Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:12350


This item is only available as the following downloads:


Full Text
MAHf ""-'.'-'| |'" ;| v ...'|

ANNO XLVII. NUMERO 14
PA i CAPITAL l IVGltt OIDB IAO tt PA6A PORTE.
Per tr Mies idiantados ......... tQOO
I dem.................
Gidi cunero ivolu...................

tt 31 DE M
^9
-,,-(-8
^^
PAJA DIITHO I POIA DA 0VHOA.
ra meies adunudo .
^^^Hp>* .........
vn ditos dem ............
Por o* ame dem..............
MBUCO.
Fropredade de Maaoel Figueira dtFaria Hlhos.
-------!---------- : ri ^ ao Aann*:
0. Sra. Gerardo Antonio Altea 4 Filboa, no Par* ; Oo*al* 4 Pflto. M
Perora d'Almeida, em Mama****; Antonio Alexanrino de Lina, na Parakyba; Antonio Joe Goma, na W*
em Nanreth; Antonio Ferreira de Agujar, em Goyanna; Frandno Tavtna da Costa, em Alagoa; Pf.
J_____________________---------------r--------------- ..... iL
,no Anca? ; Joto Mara Julio Chavea, no Aaan ; Antonio Marques da Siha, no Natal; Joe Justina
Belarnino doa Santoa BokSo, em Santo Anuo; Domingoa Jos da CoaU Braga,
Ataa, na Babia; e Jos RJbeiro Gaaparinho no Rio de Janeiro.-
PAUTE OFFICIAL

"" ----------------
CiOVERNO IBA PROVINCIA
FALLA recitada na abertura da Assenibla Legislativa Pro-
vincial de Pernambuco,peloExm. Sr. Presidente da Pro-
vincia, conselheiro iogo Velho Cavalcanti de Albuquer-
no dial." de raarqo de 1871.
(CONTINUACO.J
1
BraaMros
Estrangetrfts
(.ntraram:
Nactonalidade.
Brasleiros
Estrangeiros
17
403
4,986
148,641
490 W
GHANDE CABOTAGIM,
Sahiram
Brasleiros
Estraageiros
que,
AUudi fia pouco a estes assumptos de grande momento, e voUo a elles para encarecer-vo
a euoortunidade e conveniencia de Ihes dispeiwardes a merecida soeituue.
T deploravel que, quando myriadas de europeos de'xam espo^neament o solo nat em
busca de fortunV e melhoria, preflram ao Brajil, regales e^.'11^* .^5?L^ datar?
econmicas, sociaes e polticas, sem que sirvam-lhe* de attracuvo a admiravet uberdade da trra,
a amenidade do clima, a abundancia dos favores da administracao. mmo1. .,!- ft
Este facto tem preocupado o espirito de quantos estudam as necessidades publica^e
jusca reeonheeer os esforcos dVgoverno em chamar ao seio deste vasto imperio a populacao su
V&^J^lSgfawBto desproporcionados aos meios, e mal compensado tem sido
'^^SafU investigador o exame das causas ^m^'e malogro
e do modo mais proficuo de removel-as. Muito se tem dito e escnpto a respeito, >mo sabis
ao nwao^i y ^^ ^ ^ MnHau prximos dos eMtros de
consumos povoadose melbor dotados de meios de transportes, estiverem trancados pelos gran-
limitada extensao

de*"'prometerlos' que'o os utilisara, nem cedem cultura, e mal o cus^ eai .
T. ^,.. m nnantn n3n oarantirmos ao inmigrante fcil acquisicao das si
cora o braco escravo ; em quanto nao garantirnos
terrenos, igualdade dedireiios civi e polticos, liberdade de culto e conscienc.a .granea
dual e df familia em todas as relaces; em quauto, preparados estes tnewvosP"^
uaoseempregarem provide0ctas effleaxes no sentido de abrir manter francae larga propagan
da, tornando bem conhec.do o pata, seus recursos e aossos esforcos ^** J*^
gracao; em quanto nao organisarem-se emprezas e associacoes partcu ares i *das
viro e de facilitar o transporte o coiiocaco dos immigrantes, serao mal saccedidas as tentativas, e
nunca veremos encamnhado paraoBrasiU xodo.jarona. ^u ^ y(ai( mdw d(J
indivi-
Ximero ie navios.
406
la .
36J
. 155
~517
Toneiatm.
130,140
89,919
320,059
121,838
67,032
188,882
11,035
4,769
2,416
7.185
Empregaram-se:
PIQDKNA CABOTAGKM.
Trafego do porto e riot nwegaveis
Vapores........... 2
Barcacas......f... 273
Barcas de querena.. 3
Lanchas de coberta. 59
Botes.......T....M
Lanchas.......... 37
Catraias........... 12
Caneas........... 183
712
Kmprtqaram-te na petcaria :
Noaitomar....... 99 jangadas
.....(113
(27.
Nos ros.
' candis
239
O quadro seguinte demonstra o movimento do porto no qfaq^bo-^ 1865-1870
A' cusui de enormes sacrilicias fundaremos urna ou oulra colonia que,
immigracao, ser, como at agora coni rarssimas excepcOes, uro pensinalo pw}"*- Qmra,_
b ^ TL. portanto <> Vale apena, antes de obter as condicoes indicadas, empregar es-
forcos e expedieJfe, recursos e dinheiro com o fim de convidar hospedes que nao podemos aga-
salhar, e qSeYquando apparecam, irao logo depois malder a hosp.tal.dade, crear preven^, nn-
pedir oue otros mais tarde, quando j preparado e.'tiver o pau, recusem os .^vo^r.ec"nentos>
obrigando-nos a duplos sacrificios e trazendo sempre o retardamento do almejado b?necw?
8 Vale apena todo o esforco e empenho, nao para antecipar aquiUo a que nao aproveita a
iropaciencfl, e indispensavel o lempo, elemento com que se deve ^.^JfrS?*:
as, mas para predisor, preparar, faciliter e encaminhar o movimento da "'F^- ^Xr'as
valcm essencialmente os meios indirectos, as reformas na legislacao, ai propagacao das verdadeu-as
dSTmcativa particular, individual ou colleetiva, a vigilancia efflcaz a proteccao .generosa,
na^ cuco insivel do governo, o estabeleeimento de grandes ncleos em lugares apropnados com
Xe moriwrada, que possua algum capital ou aptklo proUssional, e venha viyer deseu trabalho
S qf este loe proporcionar seguro goso da propriedade, da paz d-^^ *" "f^8
direitos que nao Iheontorga o solo exhausto, nem a constituicao socl ou poltica dos pawes don-
de >reiJ!.rabora 0 flm ,que devemos enderecarnossos esforcos seja o augmento da R*"^
atricola cnmpre nao esquecer outros interesses, ontros ramos da industria, outros servicos, que
terao de' soffrer igualmente com a crise imminente do elemento servil. i5n
Por ventura haver pouco trastomo para os habitantes das cidades e focos de popnlacao,
quando ^cassear rapidamen|e o pes^oal do maneto domestico ? A pequea indostm, que fornece
S55Tmtnos abasUdaVrandTparte dos objetos deseu consomo, ficara isenta de abalo?
NAavn"r devlocacao geral as variadas relaccies econmicas 7 u,.
A lo^rrigorosa dos acontecimentos e o exempio de outros paires mandam sem haitar a
affirm!UVSeria providencia'acertada desviarn das cidades a podula^serv w^neas ^abriga
|Qdcando o trabalho livre pela concorrencia com o artesao desprotegida A procuia do trabalh^
dos salarios; conyidaria^ tambem o_operano, estrangeiro a vir ganhar a vida
movimento, e afina!,
ENTRADA.
NAVIOS.
1865-1866
1866-1867
1867-1868
1868-1869
1869-18T0
609
569
5651
411
497
TONELADAS.
250:318
351:738
268:6^5
148:975
183:378
EQUIPAOS*.
13:098
12:851
14:458
8:0*8
8'in
GRANDE CA-
BOTAGEM
PEQUEA CA-
BOTAGEM
,1865-1866
11866-1867
4867-1868
11868-1869
[1869-1870
1865-1866
1866-1867
1867-1868
1868-1869
1869-1870
304
304
419
467
511
88:379
87:72
113:566
140:066
142:255
1:262
1:408
3:494'
3:371
901
45:321
44:965
87:659
90:303
J3:555
5:37
5:570
7:735
8:058
8:547
5:416
5:864
13:98*4
10:834
3:505
SAHIDA
TONELADAS.
199:988
171:3*3
164:244
208:945
208:452
74:710
86:299
96541
153 279
111:186
41:386
40:914
12
Lhnoeiro : Agua potavei, por estarem inatilisados e terem sido teitos em tugare impro-
SriM os dous acudes que existem, nwlhorsmento da estrada publica da villa para o castro, concert
o acougue publico, aterro em diversos lugares, alteracao dos oficios de justica, augmento de orde-
nado para o procurador, poHairu, ajadanie do mesmoB "s^daca^^^ ,
de cadeia, construccao de um a?ude no riacho que banha a villa.
Ouricury : Cercar o respectivo acude.' -
Floresta : Approvacao de posturas, mudlhca da fe ira para o lugar entre a matriz e a
igreja que se est construindo, edificacao de um telheiro para abrigo dos concurrente mesma feira,
urna cadeia, e a creacao de mais um disiricto de paz. Os tribunaes funccionam em casas particu-
lares sem accommodacoes, e sem os movis necesirios.
S. Beato.: Um novo cemiterio em lugar mais commodo e hygienico, um acude e autorisa-
cao para compra dos alicerces de urna casa all principiada afim de construir-se nelle a cadeia.
Agua Preta : Continuacao de urna estrada na estacao da via frrea denominadaAgua-
Preta- margem do rioJacuipe, urna ponte sobre o rio -Una -no lugar denominado -Passagem
da Jangada -, um edificio para servir de paco, outro para detencao de presos, duas casas de mercado,
m Agua Pret e na povoaco dos Montes, urna pequea ponte no rioLama, urna bomba no riacho
que atravessa a villa e principio da rua-SHveira Lessa, approvacao do Regulamento do cemiterio
publico, passar a pertencer cmara o pedagio das pontos.
0/tfuta .-Creacao do lugar de ajudante do porteiro da cmara, servindo este de escrivo
aos ffscaes de fra da cidade, reparos no calcamento da mesma, aterrar o alagado ao lado do norte
da linha frrea no porto das canoas com canal para esgoto das aguas, concertos da cadeia, fazer de
pedra e cal o concert de que precisa o matadouro publico, subvencao para um edificio para soccor-
rer os indigentes.
Nazaretk : Agua potavei.
Santo Anto : Agua potavei, urna escola nocturna para o sexo masculino,- reforma de al-
guns artigos de posturas, um curral para recolher gado, dividir em dous o tabellioaato de cada um dos
termos da comarca na forma do decreto de 30 de Janeiro de 1834, movis e aceio para o pavimento
da casa da camaru em que funrciona o jury.
Escoda : Urna casa de prisao, estrada da villa via frrea, concert da matriz, concert,
aceio e movis na sala da pequea casa alugada para as sessoes do jury.
Bonito : Movis, urnas, outros accessorios e decencia na casa em que funccionam os tribu-
naes, concluir a casa para a cmara e cadeia, e-tradas, reduzir a um os dous tabellionatos, ficando o
outro com a serventa do omcio de escrivo de orphaos smente.
Tacarat: Creacao de mais um districto de paz, cadeia, accommodacoes e movis as casas
em que funccionam os tribunaes.
Rio Formoso : Urna cadeia, casa com proporcoes para a cmara municipal e tribunaes.
Serinhaem : Divisao do districto de paz, concert e aceio da casa em que 'funccionam a
cmara e tribunaes.
Flores : Movis e accommodaefles as casas em que funccionam as cmaras e tribunaes da
comarca, coi certo da cadeia que ameaca desmoronar-se.
Villa Bella : Creacao de urna comarca composta deste termo e do termo do Triumptio, sup-
pressao d um dos oficios de tabellio.
Ingazeira : Casa para-a cadeia.
Pao d'Alho : Reparo e aceio na cas em que funccionam a cmara muuicipal e tribunaes,
agua potavei que pode ser conduzida da vertente Olhos d'agua .
Iguarass : Urna ponte na povoaco de Itapissuma para ligar o municipio ilha de Ita-
marac, continuacao da estrada daquella povoaco cidade de Nazareth, abertura do rio que atra-
vessa a villa e que com outra forma a barra dettamarac, concessao de lotera para conclusao
do cemiterio publico, creacao*8e urna cadeira de prmeiras letras para o sexo masculino no povoado
deMarinha Farinha, outra o sexo femenino na povoaco de Itapissuma, e remocao paraTres
Ladeiras-da que existe en Pasmado.
Boa- Vista : AccommodacSes e decencia as casas em que funccionam os tribunaes nos
dous termos da comarca. v.
Guranhuns : Suppressao do districto de paz-Poco Cpmpndona freguezia de Garanhun^
urna cadeia na villa do mesmo nome, reparar o acude da mesma, continuar as obras das {natrites
das freguezias de Garanhuns e Bm Conselho, concertar a ponte da villa do Bom Conselho, aons
acudes, um no Buique e outro na povoaoio da Pedra .
Buique : Agua potavei no verao por insuficiencia do acude, cadeia, cader
maria para um e ou\ro sexo na freguezia da Pedra, auxilio capella con
BQUIfAGEM.
7:564
5.641
5:685
8:428
8:457
5:275
5:705
5:872
5.596
5:836
4:9*0
4:547
13:786
fGkSW
3:487
ti
COMPANHIA PERNAMBUCANA DE NAVEGACAO 'A VAPOR.-Sao
Encorporada em 18il
ineonlestaveis os ser
leve serios embaracos
vicos que tem prestado ao commercio e a provincia, a"?&**Zntnlns ^onistasVFeTto
at 1866, quanS, pela primeira vez pode: .stnbmr o dividendc deJO ^wto aos^c-on"^-. 1^eite
prejuuicanc
deteruinando a ajea dos salarios; convidara tamDem o operar, esirauBou^
X naTotoes maritimas, onde mais promptamente adiara arrumacao.
* Ads os primeiros viriam outros; aberto o carainho seguir-se-hia o
ocalculo do tacro" do -capital empregado desde a sua o apreaenuo resultado de 58 por
rridos, do i
progressivo
e importantes transacedes com as previneias visinhas, nao desconhe
cento que, divididos pelos Vinte anaos decorridos, do urna annuidade inferior a 3 por cento.
de S. Se-
'PaiWMrr Cmatrwio de urn cemiterio, urna estrada de ...
Itamb, creacao de urna cadeira da lingua francesa e outra da lingua latina, reunir o offldo ae es-
crivo de jury e execucSes criminaes ao de um dos escrivaes do civel e crime, e reduzir o numero
oflttfiS
Bom Conselho : Um predio para as sessoes, urna cadeia, casa para mercado, acougue, um
cemiterio, duas pontes sobre o Papacacinha, urna na estrada para o Panema, outra na /ua que ugo
a wllaao'collegioBom-Conselbo, encaar a agua potavei que actualmente cerr em leito estrelt
e immundo, e estradas para esta capital.
I ir
t
ADOS OS PnmelrOS VIMOIU UUUUS, un" V n~ -~p -------------..-_;,, '__.J,,n| o
em U ciaade ao arrabalde, deste ao campo visinho, logo ao mais remoto, a distancia sena gradual e
Dortanto fcil de transpr, veramos estabelecida urna corrente de mmigracao.
ponomo ^ a^voura receberia o subsidio dos bracos servs dispensados das cidades
O meto de concorrer eficazmente para to til resultado esta, em parte, em vossas attnbui-
fe o imiosto progressivo sobre os escravos urbanos, salvando somente os indispensaveis ao ser-
ijo wu ticular, emquanto apercebemo-nos com substitutos, que hao de vir.
vicopait^uiar, q ^ cuidar mmtras providencias. Com esforco Pacientemente, renoo
vado seria Dossvcl fundar alguns ncleos coloniaes margem das estradas de ferro emettecv-
tnumito' ou nroiectadas, impondo-se isto como condicao nos respectivos contratos. ,amin*\
transito, P^alvei' rc^rrido a estrada de ferro de S. Francisco, desta capital a estecao terminal
n Trombtas o que ha de novo e interessante as suas margens em materia de desenvolviroento agr
XtQuS^nadal-Engenhosde triste aspecto, construccoes de vetusto forma terrenos mal aprove.-
Stos ou baldos, raros e pequeos povoados industriosos ou mercantis, ephemeros e ambulantes,
oonfonne^c^a^es^da^^ ^^^^ ^^afmfm ^ ^ fo^?_Quaes ( interesses
^^^^SSS'iU daestrada atravs de areaes, e de terrenos pecupados
intilmente por alguns engenhos de assucar, e vedados assim ao explorador intelligente que m
Zo^otempo eonverterii o deserto em bello campo de porta, onde a lavoura, a industria pastor,
o movimento da populacao acrescentada diariamente, operariam admiraveis transformacoes.
Contra este mal o remedio seria o imposto territorial obligando o propnetano a aesiazer-se
das trras inuteis s exigencias da sua lavoura.
A desapropnacao toreada, com criterio e em casos de utilidade publica bem provada, com-
nletaria o plano que expoftho a vossa correccao e supplemento. ..-lant.
O assumpto merece o maior exame e criterio. Urna organisacao econmica inconveniente
a falta do liberdade do trabalho, urna distribuico viciosa da propriedade territorial retardam o pro-
~mo e as vezes determinara a decadencia de um povo. A vastidio do Brasil actualmente um obs-
Sculo' sua prospendade : cumpre corregir o mal, e os metos mais proficuos sa0xreP0V?ar10,o(iS.un
pal povoado, ligar os centros productores aos de consummo, snpprimir qoatito or possivet asinsian-
cias, e abrir ahida aos gneros e mcrcadorias.
DUmtllUSD lB\TI(&a\(|a\ ' Sobre a extenso, objecto o valor do commercio interno da provincia impossivel, por falta
de base fazer qualquer calculo. A estatislica nesta parte anda urna especie de enigma, mcompre-
bensive at para quem observa o modo livre e desordenado come se reproduzem as.t^9*cc^es^opp.
A percepeo dos mpostos que mais ou menos gravam os diversos ramos da industria aerra-
ma tao frouxa luz, que esto serve antes para avultar a confusao no meto da qual mudas yf"**J
de e a leso distendem-se desembaracadamente. Nao ha, porm,' a menor duvtoa que as WV
de permuta sobre os productos da poiuena lavoura, gneros alimenticios, industria anru e manuuu,-
inreira nacionaes, tem tido desenvolvmento. .
Sera d matos utilidade obterem-se dados sobre a importancia, qualidade e quj^ade
Meases otiectos, ao menor nos principaes mercados; porque teoamos assim importantes emenios
|aral oluo dTmuitos problemas econmicos e sociaes que ha tempo preodem a attencao do legis-
No que respeita ao commercio externo, deduxda a parte btr^ ^to^ntrabando^ ou que
scoa-se iKlaV provincias limitrophes, temos documento que nio desanimador no quadro da unpor
'-- cidade nos cinco ltimos exercicios, como aqm ve-se .
Krob^rod^nvoTv^^
_intes transacedes com as provincias vismhas, nao desconnecera a iiecesaidade de aagmemar
ramw sobre viaeens Dar Fernando de Noronha e outros ponto9. ... ..__
reles S00revv^renss|eram duranlc 0 ann0 m ^^ ma8 4* alm das que obrigada por seus
^^^^Transportaram 8,711 passageiros, sendo 1,752 por conta do governo, 679 de estado e 6,28
pmCUr"Snduiirammercadorias no valor de 12,108.0*1#480; dinheiro de particulares no de
3,038:50*4811, e do governo no de 347:008*134.
Perdeu o vapor Poteng na barra de Penedo,
pelos nove denominados :
pojmc*.
Ptrapama.
Jaguarribe.
iqui. -.
Corwripe. i
ParoJ/oa.
Mossor.
Segundo o^S%nmtUdopelogerenteem 15 de feverein. prximo findo, a Companhia
pagou ao Governo Imperial a ultima praataeo que devia e venceu-se em lulho de 1870.
PORTO D0TECIFE.-A8sumpto connexo com o do commerao a .^f t!,^EonS
questao do porto desta capital. Suceedem-se os estudos, planos e prupoatM ; mas .
por isau o seu servco feito actualmente
K^e^doa revelara as circunstancias e con .lo ser os malesresultanles de obras mal deliueadas, que at certo ponte, saoJg %
mora e hesitacao notadas peta-impaciencia dos que comprehendemaurgencuido ^"^'^
clamado petaimportaneia destepraca, cuto floreseente commercioabrai
o wu thor^jwado. ^ ^ ^ ^ m^^ ^,,3 obras doporto
mais de *,500:00*, e4nao obstante pennanecern os elfeitos que procurou corrigir sen^ fonsegncia
SSaSaWSSSSte^JK^
^Euffia^ VSSKiSS.
de PernambXcreio firmemente ni eficacia do emorego desses P(*rWjdKnrerte^
fundar e alargarlo ancoradouro e de providencias aequadas e^l^JS^i^^ rem-s em despejo da cidade os caes que bordara os nos.de caja confluencia fonna-se o porto.
Nesta Darte grande responsabiiidade toca municipalioafle. ., nrn.
KnS da mnxalnalta uba do Noguoira, a elevacao da c^^[e.v0ar|^hanfbS
norte do arsenal de marinha, a, abertura do canal.*divago do-Camba
CJoveruo da provincia.
EXPEDIENTE DO DA 24 DE MARCO DE 1871
Officios : ^^
Ao Exm. presidente do Ceara, tieeta-
raodo em resposta ao seo officio de 10 do
corrente, que, segundo informa o inspector
do arienal de marinba, uao foram aioda
construidas as boias, a que allode o citado
officio em razSo de nSo haver uaqoelle es-
tabeleeimento caldereiros de ferro, que se
incombam desse sefvico, e que nesta data,
d scieocia ao Exm. Sr. ministro da ma-
rinba de semelbante falta, afim de que
providencie como julgar conveniente.
Ao commaudaote das armas, recom-
mendando a ezpedicio de suas ordens,
para que urna forca de 12 pravas e um in-
ferior de linba se aprsente na casa de de-
tenc5o, s sete boras da mannSa do dia 27
do correBte, afim de receber e condozir
ao termo do Cabo, disposicSo do Dr.
joit municipal, cinco criminosos que vSo
alli responder ao jury, devendo .a mesma
for^a permanecer naquelle termo at o en-
cerrament da sessSo do tribunal, que ter
comeco no dia 28 deste mez.
Communicoo-se ao Dr. chefe de polica
Ao mesmo, communicando para es
fias convenientes, que, segundo consta de
aviso do ministerio da guerra de 13 do
correte coocedeu-se por menagem esta
capital ao tenente honorario do exercito He-
liodoro Aveilino de Souza Monteiro,
taco e exportacio pela alfandega desta
QUINQUENIO.
VALOR
BA- .
IMPORTACO.
1865-1866
1866-1867
1867-1868
1868-1869
1869-1870
>
-".....
**
.............
21,083:684*489
*3,105:403996
17,O*0:7te300
25,677:983*864
*5,137:19*66*|
VALOR
DA '
EXPORPACO.
26,084:468*004
22,463:676*741
20,744:1*5*412
23.507:844*469
30,940:7W#652
Os. valores relativos ao anno de 1869-1870 foram calentados por esumauva, emjazo^de
nioHtar rttodfa re^ectva estatistica, premindo.se, porm, que tees valores serao mais eleva-
Ocorpocommerciai dignamente representado petaAssociacfc respectiva; J2JJ
netrada d sua misaao eiviliaadra e benefleente, est constantemente ao taojlas idasjiene
rotef aaima, ofcreeendo bom esempto do (|ue vale o espirito de asaoctayo,
ibalho, da ^oduoao, a que c fc.
mento e pixperiaade Entre nos is leis re,trlcnvas, as tendencias enti *,
tongamente do caes ao norte ao arsenal oe marra, a uno* ;n^n>Tr"'"E ourso Drote-
rih_ d oue noutra narte oceupei-me, Idguns tancos de muralba para reeticar o seu ^P~
ndT'as n^geTS cS pcX, cnpteteriam Sin systema ** mtes oue de forma al-
raima embaraearo as que no futuro se verem de emprehender.
guma einMi^araoas ^^wiro(Jalvo ^,,^0 -loddo canal, como eventuatoiente W*
ao norte te fiS em-Stoeotanb-; mas nem ha obataculo ?^ eUe va at onde^muter
uedadoo ineonveniente do movimento e deposito de artas dentro do ancoradourc> 9 que t^v*
re^pnmvelT^adSS a sua remoeao; servi^ que de certo sera largamente cempeusado pela ce.
sacao dos transtornos determinados pelas crescencas do Capibanbe.
E' esto o voto de prossiouaes tambem. .
iprniiifin
Tem agora grande curso as ideas de descentrateaeio adrahristrativa. Redama-se cora ardor
maior somma de antoridade e de meto de accao para o elemento local. T n......Ir^.
A exigencia, em mese, juste e fundada. Nao demonstra-se o que evidente.-O mumcipio,
segundo a Consututoao, j> a untoaae administrativa, e o municipio esta qusi annuuado.
^ A causa eAdente deste resultado parece provir da Jegistacio respectiva ; mas outros deei
tos intrnsecos, ou accidenttes da sociedade actuam poderosamente. v- a mlhors
rugar commum repetir oue as instituiedes valem o que valem os homens .-as memores
tois sao letra mor, se o espirito publico nao as vivifica. _.,m ,,, a.
leis saoJJJErwoi na\erdaoedireitos e attribuicoes inscriptos nos codigos^mMuem trata exercita-tos, ou se o exertcto redua-se ao preenobimento de ft aa t ^^
Eonossocaso. As municipalidades, embora os deeitos dafef^0 JSSLSS^K-
uncia e influencia, s o. veraadores se comnenetrasseaiida *9g**. te3wTaSXio da
manem em conatan^ao o cuapnmento dos seas devere. WV rSrxZn Tmore le-
causamumdpaLsem^queesttiaoseUgaalgmninter^ parteular, sabe Den se sjMpre *
' Ha municipio na provincia, onde, durante mais de um anuo, nao reuniu-se a respectiva ea-
Lance quem quiaar as vistas sobre os swrioos econmicos epo&aaesiiW|o j**^
Udades,econirartasuuMeaopcWeioiUTar4 8aipreti^ L!3tafrawio
-m, o flwaes com o seu cortejo i^^J^^^SJ^J^S
..., ^uxn'niui) eoneoirenipara esterih^-o, sobsutoindo-o pela tutella o*#L
qoe regata as sociedades na vasta eonpn*ensao.de todos o seus flns posaivais-fleando mbentendldo
i as sociedades na vasto eomprT
H
^Ha-Dunpte ano' passado o maviinento do porto desta ejdade foi o sagointe :
mar
eaetas, ou mil cimd^cendenctas crnnmosas, cotorine a oeeasiao
"TeTvossa attencao e telo para este parto do pnbMco servkjo :-ade ri-
vokoo censo.
Sumen de muios.
53-!
Tonelagem
377!
li*77
*04,748
Equipaoem-
Niofaltam,
eem applicae>ode
a quaudade e
Peou.
0"^ '&2^g<^ dos diveraos municipios, segando as ****** 9* tanto
rW^,&rZSI'do matadoure puWieo, penna d'agoa potavei para o_maamo, atoa-
mente e SSLloin, para a. agua. piS^a^nas r^%a^^^!i?da
SSteco de arvores na cidade, casa do mercado, para que aTai n. autoraou om prastiBio oa
daigretadaSantoAntomoaavttfa, ama ca-tetra de jwaeiras )m un. a i
ediflcM que sirva paea as sessoes e
'Zmm7mmi
se acba preso para responder a conaelbo
de guerra.
Ao mosmo, para mandar apresentar
ao Dr. chefe de polica duas pracas mon-
tadas, afim de aeguirem em diligencia at
a cidade de Goianna.
Ao inspector da thesooraria provm
cial, mandando abonar ao official subalter-
no, que vai substituir o alfere do corpo
de polica Marolioo da Costa Raposo
destacamento de Floresta, a grattucacfc) de
commando na razSo de 105000 mensaes.
Commanicou-se ao commaodante do
corpo. .
Ao mesmo, declarando para os nos
convenientes, que a gratificaclo de oom-
mando, mandada abonar ao major do cor-
so de plicia Jlo Fraocisco daCunha, que
vai em diligencia a cen^o da provincia,
deve ser na rato de 20*000 rs. mensaes
e nao de 10,0000 rs., como se declaroo.no
officio de 15 do corrate.
Ao mesmo, pan que faca recolher
em deposito oessa repartirlo, disposico
da presidencia, a qoantia de 10:098*000,
producto de urna aobscripcSo promovida
pela AssociacSo Commercial Baoeflcente
por occasiao do acabamento da goerra con-
tra a Repblica do Paraguay, trqje.aera
entregue por Pte Z,
competa /do
&fl^ArtWM Mchameos
*> o|wio,,riSvSr
----------------------_.,
Ao mesmo, mandando pagar aos ne-
gottantes Moreira Braga a quantia de
2t8i0 ra.,' despendida nos meses de de-
*moro aVaaoo passado e japeiro ultimo
com o sustento dos presos pobres da cadeia
do termo de Cimbres.
Commonicou-se ao Dr. chefe de polica.
Ao commandante superior da guarda
nacional do municipio do Recite, declaran-
do que, por intermedio de urna comabslo,
participou a irmandade do Senhor Boa
Jess dos Passos haver transferido para o
dia 26 a trasladaba da Imagem do mesmo
Senhor da igreja do convento do Carino
para a matriz de S. Frei Pedro Goncalves.
e para isso subsistern as ordens transmiti-
das em officio de 17 do corrente.
Ao commandante do brigue barca
Itamarac, recommendando que, de con-
formidade com o que determina o aviso do
ministerio da marinba de 3 do correte,
mande escusar do servco o grumete Ma-
noel Joaqoim de Vasconcelos, que tem em
seo favor seero legal.
Ao director do arsenal de guerra,
afim de qne, tendo em vista o aviso juoto
por copia, do ministerio da goerra, de 11
do corrente, informe acerca do augmento
de vencimentos que solicita o official espin-
gardeiro Alezandre Antonio de Arroda, e
da necessidade de seos servicos, devendo
I tambem propor a redcelo de officiaes e
qoejdopessoal intil, que por ventara exista
masci
loa
t
e Libe-
nesse arsenal.
Ao commandante do corpo de polica,
para qoe sem perda de tempo mande apre-
sentar ao Dr. chfe de polica, afim de irem
destacar em Goianna, vinte pracas e om
official aabalterno do corpo aob aeu com-,
mando. .
Ao engenheiro fiscal da estrada ae
ferro do Recife S. Francisco, trausmit-
tindo por copia, para os o convenientes,
o aviso de 8.do corrente, em qoe o Ezm.
Sr. ministro da faienda declara que, sen-
do essa companhia orna sociedade aoonyaa,
estao sugeitas as nomeacoes dos respecti-
vos empregados ao sello de 2 / quando
os vencimentos forem de 200*000 ra. pan
Igual imtatis mutamUs ao superinten-
dente da mesma estrada.
Ao director da sociedade dos Artis-
tas Mechaoicos e Liberaer, *
a mandar faxer. de accordo com o respec-
tivo oardiao. na parte do convento de
Swto Antooio desta cidade, cedida i esa*
iociedade, os reparos e arranjos oeceasanet
para fanecionarem as aulas, qoe a mesma
sociedade mantm, remettendo opportona-
mente a conta das despetas.
Portaras :
Aos agentes da Companhia Bnseira
de paquetes a vapor, para qoe faeam trans-
portar at a Parabyba no vapor A
que segu para o norte,
da nacional Paulino
Viaooa, o ajudante de l
Dias dos Aojos,
e bem assim um
qoe vai acompio
ijK?


iano d PeruaoLbuc* JSexU eira 81 de Matizo do 1871
slti i
yz
lo a importancia
paga.
b
Offictoa-ae ao commandante do corpo de
polica para mandar apresentar ao Dr. cuete
de* polica o oficial que deva acompaohar
a referido teneoto, e commopicou-se ao
mencionado doutor.
Aos meamos, para darein transporte
at a Babia, por cunta do ministerio da mt-
rinba, do vapor qoe se espera dotoorte,io
segnudb sargento 'do batalbao naval Jos
Gomes da Costa.
CommunicoQ-se ao commandante do bri-
gue barca Hamarac.
Despachos :
Anacleto Pabilo de Moraes Carvalho.
Eotregae-se mediante recibo.
Companbia Recife Draynage.Passe por-
tara prorogando at o ultimo de dezembro
dej$7.
Francisco de Paula Carneiro Leao Jnior.
Informe o Sr. director da Escola Nor-
mal.
Gerente da empreza de lluminacao a
gaz.Informe o Sr. eogenbeiro cbefe da
repartilo das obr s publicas.
GaldiDo Temistocles Gabral de Vascon-
celos.Como requer.
^ Padre Joo. Vicente Guedes Pacheco.
lndeferido vista da inforaacio.
J >aquim Ferretra dos Santos Coimbra
Golmaraes.-Pagos os direitos, como ra>
q'oer.
EXPEDIENTE DO SECRETARIO.
Gfficio:
- Ao tenente-coronel SebastiSo Jos Ba-
silio Pyrrbo, recomtnendando de ordena da
presidencia, toda a brevidade. na remessa
do parecer da commisso de qoe faz parte,
nao so oom relacJJo localidade, mas tam-
bem ao plano de constroccao de nm paiol,
que o Dr. Sympbrooio Cesar Coutinbo se
propoe a edificar a sua costa.
dess nassaseas ser \ O SB. GASPAR DE DRUuMd.Vl, signatario do
aessas passageas *> jprojwto qo se dlsCnle Venh0i $ -pdeme,
.dar as raiSos que me gaiaram em su*
PERNAMBUCO.
do
D.
ASSEHBLEA PROVINCIAL.
SESSO ORDINARIA EM 22 DE MARCO.
PRESIDENCIA DO SR. AGUIAH.
Ao miouifeltaa chamad acharam-se pre-
sentes os Srs. Aotonio Paulino, Joaquim Mello
Reg, Ignacio Joaquim, Henriqne Mamede, Ferrei-
ra da Aguiar, Pedro Alfonso, Tolentino de Carva-
lno, Ernesto Vletra, Firmiao de Novaes, Ges Ca-
valeanti, Cuoha Cavalcanti, Felippe F gueira. Cr-
rela de Araojo, Pinto Jnior, Cuaba Figueiredo,
Barrt Wanderley, Hollaoda Cavalcanti, Parnam-
buco Filho, Vieira de Araojo, Oliveira Andrade,
Gaspar db Drumraond, Gusmo Lodo, Paes Bar-
reto e Joao Cavalcanii.
Abre-se a sesso, lida e approvada a acta da
antecedente.
O Sr. 1 secretario d conta do sogumte
expediente:
Ofucios :
Do secretario do governo da provincia, remet-
iendo por copia a decisao dada pelo Exm.
eouselheiro presidente da provincia, acerca
imposto de que trata o 58 do art. 16 da lei
963 do orcamento vigente e nem a9sim as respec
ti vas nformacoes.A" commisso de orcamenti
provincial.
Do mesmo, transmittrado por copia diversos
actos da presidencia da provincia, approvaudo
provisoriamente diversas posturas apresentadas
pela cmara municipal desta cidade.A' commis-
so de negocios de cmaras. j
Da mesa do collegio eleitoral da fregaena da Es-
cada, remetiendo a copia da acta da eleicao que se
proceden para um depulado em subslituicao a
vaga, deixada pela morte do Dr. Antonio Luiz
Cavaleaoti de Allfcquerque.A' arcb'var.
; Dq i secretario interino da assemb^a provin-
cial de Sergipe, casando o reeebimeofo da Col-
leccao dosAnnaes desta assembla remettidos o
auno prximo passalo.Inteirada.
Pelicoes:
De diversos habitaDtes da" Croangy, pedindo a
creacao de ama aula de inslraeco primaria para
o sexo feminino.A* "commisso de instrncco
publica. ,
Do padre Manqel Francisco Pereira, coadjutor
da freguezia do Altinho, pedindo que ae marque
quota para pagamento da congrua qoe deixou de
receber desde6 de anoiro ao ultimo do mez de jaoho
de 1869.A' commisso de orcamento proviocial.
De Jos Carlos Vmllnente honorario do exerc-
toe aggregad ao corpo de polica, pedindo que seja
considerado no sen posto sem prejuiao de venc-
mentos e considerado na classe de aggjegado at
que passe a ser effectivo.A' commisso de forca
policial. -i
De Joaqnim de Gusmo Coelho' Joao Pedro de
Jess da Malla e Uidoro Theodulo de Mattos rer-
reira, laceadores do consalado provincial, pediodo
qne se Ibes eonfira a cathegona e veacimentos de
escriptarar os da mesma repartico.A' commis-
so de ordenados.
De Antouio Joaquim de Oliveira Baduem, Io es-
cripturario do consolado provincial, pedinlo nm
anno de licenca com todos os seas vencunentos
rara tratar de sua aaude.A' commisso de pe-
ticoes. .
Dos professores das escolas nocturuas ueste
municipio, pediodo que as despezas de luz e ex-
pediente e movis indispensaveis s referidas as-
elas, fiquem comprehendidas na verba do alo-
goel de casa, movis etc., das outras escolas, e
que a jubilaco para os professores pblicos que
regem escolas nocturnas seja concedida quanao
coutem elles JO aonos de effeciivo exereicie, senao
qae tenbam pelo menos 5 de exeroicio ttinbem
effectivo as escolas nocturnas.A' commisso de
slrucco publica. .
Da irmandade de N. S. da Paz da freguezia dos
ftofados, pedrodo providencias para a extracto
das partea das loteras que Itae foram concedidas.
A* commisso de orcaraeoto provincial.
Do aecrelario da instrucco publica bacnare
Areliant) Augusto Pereira e Carvalho, pedind
augmento dos seus veneimenlos.A' commisso
de ordenados.
Prcjeclo: i,;. ...
Foi julgado objecto de deliberacao e mandado
imprimir o seguale:
A assembla legislativa provincial de Pernam-
boee rasotve: .
Art. t. Fica concedida, urna lotera de cera
rtos de ris em beneficio das obras da matriz
Caruar.
Art. i. Ficam revogadas as disposicoes em
contrario. .
c Paco da assembla legislativa provincial de
Parnambuco, 22 de marco de 1871.Antonio
Paulino.Joao Vieira.
ORVBtf DO DA
Cotanoun discusco adiada do parecer da
Cfaniiwn da instruccao publica indeferindo a
prtiMMflr de Joao Salvino de Souza Peixe.
Encerrada a discusso regeitada a emenda e
approtado o parecer.
f* dMCUssio da emenda offerecida (em 3' ao
projeeto a 4 deste ano, qae aulorisa o presidente
da provincia a conceder um anno de licenca cam
veacimentos ao eirurgio do collegio de orphos
Prtneiseo Jos da Silva.E' apnrovado.
2* dicusso do projeeto n. 124 do anno pasea-
do que transiere da igreja do Pilar para a .de N.
S. da Cooeeicio a sede da froguezia de itmaraca,
f'afroT4o. .
> Aacussio do projeeto o 50 do anno pasiado
ene anpprime o destricto de paz do Pofo Comprido
ib termo de Garahhnns.E' approrado.
Cotiima a l'e uniea disensaao 'de projeeto n.
WMe aaoe paasado, obre postaras da cmara
BWaaaipal do Recife.E' approvado.
+tP* nica dlaeuasao do projeeto n. 107 do anno
passado approvaudo postaras da cmara munici-
pal do Reeife. E' approvado com a seguate
presenta-
c>.
O aobre diputado que me preceden revelando
ardeoie deseii de oppor-se a passagem des-
te projeeto, nrmou a *ua impugnado no se-
guate : t* que a compaohia Street Railway
nao era merecedora de conces5es albeas ao con-
irafej qae tiavia feito com a presidencia da provin-
cia : 2a que o imposto a que se sujeitava para
nbter a modifkaco do aeu contrato nao era pre-
ferir} aos 20 por centoa que se ciaba obrrgado :
3 qne para haver cobereocia nao devia esta as-
sembla estar approvaudo e alterando contratos
segundo a vootado das partes.
Sr. presidente, se se tratasse de apreciar o pe*
dido da companbia...
Ua Sr. Diputado :=Qiie O qu devia ser.
O Sft. Gaspar de Drmhond :Se se tratasse
de conbecer que as caudicoes do contrato da com-
panbia Street Railway sao on nao desvantajosas
e se eslo ou nao n> caso de serem atteodidas
as modiQca^des por ella pedidas, en dira ao no-
bre deputadevanos estudar e apreciar o que se
pede, e a assembla decidir com Justina,combi-
nara mesmo com o nobre depulado em alguma
de suas observares, porgue, senhores, preciso
de ama vez para sempre aealiarmos tota o buso
coiidemnavelde se estar a fazer e a deslazar con-
tratos ; mas, Sr. presidente, o que se diseate ? a
materia do projeeto tem alguna consa de com-
muin com o que disse o nobre depulado ? Por
certo nao. ...
Leia-se o projeeto e esta assembla tera con-
vrcao da verdade do que levo dito.
Por Ventura a commisso de obras publicas al-
tendea ou desattendeu ao pedido da companhia i
Porventura fez sentir que era conveniente desde
, sem estado algor, decidir definitivamente se
melhaoie negocio t Nao, seohoresj a commis-
so nada disto fea; e pelo contrario, proeeoeu com
todo o criterio, com teda a prudencia. A compa-
nbia dirigi um requenmento ao presidente da
provincia pediodo modifioacoes ao 39U contrato : S.
Exc nos lmelte-esie req.uerioienlo accresceotan-
do que mais ou menas Itae.psreciam rasoaveis al-
gumas das modifleacSes pedidas ; e por forca
deste parecer qu e ja commisso formuluu o pro-
jeeto qae se discute, e que em ouiros termos quer
dizer o segainte :=Ns devolvemos o (.requen-
mento oresideacia da provincia para que com
toda a prudencia examine o contracto, faca as
modificares que acbar necessaria e justas, e sub-
metta o seu acto sossa approvacao.
Neste procedimeoto, senborea, baver alguma
cousa de condemnavel I
Um Se. Drpuuado : D autorisaco muilo. am-
pia-
O Sr. Gaspar de Druimond : -Pelo eoBtrano,
desde que se determina on se sujeita o acto pre-
sidencial apreciaco desta casa, a autorisaco
a mais restricta possivel.
Um Sn. Deputado :O contrato Mornay comecou
aasim,
O Sr. Gaspar de Drummond :Nao cite o no-
bre depulado o contrato Mornay para exemplo por
que nao tem paridade ; de accordo com a autori-
saco.foi elle feitoe at rescindido.
Se em todo esse negocio bouve grveme para
a provincia qnem for o respoasavelseja opporlu-
oamente chamado cuntas.
Portanto, Sr. presidente, neBbuma razao tem o
nobre deputado em saa impugoaco previa :
aguarde o proceder do presidente da provincia ; e
se for contrario ao sea modo de pensar mosire-nos
os erros e defeitos e assim-auxilie-nos com os re-
cursos de sua esclarecida intelligencia.
m Sr. DspurADo :Era melhor preeisarmos
os punios da autorisaco.
O Sr. Gaspar de Drummond :Para que 1 Se a
commisso leve, em vistas entregar ese negocio
a presidencia da provincia f A acceitar a opinio
o nobre deputado deveriamos julgar da justica e
razo que assista ceeapaobia, o que a commis-
so nao qmz por ora fazer aguardando a ulti-
ma palavra do poder edaaioistrativo.
Senbores, a passar este projeeto o, presidente
da provincia decidir quaes as modificares qae
devem ser fetas ao contrato aa companhia Street
Railway e desde qae a sua deciso est su-
bordinada approvacao oesta casa, nenbum re-
ceio pJe inspirar, nenbum grvame pode trazer
a provincia.
Sr. presidente, se os precedentes desta assem-
bla podessem servir de norma, eu citarla o que
se fez com o contrato do caloamento desta cidade,
e alias quero oceupva a cadeira presidencial nao
eslava as condiges do actual presidente para
com esta assembla, e milito menos merecia-lhe
ou poda esperar o sea apoio, e eulo, Sr. presi
deote se conheceria que proceder igual foi lido
em semelhante occasiao.
Um Sr Deputado : Mas a assembla apprb-
vou as alterares feitas pelo presidente.
O Sr. Gaspar de Drummond :Nem todas, alte-
rou muita cousa.
Um Sr. Deputado :Aflaal njou o contrato eo-
mo est hoje.
O Sr. Gaspar de Drummond : Sem duvlda_;
masa culpa pertence a assembla de ento, e nao
ao presidente da provincia. Esperemos, pois, se-
nhores, que S. Exc. nos diga quaes sao as modi-
OcicSa* rasoaveis
Um Sr. Deputado :Nao temos agora o mesmo
direito T ? >
O Sr. Gaspar de Drummond ;Se S. Exc. se
limitasse a remeiter o requerimento da compa-
nhia sem expenaer o seu juteo sobre o_ pedido,
poderiamos entrar desde j cesta apreciacao ; mas
desde que aos disse que havia mais ou meos ra
zo no pedido, devemos esperar que dos iolique
quaes os pontos que devem ser modificados no
contrato para ento a assembla dteidir-se defini-
tivamente.
Um Sr. Deputado':Por que a commisso nao
ez este trabalbo 1 Havemos de estar a mandar la-
do para a presidencia ?
O Sr, Gaspar de Drummodn :E qaal o iocou-
vnienie que resulta de nao ter feito f Por ventu-
ra o presidente comprometiera os interessea da
provincia em semelhante nerocio ? nao tem j as
bases para as modificares ?
Um Sr. Deputado : Aonde esto estas ba-
ses t
O Sr. Gaspar de Drummond :Lea V. Exc. a
petico da companhia e o offlcio qae a acompa-
obou, e ver na primeira quaes es pontos do con-
trato qae se pretende alterar oa modificar, e no
segundo que em alguna delles ha mais ou menos
jusiica, segundo o pensar da presidencia.
(Trocam-se apartes.)
O Sr. Gaspar dr Drummond :Pois bem : cada
quiil tem a liberdade de approvar on regeilar o
projeeto, pela minha parte ja dei as razoes que le-
varam a commisso apresenta-lo, e nao combi-
no com modifieaco alguma.
O Sr. Panno Affonso :Se a queslo de con-
flanea....
O Se. Gaspar de Drummond : Pela minha
parte nao tenho feito quesio de coaftauca em
cousa alguma : ebro como devo e emendo, e isto
me basta. E assim procedo tranquillo, Sr. presi-
dente, porque tenho a precisa independencia para
nao subordinar raiohas convic;oas a pequeos e
mesquiahos interesses de occasiao.
Um Sb. Deputapo :MA concorda que a as-
sembla est no san direito de approvar ou nao o
contrato ? .
O Sb. Gaspar de Dbummond :Sem duvid.
Sr. Pedro Affonso : Eoto para que esta
demora ? E' m**s nm adiameato.
O Sa. Gaspar de Drummond :Como T O pre-
sidente da provincia nao ser solicito em concluir
semelhante negocio ? elle que tem estudado, que
tem procedido aos necessarios exames ponto de
dizer-nos qae irais ou menos sao rasoaveis as m'o-
diticar^s propostas pela companhia ?
Um Sr. Deputado :O Sr. presidente reconbece
qae ha direito as modificar63 ?
O Sr. Gaspar de Drummond : J ns den sua
opinio : resta agora que Indique as moditieacdbs
mais ou menos rasoaveis que as faca em virtude
da autorisaco que ora loe concedemos, para que
mais tarde sejam approvadas -por esta assembla.
Um Sr. Deputado :Para qae nao pedio infor-
mac3es ?
O Sr. Gaspar dr Drummond : E qual a ne-
ceesdade de mtoraaacjSsa, se o projeeto consigoa
upre-lluj^M
assig^^H
Brisago al^^L
(Iterar e reforma
po do anno pastado
ara o assenlairtento
^contrato de qae i
tt Railway Com-
o modo porque.
do Ama-
OOO aanaalmen
Ao art. Ia O prazo de trinta dias para a remo-
;oa depsitos sobre qoe providencia a pesiara,
*afa elevado a noventa das.
Ao art. 4." A permissio concedida no artigo
fe-eea dw latas o que os vende-
;i venda nos estabeleeimeetos
Mjjait o arojeeto o. 8 deste anuo auinri-
antorisacoipara qoe o presideolo altere e modifl-
ue o conlrat ajenando, como j dase, o seu acto
a nossa approvacjw ?
Sr. presidente, j dei os motives que me levarn)
a offereeer o projeeto, qoe w diseate, eooside-
rafjio deauoasa. Procedo boje oooio tenho pro-
cedid> em idnticas cireumslancias e qoando a ad-
mmistranio da provincia merece o mea decidido,
espontaneo e desin\eressado apoio. JolgueM oa
ato-os aobrea deputados 'a quaatio palo lado da
eonlafMja : nao tenho que *er eon lato,, e a as-
O meu dever est
aeatbla proceda como
cttAm
ieeto.
FrtJSfO ofM ib ao pro-
- uwtabfo daeoaaini
e obras publica e nao se aehaodo o sen
projeeto qae te discute, projeeto qae foi
dizque,-*.*-
tado por aquella &>m.-q
ponto exuliear a caaa
O prujedo cossigaa um!
i para rei
contr 19 del
cam J Heerique Triad
de trilhos as ras da cirtal
ces-ionaria a Pernambuc
pany.
O orador, nao oncor-l_ _. .
se allendeu aa pretengns-da referida companhia,
recusou assignar o projel. a oMoria da eom-
mis sao. m
A companhia requeren : Ijtcia modca-
C>3es em trea clausulas do^f erapb. A presi-
dencia remetteu a assembla provincial o requeri-
flienlo da comsanbia. cjibriodo-o em um offlcio
em cujo final dse que as modiflcacoes solicitadas
eram mais on meos att^ndivets.
Aefea e orador que 'Wi effelto esto no cas de
Serem modificadas as clamlas a qae se referi a
peticionaria, e nao acha raao alguma plausivel
para qae a assembla delegeum peder lio am-
pio presidencia, dando aaabn logar maiores
pretencoes por parte da petleionarla. '
Urna das clausulas, cuja nodificaco se nade,
a qae determina que os agrntet do amern* t da
policio e quatquer forga de linha, guama nuctonal
oa polica, lerdo passagem gratis, -estando mani-
do.* do competente passe.
A segunda a que dispdeilw, ounndo a reeea
liquida da empreza exceder 2 00, 20 0O do ex-
cesso seja entregue ao goventi.
A terceira lina I man te refere-ae a urna das con-
dirps technicas establecidas h'draa das clausnlas,
e segundo a qual a linha detrilhot ser lingella
em toda a sua exteniao. salvo nos pontos em que
houver necessidade de desvos.
Quanlo primeira achacogiador que est per-
feiumente no caso de ser ioeVida, pjr isao que
manifestando essa clausula na est de accordo
com o 8* do art. 2* da MI da oncesto d linha
frrea de que serrata.
Nao v o orador nucesaldad de transitar nos
carros da empreza Pernambuc* Street Railway a
fori-a de liona aero a da guarda nacional, e o le-
gislador sem duvida nao teve isso em vista quan-
do confecciooou a lei n. 879.
Demais isso dara lugar abisos, que, sen) tra-
zer vantageos 90 goveroo, porii a emprtua em se-
rias difflculdades em bem servir o publico. Trata-
Lse de pequeas distancias, e, st para as grandes
wo governo nao tem necessidade de tal condiccao,
que nao figura em nenbum outro contrato de es-
trada de ferro, nao v o orad >r em que poesa
isso ser til provincia.
Grande parte das condQoss |ue baixaram eom
o decreto n. 4:082 de 22 de Janeiro de 1868, toi
transplanta la para o contrato feto com Jos lien
rique Trindade ; nao coraprehede o orador por-
que nesse numero se nao inejujo a 16* condicao,
qae satisfaz plenameote as exif^ocias do servido
publico, permittindo passagem gratis aos funecio-
narios pblicos em servico e au> agentes da po-
lica e do correio mauidos de pisse.
Portanto, nesse ponto de parecer o orador qae
se alteada ao pedido da companhia.,
Qaanio segunda modilicacc solicitada anda
de parecer o orador que seja coiceiida no sentido
que pede a empreza, visto coato parece a elle ora-
dor que a clausula aos 20 0|O*d eitfsso de 120(0
de lucro liquido perfeitamfti illinbria, intil e
inexequivel.
Nota o orador que a companhia fluvia
zonas subvencionada com 720
te, e que no respectivo contrato &>m o goveroo ha
urna clausula, segando, a qual logo qie. os lucros
da empreza excederem 120|0, ser essa subven-
oao dimiujida na proporco desae augmento.
sta clausula jamis pode ser posta em effecti
vidade, por isso que anda nao ss deu o faci de
render aquella empreza mais de 12 0|0. O mais
que tem figurado nos lialaucos da companbia
um-lucro exactamente de 1^-0(1).
A razo disso que a confpaihia illude perfei-
tanronte a fisealisacio do govrn, tiguraad.t em
suas cbnlas rolhas de cortea cimpradas por 5|,
terrinas para sopa por 100i, ate. etc.! !
O que se d com a compniia do Amazonas
pode dar-se tambera com a.: Ptrnambuco Street
Railway sem que o governo pj& evitar isso.
Pensa o oraior que, se Iwuverm f da parte
da companhia, por.raaior qg*jwja.ar*viiilaaoia di
fiscal do goveroo, ha de este ser tesado em seus
lateresses.
De mais faz-se preciso que o govBrno mantenha
um empregado exclusivamente iocumbido da lis -
calisaya'. e essa fuoccionario aa "de ser bem pago
e portanto absorvera maxi "a parte da 'possivel
rqnda dos preceuisados 20 0/0 do exceso de 12
0/0 dos lucres lquidos da erofr'eza.
O capital da empreza de 1,100:000*. Ainda ad
mittindo que a empreza lenbado renda bruta an-
aual 300.000*, o que, ser nimiamente dilMI.e que
s despenda 30 0/0 dessa renda na conservado e
explorado da liaba, ser o lucro liquido de
150:000*000.
Tirando-se dessa somma 114:000*000, em qu?
monta o juro de 12 0/0 do capital da empreza,
sero ex^esso de 6:000*008..
20 0/0 desse excesso veos ser 1:2001000,
quaolia qae incoBtestavelmepte Bao pode pagar o
trabalbo d fiscal. Porunto hver prejT pitra
a provincia.
Consta o orador, de maito boa fonte, que a
companhia se obriga a pagar no principio de cada
um dos 10 primefros anonado seu privilegio 4:8002,
e em cada um dos oulros 15 aonos 6:000*000,
vindo assim a dar provincia 13%rJ00*O00"; pr-
rece pois que muito preertvel isso aos incer-
tissimos 20 0/0 do excesso de que se trata aa
condicao que a empreza quer modificar sem du-
vida no seu interesse porque est no seu intoresse
livrar-se de ama fiscalisaca> impertinente e que
ha de trazer-lhe na pratica mais de um embar-
rado, como pensa o orador que irar difflculda-
des ao governo, da mesma forma que tera-nVs
trazido fiscalisaco de outras estradas de ferro.
ft orador ceufessa que tem muito receio dessas
difflculdades, Dorque est habituado v-las s?m-
pre solvidas no sentido dos contratantes, espe-
cialmente quando estes sao iaglezes; e esse res-
pite basta citar o que se tem passado com a es-
trada de ferro do-Recite S. Francisco, desde o
seu comec't, e ltimamente o que se tem dado
com o ml/adado contrato Mornay.
Por tollas essas razoes pensa e orador qne a as-
sembla deve modificar ess;i cJausula do contrato,
medinca'ao que, asen Ver, toda vantajosa pro-
vincia.
A terceira modifieaco sdfieltada a qne diz
respeito a condi-jo techntca'que estabelece que
a va ser singella. .
A Companhia solicita perm3sao para assentar Via
dupla nos lugares do sen tracado em que for Isso
possivel, precedendo accordo com a presidencia.
Essa modifleaco acba o orador que at one-
rosa para a empreza. Em tdo caso elta nenbum
inconveniente oar provincia.
A va dupla, as ras largas, como a do Impe-
rador nenhum damero traz ao transito publico, e,
at eertopopto, serve para Tegularisar o inovi-
meoio geral dos vehculos ordinarios, marcando-
Ibes a direceo a seguirem.
Urna das cofidi(5es technicas do contrato esta
blece que a face superior dos trHhcs fique ao ni-
vel do calcamenlo das mas, e esta condicao sem
duvida garante o raoviraeoto geral dos vehculos
dacidade, permittiodo-lbes que airavessem os tri-
lhos sem choque algum.
Demais, desde que a companhia se MAig a su-
primir urna das vas logo que a presidencia assim
o determine, tndo era vista a conveniencia pu-
blica, nao v o. orador que seria objeceo se pessa
oppr cbncessao solicitada.
tQ orador leu pareceres da tres' dislinctes enge-
nbeiros,. ura desta idde edots do Rio de Janeiro,
sobre esa jjretenco da companhia e todos elles
cmbinavam em'qee'stv no casoue ser conce
dida a oodidcacu solicitada. Nesse ponto folg de
estar de accoYdu com esse seus collegas.
Em resumo pensa orador q,e a pretenca da
companhia podo e deva ser deferida, nao como o
fez o projeeto assign^do pelos seus collegas de
Sjmmisso, delegaodj esse poder presidencia
1 provincia, que declinou para a assembla, como
Ihe cumpria, a soluco dy negocia; mas como elle
orador pretenda n'am projeeto que coleccionod
e que nao merecen a atteoeo do*, seus referidos
collegas, e, nem 6 qoiteram 1er. esperando para
iss 24 horas, como Ibes tiaha pedid.
Pansa 9 orador que nao essa a occasiao ataja
para dar provas de cobflanr^a administraco ;
ipaa ae aspiro-o pepaa a assembla, nesse case
anda'o projeeto nao deve satisfazer, porque
nelle apenas ae d prova de raeia cooflaBca, visto
cuio se'determina qae d6pois(de feilas as altera-
edas, nq contrato, voiie eete iaseabla para ser
discutido e apprpvdo.
Nao vtparWo o orador qual a conveniencia
de tal aut'.risa'cJo guando a assembla pde-desd-3
assim evitar que na
miente
liadas pela companbia Pemambco Street
. como pretende presentar um subs-
^Hc projeeto, na occasiao opportuaa,oor isso
por,elle e confia que a assembla o aparo vara
em 1' discussio.
SR. PEDRO AFFONSOjinsiste as widera-
f.5es que fez.
Encerrada a discussao o projeeto posto a votos
e rgei'.aJo
Verificanda-s nS harer nnmaro, o Sr. presi-
dente designa a ordera dd da a levanta a sess.
Uabfjti Jfer$fc. aj IrtmUH (Ba$-khio/. I B*rca ingiexa-.^,,. fic^-mercaJorias..
JuIflsReflr dt ?BraMU) Ktoo7Sfai-Nazarem-tm.
Deivi'iier (BM-Rbn).
o Romansviller
b Uaaingtw
REVISTA DIAJUA.
ASSEMBLA PBOVlN'CIAt-IlaaMsiodehon.
tem a assembla pprovou em segunda discussio
o projeeto n.15 decteanno, sobre o contrato de
compra da-Casa do Dr. aoraes Sarment, depoU
de orarem o Srs. F. de Figaeiro*; Pe tro ABoaw,
G. de Drummood e A. Pernambaco ; o de o. 11,
creando cadeiras aas poWarsa da Lage Graodo e
Barra das Jngdas ; o da n. 13 desnttmbraado o
terreno do Riacho Cuputy de Cimbres para Flo-
re ; regeitou o de o. 2 do-aauo aseado, que
eleva a villa a poveacao do Ex, depois de ora-
rero es Srs. G. Lobo. Oliveira Foneeca e R. de Al-
meida.
Entrando ton segunda discassio u projeeto t.
17 que approva a tratifica.;io concedida ao pro-
Tessor Joio do Prado Martin* Ribett, orarfta bs
Srs. G. Lobo e Oliveira Foneeca, ficando a discus-
sao adiada. '^ggggfl
A ordera do dia para hoje : eenttouaco da
anterior, discussao dos projectos m. 22,28, 24,
2o, 27 e ,2 do correte anno ; 2a dea de na. 118,
132 e 138 do anno paseado.
FERIADO.Par ordem de S. Exc. o Sr. conse-
Ih-iro presidente da provincia amanha conser-
var-se-bie fechadas durante todo o dia as repar-
tidos publicas, por causa do funeral de S. A. a
Sra. prioceza D. Leopoldina.
AUTOR1DADE POLICfAL.-Por porUriada pro-
sideuci*, de 27 do correnat-, foi considerada de ne-
nhum effdito a nomeaco de Alexandre da Motta
Canto para terceira supplente do terceiro distric-
to do ta>mo da Eseada.
GUARDA NACINAL-Por portara da presi-
dencia da provincia, de 27 do correte, foi privado
do post de alferes da 6* companbia do 57* bata-
Iho de infamara, da freguexia de Quipap,
Diogo Perreira 4a Silva, de contormi iade com o
art. 85 primeira parre aa lei n. 602 de 19 de se-
tembro de 1850.
COLONIA D PIMENTEIRAS Por portarla da
presidencia da provincia, de 27 do correte, foi
exonerado, seu pedido, de arrematante das ca-
sas da extincta coloia militar de Pimeoteiras e de
guarda, dos movis e utensilios perteoceutes mes-
ma, Jos Duarte da Silva.
CONCURSO.Termineu hootem o concurso que
ha alguns dias, foi encelado perante a congrega-
cao de lentes da Faculdade de Direito, para um
lugar de substituto da mesma Facuhade.
Forara CDUcqrreutes os Srs. Drs. Coelho Rodri-
gues, Tavares Belfort e Paula Baptisla Jnior.
O jalgamento deu o seguate resultado :
No primeiro escrutinio, para a classiflcacio e
proposico dos candidatos considerado do go-
verno imperial, obteve o Sr. Dr. Coelho Rodri-
gues nove votos e o Sr. Dr. Belfort dons, paraoc-
cuuar o primeiro lugar.
No segundo escrutinio obteve o Sr. Dr. Belfort
dez votos e o Sr. Dr. Baptisla Jnior um, para
o segundo logar.
Finalmente no terceiro escrutinio obteve o Sr.
Dr. Baptista Jnior nove votos paraoceuparo ter-
ceiro lugar, apparecendo duas crdulas em branco.
s A classificago feita pela congregacao da Facul-
dade est de perfeo accorlo eom a opiniio de
grande naraoro de pessoas que assistiram, nao s
argumeatacao entre es candidatos, mas tambera
pieleeco- a que.furara elles obligados, na for-
ma do regulamento da academia.
O Sr. Dr. Coelho Rodrigues tem profundos eo-
nhecimeutos das materias qae formara o program
ma de ensino das nossas Faculdades de Direito, e
ae sea concurso deu provas cabaes desees coohe-
cimeotos, agradando geraimeote o aeu modo de
argumentar.
O Sr. Dr. Belfort tem igualmente htuita illustra-
cao e estados vastos sobre as diversas scieacias
jurdicas e soeiaes ensilladas nossas (acuidades.
A classlicacio da Faculdade-, baseada as pra-
vas, dando a preferencia ao Dr. Coelho Rodri-
gues, sanecionou um acto qae a opinio dos as-
sis ten tes do concurso j tiuha de ante-mo la-
vrado.
DESCUIDO.Ante hontem pelas 6 1/2 oras da
larde, n'um dos treos de Apipucos, na occasiao de
traospr a ponte, fracturara urna perna um meni-
no de nome Manuel, que sendo condolido para a
estar0 ahi fra pensado pelo Dr. Velloso qoe de
boamente se prestou.
TRATADO DE PAZ.Sob a rubrica Afeudo
damos boje lugar em nessas columnas a nm arti-
go, no qual se fazera algunas reflexos sobre o
tratado de paz celebrado entre a Franca a a Prus-
sia. Chamantos para fle a atteoeo dos le -
toree.
VIS&A9 Os flvm*. sacerdotes dsra tMade sao
convidados a irera celebrar missas amanha, na
igreja do convento do Carmo, peta alma de S. A. a
Sra. duquezade Se te.
LOTEMA.-A qu se cba vena a 187'
Beneficio da igreja de S. Jos de Riba-Mar, a qual
Corre 06 BTa 1* de abril prximo.
PASSAGEIROS.Viodoa de Aracaj por Pene-
do, Macei e escalas no vapor Giqui :
Maooel Monteiro da Suva, Lnii Vieira da Silva,
Maooel Nery de Albuqnerqne,! cabo de polica, D-
Miquilina de Oliveira Castro e 1 criada, Hercula-
no Graciano, Jos Daraaecene, Casemiro Jos de
Oliveira Maia, Joao Rodrigues de Souza. Bellarmi-
no A. Santos, Antonio Teixeira Pinto, Ismael Gui-
maraes e Vicancia-
Sabidos ara os portos do sul no paquete
ingle 1 La Hala, .
Dr. William Naegli, Auguto G. Frunce de Al-
meida, N. Martmho. amsnaO
Berjjamm Gobleatz,
(Bas-Rbia).
Eogrie Goetschel,
(Haut-Rhin ).
Salomn Lvy, n MtiHer (Bat-Rbin).
Natban tleio, ni i Naaviller (Bas-llhio).
Joles Klaw. n Nenvhler (Bas Rhin).
Adotpbe Drevfus, s Multioase (Haut-
RbiD).
Emile Badt*. n i Corcienx (Vosges).
Po$t-Script*m. A fot 0 manre que
les absenta gaotnentanemm, signeront, leors
incas seroat ajouMK ao
Itovo lata satisfago 10 Dubico, e nma
expcacto ao artigo publicado aoie-bontem
00 CorrmJP^rpamlutsanQ 0. 66 em regos-
ta a um communicado meu no Diarm de
Pernamhuco n. 7.
Nao pretendo abrir dtscassio algotna com
meu pai, e principalmente por meio da im
prensa, pai que s Ihe devo respeito e at-
tences; mas por amor verdad*) fui for-
eado a fazer o referido communicado.
Meo pi par diversa veies cbamou o Sr.
Antonio Jos Gordeiro Simias sna preaen-
ca, sem declarar o motivo porgue o fazia ;
como esse convite podia ser interpretado
e modo desairoso ao Sr. Sintes, qoe tinba
sido inqoelino da casa o. 29 da ra da Ca-
deia, pertenceote lm r)at, nWQdi tever
declarar qoe o Sr- Sm5es nada t'nha com
elle, e nem nada lbe devia, poia que eu ti-
nba ama ordem sna pava recebar os ala-
guis para cumirimento de obrigages con-
tradas tfit tne pai, o qo RJd foi total-
mente realisado, por qoanto ditos alugueis
foram penborados. desde agosto passado,'
pela fazenda para pagamento de dcimas.
Alm de que comprebeodi qae o chama-
do se entenda commigo, qwe eetava eocar-
regado como j disse, de receber alu-
goeis, etc.
Estou prompto, e j z sentir meo pai.
para nltimar esse negocio, nao s por que-
rer chegar a om termo, como tambera evitar
desinteliigencias de familia sempre tristes e
des.jp-ad.Teis..
. Qoanto a ultima parte do citado artigo de
meu pai. em que diz ter solfrido prejnizos
e privarles por interesse de familia, tenho
a dizer que estou alheo a isso, e mim
nao ae refere, pois qae tenho procurad i
sempre, e conseguido, nSo iocommoda lo, e
viver de meos proprios recursos.
Recife, 31 de marco de 1871.
Cciliano Rodrigues do Passo.
Era seas dons eseripkn que acabamos de ler,
publicados no Diarto de hoje, relativos denuncia
aacarenhas, diz o articulista que em resposta ao
3r. Jlo Alhanasio Botelhofez verqw esta de-
nuncia nao fl'ha do desneito, mas do dever que
tem todo cidaddo de velar pelos dinheiros pblicos.
a Iditando que o Sr. Botelho, na impossibilidad de
defender-se, vem cero nma publicaco de espada-
chim etc. Se nao dirige-se astucioso o articulista
nao tem eooseiencia do que diz, e por isso inclina
as suas premissaa a eonctusdes que Ins excedsm
o alcance.
Onde em resposta ao Sr. Botelho o articulista
fez verque a denuncia Mascireohas i ftlha do
dever que tem todo cidadao de velar pelos dinheims
pblicos 1 Disse apenas que - 2ue acmpanham a deauucia provam que Botelho
islrahe os trabajadores dacapitanaem seu
servico, e os faz lijurar ae- ponto oorao presentes
n'alfandega, recebendo ellas 0 salario dos colres
pblicos.
B deste periodo de seot artigo de tS do expi-
rante mez aera permiltido coa luir que o articu-
lista fez verque a denuncia Mascarenhasi /f-
Iha do dever. que tetatodo cidadaode velar pe-
los dinheiros pblicos ?
O simples ihua sonso responde negativamente, e
assim testemnnha o desenfreio do articulista de
eouceiar lo de publico a ver-iade.
A fallaz denuncia est anecia a S. Exc o Sr.
conselheiro presidente da oreviocia. Blustrad? e
justiceiro S. Exc. nao se adstriagir a palavra sus-
peita do reo denunciante, nem a. documentos qu,
analysados em faca de ontros que O Sr. lioielho
tem de exhibir em sua defeca, eontradizem, con-
fundem, repeliera esse artefacto despresivel da
mais despresivel vinganca.
Quanto. as injurias.que Ihe irroga o articulista,
ainda est vez.o Sr. Botelho nao quer servir-se da
represalia, enteadendo suAotenie charea-lo a bar-
ra dos tribunaes.
30 de marco de 1871.
Brasious.
Despacho de exportcn/o ru< dia 9 de
tnarfo.
No va|or iuglet On*il(, para vi-rpool car-
regaram : T kilos de algodio a'
a barea ingleza IzahtHa Rider. parafLiver-
pool carregaram : Habe St'.Daaar|tnu & C. 506
saccas eom 50,236 kilos de aleodio.
m barca iugleza Sperltlm If'iurt, para
Liverpool crregarara : Jos da Silva Loyo k Fi-
Iho 1,200 saccas eom 90,000 kilos de a*suear mas-
cavado.
Mo brigue nacional Snno Amaro, para o Rio
da Prata carregaram Jos da Suva Loyo & Fi-
Iho 187 barrica* e 71 meias-ditas cuui Ji,52 ki-
los de assncar branco.
No brigue oriental John, para o Rio da Pra-
ta carregaram : Pereira t^arneiTo 6t C. 100 barri-
cas com 16830 kilos de assncar liranou e 100
ditas cora 11,739 ditos de dito masca vado.
No puacho inglez Harruella, para Liverpool
carregaram : Saunders Brotheis A C. 7UO Saceos
com S1.500 kilos de assncar m sea vado.
Na barca francesa ilaurwtrn, para o Hare
carregaram : Tis>et freres & C 150 coaros sec-
eos salgados com 1,800 kilo?.
RECEBEDOR1A DE RENDAS INTERNAS
GERAES DE PERNAMBUCO
tendimeato do dU 1 a 29. 81:Ki768
dem do dia 30..... l:9IU02i
83:i33a7f2
CONSULADO PROVINCIAL.
Aendimento A* dia 1 a 29.
dem do dia 30. .
11)2.961*2811
I(1T:'.I',7*0.I
PUBL1CAC0E5 A PtMPO.
APPEL AX ISAQIBNS BT LRRAINS
RSiDANf EN tETTE PROVlNCE.
Chert Freres l Concitoyens !
Nutre terntoire se trouvant gaarneurea-
sement dtach de la chrre Fnuwe, nofn
Patrie commwte, fcat la forc brtale des
cohortes llemanies, boa atao^a avrt une
liste, appeJIaot i lous ceux qoi dsireat res
ter francais, de bien veoloir y apposer lenr
signatar. Cettn Ifite est ouverte ebez MM.
Lebmans Freres, roe da Crespo, 10, e>
ser cise le 9' Avril prochain, afia de la
faire par^enir. par le vapetr du (1 du fb-
me moi ao GouverneArei& Fifocais.
Perpambco Iq &Jiars ,171.
Aa nom de plntkn-s lsaciens et Lor-
rains.
tabrtf Osear fvp
P^t^tatioiu -t
Nous sou8sigas demeurant Pemam-
bco, Brsit, toas enfants de VAU,ace t
de la brrame, onvincus mi la B#pubK>
que Frangais'e n'a cede notre bien-aim
territoire qo' k la forc bratale fes Van-
dales moderaos, et rernnatManl qee tes
lipns qi aoos attachet notre chre
France sont plus sacros pqur nous que
toas les traites du monde, claroas avec
trgoei, la face e Dieo et dea boraraes
que us ne eetoons it n teiWrms jamis
i'tre Francais.
Nous esperos en la Providence Divine
qe l'benre sonnera, n de nooveau. too
tes tos familias se rron^eronl Tanfes
la Grande FatnUle fYak&st.
Perriambucp, le 6 Mari 871.
Joseph Lebman, n SarrCguemines
(Moselle).
David Olear Lvy, n nfevtter(Bas
Rbifl).
Waill Samuel, o a QurtrttteaB (
RMn
% J> a,I
iwrciopprj.
(al
jm)
N. 484;AN4.CAHITA PEITORAL.- A acade-
mia medica de Berln leve oerfeilamenie razo em
aeu judiciuso julgameoto em pronunciar o sueco
da balsmica Anacahuiia mexicana, como um es-
pecifico positivo e fallivel para lo las as irrita-
coes ou inflammacoes de garganu e dos vasos
brenchicos.
Nao ha neohom cjso de rouquido, tos se, ca-
tarrbo. excoriaco da garganu ou irritaco dos
bronehios, qu possa resistir s suas admiraveis
qualidades anli-irrilantes.
Ella reslite a voz quando perdida, ou enfra-
quecida pelas affecedes on sensacSes de aspereza
no palato; faz ceasar a eipe '.toraco aoguinaa e
impede a ac umulai;o de mucosidades nos orgos
da respiraco quejJarlem dos pulmoes.
Inleiramente differente, oa sua composigao, de
peitoraes manufacturados de frtelas adstnngen-
tes, cascas, railes, etc., o mesmo nao contera ne-
nhum acido pi-usstco, opio ou oulros quaesquer
ingredientes venenosos.
MOVIMENTO DO PORTO.
Navio sahido no da 21.
Hamaagaape Vapor brasileiro Curunpe, oom-
mandanle Jos Henrique da Silva, carga difie-
ren tes gneros.
Navios entrados no dia 29.
Trieste-68 dias, brigue mglez Cro\-odtle. de 209
toneladas, capilao Henry Ingram, equipagtrai 9.
carga 2000 barricas com farinha de trigo;
ordem.
Trieste 111 das, patacho ingle'. Sarali Brtdoel,
de 126 toneladas, capilao J. Evens, equipagem 7.
carga 1500barricas com farioha de trigo; or-
dem
Terra-Xova 57 das, brigue ingles J. B. Consp-
beU, de 199 i,meladas, capito James Jewer,
equipagem 10, carta 2:300 barricas cent baca-
Ibo ; a Saunders Brothers & C
Aracaj, Penedo e Maceloo das,'vapor nacional
GoHi, de 223 tonela las, comman laote Joaquim
C. de tfacedo, eqaipagem 2i, carga varios gne-
ros ; Compaohia Pernamhucana.
Navios shido no mesmo dio.
Para Caabooeira nacional Ypaitnga, comman-
dante o i lenla Menezes.
Delaware Breakwaler Brigue inglez Kate, capi-.
lo Palfry, carga assncar.
Observacao.
Suspenden do lamaro para o Itw de Janeiro o
brigue inglez Retine, capilao Davies, com a mes-
ma carga que trouxe de Trieste.
Navios entrados no dia 30.
Trieste68 das, patacho austraco Sella, de 32U
toneladas, capio Aotoaio Rwnonie, equipa-
gem 10, carga 5000 barricas com farioha du
trigo; a Johnston Pater & C. Seguio para a
Baha,
dem 127 dias, patach) austraco (.'nm, de 408
toneladas, capito Aotoaio H*rievech, equipa-
gem 9, carga 2074 barricas com larioha de tri-
go ; Pbipps Brothers A C. .
dem60 da-, barca diaamarquen Joann Bii-
dersen, de 337 toneladas, capilao Boe>en, equi-
pagem II, carga 3630 barricas com Urinlia de
trigo; a Henr^ Forsler 4 G.
Rio de Janeiro 24 dias, barca sneca Oslendio,
de 665 toneladas, capito N. Canx.n, equipa-
gem 11, em lastro ; Borst-loiaun & C.
Barcelona 33 dias, sumaca hespanhola Thereza,
de 126 toneladas, capito Pedro Es raderg y Mas,
eqaipagem 11, carga vmho ; Pereira Carneiro
& C Seguio para o Rio db Janeiro.
Navios sahidos no mesmo dia.
Granja e portos'iolerraedos Vapor brasileiro
Ipojuca, commandante Maura, carga varios g-
neros.
Aracaj n portos intermedios Vapor Jirasileiro
Mandah, commandante Julio, carga varios g-
neros.
Rio.da PrataBrigue portuguei'\//>rociio, eapi-
to Jos Venancio Pereira, carga as Rio de Janeiro Barca portugueza Flor de S.&i-
mao, capilao Antonio de S. e Silva, carga assu-
car.
Canal Barca ingleza Alcyone. capito Braford,
carga algodo.
Ootroocoo.
Suspendern) do Lima rao : para o Rio de Ja-
neiro o brigue inglez Crocoiile, capi Iogram,
eom a mesma carga qae trouxe de Trieste; para
a Baha, o patacho iaglez Sarah Bredgtt, capitn
Eveos, carga a mesma que trouxe o* Triante ;
para Macei, a barca iogteza Glenhunlle/, capillo
Larg, com o mesmo lastro que trouxe do Bueooa-
Ayres.
COMMERtlfl.
CHACA
DO RECIF 30 DE MARCO i
AS 3 1/2 HORAS 04 TABD.
Cotacoea officiaes.
Algodo I- sorte4W rs.nor kilo.
Algodo sem lospeccao 435 rs. por kilo.
Algodio da Parahyba Ia aerte C3t rs. por kilo
posto a bordo a (rete de t# d. e 5 0|0 (hontem).
dem dem idem 507 rs. por krle posto a bordo
a frite de 3)4 e 5 OfO (hontem).
Algodio da Parahyba i- serte 439 rs. por kilo
pono a bordo a arete'de 3|4 e 5 0|0 (hontem).
Algodo de Macqi I* >orte800 rs. por kilo posto
a bordo a (rete da 7|8 e 6 0(0 (hootem e noje).
Apot.ce* da divida publica de 6 0(0, 95 00
(hontem).
Cambio sobre Loa-tres 90 div 25 li8 d. 25 1|4
d. e do banco 25 d. por tjOOO
H. G. Staypte.
Presidente.
P. J. Pinio,
Seeretario.
637:566*579
M-.4291650
EDITAES.
Tendo de celebrar-se no dia 1* de abril pr-
ximo vindouro, pelas 9 horas da mannn, na (rre-
ja do convento do Carmo as exequias pelo infaus-
to passament de Sua Alteza a Sra. princeza D.
Leopoldina.
A cmara rauuicipal desta cidade, possoida do
profundo pezar, convida a seos municipes parz.
concorrer a esse acto piedoso enitestemnoho da
alta estima e respeito qne consagraran! virtuosa
princeza, coja perda o paz chora.
Secretaria da cmara municipal do Rectfe 29 de
marco de 1871.
Bento Jos da Costa,
Pro-presidente.
Lourenco Bezerra darneiro da Cunha
Secretario.
DECLARACOES.
ALFANOEGA
ISadtoMto oa dia l a 29. .
(dea> do ala 30.....
663:996IJ$
aoTlaatearto Volumes entrados eom
Voluntes
'
*- con jfJeanroB
abJB com fteSda
' com gaodws.
591
8
baiWacu-C(in-tt.
Logar inglezI
Barca indeu-
Lugro inglez-
Barca inglezai
Di4iia meco L.__________
gue portuguex W n**tireks*rarios |e<
capomg'aaa..flratiaaa ldaa.
Plscalisaclo da freguezia do Poco da Panella, 29
de marco de 1871.
Por esla ficalisaco faz-se publico que sexta-
reir 31 do torrente pelas 4 hons da tarde tem
de serem arremaudss no lugar da campia da
Casa Forte era presenca do juiz de pai do dis-
tricto, cabras, porcos e carnelros que^furam ap-
prehendidos por esta flscaltsao.
O fiscal,
Sebastin Alfonso do Reg Barros
Julzo de orphos de Olltsdat
Va i no dia 31 do torrente em praca puliln-a por
venda urna casa site rna de Malinas Ferrara
n. 11 sob a base de600, por quanto fui ella ava-
hada, a qual vai em praca/ por delermioaeo do
juno de orphos deste termo. ._________^__
falso 4a provedorfat do terMo
de Itada
Vai em prca publi-a oo da 3idoearrenUa
urna horada tard a sala das audiencias por
este juiz, um cvallo cstaiiho escuro com UfO.
estrella na testa, pequeo e castrado, aprehendan
pelo sabdelagado du2datricia de Mamao^uape,
sob a base de 404. por quanto toi avaiiao. Oiiuda
27 da marco de 1871.__________
De orden do (ilm. Sr. Dr. jola municipal da 1*
vara e a requerimento de D. Marte Rodrigues Fer-
reira Foolea, invenUrianle das be os deixa* par
Joao EvaoaeiisU do Nascimeoto sor vendida atn
basta publica na audiencia do dia 4-de abril pr-
ximo, a oasa terrea na ira wa eoa Martfwi
Saguezia de S. Joa n. 4. avahad* fm f.OOOaOOft,
escrlpto do edita! a
do Juito.
se acha ata mi do porteiro
Juizo dd orphos
Ha segaoxla-feira 3 depois da aadian-
eia dppir. Jaii de orphia, Jr a nta?a por t
anao, "e mediante ttenca douex.*acaendamenk>
da casa terrea n. 10, sita na roa tea TriBcMiaa



V
i

i
t

i
!



I ','---:
Jiai
fi t* ri


Seii fi'.ra
laii.
8o Nb
4 ite mil res raeaa-
I Mftfk'
Lf*qc
LIIUO
I /
I
/

i'
niufs raco tas crrelo de
Pernaaabueo, 8 i de marco de
S9i.
Mato peto capor Ipojuc' da companhia Ptr-
namucana.
A correspondencia que tem de ser expedid* hoje
vapor cima atncionado paro o porto
il a Granja, a receida ptla maueira
jfnlme:
Macos de joro, infpressos de qualquer natu-
re, e cartas aTegisJrar al a I hora da tarde,
canal ordinarias at as 2 horas, e estas at 2 1|2
pagando porte duplo,
i O administrador,
Alfonso do Reg Barros.
THEATRO
DI
SOB A DfftEGgAO DE
(REPERTORIO DE OFFEMBAGH)
Os espectculo lero lagar lu-
Ta *|aveline u ternas
Terea*.
Quintas,
ahl>ado*.
Domingos,
0| prgramma das representares sera publi-
cado por extensa nos das,designados.
THEATR
SANTO ANTONIO.
GRANDES
NOS
\ SALES DESTE TOE.ITRO
V Nos das
Sabbado de alelluia 8 e domingo 9 de abril
de 1871:
Tocar nos roesmot a b.mdi de mnsica do Sr
Guimaraes Peixoto, a qual exeeutar bnlbantes e
magqiuca quadrilhas, polka* e si-holisk etc. etc
extrahidas das excellentes e mnito applaudidas
opera.
LES lUYABS
LA BELLE HLENE
Orpheu, etc. etc.
0a ,15ps achar-se-hio elegantemente ornados
iiluiniuados a giurno.
O* Srs. qne eucommendaram camarotes, podem
desde ja dingir-fle ao escriptorio do theairo.
PRECOS;
Camaroim rom 5 entradas para familia lO(HK)
Cavalheiros 2 OOt
Sfnhoras gratis.
Principiar s horas do eostume.
AVISOS MARTIMOS.
tJiHi.jttHliio' americana e brasilei-
ra de paquetes a vapor.
At o dia 1 de abril esperado dos portos do
sal o vapor americano Sentk America, o qual de-
pois da demora do costme, seguir para New -
York, tocando no Pa- e S. Thomaz.
Para freas e passagens, trata-se com os agen-
tes Henry Forstr & C, raa do Commercio n. 8.
RIO DE JANEIRO
Segne com toda a brevidade o oate D. Luna :
a tratar com Gomes de Mattos Irruios, na ra do
Vigarto n. 26 i* andar.
DE
orna casa terrea n. 9 da ra dd
linda
Sabhatlo 1 de abril
agent- Martina rara leilSo por ordem.no Iflm.
Sr. Dr. Claudino de Araujo Gaiwaries. censal or
tuguez4de urna caza terrea n. 9 da ra 4 "Coto
em Olnda, lendo 2 sallas, i qnartos, 1 gabinete e
ro2ii>ha. perieneeme ao espolio do padre Jone Ao-
looio dos Santos Lessa ; ero aen ascriptono na ra
da Cadeia b. 9 as 11 horas da maohai.
Leiio
Do; gneros existentes na taberna sita
na da Esperanca n ..
atibado 1 de abril
O agente Pestaa tira leiio por coma e risco
de qnem pertencer dos gneros existentes na ta-
berna fita a roa da Esperanca n 27 os qnaes serlo
vendidos em 1 ou niais lotes no dia cima (l de
abril) s 12 horas da manhaa na mesma tanerna.
DE
urna casa terna sita na ra da Senzalla
Velba n. 26.
O agente Martina levar novaroente a leiio, a
requeninemo da commisso administradora da ir-
maudade de S. Benedicio do convento de Santo
Aolonm, e de Victor Antonio do Sacramento Pessoa
lesiaitienteiro dos bens deixados peta fallecida Ru-
liua Marta da Coneeicae e oor mandado do film.
Sr. r. jaiz municipal da 21 vara, da casa terrea
o. 26 da rnada SenzaHa Velha, edificada em ter-
reno proprio, sendo a veoda feita por apolices da
divida publica do jnro de 6 OO ao annp, sezundo a
colacio do da. Sabbado Ia de abril s II hora*
do dia, em seu seriptnrio na roa da Cadeia n. 0"
DE
Selins inglezes superiores
a 3 de abril
Cunha A C. fario leiio por lutervencao do
agente Oliveira, de 5 caixas com selios oglezes
lizos e bordados das melhores qualidades que vem
a este mercado
Segnnda-teira
s 11 horas da manlia em ponto, no 1* andar da
sa n. 28, i roa da Cadeia,
1 Precisa-se d urna ama pina cozmhar, que
entenda tiem : na rra larva do Busario n. 46.
t- ,0 abaixo ateigoad, morador na Alaga-
Comprida da cidade Ja Victoria, tem ma casa de
negocio ua beira.ia e?irada real que vai oara Gra-
vat, a qual tem 60 palmos de frente e 40 de fon-
do, qne pode accumular nti> grande sortimeuto, e
urna ontra dita distante cinco bracas para familia,
com terrenos proprios e quintal, e mais urna par-
le de Ierra de 40 em una propriedade anaexa
onde tem cercado para animaes, qcgticia todos es-
tes objectos : quem pretender dirjase a elle,
que trataran de negocio.
Manoel Antonio Correia d Qnrtrox.
LEUAO
DE
MOVIS
Em S. Jos do Manguinho, no sobrado de
um andar defronte do Sr. Jorge Tasso.
O agente Pontnal far leiio por.auorisacao do
Carlos E. Bidel, dos movis seguintes :1 rica
mnbilia de mugno rom raarmore, 1 dita de Jaca-
randa, 2 cadeiras de dito, 2 toilletes sendo 1 de
Jacaranda e ontro de mogno. 2 mesas elsticas, 1
iparador com marmare, 1 guarda-louca, 2 apa-
radores, 1 rico guarda-rnupa de mogno com 1
grande espelho, 1 cama para casal, 1 relugio de
parede, 1 toueador, lavatorios, qoadros e muitos
outros objeciosque estarai patentes :
SEGUNDA-FEIKA
3 de' abril *
no lugar cima indicado, j H horas._________
de
bons engenhos,
a
14
doos
de abril prximo,
Por mandado do Illm. Sr. Dr. juiz de direito es-
pecial d commercio desta cidade, a reqnerimento
do administradores da massa fallida de Siqueira A
Pereira.oagente Oliveira fara Itilao publico dbsbem
connecidos engenhos denominados Justar e Afon
te d'Ouro, ambos sitos no termo provincia, os quaes foram penhorados par exeeu-
cao de ditos administradores viuva e herdeiros
do Dr. Ignacio flery da Fonseca, e adjudicados
indicada massa :>
Sem-feira 14 de april
ao meio dia em ponto, no escriptorio do referido
agente, ra da Crui n. 53, primeiro andar, onde
os pretendemos pdem haver as informaedes ne-
cesiariae.
Alug-a-se
0 abaixo asi_
Jos da Rucha 1/1
gento l'abel, na .i
va de noroe tu
innns
dilli por um capilode campo de i
Jos de SaoVAnna, que dilia perteni
escrav* ao Dr. Manoel Antonio da Fof
morador no bairro do Recite de9ta
presttofe declara qu tem inquirido daba I d1 _
este diio senhor, a qum rog, caso leja real sen
dominio em dito e-crayo. a vir eniender-se com o
abaixo assignado ra do Crespo n. 11, en) casa
dos Srs. Machado & Pereira. E caso tenna sido
Inexacto o uito do referido capitio de campo, pelo
present protesta pelo desapparecimento do reft-
rido escravo, e usar do direito que Ihe assiste coo-
tra quem quer que delle esteja de po=se sem titulo
legal de dominio. Recifei8 deruarc.. de 1871.
Pedro Correa yieira.
Letra
A pesoe que s ti ver de posse de urna letra sa-
cada por Fonseca A Santo? e aceita por Vieira,
Santos & Filbo de 655*710, vencida em 13 d de-
tembro prximo passado, queira dirigir-se raa
do LivrameLto n. 2i, estabelecirneuto deGocal-
ves Irmo & C. para receber aque la importaocia.
sa coa sal oa oaarto reed6ca
t|a do Fund
entrada ptua ru nde de Albuqm
5: trat
i do Marquel de Olind n. outr'ri n
Vina le leite
OITereee-se urna, endn portugneza
S. Jorge (amiga do Pillar) n. 11.
na ra de
Irmandade
do Divino Espirito Santo.
Deordem da mesa regedora convid), aos oossos
irmos comparecerem no consistorio da oossa
igreja, sexts-feira 31 do correle, as 2 1|2 boras
da tarde, aflm de encorporados acompanharmos a
procissao do Triumpho dos Passos do Senbor, qoe
tem do sahir da veoervel ordem lerceira de N. S.
doCarmo, para a^siu satisfazermos o convite fei-
lo pela raesma ordem.
Secretaria da irmandade 29 dejnarco de 1871.
O ecrivo,
Francisco Jos dos Passu* Goimaraes.
Aiguns cornos de ris a premio : a tratar na
ra da Camboa do Carmo n. 2t, Io andar.
VICENTE HERCULAN DK LEMGS DUARTE.
D. Bernardina de Senna Leaos, Vicente S. P. de
Lemos, Amelia Rosa de Lentos agradecem nr-
dialmeote a'todas as pessoas que se dignaram as
sistir1- exequias deeu finado esposo e pai. Vi
ceole Iferculano de Lemos Duarlc..; e rogam as
mesm.ts pessoas qae *? prestora a ouvirem a rais-
sa do stimo dia, que celeorar-se-ha no dia 1* de
abril, pelas 7 heras da maohaa, na matriz de San-
to Antonio.
CHAPEOS DE VELL'DO
A chappellerie des Qames acaua de receber
pelo La-Plata um completo sortimento de cha-
pelinas pretas e de cores proprias para a semana
santa, a**im como um bonito sortimento de cha-
peos de velludo ; azemos notar as Ex mas. Sras.
qae os oossos chapeos sao de boro vedado e nao
de verbutina, como a maior parte dos qae ha pelo
mercado. Convidamos as Exmas. sras. a visitar
o aoso estabelecimento que se torna digno de at-
tenco, pelo bom sortimento que acabamos ds
receber.
I
J
cass enm exerHinte filio, tendo multa
Iras e logo uo tundo do meamo.o ri t&pV
.lrua i immendavel : no lP0* "* v"aa : a tratar na ra do Mrquez
fida n: 0, ontr*ora rna da CadeTaT do Recre
Os abaixos
assigqados fazem scieate ao rea-
ivei publico qae coaipraram Sra. D. Bita Je
Cavalcaote a taberna da roa da Senzala
B. 39, livre e deiembaracada de qul(|uer
e pelo presente avi iagar credor da dita uberoa a apresenlar suaS
e-5f*V-5r*S0 de ,res dias- > <"" Je hoje.
Recite, 29.de margo de 1871.
*j___^_ CostaAS!. .
-rSabaao wj^nado avisa a* sr. Uiesorau
dtji loteras e laranndores d3 bilbetes da provin-
cft, que nao pagnm o meio bilhete n. 2080 da
latera qne tat de correr saDbado.jl* de abril
Moda o moio bilhete garantido pelo Sr. Jos Joa-
qnm da Costa Leite, por Ur ea perdido na loja
da Sr. Julio na ra da Imperatriz.
Reeife.29demarcodel87t.
_______Joao Francisco das Chagas e Silva
Confraria de S. Jos'da Agooia no conven-
""t* de N. S. do Carmo do Recite.
I Por ordem da mesa regadora sao convidados
tfdos os nossoc irmos afim de comparecerem bo
Smistrio da mesma eonfraria sexta-feira 3l do
rrenle aa 3 horas da tarde, aflm de aeompanba-
em a procissao dotriumpbo dos Passos que tem
i salar da veneravel ordem lerceira do Carmo.
Recite, 26 de marco de 1871.
O secretario,
Jos Jnaquim Rarbosa da Silva.
Irmandade
do Sr. Bom Jesos dos Passos.
Era Dome da meza regedora, convido aos nossos
roaos a comparecerem no dia 31 do correle as
boras da tarde na igreja matriz do corpo Santo,
fina de acompanharmos os Passos do Seobor em
'rinmpho, para o qne fomos coovidados pela ve-
eravel ordem terceira do Carmo
Recite, 29 de marco de 1871.
O escrivo,
Thomaz Fernandes da Cunha.
0 home falou
i
t 'upois aquele meo poblicado de onte em que
traltei do monte peo cria dizer do cubradnr con-
liuo qae a direioria na descreminacao do ouro qoe
pequod redoudamenie esaria forma'mente ademe-
jido se a dirotrla oto foce tao estril qae at o je
linda nao pablicoa a saa ademicao. um coci
estalador que tamto feito pella cociar > deve
ter mais ben meliior tratado pellos muitos abam-
iantes e frtiles csrvigos feitos frente da $ocie-
ade. isto espera a praca.
715
CASA DA FORTUNA
Aos 5:0001
Bilhetes garantidos.
i roa Primeiro de Margo (outr'ora rna di
Crespo) n. 1% e casas do rstame.
0 atoixo assignado, tendo vendido nos sfeus te
lies Brinetes dous qaartos n. 2951 com 5.0I0.
im meio o. 3082 com 900, um mleiro n. 1716
iom 4DOJ00U, um quario n. 1919 cun 100*, um
luioiron. 3U9com lOO, uromeio n. 3080 cora
100^000 e outras sortes de 40* e 20*000 da lo -
tena que se acabou de extrabir (186*), convida
os possoidores a virem receber na coaormidade
ge cottume sem descoato algum.
Aehav-se venda os bilhetes garantidos di
L* parte das loteras, a' beneficio da igreja de
g. Jos Se Riba Mar (187.a), qne se extraara sab-
bado do mes vindouro.
PRECOS.
Bilhete inteiro 6*000
Meio bilhete 3*000
> Quarto 1*500
Km porgao ge 100*000 para cima
Bilhete inteiro 5*400
Mo bilhete 2*700
Quarto 1*350
Maooel Martins Piusa
graphia imperial
CALCUl DE PIJIlrtJteA
/. Purera Filela
Desde o dia 7 de abril passado acba-se aberto t
iovo estabelecrmento photographico silo ra do
Catag n. I, esquina do pateo rife matriz. Ostraba-
los que desde enlato, tem tahido de notwa oficina
im garalmente agradado, sendo receidos por
ngimseom admiracio pelo extraordinaria) prp-
greseo qoe nltimanMnte aera tlgo a phott graphia,
a por ontros com alegra, por verera a previncia
dolada com nm estabelecimento digno d ella, e in-
jontestavelmente o primeiro que nesse genero
bojepossue : tambem nao.nos poupamosem cousa
ilguma para moata-lo do p em qoe se acha, es-
perando que o publico de Pernambuco saben
ipreciar nossos esforcos e recompensar nossos sa-
riielos. _..
Cdnvidimos a todas aquellas pessoas, nacionaes
. estrangeiras que gosum das artes, ou tiverem
aecessidade de traBalhos de pbotographia a visi-
iarem o nosso estabelecimento, qae estar sempre
iberio i ana disposico todos os dias desde as 7
ooras da manhaa at as da larde.
Para ostrabalhos de fhotograpbja possurmos di-
versas machinas dos melhores autores francezes,
nglezes e allmemes, como sejam : Lerenours el
Secretan, Hermagis, Thomaz Ross, Voigtlander et
onfi e wntf. UrTimamente recebemos tres novas
machinasi sendo urna dellas propria para tomar
Mbre o mesn vidro 4 on 8 imagens diversas e
isoladas, e outra de 6 a 12 imagens diversas 9
igualmente isoladas, de serte qu no caso de
grande concurrencia poderemos retratar sobre
ama nica chapa at 8 pessoas diversas e sola-
das para cartoes de visita, e assim em menos de
um quarto de hora despacbarmos 8 difireme!
pessoas que pecam cada urna, ama dazia de cartde;
mais ou menos, com os seos retratos smente, on
am grupo com outras.
Encarregamos-nos exclusivamente da direcec
s feitura dos trabalhos de pbotographia dei-
lando pericia e talentos do disncio pintor
llemio, o St. ______
Jorge A. Roth
trabalhos de pintara, a aquarela, a oleo, e a.
pastel.
O Sr. Roth acha-se ligado a nossa empresa por
ama escriptura puolica, e at o presente tem-se
lesvellado na>execucae de seus trabalhos.
No noso estabelecimento achara-?e exposlos on-
tros trabalhos importantes do Sr. Roth, tanto em
miniaturas aquaretia como oleo, reiratos
Heo, quadros sacros e diversos outros trabalhos.
Tomamos encommendas de retratos oleo at o
taranho natural, assim como de quadros sacros
para ornamentado de igrejas on capellas. Tam-
bem aceitamos encommendas de quadros histri-
cos.
Assegu ramos que os precos dos diversos tra-
Qalbos da nossa casa sao mu rasoaveis.
CARTKS DE TISnA NAO COLORmOS A 10|500 A
DUZIA
CARTOEa DE VISITA COM O COLORDO AO NATU-
RAL A 160000 A DZ1A
Retrates em miniatura oleo on aquarella de
16 i 104000 cada nm, indo convenientemente en-
;sixilhado em moldara doorada e regulando o
ousto da pessoa retratada de 3 4 pollegadas e
iodo o qoadro palmo e meio de tamanho.
Jalgamos que bastarlo os precos cima para
iarmos idea da baratesa dos trabalhos do nosso
tablecimeiito, quanlo sua perfeigao cada um
'enba julgar por seus proprios olhos.
As melhores horas para se tirarem retratos nc
iosso estabelecimento sao das 8 horas da manhaa
F da tarde; entretanto de ama hora s 5 da tarde
m casos especiaes' pde-se tambem retratar qual-
toot pessoa.
Nos dias de chuva, ou por tempo sombro po-
jemos retratar, e asseguramos qne esses dias sao
mais favoraveis aos trabalhos de photographia
pela docura e persistencia da luz, e per termos o
aosso terraeo construido com taes proporc5es e
methoramentos, que anda chovendo jorros ne-
shunt inconveniente ]ba para fazer-se bellos re-
latos.
J^Frrreira Vil lela
DE
BRELAZ AfiT A C
121 Regent Street W. i*purfrc
------j;,------------, .--------s~n

Traspassa-se a chave aa casa na ra Not*
de Apipocos n. 4 at o Jim de setembro do cor-
rente auno : a tratar na praca da, Independencia
ns. 7 e 9._________
Pela segunda vez pede-t aos 8rq. Trajabo
Cesar de Albaqnerqtfe e sea mano Juvenuno
de Alhaquerque o favor eomprecerem loja n
roa da Imperatriz n. 48 a negocios qne nao tgno-
ram. __________
Lifdes de piano e cant"
Podendo outra vez dedicar-me ercla.'iya-
meote ao ensino, prometto dedicacSaa poo-
toalidade, s pessoas qae me qoertin
honrar c< m saa confianoa.
Recie, 18 de marco de 1871. '
Gustavo Wertheimer.
Roa Formosa n- 14.
Para o lio Grande do Sul
Sahir com toda a brevidade a barca nacional
Nova Carolina; recebe carga a frete a tratar na
ua do Bario do Trimpho antiga rio Bmm B. 92.
Aos Srs. correctores de navios. ,
Se algum navio se propozer a seguir para o
Rio Grande do Norte ou Cear em lastro e quizer
tomar este de carvo em breve tempo, dinia-se ao
rscriptorio da companhia Pernambucana Forte do
Mattos n. 12.
AVISOS DIVERSOS.
Monte pi portuguez
A directora do Monte Po Portuguez, faz publi-
co qne achando-se vago o lugur de cobrador e
continuo da mesma sociedade, convida a todds os
socios ou pessoas que estejam no caso de o ser
e qaciram oculpa-lo, a aprsenla rem as suas pro-
postas, declarando porque preco serveradilo lugar
e dando fiantji idnea a comento da directora al
a quantia de dous contos de tis, cujas propos-
tas deverio ser apreseniadas em carta fechada
at o dia 3 de abril prximo viadouro na rna da
Craz n 56
Secretaria do Monte Po Poriaguez, 30 de mar-
co de 1871.
Manoel de Sonza Leal Flores,
l secretario.
BAHA
O patacho iuglez Nazareno segu em poneos
dias para a Bahia : para carga trata-se com Tas-
so Irmos A C. '________________________
RIODEJAEIRO
Para o imticado porto segu iioprelerivelments
peales 6 dias o brigue escuna brazileiro Mentor-
reeebendo anda algama carea ; assim como miu-
das e esrravos a fr. te. Quem pois no mesmo
qnizer carregar, eotenda-se com seu consignatario
Joaqnim Jo Goncalves Bellrao, na raa do Com-
mercio n. 17.
COMPANHIA PERNAMBUCANA.
F por ordem superior transferida para o dia
31 do corrate, as .'i horas da larde, a sahida do
vapor Ipojuita, que se acha annunciado para os
os no norte al a Granja.
por
Barca portugaeza Jszphina
E* e parado esterna vio em poneos dias do Rio
de laoeiro. a segas com brevidade para o Mar-
ahio, e recebe car.ga afrete: rnta-se com Mi-
guel Jos Alve, ra da Cruz o. 19
LEILOES.
de orna yltoria com arreios, 1 carro de
rodas (granue), 1 cabriolet atuericaao,
ra os mesmus, 1 piano, S mo-
tos e difiere! veis, obiai
Porto, v
ftr-
latp a mnitAft
A' M. L.
MOTTE.
Cabio de valas na lama
O mea Nco amolador.
GROSA.
De urna paixao na flamma,
O meu eco se queimou,
De tolo se descuidou,
Cahio de ventas na lama ;
Qne omito soflre quem ama
i nao encontra outro amor)
Tendo no peilo tal dor,
Dessa paixao sem proveito
Culpa a sorto e a direito,
O meu eco, amolador.
O cario no banlw.
O abaixo assignado vem pelo presente protestar
contra o acto do Dr. juiz municipal e orpbos 1
sapplenle da cidade de Olinda. pelo qual vai hojeL Arrenda-se o pgepho G,M'rV Wtn "a ft-apnatia
**ffFeTf 7R
Engenho.
Na travessa da na
Crazes d, 2, pri-
meiro andar, da-se di-
nhelro sobre penhores
de ouro, prala e brilhan-
I tes, seja pal foraqian-
II lia. Na mesma casa com-
pram-se os mesmos me-
taes e pedras.
A pra^a a- e*sa o. rt da rna Up M daquea cidade. Esta casa se acha bypothecada
por quantia hoje superior ao sea valor ao abaixo
assigaado, que protesta fazer valer o seu direito
contra qualquer que arrematar a pre licta casa,
visto ser a bypotbeca iiii onus real que acompa-
nha a cansa para oude for E para que ninguem
se chame depois a ignorancia faz presente pro-
testo, e declara mais para conheciment do publi-
co o seguate :
O abaixo assignado procuron habilitarse como
credor hyoothecario no inventario de. Mara Joa-
quina da'Paixao, o juiz citado o remetteu por seu
despacho para o juizo ordinario ; propo ta a aecao
de libello o mesmo juiz Dr. Passos jurou suspeico
no loro civil entre partes o abaixo assignado e her-
deiros de Mara Ji-aquioa da Paixao, igualmente
juraram kospeicao iodos os juzes supgleates e
vareadores I
Em quanto no foro civil fica o abaixo assignado
sem ter nm juiz que julgue a saa causa e despa-
che sequer urna petico ; o jaiz 1* sr/pniente, o
mesmo qae se deu por suspeito, contina a func-
cionar no inventario entre as mesmas partes, e-I
manda quanto antes por em praca o nico bem
do casal, a casa hypotbecaoa, e isto nao obstante
o protesto do abaixo assignado feito no mesmo in-
ventaro.
Aprecie o publico este tacto e delle dsduza a
moralidade.
Recite 31 de margo da 1871.
J -s Vicente de Lemo.
Escada, raoenle e correte, com boas obras e
ptimo cercado todo de valado, excelleute d'agua
iem proporeoes para safrejar-se de dous a tres
mil pies, e dista da eslacao de Frexeiras apenas
duas leguas : quem prefend r dirija-se ao enge-
nho Bambnrral a tratar com o capitao Jos Perei-
ra de Araujo.
ADVOGADOS.
Joao Barbalho
1 E
Jos Dlnlz Barretto
Ra do Imperador n. 32.
I
Grande vantagem
AOS SENHORES DE ENGENHOS.
Um estrageiro qtle freaoeniou por al-
jaos anuos os collegios de Franca, se offe
rece aos senbores de engenhos, nao s para
leccirnar o portuguez em espaco da um
anno, quando muito, como para ensinar o
francez com toda a perfeico em espafo de
seis mezes, pe > grande conhecimento das
maneiras mais facis de aprender-se de
como se ensina nos collegios francezes, alm
de ter grande pratica por ter tambem j
leccionado em engenhos das provincias do
Brasil: qnem de sea prestimo se quizer
utilisar'pde deiur carta fechada, a qual
qner hora, com endereco a Mr.. A. B., na
ra da Cruz n. 52, loja de fivros, roa do
Livramento n. 17 loja. e ra Estreita do
Rosario n. 24 loja.
ENGENHO
por arrezidamento.
Traspassa-se seis anuos por arrendamento de
engenno Cajanass na fregwzia do Cabo, excel-
ente de agua e com proporcSes para saffrejar de
3 mil pies annuaes, e quasi tudo em boas varsens
lendo todas as obras necessarias para o fabrico
de assncar, distiilacao bem montada e muitos la-
vradores, qae plantam para mais de tiil e Tsen-
los pies de assucar, perte da estacio da villa do
Cabo, e oto leguas disUnle do Recite. Aos pre-
tenientes se dir a razio de se fazer negocio, e a
tralar-se no Recite com 09 Srs. capitao Firmino
Correa Pessoa de Mello, Bruno Alvaro Barbosa da
Silva, on no mesmo engenho com o rendeiro.
Carmo do Excite
Os religioso Carmelitas veem scientiear a to-
dos os fiis devotos, que no podem ttr lugar na
igreja da san convento os actos da semana santa,
em vista de estar o templo amida oceupado com
a armacao -do funeral, que se vai celebrar pala
alma da nrinceta imperial a Sra. D. Leopoldina :
acceitaado porm os boas desejos dos irmos qne
corapoem a actual meta da Ordem Tereeir do
Carmo, declarara qae aqoelles actos serio eele-
ibrados na igreja da mesma Ordem Ter eir, lonr
u do principio no Demiogo de Ramos. Desd
------ _-------------rh
iC, dada que dispensaram, pondo a Qii
ite l^*'
Precisa-se de urna ama pera cozmhar e eu-
gommar : na ra do Pillar n. 5_________
Precisa-su de urna ama forra ou escrava
para o srrvico de casa de piuca familia : a tratar
na raa do Duque de Caxias o. 52 (outr'ora do
Qaeimado) n. 8.
AM A Precisa-se de urna ama
"A-a-tenha liUios : na ra
33, 2o andar.
de leite qoe nao
do Livramento n.
Precisase de nina ama para casa ae homem
solteiro rna da Praia n. ;>6.
Guartia-livros
Um neiu cidade, dispondo de tempo, encarre-
ga-se de fazer escriptura cues commereiaes por
partidas dobradss : quem de sea prestimo quizer
utilisar-se deixe carta feixada no carjorir do es-
crivo Motta, ra estreita do Rosario n. 17, 1* an
dar.
Mudanza de residencia
O ubeljiao Porto Carreiro-mndon a la residen-
cia para a ra da, Aurora o. 70, 2* andar. Fra
das horas do expediente do sea ertorio, sera
encontrado em ca-a, de manhaa, at aa 9 horas
e tarde das 5 horas era diante. ___________
Rogase aos Srs. Francisco Jos de Paiva,
morador nos Remedios, e Jos Ferreira Campos,
morador nos Affogados, queiraiB dirigir-se coa
brevidade rna do Bauo da Victoria (outr'ora
rna Nov fallar coc Jfcs Joaqoim Alves, para
negoeiv de sen iqieresse.
COMPANHIA
DOS
TRILHOS URBAROS
Raitway Company (Limited)
A partida dos trens do da 1." de abril
proin em diante ser regulada pela ta-
bela, qne pode ser procarada na estacio
da Praca do Capim no dia 30 deste mez
correne.
Escriptorio da companhia, 28 de marco
de 1871.
William Rawlinson.
Gerente.
ALTA VOVIIUliE
QEM E?
Sahio a luz esta linda polka para piano,
composico do muito sympaibico maestro
I. POPPE
que lio applaadido tem sido no tnealro de
Santo Antonio.
Acha-se venda ne armazem de pianos
e msicas de
A. J. DE AZEVEDO
ra do Bario da Victoria n. 11 (d'antes roa
Nova).
Tambem acaba de publicar-se a linda
qoadrilha
Saudades da Infancia
-.. Acba-sc venda na mesma casa.______
Perjambuco Street fiaiiway
Company.
De ordem da directora, convid-se aos
accionistas desta Comparhia, a realisarem,
dentro do praso de vinte dias, a fegnnda
entrada, de 20 % do valor das accSes; no
escriptorio de H. Forster & C, raa do
Commercio n. 8.
Recife, 15 de marco de 1871.
H. H. Swilt,
Assistant Treasorr.
+
Attenpo
Precisa-se de doua pretos que sirvao para en-
tregar pao, preferem-se escravo. : na roa larga
do Roefio n. 21, loja de Caleados.______
Nos abaixo assignados declaramos ao respeita-
veenblieo e erpeci ntenle ao oorpo do commer-
cio que a ftrma que gyrava de Manoel Rodrigues
feeWa & 1 na padaria da roa do Lima n. 66,
em Saatu Amaro, 8ea de boje era dame gyraudo
U a firma da abaixo assignado e a sen cajnjg^H
o activo passivo do dito estabelecimento,
KSa-se a eompanhia Ignaeio Jorge de Souzs^H
atisfeito de sen capital e lucros,
leafe 30 de marco de 1871.
ianoel Rodrigu
PEDIDO-
Pede-se ao Ilustre corpo do commercio qae pi>r
sa bondade fechem as portas dos est.ibeleclroco-
tos por ser o dia do funeral da tilma. Princeza
]ue deve ser sentido por todos residentes nesta
provincia, tanto nacionaes como esirangeiros,
dando assim urna pro.va de semiraeoto qae nos
tivemos nesta perda ; assim esperamos.
Ra do Barao da
Victoria,
Outr'ora rita Nova n. 63 e caas
do eostume.
Bilhetes garantidos da pro-
vincia.
O abaixo assignado acaba de vender entre o;
seta} mnito fsrizes bilbetes a sorte de frOOOgOOO
em nm quarto de n 2951, a sorte de 200 em um
Mrtwae mteire 4e n. 1798, a sorte de 100 om nm
meio de D. 3060 edous quartos de n. 1919 com a
sorte de 100#, alem de obtras serles menores de
404 e 20^ da latera qae se acabou de extrabir
(186), podendo seus possoidores virem receber, qne
promptamente serio pagos.
O mesmo abaixe assignado convida ao respei-
tavel publico para vir no seu estabelecimenk
comprar os felizes bilhetes garantidos, que nic
deixar de tirar qualquer premio como prova pelos
mesmos annuncios.
Acoam-se a venda os muito felizes bilbetes ga
raotidos da 2" parte das loteras em beneficio da
igreja de S. Jos da Riba-Mar, que ser extrahida
sexta-feira 31 do mez e-'rreote.
jPRECOS.
inteiro 64000
Meio 34Q
Quarto Igl
De 1600000 para cima.
. Inteiro 54400
Meto 24700
Quarto 14380
Jlo Joaqnim da Costa Leiu.
ATTENCAO
Custodio Jos Alves Guimarles. nico
socio gerente da casa commercial de Gui-
marles, Pontes d C, desta praca, previne
quem nteressar possa, 'que est promo-
vendo a dissoloco da mesma Arma, e en-
trar em seguida na respectiva liquidadlo.
sendo que nao ba letras pelas quaes esteja
a firma responsavel, e nem o annunciante
as pretende firmar durante a mesma disso-
luco e liquidaco.
Custodio Jos Alves Guimares. \
Na praca da independencia n. 33 se da di-
(Deiro sobre penhores de ouro, prata e pedraa
preciosas, seja qual for a quantia ; e na mesma
attse compra e vende objectos de ouro e prata,
igualmente se faz toda e qualquer obra de n-
-ommenda, e todo e qualquer concert teadem
mesma arte____________________________
TAPIOCA DO PARA'
No escripiono de Joaquim Gerardo de Bastos
i raa do Vigario o. 16,1* audar, vndese boa ta-
pioca do Para : os preteodentes certifiear-e-hiri
vendo-a no trapiche Bario do Livramento, do
Forte do Mattos.__________________________
AOS 5:000^000
Estao vende os felizes bilhetes da lotera da
taa, na casa feliz do arco da Conceicio, toja de
jurives no Recife.
Oficina de marmore
Rata dan Onzes nnanerA 14, i
Gravam-se tetras a 60 rs., a pedra para ai 'ditas
14 o palmo em qnadro.
Preris-sfe
alagar metade de um pequeo sobrado para ra-
paz solteiro. e qoe seja na fregnezia de Santo' An-
Mfo ; a tratar na roa Direita n. 31,'armaiem.
cisa da mmi
WJA 1 DK MARCO OUTR'ORA 00
RISPO ti. U.
jre exposto ven-
mn, petando
^^^^^^^^^^^^^MMaJaner preni

iieste genero
H-ftia fertPjBita do Rosarjo-14
Compra e vende roupa feita
itva e velha, bj^otos de
COsinha e defiesa,e
i itrliBaal
iperten-
iso do-
tmtrto.
Manoel MarUos Piuta.
de rfW*te? innfl
Ttaeia.

Precisa-se de ama ama que seja boa cosi-
nheira ; tratar na praca da Independencia n.
39,4armazem. .________
fja-ge urna pequea qnantia a juros e qaeu
precisar annuncie.
CONTRA FOGOv
A companhia Indemnisadora, estabelectn
aesta praca, tpma seguros martimos sobre
aavios e seas carregamentoa e contra fogo
em edificios, m;rcadorHS e mobilias: na
ma do Vigario n, 4, pavimento t
#)
tO Dr. PitoogunuJ
a jiara a caa n. i


Diario de Feruambaoo
La 31 d Manjo db U 1
s
mmmm
Irmndade do Divino Espirito San-
to erecta no convento de Santo
Antonio Ib cidade "do
Recife.
De ordim dfnesa regedora convido
os nossos cariarnos irmao para com-
ptreeerem na sexta (eir 31 do andante
Seles S t|S horas da Urde no consistorio
e noesa irmaodade para encorpnrados
irmos acorapanhar a procissio de Triuro-
pbo que tem de sabir da igreja da Or-
dena Tercelra de Nossa Sen hora do Car-
ato paca que (opios convidados pela res-
pectiva Orden). .jA. u
Cmsislorio da irmaodade do Divino
Espirito Santo de S. Francisco dwU ci-
dade oo Recife, 28 de mateo de 1871.
O secretario,
Maroolino Augusto da Silva Villar.
los Dias de Pinho retira-se derta provincia
par* o Rio de Janeiro._____________________
Precisa-sse de urna ama para casa de pouca
familia: na ra do Mondego n.,61.__________
yluga-se
um moleque para todo o servico, tanto de casa
como de ra : na ra dn Rangel n 26,
Cozinheiro.
Prcla-s de un na padana da ra do Raugel
o:^__________________________________
Arreoda-sa nm sitio c<>ai urna pequea casa
dn pallia, uo lugar Fundo de Heberibe de baxo,
liom terreno de plantarlo e com alguos .arvoredos
de (rucio ja dan ao, leudo urna grande baixa no
meio de pa com vertente de invern a verlo
apropriada para verdura e capim por ser moilo
fresca,' nao furia sustentar 20 cavallos diaria-
mente : para quera labuta neste traflco dirija-se co
lugar dos Coelhos na Roa-Vista, ra do Jasmira
n.17.__________________________________
Veneravel ordem tereeira de N. S. do Car-
mo do Recife.
A mesa regedora manda convidar os nossos
eharis^imos irm5os a se reunirem no da 31 do
vigente, pelas 2 huras di tarde, para acompanhar-
mos os pasaos do Senhor em Triumpho.
Secretaria da veneravel ordem tereeira de N. a.
do Carmo 28 de marco de 1871.
O secretario,
Antonio de S Leitao.
A Sra. Mara Candida ViUlla,
particular, que morn oo non oa II. S. e O'
em oyanna. rogad* a vtr roa 4o Cabog na*
mere IR.
preds^M de urna ama de 1*1 :1a ru d
Martyrloi n. 1
Fre*a-a, por ordenado nMUti, fim *
zinbelra torra ou captiva, no aagoaio andar a
casa n. ifl da roa da Imperatriz.
iiiimiii
VENERAVBL URDEN TERCEInA
S. FRANCISCO DO RECIPE.
Em nomo o irealo sbobIiIto convido
aos nossos eharietieiot irniM etapa-
recerem na dia 31 do snrionoa, neta* t
i|2 horas da Urde, no caanionirli al
nossa ordem, para eacorporades aeompa-
nharmss a procissio de Triumhe, para o
que omos convidados pela veneravel or-
dem tereeira de N. S. do Carmo.'
Secretara da Teuenvel ordem tereeira
de S. Francisco 27 de marco de 187 i.
O secretario,
Manoel Altes Guerra.______
OJIIIUIIMHI
Aluga-se.
o sobrado n. 7 da Passagem da Magdalena : a tra
lar cora J I. de M. Reg a roa do Commercio nu
mero 34. _____
CasaqolabM alaiejaieza.
Re gorguro preto ricamente eoeitadoe recebe-
ram->e na loja da America, roa o Cabon n. 10
Joao Jos de Carvalho'fortes,nlrt ten-
do podido daspedJr-se das pesaoaa de sua
amisade, em rasao da sua prxima viagem
a corte do Rio de Janeiro o (as pelo ore
sent, e offerece s mesmas ata limitado
prestimo naquelle logar ; outro aim, decla-
ra qae dorante sua ausencia deixa encarre-
gados de seus negocios a Moraes Irmao,
ra da Madre de Dos n. 5, Io andar.
iwnmmmmm
Fuenlas baratas
h
RA M CRESPO NUMERO S5
' L0J*DR
MANOEL DIAS XAVIER.
CHITAS claras, asearas, e miudinhas
do novos padrOes, ai60eJtt0rs. o co-
vao. v h
ORGANDY cambrras de cores, lin-
dos padrdes a 440 e 280 o covado.
CHITAS CHINEZAS para enberta a
140 rs. o mvadn I.... peobincba.
ALGODOSINHO com 20 ardas a trea
mil e duzente* rs. a peca.
MADAPOLO fino (Blephante) a 4*500
'S* e 6* a peca.
DO-SE amostras com penhor ; na
rna do Crespo n. 25.
,
ret
Hypothecas
No armazem n. 16 da roa do Impera-
dor, se dir quem d algnns contos de
ris sobre bypotheca em predios
cidade.
Precisa-se de una pesaoa para fachina da
padana da rna do Raogel n. 9-____________
Precisa-se 0e um servente forro ou captivo :
na rna das Laraogeiras n. <0. hotel francez.
A*ga se um moleque nara servico de casa
de familia : a tratar na ra Direita n. 82, segnn-
do andar.___________._________
Engorama-se no beccu
proroette-se servir bem.
das Rarreiros n. 9 e
Precisase de urna ara* : na ra Billa n. 3f
Na ruado Vigariu ii. 17, Io andar, precisa-
.v lallar ao Sr. Joaquim de Carvalho a negocio de
sea ipteresse.________^___________
jfara eacriptorio .
Sala e unarto para alugar, com frente para a
ra larga do Rosario n. 3o, andar : a tratar
com Francisco Garrido no bniefcentral.
US UO
nestt I
mkS
GRANDE LIOIDACAI
para acabar.
Chitas francexas de lindos padroes a 160 rs.
corado.
Ditas riseadinho, a 160.
Cambraias braBcas Anas cora nm pequeo feUo i U, 3*500, 4* e 4*500 a peca.
Brins de core pa cal?a a 400 ris o covad.
Cambraias de cores, (rancezas, lindos pa.lrues
240 o covado. ift .\
Lanziohas de tre, fazenda fina 3 400 re.i3
corado. Jk
Ditas com listas de seda muilo fina a WW
o covado.
Brim pardo trancado a 'JQO res a vara.
Madapoln a ,4*600, 5 e 5*800 a peca.
Dito muito fino 6 largo a 6* peca.
Lencos brancos e com barra, muo baratos
Ditos para meninos pato diminuto preco de 801
ris a duzia.
('.bales de tilo de seda bordados.
Cambraias para forro a 5*500 a pera.
Meias eruas inglezas a 3*800 a duzia.
Caaemiras escuras niescladas de duas larguras
para palitol a 2*000 o covado.
Lencos de cambraias de linbo uno e baratas.
Na roa Duque de Caxia* n 81
So da Victoria
rna Xava.
ICO & C. avUam ao respeitavci
jigo* qae no sa e ubeiecimen-
ino eneontrario dlTraasnar-
[aparado gosto, como sajam :
brancas, pratas a de doras ya*
Bomeni.
___s e franeezas com peife de linho
o Mrdadas para bomem.
lia e de algodo de ponto de meia.
de flanela brancas e de cores.
Inglezes completos de casemira fina de
cores para bomem.
Ceroulas de linho e de algodao finas.
Colarihos e punbos de linho e de algodao
brancas e de sores para hornero.
gitos Je esgnio bordados para senhoras,
ravaus de seda de differemes modellos.
Grande sortmento de meias inglezas, franeezas
e alemats para hoaens, senhoras, meninos e me-
ninas.
(randa sortmento de chapeos de sol para se-
nhoras e homens, de seda, de merm e morim
com barra,
Baldes e saias de laa de cores eofeitados para
senhoras.
Ditos do madapolio e eambraia bordados.
Veos de fil preto bordados.
Ricas colchas de algodao e dn la malizadas,
rrandes e pequeas.
Atoalbados de cores para mesa, de linho e de
algodao. ,
ralbas de linbo brancas e pardas adamascadas
e puardanpos de igual padrao.
Ditas para rosto e de cores para banlio.
irunde sortmento de ntffnmarias ingle7.as.
Charutos da Baha e da Havana.
Fumo deQado para cachimbo b cigarro (Bids
Eyes). '
E oqtros muitos objectos que seria enfadonho
mencionar.____________'"_________________
Frinha de mandioca
da Baha
\ mel'nor qne presentemente existe no merca-
do, prepria para mesa, por ser muito alva, fina e
torrada, em saceos grandes de 2 alqueires : ven-
de-se no escrlptorio de Joaquim Geialdo de Bas-
tos, a roa do Vigario n. 16, 1" andar._________
Ps de rozeiras de varia qoalidadgg, di
stpattii, abacate, pinbairi, flgotira, a la-
raoja cravo. todo por preco conoMOO: na
Boa-Vista ra do Tisconde de Goyanna o.
51 (ootr'ora
Mobilia a venda.
No J andar o. 61 da rna da Gaia vende-se i
sof, i consolos com pedra, i eadeira de balaeco,
1 de braco e 1? de guarnicao da roadeira = Gn-
calo Aives ou Jacaranda- da Rahia, 1 sofasinho,
2 cadeiras de bracos e 6 de guarnicao americana,
1 hanooinha. e 1 rtwa ehslica de amarillo.
Guarda-ruupa.
Vende-se nm novo, vindo da Europa com es-
peto) de 5 a 6 Mimos.___________________.
GRANDE
Vndese ricos cortes de vestidos de seda pretos
e bardados, por precos mult-i laferores ao sea
valor, por estarem com pequeo toque de mofo.
Na loja das coltaunas. a ra Primeiro de Marco
n. 15*, nutr'ora roa do Crespo, dft Antonio Gor-
reia do Vassoneellos.
Vende-se urna casa ierre* na rna do Bom
Jess dasCiionlas n. 19, com quintal e pomo pa-
ra a travessa dos Quaneis : a tratar no Porte do
Itattos n. ;,._________' _________'
DI
VIDAGO
nico deposito
Pharmacia americana d
Ferreira Maia # C, rna Du-
que de Caxias p. 57, anti-
ga do Queimarto.
Novo-caporal.
Fumo proprio para cachimbo e cipar-
ros, superior ao caporalfrancet, e por
menos de metade do preco deste. Vende,
ae a retalho e era grandes porcoes : na
fabrica a vapor de cigarros, roa langa do ^
Rosario u. 21.
m**mm*m
Parinha de mandioca superior.
De Santa Catbartna c da Rabia, tem para
vender Joaquim Jos Goncalves BeltrSo no
trapiche do Guerra e do Moreira. e para
tratar no seu escriptorio a roa do t .omroer
ci ii. 17; assiiu como tem barricas com
farinha superior dn Muribeca, propria
para casas particulares._______________
Tendo compraio o enpenho Itapirema de ei
ma, sito na comarca de Goyanna, a D. Luciana
Gartrudes Clara da Silveira e seus filhos, e appa
recendo hoje quem se diga eonsonhor de urna par-
te encravada no referido engenbo, pretendo ver
esclarecido este nejocio, quer amigavel ou judi-
cialmente, visto nao ttrem os referidos conseDho_
res e vendedores ao mencionado engenho feito ex-"
cepcio de Darte alg ma no contrato de venda
comigo eeleDrado. E como poder acontecer, que
tiraba a verificar-se a illigitimidade da venda, fe-
la era quanto a referida parte, aviso a quem inte-
ressar possa, qne nao fa ;a iransacgo com duas
tras, sendo urna a vencer-se era maio de 187?, e
nutra em maio'de 1873, nnicas por mira aceitas a
favor da dita Vendedora D. Luciana Gertrudes
Clara da Silveira, inserrado aqui o meu compe-
tente prote-to, de nao -atisfazer o preco do que
irregularmente me podesse ser vendido ; e, por-
tante, de nao pagar a3 ditas letras sera' que veja
resolvida qualqoer duvida a resoeito da dita ven-
da. Becife 2* demarco de 1871.
Francisco Xavier Caneiro de Albuquerciue
gPrecisa-se da urna ama para o
servico interno de urna casa de
familia, de doas pessoas, prefe-
re-se escrava : tratar na ra
do Imperador n. 79, loja._____
Aos capitalistas e proprieta-
'rios.
Sabbado 1. de abril arremata-se em
praca publica na villa do Cabo o dominio
directo do engenho Algodoaes avahado em
16:000,5000, assim como o dos terrenos do
eugenho Serrara, sendo este por 8:800|0#0,
ambos sitos na mesma freguezia : o primei-
ro rende annoalmente IrOOOilOOO e o segn-
do 55O0OCO.
As vdtagens dos predios rsticos, com
um tal rendimento fixo sobre os predios
urbanos maniesu, por nao se acharem
aquelles sujeitos deterioracSes, impostos
e riscos de incendio, etc.; gosando, alm
disto, o accrescimo dos ladennos e da
ponlualidade nos pagamentos, pelovreceio
do commisso.
Sal e palha.
Veodem, bordo do hiite.D. Luisa, Goraes
Matloe Irmos, ra do Vigario n. 26.
Para
FIO
saceos e fogueteirts.
SACCOS
PABA ASS6CAR
CERVEJA DE MABCA
VIDROS
DE

MOFINA
AMA
Precisa-se de uraa ama que
\ saiba cosinbar e engommar
com perfeicao c d fiador ji
sua conducta : na ra Primeiro de margo n. 15.
AMA
(ere-se escrava.
Precisa-se de urna ama que
saiba fazer o diario de urna ca-
sa de pituca familia : tratar
na ra Primeiro de Marco, ou-
tr'or roa da Crespo u. 7. Pre-
Precisa se de urna ama que
eogom'ne e cozinbe cem per-
feicao e trate do servico da
casa de homem solteiro, que seja de boa conducta:
no pateo da Ribeira n. IX _________^^^__
*>
Pr>-cisa-se alugar una ama forra para
comprar e engommar : na ra do Cabu
gi n. 2-b.
Ama
Precisa-se de urna ama que saiba
cozinhar e enaniomar, pan casa de
uraa pequea lamu.a ua puvoacio de
Apipucos, prefere-se escrava : a tratar na ra
Crpz n 54._________________
Precisa-se de nina ama turra ou es-
crava para cosinhar e comprar para
rasa de urna pessoa: tratar na ra
da Cruz n. 48, 3o andar._______-
Roga-se ao Illm. Sr. Ignacio Vnira de Mello, <
crivao na cidade deNaoreth destt provincia,
favor de vir a roa do Imperador n. 18 a concluir
aquello negocio que V. S. se comprometteu rnan-
sar, pela tereeira chamada deste jornal, em fin
de dezembro prximo passado, e denoto para Ja-
neiro, passou a fevereiro e abril, e nada cumprio,
e por este motivo de novo chamado para dito
fim ; pois V. S. se deve lembrar que este negocio
de mais de oito annos, e qnando o senhor sen
fih o se aehava no estndo nesta cidade.
AO PUBLICO
Um consenbor da terca parte do engenho Mo-
zambique de Baixo da freguezia de S. Lonrenco
da Malta, constajdo-lhe que tratam de vender di-
to engenho, pare evitar duvida declara que nao
ronvem em tal veuda, e nem para seo den auto-
risacio, protestando desde j sobre o direito que
he assiste quanto aquella sua parte.__________
X
Fngarrafada especialmente para o Bral.
Charutos de Havana.
Lona para velas
Cambraia Victoria.As verdadeiras traem
o
nmeros estampados as pegas e nao as etique
tas.
Vendera-se
Era casa de
T. JEFFERIES & C.
4,6 Ra do Gotnmercio i-
4
i
BRINS DE ANGOLA
OS LEGTIMOS
Traiena em eada peea nm Mino
te com o nome
DOS
nicos importadores
T. JEFFERIES & C.
III,
A Esperance, roa Duque de Caxias o. 77 A
(anlga do Qeimado) acaba de receber um com-
pleto sortmento de vidros de espelhos para todos
ns taannos, lie 7 a. 40 pollegadas. Na mesma
loja tamlwm se vende diamantes para cortar Vi-
dros, tudo per barato preco : na ra Duque de
Peixe para, a qua-
resma
Vende-se na ftliga rna Direita hoje Marcilio
Dias n. 99, polvos seceos muito uovos a 240 rs. a
libra ; Hles que estSio se acabando. '
Yende-se
Gouro de bezerro
Muito novo e ltimamente ebegado vende-se
em casa de S. P. Jonston & C. : ra da Senzala
Nova n. 40.
Chap s de feltro, lebre. fazeodas finas e or-
dinarias, e tambera do Chille, viudos ha i.oueo de
Rio de Janeiro : na ra da Cadeta do Recife n. 32.
loja.
Caxias n. 77 A.
_*v
Pi de algodao da Baha de su-
perior qualidade
Hipara vender no escriptorio de Joaquim Ge-
raido de Bastos : roa do Vigario n. 16. 1 an-
dar, superior fio de algodao vindo da Baha.
E' baratissimo
Saceos com milho a 3*500, ditos com farinha
propria para mesa a 6*500 : vndese no arma-
zem do Anoe* defronie da alfaodega.
Precisa-se arrendar um sitio com as neces-
saras accemmodacSes para plantnces ; Dio im-
porta que seja perto ou longe deata praca: a tra-
tar na ra Nova n. 63. /
Na ra da Imperatriz n. 3, 2 andar, alu-
gam-se duas negrinhas, uraa de 14 annos e outra
e 13 annos para servico interno de casa de fa-
lilia : tratar na mesma casa cima indicada,
e a qualquer hora do dia. _________^^^
Precisa-se de urna ama forra on escrava que
saiba bem cozinhar e fazer compras : no Corre-
dor do Bispo n. 23.
COMPRAS.
AMA
AH
Precisa-se de urna ama paraco-
sinhar. m rna Nova n. 61, 2* andar
AMA
Na roa do Pifa* n. 1, taberna,
precisa-se de urna ama qu saiba
comprar, cozinhar e> lavar, para casa
de pouca familia, prefere-se prett:
Precisase de uraa ama para casa
de homem viuvo com um tilho: na
rna de Hortas n. 120.
Precisa-sti O urna .ana para com-
prar o fazer o mais arranjos de nma
casa de pouca familia : na ra da
Camba d(t Carmo n. 19, Io andar.
AMA
AMA
(lezas.
Preci:a-se de urna ana para cosi-
nhar para casa de pouca familia : ra
da Cada do Becife n. 11, loja de raiu-
AMA.
Precisa-se d'uma ama para cozinhar e comprar,
para urna familia de duas pessoas : a tratar na
ra Nova de S. Rita, u. 65.
AMA
na rna da Cruz n. 12, 2* andar preci'
sa-se de urna ama pan comprar e co-
zinhar.
im*.
8?, i
Jos Antonio Basto.
D. Mara Felicia da Conceicjio Bastos, e
seus sobriobos agradecem cordialmento aos
parentes, e amigos qne se d goaram assistir
aos sufragios prestados a seo querido es-
poso e tio, que tiveram logar no dia 30 do
correte na capella do cemiterio publico, e
de novo ibes pedem se dignem de ouvir
urna missa qoe ptlo repouso eterno do
me;mo sen querido esposo e to ser cele-
brada oa mesma capella oo iba 5 de abril
mammmmmmanmmm
Aluga-se um preto cozraheiro e copeiro, sa-
be engommar e lavar, proprio para casa estran-
geira, on hotel: na roa da Cadeta Velha n. 1,2*
andar.
Na rna da Soledade, sitio n. 33, eompra-se
nm carro e nm boi. sendo grande e gordo. _____
COMPRA-S
Frascos vasios da tintura Japoneza; a rna Du-
que de Caxias n. 50 e Mrquez de Ohnda n. 51.
No armazem de leudes da rna do Imperador
n. 16 compra se trastes usados, qualquer porcao,
zendo bem conservados.
Na Hua do Crespo numero tO.
Alpacas pretas com flores miudas matizadas, (le
superior qualidade, a 320 rs. o cavado, carabraia
de cores a 240 rs. o covado, chitas a 160 a 200 rs.
o covado, fehitas chinezas a 240 o covado, cam-
braia viewria fina a if, peca de madapslao a Sjt,
dita de algodao a 3* : na ra do Crespo n. 20,
loja do Goilherroe._______________________
Franjas pretas.
A aguia branca recebeu do Rio
pequeo perm bonito sortimenio
las para enfeites de vestidos.
i FLOR DI !M
13 ARna da Imperatri_=13 A
DE
Joaquim Bezerra Pessoa C.
Pechincha sem igual em basquinas III por 12*.
14* e 20* enfeitadas com vorilhos, calcas pretas,
colletes e paletot de panno lino, ricos tapetes para
duas Cadeiras e quatro ditas, tudo barato que ad-
mira ; assim como um riio. elegante e variado
sortmento das fazendas proprias para a qnares-
ma, que se vende por commodos preces : na ra
da Imperatriz n. 13 A.
de Janeiro nm
de franjas pre-
Fita especial
para os qne nzeram a campaaha do Paraguay. A
agua branca ra Duque fle Caxias n. 52 rece'
beu dessa fita.
Compra se ama casa terrea na freguezia de
Santo Antonio, embora peqnen: a tratar na ra
velha de Santa Rita a. 25,1* andar.
VENDAS.
Superiores batatas
inglezas.
Em gigos" francezes:
maos & C.
nos armazens de Taase Ir-
Pagase muito bom alugnei a nma ama que
efcia-e e outepre : Ba ra do Swl a. 33.
Criado.
-crwHsede um criado para tod icn de
erindo-se qae nao seja moso:
rape d. 7.
LIAS DE
E
Outras variedades.
Vende-se lavas de pellica, brancas, pretas e da
cores para bomem o senhora, 1*500 e 3* o par, e
muitos ootros artigos proprios para o funeral da
princeza D. Leopoldina, e os actos da quaresma.
Como seja :
Bonitos e modernos espartilhos nara senhora,
bordados a seda a 6*000 ^ ricas camUinhas de
cambraia com pannos bordados a 3*500 e 4*000;
bonitas ehapelioas de fil de seda afeitadas a
6* e 7*000 ; grande sortmento de chapeos, de
palha e de gorgurao afeitados para meninos de
3*000 a 4*000, botines de dnraque preto e de
cores para senhora a 5* e 5*800 o par; ditas de
marroquim gaspeadas de eooro de lustro para
senhora e para enancas de 2*500 e 3*500 o par;
grande sortmento de molas inglezas llmsolnut
tonto para senhora como para homem e Bsantaos,
de 3*500 a 18*000 a dula ; grande vanedado de
perfumaras flan* inglezas, francesas o aaaertca-
uas; miudezas, tasendas finas, ^2SBtod0^!
finissiraas cambraias Imperatriz a 9*w e eorte
de 10 jurdaa, setim da Persia, laaanda aa_friiis-
sima branca e de cr para TosUdos M aomara a
700 rs. o cavado; tuquias preto a 1* o eovaao.
DF
VICHY
HAUTERIVE < CELESTAS
Vende-se em grosso e a retaljio
no armazem da ra do Vigario
D. .
Carroc^s
Na rna do Livramento n. 38 se dir qnem tem
duas carrocas das que trabalhao na alfandega as
qnaes se veridem mnno baratas. ^__________
Aos cigarreiros
Vende-se papel de seda e de linho, em resmas,
dos verdadein- fabricantes : na ra de Marfz e
Barros, ootr'ora ra do Codorniz n. 8.
RODRIGUES"* IRMAO^
Ra do Mrquez de O inda n. 6
Vende-se nm exceilente cofre de ferro, i pro-
va de fogo, por precn muilo coramodn.
madapolio fiao aj*
sendas
de variedade de
precos os maitj
Bazar :""J
a peca, e outras
Ningoem pode competir com o Campjs da
roa do Imperador n. 28.
Para quaresma:
Bacalhau superior a 120 res a libra, ou 260 o
kilo.
Polvos a 200 rs. a libra ou 440 o kilo.
Arenques em salraoura a 40 rs.
Latas com peixe portuguez a i* cada uraa.
Quartos de Utas com sardiuhas a 400 ris.
Meias latas cora ditas a 600 rs.
Latas inteiras com ditas a 1*300.
Gigos com bmtas a 1*100 rs.
Ovas do serto e latas com Salmn e Agosta.
Para depois da quare-i
O Campos anda por mais urna ver. tsai a honra
de avisar aos seus numerosos amigos e_reg
em particular e ao respeitavel pabli
de e seos arrabaldes era getal; qu j
de todos os moles a sea alcance, em J
um grande e "variado sertiaVmio i
prios para depois da qnarou
se deixa a abstinencia e se "aj^H
Se urna pessoa quer sausnpt^^H
estomago, oaV> tem mais do que drriajp^
do Imperador n. 28
^ ARMAZEM DO CAMPOS.
KIXG OFPAIN
ou
o rei da dor americano
nico deporto do verdadeiro. na pharmacia
americana de Ferreira Maia e C, ra Duque
de Cixias n. 57, antiga do Qneimado._________
iCDUC'a" 04 Seguintes eBgenbos perto da ci-
dade de Mamaraguape,
Ddn d. Excellente propriedade com ptima
casa de vlveuda, engenho e mais casas precisas,
ludo de pedra e-cal, e muito bem construido.
rt^UH (I mnito bem situado por ser junio do
porto de embarque jos vapores da companhia
pernambucana. e onde tem de lindar a .estrada de
ferr projeclada, de Maraanguape.
lail ICIO situado ao p deste.
Quem pretender qualqner urna destas exceden-
tes propriedades, queira se eoleoder com Tasso
Irmos e C._____________________________
Eogeiiho
Vende se o excellente engenho de Lages Nevas
da comarca do Bonito, que me cora agua do rio
Pirangv, por cuja razanunca esta Ihe faltar, ca-
boco de pedra feio com muita seguranca e tendo
excedentes ferragens e mais "obras necessarias,
bom pasto para animaos, pelo que se torna mui
recommendavel, alm de boa construccao e loca-
lidade. tem orna distilacao ou alambique de cobre
e todos os acce*sonos coneernentes, sito na estra-
da de lio quatro ou cinco leguas : quem pretender
qualqner negocio pode dirigirse ao momo enge-
nho ou esta praga a Joaquim da Silva Osla, qne
adiar com quem tratar : na ra do Duque de
Caxias n. 42. outr'ora Crozes._______ .,.
Liquidaqo de lou fina.
O proprietario do grande armazem de ctica, si-
to na ra da I npera'.riz n. ti, querendo liquidar
as vendas de 50 volun es de loncas boas deMaco
(azul) resolveu-se a vender apparelbos da mesma
louga para eb com 32 peca pelo baratissimo
preco de 11*. um ser'ico de mesa completo para
jaoiar, com 276 pecan, pelo admiravel preco de
90*000, meio dito da mesma louca com metade
das peca* por 45*000, pratos fondos e rasos de
9 polegadas a 2*600 a duzia, ditos pequeos de
6 polegadas para sobremesa a 1*800 a duzia, chi
caras eitavadas a 2*800 a duzia; asi ira como
bacas e jarros, e outras muitas pecas avulsas que
se vender por preco que ninguem poder ven
der.
Velas para carro
Vendem-se *Jlas para carro : na ra do Barao
da Victoria, ontr'ora Nova, n. 69____________
"TliXE.
Na ra da Praia n. 4, vtnde-se peixe seeeo
muito frescal de boas qualidades, ebegados lti-
mamente contendo as qualidades segrales : siri-
gado, carapitanga, ga oupa, cavada e outras umi-
tas qualidades, o qual' se vende por preco ones-
modo, por ier o dono de retirar-se para o Rio-
Grande do Norte.
CEMENTO.
O verdadeiro portland. S
ra da Madre de Deus n. 2,
Jeo Martins de Barros.
se vende
armazem d
PARA \ UARESMA
AO TRIUMPHO DA BOA-VISTA.
Ra da Imperatriz n. 20.
Mamullas a brasleira, ricas basquinas de seda,
variado sortimento de grosdenaples prete, todo
por haratissraos precos j assim como temos gran-
des pecnlnchas em popelinas, lias, alpacas, cam-
braias, chitas, madapoloes, bales e ontros mutrs
nblectos que agora nao mencionamos : na loja de
Faria e Lessa.______
Ra da Imperatriz n. 9
A este novo e sumgtiioso estabeleciraento de
fazendas acaba de ebegar directamente da Europa
um variado sortimento de ravas de Jonvin de di-
versas cores, contendo grande numero de pretas,
Vende-se
Superior vlnho de nva pura especialssimo, pas-
to, em e 10. de pipa.
Dito do Porto muito fino em 20. de pipa, pro-
prio para mimo. .
Dito dito D. Luiz I em caixas de 12 garrafas.
As qualidades superiores destes vinhos do a li-
berdade ao possuidor de garantir aos comprado-
res a pureza de sua preparacao : a tratar na ra
do vigario n. 14, primeiro audar, escriptorio de
Jas LopesDavin. -' ; ______
"para acabaT
Na rna do Mrquez de Olirida n. 39 ven-
de-se os segnintes artigos mais baratos qne
em outra qualqoer parte.
Couro de bezerro.
Cooro de lastro.
Conro de pnreo.
4 Arreio de carro para 2 cavallos
(obra de gosio.) -
Um bilhai
Vendo so um bom bilhar con todos o pr
oto : tratar na na larga do Roso^^^F
do Vianaa.
ORAM1BE
LIQUIDACOA.
Fazendas limpas, ra Duque de
Caxias n. 29, esquina que volla
para o paleo de Pedro II,
Chita* escuras e claras a 160 rs. o ce-
vado, ditas escuras e claras finas a 200,
240 e 280 rs. o covado, ditas para oo-
berta a 240 o Cjvado, riscadinhos miu-
dinhos a 160 o covado,' tembrias de
core* fixas r 200. rs. o eovade, ditas
Deas a 2*500, 3*, 4* e 5* a peca,
de madapolio a 4*500 e 8*, dito
6*500, dito francs,
dejistra proprio
tr. o ec-.
2*000,
meia ca-
trsofado
tes! do
LYS ES & IRMAO
pop rietanos do bem conhecido e acredi-
tado
i:tRA DA IMPERATRIZ13
Cnamam a atiendo dos
Fumantes
e dos seos numer sos freguezes. e amigos, tanto
desta praca como de fra, para grande e variado
sortimem de artigos para fumintes. que ha sem-
pre oeste bem montado estabelecimento, os quaes
se lornam recommendaveis pelas soas boas qua-
lidades o modicidade de presos por jerem recebi-
dos directamente de Franca, Inglaterra, Estados-
Unidos, Para, Baha, Rio de Janeiro, S. Paulo,
Mioas-Geraes, Goyaz, Montevideo, e unto a retalho
como por atacado, ven^e-se o seguinte :
FUMOS : de Baependy do verdadeiro, de Jeao
onstantino, do P3r, do Daniel, do Rio-Novo,
crespo, picado e em corda, do Descalvado de S.
Paulo, de Goyaz. perola de Minas, werviq e capo-
ral nacional, caporal francez do melhor que ba no
mercado a 1* o pacoie. e outras qualidades.
CHARUTOS : de Havana e Hamburgo de supe-
riores qualidades, da Babia das mais acreditadas
raarcaj, do Rio de Jabeiro dos melbores fabri-
cantes'.
CIGARROS : dos afamados Daniel, de Palha fe
outras qualidades, de S. Paulo, e fabricados na
nossa bem montada fabrica, e se distingue os bem
cosceiiuados de seda, Baependy, Daniel, Rocano-
bole, Radicaes, Damas, de Goyaz, do Ro de ja
neiro. Conde d'Eu. Barrigudos, Exposicao, S. Do-
mingos, Orientaos e outras marcas.
P0NTE1IMS para charutos e cigarros, de todos
os gosins, precos e qualidades.
BOLCaS de borracha pata fumo, de todos os
feitios e precos.
CARTEIRAS de cooro e de sola para cigarros.
Fio para saceos
Superior
Vende-se no armazem de Okell, Bindloss,
c C. a roa da Groz n. II._____________
Farinha de mandioca
do Maranho
Vende-se no escriptorio de Joaquim Gerardo de
Bastos boa farinha de mandioca do Maranhio era-
saceos regulares : a ra do Vigario n. 16, pri-
meiro andar.____________________
CALCADO BARATO
Borzeguin de bezerro para homem a #O00.
Borzegums de dnraque de cor para senhora a 4*.
Borzegntas de dnraque preto gaspeadosa ,h.
Sapatos oe oouro eom salto para senhora al*.
Veode-se na praca da Independencia n. 39, loja
de Porto & Bast s._______________
iTenoe-se um taberna sita a ra dos Gna-
, tendo poneos fundos, proprio para
bstame comoJodo para familia,
ida, e o motivo da venda ao
: i tratar na mesma.________
rae tto branco e preto Uso e
. no Basar da Victoria n. 3, roa
da Victoria, antiga ra Non. -
Ncmpre a \ o va i:$peran?a! ?
AO BELLO SEXO.'
Esta loja bem conhteida pela sua elegancia e
uperioridade'de seus object)s, acaba de receber
muitos artigos para o que fespeitosamente convida
ao bello sexo a vizita-li,almdecomprarera aquil-
lo que precisaren! para prepares de vestidos tot-
lete ou tocadores, e mr-smo qualquer objeeto para
fazer algum prezente...poi que si na Nova Espe-
ranca (icario satisfeitos, j pela qcalidade e pro-
cos razoaveis, e mesmo por que a Nova Esperan-
ca ufana-se em nao se impacientar era dar a es-
col her os objectos, prestando-se com o agrado
cm que cosiuma receber a \odos, afim de que
saibam com o Arme proposito de voltarem ou
mandaren) a mesma loja, logo que precsem de
qualquer artigo porpqneno qne seja.
LUVAS iDE PELLICA,
fteceben-as de Lisboa a Nova Esperanca para
homens, senhora e meninos, sendo brancas e de
cores.
MOVIDA DE.
Bco de quipnre preto com branco, a Nova Es-
peranca s quem tem 111
Caixas para joias.
k Nova Esperanza recebeu boas caixas de sn-
dalo para guardar joias.
Filas largas para cintos.
Receben-as de multas qualidades a Nova Espe-
ranca.
Para extinguir panos ou sardas.
Nova Esperanca tem leiie de rosas brancas.
Para tingir cabellos.
Tem a Nova Esperanca a verdadeira tinta in-
gleza.
Para refrescar a pelle e aformozia-Ia.
A Nova Esperanca rna Duque de Caxias n. 63,
vende verdadera albina branca de Lais.
Perfumaras.
As melhores, e do mais conhecido fabricante,
tanto francez como inglez, esto expostas venda
na rna Dnque de Caxias n. 63, na Nova Espe-
ranca.
Extractos, banba, oleo, sabonetes, agoas de co-
lonia, de laranja, florida e de lavande, etc., etc.,
tudo de superior qualidade : vende-se na- Nova
Esperanca ra Duque de Caxias n. 63. ^
Agora sim !
A Nova Esperanca, a rna Duque de Caxias n-
63, recebeu um lindo sortimento de 121 para bor.
dar, vindo as cores mais procuradas, branca, pre-
U, escarate etc. etc. a Ha antes que se acabe I
AGE i VICHY
Vende-se no armazera da ra do Vigario o. II,
ine grosso e a retal bo.________.
CONFEITARIA
>
fRUA DO IMPERADOR N. 26.
O proprietario' deste estabelecimento avisa aos
seus numerosos e bons freguezes, que acaba e
preparar um grande sortimento di melhores g-
neros do mercado para recbear ae despeases Oa-
qoelles qoe tiverem bom paladar e disposicio pa-
ra gastar os cobres, no lempo da fta do I
Abi encontrarn ex :el lentes presentes de naasno.
vinbos, licores e cognac de todos os fabricantes,
boa cerveja, marmelada portugueu, ameixas em
caixnhas, conservas franeezas e portuguezas, do-
ces de todas as qualidades seceos e em calda/
Tambem encontrarlo bolinhos para chi de todas
as qualidades, bolos francezes e inglezes, pac-de-l,
pudins, tortas, amendoas centenadas, e quatftidad
do ontros objectos qoe seria enfadonho enumera
An belseze
COLP CREAM OF ROSES.
Gette Creme dalicieuse, nniversellemeot rpat-
iue en Angieterre, o les totees sem si renom-
mes psr la beaot et la fransparence de leor
leint, doit sa rputatioo aux lraenu balsamiques
at onctneox qm la composent, ainsi qn'i sa cons-
tante efflcact ponr adeucir la pean, la reodre
plus blanehe, et contribuer ainu la sant et a la
beaote, qui, toojonn, sootosepasables.
On la reeommande eonlre les irrita
i piderme, talles que Boutoks, phl
CHIS DO ROOSSBB, ROUOEUBS DK LA
ootre les Uebes Epatriqces et le EmauaeBh
tos. Cette Crme convient spcialeraent aux fem-
mes enceintes ponr prevenir LE MASQUE, auqnel
siles sont sujettes.On s'en sert eoeore peer em-
cher la flgnre de se bler par le fruid on la trop
grande chaenr. .
FORMAS DE FERRfJ
par. purgar Jgf^ g
para desearooar algodao, a yre<;n redolidos: no
Recite, armazem oor. Btroca.;
' FaRElO DE LISBOA.
a 4* o sacco com 90 libra : oa rna da Madre do
Deus n-
TYf DODURKPuA DO DUflOE DS
>
'
n'"*
k
I -.s* ^iJT
bbbbI


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ESZE1GORA_D0ARZ0 INGEST_TIME 2013-09-14T02:33:44Z PACKAGE AA00011611_12350
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES