Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:12298


This item is only available as the following downloads:


Full Text
/

:* *,*..
!-:***.
-~- -11 -*
Mfe
aen

*<
M-NO XLVI. NUMERO 294

V
PARA A CAPITAL E LUGARES OJfDE IA0 SE PACA PORTE.
Por tres eres adianUdos.................. 60000
Por seis ditos idem.............,..... 120000
Por um anno idem...................". 24000
Cada mumero avalso.........,......... 320
QBTA FE1RA 'lt DE DEZEMBRO DE 1870.
PARA DENTRO E FOtfA DA PROYUCIA.
Por tres mezes adianUdos.........*.......' 647Cf
Por seis ditos idem.................... 13*500
Por nove ditos idem .................... 20025 >
Por nm anno idem............ ........ 27000
Propriedade de Manoel Figiieira de Faria & Filhos.
SAO ACEITES:
Os Srs. Gerardo Antonio Alves & Filhos, no Para ; Goncalves & Pinto, no MaranhSo ; Joaqnim Jos de Oliveira, no Cear ; Anjwio de Lemo Braga, no Aracaty ; JoSo Mara Julio Chayes, no Assu ; Antonio Marqws da Silva, no Natol; Jos Juitino
Pereira d'AImeida, em Mamangaape; Antonio Alexandrino de Lima, na Parabyba ; Antonio Jos Gomes, na Vita da Penba; Belarmino dos Santos Buleao, em Santo Ant3o; Domingos Jos da Costa Braga,
em Nazareth ; Franeisco Tavares da Costa, era Alagoas ; Dr. Jos Martins Arni, na Bahia ; e Jos Ribeiro Gasparinho no Rio de Janeiro.
PARTE OFFICIAL
Crenlo da provine!;
RtfMBttTK DO tu ii db ^7.K\nir.) l- 1370.
Actos:
Para o couselho da julgamento, a que vai
-er subineltio o soldado do corpo de polica Joo
Avelioo d. Silva pelo crian de iusubordinacao e
amaga nomeio :
Presideiitf1.
(i majjir Juo Francisco da Cuoha.
Auditor.
<> Jr. promotor publico da capital.
Vogaes.
Tenente Francisco de Siqueira Cavalcante.
Dito ajudaot Miguel Nunes de Freita?.
Uferes Pergenino de Miranda Pimeatel.
Dito Flix Antonio de Alcntara.
Idem Francisco Pereira Lagos.
Cxpediram-se as necessarias communcac5es.
O presidente da provincia, conormaodo-se
coa a proposta do Or. ehefe de polica em ofleio
da hontm soh n. 1686, resolve conceder a cxone
radia, que pedio o alferes Jannario Leitao da Cos-
a Machado, do cargo de subdelegado da Ireguezia
Je Maricela, do termo de lguarat.
O presidente da provincia, conformando-sc
com a proposta doDr. cliefe de polica m cilicio
.le 2t do corrate sob n. 1686, resolve nomear o
cidadao Francisco Leitao da Costa Machado para o
cargo de subdelegado da fresuezia de Maneota do
.Mito de Iguarase, e para 2 supplente do mesmo
>|ue se acha vago, o cidadao Agripino de Souza
l.-o.
O presi.lente da provincia, conformando-se
oin a proposla do Dr. c'n?e da polica de 21 do
rorrente ,-ob n. 1683, resolve conceder a exonera-
.-o, que pedio o cidadao Joo de Aa&ia da Silva
l'eixoto, do eargo ae subdelegado de i distrielo do
ti rmo do Ex.
O presidente da provincia, conformando-se
coa a propo.-ta do Dr,. chele de polica em oflcio
de 21 do crreme sob n. 1683, resolve noraear o
idadao Coroelio Carlos Peixolu de Alencar Filho
para o cargo de subdelegado do 2' disiriclo do
i rmo do Ex.
Comrauuicou-se ao chefe de polica.
O presidente da provincia, tomando em con-
<>deracao o que requoreu o professor publico Mar-
iino Antonio Xavier, e em vista da informaco
prestada em B do corrente sob n. 381, pelo direc-
tor geral da instrucco publica, resolve declarar
sem effeito a portarla de 6 de outubro ultimo, re-
rouvendo-o da cadena de instrueco primaria da
villa ilngazeira para a da povoacao da S. Jos
daquelle municipio, e mandar que continu a tor
exereicio na era que so achava.
I'izerara-se as necesarias communicaj's.
O presidente di provincia, resolve conceder
.. cxoneraeo, que pedio Almiuio Alves Affe-nso do
cargo de repetidor interino do Gymnasio Provin-
al.
Frffldinra -trt as convenientes comronnici-
i inicios: ,
Ao vigsri capitotar, afim de q>ie informe ^c
i. est convenientemente provida a freguszia de
> sa Sonhora da- I) ifes. creada na povoa-ao de
U-Verde pe i tal n. 930 de 2 de Junto do cor-
rente anno. ,. .,
Ao Exm. presiden!; do Maranhao, solicitan-
,11 a expedica d-i suas ordens para qua cora bre-
vidado s^ja enviada a guia do senleuciado Antonio
Carlos Tiberio, >ue foi remettido para esla cidide
p ;lo commandante do presidio de Fernando de
Vjrooha por declarar haver cumprido a pena, que
Ihe foi imposta pelo jurv da capital dessa provin-
cia, e nao existir naquelle presidio a mencionada
v'uia. ..
Ao Dr. chefe de polica, approvando a dol-
b rarao, que tomn de mandar o dolegado do ter-
mo do Ouricurv dispensar a Antonio Estolano Ma-
ra Seixaa do traumento doj desval los aneciados
; febrea, e declarando para os fins convenientes,
me o referid i S is sera pago fomente cbs servi-
;oa prestados depoia da au!cris.rao da jiresidencia
. II de outubro nltifflO.
Ao in-pector da thesouraria de lazenda trans-
id Itiaso, para os fin- conveniente?, duas orden-
ip. duplcala, expedidas pHa reparttcao do aja-
daafe C'-nera! ^ob ns. 71i e 748. .
Ao inspector da thcourara provincial, au-
torisando-o no? trraos de saa informado, a pro-
r>?ar at 30 de oobj do anno vindouro o contra-
10 celebrado com o bacbarel JoaqoimJos Parreira
Itocha Jnior para o fornecimento do ?u-tnto dos
presos pobres da casa de detensn, attenta a van-
m, que .c d ne-;a medida por sojeilar-seo
vncionado bacharel a receber a importancia do
tjrnecimento no sigundo semestre do actual exer-
, se for In-uEDciente a re?pectiva quo'.a, quan
.1. a assembla legislativa provincial votar o ne-
c --ario ere lito.
Ao mesme. recomraendando que, com prefe
rancia, mande curaprir a ordera de "A de novem-
liro ultimo, pela qua! determinou-se que base en-
tregue a Francisco Paeifleo do Amaral um cont
.1-' reis por conta daconsi-nacao votada no art. 13
.1.. lei do orcamenlo vigente para auxilio da ira-
Ao mesmo, mandando adiantar, em vista de
tvjuisicao do tcnenle-coronel commindante do
,rpo de polica, tres mezes de vencimen'.os para
nm subalterno e lo prajas destacados em Villa
I! Ha, um dito em commis^ao e 13 pragas tambem
destacadas em Aguas-Bellas; um subalterno e 1/
pravas em destacamento no termo do Bniqne; nm
. fficial e 18 praras em Flores ; um oflliial em
enm Tlssao e outro destacado com 11 pracas em
S Bento; bem eorao nm mez tmente para ntn
.-Ifsres e 12 pracas destacados em Pao d'Alho, tudo
a miar do Io doste mez.
Ao mesrao, para pagar ao subdelegado do
districto da Boa-Viagem, ou ao seu procurador, a
.pima de 10, emque importa o alugnel de dous
mezes, vencidos em noverabro ultimo, da casa que
all serve da qoartel ao respectivo destiea-
mwto.
Communcou-3e ao chefe de polica.
Ao prefeito do hospicio da Penha, recom-
nnndando que, de conformidade com o aviso do
ministerio da agricultura, commercio e obras pu-
blicas de 12 do corrente, faca segu r pa-a a pro-
vincia do Para, com deslino ao presidio de Santa
M,ria dJ Araguaya, o religioso capuchmho Miguel
Angelo de Aracjo Palerrao, a quera nesta data
mandou-sc abonar a quaniia de 100*. como ajnda
<1> cusi; e dar transporte para aquella provincia
no vapor da eompanhia Brasileira, que vai partir
|.,raonorte.
Fez se o necessario expediente.
Ao juiz de direito da comarca de Flores, de-
clarando que j se expedio ordem, aflm de segnir
pan o interior da provincia um destacamento vo-
lante, composto de 50 pracas, um tenente e dous
alferes, sob o caminando de nm capitao, o qnal
le intirnccoes para demorarse nessa comarca e
aitender as necessidades da policia local, de accor-
i i com as autoridades competentes, visto nao ser
posaivel por ora providenciar-se de outra maneira;
h que a presidencia aguarda parlicipacoes ulte-
Ao mesmo para que providencie, como for
de direito, acerca dos objecios, constantes da re-
lacio junta, os qaaes deixou o fallecido sentencia-
do de usiica da provincia do Rio de Janeiro, Tilo-
ma/. Vicente de Carvalho, natural de Portugal, c
acham so em deposito no presidio de Fernando de
Noronha.
Ao chefe da reparticao &i obras publicas,
dzendo que a empreza da esgoto e asseio d'esta
cidada dere ir reparando o calcamento, propor-
cao quo for concluindo os sjus trabalh' parcraes.
nao no lim de todos elles, e por nao cumpre que
seja intimada repor no seu amigo estado as mas
por oude tiver feilo e3cavacoes dentro do prazo
que Ihe for marcado.
Ao commandante do corpo de policia, auto-
risandoo engajamento dos paizanos Januario Jos
de Magalhaes, Pedro Antonio Semeao e Joaquira
Hodrigues da Silva, se forera idneos.
Portaras :
A empreza de trilhos urbanos do Recife
Apipucos, dizendo ser fra de duvida que a pre-
sidencia, tendo direito, pelo 3o do art. 6" do con-
tracto de 30 de dezembro de 1803, duas passa-
gens em cada viagem, pJe lvremenle dispr d'el-
las sera restriccao ; mas que no iotuito de regular
a concesso dos respectivos passes, lem resolvido
que os expedidos, em lavor de particulares ?6 te-
nham vigor at o (ira do corrente mez, cumprindo
que o senhor gerente declare qual o numero dr
viagens diarias de ida e volta para se providenciar
cerno convier.
Idntico, tnutalis muiandis empreza dos trilhos
urbanos do Recite linda.
A cmara municipal do Limoeiro, recom-
mendando a expedcao de suas ordens, para que,
de conformidade com a lei, n. 387, de 19 de agosto
de 18i6, e mais disposicoas em vigor, s proced
na primeira dominga do mez de fevereiro vindouro
eleico de vareadores para o novo municipio do
Bou Jardim, creado pela lei n. 922, de 19 de
maij do corronte anno.
Aos agentes da eompanhia brasileira de pa-
quete!, mandando dar passagem no vapor Tochh-
lins at a prorincia do Para, por conta do minis-
terio da guerra ao soldado do 3o batalhao de arti-
Diaria a p Miguel Francolino de S. Miguel.
Ilentica, mu'.atis mutand'S, ;erca dos grume-
tes do corpo da armada Jos Pedro, Zacharias Jo-
s dos Santos e Joo Jos Bayranudo, que perten-
cendo guarnico do transporte de guerra Vassi
non, seguera para a corle por conta do ministerio
Ja marnha.
Expediram-se as necessarias communicacoes.
Daspachos:
Abaixo assignsdo- encarregados de ajardinar a
praea do Conde de Eu da fregueza da Boavi>td.
Bivalidera os reqnerimentos.
Almino Alvares AITonso.Passe portara na for
ma requerida.
Bacbarel Alfredo Affonso Ferreira.Prove que
est deente, corao allega.
Alexandre da Silva Lima Vieira.Mi ha que
deferir.
Antonio Cypriano da Silva Fragoso.Informo o
Sr. inspector da ilip-ouraria provincial.
Barao do Livrnmentp.loerme o Sr. engenheiro
chefe da reparticao das obras publicas.
Francisco Pacifico do Amaral.A'tbesouraria
provincial coro oflcio d'esta data.
Francisco de Barros Silva.Informe o Sr. Dr.
chefe de policia.
Guimares & Oliveira.Informe o Sr. inspector para sangrar e picar o seu gado, e bem asaim
da thesouraria provincial.
Jos Henrique TrindaJe Deferido com a por-
tara d'esta data.
Joaquim Antonio Rodrigues Sobrinho.Informe
o Sr. inspector da thesouraria de fazenda.
Capitao Raymundo Pereira Lima.Selle a po-
tigo.
EXPEDIENTE DO SECRETARIO.
Ofco:
Aos agentes da eompanhia brasileira d^ paque-
tes, declarando, de ordem da presidencia, que
pode.n fazer seguir para os porlos do norte o va-
por Tocantins amanha hora indicada em sea
offleo.
Hepar^o da policia.
2.a secjao.Secretaria da policia da provincia
de Pernambuco, 27 de dezembro de 1870.
N. 1717.Ilim. e Exm. Sr.Levo ao conheci-
mento de V. Exc. que, seguado consta das parti-
cipjcoes receidas hoje n'esta reparticao, >o foi
hontera recolhdo casa de detenco, a minha or-
dem, Lucio, asento do tenenie-coronel Francisco
Antonio Pereira da Silva, requerimento deste.
Deus guarde V. Exc.
Candido Mendos de Almeida, Dr. Joaqnim Jos
do Campos da Costa de Medeiros e Albuquerqne,
conselheiro Jos Mariani, Dr. Luiz Antonio na Sil-
va Vieira, e deserabargador Manoel de Cerqueira
Pinto.
A alfandega rendeu no mei de novembro...
178:456*780 rs., e de 1 a 17 do corrente.....
50:8288880 rs.
O cambio regulava : sobre Londres 23 1/2
d., e sobre Portugal 132 0/0.
Lemos no Puiz :
* A commissao compesta dos senhores Lniz
Carlos P. de Castre, Joaquim A. da Silva Ferreira.
e Malaquias A. Goncalves, noraeiada pelo governo
da provincia para examinar as causas da escassez
da carne e indicar as medidas mais efllcazes para
remover esse mal, deu o seu parecer, que foi,
como dissemos, publicado no jornal offichl de sab-
bado.
Vamos resnmi-lo.
i Urna das causas da e3ca3sez, diz a commis-
sao o baixo preeo da carne no mercado desta ci-
dade. Nao lem razio a commissao, por que no
Rio de Janeiro batata a carne ( 200 rs. a libra
de carne sem osso, preco que vai descendo con-
forme a qualidade al 30 rs.) e nao coneorre isso
para nao haver abundancia no mercado.
Outra cansa apontada foi a lei do mximo de-
crotada em 1861, cujos effeilos agora seesto sen-
lindo.
i Tambem no parecer da commissao para a ftl -
!a da carne influe a restricclo do lugar da venda,
estabelecendo a cmara para os lalhos a praca do
Mercado. E' com effeito Ilegal essa disposicao da
] cmara, mas nao concorre ella nem de leve para
dar-se a falta de carne. Haja o genero que nc-
faltaras lagares era que se o venda.
i A falta de campos proprios para criar as
proximidades da capital e de estradas que lacilteui
a vinda de gado dos pontos remstos, sao outras
causas aponladas.
Para melhorar o abastecimenlo de carne diz
a commissao que ha quem julgue proveitosa a
crearlo de urna eompanhia, mas ella nao ero na
prolicuidade dessa medida e a considera muito mo-
rosa, pois nao por falta de capitaes que se d a
falta.
t Apezar de muito dispendioso?, aconselha a
commi3sao que se facim melhoraraentos nos cam-
pos de Anaj ituba, abrind) vallas para escoamento
das aguas plaviaes, construindo acude's para con-
servar aguas no vero, e debastando o algodoeiro
bravo que os cobre.
Dous males, apona a commissao, aflligem a
criacao do gado nesta provincia.o conhecido vul-
garmente pelo nomo escanda, que destre a caval-
laria, e es Iadr59s. Contra o primeiro nao se des-
cobrio ai oda remedio, jo acoroqoa o segundo a m-
puuidade. E' ama verdade.
t Termina a co nmissao pedindo que se me-
Ihore a estrada da Barra do Corda a Chzpada e a
de Santa Thereza a Moncao.
t A cmara municipal adoptou esta medida que
foi spprovada pelo governo :
t A cmara municipal no intuito do facilitar no
mercado a concurrencia de carnes verdes e tirar
ao3 pequeos fornecedores adventicios a embara-
zosa dependencia em que ficam d'aqiielles que j
estando estabelecidos tem pessoal e meios proprios
! sob a immediata direccao do administrador do
acougue, mande por gratuitamente a disposig-'
! desses pequeos fornecedores o pessoal necesario
"meios de condueco, tambem gratuitos ou sejam
animaes ou carrocas, raandanJo tambem o procu-
rador dar as providencias necessarias para que
Ihe desojara fornecidos os talhos precisos da c-
mara, conforme o que j foi deliberado por esia
cmara. >
No da 18, conforme determinara os estatutos
e foi annunciado, destrbuiram-se as raedalhas de
premio pela capacidade moral, intellectual ou iu
dustrial aos educandos artfices, que o raereceram
na corrente anuo.
Foi. como serapre, um aeto que deixou a mais
agradavel impressao as pessoas que o assistiram.
Entre estas notavam-se os Srs. presidente da pro-
vincia, deputado Coelho R)drigue3, conego Dr.
Fernandes Pinheiro, cnsul de Portugal presiden-
te- da commissao da prac.a, commandante e afu-
mes d) corpo do polica, inspector da thesoura-
ria, inspector do thesouro, e mnitas oulras. Com-
pareceram tambem todos os profe3sores, mestres
e empregad.'S da casa.
t Finda a musa, que foi rezada s 7 horas da
manilla, segaio-se a destribuigo do3 premios.
No peito de cada educando, chamado por sua
A expertacito de gado por Caven foi a se-
guina :
Ontnbro 28Hate Rolla..........caro 120 bois
Noterabro 9- Anna......... 160
22- Priacipe do Galles 150
Maria, parda, Pernamboeo, 3 dia, S. Jos ; es-
cancia da provincia, de 22 do corrente, foi decla-
rada sem effeito a portara de ti de outubro ulti- ,
moMjoe removeu, o professor publico Mareolino juvoal Antonio do Sant Anna, pardo, Pernam-
| vez, pregava o Exm. Sr. presidente d provincia a
Exm Sr conselheiro DiOgo Velho Caval- raedalha que Ihe havia sido conferida,
cante de \lbnquerque, oresidente da provincia.- I Depois de concluida esta destribujc*.
O chefe do policia, Luiz Antonio Fernanda Pi- S.'Exc. algnmas palavras,
nheiro.
OiARIO DE PERNAiVIBUCO
riorw, aa^quaes lero tomadas em consideracao.
Ao juiz de orphos e ausentes d'este termo,
remetiendo, para os devidos flns, 94120 rs. e nm
rologio de prata com urna fita de lia preta, envia-
dos pelo commandante do presidio de Fernando,
amo pertencenles ao offlcial de justi?a Joio da
G-Hta Braga, que. iodo era deligencia quelle pre-
aidie, alii faUe?"'-
RECIFE, 28 DE DEZEMBRO DE 1870.
Nocidas do norte do imperio.
Amanheceo hontem em nosso porto o vapor bra-
ileiro Arinos, trasendo datas: do Amazonas 8,
do Para 18, do Maranhao 20, do Cear 23, d > Rio
Grande 25 e da Parahyba 26 do corrente.
AMAZONAS.
A thesouraria proviucial arrecadea no mtz
de nombro 10:792*916 r3.
TARA
A alfandega de Belem arrecadou de 1 a 17
do corrente 12o: 149*130 rs.
cambio reguava : sobre Londres 23 3/4,
sobre Paris 480 :?. sobre Himburgo 837 rs., e
sobre Portugal 140 /
Lemos no Diario do Gram Para.
Os indios da tribu Cunajaz assaltaram tres ca-
noas que snbiam o rio Tecanlins nm pouco cima
da colonia de S. Joo d'Aragnaya. Assassnararn
o capitao Joaquim Alves de Oliveira, sua mulher
D. Anna e a tripolaco das tres canoa?. D-
pois incendiaram as canoas e foram postar-se
o'um sitio chamado Baory, ameaeando atacar a
colonia de S. Joo de Araguaya.
t O Sr. capitao Constancio Martins de "Oliveira,
director da colonia communicou ao governo o
oceorrido e solicitou reforcos para repe'.lir os
indios.
Sna Exc. o Sr. vice-presideole da provincia
expedio ordens para que Ihe fossem ministrados
os soccorros necessarios, mandando nm vapor da
eompanhia Fluvial Paraense levar tropa a colo-
nia. >
UARANHAO
Fallecern) : os Drs. Antonio Raymundo Tava-
res Belfart e Fernando Vieira de Souza, e os Srs.
Pedro de Mello Continho de Vilhena, e pharma-
ceutico Augusto Rodrigues Vidal.
Tendo entrado no goso de licenca o comman-
dante superior da guarda naciooal da capital, en-
trn no exereicio desse posto o mjor AlvaroiDuar-
te Godinho.
Na ultima qninzeoa foram libertadas gratui-
tamente : pela ara. D. Amanda Franco de S
Vianna, a sua escrava Mara Alexandnna, de 30
aonos; pelo Sr. Manoel Silvestre da Silva Couto,
a seu escravo Benedicto, de 5 annos.
O; lavradores accorfrara entre si nao ce-
der mais aos compradores de algodao a aojostras
as qnaes deverao voltar s saccas de que forer
tiradas. .
O gremio conservador orgaBrwu assm a
lista sextopla senatorial: barao Anaji.tu'ia.r'r I numera.
dirigi
de animacao e sauda-
co ao corpo quereslava formado no vasto salo, e
terrainrui peJindo a esses filhos da provincia que
em paga do beneficio que recebem s se esperava
delles urna cousaque fo3sem bons cidado3, bons
esposos e bons pas.
l'ra educando dos mais premiados, e que em
cntros annos o tem sido tambera, Izidoro Lavra-
dor da Serra, contramestre da banda de msica,
agradecn a S. Exc. a saudacao que dirigi a seus
companheiros, em cujo nome aproveitava aqnelle
ensejo para tribuur ao seu digno director o vol
de gratidao dos educandos pelo desvelado zelo com
que sao tratados.
c O salo preparado para esta ceremonia foi o
da aula de portuguez. Esta va decorado, tendo no
fundo o retrato do imperador, e era urna das pa
redes lateraes o do senador Miranda, fundador da
casa. O Exm. Sr. presidente da provincia e sna
Exraa. senhora oceupavam cadeiras abaixo do re-
trato do imperador, e dos lados bavia 2 ordens de
caieiras para as pessoas que coinparecessem.
Scguio-se a visita do eslabelecimento, que es-
lava como serapre se v, a qualqner hera do da
ou da noite, seja dia de liabaho ou nao, na me-
lhor ordem e asseio que se pode desejar.
Os trabadlos expostos agradaram, porque
muitos delles revelara muita aptido nos disc-
pulos.
< K examinando esses trabalhos qne mais se
lamenta a falta de certas offleinas na casa, pois os
trabalhos que prendan) mais a attencao eram de
educandos, mas feitos em offleinas externas, como
de canteiro, encadernador e at mareineiro. Da
casa, exceptnando-se os trabalhos de gravura,
havia maisobras de alfaiate, sapaielro e car-
pina.
i As offleinas exlernas s podem ser freqaen-
tadas por poneos educandos, e por melhor que
ellas sejam nao dcixam de concorrer para a que
bra da disciplina do eslabelecimento. E' sem
contesucio nr mal, qne so pode bem apreciar
quem lida cora aqnelle numereso corpo de me-
ninos.
i A festa contnuou por lodo dia, pois tarde
e noute esteve o eslabelecimento aberto aos vi-
sitantes que foram numerosos, e, como de costu-
me, sahiram bem dizendo a acertada escolha do
director daquella casa, que tanto a tem feilo pro-
gredir.
PIAlHT.
Da capital do Maranhao tinha seguido para
Thtrezina, bordo do vapor costeifo Maranhao,
no da 14 do corrente, o Exm. Sr. Dr. Manoel do
Reg Barres Sonta Leao, presidente do Piauhy.
De nma carta da Parnahyba extrae Paiz o
seguio.e:
Durante o mez de ontnbro entraran no porto da
amarracio 6 navios, e sahiram 7.
iEib' noverabro entrar a m i eaahiram igaal
Total........ 430
28 do passado entrou de Cayena o hiate
Lus^flcando harra a barca Therezina, proceden-
te d* Liverpool.
A reparticao da alfandega rendeu :
Em ontubro..................... 42:234*749
Era novembro at 29............. 3:141*179
ceara'.
No dia 13 do corrente assumio as rdeas da
admioisirac^o da provincia o 2' vce-presidente
coronBl Joaquim da Cunha Freir.
Pela renuncia que fez o Dr. Francisco Odilon
Tavares Lima docargo de promotor publico da ca-
marca da Granja, foi nomeado para esse cargo o
Dr. Carlos Augusto Vaz de Oliveira.
Por ter sido^mmeado jaiz municipal de Aqui-
raz o Dr. Firmino Birbjsa Cordeiro, foi nomeado
para o substituir no lugar de ebee de seeejio do
governo o r. Francuco Goncalves da Justa.
A policia da cap\tal preddeu o celebre Tres
Pernas, chefe de una quadrilha de ladrdes qne ha
algnns mezes infesta a taptal e arredores.
Em Mis-So Vellia H preso Jos Francisco de
Resende, qne estupron sua proprla filha de 10
annos.
No da 2 do corrente foram allomadas : p:r
conta da provincia no Sobtal 8 escravas, no ra-
city 3, e na Granja 6.
o vapor inglez Jerome chegou a nrimeira
locomotiva do systema Roai Sleamei; que dove
funcuonar entre a capital e Mamanguape.
No logar Malcosinlndo, i |i| de legua do
Cacavel, f.ii assassinado com 4 faccadas e 1 fa-
cetada Joo Gomes da Silva.
No ultimo de novembro exista nos cofres
da thesouraria provincial, o salaVde 211:6b8*616
rs. sendo:
Em dinheiro 173:638*616
Em lettras 8:000,5000
Em apolices. 1:000*000
Em depsitos 28:000*000
O Sr. F. Fernandes de Faria lbrton gratui-
tamente urna sna escrava de 45 annos1,
A alfandega rendeu no mez de novembro
213:306*068 rs.
Lemos no Cearenst :
Um horroroso incendio qne se maniiestou na
Barbalha quasi reduzia aqnella villa a um mon-
to de ruinas. Setenta casas foram no dia 21 do
mez passado presas das chamraas crepitantes do
elemento devorador : 244 pessoas Rearara reduci-
das, em pouco3 momentos, a mais triste condco,
no estado da maior penuria : tudo quanto pos-
suam foi consumido pelo incendio. Felizmente
ni houve victima a lamentar-se.
t O nosso amigo capitao Antonio de S Brre-
lo, presin os mais relevantes servaos na occasiao
da cataslrophe e anda depois promoven urna subs-
cripto em favor dos infelzes que licaram raergu-
diados na niais extrema muerta. >
Ne> lia 3 do correte ardeu em grande par.3
a eugeiaao do Sr. tenente-coronel Trislao Antane
de Asnear,, sito em Meccj.ina. >
RIO f.RAXDE.
Escrevj-nos do Natal em 23 do corrente, o
nosso correspoo dente :
O dia 2 de dezembro foi solemnisado na fir-
ma do estylo : houve grande parada e cortejo a
augusta effigie de sna magestade o Imperador
urna hora da tarde no palacio do governo.
t A' noite S. Exc. deu urna esplendida partida,
que esteve concorrida e animada.
t Encerraramse os trabalhos da assembla pro-
vincial ni dia 9 do corrente.
Os sentenciados recolhidos fortaleza do3 San-
tos Res Magos no da 13 desto mez teularam eva-
dir-se daquella prso, e teriara por corlo realza-
do o tenobroso plano que conceberam se um delles
nao o revelasse ao commandante do deslaeamen
lo, tenente Joaquim Jos do Reg Barros, a quem
tencionsvain assassinar na occasiao da fuga, se-
gundo eonfcssou um dos mesmis sentenciado?, o
celebre Manoel Antonio Gomes, Vulgo-Beic las
cado, reo de tres mortes e que all se a:ha con-
demnado pena ul.ima.
c Poi capturado em Goannoha pelo capitao -da-
noel Hamos de Oliveira Coelho, que all exerce o
cargo de delegado de polica, o criminoso de mor-
le Joo Bernardo, pronunciado no termo de Pa-
pan. .
Consta que fora ltimamente prononciado no
artigo 221 do cdigo criminal o desnaturado An-
tonio Braz, por haver deflorado sua propria Ii-
Iha de nomo Maria, m or de 12 annos.
t D zem que esse monstro au trielo da culpa e fora asylar-se na Serra do Santa
Anna.
Segundo noticias recebidas de Pa do? Ferros,
consta que < s reas Francisco Nunes de Souza e
Mareolino Pinheiro Magalhe3, pronunciados all
era crime de homicidio, nao podendo escapar as
consumes diligencias da policia, para sua captu-
ra, comparecern) perante o respectivo delegado e
entregaram-se prso.
c a policia do Sr. Dr. Espinheira, digna de
todo elogio. .__._
Anda apparecendo alta noite as rua3 desta
cdade, segundo affirmara pessoas fidedignas, um
vulto, palavra adop.ada para significar essas appa-
ricoes nocturnas.
O vulto, dizem os que acreditam te-lo visto,
um velho, muio velho de longa barba e cabel
leira de nev cora urna immensa tranca de cabel-
los atraz, que lqualificada chicote com que ja
tem assombrado alguns passeiadores da madru
t ifma pessoa idosa e sensata entende qne a
alma de Cypriano Jos de Alpjeida Barata, fallec
do nesta trra ha mais de 30 annos ; mas um dos
noisos luzeiros de opinio que essa visao nao
pode ser se nao a repblica, que anda viajando de
A' proposito de repblica consta qne est
agora ella na ordem'do dia.
% O Dr. Cysneiro, o orgamsador do partido
republicano, mas nao tem encontrado proselylos ;
por que os mais exaltados liberaes regeitam ir
mine as propostas e convites do nosso demcrata.
Um conheco en, que se inclina as novidades,
masque exige, como condicaj essencwl de sua
adhesao ao novo partido* urna explisaoao com-
pleta do que a repblica.
t Renden a alfandega no mez de novembro....
4)o 1." a 3 do corrente 26:936*514.
Antonio Xivier, da cadeira de inslruccao primaria
da villa de Ingazefra para a da povoacao de S.
Jos desse municipio, deven*) dito professor con-
tinuar no exereicio daquella eadeira.
VI \-PEBBEA I> OLINDA.Dorarte as horas
decorridas de mei y dia de 24 > meia noite de %i
do corrente transitaran) nos trons da via-ferrea do
Recife a Olinda, 10,090 pesse*3.
RECTFICACAO.O- Sr. Manoel Rodrigues Pi-
nheiro, filho de Nicolao Joaquii Rodrignes, que
toi esmazado pelo trem da via-ferrea i Oiindi,
pede-nos para declarar jne sen pai era casado, e
tinha 92 annos e nao lOft, como notieiamos por in-
formago de urna Ulna do tallecido, > quem ouvi-
nios no da.do desastre.
IPOJCA.Este vapor da eompanhia Pernam-
bucana sanio do porto da Fortaleza para o da
Granja no dia 22 do corrente.
DINHEIRO.O vapor brasilero Arinos trouxe
para os senhores :
Joaquim Jos Goncalves Beltro 9:356*680
Antonio Leile Pereira 8:728*000
Jos Rodrigues de Sonza 2:000*000
Antonio J. Ferreira Monteiro 2:000*000
Wilson A Hett 2:000*000
Domingos Ferreira Maia 1:900*000
Jos.' Duarte das Neves 1:286*860
A. Ilvvernat & C. 1:200*000
Jos da C. de Oliveira Figueiredo l:200000
Antonio Pereira de Miranda 1:085*8H0
Francisco Jos da Costa Guimares 911*330
Havmundo B. Lasserre 900*000
Jos Fernandes dos Santos Bastos 893*440
Jos Cerdoso de S 785*220
Dr. Claudino de Aranjo Guimares 625*000
Joo Francisco de Souza 600*000
Bernardo Jos de Araujo 600*000
Moraes & Irmo 458*000
Pereira Vianna & C 200*000
Costa A C. 200*000
Joaqnim Gerardo de Bastos 180*001
Joaquim Lopes Gallo 12OJOO0
Trouxe mais esse vapor :
Para a Bahia 34:473*560
Para o Rio de Jineiro 174:443*210
Sendo desta parcella 1-30:000*000 para o the-
souro nacional.
FOCO DE VISTA NO MONTEIRO.A noticia
que neste sentido publicamos, nao foi exacta, por
quan! i ten J. -se de fado concertad i um divert-
menta, o nosso informante, lalvez por mal avisa-
do e antepondo as datas, fez-nos cahir o'uma gra-
ve falta para cora o publico a quem pedimos des-
eslpa.
Hoje, porra estamos aulorisados a aflirraar sem
receio de errar, que o fogo fora designado para a
saudacao da entrada do novo anno e nao como
aiii: nurani-no- para o dia 2o ; para o que par-
tir daqui no trem das 4 horas a banda de msica
rdiliiar que lem de tocar a larde e prehencher os
inter va los do referido fogo.
TRILHOS URBANOS DE APIPUCOS.De 25 do
correle at 2 de Janeiro vende esla eompanhia
hilheies de da e volta al Apipucos ao preco de
1*000 por pessoa, viagem redonda.
THEATRO SANTO ANTONIO.Estra boje a
eompanhia lyrica italiana, ltimamente chegad;
cantando o primeiro acto do Trovad ir, o romance
da Luiza Milier, o dueto da Lucia de Lamermoor,
o dueto da Norma, e o ultimo acto do Trovador.
TENTATIVA DE ROUBO.-Na noite de 26 para
27 d i corrente tentaram os ladrdes roubar a loja
buco, 38 annos, casado, Recit ; phythsvca pulmo-
nar.
Antonio, eservo, Cear, 2> annos, solteiro, Reci-
t .febre aroarella.
Theodotioo, pardo, Pernambuco, 3 annos, Santo
Antonio ; febre.
Antonio, pardo, escravo, Pernambuco, 30 annos,
solteiro, Boa-vista ; congesto errebral.
PUBLICACOES A PEDIDO.
Votos qne para senador tere o-
i:\iu Mr. conselheiro Panla
Baptista nos collegios desta
provincia.
Collegios. Votos.
Recife 85
Olioda 32 -
Iguarass 40
P4 d'Alho 25
Goyanna 40
Cabo 28
Nasareth 15
Ro Formo3o 17
Limoeiro 14
Santo Antio 35
agua Preta 13
Cimbres 20
Serinhera 7
Caruaru 40
Brejo 26
Bonito 12
Escada 29
Barreiros 2
S. Bento fi
Garanhuos 8
Bom Conselho 5
Flores 30
Buique 10
Cabrob 5
Ingazeira 1
Boa-Vista 21
566 .
^^m^ x^
w -r i
Aos meas jovens amigos, Salva-
dor Estevo de Oliveira, Dr.
i ilion lo EstevSo de Oliveira
Dr. Duarte Estevo de Olivei-
ra e Hanoel Estevo de Olivei-
ra. pela sentidisslnaa morte de
sua presada ane.
Where sorrcw's held ntrusine, and turned out,
Tnere wisdom w.ll not ent-r, or true power,
Nor'anght Iba! dignilies lnunany.
illenry Taylor.)
Ante a magestade de vossa dr profundamente
acerba e justa, mcu coricio se conimove intima-
mente, pela atlinidade syupalhica, que a mais
forte base de nossa amisade, e o meu espirito se
i immerge em merenconas conlerapiajoes sobre o
t;s pela perda ds vossa mae.
O mundo que r e se agita laucamente ao_redor
de vs, e3se mundo que era toda sua vastido se-
i r para vos como um i inmenso vacuo, porque a
elle vos nao liga mais o carinho maternal, conver-
ter se-vo3-ha em dura seuda, onde nao tenia pa-
ra acercoar-vos o animo, por ventura deafalle-
[ cdo pela lucia improba da exL-toncia.. to Laida
horas da tarde, conlorme o annuncio da mes- \ de attraclivos, essas eloquenies concitaQoes a) lor-
lompanh'ra. i ca dimanadas da extrema ternura des>e ente que-
OSPITAL PEDRO II.0 movimento desse es- rido, que pri.ne.ro vo mta o' W P"
----------------------- -. ^ lilil, u B v wi>a ... w. -.---------------------------------r---.--------------
de joias da ra Larga do Rosario n, 24 A, razen-. my4ieri0 da vida, em cuja perig inago lo s ticas -
do um rombo na parede qae sopara a loja da es-
cada do sobrado ; nada levaran, entreunto, tal-
vez por Calta de temp?.
COMPANHIA PERXAMBUCANA.-O vapor Cu-
ruripe desta ompaahi que dever sahir hoje as
5 horas da tarde para o porto de Mamanguape,
primeiro tocar no da Parahyba para onde rece-
bera p-issageiros, carga e dinheiro a frete etc., al
as 2
ma co
HO
tatoleeinento'de 19a 25 de dezembro de 1870 foi sos. Ah
J1' candura do mais extremoso allecto i
Ella coraprehendia perl'eilaueule que o vi ver
um triste fadario, e prepaiava cnidadoaamente
Toasas almas, pelo seu prestigioso excmplo, para
procurar na rcligio, que to bem pralicava, as
nicas consolaoes, com que poderieis serapre con-
tar efflcazraenle, para todas as dores que vos as
sal(as3em em vossos [utoroa das ; previa que na.
poderiam perdurar esses innoceutes convivios, es-
se embevecimento delicies i, esse encanto d alm?.
que presidia s reunidas intimas de vosso lar, on-
de, qusl divindade tutelar, ella espargia com ana
e quanta trtidade nao infundio em yos-
I sos simples coraces, quanta virtude Toa nao in
rTOAMBCO.
BEVXSTA DIAEIA.
ATORIDADES POLICIAES.-Por portada da
presideneia da provincia, de 22 do corrente, fo-
ram nomeados : subdelegado e segundo supplenle
da freguezia de Maricela, do termo de Iguarass,
FraBdsco Leitao da Costa Machado e Agripino de
Souza Leo ; subdelegado do segando distrielo do
termo do Ex, Cornelio Cartoa Peixolo de Alencar
Filbo.
GYMNA9Q PROVINCIAL Por portarla da pre
sidencia da provincia, de 22 do corrente, foi exo-
nerado, i sen pedido, de repetior Interino do
Gvronask proviaeial o^r. Almioio Alvee Affonso.
I 'PROFESSOR. PUBUCO.-Por portaria-da prest-
Iheres.
Advertencia.
Foram visitadas as enfermaras estes das as
6 1/2, 7, C, C 1/i, 6 12, 6, 9, pelo Dr. Ramos ;
as 11, 11, 11, 12, 11, 12 1/2, pelo Dr. Sar-
niento.
Fallecido!.
Josepba, falleceu de hydropesia.
Joanna Francisca, tubrculos pulmonares.
Joaquira Santyago, hepate-splenitechronica.
LOTERA. A que se acha venda a 177", a
beneficio da matriz de Serinhera, a qual corre no
dia 3.
PASSAGiTR03.Vindos da Granja e porlos in-
termedios no vapor Piiaprima :
Jos Gomes Rodrigues, D. L'mbelina Zulm.r de
Mello e sua irma, Emiliano Jos de Mello, Dr.
Fbio A. do3 Reis e um criado, Manoel Jos de
Oliveira, Francisco Goncalves Valente, Pedro Gon-
calves Torres. Gustavo dos C. Brayner e urna es-
crava, Antonio da Silva Medeiros, Antonio F. de
Araujo Kosa, loao B. Russo, Domingos Aras, F.
Aras, Sabino Ferreira de Souza, Arehangelo Be-
demaque, Dr. Olintho Jos de Meira e um escra-
vo, Anacleto Ferreira Nobre, Joaquim Vieira da
Costa, r. Henrique L. Soares da Cmara e um
criado Seraplnm Penacot, W. Rengoston, Antonio
Francisco Coelho, Joao Francisco da Conceicao,
Dr. Francisco de Assis Pereira Rocha e um escra-
vo, Salviano Ramos, Ignacio Ferreira Serrano, S.
A. M. Reg. .
Vindos de Mamanguape no vapor nacional
Corttripe : .
Francisco Ignacio Ferreira, Antonio Bernardo
Vaz de Carvalho, Joaqnim Ferreira Diniz e uro
criado, Dr. Elias Frederco de Almeida e Albu-
querque, Francisco Jos Coelho, Bejmiro Jos Bap-
lista, J. Claudio Dubeux, Francisco P. Cardoso, A.
Jos R. Cardoso.
Vindo no vapor brasilero Annos, entrado
dos partos do norte : .,,.
Desembaraador Joo Antonio de Araujo Freitas
Henrique, sna senhora, 2 filhos e 5 criados, Dr.
Antonio C. Rodrigues e 1 escravo, Dr. Sebasao
Jos da Silva Braga, sua senhora, 1 filho, 1 criado
e 3 escravo, Dr. Antonio Alves de Souza Carva
Iho, Manoel Jos Pereira Marinhe, Francisco da
Silva Sampaio, ana senhora e 9 filhos, Jos Lniz de
Sonza, sna senhora, 1 filho e 3 escravos, Manoel
Cabral Fernandes, Tertuliano Cabral de Mello,
Porflro Machado, Francisco Gomes Marques da
Fonceca, Jales Klein, Jacob de Koch, Viceozo Gu-
ranla, Augusto Dochon, Antonio de Medeiros Bar-
bosa, Benedicto de Brito Ferreira, Fernando Snge-
lbado.
Seguera para o sal :
Elias Mongem, Manoel Gonealims dos Santos,
Joao Evangelista la Silva, Antonio de Souia Mar-
tins, Manoel Carnoso da Silva, Carlos Martins Cha-
ves, Antonio Gil dos Santos Alraeida, Alvaro Antu-
nes, Joo Alfredo da Costa, Americo Vespuoo de
Queiroz, D. Leopoldina A. de Oliveira e 8 filhos,
Marcelino He culano da Molla, capillo Antonia
Francisca da Costa, 9 eseravos a entregar, 2 de-
teriores da armada, 1 imperial roarinheirn i
aprenda1, marinheiro, 3 pracas do exercito.
CEM'iTERlO PUBLICO. Otttuario dq^ia 26 de
daM7jbj;o:
t
bondade, urna aura suave, que era para roesos
seres como um orvalho do eeo.
Permetii, pois, que, como humilde tributo a.-.
minha gratidao, pelo fado da haver gosado a ven-
tura de commungar dos snelos prazeres que jun
tos enlo fruieis, eu, associando-ne ao culto o.-
saudade, que rendis a seu espirito bemaventa-
rado, vos offereija consola?oes na evocago do*
edificantes actos de cunsuiumada virtude, qi..
ella tambem vos inspirara.
Perduai me se, pela dissonanca de niinliis pa-
lavras, longe de aweuisar o vosso soffrer eu v
exacerba-lo.com a bisve alluso que faco aos mo
tivos que o determinan) ; perdoa.-me, porque ne-
vis saber que este o resultado da profunda con-
vieco que nutro das perhiCjfiea que reconheci
sempre naquella, de quem se nao pode fallar sem
elogio, embora mal expresso, como o se ser o de
luem, por obscuro, nao encontra no pensamen: >
nem na lingnagem, medida correspondente a abun-
dancia do corcao.
Tantas vezes solidario era vossos jbilos, consenu
que tambem o seja ero vossas lagrimas.
Jos Faustino Porto.
Capitana do porto.
RBGLAMEiNTO DA mATICAGEM DA COSTA l
PORTO DE PERNAMBUCO, DE 28 DE FEYI-. -
REUO DE 1854.
Art. 1.* A praticagem, lano das barras e por-
to da cidade do Recife, como da costa, desde as
Candeias at Pao Amarillo, na provincia de Per-
nimbnco, ser exercido por urna Associacaode
Praticos, subordinada ao capitao do Porto, e cra-
nosla de um praticft-mr, um ajudant deste, oit
pruneiros praticos inclusive o ajudante do praeo
mor, oito segundos ditos, e oito praticanles.
Em visto de semelhanle aisposica;, qe nao fo.
at agora revogada, pergunta-se pede o Sr. cpi-
to do porto, .seuialanie, manda passar caria dr
pratico qoem quer qne seja, na s infrlngindu
essa disposi0o como calcando aos pes, direitos ad-
quiridos T
Anda mais: _,. ,,.
Per|unta-se deveoSr. prattco-nior, cneie ua
classe e como tal propugnador dos seus oiroiu s,
consentir quo se meuos prese a le, para >re"1
teHies da fortuna, com sacrificio dos aeos su-
bordinados T
Istodesejaaabora^^p^^
a Biaclormta Revta-Diaria. Por nao
4p
-


.:.

. *
--r
Mi
w
----------------.


mmmm
EKfflK

-
I.
Ht *
Diino de Pernambiitco Quarla eira 28 de Dezembro de 1870
TI
mea), pego-lhe -a publicado do segrale em seu
conce itu?do Diario.
Deparando b.ge (i7 do desembro) com o acou-
tecunento de 2. do- cerrente raez ( e nio de 24,
como liu a u* Revista Diaria ), sobre o brbaro
espancaraenlo feito ua pe^.-oa da meu escravo de
norae Ivo, de qttatorze annos de idade, pratieado
por -assiano, escravo do capito Luiz August;
Lolho Dutra : em quanto ao frimento leve que
A medico que o est tratando, proveniente dos
grandes golpes que recebea na cabeca. Hoje inais
nada tenho a dzer, pois logo apparego em campo,
Aautoridade competente tomou couhecimento
do factn, e o criminoso passeia imiiunemoole em
Santo Amaro das Salina?, freguezia da Boa Vi.-Ja,
Recife, 27 de dezembro de 1870.
O asslgnante,
Reg Mello.
Ao publico
Breve respeta ao Sr. Caries 13.
t 8>- .navlgalrr
Sirva de speemieu dizpr que ms 'verd.idelra-
mente repugnanti' a dea da enlidade que revela
ste uome, e rewitOMM mesmo que declnalo ou
tragi-Io com frecuencia baste para empestar e
corromiier o labios ou as roaos.
Votamos Ibe n) o odi > ou rancor, mas esse
despr^zi c tedio que inspiram as mais oogenias
alimarias que lo parecem transitar n'esse mundo
para ostentar a tuagnilude do asco e immundieie.
Mnil'i nos cuMi vencer os escruplos de nossi
naluiezi ; mas, einllm taparemos o nariz e os
olhos, prometteiDos quebrar a ponna e on b ar as
maos para din'sirmo-nos a elle e atira-lo s vistas
do publico, para que contemple e admire nssa
portentosa obherrugo da liumandade. Com'a
Sressa que temos em prevenir os avanzos d'essa
egeneradi criatura, seremos concisos, e empra-
zanfio-nos desenvolver com clareza e precisan, e
provas n que Umoi dizer. Nesse inve tano de D.
Anua 1) Iphina P.ies Barreto, assim eomn era lodos
os neg'inos em que a fazenda publica, inters-
sada, e intervem per meio de seu aiudanle, nessa
comarca, o Sr. Mavignier; a honestidado enteireza
e honradez, estreburham com simr desangue no
poste vil ilas tran^ai-roc, dos inleresses pessoaes
da almoeda enifin I I
Se o aranzi I do Sr. Carlos Mavignier fosse es-
cripia para essa comarca smente, nao'era Heces-
sarij responder, porque > resposta esl na consci-
ente a de todos >eus habitantes, todos conhecem
por dtntro e por fura este senhT, e nao se reba-
chariam a dar-lhe crdito ; porem u>m de ir mais
lonse e mistir respi nder para que a sirautaco e
o ai-farce can prevalegam como verlade, e nao
ande e;se mascarada defraudador da fazenda pu-
blica, a passar por nm de seus funecionarios e
guaras.
O motivo de nao ter o avaliador da fazenda as-
signado as avaliac_o>s, asim como o ajudante nao
oi tao simples romo diz esse funcionario em seu
aranzel; apreciando suas razoes v se que sao
contradictorias e frivolas : diz elle que seu ava-
liador deixmi de assigoar porque nao houve com-
binaba- tus precos e numero dos pes de assucar
e por ver que eslava tudo sendo feito como em
um s d i, tendo trabalhalo em mais de um ; e
esse Koctdimenlo todo legal m recen sua apprc-
vago. e que de sna parte deix u tambera de as-
ignar, porque as avalago s traziam prejuizo a fa-
aeuda nao do oree/) como por alguns objectos
Ierra valoras bailo, e sempre o desempate ser
contra a '.acuda. Com i|ue cinismo e hypochri-
sia -e pretende Iludir o publico I I
So es avalidors f nao conenrdaram em o nu-
mero e prego dos pes de assucar como atiesta o
eserivo o o proprio ajiidant o cenfessa (motivo
porque deixou de assiguar o avaliador da lazenda)
com entender-se que deixou de assigoar appro-
vando o procedimento ledo legal do seu iouvados
porgue es-as avalagoes eram prejudieiaes a fa-
zi'iida Lo s m. prego como por alguns objectos
' i akfru batios o sempre o desempate ser
coaira a fazenda ? I Ali a verdado deste faci
borrivd e amarga por isio a oceultais Sr. ajudan-
te di fizenla I I e alem de tudo isto o que tem
que ver mn avaliador com o laudo do outroT O
qu.' i > o iue ver o ajudante da fazenda com a
co ih Caeju dos uvaliadores ? I
!'. i de dever que clles se harmonizem 1 para
q i instituido um d-sempatador ? Qaanta par-
voico II!
' l'iviioo ajudmt". da fazenda louvado-se cm
avaiia ir. e c. ni-.rd,i i n Itos e tambem t incordado em um de-
sempua! o que lite resta va sobre o trabalho das
avaluadas? Callosa consciencia I enchurdase
no I".I...;.il Ji.s viiLs o mil composta qusr appa-
n r ao dia I I
l!e|> rtamos a altenc'io dos teitores para a eer-
liilao do eserifio publicada no Diario do 20 do
. mote, orde se d qne foi! u-arcdo e-iada e
para essa* avaliacoes ; nai para o Sr. aju-
d ule como per errse impresso foi publicado,
mas sin para seu digno luuva! .
Diz o Sr. M ivignur que n'ess? inventario nao
pode agradar a nenhum dos lados; modestia I
agr lou perfeitamente ao lestamenteiro; verdade
que a principio cabio em desagrado, porem celo,
e uo melhtr ttmpo rehflbiliton-K : as oll^nsas
passa 'as f .rain esqoecidas, e nao sei que talismn
nvolvi u o Sr. Sanio- Nevos, que operou como
por encanto a mais rpida c substancial mudenca
ii i animo do ; julante da fazenda. Su?, argentina
vi i nao lardi'U em um tnomentodado a proclamar
.- d .is profundos protestos de nsonha e dotrada
amisade I Toda e-si villa do Cabo e todos que
de tal Inventario tiveram noticia, viram um en-
raive-ido tigre tomar-se humilde caosinho.
TcMlos viran) esse morcgo que com suas moles
e aiT ivadaa azis, esvoacava sinistro em torno do
Sr. Sautos Heves, ameagando com seus dente.
t mar se (tilve por I i chupado) alegre e ureo
beija fl ir a favonear seo favorito I foi de mar-
\h .r! a principl < qoeria atencarcear o innonea
te S.int >s Noves por motivos que em sua rida cabe-
ca rbrmeolava, depois tornou se tal que distingua-
su (1 mire o- mais humildes bajoladores d'esse Sr.,
e at ia recebe-lo a cstacao juntamente corn o seu
inV-sutario, e at nos compromeltemos de psgar a
tmpresiio, se ourem nao sp quizer encarregar
disto, u se seus lucros nio ebegarem para tanto.
t'esejamosr v-lo mostrar-se puro s Vistas do
publico e patentear o que de mo e ponco tionetto
tiver havido nesses negocios: anda mais pagare-
mos quem se encartgue desse trabalho, para
|ju apena* o assigneis.
No seguinte artigo (qne sera breve) iremos com
documentos extrabidos dos carinos de?ta villa le
var ao ronbecimento do publico, e especialmente
do Sr. procurador fiscal da fazenda e o Exm. S.-.
presidente da provincia o comportamento desre-
grado e criminoso desle funecionario publico em
negoch ; do seos deveres, e pedimos severas provi-
dencias em nome dos imeresses particulares: en-
to ver o publico que este bomem, sendo proco
rador da fazenda provincial nessa comarca ni dez
annos, tem ;reado nma nomeada tristemente cele-
bre por' sua supina ignorancia e malvolas fra-
quezas.
Cabo, 26 de dezembro de 1876.
Os herdeiros da testadora.
cadsreo de lia, Valor do killogrammo 4333 rs. to-
tal 5139%.
26 killojtrammos idem idem cora avaha, abati-
miento de 50 Ojo, valor do killogrammo 2#167, to-
tal 564343.
Marea202-200 caixascom 200 duzias de gar-
rafas de vioho do Porto com 1500 litros, valor do
litro 390 rs. 585*000.
Alfandega de Pernambuco, 23 dezembro de
1870.
O inspector interino,
L. de C. Paes de Anirade.
DECLARACOES.
ba-
r. 385.-CURAS ASSOMBROSAS DE TISICA.-
As'disposiges f Has recenteraenle nos hospflaes
de Paris, provarn que os tubrculos dos pulm5es
podera ser cicatrizados d'um modo permanente,
curando-se a tsica. Os casos refer los forara de
nessoas que annos antes haviara padecido de en
fermidades nos pulmSes, e que ao depois m; rre-
ram por ontra* causas.
Os bolletins offlciaes dizem, iue 'oram corados
de ulcerago dos pulo, oes mediante o uso constan
te do oleo puro do ligado de bacalho. Porm
toda a diflcul iade consiste em poderse slcaogar
este inapreciavel especifico. Torna-se pois di
maior importancia que o doente saiba que o oleo
puro medicinal do figado de bacalho, de Lnaman
A Kniip, se aclia iseuto de impurezas, couforme o
indicafsru nome.
CompSe-se elle do principio salutfero 0 vital,
que se enconlra nos flgados saos do bacalho que
acaba de ser pescado. Na sua composigo as
entra a mais leve (articula de materia e?tranba.
E' claro o puro e acha-se isento de rango, que gc-
ralmente caracteriza aquelle que immerecidameu-
te se appellida oleo de ligado de bacalgn. O no-
me da casa que o prepara urna garanta mais
que sutil lente da sna excelencia e tanto o com-
merei i como o publico pedem confiar n'elle cora
toda a srguroca.
N. 386.-OLEO PURO MEDICINAL DE FIGA-
DO DE BACALHO, DE LANMAN & KEMP.Ga-
rantido por ma marca commercial conserva-se e
inimitavel,como um artigo de primeira ordem
da maior pureza e eficacia possiveis. Como pro-
va auihentica de suas virtudes medicinas*, men-
cionaremos os seguintes nomes dog afamados m-
dicos, os quaes nos remetieran! certificados e at-
iesados voluntarios d( curas de dilTereiites mo-
lestias desesperadas. Dr. Benito J. Riera, Igo de
Cuba; Dr. Jos Franco Ruz, Havana ; Dr. Pablo
Verdua y Amo, Ulmo, Matauna Cuba ; Dr. Mi-
guel de Zayas, Pto. Ppl., Cuba ; Dr. Raphael Tre
mols Trindade. Esta lista poder se-hia encher de
alto abaixo com os nomes dos mdicos cujos les-
temunhos se acham archivados em nosso poder.
Conselho ecouomiee do e
(alho de inp antarla.
O concibo tendo de contratar no dia 28 do cr-
reme, pelas 11 horas da manha, o fornecimento
dos gneros alimwicios par o rancho das res-
pectivas pagas, no primeiro semestre do anno
vindouro d. 1871, convida aos seuhores necocian-
tes que se quizerem propr a tal forncciiiiento a
apreseotarem suas propostas em cartas fechadas
na secretaria do batalhao nodia a hora cima ci-
tados ; certos os mesmos senhores de que devem
ser de primeira qualidade e forneci los conforne
a tabella do battlhao, que na occasi) aera spre
sentada, os gneros que se segu :
Arroz pilado, assncar mascavinho refinado, arti-
te doce, bacalho, caf muido e em carogo, carne
secca, carne verde, herva-matte, farinha d man-
dioca, feij* inulatinho ou prelo, lenha em acliss
manteiga ingleza ou franceza, milho branco pilado,'
pes da 6|0, pes de i|0, toucinlio, vinagre.
Quartel as Cinco Puntas em Pernambuco 23
de dezembro de 1870.
Manoel A. Pereira Guimaraes,
_____________Teuenle servindo de secretario.
COMMERCIG.
ALFANDEGA-
flendimento do dia 1 a 26. .
dem do dia 27 .
628:409*498
26:736*492
6o':9i5*990
Pela recebedona de rendas internas genes
se faz publico qne ueste mez de dezembro que
as irmandades religiosas, os bancos, companhias e
sociedades anonymas e quaesquer associagoes
pias, beneflcentes ou religiosas teem de pagar a
decima de mo mora, livre de mulla, relativa ao
{' semestre do exercirio corrento de 1870 71, e
que, Ando o referido praso, ser paga com a mul-
la 1- 6 00.
Recebedoria de Pernambuco de dezembro de
1870.
O administrador,
_______ Manoel Carneiro de Soaza LacerJa.
, Consulado provincial.
Na forma do art. 50 1 di lei provincial n.
H>3, avi-a-se por esla repartigio, a quem inleres-
ibre se o praso de 30 das adi marcados para o
pagamento voluntario dos imposlos da decima
irbana e de5 0)0 sobre a rend dos bens de rali
le eorporaces de mo marta, relativos ao se-
mestre do corrento anno financeiro de 1870-71,
ncorrendo os conlribuinus que nao realisarem o
mesmo pagamento no referido praso, ne commi
aagao do 3* do citado artigo.
Consulado provincia/ 21 de novemmbro t
1870.
Se-vindo de administrador.
A. Witruvio P. e Accioli de Vasooncellos
AdmlnlaraeSo dos crrelos de
Pernambueo, 99, de dezem-
bro de 18 Jo.
Por esta administrago se faz publico para co-
nhecimento doi ioteressados que desde o dia 16
do corrente mez toda a correspondencia do Bra-
sil para-e Frang ou para os paizes que serve de
intermediario, o correio francez est sujeito a nova
tarifa abaixo declarada, fleando igualmente sujeito
a mesma tarifa a correspondencia que for recebi-
do nao franqueado dos paizes a que ella se refere,
segundo foi eommunicado pelo Illm. Sr. director
geral dos correios por seu offlcio de 10 do cor-
rente.
O administrador,
Affonso do Reg Barros
TARIFA das laxas de porte que deve pagar a cor-
respondencia expedida do Brasil para a
Franca ou para os paizes que servem do
letermedio do correio francez, de confor-
midade com a convengao de sste de
julbo de 1860, modillfiada pelo accordo
provisorio que tem de vigorar do dia 16
_______de dezembro de 1870 em diante.
PAIZES COM OS QCAES 0 BRASIL
PODE CORRESPONDER-SE
Allemanha (estados d')..........
Alexandria do Egyplo..........
Algena.......................
Australia.....................
Austria.......................
Blgica.......................
Cabo Verde (Ilhas)............
Chile.........................
China........................
Cochinchina....................
Dinamarca...................
Egypto.......................
Estado Oriental___ ...........
Estados Pontificios.............
Estados UnkLs................
Franca........................
Gibraltar.....................
Gora........................
Goyanna Franceza.............
G iyanna Hollandeza............
Graa Bretanha................
Grao Ducado de Luxemburgo___
Grecia.........................
PORTE
SIMPLES.
Xovlmeuto da alfaudega.
Volumes entrado
com fazend?s
com gneros
Volumes saludos com fazendas
com gneros
III
981
------1105
20
UO
------160
Descarregam luje 28 de dezembro.
Barca inglezalnda b icalbo
Barca portuguesaS. Miguelcarvo.
Brigue n .rte-allemoWr/asvarios gneros.
Brigue inglezMubacalho.
Despachos de exportaeo no dia 26 de
dezembro
N.) brigue porluguez Juditlt, para o Porlo
carregaram : Jos Guilherme 4 C. 1 ancoreta
com 59 litros de aguardrme; Tnomaz de Aquino
Fonseca & C. 200 saceos com 15,000 kilos de as-
sucar mascavado.
Na barca ingleza Delphim, para Liverpool
carregaram : Antonio Jos Dantas 74 saccas com
6,050 kilos de algodo ; Jos Antonh Bastos 600
saceos com 45,000kilos de assucar mascavado.
Na barca ingleza Kohnioor, para Liverpool
carregaram : Johnslon Pater & C. 400 saceos
c*m 30,000 kilos di asnear mascavado.
Na barca ingleza Paregero, para Liverpool
carregaram : Jobnston Pater 4 (i. 1.000 saceos
com 75,000 kilos de assucar mascavado.
No brigtre portuguez Laia I, para Lisbra
carregaram : Thomaz de Aquino Fonseca & G 60
saceos com 4,500 kilos de asquear mascavado e 40
ditos com 3,000 kilos de asquear somenos.
Na barca ingleza Biabante, para Liverpool
carregou : Antonio Jos Dantas 470 couros seceos
com 3,290 kilos.
RECEBEDORIA DE RENDAS INTERNAS
GERAES DE PERNAMBUCO
Rendimento do dia I a 26. 66:192*127
dem do dia 27 2:848*318
Santa Casa e Misericordia
do Rocife.
Dinfeeiro vista.
A Illma. junta administrativa da santa casa de
mist riordia do fiecife precisa contratar o forneci-
ment do pao e assucar que tiverem de consumir
todos os estabelecimeiitos pios seu cargo, inclu-
sive o asy!) de menJicidade no trimestre de Ja-
neiro a marco vindouro. '
Recebe propostas na sala de suas sesses pelas
3 horas da tarde d dia 29 do corrente.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do
Reclfa, 21 de dezembro de 1870.
O escrivio.
Pedro Rodrigues de Souza.
Guadelupe.....................
Hespanha r................
Holanda.......................
Ilhas Jnicas...................
Indis........................'.
Italia......,.............
Malta (ilha)....................
Martinica......................\l\fi
gr.
71/2
71/2
71/2
7 1/2
71/2
71/2
71/1
7 I/i
71/2
71/2
71/2
71/2
71/2
71/2
71/-'! 40
71/2
71/2
71/2
71/2
71/2
71/2
lili
71/2
71/2
71/2
71/2
71/2
71/2
71/2
69:040*4)5
dgu I r.v.tdo, c por certo disputavam entro si
a h nri ie limpar !he, ,ns bolas ou condnzir-ihe a
malla ,1 I E diz que nao agradoo a nenhum dos
I -1 Pois saiba que a ambos muito agraden ;
a um pelos servicos de eterna gralido e memoria,
ao ouii i poique f-lo admirar rara nolade :
eousa superior a qualquer comedia ou drama,
aiada mesmo aqu.'lle quo se intitulaO podo- do
ouro I
O Sr. Mavignier n> teve pir assassino de sua
j d. funta reputaco seno a si proprio, sendo
de Ma pfopriedadepodia dar, estragar, mrtar ou
vendersetn que alguem Ihe chsmasse por isto as
ccntas.e e le qno ora nao a assassina. pnrqne ella j
nao ex se, mas .-im deplora e admira sua triste ra ir-
te, nao o hi as sombras nem pelas costas; nao, se
tem Decollado o seu nome porque nao qner que
seas amigos e conhecidos o vejam a meeher com
' i u-a= d'essa ordem, rjue compromeltem o aceio e
limpeca : qnesio de g.i*tn. A azinhavratla in-
telligeaela do Sr. Mavignier nao pode comprehen-
; u ci'fiidocs que foram transcriptas.
Deve .,ueixarse da sorle que tanto amesqui-
nhon son qr.inhao desse dote da natureza; n ser
s isto que nao u-nhas eoraprebendido, meu fulvo
! Duvidamos. Nao vos lembraja, damni-
'i a tur., que no dia 8 de novembro quasi to-
djs os baa f >ram vistos e avahados, e que no dia
segumte fui fechada crin vagar a descripeo; dan-
do se lio a mesma data, e nem podia ser oolra
dala, porque ii'aquelle dia foram fotos todos os
trni is dejuramento, louvagao c avaliag!lo*fl-
caudo apenas este, por falla de lempo, para -er
kr.iinaio e assigualo no dia seguinte ? 11 Ho-
mem prostituido I! E mostrase esse bemaven-
turailo ajulaute da fizendo admirado f ter ouvi-
*l< fallar em aegao de escravidlofl Causara
maior adrnirago que isto vos fosse eonhecido
vos, cuja foirmaiura em dirr ilo om mysterio s
explicivel pela complacencia e commiseracio dos
iiomens ; e para q em est-' estado s tem servido
a r luzir-voa a esta degradante vida de parsita
me iendes passado. S quera nao vos veja ou
ou ; i, duvidir que sejai um analptiabetci lila-
lado.
P.ibre sando Ido doutrina das acedes Cor-
nil Tolles, n>te no indiee a palavra aegao, ou es-
cnyioa; lele, talve nao ostodais tambem I B'
qoeaar-vos da s^rte : quera nascea para a ean-
galhl. -.................................
Diseis roivos mrcenos que mais chegariaru os
nte', e maior valor daria a arrematago, se
oulra avaliagao; entretanto, todos sol
! nirados do preco que chegaram os
-inclusive vosso patra Santos News, qne
lito nn-trou-se em guardar 18:000*,
porqnanto foram veadifos os beas, e constn mes-
mo que corapartilhaste dessa satisfagq; e que
t r tnis-) silencio ao pnblico proseguis na appel-
- que inlerpozestes.
E-te t-osl meado hnroetn termina suas b'-tiali-,
daoVw. orno que ameaganloao autor do arligp po-
thcado no Dtano de 20 do oorrente; pedimos Ibe
quo qoe.ra publicar tude quanto soobr sobre e-te
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendimento de dia I a 26. 116:768*260
Idem do dia 27. 13:5*15*149
130:313*409
MOVIMENTO DO PORTO.
'Vacos entrados no dia 27.
Para e portos intermedios 7 dias e9 horas, va-
por brasileiro Armos, de 900 toneladas, com-
mandante Joaquirn de Paula Guedes Alcoforado,
equipagem 53, carga diferentes gneros; An-
tonio L. de Olive.ira Azevedo & C.
Baltimoro 31 dias, pataehs americano Chawan,
e lil toneladas, capit) W. & Forbes, equipa
gi'tn 8, carga 2262 barricas com farinba de tri-
go ; Genry Forsler de C.
iVaoio sakido no mesmo dia.
Rid da Prata Escuna hollandeza Weldtrvank,
capito (eezen, carga assucar.
SANTA CASA K MISERICORDIA DO
RECIFE,
A filma, jonta administrativa da Santa casa de
Misenc rdia do Recife manda fazer publico que
na ala de soas aessdes, no dia 22de dezembro, pe
las 3 horas da tarde, tem de ser arrematadas a
quem tois vantagens offerecer pelo tempo de uir
a tres annos, as rendas dos predios era seguida
iechtfados:
ESTABELF-CtMENTOS DE CARIDADE.
Ra de Santa Rita. <
Casa terrea n. 32.......16f*0OO
Ra da Matriz da Boa-Vista.'.
Casa terrea n. 56.......202*000
PATRIMONIO DOS ORPHAOS.
Ra de S. Jorge (outr'ora Pilar)
Casa terrea n. 105................. 151*000
dem idem n. 99................... 365*000
Os pretendentes deverao apresenlar no acto da
orrematago as suas (langas, ou comparecerer
acnmpanhadrs dos respectivos fiadores.
Serretaria da Santa Casa de Misericordia do Re-
cife, 30 de novembro de 1870.
O escrivo,
Pedro Rodrigues de Souza.
71/2
71/2
71/2
7-/2
71/2
71/2
71/2
4i/i
U/i
71/2
71/2
71/2
7 1/2
7 1/2
71/2
71/2
71/2
71/2
71/2
71/1
10
10
4(1
'.0
i
40
40
10
40
4i I
40
40
40
40
4U
40
40
40
40
10
10
40
10
40
4(1
40
40
40
40
40
40
40
40
40
40
40
40
TAXA
DE I.M
PORTE
U
rs.
490
650
320
650
490
490
60
650
650
650
490
650
220
650
6-20
320
320
Lucia de Lamemoor
Grao Du do 34 acto da sublime opera
Nol-ma
Terceira parte
Ultimo acto da opera
IlTrovatore
(Aria Leoooza t Grande scena do Miserere) Do
Seora e o conde de Lona Do Maorico e Azu-
cena, terceto e qnarteto final da opera.)
A oreheatra ser dirigida pelo maestro Gialdini.
Principiar s 8 horas.
PREgOS:
Camarotes de 2" ordem (na frente)
Ditos de 2* ordem (noe lados)
Ditos de ordem
Cadeiras
Os bilbetes acharase a venda no escriptorio do
iheatro. r
N. B. Em conseqnencia de muitas festas segui-
das a direcgao tem resolvido transferir a estra
da companhia lyrica para quarta-feira 18 do cor-
rente.
As assignaturas
theatro.
20*000
17*000
14*000
3*000
se recebem no escriptorio do
rs.
10
90
60
N
10
10
10
00
90
90
9(1
90
90
10
90
50
10
320 90
650 60
650 70
350 10
490 10
650 10
650 70
320 10
490 90
650 90
90
10
10
10
90
90
10
10
10
10
so
90
10
90
90
90
90
10
90
10
10
90
10
650190
650 90
650
490
650
650
650
650
650
650
60
490
220
650
650
620
650
650
60
320
650
650
490
650
650
THEATRO
DA
ZARZUELA IIESrW'lIOU
NO
CAMPO DAS PRINCEZAS
EMPREZA LARTILLER E CASTILLO
HOJE
A direcgao desta companhia, agradecida para
com o Ilustra lo publico pernambucano, do bom
acolhimento que Ihe lera dado s pegas por ella
postas em scena ; offere e Ihe neste dia urna das
raelhores obras do seu repertorio, em 3 actos,
msica do maestro Barbieri, e letra do Sr. Cara-
prondon, intitulada :
Personagens.
Henriqueta...........
Clara...........____
Len................
Jorge.
Actores.
Sra. Rivera de Castillo.
Sra. Rivera de Lartiller.
Sr. Castillo.
Sr. Granados.
Inspec^o lo arsenal de
marinha.
Faz-se publico que a commissao de peritos
sxaminando na frma determinada no regulamento
annexo ao decreto n. 1324 de 5 de fevereire de
1854, o casco, machina, caldeira, apparelho,
mastroagao, veame, amarras e- ancoras do va
por Uvminguape da companhia Pernambncana de
navegagao costeira, achou qne o vapor pode con-
tinuar a navpgar, porm as caldeiras ni funcio-
nando com mais de oito libras de presso.
Inspeccao do arsenal de marinha de Pernambu-
:o 24 de dezembro de 1870.
O inspector,
H. A. Barbosa de Almeida
EDITAES.
O Dr. Abilio Jos Tavares da Silva, official da or
dem da rosa e juiz privativo dos foitos da fa
zenda nacional el;.
Fago ssber quo em vista da execugao que a fa-
zenda naeional encaminha contra os berdeiros de
Julio Pereira Mattoso, exoollector do Cabo, fez-
se penhora em urna escrva de nome Monica, ava-
hada por 600*, era consequencia do que e em
face do decreto n. 1693 de 15 de selembro de
1869, sao convidados pelo presente quaesquer li-
citantes para apresenlar suas propostas dentro de
praso de 30 dias, achando-se a mesma escrava no
deposito geral nesta cidade. E para que chegue a
noticia de todos mandei passar o prsenle que
ser publicado pela imprensa e aflxado no lugar
do costurae.
Dado e passado nesta cidade do Rccifa aos 16
de desembro de 1870. E eu Luiz Francisco Bar
reto de Almeila, escrivo que o subserevi.
Abiiio Jote Tavares da Silva.
O inspector interioo da alfemiega, faz puuu
co, que quarta-feira 28 do corrente. depois de
meio dia, porta da mesma repartigio, sero le-
vados a hasta publiea os objectos abaixo declara-
do?, livre de direitos ao arrematante.
MarcaT J, Pernambuco i caiXa com 14 kil-
logrammos de chumba em canos, valor do killo-
grammo S:i3 rs., 5*266 ; meio killogrammo. de
tarrschas de ferro pwaps meynos, valor do kil-
logrammo 333 rs., i*.
Ilem idem 1 eaixa com 5 l|2 killogrammo?
de obras de cobre bronzeado, valor do killogram
ma2* ; 11*000.
Marca O A n. 11 caixa com 26 killogram-
mas de pequeas arrogas de madeira, valor di
killogrammo 2*, 5#00O. '
M.reaMonljirb 4 Irmios, n. 10-1 caia'com
20 lencos de-chita pesando meio killogramma, va^
ior do killogramma 4*500, 2*250.
Marea-C I & C d. i 12 killogramraw de j
Din Joan Buson, vice-consul de Espaa en
e>ta provincia, por el presente, ellamay emplaza
los que se j testada del fallecido subdito espaol Antonio Men-
serrat, natural de Tortora (Tarragona) y fallecido
en esta cuidad, en el dia 23 de diciembre del ano
prximo pasado, para que, en el imororro?ahle
plazo de 30 dias, a contar del de esla pnblicacion.
comparezcan en este vice consulado, or si 6 por
medio de procuradores con poderes bacantes, y
leiralmente habilitados en la forma de la lev, como
heredero herederos del referido Antonio ifonser-
rat y no compareciendo en dicho plazo, se pro-
cedec de conformidad con lo qne dispone la ley
Para que concte a quien interesar pueda, v
prodnzea sus dbitos efectos, mand publicar el
presente.
Pernambuco 28 de diciembre de 1870.
Juan Bason.
D. Juan Buson, vice-consul de Hespanha nes
la provincia, polo presente chama e empraza aos
que se julgarem com direito fucessao intestada
do fallecido subdito hespanhol Antonio Monserral,
natural de Tortosa, (Tarragona) que fallecen nes-
ta cidade, em 23 de dezembro do anno prximo
passado, para que no improrogavel praso de 30
das a contar do desta publlcacao, comparegam
npste vice censulado, por si, ou por meio de pro
curadores com precnraeSes bastantes, e legal
mente habilitados na forma da lei; como berdei
ro eu herdeiros do referiio Antoolo Moo nao compareceodo em dito praso proceder-se ha
de conlbrmidade com o que dispoe a lei.
Para qne conste a quem interesar possa. e
proloza seus devidos efleitos, mandei publicar o
presente.
Pernambuco, 28 dezembro de 1870.
.___ Joan Bu3on.
Mayotta (ilha)
Miguelou (ilha.................
Noruega......................
Polonia.......................
Portugal.......................
Prussia.......................
Kepoblica Argentina...........
Beunio (ilha).................
Russia........................
Sandwich (ilhas)...............
Santa Maria de Magascar.......
S. Pedro (ilha)................
S. Thomaz....................
Senegal................../
Shang Hai.....................
Secia.........................
Suissa............... ",
Tnnis......................,.!
Turqua......................
Yok-jbama....................
Paizes nao mencionados cima..
EXPLICARES.
Cartas ordinarias.E' facultativo e at seu des
tino o previo pagamento do porte das cartas para
Allemanha, Alexandria do Egypto, Algeria.Austria,
Belgija posstSsSes francezas na Cochinchina
(Bien Hoa, Mylho, Pulo Cndor e Salgon), Dina-
marca, cidades do Egypto e da Turqua, cujo ser
vigo feito por intermedio dos paquetes france-
zes ou pelo correio austraco (Alexandrette, An
drinopla. Antivari, Beironth Burgas, Caifa, Cairo,
Canda, Canea, Cvale, Chio, C nstantlnnpla, Dar-
daoeJIos, Duzaz'o, Gailipoli, Ineboti, Jaffa, Janina,
Kerassunde, Larnaca, Lattaqui, Menina, Melelin,
l revesa, Relimo, Rhodes, Boustchouk, Salonque,
samsoum, Scutari d'Asia, Serez, Sinope, Smyrne,
SopUia, Suez, Sulna, Tnger. Tndos, Trebisonda
"'P0, < Syria, Toliacha, Tuuis, Valona, Varna
e Vollo), Estados Pontificios (va Franca), Esta-
dos-Unido?, Franga, Gora, Goyanna Franceza,
Guyana Hollandeza, Gra Bretanha, Grao-Durado
de Luxemburgo. Grecia, Guadelupe, Hollanda, ilhas
lomeas, pgs-essoes francezas na India ( Chander-
nagor, Kankal, Mah, Pondichiy e Yauaon) lu-
ha, Malta, Martinica, Mayota, Miquelon, Naruega,
Polonia, Prussia, Reunjio, Russia, Santa Maria
de Madegasear, Sr-Pedro, Senegal, Shang Hai.
Suecia, Suissa, Tuns, Turqua e Yukohama.
Cartas seguras.As cartas podem ser seguras
quando destinadas aos paizes a cujo respeito
faculativo o pr"vio pagamento do porte, menos
os Estados-Ualdo3 da America do Norte. As car-
tas para Franga ou para os paizes a que o correio
francez serve de intermedio, pagam previamente
o dobro da taxa ordinaria, devem ser rrettidas em
envelopes e fechadas pelo menos em duas partes
com lacre de urna s tur e sinete representando
ura signal particular ao remetiente.
Amostras de mercadorias. S se admittem
amostras de mercadorias para a Franga e Algeria,
mediante o pvio pagamento do porte de 60 res
por 40 grammos.
Impresso3 E' sempre obrigatoro o previo pa-
gamento do porte, e s at seu destino relativa-
mente Franga e Algeria.
Directora geral dos correio?, em 10 de dezem
brode 1870. ~
O director geral,
Lnz Plioio de Oliveira.
Coros de pretos de ambos os sexos.
A acgo passa-se em um engenbo e plantago
de tabaco, as cercanas de Matanzas. (Ilha de
Cuba.) v
A empreza p3e om trem expresso depois de
espectculo para Apipucos, o qual toca om todas
as estagdes.
N. B. Os bilbetes acham-se venda no
criptorio do theatro.
Principiar s 8 e 1|2 horas.
es-
DE
Qioaillis, piano, porcelanas, crystaes, otras
de metal superfiuo,
e outros adoraos de tasa
a 30 do corrente.
agente Oliveira fari leo por ordem do Sr.
Rodolph) Hrui'kHmberg, das mais perfeits e ricas
mobiuas de bellezas, t constroejes modernas,
como melhorea nao pod"eriara i^portar-se do es-
traogero, nem consegnirem-?e neste paiz, een-
sisirado em guarnigoVs completas para tres salas
de visitas, ora esplendido piano novo do vozes as
mais harmoniosas, com cadeiras e estantes para
msicas, e.-pelhs de molduras douradas, qua-
dros admiraveis, figuras de brome e ontras para
adornos, poltronas, sof com lindas cadeiras de
encesto estufadas e forradas de damasco de seda,
cadeiras de balanco, mesas para jogo, cha, e para
costura, relogio bom regulador, urna extensa mesa
elstica para janur, apparadores e gaarda-loucas,
jpparelhos inteiros de porcellana muilo ricos para
jamar, sobremesa, cha e caf, faqoeiros com garios
e facas, colheres para peixe, sopa, dessert e cha,
galheteira?, salvas e ontras pecas de melal pouco
inferior ao cusi das de prata liba, mas superiores
na apparencia pela qualidade lindos feilios la-
vrados; bella collecgo de garrafas lapidadas,
copos para charapanba e outros vinhos e para
agua, pratos para fructas, compoteiras e ootros
primorosos crysiaes. como de bellos lustfes/cande-
labros, lanternas e lamp. oes para \:n em todas as
salas, quartos c corredores, cadeiras de varias ma-
deiras e feilios, lindas alcatifas, oleados e esteiras
de forro de salas, saletas, corredores e eaea-
eadas, um magnifico leito para nma pessoa ou
casal, separada ou eonjunctamente com enxerges
de molas e colchos de crina e cortinados, esplen-
didos guardi-vtstidos e guarda-roupas de diversos
lmannos e moldes, cr mmodas, roarqnezas, touca-
dores com pertences de porcellana, camas de ferro,
lavatorios, mesas para differentes misteres, e in-
nmeros outros artigos, como venezianas, ele,
todos indspensaveis urna casa quando prepara-
da com esmero, e na mor parte viodoa do estran-
geiro, sem attengo a dispendio, tendo-se em mira
principalmente a combinarlo do bom goslo, com-
modidade e perfeigo :
Sexta-feir
das 9 horas da manhaa em diante, na grande casa
em que resido o referido Sr. Kroekenberg (pro-
pietario o Sr. baro de Nazaretb, no lugar da
Magdalena, quasi defronte do sitio do Sr. Barroca.
AVISOS MARTIMOS.
COMPANHIA PERNAMBCANA
DE
Navegando costeira por vapor.
Parahyba, Natal, Maco, Mossor, Ara-
caty, Cear, Mandah, Acarac e
Granja.
O vapor Jaguai iftecommandante
Guilherme, seguir para os por-
tos cima nodia 31 do corrente
as 5 horas da tarde. Recebe car-
ga at o dia 30, encommendas
passageiros e dtnhero a frete at as 2 horas da
tarde do dia da sahida : escriptorio no Forte do
Mattos n. 12.
Companliia americana e brasilei-
ra de papeles a vapor.
At o dia 1 de Janeiro esperado dos portos
do sul o vapor americano Merrmack, o qual
depois da demora do coslume seguir para New-
York tocando no Para e S. Thomaz.
Para frotes e passagens, trata-se com os agen-
tes Henry Forster & C, ra do Commercio n. 8.
AVISOS DIVERSOS.
INSTTCTO ARCDE0E06IC0 GEOGRAPHICO
E PERM1BUCAM
llavera sess5 > ordinaria quinta feira 29 do
corrente dezembro, pelas i I horas da ma-
PORTO
Correia geral
Relaco das cartas registradas, procedentes
do sul e norte do imperio, existentes na
reparlc5o do correio em 27 de dezembro
de 4870.
Antonio Jos Araujo Braga, Augusto Cesar da
Cunha, Braz C. do Hegj Barros, Cosario Manoel
{ rancisco dos Prazeres, Cesar Pereira da Silva,
D lno E. Correia Braga, Pran>'isco Antonio Cor
rea Maciel, Francisco Vieoa Perdigo, Francisca
Maria de Jezus, Fran isco da Silva Vaz, Francisco
Martins Raposo, Jos Viacna Vaz, Jos Jerooymo
Monteiro, Jos Rufino de.Araojo, Joo da Cunha
Neves, Joao MSria Seve, Joaana Francisca Seve
Navarro, Joo Herraino Lin?, Joo Rodolpho Go-
mes, Joo E. da Silvj Lisboa, Maboel Jos de M.
Uirreia, Marianna Ribeir-o da Lapa, Ther^za Rosa
de Jezus Siqueira.
O encarregado do registro,
Manoel dos Passos Miranda
Pretende seguir, com mula brevidade, a barca
portugueza Social, por ter a maior parte de seu
cirregaraento engajado ; e para o pouco que Ihe
falta, trata-se com o seu consignatario Joaquim
Jos Gongalves Beltra', rna do Commercio.
COMPANHIA PERNAMBCANA
DE
\aves:u'o costeira por vapor.
Macei, escalas e Penedo.
s**ffiv O vapor Giqui commandante Ca-
^ aVam valcanle Macedo, seguir para os por -
OR tos cima no dia 31 do corrente as 5
horas da tarde.
Rjcebe carga at o dia 30, encommendas, passa-
geiros e dinheiro a frete at as 2 horas da Ur-
de do dia de sua sahida : no escriptorio do Forte
do Mattos n. 12.______________
COMPANHIA PERNAMBCANA
DI
%'avegaco costeira por vapor.
Porto de Gallinbas, Rio Formoso e
TamanV.
O vapor Parahyba seguir para os
portos cima no dia 31 do corrente a
_ njeia noite.
Recebe carga, encommendas, passageiros e di -
nheiro a frete: no escriptorio do Forte do Mattos
n. 12.
CASA DA FttTIHA
Aos 5:000*
Billetes garantidos.
A rna Primeiro de Marco (ontr'ora roa dt
Crespo) n. 23 e casas do coslume.
O abaixo assignado, tendo vendido nos seus te-
lizes bilhetes ora mtio n. 237 com 5:00000>, um
inteiro n. 1757 com 900*000, e nutras sones de
100000 e 464000 da lotera qne se acabou de -
trahir (176"), convida aos possuidores a virem re-
ceber na conformidade do coslume sem descont
algom.
Acbam-se venda os bilbetes garantidos da
2.' parte das loteriss, a beneficio da matriz de Se-
rinhaem (177/), qu< se extrahir terga-feira 3 de
Janeiro de 1871.
PRECOS.
Bilbete inteiro 6000
Meio bilhete 3<000
Quarto 1*500
Em porgo de 1004000 para cima.
Bilbete inteiro 5*400
Meio bilhete 2*700
Qnarto 1*350
Manoel Martins Finia.
AULAS NOCTURNAS
Para os empregaitos do
commercio.
THEATRO
COMPANHIA PERNAMBCANA
BE
Vavegaco costeira por vapor
Mamanguape.
O vapor nacional Corurtpe.
commandante Silva, seguir
para o porto cima no da 28
do corrente as seis horas da
tarde.
Recebe carga passageiros.
encomiendas, e dinheiro a frete at as 2 horas da
tarde do dia da sahida, no escriptorio do Forte
do Maues n. 12.
Collegio S. Pedro de Alcntara,
da C^deia do Recife n. 24.
mal
No dia 2 de Janeiro vindouro abrir-se-l
ho os seguintes cursos :
Taeoria e pratca de escripturaco raer-
cantil (por partidas dobradaj).
Arithmetica applicada ao commercio
(syMema mtrico).
Estudo theorico o prati(\i das seguin-
tes lnRuas: portugueza, franceza, ingle-
za, allema e italiana.
Msica vocal e instrumental.
CURSO DE PREPARATORIOS.
I -----
("Collegio S: Pedro de Alcntara, roaj
da Cadeia do Recife n. Si.
I No da 2 de Janeiro principiarlo a func-
i conar a? aulas de preparatorios para o
t curso jurdico;
I Portuguez, latim, francez, inglez, phi-
i losophia, rhetorica, historia universal,
geographia, ariihmfiea e ceometria.
^<-.
mmz
PJrllA
PORTO
j AULAS DE kVSTRUCCO PRIMARIA
|No collegio S. Pedro de Alcantara.j
rna da Cadeia do Recife n. 24.
Abrir-se-ho no dia 2 de Janeiro.
Aduiiaistraco dos crrelos de
de 18.
Mala pelo vapor .irnos im ampanhi* ra
sileira.
''O'T^Pondanca qne tera de ser expedida hoie
(28) pelo vapor cima mencionado para os nortes
do sul ser recebida pela maneira seguinte
Magos de jornaes, impressos de qualquer'natu-
reza e cana* a registrar at 2 Jwas da tarde
cartas ordmar.as at 3 horas, e estas at 3 Ii2
pagando porte dupla '
As .cartas e jornae> que forem dirigidos aoRio
da rat 1 pegatld previamente, aquena a taxa de
300 rs. por 18 grammas nU fraccao de 15 gram-
olas, e Mtes 40 r?. por 40 gramrna ou fraego o>
40 grammas ni orogressao estabelecdi- as ta- ^orntrna. quando le ser al placido .para te-
bellasC e Dannwas
dezembro de 1866.
a? lnstruccfle do lde
O administrador,
Affonso do Reg Barros.
COMPANHIA
LRICA ITALIANA
Magnifico espectculo lyrl. o pa-
ra a estrs da companhia.
toarla feira 28 de dozembro
ORDEM UO ESPECTCULO
Primeira parte.
Acto 1 da celebre opera
UTrovatore
Cavatina Leonoza, Romanzo Maurico, Ttszette
Leonoza, Maurico e o Conda de Luna)
Segunda parte
or da opera i
Luisa Miller
Duelo de desafio da opera
Vai seguir em pouco tempo o brigue portuguez
Sensivel por ter a maior parte da carga engajada :
quem no mesmo quizer earregar ou ir de passa-
gera, para o qne tem exce lentes commodos, trate
com os consignatarios Thomaz de Aquino Fonseca
& C. Successores, na ra do Vigano n. 19.
LEILOES.
-M*
O agente Garca competentemente antonsado
peloliun Sr. Dr. juiz do commercio substituto
deste termo do Natal em eiweieio vender em
publico leilo i porta da alfaadega desta cidade,
por eoota e risco- de quem pertencer no dia 12 de
Janeiro do mez e anno prjimos vindouros, das 10
horas do ia ero.'diante, a barca norueguense
Sterling, naufragada na praa de Caissara e pre-
sentemente enalbada no porto desta cidade, eom
mastros, jergas, velas, ancoras, correles e todos
os ajis apparelhos e pertences do mesmo navio,
no estado e eoodigdes em qu* se achara. E para
que chegue noticia a todua o quera interessar pos-
sa, se mandn publicar este auouncio nos Jornaes
i i de leitfee no Natal 22 de deatmbro de 1870.
Os senboros acadmicosxn pessoas que de-
sejarem escrever para algnm jornal, creando para
esse Om o orgo qui bem Ibes aprouver, dlrijam-
se Roa-vista, Corredor do Bispo, casa n. 12, em
frente as casas dos Srs. Araonm, que enconlraro
pessoa habilitada para irwar t ludo, pois estando
ah montada urna lyporrapaia era ponto peqneBo,
mas com b-ras typos e prelo, desoja o seu proprie-
tario agradar a todos e ser diligente oas encom-
mendas que Ihes forem mandadas. O commercio,
boticas e todos os demais estabelecimentos, podem
de improviso fazer qoaliuer pedido, que acharan
gosto e bondade ; emfim qoein desejar imprimir
qualquer obra, aceiu-se e se faz com asseio. O
propietario doste estabelecimento espera a prolec-
cio de todos quanto o qnizerem honrar.
Na rna da Senzala-velha b. 119 aluga-se nm
raoleque de 15 a 17 annos de idade, proprio para
qualquer servico de casa on de rna.
Eeligio.
A pessoa que qulzjr possuir urna imagen do.
Senhor Cruxiflcado, obra de Lisboa, toda appar-
Ihada de prata at os cravos, dirjase a ra do
Alecrim, hoje do Padre Nobrega n. 62, taberna.
Acha se desiecupaa a casa terrea n 49 da
ra Velha, na Boa-ftsta alnga-se com condigoee :
para ver existo a chave detrooie n. 60, e para
tratar na ra larga do Re sari n. 96, hija.
nliaa. ORDEM DO DIA
Pareceres e mais trabalbos de commis-
soes. L 1
Secretria do iBstitato, 26 de dezembro
de 1870. m ---
J. Soares i'Azevedo
Secretario perpetuo.


Precisa-se de nma ama para comprare eoziobar
para horaem^selteiro : na praga da Independencia
tu. i e 6.

aa-------


Diario de Pernamkuco Quarla eira 28 de Dezembro de 1870.



'<

l
ESTABTO MENELECIEM 1832
y^ariliui de Brislol.
LEGITIMA E ORIGINAL
KM FRASCOS CHANDES
GRANDE PURIFICADO!! DO SANGUE f
Esta excellente e tariravel medicina, e
preparada d'uma manera a mais seientifi-
ca por Chimicos e Droguistas mui doutos e
i'uma nstruccao profaida, tendo tido rooi-
les annos de experiencia ao par d'uma loo-
,?i e laboriosa pratica.
A sua composicao nao consiste d'um sim-
ple extracto d'um s artigo; mas sin,
composta d'extractos d'um numero de rai-
zes, hervas, cascas, e fomas, possuindo te-
das ellas, sua virtude especial ou poder
ea curar as molestias as quaes teem sede
u essenta, ao sangue ou nos humores;
e estes difieren tes extractos vegetaes, achat-
se por urna tal forma combinados a ponto
de conservarem era toda a sua forca, o cu-
rativa especial de virtude, que cada um de
per si possue. A raz da planta de Salsa-
parrilha, preduzida as Honduras, a que
nos usamos nesta preparac3o, sendo a qna-
iidade que todos os mdicos mais prezam
e estimam. Na composifao da Salsa-
parrllha de Brlstol entra mais de 50
por cento deste concentrado extracto. Ella
nao encerra em si cousa alguma, que pos-
sa por leve ser perigosa ou injuriosa
sade; e tanto n'este, como em quasi to-
dos os mais respeitos, ella inteiramente
diversa de todas essas mais preparacdes,
as quaes dcbaixo do nome de Salsaparr-
lha, sao acondicionadas ou postas em gari
rafas pequeas, sendo receitada em doses
mui diminutas d'uma colher de cha por
cada vez. Nos pelo contrario engarrafa-
mos a
SAL5APARRIRA DE BRISTOL
em frascos grandes, e assim por este modo,
dividimos com os consumidores, o grande
proveito e vantagem alcangado por aquelles
que acondicionam sua preparaco em gar-
rafas pequeas. Cada um dos frascos da
oossa Salsaparrilha de Brlstol
oonteem a messa quantidade igual porcSo
contida naquellas garrafas pequeas, e alm
disso, possue ainda muito mais forca e
virtude medicinal do que aquella, que por
ventura se possa achar contida dentro de
seis garrafas de pequeo tamanho. Por-
tanto mui natural, que aquelles, que se
acham oceupados em preparar e venders
suas produeces, em garrafas pequeas,
murmurem c gritem contra os nossos fras-
cos grandes proclamando, que a nossa Sal-
saparrilha de Brlstol nao possue a
menor virtude; porm quo electivamen-
te sfo ellos postos em silencio, quando indi-
camos, ou simplesmente referimo-nos para
com essas centenares de certides e tes-
temunhos authenticos, por nos recebidos
de todas as classes da sociedade, nos quaes
plenamente attestam o poder curativo e vir-
tudes niara vi Diosas da nossa.
SAI^APARRILHA DE BRISTOL.
A vantagem de termos os nossos pro-
prios acontes naquelles lugares aonde as
differentes raizes, drogas, hervas, e plan-
tas de que se compoem as nossas medicinas:
s5o produadas, que nos habilita exer-
cer aquello constante cuidado e disvcllo na
minuciosa escolha; e o que assegura e ga-
rante uniformidade de excellencia.
Em qanto que, por outro lado, nos nao
nos pouparaos nem dinheiro, nem dili-
gencias ; alim de alcancarmos o melhor
e nicamente o melhorde cada um artigo
ou ingri/licnte que entra na sua composi-
cao ; pois levados e compenetrados da
mais firme e persuasiva confianza; que po-
demos adultamente dizer aos doentes de to-
das as naces, e de todos os paizes, que na
Salsaparrilha de Brlstol. possuem
um remedio mais edicaz e seguro; do que
nenhum outro, que vos tenha sido offere-
cido at hoje, e o qual por certo n5o hade
mallograr vossas expectativas, na prompta
e effectiva cura das seguintes enfermidades:
?
Escrfulas,
Chagas antigs,
Ulceras,
Feridas Ulcerosas,
Tinha.
Syphilis,ouMal Ve-
nreo
Humores Escrofu-
losos,
Irregularidades do
Sexo
[Feminino,
Nervosidade,
Debilidade Geral,
Febra e Malignas e
Febre e Seioes
Biliosas,
Tumores
Abscessos Apostemas,
Ecupgcs,
Herpes,
Salsagem
Impigens,
Lepra, febres intermitientes e remittentes
hydropesia e ictericia, etc., etc.
Ontro-sim, achar-se-ha, que para o bom
resultado e perfeito curativo de todas aquel-
las enfermidades cima apontadas omadian-
tamento da cura< grandemente promovi-
do e apressurado; usando s ao mesmo
tempo das nossas mui valiosa plalas
vegetaes assHearadas de Brlstol,
tomadas em doses moderadas em connec-
co ou conjunetamente com a Salsaparrilha;
ellas fazem remover e expellir grandes
quantidades d,e materias morbficas e hu-
mores viciados que se desprendem e livre-
monte circulara espalhados pelo systema,
isto causado pelo uso da Salsaparrilha; e
por esta forma facilita a volta e o exercicio
normal das operac5es funecionaes,
Acha-se a venda nos estabeleciraentos de
A. Caors, J. da C. Bravo 4C..P. Maorer
EXPOSIQlO UNIVERSAL DE tSSI
- IID*tM* DE f CLAMI
1LF. LABABRAQUE & C"
QUINIUM
APPROVADO PELA ACADEMIA DE MEDICINA 01 PARS
Aluga-se urna excellente casa de sobrado
em Olioda, muito fresca e perto do mar,
com muitos commodos para grande familia.
Tambem se alugam as lujas em separado:
a tratar do Recife, roa Bella n, 37. As
chaves para ver a casa acham-se emO inda
defronte da igreja de S. Pedro Martyrj ven-
da do Sr. Antonio da Silveira.
Ama de leite
Preciu-s" de urna ama de leite sem fllbo : na
ru de Hurtas a. 30, sobrado.
Criada.
No collegio da Coneeicao preeisa-ie de ama
criada, pagando-ae hem ae agradar.
Pr*tfa-se de um pequeo de 14 a 18 ao
dos para caiieiro de ama taberna, pirtngaet oa
brasileiro, que d flalor a sua conducta : na roa
4o Principe a. 40, frefuezia da Boa-mU.
G Qiilnliim abarraque > um
?inlio mUjentemente tnico e febrfugo que deve
ser preferido todas as outras preparacoes de
quina. /
Os vinhos de quina ordinariamente emprega-
dos na medicina preparam-se com cascas d
quina cuja riqueza em principios activos extre-
mamente variavel; parte disso, em razao de seu
modo de prepracSo, estes vinhos contem ape-
nas vestigios de principios activos, e em propor-
coes sempre variaveis.
O Qulolum Labarraquc, approvado
pela Academia de medicina, constitue pelo con-
trario um^ medicamento de composicao deter-
minada, rica em principios activos, e com o
qual os mdicos t os doeni podem sempto
contar.
i
O Qiilnltim Labarraque prescripto
com grande xito s pessoas fraca's, delibitadas,
i
seja por diversas causas d'esgotamento, seja por
antigs molestias; aos adultos fatigados por urna
rpida crescenca, s meninas qu tera difficuldade
em se formar e desenvolver; s mulheres depois
dos partos; aos velhos enfraquecidos pela idade
ou doenca.
No cazo de chlorosis, anemia, cores plidas,
este vinho um poderoso auxiliar dos ferrogi-
nosos. Tomado junto, por exemplo, com as pta-
las de Yallet, produz effeitQs maraviUiosos, pela
sua rpida accao.
Deposito em Pars, L. FRERE, ru Jacob, 19
Rio Janeiro, Duponchelle j Chevolot.
Pernambuco, P. Maurer y C'\
Bahia, Hatsse y C*\
Ouro-Preto, Candido WeUeraon.
Maranhao. Forreara j Pelotas, Aatelro Le va*.
Maceio, Falco Das.
Porte Alegre, Francisco Jos Bello.

GRANDE ARMAZEM
DE
111(1, FOMELAM, VIMOS
CHRYSTAES
m
i"9
DE
PER EIRA. IRMA OS
Ra Primeiro de margo n. 15, outrora ra do Crespo n. 15.
Ao respeitavel publico em geral e particalarmpnte aos seus numerosos amigos
participan Manoel Joaquim Pereira e Manoel Jos da Cos'.a Pereira, que acabara de
fundar um rico e sumptuoso armazem de louea, porcelana, vidros e cbystaes ra
Primeiro de Marco, outr'ora la do Crespo a. 15, sob a razo social Pereira
Irm5os.
A longa pratica e conhecimentos de que dispSam os annunciantes neste ramo
ie commercio, a que, ha muitos annos, se dedicara, os tera habilitado a satisfazer as
necessidades da populacho desta provincia e suas limitrophes, offerecendo aos consu-
midores maiores vantagens do que qualquer outro estabelecimento deste genero.
O respeitavel publico, dignando se da visitar este novo estabelecimentoj com-
mercial, verificar por si mesmo o que os anunciantes vem de dizer.
21**2*. Paz9
primeiro introductor dos popos tubulares di Abys-
siuia, em Pernambuco.
Participa ao respeitavel publico que ltimamente tem recebido a quarta remessa dos
ditos pocos, e os pert^ncia completos e aperfeicoados para a collocacSo d'elles em pouco
tempo, tanto em terreno mole como em trra de barro, massap ou em pedra a mais
dura que houver, como se pode verificar do s!tio do aoauncante do Araial dos Coqueiros
As vantagens que offerece esta systema de adquirir agua sobre qualquer outro, so
immeosas; serviodo Dio smente as condiooes cima mencionadas, eomo tambem oas
cacimbas j feltas, apode ainda nlo tem bombas ou a agua n5o pura, poes elleg esto
munidos de um filtro que alo deixa entrar impuridades, vantagem que nao tem os ootros.
Alm disso, a grande quantidade d'agua que elles deitam de 5 8 pipas por hora'
conforme o dimetros dos tubos. (i i/i, 1 i/i e 2 pollegadas) a facilidade cora que elles
faoccionam, a simplicidade, perfeicSo e solidez, combinada com a elegancia de sua form?,
que para ser apprec iada basta ver-se.
O annunciante tem urna pesoa especialmente7 habilitada, tanto n collocacao d'elle,
como na escolha do terreno ou lugar mais proprio.'qae se encarrega de ttes servicoa por
preco commodo; e, visto o cambio ser mais favoravel, vende-ge elles por precos Mais
moderados, recebendo-se a imporlaoxia s depois-de collocado e funcionando a satisfc3o
do comprador. ,
Para enoommendas e mais esclareoimetos a respeito
trato-s na leja do 8r. F. J. Gennann, *rua Nova n. 21 e
aaofficina demetaes do 8r. Paulo Jos da Silva Freir,
largo da Concordia n. 7.
ESTABELECIDO
NA
CIDADE DO RECIFE
SOB A VALIOSA PROTECCXO ?
DE
& SAMTIDADP] PEO IV.
DIRECTOR E PROPIETARIO
aasaaaan m mnimum *
BERNARDO PEREIRA DO CARMO JNIOR.
- Este aaligo estabelecimento de educacao e intruicao ach El
Ca
r. coso, claro e bem v. otilado edificio da praca do Conde d'Ea n. 32, para onde foi remo
Ki vido, contina a receber alumnos interno*, sim'intemos e externo.
i*a Oa hnnfl roanlrailn. ana han inlh/1/i a rlln.. ac mnilAo Imiiuiai nn* am. ^ '. w
Os boas resultados que bao colhido e exibido os muitos alumnos que tem tida
este estabelecimento, devem servir de garante e animaclo aos paes da familias que de- '}/.
'4.
>A >eJarem ler an* MUS fllhos.
' Nos estatutos do collefio, que esto a disposicSo de quem oa qnizer ler, se
rjcT acham consignadas as condiccSes de entrada. ?


CASA CAUVIN A mim-
Pharmaceutioo pririlegiaJo
S11COCS'
6bc.toitl. S PARS.
NOVAS ESPECIALIOAOES A. f"WM!ER
Afrcfenud i Aca~ IU ICPOHf S1 IornlJ J- f^iU, dAeUit e do inUCUImU n ....... WA f)\r.-en i
reveoti! ( nntlra at MOLttTIU 0MTASIMA8.
INJECTORPIULTRO
me -ie un rciogio, y.'rvimlo 4a
I HII.TRO SERINGA seiii M
ri.a i*MMfniiiaa da fragiiai.
tCTrt IAA Con a formar it toIb> de ora Porte-Moedt
CO I UaJUO COIBNDO TODO JkTAMSSTO.
COLLYBIO Contra as affeccoie das palpebras,
K*ffndo sai a mesan farsa.
D i DTIIlT AVFA P* BepiMUriM cen pwt BRASBL e PORTUCAL
DiUliaULUAilU 9S.lt 34, rw |>rg femno. FBRNAMSUOO.
Ama de Rite.
Precisa-so de urna asa do 1, iU): oa ra da Pe>
nha n. 2\ 1 andar, paga-te J _______
minn
Preciaa-se de um feitor portugnex para tratar
de um pequeo sitio na Torre : na ra do Impe-
rador n. 43.
""* lai*4r*
Precisa-sede ura csixdro que tonba prrtica da
taberna : na rna do nngel u. II._________^^
Agencia em Peraambueo
Do Dr. Ayer
Peitoral de Ceraja
Cora a phtfiysica e todas as molestias do peito
Slirsa parrilha
Cora ulceras e chagas antigs, impigens e dar-
ros.
Tnico
Conserva-e limpa os cabellos.
PiliilM catbartleas.
Paramente vegetis sem mercua ; cura se-
joes, purgao e purificam todo o systema humano.
Vende-se efectivamente em casa de Samuel P.
Johnston A C roa da Senzalla Nova n. 42.
Precisa-se de dous amassadores; em San tu
Amaro, ra do Lima n. 66.
Precisa-se de um caixeire que
de taberna : na rna ja Aurora n. 50.
pratiea
Quem d noticia ?
Deseja-se saber aonde existe no Brasil o Sr. Jos
-Severiano Menezes de Albnquerque, tilho de O.
Marianna Carolina de Albui|oerque Meneies, e
neto de D. Luzia Clara de Heaezes Caldas e do
general Jos Severiano Caldas, sendo sua av na-
tural da villa de Piractu' da cidade de Marianna
em Minas Genes e o av da cidade de Lisboa o
Sr. J > Severiano Mendes de Albnqoerque, foi
adoptado e criado por um seu lio, general do ejer-
cito, cojo nome por inteiro Re ignora, e somente
se sabe que tinha o appellido de Albuquerque, e
resida na cidade de Nytherohy no Rio de Janeiro:
qnem delle souber e quizer dar noticia, pode dirt-
gir-se rna do Commercio n. 48, i' andar, eserip-
tori i dos Srs. Euzebio K. Uabello 4 C, que ser
gralifie d .
BU JAPOI
NOVA AGOA
. para o Toucador
KANANGA
I A P A O
AGOA
Pasa
TOUCAOOftl
POR RIGAUD B rsaruiiaTis
8, TtVlCHkC,
PAHIZ
EstaAgos extra-
hiia das flores do
Pirus Japxjniea.pel
- sua Euavdsde e
6uas proprieda-
des benficas,
excede os oos-
meticoemaiB celebres; tendo sido a-
doptads por toda a sociedade elegante
Deitada nos banhos.d'um perfbme
delioioso, consoldaos carnee e fax de-
saparecer as espiona*. oomiohSee e ai effloresoen-
cias da pella,
PREGO 1*500.
nico deposito no Bazar da Moda n. 50,
rna d' BarSn da Victoria o tr'ora Nnva.
l'earo Aniofli) It >Der(.> faz scipdik ao rc.pei-
tavel publico que exislinilo outra pess_.a de igual
n m se assignir d'ora em diaoie pir Pedro
Emilio Roberto.
VERDADEIRO LE ROT
de IISUBEI, Dottear-Mdedn
Ru> de Saine, 61, a\ PARS.
Km cada gairafa, ral, entre a rolha e o papel azul
H reilocoa o Silu Iwaiix o eem,,, m,CII
_ S N.B.-KtmtX-
-L^y, JT-J.V t"^o-*enmtMlf
4e SOfl franroe ao-
fcreParla.aceiUTel
a 60 rfiaa de vista.
omaximo.r^ua-ac
do abatinaento e dr>
maior doeootr
AROPI
PURATI
SoD^GIBERf
MEMBRO da ACADEbtlAmMEmCWA.
Preparado por dcsuuriers.pk
, Suc/< de BOUTIGNY-DUHAMEL
51 Ra de Clpy Pais
O Xarope depurativo iodu indo do Dou-
tor Gibert offerece, no seu emprego, um
resultado bom, certo e constante na cura
dasimpigens, escrfulas, moksiiasdapeUe,
vicio do sangue, oos/r iiccoe* /ymp/iatiaL,,
molestia* enntagin'-as (s'jphiltkr.s), Uves
tu inveterada!!, ede todos\o$ aceden tes que
d'ellas dependem.
A receita dest Xarope foi apnrovad*
pela Academia imperial de Medicina de
Pars.
Deposito as principaes pharmaeias do-
Brasil.
em Pernambuco: Maureb e C; Joaqim
Martinho da Cruz Corbeja ; Joo da Con-
cbi.jao Bravo e C*; Augusto Caors ;
Bartholomeo e C"; Alexandre Ribeiro;
Ababo Ribeiro ; JoAo da 8 Paru elBMio.
PEITORAL DE ANACAHUITAI
Duve-se notar que este remedio se acna
inteiramente izento de venenos, tanto inine-
raes, como vegetaes, em quano que porm,
alguns d'estes ltimos, e particularmente
aquellos que s5o dados sob a forma de Qpo
e rido Hydrocianica. l'ormam a baso da
maior parte dos Xaropes, com os quaes tao
facibnnte se t)ftgana a credulidade do pu-
blico. A Cemposicao do' Anacahuita l*eito-
a actuv*> linda e curiosamente engarrafadas
m frascos da medida de cerca de meios
quartimo cada um, e como a dose que so to-
ma s d'uma colher pequea: basta g-
ramente a applicacjk) d'um oa dous frasco
para a efectuacao de qualquer cura.
i


/
\
mm&*

tL

Dlftfld de Pertmmbuco jC Quarta ?el 28 de Dezemkro de 18* G
Precisa-s de oro atxeiro com alguma pratica
de pharmac: a trttrr na raa do Duque de Ca-
xas d. 5?.
PRIMEIRO B ANfIGO CONSULTORIO
HOlffiOPATHI!^
DlrlffMo pelo Dr.
SANTOS MELLO
Os habitantes do interior podem-no
consultar por escriplo, no que serao sa-.
tisfeitos cora promptidao.
Presta-se tambera a chamados para o
interior, a preco mdico.
ioasullas, no consultorio das 10 horas
ao meio dia.
Gfcamados, a qualquer hora.
Aos pobres gratis.
43Ra do Bario da ^Victoria43
(Antiga ra Novf).
O salo de pianos e de
* msicas
nudou-se da ra Nova n. 58, i andar, para a
ruada
Imperatriz n. I i toja,
onde contina recommendando-se ao Illm. pu-
blico.
________ G. Wertheiincr._________
AOS 5:000,0000
Estao venda os felizes biihetes da lotera da
Babia, na casa feliz do arco da Conceico, loja de
onrives no Recife.____________________________
Na praca da Independencia n. 33 se da di-
uheiro sobre penhores de ouro, prata e pedra;
oreciosas, seja qual for a qnantia ; e na mesm?
asa se compra e vende objectos de ouro e prata
igualmente se fax toda e qualquer obra de en
eommenda, e todo e qualquer concert tendent'
i ce: raa arte
Ra do Barao da Victoria, esquina da Camba, do Carmo, n. 23 (Antiga Ra NovaV
Teroos honra de participar a nossos numerosos freguezes que com a c&egada de um dos socios da Europa, suprio-se a
casa com um completo sortimeolo de chapeos de sol de todas a9 qu3lidades como tambera, de todos es materiaes para os mesmos
fabrico, como sejam armares de todas as qualidades, sedas, mirins, alpacas e pannos, assim como de especial cotbilrria, armas
para ca?a,chumbeiros e polvarinhos. Os chapeos de solter5o abatimeoto de 12, 15 e 2S por cento, comprando dinheiro.
Companhia Al iianca
DE
seguros martimos estabelecida
na Bahia em 15 de Janeiro
de 1870.
CAPITAL..Rs. 2,000 O^OjOOO.
Toma spgnro.de mrcadonas o din'eiro a risco
martimo em navios de vella e vapores para den-
tro e fra do Imperio. Agenci i ra do Com-
raercio n 17, escriptorio de Joaqnim Jos Gon-
'.alves Beltrao.______________________________
Au belsexe
COLD CREAM OF ROSES.
Cette Creme dalicicuse, universellement rpan-
- Jue en Angleterre, o les fcmmes sent si renom-
mes par la bsale et la transparence de leur
teint, doit sa rputation aux lmenls balsamiques
el onctueux qui la composent, aiosi qu' sa cons-
tante efficaeit pour adeucir la peau, la rendre
plus blanche, et contribuer ains la sant et a la
beaut, qui, toajonrs, sonl inseparables.
On la reeommande contre les irritation* de
I piderme, telles que Boitons, pnUDEs, Ta-
ches de RocssiDK, RoLT.Bcns de la Figure, et
contre les taches patbiques et les Tfflohescen-
ces. Cette Crrae convient spcialement aux fera-
mes enceintes pour prevenir LE MASQUE, auquel
elles sont sujettes.On sVn sert encor pour em-
pcner la figure de se hler par le froid ou la trop
tjrai.de chaleur.
l'rix 1:500 reis
Seal dopt a niaga.iu U,,ar do la ModoSO
l'.ue do Raro da Victoria.
VKTOP.IANO
,
lALHAiES.
ilVlIUUI/il I11UJU1
I.YTEKESSAXTE COMPOSICO LITTERiRlA.
-CONTENDO :
A noite do xtasis.
O sorriso.
A noite do assombro.
A lagrima.
A noute do delirio.
O mysteno.
Com urna carta critica dirigida ao autor pel<
Dr. T. B. Rigueira Gasta.
1 volume brochado 20O0.
AS CENTELHAS
Poesas patriticas sobre a guerra do Paraguay
. volume brochado 000
NA
Precisa-se de um caixeiro com pratica de la-
iierna : nn pateo de S. Pedro n. 1.
Urna perfeita cosinheira de inassa e de san
gue se eflorece para iazer banquete de noivados,
baptisadus e annos, e promette a quem precisar
<|uo iicar satisfeito, visto a grande quanlidade de
variados pratos que sabe fazer : na ra do Pilar
n. 103.______________________________________
Precisa-se de urna ama que compre e cozi-
nlie. para casa de pouca familia : na ra Nova de
Santa Bita n. 41.
SEGUROS
I
E
A companhia Indemnisadora, estabelecida
nesta praca., toma seguros martimos sobre
navios e seus carregamentos e contra fogo
em edificios, mercadorias e mobilias: na
ra do Vigario n. 4, pavimento terreo.
Para casa de um homem s, ,precisa-se de
ama mnlher para fazer o servido interior : tra-
tar em Santo Amaro em seguimento a ra da Au-
rora n. 44, andar._______
Aluga-se a casa n. 34 da ra da Ventura na
O punga, com commodos para grande familia, e o
2* andar e sotao do sobrado n. 25 da ra de San-
ta Rita : tratar na ra do Qneimado n. 2.
Precisa-se atugar meusalmente urna canoa
grande, que comporte duus milheiros de lijlos :
t tratar na ra larga do Rosario n. 18.
GRANITO.
%o *r. tisuoel lleudes de Fi-
fi iielredo.
Sendo daeorrido um anno depois que encarre-
gue Vmc. da cebranca de 1:0214220 constante de
una letra e de um papel de trato, e nao ha vendo
lit boje recebido noticia alguma acerca dessa co-
hraoca apeaar das repetidas cartas que Ihe tenho
dirigido e que todas tem fleado sem resposta, von
rogar Voie. queira mandarme a importancia do
que hoover recebido ou re comentos no caso de que nao tenha realisado a
cobranca. Vme. desculpar o use desle meio, urna
vez que to tem querido responder as minhas
cartas. Recie 27 de dezembro de 1870.
Jos Duarte Pereira.
Este antigo estabelecimento, acha-se hoje montado n'uma
escala de poder servir vantaj esa mente os seus freguezes, atten-
to o grande sortimento de joias d'ouro, prata e brilhantes, qne
sempre tem e recebem mensalmente das principaes fabricas da
Earopa- cujos presos sao em competiveis e as obras garantidas
lei.
KfOREIRA RUARTE .
mwm
Tem a sausfatao de participar aos seas numerosos freguezes, qne em vista de ser-Ibes mais commodo,
^t estabelecido urna nova fabrica de chapeos de sol, na ra da Cadeia do Recife n. 9, beje ra da Mrquez de Olinda,
onde acharo es pretendentes, muio avultado sortimento de chapeos de sol de todos ns precos, qualidades e por pre- ^
;!: eos mas commodus do que comporla o nosso mercado : convidam especialmente aos Srs. compradores por atacado (3j|
s-JS darem, sendo possivel suas encommendas, pois poderao assim serem mais bem servidos, visto poderem escolher as ar_"^^_
H macees as tazendas que a demora da fabricarlo bem diminuta..
41 RIJA DO BARIO DA VICTORIA 41
Fotographia imperial
E
.ALERIA DE PIKTURA
DE
Ferrara Villela
Desde o dia 7 de abril passado acha-se aberto c
ovo estabelecimento photograpteo. sito ra de
Cabug n. 18. esquina do pateo ila matriz. Ostraba
ihos que desde entao, tem sahido de nossa offleina
lem geralmente agradado, sendo recebidos por
guns com admiracao pelo extraordinarij pro-
gresso que ltimamente tem lido a photc graphia
a por outros com alegra, por verem a provincia
dotada com um estabelecimento digno d ella, e in
contestavelmente o primeiro que aesse genero
hoje possue : tambem nao nos poupamos em cousa
ilguma para monta-lo no p em que se acba, es
perando que o publico de Pernambnco saber
apwciar nossos esfor^os e recompensar nossos sa
:riflcios.
Convidamos a todas aquellas pessoas, nacionae*
a estrangeiras que gostam das arles, oo tiverem
oecessidade de trabahos de photographia a visi-
tarem o nosso estabelecimento, que estar sempre
iberio e sua disposico todos os das desde as 7
horas da manhaa at as 6 da frde.
Para os trabahos de holographia possuimos di
versas machinas dosmelhores autores francezes,
inglezes e allmemes, eomo sejam : Lerebours el
Secretan, Hermagis, Thomaz Rosa, Voigtlandcr et
Sonh oWulf. ltimamente recebemos tres novas
machinas! sendo urna dellas propria para tomar
sobre o mesmo vidro 4 ou 8 imagens diversas e
soladas, e outra de 6 a 12 imagens diversas e
igualmente soladas, de sorte que no caso de
grande concurrencia pederemos retratar sobre
ama nica chapa at 8 pessoas diversas e sola-
das para cartSes de visita, e assim em men^s de
ara quarto de hora despachamos 8 difireme;
pessoas que pecam cada urna, urna duzia de cartees
mais ou menos, com os seus retratos smento,'ou
em grupo com outras.
Encar regamos-nos exclusivamente da direccac
s feitura dos trabahos de photographia doi-
tando pnela e talentos do distincto pintor
llemo, o Sr.
Jorge A. Roth
os trabahos de pintura, a aquarela, a oleo, e a
pastel.
O Sr. Roth acha-se ligado a nossa empresa poi
ama escriptura publica, e at o presente tem-se
lesvellado na execucao de seus trabahos.
No nessoestabelecimertoachamse exposlos ou
tros trabahos importanti s do Sr. Roth, tanto em
miniaturas aquarella como oleo, retratos a
oleo, quadros sacros e diversos outros trabahos.
Tomamos encommendas de retratos oleo at o
tamnho natural, assim como de quadros sacros
para ornamentacao de igreias ou capel las. Tam-
bera aceitamos-encommendas de quadros histor-
eos.
Asseguramos que os precos dos diversos tra-
bahos da nossa casa sao mu rasoaveis.
oart5es de visita nao coloridos 10)500 A
DUZIA
CARTES DE VISITA COM 0 COLORDO AO NATU-
RAL A 16(9000 A DUZIA
Retrates em miniatura oleo ou aquarella de
16 20*000 cada Um, indo convenientemente en-
aixhado em moldura dourada e regulando c
busto da pessoa retratada de 3 4 pollegadas e
todo o quadro palmo e meio de tamanbo.
Julgamos que bastarlo os precos cima para
larmos idea da baratesa dos trabahos do nosso
establecimento, quanto sua perfeicao cada um
venha julgar por seus proprios olhos.
As melhores horas para se tirarem retratos_ no
qosso estabelecimento sao das 8 horas da manhaa
I da tarde; entretanto de urna hora s 5 da tarde
em casos especiaes pode-se tambera retratar qual-
quer pessoa.
Nos dias de chuva, ou por lempo sombro po-
demos retratar, e asseguramos que esses dias san
)s mais favoraveis aos trabahos de photographia
pela docura e persistencia da luz, e pe r termos o
qosso terrago construido cora taes proporcoes e
melhoraraentos, que arada chovendo ,orros ne-
ahum inconveniente 'ha para fazer-se bellos re-
tratos.
J. F-rreira Villela
HOTEL
EM
BEBER1BE.
Buhar, bospedagem, e fcanlio*.
Os propietarios do grande hotel do Monteiro
tem aberto noaprasivel arrabalde de Beberibe nm
hotel preparado com todo o esmero e asreo. Re-
cebe hospedes, para o qne tem todas as commo-
didades exigiveis. E'peram que os concor/cnles
que os honrarem em tndo serlo satisfeitos.
Ama de leite.
Precisa-so do urna ama de leite e paga-se bem:
na ra do Bariholomeu n. 33.
Neste novo armazem tem nm
variado sortimento de fazendas
francezas, iugiezas, allemas e to-
das todas se vendern por precos
mdicos, afJm de acreditar a esta
qjvo armazem.
Gasemiras inglezas,
francezas, de todas as
qualidades, Iras de
cores e francos, colei-
riLhos modernos, cha-
peos de sol de seda,
finos.
DE
ARRUDA IRMAOS.
RA
Baro da Victoria
antiga ra
NOVA
N. 41.
Assim como tem urna grande
officina de alfaiate, montada com
todos os prepares que ha de melhor,
dirigida por habis artistas, que
pela sua promptidSo e perfeigao
nada deixam a desejar.
Roupa de todos os
amanbos para homens
meninos.
Por todos os paque
tes recebem-se as me-
lhores e mais moder-
nas casemtras qne ha
na Europa-.
TR1LH0S URBANOS
DO
Recife a Apioueos.
AVISO^
Do dia 23 do corrente at o dia 2 de Ja-
neiro haverao biihetes especiaes nos das
uteis como presentemente os ba para os
dias santifkados.
Escriptorio da companhia 22 de dezembro
de 1870.
William Rawnson.
Oerent.
Aluga-se
o 3* andar do sobrado o. 8 da ra da Imperatriz :
atratar com J. J. de H. Reg ra do Commercio
Precisa-se de urna ama que compre e cosi-
nhe para casa de pouca familia : na ra Nova
de Santa Rita n. 41.
AMA
Precisa-se alugar urna escrava para servico em
casa de familia : na ra da Cadeia n. 8, ou na
estrada dos Afiliaos, casa n. 10, entrando pel<>
Manguind.
I

Joao Alves Pedrosa convida aos prenles e ami-
gos do finado Jo; Alves da Cruz a assistirem a
missa do stimo dia, no convento de S. Francisco,
pelas 7 1|2 horas da manha e ao mesmo tenipo
agradece s pesroas que acorapanhaiam os restos
mortaes al o cemiterio publico.

MOFINA
RA
Dx.
Baro da.victor la
aoga roa
NOVA
H. 41.
Este estabelecimento acaba de soffrer urna reforma radical em acceio, artistas e commodos, e em pontoalidade as encom-
mendas, finalmente em tudo afim de melbor servir os seus numerosos freguezes deixa-se de annunciar todas as fazendas, para
alo se tornar massanto
IH9HM0I
Na (ravessa da roa
das Cruzes n, 2, pri-
meiro andar, da-se di-
nheiro sobre penhores
de oero, prata e briihan-
les, seja qnal for a qnan-
tia. Da mesmj casa com-
pram-se os mesmos me-
taes e pedras.
iiiimiiiin
Frecisa-se e urna mulhcr idosa e de boa
conducta, para creada de um homem sollelro, exi-
gindo-se que saiba engommar e tenha habilitacoes
para bem administrar o servido de urna casa :
na ra do Imperador, armazem n. 36.
t
Aluga-se o f" andar e soto do sobrado n.
3 ra do Imperador ; achara-se as chaves no
armazem n. 39 onde darlo inf >rmacoes.
Attenpo
Aluga-se on troea-se nm negro por urna negra
de 30 annos de idade, pouco mais ou menos, mui-
to robusta e sadia, propria para o servico de cam-
po ou para hmaees : a tratar no caes de Santo
Amaro n. 42.
Precisa-so de ama ama
ra da Aurora n. 90.
para cozinhar i na,
O Sr. Dr. Wenfbain qeira ter abondade de
concuir o negocio flue tem com os proprietarlos
ca typograpbia Mercantil, o qual de interesse
para o mesmo Sr. Dr.
AMA
Precisa-se de orna ama para cosinhar
na roa d'Alegra n. 8.
tratar
O tenerme Chystovo Francisco de P. Caval-
cante e Joao Francisco P. Dutra, teem cartas
vindas do Rio d Janeiro : ra do Vigario nu-
mero! 1.
Em casa de THEODORO CHRISTMN
SEN, ra da Cruz d," 18, encontram-ss
effectiTamente todas as qaalidades d Vhho
Bordeani, BoorgogM e do Rheno,
ferro
RIJA JDA CRUZ \, I -
Chapas de ferro galvanisadas para telheiros, etc.
Tachas de ferro para assucar, etc.
Formas de ferro para assucar.
Arados americanos.
Carrinhos de mo.
Venezianas para janellas.
Machinas de descansar algodSo.
Machinado cortar fumo.
Mchica de cortar papel.
Motores para dous mallos.
Machina a vapor para mover machinas de algodao. tv-?^
Balancas, prencas, cofres de ferro, foges de ferro, enxofre, {salitre [malha de
muitos outros artigos.
Roga-se ao Iilm. Sr. Ignacio V.eira de Mello, >
crivo na cidade de Nazareth desta provincia,
favor de vira ra do Imperador n. 18 a < oncluir
aquello negocio que V. S. se comprometteu reali-
sar, pela terceira chamada deste jornal, em flns
de dezembro prximo passado, e depois para Ja-
neiro, passou a fevereiro e abril, e nada cumprio,
e por este motivo de novo chamado para dito
Um ; pois V. S. se deve lembrar que este negocio
de mais de oito annos, e quando o senhor sao
lilho se achava no estudo nesta cidade.__________
Aluga-se. a loja n. 55 da ra de Agoas-verdes
(hoje Lomas Valentinas) de 18 mensaes : para
ver, a chave esta na casa de junto, e para tratar
na tbesourana das loteras.
Precisa-se de urna ama forra ou captiva para
eozinhar (m casa de familia : quem bem poder
desempenhar esta missao, querendo tratar, dirja-
se ra do Duque de Caxias, loja n. 1.
HTTENCIO
Fuitaram n,i larde do dia 12 do corrente, do
pnmeiro audar do sobrado sito a ra da Impera-
triz n. 16. na occasio em que eram conduzidos di-
versos objectos do mesmo sobrado para as caro-
cas que Ctavam paradas porta da ra, ura bah
de flandre; qnadrado, de 'amauho regular, con-
tendo urna salva grande I prata, enxoval para
menino, diversas pegas ] roupa, varios pares de
sapatos nuvos para senliora menino e outros ob-
jeitos de valor. Pede-se a quem gu.odoa tal ba-
b, talvez sem sabei -\ era lunado, que o v
entregar na loja n. lo da mesma ra, onde se dar
urna gratifleacao a que tire' a entrega. As
autoridades polica* .iran coniir-cimenli do
fado, e ha deseor Je quem sejim a auto-
res do furto. Peoe-c^ i.iinbem aos seuhores ou-
rives qoe apprehendam a u.ta selva no caso de
Ihes ser offerecida.
PADABR.
Aluga-se a padaria allema em Santo Amaro e
as condicoes sao favoraveis : a tratar cem sea do-
no na ra da Guia n. 56.
D. Joaquina Francisca de Olivoira.
Jos Esttvao de Oliveira e seus Olhos agrade-
cem cordalmenie as pessoas que assistiram s
exequias lulas por sua espasa e mac, e acompa-
nharara es restos mortaes ao cemiterio publico.
E ao mesmo tempo rogam Ihes a ordade de ou-
virem as missas que por alma da trajina, man-
dara re^ar pelas 8 horas da manb do da 28, na
capella do Cemiterio.
DYVETGT
I4--Rua Eslreila do Rosario-14
Compra, e vende roupa ena
nova e velha, objectos de
cosinha e de mesa, e
tudo que perten-
ce ao uso do-
mestico.
Prensa ingleza
Prensa ingleza
Prensa ingleza
James Ryder & C. fazem sciente aos exportado
res de algodao desta praca que durante esta safra
teem resolvido enfardar este genero, a razio ds
500 rs. por arroba inclusive capas, arcos e marcas
em sua prensa rna do Apollo n. 26.
Os consignatarios da barca norueguense
Sterling, naufragada na costa de Caissara na pro-
vincia do Rio Grande do Norte, avisara aos dnos
da sobredita carpa e a todos nea interessade s que
as respectivas mercadorias aham-se recolbidas
nos armazn* da alfandega desta provincia, onde
podero ser procuradas pelos sobredimos donos e
interesados, que devero apresentar es respecti-
vos coflhecimentos e mais documeotos, salisfazen-
do previamente as despezas fetas coro o salva-
mento, transporte e fiscalisacio de ditas merca-
dorias. Nao tendo dispcsic8es a esto respeito ir
a carga a leilo conforme as leis do paz. Na'al
22 de dezembro de 1870.______________________
Correspondencia de Portugal.
Com a chegada da Europa do paquete da pri-
meira quinzeca de Janeiro vindoun Onda a sssig-
oatura do presente anno do jornal Corresponden-
cia de Portugal. Os que desejam continuar e ou-
tros que quizerem subscrever devem desde ja
mandar salisfazer suas novas assignaturas, pois
nao se far entrega do reterido jornal que princi-
pia a nova assigoatura seno amelles que tive-
rem pagoantecipadamente em casa de Jos Mara
Pestaa, ra do Vigario n. U._________________
GRATIFICA-SE a quera der noticias de um ea-
vallo melado com as crinas, cauda e topete pretos,
as mos pretas e os ps brancos, estando com nm
dos qnartos e a barriga ralados e o cotovello este-
lado, tendo um signaL (cruz branca) na testa, e
muito manso; o qual desapparecen, da sexta para
o sabbado da semana passada, da casa n 22 do
caes do Capibaribe, onde devem ser dadas as io-
formacSes a tal respeito.
Aluga-se a casa da ra Imperial n. 250,
com acomodares, para ver na casa junta e a
tratar na praca da Independencia n. 2.
FALSIFICARES
dasPILULASdeBLANCARD
(CAVE DOLM)
A nojsa correspondencia do BrazH nos faz
saberjme as pracas deste paix achio-se
actualmnte inundadas por urna multiddo de
falcificaces vis dos nossos productos (textual.
Paragaiantir-se contra estas composieocs
mais on menos perigosas, que escondem-se
d'essa maneira por derraz das nossas marcas
de fabrica e mesmo da nossa firma, rogamos
aqui com instancia aos mdicos e aos do-
entes de assegurar-se sempre da origem das
PiLULASque trazem o nosso nome.appellando,
nlre outros meios prcticos, pela boa f dos
nossos coegas, os pharmaceuticos. Nao de
ditvidar que n'uma questa que intressa ta&
seriamente a saude publica e a moralidade do
commercio, estes honrados intermediarios
nao se moslrem dipos da contonea dos seus
freguezes; nao de duvidar igualmente que
repudiando toda solaridade com os falcifi-
cadores e os seus^cumpliccs, elles nosefa-
co um dever d'or* em diante de procurar
as VERDADEtRAS PlLULAS DE BuNCARD em
origens certas, enderecando-se, quer a ns-
mesmos em Paris, quer indirectamente aos
nossos principaes correspondentes, ou entao
s casas as mais recom-
mendaveis da Franca
en do seo paix.
furmaceuUco, ra Bonaparte, em Paris.
?X
AeUAo-se as uouu PiluU, priiicipae Pharmanaf.
Manoel Alves Ferreira & G. raudaram o seu
escriptorio da ra da Hoeda n. 5 para a ra do
Vigario n. 3, 1* andar.
CONFITARIA
' RA DO IMPERADOR N. 26.
O proprietario deste estabelecimento avisa ao:
seus numerosos e bons freguezes, que acaba de
preparar ura grande sortimento des nelhores g-
neros do mercado para rechear ae despensas da-
ga el les que tiverem bom paladar e disposicao pa
ra gastar os cobres, no lempo da festa do Natal.
AbLenotyrar3o ex teentes presentes de fiambre,
vinhu?, licores e cognac de* todos os fabricantes,
b"oa cerveja, marmetada portugueza, ameixas em
caixinh3S, conservas franeelas e portuguezas, do-
ees de todas as qualidades seceos e em calda.
Tambem encontrarlo bolinbos para cha de todas
as qualidades, bolos francezes e inglezes, pac-de -lo,
pndins, lorias, amendoas confeiladas, e quantidade
de outros objectos que seria enfadonho enumerar.
o
Anda esi para ser vendida a armacao e per-
tences da taberna do pateo do Terco n. 11, mni:o
propria para qualquer principiante e tambem
para quem quizer collocsr nm estabelecimento bem
montado por ter a casa commodidades para iss ,
a qual tem quintal e cacimba, e o sea aluguel
razoavel, cedendo-se ao comprador a residencia do
sobrado de ujn andar por cima da mesma, nma
vez que precise delle para sua habitacao : a tr
lar no mesmo sobrado.
CADEIRAS
Um elegante sortimento de cadsirs de faia a
imitagao de raogno, e ontras de Jacaranda, e bem
assim pretas douradas. obra de gostoj vende-se
as duztas no armaxem de Tasso Irmaos & G., no
caes de Apollo._______________________________
Precisa-e de um caixeiro com pratica da
taberna: no pateo de S. Pedro n. 1
AMA
Precisa-se de urna ama para -tratar de crian-
cas i na ra do Crespo n. 7, loja de miadea?.
Ama
Precisa-se para o sertfty) interno de casa de
pequea familia: va raa do Vigario n. 5, segun-
do andar.
a*
AMA
Precisis dr. um, pMhrindo^se escrava, para
coinhar > atar na ra da PaUna n. 34.

Zf




Diario de Pernambuco Quarla feira 28 de Dezeuibro de 1870.



HOTOS SORTIMEHTOS
ciifiiis mi i hsta.
Ao mazfni do Va
Sor Fraaeez, roa
Bar 5o da Victo-
ria (outr'ora ra
Mora) n. 9.
lo at-maieni do Va-
Sor Fraaeez, ra
o Dar So da Victo-
ria (oatr'ora ra
Nova) u 7.
NOVIDADES
DO

Perfumaras, quinquilharias e brinquedos
para meninos.
____, ^8te estabelecimento acaba de receber pelos ltimos vapores e navios de vella chegados da
Europa todas as saas encommendas do grande sortimento de festa, offerece ao publico era aera!, por
presos resumidos o man possivel, os artigos seguintes:
CALCADO
Botinas para senhorasduraque branco, preto
e de outras maitas cures escolhidas do ultimo gos-
lo da moda.
Botinas para meninas igual sortiniento.
Sapatinhos de salto para senboraduraque pre-
to, branco e de cores, e de couro de lustro.
Botinhas para criaocas, proprias de baptiza-
dos.
Botinas de diversas qaalidades para liomem.
Botas russianas para montara, tanto inglezas
de couro da Russia para viagem, como francezas
de Melier, bezerro flno, para passeios.
Meias perneiras para meninos de 10 a 1G an-
uos.
Sapatos de brim branco para lemeos.
Sapatos de vaqueta de lustro com sola de ma-
deira, proprios para banhos.
Sapatos de borracha para homens e senhoras.
Sapatos abotinados, de differentes modelos, mui-
to bous e fortes para meninos e meninas.
Sapatos de tapete, avelludados, Cuarlot, casi-
mira preta, de tranca portugueies, para homens,
senhoras e meninas.
Perfumaras.
Extractos finos, banhas, cosmticos, leos, opia-
tas, aguas de Cologne em garrafas de crystal para
presentes, agua divina, agua florida, dentfrico la
vande, agua de toilet, tintura para barba e cabel-
los, pomada hongroise para bgodes, pos de arroz
e sabonetes, tudo isto de primera qualidade, dos
fabricantes Coudray, Piver e Lubn.
Quinquilharias
Luvas de pellica brancasJouvin.
Espelhos grandes dourados para salas, quartos
gabinetes.
Leques para senhoras e meninas.
Joias do ouro, brincos, transelins, pulseiras,
botoes de punhos, de abertura, correntes e chaves
de relogio, tudo de ouro bom de lei.
Brincos de plaqu imitacao de ouro.
Correntes para relogio.
Abctoaduras para colletes e para punho?.
Albuns de velludo e marroquim para retratos.
Mammadeiras de idro para enancas.
Gaixinhas de costura, novas modelos com m-
sica, proprias para presentes.
Quadrinhos dourados para retratos.
Toncas e sapatinhos de la para criancas.
Capellas para noivas e para pastoras de pre-
sepios
Caixinhas com vidros de augmeato para ver-
se em ponto grande a photographia dos retratos.
Pos de vidro para pianos.
Thesourinhas para eos ura e unhas.
Bolcinhas de seda e de veludo.
Gestinhas para braco de menina?.
Balaios para costura.
Ces.os d'ararae pratiado para frutas e pao a
mesa.
Ricos artigos de pbantasia necessarios para toi-
Ihetes e proprios de presentes.
Jarros e bouquets de porcelana para santua-
rios.
Registros do papel fino mui Jelicado?.
Quadros promptos para collocar vistas.
Molduras douradas para qua Iros.
Estampas de bellas paysagens de cidades; de
figuras e de santos.
Espanadore* de penas e de palha.
Carleiras para notas e para dinheiro.
Caixraha de msica de darse corda.
Ponteiras de espuma para cigarros e charutos
Grvalas de seda preta* e de cores..
Bengalas de cana com castdes de marlim.
Bitas de baleia, junco e de muitas qualidades.
Pentfcs finos de marflm para caspas.
Escovas para facto, para cabello e para dente?.
Lunetas ou pencluez de prata dourada.
Ditos de tartaruga e de aro
Oculos de prata dourada e do aro.
Reverbero transparente para cadieiros.
Ditos para lanternas de pianos.
Cotos econmicos para vellas de spermacete.
Cordas para violao.
Port-pratos para mesa.
Caixinhas de diversos modelos e precos.
bjeclos novos do mgicas o melhor possivel,
para divertir meninos.
Malas, saceos e boleas para viagens.
Estojos de viagens, completos com navalhas.
Esporas de metal branco para saltos.
Chicotes fortes com raartello para viagem.
Ditos de muitos modelos, de junco e de baleias.
Luvas de fio" de Escocia brancas, e de cores.
Ditas de camurca araarellas.
Machinas para fazer caf.
Globos de papel de cures para illumiuacSes de
festas campestres.
Baldes de cores, de subir ao ar fcilmente.
Jogos de domin, da gloria, vispou*, rodetes,
bagatela e outros jogos allemaes.
Eslerioscopos com as mais bonitas vistas, de
figuras destacadas e grupos de familias.
Armnicos ou accordbns de todos os tamanhos
e novos modelos com trmulos.
Realejos pequeos com novas msicas.
Cosmoramas de varios tamanhos, com difieren-
tes vistas mui piterescas.
Para lapinhas.
Presepios completo com todas as pecas e sorli-
mentos avulsos de Jjgurinhas, animaes, casas, jar-
dios, etc.
TRIUMPHO
7 Ra doQueimado 7
DE
N0RE1RA & BASTOS
E' chegado a este novo estabelecimento o mais bello sortimento de fazendas
(nai, sendo sua.especialidade enxovaes para noivado.
Vestidos de blond de,seda ricamente bordados.
Gorgurio de seda brancopara vestido.
Colchas de seda pura, para cama com reos desanos.
Ditas de 19a e seda, idem dem.
Ditas de crox, idem idem.
Cortinados ricamente bordados para cama e janellas.
Croxs para cadeiras e sofs.
Vestidos de cambraia branca bordados.
Popelines de lindos gostos.
Las de diversas quadades, lindos gostos e modernas.
Ricos b urnus para passeio, com listras de setim. _
Sanidas de baile o que ha de mais rico.
Crotones para vestidos com lindos desenhos.
Carnizas bordadas e sem bordados para senhoras.
Camisas bordadas muito finas para homens.
D las inglezas para bomens o meninos.
Seroulas de linho, e um grande sortiment de roopas feitas e de fazendas que
i nfadonho mencionar.
Luvas frescas de Jouvin
Sormento de tapetes para guarnieres de salas, alcatilas para forro de tata, e o
trande eortimento das acreditadas e verdadeiras
Esteiras da India
Attenpo
Todos os artigos mencionados neste annuncio
vendem-se muito baratos, nao s pelos abatimen-
tos obtidos dos fabricantes em attenrao as gran-
des e repetidas compras, como pelo bom systema
de vender muito anda mesmo com dirainmissimo
lucro.
A MO DE OURO
Nava loja de joias
wJA DOJCABUGA' fl.9 A.
DE
Manoel da Cunha Saldanha & C.
Acaba de abri-se este estabelecimento de joias, p qual tem grande sor-
mento de todas as joias de ultimo gosto, as qoaes vender o mais barato pos-
sivel. -
Todas as joias serSo garantidas ooro de lei, pois os seus donos tendo ertJ
vista so adquirir freguezia nao olvidarlo, vender bom e por precos os mais
razoaveis possiveu.
Convida-se o publico a vir a este estabelecimento, certo de qae ficar
satisfeito. _
A'_MAO DE OUORMJA DO CABUCA N. 9 A
JOS ALVES TENORIO & G.
RA ESTREITA DO ROSARIO N. 5
Jos Alves Tenorio, professor em bomeopathia, tendo-se retirado do laboratorio
homeopathico o consultorio de sen illustre e finado amigo o Dr. Sabino O., L. Pinho,
que por muitos annos estiveram sob sua direccao, tem se estabelecido, sob a Arma
Jos Alves Tenorio & C, ra estreita do Rosario n 3, onde animado pela confianca
com que honraram-no os amigos da hcmeopalhia Ibes offerece e ao respeitavel publico
um completo sormento de tedas as preparares homeopticas conhecidas, recebid&s
das mais acreditadas casas de Londres e Pariz, e indiginas, bem como tudo qnanto diz
respeito a homeopathia e sua pratica, esperando que continuem a honra-lo com a mes-
ma confianca, para o qne nao se poupar esforcos.
Irecos das boticas
TINTURAS.
10000 1 botica de 12 medicamentos. 15000
20000 i 24 25*000
30*000 1 t 36 40*000
3o000 i c 48 30*000
40*000 i t 60 a 60*000
70*000 1 c 120 110*000
Sao uteis essas boticas aos Srs. mdicos, senhores de engenhe, fasendeiros, che-
fes de familias, capites de navios, e em geral todos quantos quizerem dedicar se a
**>* pratica da homeopathia.
^* Medicamentos avulsos pelos precos das outras drogaras, bem como chocolate de
r? Londres e do Haranhao para uso dos doentes em tratamento pelo systema homeopathico.
m
m
GLBULOS.
1 botica de 12 medicamentos.
1 24
1 36
1 48
1 60
1 120
K:
%l
*&Xvi
im
CONFEITARIA
DOS
ANANAZES
Ra da Cruz n. 16
Eocontra-se sempre : i AMENDOAS confeitadas: xaropes rfri-
BOLI.MIS para cb ; pao de l ; bollo gerantes ; vinho Bucellas, branco e tinto,
inglez; pastis de differentes quadades; proprio para mesa; vermoutn; absyntio ;
doces de froctas, em calda e secco, em cognac; vinhos finos, champagne.
barrilinhos em latas.
CAIXINHAS com amendoas e pastillas, \ PAPIS para sortes,' ditos vendados
proprias para presentes ; cha preto, miudo,' para cobrir bolos.
de superior qualidade; latas "com pecegosj
a 1,5000. I PRESUNTOS e fiambre*.
BECEBEM-SE encommendas de bandejas com bolinhos. com armacSo de assu-
car e sem ella ; de pao de l e bolos enfeitados com disticos e sem el les; e de outros
muitos objectos proprios para grandes jantares, bailes, etc., etc.
Nutrimento
MEDICINA!
Preparados por
La riman AKerap
para tsica e teda
qualidcila dedo-
Micas, quer si ja
na garuaola, pei-
to ou bofes.
E x p r e s s a-
roento escolliido
dos mclhores fi-
gados dos quaes
se extrae o
Ico, no banco
da Terra Nova,
purificado chi-
micalmente, e
suas
p ropriedades
con servadas
rom todo o cui-
dado, em todo o
frasco, se garan-
te perfeitamen-
te puro.
Este oleo tem
sido submettido
a tm exame
muitosevero, pelos chimicos de mais tale-n
ot, do governo hespanhol em Cuba,foi de-
vulgado por elle e confem
MAIOB POBCO D'IODINA
do que outro qualqer oleo, que elle tero
examinado
IODINO E'M PODEB SALVADOB
Em todo o oleo de ligado de bacalho,
enaquelle no qual contm a maior porc3o
d'esta invaluavel propriedade o nico
meio para curar todas as doengas de
GABGANTA, PEITO, BOFES.FIGADO,
Tsica, bronchites, asma, calanho, tosse.
resfriamenios,etc.
Uns poucos frascos d carnes ao muito
magro que seja, clarea a uista.e d vigor a
todo o corpo. Nenbum outro artigo co-
nhecido na medicina ou sciencia, d tanto
nutrimento ao systema e cncommodando
quasi nada o estomago
As pessoas cuja organisaco tem sido
destruida pelas atfecces das
ESCBOFULAS OU RHEUMATISMO
e todas aquellas cujadigesto se acha com-
pletamente desarranjada,devem tomar
O OLEO DE FIGADO DE BACALHAO
M
Lanman A Kemp,
Acha-s a venda nos cstabelecimentos de
A. Caors, J. da C. Bravo, & C. P. Mau-
rer 4 C. A. A. Barboza Bartbolomeu. 4 C

\0VO SORTKTO DE MSICAS
NO
SALAO DE PIANOS E DE MSICAS
Ra da Imperatriz n. 14 loja
contera :
MSICAS PABA PIANO das mais facis at s mais difficeis, toda dos autores m
modernos as melhores edic5es da'Europa e do Rio.
NOVIDADES quadrilbas, polkas, walsas.
TANGOS, Habaneros, modinhas, cances brasileiras e hespanhola, romances francezes,
arias e cavatinas.
Operas inteiras proprias para presentes
tudo para piano e para canto da opera
mais
GUARANY
GAFE PURGATIVO
A' ESCAMONEA
De BIN Barra!
Piarmaceutico-: huleo
A utilidade des purgantes to soffre demons-
tradlo alguma ; a prescripo "diaria que delles
fazem os mdicos e_ o uso ainda mais frequente
feito pelo publico sao provas irrefraja^is lantt
como a quantidade innomeravel dcsi genero. S
falta aperfeicoar cada vez mai9 o medo de admi
mstracao, de maDeira qne conservando a sua ac
Qao, elles possam ser lomados sem repugnancia
eem a?co e sobMudo sem receio oeni perigo.
Muitos purgantes afamados s devem este bom
xito ao seu efFelto intenso e excessivo. D'ahi o
perigo, porque irnlac,oes de estomago, inflamma-
S5es de enlranhas sao iceviiavelmente o resolta-
o do sen emprego. Nda disso ltm-fo da receai
com o caf purgativo.
Todos conhecem por experiencia o aroma sui-
ve e o efleito ligeiramenle fnico e excitante de
caf. Elle o melhor auxiliar dos purgantes do*
qnaes disfar?a o chfiro o sabor e ajuda a ac^ac
sollicitando vagarosamente os movimentos peris-
tlticos de intestino, e prevenindo o seu effeito
muito intenso sebre o estomago. Misturado corr.
escamonea, facilita as evacuacoes com promptidao
e sem clicas, e tornase um purgante brando,
certo, fcil a tomar e preferivel a todos os outros
salvo urna indicaejao especial da qual o medico
o nico juiz.
A ienoenidado do caf purgativo permitte, de
emprega-lo em todos es casos simples. Desper-
tando a atona do intestino e activando a secrc-
gao deste, destre a dureza de vehtre, as vento-
sidades, as flatucsidades e excita o appetite. Em-
pregado mais 1 miudo, conven'^nte para va
cuar com vagar a bilis e os humo, as viscosos e
e faz dessa maneira desapparecer a enxaqueca,
as dores de cabera e prev os atajuos de sangue
as pessoas que a estes sao predi-postas.
MODO DE EMP11EGO.
[_ E' t2o simples como fcil. O cat purgativo
deve ser tomado fri, puro ou misturado com pm
pouco de leite fri assucarado, ou agua assuca
rada. O vidro inteiro a dos ordinaria para
um adulto ; doas coUures de caf bastam para
as senhoras e para toda e qualqer pessoa que se
pur fcilmente.
. ara as criancas de 8 10 annos, a metade de
vidro suficiente; de 5 a 8 annos, urna colher
de caf, e a quarta parte do vidro smente abai-
xo desta idade contra a coima.
E' per isso d'uraa administracao muito mais
fcil do quo es biscoutos, chocolates ou bolo?
purgativos,
Da-se inmediatamente depois leite quente as
sucarado ou caldo leve, e duas ou tres chavenas
de cb preto ou de tilia.
nico deposito na pharmacia c drogara de
Bartholomeu & C. : ra larga do Rosario n. 34.
Em breve se principiar a dar um catalogo do grandissimo sortimento deste es-
tabelecimento. Encarrega-se de encadernac5es etc. _
GRANDE SORTIMENTO DE MSICAS
NO
SALlO DE lIV\OS E DE MSICAS
Ba da Imperatriz n. 14 loja
Para flauta, clarinetta, rabeca de pequea e grande orebestra, para banda
militar e harmonio, tSo proprio para este tempo de festas e para augmentar a solemni-
dade dos actos religiosos.
todo pedido das provincias ou dointerior serSo promptamente attendidos.
. .y^r.-y *&.<.,; nA\(.0 E-ECt.{iO
D o ST^or l'b\rir iea a cu i Urr'irsa pri; ar-
:m cheiri e bor sgradaTii
i [i0 3najcrliidpUjpiiijui.
- lcifallis il ItnnH, viilyarijo o
Ojea d 11J.-.H.1 (ItBaealkte .!o.inter;s.lo.
Or. med:eso rccjila: prcfori^c!tr
" prtjja oOtto de Filuda i\r. Bacalt,io.
Vil-por maj pormenorw os rclalorio* md-
r*ei quecoDlcm a noiiia qut Iccompanba-cida
kUOftRA
FRHHWili\K DE CHEVRIER
0 Smhor CbeTrier eompktoa a tua deseo
baria aiontaa-do a iodura de ferro'ao Olao de
lUcalbio desinlc lado, Kste Ole* de Fig^o de
Uact-llii-i ierm;men lea- todas u propriawaVs
do oleo e ilo farro, digere-te fcilmente e n..i i
eausa piisio do tcntre. Portento i preferhel
4 ttiaij, preparates ferruajinens (Pili:ls ou Xa-
(ppe), contm em toda; as d'oeneas bude se
emprega o ferro. Tiaira palmanar, bronclii"-.-.
ra-hiiismo, eaerafulas, iu;iigna, goi*i rheu-
maiitiu ciironico; caiartbos antisos, dypep-
liaa, onvalesceDCu 'lifficeis e fraque. u'e
tdicao
conatitaiclo.
l*ri,irmctGa VIIEZ'MF.tt, tl.rne #' Faub. Montauulte
n'ai^SJ' "rmeia achi-se VIIIHO e tLIXIR d COCA, eiccllrnic preparates i
! y**\''rA^U'l.r'ERAMOcocn RNICA para curaras aliaga, feri las, eonaduroaq cmuusOes.
O.i BRAr:UL0S dcBISMUTH compbstei toniraai diarrbeaa.djaeriteiiaa,dures daeaioman^ etc.
P^i'OsVakiu, cm Rio de Janeiro, DuPoscuEr.LK et C". ?m/ii,KloREiau Irvuo et C1'
Pernambuco, P. Madrer et C". Haranhao, Ft:iP.:iBA el Cu.
Va Josb P,r.f,r.n. Prhf.-.s, Antko !
a
% im*T m Precisa-ee df urna, escrava ou li
tLIt. ?re: na ra do ^aldeireiro n. 68
Ra do Barao da
Victoria n. 63
( 'Outrora ra Nova. ).
tiBIlhetes garantidos da pro-
?lela.
Esta felis casa acaba de vender entr os seus
muito felizes bilbetes a serte de iOjOOO em um
bilhete inteiro de n. 2,771 e a sorte de 100* em
um meio de n. 295, oulra de 100 em um quarto
de n. 2,643, e um quarto de n. 2,96* com a sorle
de 100J5, alem de outrof premios menores poden-
do seus possuidores virem reoeber, que- prompta-
mente serio pagos.
O abaixo assignado convida ao respeitavel pu-
blico para virem no seu estabelecimento comprat
os felizes bilheles garantidos, que nao dtixarao tU
tirar qualqer premio como prova pelos mesmos
annubcios.
Aeham-se venda os'muito felizes burieles ga
rantidos em beneficio da matriz do Serinliaem, que
ser extrahida tercafeira 3 de Janeiro vindouro.
JPREgOS.
Inteiro 6*000
Meio 3400)
Quarto .Urj0
-, De 100,5000 para cma.
Inteiro 8*400
Meio J40O
Quarto 1350
Joao Joaquim da Costa Leite.
Precisa so de um hornera livre ou escravo,
'que d Dador a sua ci.odurta, para o servico ex
temo da padaria da roa d Range) n. 9.
1 -> Alugase unja boa c?a-nn Monteifn, no^ja-
teo do chafariz para pasar a festa : a tratar na
ra estrena do Rosario n. tS.
Manoel Gon^alves de Barros faz ariente ao
respeitavel corpo do cmiraercio, qoe o Sr. Jos
Joaquim Fern;indes deixrtn de ser caixeirn d- soa
reflnac,o sita ra do Coronel Suas^una d. 7,
(antiga ra de H< ra?) desde 23 do corrate.
Joaquim Jos GomjaJ-
ves Beltrao
Ra do Twp'cbe n, 17, a" at,dar.
Sacca por todos os r^'luetJH si-hre banco ot
limbo, em Braga, e sol/re os gnu-;?* lugares ttt
Portugal :
Lisboa.
Porto.
Va lenca.
Gemanles.
Coimbr.i.
Chaves.
Viseo.
Villa do Conde.
Arcos de Val de Ver.
Viannado Castillo.
Ponte do Lima.
Villa Real.
Villa-Nova de Famelic.u,.
Lamego.
Lanas.
Covilliia.
Vascal (Valpasso).
Mirandella.
Reja.
Barcco?.
COMPRAS.
(omj muito maior vamagem corapram-se
ouro, prata o pedras preciosas e n obrai vehns: ia
loja do joias do Co:acao tle Ouro a. 2 T), raa ao
''.abiig. ,
Chumbo e estanho
velho.
Compra-se em grandes o pequenta porcSea ; i
ra -\'ova n. 11.
V1NDAS.
NOVIO
O Costa, proprietario do amamal 'a Pedra
Maamore a ra das Crozts r. i. i f" nheiro coutado o que de melhoi ;... no rcercatk,
por ter recebido muitos des j.t... :: desiptfis
pelo nlllmn vapor.
Queijm; Hareecgos do ultimo vf ;, r ;. -:S0O.
liiscotes em eaixinbas u'ecw :.:; js ..- -
sas proptin para follas as et>tfipi.i
Veias ftearinas a 640 i. x lit i;..
Cbccf.'ite de 1 a li?60 a lil ra
EsptJiel nanteiga irgloza e fr, i.
Honaliccs para sop^s tlenoirinani-"
sobsti:u peifoitamente a? mais !r -,
A Verddelri farfolla arrer.v.'.n
propria a 30 rs. o maeo de ama
BoladiinliDS de todas as qualid;
Ihores farieantes.
Erv'lias francezas e portugueza!
Vin.i de todas as qualidsde'.
Especial e aroroaticu sabio de '-.
o kilo.
Molho inglez.
Amei ;as c marimlada dos n
te?.
CaK de Mika.
:a.
.. 'rne,.. ti
f (rvas.
.-ca de cozi'a
c dos n -
ia a :>00
fabrica..-
Competencia
Estnmos na semanaem que e tve rech r
as dispeosas (tanto em grande ci..-1 'ni pequea
escala; d bons e escolhidos genc-ros \:.: rios para
os grandes dias Je festa. Por essu i: vo o CAM
POS da ra do Imperador n. 28. inri por meio
deste anuoncio a^i-ar nao ? a's temerosos fr
guezes e amigo?, como tambem ao i abco em gt.-
dal que entra era competencia ib i si m e
gas, no fornecimen'o dos generes ...Ti.r.h.-ios ptv
rrios a taes dispensa;.
O CAMPOS espera que seu rm:em sfja preV-
rido para -s fornecimentos.
I'OU QUE KELLE
Eneontrar-se-ha ccntiiiuadari.-ji,!' im escolhi-
doscrtinenlo de garantidos abmn r< e diverso!
tcipipes tanto para mesa cerno liara I edes.
PORQUE NELL:
EnccDirar-se-ha muitas sisnde: nos notos.
POR QlEAELLi;
na sempro adis'posicao dos e, : rrat'rre?, um
portador eguro para a eantuc..". dos generosa
seu deslinos, dentro da cdae e tfrfe des c.i-
mmhos de feruL
Nestc estabelecimcnlo eoearrega-st ii manar:r
apremptar presuntos e outros quaes,-:..: manjar'
Vende-se um sitio na Roaviaj.! ji com 2t'l
palmos de frente o 900 de fundo, com a'gumas ar-
vores do fructo, tendo urna boa oasa de rijolo mui-
to fresca, coro 2 sals, 6 quartos t -'-::nha fra,
a siluacao i xcellenle : a tratar :,-. >ia dos Ri-
tos, ra" em segutaenlo a pinte casa n. 4, ou ra do Imperador r. fv
Acnro,
Vende-se duas fasas na cidade (ir Cunda, seudo
urna casa terrea grande na ra da K.sericordia e
um se bracio na ra do Mullas Perreira : trttrar
na ra de 5Iortas n. 96.
Vead8-se superior vinho d lanpsgne em
caixas de guarrafas e meias ditas ".> prefo mais
commodc do que em oiftra qaaiqaw paite em
frente da alfandep, ariiiazem do Sr. Annes.
Vende-se um cxcellente piano horizontal pro-
prio para piincipiante, pr pre;o rr.uilo commodo :
na ra di Livramento n. 34.
ATTENCAO
Xo armazem da ra do Brum n. 92, tem para
vcuder i preces commodos, o segjinle :
Farinha de mandioca de Porto Alegre em ti.-
eos grandes;
Vinhii.fiun do P, rio, era caixas.
Bulinefes de bailando para hiates o Larcaeas.
Bacas de Inuca para cnzinha.__________^_
1JBH1IE-NK
um sitio com casa nao acabada no lugar denomi-
nado Agua Fria ; o dito sitio lem 100 palmos de
frente e do fundo 472! a tratar no bteco dos Per-
reiros n. 3.
Bartholomeu & C,
Vinho, Pilulab, Xarope s Tintura
di jurubeda simples 8 f3rruqin080;
Oleo, Pomadas Emplastro da mksm
planta preparados por
C
Pharmaceuticos-Dhoouista
PEB14MBK
A Jurnbeba : eala plaau a hoja reooahaciii
como o tnaia paderoao .onico. como o mal:
dMobatruenM. e como ul applieada aoa paiactiaeoti
do flgado baco, hab>lile. dur;, tomare intar-
noe e epecialme6tt do ulero. Iij-tropasiaa, arrii-
palUa, elT aaiflliada ao farro h tuil nal pallidi/
corea. eWoroaw a falu de nen/unacao, dMmJ-
io do "eilomigo, etc., a o qdo diwtnoa allaU>
tDBiunana btm imprtanles obtida com ao**
oreparadoa j bem couhecido a naadoa pelea mu
dialinctoa medico do p 11 e Poni|al. H> wdaa oa
teaaaa depoaitoa tribuimos rali fclbato sv
mahor faiaat MBMr a Jarabe.) tes NMeaoV
tipplie**o.

*



*
'

GRANDE
BAZAR DO PAVAO
60-RA DA IMPERATRIZ-60
DI
PEBEIRA DA SILVA 4 .
Neste impc ranle estabelecimento encontrar o respeitavel publico, um grande e variado sortimento de fazendas domis
parado gosto e todas Je primeira necessidade, qae se vendem mais baratas do que em ontra qualqoer part, viito que os no-
'os socios desta firma, adoptaratn o systema de so venderem DINHEIRO ; para poderem vender pelo costo, limitando-6e apenas
i ganharem o descont ; as pessoas que negociam em pequea esca'a, nesta loja e armazem podero fazer os feas sortimentos
pelos mesmos precos qne compram as casas inglezas, (importadoras) e para maior commodidade das Exmas. familas se darau
amostras de todas as fazendas, ou Ibes levam em snas casas para escolberem.
TAPETES GROSDENAPLES PRETOS
Cbegoa para, o Bazar do Pavo o mais Chegou para o Bazar do PavSo um gran-
elegante sortimento de tapetes grandes, pa- da sortimento dos melbores grosdenaples
ra sofs, com 4 cadeiras, ditos mais peque- pretos qoe tem vindo ao mercado, que se
nos, para doas cadeiras, ditos para vendem de 15600 at 55000 o covado ;
pianos, camas, portas ; etc. vende-se por sao todoa muito em conta.
meos do que em ontra qaalqoer parte. ESPARTILHO.
ROUPAS PARA HOMENS I No Bazar do Pavo recebeq-se om elegan-
No accreditado Ba:ar do Pa\ ao encontra te sortimento dos mais modernos e melbo-
r o respeitavel publico um grande sorti- res espartilbos, qne se vendem por preco
ment de roupas para bomens tanto bran- muito em conta.
PECHINCHAS
DO
PAVAO
cas como de cores, a saber:
Camisas com peitos d'algodo edelinho,
oara todos os precos e qualidades.
Ceroalas de liobo e algodo.
- Meias curtas francezas e inglezas.
Palitos sobrecasacos de panno preto e
casemira.
Calcas de brim branco e de cores
Ditas de casemiras pretas e de cores, com
colletes iguai's
De todas estas roupas ha para todos os
precos e qualidades, e tem de mais mais
am perito
ALFAIATE
Por qaem se manda fazer com prestesa
e aceio qualquer peca de obra a capricho
on go te estabelecimento todas as qualidades de
panno fino, as melbores e mais moder-
aas casemiras, assim como os melbores brins,
qur brancos, qor de cor ; e qnando qual-
qoer obra nao ficar inleiramente ao gosto
dos reguezes :a por conta do estabeleci-
mento.
FUSTvES DE COR E BRANCOS
Venden-se bunitos fustoes brancas e de
cores, Droprios para vestidos e roupas de
meninos, sendo de cores a 800 ris o cova-
do e brancos, a 400 e 640 ris, pe-
chincha, no Bazar do Pavo roa da Impe-
ratriz d. 60
CHITAS BARATAS
a 200 ris.
a 200 reis.
a 200 rei-s.
Vendem-se chitas largas com moito bons
pannos e cores nxa, pelo barato preco de
00 ris o covado ; cortes das mesmas com
10 covados a 2001.0, pecbincha, no Bazar
do Pavo.
AS CASSAS DO PAVO
Covado 200 ris.
a 200 reis.
a 20U ris,
Vendeii-so unias cissas de cores miu-
djobu p.':j barato preco de 200 ris o o
vado, no armazem do Pavo ra da Im-
peratriz n 60.
PANNOS PARA SAIAS A 1*000, O METRO.
So Razar do Pavo vende-se bonita fa-
a branca encorpada para saias, sendo
coa babados e pregas de om lado, dando
a tarjara da fazenda o compri nento da
saia, a qual se poje fazer com 3 ou 3 lj
-netros e vende-se a 10, 1*280 e 1)5600;
assim como tambem no mesmo estabeleci-
meitj se vende bonitis saias brancas bor-
dadas, tendo quatro pannos cada urna, ditas
de la de cores j promptas, urnas com
barras differentes da mesma fazenda 4>5000,
e ouiras com barras bordadas 65 e 70Oi>,
todo tato moderno e barato.
CARNAUBA.
Vende-se caroaoba em saceos, na roa da
rmperatriz n. 60. Bazar do Pavlo.
TARLATANASLISTRADAS CORTE A 65500
Cheg' u para o Bazar do Pavo um bonito
sortimento de tarlatanas listradas, sendo
verdes, cor de rosa, lirio, tendo esta bo-
nita fazenda muita pnantasia, e liqnida-se
cada corte a 65500, pechincha ; na roa
da Imwatriz-u. 60.
CASAQUINHOS DEGPURE A 105, 125,
165, E 205.
Chegaram para o Bazar do Pavas os
mais mojemos casaquinhos ou basquinas da
guipure com cintura, ricamente enfeitados
com lagos, e vendem se pelo barato prego
de 105, 1 5, 165. e 205, pechincha,
ra da Impe atriz n. 60.
LENC33 DE MORIM A 35500 A DZIA
Veudem-se duzias de lencos fioissimos,
branos de morim, sendo fazenda moito
encorpada, a 35500 a dazia. Ditos de
cambraias fioissinus, fazenda que sem ore
se vendeu a 55000 e liqnida-se a 35500 a
dazia pur bsvor muita porgao, no Basando
Pavlo a ra da Imperatriz n. 60.
CORTINADOS DO BAZAR DO PAVAO A
85 105 125 E 165
Chegou urna grande remessa dos me-
lhores cortina los bordados, proprios para
camas e janellas, que se vendem pelo ba-
rato preco de 85,105, 125, e 165, o par :
ra da Imperatriz n. 60.
MADAPOLO ENFESTADO PECA A
35200
Vendem-se pecas do malapolo francez
enfe.stado, tendo 11 metros cada peca a
35200 : pechincha no Bazar do Pavo,
ra da Imperatriz n. 60.
DAMASCOS PARA COLCHAS
No Bazar do Pavio, Tende-se damasco
enfestado com bonitos dezenhos, teodo 6
palmos de largara, proprios para colchas,
pelo barato preco de 15280 cada covado,
dito, dito, com 8 pal nos amito fino a
45000, assim como moito bonitas colchas
de damasco de 15 que se vende na loja do
Pavlo roa da Imperatriz n. 60.
RETALH03 DE CHITAS E CASSAS PRE-
TAS.
No Bazar do Pavo vende-se porgao de
retalhos de chitas e cassas pretas sem li-
mite no preco : a roa da Imperatriz n. 60.
Eia da Imperatriz 60.
Para Tender depressa
LINDAS JAPONEZAS PARA VESTIDOS A
PANNOS DE CROCH PARA CADEIRAS i A 500 RS.
O Bazar do Pavlo receben am graode I. Chegou um elegante sortimento de las-
sortimento dos melbores pannos de croch, mna8 do ,aP3 cn padroes de seda e de
proprios para cadeiras de balanco sofs, mQlft DOa qnalidade. pianos, tamboretes e at proprios para cu- ^ covado. pechincha, no Bazar
brir almofadas e pratos; vendendo-se por do p,va raa di Imperatriz n. 60.
menos do que em qualqoer parte. poupeunas do upo a 15600 o covado.
PARA LENCOES Chegou um elegante sortimento de hn-
No Bazar do Pavo vende-se su jerior' dirimas poupelinas Japonezas, com os
bramante d'algodo com 10 palmos de lar- ma>9 delicados gostos, tendo mnito lustro
gura a 1580o o metro, dito de linho cora a e com sirinhas do seda, sendo esta nova
mesma largura a 25800 cada metro, pannos l>*"k 'uasi da largura da chita rance-
dslinbodoportocom3 1/2 palmos de largura Me vende-se pelo barato preco de 106CO
pre a Xova Esperanca ?!
AO BELLO SEXO.
Esta loja bem conhecida pela sna elegancia e
superioridad* de sea ubjeets, acaba de receber
mallos artigo para o que respetosamente convida
ao bello sexo a viifta-la, afim dcompraren) aquil-
lo que (Tecisarem para preparo de vestidos toi-
lete ou tocadores e mesmo qaalquer objecto para
faMr algo prezenle.. Jpois qu s) na Nova E>pe-
ranca-ficarlo salifekos, j pela qualidade e pre-
cos razoaveis, e mesmo por que a Nova Esperan-
za nfaoa-se em nao se impacientar em dar a es-
eolher os objecto, prestando-fe com o agrado
cera que cosiuma receber a todos, aflm de qae
sainara com o firma proposito de voltarem on
mandaren) a mesma loja, logo qae precisen) de
qnalqaer artigo por peqneno que seja.
LUVAS DR PELLICA.
Recebeu as de Li>boa a Nova E.-peraoQa para
homens, senhora e meninos, sendo brancas e de
cores.
NOVIO A DE.
Bico de quipure preto com branco a Nova Es-
perance qaem tem t I I
Caixas para joras.
Nova Esperanza recebeu boas calxai de sn-
dalo para guardar jolas.
Filas largas para cintos.
Receben-as de mcHlas qnalidades a Nova Espe-
ranza.
Para extinguir panos ou sardas.
Nova Esperanca tem leite de rosas- brancas.
Para tingir cabellos.
Tem a Nova Esperanza a verdadeira tinta in-
gleza.
Para refrescar a pelle e aformozia-la.
A Nova Esperanza raa Duque de Caxias n. 63,
vende verdadeira albina branca de Lais.
Perfumaras
As melliores, e do mais conhecido fabricante,
tanto francez como inglez, esto expostas venda
na ra Duque de Caxias n. 63, na Nova Espe-
ranza.
Extractos, Danba, oleo, sabonetes, agoas de co-
lonia, de laranja, florida e de lavando, etc., etc.,
ludo de superior qoalidrdo : vende-se na Nova
Esperanca ra Duque de Caxias n. 63.

Quando a AGUIA BRRNCA, mais pr:";sa scientificar ae reepakavel m
geral, em particolar a sua boa fregutria, da immensidade de objectos que l
te tem recebido, justamentefqnando ella menea o pode fazer e jorque essa falta bj
luntaria ella confia e eapera na benevolencia de lodos que 1b'aUenderao e relevalfo
confinnando portanto a dirigirem-ae a bem conaecida te ja da A6U1A Ba\HCA-a rM d*
Queimado n. 8, onde sempre acharSo abundancia em sortimento de superiordade es'
qualidades, modicidde em precos e o seu nuncadeamenttido AGRADO E SINCERE)ADI
Do que cima fica dito se conhece qne e tempo de qne a AGUIA BRANCl pdi
dispr, empregado apezar de seus costos no deaempenho de bem servir a aqueUea qoe i
honram procurando prover-se em dita loja do qoe necessitam, entretanto sem ennurn
rar os objectos que por sna natoreza sao mais conhecidos ali, ella resumidamente indi-
car aquelles coja importancia, elegancia e novidade oa tornam recommendaveii, cent
bem seja
de 720 at 15 a vara, assim como um g and1
sortimento de H -mburgo ou cregueilas le
todos os nmeros, precos on qualidades,
que se vendem mais barato do que em on-
tra qnalqoer parte; aproveitem-
ATOALHADOS
No Bazar do Pav3o vende-se snperior
atoalbado trancado, com 8 palmos de larga-
ra a 15600 o metro, dito de linho adamas-
cado o melhor que tem vindo ao mercado a
35500 o metro ; tudo isto mnito barato.
FAZENDAS PARA LUTO
No Bazar do Pavo vende-se constante-
mente o melhor sortimento de fazendas
pretas para lato, como sejam :
Laasinbas retas lisas.
Cassas pretas de ISa.
Cassas pretas, francezas e inglezas, lisas
e com salpico?.
Chitas pretas de todas as qnalidades.
Alpacas pretas lisas.
Ditas lavradas com branco.
Merinos, cantdas, bumbazinas, qne sa
vendem maisbarat) do que em ontra qaal-
quer parte.
CACHE-NEZ A 65000.
No Bazar do Piafo vendem.se bonitos e
grandes cachi-nez de pura laa, pelo bara-
to preco de 65000 cada am
PEHICNCHA EM CAMBRAIAS VICTORIAS, A 55,
65, 75 850c0.
Vende-se um explendi lo sortimento de
fioissimas cambraias victorias, por precos
mais baratas do que em ootra qualquer
parte, tendo cada peca 10 jardas a 55, 65,
65500 e 75000, Qnisstmas a 85500 ; todas
estas cambraias valem muito mais dioheiro
e lquidam-se por este preco em relacao a
orna grande compra qae se fez no Baza-
do Pav5o.
BABAD1NH)S
No Bazar do Pavao veede-se am grande
sortimento dos mais finos babadinhos borda-
dos tapados e transparentes, assim como
urna grande porco de entremeios largos e
estreitos, que para acabar se vende moito
em conta e mais barato do qne em ostra
qualquer parte.
SET1NSDE CORES E GROSDENAPLES.
No Bazar do PavSo vende-se um sortimen-
to completo dos melbores setios e grosde-
naples de todas as cores, que se vendem
muito em conta.
Colchas brancas i 352 0, 35300 e 75000.
Para o Bazar do PavSo chegou um grande
sortimento das melbores colchas pretas,
sendo das melbores e .aais sncorpadas qoe
tem vindo 75000, ditas um pouco mais
baixa 35500 e ditas 35200; tambem no
mesmo estabelecimento, se ven ie um grande
sortimento de crotones e chitas proprias
para colchas que se vendem mnito em conta.
Sedas de quadrinhos a 15280 ao corado
Vende-se um elegante sortimento de sedas
de quadrinhos, com lind ssimas cores, para
vestidos e roupas de meninos, e vende-se
15280 cada covado; pechincha no
Bazar do Pav5o.
CHALES DE RENDA.
Chales 200J.
Chales 2000.
Chales 4 2000.
Vende-se nma grande poicjio de chales
pretos de renda ou croch, sendo pretos
com 4 pontas, fazenda que mpre se ven-
deu 55000 e liquidi-se a 25000 cada um,
pecbincha no Bazar do Pavao, a roa da
imperatriz o. 60
LINDAS BAREGES A 320 RS. O COVADO
No Bazar do Pavao vende-se o mais bo-
nito sort ment de fioissimas bareges trans-
parentes com as mais bonitas listas de cores
proprias para vestido, e liqu da-se a pataca
o covado por estarmos mnito prximos da
festa ; ditas mescladas, fazenda moito lus-
trosa e com lindas cores a 400 ris o covado,
pe ;hincha a roa da Imperatriz n. 60.
LENCOS DE CASSA DUZIA 35000
Vendem-se finissimos lencos de cassa
com delicadas cerca loras, de cores fixas
j embaobades, sendo proprio para bomens
e senboras pelo baratisstmo preco de 350i 0
a dazia, no Bazar do Pavlo a roa da Impe-
ratriz n. 60.
TOALHAS A 75500
No Bazar do Pavao fez se urna grande
x>mpra de toalbas a'.cocnoadas, proprias
para rosto, bastante encorpadas e grandes,
roe sempre se venderam a 1125000, e li-
midam-se a 75500 a dozfagou a 640 re.
ada ama, boa pecbincha.
cada covado, nc Bazar do Pa-ao.
AS POUPELINAS'tjO PAVO A 25000, O COVADO.
Cheg.n p?ra o Bazar do PavSo om bo-
nito sortircnto das mais modernas e ele-
gantes ponpelinas de linho e seda, que se
vendem pelo baratissimo preco de 25000
cada um covado, assim como ditas com
go tos escossezes a 25400, pechincha no
Bazrr do Pav5o.
SEDAS" A 25000
Chegou un elegante sortimento de boni-
tas seda de listrinbas, com as cores mais no
vas qua tem vindo ao mercado e vendem-se
a 250OO o covado, na raa da Imperatriz
Bazar do Pavao.
CRETONE FORTE A 25O0O 0 METRO
S no Bazar do Pavao.
Chegon o verdadeiro cretone francez pro-
prio para iencoes tendo 10 pa'mos de lar-
gura, e mnito encorpado, sendo precise ape-
nas para cada leegol 1 '/o ou 1V metros, alm
d'esta appli;,ic3o tambem esta larga e en-
corpada fazenda propriapara toalhas, saias,
ceroalas, etc. e liquida-se pelo barato pre-
co de 25000 cada mejro.
CASEMIRAS A 25500 CADA COV\DO
No Bazar do PavSo vende-se um grande
sortimento de bonitas casemiras de urna
cor, sendo asul, litio, mesclada, sendo de
duas larguras, proprias para calcas, patitos,
e roupas para menino, e vendem se pe!->
barato preco de 5500 o covado, rua da
Imperatriz n 60.
BONITAS LASINHAS A 500 RS. O COVADO,
Vende-se delicadas lSasinhas com dila-
rentes gosto pelo barato preco de 500 rs.
o covado, no Bazar do Pav5o.
ALPACAS BRANCAS.
Vende-se um bonito sortimento de fins-
simas alpaca brancas lavradas, imitaco
de seda, proprias para vestidos de baile ou
pasamentos no Bazar do PavSo.
ALPACAS LAVRADAS A 400, 560 E 640 RS.
Vende-se om grande sortimento de lin-
das alpacas lavraaas de todas as cores para
vestidos e vendem-se a ~4U0, 550 e 640
e at mil e tantos res o covado, no Bazar
do Pavo.
BAREGES DE QUADRINHOS A 600 RS. O COVADO
Vende-se as mais lindas e modernas ISa-
sinhai on bareges de quadrinhos, proprios
para vestidos, tendo quasi largara de chita
frsnceza. e liqoida-se a 640 rs. o covado,
no B-izar do PavSo.
MERINOS DE CORES RARA VESTIDOS.
Vende-se bonitos merinos de urna so
cor com cores muito proprios para vestido
e roupas para cranlas por ser nma fazen-
da de pora 13a e muito leve, vende-se a 15
o covado, no Bazar do PavSo.
GLACES A 15000 PARA VESTIDOS.
Vende-se nm elegante sortimento desta
nova fazenda denominada glacs sendo urna
fazenda de ISa muito larga e com debea-
dissimas cores, tendo tanto brilbo como a
seda e vende-se pelo barato preco de 15,
covado, no Bazar do PavSo.
CASEMIRAS A 75000
Vendem-se cortes de casemira ingleza de
cores para caigas sendo fazenda que vale
muito mais diaheiro e liquida-se a 75000
o corte de calca, no Bazar do PavSo a raa
da Imperatnz n. 60.
GRANDE PECHINCHA EM CAMBRAIAS TRANSPA-
RENTES a 45, 55,65, 85, e 105000
Vende-se fioissimas camb: aias soissas, df
muita phantasia tendo 9 varas a 85500 e
105000. Ditas bispo con -10 jardas fazen-
da moito fina a 55, 65 e 75000. Ditas fi-
oissimas azuladinhas, qoe valem muito mais
dinheiro, a 85 e 100000: todas estas cam-
braias, em relacSo a qoalidade, pelos pre-
cos cima sio mais baratas do que em oo-
tra qualqoer parte, no Bazr do PavSo.
CAMBRAJA ALLBMAA COM 8 PALMOS DE LAR
GURA A U600, U E t*500.
Vende-se fioisstmi cambraia branca tran-
pa-ente com 8 palmos de largura, que faci-
lita fazer-ae om vestido apenas com 4
varas e Iquida-se a 15600, 25 e 25500 a
vara, fazenda que vale moito mais dinheiro.
E pechincha no Bazar do PavSo.
CAMBRAIA TRANSPARENTE
Peca a 45000
Vende-se muito finas pecas de cambraias
brancas transparentes, tendo8 1|2 varas ca-
da peca e com om vara -de largara a 45
E pechincha, no Bazar do Pavlo
A' ra da Imperatriz
n. 60.
Agora sim
Corpinhoa de cambraia, primorosmente
enfeitados com fitas de setim e obras essas
cuja novidade de molde e perfeicSo de ador-
nos oa tornam apreciados.
Fitas mni largas de diversas cores e qua-
lidades para cintos.
Legues uesse objecto muito se poderla
dizer querendo descreve-los minuciosamente
por soas qualidades, coree e desenhos, tal
o grande e variado sortimento que acaba
de chegar, mas para nlo massar o pretn-
deme se lbe apresentar o que poder de
melhor.
Entremeios em pecas de 12 tiras.
Guipare branco e preto de diversas qua-
lidades e desenhos.
Ditos de algodSo com flores e lisos.
Veos de seda para chapelinas e monta-
ra.
Meias de seda para noivas.
Ditas abertaa de fio de Escossia.
Costumes oa uniformes para meninos.
Enxovaes completos para baptisados.
Touquinhas de fil, sapatinhos bordados
e meis para ditos.
Camisinhas bordad para ditos.
A Nova Esperanza, a ma Duque de Caxias n.
63, recebeu ura lindo sonimento de l para bor-
dar, vmlo as cores mais p'ocuradas, branca, pre-
ta, escarate etc. etc. a <-i la antes que se acabe I
Aos cigarreiros.
A Nova Esperanza vende papel para cigarros
(Mais) a 4OO a caixinha barato I
MCIIIYi; PARA
COSTURA
Acabara de chegar ao GRANDE BAZAR
UNIVERSAL, raa Nova a. 2carneiro
viannaum completo sortimento de ma-
chinas para costura, dos autores mais co-
nhecidos, as quaes esto em exposico no
mesmo Bazar, garantindos-e a sua boa qna-
lidade, e tambem ensina-se com perfeio
a todos os compradores. Estas machinas
sSo iguaes no seu trabalbo ao de 30 costu-
raras diariamente, e a sna perfeicSo tal
como da melhor costureira de Paris. Apre-
sentam-se Irabalhes ejecutados pelas mes-
mas, que muo devem agradar aos preten
dentes
lervej \ branc i e preta
DA
B azar, do Pavo sito a ra da Imperatriz n. 60, esta' constantemente aberto
das 6 horas da mantia as 9 da noute,
engarrafada por
Blondo Wolfe & C.{
especialmente i ara o Brasil
NICOS AGENTE S_EM PERNAMBUCO.
/. Jeferies Ir C.
46. Ba do Uommercio 46.
*Aos Srs. fumantes.^
3> Charutos finos da Baha, do afamado c
49 fabricante Joaquina Jos dos liis, mnito
S superiores, por precos mdicos : na fa- flL
3 brica a vapor de cigarros Da antiga ra 55
9 do Quartel de polica n. SI. ja
Aviso importante.
Na cidade de Olioda, ma da Ribeira, defronte
da cadeia, sobrado o. 10, vende-se por prego com-
modo, como observar o comprador, doce da dif
ferentes qualidades, nao tmente seccj como de
calda, em pequea quautidade, e tambem em por-
ches maiores ; e ahi mesmo se pnparam caixas
cora, ou sem enfeites de diversas dualidades de
doce, como de caj, de si-ira, de laranja etc. :
Quera qt-er va ver, e si certiHcara da verdade
de que fica exposto.
Ptchi cha sem igual.
Vende-9e ura excellente burro novo de cor ruca,
com crinas araarelladas. muito andador, chegado
ha pouco do sertao, pela insignificante quanlia
de 754000. Sua dona desfaz-se do mesmo por ter
de seguir no prximo vapor para a Europa e por se
acbar o mesmo animal achacado dos pos : na ra
Duque de Caxias n. 0, t* andar.
Capellas brancas para meninas.
Grande sortimento de flores final.
Fil de seda preto.
PERFUMARA
Grande e constante sortimento de dita,
sempre melhor quadade.
Lindos vasos com pos de arroz e pinsel.
Caixinbae com ditos aromticos.
Bonitos e modernos pentes donrados pa-
ra circular o coque.
Bonitos brincos de plaqno.
Adereeos e brincos de madrepero/
Caivetes finos para abrir latas.
Thesouras para frisar babadinhos.
Aspas para balio.
Novos stereoscopos coa 48 vistai, *
quaes sao movidas por um machinitm
urnas substituem as outrai.
Vistas para atereoscopoe.
Bonitas caixinhas de vidro enfeitados co
pedras.
Ditas de naadeira envernisada com viapo
ras e com dminos,
Bollas de borracha para brinqaedo i
enancas.
Diversos objectos de porcelana, propriot
para enfeites de mesa e de lapinhai.
.3
S
3
c3
s
mmkmmmkU
ii

63
CO
l>
Com este titulo acha-se aberto inteiramente transformado este antigo
estabelecimento de joias, onde os freguezes e amigos encontrarlo todo quanto
a moda e o bom gosto tem inventado na arte de ourivesaria, o Collar de Ouro
observar delicadeza no trato e senciridade e modecidade nos precos.
Espera qne o respeitavel publico venha ver o que existe de melhor em
aderaos de brilhantes, esmeraldas, robins e perolas, meios adereeos, pul-
ceiras, brincos, alfinetes e anneis de todas as qnalidades, prata de le faqnei-
ros, colheres, paliteiros salvas e outros muitos objectos que seria enfadonho
mencionar.
Compra-s ouro, prata, brilhantes e pedras finas, pormaior preco do
qu em outra qualquer parte, troca-se e concerta-se todo e qualquer objecto
pertoncente a esta arte.
AAR
ATTENCAO
Caniieiros e gaz eco-
nmico
Acaba de chegar nova remessa dos lab desea-
dos candieiros todo de porcolana os quaes mnito
se acrame dam pela seguranga, aecsio e economa,
e anda pela excellente luz preerivol mil vezes ao
kerosene: venbam antes que se acaben), nico
deposito da ra larga do Rotarlo n. 81, botica.
Cylindros para-padaria do melhor systema ame-
ricano : vende-se a mdico preco no armazem de
Jos Duarte da* Neves no caes do Apollo n. 69.
Vende-se lenlilhai muito novas de Ham-
burgo, em arrobas, em pceos de 15 libras e em
libras : na padaria da ra da Guia n. 56.
Caixilhos
Vende-se Uparelhas de caixilho3 de amarello
em bom estado, com vidro : na ra Augusta nu-
mero 78.
Sal do Ass
Vende-se a bordo do brigue OUnda tandeado
defronte do caes do Forte do Mallos: a tratar na
ra do Vigario n. 1, 1* andar.
Fundidlo dji Aurora.
Neste etabeleiimeato se vendem taixas de ferro
batido mais bem construidas do qae as que vera
de fora tWn.i libra ; sortimento completo.
Lourenco Pereira Mendes GuimarSes, participa a lodos os reas devedort
tanto da praca como do mato, que estaodo I quidando soas casas commerciaes. o qu
deve fazer at o fim do correte anno, por Uso rosa a todos os seus devederes a vires
saldar seus dbitos o mais breve possivel; nutro sim, declara aos seus devedores, qui
os que nao estiverem na loja tem de pagar todos os seus dbitos, provando isto se fari
o abatimento que or preciso para a liquidaco de suas dividas, para isto podero di
rigir-se roa da Imperatriz n. 72, loja da Arara.
Ao resta das pechinchas
Vende-se cortes de castores para calcas,] bales de arcos a 1|000.
a 500 rs. Cortes de brins de cores a Vende-se balSes de iS a 30 arcos a 1#
1500; cortes de gangas para caifas a 10, e 10500 cada um. Cortea de cassas em
cortes de casemiras preta para calcas a
3^500, 40, 50 e 65000.
Crtes de chitas a 2:500.
Vende-ae cortes de chita* para vestipes
a 25500. Ditos de cassa para vestidos a
20500.
Pechincha a 40000.
Vende-se pecasgde algodo a"40, 50, 60
e 70000.
Para liquidar a 303OOJ
Pecas de madapolao com 12 jardas a
35500. Ditas de dito com 24 jardas a 50,
60, 60500, 70, 80 e 90000.
LIQIDAgAO.
Pecas de algodiesinbo de listra proprio
para roupas de escravos com 42 jardas a
(55300 e covado 160 rs. pira liquidar.
Chitas escuras para vestidos a 280, 320
e 360 rs. o covado.
Para acabar.
Vende-se pecas de cambraias victoria, fi-
nas a 60, 60500 e 70000.
I' Buito barato.
Colarinhos de papel a 240 rs. a duzia.
Certiaades para janllas a 50000.
Vende-se cortinados para jinellas a 50
o par. Brim pardo liso para calca de ser-
vico a 500 rs o metro.
Cortes de percales a 60000.
Vende-se cortes de percales d duas
saias de bonitas barras a 60000.
Caberlas de chita.
Vende-se a 10500, ditas finai a 2,5500,
ditas encarnadas e adamascadas a 30500,
ditas forradas 50000.
Gangas para calcas a 280 o covado.
Brim de listra ao lado para calcas a 400
rs. o covado.
Lencos brancos a 20000 a duzia, para li-
quidar ; grande porcSo de mantas para
gravatas a 200 rs. cada urna para Vqoidar.
Cassas francezas a 280 rs.
Vende-se cissas fraooezas "para vestidos
a 280 e 320 rs. o covado.
Organdys de cores'para vestidos a 400
e 640 o covado.
- Alpacas de cores para vestidos a 500 e
640 rs. o covado.
. L9a%inhas para vestidos a 33, 400 e 530
rs. o covado.
papel a 20500 cada um, para liquidar
Bramante de linho e algndio cem 10 pal-
mos de largara o 10800 o metro.
Pan- o de linho a 760.
Vende-se bramante de 10 palmes de lar'
Sara proprio para lences a 20800 o metro.
Lf neos de seda a 80U ri.
Vende-se urna porcao de lencos de seda
a 800 rs. cada om,
Chales de cassa a 10000.
Vende-se urna granbe porcio de chata
de cassa a 10000 cada om, para liquidar.
FustSJ a 360 rs.
Vende-se fostao de cores para resudo!
a 360 rs o evado.
Algodo enfestado a 900 rs.
Vendi-se diodao entestado para leneet
e toalbas a 900 rs. o metro, dito tranca-
do a 10200 o metro.
Gbales de meria estampadas a 20000.
Vende- se cuales de merino estampado
cm barras a 20, 20500 e 30 para acabar
Grande porcSo d retalhos.
Vende-se grande porcio de realhos di
cassas e chitas a 240 rs. o covado.
A festa est na porta
Roupa feita encontrarlo
Por precinto razoavel
Todos se enronparlo.
A SABER :
liquidar de roipa feita.
Vende-se pal.itots de brinsinho de iioha
proprio para andar em casa a 10500 ; \ di*
tos de ganga a 20000 ; ditos de meia'
semira a 3/>000 ; ditos de alpaca de da
30500 e 40000; ditos de panno
preto a 60, 80 e 100000 ; ditos de cas
miras de cores, a 60 e 80000 ; colletea
de cassioetas decores, a 10500 ; ditos di
brins e quadriottos a 10000; ditos de ca-
semiras de eres, a 20500, 30 e 40000.
Calcas zoes para escravos a 500 rs.; ditaa
de algodaosinbo de listra a 800 rs. ; ditas
de brim parlo a 10600. 20 e 20500 ; di-
tas de dito branco de linho a 30500 e 40 ;
ditas de casemiras de cores a 50, 00, 7|
e 80GOO camisas de chita a 10000; di-
tas de altfodosiuho, proprias pan 6 ser-
vico por ser rienda forie, a 10280; di'ai
de musu ina a 10600 rs. Para liquidar.
O proprietario da loja denominado Arara, deciaa ao respeitavel publico e awe
seos fregueses que est coocluindo sua liqaidacao, por iso quem quizar monir-se 4a
boas fazendas per pouco dinheiro tenba a bondade de irigir- dr fraa da lmpentri a,
72, desdeas 6 horas da maoha as 0 da noute.


> I
Diario de Pemambuco Quarta eira 28 de Dezembro de 1870.
Venham, freguezes,
mnir-se roa Duque de Caxias (antiga*
mente rua das Cruzes), .sobrado das pe-
ta de ariilheria d. 6.
NetB novu estalifteejmcn encontrarlo os ma-
dor* gaa'fresca e sab.itoi o* owJhres otj
Jtctos de barro, >' so actaa prnvi.lo de trufo o
joMmento comosijam : qdarfcas dos methoses
fabricantes deta provincia, jarras, moringtres
resfrladore?. bilhr-, garrafas p)lidas e tornead is'
ludo di melhor barro efiosto; assim como jarras'
potes, quanuhas, bubas, jarres o vasos parafl>
res, loufa vidrada de todas as qualidades, e mai-
tos outros objectosaem serem polMos, todo de uti-
lidaae par as casas de familias
TASSO IIUNIfi
...-!? 5 *eni3a em seu9 rmateos, alm de outms
igos de seo neg io regular, os seguales, que
stao vendendo a pregas raaia baratos que em ou-
Wa quali|uer parte :
PORTAS de pinho almofadadas.
PARELU) em saceos grandes a 3500.
GRADE de ferro para cercados.
jjSTEIRAS da ludia para cama e forrar sala.
r doPS <*e- barro n'ance* para esgoto.
f^p^uporior em barricas e as arrobas.
CEMENTO de todas as qualidades baixos
ancos.
ACHINAS de de BARHIS prandes com peixc da Sngcia.
LONAS e brindes da Russa.
OLEADOS americanos para forro de carros.
FOGOES americanos muito boas o ecoaomicos
VLNHO de Burdeaux em cateas.
COGNAC superior de Gautier Freres.
UILHO de Fernando a 3 o saeqo.
AGUA florida;
BARRIS de carne salgada de porco e de vacca
3]porfa*n. 53, rua Direita, 3 pitas n. 53, a^i^a
hja do Braga
oJLu,aJX0 *?sinadoj <^->> este antigo eatobeleciniento, tendo em visto ar>re ^S^ST^^^T^6 'C0,iieri, ,n ^^ivido mandar basurera '
SconheX nSTo 2L^'h0reS 0bJ?C,OS1 dVc-u tabelecimeto- dos fabricantes
vLnnecid9s' Ppl Que convida ao respeiiavel pnb eo e a seus numerosos frcuezo
] cw offiaalS^' de SUa """*' fcB* "rao Por nS? 0 0,0 do fue
a^Zm^nhte'f"^ u.m ^rlmoDj9 .mpeto de machinas para descarocar algodao,
do. Bem conhecido fauricante Cottorr Gin & C, ditas para costura, motores para animae*
aous canos e de uro, Unto ingieras como francezas, louca de borcelana facas parras
mlTSderd8^ftpre?08'ba,,dejaS ?'* "" &""' ^XeD\oL%PTe
mra e \nU^ Si % aglha m* f?tue,e'ro 5 **m como encontraro constante-
Sm nnmarDdLp5ao,de fo do ar- e recebe e encommenda de ogos de visto, alem de um
cem numero de objectos quo se tornara enadonho nnmera-i.m : Vuham ra DireiU a
W, loja de Lenidas Tito Loureiro, antiga toja do Braga.
MU DA AIflM
Rua da Imperatriz n. 2
A' este novo e surar tooso estabelecinrnto a fazen las ac;.ha de ebetar directa
eoie da Euroi>a o MSbrxpJendido sopmento de rarendas propr.as p. SEH
I
h
PRECIOSA DESCOBERTA
r
3ma ? J0NIf DELSUC que hoje apresenta a0 publico, depis. porm, de um severo
?SSf.t de,re!teJ'adaS exPeriencias. endo a certeza de que pUue urna sun^ofidade
1
2a
3
4a
novas msicas para piano.
- Danse des negres do maestro (Jaaalbore.
: Margarida, linda schoitisch.
Urna folia a Rmn, qnadrilha.
LUNDS
Diisas paraguayas.
Habanera.
Los negros.
Noites de Loque.
Palomita paraguaya.
Tambem re:ebeu as sogomtes:
A opera Guaran/, e os melbores pedamos
da mesma para piano e piano e canto.
Quadrilbas
Walsas
_______ E polkas
Quadnlh&s:
Risette.
Satn.
Jardim das Fadas.
Heroica.
Capenga, Caroca A C.
Homens do mar.
Juventude Commercial.
Rocamboli.
Ponie d" Diabo.
Tenente do Diabo.
Imperial marinbeiro.
A sultana como linda.
Independencia das senboras.
O Club X.
Regresso do conde d'Eu.
Caminho de ferro.
Guarany.
Walsas:
Sonho da virgem.
Voluvel.
Oansa d'amor.
Ultimas walsas de um doido.
Anjo da meia noite.
Carnavalesca.
Guarany.
Polkas :
Cabriao.
Gorgeio do sabia.
Bulifoia.
Capenga nao forma.
Querida por todos.
A rival.
Por todos querida.
Zas Trz.
Palomita paraguaya.
Bismark.
Moreninha.
Surpreza.
Chora pitanga.
Gloria.
Guarany.
venda no armazem de pianos e msi-
cas do Azevedo, roa Nova d. U, boje roa
do Baro da Victoria.
porsua bondade, e pelo brilhante lusfro^qe^^uzn c7b oT irSSX 1" !
F tSflCa?nPf,nr-e,raS HfaZeDd COm ^ue aPParea era b esfar impaga e
Esta agua compoa-se de substancias cuidadosamente escolhidas nunfifadas e
confecconadas com o raaior cuidado, e alm disto combinadas de modo ui a daNhJ
nma acc3o verdadeiramenteefficaz. consoladora, e benigna
osc^^;^^^^^^^^^ i-ediatamente ficam
Deposito
smente em casa do autor, Andr Dekue cabelleireiro de Par3
Rua T de afargo (antigaCrepo) n. 7 A 1' andar
NOTICIA
1IOMTEIRO
Veto operar^ urna completa revoluto no artigo^^
Tinta para escrever.
para hrmen?, como para senioras; descreer e e$pa<.-ificar o qodentoderno e der
apura io grefto |le||e se .-'ncontra seria imprsive;; mia para que se possa fazer urna
r* ximada id', mencionaremos com especialijade :
R'C s cortes d vestospara casamente, chegados do ultimo vapor.
O"os dito* de ditos de seda desenos inteirameote novos.
JJuos d-t"s de di'/s do 15a cem barras, fazenda inteiramente nova.
vestidos de cambraia para baptisado.
Popelinas d seda-dos gostos roais modernos, variado ortimento de cambria e
cassas oe cores, lindos e modernos desenhos.
Sedas lisa, lavndas, pretas e de core?.
Lretone para vestidos,- modernos gastos.
Alpacas de a res, imjossivei descrea er a variedade de gostos t pjdtSes
J-Ditas finas, c'aras, escoras, pretas, indeacriptivel o variadsimo sortimento.
nowda-ie lija?9 3$ qualidade! cores e lamannos, entre o* quacs uns sao inteiramente
Sais bardadas para serhnras, grande quaniidade de gosto
i.au istnbas bordadas para* senboras muito modernas, grande variedade
tntremeos e tiras bordadas em to'das as larguras.
Camisas para homem. bordadas, lisas, _e collerinhos, completo sortimento,
Lencos de cambraia bordados, lisos e do barras,
.tn. |eS de velllldo>-Pa|,ia. merino, Miro, o que ha demais moderno e lindissims
OS IOS.
Cortinados b( rdados, e ricas colchas de seda, e de crochet.
Baregt-s de phantasia, fazenda propria pata baile..
Taratanas decores com palmas lindsimos gostos. '
Burns de c< res para senboras.
Grvalas para homem, grande sortimento em feitios e cores.
Bretanhas, espoi3o e brarcante de todas as larguras.
Llazinbas do modernos padr5es e indos gostos.
Metim da Iniia f,onda inteiramente nova para vestHosede lindo effeito.
Hnalmen-treuce s;e estabelecimento tudjquede melhor e mais moderno se pode
encontrar em fazenoas como em perfumarias finas, das quaes tem um completo sor-
'. AOSCAVLJEEIilOS
OCerece igualrrete a vactagem deencontrarem neste esUbtlt cimeuto:
Pannos finos,: reto> e de cores.
Ca.-emtras pretas finas, e ricos gorgoroes para collete.
Ditas de cores, de quadros, lisos e de listos, completo scriimrntn.
Bros brancos de lnho de todas as qualidades.
Ditos de cores, usos e trancados, grande fortimento.
Um b?bil artifta para cortar e dirigir q alqaer obra, qno s se entrega a contento
do rejuez.
Urna modista igualmente .ccopaJa nos trabamos do PAVILHO DA AURORA, di-
rige os fue loe sao concernenies. apromptando a capricho qualquer TOILET, garantin-
do-se a mais completa perfeico nos scus trabalbos.
Em resumo concluimos
Por chamar atiendo do respeitavel publico para o nosso estabelecimento, que alm
SimPrniti0! port,J rip8PJarem azendas-* perfumaras tem n mais COMPLETO SOft-
iiMUPT \)E ROUPA FE1TA, para homens e meninos. Mandam-se as fazendas em
casa das Exmas. familias, e dam-se amostras.
Um completo sortimento de esteir. s da India, por menos preco que em outra qnal-
quer parte. n *
Aberta das 6 horas da maiiha s 9 horas da noute.
O Bazar da Modr recebeu novo sortimen-
to de fazendas do nltimo gosto para vesti-
dos, assim como cbapeosinhos, casacos,
borns, coques, camisinhas, etc, etc.
Continua sempre o grande e afamado sor
timento de miwdezas e perfumarias verda-
deiras, que tudo se vende por baratissimos
presos.
Dam-se amostras e.manda-so em casa das
Exmas. familias o que desejarem, roa do
RarJo da Victoria, oatr'ora Nova.
hom em grarcVs e poqnenas porcea : loi,oo
*C. na rua da Sewata Velba d. I0.
Vendo-e "ulTcasa terrea e daaa meia5
aPnS em Fora de PoTtas ^ ^ d f%T a
tratar na roa Brnm n. 81, 3 anda?. '
AZ m GAZ
Eival sem segundo, | Eival sem segundo
RUA DUQUE OE C AXI.%* W. 49 j RUA DO DUQUE DE GAXIAS N. 49
ntiTi) f US dn ftflPimadn) I EsU)U disPst0 a continuar a vender toda
^Ullga rua UO yoeOiaaVj | a8 miudezas pelos baratissimos precos abai-
bom e xo declarados, garantindo tudo bom e pre-
i (os admirados.
120 Dalias de palitos seguranca a.... 120
500
60
i ($000
8000
Nunca se vio um processo mais perfeito e que attinja de tal forma a satisfacer as
exigencias mais severas da fscriptnraclo. sansiazer as
inmi,l6r lindissima Ae D2c Precisa e cuidado algum para se conservar no
b< inhPSST*0?"5 a mtimf C6r sem borra' cr6sla' bol6r oa sem todas ew mazel
estrangeS at agora conbecidas, ainda mesmo dos melbores antores
trarin aSonboreludo; es.le estimavel producto nao atac* r.s peonas de ac, antes pelo con-
trario, penna adquire um esmalte dourado que, sendo iniressante. asss rove'tosS
cnias fr T &ef ^^'^o.epafa copiar, d comtudo duas, tres ou mais
So SrS r!f d?, T>P*' preciso' por,n' deixar-|be W bem SC
oque lXttS^ffi.i,DPort,Bni,l intelligencia e babilidade,sem
vezes quem menos culpaTm n Sempre SOhre a tinU' <* moila8
^^VX^tSf^i^S^^ A"**"* Poi qoe evita que
Emquantosua dSh5S nTiS?? ***' S df*l?i tt8teres-
depoia de escripia soffreTKoe da^addot ?rPiL6rmanmeDr da'id' P01'8 ^e flr* acCao sobre tifZ^^ '"ffkS^Z
t^&sj^szgi s opr^retoMrdouss;e8 f^r*dos
aproveitado esta trata, que com ra*3o aacharaifTS S ff.JSSid,iC*otos' **
educandos, em consecuencia da belleza da cor e hXdJZ rl ? lver g06U) Ot
liquidez. Ha exemplos de criangas que Vava mo o temrfo S? *ema peIa 8ua
extrema para a cripta, logo qn foi dmiil id i eaS tm. nT,Prm K T rePI1"lca
a "ulitis r iv ,emr w*T^^lsszdellas
TA EXTRA FINA DE MONTBIRO. r"aopara 8e usar flet,ata < **o ej* a VlGfcE.
Observado.
A. (7. Montetro. ;
Contina a vender tudo muito
muito barato a saber:
Libras de areia preta muito boo. .
Tesouras finas para nnbas e endu-
ra a......., .
Papis de agulhas francezas a ba-
ilo a.....*.....
Caixas com seis saboneles de fruta
Libras de laa para bordar de todas
as corles a.......
Carriteis de linba Alexandre a. .
Frascos com azeite para machinas
Gravatas do corestrouito finas a .
Grozas de bot5eSf madepersla fi-
nissimos a.......
No vello de linba de 400 jardas a.
Caixas com 100 envelopes muito
superiores .a......
Pentes volteados para meninas a.
Tinleiros com tinta preta a80rs. e
Pe(as de fita elstica muito fina a
Lata com superior banba a 100 e.
Frascos de oleo Pbilocomo mnito
fino a.........
Frascos de .macaca perola a. .
Frascos de extracto muito bonitos a
Duzia de saboneles muito finos a.
Saboneles inglezes a 600 rs. e. .
Frasco com agna de colonia Pivera
Dito de oleo babaza a.....
Caixas de lamparinas a. .
Saboneles a forma menino muito
superiores a.......
Cartilbas da doutrina fazenda nova a
Libras de linba sortidas de todos os
nmeros a.......14800
Capachos muito bonitos e grandes a 700
Carriteis de retroz preto, com 2
oitavas a........ 640
Agulheiros de osso enfeitados a, 240
Libra de linba franceza superior
qualidade a.......20420
Ricas touquiul.as de fil para me-
ninos a 200
Botinas de couro para meninos a 20500
Caixas com rgulhas de fundo
dourado a 240
Pecas de liras bordadas muito fi-
a 500, 000, 800 e 1000
Duzia de palitos seguranca caixa
grande a................... 320
Frascos com oleo baboza muito fino. 320
Pacote* com p.^s de arroz o me-
lhor que ha a............... 320
Navalbas muito finas para fazer
barba a.................... 0000
100. Caixa de linba branr _do gaz a..
500 Vara de franjas de lidho para toa-
500 ibas...-....................
Caixas com pennas d'afo de t'erry
500 superiores.................
60 -
500
160
800
500
240
500
720
10200
500
500
40
240
400
Banhos de Olinda .
Acaba de sahir luz esta mnito linda qnadri-
lha para piano, prego 1000 : na roa Nova n. 11,
armazem de piaqes e masicas do Azevedo.
Vende-se cemente de coentro e alfaee mnito
novas : na rua da Guia n 7, taberna.
Lencos de cassa brancos e pinta-
dosa......................
600 Caixas com 20 quadernos de papel
240 pautado .......
100 Caixas com 50 novellos de linba
2001 do gaz a....., .
) Dnzias de mei3s cruas superior
qaalidadea.......30GOO
Pecas de tiras bordadascom 12
metros cada peca a 10500 e.
Pecas de fitas para cs de qual-
quer largura com 10 varas a.
Pecas de tranca Usas, brancas e
de cores a. .- ,
Duzia de linba frxa para borda-
dos a 400 rs. e.....
Pares de meias cruas para m,'
nos diversos tamanhos a. .
Dnzias de meias brancas mnito
finas para senhora a. .
Pares de sapatos de tranca do
Porto........
Pares de sapatos de tapete a.. .
Duzias de bafalbos para vultarete
Sylabarios portuguezes a. .
Cartees com colxetes 2 carreras a
Abotoaduras para collete diversas
qualidades.......
Caixas com penna de ac muito
boa de 320 a. .' .
Caixas com superiores obreias a.
Duzia de agulha para machina a.
Libras de pregos francezes todos
os tamanhos a......
Pacote de papel com 20 quader-
nos ...........
Re: ma de papel pautado superior
Resma de papel liso mnito supe-
rior a ......... 30900
Acabam de chegar pasa a loja de
fazendas de Antonio de Mnura
Rohm A C, ma do Doque de
Caxias n. 31, os segrales ar-
ligos. -
Liada^ sedas de corea,fazend* superior
a popeln, pelo baratsimo preco de
2*500 o covado.
Chapeos de Teliro brancos e pretos pa-
ra homem a 5j.
Dites de castor tranco* a 8*.
Caitas francezas pintadas de delicados
padrdes e superior qualidade a 500 rs. o
metro.
Cortes de casemira de cores, fateta
que lodos Tendera a 10|, a 7J.
Alpacas lavradas t ||o corado.
Cortes dejaa com 15 co'adoi, Duenda 1
superior a 8)500.
Ditos de cassa a'Amlie a 8*.
Camisas dalinho inglszas a3
Alcatifa cora 4 palmos de largura a
800 rt. o cotado. __
Wto i r* vSer 5
esffiptor na do Gonnareio d. 48, o in*m:
Jinho braceo de BiceUae especial.
Dito tinto parttCfar
Dito du Pono oims 4m encaheas.
pito da Fiuueira superior.
Dito Madeir secco especia!.
Mercurio.
Betro.
Cara'em velat-
' Cettnbos de gesw. Todo por preces raioa-
100
700
400
20000
500
40
500
320
40500
20000
10500
30000
400
20
400
50C
40
20000
240
400
40000
Roh-ante-rheumitic.
Remedio efflcacissime contra as dores rheuma-
ticas at hoje o maU conhecido pelos sens mara-
vilhosos resultados.
XAROPE DE AGRIAO.- ura dos medicamen-
tos que saa eficacia as enrermidades, toase e
sangne pela bocea, bronenites, dores e fraqueza
no pello, escrobato e molestias de figado, que me-
lhor tem aprovado.
TINTURA DE MARAPAMA.- A celebre hit
de marapuama, coja energa e eficacia as para-
lysias, interpecimento, etc. etc. muito se recom-
menda.
Todos esses preparados se encontrara na phar-
macia e drogara de Bartholomea k C, nico de-
posito na rua larga do Rosario n. 31.
GAZ DEVES.
Lata* com torneira*
ULTIMA INVBNCAO,
0>em comprar do gaz neasas latas na# precisa
pala-lo para garrafas on deposito, neis que pode
tiraf par os eandieirss todas as veies que preci-
sar sen derramar ou perder nma gota : vende-se
o armaaera do Joio Rosa, travessa da ladre de
Dos D. o.
Attenpao
Vende-se nma arraacao pir barato preco e em
boa locahdade para qoalqner negocio ; I traUr
nos ffofados. roa de S. fiptel n 34
cialde barbeiro
Paecisa-sedenm bom oficial de barbeiro
nu da Crun.M.l* andar.
na
IOJ A
GALLO VIGILANTE
Ra do Crespo n. 9
Os propnetarios deste ,bem conhecido estabe'e-
cimente, alm dos 'initbs ohjccto que tinham ei-
postos a aprrciacao do respeitavel publico, man-
daram vir e acabam de receber pelo ultimo vapoi
da Europa un completo e vanado sortimento di
Anas e rnui delicadas especialidades, as quaes es-
to resolvidos a vender, como deea costuni.
por prccoa.muito baratinhos e commodos par*;
dos, com tanto que o Gallo....
Muito superiores luvas de pellica, pretas, brai
cas e de mui lindas crcs.
Mu boas e bonitas golliishas e puchos par)\ se-
nhora, neste genero o que ha de mais moderno.
Superiores pentes de tartaruga para coques.
Lindos e riquissimos eneites para cabecas du
Exmas. senhoras.
Superiores trancas gretas e de cores com vidri-
Ihos e sem elles; esta fazenda o quu pode havar
de melhor e mais bonito.
Superiores e bonitos leques de madreperola.
raarnm, sndalo e osso, sendo aquellos branco
com lindos desenhos, e estes pretos.
Muito superiores meias fio de Eseo'a para se-
nhoras, as aes sempre se venderam por 3000(
a duzia, entretanto que nos as vendemos por 20*.
alm destas,"temds tambem grande sortimento d
ontras qualidades, entre as quaes algumas muic
finas. .
Boas bengalas de superior canna da iEdia
casto de marim com lindas e encan;adcra figa
ras do mesmo, neste genero o que de mcihor s*
pode desejar ; aini dess temos tambem gracci
Juantidadc de outras qualidades, corno sojam, ma
eir, baleia, osso, borracha, etc. etc. etc.
Finos, bonitos e airosos ehietxunhos de cadeia
de outras qualidades.
Lindas e superiores ligas da seda e borract
para segurar as meias.
Boas meias de seda para senhora e para rueni
as de 1 a 12 anuos de iadc.
Navaihas cabo de marlim e tartaruga para fazei
barba; sao muito boas.e de mais a mais sao f
rantidas j.elo fabricante, e nos por nossa vez tam-
bem assegurames sua qualidade e delicadeza.
Lindas e bellas capellas para noiva.
Superiores agulhas para machina e para croit
Liana muito boa de peso, frouxa, para enchei
labyrintho.
Bons baraliios de cartas para voltarete, assin
cotilo os tontos para o mesmo fim.
Grande e vanado sortimento das melbores pe
famarias e dos melbores e mais conleiios per
fumistas.
COLARES DE ROER.
Elctricos magnticos contra as ccmvulsdes.
fa/;ilitam a deuticao das innocentes crianfM. 8<-
mos desde muito recebedoros destt? prodigioso!
collares, e continuamos a recebc-los por todes o
vapores, afim de nue nunca faltem co mercada
tomo j tem acontecido, assim pois poderSo aquel-
los quo delles precisarc-m, vir ao deposito do gane
vigilante, aoude sempro encontraro destes verda
deiros collares, e os quaes attendendo-se ao fin
para que &ao applicadis, se Tenderao cor.i um ma-
diminuto lucro.
Rogamos, pois, avista dos objectos que deixamoi
declarados, aos nossos freguezes e amigos a viren
comprar por precos muito razoavei3 loja do galif
vigilante, na do Cre-po n. 7.
Jcordeiro providente
Rua do Qiicimao d. I 2.
Novo e variado sortimento de porfoinaris
finas, e outros objectos.
Alm do completo sortimento de perl.
marias, de que effeciivamentc estprod
loja do Cordeiro Previdente, ella aoab :
receber um outro sortimento que M&r-
aotavel pela variedade de objectos, super-
dade, qualidades e comraortidados pi-
cos ; assim, pois, o Cordeiro Previdente pee
e espera continuar a merecer a aprewac
do respeitavel publico em geral o 3b f.
boa freguezia em particular, nao 3-:;'-
lando elie de sua bem cochecida mai i
e barateza. Em dit-- loja encontrarte c
apreciadores do bom:
Agna divina de E. Coudray.
Dita verdadeira de Murray A Lamman. -
Dita de Cologne ingleza, americana, fru
cezs, todas dos melbores e maisacreditade
fabricantes.
Dita de flor de larangeiraa.
Dita dos Alpes, e vilete para toei
Elixir odontalgico para 'conservafo r -
sseio da bocea.
Cosmetiques de snperior mjaliao 8 c!
ros agradaveis.
Copos e latas, maiores e menores, cov
pomada fina para cabello.
Frascos com dita japoueza, transparen
o outras qualidades.
Finos extractos inglezes, americano*
francezes em frascos simples e enfeitados.
Essencia imperial do fino e agradavcl ch
ro de violeta.
Outras concentradas e de cheiroi ignl
mente finas e agradaveis.
Olea philocome verdadeiro.
Extracto d'oleo de superior qualidade
com escomidos cheiros, em frascos do dif t
rentes tamanhos.
Sabonetes em barras, maiores e menor
para maos.
Ditos transparentes, redondos e em if o
ras de meninos.
Ditos mnito finos em caixinha para barb>
Caixinhas com bonitos sabonots imitan.
frnctas.
Ditas de madeira invernisada couende i
as perfumarias, muito proprias para pr*
lentes.
Ditas de papelSo igualmente bonitas, tas
bem de perfumarias finas.
Bonitos vasos de metal coloraos, $ 4
moldes novos e elegantes, com p de ar?*
e boneca.
Opiata ingfexa e franceza para donas.
Pos de camphora e ontras difiranla
qualidades tambem para dente*.
Tnico oriental de Kenip.
Alada mais coquea.
m ontro sortimento de coques de c
vos e bonitos moldes com filets do vidrias
e alguna d'elles ornados de flores e flu*
estio todos expostos apreciadlo de qan
os pretenda comprar.
GOLLINHAS E PUNHOS BORDADOS
Obras de mnito gosto e perfeicao.
Flvclla c iltaa para tintos.
Bello e variado sortimente de taes objst
tos, fleandn a boa escolha ao gosto do eos
prador.
JoaquimEodrlawes la-
vares de Mello,
TEM PARA TENDER
era escriptor, prc* do Corpo Santo
Fumo em fojha
de i' e 5' qualidade, e vende um ou mal
fardos a vonUde dos ooropradore*.
Cal de Lisboa
ultima cbetfaa.
PotassadaEussia.
Farlaka d m*mtot&
Vinho Bordeaux.
de t* qualidade. Todo- de vende oais
barat do que cm outra q&alqcer |

&**
ESTilBASDOARACATV.
Grandes a 640 rs. pequeas a $40 rs.
se na roa da Saualla Mira & JO,
vende

i
^^^^


V
.
/%
v
m
Diario de Pernambucd Quarta era 28 de Dezfibro de 1870
.
UTTERATRA.
Blspado do Maraoho
OmCIOOOEXM. E nVM. SR. n. U'B SAUAIVA,
HISPO DO MAR\NHO. SOBRE AS OIlDt >> RE
LIGIOSAS DO RISPADO.'
Paco episcopal lo Miranho, 30 de no
vmbro Je 1870.- I.l;u e Exm. Sr. A o
mea ofli io de 23 do correte dignou-se V*.
Exc. responder eni data de 25 qna, dando
e aiguoias razas justificativas dos meas
actos em rclagi s O'deas Regulares su-
j us .i miaba direcc/n. en'eoi V. Etc. qie
,s3j clin filhas do i'uuid.'iaco s pessuaes
e estantas Batala; ao mesmo tenido
iue*declara anrar os motivos, que me ta-
tarata a recusar os esclarecimeoio-, que V.
Kxc solieilou ein seu olcio de 12 deste
me; e que Ihe orometira nuar
A esta resposta, digooif-se V. Exc. docla-
i ir-rae que nao acceitava, p ir c mirara
l*i, a luutrina por mim expm-iila, a qual
envolva completa e absoluta adonde icia,
em que pretead coiiocar o t-po, d que
>;!i cnarao poderes pro\inciacs ieduaiTOi
V. Ex<: q ie coio esta doutrina iolento con-
trariar o prec-ii io art. i da le de 3 de
oatubro de I834, que soa assim: A
i rimeira autoridad*) o presidente Vt pro
niff quem 3o subordinadas todo* os
que nolla se acharen.--
Na pretendo alimentar esta piesiJo no
terreno que V. Exc. coll-con; porquanto
era primeiro lugar eu n5o rocuse e nem
me era licito recitar quat.squer esclarec
meo(0, que V. Ex;, me pudiese na ot>ita
.' >a seas poderes; e em segundo n > lenbo
otea r intengao de disputar gerarchii de
itor dade cere i do citado artigo primeiro
la lei de 3 de outubro de 1834. Seme-
i tantea qaestes 3o pessoaes e estranlns a
naturia, de qod-nos oceupamo-, no en're-
i rato d eerto 14113 as considerarles, que pedi
: ;n<-n pira presentar a 1 esclarecido
piriio de Y. Exc, nii) eram sen3o Albas
igreigap que 13o injustamente ferio a
t. aba dignilad-i.
Mleodo essa aggresso pesiOi de
!>::.. para que muito ao longe ede leve
lenmenUsse a impresso que eu de perto
. pe a offensa directa que coro. nteacSo
ti sen ella mefoi fcia por va doeleroen
. ofBciaL miaba opinio que na hypotaese
jggerila \. Etc. ferido na sua be'm qoali-
a ia probi lade, profundamente se liavia
leasibilisar com semilhaole argumento.
q3o importa em nada menos do qae
ir-se est.o diocesano de posse e
uind, bens, que Ihe nao pertencom.
V. Exc. diz que n3o deve passar sem con-
-^taco o que sobre o objecto da questo
. u n.queile meu citado oflicio de 23 do
urente. O objecto da controversia envolve
dona pontos: \. a legitimidade do di-
1 aito. A controversia comprehende anda
.s eslabeleciraentos completamente dife-
intes em relaca > sua natureza, meios e
(ios, e por oltimo envolve o Ricolbim:;nto
de N. S. d*Annin:iacao e Remedios e o con
iti de N. S. das Mercas.
Quanto au primeiro ponto entende o fisco
ue uSo poda ser convertiJo em apolices
ia divida publica o producto da vend dos
idoa que icjiamdafazendinba Pirapendiba,
.-la1 00 termo do San'Vicente Ferrer de Ca-
), sendo giles alias consideravelmente
;:ados sera proviito para, o Recolbimento
. ladroes de bois e que eu julguei que
1 .' ; lendidos, nao s parque metra
ssivel a !;ini:-lrar e fazer auferir lucros
,.. ii;i;k.u do dito estabelecimenio, se
3 lambeta porque nao teabo e nem polia
>i pesaoas desimpedidas que tzessem pro-
ir eases poucos bens com detrimento
e lacro de urna casa que, embora o;i
Si'lia provincia tem soffrido d lempos
emotus ama i.ifundada perse^uigo.
<,'" pon'. diz resoeito ao convento da
<. na de ti, S. das Marees e sobre oqoil
. Exc. peda a minba aiueacia no locante
a* accoaaco vaga feta pelo inspector
a tbesonraria d** fazenda. Sem querer hojf
. ^r-me da intencao qus leve aquelle
funeconario, quando se exprimi da seguint"
maaeira : esiou informado qu'"> o b'spo
usafru' os bens do convento de N. S. das
lercda, o cmsta-ine que escravos dess
valo foram remeltidos para a provincia
Paii, achando possivel que se tenbam
outras venda* que ignora ; en
tendo que estando V. Exc. promplo a sa
sfaie qualquer requisic3o da minba parte.
depend ota di instancia que mawfestei, e
.e:i que preciso fosse a i ivocac3o de motivi s
poaderoso, um vez que se conformassem
IUa as leis e disposigoes em V'gor, ju gan-
'io amia naia V. Exc. que bastara ammba
ivra aut risada e urna alfimago p>r
aiim ita como prova completa para esta
elecet a certeza dos fados, eateado, repito,
affir-iiHodo eu nao se ter, durante a
uinl.a administracSo, feito nem ama aliena-
o nem contracto oneroso de bens de qu.il-
. especie pertencenles referida Ordem,
0 remetudo escravos da mesma para
fra da provincii, com excepc3o dos que
oarebaram para a guerra contra o Paraguay,
pie te'e conbeoimento essa presidencia
,ol olficios de 19 de evereiro e 23 de
;aarco de 1867 e outros, o3o podia V. Exc
senSo com iojastic, sustentar a competeu-
cia da tbesouraria de fazenda acerca deste
.i.-surnpto, e muito menos attribuir me sen-
imentos que tendessem a desvirtuar de
qnaiqoar forma toda a elevada antondade
de V. Exc. em relago citada lei de 3 de
outubro de 1834.
Eu disse qHe V. Exc. n3o podia, sem
injoatica, sustentar a competeucia da tbe-
souraria de fazenda acerca do assumpto ;
porqaanto declara V. Exc. que quaesquer
iue fossem os esdarecimentos colbidos na-
a podiam elle* adiantar sobre a minha
ailirmac3o, que s, era mais que sufeiente
para estabelecer o ponto da quest3o, que
cao tmba possibilidade de existencia, em
.euhama base se flrmava, n3o tendo e nem
pudendo ter a tbesouraria de faienda dados
>iue autorisassem a aventar semelhaole ac-
cusacSo, toda ella inexacta, e nao sendo li-
cito aquella reparti ir alm dos limite'*
da ordem dotnesouro nacional n. 81 de 15
e marco de 1853, que exige a scienci do
fado para ae poder proceder qualquer
embargo.
Relativamente ainda qnestSo de factos
peco permissJo a V. Exc. para qne recapi-
tulando o qne di*-e sobre este ponto no
meo officio de 17 do corrate, de ter o meu
antecessor lutado improficuamente, como se
pode ver" no relatorio do mioisteriu dajus=
tica de 1857 e en igualmente com elle re-
conhecido a conveniencia de amparar os
bens da prenita ordem, qne naqoelie lem-
po eram victimas da ganancia e do furto,
qae ostentando-se par de ama imbeci-
li latid sem limite?, se obrigaram em 18C3
a relatar, cob, estas mesms palavras, es-
ses factos aa go*erao niperial, pedindo as
providencias que acbei prudentes em ordem
a obriga-los da voragem dos especuladores,
qaa apostados se assobe bavaro para des-
tri-los, revelando o desatoceg que me ira-
/.a .emelhante^dmnstrc3o por onhecer
qe a commisaSo por mim nomeada n3o
polia cuear; como couvnha, os interesses
da referida ordem. solicitando ao mesmo
lempa pro Mencias a Iq adas livra*r-me
de t5o pesado enearg), que tantos dissabo-
res e amarguras rao tem causado, contine
1 do imr q-ie nln podia deixar de quali-
Hear de injuri sobre os b 'iis. de ipie se trata ; porque taes
fallas nio se tem reproducid) durante a
inmha administra$3o e rem s3i exactas as
iiuf inn iroes denunciadas, pelo ref-rido ins
pector da tlinsiuraria do fazenJs assim
como \enho agora dizT V. Exc. que no
sen officio; .pie respon lo, me parece nao
ter V. Exc compreh nudo b-am o meu pen-
samenlo, attinuindo-me hoje oque eu dis-
se no meu relatoiiode 1863. E nem podo
d ix ir de ser assim ; porqaanto as commis-
>es por m;m norneados fo-am sempre e
sao om. oslas do tidados que com lodo e
desinteresse e probi dade encarregaram-se
cimigii de salvaguardar cssas reliquias de
urna ordem bem iofelix.
Passamio a tntar'du ponto relativo i le-
gtimida !e do direito, cabe-me expender o
seguinte : No meu citado officio de 23
do correte eu dissi V. Es:, que o re-
cudimento de N. 8. d'Annmciag3o e Re-
med'oi nao pert^ncia 3 classe das ordens
regalares ; porquaiito a sna instituigo e
lins s3o mui differeates que havendo o seu
fundado missionario padre Malagrida feito
em 21 de feterefro de 1752 doac5o mi-
tra do sel materiaes e mais be s e direi-
los ao recomimunto pertencentes, caso mes-
mo o eatrbetecimeoio n3o conseguisse o seu
desejado Rm, ou pelo decurso do tempo
deixassc de existir, para de melbor molo,
justicar o dirtito q e me cabia de mandar
proceder a veada dos gados da referida fa-
zenda, pertencente ao recolbimento, sem
previa liceoca do govorno imperial, apresen-
tei V. Exc. corno para argume do a dUpo-
sico do art. 2. do decreto de 20 de agosto
de 1815i. explicado pelo aviso de 22 de mar-
(,) de ISG*. apezar da convicco em que
estou de que o raesmo recolhiaiento nao
p de mo morta e se acha portante fra da dis-
posico da ordem livro 2.a titulo 18, e alva-
rs de i de jaoho de 1768, 12 de maio e
9 de setembro de 1769 e 20 de julho de
1793, em vista da tloago feila pelo seu
instituidor mil-a.
Para se conbecer que o Recolbimento de
N. S. d'Aoonnciaclo e Remedios nao Or-
dem Regular basta ponderar quesendo
o eslado religioso a promsssa que alguem
faz da tender perfeiro christ3a, emitlindo
pira isto os votos solemnes de obediencia,
caalidade e pobreza, e vivendo em com-
mum e esta.e'mtnte sob urna regra appro-
vada pela igieja este o nico adoptado
pelas ordens propiamente regulares eque
como laes as c;racterisa ; estado que se
nao ene ntra ras recoladas de N. S. d'An-
auBCiac-3o e Remedios, que cem mesmo
tem esie respeito nenbuma das qualida-
dede m ioatitato quasi regular.
A natureza do recolbiaieoto de N. S.
4'AonuaciacjSe e Hemedios est psrfeilamen-
te defiaida pelo meu mai illastrado .e dig-
no antecessor o Sr. D. Marcos Antonio de
Souza na exposi.o dos motivos que pre-
cede os estatu )S d'aquelle estab.'lecimento
compendiados dos qne desde principio fo-
ram exea: ;<'os em conformi lade do alva-
ie'2 de marco de 17o 1 e approvados por
acto d'admioistracjo desla p ovincia de 6
de feven-irodj 18i!, de acord com a lei
provincial n, 95 de II de jn'ho .de 1840.
0 moj mi te digno antecessor assim se ex-
prime : 1 A summa desic regulamento di-
rigir a cu tura de mimosas pantas n'este
precieeo jardim, do qual ao depois trans-
pl intadas a outros terrenos, produziro
ructos deliciosos de virtudes clirislSos:
deste abrigo de jovens educandas sahiram
mais de famil as que dar o cidados uteis
aj estado, defensores da patria, ministro
zelosos e edificantes do Allissimo e faro a
feb idaae das geraci5e3 futuras
Dd e.xpcsto se v que se por um lado
carece o ivco+lismento das qualidades in-
lierentes s ordens regulares por oulro o
lim'da sua insiiioicSo nos pontos essen-
ciaes, opposto ao estado regular. A' e te
proposit> nao po.sso deixar de tornar sen-
sivel o desaccordo que me parece haver
entra o modo como V. Exc. considera a
natureza da masma nstituicSo, entandendo
sor ella pertencente classe das ordens
regulares, ao passo que o inspector da
tbesouraria de fazenda em um tpico do
sea officio de 10 do crtente mez dirigido
1 V. Exc. propende a considerar o reco-
Ihimeiit curro corporacao de mo mora,
bem que cm seguida volva-se a reputar or-
dem regular; sendo que nasta 2, caso adi-
vergoncia de opinfes venha a desappa-
recer.
Na clasoodas oriens regalares nao pode
seguramente o recolbimento ser considera-
do, alm das razes expostas pelas que se
derivam da exempcSo da decima do. pre-
dios urbanos e legados, exempcao esta que
nSo pode caber urna ordem regular; e
considerando o recoblmonto como corpora-
cao de m3o morta.. o qae se contesta ainda
assim o direito que en tinba de mandar
proceder venda dos gados da fazenda a>-
ludida nao pode ser contestado, emenden-
do e j por parte da tbesooraria de fazen-
da, ji da de V Exc, qae fura para tal lim
precisa bcenca do g jverno imperial; por
isso que esta se necessaria dos contractos
onerosos ou alienac 1 de bens de rail das
ordens reculares por forca do qae dispSe
o ort. 44 da lei n. 369 de 18 de setembro
de 1845, art. 1 do decreto o. 655 de 28
de novembro de 1849 em referencia lei
de 9 de dezerabro de 48O, avis. n. 248 de
17 de novembro de 1953 o. 321 de 28 de
ootobro de 1864 o. 543 de 1865, e a.
319 de 21 deagoito de 1866.
J v pois V: Exc. qae nao pidendo ser
considerad!) o recolbimento ordem regalar,
quando mesmo, queirao considerar corpo-
ra(3o de maV) morta, tem inteira applicacSo
ao caso verte de, a'vls. a. 168 de 22 de
marco de 1869 invocado por mim no meu
oflicio de 23 do correte; applicac5o que
V. Exc. menos fundadamente contesta por
assen ar o se juizo na sepposicao de qae
aquelle eslabelecimeato ama ordem re-
gular.
V. Etc. ao citado officio qne respondo
diz que, ao qae Iba parece, alo pode o Re
colimento eximirse do direito de Qscali-
sago qae o governo imperial exerce pela
concesso 00 negac3o xle liceaca para os
contratos onerosos colebradas por quem
administra seus bens ; porquanto jelo
aviso n. 248 da 17 de novembro de 1853
por mim citado e coja doutrina acaba de
ser confirmada pela resoluto de consolta
de 8 de Janeiro do crreme anno, es' ex
pilcado que a lei de 9 de dezembro
1830 e o decreto de 28 de novembro de
1859 s n3o tem applicaca'o s Ordens
Terceiras, oonfrarias e irmandades.
Fermina V Exc. que eu aqu transcreva
as palavras do cita lo aviso de 17 de dezem
bro de 1863 na sua integra. 0 mesmo
Augusto Senhor houve par bem, ouvido o
parecer (Jo procurador da coroa, fazenda e
soberana nacional, mandar declarar V.
Exc. que a lei de 8 de dezembro de 1830
e decreto de 28 de novembro de 1849, s
tomapplicaca s ordens regulares, e n3o
comprebendem ,as Ordens Terceiras, ci-
fraras e irmau ladas, as quaes, em os seus
contratos se regem pelos compromissoS
respectivos e disposc5es do dir.eito civil ;
sendo que pela lei de 22 de setembro de
1828 art. 2" a subrogarlo dos bens inalie-
naveis compete aos juizes de primeira ins-
tancia.Da integra citada fcilmente o que
se deduz que s ordens regulares appli-
ca'm-se as disposigoes referidas.
Reconbecendo, como j disse 3 V.'Exc
qae os gados da fazenda Pirapendiba nao
produziara o fructo desejado, entend que o
devia reducir todo a dinneiro, applicando o
producto compra de ar/olices di divida
publica, sem me.apropriar de tal producto,
nem usufrui-lo, adiando se elle como se
acha, depositado no Banco do MaranhSo at
ser-lhe dada aquella applicaco, satisfazendo
por este modo ainda aos que pensao ser o
recolbimento corporag3o de mo morta, as
disposigoes da legislado em vigor,
Occupar-me-bei agora do que concer-
nente aos bens da Ordem de Nossa Senbo-
ra das Mercs, bens, que a tbesouraria de
fazenda entende qoo se devem considerar
de ordem extincta, ou se nao vagos, para
passarem ao estado com o fundamento de
que s existe boje um representante d'a-
quella ordem e esse mesmo fora da admi-
trago e gerencia dos bens da dita ordem,
por determinagao minba.
E' manifest o engao em que labora a
thesooraria de faz roda, n3o s porque o
maior ou menor numero de religiosos em
nada influe para a conservago ou extinc-
g3o da ordem, seno tambem porque a
falta mais 011 menos temporaria de inge-
rencia dos representantes della naadminis-
trago dos seas bens, nao pode de qoal-
qoer modo influir sobre o fado da extinc-
C3o.
Em virtude de alg mas constituiges
apostlicas, referidas porjtforelli nos seus
Fasti novi orbis e cita*3as pelo fallecido
Sr. hispo Monte as suas obras, os nossos
conventos pndem ter 4 00 5, 3, 2 e mesmo
um s religioso egosar da esempg3o da*au
toridade ordinaria : e corto que existem
ainda boje dous representantes da sobre-
dita ordem de Nossa Sennora das Merces e
nao um s como declara a tbesouraria de
fazenda.
Sabe V. Exc. qne para a estincg3o a
ordem Mercenaria necessario que seja- a
medida toma-la pela competencia de meios
da sua creaco, que por *eerlo permanece
completamente cstranba a tbesooraria de
fazenda, que s pode iatervir depois de re-
gularmente decretada a extinec3o da arden
para observar o meio qae Ihe for indicado,
afina de qae a posse dos bens seja incor-
porada propriedade do Estado, se tal
for a resolus3o ou decreto,
Se islo assim no tocante a se conside-
rar os bens como de ordem extincta h3o
menos certo que para o caso de serem
taes bens reputados vagos* ontra jurisdic-
go apparece que n3o a da thsouraria de
fazenda, para como taes os declarar, e a
do juiz territorial de ausentes.
Nem para estranbar qae eu interviosse
na administrac3o- dos beD da referida or-
dem, afim de os conservar, nomeando urna
commiss3o administrativa para o deseaipe-
nho de semelhaute encargo ; por isso que
alm de minha jnrisdiega de diocesano,
accresce-me tal respeilo a de delegado
da Santa S Apostlica, om cojo ejercicio
tenho altribuiges para ingerir-me em todos
os negocias da mesma ordem, sem que, de
qualquer alteraco or mim eslacelaeida na
parto administrativa, se possa de qualquer
modo deduzir argumento para se reputar
extincta a oriem, ou vagos os bees d'ella.
De tuto quaoto a este respeito acabo de
dizer tenho feito em devido lempo e por
varias vezes as necessarias parlicipages ao
governo imperial, j em 3 de agoste e fO
de outubro de 1863, como en> 21 de ja*
Iho de 186A e posteriermente no relatorio
que offereci consideraco de Exm. Sr.
ministro do imperio em 3 de marco do
correte anno, em resposta ao aviso de 30
de ootnbro do anno passado.
A vista do exposto emendo, que a. alter-
nativa por V. Exc. establecida na parte
final do seu citado officio, que respondo,
de por om lado levar todo-este negocio ao
conhecimento do governo imperial'e por
oulro autorisar tbescuraria de fazenda a
proceder sobre o objecto da sua reclamadlo
conforme as leis fisoaes e os interesses da
fazenla nacional, em vista do que V. Exc.
contina a chamar recosas em fornecer os
esdarecimentos pedidos por aquella repar-
tigao, recosa qae de Jeito, oa> tem existido
nlo bem assentad.
A tbesouraria. de tazenda. nao tem altri-
buiges, eomo fie demonstrada, para o-
tervir com a sua acgo fiscal, em nenhum
dos negocios que fzem objecto da contro-
versia, bavida entre mim e Y. Exc. ao go-
verno imperial que cumpre affectar todo
asta negocio e aguardar as suas ulteriores
resolugoes, como desde o mea primeiro
officio commooiquei V. Exc.
Ranovo i V. Exc. as segurangas de minha
perfeita estima e distincta consideraglo.
Deas Guarde V. Exc. Ulna, e Exm.
Sr. Dr. Augusto Oiympio Gomes de Castro,
presidate da provincia.
+ LUIZ, bispo do Maralo.
2-2
quintaes. xvagbes vazias 43 .toneladas, 13
quintaes, passagairos 4 toneladas, machina
19 toneladas 10 quintaes ; total 206 tone-
ladas, l/ quintal. Parlio com urna prs-
elo de 165 libras de vapor, foi al a casa
da machina e pelo declive cima mencio-
nado de 1 em 85, ttzeram-a enllo parar
com vapor a 125 libras e fogo loto; por
de um eqoivoco to machinista deseen ao lo
cal donde a Welsh Pony havia partido com
os 26 wages ; espertoo-se o fogo e com
.vapor a 170 libras parti fcilmente escor-
regando s vezes, aiimgio a orna velocida-
de de 5 milhas por hora com os 72 xvages
e depois de percorrer carca de um quarto
de milha augmentou de velocidad-: em um
declive de 1 em 100 quando* a fizeram
parar, com urna press3o de vapor de 170
libras em poegada.
as experiencias cima os trens mais car
tos, quando parliram ou tentaram partir,
estavam sobre ama corva de 297 ps de
raio, e na ultima experiencia com a Little
Wonder, sendo o trem mais comprido. es-
lava parle sobre urna curva de 297 ps de
raio e parto sobre umi curva reversa da
5i8 ps de raio. O coroprimento destej
trem era de 648 ps.
Fazia b m tempo com um forte vento
Pi soprando contra os Irenz, e os trilhos
estavam em excellentes condiges para a
adbes3o.
Os wages de irdosia nao tinham molas
o dimetro das suas rodas era de 1 1/2
ps e o dos eixos nos mancaes 2 1/i pol-
legadas. ps
Assiguado :Sntherland.Conde Alexis
Robrirrekoy.W. E. Rafear.\V. J. Tborn-
ton.B: W. Tylcr.Julaod Danvers.
Experiencias feitas nos dias 14 15 de
fevereiro de 1870 com The Progress,
machina Fairlie em urna estrada de ferro
de 4 ps 8 1/2 pollegadas entre os tri-
lhos.
A Progress urna locomotiva" da bogie
duplo, tendo um bogie de 4 roas em Cada
extremidade. Os cylindros tenH5 polle-
gadas de dimetro com nm curso de em
bolo de 22 polegadas. As rodas tem 4
ps, fi pollegadas de dimetro e s3o em-
paredados em ambos os bogies, de forma
qae todas as rocas- da machina sSo moto-
Fas. A distancia entre os centros das ro-
dias22ps. A rea das grelhaslO
1/2 ps. A superficie de aqoecimento na
fornalha !)2 ps e nos tubos 1,90# ps
prefaaendo um total de 1,993 ps. 0*da-
metro da caldeira 4 ps 2 poilegadas,
com 388 tubos de 2 pollegadas de dime-
tro, medida exterior. O'comprimenlotetal
da caldeira 24 ps de- orna a outra chapa
dos tubos das doas caixas de fomaga
respectivamente. O coroprimento dos tu-
bos 9* ps, 10 pollegadas. O peso total
da maefeina prompta para trabalhar 54"
toneladaeincltisive, 1 tonelada, 15 quintaes
de carvao e 2,003 galesde de agua. A
machina tem o freio a vapor de M. te
Chatelliere um freio coaamum em cada
roda. O eomprimento total de um a ou-
tro para -choque 6 32 ps^
Em 14 de fevereiro a Progress parti de
Three Cock*, junego da estrada de ferro
Mid Wales, com 39 wages- carregados, 3
cairos de freio e cerca ue 50 passageiros
e operarios, fazendo um peso total, nao in
cluindo a machina, de 472 toneladas, 6 1/2
quintaes. O'trem media 7.10 ps de eom-
primento sem a machina. Parlio de Tbree
Cocks s 3 horas e (> mnalos, com una
presso de 130 libras de vapor, segundo a
indicacSo do manmetro de- BOorden Sa-
bio desembarazadamente com essa prese-20
um declive de- 1 em 2 21? e por varias
corvas e ootros declives. Sabio dous de-
clives de 1 enB'75, o ultimo com 638 jar-
das de eomprimento, mas ascorregou duas
vezes ao subir o terceiro declive de 1 em
75, de 748 jardas de com.?rimeato e com
curvas reversas; Depois e subir este de-
clive sem diffcuidade e ootro. de 1 em iG2
parou na distancia de 50 jardas do allende
um declive de t em93 e -iSi jardas de
eomprimento. A presso de vapor era en-
tao de 120 libras porpolltgada quadrada.
Tendo a agua deseado at quasi o fund do
manmetro de vidro ; o Sr. Fairlie, qae
'lirigia a machina e, deseonbecendo c> de-
clive, applicou ambos os iojeetadores cerca
de 660 jardas- distante o ponto onde a
machina pare* ae 3 horade 35 minutos p.
m. A distancia. percorrida foi de ft 1/
milhas m 29 minutos.
Havia um vento forte que soprava de lado
com geada, estando os trilhos em escellen
tes condiges. As caixas dos eixos dos
wages haviafl sido ec^raxadas como sem-
pre. A machiaa nao pode parte de novo
depois de parar, apezar de se ter aogmen
tado a prosso at 150 libras.
No d.a 5 de fevereiro a Progress parti
de Three Gocks s 10 horas, 47 minutos,
30 segundos com urna presso de 140 li-
bras e um trem de 40 wages e 2 carros
de freio com cerca de 30 passageiros. 0>|
tiem tinba 720 ps ne eomprimento e pe-
sava 474 toneladas exclusive a machina.
Seguio livremeote at o tanque d'agua* 3.
milhas distante de Three Goclts, e all pa-.
roo s 11 horas 3 30 segundos com 115 li-
bras de pressSo.. Mas estando a agua do
tanque glida nao se consegaio obte-la pe'.a
mangueira.
Parti novamente s 11 horas, 6 mTfrotos.
30 segundos- com urna presso de 125. li-
bras, seguio. para Builth. passando Erwood,
7 milbas distante de Three Cocks s 11 ho-
ras, 27 minutos. Chegou a Builih, 1,4 mi-
lhas distante de Three Gocks, s 1:1 horas,
50 minutos, 30 segundos. NSo escorregou
entre os Tbrce Cocks e Builtb. Passou o
ponto ode havia parado na vespera, an-
dando 8 milhas por bora com urna presslo
de 140 libras por pollegada. A machina
nesie dia foi dirigida por Kdward Williams
sob a insnecclo. do Sr. Greenhow superin-
tendente das locomotivas da estrada de fer-
ro de Mid Wales.
Assignado:Sutheriand.Conde Alexis
Bobrinskoy.I." Zamoiski.-W. J. Thora-
ton.H. W. Tyler.Joland Danvers.
No dia 15 de fevereiro a Progress parti
de Tall y Llyn s 2 horas, 15 minutos e 30
segundos com 1S wagea carregados e 2
carros de freio pesando ao todo 151 tonela-
das, 17 qaintaea, com urna presso de 125
libras. Depois de percorrer cerca de 3 mi
Ibas, pela mor parte descendo om declive
de 1 m 40, paroa na eslaco de Taly-bout
los, 15 segundos e paroa m estagSo de
Torpanta:i.s 4 borM # 18 mnalos, 30 se-
gundos, continuando sempre a mesma pres-
so. Esta porc5o da linna cootm curvas
de 264, 352 o 44 ps de rarj em subidas
de I em 38, passando o trem s vezes por
corvas reversas.
O manmetro d'agna arrebeotou a 4 f/2
milbas de Talybout e o machinista Edward
Roberts (que trabalhava sob a nspecgo de
William Barker), n3o tinba meios de conbe-
cer a quantidade d'agua na caldeira, n3o
tendo a mesm3 torneiras de vapor. A ma-
china nlo escorregou no dia 15. Fazia
bom tempo como no dia 14, porm com
mais sol e menos vento.
Concordaram nisto na jnesma tarde todos
os qae presenciaran a experiencia.
Assimado :Southerland.Conde Alexis
Oobrinskoy.I. Zamoyski.W. I. Thora-
ton.II. W. Tyler.Joland Danvers.
Resultado de nma experiencia feila em 16
de fevereiro na estrada de ferr Fest-
niog, de 1 p 11 pollegadas de largura
entre trilhos com a Little Wonder, ma-
china Fairlie.
Comprimento da machina 27 ps, peso
da mesma trabalhando 19 1/2 toneladas,
dimetro de cybndros 8 3/16 pollegadas,
curso do embolo 13 pollegadas. Dous bo-
gies com 4 rodas de 2 ps, 4 pollegadas
cada urna; rodas emparelhadas em cada
bogie. distan'fa entre os centros das rodas
de cada bogie 8 ps, distancia total entre
os centros das rodas das extremida les 19
Descripclo da> carga :
a
o
H
t
com earvo de
wages
pedra...............* 64
21 ditos com ardosia....... 49
2 bogie trucks carregados de
madeira de 42 ps de
comprimento......... 4
Peso dos passageiros....... 1
2 carros (iru:ksi vasics en-
tre os bogies de madeira. 1
1 carro de trabajadores...
Machina................ 19*
Total.
de trem som a machina
EXPOSICO SOBRE A I.ABGITRA DAS ESTRADAS
DE FERRO DO FUTURO POR R. F. JAIRLIE,
I IDA EM SESSO DA ASSOCIACAO BruaNNICA
de Liverpool, acompanhada da NonciA^, 3 ho7at""lf0toa"co"m" ama pmsa.i
ACERC ADOS RESULTADOS DE DUAS SERIES DE
EXPERIENCIAS COM AS MACHINAS FAIRLIE.
MACHINAS FAIRLIE.
PRIMEIRA SERIE DE EXPERIENCIAS.
(ContnuagSo).
A Little Wonder sabio de Portmadoc oa
mesma tarde com 72 wages carregados,
pesando : a carga 138 ^toneladas 17 1/4
de IWrbras, e sabio am declive de 1 em
35 a distancia de meia milha. Subi em
seguida am declive de i em 38 a distancia
de 6 5/8 milbas, passon o alto dessa subda
s 4 horas e 16 minlos, 15 segundos com
urna pressSo de 120 libras. Atravesao o
tunnel, de 660 jardas de comprimento,
con ama subida de 1 em 68 em 2 minu-
Consprimento
407 p.
A distancia tod* a percorrer entre Part-
madoc e Dinas, 191/4 milbas, tem urna
subida cima do nivel do mar de 703 ps
com o declive mximo de 1 ers'74, sendo
termo medio 1 en* 92 por 12 i/4 milbas.
Sendo o aterrado de Traethtoawr, pero
de Portmadec, de um milha de compri-
mento um itvel quasi perfeito. As-curvas
mximas sao 38 i/2 jardas, e as asedias de
132, 154 e 176 jardas-.
A linba toda compe se de urna soccesso
de curvas, menos o aterrado acimajnen-
ciooado e outras tres ou qoatro po?ces.
O- trem parti de Portmadoc s 5horas e
41 minutos P. M:, chegou estacao e Pen-
rhyn s 5 horas e 58 mimitos, o3o parou ;
chegou estago de Ifaford Llyn 6 ho-
ras e 18 minute*, e all- parou 8 1/2' minu-
tos. Parti de novo s 6 horas e- 26 e
raeio minutos, chegou a Dduallt (estago de
aguada) s 6 horas e 40 minutos, parou
15 minutos; por estar a gue geladm n3o
se pode encher c tanque no tempo usual.
O trem chegou- ao graie tunnel s 7
horas e 2 minutos P. M. e o atravessou
em 2 minutos e i segundos- (eomprimenlo
do toonel 730 jardas). Seguio para a es-
tac3o de Tanygresion qual chegou s 7
horas e 9 minutos, passou de vagar e sem
parar,, chegou a Dinas s 7 horas e 15 mi-
nutos, tendo feito a viagem to la em 1 bora
e 34 raioatos, inclusive s paradas, ca em
1 bora e 10 o meio ra utos excluind es-
tas.
Velocidade mxima. 13 mHhas por hora,
sendo a media 11 1/i milbas.
Na viagem de Portmadoc at Hafort. Llyn
a machina nanea eseorregou,
Ae partir da estacao de Haford LI70 es-
corregou levemente por estarem os trilhos
moteados e escorregadios. O trem eetava
sobre urna corva de 88 jardas em urna
subida, de 1 em 110. Ao sabir do logar
da aguada em Dduallt escorregou pouco.
Atravessando o tuancl escorregou tres ve-
zes-pnr estarem oa trilhos- molhadcs. em
toda a sua extensa.
Escorregou consideravelmente najonc-
Co do ramal, por estar este lagar sempre
moJbado e escorregadio ra consaquenca
de pararen ahi os trens com ardt6a a es-
pera do irem de passageiros para baixo.
A presso do vapor regulou de 160 a
160 libras, estando ao oltimo algarismo
quando o trem parti, descendo em urna
occasi3o a 145 por um quarto de milha.
Termo medio da presso 175 libras.
Toda a viagem foi feila com a macb'.na
a dons tercos de forca.
Houve sempre vento forte pela frente,
sendo em alguna lugares da linba muito
violento contra o trem.
Assignado. Livingston Thompson*C.
C. SpoonerGonck Alexis Bobrinskoy.
R. RochrbnrfProfessf)r Saloff.R. Vea
Deten.T. Scmentechymolf.
Terceira serie de experiencias com a ma-
china Fairlie em estrada de 1 p e 11
1/2 pollegadas entre trilhos, sab a supe-
rintendencia do presidente e do enge-
nheiro da estrada de ferro da Franca,
La Vende.
Partio-se de Portmadoc com nm trem de
140 wages para ardosia vastos e 7 wages
carregados coto carvSo de pedra, peso bru
to 100 toneladas *6 1/2 quintaes; compri-
mento do t em 1,332 ps, e segaio para
Dioas, extremidade mais alta da estrada de
Festiniog. A velocidad* mxima foi de 16
1/2 milbas, a. media da 12 1/2 milhas.
Na volta attingio-se a velocidade de 30
milhas por hora em ranitas porcoes da es-
trada,-sendo a media 25 milbas por bora.
Segunda serie de experiencias as estradas
de ferro Festiniog, Brecoo, Merty, Drury
Port e Valle de Gwend'eatb aos 16, 17,
18 e 20 de janho de 1870.
Presenciaram as experiencias os segara-
tes senhores:
Coronel de artilharia Dickens, secretario
da reparlicab de obras pnblicaa do goverao
da India, Calcutta.
Coronel de engeaheiros Strackey, secre-
tario iolerino da repartic de obras pu-
blicas do governo da India, Simia.
# Capitlo de engenheiros Stanton, substi-
toto do engenheiro coesoltivo, repartic3o
das estradas de ferro. Bengala.
Capllio de engenheiros C. H. Laard, subs-
tituto do engenheiro consultivo, repartic'o
das estradas de ferro, Bengala,
CapitSe H.-Moteland, secretario da re-
partig3o do porto, Bombalm.
II. Lee Smilb, engenbeiro civil, e em
thefe da estrada de ferro do estado Ncr-
theru Punjaub, Labora, India.
H. J. Wylie, engenbeiro residente em
Londres da estrada de ferro do estado Nor-
thern Pnnjaob, Victoria Chambers n. 9,
Westminster, Londres.
W. Cross Buchanan, engenheiro civil e
em chafe da estrada de ferro do Mxico,
Mxico.
G. Laydlaw, das estradas de ferro To-
ronto, Grey e Braco, Alto Canad.
A. M. Rendell, engenheiro civil, e em
chefe da estrada de ferro East India, roa
Great George n. 8, Londres.
W. Barton Wrighl, soperintendenle de
locomotivas, estrada de ferro Madrasta,
Madrasta.
F. S. Glbert, engenbeiro civil.
B. II. Tat, de Glascow
Peter BroHierhood, da firma Brotberhood
e C, engenheiro3, Stiffordshire.
T. C. Glover, da firma Glover 4 C, en-
genleiros de estradas de f rro e contrata-
dorrs, Bombaim.
T. J. Dewar, engenheiro civil, da mesma
firma, fjombaim.
George Alien, engenbeiro civil, da firma
Smilb, Fleming &C, ra Leadenhall n. 18,
Londres.
O honrado- $r. R. C: Herbert, director i
estrada de ferro Carobrian.
F. C. Danvers, engenbeiro cvil,.xeparlf-
go da India, LoBtfres.
G. J. Morrison, engenheiro civil. (J.
Brunlees, engenbsiro civil). Ra Vjctsri n.
5, Londres
Tbomaz Cargill, engenbeiro civil,_ Baa-
ford Buildings n. 12; Strand, Londres.
Experiencias na estrada de ferro d9. Fesfi-
niogom o Welsh Pony, locomotiva com-
mam de tanque e o- Ltlle Wonder, ma-
china Fairlie. na qoiata-feira, 16 de jo
nbo de 1870.
Descripgo da linba.
Esta linha singela etem 13 1/4 milbas
de extens3o, comega em Festiniog e termi-
na em Portmadoc. A dferenga de eleva-
C3o entre o nivel do mar e ponto termi-
nal mais alto de 700,02 ps. As ioclina-
ges s3o sempre ascendentes, sendo o de-
clive mximo de 1 em 60,68, menos no
aterrado Traethmawr que um nivel qoasi
perfeito. A ioeSna$5o media de 1 em 92
por t 1/2 milfcs.
A largura entre os trilhos da linba de
1 p, 11 1/2 pollegadas.
As eurvas mnimas tem vm raio de 38
1/2 jardas, variando o seu coraprimente de
80 a 2W ps.
Com excepg3o de urna pequea distancia
no ponto terminal de Portmadoc, onde fo-
ram collocado8 trilhos de 30 libras por jar-
da, n3o aprafusados as juntas, os do res-
to da linba s3o de ih/ibk champigaon de
48,46 libras por jardaK collocados sobre
dormentes transversaes de madeira de 41/2
psxO po'.legadasx4 1/2 pollegadas, com
intervallos ie 3 ps, menos as juntas onde
os snpporte do centro tem 2 ps. Ha um
gradeamento em cada junta, arranjado pela
coHocaco de dous dormentes ao comprido,
par baixo do dormeotes iransversaes, pre-
sos por cavlhas. As jaulas s3o presas por
chapas de jonla, que compreheodem a al-
ma e o champfnon inferior do trilho, e s3o
presos por parafosos e porcas.
superlevac3o do triRro exterior as cor-
va* de raio minimo de 3 pollegadas.
Descriffo das machinas.
A Welsh Pony, urna machina de tanque
do-4 rodas, com um tender auxiliar tam-
bora de 4 rodas. Tem dous cylindros exte-
rieres, de 8 1^8 pollegadas de dimetro
cada om. O seu peso de 10 toneladas
esclusive o tetdar, que pesa 1.25 toneladas
O dimetro das rodas, que sao emparelha-
das, 2 ps. A base de roda-, oa larguro
entre os centros das rodas, 5 ps, e o
corso do embolo 12 polegades.
A Liitle Weuder, urna machina de bo-
&
18
3
18
1
I
12
10
141 7 2
Peso liquido. .
Carga de lousa. .
Peso bruto. ., .
Peso de passageiros.
Peso da machina e
tendqr. .
Peso total. .
48
143
191
2
11
5
8
3|4
t3 3|4
O
204 48 3(4


git duplo sen tender Cada boqa teta 4
rodas emparelhadas de 2 p?. 4 pollegadas
de dimetro. A base de rodas de cada
bnge S ps. A da machina 19 ps. Cada
bygie tem um par de cylindros exteriores,
do 8 3|16 potlagadas de dimetro, ocursos
do embolo de 43 pollegadas. O peso da
machina em estado de trabalhar 19.5
toneladas.
as seguales experiencias ambas as
machinas queimaram carvao de pedra Raa-
bon. Ambas baviara sahido pouco antes
das officinas. A WeltehPony, sido exami-
nada expressamente para e^tas experiencias
e a Little Wonder havia sido reparada em
consequencia de alguma avaria que tinha
soffrido por abalroamento
Experiencia n. 1,
As experiencias comecaram as 11 horas,
A M. e a fim de dar occasio de se jul-
gar da esiabilidade relativa da Welsb Pony
e da Little Wonder percorreram ambas
tres vezes consecutivas o atterrado Traeth-
mawr, de Portmadoc at o poste de signaes
Esta porc3o da liaba recta e quasi nivel.
Experiencia n 2.
Nesta experieocia a Welsh Pony parti,
de Portmadoc com o seguinte trem :
77 wages pesando :
Tons. Quint.
O comprimento do trem era de 711 ps.
Ao partir pressSo do vapor foi de 140
libras. A presso mxima foi d^ 150 -
bras no comego da primeira sabida. A
mnima foi de 132 libras, sendo de 13H
aa occasio de parar.
Ao partir o fogo era vivo e era oeperUh
do ama vez durante a viagem. A machina
ao partir escorregou urna vez, estando os
trilhos molhados e escorregadios
A machina, estando sobre ama sabida de
1 em 100, foi obrigada pela carga a parar.
Os ltimos wages estavam sobre aqa
subida de 1 em 85 65 e todo o trem sobre
ama corva reversa.
Comecou-se a segunda parte da experi-
encia desprendendo 37 carros (trueles), to-
can do-se o trem para tras al fie*r inteira-
mente sobre ama subida de 1 em 85.65.
(Conimiar-w-Aa).
TTP^ DO DIAH10-RA D DUQW DE CiJJA
1



!1
i


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ECWLZYD50_AH7DXT INGEST_TIME 2013-09-14T00:58:31Z PACKAGE AA00011611_12298
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES