Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:12365


This item is only available as the following downloads:


Full Text
.......

XUUi. JUMERA
:!' *;
"^
4 CAHTAl i MUUfcil M' IA3 PACA PQM.
adianiados .;.-.-. P^...... m

<^d* namaro ivnrsb ..#..,.. ... .
Ji *Tr.i-i hu /i; t#a

nmum
a estotro
Propriedade de Manoel Rgue
n
1 / niM

ttUiU
rtriw
ff
,
Por trea mezas adiantadoa .
Por aea ditoa idem......
Por nova ditoa idem .
Por om armo idem .
*aia Dxmo i roiA da raovnciA.
---------- Vt. *
6#7W

Oa Srs. Gerardo Antonio Alves 4 Filhos, no Para
de Fara & Filhos.
_
'
PARTE OmCIAL.
Carera o da provincia.
BUKDisifTB do da 14 de abril de 1871.
Acio:
O presidenta da provincia, attendendo ao que
requereu Anua Bezerra Cavalcanle da Silva Cosa,
e em vista do rebultado do concur.-o a que . ceden, rcsolvfl de coaformiJade com o ai t. 23 da
lei n. 333 de i\ dd rano da ISa'i, aoraea larpro-
fessora publia da cadeira de primeiras lauras da
povoaco de S. Benedicto, creada pea iei n. 767
de (i de juuho de 1867.
Expediram-se as uecessaras eommunicacoes.
Offlcios : .
Ao provedor da 6aataCasa de Misericordia, de
ciarando que foi en lempo recebido o offkio de
47 de afQ) fiado, com que emenden retorquir
o desta presidencia de i I, ja em resposta e defin-1
Uva soiucao a outro de 3, ludo do mesmo mez, e
a proposito de pases gratuitos na estrada de fer-
ro do Onli, e eomquaato logo notasse a incon-
veniencia do diu> ufli.u, nao s pela falta de as-
sumpto administrativo, nico sobre qae deve cor-
rer a correspondencia com a pre ideneia, mas
ainda por um loro de represalia iocabido e des-
reapeitoso, resolver, como aatoridade superior
ante quem nio podem Ihe vedar mal entendidos
despeitos, mandar archiva-lo simplesroente, na
speranc de qne ahi parasse o incidente.
Eatrelanlo, verificando que, mal interpretado
esse alvitre de prudencia e delicadesa, ora re-
gularmente publicada a alludida peca com o ex-
pediente da Santa Casa no Jornal do Recife de
;i..tem, 13 do correte, a presidencia torcida a
declarar que o nrocedimeoto delle, provedor, em
toda esta insignificante occurreneia Unto mais
H.-trinlnvel e improprio de um fonccionario de
sua cathegoria, qaaato certo que para alguns
iuvidoso, se qualqner membr) da junta adminis-
trativa da Santa Can, pode ser demeitido antes de
prsenchido o bienaio marcado pelo compro mi sso
em vigor, e que a pabocaeao do offljio em ques-
to parece ter sido inlenciooalraento guardada pa-
ra o dia annunciade como de partida do actual
presidente da provincia para a corta no paquete
iraericano, que era esperada e effecti vameaie to-
cou hontem no porto desU cidade.
Ao coronel comandante das armas, recom
mandando a expeeica de suas ordens pira qae
seja posto em lioerdade o reeruta Francisco Jor-
ge de Salles, visto ter provado isencio legal,
Ao mesmo, declarando em soiucao ao seu
udKio/que se sao oeceisahos na gaarnicao os servi-
C/J mdicos d> Dr. Joio Bautista Casaaova, eon-
unae este a presta-las al deeisao do governo im-
perial.
A > Dr. chefe de polica, respoodsndo com
urna copia da informacao do proredor da Sanu
Casa de Misericordia ao seu offlcio, relativamente
a demora na inhamaca3.de corpas de pessoas fal-
lecidas no hospital Pedro U, victimas d >, molestias
contagiosas.
Ao inspector da thesouraria de fazenda, para
mandar pagar a Jos Pereira de Abantara do O
.i quanlia de 693/1800, a que se julga com direito
por baver concluido os concert.-, caiadora e pin-
tura do quartel do deposito especial de recru-
tas.
Communicou-se ao engeobeiro encarregado das
obras militare^.
Ao mesmo, reeommendando qae em vrtude
J; requsicio do Exro. presidente da Parahyba,
mande pagar dos dinheiros pertencentes aquella
provincia e recolnirtos nessa reparticio, os renci-
meutos do offlcial aposentado da thesouraria dalli
! j ju im Soares de Pinho, que actualmente reside
nesta capital, devendo esse pagamento ser feito
na razio do que indicar o inspector da mesma the-
souraria e a eontar de Janeiro deste anuo em di-
ante.
Communicou-se o mesmo presidente.
Ao da tbeseuraria provincial, auiorisando-o
a proceder de cooformidade com a sua informa-
do, acerca do pagamento que reclama Joao Jos
Correia da gralificacio de engajamento por elle
vencida, na qualidade de praca do corpo de poli-
ca deia provincia, que fez parte do exerciio om
)perac5es contra o governo da repblica do Pa-
raguay.
Ao mesmo, declarando haver o bario do Li-
vramento feito donativo, em beneficio do ensino
irofessional dos artistas e operarios desta cidade,
la qaantia de 14:535^157, que por oflicio de 11
d i correnle mandou-se-lhe pagar, proveniente da
diirerenca para mais encontrada na ferragem da
ponte do Caxang, de que elle contratante, e re-
'ommendando que conserve em deposito essa
qnantia com a outra, que para fim idntico rece-
ben d-\ associacSo commercial beneflceute.
Agradeceu se ao baro.
Ao mesmo, inteirando o de ka ver resol vido
aJqairir o dominio til do terreno de marinba n
24, em continuacao da ra do Sol na fregoezia de
Santo Antonio, afim de eonstruir-se um edificio
para lyceu de artes e offlcios ao cargo da socieda-
d dos artistas mechanicos e liberaes e recor.i-
js adando a expedici) de suas ordens, para effec-
tuar-se a"tran?accao com o respectivo proprieta-
rio Jos Moreira da Silva, sabindo o preri das
quantias em depasito, offereeidas pela associaco
commercial beneceote e bario do Livramento,
certo de que ao procurador fiscal dessa ihesou-
raria se dar inslrnccSes verbaes sobre as clausu-
la! do contrato.
Communicou se thesouraria de fazenda.
Ao commandante superior da guarda nacio-
nal do municipio de Goyanna, declarando em res-
posta ao sea officio que a presidencia pode so-
mante conceder reformas qaelles offlciaes da
tarda nacional que a requerem. -
Ao capitao do porto, mandando por em li-
herdade o reernta Ulysses Tbemistocles da Costa.
Ao director do arsenal de guerra, antorisan-
do-o a faxer a despeza neeessaria cora a condc-
elo dos utensilios e mais objectos pertencentes
secretaria do commaodo das armas, para o novo
predio em que tem de sor col locad, e a forneeer
os caixdes necessarios ao acondecionamento dos
livros e papis, devendo ditos caixoes reverter
esse arsenal, logo que lorem desoccupadoV
Communicou-se ao aommandante das armas.
Ao chefe da repartilo das obras publicas,
dizendo que mande proceder de eonfermidade
com o parecer do eogenheiro ijudaote dessa re-
iiartico, acerca do edificio qne servia de cadeia
na cidade de Olinda, e cuja eoberta desabou.
Communicou se acamara municipal daquella
cidade e tbesouraria prorineial.
Ao commandante do corpo de polica, aato-
risaade o engajamento dos paisanos Jos Gomes
eivalcante Galvo, Lulz Cardoso da Oliveira e Jos
iuoel da Paz, se forera aptos.
Ao mesmo. Dar mandar apresentar na casa
de deteneio amannia as 7 horas do dia, nm tabo
e qnatro pravas, alia de eseoHare at o termo
de Serioblem o criminoso Lmz de Pranea Venta
l
provincial para adiantar dous mezes de vencimen-
tos a essa f-irca.
Ae promotor publico da comarca de Santo
Autao, reeommendando em vista do que expoz
quanto ao assassinato de Joao da tal por Maximia-
oo Jos dos Santos, que continu a proceder c .m
o zelj que tem desenvolv lo no exercicio deseo
cargo.
Portaras :
Aos agentes di comnaobia brasileira de pa-
quetes, mandando dar transporte para a Bahia, ao
voluntario da patria Francisco Joao da Silva, e
para acorte ao furriel invalido do batalhao naval
Firmino Jos d >s Santo?, este por conta do minis-
terio da marioha e aquelle da guerra.
Expddiram-so1 as necessarias communlcicSes.
Aos mesmos, para fazerem transportar
corte por conta do ministerio da guerra, o cabo
do i regiment de cavallaria ligeira, Francisco
Candido de Brto Maciel.
Communicou-se ao commandante das arma?.
Despachos:
Antonio Jorge de Oliveira. Seja posto em li-
bo rdade,
Bacbarel Cncinato Alves Cavalcanle Camboim.
Informe o Sr. inspector da thesourarra de fa-
zenda.
Alfares Francisco Alexandre Dornellas.Infor-
me o Sr. commandante superior da guarda nacio-
nal do municipio do Olinda e Iguarass
Francisco Barbosa de Parias Mantoiga.Indique
o lugar qoe deseja e esteja vago.
Joaquim Xavier C>elho BittencourlDiga oSr.
director do arsenal de guerra.
Jo3o Jo Corroa. A" tuesouraria provincial
com oflco desu dan.
Juitino Jos desonza Campos.Sim.
Jos Pereira da Motta.Informe o Sr. inspector
da thesouraria provincial.
Jos Joqum da Costa Maia.-Informe o Sr. ca-
pitao do Porto. .
Luiz Ignacio de Oliveira Jardim.Certifique.
Lniz Francisco de Paula.Informe o Sr. dezem-
bargader provedor da Santa Casa de Miseri-
cordia.
KPEDIENTS DO SECRETARIO.
Offlcios:
Ao commandante do presidio de Fernando
de Noronha, declarando de ordera da presidencia,
que por ter fallecido deixou de seguir para esse
presidio o sentenciado Joaquim Auioaio Dantas.
A Leiden & C., eemmnoicando 'tambem de
ordera da presidencia, para seu governo, que a di-
recioria do imperial instituto pernambacano de
agricultura, a quem foi presente sua proposta sobre
a venda das machinas e utenciuds de sua fabrica
de reflnacao modelo, resolveu nao fazer acquisl-
(ao alguma de apparelhos de qualqner especie,
em quanto Dan estiw preparado o edificio, onde
de ve ser fondada a escjla de agricultura, e quan-
do issodevesse ter lugar, comprar fomente appa-
relhos novos e dos mais maiajlq.....1m
Repartico da pllela.
2.* seccio.^-N. 526.Secretaria da polica de
Pernambuco, 19 de abril de 1871.
Illm. e Exra. SrLevo ao conhecim:ato de V
Exc. que, segundo consta das participar oes recebi.
das hoje nesta reparticao, forara hontem recolhi-
dos casa de deteocao os segdmtes Individuos :
A' ordem do Dr: juiz municipal da 1" vara, Pe-
dro Borges de Oliveira, como indiciado no crime
previsto no art. 261 do cdigo criminal.
A ordem do subdelegado de Santo Antonio,
Joao, escravo de um fulano Miranda, por disturbios
A' ordem do de S. Jos, Llysio Ferreira do Es-
pirito Santo, por desorden)'; e Jos, escravo de
Joao Baptista Penleado, a requerimento deste.
Pir officio de hontem datado participou-me o
subdlogado de Santo Antonio que pronuncion a
Leonardo Jos Pereira, como ocurso as pena3 do
art. 201 do cdigo criminal, e a Floreooio, escra-
vo de Joaquim Candido Monteiro as do art. 205
do mesmo cdigo.
Deus guarda V. Exc. Illm. e Exm. Sr. con-
selhero Diogo Velho Csvalcanle de Albaquerque,
dignissimo presidente da provincia. O chefe de
polica, Ltiz Antonio Fernandes Pinheito.
Correspondencia do Diario
Pernambuco.
de
nia, a a* val responder ao jury naquelle termo*
Ae massM, reeeomendatdo a expedic3o de
suas oreas, para qne amaobia as 11 horas do
dia ae apresealam aa casa de eteacio nm eflkial
W aneas, ate de eaaotor at Fleresta 7
crninosos, q vio aUi resaosjder ao jury, a onde
doraran deaerar-se ata qaa sejam i najados os
nasnos reos. I c
para mandar trai n,,,
wwan o> Panado ate Piraohas, e
PARA.
lielm, 3 de abril.
Nao esqueco o empeoho em que eslou de dar-
llie noticias desla provincia, que vai caminhando
para um bellissm > futuro : vejo o progresso de
seus mellioramenios materiaes, e crelo que ludo
nesta torra privilegiada fructifica, principalmente
sdb a direcQao de administradores que, como o
Exm. Sr. Dr. Portella, se interessem vivamente
pela prosperidade desta provincia. A prova disto
est no fervoroso acolbimento que teve a patritica
e grandiosa idea de S. Exc, de fazer construir
edificios para as escolas primarias. Em cada lu-
gar em que S. Exc. via a posslbilidade de levar a
effeito este pensapiento, a populacio secundava-t
com um esforco digno de todo o louvor : dinheiro,
maleriaes e bracos,1 appareciam expontaneamenle
como por encanto, e a idea era logo redazida
fado que muito breve dar magnifico-resultado.
Camela, Obidos, Sanlarm e outros lugares bao de
colhe lo e aproveita-lo.
A infausta nova do fallecimento de S. A. a prin-
ceza Leopoldina, foi recebida aqui com as mais
significativas provas de pezar.
S. Exc. o Sr. presidente da. provincia ordenou
que era signal de lucio, fecbassera-se as repartieras
publicas, e que augusta finada se fizessem as
honras fnebres que Ibe sao devidas.
Os jornaes deram a triste noticia tarjados de
preto, ocenpando-se o orgao oflkial, exclusivamente
dsste doloroso assumpto. |
A assembla provincial logo que receben a com
municacaoofflcial, resolveu darem nome da pro-
vincia ama manifestacao da fnagoa que experi-
menta por este infausto acontecimento ; para tal
fim forara noroeadas dua< comraissSes, urna para
dirigir-se SS. MM. Imperiaes, e outra ao Exm.
presidente da provincia ; para a primeira feram
nonaeados :
Senador Bernardo de Souza Franco.
Dito Ambrosio Leito da Cuoha.
Deputado Manoel J. da S. Mendos.
Dito Antonio Francisco Pinheiro.
Conselheiro Tito Franco de Almeida.
A sentada commlssao compde se dos depntados
provineiaes : Drs. Crur, Mendes e Amaral, e te-
nentes-coroneis Lima e Jote do O'.
Trata-se de autorisar a presidencia a mandar
fazer as exequias solemnes pelo repoaso da an-
gosta finada.
O dia 25 de margo foi memoravel para esta pro
vincia, e de inteira satisfacio para o sea zeloso e
aclivo administrador. Noste dia naugurou-se a
Bibliotaeca Publica, o Muieu, e a 27 abrio-se a
assembla prorineial, convocada extraordinaria-
mente para prover as neeessidades finaneeiras da
prorincia.
Dispenso-rae de indicar a importancia de factos.
O Exm. Dr. Portella dotando esta provincia com
ama biblwtheca panuca qne ji contraais de 3,000
volamos, prsndeu a fratidaa dos paraenass e hon-
ronajnaadoHaistra^oc^mamajlooja sopor si
basuria para aeraAta-la. .
- A fest foi IranTaj, p^rm impomnie: a paja-
vra inspirada do nosso iilnstrado e eloquente dio-
cesano, fez-se ouvir em brilhantlslm discurso;
S. Exc Itvma. terminou-o com os mais expressi-
vos elogios ao Exm. Sr. Dr. Portella : pondo em
relevo os servicos prestados por S. Exc., principal-
mente in-troccao publica, servicia ijue revelam
o grandioso pensamento de la dmmilraaoo
de efpalkHr a hit, H fiMaw'Vra "m lempo
calor e vida, de promover a terittdtira insruc-
cao pela pratioa ios verdaieiros methodot, pela
regenerafSo do pro/essorado, e sobreludo pela
unido da educaeo com a religio S. Exc. Rvma.
dirigi ao Exm. Dr. Portella nm voto de gratidao
em nome do po paraehsC
O museu, eolio Ja diste, foi inaugurado nesse
mesmo da : era asna do livro do nomem o livro
da natureza que convldava ao estbdo. A exposi-
';ao dos objectos colhidos exeedem a espeetativa,
pelo pouco lempo de que dspunham os encarre-
gados de dar execucao idea do Exm. Dr. Por-
tella.
rotatorio de S. Exc. lido peraote, a assembla
provincial^ urna pega digna de ser lida pelas
deas uteis'e grandiosas all consignadas, e pelas
medidas pendentes e proficuas lembradas para re-
mover as difflculdades finaneeiras da provincia, e
sobreludo pela reforma na lei da instrucco pu
blica, por S. Exc. reclamada.
Estas ideas forara bem aceitas pela opiniao pu-
blica : quanto primeira v-se que o digno e es-
crupuloso administrador, nao achando recursos
na lei do orcamento, nio quiz tomar ora arbitrio,
quasi seropre perigoso, e recorren i assembla,
nica competente para tomar ama deliberacao
efflcaz ; precede sempre assim o administrador
que sabs respeitar a le, e eiogir-se s suas attri-
buices. *r
Quanto lei da instruccio publica, S. Exc. pro-
poz raodificaedes e medidas proveitosas, como tor-
nar o ensino obrigatorio, qne j o era por lei
mas que a circunstancia da extensao da provincia
toroava-a inexeqnivel; converter esta idea em
realidade, tal o pensamenlo da refirma.
Tolas -estas ideas foram muito bem acolhjdas
pela assembla, que traton logo de nomear cora -
missdes que dessera sen parecer, e o projecto da
instraccao publica ja passou em segunda dis-
cussao. -
Merecen tambem applansos de todos a ereacao
da escola normal propotta por S. Exc.
E' pena que os traaalhbi da assembla geral nos
venham privar da continuacao da fecunda admi
nistracao di Exm. Dr. Portella ; consola, porm, a
idea de qne na cmara temporaria S. Etc. ha de
prestar servicos relevantes ae paiz com a mesma
dedicacao com que prestou os ao Para, caja grati
dio ccqaiston com justissimos ttulos.
de e
'illa da
2

U JI AaiarfTJaWa
Goocalvea & Pinto, no Maralo ; Joaquim Jos da Oliveira, no Cear ; Antonio de jeaoa Braga, no Aracatj ; Joio Mara Jnlio Chavea,
Pereira d'Almeida, em Mamangnape; Antonio Alexandrino de Lima, na Parahyba ; Antonio Jos Gomea, na Villa
em Naza'reth ; Antonio Ferreira de Agaiar, em Goyanna ; Francino Tarares da CoaU, em Alagoaa
no Asi ; Antonio Marques da Silva, no Natal; Jos Justina
Penha; Belarmino doa Santos Bulcio, em Santo Anto; Domingoa Jos da Costa fraga,
Jos Martina Alvea, na Bahia ; e Leile, Serqninho A C. no Rio de Janeiro.
maes, cerloi i
rados para
sentar.
Os je w
pectadores'a]
Concn
assistirem a
le que se encentrarlo cavaltos prepa-
rer com qaalquer nm que se apre-
ore serio nomeados dentro os es-
i contento das parles.
do, como de costume. familias para
te divertimento, desde j se previ-
ne aos Srs. cerradores qiy nio se acceilam con-
vites para daii ir-ae correr em oatra parte.
InPOSTOS.Esii secobraodo o imposto de in-
dustrial e prdfissdes independente de multa at o
nm deste mei; e, lindo elle, com ella. Lembramos
nosso assignantes para em tempo pagaren,
sao errneas, que o pensamenlo tresvario, que a
opiniao arraigada e infandada por ralla de apoio
ao espirito da historia, e das novas sobre as veihas
experiencias.
Assim aquelleque tambem urna vez se tem cons-J
utuido em publico o autor de urna idea ou de urna
opiniao qualqner, obrigado a defande-la come
pai extremoso a um fllho anda incerto nos primei
ros das de sna existencia; morraente se chega a
ser esta assaltada e perseguida, com razio ou nao,
na immensidade em quo por ventara a tenha
elle atirado Nao faze-Io ; abandonar o fructo
de suas lucubraos, sob pretextos menos proprios
=T
visto que pela nova lei nio pode a cmara moni- ae 9Qem se Presa pela consciencia de suas acc3es
cipal dar a respectiva licenea sera que Ihe seja f^jQilesjperde-lo de vista, at que se suma entre
apresentaso o conhecimento do imposto pago.
PEMAffiBCO.
REVISTA DIARIA.
ASSEMBLA PROVINCIAL.Na sesso de hon-
tem approvou a assembla em 3' disenssio o pro-
jecto n. 141 do anao passado, que auiorisa o go-
verno a contratar a construcrio de ama estrada
de ferro para o Arraial e outros arrabaldas; em
Ia discussio o de n. 62 deste anno, an.'orisando o
presidente da provincia a aposentar o official
maior da secretaria do governo Dr. Antonio An-
nes Jacome Pires com dous tercos do -ordenado
que actualmente percene ; em 3" o de n. 68 do
anno passado regulando o exercicio dos offlcios de
Instiga da comarca de Nazareth ,- em 3' o de n.
32 do anno passado, aatorisaodo a construccio
de urna estrada de ferro de .Goyanna Iiamb;
adiou em 1 o de n. 53 deste anno, regalando o
exercicio dos oflicos de justica da comarca do
Bonito; em 2* o de n. 36 deste anno, elevando
com 20 por cento 03 vencimentos dos empregados
da thesouraria provincial; em 1* o de n 52 deste
anno, elevando villa a povoacio d'Aguas Bellas;
em 2' o de n. 31 fazendo alteracdes ni contrato da
companhia Pernambuco Street Railway, com nm
additivo autorisando a reviso do contrato da es-
trada de ferro do Limoeiro.
A ordem do dia para hoje : 'continuacao da
anterior, 2' discussio do projucto n. 42 de anno
passado, 3' do de n. 131 e Ia do de n. 142 do an-
uo passado.
PRONUNCIA.Pelo subdelegado da freguezia
de Santo Antonio foram pronunciados Leonardo
Jos Pereira, como incurso as penas do art. 201,
e o escravo Florencio como incurso as penas do
art. 20o do cdigo criminal.
FERNANDO DE NORONHA.-Por portaras da
presidencia da provincia, de 28 de marco, e 17 de
abril correte, foi nomeada urna corarais*), com
posta dos Srs. brigadeiro Hygino Jos Coelho, do
coronel honorario Alexandre de Barros e Albaquer-
que, e tenente-coronel da guarda nacional Decio
de Aquino Fonceca, afim de ir Fernando de No-
ronha syndicar de oceurrencias ali havidas ultima-
mente entre o eomraandaute do presidio, sen secre-
tario, omajor da prac,a e alguns offlciaes do desta-
camento.
Por portaras da presidencia da provincia, de
28 de marco ultimo, a bem do servico publico, fo-
rara mandados vir para a cidade do Recife os se-
grales erapregado; do presidio de Fernando de
Noronha o raajor da praca Joaquim Antonio de
Moraes, tenente secretario demento Francilio Ta-
vares, os quaes serio interinamente substituidos
pelos Srs. capitao [Trajano Alipio do Carvalho
Mendonc, e tenente Emiliano Ernesto de Mello
Tamborn.
Por parlara da presidencia da prorincia,
de 28 do passado, foi nomeado o tenente honora-
rio do exereito Jos Francisco Paes Barrete, para
escrivao do almoxarifado do presidio de Fernando
de Noronha.
Todos estes novos funcionarios seguiram ante-
hontem para o seu destino aborde do vapor Man-
dah.
PROFESSORA PUBLICA.Por portarla da pre-
sidencia da provincia, de 14 do crreme, foi no-
meada D. Auna Bszerra Cavalcanle da Silva Cos-
ta professora publica da cadeira da p jvoaco de
S. Benedicto, creada pela lei provincial n. 767 de
11 de junho de 1867.
INSTRUCCO E n"nossa 8* pagina continua-
mos hoje a publicar sob a epiarapneA Imtruc-
ao Publica nos Estados Unidosos artigos qne
omos obligados a suspender em virtade da redc-
elo que em marc > fomos levados a fazer por tor-
ca maior. A materia desssi artigos ioteressan-
tissiraa, e para ella eonrtn chamar a attencio
publica.
EMANCIPACOInformara-nos de qne no dia
16 do correte um acto em extremo tocante teve
lugar em nma das lojas maconicas desta ci-
dade.
Pasia sna regularisacio a loja Regeneracao,
insultada ltimamente; e para solemnisar sna
fssta quotison-se e alforriou ama nenias, de ida-
de de 5 annos eserava de Eranciioo de Borja
Buarqoe.
Sempre qae se sos offerece oeeaso de regis-
trar seenas taes, o.fazemos possuidos de verdadeiro
prazer. #
CORRIDAS CAVALLO.-Pedem-nos a segua-
te pablicacie:
< Domingo (23 de corrate) depois de 4 horas
da tarde, harsr corridas i cavalfo, na campia
de Santo "Amaro.
MICROCOSMOllavera hoje sessao.ordinaria
desta sociedade, as 10 horas da manhaa, no lugar
do costuro*, sendo a ordera do diadefesa da the-
se seguinteser neetssario a sociedade impor a
pena demohif sendo defendente o Sr. Salustiano
Jo de Oliveira.
COMPANHIA PERNAMBUCANA.-Hoje dever
seguir em lugar do Mamnnguape, como se achara
annonciado, o rapor Parahyba, para o Rio Por-
raceo e escalas,
LOTERA.A que se acba venda a 189" era
beneficio de Santo Amaro das Salinas, a qual
corre hoje.
CEMITERK) PUBLICO.-Obituario do dia 16 da
abril de 1871.
Lniz Thomat de Miranda, branco, Rio de lanei
ro, 81 anous, vlnvo, Boa-Vista; febre araarella.
Joio, bresco, Peraambupo, 7 annos, San An-
tonio; conralwes.
Antonio, pardo, Pernimbm, 15 dias, Recife ;
syphilites.
Paulino, escravo, preto, Pernambaco, 23 annos,
solteiro, Rectfc ; hepalite.
H-irmis Generosa de Figneiredo, branca, Per-
nambuco, 18 annos, solteira. Boa-Vista ; febre.
Je Pereira Lima, pardo, Pernambuco, 18 an-
nos, solteiro, Santo Antonio; bydroperieardiie.
Oedeo, estraro, preto, Pernambuco, 18 annos,
Boa-Vista; anemia.
Claudino, pardo, Pernambaco, 30 annos, sera es-
tado nem fregwzia; gastro hepalite.
Antonio Joaquim dos Santos, pardo, 30 annos,
casado, S. Jos; gastrite.
Mirii, hassiasi Parnamhneo, 3 mezee, Santo An-
tonio, hepalite. ia,
Antonio, bataneo, 7 annos, Boa-.Vista, meningite.
Vicencia Fabroma Ouimariej Das, branca, Per-
nambuco, 17 rano?, solteira, Boa-Vista, tubrculos
pulmonares.
Luiz de Franca Sonto, branco,*eroambuco, 60
anana, sotieiro, Santo Antonio ; amoleoimeSflo ce-
rsiBB.
17
Jo"Rodrigues de Souza, pardo, Pernambuco,
32 annos, catado, B a- vista; alfsecao purulenta.
Benedicto, pardo, Pernambuco, 30 annos, casa-
do, Boa-Vista; apoplexia.
David Ventura, preto, Pernambuco, 30 annos,
solteiro, Boa-Vista; bexigas.
Joio, pardo, Pernambuco, 11 mezes. Boa-Vista,
dentirao.
Delmira Rosa do Espirito Santo, parda, Pernam-
buco, 18 annos, Recife; febre purperal.
Mara Francisca da Costa, branca, Pernambuco,
40 annos, casada, Santo Antonio ; cancro uterino.
Francisca Martyres dos Santos, branca, Pernam-
buco, 4i annos, viuva, Graca; congestao pu'mo-
n*r.
PUBLICACOES A PEDIDO.
O DR. CAROLINO FRANCISCO DE LIA SANTOS AO
DR. JOAQUIM D'AQUINO F0N9ECA, ACERCA DO
EMPREGO DO SULFATO DE QUININA NA FEBRE
AMARELLA.
Nao devo deixar que passe sem cabal resposta
nm communicado qae, tratando a respeito da appli-
cacao do sulfato de Quinina no tratamenio da fe-
bre amarella, f ii Bserto no Diario de Pernambuco
de 31 de Janeiro prximo passado, e assignado pelo
Dr. Joaquim^Aqnino Fonseca. Porque esse com-
raunicado como passarei a provar, bem offensi
vo aos verdadeiros principios da scieneia ; a ne
gacao viva da ultima palavra da historia; um com-
plexo de consideraedes oppostas pratica e
observaeio quotidianas; e pode ser at que sejaa
expressao de um amor proprlo sem limites a trans-
sudar pelos poros todos de seu autor, como o suor
da agoaia nos ltimos paroxismos de urna vida
assaltada por urna febre cerebral.
E quem ti ver ar aliado a desolacio moral porqne
passra o Dr. J aquim d'Aqaioo Fonseca na ques-
tao do envenenamento dos dous irraios Ss a res-
peito da qual nem urna s palavra animou-se a
proferir na imprensa, sob sua assignatura, por
mais que pelo clamor publico e ainda por alguns
collegas fosse varias vezes chamado imprensa,
poder-conjectararque urna especie de tentativa
rehabilitacao o induzira a escrever pressa esse
artigo, e mais sete, sobro o sulfato na febre ama
relia; e isto aps um ataque de congestao cerebral,
como confessoa em carta dirigida ao Dr. Sarment
(pai); sendo que esta ultima circumstancia, e a de
nio ser, a materia relativa a questao tnedico-Ugal
inferior d < emprego do sulfato de quinina no pri-
metro periodo da febre amarella, nao deixa de fa-
vorecer tal conjectara.
Em todo caso o qae se nao poder dizer qae
no animo do Dr. Aquino iafiuisse alguma provoca
cao ou actaasse amor da scieneia e da huraanida-
de; porqne nem elle a respeito de febre amarella
receben provocaco alguma cientfica, ao menos
na imprensa; e evidente qne, a ter sido incitado
elo bem publico, elle que em 1869 escrevera a seu
Iho em Paria qae nao viesse ao Brasil, porque
esperara nova epidemia de febre amarella (primei-
ro artigo, dos explicativos, no Diario de Pernam-
buco de 23 de favereiro prximo passado)-*a mui-
to teria escripto os artigos em questao ; e ni) ago-
ra, em atropello, depois de ter passado pela fallada
conftstao cenbral, e quando j a maldita febre
fazia estragos na provincia t
i Ae contraro at se poder concluir que falta de
amor houve e deshumanidade : pois sabendo que,
prestes estando a febre amarella accommet-
ter-nos, ao ponto de esbarrar o fllho em Paris, nem
urna s palavra escreveu, nem prophylaxia, nem
mesmo algnm traiamento, no longo espaco de dout
annos, qne o tempo decorridode 1869, quando
escreveu ao fllho que nao viesse, at principio do
corrate anno I
Como qdw qae seis, cima de todas as cousas
estio os principios. E no proposito em qne sem-
pre estiva e ettarei de nio apartar-me delles para
seguir romes em que sirva oa de marcos os factos
consummados, e da lsn os lampejoi do valgo, pro-
curare! combaler es erros, as blepbetnfcs e as opi-
ntoes arraigada, atiraaos a pnliUee com desres-
peito aos soltogaa, a Brefaiio da scieneia,
As ideas, o pensamenlo, a opisBo do homem da
scieneia, urna re estampados em nma gazeta de
grande cirealacee real concein, oosno 4 o Diari
responssMH dide'sftMtlca,
ci de ser moral, i pule, s
lidade, que nio pia iteaUW
imprima
...nnu espa-
toda persona-
qiS4(|uer ana-
fr
I lyia, cantara t^j anathama "(fa da anathsma
merecedor) da opiniao nqbliea, on de quem
aria>Wto a ali Qajpparecereaj tarando seas ani-1 ftndameBtqi se apretle mosUandQ-'qae ai ideas
Convidj*-e desde j, aos amadores desse de-1 merecedor) da opiniao publica, 04n de quem cora
os alaridos dos que o considerara anmalo, sem ao
menos revelar pelo sentimento um capricho sen-
sato condemna-lo triste sorte do espurioao
vento e ao acaso. E' proceder como a mnlher
sem rumo que, depois de muito ter aonauciado
fehz suecesso, enfaixa a crianza, e sob frivolos pre-
textos a entrega aos cuidados da roda, desdo que
nella divisa defeito orgnico, que-Ihe roube a es-
peronea, arada que lardia, de um lucro vanta-
joso.
Mas si nio foi assim o proceder do autor do artigo
medico publicado no Diario de Pernambuco de 31
de Janeiro, o que fez elie? Depois de ter dito no fim
da 1* columna o seguinte : t.........e submetlo
o iratainentodo emtico edosuato de quinina
no primeiro periodo da febre amarellaque empre-
go invariavelmente e comvantagem constante, a
experiencia dos Collegas qae o queiram experimen-
tar sem preconceito tendo coragem em sua appliea-
(o, etc.i Logo adiaste accrescenta : Nao na
intencao deprovocar discussSes qae escrevo, nem
aceito-as I...........
Oh pois atiraes por seraelhante modo a lava
toda corporacao medica da provincia, apresen-
tando-lhe um meio curativo, qne snppondes por
toaos ignorado e por nennum ainda erapregado
tanto que recommendaes, que nem se tenha pre-
conceito e nem falta de' coragem na applieacio, e
dzeis ao depoisque nem provcaos dseusses e
era as aceitas ti
Bati veto-ote logo reminiscencia um con-
t :de nm sogeito que em vsperos de ser agr
ciado, com o fim de ocenltar o motivo, que em
consciencia Ihe nio pareca muito honroso, com-
pdz longa versal hada para em oecasiio opportuaa
recitar em va.-to theatro, n > ss es juecend.o de
aqu e alli-pr em relero os servicos prestados ao
genero humano, inclosive ao governo; e, no pro
psito de lirrar-se de pateada que por ventura Ihe
chovesse, traton logo de enaaixar no principio o
segrate verso latino: O'mores I O'tmpora,
o dla ia morientis saculis t...... Mas o preven-
tivo de nada valeu-lhe, porque foi sempre o poeta'
plenamente pateado.
Em verdad*, pelo proceder do Dr. Aquino p-
d- em Mfortsa pravar, if muHo orgulbo
unido ao medo da ,discnssao o levara tanta in-
consideracao, que arada qnando fosse elle o autor
de urna grande nova na scieneia, ella ni) decli-
nara ao ponto de ser relevada. Tal foi a manei-
ra porque em,publico se apresentou aos collegas
esse apostlo da scieneiacom o sculo da fra-
ternidade nos labios e o estylete da depreciaco
nos dedos I
E se foi orgolho, onde est o motivo para te-lo
tanto?... A riquezaessa assoalhada por toda
parte, at nos artigos de febre araarella I... Sim,
oio ha duvida. t Non est mini tanta tila pecu
nia. >
Mas, o collega deveria lerabrar-se, ao assoalhar
ahi sua riqueza, que nem um outro hornera deve
ter mais em vista o apophthegma de Arnold do
que o verdadeiro medico___Era ura paiz que
ainda nao est corrompido vale tanto ou mais a
estima publica-do que o dinheiro. > Que o mes-
rao que dizer :que no paiz, que i est cor-
rompido vale pouco a verdadeiro estima publica,
e quasi todo o dinheiroque se converto em vir-
tade.
.....Cabedat scientfico .' Seria preciso em lio
pouco ter esquecdo esse collega os dous estron-
dosos factos de propiuacio de*bera conbecido ve-
neno, diante de.cujos symptomas, cada qual mais
denunciador do crime, faltoa-lha a palavra da
scieneia, permanecendo dianle das rclimas, com
ellas em observaeio continua, como se fosse um
mahometano face do livro vivo da verdade I
E si houve orgulho, houve tambem medo que o
induzio a agarrar se a um dos galbos da preven-
cao, a, destarta, conseguir dous proveitos a ura
tempo : < nao por a limpo toda somma de scien-
eia que disse coibera das lices dos que Ihe ser-
virara de mestre em Paris, quando ainda esludan-
te, e cujas nicas obras sio as luzes que ainda o
guiam no exercicio da profissio; e nao dar oeca-
siio a que o publico, forca da discussio que
porventura se suscitasse, chegasse ao conheci-
mento de que lado estariara os erros e as incon-
sequencias acerca dos pontos de pratica e de doc-
trina relativos questao verlente.
Aquelle que par e passo nao acompanha a scien-
eia ; qae dos livros dos terapos da Academia faz
escudos para toda vida ; que em vez de correr
aps o progresso da scieneia, finca o p a dar tra-
tos imagina cao sobre coasas alheias profissio ;
qae da profissao faz mais urna mercanca do que
urna gloria, om meio e nio um fim, nma rede era
vez de um thesouro sublimepode disentir e dis-
cutir muito at sebro a arte de praguejar e de
conjurar, menos lular pelos principios contra os
abasos, a ceguera do erro e do charlatanismo.
O certo qae o Dr. Aquino oceupando-se ago-
ra do emprego do sulfato de quinina em todos os
periodos da febre amarella, nao o fez expontanea-
menle, em servigo bumanidad; mas, segundo
me conston, por ter perdido um doente tratado
pelo sulfatp de quinina, e sido por isso mui lige-
ramente censurado por um desafiocto seu, havido
por oecasiio da questaomedico-legal.
Eolio, alm de no Diario estampar doutrina er-
rnea, procurou sustenta-la, j alterando os factos^
qae lera, j tirando indaecdes a seu modo e con-
vertendo-as em principios e fundamentos de suas
assercoes, a respeito das quaes pede aos collegas
que exptrimentem afoutamente, com guia do ra-
ciocinio em vez de ratina.
.... E sem se lembrar qae a medicina nio po-
de ser a scieneia exclusiva do raciocinio, nem a
scieneia exclusiva da pratica cega; mas sim o
conjuncto mais perfeito dos principios do racio-
cinio, da observaeio e da pratica que ludo reane
firma-se nicamente no raciocinio (se raciocinio
se dera chamar o de que se servioem apuros) e
nos resultados j batidos da amiga observacao,
para assererar, com risos de orgulhoso inventor,
que o sulfata de quinina deve ser empregado
loqo no principio da febre amarella, no maior au-
ge do calor excitacio, vmitos e anciedade, com o
fundamento de na ideal, de urna fraca conjectara,
qual a de considerar o sulfato um antidoto con-
\ trio veneno paludoso. fe
E onde j se vio um medico, livro iomuramente
dos effeites de ama congestao cerebral, dirigir-se
aos collegas pelo seguinte moda : Exponho
(que appUeo, a peso aos collegas qae experimen-
ten! o qae indico, deixando-se guiar antes pelo
raciocinio do que pela rolina, porque sem aquel-
le se cabe no emiariseno, lomado elle em sna m
accepcio > sem aprssanur a descripcio de um s
doente, nm t m> dliuo di 1 Porventura nio
serla mais sensato, lgico, eonseataaeo, que o Dr.
Aquino, deaols de ter colnido. om cario nume-
ro de o'nsev vacias, de as ter bara historiado debai
oVtcWeii
crpto ahi em qualqner tratado, mais como nm
fado coohecido e de ooro observado ? Assim te-
na procedido bem o collega, se do meio as re-
mas opinies soladas, levantasse essa e apresen-
tasse como urna verdade opprimida, servino-U
em todo caso de exempkw ros grandes observado-
res-que pela prudencia e civilidade abran o ea
minno por onde tm de passar os frucios de sna*
observado es.
ioIfnto Iei AIvseDa- era 1857 ; Audouard em
lozi, por occaso do qoe observara em Barcelo-
na ; Leblond, esm suas observares sobre a febre
amarella ; Tebrer y Ctalas, qnando trataran de
firmar o diagnostico do typhoa America, qne fe-
bre amarilla ; Beau, em sen rslatorio sobre a
febre amarella, apresentado Academia de Medi-
cina de Paris ; Bouffier, com suas consideraedes
sobre a epidemia de Vera-Cruz no Mxico. Nem
ura s desdes observadores falln ao publico e sos
collegas sera que as mios tivesse um Urro, ama
memoria, urna colleccio da historia dos doente
observados.
Ese a reforma e o progresso da medicina de-
peodessera de simples enunciacoes da honrada pa-
lavra dos collegas, do expediente seguido pelo
Dr. Aquino, qae em vez de colleccio de factos es-
criptos aapellou para sua lgica e um sem nu-
mero de obsettacoes suspensas na imaginacio
nio haveriaumas verdade na medicina, ainda
na somatologa, que se podesse manter. Cada
qual, fundado em sua lgica, em seu rociocinio e
em sua honrada palavra, creara nm noro syste-
ma, um novo meio.curativo,ou iria ao arsenal das
experiencias, tirar debaixo para collocar em ri-
ma, a que ja estivesse batida pelo progresso.
Mas o que convm que nio passe por fr da al-
tenca o publica que nio ha ahi pyetologia on
tratado de febres, que se oceupaodo da febre ama-
rella deixe de combaler os pratcos que, em anas
prmeiras observaros, abusaram d) emprego do
snlfato de quinina na febre amarella, e qne era-
pregaram esta substancia no primeiro periodo da
febre, debaixo da impressio da idea que o colle-
ga Dr. Aquino offerece como sua ; por onde v se
que a novidade apresentada aos collegas pelo nos-
so dootor areheologica, materia vslba, ha lon-
go lempo, discutida e batida pelos mais distrae
tos mdicos do mundo.
Sendo assim, como mais adiante provarei, ci-
tando textos dos mais insuspeitos pyretologistas,
flea o collega em ura dilema : ou anda bem alra-
zado as materias do sua profissio ; ou suppoe es
collegas urna sucia de ineptos, que era lio mort-
fera epidemia,comoa da febre amarella, igno-
rara os diversos meios entativos at hoje empre-
gados, apezar de acharem-se eslampados em qual-
qner tratado de patholegia Interna.
Tem o r*r tqooj toda hbordado to ijrkoi mu
qaalquer das pomas do dilemma. Pois ni cri-
vel que esse senhor se anlmase a apreeotar aos
collegas um tal meio enralivoacompanhando-o
com as seguales palavras : Eis como procedo, e
submelto o lratamento,qae emprego invariavelmen-
te ecom rantagem constante, experiencia dos col-
legas qoe o queiram experimentar sem prest ncei-
lo, tendo coragem em sua applieacio, ele. Se,
ou nio ignorasse que o emprego do vomitorio do
sulfato de quinina na febre amarella nio escapa-
ran) consideracio de autores cujos livros tra-
tera os collegas entre mios; ou como ficon dito
nao osjulgasse eslranbos a semelhante meio cu-
rativo.
E se o Dr Aquino nio est nem em nma nem
era outra pouta do dilemma, entio permita que
Ibe digaque induzdo por grande malicia interna
e proposito dos mais reprovados, a esmo aliron-se
em corpo e alma alguma lerrivel contemplacao.
No seguinte artigo insistirei em alguns dos pon-
tos j mencionados, e em outros ainda relativos
ao comm unicado de 31 de Janeiro; ficando certo
o Dr. Aquino que ledos os seus oito artigos ana-
lyarei ura a um scienlifleamente, com todo o rigor
da attencao que me fr possivel.
Dr. Carolino Francisco de Lima Santos.


Pede-se novamente a attencao do Illm. e Exm.
Sr. presidente e do Sr. Dr chefe do polica, da
provincia do Rio-Grande do Norte, sobre o se-
guinte :
Neate mesmo jornal de 23 de novembro do anno
prximo passsdo, levou-se ao conhecimento do
Illm. e Exm. Sr. presidente e do Sr. Dr. chefe de
noticia da provincia do Rio-Grande do Norte, que
Bernardo Gomes Meira, morador na villa do Jaf dim
comarca de Caico daquella provincia; estava pro-
nunciado era dous processos instaurados pelo jmz
municipal e coraraercisl do termo de Goyanna
desta provincia de Pernambuco, em consequencia
de ler vindo cidade de Goyanna, e tomado ahi
gneros em dous estabelecimentos coramerciaes,
nos quaes ficou a dever mais de 4:000*, e que
para a prisio desse reo se havia expedido do dito
termo de Goyanna, urna carta precatoria ; a qual
sendo entregue na villa do Jardim ao respectivo
juiz municipal supplente, Reis de Medeiros, eniio
em exercicio, nio foi por este curaprida : e qae
por isso finalmente expedio-se segunda caria pre-
catoria para o mesmo fim, esperando-se que po-
desse ella ler cumprmento na forma da lei.
Veja-se agora o que resulto u ;
Apenas conseguio-se que Bernardo Gomes Meira
fosse demittido do cargo de luiz municipal sup-
plente, para o qual tioha sido nomeado illegal-
mente, visto achar-se pronunciado e nada se dar
cumprimenlo segunda carta precatoria expedida
do termo de Goyanna para a sua prisio I I I
Zoraba elle assim da lei, e das autoridades, con-
siderando-se um reo collocado em tal pesicio qne
nao poder ser prezo na prorincia do Rio-Grande
do Norial
Isto pareee incrivel I
Consta-nos que o juiz municipal em exereieie
do termo do Jardim, recebando a segunda precato-
ria para a prisio de Bernardo Gomes Meira, de-
clarou em alto e bom soro que jumis Ihe doria
cumprimenlo, bem como nos consta que nenbum
outro juiz a far camprir, por deferencia a rugira
do mencionado reo I familia qae, segundo se diz,
procara ser preponderante no termo do Jardim!!t
A lei, porem e dere sar igual para todos.
quer proleja, qur castigue conforme o art. 79
f 13 da nossa constituicao potica; e todo o em- *
pregado publico ana per contemplacao deixar de
proceder contra o delnqueme, qur a lei manda
prender e punir acorre na pena do art. 129 g 5.
do cdigo criminal, pelo qneacnando-se pronun-
ciado Bernardo Gomes Meira, no processo de qne
se falln, o assim snjaito prisio, dere-se necea-
sanamente cumprir as precatorias qne se expe-
diram para elle ser preso no termo do Jardi,
onde mora, e ser rtraeitido para Goyanna, onda
tem Ae responder por seus crimes.
as se consinta n'um escndalo, qne s doria
deixando-se de cumprir aquollaa precatorias por
mera eonieraplacio para com Bernardo (tomes
Meira, que nenhnma me refere em vista Aa seos
crimes vergonhosos, qual saja o esleUtonato. Co-
mer a tazenda alnaia e oio, pagar, njto ser ho-
raem de era.
Eis o que espera das autoridades saneriores d
Rio Grande do Norte
QPaetr,
BLOGES AX POKTB ALLEatANDS DE
PBtttAIIBUeo.

ss'snJsmeBassa cowi-Brart i Ssagaat,ffs#saos 1 Cia^wajjinafljj^
i ivimn f.onsa mi aIIas I Vnn liaanrjtz. a r*t rars, la IH
xo das regras
deracao dos c
ign/^ada, porque
deracio dos colleg*s--aio como eonsa por ellas I Yqoa toaotez, p K^_
O podiam ignorar qns esij es, j fm, Wgaat, ( a tmm *



i
1
OH pruuienne, proprtnenl ex*.
SOCIEDAD*^RAEDITO HYPOTHBjCAMO DE PER-
NAMBCCO.
Esta mareado dl* 5 ^ C)rrenl* (sabbado)
pelas 5 horas da tarde, para a 3.* reuniao prep*
sais partes it wtmftTiffifo'i dftvtpdo a ulti
ssf su&tt awri^
diante certificado do engenheira.
Paco da cmara municipal do Itecife, 23
de marco de 1871.
Bento Josi'a Costa
Pro presidente.
Lourenco Ocurra Oarneiro da Cuttha,
_______ Sacretario.________^
Acbaoajo-aa) a casara municipal deatg
' '"''
Diario Quinta feira
20 Ja Abril Ja 11171
raloria desta taeiedade, flm de coutinaar a dis
cosfio sobre o parecer em separado do Dr. Igoa
lo de Barros Barreta, oGereceodo emendas aos
estlalo*, e o assgaade pelos den? menibro da
oamissao em malariaos Drs. Rodrigues Viao-
oi Maooel Nello, approvalivo dos meamos es-
tatutos.
A pnblicacao dos doos pareceres j (ai taita pelo
Liberal de boje (Uft, e ao mesmo j-raal saaira
deliberado oa ultima reuniao.
Reeommendando aoa Sra. socioa
cidade autorisada pele lei provincial n. 938
a fontrabir oa mprestimo de......
:iQ0OOO)08O para serem enpregadoa na
a lettora dease
iebate, aflm da serem e*elareci!os soore como
devero votar, os convido cora cncarecimeot >,
bem como aos que, como taes, se quizerem ios
erever, a comparecereo) sebredita renaio, na
Besma sala de palacio, que e Exm. prsenle da
pmtnera tam posto d1pos$5-j da sociedade, al
sua clfectiva inauguracao.
Observo aos Srs. agricultores, so preprielarios
ruraes, que a fnadacio da sociedade, dependa es-
eencialmeDte de sen concorso pessoal -, e que por-
tanto facam algum pequeo sacriew,ilMU do nao
fattarem dita reuna*.
Tanto maior fr a abra, quante maior devera
ner o numero i cbreiros
fiada uro carrejar a sua pe ir a, como podar!,
<,Teito isso, o edificio lhes assepsro, ser levatf-
salo*
Ao oosfo caso applicavel, em toda a sua torea,
maauma :fa aneiramos todos, que tiavemas impreterivel
ananas de poder I
Peco, pos, o pequeo esforc/J do comparec-
Mito i*.
soasado se fas dicer, ajua este convite feio
de accordo com os Exms. presidente da provincia
-o presidente interino da sociedade, os eonsflieiros
Diego Tritio Gavalcaati de Albuquerque e Jos
tiento da Cunta e Figueiredo.
Recite, 15 de abril de*H7l.
Sabor iJagaein Btzerra Cutmkniiti.
COMMERCIO.
THE ALLIANCE BRITISH A FOREIGN.
L and Fire Assorance Company eslabelecida
em 18i. Capital 3,000,000
Os agentes desta eompanhia temam seguros
contra fogo sobre predios, gneros e fazendas e
pagm aqu prejuizns devidimente provados.
Ribe Schmettau di C
Carpo Santo n. 13.
fitACA do Reun 19 m abril
DE l(s7t.
AS 3 1/2 HORAS DA T**DI.
Gotafes ofldaes.
Algodao de Pernambnco 1* sorte303 rs. por kilo
Algodo do Aracaja' 9 r?. por kilo sem Ins-
peccio.
Conros salgados seceos479 r. por kilo (hontem
e-hoje).
OaaMo sobre Londres 9 tVv M 1|8 d. por
ai.-OO, do banco.
Descont de letras 10 0.<0 ao anno.
r. 6. Slepple.
Presidente.
P. i. Pinto,
Secretarlo.
ALFAWEGA
aaodimeato do dia 1 a 18. .
Mam do dia 19.....
il6'.a9U87n
3::7o3ii2
i50.1i.-i538
n "f tty" "
liypotbeca tattmo aaercado e rendas
della, convida a mesma cataara a quero
convier para apresentar sua proposta de
eroprestimo e amortisacjio, isto DO prazo
de 30 das.
Pago da cmara municipal do Recife, 23
de oaarco de 1871.
liento Jos da Cosa,
. Pr-preidttUte,
ouren^o Bezerra Carnero da Cunha,
Sacratara.'
DECLARACOES.
loTlsuteuo da Al&aega.
410
Vcluaies entrados oca aie-udas 2-
coui geueroa 387
V!aaes sahidos com bzecda* 112
Ma cenaros. 99
--------- 211
Desear redara baje 29 de abril.
Birea francezaSpkewperteaces de dragas.
Brigue inglez- C/i;/iiV-carvao e ferro.
Brigiie porluguez Soberano lagedo.
Barca ioglezalenme Gifujspivio de pedra.
Escona mg'ezaIsmeitcluaconisino.
Briguf ilabanoPoglclagedo.
Brigue norueguense- Flora carv|o de pedra.
Patacho americano Wm. I). Andivus taboado
Despachos de exportaedo no dia t$ de
abril.
lo brigue porluguez Triumpho para o Porto
earregaram : Bailar Oiiveira A C. 60 saecas com
5,030 kilos de algodo.
Na barca franceza Mauriaen, para o Havre
earregaram : Tissel freres i G. fe saecas com
4,461 1|2 kilos de algodao.'
No lugar norte-allemae 2V. Struve, para o
Rio de Prata earregaram : Pereira arneiro k C.
600 barricas com 59,13-2 kilos de assucar branco.
Na polaca hespanhola Feliz, para o Rio da
Prata earregaram P. M. Maury 200 barricas e 56
meias ditas com 26,219 kilos de assucar hxanco.
No brigue hespanhol Moralidade, para o
Rio da Prata carregou : P. at Maury 156 barricas
com 17.301 kilos de assucar branco e 100 ditas
com 12,109 ditos de dito masca vado.
Na barca portngueza Vencedora, para o Por-
to earregaram : Joao Alves do Quintal 1 ancareta
com 80 litros de agurdente e 5 saceos com 373
.kilo* de assucar branco.
Na oarca portngaaca Bella Figueiren$e, para
Lisboa earregaram : E R. Ilabello & C. 10 barra
de S com 900 iros de niel.
BECEBEDORIA. DE RENDAS INTERNAS
GERAES DE P&RNAMBUGO
Sandteento do d 1 a r8. i7:700*607
do dia 19..... 1-348130
30:048*737
CONSULADO FROVINGIAlI"
fleadioeatodedial a 18. .. 5:533*762
Mam do dia 19..... l:835*87o
37:339*6.37
MOVIMENTO 00 PORTO.
Pela recebederla de rendas mternas geraes
sa faz publico, que e oeste mee o no de abril pro
simo futuro, que o segundo semestre do exerwcio
correute, relativo ao imposto sobre industrias
prolissSes, qoe comprehonde- todos os estabeleci-
mentos coramercia,fabricas e offlclnas etc., temde
ser pago sem multa, e que, lindo o referida prazo
so-1 o- lia com a multa de por eento.
Recebedoria de Pertumbuco 3 de marro de
1871. O administrador.
Maaoel Carneiro de. Souzb Laceria.
sata Caw de faericordlai do
Recite.
A filma, junta administrativa da Sania Casa de
Uiseri ordia precisa contratar com quem por rae-
or prec) fier, o aterro da carebda exiaiente no
qumial do collegio dos orphos, para o que rece-
be propostas na sala de suas ses:5es l as 3 ho-
ras da tarde do dia 20 do corrente.
Secretaria da Santa Ca de Misericordia do Re-
cife, 14 de merco de 1871.
O ascrivao,
Pedro Rodrigues de Souza.
Santa tasa de Misericordia
do Racife.
Pela secretarla da tanta easa de misericordia do
Recife sdoivmvidadoa, de ordena da lllma jacta,
os prente* das orpbaas etn seguida declarados,
para que veoham requerer a sua Sabida do colle
gio, tinto que pato respectivo regulament i nao
de vera mato all continuar por terem completado
a ida de de H annos.
Isabel da Luz.
Mam Leocadia da Conceic5o, lilha da Leocadia
Mara da Coaceicao.
-phia Mara da Conceicip.
FelKinina Galdina Soares, lilha de Josnpba Ma-
ra da'Coneeioao Pinheiro.
Secretaria da Sania Casa da Misericordia do Be-
-Mfe, 17 de marco de 1871.
O esehvao,
_________________ftwteo *Wr'we de Soma.
SANTA CASA DB UtSWtOORDIA DO
REGU,
A lllma. junta administra uva da Santa cata d*
Miser.'C'rdia do Recife manda iazer publico qu
oa sala de suas sessoes ,no dia do atril- pe-
* '6 boras da tarue, tena de ser arrematadas a
|uem mais vaulageus qfferecer pelo lempo de un
a tres aonos, as rejadas dos preios era seguida
leolarados:
ESTABeLECtMEATTOS DE CARIDADE.
Raa da Crat.
Sn*rado de dous andares e foja a. 14 l:O0*0O0
Ra do Bom Fira (Qlipda)
3asa terrea' n. 11 ooi^big.i^ao
Alzar cqucerds....... 96*000
Ra da Gloria.
Casa terrea n. 23........ 190*000
PATRIMOMO DOS ORPHAOS.
Ra de S. Jorge (cutr'ora Pilar)
dem dem n. 99................... 363*000
Os pretendentes devero apresentar po acto da
)rrematacao as suas flaneas, ou comparecer
icompanados dos respectivos dadores.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do Re
:ife, 27 de Janeiro de 1871.
O ascrivao,
Pedro Rodrigues de Souza.
Sclegacia de polica do termo de Cabo IV
de abril de 1871.
Pelo subdelegado do 2* dUtriclo deste termo M
remetiido por suspaita de ser fartal> una avallo
casianho, castrado, com urna estrella na tesla, n
diretto calcado : que sejolgar com direito ao
mesmo, apresenle-se nesta delegada uo praso de
30 das da data deste com documentos, que ser-
lhe-ha entregue.
9 delegado suppleate,
_______Luiz Francisco de P. C. de A. Lacerda.
Correia gcral.
Relajo das cartas registradas, procedente*
do su! e norte do imperio, existentes n
reparligao do correio em 18 de abril de
1871.
Antonia Baptisla Figaeira, Antonio Rufino Al-
ve?, Elysio de Mello Albuquerque, los Jcronymo
de Albuquerque Maranhao, Manoel Jo.iquim da
Silva Brasileirn, Manoel Soares Fortuna, Simpli-
cio Fortunato Ferreira, Senhorinba Maria da Con-
ceicao Costa.
O encarregado do registro,
Manoel dos Passos Miranda.
THEATRO
..... MUa. ZUa.
Agh....... Hile. Puoc*
coaps.
Soldados, estudanie?, vajeos, diab
ieaseaMHa fc etc.
U scenarjo do 2* e do 4* qoidro i
te novo e pintado capricho pelo distinctb sneoo
graphe Lott Ghapelin, ruefecendo especial atlen>
ci a aaBtaaflKla decoraqao do 2* qnalro, que re-
presenta um jar Jim magnlio em nuuie de festa,
d'um effeito sorjtfHwndenla,^^. -^^.,
Os vestuariaa e accaario a* igaulmeote o-
ros.
O macldnlamo fui prepa;-ado cora todo o astea-
do pelo naaofenisu da compauuta Mr. Aoteae De-
aaard.
PiRiptaf* s 8 hars.
DseriaelD Up^i
-L aw JLV tuadJajLjBaJML
A. escola do Pr. Faust
Brtnquedoa d(s -rafans eaaautlMs, datarte
ausencia do mestre Loro. ntrala de Fausto.
Alico de anatoma Gmplets cantados por Faus-
to. O barrete de papel. Definicao do microcos-
mo. Entrada de Valeatim e dos soidaBoa. Cflro
guerreiro. Conversa i,-io entre um militar e um
masut aseotn. B**ai?do do aanot. utrada da
Margarida- Tyroleza cantada por ella e pelo coro.
Parada de Vattmtim. Scena de ml-oi. A nova
pensionista. Revoluto. O castigo. Dueto de
Paaatoe Marcan da. O amor n'uw voltio de 70
apnor. ^pparic5o de MpMsto (o diab). Rondeau
cantado por Mjmisto. O pacte. Trensformaa"
de Faosto. QOro da mociade. Fiaal.
0 jir4aQi de V^geiss-mea-nldiet
Grande fes la. Cero g.'fl. OliaBo e os MU
dntw. Aibut da pulga, canjaa por Mphisto-
O diabo no meta das mullieres. Entrada de Faus
lo. Cancao do viveur. llhtmiaacio diablica.
Watea das na(des. O concurso dat> Margarida?.
Entrada de Margarida e seus adoradores. Cou-
plets de Margarida ia lavadeira. Romance das 4
estacos, canudo por Mphisto. O recaohtciaren
lo. Uueto de Fausta e Margarida. Scena bu-
clica. Entrada do carro em -que Voleuiim v-.lta
da guerra. Grande scena entre Valeatim, Faus-
to e o CTcheim. -O rj(.to. O ir ro e irmaa.
Ruello desigual. A pitada mortal dada pelo dia-
bo ConsVl&os de am moribundo. Morte de Va-
lentn). Caro geral o nanea final.
A amara virginal
Urna noiva na prinwira noute do oataoiento. A
bailada do re de Tbun cantada por Margarida.
Entrada de Fausto.' Scena entre uoivos. Entra-
da do conejo nupcial. O diabo na familia. Con-
pietes de BWplutlo. U*"'-re!l i matrimonial. Inno-
cencia de Margarida. Ale.ria de Fau-to. Appa-
ricio da sombra de Valeotlm. 0 militar e a so-
peira. Terceto fntre Margarida, Fausto -e Valen-
tn). Ftrga de Margarida. Perseguidlo de Fatuto.
A Boat do-Vate-porgta
( O palacio do diabo )
Grande fesia infernaL Coro e danca diablica.
Cnegada de Fnuato>e Margarida ao infernos. Va-
lentn) toma azas e volta para o muadn. A *en-
tenca di Mphisto. uranio rendi iaforoal. aho-
gos cambiantes. Final.
AVISO
O re posi^ao do publico no escriptorie do psatro, onde
se entregan! tarutem os bilhetes eBecmmandadiis.
Ha vera sempwdanoJB.dos espeaucAlas um irem
extraordinario, tocando m todui oa 'pootos at
Apipucos.
i i i i
Paquetes
^A.
m 'i.
avisos martimos.
-*.....* ....... ......i^^r* -
GOMPANH!A fERNAMBOCANA
DE#
Navegando eostru por
Mamangoape.
t) vap;r Cwurrpc, com-
manda;oie Sftva, seguir
para o porto cima no
dia 28 t corrente as o
horas da tarde.
Recebe carga, encom-
mendas, passageiros e di-
ibeiro a fretc : no escriptorio do Forte do Mat-
tos n. (2.
COMPANHIA PERN.VMBUCANA
DI
Navegando costetrapor vapor
Goyanna.
0 vapor il'im'inyuape, com-
mandante Oiiveira, seguir
Sara o porto cima no da 26
o corrente as 9 horas da
noute.
Recabe carga, eocommendas, passageiros e di-
niieiro a rete : no escriptorio do Forte do Ma-
tos n. 12.
Nulos sabidos uo-dia i9.
HavreBarca franceza Maurtcien, capillo Secoad
earga algodao e cour/is,
Fa#a- F. wenb, carga assucar, agurdente 'e> outros
teneros.
Lt*oa-Brigae portaguez Bella Pigueirense, cipi-
lio Jos C. de G. Sobnnho.
Lirerpool-Barca ingleza Btlen Trobtl, capito
Glaus carga assucar e algodo
Obsenagao.
Nao honve entradas.
ECITAES.
companhu mm
SOB A DIRECCaO DB
DE
Paquetes a Vapor
Dos partos do norte esperado
at o da t8 do corrate, o vapor
Sania Cruz, camafandanle G.
Wadingtoo, o quaWepois da de-
mora do costunie seguir para os
portos do sL
Desde j recebera se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder contjuzir, a qual devora
ser embarcada no da de sua chgada, encom-
nendas e dinheiro a frete at s 2 oras da tarde
de sua sabida.
Nao se receben) como encommiyidas senao ob-
jsas de pequeo valor, e que nao excedara a 2
arrobas de peso ou oito paimos cbicos de medi-
cao. Tudo. que passar oestes limites dever sei
embarcado comocarga.
Previne-se aos senhores passageiros que suas
pasiagens s sa receban na agencia, ra da Cruz
n. 57, primeiro andar, escripurio Antonio Luiz de
Oiiveira Arcvedo 4 C '
a vapor.
Dos portos do sal esperadi
al o da 21 do orrirte o vapor
Cruzeiro i Sul o qual depois da
demora do eostame seguirA para
os do norte.
Desda J recebem-w paesaMiroe e engaja-M a
"W* **I,'>or podaf oonfik a qual dever
ser embareada no da da esa chegada. Encommen-
daa e dnheiro a frete at as I hora da tarde
do da da en sabida.
Rio se reeebem como encommendas aeno ob-
j ictos de pequeo valor e que nao xcedan a duas
arrobas d peso ou 8 palmos cabieos da medicio
Tud qnapnssar destea limites daveri ser embar-!
cado ccaao carga.
Previnn-ae aos senhores pesanglros que suas
passagens s se reeebem na agencia, ra da Cruz
a B7 primeiro andar, eecriptorto de Antonio Lab '
delireira Aunad* C iU O]
%.- Club do Wontetro,
Sabbido 22-do cSrriUUi('hia^r reonii
fmiar e trem as duas boras da nonte.
. 0 emprezario
J. P. Laymt.
O brigue portugus Soberam, capillo Bogigan-
ga, tal atHTctim brevidane por ter mior par-
te da, carga engajada ; para o reato que Iba falta,
trata se com os consignatarios l?. R. Rabillo 4 C.
ra do Commercio n. 48.
Iiisboa e Porto
Devera seguir cora -mnoa demora a ni rea por-
lugueu Venoedara : pura alguno ra-ga que I he
falta e paiaagskosirala-se com Soares Primos,
ra do Vigarin B. 17.
A barca portngu'za Josepkini, capitio Joaqoim
de Sonta Amellas Jnior, segae no dia 20 do cor-
rele, anda recebe earga a frete: a tratar com
Miguel Jos Alves, rna da Cruz n. 19.
Pretende seguir era poneos das o brigue italia-
no Pegle. e por taso quem quizer embarcar gneros
a fuete barato, riinja-se ao comignatario Joaqnim
Jos Goncrivps Bellrao. ra do Commercio n. 17.
Ueboa e Poto.
Para esses porto segu eom muita brevidade o
brigue portugn^z Rrlampago. Reeebe ainda al
gem carga a frete commodo e pa la-ee eom os consignatarios T. d Aquino Foosec
& C snecessores, na ra do Vi gario a. 10.
LEILOES.
emcontl\'L"a';ao
de
I'crragcus, niuJezas c ferra-
nieutas
COXSTANDU DE :
Um completo sortimento de ferfamentas para
deatistas, marcincirc?, carapinas o ferreiros, fe-
chaduras, lezmras, navelha*, garfos e facas,
serrad, limas, pininas, galopas, medidas, varromas
chavea de parafnsos, dobradi;as, ferfolhos, parafu-
ses, estribo?, e-poras, ferros para -arros, cobre
remo, ferros velho e muitos outros cdijeetos
Hoja
O da arrate.
Por oterveofo do ageote l'into.
.Na lja da ra da imperatriz n. ti, do tinado F.
Dubarry.
O (eilao principiar 9 e meia horas em poB'o.
Ao estabelecimcnto do finado Sr. Julio
Gorgean.
O agente Poalual, campetentemaoie autorisad-,
vender o estabelectmeato cima, silo no becco
do Ciume (entrada pela ra da Florentina), nolan-
do-*ie que entre diversos movis que nelle existem,
torna se reconjmendavel nra imporlanie bilhar de
Jacaranda com todos os seus perleoces
Sexta-feira 21 do crrente
No mesmo estabelocimento sito ao becco do Ciu-
me, s 11 boras.
AVISOS DIVERSOS.
Precisa-se de urna criada para cozinha e as
compras na ra, eserava ou 11vre, sendo de maior
idade : na-rna Duque de Caxias, Iom de minde-
zas 97.
GENERAL VERS AM.MLUNG
Frritag 21 April im Hotel Victoria
Un sieben und ein hall ITbr Abends.
ZWECK.
Baraihung ueber einen Beitrag faai lie Invali-
den Sliflung.
Der secretair,
II. Ldebour.
3
Os oito caiporas lora dous meios -da US, ns.
4045752-1- caipora.________
Offerece-eenra bouMM para (atter 4a lio
que lera bastante pralica, tanto para berta nomo
para rosas : quena pretender dirila-ae a roa da
Cadeia-Nora n. 37.
Prealaa*se de orna ama para todo o ervico
de urna casa : na rna do Llrramento n. 34
AJIt
mero 79.
Precisa-te de urna ana parapou-
ca familia : na ra da Hortaa nu-
Precisa-se da ura caixmro de 14 a 16 anuos
de idade para taberna : na ra da Santa Cruz
numero ~
-
-

Jos Joaqoim da Cunha, Jos Fiancisco de Pau-
la Ramo*, Joao DjWsley Jnnlor Francisco de
Paula Pires Ramos rogam aos seus amigos e aos
do seu fallecido primo Lniz Thom de Mlraada, o
earidoso obsequio de assistirem a missa do stimo
da, que pel eterno descanso de sua alma man-
dara resar na igreja matriz da Boa-Vista, do dia
ti do corrente. as 7 horas da manilas.________
Aiuga-s; nma estrava de 14 annos de idade
propria para o ervico de urna cau, do .qoe tetn
mnia pratica : na iravessa do Marisco n. 7,1
andar.
Urna mulher etrangeira ja de alguma idade
deseja-se empregar em casa de alloma fan ilia
estrangeira para engommar : quem precisjr di-
rija->e roa da Imperatriz a. 27.
Alguna viinhos do Sr. Joo Paos Barrito de La-
cerda, pedem-lhe que declare os noraes d s visi
nhos que se coo&tituiram feos iuimigos figadaes
pelos motivos allegados em seu commnoicad
inserido no Diario de Peinambuco de 14 do cor-
rente, sob peua de ficar coohecido por um vil ca-
lumniador.
Precisa-se alugar urna ama forra,
para comprar e engommar: na ra
ra do Cabug n. 2 B.
AMA
Precisase alagar orna eserava fiel e sem vi-
cios, para o servico interno e externo de urna ca-
sa de faiqilia : no largo do Terco o. II, sobrado
de um andar.
Feitor.
Precisa-se de urna pessoa que tenba habilita-
c&es para feitor de eegeobo, preiere-se portugnez:
a tratar na ra de Santa Rila p. 8;t.
O abaixo assignado avisa ao publico com es-
pecialidade ao corpodo commercio que vai a Eu
ropa tratar de sua ande, deixando por seus pro-
curadores era 1 lugar o Sr. Joaouim Baptista da
Silva, em 2" o Sr. Joaqun Antonio de .arvalho,
em 3* o Sr. Francisco Ribeiro Pinto C-nimarles e
em 4" o Sr. Jos Luiz Ferreira da C>Ma.
Besffe, 19 de abril e 1871.
Jos Bom Hamos e Oiiveira.
O abaixo assignado nao podendo despedir-se
pessoalmente. do algumas pessoas que Ihe tribu
lam amisal-" pela brevidade de sua viagem e as-
lado melindroso de sua sande, i de por isso des-
culpa, (ffcrecendo seu limita lo presumo oa cida-
de de Lisboa, onde pretende demorarse.
Recife, 19 de abril de 1871.
Jos Bom Ramos de Oiiveira.
ATTENCAU
Roga-se nm hacha: el, morador ne^ta cidade
o obsequio de pagar o alugoel de dous vestuarios
de velludo, dos quaes se ulisou nos tres das de
carnaval, eotregando-se depois a seu dono em es
tado de nao poderem ser mais aprovaiudos. Pre
viue-se qoe se nao pagar, veta o sea' nome per
extenso, at que restitua o arognel.
0 abaixo asssignado protesta contra a venda
3ue o Sr. Pedro Ronfea de Oiiveira diz ter feito
o estabelecimento que p.riencia ao seu cunhado
J-'s Goncalves Fontes, pois o mesmo Ibe deve-
dor da quantia de 460i010 rs. quo Ibes fomeeeu
de bolachas de sua padaria do pateo do Terco
n. 40. v
Recife, 19 de abril de 871.
Jcaqum Caetano de Cirvalho.
'v'T:>
Devendo a cmara monicipal contra-
tara factura do edificio do mercado publico,
teto expoeto ao paco da mesraa cmara o
dtMobo e orf tmeoto do mesmo edificio,
para ser examinado por aquelles que qoi-
zeiam coacorrer dita.arrema.lag5o, po4eo-
oa os pretendentes aprentarem plantas do
merca 1o, que podar ser acceita, ao aao
A arraoialao ser feila sob as coodic3os
ajuintes.: "^
^* A obra ser faite segaodo o plano
pprovado, no lagar determinado pea ca-
na&uipaj. ^^^
2/ Ser feita toda obra too inapaeco
imsnetliaa o eogenheiro dtamara e da
coimmmSo qoa para isso nomear.
/pWtody nater^aiiipaga.
dof na constmopio da oor de primeira e
Massor qualidade.
%Jtm!>m' ||MgnetTto da rnaama
cosmttit&b tt seis* pfesracTjei oa mam S
(REPERTORIO DE OFFEMBACH)
eowectaeulofl ier lugar lo
?arfTelaaaeBBte auta
Tereaw,
# culatas,
Mabbad>,
, Isouafngo*
HOJK
Quiuta-feira 20 de abril
Espectculo extraordinario
Grande novidade
SEGUNDA REPRBSBNTACAO
DA
apparalosa opera bofa pbaitastica m 3
actos e 4 qnalroe do maestro Herv
da rauito coobeci Ja opera Ivriea
Fausto de Gnoud.
Disir,ibaico.
Fau/l.......
Vil{qt,im....
Brafiar *'.'
ms
Maruerte ..
CMftla....
IV. Maxi.
COMPANHIA PERNAMBUGANA
na
avega^o costeara por vapor.
Macei, escalas, Penedo e Aracaj.
O vapor nacional Giqm
commandapte Hacedo, se-
guir para os portos acuna no
dia 29 do corrente as cinco
boras da tarde.
Recebe carga' at o dta 28, encommendas, pas-
sageiros e diaheiro a (rete at s i boras da tar-
de do da da sabida: no escriptorio do Forte do
Mallo a. 12.
COMPANHIA PErtNAMBUCANA
DB
Wavgaco tostelra por vapor.
Pirahyba, Nata!, Maceo, ftfossor, Ara-
caij, Cear, afcajab, Acaraca a
Granea.
O vapor Ipyttca commaottaa
te lloara, seguir para os por-
tos cima ao dia 29- do corrente
as 8 hora da tarda. Recebe car-
' ga at o dis, 28, eaeomroendas
pasmgnlroa e dinheiro a frete at ae i hora* da
tarda do dia da ablda : scrinanto no Harta dr-
Batios n. 11
Convidase a familia e aos parale* do aado
Antonio Alves da Foaseca Jnior para assistirem a
ama missa por alma do mesmo finado, na igreja
da ordem terceira da S. Francisco, pelas 7 horas
da inanha do dia 21 do corrente, 1> anniversario
do seu fallecimento. -
mtsmmmmmtmammmmmBsx
Gabinete portngnez
de Iaeiturae
A coraraissao enea regada d) anniversario
desta cevilisadora institoicao qoe leve lugar em 21
de agosto ultimo, roga a todos os distinctss cava-
Iheiros da decorafio, e aquetes que coiieorreram
com os seus donativos de comparecerem boje as 6
li2 horas da tarde no recintho do mesmo Galline-
ta, aflm de ser-Ibes presente a respnsva canta
demonstrativa da roceila e despeca dos meamos
festejos, e em seguida dar pop terminada a sua
missao.
Secretaria em 20 de abril de 1871.
Maaoel F. Vellosr,
1 secrtlrb.
Deparamos h rateo) com ura aanuocio pedin-
do ao Sr flcal para hm^xt saas vistas- para a roa
da Perma (nitio do Livraraento) para prohibir a
reuniao de algumas pessoas, que debaixo de boa
ordem, e sera incoinraodar a visrahanca com can
loria e algazarra. conversan) sentados na calcada,
lerabramos ao autor do aoaonrio o velho adagio
Quem tetn telhado d vid a nao sacodc ptras na
4* visimlu. Cont com noseo.
Usa haoBaol da roa do Livrameolo.
Pede-se ao Sr. fiscal da treguezia de S. Fre
Pedro GoncaWee, que tenha mais moderacao com
familas particulares, e nao pense que S. P.
Um morador.
0 Advogados 0
FBANKLIN tavora a
E
O CASTELLO BRANCO
)g Ra do iipperador n. 43, 1 andar, salajt
J da frente.
00 00 00000 00 i 00
0 Solicitador
O bacharel Francisco da Cunha Cas-
tello Branco tem sea escriptorio de soli-
citador na ra do Imperador n. 43, 1*
an lar, sala da frente.
&& AFERICAO DE 0L1NDA
Tendo-se finalisado o praso marcado pela ranu-
ra municipal para as aferigoes desle municipio,
de pe os e meiidas, s faltando nem so alg ms e-
tabelecimentos da cidade como tambera de Maran-
guape e Beberibe, assim chamamos a aitencao de
todot que at esta data ainda nao ater ram.
O.inda 19 de abril de 1871.
O arrematante,
F. P. Advincnla.
PAR #. *
segtM por esiea atan* a* Mar 4+RmMni
a traur com fiamaaie atattae Irraaai
Vlgarki
Adriana Lina da Cunta Paiva, pretexta contra
o av4*o lo Sr. Antonio Pereira de Msgalhies, pa-
blicado no Diario de Pejnambuco de 12 do eor-
ente, emaelacdo esettwt Rafini, porque em
dita eserawa nao tem parte algama perteocente an
casal d amata Alblaa Pattra Borres porque a
ja w Ihe aotrajau e qoe Ihe toeava, ftcaadn
djreito algum sobre a mesma crata.
Aluga-se
urna casa com sala e dous qnrtos, rectificada de
novo e aluguel commodo, no becco do FnndSo n
S, entrada pela ruado Vlseonde de AHraqnerqne
n. 41, ontr'ora rna da G'oria n. 5 : a tratar na
roa Marqaez de Ollnda o. 60, armazera, cuir'ora
rna da Cadeia do Recife.

Foto
Jt ^
iberia!
CALERA
m
DE PINTURA
a*
errara filela
Daade o dia 7 de abril paitado acha-a* berto e
novo estabelecimento hotograpco cito i rna do
Qabng n. 18. esquina do pateo-ta matriz. Ostraba-
Utos que desde eilao, tem sabido do nossa efllcina
lana geralmente agradado, aando recebidos por
ttfnns com admiraeio pelo extraordinario pro-
graeso que nUaaumente tem tldo a phou graphia,
por outros on alegra, porvarem a pravinda
dotada com um estabelecimento digno d ella, e in-
sontestavelmente o primeiro que nesse genero
tioje possue : tambem nao nos poupamos em censa
ilguma para monla-lo no p em qne se acba, es-
peraodo qne o publico de Pernambuco saber
apreciar nossos esforcos e recompensar nossos sa-
crificios.
Convidamos a todas aquellas pessoas, naeionaee
astrangeiras que tostam das arte, en tiverem
aecessidade de tranalhos de photographia a'visi-
taren o nosso estabelecimento, que estar serapre
iberio e sua disposico todos os dias desde as 7
boras da manhaa at as 'da tarde.
Para os trabalhos de (hotographia possuimos di-
versas machinas dosmelhores atUoros fraseases,
nglezes e allmemcs, como sejam : I.crebours et
Secretan. -lfdrttta|h, Ibamaz leas, Vorgttaoder et
Sonh a wnlf. UltimarneMe retobemos ireB novas
uachinasi sendo urna deltas propria para tomar
johre o mesmo vidro 4 oa 8 knageaa diversas a
soladas, e outra de 6 a 12 imagens diversas a
igualmente soladas, de sorle qne no raso de
zrande concurrencia pederemos retratar sobre
ama nica chapa at 8 pessoas diversas e sola-
das para eartSes e visita, e assfm em menas da
ara quarte de hora despachatmos 8 diffcrenim
pessfjas qne pecara cada nma, urna dnzia de carmes
uals ou menos, ora os seas retratos smente, on
) grupo eom ontras.
Enearregamos-nos exclnsivamenle da direcc
i feitnra dos trabalhos de photographia dei-
tando i penda e talentos do dfetincto mfltor
lilomo, o Sr.
Jorge A. Roth
>s trabalhos de pintara, a aquarela, a oleo, e a
oastel.
O Sr. Roth aeha-se ligado a nossa empresa por
una eecriptura publica, e at o presente tere *>
lesveilado na exeoaao de seus trabalhos.
No nosso estabelecimerto acham-se ejipostoe ou-
tros trabalhos irafortaMi a do Sr. Roth, tanto ara
rainituras aqnarella coma oleo, retratos a
leo, quadros sacros e diversos outros trabalhos.
Tomamos eocoaamendae de retratos oleo tt o
lamnho natural, assim como de quadros eacre*
oara ornamentacao de igrelae ou capellas. Tam-
bem aceitanme encommendas de qnadros histri-
cos.
Asseguramos que os precaa dos divert ira-
oalhos da nossa easa sao rauTasoaveis.
CARTEES DE VISITA NAO COLORIDOS A 46400 A
DDZLA
CARTEES DB VISITA COM O COLORIDO AO NATU-
RAL A 16)1000 A DUZIA
Retintes em miniatura aleo on aquaNa da
Id 20*000 cada nra, indo ooavnaMntenmMe ot-
aixilhado em moldara doarada e regaiandi o
oosto da.tpessoa retratada de i i 4 poegada*
odo o quadro palmo e meio do tamanho.
Julgaaot que bastario os rseos cima para
larmos idea da toante doe tranalhos do neeae
stableciraente, sjuanlo sua perfeicao cada um
'nbn jnlgar por seus prnarias etnos.
As melhores horas para ae nrem retratos a
osso estatoelecimanto sao das 8 horas da maahia -
I da tarde; entretanto de urna hora s 5 da tarde
i casos especiaes pde-se tambem retratar luer peatn.
Nos dias de chava, on por lempo sombro Do-
lemos retratar, e asseguramos que esses diaa sao
M-aaats favoraveis aos trabalhos de photographia
pala docura e persiste**-la da lux, e per termos o
aosso terraco construido com taes proporenee <
oaakoramcohM, que anda ohovendo jorrea jm-
ahom mconfaniante Iba pan fazer-se bello!' aa-
atoa.
____________________.F<-rretra Vil le la
Ama e criado
Precisa se de urna ama pan eoziohsr, e tamtiem
de nm criado : na roa dos Pires, taberna*. M.
Precisa-se alugar nm criado para o servico
interno de ama casa : na ra da mperatru n.^.
Aluga-se ama eserava para cozinhar e com-
prar : oa ra das Fieros o. 7. D-se pee et anaca
casa terrea.
Cfliunieiidador Jos de Mendoan-
ea Alarcio tyalla.
O abaixo assignado teodo de mandar atabar
urna missa por alma de seu sen pre asss chorado
amigo e commitenle, o comraeodador Jos de laoo-
dooca AUrcao Ayalla, fallecido no da 9doe/raa-
te em seu engeaho Bom Jetos do Paco da Laaaa-
ragibe, coa vida aos amigos e prenles da todis-
tincto cidadao para assistirem aquello acto Mu-
gise no dia 20 do crreme (quinta-feira) un con-
vento do Carrao, palas 7 horas, pelo que desde j
aotecpa sen sincero agraderiraento.
________Antonio Climaco Moreira Temporal.
Maaoel Zephenao de Salles a sens lbos agr-
decendo sammamente aos qne se dignaran aoooi-
paohar ao ultimo jazigo oa restos mortaes de sea
cunhado Laizde Pranra Sonto, de aovos soamda
para assistirem urna missa qoe se tem da laaati
na Ordem Terceira do Carrao as 7 .boras da ma-
ntisa, sabbado 24 do correte stimo dia da na
fallecimento.
BojwajaBannan
Convite.
Jornaes Hlastredis hespa-
paDhoes
As pessoas que desejaram conbecer os jornaes
La loda EUyintt Ilustrada e llluslracin Es-
paola y Americana podera mandar aviso na ra
da Cruz n. 5, 1 andar, ou na rna da Imperatriz
n. 48, 1 andar, qoa ae lhes anviaro alguna n-
meros dos mestnos.
E.n abono dos duna jornaes, bastar diier-se
qaetem o primeiro 30 anuos e o 2 16 de publi-
cicao, sem a menor inlerrupoJo. Isto, e o labor-
ioso numero d subscrioteres qaa'contam nt
America e Europa, iodicam a importancia tillara
ra material que conleenj aquellos jornaes.
Parabais esclaraclaaeato, mformarao na agen-
ca.
|rq daa, launa**
eite, qygnanpfVr
iaj^*, enjo biihtte foi caisjjrado
i:s|!
Sr. Jlo
bilbtte foi cnetnradn oa Inia de
*a Rosatto g. IB; aeijra,
aa-tte- mn poder h^tevo a nouh?.
Beelfe, p de abril de 1871.
*we> aftrrto? ds ?
Preelsa-e de ama ama que
corinhe bem e engomme pa-
r ____ ra casa de urna familia equi-
posta de duas pessoas : quem quizer dinja-se a
ra larga do Rosario p. 3S, t* andar.
" ^MrWwQW^*^TrtoQ'
* Eat oes eofenho, ek> asgaaa dittaat
melteira preoisa-se de uo
Iba* agnardcotpi para aar
alambique qoe distila
an-raa-do Dnfln de
.caanrraoia da Ora' w M
A aociedade Uoo a Beneficencia vai mandar
celebrar missa da 7* dia do f*Heeiraento do aao
socio o infeliz Luiz de Franca Sou-o, na igreja da
Veneravol Ordem Terceira de Nosaa Senhora do
Carato, sexta -feira I do correte aa hora da
maahia, a sao pelo presente convidadot todoa a
aotigoe dessa prestante e aridoso fabreida, a as-
sisiirem a este teto de raaiaian e caridad.
Aluua-se uiua-e-ciava par* uounhar : anana
prateoder dirija-se a ra d<> Padr* Floriann o. d).
Boa moradia aa freguezia de
Santo Anin.
Traspassa-se o arrendmento de nm bom so-
brado de ara andar e solio, quintal ajardinado
com cacimba e bomba, casa da banho, galiabaira
etc. Tem esgasto e grandes coraandidade para
ama ou duas familias, pelo lempo de i anana a
quera pagar as bemfeorias, aera urna taaia da-
ppza rara por se acbar ana pe feito estado da Ha*
oea. 11 coasnrvacao, cadeoiorta peto nusow IR>-
gual! da ateriptur : a tratar a roa da vraataaja
"-Jt:____________------.
mmptuTQcav meramm
Um* pnsioa babilUada paopoa-*a a r
SKflaWnRS!
ID" "
anasasf
oa cata
lia: i iraiar. a Gamboa do
Mr'raat
aoMaiaT

J


-f
'.- *w\ m***
K LIQUIDAR
Y:
T
jJiaro
de Pernamimco Quinta
M40EUS0S AMBP.IOJTOS
^ 14000 CADA tJM
Ji com cabos de faia, sendo os matoados de ac muito bom, proprios para carpinas
IfWAwr ?&** roa Nova o. i.
Cadeira americanas
con bracos e asanlos de pallioba: roa Nova, armaze n. 11.
Pregos americanos
d* 3 poUefadas, proprios para barricas, a 80 rs. a fibra: a ra Nova, armazeta
Taxas americanas
cabera recoda de .9/8 dexomprimento, proprias para tamanqaeiros, o tro qaalqoer
misteavcta) toque di hrr aguan, a 80 rs. o maco de me i a libra, ou 8# a caita com 150
macos: roa N'*, armaze* n. 11.
YELQCIPEDES Mt
com doas rodas proproe para hornero, a 200 cada am. E de greca, andando-os vir
custam 150$ cada um : veade-se roa Nova, armazem o. 1 i.
Grampos de pie para segurar roupa
sendo, de andeira, proprios para prendar a roupa qua se bota a seccar em cordas, a
240 rs. a duzia ou 6 a caixa com 38 duzias. E' dar, Bo vender: a roa Nora
PARA MCiE\UO
om recebador o. ooodactor de bagaco. da moenda, levando por si o bagaco na distancia
que se qnixer, economisando o tcabaib de das pessoas. E' talvezo anico que existe
ijesU provincia t tende-se maito banto, roa Nova % 11.
Custodio Jos A4ves < _. onco
socio gerente da casa commercial de Gui-
maraes, Postea C, destt prac*. previne
quem interessar possa, que est promo-
vendo a dissolucao da mesma Urna, e en-
trar em seguida oa respectiva liqudac3o",
sendo que dSo ba letra* pelas qoaes estoja
a firma- reaponsavel, e nem o annupcUnle
as Indi firmar drame a mesma dais*
lucio e. litjuidacao.
Custodio Jos Alves Guimar&es.
.
Padarla e
Aloga-se a padaria no largo da Tamartaeira n.
C25__L<,Q, ParJBaaef, P'Qpri par qualquer
prineiplatite; btm- amo o Mito o inrat ar-
aoafn-da 4"cto : tratar o mamo correr n.
oui______oda.es_a_nb.a da alfaudega n. 3.
Na praca da Independe
aMironofe pe_*ores de o*
enca n. 33 se da di
ooro, pral Mira'
*ec**m, **> qoai tor *qa*fta; e a, mtt
a cornac* vende objectos de ouro enrata
igualmente se tu toda e qnalqaer obra de en
ommenda, e todo qualquer pozasen toada'
arfe
MOFINA
mi CONTINUA
4 mm
FAZENDAS
f.u-1
Aos 5000 covado
DE
Alpacas Lavradas.
Alpacas d cd-es lavradas fioas palo di
minuto preco de 560 e 600 rs. o covado.
S via.
Gambraia de cores moito fina a 240 rs,
o covido.
Chales de merino lisos pelo barato pre-
ga de 2)5 00 cada um. r? de graga I
Ctmbraias transparen'es com um pe-
qnotn de te i lo a IfJSOO a peca.
Ditas sen dtfeito til, 2 5500, 3 e
3*500.
titas tapadas a 3 o 35500 a peca.
Dita tapada muilo fina a 5* a peca.
ajUdapoto fino a 4*. 45500, 44800 e
50000 a pee.
D;to dito largo a 65 a peca.
Dito fraacez noito fino a 95500 a peca.
AModo bom a 4 Dito largo com quatro palmos a 45800
a peca.
Lencos de cambrau de linln finos a
5j550J a duzia.
Casimiras de cores milito finas.
Brim branco e de cor. camisas para )n-
metn, todo por menos que em ontra qoal-
quer parte.
Cbitaa de cores a 160 rs. o covado.
Ditas fiaas a 200 e 240 rs. o covado,
lindos padrees.
Ditas riscadinbos a 160 rs. o covado.
Ditas escuras a 200 rs. o covado, cores
fizas.
Brim pardo traacado a 503 rs. a vara.
Dito de cores trancado pelo barato pre
co de 400 rs. o covado.
Alpacas lavradas a 440 rs. o covado
Casimira escura com doas larguras a 20
o covado.
Cbitaa finas para coberta a 240 rs. o co-
vado.
Lencos com barra de cor a 10400 rs. a
dozia.
Lias com listas de seda a 50Q rs. o co-
vado.
Cambaias Victorias quito baratas.
Lencos brancos de todas as qnalidades.
Chapeos de sol de seda a 80 e 90000.
Roupa feita para borneas, de todas as qaa-
lijadas.
Assim como muitas outras fazendas pro-
prias para senbora e menmos, que seria
en/adonho mencionar.
Convidamos a todas as pessoas que tiverem de comprar fazendas a diiigirem-
se roa Duque de Caxiaa n. 82, para se certificaren! da baratesa e qualidadee das
fazendas que cima mencionamos. ____ _____ ,
JtoffeMM Ite. 9r. irueto V^iaa. Helio, v
Mio na cidade deNaaareih desta provincia,
favor de vir a ra do Imperador n. 18 a ronernir
aquefle negocio qne V. S. se eempromettea reali-
aw, peta terceira chma dest Jornal, era tm
de eienabro prximo pawade, e depois par *
oeiro, pasou eveire e abril, e nal cumprio,
e por este motivo de novo chamado para dito
Om ; pois V. S. se (tere lembrtr me este negocio
de mai9 d oito asnos, e qoaado seshor teo
jh e e actova no estado neet oidade.
CASI U FORTUNA
ba t* m: marco otmt'MU
CRSSm N. S3.
km 2W)00^000.
O abaixo asfistnido tem sempre exposto ven-
da es felices Mlfeetes do- Ka *e Janeiro, pagando
pronpaiBeate, eomo eostoro*. jwiqqer pramo.
BKGOS.___
Inleiro *000.
? Meio 1IO09.
Ruarlo |00.
Man<.el afartiOB Finia.
/V
A1CATHA0 SE 6DY8T
Lltta CONCENTIUOO E TITULADO
O S;> Cuyo: chegou a tirar ao alcatrao a
suri acrimonia e o scu amargor insupperlaveig,
o que o loma raais soluvel. Aproreil?ndo essa
feliz descibert, elle prepara um licor chb-
conlr.i.io iie alcalrAo, o qual, sol) um poqueno
volunte, conten urna grande preporcio de
I-; :iicipio.- aclivos.
" airnirA de Cnyot (Guulron de
Cuyot) po>ue por con$cwtencia tcJas asvan-
tagens da agiu (ia alcalrau ordin.irii, seiu ler
os inconvenientef. Baila doilar d'elle urna
colher de c;:f n'um copo d'.iiiin para b'.er
logo un copo de exccllsnte a^u.i de alcalrio
sem goslo deii;:r.idavel. Csdn qual |io-'ie
d'essa nianelr.i pn'p.'irar a la agua da at
cabio quaivlo d'lla pri-cisa^ o ipip oHcgas
economia de teiiq^i, r.icili e eil;i (i Ii!.ili--J0.i.- ii\.;ii:JM:.:>'- !n ii-.-in "10.
0 AlrulrA. ti? .;.y. i .r.iMii nuil
anUgen muit,^ ii-;:. i ni'-nne
iiierli-;", !> ti- '!,- iit4lu -* lf,
losstt-, Crflan".*.n.
lic4iroJi ?, enipn-rjado como :i.aioro.\.:t, ii- inf'.-:l-i. ^ntiiiMi
EM
um cliu U'uyui uu lint. colherc* de
BEBIDA. f-""1 colher de cafe tova
to>apara unta garafa :
MONCHITES
CATAHRHO Lt BXiG
DEFLUXOS
TSSE PERMiTAZ
IRRITA5O OE PCITO
TOSSE CiONVtSA
e
E FWUEI.TA.OES. Licor woou wn> vm pouco fagu*
AFFECCES DA PELLE
COKICHES
MOLESTIAS DO COURO CABELLUDO
E3 INJEGCSilS. Lma parte de ticrequatro d'utpra (amouHa JaiairamMi* M|>aUi.)
FLUXOS ANTIG05 OU RECENTES
CATARRHO OA BEXICA
O Alc*tr&* de Ouyot foi.expermeiitado com um verdadeiro xito nos
principues hospiUtes de Franca, da Blgica e da Espanha. F#t reconheddo
aue, ara os lempos di calor, elle conslue a bebida a mis hggienica, e so-
oretudo durante os tempos de epidemia. Urna intruccao accompanha cada vidro.
Vende-se na pharmacia e drogara de P, Mau-
rer & comp., ra Baro .da Yictpria. n, 17
MEDALHA
FIGAD06t8ACALHAUFlGAD0DEBACALHAU
ltfo
BRANCO E ESCURO
Delofectnd*o Oio de Hgado da Bietlho,
o Seohor Cherer deo a eilii preciosaprtpara-
(io ihcrapsu'.ica-um teeiro >: sabor agradaveii
ijuentr,humadesuasvrl'j'jf.lhelirain. '
si? tepoManta' de^.'-obpr'.a, que grangeoa a
orne Medallia do honra, TWlgarisea a
i Oleo dcFigadoeSanilhio datiuteclado.
'"s Heaieai o recaium prclorivalmeDsatodoi
oa oalraa. em todas.as moU -lias unde se em-
prei;a o Oleo de Figado de 'mi-
Ver por mais pormenores os relaiopos maai-
cae a.>iecoBtem a noticia qus aceomptoh cae
(rateo.
FM.RlJ6IS.fcO DE CBETRIEB
O Saahar Cbaniar eoaiplatou a na deieo-
kertt a]nnta-do a todara de ferro ao Oleo de
Eical'ito desinfectada. KsU Oleo da Fijado de
BacnVnAo ferrugiueo tem todas as prepriedadei
do oleo e do ferro, digere-se facilmenta e sunca
eauss pristo de Tentre. Portante e preferiiel
is pasa areparars farrugintu (Pilulas ou Xa-
rope), ufarera em todas as doeafas onde se
euianigs o ferro. Tsica pulmonar, bronchites,
,riiim,.i:niie, escrfulas, mpigens, gots, rhsn-
niatismo chronico, calan bes antisos, djspes-
liaa, contalescencias difCceis a fraqueas de
constituido.
Ff/arutacif VF^KVftmK, f. fue tUt Faut. JfJtonlimmrlfe
Vuicsms Usrmaciaacho-saoVINBOe EMXIR d* COCA, escellentcs prepafanoes tomo}.
O TAFFETAVDL!!'/Vt!Oeoiii RNICA paji^urjriscliagas, feridas,eartsdur:se conisder
Os GRANULOS ipK.v 3TH compostas coosraanUtiThees,disenterias, dore dsaatotaaao, etc.
iamo, em lode Janeiro, Duforchulb ctX. Baha, Voreiha lwuoctC1'
Pernambuco, P. Maobbb et O*. Muranhao, FfcftBBUU ei C". Porto Alegre,
V los Iteixo. Pelotas, Airrtao Le vas.___________________________.
AMA.
Precisa-se d'uma ama para coiioha e eouprar,
para om f&njilta d> duas pessoas : f. traur oa
roa Nova de S. RUa, 65.________
Cozinheiro
Preeiaa-sa de om cozisheiro pava pequea fa-
milia : na roa do Quema4o **, boea.

ADVOGADO
Dr. Joaqi'im Corra be Aravjo
67Rpa do Imperador67
&raga pesada.
Sabbado, 15 do correte mei, do meio ia s
duas horas da tarde, subtrabiram de cima de nma
commoda da casa do abaixo assignado, i ra da
Florentina a %>, urna carta de seotenca, enrolada
em un diario.
A pessoa que fez este pe-ado gracejo, qnira
ler a bondade de restituir a dita seateoea ao sig-
natario deste.oa entrega la nesta ispoieaflii, que
se promette pagar, alera de Qcar agradecido.
Macario de Luna Freir.
0 Sr. Miguel Candido de Madeiros
Pialo erogado a vir a esta lypoafapbja.
AMA
pina casa de duas pessoas.
ntidadc pntiita,
A direccio de eMfcrmidaaH cwb os sen? esta-
tatos art. 19, a* por &rmeo da corrcur
Macedo cinco accoes da mesm companbia : para
tra'ar roa do Marquei de Olinda n. 34.
(M DO O
Outr ora ra Nova n. &i cawas
k
GADOR MARITMO
TAMR PM31C0
Novo e qualificado em Lloyds de primera
v classe (A. 1.)
AGENTES WILSORS & HETT
14 fraca do Commerdo14
Este vapor B reboque, con forja para qualquer servico dentro e fura do porto*
est prompto a qualquer bora para o reboque de nav os Mrado! oa Subidos e para
acudir a naufragios, ou a outros quaesqaer sinistros martimos.
Os precos do servico do reboque serio aawpre mdicos e razoaveis, e podem
ser previamente combinados no escriptorio dos agentes, caso que assim o julguem ca-
venieBte.
do eostume.
BUhetes garantido* da pro
vitada. .
O abaixo assignado acaba de vender entre o
seu maito felue bitasetes asorte de 400*000 em
um meio de n. 5*3 ejjm qoarto de n. 1607 com
RUA DA 1MPERATMZ N 56
Grande reduc PECHINCHA SEW IGUAL f
S Leitao- Olircira, proprietai ios iesle bem conhecilo e elegante estabeleci-
a sorte de 100, alm de outras series menor* WMaV avisara aoe, seas araaveis fregtjeiee am gera!, e com especialidade ao sexo
de 40^000 e 201000 da latera que se acabon V siMval, que est3o resfrrvidos a vendern todos os objectos qoe compem o bella sor-
extrahir (188), podendo seus possuidores virem re- tmen%| do seu esta*>f}facimento por precos adajiravelmente commodos, que em ootro
o me^oPZxe ^SoMcS5d; ao resp* Q^' costara o d1o, visto ser a mor parto dos objectos recetlos de conta pto-
uvel publico para vir no sea estabelecimeutc yriaas princtpaes cidades da atamada Europa.,
comprai os felizes bilhetes garantidos, que bc
deixar d* tirar qualqper premio como provo pelo
saos annuncios.
Acham-se venda os amito felire bilhets? gs-
raatidos da 2a parte da; loieriaj era beneficio da
reja de Santa Amaro das. Salinas ( extrahida quintafeira 20. do corrate mez.
fWSipS.
*mtr f' IntelTo 610001
K
De 100*300 para cima.
Into.ro SjkOe
Meio 21700
Qoarto U350
Joao Joaquim da Costa Leita.

Dr. Guiherme Nacgel, medico oca
lista, de volta da sua viagem Baha,
continua a dar coosultas no ?eu escripto-
rio, no caes da Companbia. Feroambuea-
na, s horas acostumadas.
Na pra^a da indepundencii n. 17 preciaa-s
fallar coa os Srs. Uanucl los Goocalves Braga e
Silvestre da Silva GaimarSes a negocio de seu in-
teresa, feto no praso de oito ds.
Advogacia.
O bacbarel Ernesto Alvim da Silva ad-
voga no crime, eivel e conmereio na
villa dakPasse de Camaragibe.
S


O



a|ba dos Pires," it>6rado n. 27,
|irec*-e de urna aaia gue cozinhe
bem, forra oa eserav), tendo boa
conducta, paga-se bem
Solicitador
Vicente Licinio da Cosa C a pallo anliaa a
exercer sus. proflsaio nos auditorios desta provia-
eta> awiiladr rau Aagneta o. 3, e tem escripto-
rio rwdeJtnwwderjB^ae._________________
ratisa-se de ura eaiaeire qoe ienha pratica
de taberna qoe de fiador de sua ctnducta : ao
pateo da Ribeiraa. 13. ________
Hanoel Francisco da Silva, negociante na
villa da Escada, faz publico que per baver outro
de igual nome de hoje por diante assignar-se h
Manoel Francisro da Silva Birro.
Gaixeiro
Precisa-se de um caixeiro qoe techa pratica de
taberna, de 16 a 18 anuos de idade. que d fiador
sua conducta : oa raa do Rangel n. 8._______
Precisa-se fallar com o Sr. Serapio Carnei-
ro de Meno, na rpa Direila n. 55. __________
AMA
Precisa-se de ama
Direita n. 55.
ama : na raa
di
AMA
Offerece-se ama mulher idosa pa-
ra ama de casa de homem solteiro,
oa casa de pooca familia : tratar
no beeco do Padre n. 16.
ATTEINCAO
Pedro Borres de Cveira faz sciente ao corpo do
cotnmereio desta prac, on a
em interessar ros
sa, qoe tendo vendido o estabelecimento que ge
ria em Capoeiras, termo de Agua-Preta, pelo qual
laaa laaasdn a laipaaiihilirtaria do debito da seu
cunhado Jos ioacalves Pontos, de conformidade
eom o contrato celebrado entre si e todos os ere-
dores por ttulos de seo cunhado ; e como de toda
sua rwpoosabilidade s4 exista por pagar doas
letras na importancia de 644*204, de cuja qaan-
ta sia ereaores Heorique MJ Saldanha & C. de
3981744, e Joao Francisco Ferreira Jnior de
243^460, para cajo pagamento vai proceder a
cobranoado restante dae dividas, qoe Qcam a seu
eargo, am de solver dito debito, nico que exis-
te ; o que faco pnblieo para evitar toda e aual
qner dnvida no presente e no falaro. Reeife 18
de abril de 1871
Na roa do Mrquez de Olinda n. 50 tem urna
carta para o Sr. Manoet Gomes Morim.
Offerece-se um menino de idade de H airaos,
chegado ullimameat, para caixeiro de taberna oa
loja : no largo da lineara de S. Jar n. 3.
Offerece-se ama mulher da idade para casa
de hornera solteiro de portas 4 dentro : na roa da
Santa Croa n. 11
CASA DA FORTGItt
Aos 5:0001
Bilhetes garantidos.
\ rarPrimeiro de Marco (ootr'ora roa
Crespo) n. 23 e casas do costme.
O abaixo assignado, tendo vendido nos seos fe-
lizes bflbetes um inteiro n. 1173 eom 5.0*0a, om
inteiro o. 770 eem 90W, um meio n. 543 eom
4004, um inleiro n. 2781 cora 200*000, trea qtur-
tos n. 1607 com 100*, um inteiro n. 1454 eom
100*000 e outras sortes de 40* e 20*000 da
lotera que se acabou de extrabir (188*), convida
aos possuidores a virem receber na conformidad^
do eostome sem descont aleaos.
Acham-se venda oa bilhetes garantidos di
3.* parte das loteras, a beneficio da igreja de
Santo Amaro das Salinas (189.*), que s xtrabir
na auinta-fera 20 do correte.
bnete
Eis algomag das pecbiocbas :
Latas com banba a 80 rs.
Ditas de tambircom baoba a 160 rs.
Paos de pomada a 80 rs.
Frasees de vidrocom banba 240 re.
Ditos com agua de Colonia a 500 re.
Agarba* com cabo para crochet a 4 40 rs.
Bucequiflbas de louga a 140 a rs.
Pecas de babadinho bordado a 700 re.
Sabonetas de menino a 200 rs. e a dozia a 2o.
Peca* de eotremeios com O tiras (12 varas) a 44500 e 24-
Finos espariilbos a 45 e 5$.
Dozias de car rilis com 200 jardas a 4.
Ricos e elegantes leques imiiagao de marfim a 24500.
Leques de madeira pintada a 14500.
Superiores meias cruas para bomeos a 46.
Finissimas meias para senboras a 4, 56 e 96 a dozia.
Finissima* meias cruas para senboras a 404.
Pecas de tranca lisa a 40 rs. e o masso a 360 rs.
Croch preto e branco, fazenda boa, covado a 800 re.
Ca xa com 400 envelcpes a 500 rs.
Pecas de fita para, coa a 400 rs.
Coidae para vestido, masso com 25 e 30 pecas, a 500 e 600 rs.
Baralhos de cartas a 420 re.
Trancas largas de caracol, 42 pecas, 700 rs.
Lencos de cambraiade lioho bordados a 44, 4450O e 26-
Ditos de cambrata bordados a 500 re.
Sabonetes transparentes a 80 rs.
Finissimas tesouras para nabas a 800 rs.
Botoes de setim de todas as cores dozia a 320 rs.
Caixa com 4 papis de agulbas fundo de ouro a 240 rs.
Alm des objectos qoe cima v3o relacionados, existen moitos outros, como te-
jasa : bko de seda branco e preto, lovas de pellica e de seda, ptimas perfumaras, to-
ques de martoa, sndalo e madreperola, botinas para senboras, sapatkibos de setha e
tuecas do meftno, pentes de tartaruga para alisar, as aovas anquinhas, objecto este de
grande novidade, e que ae torna recommendavel s senboras do bom tom, unos espar-
tuos, florea, 6a pata bardar, a moitos outros objectos que se tornam recommendaveis
pala saa eUgaccia a aodicidade dos precos.
Os propriatarios rogam is excelleatissimas senboras a visitarem o seu estabeleci-
mento para se convenceren!, e aquellas que se nao quizarem dar a este trabalbo pode*
rao mandar bascar o que desejarem ver, 00 se Ihes mandarlo levar em suas casas.
O Vapor das Novidades
RUA DA IMPERATRIZ N. 36.
CABELLEIREIRO
A TM\CA MONSTRO
Ba Duque de Caxias n. 59 Io andar
Salao para cortar, barbear, frisar e Ungir os cabellos com aceio
e perfeiqao.
Recebe-se encommendas de todas as qualidades de posticos, tanto para a provin-
cia como para fra della.______________________________________________
Pela segunda vez pede-se aos Srs. Trajano
Cesar de Albuquerque e seu mano Juventino G.
de AJbuquerqne o favor comparecerem loja da
roa da Imperalria a. 48 a negocios que nao igno-
ran).
Em porcao de 100X000 para cima.
Bilhete inteiro 51400
Meto bilhete 2X700
Quarto 1|350
Hanoel Martina Finan.
Joaquim Jos Gonpal-
ves Beltrao
Roa do Trapiche n, 47, 4* andar.
Sacca por todos os paquetes sobre o banco aV
aunno, em Braga, e sobre os segointes lagaa en
Portugal:
Lisboa.
Porte.
Valonea.
Guimaraes.
Ceimbra.
Chaves.
Viseo.
_ Villa do Conde
Arcos de Val de Vex.
rr-i junado CastaUt.
Paute do Lima.
WlkRsaU
Villa-Nova de PaatoHcio.
Lamego.
Lanos.
Covilbla.
AOS 5^00000
fistio i venda os felizes bilhetes da lotera da
iabta, na casa feliz do arco da Coneeigo, loja de
jurives no Reeife. ___________
A"9ffT afana Candida VlleltaT arofeasora
particular, que morn* ou mora em N. S. do 0'
em Govanna. rogada a vir raa do Cabog nu-
mero 2 B.
O cirurgio denUsU P. Maia previne ao pu-
blico que se acha em sea consultorio roa Du-
que da Caxias (ootr'ora Qaeimado) a. 31, para os
irabalhos de saa prossao todos os das olis das
8 as 3 horas da urde, e nos dias de domingos
santificados das 10 as 3.
PeciBa-se
mero 34.
nma ama ; na ra Bella na-
ESCRAVA
Precisa-se alagar ura* eserava, para o servigo
interno e externo d'oo eaba de faaaUia : a ru*
di Crai n. H, arraasem.
Ofcina de marmore
Rus das Cruzes fafimero 11
Gravam-se letras a 00 rs., a podra para as ditas
1 o palmo em quadro.
um s;tio
as immeaces
Precisa-se de
Quem tiver um sitio
das liabas frreas de Apipucos e da de Olin
da, com casa para familia regular e algumas
ructeiras, querendo alugar ou arrendar por
om ou mais anuos : derija se ra do Ca-
boga n. i.________ ______
Atten$io
Urna pessoa habilitada prop5e-se para mestre
de msica de guarda nacional, oa alguma socioda
de fura desta cidade : achara com quem tratar
oo pateo da Ribeira n. 16.
I
Um papagaio, sexta-feira t4 d) correte, com
um pedazo de correte no p, tem o tico peque-
o, tendo um verde claro, omito rallador e eos-
turna chamar cmbrala : quem o pegar e quiier
restituir leva-o a roa do General Victorino oa-
r'ora raa do Sebo n. 14, qoe se recompensar.
nica casa neste genero
14Bna Estrcila 4o Ros*riol4
Compra e vende roupa feita
nova e velrra, objectos de
cosinha e de mesa, e
tudo qoe perten-
ce ao uso do-
mestico.
SEGUROS
MARTIMOS
B
4JOVTRA I Of-Oa
A companbia Iodemoisadora, establocida
aesta praca, toma seguros maritimos sobre
aavios e seus carregameptos e contra fogo
em ediflcio\ m.readorias a mobilias: na
raa do Yigario a. 4, pavimento terreo.
i|tio -de preparatorios.
Jos Soares de Azevedo, prefessor de lingua e
litteratura nacional no gymnasio provincial do Re-
cite, tem aborto em sua casa, raa Bella n. 37,
Um curso de lingua portuguaza ;
de fraacez :
e gaotrapnia;
de historia ;
de pbilosophia;
de rheloriea e potica.
Oa alonaos que quierem frequentar qnalqaer
destas aulas, pdem dirigir-se indicada residen-
cia, aflu de sabertm as horas de cada classe e
mais condiedes de entrada. '
..... '
Au bel seze
COLB GREAM OF IV06ES.
Otte Qreme dalicieuse, aniveraelUtneni rpan-
lue en Anglelerre, o les fcmmes sont si renom-
mes psr la beaut et la transparente de leur
teint, doit sa rpotatlon aux lmeots balsamiqnes
si onotaenx qni la composent, ainsi qo sa cons-
tante efflcael pour adoucir la pean, la rendre
i pin t>lan'^^^ et contribaer l__s_ a la sant et a la
beaut. qui, toujours, sont i___P"ables.
On ^a .M)faanaafle eexMles imutwns de
1 *te0^r*n*^>* *****, PBiUDBS, Ta-
OBIS- M ROUSSKB, RoOBUBS I bA FlQURKy et
ontre tea taobas p_ibiou86 el las JSfxoBKSCK-
ca. Cette Grme ooovienl spcialemeot aux fem-
aes eoeeintfs peor prevenir LE MASQUE, auquel
siles sont snjettes.On s'en sert encor pour eoi-
cner te ftture de sa bler par le roid oa la trjp
graade ebjJeor.
Na Iravessa da na
das Ctims i, l pri-
raeiro andar, da-se di-
Bhelrt sobre peikores
de ooro, prata e brilhan-
tes, seja fial for a qoan-
tia. Na mesma casa com-
pram-se os mesmos me-
laes e pedras.
Precisa-se de orna ama t*** 001
prar e coenuai' aa asa de^paaoi
famflis si tratar na rt do Crespo
n. 18, **dr.
Ama deleite
Precisa-se de orna ama de lelte : na roa
Mrquez do Herval, anilga Concordia a. W.
do


Diario de Pftiattib-.-r Qwjttla M
80
- Abril A* Wl
FABRICA.
&c.
CHAPEOS DE SOL
armo, n. 23 (Afctka Ra Nova}
chegada de um dos socios da Europa, soprio-se
DA
Ra do Barao da Victoria, ea^uiia da Camoda, do f
TWnos honra de participar a nossos numerosos fregueses que com a _
casa com um completo sortimento de chapeos de sel de todas as qualidades como tambem, de todos os materiaes para os mesmos
fabrico, como sejam armacoes de todas as qualidades, sidas, rairins, alpacas e pannos, assim coaso de eapecial cothria, armas
pan caca, chombeirce e polvarinhos. Os chapeos de solterao abatlmento de \1, 15 a 25 por cento, comprando I dinbeiro.

ka
I
US
S5



a

Este antigo estabelecimento, acha-se hoje montado n'uma
escala de poder servir vantajosamente os sens fregueses, atien-
to o grande sortimento de joias d'ouro, prata e brilhantes, que
sempre tem e recebem mensalmente das principaes fabricas da
Europa- cujos presos sao em competiveis e as obras garantidas
de lei.
UOIIEIH V IU AllTE .
lANirApT
Tem a sattsfaclo de participar aos seos numerosos fregnezes, que em vista de ser-Ibes mais commodo, tem ;
estabelecdo urna nova fabrica de chapeos de sol, na ra da Cadeia do Recife n. 9, boje ra do Mrquez de Olinda,
onde achario os pretendentes, muio avultado sortimento de chapeos de sol de todos os procos, qualidades e por pro-
cos mas commodos do que comporta o nosso mercado: convidam especialmente aos Srs. compradores por atacado
darera, sendo possivel suas encommendas, pois poderlo assim serem mais bem servidos, visto poderem escolher as ar-
macoes as tazendas que a demora da fabricaco 6 bem diminuta.
melhor que existe no mercado o por Mean-
lo ftvoMvei^eono sejam ro a 100 rs. a_
velas slearinas a 640 rs. o masso, viiho
por 500 rs. a garrafa e tambem ha mais
bal;
41 RA DO BARAO DA VICTORIA M
Neste novo armazem tem um
variado sortimento de fazendas
fiaucwuu, lugleas, alleiuJIas o to-
das todas se vendem por precos
mdicos, aflm de acreditar a este
aovo armazem.
Cas emir as inglezas,
francezas, de todas as
qualidades, brins de
odres e brancos, colei-
rinhos modernos, cha-
peos de sol de seda,
Unos.
DE
ARRUDA IRMAOS.
RA
aro da Victoria
antiga raa
NOVA
N. 41.
Assim como tem ata, grande
officina de alate, montada com
todos os prepares que ha de melhor,
dirigida por habis artistas, que
pela sua promptidao e perfeicao
nada deixam a desejar.
Roupa de todos os
amanos para homens
meninos.
Por todos os paque
tes recebem-se as me-
mores e mais moder-
nas casemiras que ha
na Eoropa.
RA
M
Pillas assacaradas de Bristol.
NAO CONTEM NEM CALOMELANOS NEM NENHUM
OUTRO MINERAL.
A grande necessidade e falta de um ca-
ihartico ou de urna medicina purgativa, ha
omito que tera sido sentida, tanto pelo po-
vo, como mesmo por meio da faculdade
medica; e ppr isso, infinito o gosto e
prazer que sentimos, em pdennos com
toda a confiaaca e segundado, recommendar
as lulas vegetaes assucaradas de Bristol,
como urna excellente medicina purgativa, a
qual encerra em si todas as partes e mais
ingredientes essehciaes, tornando-se em um
perfeito, seguro e'agradavel cathartico de
familia. Este remedio nao compesto
dessas drogas ordinariamente usadas na
composi5o dessas pululas, que por ahi se
vendem, mas sim, sao preparadas com as
mais finas e superiores qualidades de raizes
medicinaos, hervas e plantas, depois de se
haver cbimicamente extrahido e separado,
os principios activos, ou aquellas partes
ue contem o verdadeiro valor medicinal,
aquellas porches fibrosas inertes e agres-
tes inteiramente destituidas da menor virtu-
de. Entre esses agentes activos ou ingre-
dientes especficos, podemos nomear a po-
iophgtiin, qual segundo a experiencia
mm demonstrado, possu um poder o mais
Jaravilhoso possivel sobre as regioes do
figado, assim como sobre todas as secre-
tes biliosas. Isto de combinaco com o
leptandrin, e mais alguns extractos vege-
taes e drogas altamente valiosas, consti-
tuem e formam urna pilula purgativa, tor-
nando-se por isso muitissimo superior,
qualquer urna outra medicina da mesma
aatureza, que jamis fora apresentado ao
publico. s pilulas vegetaes assucaradas
de Bristol, achar-se-bo sempre um reme-
dio prompto, seguro e eminentemente efi-
caz, para a cura de molestias, taes como
sejam as seguintes.
Hydropesia dosmem-
bros ou do corpo,
E' no elegante ai
qualquer cbefe de familia forec
ai
Iftra
Afluir
. barato,
laios de diversos tamanbos, caixinbas proprias
iara mimos, caf de moca, ervilbas portuguezas e
rancezas, ameixas em frascos, latas e boeetas,
marmelbada de Fernando Rodrigues, coaems,
molhos e mostarda, licores de diversas qualida-
des, doce de goiaba em caixSo e latas, bolaxinhas
de diversos autores, massas para sapas, seclas
randes, azeitonas em baris e latas, vinbos Anos
Porto dos molhores autores, queijos prato e do
reino a 3JO0O e a 3*300 ; o proprletario deste ar-
mazem responsabilisa se pela boa qoalidade dos
gneros vendidos em sea armazem, assim com ga-
rante todo asseio o limpeza, em tinado do qual
convida a seas numerosos fregueres e amigos a vi-
rara visita-lo.
Dspepsia, ou indi-
gesto,
dAstringencia, ou..
priso do ventre
habitual,
Azia do estomago e
flatulencia,
Perda do apetite,
Edtomago sujo,
AffeccSes do figado,
Ictericia,
Hemorrodias,
Mau hlito, e irregu-
laridades do sexo
femenino,
Dores de cabeca.
Em todas as molestias que derivam
sua origem da massa do sangue: a salsa
parrilha de Bristol esse melhor de todo
os purificadores deve ser tomado conjun
lamente com as pilulas, pois que estas
suas medicinas, tendo sido expressamente
preparadas para obrarem de harmona urna
com a outra, quando fielmente assim se faz,
n5o nos resta a menor duvida em dizer,
que nomaior numero dos casos, podemos
affiancar n5o s um grande alivio, como
tambem urna cura prompta e radical, isto
est bem visto, quando o doente nao se
ache n'um estado muito alm dos recursos
humanos.
Acha-se a venda nos estabelecimentos de
A.. Caors, J. da C. Bravo,' 4 C, P.. Maurer
& C, A. A. Barboza, Bartholomeu & C e
pharmacia americana ra doQoeimado n. 45.
Baro da Victoria
aliga r
NOVA
H. 41.
SITIO
i
Um e?tr;ngeiro precisa alagar um pequeo si-
lio, em algum dos arrabaldes desla cidade : ra
do Coramercio n. 40.________
Precisa-se de um bom coiinbeiro ou cozi-
pheira : na ra da Imperador n. 53, 2 andar.
Convida-so um senhora de 40 a 80 annos de
idade, de bons costams, para fazer compannia a
ama outra sategenaria, auancando-'se o bom ra-
tamente : na roa Duque da Caxias, loja de minie-
zas n. 97.
PRIM
s
Este estabelecimento acaba de soffrer urna reforma radical em acceio, artistas e commodos, e em pontoalidade as encom-
mendas, finalmente em tudo aflm de melhor servir os seus numerosos freguezes deixa-se de annunciar todas as fazendas, para
Dio se tornar mateante
ATTENCAO
llraz Jaouario Fernandos & C. com loja de cal-
cado ra do Bom Josas (outr'era roa da Cruz
o. 21), previne a todos os seo devederes que ve-
nham satisfazer os sens dbitos no praso de oito
das, do contraria passarao pe- dissabor de ver
os seus nomes por extenso publicados nesta fo-
iba e cobrado judicialmente.
GRANDE ARMAZEM
DE
eisco n. 54.
Precisa-se de urna ama for-
ra ou escrava, que cozinhe
compre : na ra de S. Pran-
CASA
DO
'fl
LODCA, FOBCEIAM, VIDROS
PRIMEIRO E ANTOJO CONSULTORIO
HOMEOPATHIOO
Dirigido pelo Dr.
SANTOS MELLO
Os habitantes do interior podem-no
I consaltar por escripto, no que serao sa-
tisfeitos cora promptido.
Presta-se tambem a chamados para o
Interior, preco mdica
Consultas, no consultorio das 10 horas
ao meio dia.
Chamados, a qualquer hora.
Aos pobres gratis.
43Ra do Bario da Victoria
(Antiga raa Nova).
Tabellas Vermfugas
Este medicamento o nico que pelo sen bom
aroma e gosto agradavel se torna o mais proprio
para a expolsao das lombrigas. E' fcil de tomar
porque o sea gesto igual ao do chocolate, e de
prompto effeito.
DEPOSITO
Pharmacia americena de Ferreira Mala & C, roa
Duqua de Caxias n. 57.
Grande pechincha
Alpacas de cores de lindos padrdes e de gostoa
inteiramente novos a 260 e 400 rs. o covado ; or-
gandys de cores de padroes modernos a 280 rs. o
covado : a roa Primeiro de Marco (oatr'ora do
Crespo n. 20 A, loja dos arcos.)
Grande liquidadlo
Na raa do Crespo n. 20.
Cambraias pretas e brancas padroes miudos
lerncezas finas a 280 o covado : na loja de Gui-
arfqme.
ralo
Vene-se na praca da lndepeadeofll a. 39, loja
de Porto & Bastos:
Borzeguins de bezerro e de eordavao pira ho-
rnera a H.
Borzeguins de peluca \*ikie para lenboras a o#.
Borzegains do daraqae de cor para staWa
Borzeguins de pbantazia pretos para senhora
3*000.
Pitos de ditc pretot e de cores para minina a
3*000.
E' pechincha, a elle, antes que so aeabem.
Para caeaa de lanilla.
Caixinbas com ama arrcba de batatas das ulti-
mas desembarcadas por i #60011: na raa do A-
morim, armazem n. 46.
ESPELHOS, VIDROS, E MOLDURAS.
A loja da Agota Branca -acaba de receber
um variado sortimecto deespelbos, de mol
duras dourada?, emitando Jacaranda; assim
como vidros, e molduras para quadros, es-
pelhos, ttc, e como de costume os precos
sio commodos.
VENDE-SE
Joaquim Jos Ramos, na roa da Cruz n. 8, i1
andar, vende algodo azul americanos verdadeiro
e pregos' americano n. 3 e II
Vndese barato vidros para espelhos, mui-
to bons, a Latz XV, de 20 a 30 polegadas : na
raa da Imperatriz n. 99, loja de fanileiro.
A's sen horas.
A' cbapelaria da roa Primeiro de Marco n.
acaba de chegar da Europa pelo ultimo vapor am
lindo e variado sortimento de chapeos e chapelinas
da ultima moda, para senhoras, que se vendem
por precos mmto rasoaveis: na mesma chapelaria
ha um grande soriimepte de chapeos de todas as
qualidades para horneas e meninos.__________
Checheo.
Vende-se um elegante checheo, muito
cantador, proprio para um presente : nesta
typograpbia se dir quem vende.
fliaVe)
SEMENTES
DE
HRTAL1CA
CHEGADAS LTIMAMENTE.
Aproveitai o tempo invernoso, ide a armazem
do Campos da ra do Imperador e comprai se
mentes de hortalica das seguintes qualidades, a
saber :
Alface.
Abobora d'agua.
Dita do campo.
Brollos.
Couve gallega.
Dita nabica.
Dita de penca.
Dila tronchuda.
Coentro de touceira.
Ervilha flor branca.
Dita flor rxa.
Dita flor bran:a ras'.eira.
Cebolinbo.
Feijao ervilheiro (7 auno)
Dito papo de rola.
Grellos de cedo.
Espinares*.
Pimentoe?.
Nabos de S. Cosme.
Rabanetes roso-.
Pepinos.
Senoura1;.
Mello.
Melanci.
Tomates grande?.
Selgas.
Beoolbo.
Xicoria.
Sala.
T CDUC-SC M segaintes eagenlos perto da e*-
dade de Mamamguape,
DaaTo Excellente proariadade com ptima
casa de vlvenda, eugenbo e mais cuas precisas,
tudo de podra e cal, e maito bem construido.
rcgUiyd amito bem situado por ser junto do
porto de embarque dos vapores da companbia
iernambucana, e onde tem de findar a estrada de
srre projectada, de Mamangoape.
ItUriCiO situado ao p deste.
Quem pretender qualquer urna destas exceden-
tes propnedades, queira se entender com Tasso
lrmaos & C.
I
KING
OFPAIN
ou
o rei da dor americano
nico deposito do verdadeiro, na pharmacia
americana de Ferreira Maia & C, raa Daque
de Caxias n. 57, antiga do Queiroado.
C0NFE1T0S
D'iodureto de potassio de L. Foucbef.
Estes confeftos teem a vantagem de junto
maior exactidao na dosagem (S conleem orna
Sramma de iodureto de potassio) nao teem o sabor
esagradavel das solocoes : sua efflcacla incon-
testavel, porque o medicamento cbega ao esto-
mago sem ter soffrido a menor alteracio, o que
maitas vezes acontece soluclo pelo metal co-
Iber. que serve para a medir, alom destas a de
mui fcil transporte em viagem, evitando assim
a interrupcao do mdicamente : nico deposito
na pharmacia americana de Ferreira, Maia A C,
raa Duque de Caxias n. 57, antiga do Queimado.
MACH1HAS
a i0(jo0o a serra, para descaro-
(;ar algodo.
Vende-se no. armazem de ). A. Moreira Di as:
rqa da Cruz n. 26.
Aos cigarreiros
Vende-se papel de seda e de linho, em resmas,
dos verdadeiro fabricantes : na raa de Maris e
Barros*ootr'ora ra do Codorniz n. 8._________
Livros classicos.
Para inglez:
Macaulay. Essays.
Lingard. H. of England.
Select Passages.
Motta-grammatica.
Para fraocez:
Regnier-Thetre classique.
Chateaubriand. Goie da christianisme.
Martyrs.
Filon-Narrations.
e todos os mais livros para exames de preparato-
rios.
LIVRARIA FRANCEZA.
Novo Mundo.
Asignaturas para o segando semestre
Rs. 54000.
LIVRARIA FRANCEZA.
Bruno Seabra.
O festejado poeta acaba de presentear a juven-
tade brasileira, com o mais bonito livrinbo para
creancas
Alforge da boa razao
Rs. 1*000.
LIVRARIA FRAxNCEZA
Vende-se
Violoes, violas e quitarrs
na ra da Itoda-n. 39.
maito bem feitas
GRANBE PECHINCHA A 260 e 400 rs.
Alpakas de cores de lindos padroes e de costos
inteiramente novos a 260 e 400 rs. o covado :
Raa { de Marco (oatr'ora do Crespo) n. 20 A,
leja dos Arcos.
COMPRAS.
E
DE
BRELAZ ABT &C
J21 Regent Street W. Lnudres
CONFUTARA
IRA DO IMPERADOR N. 26.
O proprtetario deste estabelecimento avisa ao
eos numernos e bons fregnezes, que acaba de
preparar um grande sortimento des mefljores ge
neroj do mercado para reebtar ae despensas da-
qoellea que tiverera bom paladar e disposicao pa-
ra astar os cobren, no tempo da resta do Platal
Ah enconlrario ei;ellentes presentes de fiambre
jinhosi licores e cognac de todos os fabricantes',
coa oe/veja, marmelada portogueza, ameixas em
. caixiahal conservas francezas e ponafaeas, do-
ce da todas as qualidades seceos e em calda/
Tamben eseontrario bolinhos para as qualidades, bolos trnceles e inglezas, p2tavlo,
fiQdws, tgrtas, a/nendom cinsitada, c ^aaltidad
o optro objcjOT aiaeserl efadech: enarfierieu
CHRYSTAES
I
DE
PER EIRA, IRMAOS
Ra Primeiro de marqo n. 15, outr'ora ra do Crespo n. 15.
Ao respeitavel pablico em geral e particularmente aos seus numerosos amigos
parUcipam Manoel Joaquim Pereira e Manoel Jos da Cosa Pereira, que acaban de
fundar um rico e sumptuoso armazem de louca, porcelana, vidros e chystaei roa
Primeiro de Marco, outr'ora ra do Crespo n. 15, sob a raxo social Pereira Irm5os.
A longa pratica e conbecimentos de que dispem os aonunciautes neste ramo
de commercio, a que, ha moitoa annos, se dedicam, os tem habilitado a salisfazer as
necessidades da populacSo desta provincia e suas limitrophes, offereceodo aos consu-
midores maiores vantagens do que qualquer outro estabelecimento deste genero;
0 respeitavel publico, dignndose de visitar este novo estabelecimento] com-
mercial, verificar por si mesmo o que os aonnuciantes vem de dizer.
COMPRASE
Fraseos vasios da tintura Japoneza; a ra Du
que de Caxias n. 50 e Mrquez de Olinda n. SI.
Compra-se ama cata terrea na freguezia da
Boa-Vista, que tenha 3 ou & quartos, em bom es-
tado : a U-atar na'ra da Imperatriz n. 74.
VENDAS.
------
---------
IkAPELLERIE DES DAMES
Ce magasin vient de reeevoir par La Plata desjolis :bspeanx en vellour, ce qu'ii a de bem
t avec es gamitares des walleur* les pas modernos noas avons r*cu aasai des riches'epots en
tullenofr ton Mille noas nomroes penaas que ce artices qae nous venons deSrocevir c'est ce
qoif a de pos boi------------
doos Rommes
l)om aa mrcli.
Eaado Cabug n. 12, primeiro andar.
. MACHINAS
PARA COSTURA
Chegaram o Bazar Universal da roa No-
va n. 22, um sortimento de machinas pa-
ra costura, das melhores qoalidades tjue
existe na America, das quaes muilas j sao
bem corjhecida8 pelos seus autores, cr-mo
Sfjam Weller A Wilfon, Grover Boka,
silenciosas, Weed e Imperiaes e outras
muitas qoe com a vista deverSo agradar aos
compradores.
Estas machinas teem a vantagem de fa-
zer o trbalho que trinla costureras pdem
fazer diariamente o cozem com tanta per-
feic3o, como as mais perfeitas costoreiras.
Garante-se a sua l-oa qualidade e en-ina-se
a trabalher com purfeici em menos de I
hora, '.qs procos sai iSo resumidos que
d vem agradar aof, pretendentes.
Vende-se ou permuta-se por predios nesta
cidade o engenho Velho sito na freguezia de Ja-
boaiao, com excellente ca-a de vi venda, casa de
engenho, de purgar e de bagaco, ludo de lijlo,
barro e cal, contendo cerca de urna legoa de ter-
reno de sol a norte," e outro tanto em parte do
leste a oeste, com bastante terreno de plantacao
de varzea e ladeiras para safrejar para mais de
3,000 pies, com bastantes malas e terreno suffl
cente para edi3car-se um outro engenho, que
tambem moer :im as agoas do rio Massaiba, as-
sim como o engenho cima dito me com as do
Jaboatlo. O terreno sofficienle para novo enge-
nho conten bastante varzea e ladeiras todas cu-
bertas de matas e :apoeroes: quem pois quizer
fazer qualquer dos negocios cima dito, dirija-se
ao sen proprietario no mesmo engenho.
Azeite e vinagre.
O melhor que tem vindo a este mercado era
caixas de duzia de garrafas : vende-se no eserip-
torio de Cunta & Manta a roa do Mrquez de
Olinda n. 40.
Vende-se urna casa de taina sita na travessa
do Monteiro, freguezia do Poco da Panella : quem
pretender dirija-se ra 4o Mondego n. 8.
Jornaes da Europa.
Asignaturas para todos os jomaos da Europe.
Pontualidade e garanta no servio o.
__________LIVRARIA FRA.NCEZA.___________
Flores para o mez mariario
Na ra estreita co Rosario, sobrade de um an-
dar n. 35, aprompta-se toda encommenda de llo-
res, sendo arcos, capellas, palmas e bonfuets,
tudo proprio para enfeite de altar do mez de Ma-
ra, tem rosas, palmas e bouquets, tudo prompto,
e vende por barato preco, folhas de rosa e dalha
de papel a 1*000.
Vtado.
Vende-se um viado manso maito novo
tar na roa do Mrquez d i Herval n. 4.
a Ir-
Vende-se
um pequeo sitio no Arrala!, bem alvorejado de
fructeras : a tratar no Forte do Mallos, beeco da
oia n. 14 taberna.
A800rs.
Espanadores de palha
dencia n. 39.
na praca da Indepen-
<.it %\i>i:
Par os Sr8. de engeaho ver.
Chila, fazenda bem conheeida pela sua fortidao,
mais larga qoe chita, para roupa de escravos, a
20o rs. o covado na ra do Crespo n. 20, loja do
Guilherme.
Na raa do Mrquez de Olinda n. 50 vende-se
urna prensa para copiar cartas com a competen-
te mesa, per preco commodo. ^^_^__
Jabonete Este novo preparado e applicado com grande
aproveilamento contra as molesliaj de pe le chro-
nicas e rebeldes empigens, manchas escaras en
pannos que vem ao rosto e peilo, borknlhas, tar-
ea, lepra e comfchbes, mesmo aquellas qoe em
certas partes delicadas do corpo tanto mortifican),
Analmente o aso continuado deste sanonete eon-
tnbne para tornar a pelle assis mimosa. E' igual-
mente efficaz para amaeiar a pelle do rosto o;
ootras partes do corpo, que por motivo de erjsi-
pellas beam asneras e escamosas. Preco de cada
saboneta 640 rs.. em dunia se far abatimentn
nico deposito em Pernamboco, pharmacia ame-
ricana de Ferreira Maia & C, raa Duque de Caxias
o, 57, amiga do Queimado.
I
VNDESE
ama casa em Olinda, a ra de Mathias Ferreira
n. U3: quem pretender dirila-se roa do Coto-
vello n. 4. ^^____
ATTENGO
Vende-se urna ardiaeir de Jacaranda com
tampo de pedra quns ro por ma:to pouco di-
nheiro : a possoa iw- quizar dirija-se a Olinda
na roa Jo' Amparo n. JH, casa terrea.
Vende-te um. papagalo muito bonito:
na ra dos Acougunhos n. 8.
Oa^aquinb^s a duqueza
De gorgorao pretfl r 'amenifi enfeitados, rece-
beram-s oa loj* dr. America, ra do Cabug
r. 10.
Ra Nova n. 22
Para este estabelecimento acaba de chegar uii
riqusimo sortimento de objeclo, todos novos, va
quaes sio das seguintes aHdatlea :
Machinas para fazer cale, em cinco minutos, as
quaes fazem o caf com lodo o aroma, e com u-
os quantidade do que se costoma a osar, por se-
rem de um f ystema inteiramente moderno*
Estas pecas importantissimas poden tambem se-
vir para cima de mesa, sendo os sena preeos de
cinco at com mil rcis.
As e.xplicc3esparafazer-s o safe veem empor-
tngnez e inglez.
Tan bem ha para vender neste estabelecuaento
requissimas esleirs brancas e de edres, para fer-
rar salas, por pucos muito baratos. Bem como
maito boas vassouras pira lavar casas Udriloads)
e assoalbadas, as quaes sao de qualidade inteira-
mente nova nes|e morcado.
Vende-se loas carros e um boi grande e
gordo, por preco comnodo : a tratar na roa da
rrincheira n. 30
\

; -


D -rio de'.PernmhQOP- Quinta (eir 20 de Abril d$ JJJP1.

I
M MHIHTOS
r Fraacez, roa
aUttarSo ala Victo
ra (outr'ora roa
Mora) a. f.
Jll S ii
A a rana zea* .da va-
Kr fraacez, ra
Wto da victo-
ria (ontr'ora ra
Nava) f.
Perfumaras, quinquilharias e brinquedos
meninos.
GRANDE LIQUIMC!
Na roa da Imperatriz n. 72 loja da Arara
para
Acabara de chegar novas talaras com importante sortimento dos artigos abaixo mencionados
rejos mais resumido que possivel.
CALCADO
Botinas para senboraa*-duraqae braneo,. preto
* de ootras muius cores escoltadas do ultimo gos
to da moda.
Botinas para meninas igual sortimento.
Sapatinhoa de salto para senboraduraqae pre-
10, braneo e de cores, e de couro de lastro.
Botanas para enancas, proprias de baptisa-
ios.
Botinas de dirersas qoalldades para bomem.
Botas russianas para montarla, tanto inglesas
de couro da Russia para viagera, como francesas figuras e de santos.
Cestinhas para braco de meninas.
Balak para costura.
Caaos d'arame pratiado para frutas a pao a
asa.
Ricos artigos de phantasia necessarios para toi-
lhetes e proprlos de presentes.
Jarros e bouquets de porcelana para santua-
rios.
Registros de papel fino mni delicados.
Snadros promptos para colloear vistas,
olduras douradas para qualros.
Estampas de bellas paysagens de cidades, de
4a Hallar, beterro fino, para passeios.
Malas perneiras para meninos de 10 a 16 au-
tos.
Sapatos da brim braneo para bomens.
Sapatos da vaqueu de lastro cora sola da ma-
eira, proprios para banhos.
Sapatos de borracha para bomens e senhoras.
Sapatos abotinados, de differentes modelos, mu i-
:o bous a fortes para meninos e meninas.
Sapatos da tapete, avelladados, Chartot, casi-
mira preta, de tranca portugueies, para bomens,
horas e meninas.
Perfumaras.
Extractos finos, banhas, cosmticos, leos, opia-
da, aguas da Cologne em garrafas de crystal para
presentes, agua divina, agua florida, dentfrica la
?anda, agua da toilet, tintura para barba e cabel-
los, pomada hongroise para bigodes, pos de arrox
sabonetas, todo isto de primeira qualidade, dos
ibrtantaa Coodray, Piver a Lubin.
Quinquilharias
Latas da pellica brancasJoavin.
elhos grandes dourados para salas, quartos
Laques para senhoras e meninas.
Jqias da ouro, brincos, transelins, pulseiras,
toes de pnubos, de abertura, correntes e chaves
ie relogio, tudo de onro bom de lei.
Brincos de plaqu imitadlo de ouro.
Correntes para relogio.
Abttoaduraa para colletes e para ponhos.
Albuns de velludo e marroquim para retratos.
Mammadeiras de .'idro para enancas.
Caixinhaa de costura, novos modelos com ma-
rica, proprias para presentes.
Quidrinhoe dourados para retratos.
Toaofs a sapatlnhos de lia para criancas.
Capailas pare noivas e para pastoras de pre-
tapios
Gftfanhas com vidros de augmaito para ver-
te t ponto grande a photographia dos retratos.
Fas de vidro para pianos.
Tlieaourinfeas para cosura a unhas.
Boleinhas de seda e de veludTJ.
Espadadores de penas e de palha.
Carteiras para notas e para dinheiro.
Caixinha de msica de dar-se corda.
Pontelras de espuma para cigarros e charutos
Grvalas de seda pretas e de cores.
Bengalas de cana com castoes de marfim.
Ditas de baleia, junco e de muilas qualidades.
Pentas finos de marfim para caspas.
Escovas para fado, para cabello e para denles.
Lunetas ou penclnez de prata dourada.
Ditos de tartaruga e de aco-
Ocolos de prata dourada e da ac.
Reverbero transparente para candieiros.
Ditos para lanternas de pianos.
Cotos econmicos para vellas de spermacete.
Gordas para violao.
Port-pratos para mesa.
Caixinhas de diversos modelos e precos.
Objectos novos de mgicas o melhor possivel,
para divertir meninos.
Malas, saceos e boleas para viagens.
Estojos de viagens, completos com navalhas.
Esporas de metal braneo para saltos.
Chicotes fortes com martello para viagem.
Ditos de muitos modelos, de junco a de baleias.
Lavas de fio de Escocia brancas, e de cores.
Ditas de camurca amaradas.
Machinas para fazer cafe.
Globos de papel de cores para illuminacSes de
feslas campestres.
Baldes de cores, de sabir ao ar fcilmente.
Jogos de domin, da gloria, visporas, rodetes,
bagatela e outros jngos ademaos.
Esterioscopos com as mais bonitas vistas, de
figuras destacadas e grupos de familias.
Armnicos ou aecordions de todos os tamanhos
e novos modelos eom trmulos.
Realejos pequeos eom novas msicas.
Cosmoramas de varios tamanhos, com differen-
tes vistas mui pitoreseas.
Brinquedos
O maior sortimento que se pode desejar de toda
sorte de brinquedos fabricados em diversos partes
da Europa para entretemento das criancas.
SALAO m (MLLHIRO
Ba Primeiro de Mar n. 7 A Io andar.
Nesle bera montado estabelecimento, os amadores da moda enconiraro o qut
na de mais moderno e delicado para ponteados, como sejam: bonitos e exceilentet
okes, trancas, cache-pnes, assim como faz-se lodo e qualquer trbalbo de cabelle
qne se encommendar.
Acha-se tambem o acreditado Tnico Delsoc que se recommenda pela sua ex
cellente composic5o. O dooo deste estabelecimento, d'ora em diante, pode ser pro
corado a qualqoer hora do dia para os misteres de sua proflssao.
Gr adtateles
Vende-se groideatpoles preto >ra ves-
dQ de MDboraa e merinas i Ib, i#800,
34800 e 34 o covado.
Caseaiira rala i l8M a arta
Vende-se cortes de casera ira preta para
calcas de homens a 3J800, 4J, 5J, W e
7O0O.
ATTEN^AO
Precisa-se fallar com os seguintes se-
ntares : a negocio qne Ibe dix respeito, e
de seos interesses, na roa da Imperatriz
n.'7.
Jote Germano Maogabeira Jnior.
Jos da Lala GalvSo.
Jo5o Aotonio dos Santos e Silva.
Manoel Cardoso \ieira de Mello.
Francisco Brito de Mello.
Dr. Ventora de Maroim.
Joaquim Alves da Fonceca.
Francisco Maaoel Aires.
Feliciano da Cuaba Canteante de Albu-
. qnerque.
Dr. Cornelio Teixeira Franca.
Leonardo Jos dos Santos.
Francisco Basilio Cbavier de Mello.
Caitas pretas
Vende-se chitas pretas para loto, a 200,
240, 280 e 320 rs. o corado.
Chitas franeeus escaras
Ven'e-se chitas francesas escoras para
vestidos, a 240, 280 e 320 o covalo, ditas
claras a 320 e 360 rs.
Caitas para caberlas
Vende-te chitas encarnadas para c< ber-
tas a' 320, ditas de cores, largas a 360 e
400 rs. o covado.
Fusta para vestidos
Vende-se fastio para vestidos de senho-
ras, a 360 o covado.
Brillantina branca
Vende-se brilhantina branca para vesti-
dos a 300 re. o covado.
Perelaras finas ptra vestidas
Vende-se percalas Boas para vestidos de
senhoras a 440 rs* covado.
Cissas Trncelas
Ven Je-; e cseas francezas de cores para
vestido de senhoras a 240 e 280 o eovado.
Organdis de cores
Veude-se organdis de cores para vesti-
do de seoboras a 440 e 900 rs. o coado,
Lasinbas para vestidos
Ve ti de te laosianas para vestidos a 400
e 51)0 rs, o covado.
Algodio de lista
Vende-se algodSo.de lista proprio para
roupa de cscravos, por ser;forte a 160 rs.o
covado.
Alpacas de eares
Vende-se alpaca de cores para vestidos,
a 500 e 640 rs. o cvio.
Gaaiu para caifas
Vende-se gangas escoras para calcas de
bomens e rorjpa p?ra meninos a 240 o co-
vado.
Bri de cares em listas
Vende-se brim de cores com lista s dos
lados a 400 rs. o covado; pan liquidar, na
ioja da Arara, roa da Imperatriz n. 72.
Cratatis pretas de seda
Vende-se gravitas pretas de seda, largas
e estreitas a 500 re.
Lencas braiees
Vende-se lencos a 24 a duzia, ditos cbi-
nexes a 3#600, para liqoidar.
Chales de auriao
Vende-se chales de merino estampados,
a U e24500; para liqoidar.
Caberlas de caitas
Vende-se cobertas de cbita Boa a 24$0O,
ditas encarnadas a 34500, ditas forradas a
54, cobertores de algodio com pello a
14400, na liquidacio. -
Caries da gana;a
Vende-se cortes de ganga para saleas de
bomem a 800, ditos de brim de lista, a
14500.
Brim liso
Vende-se brim liso para calcas de traba-
lho a 500 re. o metro.
Brisa parda trancada
Vende-se brim pardo trancado a 700,
800, 900 e 14 o metro.
Bramante a 44800 a metro
Vende-se bramante para leoces e toa-
lbaa por ser muito largo, a 14800 e 24800
o metro.
Aliadla entestado
Vende-se algodio nestadola 900 rs. o
metro.
Pecas de algodio
Vende-se pecas de a'godio com 20 jar-
das a 34800, 54, 64, 64600 e 74.
Pecas de madapolio
Vende-se pegas de madapolio com 24
jardas a 54, 54S00, 64, 64500, 74, 84,
84500 e 104. BB?
Cellarinhss de papel
Vende-se om rest > de collarinhos de pa-
pel a 200 rs. a duzia.
Grande liquidara de reipa feita
Vendem-se palitos de casemiras de cores,
sobrecasacos a 94, ditos fraq :es a 84, di-
tos saceos a 64, ditos pretos, panno bom,
a 84 e 104, ditos de alpaca de cor a 34,
ditos pretos a 34500 e 44. ditos de meia
casemiraa 24, dte s de brim de cores a
14500 e 24; ditos braceos a ?4._
LOJA DA CONQUISTA
Ba do Cabug n. 6
DE
Antonio Francisco dos Santos & 0.
Os propietarios deste nove estabelecimento jolgam de sen dever fazer aprsen-
telo de sea titulo, para obterem do respeitavel publico, :om specialidede de seus
fregoezes, o aoolhimento de qne todos necessitam em sea tirocinio commercial.
A Conquista. n5o garante nem pode dar fazendas a seus freguezes, mas tendo
por divisa coaquistar a todos, para que nao comprem em outras casas, afrma-ftes
que serio tratados com agrado, lealdade e muita moderado nos precos.
A Conquista acbando ser enfadonbo para os le i lores o mencionar o seu grande
sortimento de fazendas finas, apenas desoreve somente as fazerxlas preas e objectos
proprios para a quaresma, como sejam :
Gresdenaple preto de diversas qualidades. z/
Gorgorio. preto para vestidos.
Casaqainhos pretcs de seda.
Ditos ditos de gorguro com cinto.
Manliohas brasileiras para cabeca.
Cbapelinas e chapeos para senhoras, o que Iw de melhor.
Lavas de pellica brancas, pretas e de cores.
Os proprietarios da Conquista prestamse a ir ou mandar com qoalquer objecto
amostra, para qaalqner casa que para-isto Ibes mande nicamente o nome da raae
nomero da morada.
XAMK
FBITORiL

reS 6 I6IT0 ,je differentes umaohos.
xTGIlSaS ,je ferro para COpar cartas.
vUapaS 6 ferro gavalnsadas para telheiros.
i aCllOS de ferro para assucar.
Ar&HOS tniericanos para vanea e ladeira.
MaCinft& -nvm e de cortar fomo,
OamnnOS % mi0 para saceos e atierros. I
VOneZanaS para janellas. i
stes artigos acham-se a vena TloloTIIUia
casa dos importadores OMMlyaa decimaes e ootras.
Skaw, Hawrf.s dr C, Pnrrrtnc
ra da Cura n. 4. XUgAJW fo ferro.
Enxofre Mvnt etc. etc.1
drogara especial
HOMEOPATHia
DE_____
JOS ALVES THENORIO & C.
RA ESTRE1TA DO ROSARIO N. 3.
Jos Alves Thenorio, professor em homeopaibia, tendo-se retirado do
laboratorio homeopatbico e consultorio de seo Ilustre e finado amigo o Dr.
Sabino 0. L. Pinho, quepormnitos annos esliveram sob sua direcc3o, tem-
se estabelecido sob a (Irma de J s Alves Thenorio & C, i roa estreila do
Rosario n. 3, onde, animado pela coufianca com que booraram-n'o os amigos
da bomeopathia, roes offerece e ao respeitavel publico na completo sorti-
mento f> todas as preparares bomeopatbicas conbecidas, recebidas das mais
-acreditadas casas de Londres e Pars, e indgenas, bem como lado qaanto
d respeito a bomeopathia o sua pratica, esperando qne continnem a hnra-
lo com a aesma conQanca, para o qne nao se poopar a esforecs.
PRfigOS DAS ROTICAS
GLBULOS
RABO DE TAT'
ma indegena
Especialidade dospharmaceuticos Ferreira Maia & C.
A tosse convulsa a que apresenta mais pertinacia naquelles que della sof-
frenefaz com qne moitas vezes soecumbam os enfermos, sem que muitos ouiros me
diciimontos applicados consigam resoltados favoraveis, sendo essa affccao tanto maii
grave qaanto menor a idade dos aoeommettidos ; e por isto novos preparados si(
constantemente publicados por meio de pomposos annunetos sem que a sua applicac3(
atieste o que delles se esperva.
Acaba de ser enreqoecida a tberapeatica das diversas molestias do peito, desdi
ayjiarjngite oo mal da garganta al a toberculisacio pulmonar, com o XAROPE PEF-
TORAL AJtEWCANO DE -RABO DE TAT, que tomar o primeiro logar entre todi
os aedicaflientos at hoje para tal m conbecidos. v
O XAROPE PEITORAL AMERICANO DE RABO DE TATL', garantido, pura
mente vegetal e s contere em sua eomposicao a parte medicamentosa da planta vulgar
monto denominada RABO DE TAT', coja propriedade benfica na cura das molestias.
que perteocem aos igaos palaonares foram per pessoas competentes observadas, du
raote tongo lempo e com ptimos resultados cada vez mais crecentes : pelo que nof
jolg;nao8 a^utorisados a compor este xarope que agora presentamos, e a offerece-lo ao
medidos ao poblico.
Poxleiiamos apresentar muitos atlestados b5o s demedeos respetaveis, como
tamben do pablico que tem feitO uzo deste salutar xarope; porm dispensiimos esta
formaHdades para nao cancarmoi o publico, pois que o melhor ttestado que se pdf
aprtaenur sem do vida a. cora completa de milhares de pessoas.
Pederamos citar aqui pessoas que esto completamente restabelecWas das di-
venas molestias de oeito de qae este xarope poderoso medicamenlo, e tem corad<
como aejam a astbma, brfchites, defluxo, catarrbo, tosse convulsa, rooqmdJo, irritael
do iMito e garganta e phthisica pulmonar etc., etc.
tnico deposito om ftrnamboce pharmcia anir:;a.na e Ferfeira Maia A C.
i9-Pn)aede ;itif*a doQjeimado.)
i 5i*! ff*t-:*- cosu J j5>X). Cu dado com as falsl i] ;rc s.
i botica de 12 meditamentos 10
i 24 m
i 36 30,5
I 48 35*'
I 60 40
* 120 700
botka de
TINjmAS
12 medicamentos
24
36
48
60
120
250
100
300
600
1100
m
Sao uteis essas -boticas aes Srs. mdicos, senhores de engenho, fazen-
dewes, chefee de familia, capitana de navios, e em geral a todos quantoe qoi-
serera dedi.ar-se a pratica da bomeopathia.
Medicamentos avutsos pelos precos das ontras drogaras, bem como
Chocolate de Londres e oo Maranho para uso dos doentes em tratamen-
to pelo eystema homeopathko.
AOS 2,000 PALITOTS
POR _____
PRECOS BARATISSIMOS
NA LOJA FLOR DA BOA-VISTA
Palitos de tiaia casmira de 241, 3(J a
Ditos .Je brim psrdo'de 2^, 3.J a 4i$.
Ditos-de alpaca branw e de cor de 30 a 40.
Ditos de alpaca pretf de 2 a 6#.
Ditos de merino preto de 30500 a fld.
ito sobrecaros de panno preto de 120, 200 e 400.
Ca as de brim de 800 rs., 10000 a 20.
Dita de ni'ia simira de 30, 40 a 30.
Pila? d :amira superior de 80, 100 a 120.
48Rua da Imperatriz
JUNTO A- PAOARIA FRANCEZA.
-
RODRIGUES & IRMO
Ra do Mrquez de O] inda n. 6
Vende-ie ara excedente cofre de ferro, i pro-
va de fogo, por prego muito commodo.
48
Carros s
a roa 4o Livramento n. 38 te dir quem tem
is barrocas dat qne trabalhSo ;na alfandega as
es se vendem ranio baratas.
WUtt flHHMttHH
Peca de lia de'linds eflres e boa fa-
'ecas
oda.
VIDROS
*
DE
I
A Esperaos, na Dnqne de Gaxias o. 77 A
(antiga do Queimado) acaba de receber um com-
pleto sortimento de vidros de espelhos para todos
os tamanhos, de 7 a 40 pollegadas. Na mesma
loja tambem se vende diamantes para cortar vi-
dros, todo por barato preco : na roa Duque de
Caxias n. 77 A.
Para saceos e fogaetelros.
NACCOS
PARA. ASSCCAR
CERVEJA DE MABCA
Wa
Engarrafada especialmente para o Brasil.
Charutos de Havana
Lona para velas
Cambraia Victoria
As verdadeiras trazem os nmeros estampados
as pecas e nSo as etiquetas.
- Vendem-se
Em casa de
T. JEFFERIES & C.
46 Ra do Gvmmercio 46
6RINS DE ANGOLA
OS LEGTIMOS
Trazem em cada peca ana bllhe-
te coro o nome
DOS
nicos importadores
T. JEFFERIES & C.
zenda, para vesfos, om 6 covados a
peca por 19JS00 rs.
Ditas de dita, fazenda superior com 65
covados, a peca por 34500 rs.
Vende-ge por corado a qoem n5o preel-
far de comprar peca,
Loj i da America, ra do Cafcag d. 10.
si-s mmmmummmmmmi
Sementes.
Sementes novas de hortalica : na ra do Mr-
quez de Olinda o. 50.
Attenqo
Vende-se urna jardineira de Jacaranda com (am-
po de podra, qna.'i nova, por muito pooeo dinhei-
ro : pessoa qae quizer dirija-se a Olinda na roa
do Amparo n. 29, casa terrea.
FORMAS DE FERRO
para porgar assnear.
MACHINAS EOYPCIAS
Sara descarocar algodio, a precis redazidos: nc
ecife. armazem do Sr. Barroca.
Doce. Doce. Doce.
A' ra de Marcilio Das, outr'ora Direita, d. 91,
se ai-lia um completo sortimento de doce de goia-
ba em caixoes e latas, o que ha de mais fino e
fabricado om toda a perfeicao.
Um completo sortimento de eaixoes de 1 a 4 li-
bras para todos os precos proprios para satisfaz* r
encommendas de fra da capital.
Tambem ha sempre doce de laranja, liraao, ci-
dra e bananas.
Qaem duvidar venha ver, que ir satisfeito com
os pretos e rjualidades. _____
CARROCAS
de ferro e machinas de colares.
Vendem-se cinco earrocas de rodas e eixoa de
ferro e urna grande macbina de collares, a qual
deslilla duas pipas de agurdente por dia : ra
do Mrquez de Herval n. 1!, das 6 as iO da ma-
nida, e das 3 horas da tarde em dian'.e.
A
Vende-?e saceos com farioha de mandioca, me-
drado 18 cuia?, pelo baratsimo preco de 38 cada
sacco; na roa do Mrquez de Olinda n. 40, es-
criptorio.
8E EXTRAORDINARIO.
Algodo azul de 550 rs. o covado a
S0 rs., s se vende peca inteira, cada
ama coro 56 covados : na roa Duque de
Caxias n. 43, antiga do Queimado n. I.
Mil mmmmm
8
Fil preto de seda
Bordado e com salpico* receben se na
leja da America, ra do Cabug n. 10.
Vestidos.
De cambraia fina bordados a capricho :
vede-se por mdico preco: na loja da
America, ra do Cabng n. 10.
Para senhoras
Camizinbas de cambraia transparente
primorosamente bordadas: recoberam-se
na loja da Ameriea, roa do Cabug n. 10
s
;
CONTINUACAO DA GRANDE U-
QUIDACQ DE FAZENDAS LIM-
I AS, A' RA DO DUQUE DE
CAXIAS N. 9.
Chitas finas, claras e escuras a 160,
200, 240 e 280 rs. o covado; cambraias
de core a 200 e 280 rs.'o covado ; alpa-
cas de crei com flores e de listras a 400
e 500 rs. o covado; algodo braneo
48000, 48500 e 58 a peca; madapolio a
48000, 18500 e 58 ; dito largo a 38o00
e 6 ; algodo de listras proprio para
ronpa de escravos a 160 rs. o covado ;
brim pardo trancado e escoro a 500 r$.
a vara ; chale.' de merino lisos a 28 ; di-
tos eslampados a 28500 ; chitas para co-
berta a 2'i0 rs. o covado; cambraia bran-
ca a 28500 e 38 ao corte; dia victoria
fina a 48500, 58 e 58500; loalhas felpa-
das a 8*000 a duzia: lencos braceos a
18600, 28, 28500 e 38 ; ditos grandes a
38500 e i ; ditos de seda pequeos a
500 rs. cada um; ditos de linho nao a
5*500 e 68 a duzia; cambraia para forro
a t*800 a, peca.
8
1
VIDAGO
nico deposito
Pharmacia americana de
Ferreira Maia # 0., ra Du-
que de Caxias d. 57, anti-
ga do Queimado.
Fita especial
para os que fizeram a campaaha do Paraguay. A
aguia branca ra Duque de Caxias n. 52 v-
beu dessa fila.
Vende-se
Superior vinho de uva pura especialUsimo, pas-
to, em 5. e 10. de pipa.
Dito do Porto muito fino em 20. de pipa, pro-
prio para mimo.
Dito dito D. Luiz I em caixas de 12 garrafas.
As quahdades superiores destes vinhos dio a l-
ber dade ao possuidor de garantir aos comprado-
res a pureza de sua preparacao : a tratar na roa
do vigario n. 14, primeiro andar, escriptorio de
Jcs Lopes Davin.__________t____________
PARA ACABAR
Na ra do Mrquez de Olinda n. 39 veo-
de-se os seguintes artigos mais baratos q..
em outra qua!que< parte.
Couro de bezerro.
Couro de lustro.
Couro de.porco.
1 Arreio de carro para 2 estallos
(obra de goslo )
Couro de bezerro
Muito novo e ltimamente chegado vende--
em casa do S. P. Jonston & C. : roa da Senzaia
iNova n. 40.
CEMENTO.
O verdadeiro portland. S se vende na
roa da Madre de Deus n. 22, armazem ta
Je i Mari iris de Barros.
de oqo e sndalo
A aguia branca acaba de receber daqoelles bo-
nitos leques de oqo e de sndalo, obras essas, coja
perfeico ser reconheeida por quem as vir : as-
sim. poi. vairesppareeendo o sortimento do bom,
(H prtecdenles que se dirijan i dita loja na rtia
Duque de Caxias n. 51.
Ferro

Vende se telba de ferro galvanisado de 6, 8, II,
U e 17 palmos, mais barato do que em outra
Sualqaer parle vista da qualidade : na roa 1
e Marco c. 6.
LIQUIDACO
De 1,800 cortes de casimira
Cortes de casimira de cor fazenda superior lisos
e de qoadros a 48000 e 58000 o corte, casimira
preta superior pelo baratissimo preco de 18500 o
eovado, cambraia organdys miudinhas padrdes
modernos a 260 rs. o eovad, leos de cassa c ni
barras de sor p'fluenos a 12D r. eada um, alpa-
cas pretas com flores brancas superior qualida-
de a 500 r-\ o covado, cambraias de cotes a
2i0 rr. o eovado, chitas a 160j 200 r. o eova-
do, chita* chintzas a 2iO r?. o covado. caaibraia
Victoria lioa a 5 f 00 a peca, mad-polo a ofOOO
a pe?a, aigoi a 38080 a peca : na roa do Gres-
4V5 n. 20, leja do Gailhorine.
auno
Vende-se um cavaWBisso pedrer, ania baiso,
novo e seai achaqwrpara ver roa di Woti
na cocbaira n. fiO, o tratar ra do Mrquez d<|
Olinda, essriptorio n. W.
Yead>;e ama taberna sita na cida le da
Olrad?, prr.pr.a wra principiante, ij;m afregue^-
f!i, ". i-o*o i) staju1 d' cv.- pife evjdhf..
orna pttailii i.' rw do A'i.pnro i.
t9, r n Jvf'-, ga J
os Sr: 4 .} .' a"11*' '
Lrj de Gaspar A. V. Goimares.
Lias com reselas de seda, fazenda superior e
mais larga que chita franceza a 500 rs. o covado.
Dita com listas a 360 rs. o.covado, chitas miu-
dinhas a 200 rs. o covado.
Dita superior a 210 reis o covado. dita 160 rs.
Dita matisada a 200 rs. o corado.
Dita escoceza de cores fhcas a 210 rs.
Cambraias di cures fixas a 280 rs.
Ditas brancas a 48, 4*500, 18800, 58000 e
58500 a pees,
Madapolo bom a 18900 a poca.
' Dito a 58, 58800 e 68 re. a peca.
Roa do Duque de Caxias o. 13, aatiga ra do
Qoeimano n. !__________________________
Plvora barata paira acabar
Vende-se plvora fina para caja, em latas ts
libras, meias e quartas,assim codo a granel em'
barris para caca e featej* : para ver a mostra e
tratar na ra da Croz n. i6, (armazem) com An-
tonio Cesano Moreira Dias._______________
Pedras grandes para nioinhos,
A' venda no armazem de Joaquim Lopes Macha- *
do t C, travessa do Corpo Santo n. 25.
BATATAS
a 60 ris a liara, 140 c kilo e I800 a arroba.
Polvo secco e bacalho grande de caixa : ven-
dem. Pocas & C, a ra estretta do Rosario n. 9,
Junto a igreja.
Portas americanas
Vende-se portas americanas omito bem feitas
e to bara'a; que i au dandi-so bzer aqu anda
em mais s madeira : no aimazem da hela
amarells, no oilo da secretaria de polica.
pe cli tica s em igual.
Superiores iaa> escocrzasde cores muito lBda>,
fazenda de gosto pva vestidos a ICO rs. o cova-
do vende-re na ra Primeiro de margo, onir'o-
ra do Crespo o. 13, loja das colomnas, de Anto-
nio Corre"! de Vasconcellof.
A caixa fil:l do banco do Brasil em liduidacj
yende por commdo preco a 'asa terrea sita i iaa
imperial o. 6o : traUr na mesma
do Mrquez de Uiinda n. 49.
aixa, a ri.
A1W6J5
A DUZIA
de pares dgitos detranca do Porta, i
scrrirdus : v-nde-se na prsca da l>d*pend*r-,
i.urror. 23.
. Vi'nd
. o ...


/
rJ.tttu ue re.xiauDuoo (furnia eA 20 ^e Abril le lfcl.
RIVAL SEM SEGUNDO
HA DUQUE BE CAXIAS N. 49.
iot Sigtdiao, com lija de uiu.eta,
isa a iod'S os os fregaezes qaa eett
torrando ludo pilo or*to a vist da fzeo-
da, yara todos admirar, a saber :
Grosas (!e boi5iS de louca branca a 120
Capachos mu to benitos a 7(e 800
Caixaj enm 100 eovelnpes fajeada
fina a BW, 6'0e 800
Pares de sapa loa de 13a para me-
ninos a 320
Espedios de moldara doorada a
801) e 10000
Pames pretos volleadus para me-
ninas a 240
Timeiros com tioia preta a 80 e 100
Pegas de fita elstica muito fina a OO
Latas com superior banba 60,! i i0 e 2( 0
Latas grandes com supe ior haiiha a 320
Frascos com oleo de Philocome a
500 e 8 0
Frascos com macass Peruia a 24u
Caixs com 12 sab netes mi ito
tinos a I000
Frascos com agua de Color.-a verda-
dein a 1000
Ditos com oleo de ba )osa suderior a 320
Sylla'iario* pwingaet bvro mui'.o
bom para enancas a 400
CarnitH de retrot preto com 2
oitavas a 600
fii as toujuinhas de fi para me-
ninos a 200
Caisas com agoloasfraoceas a 160 120
Pecas de liras borJadas a 503, 600
800 e lpCO
Orlas com alfiaetes francezes a 240
Gamita com a verdadeire agua
Crida a 1,5300
C- mais aoderoas a 400
Livro das missoae abrevarlas a 1*500
Copos grandes com sure ior banba 1*500
Macos de pallitos para dentes o
melbor que ba a 160
Pacones com 3 saDone'.es inglezes
fazenda iua a 200
Clisas c m pos para lim ar dentes
f /crida lina a 200
Escoras muito finas para liapar os
dsntesa 240
MMDABBSMlIft
lililIJATil
A RA DA IMERATRIZ N. 60
Epe

DE
antreita.
|m lar aceui I-
r vmctr pn .
7 fKSft^*0'1* pefia'flW* par
*+m6H4l*< iluiga m msdsna, fo coa
feliz resultado ensatada pels mais habis e reco-
nbeeidos mdicos, por alias eoaflrmado ser esta
iaistea a nica qo* riititilainnu cara en menos
tenso qualcjuer agnorrha on purgaco aoiiga > i
moerna, fetti o auxilio de outros cnecHeateutos.
E' tambem til as leucorreas ou flores branca*,
quer sejana saigas ou nauaf as.
DEPOSITO
Na pharmacia americaM, ra Duque de Canias
______________numero 57.
Em CtadeTHEUDORQ HRlSTA
SEN, ra de Cna n. 18, eeaontram-s*
efectivamente todas as qnalidades de viab<
Bnrdean, Borgegae e do Rbeno.
A' AGUIA BRANCA
IfW M
RIJA DUQUE DE CAXIAS N. 50
(Outr'ora Queimado n. 8.)
FELfX PEREIRA DA SILVA ft C.
Os proprietarios deste importante estabelecimento qoerndo diminuir o grande
depotito que team de fazndas, resolvern? liquida-las, azendo par oooseguinte orna
grande redcelo nos precos das mesmas, afim de pelerem veode-las por precos, mais
baratos, do que se encootra em oulra qoalquer parte, per isso convidan ao reipeita-
vel publico e a seus numerosos freguezes, virem eortir-se em aeu astabelecimento,
certos de que endurara" > um variadissimo sortimento de fazndas mederaaae do mais
arralo gesto; alm e um graa le sortimento das fazndas da prime ra necescidade.
ludo por preces muito commodos, visto terem os pr>>prietario adoptado o systema de
s venderem a dwbei o para poderem \ender pelo costo. As pasaoas que negociam
em pequea escala poderlo fazer seos b< rtimentos nesta toja e armazem, pelos mesmos
precos que se compra as casas inglezas (importaderas), assim como para mais com-
modidade das Exmas., familias se daro as amorras de todas as f mandam lerar peloa caixeiros, em saas casas para eacolberem.
1 1OT1 BMUNGL
empre a rVova nsperancaf!
AO BELLO SEXO.
Eta loja -bem coobecida pela sua elegancia e
soperioridade de seos objectos, acaba de receber
muitos artigos para o que respetosamente convida
ao bello sexo a vizita-l, aim de compraren) aquil-
lo qn irecisarera para preparos de vestidos toi-
lete nu tocadores, e mesmo qaalquer objecto para
(azor algum prezente,..|pois qae s j na Nova Espe-
ranc.i (icario satNfeilo?, j pela qiialidade e pro-
cos razoaveis, e mesmo por qne a Nova Esperan-
Ca ufaua-?e em nao se impacientar em dar a es-
colhe-r os objoctos, prestando-se com o agrado
oro )ue cotuina receber a todos, afim de que
sjibara cora o firme proposito de voltarem on
iandarem a mesma loja, logo que precisem de
qual |ucr artigo por pequeo que seja.
LVAS iDE PELLICA.
Recebeuas de Lisboa a Nova Esperanca para
homens, senhora c meoinos. sendo brancas e de
coras.
NOYIDADE.
Bien de quipurc preto com branco, a Nova Es-
P^raijca 6 s quem lem I 11
Caixas para joias.
A Nova Esperanca receben boas caixas de san-
i i para guardar joias.
Fitas largas para cintos.
tecobcu as de muius qualidades a Nova Espe-
rnca.
Para extinguir panos ou sardas.
n Nova Esperanca tem leite de rosas brancas.
Para tingir cabellos.
Tem a Nova Esperanca a verdadeira tinta in-
g:eza.
Para refrescar a pelleeaformozia-la.
A Nova Esper:.nca ra Duque de Gaxias n. 63,
vende verdadeira albina branca de Lais.
Perfumaras
As melbore9, e do mais conhecido fabricante,
.tito francez como inglez, estao expostas venda
na roa Duque de Caitas n. 63, na Nova Espe-
ra np>.
Extractos, banba, oleo, sabonetes, agoas de co-
lonia, de lanroja, florida e de lavande, etc., ele,
(udo de superior qualid?de : vende-se na Nova
K-),(ranca i ra Duque de Caxias n. 63.
f f !
Agora sm
\ Nova E?peranea, a ra Duque de Caxias n-
63, rceebeu um lindo sortimento de lia para bor.
dar, vindo as cores mais procuradas, branca, pre-
ta, ^carate etc. etc. a ella antes que ae acabe I
Favas.
V !i].!e-.;e a retalho a 160 o kilograramo
padaria da ra do Rangel n. 9.
na
Para aabstitatr a grande falta de madoiras do
paiz, a uoica e eompetenle para isso, o pinho de
rezin, qae na* tendo branco, deve ser preferido
ao le uro, nos forros de casas, e outras obras qne
requeren) gosto e duracao (fallamos por expe-
riencia propria), e quem duvidar que experimen-
te ; por isso temos venda um sortimento deata
madira de nosea encommenda, composto de ta-
boasdedilTorcotes grossuras, larguras, e'campri-
mentes para fazerera-se obras sera emendas ; ac-
cresiendo de mais a vantsgem no preeo por que
sft venda no armazem de madeiras de pinho de
Paulo Jos Gomes A Climaco, caes 11 de NoYem-
bro, ritan da secreiaria de polica n. 4.
Chocolate homeopatnico de Loodres e do Ma-
lanho, vende-se na ra estreita do Rosario n. 13,
drogara homeopathica.
SAL.
Vende, Jo Dias Soares (em Maco) superior
superior sal em podra, o alqueire a 400 rs, para
barcaca, e 440 res para navios, pono a bordo,
emb;,rcando-5e nnalqaer encommenda por maior
que ''ji com toda a presteza possivel. Ple tra-
tar se travesa da Madre de Deus n. 1, f an-
tar, com Antonio Pereira de Miranda.
Vende-se um guarda roupa de mogno, obra
importante, com esperho de 45 polegadas de com-
ri 11 e 2'i de largura, em perf ilo estado, e mul-
tes outro* objectos de urna pessoa que se retirou
para Europa : podem ser vistos na roa das Cru-
ces n. 38,1 andar, das 10 horas da manha as 3
Aos cigarreiros.
Vende-se papel de seda em caixinhas, assim co-
mo dito de lioho em resmas, e por preco cemmo-
oo : a tratar na ra de Matiz Barros n. 8, oulr'ora
do Codorniz.
nnTaJlfVH' pir5e nteiraraente novos
SrnarU8l"/'--OC0*'dO- Ca>6aS ******
flxas e padr5s tmduMmog a !80 ,,0 -
vado, lias a 400 o 260 rs. o J**U*SSL
boa : na I, ja dos arco?, rna do Crespo n 20 A
equina da na das Cruz s. '
Uavallo.
Vesdo-ao um excetlente cavallo de sella com
bota andares: trata-se na ra da Imperatriz n.
.a do Pivio.
CORTINADOS PARA CAMAS E JANEL-
L4S A 84,-100. 12, m E zOJOOO-
No Bazar do Pavao vender om grande
sortimento dos melhores cortina los borda-
dos para cimas e janelbs que so veadem
de 8 o par at 250, pecbocba na roa da
Imperatriz n 60 3aar do Pavao.
Poupenas de se ia s o Pavlo.
Recebemos um dos mais brilbantes sor-
timentos das mais modernas e lindas peupe-
linas de seda e Itabo, com delicadissimps
nadres, assentados na< mais modernas
cores, e ver.dem-se por menos do que em
ootra qnalqner parte, no Bazar do Pavao
ra da imperatriz o. 60.
Sedas de listinbas a 24 o corado.
Vtndem-fe bonitas sedas de listinbas com
lindase moieroas cores, pelo barata preco
de 24 o covado, no Bazar'do Pavlo, ra
da Imperatriz n. 60, de Pe-eira da Silva & C.
.azinbas modernas com Hs-
trase meada de seda a 40
rs. o covado.
Chegou parado Basar do Pav5o um ple-
gante sorijq6tito das mas modernas 13a-
zinbas com listras e mselas de seda, pro-
prias para ve.-tidos, sendo fazenda demoita
phaatasia, e Ijqoid^m-se pelo barato preco
de 640 rs. o covado, pechiocba, na roa
da Imperatriz n. 60 loja e Perei.a da Sil-
va & C.
MERINOS ESCOSSEZES A 800 RS. O CO-
VADO.
Venddm-se os mais modernos merinos es-
cossezes, proprios para vestidos e boraous,
sendj oeste artigo o melbor que tem tiodo
ao mercado, e liqcidam-se pelo baratissi-
mo preco de 800 rs. o covado.
POIL DE CHVRE A 5C0 RS. O COVADO.
Vende-se purissimo poil de cbevr com
as mais delicadas cores para vestidos, tendo
escuras e alegres e sendo muito lustrosos
e liquidam-se a 500 rs. o covado, sendo
fazenda para muito mais diobeiro, uto no
Bazar do Pav5o, roa da Imperatriz n. 60,
de Pereira da Silva C.
LINDAS AGRACIANNAS A 560 RS. O CO.
VADO.
Vende-se no Bazar do PavSo um boBito
sortimento das mais lindas agraziannas para
vestidos, tendo listras de seda, as quaee se
vendem peto baraiissimo preco de 560 rs.
o covado, sendo fazenda que vale muito
mais dinbe ro, pecbocba na ra da Impa-
ratriz n. 60, do Pereira da Silva A C
CAMISAS INGLEZAS.
No Bazar do PavSo vende-se um grande
sortimento de camisas iuglezas e fraacezas
com peilos e puchos de linho, sendo das
melhores e idilios mais modernos que tem
vindo ao mercado, por precos mais baratos
d" qoe em outra qualqaer parte, por se ter
feito urna grande compra ; oade o fregaez
encontrar para todos os precos, ditas com
peitos e punbos. de algodio, trmbem em
grande qiantidade e de variedade de pre-
cos. E' pecbincba na roa da Imperatriz
n. 60
^ LASINHAS A DOUS T0STE5
S oo Bazar do Pavao vendem-se bareges
ou ISasinhas transparentes, com delicadas
cores, pelo barato preco da 200 rs. o
covado, pechincha.' roa da Imperatriz
-n. 60, loja de F Pereira da Silva 4 C.
Chitas a 200 rs.
Chitas a 200 rs.
Chitas a 200 rs.
O Pav3o vende bonitas chitas largas e de
cores fixas (,eto barato preco de 200 re.
o covado.
Laas garibaldinas, covado a 320 rs.
No Bazar do Pavlo vende-se um elegante
sortimento de bonitas 15as garibaldinas,
de tolas as cores, pelo baratissimo preco
de 320 rs. o covado, na raa da Impera-
triz n. 60.
Panno preta do pavao corado a 24600 rs.
Vende-se panno preto fino pelo barato
preco de 2000 e 24500, o;covado,
grande pichincha ra da Imperatriz n.
60, Bazar de F. Pereira da Silva 4 C.
Bramante do pari on crrgaellas a 74 a peca
Vende-se urna grande percao de pecas
de bramante de hnho de urna s largura,
sendo fazenda propria para lencoes, toalhasi
cerou'as etc, teodo 20 jardas cada peca,
pelo baratissimo preco de 74000 a peca,
grande pecbincba; na roa 1a Imperatriz
o. 60 Bazar de 'ereira da Silva t C.
Espanilhos do pavo a 44000
Venle-se espartilos modernos de todos
os taroanbos, pelo barato preco de 49000
cada um; na ra da Imperatriz n. 60 Bazar
de F. Pereira da Silva A C.
Saias bardadas 4o Pavio a 84000
Vende-se ricas saias bordadas con 4
najmos pelo barato preco de 8J0OO, sendo
frienda que sempre se vende a i5400(
e 164000, assim como panno proprio
para sata' sendo com pregas e bordados,
vende-se a 14280, 14400 e I460O o metiv,
tiendo apenas preciso para cada saia 3 1/2
metros, pecbin;ha; na roa da Imperatriz,
n. 60. de F. Pe-eira ft Silva dr C.
fortes decolla a 24000
Vende-se cortes de chitas franeezas tendo
tO ovados cada um, pelo baratissimo pre-
90 de 24000; ac Bazar do PavSo, ra da
imperatriz n- 0 de F. Pereira da Silva &
G.
LASINHAS A BENOITON A 400 RS. O
COVADO.
Cbegoo para o Bazar do Pavao om gran-
de s rlimento de iindissimas laazinnas
Benoiton com as cores ais lindas e mo-
dernas, sendo de urna s cor e teado azul,
lyrio, violeta, peroila, roto, ciozento e Ce
muito boa qualidade, que se vendem pelo
baratissimo ptego 4a um cruzado o cova-
do, por baver grande pergo, sa n8o seiia
para muito mais diobeiro, isto ra roa da
Imperatriz n. 60, lo,a de Pereira da Silva
& C.
CRETONE FORTE PARA LENCES A 24
CADA METRO.
Chegou para o Bazar da Pavlo orna
grande porcao de verdadeiro crlone forte
para lences sendo muito encorpada e boa
fazenda com 10 palmos de largara sendo
preciso apeoas para cada lanool um metro
e urna quarta ou om metro e meio, Wstol
que a largura da fazenda da o comprimen-
to do teaco!; grande pecbincba a 24000 o
metro na roa da Imperatriz o. 6 loja de
Pereira da Silva & C.
OS BRAMANTES DO PAVO A 148:OE
24608.
Vende-se superior bramante de algodao
com 10 palmos de largara, proprio para
lences pelo barato preco de 14800 ra., di-
to de linbo poro com a mesma largura
24500, d to francez o mais superior que
tem vindo ao mercado a 44 e 54000 rs. a
vara, isto na ra da Imperatriz n. 60, loja
de Pereira da Siiva & C.
LUTO BARATO, CASSAS PRETAS
A 240 RS,
Vende-se no Bazar do Pavao a roa da
Imperatrit n. 60, cassas pretas franeezas
para loto por nao estarem bem pretas*
assim como chitas toda preta, porepa tams
bem com defeito na cor, mas muito forte
aiinr o vivado a ^.6^' 1?s.lre.? ^nre" & ventre. veBt<>-
a izu rs. o covauo, e peemoena ae ferejjt^ da Silva & Comp.
CASSAS FRANCEZAS COVADO A 3O0 RS,
Vendem-se cassas de cor verdadeira*
mente franeezas com delicados padroes e
com desenbos iudos e graudos a 300 rs.
cada covado, ditas inglezas Bnas bonitas a
200 e ato rs. ; pecnincba do Pavo.
TARLATANAS L1STRADAS PARA
PARTIDAS.
Chegou um elegante sortimento das mais
bonitas tarlataoas com listras, teado de to-
das as cores, sendo de muita phantasia e
muito proprias para veados de baile a
vendem-se no Bazar do PavSo a ra da
Imperatriz o. 60.
PEQAS DE MADAPOLO ENFESTADO
A 34000
Vendem-se peaas de madapejfo enfes-
ado, francez com H metros a 34000 rs. a
peca; pe:hincha no Bazar do Pavao a ra
da Imperatriz n. 60.
CAZAQUINHOS E BASQUINAS DE SEDA
A 184 204 E 254000.
Chegou para o Bazar do Pavao um.gran-
qe sortimento de ricas basquinas ou casa-
duinbos de seda pretos ricamente enfeita-
pos, sondo de s modelos mais modernos que
tem vindo o vendem-se a 184, 20| e 254
na raa da Imperatriz n. 60 loja de Pe-
reira da Silva & C.
RICOS CHALES PRETOS COM FRANJAS
LARGAS.
Chegou para o Bazar do Pavlo om gran-
be sortimento dos melhores chales pretos
dordados a seda, com franjas muito largas
de retroz, e vendem-se muito em conta, na
roa da Imperatriz n. 60. Bazar do Pavao.'
Poupelinas do Jap2o a 500 rs. o covado.
No Bazar do ?avlo vendem-se delicadas
poupelinas do Jap5o, para vestidos, sen-
do padroes inglezes, pelo barato preco
de 500 rs. o covado, ditas transparentes
de ama s cor e muito lustrosas a 500 rs.
ditas a hlO, bonitas ISasinhas a Benoiton,
com delicadas cores a 410 rs., ditas poil de
chvr a 560r b ditas corr listras de seda a
640 rs. todas estas 13as s3o de grande van-
tagem em precos e liqnidam-se ra da
Imperatriz n. 60.
LAZINHAS AMAZONAS COM PALMAS
DE SEDA A 600 RS.
Vende-se um elegante sortimento de 13a-
zinbas amazonas muito lindi.se :om as mais
delicadas palmas de sena, tendo largara'
de chita francesa, e cam as cores mais
novas que tem vindo ao mercado, e liqni-
dam-se pelo barato preco de 800 rs, o co-
vado, no Bazar do Pavlo a ra da Impera-
triz n. 60 de Pareira da Silva & C.
CHITAS BARATAS
Chitas a 200 rs.
Chitas a 240 rs.
Chitas a 200 ra.
Chitas a 240 rs.
Chitas a 2 JO rs.
Chitas a 2li) rs.
No Bazar do Pav3o venie-ss urna grande
porcSo de chitas fiaras e escuras, miadas
e gran las e de muito bom gosto, pelo ba-
rato pre^o de dous tostes e doze vintens
o covado pediucna, rna da Imperatriz
n. 60 de F. Pereira da Silva & C.
Chales de renda a
O Pavlo vende grao
preta sem defeito alga
tas a 24500 rs., e de tres ponas a 14600
re. pecbincba, no Bazar do Pavao.
nico legalmente autorisado e approvado
pelo corrseMio de sade.
l'MCO DEPOSITO
em
PERNAMBUCO
Pharmacia e drogaria
de
BARTHOLOMEU ; C.
34Ra iarga do Rosario34.
CAFE PpTlW
A' ESCAMONEA
De B,N Barral
Pharnaaeentleo-C bisulco -
A utilidade dos purgantes nao soffre demons-
tra ;o algama; a prescriocao diaria que deile?
fazem os mdicos e o uso anda mais freqaente
feito pelo publico sao' provas irrefragaveis tanto
como a qnantidade i.nnumeraval deste genero. So
falu aperfeicoar cada ve> mais o modo do admi-
mstracao, do nuoaira i#< conservando a sua ae-
cao, elles poesam aer tomados sem repugnancia
nem asco e sobretudo sem receio nem perigo.
Muitos purgantes afamados s devem este bom
xito ao sen etfeito intense e exeessivo. D' lii i
pengo. porque irriacoes de estomago, inflaojraa
coes de eniraohas sao inevitavelmente o resulta
do do seu emprego. Nada disso tem-se de recear
com o caf purgativo.
Todos conoecem por experiencia o aroma sua-
ve e o efleito ligeiramente tnico e excitante de
caf. Elle o melhor auxiliar dos purgantes dos
quaes disfarea o ebeiro o sabor e a)uda a ac "
sllicitandu vagarosamente os movimentoe pe:
talticos de intestino, e prevenindo o sen effeito
muito intenso sobre o eslutoago. Misturado com
escamonea, facilita as evaenac5es cor promptidu
e sem clicas, e torna-se um.purgante brando,
certo, fcil a tomar e prefervel a todos os outros
salvo urna indieacio especial da qual o medico
o nico juiz.
. A ionocuidade do cafa purgativo permute de
emprega-lo em toos es casos simples. Desper-
tando a atonia do intestino e activando a secre-
pref ado oais i mindo, conveniente para eva
cuar com vagar a btis e os humo, es viscosos e
e fas deesa maneira desapparecer a eBxaqueca,
as dores de eabeca e prev os ataques de sangue
nae pessoas que a estes sao predispostae.
MODO DE EMPREGO.
E' tao simples como ,faeil. O cal purgativo
deve ser tomado fro, pur ou misturado com um
pouco de leite fri assucarado, on age assuca
rada. O vidro inleiro a dos ordinaria para
ur admito ; dua3 colinres i caf bastara para
as senhoras e para toda e qualquer pessoa que se
puf fcilmente.
. ara as enancas de 8 10 annos, a metade do
vidro suficiente ; de 5 a 8 annos, ana colber
de caf, e a quarta parte do vidro smente abai-
xo desta idade contra a gosma.
E' por isso d'oma administraco muito mais
fcil do qae es biscoutos, chocolates ou bolos
purgativos.
Da-se immodiatamente d.epois leite qnente as-
sucarado 00 caldo leve, e dtias ou tres chavenas
de cha preto ou de tilia.
Vnlco deposito na pharmacia e drogaria de
Bartuolomeu & C : raa larga do Rosario n. 34.
Chocolate de sade, de Hinier
E' pelo seu agradavel gosto e suave aroma que
esta otassifleado como a primeira qualidade di
chocolate, e com justa razao o procuram como o
melhor de todas as marcas de chocolate coaheci-
das. O bem conhecido nome de aleaier aos dis-
pensa de sermos mai.3 ecteosos.
DEPGsrro
Na pharmacia americana, raa Duque de Caxias
numere 57.
Elxir americano
Usado as gotas este elixir em om copo com agua
um excelente conservador das gengivas e lim-
peza da bocea, boehechando todas as manhaat. E'
tambem um poderoso e verdadeiro calmante as
dores de dentes.
DEPOSITO
Na pharmacia americana, iua Duque de Caxias
numero 57.
JAROPE
PURATIV
OtfGIBErVf
IMEMBRO DA ACADEMIAdeMEDICINA
Preparado por deslauriers.ph.
$l/c* de boutigny-duhaihel
31 Ra de Clpy Pais
LENCOS. BRANCOS PARA ALGIBEIRA
A Aguia Branca na ra Duque de Ca-
xias a. 50, est vendendo baraumenta lau-
cos brancos e de tamanbo regalar para al-
gibeira. Os differentes precos da 2i5,
AICO, 2^800, UiOO e 4-iOO a duzia,
sao os que de mais barato se pode encon-
trar em tao boa fazenda. Tambem ba os-
tros com barras de cores fixas, e fazenda
nova mais fina a 4(5 a duzia.
TOALHAS E FRONHAS
de labyrintbo com bonitos desenbos, e per-
feila imitado do tecido no paiz.
BONITOS ENTREMEIOS BORDADOS
em cambraia tapada, transparente e outros
em pegas de 12 tiras, e proprioa para cor-
pinhos, etc., etc.
MEIAS PRETAS PARA PADRES
ditas de 13 de cores para crianzas.
PAPEL DE CORES FOLHAS GRANDES
proprio para enfeitea de bandejas, ba-
ldea, eto., etc.
TORCAL PRETO, BRANCO E ENCARNADO
em miadas e retroz em carriteis.
Panoramas ou stereoscopoa em ponto
grande.
Esses panoramas com 24 vi?ta, bellas e agra-
daveis, dao um perfeito intretenimento para reu-
nios de familias.
Objectos para luto.
Bonitos e moderos aderecos pretos com
borlas lapidadas.
Brincos de bfalo, e crystal, lapidados, e
cora piogentes.
CorreolM pretas de borracha.
Contas grossas, redondas e lapidadas para Caixas com urna grosa 500 rs.
pescoco. MATA MOSCA.
Voltas de contas, tambem redondas e la-. Chegou nova remessa de papel mata
pidadas, com crozes. mosca e continua a ser vendido na loja da
Polseiras pretas. Aguia Branca.
BARRETES EM PONTO DE
meia para recem-nascidos.
LIVlUiSHOS COM DESENHOS
para crochet, marea ate.
FOLHAS DE PAPIS COM DESENHOS
em ponto maior para os mesmos tins.
NOVAS TRANCAS DE PALHA
para enfeites de vestidos de lia.
PERFUMARAS INGLEZAS
A Aguia Branca tem recebido finas per-
fumarias inglezas, sendo extractos concen-
trados de agradaveis cheiros, pomadas fi-
nas entre as quaes se nota a d'alpaca, agua
da colonia, dita de lavauder etc. ate. assim
como finas escovas tngkzas, e opiata para
dentes. Tambem recebeu variado sorti-
mento de sabonetes, que os esl \endeado
baratamente.
Caixinhas com 3 sabonetes aromticos a
l>, ditas com 3 ditos transparentes a 19
1^500 e 2#OC0.
Sabonetes areentos a 500 ra., ditos i0
alcatrao a 80u a 44000 rs. cada om.
Pasta de amendoa para lavar e amaciar
as maos e o rosto a ttf o frasco.
E assim muitos ontros objectos do per
f ornara.
Alfinetes pretos eom pingentes e sem
elles. ?
Guarnieres de botos pretos para pontos
abertura e collarinhos.
Pennas de ac bico &i lanya
g so 0 o> 5
f
p
3
SO
i
^
3
tp-

G>
rf'H
Si* a P^
9 o 5
*?** <
B 2 I
M H
S c_
*l 1
cb o o
B
1II
"2 u
* 5
gg
B.
ce a
BB
o
8-1
cu
a
CD OS
3 i II
f
B
I si*
O- co
oa
" ce
O
CD
en
ca
P
cr
S-
ra
co

xa
l
CO (!<
gBS
! m. (6 a, g
i
3
co.
3
o*
(6
CO
O
O Xarbpe depurativo iodu rado do Dou-
tor Gibert offereco, 00 seu emprego, um
resultado bom, certo e constante na cura
fasimtn'getis, escrfulas, mokstiasdapelle,
vicio do sangue, obstr ucedes lymphatiau,
molestias contagiosas [syphiltiicas), leves
tu inveteradas, ede todos os accidentes que
a"ellas depender.
A recesa deste Xarops foi approvada
pela Academia imperial de Medicina de
Deposito as principaes pharmaciasdo
em Pernambueo: Madre e C; Joaoim
Martwho da Cruz Corrbia ; Joo da Cok-
cei?ao Bravo e C-; Augusto Caors ;
Bartholomeo e C; Albxasdre Ribeiro;
Abreu Ribeiro ; Joio da S- Faria elRMAO.
Farinha de mandioca superior.
De Santa Camarina e da Babia, tem para
vender Joaquim Jos Goncalves Beltr5o no
trapiche do Goerra e do Moreira, e para
tratar no seu escriptorio a roa do Commer
ci n 17; assim como tem barricas com
larinba superior da Moribeca, propria
para casas particulares.
"8-
a
s
o y"B
s svg I i
d
s 5
g co
o a a
co *J rp o
8 I
S-5
co
l
ce
M fe*
ce
s
a
co
co
o
co
2*2
P9 I
Sio finalmente chegadas a esta praca pela segunda vez as verdadeiras praparacas
do Dr. Raoway & C. deNewYork.
Depois de algons annos, em qae as falsificares de Hamburgo e mesmo de New-
York tiveram entrada oeste mercado, aproveitaodo-se do bem merecido oonceito qne
estes remedios baviam alcancado por seus maravilbosos effeitos consegutram introdoir-
8e, illudindo o publico incauto, com orna redueco de preco, nollificando o verdadeiro
mrito destas admiraveis preparacSes, imitando as verdadeiras; porm desacreditao-
do-as com seos utios effeitos, lembron-se o autor de fazer a declaradlo abaixo, e a
dar diplomas aos que ven lerem os seus legtimos preparados.
Previna-se o respeitavel publico de que as verdadeiras preparacoea do Dr. Ra-
dway s se vendem ooa depsitos cima declarados e trazem um roalo igual aa do#a
annuncio.
Nos abaixo assignados, declaramos e certificamos, que os Srs. Raymundo Carioa Lei-
te 4 Irm5o, da cidade do Rio de Janeiro, no imperio do Brasil, sio os noasas agentas
geraes, pela venda de nossos remedios, tanto no dito imperio como no reiao de Porta-
gal. Noticiamos ao publico, que o5o se podem obter os remedios do Dr, RadwaxiC
(e que sao preparados no laboratorio do mesmo doutor na cidada de New-York &ae
Estados-Unidos), senJo das pess as que podem produzir a prosete certificacio a altta-
tacao e que a produzem, subscripta e assigoada do Dr. Radway 4 C. a dos Srs. Raj-
muodo Carlos Leite & Irmao como ao p. Todos o cada uro dos remedios do Dr. Ra-
oway de C. s5o acompanbados de cedidas semelhantes aa qqf pareoem ao p desta cor*
tificacJo. t
Examine-se bem a assignatura da firma do Dr. Rapway & C. ao p da presauta
sertificacao e comprese com o fac-sinUU as eedulas com todo* os frascos a eaixtuaaa.
Radway d C^



i
VHktib cit Nrfkutiu "- qMa-feiiW"fib M>f dt Itfii.

MO IKHMS i C.
Toa i vista wn tea* Bnoanos. tlacote ourt
de seu negocio regola^ os segaintea, q*
i por presos mais mdicos que en ou
quer parte:
rS de pinho hnoWacris.
DBS de farro para crea.
EIRAS da India para cama e forrar talai.
T8 de barro traneer para esgoto.
O superior em pofeSos e a contento.
CEMENTO de toda as MACHINAS de descarocar algodao.
LONAS e brtntes da Russia,
OLEADOS americanos para forro de carros.
POOQES americanos muito bons e econmicos.
VWHO de Borteau*.
COGNAC superior de fiaufier Preres.
FARELLO em saceos grandes a 3*600.
AGUA florida legitima.
t. I RA ESTREIT DO ROSARIO M. I
AO BOM TOM

O Basar da Moda receben novo sortimen-
'O de fazendas do ultimo gosto para vesti-
ios, assim como cbapeosinbos, casacos,
orns, coques, camisinba.s, ete, etc.
Continua sempre o grande e afamado sor-
ment de miadezas e perfumaras verda-
eiras, que ludo se vende por baralissimos
oreos.
Dam-se amostras e manda-so em casa das
ixmas. familias o qae desejarem, ra do
Sarao da Victoria, ontr'ora Nova.
nhnrM'iIi' *r wle imPortante estabelecimento de mrfldeMs *Bp*rio?s, artigos de tw e dajr-brja para homens e *-
riri. i!!;* ?2 '*.rt,"l|nlo d perfumaras dos raais affamadoa fabricantes de Pars e Londres, come 'seim Piver, Lubin, Con-
oray, negwo, Pmaod, Choonenz, Mobpelas, sodet hygieniqrje, Goflter, Rfrnintl e Piease Lubin. etc. ele.
Camisas e ceroulas
O mnaeo elegante vende camisas finas
inglezas de 600 por 54 j a duiis, ditas bor-
dadas a 52 e muito finas a 120$ a doria,
ceronlas de linho muito finas de 45^ a du'
zia 365, pannos de crochet para sof e ca-
deiras. hienda que sempre e venden por
fOt$, vende-se a 6)9 o terno.
Mantinhas olindenses
O museo elegante receben ricas manti
lo de babadibos- e entremeto* tapados e
transparentes, e de ricos e modernos espar-
tihoi.de 4 a 12,? cada nn.
Musen Elegante
recebe por todos-os vaporea levas de ptlli-
oa da piiroeira fab ica de Lisboa, asaim como
encontrar as xm." fsntlias cesta topor-
(ante estabelecimeoto om grande sorlimnio
de artigos para smenlo, cerno sejsns ri-
cas grinaldas, finissimas meias trancas de
seda, ligas, luvas brancas, leqnes finos,
franja branca de seda, fazenda soperior
Os acredita-
dos cylindros
para padaria;
venda no arma-
zem da travessa
do Corpo Santo
n. 25.
nbas de seda (coosa nova) para senboras enancas, galdes, botoes. bicos de blond, fi-
tas de grosdenaples e de selim de n. 1 a
80, ditas de velludo, bicos de crochet bran-
co e preto, verdadeiro bico vajencienne, ba-
leias para vestidos, cambraia franeeza preta
e branca para forro.
Cntilaria do Musen
Elegante
Navalhas muilo finas, cabo de tartaruga,
marfim e bfalo,-do aflamado fabric-nte
Rodger, caivetes superfinos com cabo de
madreperola, tariaroga, marfim, tesouras
finas para unbas, costura e cabello, talberes
para mesa e para doce, de diversos preces
e qorlidades, ditos mnito finos com cabo de
menins, as qaaes est vendendo pelo ba-
rata ho prego de 1#500, e>tam-se acabando,
bellos aderecos de tartaruga e de madrepe-
rola, e muito finos prttos de crystal, casso-
ltas para cadeias de relogio, ditas de pra
ta dourada pan retraios, as mais lindas ca-
deias de p aqu para homens, bengalas de
canna com c>stio de marfim e de osso, chi-
cotes de baleia com castao de marfim e de
unicornio, completo sortimento de spelhos
de columna e de moldura dourada para sa-
las, lindos colleriiibos e puhos- de linho
bordados para senhora, grande sortimento dt
punhos e colletinhos para homens a Oxford,
Befloman, Puebla, Exquizito, Napolitaoo
Vera-Cruz, as mais lindas e modernas gra
vatas para homens, orna infinidade de ricos Lq {r 1^'! am T$ T, "bo de
botOfe para panhos e collerinhos e d'enlre SX SIS? *l ? ? "I bra"2'
elles os desejados be toes artistiques e a imi- f 2S?2 ?% C'h.erfSK p!ra Cb>
'--- *- e sopa de metal muito fino, trinchantes com
taclo de onyx para punios.
Musen Elegante
cabo de marfim por barato preco.
Musen Elegante
Fundiqo da Aurora.
C. Starr A C. em Kqndacio vemlem por precos
mais baratos do qae em outra qnalquer parte,
Uixas de ferro batido e eoado, aiarobiques, moen-
us e meias moenda?, rodas e rodela?, e rodas
d agna para enjHHho, crtvos e"boceas de fornaltia,
tetototes e boias, UJoto de fogo ftire b. iek), cy-
(.odro para padaria tanto inglezes como america-
nos, arados todos de ferro, etc., etc.
acha-se prvido de um lindissimo sortimen-i vende chapeos de sol commerciaes a 24800,
proprios para as pessoas que estio passan-
do a festa irem ao banbo, e tambera vened
ricos albnna para retratos por baratissimo
preco.
No Musen Elegante
encontrarlo as pessoas faltas de vista uro
complelo sortimento de oculos de aro de
tartaruga, bfalo e ac, e lambem pencinez
de tartaruga, bfalo, ajo e prata dourada,
com vidros decores.
Lamparinas do gaz
VfeBde-se do Museo Elegante a 200 rs. a
caixa.
Aos cabellos brancos
MSEU ^LEGANTE
vende a muito acreditada tintura iDgleza
(a qual mosira o seu bom effeito ponco de-
pois de applicda) e o sublime liquido repa-
rador da cor dos cabellos (colorigenio R-
gaud) que em menos de oito dias i aos ca-
bellos a sua cor e brilbe primitivo, e depois
deste tempo so bastar usar de oito em oito
dias para conservar o matiz adoptado.
Exposijo de lencos
MUSEU ELEGANTE
vende lencos brancos finos a i 700, 2^700
e j banhados a 3500 a dnzia, e muito
finos de esguio tambm abanbados a 60500,
1$, W e W a dozia.
ATTENCAO
Prevme-se aos apreciadores do superfino e delicioso perfume, que apenas precisaren) de?se artigo ser bastante virem ou
manoarem sen* portadores, que ser5o fielmente despachados, pow os proprietarios deste novo estabelecimento trabalbam nica-
mente para servirem bem aos compradores, tanto na superior qualidade de suas mercaderas, c mo nos baratissimos precos por
quanto esl5o resolvidos a vender. .
NO MUSEU ELEGANTE
N. 1 Ra Estrella do Rosario N. 1.
ATTENCAO
o
A'
DO
LOJA DO PAPAGAIO
RA DA IMPERATRIZ N. 40
ina do becco dos Ferreiros
DE
MENDES ft CARVALHO.
TRIUMPHO
7 Eua doQueimado 7
wf
CHITAS ESCURAS 200 O COVADO OU A
SfJOOO 0 CORTE.
A leja do Papagaio acaba do receber nm
grande sortimento de chitas escuras com
padres im tara de cassa, e vende pelo
barato preco de 200 rs. o covado ou l?J000
o corte, na ra da imperatriz n. 40.
GROSDENAPLES PRETO DE H A 3,5(000
O COVADO.
m grande sortimento de grosdenaples
pelos e gorgures de seda, dos mais es-
treitos at os mais largos, vende-se por me-
nos preco que em ootra qualquer parle na
loja do Papagaio.
CAPAS DE MERINO' PRETO A 100000.
Vendem-se capas de merino preto bor-
dadas com vidrilhos, muilo modernas pro-
prias para a quaresma, fazenda de muilo
mais dinheiro, para acabar a 10000, so na
loja do Papagaio, ra da Imperatriz n.
AladapoISo enfestado a 20500, 30 e 40000
a peca.
yende-se pecas de madapolo enfestado
coa 12 jardas 20500, 30 e 40000 pe-
chineha.
BRAMANTE DE LINHO
cora 10 palmos a 20000 rs.
Vende-se bramante de lino com 10 pal-
mos de largora, pelo baratissimo preco de 20
O metro, pechincba, na loja do Papagaio
roa da Jmperatriz n. 40.
POUPEUNAS DE COR A 2*400 RS.
A loja do Papagaio acaba de receber om
bonito e elegante sortimento de poupelinas
de seda com quadrinbos, fazenda inieira-
mente nova no mercado e vende se pelo
barato preco de 2400 rs. o covado na lo-
ja do Papagaio.
CORTES DE CHITA A|2, 2100 2*600.
Tendem se corlee de chita de difieren tes
coren a 20.20403,20800 e 3*200 sendo de
10, 11 e 12 covados, pechincba, na loja
do Papagaio.
Coberlas de fusilo branco e de cera 30000
Vendem-se cobertas de fusilo branco e
de flor, muito grandes, e venden se por
este preco por ha ver grande quanlidade, na
loja do Papagaio.
ESTAMEMIA A 10600 RS. O COVADO.
A loja do Papagaio vende coila ou esta ma-
cha, fazenda mnito larga a J0GOO rs. o co-
vado pechincba.
FLAJSELU AMERICANA A 10000 O CO
VADO.
Acaba de caegar loja do Ppagaio urna
fazenda ioieirameote nova, piropria para fa-
rer saias, a largara d a aliara da saia. o
que da IugaraXazer-se ama saia, compon-
eos covadoi, pecbincha, na lo/a do Papa-
galo.
CAMBAUS I Ofl6AS PE COBES
a 500, 560 e 640 rs. a vara.
' Vsade-se camorras e-" 4MM9 de er de
padjoea, de -cree dc#8, eom
A>ras njjodinbaM rW9> m
Oegoi i ib do Papagaio nm grande Mr-
de l
muilo commodo
que se vendem poa pr^co
na ra da Imperatriz n. 40.
PARA LUTO.
Lasinha preta de 440 e 500rs. o covado.
Chitas pretas a 320 rs. o covado.
Cassas pretas a 040 rs. o metro.
Alpacas pretas a 330, 6C0 e 800 rs.
o covado.
Bombazina lisa a 10280 rs. o covado.
Dita transada a 20OCO.
Cortes de eretone coa 14 co vados a 50QOO.
Chegou loja do Papagaio nm variado
sortimento de cortes de vestidsf de creto-
nes de cores, fazen
droes muito delicados e core fizas cada
corte d vestido de duas saias a vontade, e
vende-se por este prego para acabar na
ru da Imperatriz.
Algodaosinno de 20800 at 70000 rs. >
rea.
Madapoloes de 50, 60, 70 e 80 a peca.
Hamburgo e creguellas para todos os
pregos.
Espartilhos de linho de difieren tes pregos.
Tapetes aveludados, para portas jane Has
e sofs.
Setim da India-de 640 e 800 rs. o covado.
Damascos eslreitos e enfestado de 800 e
10600 rs.
Laasinhas a 320 e 400 rs.
Alpacas lisas e lavradas de 500 at 800rs
Tar la tanas de cores e brancas a 720 rs.
Fil branco, liso e de salpicos.
Dito preto de dito.
Cambraias victorias de 5*. 6*, 1$ a 100.
Barejes aescladas, finas a 400 rs. o co-
vado.
Atoalhado de algodo trancado a 1(500.
Dito pardo trancado a !05( 0.
Dito de linho adamascado a 3*200.
Dito de algodo adamascado a 10800,
Paanos de bobo de differerjtes nmeros.
Lencos brancos de algodo a 2* a dozia.
Ditos ditos de bretanha e esgu5o.
Ditos chinezes a 3*000 a dozia.
Esguioes de 1 nbo de 1*600 at 3*000.
Bretanhaa e silecias de linho preces bara-
tos. Chales de merino lisos e estampados.
Cambraias transparentes de 3* at 100.
Guardanapos de linho pardo de 2* a
4*000 a duzia.
Meias para homens de 40, 6*,*7* e
8*000.
Ditas para senboras e merinos.
Toalhas de algodo para rosto a 500 rs.
Ditas de linho a 1*000 e felpadas.
Bedes de listras muilo grande a 12*000.
ROUPAFEITA POR MEDIDA.
Na loja do Papagaio, aim de ha ver um
grane deposito de roupas feitas de todas
as quaiidades e feiuos ba om bonito sorti-
njea'ode casemjras de core pretas, paanea
pretos, zoes e verdes, cortea de flergurio
seda para colletes e nm perito ku
pariq^" flW ^a ** W* P e eemeto, <***&> a*$ei ficar atgMu
wiadefeilues, fiw J^.*fWOinMide
Mi o*** tafcetotaieoto:
OTi^i iamtm* %vm Migift
fi U8M DO WPAGaJO utrt iberU CC,
v *m t lora A ioq.
R' ebegado a este novo estabelecimento o mais bello sortiaanto tasand
?bh, sendo sua especialidade enxovaes para noivado.
Vestidos de blond de^sda ricamente bordados.
Gorguro de seda branco para vestido.
Colchas de seda pura, para cama com ricos desenbos.
Ditas de lia e seda, idm idem.
Ditas de crox, idem idem.
Cortinados ricamente bordados para cama e janeUas.
Croxs para cadeiras e sofs.
Vestidos de cambraia branca bordados. *
Popelines de lindos gostos.
Las de diversas quaiidades, lindos gostos e modernas.
Ricos b-'urnus para passeio, eom listras de setim.
Sabidas de baile o que ba de mais rico.
Crotones para vestidos com lindos desenbos. q
Carnizas bordadas e sem brdalos para sen horas.
Camisas bordadas muito finas para homens.
Ditas inglezas para homens e meninos.
Seroolas de linho, e um grande sortimento de roupas feius de aienda 4*
I anfadonbo mencionar.
Luvas frescas de Jouvin
Sortimento de tapetes para guarnieres de salas, alcatifas''para forro de sala, 1
pande sortimento daa acreditadas e verdadeiras
Esteiras da India
immmmmWfmmWMM MmMmfHMmmmmmwBmmmm}
l O COLLAR ~
N.3ARH4D0CABlflAN.a|
1 ACOSTIIOA MOS l
Com este titulo acha-se liberto inteiramente transformado esta antigo
estabelecimento de joias, onde os fregueses e amigos encontrarlo todo quanto
a moda e o bom gosto tm inventado na arte de oorivesaria, o Collar de Ouro
observar delicadeza no trato e senciridade e modecidade nos precos.
Espera que o respeitavel publico venba ver o que existe de melhor em
adereces de brilhantes, esmeraldas, robins e perolas, meios aderecos, pal-
ceiras, brincos, tlfinetes e anneis de todas as quaiidades, prata de le faquei-
roa, comeres, paliteiros salvas e outros muitosobjectos que seria enfadonho
mencionar.
Compra-se euro, prata, brilhantes e podras finas, pormaior prego do
qu em outra qualquer parte, troca-se a concerta-se te6o e qualquer objecto
pertencente a esta arte.
A TURQUEZA
1
Esta nova loja tea, im de completo sortimento de fazendas, e
vende barato :
Crotones de cres bus a 400 rs. o covado.
Mnito boas musolinas a 480 rs. o dito
Baptistas a560rs. o dito.
Fusoes da cores para vestidos a 600 e 800 rs. o dilo.
. LasiBbas a 440 e 560 rs. dilo.
Alpaeat de cores a 76Q. 800 e 906 rs. dilo.
Sedabas da iktras a 1*500 o sito.
9rE?,l,.r "T* m**> "^
Saia*4a lia a braveas de 4* a 12*000.
Liadas ssnziimai a 10000^.
Lacaa4eAa para into 4* e |0M, m awi
R*f4a da grt 4**06
que
piimeiro introductor dos pocos ttrttalares da Aby-
sinia, em Pernambnco.
Participa ao respeitavel publico que ultimameolt
lem recebido a quarta remefsa dos ditos pocos, e
os perUngas completos e aperfeicoados para a eollo-
cago d'elles em pouco tempo, tanto em terreno mofe
como em trra de barro, massap
As vanUgens que offerece este systema de ad-
quirir agua sobre qualquer entro, sao immets??
serviodo nao smente as condigoes cima menc;^
nadas, cemo tambfm as cacimbas j feitas, aende
ainda nao bm b'mbas cu a agua cao pura, pon
%el!es esto munidos de um filtro qne uSc deisa er>
trar in puridades, vanlagem que nao tem os rotros.
Alm disso, a grande qoantdade d'agoa croi
elles deitam de 5 8 pipas por hora conforme
dimetro dos tubos, a facilidade com que elles fue-tr
cion?m, a simp'icfdade, f erfei(8o e l< lidw. com-
binada com a elfga- cia de sua form?, que paran
aprreciada basta ver-se.
O annunciante tem orna pescoa especialmente bal
litada, Unto na collrcag5o d'elle, como na escolba
do terreno ou lugar mais propiio, qne se encarrega
de tes fevg s por prego commodo ; e, visto r< cam-
bio ser mais favoravel, vende-se efles por preg
ma;s moderados, recebendo-se a importancia pois de collocado e funcionando a satisfgo do com-
prador.
Tara ercommendss e oais s-
cli)reclnentes a respeito tratan
ua loja do Sr. F. J. Germann, ru;.
Nova d. 21 e na offi iaa dp meta-
es do Sr. Paulo Jos da Silva Fre-
1 e, largo da Concordia n. 7.
LOJA
o
GALLO VIGILANTE
Ra do Crespo n. 9
Os proprietarios deste bem conhecido esiabel
cimente, alm dos mnitos objectos que tinham ex
Sostos a apreciacao dg respeitavel publico, mas-
aram vir e acabam de receber pelo ultimo vapor
da Europa um completo e vanado sortimento di
finas e mu delicadas especialidades, as quaes es-
tao resohidos a vender, como de sen costem*.
por precos mnito baratinhas e comraodos para
dos, com tanto que o Gallo....
Mnito superiores luvas de pellica, pretas, bru
cas e de mui lindas corea.
Hu boas e bonitas goliinhas e pnnhos pan s
nbora, ueste genero o qae ha de mais moderno.
Superiores pentes de tartaruga para coques.
Lindos e riqaissimos enfeites para cabecas da<
Exmas. senhoras.
Superiores trancas pretas e de eflres com vidri-
Idos e sem elles; esta faieuda- o qne pode havw
de metitor e mais bonito.
Superiores e bonitos leques de madreperola.
marfim, sndalo e os?o, sendo aquelles brancoi
com lindos desenhos, e estes pretos.
Muito superiores meias fio de Eseossia para s-
nhoras, is qnaes empre se venderam por 30OCX
ia duzs, entreunto que nos as vendemos por 20.
aim destas, temos tambera grande sortimento d
outras quaiidades, entre as quaes algumas muiv
finas.
Boas bengalas de superior caima da India
castao de marfim cera lindas e encantadoras lign
ras do mesmo, neste genero o que de melhor t
pode desojar ; alm destas temos tambem gnind*
nuantidade de outras qnadades, como sejam, ma
aeira, baleia, osso, borracha, et. etc. ete.
Pinos, bonitos e airosos chicotinhoa de cadeia
de outras quaiidades.
Lindas e superiores ligas de seda e borrachi
para segurar as meias.
Boas meias de seda para senhora para man
as de 1 a 12 annos de idade.
Navalhas cabo do marfim e tartaruga para fa;
barba; sao mnito boas, e de mais a mais sao p
rantidas pelo fabricante, e nos por nossa vex tam
bem assegnram-s sua qualidade e delicadeza.
Lindas e bellas capeUas pata noiva.
Superiores agulhas para machina e para croxt
Linha muito boa de pe30, frouxa, para enjb
labyrintho.
Bons baralhos de cartas para voltarete, assio
como os tentos para o mesmo ini.
Grande e vanado sortimento das melhores per
fumarias dos melhores e mais conhecidos per
fumistas.
COLARES DE ROER.
Elctricos magnticos contra as conruisdes, <
facilitam a dentirao das innocentes criancas. S )
moa desde muito recebedores destes prodigioeo
collares, e continuamos a recebe-los por todos o
vaporee, aflm de que nunca faltem no mercado
como j tem acontecido, assim pois poderao aquel'
les que delles precisaren], vir ao deposito do gall<
vigilante, aonde sempre encontrarlo destes verd
daros cottarea, e os quaes attendendo-se ao fio
para que sao applicados, se venderlo com um mu
diminuto lucro.
Rogamos, pois, avista dos objectos que deixamoi
declarados, aos nossos fregueses e amigos a viren
comprar por precos muito moa veis loja do gal)<
vigilante, ra do Crespo n. 7.________
Nio ha Biats cabellos brancos.
Tintura japonesa.
S e nica approvada pelas as academias de
sciencia, reeonbecida superior a toda que tem ap-
parecido at hoje. Deposito principal ra da
3adeia do Recite n. 51, 1* andar, emUedas as bo-
ticas e casa de cabelleireiro.
Rival sem segundo
Rna Duque de ailas o. 49
Josp de Ate^edo Maia eSilva, em tna l<-
ja de ciuceas ctnliuua a vender res
por laratos i recs que t todos dmira :
Libras de linha de novtllo, a melhor
possivel. lKd'
Dozia de lencos de caa?aeom barra. \fr ft'
Caixas de liubas com 30 tcvellos a VO
Vara d* franja tranca para toalbas 1*0
Dozas de metas ernas muito boas a 35M;
Dozias de meias finas para senho-
ras a W00
Duzia de palitos s?gnranca a 120,
240, 320 e MK)
Na=alhas muito finas, para fazer a
barba a I0G0
Caixas com pennas de ac cem Ic-
qoe a 3sC
Caixas com penoas de Perry fazen-
da fina a ** (l
Das de dita dito verdadeira a i0(0
Caixas comSO cadernos papel ami-
zade a $W
Pecas de tiras bordadas 12 metros
cada nma 1>00
Pecas de fitas para coz < m 10
varas a etO
Pecas de tranca lisa de todas ai
cores a 40
Dozias de liuba frouxa para bordar
a 400 e 500
Pares de sapalos de tranca a H90Q
Ditos de ditos de tapete mnito
finos a lTJOO
Dutias de baralhos muito fines a
2400 e 28G0
D tas de agc'has para machina a 2Of
Libra de pregos franceres a 240
Resmas de papel almaro snpericr a 30OO
Ditas de dito pintado o melhor a 45'00
Caixas ct m sabonetes fructa a 720 e 10OCO
Libra de laa para .bo dados a 7,j''00
Carrteis de liaba Aexamire a W)
Gravatas de cores mnito fiaas a BOC
Ditas pretas pontas bordadas a COC
Grosas de botoes de madrvperola
para camisa a
Novellrv de linha branca.^top jardas
Dnzia de cartes de liaba wanca e
preta e de cores a
Thesouras muito finao-para ucbas
e costura a
Baralhos franoezes muito finos a
200 e
Caixas redondas para botar rap a
BO
60
120
K.0
*240
Kco

Pus dentfricos americanos
Composlco byglenlca.
Estes pos tio os nicos que reunem em soa
composico todas as quaiidades bygiemcas pro-
prias a dar urna grande alvura aos centes, con-
servacao delles e forttrlracao das gengivas.
DEPOSITO
Na pharmacia americana, rna Duque de Casias
n. 57, de Ferrelra Maia & C.
SUSTENTO RESTAURATIVO DA SADE
PELA KARI.NHA
A Hevalesciere Mu Barry
Esta farinha que tao grande, uso tem na Euro-
pa, muito se recommenda para as criancas e pes-
soas debis e convalescentes. Com* medicamento,
intahvel para os casos prisao de ventre, he-
morihoida?, ms digeftow, aiia, amargos de boc-
ea, dores de estomago, diarrha, enxaqoecas, af-
feccSes de ligado, dos polmSes, dos ros, da bexi-
gi, etc.,ete., centrado muito mais principios nu-
trientes e restauradores para os motelos, ervos
o celebro, qne, tres vetes o seo peso en carne, e
por consequencia, de conservar raelbor as torcas
pbysicas e mraes, restabelecendo as /uDccoes di-
gestivas estragadas, dar appetite, e convlr aos
estmagos alada dos mais enfrqueeidc.
Seo oso tao simples como acil : a Hevoies-
ctere du Barry deve ser desierta e cosida come a
farinha ordinaria, podendo ser usada na agua sim-
ples, com viiiho branco, no caldo sem gordura e
rio bom kite, fazendo se anda botos oo raanteiga,
leite oo assacar, etc., oto,
nicos depositarios em Pernambueo
RARTH0L01IEU & C.
34Roa larga do Rosario341
limas mm
PARA
reaUdos, com grande variedade de cores, a
240 rg. o cando
Rob-: nte-rheumi tico.
Remedio eAcacissime eontra as dores rbeoma- -
ticas at hoje o mais ccnheeldo pelos seus mara-
vilhosos resultados.
XAROPE DE A' ">. nm os medicamen-
tos que sua efflcau as enfermidades, tesse
sangue pela bocea, bronchites, dores e fraquou
no peito, escroboto e molestias de figado, que u^-
Ihor tem aprovado.
TINTURA DE MARAPUAMA- A celebre r?ii
de marapuama, cuja energa e efflcacia as pars-
lysias, intorpecimenlo, etc. etc. muito se recou>-
menda.
Todos esees preparados se encontrara oa phar-
macia e drogara de Rartholomea & C, nico de-
pesito na roa larga do Rosario n. 34.
1TTW0
Vende-se as seguales obras :
Diccionario francei-porlMnei e vice- versa, i
tomos encidernados por of 000.
As Tres Lagrimas, 1 tomo encadernado Cor
41000.
SoKejos de Rodolpho encideruado por 5*.
Msica inlitolada Lacreo* Bctfia em irojor?.
JiOOO.
dem do celebre antor Bertini Idem If.
Um irvro em bnanco para eopir mosiea bf.
- i i
Agencia em Fernambuco
j)o Dr. Ayer
Petorai de Cereja
Cura a phthysica e todas a* molestias 4o *.
Nalsa parrllha
Cora ulceras 0 hagas antigs, impigens dar-
tro.
Tonteo
ot caMIoa,
fa ojtapao
Puramente vegetaes sen _
tSoa, orsao purifleam tos o
Vende-se enectivamene em
lohostoB a C rea da Sentarla
; esra se-
f^Tmano.
Me
% robe pwtera e Janes.
c*- iMalswtli b^lfeS* ph tittSAl a>
lasMo Baanvasa ttt fcsasitnr tmm
i* gtraraaela arnatliasa 4i **"
L,rua baque ae Csiias-s. 7, f


icaria de Feruambuco Qu^a eira 20 de Abril de 171
------
VAWEDADE
PERITAS.A este regiment.segu se o
52 4e liona que perdeo 58 offieiaes e t:31
toldados, Es le reg melo esteveem Spichc-
reo, Mars-!a Tour, Orleans e Le Maus. O ter-
coiro posto t cante s suas enormes perdis
perteoce'ao 35 regiment, recrolado princi-
palmente de naluraes de Berlina, com 47
cficiaes e l:z07 soldados entre mortos e
feridos. Esse regiment teve a honra di
ser chanudo pelo general Canzy n'uma
communicagio sobre os combates de Le-
Maos, o seu adversario mais tenaz e timivel
Em geral pode dizer-se que, termo medio,
as perdas na guarda prussiana sao dins
tercas partes dos offieiaes e urna terga parle
dos soldados. Algarismos verdaderamente
colossaes I
Notavel a diff renga as perdas da
cavallaria e nfantaria, qoe se calcula n'uma
proporgio de um para doze. S om regi-
ment de cavallaria, o primeiro de dragas
da guarda, perdeu mais de metada dos
seus offieiaes e sollados.
c as guerras passadas, a perda da sext
ou decima parte dos combatentes entre
morios e feridos, j era considerada com >
sammamente crescida. A proporgao na
guerra franco-alternad tres vezes maicr, e
prova que com a peifeigio das armas de
ogo nao diminuiram, como julgavam mu-
tos, mas at augmentaram os crueis resul-
tado?.
GARIBALDI.A Reforma de 10 de{tn>r-
co publica a seguidle ca la do general Gi-
r:baldi ao general Fabrizi:
a Caprera, 7 de marco.Mea haro Fa-
brizi.
Nao esta a primeira vez que o Times
me ataca sem eu o.merecer, e tambem nao
a primeira. vez que, fortalecendo me na
miaba cousiiencia, desprzo essas publica-
rles de semelhante peridico, universal-
m?nle espalhado, mas que em gera!, es-
criplo por qoem he paga.
O redactor que me alaca no Times la -
raenla qae nio succedesse ao exercito dos
Vosges o que succedeu ao ezercito dt
Boorbaki. Devo-lbe as seguintes explica-
bles :
t O exercito dos Vosges, que s nos l-
timos dias, e quando tudo eslava j quasi
concluido, pode chamarse um exercito (sal-
vo cerca de 2,000 italianos, algumas cente-
nas de bespaobes, gregos e polacos, uns
cem atiradores francos de Ricciotli, dous
baialhoos movis e fraca artilharia, ao todo
perto de 7 a 8,000 homens), apenas se cora-
punha de homens em quem se nao podia
conGar: eram conscrilos mal armados e
anda menos dispostos a baierem-se.
< Com este punhado de bomens, o exer-
cito dos Voges fez respeitar Dle, Autun,
a melaor parte da Borgonha. Por conse-
quencia, graga* sua dbil mas inexpugnal
: reir, puderam effectuar-se os dous mo-
F.imertos do flanco de Cbagny para Orleans,
onde o general Crouzac juntava o exercito
do Loire com 40,000 bomens, depois o do
generai Bonrbaki movendo-se, do grande
exercito do Loire batido em Orleans, na di-
reegao de Belfoit. O pobre exercito qae eu
commandava que tornou possiveis esses
movimentos.
Aquelles movimentos, bem concebidos
mas mal executad s, ti?eram as consequen-
oas sabidas por iodo o mundo, e o exerci-
to dos Vosges, oceupando honrosamente a
posigo do centro, estava na impossibilida Je
absoluta de cooperar com osexercitos cima
mencionados.
O exercito dos Vosges, deixado por
moito terapo ao abandono, cora batalhoes
inleiros desarmados, oulros com armas or-
dinarias, poaca artilharia e cavallaria, nunca
foi soccorrido por outros exercitos, e pelo
.oatrario sustsntou a retirada do general
Cremer, batido em Nuil,- interpondo a sua
4* brigada entre o inimigo e os nossos, es-
le.tr.dose vRtreChagny e Beaunc.
* Nem eu nem as m nhas brigadas sabia-
taoo da passsgem do exercito de Manleuffel
ao aorte para coadjuvar o de Werder.
A 2J brigada, s ordena do coronel
Lobbis, e outraeis ordens de Ricciotli, ma-
nobrava conjunctamente com lodos os nos
sos corpos de atiradores francos. Tinham
sido destacados pai'a obstar junego dos
exercitos inimigos.
t Lobbia, RiccioM e es atiradores fizeram
prodigio^: dilferentes vezes estiveram a
ponto de serenvo!vidos e dispersados pelas
fortissimas columnas inimigas.
t O reslo do eaercjto oceupava Dijoo, o
quem assistio aos s ios combates de 21,
22 e 23 de Janeiro, ha de saber se tinha-
mos farcas suficientes pira deltas tirarmos
orna pane que f sse om auxilio de Bourba-
ki por b-ixo do Belfoit.
verdade que os prussianos foram ba-
lidos em D d'reit at UIp, porquanto o tenente-coronel
Baghino^onse^uio, trente de 700 homens,
senhorear-se de Monirolland, fertissima po-
sicaV que domina aquella cidade. Mas a
nossa extensio da ala direita, meu charo
Fabriai, i ra urna temeridade arriscad) em
favor do exercito do Este, altendendo s
imponentes fo.-c.as ioimigas que t^hamo
sempre diante de nos
Sabeodo que os prussianos tinham eo-
grossado 33 suas fileiras depois da capitula-
gao de Pars, contiecendo o mo estado do
exercito de Bourbiki, e receiando ser en-
volvido em Dijon. fui obrigado a abandonar
essa cidade e a retomar a antiga liona de
Auiun, Chagny, ele, para cobrir Lyon,
Crenzot, ele.
A minba retirada effeituouse no 1 de
fevereiro; nesse da recebi um lelegramma
do general Clinchant, que succedra a Boor-
baki : communicava me qae estava rodeado
polo inimigo. Mandei logo preparar um
comboio especial, o comtudo o qae pude
reunir da flor dos meos soldados, cheguei
Lous-le-Saulnier, depois de ter ordenado ao
meu exercito que me seguisse.
A Ia brigada, s ordens de Caazio, ti-
nha ebegado a Bourg e Montrel, quando se
soube ao ceito da entrada do exercito do
Este na Suissa.
De tudo o que precede ver como
bem fundado o pe-zar dos jesutas e compa-
nhia.
S acerescento a nda isto: o general
Bourbaki, com os seus 120,000 homens, te-
ve o necessario bom senso para nunca pedir
auxilio ao meu pobre exercito.
Todo seuGaribaldi.
***n&iiie
FOLHETIM
D FILHO DO CALCETA
POR
PIBRBE ZAGGOMI
1*R1ME1RA PARTE
(Continuagio do a. 88.;
II
Convite para eela.
PrincipioD o terceiro acto.
Caetano, para guardar as conveniencias,
tentn por oslantes voltar-se para a scena,
e firgio ver com bons olhos o Tmulo dos
atoengos dEdgar.
E depois, a gente, qnando pela primeira
vez passa a noate n'am theatro lyrico,
sent embriagados a om tempo a imagina
Cao e os seotidos. Caetaoo por mais que
fizesse nSo ee podia fuar a semelhante in-
fluencia e at Ihe ceder um pedacito no
segando acto.
Mesmo assim, sendo fortissima a impres-
sao, nSo pode latar contra a curiosidade
qae se apoderara do moco, curiosidade qae
era am complexo de xtasi e de magnetis-
mo. Nao tardou pois em desviar os olhos
da Luiia, j doada, e em os fitar outra
vez ao comarote da baroneza.
Mas o que qae por tal feitio lbe pren-
da as alineles f Seria a extraordinaria
belleza da Sdalga, ou seria a oaravilhosa
gracinha de Joaona ?...
Nem elle propro sabia responder.
Todava, de vemos acreditar mais qae
fra a baroneza que lo fundamente o en-
camara, e olhem que talvez s Caetaoo se
enthuaiasmam at eDtSo devras por t3o
completa foroioaura.
E porque ? Porque o culto de Venus
exiga tantas estatuas differenles, quaotas
maneiras tem de amar. A raz3o velba.
Uda qul nio t s com os olhos: v
com o coratap, com o espirito, e at con-
forme 84 est diepotto na oceasiao
A biemu era ereooa,-.i Beaaregard
o disse. Tifiba olbos grandes, avelutlldoi
e profapdo, boquinha de cciaaca, clo de
cysne e caboVos retos como balo das
margem do Gangoi. E demaij de todo
uj&litvii r.ella o qoe qoer qo fosie de
iaexpli-nrel, muiu la oos mais pequeni-.
a
CAjrfOLO.VI
(Continuaejto).
Sao lo uleii aos reos, teslemonh
actividade e da energa corajosa daquelles
que tudo ho de dever a seu tribalho, como
aos pobres que virio a contratar o aso das
maoeiras polidas e o tom de orbaoidade de
que os primeiros podem dar exemplo.
Em toda a parte onde achei estas escolas
superiores estabslecidas, pude verificar nos
alumnos um ardor de acertar, am zelo.uma
emulaco, que atlestam o ;.prego que elles
dio a estodos livrem-nte escohdo por
elles. Ac impanbam o curso de.,ses esta-
dos sem que seja ecos-ario empreg-r a sou
respeifo o constrangimento e as severidades
da disciplina. Vastas e bem arejadas aulas,
eslabelecidas em elegantes edificios e pr-
vidas de todo o que pode tornar os estudos
attrabenle8 e proveilosos, biblUhecas, gabi-
netes de chimica, de pbysica, e de historia
natural, museus, salas para msica, para
gymnastica, para os exercicos militares,
essBes cartas, exercicios variados, recrea-
c5es frequentes, tudo contribue para fazer
queridos esses bellos eslabel.eccnentos, con
liados muila vez direccio de homens su-
periores
Exige a lei que urna escola superior seja
aberta, ao menos durante nove mexes do
anno, em todas as cidades que tenbam 800
familias. A nio exeeccio desta lei seve-
ramente punida em-algumas cidades. O
numero dessas escolas vat crescendo de dia
em^dia. No Coonectica, feram hapouco es-
labelecidas em Danbori?, Windsr, Loks,
Mereden, Stamford, Norwok, Derby e
Bandfort; a de Haslford, cujo anniversario
foi recentemente celebrado, nma das m*is
antigs dos Estados-Unidos.
V creagio de umj high school em urna lo-
caldade attrahe para ah novos hablantes.
Em Noi wich, a frte academie, grabas mu-
nificencia de seus fundadores e bella bi-
biiotheca que posse, vio duplicar em pon-
eos anuos a sua populacho. As escolas pu-
blicas de New-Haveo sio adamadas em lo-
dos os estados da Unjio. O Rev J. Fra-
ser, em seu notavel' relatoro rainba de
Inglaterra, cita-as muila vez com elogios. O
Sr. H. Barnard, em seu relatorio ao con-
gresso, diz que sio excedentes modelos
para seren imitadas. Notei principalmente
o estado florescente das suas highs schools.
N'ama dellas, ha j muito eslabelecida com
o nome de Uopkins Grammar, e que urna
verdadeira escola superior, estodam se com
particular cuidado as linguas antigs, em
vista dos cursos do collegio de Sale, para
os quaes prepara estudantes. Outra dos
estudaoles que mais particularmente se des-
imam ao commercio, e das mogas que pre-
tender entrar no professorado. Estabele-
cerara-se entretanto all cursos de grego,
latim, e altas matbematicas, para os mogos
que se quizerem dedicar aos esjudos clasi-
cos. A escola de Uopkins foi fundada em
1662, por Edward Hopkins, administrador
do almraotado no tempo de Cromwell. Es-
que os seus rendimentos dimiouiam de umHudra elle em Shrewsburg e foi depois go-
GRIMOND DE LA REYMERE___Esle ce
lebre estadista era filho de um salchichero,
que com o andar do lempo chegou a ser
intendente geral de Franga.
O seu explendido palacio da praga da
Concordia em Pars estiva decorado pro
fusaraente com os aitFbutos do officio,
vendo-se all bordadlos era ricos pannos de
brocados pratos de salchichas, tropheus de
chispes de porco, cabegas de javali, etc.
A exiremidade do cabo das facas represen
tava em raarfim uina cabega de porco.
Tia sempre masa franca ; mas notando
que o numero dos seus convidados ia
augmentando de dia para dia, emquanto
modo notavel, resolvea convidar s os ffs'us
verdadeiros amigos e despedir todos os
mais, e eis o carioso estratagema que em-
pregou : fjz correr a noticii da sua morte,
o manda convites mortuario; a toda a gen
te ; no dia seguinte est palacio atapea-
do de pre'o ; chegam o*f imigos; ai Siio
apenas vinte e tres,!
Quando se encontrara reunidos roda
do atade e desapparece o panno mortua-
rio, brese o caixio e v-se dentro d elle
um magnifico faisio enfeitado com flores e
trufado at ao bico ; ouve-se urna msica,
abrem-se as portase apparece Grimond de
la Reynire sentido diante de urna mesa
coberta dos mais raros manjares.
Amigos, diz elle, serio os meus nicos
convidados d'aqui em diante. Ab, patifes!
Nio me toruam a apanhar nem urna azei-
tona !
Infelizmente para Grimcnd e para os
seus vinte e tres amg03, aquellas magnifi-
cencias duraram pouco tempo, p rque ten-
do-lhe a fortuna voltado as costas, foi ven-
dido o seu palacio, e elle retirou-se para
urna cisinha nos arredores de Paris.
vernador de Conoecticut. Os alumnos des-
sa escola, em geral, ee distinguem por ma-
neiras elegantes e polidas, que dispem a
gente em seu favor.
A escola superior de Cincionati, Hughs
highs school, tambem dirigida coja muila
ntelligencia; conta j mais de 300 alumnos.
E' um verdadeiro estabelecimento da eusiuo
secundario. Os alumnos aprendem francez,
allemo, latim e grego. Muitos tem entra-
do nestes ltimos annos, aps brillantes
exames, nos diversos coliegios de Leste e
Oeste. A cidade de CmcinaaU tem ama
bibiiolheca que rene mais de 24,000 vo-
luntes, franqueados diariamente aos habi-
tantes. O numero dos volumes empresta-
dos em 1868 lo i de 408 por dia.
Urna high school exerce em todas as es-
colas salutar influencia. All se formam os
bons mestres. Seus beneficios sio annual-
mente apreciados pelas familias pobres, que
podem, gragas a ella, dar a seus filhos urna
instrueco elevada, bem como pelos ricos,
que aiilBa a prego da dinheiro, nao pode-
riam acbsr as escolas privadas, lio abun-
dantes recursos? Os superintendentes e as
nos gestos, muita graga, urna graga des-
prendida e solta, at nos menores movi-
mentos. Aquillo era ura conjunclo de per-
feices !
Caetano estava todo preso naquella est-
tica feliceira ; mal cabio o panno, nio
olhou a descortezia de que podia censura-lo
o companheiro, furou pelos corredores api-
anados de g^nte, e ancioso de tornar a ver
a baroneza, foi acostarse a urna columna
do perystillo.
Beauregard nio era l bomem desuscep
tibilidades apertadas e mesquinhas ; fcil-
mente desculpou o rapaz : s o que fez
foi aproveitar o tempo.
Levantou-e, meiieu-se pelos corredores,
mirrou-sf n'um cantinho mais encoberlo,
e poz-se a reparar bem pelo meudo no po-
volu que ia passando.
Anda nio tinham acabado de sabir, quan-
do foi direito a elle um sugeilo qaasi todo
mettido n'am gabio muito grosso e com a
cara escondida por traz de ama grande
manta.
Olharam de relance, eotre um para o
outro, e Beauregard pergontou rpido e
baixinho:
Que ha de novo ?...
E-tive com o visconde... volveu o
homem da manta. j
Qae que elle'quer 7
' Fallar comigo.
Para que ?
Nio se i.
Mas eu quero sabe-lo I Emendes,
P de Pomo ? qaero saberlo.
O P de Foroo approvou com a cabega.
Nio me esqueci disso, respondeo, e
se quizer pode assistir palestra sem ser
visto.
Onde se encontram voces ?
Na espelunca do costme.
A que hora ?
A meia noote.
Bem... IA estarei.
O P de Foroo j se ia safaodo,
qtundo Beaaregard o cbamou.
Espera l... onde est- o das Pat-
ticos ?
Bem sabe- qqe foi para casa da baro-
neza.
Qaj tal se comporla ?
Por ora nii gostaado delle.
Ainda bem I Pois vai ter com elle e
jize-lne que esteja esta noate i porfiaba
do pilado qae dU para i roa de GhmUa.
Sio s as ordens que tem a daf-nw ?
SJo : e ate logo.
Caetano que nio consigui de lodo
em lodo os sjus flns. Vio a tidalga s de
relance, com quanto parasse lio perto
delle, que poderia ter-lhe tocado do falo;
mas como toda ella ia embugada o'uma
capa grande, teve de contentar-se com adi-
vinhar urna cintura e aos bragosfyvioos.
Passoa a baroneza, metteu se no trem,
foi-se, e o Caetano ainda ali pespegado com
os olhos filos na carraagem qoe desapparecia
ao longe, levada pelo rpido galopar de
doas fogosos cavados.
Nesse comeos, algueni se lhe encostoa
familiarmente ao hombro, e o arraocou de
chofre acuelle sonhar acordado,
Ab I ab spanbei o com a boga na
botija, seu rapazioho I'disse a voz roofenha
de Beauregard. Nio pode resistir... qniz
v la mais de prto... Est bom, vamos
l... qual dellas prefere ?...
Caetano zangou-se. Vir agora um des-
conhecido sem mais nem mais intrometter-
se nos seus segredos de coragio I Mesmo
assim, conseguio refrear os impetos, quan-
do pensou qae Beauregard lbe poderia ser
til.
Quem o autorisa a iazer-me pergua-
tas dessas ? volveu anda um pouco azedo.
Ora essa 1 o interesse que o senbor
me inspira !
Mas se o senbor ajo me coobece.
Deseagane-se, meurapaz, o velho
corsario tem olbo de^mericaoo. e poaco
tempo lhe preciso para conhecer as pes-
soas com quem lida. Olhe qae ba j oito
dias qae nos comemos jautos mesa.
E basta-lhe isso ?...
Beaaregard parou, tirou da
dous cbaratos, eofferecea
nbeiro.
Depois de term accendido
proseguio Beauregard:
Oaca o que vou dizer-lhe, e nio d
de mi impensadamente aos conseibof -de
om bomem, que tem corrido muito mun
do, mais do que o senhor ba de correr, e
que est disposlo a por sua disposigio
toda a eiperiencia colhida as terriveis pro-
vagoes d'onde sempre sabio com triumpbo.
Agora qae o senbor.vai entrando aa vida
dio educagio popular servigos cuja im-
portancia todos apreciara. Onde quer que
se enabelecem escolas privadas fundidas por
particulares ou per corportcSes, as escolas
publicB soffrem ma depreciacii nociva.
O Sr. .Northrop, secretario do conselho
de educagio do estado de Connecticut, fez a
observagio seguinte em seu relatorio de
1867 :
No ponto de vista econmico, as fami-
lias devlam preferir as nossas escolas publi
cas, A despeza de urna high school secun-
daria ti de 5,000 a 10,000 fr. segundo a
sua itoportaneia e o numero de professo-
res. N'ama escola privada do mesmo ge-
nero a despeza de cala a'umno de 1,500
a 2,500 fr. por anno? as aldeas que re-
centemente visilei, acbei qu a despeza com
quatro meninos educados fra do logar de
8,800 fr., somma qne bastara para educir
oitocriangas .em que fossem obrigadas a
deixar as suas familias. >
t E' proprio de ama administrago sa-
bia e jasla liz o Sr. Leonardo Bacon, fazer
com que nenhom menino seja privado d
urna alta educagio. O Estado ni) precisa
menos de eslabelecer e sustentar um sys-
tema de escolas puolicas do que de se de-
fender contra os selvagens, cuj existencia
p5e em risco a sociedado. A criaoga p"obre,
o filho de urna viuva pobre, pode, em vir-
lude da educado, augmentar o bem e a forca
do Estado; se os seus talento i, por Ibes
faltar ensejo de se revelarem, vieremaper-
der-se como urna pedra preciosa no ocano,
o Estado soffre umi verdadeira perda.
lndep-iideniemente das escolas superio-
-res, exist un grande numero de estaba-
lecimentos do mesmo grao para ambos os
sexos, que, com os noraes de academias,
sio incorporados s escolas do Estado ou
Qcam independsntes. As prime ras rece-
bera stibvencoes liradas do fundo geral das
escolas. Ordinariamente sio administradas
por urna, corporagao de tutores e sujeitas
s visitas dos inspectores.
A instruegio as academias mais ele a-
da no que conc rne ao sexo fiminioo do qn
a das escolas superiores. Sio amellas io-
t-rnaediarias entre estas e os coliegios. No
Estado de New-York sio bjecto de parti-
cular cuidado de um conseibo composto de
egeotes da universidade, e de qae fazem
parte o govereador do Estado, o vice-gover-
nador, o superintendente e o secretario da
instruegao publica. Divdese.esse conse-
ibo era nanitas comnissoes, tendo em suas
attriboigOes respectivas a ineorporagao dos
coliegios e das academias, o cuidado das
colleccoas de chimica, de pbysica e da his-
toria natural, as bibliotbecas, o exame dos
mestres, a distribuigio dos fundos e dos
salarios, a compra das alfaias classicas e
erafim as inspecg5s.
As academias do Estado de New-York
sio em numero de 415, das quaes 211 fo-
ram, em 1868, visitadas pelos regentes
Tem.tido 34,851 alumnos, dos quaes
11,896, isto 5,677 do sexo masculino e
6,219 do sexo fiminino, entre 15 e 18 annos,
frequeotaram os cursos do ensino classico.
Segando o nltimo relatorio dos regentes o
valor dos edificios em que estio ealab el aci-
das as 211 academias sujeitas sua raspee-
gio.-de 12,508.58) frs.; o das bibliotbe-
cas, contendo 432,101 volumes, 719,925
frs. ; o das alfaias classicas e apparelbos
cientficos, 565,410 frs.
A estas quaotias cumore accrescentar
2 3-51,285 frs., representando outras pro-
piedades movis ou immoveis, o que eleva
o total a 16.145,20) frs.
A renda annual, composta das sommas
pagas pelos alumnos, do juro das propie-
dades prediaes a movis, da parte applicada
a cada ettabelecimento na divisio do School
Fund foi, em 1868, de 3.856,493 frs. ; as
despezas orcaram por 3.774,745 frs.; a
saber, 2.625,605 frs., para os ordenados
dos professores, em numero de 1,081 (471
borneas e 610 sanboras). Destas 1,081
pessoas s 621 declararam querer entregar-
se ao ensioo de urna maneira espacial.
commissoes considerara em geral as escolas No Etadcuia.Qbieva mms Me-
lWw|;omo toajestas Mucagio pufcca. mia foi eslabelecida em 18 desoilo annos
pais qoe l ruaodam seos filbos alose depois da consliiuigio de-se Estado. A
teressam pelas outras escolas. Esquivara- mais antiga acadamta especial de meninos
se d i auxiliar as jautas de vigilancia qae foi fondada em 1832. O limero de ornas
algibeira
um ao compa-
os cbaratos
real,1 e olhe que eu, mal vi com qae arden
cia se desenvolvaos os seos viole aonos, ra
trugi logo fcilmente toda a sua ignorancia,
toda a sua candar. O senbor tem em si
fecundissimos elemento de riqueza, de fe-
licidade. Mas tome conta I Notequaas
primeiraa passadaa sio as mais perigosas,
lurar-se, esconde mais alnpoes falsos,
mais bellezas fingidas, do que ama caixa de
theatro de mgicas...
O qae o senhor quer amedrontar-
rae I interrompeu Caetano.
S qaero avisa-lo.
Mas suppoabamos que amo a baro-
neza de Simier...
O corsario encarou no rapaz com mos
olhos e respondeo com mo modo :
Se amasse a baroneza era um'bomem
perdido.
Oh I o seahor est calumniando essa
molber !
Beaaregard deu aos hombros.
As mulheres nunca ninguem as ca-
Iurania, disse continuando a andar. Na sua
idade, todas nos parecem formasas, ternas,
dedicadas ; dar-se-bia o sangua por um
olhar, a vida por om beijo. Mas v viven-
do, mociuho, v vivendo, e ao depois sa-
bara como ellas mentem nos olhos, como
sio infames no sorrir, e como sabem es-
conder no peito ajoujado de enfeites muitas
recordagoes terriveis, muitos remoraos
sangrentes...
Caetano cabceou incrdulo, e oo res-
pondeo aquella tirada.
Nio acredita no que lhe digo ? pro-
seguio Beauregard. Cuida qae estoa exa
gerando, nio assim ?... Pois bem I
acode-rne agora urna idea.
Qual ?...
Quer dar-me a honra de ceiar comi-
go esta noute ?
Para que ?
Nio se trata siaplesmente de ir co-
mer perdizei ou gallinbolas ao Vefour, ou
ao caf Ioglez; nada, nio, senhor ; se
fasse s isso nio o con vida va ea...
Eolio onde me quer levar ?..
Quero que v vw comigo a Paris
subterrnea.
Caetano ficou de boca aberta para o com-
paoheiro. ^^
Ora veja la como as coasas sio I A
capital, esta capital, eomposta de duas
metades differeotes e sobreposlas orna na
outra ; nio Iba direi da matada superior ;
es j o senbor coobece. E' toda laxo,
prazeree, negocios; c rainba a iustiga, e
respiu-ie a lei. Cousa esplendida! Mas
a outra melada, aanaor Oaataao, a metade
qae lea por balxo... aW tronca o senhor
entrn, pois nao ?... O aanaor ignora os
rtemelo* de qoe se ella completa, nio
libe de qne miliesimaa partes acceda a
e outras foi crescendo de anno em anno.
As academias especiaos parece qoe sio as
qoe dio instruegao mais elevada. Esse
portim o carcter geral de todas as escolas
do sexo feminino nos Estados-Unidos.
O ensiuo da mor parte das academias
abrangi as seguales materias:
l,f Curso preparatorio, arilbmeli:a, es-
cripturagio mercantil, grammatica ingleza e
geographi.
2.9 Mithematics, pbysica, algebra, geo-
metra, trigunomotria, agrimensura, astro-
noma, engenbaiia civil, technologia, pers
pectiva, e navegagio.
3.a Linguas antigs e modernas, anligui-
dades gregas e romanas.
4. Sciencias naturaes, physiologia, hy-
uiene, botnica, zoologa, mineraloga, chi-
mica, geologa, e meteorologa.
5. Sciencias mones e polticas, crtica,
lgica, preceitos doclirislansmo, theologa
natural, direito constitucional, economa po-
ltica, principios de pedagoga.
Tal programraa, que mais ou menos o
mesmo em todas as escolas superiores, mei-
teria medo se os alumnos fossem obrigados
a abrange-lo em toda a sua extengo. Mas
as academias, como as escolas superiores,
cada qual tem a liberdade de escolber os
corsos qoe se propj seguir na ordera s i-
entifica ou na ordem moral. Nenbuma cen-
sura se Ihes applica, como j oberve, e os
[irufessores lera antes necessidade de mode
rar o seo zelo do que excita-lo.
CAPITULO VII.
Ensino superior do sexo feminino.Packer Colle-
giate Injiiiute.Ratgers tmale College. -Vassar
Collegp.
Emquanto na Inglaterra, em Fran;a e
em muitos Estados da Europa, se trata de
saber at quo ponto deve ser levada a ins-
truegio das senboras, emquanto se pe em
duvida o seu direito a ama educagio supe-
rior que recebem boje, negaado-se-lbes
at cibal ntelligencia para os altos estudos
scienlifieos, una naco ba para 'quem a
quesiio j de ha mulo est resolvida. Os
Estados-Unidos, a;ostumados a fazer da ex-
periencia a base de todas as theorias, nio
comegtiara indagando quaes senam para a
famiha e a socieda'de as consequencias de
urna grande extensio dala educagio das
mulheres. Abriram-lhes todas as escolas;
quierara que ellas nio ficassem estranhas
a neohum dos ramos do ensino scienlifico
e litterario, e puderam julgar depois com
conhecimenio de causa, se fizeram mal ou
bem em admittir o seu direito instruegio,
fundado na igaaldade dasintelligencias e das
aptdes. Os admira veis resultados que ob-
tveram sio a resposta. mais victoriosa que
se pode dar s objecg&es onde quer que a
quesiio da emancipagio intellectual das mu-
lheres, nio teodo sido resolvida pela pratica
anda nio sahio do dominio da discussio.
Eis abi como o curso natural das cousas
deu s senboras nos diversos Estados da
Uaio, aoteriormente a toda reuexio e h-
dependentemente de espirito de sysiema,
consideravel pa te na educagio publica, e
urna importancia e grao de consideragio
qae ellas ain Ja nio obtiveram em parte
nenbuma. as circumstaccias excepcionaes
em que se fuadou a sociedade americana,
tendo de se espalhar livremente em vastas
e magnificas regies franqueadas sua au-
toridade, comprebendeu ella que a educa
gao popular devia ser o primeiro dos seus
deveres ; onde quer que se estabelecasse
um municipio, cumpria erguer ama escola
ao lado da igreja. Urna igreja, urna escola,
um jornal, taes sio para ella os tres elemen-
tos essenciaes davilisagij. Nos primeiros
tempos, os mestres eram raros e nio po-
diam satisfazer *as nece-sidades das popu-
lages.
Os americanos appellaram para as senbo-
ras que por seu saber podiam ser aptas
para o professorado. Poucas localidades
possuiam os recursos necessarios para a
construegio de doas escolas: o mesmo es-
tabelecimento pois recebeu os alnanos de
ambos os sexos. Sendo a igualdade de-
bras suSpejta quantos e quao tenebrosos
tramas se uMem nesse reino da desordem
e da violencia I
E o senhor, atreveu-se a dzer
Caetano, o senhor coobece bem tudo isso ?
E?... Oh I oh! Ora essa I Sou
muito frequeolador daquelles sitios. Fa-
lei-lhe ainda agora na ceia, porque em
quanto o senhor estava pasmado a ver pas-
sar a*baroneza, veio ter comigo um bo-
mem, e prometteu-me para esla neute ama
distraegio digna de interesse.
O que vem a ser ?
Um assassinio porta fechada.
Caetano deu um pulo, e Beauregard d-
satou a cascalhar como um perdido.
Falla serio ?... per passado curto silencio.
Quem sabe l I Talvez falle I tornoo
o_exqusito personagem.
E quer que ea v com o senhor a
sitios tioperigosos?...
E' o meu desejo mais ardente, mesmo
porque o senbor ha de ir amanhia agrade-
cer-me o favor de l o levar.
Ab I quo longe vamos nos da so- j
iedade que deixmos no theatro I
, Ora l Os extremos tocam-se, e ma-
mocratici esclueita je toda cksuaccio de
classea, o fimos dos ricos $ db9 eobres
vio sentarse nos meamos bancos a recebar
o mesmo ensiao, desde o primeiro at o
mais elevado grao,
Nio tardn que se deseobrisae, nio s
qae as meninas instruidas ao lado doe ra-
pazas, nio Ibes eram inferiores na appfica-
gio nem na intelligenca, mas tambem que
as mestras applicavam no ensino qoalidades
e aplidoes que nio se encontravam em grao
igual nos mestres.
Essas differengas se foram pouco a pouco
t ruando tanto mais manifest quanto qu,
sendo os meninos na mor parte ob. gados
a deixar aos 14 e 15 annos os estudos co-
rneados para entrar em suas profiss5as, e
nada impedindo a que as meninas os con-
tinuasseua, estas entravam na posse de nma
instruegio mais solida e extensa, eobtioham
assim na sociedade um jugar mais elevado
do que aquella que tem as nagoes euro-
peas. O respailo e a consideragio de qae
gozara na America, cresceram ainda mais
quan lo no meio dos grandes successos de
que furara theatro os Estados-Unidos, mos-
traran el as que a sua coragem e s u pa-
irio'.i-mo nio cede em nada aos dos bomens.
Sabida da todos a dedicagio admira-
vel qae as s nho a> e as meninas dos esta-
dos do noria ostentarara dorante os annos
crois em que a mais terrivel guerra que
nos o florece m os annaes dos lempos mo-
dernos, armn as duas metades da Uoiio;
accorreram aos campos de batalha, leva-
rara recursos e consolagoes aos feridos, e.
para elles se transformaran em verdadeiras
irmias de caridde. Os mestres pagarara
morte largo trbulo. Eco mnitos estados,
s ura pequeo numer > voltou daquelles
que se tinham alistad > no exercito do norte.
As mestras se multiplicaran] para os subs-
tituir, e a esta hora, o numero dellas as
escolas dos Estados-Unidos, em relagio ao
dos mestres, de 70 |0 (1).
Os resultados da guerra pozeram em nova
prova os seus talentos e ardor. A victoria
do norte sobre o sol teve por consequea-
cia o libertamento de ama popolagio de
pretos que nio avallada em menos de 4
milhoes de almas. A religiio e a bumani-
dade logo se preocuparlo com a sorte dos
G hos dos libertos de h antera, repelli Jos
por seus senhores e obrigados a pedir ao
trabalho os meios de existencia. Numero-
sos associacoes formadas nos estados do
norte pensaram em fundar escolas para
essas criaogs de ambos os sexos. Fez-se
caloroso appello aos cidados ricos, acosta-
mados a se associarem a todos os actos de
beneficencia, e desde 1832 mais de 4.000
escolas para os filbos dos pretos se estabe-
leceram nos princpaes estado do Sol. O
ensiao foi confiado a senboras, e essas ge-
nerosas missionarias da sciencia nio besi-
taram em deixar a sua localidade e familias
para irem dedicar-se a um trababalbo mais
penoso pela opposigio que encontraram
na mor parte das cidades onde se estabele-
ceram. Vi-as no labor, e tanto admirei o
seu intelligente ze'.o como os resoltados
que obtiveram. Os relatnos apresentados
todos os annos superintendentes das escolas
publicas reconbecem unnimemente qoe as
senboras no exercicio de suas funcgdes mos-
tram urna ntelligencia, urna babilidade, um
tacto qoe difficilmente se acbam nos bo-
mens : se alguma censura se lhes pode fa-
zer de se entregarem com demasiado ar-
dor sua laboriosa tarefa, e arriscar muita
vez a saude com o excesso do trabalho.
Muitos estabelecimenlos de instruegio
superior, destieados as meninas, gozam na
America de justa celebridade. Posso citar
o Poker collegiate instituto, de Brooklyn, o
Rulgers's female college, de New-York, e
principalmente o Vassar College i m'Pongb-
keepse.
(Continuar-se-ha).
(1) Da 350.000 mestras, ha 200.000
senboras 150 000 homens; em Baltimore,
em 1867 havia 500 mestre e 50 mestres.
to.se ba de admirar quando vir diqui a
e o vasto ODfido onde 0 MQbw vai rrea- geota qoe vive dcsn md4o, Viempor son-
boocas horas os lagos' mysteriosos que
prendem o mundo onde o senbor vive s
enxovias onde formigam as immensas fileiras
do roobo e do crime. Vamos l, aceita ?
Palavriaha que me est tentando!
*~ Pois entio, tenba confianga em mira,
e deixe-se ir para onde eu o levar. E de-
pois, temos vindo lio entretidos pelo ca-
rainbo, qae j c estamos, qaasi sem dar
por isso.
Mas estamos aonde ?... inlerrogou
Caetano, olbando em derredor.
Estamos nos meus sitios, responden
Beaaregard.
E que espelunca aquella, cuja fa-
mosa lanterna avisto alli amante?...
E' a espelunca onde db lbe vou offe-
reeer a ceia I
E o velho corsario, passando primeiro,
metteu-se n'um beco estreito, sujo e escuro,
qaa ia dar a orna das tascas mais celebra-
das Daquelles tempos.
A casa era de metter medo, Nio pas-
sava ee orna bodega immanda e mal chai-
rla, poeto derwiBlio para os desavergo-
abados qae vid pedir a vadsagem ao rou-
bo e ao crime o aoicoj meioe de exilian-
cia ; all eram certoa toda* u meniea, a
darem largas, oa^embriageei ene orgia,
aos sentimentos da repulsio que at ios-
piravam a si proprios.
Da dia eslava o estabelecimento s mor-
cas. Os frequentadores comecavam a ap-
parecer alli pela tardinba, e a meia noote
que a reuniio era completa' e ioteressante.
Ia-se ler tal espelunca por um beco
estreito, comprido e sujo, como j disse ;
entrava-se depois n'uma grahde casa rec-
tangular, onde havia muitas mesas postas
em s\ netria, e enterradas no cbio. A ro-
da dessa casa ficavam diversos quartos
para os beberroes que iam para l tratar
dos seus negocios.
Pode calcolar-se que todas as no o tes iam
aquella tasca urnas trezentas pessoas. Era
tudo homens mal encarados, de olhar feroz
e sanguinario, e mulheres perdidas, de ca-
ras paludas a revelarem a devassido ver-
gonbosa ou a corrupgSo precoce. Era o
mundo tenebroso do vicio e da perversi-
dade !
De certa hora em dianle, tudo aquillo
dava ares de om labyriotbo phantastico e
I extravagante, um inferno impossivel, galho-
feiro e medonho ao mesmo tempo.
Quasi sempre passavam das descompos-
turas As bordoadas, e nio era consa de
espantar ver e sangua dos frequentadores
misturar-se com o vinho entornado por
cima das mesas. (1)
AlAm dos quartos que mencionamos, ti-
nha ainda a espelunca mais doas cubiclos
raobilia los com laxo, d'oode por meio de
ornas rosetas abarlas no tabique podiam
as pessoas que IA estivessem ver o qaa se
passava na casa toda, sem que os fregue-
ses do estabelecimento dssem por isso.
Havia om corredor secreto para ir ter
aos gabinetes, qne se alugavam por bom
prego aos fldalgotes da mocidade mais es-
tria.
Amiadadas vetes alli se representavam
mdonbos dramas, e tantea e tio medetnoe,
3ue ficoa a am dos quartoe, como beranca
e tempos memores, o neme significativo
de Estafador,
*
k
(1J N> ra aqui nada
leitor meas iaaedolo e mais
coasaltar qaemjp quizer
Droit, de aabeao, (2 de mal
mtmW
i peridico Le
aaio de 18A9.
ft> DO DUIUO-*A DO DVQWM CA1U


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ESE0YOGOJ_HEG13E INGEST_TIME 2013-09-14T02:10:57Z PACKAGE AA00011611_12365
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES