Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:12312


This item is only available as the following downloads:


Full Text
DA PBOVTJCIA.
Mr* a valso.


*
Propriedade de Manoel
>a de Paria & Filhos.

O 8n. Gerardo Antonio Alves 4 Filfeoe, no Par ; m$m Pisto, no MartnMo ; Joaqun* Jle de Olivara, no Ce-ara]
Pereira d'Almeid, en Wmuyyg; Antonio Ateadriao de Lima, na Parahjba ; Antonio Jos
; Anfonio Ferreira de Agriar, em Goysnna; Francino Tavarea da Costa,
to de Lemos Braga,no Araeatj ; Jlo Mara Jubo Chave!, no Asan ; Antonio Maroma da Sita, no Natal; Jote tata
na YiHa da Penha; Belarmino dos Santos Baldo, esa Santo Antao; Domngos Jos da Costa Braga,
foas; I)r. Jos Martina Alves, na Baha ; e Jos Ribeiro Gaiparnho no Rio de Janeiro.
PARTE ornciAL
- -.- ... --- s
rerno da prortarlft
expkdMRTS do da 8 de Fivannuo di 1871.
O prndenle da provincia, altendendo o que
expoz o iosjieetor da thesouraria de (aseada em
sa informaco de honlem n. 81, e de conformi-
dade com o disposto do decreto n. 2884 do 1" de
(everero de 1862, resolve abrir sob a respansabili-
.dade ila presidencia um crdito de 15:000$ para a
rubrica- tArsenae? do ministerio da guerra do
actual exercicio, visto achar-se extincta a quantia
concedida a mencionada rubrica, e ser preciso oo-
ennrer-se eos respectivos pafgamenioi.
Expedirn se as necessnriu comraunicaeoes.
O presidente dt provincia, altendendo ao'que
reauereu o atieres da 2' companhia do batalbio
o. 33 da guarda nacionaijdo municipio do Limoei-
ro, Domingos Barbosa da Cunlia M>rera, e a
vista do que oformou o commandante superior
respectivo em oficio de 5 do crenle, resolve que
se lhe d a gula de que trata o art. 45' do decreto
n. 1130 de 1} da marco de 1853, para o de S. Jos
de Mipib, na provincia do Rio Grande do Norte,
onde tem flxado a sa residencia.
Communieou-se ao commandante superi9r.
Offliii
Ao general commandante dai armas, recora-
mendando.em vista da medida proposta pelo en-
genheiro enea rregado das obras militares, que em
quaoto nao forem estabeiecidos pela Companhia
Recite Drninage os seus apparelhos na enfermaiia
militar, se inuiilise a latrina alli existente, que
sera substituid por cubos inodoros conforme se
praticou ltimamente com a latrina do quartel
das Cineo-ponias.
t Ao raesmo devolvendo alm de ser organi-
zado de conformi dade com a informacao da the-
souraria de faienda o pedido, que se refere o
seu offlcio n. 63 de 28 de Janeiro ultimo, visto com-
petir aos calcetas militares em servico no deposito
de recrutas, Jos Francisco aos Santos e Francisco
Gomes Farias, comente as pecas de fardamento,
indicadas na referida informacio.
Ao provedor da Santa Casa de Misericordia,
approvando a deliberacao que tomou a respectiva
juna, de mandar entregar a seu tutor o menor
Jovmo Fernandes da Silva Manta, e as suas mais
os de nomes Francisco Taciano da Silva Magalhes
Joo Baplista da Siva Magalhes e Delphino da
Silva Tarares, por j haverem completado a sua
educago no collegio dos orphos, e" nao pode-
rem.mais continuar alli, como dispoe o art. 45 do
respectivo regulamento.
t Ao mesmo aceusando o rocebimenlo do offlcio
de & do corrente, que veio annexa urna relacao
do* individuos accomroeltidos de febre amarella
no hospital Pedro ir, durante o mez de Janeiro ul-
timo.
Ao mesmo autorisando-o a mandar admitlir
n collegio dos orphos, se houver vaga, o menor
Olyrapio, IIIho de Francisca Xavier Nepomucena
Accioti, atiento o motivo exposto pela supplicante
na pelicio, de que trata a sua informacao de 4
do corrente, sob n. 3379.
Ao mesmo permittindo, de accordo com a
sua informacio de 4 do correte n 3373, a en
trena do menor Alfredo, educando do collegio dos
orphos, a sea irroo Albino Domingos Moreira.
Ao inspecter da thesouf aria de fazenda, com-
municando haver o bacharel Jos Francisco Ges
Cavalcaote assumido no dia 1" do corrente as
fuacepes de juiz municipal e de orphos do termo
do Bonito para o qual foi comeado por decreto
de 3 de novembro ultimo, passando no dia seguiDte
a substituir o juiz de direito, que entrou no goso
da licenca que obtve da presidencia.
Ao mesmo remetiendo copia do offlcio do
Dr. ebefe de poiicia, com relacao as coalas que
nessa thesouraria deve prestar o ex-delegado do
Ouricury, Joaquim -Perdeos Rodrigues Seixas, da
quantia de 2:440*590, que receben para paga-
mento do destacamento d'aquelle termo.
Ao mesmo declarando que o bacharel Ti
burcio Haymundo da Silva Tavares assumira no
da 23 de Janeiro ultimo o cargo de promotor pu-
blico da comarca de Tacarat.
Ao mesmo, transmiilindo para os flns con-
venientes seis ordeos, sendo tres do thesouro na-
cional, sobo. 12 a 14, e tres em duplcala expedi-
das pela repartilo do ajudante general, ns. 730
Ao mesmo, remetiendo a patente de teen te-
coronel chefe do estado-maior do commaodo su-
perior da guarda nacional dos municipios de Ca
brob e Ex, Ignacio Cietano de Alencar Rodo-
valho.
Ao mesmo, enviando os ttulos de nomeacao
de Elysio Benicio de Se. e Lyra para o lugar de aju-
dante d correio da villa de Petrollna, e da licen-
*a concedida ao Dr. Jos Antonio de Figoeiredo,
lente da faculdade de direito desta cidade.
Ao mesmo, mandando pagar ao agrimensor
Garios Cimillo Carlioe, a quantia a que tiver di-
reito, na qaalidade de coadjavante do engenheiro
Luiz Jos da Silva, na comraissio de'que se acha
incumbido oesta provincia.
Ao da thesouraria provincial mandando
entregar ao tbesonreiro da reparticao das
obras piblicas a qaantia de 10:200* que se torna
necessaria para as despezas com as obras por admi-
nistraco n>cerrute mez.
Comraunicou-se ao chefe das obras publieai.
Ao mesmo, inieirando-o de hayer, em vista
de sua Informadlo, concedido ao juiz da irman
dade de .N. Sra. do Terco, Jos Pinto de Magalhes,
a autorisacao que pedio para despender com as
obras da igreja do mesmo nome, al a quantia cor-
respondente ao beneficio da lotera extrahida a
favor degellas obras, devendo elle receber fssa
quantia depois de prestar conlas.
Pnrwn ihfMnririi mandou-se pagar -
- \o alferes ao eotjw de fJotteia, Severiauo VWra
da Pas a gratificsc/le da constando do destaca-
mento de Nazartb, na razio da 10* mensaes, a
cootar de 13 da. agesto doaano passado.
Ao padre Aug vigario da fregdei de N. SrVda Graca, da Ca-
punga, a qaantia de 831*, que se Iba est a dever
r saldo da de 1:831*. por ella despendida
aera de alfaias noeessarias ao uzo da
atns daquella frrgaezia.
noel Joaquim da Miranda e Souza, a de
58*, tiro venante de livrps] que foroeceu, o enca-
para a secretaria da presidencia.
a 5" cadeirade primeiras lettras
Santo Antonio desta cidade, Jola
Mas Ganan o alugael da casa em
sua aula.
Elseo da Silva Caneca, professor
dopovoado da Torre, tam-
i casa em que funeciona a sua
idante superior da guarda naci-
^a Umoeiro, devolveodo a pro-
xa ao tea oHe de 8 do cwr-
eja apresanuda opporUna-
:laco aoj piHa mu.
Teres J9&0 Ci_
1
99
bacharel Cfirijtovlo Xavier Lopes pedia providen-
cias a respeito Ja deraarcaelo e verifleacio de t-
tulos do patrimonio da matriz da fregaazia do
Agna-Preu, cohviodo que d o motivo da demora
bavfdg.
Ao cbitt das obras publicas para que, em
vista do que expde a camera muaicipal do Recife
sentido de, a companhia dos trilhos nrbaaos do
Recife i Ollnla, mandar collocar um vigia na ra
do Hospicio, afim de dar signal por occasio do
passagem dos treos entre os edificios da faculdade
de di relio, e collegio das artes.
Ao engenheiro fiscal da estrada Je ferro do
Recife a S. Francisco, afim de que, em cumpri-
ment do disposto do aviso do ministerio da agri-
cultura de 13 de jineiro ultimo, informe, desos de
ouvir ao respectivo superinteodeate, acerca da ele-
vacio das tarifas de transportes deaa estrada, de
que (rata o parecer, unto por copia, do eoge-
-nheiro Francisco Pereira Paseos.
Ao in?pector da saude publica, declarando
era resposta ao seu offlci) de 6 do corrente, que
pode encerrar o.livro perteocente a extincta junta
de hygienne publica, e abrir novo titulo, aflm de
servir para o registro da correspondencia oficial
dessa reparlicio.
finaras :
A' cmara municipal do Recife, reeommen
dando que, em additamento ao sea ofucio de i do
corrente, informe sobre a falta de reaaiao da jun-
ta de qualflcaco de votantes da freguezia de Afo-
gado, aflm de saber-se quein deve ser responsa-
bilisado pela mesma falta, e prevenodo-a de que;
flea marcado o dia 19 de mareo vindoaro, para te-
r^mcomeco os irabalhos da reviso da lista geral
dos votantes na referida freguezia, devendo a raes
ma cmara expedir as necessarias communica-
?3es.
Inteirou-se ao juiz municipal da primeira vara
desia capital.
-- Ao gerente da companhia Pernambucaoa,
mandando dar urna passagem de estado a proa
at Macei, do vapor qae tem de seguir para alli,
a Paulina Balbina de Santa Rosa.
Despachos:
Padre Augusto Pranklin Moreira da Silva.Di-
rija-se a theiouraria provincial.
Alexandre Antonio de ArrodaAguarde a de-
cisio do governo imperial quera foi subraettida
a materia da pelicao a que alinde.
Albino Domiogues Moreira.Dirija-se ao Sr.
provedor da Santa Casa de Misericordia.
Carlota Maria do Sacramento.Indeferido.
Carlos Camillo Garlini.A thesouraria de fazen-
da com offlcio aesta data.
Companhia dos trilhos urbanos do Recife a Api-
pucos.Remettido ao Sr. eogenheir j chefe da re-
particao das obras publicas, para de conformidade
com sua inurmagao de 7 do corrente, sob n. 36,
attender ao supplicante.
Provincial do convento do Carino.A' vista da
infor.Dac.ao da thesouraria provincial, nao tem lu-
gar por ora o trae reqaer o snpplieante.
Francisca Xavier Pepomuceno Accioly.Dirija-
se ao Sr. desembargador provedor da Santa Casa
de Misericordia.
Hermilino Elizeu da Silva Caneca.A' thesou-
raria provincial com oficio desta data.
Joaquim Francisco de Albuquerque Santiago.
Informe o Sr. regedor do gvmnasio provincial.
Jos Pereira da Silva.Informe o Sr. juiz mu-
nicipal do termo da Esoada.
Joo Antonio Marques do Espirito Santo.In-
forme o Sr. Dr. chefe de poiicia.
Joo Miguel dos Aojos.O supplicante ter des-
tino na primelia opporunidade.
Jos Pinto de Magalhes.Fica o suppicante au-
torisado a despender com as obras- da ihreja de
que trata at a quantia correspondente ao benefi-
cio da lotera, extrahida em (avor das raesmas e
obngado a ajstar opportunamente contas na lhe
souraria provincial.
Joao Landelino Dornellas Cmara.A' thesou-
raria provincial cora offlcio desta data.
Capilo Manoel Tnomaz de Albuquerque Mara-
nho.Informe o Sr. inspector da thesouraria pro-
vincial.
Manoel Jos da Silva Neyva Passe portara
concedendo a licenca requerida.
Mauoel Raymundo Camioha.Informe o Sr. com-
mandante do corpo de polica..
Manoel Fernandes da Costa & CInforme o Sr.
engenheiro chefe da reparticao das obras publicas.
Pedro Simao da Silva Braga.Habilitando-se
em concurso, ero lempo ser tomado em conside-
rado o que requer o supplicante.
Severiauo Vieira Paz.A' thesouraria provincial
com offlcio desta data.
EXPEDIENTE DO SECRETARIO.
Oficios :
Ao general commandante das armas, remet-
iendo, de ordem da presidencia, os passes, que so-
licitou em offlcio da 7 do correte, sob n. 86, pela
via frrea do Recife a Oliada, das duas pracas do
9. batalhao de iofantaria e do servente da enfer-
mara militar, que necessilam de -tranhos salgados.
Aos gerentes da companhia Brasileira de pa-
quetes a vapor, declarando de ordem da presiden-
cia, que pode fazer seguir para o norte o vapor
Santa Cruz, procedente dos portos do sul.
Ao gerente da companhia Pernambucana, di-
zendo de ordem da presidencia, que faca seguir
para os portos do uorle sul os vapores Ipcyuca e
Giquia.
cxneiiirrB do da 9 ni fbvebohodi 1871.
Actos :
O presidente da provincia, tomando em con-
sideracao o que- representou-lhe a cmara muni-
cipal do Relas, etn offliio n. 90 de 5 da outubroie
d. 105 de 30 de novembro do anuo Godo, sobre a
oece^sidade e conveniencia, da acquisicao do pre-
dio sito ao Campo das Princeza?, perteneente ao
Dr. JosJoaqnim de Horaes Sarment, para alli
funecionifem a mesr. cmara e outras reparti-
eses publicas, concorreado ella com a quantia de
30:000*000;
Auendendo, oulrosim, a falta de local apropria-
do, nio so para os trabalbos da assembla legisla-
tiva provincial, emquanto conslrue-se o respectivo
paco, ha pouco encelado, se nao tambero para a
repartido das obras publicas, provisoriamente
ooilocada no palacio da presidencia, para a direc-
tora geral da inttrucco publica e thesouraria
provincial, cuja retnocao do proprio nacional, on-
de fuDccionara, foi ordenada pelo ministerio da
fazeada em aviso de 30 de outubro ds 1868;
- Vistos os pareceres de Dr. procurador fiscal da
thesouraria provincial de 10 e 30 de Janeiro adu-
ano, opinando pela realisaco da transaccio as
termos propestos ;
Visto o oroamenw do engenheiro chefe da re-
parlicio das obras publicas, dando a estiraacao ac-
tual de 107:118#JdO ao supra mencionado pre-
dio ;
Resolve autorisar sob sua respoosablidade a
compra do mesmo predio pela quantia da 92:000*
3ue seri paga'sm ipoltces Mi eredlto especial
da lef do orCImenlo vtgahr de coofor-
midade com o regulamento de 3 de dezembro ul-
timo, sendo pela amara- mnnieipal recolhida a
quoia respectiva thesonraria provincial,.onde
sari eeorlplurada como producto das alludidas
apolices, e ficando lado dependente de ulterior ap-
,'o da assembla provincial, a qual oppor-
praaanla. acto cora os pa-
^^HHP W Um sarvaaa, de funda-
>cto
nieipal do Recife e a thesonraria provincial,
comraendando-se esta que sem perda de tem
mande effectuar o contrate da aaaanra e vend
com as formalidades legaes a. eiaasalas eapauiaes,!
que verbalmente pasaari a presidencia ao Dr. pro
carador fiscal.
O presidente da provincia, altendeodo ao
trcelo publica em afflcios de 10 de setejnbro,
de novembro de 1870 e 28 de Janeiro ultimo ns.
289 ala, 377 bis e 41, sobre a insuficiencia do ere-
dito' votado palo art. 4" $ 15 da lei do oreamento
vigente, reaalveanrir um crdito supplementar na
importaacia de 6:000* para oecorrer as despezss
urgentes com os serviepe do referido paragraphe,
viste considera-laa d natureza eventual.
ExpsdSrsin-se as nneessarias eommnnieacdes.
O presidente da provincia, tendo em eonsi-
deracioo que representou o commandante supe-
rior da guarda nacional do municipio do Bonito
em oficio de 30 da mea Indo, relativamente ao
faeto de ter sido noraeado capitio da 7* compa-
nhia do batalhao d. 37 daqueile municipio, Jos
Domiogues do Carrao e Silva, morador na fregue-
zia de Nossa Senbora da Graca desta cilade, re-
solve a vista da illegalidade de dila nomeacao, de-
clara-la sem effeito, e mandar que seja cassada a
patente expedida em data de 17 de setembro do
atiDO pastado.
Communcon-se ao commandante superior.
O presidente da provincia, altendendo ao
que requeren Antonio Jos Pestaa, comeado por
portara de 10 de Janeiro de 1870 para o posto do
alferes da 1.* companhia do batalbio n. 21 da
guarda nacional do municipio do Liraoeiro, resol-
ve despensalo do lapso de lempo para tirar a res-
pectiva patente. *
O presidente da provincia, altendendo ao
que requereu Constantino Gomes Ferreira, e tendo
em vista a informacao do capitio do porto de 24
de Janeiro ultimo sob n. 8, resolve conceder-lhe
permisso para tirar pedras soltas era S. Jos da
Cora Grande, e empregal-as no fabrico de cal.
Oficios:
Ao Exra. presidente do Cear, aceusando re-
cebido o offlcio de 20 de Janeiro indo, era que
participou haver naquelle dia prestado juramento
e tomado posse do cargo de presidente dessa pro-
vincia, para o qual lora nomeado por carta impe-
rial de 30 de novembro ultimo.
Igual mutatis mutandis ao Exm. presidente
do Piauhy, que tomou posse no dia 26 de dezem-
bro do anno passado, e fora nomeado por carta
Imperial de 20 de outubro.
Ao Dr. chefe de polica, dizendo em resposta
ao seu offlcio de 3 do corrente, sob n. 57, que fl
ca seiente das diligencias empregadas pelo dele-
gado do termo do Rio Formoso, para captura d
calbambolos, existentes as maltas do engeoho
Ilhetas, e aguarda a participacio do resultado
dellas, convindo que sejam activadas.
Ao mesmo, para informar sobre pde o juiz de direito da comarca deJjajIrAnrao,
no oficio Junto por cpin, relatfvaraente^vi?v1sSo
dos distrietos policiaes da freguezia da Victoria.
Offlciou-se a cmara municipal de Santo Antao
para tambem informar.
Ao inspector da thesouraria de fazenda,
mandando indemnisar a reparticao da polica da
quantia de 243*100, proveniente de objeetos com-
prados para o respectivo expediente.
Coramnnicou-se ao chefe.
Ao mesmo, dizendo que para a presidencia
cumprir na parte que lhe toca o disposto no avi-
so, junto por copia, do ministerio da fazenda re-
lativamente a indemnisacio dos livros qne rece-
berem os offlciaes encarregados do registro geral
das hypothecas nesta provincia, faz-se preciso que
informe quaes desdes offlciaes deixaram do rece-
ber taes livros, indicando lego em quantas pres-
tarles deve ser realisada a indemnisacio.
Ao da thesouraria provincial, autorisando-o
a mandar proceder de conformidade com a sua
informacao, acerca do pagamento que pede Ma
noel Nunes de Meleiros, da gratificaco vencida.'a
contar do 1 de julho de 1867 at 17 de maio
do anno passado, como praca do corpo de
polica, que servio na guerra contra o governo da
repblica do Parsgnay, visto pertencer essa divi-
da a exercicios j encerrados.
Ao mesmo, para qae, nos termos de sua in-
formacao, faca entregar a cmara municipal de
Garaohuos, por intermedie, de Manoel Jos dos
Santo9, o cont de reto votado no 6 do art 6o
da lei do ornamento vigente, afim de que possa
elfa acudir aot reparos mais urgentes do acude
daquella villa.
CommuDcou-se a cmara.
Ao raesmo, autorisando-Q, em vista de sua
informacao, a mandar pagar ao tereeiro escriptu-
rario da thesouraria provincial Ignacio Beato de
Loyola, a quinta parte dos vencimentos do lugar
de oficial da secretaria dessa thesouraria, dorante
o lempo em que tiver exereide interinamente o
referido lugar
Ao commandante superior da guarda nacio-
nal do municipio de Garanhuns, para declarar ao
major commandante da seeco n. 7 de reserva do
municipio de S. Beato, que deve cumprir a ordem
desse commando superior, que mandou juramen-
tar e recooheeer o capitio Jos Noi da Silva Bur-
go, nomeado para a l* companhia da mesma sec-
cao, estraohando-lhe o nao have la enmprido co-
mo devia, mxime sabendo ter ella sido approvada
pela presidencia.
Ao capitio do porto, recommendando que,
mande por em libesdade os recrutas Miguel Reno-
vato de Mello e Thomaz Bezerra Cavalcante.
Ao commandante do corpo de polica, afim
de que ponha disposico do dootor inspector da
saude publica urna praci desse corpo, aflm de en-
tregar os oficios por elle-expedidos s diyersat
autoridades.
Commnnicou-se ao inspector.
Ao promotor publico da comarca de Naia-
reth, chamando a sua attencao para o fado, que
partwipou o Dr. chefe de polica, de terera no lu-
gar Quarteiro do Calumby da freguezia de
TraeuDham, Manoel Dias e um sen irmao sisas-
slnado i Jos Aleixo, que havia ferido gravemente
ao primeiro, e recommendando que empregue as
diligencias legaes, aflm de ter andamento o sum-
mario crime instaurado, e serem capturado* e pe*
nidos s" delinqoentes.
Ao tenente-corouel commandante do bata-
lbio n. .33 da guarda nacional do municipio de
Ingazeira.Re'pondendo ao offlcio de Vmc, do !
do mez Ando, lenho a dizer-the qae na forma da
le o servico de destacamento deve ser distribuido
com a raaior regnlaridade possivel pelos guardas
nacionaos do batalhie sob o sen commando, pelo1
que, se houvesse boa vontaoe de sua parte, em
vea dessa espirito de oppesicio e reluctancia me
eora desgosto observo, neahoiiia diflkalfltde na-
veria em ser maotido em estado completo o desta-
camento da villa de lagaaeira compoeto apenas de
20 pracas.
Espero, pote, qae Vmc, eollocaudo-se luperier
s intrigas locaes, qae trazem sempre daeao ao
servico publico, auxilia uooae deva a adiainistra-
cao, em vea de suswtaj--lhe dirflculdades, e poope
a esta presidenoia o capreg das providencias re-
pressivas, que a le faculta-Fue.
Oulrosim devo oo'ur-lhe que l sua correspon-
dencia com esta ry.esidencia, a nao ser em caspa
argentes e extraordinarios, deve lar a marcha
ripia no decreto n. 1354 de 6. do abril de
:. It.
laee a coat- Ha.*. ^Hm
gentes da Compant
casurau vapor para m.
lada
irte, por coma de ministerio da fazenda, no pri-
eiro vapor que seguir para o sal, a familia do
ipeetor nomeado para a alfandega do Paran-
a, Henrique Gomes de Oliveira, a qual compda-
das pessoas constantes da relacao junta, assig-
a pele secretario da presidencia.
Goromuniootb-se iheseararia de fazenda.
'gttal mutat mwttmdrt, mandando dar trans-
rte para a corte, por coala do ministerio da
uerra, i 0. rsula Mara da Conceico Brrelo.
Miria Francisca Brrelo a D. Lourenca Pran-
isea Brrelo, raulher, mai e irmia do lente do
orpo de esiado raaior de 2' classe, Franklin
Francisco Brrelo.
Despachos :
Bacharel Americo Fernandes Trigo de Lourei
ro.Informe o Sr. inspector da thesouraria pro-
rlncial.
Anlero Augusto Peixoto de Alenear. Encami-
Dhe-se.
Antonio Renovato de Mullo. Seja peto em li-
berdade.
Tente Clemenlino Accio Lio?. Nao lm la-
gar o qne reqoer, vista da informacao.
Evaristo Mendes da Cocha Azevedo.Informe o
Sr. eogenheiro chefe da reparticao das obras pu-
blicas.
Francisco Berengner Cesar de Menezes.Infor-
me o Sr. director geral interino da instrueco pu-
blica.
Capitio Felip,-e Jos da Exaltacao Maniva
Junle os documentos exigidos pelo decreto n. 89
de 31 de julho de 1841.
Francisco Jos 'da Silva Amorim. Informe o
Sr. inspector do thesouraria provincial.
Guimaraes & Alcoforado, Luiz Jos da Costa
Amorim A C., e outroa.Ao Sr. inspector da the-
souraria provincial para informar.
. Bacharel Henrique do Reg Barros. A' vista
a ieformacio, nao ha qae deferir.
Ignacio Bento de Loyola.Dirija-se thesoura-
ria provincial.
Jos Eduardo de Souza L-indin. Informe o
Sr. regedor do gymoasio.
Jos de Barros Cavalcante. lnf.rrae oSr. di-
rector do arsenal de guerra.
- Sebajtio Antonio de AHtuquerque Mello. In-
forme o Sr. director geral interino da instrueco
publica.
Salvador Barbalbo OchOa Cavalcanti. Por ora
Dio tem lugar.
Thomaz Bezerra Qavalean. Seja posto em ti
berdade.
Tenente-coronel Thomaz de Aquino Cavalcan-
.Informe o >Sr. inspector da thesouraria pro
cial.
SRS^CE^^r}^^:.^ Idoescavada n'nro circulo mallo extenso 4 oon-
2:890*000
2:190*000
2:000*000
1:300*000
321*410
200*000
71*000
60*000
M. o
56
8
4
333
48
819
204
2282
277
66
8
6
portes
552 portes
95
portes
1XPEWBNTE DO SECRETARIO.
ICIOS
r ?- Ao juiz de direito de Caruarii, dizendo flear
i_presidencia inteirada de haver sido (sita a revi
sao da lista dos jurados daqueile temo, sendo qua
lineados 251 jurados, inclusive 86 ippleuies, e
ijUAiuloate a de S. JJeolo, onde foriun apurados
135 jerdos dos quaes 37 supplentes.
-r Ao promotor publico da comarca de Olioda,
iraosmittindo, de ordem da presidencia, copia do
1 llcio, em que o administrador do correio desta
capital d a razio da demora havlda na remessa
do processo crime, em qae reo Joaquim Ferrei-
ra de Saota Anua.
Reparticao da palela.
2." seccio.N. 190.Secretaria da polica de
Pernambuco, 13 de fevereiro de 1871.Illm. e Kxra.
Sr.
Levo ao conhecimeato de V. Exc. que, se-
gundo coasta das paricipacSes recebidas hoje
aesta reparticao, foram recolhidos casa de de-
tencio os segaintes individuos :
No dia ti do esrrente, crdem do doutor de-
legado da capital, Thomaz, escravo de Joo Carlos
Bastos de Oliveira, requerimento d'este.
A' ordem do subdelegado do Recife, Estevio,
escravo de Joaquim da Cruz Siqueira, requeri-
mento d'este.
A' ordem do de Santo Antonio, Vicente Gomes
Marineo, Manoel Joaquim de Sanl'Anna, Manoel
Joaquim do Nascimento e Joo Ferreira de Licer-
da, como indiciado em crime de roubo.
A' ordem do da Boa-vista.Raymundo de tal, por
desordera.
No dia 12, i minha ordem, Joaquim Jos de An-
drade, para recruta, Joio Pereira da Silva, Joo
Marcelino Galvio, Joio Candido de Carvalho Ma-
cedo, Antonio Gomes Brasil, Manoel Antonio da
Silva, coma criminosos, e Manoel Florencio de
Souza, como desertor.
A' ordem do subdelegado de Santo Antonio,
Elias e Gabriel, escravo, este de Joio Pedro e
aquelle do convento do Carmo, ambos por distur-
bios.
A' ordem do da Capunga, Domingos, escravo de
Pedro Maury, requerimento d'este.
Communieou-me o delegado de Ipojuca, por
oficio de 9 do corrente, qne, pelas 4 horas da tar-
de do dia anterior, na praia prxima ao sitio de-
nominado Toquinbo do mesmo termo, fura encon-
trado o cadver de um bomem era tal estado de
putrefacto, que nio pode ser eoahecido.
O subdelegado respective fieava procedendo s
convenientes indagacSes pora conliecer se a morte
foi e resultado de algum crime.
O delegado do termo de Olinda, por oficio de
10 do corrente, communieou-me que no dia 5, no
lugar Beberibe de Baixo, Marcelino Jos dos An-
jos, ertando embriagado, ferio levemente com
urna tacada ao portuguer. Barbosa, e foi preso em
flagrante, teodo-se procedido ao competente corpo
de delicia, e bem asskn qm no dia7, no lagar
Cambe, o crioulo coobeeido por Ventana, tara-
bera em esUda de embriaguM, forira levemeule
com tres lacadas a Mara do Nascimenlo, eva-
dindo-se logo depois; one .proceden a corpo de
delicio e fieava inslauraedo um e oulro processo
contr os colpado.
Deas guarde V. Exc.
Illa), e Bxm.4a consettieire Diogo Valho Caval-
canti de Alhuquerque, digalsslmo presidente da
provincia. ftti'r nbkio, AntoitaVs PmAeiro.
REVISTA DIABIA.
GUARDA NACr6NAL.-Par orlaras da presi-
dencia A provjneja, 4f 9 do correle :
Foi dispensado ao alferes da 1" companhia do
. 21* balalho de infanlaria do municipio do Li-
moelro, Antonio Jos Pestaa, o lapso de tempo
para poder tirar sua patente.
Foi declarada sem effeito a nomeacio de Jet
Domingues do Carmo e SHva, para capitio da 7
coipanhra do 87* Datamio de iofantaria do muni-
cipio do Bonito, por ser elle morador na freguezia
deNossa Senbora da Graca da Capunga, do mani-
cio do Recif
PROPRIO PROVINCIAL.A presidemsia da pro-
vincia, pqr acto de, 9 crreme, fot autorisad a
oampra do predio n. i do Campa das Princesas,
que este navio de guerra brasileiro sae na prsen-
le semana para a Babia.
DINHEIRO.O vapor Maniak da compaohia
Pernambucana trouxe para os- Srs. :
Joaquim Jos GoacaJves BeHrio
H. Forster & C.
Jos de Souza Barreiros & C
Balthar, Oliveira A C.
Seixas it Borges
Francisco Ferreira Balthar
Diogo Augusto dos Reis _
A. Lobo dos Santos Mala
ANNIVERSARIO.Fax hoje 42 anuos S.
re da Italia, Vctor Emmanuel.
ESTATfSTiCA POSTAL. A admloistraco do
correio expedo mala para a Europa, pelo vapor
francez Amaxone contendo 3492 carias com
5547 portes, 537 jornaes cora 1110 portes e 4 se-
guros com 6 portes.sendo:
Italia,
carias com
jornaes >
seguros
Franca,
cartas com
jornaes
Inglaterra,
cartas com 1711
jornaes 229
Portugal. /
cartas com 3218 portes
jornaes > 778
SUBSCRIPQO FRANCEZ A.-Darnos em segui-
da urna carta que nos dirigi o Sr. Osmio Laporte,
cnsul de Franca nesta provincia* explicando o
moivo que deu lugar a voltarem de bordo do
vapor Amazone os 213 saceos cem asssucar, pro-
ducto da subseripeo agenciada pelo dito Sr. con-
sol era favor das familias necessitadas do seu paiz.
Folgaraos de ver que nosso informante andou
mal avisado a respeito.
Eis a carta:
Srs. proprietario? do Diario de Pernambuco.O
motivo que levou Vv. Ss. no sea conceitnado
Diario de hootem, a censurar a falta de hamani-
dade do commandante do vapor Amazone, por
demas louvavel para nao merecer a minba plena
adbeso ; conhecendo, porm a eqnidade e amor
a verdade de Vv> Ss., estou certo que se dignarlo
acollier com benevolencia rectificacjio que devo
fazer ao artigo do seu noticiario.
Ojiando ras aoresentel na agencia para tratar do
embarquo dos 215 caceos com assucar, producto
da subseripeo feita entre os generosos Pernam-
bucanos, o oficial de carga Mf. d Ferrier respon-
deu-me nio os poder embarcar por se achar com-
pleto o carregamenlo ; qu<< pelo mesmo mo-
tivo tioha dexado de levar 600 saceos de cacan
da Babia, e que tio sobreaarregado estava o vapor
que passav de 5 centmetros o nivel determinado.
1 Apesar de lio terminante resposta, nao perd
a esperanca de conseguir o embarque, o, conhe-
cendo a nobre carcter do commandante Joret,
bem provado pelo generoso concurso que dsrde o
comeco da guerra prestou aos nossos ipfelizes
compatriota-, mandei o assucar para bordo, acom-
panhado de um novo pedidr.
> Nao lardn a voltar o mea emissario irazendo
do Sr. Joret a resposta que, bem com pesar seu,
nao poda embarcar o assucar, nio s pelo motivo
allegado por Mr. de Forrier, como tambem por
ro se achar di-ponivel lugar algum proprio para
esta carga.
A veracidade d'esta resposta, parlrado de um
bomem de honra como o commandante Joret,
para mira tio evidente que nio hesito respon-
sabilisar-me pela sua siuceridade, e se assim nio
fosse, assevero Vv. Ss. que eu seria o primeiro
a censurar um procedimenlo menos humane.
Son, com toda a considerarlo, de Vv. Ss. at-
sideravel profunddade.
O cachorro eaptiv 1 foi crescendo e apreseatan-
do formas que fizeram, e fazem duvidar ene seja
effectivamenle ara lobo ; *poii tem mitas pa-
recencas com um corso ; os pastorea aeredUam
que elle- teja o producto do crnsimoou entre eao a
loba ; como qne os naturalistas de certo nio se
aceommodario; comtado, pelo logar em eew fot
apanhado ningaem duvida..' que seja na animal
selvtico.
Nio ladra, mas uiva de maneira aslranha; e
acotlumou-se de tal modo com os pastores, e an-
da continua hoje sendo inK ramete. dcil, qu
como ci de gado, os saine por toda a parte, mas
sem nunca pessoa algnma o ter onvido ladear.
MISERIA NA ALLEMANHA.-Um jornal norte-
allemo publica os segnintes dados estatistieos, os
quaes provam qne se a Franca tem soffrido muilo
cora a guerra, nio sao menores os effeilos dessa
calamidade nos allemaes :
< No Hannever pediram soccorros s autorida-
des 28,600 viuvas e 51,412orphos; em Westphalia
13,110 viavas e 29,973 OTphios; oa Prnssia orien-
tal 16,319 viuvas e 29,428 orphos ; as cidades
anseticas 8,312 viuvas e 11,715 orpbios. Total
al 15 de dezembro 66,341 vinvas e 128,828 or-
pbios.
Cumpre notar que-estas cifras nio corapreheo-
dem seno as familias necessitadas que pediram
soccorros. Sao 66,341 familias cujos chefes mor-
reram na guerra e carecer de meios para viver.
Falta saber o numero das que esto sem os seus
chefes, morios na guerra, m-.s do earecem dos
soccorros pblicos. Deve ser tambera avadado.
SERGIPE.No dia 3 do corrente foi installado
solemnemente o Alheen Sergipeose. O Jornal do
Aracoj descreve assm esta reata:
< A 12 horas do indicado dia leve lugar o acto
da inaoguracio solemne do Atheneu Sergipente.
< Depois da missa votiva ao Espir.to-Santo, ce-
lebrada na capella de S. Salvador, pelo Rv. vigario
da freguezia, Jos Luiz d'Azevedo a a que assisti-
ram S. Exc. o Sr. presidente da provincia, o Dr.
director geral da instrueco publica, membroe do
conselho litierario, lentes e muitas pessoas gradas
da capital, encarainbaram-se todas para o paco da
cmara municipal, onde provisoriamente fnnecio-
naro as differenles aulas. Urna guarda de honra,
composta dos menores da companhia de apreodizes
marinhtiros, achava-se alli postada.
< A casa eslava cuidadosamente adornada. Ex-
traordinaria foi a concurrencia de assisientes. Com -
pareceram as 3 professeras publicas da capital,
com suas respectivas alumnas.
1 Em urna das salas da frente verificou-se a
ceremonia.
N'um docl, elegantemente preparado, via-se
a efflgio do defensor perpetuo da naoo o Sr. D.
Pedro II.
Em lunar eminente collocou-se o Exm. Sr. Dr.
lento venerador e criado.Osmim Laporte, cnsul
de Franca.
PROCISSO DE CINZ A.Consta-nos que a me-
za regedora da ordem terceira de S. Francisco faz
na quarta-feira ds einzas, larde e ooute, expon-
cao na sua igreja do? diversos andares que com-
Franciseo Jos (lardoso Jnior.
< Antes de ludo o parecbo, devidamenle para-
mentado, benzeu os diversos compartimentos do
edificio.
t Aps isto o Ilustre e distincto presidente da
provincia pronunciou um eloqueote e bem elabo-
rado discurso.
Outros se lhe seguiram.
t Fallou cora erudicao o Dr. Manoel Luiz Azeve-
do d'Araujo, director da instrueco.
Oraram tambem de modo a prender a altenco
e despertar vivas emocoes os Srs. Domingos d'Aze-
vedo, Luiz Carlos da Silva Lisboa, Justiciado de
Mello e Silva e Etelvino Jos de Barros.
Terminou a festa, com a leitura da acia da
installacio na qual assignaram as pessoas presen-
tes, com os vivas anlogos, erguidos por S. Exc, e
com o hymno nacional executado pela musida do
corpo de polica.
t A nome illumluou-se, interna e externamente,
a casa do Atheneu em frente da qual a banda de
msica, de espaco em espaco, tocava escolhidas
pecas.
c Varias familias entre as quaes a do Exm.
presidente da provincia e a de Dr. director da ins-
iracco visitaran) o estabelecimento.
O pouco que Dea ligeiramete narrado nio
pdem a procisso que costuma ser exposta uesse a de cer[0, dar a med Ja exacta do enthusias-
dia a veueracao dos fiis. Acharaos muito me-1 mo ^ jaoi(o qae ,ran3|Uzia no Tm de todo os
Ihor esso meio de satisfazer aos desejos dos amigos
de propriedade
raes Sarm
apolices da
volado pelo
Joaquim de Mo-
Ji:000* paga em
-rdito
gente,
pal do
orren-
que
acial coi do
aplaces
da religio, do que o de fazer passeiar pelas ras
da cidade as imagens, expostas i irreverencias
etc.
COMPANHIA PERNAMBCAMA. Amanbia
deve reunir se a assembla geral dos acciooistas
desta companhia, para ouvir ler o relatorio annuo
e o parecer de contas, bem como proceder elei-
cio da respectiva directora.
COMPANHIA SANTA THEREZACom o pra-
so de 8 das, a vencer a 20 do corrente, sao cha-
os accionistas desta companhia a realisarem a 3*
prestacao de soasa plices no valor de tez por
cento do capital subscripto.
FORTE DO MATTOSAinda nada se fez para
raelhorar o estado mizerrimo em qae se acha a
pra^a da compaohia Pernambucana e as travessas
prximas, sobre tudo depois das ultimas ebuvas
que tornaram em lamacal ptrido as imnmndieias
que all exisliam. Chamamos de novo para issoa
altenco da autoridade competente.
CADVER.Foi encontrado no dia 8 do cor-
rete, do sitio denominado Toqainhc, freguesa de
Ipojuca, o corpo de nm hornera em estado tal de
pwefaccio que nao poda ser conhecido. A auto-
ridade procede as convenientes indagaeees para
vr se podo colber dados que comprovem a exis-
teaeia de algum crime.
FERIMENTOS LEVES.No dia o do cerrante,
00 povoado de Beberibe de Baixo, termo de Olinda,
Marcelino Jos des Aojes, em estado de embria-
geex, ferio levemeole ao pertugnez Barbosa, sendo
qee fra preso em flagrante; a competente auto-
ridade proceder ao corpo de delicio a trata de
Instaurar o processe.
No dia 7 do corrente, no lugar denominado
Combe, terreo tambem de Olinda, o erit>ulo qne o
denomiBam Ventaoia, em perfeia embriaguez, fe-
rio com tres lacadas a Maria do Nascimento, po-
deudo evadir-ee apot a perpetraca do crime ; a
antoridade treta de instanrar o cempeteote pro-
cesso, havendo anteriormente proaedido ao eorpo
de delicio.
MISSAS.Por alma de D. Porcia Angosta de
Gusmo Lobo-CArte Real, esposa do Dr. Joio Bap-
lista pinbeiro Corte Reat fallecida na eidade do
Penoo em 27 de Janeiro, rezam-se boje missas as
7 horas da manha na igreja matriz de Santo
Antonio, conventos da Penha, Carrao e Sio Fran-
oiSOB.'
AOS NATURAU9TAS.Om jornal de Hespanha
chama a attencao dos que se dedieam aos estudos
zoolgicos, sobre nm estranbi animal qae existe
no vallo de Oroieo. .
Haveri seis meses uns pastores daqueile vane
aoanharam em Gorba nm animal qne julgavam
ser nm lobo aascido de pouco ; e que eue(aira-
ram n'uma cova, onde, parece qne elle bavia ca-
bido, on sidodeposto pela me.
Levara-no para casa, e dorante quatro roetes
crearara cm leite de ovelhas ; sempre que algum
dos pastoree se ehagava elle, ou quera apanba-
lo, arreganhava os denles, o eornaira nm ponto
de m
por sua mi. '' ,._
Eniretanto a loba, oa 1 quer que devia ter
H^^^BaligeDeias e extraordinarios esfor-
Gos para acbir su fllho; pois a cove tm qae
I -------
labios.
i E' iropossivel descrever aqullo queso o cora-
Co pode sentir.
1 E' impossivel.
trra havia
O uLUB POPULAR.Augmenten o sen program-
as de instrnecio popular com uro corso oral de
phllosophia racional e moral, adoptada i eompre-
bencio enecessidade do povo.
As principaes noc$es da psycbologia e da moral
serio alli explicadas de urna forma accessivel
intelligeocla dos homens do povo. Foi escolhido
para encarregar-se desta misso o Sr. Souza Ban-
deira Filho.
Essa associaeio resolven dar urna prova solem-
ne de sentimento pela mdrte do Dr. Urbano S.
Pessoa de Mello, celebrando eto sua memoria urna
sessio fnebre, que ter lagar no dia 25 do cor-
rele, noute.
co esses seguros penhores da vida e prospen-
dade que promette aquella instituicao democrtica,
e de quaoto lhe ioteressam os destinos da patria e
as glorias da cansa, que defende to ventajosa-
mente.
LOTERA.A que se acha i venda -a 183- a
beneficio da igreja do Divino Espirito-Santo, a
qual corre no diaj25 do cemnte.
PASSAGEIROS.Viudos do Rio Poaaao* no
vapor Parahyto :
Maooel Vicente Cavalcaat e Joaqun Antonio
da Silveira Maehado.
Vindos de Macei e portos intermedios no
vapor Mandah:
Jes L. Duarte Serra e i criado, Manoel Joe
dos Saotos, lo Barbos de Moraes, Custodio A.
Soares, Joaquim de Moraes Reis, Jos da Silva
Reis, J. L. de S. Faleio, major AuraUaa V. Oli-
veira Vaseoneellos, Bernardo G. de Oliveira. e 1
escavo, D. babel P. de Miranda, D. Isabel A. de-
Macedo, D. Maria dos Praceres, D. Joanna Antonia
da Coneeieio e 1 Alna menor, 6 pracas de polieia
5 presos e 2 malheres dos meemos.
CEMTPEBJ6 P'"" iea-Obtuario do dia 10- i
fevereiro. _*__ '
Joanoa Maria da Hora, parda, Perneanseo, 4
annos, viuva, S. Jos ; pleunaia. .
Manoel, branco, Pernambneo, 7 do, Sv. Jos ,
MSrSo Pinhairo deSilvK proto, Peraanaboco, 8
annos* solteiro, Santo Antenfo ; dwynlerie.
o Jostno dCosta, braneo, Poriogal, 13 an-
nos, solteiro, Boa-vista ; tabre amarella.
Adelina, branca, Penumbuco, 2 nanos, Recife ;
totere.
Francisco, pardo, Pernambuco, 2
s ; ultima.
Auta, escrava, parda, Pernambuco, 12 annos,
solteira, S. Jos; congestio cerebral.
Jos da Silva, -pardo,-Parabyba, 26 annos,
teiro, Recife ; febre amarella.
Luiz, pardo, Pernambneo, 1 anno, S. Jos ; by-
dropesia.
^^ -11 ___
Maria Eugenia de C*---------------
52 annos, viuva, Bfl
Vicente Cardse |
anuos casae^^H
BpanlJ
casado, f
S,Jo-
aol-


PPMi0ij.i^ w
wm
mu uiwiiii|yiijiii)iin.uiuii > w.wuw"
N*UM| SOTMj
9*M
Pl PPPfP
5 meses," Perhambueo, -S. Jo.-;
-.'

K^Hjnro
Capelh
jeneiro de 1871.
O vigario
__i
lega ue Pcrnabaaeflaa
Senbores
toada vei
- Sendo
v_a_eBar
tores que costa
olas era
mbarqi
M
leal-
agri-
i asnear
dos uiBsmos, Vttb dduo, ?ont- *i
bstrueco do no e da barra, nie se pd fazsr
abarques seaao de 15 era 45 dias, qnaado ha
jaars de la nova e cheia i teas isto mesmo da
ane-a segralo:
. ,-, __*- ~- J J .- aimmf alAi
SaMH^^BfV#~T*TrrOVvH"CHli CVB *> W (PbhCIi UTO
vallado fetn pelo engenheiro MiHct; ahi descarre-
fa-so o assucar para pequeas canoas, quando a
nar potae* a eucher o conduz-se p^ra um banco
de arfe *e Ira adianto, a msrgem de rio, e aW *
deecarregada a canta, (toando era ierra o assucar
n,aele*ava. Quaodo acaba-so wiefrab'alho,
a mar* secca, e assim expoto aoterapo pasa aj
Waeeehcnte da marA, t ontre dta, depow de
Tuver a barcaca vaia passado o ohiaculo, recebe
aseuear que est en trra; om bastantes tom-
bos, e segu a bareaca can o assucar, e cAegan-
de a otro banco de arera, sofre aioda o mesmo
embarque o desembarque Este servico mor un" *
dor, ja bito de m voetada, e es eanoeiros at
na eom es saceos de assucar, a pomo de se ras-
ajaianv carneado eom ito penetras ih donos, e se.
algans saccos^ue nao sao toncos) cahem sobre a
lasa, ahi meeme tica, aer de aovo reembarca-
Jet B d^sta forma que ee ple azer o eeibar-
qae as mares de la.
Os seohores agricultores igaoram qe seja este
sao trato ajae soffrem ea* assoeares, porque
awrtan dos ua se euea.-regam de embirca-los
in-Ntes e-ta (iel oxplieae >.
Coavia notar, que isto nao suceede ? eom o
assucar embarcado em larreiron, cora todo que
tena de ser enndazrdo pelo rio Uaa.
J teetin lieltmnie explicado Ulo a algn* de
eusfreguetes; mas con>taotlo-oe haver quera
diga, botera assucar que sempre ser embarcado,
apmso-Hi em azer esta declaraco pelo jornal,
para qe todos fiquea saben lo o modo porque
actualmente levado o assucar d'aqui para o Ite-
ife
Antes deuma teatetm para melhramcnto da
baa, faziam-seetgumas viagtms pela barra nova,
(aaado o mar eslava manso (rara veze?) e nao se
Uva meo trato ao assucar; porm militas vpzs
viaham barcac-is a costa ; boje que pela ul barra
nova lorna-se impo>sivei a sabida alada ma-mo
que esleja o mar brando, nao ha por onde passem
-aa barcaca*, seoao cora a inliuencia das ar",
a passaod pelo que hei referido.
Oeue levo dito, aingoam pJe contornar; e ahi
esli os proprios mostres de barcacas, que '
difam.
Se o gov?rno n?to se di.nar estander anas vistas
para melhorar-se o rio Una,"licarlo duas fregu
zias, qaasi < ie imposibilitadas de facer o cora-
merecora a capital da provincia, a nao ser por
indos extraordinariamente despendiosos.
Barretros,"7 de fevereiro de 1871.
Antonio Fernirada Moa Braga.
Ekujao da eomraissio enearre-
gada daesta de N S. da Con-
ceitjao da estrada de Pan ti no
cmara no anuo de 70
1871. v
Presidente
O Illm. Sr. capillo Tiburcio Hilario da Silva
Tavaras.
Vice-presidente.
O Illm. Sr. Francisao ernurdiao dos Santos
Freitas.
Secretario
O Illm. Sr. Jos Nicolao Ferreira Gimes.
Thesoureiro
O Illm. Sr. Jlo Francisco Ferreira.
Procuradores
Oj (llms. Srs :
Jos Ignacio de Figueiredo
Jos Goncalves de Medeiros Jnior.
Joan Zeaobio de Vaseoooellof.
Capitao Hermino Egydio de Figueiredo.
Artbar Gomas Jacome Pires.
Jos Carlos Kerreira.
VioeoledA Albumerqoe Nasciuento.
Leoaeio Gome- da Fonseea.
Eleic,ao tos devotos que tem dft
festejar a ImmaculaiJa Se-
nhora da Gonceiqlo da erra-
da de Paulino cmara no
anuo de I870itt71,
Juit por eleicao
O Illm. Sr. Ludgero Joaquim de Farias Ne
*ea.
Juica por eleioao
A Eiroa. Sra. D. alaria Annunciada Tavares da
Silva.
Escrivo por eleieao
Uin. Sr. Dr. Euzequiel Franco de S.
Escnva por eleioao -
A Eaou. Sra. D. Alezandnna Guilhermina
Fe/reira Tivora. ,
Escrivo por dnvocao
O Ulm. Sr. Hanoel Jos de Cempos Barbosa.
EserivSa pnr devocio.
A Exma. Sra D. Elisya Josepbiua de Lyra
Duarte.
Jairee protetteres.
Dr. Deooro lpiano Coetho CaMnho.
Vigario Augusto Prank'in Mireira da Silva,
Dr. Padre Dornellas Pe-soa.
Dr. Antete Mara de Parias Nev*. \
Padre Antonio de Albuquerqoe Mello,
aria de Paimaref.
Taaesrta-coronel Francisco <3arneiro Machado
Rios Jnior.
Sebasto Jos da Silva Braga.
Tenante Manoel Domlogues da filva Jnior.
Crnaanendar Jos da Silva Loyo.
Joaquim de Soma Momeiro,
futa Goncales da Silva.
Praadseo Gapaleante de Amnqur|ae Lies.
Joaquim Moreira Res.
Juicas protectoras.
At Rimas Sras. Ds.
ilernina de Brto SI Peraira.
Mam ngiwu Burle.
Vara Barbosa de Almeida News.
Mara liaia Ferrara Lopes.
Viseoadeasa de Gayanaa.
Mara de Figeiroa Paria.
Fr.tnci*ca Felesmina Ferreiar.
Mam Amena de Afcuquerque Aonss.
Mam de Pmho Borgea.
aapoaado-fir. Jas Al ve* da SiWaCav-
Gassai fWyaarpa de Pe$fes Barrea. .
lijil I Barnaraa fareira.
rraaaiari Catalesote.
Lalaa, nova de Jea de Areujo PiaMairo,
Jniaas por a'easaa
Tttn. Brlgadeiro Joaqatm Bernardo de Ftgaei
ralo.
AaMMO L barto Oola.
Vioor Grandim.
lalfMmnlii li tu|ii
Dr. Ernesto Feliciano da Silva Tavares.
MaoM Aniaak Vu mar.
i%eo
Loa AMad* a* Moraet.
Ir. OMMe Jos Casado lima.
Tostiaio-corooel Thoocaz Jos da Silva Oai-
Dmembargador Jos Ignacia Accwiy ae Vas-

JeamMa rnoato da Foaaeca Baatof.
Jacos por Hwofio.
n
ammane.
arroio. 1
j se bcm^WrPMnnaa^^
neste mercado eom tado eneoatra igual
aceitagao por meto das nossas bellas
la extrahida de flre cothias dL.
fresqutdio, porm, desde que a vegetarlo aromti-
ca- da Florida, man udui IfCT a du que a da Eoro-
pa, a agua Florida (da marca commercial cima
mencionada), poi.-4e por sem duvida, um aroma
mai- rico e deltcale do que qualquer ama ootra
composi^io eufbpa.
RECEBE!)ORl\ M WSDAS IN1SBN
GERAES DE PNAMBUGO
'
IIIWI I ll.l_MI
C0MMER6N.
ruaopwo rnauaMjLU
nVd t a it ^TPJflrvoMi
:349I100
ImMento
dem do da 13. .
eeasLABO tovmetAL.
tendimeato de di* I II. .
5dem do dia 13..... ?:W57
*^SU1SjS
ALFANDEG
Reagmento de da l a II. .
fdem de dra 13.....
3U:4lHW!
S8:53ilS>47!
373:3571131
I0V
37i
oviaiMta ** alfandega
*oI*hws- iradae eom (atoadas
< < eom ganaros lOi
'lames sahidos eom blendas 2W
cora gneros 79
Descarregam bije 14 de fovereiro.
tarca mtaaFUIrtt^^-banalhia.
Barca ingiera(Hif* Btanch earvio.
Srtguelhollimdez-'Kr/wid kt*t~Idpro
Despachos de exportaeo no dia 11 de
fevereiro
So vapor inglez Qlrnda, fian Liverpool ear-
r'egaram ; Saunders Brolhcrs 4 C 100 saccas eom
7,0tX) kilos de tfoilo : Pedro Martyr Maury 300
ditas eom 22,708-kilos le dito.
Na barca porlugueca Zulmira, para Liver-
pool carregaram.; Antonio Alves Lebres 25 saccas
eom 1,857lelos de atgod); Tasso Irrnaos k C.
301 dita^ eom 41,597 ailos de dito ; Amorim Ir-
mios Je C. 1,600 sjeos cora 120,000 kiloi de assu-
car mascavaio.
No navio ingle Wet Htnd, para Liverpool
carregaram : Joaqnira Gerardo Bastos :00 saccoi
cora Cft.OSO'kilos de assucar masca va lo.
No patacho portuguej Mara B>-bota, prs n
Rio da PraU earrewrara : Jo- da Silva Loyo 317
barrwas eom 3't.45i kilos de assorar branco e tJO
ditas eom 26,951 ditos de dito maseavado.
No vapor fraoeez Amazone, para Li-boa
earregou : Heonque Jo- da M. 1 caixote cora 26
kilos tle doce neceo ; Pereira da Coona Linos 2
barricas cora 46 abauxis.
r.ABELLA dos prrcos dos gneros sczettos a di-
RKJT0 DE EXPORTACAO. SEMANA DS 13 A 1* DE
FEVRKjnO DE 1871.
Mercaduras: Unidades. Valores
Abanos.......... duiia 300
Algodao em carocp..... kog. 165
dem em rama ou em lia. 4W
Carncires vrvos....... ora 4JO00
Porcos dem.......... !J,Q0
ArroE eom casca. .... kilog. 66
dem descascado ou pilado
Assucar branco...... 250
dem maseavado......
dem refinado....... 436
Gallinlus........ ama UOOf
?apag;iios ... .... 5000
Aieite de amendoira ou men-
dobira......... litro 937
dem de coco ......
dem de mamona...... 526
Batatas alimenticias. .... kilog. 108
Baunilha....... 8/40
Bebidas espirituosas efnrmentadas:
Agurdente cachaca. .... Htr.
dem de eanna......
dem Renbra......
dem resillada...... 300
(dem alcool........ 337
dem cerVeja...... 300
(dem vinagre....... 300
(dem vinho de caj...... 660
Bolacha fina, comprehendidos os
biscoits........ kilog. 476
dem ordinaria, propria paia
embarque......... 504
Cal bom....... 476
(dem eseolha ou restolhe ...
dem torrado ou moide. ... 959
Cal branca........ >
[dem preta........
Carne seeca ( xarrjae )....-
Carvao vegetal....... 168
Cera ajnarella....... 442
dem de carnauba era broto. > 436
dem dem era velas,..... 763
Cha.......... e 4*360
Cocos seceos....... eeoto 4*000
Colla. .... kilog. 1*436
Couros de boi, seceos salgados. 474
[dem dem espichados.... >
(dem dem verdea .....
(dem de cabras cortados um
dem de anca....... 40*000
Doces em calda .... kilog. 1*133
dem em gela ou inassa. 784
dem seceos....... 2*180
Espanadores de peonas grades duzia. 18*000
(dem pequeos...... 24*000
lem de ptlha. ...... 1/*000
Esteiras de carnauba .... cont 16*000
dem propria para formo estiva
de navio........
Estopa nacional ...... kilog.
Parinna de araruta......
(dem de mandioca.....
Peijo de qualquer quadade.
Pumo charutos...... centre
dem cigarros.......
(dem em loma bom kilog,
(dem em folha, ordinario os ras-
toteo.......
dem em rolo e ai latas basa *
[dan, ordnarioou reatalha.
Rap..... .....
Goroma de mandioca, (aoivitboi,
(pecacaaaha ( raz ).... >
Angico (toros)...... duiia
Caibros...... um
Eaxarns........ >
Precoaes........ >
Jaocaaaa (coucoeirai) duzia
Usaba em actas. ..... Mito
idea em toro...... >
Lionas e estelos. ..... un
Loar t praaeaoes).....
PaBras........ kilog.
(dem de jangada-..... m
Quina ...... duiia
Titaaaeo coataaioao da 2 a W
nnimeraaaegriawiira. iAlOW
aam prancboes ds imm saaM-
des al 50 milmetros de gros-
B..... M00B
dem abondo de tuanosaeiS
aailltaielrus 4 groesiva duzia
rabaado divarso...... *
lasjaba........ Wog.
Braves......... orna
varas para pescar..... uatia
Um m% piWyilw '
Wem paraaaaaai.....ama
Cavernas de suevtpra(em obra)
Eixos tk cicupra para carro. .
M#U$o.........
Mel deabeUia.....
Milho. ......
Ossos
Pama de carnauba .. >|
ImjNw-
MOVIMENTO DO PORTO.
Navios snti'aiiu'uo di* 19.
Rio 'Ftirmoso6 horas, vapor brasBeiro Parahyba,
de 104 toneladas, eommandante Olivefra, eqoi
pagem 14, em lastro ; a companhia Pernambu
cana.
AracalyII das, hlate braileiro f*i te Guarir,
de 189 toneladas, capilao Manoei Fernandas Ja-
les, eqopigem 8, carga .Igodao; a Bartholo-
meo I^nrcnen.
Rio de Janeiro28 d'a?, pa'acho hespanhol Jajpni-
lo. de 130 tonelada?, capito Kerrf r, eqoipagetn
10, era lastro ; a Amorfm A Irmio.
Observaos
Nao houve sabidas.
Navios entrados no dia 18.
Baha9 dias, palactio brasileiro Perseverante, de
de 213 toneladas, capito Manoel Antonio Bel-
irao, equip^eom (1, carga farinha de mandioca
e oalros gneros; a Mc.iotl Teixeira Bastos.
Rio d* Janeiro26 di.*., barea portnguera Ale-
xanite Herculano, de 400 toneladas, capito Ao
tonio de Alraetda, equipagem 13, em lastro; a
Eazeblo Baphael Rab-llo A C.
Rio Grande do Sal 34 dias, brigue brasileiro
Uniao, de 210 toneladas, eapitao Joaquim dos
Santos Souza. equipagem 12, carga 10,000 ar
robas de earne ; a Amorim Irmio & C.
Bi > de Janeiro15 dias, patacho americano P. M.
Tinker, de 286 toneladas, capito Charles Bar-
nard, eqnrpagem 8, era lastro ; a Henry Fors-
ler A C.
Micei e portes intermedies20 horas, vapor na-
cional Maniah, de 222 toneladas, eommaodan
te Julio Gomes da Silva, equipagem 17, earga
varios gneros ; a companhia Pernambacaoa.
Oftserpafo.
Nao houveram sahida*.
"MatMbr Casa de Misericordia do
lUcife
De ordem da Imn. unta admlaistnitiva *e*t
nata casa sao convidados ns juireotes dft .meno-
res anairo deparados, para qoe vennam reque-
rer a sua sahiia do eollegio do orbaos, viatQ
no polerem mais all con'innar por \i terem ex-
45 do regulamento de 28" de Janeiro d^ 1871.
Maaoef AlW'Pies Bii reto, Irmao de Belisano
Alves We Barreto.
Eleulerio M mwire Je Lira, exjWJto, criado por
Therera Monteiro.
Sabino los de Sant'Anna e Pedro Gomes de
Figueiredo, Albos de um msico do 4 Batalhao de
Iraha, falleeido no Paraguay.
Beeretaria da Santa Ca a de Misericordia do Re-
ate, 28 de jaaeiro de 1171.
Oeserivo,
Pedro Rodrigues ds Sanca.
EDITAES.
0 cidado loo Lucio da Costa Moateiro, juiz de
paz do 3 anno do 1* distrito da fregutsia do
Poqj da Paoella, era virtude da le, etc. Hz,
Faco saber aoi que este edtal virem que en-
trei era ezercicio di vara d> juizo de paz deste
districio desde o da ti de fevereiro; e que ai au-
diencias do referido juizo de paz sao na quintas-
fufara* de cada samaa, as 4 lioias da larde, na
casa do minha residencia ra Beal, e quando a
quinia-foira for da de guarda o feriado, ser a
audiencia no dia seguate. E para constar maudei
publicar p>-la imprensa e alflxar o presente.
P050 da Paneila 13 de levereiro de 1871. E en
Hanoel Francisco Coelbo Jnior, escrivo As paz
que o eserevi.
Jo5o Lucio da Osta Monteiro.
F culdadt de Direitx),
Por esta secretaria se declara que aa lista dos
habilitados em arithmetica, publicada wDiarw
Je 12 do correte se deve ler em vez de isi-Can-
dido da Silva Alfredo Saldanha, visto como oi
este e nao aqudle o habilitado no t.xame eripto
de ariilimelii-a.
Secretaria da Paeuldade de Direito do Recife.
13 de fevereiro de 1871.
O secretario,
Jos Honorio B. de Menczes.
DCLARCOS.
613
631
lilB
170
1*703
60*000
360
1*500
CONSCAOO PROVINCIAL.
Por esta reparneao avisa-se aos respectivos con-
tribuales, que eom o mei de fevereiro prximo
comee a correr o praso dos 30 dias para o paca
ment voluntario dos diferentes impostos provin-
ciaes, Dorteacentes ao anuo finauceiro vigente de
1870 71, cuja arrecadacao incumbe i esta etar;o,
occorrenlo na inulta de 6 0,0 qnelles dos coq-
'.ribuiates, qr.e o nao effeetuarem no Consulado provincial 23 de jan-iro de 1871.
O administrador,
A. C. Machado Rios.
SANTA CASA DE MISfRlCOiiIA P0
.RECIFE,
A lllma. junta administrallva da Santa casa dt
Hiser.c dia do Reoife manda azer publico qut
na sala ee snas aess5es,no dia 16 de fevateipo, pe
las 3 horas da larde, lera de aer arrematadas >
quera mais vaniagens offereeer peas lempo de aro
a tres anuos, as rendas dos prediss ana seguid
ieclarados:
ESTABELEC1MESTOS DE CARIDAD*.
Ra do Amorim.
Cata terrea a. 26. '..... 85*000
Ra ao Pbarol.
Casa terrea n. 72........180*000
Ra do Padre Frsriana.
Casa terrea a. 44.........158*000
Raa do Bom Fira (Oiinda)
Casa terrea a. 11 eom obrigaco de
afzer eoneertai....... 96*000
PATRIMONIO DOS ORPHA08.
Ra de S. Jorge (outr'ora Pilar)
Casa terrea n. 105................. 151*000
dem dem n. 99................... 365*000
Ciaee 9 ontos.
Casa terrea a, 112........3*4*000
dem a. 114..........361*000
Raa da Gtoris.
Casa terrea n, 2o........190*000
Os pretendenies everie apretonlar ao acto d
orrematacio as sua Raneas, on comparecereo
acempanhades dos respectivos fiadora.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do Re
cife, 37 de ianeiro de 1871.
O esenvo,
Pedro Rodrigues de Soota.

Sea Dr.1
ser
inoras
horas em si
irros n. 24.
esma jan:
hosps^^^^^H
no pnmeiro periodo da mo
Bjs^hIIII__
Zal
cif
0 escrivo,
Pedro Rodrigues" de Souza.
tsjoane Jhefalta de$de jase
tarjo
^BtAMBJitAjjIAg-
l........^iln^^^^^M
s

COMPANHIA
Acorupaohia do B^eiibe temi de emit
tir alguraas acco s, avisa pelo presente aos
Srs. accionistas qoe desejarera possnir no-
vas acedes para virem dentro do prazo de
20 dias, a contar da data do present, se
ioscreve no escripiorio da mesma cotap-
nhia, e declarar qoal o numero de novas
ac{5es que pretende. Altn do prazo de-
terra nado, a inscripcao lloara livre para os
p etendentes que actualmente nao sao ac-
C0fir8taS.
Escriptorio da companhia doBeberibe
13 de fevereiro de 1871.
O secretario,
Dr. Prxedes G. de Sonza Pitonga.
No dia 16 do correle mez, depois da au-
diencia do Illm. Sr. Dr. juiz de orphos, tero de ir
prca de renda a casa de sobrad) ra da Im-
peratiit n. 46por lempo de tres auno, pelo prego
anaual de l838*878 que servir de base para
a arrsmataco ; cuja casa vai praca requer-
meato do con^euhor Antonio Ileurques Rodrigues.
THEATRO
SANTO MOMO.
Grande espectculo de prestidigitacarr dada1 pelo
artista brasileiro Jos Gonealves
Ir Em benefi-k>.
PRIMEIRA PARTE.
A taca infernal.
As bolas de Satanaz.
O relalo eletnco, ou a rapidez do diabo.
O* copos mgicos.
A pergunta e raseosta.
SEGUNDA PARTE.
As balas e o ehapo iavisvel.
A caixa dos mysterios.
O reiogio e garrafa.
A raoeda viajante.
O lenco queimado.
TERCEIRA PARTE
A garrafa ioexgotavei.
. As Armas roubadas.
Os milagros sobre milagros.
O chapee e a ISBterna.
As cartas obedientes.
N. B O* biibeles pasudos para o dia i* do
corrate terao innresso bojp, assim como e pe-
queo resto de bilhetes se achara venda no es-
criptorio do theatro.
Principiar as 8 1|2 horas.
=
AVISOS MARTIMOS.
COJIPANHU PERNAMBUCANA
na
avegiQa e*atelri pr rapar
fioyinna.
O vapor Parokyba seguir pa-
ra o porto cima no da 16 di
crreme as 0 horas da nonte.
Recebe carga, eneommendas
passageros e dnheiro a frote n<
Forte do Mattes a. 12.
Glasguw & South American
Steajiisliip 0nmpw
At odia 15 do oorrenU es-
pera se de Glasaow o vapor
inglez frincess Royal de 712
toneladas, o qual aepcis da de
mora necesiaria segoir par*
Baha e Rio da Janeiro.
"ara passagivet s frats trata se eom os agen-
tes Simpeoa & C, ra do Boa Jetas a. 10, ou-
tr'ora ra da Crnz.
Jauta tasa tt
do fteee.
De
Sania
res a
laar_
ohtido lies
Jos, fllho
do menor
venha recor
que baviao)
Coneeaio.
cci
iuo, de Faoaac* Xavier f|#aonweno
Bular
Pwsat on
1 vacaa.
-----------^filhq de Idaliea Leite Txeras.
Jos, bo de pamTaa Mari do Prazeres.
RraeeeUao, fllho da Igne* Francisca dos Pratere.
Jo, aeto de Joaquitaios Ferreira da Pecha.
Jo.^iiisa eSidfQa, fllaa* Ja Jojana Rosa dos
lia de loalina Leite t eMs.
sa de JLirp,
ra da Luz.
1_ _____
r
DE
Paquetes a Vapor
Dos portos do norte esperado
at o da 15 da fovereiro o vapoi
Arinos, commanjate R. Green-
balg, o qual depois da oe^orado
costuma, seguir para os porto
Desde j recebe se passageros e engaja-se
MgA a o. vajrar poder cooduzir, a au*l deveri
sf |wcad ao, w de su* chepada, ancom-
mendaa e dianeiro frete at as fiera* da tarde
4* ana sabida.
Nao se receoem como encoaunendu senao ob-
jectos de pequtmo valor, a qe nao tcedara a?
-irrobas de po0OQoUoulinoa cbicos de medi-
ae. Tudo que pasiar Ositos limtea devera *ei
M'mt I, BM|>ij- Para b $jo (rande do
Snl.
carga frete o patacho nac[o-
itar Fu
Bi7,''.7J
a Fu:
_a'80r
S*0i3l
Re

Companhia mmcmthnm
aie|
J.Ate eJIaSd
Tboraaz o.ai
ricano Mi o qual depois da de
-a-at^^^^H^
'airo d aerado
man.
para
18
s da
O^i as, pas
e dioheiro a frete at s horas da tar-
da sabida : no escriptorio do Forte do
f/ifr-PANrHA PBRNAMH_r.ANA
DE
Navegagdo costeara por vapor
Parab,yba, Nata*^ Macie, Mossor, Ara-
caty, Ceari* Mad>bri, Aoraco e
Granja.
O vapor piuca, oomoaatUa
te Moura, seguir para os por
toa' cima no dia 13 doeorreau
as 5 horas d tarde. Recebe car
a ate o dia !4, encommenda?
jtssggttros dnheiro a froto at as S horas da
tarde d dia da sabida : escriptorio no Forte d<
littos n. 15.
^*M _F____PP9 *0D,rdo c quaer
entregar, na r 0. i, orna ar*
gola eom algama lidas do sab-
do
Lisboa e Porto
A galera ateoo segu viagera na ftm do cor-
rete mez eom a carga e passageros ene liver :
quera qnizer aproveitar esta brevidaito, dirija-te i
Sosrw Primos, roa do Vigario a. 17.
LEIL0ES.
EILAO
DE
cerca de 200 barriquinha de
assucar a\aado
iN.NUNCIADO PARA O MA 8, E POR PALTA DE
CON CIMIENTES TRANSFERIDO PARA. O DIA
I*', DIA PE C11UVA E DA CHKGADA DO VAPOR
DA EUROPA, E |H>R
TRANSFERIDO PAKA
ISSO PELA 2o VtZ
14 do corrente.
O agente Oveira fari leilao por ordem de 8.
Rehrmann, eapitio do patacho norte-llem5o Geor-
gine, e por eonta e rifeo de quem perlencer, do-
assucar avahado sapra-mencionado, descarrega-
do de bordo de dito Mucho e de conformidade
eom os annuncios anteriores.
Hoje
ao rneio dia em ponto, no armazem do Bario de
Livramento, sito ao Caes do Apollo.
IifiHiAO
DE
MOVIS
Na rna Direita n. 34, armazem.
HOdC
0 agento Pesian* f ir leilao de diversos movis
novos, sendo cadeira lisas e de bracos, ditas
para meninos, camas, eommodas, marquezas, la-
vat rios, etc. e amitos objeclos qne se acharo
patentes no acto do leilao que lera lugar terca-
btra I i do corrente, ns ra Direrta armazem.
anmero 34._____________________^^^
LEILAO
DA
Confeitaria dos Anuazes
Rua la t'rm u 1
O proprieurk) desse estabelecmento tendo de
mudar de negocio vende em leilao publico, por
ratervencao do agente Poniual, todas as mercado-
rias pertencentes ao dito estabelecimento como
sejam : grande porco de doces seceos e em cal -
da, marmelada, licores, serveja branca e pret*,
cognac superior, vinhos Madeira, Bordeaos, Porto,
Figueira, Oucellas, Sherry e Malvazio, todo de
superior qaalidade ; vermoath, absiptbe, agua de
rosas e flor de laranjs, champagne, etc., etc., urna
magnifica armacao de arnarello, sendo a mesma
toda paralusada, 2 fiteiros, mesas, cadeira, apar
radores e mnitos ontros objectos pertenceqtes
mesma confeitaria, que estarao presentes na occa-
.si"5o do Leilao
Qainta-feira i 7 do corrente
Xa mesma confeitaria as 10 horas do dia.
DOS
movis e ruis objectos da casa
em que esta va montado o
Club Fernambucano, cons-
tando de:
Um excedente oiano de cauda, 1 mobilia de
Jacaranda a Lniz XV, 2 lastros de ery-tal, 1 dito
de broase, ricos espelhes nota moldura dourada e
de Jacaranda, mnitos e dille rentes jarros e vasos
para flores, mezas e espitis, gnarniees, leacoes e
cortinados, 3 eteellentes relogiee, ilfenles cadei-
ras de Jacaranda, mochos, 4 estantes para msica
e 1 grade, 1 mesa elstica, I guarda Iones, 2 apa-
radores, esdeiras, lavatorios, cabides, transparen-
t, porta toalhas, bidet, cousollos Ae mogno, 1
alcatifa para eseada, e mallos oolros cbjectos que
eslarao p lentes ao exaree des eonearrenles.
Sexta feirs 17 do corrate.
Oagente Pinto levar a leilao precedido *
competente antorisacao, os movis e raais objteto
acida meactooados existentes ao 1.* aadardo o-
brado do Campo das Prineezas, onde foocekmou
Clab Peraamlmcano.
O leilao principiar as 10 horas sm ponto, per
setem muitos os artigos qne toses ds ser aodi
dos.
- ____ I 'II xf
MU DIVEMM.
mu da rnma
Aos 5:000#
Bilhetes garantidos.
A roa Primeiro de Marco (outr'ora na
Crespo) n. 23 e casas do costme.
0 abaixo assignado, lendo vaadida.-tos seas fe-
lites bheles um qoarto n. 34 eom 5:000*000,
m meto n. 1585 eom 900*000, nm meio n. 961
Com 4003000, donsqnartos n.M364 eom 100*000,
e outras sortea de 40*000 e 20*000 da lotera qne
se acabou de extrahir (I8_*), convida aos pos-
suraore a virem reeeber na conformrd_tt do
costuoie sem dejante a|f"BL_____
Achaa-ss 4 vcada ee bllhetos garantidos da
(.' parts das loterias. a beasfloio d* tgreja do Di-
vino Espirito Santo do Rucife (183.*) que uex-
trabir sabbaqo 25 do corrente.
PRECO?.
Bilbete intiro 6*000
Meio bilbete 3*000
Qoarto 1*500
Em porco de ioo*COO para cima.
Bilhete iotoiro 5*400
Meio bilbete 1*700
Quarto 1*350
Manosl Martin Finia.
\%%
Precisase de um* ama qne saib* comprar e
eosinhar para casa de penca familia, Ra travessa
d* ra da Palma n. 16, (oo fundo de convento do
Carmo).
'ascamtHMtmDtmmmmmmmtmmmm^
'..TO*
Candila de S Ayres, Julio Cesar Cardo.' Ay-
res e seos irmios, agrsde;em eordiaJmeol* a to-
das as ptissoas que assistiram ao* ltimos sufr-
gis feilos na capaila do eemiterio ao aeu presado
e de-diioto mando pa Vicente Cardoso Ayras;
nao podendo nesta oceasio deixar de manifettar
o stu eterno reconbeciment, aquellas de taos
prenles e amigos que na quadra aflictiva porque
passaram e connusni passar, nao os tem abu
donado, rogando-os de novo pra assistirem a
missa do stimo da, que lera lugar quima eira
16 do corrente as 7 horas da maubaa na matriz
da Boa-vista, por cujo motivo se eoufessarao etor-
namente acradecido.
Padre Themistorles Roinlo Pereira dos Santos,
em sen nom<>, e no da viovs, Alba e ir mies de
sen Unido irmao Marcomiro Pancracio Pereira dos
SaRtos, cordealmenle agradece a lodos os Srs.
que se dignaran) acempanhar ae eemiterio publi-
co es restos moraos do dito sen irraao, e de aovo
os convida para a mista do stimo da, que tira
lugar na matriz da Boa vista, quarta-feiro 15 do
corrale as 7 horas da manhaa, pelo que desde
j se confe.-s grato.___________________
V
P'raneijco Joaquim Pareira Lobo, D Leandra
Joaquina do S Lobo, F. L. de Gusmlo Lobo, A.
A. G. de Gusraao Lobo e D. Varia Francisca de
Gusmo Lobo, pai, mi e rmeos de D. Porcia An-
gosta Lobo Corle-Real, esposa do Dr. Juo Bap-
lisia Pinhero Corle Real, fallecida na cidade ao
Penedo no dia 27 de Janeiro, manlam tesar mis-
?as por *ua alma na matriz de Santo Antonia e
nos conventos do Carmo, Pecha e S. Francisco,
boje, pelas 7 horas da manhaa, agradeeeodo das-
de j aos prenles e amigos qne se dignaren as-
siitir esses actos.
CLUB POPULAR
Convido todos os socios do Club s todos libe-
raos sinceros para assistirom a sessao faaebie
que o mesmo Club celebrar do dia 23 do corrale
(a noite) em memoria do Ilustrado e patritico li-
beral PeroamDucano o Dr. Urbano Sabino Pesspa
de Mello.
Nesta solemnidade ser concedida a palana aos
que delta se quizaren) ulilisar.
Secretaria do Clob Popular 13 de fevereiro de
1871.
M. Amara!,
Secretarte.

foaquim Jos Gomas, toado reabido a inst*
noticia 4 mora de sua mi, convida aos seos pa-
amigos a assisiirsm urna mi io
ds n. S. do Carmo, quinta-fer* U do
de qoe be* (kar sureras ^
rentes *
convento
corrente.
Avie ca teanp.
Joao Francisca Psrrera Joaiar despedlo sea ca
xeiro Melebwedef k Qaadea Alcofond._________
GAiUO COSTEIRA POR VAPOR.
De ordem do ooo*elbp de drsec^o, siaasMii
dadas es Sr. octontsu* A Baanirea.se tm assssa-
Mea gual ao ia 15 do eortaale, aa meie ia, a
! andar Ae predio n. ?*, aa ra de eoaaaanai
pernambuo*na, sanio o da) da Momia o oustpri
maoto das dUpasi<5e ds artigos tt e 2i dos es-
tmaa.
Bscrmnrto da oornaanata peanarabaeana, Aa>
fevereiro de 1871.
OffSIWStB,
P. .Baes.
ri.i -j *......
Uompnhia
Santa Thereza.
a o Exm. Sr. Bario da A*lf dada, praca do Guapo
estraageiro subdito hollandez
anaosde pratio de enei_
materias: i- :'_\.._ rancet, IfaHar _____
D. Carolina Sauvage, Emilia Didier a Carlos
Finio de Lemos, raulher, cuohado e amigo do fal-
lecida Flix Salvaje, convida ea> prente* e
amigos para assistirem aos seus ultimo uffragt*a
que lerin lagar hoja petas 10 hora* d maoMa
na CapeUa do eemiterio publice, e dahi serena os
restos mortaes conduzidos a sua ultima morada,
pelo que desde j se confessam eternamente gri-
tos.
wm
Be sobre ona carroea, fM sab*jaojil-
coo, excellente capa, da eacoi
aeodftistVHU-i usaa
[sus ntoolnhas gratlfk*e Np-<
que a appreiiender ou der qoVH Da
s# acba; fi^eodo-o, uu a roaJ^^H do
Rea n, 48. oo m Porto do LaeardA u-
aiero 7.
w __r__rrtt' __i __y_
)0R
m
Que
ae eotppr
roa vete
ija da r|
sfta im1
I
0
y
v
--
-.u.i-
____
M


MH
^sf*'-^^'*'-
.B*m
i
Saisaparilh Brislol.
*$!S$P--
ra w:
> secretario
Precita-j
de ripax so
i7, loja.
- No
boy id(.m w*jQTimio.
(Je ni tietieir bo sitio d ra do
Vteeeole u Goyam: tratar do
i;
RA i* D MARCO OUTft'OK-*
ios 2^00^09.
O ifcaiao asfigaida (am aemera ejpoelo 4 van
drwhiiM Jplftftto* do flio da Janeiro, pegando
prompumente, como entuma, analquer preate.
Inteiro *m.
Mm 12*009.
Qavio 6*ooa
Mapoef Marties Fjoza
-r Precie-*f 4 un*
rH : Mr Imperial o-
r
s
Uuo*.
vive.
cnon e queira r
irija se rna do Cabu-
oamen-
los lhMDso a* Mello participa ao Teaeeita-
vel publico que no dia I i 4o corrate abre oa
bello estabeleciitirntj deoomioad-? o Charuto d'On
ro, ra da'lmperatrii n. 3, onde os fumantes
ncontrarao uro belfo sorlpicnto de charutos, fu-
aos, cachimbos e Pepos, ejpifinf todo quanto -dir
respeito a este genjfro ; saado que recebe estes
arlaos da Europa, Rio de Janeiro e Bahia. Rece-
be eiiconimenla- relativas ao seu aefocio, que tob
sua injpeccio serio ejm esmero e promplitao pre
Ptecisa-se da urna ama da Wwte' na ra da
Inpsratriz'D. 18.
Na (ravessa da roa
(nm i, 2, pr-
meiro andar, da-se di-
nhelro sobre penhores
de onro, prata e brilhan-
les, seja qoal br a qoan-
lia. Na mesma casa com-
prara -se os mesinos me-
taes e pedras. '
i^ uwm mwmm
Precisa-se de urna ama para coiiohar e enpom-
mar para urna pessoa. s : a tratar na ra Bella
n. 14,1* andar.__________________________
Cistodio Jos Alves Gaimares previne aos
que tem transaccoes com a firma commercial
buimares, Pontes 4 C que o anunnciante, de
socio commandiurio que era na dita firma, pas-
soa em virtude da condicc) do, artigo 4* do con
trato, a ser socio solidario e responsavel da mps
ma firma, sendo em vista do raesrao contrato o uni
co socio gerent({eom ]excluso djs ontros doas so-
cios da referida firma, po,tanto, qaer credo-
res, qner devedores da dita firma, devem somen-
te se entender com o annunciante convidando
o mesmo os crefores da firma para apresentarem
no praso de oito dias suas coalas para serem veri-
ficada?.
Reeife l'de fevereiro de 1871.
AMA
Precisa-se de urna ama
ro61.
na rna Direita nume-
AMA
Precisa-se de urna ama para cof inhar e com-
prar a fallar na ra do Rosario da Boa vista nu-
mero 18.
Alagase o soto da casa n. i do becco das
Creoulas, hoje Mara de Souza, por p uco dinhei-
ro : a tratar na ra do Bom Jeius, oatr'ora Cruz
n- 31, t andar, Reeife._____________________
Precisa-se de urna senhora para fazer com-
paas a outra e mandar determinar os servidos de
casa ; esta ser tao bem tratada como quem a
pretsde, qaer-se pessoa capaz: dirija-se ao sitio
junto*ao cemiterio publico.__________________
= O abaixo assignado desejaudo retirar-se
tratar de sua saude, pede a todos os senhores
qaantos Ibes sai devedores virem saldar suas
eontas no pmo de 15 dias, a contar de hoje. do
contrario verao seas nomes por extenso neste Dia-
rio, o qaal anda se acha em sua taberna sita a
roa dos Guararapes n. 10. Reeife 13 de fevereiro
de 1871.
Antonio Jos de Carvalho.
Engenho.
Traspassasa o arrundamento de nm grande en-
genho d'agua a qaatro legoas da estacao de Una,
npgociando-s mai commodamente safra para cer-
ca de 1,000 pes : a tratar na rna do Livramanto
Di 19,3* andar, ou leja u. 14.
1 i
Au belsexe
CQLD CREAM OF ROSES.
Cette Creme dolicieuse, aniversellement rpan-
dae en Ang'eterre, o les temmes sent si renom-
mes par la beaut et la transparence de leur
teint, doit sa rputatlon anx lments balsamiqnes
et onctnenx qoi la composent, ainsi qu' sa cons-
tante effleacit ponr adoneir la pea a, la rendre
Klos blnche, et cntribuer ainsi la sant et a la
eaut, qni, toujours, sont inseparables.
Od La recommasde centre les irritations de
I piderme, telles q*ae .Bootons, phltobs, Ta-
OHH DI RoSSRUa, ROGEURS DE LA. FlGUBB, et
contre Jes taches Kpatmqubs el les cflobbscen-
cbs. Guie Crmo convient spclalement aux fem-
mes eneeintes poar prevenir LE MASQUE, auqael
ellas sont sojeltes.~Qu s'en sert encor poar em-
pcher la figure de sb biler par le froid oa la trop
graade chalear.
Prix 1:500 res
Seal depot aa magasm Basar de la ModaSO
Ru di) Bario da Victoria.
AIJ
OtmiSDB WJj^If^lDm W> 8AIfGE|!
Esta xcell#ate e ailmiravel
preparada d'uma maiwira anus aem
aa per aainc< Drogabas mai dalos
d'ame mstrucfto BWAirKia, leudo fido en*1
losiijws de fixpetteoCia ao pat dlnda i
(a e laboriosa pratica.
A soa cupoai?io nao C4ms*ste-d'am sim-
ple pttratp -tfvm s6 artigo; lmb tim,
eQZflpftsta-d'etfjatas .'qw mmiero de ral-
tes, hervas.aaa, 'mas possuiridoto-
das ellas, sua virtude especial oa poder
em corar as molestias as quaes leem ede
ou SSSfiHto, no sangue ou nos atanores;,
e estos diflferentes extractos vegetaes, achara-
se por ana tal forma combinados poato
de cofiservarem em toda a sua forca, o cu-
rativo especia! de virtude, que cada um de
per sj pbssue. A rajz d? planta d Salsa.-
parriiha, produzida as Honduras, age
nos usamos nesta preparaco, sendo a qua-.j
lidade que todos os mdicos mjtis prezam
e estiraam. Na coraposipo da alsa-
parrilha d Bristol entra mais de 50
por cento deste concentrado extracto. Ella
n5o encerra em si cousa alguma, we pos-
sa por leve ser pepgosa ou injuriosa
sade; e tanto n'este, como em quasi to-
dos os mais respeitqs, elja inteiramente
diversa de todas essas mais preparares,
as quaes debaixo do nome de Salsaparr-
Iha, sao accofidicionadas ou postas em gari
rafas pequeas, sendo receitada em dosee
mui diminutas d'uma colber de cha por
cada vez. Nos pelo contrario engarrafa-
mos a
SALSAPARRIBA DE BRISTOL
em frascos grandes, e assimpor este modo,
dividimos com os consumidores, o grande
proveito e vaDtagem alcancado por aquelles
que acondicionara sua preparaco em gar-
rafas pequeas. Cada um dos frascos da
nossa Salsaparrilha de Bristol
oonteem a messa quantidade igual porc5o
couda naquellas garrafas pequeas, e alm
disso, possue ainda muito mais forca e
virtude medicinal do que aquella, que por
ventura se possa achar contida dentro de
seis garrafas de pequeo tamanho. Por-
tante mui natural, que aquelles, que se
acham oceupados cm preparar e vender as
suas producc3es, em garrafas pequeas,
murmurem e gritem contra os nossos fras-
cos grandes proclamando, que a nossa Sal-
saparrlha de Bristol nao possue a
menor virtude; porm qu5o effectivamen-
te s3o elles postos em silencio, quando indi-
oamos, ou simplesmente referimo-nos para
com essas centenares de certidoes e tes-
temunhos authentioos, por nos recebidos
de todas as classes da sociedade, nos quaes
plenamente attestam o poder curativo e vir-
tudes maravillosas da nossa.
SALSAPARRILHA DE BRISTOL.
A vantagem de termos os nossos pro-
prios agentes naquelles lugares aonde as
differentes raizes, drogas, hervas, e plan-
tas de que se compoem as nossas medicinas,
sao produzidas, que nos habilita exer-
cer aquelle constante cuidado e disvollo na
minuciosa escolha; e o que assegura e ga-
rante uniformidade de excellencia.
Em quanto que, por outro lado, nos n5o
qos poupamos nem dinheiro," nem dili-
gencias ; afim de alcancarmos o melhor
e nicamente o melhorde cada um artigo
ou ingridiente que entra na sua composi-
co; pois levados e compenetrados da
mais firme e persuasiva confianca; que po-
demos afoutamente dizer aos doentes de to-
das as nacoes, e de todos os paizes, que na
Salsaparrilha de Brtetol. possuem
um remedio mais efficaz e seguro; do que
nenhum outro, que vos tenha sido offere-
cido at hoje, e o qual por certo nao hade
mallograr vossas expectativas, na prompta
e effectiva cura das seguintes enfermidades:
Escrfulas,
Chagas antigs,
Ulceras,
Feridas Ulcerosas,
Tinha.
Sypbilis,ouMal Ve-
nreo
Humores Escrofu-
losos,
(.Irregularidades do
Sexo
Feminino,
Nervosidade,
Debilidade Geral,
Febra e Malignas e
Febre e Sezoes
Biliosas,
Tumores
Abscessos Apostemas,
Erupces,
Herpes,
Salsagem
mpigens,
Lepra, febres intermitientes e remitientes,
hydropesia e ictericia, etc., etc.
Ontro-sim, achar-se-ha, que para o bom
resultado e perfeito curativo de todas aquel-
las enfermidades cima apontadas o adan-
lamento da cura, grandemente promovi-
do e apressurado; osando s ao mesmo
tempo das nossas mui valiosa plalas
vegetaes assnearadas de Bristol.
tomadas ern doses moderadas em connec-
co ou conjunctamentecoma Slsaparrilha;
ellas fazem remover e eipellir grandes
quantidades de materias morbficas e hu-
mores viciados que se desprender e livre-
mente circulam espalhados pelo systema,
isto causado pelo uso da Slsaparrilha; e
por esta forma facilita a volta e o exercicio
normal das operac3es mnecionaes,
A MUI AFAMADA
AGUA DE FLORIDA,
MlKRAY & IAL&I.
.iu mes-
is os per-
nerra em si, no *ri'il*frjrH'tt^e
eerlcnria, o proprio; arow ibec, nervosidade, debilidade, desmaios,
ttos, assim como contra todas as f&
ordinarias de accidentes hystericos;
summa eflicacia e alo tem outro
iguale. Igualmente,-miando destera
om agua, torna-se uSh dentifricio o
jgradavel e excellerrt*y dando
aquella alvura e "apftri)lada app
IJtamente apreciad! desojada
0 horas.
orno um remedio contra o rqa$ feagto
fla boca, depois de diluida em "aU
lummamente excellerde, taz removerVneur
tralizar todas as materias impuras que se
eriam roda dos gantes e das gengivas,
tornando-as duras, sjrdias e d'uma linda cor
encarnada. Quanto a delicadeza, riqueza
e permanencia do seo fragrant aroma, ella{
por certo n5o tem igual: e a sua supe/
fioridade sem rvak Ella igualmente ton.
fla-se um raeio mui excellente, para fazer
remover de sobre a pelle do rosto, toda a
qiwUOadati* brotoejas, bjjjieoe^ sapdas;
pannos, manchas, impigeas e espmhas.
Quando se queira servir della como reme-
dio para fazer desaparecer qualquer um
destes disguramentos, e que tanto desfei-
am asUndasfeicbes do bello sexo; dexera-
se usal-a p'uai Balado de dilluiQo, destem-
perando-a n'HBfta pouca d'agua i porm no
ratamente <& qualquer espinha, usar-se-ha
della pura em toda,-a sua fosca. Final-
mente como um admiravel meio de com-
municar as feices trigueiras e paludas.
urna pelle macia e d'uma transparente al-
vura, dando-lhe urna linda cor de rosa :
para um tal fim, ella leva a palma a todos
os perfumes que se teem inventado at ho-
je, e existe em plena soberana sem rival.
Bem entendido todo isto se refere nica-
mente a Agua t>e Florida dp Murkay d
Lanman.
As imitac5es que se tem feito na Franca:
Allemanha, assim como em outras partes;
sao inteiramente imitis e invaliosas ; per-
ianto recommenda-se mui especialmente
s senhoras, que tenham toda a precauc5o
e cuidado, de quando comprarem, estejam
certas que comprara.
A Genina
AGUA DE FLORIDA
DE
MlIBRAY.d LANMAN,
k. qual preparada smente pelos unicof
Proprietarios,
LANMANN & KEMP, DE OVA YJRK.
Acha-se venda nos estabelecirnetosMde
P. Maurer & C, J. C Bravo A C. flA.
Gaors, B. M. Barboza e Bartholomeo & C
Ra do Comine
(AdU)
ilugai
MI
copde de Albuqqtrqne n. 11, ontr'ura da Gloria.
iiaa-ta ana a**'
para NgMtmaSoi
'AflBaViCSHBE
para alagar, oo vender para acabar, cotio sejara:
rtstuanos de principe, de taludo, dminos de Te-
lad e de teda de differentauwres; a elles antes
jfoe te acabem.
lFraneiseo Ribeiro de Sonza, prdfeaser pirtloul.ii!
NM
aula tera lagar no da 9 da-(~
abertora de sua
oa, n>ua nmgreia, p.
ferto e vi DOrtero
casa onde masma uinccjooi tu tre
Teni nsHUo UdmliEr aW
iaaat.4aijaa.it haliai* arofessores.
ot| i s di O as 9 bOMs 4a taaobla a terainara la
k epMial fayor aos- intaraasadov .
I nta4f < aaain 'feMMfe do reapaethrae professoraai
a vaeea|g) artas
pflere-ie
fHaca familia
wja-se ra
qoer.
4WVPf*Tir eoj casa de
i e Bac trum : qgwm quner
te Qorlaia> S7. XlROFt
FEITIML AMEMCAP


= O abiixo assia>) iaqa> da aaattar com seu
ificimento den%iBa4o^fiflnWiaria dos Aoa-
" i roa da Opa a, #, roga a todas as
quem o mesto-4 fiador de apreae |w
sua co||s at o da 18 doporrne para sema
atufeitas; e roga igiialnaaoto s pessoas qu sao
deyedoraiao mesmo estaijecimenio haja |
raboriade de satifater seas dbitos no dMo
erecimento. Reeife 13 de tyereiro de 1871..
Jos Gomes de Fritas.
Precisa-se
de urna pessoa para empregar-ae io mata con o
eaixeirodB ama casa de comiwreio : a qaera toc-fOS
vier pode dirigir se ruj do Vigario o. 17, Io
andar.
Precisare
desuno menino que tenha pralea de taberna, bra-
silei/o ou poriuzaez, que d Qaaga a sua cundue-
ta : na.rua do. Vigario n. 2
Qaem precisar de ama ama de cozinha para
caa de pouca familia, dirija.-sc ra dos O.-sos
n. 28.
Precisa -se
de din rapaz de boa conduca e que teoha pratica
de irabalhar em vela-' de carcaba, paga-se bem
agradanio : na roa do V:gario n. S.
Cozinheiro.
Precisase alagar am moleqae oa preto cosinhei-
ro, paga-se bem : i tratar na loja da ra Nova
n. 11, hoje Bario da Victoria._______________
Precisa-se de ama criada par-a coziohar para
duas pessoas, na ra Augusta n. 81 : quem esti-
ver nestas eondicoe? all appare?a. __________.
Joaquim Jos Oonpal-
ves Beltrao
Ra do Trapiche n, 17, i" andar.
Sacca por todos os paquetes sobre o banco di
mhu, em Braga, e sobre os seguales lugares en
Portugal :
Lisboa. v
Porto.
Valonea.
Guimares.
Coimbra.
Chaves.
Viseo.
Villa do Conde.
Arcos de Val de Vea.
Vianna do Castello.
Ponte do Lima.
Villa Real. .
Villa-Nova de Famelicao.
Lamego.
Linos.
Covilhaa.
Vascal (Valpasso).
Mirandella.
Beja.
Barcellos.
Precisa se de alugar urna escrava para co-
tinbar e engommar : na ra Imperial n. 3, andar
terreo.
Guilherme Augusto Rodrigues Selte
commisse8 e eonsignaeoes.
LISBOA
Ra do Amparo n. 66.
Est para alugar-se o 1 e 2* andares do
sobrado roa do Duque de Canas, anliga ra das
Crures, a urna s familia por s ter nma coiinha:
qaem pretender falle na ra do Livramento, loja
n. 25.
D. Luiz de S. da Silveira manda dizer, quarta-
feira 15 do crrante as 7 horas e meia na matriz
da Boa-vista, urna missa por alma da Exma. Sra.
D Porcia Lobo Crn-Rea), espo-a do sea amigo
o Dr. Joao Baptlsta Pinheiro (Jirte-Real, e para
ate aclo de caridade e religio' convida os seu -
prente? e amigos, a os do mesmo Dr.
Manael Cabra I de Med ne proenrador
bastante de seo irmio I de Hedel
n contraudo vend rna roa de
Borla vre deaembarajada de dbitos e
de qaatqaer onas: te algaem se algar com di-
dirija-se i mesma
Ao Sr. E. H. Caris
Joaquim Ferreira de Araujo Guimares, re-
tirndose par Portugal nao Ihe foi possivel des
podirsedo fclos os seos amigos, o qne faz pelo
presente, offereceno-lap seu presumo em qual-
3oer parte, e com especialidad em Alcoba$a, oa-
e tem, por em quanio, flxado sua residencia.
Aluga-se urna mei-agua que Oca em frente
do porlao da fabrica do gas, tea ama aela e-quar-
to por 10 por mez : no mesmo lagar se dir
com qaem tratar.
D-se 2:0004 a juro sobre hypotheea em
bens de raiz nesta cldade : quem precisar deixa
carta fechada nesta typographia com as iniciaes
A. M. O., iudicaado onde de ve ser procurado.
Da se 2:i00 a juro de 1 1|1 0|0 ao mez
com seguranza e n bens de raiz : a tratar na loja
da Boa-tama na ra do Queimado n. 35.
Attenpo
O abaixo assignado arrematante da aferrcao
dos pesos e medidas deste municipio, constando
Ibe qne algaem anda em seu nome aferindo e re-
vendo, aera para isso estar autorsade, o mesmo
abaixo assianado partecipa a quem mteressar
possa que oao 3ftTram e nem revejam, se nao aos
sena empregados, qne sempre foram os actes,
e que por isso se mostrarao aatorttados pelo
mesmo abaixo assignado, cojos empregados sao os
Srs. Felippe Santiago de Torres Gallindo, Sebas-
tian Pereira Pinto e Joaouim Candido Pereira da
Lnz. O abaixo assigaado faz o presenta annnn-
cio para evitar duvidas futuras que por ventara
Reeife, 10 de fevereiro de 1871.
os Santos Costa Ju;
Bna do Baro da
Victoria,
Outr'orarua Nova n. 63 team
do cosume.
Bilhetes garantidos da pro-
?inela.
O abaixo assignado acal a de vender entre o
seos muito felizct bilhetes a sorte de 5 000|000 m
dous qnartos de n 631. a sorte de 200 em um
bilhele inteiro de n 722, e um meio de n. 89i cora
a sorte de 100J., alem de ouiras serles menorns
de 40/ e 20 da latera que se acabou de extrahir
(182); poaendo seas possaidores virem receber,
que promptamente serio pagos.
mesmo abaixo assigaado convida ao respei-
lavel publico para vir no seu estabelecimentc
comprar os fezes bilhetes garantidos, que nc
deixar de tirar qualquer premio como prova pelos
mesmos annnneios.
Acbam-se venda os muito fetizes bilhetes ga
rantidos em beneficio da greja do Divino Espirito
Santo do Reeife, que ser extrahida sabbado 25
de fevereiro.
PREgOS.
Inteiro 6/000
Meio 3^000
Quarto 1/500
De 100/1000 para cima.
Inteiro 5/400 -
Meio 2/700
Quarto 1/350
Joio Joaquim da Costa Lete.
RABO DE TAT'
Plmta adfgena
Especialirlade dos pharmace uticos Ferreira Mflia & C.
A tosse convulsa a qoe a presenta mais perlioeci Baqaelles aae defli aof-
VD> efaz com que menta* vezes saecumbam o eoformoa. sem qqe muitoj ouirosna^
litteatos apphcados ciasigam resultados favoraveis. sendo essa affeecio tanto mato
quanto menor e a dade dos accommetudjs; e por isto nevos preparados sao
aniemente publicados por meio de pomposos annnneios sem qaa a sua aDDlicacao
aiteste o que delles se esperava. PF ^
Acab de ser enrequeoida a iberapeaca das diversas moestits do peilo, desda
a ptiarvngite on mal da garpmta at a toberculisacSo polmonar, com o XVROPE PH-
TORAL AVlERfCANO DE RABO DE TAT', qne tomar o prtraeiro lugar entre todo
os medcameatos al boje para tal Um coubecidos.
O XAROPE PEITORAL AMERICANO DE RABO DE TAT", garantido pora-
mente vegetal e a cootem em saa composc,o a parte medicamontosa di p'anta vnlmr-
mente denominada RABO DE TAT', cuja propriedade beneflea na cora das molesto
qne pertencem aos o gaos pulmonares foram por pessoas competentes observadas, du-
rante longo tempo e com ptimos resu'tados cada vez mais crecentes : pelo que' ao
julgamos autori-ados a enrapor este xarope que agora apresentamos, e a offerece-ky arj
mdicos e ao publico.
Poderiamos apresentar jiukos attestados nio s demedeosrespeitaveis, cbaao
timbem do publico que tem feito uzo deste salutar xarope; pjrm dispensamos astaa
formalidades para nao cancarmos o ptrblico, pois que o melhor attestado que se poda
apresentar sem duvida a cura completa de milhares de pessoas.
Poderiamos citar aqui pessoas que eslo completamante restabeleeiclas da in-
versas molestias de peito de que este xarope poderoso medioamenio, e tem coras
como sejam a afthma, bronchites, defluxo, catarrbo, tosse convulsa, rouquido, irritagaa
do peito e garganta e phthisica'pnlmonar etc., etc.
nico deposito em Pernambuco pharmacia amaricana de Fjrreira Mn'a 4 C.,
ra do Duque de Casias n. 57. (antipa do Qieimado.)
Cada frasco custa ldOOO. Cuidado com as falsiGcaces.
iv/OireS (ie IOrrO de dfferemes tamanbos.
i rtUBab rje ferro- para copiar cartas.
VlldpctS) fje ferro gavalnisadas para telheiros.
X dl/UOo de ferro para assucar.
/irULlUS americanos para varzea e ladeira.
llLaCniliaS vapor e de cortar fumo.
varriunoo ,je m3o para saccog e atterros>
Venezianas para jananas.
ijalanoas decimaes e ootras>
Fogoes dl3 ferro.
Enxofre
Bartholomeu & C,
VlNHO, PlLULAS, XaROPB B TlNTURi
ds jt'rubeba bimples b perruoinoso \
Oleo, Pomadas Emplastro da mbsmi
planta prkparad08 por
BARTHOLOMEO & C*
Pbarmaceuticos-Droouistai
PERMAMBUCO
A Jnrnbeb : e*ta planu hoje rtconheeid
coma o m>i> poderoso tnico, como o melbei
desobetraente,e como tal pplicida noi padecmenun
do fijado baso, hepatitea, dnraiaa, lamaral inUr-
nos e especialmente do otero, Bjdrofesiaa, mi-
pellf i, etc.; e associada ao ferro QW i)i ptilMaj
core;, caloroaes e falta de menstrnaeo, dnaarraa-
joi do aatomago, etc., a o qne iaamoa atteaUi
innumeru caras importaatea oitiaVu tem noaaoa
Sretiaradoa j bem coubecidos a titdoi pelea uti
alinclos mdicos do pan e Porta jal. Em todoa m
nosioa depoaitos diatrbmimoa gratis folbatoa om
ko bor fasaa conhacar a Jambaba atoa nanlttdav
istes artigos acham-se a. venda
casa dos importadores
Saw, Hawkes d C,
ra da Cruz n. 4.
CASA CAUVIN A- tumi"
^^^^ ^a-m^ W Boulevard Beba
Phrmacemttco privilegia*
8UC-?essor *
topol, 58. PARS.
NOVAS ESPECIALIDADES A. MARINIER
Apresentadas- a Acadenia de Sr.iencias e ao Instituto de Franca.
INJECCO
Sob forma de Pastilla, deredida e-doeaila para faser da)
momento ana soluccio PREVEHTIVA E CURATIVA da*
MOLESTIAS CONTAGIOSAS
raCTOR-PHILUlfl
Graves
do volume de ujn relogio, servinda
de Puiltro e Seringa sem o*
inconvenientes de. fragllidade.
Com a forma, e do volunte de nm Porte-Moeda
TODO TIIATAMENTO.
COLLYBIO
BARTHOLOMEO & C
CASA CAUVIN

ESTOJOS
Contra a affeccois das palpebras, preparado sob a mesma forma.
Depositarios geral para o ItUtlKH, e PORTUCAIa
*3i, ra larga do Rosario.* PERNAMBUCO.*
A. MARMER, PharmncerserivU<^
Boulevard Sebastopol. BS PARS.
NOVAS ESPECIALIDADES A. MARINIER
Arrfsenudas a Academia de Seiencias e ao Instituto de Fraoea,
IB ICf*CAn Sol> forma d< Pastilla, devedida e doseada para
lilwE.V'UnU faser ele mouento urna solurcao
Preventiva a curativa das MOLESTIAS C0.-,TAG10EA8.
, do volume um relogio, serviuda i
IHII.Tr.il e S1HWGA sea o*
lIlJLtluili lilLlilUgra
ESTOJOS
Com a fon
COT
e de .Tolnmc de am_ Po^4aaBBB..
VflO TODO IRA TAMSfl
COLLYBIO Contra as affeccois das patpebraa\
are parado son a mesnu forau.
BARTHOLOMEO C
Depositarios geral para e BRASIL, e PORTI CAE,
3i, roa larga do llosario. PERNAMBTJOO.
Ama.
Precis-

VERDalDEIRAS
PlLULAS DE BLANCARD
COM IODURETO DO FERRO INALTERAVEL
'APPROVADAS PELA ACADEMIA DE MEDICINA DE PARS, ETC.
r Possuvndo as propriedades do letto at do ferro, eonrain especialmente as Anwccofa
fseaorOLOSAS, a Tsica no principio,a fraquetad* ttmptrommto e tmbennos casos
Falta m cfta, amctorrhea. am que precisa reagir soku o saicui seja para resWnir
-lhe a sua riqueza abundancia normaes, ou para provocar regalar o seo curso penme.
If. t. O Manto farra impuro oa altando om mtdieamaot InM,
aTritaate. Gobm preva do paran e do laridado das mmMwmaW*-
asa WaiaiaairS, deve-sa exirir nosto ato prataat lajatajlt H
boom eraaat, aqni reprodniida, qoo a acha apar Intanor da ai
i *a4aa aa i>a^aTatraia>a. Pharmmmrtf, raa iawaart, 40, Par*'
ROB LAFFEGTEUR
Approvado n Francia. Bussia, Austria e Belgir*. O arrobe vegetal Laffecteur sa anlho- J
ruado, he mui superior aos tarops de cuisinier, de Larrey e de sabeparrilh
digestao, ad ao paladar, e ao alfato, elle cura radicalmente eeto merca
i da pelle, leBalaresie, alporcaa, tnanorea. ulcera, aarnc *
ne s accidentes pro vendos dos partos, da
contra as doeucas syphi
SSl*. -ai.mattSrAO V
l, ern casa do 4^H-_M





i___
5 ^tt^imemin^nev H
m
H
lotera da
Wde
m^M
da Auroro.
ibleiimeQto le vandem taixas de ferro
bem construidas do que as que vem
240 rs. a libra ; sortimento completo.
Sr. MSgrol Gandido de Medeirqs
rogado a vjr a estajypoRr0iiii1
PERSA MEZA
Jame* %dc &
Ra de ApaH ero *6.
SYSTJSMA HYDRADUOO III
Dan&te esta safra James Ryder & C. teem re*
sohMo enfardar alfodae i razio de 500 rs. por
arroba, inclusive capas, arcos e marcas.
Roa de Apollo o. 26, prensa hydraulica
de James Ryder & l
Na praca da Independencia a. 33 se da di
theirosobre penhores de onro, prata e pedra
ireeiosas, saja qual for a quana; e na mesa
attsecompra e rende objeclos de onro epraU
igualmente se fax toda e qualquar obra de en
ommeada, e todo e qoalqner concert tendenti
a meema arte
Aos influentes do carnaval,
para os bailes.
Na rna e3treta do Rosario alojase vestuarios
de principe bordados a onro e a la todo de gos-
ta e por prego commodo ; dminos bordados para
bomens e meninos, de todos os gostos e cores e
fai-se qnalquer vestuario a gesto de seos donos,
per fl|urinos e a phantasia, trazendo seus donos
as fazendas e os enfeites : qoem qaizer mandar
fazer avise.com tempo para fazer-se. Qoalqner
enfeite proprio para o carnaval, de flores para en
feitar vestidos e capacetes; todo acha-se promplo
na mesma rna n. 35. primeiro andar.__________
ANTHH,

i i
ABRIGA,"
CHAPfH DE SKI
DA v,>
Ra do Barao da Victoria, esquina da Camba, do Carmo, n. fc3 ^Autiga Ra Nova^
Temos i honra de participar a domos numerosos fregueses que com a chegada de um des socios da Europa, soprio-se a
casi com om completo sortimento de chapeos de sol de todas as qaalidades como tambem, de todos os materiaes para os mesmos
fabrico, como sejam armaces de todas as qaalidades, sedas, rairins, alpacas e pannos, assim como de especial cotbiltria, armas
para caca, chombeiros e polvarinhos. Os chapeos de sol torio bameato da 12,48 e 2B por soto, comprando dinheiro
COMPANHIA
DOS
TRILHOS URBANOS
DO
RECIFE A.9 OlilM'DA.
Por ordem da directora convido aos Srs.
accionistas para, no prazo de nove das, rea-
lisarem a quarta prestado de soas accBes
na raz3o de 10 "/; sendo esse praso con-
tado desd o dia 11 do correte, e a pres-
tac3o relativa as accoes da 2* emissao.
Para esse fim, o Sr. Ibesoureiro ser
encontrado no escriptorio da companhia,
ra Nova n. 35, das 11 horas da manhaa
s 2 da tarde todos os das uteis.
Recife, 8 de fevereiro de 1871.
Joao Joaquim Alves,
! secretario.
Gompra-se dormentes para a companhia,
xle sicupira, oiticica e cedro, e outras ma-
deiras de conhecida duracSo, que tenham
comprimento 10 polegadas, largura 8 pole
gadas, grossura 3 1/2, para taes construc-
c5es recebe-se propostas no escriptorio da
superintendencia, de ti horas da manh3a as
6 da tarde todos os das bo telheiro da ra
da Aurora.
Recife, 13 de Janeiro de 1871.
O superintendente.
A. de Abreu Porto.
Joaqnim Jos Ramos vende algodao azul ame
ricano verdadeiro, pregos libras 3 e 6 ; a ra da
Cruz n. 8, Io andar.
TTENQO
Uei mojo chegaflo ha pouco da Europa prep5e-
?e fezer e^cripturacSo mercantil em cafa de pre-
tendente ou na delle annnnciaote : a tratar na
ra di Cruz (Bom Jezus) n. 46. ________
VIDAGO
nico deposito
Pharmacia americana de
Ferreira Maia # C.j ra Du-
que de Caxias d. 57, anti-
ga do Queima o.
Aluga-se o 2 andar e soto do predio do
pateo do Terco n. 27, com bastantes commodos,
concertado e pintado e ruilo fresco : tratar na
na do Imperador d. 81..
O pharaiaceutic da baica n. 19 na praca
do Conde d'Eu, ao entrar na ra do Visconde de
Petlas (amiga ra do Arago) dorme na casa n.
22 na ra do Visxond9 de Pelotas, e est prompto
a qnalquer hora da noite que o procuren) para
aviar qnalquer receita, e de dia na mesma botha.
Attencdo.
No Asylo de Mendieidade precsa-se de um co-
xinhetro.
AMA
Precisa-se de urna escrava que seja boa cos
oheira: na ra ra Palma n. 3i.
Jorge Hermann Augusto Ebrhardt, enge-
heiro civil offereee-se ao respeitavel publico a
prestar ledos os servicos de sna profissio, com
prompijdo e zelo por mdico preco podando ser
Eroeurado rna da Imperatriz n. 34, das 10 as 3
oras da tarde.
Jos da Costa Honrado, sna mulher, filhos e gen-
roa agradecen) coriialmente aos amigos que assis-i
tiram no leito das maiores angustias, as deres da
terrivd molestia ]ue levnu sepultara o mea
muito amado e chocado lilho Bellarmino da Costa
Dourado, e aquellos senhores qae se djgnarara
aeomrauha-lo ao ultimo jazigo rogando anda
aos mesmos sennoras a assistirem a urna missa
resada qae se manda dizer por sna alma, lerca-
felra 14 do torrente, na pequea capella de Joo
SEGUROS
MARTIMOS
E
CONTRI FOGO.
A ompannia Indemnisadora, estabelecida
oestaj toma seguros martimos sobre
avio ntra fogo
med iliss i n?
Este antigo estabelecimento, acha-se hoje montado n'uma
escala de poder servir vantajosamente os seus freguezes, atten
to o grande sortimento de joias d'ouro, prata O brilhantes, qne
sempre tem e reeebem mensalmente das principaes fabricas da
Europa- enjos presos sao em competiveis e as obras garantidas
de le.
MOItEIRA DI ARTE C.
i
Folographia imperial
ALEMA DE PIMTURA
DE
/. Ferrara Vhla
Desde o dia 7 de abril passado acha-se aberto c
ioto estaheteeimento photographico sito i rna do
Gabng n. 18, esquina do pateo da nutrs. Ostraba-
Eos qne desde entao, tem sabido de nossa oBcins
tem geralmente agradado, asado recebidos poi
tlgnns com admiracio pelo extraordinario pro
greaso que altanamente tem lid* a pbokgTapbi;
por otttros com alegra, por verem a provmda
dotada wm nm estabelecimento digno d ella, e ia
eortteatavetmente o primeiro qae nes genero
dojepoesne : tambem nao nos ponpamee em cousa
algama para montt-lo no p em que se acha, es-
perando qne o publico de Pernambuco saben
apreciar nossos esforcos e recompensar nossos sa-
crificios.
Convidamos a todas aquellas peesoas, namonaet
?strangeiras que gosum das artes, on nverao
aecessidade de trabalhos de photograplua a visi-
tarem o nosso estabelecimento, qne esurt sempre
aberto e i sna dUposicSo todos os dias desde as 7
oras da m*nh* at as 6 da tarde.
Para os trabalhos de pbotographia possaimos di-
versas machinas dos melhorea autores franceies,
nglezes e allmemies, como sejam : Lerebonrs el
Secrettn, Hermagis, Thoraat Roes, Volgtlander et
Sonh eWulf. ltimamente recebemos tres novas
macbinasi sendo nma deltas psopria para tomai
sobre o mesmo vidro 4 on 8 imagens diversas e
isoladas, e outra de 6 a 1S imagens diversas e
Igualmente isoladas, de sorte que no caso de
pande concurrencia poderemos retratar sobre
ama nica chapa at 8 pessoas diversas e isola-
das para caribes de visita, e assim em menas de
om quarto de hora despacharmos 8 differenies
pessoas que pecam cada urna, urna duiia de cartoes
mais ou menos, com os seus retratos smente, on
em grupo com outras.
Encar regamos-nos exclusivamente da direccac
feitnra dos trabalhos de pbotographia dei-
xando i pericia e talentos do distincto pintor
illemio, o Sr.
Jorge A. Roth
js trabalhos de pintura, a aquareia, a oleo, e
pastel.
O Sr. Roth acha-se ligado a nossa empresa por
ama escriptura publica, e at o presente tem-se
desvellado na execucSo de seus trabalhos.
No nosso estabelecimento acham-se exposlos on-
tros trabalhos importanti* do Sr. Roth, tanto em
miniaturas aquarella como oleo, retratos
oleo, quadros sacros e diversos outros trabalhos.
Tomamos encommendas de retratos oleo at o
tamnho natural, assim como de quadros sacros
ira ornamentadlo de igreias ou capellas. Tam-
idi
negocio da ru
e na mes
qnalquer estabelecinwBto
pequea escala, e cemmoc!
Tambem se dmMeam socio
algom capital, e
nformao>8 Da mesal
9, od das 2 s 6 '
tenht
pin
45, das 6 s
Precisase alegar nma asna, que osfele, com-
pre, e engomme, para casa de familia, com pos-
ta de duas pessoas. dsnde-se preferencia a asa
mulher de mei* idade ; quer seja forra on es-
eran : quem eativer aeaus trenmsuncias. diri-
ja-se a erti qnem tratar. ________
Precisa-se de urna ama, forra on escrava,
ara e servioo interno on externo de orna casa
pequea familia : quem estiver em cond
de poder servir, pode dirigir-te
rna de Sanie Amaro, qne i
5*
i casa n. iS,
com qnem tratar.
AMA
Precisa-se de nma ama para cosfaftar e com-
prar : Ba roa da Cadeia n. 81, i andar._______
Desappareceu do logar Joaieiro, freguezia,
de Beterros, nm burro rnsso, bem feito, J velbo
com urna bellida em nm dos olhos e eom o ferro
H em urna das ps, alm de nma ferida de can-
galha de cada lado : qnem o pegar leve ao enge-
nho Monte, comarca do Cabo que seri pago de
seu trabalho.
AMA
MANUEL & C-
Tem a satisfacao de participar aos seos numerosos fregnezes, que em vista de ser-mes mais commodo, tem
estabeiecido nma nova fabrica de chapeos de sol, na ra da Cadeia do Recife n. 9, hoje roa do Mrquez de Olinda,
onde acbarao os pretendentes, muito avultado sortimento de cbapos de sol de todos os procos, quahdades e por pro-
cos mas commodos do que comporta o nosso mercado : convidam especialmente aos Srs. compradores por atacado
darem, sendo possivel suas encommendas, pois podero assim serem mais bem servidos, visto poderem escolher as ar-
#$ macoes as iazendas que a demora da fabricac5o bem diminuta.
Precisa-se alagar nma escrava e urna negrinha
on moleque, para o servico de pequea familia :
na rna do Caes de Capibaribe, casa com po rilo
rade de ferr.
41 814 DO BARIO DA VICTORIA 41
Neste novo armazem tem um
variado sortimento de fazendas
francezas, inglezas, allemaas e to-
das todas se vendem por precos
mdicos, afim de acreditar a este
novo armazem.
Gasemiras inglezas,
francezas, de todas as
qualidades, brins de
cores e bsancos, colei-
rinhos modernos, cha-
peos de sol de seda,
utos.
DE
ARRUDA IRMAOS.
-^r^niWiHl "?
RA
Saro da victoria
antiga roa
NOVA
N. 41.
Assim como tem urna grande
officina de alfaiate, montada com
todos os preparos que ha de melhor,
dirigida por habis artistas, que
pela sua promptidio e perfeic5o
nada deixam a desojar.
Roupa de todos os
amanhos para homens
meninos.
Por todos os paque
tes recebem-so as me-
lhores e mais moder-
; as casemiras'que ba
na Europa.
RA
DC
Baro da^Victo: ir
aitiga rna
NOVA
41.
aceitamos encommendas de quadros histori
sos.
Asseguramos que os precos dos diversos tra-
balhos da nossa casa sao mu rasoaveis.
cart5es de visita nao coloridos 10)500
DDZIA
cartSes de visita com o colorido ao nato-
ral A 16)5000 A DZIA
Retrates em miniatura i oleo ou aquarella de
16 10*000 cada um, indo convenientemente en-
aixilhado em moldura dourada e regulando o
busto da pessoa retratada de 3 4 pollegadas e
todo o quadro palmo e meio de tamanho.
Julgamos que bastarlo os precos cima para
iarmos idea da baratesa dos trabalhos do nosso
sstablecimento, quanto sua perfeicao cada um
venha julgar por seus proprios olhos.
As melbores horas para se tirarem retratos no
nosso estabelecimento sao das 8 horas da manhaa
I da tarde; entretanto de nma hora s S da tarde
im casos especiaes pde-se tambem retratar qual-
iuer pessoa.
Nos dias de ebuva, pu por tempo sombro po-
temos retratar, e asseguramos que esses dias sao
mais favoraveis aos trabalhos de pbotographia
pela docura e persistencia da luz, e per termos o
qosso terraco construido cora taes proporcoes e
nelhoramentos, que anda chovendo jorros ne-
ahum inconveniente iba para fazer-se bellos re-
tratos.
____________ J. Ftrreira Vil lela
CONFEITARIA
Precisase de urna ama que saiba cosinhar :
na roa da Imperatrii n. 16. 2* andar._________
Attenpao
Castodio Jos Alves GuimarJes, nico
socio gerente da casa commercial de Goi-
maraes, Pontee & C, desta praca, previne
qoem interessar possa, que est promo-
vendo a dissoluco da mesma firma, e en-
trar em seguida na respectiva liquidado,
sendo qne n3o ba letras pelas quaes esteja a
Qrma responsavel, e nem o annonciante as
pretende firmar dorante a mesma dissolo-
c5o e liquidado. _____________^__
AW1A
Precisa-se de umaama para fazer companhia a
urna senhora, que al.- saiba nada : a tratar na
roa da Lapa n. .________________________
Ama.
Precisa-se de urna ama de Lite que seja sadla
e de cor parda: a tratar na praca do Corpo Santo
n. 4, 2" andar, ou ra da Cadeia n. i.______^^
AMA
Na ra do Caldeireiro n. 4 precisa se de urna
ama para todo servico de casa de homem solteiro.
Furtaram
Este estabelecimento'acaba de soffrer urna reforma radical em aeccio, artistas e cemmodos, e em pontoalidade as encom-
mendas, finalmente em todo afim de melhor servir os seus numerosos freguezes deixa-se de annuuciar todas as fazendas, para
nao se tornar massante
Companhia Allianca
.de
seguros martimos estabelecida
na Baha em 15 de Janeiro
de 1870.
CAPITAL..Rs. J0.000*000.
Totna seguro de mercaduras e dinneiro a risco
martimo em navios de veila e vapores para den-
tro e ra 4o Imperio. Agencii rna do Com-
mercio n 17, escriptorio de Joaquim Jos Gon-
calves Bettrao.
GRANDE ARMAZEM
DE
LOUCA, P0BGELA1, VIDROS
M PRI9<
PRIMB5RO E ANTIGO CONSULTORIO
JOMEOPATHICO
Dirigid* el Or.
SANTOS MELLO
Os habitantes do interior podem-no
consultar por eseripto, no qne serae sa-
tisfeitos com promplido.
Presta-se tanAem a ehamados para o
interior, preco mdico.
Consultas, no sonsultorio das 10 horas
ao meio dia.
Chamados, a qnalquer hora.
Aos pobres grati.-.
48Ra do Bario da Victoria43
(Antiga ra Nova).
E
CHRYSTAES
MOFIHA
CRIADO
Roga-se ao nt Sr. Ignacio y.eira de Helio, ,
cri vio na eidade de Nazareth desta provincia,
favor de vir a rna do .Imperador 18 a oncluir
aquelie negocio qae V. S. se compromettea reali-
sar, pela terceira chamada deste jornal, em fine
de detembro prximo passado. e depois para Ja-
neiro, passou a fey.weiro e abril, e nada eumprio,
-nado para dito
to negocie
"-ais de oito i'.- E tuanoo enhor son
DE
PE REIR, IRMAOS
R Primeiro de manjo n. 15, outr'ora ra do Crespo n. 15.
Ad respeitavel publico em geral^e particularmente, aos seus numerosos amigos
partloipam"Mnoel Joaquim Pureira eMnoe! Jus da Cosa Pereira, que acabam de
fundar om rico e sumptuoso aimazem de lo oca, porcelana, vidros e cbystaes roa
Primeiro de Marco, outr'or ma do Crespo n. 15, soba razo social Pereira &
Irm3oe.
A longa pratica e conhecimentos de que dispSem os atmunciantes neste ramc
de commercto, a qae, ba moitoa aanos, se dedicam, os tem habilitado a satisfazer as
necestidad's da populago desta provincia e suas limitropb.es, offereceno aos consu-
midoras ataiorss vantagens do -que qualqner ontro estabelecimento deste genero.
O respeitavel publico, dignndose de visitar este novo estabelecimento com-
mercial, orificar por si me6rao o qae os amonciantes vem de dizer.
OLEO
[RA DO IMPERADOR N. 26.
O proprietario deste estabelecimento avisa ao^
seus numerosos e bons fregnezes, que acaba d.
preparar om grande sormento des meJhores ge
aeren do mercado para rechear ae despensas da-
quelles qae tiverem bom paladar e disposico pa
ra gaslar es eebrea, no lempo da festa do Natal
Abi encontrara ex:ellentes presentes de fiambre
vinh' s, licores e engaac de todos os fabricantes
boa eerteja, mannelada portugueza, ameixas en-
caixinhi*, conservas francesas e portnguezas, do-
ces de todas as" qaalidades seceos e em calda.
Tambem encoolraro bolinbos para cha de toda.'
as qualidan>s, bofos francezes e inglezes, pc-de-l;
pudins, tortas, aroeddeas confeiladas, equantidadf
do ouiros objectos uue seria enfadonho enumerar,
COLLEGIO
DE
3. Francisco de Paula
TRAVESSA DAS BARREIRAS N. 2
(Cidade do Recife)
DIRIGIDO PELO BACHAREI.
FRANCISCO JOS' RABELLO.
Estao aberlas as aulas deste estabelecimento,
ande contia a receber-se alumnos internos, meios
pensionistas e externos.
O benigno acolhimento, que no anno Ando rece-
ben do Ilustrado publico pernambucano, animou
sobre maneira o director deste estabelecimento,
que por isso mesmo procurar corresponder por
lodos modos a coofianca daqnelles que o honra-
rem Ihe commettendo a educacSo de seus

O tenente-eoronel Joao Valentina Villela, sua
mulher D. Isabel Ignacia de Gusmao Villela, t
sna fllha D. Mana Ignacia de Gusroio Villela Pe-
reira do Lago, convidam aos seus prenles e ami-
gos para assistirem na Ordem 3' do Carmo, as 7
boras da manhaa do dia 14 do correte, urna
aissa pelo passamento do seu genro e marido ge-
neral Soiidonio Jos Antopio Pereira do" Lago.
Precisa-se de urna ama forra ou escrava para
cozinbar para casa de pequea familia : a tratar
na ra esireit. do Rosario n. 3, drogara horneo-
palhica.___________________________
Acabam de chegar para o Bazar Universal da
rna do Bario da Vicioria, n. 12, as afamadas ma-
chinas silenciosas para costura, as quaes tornam-
se recommendavels pela sua boa qualidade, bem
como todas as mais que existem no mesmo estabe-
leciroento.______________________________
Alnga-se nma casa na Ilha do Bemlica, com
clneo qoartos, dnas salas e cosinba fra : tra-
tar na rna ettreita do Rosario n. 17, cartorio do
escrivio Molla.
Do engermo Sauginho freguezia de Una, fur-
taram um cav rQ'so-podibo, leudo
nm pouco
ni o pello
Ama
Pre lisa se de urna ama que saiba tomprar e
cosinhar para casa de pouca familia, na travessa
da rna da Palma n. 16. (no fundo do convento do
Carmo). ______
()lferece-se urna mulher de boa conducta
para fazer companhia a urna familia e tambem
servidos: quem precisar dirija-se a Boa-vista ra
da Alegra n. 38.
PRECISASE
De uro menino brasileiro de 13 a 14 annos de
idade, que tenha ou nao pratica de taberna : -
ra los Pescadores n. 43.
AMA
Precuase de urna ama engomadeira : roa do
Imperador n. 57, 2 andar (entrada pelo caes
Viole dous de novembro)___________________
Precisa-se de urna ama para casa de homem
solteiro, para cosinhar e engommar: na rna de
Pedro Affopse n. 20, amiga roa da Praia._______
Jos fb-nrique da Silva Guimares, precia
de nm boliciro : a tratar no sitio do Mondego n.
10!, ou a rna das Cruzes n. 38, primeiro andar,
das 10 horas em dianie, cu das 3 aj aquella ora
no referido sitio.
Precisase allngar um primeiro andar e loja,
na ra do Imperador ou do Barao da Victoria, que
sirvara para escriptorio: a tratar na ra do Impe-
rador n. 26, 1." andar, escriptorio da Recifa Drai-
nage.
e A companhia de seguros martimos utilida-
d publica, e a agencia da companhia Fidelidade,
de Lisboa, mudaran) seu eseriptorio da rna do>
Mrquez de Olinda n. 42, para a mesma ra nu-
mero 34, andar.
COMPRAS.
Chumbo e estanho
velho.
Comprase em grandes e pequeas porcoes; na
rna Nova n. 11. ____________
= Compra-se orna casa terrea as fregnezias
de Santo Antonio ou S. Jos : a tratar na rna ve-
Ihs. de Santa Rita, ultima casa do lado da igreja.
Vr:NDAS.
f
J ehegon o muito acreditado rap grosso, o
qual se vende na pisca da Independencia n. 5,
a l|60Ors- a libra, assim como .Paulo Cordeiro
viajado a i800 rs. a libra, e commum a 1J20O
rs., vende-se tambem, Lisboa, rolo, princeza da
Baha e Meoron, j>elos precos ja conhecirtos.
Na fundicao da Aurora vende-se
razoavel, qnanlidade de i
Vende-se borracha
por preco
ir Briks)
lona-
;uc-- uui evnn are.
lidade : na fabrica de oiga 'aas
Triiirheiras n. 43, ou
2#SD0. S6 vi9 do
avahar a qualidade
Juaquim l'r,B^^H
andar, "ende algodao azo
e pregos amerioawos i
VJE7fl*E-S
borra
a malsnoraj
ILVA
^SEMBBMK'

tftii .mes
\taof a,'gn
eiro,
'< a
'iMWWrf^'
ha quinze dias, pouco mais ou menos, da estrada
nova que vai para o Caxaog urna burra castanba
escura de bom umanho, nova, um pouco manho-
sa e cera os vasilho cortados de esporas, que
anda sarando ficam os signaes : roga se a qual-
quer pessoa que souber, dirija-so a ra do coro-
nel Suassuna, oulro'ra ra dos Marlyrios n. 4, 2o
andar, que ser bem recompensado __________
' C0Z1NHEIRA.
P. ecisa se de nma perita cosinheira, prefe-
re se eslrangeira: na rna Direita n. B.________
"7b.
BBBBBBBBB




I
O Bazar da Moda receben novo sortimen-
(O de fazendas do ultimo gosto para vesti-
do, asslm como chapeosinhos, cuacos,
bornes, coquea, camisinbas, etc, etc.
Continua sempre o grande e afamado sor
tinento de miadezas e perfumaras verda-
leiras, que tudo se- vende por baratissimos
preco*.
Dam-se amostras e maada-so em casa das
Ezinas. familias o qne desejarem, roa do
Bario da Victoria, outr'ora Nova.
finffliic,
Tona renda em seas rmateos, alm de oatros
artifos de sea negocio regular, os seguimos, qne
Acab-ae
nboras; esplendido soi
dray, Regand, Pinand, Cbonl
Camisas e ceroulas
O maceo elegante vende camisas finas
inglesas de 60,jl por 540 a duzia, ditas bor-
dadas a S2 e muito fioas a 120 a duzia,
ceroulas de liobo muito finas de 4*4 a du
zia 36^, pannos de crochet para sof e ca-
deiras, fazenda que sempre o venden por
tO>, vende-se a 64 o terno.
Mantinhas olindeases
vendera
camal
por presos msis mdicos que em oo
a qualquer parte :
PORTAS de pinho almofadadas.
GRADES de ferro para crea.
ESTEIBAS da India para cama e forrar salas.
CAOS de barro francet para esgoto.
GESSO superior em porcSes e a contento.
CEMENTO de todas as qnalidades.
MACHINAS de descaroear algodo.
LONAS e bruudes da Rnssia.
OLEADOS americanos para forro de carros.
POGOES americanos muito bons e econmicos.
VINHO de Bordeara.
COGNAC superior de Gautier Freres.
FARELLO em saceos grandes a 3*500.
AGUA florida legitima.
Os acredita-
dos cytindros
para padaria;
venda no arma-
zem da travessa
do Corpo Santo
n. 25.
FARIRHA DE MANDIOCA
de soperior qualidade, recentemenle che-
gada do Porto Alegre e de Santa Catbari-
na, em deposito nos trapiches Fcntes e
Dantas. Vende se precos razoaveis;
tratar no escriptorio de Amorim Irmaos &
C, ru ada Cruz n. 3.
O museo elegante receben ricas manti-
, nbas de seda (coosa nova) para seoberas e
meninas, as quaes est vendendo pelo ba-
ratioho preco de 45QO, estam-se acabando,
bellos aderemos de tartaruga e de madrepe-
rola, e mnito fios pretos de errtil, casso-
ltas para cadeias de relogio, ditas de pra-
ta dourada para retratos, as mais lindas ca-
deias de plaqo para homens, bengalas de
canoa com castao de marfim e de osso, chi-
cotes de baleia com castao de marfim e de
unicornio, completo sortimento de espelbos
de columna e de moldura dourada para sa-
las, lindos collerinhos e ponhos de linbo
bordados para senbora, grande sortimento de
ponltos e collerinhos para homens I Oxford,
Refleman, Puebla, Exquizito, Napolitano e
Vera-Cruz, as mais lindas e modernas gr-
valas para homens, orna infinidade de ricos
botoes para punhos e collerinhos e d'entre
elles os desojados botoes artistiques e a imi
tac5o de onyx para punhos.
Musen Elegante
ABO
^H iet bygieaiqr
ohos e entremeios tapados e
-raospji i vaIy3, e de ricos e modernos espar-
a m cada nm.
Musen Elegante
recebe por todos os vapores lo vas de pelli-
ca da primeira fabrica de Lisboa, asaim como
encontrar as Exm." familias oeste impor-
tante estabelecimento tim grande sortimento
de artigos para casamento, como sejam ri-
cas grinaldas, finissimas meias brancas de
seda, ligas, luvat. brancas, leqnes finos,
franja branca de seda, fazenda superior,
trancas, gales, botoes, bicos de blond, fi-
tas de grosdenaples e de setim de n. la
80, ditas de velludo, bicos de crochet Ja-an-
co e preto, verdadeiro bico valencienne, ba-
leias para vestidos, cambraia franceza preta
e branca para forro.
tgos de U^M
paranomens.e
acha-se prvido de um Iindissimo sortimen-
Gntilara do Musen
Elegante
Navalhas muito finas, cabo de tartaruga,
marfim e bfalo, do affamado fabricante
Rodger, caivetes superfinos com cabo de
madreperola, tartaruga, marfim, tespuras
finas para unhas, costura e cabello, talberes
para mesa e para doce, de diversos precos
e qualidades, ditos muito finos com cabo de
marfim, superiores garfos de metal branco,
grande sortimento de comeres para cha,
e sopa de metal mnito fino, trinchantes com
cabo de marfim por barato preco.
Musen Elegante
vende chapeos de sol commerciaes a 20800,
ATTEMAO
Pars e Londres, comosSfim pW^3S?Cou-
Piesse Lobm, etc. etc.
ricos albons para retratos por baratsimo
preco. *
No Musen Elegante
encontraras as pessoas faltas de vista um
completo sortimento de denlos' de aro de
tartarng, bfalo e ac, e tambem pencinez
de tartaruga, bnfalo, ac e prata dourada,-
com vidros de cores.
Lamparines do gaz
Vende-se no Musen Elegante a 200 rs. a
caixa.
os cabellos brancos
MUSE ELEGANTE
vehde a muito acreditada tintura ingleza
(a qual mostra o sea bom effeito pouco de-
pois de applicad) e o sublime liquido repa-
rador da cor dos cabellos (colorigeaio Ri-
gamd) que em menos de oito das d aos ca-
belles a sua cor e brilbe primitivo, e depois
deste tempo s bastar usar de oito em oito
dias para conservar o matiz adoptado.
Exposipao de lencos
MSEU ELEGANTE
vende lencos brancos finos a 1*700, 2(51700
e j abanbados a 30500 a dnzia, e muito
finos de esgui5o tambem abanhados a 60500,
U, U e M a duzia.
Previne-se aos apreciadores do superfino e deiicioso perfome,* que apenas precisarem desse artigo ser bastante virem on
mandarem seas portadores, que sero fielmente despachados, pois os proprietarios deste novo estabelecimento trabalbam nica-
mente para servirem bem aos compradores, tanto na superior qualidade de suas mercadorias, c mo nos baratissimos precos por
quanto estao resolvidos a vender.
NO MUSE ELEGANTE
1 Ra Estreita do Rosario N.
N.
1.
ATTENCAO
LOJA DO PAPGAIO
RA DA IMPERATRrZ N. 40
Esquina do beco dos Ferreiros
NOVJMDES
DO
DE
MENDES ft CARVALHO.
Os novos propietarios deste bem conhecido estabelecimento faxera seiente ao respeitavel
publico dasta cidade e fra delta, e com especialidade s Exmas. familias da capital, amigas da eco-
noma domestica, que este estabelecimento se acha as melhores cond^des de poder servir bem a
qu< m o procarar, e por menos preco que qualquer outro, e para isso se.acha bem montado com
om grande, bonito e elegante sortimento de fazendas de laa, seda, linho e algodao, todas modernas
ltimamente chegadas.
0.* proprietarios limilam-se a vender pelo custo, ganbando e descont, e s se vende a di-
oheiro on 60 dias, a quem nos convier.
Chapeos de sol de seda de 8/ at 20.
Ditos de merino e alpaca de 35O0 a 61000.
Ponpelitas de laa e seda, e de linho e seda.
Alpacas de cores de laa, e de seda.
Sultanas para vestidos.
Laas de listra de seda.
Gurgucies de laa.
Poil de chevre de differentes qualidades e gos-
Barejos mescladas e de listras de seda. ,
Alpacas lisas de todas as cores.
Alpacas transidas (Ivences).
Alpacas de flores..
Las e3Cocez8s de quadros largos.
Lias lisas de todas as corea.
Alpacas branca?, lavradas e de cordao.
Cambraias brancas, tapadas e transparentes, in-
fieras e suisas, da largura de tarlatana.
Cambraias de cores graudas e miudas, a todo
preco.
Metira da India de daas qualidades.
Oambraia para saias, bordadas e com pregas.
Cassas indianas, finissimas.
Cassa lisa de difforentee qualidades.
Cassas de quadro e adamascada para cortina-
do.
Pil de linho lisc e de salpico branco e preto.
Tarlatanas de cores, as mais bonita.
Toalhas de linho e de algodao de 600 rs. para
(tana.
Guardanapos de linho de 3*000 a duzia para
cima.
Colchas de fustao branca de differentes tama-
ohos. f. -
Pilas de fustao de cor com franjas.
Cobertores de laa finos com listras largas.
Ditos brancos e encarnados.
Ditos brancos de algodo.
Cobertas de chita cbineza.
Ditas de chita encarnada adamascada.
Bramantes de linho e algodao de differentes
precos.
Atoalhados de linho e algodo trancado e ada-
mascado de diversos precos.
Pannos de linho e de Hamburgo.
Silecias de linho e bretanhas
Franellas lisas e de quadros de todas as core.
Xussulioas e brilhantinas brancas.
Postos de cores para vestidos.
Pannos da costa para eobrir nnsas.
Ditos de quadros, encamado e largo.
Sargelina franeezes e inglezas de todas as cores.
Catnisinhas bordadas de cambraias transparen-
te.
icos banco?, chinezes, de canbraa, de linho,
de bretanha, havendo muita
lea, gostos e precos.
raneo e finos.
para homens e senhora*.
ha de algodo e de linho.
i egas para todo o preco,
Ca?aqunhog de Seda dos mais modernos e ri-
camente enfeitados.
Chales de merino, pretos bordados e lisos com
vidrilhos.
Tapetes aveludados de diversos tamanhos, tanto
para porta como para soff.
Cortes de cassa bordada e de salpico.
Ditos de fil liso mn !o baratos.
Baldes de mussulina branca e de laa de cores
com anquinha.
'Bodes do panno prpprto, para dormir.
Orandys brancos e de cores.
Punhos de linho e cciarinhos nordados e lisos,
deliqho e de algod'
Camisas brancas, francezas e inglezas, de linho
e algodo, com peito liso de pregas, e bordadas.
Lona para camas, parda e branca.
Pecas de algodaosinho de 2*800 o 6*.
Algodo infestado, liso e trancado.
Madapoloes de 24 jardas, de 4*600 at 10*000
a oeca. .
Ditos francezes muito largos de 34 e 46 varas
cada peca.
Betalhos de chitas, las e cambraias, que se
vendem por preco barato.
Chitas do 240 rs. at as mais finas que ha no
mercado.
Brins pardos e de cores, lisos, trancados e de
listras. -
Brins brancos de linho do mais barato at o
mais superior.
Fustoes brancos e de cores para roupas.
Merino preto, verio, trancado o de cor Ja x
Merino vero azul.
Bombazinas, princezas, canto, lazinhas, cas-
sas pretas. chitas, alpacas pretas e pintadas, ten-
do nm grande sortimento de fazendas de todas as
qnalidades que sao procuradas para luto.
Roupas fetas na toja do
TRIUMPHO
7 Ra oQueimado 7
DE
PREIRA k BASTOS
E' chegado a este novo-stabetecmeaio o mais bello sortimento de fazenda-
loas, sendo sua especialidade enxovaes para noivado.
Vestidos de blond de^sda ricamente bordados.
Gorgur3o de seda branco para vestido.
Colchas de seda pura, para cama com ricos desenhos.
Ditas de 13a e seda, idem idem.
Ditas de crox, idem idem.
Cortinados ricamente bordados para cama" e janellas.
Croxs para cadeiras e sofs.
Vestidos, de cambraia branca bordados.
Popelines de lindos gostos.
Las de diversas qualidades, lindos gostos e modernas.
Ricos b rarnus para passeio, com listras de setim.
Sahidas'de baile o qne ha de mais rico.
Cretones para vestidos com lindos desenhos.
Carnizas bordadas e sem bordados para senhoras.
Camisas bordadas muito Anas para homens.
Ditas inglezas para homens e meninos..
Seroulas do linho, e um grande sortimento de roupas feitas e de fatendas qi
enadonho mencionar.
Luvas froecas de Jouvin
Sortimento de tapetes para guarnieres de salas, alcatifas para forro de sala,
erando sortimento das acreditadas e verdadeiras
Esteiras da India
e <

N.3ARUAD0CABIJGA1.U
MTI10&

papagaio.
Um magnifico sortimento de roupas feitas de
todas as qualidades tanto para homem como para
menino, nm bonito sortimento de caserairas de
quadros de listras e lisas proprias para calcas, I
paletots e coletos, corto de gurguro de seda i
para colotes, pretos e de cores, pannos pretos,'
azues, cor de caf e casemiras.
Paletots de casemira de cores, pretos, azues,'
cor de caf, alpacas pretas e de core--, de brim
branco, brim pardj, gangas, brins de cores, etc.
Cuides de casemira e de todas as.qnalidades. .
C-.Icns, ha to variado sortimento, que de
qualquer fazenda propna se acliam feitas, e por
diver- i precos commodos.
Sobrecasacos de panno fino do 16* at 40*.
Seroulas francezas de linbo e de algodao.
Baetas proprias para banhos, de todas as cores.!
Eslamenha a 160 rs. o covado, mnito larga.
i.-Roupa por medida na loja de
mola, e raoea, **; papagaio.
Mandase faier qualquer qualidade de roupa,'
! com presteza e esmero, tanto en? como
para meaivi, prr menos pre^o ^T~
fMtM. outra offlcio*. qa* para isso o ettabrtf^
P
00
Com este titulo acha-se aberto inteiramente transformado este antigo
estabelecimento de joias, onde os freguexes e amigos encontrarlo tudo quanto
a moda e o bom gosto tem inventailo na arte.de onrivesaria, o Collar de Ouro
observar delicadeza no trato e senciridade o modecidade nos, procos.
Espera que o respeitavel publico venha ver o que existe de mejhor em
aderocos de brilhantes, esmeraldas, robins e perolas, metos aderecos, pui-
ceiras, brincos, alfinetes e anneis de todas as qualidades, prata de le faquei-
ros^colheres, palkeiros salvas e oatros omitas objectos que sena enadonho
mencionar. a
Compra-se ouro, prata, brilbautes e pedras finas, pormaior preoo do
que em outra qualquer parte, troca-se e concerta-se todo e qualquer objecto g
pertencente a esta arte.
uto, preta e da_c6-
i setim com
FA
DAS PILULfi
O
eBLAMCARD

de

- C^t'Cla^^H^^^H^^H^^^^^^H
tcm receido
os pertencas completos
ccio d'elles em poseo ten iote
como em trra de barro, missap
As vantagens que cfferece
quirir agua sobre qualquer ooii
serviodo nao smente as coodic8es >^^^^^H
nadas, como tambem as cacinbas j feitas,
ainda n5o Um b< mbas cu a agoa tao pura, poii
elles esto munidos de nm filtro que Dio deixa en-
trar in puridades, vantagm que d5o tem os cutres.
Alm disso, a grande qnanttdade d'agca qne
elles deitam de 5 8 pipas por hora, confu me o
dimetro dos tubos, a facilidade com que elles fanc-
ciooam, a simplicidade, perfeicao e sclidez. com-
binada com a elegar cia de sua form?, que para ser
appreciada basta ver-se.
O annunciante tem urna pessoa especialmente habi-
litada, tanto na coilocacfo d'elle, como na eacolba
do terreno ou lugar mais proprio, que se encarrega
de ues frricos por preco commodo ; e, visto o cam-
bio ser mais favoravel, vende-se elles por precos
mais moderados, recebendo-se a importancia t de-
pois de collocado e funcionando satisfizo do com-
prador.
Para eccommendos e mais es-
cliirecimentos a respeito trata-se
na loja do 8r. F. J. Germann, ra
Nova n. 21 e na offi ina % meta-
es do 8r. Paulo Jos da Silva Frei-
r, largo da Concordia n. 7,
IjOJA
DO
GALLO VIGILANTE
Ra do Crespo n. 9
Os proprietarios deste bem conhecido estabel*
cimente, alm dos muitos objectos que tinham ex
postos a apreciacao do respeitavel publico, man-
daram vir e acabam de receber pelo ultimo vapoi
da Europa um completo e vanado sortimento d
finas e mui delicadas especialidades, as quaes es-
to resolvidos a vender, como de sen costumt
or precos muito baratinhes e commodos para
os, com tanta que o Gallo...
Mnito snperiores luvas de pellica, pretas, bro
cas e de mui lindas cores.
Mui boas bonitas gollinhas e punhos para s
nhora, neste genero o qne ha de mais moderno.
Superiores pentes de tariaruga para coques.
Lindos e riquissimos enfeitcs para cabecas da
Exmas. senhoras.
Superiores trancas pretas e de cores com vidri-
lhos e sem elles; esta fazenda o que pode hit
de mellior e mais bonito.
Superiores e bonitos ieques de madreparoU
marfim, sndalo e ossa, sendo aquellas brancoi
com lindos desenhos, e estes pretos.
Muito superiores meias fio de Escossia para se-
nhoras, as quaes sempre se venderam por 30|00(
ia duza, entretanto que nos as vendemos por 20*
alm destas, temos tambem grande sortimento d
outras qualidades, entre as (juaes algumas rouit<
finas.
Boas bengalas de superior canna da India
castao de marfim com lmda#e encantadoras flga
ras do mesmo, neste genero o que de melhor u
pode desejar ; alm destas temos tambem grand'
Snantdade de (miras qualidades, como sejam, ma
eir, baleia, osso, borracha, etc. etc. etc.
Finos, bonitos e airosos chicotinhos de cadoia
de outras qualidades.
Lindas e superiores ligas do seda e borracb;
para segurar a? meias.
Boas meias de seda para senhora e para meo
as de 1 a 12 annos de idade.
Navalhas cabq,dfi marfim e tartaruga para fas?
barba; sao muito boas, e de mais a mais sa
rantidas pelo fabricante, e nos por nossa ex tan
bem asseguramss sua qualidade o dclicadea.
Lindas e bella.1- capellas p:ira noiva.
Superiores agulhas cara machina o para crox-
Linha muito boa de peso, ronxa, para enche
labyrintho.
Bons baralhos de cartas para yoltarete, assiu
como os tentos para o mesme Boa.
Grande e variado sortimento das melhores pe
fumarias e dos melhores e mais conhecidos pe
fumistas.
COLARES DE ROER.
Elctricos magnticos contra as convulsos,
facibtam a dentico das innocentes criancas. S .
mos desde muilo recebadoras destes prodiciosr>'
collares, e continuamos a recebe-los por toaos o
vapores, aflm de que sunca faltem no mercado
tomo j tem acontecido,"assim pois poderSo aqne!
les que delles precisarem, vir ao deposito do gaU
vigilante, aonde' sempre encontrarao destes verd:<
deiros collares, e os qnaos attondendo-se ao fi
Sara que sao applicados, so vendero com um mu
minuto lucro.
Rogamos, pois, avista dos objectos que deixamo:
declarados, aos uossos freguezos e amigos a viren
comprar por presos muito razoaveis loja do gal:
vigilante, ra o" Crespo n. 7.
500
60
i 000
Rival sem segando,
RA DUQUE DE CAXlAS IV. 4
(Anliga roa do Qneiatado)
Contina a vender tudo muito bom i
muito barato a saber:
Libras de areia preta muito boo. .
Tesouras finas para unbas e coj tu-
ra a.........
Papis de agulbas francezas a ba-
15o a.........
Caixas com seis sabonetes de fruta
Libras de 13a para bordar de todas
as cores a.......8^000
Carriteis de linha Alejandre a. 100
Frascos com azeite para machinaa, 500
Gravatas de cores muilo finas a 500
Grozas de botSes madepersla fi-
nissimos a....... 500
Novelio de linha de 400 jardas a. 60
Caixas com 100 envelopes muito
superiores a...... 600
Pentes volteados para meninas a. 240
Tinteiros com tinta preta a 80 rs. e 100
Pecas de fita elstica muito fina a 200
Lata com superior banha a 100 e. 200
Frascos do oleo Philocomo muito
fino a......... 500
Frascos de macaca perola a. 240
Frascos de extracto "muito benitos a 500
Duzia de sabonetes muito finos a. 720
Sabonetes inglezes a 600 rs. e. 10200
Frasco com agua de colonia Piver a 500
Dito de oleo babeza a..... 600
Caixas do lamparinas a. ... 40
Sabonetes a forma menino muito
superiores a....... 240
Cartilhas da dootrina fazenda nova a 400
Libns de linha sortidas de todos os
nmeros a.......
Capachos muito bonitos e grandes a
Carriteis de retroz preto, com 2
oitavas a........
Agulheiros de osso enfeitados a, .
Libra de linha franceza superior
qaalidade a....... 20420
Ricas tonquinhas de fil para me-
ninos a
Bolinas de couro para mor
Caisas com ?gulha? do funde
donrado a
de tiras bordadas riiuito G-
a 500. 000. 800 o
1^800
700
640
240
200
20500
2'tO
UVA PURA
O Campos da ra do Imperador n. 28, de volta
de sua viagem Portugal, escolheu alli nm vinho
que se denomina VINHO DA BAIRRADA, proprio
para a estaco calmosa qu* estamos atravessando,
e para que chegue a TODOS tem resolvido ven-
de-lo a BOO rs. a garrafa, nesrao porque nao
muito difflcil beber do tal nf ciar, nma on duas
garrafas, nao s pela sna barateza como pela sua-
vidade de enguli-lo.
10000
B) i ''-rheura-tico.
Remedio effiv ss drc-s rheuma-
cae at boje o mal condecido pelos scus mar-
vilhosos repulir
XAROPE DE AGRIAO. um dos medicamen-
tos que sua efflraeia as enfermida es, tosse e
sanjue pela bocea, bronchites, dores e fraqueza
no incito, escrobuto e molestias de figado, qne me-
lhor tem aprovado.
TINTURA DE MARAPAMA. A celebre raix
de marapuama, cuja energa e eficacia as para-
ly?,ias, intorpecimento, etc. etc. muito seTecono-
meada.
Todos esses preparados se encontrara na pbar-
macia e drogara de Bartbolomen & C, nico de-
posito na ra larga do Rosario n. 34._________
Potassa da Russia
nova, chegada ltimamente, e nica existente no
mercado : vende-se na ra do Brnm n 80. No
mesmo arroazem vende se cal nova de Lisboa.
s.
para lim
Vende se a 30OO a libra : na ra Daqn
Caxias, loja de Gees & Basto?. ___
Para agik.
Canos de ferro galvanisados por fra a
por dentro, a venda por prego commodo,
nu armazem da Travessa do cotpo Sanio,
o. 28.______________;____________
Armuzpm dous irmaSs
DE
Tasto fos Comes Telicira
N 8-Rua da PenhaN. 8
Gaz a 320 rs. agarrafa e a (5J800 a lata, Arroz
superior a 100 re. a libra c a 34 a arrjba, p
novas a 400 rs. a libra, dem figos a fiO. vinho
Bordeanx S. Julien a 8WI a garrafa e a 6
a liSOOa1
Vidros de espelhos,
A E?peranca ra do Duque de Caxias n. 77
A, amiga do Queimado, acaba de reeeber nm
completo sortimento de vklros de espeiho, para
todos os tamanhos, deJ a 40 pollegadas. Na mes-
mi boje tambem se Unde diamantes para cerrar
vidros, tudo por barato preco. Ra do Duque de
Caiias n 77 A.__________________________
Vende-se um cavallo rudado, novo e sem
achaques, mnito gordo, andador de baixo a trteio,
na melhor forma ; na rna do Cotovellon. 25.
lata, radias fr
m c

u u|u uu iju<"
Vende-se as segaintes obras
Bonrgaln, 2 tomos encadernados por 4.
de Grasv, lernadoj por
itaenez e v y-versa, 2
ademado por
As Tr
4^000.
dar
que quizerem, dirijan*
grapt!
Na
1
revolver
te oji
brkean-
2^0i
1 Jem do celebre anlor Bert
Borracha

ATT
."lyajjrs



jQHMI
n
Vkh
Eslooi
as J^^^M
Dona
Dazia de patitos seguranca c
grande
Frascos 4 oleobabom muito fino.
Pacote* cea p>a de ama o sse-
Ihorqaehaa. ......
Nsvilhas imito fitas para bm
barba a....................
Caica de linha branc 4o gas a..
Vara de franjas de lidho para loa-
roag.......................
Calas cosa peonas d'aco de Perrj
aoperiores.................
Lencos de eassa braucos opiata-
dosa......................
Canas eem 20 quaderaos de papel
paulado .......
Cautas con 50 uovellos de linha
do gaz a.....,
Dnzias de meiae croas soperior
qoalidadea......
Pecas de tiras bordadascom 1 i
metros cada pees a 10500 e.
Pocas de fitas para eos de qoal-
quer Jirgura con 10 varas a.
Pecas de tranca lisas, brancas e
de corea a.......
Dazia de linha frbxa para borda-
do% a 400 rs. e.....
Pares de meias croas para me,"
nos diversos tamaahos a. .
Duzias de meias brancas maito
finas para senhora a. .
Pares de tapates de tranca 4o
Porto........
Pares de sapatos de tapete a. .
Dnzias de,baralhos para vultarete
Syiabarios portugaezes a. .
Cartoes com colxetes 2 carreras a
Abotoadnras para collete diversas
qualidades.......
Caixas com penna de ac omito
boa de 320 a......
Caixas com superiores obreias a.
Dazia de agulha para macnina a.
Libras de pregos franceses todos
os tamanhos a......
Pacote de papel com 20 quader-
nos...........
Re?ma de papel pautado superior
Resma de papel liso moitr supe-
rior a...........
AO
s opo
320
330 i
JOOO
500
460
800
100
700
400
3*600
20006
600
40
500
320
40500
20000
10500
30000
400
20
400
50C
40
20000
240
400
40000
30600
lAZiiirnii
A RU4fc IMEEATRIZ N. 60
Di
Os preprieta;
deposito que teem de
grande redcelo nos p
IMi!AH
BftfMge para
t 6a
portante ettbel
resolvers Uqai
mesmas, afim da

ita qoereodo diminuir o fraude
j nzosdo per, eoBsegninto w
_ vendeos per pre** ais
barato?, do que se eninl|r**m outra qualquer parte, por isso coquito* o fffptfta
vel publico-e assojwmerosos fNMUt** virem sortir-se em sea eiubelecimento,
certos de que encentrarlo pm vMiiao sortipeRt de^ceo4a>-Wfmue 4+ im
apralo gosto; aje* deu* grande sortjtnto ck epn* de-prime'Ta neeesddade,
tudo por procos amito coas modos, Mtfitmm os pj^rietarios adoptada -o Vftym *
s venderem a diobei o para peder rentar pelo costa. As pessoas que negocian
em pequea escala poderlo fasar eos scrtnientos nesta loja.e armaiejn, pelos mesnot
procos qae se compra as casa ingleses (portador*), m* <&#) #n j&is oea-
modidade das Eimas., fimitias st darlo u amostras de loaas-as. ideadas, on se Ibes
mandara le.-ar pelos caixeiros, em soas Mas para escolberem.
obj setos, prest ande-se grado
cero aue cftiuma recebara todoe, aflm da qoe
saibeM. coa s ira* pr*o*iw le vuiure oa
rnandarera a mes; a de
Recebe-as^eV 5 fciirrwva-ceperanj
twMh setora e mantoe, seado brancas
, Bioe, de pipare pMto-aMn branca, aNovalt
pammutrna+anre'
Cautas pera. oas,
anca recebe boas cajas de san.-
ftlQ para g
Fitas largas para cintos.
Recaen as t> maitas qua
ranfa,
- i Para extinguir panos oq sardas.
AirWaPraa^t8alta!torf(>rp.
Para ogir wiwHes.
Tem a Nos Eipe/anca a verdadeira nU ip-
glea
Para refrescar a pelle e aformoiia-a.
A Nova Esperapna roa- Duque de Ca*iai a. L
veuda vefdadara ajbioa sunca de |4-
ic4^^^H^^^HB< -se a bem-conhi
l ] Qu ano n. 8, onde sempre acharao abundancia
p. qualidades, modicidade enrprecos e o sea nanea "
dupr,
1 de seas castos no des
importancia,
lo mato
e novi
hora procorajid
cari aqu*
bem seja :
Cerpiohos de cambraia, primorosamente
enlatados com fitas de stim e obras essas
caja novidade de molde e perfeicSo de ador-
nos os tanuse apreciados.
Fitas psei largas 4e diversas e6res ene-
Udedes fart cmtos.
Leqnes oesse objecte muito se poderla
dizer querendo 4esereve-los minuciosamente
por soas qualidades, coree desenos, tal
ilMSSJSJH
SI SMMMS:
rveis, mi
mtntaa in!ldad>s afeva Eap-
novas msicas para piano.
Danse des negres do maestro Cazalbore.
Margsrida, linda sebottisch.
Urna folia a Roma, qnadrilba
LUNDUS
Dansas paraguayas.
t1 Habanera.
2* Lo negros.
3a Noites de Laqae.
ia Palomita paraguaya.
Tambem recebeu as segointes :
4. opera Guarany, e os melhorej ^edacos
da mesma para piano e piano e canto.
Qaadrilbas
Walsaa
E polkas
Qaadrilbas:
aisette.
Satn.
Jardim das Fadas.
Heroica.
Capenga, Careca 4C.
Iloraens do mar.
Javentade Commercial.
Rocambole.
Ponte do Diabo.
Tenente do Diabo.
Imperial marinbeiro.
A saltana como linda.
Independencia das senhoras.
0 Club X.
Regresso do conde d'Ea.
Ca minti de ferro.
Guarany.
Walsas:
Sonho da virgem.
Voluyel.
Dansa d'amor.
Ultimas walsas de umgdoidc.|
Anjo da meia noite.
Carnavalesca.
Gnarany.
Polkas :
Cabrio.
Gorgeio do sabia.
Belicosa.
Capenga nao forma.
Querida por todos.
A rival.
Por todos querida.
Zas Trz.
Palomita paraguaya.
Bismark.
Moreninba.
Surprexa.
Chora pitanga.
Gloria.
Guarany.
A venda no armazem de pianos e. msi-
cas doAzevedo, ra Nova n. 11, boje roa
do BarSo da Victoria.________________
lllval eem segando
Ra do Queimado numero 49.
Vende se borracha para limas, a melhor que
Siivel. a 3 a libra,
-a mmmmmmmm
' irande pechincha
1J Lindas bareges de 13a e seda lisas,
com listas e com flores pelo ba-
ratsimo preco de-400 re. o co-
vado, fazenda que se tem ven-
dido por maito maior preco
Na loja da Columnas, roa Primeiro
e 11. ,)o Crespo) b. ti, ie
i tai
CORTINADOS PARA CAMAS E JAWfit-
LaS A 80,100. 420, 160 B 1O00OO
No Bizar do Pave veode-ee um grs*de
ortimento dos melhores oriauim cerde-
aos para camas e janellas que se wMst
de 60 o par at 260. pechiacb* na raa da
ImperaUiz o 60 Bazar do P*|0,
DAMASCOS DE LA.
Vende m-se damascos de lia de wraa e
duas largaras oroprio p ra eolAas e cubrir
mesas por precos baratos, no Bazar ci
Pavao, roa da Imperatriz n. 60 de Perei-
ra da Silva & C.
Popelinas de seda s o Pavlo.
Recebemos uo dos mais brilbantes sor-
timentos das mais modernas e liadas pou/e-
lioas de seda e linho, com deticadissimos
padres, assentados na i mas midernas
cores, e vendem-se por menos do que em
outra qoalqner parte, no Bazar do Pavaj
un da inperatriz n. 60.
Sedas de listinhas a 20 o covado.
Vendem-se bonita? sedas de listinhas com
lindase me-Jemas cores, pelo barate pre?)
de 20 o covado, no Bazir do Pavio, ra
daloperatriz n. 60, de Peeira da Silva & C.
POU CELINAS DO JA PAO A 500 RS. 0
COVADO.
Cbegou para o Bazar do PavJo um grande
sorlitnento de bonitas poupelinas japme-
zas para vestidos,, sendo c:m palmas solta.-
e vende m-se a 500 r., o covado na ra
da imrerat;iz o. 60
LAZINdAS AMAZONAS COM PALMAS
DE SEDA A 800 RS,
Vende-se um elegante sortmento de 15a-
zinbas amazonas muitj liadas'e :omasmais
delicadas palmas de seca, tendo largara
de cbjla franceza, e com as cores mais
novas que tem vindo ao mercado, e l.qui-
dam-sa pelo barato preco de 800 rs, o co-
vado, no Bazar do PavSo a roa da Impera-
triz n. 6J de Pereira da Silva de C.
BAREGES DE QUADRINHOS A 560 RS.
Vende-se bomtos bareges largos, de qua-
drinhos con elegantes cores pelo barato
preco de 5rj0 rs o covado, no Bazar do
P..v i a ra da Imperad iz n. 60, de Per tira
rfs Silva a C.
LSazInbas modernas com lis-
tras e mselas de seda a GJO
rs. o covado.
Cheuou para o Basar do Pavao nm ele-
gante so tinento das mas modernas lia-
zinbis co i listras e mselas de seda.prc-
prias par vertidos, sendo fzenda de muita
pbaniasia, e liqcidam-se pelo barato preco
de 640 rs. o covado, pechincha, na ra
da Imperatriz n. 60 loja de Pereira da Sil-
va & C
MERINOS ESCOSSEZES A 80D RS. 0 CO-
VADO.
Vendem-se os mais modernos merinos es-
cossezes, proprios para vestidos e bornoos,
sendo neste artigo o melhor qae tem vindo
ao mercado, e liqjtdam-se pelo baratsi-
mo preco de 800 rs. o covado.
BAREGES ES:OSShZES A 400 RS. O
COVADO.
Vendern se bonitos bareges escossezes
com fies de seda pelo baratopreco de 400 rs.
o covado, para asabar.no Bazar do Paveo
a ra da Imperatriz n. 60.
Bareges transparentes a 530 rs. o covado.
Vendem-se lindos bareges transparentes
com bonitas listras para ve=liios, pelo ba-
rato preco de 500 rs. o covado, peehin
cha, ra da Imperatriz n. 60, Bazar do
Pavao, de Perpira da Silva C.
PIL DE CHE VRE A 500 RS. O COVADO.
Vende-se purissimo poli de cbevr com
as mais de'icadas cores para vestidos, tendo
escaras e alegres e secdi muito lustrosos
e liquidam-se a 500 rs. o covado, sendo
fazenda para muito mais dioheiro, isto no
Bazar do Pavao, roa di Imperatriz n. 60,
de Pereira da Silva & C.
Modernas llhzinbas com msela.d seda
400 rs. o covado.
No Bazar do P iSazinbas de urna j cor com msela de
seda, secdo fazenda de muita phantasia eli
qu:da-se pelo barato pre?o de 400 rs. o
covado, ra da Imperatriz n. 60, loja de
Pereira da Silva & C.
LINDAS AGBACIANNAS A 560 RS. O C
VADO.
Venih-se no Bizar do PavJo nm bonito
sort'mtutD das mais lindas a^rasianoas para
vestidos, tendo listras de seda, as quaes se
vendem pelo baraassimo prego de 560 rs.
o covado, sen Jo fazenda que vale muito
mais dinhe.ro, pechincha na ra da Impe-
ratriz n. 60, do Pereira da Silva d: C.
GAR1RALDINAS A 363 RS.
No Bazar do Pavao vende-se um elegante
sortlmtnt' das mais modernas e lindas i3a-
zinbas garibaldinas proprias para senhoras
e meninas-pelo barato preco de 360 rs. o
covado, sendo fazenda da muito mais di-
oheiro; pee jincha na roa da Imperatriz
n. 60.
Liazinhas transparentes a 320 rs.
No Bazar do Pavao vende-se um elegante
sortimeato de poopeiinas transparentes de
15a pira vest ios, sendo cor de lyrio, rosa
.roxo, azol, etc., liquida-se pelo b-
ie 320 rs. o covado, roa da
P Veisn no Bazar do Pavao um elegante
sortimeete das miis brimaetes poopeiinas
de la, tindo ae a largora de ebila fran-
ceza o com muito brllho, proprias para ves-
tidos, testo de todas as coree, e algumis
preprias para, lu j, g li^uidam-se pelo bara-
to frevO s 440 n, e co4io, sendo fazen-
da que vale 800 rs., pechincha na roa
da Impsrati iz n, 6d, oja e Bajar do Pa
vao d P^re.ifa > .5 Iva' C.
laas1ni.ias a ben01tqn a 400 rs. o
covado:
-Cbegou p;ra o Bazar do PavSo um gran-
de S)riinento da Iindissimas lazinoas
Benoiton com as cores mais lidas e mo-
dernas, sendo de urna s cor e tendo azul,
lyrio, violeta, paroila, rozo, ciozento e de
muito boa qjadade, que se vendem pelo
bara issim) piteo de um cruzado o cova-
do, por haver grande porcSo, se n5o seri.a
para muito mais dihheiro, isto na ra da
Imperatriz n. 60, lo,a de Pereira da Silva
de C
CRETONE FORTE PARA LENCES A 20
CADA METRO. '
Cbegou para o Basar do Pavo orna
grande p:rc5o de verdadeiro crtooe forte
para lences sendo muito encorpada e boi
fazenda com 10 palmos de largara sendo
preciso apenas para cada lencol m metro
e urna quarla ou um metro e meio, visto
que a largura da fazenda da o comprimen-
to do len; 1; grande pechincha a 20000 o
metro na ra da Imperatriz e. 60 loja de
Pereira da Silva & C.
OSBRAMANrES DO PAVO A 108:0E
20500.
Vende-se superior bramante de algodlo
com 10 palmos de largura, proprio para
'encaspeb barato prec) de 10800 rs di-
to de 1'mbi paro com a mesma largara a
20500, dio francez o mais superior qae
tem vindo ao mercado a 40 e 50000 rs. a
vara, isto ni ra da Imperatriz n. 60, loja
de Pereira da SHva & C.
CHALES PBETOS DE RENDA A 20OCO
Vendem-se chales pretos de renda com
4 pontas a 20000 rs. cada nm; grande
pechincha na roa da Imperatriz o. 60 loja
e Bazar do PavSo.
AS POUPELINAS DO PAVO A 20000 0
COVaDO.
Chegou para o Bazar do Pavo um elo-
gante sortimento de bonitas poupelinas de
linho e seda que se vendem a 20000 cada
covado, assim como seda de listinhas mui-
to bonitas covado 20000, grosdenaples e
selins de todas as cores qne se vendem
muiti em conta na ra da Imperatriz n. 60
aloj e Bazar de Pereira da Silva & C.
ALPACAS PRETAS COM LISTAS
BRANCAS.
Vende-se urna grande porcSo de alpacas
pretas com listras brancas proprias para
luto, pelo barato preco de 640 rs. o covado
e 15000 rs, no Bazar do Pavao, de Pereira
da Silva & C.
Perforarlas
As mSlhores, e do miis onheclilo fabricante,
laoto SraooM cerno gtei, esdo postas veis
oa roa Dttqse 4e Cujas n. 63, a Nova H-
ranea.
Extractos, banba, oteo, sabonetes, ajoas de co-
lonia, de iaraj, tienda e de -lvande, -etc, ek.,
iodo de suparor qualid?de : vaoderse oa Nova
Esperanza a roa Duque de Caxiae a. #3,
Agpfft tm !
e q wande qvaria,do sortimento que acaba
de e|ar, mas para nio ipassar o preten-
dente se me apresentarl o que poder de
tpwor.
Entremeiofl sm pecas de 12 tiras.
Gmpure brapco a pratp de diversas qua-
lidades e desenhos.
Ditos de algedio com flores e lisos.
Veos de seda para cbapelinas e monta^-
Meias de seda pan noivas.
Bitas abortas de ie de Escossia.
Costumes oa uniformes para meninos.
fWpvass completos par* bapisados.
oaquipnas de fil, sapatinhos bordados
e mejs para ditos.
Cami8inhas bordadas para ditos.
kNovaEsperanca, a ru Duque de Caxias n.
83, receban urn lindo sortimento de laa para bor-
dar, vindo as cores mais preoufadas, branca, pre-
19, escarale etc. etc. a ella entes que ae acabe t
Aos cigarreiros.
A Nova E>eransa vende papel para cigarros
(Mais) a 4*100 a caixinha barato 1_________
Capellas brancas para meninas.
Grande sormsme de florea finas.
Fil de seda preto.
FBWUMARIA
Grande consSirte eertioserte de irte
AtMrAJUlkiMllMsI.
Lindos ases com pos di arroz pinaH
Caixinbas com ditos aroaasieos.
Bonitos e modernos pentes dourados p
ra circular o coque.
Bonitos brJBoee deptaipio.
Adereces e brincos de msfSfirsi
Caivetes fines pare abrir latas.
Tbesof ras para frisar babadinhpf.
Aspas para bal*).
w
quaes alo movidS por u
urnas substituem as outras.
Vistas para stereescopos.
Bonitas caixinhu de viiro enfsitaief set
pedras.
Ditas da madeira envernisada cm vispe
ras e con dminos,
Bollas de bprraeba para brinquis {<
enancas.
Diversos objectos de porcelana, preprte
para enfeites de meu e de lapinhas.
NOTICIA
tito iioiiii iifflfli.
DE _________ ______
HOMTEIRO
Veio operar urna completa revoluqSo no artigo
Tinta para escrever.
MACHINAS PARA
COSTURA
Acabam de chegar ao GRANDE BAZAR
UNIVERSAL, raa Nova n. 22carneiro
viannaum completo sortimento de ma-
chi aas para costura, dos autores ma& co-
nhecidos, as quaes esto em expos_tc5o no
mesmo Bazar, garantindos-e a sua boa qua-
lidade, e tambem ensina-se com perfeigo
a todos os compradores. Estas machinas
sao iguaes no seu trabalbo ao de 30 costu-
reiras diariamente, e a sua perfeico tal
como da melhor costureira de Paris. Apre-
sentam-se trabalbos ejecutados pelas mes-
mas, que muito devem agradar aos preten-
dentes-.
LUTO BARATO, CASSAS PRETAS
A 240 RS,
Vende-se no Bazar do Pavo a raa da
Imperatrii n. 60, cassas pretas francezas
para luto por nao estarem bem pretas-
assim como chitas toda preta, porm tams
bem com defeito na cor, mas muito forte,
a 120 rs. o covado; pechincha de Pereira
da Silva & Comp.
CASSAS FRANCEZAS COVADO A 800 RS.
Vendem se cassas de cor verdadeira
mente francezas com delicados padres <
com desenhos niudos e graudos a 300 rs.
eada covado, ditas inglezas finas bonitas
200 e 2i0 rs.; pectiincha do Pavlo.
TABLATANAS LISTRAOAS PARA
PARTIDAS.
Chegou um elegante sortimento das mais
bonitas tarlatanas com listras, tendo de to-
das as cores,- sendo de muita phantasia e
Lmuito proprias para vestidos de baile e
vendem-se no Bazar do P.vo a roa d
Imperatriz n. 60.
PECAS DE MADAPOLO ENFESTADO
A 34000
Vendem-se pecas de madapolao enfes-
lado, francez com 11 metros a 3000 rs. a
peci; pe bincha no Razar do Pavao a ra
da Imperatriz n. 60.
CAZAQUNHOS E BASQUINAS DE SEDA
km 205 E ? 55000.
Chegou para o Bazar do Pav3o nm gran-
qe sortimento c"e ricas basquinas ou casa-
duinhos de seda pretos ricamente enfeita-
pos, sendo d(S mdeos mais m'demos que
tem vindo e vendem-se a 185, 205 e 255
na roa da Imperatriz n. 60 loja de Pe
reir da Silva .A C.
RICOS CHALES PRETOS COM FRANJAS
LARGAD.
Chegou para o Bazar do Pavo um gran
be sortimento dos melhores chales pretos
dordados a seda, com franjas muito largas
de retroz, e vendem-se muito em conta, na
ra da Imperatriz n. 60. Bazar do Pavlo.
b
No Bjz>r do Pavao venie-se veloaliuaa Iani0 pan forro como para guarnieses, proprios
de todas 83 cores a 500 res O COVado, do-[para salas, gabinetes, qna capellas e
ede
outras faseodas que
Canlieiros e gaz eco-
nmico
Acaba e chegar nova remessa dos tao desoja-
dos caadieiros todo de porcolaaa os quaes maito
se acommedam pela segaraoca, acceio e economa,
e anda pela excellente lu prefer vol mil veres ao
kerosene: venham antes qae se acabera, nnico
deposito da ra larga do Rosario n. 34, botica.
GAFE PURGATIVO
A' ESCAMONEA
De B,N Barral
Pharmaceutlco-cblmico
A ntilidade des porgantes nao soffre demons-
tra ;ao alguma ; a prescripcao diaria que deltas
fazem os mdicos e o aso anda mais frequente
feko pelo poblieo sao pro vas irrefragaveis tanto
como a qnantidade innameravel deste genero. S
falta aperfeicoar cada vei mais o modo de admi-
nistracao, de maneira qae conservando a sua ac-
cao, elles posara ser tomados sem repugnancia
nem asco e sobretodo sem receio neni perigo.
Huitos purgantes afamados s devem este boro
xito ao sea effolto intenso e excessivo. D'ahi o
pengo, porque irritagoes de estomago, inflamma-
cQes de enlranh is sao inevitavelmente o resalta-
do do sea emprego. Nada disso tem-se de recear
com o caf purgativo.
Tedos conbecem por experiencia o aroma sua-
ve e o efleito ligeiraraente tnico e excitante do
caf. Elle o melhor auxiliar dos porgantes dos
quaes disfarca o cheiro o sabor e ajada a accjto
sollicitando vagarosamente os movimentos peris-
tlticos de intestino, e prevenindo o sea effeito
muito intenso sebre o estomago. Misturado com
escamonea, facilita as evacuacoes com promptidio
e sem clicas, e tornase nm purgante brando,
certo, fcil a tomar e preferivel a todos os outros
salvo urna ndicacao especial da qual o medico
o nico juiz.
A innoenidade do caf purgativo permitte de
emprega-lo em todos es casos simples. Desper-
tando a atona do intestino e activando a secre-
?o deste, desiroe a dureza de ventre, as vento-
sidades, as flatuosidades e excita o appetite. Em-
pregado mais i miado, convennnte para eva
cuar com vagar a bilis e os humo, es viscosos e
e faz dessa maneira desapparecer a enxaqueca,
as dores de cabeca e prev os ataques de sangue
as pessoas que a estes sao predispostas.
MODO DE EMPItEGO.
E" to simples corno fcil. O cat purgativo
deve ser tomado fri, pare ou misturado com nm
pouco de leite fro assucarado, ou agua aasuca-
rada. O vidro inteiro a dos ordinaria para
um adulto ; duas coltures de caf bastara para
as senhoras e para toda e qualquer pessoa qae se
par facHmoate.
. ara as crancas de 8 i 10 airaos, a metade do
vidro suficiente ; de 5 a 8 afinos, ama colber
de caf, e a qoarta parte do vidro smente abai-
xo desta idade contra a gosma.
E' por is.4o d'uma administracio muito mais
fcil do qae es biscoatos, chocolates ou bolos
purgativos.
Da-se immediatamente depois leite quente as-
sucarado oq caldo leve, e duas oa tres cha venas
de cha preto oa de tilia.
nico deposito na pharmacia e drogara de
Barlholomen & C. : roa larga do Rosarlo n. 34.
a Ifailra
rnplo
(Loa
Nanea se vio um processo mais perfeito e que attinja ae tal forma a saiisraier u
exigencias mais severas da escripturacSo.
A sua cor lindfssima e nao precisa de cuidado algum para se conservar no
tinteiro smpre com a mesma cor, sem borra, crsta, bolr oa sem todas essas mazel-
las inherentes todas as tintas at agora conhecidas, ainda mesmo dos melhores autores
estrangeiros a
Sobretado, este estimavel producto nao ataca as peanas de ac, antes pelo con-
trario, a penna adqoire um esmalte dourado que, sendo interessante, asss proveitoso.
' Esta tinta, n5o sendo especialmente para copiar, d comtndo duas, tres ou mais
copias um mez depois de escripia; preciso, porm, deixar-lhe o papel bemmolhado
sem o enxrgar com o malta-borrao, porque nlo ha o risco de borrar. Para se tirar
mais de urna copia, n3o se agglomeram tantas folhas quantas copias se queVem tirar,
mas vae-se com o original tirando urna urna tantas quantas se desejam, sem que o
original fique prejudicado pelas extraccoes.
Occorre aqui dizer qae, para copiar importa muita intelligencia e habiudade, sem
o que a melhor tinta nSo satisfaz, e o defeito recae sempre sobre a tinta, qae maitas
vezes quem menos culpa, tem.
A dupla qualidade desta tinta extremamente apreciavel, pois que evita que
em qualquer escriptorio baja mais do que urna tinta para os diversos misteres.
Emquanto sua durabilidade, no ha a opp6r a menor duvida, pois que esta tinta
deDois de escripta soffre o choque de cidos fortissimos, sem se decompr; ora, se os
cidos n2o tem acc3o sobre ella, muito menos a accao do tempp a pode destruir: Uto
P aa8Mo s ao commercio que este meu producto veio ser til; os professores dos
collecios, investigando todos osmeios para o adiantamento dos seos discpulos, tem
aprSdo esta t.nta, que com razio a acharan apta para desenvolver o gosto nos
educandos em consequencia da belleza da cor efacilidade de correr na penna pela sos
liauidez Ha exemplos de criancas que havia muito tempo tinham ama repugnancia
extrema Dar a cripta, logo que foi ndmittida esta tinta no collegto, apoderou-se dellaa
a coriosidadeeo gosto, e pouco tempo depois o sea adiantamento era manifest.
Esta tinta par de tantas vantagens, tem nm onico inconveniente, deteriorare
ao contacto de oatra qualquer; convm pois t-la em tinteiros isentos do menor vi
bre de outra nU, e evitar escrever com a penna suja de ama preparado differe- ite e
incompativel; verificando isto, nio ha razio para se usar de unta que nio sept a YIOLE-
TAEXTBA-FINA DEMONTEIBO.
Observap.
Diversas falsificacoes e semelhancas tem apparecido, coja durabilidade davidoM.
Os Srs. compradores podem evitar o engao dirigindo-se casas cu-cumspectaa, e pedin-
do a tinta que eu fabrico _
^a. C Montero.
Borracha para limas
a Z# a libra
Vende-se da melhor qae existe no mercado,
pelo diminuto preco da 3*000 : na loja do Rober-
a, ros Noia n. ia.___________
fetro
jhmcha.
bauta novi
vende-se M ese
Superiores batatas
inglezas^
Em gigos frinceies
roaos A C.
^1
de Ti
Mel.
lg
>t&*M


Pernanibuco
[
i
ltl
i
i, roa
divkto-
_ Mw
5. 1.
Sol
***> (osstr ora ra
Noval a. 9.
Perfumaras, qninquilharias e brinquedos
para meninos.
importante sortimento dos artigos abaixo mencionados a
Acabara de enejar novas fatnraa cora
reoos mais resumido que possivel.
_ CAI.VVIM
Botinas, para senhorasduraqae branco, preto
4 otras natas eflree escoltadas do ultimo gos-
w> da moda.
Botinas para mea mas igual sortimento.
Sapatlnhos de salto para sehhora duraqae pre-
branco e de cores, e do couro de lustro.
anas paca criaocaa, proprias de baptisa-
Botinaa > diversas qaaiiaades para hornera.
Botas rusaianas para montara, tanto iogletas
de eooro da Russia para viagem, como francezas
Melier, beaarro fleo, para passeios.
Meias perneiras para meninos de 10 a 16 an-
ia.
Sapatos de brim branco para boraens.
Sapatos de vaqueta de lastro com sola de ma
?aira proprios para baahoa.
Sapatos de borracha para nomens e senhoras.
Sapatos abotinados, de differentes modelos, mui-
io bous e fortes para meninos e meninas.
Sapatos de tapete, avel(udados, Charlot, casi-
mira preta, de tranca portugueies, para homens,
wonoraa e meninas.
Perfumaras.
Extractos finos, feanhas, eosmeticos, leos, opla-
ua, aguas de Cologne em garrafas de crysul para
presentes, agua divina, agua florida, deatfrice la
nada, agua de toilet, tintnra para barba e cabel-
lo*, pomada hongroise para bigodes, pos de arroz
abneles, tudo isto de primeira qualidade, dos
fabricante Condray, Piver e Lnbin.
Qninquilharias
Lavas de pellica brancasJouvin.
Espelhos grandes dourados para salas, quartos
* caninetes.
beques para senboras e meninas.
Jolas de ouro, brincos, transelin?, pulseiras,
eotoes de puchos, de abertura, eorreDtes e chaves
le relogio, todo de ouro bom de le.
Brincos de plaqu imitaco do ouro.
Gorrentes para relogio.
. Abetoadnras para Golletes e para pnaos.
Albans de vedado e marroqu para retratos.
Mammadeiras de ridro para enancas.
Gaixinhas de costura, novos modelos com mn-
aiea, proprias para presentes.
Quadrinhos dourados para retratos.
Toacas e sapatinhos de la para enancas.
Gapeilas para noivas e para pastoras de pre-
epios
Caiihahas com vidros de augmeito para ver-
te em ponto grande a pfaotographta des retrato*.
Fes de vidro para pianos. .
Thesourinhas para eos .tira eonhas.
Bolelnhas de seda e de velado.
Ccsthihag para braco de meninas.
Balaios para costura.
Cesas d'arame praado para frotas e pao a
Bicos artigos de phaotasia neceasarloa para, toi-
Ihetes e proprios de presentes.
Jarros e bouquets de porcelana para santua-
rios.
Registro do papel flaomoi klicados.
Quadros proraptos para enllocar vistas.
Moldaras doaradas para quatres.
Estampas de bellas paysegens de cidades, do
liguras e de santos.
Espanadore* de penas e de palha.
Carteiras para Botas e para dinheiro.
Caixioha de msica de dar-se corda.
Ponteiras de espuma para cigarros charutos
Gravatas de seda pretas e de odre*.
Rngalas de cana com castes de marflra.
Bitas de baleia, junco e de multas qaadades.
Pentes naos de nurflm para caspas.
Escovas para lacio, para cabello para denles.
Lunetas on peuolner de prata dourada.
Ditos de tartaruga e de ac.
Oculos de prata dourada e de ac.
Reverbero transparente para caudieiros.
Ditos para lanteroas de pianos.
Cotos econmicos para vellas de spermacete.
Cordas para violao.
Porl-pratos para mesa.
Gaixinhas de diversos modelos e precos.
bjectos novos de mgicas o melbor possivel,
para divertir meninos.
Malas, saceos e boleas para viagens.
Estojos de viagens, completos com navaihas.
Esporas de metal branco para saltos.
Chicotes fortes com martello para viagem.
Ditos de muitos modelos, de junco e e baleias.
Luvas de io de Escocia brancas, e de cores.
Ditas de camurca amarellas.
Machinas para fazer caf.
Globos de papel de cures para illuralnacSes de
festas campestres.
Baldes de cores, de subir ao ar fcilmente.
Jocos de domin, da gloria, visporas, rodetes,
bagatela e outros jngos allemes.
Esterioscopos com as mais bonitas vistas, de
figuras destacadas e grupos de familias.
Armnicos ou accordims de todos os tamanhos
e novos modelos com tremlos.
Realejos pequeos com novas msicas.
Cosmoramas de varios tamanhos, com differen-
tes vistas mui pitorescas.
Mascaras para o carnaval.
Borracha fina para limas.
Brinquedos
0 maior sortimento que se pode desejar de toda
sorle de brinquedos fabricados, em diversos paizes
da Europa para entretemento das crianca?.
ItaaS 4a Can
AlkMmi8*4i44alhiu<4c.i na umsai
Bgfr de Deas n. 14.________'
ATTENCAO
Na roa do Vipariu n. 17, I) de funilelro ven
dem-se vidro. para Mdraca fndo*braneos e de
cores, e por teT grande qusntidade deste genero
vende por precos muito baratos, sendo bem acon-
dicionado, assim como tem folha de Flandres de
(odas as marras e variado sortimento de obras de
fclba, betume. estanhn eajroa-raz.'
3rt
AO CARNAVAL
GRANDE EXPOSICAO NUNCA VISTA
Substituido de obras velhas
por nova, mediante urna
pequea quantia.
O Jayme dirige-fe mti especialmente 4s Exm.*8 Sr.u
Substituir qnalquer ohjecto de caberlos, de cor differente 6 fura do uto, por on
oatro moderno, e com bina ve I a cor na la ral, sendo que com isto se despende poueo di*
ahro, F MUITO VANTAJOSO1
Deizar de despender 20, 30, 40 e 50,5000 em um coque crescente ou tranca mo-
derna, para somante dispar de 3, 5, 8 e 10^000 (no mximo) E' MUITO ECONMICO I
Exm." Sr." perait que vos confesse que a miaba divisa nao tem sido so o amon-
toamento de capitaes; timbro tambem, e sobretudo em adquirir a gloria pelo concert a
jue lace juz merecer, e, se por acaso tenhe cabido em algum desagrado, a ratio por.
VFNT11RIOS PARA O C1\AYIL,
O prepnetario daoja e armatem da Arara, estando em liqnidaeao de sna easa, e desmando
Iianldar todos os estuarios do velho dhrertimento do carnaval, resolve aier um abatimento de 3 O/O
em todos os vestanos somante para vender todos ste anuo, por iss convida ao respeitavel panuco
* w*r a graafe expesicaaque ha,que qaem nnoca goaen^eete antige4vertlmento peto nrec4os
vestwnosy nao deixara de o fazer.este anuo. !-*-'
Os prees vo assim declarados:
Vendem-se domines de cambraia de cor i|000.
Dminos de alpaca de.algodio 3000.
t Ditos de la de res fuOO.
Ditos de cambraia abordada fS|000.
Ditos de alpaca de II Una 6*000.
Dlles de seda branca 10*000.
Ditos de-seda fina.de cores 15000.
Ditos de velbntina de cures 10*000.
Vestuarios carcter de tarlaiana 10*000.
Ditos ditos Anos r2*O00.
Ditos ditos de seda ranea 20*000.
Ditos ditos de velbwina de core* 10*000.
Bonels para diversos vestuarios 2*090.
tiorros eofeitados de cores 2*000.
Por semefliaaies procos ninguem deixari de brincar esto anuo. Os amantes deste bello 4
verttaeano poderao dirigir-se
RA DA IMPCRATWZ
Lojfc e armazem da Arara n. 72.
trras que lanibem se dtvidem
e casas
Vende-se um terreno, qae tamben se retalha
para sitios, no lugar da estrada nova deBeberibe,
tendn 1,600 flalmos de frente, com os fundos at o
nacha Jacar, aoml tem em breve de passara
'loba forrea, contendo urna porfo de matas com
mwlp'iras de construccao, ou para ediflcaclo. Tara
bem.se vende duss cas;.s em Olinda bem edifica-
'as com bons cotmnodos, lendo grandes quintaes,
o a metatle de outra no pateo do tendernos enlenera se-cm Tristo FranciscoTcr-
re?. ia roa da Trinrhtira n. 48, 4^ andar.
CONFEITOS
D'iochiri to de potassio de L. Foucher.
Estes- nfciu^ te m a vanlagem de junto
maior exactfdo na dosagem ( 5 ccnleem urna
pamim a indnrein de putas-ii) nao !eem o sabor
diwgmdBVi das solncdea : sm < fcacla incon-
U'sUvel, pulque o n edijmenlo eliega ao esto-
mago *ero icr si ffrida iwBr slieracio, o que
marital veres acontree solurao pelo metal co-
llwr >iue serve |)-:ra a mpdif, a'crt tiestas a de
mui fcil ir^n-ji' re em viagem, eviaodo assim
a itucrrupro do medicamento : nico deposito
na pitarnuon americana de Fcrreira, Maia 4 C,
ra Dn|iie 'le CaxfS n. 57, amiga do Queimado.
B( rracha
Vndese borracha para fazer limas a 3*000 a
libra : na prata da Boa-viste n. 2.
Bom e barato*
Domingos da Costa Ferreira tem para vender
os melhores charetos da Babia, recebe de conta
propria de fabricantes acreditados nesta praca, e
olerece vanlagem ao comprador : quem pretender
dirjase a ra da Cruz n. 44, Ia andar, onde en-
costra sempre sortimento, o qne b neste genero
de melhor.
*So ha mala cabellos branco
Tintura japone a.
S e nica approvada pelas as academias dt
setencia, reconhecida superior a toda que tem ap-
parectdo al boje. Deposito principal roa da
3adeia do Recife n. 31, f andar, era ledas as bo-
ticas e casa de cabelleireiro.
Coffre de ferro
A! prova de fogo
Roa da Cadeia n. 6. Rodrigues & Irmio.
Vendem um excellente ccffre de ferro, por pre
co muito barato. *
Bazar universal
Roa Xot u. 2*
Acaba de chegar a este estabelecimento um n-
quissimo sortimento dos seguintes artigos : trans
prenles de madeira com paisa gens e simples para
portea e janellas, venesiauas pintadas de verde,
camas de ferro de todos os tamanhos e qualidades,
grande variado sertimento de machinas de eos
tura de todos os autores, ditas para lavar roupa,
ditas para aier manteiga, ditas para fazer caf,
ditas para moer milho, ditas para descarocar algo-
dao.; bem como outros muitos artigos que deve-
rao-gradar a todas as pessoas que vierero visitar
este estabelecimento, o qual se acha aberto desde
as 6 -horas da manbaa at as 9 da noite : na roa
Nova n. 22, loja de Caraeiro Vianna.
Sirope peitoral de James.
Coico legalroente habilitado pelo conselho de
sande, ensaiado e aprovado nos hospitaes : nico
deposito na pbarmacia americana de Ferreira,
Maia 4 C, roa-Doque de Caxias n. 57, (antiga
do -Queimado.
Pechincha
Veode-se a ersa terrea n.'109 da ra Direlta { a
tratar na ra da Peana n. 7, cartorio do registro
Sral das bypotieeas, com Francisco de Paula
metra Leio Jtoaior.
diversos autores, o qae melhor vera i eeie mer-
cado, vellas stearias i 640 rs. o mas cola-
tes de Ilp00alf800 a libra, b sopa
(ineperfellamente stih-iiir- a i. rn
denominada Jutinna, verdaXra farinba awwriev
na a 320 rs. a Wbra a dita de BteajiHiaa a 6*00 a
sacca, tai'i jos do ultimo vapor a 2*800, dito* da
llha a 880 rs. a libra, ditos pr de Moka
e multo o oros gneros dos mais novo* e do mdHr
que ha no mercado por prefnimitBaete redoli-
dos ne grande armatero
Jimt aotldns.
Veade se cemento de Porltend
porta da ijlfatdega, armatem n. 4.
defroat dav
A28 a libra
Borracha para linas.
A malhor que ha tte mercado a 9* a libra, pre-
go que ninguem vend : ta rtua Doqne de Caan
n. 49, toja do Trincho-______________________
Yende-se
urna easa terrea sita ra Imperial d. 127 : a
tratar na ra das Once Fontw n. !.
Chapeos tle u:anilha
Na prc.a da Independencia, lulas n. S, 34 e 31
ventfe-se chapeos e manilha Anos com peque-
as manchas, pelo barato pr?co de 7*000 e 8*
rs.; a elfes antes qne se acaben.
0 verdadeiro porUand : s se rendo a
nu da Madre de Dens n. 22, armazenr de
Joao Martina de Barros.
Agencia em rernambuco
Do Dr. Ayer
Peitoral de Cereja
Cora a phthysica e todas as molestias do peito.
afsa parrtlba
Cura Diteras e chapas antigaav-lmpigens e dar-
los.
Tontee
Conserva e Iimpa os cabellos.
Plalas catbartlcas.
Pnramonte vegetaes sem mercurio; cora se.
idea, porgao e purifican) lodo o systcma humano.
Vende-se aflictivamente em casa de Samuel P.
lohnston & C ra da Senzalla Nova n. 42.
Vende-se um balcao de amarello com volta, bas-
tanto grande : a tratar na roa DireRa n. 50.
Vende-se a casa terrea n. 11 a ra do oito
de Amparo, em Olinda. com excellentes commo-
dos : a tratar na roa Mrquez de O..oda n. 40,
1" andar.
---------
Taberna.
Vende-se a taberna sita a roa Imperial n. J7,
com algn fundos, tendo a casa 1 sala, 2 qoar-
tos, cosinha fra, grande qaintal, cacimba com
boa agua para gaste, e 1 grande sotao com 1 sala
e dous quartos tendo jmila para a ra : tra-
tar no patea da ribeira de S. Jos a. 7.
= VeDde?e o engenho Todos os Santos, na
freguezla de Ipojnca, om boa casa de vivenda,
obra nova de pedra e cal, forno para cozmhar for-
mas, 2 casas de bagaco, estribara, casa de fari-
nba, com terreno para safrejar 3,000 pes de as-
sucar annualmente em boas varzeas, me com
agua, tem boas maltas, com muita madeira de
construccao, a urna legr>a distante do parto de
embarque : quem e pretender dirjase casa n.
1 da ra nova de Santa Rita, ou ao engenho Pin-
dobinha da referida freguezia : a tratar com An-
tonio da Bocha Vieira Cimba.
Vende-se a taberna sita ra do3 Guarara-
pes n. 10, bem afregueuda tanto para a prafa
como para o mato, a qual se acha com poneos
fundos e est livre e desembaracada : quem a
pretender dirija-fe mesma, que se dir o motivo
da venda ao comprador.
para limas a 2J a libra
Na ra do Bario da Victoria n. 63, outr'ora
Nova.
2.
LISTA GERAL
I 2
a
DOS PREMIOS DA A. PARTE DAS LOTERAS CONCEDIDA POR LE PROVINCIAL N. 63ft, A BEIfFiao DA IRMANDAOB DE SANTA ANNA DA MADRE DE DOS, EXTRAHIDA EM 13 DE FEVERBIRO DE 7f.
16. PRE6.
* *
5
If
11 -
Iff -
18 -
SI -
28 -
37 -
U -
8 -
88 -
88
58 -
68
U -
73 -
78 -
81 -t
83
87
W -
* -
110
*H -
14 -
18 -
Iff -
-
m

3 -,
34 _
U -m
88 _
53
NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS.
U
m
84
33
201
5
8
!i
19
32
33
38
38
41
47
63
84
87
61 4004
6*
71
88
98
97
98
308
17
19
3*
31
34
37
4|
47
49
32
88
8
396
97
401
14
16
19
23
27
30
38
33
30
42
4B
iff
56

07
m
70
71
73
78
7
80
81
83
88
93
98
888
10
18
JO
$9
31
H
39
43
46
48
61
6*
10*
MI
6*
594 *
604
10
34 5:000*-
38 6*
40 -
41
49
m -
86 -
61
63
88
70
79
93
98
701
2
3
5
13
n
26
31
33
34
35
49
81
69
65
79
87
88
95
200*
6*
NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS.
97
800
8
ii
19
408
22
24
27
31
33
38
39
54
55
58
87
89
66
68"
70
75
76
82
88
99
91
99
M
95
908
6
8
ti
17
9i
99
35
39
40
49
48
40
53
57
61
84
78
61
m
6*
1
-
986
93
99
1003
16
18
93
17
28
35
43
46
50
53
60
61
67
68
76
m-
90
110
18
28
30
31
37
44
88
5
W-
68
69
71
86
87
89
1302
13
18
19
30
33
41
SMS. NS. 1
6#r m
87
61
62
79
80
85
86
88
99
100* 1310
6* 11
. 13
14
- 15
99
17
30
36
. 3
. 40
42
' 43
44
-~ 48
, 47
T! i 54
56
- 80
- tu
,""* , 83
64
T~- 88
-* 71
84
83
! - i 94
99
, 99
1403
. 15
11
- , 21
26
20*
6*
20*
40*
6*
1904
6*
10*
6*
Nft. PREMS.
1430
51
32
54
55
65
86
89
90
92
94
96
9
1563
5
7
9
17
27
99
34
41
44
46
89
57
58
99.
65
6*
10*
6*
20*
6*
1665
76
78.
83
84
85
91
98
93
1707
16
19
17
Iff
25
35
36
31
98
41
48
aff
69
73
76
81
99
18^ NS. P
6jh 1892
98
97
1900
1
7
48
27
34
41
43
~~ 43
49-
6*
40*
6*
w "-! 9ff
m T- 1914
85 900* 16
86 6* . .90
8 *-e * 33
98-v r^" - 38}
4609 44V
49 99* 44
14 9 48
16 8*
9* 99* 87
15 * 61
37 m
*3 ~- n
*z 73 38 81
99*
A
99*
49r
51
55
58
84
65.
88
67
7*
74
83
88
86
93
96
97
2004
7
9
12
18
22
99
94
97
31
34
3
47
10*
9*

NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS.
6* 3101 8* 2513 8* 2727 64
67 2301 14 30
71 3 20 39 ^^
75 * 6 26 _ 40
76 14 40* 39 p4 41
82- 15 8* 40 __ 44
84 17 44 4 i^U
90. 23 41 _ 50
2100 31 64 _ 51
4 38 66 _ 53
9 39 68 _ 69, ' r^lm
li -*- 46 70 M, i 76.
13 48 76 __ 85
14 53 78 __ 90 .
19 67 84 . 98 .^
20 - 6 86 pm 93 . _
11 16* 61 88 _ 94
25 6* 64 1604 m. 94 m
33 10* 68 20* 11 a 90 mm
3 6* 74 6*. 11 . 9919 ^
40 79 16 _ 21
44 85 1 0tm 31 1
49 87 37 ^mm 37
4* 88 3 47
47 10* 99 3 * 44 "
62 6* 2400 4 * 58 "" 1
89 4 41 wm 53
74 18 44 +m 54 M
77 24 49* 54 81 99*
85 87 8* 60 84 6*
w. r; 53 - 48 m, 48
94 - 57- 78 ... 91 _
96 59 82 , 96
1307 98. 83 _ 98
14 10*. 63 86 _ 2901 m
14 6* 69 94 M*. 7 8*
18 - 70. 98 _ 10
34 76 -v 97 u -r
34 78 1701 17
41 ti* 96 8 19
50 99 ^. 3 "- 30
55 1501 . 40* 7 31
58 4 6* 11 34
63 ~
9* - r ,
6*
2937
59
75
77
83
91
91
93
94
97*
99
3002
3
41

13
33
36
41
52.
53
- 6* _
67
714
80
94
83
19
94
r*8
3|O0
7

Si.
9
99
26
97
34
35
36
-
W*
6*
3147
58
54
62
69-
74
77
79
89
89
99
3217
31
40
43
44
44
49
51
57
54
9,
64
88
78
- 91
98
49;.
8888
6
4.
14
17
19,
44
64
9
61

11
10*
13
W.
iPaam


> -"^VC*^.***.
/'fe
u
5
contra o bombardeamen-
^entan-
tes fla Fraof Q exercito
prusiano bombarda a capital d>
oHMMio civilisad- trege a ama vio-
lencia injostrflcav 'overuo iulgou do
seo dever caractehar essa ia no
protesto, coja copia vos peco que trausmit
taes ao ministro dos negocios estrangeiros
do gotera, junto do qual estaes acredi
Udo
Recebei, etc.Pars, 9 de Janeiro.
(liiignado) Julio Faore.
Repblica francesa.Governo da defe-
aa Baciooal Denunciamos aos gabinetes
europeas, i opiniio publica do mundo, o
trata raen to qoe o exercito prassiano ousa
infligir cidade de Pars.
< Ha quatro mezes qoe elle investio esta
grande capital, e tem captivos os seos dous
milboes e quatrocentos mil habitantes. Li-
songeava-se de os reader em poacos dias.
Gontava com a sedieio e o temor. Falban-
do estes auxiliares, appellon para a fome.
i Tendo strprendido a cidade sitiad*
privada de exercito, de soccorro e mesmo
de guardas nacionaes organisado?, pode a
seo bel-prazer rodea-la de trabalhos formi -
daveis, cheios de bateras que vomitara a
morte a oilo kilmetros de distancia.
c Entrincheirado por detraz dessas mu-
ralbas, o exercito prussiano repellio as offen-
sivas da gairnifo. Depois comecou a
bombardear alguns fortes.
Pars conservou-se firme. Ent3o ssm
advertencia previa, o exercito prussiano di-
rigi contra a cidade os projectis enormes
que com o concurso das suas terriveis ma-
chinas da guerra, podem cbegar a duas le-
guas de distancia.
c Ha quatro das que esta \iolencia est
em via de execuco. A noite passada, mais
de 2,000 bombas cabiram nos bairros de
Monirouge, Grenelle, Auteuil, Passy, S.
Jacqnes e S. Germain.
t Parece que forana dirigidas de proposi
to sobre os hospitaes, ambulancias, pruocs,
escolas e igrejas. Chancas e malberes fo-
ram esmagadas nOs seus leitos. No Val de
Grace, ara doente foi morto e outrs frri-
dos. Estas victimas inoffensivas sao mime
rosas e nao Ibes foi dado meio algum para
se garantirem cottra este aggravo inespe
rado.
As leis da moral condemnam-o alta-
mente, e quaficam-o justamente de crime
de morte perpetrado fra da necessidade
das leis da tuerra. Ora, estas necessida-
des nunca exigiram o bombardeamento dos
ed Ocios privados, a matanca dos cidados
pacficos, a destruirlo dos hospitaes e
asylos.
O soffrimento e a fraqueza sempre en-
contraram compaixio perante a torca, e
quando a nao desarmam. desbonram-n'a.
As regras militares sio conformes com
estes grandes principios de humanidade.
< E' de uso, diz o autor mais acreditado
nesta materia, o sitiante annunciar, quando
isto lhe possivel, a sua intenso de bom-
bardear a praca. afim de que os n3o com-
btanles, e especialmente a3 mulheres e
chancas, possam affastar-se e por se em
segoranca.
t Pode comtudo ser necessario sorpren-
der o inimigo, para tomar a po*ic"o rpida-
mente, e nesse caso a denuncia do bombar-
deamento n3o constituir urna violceo das
leis da guerra. O commentador deste texto
accrescenta:
Este uso partence s leis da guerra,
quo orna Iota entre dous estados e nao
entre particulares. Poupar o mais po;svd
estes ltimos, eis o carcter distincli-vo da
guerra civilisada. Por isso, para proteger
os grandes centros da populado contra os
perigos i)a guerra, saoWles declarados, as
mais das vezes, cidales abertas. Mesmo
com respeito s pravas fortes, a humanida-
de exige que os habitantes sejam preveni-
dos no momento da abertura do fogo, todas
as vezes que as operares militares o per-
mittam. >
t Aqoi n3o possivel haver duvida. O
bombardeamento infligido a Pars nao o
preliminar de orna acc5o militar. E' urna
devastaco framente meditada, systematca-
mente execatada, que nao tem outro flffl
sen5o semear o terror no seio da popula
ci civil, por meio do incendio e do assas-
sinio.
t Estava reservada Prassia esta inqua-
lificavel empreza contra a capital que taas
o os alga i
por este violenci.
torcas para comba vergonba
da in
-sig-
nadla ag0
Julio pa.
gs, Julio Stmon, > Pelletan.
0 membros du governo da defensa,
nacional esbb >ra Burdeos, declataa
adherir ao pr nntra o bom-
bardeamento de Paris, que f i asignado
pelos seos collegas.
Brdeos, 13 de Janeiro de 4871.
Uo Gambetta, Ad. Cremirux, Glais Bizoin,
L. Fourichon.

O general Faidherbe dirigi ao exercito
do norte a seguate proclamado :
Soldados IE' qm dever imperioso
para o vosso general fazer-vos justica pa-
rante os vossos concidadJos. Podis estar
satisfeitos porque bem raerecstes da pa-
tria. Os que n5o virara o que tendes soffri-
do, nao poder5o jamis imagini-Io. E n3o
temos que accusar niuguem destes sofl-
menlos, porque s (oram motivados pelas
circunstancias. Em menos do espaco de
om mez tendes pelejado era tres batalhss
contra um inimigo quera teme a Europa
mteira. Tende-lhe feito resistencia, ven-
do-o muitas vezes recusr na vossa frente.
< Provasles que niio invencivel e que
a derrota da Franca foi occasionada pela
inepcia de um governo absoluto. Os Prus-
shnos oncontraram em jovens toldados, ape-
nas vestidos de uniforme, e as gaardas na-
c naes, adversarios capazes de vncelos.
Que recolbam os vossos despojos e se van-
glonem disso nos seus boletas, pouco im-
porta. Estes famosos aprisionaderes deca-
ntares nao so atreveram todava a approxi-
nnr-se do urna das vossas bateras. Honra
vos seja!
Ides repousar alguns dias, e depois os
que juraram arruinar a Franca vos encon-
IrarSo de p em frente delles.
*
A parte que o general Chausy envin ao
ministro da guerra sobre batlha de Mans
Ci ncebida nos seguintes termos:
Mans, H de janeiro.Deu-se hojea
batalha de Mans. O inimigo atacou-nos em
toda a linba.
t O general Jaureguiberry sustentou-se
slidamente na margena direita do Huisne.
* O general de C lomb combateu duran-
te seis horas com encaroicamento na espla-
nada de Amours.
O general Gougeard, que teve o seu
cavallo feriJo por seis balas, mostroa o
maior vigor, e as tropas da Bretanha contri-
buirn! poderosamente para conservar esta
po.ico importante:
Annqnciei ao general Gougeard a sua
noraearo de commendalor.
Apezar dos esforfos do inimigo, pode-
mos sustentar nos abaixo de Chaog, na es-
trada de Parign-l'Eveque.
t Passamos a noite em tndas as nossas
posicSes, excepeo da de Tuilerie, aban
donada em consequencia de um ataque ten-
tado pelo inimigo ao anoitecer,^
Fizemos prisioneiros cujo numero ig-
noro. Estes calculara o total das forjas
prussianas empenbadas na accao ou de re-
serva em 180 000 homens.
O combale na cesseu senSo ao anoi-
tecer.
Sei que dous dos meus coronis estao
gravemente feridos. Supponho que soffre-
raos perdas sensiveis, mas as do inimigo
tambem foram erneis.
t O mesmo general Ghau-y diz mais o
sejiulnte n'uma outra prticipac5o enviada
ao ministro da guerra :
Mans, 10 de Janeiro Os exercitos do
principe Carlos e o do gram-duque de
Mecklemburgo redobraram hoje de estorbes
nos seus ataques sobre Huisne e o sudoes-
te de Mans. Acossadas por todos os lados,
as nossas columnas tiveram de retirar para
as nossas posc5es definitivas que se Ihes ti-
nba de ante-mo designado:
t A acejio foi das mais vivas em Mont-
fort, Champagne, Perign l'Eveque, Juppelle
e Cbang. Neste ultimo* i;onlo a brigada
Rebel, depois de urna viva resistencia de
seis horas, teve que abandonar a aldea ao
inimigo, que a ocenpa desd a noite.
Soffremos hoje perdas sensiveis, porm
as do inimigo foram maiores, segundo a
conflssSo dos priioneiros que fizemos em
diversos pontos; a nossa fuzilaria caosou-
Ihes mu tos mohos e ferid.s; de urna bri
,000 feitos'e
isnoa.
FOLHETIH
OWARTYRIODEUMAMaI
poa
Henri Coascience
vm
(Continiaco do n. 35)
A senbora de Bruinsteen comecou a
acreditar que Mathias fra justo na apre-
ciagao da goverotote. Se os actos della'
fossem t5o enrgicos como as spss palavras
era certo que o destino trooxera Ors-
dael a pessoa precisamente capar de secun-
dar os mais ntimos desejos da condessa,
porqoanto da va mostras de tanta amabHt-
dade e avidez, qoe para cbegar ao apete-
cido fim no teria a deter-se. com qualqoer
escrupolo. .
Receobeco agora a sua elevada ratel
ligenciaissa a condessa animadamente.
Creta poder confiar na sua dedicac3o
Approvo a escolta do mea mbrdomo ou
pelo manos arcceiUM i contento. Verei se
desempenha o sea lagar como en o com-
prebendo. No fltn de orto dias estar de-
cidida a sna estabilidade em Orsdael, que
depende do modo como pozer em pratica
as ideas qoe expendea.
iradeco-lbe do intimo d'alma, minha
senbora,-acudi a viava na maior alegra
a certa qoe farei impossiveis para
Comeca desde hoje o meo
fnico?
tas por agora seb-
;orac5
4,000 feitos era Woetfr.
5,000 em Wissembur
4,00 "^1
e.OO^thira batalba dada por Mac-Mahon.
,000 ao p de Thionville.
2,000 a oeste de Metz.
4,000 em GraveJolte.
900 em Vitry-le-Francals.
10,000 em Beaumont.
7,000 ao p dan.
30,000 dem.
87,000 em Sedan.
2,000 em Sceaax.
2,000 roda de Paris.
2,300 em Tool.
17,000 era Strasburgo.
200 n'uma sortida de Pars.
300 diante de Pars.
6C0 em Remy.
2 000 em Orleans.
4O00 em Sossoos.
lOOo'oma sortida do Monte-Valeriano.
2,400 em Schlestadt.
173,000 em Metz.
1,200 em S. Dkiw. !
300 era Gray.
70 em Bretanary.
5,0 O em Nenf-Brisach.
4,000 em Thionville.
2,000 na Fre.
8.000 n'uma, sortida de Pars.
3,00) dant9 de Paris.
1,000 ao p de Orleans.
10,000 em Orleans.
150 ptrto de Meong-sor-Loire.
15,000 dame de Orleans.
1,000 entre Menng e Beaugency.
1,500 em Beangency.
900 em l'halsborgo.
3,000 em Montmdy.
230 em Ardenay.
1,000 n'uma sortida de Paris.
1,000 em Amiens.
,000 em Molieres.
590 na margem esquerd do Sena.
250 em Bapaume.
250 feitos pelo general Manteo fiel.
300 em Rocroi.
200 feitos por Werder.
700 em Dangotin.
1,000 para alm de Ahbenay.
600 em Villiers-Sexel.
15,000 seguedo os telegrammas de boje.
Somnv-.doe esies algarismos, nos quaes
ha certamente muito exagero, achamos qne
est3o actualmente na Allemanha 451,2J0
phsioneiros francezes.
A' proposito dos seis navios inglezes
que os Prussianos melteram a pique do
Sena, diz o Shipping Gacette o seguinte :
Parece que estes navios descim a Se-
na, depois de lerem descarregado, qaaodo
os Prussianos os metralbaram, nao com o
fim de molstalos, mas pana que parassem.
O coramandante prussiano enviou inderani-
sagSes a dous capites dos referidos vasos,
e os outros parece que recebero tambem
as indemnisacoes estipuladas pelo cnsul in-
glez eral Duc'.air. E' falso que as bagagens
fossem destruidas -Foram levadas para
trra, e os navios mettido inmediatamente
a pique para interceptar a passagem. Tal
a historia deste faoto.
Os capites protestaram contra a perda
dos seus navios, e o governo de S. M. bri-
tnica, procede j as necessarias diligen-
cias.
Acerca do accordo qae parece formar-se
entre a Austria e a Prussia, curiosa a se-
guinte circular de Bismark:
< J tendes coohecimento dos tratados
entre a confederado da Alemanba do Norte
e os estados allemaes do sul, que foram as-
signados em Versamos.
N3o s em considerago paz de Praga,
que estabelcceu o accordo da Prassia e do
imperio austro-huogaro a respeito da trans-
formacao poltica de Allemanha, mes tambem
com o desejo de manter cem-o poderoso
imperio amigo, nosso visirabo, Beiaces que
corresponda tanto ro nosso ptssado com-
mum, como ao sentimento e necessidades de
um e ootro povo, jnlgo deven expor ao go-
verno austro hngaro o ponto de vista em
qae se colloca o governo de S. M. o rei
nesta nova phase de reeonslituico da Al-
lemanha.
c No tratado de paz de 23 de agosto de
* a roaiuacao nos
govemos, porque ne-
atantes poda
la concluslo
Quero dizer que impresso lhe cau-
sou o seu carcter. Acbou-o um homem
amavel ?... Parece que franse a testa, .e
Entao nai o acbou assira ?
Custar-me-hia dizer alguraa coasa
desagradavel relativamente ao seu mordo-
mo,'porm a senbora ordenadme franqueza.
Falle ; mando que seja franrja. Elle
n3o perfeito, mas tem o qaer que seja
de insinuante.
N3o podemos exigir-lhe responsabili-
dade de faltas que a natureza Ibe impoz
responden Martba, simulando indifferenQa.
Quanto ao seu raerecimento, deve ser irre-
prebensivel, visto que merece a confianca
de t3o digna fidalga ; o que, porm, in-
negavel qae ha n'elle-um nao sei que que'
me impressionou desagradavelmente.
-^ Ah I sim ?. 'Mas que ser Isso en-
t3o?
Custa-me dizd-lo ; todava, para pou-
par ora criado, nao deve desobedecer-se -
ama : esse dfeito, senhora, aingratid3o.
Parece-me qoe o Sr. Mathias erguea mu
alto o clo, e que nao tem pela senbora o1
respeHo devido.
-* Ah 1 entSo j percebeo isso ? Infame I
rtfomungon a condessa, cerrando os po-
naos furiosa.E lalvex mesmo lhe dissesse
le os meas principios nSo foraw de fi-
lalgi...
Ah I minha senbora, tambem se pode
oascer pobre e cabir-se na indigencia; por
oatra : nobreza desangue nem sempre sig-
nifica nobreza de coracao. Aquellff que se
eleva por sens prO'prios merecimentos
mais digno de louvor do que quena se acba
na prosperidade sera para isso ter contri-
buido.
a 13o soblimemen:
I
ama m
Que frialdade do mos t Parecem
geladas t Custa- a crer, com oxalor qoefazl
Ah I senhora, redarguio a viuva
confusamente isto k devido alegra,
commeoao proveniente do reconhecimento
para com a sua generosa recepcSo I Acba
isto extraordinario ? Pois sempre assim
fui : o excesso da satisfacSo faz-me err-
pallidecer e resfriar; emqoanto qoe o pe-
zar me acelera o sangos, fazendo-me corar.
A condessa pedera suppor que aquelle
fro era'o effeito do horror e odio qae ella
inspirava i nova governante. Efieeti va-
mente, quando a senhora de Bruinsteen
ihe tornea a meo em signal de amizade, este
nico contacto bastara para fazer re-
fluir o sangae rpidamente ao coraeio da
m5i horrorisada. -Este mesmo phenomeno
magntico de via ter actuado o espirito da
condessa, porqoanto esta ficoa um instante
absorta nos seus pensameijtos e Martba
teve qae redobrar de plano estratgico
para dissimnlar aquella impresso.
E* singolar Idisse a condessa.Pa-
rece que sent gelar-se-me o coracao I
Mas t&d fallemos mais n'isse. Versava a
nossa conversa-sobre o mordomo : niara-
vitba-me saber que a sua pbysioaomia hy-
pocrita e ademanes simolados nio conse-
guiram illudi-la. Acautelle-se-com elte
om falso e perverso, qae desojara domi-
nar o mondo todo, cometando por mim, se
eu o nio fizesse todos os dias entrar nos
seus deveres. Fique entendendo qoe nio
convm ter intimidades com Alte, alias n3o
se conservar no palacio.
- escasado a advertencia, minha se-
nhoraacudi Martba:Tal bomem-inspi-
ra-me sentimento mui diverso da estima. A
ana boodade, minba senbora, toca o extre-
mo, e. visto qae o mo carcter d'elle se
u meus ollios, permitta-me que
i itx difi %m do aeo caso...
jdws; idMe amargaoMpte,
iraast do sul, sobre a forma das
saas slagoes enlre si tador allemaes
do sul, pela sua parte, abstiveraiu-se de rea-
lisar esse pensamento da paz de Praga.
Quant s Was ra'.aQSes nacionaes com a Al-
lejttapbj) do Norte, previstas pelo tratado,
procuraram estabeloce-las prime i. o sob a
forma da oniad aduaaeira e dos tratados
mutuos de garanta.
< Exceda os clculos humanos prever,
qoe esses primeiros accordos, sob a pressSo
do poderoso desonvolvimento que o ataque
imprevisto da parte da Franca deu a-i sen-
timento nacional allamio, devessem achar a
sua terminacSo nos tratados de uniio cons-
titucional celebrados boje e na creacio de
orna aova confederado aliemS. NSo poda
nem devia a Allemanha do Norie embarazar
nem repellir esse desenvolvimenlo que n3o
tinha provocado, mas que nascia da historia
e do espirito do povo allemao.
Pelas communicacQes que V. Exc, nos
tem feito estamos segaros qae governo
imperial e real austro-nungaro n3o espera
nem deseja qae as dsposicSes da paz de
Praga sejam um obstculo para o fecundo
desenvolv me uto dos estados allemaes, seas
,vsinhos.
O governo imperial considera a forma
nova qae vai tomar a constituyo poltica
da Allemanha com a justa confianca de que
todos os membros da nova confederacao al
lema, e em particular o rei, nosso augusto
amo, esloanimados do desojo de mrater e
estreitar cora o imperio austro hngaro,
nosso visinbo, as araigaviis relaces qae ira
p5em aos dous paizes os interesses communs
e os vnculos da sua exislencia iratellectual
e econmica. Os governos confederados
teem pela sua parte a confianca de que esse
mesmo desejo tem a onarchia austro-hn-
gara.
A satbfac5o pro*ima das tendencias o
das necessidades do povo allera3o sob o ponto
de vista nacional, segurar ao desenvolvi-
mento ulterior da Allemanha urna estabili-
dade e ama seguranea que toda a Europa o
em particular os estados m'ssos visinhos,
podem ver nao s sem inquietac3o, mas com
satisfafSo. O livre desenvolvimenlo dos in-
teresses materiaes que unem os paizes e os
povos por lagos t3o mltiplos, exercero so-
bre as nossas- relaces polticas urna benfi-
ca influencia. A Allemanha e a Aastha-Hun-
gria olbar-se-hSo d'ora avante com mutua be-
nevolencia e apertar-se-h3o as m2os no.inte-
resse do bemestare da prosperidade dos
dous paizes.
Rogo a V. Exc. o favor de-ler o presen-,
te despacho ao chanceller imperial e de dei-
xar*lbe copia*Bismark,
POSSIVEL. 1NVAS0 DE INGLATERRA.
A Libert publica o seguinte artigo :
< O Times, libertando se por um da da
influenciado Sr. de Bismarck, acaba de pu-
blicar um ah-go, que se pode considerar
como o primeiro castigo infligido Ingla-
terra pela sua conducta ha quatro mezes a
esta parte. Basta ex4rahir d'elle oparagra.
pho segninte:
a Em Berlina come em Versailles, o as-
sumpto mais dvorito da coaversacao a
invase-da Inglaterra, as probabilidades do
resultaio e os meios] de execoo. N3o
imagiraem os ingjezes qae o espirito dos
estratgicos prussianos esteja-completamen-
te oceupado peles fraccewo ou pela guer-
ra era trra.
* Que se pensara, entre, nos, d'umaida
nao menos gigantesca do que urna ponte de
barcos de Calan a Dotavres ou suas vizin-
hancas, nao sraente coraomeio deam pri-
meiro desembarque, mas para mandar re-
forcos a um pequeo exercito que teria j
ebegado. e que seria protegido por obras
de campanha ? Do estreito far-se-hia como
qpe um rio immenso, e peDsa-fe que nm
exercito, um vez pissado, pode viver ad-
miravelmente bem por meta de requisados.
< verdade que seriara necessarias mu-
Qices; mas nao" ha. praca forte para impe-
dir ama marcha de- quatro dias sobre Lon-
dres. Qaal seria o aspecto das berdades
e povoaces do condado de Kent, ebeias de
enormes-goerreiros, de voz rude, e de ca-*
pacetes encimados de dardos ? Que dizer
de cmaras reptectas de soldados ou di fe-
ridos, de quintas transformadas era caser-
nas, de igrejas mudadas em civaIIaricas ?
Eu nao quereria jamis, por um ex-
cesso de generosidade, estar na dependen-
ca dos meas criados..
Da eerto ; isso nao pode ser pro-
seguio a eondessa, com azedome.
Elle imagina qae a senhora nao pode
passar sem os seos servicos, e, para fallar-
mos com franqaeza, devo diaer que as
suas palavras tendem a fazer persuadir os
mal intencionados de qoe a sua autoridade
aqui se funda em urna causa incgnita.
Em orna causa iacognita I Que sig-
nifica isso.?-^bradou a condessa, sciotillan-
do-lhe os olbos.
Martba, prevendo a explos3o, pode sup-
portar-lhe o olhar sem denbnciar a saacon-
fas3o e proseguio:
Ah I minba senbora, os seus mere-
cimentos lornam-a digna de urna boa sorte,
mas da saa excessiva bondade resulta Ibe
um triste-viver. Aqaella injusta aprecia'
Cao magoa-me de veras, -porque lhe sed
sinceramente dedicada.
- A* tal respeno nem mais urna palavra
'acadio i condessa, podo-se de p.
Mathias era criado do mea defunto marido
anda antes ds mea casamento ; apezar do
sea activo.genio, prestou nos servicos que
en nao posad esqnecer. Bis a nica razio
drminba excessiu indulgencia para com
elle. Martba, estou contente seu res-
peito ; resta-me ver se se mostra igualmen-
te hbil pera cora minha filha. Siga-me i
vou acompanba-la l cima.
Pois val pessoalmente apresentar me
menina ? Ob I minha senhora, que ama-
bilidadepara com a sua bnmilde serva
- Vamos ; de camibo dir-lhe-hei o
modo porque deve conduiir-se para com fe
ioaea.
IX
Sahiram da tala. De tempo lempo a
ccsessa arar Martba para Ibe ii
_
vUfa 3r*M wais pira.
iraos podenm oppor.
rico Carlos tinha mais de quatrocentos em
Orleans.
' Q pingardas ha de precUSo de
atra para dar milicia e
ser subm
allemSes e ser resolvii ^rqoe
no homem ha muito do tigre, que se torna
mais favos quando provou o sangue.
A Ioglaterra eslava preparada para
esta revelacSo do Tifas eslava preparada,
porque a Inglaterra j sabia, em vista dos
documentos e das confissSes mesmo do Sr.
de Bismark em om momento daexpansio,
porqaem 6s Eslados-Unidos foram convida
dos a fazer revivar a questSo do Mabama e a
suscitar pretengoes sobre o Canad.
' E mais que certo que togo qae a Prus-
sia esttja proropta para um desembarque
em Ioglaterra as difflcaldades se tornarao
mais graves com os Estado3-Qidos, e que
as popalaces indianas do Oriente recome-
Carao ama guerra de independencia.
< Segando a opiniSo desenvolvida por
Mr. Tbiers na sua Historia do Consulado e
do Imperio, o desembarque em Inglaterra
do exercito de Bolonhs teria sido fcil com
outro almiraate que n3o fosse Villeneove,
e no entanto que immensa superioridade
martima tinha entad a Inglaterra, superio-
ridade que nenbuma nac5o, apezar dos maio-
res esforcos e de despezas illimitadas,
poda alcancar nem em ara quarto de sculo.
Mas desde a invenc3o do vapore dis
esquadras couracadas, quando estao orada
dos todos os elementos do poder martimo
e do tempo da sna construcc3ol
< Nao vimos durante a guerra da Crimea.
a industria particular fornecer Inglaterra
urna caobonai a de duzentis quatrocen-
tas toae(adas por dia, cora a competente
machina tambem fabricada rpidamente era
outro estabelecimento ?
O duque de Wellington recommenda-
va sem cessar aos seas compatriotas e prin-
cipalmente no ultimo periodo da sua vida,
que estivessem acautelados conira ama in-
vasSo.
* Lord Palmeraton tinha sem cessar
aquelle perigo presente ao espirito e com-
tudo n3o hevia previsto a irropcad da Eu-
ropa por aquelle poder formidavel que dei
xa fazer reviver as tradices da barbara
nao respailando nem os tra'ados nem o
direito das gentes, nem a independencia
e a fortuna das nacoes.
c E' verdade o Times- foi bem informa lo
e os officiaes allemaes nao dissiraolam o de-
sejo de desembarcar na-Inglaterra Nos acam-
pamentos fallase da presa immensa que all
encontrara cada soldado, e o orgolho nacio-
nal exalta-se coma idea de execotar urna
invasSo qae o imperador NapoleSo nao pode
effeciuar.
c Estes sonhos de orgalho e das fanfar-
ronadas des allemaes sero irrealisaveis,
emqoanto a- Franca' fr urna grande po-
tencia.
Mas se ella suecumbir ao numero, sea
Inglaterra nao organisar a colligacao europea
da paz, da independencia dos povos os in-
glezes reccnhecerlo por experiencia qnal
o procedimento brbaro dos prussianos
na guerra e de que modo os seis canhoes
e bayonetas tratam o direito das gentes, os
principios mais elementares-da humanidade.
< Morticinio, bombardeamento, incendio,
saque, violaces, ultrajes, humilhac5es,
depredases, isto que espera a importan
t9 cidade de Londres bem como todos os
mais ricos- e florescentes condados da Ingla
trra.
< A Prassia dispe de um mho e du-
zentos mil soldados. Se se assenhoreasse
da esquadra da Franca e da Hollanda po-
deria faeilmente por tempo sereno torear a
linha dedefeza da Inglaterra e desembar-
car all: quatrocentos ou quinhentos mil
homens.
< Urna s palavr da Ioglaterra, am s
esforce-pde conjurar agoratedo9 estes pe-
rigos.
< Mais tarde es maiores esforcos, oa
mais terriveis sacrificios nao conseguiran
talvee preserva-la.

Eis a exposieSo que precedeu o decre-
to ordenando a eoaisso de cem- milboes de
pecetas, em bilbetes do tbsouro de Hes-
paaha :
c Senhor. Ao realisar urna parte da
emissSo dos bimetes autorisada pela lei de
31 de deeerabro, o ministro abaixo assigna
do jolga dever expr as rasoes que impelli-
ram o governo a propr, nos termos por-
que o faz, a medida que tem a honra de
o seu servico, e explicava-lhe tambem mi
nudosamente o modo, pelo qual se devia
conduzir para com a louca, afim de con-
servar-se em Orsdael e obter afina! o pre
mi de seus servicos.
O coracao d'aqtiella m3i sentio-se pene-
trado da mais revoltanto indignacio quando
a condessa Ibe deseoorio as combinaces
artificiosas ardidas as trovas da saa per-
versa ~ alma para perturbar o espirito da
joven e extinguir o ultimo raio de luz n'a-
qoeUe dbil cerebro. NSo se deviam diri-
gir pobre chanca senSo raras palavras ;
e sempre acres e duras ; devia punir-se
sem piedade o menor signal de impaciencia
n3p Ibe permittir o goso do ar livre senio
raras vezes ; vigia-la rigorosamente, sem
com todo, lhe fazer companhia no abarlo ;
o3o (De testemuuhar jamis affeicao nem
d; fallar-lh respeito do inferno, dos
demonios, dos espectros e do fog eterno,
saturando-lhe assim a alma de um terror
exasperado por perigos sobrenaturaes.
Nunca se lhe devia couservar no quarto
candieiro ou' casticat acceso, \ mas sim faze->
a permanecer na esebridioe isolamento.
A condessa de Broinsteen n3o lhe disse
estas cousas claramente, mas deu-as a en-
tender, justificando ao mesmo lempo as pre-
caocOea tomadas, ora com o perigo qoe
poderla resultar da apresetacSo da filha
louca na sooiedade, ora pela necessidade d
lhe soflocar as ms inclinaces e tendeo
cas rebeldes, e por ultima pelo receio de
que, n'am accesso de perversidade, ella
lancasse fogo ao palacio para se vingar de
sua innocente mi.
Ao principio senlio Martha am suor fro
binhar-lhe a fronte, mas a ennomaracSod'a-
qnella serie de crueldades, hbilmente di-
rigidas, prodozo-lhe afina! urna reaccio.
tlomecou a nutrir ama certa volnpluosida-
de com a idea da Iota qae ia ter com os
racues ut
conhecidas e
satisfaclo do^H
ter
ira
Por sso, e en
lar a parce! I; bes de pace-
i que se limita a en jar,
istro abaixo assignado teve em coma,
porque esse o sea dever, nao s o estado
actual do erario, mas tambem as conside-
racoes devidas ao orcamento futuro. 08
bilbetes do tbasoaro, pelos juros qoe ten,
e pela amdrtisacao que se Ibes marca, 99o
valoree qoe devem cotocar-se con grande
facilidade ; mas que por estas mesmas con-
dicae podem cbegar a ser om grvame
consideravel, e um perigo para o futuro, sa
saa emissio sa nio proceder com o m-
ximo cuidado. E?ta dopia eoosfderacio
obriga a reduzir a parcella a orna quantia
jae possa pagarse com os joros marcados
no orcamento actual para a divida flaetoante
e qae n3o seja gravosa para o prximo or-
camento que as cortes aisda n5o dif cutirn.
t Debaixo do primeiro aspecto, e posto
que o governo dispooha anda de 6^00:000
pecetas par juros da divida flaetoante, o
os que ha de satisfazer pelos bilbetes do
thesouro s se elevan a 5, nada se sobra-
carrega o orcamento da despeza; antes
pelo contrario, se as necessidades do tb-
souro exigirem ainda qoe se augmente esta
parcella a 25 milboes, ainda assim ment
se poderiam cobrir os jaros com os actuaos
recorsos.
Debaixo do seguodo aspecto, teve de-
limitar a emisso ao absolutamente in lispen-
savel para ebegar reunan das novas cor-
tes, as quaes apresentar os metas de at-
tender ao dficit faloro, abrigando a espe-
ranca de que, meiborado o estado da fazen-
da, os recursos de que possa dispr o paie
permittirao attender s operacoes do thez
souro com menor sacrificio da-qoe b< je s-
v obrigado a fazer.
A parcella, pois, de 239.336,891 pece-
tas, que abrange a autorisac3o concedida ao
governo, nao ser emiltida antea da reamlo
das cortes, se as circomstancias extraordina-
rias, que lodo ornando tem rnteresse em
conjurar, nio vier destruir os rendimeatos
do tbesooro, e por em perigo a marcha dos
negocios pblicos. Se nio sobre vier tal
accidente, o governo pode offerecer ao-paiz
a garanta de qae a emissSo de bilbetes
n3o exceder de melada da somma votada
pelas cortes, o de que ao apresentar-se no-
vamente perante o parlamento, poder't ter
disponivel a outra- metade d'esse-recurso,
que sosera necessario empregar se a re-
presentacio nacional n3o resolver antes- de
comeoar a regr o- novo orcamento as dlffi-
caldades de ama fazenda sobrecarregada
pelo dficit.
Expostas as razes que determinan a
parcella da emisso de notas, o governo teve
outras de diversas ndoles para a desienaco
dos effeitos pblicos-qae admitte em paga-
mento. Ante ludo-, a como os biftetes se
crearam para cobrir o dficit do remenlo,
claro est que para todos aquelles creditas
liquidados, e que esli representados por
documentos de valor fixo, era preferivel dar
aos possuidores bilbetes em pagamento, do
que raze-lo indirectamente por meta de om
contracto que prodozisse fondos sufficientes
para, satisfazer os, crditos. Eite systema
evita alm disso os gravamos que linba de
soffrer o estado aofazer urna negociacio de
bilbetes que lhe proporcionasse-era metal
a somma necessaria para cobrir- as obriga-
Ceado thesouro.
t-Por esla razSo o governo admitte todos
os eoupons veneidos da divida do estado,
e alm disso os bonds do thesouro;. em
urna palavra, todos os effeitos da divida pu-
blica pendentes de pagamento. E se nao
incloio tambem as quaniias que deve por
amortisac3o de effeitos pblicos, foi,.nio s
porque estas amortisagoes reclamam uiqa
prompta medida, mas porqu o pagamento
desses crditos, attenta a quantidade a que
se elevam, pode fazer-se com os recursos
ordinarios do thesouro. Poderiam tambem
ter-se admittido, porque sao dividas liqui-
das, as livrancas de obras publicas ; mas o
governo teve presente, para o nio fazer,
urna considerac3o da mais alta importancia.
(Continuar-se-ha).
deveria sabir triumpbante, arrebatando fi-
nalmente a infeliz victima das garras dos al-
gozes. E' verdade que n3o sabia ainda co-
mo cbegar esse resaltado, porm, ainda
assim, sorria-lhe tagueira esta valorosa
idea, a qaal lhe dea coragem para conti-
nuar a fiogir-se e a armar citadas saa
inimiga, sem deixar conbecer a intensidada
da tormenta qne Ibe ia na alma.
ao entraren* no aposento da governante.
onde se achavam as malas, disse-lhe a con-
dessa :
E' este 0 quarto que bave oceupar
habitual mente. Deseja rei qoe nio v para
junto da tonca senio qoando fr indispensa-
vel, isto de manba para lhe arranjar o
qnarto a pressa, e s horas da comfda para
Ih'a subministrar. Desde o momento da
saa admissio nenhum ootro criado se deve-
r approximar d'ella. Da, cosinha Iba
virad aqui trazar o sea alimento e o d'ella.
L mais para diante convm que orna
ou oatra vez saia a passeiar com ella para
que o mundo a veja, mas prohibo que falle
qoalquer pessoa estranba. Em todo o
caso, dar-lhe-bei opportunamaate as preci-
sas instrueces.
Martha qoasi nio oovia o que a con-
dessa dissera. As vezes ioterrompia-a com
dm sim macbinal, porque interiormente s
pensava na Iota horr.vel que ia travar, lem-
brando-se de qoe a felicidade de soa filha
dependa da sna firmeza de carcter; po-
rm se Ibe fallecessem as torcas, se suc-
cunblsse ao peso violento da ausencia ma-
ternal, aos impul
amor? Mis
o corado de ama
simulaco infle
natureza h^^^^^^^^^^^^^^^^^^H
segmr lamo, ioorreu-ae i OnaipatviLii
Divina, c
I


j
oppre
ranea pertinaz d'essa batalla de que i- po BlAl
^H&->-?&&% Y^tK^KttK^BKtt^


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E5RHIB7OY_R9YDQ0 INGEST_TIME 2013-09-13T23:52:14Z PACKAGE AA00011611_12312
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES