Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:12297


This item is only available as the following downloads:


Full Text
/
/
rV
-*
I
1
,\
4
j.
r
'
4NN0 XLV. NUMERO 293. ots a *>,> rs .m
FAfiA A CAPITAL IDGABSS OSLE IA0 S PAGA POME.
Por tres mezes achantados ... V '..[ .... 60000
(2*000
24*000
320
Por seis ditos dem
Por uto anno idem..
Cada atunero avulso
lwuua i......*.......
*...... ...................
...... *'* -Mili S
!M
TERCA FEIRA 27 DE PEZEMBRO DE 1870.
PA1A DUTBO I rOlA DA PBOYHCIA.
Por tres mezes adiantados..............
Por Mis ditos idem.................
Por note ditos idem................
Por nm anno idem...... .
13*800
20128;
27*00
DE PERMITO.
Propriedade de Manoel Figneira de Faria & Flhos.
SAO AEarV:
Os Srs. Gerardo Antonio Alves 4 Filaos, no Para ; Goncalves d Pinto, no Maraa*, ; Joaqnim Jos de Olivein, io Cear ; Alto* de Lemos Braga, oo Aracat7 ; Joao Mana Jniio Chave., no Awo ; .Antonio Marcea da Silva, no Nafta; Jet Joatoo
Pereira d'Almeida, em Mamanguape; Antonio Alexandrino de Lima, na Parahyba ; Antonio Jos Gomes, na Villa da Penha; Belamino do Santos Blelo, em Santo Antao; Domingos Jos da Costa Braga,
. ; .. ,-_________ em Naaareth | Francisco Tavares da Costa, em Alagoas ; Dr. Jos VutiTm M Ba"a ; e Jos Bibeiro Gasperinho no R de Janeiro.
PARTE OFFICIAL
overas A-\ provincia.
BSreDIRXTK DO DA 2! DS DEZUMBOO M 1870.
Actos :
O presidenta da provincia, leudo ouvido as
repartieses competentes, o de oonformidde com
a clausulas 2' 3' e 4' Jo contrato celebrado com
Jos H-)nriqueTrradadeaos 19 de margo do cr-
reme auno para o estabelecimento de carris de
ferro deinado? a li?ar esta capital aos seus sur-
bubio, resolve approvar os planos du obras res-
pecuvi-, constantes do mappa e desenhos apo-
sentados, com as declaracojs segUinies :
l*. O assentamento dos carris coraecar do ar-
senal de marinla com duas linhis sngala*, se-
guindo urna pela travessa do arsenal e caes do
Apello at a entrad i da ponte Sete de Setembro e
oulr3 pelas ras da Gru, Marque de Olinda (Cs-
deia) e ponte Sete de Setembro, azeodo junecao
com a precedente, rna do Crespo, praca da Inde-
pendencia, ra do Cabug e Nova, poule dalta-
VisU, ra da Lqaperairiz, praca do con Ja d'lvj, rna
do Visconde de Pelotas (Arago), largo da Santa
Cruz, ra do General Victorino e travesea da trom-
pe, rna do Mondego, Chora Menino, e ponte da
Passagem, at o ponte terminal as immeJiacoi
da estrada dos Remedio. Hver um pequeo
ramal entra o ponto de partida desta nlia no ar-
senal de marinha eo lugar qne forascolhido como
mais conveniente para o deposito dos carros as
proximidades do mesmo arsenal. A empreza po-
llera estabelecer tainbem um ramal, que comeco
junto da malnz da Boa-vista e siga pela ra do
Hospicio a encontrar-se cora o ramal de Santo
Amaro.
2". O ramal para Santo Amaro se destacar da
linda principal no canto da ra do Crespo com a
ra di Imperador, o seguindo por esta passar
;mj,o campo das Princezas, pouie de Santa Isabel,
ra da Aurora, trave-sa do Un e estrado de
Olinla at o largo de Santo Amaro. Durante os
concert* da ponte da Boa-visia, so (ara urna
unccioenlre o ramal para Santo Amaro e a liaba
principal pela ra da Aurora, de modo que nao
li iiie interrompido ou difcultado o trafago geral.
3*. O ramal para Afogados ser dirivado da
tinha principal no canto da rna do Crespo e se-
guir pelas ras do Queimado, Livramenlo, Penba
Assumpcao e Calcadas, atravessaodo o largo das
Cinco Puntas para a ra Imperial, pela qual se-
guir al o lugar, onde presentemente existe o
chafariz da companhia do Btberibe.
4". ramal para Fernandes Vieira se destacar
da linba principal na Trempe, e, seguindo pela
ra da Soledad?, terminar na ra de Fernandes
Vieira, a jacm do alagado do Manguinho.
5*. Ser permittid assentar via dupla nos lu-
gares onda for preciso estabelecer desvio?, nos
termos da 2* condirao da 5' clausula do contrato,
a bem da commodidade publica.
". A lotacao para os carros, conforme o de-
enho a presentad), ser de O passageiros dentro
e 8 na> plata formas.
U presidente da provincia, a vlrta o ottcio
do Dr. chefe de policia, n. 870 de 20 do correnle,
resolve exonorar Antonio Firmino Pereira da
Silva do cargo de 2o supplenle do subdelegado do
dlatrieto da freguezia da Gloria deG i' do termo
de Pao d'Alho.
U presidente da provincia, conforraando-se
com a propo ta do Dr. chefe de policia em olllcio
i). 1870, de O do correle resolve transfe-
rir para o 2* lugar de supplente do subdelegado
do di3tricto da freguezia da Gloria de Goil, do
termo do Pao d'Alho, o actual 4o snpplente Ale-
jandre Jos de Farias.Goromnnicou-se ao chefe.
O presidente da provincia designa para for-
mar a junta, que em ultima instancia tem de mi-
gar o soldado do corpo de policia, Fkriano Ma-
chado de Liu a; o juiz de direito da 1' vara, o
coroad Rodolpho Joo Barata de Almcida e l-
enles coronis Francisco de Miranda Leal S;ve e
Joao Valentina Vilella.Expediram-se as necessa-
rias commnnicacoes.
O presidenta da provincia resolve designar
para o conseibo, que tem de, em ultima instan-
va, Jalear o soldado do corpo de policia, Manoel
Mana Soares, o ttnente-coronel Joo Valent#ii
Vilella, em substi/uicao do tenenle-ccronel Jos
Maximino Perc-ita Vianna, designado pela de 11
desle mez.
Ao commandante superior da guarda nacional
do municipio do Recife, recommendou se que, de-
pois de ouvir c tenentecoronel Maximino, informe
o motivo por que nao comparecen no dia 17 do
corrente ao referido conselho, e expediram se as
n.'cessaiia3 communieacO>,s acerca da transferen-
cia desle para o da 27 1 hora da tarde.
O presidente da provincia, em vista do que
expez o director geral da insiruccao publica em
olllcio de 19 do corrente sob n. 392, resolve de-
signar o memboo do conselho director, Dr. Joo
Jos Pinto Junkr, para exercer aquelle cargo, du-
rante o impedimento do respectivo propiieiario,
que tem de seguir para a provincia do Para, na
qualidade de sen presidente. Fizeram-se as ne-
cessarias commuoicardes.
O presidente da'provincia, loman lo em c n-
sideracio o que expoz o arrematante do pedagio
da ponte de Tacarnna, Jos Augusto de Araujo,
i-rea dos prejuizos que est soffrendo por causa
da estrada de Ierro do Recife Olinda, e tendo em
vista o que este respailo nbrmaram a thesou
rana provincial e a repartido das obras publicas
era 30 de noverabro ultimo, 13 e 16 do correnle,
tofa ns. 778, 380 e 383, resolve conceder Ine per-
miso para esteb^lecer um ontro ponto de &j-
hranra m> istlimo, correndo por sua conla qnal-
quer despeza com a arrecadaco no segundo pon-
to, e conservando todava a mencionada barreira
no lugar, onde actualmente se acha.
Keste sentido expe^am-se as necessarias com-
tnunica(ji5e, e remetleuse copia deste acto s es-
taques cima indicadas.
Offlcies:
Ao Exm. 5r. ministro da Justica, apresentan-
lo a lista dos alumnos da Faculdade de Direito
I ista cidade, que concluiram o curso aeademico.
Ao Exm. presidente do Rio de Janeiro, trans-
mittindn, para os devidos lins, copia do auto de
vistoria e idenlidade de pessoa, procedijo na ca-
dver do sentenciado de justica Thomaz Vicente
de Carvalbo, fallecido a 23 de novembro ultimo no
presidio de Fernando de Noronha.
Ao general commandante das armas, decla-
rando que deixam de ser deferidos os requer-
menlos, que devolve, do 2* cadete Jos Sancho Be-
zerra Cavalcante e do anspe^da Manoel da Silva
Paes Brrelo, por nao competir a presidencia,
vista do que dispoe o 4 do art. 4 do decreto
n. 3579 de 3 de Janeiro d 1866, conceder licencas
aos ofciaes c pracas de pret, nos casos previstos
no $ 4* do art. 1 do mencionado decreto.
Ao Dr. chefe de polica, rocommendando que
ouca o delegado do termo de S. Bento a respeito
do deslino que leve o eavalln, n. 90, pertencente
ao estado visto ter seguido para alli em deligencta
no mez de setembro de 1868, o ex-lenente dp cor-
po dfi policia, Francisco Xavier Rodrigues de Mi-
randa, levando omsigo o cavallo de que se
trata.
Ao inapectr da thesonraria de fazenda, cora
manteando baver o coronel Jos Angelo de Mo
raes Reg assuraido a 10 do correte o exercicio
de commandante do presidio de Fernando de Nc-
ronha.
Ao mesmo, para indar incluir em folha o
soldado invalido do 43 crpo de voluntarios (Ja.
patria, Joaqnim Basilio Pyrrho, afina de que Ihe
i'ja paga a gratifteacao de 6i mensaes, qne tiver
vencido, na qualidade de amanuense da enferma-
rla militar do presidio de Fernando do Noro-
nha.
Ao raesrao, mandando abonar tres rrezes de-
sold ao alteres, commissjunado tenente do 2* ba-
lalhao de infantaria, Joaquim Cardoso de Agniar e
Souza, para Ihe serem descontados pela quinta
parte.
Ao mesmo, para que seja paga a Agr & C
a qnantia de 40#, despendida com o enterro do
cadver do major reformado do exercito, Manoel
Cavalcante de Albuqaerque, que falleceu era com
pleta indigencia.
Ao mesmo, dizendo que o juiz municipal do
termo de Cimbres, bacharel Francisco Domingos
Ribeiro Vianna entrara a 28 de novembro ultimo
no goso da liceoga de um mez, que Ihe fura con-
cedida.
Ao mesmo, inleirando-o de que o juiz muni-
cipal do termo da Escada, bacharel Alfredo Affon-
so Ferreira, participara ha ver era 20 do correnteJ,
deixado, por molestia, o exercicio das funecoes do
seu cargo.
Ao mesmo, transmillindo, para os fins con-
venientes, as relaces nominaes de pagamento e
alterarles, ocorridas no mez de novembro lindo
com o tambor do Io bataihao de ariilharia, Pedro
Paulo Mauricio, e soldados do Io bata Uo de infan-
taria, Francisco da Costa Pereira, Victorino Albi-
no Laurcnuno Sant is e Marcolino Cardoso dos
Santos, iodos guardas nacionaes deste mnnwipio,
que regressaram do presidio de Fernando de No
ronha.
Pola ihesouraria provincial mandou-se pa-
gar:
Ao negociante Francisco da Costa Maia a, im-
portancia dos vencimentos, relativos ao mez de
novembro ultimo, dos guardas nacionaes destaca-
dos na cidade do Rio-Formoso.
Comraunicou-se ao respectivo coramandanle
superior.
A Agostinho Lucas de Sani'Anna a quantia de
lo810, proveniente da despeza feita com o forns-
cimento de luz para o quartel do destacamento do
dislriclo de S. Lonreace da Malta, a contar de 8
da setembro lindo at lo do correnle.
luteirou-se ao Dr. chefe de policia.
Ao juiz de direito da l1 vara do Recife, afim
de que instrua: de conformidade com o disposto no
decreto n. 2366 de 28 de marco de 1860, e aviso
n. 287 de 28 de junho de 1863, o recurso que
para o poder moderador interpoe o sentenciado
Jos Vieira de Rezende, pobre, segundo decla-
ra.
Ao director do arsenal de guerra, mandando
saiisfazer o pedido de urna jarra da madeira para
tiro de espingarda que" o ferio bastante na coxa
direila ; que procedeu competente vesturu e val
instaurar o proesso de tentativa de homicidio con-
tra o delinquente, cuja captura deligoncia.
Bor ofHcio tambera de boje, coenraunicou-me o
subdelegado da Boavista, que honlara meta, hora
depois de mel dia, na occasio em que passava
pela ra do Prncipe daquella freguezia o trem
Jos tnlhos urbanos de Olinda sucoedea cahir do
ultimo wagn ama crianca de 6 anuos de c<\r pre-
ta, filha de Jos da Silva, escravo do capito Jos
Francisco Lavra Peona, a qual falleceu immedia-
tamente ; que, logo que soabe do fado, dirigia-se
ao lugar do sinistro e procedeu competente ves-
loria.
Era data de 21 tambem deste mez, partecipou-
me o referido subdelegado que depois das 8 horas
da nonte do mesmo dia, na travessa que val para
a estrada de Belm em Sano Amaro daquella fre-
guezia, Cassiano, escravo do major Luiz Antonio
Coelho Cintra, espancra Ivo, escravo de Jos
Francisco do Reg Moli, conseguindo evad r-se
depois de perpetrar o crirae ; que, apenas soube
do facto dirigi se qaelle lagar e fez proceder
competente vesluria, em resultado da qual, decla-
raran os facultativos serera leves os ferimento.
Deus guarde V. Exc.
Illm. e Exm. Sr conselheiro Digo Vclho Cabl-
eante de Albuquerque, presidente da provincia.
O chefe de policia, Luiz Antonio Fermnd>s Pi-
nheiro.
guarda do ihesoaro, era subiiituicao da que alli
existe em mo estado, e#deve ser recolbida a esse
arsenal, afira de ser concertada, se fr ainda disso
susceptivel.
Communicou-se ao general commandante das
armas.
Ao engenheiro encarreg a do das obbras milT-
tares, declarando nao poder ser aceita a proposta,
me faz Jos Pereira de Alcntara do O', para
executar pela quantia de 900J os concerios, de
que precisa o forte do Buraco, visto ser de......
879900 o oredito aatorisado pelo ministerio da
guerra para esses concertos.
Despachos:
Abdias BebiaDo da Cunha Sales.Informe o Sr.
inspector da thesourana provincial.
Angela Bellarmina das Flores.Concedo mais
20 dias para provar que casada e vivia marital-
mente.
Adelo Publio de Moraes Carvalho.Prejudi-
cado.
Bernardo Freudenthd.Informe o Sr. inspector
da thesouraria de fazenda.
Emilia Francisca da Paz.Remeta-se ao Sr.
provedor da Sania Casa de Mi-ericordia para defe-
rir, seno houver inconveniente.
Felismina Pereii-a de Moura.Ao Sr. provedor
da Santa Casa da Misericordia para deferir, se
achar conveniente.
Folippo Augusto de Frias Villar.D-se
Irmandade do Santissimo Sacramento da matriz
de Santo Antonio desta cidade.Informe o Sr. ins-
pector da thesouraria de fazenda.
Joaquim da Silva Reg Jnior.Informe o Sr.
director da Faculdade de Direito.
Joaquim Cardoso de Aguiar eSouza.A thesou
raria de fazenda cora olllcio desta data.
Joaquim Basilio Pyrrho.A thesouraria de fa
zeoda com ofllcio desta data.
Jos Pedro de Caslro.Requeira pelos tramites
legaes.
Jos Mara da Rocha Carvalho.-Inlorme o Sr.
regedor do Gymnaslo.
Jacintha Avelina da Cruz.Informe o Sr. Dr.
director geral da instruccao publha.
Jos Gomes Jardim.Indeferido.
Jos Augusto de Araujo.Deferido com a por-
tara desta data.
Jos Augusto de Araujo.Junto ao requerimen-
to e papis anteriores diga o Sr. engenheiro chefe
da reparticao das coras publicas.
Manoel Ferreira Carreiro.Providenciou-se.
Oiavo Corroa Campos.Diga o Sr. inspector da
mesurara de fazenda.
Rufina Bella do Amor-Divino.Ao Sr. provedor
da Santa Casa da Misericordia para deferir, seno
houver inconveniente.
Silvino Antonio RiJrigues.Requeira em lem-
po.
Thomaz Antonb Maciel Monteiro.Informe o Sr.
Dr. juiz le direito da v*ra.
EXPRDIE.NTB DO SECRETARIO.
Offlcios:
Ao general commandante das armas, partici-
pando, de ordem da presidencial haver-^e auto-
risado o forneciment ao 2" bataihao de infantaria
dos arligos do fardamento, constantes dos dez pe-
didos que remetteu.
Ao capilo do porto, declarando que, por
despacho desta data, concedeu a presidencia mais
20 dias ao recrota de marinha Joaquim Jos da
Silva para provar isenco legal.
Hcpartlco da polica.
2." seccao.Secretaria da policia da provincia
de Pernambuco, 26 de dezerabro de 1870.
N. 1799.Illm. e Exm. Sr.Levo ao conheci-
menlo ta V. Ejic. qae, segundo consta das parti-
cipares rocebidas hoja n'esta reparlicao, foram
recomidos casa de (folencao os seguinles indi-
viduos :
No dia 24 desle mez, minha ordem, Joao Da-
raasceno Correa da Cunha, por infraccio do regn-
lameoto da casa de detenco.
A' ordem do subdelegado do Recife, Manoella
Mara da Concelcao, por offensas moral pu-
blica.
A' ordem do da Santo Antonio, Jos Domingnes
Pereira, como indiciado em crime de tentativa de
homicidio.
A' ordem do do da Boavista, Cosme Ignacio de
Araojo Lima, por se achar pronunciado.
No dia 25 a ordem do da Boavista, Benedicto, es-
cravo do Dr. Nabor Bezerra Cavalcante, por des*
ordem; Theresa Maria da Cunceicao, Mara Umbe-
lina da Conceicao e Maria Jesuina Mana da Con-
ceicao, por briga.
Por ofllcio d'esta data parlicipou-me o snbdete-
Sado do Poco da Paneila que, honiem, pelas duas
oras da tarde, no lugar denominado Arraial, da?
quella freguezia, Felippe Nery dos Reis Santiago,
travaado se de razSes cara Joo Paulo Francr.,
PERNAMBUCO.
REVISTA DIARIA.
ATOR1DADE POLICIAL.Por portara da pre-
sidencia da provincia, de 21 do corrente, foi no-
meado 2* supplente do subdelegado do dislricto da
Gloria do Goit, Alexandre Jos de Farias.
JUNTA DE JUSTICA.Por portara da presiden-
cia da provincia, de 21 do corrente, foram desig-
nados o Dr. juiz de direito da i' vara do Recife,
o coronel Rodolpho Joo Barata de Alraeida, e te-
nentes coronis Francisco de Miranda Leal Seve e
Joo Valentn Vilella, para a comporem a Junta
de justica qua tem de julgar em ultima instancia
o soldado do corpo de polica Florano Machado
de Lima.
NOVA BARREIRA.Por portara da presiden-
cia da provincia, de 21 do eorrente, foi autorsado
o Sr. Jos Augusto do Araujo, arrematante do pe-
gio da ponte da Tacarnna, na estrada de Olinda, a
eslabeiecer um ontro ponto de cobranca do peda-
gio no isthmo, correndo por sua conla as despe-
zas a fazer cora a arrecadaco.
CARRIS DE FERRO.Por portara da presi-
dencia, de 21 do corrente, foram approvados os
planos das obras a fazer para o estaueleci neno
de carris de ferro qne liguem a cidade do Itecife
com os seas suburbios, com as eoodirSes :
Comccar o assentamonto dos tnlhos do largo do
Voluntario da Patria, com duas linhas singelas,
urna seguindo pela travessa do Arsenal de Mari-
nha e caes do Apollo at entrar na ponte Sete de
Setembro, e outra pelas ras do Bora Jess e do
Mrquez da Olinda at entroncar na outra, dirigin-
do-se dahi pelas ras Priraeiro de Marco, Cabag,
Baro da Victoria, ponte, ra da Iraperatriz, pra-
ca do Conde d'Eu, ruado Visconde de Pelota?, lar-
go da Sania Cruz, ra do Baro de S. Borja, ra
do Visconde de Goyanna, Chora-menino, ponte da
Passagem da Magdalena at os Remedios.
Estabelecer ramaes para Santo Amaro, Alega-
dos, e ra de Fernandes Vieira, segaindo : o 1
pela rna do Imperador fiado do norte), campo das
Princezas, ponte de Pedro II, ras da Aurora e
do Lima, e estrada Nova at o largo de Santa Ama
ro ; o 2o pela* ras do Imperador (lado do sul),
do Queimado, da Penhado Livramenlo, da As-
sumpeo, de Domingos Theotenio e de Vidal de Ne-
greiros at o chafariz do viveiro ; o 3o pelas ras
da Soledade.e de Fernandes Vieira at quem do
alagado do Manguinho.
D1NHEIRO.Os vapores Piropama e Goruripe
trouxerara as segrales quantias :
Joaquim G. de Arruda 18:612*000
Prente Vianna & C 7:888*400
Alfredo A C 6:100620
A. Valenlim da Silva Barroca 6:000*000
A. Alberto de Souza Aguiar 3;500000
Rocha Leal 4 C. 3:300000
Cunha Irmos 4 C 3:273000
Keller & C. 3:000*000
S Leito & Irmos 2:982*000
Jos Duarte das Nevsa 2:200*000
Amorim Irmos C. 2:128*780
Perdigo, Oliveira 4 C. 2:000*000
Jos Lopes Davin 1:801*600
Henrique Saraiva da Araujo Mello 1:8004000
Jos do Reg Borge3 i.700*000
Beltro, Oliveira 4 C. 1:272IT000
Marlins 4 Leopoldo 1:200*000
Luiz Goncalves da Silva A. Pinto. 1:012*000
Jos Ferreira da Costa 1:000*000
Moreira Reis 4 C. 1:000*000
Guilberrae Carneiro da Cuaha 1:000*000
Dr. Joo da Silva Ramos 871*300
Alves 4 C 800*000
Braga Gomes 4 C. 713*000
Viviano da Silva Caldas 700JW00
Tasso Irmos 4 C. 346*000
Joaqnim Jos Goncalves Beltro 473*000
J. da C. Bravo 4 C 423*800
Antonio Pereira de Miranda 400*000
Justino J. de Souza Campos 4000500
Jos Ferreira da Costa 325*000
Teixeira Marques 4 C. 160*000
Joaquim Gerardo de Bastos 115*230
TIRO.No dia 16 do corrente, no lugar Figuei-
ra, do termo de Santo Anto, o tenente Alexandre
Jos Gomes, ao sahir de sna casa, soffreu um tiro
dado de emboscado, que o ferio levemente, como
aulor de3se crime foi preso Francisco Jos Pei-
xolo.
ENVENENAMENTO.Achando-sa doente3, no
andar terreo do sobrado n. 12 do largo de S. Pe-
dro, na freguezia de Santo Antonio, Mara Jos da
Piedade e Laurmda Clarinda da Silva, Ibes sen-
do reeditados dous medicamentos, pel Sr. Dr.
Adrio, um para uso interno, fe outro externo fo-
ram estes trocados fallecendo SariaJos envene-
nada.
PAHAHYBA.-Temos
minina de o para Sanaos de idade, para um dos
wag<5ae da estrada de ferro de Olinda, na esiacao
do Pires, entended deixar a menina na
ma.desjendo apanhar ara cesto que 11-
chao, qaando o trem eomecava i andar,
a menina no meio da linha dos irilhos,
foi tirada el continente moribunda. p->r
declarado urna forte congeslSo cerebral.
MISSAS FNEBRES.As que v.v ser ditas por
alma d Exta. Sra. D. Joaqama Franeisca de Oli-
veira, tero\ogar na eapeHa do eemiterio e- nio
na igreja do\Corpo Santo, como eslava anuun-
ciado.
dia
TENTATIVA DE MORTE.-N0 dia 23 do cor-
rete, pelas 2 loras da tarde, no Arraial, fregueiia
do Poco, travanlo-se de razoes Felippe Nery dos
Reis Santiago con Joao Paulo Franco, conheeido
por Joao Braoco.deslechara aquelle sobr e tiro de espingardi que o ferio bastante na coxa
direita. A autoriWe respectiva procedeu 1 son-
tinenli a vistoria trata de instaurar o respectivo
processo contra o djliaquenle, e quo lamben de-
ligencia capiura-lo.
ESPANCAMENTOr-Na estrada que atravessa
de Belm Sanio Anaro, freguazia da Boavista,
pelas 8 horas da nonte do dia 24, espancra Cas-
siano, escravo do mapr Antonio Luii Coelho Cin-
tra, Ivo. tambem esiravo de Jos Francisco do
Reg Mtlh, consegualo evadir-se depois de pra-
ticado o crime. A aubridade comparecendo ao
logar fez proceder a Vitoria, declrando os peritos
sefem os terimentos leva.
PROCLAMAS. Foran lidos no domingo 23 na
matriz da freguezia de Sato Antonio os proclamas
segrate:
1.* denntfciaclo.
Gamillo Duarte, cora Maria Delfina de Lima.
Agostinho Joao Pedro, Om Anglica Maria da
Luz
Joaquim da Silva Boa-Visa, com Benigna Maria
Scheer.
Df.ipackos de exportando- no dia 24 de
dezemflro-
Na barea porlngueza Sociai,. para o Porto car-
regaram Flix Pereira da Silva 39 saccas cuui-
3412 kilos de algodao ; Rocha fuma 4 i'.uimares
31 saccas com 2,736 kylos de algodo.
r Na barca ingleza Delpitm, para Liverpool
earregaram : E. da Costa Oliveira 13* saccas com
11,736 kilos de algodo e 400 saceos eom 30,000
ditos de assncar maacavado.
Na barca portugueza S. Manoel I, para o
Porto carregaram : Bailar Oliveira 4 C. 60 sacco3
cora 4,500 kilos de assucar masaavado ; Adriano
de Albuquerque 3 meias barrica* e 4 quintos com
32 I|2-Ililos de assucar branco.
Na barca ingleza Parrger, para Liverpool
que apez-.r da impotencia dos meios I earreSaram Jonoston Paier 4 C. 1,400 saceos
aeabilidade, outros nao recorre- com N>5,000 kilos de assucar masoavado.
Na barca ingleza Rosamon, para Liverpool
carregaram : Johnston Pater 4 C. 600 saecos com
45,000 kilos de assucar mascavado.
No brigue portnguez Lata t, para List.;
carregaram : Thomaz de Aquino Fonseca 4 C. 40
saceos cora 300 kilos de assucar masoavado.
TABELLA dos precos dos gneros s'jktos a Dr-
REITO DB KXPORTAQAO. SEMANA DE '.% A 31 !>:.
DEiEsieno de 1870.
Mereadorias: Unidades. Valores.
noticias desta provincia
ate 22 do corrente. No dia 18 encerraran-ae os
trabalho3 extraordinarios da assembla provincial
durante os qoaes foram approvados as seguinles
medidas : autorisacas para um empresumo ai6
300:000*. snppressao de 15|cadeiras de instruc-
cao primaria, redac?ao do coreo policial a 300
pracas; dita dos vencimentos dos agente (caes e I
V^M' reParl,3e8 sciolie um imPD3-
lo de 5 0/0 do3 empregados n?ov QC.iaes neivla
as pravas pragas de pret do coi^o de oficia -^0
tonsacao para a suporessao fr, empregos provin-
ciaes; creacao do peso pobft4co parl 0 [^
aue v.er a capital e a M.-jnMDgQape.; rS
de juros a dsvedores da faienda provincial, sob
a condiqao de pagaran mmediaumente metade
do principal; suppress a da mu8ica do corp de
pohcia as expensas a> t cofre9 pab|icos_
u imposto aas qa/'.oes nos diversos municipios
KSVASa* \ amatado pe quantia de. ...
1 n *rr' e pedagio das pontes do Sanban
edaBtalsaa'.oi por 2:574*.
pESi9Tr\'i_x0 domingo, s 10 horas datn?
conheeido por Joao Branro, desfechon o?iU um|nhaa. ^Wao um homem compaahado dg unja.
2.' denunciapao.
Gregorio Anastacio da Silva, com Maria Moren-
ciana do Rosario.
Amonio Gomes de Oliveira e Silva, com Emilia
Rosalina de Oliveira.
Manoel Florano Vieira Pessc, com Clara Del-
vina Cavalcante Lins.
Jos Ferreira de Miranda, om Anna Julia de
Miranda.
Adolfo Mariues dos Santos, eom Ilerraiaa Al-
ves Barbosa.
Landelino Rocha, com Thereza le Jess Fernn-
Jes Vianna.
Joo Leandro Carneiro, com Rmalina Mara da
Conceicao.
Joaquim Muniz Gome?, com Hoiorata Maria do
Sacramento.
3.a denunciarn.
Jos Gomes Monteiro, quer so mojlrar dosem-
pedido.
Vicente Ferreira dos Santos, com Aaria da Con-
ceicao.
Francisco Ferreira d'Annunciaco, cora Anna
Amelia de Oliveira Moura.
Jos Jacintbo Como da Silv, com Cindida Fe-
liciana Bezerra de Mello.
Migael dos Santos Costa Jnior, Joanna Bitten-
couri de Mello.
PROTESTO DE LETRAS.O escrivo dos pro-
testos los Mariano, esl de semana; carlorio
ra Duque de Caxias, amiga ra das Cruzas, n. 39
Io andar.
L01EISIA. A qua se aclia venda a 177", a
beneficio da matriz de Serinhem, a qual corre no
dia 3.
CBM1TERIO PUBLICO. -Obtuario do dia 22'de
dezembro:
Anna Tavares do Espirito-Santo, psrda, Per-
nambuco, 64 annos, solleira, S. Jos ; tubrculos
pulmonares.
Joaquina Francisca do Oliveira, branca, Per-
nambnco, 52 annos, casada, na S ; gaslro inte-
nte.
Maaoel Goncalves Pereira, pardo, parahyba, 31
annos, solleiro, martimo, Recife ; luberbulos pul-
monares.
Sao/yago, branco, Pernambaeo, 4 mezes e 16
dias Santo Antonio ; dentico.
Maieus Jos da Silva, pardo, Maranhao, 22 an-
nos, solteiro, S. Jps ; ataque cerebral.
Maria Jos, branca, Portugal, 50 anno=, soltcira,
Recift; dysinteria aguda.
Jo, branco, Pernambuco, 2 mezes, Recife ;
convulso.
Antonio Francisco Honrato, branco, Pernambu-
co. 65]annos, viuvo, B>a-visla ; dysinteria.
Luit, preto, Pernambaeo, 3 dias S. Jos ; es-
pasiro.
Pallo Cordeiro Leite, preto, frica, 70 annos,
solteiro, Boa-vista ; anazarca.
Eiaardo, pardo, Pernambuco, 2 mezes, Recife ;
convilcoes.
23 -
Ma-ia Francisca ds Ra'mos, parda, Pernambu-
co, bi annos, casada, Recife ; hypetrophia do co-
raca
Nicolao Joaquim Rodrigues, branco, Pernambu-
co, 1C6 annos, viuvo, Saulo Aatouio ; esmagamen-
to do crneo.
AnLnio, escravo, preto, Pernambuco, 2o annos,
solleiro, Boa-vista ; tubrculos pulmonares.
Maria, branca. Pernambuco, 50 dias, Santo Au-
tonio convulcoas.
Jacjntho Pedro, branco, Portugal, 53 annos, viu-
vo, Recife; febre araarella.
24
Manoel Ignacio de Souza, branco, PoriugaJ, 41
annos, solteiro, Boavista; ihetano. Hospital por-
tuKuez- ... i
Joaquim Santiago, preto, Afrioa, oO annos, sol-
teiro. Boavisla ; hepatite splenite. Hospital Pe-
Mari, parda. Pernambuco, 5 mezes, Santo An-
tonio ; convulsoes.
Serafina, parda, Pernambuco, 6 annos, Santo
Antonio; casa dos exposio?.
Jos, branco, Pernambuco, 2 mezes, S. Jos;
convulsfles.
Yiceate Alexandra de Brita, branco, Portugal,
13 anuos, solteiro, Boavista; tubrculos pulmo-
nares. .
Miria Jos da Piedade. branca, Pernambuco,
2i annos, solwira, Santo Antonio ; envenena-
mente. _, .
Igaez Maria de Mello Bsgo, branca, Pernambu-
co, viuva, S. Jos ; tobereulos pulmonares.
Jos Thomaz de Oliveira, preto, Pernambuco,
80 annos, solteiro, Boavista; phtysica pulmonar.
Asvle
Maria do Espirito Sanio, parda, Pernambuco,
48 horas, Capanga; espasmo.
fundibularlos da imprem vai lomando cada
maiores ptopw-coes setn que encontr, paradeiro
Ja nao se limitara censuras aeres, aos actos
nos lunccionarios publico, aos insultos vagos,
que estavam-acostumados ; va agora alera ; der-
raman copiosas-chuvas de lama sobro coroora-
coas inteira*, sobre todo o partida sen exeep-
coes: vo aioda mais alm, insulten e ealomnram
individualmente membros- presrtmoeos da soeie-
dede, proclamando que as injurias e calumnias
sao dirigidas a tal e (al individuo, ser temerem
as reprezalias, que muto e maito os podem moles-
tar.
E poriue assim proceden? Porque eonlam com
a moralidad-; dos insultados, e mais que tudo com
a garanta de seguranca individual que Ihes do
os qae dominam a actual situacao poltica : e
porque saoem, que
legaes de rcspooeab
rao os offendidos, quando naojulgarem su3l.;iente
o mais soberano despreso s injurias e aos seus
autores.
A prosito do julgaraenlo do subdito portoguez
Vieira de Castro, reo coofesso de um brbaro as-
sassraalo, publicaran urna serie de atrozes insul-
tos contra os membros mais prestrnosos do parti-
do conservador, e espccialraeo'.e contra os contem-
plados na ultima iisu sxtupla para senadores,
que o corpo eleiloral da provincia acaba de con-
feccionar, prelendendo-se estpidamente estabele-
cer paralello entre o facto praticado por Vieira do
Castro e os actos caluranicsamente aitrbnidos
seus mais temiveis adversarios as pocas as mais
veri-gioosas da poltica praeira por escrptores libe-
raes lo desfajados e impdicos como os aclaaes.
Iloje aproveitam-se de urna deciso do tribunal
do coinmercio, sebre suspeigao de juizes era cau-
sas j por elle revistas por motivos supervenien-
tes de parentesco com patronos da raesma causa,
e ei-los furio-os a vomitaren bius negra e nau-
seabunda, contra magistrados da superior e infe-
rior infancia, e /Harem os denles as pernas
de alguos advogados distincks do nosso foro a cu-
jos talentos alguns dos escrptores liberaos, e, tai-
vez, o propno autor do artigo, attribuem a falla
que seotem de clientella.
Urna das victimas dos dentes do furioso escrip-
tor foi o Dr. Jos Bernardo Galvo Alcoforado, e
com elle seu filho do mesmo nome e seus dous ir-
mos o Dr. Cypriano Fenelon, e o commercianta
Candido Alcoforado.
Contra o prlmeiro se diz que advoga elle peran-
le sea filho, qaando exerce, como supplente, a
primeira vara civil, perante sea irmo Candido,
como membro do tribunal do commercio, e pe-
rante o Dr. Cypriano, como procurador fiscal da
thesouraria provincial.
A aecusaco foi gravlssims e como tal nao de-
via ser desacorapanhada de prova, e nos a qual i-
caraos de calumniosa.
O Sr. Dr. Jos Bernardo Galvo Alcoforado um
dos advogados mais aatigo, mais intelligenta,
mais moralisado e mais conheeido do nosso foro :
3uerer-se negar-Ihe essas qualidades, sera preien-
er negar a verdade.
Todos sabem quaes os seus principios, e quaes
os meios que empregou para, custa de graades
trabalhos a conslancia, nellas adquirir a fortuna
mediana, que hoje o poa ao abrigo e um golpe
da sorle.
Comecou a ganhar parle dessa fortuna pelos ro-
cursos da advocada, e.augmenioua-a com os la-
cros de especulagSes coraraerciaes em que se
ayenturou, como publico e uoiorio nesta provin-
cia, pois i|ue o sea nome e os seas capitaes fignr
ram em varias emprezas bem lucrativas.
Ninguera se animar a censura lo pelo eraprego
deste meio licito de adquirir fortuna. Muilo me-
nos, quem o conhecer, o suppor capaz de que-
rer que sea filho, no principio de sua vida publi-
ca, comece logo pelos ltimos actos de um mo
funecionario, qual a prevaricaco, somente porque
dahi Ihe poder provir urna lo pequea parcella
de lucro, como seja um ou dous contos de ris,
quantia muito superior de que elle por veze se
tem privado para lavorecer ingratos, que boje o
insukam sob a capa do nonymo.
Repetimos ajnda urna vez, o autor do artigo
edictorial do Liberal de 23 um calumniador do
Dr. J.s Bernardo Galvo Alcoforado, de sea filho
do me?mo nomo, moco intelligente, eslimavel por
-ua< excellcntes qualidades, a pela pureza de sua
vida, qur publica, qur particular, e bem assim
de seus dous irmos.
E se nao quizer que o ferrete de calumniador
Ihe si ja impresso na fronte pela opinio publica,
o provocamos para que declare o seguinte :
Quaes as causas civeis ou crime3, tratadas pe-
rante o Dr. Jos Bernardo Galvo Alcoforado Fi-
lho, como supplenle do juiz municipal da 1* vara
(que pela primeira vez exerceu em poneos dias
desle anno) era que figurassem por si ou por in-
terposla pessoa, como advogado o Dr. Jos Ber
nardo, pae, ou o Dr. Cypriano Fenelon.
Qiaes as causas julgadas no tribunal do com-
mercio em qae, sendo advogados o- Dr. Jos Ber-
nardo pal e fliho, oa o Dr. Cypriano Guedes Alca-
forado, nao se averbasse de suspeito o depulado
Candido Alcoforado.
Qual a causa em que figurassem os advogados
citados (pae e filho) ante a thesouraria provincial,
e interviesse como procurador fiscal o Dr. Cypria-
no Alcoforado.
Tomamos desde j para no3sos juizes nessa
magna queslo de honra, e de moralidade publica
os Srs. Daro de Villa-Bella, conselheiro Silveira
de Souza, Abilio Tavares, i at o proprio Sr. Epa-
minondas de Mo, que sao podem ser suspeitos
aos redactores do Litoral, e que julgaro cora
pkno conhecimento os aecusados.
Portante, se o escripnr do alludido artigo edic-
torial nao aeceitar o nosso repto o nao vier
Imprensa justificar a queavancou contra os eida-
dos citados em seu escriplo, ser tido como o
mais vil e mais isfamo dos calumniadores, e me-
recedor do inaia soberano desprezo tto publico.
Para evitar juizos temerarios, e tirar duvidas
acs redactores do Liberal declaramos, que os ca-
lumniados nao tem parte alguma neste artigo, e
nem delle tiveram a menor sciencia.
Z.
COMMERCIO.
Abanos......... duzia
Algodo em caroco kllog.
dem em rama ou em la.
Carneiros vivos.......um
Porcos idem.........
Arroz com casca. .... kilog.
dem descascado ou pilado
Assucar branco.......
dem mascavado......
dem refinado........
Gallinhas........urna
Papagaios........
Azeite-de amendoirn ou men-
dobim.........litro
dem de coco ......
dem de mamona...... >
Batatas alimenticias. ..... kilog,
BaunHha.......
Bebidas espirituosas efarraentadas:
Agurdente cachaba. .... litr.
dem de canna......
dem genebra......
dem resillada......
dem alcool....... u
dem cerveja....... >
eravinagre.......
dem vinho de caj.......
Bolacha fina, comprehendidos os
biscoitos.....a, kilog
dem ordinaria, propria para
embarque.........
Caf bon .......
dem escoma ou restolho ...
dem torrado ou moide.....
Cal branca........
dem preta........
Carne secca ( xarque ).....
Carvao vegetal.......
Cera amarella........
dem de carnauba em bruto.
dem idem em velas, ....
Cha..........
Cocos seceos ....... cento
Colla.........kllog.
Couros de boi, seceos salgados.
dem idem espichados.....
Idemidera verdes.....
dem de cabras cortidos um
dem de onca...... >
Doces em calda ...... kilog.
dem em gela ou massa.
Idem seceos........
Espanadores de pennas grndes duzia.
dem pequonos.......
lem de palha.......
Esteiras de carnauba .... cento
dem propria para forro ou estiva
de navio.........
Estopa nacional......kilog.
Farinha de ararula.....
dem de mandioca.....
Feijo de cpaUpur qualidade.
Fumo charutos......centro
dem cigarros......
dem em folha bom kilog,
dem em folha, ordinario ou res-
tolho ........ .
Idera em rulo o em latas bom
Idem, ordinario ou restolho.
Rap..........
Goinma do mandioca..(polvilho).
Ipecacuanha ( raiz ).....
Angico (toros)......duzia
Caibros ........um
Enxams.........
Frechaes. ........
Jacaranda (coucoeiras) duzia
Lonha em achas. cento
dem em loros ......
Linhas e esteios......um
Lour s (pranches). ....
Pao Brasil ........ kilog.
dem do jangada...... um
Quiris ......duzia
Vinhatico costadinbo de J5 a 30
mulimeMM j* groBsura. um 16*000
(dem praiicooos de dous costa-
dos ai 30 mlimetros do gros- (
sura.........
dem taboado de menos de 23
millimetros de grossura duzia
Taboado tivarso.......
Tatajuba........kilog.
Travs..........urna
Varas para pescar.....duzia
liem.paraaguilhadas .... <
Idera para canoas ..... urna
.Cavernas de sucupira(em obra)
Eixos de cicupira para carro. par
Melajo.........kilog.
Mel de abelha.......
Milho........... e
Ossos
ALFANDEGA-
Reudiraento de dia 1 a 24. .
dem do dia J6 .:
619:8344503
8:374*995
628:209*498
PUBLIOACOES A PEDIDO.
O artigo de redaeoo do Liberal
de a.
O desembraco'eom que os redactores do Liberal
affrontam a moralidade publica.consiituind i o Intitu-
lado orgia das Ideas de nm partido poltico em
aconte das reputaedes alheias, tem tomado gran-
des proporcOes.
Por toda a parte se clama contra as torpezas
dos redactores do Liberal que em materia de in-
sultos e calumnias lem transposto todas ai meta*.
E oopii. extraordinario que a, Inslenos d,K3
^oTlinento da alfandefa
Volumes entrados com fazendss 153
com gneros 471
Volumes sabidos com fazeadas 22
t com gneros t56
300
165
500
4*000
2*000
68
177
250
149
436
1*000
5*000
937
675
525
102
5*430
|W
30
330
300
337
60
300
660
476
20i
476
445
95.
39
27
238
168
442
436
763
4*360
4*000
1*438
474
640
260
350
10*000
1*133
784
2*180
48*000
24*000
12*000
16*000
12*000
136
681
92
272
3*000
320
1*090
613
681
Bt-1
2*1 O
17
1*70;
60*oa
360
1330!
5|000
3*000
12*000
s*ow>
r'j )
103
5*00t>
COO-i
20*000.
1445001
96JO0O
33
G*00O
3*400
JOOO
1*000
3*300
16*000
1 50
320
68
16
kilog.

>
t.
i
molhoa
624
78
Descarregara hoje 27 de dezembro.
Barca inglezaGla&otusvarios gneros.
Barca inglesaRosanmdidera.
Brigue inglezJehubacalho.
Barca inglezasimirami'carvio.
Brigue n irte-allemaoHeliasvarios generes.
Vapor salesAmazonvarita gneros.
Barca inglezaOlinda -bacalho.
Barca portuguezaS. Miguelcarvao.
Brigue hespanhol trNovo VqUante varios ge
eros.
Palha de carnauba ..... momos. UOOO
Pechury...... .
Peoras de amolar .
dem de filtrar .......
(dem de rebollo ..:>;..
Pennas de ema. ...*.,
Piassava. ........
Pontas ou cbifres de novho. oa
vacca. v...... cento
Sabao.........kilog.
Sal. ... ,......
Salsapajrrilha.......
Snalos de couro branco par
Sebo eu graxa emrama kilog.
[den etn velas. '.....
Sola e vsquela.....,
Tarjioca.........
l'nhas de boi.......ceoio
Vassouras de carnauba *
(dem de piassava..... *
idemdo mb. i ,.araKr"^
Alfanden aePMMbmboeo, 14 de dezerabro de
870. n .
0 !. cmtotm<.-Ma%oelC Barre^.
P^nf*m'e-M?Hl Terhmo V #({rf
817
31
18
34
4*796
160
3*800
348
10
2*04:1
800
J40
476
'1*200
104
380
768
1*200
960
1 ILE6ftB
umih
mm
BM
w



. '., -1-



*_*_
r-




___ __
QfS *G 0fi.aSI3S3Q 30 U 18131 JtW'&i rer__mbr_co Te^feira 27 de Dezembro de 1870 383111 t Cfc
-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
2S
REGEBEDORU DE RENDAS INtlWtAS
GBRAE6 DE PERNAMBUCO
Rendimeato do SU 1 a 2i. S:27622
dem do 9k 20 9915*93
66:192*122
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendimeato ds dia 1 a wT\t 4l2:lolW
dem do dia 26 4:4061781
116:658*280
MWiMENT DO PORTO.
navios entrados no dia24.
Babia20 das, pa!h: bote porluguez Pensamcnto,
le 138 toneladas, capito Joaquim Frauei>cu da
Triodade, equipagem 8, carga ariuha de man-
dioca e oatros gneros : a Bailar & O'iveira
*C.
TVrra-Nova 30 dia?, barca iagleza Olinda, de
231 toneladas, capito Samuel Prowse, equipa-
gem 12, carga 730 barricas com bacaluao ;
Saunders Bromers & C
Mamanguape16 horas, vapor nacional Cururipe,
de 2i2 tonelada?, commandante Jos H. da Sil-
va, equipagem 17, carga algodo e outros g-
neros ; Companhia Pernarabucaaa.
Granja e portes intermedios Vapor nacional Pi-
rapama, de 312 toneladas, commandante Aze-
vedo, equipagem 30, carga varias gneros;
Companhia Pernambucana.
Rio de Jineiro 28 das, patacho inglez Kliza
Shjrns, de 19o toneladas, capito B. Sherres,
equipagem 9, carga" caf; Keller & C. Veio
refrescar.
Navios sahidos no mesmo dia.
Bahia Palhabote americano Rarriet Brewster
capitn ..oodale, carga parte da que trouxe de
New-York.
Rio-arn.io do 6aiBrigue nacional Sublime, ca-
pitao fo| Ignacio de Mello, carga assucar e ou-
tros gneros.
ObsertacSo.
SuspenJeram do laruaro para New-Yoik a ga-
lera ingleza Ariel capil) Courtenay, carga a mis-
ma que trouxe de Yokoham (no Japao).
dem para Macei o patocho porluguez Michae-
knse, capillo Meileiros, com o mesmo lastro que
trouxe e parte de passageiros que trouxe dr ilba
de S. Miguel.
Vario entrados no dia 25.
Pin de Janeiro 28 dias, brigue hespanlnl Novo-
Vigilante, do 234 toneladas, capitao Jayme Me-
rambell, equipagem 12, carga caf ; Amorim
Irmo 4 C.
Navios sahidos no mesmo dia
Macei -Patacho inglez Ida, capitao SullivaD, car-
ga parte da que trouxe de Terra-Nova.
Boston-Barca americana Nannie T. Dell, capito
Koapp, carga asquear.
Navios entrados no dia G.
Rio de Jaeeiro 23 dias, sumaca hespaohola Ma-
ra, de I.'m toneladas, capito Pablo Sisa, equi-
gem 12, carga caf e lastro ; Pereira Carne-
ro & C.
Montevideo 25 dias, brigue nacional Alberto, de
2K8 toneladas, capito A. da Silva, equipagem
12, carga 191,000 kilngramraas de carne e fa-
rello ; ao barodo Livramento.
dem 29 dias, brigue hespanhol Clementina, de
160 toneladas, capito Francisco Sensat, equipa-
gem 12. carga 3889 juiniaes hespanboes de car-
ne ; Joaquim J. Goncalves Beltro.
dem36 dias, brigue argentino Jnhon, de 210 tu-
d. ladro, capillo II. Mohr, equipagem 9, carga
.'500 quintaes haspanhoes de carne ; Pereira
Carneiro C.
Navto sahido no mesmo dia.
Lisboapatacho porluguez Restaurarao, capito
Manoel de Avellar, carga assucar e couros.
(acortando< eontrfcuiows-ne nao Mrikarem o
mesmo pagamento no referido praso, ot coram-
aacao da V do citado artigo.
Consulado provincial 21 de novemmbro de
1870.
V Se-vindo de administrador.
A. Witr.vio- P. B. e AecioK de VascooceBw
AdmiBhttra^o los crrelo de
Pernamfcueo, 9f de deiem-
bro deisj.
Por eu admmistraeio se fai pntrlieo para co-
?heciraento dos ioterandes que desde o da 18
do corrente mea toda a correspondencia do Bra-
sil para Frang oa otra os paizis que serve de
intermediario, o cornete franco est sojoito a nova
tarifa abaixo declarada, ticando igualmente sojeito
a mesma tarib a eorreapi uJencia que for rece-
do oao.JYaoqtwado dos paizes a que ella se refere,
segundo foi commuoicado pelo Illm. Sr. director
geral dos crrelos por seo offlcio de 10 do cor-
rente.
O administrador,
Affonso do llego Barros
TARIFA das laxas de porte que deve pagar a cor-
respondencia expedida do Brasil para a
Franca ou para o paizes que servera do
letermedio do correio francez, do confor-
midade oom a eonveocio de sale de
julho de 1860, modillcada pelo accordo
provisorio que tem de vigorar do dia 16
de dazembro de 1870 em diante.
(21) pelo vapor cima meneioaado para os porta!
do norte ser retenida pela maaeira seguinte: i
Macos de jeraaes, impresioe fle qualquer nal*-
reta e cartas a registrar at 2 lloras da tarfc
cartas ordinarias at 3 horas, e estas at 3 IB,
pagando porte duplo.
O- administrador,
Affonso do Reg Barros.
rAIZGS COM OS QUAB3 0 BRASIL
KIJE C0RB.ESP0NDEH SB
Allemanha (estados d').......
Alexaodria do Egypto.......
Aigeria....................
Australia..................
Austria....................
Blgica....................
Cabo Verde (Ilhas).........
Chile......................
China...........v.......
Cocbinchina................
Dinamarca..........-.....
Egyplo...................
Estado Oriental................171/40
Estados PonliUcios.............17 I/2io
Estados Unidos................71/ijiO
Franca........................71/2 40
Gibrattar.....................71/1 40
71/2140
PORTE;
SIMPLE*.
5
gr-
71/2
71/2
71/2
71/1
71/2
71/2
7 1/1
71/2
71/2
40
H
40
40
40
40
40
7 1/2 40
7 1/2140
71/2 40
TAXA
DE r.M
PORTE
3
r.
490
40 m
Gora.
Goyanna Franceza.............
Goyanna Hollandeza............
Graa Bretanha................
Grao Ducado de Luxemburgo____
Grecia.........................
Guadalupe.....................
Hespanha...................
Hdllanda.......................
Ilhas Jnicas...................
India.........................
Italia.........................
Malta (ilba)...................
320
650
490
490
60
fi-SO
630
630
490
30
220
650
620
320
320
71/2
71/2
71/2
71/2140
71/1140
71/2 40
71/2 40
71/2140
71/2140
71^140
71/2 40
'71/2 40
Martinica......................171/2 40
EDITAES.
O Dr. Aliilia Jos Tavares da Silva, oflicial da or-
dem da rosa e juiz privativo dos feitos da fa-
/end.i nacional etr.
Vr.qo s^bcr que em vista da execucSo que a fa-
zenda nacional encaminha contra os herdeiros de
Juhao Pereira Mattoso, excollector do Cabo, fez-
se ptODora em una escr..va de nome Monica, ava-
hada tu r fiOO, em conseqnencia do que e em
faco to deer0 n. 1693 de 13 do setembro de
1809, sao convidados pelo presente quaesquer li-
ciUMCl para apresenlar sitas propostas deotro do
praso d: 30 dias, achando-se a mesma eserava nj
deposito peral nes'.a cidade. E para que chegue a
noticia do lidos mandei passar o presente que
-, i publicado pela imprensa c aJDxado no lugar
d-j coslume.
Dado c p.i3>ado nesta cidade do Recife aos 16
- relo de Almeila, escrivo que o subscrevi.
Abilio Jos Tavares da Silva,
O inspector interino da alfaudega, faz publi-
co, que quartafeira 28 do correle, depois de
meto dia, porta da mesma repartico, serio le-
vados a hasta publica os objeclos abaixo declara-
aos, livre de direitos ao arrematante.
MarcaT J, Pernambuco 1 caixa com 14 kil-
logrammos de chumbo, em canos, valor do killo-
grammo 233 rs., 3266 ; meio killegrammo de
tarrachas de ferro para os mesmos, vtor do kil-
lo.crauimo 333 rs., 166.
IJem idem 1 caixa com a 1|2 killogrammos
de ebras de cobre bronzeado, valor do killogram-
ma 23 ; 11 000.
Marca O A n. 11 caixa com 26 killogram-
mas de pequeas carrocas de madeira, valor do
killogrammo 2, 32000.
MarcaMonteiro & Irmos, n. 10-1 caixa com
20 lenc/s de chita pesando meio killogramma, va-
lor do killogramma 4500, 2*250.
Marca-C I & C. n. 138 12 killogrammas de
cada reo de lia, valor do killogrammo 4333 rs. to-
lalol996.
26 killogrammos iiem idem com avaria, abali-
roento de iO 0|o, valor do killogrammo 2*167, to-
tal 56*343.
Marca-202200 csixas com 200 duzias de gar-
rafas de vioho do Porto com 1300 litros, valor do
litro 390 rs. 585*000.
Alfaudega de Pernambuco, 23 dezembro de
1870.
O inspector interino,
L. de C. Paes de Andrade.
71/2
71/2
71/2
7i/i
71/2
71/2
7 i/2
71/2
71/1
7 1/2
71/2
71/2;
71/2!
71/2
71/2
71/2
71/2
712
71/2
rs.
10
90
(10
90
10
10
10
90
n
90
90
n
90
10
90
150
10
320 90
650 60
630 70
350 10
490 10
650 90
650 70
320 10
490 90
630,90
650 90
460
650
650
650
650
650
630
60
490
220
40.650
40 630
40620
40
10
10
40
40
40
40
40
40
4(1
630
650
650
PARA'
Pegpa para esse porto com a possivelbrovidade
Watt novo, bem construido D. Luiza, para car-
ga e passageiros : a tratar-se com Gomes de Mat-
tos Irmos ra do Vigario n. 26.
COWANHIA
320 10
630 90
650,10
490 10
650|90
650 10
650 90
71/240|650.90
m
SECLARACOES.
Mayolta (ilha)
Mig'uelou (ilba.................
Noruega......................
Polonia.......................
Portugal.......................
Prussia.......................
Repblica Argentina...........
Reunio (ilba).................
Russia........................
Sandwich (ilhas)...............
Sania Maria de Magascar.......
S. Pedro (ilha)................
S. Tboraaz....................
Senegal.......................
Shang Hai.....................
Suecia.........................
Suissa........................
Tunis.........................
Turqua......................
Yrk'.-hama....................
Paizes nao mencionados cima.-
EXPLICAQES.
Carlas ordinarias.E' facultativo e at sen des-
tino o previo pagamento do porte das carias para
Alleimnna, Alexandria do Egypto, Algeria,Austria,
Belgija, possessdes francezas na Cocbinchina
(Bien Hoa, Mylho, Pulo Cndor e Salgon), Dina-
marca, cidades do Egypto e da Turqua, cujo ser-
vico feito por intermedio dos paquetes trance-
zea ou pelo correio austraco (Alexan-lrelie, An
drinopla. Antivar, B?rcu(h, Burgas, Caifa, Cairo,-
Canda, Canea, Cvale, Chio, Constantlnopla, Dar-
danellos, Duzazro, Gallipoli, Ineboli, JafTa, Janina,
Kerassunde, Larnaca, Lattaqui, Menina, Metelin,
Prevsa, Relimo, Rhodes, Boustschouk, Salonique,
Samsouro, Scutari d'Asia, Serez, Sinope, Snrrrne,
Sophia, Suez, Snlna, Tnger. Tndos, Trebisonda,
Tripoh da Syria, Tulscha, Tunis, Valona, Varna
e Vollo), Estados Pontificios (via Franca), Esta-
dos-Unidos, Franca, Gora, Goyanna Franceza,
Goyana Hollandeza, Gra Bretanha, Grao-Ducado
de Luxemburgo, Grecia, Guadelupe, Hollanda, ilhas
Inicas, possessdes francezas na loia ( Chander-
nagor, Karikal, Mah, Pondicbry e Yanaon) Ita-
lia, Malta, Martinica, Mayla, Miqelon, Noruega,
Polonia, Prussia, Reunio, Bussia, Santa Maria
de Madegascar, S. Pedro, Senegal, Shang-Hai,
Suecia, Suissa, Tunis, Turqua e Yokohama.
Cartas seguras.As carias podem ser seguras
qaando destinadas aos paizes a cujo respeito e
facultativo o prio pagamento do porte, menos
os Estados-Unidos da America do Norte. As car-
tas para Franca ou para os paizes a que o correio
francez serve do intermedio, pagam previamente
o dobro da laxa ordinaria, devem ser medidas em
envelopes e fechadas pelo monos em duas partes
com lacre de urna s cor o sinete representando
um signal particular ao remetiente.
Amostras de mercaduras. S se admitiera
amostras de mercaduras para a Franqa e Algeria,
mediante o pvio pagamento do porte de 60 reis
por 40 grammos.
Impressos. E' sempr.e obrigatorio o previo pa-
gamento do porte, e al seo deslino relativa-
mente Franca e Algeria.
Directora geral dos correio;, em 10 de dezem-
bro de 1870.
O director geral,
Luiz Plinio de Oliveira.
COMPANHIA
LRICA ITALIANA
Magnifico espectculo lyrlco pa-
ra a estrea da eompanhta.
Oiiarta -fera 28 de dezembro
OUDEM DO BSPECTACUL
Primeira parte.
Acto da celebre opera
II Trovatore
Cavatina Leonoza, Romanzo Manrico, Tcszettt
Lconoza, Manrico e o conde de Luna)
Seganda parte
Romanzo, quando le ser al placido tpara te-
nor da opera
Luisa ffliller
Duelo do desafio da opera
Lucia de Lamemoor
-C,ran Du do 3* acto da sublime ope'a
Norma
Terceira parte
Ultimo acto da opera
II Trovatore
(Aria Leonoza Grande scena d' Miserere) Do
Seora e o conde do Luna Do anrico e Azu-
cena, terceto e quarteto final da ipera.)
A orchestra ser dirigida pelo naestro Gialdini.
Principiar s f horas.
PRECOS:
Camarotes de 2* ordem (na frene) 20*000
Ditos de 2' ordem (nos lados) 17*000
Ditos de ordem 14*000
Cadeiras 3*000
Os bilbetes acharase a verda no escriptorio do
theatro.
N. B. Em consequencia ce muitas festas segui-
das a direceo tem resolviio transferir a estra
da companhia lyrica para qiarta-feira 18 do cr-
reme.
As assignaturas se recelem no escriptorio do
theatro.
THEATRO
SATO AMO.
1\
PKWAMTOCANA
DI
costclra por vapor.
Mamanguape.
O vapor nacipnal Coruripe,
commandante Silva, seguir
para o porto cima no da 28
do corrente as seis horas da
urde.
Recebe carga passageiros,
encomtnendas, e dinbeiro a frete at as 2 horas da
tarde do dia da sabida, aa escriptorio do Forte
do Maltes n. 11.
HOTEIi
EM
BEBERIBE.
Bilhar, bospedagem, e banhoa.
Os proprietartos da grande hotel do Monteiro
tem aberto no aprasivelarrabalde de Beberibe nm
letel preparado com todo o esmero e asseio. Re-
cebe hospedes, para o que tem todas M comino-
didades exigiveis. Esperam que os coneorrentes
qne os honrarem em todo serlo satisfertos.
Ama de leite.
Precisa-se de ama ama de leite e paga-se bem:
na ra do Bartholoraeo n. 33.
Vai segair em pouco tempo o brigue porluguez
Sensrcel por ter a matar parte da carga engajada :
qaem no mesmo quizer carregar oa ir de passa-
gem, para o que tem exce lentes commodos, trate
com os consignatarios Tboraaz de Aqnino Fonseca
& C. Successores, na ra do Vigario n. 19.
PARA
PORTO
LEILOES.
*m
LEILAO
DE
una casa terrea sita na ra da
Senzala Velha n, 26.
O agente Martins fat leilo, a requerimento da
commisso administradora da rmandade de S.
Benedicto do convento de Santo Antonio, e de Vc-
tor Antonio do Sacramento Pessoa, testamenteiro
e inventarame dos bens deizados pela fallecida
Rufina Maria da Conceicao, e por mandado do
Illm. Sr. Dr. juiz municipal da seganda vara, da
casa terrea n. 26 da ra da Senzala Velba, edifi-
cada em terreno proprio, stnde a venda feita por
apolices da divida publica do joro de 6 por cento
ao snoo, segundo a cotaco do dia
HOJE
19 do correte
em sea escriptorio ra da Cadea n. 9, s 11
horas do da.
Trabalhador.
Precisa-se de nm trabalhador para todo o serv-
co : na ra da Florentina i. SO, fabrica de eer-
vja.____________________________________________
Muoel GooMlves de lew fas eetente ao
respeitavel corpo do eommercio, qne o Sr. Jos
Joaqun-Fernandos deixou deaar aeiro de sos
refinadb sita fai do Cffone Russopa n. 7,
(amigar na deHortas) desde 23 4 crrante.
Precia-se da ama ama que ompre e cosi-
nhe para casa de pouea famili: na ra ova
de Sama Rita n. 41. ______
TRILHOS URBANOS
ao
Recife a Apipucos.
aviso'
Do dia 25 do correte al o dia de Ja-
neiro iiavero bilbetes especiaos dos dias
uteis como presentemente os ba para os
dias santificados.
Escriptorio da companhia 22 de dezembro
de 1870.
William Rawlinson.
Gerente.
empkeza-coImbra
Quinta-feira 29 de dezembro
Recita extraordinaria.
Em beneficio do tenor Haynaud. com o
concurso da uutto applaudida artista
Hile. Sanglea.
PRIMEIRA PARTE.
TROMB AL-CASAR
msica de Mr. OITenback :
Perscnagens.
Beanjolais... Mr. Raynaud.
Vert-pann.. Mr. Maris.
Ignace...... Mr. Carn.
Violelte..... Mme. Valmonca
SEGUNDA PARTE.
1. J'AIME CA, por Mlle. Mariette.
2. COUPLETS DES ROI3 ( Belle Helene ) aor
Mr. Carn.
3. LA SOEUR DU ROSSIGNOL, por Mlle. Brus-
ela.
4." LA DAME BLANCHE, dao Boieldien :
Personageos.
Jenny....... Mlle. Sangles.
Julien....... Mr Ravnaud.
TERCEIRA PARTE
S.' ARIA DO TROVADOR, por Mme. de Val-
monca.
LE CHALET, opera cmica, msica d'Adam :
Personagens.
Betly Mlle. Sangles.
Dame... Mr. Raynaud.
Max..... Mr. Maris.
Principiar s 8 horas.
N. B.Os lugares dos camarotes de primara
ordem ser} vendidos separadamente como ca-
deiras
Consclho econmico do ba-
talho de inpbantarla.
O conselho tendo de contratar no dia 28 do cor-
reme, pelas 11 horas da manba, o fornecimento
dos gneros alimenticios para o rancho das res-
pectivas pravas, no primeiro semestre do anno
vindouro de 1871, convida aos senhores negocian-
tes que se quizerem propOr a tal fornecimento a
apresentarem suas propostas em cartas fechadas
na secretaria do bataiho no dia e hora cima ci-
tados ; certos os mesmos senhores de que devem
ser de primeira qualidade e fornecidos conforme
a tabella do bataiho, que na occasio ser apre
sentada, os gneros que se segu :
Arroz pilado, assncar mascavmho refinado, aiel-
te doce, bacalho, caf muido e em caroco, carne
secca, carne verde, herva-malle, farinha de man-
dioca, feijo mulatinho ou preto, lenha em acbas,
nianteiga ingleza ou ranceza, milbo branco pilado,
iies de 6|0, pes de 4|0, toucnho, vinagre.
, Quartel as Cinco PonUs em Pernarobaco 23
d dezembro de 1870.
Manoel A. Pereira Guimaraes,
Tenente servindo de secretario.
Pela recebedona de rendas internas geraes
se faz publico que neste mez de deiembro qe
as innandades religiosas, os bancos, oompanWas e
sociedades anonymas e quaesquer associacoes
pas, beneficentes ou religiosas teem de pagar a
{"cima de mo mora, livre de enalta, relativa ae
i' semestre do-a_ercirio crrante do ASn-71, e
ta de 6 0|0.
Recebedona de Pernambaco de dezembro de
1870. ,
O admiaidirtdor,
__________Maaoel Carneiro de Sota Lacen!.
Censota^ fr#t_MJil.
Na forma do arL 50 % 1 da iei provincial n.
963, avisa-se-por esta raparliao, a quem interes-
sar poesa, que oom o mez do dezembro prximo
abre-se o praso de 30 dias all maroados #ara o
pagaroeato voloolaria dos imposto da dcima
urbana e de 8 OO sobre a renda dos bens de raz
. de corporacoes de mi moa, relativos ao i' se-
mestre do corrate auao naaaoeiro de 1870-71,
Santa Casa de Misericordia
do Recife.
Dinbeiro vista.
A Illma. junta administrativa da santa casa de
misericordia do Recife precisa contratar o forneei-
mento do pao e assucar que tiverem de consumir
todos os estabelecimentos pios sea cargo, inclu-
sive o asylo de mendieidade no trimestre de Ja-
neiro a marco vindouro.
Recebe propostas na sala de suas sesses pelas
3 horas da tarde do dia 29 do corrente.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do
llecifs, ^1 de dezembro de 1870.
O escrivio.
Pedro Rodrigaes de Souza.
AVISOS MARTIMOS.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Navegando costeira por vapor
Parabyba, Nata!, Maco, Mossor, Ari
caty, Cear, Mandah, Acarac e
Granja.
O vapor /aauaiifcecommandaite
Guilberme, seguir para os por-
tos cima no dia 31 do corrate
as 5 horas da tarde. Recebe ur-
' ga at o dia 30, encommenta?
passageiros e dinbeiro a frete at as 2 horas da
larde do dia da sahida : escriptorio no Porte dr
Mattos n. If.
Companhia americana c brasilei
ra de paquetes a vapor.
At o dia 1" de Janeiro esperado dos portee
do snl o vapor americano Merrtmaek, o qual
depois da demora do costme seguir para New-
York tocando no Para e S. Thomaz.
Para fretes e passagens, trata-se com os agen-
tes Henry Forster u, roa do Commercio n. 8.
SANTA CASA DE iSBWCOirtMA DO
HBCIPE,
A Illma. junta administrativa da Santa casa de
Misericordia do Recife manda faier publico que
aa sala de suas sessdes, no dia __e dezembro, pe-
las 3 horas 3a tarde, tem de ser arrematadas a
quem mais vantagens offerecer pelo tempo de uro
a tros annoa, as rendas dos predios em seguida
declarados:
ESTABELECIMENTOS DE CARIDADE.
fina de Santa Rita.
Casa terrea n. 32.......161*006
Ra da Matriz da Boa-Vista.
Casa terrea p. 56.......202*000
PATRIMONIO DOS ORPHAOS.
Raa de S. Jorge (onlr'ora Pilar)
Casa terrea n. 105................. 151*000
dem idem n. J.................... 365*006
Os pretndanles devera o apreseotar no acto da
orrematacio as suas flaneas, ou compareceris
acempannados dos respectivos fiadores.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do Re-
cife, 30 de novembro de 1870.
0 B3criv1o,
.___________Pedro Rodclgaes de Soqza.
Ad-iinlatraei oa crrelo de
lernaat-eo 13 de dczenUM-o
de 190.
Mala pelo vapor Tocanttns da companhia bra-
silera.
A correspondencia que tem de sef expedida boje
P&RTO
O agente Garca competentemente autonsado
pelo Illm. Sr. Dr. juiz do commercio substituto
deste termo do Natal em exercicio vender em
publico leilo porta da alfaadega desta cidade,
por eonta e risco de quem pertencer no dia 12 de
Janeiro do mez e anno prximos vindouros, das 10
horas do dia em diante, a barca noruegaense
Sterlmg, naufragada na praia de Cassara e pre-
sentemente encalbada no porto desta cidade, com
mastros, vergas, velas, ancoras, correntes e todos
os mais apparelhos e pertences do mesmo navio,
no estado e coadic.5es em qa? se achara. E para
que chegue noticia a todos e quero interessar pos-
sa, se mandou publicar este anouncio nos jornaes
desta cidade, e nos das pracas visinhas. Agencia
de leudes no Natal 22 de dezembro de 1870.
Pretende seguir, com malta brevidade, a barca
portugueza Social, por ter a maior parle de seo
cirragamento engajado ; e para o pouco que Ihe
falta, trata-se com o sen consignatario Joaquim
Jos Goncalves Beltro, rna do Commercio.
LEILAO
DE
dous babas e dous saceos com ; oupa, per-
tencentes aos espolios de Joaquim Tei-
xeira Bastos e Antonio Gonsalves Neves.
O agento Martins far leilo por ordem do Illm.
Sr. consol de Portugal, dos bahiis e saceos com
roupa cima, perteucentes aos espolios de Joaquim
Teixeira Bastos e Antonio Goncalves Neves.
Tercafeira 27 do corrente
em sea escriptorio ra da Cadea n. 9, s 11
horas do dia. Nesta mesma occasio sero vendi-
dos diversos objectos de ouro para liquidar.
LEILAO
DE
mobias, piano, porcelanas, crystaes, obras
de metal superfino,
e outros adornos de casa
a 30 do corrente.
O agente Oliveira far leilo por ordem do Sr.
Rodolph) Hrucicunberg, das mais perfeilas e ricas
mobilias de bellezas e cooMrucces modernas,
como melhores nio poderiam hiportar-se do es-
trangeiro, nem conseguirem-se neste paiz, con-
sistido em guarnieses completas para tres salas
de visitas, um esplendido piano novo de vozes as
mais harmoniosas, com cadeiras e estantes para
msicas, espelbds de moldaras douradas, qaa-
dros admiraveis, figuras de brooze e ontras para
adornos, poltronas, sof com linda* cadeiras de
encesto estufadas e forradas de damasco de seda,
cadeiras de balanco, mesas para jogo, cha, e para
costura, relogio bom regulador, urna extensa mesa
elstica para jantar, apparadores e guarda-loucas,
apparelhos inteiros de porcellana muilo ricos para
jamar, sobremesa, cha caf, faqueiros cora garfos
e facas, colberes para peixe, sopa, dessert e cha,
galheteiras, salvas e ontras pee de melal ponco
inferior ao casto das de prata fina, mas superiores
na apparencia pela qualidade e lindos feities la-
vrados ; bella collecco de garrafas lapidadas,
copos para champanha e ontros vinhos e para
agua, praios para fractas, compoteiras e oatros
primorosos crystaes. como de bellos lastres, cande-
labros, lanteras e lampeoes para gaz em toda; as
salas, quarlos e corredores, cafleiras de varias ma-
deiras e feilios, lindas alcatifas, oleados e esleirs
de forro de salas, saletas, corredores e esca-
cadas, um magnifico leito para urna pess oa
casal, separada ou conjunctamente com enxergoes
de molas e colcbSes de crina e cortinados, esplen-
didos guardi-vestidos e guarda-roupas de diversos
lmannos e moldes, commodas, njarquezas, toaca-
dores com pertences de porcellana, camas de ferro,
lavatorios, mesas para differentes misteres, e in-
nmeros outros arligos, como venezianas, ele,
todos i-dispensa veis ama casa quando prepara-
da com esmero, e na mor parte viudos do eslran-
geiro, sem attenco a dispendio, tendo-se em mira
principalmente a combinacao do bom gosio, com-
modidade e perfeieio :
Sexta-feira
das 9 horas da raanha em diante, na grande easa
em que reside o referido Sr. Ktackenberg (pro-
prielario o Sr. baro de Nazareth, no lugar da
Magdalena, quas defronte do sitio do Sr. Barroca.
Aluga-se
o 3* andar do sobrado n. 8 da roa da Imperatrit:
tratar com J. J. de M. Reg i rna do Commercio
GASA DA FORTUNA
Aos 5:000*
Bilhetes garantidos.
k rna Primeiro de Marco (onlr'ora roa di
Crespo) n. 23 e casas do costume.
O abaixo assignado, tendo vendido nos seas fe-
lizes bilhetes um meio n. 237 com 5:0002000, um
inteiro n. 1757 com 900*000, e outras sones de
100*000 e 40*000 da lotera que se acabou de ex-
trahir (176*), convida aos possuidores a virem re-
ceber na conformidade do coslume sem descont
algum.
Acham-se venda os bilhetes garantidos da
2.* parte das loteras, a beneficio da matriz de Se-
nnhem (177.'), qne se extrabir lerga-fera 3 de
Janeiro de 1871.
PRECOS.
Bilhete inteiro 6*000
Meio bilhete 3*000
Quarto 1*500
Em porcao de 100*900 para cima.
Bilhete inteiro 5*VX)
Meio bilhete 2*700
Quarto 1*350
Manoel Martins Fiuza
ATTENCO
Previne-se a quem interes-
sar possa que todos os bens pos
suidos pelo Sr. Jos Luiz Iiino-
cencio fogge, se achaco hypo-
thecados e dados em penhor pa-
ra g rantia de debito superior
no valor dos mesmos bens, por
escriptura em nota do&r. tabel-
liao Porto Carreiro.
AMA
Preeisa-se alugar urna eserava para servico ero
casa de familia : na ra da Cadnia d. 8, oa na
estrada dos Afilelos, easa n. 40, entrando pek>
Maaguinho.__________________________________
1
I
Precisa-se de nm
caes do Apollo n. 69.
bom bolleiro : trata se ne
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
XavegacSo costeira por vapor.
Macei, escalas e Penedo.
O vapor Giqut cc_tma_da_te Ca-
-'""'" u"'VMt/fl wnirjjiara otpor -
tos cima no dia 31 do corrente as 5
horas latarde.
Recebe carga at o da 30, enccmmBndas, passa-
firos e dinbeiro a frete al asi "horas da tar-
do dia de sua sahida : no eacrpiorlo j_Forte
do Mattos n. 12.
CiMPANHIA PEMAMBUCANA
aregac oaielra po_- rapor.
Prto de tialliuha. Rio K_rnmo
Tamandar.
O vapor Parahypa segair para os
portos aerma jto *a 31 lo correte a
meta noite.
teceb cargi, encommendaa, paseageires e di'
oheiro a frete: no escriptorio do Forte do Mattos
a. 12.
AVISOS DIVERSOS.
INSTITUTO AftCHBOEOGKX) GBOGRAFHICO
E PERNAMfilCANO
llavera sessio ordinaria quinta-feira 29 do
eorreate dexembro, pelas 11 horas da ma-
Ub.
ORDEM DO BIA
Pareceres e mais trabalhos de corarais-
s5es.
Secretiria do Iastitato, 26 de dezembro
e!870.
J. Soarts d'Azevedo
__________ Sectario perpetuo.
Urna perfelta eosioneira de massa e de san-
gue se aderece para fater banfaetes de noivados.
baptisados 6 asnos, e prometto a qaem precisar
qne fiear satisfeito, visto grande quantidade de
variados pratos que sabe faxer : na roa do Pilar
Precisa-sede nmaama qne compre e eczi-
nhe para casa de peuca familia : na roa Nova de
Sanu Rita n. 41.
m do oo
Ba do Baiuo da
Victoria n. 63
( Outr'ora ra Nova. )
Bilhetes garaatldos da pro-
vincia.
Esta feliz casa acaba de vender entre os seo:
muito felizes bilbetes a sorte de 200*000 em um
bilhete inteiro de n. 2,771 e a sorte de 100* em
um meio de n. 295, outra de 100* em nm quarto
de n. 9,613, e um quarto de n. 2,961 com a sorte
de 100*, alera de outros premios meuores, poden
do seus possuidores virem receber, que prompta-
menle sero pagos.
O abaixo assignado convida ao respeitavel pu-
blico para virem no seo estabelecimento comprar
os felizes bilhetes garantidos, que nao deixaro de
tirar qualquer premio como prova pelos mesmos
annuncios.
Acbam-se venda os^muito felizes bilhetes ga
rantidos em beneficio da matriz de Serinhem, que
ser extrahida lerca-feira 3 de Janeiro vindouro.
JPREgoS.
Inteiro 6*000
Meio 3*000
Quarto 1*500
De 1004000 para cima.
Inteiro 5*400
Meio 2*700
Quarto 1*350
Joo Joaquim da Costa Leite.
Aluga-se a toja n. 53 da ra de Agoas-verdes
(boje Lomas Valentinas) de 18* mensaes : para
ver, a chave est na casa de junto, e para tratar
na thesonraria das loteras.
______-a_-H_______

Joo Al ves Pedrosa convida aos prenles e ami-
gos do finado Jos Alves da Cruz a assistirem a
missa do stimo dia, no convento de S. Francisco,
pelas 7 1|2 boras da manha ; e ao mesmo tempo
agradece s pessoas que acompanbaram os restos
mortaes al o cemiterio publico.
'"">;)
D. Joaquina Francisca de Oliveira.
Jos Estevo de Oliveira e seas filbos agrade-
cen! cordImeste a< pessoas que assistiram as
exequias teilas per sua esposa e me, e acompa-
nharam os restos mortaes ao cemiterio publico.
E ao mesmo tempo rogam Ihes a caridade de ou-
virem ai missas que por alma da mesma, man-
dan) resar pelas 8 horas da manb do da 28, na
capella do Cemiterio.__________________
Os consigoatartos da barco norueguense
Sterling, naufragada na costa de Cassara na pro-
vincia do Rio Grande do N jrte, avisara aos donos
da sobredita carga e a todos nella interessados que
as respectivas mercaderas acham-se recolbidas
aos armaxejts da alfandega desta provincia, onde
podero ser procuradas pelos sobreditos denos e
interessados, que devero apresenlar os respecti-
vos conhecimontos e mais documentos, salisfaien-
do previamente as deapezas felas com o salva-
mento, transpone e liscaksaco de ditas merca-
dorias. Nao tendo disposicoes a esle respeito ir
a carga a leilo conforme as leis do paiz. Natal
22 de dezembro de 1870.________________________
Correpo__cia le Prtagal.
Com a efiegada da Europa do paquete da pri-
meira qainaeoa de Janeiro vindouro Onda a assig-
natura do proeente anno do jornal Corresponden-
cia de Portugal. Os qse desejam continuar e oa-
tros que qaierem sabsorever devem desde ji
mandar satisfacer snas novas assignaturas, pois
nao se far entrega do referido jornal que princi-
pia a nova asignatura senao aquellos que tive-
rem pago anticipadamente em easa de Jos Maria
Pestaa, ra do Vigario n. H.___________
GRATIFICA SE a qaem der noticias de um ca-
vallo melado com as crinas, cauda e topete pretos,
as mos pretts e os ps braucos, estando com ara
dos qnartos e a barriga ralados e o cotovello est-
lido, tendo um signal (cruz branca) na teta, e
muito manso; o qaal desappareeeu, da sexta par
o sabbado da semana passada, da casa n 22 do
caes do Capibafibe, onde devem ser dadas as in-
furmac^ea a tal respeito.
Agua para Olinda
De segunda-feira 26 do crrante em diante,
hatera todas m diu aga do Prata para ser ven-
dida em baldes, sendo eondenida do Recife em
orna canea jasa kae bom aco_diciona
Desejas fallar com os senhores ca-
piaes de campos, negocio de seos in-
teresses, oa Boa-Vista roa dos Prazeres
D. 22.
AI
DYVETOT
l_--Rua EslreiU do Rosario-14
Compra e vende roupa feita
nova e velha, objectos de
cosinha e de mesa, e
todo que perten-
ce ao uso do-
mestico.
AMA
Precisa-se de urna, preferindo-se eserava,
co-nbar: i tratar na roa da Palma n. 34.
para
Venda de predios i>a villa da
Escada.
O liquidante da caixa filial do banco do Brasil
nesta provincia, vende separado ou juntamente
onze casas sitas na estaca o da villa da Escada,
que pertenceram a Joaquim Salvador Pessoa de
Siqueira Cavalcanli ; assim como vende o sitio
denominado da Otaria, e a parte do sitio da Ca-
choeira.
VICTORIANO PALHAKES.
INTIRESSANTE COMPOSglO LITTERRU.
CONTENDO :
A noite do xtasis.
O sorriso.
A noite do assombro.
A lagrima.
A noute do delirio.
O mysteno.
Coro orna carta critica dirigida ao actor pele
Or. T. B. BJgneira Costa.
1 volume brochado 2000.
AS CENTELHA8
Poesas patriticas sobre a guerra do Paraguay.
. volume brochado 2*000
NA
ial d tobeiro
Paecisa-se de um bom efficial le barbeiro : na
raa da Crnz n. 14, 1 andar.
Veode-ee aaperior
caixas de guarrafas e
coramodo do que em
frente da alf
armazemdeSr. Asnos.
Vende-se nm excellente piano horizontal pw-
prio para prtacipiante, por #ic mtwto coamodo ;
nnudo Livramento q. 34.
f

' 5
Sr. Dr. G. Wurfbain.
A proposta que V. S. aos fez nio pode ser ae-
ceka a vista das razeos qne exposemns, e por isso
continuamos no nosso proposito, assim como to-
mamos outras providencias.
__________________C E. Mnblert C.__________
Frederico Maya
CirurgiSo dentista
Acha-se em sea consultorio para os trabalhos
de sua arte nos dias uteis das 8 horas da manha
as 3 da tarde, e aquelles qne por suas oceapa-
coes nao poderem comparecer nesses dias o acha-
ro dae 9 horas da manha as 2 da tarde nos do-
mingos e das santificados. Tambem conti.aa a
prestarse a qualquer chamado, tanto na cidade
como para (ora della, sendo procurado em sen
consol torio a ra do Duque de Caxias. sobrado
imarello com entrada pela praca de Pedro II.
Precisa-se de um caixeiro com pralica de ta-
berna : no pateo de S. Pedro n. 1.
CONFITARIA

fRUA DO IMPERADOR N. 26.
O propietario deste estabelecimento avisa aos
seas numerosos e bons freguezes, que acaba do
preparar um grande sortmento des melhores g-
neros do mercado para rechear ae despensas da-
quelles que tiverem bom paladar e disposico pa-
ra gastar os cobres, no tempo da festa do N_ul.
Abi ensontraro ex:ellentes presentes de fiofebre,
vinhos, licores e cognac de todos os fabricantes,
boa cerveja, marmelada portugueza, ameixas em
caixinhas, conservas francezas e portuguezas, do-
eee de todas as qaalidades seceos e em calda.
Tambero encontraro bolinhos para cb de todas
as qaalidades, bolos franceses e ingieres, pc-de-l,
Sudins, tortas, amendoas confoadas, e quantidade
o oatros objectos que seria entadonno enamorar.
vicho do champagne eu,
meias ditas por prego aais
outra qoalquor parte etn
SaldoAssti
Veade-se a bordo do brigue QU$da fapdead
defronte do caes do Forte do latios : a tratar sa
roa do Vigario n. 1, andar.
Vende-se nm sitie aa Iw^tafea om _
palmos de frente e 00 __?, com aogataai ar-
vores de fracto, tendo um boa eaaa de lijlo -mi-
to fresca, eem S saiae, 4 ssjarlea a _***_{?
a situac exeoUeote : a Valar ma Wm do a-
tos, raa em seguimento a pue 4e Sania isanei,
casa n. 4, ou ra do Imperador n. 83.



<

ESTABTO MENELECIEM 1832
fiilwiirilta te
LEGITIMA E ORIGINAL
KM FRASCOS CBANBifa
diario de Peraybtco Jerga feira 27 de Dezenabro de )870.
IXFOIICIO OftlTEftSU S 1851
ALF. LABARRAQUE ft C

GRANDE JWFICADOR DO SANGOS if
Esta encllenle e adrairavel medicina, e
prepara* m naaoeira a mais scientlfl-
ca por Chmeos e Droguistas mui doutos e
d ama instruccao profunda, tendo tido mui-
tos annos de experiencia ao par d'wna ton-
ga e laboriosa pratica.
A sua composicao nao consiste d'um sim-
ple extracto d'um so artigo; mas sim,
composta 'extractos dtun numero de rai-
ces, torvas, cascas, e tornas, possuindo to-
tas ellas, sua virtude especial ou poder
em curar as molestias as qnaes teem sede
o essento, no sangue ou nos humores;
e estes diferentes extractos vegetaes, acham-
se por urna tal forma combinados ponto
de conservaren! em toda a sua for-ca, o cu-
rativo especial de virtude, que cada um de
per si possue. A raiz da planta de Salsa-
parrilha, produzida as Honduras, a que
nos usamos nesta^rrparacSo, sendo a qoa-
lidade que todos os mdicos mais prezam
e estimam. Na composicio da Salsa-
parrilha de Brlstol entra mais de 50
por cento deste concentrado extracto. Ella
nao encerra em si cousa alguma, que pos-
sa por leve ser perigosa ou injuriosa
8ade; e tanto n'este, como em quasi to-
dos os mais respeitos, ella inteiramente
diversa de todas essas mais preparacfes,
as quaes debaixo do nome de Salsaparr-
lba, so accondicionadas ou postas em gari
rafas pequeas, sendo reeeitada em doses
mui diminutas d'uma colher de cha por
cada vez. Nos pelo contrario engarrafa-
mos a
SALSAPARRIBA DE BRISTOL
em frascos grandes, e assira por este modo,
dividimos cojn os consumidores, o grande
proveito e vantagem alcancado por aquelles
que acondicionam sua preparado em gar-
rafas pequeas. Cada um dos frascos da
nossa slsaparrilha de Bristol
oonteem a messa quantidade igual porfo
contida naquellas garrafas pequeas, e alm
disso, possue ainda muito mais forca e
virtude medicinal do que aquella, que por
ventura se possa achar contida dentro de
seis garrafas de pequeo tamanho. Por-
tante mui natural, que aquelles, qu se
acbam occupados em preparar e vender as
suas prodceles, em garrafas pequeas,
murmurem e gritem contra os nossos fras-
cos grandes proclamando, que a nossa Sal-
saparrilha de Bristol nao possue a
menor virtude; porm qu3o effectivamen-
te sao elles postos em silencio, quando indi-
oaraos, ou simplesmente referimo-nos para
com essas centenares de certidoes e tes-
temunhos authenticos, por nos recebidos
de todas as classes da sociedade, nos quaes
plenamente attestam o poder curativo e vir-
tudes maravilhosas da nossa.
SALSAPARRILHA DE BRISTOL.
A vantagem de termos os nossos pro-
prios agentes naquelles lugares aonde as
differentes raizes, drogas, hervas, e plan-
tas de que se compem as nossas medicinas,
s5o produadas, que nos habilita exer-
cer aquello onstante cuidado e disvello na
minuciosa eicolha; e o que assegura e ga-
rante uniformidade de excellencia.
Em quanto que, por outro lado, nos n3o
nos poupamos nem dinheiro, nem dili-
gencias ; afim de alcncennos o melhor
e tnicamente o melhorde cada um artigo
ou ugridieate que entra na sua composi-
cio; pois levados e compenetrados da
mais firme- persuasiva confianza; que po-
demos fonamente dizr aos doentes de to-
das as naedes, e de todos os paizes, que na
Balsaparrilha de Bristol. possuem
um remedio mais efficaz e seguro; do que
nenhura outro, que vos enha sido offere-
cido at hoje, e o qual por certo no hade
mallograr vossas expectativas, na prompta
e effectiva cura das seguintes enfermidades:
QUINIUM
APPBOVADO PELA MftDEMlA DE
OE PARS
O Quintil in Lal>arra<|iie,
Yinho eminentemente tnico e febrfugo que deve
ser preferido todas as outras preparares de
quina.
/
Os vinhos de quina ordinariamente emprega-
dos na medicina preparam-se com cascas de
quina cuja riqueza em principios activos extre-
mamente variave!; parte disso, em razao de seu
modo de preparaco, estes vinhos contera ape-
nas vestigios de principios activos, eempropor-
coes sempre variaveis.
0 Oulnliini Labarraque, approvado
pela Academia de medicina, constitue pelo con-
trario um medicamento de composicao deter-
minada, rica em principios activos, e com o
m j ** es mdicos e os doentes fodem sempfe
contar.
0 Qnlohim Labarraqne prescripto
coa grande xito s pessoas iracas, delibitadas,
seja por diversas causas d'esgotamento, seja por
antigs molestias; aos adultos fatigados por urna
rpida crescenca, s meninas qui tem difficuldade
em se formar e desenvolver; s mulheres depois
dos partos; aos velhos enfraquecidos pela idade
ou doenca.
No cazo de chlorosis, anemia, cifres plidas,
este vinho ttm poderoso auxiliar dos ferrogi-
nosos. Tomado junto, por exemplo, com as pila-
las de Vallet, preduz effeitos maravilliosos, pela
sua rpida aeco.
Deposito em Paris, L. FUERE, ru Jacob, 19
Rio Janeiro, Dnponehelle Chevolot.
Pernambuco, F. -Manrer y c1".
Baha, Hawe y C*.
Ouro-Preto, Candido Wellerson.
Maranhao, Fcrretra j Cf".
Pelotas, Antelro Lelvaa.
Maceio, Falca Diaa.
Porte Alegre, Francisco Josa Bailo.
Escrfulas,
Chagas antigs,
Ulceras.
Feridas Uberosas,
Tinha,
Syphilis,ouMal Ve-
nreo
Humores Escrofu-
losos,
Irregularidades do
Sexo
'Feminino,
Nervosidade,
Debilidade Geral,
Febra e Malignas e
Febre e Sezes
Biliosas,
Tumores
Abscesso> Apostemas,
Erupcoe-,
Herpes,
Salsagem
Impiger.s,
Lepra, febres intermitientes e remittentes,
hy 1; opesia e ictericia, etc., etc.
Ontro->im, achar-se-ha, que para o bom
resultado eperfeito curativo de todas aquel-
las enfermidades cima apontadas o adian-
tamento da cura, k grandemente promovi-
do e apresurado; usando s ao mesmo
tempo das nossas mui valiosa plalas
veget ae assncaradas de Brlstol,
tomadas em doses moderadas em connec-
Co ou conjunelamente com a Salsaparrilha;
ellas fazem remover e expellir grandes
quantidade de materias morbficas e hu-
mores viciados que se desprenden e livre-
mente circuJam espalhados pelo systema,
isto causado pelo uso da Salsaparrilha; a
por esta forma facilita a volta e o exercicio
normal das operares funecionaes,
Acha-sea venda nos estabeleciraentos de
A. Gaors. J. da C. Bravo 4C..P. Maurer
Anda est para ser vendida a armacao e per-
teaces da ubero da pateo do Terco n. ii, muito
propna pra quaiquer printpiante e umbem
para qutm qutzereollocar um estaheleciraemo bem
raontadj v,r ,er eagt eommodidades para isso,
a qual tem quimaJ e caeimba, o aeu aluguel
razoavel, cedeodo-se ao comprador a residencia do
soorado da um andar por cima da mesoaa, ama
vez qu precise delie para na babitaeao': a tra-
tar no mesmo sobrado! ^^
lADERASr
Umelejante sortimemo deeadeim de faia a
mitacio de mogno, e otitras de iacaraod. e bem
assim pretas douradas. obra de gosto : vende-se
a dua? no armatem de Tasao Irmios 4 C, do
caes de Apollo^
- Preisa-se de u caixelro com pratica de
taberna : no pateo de S. Pedro d. 1.
primeiro introductor dos pocos tubulares da Abys-
.l sinia, em Pernambnco.
^,LarlCSaa 1 pe?vel pDbliC0. 9a8 aHimamente tem recebido a qaarta remessa dn
ditos pocos, e os pertuncas completos e aperfeicoados para a eollocaeao d'eUea? !
tempo, tiito em terreno mole como em trra de barro, massap oo em nedra a P2S
dura que houver.eomo se pode verificar no sitio do nrncMiJ no?ArSl PdS CooneTro
As vantagens que offerece este systema de adquirir agaa sobre quaiquer oaSS? 2
SSES' ?rQd al stTle,Da8 c^dc5es cima mencionadas, com7tamb?m as
cacimbas j felts, aonde ainda n3o tem bombas ou a agua nlo pura noei 3E JS
mTitSAe.r.fiUr iue B5 ea entrar i^aridades, vantagem ae naoP em o oa t
Alm disso, a grande qoantidade d'agaa que elles deitam de 5 8 pinas or hnS*
conforme o dimetros dos tubos. (1 1/M 1$ e 2 pollegadas) a faci idad^com oae
faneaoBun. a s.mp'icidade, perfeiC5o e solidez, combinada com a elegaocia de sua Lm?
que para ser appreciada basta ver-se. a ,orm3'
O annunciante tem urna pessoa especialmente"; habilitada, tanto na coltocacSn ^AiiA
como na escoba do terreno ou lugar mais proprio, que se encarrega de Ues Scas^
prego cmodo; e, visto o cambie ser mais favoravel, vende-se elles por DSmPau
rXr!doTebend0'8e a impor,aDCia l6'^s de C0,toM* e CJSJ^JR
Para encommendas e mais esclarecimentos a resDeito
trata-se na loja do-Sr. F. Je Germano, ra Nova n. 21 e
naofficina demetaes do Sr. Paulo Jos da Silva Frer
largo da Concordia n. 7. '
GRANDE ARMAZEM
DE
W, POBSEIAM, VllflS
CHRYSTAES
.? DE
PPEREIR*, (RIMAOS
Kua Fnmeiro de margo n. 15, outr'ora ra do Crespo n. 15.
nartirinm SES?.61 P"W n eD? geral e Particulawnte aos seus numerosos amigos
panicpam Manoel Joaqu.m Pere.ra e Manoel Jos da Costa Pereira, que acabam de
fundar um rico e sumptuoso armazem de louCa, porcelana, vidros e chvstaes rna
Pnme.ro de Marco, nutria ,ua do Crespo n-lS^sob a"^o^cW^Sir.
rt ,nmL!Zg\ pratCf 6 c8hecmentos de que dispOem os annunciantes neste ramo
decommercio, a que, ha muitos annos, se dedicam, os tem habilitado a satisfacer as
mSfmaL?, %***>* Provine e suas Umitrophes, offerecend o consu-
midores ma. ores vantagens do que quaiquer outro estabelecmento deste genero.
mpr,iai vlriKf PObl,C0, dl^^o se de visitar este novo estabelecimentoj com-
mercial, verificar por si mesmo o que os annunciantes vem de dizer.
Quem d noticia?
Desejase saber aonde existe no Brasil o Sr. Jos
Sevenano Menezes de Albuqaerque, filho de D
Mananna Carolina de Albuqaerqae Menezes e
neto de P. Lona Clara de Menezes Caldas e'do
general Jos Severiano Caldas, sendo sua av na-
tural da villa de Piracatu' da cidade de Marianna
em Minas Geraea, e o av da cidade de Lisboa o
Sr. J is Sevenano Mendes de Albuqaerque foi
adoptado e criado por um seu tio, general do ejer-
cito, cujo nome por nteiro se ignora, e someole
se sabe qne tinha o appellido de Albuquerquee
resida ni cidade de Nytheroby no Rio de Jansir
quem delle souber e qaizer dar noticia, pode diri-
girse a ra do Commercio n. 48..i andar, escrin-
torio dos Srs. Euzebio R. Rabello & C, oue seri
gratificado.
Ama de leit
Precisa-sn de urna ama de leite
ra de Hortaa b. 30, sebrtdo.
sem filho : na
Criada.
Aluga-se urna excellente casa de sobrado
em Olinda, muito fresca e perto do mar,
com mnitos commodos para grande familia.
Tambem se alugam as Iojas em separado
a tratar no Recife, roa Bella n, 37. Aa
chaves para ver a casa acham-se emOMnda
defronte da igreja de S. Pedro Martyr, ven-
da do Sr. Antonio da Silveira.
Agencia em Pernambuco
Do Dr. Ayer
Peitoral de Cereja
Cura a phthysca e todas as molestias do peko.
alia parrllha
Con ulceras e chagas antigs, impigens e dar-
tros.
Tontea
Conserva e I rapa os cabellos.
Piimias eatbartleas.
Paramente vegetaes son mercarie; ara se-
sees, purgao e purifkam todo o syataoM lumano.
Vende-sa-eftecavamentoem casa de Samuel P
iobnston A C. nu da Senialia Nova n. 43. r
Precisa-se de um caixeiro que tensa pra-
tica de venda : m rna de Hortas n. 43.
Preciaa-M de'doos amassadores : em Santo
Amaro, roa 4) yma a. C6. "*"
No eollegio da Goneeigao preeii-se de urna
criada, pagando-se bem se agradar.
PriCisa-se 4e ara pequeo do 14 a 16 an-
nos para caixeiro de ama taberna, pwtuguaz ou
brasiieiro, que d fiador a sua conducta : na ra
do Principe n 40. fregaezia da Boa-vista.
NAN6
or r^poff
ova AGOA
para o Toucador
1MMOTADA
POR RIGAUD E Cf*
MMMMat
S, IM TIvIcmm, 8
PARI2 -
Ests Agoa sxtra-
hida das flores do
Pinja Japnica,
sua Buaridada a
jjropneda
des benafloas,
exoede os oos-
meoos mais oalebres; teodo sido a-
doptada por todasiooiadada laanu.j
Deitada nos b*j*os.4 d:nm perfUm
dtdloso. oonssJid ss oasne e fis da-
ssparsoeT as'sspinhas, oomiobess a as
oiasdapaU*.
RE0O 4^500.
nico deposito t Bazar da Moda n. 0.
roa do Bario da Victoria octr'ora Nova.
CAFE
r
A* cta
De B1 %m\
i'ha rMccnteA-t kIvieo
A atiikhtde des porgantes cao soft* demons-
tra;ao alguma; a prescripeo diaria qae deltes
fazem os mdicos e o aso anda mais frnawfiitn
relio pelo publico s5o proras IrrefraHrf^Unto
como a quantidade innmeravel desto ne. S
falta aperfeifoar cada vei mais o modo da admi-
nistracao, de matteira ojoa eoDserwndo a na ac-
ao, elles po3flm ser tomados sem repuMancia
pengo, porque irrucdes de estomago, Biwnma-
cSes de entranhas sao Inevitavelmenie o Wwlu-
do do seu emrrego. Nada dhso tem-e de cear
com o caf purgativo.
Tedos conhecem por experiencia o aroma sua-
ve.e ifle'to ligeiraraente tnico e exctame d
caf. Elle o melhor auxiliar dos por*asaas dos
quaes disfarca o ehriro o sabor e tela aacco
sollicitanJo vagarosamente os movimentos eris-
iamoos de intestino, e preveoindo sea ffeito
multo intenso sebre o estomago. BKsrorso com
escamonea, Ucihta as evacnacas com promptido
LSJ'ffi,e": e t*n*"3e mt*fgan brando,
certo, fatal a tomar e preferive a todos os outros
salvoiuna isliieacao especial da O UOSCO JUIZ.
pm^r^fridafl? f" em *Wo permitte de
emprega-lo em todos es casos simples. Desper-
-nd5 aI^* /* "na letUmo a aecre-
cao deste, destnSe a oareza de renrre, as vento-
sidades, as Oaluoslaades e excita o appette. Em-
? 0mn,.fB 5 ""!40* ""'Di-nte para eva-
coar com vagar a bilis e os huux..es viscosos e
e taz dessa maneira desapparecer a eoxaqueca,
as dores de cabega e prev os auques ^esangae
as pessoas que a estes sao predisnostas.
MODO TJE EMPREGa
E to simples como fcil. O cal nnrafivo
deve ser tomado fri, pur ou misturado cam nra
Pouco te leite fri assncarado, ou agua assuca-
rada O vidro inteiro a dos ordinaria para
um adulto ; daas eolhires de caf basura para
as sennoras e para toda e quaiquer pessoa que se
pur fcilmente. H
. ara as criancas de 8 10 annos, a metade do
vidro e sufflciente ; de 5 a 8 annos, tima colher
ae caf, e a qaarta parte do vidro smente abai-
xo des idade contra a gosma.
E* por isso d'uma administracio muito mais
raen ao que es biscoutos, cbocoiaws ou bolos
purgativos.
Da-se immediatamente.dep/re le-te mente as-
sucarado ou caldo leve, e duas ou tres chavenas
de cha prelo ou de tilia.
nico deposito na pharmacia e drogar:a de
Barinolomen & C. : na hrga do Rosarie p. 34.
AH" J Precisase flt Ema. esema ou li-
/miTM/m. vre : na ra do <:aldereiro n. 68
Joaquim Jos Gonpal-
ves Beltrao
Rna do Trapiche n, 17, i andar.
Sacca por todos os paquetes sobre o banco do
Miao, em Braga, e sobre os seguintes lugares ea
Portugal : ~
Lisbga.
Porto.
Valenga.
Guimares.
Coimbra.
Chaves.
Viseo.
Vi Ha do Conde.
Arcos de Val de Vez.
Vianna do Castello.
Ponte do Lima. 1
Villa Real.
- Villa-Nova de Famelico.
Lamego.
Laoos.
Covilhaa.
Vascal (Valpasso).
Mirandella.
Beja.
Barce.'lu?.
mTaa^a e de nm nomem ,lvre 0| escravo,
que d flador a sua eondueia, para o servico ex-
terno da padana da roa do Rangel b. 9.
Preclsa-se de um bom caixeiro de 16 a l <
annos, com pratica de taberna : na travessa do
Livramepto n. 28.
Na Praga da Independencia n. 26, ha inte-
resse em saberse onde mora o Exm. Sr D Ma-
na do Carmo Barroso Bastos, viuva do majo'r An-
temo Barroso Bastos.
-; Aluga-se urna boa casa no ilonteiro, no pa-
teo do chafariz para passara festa : a tratar na
ra estreua do Rosario n. l.
Bartholomeu & C,
Vinho, Pilulas, Xarope e Tintura
dz jurubbba simples e ferruginoso
Oleo, Pomadae Emplastro da mesma
planta preparados por
BARTHOLOMEO & C
PHAR*fACBUTIC08-DROOUI8TAB
a>nuvAMBaJcm
A Jurubeb : esti plinu boje recoohatiU
como o mtif paderaio loaico. como o mdhsr
desobslrnante, como tal ppliodi noi padecimenux
do ligado bato, hepatilea, doratat, Inmaru ialar-
no a espacialmenlo dj ulero, hjdropeaijj, mu.
pellu, ele; t associada ao ferro ol as paltiaa*
corea, cbloroaes a falla de meoslrmcio, deaama-
joa do estomago, etc., a o que dlaemo atUaUa
id o ameras coras impartantes obtidaa eom atoiao*
5reparados ja bem couhecidos e asados pelas auu
istiactos mdicos do paii e Portugal. Em lodos as
nossos depsitos distnbaimos gratis felhetas ca*
melhor fasasi coabscar a Jarababa saos rwiltaia*
tapplieaclo.
ITEBB1DEIB0 LE ROT
4 aianmmuv, toetaar Usis
Rusa do Saine, 61, PARS.
lorwoen-
* A* roa do Brum n. 92 precisa-se fallar eom
osseanweecapitaes de campo a negocio de seu
lo cada areata, val. entra a rolaa e a sapai anj
ja* la*a a asa carta, asa raalo ImrtmTimmm.
rtlHasaStMfapajAii>aJavnworaATCn.
ir.j.-R*ii.
tetaSMtamalettra
4a K4 rraM a-
aNParts,ae*N|Tal
a O as O vista,
aonnilmo.gaaa ie
do batimento te.
shajor assaatO-
BBM!
*,



wmmwi J....- -
- ..
Biam de Pernambuco Terca 'eir 27 de ezebro de 1870________^
_____________---------------------------------------------- ......-tj ~
TwMEIROBANTIGO CONSULTORIO
HOMEOPATHI!
Dirigido pe* Dr.
SANTOS MELLO
t)s habitantes do interior podemno
consonar por escripia, no que serio sa-
usfeiios com promptidao.
Presu-se tambera a chamados para o
interior, a pre$o mdico. g$
Consultas, no consnltorit das 10 horas |
H ao meio da.
Chamad a qualquer hora.
Aos pobres gratis. m
I 43Ra do Bario da Victoria43 a
8 (Antiga ra Nova). H
M*tt HHMH w
BERTHOLINI & C
Kr""" A^T1G7 EBEM, CONHECIDA FABRICA.
CHAPEOS DE SOL
DA .
Piano.
Vende-se nra pune e* perteilo estado do fa-
bricante TraM-mann porfo razoave : na ra
do Livramento n. 38, armeiem do Ralis. ____
_ Precisa-se de urna ama para cas de
memelteiro: DarnadaPra.au 3
no-
COMPRAS.
Ra do Bario da Victoria,
esauina da Camba, do Carme n. 23 (Antiga Ra Nova^l
eHu,u ------,, .*., oh^ii, de um dos socios da Europa, supno-s
s que fjbm tiecsda de uro dos socios ,da Europa, supo-se a
Temos bonn de participar \SSi!VSiSm qualidates como tambera, de todos os materiaes paraoir-
casi com um compH*o sortjmenlo de chapeos Je solaero w ^ e g> asgim ^^ de especial cotbil fabrico, como sejatn rmacoes de toda es, s w^ ^^ riA 42 jR e 25 por cenlo, comprando a dinhe:
P
;'
ti
:?
-?-*'
brico, como sajam rmacoes Ae.toJa8 "SJ! S' soiterao abamento de 12. 15 e 25 por cento, comprando
[ara raca.chombeiros e polvannhos. Os ctop6y_ae_jMw-----------------1----------------- ~
mesmos
armas
dinbeiro.
Fotographia imperial
PINTURA
_ Lon> muito maior. ****** ~mpnji-
ouro, prata e pedras preciosaeu^raivelb na
loia de ioias do Corceo de Ouro n. 3 u, ru uu
loja d joias
Cabug.
A
O salo de pianos e de
msicas
mudou-se da ra Nova n. 88, i* andar, para a
ruada .
taneralru b. t, loja,
onde contina recommendando-se ao Illm. pu-
*Mco" G Wertheimcr.
0004000
Esto venda os felzes bilhetes da lotera da
Babia, na casa feliz do arco da Lonceicao, loja de
-ourives no Recife.
iO
s
o
S
g
afl>
" N praca da Independencia n. 33 se da di-
uheiro sobre penhores de ouro, prata e pedral
Preciosas, sejiqual for a quana; e na mesm,
aTasewmpra e vende objectos de ouro e rala
igualmente se fax toda e qualquer obra de en
xunenda, e todo e qualquer concert tendent.
t mesma arte________________,_________--------
" Em casa de THEUDORO CHKISTIAN
SEN, ra da Croz o. 18, eoconteam-se
Efectivamente todas as qualidades de vinbo
Bordeaux, Boargogae e do Rheno.
Companhia Allianqa
DE
seguros martimos estabelecida
na Babia em 15 de Janeiro
de 1870.
CAPITAL..s. 2,0000001000.
Toma seguro da mercaduras e dinieiro a risco
martimo em navios de vella e vapores pare den-
iro e fra mercio n 17, eseriptorio de Joaqnin Jos Gon-
c,alves Bcftrao.________________________
Au bel sexe
COL CREAM OF ROSES.
Cette Creme dalioieuse, nniversellemenl rpan-
due en Angleterre, o les fommes sent si renom-
ir.ces par la beant et la transparente de leur
teint, doit si rpute'.ion aux elementa balsamiques
el onctueox qui la composent, ains qu a sa cons-
tante efficacl pocr adoucir la peau, la renare
plus blaoche, et contribuer ains la sanie et a la
beaut, qui, toujours, sont inseparables.
On la recomroaade contre les rntations de
I niderroe, telles que Boutons, Epbeudss, ta-
rnES DR HOUSSETIB, ItnilfiEURS DE .A FlliRK, el
contre les taches patriques et les .Efflcrescen-
a s Celte Crme ocovient peeialemen: aus fem-
eneeMei pour prveor LE MASQUE, auquel
- sont Pujettes.-'On s'en sert encor pour em-
pecher la figure de se haler par le frod ou la trop
mtAit chaleur. .
Frix 1:500 res
Sel dept au magasin Basar de la Mode-o0
Rne Este antigo estabeleeimento, acha-se hoje montado n urna
escala de poder servir vantajosamente os seas freguezes, atten-
ZTgnl sortimento de joias d'ouro, prata ^^s^ue
sempre tem e recebem mensamente das pnncipaes fabricas da
Spa- cajos preeos sSo em competiveis e as obras garantidas
de lei.
MOBEOLt IABTB ^
MANUEL & <
rl.T^rZ,^c ma Pm vista de ser-Ibes i
[Si
seMos mais commodo, tem
roa do Mrquez de Olinda,
qualidades e por pre-
Tpm a saufS de participar aos seus numerosos freguezes, que em vista de
K onde acharto os pretendentes, mu. o avultado sortimemo oe CMpeoso te aos Sr^ compradores por atacado
aarera, wf"____ fahri<..ar3ft 6 hem diminuta, __________~*^.^.
m gBSSsya^ajwiSajj-gen
i RA DO BMO DA VICTORIA 41
COMFMIHIA
DOS
TRILHOS URBANOS
M
RECIFS: A9 OIitfBAe
AVISO
Nos domingos e dias sanctificados, partK
rao de Olinda trons noite emquanto houve-
rem passageiros suffieientes embora j se
tenha esgotado o numero de viagens marca-
do as tabellas.
Na vespera e dia de .-Natal parliro quer
do Recife quer de Olinda treos todas as
horas do dia e da noite desde o meio dia
de 4 at 10 horas da noite de 25 para 26
do corrente mez. Os trecs expressos nao
condi:ziro passageiros de 3a classe, mas
nao param em esta^o alguma nem nterrom-
perao-as viagens designadas as tabellas e
no presente annuncio.
Declara-se mais que os relogios das es-
laces soro regulados pelo de observatorio
.do arsenal de marioba, para o que estum
^mpregado especialmente encarregado desse
servico.
as estaces do Recife e Olinda trocam-se
eonstanlemecte por moeda legal os bilhetes
paieageiros por falta de cobre para troco.
Recife, 6 de dezembro de 1879.
Os .trens expressos d'esta companhia se-
guiro 5 minutos depois dos outros trens
ordinarios de hora em hora.
Depofe de 2 horas prioerpiam os exprs-
ees e n3e conduzem passageiros de 3a cias-
te. Segu al o dia 8 de Janeiro de 4870
esta tabella nos dias santificadoss 2. 4,
C t 8 da noate, do ftecife ; s 3, 5, 7 e
9, e Olinda,
Recife, 23 de dezembro de 1870.
O superintendente,
A. de Abren Porto.
Pede-se aos Srs. assignaotes qoe tragam
os seus bilhetes de assignataras para apre-
sentarem, sempre que transitarem nos trens
sem o que terSo de pagar auas passagens,
igual pedido se faz aos Srs. que tem passe
do overno e desde j apreso-me em agra-
decer aos mesmos Srs.
Reo/e, 9 de dezembro de 1870.
O supremtendentd.
A. de Abren Porto.
Neste novo armazem tem um
variado sortimento de fazendas
francezas, inglezas, allemas e to-
das todas se vendem por preeos
mdicos, afim de acreditar a este
novo armazem.
Casemiras inglezas,
francezas, de todas as
qualidades, brins de
cores e brancos, colei-
riuhos modernos, cha-
peos de sol de seda,
finos.
DE
ARRUDA IRM10S.
Assim como tem urna grande
officina de alfaiate, montada com
todos os preparos que ha demelhor,
dirigida por habis artistas, que
pela sua promptido e perfeicao
nada deixam a desejar.
Roupa -de todos os
amanhos para homens
meninos.
Por todos os paqne
tes recebem-se as me-
lhores e mais moder-
nas casemiras que ha
na Enropa.
RA
E
galera de
DE
J. Ferrara Vtllela
Desde o dia 7 de abril pa$sado acba-se iberio c
aovo estabeleeimento photograpmco sito a ra ac
Gabus n. 18, ecquina do pateo -la matriz. Oslraba
tosi que desde entao, tem sahido de nossa olcin
lera eralmenle agradado, senda recetados por
S?u com admiraclo pelo extraord.nar.) pro-
nesso que ltimamente tem lido a phougraphia,
JoToStros com alegra, por verera a provincia
dotada com un estabeleeimento digno d ella, e jn-
contesuvelmente o primeiro que nesae genere
hoiepossue : lambemnao nos poupamos em cousa
algnma para monta-lo no p em que se ha, es-
perando que o publico de Pemambuco saber
apreciar nossos esforcos e recompensar nosso sa-
CnS*damos a todas aquellas peasoas, nacionaet
a estraneeiras que gostara das artes, ou tivereir.
neceSdfde de trabamos de photograptaa,a-.vi*
larem o nosso estabeleeimento, que> estara sempre
aberto e sua disposico todos os das desde as /
horas da mannaa al as 6 da tarde.
Para os trabalhos de | hotographia possuimos di-
versas machinas dosmelhores autores trnceles
in'glezes e allraemaes, como sejam : Lerebours e
Secreun, Hermagis, Themaz Rosa. Voigilander el
Sonh eWulf. ltimamente recebemos tres novas
machinasi sendo urna dellas pronria para tomai
obre o mesmo vidro 4 ou 8 imagens diversas e
,soladas, e outra de 6 a 12 imagens diversas
eualmente soladas, de sorte que no caso de
grande concurrencia pederemos retraur sobre
urna nica cbapa at 8 pessoas diversas e isola-
das para eartes de vifiu, easslm em menas de
nm cuarto de hora despachronos 8 differenie;
oessoas que pecam cada nma, nmaduza de cartoef
mais ou menos, com os seus retratos somente, oo
em grupo com outras.
Encarregamos-nos exclusivamente da irecac
e feitura dos trabalhos de photograpnia dei-
lando pericia e talentos do disncto pintoi
llemao, o Sr. ni
Jorge A. Roth
js trabalhos de pintura, a aquarela, a oleo, e
O Sr Roth acha-se ligado a nossa empresa poi
ama escriptura publica, e at o presente lem-st
desvenado na execncao de seus trabalhos.
No nesso estabeleeimento acham-se expostos ou-
tros trabalhos imporianu.s do Sr. Roth, tanto ecc
miniaturas aquarella como a oleo, reiratos a
oleo.-quadros sacros e diversos outros trabamos.
Tomamos encommendas de retratos a oleo al c
tamnho natural, assim como de quadros sacros
para ornamentacao de igreias ou capellas. lam-
bem aceitamos encommendas de quadros nistori-
eos
Assegnramos que os presos dos diversos tra-
balhos da nossa casa sao mu rasoaveis.
"CARTES DE VISITA NAO COLORIDOS A 10|>UU A
DCZIA
CARICES DE VISITA COM O COLORDO AO NATO-
RAL 160000 A DDZIA
Retrates em miniatura oleo ou aquarella de
16 20>000 cada uro, indo convenientemente en-
;aixilhado em moldura dourada e regulando c
busto da pessoa retratada de 3 4 pollegadas e
iodo o quadro palmo e meio de tamanho.
Juleamos que bastarao os preces cima para
larraos idea da baratesa dos trabalhos do nosse
establecimento, quanto sua perfeicao cada un;
venha iulgar por seus proprios olnos.
As raelhores horas para se tirarem retratos no
oosso estabeleeimento sao das 8 horas da manhaa a
i da Urde; entretanto de urna hora as o da larae
m casos especiaes pde-se lambem retratar qual-
quer pessoa. _
Nos dias de chuva, ou por tempo sombro po-
jemos retraur, e asseguramos que. eeses das sat
os mais favoraveis aos trabalhos de photographia
pela de cura e persistencia da luz, e por termos c
nosso terraco construido com taes proporcoes e
melhoramentos, que anda chovendo jorros ne-
ohum inconveniente 'ha para fazer-sa, bellos re-
/. Ftrreira Villela
Chumbo e estanho
velho.
Comprase era grandes e pequeas porc,oes ; na
ra Novan. 11.
COMPRASE
notas da eaixa nlal da Bana coro pequeo des-
cont : na thesourana das loteras.
oOito
NOVIDADE.
O Costa, proprietario do armazem da Pedra
Maamore k roa das Cruzes n 42 offerece pord.-
nhero contado o que de melhor ha no mercado
Jor ter recebido mullos dos gneros desenptos
pelo ultimo vapor. ... :___cnn
Queijos flamengos do ultimo wgor a 2goo.
Biscoutos em caixnhas de conflgurac.oes diver
sas proprias para feslas as crlancas.
Velas siearinas a 640 rs. a libra.
Chocolate de t a 1*800 a libra.
Especial manleiga ingiera e franceza
Horulices para sopas denominadas Julienne, que
subsiilue peritamente as mais frescas *
A verdadeira farinha americana vinda de conta
propria a 320 rs. o maco de urna libra.
P Dolachnhas de todas as qualidades e dos me-
Ihores fabricantes.
Ervilhas francezas e portaguetas.
Vinbo de todas as qualidades.
Especial e aromtico sabao de familia a 300
o kilo.
Molho inglez.
Ameixas e marmeladas
tes.
Caf de Moka.
dos raelhores fabrican-
Fundidlo da Aurorj).
.Nesie esubelejmento se vendem laixas de ferro
batido mais bem conslruidas do que as que vem
de fra a 240 rs. a libra ; sortimento completo.
Vendft-se urna casa terrea e duas meia^
aguas em Fra de Portas na ra do P
tratar na ra Brum n. 84, 3* apdar.
Competencia
Estamos na semana ero que se deve recheiar
as dispensas (tanto em grande como em pequea
ecala) de bons e escoltados gneros proprios para
os grandes das de testa. Por e3;e motivo o CAM
POS da ra do Imperador n. 28, lem por meio
deste annuncio avisar nao s aos cumerosos fre-
guojes e amigo?, como tambem ao rublico em ge-
dal qne entra em competencia com os seus colle-
gas, no fornecimento dos generes alimenticios pro-
rrios a taes dispensa?.
O CAMPOS espera que seu armazem seja preie-
rido para os frnecimentcs.
POR QUE NELLE
Encontrar-se-ha continuadamente um escomi-
do sortimenio de garantidos alimentos e diversos
acipipes tanto para mesa como para brindes.
F POR QUE NELLE
Encontrar-se-ha muitas ssudez nos tratos.
POR QUE NELLE
Ha sempre a disposicao dos compradores, um
portador seguro para a eonduc'.ao dos gneros a
seu destinos, dentro da cidade e estaques dos ca-
mmhos de ferro.
Nesle estabeleeimento encarrfga-se de manaai
apromptar presuntos e outros quaesriiier manjare?.
MOFINA
Roga-se ao Illm. Sr. Ignacio V.eira de Mello,
crivao na cidade de Nazareth desta provincia,
favor de vir a ra do Imperador n. 18 a concluir
aqoelle negocio que V. S. se comprometteu reali-
sar, pela terceira chamada deste jornal, em tras
de dezembro prximo passado, e depois para Ja-
neiro, passou a tevereiro e abril, e nada cumprio.
e por este motivo de novo chamado para dito
fim j pois V. S. se deve lembrar que este negocie
de mais de mo annos, e quano o sennor san
filho se acliava no estado nesta cidade. ________
Ptchicha sem igual.
Vende-se um excellente borro novo de efir ruca,
cora crinas amarelladas, muto andador, chipado
ha ponco do serlo, pila insignificante quanlia
e 733000. Sua dona desfaz-se do mesmo por ter
de seguir no prximo vapor para a Europa o por se
achar o mesmo animal achacado dos ps: na ra
Duque de Caxia3 n.9, t'aodar.
Dv
RA
Bario da Victoria
antiga rea
NOVA
N. 41.
Este estabeleeimento acaba de soffrer urna reforma radical em ^t^^^TlS^ST^^^V^
mendas, finalmente em tudo afim de melhor servir os seus numerosos freguezes deixa-se de annunciar tooas
c3o se tornar massante ________i________.---------------------------" ~~~
Baro da victoria
antiga roa
NOVA
X. 41.
Ama
Precisa-se para o servico Interno de casa de
pequea familia : na ra do Vigario n. 5, segun-
do andaiv__________________________________
Precisa-se de urna ama forra ou captiva para
eozinhar f m casa de familia : quem bem podt
desempenhar esta missae, querendo tratar, 6
le ra do Duque de Caxias, loja n. 1.
lirija-
de fazendas, na ra do Baro
da Victoria n. 12, antiga ra
Nova.
Vende-se chitas-, algodoes, brns, cambraias,
chales, basauioas prelas, damasco de algodao,
barragama propria rara fardamento dos meninos
do arsenal de guerra e marinha, e um grande
sortimento dercupas fetas de todas as qualidades
e muitas outras fazendas que seria enfadonho
mencionar, e que se vende por baralissimo pre?o
para acbar.
AMA
Trectea-se de urna ama para tratar de enan-
cas : na ra do Crespo n. 7, loja de mmdezas.
AMA.
Precisa-se de urna ama para cozuar, para
casa de rapaz solteiro : na ra. do Crespo n. 1'
loja.__________ ________
Precisa-se de nm coziobeiro para casa de
wwm viieiro?: no becce da Boia n. 8.
Na travessa da na
das Grazes n, 2, pri-
meiro andar, da-se di-
nbeiro sobre penhores
de ouro, prata e brilhan-
tes, seja qsal for a pan-
lia. Na mesma casa com-
pram-se os mesmos me-
taes e pedras.
imiiiiiiiii
Ama.
- Preciase de urna ama de leite sera filho e que
aeja sadia : a tratar na roa do Mrquez de Olinda
n. 38.__________________________________
__Precisa-se de nraa mnlhcr idosa e de boa
conducta, para creada de um homem soltetro, exi-
gindo-ae que saiba engommar e tenha habilitacoes
para bem administrar o servico de nm
na roa do Imperador, armazem n. 36.
O Sr. Dr. Wenfbain queira ter a bondade de
conenir o negocio qoe tem com os proprietarios
da typograpbla Mercantil, o qual a
para o mesmo Sr. Dr.
de interesse
AMA
Precisa-se de urna.ama para cosinhar : a tratar
na roa d Alegra n. 6.
O lente Cnystovo Francisco de P. Caval-
cante e loio Francisco P. Dutra, teem cartas
vindas do Rio de Janeiro : roa do Vigario nu-
mero i i.
ferro
RA DA CRVZ Nt 4
Chapas de ierro galvanisadas para telheiros, etc.
Tachas de ferro para assucar, etc.
Formas de ferro para assucar.
Arados americanos.
Carrinhos de ralo.
Venezianas para janellas.
Machinas de descarocar algodSo.
Machinado cortar fumo.
Mchica de cortar papel.
Motores para dous cavallos.
Machina a vapor para mover machinas de algodao. nimiih A
Balancas, prencasreofres de ferro, fog5es de ferro, enxofre, [salitre limalha e
muitos ontros artigos. ______________
Fuara ra na Urde do dia 2 do corrente, do
primeiro andar do sobrado sito a roa da Impera-
triz n. 16, fia occasiao em qne eram conduzdos di-
versos objectos do mesmo sobrado para as cario-
cas que estavam paradas port da roa; um bahu
de flandros qnadrado, de tamanho regular, con-
tendo urna salva grande de prata, enxoval para
menino, diversas pecas 2s roupa, varios pares de
sapatos novos para sennora e menino e outros ob-
jectos de valor. Pede-se a quem guardn tal ba:
h, talvez sem saber que era furtado, que o va
entregar na loia n. 10 da mesma roa, onde se dar
urna gratficacao pessoa que flzer a entrega. As
autoridades policiaes j liveram conhecimento ao
ficto, e ha desconflanca de quem sejara os auto-
res do furto. Pede-se tambem aos senhores ou-
rives qoe apprehendam a dita salva no caso de
Ihes ser offerecida.__________________________
NMIM.
Aloga-se a padaria allema em Santo Amaro e
as condioes slo favoraveis : a tratar cem seudo-
no na roa da Guia n. 86.
FALSIFICARES
dasPILULASdeBLANCARD
(CAVE DOLM)
A nossa correspondencia do BraiH nos faz I commerci, estes honrados intermediarios
salier que as praca d'este paiz acho-se | nao se mostrem dignos da conl
Candeiros e gaz eco-
nmico
Acaba de chegar nova remessa dos tao deseja-
dos candeiros todo de porcelana os quaes muito
se acommodam pela seguranza, acceio e economa,
e ainda pela excellenie luz prefer vcl mil vezes ao
kerosene: venham antes que se acabem, nico
deposito da roa larga do Rosario n. 84, botica.
Farelo muito novo, saccas grandes, e gaz raro
bom em grandes e pequeas porqoes : tudo jooi
preeos razoavels, no armazem de Matheus Anslip
& C. : na roa da Seala Velha n. 106._______
Alienlo,
Precisa-se de um homem livre ou escravo,
que d fiador a sua conducta, para o servico ex-
terno da padaria da roa do Rangel n. 9,________
Vende-se duas casas na cidade de Olinda, sendo
nma casa terrea grande na roa da Misericordia e
um sobrado na ra de Mathas Ferreira: tratrar
na roa de Portas n. 96.______________________
Vende-se urna taberna muto afreguezada :
ao largo da Penha n. 11: tratar na mesma.
ESTEIRASDOARACATY.
Grandes a 640 rs. pequeas a 240 rs.: vende-
se na roa da Sanzalla Nova n. 30,_________^_
actualmente inundadas por urna mvitido de
falcifraces vis dos nossos productos (textual.
Para tarantir-se contra estas composicos
mais on ."nenos perigosas, que escondem-se
d'cssa man *ra por detraz das nossas marcas
de fabrica- e mesmo da nossa firma, rogamos
aqui com ins,'wcia aos mdicos e aos do-
entes de assegu."*r-se sempre da origem das
PiiULASque trazenf* nosso nome.appellando,
entre outros meios prcticos, pela boa f dos
nossos collegas, os pwarmaceuticos. Nao de
duridar qne n'uma qu'eatft que intressa tad
lenamente a saude pub,!a e a moralidade do
freguezes; nao de duvidar igualmente que
repudiando toda solaridade com os ialcili-
cadore e os seus cumplices, "elles nao se la-
co um dever 'or* cm diante de procurar
as VERDADEffiAS Piluus ne Blancaro em
origens certas, enderecando^e, quer. a ns-
mesmos em Pars, qugr indirectamente aos
nossos principacs correspondentes, ou entao
s casas as mais recom-
mendaveis da Franja
eu do seu paiz.
Pftarmaewftco, ra Bonaparte, em
m* bo.mu Mulu ni prDcipaet Sharmacia*.
Paris.
1
Precisase de urna ama que saiba engommar
e cosinhar, e qoe tenham todas as habuitaoes
para administrar urna casa de homem vinvo com
pouca familia, na villa do Limoeiro : tratar na
ra de Hortas n. 142, 2- andar._______________
Prensa ingleza
Prensa ngleza
Prensa ngleza
James Ryder A C. fazem sciente aos exportado
res de algodao desta praca que durante esta safra
teera resolvido enfardar este genero, a razio ds
500 rs. por arroba inclusive capas, arcos e marcas
em sua prensa roa do Apollo n. 26.
-J E. R. Rabello A C. tem para vender em sea
escrptorio i roa do Commereio n. 48, c segrate:
Vinho branco de Bueellas especial.
Dito tinto particular.
Dito do Porto muto fino em caixas.
Dito da Fgueira superior.
Dito Madeira secco especial.
Mercurio.
Retroz.
Cachimbos de gesso. Todo por preeos raioa-
veis.
Alaga-se a casa da roa Imperial n. 250,
eom acomodacSe, para ver na casa junta e a
tratar na praca da Independencia n. 2r
Caixeiro.
No Reslaursnt de Pariz ra das Larangeiras
n. 4, precisa-se de nra caixeiro.
Manoel Alves Ferreira & C. mudaram o sen
escritorio da roa da Moeda n. 5 para a roa. do
Vigario n. 3, andar.
- Vende-se um sobroSSoTi ra Bella com
bastantes commodos, d bom aluguel a tratar
na roa estreita do Rosario n. io. ^^^^^^


"
I
Cvlindros para padaria do melhor sy.stema ame-
riera : venie-se a mdico preco no armazem de
"T/rhiariedyNews no caes do Apollo n. 69.
' Vfmde-s~ltilhas muito .novas de Ham-
bu7go,em arrobas, em .leooa de 15 hbr e em
libras : na padaria da roa dt Guia 0. 56-
Caixilhos
Vende-se 14 parelhas de caxlita de amaretle
en, bom estdo, com vidro : na roa Augusta nu-
mero 78. ______ -________
Vende-se oaaloga'Wi a d roa Imperial n-1J1-
prompu a trabalhar, oom .^-SJ e
agua : a tratar .ta roa estrena d9 Rosario n, o.


/
-. pn

. a
Diario de- Peraambuco Terca fejra 27 de Dezembro de 1870.
--------

Venham, freguezes,
monir-se ra Duque de Caxias (antiga-
mente ra das Cruzes), sobrado,das pe-
cas de artberia n. 6.
Neste nove estabelecimento encontrarlo os ama-
dores de agua fresca e saborosa os melbores ob-
jectos de barro, pois se acha prvido de todo o
sonimento como sejam : quartinhas dos melbores
fabricantes desta provincia, jarras, moringues,
resfriaderas, bilhas, garrafas plidas e torneadas,
tndo do melhor barro e gosto; as?im corao jarras,
potes, qoartlnhas, bilbas, jarros e vasos para fio*
res, louca vidrada de todas as qualidades, e mui-
tos ontros objeclos sem serem plidos, lado de uti-
lidade para as casas de familias.
\m iiukc,
Tem venda em seos armazens, alera de onlros
rtigos de seu neg io regalar, os seguintes, que
stao vendendo a precos mais baratos que em ou-
tra qualquer parte :
PORTAS de pinbo almofadadas.
FARELLO era saceos grandes a 3*500.
GRADES de ferro para cercados.
ESTEIRAS da India para cama e forrar salas.
CANOS de barro francei para esgoto.
GESSO superior era barricas e as arrobas.
CEMENTO de todas as qualidades baixos
#recos.
MACHINAS de descarocar algodao.
BARRIS grandes cora peixe da Suecia.
"LONAS e brinzoes da Russi.
OLEADOS americanos para forro de carros.
FOGOES americanos muito bons e econmicos.
VINHO de Bordeaux em caixas.
COGNAC superior de Gautier Freres.
MILHO de Fernando a 3 j o sacco.
AGUA florida;
BARRIS de carne salgada de porco e de va cea
Soportas n. 53, ra Direita, 3 p ,rtas n. 53, antiyd
hj do BragcL
O abaixo assignado, dcoo deste antigo
ade
s
estabelocimento, tendo era vista apresentar uml
completo sortimento de ferragens, miudeas e cotileria, tem resolvido mandar buscar em
diversos pontos da Europa os melhores objectos de sea estabelecimento dos fabricantes
mais conhecides ; pelo qoe convida ao respeitavel publico e a seus numerosos freguezes,
i virem se servir dos objectos de sua carencia, a6nde encontrarlo por menos 10 0[0 do que
era outra qualquer parte, um sortimento completo de machinas para descarocar algodao,
do bem conhecido fabricante Cottorr Gin & C.,' ditas para costara, motores para animaes,
ditos para fego, moinbos pira caf de todos os tamanbos, da abriea do Japi, espingardas de
dous canos e de um, Unto ingleas corao franceas, louca de porcelana, facas e garios
de diversas qualidades e precos, bandejas chinezas, salitre, bren, barbante, enxofre, papel e
limalha de ferro, ac, e agnlha para fogueteiro ; assim corao eacoBtraro constante-
mente grande porcao de fogo do ar, e recbese encommenda de fogos de vista, alem de um
cem numero de objectos, que se tornara enfadonho numera-los: venhara 4 roa Direita o.
63, loja de Lenidas Tito Loureiro, antiga loja do Braga.
MmWKBMMWm WMKMWi SMMMl
PRECIOSA DESCOBERTA
TNICO DELSUC
O TNICO DELSUC qoe hoje apresenta ao publico, depois, porm, de um severo
exame e de reiteradas experiencias, tendo a certeza de que possue urna superioridade
incontestavel a todas as outras preparares, que at boje tem apparecido, recommenda-se
por sua bondade, e pelo brilbante lustro que produznos cabellos, tirando immediatamen-
te todas as caspas e coceiras, azendo com que appareca em bom estar impagavel.
Esta agua compe-se de substancias cuidadosamente escolhidas, purificadas, e
confeccionadas com o maior cuidado, e alm disto combinadas de modo tal a dar-lhe
nma acc3o verdaderamente efficaz. consoladora, e benigna.
Derrama-se esta agua na cabeca, e esfregase levemente ; immediatamente ficam
J.os cabellos limpos e com um brilho magnifico.
Deposito
smente em casa do autor, Andr Delsuc cabelleireiro de Pars.
Ra Io de Margo (antiga Crepo) n. 7 A 1 andar
novas msicas para piano.
I Danse des negros do maestro Cazalbore.
fe' Margarida, linda scboltisch.
. Urna folia a Roma, quadrilba.
LUNDS
Dansas paraguayas.
II Habanera.
2* Los negros.
3* Noites de Lnqoe.
i1 Palomita paraguaya. B
Tambem receben as seguintes:
A opera Guarany, e os melhores pedacos
da mesma para piano e piano e canto.
Quadrilhas
Walsas
E polkas
Quadrilhas:
isette.
Salan.
Jardim das Fadas.
Heroica.
Capenga, Careca & C.
Homens do mar.
Juventude Commercial.
Hocambole. '
Ponte do Diabo.
Tenente do Diabo.
Imperial marinheiro.
A sultana como linda.
Independencia das senhoras.
O Club X.
Regresso do conde d'Ea.
Caminho de ferro.
Guarany.
Walsas:
Sonbo da virgem.
Voluvel.
Dansa d'amor.
Ultimas walsas de um doklo.
Anjo da meia noite.
Carnavalesca.
Goarany.
Polkas :
Cabrio.
Gorgeio do sabia.
Bulicosa.
Capenga nao forma.
Querida por todos.
A rival.
Por todos querida.
Zas Traz.
Palomita paraguaya.
Bismark.
Moreninba.
Surpreza.
Chora pitanga.
Gloria.
Guarany.
venda no armazem de pianos e msi-
cas do Azevedo, roa Nova n. i!, hoje ra
do Bario da Victoria.
NOTICIA
MIIITIIIIO
Veio operar uma completa revoluqao no aitigo
Tinta para escrever.
IBA
Ra da Imperatriz n. 2
A' este novo e somptuoso estabelecinnnto de fazendas acaba de chepar di'ecia
mente da Europa amis nplendido sonimento de fazendas proprias para a fisla, tanto
para homens, como para senhoras; descrever e especificar o que de moderno de mais
apurado gosto nelle se encontra seria impossive!; mais para que se possa fazer orna
aprximada idea, mencionaremos cem especiali iade :
Ricos cortes de vesliios para casamento, chegados no ultimo vapor.
Ditos ditos de ditos de seda deseuhos inleirameote novos.
Ditos d tos de ditos do laa com barras, fazenda iateiiament nova.
Vestidos de cambraia para baptisado.
Popelinas dj seda dos gostos mais modernos, variado sortimento de camtraa?, e
cassas ae cores, lindse modernos desenhos.
Sedas lisas, lavradas, pretas e de cores.
Cretone para vestidos, modernos gostos.
Alpacas de coras, e impossivel descrecer a variedade de gostos t padtSes.
Chitas finas, claras, escoras, pretas, iodescriptivel o vanadissimo sortiment".
BaIKesde todas as qualidades, cores e tamanbos, entre os quaes uns s5o inteiremente
oowdade.
Saias bordadas para senhoras, grande quamidade de gostos.
Camisinbas bordadas para senboras muito modernas, grande variedade.
Entremeios e tiras bordadas em todas as larguras.
Camisas para homem, bordadas, lisas, e collerinhos, completo sortimento,
Lencos de cambraia bordados, lisos e de barras.
Chapeos de velludo, palha, merino, filtro, o que ba de mais moderno e lindissimes
os tos.
Cortinados bordados, e ricas colchas de seda, e de crochet.
Bareges de pbantasia, fazenda propria para baile.
larlatanas decores com palmas lindissimos gostos.
Barns de cores para senboras.
Grvalas para homem, grande sortimento em feitios e cores.
BretarAas, esguiSo e bramante de todas as larguras.
Laazinbas de modernos padrees e lindos gostos.
Metim da India fazenda nteiramente nova para vestidosede lindo effeito.
Finalmete rene este estabelecimento tudo que de melhor e mais moderno se pode
encontrar emazendas como em perfumaras finas, das quaes tem um completo sor-
timento. ___ .
AOS cavalheiros
Offerece igualmente a vantagem de encontrarem neste estabelecimeuto:
Pannos finos, pretos e de cores.
Casemiras prttas finas, e ricos gorgorees para collele.
Ditas de cores.de qoadros, lisos e dd listras, completo sortimento.
Brins brancos le linbo de todas as qualidades.
Ditos de cores,'.isos atrancados, granie sortimento.
Um babil artisU para cortar e dirigir qualqoer obra, que so se entrega a contento
Uma modista igualmente iccupada nos trabnlhos do PAVILHO DA AURORA, di-
rige os que loe sSo concernentes, apromptando a capricho qualquer TOILET, gartntm-
dc-se a mais completa perfeicSo nos seus trabalbos.
Em resumo concluimos
Por chamar attenc3o do respeitavel publico para o nosso estabelecimento, que alem
de ter tu lo que se pode dwejarem fazendas e perfumaras tem o mais CUMPLETO bUK-
TIMENTO DE ROUPA FEtTA, para homens e meninos. Mandam-se as fazendas em
casa das Exmas. familias, e tern-se amostras.
Um completo sortimenta de esteiras da India, por menos preco que em outra qual-
quer parte.
Aberta das 6 horas da manhaa s 9 horas da noute.
Kival sem segundo
RA DO DUQUE DE CAXIAS N. 49
Estou disposto a continuar a vender todas
as miudezas pelos baratsimos precos aba
xo declarados, garantindo tudo bom e pre-
cos admirados.
Dozias de palitos seguranza a.. .
Duzia de palitos seguranza caixa
grande a...................
Frascos com oleobaboza muito fino.
Pacotes com p.'>s de arroz o me-
lhor que ba a................
iNavalhas muito finas para fazer
8#000 barba a.......... .......
100 Caixa de linha bram do gaz a..
500 Vara de franjas de lidho para toa-
500 lhas.......................
Caixas com pennas d'ago de l'erry
500 superiores.............
. 60 Lentos de cassa braucos e pinta-
dosa
Rival sem segundo,
RA DUQUE DE CAXlAS M. 49
(Antiga roa do Queiuiado)
Contina a vender tudo muito bom e
muito barato a saber:
Libras de areia preta muito boo. .
Tesouras finas para turnas e costu-
ra a.....> >
Papis de agulhas francezas a ba-
J8o a.........
Caixas com seis sabonetes de fruta
Libras de 13a para bordar de todas
as cores a .......
Carriteis de linba Alexandre a. .
Frascoscom azeite para machinas
Gravatas de coreswnuito finas a .
Grozas de botSesf madepersla fi-
nissimos a.....
Novello de linha de 400 jardas a.
envelopes muito
120
500
60
16000
120
320
320
320
0000
500
160
800
CaSuap3erCk.?es10a 7777 "'" 600 Caixas com 20 quadernos de papel
240 pautado ....... 7Ul
100 Caixas com 50 novellos de linha
0 Bazar da Moda recebeu novo sortimen-
to de fazendas do ultimo gosto para vesti-
dos, assim como chapeosinhos, casacos,
borns, coques, camisinbas, etc, etc.
Continua sempre o grande e afamado sor
limento de miadezas e perfumaras verda-
deras, que tudo sa vende por baratissimos
precos.
Dam-se amostras e manda-so em casa das
Exmas. familias o que desejarem, ra do
BarSo da Victoria, outr'ora Nova.
GAZ GAZ GAZ
Ghdgon ao antif o deposito de Henrjr Porstsr <
, ru do Imperador, um carreg&munto de fai
< primeira qulidade; o qual se vende em partid)
a reulho por menos pre^ do que m outra qua!'
Vende-se um cavallo castitofao andrino, cri-
oalo, andador baixo, muilo novo, muito bonito, e
vende-se por eausa de nao ter commodo seguro
qaem pretender dirjase ao pontal da Cabanga,
asa de F rancisco Jo9 de Abren.
Olinda.
, Vende-se em Olinda a casa terrea n. 11 sita no
cilio do Amparo, tendo grandes commodo? etc. :
a tratar no Recife ra do Mrquez de Olinda n.
10, l> andar.
*-
Nunca se vio um processo mais perfeito e que altinja de tal forma a satis'azer as
exigencias mais severas da escripturacao.
A sua cor lindissima e nao precisa de cuidado algum para se conservar no
tinteiro sempre com a mesma cor, sem borra, crsta, boldr ou sem todas essas mazel-
las inherentes todas as tintas at agora conbecidas, ainda mesmo dos melhores autores
estrangeiros
Sobretodo, este estimavel producto nao ataca as pennas de ac, antes pelo con-
trario, a penna adquire um esmalte dourado que, sendo interessante, asss proveitoso.
Esta tinta, nao sendo especialmente para copiar, d comtudo duas, tres ou mais
copias um mez depois de escripta ; preciso, porm, deixar-lbe o papel bemmolhado
sem o enxpgar com o malta- borrSo, porque nao ba o risco de borrar. Para se tirar
mais de uma copia, nao se agglomeram tantas folbas quantas copias se querem tirar,
mas vae-se com o original tirando uma uma tantas quantas se desejam, sem quej)
original fique prejudicado pelas extractes.
Occorre aqu dizer qoe, para copiar importa muita ir.telligencia e babilidade, sem
o qoe a melhor tinta nao satisfaz, e o defeito recae sempre sobre a Unta, que moitas
vezes qoem menos culpa tem.
A dupla qualidade desta tinta extremamente apreciavel, pois que evita que
em qualquer escriptorio baja mais do que uma tinta para os diversos misteres.
Emquanto sua durabilidade, nao ba a oppr a menor duvida, pois que esta tinti
depois de escripta soffre o choque de cidos fortissimos, sem se decompr; ora, se os
cidos nao tem accao sobre ella, muito menos a acejo do tempo a pode destruir: islo
plausivel. ,
Nao so ao commercio que este meu producto veio ser til; os professores dos
collegios, investigando todos os meios para o adianlamento dos seus discpulos, tem
aproveitado esta Unta, que com raz5o a acharam apta para desenvolver o gosto nos
educandos, em consequencia da belleza da cor e faciiidade de correr na penna pela sua
liquidez. Ha exemplos de criancas que havia muito tempo tinham uma repugnancia
extrema para a escripia, logo qoe foi ndmitUda esta tinta no collegio, apoderou-se deltas
a curiosidade e o gosto, e pouco lempo' depois o seu adianlamento era manifest.
Esta tinta, par de tantas vantagens, tem um nico inconveniente, deteriora-se
ao contaeto de outra qoalqoer; onvm pois t-la em tinteiros isentos do menor vislum-
bre de outra tinta, e evitar escrever com a penna suja de uma prepararlo differente e
incompaUvel; verificando isto, n*a"o ba raz5o para se usar de tinta que n3o seia a VIOLE-
TA EXTBAFINA DE MONTEIRp.
Observa^a.
Diversas falsificacoes e semelbancas tem apparecido, cuja durabilidade duvidosa.
Os Srs. compradores podem evitar o engao dirigindo-se casas circumspectas, o pedin-
do a tinta que eu fabrico "
A. O. Monteiro.
Pentes volteados para meninas a.
Tinteiros com tinta preta a80rs. e
Pecas de fita elstica muito fina a
Lata com superior banba a 100 e.
Frascos de oleo Philocomo muito
fino a.........
Frascos de macaca perola a. .
Frascos de extracto muito bonitos a
Duzia de sabonetes muito finos a.
Sabonetes inglezes a 600 rs. e. .
Frasco com agua de colonia Piver a
Dito de oleo babaza a.....
Caixas de lamparinas a. .
Sabonetes a forma menino muito
superiores a.......
Cartilhas da doutrina fazenda nova a
Libras de linba sortidas de todos os
nmeros a.......
Capachos muito bonitos e grandes a
Carriteis de retroz preto, com 2
oitavas a........
Agulheiros de osso enfeitados a, .
Libra de linha franceza superior
qualidade a.......20420
Ricas touquinhas de fil para me-
ninos a
Botinas de couro para meninos a
Caixas com gulhas de fundo
dourado a
Pecas de tiras bordadas muito fi-
a 500, 600, 800 e
200
200
500
240
500
720
1^200
500
500
40
24C
400
10800
700
640
240
200
20500
240
10000
MOBILIA.
Vende-se 1 sof, 2 consolos, i mesa, 2 poltronas
e 12 cadeira?, multe boas, de carvalho : na ra
do Imperador n. 37, andar.
Banhos de Olinda
Acaba de sahir luz esta muito linda quadri-
lba para piano, preco 1*000 : na roa Nova n. 11,
armazem de pianos e msicas do Axevedo.
do gaz a.....,
Duzias de meias cruas superior
qualidade a.......
Pecas de liras bordadascom 12
metros cada peca a 10500 e.
Pecas de fitas para cs de qual-
quer largura com 10 varas a.
Pecas de tranca lisas, brancas e
de efires a.......
Duzia de linba frxa para borda-
dos a 400 rs. e.....
Pares de meias croas para m.C
nos diversos tamanhos a.
Duzias de meias brancas muito
finas parasenhora a. .
Parea de sapatos de tranca do
Porto........
Pares de sapalos de tapete a. .
Duzias de baralbos para vultarete
Sylabarios portuguezes a. .
Cartes com colxetes carreras a
Abotoaduras para collete diversas
qualidades......
Caixas com penna de ac muito
boa de 320 a......
Caixas com superiores obreias a.
Duzia de agulba para machina a.
Libras de pregos rancezes todos
os tamanhos a......
Pacote de papel com 20 quader-
nos '..........
Re^ma de papel pautado super or
Resma de papel liso muito supe-
rior a...........
Vende-se sement de coentro e alface muito
novas : na ru* da Guia n 7, taberna.

40
30600
20000
500
40
50G
320
40500
20000
10500
30000
400
20
400
50C
40
20000
240
400
40000
30600
DO
GALLO VIGILANTE
Una do Crespo n. 9
Os propnetarlos deste bem eonhec-(- estibe e
cimente, alm do3 muitoa objetos q-.u tinham ri-
postos a apreciacao do respeitavel pm ico, mir
darara vir'e acabain de receber pele uiuno vaj*4
da Europa un completo e vanado ?iriimeoio
finas e mui delicadas especialidades, ui quaes t-
lao resolvidos a vender, como de sen cosibiia
por precos muito baratinhes e commonos para^
dos, com tanto que o Gallo.-.
Muito superiores luyas de pellica, nretas, braa
cas e de mui lindas cores.
Mui boas e bonitas gollinhas e pnr.n>js.P*Ta *"
nhora, neste genero o que ha de mai moderno.
Superiores pentes do tartaruga paia coqu"*.
Lindos e riquissimos enfeites para canecas du
Exmas. senhoras.
Superiores trancas pretas e de cores cem- vi-
Ihos e sem elles; esta fazenda o que pode hav
de mellior e mais bouito.
Superiores e bonitos leques de madrepero*.
marfim, sndalo e osso, sendo aqucltes brant
com lindos desenhos, e estes preics.
Muito superiores meias fio de Escosria para se-
nhoras, as quaes sempre se venderam por 3We
a duzia, entretanto que nos as vendemos por ,
alem destas, temos tambem grande sortimento
entras qualidades, entre as quaes algumas mui*
linas.
Boas bengalas de superior raima ola lnma
castao de marfim com lindas e encantadoras figr
ras do mesmo, neste genero o que de melfcer m
pode desojar ; alm desta* temos tambem graa
Juanlidae de ontras qualidades, como jarn, mi
eir, baleia, osso, borracha, ele. etc. etc.
Finos, bonitos e airosos chicotinho* de esdeit
de entras qualidades.
Lindas o superiores ligas de seda e borra:i
pa a segurar as meias.
Roas meias de seda para senhora t nara sntti
as de 1 a 12 annos de idade.
Navalhas cabo de marfim e tartarug- i*ra_'iM
barba; sao muito boas.e de mais a mais so ff-
rantidas pelo fabricante, e nos por nossa vez Us>-
bem asseguranikis sua qualidade e delicadez*.
Lindas e bellas capellas para nciva.
Superiores agulhas para mm-hina e para crox<
Linha muito boa de peso, frouxa, ara qcoi
labyrintho.
Bons baralhos de cartas para vo;ur.;rt, *&
como os tentos para o mesmo flm.
Grande e vanado sortimento das rcelf-oree P
fumarias e dos melhores e mais MBtotMM p
fumistas.
COLARES DE ROER.
Elctricos magnticos contra a; :r.r"lsoe?^ *
facilitam a dentiQao das innocentes :r>.vi--as. S>
mos desde muito recebedores deste p-ndiaios-/.
collares, e continuamos a recebe-lo^ por toles m
vapores, afim de que niuica faitea w. mercaiit.
eomo j tem acontecida, assim pois pcuiir^ aqtv -
les quo delles precisaren!, vtr ao depoino do gaist
vigilante, aonde sempre enconlraro tlfwies veroa-
deiros collares, e os quaes attendti <:>!* v bjs
para que s.o applicados, se uaietlo co um p-
diminuto lucro.
Rogamos, pois, avista dos objectos rjtM i eixaac.'
declarados, aos nossos freguezes e ;-.r;-.i!'i" ***
comprar por pregos muito raioave: kofs do gi-<
vigilante, ma o Crespo n. 7.____________
5 cordeiro previient*
Rtia o QucSmado c i.
Novo e variado sortimento de porfoMM
finas, e ouiros objecio.
Alm do completo sortimenu tt por:
marias, de que efectivamente asts prvida
loja do Cordeiro Providente, t':u ^'-aba
receber um outro sortimento qu< bo torr:
aotavel pslavariedad9deobje:.('j iT.-erier
dade, qualidades ecommodidJ.-:';:' e prf
eos; assim, pois, o CordeiroPrenwi P
e espera continuar a merecer a VCBWK*
do respeitavel publico era geri.1 o <>o K'
boa freguezia em particular, n'*c *?*
tando elle de sr.a bem coBdbsfc fl.' njantWI
o barateza. Em dila loja cncey:-:lo
apreciadores do bom:
Agua divin?. de E. Cocdray.
Dita verdadeira de Aiunay Umman.
Dita de Cologne igleza, ameriuuarfrti
ceza, todas dos melbores e BMisac^otsc
fabricantes.
Dita de flor de iarangeiraa.
Dita dos Alpes, e vilete para tilet.
Elixir odontalgico para coter /gao t
tsseio da bocea.
Cosmeiques de superior qntiid fue < tikt-
ros agradaveis.
Copos 6 latas, maiores e metcri, GOi
pomada fina para cabello. -
Frascos com dita japoneza, trac pa:::
outras qualidades.
Finos extractos inglezes, americana
francezes em frascos simples e enfeitadof.
Essencia imperial do fino e agradavei cb?
ro de violeta.
100
Acaban de chegar pasa a loja de
fazendas de Antonio de Moura
Rohm d C, ra do Duque de
Caxias n. 31, os seguintes ar- j
tigos.
Lindas sedas de cores.fazenda superior
l popeline, pelo baratissimo prego de i
24500 o covado.
Chapeos de feltro brancos e pretos pa-
re homem a 5/.
Dites de castor brancos a 8.
Cassas francezas pintadas de delicades
padrSes e superior qualidade a 800 rs. o
metro.
Corles de casemira de cores, fazenda
que todos vendem a 10f, a H.
Alpacas lavradas a I j o covado.
Cortes de la com 18 colados, fazenda
superior a 5^500.
Ditos de cassa a Amelie a 5/.
Camisa) de linho inglezas a 3.
Alcatifa com 4 palmos de largura a
500 rs. o covado.
Rob-ante-rheumatieo.
Remedio efBcacis9imo contra as dores rheuma-
ticas at hoje o mai conhecido pelos seus mara-
vilhosos resultados. ,
XAROPE DE AGRIAO.E um dos medicamen-
tos que sua eficacia as enfermedades, tosse e
sangue pela bocea, bronchites, dores e fraqueza
no peito, escrobuto e molestias de figado, que me-
lhor tem aprevado.
TINTURA DE MARAPUAMA. A celebre raz
de marapuama, cuja energa e effleacia as para-
lysias, intorpecimenio, etc. etc. maito se recom-
menda.
Todos esses preparadns se enconirara na pnar-
macia e drogara de Bartholomen & C, nico de-
posito na ra larga do Rosario n. 34.
Prensa de lithographia.
Vende se uma ou mais de uma : quem precisar
annun*para ser procurado.
VENDE-SE
GAZ DBVQES,
Latas com torneira
ULTIMA -lNVENgO,
Quem comprar do gaz nessas tatas nao precisa
passa-lo para garrafas on deposito, pois que pode
tirar para os candieiros todas as vezes que preci-
sar sem derramar .ou perder uma gota : vende-se
no armazem do Jlo Rosa, travessa da Madre de
Dos n. &
uma bonita parelha de cavallos
tar ta cocheira do Sr. Thomaz
Amaro.
: para ver e tra-
ra de Santo
Outras concentradas e de cbeiroi igufc
mente finas e agradaveis.
Oleo philocome verdadeiro.
Extracto d'oleo do superior ?Mi4
COM escolhidos cheires, em frascos de d
rentes tamanhos.
Sabonetes em barras, maiores c meco:
para mos.
Ditos transparentes, redondos e em I]
ras de meninos.
Ditos muito finos em caixinha para bsrli
Caixinhas com bonitos sabonetes imitiai'
fructas. '
Ditas de madeira invernisada contando I
as perfumaras, muito proprias para p
lentes.
Ditas de papelo igualmente bonitas, ta
bem de perfumaras finas.
Bonitos vasos de metal coloridos, i
moldes novos e elegantes, com p de arr
a boneca.
Opiata ingleza e franceza para dentei.
Pos de camphora e outras differenli
qualidades tembem para dentei.
Tnico oriental de Kemp.
Alada Mais coque*
Um outro sortimento de coques de f>>
vos e bonitos moldes com filets de vidrilLt
a algur-s d'elles ornados de flores e itac
dsto todos expostos i apreciaf.io de quc
o pretenda comprar.
GOLLINHAS E PUNHOS BORDADOS,
Obras de muito gosto e perfeicao.
Fivf Ha e Otas para cintos.
Bello e variado sortimento de taes ob}:
tos, ficando a boa escoma ao gosto do cus.
prador.
3@j90 &&sSrflr
Joaquim Rodrigues Ta- S
vares de Mello, 1
TEM PARA VENDER a
era seu escriplorio, pra^a do Corpo S^nto W
n. 17 : 9
Fumo em folha
de 1* e i' qualidade, e vende nm oa mais
fardos a vonlade dos compradores.
Cal de Lisboa
ultima chegada.
PotassadaKussia.
Farlaiha de maadloea.
Vinho Bordeaux.
de 1" qualidade. Tudo de vende mais
Attenpao
Vende-se nma armado por barato preco e em
boa localidad para qnalquer negocio : a tratar
nos Affogados, ra de S. Miguel b. 3i.
barato do que em outra qualquer parte.
Mappas lnirlesccs da Europa.
A l cada um : na roa "Nova B. 11, armaieto
de pianos do Azevedo,
i

I -


rl


Lg^^|
6
Diario de Pemambuco
Terqa feii'a 27 vle Dfezembro de 1870.
-


:
f
GRANDE
BAZAR DO PAVAO
60-RA DA IMPERATRIZ-60
DE
PEREIRA DA SILVA & C.
Neste imDf rtante estabelecimento encontrar o respeitavel publico, um grande e variado ortimento de fazendas do mais
ipnrado gosto e todas de primeira necssidade, qne se vendem mais baratas do que era ootra quatqner part, viato qoe og nc-
roa ocios desta Irma, adoptaram o systema de so venderem D1NHEIRO ; para poderena vender pelo costo, limitando-se apenas
i ganbarem o descont ; as pessoas qoe negociam em peqnena esca'a, nesta loja e armazem poderse tazaros seos sortimeatos
pelos mesmos precos qoe compram as casas inglezas, (importadoras) e para maior commodidade das Exroas, familai se darSo
imostras de todas as fazendas, ou Ibes ievam em snas catas para escolberea.
- TAPETES GROSDENAPLES PRETOS
Chegon para o Bazar do PavSo o mais Chegon para o Bazar do PavSo um gran-
elegante sortimento de tapetes grandes, pa- de sortimento dos melbores grosdeoaples
ra sofs, com 4 cadeiras ditos mais peque- pretos qoe tem vindo ao mercado, qoe se
nos para duas cadeiras, ditos para vendem de 10600 at 5,5000 o covado ;
pianos, camas, portas ; etc. vende-se por sSo todoa mnito em conta.
menos do que em ootra qualquer parte. ESPART1LHO.
ROUPAS PARA HOMENS No Bazar do Pav5o recebeo-se om elegan-
No accreditado Bazar do PavSo encontra- te sortimento dos mais modernos e melho-
r o respeitavel publico om grande sorti- res espartilbos, que se vendem por preco
meato de roupas para bomens tanto bran- moito em conta.
PANNOS DE CROCH PARA CADEIRAS
O Bazar do PavSo receben om grande
as como de cores, a saber
Camisas coro peitos d'algodSo e delinbo,
para todos os precos e qaadades.
Ceronlas de linbo e algodSo.
Meias curtas francezas e ioglezas.
Palitos sobrecasacos de panno preto e
casemira.
Calcas de brim branco e de cores
Ditas de casemiras pretas e de cores, com
co Heles iguaes
De todas estas roupas ha para todos os
precos e qualidades, e tem de mais mais
am perito
ALFAIATE
Por quem se manda fazer com prestes a
e aceio qualquar peca de obra a capricho
ou gosto do freguez,. tendo n'oste importan-
te estabelecimento todas as qualidades de
panno fino, as melhores e mais moder-
nas casemiras, assim como os melhores brins,
qur brancos, qur de cor ; e quando qual-
Jner obra nSo ficar inteiramente ao gosto
os fregoezes fica por conta do estabeleci-
mento.
FUSILES DE COR E BRANCOS
Vendem-se bunitos Cusios brancos e de
cores, proprios para vestidos e roupas de
meninos, sendo de cores a 800 ris o cova-
do e brancos, a 400 e 640 ris, pe-
chincha, no Bazar do Pav3o ra da Impe-
ratriz n. 60
CHITAS BARATAS
a 200 ris.
a 200 reis.
a 200 rers.
Vendem-se chitas largas com mnito bons
pannos e cores fizas, pelo barato preco de
200 ris o covado ; cortes das mesmas com
10 covados a 25000, pecnincha, no Bazar
lo Pavo.
AS CASSAS DO PAVO
Covado 200 ris.
a 200 reis.
a 200 ris,
Vendem-se bunias cissas de cores mu-
diobas pelo barato preco de 200 ris o co-
vado, no armazem do PavSo J ra da Im-
poratfiz n 60.
PANNOS PARA SAIAS A 1*000, O METRO.
No Bazar do Pavo vende-se bonita fa-
r.duda branca encorpada para saias, sendo
com babados e pregas de om lado, dando
a ijr.'im da fazenda o comprimento da
saia, a qual se pode fazer com 3 ou 3 1(2
nietros e vende-se a 40,10280 e 10600;
is !>u como tambemno mesmo estabeleci-
me-it > se vende bonitas saias brancas bor-
dadas, t.nJo quatro pannos cada orna, ditas
de Ia de cOres j promptas, amas com
barras d;ffereotes damesma fazenda 45000,
e onlras com barras bordadas 60 e 70OO-,
ludo islo moderno e barato.
CARNAUBA.
Vende-se carnauba em saceos, na ra da
mperatriz n. 60, Bazar do Pav3o.
TARLATANASLISTRADAS CORTE A 60500
Chegou para o Bazar do Pavlo om bonito
sortimento de tarlatanas listradas, sendo
verdes, cOr de rosa, lirio, tendo esta bo-
nita fazenda maita phantasia, e liquida-se
cada corte a 60500, pecnincha ; Da ra
da Itmeratriz n. 60.
CASAQUINHOS DEGUIPURE A 100, 120,
160, E 200.
Chegaram pira o Bazar do PavSe os
mais modernos casaquinhos ou basquinas de
guipure com cintura, ricamente enfeitados
com lacos, e vendem se pelo barato preco
de 100, 120, 160, e 200, pecnincha,
ra da Impe-atriz n. 60.
LENCOS DE MORIM A 30500 A DZIA
Veadem-se duzias de lencos finissimos,
brancos de morim, sendo fazenda muito
encorpada, a 30500 a dazia. Ditos de
cambraias finissimas, fazenda que sempre
se venden a 50000 e liquida-se a 30500 a
duza por haver muita porcSo, no Bazardo
Pavo a roa da Imperatriz n. 60.
CORTINADOS DO BAZAR DO PAVAO A
80 100 120 E 160
Chegou ama grande remessa dos me-
lhores cortinados bordados, proprios para
camas e janellas, que se vendem pelo ba-
rato preco de 80,100, 120, e 160, o par :
ra da Imperatriz n. 60.
MADAPOLO ENFESTADO PECA A
30200
Vendem-se pecas de madapolo francez
enfestado, tendo H metros cada peca a
3200: pecnincha no Bazar do Pavo,
ra da Imperatriz o. 60.
DAMASCOS PARA COLCHAS
No Razar do PavSo, vende-se damasco
enfestado com bonitos dezenhos, tendo 6
palmos de largura, proprios para colchas,
pelo barato preco de 10280 cada covado,
dito, dito, com 8 palmos muito fino a
40000, assim eomo mnito bonitas colchas
de damasco de 13 que se vende na loja do
Pavo ra da Imperatriz n. 60.
RETALHOS DE CHITAS E CASSAS PRE-
TAS.
No Bazar do PavSo vende-se porcSo de
retalhos de chitas e cassas pretas sem li-
mite no preco : raa da Imperatriz n. 6a.
PECHINCHAS
DO
PAVAO
Ra da Imperatriz 60.
Para remer depressa
LINDAS JAPONEZAS PARA VESTIDOS A
A 500 RS.
Chegou om elegante sorfimento de 15as-
sortimento dos melbores pannos de croch,'noas do JapSo, com padrfes de seda e de
proprios para cadeiras de balanco sofs, mmt Doa qoalidade, qre se vendem a
pianos, tamboretes e at proprios para cu- ^ rs- covado. peihincht, no Bazar
brir almofadas e pratos; vendeodo-se por d pav3o, ra da Imperairiz n. 60.
do
POUPELINAS DO JAPO A 10600 O COVADO.
Chegou um elegante sortimento de lin-
dissimas poupelinas Japonezas, com os
menos do que em qualquer parte.
PARA LENCOES
No Bazar do Pavo vende-se superior,
bramante d'algodSo com 10 palmos de lar- mais delicados gostoy, tendo muito lustro
gura a 10800 o metro, dito de linho com a Ie com l'strinhas de eda, sendo esta nova
mesma largura a 20800 cada metro, pannos: taenda quasi da la'gara da chita france-
dslinhodoportocom3 1/2 palmos de largara za.e vende-se pelooarato preco de 10600
de 720 at 10 a vara, assim como um grande
sortimento de Hjmborgo ou creguellas de
todos os nomeros, precos on qualidades,
que se vendem mais barato do que em oo-
tra qnalqner parte ; aproveitem-
ATOALHADOS
No Bazar do Pav3o vende-se superior
atoalhade trancado, com 8 palmos de largu-
ra a 10600 o metro, dito de linho adamas-
cado o melhor que tem vindo ao mercado a
30500 o metro ; ludo isto muito barato.
FAZENDAS PARA LUTO
No Bazar do Pav3o vende-se constante-
mente o melhor sortimento de fazendas
pretas para luto, como sejam :
Lasinhas pretas lisas.
Cassas pretas de 13a.
Cassas pretas, francezas e ioglezas, lisas
e com salpico?.
Chitas pretas de todas as qualidades.
Alpacas pretas lisas.
Ditas lavradas com branco.
Merinos, cantos, bombazinas, que sa
vendem mais barats do que em outra qual-
quer parte.
CACHE-NEZ A 60000.
No Bazar do PavSo vpndem.se bonitos e
grandes cachi-nez de pura Ia, pelo bara-
to preco de 60000 cada am.
r-EUICNCHA EM CAMBRAIAS VICTORIAS, A 50,
60, 70 80000.
Vende-se um explendido sortimento de
flnissimas cambraias victorias, por precos
mais baratas do que em outra qualquer
parte, tendo cada peca 10 jardas a 50, 60,
60500 e 70000, flnissimas a 80500 ; todas
estas cambraias valem muito mais dioheiro
e liquidam-se por este preco em relaco a
orna grande compra que se fez no Bazar
do PavSo.
BABADINIOS
No Bazar do PavSo vende-se um grande
sortimento dos mais finos babadinhos borda-
dos tapados e transparentes, assim como
urna grande porcSo de entremeios largos e
estreitos, que para acabar se vende mnito
em conta e mais barato do que em ootra
qualquer parte.
SETINSDE CORES E GROSDENAPLES.
No Bazar do Pavo vende-se um sortimen-
to completo dos melhores setios e grosde-
naples de todas as cores, que se vendem
muito em conta.
Colchas brancas 30200, 30500 e 70000.
Para o Bazar do Pav3o chegou um grande
sortimento das melhores colchas pretas,
sendo das melhores e mais encorpadas qoe
tem vindo 70000, ditas um pouco mais
baixa 30500 e ditas 30200; tambem no
mesmo estabelecimento, se vende um grande
sortimento de crtones e chitas proprias
para colchas que se vendem mnito em conta.
Sedas de qnadrinhos a 10280 ao corado
Vende-se um elegante sortimento de sedas
de qnadrinhos, com lind ssimas cores, para
vestidos e roupas de meninos, e vende-se
10280 cada covado; pechiacha no
Bazar do Pavo.
CHALES DE RENDA.
Chales 200J.
Chales 2000.
Chales 2000.
Vende-se orna grande porcSo de chales
pretos de renda ou croch, sendo pretos
com 4 pontas, fazenda que mpre se ven-
den 50000 e liquida-se a 20000 cada om,
pechincha no Bjzar do PavSo, a ra da
imperatriz o. 60.
LINDAS BAREGES A 320 RS. O COVADO
No Bazar do PavSo vende-se o mais bo-
nito sortimento de finissimas bareges trans-
parentes com as mais bonitas listas de cores
proprias para vestido, e liquida-se a pataca
o covado por estarmos mnito prximos da
festa ; ditas mesefadas, fazenda mnito lus-
trosa e com lindas cores a 400 ris o covado,
pechincha a roa da Imperatriz n. 60.
LENQOS DE CASSA DUZIA 30000
Vendem-se finissimos lencos de cassa
com delicadas cercaduras, de cores fizas
j embanhados, sendo proprio para bomens
e senhoras pelo baratissimo preco de 30O O
a duzia, no Bazar do PavSo a roa da Impe-
ratriz n. 60.
TOALHAS A 70500
No Bazar do PavSo fez se orna grande
,-ompra de toalhas alcochoadas, proprias
para rosto, bastante encorpadas e grandes,
roe sempre se venderam a 120000, e li-
raidam-se a 70500 a dazfaou a 640 rs.
cada urna, boa pechincha.
cada cavado, no Basar do Pa-5o.
AS POUPELINAS DO rAVAO A 20000, O COVADO.
Chegou para < Bazar do PavSo om bo-
nito sortimento ias mais modernas e ele-
gantes poopelinis de linho e seda, que se
vendem pelo baratissimo preco de 20000
cada om covado, assim como ditas com
gostos escossrzes a 20400, pecnincha no
Bazrr do PavSo.
SEDAS a 20000
Chegou tm elegante sortimento de boni-
tas seda* da listrinhas, com as cores mais no
vas qua tem vindo a o mercado e veudem-se
a 20000 o covado, na roa da Imperatriz
Bazar do PavSo.
CRETONB FORTE A 20000 O METRO
S no Bazar do PavSo.
Chegou o verdadeiro cretone francez pro-
prio para lencoes tendo 10 pa'mos de lar-
gura, a moito encorpado, sendo preciso ape-
nas para cada le&col i V* ou 1 '/* metros, alm
d'esta applicacSo tambem esta larga e en-
corpada fazenda propria para toalhas, saias,
ceroulas, etc. e liquida-se pelo barato pre-
co de 20000 cada metro.
CASEMIRAS A 20500 CADA COVADO
No Bazar do PavSo vende-se um grande
sortimeato de bonitas casemiras de orna f
cor, sendo asul, lirio, mescada, sendo de
duas larguras, proprias para calcas, paliWs,
e roapos para menino, e vendem S8 pelo
barato preco de 20500 o covado, roa da
Imperatriz n. 60.
BONITAS LASINHAS A 500 RS. O COVADO,
Vende-se delicadas lasinhas com diffe-
rentes gosto pelo barato preco de 500 rs.
o covado, no Bazar do PavSo.
ALPACAS BRANCAS.
Vende-se um bonito sortimento de finis-
simas alpacas brancas lavradas, imitaco
de seda, proprias para vestidos de baile ou
casamentos no Bazar do PavSo.
ALPACAS LAVRADAS A 400, 560 E 640 RS.
Vende-se um grande sortimento de lin-
das alpacas lavradas de todas as cores para
vestidos e vendem-se a 400, 550 e 640
e at mil e tantos res o covado, no Bazar
do PavSo.
BAREGES DI QADRINHOS A 600 RS. 0 COVADO
Ver,de-se as mais lindas e moderdas la-
sinhas oo bareges de qnadrinhos, proprios
para vestidos, tendo quasi largura de chita
frsnceza. e liqoida-se a 640 rs. o covado,
no Bazar do PavSo.
MERINOS DE CORES RARA VESTOJOS.
Vende-se bonitos merinos de orna s
cor com cores moito proprios para vestido
e reupas para cranlas por ser ama fazen-
da de pnra 13a e muito leve, vende-se a 10
o covado, no Bazar do PavSo.
GLACS A 10000 PARA VESTIDOS.
Vende-se um elegante sortimento desta
nova fazenda denominada glacs sendo orna
fazenda de 13a muito larga e com delica-
dissimas cores, tendo tanto brilho como a
seda e vende-se pelo barato preco de 10,
" cevado, no Bazar do PavSo.
CASEMIRAS A 70000
Vendem-se cortes de casemira ingleza de
core3 para calcas sendo fazenda qae vale
muito mais dioheiro e liquida-se a 70000
o corte de calca, no Bazar do PavSo a ra
da Imperatriz n. 60.
GRANDE PECHINCHA EM CAMBRAIAS TRANSPA-
RENTES a 40, 50,60, 80, e 100000
Vende-se finissimas cambraias suissas, de
muita phantasia. tendo 9 varas a 80500 e
100000. Ditas bispo com 10 jardas fazen-
da muito fina a 50, 60 e 70000. Ditas fi-
nissimas azuladinhas, que valem muito mais
dinheiro, a 80 e 100000: todas estas cam-
braias, em relacSo a qnalidade, pelos pre-
cos cima sSo mais baratas do que em oo-
tra qaalquer parte, no Bazr do PavSo.
CAlffiRAIA ALLEMAA COM 8 PALMOS DE LAR-
GURA A LJ600, H E 500.
\ enae-se fioissima cambraia branca tran-
pa ente com 8 palmos de largara, qoe faci-
lita fazer-se om vestido apenas com 4
varas e liquida-se a 10600, *0 e 20500 a
vara, fazenda qoe vale muito mais dinheiro
E pechincha no Bazar do PavSo.
CAMBRAIA TRANSPARENTE
Peca a 40000
Vende-se muito finas pecas de cambraias
brancas transparentes, tendo 8 1|2 varas ca-
da peca e com om vara de largara a 40
pechincha, no Bazar do PavSo
Sewpre aiawa Eaperaneai
AOHBLLOSEXO.
Esta loja bem condecid* pela sna elegancia e
superioridade de sea objeetis, acaba de receber
mailos artigos para o que respetosamente convida
ao bello sexo a vizita-la, aflm decomprarem aqoil-
lo qae f reci'sarem para preparos de vestidos toi-
lete ou tocadores, e mesmo qnalqner objecto para
fazer algum prezente...|pois qae s) na Nova E?pe-
ranca ficarao sati>feito8, j pela qoalidade e pre-
cos razoaveis, e mesmo por que a Nova Esperan-
za ofana- em nao se impacientar era dar a es-
coltar os objecto?, presando-se com o agrado
cm qne costuma receber a lodos, aflm de que
saibam com o lh*me proposito de voltarem oo
mandaren) a mesira leja, logo qae precisen] d
qnalqner artigo porpujoeno qneseja.
Ll'VS [DE PELLICA.
Recebeuas de Lisboa a Nota Esperanza para
bomens, senhora e meninos, sendo brancas e de
cores.
NOVIDADE.
Bico de qnipnre preto com branco, a Nova Es-
peranza i qnem tem 11
Caixas para joias.
Nova Eperanca recebeu boas caixas de sao-
dalo para guardar joias.
Fitas largas para cintos.
Recebeuas de moitas qaadades a Nova Espe
ranea.
Para extinguir panos on sardas.
Nova Eperanca tem leite de rosas brancas.
Para tingir cabellos.
Tem a Nova Esperanza a verdadeira tiota in-
gleza.
Para refrescar a pelleeaformozia-la.
A Nova Esperanca roa Duqne de Caxias o. 63,
vende verdadeira albina branca de Lais
GRANDE Wm
Perfumaras
As melhores, e do mais conhecldo fabricante,
tanto francez como inglez, esto expostas venda
na roa Duque de Caxias n. 63, na Nova Espe
ranea.
Extractos, banba, oleo, sabonetes, agoas de co-
lonia, de laranja, florida e de lavande, ele, etc.,
tudo de snperior qualid?de : vende-se na Nova
Esperanca roa Duque de Caxias n. 63.
Agora sim
t !
A Nova Esperanza, a raa Duque de Caxias n.
63, recebeu um lindo sortimento de lia para bor-
dar, vindo as cores mais procuradas, branca, pre-
ta, escarate etc. etc. a lia ames que se acabe 1
Aos cigarreiros.
A Nova Esperanca vende papel para cigarros
(Mais) a lOO a caixinha barato I
CEMENTO
O verdadeiro portland. S se vende na roa da
Madre de Dos n. 22, armazem de Joao Martins de
Barros
MACHINAS PARA
COSTURA
Acabam de chegar ao GRANDE BAZAR
UNIVERSAL, roa Nova n. 22cabneibo
vunnaum completo sortimento de ma-
chinas para costura, dos autores mais co-
nbecidos, as quaes esto em eiposigao no
mesmo Bazar, garantindos-e a soa boa qoa-
lidade, e tambem ensina-se com perfeicSo
a todos os compradores. Estas machinas
sao iguaes no sen trabaiho ao de 30 costu-
re i ras diariamente, e a su a perfeicSo tal
como da melhor costureira de Paris. Apre-
sentam-se trabalbos executados pelas mes-
mas, que muito devem agradar aos prelen
dentes:
Cerveja branc i e preta
DA
engarrafada por
Bloodo Wolfe & C.^
especialmente para o Brasil
UNICS AGENTES EM PERNAMBUCO.
/. Jefenes fir C.
46. Ra do Uommercio 46.
|Aos Srs. fumantes.
*
Quando a AGUIA BRRNCA, mais precisa scientificar ao respeitavel pobheoaai
geral, a em particolar a soa boa freguezia, da immensidade de objectos qne ortnumen
te tem receido, jostamentefqoando ella menos o pode fazer e porque essa falta 4 into
luntaria ella iconfla e espera na benevolencia de todos qoe lh'a attenderSo e relevarlo.
continuando portanto a dirigirem-se a bem conhecida loja da AGUIA BRANCA roa d*
Qoeimado n. 8, onde sempre acharSo abundancia em sortimento de snperioriiade e
qualidades, modicdade em precos e o sea nunca desmenttido AGRADO E SINCERIDAD!.
Do qoe cima fica dito se conhece qoe o tempo de qoe a AGUIA BRANCt pd
dispor, 6 empregado apezar de seos custos no deeempenho de bem servir a aquellos qne l
honram procurando prover-se em dita loja do qne necessitam, entretanto sem ewmma
rar os objectos qoe por soa oatoreza sSo mais conhecidos ali, ella resumidamente indi-
car aquelles coja importancia, elegancia e novidade os tornam recommendaTeif,
bem seja :
Corpinbos de cambraia, primorosamente
enfeitados com fitas de setim e obras essas
cuja novidade de molde e perfeicSo de ador-
nos os tornam apreciados.
Fitas mni largas de diversas cores e qaa-
dades para cintos.
Leques oesse objecto moito se poderla
dizer qoerendo descreve-los minuciosamente
por soas qualidades, coree e desenhos, tal
e o grande e variado sortimento qoe acaba
de chegar, mas para nao massar o preten-
dente se me apresentari o qoe poder de
melhor.
Entremeios em pecas de 12 tiras.
Guipare branco e preto de diversas qua-
lidades e desenhos.
Ditos de algodlo com flores e lisos.
Veos de seda para chapeUnas e monta-
ra.
Meias de seda para noivas.
Ditas abertas de fio de Escossia.
Costumes oo uniformes para meninos.
Enxovaes completos para bapttsados.
Tooqoinhas de fil, sapatinhos bordados
e meis para ditos.
Camisinhas bordadas para ditos.
mwmmmmmmn mmmmmmmmmammm
^ A IIATf AVI IBfl Affilll 93
co II III I A I Ji-IL _______ &
Capellas brancas para meninas.
Grande sortimento de flores finas.
Fil de seda preto.
PERFUMARA
Grande e constante sortimento de dita,
sempre melhor qoalidade.
Lindos vasos com pos d arroz e pinsel.
Caixinhas com ditos aromticos.
Bonitos e modernos pentes doorados pa
ra circular o coque.
Bonitos brincos de plaqueo.
Aderecos e brincos de madreperof
Caivetes finos para abrir latas.
Thesouras para frisar babadinhos. '
Aspas para balSo.
Novos stereoscopos com 48 vistas, a>
quaes sSo movidas por om macbiaiiau
ornas substkuem as outras.
Vistas para stereoscopos.
Bonitas caixinhas devidro enfeitados co
pedras.
DUtt de madeira envernisada com vitpo
ras e com dminos,
Bollas de borracha para brmquedo ti
cri ancas.
Diversos objectos de porcelana, proprlot
para enfeites de mesa e de lapinhas.
I
I
i
0
N.3ARUAD0CAbUG13:A.
AfiOSTIMO 4 BM.10S
o
i-
co
>
Com este titulo acha-se aberto 6 "inteiramente transformado este antigo
estabelecimento de joias, onde os freguezes e amigos encontrarSo todo qoanto
a moda e o bom gosto tem inventado na arte de ourvesaria, o Collar de Ouro
observar delicadeza no trato e senciridade e modecidade nos precos.
Espera que o respeitavel pnblico venha ver o que existe de melhor em
aderocos de brilhantes, esmeraldas, robins e perolas, meios aderecos, pul-
ceiras, brincos, alfinetes e anneis de todas as qualidades, prata de le faquei-
ros, colheres, paliteiros salvas e ootros maitos objectos qae seria enfadonho
mencionar.
Compra-se ooro, prata, brilhantes e pedras finas, pormaior preco do
qoe em outra qualquer parte, troca-se e concerta-se todo e qualquer objecto
pertencente a esta arte.
!
ATTENCAO
Lourence Pereira Mends GnimarSes, participa a todos os seos devedora
tanto da praca como do mato, que estando 1 qoidando suas casas commerciaes. o qo
deve fazer at o fim do correte anno, por laso roga a tedos os seus devedorea a vire
saldar seus dbitos o mais breve possivel; outro sim, declara aos sens devedores, qos
os que nSo estiverem na loja tem de pagar todos os seus dbitos, provando isto se fart
o abatimento que for preciso para a liquidacSo de suas dividas, para isto poderlo di-
rigir-se roa da Imperatriz n, 72, loja da Arara.
Ao resto das pechinchas
Vende-se cortes de castores para
Charutos i finos da Baha, do afamado ^
fabricante Joaquim Jos dos Reis, moito c
superiores, por precos mdicos : na fa- 2At
35 brica a vapor de cigarros na amiga
9 do Quartel de polica n. 21.
roa
Espanadores de patba os mais bem fei'o. possi
&e3: na praca da Independencia n, 39
FARINHA
de trigo a 5J000 a barrica : no armazem Ba-
liza, roa do Livramento n. 38.
INDEMNISADORA
Em eoroprimento do disposto no art. 19 do;
estatutos da mesma companhia serae vendidas 80
de soas acedes em seis lotes, sendo :
1 lote de 20 acedes de ns. 181 a 200.
1 dito de 5 ditas da ns. 271 a 275.
1 difo de 20 ditas de tu. 376 a 393.
1 dito de S ditas de ns. 616 a 620.
1 dito de 8 ditas de ns. 691 a 655.
1 dito de 20 ditas de ns. 971 a 990.
1 dito de 5 ditas de ns. 996 a 1000
Os pretendentes deverio dirigir soas propostts
por interveneao de corretores geraes at o da 27
do corrate ao escriptorio da dita companhia, roa
do Vigario o. 4.
Recite 15 de dezembro de 1870.
Os directores,
Antonio Jos Leal Reis.
Joao da Silva Regadas.
Jos da Silva Loyo.
A' ra da Imperatriz
n. 60.
Bazar, do Payo sito a ra da Imperatriz n. 60, -esta' constantemente aberto
das 6 horas da manta as 9 da noute.
Aviso importante.
Na cidade de Olinda, roa da Rlbeira, defronle
da cadea, sobrado n. 10, vende-se por preco cora-
modo, como observar o comprador, doce de dif-
erentes qoalidade, na smente secco como de
calda, em pequeoa quantdade, e tambera em por-
coes maiores ; e ahi mesmo se preparara caixas
com, oo sem enfeites de diversas qaadades de
doce, como de caj, de sidra, de laranja ato. :
Quem qnizer va ver, e si certificar da verdade
de qoe fica exposto.
Attencao
Vende-se orna taberna muito afregnezada
dateo da Peoha n. 1L: a tratar na mesma.
no
. calcas,
500 rs. Cortes de brins de cores a
10500; cortes de gangas para calcas a 10,
cortes de casemiras preta para calcas a
30500, 43, 5,51 e 60000.
Cortes de caitas a 2:500.
Vende-se cortes de chitas para vestipes
a 20500. Ditos de cassa para vestidos a
20500.
Pechincha a 40000.
Vende-se pecasflde algodSo a~40, 50, 60
o /MJOv1.
Para liquidar a 303OO.|
Pecas de madapolSo com 12 jardas a
30800. Ditas de dito com 24 jardas a 50,
60, 60500, 70, 80 e 90000.
LIQUIDACiO.
Pecas de algodSosioho de listra proprio
para roupas de escravos com 42 jardas a
60500 e covado 160 rs. para liquidar.
Chitas escuras para vestidos a 280, 320
e 360 rs. o covado.
Para acabar.
Vende-se pecas de cambraias victoria, fi-
nas a 60, 60500 e 70000.
E* Buito barato.
Colarinhos de papel a 240 rs. a duzia.
Cortinadas para janellas a 50000.
Vende-se cortinapos para janellas a 50
o par. Brim pardo liso para calca de ser-
vico a 500 rs o metro.
Cortes de percales a 60000.
Vende-se cortes de percales d duas
saias de bonitas barras a 60000.
Cobertas de chita.
Vende-se a 10500, ditos finas a 20500,
ditas encarnadas e adamascadas a 30500,
ditos forradas 50000.
Gangas para calcas a 280 o covado.
Brim de listra ao lado para calcas a 400
rs. o covado.
Lencos brancos a 20000 a doxia, para l-
quidar;' grande porcSo de mantas para
gravatas a 200 rs. cada nma para liquidar.
Cassas francezas a 80 rs.
Vende-se cassas francezas 'para vestidos
a 280 e 320 rs. o covado.
Orfandys de cores para vestidos a 400
e 640.0 covado.
Alpacas de cores para vestidos a 500 e
640 ra. o corado.
Liasinbas para rostidos a 329, 400 e 520
rs. o covado.
BALES' BE ARCOS
Vende-se bales de 15
e 10500 cada um. Cortes
papel a 20500 cada um,
a 10000.
a 30 arcos a l
de cassas em
para liquidar.
Bramante de linho e algodlo cem 10 pal-
mos, de largura o 10800 o metro.
Panno de linho a 760.
Vende-se bramante de 10 palmos de lar'
tara proprio pa a lences a 20800 o metro',
Lencos de seda a 80U rs.
Vende-se urna porcSo de lencos de seda
a 800 rs. cada am.
Chales de cassa a 10400.
Vende-se urna granbe porcio de chalet
de cassa a 10000 cada um, para liquidar.
Fustao a 360 rs.
Vende-se fostSo de cores para vestido*
a 360 rs. o covado.
AlgodSo enfestadb a 900 ra.
Vendase algodSo enfestado para lencet
e toalhas a 900 rs. o metro, dito transa-
do a 10200 o metro.
Chales de merin estaanadM a 30000.
Vende-se cuales de merino estampado*
cm barras a 20, 20500 e 30 para acaba
Grande porcSo da retamos.
Vende-se grande porcSo de refalos di
cassas e chitas a 240 rs. o covado.
A festa est na porta
Roupa feita encontrarlo
Por precinto razoavel
Todos se enronparSo.
A SABER :
Liquidacio de roiia feita.
Vende-se pallitots de brinsinho "de linho
propiio para andar em casa a 10500 ; di'
tos de ganga a 20000 ; ditos de meia ca^
semira a 3$000 ; ditos de alpaca decor
30500 e 40000; ditos de panno fino
preto a 60, 80 e 100000 ; ditos de case-
miras de cores, a 60 e 80000 ; coUetet
de cassi netas de cores, a 10500 ; ditos da
brins de qnadrinhos a 10000 ; ditos deca-
semiras de cores, a 20500, 30 e 40000.
Calcas azues para escravos a 500 ra.; ditas
de algodSosinho de listra a 800 ra. ; ditas
de brim pardo a 10600, ** *p fi-
tas de dito branco de linho a 30500 e 40 ;
ditas de casemiras de cores a 50, *10, 70
e 80000 ; camisas de chita a (0600; di-
tas de algodSosinho, proprias para o ser-
vico por ser fazanda forte, a 10280; ditas
de musolina a 10600 rs. Para liquidar.
O proprietario da loja denominado Arara, declaa ae respeitavel pnblico e aoia
seus fregnezes qne est coocloindo sus liquiduSo, por isso qfiem qnizer mnnir-se da
boas fazendas por penco dinheiro tenha aboodade de irigir- th* S^rua da Imperatris o<
72, desdeas 6 horas da maohia as 9 da noute.



'i-*1

I ?
Diario de Pernamtuco Terga eira 27 de Dezerubro de
1870.
(TUERTOS
"

Ao arMiazesu do Va-
por Fraaccz, rna
do llaro la Victo-
ria (osir ora ra
' Nova) a. 9.
Ao arnaien do Va-
por Franrez. rna
do BarSo da VieCo-
rla (oiitr ora rua
Nova) u. 9.
Perfumaras, quinquilharias e farinquedos
para meninos.
Europa S ^^ chegados da
presos resumidos o mais possivd, os ariigos seriesi: a pabllC0 em geral' Pr
GUARANY
Em breva se principiar a dar um catalogo do grandissimo serlimento deste es-
laDelecimento. Encarrega-se de encadernac5es etc.
"GRANDE S0RTlMffF0~DE MSICAS
* SAf.lO uk piamos e de msicas
Rua da Imperatriz n. 14 loja
Para flauta, clarinetta. rabeca de pequea e grande orcbestra, para banda
militar e harmonio, to proprio para este tempo de festas e para augmentar a solemni-
dade dos actos religiosos.
Todo pedido das provincias ou- dafaterior serao promptamente attendidos.
NOVIDADES
CASCASO
Botinas para senhorasduraque braDeo, prelo
e de outras umitas cores eseolhidas do ultimo gos-
to da moda. e
Botinas para meniaas igual orliraento.
San*(inhos de salto para senhoraduraque pre-
to, brinco e de cores, e de couro de lustro.
Bolinhas para crianzas, proprias de baptisa^
dos.
Botinas de diversasvqualiaades para homem.
BjUj russianas para montaria, tanto inglezas
de couro da Rusia para viagero, como francezas
de Melier, bezorru fino, para passeios.
Me:as perneiras para meninos do 10 a 16 ao-
Boa.
Sapatos de brim branco para homens.
Sapatos de vaqueta de lustro com sola de ma-
deira, proprios para banhos.
Sapatos de borracha para homens e senhoras.
Sapatos abotinados, de dilferentes modelos, mu-
to bons e fortes, para meninos e raeuinas.
Sapatos de tapete, aveJIudado?, Cliarlot. casi-
mira preta, de tranca portuguezes, para homens,
senhoras e meainas.
Perfumaras.
Extractos Uno?, banhas, cosmticos, leos, opia-
tas, aguas de Cologne em garrafas de crystal para
presentes, agua divina, agua florida, denlifrice la
vande, agua de toilet, tintura para barba e cabel-
los, pomada honjroiso para bigodes, pos de arroz-
e sabonetes, ludo isto de primeira (lualidade, dos
fabricantes Coudray, Piver e Lubin.
Quinquilharias
Luvas de pellica brancasJouvin.
Espelhos grandes dourados para salas, quartos
e gabinetes.
Leques para senhoras e meninas.
Joias de ouro, brincos, transelin?, pnlseiras,
botoes de pnnbos, de abertura, c irrentes e chaves
de relogio, tudo de ouro bom de lei.
Brincos de plaqu iraitacao de ouro.
torrentes para relogio.
Abctoadaras para colletes e para punhos.
Albuns de velludo e marroquini para retratos.
Mammadeiras de /idro para enancas.
Gamonas de costura, novos modelos com mn-
i, proprias para presentes.
Quadrinhos dourados para retratos.
T(.iucas e sapatinhos de laa para criaoc?.
Upellas para uoivas e para pastoras de pre-
aepios F
Gaxinhas com vidros de augme no para ver-
e era ponto grande a phoiograpnia dos retratos.
Fes de vidro para pianos.
Tbesourinhas para eos ura e unhas.
Bolcinhas de seda e de veludo.
Cestinhae para braco de meninas,
alaios para costura.
Cesos d'arame pratiado para frutas e pao a
ire?a.
Ricos artfgos de pbantasia necessarlo para toi-
metes e proprios de presentes.
Jarros e bouquets de porcelana para sanlua-
nos.
Registre* de papel flno mni delicados.
Quadros promptos para colloear vistas.
Molduras douradas para qua Iros.
Estompas de bellas pavsageos de cidadd3, de
figuras o de santos.
Espanadore> de penas e de palha.
Carteiras para notos e para dinheiro.
Caixinha de msica de darse corda.
Poateiras de espuma para cigarros e charutos
Grvalas de seda pretos e de cores.
Bengalas de cana com castoes de marflm.
Ditas de baleia, junco e de muitas quaudades.
Pentes finos de marflm para caspas.
Escovas para faci, para cabello e para denles.
Lunetas ou pencinez de prata dourada.
Ditos de tartaruga e de ac
Oeulos de prata dourada e de aeo.
Reverbero transparente para eandieiroe.
Ditos para linternas de pianos.
Cotos econmicos para relias de spermacete.
Cordas para violSo.
Port-pratos para mesa.
Gaixinhas de diversos momios e preo.
Objectos novos de mgicas o meltor possivel,
para divertir meninos.
Malas, saceos e boleas para viagens.
Estojos de viagens, completo com navalhas.
fcsporas de metal branco para saltos.
(.hicotes fortes com martello para viagem.
pitos de muitos modelos, de junco e de baleias.
Luvas de fio de Escocia brancas, e de c&res.
Ditas de camnrea amarellas.
Machinas para lazer caf.
Globos de papel de cores para illumlnacoes de
festas campestres.
Balos de cores, de subir ao ar fcilmente.
Jogos de domin, da gloria, vispora?, rodetes,
bagatela e outros jogos allemaes.
Esterscopos com as mais bonitas vistas, de
tiguras destacadas e grupos de familias.
Armnicos ou accordions de todos os tamanhos
e novos modelos com trmulos.
Realejos pequeos com novas msicas.
Cosmoramas de varios tamanhos, com difieren-
tes vistas mui pitorescas.
Para lapinhas.
Presepios completo com todas as pecas e sorti-
mentos avulsos de figurinhas, animaes, casas, jar-
dn, etc.
Aten Todos os artigos mencionados neste annuncio
vendem-se muito baratos, nao s pelos abatimen
l nntirlna Ana fiKrinuntr.,- .. -** ^ ____..
tos obtidos dos fabricantes
des e repelidas compras, i__
de vender muito anda mesmo
lacro.
em attencio as gran-
como pelo bom systema
com diminutissimo
NOVO SORTIMENTO DE MSICAS
NO
SALSO DE PIANOS E DE MSICAS
Kua da Imperatriz d. J4 loja
contera :
MSICAS PAIU PIANO d^s mais facis at s mais difficeis, toda dos autores mais
mnvrninnc j mo(!ernos nas melhores edices da Europa e do Rio.
NOMDADES quadnlhas, polkas, walsas.
TANGOS, Habaneros, modinbas, candes brasileras e hespanhola, romances francezes,
anas e cavatinas.
Operas inteiras proprias para presentes
uqo para piano e para canto da opera
7 Eua doQueimado 7
DE
MEMA & BASTOS
E' chegado a esto novo estabelecimento o mais bello sortimento de fazerJtias
to*, sendo gua especialidade enxovaes para noivado.
Vestidos de blond de4sda ricamente bordados.
Gorgur5o do seda branco para vestido.
Colchas de seda pura, para cama com ricos desenhos.
Ditas de 19a e seda, id- m idem.
Ditas de croxty idem idem.
Cortinados ricamente bordados para cama e janellas.
Croxs p ira cadeiras e sofs.
Vestidos de cambraia branca bordados.
Popelines de lindos gostos.
L3as de diversas qoalidades, lindos gostos e modernas.
Ricos b mrnus para passeio, com listras de setim.
Sabidas de baile o que ha de mais rico.
Cretones para vestidos com lindos desenhos.
Carnizas bordadas e sem bordados para senhoras.
Camisas bordadas muito Anas para homens.
D tas inglezas para homens e meninos.
Seroulas de linho, e uta grande sortimento de roupas feitas e de fazendas qoe
i enfadoDho mencionar.
Luvas frescas de Jouvin
Sortimento de tapetes para guarnieses de salas, alcatifas para forro de sala, e o
(rande sortimento das acreditadas e verdadeiras
7 >-'***irf*ic.. **
JOS
DE
^
aihIi
ALVESTEHORIO & C.
RUA ESTREITA DO ROSARIO N. 5
Jof Alves Tenorio, professor em homeopathia, tendo-se retirado do laboratorio
homeopathico e consultorio de sen illustre e finado amigo o Dr. Sabino 0., L. Pinbo,
que por muitos anuos estiveram sob sua direceo, tcm se e.-belecido, fob a firma
Jos Alves Tenorio 4 C, rua estrca do Rosario n 3, onde nimado pela confianca
com que honraram-no os amigos da homeopathia lhes oflYrece c ao respeilavr1 publico
em completo sortimento de tedas as preparares hi>meopatlcas conhecida?, recebidas
das mais acreditadas casas de Londres e Pariz, e indiginas, bem como ludo quanio diz
respailo a homeopathia e sna pratica, cperaido que continuem a honra lo cem a me
ma eoBlianca, para o que nao se poupar esforgos.
Precos das boticas
m
8
GLBULOS.
1 bolica de 12 medicamentos.
1 24
t 36 t
i 48
1 60 o
i 120 c
10*000
20*000
30*000
35*000
40*000
70*000
TINTURAS.
1 botica de 12 medicamentos.
1 < 21
1 < 36
1 48
1 i 60
1 120
15*000
2"*000
40*000
50*000
C0*OC0
tio*uoo

jAp DE OURO
Nova loja de joias
RUA D0|CABGA' N.9 A.
DE
Manoel da Cimba Saldanha & C.
Acaba de abri-se este estabeleciment de joias, o qoal tem grande sorti-
g ment de todas as joias de ultimo gosto, as qoaes wnder o mais barato pos-
^ Todas as joias serSo garantidas ouro de lei, pois os seas donos tendo em
%l vista so adquirir freguezia a3o olvidado, veeder bom e por precos os mais
k razoaveis possiveie.
Convida-se o publico a vir a este estabeeciaeBto, corto de ojeficar
sasfeito. ^
^^r,^ A'i0 DE OORRA DO CABCA N. 9 A
bao uteis essas boticas aos Srs. mdicos, senhores de engenho, fasend iros, che-
fes de familias, capitaes de navios, e em geral todos quanlos quixerem dedicar se a
franca da homeopathia.
Medicamentos avulsos pelos precos das outras drogaras, bem corro chocolate de x
Londres e do Maranhao para uso dos doentes em tratamenlo pelo systema homeopathico. *-#t;
&

*$m
-,.V
,

S.
CONFEITARIA
DOS
ANANAZEI
Rua da Cruz n. 16
%SSS1& AMENDOAScoDfeitadas: xaropes rri-
BOLINHOS para cha; pao de lo; bollo'gerantes ; vinho Bucellas, branco e tinto
(Dgiez; pastis de differentes qnaiidades; proprio para mesa i vermooth : absvno
doces de fructas, em calda e secco, em cognac; vinbosfinos, champagne.
barnlinhos em latas. v g
CAIXINHAS com amendoas e pastilhas, PAPIS para sortes,' ditos vendado*
proprias para presentes ; cha preto, miado, para cobrir bolos.
de superior qualidade ; latas com pecegos |
a i000. | PRESUNTOS e fiambres.
klllblm-SE oncommendas de bandejas com bolinhos, com armacao de assu-
car e sem ella ; de pao de l e bolos enfeitados com disticos e sem elles; e de outro*
muitos objectos proprios para grandes jantares, bailes, etc., etc.
GERAL
176.
a
DOS PREMIOS DA U. PARTE DAS LOTERAS CONCEDIDA POR LEI PROVINCIAL N. 472, A BENEFICIO DA IRMANDADE DO SENHOR BOM JESS DA
VIA SACRA, EXTRAHIDA EM 24 DE DEZEMBRO DE 1870.
.1
c
7
10
II
15
Si
29
34
37
47
49
51
54
59
62
74
77
78
80
86
88
n
95
96
W
103
4
7
s
27
29
30
31
39
44
47
54
02
66
75
79
7!
203
10
14
16
6*
10*
6*
*S. i REMS.
219 6*
24
27
32
37 5:000*
48 6*
51
63
60
68 10*
70 6*
81
82
85
88
95 100*
6*
10*
6*
98
300
9
12
16
17
21
23
28
36
43
48
52
60
64
7*
78
79
83
86
92
93
06
407
K
19
22
26
37
10*
6*
NS. PRESIS.
447 6*
48
52
60
6i
66
71
76
77
79
80
82
83
86
90
95
98
99
519
30
37
46
48
57
73
74
76
79
81
84
83
88
91
W,
98
602
7
13
17
!9
26
33
38
40
41
47
NS. PREMS.
62
65
68
73
86
88
89
93
94
96
98
700
1
8
17
21
29
30
41
45
50
57
64
66
69
70
71
78
76
80
81
89
90
97
98
800
t
8
19
20
26
27
87
42
44
48
63
400*
6*
10*
6*
S. PREMS. i NS. PREMS.
m
6*
20*
6*
854
56
57
58
59
61
70
86
90
96
908
29
34
39
46
52
54
5o
67
74
80
83
87
90
93
96
99
1007
14
19
26
28
30
38
36
51
59
60
78
1103
7
9
H
25
6*
20*
6*
30*
6*
20*
6*
10*.
6*
1129
30
38
42
45
47
54
64
66
82
84
90
1201
8
6
7-
8
10
17
21
22
24
42
45
46
48
80
52
56

84
'96
1303
4
10
II
.
II
20
24
* 26.
W
36
39
41
81
6*
40*
6*
NS. PREMS.
~
__
20*
1352
So
57
58
61
64
67
08
73
74
82
85-
86
87
89
98
1409
17
21
33
42
44
45
46
47
48
34
60
61
64
67
3
69
6
98
1864
6
10
18
38
36
40
41
42
X81
57
6*
40*
6*
NS. PREMS.
1572
74
81
84
86
89
90
92
94
99
1601
2
3
3
8
6*
10*
6*
NS. PREMS.
32 -_
33 10*
39 6*
43
47 ^^
48 ....
82 ^^
53 _
84 _^
86 ^mm
60 _.
61 _
78 ^^
83
91 ^^
9% ^,
93 ,_
1701 ^
3 .
12
14 -i.
16 mmi
18 ^
20 _.
23 -.
18 - mm_.
33 _
36 ^m.
40 _
41 ...
1743
45
47
- 52
57
61
63
66
67
68
77
81
84
M
99
1800
1
6
7
11
14
18
20
23
31
44
47
86
64
65
66
7 '
74
76
80
93
1901
3
10
17
U
26
29
85
63
71
6*
900*
6*
NS. PREMS.
W*
64
10*
6*
1972
74
85
98
99
2O05
15
21
22
23
33
41
44
61
55
87
56
71
73
75
77
93
96
2110
14
W
27
29
45
46
48
51
62
07
79
96
07
2907
II
14
22
24
28
31
38
36
6*
NS. PREMS.
2241
42
46
67
58
59
64
-81
87
93
6*
NS. PREMS.
10*
6*
10*
2303 -
0
16
19
21
22
46
31
89
65
66
67
m
70
74
70
83
90
96
97
08
2400
1
1
4
t
ti
12
18
27
3ix
36
36
40
*
2ia2
56
58
62
64
68
77
82
83
88
89
91
99
2502
3
7
.9
13
14
15
19
24
27
33
34
41
44
48
51
58
89
61
64
87
68
72
M
63
7
2604
48
li
20
22
31
' 38
6*
10*
6*
NS. PREMS. I NS. PREMS.
10*
6*
10*
6*
20*
40*
68
43
45
50
51
52
33
38
73
76
80
90
91
93
98
96
98
2701
2
12
13
18
19
SO
36
40
42
43
48
56
96
71
73
74
80
84
86
87
8
4
96
90
2806

18
28
6*
100*
6*
10*
6*
10*
6*
200*
*.
2827
28
30
37
46
51
52
54
56
. 58
60
63
65
66
67
69
70
72
82
91
94
96
2901
11
17
18
28
29
32
38
43
44
52
88
0
64
77
82
86
87
89
90
93
3001
|
48
6*
20*
6*
NS. PBEMS. NS. PREMS.
400
H
Mi*
6*
404
3018
19
27
35
37
40
41
62
70
71
75
76
79
80
81
83
87
91
92
9o
97
99
3104
6
II
14
26
33
34
41
46
55
81
63
86
72
77
87
98
99
8201
7
11
17
Si
6*
/
24
3226
34
38
39
43
47
49
51
54
56
58
63
67
73
74
76
77
79
84
83
86
90
91
3300
6
12
13
16
20
39
30
31
39
44
42
45
48
80
86
m
63
7
76
8
H
98
U
V
40*
6*
408
6*
.


1
/
h
^
Diario de Pernamboco Terja fira 27 de Dezembro de 1870


UTTERATRA.
r tii i-
perd s
cunee-
BxPOSlfAO SOBRE A LARGLRA DAS ESTKADA8
DE FEnaO- DO FUTURO POR R. F. FAIM.1F.,
LlOA KM-SES60 DA ASSOCIACO BrITA.NMa
DF. LIVERPOOL, ACOSIPANIIADA DA NOTICIA
ACERC ADOS ESCLTADOi DE DL'AS SERIE 1)K
EXPERIENCIAS COMAS MACHINAS FAIIILIK.
(CoDimiiafSo).
Ambos os partidos bclligerantes
ram-se do combare cora grandes
pecaniariu ; necbum, porem. quiz
der a victoria ao outro.
0 resollado foi qoe a construeco de es-
tradas de varias largaras foi continuada ie
otr restados em caria urna dellas, e a-.-
$. afconteceu que ama linha larga foi eva-
da aos disirictos do nurte sendo a soa sub
aequente remoc3o a mellior prova da que
nunca deveria ter sidoemprehendida.
Comquanto a controversia qoe me reti-
ro fosse dirigida com summa habili ade, e
^>m grande dispendio de dinheirus d >s
accionistas, singular que os que celia es
lavara eropenhados nfo parecem jamis! r
levado em coota a economa relativa dos
planos qui respectivamente advogam. O
ame >!este imporiantissimo elemento te-
::a bncoio muita luz sobre a queslo. E-sa
palavra. purera, era eniao tiesconhecida jo
mando'da estrada de ferro e ao que el i
significa a'nda'hojt nao se d a eaasidera-
3o de vi da.
Se assim nao fos3e, esta exposico seria
h -icessaria ; pois j estara provacl > lia
annos, que ao passo que urna estrada es-
ta infinitamente menos dispendiosa do
qne urna mais larga, a sua capacidacic em
rriacSo f'rca e a velocidade eslo por-
'/lunenU em proporco com as necesi la-
Je? do pas.
Se isto livessesido conhecido, nao t< ria-
visto, como vemos actualmente, gran-
ie- districtos privados de toda a perspec-
i de gozarem das vaatagens de eslrail is
ie ferro, e miiares de accionistas lastiman-
1 i pTda dos resultados que tinbam fil-
ete do esperar do emprego dos .seus ca-
aes.
Alm Ja importante queslo de ecnomo
capacidade ele transportar das vias frreas
ie-saenos de qu.tro ps, 8 1|2 polleg.idas
iargurai entre trilhos, ainda nunca foi
.(nsiderada como devia se-lo. Concluio se
sem e;tame que urna iinha de menor lar-
1 do qi'.e esta seria limito limitada tanto
na loa .locultde que os tren p deriara viajar;
i lem se sustentado que a economa no cus
.5reria demasiadamente pequea para tor-
nar des javei urna mudanca. Nao meu
!im advogar urna mudanca destas na Gr3-
tretaoba, onde a largura de qir.tro pes
S t| pollegadas 'est estabelecida e em
jperaejo, e offerece a neeessaria faci lidade
| ira urna velocidade de 60 ou 70 milbas
B r hora, mas nicamente tomar as condi-
I do trafico d s estradas de ferro ingle-
sas como- exemplo dos- meus argumentos
ge raes.
Ao mesnio lempo nao se deve olvidar
ie estas condieces podiam de alguma for-
ma ser modificadas, em relacao economa
i em.-rego de trem rodante mais leve.
Hbidto o admildo pos todos que a (ro-
por$So de peso que n3o paga para o que
ag; e.D tren* de passageiros de 29 para
,103, era trens de cargas, exclusiva os mi-
aaraflA,,_i tie sete para un. Esta tenivel
JesproporcSo em paite devida ao systuaa
administricjo ; porm o 6 em muito
matar grao a largura das estrad:s. O peso
morto dos trens de passageiros ou de car-
ga esta na proporco directa da largura d-
estrada que percorrem ; oa para melhor
r, j piuDorc3> de peso que nao pag <
para o que pag (abstraeco eila do syste-
ma de administraco) cresce exadamento na
razio do augmento da distancia entre os
os porqaa u.a tonelada de nateriaes
iap tos sobre umi estrada de pouca lar-
ra enlre os trilhos poda carregar mnior
> do que sendo espalhada sobre um^
basa BMr.
[ara provar esta proposico bastar citar
a \ia farrea Fcjstiniog com a largura de um
- 11 e 1|2 pollegadas ntreos trilhos.
Os vsjgoss empregados nta estrada para
franaportar madeira pesam onieamente 12
.:ies, e frequentemente carregam um
peso de mais de 3 1(2 toneladas com ama
cidade de 12 millias por ora. Em oa
paiavras, estes wagoes carregam seis
reies o seu peso, emquanto os melbores
;")es as estradas inglezas ord narias do
carregam mais do qoe o dobro do seu
neso.
A boa admnistracSo da estrada de ferr
London and Norlbwestern 13o universal-
rienlo reconbecida, qne parecer talvez pre-
nmpco de miulia paite a escolha desta
: nha p.ra exempl ficar os defeilos do sys-
\ema aetaal. Escolhi-a, porm, porque a
adrainistrago tal que os seus defei-
tos devem necessariamenta nascer da sua
construccSo ; e eu passarei a mostrar, que
em \e de ter a largura de 4 ps e 8 \\S
poQegadas entre os trilhos tivesseade3 ps
l seu trafico de mercadorias podia ser pu-
iado por metade do custoactual,c:m ame
de da forca motora empregada, e de modo
percorre a metade o peso que actualmente
a reduzir estrada, o que faria desappare-
cer a necessidade da grande despeza em
que se est incorrendo com a constraccao de
ama terceira linba de trilhos.
Estou perfeitamente convencido de que
islas minbas asserces sero a principio re-
cebidas com incredulidade ; mas eu prova-
Tei a sua exactido com algarsmos que n3o
podem errar. O escriplor que primeiro
avancou que am ptso de trem de 30 tone-
ladas tinha de ser posto em movimento por
cada tonelada de passageiros que carregasse,
oi ridicolarisado; mas, passado algum
iempo, quando se examinoa a materia, des-
cobrio-se qoe a sua asserco era absoluta-
aaente exacta, e boje umversalmente re-
cebida e admittida como tal. Da mesma
forma os fados em relacSo ao trafico de
aercadorias so p;ecisam ser investigados
para que lodos os que sao dota dos de senso
:ommum os comprehendam.
O trafico de mercadorias e mineraes na
estrada de ferro London and Northwestern
monta por anuo a 15 milhes de toneladas.
>uero suppor que cinco destes 15 milhes
de toneladas sao de mineraes, principalmen-
te carvSo de pedra ; e tratarei nicamente
dos dez milhes de toneladas de mercado-
ras qae restara, como saldo liquido trans-
portado no anno. Tem-se provado que o
peso que nao paga est para o que paga na
proporco de cerca de 7 toneladas para ama;
isto dara setenta milhes de toneladas de
peso rodante empregadas para carregar 10
ailboes de peso qae pega,
A u*m de evitar todo o risco de exagerar
snpporei que o peso morto-est smente na
razio de 4 toneladas .ara 1 ; o que redoz
a 40 milhes os 10 milhes de toneladas de
wagoes empregados para transportar 10
mi'hoes de. carga que p)ga. O peso bru-
to puxado pelas locomotivas ser ento 50
milhes de toneladas com ama velocidade
media de 25 milbas por ora.
Os lucres com o trafico de mercadorias
nesla linba s3o do G shilngs e 3 penco por
ania de trem ; o que a um termo medio
de 1 1.2 penny por tonelada por milha, da-
ra cerca de 59 toneladas da peso que paga
toneladas como o peso bruto puxado
e 25b
por milba de trem.
Uividindo os 50 milbSea pela< 255 tone-
ladas, teremo-- l)G,08) trens, que, sendo
24 horas
de ferro
d G2li irens de mercadorias cm
por toda a ex ensio da estrada
Nur.hvvestern.
O bataneo da companhia mostra que cada
tonelada liquida prodoz cerca de 4 shiln-
gs e 8 pence (incluindo os mineraes ; mas
como o termo medio que ganha cada milha
de trem no trafico de mercadura; e no de
mineraes quasi o mesmo. este fado nao
vicia o a-guenlo), o que a 1 1|2 penny por
tonelada per milha, d como termo medio
da distancia perc rrida por tonelada cerca
de 38 milhas ; de modo qu, como cada
tonelada do peso total puxado percorre 38
milbas, e a extenso total da linba 1,432
milhas. segue-se que deve haver termo me-
te economa podia ser realisada na estrada
de ferro London and Northwesttra se a
sua largura fosse de 3 ps enlre os trilhos,
em vez de ser de 4 ps 8 1/2 pollegadzs,
sem a menor mudanca no sea aetaal sys-
tema de administraco ; e qae esta econo-
ma repartida entre o publico e os accio-
nistas, reduzria muito as tarifas para aquel-
lo, ao passo que augmentara consideravel
mente os dividendos destes.
Anles de apresentar outro exemplo das
vantbgens das estradas estreitas, ser ta
vez necessarlo explicar porque o termo
medio do peso que paga, boje transportado
pela estrada de ferro Londou and Northwes-
tern, 13o diminuto comparada com o peso
dos wagas empaegados em carrega lo. A
razo obvia. Essa va frrea cobre urna
dividid >s pelos 313 das de trabalho no anno-grande rea derreno, e penetra em dis-
trictos onde o trafego rooito irregular ;
de modo que deve haver um avultado nu-
mero de w.igei vazios que passara de um
local para outro afim de accomodar se ao
trafico. E'impossivel encontrar, sahindo
da mesma estacSo, o meimo peso que en
Ira nella.
A concurrencia tambem grafKe, por
qoe a maior parte, se nao todas a eidades
por onde passa essa estrada, tem tambem
estaees de urna ou mais fonhas pertencen-
lea a outras coinptnh as de estradas de
ferro, e a populacho tendo a escoih, apro-
veita se da lula entre as eonpanbias. O
resultado que cada orna procura avan-
lajar-se s outras. n3 s* baixaido a tarfe
dio, 37 trens de "mercadorias, distribuidos mas inda ollarecendo maior aorpreza no
por toda a extenso da linha. Dividido o daspacbo das. cargas. Praticaaaente isto
numero total de Irens por dia de 24 horas,
por 37, leiemos um termo medio superior
a 17 trens por dia, percorrendo cada milha
da linba.
Meu 11 m, trazendo os algarismos ate este
poeto mo-trar que, comquanto prsmei
ra vista o numero de 626 trens por dia pa-
reca exagerado, todava sendo repartido por
toda a linba, comparativamente pequeo.
Tendo chegado a esta conclus3o, estamos
habilitados para conhecer qual seria o re-
sultado se a largara da linha fosse de 3 ps
em vez de 4 ps e 8 1|2 polegadas.
Primeiramenle podia se manter a mesma
ou maior velocidade, isto at 33 ou 401 cao da pequea propor-cao
milhas por hora. Fallo aqu da valocidajpaga para o peso que n5o
de, porque trato nicamente de trens de
mercadorias, E' claro que, quando se tra-
ta de trens de passageiros, a velocidade
a favor da maior larguja (isto 4 ps 8 l|2
plegada?; ; esto ponto, porm, j foi admi-
tido. Meu argumento s tem por fim mos-
trar o que urna estrada de 3 ps de lar-
gura entre trilhos pode fazer com urna
velocidade de al 40 mbas por hora :
velocidade esta que em urna estrada dessa
largura s se pode obter empregando ma-
chinas de bogte duplo,
Sendo, pois, a velocidade igual em am-
bos os casos, o ponto a examinar em se-
guida o resultado do transporte por urna
estrada estreita.
A produccao do peso que oSo paga para
o que paga foi calculada em 4 para 1 as
estradas largas, comquanto esteja provado
que excede muito. Os wagoes que se em-
pr gam pesam cerca de quatro toneladas,
termo medio, de modo que por este calcu-
lo cada wago carrega urna tonelada por
cada milha que percorre. E' bom recor-
dar aqu que trato das cousas como sao e
nao como podiam ser,
Os wagoes pira urna linha de 3 pes da
argura entre os trilhos pesam urna tonelada
cada um e carregam um peso mximo de
3 toneladas.
Suppondo que o mesmo numero de wa-
goes e trens percorrem a estrada larga o a
estreita, segne-se que o termo medio de
urna tonelada de mercadorias hoje trans-
portada poderia fcilmente se-lo em una
wago que pesa urna tonelada em vez de
i, e que o peso bruto que percorre ajinia
e.u um anno sena nicamente 20 milhes
em vez de 50 milhes de toneladas ; ao
apost3 ontre as compa-
dellas expede xnior nu
com meia carga ou va-
passo que a mesma quantidade de peso que
paga seria transportada em ambos os casos.
Isto os wagoes pequeos, capazes de
carregar o triplo do peso qae hoje carre-
gam os wagoes de qutro toneladas, teriam
uiicamcnto que carregar a terca parte dessa
quantidade, e produziriam a mesma somma
de peso que paga, que f s wagoes mais pe-
sados ; assim, em vez de 50 milhes de
toneladas nercorrem a linha, haveria semen-
te 20 millios, e sendo a despeza de trcelo
precisameute a mesma, quer as toneladas
pasados pagutm ou nao, segue-se qne
esta despeza ficaria reduzidaa daas quin-
ta partes da que hoje.
Devenios tambem levar em coila a enor-
me economa para a va permanente, qae
teria de soffrer a frieco e o peso nica
mente de 2o milhes de toneladas em vez
de 30 milhes.
Se concedermos qus o mesmo numero de
trens percorre a liuha diariamente,^ peso
de cada um ficaria rcduzido de 233 a 102
toneladas; ou se o mesmo qeso brnto de
trem focsc empregado, o eumero de trens
diariamente ficaria reduzido de 620 a 230.
Se o trafico fosse suficiente para carre-
gar os wagoes da estrada estreita, de mo-
do a necessitar o mesmo numero e pe o de
trens hoje empregados, o resoltado seria
que, sem augmentar um penny despeza
de traeca i e s da via permanente, a es-
trada de tres ps de largura carregaria um
peso que paga de 25,000,000 de toneladas
contra os 10,000,000 boje tranportados.
Temos, pois, estabelecido o fado que,
quanto capacidade, as estradas estreitas
sao superiores s largas. As primeras
pobem produzir 25 milhes lquidos de
am peso bruto de 50 milhes de tonela-
das ; quando as ultimas para produzir o
mesmo resultado, se continaarem xa ser
costeadas como o sao hoje, necesstarSo
poxar 123 milhes de toneladas, e isso
com um augmento de despeza na propor-
co de 125 milhes para 50 milhes.
Pode agora ocerrer a algam dos meus
ouvintes perguntar se pojsivel construir
locomotivas que puxem grandes pesos de
trem por ama estrada com a largura de 3
ps entre es trilhos, com a mestoa veloci-
dade qoe boje se emprega as estradas lar-
gas, respoudo deciaido sim.
A machina Fairlie de bogie duplo pode
ser construida, nao s para pozar trens
igalmente pesados e com-a mesma veloci-
dade hoje empregada as estradas largas,
mas o far ainda no qae se chama ama es-
taada de ferro de constraccao ligelra (light
railway) com trilhos que no ser neces-
sario exceder ao peso de 50 libras par jar-
da, e que se ho de gastar naturalmente,
em vez de serena empregados e moidos,
como acontece com os trilhos de 84 libras
empregados com o sysiema aetaal.
V-se pois qae ama. grande e importan-
redunda em nma
oblas a ver qoal
m*ro de wagoes
zios.
Supponhamo, porexerapto, que aJgoem
entrega um volwae de cadfeiras, cu urna
porco de mercadorias para serem envia-
das da urna estaco p,ra onra. O* e-befe
da esfac3o nao pede guarda? as caSeiras
ou as mercadorias at ter a carga comple
ta de um wag5o, mas deve despacba-las
immedia4amente, tafvez sem Mitra carga,
em um wago que deveria levar dez vezes
mais frele. Seja qual for porm a explica-j
da carga que
pagrH 0' facto
existe e prova em faver das estradas es-
treitas. Sopponha-se mesmo qoe os waH
ges viajan* vazios metade do tempo. To-
mem-se como exemplo os wagoes de carH
v3o de pedra que s' fazem urna viagem com
carga e volSo vazios. Ainda a vantagero
para as estradas estreitas, porque os wa-
gs vazios pesam. nicamente urca tonela-
da em vez de-quatro. Mo caso ovolume
de-cadeiras nevera somonte o augmento do
peso destas a- accrescentw ao de um wa-
go de urna ronelada^-em vez defeae-lo ao
de um wagSo de quatro toneladas. ;:de for-
ma que, de qualquer modo qce se encare
a nesto, as vantagens serio seora para
as estradas de ferro estreitas- e^ de aoastruc-
'.jo ligeira.
Na India nao ha concorrencia entre as
companhias, e possivei reter as eslaces
as mercadorias- at qae se obtenha a mxi-
ma quantidade para transportar, -lempo
all de pouea importancia, e dabiargu
menta-se que nestas circomstancias nma
estrada larga e wagoes grandes se>os me-
lbores, afim se possa despachar um peque-
no< numero de tres pesados diariamente.
E' invpossivel conceber um argumento
mais fallaz do que est;. e o seo emprego
sellou a India com o ceraeco de um syste-
ma de vias forreas muito alm do>que esse
paz precisar oestes cem annos, e talvez
anda por mais. lempo.
Tenho demonstrado que nma linha coro
tres ps d6 largura entr trilhos pie car-
regar sem augmento na despaza de traeco
duas' e me vezes o peso hoje transportado
pela estrada de ferro London and.Northwes-
tern de quatro ps 8 1/2 pollegadas de
largura entre trilhos. D'onde nasce, pois,
a necessidade de construir as estradas de
ferro da india cora urna largara de 5 fy2
ps entre trilhos ? Especialmente sabendo-
se que a totalidad* do trafico de mercado-
rias em todas ellas nao monta sexta parte
do da estrada de ferro London and Nor-
thwestern.
Tomando" a estrada de ferro East india
como a Northwestern da India, vejamos
como a ausencia de concurrencia e a largu-
ra de 5 1/2 ps afJectam a questo do trans-
porte. O numero de toneladas liquidas
carregadas pela linha no anno dt> 1869 foi
de 93S.629 em 32,490 trens : montando a
cerca de 29 toneladas por trem. O termo
rae lio dos wagoes que compuzoram os trens
foi 25, pesan lo 6 toneladas C3da um ; o
que d 150 toneladas de trem para 29 to-
neladas de frete, ou mais de 5 toneladas de
peso morto para urna tonelada de carga
qce paga. V-se, pois, que a despeito da
concurrencia e com todas as circumstancias
favoraveis ao costeio da linha a proporco
de peso morto excede a 5 toneladas para
urna.
Se, porm, a largura tivesse sido de 3
ps em vez de 5 1/2 ps, o peso moto,
com a mesma administraco, teria sido re-
duzido da proporco de 5 para 1, de 1
1/4 para 1. Imagine-se a economa, so-
mente em combuslivel, que esta ah>raco
faria, q.iando menos da quarta parte do
peso hoje puchado, dara a mesma accom-
modac) para a carga que boje existe, e
produziria o mesmo resoltado pecuniario.
Nao por certo, necessario ser philosopho
para ver qae as estradas estreitas sao Lu-
lamente superiores em todos os respeitos,
mesmo s de 4 ps 8 1/2 pollegadas de
largura entre trilhos, e deve ficar gravado
na mente de todo o engenheiro, qae cada
pollegada que se attymentar na largura de
urna estrada, alm da que absolutamente
neeessaria para o trafico, augmenta o cueto
(la construeco, a proporco do peso morto
e a despeza do custeio, e por consequencia
augmenta a tarifa para o publico, t reiuz
na mesma proporco, a ulilidade das estra-
das de ferro. Supponhamos por um mo-
mento qae se invertessem as condices do
casto de construeco nos dous casos, e qoe
urna linha de 3 ps de largura castasse o
dobro de ama liaba dj 5 1/2 ps; mesmo
oeste caso a differenca no custeio de cada
tonelada de mercadorias seria 13a grande
que a estrada estreita vira afina a ser a
mais econmica.
E desnecessario dizer qoe o custo da
construeco de ama estrada de ferro est
na razo directa de sua largura entre tri-
lhos ; em terrenos muito accidentados a
estrada estreita costar muito menos do qoe
a proporco para a sua largara, ao passo
qoe em terrenos pisaos a proporco ser
maior, ms tomando o termo medio (ex-
cloindo o trem rodante, cercas, estacos e
telegraphos) ?er-se ha que o custo varia na
razio da largura. Nao contentes com o
onns que impuzeram India, os advogados
da largora de 5 1/2 ps esforcam se 'para
impr o mesmo onus s nossas colonias, e,
era demasiados casos, teem sido bem suc-
cedidos. A colonia da Victoria, por exem-
plo, tem um systema de estradas de ferro
daiargura de B 1/2 ps. lio magnificas e
custosas, qne impem ao orcamento colo-
nial o insignificante dficit de 30,000 a? por
anno.
A Tasmania, com a mesma direcc/ao, tem
sido sellada com orna via frrea de 5 t/4
ps de largora entre trilhos. Ha ootras lo-
calidades as mesmas circumstancias, po-
rm mencinalas todas prolongarla esta
exposico alm dos limites devidos. Apr-
senle! provas suficientes para demonstrar
o que avancei ao coraccar; e, por interme-
dio desta grande associaco, dse jo comrau-
nfcir aos habitantes dos paize que neces-
sitam de estradas de ferro o irreio por que
as podem haver baratas e elScaaes.' Era
climas moderadamente temperados, 2 1/2
ps de largura enlre trbos bastar para
qua'qoer trafico onde qoer que seja, e po-
dem sopporCar orna velocidade de 30 mi-
lhas por hora ; ao passo qne 3 ps lar-
gura'suficiente para climas muito quente-
ou muito frios e s-oppoi larao urna velocida-
de de 40 milbas por hora.
Estradas de fcrro podem ser construidas
econmicamente e ao mesmo terapo inicira*
mente elfic.<:s ; e o fjtie susteatam o con
trario sSo, de facto, inhuigos do progresso-
e da civilisacSo: Nilo ha paiz por pobre
qe seja que npossa ter estradas de fer-
rj segundo as necessidadfes do seo trafico,
e estradas de fepro fornecem os meios de
traosporte mais- econonwos quando n3o
s3o aniquiladas pelos resonados pro-lozidos
peta io -ompelenria e a eatravaganaia, que
tantas-vezes vera->s associadas. Coasidero
com9'dever de lado o hoeaein no mundo
velh> auxiliar aos do novo isdlcanio-lbes os
meio* de aproveita* a experiencia que tSo
caro nos tem custado e de evitar os esco-
los ocd tantos accionistas das nossa es-
tradas de ferro tee' naufragado.
As atuass estradas de ferro da Ehdia,1
comquanto indubitawlmente tenham o seu
valor para fins militares, custaram cercare
20,000 ^ por milha. O termo medio qoe
se paga por tonelada as estradas de ferro
da India -2^1/4 peae por milha, e pde-
se pergeniar, se estae-linbas trazem vaota-
jgem para os habitantes que sao obrigados
a pagar graades impostos paraannualmeote
fazer face aos avultaes juroo- do cusi, e
ao mesmo lempo oaaa tari** alta. Em
ser nosso fin satifazer;a piputeio e ao mes-
mo tempe-desenvolver o trafico. Que drfe-
renca nao haveria nos resoltados, mesmo
agora, se a linhas-tWessom costado 5,000
em vez' de-20,000 libras por milha, e se a
tarifa tivesse sido de-1/2 penny por tensa-
da por rmlba em ves. de 2 i pence t
Nao s> teria isto praticavel se se tivesse
adoptado as estradas estreitas, mas a des-
peza do taaosporte do sal, genero de pri-
aeira necessidade naquelle paiz. nao esce-
ieria 1/4. penny per tonelada por milaa.
Nao posso concinir esta exposico sem
tocar n'om assnrapto que boje pertcnce
historia ;; um eMmplo aairavel do mo-
do por qjue o interesse individual, oa mes-
mo o simples espirito conservador, pode
eegar o& homens^ ao pon'.o de nao encher-
garem as propositos mais obvias. Ba al-
guns cojo anico desejo parece ser conser-
varse na estrada que esto habituados a
trilhar,. e cujos instinctos- os incitan a vol-
tar-se contra 'sqnelles ^ue propeem urna
inoot aco qualquer.
Env Janeiro passado 'ai chamado apressa-
damenle a S. Petershurgo pelo reiaUlro de
obras publicas da Rassia para Iratar do
systema Fairlie de estradas de ferro, para o
qual baviam altrahido a attengo publica os
bem escriptse artigo sobre oProblema
das estradas de ferraque appareceram no
Vates de 19, 20- -e 21 de outubro de
1869.
(Estes arligos foram reimpressos e acham-
se sobre a mesa.)
S. Exc. o ministro pedio-me que fizesse
urna bve exposico das vantagens recla-
madas, para o meu systema. Respond que
pela adopeo daque'le systema estradas de
ferro podiam ser construidas por poa;o
mais de metade da somraa neeessaria para
as construir pelo systema commum, de mo-
do que seria possivol dar quasi duas milhas
pela somma hoje despeudida com a cons-
trueco de urna milha. Qae estas lionas,
depois de concluidas e fornecldas de trem
rodante, poderam carregar tanto se nao
mais do que as do systema aoligo. Em
outras paiavras, poderiam transportar em
24 horas tantos passageiros e tantas tone-
ladas de carga como as melbores linhas
existentes, e que isto se faria reduzindo o
custeio, alm da diminuir os estragos na
"ia permanente, e de augmentar a duraco
dos trilhos. S. Exc. responden me que se
se pudesse conseguir somonte urna parte
disto seria para a Rnssia de grande vanta-
gem, e qae o assumpto seria examinado.
Poucos dias depois foi nomeadauma
commisso imperial, composta de algumas
das maiores notabilidades scienlificas da
Russia, e presidida por S. Exc. o conde
Alexis de Bobrinskoy, addido privado de S.
M. o Imperador, que recebeu instrueces
para vir a este pai indagar da exactidSo
das minhas asserces. Em prncipto de
fevereiro a commisso chegou a Londres,
e, depois de examinar minuciosamente a
questo pelo lado tbeorco, resolveu-se que
se procedera a algumas experiencias pirti-
cas. O conselho da India, o Board of Tra-
de, a Noruega, a Franca e outros paizes
eirviafam seos representantes para presen-
cia-Ios, porque acredilou se que o que fosse
vantajoso para a Russia o seria tambem
para os paizes que mencionei.
Sua grac o duque de Satherland, sem-
pre desejoso de promover qualquer syste-
ma que possa beneficiar a humanidade, e
que j possue ama grande seceo de estra-
da de ferro construida expressamente para
melhorar a condico dos seus rendeiros;
aggregou-se a nos e tomoa o maior inters-
se as experiencias, Os seus resultados
sao conhacidos, e aquellos que os nao co-
nhecem encontraro sobre a mesa 08 rela-
torios respectivos.
A commisso voltou para a Russia, e
apresentou o sea relatorio declarando que
eu havia plenamente provado a exactido
de todas as minhas asserces.
Isto foi em marco ; e em abril soa ma*
gestade ordeoou qae se construisse pelo
novo. sysiepjfmM vit ferea. de W versts
() de extenso", que dever ser aberta em
novembro desle an.?o. As locomotivas para
esta estrada padero ser examinadas no
estabelecimento dos Srs", Sharp, Stewart
de C. de Manebester.
O novo systema foi tambe adoptado
em algumas da? liabas antigs e o trem ro-
dante para a va frrea Tambof Saratoff
est-se constroindo no mesmo estabeleci-
mealo.
Os merabaos do conselho da India flea-
ram to i>npressionados com as noticias
destes syjtema, que os ewgenhe'iros aqai
residentes das varias estradas de ferro da
India receberam instrueces para apresen-
tar s diversas directoras relatnos a res-
peito da convenienc a de estrada de ferro
estreitas na india.
Tenho viso alguns desses relatorios^ quej
sao todos unnimes (2; ero sua opposic a
qualquer melboramento, e a toda e quel-
qjtier interferena no systema em qee nas-
ceram e tem vivido; em ir destes, po-
rem, eneontre nr argumento que merece
u momento de attlencao. O Sr. Hawksba'w;-
no relatorio que apresentou directora da
estrada- do ferro Eaatern Boga, diz qne,
bascando os propugnadores dae estradas
estreitas os seus argumentos em om trem
rodante leve, esta Dase tambera deve ser
tomarte' pelos advogados das estt-adas. A
uo ser esta'especie de razo e as aggres-
ses violentas qoe o Sr. Bidder dirigi-me
pess'ialmente e ao meu systema, ou teria
deixado de mencionar esses relatorio
Acho, pcem, que vale a pena responder
ao Sr. Ha-whshaw, e consignar aqui, que o
5 v Bidder evidentemente nanea vio O'meu
systema, comquanto fosse prd isso convi-
dado varias vezes: eque basaon'asua oon-
deronaco em: urna descripeo inteiramente
errnea nao s quanto aos principios as
tambem quanto aos detaihes.
Querer agora- formular clculos para as
estradas largas, sobre a base rie trem ro-
dante mais levo, praticamente admiltir
qos graves erros que se quer tbeoricamen*
te por de lado, emquanto se diseote a qu*9-
to'da largora das estradas. Per mais le*e
porm, qi'e o Sr. Hawisbaw se proponha
a construir o sea trem rodante para o. l turo, oonca o peder conseguir le leva e
capas-de produzir tanto trabalho as estra-
das largas como as estreitas.
O sen argumento orna consfo plena
dos erro* eommetidos no system) anligo,
sendo -ao mesmo lempo urna tentativa para
apagar o desejo gsral de investigar o me-
reciniD*odo novo. E'pedir perdsw pelo
passado, prometiendo fozer melhor para o
futuro; envidar todos os esforeos a fim
de ojk* os clientes nao passem para urna
escoto.nova.
E' um triste inndnte na testoria dos
erro da humanidade ver homena-ioduzidos
em erros desta natueeza pelo dssefo de re-
sistir a ionovaces. Quanto nao seria di-
verso o corso das invences, quanto nao
seria fcil a estrada do3 meftoramentos,
quanlos annos de estudo e trabalbe assi-
duo nao nos serio ponpados muitos de
Representando a MlemOta do Norte :
Mr. Bfulvany.
Alm de muitos outros directores e enge-
oheiros de estradas de ferro do Reino Unid".
Em i I de fovereiro de 1870 fizsran>se
as experiencias com a machina Little Wonder
(Pequea Maravilha) oa machina Fairlie, na
estrada de ferro Festiniog de 1 p H 1/i
polegadas de largura entre trilhos.
A carga era a seguate:
Tons. Quints.
90 W3ges carregados de ardosia 57 10
7 carros de passageiros e car-
ro defreio......13 10
57 passageiros......4 O
Machinas.
Peso total.
75
19
O
10
9*4 10
A machina lttk Wonder de bogie du-
plo, com cylindros de 8 3/16 polegadas,
corso do embot 13 polegadas, dimetro
da rodas 2 ps, 4 polegada>; o total da
base de rodas 19 ps. a de cadi bogie 5
ps, e p comprimento da machina 25 ps.
Termo medio da preseo de vapor 150
libras.
O desve raa forte da eelrada de. 1
em 74. As curva mais pronunciadas teas
115 ps de raio.
Nos deelive3 mais fortes e as corvas
mais pronunciadas eom a machina a toda a-
for?a, a velocidade media f.i 4JI/2 milhas,
exclusive o- lempo perdido as paradas 6
sahidas. Campriraento do trem 854 ps.
N6ou-se, que mesrao as curras de 115
ps de raio e cora a>-velo:idade mxima,
havia mui posea osciliaco ou mevmenlo
na macbina on> nos carros, e sempre menos
do que geralmaote senle-se as curvas com-
parativamente facis dao- estradas ferro
ordinarias, diiniaerado anda com o augmen-
to de velocidade. A super-eleva^la do
trilho exierior, as corvas mais vivasr de
3 polegadas.
Experiencias em 12 de jlvereiro com as
machinas Little Wonder de 19 1/2 tone-.
ladas ; Welsh Pony de 10 toneladas ;
Mountuineer de tonelarlas, a lim de co-
nhecer o movimento respedivo, peroor-
rendo o aterrado de Fratlwaawr.
Na Wthh Pony ena Murtameer notou-
se forte osciliaco vertical e menor osc'da-
cao lateral.
Na Little Wvnden nao bevia osciliaco
vertical oudateral perceptivel', mes um mo-
vimento flofituante suave: ee*ando-se no
jiwjie pouca-oscillaca lateral, porm menos
do que as outras machinas.
A osciliaco da machina Fairlie > limi-
ion-se ao xgie \ a iriluencia da presso nos
xilbos pelas bordas das rodas era muito
menor do qoe no case do 1M Pony ou
de Uxmatmmf, carsiaro todo o peso dostas
machinas sobre os tiilbos durante as suas
oscillaces*
Em todos os casos cima mencionados a
velocidade foi limitada a 10 oa 12 milhas
por hora em urna linba recta com um de-
nos, se bomens destes se esqceeessem dasJfeive de t em 1,200, pesando os trilhos
rivalidades, e contribuissera com seus e
foreos- para a boa obra do progresso ?
MACHIASFAIRLIE.
NMEIRA SKIHE 0 FAPEaHSSOAS.
A* experiencias com as machinas Fairlier.
as estradas de ferro de FetRiog e de Bre-
con, foram presenciadas pelos segointes ca
valheiros, directores, gerentes- e engenheih
ros de estradas de ferro :
D conde Szcheraji, da Hungra.
Bepresentando e Russia : Conde Alssis
Bobnnskov, presidente da commisso impe-
rial enviada pelo Zamoysky ; conde Berg ; professor Saloff ;
do imperial instituto de engenheiro* da
Russia; Mr. Rochr&erg, engenheiro em ehefe
e gerente da estrada de ferro Nigne Moscow;
Mr; Schuberskv, superintendente de leeomo-
ti vas da estrada de ferro Worsnesch Rostow;
lodos merabros da mesma commisso; co-
ronel Statkowski, da engenhara imperial
da Russia ; Mr. Kislinski, inspector da es-
trada de ferro Karchi f Creraentchay ; Mr.
Von Dessen ; Mr. Semeotechyraof; e Mr.
Sachnoffski; engenheiros imperiaes da es-
trada de ferro Seratoff.
Representando a reparticao da India :-
Tenente general Sir William -Baier, da en-
genhara real; Mr. W. i. Thornton, secre-
tario correspondente das obras publica?, es-
tradas de ferro e telegraphos da reparticao
da India ; Mr. Juland Danvers, director do
governo das estradas de ferro da India.
Representando o ministro do commercio :
Capit3o Tyler.
Representando a Franca:Mr. Genly,
presidente da estrada de ferro La Vende ;
Mr. Duval, engenheiro da mesma; Mr.
Kremer, director da estrada de ferro l'oti e
Tdis.
Representando a Simia: Mr. Sandberg,
engenheiro do governo.
Representando a Noruega:Mr. Pihl,
engenheiro em caefe da estrada de ferro da
Noruega.
Representando a Suissa: Mr Cari Bur-
ckhardt, engenheiro.
apenas 30' libras por jarda, sem estarem
i parahusados as juntas.
A Vfriffy Pony, machina pesando 10 to-
neladas com cylindros de 8 *i8 polegadas
de dimetro e curso do embolo de 12 po-
legadas, e rodas de 2 ps de dimetro,
levou SO wagoes carregados de ardosia de
Portmadoc casa da machina, e parou em
am declive de 1 e 85, nao podendo con-
tinuar, com urna presso de 160 libras em
polegada.
Peso de 50 wagoes carregados 123 to-
neladas, 10 minus, passageiros 3 tonela-
das e 10 quintaos, machina 10 toneladas,
total 137 toneladas.
A. We/s/r Pww^enlo pegou era :
fons. Quints.
S
25 wagoes .. Passageiros . . 59 3 7 1/2 10
Machina . 62 10 17 12 0
Tolal. 72 171/2.
(1) 1 Cerca de 53 1(1 kilmetros.
(2) Depois dolida e publicada esta ex-
posico, soube com prazer, que pelo me-
nos um, seno mais, dos engenheiros aqui
residentes das estradas de ferro da Iadia,
depois de cuidadoso exame do novo systs-
ma, pronnnciou-se a favor do mesmo.
Parece que depois da segunda serie de
experiencias com as machinas Little Won-
der, Nountaineer e Progrcss, nomeou-se
urna commiss3o composta dos Srs. coronel
de engenheiros Strachy. coronel de enge-
nheiros Dickens, Joo Fawler, engenheiro
civil, e A. M, Rendel, engenheiro da eiIrada
de ferro East Indian, para examinar a qaes-
lo da largura para as futuras estradas de
ferro da India,, e assevera-se me que q Sr.
Rendel uniu-se aos Srs. coronis Slrachey e
Dickens, recommendando 2 3(4 ps como a
largura mais aproprada, ao passo que s o
Sr. Fowler recommendaa largara de 3 Ij2
ps. sta divergencia entre os membros
da commisso, dar sem duvlda a largura
de 3 ps s vas frreas da Iadia. Ha muito
que coasidero esta como a largura mais
conveniente para aquella paiz oa oulro qual-
queV que tenha clima igual, porque esta
largura suficiente para accommodar lar-
gamente tres pessoas em cada ssento nos
karres de primeira classe, quatro nos de *d do!Res^,r
segunda e cioco nos do terceira; d espaco
sufficlente para o transporte de .material de
guerra; e tambem para mercadorias de
grande ovlume, taes como algodo, com unt
velocidade raaxitua, de 40 rojitas por bora-
e sabio o declive de 1 em 83 com 140 li-
bras de vapor ao sabir e 130 libras depois
de correr cerca de 1,1 de mi ha, quando
parou para voltar.
A mesiaa machina foi ento experimen-
tada com 30 wagoes. e nao pode sabir, es-
tando sobre um declive de 1 em 85, as
rodas da machina, porm, nao revolvern),
nao houve por tanto falta de adheso.
Sendo o peso reduai lo a 28 wagoes pesan-
do 6, toneladas, 6 quintaos, passageiros 1
tonelada, 10 quintaes, machina 10 toneladas;
total 73 toneladas 16 quintaes, com urna
presso media de 150 libras em polegada
quadrada a W*fk Pony o levou pelo de-
clive de 1 em 85 por um qnarto de milha
cem a velocidade de 5 milhas por hora, at
que fizeram parar.
(Continuar-se-ha.)
Innumemeis vezes, leitores, temos vis-
to realisar se esta prophetica passagem da
Escripturao que se bnmilha ser exaltado
e o que se exalta ser humilhado.
Deus parece se comprazer em elevar os
Posto qae, quaulo maiores e mais graves
perigos e males aflligem a Franca, tanto
mais se deve instar, de dia e de noute,
com oraces e supplicas a Deus, Pai de
Nosso Senhor Jess Chrislo, Pai de mise-
ricordia e Deus de loda a consolaco, que-
remos e mandamos que aquellas cousas que
estabeleceraos e dispozeraos em nossas
cartas apostlicas de 11 de abril do anno
prximo passado, as quaes concedemos
a todos os fiis indulgencia plenaria em
forma de jubileo, por occasio do Concilio
Ecumnico, permanecam no seu vigor e
firmeza, segundo o modo e rilo proscriptos
as mesmas cartas, como se conlinuasse a
celebraco do Concilio.
Estas cousas estabeleceraos, annunciamos
queremos e mandamos, nao obstante qual-
quer outra em contrario, declarando vo e
nullo todo o que se intente em contrario
por qoalqaer aatoridade que seja. A ne-
nhum homem, pois, seja licito infringir es-
tas paginas que conlm a nossa saspenso,
annuncio, vontade, mandato e decreto, ou
contradze-lo temerariamente. E se algam
ousar attentar contra ellas, saiba que racor-
re na indgnaco de Deus Omnipotente dos
bemaventurados apostlos Pedro e Paolo.
Dado em Roma, iunto a S. Pedro sobo
no dia 20 de outubro
do anno "de 1870, vigsimo quinto do nosso
pontificado.V. Cardeal Paracctam dar-
elli.

TV-


V
TTP- DO DIAWO-RUA Oa PUquB l)K Q*XUa
-V^fcl.'j.J
mm


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EHGCBVPLV_22342Q INGEST_TIME 2013-09-14T02:14:16Z PACKAGE AA00011611_12297
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES