curiliba. ^a>
No dia 2 comegra a funecionar oTSmal te-
legraphico entre Antonioa e Paranagu.
Fallecer em Anlonina o lavrador e propre-
tario all residente Jos Ferreira Arantes.
D. Carlota Anglica Franco, fallecida em Cu-
ritiba, a 8 do corrente, deixou livres era testa-
mento suas duas escravas Rita e Catharina. _
- Acerca da ceremonia da inauguragio dos
trabaihos da estrada para Jlatto-Grosso, iemos o
seguinte no Dezenove de Dezembro :
< A's 11 horas da manhia de hoje, effeclaou-se
a inauguragio dos trabaihos da estrada que deve
communicar esta provincia cora a de Matto-Gros-
so, a qual assistiram o Sr. presidente da provincia,
membros da assembla legislativa provincial e da
cmara municipal, chefes das repartigoes publicas,
jaiz de direito da comarca, e grande concurso de
pessoas gradas desta eidade.
c Depois da bengao da primeira pedra da ef-
unda e das ceremonias religiosas, feitas pelo Rvd.
vigario desia parochia, foi lido palo secretario do
governo o respectivo auto, que foi assgnado pela
roaiona das pessoas presentes.
Em um vaso proprio para o fim loram eolio-
cados os ltimos nomeros do3 jornaes que se pu-
blicara nesta capital, varias moedas de prata e co-
bre e o mesmo auto.
Esse vaso foi deposita' -n base do pilar da
ponte que se projecra cons > sobre o rio Ivo.
t Depois de concluidas Ijis as solemnidades
proprias de nes actos, o Sr. presidente da provin-
cia annunciou estarem inaugurados os trabaihos
da estrada de Matto-Grosso, levantando em seguida
vivas Sua Magestade o Imperador, augusta fa-
milia imperial, nossa santa relgiio e ao povo
paranaense, quo foram enthosiasticameote corres-
pondidos.
c O Dr. jaiz de direito da comarca, levaolou um
viva quelle Exm. Sr., qae com o mesmo entu-
siasmo foi correspondido.
t Em segoida a esses vivas o Rvm. vigario
Agostinho Machado Lima iraprovisoa om rpido,
porm brilhante discurso, sendo seeundado pelos
Drs. Bento Fernandos de Barros e Antonio Pereira
Reboagas Filho, aquelle como orgao da assembla
provincial o este na qaalidade de antigo chefe da-
quella eommissao.
S. FALO.
Alcanoim a 25 de abril as ultimas datas.
O Comi Paulistano noticia que no dia 21
de abril firmoo-se a escriptora pablica de contrato
pelo qual as duas companhias Paulista e Imana
chegaram i acerdo acerca do enlroncamento da
linha frrea da companhia.ituana na linha frrea
da companhia Paolista no ponto era qoo suai
daas estradas se approxirnam qaem da ponte e
barreira do rio Jondiaby.
a Era esse facto, diz o Correa, orna necessidado
reclamada pelos inleresses da provincia, que nio
tem de garantir assim intilmente os juros da
despeza feita enm orna linha de ferro paralella
outra oa extensao de meia legua. >
Comegra a publicar-se em S. Paulo um se-
manario pjlitico e litterario, redigido por acadmi-
cos, e intitulado A Propaganda.
Segando a Gazeta de Campias, o Rvd. pa-
dre Rigillo, ex-vigario de San Barbara, comme-
morou a paixio e morte do Redemptor, libertando
ama sua escrava, de nome Eugenia, de 18 a 20
annos de idade.
Ao Demcrata, de Goaratinguel eemmuoi-
cam de Aras o seguinte : ^__
No dia 3 do corrente |Sjfcrbaramenie aesis-
sinado com quatro faccada*. no norro de bantAn-
na, term) desta eidade. om menor, filbo de Sim-
dor de tal, por um escravoT Sr. Dr. LmzDias
"'Tassassino. depois de cemmetter o delicio,
dirigio-se a esti eidade, e apresentou-se auton-
dade a quem confosaon o delicto, trmendo oom
182
proceder para preenchimento da viga qoe deixou
nesta cmara o Sr. deputado Domingos Jos No-
gaera Jaguaribe, per haver sido escolbido sena-
dor pela mesma provincia ; assim como as actas
parciaes dos collegios da Fortaleza, Marangoape,
Aquiraz, Caseavel, Araca.lv, S. Bernardo, Quixe-
rainolmn, Cachoeira, S. J ao do Principe, Saboeiro
e Maria Pereira, nenhnma irregular idade notou
no processo das mesmss eleicSes, e, portanto,
de parecer que sejam approvadas, reconhecendo-so
deputado pela referida provincia o Sr. conselheiro
Joio Capistrano Bandeira de Mello, cojo diploma
tambem foi presente eommissao, por haver re-
unido a maioria legal de votos; arehivando-se os
papis.
c Concorrendo eleicao 398 %leitores, dividio-se
a votagio da seguinte forma :
c Conselheiro Joio Capistrano Bandeira
de Mello...........20
i Dr. Gongalo de Lagos Fernandos Bas-
tos .... ,........133
a Sala das commissoes, em 28 de abril do
1871 Candido Mandes de Almeida.Angelo Tho-
maz do Amaral.Manoel Clemenlino Carneiro da
Cuaba.
A eommissao de eonstituigio e poderes, tend
examinado a acta de apuragao das eleigoes do 2*
distrcto da provincia do Cear, que se mandou
proceder para preenchimento da vaga aue deixou
nesta cmara o Sr. depotado Jeronymo MartiniaBo
Figaoira de Mello, por haver sido escolhida se-
nador pela mesma provincia, e como tal tomado
assento na respectiva cmara ; assim como as
actas parciaes dos collegios de Sobral, Acaracu.
Granja, Vigosa, lp, Baturil, Sanl'Anna, Camod,
S. Francisco e Santa Quitea, nenhuma irregula-
ridade notou no processo das mesmas eleigoes; e,
portan o, de parecer que sejam approvadas, re-
conhecendo-se depotado pela referida provincia o
Sr. Jos Antonio Moreira da Rocha, cujo diploou
tambem foi presente eommissao, por haver re-
unido maioria legal de votos; arebivando-se os pa-
pis.
t A cmara apuradora nao contemplan no seu
trabalho os votos dos collegios da Granja e da
Sanj'Annajs que concorreram 5i eleitores, cujo-'
votado," nio alterara "resuTnao qfteliriJa-
ragio. .,
A esta elcgio oio coocorreram os eleitores
do collegio da Imperatriz, o dos papis que foraui
presentes commissio nao consta o motivo destd
acontecimento. ,. ...
Concorrendo eleigao 306 eleitores, dividi-
se a votagio da soguinte forma :
j Jos Antonio Moreira da Rocha .
t Dr. Paulino Nog eir Borges da Fon-
cea............ai
Sala das commissoes em 28 de abril de
1871.Candido Mendes de Almeida.Angelo Tho-
maz do Amaral.-Manoel Clemenlino Carneiro da
Cunna- .... ,,,,
A commissio de coostitoigao e poderes, teooo
examoado a acta de apuragao das eleigoes do r
distrcto da provincia de Pernambuco, a que sa
mandou proceder para preenchimento divaga,
que deixou nesia cmara o Sr. deputado Joao Al-
fredo Correa de Oliveira, por haver sido nomeaJo
mioistro e secretario de estado do3 negociosido
imperio, assim como as acias dos cellegios de wa-
zareth, Goyanna, Olinda, Igoarass e Limoeiro.
nenhuma irregularidade encontrn no processo
eleitoral ; e, portanto, de parecer que sejam as
mesmas eleigfles approvadas, reconheeendo-se ae-
putaJo pela referida provincia o mesmo cwtjdac,
cujo diploma tambem foi prsenle
por haver reunido a maioria legal
chivando se os papis.
Salas das commissoes, em 28 de abril do
1871.-C. Mendes de Almeida. Angelo Thomar.
do Amaral. Manoel Clemente Carneiro da U-
n 3 eommissao de conslituicio e poderes, tendo
examinado a acta da apuragao das eleigoes di i
disficto da provincia da Bahia, que se mandou
proceder para preenchimento da vaga que deixou
nesia cmara o Sr. deputado Dr. Luiz Aotooio Pe-
reira Franco, por haver sido oomeado ministro a
secretario de estado dos negocios da marinha, u-
sim como as actas dos collegios de Inbanbnpe,
Purificago, Alagoinhas, Itapicur, Abada, Pom-
bal, Tucauo, Monte-Santo, Geremoabo, Jacobina.
Villa-Nova da Ralnha, Sento-S e Capim Grosso.
nenhuma irregularidade encontrou oo pieeeas-i
eleitoral, e, portaoto, de parecer queejw
mesmas eleigoes approvadas, reeonhecendo-se ae-
putado pela referida provincia o mesmo cidada >
por haver reunido a maioria legal de votos ; ar-
cbivando-se os papis. M
t Cumpre nolar qae na apuracao feita pela c-
mara municipal de lohambupe nio se con empku
a votacio dos collegios de Abbadia, Porabal, Villa-
Nova da Rainha, Sento-S e Capim-Grosso, NOe
concorreram 242 eleitores, que votaram no mesmo
cidado, cojos votos aioda qae fossem disirahfdo.-'
nio alteravam o resaltado daqaella apngao.
b Sala das commissoes, em 28 de Abril de 18/1.
Candido Mendes de AlmeidaAngelo Thomar
do Amaral. Manoel Clemenlino Carneiro di
Conha. .^
A commissio de constiluigio e poderes, tena.)
examinado a a:U da apuragio das elejgSes do .'
distrcto da provincia do Rio de Janeiro, a q
mandou proceder para preenchimento da vaga qu^
deixou nesta cmara o Sr. deputado Br. esonym
Jos Teixeira Jnior por haver sido Boneadoi mi-
nistro e secretario de estado to agen anaiji-
cultura, commercio e obras publicas; assi
as actas dos collegios de Nilheroy
comaallsao,
de votos; ar-
Iiaborahy, Ma-
rica Mag.EslrelTa, Santo Antonio de Si, Vaasou-
avic. e Pirihjb. Sal nenhunj. irroga-

'- !
-

laridade ncontroa no processo eleitoral; epor-
nato, de parecer qne sejam as mesmas elc5es .
approvadas, reeonhecendo-se depntado pela.refe-
rida provincia o mesmo cldadio, enjo diploma
tambera foi presente eommissao, por haver rea-
nido a maioria legal de votos; arehivando-se os
-Estio Inteiramente cortadas
as commumeaedes de Pars oom o exterior. As
tropas do governo Moqneiam todo e reemto forti-
ficado, com exeapelo de pesio em qne estao os al-
ienaos, e preparaui-se para torgar u portas e oa-
sigo o inslrnmento do crime e ainda tinto do san-
gao de soa victima innocente e mnoffensiva. lo-
__t_ .i.aiilaJa r
aatoridade, cyoieamente declaron
asa qne o demovr a eommetler
tao boirendq atte.oUdo fora o devej^ de, xet-4
Rife do jugo da weravidao.
trrogado pela
que a nica ca
f Sala das das commoes, em 28 de abril da
1871.Candido Mendes de Almeida.Angelo Tho-
maz do Amaral.Manoel Clementlno Carneiro da
c A commissio de coostimicao e poderes, tend^
examinado a acta da apareci das eleicde do I.*
distrcto da provincia de Minas-Geries, a que se
maodou proceder para preenehiment) da vaga
qae deixou o Sr. depuUdo Joaquina Antio F
des Leio, por haver sido escomido sonad
mesma provincia, e como tal tomado i
respectiva cmara ; assim como as i
dos collegios de Ouro-Prelo, Qoelov
[Mariana, MuriaW e Ponie-WQva,
ni
es



r\
*
3=

.1 jn-,^i
Diario d remanbitc =- Ter<;a leira 9 d Maio da 1871
ajulandale notoa no processo das raesmas eleic/3es;
, portortTJr,'*, IR HITeeeT I|W'!e1lm approvadas,
reeonhecendo-se aeputado pela referida provincia
<> Sr. Dr. Diogo Luir de Almeida Perbfra *> Vbs-
eoaeeltos aiquera reeahio a maiora legil de vo-
l, archivando se os papis.
A mmmo tambem de parecer que s
contera abmesmo cidado os votos dos suppleotes
de eieitor que eollegio de Marianna rnandou to-
mar em separado, sendo ura da paroehia da S
laquella cidade e os oulros da do Ptaheiro, visto
so provar que os eleorss a quem substituirn! de
feito e acbavam aasentes fora da provincia na
poca da reuoio do collef io.
Concorrendo rieicio 25S eieteres, dividi-
se a vota cao da segainie forma :
Dr. Oiogo Luiz de Almeida Pereira de
Vaseoocellos 128
Dr. Cario* Peixoto de Helio 116
Cdulas eH branco H
Sala das comrmss<5es, em 28 de abril do 1871.
Candido Mendes de Almeida. Angelo Thomaz
do Amaral. llaooel Clemenlino Carneiro da
Cunt.
A commissao de constituido e poderes leudo
laminado a acta de apusacio das eleicoes do z.
dntricto da provincia de S. Pedro do Rio Grande
do Sul, a que se mandou proceder para preeochi
ment da vaga que deixon o Sr. depalado AntoBio
Rodrigues Fernandes Braga, por haver sido esco-
lido senador pela uiesiua provincia, e como tal
tomado assenlo na respectiva cmara; assiin como
as aetas parciaes dos collegios do ft.o Grande do
Sal, Pelotas, Piratiny, Cauguss, Jagnar-, Bas,
Algrete, liaquy e Cruz Alia, nenhuraa irregula-
ridade notou no processo das avernas eleicoJS; <
portento, de parecer que sejam approvadas, re-
conhecendo-se depulado pela referida provincia o
Sr. Dr. Joaquina Jacinlho de Mendooc, em qnem
reeahio a mora, legal de votos; archivado-seos
papis.
Concorrendo 'eleicao 220 eteitores dividio-se
a votacao da eguinte firma :
Dr. Joaquira Jicintho de Mendonr.i 115
Dr. Praneiixo da Silva Tavares 77
Dr. Gispar%lvera Martina 2H
Sala das coramissdes, em 28 de abril de 1871.
Candido Mendes de Almeida.Angelo Thomaz
do Amaral. Manoel Clemeniin > Carneiro da
Cunha. >
Lemos no Jornal do Commercio :
Da Ilha Grande eacrevem ao Confio Flumi-
nense de Angra des Reis, de 16 :
Esperava-so que. com a mudanza da estafio
a febre, que tem matido tanta gente, reeoaria
consideravelmcnt* ; mas assim nao tem aconteci-
do. Cida vez, e de da em dia, cahem enfermas
maitas creaturas, e o maior numero della?
raorre sera recursos, e inteiramente abondouadas
pela pobreza em qne vivem.
Corre por aqui que muito breve teremos
ora medico e eofermeiros mandados pelo go-
verno.
Se isso for verdale, anda seria bom, porque
causa do ver raorrer os pobres sem o menor soc-
corro ; mas nm medico 6 pouco para urna ilha
tio extensa eomo Bita, e onde a molestia eomeca
do norte ao sul.
Pedimos cmara que olhe para ist), porque
so quem vive aqui, que sabe os sustos porque
pass, quaodo v os visinhos a morrerem e sem
nm remedio para o dia em que o inimigo nos vier
bter a pona.
Este anuo tem silo fatal para a gente desta
ilha. i)
L-se no Crrelo Fluminense de 20 :
a Consta-nos por pessoa fidedigna cnegada hoje
(18) desta villa, que Manoel de til, vulgo Maneco
do vigario, teotou assassinar com facadas a liento
Jos de Mag.ilhes.
O criminoso apezar das diligencias do sable-
legado, conseguio evadir-se.
Eis as noticias commerciaes da ultima
data :
Ellectuaram-se transacedes insignificantes em
cambio sobre Londres a 21 9/4 d. para o papel
bancano, e regul.res a 2o e 23 l/i d. para o par-
ticular.
a Houve firmeza no mercado de soberanos. Nao
sendo abundante o ouro, e terminando hoje o pra-
7-o de numerosas transacc,oes anteriormente feita?,
de -*ieza aos possuidores, os quaes conseguiram ai-
canear os precos de 10J400 e 10*450 a dmheiro.
C^nston-nos tambem a venda de nm pequeo lote
i 10*300 para 15 de maio.
As apolices geraes de 6 0/0 continuara regu-
larmente firmes aos precos de 99,99 1/4 e 99 1/1
"0 dinbeiro.
Em secOis apenas negociaram-se as do Banco
Rural a 195$ cada ama. >
MIAwlyM* cArte red,,-n -mfii de
Sahiram para Pernambuco : a 25, polaca
liespaohola Carolina ; e a 30, a Joven Rozalla.
BAHA.
Os trabalhos da assembla provincial fo-
rana prorogados al {5 do crreme.
SS. AA. os Srs. conde e condesu d'Eu dei-
xaram presidencia da provincia, paraserem dis-
inbnidas pelos pobres 15 .
Lemos no Jornal da Baha :
No dia 30 do pascado reunio-se a a3sembla
geral ordinaria do Gabinete Portuguez de Leitu-
ra, e forara eleilos para o< dilTerontes cargos no
anno social de 1871 a 187 :
Mesa.
Presidente.Manoel Ferreira Barbosa.
- Secretario*.Joaquim Leite de Ctfvtlhti e Ma-
noel da Silva Alves Pereira.
Direcrao.
Manoel Das Lima.
Emilio Jos de Mira.
Jote Goncal ves Betchior.
Antonio Maria Cbiappe.
Francisco dos Santos Fonceca.
- Joaquim Francisco de Almeida Brando.
' Jos Dias Antunes.
Commissao de eonds.
Jos da Silva e Sooza.
Angosto da S Iva Ribeiro.
- Jobo de Araujo Machado.
* Hontem (30) pelas 6 horas da manhaa foi en
contrado por um cabo de polica, nos fundos de
nma roca que desemboca ladeira do Castanhe-
da, nm moco de nome Jos Domingos Soares de
Oliveira Jnior, atado com corda* a um tronco de
mamoneirae amordacado cera len$Q.
Levado ao quartel de polica, e denota se
cretaria do mesmo nome, e ah sendo com maiti
mmnciosidade interrogado pelo respectivo Sr. se-
rretario, responden : qne'dirigindo-se ante hontem
-as 1 horas da larde, por mandado de seu pai^ao
arnazera Moreno, afim de receber a qnanlia de...
1:#G0J, entregara-lhe aqiHle negociante 2001 em
dinaeiro e ama ordena da 1:8001 para receber
essa qaantia era casa dos Srs. Justino Jos Fer-
naades & Irmao.
Embolsado dessa quantia, e ao sahir a ru,
eneontrou-se com nm Individuo, branco, de toigo-
des pretos, o qual Ihe era completamente desco-
nbecido, qne perguntoulhe se poda trocar-lhe a!-
pim dinheiro. lVnio dado resposta negativa se
gaio para tratar de ontros negocios, notando po-
Tm, ser sempre acompanhado bem que de longe
pelo individuo sospeto.
Ao ebegar, do volta da eidade baixa, ao largo
do Theatro, vio que o mesmo individuo apreesara
os passos e dirigmdo se-lhe perguotou se quera
comprar nm JmIIo diamante.
Tendo o Sr.Oliveira repondido que nao po-
da, e depois de troearem algunas palavras sobre,
a arte de onrives, sabio aquelle Sr. pela ladeira
4a S. Bento para ir a sna casa na do Dmr .
le; mas ao cherar ao topo daqaelle ladeira mu
dou de resoluca e desceu a que contorna o eon
veato e peneiron aa roca de que cima Ul
Jamos.
Ahi oi aecomraatiido, amordacado e receben
do mesmo individuo iuas facadas, ama no braco
esqaerdo e ontra na perna eorrespoedente. Nessa
Iota, eonspRnio safar do bolso do paiitoi. a quantia
maior (1:7001), e alira-la para Unge, a qual boo-
tem foi aehada, sem qne o ladro vase. Referi
ramente que o larao roobando-lhe a qaantia
3001, permanecen em frente delle at meia
nonie, hora em qne fez Ihe aspirar um liquido de
qoe eslava impregnado nm algalio.
fmt esta ligeira noticia pedo interrogatorio
porque passoo, pelas respo*ta9 oniraditorias que
den o Sr. Jmingues Soares de Olivaira Jo
nior, snopoB-se qne toda esta seena trgica nao
pata de expeeoliclo.
Hontem (2) foi-nos offerecido um expropiar do
proiecio de contrato apreseotado assemf ge-
I legislativa, por int-rmedio do governo id pro
yacia pelos Srs. Huh Wilson eigenheiro civil,
AJFjde La;erda, Wilsoa Hdtt A C. e Birlo de
hrmhn, pra fnztr os estados tetknicos
w distrbriude protongimmlo do es
erro da Baha, desde Alaaoinhas at o
'aasco.
ao memo prejeeto ara relatorio
apresentado ao Bxm. Sr. bario de 5
i{0, e ao corno eommereial desta provincia
esmo Sr. Hogh Wdson sobre "a navegacio
S. Pranisco oe diversos pojeetos para I
ligar a navegacao do alto rUvaom algum parta do] nada aa dia M de abril; s 4 horas da tarde
lutorial e do qual ja demos noticia.
Horas Tni tardff evadi-le da cadetada villa do
Urub o preso Jos Antonio da SiWa, seateociado
gales perpetuas, tendo para isso quebrado urna
das grades.
c Apexar das providencias empregadae, r>
nlo liaba anda sido capturado.
Ao amanhecer do dia 12 de abril proximp
passado, se evadiram da eadeia de Maeahubas os
rdas de morte Germano Ribeiro Niza, e Manoel
Colleita dos Santos, pronnaciado ne art. 201 do
eod. cnm.
Os criminosos serraram parla da porta qoe
prenda a liogoela da echadura
O cabo e quatro pracas do destacamento Co-
rara presos afn de seren processados pela
fuga.
Apezar das diligencias empregadas, os reos
anda nao pnderam ser capturados.
Consta-nos qne hoalm (I) encontraramse
na thesouraria de fazenda signaes evidentes de
uma tentativa de rutina, n5o por causa-de al.
gnns buracos feitos em uma porta, (ao noides que
bem demonstravam o proposito de seobter passa-
gem para uma mo que eudesse desviar qualquer
obstculo, que do outro lado bouvesse para aber-
tura da mesma, como porque encontrn so abor-
ta uma outra que na vespera tinlia fleado fe-
chada.
Provavelmente terse-ho dado providencia?,
com quanto seja dilB:ii attribuir se deternvnada-
uiente a algaem semelhtnte atlentado.
O lenente-eoronel Bernardo Jos do Rozario,
residente em Alcobaca, quereado commemorar a
sagrada morte e paixai do Nosso Rdemptor, con
cedeu carta de libarda le sai cria Mara, quasi
bracea, de 6 mezes de idade, e eatregou a refe-
rida caria ao parocho da mesma freguezia para
fjzla passar s mos da m da atforriada na
occasiao da sabida da procisso.
A subcripcao era favor do papa eleva se
ultima daia a 13:000*.
A alfandga rendeu no mez de abril....
891:264*100.
O cambio sobre Londres regalava 2S '/ *
1S */e d. por 1*000.
Sabio para Pernambuco a sumaca hespanbo-
la Venturtta.
AUGOAS.
- Ii-tallou se, no dia 3 do corrate, a astem-
bla provincial, ricando a sua meza assim organi-
sada : presidente, Dr. Bernardo de Mendonca; se-
cretarios, Mantilla e Tiburoio.
O presidente da provincia, Dr. Jos Beato Fi
Iho, offereceu ao bario de Anadia, na nuule de 5
do correnle, um baile sumptnoso.
Conliouavara aapparecer casos de febro ama
relia na capital.
Lemos no Jornal das Alagos :
> Ante hoctera (3), s 5 horas da tarde, S. Exc.
o Sr. presidente da provincia, acompanhado dos
Kxms. Srs. commendador Jaiintho do Mendonca e
bario de Anadia, diversos deputados provincaes,
e muitas familias, seguio pela va frrea at u Tra-
piche da Barra, e de l embarcando no vapor Ala
goano, seguio para a fabrica de Fernao Velho.
Tendo, porm, S. Exc. chegado depois de pa-
rados os trahalhos maaufactnreiros, fui recebido
pelo Sr. capuo Jos Adolpho de Barros Correa,
digno administrador daquelle estabelecimento, que
a lodoa recelieu'cora cordialidade e cavalheinsnio.
S. Exc rccolhen so capital s 3 heras da
madrugada, reinando em todo o passcio a niais
expancia alegriva.
<++~
tn Antonio Serra por Antonio Jos Tatxeira _
sampcao, individuo muito conhecldo aesfa idada,
onde sa iacolcava carandeiro de divM
s jaonaqafla, e reputado no lugar^de si
ocia por finito rlxoo, sempre ostentando
baos costuro*-
* Sdter Jeve nltimanseate urna qnestio eom
Aaidaspcla.'por cansa de ama chancella, edisso re-
sultou este assassina-lo, dando-lhe dous Uros na
cabeca. ^^ ,^-^bbh
Perpatnl o criat fug}' aaussino, ne-
gando ao aa Porto OMnde, raaideaeia da Nade
legado, Sr. Antonio aliano de Almeida Braga,
s 11 horas da DoaJe, proeova traosporur-se
para este eidade, quaado cncflM o pai do aatassi
nado qaa indo acordar o.SrTajraga, relaiaa-fce o
faci.
O Sr. Braga, Muanto fra do exeretcio,
aruiou aigumas pesaoas e praadeu o a-pa-sln que
razia cjrosigo 2 faeas e umaespingarda, t o re
metteo ao Sr; Dr. fwr de dolida.
'< O assassinado era um Jom bomem, e pai de
maitas filnos. oh OdVgTaA f^
A allaadeca renden d&'raer de abril___*
164:029*840.
PIXTTBT.
Havia na provincia grande aoimaeao par
causa do bom coraeco do Invern.
(JBAl.
\ Chegou tambera hontem pela manhaa o Kaaor
Cruzeiro do Sul, trazando datas : di Para 1*, du
Maranhao 3, do CeaiS, do Rio Grande 6 e da
Paranyba 7 do corrente.
PttA.
Foi nomeado director da escola normal..orea-
da pela le provincial n. '669, o cobego Jo; Piulo
Marque*. *
Para compor o eonselho direetor da iostrnc-
cao, foram Borneados, alm do director gerat, os
professores do Lycea Paraense, Drs. Jos Flix
Soares e Jos Ferreira Cantao, o professor particu-
lar do ensino primario, conego Antonio G->ncalve-
da Rocha ; o professor particular do ensino se-
cundario, padre Flix Vicente de Lelo; o profes-
sor pualico do ensino primario, Jos Tneodoro 3a-
raiva da Costa ; e os Drs. Antonio Goncalves No-
nes e J iio Mara de Moraee.
Pelo Exm. diocesano forara Borneados par
eompr o eonselho episcopal'.
Conego vigarb |eral gtjyigo Bwges de Lasti-
Conego cura Luiz Marlinho d'Azevedo Couto;
Conego Luiz Barroso de Bastos ;
Conego Jos Pinto Mirques ;
Conego Joo Ferreira d'Azevedo Moniz-;
(onegfdpaquim Antonio da Silva Egues;
'>negdlemenlino Jas Pinheiro;
Padre Angosto Joo Maria Cullerre ;
Padre Theodoro Gabriel Thaoby.
Lemos no Diario do Gram Para :
Osles. Eaton eRubioson, proprietarlos d'aroa
fabrica de pedras, Artificial Stone Blocks, sita na
estrada da Constilucao, receberam no domingo
(3) em sea estibeleciment uma numerosa e es-
colhida sociedade, qoe havam convidado por ser
aquelle o dia que S. Exc. o Sr. presidente da pro-
vincia destinara para visita-lo.
t Fizeram os proprieta-ios da fabrica trabalbar
algnmas de soas machinas e submetteram apre-
ciaciojde seas convidados varios taatMatai de ea
artefacto, em difTerentes phAses da composico.
Aigumas amostras da podra j prompta serviram
para provar qoe vantagens aprsenla a adepcio
d'este material em subslitnicio do tijollo que ora
empregamos, vantagens para notar, porque aug-
mentando a solidez da obra diminue Ihe o preco.
iE' de crer que nao tenham os Srs. Eaton e Ru
binson occasiao de arrepender-se pelo estabeleci-
mento de sua fabrica, porque o sea material,
tantos respeit s preferivel ao de qae agora nos
servimos, ha de acabar por ser o nico adoptado
as ebras, de caja exeengao prenuacio o pro-
gredimento d'e Desappareceu no Madeira o negociante Anto-
nio SimSes d'Almeida. Trouxe-nos a triste nova
o vapor Giao, que hontem ancorou em nosso por-
to. Tinha ido co.u alguns aggregados cortar al-
eaos cipos para erapacotar peixe e embrenhara-
se na floresta d'onde nao voltou. Os companhei-
ros nao sabiam novas d\lle. Perecen tal vez as
garras d'alguma fera.
SimSes era braslleiro, de Pernambu:o, onde
tinha mae e duas irmaas. Contaram-nos qoe pos
suia n'aqoella provincia alguns bens de raz e que
eram sens procaradores os Srs. Tasso & Irmao<.
Devem seguir hoje (20) para Goyai tres boles,
que condnzem desarmado o v*por denominado
Mtnero, destinado navegacSo do rio Aragnaya.
Velo bascado em commissao especial o Sr.
Manoel Alves de Castro Sobrinho, negociante de
G yaz, amigo do Sr. Dr. Couto de Mag-lhaes, e
em quom elle deposita plena confianea.
^ O vapor Mineiro, qne aqui chegoa desarmado
d'inglaterra no mez de marco, ntede 75 ps de
comprimento, e informam-Bos que im coastraido
era condieoes que correspoodem saecessidades
da empreza de que propriedade.
E' esta uma noticia grati que, ao darmos
o/issos leitores, fazerao-o coagratulando-nos com
elles pela sna signi(icca\
MARAOTIAII.
No dia 3 do crreme, realison-se a i liertura
solemne da assembla provincial, cate meza se
compS: presidente, padre Tnomaz de Moraes Ro-
go ; secretarios, Drs. Martiniano Mandes Pdreira e
Jos Mariano da Costa.
Lemos no Partz :
Fallecen hontem (26) Fr. Luiz Serra, do con-
vento do Carmo. Era um ptimo Iho.
No da 3-de abril
No da 30 do pasado foi oThrecIlo, na po-
voacao,d Soore, nm profuso jautar ao Exm. ex
presidente da provincia, pelo vice-presidente co-
ronel Cunha Freir; e no dia 1* do corrente am
snmptaoso baile.
No primeifo do eorrente foi eleta a segain
te directora da Assoea.io Comraercial: presi-
dente, Lnlz Saad ; ce-presidente, Francisco Coe
Iho da Fonceca; thesonreiro, Luiz de Seixas Car-
rea ; secretario, Jlo Chryiostomo da Sll*a Cita-
hy ; directores, Luiz Ribeiro da Cuaha, Ricardo
Huglies, a Antonio CoeUioda Poneeea.
, O numero de acedes subscriptas para a ria-
ferrea de Batarit eleva va -Se a 2466 representan-
do o cap tal de 493:200*.
Falleeeram, na capital: e fiel do armtfem
da alfandaga Mareos Xavier de Castro e Silva; e
o Ia eseripturaii* deesa reparticao Rosal ve Medei-
ros da Rocha Lias.
Aalfandega rendea n) mez de abril..!..
87:494*980.
RW-onANDI.
.Nada oceorraa digno de meaclo.
PAnAHTBA.
Foi preso, nm snborbtos da capital, *> ertni
noso J Felisardo dr Coste, am dos qne fez par-
te do arrombamnto da cada da cidade do Natal.
ercw da crte, que, sob o titulo desta bo-
anscrevemos em nossa 8' pagina, por nos
espaoo em ontro lagar,
ndo-se perfeitamenie con o iwsso modo de
*Vi^veMS enDnciado em ardgoa de redac-
ar Ideas all emittidas, sobra-aossatisfcelo
em yer que, na edrte, o mais autorisado orgao da
opinio se occapou da momentosa, difflcil e exi-
gwjle_qaestao do elemento servil, com mu sabido
"rando-a por sua verdadeiras faces,
io-a lu dis faaaaa e doa interesws
enaaa que dec^rrem. da bou prioaioal foate
riqOwaa agricultura.
ecomatendaodo, pois, esaa artigo aos nossos
aasiijasates e leitores, aceitemos, como se nossos
fwsem, as ideas nelle emitUdas, e ajuatamos os
nossos toa votos do grande jornal para qae a ques-
tao do eleoento servil nao seja posta a margena no
seio da repreaentacio nacional, a antes, pelo con-
trario, eooilDe a merecar as honras da ama illas
trada discussio na cmara temporaria, dlscusso
de que sem duvida ba de resultar ama serie de
raediJas adoptadas concillar a iniciativa particu-
lar com a inierveneSo dos poderes do estado no
louvavel empenao em qae todos que habitara o
Brasil esto de vez pensado e quic estirpado o
ais horrendo cancro qae hoje corrompe a socie
dado deste paiz, era trras da America.
REVISTA IABIA.
ASSEMBLA PROVINCIAL. Na sessio da
h niem a assembla prosegua na 2* discussio do
orcamnito provincial, o qual foi approvado asi o
art. lo inclusiva.
A ordern do dia pira aoje : eoannaeae da
anterior, l'disenssaa doa pmjactos aa. 13 e 94, 2*
do de n. 11 deste anno.
EMBABQUB.-Honem as dnco horas da tarde
embarcon para bordo do vapor brasilefro Crniei-
ro do Sul, com destino i Wrte. onde val tornar
asento na cmara temporaria, S. Exc. oSr. eau-
selbeire Dogo- Velho Cavafelntl de Albnquerqne,
drgno presidente desta provinei.
O embarque de 9. Exe. fof pomposlssimoa-'Wt-
tremamente concorrido. _>_j__ >!
Ao sahir do pitaeio da presidencia S. fjre. era
aconmanhado pof c?rca de quiohentas pesaoas das
mais gradas da provincia, entra as qtrm nera-
semuitos funceiortarios publico^ deputadli pro-
vifleiaes, autoridades, oilciaes deJLmha e di. guar-
da nacional, nebcbnres, arista, eta. etc. Segdia
o cortejo tres bandas de msica marcial, que des-
de quatro huras locaran! na entrada do referido
palacio. t
Durante o trajelo pela ra do Imperador aK-
rarara ftires de varias cavas sobre S. Ete., de
um sobrado, perto au largo" de Pedro II, o'Sr.
Antonio Lenidas Edorlrges, merabro da sorieda-
de dos Artistas Mjcna.nicos e Liberaes, redton
uma linda poesa de adens ao Sr. ecrase!helr6 Dio
go Velho, sendo multo appfaadidb, entr ehrha-
sitico viva -levantados 3 S.fccc.
No pateo irtftdeioo do larjfo de Pedro II, junto
aorafti Off*mtjpi-iioB, rtii^ erguido ora ele
fSfhte e bem decorado pavilhao, ctrenlaau f>r
raasrfbs embandeirados e eolnntas i*)roadas
com <-ario.) bo.cn o jarros cora flores, tndo pre-
parado pela sociedade dos Artistas Mchameos e
Liberaes. Nesse pavilhao entrn a Sr. epnselhei
ro Oiogo Velho, e, depoii de tonar aliente, foi
saodado com nm disenr o, pronunciio por nm
membro da refer.da sociedade, o qoal ergueu no-
v^s vivas S. Exc, que por sua vez os ergnsa a
S. M. o Imperador e adpvo pernambncano. Ahi
receben S. Exc a cotraencia militar qne Ihe foi
prestada pelo 9 batalbio de infamarla de llnha.
Depois disso dirigio-ae S. Exc. ptra a galeota, e
esia desferio seo vo para o vapor, sendo reboca-
da por um dos peqaeoee vapore* de reboque da
porto. A' galeota aeompanharam numerosos es-
caleras aiopetados de amigos a affeiaoados de i.
Exc, os quaes o foram acompanhar al o vapor
Cruzeiro do Sul, onde novas demonsirsroes de
apreco e estima receben o honrado admistrador
da provincia, qoe lio bem firraou o seo nome nes-
te trra. Ao passar a galeota pela fortaleza do
Bram dea ella a salva do esiylo.
No caes Vinte e Dous de Novembro, na ponte
Seie de Stembro e no logar de Pedro as teste-
manhas do embarque de S. Exc foram numero-
sissiraas, e eremos nao exagerar avahando o total
em cerca de 4.000 pessoas, visto como todos os la-
gares cima estavam apinhados de gente
Ha bem longos annos nao v Pernambuco fto
expleodida quio expontanea flemnracao de
apreco, estima e consideracSo, prestada ao sea ad-
ministrador ; e, quando nio bastassem ao Sr. ton-
selheiro Diogo Velho as tantas ontras proras de
gratidao, qae Ihe foram ministradas pela provin-
cia, essas, qoe S. Exc receben ao embarcar para
a Corte, de sobra fhe feriara enchido de jubilo o
coraclo, provando-rhe que o povo pernambucano
sabe aquilatar o merido, e rctribui-o eom os seus
mais dedicados affeclos, com as fljfes do seu
agradecido e nobre peito.
DINHEIRO.Os vapores Tocanlins e Cruzeiro
do Sul tronxeram para os os Srs.:
Bailar, Oliveira A C.
Joaquim Gerardo de Bastos
Pereira Vianna A C.
Monteiro Gregoriojlt C.
Antonio Ferreira Ramos Sobrinho
Varas Gomes de MaUos A Irmos
Jo Radrixoes de Souu
Theodoro Christaosen
Jos da L de Oliveira Fgueirdo
Alfredo A C.
Jos Joaquim da Costa Maia
Miguel Jos Alves
Antonio Cime Netto
Antonio Gaedes Valeote
Costa & C.
Joaquim Pinto Lapa
Trouxeram mais esses vapores:
Para a Parahyba 248*000
oCear 600*000
< o Majanillo 4:660*000
* ^ Para 620*000
A Baha 1:943*280
< o Rio de Janeiro 59:740*3SO
NOVO MUNDO.-Cooluio-se o primeiro semes-
tre da publicacaod'este imeressante peridico il-
lstrala. A nova asignatura para o segundo
semestre (as. 7 a 12) acna-se abena na livrafia

6:926*330
6:800*000
2:371*000
2:114*000
2:000*000
1:700*000
1:682*000
I:20O*00t
1:200*000
1:000*000
821*000
700*000
000*000
600*000
467*000
200*000
103*840
paiz, em trras da America.
THEATRO DE SANTO ANTONIO.-Hoje a com-
paonia franesza de bouffts, dirigida pelo Sr. Hur-
bain, lava a seena nesse theatro Lis folie drama
tiques, que nos informara ser ama bella ci?roposi-
$ao tragico-lyrieo-eoreographieo, posta em msica
pelo maestro Herv,
IPOJUCa.Este vapor da companhla Pernam-
bucaua, li:ava no porto da Fortaleza no dia 6 do
corrente.
COMPANHIA DE NAVEGACAO BRASILEIRA.
E' to o nome da corapaiihia que se organisou
em New-York para subsbtair a actual companha
brasileira de paquetes a vapor, de eonformidade
com o contrato approvado pelo decret de 7 de
junho do anno passado, que eolio publicamos.
O capitel da corapanbia ser de dous milhSes de
dollafs divididos em 20 rail accoei de 100 dol-
ais.
A sede ser ao Rio de Janeiro, onde residir o
director gerente, mas o escriptorio principal ser
em New-York.
Cada accao de contar como ura voto, e (era o
accionista o direio de votar por proeomcao.
No caso que jalgue neceasario podera a directo-
ra fundir a corapanbia com a dos paquetes ameri-
canos que fazem a servieo entre o Rio e New-
York.
O director ser accionista pelo menos de 10
acedes.
A actual directora, qae faneciocar por 2 annos,
se compara assim :
Directores.
William R. Garrison, presidente, 3800 acedes.
C. K. Garrisoa. 2000
D B. Alien. 2000
James M. Moey. 100 >
Mortimer Ward, secreUrio a
thesoureiro. 100 *
Jonn M. Carrero, director gerente. 2000 >
Os paquetes desta companha consta que devem
eoatecar a trabalbar em julUo.
PROCLAMAS.Foram lidos no domingo 7, na
matriz da freguezia de Santo Antonio os proclamas
segoiatea:
denunciado.
Manoel Marques da Silva, com Virginia Maria
doa Pasaras.
oaiasiij Fabio da Silva, com Alexandrina de
Jas us Satyra.
Fraaeisco Jos limdsa, eom Anna Rosa das
Navea.
Francisco Pereira da Annanciacao, com Joaqui-
na Mara da Con ce: cao.
. Ataguaeo Cesar do Espirito-Santo, com Francis-
aa Mam de Mello.
Joip Altes de Saltes, com Mara Candida da
Coste.
Jos Rodrigues, cera Sebastiana Francisca da
Silva.
Joa Gualbsrto Correa, eom Isabel Xavier Sa-
lermo.
Manoel Cyriaco de Albuqnerque, com Anna
Joaquina Carnetro Leio.
Jo i Manoel Meados da Cunha Ate vedo, com
Candida Innocencia CordeiroVeltoso da Sllveira.
Agaatinh.) Altee Das, eom Francisca Rosa da
Conceicao.
2." denunciacio.
Verlate sanaosiMia. ?
Alfredo Nonato Shilks, com Amelia Fernandos
da Cuaha.
Mamede do Reg Barros Fonseca, com Cleraen-
tina Ferreira Paaba.
3.a denunciacio.
Custodio Moreira da Cruz, eom Anna Felicia
dos Santos.
Manoel Francisco Rabello, com Mara Cicilia
Lima.
Luis Jos de Smza, cora Alexinlrina Marques
da Silva Mascarenhas.
Deusdedit Firmino Xavier da Fonseca, com
Ambrosina Fernanda de Souza.
Manoel Alves Corroa, com Olivia Flora Pereira
de Mendonca.
Antonio Barbosa, cem Joanna Joaquina do Es
pirlo-Santo.
Vicente Ferreira do Nascmenlo, com Anglica
Brgida Ramos.
Jos Paulo de Animas, com Luiza Maria do
Monte.
Isidoro Jos de Brillo, eom Jacintha Deodora da
Silva Freir.
HOSPITAL PEDRO n.-0 movimento desse es-
tabeteciraento de 1 a 7 de maio de 1871 foi
de 268 existentes, entraram 35, sahiram 41, fallen
ceram 10, existem 232, sendo 160 homens e 92 mu-
Inores.
Advertencia.
Foram visitadas s enfermaras. estes dias as
6 1/2, 7, 6 1/2, 8,8, 7 1/2.6 1/2 pelo Dr. Ramos
as 11 1/2,12,11 1/2, 12,12,12 pelo Dr. Sarment.
Fallecidos.
Jos Lyra ; peritoaia.
Jos Benedicto ; hernia Inguinal estrangulada.
Luiz Pisto de Souza : myelite.
Candido Leopoldine Monteiro ; tubrculos pulmo-
nares.
Theresa Maria da Conceicao; intente ebronica.
Francisco de Assis : febro tvphoiJe.
Jos Madel; fsfM anvfgoa. '
Joanna Bapsla ; inlerite aguda.
Maria ; dterrbea.
Joao Reg de Barvoa ; bexjgas.
ESTABELECIMENTO DE CARIOADE.Movi-
menio do Hospital Portuguez desde o da 26 de
fevereiro a 4 de mareo.
Existiam em tratamento 36, entraram 8, sahi-
ram enrad is 10, falleeeram 3, Qcam em tratamento
31.
Pernambuco, 6 de maio de 1871.
O mordomo de semana,
Bernardina Dnario Campos.
LEILO.Hoje as 11 horas effedua o agente
Piolo o leilao de movis, loufa, vidros e obras de
prata, annuaciado para o sobrado da roa Nova
n. 26.
ates nm artigo edctorial do Jornal do)ftlha menir, Antonio do Naseimento D. Moreira,
D. Maria da Gloria da Araujo, commendador Ma
oe! dos Santos Fortuna e 4 eacravos. major Bento
Lima da Gima, D. Malhilde Pialle, Felice Felizale,
Miguel A. de Pigueiredo, Mximo Pereira Doartc,
Sabino Monteiro de Mello, Constantino Jos Gon-
calves, Ludwg Emmanuel, Argemiro, J*ao Tava-
res Cordeiro, Ivo Pereira da Silva Rosa, Fran-
cisco Ferreira Borges, engenheiro Massi, Joa-
quim da S. Coste, Manoel Joaquim Gomes Braga.
Julio Clain, Manoel Joaquim D. Guimaraes e sua
senhora, T. Stalk, Natall Fernandes de Araujo,
Jos Joaquim D. Ferreira, J. drC. Almeida, A. M.
Rabello, J. P. Ferreira, M. C. Sampaio, A. P. da S.,
Joaqaira M. da Fonceca, Antonio Fernaodes Porlo,
M. J. de Amorim, A. Venceslao, Joio Luiz Vieira,
Joaquim Jos G. Leite, A. J.de Fgneiredo/Tgnacio
F. Man, Tbomaz A. S. Loureiro, Joaquim H. R
Lima, Dr. Jacinlho P. M. de Medeiros e I criado,
Maria R"sa, Manoel M. F. Maia, Manoel Jos de
Farias, Dr. Francisco J. Meira, Hvd. Miguel Ame-
rico, 20 sentenciados, e a,escolta que os acompa-
nha, 4 n pracas e 1 cadete.
Seguem para o norte :
" Joaquim F. G. dos Santos, Dr. Francisco J. P.
Moita, sua familia e 9 escravos,.A. M. Nogueira,
sua tenhora e 2 Albos, Dr. J. C. Lisboa e 1 es-
cravo, F. T. de Azevedo, capilio J. P. de Andrade,
M. J. P. da Silva G. Miclhelle e 3 fillios P. M Gae-
tano, Carociola S. Dorneco, A. J. Souza, 3 cadeiei
e 17 pracas.
LOTERA.A qne se acha venda a 192"
beoelicio da matriz do Granito, a qual corre no
ciia 13 do correte.
CEMITEHIU PBLICO.-Obituario do da o do
correle :
Maria, branca. Pernambuco, 1 dia, S. Jos ; ao
nascer.
Joo Lino Gomes, pardo, Rio de Janeiro, 19
annos, solteiro, Recie ; ebre perniciosa,
Josephina, parda, Pernambuco, I mez, Santo
Antonio; febre.
Maria Jos Tavares, branca, Portugal, 63 an-
nos, vjuva, Lapunga'; febre perniciosa.
Julio, escravo, pardo, Pernambuco, 40 annos,
solteiro, Poco; espasmo.
Marcelino, escravo, pardo, Pernambuco, 40 an-
nos, solteiro, Boavista; varilas.
Francisco de Assis, prete, Pernambuco, 15 ai-
nos, solteiro, Boavista; febre typhode.
6
Joaquina Maria dos Prazeres, parda, Pernambu-
co, 89 annos, viuva, Boavista ; bydro-perciardite.
Leio Jos da Guia, preto, Parahyba, 52 annos,
solteiro, Boavista; pneumona.
Innocencia, parda, Pernambuco, 3 mezes, S. Jo-
s ; espasmo.
Joo, pardo, Pernambuco, 5 annos, S. Jos; va-
rilas.
Maria, parda, Pernambuco, 1 hora, Boavista;
espasmo.
Anna Josepha da Conceicao, parda, Pernam-
buco, 27 annos, solleira, Sanio Antonio ; coogestao
cerebral.
Jiaona, Baptista, eabocla, Panguay, 28 annos,
solleira, Boavista; intente aguda.
Jos, pardo, Rio de Janeiro, 59 annos, casado,
Boa-vista ; febre maligna.
Guherme Bogies, branco, Franca, 25 annos,
solteiro, Capunga ; febre perniciosa.
Rosa Joaquina Ribeiro, branca, Portugal, 40
annos, casada, Boavista ; febre amarella.
Severino, escravo, preto, Pernambuco, 25 annos,
solteiro, Santo-Antonio: hydro-pericardite.
Luizi de Franca e Silva, parda, Pernambuco,
30 annos, solleira, Recife; pbtysica pulmonar.
Elvira, branca, Pernambuco, 6 mezes, Boavista ;
convulsoes.
am grande vulto e tem at dome de Qdalgo. Ego
suntqm sum I ^
Recife 7 de maio de 1871.
Clemente Francio Tavares.
NOVO BANCO DE PERNAMBUCO ()
BALANCBTE DO NOVO BANCO DE PEBNAMBUGO EM UQUI
DACAO, EM 29 DB ABRIL DE 1871.
Aclivg.
Letras protestadas........
Despezas geraes.........
Caixa.Pelos seguintes valores :
Em ouro amoedado. 709*080
Em notas do thesouro
e da Caixa Filial do
Banco do Brasil 20:085*000
Em prata e cobre. 161*036
149:4705870
10:288*310
20:953*116
Ris.
180:714*296
Passivo.
Capital............. 67:170*000
Emisso i......... 7:400*000
Contes correntes-com juros. 3:429*999
Fundo do reserva........ 101:444*490
Massas fallidas a cargo do Banco
Dividendos..........
Lucros e perdas........
638*787
400*400
230*620
Ris. .
DEMONSTRACO DA EMISSO
23 notas do valor de 200*000
20 ditas de 100*000
16 ditas de 50*000
Ris. ,
180:714*296
4:600*000
2:000*000
800*000
7:400*000
S. E. e 0.
O guarda livros,
Francisco Joaquim Pereira Pinto.
PUBLICACOES A PEDIDO.
------------- -------------------------------
Negoidos de Fernando
. fallecen na Thereziaa o eo- franceza, devendo chetar oeJo artilla i -Tda
c"!Lei.A^on,?_d.8_S)a.ra.?Ian(,e?i P"1 5r9- "-f:New-ork h vtjk**aonmStV
M
Simplicio e Antonio d Souza Mendos.
a Tiaha 78 annos. Miliiou eora honra e pres-
tou aons servidos a ordern no lempa, da balaiada.
Era tambem um veterano da independencia, t
< No Cururup o Sr. Jos Luiz Soares dea li-
berdade a um sen eserave para sol-rnoi se de seu eonhado o vigario d'aqaella villa, o Rvm.
Manoel Altino Alves do Nascimeoto.
No districto de S. Miguel da Lapa e Pia, do
termo do Rosario, no da 15 de abril foi estuprada
orna menina de 10 annos de idade Luiza Mara
da Conceicao, Alba da Miria Monica, mnlher po-
bre e desvalida. Ugitado aotor desso crime
Posaidoaio Antonio Ribeiro, foi este recolhido
eaoMa, leudo sido falto o eorpo de dolalo, e acha-
la instaurado o processo. >
< No dia 11 da abril, em uma arvore, junto a
margen) de am riacho, ao lugar S. Ravmuodo, do
termo do Codo, a menor Idejuilma Mandes Pa-
checo, que alli tinha ido aa manhaa dasse da
eom uma eriaoea, encontrara boa a-v Benedicta
Trquata Paobeeo, que, segunda as averiguaedes,
a que tem procedido o respectivo delegado, foi
quera poz termo a ana existencia.
Fot no IprahiL disiricto do Bacaoga\ tsavu-
Sendo muito ereteido o naniera de asaianaales, gar.
AMA >. J I _____________ ...
coovam aanaam daara as peaaaaa qae aassaem
a eolleeoAa do primis aamaatfa maaadm eoo-
var a sna snbscripcao.
ASSEMBLA GERAL.Seguir hooleai para
a fine es sealnrea aenatares los lea da
Cunha a Fgueirdo Ttiom i Pompeo de on-
za Brasil e Alvaro Bartatbo Daban Cawlaafe, a
que, e Joao Javeacio Ferreira
de Ancagy.
de Aguar, bario
PASaAGEIROS-0 vapor brasiteiro Cruzeiro do
AW traaxe a seu borde, os segaioles: Jos Hygiao
deeaan, Antonio J. Garrea da Silva, Jos Mantas
fleurujue, padre Jos Aatoaio Rodrigues, Antonio
Gomes de Campes Petioo a l escrava, Joaquim
Olyrapio dePaiva, Francisco Luiz Rodrigues, Alba-
nasio Jos da Coste, Francisco Jos da Cunha
Sarapayo, Fernando deSequeira Carvalhoe 1 cria-
do, A. A. Maranhao, Francisco de Almeida Braga,
Joao Ferreira da Silva, Manoel da Silva Neves,
Antonio da Sil Neves, Silvino Alfredo de Souza
Franco, Antonio Furtedo da Motla, Alipio Dias
Maehado, Joao los da Rocha, 1 escravo a entre
|ar> Dr. Benedicto el Albo, e 1 escrava a entre
Seguem para o sul: Exm. Sr. Dr, Jos Fer-
nandes da Coste Pereira Janior, 1 fiiho, e criado e
3 esemo, Jta Joaquim de Negreiros^ayaadLo
bato, conego Manoel Jos de Sequeira Mendes, se-
nador Tbotna* Pompeo de Souza Brasil, capillo- l-
ente Bernardioo Jos de Queiraz, teaenie-coronel
Fraaeisco Manoel da oaha Janior e 1 escravo, D.
Joaquina Raymonda C. de Oliveira. 1 Gibo, 1 cria-
aner- "^ e oravos, teneula Segisuaado Cooro d'Aletr-
J*** "anpe. aifsres Joao Zafirino de H. Cavalcanfe
"B0 Barbos* Maris da Conceicao, Antonio Bole-
Ibo, Manoel Sim5es, Luduviaa da Triadade, Rosa
Helteaa, A. P. Pesso Filna 1 criado, Itidoro Al-
berto Vicente Bibeiro, Igaacio Pereira d'Assurap
fao, Jardelim Pereira, 2 eadele Fredtrico da Silva
Symplicio
para armada, 5 ditos para
e exente, 8 a .-raaos a treaar.
Eatradosatoi porto ao sul no vapor brasl-
leiro Taamtm* .
Jos* Marque d'Avila, tente Jos Maria Mar-
4ae uaaar, Joaauim Alnas dos Sanios Souza, en-
genheiro Mattau ogaalr* Brandao, teneote-eo
rsiei AatoHlO 4e Cajipos Mallo, sua senhora e 1
FERVANDO DE JvORONHA.-Chegou bontem
da corte o ten ente-coronel Amonio de Campos
Mello, commandante nomeado para presidio mi-
litar de Fernandode floreaba, -i------------------------
- Com desaso a este presidio vieran entmn Ae12ena' ,0 ,os aadrigues Beleza.
da cArtelO sentenciados. *"' J^C*l^raafp*s*tera armada. I
HOTEL DE FRANCA.-6ob aaU deoomiaseao
acaba de ser insiallado, no largo do aaereado dS
Jo na botal oa todos o ceramados aseesaarfos
ao bem aaiar da seos (ragaeas.
to espseialmeaa a Istara e raflexao dos
O autor da serie de artigos publicados no Libe-
ral sob o titulo-coosas de Fernando julgando-
me a causa da demissSo do Sr. coronel Jos An-
gelo de Moraes Reg, quer, por tralhss ou por
malbas, levar-me ao patbulo para regeneradlo
da sociedade, que quasi se decomp5e com a tal
demissao I
Repara e critica que o comraando da3 armas
nao me tlvesse feito demittir do logar de secreta-
rio de Fernando pelas aceusacoes banaes anony-
mas e indirectas que me fez o Calabrote, e nlo
?ei que outro peridico, e anda pela qua se Id no
Jornal do Recife de 12 de Janeiro deste anno, cajo
responsavel ahi est na eadeia cumprindo seoten-
ca por crime de injuria.
Nao vejo razo para esse reparo e menos para
ama crtica.
Nao foi o commando das armas entregue de
partes contra mim e nao poda sem um motivo
coahecido e provado exigir a minha demissao de
secretario de Fernando.
Ao Sr. coronel Moraes Reg competa suspen
der-me do empreg que servia, se motivos hou*
vessem para isso, mas, elle era so nao me sus-
penden., como pedindo en despensa do lugar de
secretario era Io de fevereiro por meio de nm re-
querimento, enja ejpia abaixo vai publicada, de-
clarou-me era despacho, que nao estando em sua<
aitriboicoes atteoder ao meu pedido ia levar ao
conheetmento do Exm. general commandante das
armas. E levon f
_ E nem crrvel qae o Sr. coronel Moraes Reg,
tio disposto a cumprir o regulamenlo do presidio,
achandome as eondicSes apootadas pelo seu de
fensor, tendo em ordeas do dia reprehend Jo a
quasi todos os empregados, chamando siguas ao
exacto cumplimento dos seos deveros, me deixas-
se impunemente exercitar nos desmandos de que
son aecusado.
Quando o Sr. coronel Moraes Reg chegou
Fernando, eu nao tinha rocado algum, tanto que
uma vez conversando elle eomigo e o Sr. capitao
Joaqaira Antonio de Moraes, nos offerecen terrenos
para plaannos milho, feijao e mandioca, e nem
eo, nem o dito Sr. capitao Moraes aceitamos tal
offerecimenlo.
Li estao em Fernando dous empregados infe
riores com bonitos e grandes recados dados pelo
Sr. coronel Moraes Reg ; e esses grandes roca
dos sao tratados pelos sentenciados.
Nuoca tive tantos criados como diz o defensor
do Sr. coronel Moraes Rogo ; nunca fui considera-
do grao senhor.
E verdade qae gozei sempre de considerarlo
e estima dos habitantes de Feraaudo. e ainda bo-
je estou conteme do Conceito em qae all son
tido.
Nunca tive sociedade eom Nunes ou outro
qualquer commerciaote, auaca enlrei am trans-
accoes illicias com quem qaar que fosse, e des-
afio que provena o contrario do que digo.
Daixeojos a calumnia vil e venham as provas
docunentaesv
Nao receio qma investigarlo dos mena setos
em Fernando, comparados coa os dos mais em-
pregados que estio ou estisacajn alli. Haja jas-
tifa e vamos adianto. ,,.
Nio se importen] \ut eu tenha sido outives,
latoeiro ou sapa tetro,-fue eabisae da lama ou da
aris ; lembrem-se que o bismto da cabra Igna-
cia asara va de um aapito-mr da Paiahyba,
(*) Por descuido da typograpma deixoa
publicado hontem o presente bateante.
de ser
lm' coroD->Maaodaato. Nio pudendo
a anaixo assignado coaUnnar a exereer as une-
c5es de lecretarle lerts presidid, pelos motives
que passa a expor, e, tendo V. S. declarado no
da era que assumio o aenuaaado, qne aquelle
empregado qua nao estvesse aervindo por sna es-
pontanea vontede, deelarasae para ser retirado,
porque havam maitas pesaoas que queriara os
empregos de Fernando, commodas e bem pagos ;
pede a V. S, a graca de perraitiir que, flcando
elle dispensado das ditas fuoe{fcs, se reilre par
a capital no primeiro transporte que aqu ebegar,
adra de ahi esperar a demissao que vai pedir ao
governo imperial.
Para fundamentar o seu pedido, o mesmo abai-
xo assignado aprsenla eonsiJerscao de V. S.,
alm do ficto Inconiesiavel do seu mo estado da
sade, orno se v do documento juato, e da es-
tar assaz convencido qne nao merece a mnima
sonfiaica de V. 5. em sru exercieio : nio porque
para isso tivesse concorrido dreumsteocia ligu-
ras, como por exemplo falta de exaccio nos sens
deveres, deleixo ou ineuria ; mas pela antipa-
ta que de a muito sabe ter-loe \ .y eom o
que se nio d por offenddo, reeonhecondo que
este um sedimento s que esli sujeitos todos os
homens.
E nio so essa antipalhia pronunciada, Illra.
Sr., que me leva a pedir a V. S. dispensa do lu-
gar un seerstano e relifar-me para a eapftal : ha
ainda outra razao, quic mais forte; o odio im-
placivel, qne mo grado meo, V..I rae vota, de-
pois que aqui rh'gando emeontrod-me como se-
creUrio ; o Jes 'jo que raos ra da parscguir-me
por todas as formas de prender-me, eal de per-
der-me para sempre se isso depenler da vontade
de V. S., a principal raza.
Presentemente nesle presidio ningaem iaaora
os desejos de V. S, cora relacio a mim, a ama ajan
nada Ihe fiz de mal em lempo algua, ana oun-
pro minhas obr^aedas com ponlaalidade eoma-*e
podera ver dos relatnos e ordens do da registra-
das de lodos os ci>mmandaates qoe eoavgo nio
servido, que nio comraello indignidades que te-
nho robusta de nunca as ler praiicade ; ajiaim,
iue conhcendo a V. S. ha mais de viole anos,
sempre Ihe guardei sincero e profundo ros-
peito.
Ainda quando nao houvesse este tio poderosa
razio ; anda quando V. S. nio tivesse feito oo-
nbecer os seus dusejos. bastava a falte de eunflanta.
conflanca robaste e sia para me nao ser possivel
continuar no exercieio de secretario.
Peco venia a V. S. para dizer eom todo respeite
e aeaumento que, qualquer outro empregado do
presidio pode mu bem servir sem a aiufianca do
commandante, mas o secretario, o oocarregado do
archivo'di presidio, o de^o-itario dos sagrados da '
commandante com relaci) ao servici pabico, aso
pode ; entre o comman Jante e o secreiarto in-
dispensavei mutua e plena conlunca, sen aba,
creio que lia iocompalibilidade no exarcicio daste,
atropello ou preienrao de regra no daqueUa.
Eu nao posso continuar a servir de sacrataria
neste presidio cora V. S. no coramaado dalla \
vivo em continuo sobresalto, vejo e reconteco a
cada passo os tramas infernaes que per meio de
calumnias armara a mim compaabeiros desleaes
e invefosos que sahera aproveitar a m vontade de
V. S. para eomigo; procuro justiear-me, nao
posso porque V. S. me nega formalmente os
meios.
Redro os fados :
No dia 6 de Janeiro de;te anno, foi a easa de
minha residencia ao cahir da mute, uma pessoa
de criterio para miro, commuoicar-me que liaha
ouvido dizer V. S. que se espaluava o boato de
querer eu revoltar os sentenciados quando V. S.
os fosse castigar com pancadas, como baria feito
a alguns : que insinuava aos commerciantes para
se retirareis do presidio e escreverera nos jornaes
da capital contra a administracao de V. S. que ape-
nas linba de existencia viole e tantos das e, que de
todo isto, pedir V. S. uma parte ao Sr. capitao fis-
cal, declarando logo estar disposto a prender-toe t
remetter-me assim a S. Exc, o Sr. general comman-
dante das armas, para processar-me como autol-
nador.
Nao dormi toda essa noule indignado com tao
alroz e torpe calumnia, digna somante da perver-
sa eabeca qua a coucebeu e levo a V. $ ; tive
confeso, impetos de procurar esse marrado pu-
bhcano e assaisrao, que bem conheco, mas que
po posso linda dedarar o sen nome, que assfra
me anda malquistando com V. S. pira, em rugar de-
fizer-lhe na fronte iguaes contundes, as que sei
uma vez ter Ihe feito o msico Raymando da Cruz
Martins, cora uma pistola sem feixes, arrancar-
le, se possivel fosse, essa liugua que nio poupa
o nome de ninguem para mal dizer, e que impu-
nemente vai aiacaado reputar,6es formadas a cus-
la de sacrificios que elle nao sabe avaliar, mas o
respeito que tenbo a V. S. cooteve-rae e so per-
mitlio que, no dia segninte, eom toda medericio,
dando conhecimento V. S. desses boatos e de
mais aigumas cousas, requeresse iustiflear-me
em eonselho de invesiigacdo com o nm de desfa-
zer esse (rama infernal; V. S. negou rae esta gra-
ca, e o despacho que exaroa ao meu requerimen-
to veio attemr me, tive receio doensejo que V.B.
esperava honvesse.
Fiz ama replica motivada ao despacho de V. S.
e com a maior snbaissio expnz o direito que jul-
gava-nap assislir como offlcial do exercite tmstlei-
ro, cercado de regalas, privilegios e isencSes por
sua magestade o Imperador, e anda assim, a des-
peno des raeus rogos, V. S. foi inexoravel, dea-
rae am indeferido.
Procarei p>r oulros meios por-rae forte contra
esse calumniador infame, a por algum tempe aa-
rejeu-rae que hsvia recnado ; enganei-me, elle,
haveudo recooheeido nao fazer fortuna eom aquel-
la calumnia, por Que V. S. se baria convencido da
sua improcedencia eom a continhacio dos castigas
corporaes nos sentenciados, sen a mais tova re-
rusa ou re.-i-t'Micia da parte d'elles, traton de es-
perar algum acontecimeoto para aitribni-lo mim,
e de facto :
No dia 24 do mesmo mez, *a tarde, indo eu em
companha do Sr. almoxarfe capilio Manoel an-
dino de Oliveira e Cruz a fortaleza dos Remedias,
visitar os senhores (.ffleraes do 9* batalhae de in-
famara presos na mesma fortaleza, em prsenos
do mesmo Sr. capitao, e do Sr. atieres Leooatio-
Alexandre da Conceicao, qne esteva de estedo-
maior, disse-me o Sr. alferes Mendes, qne Jf. S.
fallando eom elle, dissera, que, o hete pMUeaVIo
na noite de 21 do mesmo mez, fra por insiaaa-
c5es de alguera, e que esse alguem a qnesa V."S. ,
qneria referir- te, Ihe pareca o seosatario do pra-
sidio. ^^
Esta dito do Sr. alferes 'Mendes a iodos cansen
admiraci1, que todos sabem qoe seu laeapaa d
fazer Insinuarnos taes, por que sempre dei pravas
d concorrer p ii a a garanta do soeege e trananil-
lidade do presidio ; ea, porm, alo me admira*,
por que, repito, contieno qoe esforcados ealMMda-
dores pasqoineiros me querem a todo transe
promciier eom V. S., que entretanto prubetMn,
como estoa informado a secretes tevesiHar^es,
vai-se convencendo das falsidadee das deniatea.
Pedindo, lilm. Sr., desculpa a V. S. por qualnnar
expresso mal cabida que no correr da pena
sob o peso de serios desgastes me tea ha Maetau-
tariamente eeeapado, eonflo que V 8. digniaao-
se tonar em eeusideraoao o qne vanbo de reaater,
me far a graja de despensar do execiew da ee-
cretario deste presidio, pennittmdo qaa
para a capital do primeiro transpane. ti
cante recebar mere.
Fernando de Noronha aV de
Clemente Francilto Tasares.

ovareiro da stN.
Em artigos do Liberal do dia 27 da abrile do
correnle, as cousas de Fernando, i
Sr. V. de fallar em man noana,cl
ci da polica para qne tape coala do di
cimento de um asrate.
Nao sei a qamaaarano sa ratera o Sr. V. a ati-
mira bajtaote qWaataado a par de nm ^"taf
grave, i muito oso chamaste a atteaaao da pojK
sobre mim, e agora aa do tez qae qaar fauna
ex-commandanu do presidio de Pensando, aa tent-
brasse de prestar m valioso tarrico a paiieia ate
Pernambuco, que alias aera atuva.
Aprsente o Sr. V. dianas tutea qae
este facto I
feabo a conscieners tranquills, e
o mesmo podera diar o 8r. V. f
Procure o Sr. V. defender o et>
mas nao saja lio leriano. E, fione aenaanie*
chamo as barrea do tribunal, anian nmna an>
se dizem infamias quando sa assigna ana r. asa
ostra qualquer tetara sem liaailleatta
Dd a denuncia em regra, assajuu o tan l
veri qnem ser o punido.
Eu comprehendo perfeitamente o Sr. V. ; tana
da materia para dafander o sea premlaatadi-ats-
rnaodanta, todo anaaca, e teto a tes, paranji ateb
acoberteda am e antovaae.
Em outra porte Sr. V. a Mana a ajote n> tu
| gloriosa terete i....
i
I !


>
<



\ <



v




*>iario de Wrnambfo T*** (eiir-^dv-fib tie 1871.

Quero analmente pedir-lhe ana fivor. Reeorra
ao tribunal do commereja^ajtnaira o mea contrato
io eociedde com o Sr. tea ate Clemente, publi-
?oe-o, e oinguera Ir* chamar calumniador in-
ame.
Vcmoei I. S. Mura.
UM latra*.
A' MCMO/IA. B4 KUU. SaA. D. ANNA FREDEIUCA
CMHAPMI M *BQd f*\HROS, ESPOSA DO
I)*!- MU lUNOCL BO WtCO BAHIOS.
A H (e*m ootUos meos
4JM aafUM m ofi'ii.
psal. cgcxtL
._jaar u lagrimas, conter o
l grito, qaa de O* PJMe a pal'-
htm, cjm asacado aoa fl-
l qae voara ao oos T
i reprimir ousra riipidas va-
p, aaaee erredle, que se es-
lonas IBar a mao ao lzaro, faxel-o
ergaa camine ar alera I Alma viuva merga-
Ibatap dores, treme, roluca, se debruca e cae !
Ai I fhM pesera, m nZo Deas aos orphaos ceder
sorruee eos om sorrtr dos seus ?... 12 ao triste
epue, ama viuvo ftca junto ao sepulchro glacial,
caataae, eW-lhe easa vida que gosava outr'ora,
dar4toe mn renca omnipatente eterna
fe* dora I Sei I oinito atroz a morie, quando se
parte, pelo meto um'alma que unifica va oeste val
doae evaos, que orna parte se eleva aos reos t
Mu lio doce coneiier onm *u, que a nos so
resta que fkamot viera; ip< un praoto o suffra-
f ar-vo* a espota qae a aanao suera, e a vos,
ao CkriMffAjvidez suspenso a cruz, pedirdes,
abra* ata tu Mies, ana anca as preces que de
vos ftMae, fereeates voio demandado o cos! I..
ap/imj
sita saliafacae lenes no Jornal do Recife
inundo, assignado por um Sr. marinhiro, no
S peda a exhrbtco dos nomes dos artistas
aehee em estado e miseria n'esta provincia.
hele contante-se o Sr. marinhiro con o
r pie imee publicar esses nones, e que ha de
r o gosto de mirar-se era um espelno digno
Nao os publicamos ja perqu temos algnmas
eaasamraaasa a aitepor-lhe,:e, por nos faltar boje
atena, ta-lo-hemo. dentro ew pjuco, pediodo ao
publico deaenlpa por easa demora, que nao ser
Um brasileiro.
_
-
COMMERCIO.
TBE ALLJANCE BRITISH 4 FOREIGN.
Life and Fire Assaraece Company eslabelecida
m I Sil. Capital 5,090,000
01 afenos desta companhia tomam segnros
contra fogo sobre predios, gneros e fazendas e
pagam aquVeJa'zns devidamenle provados.
Rabe Schmetlau A C
Corpu Santo n. 15.
PRAGA DO RECIPE- 8 DE MAIO
DE 71.
AS 3 1/2 ORAS D\ TARDE.
CotacBes officiaes.
Cambio sobra Louores 90 d/v 14 7(8 e 25 d-
por uoeo.
Cambio sobre Portugal 90 djv 113 0r0 de pre-
mio.
n. G. Stepple.
Presidente.
P. J. Pinto,
Secretario.
ALFANDEGA
Rendinieato do dia 1 a 6 .
dem do dia H.....
196:078#191
27:062*813
223:140*704
Mor nenio da alfandega.
Volamos entrados com fazendas
i f com eneros
Volumes sabidos com fazendas
< com gneros.
58
497
"tF
46
------143
555
Descarregam boje 9 de mato.
Lagar inglezUnionmereadonas.
flrigue inglezLauradem.
Barca inglezaOcan Spretdem.
Barca francezaSpherepertences de dragas.
Brigue inglezC/ansarta/dcanos e earvSo.
Patacho portugaezRsfauracovarios generes
Brigue portuguezLaia /.dem.
Patacho inglezA/on-femercadorias.
Patacho inglez0. Snraj/idem.
Patacho norte allemaoZ/mimvarios gneros.
Vapor nacionalJbcanfinsdem.
Vapor nacionalCruzeiro o Su/dem.
Despachos deexportaco no dia 6 de
maio.
No navio allemao Augusto, para o Rio da
Prata carregon : Joaqoim Jos Gonjalves Beltrao
24 pipas com 24,000 Htros de cachaba, 300 barri-
cas com 40,470 kilos -de assucar branco e 100
netas barricas com 809/kilos de assucar bratco.
No barca francesa Verediana, para o Havre
carregaram : E. A. Burle salgados com 10.920 kilos.
No navio austraco Calibre, para Mirselha
carregaram : Keller & C. 200 coaros verdes sal-
gados com 4,200 kilos.
flECEBEDORlA DE RENDAS INTERNAS
GERAES DE PERNAMBUCO
lUnrtimento do dia 1 a 6 8:090*240
dem do dia 8..... 3385*533
Efrv* apa eiurapllua de dmato ra iaoN-
llsadt peb fjma segniat:
Roc.e, 18 da abril da 1871.-0 aoWtador, Fra-
darieo Chavaj.
E naja, se ai eooboba em dita patilla, a qnal
me sendo apresentada dci o despacho segjifiit:
iastiaqae, e mareo o di* t de mato, as 10 ho-
ras da manba.
Freguezia de S. Jos, 29 da abril-de 1871Mo-
reir de Mendons'-
E mais se nao continua em dito despacho, por
forca 4^ qualproduiio o jasticjnte saas testema-
abas, e sabindo-m os autos conclusos del e pro-
fer a sentenga a^ai copiada do, theor seguinta :
A vista cfjs depoimentQs das teitemanllas a i.
julgo justificada a anzeneia do rappHeado Fran-
cisco o- de Castro. Pelo que mando qae se pas-
sem "Cartas de edKtoa com o praso da le, afim de
que o raesmo citado para o requerido na petlcao
a fls. duas pagas as castas pelo iastiOcanie.
Freguezia de S. los do Recife, 4 de raaio de
4871.Aalonio Uoreira de Meadonga.
E mais se nao counoha em dita aenlenoa aqoi
jopiada.
Sm virtude da qual o|escrivo que esta escre*
veu paasou a presente carta de editos com o pra-
so de 30 das pelo qoal a mi tbeor se cham, cita
a hei por citado ao sopplicado ausenta Francisco
Jos de Castro para o expendido na petico cima
iran cripta afim de qae comparec na 1* audien-
cia deste juizo depois da fiado o dita prazo, para
sa conciliar com o suplicante respailo do que
Qca exposto pena de revelia.
Pelo que toda a qaalquer passoa, prenles, ami-
gos ou condecidos do justificado ausenta o pode
rao [zar sciente do referido na policio suppra
transcripta.
E o porleiro dos auditorios afiliar e publica
r esta nos lugares do costn** rea publicada
pela imprensa.
Dada e passada nesta freguezia de 3- Jos do
Recife, aos 5 dias do mez de malo de 1871, quio-
quagesimoda independencia do imperio do Brasil.
Eu, Ji.s joncatve? de S, escrivio a escrevi.
Freguezia de S. Jos, 5 de maio de 1871.
Antonio Morara de Mendonga.
vari*etttcaa nai
Xf*.
DECLARACOES.
lnspecgao do arsenal de
mar i n ha.
Faz-se publico que a commissao de peritos exa-
minando na forma determinada no regTamento
annexo ao decreto n. 1324 de 5 de fevereiro de
1854, os cascos, machinas, caldeiras, apparlhos,
mastreac5e3, velames, amarras e ancoras dos va-
pores Molique e Camaragibe da comattthia vigi-
lante de reboque, achou todos esses objeetos efS
estado de poderem os vapores continuar no ser-
vico em qu se empregam.
lnspeccao do arsenal de irarinha de Pernamba-
o 6 de maio de 1871.
Francisco Jeronyrafl Gongalves,
_____________ 1 tenente inspector interino.
No dia 11 d) em rente, linda a audiencia do
Illoi. Sr. Dr. juiz dos feilos da fazenda, vai a praca
por exeeucao da fasenda provincial contra o falle-
cido Sebasiio Jos da Silva, doas tercas parles do
sobrado n. 42 em Bemfica a margem do Rio Ca-
pibaribe, valiido todo o predio ero 3:000*, con-
forme" o escripto e edital em mao do porteire dos
auditorio.
A cmara municipal desta cidade faz paolico
para conhecimento de quem ioteressar possa, que
tendo dado preferencia ao plano do edicio do
mercado publico, apresentado pelo seu engenbeiro,
convida aos pretendentes para a presentare m suas
propostas no praso de 30 dias, aOm de se levar a
effeito soa eonsiraccio.
Paco da cmara municipal do Recife, 4 de maio
de 1871.
Behto Jos da Cosa
Pro presidente.
Loaren;) Bezerra Carneiro da Cunha
_____________________Secretario.__________
Subdelegacia de polica da carato da S 7
de maio de 1871.
Acha-se recolhido cadeia, como fgido, o es-
cravo Marcos, menor de 14 atino.-, que desde hon-
tem vagava pelas ras desta cidade : quem for
seu legitimo seohor, provando o seo dominio, ser-
Ibe-ha entregue, para o qne de ver comparecer
ante esse jui:o, dentro do praso peremptorio de
30 das, a contar da data da presente declaracio.
O subdelegado
Candido Freir.
>m < amasa m
MOJE
Novid&fc'
PREIRA HEPRESETf4ACiO DE
FOLIES DBAMATI
Parodia trgico-lyriao-choiegraphioa
gctos' ...
(Mosica de Henoi; IIU
Diatriba *i flosmeau, atpiv|ara...-, Hr, SaJJUeib.
Griolel, actor ambulante... Mr. uxbaa.
'KamIIam! 14*.m iaV Magia
uiuuuuuii, iuvia ..(. BKr. Baii.'.
Frisotio, idem.i.*.>. Mr. Rayaand.
Gombletle, actriz.......... Mlle. Poncelel.
Tromboline, idem......... Mlle. Popr>e.
tomam umbem paila, no baflado da 4* acto,
Man*. Fuoeo, Zeiia a Louiaa.
Principiar a t horas.
Depois do ftsaectaculo haverum trem extraor-
dinario para Apipueos.
Ump)
einteiram |no^
jacarand^^roaj
Urna camaffifca d^Hlilnd; 1 tolhW,
lavatorio, 1 guarda- vestido, 1 commoda, l cama I
para menino e imaritusip.
Urna mesa ehsriS^T gnarda-looc*, 2 apotra-
doraa, 1 sota, lMetm, maca, vidroa, cbryst***
e monos aotroaaiiafjps
vaso* ni
cama rrficeza djacatli
GitGO
OOMPANHIA BRASILEIRA
EQCILIIIISTA I lUSTIGA
DIRECTOR O ARf ISTA PAUStA
Antonio Garios doCiirmo
TV* a han O ansMeur m Umairado a te-
nar rao publico Paraambwaao, qaa ven pala 2.*
vez visitar esta baila capital com ama compaabia
de artistas nacfonaet todos di grande mrito e
reputacao em toda m, 4fM de pasaageai da
r 12 espectculos, sendo seis consecutivos, eom
programma escoibido e variado em cada neote.
Qual era a pe-so qae estas 4 aoooa tenha
vizitaao a corte que nao eonaeca os rtsigaej e
simpathieos artistas Amarlo Freir ( Fbo do Rio
da Janeiro) e Joio Tertuliano Ferreir de Maga-
Ibes o mais prodigioso e arrojodo equilibrista,
primeiro no Brasil no sea genero, leve o berco
n#ta hroe capital de Pernambuco e a 16 annos
qae olbe gloria para nossa toara ; em todo man-
do e sempre applaadido e atufado no Brasil to-
do, de norte a sul, Wm trabatbado, -o llie falta sua
Ierra natal, purera brava tejar n dia e entao
terio o gosto de vH* dieta g.HM. Hypolito Freir,
Jos Teixeira, AuBst) Rodrigaes Duarte, 1 pa-
Ibaco de todo imperto, joven Manoel Alves, Sra.
Freir, todos artistas de aira mereeimeiH, eda
qual tem a saa especialidade.
Brevb ser annunci.ido 6 da do espeetacolo,
a hora e os precos, e sempra qne esteja i Ban-
deira nacional arvorada no tope do mastro sig-
na! ceno de haver especlaculo,
Um passageiro.
ii ii l n
itoKar* itefhVm
0 jente Pinto levar i teil'o, por eonta a ordem
de urna pessoa que vai Europa, os movis e
mais objeCIos cima descriptos, existentes no se
jgundo andar do sobrado da ra do Bario da Vic
loria (ontr'ora Mova) o. 2*. ______.
f
de ora cabriolet co^*Mlt
HOJE.
9 do crreme 1 Ja^rfeyaJL
I frente ao sobrado da ruevAov* a. Ufonde ka-
ver anaariarmeate leaa da taavais, Ion**, vidros
**>qp 4* prata.
DAS
i api
kftt*tal
DIVIDAS
11:475*773
CONSULADO PROVINCIAL.
Randimento d dia 1 a 6 21:222*033
dem do dia 8..... 3:166*945
24:388*980
MOVIMIENTO DO PORTO.
anta Casa de Misericordia do
Recife.
A Illma. junta administrativa da Santa Casa da
Misericordia do Recife tendo de reconstruir o pre-
dio qae possae o patrimonio dos estabelecimenios
de caridade ra da Moeda, eom dous andares e
sotao, transformando- o em butro de um s andar
iue contenha dous armazens, um no pavimento
terreo e outro no sobrado, precisa contratar a
factura dessa obra com quem mais vantagens
offerecer, tomando-se por base a quantia de
5:000*000 j proposta por um individuo ; poden-
do o contratante aproveltar do amigo predio o
materiaes que forem julgados em bom estado.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do Re
cife, 6 de maio de 1871.
O escrivio,
Pedro Rodrigues de Souza.
Tnlzo nos fltos da fazenda
naeional,
De ordem do Exm. Sr. Dr. juiz dos feitos da fa
zenda, faeo constar ans arrematantes das compre-
hensoes denominadas Caric e Pangau do extine-
to vinculo do Itamb, que lhes Oca marsado o
praso de 30 dias para prestarem as devidas hypo-
thecas, e assignarem as respectivas letras na the-
souraria de fazenda, sob pena de ficarem sem
effeito as mesmas vendas.
Recife 4 de maio de 1871.
O escrivio,
Lniz Francisco Barreto de Almeida.
A praca annuncada para venda dos mo-
vis penhorados a Flix Jos do Sacramento Ra-
mento Ramos, Qcnu transferida para hoje, ter^a-
feira 9 de maio, pela vara civel. O escrivio
Santos.
Navios sahidos no dial.
LisboaBrigue portuguez Soberam, capitao Ma-
noel Bernardo Bugioganga, carga assucar.
Porto Brigue porluguez Triumpho, capilio Ma
noel F. Jnior, carga assucar e outros gneros.
Canal -Brigue inglez Ladij Alberdour, capilio Ers-
kine, carga algodao.
Saviot mirados no dia 8.
Portos do sul7 dias, vapor nacional Tocantins,
de 730 toneladas, commandantaaW. M. F. Fran-
co, e^nlpagem 52, carga varios gneros ; a A.
L. de 0. Azevedo 4 C.
Portos do norte6 dias e 8 horas, vapor naeional
Cruzeiro do Sul, de 1,119 toneLda=, comman-
danle Alcoforado, equipagem 62, carga vanos
gneros; a A. L. de 0. Azevedo & C. _
Hamburgo45 dias, patacho norle-allemio lduna,
de 160 toneladas, capilio H. Scbuldt, eguipagem
7, carga vanos gneros ; a Tasso Irma > & C.
Liverpool46 das, barca ingleza Witch of tht
Teegn, de 246 toneladas, capitiaJ. H. Kutcbings,
equipagem 10, carga differentes gneros ; a Jo-
bnston Pater & C.
Liverpool46 das, barca ingleza Rajah of Sara-
tpac, de 484 toneladas, capilio Norloo, equipa-
gem 14, carga carvio e 3 pequeos vapores; a
Johnston Pater & C.
Navio sabido no mesmo dia.
Bio de Janeiro e Babia 9 dias, vapor brasileiro
Cruzeiro do Sul, oommandanle Alcoforado.
EDITAES.
O cidadao Antonio Moreira de Mendonca, juiz de
Saz do 3' anno desta freguezia de S. Jos do
ecife, em virtude da !ei, etc.
Faco saber aos que a presente carta de edites
vftem ou della noticia tiverem, em como Francis-
co Antonio de Aibuquerque Mello, que fez por es-
cripto a, peticio do theor seguiote: lilis, Sr. juiz de
paz, Francisco de Aibuquerque Mello quer chamar
a eonciliapo a Franasco Jos de Castro, para que
he pague a quantia de 3:940*800 e os respecti-
vos juro.', importancia de tres letras vencidas
requer pois a V. S. se digne o mandar citar cora
a pena da se haver por nao concillada no caso de
seu nao cumpnmeato.
E porque o supplicado esteja era lugar nao
sabido requer a V. S. se digne de o admittir a
justificar a mesma auzencia e incerteza do lugar,
afim de se proceder a citacio, requerido por edi
tos na forma da lei. Pele a V. S. defferimento.
ER. M.
COMMANDO SUPERIOR DA GUARDA
NACIONAL DO RECIFE.
No dia 12 do correte baver inspeccao de san
de na secretaria do cammando superior para o
senbores officiaes e guardas que requereram ins-
peccao.
Secretaria do commando superior 8 de malo de
1871.
0 secretario,
Firmino Jos de O'iveira.
vtV.808 MARTIMOS.
Lisboa e Porte
Segu viagetn no dia 12 do correte a barca
portuguesa Kencfdoro, anda recebe alguma carga
e passageiros : a tratar eom Soaraa Primos ra
do Vigario n. 17, _______
Maranhao.
Est carga pira o porto cima o palbabote
Ga-ibaldi: a tralar com Tasso Irmaos 4 C,
ra do Amorim n. 37.
fettaU de-expi*ao Alvta a Soasa na
taaY3^3:lA*4IO.
QUWTA-FlltA
11 do corranift, a* mojadle.
A ves de Souza, e por despacho do Um. Sr. Dr.
juiz especial do comnaartio das divias salival da
referida massa na importancia de 3 Mi 1*110 ao
meio dia do dia II d earrrnte na afr*atem da
roa da Cadeia n. 23 ;'per occasi do leilaa dos
bens da massa fallida de Magalhes & Irmios.
M daa ao chaiaa de ganga a 7 pecas de
caataaira Btaslada.
Quinta feira II de corrate a 10 e rada horas.
O agente Pinto levar novamente e pela ultima
vez leilaa aquellas Cateadas dt massa fallida de
agalnaes & Irit-ios, que no segando leilio nao
obtivetam preeat superiores aos do primeiro,
constando de catlas a eaimiras existentes no ar-
mazem da ra da Cadeia n. 28, onde sa eftectuar
tem m 1# taei> Poras do di* cima dito.
LEUAO
de mn pequeo vapor balice e ora bote
Qainia-fsra 11 do corrale a meio dia
em ponto.
O agente Pinto, comprindo o mandado do Illra.
Sr. Dr. juiz especial da comoiercio, levar leilio
um vtaf i ana bate, baos qae fazera parte da
massa fallida de Magalhaes & Irmios.
Os concurrentes poderio examinar os referidos
objeems na dh e vespera do lejSt na caes do
Apollo, em frente ao armazem da lena de Livra-
menio, anancorrerem ao leilao ao ateie di do da
cima dite* no armazem da ra da Cadeia n. 28
------------ _j
co*iPAtfmL
maritimes.
DAS
res
At e dia II do correte mez espera-se da Ea 4
ropa o vapor francez Sindk, o qual depois da
demora do costume seguir para Baenos-Ayres,
tocando na Baha, Rio de Janeiro e Montevideo.
Para condueles, rete* e passagens, trata-se
aa agencia, ra do CouMco l. 9.
DE
PREDIOS
O agente Poatual, compe*soieeote autonsado,
vender em lefio anas eaeat tarreas sitas ra
das Crenlas M. ~3$ 3 (hew'l^oprio), grandes
qoiatao* eom arvores fructferas e cacimba, i di-
tas aMa* ra aa Ventura (aa Castro cantos ni.
13 a 16 (safo proprio) tambeai com grandes quin-
lees, cacimba a arvores fructferas, um sitio com
urna exceiteote easa com sotao (solo foreiro) sito
raa da Pernambucanas n. 60, sendo o sitio
ledo murado e tendo de frente 50 palmos e 600
Aa fundo, e lodo plantado de arvores tscolbidas
SEXTA-FEIRA
1 de corrate.
no armazem da rna do Imperador n. 16, s 11
horas.
ATTFJVCAO
- i Sr. Jbaqnim Salvador Pessoa de
Lonsia que v 'etende vender escravos que
Siqaeira Gavaicaote i. -^Jo de stn irmio Sal-
aetao aeaborados por exem. -ra qao nngUem
vador de Siqueira Cavalcaate, e p.. 'iuer que
se chame o engao, previoe-se a qa*.,, na
tenha entrado em negocio sobre taes escravos, .
estoja para isso, qae tal nao faca, porque o con-
trato ser aullo ; igualmente previne-se ao depo-
sitario oa taes escravos.______________^^^
Justo desaggravo.
Se ha objecto digno da mais desvolada atteocio,
, sea duvida, o profundo respailo qae devemo-
"jbutar aos nossos iguaes. Dizemos Uto com re-
ferencia '' um Pe!a Alexandrino e um borrador
de escripias, o'..''8''109 Br um marmanjo de ca-
los e um Napolelo pt- Q"e aempre est prompto
invectivar as eousas mais :oas da mais solida
desvedada atteocio, postergando desl'arte os
saos principios de urna esmerada edacacio. Por
boje ficaoos aqui.
_____________________O sezndo.__________
0 Sr. Hermilo Ciiaves de
8ouza
%tt&
Df,
AMORIM; PRAfiOSO, SA
DiVIDKNDOS A PAGA:
Sao copvidadot'os senbores c
tados i compareoereai |o bacri
Vigario d. 13 primeiro adiA para
Sbanlias que loe perteneem pro
., 3., 4o, S>6.' divide
seao feitos todas as quinias-feirat das
da raa'nhaa i 1 da tarde, e at o dia 26
rente.
Recife, 3 denaio de 1871.

Po se ignorar sua morada, pede-se-lhe que
ehegne raa de Amorim n. 37, concluir nega-
do de sea nter esse.
Tasso Irmios 4 C
Precisa-se na ra da Imperatriz n 13, so-
brado, da urna ame livre par* lodo o servico de
casi de familia peqoena.
Cozinheiro
Precisa-se de um cozinheiro : na ra da Flo-
rentina n. 20. fabrica de cerveja.
Rlaaa-ee o 2" andar da rna da Aguas-Ver-
i'e- n. 8f> : a tratar na loja de calcado da roa do
Livramento a. 28.
Precisa-se de nm caixeiro com pratica de ta-
berna, que d fiador a sua conducta : na ra do
Rangel n. 10.
TE?
arm ca
Precisa-se da nm offlcial de pbarmacia com boas
habilitacoes : na botica da Conceicio n. 61, ra da
Cadeia.
Aluga se urna escrava para ama de leite
na ra Direita n. 133, loja de cera.
Roga-se ao Sr. Adolpbo de tal o favor de
vir ra da Penha n. 33, buscar o quadro qae
mand u enfpitar a mais de seis meze-.
Preeisa.se de urna boa engommadeira : no
correr da igreja do Chora-menino, ultima casa.
I remandarte de Moasa cnhorsi da
Concelco dos Militares.
Para qae seja disentida em mesa geral nma
proposta apresenudada pelo abaixo assignado,
com relacio aos interesses da irmandade, o nosso
iraaio presidente manda convidar aos de mais ir-
mio, para qae se dignen) comparecer no consis-
torio da raesma irmandade, no dia 19 do correte
mez, pelas 4 horas da tarde, aflm de tomarem so
bre efla qoalqner deliberacao qat iulgarem con-
veniente, em vista do di-posto no $ 3.* do artigo
25 do nosso eompromisso.
Francisco Antonio de S Barreto,
Secretario.____________
Aluga-se o 1* andar do sobrado da ra de
Santa Rita n. 25 : a tratar na loja da ra Duque
de Caxias n. 2, ontr'ora do Queimado. _____
Os Srs. : ;
Abrabam Ewstivard
Antonio Fernandes Ribeiro
Antonio Barbosa de Barros.
Antonio Domingos Pint ^
Antonio Bernardino Senna
Antonio do Reg Medeiros
*ntonio Maria O'Connel Jersey
'- Maria do Rosario
Antoni.
Alves & C. "'"galhies Bastos
Antonio Leite de *>
Barbeaa & Sim&es
Baha Irmios A C.
Celestina da Cosa
Caetana Carolina da Costa llamos
Caet%na Oiympia da Cosa e Silva
Campiano 4 Cordeiro
Carvalho & C.
Caixa Filial de Banco do Brasil
59*W
13
2*400
139A4M
63*30f>
1*44
45*780)
3*22
39*589
2*008
Domingos da Rocha
Eduardo Prestoo
Felisarda da Costa
Francisco Luiz de Oliveira Azevedo
Francisco Simos da Silva
F. H. Cordls
Francisco Quedes de Araojo
Francisco Goecalves da Silva Pereira
Francisco Men
Francisco Pereira de Medeiros
Francisco Manoel Barroso
Ferreira A Martin.-
Flix Antonio Alves Masearenhas
Francisco Joio de Barros
Guilberme Forreira Pinto
Isabel Maria da Costa
3:044^*-^.
7*JW
38*0
1S**Q
40*0
33*600
59*380
50*880
25*377
9*110
28*0ft
78&S*
200
91*960
31*650
298*680
69*5211
78*000
677*440
965
88|608
John Lilily 518
Jos Gomes Vieira 7'i520
os Nogueira da Costa Soares 16*383
Jos Baptista da Fuoseca Jnior 18*390
Jos Luiz Ferreira da Costa 23*360 48*000
Jos de Fontes
Jos Maria Ftrreira 186*740
Jos Fslippe Martina 120*000
Jos Portella da Costa e Silva. , 75*000
Joio Jos (i juvea 15*590
Joio Silverio de Souza 119*880
Joio Uaptita de Aibuquerque 234*000
Joanna Maria dos Prazeres 18*000
Krabba Tho.n A C. 21*080
Lucrecia, escrava de L. J. C. Amorim 19*000
Lucio Fio-culo da Silva 25*220
Manoel Alves da Costa Braocante 47*500
Manoel Gooealves de Oliveira 10*800
Manoel Autonio de Carvalh] 44*78
Manoel da Silva Sampaio 1*040
Manoel Ferreira da Silva 17*490
Manoel Alves Barbosa 3*700
Manof 1 Joio Antunes Torres 399*4.>&
Mana Elenteria 10*640
Mara Isabel da Costa 38*000
Mara Isabel Baptista da Fonceca 26*882
Slassa de Jos Luiz Pereira Jnior 30'J*4O-
Massa de Francisco do Reg Mello O.)*z00
Marques Barros & C 3*730
Mello A Irmio 54*720
No dia 12 do crreme mez espera-se dos por-
tos do snl o vapor francez Amazone, comraandan-
te Joret, o qoal depois da demora do costme
seguir para Brdeos, tocando em Dakar (Gore)
a Lisboa.
Para condicSes, fretes e passagens, trata-se na
agencia, roa do Commercio n. 9.
LEILOES.
Leilao
e ga.
LEUAO
Arrematabas,
No dia 11 do corrente, finda a audiencia do Sr.
Dr. juiz dos orpbaos ser arrematada em praca
pub ica urna casa terrea sita no Retiro, freguezia
da Boa-Vista, no lugar da Passagem da Magdale-
na, para pagamento dos credores e da fazenda pu-
blica, tendo a dita casa muito bons commodos e
em bom estado, avahada por 3:200*. a requer
ment do inventariante dos bens da finada D. Ma-
ria do Monte Coelho de Alem. ____________
Admlikistraco dos crrelos de
Pernambueo 9 de malo de
1891.
Mala pelo vapor Tocantins da companhia bra-
silea.
A correspondencia que tem de ser expedida hoje
(9) pelo vapor cima mencionado para os portos
do norte, ser recebida pela maneira seguale :
Macos de jomaos, impressos de qualqoer nata-
reza e cartas a registrar at 2 horas da tarde,
cartas ordinarias at 3 horas, e estas at 3 i [2,
pagando porte duplo.
O administrador,
Affonso do Reg Barros.
THEATRO
(REPERTORIO DE OFFEMBACH)
Os espectculos tero lugar to-
da loja de caJqado cta ra do
BllW a Victoria n. 30 (anti-
ga fm Nota).
TRANSFERIDO PARA TERCA-FEIRA 9 DO
CORRENTE.
O agente Martins levar leilao pela terceira
vez, por despacho do Illra. Sr. Dr. juiz especial do
commercio, a loja de falcados da rna do Bario da
Victoria n. 30, partencente massa fallida de
Fernando Stepple da Silva *
Hoje .
s 11 horas do dia, na mesma loja. Os preten-
dentes pdem examinar o mandado em mi do
agente.
de 12 barricas com toucioho marca FRB
4 ditas com carne de porco, idem
HOJE
O agente Pestaa far leilio, por coma e risco de
quem pertencer, de 12 barricas com toacinho e
com carne de porco, ebegados ltimamente,nr s
uaes serio vendidoe no dia terca-feira 9 do cb-ro
nte, as 11 horas da manhia, no armazem odeo
nes, defronte da alfandega. A4
Em contiinitQao.
HOJE
do correte
Monteiro, Gregorio & C. continuara boje, por
inlervencao do agente Oliveira, o sea leilio de
completo e variado aortimento de fazendas as
mais proprias do mercado e da estacio
TERCA-FEIRA
s 10 horas da manba, em seu armazem tito
ra da Cruz do Recife n. 56,
HOJE
9 DO CORRENTE
de obras de prata, 1 lustre de chmtal para gaz,
2 venezianas, 1 mobilia de Jacaranda, 1 piano
forte, 1 toill.'tte, 1 lavatorio com pedra, 1 es-
colenla cama franeeza, 1 machina de costuras,
1 caixa com globos e tinturas, 1005a, vidros, e
mailos outros artigos perfeitos, bons e novos
No sobrado da raa Nova n. 26
Por iotervericao do agente Pinto
sendo a entrada pela loja facultada acs concur-
rentes ao leilio, que dever comecar s 11 horas
em ponto, e acabar albora da urde, podendo
effectaar-se a entrega no mesmo dia.
Lonca, movis, vidros,
COMO SEIAM :
Uma moboliade jcara oda, 1 santuario, 39 c 3 dei-
ras de Jacaranda, 6 tapetes, 2 eadeiras de bataneo,
3 mezas redondas, 1 cama de Jacaranda, 1 meza
quadrilonga, 2 guarda rospas, i cabide, 2 com-
modas, 14 eadeiras, 1 eamap, 6 mangas, i arma-
rlo, S jarras, 1 carteir*, 1 etndeleBfe, t perta-K-
Ccr, 1 candleiro, 4 latts com gaz, 50 molas botijas
cerveja, 1 quadro, 1 lavatorio, 1 guarda-louca, 4
mezas, 1 marquesa, 2 bancas. 1 armario, trem de
cosinba, 2 aparelhos para cha, 2 garrafas, 12 co-
pos, 2 sof, 2 camas de farro, 2 eadeiras ameri-
canas, 2 marqaezas, 1 meta cmoda, 1 lote ioaea,
2 lavatorios, 1 baca de cobre, 5 taboas de looro e
uma grade. ____
SEXTA FEIRA 12 DE MAIO.
O agente Piolo levar a leilio i requerimento
de Corbiniano de Aquino Fonceca, inventariante
dos bens que icaram por fallec ment do com-
mendador Tliomaa de Aquino Fonceca, por man-
dado do Illm. Sr. Dr. juiz de orpbios, e com
annuencia dos herdereiroi, os movis e mais ob-
jeets cima mencionados, existentes no acorado
da rna do Hospicio n. 54, onde se effectuar o
leilio.
Principiar as 10 horas.
AVISOS DIVERSOS.
Hodie mihi erad tbi
Um amigo do inconsolavel cspftio Del-
phim L. Cavalcaat Pessoa manda celebrar
ama missa por alma de sna prezada e sem
pre lembrada esposa ; para a qual convida
ao mesmo capitao, seas Albos, prenles e
amigos para assistirem a mesma, que teri
lagar na igreja de S. Fraucsco, pelas 9
horas da manhaa de quinta-feira, 11 do
corrate, stimo dia de sea fallecimento;
pelo qae se confessa eternamente grato
Capitao Deipbim Lins Cavalcante Pessoa.
a seos Glhos cordialmeate agradecer a to-
das as pessoas que se dignaran) acompa-
nbar ultima morada sua sempre lembrada
esposa e mai D, Claodina Senborinha de S
Cavalcante, ultimamnte fallecida; e de.
novo convidaos 5s mesmas pessoas, aos
seos prenles e amigos aflm de assistirem
a missa de seti lo dia, qne ter lagar ni
igreja matriz de N. S. da Paz dos Afoga-
dos, pelas 7 horas da manhia do dia 11 do
corrente, pelo qae desde j se confessam
eternamente gratos.
r
NOVA PUBLICAgO
HlJSICAIi
Phantezia Polka.
Acaba de publicar-se esta lindisaima peca
de msica para piano, composico do insig-
ne e Ilustre maestro.
J. Smoltz.
Acha-se venda no bem conbecido ar-
mazem de pianos 0 msicas de Antonio
Jos de Azevedo, roa Nova n. 11, boje
BarSo da Victoria.
Preeo 2J000
Pde-se ao Sr. subdelegado da freguezia de
S. Jos desta cidade do Recife, queira por sna
hondada dar providencias para que os moloques,
na ebegada do vapor de passageiros, nao se agio-
merem na porta da ida da estacio das Cinco Pon-
tas, avancando sobra as boleas dos passageiros,
cada nm a quer conduzir, impedindo assim a
sabida dos passageiros, e at ebegando a audacia
delles darem empurr?* em pessoas de considera-
coes qae com prudencia solTrem. *
Victoria n. 13.
Precisase de uma ama que
cozinhe bem e que compre :
tratar na ra do Bario da
A 11" 1 Na ra do Corredor do Bispo n. 9
X VI (\ PFec'34'se de uma araa Para carregar
l.lixfl. uma crianga.__________________
UonTaria de 8. Jos da
Agona
O abaixo assignado, Uiesooreiro da mesma, jal
ga nada dever, mas se alguem se julgar credor
da mesma roga Ihe aprsente as respectivas coo-
tas, aflm de ser encontinente satisfeilo.
Recife 6 de maio de 1871.
los Joaquim da Silva Guimaraes.
Presisa-se de uma para co-
zinbar e engommar someote
para duas pessoas: na ra
Nova n. 20. loja de ferragens.
:\
de nma pessoa :
terceiro andar.
Precisa-.-e de uma ama for-
ra oa captiva para o servico
interno e externo de ama casa
a trata na ra da Cruz o. 18,
D-se a premio de um e meio por cento
1:6004000sobre hypoibeca em predio nesta cida-
de ; a quenaconvier anuuncie.
Ha
familia :
numero
recisa-se dunamiaforroer
crava para casa eslraogeira de pouca
qaem qulzer dirija-se ra do Bruin
69.
Cidade da Victoria
O abaixo assignado declara ao Sr. Leonardo
Bezerra Cavalcante, que a compra por elle feila
do imposto de 20 0,0 das agurdenles da cidade e
termo de Santo Antao, um acto criminoso com-
mellido por quem a vendeu sendo certo que o abaixo
assigoado socio dosv lucres daquelle imposto,
como provar em juizo competente, com documen-
tos authenticos e pessoas dignas de f, pelo que
prestare o annuncio feto pelo abaixo assignado no
Diario de Pernambuco ii 26 de abril prximo
passado : e no mais de offensivo que na em seu
annuncio, nao Ihe d cabal respo3ta em juizo com-
petente por ter coraseracao e 11....
Cabo 4 de maio da 1871.
Joio Rufino Ferreira Filhr
Orphlos de Agostinho Baptista da Fon-
ceca 192*662
P. Maurer 19JOCO
P. Won Shosten 328a8:(
Raymundo Carlos Leite & Irmio 55*;60
Simeio Joio Alves de Carvalho 148*100
Simn Len Ploy 24 jOOO
Thomaz Ferreira da Cunha 127*168
Thomaz Caborn 72,1000
Tiieodora Joaquina de Souza Draga 954930
Victorino Augusto de Carvalho 41429o
Vi&nna A Guimaraes 294280
Dividendo embargado por Maia & Espi-
rito Santo : de Manoel Azevedo Ca-
nario 843460O
Recife 2o de abril de 1871.O administrado-
res, Jo9 Jeronymo Monteiro, Justino Jos de Souza
Campos.___________________________________
Os abaixo assignados, haveodo de commurr.
accordo divididos em daas partes iguaes a impor-
tancia que falta ser liquidada do activo da firma
viuva Lima Jnior & C., fleaudo a cargo de cada
um a ce branca e liquidacao da parte que Ihe per-
lence, parlicipam ao corpo do commercio e a quem
ioteressar possa, que esta Qrma de hoje em dianlo
est extiocta, e especialmente parlicipam e pre-
vinem aos Srs. devederes, para que em tempo al-
gum alegaem duvida a reapeito.
Recife, 21 de abril de 1871.
Aurora Francisca Cavalcante Lima.
Antonio de Sonza Pavolide.
Hotel da prapa
PATEO DA R1BEIRA DE sT JOS NIT-
MERO 9.
O aovo proprietario deste estabelecimento (ou-
tr'ora Hotel da Boa Fama) tendo novamente orga-
nisado-o, vem mai respeitisamente participar aa
respeitavei publico, qae os seus frequentadores
poderio apreciar a especialidade dos gneros ali-
menticios, e tambera recebem assiguantas e se en-
carregam de mandar comidas em qaalquer casa,
todo por pre<;o com modo.
W. 9Pateo da ribeira de S. JosN. 9.
= Precisa se de um criado : a tratar na ra
da Madre de Deus n. 36, 1* andar.____________
A pessoa a quem pertencer um caxorro de
raca galgo, que foi achado as ras desta cidada
vagando a smo ; dizendo os signaos e pagando
este, se Ibe dir nesta typographia, onde esta.
GASA DA FOBTIHA
Aos 5:0001
Bilhetes garantidos.
A rna Primeiro de Marco (outr'ora rna do
Crespo) n. 23 e casas do costme.
O abaixo assignado, tendo vendido nos sena fe-
lizes bilhetes nm meio n. 2082 com 4604000,
um quarto n. 2915 com 1004000, dous quartos n.
74 com 1004000 e oulras sortes de 404 e 284 da
loteria que se acaboa de extrahir (191'). convida
aos possuidores a virem receber na conformidade-
do eostume sem descont algum.
Acham-se venda os bilhetes garantidos da
1." parte drs loteras, a beneficio da'matriz do
Graoilo (192/), que se extrahir nosabbadola
do correte mez. '..
PRECOS.
Bilhete inteiro 64000
Meio bilhete 34000
Quarto 14500
Em porcio de 1004000 parf cima.
Bilhete inteiro 4400
Meio bilhete 24700
Quarto 14350
Manoel Marns Finia.

- TaSSO IltMAO EM LIQUIDACAO, or ig-
norrem a isidenia do Iilm. Sr. Manoel Brnar-
dino Vieiea Cavalcante, vam por este, meio rogar
Ihe o iililapilJalii entender-se com elles em sm
escririorio tk do Amarim n. 37, a negocio do
interejse redroco.
^%^
Precisa-se de um cepoiro qae tenha j pras
tica : no Hotel Fraucez : ra das Laraageira-
o. 10.

Precisa-se de ama ama
forra oa escrava : na roa do
Imperador a. 83,3* andar.
A~ pessoa que aonuaciou ter um boa esera-
vo para alugar, mediante o emprestimo de 6004
servindo o premio desta quantia para o aluajBj
mesmo, tenha a bondade de dizer nesta tyaj
phia onde se Ihe pdejailar.
Thomaz Anlooio Gwmbra, subdiio pol
vai a Portugal e deixa por seu procuradoras, em
primeiro lugar o Sr. Joa Lepe. Albeiro, m se-
gundo o Sr. Antonio Augns Vasconcellos, em
terceiro o Sr. Daniel Jos Moreira da Costa.


Diario de Prnamfcnco gfta fcira 9
Da importante e bem conhficida loja e fabr'- '. l. L
0 dono daqaee estabeler-i"" chapeos de sol da rw do ferao da v;clori#i idaioft da Camb* do Carmo.
freguezes a aomv.;..... ...-uio. qarendo abarcn elle at o te do corrente inno, convida toa too numeroaos
_.......ui i cifCtiffl8tabCa para muirem-se por barato prefo ** dos 08 obiectos existentes no memo, constando
e cbapo de' Sol j todas as dualidades, tamaitos e femos. te&doi. e ma8 a,menu para os MW, armas de
fcgfc entilarla, b4*l. chicotes ?^Sy i Jir" "Rectos, ene os qnaes os afamados .fiadores par* wvau d* ',.
PrUnft, premiados Bas exposicoes de pernartbuco, Londr^ ^ ^j. i


Jr*.


BMteirfslo
. OroaU-nos que o Sr. fiscal da ffflguezia de San-
to Aitonto aadando paasando fino na revisao da
fferlclo^BaubaMa qne lio rcacbamborobaiem
"f, tajoMatrea os pesos da mesma taberna, sem
as competente taras que os meamos eviam ter.
Na mesma consta-nos que se vende 400 grammas
por nma libra. Isto deseia sabir *> verdade
O sino de a PTanciaco.
fl.7hSft SiU?tTh?"' pa coser costura
aeebEEV',e **r osmesmes: quem de
mu onwlimo precisa' airi,M, rna di Palma
Tx a a "e de m menino livre para criado,
oJr?. 0 '* anos : a tratar na rna do
n08",n itn Rm.VI.I. n Itt
Lio da Boa-Vista n. 18.
MANUEL & C.
Tem a satisfaco de participar aos seus numerosos freguezes, rjae em vista de ser-Ibes mata commodo, tea
estabelecido nma nova fabrica de chapeos de sol, na ra da Cadeia do Recife n. 9, beje roa do Mrquez de Otada,
onde acharao os pretendentes, muilo avultado sortimento de chapeos de sol de todos os precoa, qualidadea e por pre-
cos mas commodos do que comporta o nosso mercado : convidam especialmente aos Srs. cotroradores por atacado
darem, sendo possivel suas encommendas, pois poderlo assim serem mais bem servidos, visto poderem etcomer as tr-
macies as tazendas que a demora da fabricacao bem diminuta.
AMA
Prediaa-se de dma para casa de
wquena familia : na ra ejtreita de
osario n. 31 3* an 'ar.
fl&patos de borraxa
Para senhora on rapares qne caleem 35 e 36;
boreeguras para.homem a 4/500 rs. e nm com-
pleto sortimento de calcad por preco minirao ,-*i
rna Direita n. 45.
'A IIJA DO BARIO DA VICTORIA 41
.
Neste novo armazem tem nm
variado sortimento de fazendas
franceza1, inglezas, allemas e to-
das todas se vendem por presos
mdicos, atira de acreditar a este
novo armazem.
Casemiras inglezas,
francezas, de todas as
quabdades, brins de
cores e branco*, colei-
rinhos modernos, cha-
peos de sol de seda,
bof.
DB

' :
Assim como tem ama grande
ARRUDA IRMAOS.
da

RA
HarSo da victoria
actiya ra
NOVA
N. 41.
officina de alfaiate, montada com
todos os prearos que ha de melhor,
dirigida por habis artistas, que
pela sus promptidfc a perfeic5o
nada deixam a desejar.
Roupa de lodos os
amachos para homens
meninos.
Por todos os paqrje
tea recebem-se as me*
Inores e mais moder-
nas casemiras que ha
na Europa.
RA \
Bario da.Victoria
utifarn
NOVA
'
N. 41.
Este estabelecimento acaba de soffrer orna reforma radical em acedo, artistas e commodos, e em pontnalidade as encom-
mendas, finalmente em todo afim de melhor servir os seus numerosos freguezes deixa-se de annunciar todas as fazendas, para
nio se tornar massante
Diario de Pernambuco. ,
Precisa-se comprar o Diario de 11 de Janeiro de
1869, paga-se bem : nesta typographia.________;
Precisase alugar urna escrava qae !
saiba cosinhar com ptrfeirao, agr-
dando pagase bem. Na fabrica |
vapor de cigarros; roa Larga do Ro-
sario n. 21.
I
Thomaz de Figueiredo pode ser procurado
para demarcacao de trras, nivelamento?, plantas
e indo mais qaanto fr tendente saa profissao,
no Recife ra larga do Rosario n. 21, 2." andar,
para endepodem os pretendentes dirigir seas con-
vites.
Na ra da Cruz (boje Bom Jess) n. 33 pre-
cisa-se de ama ama para cosinhar o diario de
urna casa de pouca familia, paga rasoavel mente.
TRILHOS URBANOS
Defronle do tbeatro de Santo Antonio, na ra
da Florentina, travessa do Came, oatr'ora Julio
Grosgean, est aberto um bello hotel suisso, tanto
para os apreciadores do theatro, como para o pu-
blico em geral ; ha sempre bellos petiscos e um
xcellente recreio.__________
D-se 400 sobre bypotheca : a dirigirse |a
ra do Duque de Caxias n. 42.
Attentflo
Na roa do Nascente n. 38 existe tres manas vj-
vas todas com filhos desvalidas ; pedem as pessoas
de familias que coadjavem com os seas servicos,
tanto engommados como vestidos para coser de
todas qualidade, qae serlo servidas com presteza
e asseio.
BRAZ1LIAN STREET
Railway Company (Limited)
O gerente da companhia tendo recolbido
no anoo passado os bilhetes existentes em
circolacSo e declarado pelos jornaes desta
cidade qae daquella data em diante os bi-
lhetes aceitados em trocos s serviriam em
pagamento de passagens avulsas, assigna-
turas e fretes de bagagens; mas vendo as
reclamacSes que tem apparecido nos jornaes,
tem resolvido a prevenir por meio deste a to-
dos os possuidores de bilhetes desta empreza
que do 1" de janho em diante, e at o fim
do anno corrente, trocar por dinheiro a
importancia dos mesmos brinetes a todas
as pessoas que os apresentarem nos dias
uteis das 10 horas da manha ao meio dia
no escriptorio das ofhV.inas. Outro sim,
previne o mesoio gerente que tendo-se de
substituir por outro o actual systema de
bilhetes, do dia 21 de dezembro prximo
em diante nenhum bilbete ser mais rece-
bido, a ttulo algum, pela empreza.
Escriptorio da companhia, 6 de maio
de 1871.
. WilUam Rawlinson.
Gerenle.
DO
RECIFE A' OMXIIA
e Beberibe.
A directora manda fazer publico que,
no escriptorio da mesma se pagar os bilhe-
tes da companhia todos os das uteis, at o
dia 20 do corrente, das 11 horas da ma-
nha, ale s 2 da tarde, e, desse dia em
diante, soinente s quintas-feiras e as mes-
mas horas.
Escriptorio da companhia 5 de maio de
1871.
Joo Joaquim Altes,
____________________1' secretario.
Aluga-se aous escravos, um de 22 annos,
padeiro, e o outro de 30 annos, com cilicio : na
ra da Roda n. 17, 2 andar, achara com quem
tratar.__________________
Cadete de cavaliaria.
Na rna Direita n. 53. loja de ferragens, precisa-
se tallar aoSr. Hercolano Cavalcanti de Albuquer-
qae. cadete de cavaliaria.
MOFINA
Roga-se ao Illm. Sr. Ignacio V.eir de Mello,
crvao na cidade de Naareth desta provincia.
favor de vir a roa do Imperador n. 18 a ronelnir
aquelle negocio que V. S. se eomprometteu rea*-
sar, pela terceira chamada deste jornal, em fin.*
de dezembro prximo passado, e depots pan ja
nero, passou a fevereiro e abril, e nada curo]
e por este motivo de novo chamado para
fim ; pois V. S. se deve lembrar que este negocio
de mais de oito annos, e piando o senhor sao
flho se achava no es nesta cidade.
ftU
A Sra. Hara Candida Vilella, professora
particular, que morn ou mora em N. S. do O'
em Goyanna. rogada a vir i ra do Cabug nn
mero 2 B.
JOs Gomes Villar, retirando-se para Europa
geixa encarregado de seus negocios os seus ami-
gos os Srs. commendador Dr. Francisco de Paula
Penna e Montelro A Correia.
Precisa-se de um caixeirn eom pratica de
taberna : na rna do Bario de S. Borja n. 54.
Precisa-se de ama ama que
saiba cozinhar e comprar eom
J perfeicao, para urna casa de
pouca familia : na ra da Aurora n. 84, 2* andar
AVISO.
Seguros contra-rogo
COMPANHIA
NORTHERN.
Capital* i.......20,000:0001000
Fundo de reserva .... 8,000:000*000
Agentes,
Mills Latkan & C.
_________RA DA CRUZ N. 38.__________
Attenpao.
O Sr. Epiphanio de Lona Freir deixou de ser
caixeiro da Fundicao do abaixo assignado desde
o dia Io do corrente.
__________Maboel dos Santos Villaca._______
Subscripto argeotma.
Com o fim de soccorrer a infeliz popnlacao da
cidade de Baenos-Ayres, capital da Repblica Ar-
gentina, qae acba-se a bracos com o terrivel fia-
gello da febre amareila, e cajos estragos fio os
mais horrorosos que se podem imaginar ; urna
subscripelo promovida pelo consulado argentino
nesta cidade do Recife, auxiliado pela Associaco
Corumercjal Beneficente, ele.
Um appello caridade publica, um contingente
para os infelizes atacados pela epidemia, e om
agradecimenlo antecipado a todos os eontribointes
sao os votos da na^o Argentina, e das pobres
victima!, que, no Jeito da dor, esperam os benefi-
cios da caridade humana.
A snbscripcao acha-se aberla na praca do com
mercio, no consulalo oriental, roa do Mrquez de
Olioda n. 4, e no consnlado argentino, ra do Bom
Jess n. 3. Pernambuco 2 de mal de 1871.
Jos Joao de Amorim.
Precisa-s e de nma ama que saiba bem a
znhar, e qneira ir s compras : a tratar na rn
io Sebo o. 29.
A
Leonardo Rufino de Freitas, Jos Rodrigues Pi
nheiro D. Genuina Rufina de Freitas, D. Fran-
cisca Rufina de Freitas, Damo Aderito Ferrera
Limae Jos Joaquim Ferrera Lima, eonfessam-
se profundamente agradecidos s pessoas que se
dignarara acompanhar o cadver de sua mli, so-
gra e tia D. Joseptu Atexandrina de Freitas ao
cemiterio publico, e de noro rogam-lhes o obse-
quio de assistirem a missa do stimo dia que pelo
repouso eterno da mesma fallecida, mandam cele
brar na matriz de Santo Antonio, pelas 7 horas
da manhia do dia 10 do corrente.
T!
Herculaoo Antonio Jos Marro-
quim agradece a todas as pessoas
que acompanharam ao cemiterio
publico os restos mortaes de sna
sempre chorada filba Hara Julia
Correia de Almeida, e pede-lhet,
bem como a todos os seos pareles
e amigos, para qne, amanhaa, (quarta-teira 10 do
corrente) as 8 horas da manha, as.-islam i mis
sa qo por alma da mesma sna filba manda rezar
na matriz de S. Fr. Pedro Gonealves, fieando-lhes
desde ja, por mais este acto de religio e carida-
de, eternamente reconheeido.
Anfa de leite.
Precisa-se de urna sem ulho: rna de Hortas
n. 30, sobrado.
Deseji-se saber se existe en; Pernambuco, oa
tutra provincia do Imperio, Mara do Livramento
d'Oliveira, casada eom Antonio Marques dos San-
tof, sendo este natural de Portugal e aquella fi-
lba da regnezia de 8. Lonrenco da Malta, onde
reali&ap o eu .consorcio a 28 de Janeiro de 1840.
Um prente.
' Preeisa-se de ama ama qae saiba
bem enfommar e cozioliar, sendo de
boacoD'ic* oara eita de hornera
ia.ilJlJ.ja soltero, irudrt xas: do pateo 4a llibaira n. Vi.
a''riianilnKo Street Hallway
Company
De ordem da directora convida-se aos Sn. ac-
cionistas desta companhia a realisarero, dentro do
prazo de vinte dias, a terceira entrada de 20 /
do valor das acedes no escriptorio de H. Forster
A C, ra do Commercio n. 8.
Recife, 1* de maio de 1871.
H. H. Swift,
' _____________Assistant Treassnrer.
H* roa da Croa (hoje Bom Jess) n. 33,
precisa-se d'om ama para cosinhar o diario de
ama casa de pouca familia ; paga-se rasoavel-
mente.
MA
X ru. -Nova n. 48 |.r*ci-sa-se de
nna a'n. p.va (vstDAar a comprar
pagi-fe bem.
Precisa-se de um caixeiro eom pratica de
taberna, dando conbecimento de sua pessoa nao
se duvida dar interesas, confprme sna actividade:
no pateo da Santa Cruz n. 12, se dir qnem
quer.
AMfliMM ma
Eosino patticular.
Mara Genorosa de Figueiredo, professo-
ra particular de meninas, antorisada pela
directora geral da instrnecio publica,
mudou sua residencia para a ra da Glo-
ria n 84, onde novamente espera a eon-
fianca e proteccio do publico, a bem da
edaeacao da infancia.
ATTENCA
'.i:
Joao Silvestre Francisco de Mello, tendo-se-lhe
concedido pela directora geral da instruccao pu-
blica, licenca para leccionar primeiras letras nes-
ta cidade, tem aberto o dito ensino i roa do Prin-
cipe, casa de sua residencia n. 26, onde estar
sempre prompto a receber os alumnos qne quei-
raro dediear-sea nstrncao primarla.
Aluga-se para familia..ama sotea mimo
festa cura urna sala, 3 juarloe, dispensa : na rui
da Setzala Nova n. 30.
Officina de marmore
Rna das Crnze nnmero 11,
Gravam-se letras a 60 rs., a pedra para as ditas
11, o palmo em qaadro.____________________
AVISO
Oa s'nhores donos de amas obras de ta.
Ibas que existen) prometas no becco do
Sarapat a. 8, se digne procurar at o dia
14 do corrente mez, e se exceder desta
data, perder o direito que n'ellas tem.
Recilb 4 de maio de 1871.
Agottinho Joside Barro?.__________
Limonada e agua gazoza
Os Srs. Henrique Leiden & C. teem a honra de
participar ao respeitavel publico, qne desde egora
sao promptos em satisfazer qaalqaer pedido neste
refresco, seja para negoeio oa. para particulares.
Lembramo novamente a nossa .-erveja nacional,
tranca e preta___________________________
BMOOHM AOE IR. *
Na roa Aogusta n. 89, lava-se e engom-
ma-se com toda pe feiclo, por prego com-
modo, a pessoa qne qoizer derija-se dita
casa, que seri bem servido.____________
Urna snperior mobilia de Jacaranda (mcdalbio)
ebegada ltimamente, conteodo 18 cadeiras de
guarnicao, 4 de bracos, 2 consolos, jardineira,
com lampos de marmore branco fino, e sof, es-
tando anda bem acondicionado que pode servir
para qaalqaer eucommeada de fra ; venderse
por nao ter chegado a lempo de servir pessoa
qae traba feito a encemmenda par* ver e tra-
tar na roa 1* de marco (antiga do Crespo) n. 6,
fabrica imperial de chapeos.________________
Aos ra. acadmicos do 4o anno facnl-
dade de direito do Recife.
Avisa-se que se acham venda por mais bara-
to preco do que em qnalquer oatra livraria, na
ra do Crespo, loja n. 25 A, esquina da do Qaei-
mado. os mui poneos exemplares qne restara da9
Annotacoes do Cdigo Commercial Pmiuguez pelo
Exra. Sr. conselheiro Dr. Diogo Pereira Forgaz
de Sampaio Piraentel, eximio lente cathedratico
dessa materia na oniversidade de Coimbra, obra
de subido aprego e grande utilidade para o estudo
do Cdigo Commercial Brasileiro, pela sua inteira
bomogeneidade com aquelle outro. Na mesma
leja se vendem as memorias do Bom Jesos de
Braga com ricas'estampas, obra do grande mri-
to para todo cidadao porlaguez.
a melhor ceneja nacional do
Brasil e sobretudo de Pernambuco.
N. B.Em vista da methora do cambio, a cer-
veja tem soffrido abatimento no preco desde o 1.
do eorrente.
Precisa-se de urna ama para cozinbar em
casa de pouca familia : na roa do Cabng n. 2 p.

\V-..
Joaquina Mara de Oliveira Baduem, Hermene-
gildo Joaquim Oliveira Baduem, Ermelinda Joa-
quina de Oliveira Baduem e Dignamerita Honori-
na de Oliveira Baduem agradecem cordalmenle a
todos os seus parentes e amigos qne se dignaran)
acompanhar ao cemiterio publico os restos mor-
taes de sea marido, pai e sogro Antonio Joaquim
de Oliveira Baduem, e confiando no carcter reli-
gioso dos mesmos senhores os convidam a assistir
a missa do stimo dia, que tora lugar na igreja
matriz de S. los, as 6 horas da manha do dia 9
do corrente. _____
Precisa-se da quantia de 2:000*000 eom hy
potheca em escravos : quem quizer annuncie pa-
ra ser procurado, pagando-?e o premio qne for
convencionado.
COMPRAS.
Compra-se nm Manual Homeopatbico pelo Dr.
G.'H. S. Jahr : na rna da Cadeia do Recife n. 1.
Compra-se
frascos vastos da tintura Japoneza rna Du-
que de Caxias n. 50, e Mrquez de Olinda
rn. 81.
Cambraias brancas avariadas
Na loja de Pavao ra da Imperalriz n. 60,
vende-se fiossimas pecas de cambraia branca
transparente com um leve toque de avaria, ficando
perfeitas logo qne se lavem, e vende- se pelos ba-
ratos precoa de 24800 s 3<800 a pega'________
Fazendas avariadas
Roa do Crespo n. 25
Algodao largo Sicupira a 5> pessa.
Madapolo fino marca X a 5o00.
Alpacas trancadas de cores, fazenda nova a
320 o covado. E outras fazendas qae se do amos-
tras com penhor._________________________
Vende-se remedio contra os callos, experi-
mentado por diversas pessoas, as quaes tem tira-
do bom resultado; roa Primeiro de Marco n. 3
Santiga rna do Crespo) rna do Mrquez de Olia-
fcn. 50 A (antiga da Cadeia).______________
Libras steTliaas.
Vende-se no armazem de fazendas de Augusto
F. de Oliveira & C, ra lo Commercio n. 42.
Na ra da Baz, oatr'ora do Cano n. 26, tem
para vender o approvado remedio para rheuraa-
tisrao.__________________________________
Agurdente.
Agurdente de caj e de laranja, teem para
vender Canba Irmaos & C, na ra da Madre de
Deas n. 34.
Y1RH6 COLLARES d
Vende-se o vrdadeiro vinho de Collares, vindo
ltimamente telo vapor Olinda, em barril de d-
cimo : na rna da Madre de Deus n. 28.
COMPRASE
Compra-se urna casa terrea dentro da praga, de
valor de dous a tres cantos de reis ; quem tiver
ara vender, qneira deixar em carta fechada a in-
icacao de sua moradia, no pateo do Paraito n.
9, ou qnalquer outro esclarecimenlo, para ser pro-
curado.
ITlDAS.
0
E' no elegante armazem junto ao Diarto, que
qnalquer chefe de familia fornece sna dispensa do
melhor que existe no mercado e por precos mu-
to favoraveis, como sejam arroz a 100 rs. a libra,
velas stearinas a 640 rs. o masco, visho figueira
por 500 rs. a garrafa e tmbeos ha mais barato,
balaros d- diversos tamanhos, caixiohas proprias
para mimos, caf de moca, ervilbas portognezas e
francezas, ameixas ero frascos, latas e bocetas,
marmelbada de Fernando Rodrigues, conservas,
molhos e moslara, licores de diversas qaalida-
des, doce de goiaba em caixao e latas, bolaxinhas
de diversos autores, massas para sopas, aebolas
Srandas,-azeilonas em baria e latas, vinnos tinos
o Porto dos melhores autores, que!jos prato e do
reino a 3/000 e a 3/300; o proprietario deste ar-
raazeni responsabilisa-se pela boa qualidade des
gneros vendidos ero sea armazem, assim como ga-
rante todo asseio o limpeza, em virtude do qual
convida a seas numerosos freguezes e amigos a vi-
ren) visita-lo.
VIDAGO
nico deposito
Pharmacia americana de
Ferreira Maia $ 0, ra Du-
pe de Caxias n. 57, anti-
ga do Queimado. ___
Vende-se ura piano com pouco aso, de um
dos melhores autores; tratar com o proprieta-
rio do hotel do Monte, ou na roa das Cinco Pontas
n. 16.
Feijao.
Vende-se feijao mulatinho noro em porcao e a
retalho a 11 a coia : na rna Direita n. 8.
Chocolate homeopatbico de Londres e do Ma-
lanhao, vende-se na rna estreita do Rosario n. 13,
drogara homeopatbica.
Leques
Cbegon pelo ultimo vapor da Europa ura bello
sortiment) de leques desndalo com seda e sem
seda, e de oso emitando marfim, o que ha de
melhur e mais moderno : na ra Duque de Ca-
xias n, 49, loja do Triumpho.
?V
MACHINAS
PARA COSTURA
Cbfgaram ao Bazar Universal da roa No-
va n. 22, om sortimento de machinas pa-
ra costera, das melhores qoalidades qne
existe na America, das qnaes muilas j s9o
bem conhecidas pelos seos autores, como
sejam Weller A Wilson, Grover 6 Boka,
silenciosas, Weed e Imperiaes e oull
muilas qae com a vista devero agradar sol
compradores.
Estas machinas teem a vantagem do fa-
zer o trabalho qoe trinta costoreim poden
fazer diariamente e cozem com tanta per-
feicao, como as mais perfeitas costreme.
Garante-se a sna boa qualidade e enfina-se
a trabalher com perfeicSo em menos de 1
hora, e os precos sao tao resumidos que
devem agradar aos pretendentes._______^
AN senhoras.
A' chapellaria da roa Primeiro de Mareo t,
acaba de chegar da Eureps, pelo ultimo vapor,
um lindo e variado sortimento de chapeos ech*-
pelinas da ultima moda para senhoras, que st
vendem por precos muito rasoaveis: na mesma
chapellaria ha um grande sortimento de chaqos
de todas as qoalidades para homens e meninos.
BAZAR VICTORIA
Rna do Barao da Yictoiia n.
2, antiga ma Nova
Acaba de receber este novo estabelecimento di-
versos artigas de gosto enmo sejam :
Lavas de pellica branca e de cores, de nm e dens
botoes para senhoras e homem.
Ensigoias massonicas.
Colchas de algodio e de laa, brancas e de cores
adamascadas. .
Babadinhos e ntremelos bordadados. ....
Cartas finas para jogo.
Camisas para.homem e menino,inglezas, francezas,
l'zas e bordadas, de flanella de cores, de meia
de algodao e de laa.
Meias de fio d'Escossia de cores para senhoras
de algodao branco finas para homem, senhoras,
meninos e meninas.
Fita de seda para cintos e cintos de diversos mo-
delos.
Capotes e perneiras de borracha.
Laa de cures para bordar.
Cobertores de 12a de cores muito fiaos proprie
para invern.
Toalhas felpudas para banho, e de outras qnali-
dades.
Fronhas de labyrinto de diveaso? tamanhos.
Palitots de cachemira de cores ing'ezes.
Tapetes de velludo e de coco.
Collariohos e ponhos inglezes para homem.
Ditos ditos de crep para senhora, proprios para
lato.
Charutos Bahianos e Havana, e fumo desfiado pa-
ra cachimbosBest Bird's-eye e outros artigo*
que >o vendem por cnmmodn preco.
En ge ii ho.
Vende-se por 12:000*000 ora soflrivel eogenb)
de animaes, distante da via frrea 4 milbas, tam-
bera se vende a ?afra creada : ni rna do Livra-
mento n. 14 se darao raformac5es.
Aos cigarreiros
Papel de milho e arroz, chegou ra do Mar
qnez de Olinda n. 15.__________________
Vende-se tres bois maito gordos e mangos
para earroea : tratar na iravessa da ra Bella
o. 8, ou em Sant'Anna de dentro com Joao
Venancio Machado da Paz.
Nao leam
A 240 rs. o covado
Organdys o mais moderno possivel, para vesti-
dos : na roa Duque de Caxias, antiga do Quei-
mado, n. 67.
Cidra
de superior qualidade em eaixas de duas dazias
de garrafas, eerveja branca e preta dos melhores
fabricantes, contina a venderse ra do Com-
mercio n. 22, armazem.
Vende-se
on aluga-se orna casa no Caxang, na volta do
Outeiro da liba, muito prxima da estacao do ca-
rainho de ferro de Apipncos ao Caxanga. com S
salas, 3 quartos, cozinha fra, cacimba e qnintal,
com algomas frocteiras : a tratar na roa do Im-
perador n. 67, 1 andar. ___________
Aviso aos Srs. de en-
gento.
Theod Christiansen, ra da Cruz n. 18, encar-
regase de mandar vir formas para assocar, de
ferro galvamsado, estanhado e pintado, aos precos
da fabrica. Tambero loma encommendas para
quaesquer instrumentos e machinas para a gri-
enltura
Sementes novas de
hortaliza.
Na loja de Ferreira Guimares C. rna
Pugne de Caxias n. 93.
Vende-se daus cvalos andadores no corre
dor do Bispo o. 33.
Vende-se ama armacao no pateo de S. Jos
n. 31, prepria para qoalquer principiante ; a ca-
sa bastante afretuezada para trra : tratar na
mefraa.'
m
m
s
s
s
m
a

IM VISTO
S na loja do barateiro, ra do Crespo
n. 1, junto ao argo de Santo Antonio.
Algodao am-ricano com um pequeo
turne de avaria a 5j a peca.
Madspolo fino, idem a 3j a peca.
Chitas finas, fazenda boa a 240 e 260
rs o covado.
dem idem idem a 280 rs. o covado.
S o barateiro, rna do Crespo n. 1.
Brins pardos trancados a 340 reis o co-
vado.
Ditos de cores trancados superiores a
700 rs. a vara.
Cambraias de cores fixas a 260 rs. a
vara.
Chitas finas, padroes modernos a 360
e 400 rs. o covado.
Pecas de Cambraia transparente e ta-
pada, com 10 jardas a f.
dem ganga para coberta a 380 rs. o
covado.
Cambraia saissa transparente, fazenda
fina com 10 jardas a 4/>800 a peca.
Pecas de madapolo francez, fazenda
fina com 20 varas, a 7J500, 8/ e 9/.
Pecas de brilhanlina branca com 18
covados a 5J.
Cambraia para cortinado com 20 varas
pelo barato prec/) de 8 a peca.
S na loja do Barateiro 1
Toalhas de linbo, fazenda fina a 7 a
dnzia.
Lencos de cambraia de linbo, fazenda
fina, ja abanhados a 7* a dnzia.
Ditos de exgoio de linbo a 4*500 e 5*
a dazia.
nm variado sortimente de fazendas
de todas as qoalidades, que vendem por
muilo limitados precos.
S na loja do Barateiro, ra do Crespo
o. 1, jonto ao arco de Santo Atonio.
Machina para costura
Vende-?e urna machina para costara, em per-
(eito estado, por preco commodo : na roa de S.
Francisco n. 52.
Perro galvanisado.
Vcnde-se ferro galvanisado em Mb? de dife-
rentes tamanhos : em casa de Adaroson H wie ^t
C, rna do Commercio n. 40.
s
VENDE-SE
Dma easa em Olinda ra le Mathiaa
Ferreira n. 23, tem bons commodos para
familia, e chaos proprios : quem preten-
der derija-se na ra do Cotovello n. 4,
qae achara com quem tratar.
Vende se por preco mdico um terreno tx-
cellente para edificarse um engenbo, qoe'teri de
trabalhar com agua, tendo j feito pela natnreza
mor parte do paredao do acode. O terreno de qne
cima trata-se contera bastantes matas virgens e
antig )s partidos de planlacao de canoa, os qnaes
servirn) a um muito amigo engenho qae all
houve, e cootm para mais de meia legoa de leste
ao oeste, e de pouco menos de snl ao nerte : qnem
pois quizer 'azer negocio to vantajoso, dirija se
ao proprietario do engenbo Velho da fregaezia de
Jaboatio, que far todo negocio.______________
Aigodozinho" ava-
BOTfc
Veode-te om bote quasi novo e bem construi-
dos e desembaracado : na ra do Imperador 0^83,
taberna._____________|T|fc______
Vende-se tres arrobas de penas de Boa : na
roa da Senzala Nova n. 30. ^
Veade-s*
Um carro de alfaodega c-m ponco as. : qaem
pretender dirija se a ostrada dv Rcsariibo si-
tio n. 9.
_ Veiite-se ot habito dr "AvJt, um dito de
Chnsto e urna medalha da restaurar? f> Bahia,
lado p?r preco commodo : na-ra Nova n. 63.
* nado.
Na loja do Pavao roa da Imperalriz n. 60,
vnde-se o mais largo e encornado aigodozinho
com um leve toque de a van i, por preco muito
barato.
Madopoo avariado
Na loja do Pavo ra da Imperatriz n. 60.
vende-se manSaptlo fino muit> largo com um
leve toque de avaria, por preco mnito barato.
Deposito para agua
Vende-se nm rico deposito para agua, de ama-
relio, forrado de chambo, eom torneira de bron-
ze, e qual se acba em bom estado, e pode conler
15 oa 20 canecos d'agaa : quem o pretender pode
dirigir se roa Nova, casa n. 22, qne achara com
quera tratar.___________
Grande espelbo para sof,
Vende-se um rico espelho eom algum usor o
qual proprio para eollocar-se por cima de sof,
o qual vende-se por preco commodo ; bem como
dous di'.os menores qae servem para cima de cen-
slos, assitn como qaatro quadros da biblia sa-
grada : na rna Nova n. 11_________
Vende-se a taberna sil*, na roa da Conquista
n. I, com poucos^tandos, proptia para princi-
piante : a tratar oamesm.
, ATTENCQ
Vende-se orna jardineira de Jacaranda eom
tampo de pedra quasi nova, por mnito ponco di-
nheiro : pessoa que quizer dirjase a OHoda
na rna do Amparo n. 9, casa terrea.
Aos cigarreiros
PAPEL DE SEDA E DE LINHO PARA CI-
GARROS.
Acaba de chegar orna grande encemmenda te
papel de seda e de linbo largo, para cigarros, m
Nova Esperanca. roa Duque de Caxias n. 63.
Vende-se
um pequeo f.:tk no rriitl, bem alvorejado de
frucleiras : .". tratar n? Firte do Saltos, becco da
3oia n. 14 ubrroa. -






D rio de Pernainbuco Teljna feire 9 de Maio de 1871.
T-
WKtStBImmu
Aa amaiena do
?apr Frasees,
rae de Her
da Victoria (on-
tr?ora ra
ve) i. 9.
Ao armaxeet do
vapor Fraucez,
ra do Bario
daVietorlafon-
tr'ora rna Mo-
ra) n. 9.
Perfumaras^ quinquilharias e brin-
quedos para meninos.
Acb*m de ehegar dots (alaras cora importante sortimento dos artigos
istve
abaixo
mencionados a precos" mais resumido que posslvel. ,
Cestinhas para braco de meninas.
Bslaios para costara.
Cesas d'arame pratiado para frutase
CALCADO
tas para senhorasduraque 1
*S
Botinas para senhorasduraque branco,
Sreto e de oatras muita? cores escolhidas
o ultimo gostt da moda.
Botinas para meninas igual sortimento.
Sapatinbos e salto para senboraduraque
pret >, branco e de cores, e de coaro de lus-
tro.
Botinhas para criancas, proprias de .bap-
ttoadot.
Botinas de diversas qaalidades para ho-
mem.
Botas russiana para montara, tanto n-
flelas le coaro da Rossia para viagem,
como francezas de Helier, bezerro fino, pa-
ra passeios.
Meias perneiras para meninos de 10 a 6
anios.
Sapatoa de brim branco para homens.
Sapatos de raqueta de lastro cora sola de
maieira, proprios para banbos.
Sapatos de borracha pan horneas e se-
nhoras.
Sapatos abotinados, de dfferentes modelos,
mofo bons e fortes para aiaemos e meni-
nas.
Sapatos de tapete, avelladados, Cnarlot,
casimira preta, de tranca portuguezes, para
bomens, 'choras e meninas.
Perfumaras.
Extractos finos, banbas, cosmticos, leos,
opia as, aguas de Cologne em garrafas de
crystal para oseles, agua divina, agua
florida, dentifrice lavande, agua de toilet,
tintura para barba ecabello?, pomada hon-
groise para bigodes, pos de arroz e sabo -
netes, todo isto de primeira qualidade, dos
fabricantes Coudray, Piver e Lobin.
Quinquilharias
Lavas de pellica brancaspreeas e de cores
Espalhos grandes dourados para salas,
quartos e gabinetes.
Leques para senhoras e meninas.
Joias de ouro, brincos, transelins, pul-
seiras, satoes de pnnhos, de abertura, cor-
rentes e chaves relogio, ludo de ouro
boro de lei.
Brincos de plaqu i imitacio de ouro.
Correles para relogio.
Abctoaduras para eolletes e para punhos.
Albuns de velludo e marroqaio para re-
tratos.
Mammadeiras de /idro para enancas.
Caixinhas de costura, covos modelos com
mosca, proprias para presentes.
Qoadrmhos dourados para retratos.
roncas e sapatinbos de la para crianzas.
ref!os P*00''**6 par* p*stora,de!dfferentes"villas mai'pitorescas"
Caiiinhas com vidros de augmeito para Brillflll6(l0S
ver-se em ponto grande a phetographie ^
dos retratos. O maior Sortimento que se
Ws de vidro para pianos. de
Thesourinhas para cesura e anhas. diversos paizes da Europa para entrcte-
Bolcinhas de seda e de veludo. ment das criancas.
rame pratiado para
pao a'meut
Ricos artigos de phanttsia necessarlos
para toilhetes/e proprios de presentes.
Jarrosje bonquets de porcelana para san-
tuarios.
Registros de papel fino raui delicados.
QuauTos promptos para collocar vistas.
Molduras domadas para qualros.
Estampas de bellas paysagens de cida-
des, de figuras e de santos.
Espanadores de penas e de palha.
Carteiras para notas e para dinheiro.
Caixinha de msica de dar se curda.
Ponteiras de espuma para cigarros e cha
rulos.
Grvalas de seda pretas e de cores.
Bengalas de cana com castdes de marfim.
Sitas de baleia, junco e de mnilas qaali-
dades.
Pentes finos de marfim para caspas.
Escovas para facto, para cabelle e para |gg!
dentes. SS
Lunetas ou penclnez de prata dourada. Ditos de tartaruga e de ac. &
Oculos de prata dourada e de ac.
Reverbero transparente para candeiros.
Ditos para lanternas de pianos.
Cotos econmicos para vellas de sperma
cete.
Cordas para violao.
Port-pratos para mesa.
' Caixinhas de diversos modelos e precos.
Objectos novos de mgicas o melhor pos-
sivel, para divertir meninos.
Halas, saceos e boleas para viagens.
Estojos de viagens, completos com naja-
Ihas.
Esporas de metal branco para saltos.
Chicotes fortes com martello para viagem.
Ditos de muitos modelos, de junco e de -<>^
baleias. <&&&
Luvas de fio de Escocia brancas, e de tf\^
cores. m^
Ditas de eamnrca amarella?. SSJ
Machinas para lazer caf. >5g2
Globos do papel de cores para Ilumina- JSsi
ces de festas campestres.
Baloes de cores, de subir ao ar fcil- \_m
mente. Jogos de domin, da gloria, visporas,
rodetes, bagatela e outros jigos aemes.
Esterioscopos com as mais bonitas vis-
tas, de figuras destacadas e grupos de fa-
milias.
Armnicos oa accordions de; todos os ta-
maitos e novos modelos eom trmulos.
Realejos pequeos com novas msicas.
Cosmoramas de varios lamanbos, com
8P
m
H
ode desejar
todasorte de binqedos fabricados em
ie po
fabr

IMPORTASTE LIQUIDAClO/j
BAZAR DA 10_._.
De um grande sortimento de perfumaras finas, dos afamados, fabricaites de
ParsE. CoodrayEd. PioaadL. LegrandVioletGell FreresMompesBien*
se-HadancoartCottance-e do moho acreditadoG. Rieger de Francfort.
Recebido tndo directamente dos ransmos perfumistas, e vende-se pelos admi-
raveis precos segointes:
Pomadas finas de E. cendra?
de porcelana
Em lindos vasos
sortidos drjz;a
Dita milanesa.....
Dita flor de laraogeira. .
Dita transparente ....
Dita scbic-scbic.....
Dita de viagem.
Dita cosmetiques superfinos a
2,5500, 5000 e. .
Dita cold cream para o rosto
duzia. '.....
DE G. RIEGER.
Dita mee lia de Boi. .
Dita gennina.....
Ditaphilocome grahfes. .
Dita dita pequeos. .
DitaDaqaeza.....
Dita chineza para os bigodes.
Dita cosmetiqoes dozia 7f?000,
11J00O e.....
DE MOELPMS
Dita surfina duzia .
Dita de orso dem. .
Dita cosmeliqoe fino .
DE BLEUSE-HADANCORT
Dita da Exposico doiia .
Ditaespecial do Bazar da
Moda.......
DE COTTANCE
Dita mandarina em latas duzia.
Dita menages dem. .
Dita universal idem
DE VIOLET
Dito esld-cream para o rosto
dozia.......
leos superiores
DE E. COUDRAY
Oleo superfino. duzia 54800,
40800 6......
Dito E. Coudray dozia 5,5800 e
Dito pbilocome idem.. .
DE G. RIEGER
Oleo philocorxe dozia .
DE COTTANCE
Oleo pbilocome dozia .
Aguas para toilettes
DE E. COUDRAY
De colonia superior dozia 54300
104500, 13)9100, 454500,
04500, 234, 564500e .
204CO0
204000
84000
94600
iomo
201000
V7J5O0
U#C09
t!4ooo
2KO0
144000
94000
S44000
64000
1440C0
945OO
114000
74000
24:000
94OOO
800
14200
14800
114000
24800
94500
94500
114000
94000
64000
DE G. RIKJER
Agua dentrifice dozia
DE L. LEGRAND
Agoa de florea de Oria dozia
Agua dentrifice Elixir idem.
Eitractos superiores
, E. COKDRAY
Extracto ea sndalo duzia .
Bouquet dos Alpes ....
Diversos fiaos dozia 44500 e..
DE E. RIEGER
Essencia de rosas dozia. .
Triple extraxto 144000
dem........214000
dem. .',,, 114500
dem. ....... 214000
dem sordos.....204000
Bouquet de Reino ....
- DE MOMPELS
Das bonitas damas dozia .
DE ED. PINAUD
BouquetJardim da Italia dozia
Essencia de violetas idem
JockeiClub idem ....
114000
204000
184608
134000
304000
54500
204000
404000
184000
234060
234000
104090
DE E. COITDRAY
Chinezes para os dentes dozia 54600
Dentrificios idem ... 84000
De arroz em ricos vasos de por-
celana doorada dozia. 324500
Em pseotes dozia 44 e. 74000
DE 6. RIEGER
Pos dentrificios superiores dozia 174000
DE MOMPELS
Liadas caixas com pos de arroz
dozia 144 a.....204000
Jabonetes
DE E. COUDRAY
Violetas do Bosque doria 94000
DE G. RIEGER
Transparentes finos dozia 64500,
94500 o ..... 114800
DE ED PINAUD
Transparente fina dozia. 164000
DE VIOLET
Flcr de arroz duzia. ... 74500
DE GELLER FUERES
Em forma de rosa..... 34500
DE COTTANCE
. 14500
Grande
LIQUIDACAO.
Na ruado crespo n. 20.
Leja le Cullherme.
^ Chitos claras-e.asearas a 160, 200 e 2i0 o co-
vado,
Ditas riseados prassianos 280 o covailo.
Ditas chinezas para coberia a 240 o covado.
Cambraias, organdys rotadas a 240 e 280 o co-
va.
Ditas bordadas braneas e de cores para corti-
nados, s 320 o eovado.
Ditas bispo lisas Anas a 3 a peca.
Ditas braneas com 10 varas, a 3*000 e 3*500
apoca.
Dita Victoria, a 4* a peca.
Musiolioa branca, a 400 rs. o covado.
Madapollo francez, a 61 a peca.
Dito inglez de bom a especial, a 4*000. 5*, 6*
e 7* a,neos.
Algodlosiabo s 31, 3*300 e 4* a peca.
Alpaca de cor eom
440 rs. o covado.
Dita branca, com
600 rs. o corado.
Dita preta eom flor bran:a, o 800 rs. o co-
vado.
Ditas de cores padroes miados e modernos a 360
. o covado.
Lencos de cassa com barra de cor, a 120 rs.
cada um.
Ditos de linbo embainhados 45 a duzia.
Chila, fazenda bem conbecida pela saa fortidSo,
mais larga que cbita para ronpa de escravos, a
200 rs. o covado.
Casemira preta superior, a 1*500 o covado
Cortes de casemira de cor, 3*600, 4* e 5*.
Cortes de meia casemira, a 1*100.
CaalDeta preta e de cor, a 500 ti. o covado.
Ganga amarella lisa e de lista, a 320 rs. o co-
vado.
Algodo iargo merca T a 5* a peca.
D-se amostras com peuhor.
a:
listas, fazenda superior a
flores miadas matisadas a

Bresilennes dozia
AVISO
Vende-se por aleado em duzias e desconta-se 10 0/0 quem comprar e pagar
vista quantia superior 10040C0.
Jos de Souzi Soares & C.
Rna Nora n. 50 (hoje do Bario da victoria) esquina da
Manto Amaro,
COMPLETO .
sortimento de molbados no lar-
go do Garmo n. 33
ESQUINA DA ROA CE SANTA THEBEZA.
COMPLETO
sortimento de molbados no largo
do Carmo n. 39
ESQUINA DA RA DE SANTA THEBEZA.
CONTINAgAO DA GRANDE LI-
QUIDACAQ DE FAZENDAS LIM-
HAS, A' RA DO DUQUE DE 5
CAXIAS N. 49.
Chitas finas, claras e escuras a 160, M
20Q, 240 e 280 rs. o covado; cambraias S,
de core; a 200 e 280 rs. o covado ; alpa- jaS
cas de cures com flores e de listras a 400 g
e 500 rs. o covado ; algodo branco !
4*000, 4*500 e 5* a pega; madapollo a US
4*000, 4*500 e 5* : dito largo a 5*500 |
e 6* ; algodo de listras proprio para
ronpa de escravos a 160 rs. o covado ; fiS
brim pardo trancado e escuro a 500 rs. S
a vara ; chales de merino lisos a 2* ; di- 5
tos estampados a 2*500 ; chitas para co- Wi
berta a 240 rs. o covado; cambraia bran- g
ca a 2*500 e 3* ao corte; dita victoria
fina a 4*500, 5* e 5*500; tochas felpa
das a 8000 a duzia : lencos brancos a
1*600, 2*, 2*500 e 3* ; ditos grandes a
3*500 e 4* ; ditos de seda pequeos a
500 rs. cada am; ditos de linho Abo a
5o00 e 6* a duzia; cambraia para Torro
a i800 a peca.
a
i
lil
u
Acba-se sempre prompto este novo estabelecimento de molhados para servir
aos amareis freguezes com um sortimento completo de gneros dos mais novos, que a
vista do comprador agradar e por commodos precos, ludo quanto procuraren) neste novo
estabelecimento atbario, como bem ;


6 VAPOR
RA DA IMPERATR1Z N. 5(i
Grande reduepo nos presos
PECH1NCHA SEM IGUAL!
S Leito & Oliveira, proprietatos deste bem conheci'o e elegante estabeleci-
mento, avisam aos seos amaras freguezes em gera!, e eom especialidade ao sexo
amavel, que estao resolvidos a venderem todos os objectos que compoem o bello sor-
timento do seu estabelecimento por precos admiravelmente commodos, que em outro
qualqoer costara o duplo, visto ser a mor parte dos objectos recebidos de conta pro-
pria das principaes cidades da aflamada Europa.
Eis algnmas das ptebincbas:
Latas com banha a 80 rs.
Ditas de lamber com banha a 100 rs.
Paos de pomada a 80 rs.
Frascos d; vidrocom banba a 240 rs.
Ditos com agua de Colonia a 300 rs.
Agulhas com cabo para crochet a 140rs.
Bonequinhas de louga a i40 a rs.
Pecas de babadinho bordado a 700 rs.
Sabonetes de menino a 200 rs. e a dozia a 2.
Pecas de entremeios com 12 tiras (12 varas) a !500 e 2.
Finos espartilbos a i e 5.
Duzias de carritis com 200 jardas a 1.
Ricos e elegantes leques imitacio de marfim a 2o00.
Leques de madeira pintada a l,-)500.
Superiores meias cruas para homens a 4#.
' Finissimas meias para senhoras a 4#, 5,-j e 9:> a duzia. >
t Finissimas meias cruas para senhoras a I0.
Pecas de tranca lisa a 40 rs. e o masso a 360 rs.
Crochet preto e tranco, fazenda boa, covado a 800 rs.
Caixa com 100 envelepes a 500 rs.
Pecas de fita para eos a 400 rs.
CordSo para vestido, masso com 25 e 30 pecas, a 500 e 600 rs.
Baralhos de cartas a 120 rs.
Trancas largas de caracol, 12 pecas, 700 rs.
Lencos de cambraia de linho bordados a 1(5, 1^500 e 2.
Ditos de cambraia bordados a 500 r?.
Sabonetes transparentes a 80 rs.
Finissimas tesouras para unbas a 800 rs.
# Botoes de setim de todas as cores dozia a 320 rs.
Caixa com 4 papis de agolhas (ando de ouro a 240 rs.
A'm dos objectos qae cima vio relacionados, existem muitos oulro?, como se-
jam : bico de seda branco e preto, luvas de pellica e de seda, ptimas perfumaras, le-
ques de marfim, sndalo e madreperola, botinas para senhoras, sapatipbos de setim e
toucas do mesmo, pentes de tartaruga para alisar, as novas anqoinbas, objeclo este de
grande novidade, e que se torna recommendavel s senhoras do bom tom, finos espar-
tilbos, flrf s, lia para bordar, e muitos oolros objectos que se tomara recommendavei.-
pela sua el ganda e modicidade dos precos.
Os proprietarios rogam s'-exceilentissimas senhoras a visitarem o seu estabeleci-
mento para se convenceren, e aquellas que se nio qutzerem dar a este trabalho pode-
rio mandar buscar o que desejarem ver, ou se Ibes mandaric levar em suas casas.
O Vapor das Novidades
RA DA IMPERATRIZ N. 36.
GRANDES PECfflNCHAS
fft RITA IIA IMPERATRIZ* 15
320 rs.
o covado de bonitas e finas alpacas de todas as cores para vestido, e muitas outras
ffzendas finas e grossas, miudezas, calcado, chapeos, perfumaras, qalnquilharias,
crystaes, vidros, porcelanas, loocas, luvas de pelica, preta, de cores e brancas para
horaem e senbora, oleados para forro de carro, variedades e alguns movis que ven-
demos ludo por presos rauito resumidos, por serem nossas compras, feitas dinheiro,
tirando nos smente o lucro de 10 por cento do descont que temos as casas im-
portado-as.
15 RA DA IMPERATRIZ. 15
IMSSES k IRJIIO.
PARA LIQUIDAR
MA.CHA2CS MERXCUJffOS
liJOOO CADA UM
com cabos de faia, sendo os machados de ajo muito bom, proprios para carpinas
ou engenhos

Ra Nova d. 22
Para este estabelecimento acaba de ehegar um
riquissimo sortimento de objeclo?, todos novos, os
qnaes sao das seguales qnalidades :
Machinas para faier caf, em cinco minutos, ai
quaes fazem o caf com todo o aroma, e com me-
nos quantidade do que se costuma a usar, por se-
rem de nm svstema ioteiraroente moderno.
Estas pecas importantissiraas podem tambem se-
vir para cima de mesa, sendo os seus precos de
cineo at cem mil res.
As explicacSesparafarer-ss o caf veera empor-
tuguez e inglez.
Taabem ha para vender neste estabelecimento
reqnissiroas esleirs brancas e de cores, para for-
rar salas, por precos muito baratos. Bem como
muito boas vassouras para lavar casas ladrilhadas
e assoalbadas, as quaes sao de qualidade inteira-
mente nova neste mercado.
Para saceos e fogiieteiros.
PARA ASSUCAR
CERVEJA DE MABCA
K
Engarrafada especialmente para o Brasil.
Charutos de Havana
Lona para velas
Cambraia Victoria
As verdadeiras trazem os nmeros estampados
oas pecas e nao as etiquetas.
Vendem-se
Em casa de
T. JEFFERIES & C.
46 Ra do Gummerao 46
BRINS DE ANGOLA
roa Nova, armazem
QRAIDE
LIOUIDACAO
Pe?a do algodo
nr roa do Crespo n
azul 3 covados po r 3|000
O, loja do iJutlberme.
Vende-se a 10*000 a barrica : no armzem da
bola am.irelta no nitao|p secretaria .\ polica.
Calados iugiezes
Grande sortimento de calados'inglezes para; w
crlanfa, dos melhores que tem vio-Jo ao roe:""'1":' ** .'-'"*.
na rna do Bom Jetos (outr'ora Gru b. I, tr.'.iija- J a bM>*a iU. Utcaca iuim Succets
-sR
do amareili?.
di Usrqu derua Ol'Dda n. l, teja de miudezas.
vende-se roa Novan. H.
Cadeiras americanas
com bracos e assentos de pallioha: ra Nova, armazem n. 11.
Fregos americanos
de 2 a 3 poegadas, proprios para barricas, a 80 rs. a libra :
n: II.
Taxas americanas
caneca redonda de 5/8 de comprimento, proprias para umanqoeiroi, ou outro qualquer
mister, com loque de ferrugem, a 80 rs. o maco de meia libra, oo 8 a caixa com 150
macos: roa Nova, armazem n. 11.
VELOCIPEDES .
com doas rodas, proprios para homem, a 20^ cada um. a de graca, mandando-oi vir
custam I50;5 cada um : vende-se ra Nova, armazem b. 11.
Grampos de pao para segurar rcupa
sendo de made-'ra, proprios para prender a ronpa que se boU a secar era cordas, a
240 rs. a duna ou 65 a caixa com 36 dorias. E' dar, nao vender : roa Nova
PARA.EUeHNHO
ora recebedor e conductor de bagaco da rooenda, levando por si o bagado na distancia
qua fe qaizer, economisando o trabalho de duas pessoas. E* talvez o ubico que existe
nesta'provine^: vende-e muito barato, ra Nova n. 11.
A TUROUEZA
Esta nova loja tem, alm de completo sorttmanto de fazendas, o segrate que
vende barato :
Crotones de cores fixas a iO? rs. o covado. -
Mcito boas mu'su'inas a 480 rs. o di'o.
Baptlstas a 560 rs. o d !o. '
Fustoes de cores para vcs'.id;S a 500 e 800 n>. o dito.
Lazinlias a 440 e 560 rs. o dito.
Alpacas de cores a TOO, 800 e 900 rs. o dilo*
SediDbas de li.-tras a 1^500 o dito.
Organdys brancos a 800 rs. a vara,
S*ias de lia-e brancas de 44 a liJOOO.
Lradas camizinhas a 10000.
Lc'S d fita p" into a 4 jl e 5G00.
Punbo* e goila de ki-qs a 4^000.
Cfcales de Hipjin cs'mpados ? ^-500.
\$i'm a 3,4000.
A' ra do Bar3i-flrVvtc-ri| n. 9 (muga toa Nova) loja da TURQUEZA,
OS LEGTIMOS
Trazem em cada peca um bllhe-
te com o ii o ni c
; dos
nicos importadores
T. JEFFERIES & C.
Vende-se 30 aaolices da Companhia Pernambn-
cana, de valor de 20 cada urna, dando-ge. o des-
cont do dividendo vencido no anno prximo pas-
sado. Isto urna boa acqoisico para quem
qoirer empregar dinheiro, visto como a dita com-
panhia, tem dado os seus dividendos regulares;
e o possuidor das mesmas apolices as vende por-
que tem de retirar-se para a Europa, j tendo
por este motivo liquidado todos os seus negocios
nesia uraca : a pessoa que pretender Mas ou
parte dola, pode dirigir-fe roa Nuva, casa n.
J, que achara com quem tralar.____________
13 A Ruada Imperatriz 13
DE
JOAQUIH BEZERRA PESSOA & C
Os proprietarios des'e novo estabeleci-
mento de fazendas veem cientiOcar ao res-
peitavel publico em geral e.>m particular
as Exms. familias desta cidade e fora dola
que chegado pelos ltimos paquetes da
Europa, o mais bello sortimento das mais
lindas fazendis que al hoje sao vistas em
nos*o commercio, o qtie eslo despost03 a
venderem por todoprtco.afitn de venderem
moilo e apurar riintieiro. saber:.
Lrados casaquinhos de gurguro prelo
enfeitados para todos s precos.
Cortinados ricamente bordados para ca-
mas e janellas.
Camisinbas de liobo bordadas para sfi-
nboras.
Ricos tapetes avelludadoa com lindos de-
zenhos para 2 e 4 cadeiras.
Ricas grinaldas e capellas para novas e
meninas.
La para bordar de todas as cores por
commodos precos.
Chapeos de sol de.'cda infclezjs a bal2o
por todos os precos.
Ricos e modernos corles de organdy bran-
cos com modernas listas.
Ditas d- cambraias de salpicos brancos
ede todas as cores a ">|5000.
Pecas de cambraias linas a Victorias com
10 e 12 jardas a 3.5, 43, H. 0# e 75000,
Ditas transparentes unas para lodosos
precos com 2 larguras.
Variadissimo e eltgaanles sortim nlo de
ias para vestidos d lodos os prfC'S e qua-
lidades, que, quem as vir a \ista dos pre-
COS comprar.
Modernas popelinnas com listras a 120
rs. o covado barato.
Grande variedade era chitas finas, para
200, 210, 280, 300 e 320 r?. o covado.
Pechincha em alpacas de cores lavradas
e muito fina;, o covado 400, 500 eOO rs.
na Flor da Moda na Irajeratriz 13 A.
GRANDE PEGIHNCHA! A ELLA ANTES
QUE SE ACABE?
Sao camisas francezas finas a l#500 cada
urna, ;dmira a vista d.i fazenda. S na
Flor da Mtda ra da Imperairizn. 13 A.
Chapeos da sol de alpaca pelo baralissi-
mo preco de 35000.
Madapolo:s linos e largas com 20 varas
a 40, 5-5 e 03000.
Brim pardo trancado de linho fino o
covado a 320 e 4C0 rs. admira.
QUEM QL'IZER VENHA COMPRAR NA
FLOR A MODA RA DA IMPERA-
-TRIZN 13 A.
Coberlores de tnissima la de cor a 8$,
0, e 4f>()00 brancos.
Cambraias de cores fixas e finas a 200,
240 e 280 rs. o cov do.
Lencos de chitas grandes e bonitas a du-
zia 2-50' 0 rs.
Grande quaoiidade de lencos para me-
ninos e homens sendo:
Cora barras de bichinchos e calungas k-
zendo gynasiica a dozia I 201, 15500,
25000 e 25500.
Ditos brancos fino? a 2530^.
Ditos de linho ambareados finos a 65 e
75000 a duzia.
Camisas de meia o melhor que lia, urna
15, e 15500.
Oilas inglpzas finas de linho para homens
e meninos por todos os precos.
Coilerrahos, punhos, grava tas, meias,
toalhas, lences. crochets para radeiras e
jardineiras.
Completo sot lmenlo de c-ssimiras preta
de cores.
Pannos finos pretos e de lodas as qnali-
dades, brns brancos pardos e de cores por
todos os precos.
Roupas leitsuaPIr da Moda
Scbre-casfcos, palilols-sacos e fraks de
todas as qnalidades proco coturno lo.
Calcas ch casemiras pretas, de core?, de
brins brancos, pardos e de cores.
Ceroulas francezas de linho e de algodo
commodns precos.
No me.cmo es-labelecimento encontraro
os amavtis frequezes toa bom alfaiate para
tomar medidas dos que qoizerem mandar
fazer suas obras e stijeitando-oos a flear
com aquellas que nao sahirem a contento,
afira de bem servir todos aqnelles que nos
honrarem com sua proteccao neste estabe-
lecimento urna enflaidade de arlig s que
deixamos de mencionar para nao se lomar
massarte aos leitores, o estabelecimento
est aber'o das 6 as 9 boras da noite s
ordens do respeitavel publico.
N.-13 A RA DA IMPERATRIZ N.-13 A
CRAMDK
97 Rna do DnqnedeCaxIas 99
Chamins para gaz a 320 rs:!!!
Chamins para gaz a 320 rs !!!
Chamins para gaz a 320 rs. !!!
Di qualquer tamanho a 320 rs. II!
97 -RA DO DUQUE DE CAXIAS-97
L1VR0S CLASSICOS
Chatheaubn nd, Genie dn Chri?tianisnie.
> Martyrcs
Rfgnier-Theatre Classiqne.
A' precwl cemmodos na livrarii Enciclopdica
ra da '".rui n. o.____________
"CEMENTO
kilo,
Para os Hrs. de engenho Tr.
Ghila, fazenda hem coohecida pela na fortido,
mais larga que chita, para roupa de eM-ravo?, a
200 rs. o covado na ra do Crespo n. 20, I ja do
Guilherme.
GRANDE ~
UQUIDACt
Na roa do Duque de Caxias, antiga ra do
Queimado n. 19, vend-se chitas de cores es-
curas e matisadas pelo proco de ?C0 rs. o covado,
cambraias de cores, bonitos padrSes a 250 rs. o
covado, e p^cas de cambraia? branca fina com tu.
varas 3* e ditas ec 8 ditas b -a por M. "J^llH ane gorda.
de madapolio do 4, 4*300 9 3* e al|MB br-
co de 3o00 e 1*000 a poca; tpdo P r preco
qae a1mira:______-----------
Plvora barata para acn*--r
Vende-se plvora Ona para caa, < hm t
libras, mri*3 e quartaf,asim eoZ*t a granel en
barris para caQA c f-st"ji: para ver a mojtra e
tratar na ni'la Cn'l o. 6, (armazem) cora An-
onio Ce>ano Mor Ira, ias.__________________
Ferro.
Vende ft lelli.ts -Jo f:rro gslv.-ftfsdo de-6. 8.
11. ti.' n '"":?, ituis lu;-:,i.i< i, ^>m i-it
.utra qu.isoi'-| :r.\ rv[sia *a cmjj.v't. i ;u*
Prltneiro tMarco n. 0.
j se vend ni
. 22r armazem de
O verdadeiro porilaud.
rna da Madre de Dos n
J(joM_3riin3 de Barro? ^
Na canina da ra f ^ ^^ ^^ ^ ^^^
ca-a n. 6?, lia ne.re .-1u,ue Ciirne de prme,=
qnahtfade <19 dfa d0n)jngl) 30erD diaB,e a w rs
jo deste esubelecimento garante
P^otiincba sem iguaU
Superiores las escocer* de cores maito linh-.
[Jzepdi de gosto para ve;tidus a \QQ rs. o cow-
do vtndee oa ra Primt-iro de marco, outr''>-
ra do '".rs i'- 13, I-ja dn* lumpw^de aou>-
ir tr
s ?a ao Marua,de '.
n.




,.dtw

i
e.iiaiiiiiuiM .ivrf .cid -. ~c i.^u.J
ib
1 o .



RIVAL SEM SEGUROS
RA. DUQUE DE CAXIAS N. i9.
-Jj iJigodiifbo, curn leja ce uiuez>s,
avisa a todos es os seus fregaezes quo sta
torrando todn pelo ;*eco, a vista da fazeo-
da, 6 para todo* admirar, a saber:
Grojas de boi5s de lonca bracea a 120
Capachos mato bonitos a 6(0 e 700
Caixas cora 100 envelopes fazenda
fina a 500, 6C0 e 800
Pares de sapatoa de 13a para me-
ninos a 320
Espelhos de moldara donrada a
600 e UOOO
Pentes pretos volteados para me-
ninas a 240
Tin'.eiros com tinta preta a 80 e 100
Pecis de Qta elstica multo flna a 200
Latas com superior banba 00,100 e 200
Latas grandes com supe ior banha a 320
Frascos com oleo de Pliccome a
500 e 800
Frascos com macass Peruia a 240
Caix?s com 12 sab oetes mulo
tinos a 10000
Frascos com agua de Colonia verda-
dera a 1*000
DUds com oleo da ha )osa saderior a 320
Syllaoario piriugue* livro rauito
bom para crianzas a 400
Carrilels de retroz preto com 2
oitavas a 600
Ri:ai touquinhas de para me-
ninos a 200
Caixas com agulhas francezas a 100
160 240
Pecas deliras borJadas a 500, 600
800 e 15000
GarrafdS com a verdadeire agua
florida a 10300
C-irtilbis da Pontrina CbristSa as
mais modernas a 400
Livro das miss5es abreviadas a 1)5500
Copos grandes com superior banha 10500
Macos da pallitos para dentes o
uieluor que ba a 160
Picotes com 3 sabone'es inglezes
fazenda fina a 600
Caixis c m pos para lim,ar dentes
f-zenda liaa a 200
Escovns muilo finas para Iinparos
demes a 240
LIOUIDACAQ
I pllOI.1 htjfo MKrtiDa.
NAi
LOJA E ARMAZEM

DO
PAVAO
W
-

Especlalldade los pbarmacentl-
co* Ferreira lala Jk C.
->t udec|io iempaita tspeatmente para a
3? WP^8 '%" on modernas, foi com
feliz resaludo ensalada pelos mais habis e reeo-
aheeidew OMcof, e por elle confirmado ser esta
injectio a nica que radicalmente enra em menos
(topo qoalquer agnmha oo purgaci antigail
moderna, sem o auxilio de outros medicamentos.
W tambera ottt as leucorreas ou flores brancas,
quer sejaro antigs on modernas.
DEPOSITO
Nlpbarmaeiaamerica*, na Duque de Casias
numero 57-

NA RA DA IMERATRIZ 60-

DE
FLIX PEREIRA DA SILVA ft C.
Os proprietarios deste grande estabelecimento tendo em ser WM evoHai pernio de
fazenda, e tendo continuado a receber por todos os vapores e navios Huera inflo
das masmas, tem resolvido f.-zer ama GRANDE LKKJIDACO, aoi de domnoir o gran-
de deposito e apurar DINHEIRO. De todas as fazeadas que se vendo baratissimo se d5o
as amostras, ficando penbor oo se mandam levar em oasa das Exmas. familias, astioi eooto
as pe-soas que negocia m em menor escala, n'este estae'ecimeatose poderlo eenir em
pequeas porces pelos mesmes precos que compram as casas exportadoras.
A114 BIMW,
Neinpre a .\ova IRsperamca f f
AO BELLO SKXO.
Eta !ojn bem cooh>cida pela sna elegancia e
snperioridade de sens object >s, acaba de receber
muitos artigos para o que respeito3amente convida
ao bello sexo a vizita-la, afim de comprnrem aquil-
lo que precisaren! para preparo de vestidos toi-
lete on tocadores, e mesmo qualijuer objecto para
fazer algum prezente...|pois que s na Nova Espe-
ranca Bcarao saii-feitos, j pela qnalidade e pro-
cos rnzoaveis, e mesmo por que a Nova Esperan-
es ufaoa-se era nao se impacieular em dar a bs-
colhcr os objectos, prestndole com o agrado
cen que costa ma receber a todos, allm de que
saibam c<'im o firme proposito de voltarem ou
iridarem a mesma tuja, logo que precisem de
q'ialquer artigo porptqueno que seja.
LVAS .DE PELLICA.
Kecebeu as de Lisboa a Nova Esperarla para
horneas, senhora e meninos, sendo brancas e de
cores.
NOVIDAOE.
Bieo dd qnipure preto cora branco, a Nova Es-
peranza s quem tem I I I
Caixas para joias.
A Nova E^peranca recebeu boas caixas de sn-
dalo para guardar joias.
Fitas largas para cintos.
Recebeu as de muitos qualidades a Nova Espe-
ranza.
Para extinguir panos oa sardas.
A Nova Esperanca tem leite de rosas brancas.
Para ti.ogir cabellos.
Tem a Nova Esperanza a verdadeira tinta in-
gleza.
Para refrescar a pelle e aformozia-la.
A Nova Esperanza ra Duque de Caxia3 n. 63,
vende verdadeira albina branca de Lais.
Perfumaras
As melhores e do mais conhecido fabricante,
tanto fraucez como ingles, eslao expostas venda
na roa Duque de Caxias n. 63, na Nova Espe-
ranza.
Extractos, banha, oleo, sabonetes, agoas de co-
lonia, de kiranja, florida e do lavande, etc., etc.,
ludo de superior qualid?de : vende-se na Nova
Esperanza ra Duque de Caxias n. 63.
f f !
Agora sim
A Nova E-peranza, a ra Duque de Caxias n-
63, recebeu um lindo sortimento de lia para bor.
dar, vindo as cores mais procuradas, branca, pre-
ta, escarate etc. etc. a ella antes que se acabe I
SAL.
Vende, Jos Dias Soares (em Maco)j superior
seperior sal era pedra, o alqueire a 400 r>, para
barcaza, e 440 reis para navios, posto a bordo,
embarcando-se qualquer encommenda por maior
que seja com toda a presteza possivel. Pode tra-
tar se travessa da Madre de Deus n. i, 2o an-
dar, com Antonio Pereir.i de Miranda.
VENDE-SE
Joaquim Jos Ramos, na ra da Cruz n. 8, Io
andar, vende algodao azul americanos verdadeiro
e pregos americano n. 3 e 4.
D'iodureto de potassio de L. Foacher.
Esle3 onfeitos teem a vantagem de junto a
maior ex;, .'tido na dosagem (5 conteem urna
Sramma de iodurelo de potassio) nao teem o sabor
esagradavel da3 solozSes: sua efflcacia ncon-
testavel, p.irque o medicamento chega ao esto-
mago sera ter solTrido a menor alterazao, o que
muita3 vezes acontece soluzao pelo metal co
lher que serve para a medir, alm destas a de
rnui fcil transporte em viagem, evitando assim
a interrupzao do medicamento : nico deposito
na pharmacia americana de Ferreira, Maia 4 C,
ra Duque de Caxias n. 57, antiga do Queimado.
Jornaes da Europa.
Assignaturas para todos os jornaes da Europa
Poniualidade e garanta u > servizo.
LIVRARIA FRANCEZA.
Tabellas Vermfugas
Este medicamento o nico que pelo seu bom
aroma e gosto agradavel se torna o mais propric
para a expulsao das lombrigas. E' fcil de tomar
porque o sea gesto igual ao do chocolate, e de
prorupto eueilo.
DEPOSITO
Pharmacia americena de Ferreira Maia & C, roa
Duqua de Cxias n. 57.
PARA LUCTO
O Pavio tem nm grao de sortimento de
fazeodas preUs para loeto, como seja : lia-
siohas finas para vestidos i 4U0 o 440 rs.,
meri muito leve para vellidos e roupas
para borneas 25 e 2^200, alpacas com
lavares brancos, cassas pretas lisas e com
brancos, bombazinas pretas, cantues. e oo-
tras mnitas ttzendas todas proprias para
lulo, que se vende mais birato qus em
ootra qualquer parte.
CHITAS DE CORES
O Pava tom recebido grandes sortiraea-
tos de chitas finas, tanto claras como esco-
ras, leudo tamhera grande sortimentj do
mais delicada* perejiles miodinbas proprias
para vestidos eroapras de criaocas, e ven-
de-ie por menos do que em outra qnalqaer
parte, oa ra da Imperatriz ri. 60.
LENQOS BRACOS A DUZIA 3^00
O Pa\o vende fin simos lencos braocos
j* embanhados, em duzia pelo barato preco
de 35000, e outras muitas qualidides, tanto
de esgoio como de cam^raia de linbo, e
cbinezes.
Totlhas do Porto a 105000 a duzia
O l'jvjo veode s'i eriores toalbas para
rosto, sendo de linho do Porto 105000,
ditas de froco fazroda Moflo boa i20000
nduzia, ditas coalchoadas a 75300 duzia
ao 640 rs. cada toalba.
COLCHAS A 350CO
O Pav3o vende colchas brancas de astao
sendo bastante grandes pelo barato preco
de 35000, d.tas de cores muito finas ...
7000, ditos muto graudes brancas de fus-
ilo e muito encorpadas 65000, ditas de
croxet, proprias paracamade coiva 155.
ORGANDYS BRANCO
O P.iv5o recaben os mais finse delicados
organdys trancos para vestido, sendo todos
com lavorej miudinhos, e vende se pelo
barato preco de 800 e ft|000 rs. a vara,
fazenda que valer moito mais ndinheiro.
GUARDA BANHA
O Pavo vende urna grande poreo de
panms de crochet proprios para encost de
cadeiras, tanto de braco como de gaarnic3o,
ditas para encost de sof, ditas paracobrir
pianos, assim como ditos redondos para co
brir diderentes movis ou outros qaaesqoer
objeclos, e pode-se vender por menos do
que em outra qualquer parte, attendendo
grande compra que se fez.
CHALES DE MERINO' A 20*500
O Pavao vende chales de merino moito
grandes e encorpados 2O5O0. ditos
imittcSo de cbioezei 25*500, ditos pretos
de renda com 4 ponas 250C0.
CHALES PRETOS BORDADOS
O Pavo vende os maiores e melhores
chales de me in pretos ricamente borda-
dos com largas franjas de retroz, e vende
por menos do que em outra qoalqoer jarte.
CAMISAS PARA HOMENS
O Pavao vende um grande sortimento das
melhores camisas inglezas e francezas com
peitos ds linho para todos o? precos e qna-
IHades, assim como ditas de ditos de
algodao para todos os presos e lmannos,
endo tambem para crianzas, e no mesmo
estabelecimente tambem se vende ceroulas
de linho e algodio, tendo para lodos os
precos, assim como metas roas inglezas
para homens e meninos, que tudo se veade
por pre;o muito limitado.
CORTINADOS BORDADOS
O Pavo tem constantemente um grande
sortimento dos melhores cortinados borda-
dos para camas e jacella*, que vende-se de
85000 at ao mais rico qoe costuma .a vir
n'este genero, assim cerno bonitas cambraias
adamascadas, tanto tapadas como transpa-
rentes, proprias para o mesmo fi n, colchas
de crochet, damasco para camas de noivas,
e cortinas, e vende-se no Bazar do Pav2o.
LASINHAS BARATAS
O Pa^o tem nm g-ande sortimento das
mais bonitas lasinhas para vdsios, tendo
de todos os precos cores e qnalidades,
principiando de 200 rs. para cima; porm
to grande a qnantidade que seria enfa-
donba especificar qaalidade por qnalidade,
s a vista do freguez e das amostras se lhe
vendero por precos to cmodos qoe
engue n deixar de fazer om vestido de
la por to pooco dinheiro.
ALPACAS DE CORDO A 640 R8,
Jabonete 'ie alcalrao.
o
Este novo preparado applicado com grande
aproveitamento contra as molestias de pelle chro-
nicas e rebeldes empigens, manchas escuras ou
paii -"> v -r, go rosto e peito, borbuihas, sar
na, ic^.a t ou^icbSes, mesmo aquellas que em
certas partes delicadas do corpo tanto mortificara,
finalmente e uso continuado dete sab.mole con-
tnbue para tornar a peHe assi mimosa. E" igual-
mente cfflcrz para maciar a pelle do rosto oo
outras partes do corpo, que por motivo de erysi-
pellas Geam speras e escamosas. Preco de cada
sabonete 610 rs., era, dunia se far abatimento.
nico deposito em Pernambuio, pliarmaca ame-
ricana de F.xreira Maia 4 C, ra Duque de Caxias
n, 57, amiga do Qaeimado.
O Pavo vende as maW lindas alpacas d
cordo para vestidos e roupas de criaocas
pelo barato prego de 640 rs. o covado,
dilas finissimas com os mais lindos lavoree
imitaco de agraeianas a 810 rs. o covado,
bonitos glac3 com delicadas cores e lus
trosas como se la 15000 o covado, e ou-
tras muitas fazendas de gosto e laxo para
vestido, na roa da Imperatriz n. 6o.
POUPELINAS
O Pavo rebeben as mais delicadas e me-
lhores poupelims de seda para vestidos,
com os mais modernos lovores, e ontaas li-
zas com as cores mais novas qoe tem vin lo,
e vende-ss 25000 cada c .vado, assim
como delcadas sedas de listinhai, tanto
para vest los de senioras como de meoioas,
q vende-se 25000 cada eovado.
SET1NS DE COR
O Pavo tem constantemente nm bonito
sortimento dd cotiuse grosdenaples de to-
das as cores, que vende-se em conta.
ROUPAS PARA HOMENS-
O Pavo tem constanteiienre nm grande
sortimento de ronpa, tanto de panno como
de bros br.nco e decores, ds case-
miras, para todos s pregos e qoalidades,
e tambem se manda fazer qualquer peca de
obra c >m tjdo aceio e promptido, para o
que se tem om perito
ALFAIATE
qoe se encarrega de excntar qualquer en-
commenda da sua arte vontade do fie
guei, e o proorietario d'este grande esta-
belecimen'o e promeite sror bem a todos
os fregaezes aa loo boorarosi a sna casa.
ALGODAOSINHO M 31500 A PE^A
O Pavo vende pecas d'algodaotiooo de
muito boa qualidade, tendo 20 jarda eada
peca, pelo baralo preco % 3*600, dito mui-
to largo e encorpado i 65000, dito o me-
Itior que tem vindo ao mercado, muito ea-
corpado e largo para feneces pelo barato
preco de 65500, grande pecbincha.
MADAPOLAO A 45000 E 45500
O Pavo vende pecas de naadapo;*) eos
24 jardas, sendo fazenda moito superior
pelo barato preco do 45500, dae oso as
mesaas jardas a 45000, ditto finissimas a
55500, 65000. 74500 e 81000. pecbincha.
MADAPOLAO FRANCEZ A 105
O Pavo vendo (oeas do fioissimomada-
polo verdadeirameote francez, tendo 22
metros ou 20 varas, pelo baratissimo prego
de 105000 pega, sondo fazeoda que sem-
pre se venden 145000, e liqoi la-so por
este barato prego por estar alg.ma cousa
enebuvalhada na ponta de fra.
ALGODAOSINHO ENFESTADO A 15 1280
O Pavo vende verdadeiro algodiosinho
americano, tendo 7 palmos de largara
muito encorpado, propro para lencoes
750OO a vara, dito da mesma 'argora sen-
do trancado e moito encorpado #f80.
BRAMANTES PARA LENCOES A 2*400 2*800M
O Pavo vende o verdadeiro braonnfe de
linbo tendo 10 palmos de largura, qoe ape.
as precisa para umlencol urna vara erma
quarta, pelo barato prego de 25400 i varS.
dito melhor de 258.0 e 35000, tendo al
do melhor que vem ao mercado i 35500
e 45000, assim como cretones fortes para
lencoes, sendo urna encorpada fazenda frao-
ceza com 10 primos de largura 200 rs.
o metro, e bramooto d'algodo com a me-
ma largura 15800.
mi BORDADAS A 44500 E 5009
O Pavo vende graade pecincha em saias
brancas ricamente bordadas, tendo cada urna
4 pannos, o vende pelo barafo preco de...
45500 e 65000, sendo fattQdv qn compre
vendea-se p r 85 e 104000.
Fazeadas para saias a 15200, 15280 e 1550o
O Pa .'3o vendo superior fizeoda bordada
ojeom prega* pfcprias para saiae> 15200,
15280 e 15SfOs *ara, sendo preciso para
urna saia apenas3 Taras on 3 t|2.
los 3000 cortes de onrtrala a 25990
O Pdvo vende orna grande porco de
cortes de cambraia organdys; tanto brancas
como de cores, sendo com Iistriobas de
cores tessidas e nao estampadas, e liquida-
se palo barato preco de 24503, cada corte,
fazenda que vale muito mais.
As 2000 cortes de cambraias bordadas a 5500C
O Pavo vende urna gande quantidade
de corles de cambraias brancas bordadas
para vestidos, sendo com os desenos mais
lindos e mais vistosos que tem viado ao
mercado, tanto em listras corridas como ada-
Konaes, e com muita fazenda para um ves-
tido, e liquida-se pelo baratissimo' prf go de
55000, sendo fazenda de mato maior va-
ior, grande pecbincha.
CAMBRAIAS
O Pavo veade grande quantidade de pe-
fas de cambraias brancas tapadas e iteras
parentes, tedo de 35 a pega at i mais
fina qae vem ao mercado.
CHITA A 160 RS. *
O Pavo vende chitas largas com bonitos
desennos e cores fixas. pelo barato preco
de 160, o covado, grande pechiocha.
LAASINHAA 160 RS. O COVADO
O Pavo vende bonitas liasinbaS transpa-
rentes pelo birato prego de loO rs. o cova-
do, pachincha na ra da Imperatriz n. 60
CORTES DE CASSAAJ5500
O Pavo vende bonitos cortes de cassa
franceza vindo cada um em seu papel, pelo
barato prego de 25500 o corte, ditos muito
lindas 35000, pecbincha.
CASSAS FRANCEZAS A 200 RS. O COVADO
O Pavo vende bonitas cissas de cores
para vestidos, pelo baralo preco de200rs.
o covado ditas fiaissimas com os desenhos
mois modernos que'tem v.ndo ao mercado,
pelo barato prego de 500 rs.
CRETONES
O Pa'o vende fiois3mos cretones oscu-
ros matizados, proprios para vestidos e
chambres, pelo barato prego de 640 rs. o
covaJo, ditos de Lres, proprios para co-
berta, sendo fazenda muiro.encorpada pelo
barato prego de 80 rs. o covado.
Pasquinas ou easaquinhos a 205 255
O Pavao vende basqamas 00 easaquinhos
de seda prttos ricamente enfeitados, pelo
baratissimo prr5 > de 205 e 255006, sendo
muilo modernos, assim cono ditos de cro-
chet e rendas pretas quo se vendem moito
em conta, oa ra da Imperatriz n. qO.
Caitas eotraoeadas para roberas a 360 rs. o carado
O Pavo vende chitas entrangadas com
delicados desenhos para cobertas ou carli-
nas de cores fixas, sendo fazenda muito en-
corpada pelo barato preco de 360 o cooadO.
ESPARTILHOS A 45500
O Pavo vende os mais modernos e me-
lhores espartilhos, tendo do todos os l-
mannos, pelo barato prego de 45500
CASEMIRAS
O Pavo veide um elegante sortimento
de delicadas casemiras inglezis, sendo to-
das de la e muilo levesiohas, tinto pro-
prias para homens como para criancas, e
oitas mais eocorpada3, ten la de urna e da
doas larguras, quese vende o mais barato
possivel, na ra da Imperatriz n. 60.
^ Esa c*sa de THEODORO CHRISTIAN
SEN, roa da Crnz n. 18, encontram-se
effectivamente todas as qnalidades de vinho
Bordoaoi, BonrgogQe e do Rbeno.
A' AGUIA BRANCA
RA DUQUE DE CAXIAS N. 50
(Outr'ora Queimado n. 8.)
\

%
*^\\

1%
%4L


nico legalmente autorisado e approvado
pelo conselho de sade.
.orneo DEPOSITO
em
PERNAMBCO
Pharmacia e drogara
de
BARTHOLOMEU C.
34Roa larga do Rosario34.
CAFE PURGATIVO
A' ESCAMONEA
De B,K Barral
Pkarmaceutlco-C bisulco
A ntilidade des pur|ntes nlo soffre demons-
trado algama ; a prescrp$ao diaria que dalles
azem os mdicos e o uso anda mais freqnenle
fsilo pelo publieo sao provas irrefragaveis Unto
eorao a quantidade innumeravel desle genero. S
falta aperfeicoar cada ver aiais o modo da admi-
nistracao, de maoeira que conservando a sua ac-
cao, elles possam ser tomados sem repugnancia
nem aco e sobretudo sem receio neni perigo.
Muitos purgantes afamados s devera este boro
xito ao seu effeito intenso e excessivo. D'ahi o
pefjgo. porque irriuodes de estomago, inflamma-
c5es de entranhas s5o inevitavelmente o resulta-
do do seu emprego. Nada d3so tem-se de recear
com o caf purgativo.
Tedos conhecem por experiencia o aroma sua-
ve e o efleito ligeramente tnico e excitante do
caf. Elle o melhor auxiliar dos purgantes dos
quaes dwfarea o cheiro o sabor e ajuda a accao
sollicitanda vagarosamente os movimentos peris-
(aMeos de intestino, e preveninde o seu effeito
multo intenso sobre o estomago. Misturado com
escamonea, facilita as evacuares com promptido
e fcm clicas, e torna-se nm porgante brando,
ceno, fcil a tomar e preferivel a todos os outros
sawo orna indicacao especial da qual o medico
o nico juiz.
A innocuidade do caf purgativo permitte de
emprega-lo em lodos es casos simples. Desper-
tando a atona do intestino e activando a socro-
cio desft, desrroe a dureza de ventre, as vento-
sidades, s flatposidades e excita o appetite. Em-
pregado mais a miado, 6 conveniente para eva-
mft c^m Taar a bilis numo s viscosos e
e faz dessa maneira desapparecer a enxaqueca,
as dores de cabeca e prev os ataques de sangue
as pessoas que a estes sao predispostas.
MODO DE EMPREGO.
E' lio simples como fcil. O cat purgativo
deve ser tomado fri, puro on misturado com um
pouco de leite fri assucarado, ou agua assuca-
rada. O vidro inteiro a dos ordinaria para
um adulto ; duas colhares de caf bastara para
as senhoras e para toda e qualquer pessoa que se
par fcilmente.
. ara as criancas de 8 10 annos, a metade do
vdro suficiente ; de 5 a 8 annos, urna colher
de caf, e a quarta parte do vidro somonte abai-
xo desta idade contra a gosma.
E' por isso d'ama auministracSo muito mais
fcil do qae es blscoatos, chocolates oa bolos
purgativos.
Da-se immediatamente depois leite qaente as-
sucarado oa caldo leve, e duas oa tres cha venas
de cha preto on de tilia.
nico deposito na pharmacia e drogara de
Bartholomea C. : ra larga do Rosario n. 34.
LENQOS BRANCOS PARA ALG1BEIRA
A Aguia Branca na ra Duque de Ca-
xias a. 60, est vendando- baratamente len-
cos brancos e de tamanho regular para al-
gibeira. Os differenles precos de 2 2,5400, 2,5800, 3^200 e 4,5000 a duzia,
sao os que de mais barato se poda encon-
trar em to boa fazenda. Tambem ba ou-
tros com barras de cores fixas, e fazenda
nova mais fina a a duzia.
TOALHAS E FRONHAS
de labyrintbo com bonitos desenhos, e per-
feita imitaco do tecido no paiz.
BONITOS ENTREMEIOS BORDADOS
em cambraia tapada, transparente e outros
em pecas de 12 tiras, e proprios para cor-
piuhos, etc., etc.
MEIAS PRETAS PARA PADRES
ditas de 13 de cores para crianzas.
PAPEL DE CORES FOLHAS GRANDES
proprio para enfeites de bandejas, ba-
lites, eto., etc.
TORCAL PRETO, BRANCO E ENCARNADO
em miadas e retroz em carriteis.
Panoramas ou stereoscopos em ponto
grado,
Esses panoramas com 24 vtas, bellas e agra-
davejs, dao um perfeito intretenimento para rea-
nioes de familias.
Objectos para luto.
Bonitos e modernos aderecos pretos com
borlas lapidadas.
Brincos de bfalo, e crystal, lapidados, e
com piogentes.
Correles pretas de borracha.
Contas grossas, redondas e lapidadas para
pescoco. }
Voltas de contas, tambem redondas e la-
pidadas, com cruzes.
Pulseira pretas.

, BARRETES EM PONTO DI
meia para recem-nascidos.
LIVR1NI10S COM DESENHOS
para crochet, marea ole.
FOLHAS DE PAPIS COM DESENHOS
em ponto maior para os mesmos fins.
NOVAS TRANCAS DE PALHA
para enfeites de vestidos de la.
PERFUMARAS INGLEZAS
A Aguia Branca tem recebido finas per-
fumaras inglezas, sendo extractos concen-
trados de agradaveis cheiros, pomadas 8-
nas entre ab quaes se nota a d'alpaca, ana
da colonia, dita d lavander etc. etc. aseos
como finas escovas inglezas, e opiata para
dentes. Tambem recebeu variado sorti-
mento de sabonetes, qoe os est tendeado
baratamente.
Caixinhas com 3 sabonetas aroncacoa a
1,5, ditas com 3 ditos transparentes a II,
10500 e 2(5000.
Sabonetes areentos a 500 rs., dilos d
alcatrao a 80o e 1,5000 rs. cada um.
Pasta de amendoa para lavar e amaciar
as mos e o rosto a fi o (rasco.
E assim muitos outros objectos de per-
fumaria.
Alfinetes pretos com pingentes e seta
elles.
Guarnieres de botes pretos para pannos,
abertura e collarinhos.
Pmims de ac bieo d Iaf{a
Caixas com urna grosa 500 rs.
MATA MOSCA.
Chegou nova remessa de papel mata
mosca e continua a ser vendido na laja da
Aguia Branca.

i
Chocolate de sade, de Minier
E' pelo seu agradavel gosto e suave aroma qne
est classlficado como a primeira qualidade da
chocolate, e com jasta razae o procurara como o
menor de todas as marcas de chocolate eouheci-
das. O bem conhecido nome de Menier nos dis-
pensa de sermos ma< extensos.
DEPOSITO
Na pharmacia americana, ra Duque de Caxias
numere 57.
americano
Usado as golas este elixir em nm copo com agua
um exceMente conservador das gengivas e lim-
peza'da bocea, bochechando todas as maohas. E'
tambem um poderoso e verdadeiro calmante as
dores de denles.
DEPOSITO
Na pharmacia americana, ra Duque de Caxias
numero 57.
JAROPE
fa&O
IMEMBRO DA ACADEMLAdeMEDICINaI
Preparado por DESLAURIERS.PH.I
S/c" de BOUTIGNY-DUHAMEL
51 Ra de Clpy Paris


*i
I


O Xarope depurativo iodurado do Dou-
tor Gibert offerece, no seu emprego, um
resultado bom, certo e constante na cura
das impigew, escrfulas, molestiasdapelle,
victo do sangue, obttr uccoes lymphaticaj,
molestias contagiosas [syphilxticas), leves
ou inveteradas, ede todos os accidentes que
A receita deste Xarope foi approvada
pela Academia imperial de Medicina de
Pars.
Deposito as principaes pharmacias do
em Pemambuco: Mareb e Cta; Joaquim
Martimho da Cruz Corbeta ; Joo da Con-
cEigAO Bravo e C; Augusto Caors ;
Bartholomeo e Cu; Alexakdre Ribkiro;
Abreu Ribeiro ; Jofto da S* Faru e Ibmao.
Linguiqas das Ilhas em latas
O melhor que tem vindo a este mercado : ven-
dem Joao do Reg Lima & Fimo : ra do Apol-
lo n. 4.
2 r
"2 g.ff
2
t
^^
0 o
00
2
n >2.
& C/l
1 B
s o
o g
a
O co
ce oa
If
ss
o o

(6
"1
Cr
B
9
P
8
H
te
ffi S
2 3
s-8
5? S ce
i -
o o
OB 0_
5
B
9
rs
er-
re
r

re
P
ce
o1
a
3-8*
O 03
03 2.
re S'
a
o
re
a
re
o
re
ir.
ce
re
c
QB
B^
O
ce
ce
re
o
-i
re
ce
3
o
-1
o
1
re
ce
C_
O
S 0 O
v. ce
3
0
p-
c
ce
a
re
a
c
3
H
O
<
P
O
ce
re
5
re
O
c
o
ce
2o5
fc-p
V
re
S? o 5-
,9
co r.
re i sj re
re
-i
*-
c
-i
re
ce
r
re
S
Om
re
ce
re

o-
s
Ost
O <
re
t" o
2
0
ce

-i
0
ce
C
i
i

A 6^000 o par.
\ende se L-orzeguin francezos, obra poniiada e
boa qualidade, venham a elles, antes que se aca-
be : oa bem conhecidf ioja de miuderas da ra da
Cadeia n, 50 A confronte a ra da Madre de Dos.
S5o finalmente chegadas a esta praca pela segnnda vez as verdadeiras preparacet
do Dr. Radway A C. de New-York.
Depois de algons annos, em que as falsificares de Hamburgo e mesmo deNew-
Yorktiveram entrada nestemercado, aproveitandose do bem merecido conceito qoe
estes remedios haviam aloancado por seas maravilhosos effeilos consegntram introdmir-
se, illodindo o publico incauto, com nma redcelo de preco, nollificaodo o verdadeiro
mrito destas admiraves preparacSes, imitando as verdadeiras; porm tresacreditan-
do-as com seus nullos effeitos, lembron-se o autor de fazer a declaraca"o abaixo e i
dar diplomas aos que venderem os seus legtimos preparados.
Previnase o respeitavel publico de que as verdadeiras preparafes do Dr. Ra-
nwAT s se vendem nos depsitos cima declarados e trazem um rotulo igual ao desta
annuncio.
Nos abaixo assignados, declaramos e certificamos, qne os Sjr. Raymondo Carlos Lei-
te IrmSo, da cidade do Rio de Janeiro, no imperio do Brasil, sSo os nossos agentee
geraes, pela venda de nossos remedios, tanto no dito imperio como no reino de Pertn-
gal. Noticiamos ao publico, que n3o se podem obter os remedios do Dr. Radway i C.
(e que s5o preparados no laboratorio do mesmo dootor na cidade de New-York nos
Estados-Unidos), sen3o das pessoas que podem produzir a presente certificacao e altes-
tac3o e que a produzem, subscripta e assignada do Dr. Raowai 4 C. e dos Srs. Ray-
mondo Carlos Leite dtTrraao como ao p. Todos e cada nm dos remedios do Dr. Ra-
dway d: C. sSo acompanbados de cdulas smelhaQtes as que parecem aop desta cer-
tificacao.
Examine se bem a assignatura da firma do Dr. Radway & C. ao p da presente
serficacao e compare-se com o facsmile aas cdulas com todos os frascos e caixmhaj,
Raowat d C.


Diario de Furnamno 1\<;a feira 9 4e Muio de tQfl.
'

i
\

-.
-.
17
1!
J&J I****"yW-tWiSO* >!)>.>OMTM
j^gtoS nTs fioalMs qae er. ot
I Virti tMR.
de fcn para crea.
tS da Indi* para cama e torrar sala.
de Barro frattcez para esgoto.
SO sunerior em porches e a contento.
Ommm de todas as qtaHaaOn.
AGBOUS de esetnttar algodio.
liiriotes da Rassia.
8 americanos para forro de cirros.
i americanos muilo botis e econmicos.
VTMIO de Bordetus:.
COGNAC superior de Gautier Freres.
PARELLO em saceos grandes a 3*500.
AQA florida legitima. .
MUSEO
. I RA ESTRE1TA DO BttSUW % 1
AO BOU TOJI
nhoras;^ sorS^ dSS!^J^^ h-08 .
dy, Regand, PiBaod, Chonn
erfumarias dos mais aflamados fabricantes de Paris e Londres, como
i Monpelas, societ hygienique, Gosnel, Rimmil e Piesse Lubin, etc.
Novdades do Museu
sejam Piver,
ele.
e-
Lubin, Con-
* .
EogeHho
BVeae-se por 12:100a am soffrivet engeoho de
anima*?, distante da via frrea 4 miiius, tambem
se vende a safra creada : na ra do Livramento
n. 11 se dar hlforitacSes.
CKA\IE
LIQUIDADO
RA DO CRSSPO N* JO
De 1,800 cortes de casimira
Corles de casimira de cor fazenda superior lisos
e de quadros a 1*006 e 3*000 o corte, casimira
preta superior pelo baratissimo preco de 11300 o
eevad _
RELOGIO
e uro e prata
dos fabricantes mais acreditadas da Europa,-o
melhor aue *e pJe e>ejar oeste genero, para
boaeis e enhoras, vende-se por precos (t feoie
deecontiecidoi na toja de joiasEsmeraldara
do Cabugi b. 8
Moreira Duarte A C.
Pavilho da Aurora.
,Rna dalmperatriz n. 2
O doaa deste grande e acreditado -stabeleci-
tuentn ne facendas Anas de todas as (realidades,
avisa a seus numeraos fregueres que acaba de
recebar um g ande sortimento de vestidos de cam-
braias: brancas bordadas finas para senbora, o
quaes rende mnito barato, assim como outras
multas'faetndas de moflo bom goto, mas qnaes
tu fjfande reduceo a preces para eaes, afira
le que em ostra qualqaer
Capas e perneiras de borracha, faieoda
sapenor por preco baratissimo, tapetes ave-
ludados maito liados para sof e portas,
panos de crochet para sof ecadeiras, gran-
de sortimento de jarros finos de 10a a
250000 o par.
MUITO BARATO.
Camisas inglezas com peito de linho muito
finas a 520 e 550000 a dazia, ditas bor-
dadas fazenda de aparado gosto a i i 04 a
duzia, as mais finas camisas imitando as dt
linho por 330000 a dazia, ceroulas de li-
nho a 340000 a duzia, ditas superiores in
glezas a 440OCO.
As mls 4e familias.
BuconlrarJo no Mineo Elegante um com-
pleto sortimento de roupinhas para recem-
oascido, corpinhos de fu si ao e de cambraia
bordada a 800 e 1*000, vestido para crian
ca a 20, U e 4*000, collariohos bordados
com bico para senhoras a 320,500, rs. col-
leirichos e puntos para senhoras a 640,
800 rs. o par, ollerinhos.e pnnhos frisados
e bordados a 10GOO e I#00 o par, fazenda
que sempre se venden a 3* 40000
muito ricas modernas goenbas para se-
nhoras, as mais modernas gravatas de fil
bordado a 10000 e 20000 cada tima.
Labyrintho.
O .Vosea Elegante vende toalhas grandes
todas de labyrrntho, fazenda que sempr
vendea-sea U0eS0OOO, por 80500
fronbw de lab}Tinthe a 40 rs. as pequeas,
as amores a 10209, bicos rendas todo po
prece taratinho. r
Museu Elegante
acud-se Drovido de um lindissiao sortimen-
to de oabadinbos e ntremelos tapados e
transparentes, e de ricos e moderno* espar-
taos de 40 a 120 cada un.
Museu Elegante
recebe por todos os vaperee luris de pelli-
ca da primeira fabrica de Lisboa, assira como
encontrai as Exm.w familias ueste impor-
tante estabelecimento om gratule sortimf nto
de arligos para asamento, eomo sejam ri-
cas grinaldas, finissimas meias bcaacas de
seda, Hgas, luvas brancas, lequfc 8no8,
fnnja branca de seda, fazeoda aoperwr,
trancas, galSes, botoes, bicos de blond, fi-
tas de grosdenaples e de selim de n. 1
80, ditas de vellodo, bicos de crochet bran-
co e preto, verdadeiro bico valeucienne, ba-
leas para vestidos, cambraia fraaceza preta
e branca para forro.
de vender mais barate
atarte.
PnadipSo da Aurora.
C^ *air G. en liquidacao veudem por precos
?au baratos do qae em outra qoalquer parte,
tixxs de Ierro batido e coado, alambiques, moen-
mlaa moeudes, rodas a redetas, e rodis
dagoa para.yrsrtw, rivoe e boecas de fornalbi,
ida teuvtfjolo de /ogo (tro b. ick), cy-
..ndres para padaria tanto ingieres como america-
oe, arados lodos de Ierro, etc., etc.
*?
Cutilaria do Museu
Elegante
Navalhas muito finas, cebo de tartarnga,
marfim o bfalo, do affamado fabricante
Rodger, caivetes superfinos com cabo de
madreperola, tartaruga, marfim, tesooras
tinas para unbas, costara e cabello, talheres
para mesa e para doce, de diversos preces
e qnalidades, ditos mito finos com cabo de
marfim, superiores garfos de metal branco,
grande sortimento de eolheres para cha,
eTpa melal moi0 flD0 trinchantes com
cabo de marfim por barato preco.
ATTENCAO
No Museu Elegante
encontrarao ai pessoas faltas de vista nm
completo sortimento de ocalos de aro de
tartaruga, bfalo e aco> e tambem pencinez
de tartaruga, bfalo, ac
Aos cabellos brancos
MUSEU ELEGANTE
vende a mito acreditada tintura ingleza
(a qual mostraraou bom effeito poaco de-
P de applicadaj e o sublime liquido repa-
rador da cor dos cabellos (colorigenio Ri-
.gaod) tjue em menos de oito das d ads ca-
bellos a sua c4r e brilhe primitivo, e depois
oeste tempo s bastar asar de oito em oito
da para conservar o matiz adoptado.
Exposi$ao de lencos
MUSEU ELEGANTE
vende lenoo* brancos finoa a 10700, 20700
e j abanhado* a 30500 a duzia, e moito
fino* de esguiSo tambem abantados a 60500,
70, 90 e 120 a dazia.
ESTAO-SE ACABANDO.
Reducido de presos para acabar
As mantinhas Olindenses de 10500 a 10
cada cma, toalhas para mSos e para
ps a 40500 a duzia, ricos estojos para via-
gem com todos os acceasorios por barato
preco,
FLORES E ENFEITES PARA CARECA.
0 Museo Elegante recebeu ricas iual-
das de cores, e iindos enfeites e chapeos de
velludo para as Exms. senhoras, assim
como fitas lisas e escossezas mnito largas
para cinto.

X4R0PE
goclo, qae

>

su :.. .
?X2SSX^^^ a,.*,
n NO Mipj ELEGANTE
m. i_Kua Estrcita do Rosario N. K
DE
DE
RABO DE TAT'
Planta indegeiia
Especiadade dos pharmaceuticos Ferreira Mia & C.
A tosse convulsa a qae apresenta mais pertinacia naquelles que della sol-
frem efaz com que moitas vezes suecumbam os enfeimos, sem que maitos ouiros me-
dicameotos applicados consigam resultados favoraveis, sendo essa affeccSo tanto mait
grave quanto menor a idade dos accommettidos; e por islo novos preparados s5o
constantemente publicados por meio de pomposos annuncios sem que a sua applicacao
atteste o que delles se esperava.
Acaba de ser enrequecida a tberapeulica das diversas mclesiias do peito, desda
a pharyngite ou mal da garganta al a tuberculisa?3o pulmonar, com o XAROPE PE-
TORAL AMERICANO DE RABO DE TAT', qae temar o primeiro lugar entre todoi
os medicamentos at boje para tal fin conbecidos.
O XAROPE PEITORAL AMERICANO DE RABO DE TAT', garantido pora-
mente vegetal e s contera, em sua composiejio a parte medicamentosa da p'anta vulgar-
mente denominada RABO DE TAT', cuja propriedade benfica na cura das molestias,,
que pertencem aos orgos pulmonares foram por pessoas competentes observadas, du-
rante longo tercio e com oplimos resultados cada vez mais crecentes : pelo que nos
lolgamos autensados a compor este xarope que agora aposentarnos, e a offerecelo aos
mdicos e ao publico.
Poderiamos apresentar moitos attestados n3o s demedeos respr-itaveis, como
tambem do publico que tem feito uzo deste salutar xarope; porm dispensamos estas
formalidades para na cancarraos o publico, pois que o raelbor atteslado que se pode
apresentar em duvida a cura completa de milbares de pessoas.
Po friamos citar aqui pessoas que esta completamente restabelecidas das di-
versas molestias de peito de que este xarope poderoso medicamento, e tem curado
como sejam a athma, bronebites, defluxo, catarrho,tosse convulsa, rouquido, irritaco
do peito e garganta e phtbisica pulmonar etc., etc.
nico deposito em Pernambuco pharmaci-i americana de Ferreira Maia & C,
ra do Duque de Caxias n. 57, a(ntiga do Qaeimado.)
Cada fraseo custa 10000. Cuidado com as falsificacbes.


DO

CYSNE
GRANDE ARMAZEM

DS


.
U MA DA IflPERATRIZ K U
louca, muu, ms
E


98
FIGHREDO 8; LOPES.


CHRYSTAES
"
nos
_ >u a noT? leja "ch,-se completamente sortida de fa/endas de gosto de tedas a
qaaMadea, toato de seda como de ISa, linho elle algodo, e desejando seus proprie-
5^Jr'?,"l,,-8.n,es,nasJe8tl0 resolTWos a vende-las por precos t3o mdicos e
acoamodados ao mteresse de todos que por corto agradarao aos oretendentes.
*** ..^.pra5rT-arie8 de8tl loja C0D.vldam' Pr t301. s exc'ellentissimas familias,
aoa mscales e todos em geraL a visitapem soa supradita nova loja e se offerocem
a aar as mostrase mandar as fazendas scasas, prometiendo toda a commodidade nos
precos e sinceridade no trato.
Grosdenaples preto.
Ha om completo sortimento deste artigo
qo vendemos porpregos baratsimos.
Crosdeaaplea de re
Temos os asis lindos grosdenap'es de
coras de superior qoalidade, qae vendemos
por precos baratissimos, por termos feito
orna grande compra.
PoupeliMS de#res._
Recebemos um sortimento completo, tan-
to com flores como em xadrez, e vendemos
por menos tjto outro qoalquer.
ettas de ore*.
O Cysne recebeqL os mais lindos sens
de cores, tanto macao como de outras qua-
Bdades, qae vendemos por menos qae outro
qualqaer.
Alpacas.
Ha um bonito sortimento, tirito Javradas
como lisas e por precos commodos.
IUj osn llsira de seda.
O Cysne receben JSas com listras de seda
de lindos padrees, e preco commodo.
Bitas Usas de asna t cor a 400
* rs erado.
Ditas com xadrez padres muito modernos
qoe vendemos por 500 rs. o covado,
pechinefaa.
MadapolSes.
O Cysne wm um completo sortimento
de madapoRJeB de todos os precos e quali-
dades.
Temns urna qoattfade de madapolo ftcan-
cer que esprcralidade, tanto no preco
como na qoaliddade.
Camisas bordadas.
Temos camisas bordadas do raelbor gos-
to, proprias para casamento, qoe vendemos
wnto' na/alo.
DE
i
i
PFREIRA, f RM AOS
CaMlaaa francezaa e Inglezas.
Temos camisss desde o preco mais ba-
rato at ao mais caro, e nete artigo temos
ama qoalidade qae vendemos a 30WJO, e
para a qoal erramamos a altencSo dos nossos
regaezes.
Camisas de lanella de cor.
FJMnos ana comer de camisas de fla-
**_**<** qw wodemot por baratissimos
preess.
Ditas dei meia de leos es precos; temos
ana qoalidade muito soperior com listras
df m.qob vendemos barato.
Tiras tersadas,
0*9*+** tiras bordadas largas e es-
irains, stfsha oesje, aremeios "bordados,
Upados e transparentes, que vende por me-
aos qaii svtro qaafqeet.
Casemira de cores
Temos om bonito sortimento de casimi-
ras de cores e preas, que vendemos muito
barato, assim como um sortimento de pan-
~"s pretos.
Casimir^ de Vienna.
Ha casimiras de Vienna com xadrez, .gas-
ios bonitos e de superior qoalidade.
Tapetes.
Temos lindos tapetes para guaroic3o de
sala, desde os maiores at os menores, o
os precos sao baratissimos.
Cortinados
para cama e janelias.
Temos o melhor sortimento deste artigo,
tanto para cama como para janelias, os pre-
cos sao por menos qae em oatra parte.
Tambem temos cambraia para cortinados,
que vendemos por barato preco.
Fustes brancos.
Temos lindos fustes brancos com listri-
nhas, proprios para roupas de meninos e
mesmo de seaboras.
Cortes brancos de csea
Recebemos cortes brancos com listra bor-
dada, proprios para bailes, fazenda nova e
de bom gosto, baratissimo. o
Colzas brancas e de cores.
Temos colzas brancas, grandes e peque-
as, e tambem temos de coras de superior
qualidade e barato preco.
CHALES.
O Cysne tem um bonito sortimento do
chales de merino de cores e pretos, com
franjas de seda, o entre estas qualidades ha
nns qoe vendemos por 20500, e que seu
preco foi de 40100.
Espartilhos.
Ha espartilhos de todos os tamanhos e
das melbores qualidades.
Cambraias de cores.
Temos cambraias de cores proprias para
roopas de meninos e de sensor* de lindos
aaerbes e ptima qoalidade.
Meias para hmeos e senheras
O Cysne tem completo sorthaento de
ansias, Unto para borneas como para se
nboras, meninos e meninas. %
Fazendas para lote.
Temos fazendas para rato, de todas as
qoalidade*, como sejam: alpaca, ftao,
tMasssa, merino, cambraies, Mes pretas,
atente.
Cambraias brancas.
Ha um completo sertimento de organdys
,com listra assetiaada de Jindas gostos e mo-
|deroos.
Ra

Primeiro de margo 15, ontrora ra 4o Orespo n. 14.
Ao respeitavel peMco em geral e particolermente aos seos numerosos amigos
partlcipam Manoel Joaquim Pereira e Manoel Jos ea Costa Pereira, que acabara de
rondar nm rico e sumptooso armazem de loHca, porcelana, ridros chystaea roa
wruneiro de Marco, outi*ora ma do Crespo n. seb a razo social Pereira 6
a* A S? pratc? ? conhecimentos de que mspbem os anoonciantes nest ramo
! comme/c*' a **J" muit0 onos, se dedicam, os tem babiUdo a satisfazer as
necessiades da populacio desu provincia e soas limitropbes, oflrecendo aos consu-
midores maiores vanUgenseo me qoalquer entre esUbdecimentodeste genere.
O respeitavel poblioo, dignndose de viaUr 2> novo estabelecimento
merciat, vermeari por si mesmo o qoe os annnnciaates vem -de diaer.
com-
)fres de ferro
Prensas
de differentes tamangos.
ds
Chapas d
para copiar cartas.

ferro gavalnisadas para temeiros.
Tarhos *
MV/UWW de ferro paraassucar.
Arados
anMVf9 americanos para vanea e ladeira.
^MnaSi-Kr.*^^.
vaiTlIlIlOS de mi para saceos e atierros.
v enezianas iara Aeiua. *
rrrtltill\rf|it decimaes e ootras.
Enxofre
[[Estes artigos acbam-se a venda
casa dos importadores
Shaw, Hawkes dr C,
ra da Caes N. 4.
'
i
IiOJA
DO
GALLO VIGILANTE
Urna do Crespo n. *
Os proprietarios deste bem conhecido esttbel*
cimente, alm dos amitos objectos que tinham ex-
postos a apreciac5o do respeitavel publico, mau-
daram vir e acabam de receber pelo ultimo vapoi
da Europa um completo e variado sortimento d
flaas e mu delicadas especialidades, as qnaes es-
to resolvidos a vender, como de sea costumi
por presos muito baratinbos e commodos para
dos. cora tanto que o Gallo....
Muito snperiores luvas de pellica, pretas, braa
eas de mui lindas cores.
Mu boas e bonitas gollinhas e puchos para se-
nhora, oeste genero o que ha de mais moderno.
Superiores pentes de tartaruga para coques.
Lindos e riqusimos enfeites para cabecas da>
Exmas. senhoras.
Superiores trancas pretas e de cores com vidri-
Ihos e sem elles; esta fazeuda o que pode har
de memor e mais bonito.
Superiores e bonitos loques de madreperola
marfim, sndalo e osso, sendo aqnellei brancoi
com lindos desechos, e estes pretos.
Muito superiores meias fio de Escossia para se-
nhoras, as quaes sempre se venderam por 30CKX
ia duza, entretanto que nos as vendemos por 50*.
alm destas, temos tambem grande sortimento di
outras qualidades, entre as quaes algumas muitt
finas.
Boas bengalas de superior canna da India
casto de marftm com lindas e encantadoras ligo
ras do mesmo, neste genero o que de melhor w
pode desa}ar ; alm destas temos tambem grand<
Suantidad de ontras qualidades, como sejam, ma
eir, baleia, osso, borracha, etc. etc. etc.
Finos, bonitos e airosos enicotinhos de cadeia <
de ontras qualidades.
Lindas e superiores ligas de seda e borracha
para segurar as meias.
Boas meias de seda para senhora e para mem
as de 1 a 12 annos de idade.
Navalhas cabo de marfim e tartarnga para fua>
barba; sao muito boas, e de mais a mais sao ga
rantidas pelo fabricante, e nos por nessa ves tam
bem assegurames sua qualidade e delicadeza.
Lindas e bellas capellas para noiva.
Superiores agulhas para machina e para croxt
Linha muito boa de peso, frouxa, para encbw
labyiinlho.
Bons baralhos de cartas para voltarete, as;.in
como os testos para o mesmo fim.
Grande e vanado sortimento das melhores per
famarias dos melhores a mais conbecidos par
fumista*.
COLARES DE ROER.
Elctricos magnticos contra as convulsdas,
facilitam a dentieao das innocentes enancas. So
mos desde muito recebedores destes prodigioso
collares, a continuamos a recebe-los por todos o
vaporea, aflm da que nunca faltem no mercado
eomo j tem acontecido, assim pois poderao aquel
les que delles preeisarem, vir ao deposito do galle
vigilante, aonde sempre encontrarao destes verda
deiros collares, e os quaes attendendo-se ao fio
para que sao applicados, *sa venderao com um mu
Rival
dimjnato lacro'.
Rogama
tamos, pois, avista dos objectos que deixamoi
declarados, aos nossos fraguezes e amigos a virsn
omprar por procos muito razoaveis loja do gsJ.li
vigilante, roa do Crespo n. 7.
X&o k mala cabellos brancos.
Tintura japonea.
S e nica approvada pelas as academias de
ciencia, reconhecida superior a toda qne tem ap-
Darecido al hoje. Deposito principal ra da
^adeia do Recife n. 51, andar, em todas as bo-
ticas e casa de cabelleireiro.
Pos denfricos americanos
CeaaposleSo byglenlea.
Estes pos sao os nicos que reunem em sna
eonpoircao todas s qualidades bygiemcas pro-
prias a dar urna grande alvnra aos cenias, con-
antacia delles efertilcacio das gengiras.
DIPOSOO
Ha Boarmacia americana, roa Duqaa de Caxiss
a 7, da Ferreira Maia & C.
sem testindo
Rna Duque de Casias n. 4A
Jos de Azevedo Maia e Silva, em sua lo-
ja de nic(!e?as crntioua a vender trido
por baratos rrec/s quer todos admira :
Libras delinbade novello, a nitlhor
posuvel. 1(5500
Duzia de lencos de cas?a com barra. 10000
Caixas de bebas com SO ncveos a S00
Vara di franja branca para toalhas 160
Dozas de me as croas muito t?oas a 35LO
Duzias de meias finas para senho-
ras a soo
Duiias de facas e garfos cravadas a 5-JO00
Dazia de palitos seguranza a 120,
240, 320 e 500
Naalbas muito fins, para fazer a
barba a 1C00
Caixas com pennas de ac com to-
que a 320
Caixas com pennas de Perry fazen-
da fina a 800
Ditas da dita di'o verdadeiras a 12C0
Caixas com 20 cadernos papel au.i-
zade a 7(>0
Pecas de tiras bordadas 12 metros
cada urna 1^500
Pegas de fitas para cz c ni 10
varas a 500
Pecas de tranca lisa de todas as
cores a 40
Duzias de liuha frouxa para Lordar
a 400 e 500
Pares de sapa tos de tranca a 1800
Ditos de ditos de tapete muito
finos a ,280
Dwias de baralhos muito finos a
2i54O0 e 2800
Ditas de agu'has para machina a 2($0C0
Libra de pregos franceies a 240
Resmas de papel almaco superit r a 3600
Ditas de dito pautado o melhor a 4r>C00
Caixas cem sabonetes fructa a 720 e 1 5000
Libra de 15a para bo dados a 7|5C00
Carrteis de linba Aexandre a 100
Grvalas de cores mnito fios a 500
Ditas pretas pontas bordadas a 600
Grosas de botoes de madrvperola
para camisa a 500
No vellos de linba branca, 400 jardas 60
Duzia de can oes de linba branca e
preta e de cores a 120
Thesouras muito finas para ochas
e costura a 500
Baralhos fraocezes muito fino* a ,
200 e 240
Caixas redondas para botar rap a 1(5200
Bob-ante-rheumatico.
Remedio efflcacissime contra as doras rheuma
ticas at hoja o mais conhecido pelos seus mara-
villosos resultados.
XAROPE DE AGRIAO. um dos medicamen-
tos que sua eficacia as enfermidades, tosse i
sangue pela bocea, bronebites, dores e fraqneza
no peito, escrobuto e molestias de ligado, que me-
lhor tem aprovado.
TINTURA DE MARAPAMA. A celebre rail
de marapnama, euja energa e eficacia as para-
lysias, intorpecimenlo, etc. etc. muito se recom-
menda.
Todos asses preparados sa encontrara na phar-
macis e drogara da Bartholomeu & C, nico de-
posito na rna larga do Rosario n. 34.
CONQUISTA
Ba do Cabug il 6
Antonio Francia m Santas 4 C.

completo sortimento de ob-
Bus da Imperatriz n. 64.
Mudas ootras faieadii temos qae pederiamos eaouncar, mas por te tornar
nfadoobo aa r^peitael pablico deiiamos d o fazer. Podemos farartlr qne os nossos
precos farto fferencas de outra qoalquer cas, po estamos resolvidos a vender pelo
gflWfcJgrttP adjnjiejro, w
Este novo estabelecimento acaba e reeeber
jectos de gosto e wasiraacute noSoe, a saber
Ponpelinas e seta, mu liMfce i*e~r rorUetym eatWra e lff.
SuhM, a.'..j. a Wsrflrrla e-setja para cama.
Nobresa de seda de cores e pretj. Casaqufebos de coreuAp WtXo.
Cortes de osaibraia bordados. RiasVSvaes p^Sffi
^ Grande sotbmenio de l3as e alpaca, ee* Clj^^ec^ pTraTnboras.
Cortinado. itaeMfa**, ?lra ^** *t: .
Lesees de *abs, camisas lisa, a
ma.
Granad
Saias e
Tapetes
jecto em qu
1 da morada.
ennora.
4sftpen
Bramante de linho e atoajbado,
WlCes bm as ffeseJaaas amniniaa.
nqjntU prenam-se a Ir oa ttlnflar com nualquer ob-
a sso Ibes mandem anicamenle o sume ii rna e numen)
SUSTENTO RESTAURATIVO DA SAUDE
' PELA FARINHA
A Revalesciere u Barry
rta arinha que to grande usa tem na Euro-
P*> inojj recommeada para as criancas e pes-
** oanvsJaseentes. Como medicamento,
e in fall ve I para os casos : prisao de veotre, be-
morrhoida, ms digestde?, azia, amargos de boe-
cajdores da estomago, disrrba, enxaqnecas, af-
fsosMs da Ufado, dos potmoes, dos rtns, da bexi-
rSte, ase., conteodo muito m%is principios nu-
mtas e restauradores para os msculos, ervos
e celebro, que, tres Vezes o sea peso em carne e
por consequencia, de conservar melhor as Jorcas
pISOMS a maraes, restabelecendo as fnnecCes di-
gesawas estragadas, dar ppite, e convlr aos
estmagos atada dos mais enrraquecidos.
Sen uso flo simples como fcil: s Rnak$-
curtau Barry deve ser desfetta e cosida como a
fcaaia rrltniru, poetado ser osada na agua slm-
P5S9flflBatjnaa branca, ao eaMo sem gordura a
no Don hite, fkrendo-se anda bolos com maoteica,
leite ou assucar, etc., ate.
nicos depositarios em Peraambaco
BARTHOLOMEU C.
34-Roa larga do Rosarto34t
Vende-se as segaintes obras :
Diccionario francez-portuguex e vice-versa.
tomos eucadernados por 54000.
ia0O0TreS L8grimas* u>m encadernado por
Solfejos de Rodolpho ene adema do por SI
lw16* l,,tal*d' Lncreci Bcuia em broxnra
dem do celebra autor Bertinl dem i.
Um livro em bnanco para copiar msica 6
Agencia em Ternambuco
Do Dr. Ayer
Petoral de Cereja
Gura a phthysiea e (odas as naiestias do paito.
Salsa parrafea
^ sJcasas acsagas aatjpa, hapigaas a dar-
Conserva e
Talos)
aoa caballos.
m
*g>* iys*s a paVMaasn lada a s^ema humano.
rJr,T S**namta*m d SaaawlP.
Johnston & C. roa da SensUa ova n. 41
PARA
IMMdei, ewn %mto variedad* de efires, al
HOti. o con*)
fi yJ^S** **r9 "Mr*flr de Craspo)
s., loo a Caiamaa, de Antonio Qoirala
I? rop43 peitoral ale Jame*
Unieo issaaosata habliisda peto aoasalhs'da
aa^ode, aBMiado a aprovado aos hospSsas : aniso
**> aa.pharniaela snaMesna da Parrors
Maia a o, na BasaaO Cuassa. ir, (atfga
do ootaMda,
Couro de eserro
Multo aovo a uWpsnte enegado venda-ss
os asa das.f. JsasM 4C.: roa da Senajs
.em ^^


Diario de Pernauubuco Terqt eira 9 de Maio de 1871

urmATiiRA
Elemento servil.
Vai abrr-se a assembli geral dos re*
presentantes da naci.
Este fado, que desperli sempre grande
interesse nos paizes regidos pelo sysl-ma
constitucional representativo, assume agora
mxima importancia* Graves q estes, re-
centemento aventadas ni tribuna parlamen-
tar e na imorensa, despretaram'o espirto
publico e deram origora s mais serias ap
prehensoas.
Conservimoaos ordinariamente afast i^os
do terreno 3glt:ido onde se gfed am os pi-
tidos polticos; mas esto afastamento nao
significa censnravel indifferenca.
Intimamente associados ao desenvolv -
ment e prosnerilade do Brasil, nlo con
sultarianos nossos proprios ioteressas, se
descorassemos os da nic2o a que nos or-
gulhamos de pertencer. Em beneficio doc-
tas intjre-s-!s cmpregamos conslantemeate
os recnrsos de qae dispomos e pelo rao to
qae mais conveniente 'julgamos; e quando
nos parece enejada a orcasio opportana,
nao hesitamos em manifestar francamn'e
o nosso pensaraento, salis'azendo assim a
noaea conciencia e os deveras que nos
impoe a psito de jornalisla.
Acreditamos que se aprsenla agora oc-
casio de cumprirmo3 "m desses deveros.
Preoccup iodo os espiritos a magna
questao do el^m ralo servil. Ni sesslo do
anno foi ella agitada to seio da caara
temporaria; nomeon-se urna coramisslo es-
pecial incumbida de estndar to grave as-
sumpto, e, apnsontad > o parecer des commisso, fructo di aturado trabalho e
que faz li >nra aos seas autores, abri se
larga diseussao. nterronipido pela con-
c'uslo da sesslo, o dhale ser necessnra-
menle continnido agora. A HlnstraQo -a
o patriotismo da cmara temporaria slo as
melhor-as garantas de que a discusslo ser
mantida na altura que o assumpto exige e
que a soluclo sera conforme aos verdade-
ros intoresses do paz. Esta convic.Tii,
que nntrimos, nao nos dispensa entretanlo
da obrigicSo de eraittir o nosso juizo ; to-
dos os elementos, que oossam concorrer
para elucidar materia de tanta magnilude e
alcance, devem ser aproveitados. As cons-
tantes relares, qu, por intermedio d>s
nossos correspondentes, maulemos com to-
das as provincias do imp^rb, e a impar-
cialidad* com qae acolhemos as manifesla-
coes de todas as opioies, hbil tam nos at
ceno ponto a encarar a questlo com espi-
rito calmo, desprendido de preoccopi-
C A qaestlo do e'emento servil, com) nlo
ha mnito di sernos em outra seceo desta
folha, est definitivamente julga da ; a eman-
ciparlo nao carece entre nos de am Wil-
berforce; a substituidlo do trabalho escra-
vo oelo trabadlo livre, esla importante so-
luto acstnselbada pela roligilo, pelos prin
cipios de humanidad^ e por consi leraces
p'jtics e econmicas, que sao obvias, ba
de reaizar-se necessariamente em prazo
curto r.o Brasil.
Mas esta questo offerece duas faces, a
theorica e a pratica, o principio e o fado.
Nlo ha neste imperio quem sustente o
principio da escravido; e a generosidade
congena do carcter brasileiro felizmeate
acompaada par quantos, filhos de outras
ierras, habitara entre nos, deu ba rauito
tempo c-mo resolv:a a questlo theorica.
O fado porm, existe, e nao solado,. nao
desamparado de razoes. nlo finalmente co
mo urna encpelo, como um abuso, mas,
pelo contrario, como urna instituclo ampa-
rada iel sua antiguilade e pela legislai.no
e defeudidi pelos mais respeitaveis interes-
ses, que consttuem a base em que assen
ta a sociedade brasileira
Em firesenca deste fado a gerago ac-
tual pode erguer altiva a cabeca e declinar
a rt'sponsabilidade do passado ; mas nlo
tem o direito de, levada por irrelleclido
desejo de gloria, por pueril enthusiasmo,
compr.'metter o futuro de um paiz diante
do qisal se abrem os mais vastos e brilhai-
tes borisontes. Nao se derriba impune-
mente a arvore secular que profundou ra-
zes na trra; no lugar do trono violenta-
ra -nte arrancado abrir se-hia, talvez, mn
sbysmo, tuja extenso alo se pode previa-
FOLHETIM
OFILHO DO CALCETA
POR
FIERRE ZACCOXE
SMMHHIltt PIRTI
VIH
O baile de mascaras.
(Continaaclo do n. lOi.)
Urnas gargalhadas sonoras que o guia-
ram naquolla escuridlo ; bateu afinal a urna
porta, d'onde vinbam pelas gretas ons de-
bis raios de luz.
Quem est ah ? gritn urna voz ale-
gre e fresquinha.
Son eu, Caetano.
Pode entrar, volveu a raesma voz.'
Caetano ?brio a porta ; vio no mcio da
casa udij mulher, diante da cadeira onde
puzera o espelho, acabando de vestir um
falo de manijo escossez.
Lelo va aqaillo tudo assentado n'um
caminho.
O espectculo havia de ser encantador,
mas Caetano foi tarde. J liaba cahido o
panno...
Meu charo senbor, de ama exacti-
do a toda a prova, disse Hortense embro-
mando-se dramticamente n'um chale, para
esconder mais a gordura das formas.
Talvez o flzesse esperar, redarguio
Caetano aportando a mo do amigo.
- Qoal historia I toroou Hortense. Olhe,
assente-se all ao p de Lelo, vire para c
as costas, e d'aqui a tres minutos eston
prompta. Chacha I O senhor trat ah um
charuto que sempre cheira muito bem ?
Pois nlo de contrabando...
D,)a o caco por um cheirinho as-
sim. .. guando c voltar, nlo se esquecada
trazor oulro charato como esse...
E a rapariga continuon a vestir-se a toda
a pressa.
Hortense era bonita, galanlinba, gorda e
frescalbona : mocinha de trui, como l ae
diz; a sade rija, e a graca limitada, davam-
mente soasar, e o solo tajolvido em largo
espaco lo olTtfreceria^|iRa longo tempo
depois, apjio solidas cjostrucces.
As-im, pois, ae temos-de um lado a
qnestlo theorici, que nlo deve preocco-
par-nos, d > outro surgem, rodeadas de mil
diiculdades, as questjs do opp rtnuida-
do, dd conveniencia, dos meios praticos.
An(e3 destocar netes pontos, seja-nos
por.nittido razer algumas breves conside-
rares. Hi certas verdades geralmeole
sabidas, mas que nada perdera com ser re-
petidas, pirque ha muito quem, por sua
mesma vulgaridade, as esquece.
A agricultura a industria quasi exclu
.-.iva do Brasil e o ser por lougo tempo
lindf; a uberdadi do nosso slo recom-
pensa com tinta promptillo o esforco do
homem, que elle ni) procurar lio cedo
outros recursos. E' a grande lavoara que
alimenti o nosso commercio; slo os seus
productos que vio bu car a importaglo es-
trangeira, e por si e por esta cream a qaa
si lotalidade da renda publica, que su .len-
ta o Estado e mantem a prosperidade e a
ordera ni interior do paiz e seu crdito no
exterior. Nella se encontra a vid da na-
ci. C>mo no coipj humano se irradiara
do centro propulsar as arterias e as veias
que levam a todo O organismo a vi la e o
movimento, assim do nosso corpo s cial
parlero da lavoura as diversas e multiplica-
das ramificaos que penetram em todas as
classes e manlem a vida social
Se ferirraos o coraclo do homem, deter-
minaremos a raorte; se ataormos a agri-
culiura no Brasil prepararemos o rpido
aniqoilameoto do Imperio.
Referime-nos nestas rpidas observafSas
grande lavoura, ao cultivo dos gneros
qae consttuem a nossa valiosa exportaclo.
A pequea cultura, com magua o reconha-
ceraos, est qua^i lotilnianta abandonada,
e do exterior recebemos diariamente pro-
ductos inJispensaveis amentaeSo e que
deveriamos obter abunlantemeote dos nos-
sos feriis campos.
O instrumento quasi exclusivo di nossa
lavoura o braco africano. E' a rude e
pesada euxada que rasga o seio da trra e
prepara o leito para a sement do esf e do
algodl) e para a canna de assocar. Ac-
Iheita, do mesmo modo, feita geralmente
pelo mais primitivo e simples systema. O
em prego do arado e de outros instrumen-
tos que subitituem o braco do trabalhador
e dupiicaiu o tempo, vai -en lo adoptado,
cario, progiessva, mas lentamente.
A propriedade rural acba-se concentrada;
as nossos grandes eslabaleoimentos agrico-
los abrangem dezenas e dszenas da leguaa.
Parecen s que nlo exageramos e que
esta, em grosseiros e largos traeos esboza
da a situacla da nossa lavoura, da nossa
primeira o quis exclusiva indostria, larga
basa em que assenla o edificio social.
A abolilo da escravido a substitu
Co desta base.
E' iodeclioava!, palpitante, a necessidade
de effectuar-se esta substituidlo. At este
ponto acreditamos que nlo ha no paiz di-
vergencia seria: todos quanto reflecten
sobre a nossa actual situaclo reconhecem
que a emancipadlo umi medida iadispen-
savel, mas ao mesmo tempo pensara, todos
que ella nao deve ser levada a effeito senlo
lenta e cuidadosamente sob pena de pro-
mover-se o esboroamento do edificio social.
Descendo, porm, ao terreno praticoap-
parecem as divergencias ; cada qual apre-
senta um plan > completo, urna soluclo que
sempre a melhor.
Nlo podemos ao limitado espaco deste
artigo analysir minuciosamente os nume-
rosos projedos que tem sido apresentados,
nem foi nossa inlenclo, quando resolvemos
tracar estas lin'ias, discutir a questlo dp
elemento servil em seus multiplicados de-
talbes. Ha, ent etanto, duas ideas apta^s,
oa antes, duas ordeus de medidas que nlo
podemos deixar de tomar em consideraclo.
Diz-se de um lado que para a soluclo da
questlo iodhpensavd a acolo eficaz, di-
recta e mmediata dos altos poderes do Es-
tado ; que das cmaras legislativas e do go-
verno deve partir o brado da einancioaco;
que a grande idea nao vingar se nlo for
proclamada com todo o apparato official;
finalmente, que s aproveitarlo medidas
directas e officiaes.
Pensa-se de outro lado que iniciativa
individual deve ser deixada a resoluclo
lenta do problema; qae s tta gc#4a
torca, obrando iacetaaoteaMoie, |M realizar tranquiilamenta a grande empraza;
que tratando-ae de diraHos edividttM, adversarios irreconciliaveis da emancipaclo.
Cunopre aqoi protestar contra um precort-
ceito garalmaoietipalrjado. Corre com f
roa de axioma iioe os nossos lavradores slo
Ihe a alegra d'uma avez'raha de primavera.
O lypo era de cerlo vulgar, mas ao tempo
anda ingenuo, e muito preferivel aos i'ago-
ra, cada vez mais avariados.
Quando aesbou de se preparar, voltou-se
para Caetano, e fez urna mesura estudad.
Palavrinha, disse depols ella com a
petulancia do costume, j vejo que Lelo nlo
foi lsongeiro a seu respeito.
Entio porque? nterrompenCaetano.
Porque me fallou n'um rapaz bo-
nito. ..
Hortense I interrompeu o guafda-li-
vros j impaciente.
O patrio chamon ? redarguio a rapa-
riga pespegando-se a rir diante delle, ecom
os modos zorabeteiros qae caraderisam os
galuoos das officinas.
Nlo v ? proseguio ella. Isto sempre
muito ciumento! Mais ciumenlo qae um
tigre de Bengala. s vezes nlo calha mal,
mas quasi sempre enfada.
Entendo perfeitamenle os ciumee do
amigo Lelo, volveu 'Caetano, possuindo
como posse um thesouro desses.
Isso, isso, elle tambera, me gabou as
suas galanteras. Oraadensl estamos aqu
a dizer patticos, e eu com os ps a pula-
rem de contentes... Toca pr'o baile, que
j meta noite I
Vamos l I approvou Lelo.
Tenho all porta um trem, ponde-
rou Caetano, e n'um qaarto de hora estamos
no baile.
Hortense bateo as palmas.
Poacas vezes abiscoitava ir de trem, e
fnou desde logo estimando o provinciano
por causa de to attenciosa lembranca.
Desceram todos.
-- Mas agora me lembra, disse Hortense
qaando ia correado pela escada abaixo, nlo
trouxe o medico ? I...
Jorge?
Engraco com aquello rapaz
Efectivamente, pessoa muito si-
zuda.
Hortense observou, fallando quasi com
seriedade :
Sizudo at de mais, pareceu-me de.
bons sentimenlo, obsequioso e muito cala-
do... s vendo qae se acredita. Olhe,
o mez passado, qaando Uve o mea ataque
de enxiqueca, tratoa-me elle como se fftra
sua fllha.
individuo i e melbor jjaj 4a oeportuoi
dade e conveniencia de qaaqier medita.
Como todos os systemas, pecoasa este
palo sea completo exclasivismo. Rara-
mente sao verdadeiras as proposifSes ab-
solutas. Era nossa opiniio, s a acelo dos
poderes do Estado combinada coa! a ini-
cia ti?a individual poder resolver a grave
questlo do elemento servil.
O paiz inteiro tem o olhos filos as c-
maras e no governo; aneiedade extrem
opprime a duas classes qae, infelizmente,
divilem anda a nossa sociedad -i ; indis
pensavel que neste memento se faca oovir
a voz dos altos poderes do Estado tomando
o solemne compromiso de praticar am
acto de justiea ha longo tempo reclamado,
mas ao mesmo tempo tranquillisando inte-
resses respedaveis, garantindo direitos que
nlo podem ser impunemente ofTendidos.
E' cerlo que medida legislativas sobre
tao grave assumpto nlo podem ser lanadas
areamente. Faltam os primeiros elera ratos
para qoalqaer deliberadlo ; nao temos se
quer um recenseamento official, digno de
f, da populaclo escrava no Brasil; nlo
conbecemos os resultados praticos da ap
plicaco das machinas e methodos moder-
nos nos trabalhos da lavoura; nlo sabemos
como e em que limites esses apparelhos e
methodos de cultura eeoaomisam os bra-
cos ; carecemos absolutamente dos estudos
preparatorios ialispensaveis para umi re-
soluclo definitiva.
Entra os me os directos geralmente apon-
lados distinguem-se : 1% a Ikaco da am
prazo fin Jo o qual nlo haver mais escra-
vo. no Brasil; 2a, a libertaclo do ventre.
Nenbuma base segura existe para a de-
terminar o do prazo, e por isto vemos al-
guns impacientes limita-lo a 10oa 15 anoos
e outros estenderem-o a 40 e 50, senlo to
arbitrarios estes como aquellos. Nlo se
improvisara systemas de trabalho, nem se
perdem de um dia para outro hbitos inve-
terados ; para isto slo precisas experiencias
repetidas e demoradas, resultados eviden
tes, palpaveis, esludo dos fados e finalmen-
te a acelo lenta do tempo. A emigrlo
europea, anda quando se coasga estabele-
cer urna crrente, que al boje tem desa-
fiado todos os esforces, nao vir substituir
na aossa lavoura o braco africano. Neste
ocano de incertezas, qaes. i da maior
difficuldade a determinaclo de um prazo
qualqaer.
A liberdade do ventre idea qu rene
numerosos apologistas, e i primeira vista
seduz; mas encontra tambera decididos ad-
versarios armados de vigorosqs argumentos
que r por deoiais longo a jai reproduzir;
basta considerar qae a existencia simult >nea
de pas escravos e filhos livres, nao corno
accidente, mas como fado permanente, im-
porta olan-a s leis da na ture a qae qe-
rem que opai seja o protector e o amparo
do dbil infante.
O apparato official de que se roleasse
qaalquer deslaa medidas, dizem elles, s
servara para despertar illnsorias esperancas
em ama ciasse balda de illustraflo, para
tornar mais dora a condiclo de escravo,
para iacita-lo a esquecer, no aoceio pala li-
berdade, que se lhe aligerara prxima, o
respeito e subordinago aos seas iramedia-
tos superiores.
O fado que qaalquer que seja a face
por que se eacarem as medida, directas of-
ficiaes, sempre ellas appareced! rodeadas
da dilliculdades e perigos.
Considerando agora a iniciativa individual
isoladamente, diremos qae s podem des-
crer de seus maravilhosos resultados os que
a encontrara inerte, qaando se agitam pe-
quenas quest5es de po.ilica vaga e indafini
da ; mas duvdar delta em presenca desta
generoso movimento que abala o paiz de um
a outro extremo; em presenca desta aneie-
dade que se manifesta em todas as classes
da nossa sociedade, dassas manura ssSes
constantes, repetidas, diarias, em todas as
provincias do imperio, dessas associacoes
emancipadoras que se organisam urna aps
outras e rivalisam em esforcA; duvidar da
iniciativa individual na questlo da emanci-
paclo, entre nos, duvidar da evidencia,
da luz que nos fere os olhos e do ar que
resjiramos.
Cbegaram ra.
A carruagem estava esperando i porta,
subiram, e vinte minutos depois entravam
no baile de mascaras do tbeatro da opera.
Era a estra de Caetano.
Calculein que idea feria elle laucando a
vista pelo extravagante burbarioho.
Primeiro ficou embasbacado.
Nunca tinba visto ama gente assim to
exquisita, urna dansa to desenfreada, urna
alegra to doida, a denanciarem taata em-
briaguez e tanta vertigem.
Caetano ficou tentado, mal dea amia da-
zia de pasaos na sala. J nlo era senhor
de si, perlera ao baile. 3a'
Dexou-se ir.atraz do choro, e sedea ao
nvenciveVdesejo de se misturar cpm todas
aquellas mu lhe res semi-nuas, aqdelles ho
mens desorienta Jos, e tornou-se aile pro-
prio urna onda em tio revolto mar... De
tndo se esqueceu, at do amigo Lelo, para
quaaa o cuidar em Hortense j nao era pe-
quea tarefa t Per deu se delle.
Embrenbou-se por entre doos galopes,
cruzando a vista com mil olhadellas provo-
cadoras e lascivas, fingindo-se estouvado, e
dando lustre nova aos varaos gracejos do
entrado.
L Assim foi chegando quasi ae p da or-
chestra, escotovellado por um, eacotovellan-
do ootros.
No centro d'om grupo, d'onde sabiam de
vez em quando estrondosas gargalhadas, es-
tava um marollo muito alto, vagido de
mgico, discursando e gesticulando coa
chocarreira seriedade, dizendo a baenadi-
cha, e referndo s benvolas mocinhas qae
lhe estndiam a mo, tudo quanto no seo
passado lhe parecia menos edificante.
Eslava Caetano observando aqaillo, qaan-
do veio para ao p delle ama seohera alta,
cujas formas elegantes estavam mal disfar-
cadas por baixo de domin.. "
Na cara Irazia apenas meia mateara, e
nada havia mais suavemente encantador do
que as faces rosadas e a pequenina bocea
apparecendo por baixo do velludo prole.
O provinciano seotio-a chegar o
tou-se,
E assim como pelo baila se tinha esqoe-
cido de Lelo e de Hortense, assim se es-
qoeceu do.baile por aquella mulher.
. A mascara tinha-se agradado cortamente
de Caetano, porqae acceitoa con sonriso
E' gratuita boje a supposicao; maraor e
mais depressa do que o habitante das cida-
des, o fzen leiro reconheceu os inconvenien-
tes da escravdlo : o escravo para elle
ora onus, causa de atrasos e fonlede peri-
gos. Qaando na constancia do trafico ira-
mor>l barateavam, pala abundancia, esses
mseros instrumentos de trabalho, o fazen-
deiro, arrastado palo interesse, esqueca a
origem impura dos grandas lucros que an-
fe-ia. Naquelles mesraos lempos, compre
dize-lo sempre, a coQdiclo do e-cravo no
Brasil era de muit) preferivel das classes
proletarias na maior parle das nagoes da
Europa. Agora, porm, actan lo causas
oppostas que las, produz-se o resultado
contrario ; o que o fazen leiro deseja boje
mais sinceramente libertarse do escravo.
O que elle nlo quer suicidar-se ; o que
elle nlo pode cavar sua propria ruina,
desbaratar a heranca de seos pais, o fructo
de longos annos de esforco, o patrimonio
de seus filhos ; e que elle nao compreben-
de qne se Ibe exija a destruiclo do ins-
trumento de frabaluo, sera que ao menos s
Ibe indique o meo de substituido. Falle-
mos, porm, na tranformado lema e gra-
dual do systema at boje seguido, e o fa-
zendeiro ser o cooperador mais rdante
para a realisaclo de to elevado pensaraen
to : o proprio inleresse o gu;ar.
A iniciativa individual, encelada nis gran-
des ciiades, ir, a pouco e pouco, alargan-
do sua esphera de acelo, e iovalir os dis-
tridos agrcolas; o lavrador dar ao escravo
maior parle (maior, porque j boje d al-
guma) nos produ;'os de seu traoalln; gra-
dualmente, sera, apparato, e elevar con-
dicl) de servo, e iualaieate de colono,
de trabalhador livre.
Nlo davemos, porm, esquecer que a
iniciativa individual, solada, sem forte ira-
pulso que a mantenhi era constante activi
dade, tender a afrouxar; que a resistencia
de alguns inleresses men. s esclarecidos pro-
duzir em alguns pontos o desanimo, e igual-
mente que a precipitacao, o enlhusiasmo da
propaganda, podem ser causa de serios
conflictos e lamenta veis catastrop es
Do que deixamos dito se concilio que a
ac;lo solada, quer dos poderes do Estado,
quer do individuo, nlo resolver o proble-
ma da emancipaclo, e, portante, que pre-
ciso combinar estes dous elementos.
Os meios directos oi'ticiciaes slo, como
dissemos, de perigosas consequencias: mas
reconbecemos que ba medidas que podem
atlenuar taes inconvenientes. A fixaco de
um praso, boje quasi impossivel, tornar-se
ha fcil, logo que dispuzermos dos esclare-
cimeotos Indispensaveis, mas que podem
ser obtidos em tempo relativamente curto ;
a libertaclo do ventre. do mismo modo,
pJe ser acompanhada da garanta da pre-
mios ou indemnisacas aos fazendeiros pela
perda do trabalho da suas escravas durante
algum tempo dado aos cudalos malernaes.
Vamos aindamis longe eacreditamoi qne,
iniciado am ceito syuema de medidas in
directas, dentro d i alguns annos, estando
muito reduzido o nuraaro das escravos, se
poder decretar a emancipaclo geral e im-
madiata. ,
A nossa iatenclo, escrevendo estas liabas,
resome-se assim : Dizer aos nossos con -
dadlos que tempo de sabirmos da apathia
em qaa temos vivido, afim di que nlo seja-
mos sorprendidos por urna exploslo; pedir
toda a prudencia na decretaci de qualquer
medida legislativa ; indicar a accao comraam
dos poderes do Estalo e dos particulares
como o maio pratico mais proficuo ; acn-
selbar a prompta a i i, ; i > de medidas in-
directas.
O que mais sentiramos fra ver as cama
ras e o governo cruzarem os bracos, e as-
sistirem, como espectadores impassiveis s
angustias da lavoura que estremece incerta
do futuro que a espera.
Pedimos, pois, qaando menos, a applica-
cao constante de medidas indirectas que
animara, desenvolvam, fecundem e facilitem
a accio iadividual.
Anda assim nlo peqaena nem fcil a
misslo que incumbe aos poderes do Estado.
A emigraclo europea nlo resolver o
problema da emaneip co, mas dar-lbe-ba o
raais vigoroso impulso ; e sobre este as-
convidattvo o elogio espontaneo qne elle lhe
lancera com. a vista.
Est foznha neste baile, miaba se-
nhora? pargontou Caetano, raeio animado
pelo tal sorrir.
Quasi que assim volveu a mascara.
Dgnar-se-ua V. Exc. de acceitar o
meu braco?
Nlo vejo nisso o menor inconve-
niente.
A mascara enou o braco pelo de Caetano,
e alastaram-se mais da turba-multa.
Aonde vamos ? perguntou o domin,
qaando cbegaram aos corredores.
Aonde quizer, lornou o moco.
Tem algum camarote ?
, Caetano metteu meia libra na mo de am
porteiro que ia passando, e pouco depois
entravam n'um gabinete retirado, escondido
e arredado do barulbo como sitio de reco-
Ibimento e de paz.
A mascara tem singular prestigio.
J Caetano sabia que era muito nova a
sua desconhecida; tudo Ufo estava revelan-
do, a belleza dos hombros, a frescura dos
labios, a alvura luzidia dos denles; igoo-
rava, porm, ae seria bonita ; davidava
dso a cada instante, mas nem mesmo as-
sim se desfazia o encanto ; e depois -de fe-
chados, aperiou a ralo della entre as suas,
verdaderamente impressionado.
"Borne saber-se qae aos bailes de masca-
ras s vio algumas virgindades mais doidas
ou certas damas em cata de aventuras:a
mocidade presampeosa requer sempre d,o
acaso urna pepuena excepcio.
E agora, disse C ttano, agora que
estamos szinhos, nlo conserve por mais
tempo easa eodemoninhada mascara, que
me occulta a sua formosura.
Quem lhe disse que sou formosa, re-
darguio o domin.
adoravel ludo o qae em ti estou
vendo.
Seu lsongeiro
Aposto qaa siada assim nlo o fui
tanto .como devia. -
Bem m'o disseram a mim : o senbor
veio ba pouco da provincia.
Caetano reca0o,4jpajiUdo, e b(adoa sem
comprehander nada i
Entio faaiam-te de mim ? I
Est claro qae fallarm.
Mas quem ?
sumpto pensamos que a ioterveoclo official
direda ulo produzir bons resultsdos, cum-
priado smente auxiliar os esforcos do in-
teresse particular.
A introdcelo de colonos como meo tran-
sitorio, e a catechese como auxiliar, devem
merecer seria atiendo.
A abertura do maior num ;ro possivel de
vas de coraraunicaclo, embora com tempo-
rarios sacrificios dos cofres pblicos; faci-
lidades pa a a organisaclo de bracos agri
colas que fornecam lavoura capitaes a
juro Lauro e com demorada amortizaclo ;
a iiiilil^iicao do ensino profissiiraal agrcola
que instrua os nossos lavradores nos meios
da duplicar o valor das trras pelo amanho
intelligente, e de substituir pelos apparelhos
aperfeicoados os bracos que forera esca-
seando ; a atiopclo de medidas qae cerquem
de garantas reaes a propr.edada territorial,
e numerosas outros recursos offerecem lar-
go campo activilade e patriotismo das ci
maras e do governo.
O cofre das gracas nunca se abrira com
mais justificada razio do que quanlo se
bojvesse de galarljar a \- les que se tor-
aassera notaveis por actos di bumanidade
e p dlaniropia, pela concesslo da liberdade
seus escravos, por servcos em prol da
emancipaclo.
A ciasse, que se deseja beneficiar, tem
igualmente direito a uoia serie de medidas
preparatorias, para que se torne auxiliar e
nao inimiga que corrrenha raais tarde com-
bater.-* A passagem sbita das trevas para
a luz intensa produz deslurabramentos pe
rigosos
A experiencia das nacoes, que se acharara
em circumstancia3 anlogas aquellas em qua
ora n s vemos, mosira qaaes destas medi-
das podem sern inconveniente ser adopta-
das, e at que ponto deve ser levada a sus
execuclo no interior dos estabelecimentos
agiicolas.
Talvez estejamos em erro, mas pensamos
qae a iniciativa individual, efficazmenle au-
xiliada pela accao prudente e lenta dos po-
deres do Estado, realisaris em curto espaco
mais curto do que geralmente se augura, o
grande desidertum da naco e do scalo
em que vivemos.
A-.aun, geracao adaal cabana a gloria
de ler iniciado o generoso movimento da
emancipaclo, e de levar a effeito sem abalo
do paiz sem quebra de sua prosperidade,
sem estremecimento da ordera publica, esta
grande revoluclo social, a extiuccao do ele-
mento servil.
.4 iustruceao publica nos Esta-
dos-Unidos.
(Continuado)
Em urna segunda convenci, que teve
flugar em 1852 em Springfield, foi redigida
urna memoria ni qual se dizia : < Que se
aria um appello ao congresso, para ser
concedida a cada um dos Estados da Uniao
certa quantidade de trras nacionaes para
estabalecimento de univareidades, qae
deera educarlo liberal s classes applicadas
ao commercio e industria.
A este voto, expresso pela mais enrgica
e instante maneira em outras reuuioes
que se verificaram successivamente, sobre
ludo em Chicago, correspondeu o congresso
com o acto memoravel, que em 1862 con-
'ceden vastas porces do territorio nacional
a todos os Eslatlos em que se estabele-
cessem escolas de agriculturas e artes
mechanicas.
A cidade de Chicago possue, com o no-
rae de universidade industrial, um com-
plexo de estabelecimentos sc.entificos que,
tanto pela extenso de recursos materiaes
deqnedispoa, como pela organisaclo dos
estudos, nlo inferior escola alguma su
perior dos Estados-Unidos. Esta universidade
se compoe das seis segainles seccas :
Io Agricultura, abrangendo cursos para
o ensino da agricultura propriamenle dita,
para a horticultura e arboricullura.
2 Escola polylechnica : curso de scien-
cias e arles mechanicas, engenharia civil,
minas, metallurgia, architectura e belias-
arles.
3Escola m'litar, engenhar a e tctica mi-
litares.
4o Chimica e sciencias naturaes.
Escola commercial.
O* Escola de sciencias e letras : mathe-
maiicas, historia natural, chimica, ate. ira-
gaa e litteratura inglezas; linguas S litte-
raturas antigs ; historia s sciencia social ;
philosophia intellectual e moral. *
Termino aqui esta rpida revista dos
grandes estabelecimentos indostriaes e agr-
colas dos Estados-Unidos. Sua organiza*
co recante ; mas, como todo quanto se
funda nos Estados-Unidos, slo elles rodea-
dos desde o sea comeco de tao poderosos
meios de acelo que se pode sem receio de
engao, presagiar-Ibes am completo soc-
cesso.
CANTLO T.
Moslrei na primeira parte desta obra,
como tem os Esta los Unidos organieado um
vasto e completo systema de educacio pu-
blica, naqoellas admiraseis escolas onde os
meninos de ambos os sexos podem recebar,
dos 5 aos 18 annos, urna inatrucclo que
Ihes abre todas as profisses. Indiquei de-
pois, de urna maneira mais suramaria, por-
que meios teem sido fundadas os estabele-
cimentos de o dem mais elevada, universi-
dades e collegios, destinados aos estndanles
que necessitara de completar com o ensino
superior os estudos scientieos ou litte-
rarios.
O que primeiro que tudo devia admirar o
leitor, o poder dos recursos postos pelo
estado, e sobretulo pelos proprios particu-
lares, disposicli dos administradores da-
qaelles grandes centros de actividade intel-
lectual. Dissereis que os milhoes vem por
si mesmos ao encontr dos amigos oa mes-
tres da sciencia. O desejo todo patritico
de ver o sed paiz marchar par daquellas
onle as sciencias, as artes e as leltras alo
mais honradas, inspira aos habitantes orna
generosa emulaclo. Aqu-.lles meamos que
passaram a sua vida no commereto, no
meio de operagoes indostriaes ou mercantis
sentem que nlo basta elevar-se ama naci
plana das mais ricas e poderosas; que
ba gloria mais alta a que ella deve aspirar,
sob pena de decadencia. Comprebendem
pue as obras indostriaes devem a sua per-
feicao s descobertas da sciencia ; que a
mo que executa precisa de ser gaiada
pela intelligencia esclarecida pelo estado
das theorias. Qaerem qae os seos theolo-
gos, jurisconsultos, mdicos, engenheiro>
nlo sejam no saber inferiores aos bomdns
eminentes, que enchem a Europa com a sua
nomeada. Emfim presomem.ter, como os
demais povos, seas poetas, msicos,; pinto-
res, escolptores e arcbiiectos, como j teem
seus financeiros, constructores, naseriantes.
publicistas, historiadores e estadistas.
Sob a influencia destes sentimentos que
surgiram em meio secuto as universidades
e collegios, creados por assim dizer com
todas as sosa pecas e reunindo desde os pri-
meiros das de sua existencia, meios de tra-
balho superiores, pelo siu nomero e im-
portancia, aos que as mais florescentes uni-
versidades da Europa s teem conseguido
depois de longos annos.
As primeiras manifestares de necessida-
de de niudanca produziram-se em ama pro-
posta feita em 1634 a Comenius, o celebre
promotor e advogado da ioslrucclo positiva
na Europa, do logar de presidente do col-
legio Harvard. Recusoo-o elle, e foi para
a Saecia, por convite que loe fra feito pre-
cedentemente pelo chanceller Oxensliern.
O Dr. Iloard, eleito presidente, ha vendo
residido perto de dez annos em Ingiateira,
onde tinba esludado a medicioa na universi-
dade de Cambridge, deelarou se aberlamen-
te em favor de um ensino industrial e scien-
tilico. Intimamente ligado com os raembros
da sociedade real de Londres, eslava muito
compenetrado das ideas emittidas por Milln.
no sen Tractatus; per Hooles na sua. tra-
dcelo do Orbis pictus de Comenius; por
Ilartlib, no seo Plano de um collegio de
agricultura ; por Wilam Pelty, no seu r-
gastula ou collegio de indostria; por Cow-
ley, no seu Collegio de philosophia experi-
mental ; por Wester, emfim, no sea Ex-
orne ou introdcelo das sciencias as esto-
las publicas e uinversidades.
( CotUinuar-se-ha )
-----------------------------------------4-------------------
Urna pessoa que o conhece.
Como sa chama essa pessoa ?
Ah I isso agora segredo I
E tu tambem o conheces ?
Conheco, conheco.
Quem sabe l ? talvez tu viesses ao
baile de proposito para me encontrares I
A mascara desatou a rir, e volveu mos-
trando doos renques de formosos dentes :
Suppr isso ~presumpclo demais...
Todava, e com franqaeza, confessarei sem
rodeios que adevinbaste.
Caetano calouse.
Occorreram-lhe ideas novas.
Desde qu9 chegra a Paris s se tinha
ftlacionado com familias da alta sociedade,
o na sua imaginaclo ardente e agora to agi-
tada, entrou a desenhar urna duqueza per-
didiuha de amores por elle.
Ficaste zangado ? volveu a dizer o
mysterioso domin, admirado pelo silencio
do rapaz.
Qual I bradou Caetano.
E toroou a pegar na mo da bella deseo
nbecida. Continuou esta:
Entio porque nlo dizes alguma cousa ?
Estoa a ver se atino...
Com que ?
Com quem tu sers.-..
Oh! escusas de ter esse trabalho...
Nlo me conheces, e demais a mais, ha en-
tre nos urna grande distancia...
Esla resposta, que tinba dous sentidos,
foi encasquetar mais o provinciano as suas
apprdienses.
Crou, e pareceu querer atravessar com
a vista a mascara do domin.
\ Escuta, disse-lhe a rapariga; eu boje
po te posso dizer quem sou... ao depon
o safars... Nio me interrompas... S
te posso confessar que vira ao baile.nica
mente por toa causa I Vi-te s urna vez, a
baslou... J te amo I...
Mas cruel o fallar-me desse feitio,
sem tirar a mascara da cara.
De que te servia isso ?
Nlo queres qae te ame tambem ?
E ser possivel ?
Pois duvidas?... Ah aossa caso
oso- de vas, c tr vindo ? Vamos, deixa-me
ver o tea semblante, e jaro-te...
Scio! disse a rapariga mandando-o
calar com imperioso gesto.
Qoa e ? perguntou Caetano.
tartamelou
/
a rapari-

Nlo ouve?..
ga amedrontada.
Passava-se isto no intervallo depois de
urna quadrilha.
Tinba socegado o burborinho *da sala.
No gabinete pegado cora aquella onde esta-
va este par, ouvia-se claramente ama con-
versado animadissima.
Escutou, e logo as primeiras palavras
que ouvio dispertaram em Caetano grande
curiosidade, augmentada aind por lhe pa-
recer conhecida urna das vozes, a que esla-
va dizendo : r,
Com que entio, arrajou-se a cou-
sa ?...
Eram favinhas contadas I respondeu
o outro; mas vamos l com o dmo, qae
deu sea trabalho... Ai! mnito costa a
ganhar a vida.
Entio que succedeu ?
Um caso bem triste...
Algum assassinio?
-tonaa parecida...-
Avia-te, dize l !
Ia tudo correado direitinho como am
fuso... pela casa do tio Robn, entramos
nos armazens dos irmlos Dubar C, e al-
liviamos estas creaturas -da quantia da 500
mil libras destinadas ao pagamento de ama
letra.
Famoso!
Arranjado o bico d'obra, a faltava
passar o p.
E o qae flzeram T
Com toda a cautela, est bem visto.
Mas agora imagine vossemec, qaa ao aahir
dos subterrneos, e ao saltar no mete da
ra, dou de cara a cara...
Com quem?...
O outro ia responder; sus Osotas j
nlo podia conter-se, comsm*e pola taata
as bagas de soor fro; dea moia dami'OS
passos para o correar, asesar da mascara
estar a puchar por elle.
Slo pooco para se respailar os
como aquelle qoaoavira, e o moco Prora-
ciano foi sempre deitead usaa olbadella
para dentro do gaJaO-Bo lado.


-



1
.

-




7;,'
~*
'
'<


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EE301OOQN_04ZZVY INGEST_TIME 2013-09-13T23:49:54Z PACKAGE AA00011611_12381
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES