Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:12335


This item is only available as the following downloads:


Full Text

ANNO XLVII. NUMERO 59
PARA ? CAPITAL E IMAMS OIBE IA0 SE PACA FOKTL



IE
Por tres mezes adiantados
i'or seis ditos dem .
Por qb sobo klem.. .
Cada numero tvulso .
ii#QOO
2440OO
MO
SEGN Efflft 13 DE MARQ6 DE 1811.
PABA MIT10 I F01A DA PIOTDCIA.
Por tres meses abantados
Por seis ditos dem. .
Por nove ditos dem .
Por am anno dem .
DIARIO DE PMAMBUCO.
Propriedade de Manoel Figuira de Faria & Filhos.
Os Srs. Gerardo Antonio Alves & Filhos, no Para ; Gon$alves & Pinto, no Maranhao ; Joaqnim Jos de Oliveirs, no Cear ; Antotife de Lemos Braga, no AraeaJ^^o Mara Joo Chaves, no Ass ; Antonio Marques da Silva, no Natal; Jos Jostine
Pereira d'Ahneida, em Mamangnape; Antonio Alexandrino de Lima, na Parahyba ; Antonio Jos Gomes, na Yilla da Penha; Belarmino dos Santos Baldo, em Santo Antlo; Domingos Jos da Costa Braga,
em Nazareth ; Antonio Ferreira de Agolar, em Goyanna; Francino Tavares da Costa, em Alagofi ; Dr. Jos Martins Alves, na Bahia ; e Jos Ribeiro Gasparinho no Rio de Janeiro.
PARTE OITICIAL.
Ct ove rao 1 provincia
KXPEDI.NTE DO DA 8 DE MABCO DE 1871.
Actos :
O presidente da provincia, attendendo ao que
requereu o capito do batalhao n. 42 de infamara
da-fttafdj ujiMsT do manidplo de Serinhim,
Joie Biptista Accioli Lins, resolve'conceder-lhe a
guia de que trata o art. S dj dejreto n. 1130 de
12 de mareo de 1853, para o de Agua-Preta, onde
lem fijado a sua residencia.
O presidente da provincia, attendendo ao
Sie requeren o Dr. Joo Francisco Xavier Paes
arreto, e em vista da infornacao do director ge-
ral interino da nstrucgo publica, de 6 do corren-
te, sob ii. 71, re.-olve oxonera lo do cargo de dro-
gado Iliterario di freguezia de S. Loureuco da
Matta.
O presidente da provincia, de conformidade
cora o art. 7. da lei n 369 de 14 de maio de
1855, c era vista do offlcio da director geral inte-
rino da instruccao publica de 6 do correute, sob
d. 74, 'esolve noraear o bacharel Pedro Francisco
Corro de Anojo nara exorcer o emprego de de-
legado literario da freguezia de S. Lourenco da
O presidente da provincia, em vista do rn-
elo do director geral interino dos indios, de 20 de
fevereiro ultimo, resolve exonerar o capito Anto-
nio Vctor Correa do cargo de director parcial dos
odios da aldeia de Panema, na freguezia de Aguas
Bellas, o nomear para substitulu o cidtdo
Adrio Rodrigue* de Araujj.
Exoediraui se as necessarias communicaQSes.
Offlcios:
Ao commandante das armas, autorisando-o,
de conformidade cora a sua iaforraaco, a conce-
der ao soldado reformado do exoeto 51 corno de
voluntarios da patria, Manoel Joaquim de Santa
Anna, permisso -por doas mezes para ir Goyan-
na ver sua familia.
Ao inspector da tliesouraria de fazenda cora
rounicando, para os flns convenientes, haver de-
ferido o requerimento em que Gedeao Forjai de
Laeerda, ex-agente comprador do arsenal de ma-
rrana deUa provincia pedio ser prorogado por 20
dias o prazo de 30, que llie Li marcado para
aprsenlar-se na int ndencii da corte, qual tem
de ser aggregado.
Commuoicou-se a.) inspector do arsenal.
Ao mesmo, declarando em resposu ao seo
offlcio de 4 do correte, sob n. 150, que, nos ter-
mos do aviso do ministerio da gnerra de 20 de fe-
vereiro ultimo, o raarechal do campo Bario de S.
Borja segu para a arte, na qualidade de com-
mandante das armas da provincia do Rio Grande
do Sol, e tem direito ajuda de cnsto integral, de
conformidad* com a tabella que baixou com o de-
creto n. 471 de 26 de agosto de 1846, devendo o
respectivo pagamento ser feito sb a responsabil-
dado da presidencia, se para isso nao ebegar o
crdito existente.
Ae mesmo, transrailtindo para os devidos
Mns, oito cfdens do thtsonro nacional, sob ns
29 a 36.
Por essa tbesouraria mandou-se pagar ".
A Jos Pereira de Alcntara do O' a quanlia de
o75#W0, a que tem direito por haver concluido a
caiadara e pintura do quartel dos artfices.
Communicou se ao engenheiro encarregado das
ubras militares.
A Joo Ramos a de 700*. proveniente de ama
mobilia, qoe venden para o palacio da presi-
dencia.
Ao da thesouraria provincial, dizendo, em
resposta ao seu offlcio do 1." do corrente, sob n.
69, que mande proseguir os termos da desapropria-
co na forma da lei, dos sessenta palmos de terre-
no ao lado do edificio, destinado ao paco da as-
sembla legislativa provincial.
Ao mesmo, recommendando que fa$a recolher a
importancia dos donativos feitosao imperial Insti-
tuto Pernambucano de Agricultura, a proporco
que forem en'regues nessa repartico pelo thesnu-
reiro do mesmo Instituto, segundo solicita a res-
pectiva directora.
Communicou se a esta.
Por essa tbesouraria mandn se pagar :
Ao bacharel Maximiano Lopes Machado os ven-
cimentos que ihe foram descontados, na qualidade
de professor da primeira cadeira do segundo anno
da escola normal, correspondentes aos cinco dias
em que por doente deixou de exercer o sen ma-
gisterio no mez de fevereiro nltimo.
A' professora de instruccao primara da Praia
dos Carneiro?, Josepha Perpedigna Rabello Padi-
Iba, os seas vencimentos pelas sobras da consig-
nado do 14 do art. 4 da lei do orcaraenio vi-
gente, visto nao haver quota para essa i-adeira no
aetual exercicio
Ao commandante superior da guarda nacio-
nal do municipio do Recife, approvando a transfe-
rencia qne fez da respectiva. secretaria para o so
brado n. 51 di ra do Imperador, pelo alaguel de
9001 annuaes.
Ao inspector do arsenal de marinha, dizendo
licar seient, pelo sen offl:io de bonten, sob n.
2136. de haver dado principio entrega nesse ar-
nal, por neio di inventario, por parle da casa
eomraereial de Augusto Frederico de Oliveira &
C., dos dous vapores rebocadores, chegados da
Europa para as obras do porto, e que approva a
providencia lembrada de fazer guarnecer ditos
vapores provisoriamente pela companhia le apren-
dizes marinheiros ; fijando os objectos do estad)
a cargo do respectivo offlciil de fazenda.
Ao director do arsenal de guerra declaran-
do que, em vista do seu offlcio de 6 do corrente,
sob d. 43, autorrsa o comelbo de compras desse
arsenal a obter directamente de quera os tiver,
independenlemente de annuncios, os cubos inodo-
ros necessarios para satisfazlo dos pedidos da en-
fermara militar e do segundo batalhao de ifan-
taria.
Communicou-se ao commandante das armas.
Ao julz ronnicipal da primeira vara de3ta cida-
de, recommendando que mande apresentar ao co-
roael commandante das armas, que assim o so-
citoo, dons calcetas dos que se eham recolhidos
casa dn datencJ, afim de serem empregados na
fachina do forte do Buraco, sendo nra para substi-
tuir o de nome Jos Luiz da Silva, aue acaba de
evadir-se, e obre cuja apprebenei) j se provi-
denciou, e o outro para satisfacer as exigencias do
W >a-e ao Br. cfcefe de poiicia no sentido de
ser capturado o calceta e o soldado que o acompa-
ahava, communicou-se ao commandante das
afosa.
Ao commissario vaccinador, para remetter
coa a pasaivel brevidade algnns tubos de puz
vaccinieo, alai de serem transmitUdos ao Exm
presidente das Aiagas. -
A C. Hurbam, aecusanao a recepcao do offl
co tm qoe, raanifetndo o detejo de dar no thea-
tro de Santo Antonio, onde funeeiooa a companhia
espectculo em favor de
J^W picas ou bene-
entes desu ci o sob a proteccio da
andoem reiposta que aeceita
BHbotoeiSP beneficio para a eocle-
^bjoi m, enjo di-

j. Mmialfi de pt-
guerra, ao 2 cadete Clementino Pereira da Costa.
Communicou-se ao commandante das armas.
Ao gerente da companhia Pernaebucana,
mandando dar orna pass^gem de estado a r at
a provincia do Cear, no vapor de 15 do corrale,
a Manoel Freir Baodeira
Despachos :
Antonio Barbosa Camello.A' vista da informa
cao, nao ba que deferir.
Arma Jeaqnna de OlrVefra e Hara haBel de
Oliveira.Informe o Sr. inspector do arsenal de
marinha.
Francisco Jos da Silva.' Deferido vista da
nformacao.
Guimaraes & Aicoforado, Luiz Jos da Costa
Araorim e outros. Concedo o prazo de trinta
dias.
Gedeao Farjaz de Laeerda. Concedo a proro-
gacao e o mais que requer.
Jos Augusto de Araujo. Informe o Sr. chefe
da rep.-ricao das obras publicas.
Jos Maria So Ir da Motta.Rejueira o snp-
plicante por intermedio da cmara municipal des-
la cidade, instrundo o sen requerimento nos ter-
mos do decreto n. 4,105 de 22 de fevereiro de
1868.
Jacintha Avelina da Cruz.Entregue-se median-
te recibo. ,,
Josepht Perpedigna Rebello Padilha.A tbesou-
raria provincial com offlcio desta data.
Bacharel Maximiano Lopes Machado.A'the-
souraria provincial com offlcio desta data.
Slvino Ricardo Amancio. A vista das infor-
macoes, nada ha que deferir.
EXPEDIENTE DO SECRETADIO.
Offlcios :
Ao commandante das armas, cemmunican-
do haver a presidencia deferido o requerimento.
sobre que informou, e no qual o alteres da com-
panhia fixa das Alag*', Francisco Jos da Silva,
pedio ser dispensado da seguir para aquella pro-
vincia ao vapor Tocantins, esperado do norte, e
snn no immediato.
Ao mesmo, declarando que a presidoncia,
por despacho de honlera, conceden ao recruta
Franklin Francisco Gomes, o prazo de quinze
dias para provar isencao.
Ao Dr. chefe de polica, dizendo que a pre-
sidencia flea inteirada de haver concedido a Jos
Elias de Oliveira a exoneracao que pedio do lugar
de ajudante do administrador da casa de deten-
cao, nomeando para o substituir ao tenente -oa-
quira Pereira dos Santos.
Communicou se a thesouraria provincial
Ao commandante do carpo de p liria, trans-
mit'.indo, de ordem da presidencia, o processo do
llmenlo dos soldados Feliciano Luiz Antonio
Apolinarlo e Joao Coelho de Mello, para que te-
nha a devida execugo a decisao da junta, que em
ultima instancia tomn delie conhecimento.
Ao Inspector da thesouraria provincial, ra-
teirando-o de haver a presidencia, de 'conformi-
dade com a sna informajao, concedido por des-
pacho desta data a Guimaraes de Aicoforado e ou-
tros, o prazo de trila dias para prestarem contas
nessa thesouraria. .
Ao i* secretarlo da assemMa Ifgiwtyva
provincial, transraitlindo, para serem presentes a
mesma assembla, as conta?, balancos e orcamen-
los das cmaras municipaes desta cidade, Olrada,
Vi-toria, Cabo, Goyanna Iguarass, Naisreth e
Caruar.
Igual mutatts mutandis, remeltendo os balan-
cos e orcamentos de receita e despeza das cama-
ras municipaes de Tacaral, Floresta, Bom Con-
selho, Barreiros, Cabrob, Brejo, Buique, Villa
Bella, Cimbres, Ourieury, Petrolina, S. Bento,
Granito, Limoeiro, Ipijuca, lumb e Agua Preta.
Ao ie3mo, transmittndo, para igual nm, co-
pia do offlcio, em que o vigario da reguezia do
Granite pede a consignacao de crdito para auxi
lio da igreja all em construeco, e destinada a
matriz. .
Ao mesmo, enviando, para fim identi:o, co-
pia do offlcio em que a directora do Imperial Ins-
tituto Pernambucano de Agricultura, pede para
a assembla antorisar a thesouraria provincial a
pagar um juro rasoavel pelos dinheiros do mesmo
Instituto, emquaqto alii estiverem depositados.
DIARIO DE PERNAMBUC
RECIFE 13 DE MARCO DE 1871.
Noticias do sul do Imperio.
Chegou hontem pela manbaa o vapor francez
Si*dh, trazendo datas: de Buenos-Ayres al 28 do
passado, de Montevideo at o Io, do Rio de Janeiro
at 7 e da Babia at 10 do corrente.
REPBLICA DO PACIFICO.
Noticias da Bolivia, lvalas corte pelos
vapores inglez Arancania e frauc?z Sindh dizem
ler trumphado a revolugo capitaneada por Mo-
rales.
O general Melgarejo liona seguido de Oruro a 8
do passado com 1,700 homens das tres armas, com
direccao cidade da Paz. Era Sicasica destro-
cou a vanguarda do coronel Morales, chefe da re-
volucao, que se retirou sobre Viacha e foi oceu-
par depois a capital. Melgarejo atlacou-a por tres
pontos differentes no dia 14: e depois de um sn-
grenle combate, foi obrigado a ceder e retirar-se;
assegura-se que bavia a'.ravessado a fronteira do
Per, com o general Muoz.
Taes sao as noticias dadas pelos jornaes, vista
de cartas de Tacna. Accrescentam ellas que a ci
dade da Paz soffrera grandes perdas cora a batalha,
que durou 11 horas. Morales proclamou aos po-
vos no da 15, dando conta do resultado do com-
bate, e promettendo convocar brevemente 03
eleitores.
Do Chile e do Per nada ha importante.
RIO DA PRATA.
As noticias de Entre-fti03 do como termi-
nada a guerra civil all, sendo para Lpez Jordn
agora a questao nicamente de escapar para fora
da provincia, ou deixar-se agarrar pelas torcas
que o perseguiam de perto. O caudilho havia
perdido ltimamente as ultimas seis pecas de cao-
panha que Ibe restavam, e acompanhado de 100
ou 200 homens proeurava ganhar a Paz. lam-lbe
no encalco o coronel Gonzlez e o genersJ Arre-
donde.
Por toda a parte, referem anda as noticias, gru-
pos de rebeldes se apreseotavam as tropas do go-
verno, e entre outros velo entregar-se ao coronel
Campos o commandante em chefe da infamara
jordanisla, Palavicino, trazendo comsigo asbaodei-
ras e muitos offlciaes. Luengo com alguos offl-
ciaes conseguio passar-se para a Banda-Orienta I,
onde sem duvida irla incorporar-se aos bla-
il Em Buenos-Ayres reerndesoja a febre ama-
relia.
Em 28 do passado escrevem ao Jornal do
Comnurcio:
O flagello da febre parece ter escolhido os
dias de testa do carnaval para recrudescer, por
mais que digara os jornaes, no intuito de tranquil-
lar a popalaco. '
c Os bitos, que a principio nao passavam de
quatro ou cinco diarios, chegavam pouco a pouco
a 24 confmodos.
c Alera disto a epidemia cirenmicripta n'um
bairro ao sul da cidade, se manifestou repentina-
mente no extremo do norte, e com mais furor,
b nao com proporedes que juitiBcassem o
o se revela, e que j levou muitas fami-
lias para ra da capital,
A expanslo do mal deve attribur-se s pro
prias medidas da municipalidade. que instingam
as familias a sahir do bairro infeatado, e muitas
destas levaram comsigo o germen da doenca.
t Tudo desordem e contradiccao no proced-
ment da autoridade local; aopasso qne espalhava
as familias amea^adas por toda a cidade, declara-
va que aquellos doentes, que proviessem do bairro
infestado, seriara levados sera diatinceao de aexoa.
de idades, de posicao, ao lazareto.
Assim as familias, que de ceno nao tenam
vontade de mandar suas fllhas, suas mnlheres as
salas horriveis de ura lazareto, occnllaram os casos
de doenca, e so chamaram medico, quando a mor-
te j mostrava sua medonha caveira.
a De modo que pode aflancar-se que ja temos o
flagello em todos os pontos da cidade, o que alias
nao poda deixar de acontecer, vista do estado
hvgienico em que a capital se acbava.
" t A cloaca-monstro, era que as charqueadas
oonverteram o Riachuelo; a falta de boa agua; o
pessimo systema de limpeza domestica; a venda
de gneros alimenticios pervertidos; o amontoado
de inquilinos que u'uma nica casa desalojada an
te-hontem suba a 350 pessoas, todos mais sujos
uns que os outros ; tudo isto junto fcil im-
pressionabilidade dos prtennos, forma elementos
mais que propcipio3 para desenvolver a febre
amarella.
Alguma cousa se fez para arredar as cau-
sas.
< O governo suspenden oa trabalhes das xar-
Jueadas desde o 1 de marco, e encommendon oa
uropa as raacninas necessanas para limpar o
Riachuelo, cojo leilo se ompde de urna carnada
de mais de duas varas ae materias apodreci-
das. .
t Nos conductos das aguas correntes se intro-
duziram algumas melhoras, e chuvas abundantes
encheram as cisternas da cidade.
c Falla-se, pela centesima vez, n'um systema de
cloacas; mas tudo isto, alm de que nao d reme-
dio immediatato, nao passar de projectos, urna
vez que o perigo baja passado.
i Calculando como meio-termo 15 bitos por
dii, oreara at hoje es fallecimentos de febre ama-
relia em 450 a 500 casos, o que, attendendo a po-
pulacao de Buenos-Ayres e suas pessimas condi-
Qoe-, anda nao um resultado aterrador.
c Com tudo tem entorpecido completamente a
navegacao pelas quarentenas de 15 dias, impostas
no Rosario e em Montevideo ; pa?sam-se diaa que.
nao podemos contar com vapor nenbum, de ma-
neira que all Seamos privados de utilisar a linha
de paqnetes do Pacifico, e receio muito que algu-
mas das minhas correspondencias se tenham ex-
traviado ou chegade tao Urde que j nao as julgue
de interesse para a publicidade.
a A quareotena no Rosario obrigou o governo
para adiar indefinidamente a abertura da exposi-
cio de Gordo va.
Os jornaes d'aqui atacaram muito o governo
de Santa-F pela imposicJo da quarentena. Sao
mais que ridiculas estas aeeusacSes, porque sendo
evidente a presenca entre n3 da epidemia, nao ba
que acensar aquella governo per ter tomado suas
precancfies, aim dajreservar-ee do mal.
c A estar pelalbrmacSe offlciaes, a
de Entre-Ros toca o seu fim.
t O Sr. general Arredondo a deve considerar ja
como concluida, porque communicou ao governo
do Sr. Sarmiento que podia mandar retirar a tro-
pa de linha.
t O governo, entretanto, nao se deuainda pressa
em effectuar esta medida, e s se limitou a entre-
gar aos seus donos os vapores que tinha fretado
para as necessidades da gnerra.
Ainda que esta medida podesse ser aconse-
jada pelo espirito de economa, parece menos
adequada ao momento, em que se deveria multi-
plicar a polica dos ros, para evitar que os rebel-
des era debandada passem ao E3tado-Oriental.
a Vejamos, entretanto, o que houve em Entre-
Ros depe3 da batalha de Naenb, em que o joven
governador Bribien ganhou tambem seus galoes
de coronel.
a A vanguarda de Arredondo, persegnindo os
inimigos de Lpez Jordn, impedio em primeiro lu-
gar, que o resto da gente deste que ia desmora-
lisada e quasi desarmada, se juntasse com a co-
lumna de Camllo Ocamprs, nico corpo dos rebel-
des, que ainda se acbava organisado.
Depois bouve encontros parciacs em que tan-
to 03 soldados ao comraando immediato de Lpez
Jordn, como os de Oeampos soffreram derrotas
suecessiva*, perdendo o chefe o resto de sua arti-
I ha ra, que consista era quatro pecas.
c Apezar dos roeios violentos que Lpez Jcrdan
empregou, na versao da gente do governo, para
impedir a desercao nos destrocos do seu exercito,
diariamente grupos numerosos se esespavam com
seus offlciaes e commandantes, e se apresentavam
ao poder legal, representado por Arredondo, pelo
Sr. ministro da guerra em campanha, e os com-
mandantes das pracas.
c No dia 24 o Sr. ministro da guerra em cam-
panha, escreveu ao Sr. presidente Sarmiento ."
i Hontem recib comrsumeac.d'es de Arredondo do
dia 19, em que me diz : A persecucao que fiz
Lpez foi tao tenaz que elle nao teve tempo do
respirar.
c Deixou all os seis canhoes, que levava, teve
que presenciar a debandada da suas torcas a tal
ponto, que lodos os seus exercitos fleara reduzdos
a 500 homens.
NeMa altura do Yereca, a pequea forca que
lhe icou, se dispersan era differentes grupo:-, pas-
sando algnns ao Estado-Oriental. Elle cora seus
500 homens na maior parte desarmados e p, se
dirige ao Federal.
a Tenbo j adiantado ama divisao ligeira que o
segu de perto. V. Exc. sabe que j traba ootra
preparada na Paz, que j marchou sobre elle, e o
farei perseguir sem descanso, at obriga-lo a sabir
do territorio on a aceitar o glaud. Pode esperar
esta nolieia de um momento para outro.
Outra participadlo de 22, da Concepcin, acora-
panba a bandeira que entregou o commandante
Palavicino ao constituir-se preso, e notifica, que
Luengo com seis offlciaes logrou passar a Banda
Oriental.
Junto com o chefe Palavicino, e em eonse-
quencia de nm indulto offerecido no dia 18 pelo
general Arredondo, se apresentaram um tenente-
coronel, tres capltes, um primeiro-tenente, tres
segundos tenentes, um alteres e am soldado.
c Ainda estamos esperando a noticia definitiva
da terminseao de ama guerra que durou dema-
siadamente, mas cojo resultado final pora prova-
velmente fim s ambicSes bastardas que induziam
os caudilhos a levantar o pendo da revolta.
Na repblica do Uruguay continuava a
uerra civil sem perspectiva de prximo desen-
ace. Goyo Suarez, deixaado o commando do
exercito, recolhia-se Montevideo, declarando que
considerava Anda a guerra, o que era claramente
desmentido pelos aetos, pols que os blanco, um
pouco refeitos da ultima refrega, j retomavam a
offensiva, cercando e atacando Paysand, qoe
verno, que Iba prometteu todo o apoio para as
operacSes militares.
Em tf do patsado escrevem de Montevideo :
c Didi-se aqu no sabbado do carnaval que o
general D. Goys Suarer, o vencedor del Sauce, dei-
xando o commando do exercito entregue a Nleacio
Borge, as bavia approximado da capital, cora
urna escolia soraent?, disposto a metter-se ora ca-
sa. Hoove at iiaem aonhas&e eom ama eonspi-
racio, da q-ial le serla o principal personagem,
sendo assassinado nos dias de masearado o. pobre
dJ D. Lourenco, que nao deve ter passado estes
dias mui tranqoillaraenie.
t Com a infliencia do entrudo, que esteve mag-
nfico, parecendo me ter voltado 20 annos atraz,
lodo o mundo ae esqueceu de D. Gregorio. Na
quarta feira de cinza. porm, afirmou-se qne elle
linha apresentado ana renuncia, e a propria Tri-
buna nao deixau a este respeito a menor duvida
no da segrate.
c O motivo que o valente general apresentava
era qae considerava a reTolucao vencida, o que
nao poda ser mu acreditado por um povo que
sabe, haverem os blancos recoraposto suas torgas,
e qae os ditos apresentaram-se novamente em
frente do Salto e de Paysand, dando que fazer
aos defensores do governo. Cada um, pois, azia
seu comroentario a tal respeito como he aprazia ;
e se en tora rapeli-los nao acabaa de escrever
futilidades.
t Desde qne foi conheci Ja aquella resolucao do
general, seus amigos e os colorados mais influen-
tes irataram de modifica-la. O proprio presidente
cbamou-o a urna conferencia na presenca dos mi-
nistros, e taes coneessSes fez que o homem pegou
na tanca outra vez e l se foi collocar frente dos
seus bravos, prometiendo exterminar os blancos.
O governo pea sua parte promette-lhe todo o
apoio ; o, para rjostrar a aineeridade de suas in-
lengdes, determiaou que marchassem inmediata-
mente para a etipanba varios offlciaes que aqu
estavam divertno se, era rjuanto os corapanhei-
ros estao soffredo priva edes.
c Segundo eflfre, vio abrir-se novas operacoes,
porque os blanm ousam tomar a offensiva. ^^
Em Paysand apresentaram-se repeutinanUl-
te em numero aportante, e tentaram tomar a pra-
ca, que sustenten-se at que chegou um batalhao
que daqni foi eaibarcado para soccorre-la.
t A nio havaf ama derrota inesperada como a
de Lpez Jordn, nao vejo soluco para este con-
flicto por meiodM armas. Entretanto o estado do
paiz nao pode ser mais desgracado, nem peior a
situacao dos csliangeiros qne habitara campa-
nha. princpalmante Brasileiros, contra os quaes
se estao praticaIo impunemente as maiores vio-
lencias, a que o governo oriental nao p3e nenhum
cobro. ,
c Em Frav Bentos um majar Arenas entendeu
que devi persegnir algnns Argentinos que all
viviam. O governo da confederacao, informado do
tacto, reclamou com energ8, e o resultado foi que
o governo oriental deslituio aquelle offlcial, e o
cnamou capital para ser julgado. Cnmpre-nos
baer o mesmo para aermos rcspiitados.
Carrea hallas aa tlela de proclamacao de
repobHca qo j^G :l^Sl^XttiEL
gnerra vi ment o gaH*HKHPa*M. tapatiram
esto boato, e aslm tornta elle certa consistencia.
Bem pouco conheoera o carcter do bravo gene-
ral Osorio os que se persuadem que elle possa
desembainhar a espada algum dia contra a inte-
gridade do impsrio, e contra a monarcha I E urna
injuria que azem so militar distfneto que derra
mr,a 9eu sangue em mais de ama batalha pea
defesa destas duas causas.
Querera ler corapanheiros de desgracas, e nao
seria mo para elles aqni, que o Brasil raterrom-
pesse o corso da sua prosperidadecom urna loucu-
ra desta ordem! Espero em Dos que verao sem-
pre burlados estes calculo?, porque confio muito
no bom sen30 dos meu3 compatriotas.
Acaba de chegar o Arauvania, e deve hoje
tachar a mala. Por isso laco ponto final, resei-
vando algum additamento, 98 houver noticia que
valha a jena. .
Continuamos a manter urna quarentena rigo
rosa de 12 dias para todas as procedencias dos
rios Paran e Paraguay. Isto deve provavelmente
embaracar o servico de nossa linha de navegagao
para Mallo Grosso, que tao regular eslava s ndo.
t Esl no porlo o transporte Jjaot que regres-
sa para ahi. Veio da Assumpcao e nao pode cora-
municar cora a trra.
MISAS-GERAES.
Chegam a 28 de fevereiro os jornaes que re-
cebemos. .
No dia 26 eorr.ecarara as se3s5es preparato-
rias da assembla provincial, convocada exiraordi
nariamente para o i." de marco corrente.
Em Biependy Qstallou-3e urna soeiedade
emanc'padora sob a denorainaclo de Culto lt-
berdade. .' .
Lemos no Nottctador de Minas .
t No dia 18 do passado, na fazenda do Sr. Ve-
nancio Alves Adorno, districto de Mogyminm, em
S Paulo, teado comecado a chover fortemente, seto
nretos aue se haviam refugiado era volta de urna
oeroba, para depois tornarera ao aervica de roca
foram fulminados por um raio que a cinco matou
instantneamente, e a dous deixou moribunda.
f A 28 de Janeiro prximo passado, era ura lu-
gar prximo freguezia de Santa Rita de Cassia
termo de Passos, foi mortalraente fendo o cidadao
Jo Joaquim de Carvalho Cruz Os assass.nos,
ulgando-6 morto, roubaram lhe 450*000 que trazia
comsigo. Mais tarde, sendo a vctima encontrada
ainda com vida, foi conduzd aquella freguez.a
onde declarou que um dos seus assassinos era Jos
Annanias, sendo-lhe o outro desconhecido.
V Foi preso no districto do Pompeo, e recolhido
cadeia de Ptangui, no dia 2 do corrente mez, o
reo Antonio Aleixo dos Santos, que ha pouco lem-
po assassinra naquelle mesmo distr.clo o infeliz
Jos Francisco Luiz. _mn.
, Foi igualmente preso no districto do Pompeo,
e reco'bido cadeia da dita cidade de Ptangui, o
reo Gomide Honorato Braga, all processado por
crime de tentativa de hemicidio.
S. PAULO.
pecn'vos decretos, por estar S. M. o Imperador en-
cerrado pelo prematuro passamento da Sra. duque-
za de Saxe:
Presi lente do conselho, ministro da guerra e in-
terino da fazenda, o eonselheiro de estado visconde
do Ro-Branco, senador.
Ministro da justica, o eonselheiro d'estado Fran-
cisco de Panla de Negreiros Sayo Lobato, senador
Ministro de. estranR3iro?, o Dr. Manoel Francisco
Correa, depotado.
Ministro da marinha, o Dr. Manoel Antonio
Duarte de Azevedo, deputado.
Ministro da agricultura, o Dr. Tneodoro Machado
Freir Pereira da Silva, deputado.
tempera, quando manejadas pela illustraeo re-
unida ao bom senso e i prudencia.
< Dotado dessas eminentes qualidades do es-
tadista, V. Exc. prestando relevantissmos servieos
ao paiz, que altamente o considera, vai da dia em
dia conquistando o respeito de sena concidadao?,
e cada vec justificando mais a elevada estima de
seas dedicadas araigis,
t Apreciando devidarrrente os actos qaaTacom-
mendam V. Exc, gratido da patria applaudia
do intimamente a magnitude de vistas conciliado-
ras com qua V. Exc. tantas vetes lem procurado
cimentar a paz e a reciproca amisade eatre o im-
perio e os estados americanos, qoer na gestao des
---- w Ja. v IIU|niau^[ IWl'CU r'iuai IUIU |#vi
seis mezes, sendo tres pesado e tres alliviado, pelo
passamento de sua filha a Sra. princeza Leopoldina.
Por decreto n. 4,692 de 14 do passado foi
concedida autorisacao a Manoel Antonio de Arau-
jo Guimaraes para lavrar car vio de pedra na fre-
guezia de Ararangu, na provincia de Santa Caiha-
rina.
Por cartas imperiaes de 25 :
Foram nomeados cavalleros da ordem da Rosa
os subJitos porluguezes Francisco Jos Baptista de
Azevedo eRaphael Jos de Mattos, e o subdito prns-
siano Cbrisiiauo Thomsen, em alinelo aos servieos
prestados ao imperio.
Por decretos da mesma data:
Foram promovidos offlciaes da ordem da Rosa
o capito Jos Antonio Lopes da Silva, agraciado
com o grao de cavalleiro da ordem de Chriato por
decreto de 6 de setembro do aono fiodo, visto j
ler elle esta condecoracio, e Daniel Gomes de Cas-
tro ; de conformidade com o f 3." do art. 9." do de-
creto n. 2,853 de 7 de dezembro de 1861.
Foram nomeados:
Cavalleiro da ordem de Cbristo Antonio Joaquim
de Lima, tenente c Tonel da guarda nacional da
provincia da Bahia, e Joo dos Santos de Araujo
Lima, major reformado da guarda nacional do mu-
aMpio da Parahyba do Sul, provincia do Rio de
Janeiro, de conformidade com o 1. do art. 3. lo
citado decreto.
Foram concedidas as seguintas pens5es, que fl-
cam pendentes de approvacao da assembla geral.
De 600* annuaes a D. Miria Tlioreza dos Reis,
filha do finado Francisco Solero dos Res, professor
aposentado da lingua launa do lyco da provincia
do Maranho; e de 400 reis diarios ao soldado re-
formado do 2. corpo de voluntarios da patria Fran-
cisco de Paula do Sacramento, invalidado em con-
secuencia de fenmenlos receidos em combate.
Por decretos' de 25 foram nomeados -
O i.* escripturariJ da lhe30uraria de fazenda de
Pernambuco Frederico Augusto de L9mo3 para o
lugar de chefe de seceo da mesan thesouraria.
O Io dito Janaario Constancio Monteiro de An-
drade para o de 1." escripturario da mesma.
O 3. dito Manoel daFonsoca Medeiros para o de
2* escripturario da mesma. .
O i. escripturario da do Cear Simpbronio Jos
da Silva para o de chefe de seceo da mesma the-
souraria.
O amanuense da secretaria Antonio Lustosa de
Laeerda Macuba T'j^t ** j" escripturario da
raesma thesouraria.
O i. escripturario da thesouraria de S. Pedro
Josa de Figueirdo Pinto Vegas para o de chefe
de seceo da mesma.
O chefe de seceo da thesouraria de Minas Ben-
to Jos Martins de Menezes para o de Io escriptu-
rario da de S. Pedro. t
O i." escrituraria da thesouraria do Rio-Gran-
de do Norte Joaquim Alonso Moreira de Almeida
para o de chefe de seceo da raesma. "
O 2. dito Jos Gomes da Silva para o de da
mesma. ,. .
O amanuense de secretaria Luiz Emygdio Pinhei-
ro da Cmara para o de offlcial da secretaria da
mesma. .
O chefe de seceo da thesouraria do Espinto-
Saoto Torquato Caetaoo SimSes para o de inspec-
tor em commsso da do Paran.
O 1* escripturario da de Sergipe Manoel fran-
cisco de Argollo para o de chefe de seceo da
O 2 escripturario Manoel Antonio de Carvalho
Aranha para o de Io da me3ma. .
O offlcial-maior da secretaria da thesouraria ae
S Paulo, Joaquim Candido de Azevedo Marques
para o de chefe de seccJ da mesma tnesourana.
O chefe de seceo da thesouraria do Paran Por-
firio Aurelio de Mariz Nogueira para o de offlcial-
maior da secretaria da thesouraria de S. Paulo.
O offlcial da secretaria da thesouraria de Santa
Catharina Julio Ceser da Silveira para o de chele
de seceo da do Paran. .
O 2 escripturario da thesouraria de banla ca-
Iharia Luiz Carlos de Saldanba e Souza, para o de
offlcial da secretaria da mesma thesouraria.
Por titulo da mesma data foi nomeado o 2o es-
cripturario da thesouraria da Parahyba Antonio
Bezerra de Menezes para o de amanuense da se-
cretara da do Ciar.
A' 5 do corrente chegam as datas desta pre-
' a sessio da assembla provioiial do da 2
fra apresentada ama indicacao para que a mesma
assembla solicit dos poderes conpetentes a creacao
de um banco agrcola e bypotnecario, para auxiliar
exclusivamente a lavoura da provincia, e bem as-
sim a eonfeeco de urna lei que regule a locacao
de servieos sobre a agricultura -.-,
Na villa de Parnahyba, em S. Jos do Parahy-
ba e na capella do Guarehy, municipio de Rapen-
inga, linbam sido abenas aulas nocturnas de en-
ino dimano.
Fra elevada a villa de S. Simio a eathegona
_ No'dia 25 tomara posse do logar de contador
da thesouraria de fazenda o Sr. Lucas Antonio Ri-
beiro Bheriog.
L se no Corruio Paulislano de 25 :
O Sr. Bernardo Mera, cidadao hespaohol aqni
s ffs-ura JKK ssw Tsssarssasi
Ihao que a*toda a pressa da capital Ibe mandaran)
em reforco. Conseguio, porm, o presidente
Battle acalmar as iras do general satisfazendo-lhe
as exigencias, e atiendes*) lhe s qaeixaa,ttma das
quaes era que o governo lieenciava officties aero
audiencia a'elle commandante em chefe, da modo
que rn ai de 200 a o da va m passeiando em Monte-
video, fazendo granle falta no exercito. Sati
volton o general Soarez tornar a pdr-ae a freate
rer ha das no commercio urna subscripcao para
libertas urna criaoca escrava, de nome Cherubina,
proprledade do capitio Joaquim Alves da Silva
,LTrmibi*m a altorrla por 1001000.
( E' um acto que honra todos os aenhores que
para elle eoneorreraa.
uto M IAB*U< k _
m- O novo gabinete nm,or|ajisad4 a 5
do passafo, fUfindo aasigaaima imperial dea ws-
Por decreto de 23 foi promovido o guarda-ma
rinha Bento Januario Sayo da Silva ao posto de
2o tenente, de conformidade com o art. 52 do de-
creto n 2,163, de 1 de maio de 1838.
Por outro de Igual data foi nomeado Fran-
cisca Qairino Bastos Filbo, 2 pharmaceutico do
corpo de saude da armada, na conformidade do
decreto n. 1,981 de 30 de setembro de 1857.
Pelo ministerio da justica foi expedido o
seguinte avise presidencia de Pernambuco :
c Ro de Janeiro, 2 de marco de 1871.Illm. e
Exm. Sr.Com offlcio n. 325 de 27 de dezerabro
do anno passado, V. Exc. remetteu urna copia da
deciso proferida sobre eonsulta do suppleote do
juiz municipal de Cabrob, declarando que nos
termos reunidos quando, por falta, ausencia ou
impedimento do juiz effectivo, os supplenles rw-
pectivos assumem a jurisdiccao plena, na contor
raidade do decreto n. 276 de 24 de marco de ibi-i,
tem direito cada nm delles, segundo a douinna
do aviso a. 384 de 15 de setembro de 1868 a par-
te correspondente dos vencimentos flxos do juiz
substituto, se este nao os oereebe.
i Sua Magestade o Imperador, tendo ouvido a
seceo de justica do eonselbe d* estado, com cojo
parecer se conformou por sua inmediata e impe-
rial resolaco de 25 do mez Ando, manda appro-
var a solacio dada por V. 8xc. por isso qae,, em-
quanto vigorar a disposicao do decreto n. 2531 de
118 de fevereiro de 1860, cabendo aos supplenles
dos jaizes municipaes, quando era effectivo exerci-
cio, veocmento de ordenado, deve-lhes ser abonado
em toda ou em parte, conforme se der a subsli-
luicao em um s on em termos reunidos.
t Daus guarde a 7. Exc.-Bardo das Tres
Barra*
Lemos no Jornal do Commercio :
< Urna coraraissio composta doa :Srs. contorno
de estado Sayio Lobato, conselhe.ro> entino
veador Lima e Silva, e commendadores J- wrneiro
dlmaraTe a Pint de ^t^JnWo Rlo-
dia 22 do passado a casa do Sr. T19CBdenla f'0,
Branco para offerecer lhe emnome de ramios ci-
dadiMe amigos, aa insigoias de dign.tario da ira-
SKdera do Cruzeiro, ricamente cravejadas. de
0Sr!' eonselheiro Tolentlno, como orador da
referida commsso, reciten -
Sr. ^seondc-As victorias da iotelllWBC.a
obtidas por V. Exc. as mais diffleaia comaSasaeS
do srvic pnblico, em qoe tanto se ha empenhadn
do, sobejament ir-
dade de q nhou no Paraguay, alguns dentro esses amigos, a
quem neste momento temos a honra de represen-
tar, possuidos do maior apreco pela pessoa de V.
Exc, deliberaran), por oceasiao de recolber-se V.
Exc. da referida ultima misso, era flns do anno
passado, manifestar a V. Exc. seu reconhecimento
por tantos e to assignalados servieos, e exprimir
o profundo acatamento que Ihes inspira o des*
apego de paixSjs partidarias, e a nobreza de ca-
rcter com que V. Exc. preenche seus melindro-
sos deveres.
t Nao pdenlo eotao levar effeito essa patri-
tica resolucao pela volta de V. Etc. ao theatro da
seus incruentos triumphos, agora que dabi regreasa
V. Exc, trazendo nos as mais firmes esperancas
de que em breve estar consolidada a paz de qua-
tro naedes, que todos os interesses aconselham
mais estrella unio, apressamo-nos a vir depositar
as mios de V. Exc, como um signa! representa-
tivo da manifestaco i que temos alludido, as in-
signias da imperial ordem do Cruzeiro, da qual
V. Exc. benemrito dignitario.
Rogaodo a V. Exc de aceitar benvolo este
testemunho da dedxaco de seas numerosos ami-
gos, desojramos que se nao raedisse pela offeru
a grandeza e a eiTusao das impresses qne a de-
terminaran) : tome-a apenas V. Exc. como um
symboio, qae era tenue forma concentra a co-
piosa e vivida expressio de nossos sentimentos.
t Rio de Janeiro, 22 de fevereiro de 1871
Antonio Nicolao Tolenlino.Francisco de Paula
Negreiros Sayo Lobato.Jos Joaquim di Lima e
Silva Sobrinko.Carlos Pinto de Figueirdo.
Joo Carneiro do Amoral.
O Sr. visconde do Rio-Branco, agradecendo tao
honrosa isiinecio, disse :
< Meas senbores e amigos.Eu comprehendo o
pensament generoso e patritico desta manifesta-
Cao feita era honra do3 estreos com que tenho
sempre procurado curaprir meus deveres de cida-
dao brasiieiro.
t A vida do homem poltico e do funccionario
publico entre nos, como em outros pazes,
cercada de tantas e to numerosas difflculdades,
e sujeita tantos dissaaores, que desanimara
aos mais intrpidos, se nao contassem todos com
este alent moral, que a justica dos homens des-
apaixonados e o cavalheirismo dos amigos costu-
mam dispensar aos que se afanam por bem sorwr
sua patria. .
< A 1nttarfin qne roa ofleraeeJs eu a recebo
coma "nma honra popular que atiesta os nobres
estmulos que servem de guia e de movel ao raeu
procedimento, ao mesmo tempo que me anima
com a consoladora persuaso de que meus serv-
Cos nao lera sido de todo esteris. Eile anda
para mim nm motivo de intima e grande sa-
Usaco, porque mostra ante nacotaes e es-
trangeros a pureza e zelo de vosso patriotismo.
Peco-vos, senbores, e ledos os outros cava-
iheiros que se dgnaram acompanhar-vos neste
acto de to generoso civismo, que aceitera os
meus protestos da mais profunda giatida.
Foram eleitos, para o conselho da soeiedade
Ro Granden3e Beneficente Humanitaria, no cor-
rente anno, os Srs: conego Jos GonQilves Fer-
reira commendador Domingos Jo3 de Campos
Porlo, Antonio Castilho Maia, Manoel Vicente Lis-
boa, Candido Goffre, Amonio Alves Pereira Co-
ruja, Francisco de Souza Machado, Frociaoso Ma-
chado da Cunha, Ignacio Miranda de Frailas, Dr.
Jos Maria de Mallos Guabyba, Felisberio Jos
Garca, Eduardo Pallassin. Dr. Malheus da Cunha,
Pedro de Azevedo Souza Filbo e Antonio dos san-
tos Franca. .
t Ante-hontera (3) o caiiero da taverna da ra
de S. Leopoldo n. 20 mandou comprar pelo me-
nor Eduardo Joaquim de Castro urna dse de sai
amargo. Teado lomado a substancia que o menor
lhe trouxera, o infeliz falleceu pouco3 mmenlos
t cha-se preso Luiz Jos Mendes da Silva, cal-
xero da pharmacia da ra de S. Pedro da Cida-
de Nova n. 125, qne venden aquella 'substancia, e
o Sr. Dr. delegado de polica prosegue as nece-
sarias diligencias. .
A infausta noticia do f,illecimento de & a. a
Princeza I). Leopoldina, produzio na populacao
desta corle a mais dolorosa sensafao Era ence-
ra a magos cem que geralraente se recordavam os
dotes da desditosa princeza, to cedo roubada as
alegras da familia e a aReigao do paiz.
Posto que a noticia aiuda nao tenha carcter
offlcial, algumas legacoes, consulados, editicio3
pblicos e casas de associaces pirticulares con-
servaran! durante todo o dia suas bandeiras e es-
tandartes a meio pao Algumas secretarias de es-
tado e outras reparticGes .publicas esliveram le -
chados, e as tropas fizeram a guarnicao com as
armas em funeral. uia
c Muitas lojas e armazens das rnas do Uuviaor,
da Qaitanda e outras conservaran! feeaaos es
seus mostradores e meio cerradas as portas.
Alera desta,s outras deinouslracSes attestaram
hontem a cinceridade com que a populacao da
corte acompauha a dor da familia impenal.
O Dr. Francisco Antonio Marques, para cora-
memorar o annlversario natalicio de sua filha, re-
metteu du Londres, ende reside, a carta de liber-
dade de seu escravo Damio, de idade ae si an-
uos. Registramos sempre com prazer estes actos
de philantrophia. .
a O Sr. visconde de Guaratingueta remellen a
28 do prximo passado ao Sr. conde de BomHm
qunnta de 1:6001000, producto da orna subscrip-
L que promoveu em u.r.t.ngne era f, r do
consta-nos
novos do-
rancezes victima da guerra actual,
que contina t empenho de anganar
nativos para o mesmo fim. j..... tk ,m-
i O Sr Christiad Thomsen, chefe da casa fi
ii .ir i m dn Rio Grande, aetnahnaBt
Sul mauou entregar ao Ibesouro naoional a
auantia de 2:0001000 como auxilio ao desenvol-
vmento da instruccao publica entre nos.
E- e-ta nina accio nobre qne eom praier re-
glSt Concioiram o curso de engenheiro geographo
os alumnos: A -. y___
Laopoldo Jos da Silva, natural deParnambu-
co; Hennques Willls da Silva, natural do R de
Janeiro, e Camillo de Lelis e Silva Jnior, natural
t Sr. tenente Francisco Manoel Alves de Arau-
io esereve-nos da villa do Ganicnuy em da oe
3 do passado : ., ...
< Participo lhe que hoje, as li lo
aba, tendo vencido, com feliek
lar---------------
gul entrar com o,
bV




Ti.
10
de Vi
ibtct
a f< vluroo de 1871

i
Quinao se orfns par pro nove r s ,c sor ros s P<,Pa*SB8^^|
da Frar, nisetia. lo, -*
amiai*,ia floi nutra e s
Marta Aalsale 4 Venia Magalhaes da. Foneeea.
^TaTanla PranlaDoria D Mar En-
fraz* Marques f.ibaa, D. Alfaida Escragnol D>
riaChana;. Maria Lalia Altares deAzorado,
*jeade W.. Francisca Teixeira Lefte Soarea Souza,
D Francisca Avroa Gal vio le Andrade,. Ade-
lajde F.mtes P,'nhelro Gomaraes, D. Emttla Por-
ranta 4c Drilo Bwbonk, O. Luiza i'arrosdei Lima
eS*a,D. Iuh3\ Botone* do Azimbuja, O. F.u'ra-
a fchteira Lelte. D. Mafia R sa Pinhejre Ferre
raflaco D Mari Luka Machado CxsliqiD. Ma-
Tiara aVivair* Leiwda Silva, D. M*rta Candida
Tarros Caftwtw L-o, *> Carlota tlu,r de ou-
trm D Emilia Nevo Malveiro, B. G-uilhermn*
Seaiw llioeiro Taques e D. alaria 4e Moraes dj
Souza llree*. .
< O Sr. Dr Bernardo Cemento Pinto Sobnnho,
asauimo o Sr. bario de S. demente, offerece-
rain presidencia >la provincia do Rio de Janeiro
g quantia de 6:000* para condcelo de escola-
publicis as freguetU* de S 4oao Bapii-ia de Ni
va F.itourgo e SanU Hita da io-Negro, no muni-
cipio de Caolagallo. >
Noticia o Independen!* &e Cimpas, que a lo|
raacouiea P *gresso. por occasiao la ua reguli-
risaci>, embira liberJade a urna crioulinha d
tm anooi Jf Jade. ...
fallecer o amigo proprietano do Monitor
Campista, Kugenio Brioeleu*.
t por occa-b oe urna gran Je trovoala no da
17 de passado chio um raio na chcara em que
morar Francisca Jacb Vangargc ; a fasoa ele-
triea feo leu utni pareda d casa e deixou sem
sentidos por algura tempj o respectivo morad ir
que, a ultima dat i, oo*ervava-se anda eui eu-
00 de surdez.
L-ae no Ttlrgrr.pho :
O k bar> ue V lia-Flor, JjIo Mimei de
Saa, imp.iUnti fazendeiro do municipio de S.
Fiieii-, offareceu ao guverno a quanlia de dez
coalas de reis para coadjivar a edifleacao de
predios proprios pira as escolas publica i
F F.is as noticias commerciaes da ultima dala :
Eieelarau>e a< operacoei om cambio de-i
qonuxtu ilo du 2i do pastado com transae;5es
regulares a ti d, papel baocario, e 2V 1/2 e i'i
4./1 d, papel particular.
t B-tas colices raantiveram-se sera alteraca^
dorante tola a quinten*, apenas com urna eicep
ci bo di 1* do correle em que passou-se al-
gom eapal particular a 2t 3/8 d.
. n ije Uzeram se tambera alguraas trsnsaccdes
a ^3 d. n 2i 1/2 i., papel particular, para o
PHotue de 17 do correnu.
A' e tas cot^oei e na paridade dillas faca
raa-^e oiO.OOU e ira. 322,300.
Oj aoberaios abriram no dia 25 do passaao a
tOjlO a dinheirn, suairam al 10*230 e lecba-
- ma oje a 10*200.
No mercado de fundos pblicos bouve mi -
iOMato iioporUBle as plices geraes de 6 /?.
,M eiapre se -on*ervaram em alia. O pri
HMras pregas da quinzeoa foram S8 a 98 1/2 />
aun tarde honve 99 93 i/2 e l.OiOjt a praso e a
*a%eiro, e a estas euiaedes fdcnou boje o merca-
do. A> do empre-timo nacional de 1868 foraro
efieiadas a 1:0504 e i:00l cada urna.
* No mercado de ac^oes as do Banco do Brasil
literato, movimento regular, a 183*. no comeco da
qoc>aa, mais UrJe a 1834, 187 e H84 e boj
7<98).
A uza do descont no Banco do Bia-il oa
lete alteracaa ; na prac regulou de % a 9 /
A alfindega da corte renden de 1 a 6 do
crrame i6t.i39*S:!0.
Sabirai para lVrnambuco : a I do correle,
barca roncen Vnidiann, e baroa ooragense
WiHcgriea ; a 2, c biigue lioamaniuei Danmavk;
a 4, a escuna h llandeza Gerutrs ; a 3 a barca
po-(nj!neza Jrupluna ; a i 6, o brigue. hrasil-iro
hiipetial Martamro, e a barca su.ca Oihiutia
BVIIIA.
A as-embica proviucial prosegua sos seus
irabaibo-.
ft-ocedente do Toulcn por Tenerife, chf gou
ao parto da capiialjo transporte de guerra Irn
ce* Sjfj lie, em viagetn para a Nota i^alrdonia,
cam 2'i0 passageiros e 180 pracas de guarnicao.
Dentro do porto da capital garren, na nou-
tn de 2 do crreme, em c msequencia do vento
rijo que soprav.t, o nrigue pjrlnguez Tunjo, pern-
eas aranas aolrendo.
FaUecerain : o capelln da crvela Bnhian-
*i, padre Emicilio Marques da Silva ; o capilio
loaante da armada andido Custodio de Leinos,
coaimandnte da companh a de ariilices do arse-
nal de marnha ; e o proprielario do omal Inte-
rrtst Publico Domingos Guedes Cabral.
O cambio regulava : sobre Londres 2i 1/3
a SI 3/4 d., e sobre Ha u burgo 720 rs.
A alfandega readeu de 1 a 9 do crreme
302:770/670.
AI.A(JA>.
Wa 1" sesso judciaria do corrente aono, la
coaurca das Alagoa-, > j'ilgal apenas uin pro-
eesso cjmprebimdendj 4 reos de crime de furto
eatallo, os quaes foram condemaaJos no att
2S7 do cdigo criminal.
Por seoienca do juiz de direito da comarca
da Porto Calvo de 2 do corrente M condemnado
o backarel Joaquim Guenues da Silva e Mello a
tns wves de su-pensao e multa correspondente
a taetads do tempo, grao mximo do art. 157 do
oodjfo criminal por exceso de liecnca.
Leas n Jornal das Alagits :
Fraacisco D^mingucs da Silva, conhecido por
Chico-bolo, ura telho soldado reformado do
eureito que mora na ra do Hispilal de Ca ida
de, onde exerce a prefisfo de sapalt-ro.
Francisco omingues, por motives particu-
laret, gauhuu a indisposican e intriga Qgadal de
Epnoinio d'Araujo Caldas N.exo, alteres da com-
panlua fita de liaba.
Ante honlem pela roanhaa dirigio-se Fran
ciseo Djmingnes ao quartrl militar adra de co-
brar de algumas pra.-as, pequeas dividas por
aquellas contralllas cousa j de ha muilo eos
Utamda : e demorandj-se a ura canlo do quadri-
Jataro do me-mo quartel, aguarda va o momento
doatender-se com os seus deyedores, e ao raes-
o lempo assistia ao exercicio de recrutas da
bmmm companhia que naquella hora era all fol-
io ; oeete entremeutes aggredido pelo alf res
Epipliaaia que ordena Iho se relire do quartel,
aaiearjando-o de mandar lanca-lo fra se teulasse
resistir. Francisco omingues replica-Ihe que
aul algum causava a sua estada all, e que como
soldado quo fra gosiava de ver o ejercicio de re-
crutas ; indignado o alfares E;>iphanio manda
agarrar por alguns rccruias a Domingues o com
ama chbala fusliga-o vigorosamente, dando-lhe
por todo o corpo ponto de despedazar a chbala!
nao contenta manda lancir o infeliz fra do edi-
ficio a einp.;rrdes I
J na ra lamentava-se a victima quando.
approxiaiaodo-se o alferes Serafina Nuoes Ooo-
caltcs, ajudaate do c rpo provisorio de guardas
nacionaes, por sua vez manda tambera agarrar
Fraoci>co Domingues e atira-lo dentro do xadrez
militar preso ordem do Sr. Dr. chefe de policial
REVISTA DIARIA.
aVMBNBLA PROVINCIAL-Na sesslo de sab
bado a assembla adioa era 1' discassao o pro-
jecl-a. 9Cdo anno passaio regulando o exertcio
dotaScios de justica do termo da Victoria ; era
1' scassao approvou o de n. 93 do aono passado,
oae refrmraa a insirnccao publica da provincia ;
atan por 2& horas, requerimenio do Sr. Mello
lff9,depoi9 d orarera os Srs. Felippe de Figuei
roa a H. Mamede, o proieeto n. 37 do aono passa
da, qne aoprota a tabella organisada pela campa
Wa Tifliante para o servico de reboques; rejei-
taa em 2* discawio o de n. 14 do anoo passaao,
a le a 603 de 13 de maki do 1864.
em 2* diseassad o de n. 22 do anoe
[ oa aleta tilla a pwoacao do Ex,
lo de votar-se per falta de numero.
jL aadaip do dia para Imje : coolinuacao da
aaterior, 1* diseoisio dos prnjectos ns. 2 a 4 des
* anas, 144 1M do aano pasaad, e das emsn-
*~1 apretentadaa era 31 ao prnjeelo n. 44 do anao
atmtiaQao da do de n. 37 do mearan
JSOfoarD\m POLICIALPor portaria da pro-
de 9 do correte, foi oo-
"loratta o oapitSo'do
le^B^B^Ha^^H
lencia da prov
;o Xsi
mL
guetia de S. Lourenco da Malta ; sendo or
para s scbstuir o XH'. Podro Fr
d'Araujo.
DIRECTOR DKND103.-Por portaria da r
dencia-da provincia, de 8 do corrate, foi exaae
rado \ntonio Vctor Correa de direztor parcial
do iodios da aldeia de Paneraa, oa freguezio de
Agota Bellas; o oomeado para o setbstiluir A Jrio
Rodrigues de Arajo.
JURY DO RECIPE. Foi sufcmettJo sabbad)
iulgamento o reo Silvestre Henrique de Paiva, pro-
ounciado no art. 201 do cdigo criminal, ten do
por defensor o Sr. Dr. Ataerlco Netto de Meadon
ra. Foi absolvido.
Hoje entra om jalgameirto, .o r> Manoel Victor
da Gonceifio, pronoBeiado V art. 257 do cdigo
criminal.
COMPANHIA SANTA THEREZA- Al o dia 23
lo correte datera os accionistas desla companhia
reahsar a quarla entraia do capital nabscripto,
razo de dez por ceUto,
BAUAO DE S. BOMA. A' bordo-4o vapor
Tcconlins segu para o Rio-Grande do Sul, a as-
sumir o honroso cargo de eoromandante das ar
mas, que to dignamente exerceu cerca de seis
mezes nesia provnola, o Exra. Sr. marechil d-
campn bario de S. Bjrja.
Auseme por .paco de irinta e tantos annos da
trra quo o vio nascer, dos seus parantes e ami
gos, que todos deixra para servir o parz na lula,
que eniao ensangueniava infelizmente o sul do im-
perio, S. Exc, apena recebo de seus patricios a
boa vinda, e aperta em seus bracos seas pareate-
e amigos, c forcado a abandonar esla< scenis d-'
goso pira comparecer em o otra parle, onde i>
chama a voz do dever, que nao pode jamis ser
Je-atlendiJa pelo mi lar de brio e pundonor I
Deve ser penosa nestas condicoes S. Exc a
sua reorada de-ta provioeia, o tanto ra is dolo
rosa, porque deixa de o acompaohar sua extre
mosa familia, que nao ple ex por se tfo rpida-
mente aos novos eniomraoJos de ama viagem Ion
ga e fatigante, como a que tere de f .zer na sua
vinda.
Fazemos votos para que seja S. Exc. to feliz
nosia nova honrosa commis-ao que o governo Ihe
confiou, como tem sido em todas as qne Ihe fo-
ram al h-je c miadas, e sobreludo na importante
que acaba de exercer, de commandanle das ar-
mas de Pernambuco.
INSTITUTO AGRCOLAA directora desta as-
sociac o, tendo de realizar a compra de ama oro-
prieeade rural, para nella fundar a escola theorica
e pratica de agricultura, recebe propostas, a'.c 31
do corrente mez. na rna Nova de Santa Rita n. 59,
em carias fechadas.
As condicoes essenciaes para a acqnmcao da
propriedade sio : ser ella situada no centro d
alguma zona productora de assacar, ma'gem ou
as proximidades da estrada de ferro do Reeife io
S. Francisco na de alguma ontra etrada d* ferro ;
po-suir terreno aravel e apropriado a differente-
culluras; ter sufflciente quanlidade de agua e
condicSes para servir de moior, e qne se pree a
navpgac.io ; que tenha mallas em suas proximi
dades.
O valor da propriedade ser pago em moeda
corrente.
D1NHEIR0.O vapor francez Sindli, trouxe para
a nossa praca as seguinies sommas, sendo para :
Loadon and Brasiliaa Bank 200:000^000
l'ereira Carneiro & C. 35:111*000
Rabe Sehmeilau & C. 33:00 JIKK)
Manoel Jos Je S Araujo 10-000*000
Dr. Lulz de Carvalho Paes de A. 2:00030||)
PAR A A EUROPA.-Coui 62 embarcado* em
nosso porto, levuu honlem o vapor francez Swdh
iii passag'iios para a Europa.
LOTERA.A que se acha i venda a 1831
beneficio da mahz do Ex, que corre uo dia
14.
LELAO. Amanhaa effectua o agente Pinto o
lilao de fazendas avariadas, em sen escript.rio a
ra do Seohor Bora Jess n. 38 (ouii 'ora ra da
Croz), conforme o annaacio inserto no lugir com
ptente dcsu-. Diano.
PAiSGEIROS. -Do vapor brasileiro Ciqu/',
entrado de Macei :
Pelippe da Coala, Eugenio Brizai k, I,u'z Gomes
Bt-zerra e 1 fllha. Francisco de Pretis Morelra,
Antonio Gomes Leal Jnior, Ulysses de Souzi
Ataujo Balinga, Joaquim Luiz Coelbo, Jiio Bap-
jista Anclieu o sua senhora, l cabo, 6 prajes, 6
piesos e 1 desertor.
CEM1TERIO PU8LIC0.Obituario do da 9 de
marco :
Antonio Carlos Bap'ista, braneo, Portugal, 30
anno, solteiro, Bea Vista; feire*$marella.
Julia, branca, Vraambaeo, 7 mezes, Santo An-
ItODin; coqueluche.
Manoel Ferreirn, branco, Portugal, 50 annos, ca-
sado, Poco; congeslao cerebral^^
Paulo Ju da silva, pardo. Mfnambuco, 36 an-
nos, solteiro, hospital militar; diarrha.
Manoel Joaqnim da Cinceicao, pardo, Pernam-
buco, 21 annes, casado,.Boa-Vista ; ulceras.
Manoel do Nascimentn, pardo, Pernambuco, 28
annos, solteiro, Boa-Vista; hypelrophia do cora-
c,ao.
(HROM \ JlDEfiARM.
I Kllll V \l. Dt RELAVlO.
SESSaO EM II DE MARCO DE 1871.
PBESIDESCIA DO EXM. SB. CONSBUIEIRO CAETANO
SAMIAGO.
Secretario Dr. Virgilio Coelko.
As 10 horas da manhaa, prsenles os Sr*. desom
bargadoros Gilirana, Guerra, procurador da corda,
Molla, Asis, Doria, Domingues da silva, Souza
Leo e Frutas Henrique?, fallando com causa os
Srs. desembargadores Lourenco Santiago e Almei
Ja Albuquerque, abrio-3e a sessao.
Passados o felos deram-se os julgamentos se
guinies:
HABEAS CORPUS.
Concederam soltura a Jos Lopes Machado e
Joan Candido de Carvalho.
Negaram ordem a Luiz Antonio da Silveira Ta-
vora e ouiro.
IS0OBKM CBlMES.
Do juizo de direilo do Boiilo.Rtcorrente,
juizo ; recorrido, Jo- Ignacio da Silva Juizes os
Srs. desembargadores Domingues da Silva, Souza
Leao, Doria e Freas Henriques.Improcedente.
&PRUACO cnu.
Do juizo de direto do Itecife.Appellanle, An
tonio Gandolpb ; appellada, a jdslica. Improce
dente.
MMMMI.
Do Sr. desembargador Gilirana ao Sr. desembar
gador Guerra :
D> juizo municipal de Camaragibe.Appcllan
les, Manoel Jos de Lima e sua mnlhar ; appella
dos, tenenle-coronel Joo Marinho Falco Sicu-
pira.
Do Sr. desembargador Guerra ao Sr. desembar
gador Lourenco Santiago:
Appella-;5es civ< i'.Do juizo municipal do Re-
eife.Appellanle, Joo Baptist* Rodrigues de Son
U ; appellada, D. Josepha Leopoldina de Mello Ma
rinho. Appellanle, Jos Antonio Moreira Das,
comoadrainisirador da raassa de Sebaslio Jos da
Silva ; appellado, Dr. Rufino Augusto do Aimeida.
Do juizo municipal da Fortaleza.App-rllanles, D.
Joanna Marcelina de Sampaio outro ; appellada
a cmara municipal. Do juizo municipal do Ara-
caty Appellanle, Francisco Rolino de Suzi; ap
p'Hado, Ignacio Alves Barretras. Do juizo muni
cipal do Passo. Appellanle. Ricarte Alex3ndre
Bendeira; appellado, Antonio Francisco Bolla. D i
juizo municipal do Reeife.Appellanle, Joo Go-
mes da Costa ; appellado, Jos Ensebio Alves da
Silva. Do jn zo municipal de Bnique.Appellan-
te, Antonio Marques de Araujo Cavalcanto ; ap-
pellado, Jos Victoriano de Aranio Gavalcante.
Appellanle, Luiz Marques de Lima; appellado Igna
ci Manoel Saraiva.
Do Sr. desembargador Motta ao Sr. desembarga-
dor Ast-is:
Appellac6?3 crimes. Do jary de Nazareih.
Apeonante, Emiliano Pereira de Lyra ; appelteaa,
a justica. Do jart de Goyanoa. AppeHanle, o
iuiae ; appellado, bacharel Henrique Pereira de
Lucena. Do jury de S. lento.Appellanle, o jui-
zo ; appellado, Antonio Vaz do Souza.
Do Sr. desembargador asss ao Sr. desembarga-
dor Doria :
Appellacoes crimes. Do jury do Rio Forraoso.
Appellanle, Mana Jacinlba da Conceicao; appel-
lada, a justiga. Dj jury de S'azareth.Appellan-
le, Jjs Mauoel de Jess ; appellada, a ju>uca. Do
juizo munuipal de P> d'Albo.Appellanle, Anto-
nio Firmioo Pereira da Coaita; appellado, Jo:

ida
Doria ao Sr. deaerolar-
Do jury de Tacaral.
Sr.
a MMl ja Cruz.
lo Sr. desembargador Soma L-o ao Sr. des-
embargador Freius Henriqae-
Apptllacoos eiveis.Oo Juiz) municipal do Re-
eife. Appellraff, J' pellado, bacharel Francisco Jlo Carneiro da Cu-
nta. Do juizo dos feitos da f, Appellaote,
o Visttonde de Loires; appellada, a fazaoda nacio-
nal.
Do Sr. desembargador Freilas lleariques ao Sr.
desembargador Giliraoa.
Appellacfies citis. De jdiio de ansentes do
Recif.'.Appellante, o juizo; ppeUaJo, Manoel
Buanjue de Gnsm.o Lima. Do juizo municipal
da villa de S. Bernardo.Appellanle, Rsymnado
Carlos da Silva Peixolo ,- appellado. teoenle-ctiro-
ne! Manoel Marculano da Guaba. Do juizo muni-
cipal do Reetfc.Appellanle, D. Cosaria Candida
Nobre de Gusmo ; appellado, major Antonio da
Silva Gan4. Appellame, o Bario de Una ; ap*
pellado, Jus Jacome Tasso. Do jury da Tena.
Appellanle, o juizo ; appellado, Jos'Altes da Bos-
ta. Do juizo 1e direilo do Ico. Appellanle, Ro-
que de Risa Preire ; appellsda, a justica.
DBLiaBJCCIA CRI'lie.
Ao Sr. tsemhargador promoMr da justica :
Do jury do Floresta. App-llanle, o juizo ; ap-
pellado, Uanoc-I Ctndido de Sooza.
Do jury do Bonito.Apptllaate, o juizo; appel
lado, Joao Bernardo de soitzs.
OEMT.E.NCIA CIVEL.
Ao Dr. curador geral:
Do juiZ) municipal de Macei.Appellaale, For-
tnalo Augusto de So zi ; appeHados, D. Mara
Ani'iuia do Espirito Santo e seus (linos.
Assignou-se dia para julgameoto dos seguales
feilos :
\rrEiAAc6Ks civeis.
Do juizi municipal do Reeife.Appellantes, os
herdeiros de Lourenc/i J is das Neves ; appotla
dos, os berdeiros d Jo i da Rocha Paraolus. Ap-
pellanle, Trislo Francisco Torres ; appeilada, D.
Senhorinha Germana do Espirito Santo.
AP?BLLAQAO CBIllE.
Do jury do Limo.-iro.Appe lante, Jos Fran-
cisco da Silva appnilada, a jusitca.
DESTMBCICO.
Ao ^r. dosombargador Guiraoa :
Do juizo municipal de Barraros.Appellantes,
Luiz e Felippe, por sen curador ; appellado, Vir-
giuio Emilio Civalcanle.
Ao 8r. desembargador Guerra :
l i juizo municipal de Villa- Vicosa.Appelhn-
tes, Mana da Silva Barb.sa eoulros; appellada,
Maria Thereza de Jess.
Ao Sr. desembargador Lourenco Santiago :
Di juiz i municipal da villa de S. Joo.Appel-
lames, o padre Paulino Villar dos Santos Barbisa
e outros ; appellado?, os libertos Maria e ouiros,
por sea curaJor.
ACGnAVOS DE PETigAO.
Ao Sr. desemliargador Freitas Henriques :
Aggravanie, Joaquim Clemente dos Santos ; ag-
gravailo, o juiz".
Ao Sr. desembargador G'tirana:
Aggravanie, Jos Pires da Cruz ; aggrav.ido, o
jaizo.
Eocerrou-je a sessao a 1 hora e 33 minutos.
PUBLICAC6ES k PEDIDO.
. AO PUBLICO
Qa*m escrevea o commnnieadeAo publico
no Diario de h mlem, nao tete a eoragem de as-
signar seu nomo e de ser claro e positivo sobre o
nome da pessoa quem quiz dirigirse, e levando
a sua fraqneza a ponto oe nem mesmo assignar-
se ou respousabiliiar se nnamhographo.
Nao por semeihanle forma que alguem qoo se
pi sa pJe vir imprensa ; a arma propila dos
cobardes o dos caracteros vis so assim ple ser
jogada. Turlo quanto se diz no tal eommunicado,
s podeiia merecer respesta se viesse imprensa
sob a assignatura do socio, que se pretende ler fi-
oado prejndicado. Emquan'.o nao vier elle proprio
irapn-osa on alguem o faca com ana a-sigoaiur
on ao menos coro a.re:ponsabilldde legal, t ha
urna resposta: o mais soberano despreso da
parto de quem se jalga bastante flnhe no conceito
dos homens honestos do commcrcio desta praca.
Um commercianje an \os Exms. Srs. delatados
provinclaes.]
R?ponde-se ao quo foi honlem publicado, em
relaco a erapreza do? carris de ferrp para a con-
duecao do mercaduras, que elfa bao exclue as
carr.ica- de oceuparera-se no mesmo servico.
O privilegio que sa requeres alo para a con-
duegao de gneros simplesroeute, mas para o as
sent menlo dos tnlbos.
Nao se mata a pequena industria das carrocas,
se ella poder' competir com o systema de que se
trata o se off irecer mais vantagns que elle.
E se nao olTerecer mais vantagns, o que >e se-
gu, que deve prevalecer o interesse geral da
sociedade ao de urna ;bs;e.
lir-sc hia do mesmo modo, que a empreza dos
bouds era inconveniente, porque matava a peque-
a industria dos coebeiros.
E que as estradas de ferro matavam lambem a
industria dos alraocreves
E aQual que as dhebinas tiravam o meio de
subsistencia aos trabalhadores.
O publico nao pode estar salifeito, ou preferir
o transporte de gneros mais diflleil, mais pe-
noso e mais caro, ao mais fcil, conraodo e mais
barato.
Elle resolvfr esta qaestlo por si mesmo, e se
Ihe con vier mais aquello meio, bem estarlo entao
os carroceiros, e mal os emprezarios dos carris.
A industria pequea vira em tal caso a matar
a industria grande.
Mas, alm diquellas vantagns, ha outras, que
os carris offerecem.
O calcamento da cidade nao sidrera o damno,
que Ihe causara as carrocas ; e as ras se con-
serviro mais lmpa.
O transiio lornar-se ha mais fcil, raesmo para
os vehicalo de condcelo de passagelros.
Emllm, a Ilustrada asserabla provincial ha de
saber cumprir o sea dever; facultando a creaco
de mais um melboramento de reconocida utili-
dade, como o de que se trata.
O argumento da dimmu'u.o da renda munici-
pal e provincial nao tera procedencia alguma, por
que os mpofte-s que pagara as carrocas, pagam
lambem os carros da empreza.
Demais o imposto nao deve predominar sobre
o que til e necessario, porque deste modo se
contradiz e destie o principio que o legitima.
Esperamos pois dos dignos eeitos da provin-
cia tornera na dtvida con>ider:cae o negocio, que
muito imeressa agricultura e ao commercio.
COMMERCtO.
O English Bank of Rio
de Janeiro Limited, saca sobre
Fould ^ C, Pars.
fMACA DO RJ5CIKE 11 DE MARCO
DE lb7l.
I 3 1/S MUS D TAHDB.
Gota^des officiaes.
Algodao da Parahyta i* a *te 66d' re. por kilo
Boato a bordo a fre da il|6 d. e S0|0 por
libra, (honlem).
Caarjoio sobre Londres M d/v tt 1(1 4. por
l*00.
H. G. Steppla. .
Preaideate.
P. J. Po,
Secretario,
ALFAtVDEGA
8endimea!a de da 1 a 10. .
dem do da ti. .
SW:58M*!5
30:310*148
270 8961573
>forlaieiiio da alfaad(a.
vorams sahidos com fazendas 49
t om goaeros. 39
Doscarregam da marco.
iraericaoo
i inglezafling Scuitetro.
Dupachoi de exportagSo no dia 10 d
tarpo.
Na barca ingleza Aurelia, para Cronsladi
carregaram : Keller & C. 376 sseeas cora 88,969
kilos de algo lio ; Rabe Sehimeitau & C 119 di-
tas com 9,460 ditos de dito.
No brigue inglezRoderich Dhu, oara Li
vorpool carregaram : Antonio Alves de Moraes 11
fardos com 3,778 kilos d- algodao.
Va sumaca hespanhola Anua Chrislina. para
Bares liona carregarsm : Pereira Carneiro 70 far
dos cora 11,131 kilos de algodao.
No navio nacional Alberto, para o Rio da
Prata carreara m : Jos da Silva Loyo A Filho
160 barrleai e 50 meiaa ditas com 11,457 kilos de
assucar brauco.
No brigue noruegaense Normen, para Dela-
mar e Bmekmoter carregaram : Maiheus Aantio
4 C. 400 saceos com 39,000 kilos de assucar mas-
erado. -
No brgae nacional Ptranga, para o Rio da
Prala carregaram : Pereira Carneiro & C 70
barricas com 8 793 kilos de assucar masca vado e
383 ditas com 41,633 kilos de dito branco.
*
TABELLA dos pbkcos D03 qknjros sojkitos m-a
narro dr extobtacXo.sbiiama db 43 a 18 ob
Mvnco ng 1871.
Mercadorias: Unidades. Valores.
duzia
kilog.
300
165
478
4*000
1*000
68
177
330
155
436
i*O06
5*000
ou men-
litfo
kilog.
937
75
518
101
5*4?0
195
300
336
300
337
600
300
660
kilog. 476

cerno
kilog.
um
kilog.
cento
Abanos.......
Algodao em caroco .
dem em rama oa em la.
Garneirbs vivos.......ara
Poreosidem.........
Arroz com casca. .... kilog.
dem descascado ou pilado
Assucar branco......
dem maseavado...... *
dem refinado...... >
iallinlias........ama
?apagaos........
Azcile de amendoim
dobira.....
dem de coco .
dem de mamona. .
Batatas alimenticias.
Baunima ....
Bebidas espirituosas eforracntadas:
Agurdente caehaca. .... litr.
dem de carina.....*
dem genebra...... >
dem resillada......
dem alcool........ a
dem corveja......
dem vinagre....... '
dem vinho de caj...... *
Bolacha fina, eomprehendidos os
biscoitos........
dem ordinaria, propria para
embarque........
Caf bom.......
dem escoiha oa restolho .
dem torrado on moide. .
Cal branca....... .
dem prta........
Carne secca ( xarque ). .
Carvao ve gota I.......
Cera amarella.......
dem de carnauba m bruto. .
dem dem em velas, ....
Cha ..... .....
i Vicos seceos.......
Colla........ .
Couros de boi, seceos salgados.
dem dem espichados. .
dem idem verdes.....
dem de cabras cortidos .
Idean de once.......
Doces em calda.....
dem era golea oa massa. .
dem seceos.......
Espanadores de pennas grades .
dem pequeos......
lera de palha.......
Esaeiras de carnauba ....
dem propria para forro oa estiva
de navio........
Estopa nacional......kilog.
Farinha de arar uta......
'dem de mandioca.....
Peijao de qualqucr qaalidade.
Fumo eharutos......centro
dem cigarros >
dem em flha bom kilog,
idom em foiha, ordinario ou res-
tolho ........
dem em rolo e em latas bom >
Idom, ordinario ou restolho.
lap..........
Gomma de mandioca, (polvilhoj.
Ipeeacnaaha ( raz ). .3*
Angico (toros). ..... duzia
Caibros ........um
Saxtiles ........ t
Prechaes. .......
Jacaranda (coucoeiras) ..." duzia
Lenha em achas. cento
dem era toros ...... >
Linhas e eeteioa......om
Loar s (pranchSes).....
Pao Brasil........kilog.
dem de jangada......om
Quris ......duzia
Vinhatico costadinho de 15 a 30
milBMtros de grossura. .
dem pranchoes de dous costa-
dos al 50 millimetros de gros-
sura .........
Idom laboado de menos de 35
millimetros de grossura .
Taboado dvarso.......
ratajuba ........ kilog.
rraves.........urna
Varas para pescar.....duzia
dem para aguilhaas ... <
dem para canoas.....urna
Cavernas de sucupirafem obra)
Eixos de cicupira para carro. par
M?4aco.........kilog.
Mel de abelha.......
Milho..........
Ossos......, t
Palha de carnauba.....molhos
Pechury........kilog.
Pedras de amolar
idem de filtrar...... i
Idera de rebollo 3 i
Pennas de ema. ...'..
Piassava.........molhos
Pontas ou chifres de novilho ou
vacca.........cento
Sabao.........kilog.
Sal........., *
Salsaparrilha.......
sapatos de couro brauco par
Seiw ou grasa emrama kilog.
Idem em velas. ......
Sola e vsqueta...... >
Tapioca.........
(Jnhas de boi.......cento
Vassduras de carnauba duzia
dem de piassava.....
Idem de imb. i
Alfandega ue Pernabrabuco, li de margo de 1871
O !.? conferente. Fiancisco D, da Silva
0 1 conferente Joaquim l. de C Mendznca
Approvo. Alaodga, 11 de marco de 1871. -
Paes de Andrade.
Conforme.Juim Tetruliane de Medeirosaqo.
RECEBEDORIA DE RENDAS INTERNAS
GERAES DE PERNAMBUCO
endimenlo do dia 1 a 10. 31:548*546
dem do dia 11..... 3:887*864
104
476
441
959
.19
17
158
168
441
436
763
4*360
4*000
1*438
l'i
640
360
350
10*000
1*133
784
1*180
48*000
14*000
11*000
16*000
12*000
13fi
681
SI
172
3*000
320
1*090
613
631
545
1*180
170
1*703
60*000
360
1*500
5JO00
95*000
3*000
12*000
6*000
10*000
103
5*000
6*000
um 16*000
t 20*000
duzia* 1444000
96*000
33
6*000
2*400
6*000
1*000
3*500
16*000
3o
32)
68
16
1*000
81/
31
18
31
4*796
160
2*800
348
10
2*043
800
340
476
1*200
204
380
768
1*200
960
BoiAcifiNHAs dem a 6* abarriqumua de 23
libras.
Cav.dem de 5*400 a 6*500 a arroba.
Cha.Idom de 2*300 a 1*800 a libra.
Ceuvkja.dem de 4*800 a 7*600 a duzia de
botijas ou garrafa-
LocaVendeu se a Ingleza ordinaria a 300
Boreento dt premio sobre-a factura.
Majttriga.A ingleza vendeu-se a f*I00 a
libra e a francau a 1*100.
Massas.?enderam-se a 10 j a eaixa.
Oleo db ukhac.dem a 2*200 o galio.
PassasMem a5*a eaixa.
Presuntos.dem a 18* a arroba.
Queuos.Os flamengos venderam-se a 2*600
cada um e o prato 750 rs. a libra.
Sadao.Vendeu-se a 170 rs. a libra do nilez.
Toucmao. Vendeu-se o de Lisboa a 15*
a arroba
Vinagre.0 de Portugal vendeu-se de 130J a
135* a pipa.
VinhosOs de Lisboa venderam-se de 210* a
240* eos de ouiros paize; 210* a pipa.
Velas.As de coraposicao venderam-se a540
rs. o pacote de 6 velas.
Drsconto.O rebat8,de letras regulou de 10 a
II por cento ao anno.
FrktksDo alg ido desle para o porto de Li
terpool, a 3/4 por libras sem capa ; carregodo
na Parahyba 3/4 por libra e 5 %; em Macei a
11/16 d. por t e 5 %; e d'aqui para o Canal ioglez
e erdens para o Reino-Unido 3/4 e 5 % Do as
socar d'aqui para o Cnil ingtez 40/ e 5 7 e
carregando em Mace a 43/ e 5 "/"; da Parahyba
para Liverpool, a 37/6 e o % ; e d'aqui a 25/ e
5%
lade do
O distr lo d aa
Crrela
de Mel I
mente competilo
o Mar;
elli de
e Scraphln Jote
ica fob a Arma
lUJaco Oca eiclusva-
MOVIMENTO DO PORTO.
Navios entrados no dia 11.
S. Maiheus18 das, patacho nacional Rios Perti
ra, de 73 toneladas, capilo Manoel Duarte Mo-
reira, equipagem 8, carga 219 a'quoirs de fa-
rinha i mandioca ; a C. C. da C. Morelra.
Rio de Janeiro33 das, brigoe naciooal Santo
Amaro, de 311 toneladas, cspitao Caetano Alve-
Otas, rquipagem II, em lastro ; ao Biro da
Soledae.
Rio de Janeiro26 das, barca portugueza Fir
meza, de 359 toneladas, eapitao Ju-iino Rodri
gues Cardse, rquipagem 14, carga farinha de
mandioca eoutrvs gneros ; a Ensebio Raphael
Rabello.
Montevideo20 das, barca isg'eza Wahsatch, de
480 toneladas, capilao John G. Graham, equipa
gem 11, em lastro ; a Phapps Brothers & C. Se-
guio para Mace .
Rio de Janeiro20 dia?, barca rassa Frederick, de
201 loncladas, capilo F. Pagerslrnn. equipagera
13, em lastro; a Thomaz Jefferies & C
'. Qbserxacao.
No honve sabidas.
Suspendeu ilo lamarao para o Rio de Janeiro o
brigue inglez Hutbank, eapitao Surtherland, carga
a mesma qne trouxe de Trieste.
Navios entrados no dia 12.
Rio de Janeiro e Babia 5 das vapor francez
Sindh, de 1093 toneladas, commandaute Masse>
nete, equipagera 113, carga differem.es genesro<;
a Tisse Frre.
Buenos-Ayres40 das, barca hespanhola Cons
tancia, d- 243 toneladas, capital Jos Penna,
equipagera 13, em lastro ; a Amorim A Irmao
&C
Araraj e portos intermedios4 das, vapor bra
siloiro Giqw, de 213 toneladas, coinmandame
Macedo, equipagem 24, carga algodao e outros
gneros ; a companhia Pernambncana.
Rio de Jinelro28 diis, barca francesa ifonri
cien, d* 486 toneladas, eapitao Segundo, equi-
pagem 13, em Usiro ; a Tisael Frre.
Rio de Ianero18 das, barca portugnezi Flor de
S. Simiio. de 333 toneladas, eapitao Antonio de
Salles e Silva, equipagera 14, carga differentes
gneros ; a Carvalho Nogneira & C
Observe cao.
At meio da nao houve saludas. Fundeou no
lamarao um brigoe francez, mas nao levo coramu-
nicacaa com a ierra.
DECLARACuES.
Pela inspeccao da alfandega sao convidados
os donos de cinco caixas marca S diamante M, e
III a 115 cem quejos flamengos, con -guadas a
Silva Moreira, vindas no vapor francez Anvizone,
entrado ero 9 de Janeiro do crreme anoo, e reco-
Ihidas no trapiche do algodao, a vrem despacha-
las oo prazo de viole das contados desta data,
lindo o qual sorao ellas arrematadas em hasta pu
Di ica, por conla de quem periencer, sera que
nada po-sam allegar contra os eflViins desta venda.
Alfandega de Pernambuco, 9 de marco de 1871.
0 inspector interino,
Luiz de C. P. de Andrade.
Perante a cmara municipal desta cidade
eslaro em praca nos das 10, II, 43, 14 e 15 do
Trente oara seren arrematadas por quem menor
preco offerecer, a obra da consiruccao de 21 pares
de catacumoas para adultos e 20 para pai val ,
de que necessila o cerailerio publico, oreada na
quantia de 6:160*, e bem assim a consiruccao do
cemitero para os qae nao podem ler sepultura
ecclesiastiea, na importancia de 5:533* : aquellas
pessoas que quizerem arrematar as ditas obras,
habilitem-se na frraa da le, e coroparecam no
paco municipal nos das referidos.
Paco da caraira mnnicipal do Reeife 9 de mar
co do 1871.
Bsnto Jo da Costa,
Pro-presidente.
Augusto Genuino de Figueiredo,
Oul'-ial maior, servindo de >eeretario.
Pela secrelara da cmara municipal desta
cidade se faz publico para conhecimento de quem
raleressar pns;a, que nao se teudo effectuado a ar-
rcmatacao do servico da limpeza e irrigacio desta
cidade, coma eslava annunciado, no dia 8 do cor
rente, de novo sao convidados os prelendenles'
comparecerera no paco da mesma cmara no dia
15 do presente mez, pelas 12 horas da manhaa.
Secretaria da cmara municipal do Reeife 9 de
marco de 1871.
No impedimento do secretario,
O offljal-raaior, Aoguslo Genuino de Figueiredo
De ordem do Illro. Sr. conselheiro inspector
da ihesonraria de fazenda desta provincia se faz
publico que no dia 18 do corrente mez, as 2 horas
da tarde, peranle a junta da mesma thesouraria
se arrematan a quera mais der o edificio proprio
nacional, sito no largo do Forte do Mallos, no qual
funcernou por muitos annos a a-semblria legisla
liva provincial, afira de que seja demolido pelo ar-
rematante a quem perlencerao os respectivos ma
leraes.
As pessoas a quera conver dita arremaiacao
deterjo comparecer mesma thesouraria no re-
ferido da e hora indicado.
Secretaria da thesouraria de Pernambuco em 11
de marco de 1*71.
Servindo de offlcial -maior,
Manoel Jos Pinto.
35.416*410
CONSULADO PROVINCIAL.
Aendimento de dia 1 a 10. 45:478*176
dem do dia II..... 3.1181*340
4*W*4!6
PRACA DO RECITE
83 11 DB MARQO DB 1871 AS 3 HORAS DA TA1U1B
R1VMTA SEMANAL.
Cambios.Sobre Londres efTectuaram-se tran-
acSca de 24 a 24 1/4 d. do banco, e de 24 1/4 a 24
3/8 d. papel particular. 03 saques realisados, pois,
durante a semana ebegaram a 80,000.
Aiajo5aVenden-se o de Pernambuco esoo-
Ihido e regular de 7J70O a 7*800; o de Macei e
Parahyba, poio a bordo, aquello a 8*300 e este de
8*200 a 8*3(10 por arroba.
WCAH.Vendeu-se o maseavado purgado de
P a I*!) americano de 2*400 a
J*500 e 1*950 por rroba.
Annoz. da India vendeu-se a 2*300
a arroba.
EiTwoa-o deLUboa rendea-se a 2*800
a f alio
lK) a arroba.
Pela contadora da cmara municipal Uesia
cidade, se faz scienle aos proprletarios de diversos
estabelecimenlos de porta aberla, que do de
marco vlndonro cornaca a cobranca do imposto
creado por le, devendo porm os mesmos proprie-
larios apresentarem antes o ccnheclmento de m
posto geral sobre industria e prossao, por oDde
provem ter sasfeto o referido Imposto. Outro
sim, pela mesma contadoria sao chamados tambem
os possuidores de carro as e mafs vehculos em i
pregados no servi;o da capital, a virem paga*-
imposto decretado por le, e no mesmo caso os
proprietarios de terrenos dentro da cidade e
seus suburbios, que nao estejam edificados ou
cultivados, embora se eonservem murados; bem
como todo eqnalquerestabelecimento que for mo-
vido por machina vapor, estao tambem sujeitos
ao pagamento do imposto novamcote creado.
Couudorra da cmara muni.ipal, 27 de feverei-
ro de 1871.
O contalor,
Hypolito Cassiano de V. Albuquerque MarnnkSo
Tribunal do c iiimercio.
Por esta secretaria se faz publico que nesta dala
foi aimUtido registro o hiale nacional Adelina
dos Anjos, de 95 toneladas, do qual proprieurio
armador Balihazar de Moara e Sirva da provincia
do Rio Grande do Norte.
Secretaria do tribunal do commercio de Per
nambuco 4 de marco de 1871.
No nipcdiraento do offlcial maior,
Rege Rangel.
Pela moMU secretaria se /ai igualmente publico
que & > osia secretaria :
O di<(r,v da Haaoel Marques de
^^^^^^eir) que
^^^H^^HPde Marqaes & Carneiro, coja
cargo e sob a
Secretaria dia al supra.
No Impedimento So offlelal-roafor,
Rege Raagel.
Por esli ?Ecretaria se taz pabilo qae nesta dala
fei admiltido railricnla o Sr. Lenidas Tito Lou-
reiro, eidadio brasileiro estabelecido nesta cidade
cem negocio de errageas.
Secretaria do tribunal do commercio de Per-
namDuco 7 de marco de 1871.
No irapedmeaio do offlcial-malor.
Reg Rangel.
Por esta secretaria se faz publico que neila data
fica reg-irada a escrptnra de contrato antenup-
cial celtbrad) entre Jeronyrao D.-lsuu e D. Candi-
da Emilia de Aimeida cora a condici) de nao'en-
trarem em omraunhSo os bens da epoa, borda-
dos de seu pai, oa importancia de 5:624*042.
Secretaria do tribunal do commercio de Per-
nambuco 9 de marco de 1871.
No impedimento do offlcial-maior,
^_________ Reg Rangel.
Pela recebederia de rendas internas geraes
etn onblico, que ueste mez e no de abril pr-
ximo fuinro, que o segando semestre do exercicio
crreme, relativo ao imposto sobre industrias e
pr 1'hops, que con-prebende todv>s os e>labelec-
mentos commerciaes,fabricas e rfflcinas etc., temde
ser pigosem mulla, e qu*. ftndo o referido prazo
se-lo-ha com a multa de 6 por renta
Rceebedoria de Pernambuco 3 do marco de
1871. O admnisliador,
_______Manoel Carneiro de Sopz* Lacerta.
anta Casa de Misericordia d*
Reeife.
De ordem da Tilma, junta administrativa desta
unta casa sao convidados os prenlas dos meno-
res abaiio declarados, para que venbam reque-
rer a na sahida do collegio dos crphaos, visto
nio poierem mais all cominnar por j terem ex-
cedido a idade de 14 annos, come dtp> o art.
45 do rrgularaento de 28 de Janeiro d<* 1871.
Manoel Bernardo de Lima, filho de Jos Bernar-
do de Lima, soldado de polica, fallecido no Para-
guay.
Secretara da Santa Ca*a de Misericordia do Re-
jife, 17 de ftvereiro de 1871.
O eserivao,
_______________Pedro Rodrigues de Sonta.
Santa (jasa de Misericordia
do Reeife.
nlnhetr* vista.
A (lima, junta administrativa da sania casa de
misericordia do Reeife no intuito de alargar a cir-
culo das pessoas qoe eoncorrem a arreinatsco de
fornecmenlos de gneros que teem de consumir
os eslabelecimentos pios a sen cargo, inclustM o
as vio de mendicidade nos mezes de abril jnnho
vndouro, manda fazer pablico que o meste for-
necimento de cerca de 30:000* annualmenle,
que pago mensalmenle com dinheiro vista.
Recebe, portanto, a mesma junta proposlas para
o forneeimonto indicado, na sala de suas setses,
pelas 3 horas da tarde do da 16 do corrente.
Aletria kilogrammo.
Arroz de Mara&tiao idem.
Azeite doce litro.
Azeite de carrapalo idem.
Agurdente idem.
Baralho kilogrammo.
Btalas idem.
Cha preto dem.
Cha hysson dem. f
Caf em grao idem.
Carne secca idem.
Ceblas cento.
Farinha ;'e mandioca lllro
Fumo do Rio kilogrammo.
Peija' mnlatinho litro.
Fareilo saeco.
Gaz lata.
Milbo sacco.
Manleiga franeaza k^gramme.
Sabio idem.
. Sal litro.
Tapioca kilogrammo.
T raeinho idem.
Velts de carnauba id?ra.
Velas stearinas idem.
Vinagre litro.
Vinho limo de Lisboa dem.
Dito branco idem.
03 concurrentes apresentarao suas propostas
em cartas fechadas e selladas, as quaes dovero
ter a ordem eslabelreida no presente annunein.
Secretaria da Sania Casa da Misericordia do Re-
eife, 10 de marco de 1871.
O eserivao,
Pedro Rodrigues de Souza.
Pela sem i aria da cmara municipal drsta
cidade se faz publico que por delibera ci da ses-
ma cmara foi espassado al o flm do comente
nez o praso para a affericio de pesos e medidas
do novo systeroa.
Secretaria da cmara municipal de Ohoda, f de
marco de 1871.
O serretario ,
Marcolino Das de Aranjo._______
SANTA DASA DE MISERICORDIA DO
RECIFE
Fornecimento de Cerca de 32;OOO0 annoaes-
pago avista.
A junta administrativa da santa casa de misan*
cordia do Reeife precisa contratar o fornecimenio-
da carno verde que tiverem de consumir todos os
estabe'.ecimemos pios seu cargo, nclfTsIVB o aiy-
lo de mendicdade, no trimestre de abril a jnnho.
Recebe propostas na sala ds snas sessoes pelas
3 horas da tarde do dia 16 do correte.
Secrelara da Santa Casa de Misericordia do Re-
eife 10 de marct. de 1871.
O cs-crivao,
_______________Pedro Rodrigues de Sppzh.
SANTA CASA DE MISERICORDIA DO
RECIFE.
Fornecimf nlo de cerca de 26:0^0(5 annoaes
pago avista.
A junta administrativa da santa'caa de mise-
ricordia do Recifo precisi coulralar o foroefiraen-
to de pao, bolacha e assnear que tiverem de con-
sumir todos os eslabelecimentos pios i seu cargo,
inclusiva o a-ylo de meudicdade no trimestre de
abril iunno.
Recebe proposlas na sala de suas seisoe; palas
3 horas da tarde do dia 16 do cerreme.
Secretaria da Sania Casa de Misericordia do Re-
eife 10 de marco de 1871.
O eserivao,
_______________Pedro Rodrigues de Soma.
Manta Casa de Misericordia d
Reeife.
A Illma. junta administrativa da santa casa de
misericordia do Reeife recebe proposlas na sala de
suas sessdes pelas 3 horas da larde do dia 16 do
corrente, para o fornecimemo dos medicamentos
3ue forera precisos para a botica do hospital Pe-
ro I e enfermara do asylo no trlme.-tre de
abril junho, os quaes constara do annonclo pu-
blicado no t Diario de 14 de dezembro fiod.*.
Secretara da Santa Casa de Misericordia do Re-
eife, 10 de margo de 1871.
O eserivao,
Pedro Rodrigues dt Souza,
TttEATRO
(W M
SOB A DIRECCAO DB
(REPERTORIO DE OFFEMIP
Os espectculos ter5o Ingar lo-
varla elmcate sas
Tereas,
JJnliifa*,
abbades,
BBBBBBWlta
cedo por ex i

1

nBanH


jJiario de Pernanibtfco Seg eira 18 de Wfar^o de rttl.


*
AVISOS MARTIMOS.
' ....... '"' II .....* 'i
PAVU LISBOA E PORTO.
Seguir poaeo tempo depois de ehegir do Ric
3e Janeiro a barca poftuguezi Vencedora. A eir-
ga que Iba filia c passagens podem desde j con-
t"iar-se no |escripu>rlo de Soares Primo, ra do
Vigario n. 17. ______
RIO DE JANEIRO
Para o referido porto pretende sahir em poneos
tta*o bngne eteuna acaonai Mentor px ter a
alor parta de*u oarrepmento prompto, e pira
o pouco que Ihe falti e esc avos a frete, trali-se
com o conslgaitano Joaquim Jis GonGalves Bel-
tr$o i ra do Commerclod. 17.____________
Barca portagaeza Jostiphma
9 esperado estt nata em pouc*- dias do Rio
eHaeiro, asegae cem brevidade para o Mara-
nbio; reeebe carta a frea : trata si eom Miguel
Jo* Atv, rna do Gru n. 19._________'
COMPANHIA PERNAMBCANA
MaTegacSo coiteira por vapor.
Goyanna.
O vapor Miimanguape seguir pa
ra o porto cima no dia 16 d<
crrante as 9 horas da> noule.
Recebe carga, encommendas.
______pasiat eiros a dinheiro a frete n<
seriptorio do Forte do Mattos n. II._________
PARA O RW GRAOE DO Si
Obriguanaeional Tigre, propoese a tomar car-
ga a treta para o maoeionado porto : aa peasoas
qaeqirlierem encajar alfana porcao, eutendam-se
oo eacriptorio dea esaaigoatarios Bailar Oilveira
LEILOES.
S
m&
DAS
dividas activas e diversos objectos deooro,
que faem parle di maesa fallida de
Antonio Gandolf.
HOJE
A requer ment dos euradores fiscaes da maesa
filuda de Antonio Gaadolf, e despacho do Iilm. Sr.
Dr.jnti ejpeeial do commerclo, o ageote Pestaa
far leilao das dividas activas na importancia de
873*620 ris, conforme a relacao, e assim mais
facas e 14 garfos, eabos de praia, t correnle
de euro, 4 botdes do mesmo metal, diversos pedi-
os de dito en) obras Telbas, t caixa eom pedras,
o que ludo fai parte da massa fallida do inesrao
Antonio Gandolf, e ?ero vendida* na seguida-
feirt 13 do Correte, s 11 horas da manha.no
largo do Corpa Santo, junto ao arraazem do Sr.
Delirio.
COMPANHIA PERNAMBCANA
N
Navegando costara por vapor
Macei, escalas, Penedo e Aracaj.
O vapor Mmdah, eomman
dante Julio, seguir para
os portos cima do dia 15
do correte as 5 horas da
urde.
Recebe carga at o dia 14, encommendas, pas-
sageiros e diaheiro a frete al s 2 horas da tar-
da do da da sabida : no eacriptorio do Porte do
Mallos n. 12._______________._____________
COMPANHIA PERNAMBCANA
DE
NaTega^So costelra por vapor.
Goyanna..
Parahyba, Nata', Maco, Mossor, Ara
caty, Cear, Mandah, Acarac e
Granja.
O vapor Pirapama commanr'sn
te Arevedo, seguir para os por
tos cima no dia 15 docorrenfc
as 5 horas da tarde. Recebe car
ga at o dia 14, encommenda-
agei ros e linheiro a frete at as 3 horas di
tarde do dia da sabida : escriptorio no Porto d<
faltos t. 12.____________________________
Porto por Lisboa
A barca portugueza Firmeza, capllio Justino
Rodrigues Cardoso, esprala a lodo o momento da
Rio do Janeiro seguir poneos dias depois de sua
chegaSa para os dous portos cima por ter o c-jo
regam ato prompto, recebe somente p.iss3geiro9,
para os quaes tem excellentes commodos : trata-
se OB) oj consignatarios E. R. Rbello & C, ra
do corumercio n. 48._______________________
Lisboa e Porto.
A barca Flor de S. Simao a enejar em ponco3
dias do Rio deJaneiro, sahir para 03 porto3 aci-b
ma eom a menor dem ra pos3ivel; para carga e
nassagiiros trata-3e eom os consignatarios Carva-
Iho A Nr.gueira, roa dj Ap-MIo n. 30._________
Para o Aracaty
segu por estes dias o hiaie 8. lodo Baplista : a
tratar eom Gomes de Mallos Irmos ra do Vi-
garlo n. 26, Io andar._____________________
PARA O CE _RV
O salacho inglez Vivandeira^ viodo de Trieste
em 9 do correte, seguir eom brevidade para o
porto cima indicado eom parte do carregamento
que troca a de Trieste, tomando neste porto a car-
ga precisa para fcompletar o carregamento; qnem
pretender dirija-ie a trave-sa da Madre de eus
n. i, a tratar cam es consignatarios Candido Al-
be rio S vir da Muta A C. _____________
PARA LISBOA E PORTO
Espera-se a lodos os momentos a barca portu-
gueza Safra que tem de seguir eom toda a bre-
vidade para ditos portos por ter a maior parte da
carga J prompia. Recebe o restante da earga e
pasaageiros, para o que trala-se cotn os consigna
larios Tomaz e'Aguino Fonceca & C. successores,
ra d> Vigario n. 19.
de fazendas inglezas hrapas e
avaria'ias
Terca-feira 14 de marco, as 11 horas.
O agente Pinto levar leilao por eonli e risco
de quem perteneer, trea caixas de chitas avaha-
das bordo do vapor inglez La Plata, na sua ul-
tima viajero este porto.
Em continuacao vender o mesmo agente mada-
poloes, algodoes ames e castores.
O leilao ser effecluado em sen es:riptorio,
ra da Cruz n. 38.
DE
300 chapeos do Chile finos.
Terfa-felra 14 de marco ao meio dia,
Por intervengo do agente Pinto
em sen escriptorn ra da Cruz n. 38, por occa-
siao do leilao de fazendas limpas e avariada.
LEILAO
DE
50 saceos cora arroz da India, sendo 25
avariadas," terca-feira 14 do correnle.
O agente Pestaa far leilao por conta e risco
de quem perteneer, de 50 saceos eom arroz da
India, sendo 25 em perfeito estado e 25 eom toque
de agua salgada, as quaes sero vendidas em lotes,
terji-feira 14 do correnle, s 11 horas da ma-
nhaa armazem do Aunes, d fronte da alfandega.
LEILAO
DE
movis, loaca'e vidros e objetos para es-
criptorio
Quinta-feira 16 de margo, por intervencao do
agente Pinto.
AVISOS DIVERSOS.
Preparatorios
Jos Soares de Azevedo, professor de lingua o
litleratura nacional no Gymnasio Provincial do
Recife, le*\ aberto em sua casa ra Bella n. 37 :
Um curso Je Filosophia.
-----de Phitorica e potica.
-----de Geojrophia.
-----de Historia,
-----de Lingua franceza.
' de Lingua portugueza.
Os alumnos que quizerera frequentar qualquer
destas disciplinas podem dirigir-se indicada re-
sidencia para saberem as horas de cada aula e
mais condigoffg. ____________^___
COFTTRI
Fotographia imperial
E
calera de nwnmA
DE
J. Ferrara Pllela
Desde o dia 7 de abril passado acha-se aberto c
iovo estabeleciment photographico lito ra de
]abug n. 18, etqnina do pateo .la matrti. Ostraba
boa que dsde entao, tem sahido de nossa oSeini
.em geralmente agradado, sendo recebidos por
iiguns eom admiracao pelo extraordinarij pro-
rreaso que ltimamente teta lido a phok graphia.
por ootros eom alegra, por verem a prerracia
Jetada cem nm eMabeteeimento digno d ella, e in
nteatovelraenle o primeiro q Beasn genere
aoje possue : tambem nao noa ponpMios em couss
lguma para noota-lo no p em que se -h, W-
perando que o publico de Pernambnco saber
ipreciar nossos esforcos e recompensar noaase sa-
crificios.
Convidamos a todas aquellas pessoas, natoaes
s estrangeiras que goStam das arles, ou IrlerWi
aecessidade de trabalhos de photographia
tarem o nosso estabetecfmento, que estar .SrifefR
iberto e ana di3po9icao todos os dias desde H 7
Iwras da manbaa al as 6 da t*rde. ___
Para oa trabalhos da jhotographia pasramos di
fersas machinas dosmelhores autow* ffanWzWj
Qglezes e allmemSes, eemo sejam : Lereboflre l
secretan, Hermagis, Tllomaz Roes, Voigtlaflder el
ionh eWulf. ltimamente recebemos tres iwtai
machinasi sendo urna dellas propria para tomi
wbre o mesmo vidro 4 ou 8 imagens dlTefias t
soladas, e ontra dada 12 imagens diversas 8
igualmente soladas, de sorle que no caso dt
grande concurrencia poderemos retratar sobre
ama nica chapa at 8 pessoas diversas e sola-
las para cartoes de viita, e assim em men^s de
jm quarto de hora despachamos 8 difireme?
pessoas que pec.am cada urna, urna duzia de cartdes
nais ou menos, eom os seus retratos smente, ou
im grupo eom outras.
Encarregamos-nos exclusivamente da direc?Ic
i feilura dos trabalhos de photographia dei-
lando pericia e talentos do distincio pintoi
iIIodjo, o Sr.
Jorge A. Roth
js trabalhos de pintura, a aquarela, a oleo, e a
>astel.
O Sr. Roth acha-se ligado a noasa empresa por
ama escriptura publica, e at o presente tem-se
lesvellado na execucao de seus trabalhos.
No nosso eslabelecimerto acham-se expostos ou-
;ros trabalhos importank s do Sr. Roth, tanto em
niniaturas aquarella como oleo, reiratos i
-leo, quadros sacros e diversos outros trabalhos.
Tomamos encommeBdas de retraas oleo at c
:amnbo natural, assim como de quadros sacros
jara ornamentacao de igreias ou capellas. Tam-
bem aceitamos encommendas de quadros histori
os.
Asseguramos que os presos dos diversos tra-
oalhos da nossa casa sao mui rasoaveis.
CARTOES DE VISITA NAO COLORIDOS 10$00 A
DUZIA
OARTES DE VISITA CO.M O COLORDO AO NATU-
RAL A 16)5000 A DUZIA
Retrates em miniatura oleo ou aquarella dt
16 20*000 cada um, indo convenientemente en-
laixilhado em moldura dourada e regulando c
rosto da pessoa retratada de 3 i pollegadas e
ado o quadro palmo e meio de tamanho.
Julgamos^ue bastarao os precos cima para
larmos idea da baratesa dos trabalhos do nosso
istablecimonto, quanio sua perfeicao cada un
'enha julgar por seus proprios oihos.
As melhore3 horas para se lirarem retratos nc
josso estabeleciraento sao das 8 horas da manha
\ da tarde; entretanto de urna hora s 5 da tarde
m casos especiaes pde-se tambem retratar qual-
(uer pessoa.
os dias de chuva, ou por tempo sombro po-
temos retratar, e asseguramos que esses dias sao
a mais favoraveis aos trabalhos de photographia
pela docura e persistencia da luz, e per termos c
losso terrajo construido eom taes properc5es t
nelhoramentos, que amda chovendo jorros ne-
ahum inconveniente j!ba para fazer-se bellos re
Tatos.
J. Frreira VUUla
\ AMA
Precisase de ama ama: na roa Dirtrta n. 55,
Companhia americana e brasilei-
ra de paquetes a vapor.
Ateo dia 13 do correnle esperado de New-
York por S. Tnomaz e Para, o vapor americano
South America, o qual dopois da demora do eos-
(ume seguir para os portos do sul.
Para fretei e passagens, trata-se cora os agen-
tes Uenry Porster & C, ra do Commercio n. 8.
COMPANHIA BRAS1LE1RA
DE
|RUA DO IMPERADOR N. 26.
O proprietario deste estabelecimento avisa ao
seus numerosos e bons freguezes, que acaba t
preparar um grande sortimento das memores ge
eros do mercado para rechear ae despensas da-
quelles que tiverem bom paladar e disposicao pa
ra gastar os cobres, no tempo da festa do Natal
Abi encontraran ex solientes presentes de fiambre
vijnos, licores e eognac de todos os fabricantes,
boa cerveja, marmelada portugueza, ameixas em
caixinhas. conservas franceas e portugnezas, do-
ces de todas as qualidades seceos e em calda.
Tambem encontrarn bolinhos para cha de todat
as qualidades, bolos francezes e inglezes, pae-de-l,
pndins, tortas, amendoas confeitadas, e quantidade
do outros objectos que seria enfadonho enumerar.
AMA
Precisa-se de urna ama seeca, que saiba tratar
de um recemnascido : na ra da Aurora d. 84, 2
andar. .
r/ 9W
Paquetes a vapor.
_i Dos portos do norte esperado
at o dia 13 do correnle o vapor
Tocantins commandante J. M. Fer-
reira Franco, o qual depois da de
mora do costume seguir para os
do sul.
Desde jirecebem-se passaeeiros e engaja-se a
aarga que o vapor poder conauzir, a qual deveri
aer embarcada no dia de snachegada. En|mmen-
das e dinheiro a frete at as 2 horas da tarde
do dia da su? anida.
Xo se recebem como encommendas seno ob
|eetos de pequeo valor e que nao excedam a dnai
arrobas de peso on 8 palmos cbicos de medicao
fado quepassar destes limites de ver ser embar
eado como carga
Previne-se aos senhores passageiros que ana:
paasagens s se recebem na agencia, rna da Cru:
o. 57 primeiro andar, eacriptorio de Antonio Lu.
de Olivelra Azevedo A C.___________________
Cear.
Seprir uestes dias o biate Sobrdense, capitao
Costa, anda recebe alguraa earga a freie : a tra-
tar cem Sa Leitio Irmaos, ra da Madre de
Dos n. 1. *_.
CEARA'
segne eom brevidade o biate Flor lo Rio Grande o
a Matar cara Gomes de Mattos Iranios roa d:
Vlyario 16, 1 andar.____________________
AMA
Esta Agoa extra-
bi Ja das flores do
Pirus Japnica, pel
- sua suavidade e
^suas proprieda-
des benefioas,
exoede oe cos-
mticos mais oelbres; tendo sido &-
doptada por todaasooiedade elegante.|
Deitada nos banhos. d'um perfume
delicioso, consolida as oarnes e fas de-
saparecer as espinbtf, oomiohoes e as efflorescen-
oias d pella. _______
Moleque.
Precisa-se da ama ama, prefere-3e escravas,
para comprar e eosinhar em casa ds homem sol-
teiro : rna do Mrquez de Olind n. 53, arma-
armazera Uiiilo Mercantil. [ ^^_^
%^%.
Precisa se de uma ama que engomme e cosinbe
eom perfeicao para casa de homem soltelro ;
tratar na praea do Corpo Santo n. 21, 2.* andar.
S. L. M. das cinco
Deus bilhetes inteiros da 185 lotera da provin-
cia ns. 172 e 490.
O secretario,
i P. B. A. de Vasconcellos.
Na ra da Concordia n. 23 existe uma ca ta
vlnda da Europa para ser entregue a Antonio Jos
Pereira Pires Guimaraeg._____________
Companhia
Santa Thereza.
O senhores aecioalitas desta companhia podem
realisar a 4' entrada do capital subscripto a razo
de 10 0,0 at o da 25 do correnle mer, no escrip
lorio do director caixa o Exm. Sr. Bare da Sol
dade, praca do Corpo Santo.
Recife 13 de marjo de 1871.
O gerente,
Justino J. de S. Campos.
Precisa-se de nm moleque de 18 a 20 annos,
para fazer o servico externo do Elaminet : ra
do Imperador a. 31. A rneama casa precisa de
uma ama que saiba co^ej^ejjgommaj^ejavar.
OGRANDE PURIPICAtK DO SANGEJl
Esta excallente e adtnirave) medicina, e
preparada d'uma maoeira a mais scientifi-
ca por ChBncos e Drogtnst roOi doutos e
d'uma nstmecao profunJa, tendo Udo mui-
tos annos de experiencia ao par d'oma lori-
ga e laboriosa pratica.
A sua composicao rito consiste d'om sim-
ple extracto d'um s artigo; mas sim,
composta d'extractos d'um numero de rai-
zes, hervas, cascas, e foihas, posamndo to-
das ellas, sua virtude especial ou poder
em curar as molestias as quaes teen sede
ou essentot no sange o nos humores;
e estes diffarente extractos vegetaes, acham-
se por uma tal forma combinados ponto
di conservrtm em toda a sua forca, o cu-
rativo especial de virtude, que cada um de
per si possde. A raz da planta de Salsa-
parrilha, profliizida as Honduras, a que
na usamos nesta pfeparcao, sendo a qa-
lidade que todos os mdicos mais prezam
e estlmam. Na composicao da alsa-
parrilha de Rrfotol entra mais de 50
por c*ito deste concentrado extracto. Ella
ofc encerra em si cousa alguma, que pos-
sa por leve ser perigosa ou injuriosa
sade; e tanto n'este, como em quasi to-
dos os mais respeitos, ella inleiramente
diversa de todas cssas mais preparacoes.
as quaes debaiso do rime de Salsaparr-
Iha, sao accondlcionadas ou postas em gari
rafas pequeas, sendo receitada em doses
mui diminutas d'uma colher de cb por
cada vez. Nos pelo contrario engarrafa-
mos a
SALSAPARRIRA DE BRISTOL
em frascos grandes, e assim por este modo,
dividimos eom os consumidores, o grande
proveito e vantagem alcancado por aquelles
que acondicionam sua preparafo em gar-
rafas pequeas. Cada um dos frascos da
nossa Halsaparrllha de Bristol
oonteem a mdssa quantidade igual porco
contida naquellas garrafas pequeas, e alm
disso, possue anda muito mais forca e
virtude medicinal do que aquella, que por
ventura se pssa achar contida dentro de
seis garrafas^ de pequeo tamanho. Por-
tante mui natural, que aquelles, que se
acham oceupados em preparar e vender as
suas produeces, em garrafas pequeas;
murmurem e gritem contra os nossos fras-
cos grandes'.proclamando, que a nossa Sal-
saparrilha de Bristol nao possue a
menor virtude; porm quilo effectivamen-
te sao elles postos em silencio, quando indi-
aamos, ou Vnplesmente referimo-nos para
eom essas centenares de certidoes e tes-
lemunhos ajtitlienticos, por nos recebidos
de todas astlasses da sociedade, nos quaes
plenamente ^ttestam o peder curativo e vir-
tudes maravillosas da nossa.
SALSJMPARRILHA DE BRISTOL.
A wagfifde termos os-nossos pro-
prios agentes naquelles lugares aonde as
diferentes raizes, drogas, hervas, e plan-
tas de que ie compem as nossas medicinas,
sao produzidas, que nos habilita exer-
cer aquelle constante cuidado e disvello na
minuciosa escolha; e o que assegura e ga-
rante uniformidade de excellencia.
Em quanto que, por outro lado, nos n5o
aos poupamos nom dinheiro, nem dili-
gencias ; afim de alcancarmos o melhor
e nicamente o melhorde cada um artigo
ou ingridiente que entra na sua composi-
cao ; pois levados e compenetrados da
mais firme e persuasiva confianca; que po-
demos afoutamente dizer aos doentes de to-
das as naces, e de todos os paizes, que na
Salsaparrilha de Bristol. possuem
um remedio mais efficaz e seguro; do que
nenhum outro, que vos tenha sido offere-
cido at hoje, e o qual por certo n5o hade
mallograr vossas expectativas, na prompta
e effectiva cura das seguintes enfermidades:
Tinha,
SjTihilis^uMal Ve-
nreo
Humores Escrofu-
losos,
Irregularidades do
Sexo
Feminino,
Nervosidade,
Debilidade Geral,
Febra e Malignas e
Febre e Sezoes
Biliosas,
AROPE
PUBATlV
oDG!BERf
IMEMBRO DA ACLIDEMIAdeMEDICINA
Preparado por dcslauHIers.ph.
Sac0." De BbuTlGNY-DUHAKIEL
Ra de Clry Papls
O Xarope depurativo iodurado do Dou-
tor Gibert offereee, no sen emprego, nm
rsultado bom, certoe eofistahte na enra
das impigens, escrfulas, meilestiasdapelle,
Hicto ao sangm, omtr vcce* Ij/mpkatitj,
molestias contagiosas {/typhilttiees), leva
w meeteradas, ede teeas os accidentes que
d'ellas dependan.
A feeeita deste Xarope foi apnrovada
pela Academia imperial de Medicina de
Deposito nos principoee pharmacias do
em Pernambuco: Mae e Cta; JoAonn
Martihho da Cruz Corbei* ;- Joao da Cen-
cMfao Bravo e Cta; Asto Caous ;
BAartoLOMBO e C; Alexandee Ribeiro-,
A***v Ribeiro ; Joao da S* Fa*ia e Ibmao.
Joaquim Jos Gonpal-
ves Beltrao
Roa do Trapiche n, 17, Io andar.
Sacca por todos os paquetes sobre o banco de
iinho, em Braga, e sobre os seguintes logares en
Portugal:
Lisboa.
Porto.
Valenca.
Goimares.
Coimbra.
Chaves.
Viseo.
Villa do Conde.
Arcos de Val de Vez.
Vianna do Castello.
Ponte do Lima.
Villa Real.
Villa-Nova de Famelicio.
Lamego.
Lanos.
Covilhaa.
Vasca I Valpasso).
Mirandelia.
Beja.
Barcellos.
GRAUDES P(HlS
Qae ba praser vtiHP
NO
Bazar Acadcmioo
13-BA DA IBPERATniZ-IJ
0 resptiiave! publico pode prarer-t i
motias farendas, miudtzas e novidades, ^oe
vendemos moito barato a retalbo e eom I /
de menos dos precos annuocradossetttodB
50(9000 para cima, como te :
Bonitos cortes de 15a eseossem ner-
dernas. eom 15 e 10 '/* ovado 1 l$#.
amo. MnM,
Toaran wai e pret> a 1^9069
vado.
Delicados erjfees de renda desedaprtlji
eom vidrilhos e contal, proprios para art
de igrejn a 500 eaa um.
E egantes caixinhas eott tima dwia floos lencos de ikiho abanbados a....
imo.
Bonitos chapeos de seda inglezes, do sol
cora cabo de marflm, para bomerts e sute-
ras a W, e a 140.00.
Chapeos de parale fiaos, de cresy pto-
prios para o campo ou para crianc ir par
0 collegio, de 14500 3*069 cada ora.
Bengalas de 800 rs. HISQO cada un.
Ricas co'xas pello de loutra eom dos
vistas, novidade de Paris, a lOJOOO eada
uma. Colxas adamascadas de algodo, bran-
cas e de cores de 2^800 a 54500 cada
uma.
Gaardanapos de linho a 25800 a d-
zia. Toalh'aS felpudas a 1 l^rOOO a dM*,
de linho para mo a 6i55X) a dii/ia. Meias
inglezas muito finas para hurr.ens, de....
5^500 a 7.5500 a duzia, e para meamos
tambem inglezas de 4^500 a 5)5000 a dttfi*.
Bicos peles avelud dos para quatro
cadeiras a 270O0 cada um, e menores a
G5500. Capachos redondos a 15000. F-
nissimo madapolo frar coz enfestado pt?a
de i'i jardas a ICfiOOO.
Grvalas Bismaik a 3#0C0 cada nma,
estreitas e eom taco de cores e jiretis a
400 rs. cada lima. Fitas pr las de velludo
de 6'0 rs. a pc a 15280 a vara, (argaa).
Ditas de setim de todas as cores de tt. 1
a 0, de 300 600 is. a pe, e do sarje a.
1 sem beira a 600 rs. a peca. 8 bonetes
grandes e finos de Piver a 25 e 3$C00, a
duz a.
Colheres de meta! principe para cha a
para sopa de 2A500 5;>000 a duzia .Sor-
timento de facas e garfas. Temos de 3
bonitas bandejas de ."5, a !2$0O0cada nm.
Copos de vidro fines lapidados, para
agua a 480Q.a duzia. Cauces de vidro
verdee i.\o para vinho a 3/J20O a duzia
Modernos chapeos para borneas, G.ma ve-
locpedo a 50C0. e de feliro preto 'e da
cores, bonitos e proprios para banhos me
Olinda, a 35500. E mnilas outras cooass
que dtisamos de mpncionar neste annuncio
e menci ifiaremos no que brevementto Hare-
mos, e vendemos tarr.li-m barato.
S4B0MTES
Grande pechiocha de saJonetea legtimos trn-
celes de Piver, vemie-se a 2* e a 5*500 a duzia,
era caixinhas de tre sabaneas, auaixji-se que e
a maior pechincha que ha no mercado depois da
paz em Franca, e muilas outras cou-as por preces
baratsimos : encontrar o respcitavl publico no
Bazar Acadmico, rui da Itnptratrizn. 13.
13Ra da Imperatriz13
UIiE HiMAO.
Bartholomeu & C,
Escrfulas,
Chagas antigs,
Ulceras,
Feridas Ulcerosas,
Tumores
Abscessos Apostemas
Erupces,
Herpes,
Salsagem
Impigens
retirarle
5ut celar
ruz n. 65,
brevidade o pa-
* rmtr; para o resto da
eom ot consignatarios
^a Azevedo & C, rna do
>oa e Porto
mo a ebeear
AMA
Precisa-se de urna ama para
easa de pouca familia : ra es-
trefU do Rosario n. 31, 3 andar.
Precisa-se alugar um homem forro ou es-
cravo para o servico ordinario de ama padaria :
oa roa da Senzala Nova n. 30.
Precisa-se fallar ao Sr. Joo Tenorio Perei-
ra da Moras a negocio de sen interesse : i rna
da Cruz n. 8, t* andar. ^^____
em noucos I _
Urna familia estrangelra
para Europa, precisa de orna criada
duas crianzas : a tratar na ra da
! andar.
IM N 010
Rtia do Ba?*3o da
Victoria,
Outr'ora ra Nova n. 63 e casas
do costme.
Bilhetes garantidos da pro
Tela.
O abaixo assignado acaba de vender entre ot
seus muito felizei bilhetes asorte de 900*000 em
um meio bilhete de n. 2.009, a sorte de 400* em
dous quartos de n 2,980, e dous quartos de n.
2,943 eom a sorte de 200*, alem de outras sertes
menores de 40* a 20* da latera que se acabou
de extrahir (184), podendo seos poasuidorea virem
recebar, qne promptamenie serao pagos.
0 mesmo abaixo assignado convida ao respei-
tavel publico para vir no sen esiabelecimentc
comprar os felizes bilhetes garantidos, que nac
deixar de tirar qualquer premio como prova pelo
mesmoe annuncios.
Acham-se venda os muito felizes bilhetes ga
rantidos da 1* parte das loteras em beneficio da
gruja matriz do Ex, que ser extrahida qaarta-
Wr. ludo me. corrente.^
Intelro 0*000]
Meio 3*000
Quarto 1*500
De 1004000 para cima.
Inteiro 5*400
Meio 2*700
Quarto 1*330
Joao Joaquim da Costa Leita.
Preeb
so de i
ra, o tratar
~>rBaT
Lepra, febres intermitientes e remitientes,
hydropesia e ictericia, etc., etc.
Ontrf^sim, achar-se-ha, que para o bom
resaltado e perfeito curativo de todas aquel-
las enfermidades cima apontadas o adian-
tamento da cura, grandemente promovi-
do e apressurado; usando s ao mesmo
tempo das nossas mui valiosa pllulas
vegetaes anacarada de Brlstol.
tomadas em doses maderadas em connec-
c5o ou conjunctamente eom ar Salsaparrilha;
ellas fazem remover e expellir grandes
quantidades de- materias morbficas e hu-
mores viciados que se desprendem e livre-
msntd circulan espalhados pelo systema,
isto causado pelo uso da Salsaparrilha; 8
por esta forma facilita a volta e o exercicio
norntai das-operacoes funeeionaes,
Vinho, Pilulas, Xaropb s Tintuiu
di jururbb4 simples k ferruginoso;
Oleo, Pomadae Emplastro da misuj
planta preparad08 por
BaRTHOLOMO & c
PHARMACEUTIC08-DR0QUISTAI
PEKfUIBl'CO
A Jirafceb : plnu fcofi rcoiheid.
como o mi poderoo tnico, como o !
dol>uenM, como Ul peinad doi pdecuanlo.
do Qgdoo b^o, hepatlie, Aatau, tamer inUr
ot e tspcialinnu do alero, bjdropeiM, ifi-
psllt, efej socid. o fm> aul ui piltiin
core, calorlo (*1U de menitralcio, dewrru-
jo. do e.lomgo. etc., e o qie jJmoio MtaiUi
innumem onn inprunlei oktidei lo"
Srepmdoi j l.em conheeidoi e Mdojpelei tK
toi.oi depoiiio dwlnbtimoi biUi foUwl* *
' wU-rtf-________________
Feitor.
Precisa-?e de um trabalhadir para tratar
um sitio pequeo, d se casa propria pnr mor-r,
e pagase a secca, preferido bom.m casad : a
tratar na ra Nova n. 19, anJar.
CASA DA FORTUNA ,
Aos 5:000*
Bilhetes garantidos.
\ ru Primeiro de Marco (outr'ora roa do
Crespo) n. 23 e casas do costume.
0 abaixo assignado, tendo vendido nos sensfo-
liies biibotes uti meio n. 2009 eom 900JMW,
um quarto n. 2980 eom 400*1000, uro quarto n.
2M3 eom 200, qoatro quartos n. 373 eom WW,
dous quartos n. 1355 coiu Kl nm jntoiroo.4M
eom 1001 e outras sones de 40*000 e tOfaw a
loteria que se acabou de extrahir (184*), convi-
da aos possuidores a virem receber na caa-
midade do costume sem descont aigiiro.
Acbam-se venda os bilbeies aranuioa da
I parte das loteras, a beneficio da matriz i
Ex (185.') que e extrahir tcr?afeira 1* o
crrente mer. ^^
Bilhete inteiro *000
Meio bilhete 3#000
Quarto U00
Em porcio de 100|000 para cima
Bilhete inteiro 5*400
Meio bilhete *700
Quarto 1*350
Manoel Martins Fix.

SAQUES
Lima & Pilho saccam sobre
ra do Apollo n. 4.
MARTIMOS
E
COfTRi FOGO* M
A companhia Indemnisadora, estabelecida
oesta praca, toma seguros maritimos sobre
navios e seus carregamentos e contra 'ogo
em edificios, m rcadoriis e mobilias: n
rna do Vicario n. 4, pavimento terreo.
-M-Mi
loo do Reg
praca de Lisboa
1 ADVOCADOS,
Joao Barbalho
il-
r Jos Diniz*-Barretto
Ra do Imperador n. 32.
_ Mivanfi
TAPIOCaDO PARA'
No eacriptorio de Joaquim Gerardo de Bastos
i rna do Vigario n. 16,1" andar, vndese boa ta-
pioca do Para : os pretendentes certifiear-se-nso
vendo-a no trapiche Bario do Livramento
Porte do Mattos.
ensinsr as
iiili
Precisa-se
Precisa-se do nma ama livro ou escra- g
va para andar eom uma m^uina de seis |
mezes: na rna dos Mirtyrios n. 2, 2* an-
dar, on na povoacao dos Afogados, casa -g
iaRHI'Wl I
Na ra do Hospicio n. 30, existe urna carta
Preeisa-se alugar nma. forra, para comprar ele urna encommenda para o Sr. Franeiseo Moma
I costnbar : na roa do Gabug n. 2 B. 1 Vontes, eDgenno Capivara.
AMA
de ngnsto Ceaar da Gj
ENSINO t m
O bacharel Jos Hygmo Duarte Ferelfa
propoVse a ensinar francez, geographia
e Iiitoria, em casa da sua residencia a
ra da Imperatriz, n. 63, i* andar, onde
p( dora ser procurado a qualquer hora
do dia.
TERDiDEIRO LE RO I
- Um moco habilitado, prop3e-se a
seguintes materias: francez, ingle: lauo, a*e
bra e geometria, das 4 s 6 Wm**?JS
tambem pode ensinar as casasJ*?',
'"a* ********
eia par* a casa n. 11 da roa do Viaeon-
^_
da mslriz da Boa-vista, onde pode ser
i estabele.'idas para C
mmmmmfm
lia cade garrafa, val, entra a rolha a o HPd |
que leva o mcu ilaete, nm rotula lmproao eaa "
raUocom o 'vlo Uriu no on
S
* ^


Diario de Pernambuco Segunda eira 13 de Marqo de 18'1
i
,4*
h
AOS 6:000^000
SsUo renta os Mixes bilhetee da lotera da
Babia, na caaa feliz do arco da Conoeicio, loja de
tmftm ao Becife.________________________
0 Sr. Miguel Gandido de Medeiros
Pinfr rogado a vir a esta typographia.
Ha praca da independencia n. 33 se da di
rtatrn irl penhores de ouro, prata e pedrai
aredosas, teja qual (or a quantia; e na mesan
uaae compra e vende objectos de onro epraU
i|Hhiwwiin se fu toda e qaalqner obra de en
uateada, e todo e qoalqaer concert tendent-
i mama arte____________________________
DE
Amorim Fragosa San-
tos & C.
Dividendos pagar.
Existindo anda por pagar diversos senhores
rederos as importancias que Ihes tocaram no i",
2* 3*. 4* 5' e 6* dividendos, sao pelo presente con-
vidados para virem on mandaren) receber co.n a
mxima brevidade, sendo os pagamentos eitos
vista dos documentos, todas as segundas e quin-
us-feiras daj 11 boras da manhaa % 1 da tarde,
no escriptorio ra do gario n. 13, andar.
FTavine se aos senhores credores de q.e, at o
da 31 de marco prximo, podem receber no es-
criptorio cima indicado, e depois no deposito
publico, onde tem de ser recolbidas as quantias
nao reclamadas al aquello dia. Recite 20 de fe-
vereiro de 1871.
\S\
BERTHOLINI C.
ANTIGA, Eli, CONHECJM FABRICA. ^^
DE
CHAPEOS DE SOL
DA
Ra do Barao da Victoria, esquina da Camba, do Carino, n. 23 (ntiga Ra Nova")
Temos honra de participar a nossos numerosos fregueses que com a cbegada de nm des socios da Europa, snprio-se a
casa com om completo sortimenlo de chapeos de sol de todas as qoalidades como tambem, de todos os materiaes para os mesmos
fabrico, como sejam armagoes de todas as qoalidades, sedas, mirins, alpacas e pannos, assim como de especial cotbikria, armas
para caca.chombeiros e polvarinhos. Os chapeos de solterSo abatimento de 12, 15 e 2S por cento, comprando dinbeiro.
Acaban de chegar pan o Bazar Universal da
ra do Bario da Vietoria, n. M, as afamadas ma-
chinas silenciosas para costara, aa quaes tornam-
se reeommendavels pela sua boa qualidade, bem
como todas as mais que existem no mesmo estabe-
lecimento.
Attenclo
Na roa estreito do Rosario, sobrado de nm
andar n. 38, fax-te teda eneoomenda de flores
para a quaresm, palmas, estoes, sepo para or-
nar es saiotes dos aojos, roas, calzos para capa-
cetes e andor, todo por barato preco, tanta para
dentro da cidade como para (ora, qaalqner encom-
menda que queiram, eapellas e palmas para ima-
gens e reos, ramos para domingo de Ramos, tudo
aprompta-secem perfeicSo e por preco commodo.
DO
DE
BRELAZ ABT i C.
121 Regent Street W. Lnudres,
aft
I
o
aO
aO
Precisase de orna ami que engomme com
perfeicao : i roa Duque de Caxias n. 49, loja
Bival sem segundo._______________________
ATTENJAO
O absixo assignado d a qaantia de 100*000 a
quem Ibe apresentar o cavallo caxito, de bom ta-
manbo e com os signaes segnintes : magreirao,
denles quebrados, estrella grande na testa, marca
velh de tope em um dos joelhos, p esquerdo
calcado e andador de pouco a esquipar, cojo ca-
vallo lbe pertence e foi ha cerca de 15 das tur-
lado no termo da Escada.
E querendo lacear mo dos recursos legaes
contra quem furlou esse cavallo, d mais a qaan-
tia de 400*060 rs. a quem lbe prestar inf.irma-
edes exactas e que o levem a eonhecer o autor
do referido furto : prometiendo nao rcvellar o no-
me da pessoa que lbe prestar taes infurmaedes.
Engenho Limera, 3 de marco de 1871.
Henrique Marques Lins.
Precisa-se de ama ama que seja boa cot-
nbeirs, paga-se bem agradando : na roa o Mar-
ques de Pirada n. 81, foja.
Precisa-se de ama, ama forra oa escrava
para easa de dnas pessoas : no Corredor do Bto-
po n. 36. ___________________
Precisase
de dons amasadores na padaria bespanhola em
Santo Amaro.
Precisa-se de urna ama para easa de pone a
familia : ra do Hondego o. 61 _______
z
ATTENCAO
Custodio Jos Alves Guimaraes, nico
cco gerente da casa commercial de Gui-
martes, Pontes qoem interessar possa. que est promo-
veodo a dissoluc5o da mesma Arma, e en-
trar em segoida na respectiva liquidarlo,
sendo que n3o ha letras pelas quaes esteja
a firma responsavel, e nem o annunciante
as pretende firmar dorante a mesma disso-
loc5o e liquidado.
Custodio Jos kes Guimares.
COMPANHIA
DOS
TRILHOS DRBAOS
DO _____
RECIFE A9 OIiI\OA.
AVISO.
Tendo apparecido na circolacao algons
bilhetes falsificodos, roga-se aos possuido-
res de bilbetes emillidos por falta de troco
miodo, tenham a bondade de recolbe-los ou
troca-tos por ootros competentemeate ca-
rimbados, pois, que do 1. de abril em
diante nao sero mais acceitos nos wagoes
nem estacos bilbete algum que nao tenba
o competente carimbo.
Na estacao da ra da Aurora se trocar
effectivamente at o iim de marco os bilbe-
tes no carimbados por outros lega'isados
ou por dinbeiro.
Recife, 22 de fevereiro de 1871.
O superintendente,
A. de Abreti Porto.
Este antigo estabelecimento, acha-se hoje montado n'uma
asala de poder servir vantajosament os seus freguezes, atien-
to o grande sortimento de joias d'onro, prata 0 brilhantes, qne
sempre tem e recebem mensalmente das principaes fabricas da
Europa- enjos presos sao em competiveis e as obras garantidas
de lei.
Mindello Oliveira & C, scientificam as pes-
soas com quem enlreteem relacSes commerciaes.
especialmente aos seos devedores, que desde 27
de dezembro do anoo prximo passado, se relirou
de sea seivice commercial e Sr. Joao Baptista da
Crnr, e que so aos annoncianles deve ser paga
qualquer importancia vendida a crdito por
aquelle senhor dorante o lempo que esteve em
sua casa.
Recife, 9 de marco de 1871._____________
PFLA SEGUNDA VEZ
roga se ao Sr. Joaqoim Dias de Almeida
Costa de apparecer no Forte do Mattos n.
23, armazem, negocio que o mesmo nao
ignora.
AV
RO
DYVETOT
nica ca*a ueste genero
HRna Estrella do Rosario-M
Compra e vende roupa feita
nova e velha, objectos de
cosinha e de mesa, e
tudo que perten-
ce ao uso do-
mestico.
itIOREIRA HARTE
Engenho.
Traspassa se o arrendamenlo de um grande
engenho d'agua, a 4 leguas da estadio de Una, ne-
gociandr se mui cmodamente a safTra para cerca
de ,000 paes: i tratar na ra do Livramento n.
19, 2* andar, ou loj n. 14. ___________
Caruaru\
Imperial Instituto
DE
N. S. do Bom Conselho
Dirigido pelo
tfaeharel Antonio Columbano Serapbieo de Assis
Carvalho.
Achara se funecionando, neste insiitate, asan-
las de primeiras let'.ras, latim, francez, ingtez e
portuguez, e tero comeco no da 1 de marco do
crreme armo, os de geographia, geometra, pbilo
sophia. arithmetiea e historia universal.
Aluga-se um sitio por preco commodo, com
asa de vivenda propria para duas familias, por
ser grande e estar dividida, com bastante arvores
< e tracto, viveiro, ete. ; confronte ao cbafariz: na
Passagem da Magdalena, tratar no mesmo.
A pessoa que julgar-se habilitada para
| dar liefes de primeiras letras, de gram-
i matice latina e francesa, msica, equizer
! ensinaressas disciplinas em um engenho
I prximo una das estac9es da estrada
tde ferro, pode dirigir-se ra Nova de
Santa Rita, sobrado n. 13, 1 andar, que
encontrar aHi com quem entender-se.
9 ^wi^r ^Hav^aQ^a? i^di^p ^asv^^s^Mi
S. L. PLUTO
Pertencem mesma os meies bilbetes ns. 4,01 J
43 5,205 da 147 lotera do Rio de Janeiro.
F. X. Ferreira,
Secretario.
AMA.
Precisa-se de orna ama sngommadeira : na ra
lo.Imperador n.57, 2 andar, entrada pelo caes
32 de Sovembro.
fi. Rita Mara da Natividade Magalbaes, tendo
4e andar celebrar algumas missas e memento,
na igreja de ossa Sen hora do Carmo, em o dia
43 de correte, pelas 7 oras da manbSa, aoni-
versaro do fallecimento de eea presado marido
Pela Francisco da Sonra Magalbaes, roga a udos
m prenles e amigos do mesmo fallecido o favor
de assistirem a esee acto religioso; pelo que des-
de j anieeipa sua eterna graildo.
ij
do obrado na
na -travessa da
Ama.
Preeisa-se de ama ama para case, de pouca fa-
milia : na roa do Mrquez de Olinda n. 17.
-== AliiM^s^^egujM^oaaaar
roa do Vigario n. 22 : a tratar
.Madre de Peo a. 19.___________
ATTENCAO
Pretenda-** orna aKier que i tenba embar-
cado para aeompanbar ama familia ate Lisboa e
tratar de ious meninos : a qoem iotressar pode
dirigir se i roa da Aurora n. 24 paraee eenven-
refere-so esfrangeira ____
} lHflra:
MANUEL & C.
Tem a sansfaclo d >articipar aos seos numerosos fregnezes, qoe em vista de ser-Ibes mais commodo, tem
estabelecido ama nova fabrica de chapeos de sol, na ra da Cadeia do Recife n. 9, beje rna do Manraez de Olinda,
onde acharSo os pretendentes, muilo avultado sortimento de cbapos de sol de todos os precos, qualidades e por pro-
cos mas commodos do que comporta o nosso mercado: convidam especialmente aos Srs. compradores por atacado
darem, sendo possivel snas encommendas, pois podero assim serem mais bem servidos, visto poderem escolher as ar-
maces as lazendas que a demora da fabricaco bem diminuta.
h\- RIJA DO UBiO U VICTORIA \K
Neste novo armazem tem nm
variado sortimento de fazendas
francezas, inglezas, allemlas e to-
das todas se vendem por precos
mdicos, afim de acreditar a este
novo armazem.
Casemiras inglezas,
francezas, de todas as
qoalidades, brins de
cores e brancos, colei-
rihhos modernos, cha-
peos de sol de seda,
finos.
DE
ARRUDA
RA
Baro da victoria
aitifa ru
NOVA
N. 41.
Assim como tem orna grande
oficina de alfaiate, montada com
todos os preparas que ha de melbor
dirigida por habis artistas, que
pela sua promptidSo e perfei?3o
nada deixam a desejar.
Roopa de todos os
amanhos para homens
meninos.
Por todos os paque
tes recebem-se as me-
mores e mais moder-
nas casemiras que ha
na Europa.
RA
Bario dal victoria
ntiga rna
NOVA
N. 41.
Este estabelecimento acaba de softrer urna reforma radical em acceio, artistas e commodos, e em pontoalidade as encom-
mendas, finalmente em tudo afim de melhor servir os seos numerosos freguexes deia-se de annunciar todas as fazendas, para
nao se tornar massante ___
Companhia Allian^a
DE
seguros martimos estabelecida
na Baha em 15 de Janeiro
de 1870.
CAPITAL..Rs. 2,000:000*000.
Toma seguro de mercadonas e dinaeiro a risco
martimo em navios de vella e vapores para den-
tro e fra do Imperio. Agenci i 4 roa do Com-
merclo n 17, escriptorio de Joaqun Jos Gon-
calves Beltrao.
PRQfEIRO E ANTIGO CONSULTORIO
HOMEOPATHICO
Dirigido pelo Dr.
SANTOS MELLO
Os habitantes do interior podem-no
consultar por escriplo, no que serio sa-
tisfeitos com promptidao.
Presta-se tambem a chamados para o
interior, a preco mdico.
Consullas, no consultorio das 10 horas
ao meio da.
Chamados, a qaalqner hora.
Aos pobres gratis.
48Ra do Bario da Victoria43
(Amiga roa Nova).
MOFINA
-ae ao Illm. Sr. Ignacio V.eira da Mello, \
crivo na cidade deNaiareth desta provincia.
tnoT de vir a rna do Imperador n. 18 a concluir
aquelle negocio qoe V. S. ae comprometten reali-
sar, pela terceira chamada deste jornal, em fus
de deiembro prximo paseado, e depois para Ja-
neiro, paesoa a fevereiro e abril, e nada carnario,
e por esle motivo de aovo chamado para dito
flm ; pois ?. S. se deve lembrar qoe este negocio
de mais de orto amos, e quaudo o senher san
fllho se aebava no estado nesta cidade.
GRANDE ARMAZEM
DE
LIGA, PORCELANA, VIMOS
CHRYSTAES
DE
PER EIRA, IRRUIOS
Ra Primeiro de mareo n. 15, outr'ora ra do Crespo n. 15.
Ao mpeitavel publico em geral e particularou-nte aos seus numerosos amigos
partlcipam Manoel Joaquim Pereira e Manoel Jos da Costa Pereira, que acabara de
fundar um rico e somptuoso armazem de lou?a, porcelana, vidros e cbystaes rna
Primeiro de Marco, outr'ora roa o Crespo n. 15, sob a razo social Pereira d
IrmSos.
A longa pratica e conhecimentos de qne dispoem os annunciantes neste ramo
de commercio, a que, ba muitos annos, se dedicam, os tem habilitado a satisfazer as
necessidades da populacao desta provincia e snas limitrophes, offerecendo aos consu-
midores maiores vantagens do que qualqoer ontro estabelecimento deste genero.
O respeitavel publico, dignndose de visitar este novo estabelecimento] com*
mercial, verificar por si mesmo o que es annunciantes vem de dizer.
Na ra da Imperatriz n. 3, %
gam-fe daas ne^in
pera
iba.,
andar,
ama de li aune aran
CONTINUANDO
como aDtes, oa roa Formosa ti. 14, lenbo a honra de pedir a generosa proteccao do
ala- ilustre publico edas Exm.M familias em todos os ramos em qoe at agora m'a dsr

Becife, 28 de fevereiro de 1871.
'aro Wrrllwimer.
Tasso Irmao A C precisara fallar ao Sr. Anto-
nio Buarque de Lima, residente em Caruar ou com
o seu correspondente nesta preca : ra do Amo
rim n. 37, escriptorio. ___^_________
Para casa estrangeira procura-se urna per-
feita cosinheira, dndose preferencia a urna es-
trangeira : tratar no Corpo Santo n. 13.______
Casa para alugar
Aluga se o 2 andar do sobrado n. 30, praca
do Conde d'Eu, grande, arejado, com agua do
Prata, e gaz canalisado, cano de esgolo e banhei-
ro ; tem a sala de jantar e um gabinete forrados
de papel, um quarto idem e esteirado, a sala de
visita idem com o assoalho coberto de bellissirao
tapete belga ; a casa acha-se no mais perfeito
estado de asseio, e todas as bemleitorias contam
apenas 18 das de existencia : quem desejar fazer
acqnisiclo de urna excellente moradia sem traba-
lho de nella reunir o til ao agradavel a urna fa-
milia, pagando as mesmas benifeilorias, pode en
tender-se no referido 2* andar, ou ra da Ca-
deia n 33.
***** ** ***** **
*
Ruada luapratrlz n. 35. 0
Tinge, lava, limpa, lustra e achamalo- 2M
J ta-se com a maior perfeicjio, fazendas em ??
$t pecas e em obras de todas as qnalidades, J9
como sejam : seda, 15a, algoda >, linho, n
-. cbapos de feltro e de palh,etc.,etc. 3
@ Tira-se nodoas e limpa se a seceo sem ySt
molhar os tecidos, conservando assim to- M
-. doo brilho da faz cda. X
O Tintura preta as tercas e sextas-feiras. 9
*&******** ***^
^^^
Precisa-se de ama ama de lei te sem fllho :
tratar na ra estreita do Rosario n. 3, drogarii
homeopalhica. _________
Sp

Joaquim Rodrigues Tavares de Mello, tendo de
commemorar na qaarta-feira 15 do vigente o pri-
meiro aniversario de sua sempre lembrada espo-
sa B. Carolina Ursulina dos Santos Mello, convida
a seus parentei e amigos para que se dignem as-
sistir a celebracao de algumas missas em suffra-
gio do espirito de sua finada consorte; as quaes
serao ditas das 7 para as 8 horas da manhaa, na
igreja da Yeneravel Ordem Terceira de S. Frau-
cisco.
Em seguida mandar celebrar um memento so-
lemne pelo eterno repouso da mesma finada.
Desde j, nui eordialmeole agradece a todos
os seus parentes e pessoas de sua amisade qne
bondosamente o obsequiaren), assisiinde a estes
actos preceituados pela nossa santa religio, pelo
qne, gravaro em sua alma perenne reconbeci-
menlo. _______,
Todos os senhares que su screveram e paga
ram qaalqner quantia para os projeetados (este
ios da Capunga sao convidados a compare cer na
casa da ra da Ventara n. 2 no dia terca-feira 14
do correte, as 6 horas da Urde, afim de resol-
verse definitivamente sobre o deslino que deve
dar-se ao dinheiro e objectos que houver em ser,
ficando desde j entendido que a opiqio daquelles
senhores qne nao comparecerem ser considerada
de accordo com o que resolver a maioria dos pre-
sentes, i ._________
AMA
Precisa-se de nma ama hvre. que
engomme e lave : rna Nova n
Moleque.
Precisa- se de om moleque para andar com ama
U^boleana rna : na na do Cabug n. 7 A.
CASA DA FORTUNA.
RA DE MARCO OUTR'ORA DO
CRESPO N. 23.
Aos 20:000^000.
O abaixo assignado tem sempre exposlo ven-
da os fellxes bilhetes do Rio de Janeiro, pagando
oromptameote, como cestuma, qualquer premio.
PRECOS.
Inleiro 24*000.
Meio 12*009.
Quarto 6*000.
Manoel Marlins Finta.
Precisa se de um ama para eoxinhar e la-
zer compras para css de homem so tetro: na rna
do Direita n. 8. ______________"
Precisa-se de um Ciixriro de 12 a 14 annos,
qne teona pratica de molhados, prefere-se porta-
guez : no pateo do Carmo n. 0.
gnorande-se o lugar onde mora o Sr. Jos
Columbrino de Arauj) Lima, pelo presente cha-
mado 4 fundi;ao da Aurora para concluir asna
bypotheca, visto estar a casa em ligaidagao.
Precisa-se de urna ama que lave e engomme
com aeriejejio : n rna do Paran d* Victoria nu>
25.
Na travessa
das Crnzes n,
meiro andar,
nhelro sobre
de onro, prata e brilhan-
tes, seja qual for a quan-
tia. Na mesma casa com-
pram-se os mesmos me-
taes e pedras.______
ililillliiili
Aluga-se a casa da ra Imperial o. 250 com
a:commoac.5es para familia : para ver, na casa
junto, e para tratar na praca da Independencia
n. 2. ______________
Atttnc&o.
Vende se um cabriolet de quatro rodas, coberto
e com arreios : a tratar na ra lo Imperador bu-
mero 9._______________________^______
D-se 2:000*000 a juros sobre hypotheca
em bens de raz : tratar nesta typographia.
TABERNA
Vende-se a bem afreguezada taberna do ele-
phante.com poneos fondos, propria paraprincipiac-
te, junto ao quartel do Hospicio n. 26, ecom com-
mo dos para familia : tratar na mesma.
Pela segunda vez pede-se aos Srs. Trajano
Cesar de Albuquerque e seu mano Juventino C.
de Albuquerque o favor comparecerem loja da
roa da Imperatriz n. 48 a negocios que nao igno-
ram. '
SOCIO
Precisa-se para nma loj de todos os oblecto?,
,de um socio gerente que entre cora 10 on 12 ce-
ios de reis: para iofrmacSes dirija-se fechada a W. M. S., no escriptorio deste jornal.
AO PUBLICO
Por deliberao da mesa regedora da irmandade
de S. da Lnz, erecta na igreja de S. Jos de
Riba-Mar, scienlico a todos os seus irmaos e ao
respeitavel publico, em face do artigo 7o do nosso
'orapromisso seb a solacio da mesa geral de 5 do
correte, esta resolver que se promovesse a fac-
tura das catacumbas no cemiterio publico para
jazico de seus irmaos e Albos menores, em vista
da deliberacao tomada pela mesa regedora para
esse flm; da qual rennira-se em sessio de 8 do
corrente afim de promoverem commissoes para
agenciar de todos os irmaos existentes na mesma
Irmandade, em face do artigo 13 do nosso compro-
misso a quantia de 10. para assim terem o direi-
to s mesmas; cujas commissoes ficaram assim
organisadas:
Fr Maaoel dos Santos Araujo MelloPresidente.
Belchior Miguel dos Santos Se:reUrio.
Francisco Rorges de SouzaThesoureire.
Frcguezia de Santo Antonio.
Joo Francisco de PanlaPresidente.
Ignacio Alves da Silva Morae*Secretario.
Luiz Antonio BeloncioThesoureiro.
Boa-Visia.
Leandro Honorino Jo- de SampaioPresidente.
Lnn Alves Les'a Pimentel-SecretarK
Joao Francisco Rages da LnzThesoureiro.
Recife.
Antonio Polycarpo de SallesPresidente.
Francisco Leopoldo Xavier de SeixaeSecretario.
Domingos Jos de Souza BragaThesoureiro.
Os mesmos irmSos cima achara se antorisados
pela mesa regedora a receberem as ditas cotas e
razerem a observa{is no verso das referidas pa-
tentes.
Secretaria da irmandade de N. S. da Lnz aos 9
dias do mez de marco de 1871.
Bellarmino Pinto de Paira,
Secretorio.
Preccisa-se de um escravo de raeia idadr
tratar nesta typographia.
\,^V
Em Sani'n.nna, no sitio defronte da esUgo do
mesmo nome, precisa-se de ama ama para cozi-
nhar, forra on escrava, quer-se nacional : a tal-
lar no mesmo sitio, on oa loja de louca da roa do
Imperador n. 46.
Illlillllllij
ADVOGADO
Dn. Joaquim Cobr a de Araujo
67Ra do Imperador67
IMKiiBfl BttftKMBl
Sociedade Amor a Beneflcenoa dos Ta-
lbadores de Carnes Verdes.
De ordem do Sr. pre dente interino sao convi-
dado s todos es socios para comparecrem no dia
13, segunda-feira, pelas 7 horas da noote, no ed1-
licio da roa de Santa Rita Nova o. I, para assis-
tirem a posse da directora effectiva, assim como
verem as contas apresentadas pela directora qne
termina.
Sala da soiiedade, 9 do marco de 1871.
Clarindo GrteianodaSi
l aeareiario.
Precisa-se de urna na para eorinhar:
na rna de Hartas n. 30.
iiua de ieite
Precisa-se de nma ama para amametor_oma
cria 05a recem-nascida : na
rio n. 31,3* aid.tr,
roa estreita do Rosa-
Ama.
Offerece-se
para cozinbar e
Moeda n. 13, 2 a



mtsw
'' '&\'"' atS? *&&&"*>
?&>.%* A'WV*:
^**: ^^8
Z>B
u&buoo
Bie
liOd
* arnuzcni d Va-
! Franeez, ra
Bario 4a Victo-
ria (oatr'ora roa
Hora) f.
Aa arnaazent do Va-
per Francez, roa
4o Bario da victo-
ria (oatr'ora ra
Nora) n. .
Perfumaras, quinquilharias e brinquedos
para meninos.
Acanta de chegar novas talaras com importante sortimento dos artigos abaixo mencionados
rejos mais resumido que possivel.
m uid
FAZERDAS PRETAS PARA A QARESMA
Na na da Imperatriz n. 72 loja da Arara
Farinha de mandioca
do Maranho
Vende-se no escripiorio de Joaqnim Gerardo de
Bastos boa farinha de mandioca do Maranho em
saceos reculares : a ra do Vigario n. 16, prl-
meiro andar.
Alpacas de cara
Vende-se alpaca de cores para vestidos,
500 e 40 w. o cowdo.
Galgas para calis
Vende-se gangas escoras para caigas de
comeos e rorpa para meninos a 240 o co-
CALCADO
Botiaas para seoberaeduraque braneo, preto
da ootras omitas odres escomidas do ultimo gos-
to da moda.
Botinas para meninas igual sortimento.
Sapatmhos de salto para senhoraduraqne pre-
so, braneo e de cores, e de eouro de lustro.
Botinbas para criancas, proprias de baptlsa-
flos.
Botinas de diversas qualidades para taomem.
Botas rossianas para montara, tanto ingiezas
de couro da Russia para viagem, como francesas
de Melier, beierro fino, para passeios.
Meias perneiras para meninos de 10 a 16 an-
aos.
Sapatos de brim braneo para homens.
Sapatos de vaqueta de lustro com sola de ma-
leira, proprios para banbos.
Sapatos de borracha para homens e senhoras.
Sapatos abotinados, de difTerentes modelos, mul-
to boas e fortes para meninos e meninas.
Sapatos de tapete, avellndados, Cbarlot, casi-
adra preta, de tranca portugueses, para homens,
taboras e meninas.
Perfumaras.
Extractos finos, banhas, cosmticos, leos, opia-
tas, aguas de Cologne em garrafas de crystal para
prsenlos, agua divina, agua florida, dentifrice la
vande, agua de toilet, ntnra para barba e cabel-
los, pomada hongroise para bigodes, pos de arroz
sabonetes, todo isto de primeira qualidade, dos
fabricantes Coodray, Piver e Lubin.
Quinquilharias
Lavas de pellica brancasJouvin.
i grandes dourados para salas, qaartos
.es para senhoras e meninas.
Joias de ouro, brincos, transelins, pulseiras,
otdee de punhos, de abertura, correntes e chaves
Je relogio, tudo de ouro bom de lei.
Brincos de plaqu imitacao de ouro.
Correntes para relogio.
Abctoaduras para rolletes e para punhos.
Albuns de velludo e marroquim para retratos.
Mammadeiras de /idro para enancas.
Caiiinhas de costura, novos modelos com mn-
iica, proprias para presentes.
Quadrinhos dourados para retratos.
foueas e sapatinhos de lia para criancas.
Capailas para noivas e para pastoras de pre-
sepios
r^irinha com vidros de augmetto para ver-
te em ponto grande a pholographia dos retratos.
Pea le vidro para pianos.
Tieeourinhas para eos ura e unhas.
Bolejahas de seda e de veludo.
Cestinhas para braco de meninas.
Balaios para costura.
Cesas d'arame pratiado para frutas e pao a
sa,
Ricos artigos de phantasia necessarios para toi-
lhetes e proprios de presentes.
Jarros e bouquets de porcelana para santua-
rios.
Registros de papel fino mui delicados.
Quadros promptos para collocar vistas.
Molduras douradas para qualros.
Estampas de bellas paysageos de cidades, de
figuras e de sanios.
Espanadore* de penas e de palha.
Carteiras para notas e para dinheiro.
Caixinha de msica de darse eorda.
Pooteiras de espuma para cigarros e charutos
Gravatas de seda pretas e de cores.
Bengalas de cana com castdes de marflm.
Ditas de baleia, janeo e de umitas qualidades.
Pentes Anos de marflm para caspas.
Escovas para facto, para cabello e para denles.
Lunetas ou penelnez de prata dourada.
Ditos de tartaruga e de ac.
Oculos de prata donrada e de ac.
Reverbero transparente para candieiros.
Ditos para laaternas de pianos.
Cotos econmicos para velias de spermacete.
Cordas para violio.
Porl-pratos para mesa.
Caixinhas de diversos modelos e precos.
Objectos novos de mgicas o melhor possivel,
para divertir meninos.
Halas, saceos e boiras para viagens.
Estojos de viagens, completos com navalhas.
Esporas de metal braneo para saltos.
Chicotes fortes com martello para viagem.
Ditos de muitos modelos, de junco e de baleias.
Lavas de fio de Escocia brancas, e de cores.
Ditas de camurca amarellas.
Machinas para (azer caf.
Globos de papel de cores para illuminacSes de
festas campestres.
BalSes de core?, de subir ao ar faeilmente.
Jogos de domin, da gloria, visporas, rodetes,
bagatela e outros jogos allemes.
Esterioscopos com as mais bonitas vistas, de
figuras destacadas e grupos de familias.
Armnicos on accordions de todos os tamanhos
e novos modelos com trmulos.
Realejos pequeos com novas msicas.
Cosmoramas de varios tamanhos, com difTeren-
tes vistas mui pitoreseas.
Brinquedos
O maior sortimento que se pode desejar de toda
sorte de brinquedos fabricados em diversos paizes
da Europa para entreteniente das criancas.
Grasdeiapeles
Vende-w groideoapoles preto para ves-
ido de seohoras e meninas a 2, 2500,
2A800 e 3,5 o covado.
Caseaira preta i 3(5800 e carie
Yende-se cortes de casemira preta para
calcas de borneas a 380O, 40, 5, 6 e.vado.
700' Brisa de cares esas lisias
Panae preta a 20200 e covade I Vende-se brim de cores com lista s dos
Vende-se panno preto para caifas e pa- j lados a 4Q0 rs. o covado; pira liquidar, na
lit para homens e meninos a 21200, loja da Arara, roa da Imperatriz n. 72.
2^500, 30, 30500, 40, 50 e 60 o covado.
Casemira preta
'OlreS U0 161T0 de differentes tamanhos.
XTGuSaS de ferr0 para copiar cartas.
vUcipaS e ferro gavalnisadas para telheiros.
1 aCUOS ,je ferro para assocar.
iliaUOS americanos para varzea e
Machinas
adeira.
stes artigas aeham-se a venia
casa dos importadores
Shaw, Hawkes 4 C,
ra da Cruz n. 4.
vapor e de cortar fumo.
vaiTinnOS je m5o para saccog e atierros.
V eiieZianaS para janellas.
HaianOaS decimaes e ootras.
Fogoes de ferro.
Enxofre MlitWi elc. ete.i
AOS 2,000 PALITOTS
POR
PRECOS BARATISSIMOS
NA LOJA FLOR DA BOA-VISTA
DE
PAULO GUMMIS
Palitots de meia casimira de 20, 30 a 50.
Ditos de brim pardo de 20, 30 a 40.
Ditos de alpaca branca e de cor de 30 a 40.
Ditos de alpaca preta de 20 a 60.
Ditos de merino .preto de 30500 a 60.
Ditos sobrecasacos de panno preto de 420, 200 e 400.
Ca cas de brim de 600 rs., 10600 a 20.
Ditas de meia casimira de 30, 40 a 50.
Ditas de casimira superior de 80,100 a 120.
48Rna da Imperatriz48
JUNTO A PADARIA FRANCEZA.
SALO DE MIELLEIREIRO
Ba Primeiro de Mar n. 7 A Io andar.
Neste bem montado estabelecimento, os amadores da moda encontrado o qat
os de mais moderno e delicado para penteados, eomo sejara: bonitos e excellentet
cojees, traacas, cacbe-pnes, assim como faz-se lodo e qualqoer Iribalho de cabelle
qoe se encommendar.
Acba-se tambem o acreditado Tnico Delsuc qne se recommenda pela sua ex
ceHenla composicSo. O dono deste estabelecimento, d'ora em diante, pode ser pro
corado a qualquer hora do dia para os misteres de sua proflssao.
ESTIDOS
A quatro mil reis.
Vende-: e casemira transada par a calcas
de homens e meninos a 20, 20500 e 30 o
covado.
iliaca preta
Vende-se alpaca preta para saias a 500,
640 e 800 rs. o covado.
Merino se Ubi
Vende-ae merm ten, fazenda prcti
moito bonita, propia para vestidos e mes-
mo palitos para a precede qoaresma a 10
o cofado.
Alpaca sarjada
Vende-se alpaca sarjada com imita-
cid de seda preta de listas propria
para vestidos para a presente qaaresma,
e qne fica moito bonito o vestido por ser
moiio larga; prego para liquidar de gCO
rs. o covado.
Lia treta
Vende-se 13a preta muito boa, a 500 rs.
o cevado.
Gassas pretas
Vende-se cassas pretas para lato a 6C0 rs.
o metro.
Cuitas pretas
Vende-se chitas pretas para loto, a 200,
240, 280 e 320 rs. o rovado.
Caitas frinems escuras
Ven'e-sa chitas francezas escoras para
vestidos, a 240, 280 e 320 o covaio, ditas I
claras a 320 e 360 rs.
Chitas para eobertas
Vende-se chitas encarnadas para ce ber-
tas a 320, ditas de cores, largas a 360 e
400 rs. o covado.
Fuslo para vestidos
Vende-se fo*t3o para vestidos de senio-
ras, a 360 o covado.
Brilhantina branca
Vende-se brilbantina branca para vesti-
dos a 500 rs. o covado.
Prrelaras finas pira vestidos
Vende-se percalas finas para vestidos de
senhoras a 440 rs* o covado.
Cassas fraaceas
Vende-!e cassas francezas de cores para
vestido de senhoras a 240 e 280 o covado.
Orgtndis de cores
Veode-se organ lis de ores para vesti-
do da sentaras a 440 e 5C0 rs. o corado,
L3asinhas para vestidos
Vende-ce ISasinhas para vestidos a 400
e 5i;0 rs, o covado.
tirantas rabe de seda
Vende-ce gravatas pretas de seda, largas
e estreitas a 500 rs.
Uaeas braatos
Veado-se lencos a 20 a dnzia, ditos cfai-
nexesa306OO, para liqnidar.
Chales de satrin
Veode-se chales de meriL estampados,
a 20 6 20500; cara liquidar.
Cebertas de thiUs
Vende-se eobertas de chita fina a 20500,
ditas neareadas a 30500, ditas forradas a
50, cobertores de algodJo com [ello a
10400, na iiqoidaclo.
Cortes de |anga
Vende-se cortes de ganga para alcas de
homem a 800, ditos de brim de lista, a
10500.
Brim liso
Vende-se brim liso para calcas de traba-
lho a 560 rs. o metro.
Brin parda trancada
(Vene-se brim pardo traB?ado a 700,
800, 900 e 10 o metro.
Bramante a 10860 a metro
Vende-se bramante para lences e toa-
lha por ser moito largo, a 10800 e 20800
o metro,
Algode eafestao
Vende-se algodJo enfesUdoJa 900 rs. o
metro.
Pecas de altadlo
Vende-se pecas de algodSo com 20 jar-
das a 3800, 50. 60, 60600 e 70.
Pecas de madapolio
Vende-se pegas de madapolSo com 24
jardas a, 50, 50BOO, 60, 6500, 70, 80,
80500 e 100.
Algadio de lista
Vnde-se algodo de lisia proprio para
roopa ds cscravos, por ser;forte a 160 rs.o
covado.
Collarinhos de papel
Vende-se om restj de collarinhos de pa-
pel a 200 rs. a dozia.
Grande liqaidacio de roupa feila
Vendem-se palitos de casemirasde cores,
sobrecasacos a 90, ditos fraq es a 80, di-
tos saceos a 60, ditos pretos, panno bom.
a 80 8 100, ditos de alpaca de cor a 30,
ditos pretos a 30500 e 40, ditos de mera
casemiraa 20, dte s de brim de cores a
10500$ 20; ditos brancos a?0.
Farinha de mandioca
da Baha
A rolhor qne presentemente existe no merca-
do, prepria para mesa, por ser muito alva, fina e
torrada, em saeces grandes de 2 alqneires: ven-
de-se no eseriptorio de Joaqnim Geraldo de Bu-
los, roa do Vifario n. IS, Ia andar.
Coattp<
Este
composicao
prisa a dar urna %\
Taervaeio datlea e R
Na pharmacia americana, ._B
Po de algodo da Baha de su-
perior qu lidade
Ha para, vender no eseriptorio de Joaquim Ge-
raldo de Bulos : rna do Vigario n. 16. 1* an
dar, superior o de algodo vindo da Babia.
Superiores batatas
ingiezas.
H
n. 57. de Penetra Ma
;anos
> m
[^^^^^Bpa pro-
ate?, coa-
gengiva!.
de Ca;as
Injeco aoieretna.
eiperlalldade do pha>macrut(-
eo Ferrelra Hat* k C.
Esta in)ec{io composta especialmente para a
enra das pnrgages antigs oa moderna, fot com
fetii resultado ensalada peta mais habis e reco-
uhecidos medico*, e por ellas coiifirmado ser esta
injercio a nica que radicalmente enra em meaos
tempo qualquer agncrrha on purgaco antiga>t
moderna, fera o auxilio de oulrcs medicamenios.
E' tambem til as leucorreas oa flores brancas,
quer sejam anigas on modernas.
DEPOSITO
Na pharmacia americana, ra Duque da Caxiaa
numero 87.
Em gil
mios A
franceses : nos armazens de Tasso Ir-
C.
ATTENCAO
Na ra da Imperador n. 9, vmde-se um cabrio-
let coro ponco ufo, de qaatro rodas eoberto, com
rreios.
Joaquim Jes Ramos, ra da Crnz n 8, i
andar, "ende algodo azul americano verdadefro
e pregos smericanos n9. Sea.

LOJA DA
Ba do Cabug n. 6
DE :* f
Antonio Francisco dos Santos & C.
Os proprietarios deste novo estabelecimento joJgam de seo de ver facer apresen-
tagSo de seu litlo, para obterem do respeitavel publico, :om especialidade de seus
fregnezes, o scolhimento de que todos necessitam em seu tirocinio commercial.
A Conquista, nSo garante nem pode dar fazendas a seus freguezes, mas tendo
por divisa coaquistar a todos, para que nao comprem em outras casas, affirma-lhes
que ser5o tratados com agrado, lealdade e muita moderacSo nos precos.
A Conquista achando ser enfadonbo para os teitores o mencionar o seu grande
sortimento de fazendas finas, apenas descreve sement as fazendas pretas e objectos
proprios para a quaresms, como sejam :
Grosdenaple preto de diversas qoalidades. \m
Gorgur2o preto para vestidos.
Casaquinhos pretcs de seda.
Ditos ditos de gorguro com cinto.
Manlinbas brasiieiras para cabeca.
Chapelinas e cbapos para senhoras, o que ha de melhor.
Luvas de pellica brancas, pretas e de crs,
Os proprietarios da Conquista prestam-se a ir ou mandar com qualquer objecto
amostra, para qualquer casa que para isto Ibes mande nicamente o nome da ra e
numero da morada.
Tabellas Vermfugas
Este medicamento o nico que pelo seu bom
aroma e go3to_agradavel se torna o mais proprio
para a expuho das lombrigas. E' fcil de tomar
porque o sea gesto 6 Igual ao do chocolate, e de
prorapto effeito.
DEPOSITO
Pbarmacia americana de Ferreira Maia & C, rna
__________Duque de Gxias n. B7.
ATTENCAO
5
Vendo-se urna parte de 3:7t4j no engenho Tres
Bracos, sito na fregmezia da Escada, arredado da
esta^o da viafarrea legoa e meia : a tratar as
Cinco Pontas n. 81
Farinha de auaaidloca superior.
Agora recentemente chegada de Santa Camarina
pelo brigne-esenna brasileiro Mentor, rndese
bordo do referido navio, onde se pode tratar, on
no eseriptorio de Joaqnim Jos Goncalves Bellrao,
rna do Commercio n. 17.
VIDAGO
nico deposito
Pharmacia americana de
Ferreira Maia # C, ra Du-
que de Caxias n. 57, anti-
ga do Queima^o.
Vendem-se favas a 240 rs. a kilogrammo e
3JS00 peso de 15 kilogrammos para cima : na
ra do Bangel n. 9.
E BARATO.
Cambraias de cores Oxas, muito lindos padrees
a 280 rs. o covado : na roa do Crespo n. 23 A,
loja da esquina.
GUARAPES.
O abaixo assignado avisa ao publico em geral
e aos freguezes em particular, que retira sna casa
commercial do porto de Goarapes no Rio Grande
do Norte, a qual gyrava sob a Arma de Fabricio
& C, deixando de comprar gneros e somente re-
cebendo por conta. Deelrra maia que nada deve
a esta praga, e se alguem ?e julgar seu credor
aprsente snas contas no praso de 30 dias, a con-
tar da data deste aviso. Recite 11 de marco de
187!.
Fabricio Gomes Pedros.
COMPRAS.
Chumbo e estanho
velho.
Compra-se em grandes e pequeas porches i na
rna Novan. II.
com bar-
ia s
Correa de Vas
No srmazem de ieiloes da rna do Imperador
n. 18 compra se trastes usados, qualquer porco,
zendo bem conservados.
Compra se ama casa terrea que seja bastan
te solida e com Donsi commodos, o que seja em
chlo proprio, preferindo-se as freguezias de San-
to Antonio, S. Jos ou Boa-Vista
Fazendas baratas
RA
NA
DO CRESPO NUMERO 25
LOJa DE
MANOEL DAS XAVIER.
NOVO SORTIMENTO de cambraias e
organdys de cores a 280 rs. o covado.
CHITAS CHINEZAS para coberta a
240 rs. o covado !.._ pevbincha,
CHITAS de cores claras e miudinhas
a I6Q e 200 rs. o covado.
BAO-SE amostras com penhor ; na
roa do Crespo n. 25.
(ja do Corpo Santo n. 17, 3 andar.
a tratar na pra-
V1NDAS.
0
O vinho melbpr que deseiar se pode, do Porto,
Figneira e Lisboa a 4i0, oOO e 560 rs.; assim
como de muilas entras qualidades : bolaebinhas Je
diversos autores, o' que melhor vem este mer-
cado velias stearinas 640 rs. omasso : chocola-
tes de 1*000 a {800 a libra, h.rtalicea para sopa
ie perfeitaraeote snbstue as mais fres
denominada Juliana, verdade
na a 320 rs. a libra
lacea,
i ha I ltbra. drtciTkaIol^S
DE
Vende-se urna rica armacj de amarello por
preco mnito em conta : a tratar na rna da Cruz
numero 16.
Vende-se
O Campos da rna do Imperador n. 28 toma de
novo a resolncao de ven fer barato para vender
mnfto e para que con:iga o fim a que se propde
pede aos seus numerosos amigos e regueze* eos
particular e em geral ao respeitavel publico des-
la cidade e sen suburbios, que concorram ao
sea estabelecimento, garantindo ser nm dos mais
bem sonidos e onde encontrar* tedos, sern dis-
traerlo, agrado e sinceridade, e ne:te proposito
deixa de mencionar preeos aos segnintes gneros
abaixo declarados, a saber :
Sardnhas de Nantes em latas, meias e qaartos,
em caixas e a retilho.
Peixe pnrtugoez em latas, diversas qualidades.
Dito em salmoura, eongro, cherne, pescada e ares>-
qnes.
Ovas do serllo.
L'eores: Benedectino, aya-pana, cbartreuize e cu-
minille.
Leite condensado.
Linguas seceas.
Batatas ingltzas a 1*200 o gigo.
Queijos do serto e de Mins.
Sementes de hortalica.
Gi a 7*000 a lata.
Vellss para carro.
Paulo Cordeiro, viajado e crmrrnm!
Princeza amarellinho. de Estetln Gassi.
Coguic fino
da afamada e apreciada marca Martineaa : vea-
de se pelo baratissimo preco de 0* a caixa; >
12 garrafas : na ra da Cruz n. .>!>.
FARINHA
MANDIOCA
de superior qualidade, tem para vender Joaquim
Jos Goncalves Bellrao, a bordo da garopeira Mi-
nerva, fundeada defronte do caes 2 de Noveoibro,
por preco cormnodo : para tratar a bordo oa no
sea eseriptorio rna do Commercio n. 17..
E' baratissimo
Saceos com milho a 3*300, ditos Com farinha
propria para mesa a 6*500: vende se no arma-
zem do Annes defronte da alfandega.
Superior vinho de nva pura especialissimo, pas-
to, em o* e 10." de pipa.
Dito do Porto mnito fino em 20.* de pipa, pro
prio para mimo.
Dito dito D. Luiz I em caixas de 12 garrafas.
As qaalidades superiores desles vinhos do a II-
berdade ao possuidor de garantir aos comprado
res a pureza de sua rreparacao : a tratar na ra
do vigario n. 11, primeiro andar, eseriptorio de
Jes Lopes Davin.
Couro de bezerro
Muito novo e ltimamente chegado vende-se
em casa de S. P. Jonston di C. : rna da Sensata
Nova n. 40.________________________________
Velas para carro
Vendem-se velas para carro : na ra d j Baro
da Victoria, outr'ora Nova, n. 69.
Vende-se urna machina de costura em per-
feito estado, por preco eommodo por ter o dono
de retirar-se para fora- na ra do Nogueira no-
mero 26.
Vende-se urna mobilia de Jacaranda, obra
forte e em bem uso, pelo barato preco de 230* :
na loja n. 20, esqnina da ra Duque de Caxias
para o Rosario, se dir.______________^_^^_
Vende-se urna casa na freguezla de N. Se-
nhora da Graca, junto igreja : i tratar na mes-
ma cera o Sr. Mariano Pereira Braneo.
ENGENHO
Vende-se o engenho Todos os Santos, sito na
reguezia de Ipojuca, mocte corrente, com boa
casa de vi venda e do engenho, sendo loda obra
nova e de tijollo ; com senzalla, estribara, casa
de farinha e casas de bagaso. forno de eos inbar
formas, boa noria, bom d agua para moer com o
rio, com terrenos para safrejar tres mil pies de
assaear annualmente; com boas vaneas, mattas de
muita madeira de construccao, situado a ama le-
gua do porto de embarque: qnem o pretender di-
rija-se a roa Nova de Santa Rita, casa n 2, ou ao
engenho Pindoblnha da referida reguezia que
achara eom qnem tratar.__________________
r

Chitas escuras a 160 rs. o covado.dilas coloridas
a 200 rs. o covado, riscadinhos a 160 rs. o cova-
do, cambraias de cores miadas e grandas finas a
200 rs. o covado, pecas de eambraia branca flna
eom toque de mofo a 3*500 a peca, ditas de roa-
dapolo lino com 20 varas a 4*500, 3*300, 6*000
e 6*500, algodo de lista para roupa de escravos
a 160 rs. o covado, chitas escuras a 280 rs. o co-
vado, de todas estas fazendas dio se amostras :
ra do Duque de Caxias n. 29, esquina que volta
para o Pateo de Pedro If.
L1QTJIDACAO
Chita de eobertas padroes moderaos a 200 rs.
covado, ditas para vestidos a 200 >s. o covado,
de cerdao, padrees miadas a
. 20.
VENDE-SE
Carrinhos de mi de condnzir, maleriaes e ca-
nos vidrados para encanamento de differentes
grostnras: na [faca da Concordia, armazem de
madeira, junto aoi canos do Cambrone.
ALTA MUDE
QUEM ?
Sabio a luz esta linda polka para piirr,
composicao do muito sympaihico maestro
I. POPPE
que to appLndidj tem silo oo tbealro de
Sanio Antonio.
Acba-se venda no armazem de pianos
e msicas de
A. J.
rui do lia: ao da Victoria n. II (d'antes ra
Nova).
Tambem acaba de publicarse a linda
quadrilha
Saudades da Infancia
Acba-se ^eoda na mesma casa.
V
EN DE-SIS o engenho Barroca, sito Ba co-
marca de Pao d'Alho, com tedas as bras ne-
cessarias e em pe frito estado, mnrto bom
d'atua, e os terrenos de ptima producc><
para tedas as lavooras. Dista desta cidade eete
legoas e do porto de Itapessuma cinco ; a tratar
nesta cidade com os S;s. Leal 4 Irmo oa no en-
genho Aldeia cem o sea proprietario, onde tam-
bem ha pira vender gado gorda e efelto p ra o
servico agrcola e acoogne ; e tambera vende-se
urna engenhoca de terreno mnito productivo para
algodo e canna, distante de Timbsba nma le-
goa ; a tratar eom o mesmo proprietario-_______
A 7 e 9^000
Vende-se borzegains francezes, obra pontiada e
bem forte, pelo diminuto pre$o de 7 e 9*000 : n
bem conheelda loja de miudezs da rna do Mr-
quez de Olicda, antiga ra da Cadete, n. SO A.
Mobilia de Jacaranda
Vende-se urna rica e solida moiilia toda de ja-
caranda, obra muito bem acabada e eloeante pela
simplicidade, constano de 18 eadeiras de us.rni
cao, 4 ditas de bra^o, 2 de balanco, 2 eosina e
jardineira com pedra marmore hraocn, esofs, pelo
preco de 1300*: para ver e tratar na roa da Im-
peratria n. 13, loja. ___^___
Yende-se
Chap, s de feltro, lehre. fazendas f)oas e or-
dinaria?, e tambem-do ChiHe, vindos ha ponco do
Rio de Janeiro : na ra da Cadeia do Recito n. 31,
loja._________._______________________.
Libias esterlinas
A' venda no armazem de fawndas de
Augoeta F. de Oliveira AC, ana do
Commercio d. 4.
VENDE-SE
Doces, finetas e flores
RIJA DA CRUZ N. 13.
Sor vetes de differentes fructas, tendo as qoar-
tas-feiras e sabbados de creme.
Doces, fruefas e flores
RUADA CRUZ N. 13.
Vendo-se gela de m5o de vaca.
Doces, frctas e florw*
RA DA CRUZ N. 13.
Vende-se presunto em flambre as iibr,:
D ees. fruetns e flvres*
RA DA CRUZ N. i 3.
Lanches todos os aias; diff'reates.
Doces, fruclnsc l res.
RA DA CRUZ R. 13
Vende-?o Xaro.e d todas as fra Otees srceos cbrUtal^dwi, de caj, mangaba,
|ima^ cidra e laranja. em c:lda.g
E PECHNCHi
ChilS Ou 3!0 o SO.
C. L
<>. ,1,1 ,uuS uc i
O COV>1o.
M^ciapolSes de 7
Diln

k:s,miutr&!)H *^<--(*ftSft;r':%rr.-y?>.-ai zff IHttMfllHBIIHMHMtfMlH>Mi^HM l^___^H
r3t- lrjiWiv*;:-!*,


Diario d FernamDuc & a eira
I87.

RUIL SEM SC6HB0
R!M DUQUE DE CAXfAS N. *9.
J* fciodiaDo, coa lja oe "w:ew,
avisa a tod s es o seos fr egoezas que est
torrando tudo pito ofeco, *u da fjX9a'
da, para fodoi admirar, a saber:
Grotas ce do:&js de louca branca a
^pactaos mu to bmiJtoa a 7t O e
Caixai cota lOOeovelopesfaienda
fiuia 800, 6(0e
Pares de sapaioa de Ua para me-
ninos a
Espelhos de oidora doorada a
fcOOe
Peaies pretos volteados para me-
Q038 a
TiD'.eirat coa liata prtta a 8) e
Pec de flia elstica maito floa a
Litas com superior banba 60. l'K) e
Latas g.-audej cosa superior banba a
Frascos com oteo de Pilocome a
500 e
Frasees coa nacaesi Peraia a
Caixas com 12 sab.oetes mtito
a dos T
Frascos c m agua de Colonia verda-
dein a
Dit >s com oleo da ba losa suderior a
Syllaario pirtogaez livro muo
bom para enancas a
Camuj i de retrox preto com 2
oiiavoS a
Ri a; touiuiohas de fi para me-
ninos a
Caisas com agaltias fraocezas a 460
l'e;--s de rira* bor jadas a 50 j, 600
800 e
Catlta com alfiaetes francezes a
Ganaf s com a verdadeira agua
flerida a
C.rtilba> da Poutrioa Chri8t9a as
mais modernas a
Livro das missos abreviadas a
Copos grandes com supe.ior banba
Mai;os dj pailitos para dentes o
melnor qoe ba a
Pacmes com 3 saboneles inglezes
fazenda fina a
Caixas c oa pos para lim;ar denles
f z trida fu a
Escoras mullo finas para linpar os
dentes a
'la 1^31
AO
i20
800
800
320
14000
240
luo
200
2iO
320
8 0
24u
1(9000
11000
320
400
600
200
120
15000
240
15300
400
1*500
1*500
160
200
200
BAZAR 10
A EUA DA IMERATRIZ N. 60
PATO
DE
FLIX PEREIRA DA SILYA de C.
Os proprietarlos deste importante estabelecimento qnerendo dimmnir o graade
deposito qoe team de fazodas. resolveram liquida-las, lateado por conseguinte ama
grande reouccSo dos precos das mesmas, afim de poderem vende-las par preces, man
baratos, do que "se encentra em ootra qaalquer parte, por isso convidas ao reepeiU-
vel publico e a seus nnmerosos fregoeaos, virem sortir-ea em seo estabelecimento,
cortos de que encentrarlo om variadsimo sortimento de lazendas medaraaae do mais
aonralo gosto; alam aamgraade sortimento das fazenda de primera naeesoidade,
ludo por precos moito commodos, fisto terem os proprietarios adoptado o systema de
so venderem a dmbei o para poderem Tender pelo costo. As pessoas que negotiam
em pequea escala podero fazer seas sortimentos nesta loja e armazem, pelo mesaos
precos que se compra as casas inglezas (importadoras), assim como para mai coto-,
modidade das Eimas., familia se darao as amostras de todas as fazenda, ou se Ibes
mandam lew pelos eaizeiros, em saas casas para escolnerem.
-------------
Soanpre a Nora Ec
Esta loja be efaocia e
saperioriiW* e seus oojectM, acaba de receber
muitos artigo para o que reapeitoaaraenle convHU
ao bello sexo a vitita-la, aflm de comprar* aqail-
lo qoe precisaren) para preparos de vestidos toi-
lete oa tocadores, e mesmO quilquer objeelo para
faier algum preioote...|pos que s) na Non Espe-
ranca flearo satisfeitos, ja pela qualidade e pre-
cos razoaveis, e mesmo per que a Nova Esperan-
ce ufana-se em nao te impacientar ao dar a <*-
colher oa objeetos, prostando-se com o agrado
c*m que cosiuma receber a todos, afim de que
saibatn com afirme proposito de voltarem ou
mandaren) a mesma foja, logo que precisem de
aualquer artigo por pequeo que seia.
L0VA8 BE PELLICA.
Recebeu as de LI>boa a Nova Esperanca para
borneas, sennora e meninos, sendo brancas e de
cores.
NOVIDADE.
Bico de qnipure preto com branco, a Nova Es-
peranca so quera lera I 1 t
Caixas para jotas.
A Nova Esperanza receben boas caixas de sn-
dalo para guardar jotas.
Fitas Urges pera cintos.
Receben aa de mailaa quaudade* a Nova Espe-
ranS*- a
Para extinguir panos oo sardas.
A Nova Esperanca tem leite de rosas brancas.
Para tingir cabellos.
Tem a Nova Esperanza a verdadeira Unta in-
Para refrescar a pelle e aformozia-la.
A Nova Esperanca roa Duque de Casias n. 63,
vende verdadeira albina branca de Lais.
A IGIM BRANCA
RA DIQUE DE CAXIAS N. 50
(Ontr'ora Queimado n. 8.)
**
240
A' FLOR DA MODA
N. 13 A-HITA DA IMPEHATR1Z N -13 A
DE
Joaquim Bezerra Pessoa & C.
0 pripriatarios deste novo estabeleci-
mento da fazenda?, vem scidnliflcar ao il-
laslre pibco qie contmaam a ter sem-
pre uai grande, variado e elegante sorti-
maoto das milhores Lzondjs.qne at hoje
sao conhecidas em nosso mercado. Co-
mo bem liados casacos de seda ricamen-
te enfettados para senhoras.
Ditos de guepure de seda.
Grina'dis para noivas.
Cortijadas ricauento bordados, para
camas e j mellas
Colxas adamascadas brancas, grandes e
pequeas.
Dilas adamssca'as cjmbarra3de cores,
a 30. 45, H, lJ e 7.
Cobertores de I5i, brancos e de cores
Toalnas de linlto alcoxoadas pa-a rosto.
Grosdenapoles preto para 1$, 30, 40 e
fis o covado
Poeelints, laa e seJa ricos desenbos pa-
ra \t> e i4 o covado.
Alpacas Uvradas finas com lindos pa-
drs para 6.0, 7o>' e 8W rs. o covado
Ditas lizas para 400, 500 e 603 rs. o
covado.
LSisinhis msscladas para 2C0, 300,
400 e rs. o covido.
Cam^rai.sV doria, finas para 3#, 40,
5,5 65, 70 e 80, com 10 jardas.
Ditas transparentes para 50 e 80 finissi-
mas com 10 jardas.
Ditas de cores para 500, 600 e 800 rs
a vara, lindos gostos.
Graade pechincha em chitas I i
Cutas tinas e tintas firmes o covado a
210 e .00 aj.
Ditas errtones com listas, enfestidas a
56(1 rs. o covado.
Ditas escuris pira diversos precos.
Ditas pretas, las, alpacas e bombazinas
etc., etc.
Chpeos de sol de soda inglezes para
80, He 150.
Ditos de alpaca para 30, 40 e 50 cada
um.
Espartilho3 moderaos para 30 e 40.
Bies modernas para senhoras e meni-
nas, de todos os lmannos.
Cachiaez grandes e bonitos para 40 e
5$ (0.
Las de todas as cores para bordar a
70 a libra.
Cimisas para borneas, inglezas e fran-
cezas para diversos presos, de algodSo
fran^zas a 10600 rs. cada orna, barato.
Ditas de meia Anas.
Chapeos di feltro e de pa'has modernos,
a 40 e 50.
Dtos de baeta pira trabajadores ou
escravos a 10300 rs. cada um.
Espec alidades de lencos, precos nun-
ca vistos:
Lencos de chita grandes e fiaos, a dozia
200)0.
Ditos de ci-a com barras de ca'ungas
dansaulo, duzia 20
Ditos brancos fiujs de algodo, duzia
20OO rs.
D tos de PsguiSo e cambraia de linho,
duzia 60..70 e 80.
Oa'es de marin estampados, fiaos pa-
ra 40. 50 e 60.
Ditos liz ;S e adamascados a 20500, 30
e 40 cada um.
Pecas de cambraia de salpicos de co-
res com 10 jrdis a 60 70
Ditas brancas organdis finas para 60,
70 e 80.
E' para admirar II .
Pecas de madapolio largo e multo fino
com 20 va. as a 505OO e 60.
IgodSo largo a 50 e 60 com 20
Bramantes com tO pilmas da largara a
10K 20800 e 30 a vara.
s, esguiao, m ias para homens,
do artigos e roupas
,recos consi-
n como do-
is fa-
CORTINADOS PARA CAMAS E JANEL-
LAS A 80, 100, 120, 160 E 200000-
No Bazar do Pavao vnde-se um grande
sortimento dos melhores orlinaios borda-
ios para camas e janellas que se veBdem
de 80 o par at 250, pecbmcha na ra da
Imperatriz n 60 Bazar do Favio.
Poupelinas de se'a s o Pavo.
Recebemos um dos mais brilhantes sor-
timeotos das nuis modernas e liadas poupe-
linas de seda e liobo, com delicadissimos
padrSes, assentados na< mas modernas
cores, e vend m-se prr menos do que em
i otra qualqner parte, no Bazar do PavSo
ra da imperatriz n. 60.
Sedas de listinhas a 20 o covado.
Vendem-se bonita- sedas de listinhas com
lindase ao lernas cores, pelo bjrab prega
de 2-$ o covado, no Bazar do P*v*o, a ra
daljiperatiiz n. 00, de Peeira da Silva 4 C.
Lazlnbas modernas com lis-
trase meadas de seda a 640
rs. o covado.
Cbegou para o Bazar do Pavo om ele-
gante sortiueato das mas nudemas 15a-
zinbas com listras e mselas de seda.pro-
prias para venidos, sendo f, zenda de muita
pha-'tasia, e liq- id m-se pelo barato prego
de 640 rs. n covado, p chincha, na roa
da Imperatriz n. 60 laja de Perei a da Sil-
va cC
MERINOS ESCOSSEZES A 800 RS. O CO-
VADO.
Vendem-seos mais melemos merinos es-
cossezes, proprios par? vesidose boruous,
senda neste artigo o melbor qoe tom vindo.
ao rxercad), e Mq-jidaia-se pelo baratissi-
roo preco de 80o rs. o covado.
POIL DE CHvRE A 51 O RS. O COVADO.
Vende-se punssimo poli de cbevr com
as mais de'icaclas cores para vestidos, tenlo
escuras e alegres e send) muito lustrosos
a liquidam-se a 500 rs. o covado, sendo
fazenda para muito ma s diobeiro; ist > no
Bazar do Pavao, roa da Imperatriz n. 60,
d Pereira da Silva G.
LINDAS AGRAC1ANNAS A 560 RS. O CO.
VADO.
Vende-se no Bazar do Pav5o um bonito
8ortimento das mais lindas a,ra:aorjas para
vestid s, lendo listras de seda, as quaea se
vendem pelo bara i-s ma pr-ga de 560 rs.
o covado, tent fazenda que vale muito
mais dinhe ro, pe bmcoa na roa da Impe-
ratriz n. 60, do Pereira da Silva & C.
CAMISAS INGLEZAS.
No Bizar do Pavao ven ie-se um grande
soniaeuto de camisas inglezas e ira icezas
com pehos e punb melhores e futios mais modernos que tem
viudo ao mercado, por pregos mais baratos
d<> qne em nutra q alq 1er parte, por se ter
feito urna grande compra ; oade o fregaez
encontrar tiara lodcs os pre,os, ditas com
peitos e punbos dea'golSo, trmbem em
grande q rantidade e de variedade de pre-
C '. E pechincba na ra da Imperatriz
o. 60
LASINHAS A DOUS TOSTES
S no Bazar do Pavao vendem-se bareges
ou llagabas transparentes, com delicadas
cores, pelo barat) prego de 200 rs. o
covalo, pechincba, ra da Imperatriz
a. 60, loja de F Pereira da Silva A C.
Chitas a 200 rs.
Chitas a 200 rs.
Chitas a 300 rs.
O Pavao vende bonitas chitas largas e de
cores Qxas teIo barato prego de 200 rs.
a covado.
Laas garibaldioas, covado a 320 rs.
No Bazar do Pavita vend- e um elegante
sortimeoto de bonitas I3as garibaldinas,
de tolas as cores, pelo baratsimo prego
de 32) rs. o covado, na ra da Impera-
triz n. 60.
Paaaat pret da pavo covada a 20049 rs.
Veo ie-se panno preto fino pela barato
prego de 2 000 e 20500, o covado,
raude picbicha i roa da Imperatriz n
60, Bazar de P. Pereira U S>lvadt G.
Brama ite do p iva t oa (regadas a 70 a ptea
Veude-se orna grande p<>rc5o de pegas
de bramante de 1 nbo de ama t largura,
senlo fazenda prooria par> lencoes, toalhas,
cerones etc, tendo 20 jardas cada pega,
pelo baratissimo prego de 70000 a pega,
grande necbncr.a; na roa 4a Imperatriz
o. 60 Bazar de *ereira da Sil va d G.
Espar.ilhos do pavao a 4000)
Ven le-se espartihos modernos de tjdos
os tnjannos, pelo barato prego de 4 $000
cada um; oa ra da Imperatriz n. 60 Bazar
de F. Pereira da Silva & C.
Salas bordadas do Pavao a 80000
Vende-se ricas saias b riadas con 4
calmas pelo bdratn prego de 8|000, sendo
fazenda qoe sempre *se vende a 150000
e i60(iO;, assim como panno proprio
para saiat,' seodo com pregas e bordados,
vende-se s 10280, 10400 e 1600 o metro,
senlo apenas ir riso pira cada saia 3 1/2
iut ti,, ptehin-ha: na rna da Imperatriz,
a. 60. .le F. P i Silva 6 C
Cortos i- dita a 20-100
zas tendo
iimo pre-
-i na da
LASINHAS A BENOITON A 400 RS. O
COVADO.
Chegou psra o Bazar do Pavo om gran-
de s Tti ment de liadissimas ISazinbas
Benoiton com as cores mais lidas e mo-
dernas, sendo de orna s cor e tendo azul,
lyrio, violeta, perolla, roso, ciozento e de
muito boa qualidade, que se vendem pelo
bara issimo pteco de um cruzado o cava-
do, por baver grande porg5o, se nao seiia
para muito mais dinheiro, isto na roa da
Imperatriz n. 60, lo,a de Pereira da Silva
& G.
GRETONE FORTE PARA LENQES A 20
CADA METRO.
Chegon para o Bazar do Pav5o orna
grande pirgab de verdadeiro crtone forte
para lencoes sendo muito encorpada e boa
fazenda com 10 palmos de largura sendo
preciso apenas para cada lengol um metro
e urna quarta ou nm metro e meio, vistp
que a largura da fazenda da o comprimen
to do lenjol; grande pechincha a 20OOD o
metro Da ra da Imperatriz o. 60 loja de
Pereira da Silva A C.
OS BRAMANTES DO PAVAO A 1080 E
20500.
Vende-se superior bramante de algodSo
com 10 palmos de largura, proprib para
l;ngespeto barato preco de 10800 rs., di-
to de i'mta'i puro com-a mesma largura a
Perfamarias
As melhores, e do mais conhecido fabricante,
unto francez como Inglez, eslo apostas a venda
na ra Duque de Caxias a. 63, na Nova Espe-
ranca. ,
Extractos, banba, oleo, sabonetes, agoas de co-
lonia, de laranja, florida e de lavande, etc., etc.,
indo de sopeor qnalld?de : vende-se na Nova
EsperanQa ra Duque de Caxias n. 63.
Agora sim !
A Nova Esperanca, a rna Duque de .Casias n.
63, receben um lindo aerlimerrto de lia para bor-
dar, vindo as cores mais p'ocuradas, branca, pre-
U^ wrM p\c. etc. a Ha antes ano *< rabe I
S.
20500, d4o francez o mais superior que
tem vindo ao mercado a 40 e 50000 rs. a
vara, isto ai ra da Imperatriz n. 60, toja
de Perora da Silva & C.
LUTO BARATO, CASSAS PRETAS
. A 240 RS,
Vende-seno Bazar do Pavao a- ra da
Imperatrh n. 60, cassas pretas francezas
para lnto por nao estarem bem pretas-
LENQOS BRANCOS PARA ALGIBEIRA
A Aguia Branca na roa Duque de Ca-
xias a. 50, esl vendendo baratamente len-
cos brancos e de tamanbo regalar para sl-
gibeira. Os differeates pregos de 20,
20400, 20800, 30200 e 10000 a duzia,
s2o os qoe de mais barato se pode encon-
trar em tita boa fazenda. Tambem ba ou-
iros com barras de cores fixas, e fazenda
nova mais fina a 40 a duzia.
TOALHAS E FRONHAS
de labyrintho com bonitos desenbos, e per-
feita imitagSo do tecido no paiz.
BONITOS ENTREMEIOS BORDADOS
em cambraia tapada, transparente e antros
em pegas de H tiras, e proprios para cor-
pinhos, etc., etc.
MEIAS PRETAS PAHA PADRES
ditas de li de cores para criangas.
PAPEL DE CORES FOLHAS GRANDES
proprio para enfeites de bandejas, ba-
I5es, eto., etc.
TORCAL PRETO, BRANCO E ENCARNADO
em miadas e retroz em carriteis.
Panoramas ou stereoscopos em ponto
grande.
Esa panoramas com 24 vista?, bella o agra-
davei, dio um perfeito inirelenimento pan rcu-
nides de familias.
Objectos para luto.
Bonitos e modernos aderegos pretos com
borlas lapidadas.
Brincos de bfalo, e crystal, lapidados, e
com pingentes.
Correles pretas de borracha.
Contas grossas, redondas e lapidadas para
pescoco.
Voltas de contas, tambem redondas e la-
pidadas, com ernzes.
Pulseiras pretas.
BARRETES EM PONTO DE
meia para recem-nascidos.
LIVR1NH0SC0M DESENHOS
para crochet, marca etc.
FOLHAS DE PAPEiS COM DESENHOS
em ponto maior para os mesmos fins.
NOVAS TRANCAS DE PALHA
para enfeites de vestidos de 12a.
PERFUMARAS GLE2AS
A Aguia Branca tem recebido finas per-
fumarias inglezas, sendo extractos concen-
trados de agradaveis ebeiros, boaaadae fi-
nas entre as quaes se nota i d'alpaea, agu
da colonia, dita de lavanaer etc. etc. assim
como finas e seo vas inglesa, e opiata para
dentes. Tambem recatea variado sorti-
meoto de sabonetes, que os est tendeado
baratamente.
Caixinhas com 3 sabonetes aromaees a
10. ditas com 3 ditos transparentes a 10,
10500 e20OOO..
Sabonetes areentos a 500 rs., ditos d
alcatro a 80u e 10000 rs. cada nm.
Pasta de amendoa para lavar e amaaiar
as mios e o rosto a 10 o frasco.
E assim muitos outros objectos de par-
fumaria.
Alfinetes pretos com piBgentes e sem
elles.
GuarnifSes de botoes pretos para punbos,
abertura e coflarinhos.
Pennas de aro bico d Ian$
Caixas com orna grosa 500 rs.
MATA MOSCA.
Chegon nova remessa de. papel mata
mosca e continua a ser vendido na taja da
Agnia Branca.
-
%^
% *
V

%%

V
^
f"" ----- ar ------ -------------- -----s *
assim como chitas toda preta, porem
raem com defeito na cor, mas mulQT
a 120 rs. o covado; pechincha de
la Silva dVComp.
CASSAS FRANCEZAS COVADO A $00 RS.
Vendem-se cassas de eor verdideira-
mente francezas com delicados padrees e
com desenhes miudos e graudos a 300 rs.
cada covado, ditas inglezas finas bbnitas a
200 e 2t0 rs.; pechincba do PavSo.
TARLATANAS LISTRAOAS PARA
PARTIDAS.
Cbegou um elegante sortimento das mais
bonitas tarlataoas com listras, teude de to-
das as cores, sendo de muita phantasia e
muito proprias para vestidos de baile e
vendem-se no Bazar do Pv5o a ra da
Imperatriz n. 60.
PECAS DE MADAPOLAO ENFESTADO
7 A 30000
Vendem-se pegas de madapolSo enfes-
(ado, francez com 11 metros a 30000 rs. a
pega; pe hincha no Bazar do PavSo a ra
da Imperatriz n. 60.
CAZAQUINI10S E BASQUINAS DE SEDA
A 180 200 E 250000. r
Chegou para o Bazar do Pavita um gran-
qe sortimento de ricas basquinas on casa-
doinhos de seda pretos ricamente enfeita-
pos, sendo d< s mode os mais mr dernos que
tem vindo e vendem-se a 180, 200 e 250
na ra da Imperatriz n. 60 loja de Pe
reir da Silva & C
RICOS CHALES PRETOS COM FRANJAS
LARGAS.
Chegon para o Bazar do Pavo nm gran
be sortimenio dos melhores chales pretos
dordados a seda, com franjas muito largas
de retroz, e vendem-se muito em canta, na
raa da Imperatriz n. 60. Bazar do PavSo.
Ponpelinas do Japo a 500 rs. o covado.
No Bazar do ?av2o vendm-se delicadas
poupelinas do Jap5o, para vestidos, sen-
do padrbes inglezes, pelo barato prego
de 500 rs. o covado, ditas transparentes
de urna s cor e muito lustrosas a 60 rs.
ditas a h40, bonitas laasiahas a Benoiton,
com delicadas cores a 440 rs., ditas poil de
chvre a (SfiOr s. tascos listras de seda a
640 rs. todas estas 13a sao de grande van-
tagem em pregos e liquidam-se ra da
Imperatriz n. 60.
LAZ1NHAS AMAZONAS COM PALMAS
DE SEDA A 800 RS,
Vende-se um elegante sortimento de 12a-
ziobas amazonas muito lindase -.omasmais
delicadas palmas de seo a, tendo largura
de chita francesa, e- com as cores mais
novas qoe tem vindo ao mercado, e 1 qui-
dam-sepelo barato prego de 800 ra, o co-
vado, no Bazar do Pavle a rna da Impera-
triz n. 60 de Pereira da Silva & C.
CHITAS BARATAS
Chitas a 200 rs.
Chitas a 240 rs.
Chitas a 200 ra.
Chitas a 240 ra.
Chitas a 200 rs.
Chitas a 240 rs.
No Bazar do Pavao venie-sa urna grande
porgSo de chitas claraa e escuras, miadas
e graulas e de muita bom gosto, pata ba-
rata prego da dous tustoes e doze viotens
o covdo pecbiacha, roa da Imperatriz
o. 60 de F. Pereira da Silva & C.
Chales de renda a
O Pavao vende gran
preta sem del
s pontas a 10600
rs. pechinc Bazar do Pavao,
nico legalraente autorisado e approvado
pelo conselho de sade.
WHICO. DEPOSITO
em
PERNAMB.UCO
Pharmacia e drogara
de
BARTHOLOMEU & C.
34Ra larga do Rosario34.
CAFE PURGATIVO
A* ESCAMONEA
De B,N Barral
Pliarmaccutlco-Chlmico
A utllidade des purgantes nao soffre dera-in*
tra :5o alguma ; a preecripgao diaria qne delles
fazein os mdicos e o uso ainda mais freqaente
feito pelo publico sao provas irrefragaveis tanto
como a qoantidade innumeravel deste genero. S
falta aperfeieoar cada ve' mais o modo de admi-
nistracao, de maneira que conservando a sna ac-
co, elles possam ser tomados seno repugnancia
uera a.-co e sobretudo sem receio neni perigo.
Muitos purgantes afamados s devem este bom
xito ao sen efTelto intenso e excessivo. D'ahi o
pongo, porque irritaedea de estomago, inflamma-
ts de entranhas sao inevitavelmente o resulta-
do seu emprego. Nada disso tem-se de recear
com o caf purgativo.
Todos conhecem por experiencia o aroma sua-
ve e o efleito ligeiraraente tnico e excitante do
caf. Elle o melbor auxiliar dos purgantes dos
quaes disfarca o cheiro o sabor e ajuda a accao
sollicitando vagarosamente os moviraentos peris-
tlticos de intestino, e prevenindo o sen efTeito
muito intenso sobra o estomago. Misturado com
escamonea, facilita as evacuacSes com promplidao
e sem clica, e torna-se um purgante brando,
certo, fcil a tomar e preferivel a todos os ontros
salvo urna indicacao especial da qual o medico
o nico juiz.
A tanoenidade do caf purgativo permitte de
emprega-lo em todos es casos simples. Desper-
ando a atona do intesno e activando a secre-
cjio desto, dastr a dureza de ventre, as vento-
sidades, as flatuosidades e excita o appetite. Em-
pregado mais a miado, conveniente para eva-
cuar com vagar a bilis e os humo, es viscosos e
e faz dessa maneira desapparecer a enxaqueca,
as dores de cabeca e prev os ataques de sangue
as pessoas que a estes sao predispostas.
MODO DE EMPREGO.
E' to simples como fcil. O cat purgativo
deve ser tomado fri, puro ou misturado com um
ponco de letle fri assucarado, ou acua assuca
rada. O vidro inteiro a dos ordinaria para
nm adulto ; dua3 eolhres de caf basum para
as senhoras e ptra todt e qoaiqner pessoa qo*e
pur facilmenta.
. ara as criangas de 8 10 annos, a metade de
vidro suficiente ; de 5 a 8 anuos, urna colher
de caf, e a quarta parte do vidro smente abai-
xo desta idade contra a gosma.
E' por lsso d'uma administracJo multo mais
fcil do que es biscottos, chocolates ou bolos
purgativos.
Da-se immediatamente depois leite quente as-
sucarado ou caldo leve, e duas ou tres cha venas
de cha preto ou de tilia.
nico deposito na pharraacia e drogara de
Bartholomen A C : rna larga do Rosario n. 34.
Chocolate de sade, de Minier
E' pelo seu agradavel gosto e suave aroma que
est elassifleado como a primeira qualidade da
chocolate, e com justa raiao o proeuram como o
melbor de todas as mareas de chocolate conheci-
das. O bem conhecido nome de Menier nos dis-
pensa de sermos mai* estensos.
DEPOSITO .
Na pharmacia americana, rna Duque de Caxias
numere 57.
0M
2
-S OQ
8
9
0 O
O *
P sr
B
Elixir americano
Usada as golas este elixir em em copo com agua
nm exeeHente conservador das gengivas e lim-
peza da bocea, bochechando todas as rnaabia*. E
tambem um poderoso e verdadeiro calmante nai
dores de dentes.
DEPOSITO
Na pharmacia americana, iua Duque de Caxias
numero 67.
Vende-se urna taberna sita ra dos Gua-
rarapes n. 10 com poneos fundos, propria para
om principiante, com bastante ooramodo para fa-
milis, tendo mnitae fregoedat nacida de e tambem
para o matto, est livre e desembarazada; o moti-
vo da venda ao dir ao comprador.
Ovas do sertio, as mais novas e mai bara-
tas quii em qualquer parto : no largo da assem-
Wa n 15, bom aproveitar em quanto
nao se acabara.
S ?
^z
a o "
3 2-S
(T3 o
-i
b a,
a.
tp co
O) a>
5 3
< o
5-c
0,0*
o g
3
O ca
a> co
II
cV2.
o o
3.
09
X
9 S
? 1
2Lp
S'S
ce
O
O
co
B
p
a
00
O
er
o
n
(b
oo
5'
CA
_,. a> o o
o o &*
' B9
P. "^ S*
a> P i P
0,93 2
? | 8 9
Ersn3 -a
2 o
g ce co
co 3 5
!
a rfl.
sr ,
5^
o
p
(O
n
o
co
1 .
05
2
O
co

O
p
*
H?
co ce

2
cT
So eoalmente chegadas a esta praca pela segunda vez as verdadeiras preparaceS*
do Dr. Radwat & C. de New-York.
Depois de alguns annos, emqae as falsificacoes de Hamburgo e mesmo da New-
York tiveram entrada neste mercado, aprovettaudo-se do bem merecido conceit (pie
estes remedios taaviam alcancado por seus maravilhosos effeitos conseguiram introdoxir-
se, illudindo o publico incauto, com urna reduccSo de preco, nolhficando o verdadeiro
mrito destas admiravefs preparacoes, imiundo as verdadeiras; porm desacreditan-
do-as com seos nullos effeitos lembrou-se o autor de fazer a declaracSo abaiiov a
dar diplomas aos que venderem os seus legtimos preparados.
Previna-se o respeitavel publico de qoe as verdadeiras preparacoes o Dr. Ra-
dvtay s se vendem nos depsitos cima declarados e trazem om rotulo igual ao deata
annuncio. ,. _. _j .
Nos abaixo assignados. declaramos e certificamos, qoa os Srs. Raymondo Carlos
te d Irmo, da cidade do Rio de Janeiro, no imperio do Brajil, so os notaos agentes
eraes pela venda de nossos remedios, tanto no dito imperio como oe- raiao de *f^H
gal. Nottamos ao publico, qoe bo se podem obter oa remedios doprr.RAWA>
(e que s3o preparados no laboratorio do mesmo doator na cidade de New-York i
Estados-Unidos), senio das pessoas qne podem prodoiir a presente cei
tac5o e que a prodozem, subscripU e assignada do Dr. Rabwai & Ce i
mundo Carlos Leite & IrmJo como ao p. Todos, e cada om dos remedios
dwat & C. so acompanhadoa de cdulas smelhantes as cae parecem ao \
' Examinese bem a assignatora da firma do Dr. Radwat & C. ao p
8ertificaJo e compare-se com o (aa-timiU as cdulas com todoe os Jr
l\AL
^H
ran


fKrB
BBJ
i^B
Di
de Pernambuco
Sff
,


i
tan i Venda en seas rmateos, alm de antros
arso Se sen ego io regatar, os taimes, que
randoa por procos mais mdicos que em oo-
tra qoaAqaer p
" de ntnho ahnofadadas.
I de ferro para cerca.
ESTEIRAS da India para cama e torrar sala.
GANOS de barro franco para esgoto.
S80 superior em porcdes e a cooieoto.
CEMENTO de todas as qnalidades.
MACHINAS de descarocar- algodlo.
LONAS e brinxfles da Russia.
OLBADOS americanos para forro devanas.
FOGOES americanos amito boas e economice*.
TINHO de Bordeaux.
COGNAC superior de Gantier Freres.
FARBLLO em saceos grandes a 3450S.
AGUA florida legitima.
ELEGANTE
O Bazar da Moda receben novo sortimen-
*> de fazendas do ultimo gosto para vest-
aos, assim como chapeosinbos, casacos,
*oro8, coques, camisinbas, etc, etc.
Conlinaa sempre o grande e afamado sor-
tenlo do miodezas e perfumaras verda-
leiras, que tado se vende por baratissimos
oreos.
Dam-se amostras e manda-se em casa das
Cxmas. familias o que desejarem, ra do
Sarao da Victoria, outr'ora Nova.
II. I RA ESTREITA DO ROSARIO N. |
AO BOU TOM
Acaba-se de abrir este Importante estabelecimento de miudezas superiores, artigos de loxo e da moda para bomens e e-
boras; esplendido sortimentode perfumaras dos mais aflamados fabricantes de Pars e Londres, como sejam Pirer, Lubin, Con-
dray, Regand, Piaaud, Chonneaux, Monpelas, societ bygieniqae. Gosnel, Rimmil e Piesse Lubin, ttc. -
Os aeredita-
doi cylindros
para padaria;
venda no arma-
zem da travessa
do Corpo Santo
a. 25.
. B4TATAS
a 2|50O ac xa com 2 arrobas
e meia
O kilo a '1W rs. oa libra a 60 rs. : vendem Po-
sas A C., na ra estreiu do Rosario D. 9. junto a
treja,
Camisas e ceroulas
O museo elegante vende camisas finas
inglezas de 600 por 54 a dnzia, ditas bor-
dadas a 524 e muito finas a 120)5 a duzia,
ceroulas de linbo muito finas de 45l a du
zia 300, pannos de crochet para sof e ca-
deiras, f zenda que sempre te venden por
100, vende-se a 60 o terno.
Mantinhas olindenses
O museo elegante receben ricas manti-
nbas de seda (cousa nova) para senhoras e
meninas, as quaes est vendendo pelo ba-
ratinho preco de 10SOO, estam-se acabando,
bellos aoWecos de tartaruga e de madrepe-
rola, e mullo finos pretos de crystal, casso-
ltas para cadeias de relogio, ditas do pra
ta dourada para retratos, as mais lindas ca-
deias de p aqu para bomens, bengalas de
canna com c-stSo de.marfiro e de osso, chi-
cotes de baleia com castao de marfim e de
unicornio, ampielo sortimento de espelbos
de columna e de moldura dourada para sa-
las, lindos collerir.hos e punhos de linho
bordados para senhora,grande sortimento de
ponhos e coln inhos para bomens a Oxford,
Refleman, Puebla, Exquizito, Napolitano e
Vera-Cruz, as mais lindas e modernas gra-
vatas para bomens, nma infinidade de ricos
bot&es para punbos e collerinhos e d'entre
elles os desejados bct5es artistiques e a imi-
taco de onjx para punbos.
Musen Elegante
acha-se prvido de um lindissimo sortimen-
to de babadiobos e entremeios tapados e
transparentes, e de ricos e modernos espar-
taos de 40 a 120 cada um.
Musen Elegante
recebe por todos os vapores lavas de pelli-
ca da piimeira fabrica de Lisboa, assim como
encontrar as Exm." familias oeste impor-
tante estabelecimento em grande sortimento
de artigos para casamento, como sejam ri-
cas grinaldas, Gnissimas metas brancas de
seda, ligas, luvas brancas, liques finos,
franja branca de seda, fazenda soperior,
trancas, gales, boioes, bicos de blond, fi-
tas de grosdenaples e de selim de n. 1 a
80, ditas de velludo, bicos de crochet brin-
co e preto, verdadeiro bico valencienne, ba-
leias para vestidos, cambraia franceza preta
e branca para forro.
Cutilaria do Musen
Elegante
Navalhas muo finas, cabo de tartaruga,
marfim e bfalo, do affamado fabric nte
Rodger, caivetes superfinos com cabo de
madreperola, tartaruga, marfim, tesouras
6nas para unhas, costura e cabello, talheres
para mesa e para doce, de diversos preces
e qoalidades, ditos muito finos com cabo de
marfim, superiores garios de metal branco,
grande sortimento de colheres p?ra cha,
e sopa' de metal muito fino, trinchantes com
cabo de marfim por barato pre^o.
Musen Elegante
vende chapoa de sel commerciaes a 20800,
ATTEMO
etc.
proprios para as pessoas que esto passan'
do a resta irem ao banbo, e tambem vened
ricos albuns para retratos por baratssimo
preco.
No Musen Elegante
encontraras as pessoas faltas de vista um
completo sortimento de oculos de aro de
tartaruga, bfalo e ac, e tambem pencinez
de tartaruga, bfalo, ac,o e prata dourada,
com vidros de cores.
Lamparinas do gaz
Veadese no Museu Elegante a 200 rs. a
caixa.
Aos cabellos brancos
MUSEU ELEGANTE
vende a muito acreditada tintura ingleza
(a qual mostra o seu bom t titilo pooco de-
pois de applicada) e o sublime liquido repa-
rador da cor dos cabellos (colorigenio R
gaud) que em menos de oito das d aos ca-
bellos a sua cor e brilhe primitivo, e depoia
deste tempo so bastar usar de oito em oito
dias para conservar o matiz adoptado.
Exposipo de lencos
MUSEU ELEGANTE
vende lencos brancos finos a 10700, 20700
e j abanhados a 30500 a doz;a, e muito
finos de esguiSo tambem abanhados a 60500,
70, 90 e 120 a duzia.
pnmeio niroductor dos poces tabulare* da Abys-
sbp, em Pernamlmca
Participa ao respeitavel publico que uilimamease
tem receido a qnarla remeraa dos ditos pofee,
os pertTCHS completos e aperfeicoados para a eollo-
caclo d'elles em pouco tempo, tarto em ttrreao asla
como em trra de barro, massap
As. vant?gens que rfferece este systema de ad-
quirir agua sobre qualquer oo'ro, s5o irrmecsas
fervindo nSo smente as coi;dicoes cima mtncio-
nadas, cerno tambm ras cacto bas j (cita, aoas
anda nao Um b- mbas elles esto rcunidis deum filtre que cao tietxa ea-
trar ia puiidades, vantagem qce ro tem os < otros.
Alm dissf, a ararde quantdade rfaos qoe
elles deitam de 5 a 8 pipas por hora- contorne o
dimetro dos tubos, a facilidade rom que les fuce-
ciomm, a sinpicidade, ierfe(lo e s binada com a elga cia de soa foima, qie paran
ap reciada basta *er-se.
O anrunciante tem urna pes'oa especala ente hab-
litaba, t nto na colkcwcao d'elle, como n;-. escolta
cto terreno ou lugar mais proprio, que fe entarrega
de tes terv <> s por preco comotodo ; e, vi.-lo o caa>
Mo ser mais favoravel, vende-se elles per pn-coa
ma-s modelados, recehende-e aiarporiao^ia > de-
tois de coliccado e fui donando a satisf^o do coaa-
trador.
Para ercoiLmendsse mais es-
clarecimentfs a re^peito trtvta-se
>a loja do Sr. F. Jt Germami, ra
Nova d. 21 e na dft iua de meta-
es do Sr. Pi,ulo Jos da Silva Frei-
e, largo da Coucoidia n. 7.
IiOJA
Prevme-se aos apreciadores do superfino e deiicioso perfome, que apenas precisarem desse artigo ser bastante virem ou
mandarem sens portadores, que serao fielmente despachados, pois os proprietarios deste nevo estabelecimento trabalham nica-
mente paraservirem bem aos compradores, tanto na soperior qualidade de suas mercaduras, c mo nos batatissimes
quanto estao resolvidos a vender.
precos por
NO MUSEU ELEGANTE
N. 1 Ra Estreita do Rosario N.
1.
ATTENCAO
A'
LOJA DO PAPAGAIO
RA DA IMPERATRIZ N. 40
Esquina do becco dos Ferreiros
NOVTOADES
DO
DE
MENDES ft CARVALHO.
CHITAS ESCURAS 200 O COVADO OU A
20000 O CORTE.
A loja do Papagaio acaba de receber um
grande sortimento de chitas escaras com
padroes imtac3o de cassa, e vende pelo
barato preco de 200 rs. o covado ou 10000
o corle, na roa da imperatriz n. 40.
GROSDENAPLES PRETO DE 0 A 30000
O COVADO.
Um grande sortimento de grosdenaples
pretos e gorguroes de seda, dos mais es-
treitos at os mais largos, vende-se por me-
nos preco que em oulra qualquer parte na
loja do Papagaio.
CAPAS DE MERINO' PRETO A 100000.
Vendem-se capas d merino preto bor-
dadas com vidrilbos, muito modernas pro-
prias para a quaresma, fazenda de muito
mais dioheiro, para acabar a 100000, so na
loja do Papagaio, ra da Imperatriz n.
40.
MadapolSo entestado a 20300, 30 e 40000
a peca.
Vende-se pecas de madapol2o entestado
com 12 jardas 20500, 30 e 40000 pe-
ch'ncba.
BRAMANTE DE LINHO
com 10 palmos a 20OOG rs.
Vende-se bramante de lino com 10 pal-
mos de lariora, pelo baratssimo preco de 20
o metro, pichincha, oa loja do Papagaio
roa da Jmpf-ratrit n. 40.
POUPELINAS DE COR A 20400 RS.
A loja do Papagaio acaba de receber um
bonito e elegante sortimento de poupelenas
de seda coa quadriobo?, fazenda inteira-
mente nova no mercado e vende se pelo
fcarato preco de 204OO rs. o covado na lo-
ja do Papagaio.
CORTES DE CHITA AI20, 20400 E 20800.
Vendem se cortes de cnita de differentes
cores a 20.20403,20800 e 30200 sendo de
10, lt e 12 covados, pechtncba, na loja
do Papagaio.
Cobertaa de fnslSo branco e de cora 30000
Vendem-se coberiis de faslSo braneo e
de cor, muito grandes, e vendem se por
este preco por baver grande qoantidade, na
loja do Papagaio.
ESTAMENHA A 10600 RS. O COVADO.
A loja do Papagaio vende chila ou estame-
as, fazenda muito larga a 10600 rs. o co-
vado, pecbincha.
FLANELLA AMERICANA A 14000 O CO-
VADO.
Acaba de caegar loja do Pipegaio orna
faenda inteiramente aova, propria para f-
xer as, a largura d a altara da saia, o
que d logara ftzer-se ama s?ia, rompoa-
cee covado, pecbincha, na loja do Papa-
CAMB CASSA di CORBS
60 9 40rs. atara.
traase cassas de cor de
ores leas, com
idinttM 0 (
insrafn ara
pqit/v 5
que se vendem poa preco muito commodo
na ra da Imperatriz n. 40.
PARA LUTO.
Lliasirtha preta de 440 e 500rs. o covado.
Chitas pretas a 320 rs. o covado.
Cassas pretas a 640 rs. o metro.
Alpacas pietas a 500, 6C0 e 800 rs.
0 covado.
Bombazna lisa a 10280 rs. o covado.
Dita transada a 20OCO.
Cortes le eretone can 14 cavadas a 50900.
Chegou loja do Papagaio nm variado
sortimento de cortes de vestidos de creto-
nes de cores, fazen la inteiramente nova, pa-
drees muito delicados e cores fixas cada
corte d vestido de duas saias a vontade, e
vende-se por este preco para acabar na
ra da Imperatriz.
Algodaosinho de 20800 al 70000 rs. a
pea.
Madapoles de 50, 60, 70 e 80 a peca.
Hamburgo e creguellas para todos os
precos.
Espartilhos de linho de differentes precos.
Tapetes aveludados, para portas jane lias
e sofs.
Selim da India de 640 e 800 rs. o covado.
Damascos estreitos e enfestado de 800 e
10600 rs.
LSasinhas a 320 e 4C0 rs.
Alpacas lisas e lavradas de 500 at 800 rs
Tarlatanas de cores e brancas a 720 rs.
Fil branco, liso e de salpicos.
Dito preto de dito.
Cambraias victorias de 50. 60, 70 a 100.
Barejes mezcladas, finas a 400 rs. o co-
vado.
Atoalnado dealgodSo trancado a 10500.
Dito pardo trancado a 105OO.
Dito de linbo adamascado a 30200.
Dito de algodao adamascado a 10800.
Pannos de linbo de differentes nmeros.
Lencos brancos de algodao a 20 a dozia.
Ditos ditos de bretanba e esguiiSo.
Ditos chinezes a 30000 a duzia.
Esguioes de I nbo de 10600 at 30000.
Bretanbas e silecias de linho precos bara-
tos. Cbales de merino lisos e estampados.
Cambraias transparentes de 30 al 100.
Goardanapos de linho pardo de 20 a
40000 a dozia.
Meias para horneas de 40, 60, 70 e
80000 rs.
Ditas para senhoras e meninos.
Toalhas de algod5o para rosto a 500 rs.
Ditas de linbo a 10000 e felpadas.
Redes de listras muito grande a 120000.
ROUPA FEITA POR MEDIDA.
Na loja do Papagaio, alera de baver um
graoie deposito de roopas feitas de todas
as qnalidades e feitios ha nm bonito sorti-
mento de cisemiras de cor e pretas, pannos
1 pretos, zoes e verdes, cortes de ge rgurio
1 de seda para colletes e um perito a faiate
| para quen quizer obra fe i ta com perfecSo
loando acn teca ficar algama
tica sob a responsabilidade
estabelecimento.
n t quem exigir.
AlOestr aborta das
jts.
TRIUMPHO
7 Ena doQneimado 7
DE
MOREIRA & BASTOS
E' chegado este aovo estabelecimento a ajaaa feete aortimento de fisend
Inis, sendo sua especialidade enxovaes para noivtdo.
Vestidos de blond de ,sda ricamente bordados.
Gorgur5o de seda branco para vestido.
Colchas de seda pura, para cama com ricos desenhos.
Ditas de lia e seda, id'-m idem.
Ditas de crox, dem idem.
Cortinados ricamente bordados para cama e janellaa.
Croxs para cadeiras e sofs.
Vestidos de cambraia branca bordados.
Popelines de lindos gostos.
L5as de diversas qnalidades, lindos gostos e modernas.
Ricos b mrnas para passeio, com listras de setina.
Sahidas de baile o que ha de mais rico.
Crotones para vestidos com lindos desenhos.
Carnizas bordadas e sem bordados para senhoras.
Camisas bordadas muito finas para bomens.
Ditas inglezas para homens e meninos.
Seroulas de linbo, e um grande sortimento d ronpas feitas e de fazendas q*
l snfadonho mencionar.
Luvas frescas de Jouvii^
Sortimento de tapetes para guarnieses de salas, alcatifas?ara forro de sala, a
(rande sortimento das acreditadas e verdadeiras
Esteiras da India

O
N. 3 ABJIA MGAHIGAN. A.
mmk ios
St
I
1
I
I
8
e
a
P
09
Com este titulo acha-se aberto e inteiramente transformado este antigo
estabelecimento de joias, onde os freguezes e amigos encontrarlo todo quanto
a moda e o bom gosto tem inventado na arte de ourivesaria, o Collar de Ouro
observar delicadeza no trato e senciridade e modecidade nos precos.
Espera que o respeitavel publico venba ver o que existe de melhor em
adereces de rimantes, esmeraldas, robins e parolas, meios aderecos, pol-
ceiras, brincos, alfinetes e anneis de todas as qnalidades, prata de lei faqnei-
ros, colheres, paliteiros salvas e outros muitos objectos que seria enfadonho
mencionar.
Compra-se onro, prata, brilbantes e podras Anas, pormaior preco do
qu em outra qualquer parte, troca-se e concerta-se todo e qualquer objecto
pertencente a esta arte.
CONFEITOS
D'iodoreto de potassio de L. Foucher.
Etw eosfeito ssem a vntagem Se jooto I
maior exactiio a* son gen (5 eoateem orna
Jramroa de ktdnreto de potassio) ido team o sabor
Bsagradave das soluctos: sua efflcaela ineon-
testivel, porque o medicamento chega ao esto-
mago sem ter soffrido a menor atteracio, o qoe
moitas vetea acontece selufio pelo metal eo-
Iber qne serve para a medir, alm destas a de
mui fcil transporte em viagam, evitaDdo assim
a ioterrupQo do medioaaenlB : nico deposito
na pbarmacia americana de Ferreira, Haia & C,
roa Dnqoe de Cairas n. 57, antlga do Qnelmado.
Ftirmbftde mandkca *>upe-
ror de Santa Cstharina e Babia, tem
para vender Joaquim" Jos Goncalves Bel-
Uao, nos trapicaes do Gu Moreira,
e para tratar
tercio t
iba saper
para casa particoiar
BRINS DE ANGOLA
OS LEGTIMOS
Trazeni em eada ateca ura {slbe-
te ceasa au) ose
008
nicos importadores
r. JEFFER1ES C.
Fondipao da Aurora.
C. Starr & C. em llquldacio vendem por precos
mais baratos 4o qne em ootra qnalquer parte,
taias de ferro batido e cnado, ata ubiques, moen-
das e molas moeadas, redas e rodelas, e radas
d'agaa para eogenho, criros e boceas de fornalha,
guindasta* jolo de fogo (flre b ick), cy-
fiadres para sedara tanto ioglezes como america-
nos, arados todos de ferro.
I
DO
GALLO VIGILANTE
Raa do Crespo n. I
Os proprietarios deste bem eonhecido estabela-
cimente, alm dos muitos objectos qne tinham ei
posto? a apreciacao do respeitavel publico, man-
daram vir e acabam de receber pelo ultimo vago-
da Europa um completo e vanado sortimento di
Anas e mui delicadas especialidades, as quaes es-
to resolvidos a vender, como de sen eostumt
por precos mnito baratinhes e commodos para
dos, com tanto que o Gallo....
Muito superiores luvas de pellica, pretas, braa
cas e de mui lindas cores.
Mui boas e bonitas golliahas e punhos para *-
nhora, neste genero o que ba de mais moderno.
Superiores pentes de tartaruga para coques.
Lindos e riqusimos enfeites para caberas da>
Exraas. senhoras.
Superiores trancas pretas e de cores com vidn-
Ihos sem elles; esta fazenda o que pode havat
de melhor e mais bonito.
Superiores e bonitos leqnes de madreperola.
marfim, sndalo e osso, sendo aquelles brancoi
com lindos desenhos, e estes pretos.
Muito superiores meias fio de Escossia para se-
nhoras, as qnaes sempre se venderam por 30S00t
ia dnza, entretanto que nos as vendemos por 50*
alm destas, temos tambem grande sortimento d
outras qnalidades, entre as qnaes algomas mniti
finas.
Boas bengalas de superior canna da India
castao de marfim com lindas e encantadoras figo
ras do mesmo, neste genero o que de melhor u
pode desejar ; alm destas temos tambem grand>
uantjdade de omras qnalidades, como sejam, m
deira, baleia, osso, borracha, etc. ele. etc.
Pinos, bonitos e airosos chicotinhos de cadeia
de outras qnalidades.
Lindas e superiores ligas de seda e borractu
para segurar as meias.
Boas meias de seda para senhora e para moni
as de 1 a li annos de idade.
Navalhas cabo de marfim e tartaruga para faz*
barba j sao muito boas.e de mais a mais sao ga
ranadas pelo fabricante, e nos por nossa ves tan
bem assegurani-s sua qualidade e delicadeza.
Lindas e bellas capellas para noiva.
Superiores agnlhas para machina e para crox
Linha muito boa de peso, frouxa, para encha
labyrintho.
Boas baralbos de cartas para voltarete, assin
como os tontos para o mesmo flm.
Grande e variado sortimento das melhores per
fumarias dos melhores e mais conhecidos par
fumistas.
COLARES DE ROER.
Elctricos magnticos contra as eonvulsSes,
facilitara a denticao das innocentes criancas. S>
moa desde muito rocebedores destes prodigioso
collares, e continuamos a recebe-los por todos o>
vapores, aflm de que nunca faltem no mereado
como j tem acontecido, assim pois podero aquel
les que dalles precisarem, vir ao deposito do gall
vigilante, aonde sempre encontrarao destes verda
deiros collares, e os quaes attendendo-se ao fin
Sara que sao applicados, se vendero com um mn
minuto lucro.
Rogamos, pois, avista dos objectos que derxamoi
declarados, aos nossos freguezes e amigos a viren
comprar por precos muito razoaveis loja do gall
vigilante, ra do Crespo n. 7.
Rival sem fecundo
Ra Duque de Callas o. 441
Jos de Aze^edo Mala e Silva, em raa lo-
ja de rr-itirie-as cntitua a vender tade
p Libras de Unta de noveHo, arntlhor
posivel. 6ZC0
Dozia de lencos re cas?accm bv. ni. f K 00
G i Vara d franja rranca para toalbss 160
, Duzas de metas croas muito toas a 3SC0
Dozias de mtias finas [ara senho-
ras S 41800
Dozia de palitos seguraaca a 120,
2iO, 3x e e SCO.
Na alnas muito fins, para fazer a *
barba a iC00
Gaixas com pennas de ac cem to-
que a 30
Cixas c.im peonas de Perry fazen-
da fina a 800
Di Citixas com 20 cabernos papel ami-
rade a 700
Pecas de tiras bordadas Vi metros
cada urna 1500
Pecas de fitas para cs cim 10
varas a 5(0
Pecas de tranca lisa de todas as
cores a 40
Duzias de liona Ihusa para tordar
a 400 e 50
Pares de sapatos de tranca a i^SOO
Ditos de ditos de tapete niuio
tinos a USGO
Do>8S de baralbos muito fiaos a
240U e 2/8C0
D tas de a?u'has para machina a 21010
Liora de pregos fraoce es a 240
Remas de papel aloiaco >oreri r a 3: 600
Ditas de dito pautado o melhor a 00
Gaixas C' m rabneles fineta a 72 e '<('C0
Libra de Ha pira bo dados a 7('00
Carrteis de 'loba Aexandre a ICO
Gravatas de cores muito fkas a 5CO
Ditas pretas pintas bordadas a 600
Grosas de bolees de madrvperla
para camisa a TOO
NoveHo? de linha brnnca, 400 jardas tO
Dozia de caribes d liaba branca e
preta e de cores a 120
Thesouras muito finas para netas
e co-tura a 5C0
Baralhos francezes muito finos a
200 e 240
Caixas redondas pan botar rap a !#tCO
Ve las de spermacete
A 500 Rs. O MACO DE 5 VELLAS CADA UM
Vende-se superiores vellas de spermaede em ca
xas de 25 macos : na ra da Madre de Deus nu-
mero 88-_______________________________
Em cjsa de THlURO CHitlSTlaN
SEN, ra da Cruz o. 18, encontram-se
effectivamente todas as qoalidades de vinhc
Bordeanx, Booi(rr<(rae e do Rheno.
Koti-8nte-rheumitico.
Remedio efflcacissime contra as dores rhenma-
ticas al hoje o mab eonhecido pelos seus mara-
vilhosos resultados.
XAROPE DE AGRIAO. um dos medicamen-
tos qne sna eficacia as enfermidades, tesse i
sangne pela bocea, bronebites, dores e fraqoeu
no peito, e-erubnt e moieslias de figado, que ate-
Ihor tem aprovado.
TINTURA DE MARAPUAMA. A celebre ris
de marapnama, cuja energa e eficacia as ptn-
lysias, intorpecimento, etc. ete. muito se reccn>-
menda.
Todos esses preparados se encontram na pba-
macia e drogara de Rartbolomou & C, nico de-
posito na roa larga do Rosario n. 34.
Na ra da Madre de Deus o. 28 vende-se csff
do Cear de soperior qualidade por menos pre-
co do qne em ontra qualquer pane.
CEMENTO.
0 verdadeiro portland. S se vende na
roa da Madre de Deus n. 22, armazem de
Je3o Martina de Barros.
Mi ha avala cabellas braatcoa
Tintura japonesa.
S e nica approvada pelas as academias de
ciencia, reeonhecida soperior a toda qne tem ap-
parecado at boje. Deposito principal i roa da
Jadeia do Recite n. 51. Ia andar, em ledas as bo-
tina e casa de cabilleireiro.
Xsrope peitoral de James.
nico legalmente habilitado pWo eonselbo de
sande, ensaiado e aprovado nos hespiue* : nico
deposito na pbarmacia americaoa Ferreira,
Maia & C, roa Laque de Caxiai n. 57, ( anga
do Qoeimado.
Farinha de mandioca
Vende-se farinha de mandioca soperior,
ebegada de Santa Camarina pelo brigne in-
glez Bucclenck, fondeado defronte do tra-
[itche do Sr. bn ao de Livrameato, em sac-
ftmmerc?
"Vende-se as segointea obras :
Castello de Grasville, 4 tomos eceadernados per
6O0O.
Diccionario francez-portogaes e viceversa, 2
tomos pRcadernados por 5|000.
As Tres Lagrimas, t temo encadernado ot
4 000.
As pessoas qne quizerem, dirijam-se ao an-
dar desta typograpbia. Na mesma e vende mn
revolver de seis tiros por 25f, do melhor fabricar-
te qne existe.
Solfejos de Rodolpho eocadernado por 64.
Msica Intitulada Lucrecia Bcrgia em irewa
2*000.
dem do celebre autor Bertini Idem 44.
Um livro em borneo para copiar msica 5*.
Agencia em Fernambuco
I>o Df. Ayer
Peitoral de Cereja
Con a phthysica e todas as molestias do pello
Jaaa psurrllka
Con nlceras e chagas antigs, Impigets sar-
ros.
Toaaleo
Conserva e limpa oa cabellos.
Pllulaa eathartleas.
Pnraroonte vegetaes sem merco
des, purgao e purificara todo o sj
Vende-se eft< divamente en caa de '
fobaatoB C ra da Sema I la Nova n.
Fio para saceos
ior
4 .- D. II.
.J'f* '

*:'^*';
s^a^a^a^aHa^HMktfflMaMfeMiaMSBtaiHMittiHa^a^Bia^aitetfHnMiHiaiMiMMMa^a^htfBHMHaim^^^^Hi



:' &
IB
8
Diario de Pernarabu
UTTERATURA,
RwUitlro.
A.....
Era de Urde t do formoso esli
Douradas nuvens pelo co voavam,
Do sol nitente se espargiam raios.
E os altos montes com esplendor brilbavam
Foi nessa hora to sub'ime, amena,
Que vi-te, virgen, namor odo os cos,
ulgu2i que eras algurc aojo ou fada
Oo que moravas na mansio de Deus,
Fiquei exttico, desvairado, ebrio,
Teu brlbo iiumeaso me ferio, cgoa,
Poder estraubo domioou m'rah'alma
Sublime lago me prenden, atoa,
Jamis crivel, qae na trra exista
Mulher 13o liada como to, virgem,
Quaudo contemplo la belleza inunda,
Tremo, vacillo, de fatal vertigem.
Esta vertigem o amor si acero
Qae nutro o'alma, por deroais ardente,
E' qae mea peito palpitando amores
Ferinas seuas do cime sent.
Obi bem quizra possuir a tela,
Que a toa imigem desenliar puiesse,
Oh I bem quizra ser poeta, u.n genio,
Qae em lindos versos te catar soubesse.
N5o sou poeta, nem pintor, ou genio,
Nem teRbo a lyra que desra amores;
Mas tua imagem oj a vejo sempre
No so!, as nuvens, nos vergas, nasflire*.
0*i quantas vezes em doarados sonhos
Vejo teu rosto tJo risonho e bello !
Sorrinrio acardo de prazer replecto,
Em li pensando toda a aoile velo.
Alegre ou triste, com prazer ou dor,
Oe mim nao foge tua imagem qu'rida,
Tu s a esp'ranca, que raen peito nutre,
Va mea pruer, mioha alegra, e vida.
Tu os a rosa mu fragrant e bella,
Qae desabrocha em manbaa risonba,
Tu s o lyrio do jirdim dos cos,
Ks o poema, que o poeta sonba.
Tu s a brisa, que saudosa passa
t*or en're as selvas suspirando amor,
Tu tens mais brilbo qae Dianna e Paebo,
Tu i das flores a mais linda flor.
Tu s das aves o sonoro cntico,
Tu s de Deas a creado mais linda,
Tu i a virgem que meu peito ama,
Tu s de Venus a belleza intuida.
Recife, 27 de fevereiro de 1871.
Manoel J. de Castro Yu.ei.la.
A Instmcco publica nos Esta-
dos-Usaldes.
(Continuagio)
Ttte neat Hlele dock in the comer it stands.
O lindo sinozinbo
L est no sea caniinbo.
Tal em toda a soa simplicidad^ o pri-
meiro grao destas Ii(5es das coasas.
Continan) estas l:co?, c o segundo passo
cosiste em mostrar aos discpulos objectis
mais complicados ou menos communs, e om
loes fizer conbecer os termos t<:cboicos que
oxprimem as suas propriedades diversas.
As-ira que elles vem a ter idea de todas
.s figuras geomtricas dos corpos elsticos,
tlexiveis, transparentes, opacos, speros,
polidos, luminosos; assim que aprendam
distinguir as que sito soluveis (o assucar),
.emi-transparentes (iromma-arabia), porosos
(espoojOi etc., etc. Pertencem a esta classe
de obje:to o sal, umi penna, cera, ama
vela, etc.
Estudando os objeclos de ordem diffaren,
te, faz se com que o menino distinga outras
qualidades que sito as qua os sentidos per-
cebem. Mostran lose lhe, por exemplo, la
e um pedaco de panno, faz-se com que elles
oohegam os oDjectos naturaes e os objec-
los artificiaes ou fabricados, indgenas e
exticos, mineraes, vegetaes, animaes, etc.
Tae s5o as nogo;s que se tiram das ob
servacSss sobre a cal, o carvao, um pbos-
phoro, urna folba de rosa, omel, urna bor
boleta, urna ostra, urna agulba, etc.
Depois de ter desenvolvido, por me > dis-
tes exercicios qo podem ser multiplicados e
variados ate o infinito, aquillo a queospby-
chotogos dio o nooe de faculddes percep-
tivas e intuitivas, fonte e origem das ideas
aensiveis, compro *o j* nomeiar e distin-
guir smente os objectos, mas descoVir a*
analogas oa diferengas que pessam existir
entre elles ni ponto de vista pby.ico e
moral.
J os discipolos fcstSo ass adiantados e
podem escrever na pedra ou no papel os
resultados da suas obierttfioes. Esolhem-
se, por exemplo, para que elles escrevam
e expliquen! as propried d^s, objectos per*
lncenlos a una mesma classe. As espacia
ras (pimenta, o>m scda, gengibre, cra-
vo, etc.) Os lquidos (agua, vinho, azeite,
cerv. ja, tinta, !eite) Os metaes (ouro, pra-
ta, mercurio, chumbo, forro, estanco).
Depois vem os principaes objectos perten-
centes s grandes divisos dos reinos mine-
ral, vegetal e an mal. Finalmente versara
as exolicages sobre os principaes tecdo3
de algodo, 15a e seda, os objectos fabrica-
dos, porcelanas, agolbas, thesoura?, limas,
pennas, etc.
Destas observares, informagoes, explica-
c5es e comparagos continuadas emathodi-
caraente graduadas nao resolta smente o
dar elemanto^ da urna instrucgao real, o
provera in'elii^encii de conbecim.ntos po-
sitivos de insonlestivel utihdade; niosubs-
liiuem smente, e felizmente para as crian-
cas, aquella sciencia puramente verbal que
aao os esludos grammrticae3 comedidos
antes da idade em que Ibes podem ser
ute's; emsumm', n5o interessam, ou se-
duzem smente os alumnos, cuja cariosida-
de constantemente alimentada e exctala
ps!a inmensa variedade dos objectos que
alterna lamente Ibes apresentam ; serviro
principalmente pira despertar, applicir,
desenvolver, fjriiticar to M as facu'.dades
do entendimento; nlo entra nesse estudo
tnohoma dessas ideas v.gas ou mal defiai-
das. que para a mor parle das criancas s3o
apenas sons intilmente ouvidos, palayras
vasias de s?ntid, aceitas de confianza, ina-
til fardo com qae se Ibes atuiha a memoria.
As lig s das cousas as acoslumaram a ver
e a ver bem, 'a observar, a distinguir, a
jul^ar, a comparar, e a raciocinar. As ligitos
das cousaj ainda d5 i constituem a sciencia:
mas preparam maravilhosamante o espirito^
para um ensno scier.tili ;o.
Quando os alumnos estudam depois seria-
mente a physica, a cbixica, a geol gia, a
mineraloga, a zoologa, a botnica, etc.,
vio entrar n'um mundo deiconhecido ; co-
nhecem as principaes p-oiucc5s di vida,
os projessos de fabrico empregados na mor
parte das fabricas, onde o traba'.ho do ho-
mem transforma os productos da natureza;
levara s proflssoes commerciaes e indus-
triaos noces que mais de ama vez ter3o de
applicar.
Tal o fien a que os americanos querem
chegar por meio deste methodo, qae se ap-
plica a todas as partas do ensino, e cojo
espirito se encontra at nos altos estados
do; collegios e faculdades.
O cosame de proceder por ario de in-
formacao e investigar;3o, de raciocinar sobre
fados p sitivos, devd produzir sempre otis
resultados no dominio das sciencias ; mas,
transportado para a arte, a litteratara, a
pbihsophia, a historia, deixa na sombra!
urna das mais brillantes facullade3 do es-
pirito, a imagioago, que, como ver nos,
tera secundario papel no systema geral da
educaejio publica ms Estados-Uaidus. N5o
falta s cianeas essa faculdade, e bom
nao deixa-la d irainar.
Cousa excellente sem duvida, essa lico
das coasas, e fra conveniente qae a intro-
duzssemos em nossas escolas; mas seria
perigoso dar-lbe importancia exclusiva. Ap
preadendo da cor as fbulas do nosso La
Fontaine, as criancas nao obtem a respeito
das plantas, animaos e bomens, smente
aquellas n fies qae Ibes d esse grande
obsrvador di nalureza; acham tambem o
encanto da narrado, a vivacidade das pin
turas, as allus5es picantes, a subtileza das
replicas, a delicadeza dos senlimentos. As
Iic3s de moral pratica e as inpressoes quo
se colbem dellas, deixim no espirito dos
meninos vestigios profundos Desta sorte
se formam o desenvolvern nelles aqaejlas
qualidades do espirito e do coraejio, sem
as qu es nenhum progresso possivel no
dominio da arte e da poesa.
Nao se trata com asss cuidado, as es-
colas dos Estados-Unidos, dos estados ca-
pazos de
o gos
do nihit tt itelkctu nisi quodpuer
insensu, o que leva o mes -istir eoa
cortos meios muita vez pueris. N'ama es-
cola de Brooklyn, alias perfeit .mente diri-
gida, ass'st ta a ama instruccio moral.
Propaoba-se o mestre a demonstrar aoi
discpulos a necessidade da ordem. Min-
dara vir para a mesa ora cop?, nm pires,
ama colber, urna esp'vitadelra, urna vela
e um castiga!. Todos esses objectos sta-
vam postos em desordem sobre a mesa.
Chamoa o professor ana crianca, e con-
vidou-a pdr esses differentes objectos na
ordem convaniento, o qoe ella fez, pondo
o copo no meio do pires, a colher ao lad i
direito de pires, a vela no castiga I o a es-
pvitadeira nt Silva deste. Q aolo esses
objectos cstavara espalhados na masi, en-
cbiam-n'a por modj desagradavel; postos
em sao lugar e arranjados symetncamente,
desembaragavam a mesa por modo qae a
gente podia servirse delta. Os olhos tive-
ram ante si um duplo espectculo da ordem
e da desordem, e a intellgencia compreben
dera por qae razio a primetra preferivel
segunda.
PreSro a ligo que se aeguio a esta.
Trouxeram pira a aula um ninho de passa-
rinho. Depois das perguntas do aso : Que
ohjecto este ? Quaes s5o as suas partes ?
Com que, e por quom foi feilo ? Onde foi
achado ? Depois de algumas observagSerf dente.
a composigo, a
e a historia. As
s coua (oral imtruction) cooli-
as da escola primaria, fazem conbe-
cer soccessivamente w qoahdades dos ob-
jectos familiares, as propriedades das plan-
tas, dos mineraes, dos animaes; depois os
fados psrtencentes ao dominio da agricul-
tura, do commercio e da industria. Conti-
nua-se com o mesrao coidado o ensino pra-
tico da moral (mamers and moral).
Ha ora corso de esludos supplementires,
dividido em dous graos, para os sexos fe-
menino e mas uiino. Nos primeiros Cirna-
le grammer schools) os alumnos estudam a
grammatica ingleza (ana'yse e composicao),
rhetorica, litteratura ingleza, historia anti-
ga, historia moderna, resumida oo que con
cerne aos out-os estados que n3o a Franga
e a Inglaterra, objecto de um ensino mais
minucioso, algebra, geometra, physica, his-
toria natural e astronoma.
Os cursos dos mogos sao os mesmos,
com a differenga que o esludo da algebra e
da geometra mais ampio. Accrescenta-
se a physica e a historia na'.ural, a cbimica,
o de;enho da architedura e de machinas e
a escripluraglo mercantil. A historia dos
Estados-Unidos e de sua contitoig) polti-
ca,, as leis municipaes e internacionaes,
completam esse ensino supplementar, a que
os alumnos s sao admiltidos depois de exa-
mes oraes presididos pelo superinten-
FOLHETIM
O MARTYRIO DE UMA MI
acerca da industria dos passaros, da bor-
dado e sabe doria de Deus, que bes dea o
almiravel instindo com que el'es acham e
dispem com tanta arte os diersos mite-
riaes que empregam, etc., o mestre contou
como algamis criaogas, sem piedade, tira-
ram um nioho onde havia cinco passrinhos,
vsti da propria mlt, que, voando roda
da sua querida ninhada, soltava pio3 lamen
to.os, capazes de enternecer os maia>duros
corag5e3 A narracao era feita de uoM modo
si oples e tocante. Os meninos pireciam
commovidos. Perguntou-lbes o m|stre o
que pensavam do proceder dos furU*ninhos;
unnimemente o condemnaram. A^igao era
boa ; mas teria o mesrao valor, ainda quan-
do nao fallassem previamente aos senados
d.s c i angas mostrando-lhes um nirtho. Um
professor francez, lendo oa fazendo recitar
orna fabu'a de Fiorian, produziria nos alum-
nos a mes na impresso
Nao objecto destas o' servato ;s condem-
nar nm systema de inslrucgo, que em mui-
tos pontos se apropria maravi'hosameote s
disposlgfjes naturaes da infancia. Nulo
simplesmeote o que Ibe (alta. Reconhecen-
do por um lado, a alilidale dbs exercicios
com que os nossos mestres desenvolvem as
faculdades ntelleduaes e moraes de seos
alumnos, nao cessaremis d Ibes recom-
raendar o uso do methodo americano do
ensLo por meio dos objectos extrema-
menta provetoso. Com certeza^ se alcanga-
.riam excellentes resultados, se cada um
dos dous paizes, imitando do outro o qae
lhe falu, empregasse ao masmo tempo 03
dous methodos de ensino.
CAPITULO VI.
Escolas de grammatica.Escolas superiores
fhigh schools).Academias.
Todas as parles do ensno, comegadas
as escolas primarias, contiouam e se
completam com o desenvolvimento qae
comporta a idade mais avaogada dos
aloran* as aulas de grammatica^ Esta-
baleci Jas urna em casas especiaos, ouiras
as escolas primarias, varia a sn? organisa-
go ros diversos estados da Uniap, quanto
s materias que abrangem e distribuigo
das aulas. Foi em New-York qae achei o
melbor systema de esludos e oa>mas bem
redigidos programmas. Servem de mode-
los em muitos estados do oeste.
Durante muito tempo a base da distinc-
g3o dos corsos eram os livrosclasicos (text
books) adoptados pelas commisses directo-
ras ; e os professores, tratando antes de
tudo de os dividir pelos annos applicados s
aulas de grammatica, n5o seguan em geral
nenhnma ordem lgica e regular. Os pro-
grammas de New-York eslabelecem os diffe-
rentes graos qae os alumnos devem suc-
cessivamente percorrer, segundo as mate-
rias do ensino.
O curso regalar dos esludos as aulas de
New York dividido em gro3, segundo o
programma publicado em 1868. Os alum-
nos sao admiltidos na idade de 9 para 10
annos. Exige-se um anno inteiro para os
cursos do grao mais elevado. Ensina-se a
leitnra, o soletrar, a grammatcaingleza, as
POR
Heuri Conscienee
SECUNDO VOLUME
(Continaago do n. 58)
Oaga-meprosegoio ella.Domine a
sua ndi^nago e falle mais baixo. O que
vou dizer-lbe deve redobrar a sua impa-
ciencia, mas teoha coragem ; ea associo-
me sua causa, e (memos de triumpbar
Oossaus iniratgos.
Agradego lhe tanta dedicagao disse
Matbias-e sinto-me resignado por ver que
a calumnia nao leve poder de me roubar a
sua estima I O que, porm, nSo compre-
heodo a causa dos seos receios, porque
lenbo a certeza deque a con des s a na: a
pode fazer contra mim.
Cr issso porque pos3ne nm escripto
i3s:godo por ella f E, se esse escripto
the fosse extorquido. n3o (icaria merc
delta ? N5o pedera a condessa allegar
que nlo fra cumplice no rapto da crianca ?
C^mo poderia provar-se que Heleni no
soa verdadeira fiha, achando-se fallecidas
todas as peeaoas cajo tesiemaoho se poda
invocar ?
Mas ella n5o pode privar-me de tal
ser'.pu Qora onde elle se acba.
Est no cofre de ferro disse a fco-
^^^^
I- redarguio o mordo-
Iva.
-me ? Olhe qae
BBBVJaaaaai
N5o est tal
mo, bramiai
Mirtlia, o
M ithias, desorientado, erguea-se, tiroo
do bolso ama chav3, correu ao p do co-
fre, abrio-o e tornou a facha-lo, e, voltan-
do risonho para junto da governante, disse:
Ainda all est; ninguem Ibe meclieu!
Depois, voltaodo sa de novo para o co-
fre, reparou na [echadura e exclamon :
Parece que se fez all leutaliva para
o arrombar! Coa tudo urna mulher n3o
loria torgas para isso !
Mas um serralbeiro simredarguio a
viuvi.
E a condessa ousaria por em pratica
urna acgo lo criminosa ?
Voa dar-Iba a prova disso. Durante
a soa ausencia, cbamoa-me, e, interrogan-
do-me sobre se en eslava disposta a asso-
ciar-rae ella para o guerrear, por tal
modo me quiz coaveocer do sea mi carac
ler, que, se eu o nao conbecesse lo bem,
considera-lo-hia sm demonio. Premetteu-
me mil vantag-.ns : eu, grata aos seusbe
neficios e n-pirada de indignag3o para com
ella, fing associar-me soa cansa e pro-
raelti ajuda-la a libertarse, como ella di-
zii, da sua tyrannia, que lhe amargurava
a existencia ha annos. Deste modo obtive
a revelag3o do segredo e preparei me para
o defender contra ella.
Essa mulher est lenca 1exclamoa
o mordomo.N8o sabe o qoe qoer.
Sabe de mais replicou Martba.
Urna vez aaiquillado esse documento, fi-
car osenoor dscrgao della.
E imagina ella poder assenhorear-se
do escripto ?
Doran'e a sua ausencia amanhia e
depois ter tempo de arrombar viole cofres
em lugar de nm.
Mas en ana se, parque ei nao aa-
birei de casa I
A viuva, qoe por certo previa aquella
nlo se m ostrn sorprendida
pe no possivel I prose-
e ir, alias ter de
a da saa recala i
Em muitos estados, as a.das de gramma-
tica com o; seus cursos supplemontares s3o
communs aos alumnos de ambos os sexos
sem dsliaegao. Cabe a mesma observagao
s escolas superiores de que fallarei adante,
e a tendencia geral d s espiritos parece le-
var admissSo de mogas, dentro de pouco
tempo, nos cursos dos collegos e faculda-
des. Muitas cidades, como veremos, j
inicaram isto.
As e3colas primaras, bem como as de
grammatica, tem tambem cursos de msica
vocal e de desenlio, cujo ensino mui des-
envolvido nos cursos 6upplementares. O
superintendente pode autorisar igualmente
o estudo de-Utim, francez, allemlo, as
aulas mais adiantadas das escolas de gram-
matica.
Todos esse3 esludos, como j observei,
correspondem s noseas escolas reaes ou
proflssionaes, e mor parte do nosso ensi-
no secundario.
S de alguos annos para c que a orga-
nsagao das escolas primaria e de gramma-
tica teve o grao de precisao que por muito
tempo Ibe faltoo.
Os esforgos inlelligentes de homens taes
como o Sr. J. Phlbrick, de Boston, Raa-
dal, de New-York, Wells, de Ciocinnatti,
Yra Diore, de Chicago, conseguiram cir-
cqmscrever-lhe at certo ponto os limites e
determinar-lhe os flns. Nos estados onde
a educagao publica est melhor ordenada, o
resaltado foi dar-se aos alumnos urna ins-
lrucgo sufflciente e immediatamente appli-
cavel s necessdades da vida, preparndo-
os ao mesmo tempo para continuaren! os
seus esludos, se Ibes convier ou fr possi-
vel entrar as escolas superiores, e mais
tarde nos estabelecimentos classicos oa
scientifleos, collegos oa universidades.
Se a instraccSo dada bss escolas prima-
rias fosse considerada s como preparagSo
para as escolas de grammatica, e se estas
apenas preparassem para as escolas supe-
riores, o tim n3o seria attingido.
Neceesaiio era que, por um lado, cada
ramo do ensino fosse tratado como omcur-
o completo de inslrucgo, posto que limi-
tado e proporcionado, j i idade dos alom-
os, j s ecessidades socaes que os obri-
gariam a contentarse com elle; por outro
lado, qae se dispuzessem os programmas
de tal maneira que o do ramo superior fos-
se a continoagao do ramo qoe immediata-
mente o precede, e que desde o menino de
seis annos, recebendo as prmeiras ligoes
oa escola primara, at o mogo oa moga de
dezoto annos que sabe da escola superior,
n3o houvesse no systema dos estud oa ou solugo de contnudade. Deste mo-
do se coacliam os principios da igualdade
e a le de progressao. Para todo3 os fi-
mos da livre America, o ponto de partida e
o ponto de chegada sao os mesmos. To-
dos entram naquelle vasto dominio da edu-
cagao publica, caminhando na mesma senda
e seguindo o mesmo curriculum de estu-
dos. A nica differenga (e essa differenga
nao da legislag.ao, mas das condiges na-
turaes da vida) que un3 param em certo
ponto da vis;, me-
ro, param em tros,
em numero mais restricto, attingem o ctrao
e os ltimos limites.
O Estado abre liberalmeote a lodos as
escolas de todos os graos. Depois das es-
colas de grammatica, organisa, com o no*
me de kigh schools, escolas superiores, es-
tabelecimentos onde o nivel dos estodos
aiada mais sobe, com nm daplo carcter,
j verificado as escolas dos graos inferio-
res, isto dao urna instruccao immediata-
mente applicavel e prepiram para os car-
sos de qu) so compoe o estado chssico.
A organisagla destas escolas encerra duas
formas differentes: urna, sob o nome de
escolt superior ingleza. (English high
schools) abraoge as materias de qae se
compe era geral o que chamamos ensino
professional, do qual as linguas antigs e
altas partes scientificas oceupam escasso
logar; a outra, (/ xima mais do nosso ensmo classico.
Estuda-se nellas latim e grego. Em al-
guns Estados essas escolas (ormam duas
divisos compielameole distinc'as. E a ou-
tros, ten: um s programma geral; mas
como as ligoes se fazem em horas diffe-
rentes os alumnos podem escolher entre
todos os cursos os que mais Ihes convm.
E'o qae acontece em Chicigo. S. Lnz,
na Grec Academia de New York, sendo
qae esta, as divsoes eslabelecidas, ac-
crescentou om curso particular, que d
inslrucgo paramente professional. Em
Bostn, os dous gneros de high schools
s3o d stindos; o mesmo acontece em Pni-
ladelpbia. Cada ciclado adopta o systema
que prefere, segundo o ponto de vista em
que se colloca.
Bem difficil constituir um ensino que
deva ser a om tempo especial e geral. De-
vendo fazer parle delie os ostudos Ilitera-
rios, histricos e philosophieos, bem como
os das matbematicas, physica, chimica e
historia natural, cada vez mais invasores,
acaso possivel (azel-os caminhar empa-
redados, e nao se torna antes neeessario
colas pareoUrea as matei
abranger o api
Os professores efe natorauneni
a dar exagerada importancia i parle do en*
sino de qoe sao eocarregados : tratara a
grammatica, a historia, a geographia, co-
mo se fossem os aicos raaos da instroc-
g3o ; o qoe os leva a insistir demasiado
nos mesmos pontos e a entrar, em cada
um delles, em demasiadas minndencias.
Por exemplo, admirou me muito a impor-
tancia dada as escolas de grammatica, e
al em algumas escolas soperiores, ao so-
letrar das pilavras. Qoalquer qoe seja o
systema orthographico adoptado para no-
tar todos os sons da lingna ingleza, pare-
cia-ma que depois de ter soletrado durante
cinco a seis annos, os alumnos menos d-
telligentes deviam estar sufficientemente
acostumados a distinguir os sons das letras,
a separar e reunir as ajilabas. Com pra-
zer vi, depois, que neste ponto eslava ea
do accordo com o hbil superintendente da
cidade de Boston, o Sr. Philbrick, que, em
sen relatorio de 1867, p. 237, dixia : A
arte de soletrar nunca foi considerada co-
mo necessaria. Roger Ascham, esse ho-
rnera de tamanha circamspeccjkt e to pro-
fundo saber, mestre de principes e prince-
zis, autor de om dos melbores livros de
educagao que existera, nao podia soletrar
no sentido que damos boje a esta palavra.
Os maiores escriptores do seculo de Isa-
bel ignoravam essa arte. Shakespeare o3o
poderia soletrar o sen proprio nome. Ain-
da nao se tinha fixado a orthographia ; ca-
da qual podia soletrar como lhe pareeesse.
H jo os diccionarios nos tiraram esse pri-
vilegio, e todos somos obrigados, sob pe-
na de passar por Iletrados, a nos confor-
marnos com os usos recebidus. NSo obs-
tante, esa necessidade nao nos obriga a
soletrar durante dez annos, aflm de ebe-
garmos a nao commetior erros orthographi-
cos; o tempo pode ser mais utilmente em-
pregdo.
dar a cada Tum deltes lugar
Halihorii-Sn
O melhor, nesse caso, goardar eu
o papel na carteira e leva-lo comigo.
Nao faga tal. A condessa tem tudo
prevenido. Juroa opoderar-se delle, e
consegui-lo-ha, se n5o tratarmos de a illu-
dir de alguraa maneira.
Como poder ella langar m5o do pa-
pel que levo comigo ?
A vuva, que nao quera darlhe tempo
de reflixao e que fra informada do as-
salto que Mithias soffrera no pinhal, acu-
di logo :
Espere sempre pelo peior. A con-
dessa n3o me disse positivamente o seo
plano, mas estou convencida de que nao
hesitar perante o maior attentado. Pre-
vendo a sua idea, fallou-me vagamente de
homens assalariados para fazerem embos-
i*3(3
Pois ella falln lhe de emboscada con-
tra mim fexclamoa Mathias, representan-
do*se-lbe na iia o assalto nocturno que
soffrera.
Seguramente que me falln nisso.
Andarei bem precavido e nio sahirei
de casa sen3o de da.
tootes precaugQas 1 redarguio Mar-
tba.Se ella persistir oo seo iotalto, intro*
duzir-heha no qoarto qoem de noote o
saqueie.
Vigiarei o qaarto e impedirei qae all
se introdozam.
E qaem ha de acompanhar a loaca ?
Lembre-se de qae toda a demora na par-
tida della prejudicial.
Farei saber condessa que tenho
coohecimento do sea perverso plano : farei
qoe ella renuncie a elle e obriga-la-hei at
a pedir rae perdao I
Desse modo sacrificar-me-ha ,e obri-
ga-me a fugir de Orsdael ainda esta noote I
Ento porque meio bei de evitar qoe
ella miente apoderarse do escripto ?
Martaa, flngindo meditar profundamente,
respoodeu :
Ha um meio de a lograr completa-
mente : eniregue-me o escripto, cozo*o na
orla do mea vestido e assim nao haver
qaem saipeite onde elle existe.
- [je moa.
distindo ?
Operar era certa occasi3o essa separagao
que, com o nome de bifurcaco, foi du-
rante muitos annos tentada as nossas es-
colas francezas, e deixada depois por na)
produzir nenbum dos efeitos qae se es-
perara della.
N'am paiz que, como a America, est
sempre procura do melhor, e n5o recua
ante nenhuma tentativa qae se aprsenla
com a imagem seductora do progresso, to-
dos os systemas podem ser applicadoa e
funecionar em diversos pontos. S3o adop-
tados ou rejeitados, conforme a experien-
cia e os resultados praticos os jastificarem
ou condemnarem.
Trabalham agora os melhores espiritos
por fazer comprehender que, dos cinco aos
dezoitos anoos, a instrucglo publica deve
ser dirigida com ideas geraes; que as le-
tras e as sciencias n3o podem ser durante
esse tempo objectos de esludos especiaos
e aprofundados; que, limiando-se a tirar
d'ahi ama fonte de licites e informagOes
positivas, os mestres devem co.dar antes
em formar homens e cidad >s, igualmente
preparados para entrarem com distincg5o
as diversas carreir.s qoe escolherem,
mas s quaes seria soberanamente impru-
dente condemnal-08 de antemo.
As escolas publicas nao devem formar
nem agricultores, nem mecnicos, nem en-
genheiros, nem pbysicos, nem chimicos;
compete isso s escolas especiaes, que se
trata de mutiplicar, e que efectivamente se
organisam na mor parte dos Estados-Uni-
dos, de urna maneira forte e pujante, sepa-
radas e ao p das escolas exi-temes.
Concebidos neste sentido, os program
mas das escolas pob'toas primarias, secun-
daras e superiores, vio-se pouco a pouco
desembargando das materias que at ago-
ra os atravancavam, e Ihes davam ua ap-
parencia encyclopedica que tiveram duran-
te largo tempo, e ainda hoje infelizmente o
tem, e em grande copia, os programmas
dosbacbarelados. Para Ihes apreciarmos, po-
rm, o carcter e natareza, importa menos
recorrer ao numero e natureza dos objec
tos de que se compojm o programma das
grammar schools e das high schools, do que
ao methido e proporgao que devem presi-
dir ao seu ensino.
Expressamente se recommenda que de
cada um dos ramos de estados s se ap-
plique a parte mais essenc'al, isto a qoe
importa a todos conbecer, deixando s es-
a poderosa arma qae tenho contra a con-
dessa 1 replicn Mathias.
Aproveite-se do mea conselho, qae
o aaico recurso de escapar aos seus ini-
mgos 1disse Martha na raaor agitagao.
Mathias, Iludido acerca da verdadeira
causa daqoella commogo, redarguio reso-
luto :
Vamos, Marlha, nlo exaggere tanto
os perigos. A assignatura da condessa
ama boa arma de que disponho. Agrade-
go-lbe as provas de sympathia que me ma-
nifest, ma3 o escripto ser bom em meo
poder. Escolherei um lugar onde guarda
lo, sera perigo de ser descoberto.
Martba desatou a chorar: via anniquilla-
da a sua derradeira esperanga. Q ndu
snppunha ter a'csngado a prova Uto arden-
temente desejada, sobrevinha-lhe aconvi:
gao dessa impossibilidade e com ella a
desesperanga de salvar sua fllha do borrivel
destino qae Ibe eslava marcado. -
Mathias, attribaindo aquello pranto saa
recusa, disse-lhe qae n3o dovidava da sua
affeigo, que elle tinha Della inteira confian-
ga, mas que sobre aquello assumpto lomara
ha annos urna deliberago de que n3o podia
demover-se; que estivesse tranquilla com
respeito ao risco qae elle podesse correr e
qoe o escripto seria guardado de modo que
a condessa lhe nao podesse tocar.
Por mais cousas que Mathias lhe disses
se, a viava cooservoo-se inconsolavel. O
mordomo n3o cessava de a contemplar e
por tal modo se enterneceu, que por fim ex-
clamoa :
N3o imagina, Martba, o alcance do
qae me pede : ama prova de confianga
ilimitada e qae ea nlo lite dara, se a nSo
coosiderasse como minba desposada.
Dizendo isto, encamiohou-se para o co-
fre.
A viava segoiao cora olbar obliioo. A
cadeira onde estava sentada trema ; o co-
rceo parecia querer saltar-lhe fra do
peito.
Mathias voltou com um pacote de papel,
e, entregando-lh'o disse :
Aqoi o tem. m guardado
atea rompa o sello
nem se aliaste deste U
Rep.ros se nelbantes se poderiam fazer
no tocante ao ensioo da escripta, qoe nao
tem por objecto principal formar caliigra-
phos; ao da geographia, que n3o deve
atulhar a memoria dos alumnos com in-
nmeras minujencias que necessariamente
Ibes bao de esquecer, e qae, ainda quando
elles conservassera memoria dellas, de |ne-
nhum uso Ibes poderiam servir; da histo-
ria, que n3o s urna sciencia de datas e
fados aprendidos nos livros, mas nm ali-
mento para o espirito e a ras3o ; da gram-
matica, emfim, qoe se deva separar do ap-
parelbo stientfico, a qae os alomaos pres-
lam pouca aitengao, e cujas regras se
aprenden) mais utilmente e melhor se con-
servara quando se deduzem da leitnra dos
textos postos em suas maos.
As escolas superiores para ambos os se-
xos vi i tomando cada dia maior importan-
cia ; 83o o remate das escolas publicas, e
todas as pessoas sinceramente dedicadas
causa democrtica nao cessam de insistir
na necessidade que tem cada Estacbxle
dar a esses estabelecimentos ama ampia
organisac2o.
Foi efectivamente para os esta los su-
periores que se fundaran, e se estio fun-
dando todos os das, grandes escolas par-
ticulares, que, em rasao do alto prego do
ensino, s podem servir s familias ricas.
As escolas publicas, abortas gratuitamente
a todas as mangas, sem excepgo, tem a
vantagem de servir a grande causa da
igualdade, que as leis devem defender con-
tra certas tendencias de qoe assgnale j
alguns symptomas. At agora tem-se da-
do bem a America com o systema que re-
ne, para Ibes dar instrucglo e direcg5o
communs, as criaogas.de todas as condi-
goas, e por isso o quer conservar, e al,
se for possivel, darlhe mais extens5o. A
lberdadde ensino em todos os seus graos
salva os direitos das familias. Se algumas
ha que, por qoalquer motivo que seja,
preferem por os filhos ou Gibas em casas
onde se nao achem em contacto com as
criangis pobres, nenharaa lei Ibes tolbe a
vontade; mas os homens distindos encar
regados de vigiar as escolas sabem maito
bem que a Repblica deve ama grande
parte de sua forga s institugoes que esla-
belecem, entre as'criangas de todas as clas-
ses, relages diarias.
(Continuar-se-ha).
ment. Bem v que, entregando-lhe este
papel, Ibe dou urna prova de estima e con-
fianga como se j fosse miaba esposa ; des-
te modo ficar certa das minhas intenges
a seu respeito.
Marlha, tremendo e qaasi desfallecida
de alegra, metteu o papel no seio, Al
all nem pdra articular urna palavra, mas
naquelle momento a posse de semelbante
documento enebia-a de coragem.
Mathias,disse ella n3o imagina a
m nha sati3fag3o 1 Agradego-lhe tanta bon
dade I Fique certo que gaardarei este
papel com tanta solicitude como se da posse
delle dependesso a minha bamaventuranga;
joro-lhe que o nao largarei, mesmo quan
do me pozessem ao peito a pona de orna
espada I Depois de amanhaa restituir-lb'o-
hei tal qual m'o entrega e resolveremos o
que se ha de fazer. Agora v descansar:
deve carecer de repouso, mesmo como pro-
vengio para a sua jornada.
Sem duvida que carego de descanso
principalmente em censeqaencia' das cora-
mogSes que boje tenho soffrido.
Martba, apoderada de umi impaciencia
febril, levantou-se, e, encaminhando-se para
a porta prosegoio :
Esteja tranquillo Mathias ; heje de
madrugada irei ter com a condessa, e, se
ella tramar novas ciladas, depois lie com-
monicarei todo; entretanto nao lhe falle em
nada do qae aqai passamos. Adeas, mea
amigo.
Adeus minba boa amiga redarguio
o mordomo, olhando-a fixamente.
Este singular relancear de olhos, n3o es-
capou a Martba, a qual sentio o saogue
gelar-se-lhe as veias, parecendo-lhe que
o mordomo Uvera a idea de voltsr a pe-
dir-lho a restituiga-o do papel.
Eacaminbando-se vagarosamente para a
porta, Martba volton ainda ama vez a ca-
beca, e, sorrindo-se, disse :
Boa noote, boa noote.
Logo, porm, qoe se apanhou no corre-
dor, voava, at qae entroa no qaarto. De-
pois de fechar a porta chave, dirigio-se i
janella qoe deitava para o jardim, abrio-a,
medio com a vista a aliara e voltou para
dentro a fallar comsJffo QMsmt, Aw
mou-se da mesa, accendeu urna laz, tiroa
o papel do seio, rompeo-lhe o sello e com
mao t'mula desdobrou-o.
Meu Deus, exclamoa ella aqai
est o verdadeiro reconbecimento dos meas
direitos malernaes E' a condessa qoem
con'essa ter mandado praticar o ronbo da
minha querida filha !
Um leve ruido, que lhe pareca ama voz
a chama la, interrompeo-a sbitamente : ir-
radion-se-lbe o rosto de om sorriso de
ventara e correa ab qoarto de Helena.
Qaando abri a porta, oovio um doloroso
suspiro.
At que chegoo I disse a joveo.
Nao pude ainda dormir ; tenho o presen-
timento de qoe a nao torno a ver I
Minba querida filha, raterrompeo
a viuva com voz trmula n3o chores I Ji
n9o vais para o convento. Amanha sers
libertada I Anima-te : vai raiar para ti o
primeiro dia de ventara. Amanhia vers
a teus ps os algozes que te tem atormen-
trdo I
A joven, assoslada com o modo. siogalar
com qae aquellas palavras eram proferidas,
exclamoa :
Ser chegado o momento de me dizer
qaem e qae poder occalto o sea ?
Qaem ea soa, bradoa eDa n'am
excesso de alegra qaem ea soa I Oh t
o segredo da miaba coragem, do mea
amor, da minha vida !... Son tua...
Porm ea estou desvairadi I
Helena, cajo coragSo presenta ama re-
velac3a soprema, estendea os bracos as
trovas em postara supplicante, mas Martha,
lendo recobrado o sen saogue fri, depoz-
Ibe na fronte um beijo e disse :
Anda nao chegado o momento so-
lemne ; conhecer-me-has s na hora da toa
redempcio : amanhia seberas q
qae nos liga. Agora for
deixe ; oestes sitios posso ser V-^^^H
orna tentativa qae aos perdera a
Adeas, minha fllha: dorme tranquila, ama-
nhia surgir para nos om novo sol I
E, correado pera fra do qnarto, fecboa
novamente a porta.
nV- l>u r a
%i


nw


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EIDW9WB1Y_GA1DXD INGEST_TIME 2013-09-13T23:17:10Z PACKAGE AA00011611_12335
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES