Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:12294


This item is only available as the following downloads:


Full Text
/

AMO XLVI. NUMERO 290
B'
7
->
i
<
(i
EAflA A CAPITAL E LBGABiS GSDE IAO SE PACA POBTE.
^^HH^B^HrT. 6J000
Por seas ditos idem .
Por tira anni> idem..
Cada mumero avuiio
'

mooo
24*000
320
QUINTA FEIRA 22 DE DEZEMBRO DE 1870.
PAHA DEITBO E FOIA DA PROVWCIA.
Por tres mezes adiantados .............. # 6#7S9
Por seis ditos dem................... % 13#5O0
Por nove ditos dem ..............! 20025,
Por nm anuo idem.........." .*."." .".*.*.'. 27#00
Propriedade de Manoel Figueira de Fara & Filhos.
SAO ACnTE:
Os Srs. Gerardo Antonio Alves A Filhos, no Para ; Gonfalves 4 Pinto, no Maranhao ; Joagnim Jos de Oliveira, no Cear ; Atoo de Lomos Braga, no Aracaty ; Joao Mara Julio Chaves, no Ass ; Antonio Marques da Sita, do Natal; Jos Justino
Pereira d'Almeida, em Mamanjraape; Antonio Alexandrino de Lima, na Parahyba ; Antonio Jos Gomea^ a Villa da Penha; fielarmino dos Santos Boltfo, m Santo Ant5o; Domingos Jos da Costa Braga
em Nazareth ; Francisco Tavares da Costa, em Alagoas; Dr. Jos Martins 4ta, na Babia ; e Jos Bibeiro Gasparinho no Bio de Janeiro.
parte ornciAi.
Gavcrji! la provincia
F.-pF.MFYrR DO DIA 17 S DKZKUBRO DE 1870.
A "ios :
O pvesiJeote da provincia, em vista do re-
u!:ido do concurso, a que ltimamente se proce-
de;:, e das informarse* do director geral da ins-
tru'lto publica da llvsouraria provincial de 17
de novfmliro ultimo, sob n. 335. e lo do correle,
Sub o. 867, renta normar Adulpho Astolpb'i Lins
de AlDujuer iue professor publico de instrueclo
primaria da povoico de Gamelleira.
Idntico, mutati mutandi. Horneando Antonio
de Menezes Cysneiro Bandeira de Mello para a
cadeira da povoacao de Cruangy.
liem a Candila Maria Risa para a villa do Sal
afleiro.
Jxpediram-se as neessarias communicacd>s.
Oficios :
Ao general eomroanJan:* das arma?, dizendo
que p1 de p'ermiitir que o soldado. invaliJo do 2o
bataHttn de Infantina Hmoro Paz d Silva, v
residir na povoaco de Santo Amaro de Jobo lio,
al que chegue a deciso do g>verno imperial
acerca de sua b'ixi ou reforma, flcand, Dorra,
"I rigado a comparecer s revista? de mostra.
A-0 doutor chefe de p.licia, declaraodo ficar
Uiteirad') do facto do enveuenamento do menor
Boaveutnra, escravo de Gustavo Lisiazeni Fartado
de Mendoaca, e que espera mande proceder na
firma da le, alim de averiguar, se houve crimina
lidade nesae aeontecimeulo.
Ao promotor publico desta capital recommen-
dou-se q-ie prornova as diligencias, que entender
i-onvenientes e-te resuelto, irazejdu o resultado
ao conheciinento da presidencia.
Ai iospectir da thasouraria de fazenda,com
inunicanio, para fazer constar ao da lfandega,
haver sido laucado o cumpra se no ex quitar im-
ppiial, confirmando a noiueagas de Nicolus D la
ilrang.' para vice cnsul do reino de Baviera nesta
neta.
lxpediram se as outras commuoicacois.
Ao mesmo, mandando pagar os vencimentos
relativos primeira qalnzena d'este mez das pra-
rit empregadas no depositle recruta?.
Ao mesmo, para mandar ndemnisar o 9' ba-
i ilhao de infamara da quantia de 134600 rs., des
pendida cora o fornecimento de vallas para a illu-
minarlo do qaartel do mesmo batalhao, desde 4
ar 20 de outubro ultimo.
A) mesmo, recommenJando que mande pa-
gar sob a respon-abilidade da presilencia, nos ter-
mos do decreto n. 2884 do Io de fevreiro de
136f. a quantia de 103J153 rs., que se est de-
v r Antonia Ferreira de Aguiar da gralilieaeao
que venceu no exercicio em liquida?) de 1860
t 71, na qualidade de agente do correio da cidade
ile Goyanmuha.
A mesmo, inteirando-o de haver o desem
Inrgadar Jos Nicolao Bigueira Costa entrado, no
d i lti do corrente, no izo-oda Henea, que Ihe foi
concedida
Pela thesoutaria provincial mandou-sc pa-
Ao capitao Manoel de BoOsa Braga os vencimen-
is de nma escolia de guardas naronaes, que
iitllilllll criminosos do termo de Caruar para
esta capital.
Ao negociante Jos de Souza Barreiros a quantia
ih 17.4773 rs., proveniente do fornecimento de lai
- agaa feito ao quartel do destacamento do Rio
i-rmo'c, nos mezes de setembro a novembro deste
I \iao.
A- Antonio Joaquim Pereira de Oliveira a de
'71 i|ue se ficou a d?ver a sen fallecido irmao
Minervino JelTerson Pereira de Oliveira, de grati-
fiaelo vencida do 1" a 29 de outubro lindo, como
r-.llaborador da secretaria da presidencia.
Ao chefe da repartiQo das obras publicas,
;itrovando a deliberagao, que tomn de mandar
reconstroir, por ser de urgente necessidade, nm
ramal da bomba sobre o riacho Kel do Cavallo,
d^spendendo-S para i.-so at a quantia de 418$.
- A i mesmo. autorisando-o a conceder ao
r i/.ractanie do acude da cidade da Victoria, coro
n'I loc CavalcantH Ferrai de Azevedo, 60 dias
l tra a eoneiosio das obra3 sopplementares, de
(| ie foi ultimamonte incumbido, devendo esse
prao ser contado da data em que expirar o
que se Ihe marcou para a entrega do mesmo aca-
Communicou se thesotiraria provincial.
Portaras :
Ao conselho de compras do arsenal de guer-
ra, transraitndo, para ser satisfeito, o pedido n.
"i. que faz o director d'aqu<"lle arsenal, de objec-
t precisos para provimenlo do respectivo almo-
xarifido. Expediram-se as nece3sarias communi-
e 'o-??.
Despachos:
Antonio Ferreira de Agoiar.A' thesouraria de
fazenda com olcio desta data.
Antonio Joaquim Pereira de Oliveira.A' thesou-
rarla provincial com ofcio desta data.
Antonio Velho de Oliveira e Silva.Pas?e a
patente.
It irao do Livramento.Informe o Sr. inspector
ili thesouraria provincial
Clementino Alves de Aguiar.A vista das in-
I rmafoas da thesouraria de fizeada, nao tem lu-
par o que requer.
iicharel Caetano E-tellita Cavalcante Pessija.
Infirme o Sr. inspector d thesouraria de fazenda.
Ghristovo Santiago de Oliveira.Infirme o Sr.
iJr. juii de direito da Ia vara.
Jvviuiano Jo3 Simoes.Informe o Sr. Or. di-
r -:or geral da instrac^o publica.
JjaoMireira Durval. \ vista da informacao
di thesouraria de fazenda o supplicante nao tem
direito a gratiticacao que requer.
Maria Cleobenlina de Mello Olloni. Remettido
a Sr. Dr. director geral da instraecao publica
para deferir como entender conveniente.
Uaeharel Menelo dos Santos da Fonseca Lins.
('. mcedo com ordenado na forma da lei.
Hara Anta de Jezus Campello Informe o Sr.
II director geral da instruc^o publica.
liavmundo Felippe de Santiago Uraganev-Os-
<1 icuiaentos exhibidos nao provam o que o sup-
plicante allega.
N. 4681.1' seccao.Secretaria da polica de
i rnambueo em 15 de dezerobro de 1870.Hlm.
r Exm. Sr.Transmiti por copla V. Exc. o
< fleto junto do subdelegado da freguezia do Poco
da Panella, em que rae cornmonica a prisao de
Manoel Francisco Coelho Jnior, afiai de que V.
Exc. teaha conhecimeBlo do modo porque foi fei-
ta-a referida priso, e do quanto injusta e impro-
cedente a aecusacio feita ao m^smo subdelegado
m noticiario do Liberal de hoje sob a epigraphe
Illegadadesendo para notar que o Liberal Ae
43 do corrente, contando a san modo e infiel-
mente o facto que deu logar a prisao do mencio-
nado individuo, censurasse o subdelegado cima
dito, por nao ter effectuado logo aquella prisao.
E' certo que os feriraentos feites pelo dito indivi-
duo era Beato Jos Domingaes, de que tratei no
iceooffleio de hontem, sob n. 16il, forara classi-
ficado3 levas, mas attendendo as circunstancia?,
nataraza e lugar dos' (erimentos, entend qne se
dava o crirae de tentativa de morte, e nesse sen-
tido oIBeiei ao referido subdelegado, deelarando-
ihe que devia prender o offensor e instaurar'Ihe o
cometeote processo, e assim proceden aquella au-
toridade.
Deas guarde i V. ExcIUm. e Exm. Sr. oonse-
lbelro Diogo Velho Cavalcante de Albuquerque
| presidente da provincia.O chefe de pohcia Luiz
Antonio fernandes Pinheiro.
Sublelogacia de pol.cia da freguezia do P050
da Paoella, li de dezembro de 1870.IUm. Sr.
Apresso-me era dar communicaco a V. S., de que,
havendo hoatem pelas oit horas da noute, feito
por em cerco a casa de Manoel Francisco Coelho
Juniqr, indiciado em crimo de .tentativa de morte
succedeu que depjis de realiado o dito cerco que
f >i feito com todas a- cautellas, para que nao lo-
gra-se evadirse o criminoso, este pedio licenca
ao inspector que dirigi a diligencia, e se me veio
apresentar-se acompanhado da competente escol-
ta, e em consequencia incontinente o fez recolher
a casa de deieucao, e fazendo que hoje Ihe fosse
expedida a nota constitucional de culpa. Devo
igualmente levar ao conhecimento de V. S. que
nao fu proceder ao referido cerco de que dou
coma, e a priso queordeoei sem nie gnardar 10
datas formalidades legaes; mas nada me valeu
esse escrupuloso empenhs, porquanto vindo o
referido preso acompanhado por ara tal Dr. Ja-
cmth > Pereira do Reg Filho, este pretenda, lo-
vantando vozes allanadas, que a taes deshoras en
determiuasse que o-respectivo escrivo Ihe pjssas-
se certido do corpo de delicio, qae j esta va con-
feccinalo, e do mandado de prisao que hrria sido
expedido. Tao inslito procedimeoto que nao ve-
ra, de certo abraar nem a illmtraeio, nem a boa
educa?ao, nem mesmo o bom sen^o foi por mim
moderamentc reprimido, nao consentindo que fosse
menoscabada a auloridade, e nem vellipendiada a
minha digni 'ade pessoal.
Dou conta X. S. deste incidente, porque pode
chegar adulterado a presenca de V. S. ou ser es-
tmpalo as columnas do Liberal, para as quaes
fui ameacado. Sobre este assumpto nada mais l-
ate a levar ao conhecimento de V. S. se nao que
vou seguir no processo que se aeha instaurado
contra o referido Manoel Francisco Coelho Jonior.
odiciado em crime de tentativa de morte.
Deu3 guarde V. S.-Illm. Sr. Dr. Laiz Anto-
nio FernandesPmheiro, digoissimo chefa de poli-
ca da provincia. O subdelegado era exercicio, li-
noel Jos de Paiva Pinto.
Conforme.Na ausencia do secretario, Francis-
co Geraldo da Silva Barrozo.
Conferida.Santos Jnior
Repar($So da polica.
2." seccao.Secretaria da polica da provincia
de Pernambuco, 21 de dezembro de 1870.
N. 1680.IUm. e Exm. Sr.Levo ao conheci-
mento de V. Exc. que, segundo consta das parti-
cipac/Vs receidas hoje n'esta reparticao, forara
hontem recolhidos casa de detengo os seguin-
les individuos:
A minha ordem, Domingos Jos da Silva e Ray-
raundo Ferreira da Silva, vindos do termo do Bo-
nito como criminosos.
A' ordem do subdelegado do Recife, Maria Pe-
reira da Silva, por distarbios, Goncalo, Pedro, Vi-
cente, Joaquim, Antonio, Jacintho, eseravos de Ma-
noel Jos Bastos Goudinho, requerimento de
Francisco Rilieiro Pinto Guiraares, correspon len-
te do referido Goudinho, Jos Francisco da Rosa
por crime de tentativa de morte.
A' ordem do de Santo Antonio, Francisco Jos
Ovidio, por disturbios.
A' ordem do de S. Jos, Jos, escravo de Tho-
maz Marques da Costa Soares, por fgido.
A' ordem do da Boavi3ta, Simplicio Patnahyba,
por crirae de resistencia, e Francisco Lopes' de
Souza, por vagabundo.
Por offlcio datado de 19 do corrente, communi-
cou-me o delegado do termo do Limoeiro, que pe-
lo subdelegado do distrito de Queimadas, fregue-
zia do Bom Jardim, Ihe ?ot participado que no dia
1 no lugar denominado Casinhas, Bellarmino Jos
dos Sanios, travando urna luta c.im Joaquim de
Queiroz, ferio i este gravemente com duas faca-
das, e sahio por sua vez ferido levemente, qne o
mesmo subdelegado procedeu o competentente
corpo de delicio, e Azora inmediatamente recolher
cadeia o referido Bellarmino, que J est sendo
pro:essado.
Deus guarde V. Exc.
IUm. e Exm. Sr conselheiro Digo Velho Caval-
cante de Albuquerque, presidente da provincia.
O chefe de pocia, Luiz Antonio Fernandes Pi-
nheiro.
PERNAMBUCO.
REVISTA DIARIA.
PROFE5SORES PBLICOS Por'portaha3 da
presidencia da provincia, de 17 do corrate, foram
oomeados professores pblicos de instruccao pri-
maria : da cadeira de Gamelleira, Adolplw Astol-
pho Lins de Albuquerque; da cadeira deCruan
gy, Antonio de Menezes Cisneiro Bandeira de Mel-
lo ; e da cadeira do Salgueiro, Candida Maria
Roa.
M ANUMISSOFAO Sr. capitao Antonio da Mot-
ta Silveira Cavalcante, proprietario do eugenho
Jacar, na comarca de Nazarelh, alfarriou gratui-
tamente, no da 4 do corrente, sua escravinha
Manoela, filha legitima dos seus eseravos Ribeiro
e Josepba, no acto do baptUrao de um sea filho,
do qual foi padrinho o Sr. Dr. Antonio Martins da
Cunha Souto-maior, proprietario do engenho Bel-
lo monte, da comarca de Pao d'Alho, e em remu
neracao dos bons servicos prestados pelos ditos
seas eseravos.
THESOURARIA PROVIXCIAL.-Peranta a junta
administrativa desta reparco vo praca : hoje,
a illominacao publica da cidade de Goyanna, or-
eada era 277 rs. por dia para cada lampea o; no
da 29 do corrente a ebra do aterro da vanea do
engenho Rosario, em Serinhaem, oreada era....
5:7204000; e no da 12 de Janeiro prximo vin-
douro, a obra da bomba da estrada do Caxang.
em frente do engenho Poeta, avahada em 5:9404.
CONCURSO.Com o praso' de 60 dias, a contar
do 19 do corrente, acha-se em consurso o provi-
menlo do olcio de escrivo do jury e execu<;des
criminaes da comarca de P) d'Alho, creado pelo
art. 108 da lei de 3 de dezembro de 1841.
FERIAS.Comegaram hontem as ferias do Xa-
tal no foro, as quaes se prolongara al 34 de Ja-
neiro prximo.
IMPOSTOS. E' no corrente mez qne devem ser
pagos, livres de mua : no consulado provin-
cial,o imposto da decima urbana, e o de 5 /
sobre a renda dos bens de corporacoes de mo
mona; na recebedoria de rendas a decima de
mo mora, que pagara as irmandades religiosas,
os bancos, companhias, sociedades anooymas e
qaaesquer assodacSes pias, beneflcentes oa reli-
giosas.
FERIMENTOS.Na dia 2 do corrente, no lagar
Casinhas, do districto Queimadas da freguezia de
Bom-Jardim, Bellarmino Jos dos Santos, travando
luta com Joaquim de Queiroz, ferio a este grave-
mente com duas faecadas, e sabio por sna vez fe-
rido levemente. Pela polica local .foi preso em
flagrante Bellarmino, qne ia ser procesado.
THEATRO SANTO ANTONIO. Realisf-se
amanha oeste theatre nm espectculo para ser o
eu producto apphcado lihertaco de ama crian-
pa do sexo femmiao, de 9 annos de idade. Seme-
Ihante idea merece ser affagada com ama boa en-
diente, porque, quanto maier f> o producto, mais
depressa ser essa infeliz atrancada das garras
do captiveiro
PAVILHO SANTA ISABEL. A companhia
de Zarzuela leva hoje seena, em beneficio de um
nosso comprovinciano, a linda zarzuela Jugar com
fuego, cantando a prima-dona D. Rivera Castillo,
no intervallo do 2 e 3-> acto da zarzuela, a linda
aria da opera Emani.
POCO DA PANELLA. Neste arrabalde devo
installar-se no dia 24 do corrente, um elegante e
confortavel hotel, onde se encontrar seinpre to-
da a qualidade de manjares e de refrescos, alm
Je commsdos para dormida, e mesmo para se es-
tar um oa mais dias.
LEIliO.Hoje effecla o agente Pinto, em seu
escriptorio ra da Cruz, o leilao de fazendas
avahadas, hnhas em novellos, fio para sapaleiro e
m<>asa; todo de cooformidade com o annancio
inserto na parte, competente deste Diaria.
Hoje effecla o agente Martins, ? 11 horas,
o leilao de movis ra Augusta n. 400.
Amanhaa effecta o mesmo agente um leilao
de movis, avulso, tenio sofs, marquezas, raar-
quezoes, conslos, mesas redondas, cadeiras de
balanco, ditas de goarnicao, e ontros maitos ob-
jectos no becco do Sarapatl, no priraairo andar.
LOTERA. A qae se acha venda a 476', a
beneficio da irrrtandade do SenhorBom Josus da
Via-Sacra, qae corre no da 24 do corrente.
tilbada.Duque de Caxias, marechal deexercito,
senador do imperio e ajudanle de campo de S. M.
o Imperador etc.
Atiesto que o coronel honorario do exercito Ale-
xandrefr Barres e Albuquerque, sendo comman-
dante do 53 corpo de voluntarios da patria servio
debaixo do meu commando em chefe na eampa-
nha do Paraguav^desde novembro de 1866 at Ja-
neiro A 1869, portando-se sempre com etemplar
conduca, tanto civil como militar, e mostrando
em tolas os combates a. que assistio com o'sen
bat'ilhb muito valor e sangue Trio, tornando-se
mesmo notavel, entre os^seus companheiros, pelo
zelo/e ,'uidado que erapregava no arranjo e eco-
noma dos soldados que commaoJava, pelo que
PBLICACQES A PEDIDO.
Megoelos de Cimbres.
Pasa o Exm. Sb. conselheiro inspectoa
da thksol-hahi.v de fazenda ver.
Achando-se recolhido a esta, cidade o 9o bata-
lhao do infjntaria, e com elle todos os livros que
consumera o archivo do corpo, pede-se a V. Exc.
qae, mandando examinar as contas prestadas pelo
ex-collector de Cimbres Antonio Pessoa de Siquei-
ra Cavalcante, dos annos de 1861 para 186*4, pou-
co, mais, oa menos relativas ao pagamento de sol
dos de 50 pracas, que a essetempo estiveram desta-
cadas sobo commando do capitao, entodelegado de
polica de Cimbres, o fallecido Tiraoleao Peres d'Al-
buquerque Maranhao, o comparando esse exime
com o qae constar dos livros do batalhao, se digne
verificar se ama nao pequea somma correspon-
dente ao pagamento de 10 praca) que destacaram
na pivoarao d'Alagoa de Batxo, sob o com cando
do sargento Minervino de tal, e se fora realmente
paga ao referido Minervino, oa antes, como se
disse em Cimbres, se o ex-collector tendo reeebi-
d prets por ama su vez, correspondentes a oito
mezes, e com os competeutes recibos, e sto porque
o sargento quizara livrar de encommodo de os
estar fazendo a remetiendo mentalmente, tendo em
seguida sido chamado, oa modado todo ou parle
do destacamento, sem dnvida para marchar com o
corpo para a campanba do Sal, fhera entrar em
suas contas como dinheiro despendido aq lelles
prets.
Em Cimbres Exm. Sr. diz se cousas muito
feias desse fonecionario, e preciso tira-las a
limpo, cora o qae far V. Exc. servico ao es-
tado.
Recife lo de dezembro de 4870.
O caranguejo Uss.
N. 4.Hlm. e Exm. Sr. O coronel honorario
do exercito, Alexandre de Barros e Albuquerque,
tendo marchado desta provincia para a campanha
do Paraguay, na qualidade de coromandante do
corpo de polica, e tendo feito a dita campanha,
ou demorado-se na guerra por espaco de mais de
qaatro annos, regressando s.mente depois que se
dea por fiada a guerra, e retiram se as forcas al
liadas, vera respetosamente pedir V. Exc, sob
cujas ordens servio, que se digne atestar qual o
comportamento e conducta do supplicante, quer
militar, quer civil e moral durante aqaelle espaco
de tempo, e se cora efTeito prestou serviros na
guerra.
Pede ao Hlm. e Exm. Sr. b:ii) de S. Borja,
comm-'ndante das armas se digne deferir-lhe.
E. R. M.
Recife, % de novembro de 1870.-Alexandre de
Barros e Albuquerque.
Atiesto ser verdade ter o supplicante fei'o a
campanha do Paragnay pelo tempo que indica no
presente requerimento, na qualidade de comraan-
daate do corpo, em cujo exercicio portou-se mui-
to bem, cumprindo seas devens, e apresentando
sempre bom comprolamento civil e militar.
Quartel general do commando das armas de
Pernambucf, 14 de novembro de 1870.Barao de
S. Borja, marechal de campo.
Eslava a petcao sellada com cstampilha do va-
lor de 200 ris devidamenle inutilisada pelo sup-
plicante. Conforme com o original que me foi
apresentado para extrahir a presente publica for-
ma que vai conferida e cencertada, subscripta e
assignada. Recife, 16 de novembro de 1870.
Subscrevo e assigno.
Em testemanho de verdade assigno.O tahelo
publico Antonio Barros da Silveira Lobo. Recife.
16 de novembro de 1870.
N. 2.Hlm. e Exm. Sr. tenente-general viscon-
de de Santa Thereza. 0 Coronel Alexandre de
Barros e Albuquerque, tendo enmmandado um
corpo de voluntarios da patria na campanha do
Paraguay, vem rogar a V. Exc. se digne attestar
qual foi o comportamento ciil e militar do suppli-
cante, durante o tempo que servio debaixo do com-
mando em chefe de V. Exc, se digne attestar qual
foi o comportamento civil e militar, durante o
tempo que servio debaixo do commando em chefe
de V. Exc, se bem cumprio os seas deveres, e
que juizo mereceu de V. Exc. Nestes termos pede
V. Exc. deferimento.E. R. M.
Recife, 30 de jalho de 1870.Alexandre de Bar-
ros e Albuquerque.
Estava sellada com estampilha do valor de 200
ris devidamente inutilisada.
* Atte3to que o Sr. coronel Alexandre de Barros e
Albuquerque, no tempo em que eornmandei o pri
meiro corpo do exercito na gaerra contra o Para-
guay, eommandoa nm batalhao de voluntarios da
patria (se bem me lembro o do mesmo 21) tendo
0 mesmo senhor bom comportamento tanto civil
como militar, cumprindo sempre os seus deveres
e merecendo-rae por isso boa reputacao e um jui-
zo fsvoraval.
Rio de Janeiro, era 30 de agosto de 1870.Po-
ly dorio da F. Q. Jordao.
Conforme com o original que me foi apresenta-
do para extrahir a presente publica-forma, que vai
conferida e concertada, subscripta e assignada.
Roeife, 16 de novembro de 1870.Subscrevo e as-
signo.
Em testemunbo de verdade assigno.O tabelliao
publico Antonio Borges da Silveira Lobo. Recife
16 de novembro de 1870.
N. 3.Hlm. e Exm. Sr. marechal duque de Ca-
las.O eoronel Alexandre de Barros e Albuquer-
que, tendo commandado um corpo de voluntarios
da patria na campanha do Paraguay ; vem rogar
1 V. Exc. se digne attestar qual foi o comporta-
mento civil e militar do supplicante, se bem cum-
prla os seas devares, c que juiz merecen de V.
Exc. Nestes termos pede V. Exc. deferimento,
E. R. M.
Ro de Janeiro, 5 de julho de 48W.Alexandre
de Barros e Albuquerque. Estava sellada com
eslampilha do valor de 200 ris, dtvidamente inu-
estima de seas subditos. E attendendo ao seu pe
dtdo mandei passar o presento qne vai por mim
assignado e sellado con o sgnete de mintias ar-
mas.
Rio le Janeiro, 7 de iulho de 1870.Duque de
Caxias.
E-taw o sello das armas do duque. Reconhe-
50 verdadeira a assignatura retro : diu f. Re-
cife, 26 de julho de 1870.
Em tostemunho de verdaie (-ignal).O tabelliao
publico. Antonio Borges da Silveira Lobo.
Estava sellado com estampilha do valor de 200
ris devidamente inutilisada. Conforme com o eri-
ginal que me foi apresentado para extrahir a pre-
sente puHica-frma, que vaiconferida e concerta-
da, subscripta e assignada. Recife, 10 de novem-
bro de 1870Subscrevo e assigno.
Em testemnnho de verdade o tabelliao publico.
Recife, 46 de novembro de 4870.Antonio Bor-
ges da Silveira Lobo.
Eis o atlestado :
Mm. e Exm. Sr. tenente-general Mrquez do
HervalO coronel Alexandre de Barro, e Albu
querepe, tendo servido na guerra do Paraguay,
como coramandante do 53 corpo de voluutarios
di patria ; vem pedir V. Exc que se digne at-
testar qual foi o comportamenfo civil e militar do
supplicante ; se bem cu-nprio os seus de veres, e
se metecen confianca e estima dos seus chefes.
Nestei termos pede V. Exc deferimento.E
B.M.
Rio de Janeiro, 8 de julho de I8'0.Alexandre
ae Barros e Albuquerque.
Atiesto que o Hlm. Sr. coronel Alexandre de
Barros e Albu]uerque, (ez a campanha cintra o
Paraguay, coramandando o batalhao 53 de volun-
tarios da patria, e neste commando se houve com
dignidade, zelo e intelligen:a, sustentando a dis-
ciplina com o maiur respailo e Justina, e bem
cumpriu qs seos devores, dorante a campanha, na
qual te ve exemplarconiucta civil e militar : me-
recen a eonfianca de seus superiores, e mostr u
valor no combates : o que aflrmo, e para cons-
tar passo o presente.
Cidade de Pelotas, 27 de outobrode 4870.Mr-
quez do Herval, tenente-general.
Nos abaixo assignalas, reconnecemos como ver-
dadera a firma snpra do Exm. Sr. marquez do
Herval.
Recifa, 6 de dezembro de 1870.Luiz Augusto
Coelho Cintra. Henrique Cecilio Birreto Al-
meida.
N. i. -Jos B -niaeio dos Sanlo3 Mergulhao,
ofllcal di imperial ordem da Rosa, major honora-
rio do exercito e fiscal do 53 carpo de volunta-
rios da patria, por S. M. o Imperadjr, etc. etc.
Atiesto que o official abaixo declarado tem nes'.e
corpo os assentamentos do theor seguinle :Es-
tad ) raaior, coronel Alexandre de Barros e Albu-
querque, natural da provincia da Parahyba ; sen
do major do corpo de polica da provincia de Per-
nambuco, offereceu se para tomar parle na guer-
ra contra o govero* da repblica do Paraguay, a
27 de Janeiro de 1865. Foi promovido, a tenente-
coronel commaodante do dito corpo, 3 de maio
do mesmo auno. Embarcou com a ala do dito
corpo, com destino campanha, a 21 de novem-
bro, e desemuarcoa a 23 do raeirao mez. Embar-
cou a 5 de dezembro, dezembarcou em Monte-
video a 11 do dito mez de 4865. Embarcou pira
Corrientes a 8 de jaueiro de 4856, e desembarcou
a z!. Marchou para Alagda Brava a iocorporar-se
ao exercito a 31 do dito mez. Marchou para Tala-
cor a 12 de fevreiro. a 23 de mar^o marchou
para a margera es-querda do rio Paran. Ptr
lembranei do quartel-general do commando em
chefe de 28 de outubro do mesmo anno, pa-sou a
commandir este corpo (o3), o qual fizia parte da
vanguarda, assistindo a tod>3 os bombardeamsa-
tos '"iU'i! pelo inimigo d'aquella data em diante.
Marchou a 19 de julho de 1867, fazendo parte da
quarta divisao de infamara, e a 24 incorporou se a)
3. corpo de exercito e vanguarda, fazendo a mar-
cha de flanco de Tuyuty para Tuyu-Cu, onde che-
chegou a 31, e toraou parte no combate desse dia
Tmou parte nos rewnhecimentos das fortificacoes
iniraigas a 49 de fevreiro no Pago-Pocu, e viva
forca a 21 de mar^o Paco Espioilho. Marchou
para Pare-Cu a 4 de abril, aonde acarapoa no
raesmo dia. Tomou parte no reconhecimenlo viva
forca feito sobre Humayta 16 de julho. Marchou
para Humayt a 25, e para o Chaco- a 26, toman-
do parte no reconhecimenlo desse dia, do dia 27
e combate de 28, ludo de julho sobre o reduelo
inimigo, edificado no isthmo fronteiro s bateras
de Hu nayl, onde refugiou-se a forca nimiga.
Foi contemplado no elogio feito p>r S. Exc. o Sr.
general e commandanle em chefe raarquez de Ca-
xias, referido em ordem do dia de 6 de agosto
sob o. 240. Marchou com o exercito a 19 de agos-
to de Pare-Cu e acampou era Suwbihy a 2 de
setembro.
Tomn parte no reconhecimenlo a viva forca
sobre as trincheiras inircigas era Angostura no
i de outubro, sendo comprehendido no elogio fei-
to pelo commando em chefe publicado em or-
dem do dia de tres do mesmo mez sob n. 254.
Marchou de Surubiby para Palmas a 22, e para
o Chaco com este corpo e o 6 batalhao de infanta-
ra a 15 de dezembro, assamindo nesse dia o com-
mando daquelle ponto (Chaco). Marchou para
Lomas Valentinas a 24, e toraou parte nos com-
bates de 23 e 27, e a recdlcao da praca de Angus-
tura a 30, ludo de dezembro de 1868. Marchou
para a cidade d'Assumpco onde chrgou a 5 de
[Janeiro do 1869. Marchou ctfm o pnmeiro corpo
de exercito para Luque a 40 de marco, e regres-
sou a Assumpcao a 30 do mesmo mez
Por aviso do ministerio da guerra de 8 de Ja-
neiro de 4369 foi contemplado no elogio feito pelo
Soverno imperial como consta da ordem do dia
o commando era chefe de 31 do mesmo mez, sob
0. 234. Embarcou para a villa do Rosario a 7 de
abril onde desembarcan a 9. Embareou para S.
Pedro a 22 de mareo e desembarcou a 24.
Toraou parte no cmbale de 30 ao norte do rio
Jejuy Embarcou para a cidade d'Assumpco onde
desembarcou a 43 de jonho. Foi contemplado no
elogio feito por S. A. marechal e comraan Jante em
chefe, as forjas expedicionarias do alto Paraguay
como se fez publico em lembran;a do'quartel gene-
ral de 41 de junbo sob n. 16.
Marchou para Luque a 23 de julho e para Ta-
quaral a 29 do mesmo mez. Assistio ao reconheci-
menlo feito na Cordilhira, ponto denominado Su-
bida de Cabana a esquerda da fortihcacao Ascur-
ras a dons de agosto. Marchou a nove para Gua-
suver fazendo parladas forcas sob o commando
ao brigadeiro Jos Auto-da Silva Guimares. A
ooze marchou na columna expedicionaria sob
o commando geral do brigadeiro Emilio Mitre. Tu-
ran pjirle a daza no eaoontro qae teve a msna
columna com as forcas paraguayas que guardavam
as cordilbeiras-o caminho de altos. A quinze se
Kuio em persegaicao do inimigo, rennindose a
17 ao segundo corpo de exercilo em Pindole.
Tomou parte no combate do dia 18 em Cagai-
guru. Por orden do Excm. Sr. general Victorino
Jos Carneiro Monteiro, ccmmandanle do 2o corpo
de exercito ficou guarnecendo o ponto onde se
deu o referido combate, assamindo o commando
das/orca^ constantes do sexto batalhao de infama-
ra 51 de voluntarios e 21 de cavallaria.
No dia 20 constando haver ama columoa inimi-
ga distancia de ama legua, segulo cora as forcas
sob seu commando e nao encontrando-o regres-
son pora o acampamento consegurado todava fa-
zer oitenta e cinco prisioneiros paraguayos, que se
mereceu sempre os elogios de seus superiores, e a- linham occullado qas mallas depois do combate do
dia 18. .
Marchou no dia 21, e acampou no mesmo dia na
villa de Caragnaiaby.
Tomou parte no elogio feilo pelo Excm. Sr. ge-
neral commandanto do segundo corpo de exercilo,
pelo heroico procedimeoto, valor e inlrepidet que
emonslrarain as forcas sob o seu commando no
ataque do dia 48, em presenca do inimigo, como
se frz publico era ordem do da do mesmo cora-
mando, sob n. 4, de 49 tudo de agosto.
Tomou parte no elogio feito por Sua Magestade
0 Imperador as forcas expediiionanas do Rosario
qne operaram ao norte do rio Jejuy, pelo iriumpho
alcancado contra as forcas intmigas coramandadas
pelo major Galiano. em aviso do ministerio da
guerra ao 4# de julho, publicado em ordem do dia
do commando em chefe sebre n.29, de 31 do mes-
mo mez.
Marchou no dia 2o e acampou junto ao rio Man-
duvir no dia 30.
'Toraou parle no elogio feito por Sua Alteza o
Senhor principe marechal comraan lante em chefe
a divisao expedicionaria do alto Paraguay, como
foi publicado em ordem do dia do mesmo com-
mando sob n. 16 de 11 de Julho.
Embarcou a 9 e desembarcou no mesmo dia em
Arecutagua. Embarcou no dia 22 e desembarcou
no porto denominado guarda occulia a vinte e
tres. Marchou para a villa do Rosario, e acampou
a 24 tudo de setembro.
Marchou a 8 de outubro e acampou a 13 na
villa de S. Estanislao. Marchou a 16 e acampou
a 47 emCapivary.
Regressou a 44 de novembro e acampou na
villa do Rosario e 44. Foi promovido a coronel por
Sua Alteza commandante em chefe a 27*de dezem-
bro da 4869 ; como se fez publico era ordem do
dia do quartel gen-ral de cemmando das forcas ao
norte do rio Mandouvir de 4 de Janeiro de
4870.
E nbarcou para o Brasil a 3 de fevreiro e des-
embarco* na rtrte d4 Imperio a SI.
Por decreto de 23 doraesrfo mei foram-lhe con-
cedidas as honras de coronel honorario do exer-
cito.
Embarcou para Pernambuco a 6 de mar^ e des-
embarcou a 44.
Por decreto de 7 do mesmo mez e anno foi no-
meado commendador de Cbristo.
E para constar mandei passar a presente que
bem e fielmente foi copiado do propno original ao
qual me reporte.
Quartel as Cinco Ponas, 49 de marco de 1870.
Eu Torquato de Souza Ramalho, tenente secre-
tario a e3crevi.Jos Bonifacio dos Santos Mer-
gulho.
Reeonheco verdadeira assignatura supra do
dou f. Recife 7 de jocho de 1870.
Em testemanho de verdade c sigual .O tabel-
liao publico, Antonio Borges da Silva Lobo.
E-tava sellado com tres estampilhas do valor de
200 rs. cada urna, todas na importancia de 600
rs. devidamnto inutilisadas.
Conforme com o original que me foi apresenta-
do para extrahir a presente publica forma, que vai
conferida e concertada na forma do estyllo, subs-
cripta e assignada.
subscrevo e assigno.
Recife 16 de novembro de 1870.
Antonio B. da SHceira Lobo.
Consta-nos que se vae atlerrar o rombo feito na
estrada entre as pontes do Caxang e de Brunzi-
nho, o qual foi feito pela cheia do principio deste
anno.
Ssria mais prudente collocar-se. urna ponte nes-
se lugar; visto como a3 agoas arrojam para ahi
como temos visto nestes ltimos annos.
E' incrivel qne se contine a deixar, em com-
pleto abandono o Caxang, um dos nossos melbo-
res arrebaldes.
A parte que (lea entra o povoado e o Ambol,
contina no mesmo, quasi que j nao d passa-
gera ao mnibus, entretanto no rio existe urna
montanha de areia sufticiente para aiterrar-se esse
pequeo pedaco nivellando-se com o povoado.
Quer parecer mais que existe nesse lugar algu-
raa caveira de burro enterrada, a convem qae a
desenterrem afira de ver se acaba o caiporismo
delle.
O averno bate-nos porta e breve ficar inter-
ceptada a estrada, visto ter-se mandado tarde por
em praca a bomba, que se deve fazer no lugar do
rombo feita, pela cheia do principio deste anno,
era frente i) engenho ?ata e que s l para mar-
co ou abril estar prompta.
Caldereiro, Poco, Monleiro e Apipueos pdssuera
broa estrada, agua e gaz, entreunto nada se d
Caxang, sendo a distancia que vae da Passagem
Caxang muito menor do que a de Ponte de
Ucha (at onde chegava amigamente o gaz e fcua)
Apipueos.
Uns sao filhos^e outros entiados ? Nao, todos
teem o mesmo direito, todos pagara impostos e de-
vem gosar dos mesmos beneficios.
A Estrada Nova esl-tnuilo povoada e precisada
tudo tambem. '
Cabrion.
N. 442.A ARVORE DA SAUDEtem a raes-
raa certeza com que o veneno daupas da Batavia
mata, o balsmico sueco de urna arvore do Mexi
eo, chamada Anacahuita cura.
O muito afamado Peitoral Anacahuita de Kemp,
composlo e elaboradamente preparado por este
maravilhoso especifico vegetal. Nenhuma tosse,
catarrho, ou eufermldade dos bronchios, podera
resistir sua suave e benfica influencia. Fortale-
ce de tal modo os orgos da respirarlo, que em
p aucas horas desapparece a inlammacao, que im
pedia sna accao salutar.
Ojdlivio infalllvel e immediato. A irritacao e
infl immaco dos pulmoes, que j principiavam a
apresentar nma certa tendencia ulceracose
abate e modifica para desde logo, e sua operacSo
maravilhosa os cura e Ibes restitue o seu vigor e
elasticidad primitiva.
Na soa delicada e elaborada compoticao nao en-
tra acido prussico, antimonio, nem nenhum dos
agentes delctenos que de ordinario se encontrara
nesses xaropes e peitoraes feitos defructa.s, e que
quasi sempre produzera lao fataes e funestas con-
sequencias.
N. 443.-AS PREPARACOES DESPREZIVEIS,
apenas de ordinario eito em voga por algara tem-
po,-porm a sua prolongacao garalmente de pou-
ea dar, e em breve passa ; emquanto que, um
grande aotidoto por excelleneia como o Piitoral
de Anacahuita de Kemp, ara constante e perpe
tuo beneficio publico, um verdadeiro thesouro
esgotavel.
Pode-se asseverar como um axioma incontesta-
vel, que qualquer classe de tosse, constipado ou
catarrho, se allivia e cura mediante o seu. uso
dentro do espaco de poneos dias, e s vezas aenlro
em poucas horas.
Os bronchites declarados incuraveis pelos m-
dicos, se alliviam e s vezes se corara em urra se-
mana, com asta preciosa e excellente preparacac
vegetal; a raelhor e a mais excellente de todV
quanto andara em voga. Robustece e vigorisa os
orgaos da respiracao ; faz expellir tolas as muco-
sidades e a fleu^raa ; cura a asthma ebrooiea :
n urna palavra nao ha nem existe ora s caso d<-
desarranjo ou molestia dos orgo pulmonare-
ou da garganta, que nao sejam curaos logoa
primeira dse, e geralmente ficam permanente-
mente curados.
COMMERCQ.
PRACA DO RECIFE 31 DE DEZEMBRO
DE 1670.
AS 3 1/2 HOltAS DA TARDE.
CotagSes officiaes.
Algodo 4- sorte565 rs. por kil.
Cambio sobre Londres 90 d/v 23 4|2 por 1*000
do banco.
Cambio sobre Portugal 90 d|v 432 0|0 avista.
Goucalo Jos AfTonso,
Presidente.
Mosquita Jnnior.
Secretario.
ALFANDEGA-
Rendimenlo do dia 4 a 20. .
Idera do dia 21 .
534:82046*)
47:9694934
552:7904oX'i
217
\ovlmt'n(o da lfandega
Volumes entrados com fazendas
t com gneros 217
Volumes sahidos com fazendas 450
< > com gneros 224
----- 374
Descarregam hoje 22 de dezembro.
Barca inglezaDelphin carvo.
Brigue inglezCourenaybacalho.
Brigue inglezJehuidem.
Birca inglezaGladiolusvarios gneros.
Patacho norleallemoSoejfa/varios gneros.
Brigue n rte-allemao//Wmivarios gneros.
Barca ingleza Rusamondferros.
Barca inglozaParajeracarvao de pedra.
Patacho americanoHerriet Breseste vanos g-
neros.
Barca ingleza Kahi-noor ferro e carvao.
Patacho inglezSea B/rdvarios gneros.
Patacho inglezlsmircarvao.
Barca portozuezas. Miguel tonca e carvao.
Despachos de exportago no dia 20 de
dezembro
Ja barca ingleza Delphtm, para Livt-reeet
carregaram : Antonio Alves de Moraes 'i eaecas
cora 3,258 kilos de algodo ; Julio Frutembprg 120
saccas com 9,643 kilos de algodo; Soares Primos
100 saccas con 8,765 kilos de algodo; K. di
Costa Oliveira 600 saceos com 45,000 kilos de as-
sucar raascavado.
Na barca franceza Santo Andr, para o Ha-
vre carregaram : E. A. Burle & C. 313 saccas
cora 42,696 kilos de algodo e 500 couros verdes
com 10,500 kilos.
No brigue porluguez Judilh, para o Pori -
carregaram : Soires Primos A C. 600 sacca* com
4,932 kilos de algodo ; Carvalho & Nogueira 500
saceos com 37,500 kilos de assucar branco.
Na escuna hollandeza Wilduvank, pai?
Rio da Prala carregaram : Pereira Carneiro & (;.
30 barricas com 3,119 kilos de*assncar branco.
No patacho inglez Emprey, para o Canal
carregaram : Saunders Broters < C. 100 saceos
com 7,500 kilos de assucar raascavado.
Na barca portugueza S. Manoel II, para o
Porto carregaram : Andriano de Albuquerque 50
saceos cora 3,750 kil s de assucar branco e 24
ditos com 15,750 kilos de dito raascavado ; Jos
da Silva Loyo & Filho 82 saceos cora 6,150 kilos
de assucar branco, e 36 ditos com 2,780 de dito
raascavado; Soares Primos 200 saceos eom 15,000
kilos de assncar raascavado ; Marcelino Jos Gon -
calves Fontes 1 barrica com 85 kilos de feriaba
de raaudioca.
RECEBEDORIA. DE RENDAS INTERNAS
GEKAES DE PERNAMBUCO
Rendimemo do dia 1 a 20. 46:5194959
dem do dia 21 2:6234221
49:4534180
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendimemo dt dia 1 a 20. ..* 936494418
dem do dia 21 ... 5:7064360
99:3534778
MOVIMIENTO DO PORTO.
Navios entrados no dia 21.
Aracaty II das, hiale brasileiro Sobralense de
96 toneladas, capitae Vicente Ferreira da Cos-
ta, equipagem S, carga 304 fardas de algodo e
outros gneros ; a S Leito & Irmao.
Navios sahidos no mesmo da.
Liverp ol Brigoe inglez Mary Johnslon, capitao
Todd, carga algodo.
Philadelphia Patacho americano Joan Chrystal,
capitao Bayernes; carga assucar.
Rio-Grande do Sul Brigue brasileiro Tertzinha,
capitao Joaquim Jos Meadas, carga assucar.
EDTAES:
O Dr. Abilio Jos Tavares da Silva, oficial da or-
dem d rosa e juiz privativo dos feitos da fa-
zenda nacional el:.
Faco saber que era vista da execucao que a fa-
zenda nacional encamioba contra os berdeiros de
Juliio Pereira Mattoso, ex-collector do Cabo, fez-
se penhora em ama escrava de nome Monica, ava-
hada por 6OO4, em consequencia do que e em
face do decreto n. 1695 de 45 de setembro de
1869, sao convidados pelo presente qaaesquer li-
citantes para apresentar suas propostas dentro do
Sraso de 30 das, achando-se a mesma escrava o
oposito geral nesta cidade. E para que ebegue a
noticia de todos mandei passar o presente que
ser publicado pela mprensa e afflxado no lugar
do costume.
Dado e passado nesta cidade do Becife aos 16
de deserobro de 1870. E eu Luix Francisco Bar-
reto de Alraeiia, escrivo qae o sobscrevj.
Abiliv Jote Tavares da Sirea
Y seecio.-SecreurU d presidencia de Pernam-
bueo 19 de dsxerdbro le 1870.
Por esta secretaria se fax publico para o conhe-
cimento de quem possa interessar o edital abaixc
transcripto do juiz de direito da comarca de Po-
d Albo, pondo em concurse a serventa vitalacia
do offlcio de escrivo do jury e exeeac8es crlnu>
!
1.
i.. 1 i.

^**** ,--y~
r



I
"TVilTri-i-Hi
_--
%
ijjiCJtj Dtanor d PeffiftmbikdO Quinta fera 22 de Dezembro da 1870
k.
mes do termo d'aqaelle norae, creado pelo art.
108 da le de 3 de de#mbro de 184. O preten-
demos deverao apreseniar as suas. pelic^e* Deita
secretarla, instruidas de conformidad* com a le,
no praso do das a contar desta data.
EDITAL.
O Dr. Vicente Ferreira-Gomes jui de direlto testa
villa, comare do Pe d'Allw por S. M. o Impe-
radar a quem Deas guarde, eto.
Far saber aos que o presente edital Yirejn que,
se acha Vago o lugar de e.-crivlo do jury e exe-
Q^oes criroes desta comarca, pelo -que convida
aos pretendientes do dito lugar a apreseatarem
seus requerirnentos dentro do prazo de 60 flias a
contar da data deste e na forma da lei. Pao
d'Alho ti de desembro de 1670.
Eu. Francisco Amonio Braybcr de Souza Rao
gel, escrivao i atera* do jury ecrevi, Ferreira
Gomes. E mais se .nao cuirttona sai dito ftdital
ai|ui fielmente copiado aos 11 de dezemoro de
1870.
Eu, Francisco Antonio Brayaer de Soma Rao-
gei, escrivao interino do jary o eopiei e asigne.
O escrivao interino do jury, Francisco Antonio
Brayner de Souza Ranga.'Antonio Aunes Jacotne
Pires, offlcial-Tnaiof servindo Je secretario.

DECLARACOES
SANTA CASA DE MISERICORDIA DO
RECIFE,
A lllma. junta administrativa da Santa casa dt
Miser c rdi do Recite manda fazer publieo quf
na sala de suas sessoes, no lia 2ide dezembro, pe
las horas da tarde, tem Je ser arrematadas a
qaem mais vantagens offerecer pelo lempo de un
a tres annos, as rendas dos predios etn seguida
declarados: '
ESTABELEGIMENTOS DE CARIDADE.
Roa de Santa Rita.
Casa terrea n. 3. ...... 161*001)
Raa da Matriz da Boa Vista.
Casa terrea n. 36....... 202*000
PATRIMONIO DOS ORPHAOS.
Ra de S. Jorge (outr'ora Pilar)
Ca?a terrean. 105................. 131*006
dem dem n. 9................... 865#00
Os pretendentes deverao apreentar no acto da
orrt'inatacao as suas flaneas, ou comparecerero
acenipanbados dos respectivos fiadores.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do Re-
eife, 30 de novembro de 1870.
O escrivao,
Pedro Rodrigues de Souza.
Santa Casa de Misericordia
do Recife.
Dlabeiro vista.
A lllma. junta administrativa da santa casa de
misericirdia do Recite eontioa a receber propos-
tas para o fornecimento de medicamentos, carne
verde e gateros que tiverem de consumir os esta-
beJecimeiiios seu cargo no trimestre de Janeiro
a margo vindouro, na sala de suas sessoes, pelas
3 boras da tarde do da 22 do corrente, na sala de
suas sesoes.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do
Recif?, 17 de dezembro de 1870.
O escrivao.
Pedro Rodrigues de Souza.
De ordem do lllm. Sr. conselheiro inspector
da thesouraria de fazenda desta provincia se faz
publico que no da 28 do corrente mez, pelas 2
horas da tarde, ir praca para ser arremata Ja
em hata publica perante a junta da mestna tbe-
sourari.i, a quem mais der, a casa terna n. i I
sita ra de S. Sebaftiao da villa d; Iguarassd,
avaliada em 200*.
Os pretendentes deverao dirigir suas propostas
em cartas fechadas ao mesmn lllm. Sr. conselhei-
ro inspector at as 11 horas do referido dia cima
indicado.
Secretaria da thesouraria de fazenda de Per-
nambucc 19 de dezembro de 1870.
Servindo de offlcial raaior,
Manoel Jos Pinto.
Depo ito especial de 'ins-
truccHo
Teado de contratar-se o fornecimento de capim,
fardo, mel e milito para a cavalhada do mesmo
dcpusU" Ut> 1* semcatio do Janeiro a junho do an-
no vindouro, convido ao.. seohores que qnizerem
se prupr a fornecer os gneros cima indicados,
a comparecerem na secrelaria do referido deposito
no da 21 as 10 horas com mu propostas fechadas.
Qiiaiicl no Campo das Priocezas 20 de dezem
bro de 1870.
Jos Joaquina Coelho,
Capillo commandante.
Consclho de compras navaes
O eonselho contrata no da 21 do corrente mez,
i vista de propostas receidas at as II horas da
nanhia e tob as eonlejSM 6Vi estylo, o fornecimen-
to por lempo de s?i* mezes de cemento romano de
boa qualidadepara as obras.do porto, tendo a bar-
rica de peso nunca meaos de 10 arrobas.
Sala das sessoes di con-elbo de compras navae.'
21 de dezembro de 1870.
O secretario,
Mexandre Rodrigues dos Anjos.
O conselho econmico do deposito de recro-
tas, contrata para foraecimento das pracas do
mesmo deposito, e para os doentes da enfermara
militar os gneros seguintea: arroz, assuear re-
finado-brinco e sumeno, bolacha, biscouto, caf
em grao e muido, cha, carne-verde, dita de enar-
que, dita de porco, de ce de goiaba. farinha do
mandioca, dita de araruta, dita do Maranbao, dita
de milho, gallinhas, frangos, leite, lenha, (achas)
manit-iga ingleza, dita franceza, ovos, i o brauco
de seis oncas e de quatro, sal, vinagre, azeite doce,
bacalho, feijao mulatnho, ou preto, toucinbo de
Lisboa, alcti la, niacarro, marmeilada, vinho do
Porto generse e de Lisboa. Contrata igualmente
o concert e Iavagem da roupa da mesma enfer-
mara.
Os pretendentes deverao apresentar at o dia
23 do corrente as daz horas da manha suas pro-
poslas em carta fechada a secretaria do mesmo
deposito no quartel da Soledade.
Quartel na Soledade em Pernambuco na cidade
do Heeie 50 de dezembro de 1870.
Jos Iguacio Ribeiro Roma. .
______________Teneme secretario,
Pela recebedona de rendas internas gsraes
se faz publico que neste mez de dezembro qne
as irraandades religiosas, os bancos, companhias e
sociedades anonymas e quaesquer associacoes
pias, benecen'.es ou religiosas teem de pagar a
dcima de mo mora, livre de multa, relativa ao
i semestre doixercirio corrente de 1870-71, e
que, lindo o referido praso, ser paga cora a mol
ta de60|0.
Recebedoria de l'ernaiobuco Io de dezembro de
1870.
O administrador,
Manoel arnciro de Sooza Lacerda.
Coaselho de compras
navaes.
O conselho no dia i'i do corrente mez con rata
vista de propostas lecebidas al as II horas da
manha o fornecimento por tres utes lindos no
ultimo de margo prximo vindouro, de cobertores
de lia e colchas de algodo para aprendices ar-
titiees.
Tambem o conelho por igual forma promove
no mencionado dia 2i do corrente mez a compra
dos objeclos do material da armada seguinles :
10 baldeadeiras de folha, 10 duzias de chicaras
e pires de folha, 20 funiz de folba, Mes ingletes
de 8 ps de oomprimoulo e 6 de largo, 100 lapis
de cores, 100 lapos prelos* 2 oeulos de alcafloe, 8
duzias de tigelas de folha dobrada, 6 varos de
ferro de 4 polegadas em qmdro, 6 vergonteas de
pinh'i para mastros de escaleres de 25 ps de aom
rioeiitoe grotora no nitio 6 1(2 polegadas e 6
vergonlea de pinho pira paos de catello ds 35
r- de comprimento e grossur* no meii 7 pole-
gdu*.
Sala das setsdes do conselho de compras mme*
19 de dezembro de 1870.
O secretario.
Alexandre Rodrigues dos Aajoes.
(tonsila/lo provinciaL
Na forma io art 80 1 da le provinchil n
%3, avisase por esta repartigao, a quem inters-
sar possa, que com o mez de. dezembro proiiuio
abre se o praso de 30 das all marcados pa/a o
pagamento- voluntario dos imposto da dociraa
urbana e de 5 OO sobre a reodi dj3 ben^ Je raiz
de corporacSts de mo njorta, wlj(ivo3 ao i* se-
inesire do corrate -000 flaanceiro de 1870-71,
incorrendo os contribuintes que nao reallsarem o
nt coman-
de
o pasamento no referido praso,
o do g 3 do cttado rtico,
nsulado provincial 21 de novemmbro
1870. "
^erviudo de administrador.
A. Witravio P. B. e Accioli de Vasconcellot
Cerreii geral.
Rela?ag das carias registradas, procedentes
do sul e oorte do imperio, existentes na
reparticSo do correio em 19 de desembro
de 70.
Anna Olynipia de Campos, Cesarlo Manoel Fran-
cisco dos Prazeres, Krneato de' Aqninn Fonseca,
Francisca Mariade Jezus, Jos Jeronymo Mentei-
ro (2), Jos Rntino de Arnrjo, Loarenco Justiniano
Hollanila e Souza, Dr. Manoel Franeisoo Telxeir..,
Maria Avelina Monteiro, Niela Gallo (italiano),
Mtfente de Panla de Oliven**-ViHas Btjss.
O encarregado do registro,
Manoel dos Passos Miranda
THEATRO
DA
ZARZUELA HESP.lJ]|IIL.t
NO
CAMPO DAS PRIKCEZ48
inla-feira 22 de dezembro
lloclla extraordinaria em beneficio de um per-
nambucano.
Subir scena a apparatosa e mullo applantli-
da zarzuela em 3 artos
que tastos applausos merecen do respeitavel pu-
blico as vetes que tem sido representada.
Personsgens.
Dnqueza de Me lina Sra. Rivera Lartiller.
Ccndessa Sra. Garca Granadus.
Duque de Albuquerque Sr. Garca.
Mrquez de Caravaca Sr. Riosa.
Flix (fldalgo da montanha) Sr. Cantillo.
Antonio, seu primo Sr. Granados.
Guarda lencos Sr. Correa.
Coros de ambos os sexos, cavalleiros, damas,
pageos, ulgieres e casa de loueos.
N. B Entre o 2* e o 3o acto a Sra. Rivera Cas-
illo representar a walsa italiana denominada
Vals de Vensano.
PREQOS
Camarote de frente 154000
Dito de 2' ordem 15*000
Dito de 1 ordem 10*000
Cadeiras 2*900
Platea lOO
Principiar s 8 1|2 horas.
Depois do espectculo baver trem especial pa-
ra Apipucos, na forma do costnme.
THEATRO
PREZACOIMBRA
Recita extraordinaria
EM FAVOR DA l.IUERADK DUMA MF.MNA
DE 9 ANNOS DE IDADE
Stxta-feira 23 de dezembro.
LINDO E VARIADO ESPECTCULO
DIVIDIDO EM TUES PAUTES
Onvertura pela orchestra.
PRIMERIA PARTE.
Representar se-ha a muito hola e applaudida
opereta ere nm acto
LA REVANCHE D'FORTUNIO
Na qual tomam parle Mlle. Drescia e Mr. Ray-
naud.
SEGUNDA PARTE.
Representar se- ha pela segunda vez a muito
linda opereta em um acto, musina de OITemback
TROMB AL CASAR
oa qual tomam pjrte Mme. Valraonca e JIr. Ma-
ris, Carn e Raynand.
TERCE1RA PARTE
Ropresentarse-lu a chistosa opereta em 1 acto,
mosica de Offemback
Le graud papa de la chanson.
na qual tomam parte Mmes. Valmonca e Mr. Ma-
ris.
Termina o grande canean in3rnal da' opera
d'Orphe aux eefers dansado por Sr. M.triz, Mr.
Carn, Mme de Valmonca, e Mlle. Marietu.
O emprezario deste theatro qnerendo concorrer
para fim tao justo quanto o da liberdado, resol-
veu ceder este espectculo, eujo pr-ducto sera ap-
plicade eraancipaclo desta infeliz, a pede a to-
das as pessoak amantes da manumisso que con-
corram com o seu bolo appellando igualmente
para o povo pernarabucano em geral de quem a
mesma creanca espera todo o apoo e auxilio afim
de se V!r livre da cscrayido.
Os billetes achamse a venda no escriptorio do
iheatro.
Principia s 8 l|i horas.
AVISOS MARTIMOS,
COMA BRASILEA
DE
Paquetes a vapor.
Dos porto< do sul esperade
at o dia 22 de dezembro o vapoi
Tocantint, commandante Jos Ma-
rta Ferreira Franco, o qual de-
pois da demora do cosame se-
guir para os portos do norte.
Desd j recebein-se passageiros e eng&ja-Sb a
:arga qne o vapor poder conduzir, a qual dever
ter embarcada ao dia de sua chegada. Eacommoa
las e diaheiro a frete at as 1 horas do dia da su-
tbida.
Neserecebemcomo eacommendas senao ob
lecjosde pequeao valor e que nao excedam a daa
irrbbas de peso ou 8 palmos cbicos Ue med^Sc
rudo quepassar destos iiaitos dever tr embar
:ado como carga.
Provine-se aos senhores passageiros que sua
oassagens s se recebem na agencia, ra da Cru
1. 57 prrraeiro andar, escriptorio de Antonio Lu)
le Oliveira Aievedo & C.
-*
W

Pegue Para esse porto com a possiVel bre'vidde
o hiate novo, bem construido D. Luiza, para car-:
ga e passageiros : a tratar-se com Gomes de Mal-
tos Irmos ra do V gario n. 26.
BAHA
Para referido porto segu dentro de seis dia*
a polaca italiana Sua, e por isso quem quizer
aproveitar earregar a frete commci!o, dirija se ac
consmitario Joaquim Jos Gongalves Reltrlo i
ra Jo Commercio a. 17.
RIO DE JAREffiO-
Para o refer Ju porto pretende seguir com mal-
ta brcvidae a barca brasileira Sania Marta por
ter a maior parte do carregamenU engajado, i
para o resto que the falta e escravos a frete, tra-
ta-se com o consignatario Joaquim Jos Goacalvas
Feltrao a ra do Commercio n. 17. *
COMPANH1A PERNAMBUCANa
DE
Navegando costeira por vapor.
Parabyba, Natal, Maco, Mossur, Ara-
caty, Ccar, Mandaba, Acarac e
Granja.
O vapor Pirapama commandan-
te Arevedo, seguir para os por-
tos cima no da 31 doeorrenn
as*5 boras da tarde. Recebe car-
ga at o dia 30, encommendas
passageiros e dinheiro a frete at as 2 horas da
tarde do dia da saluda : escriptorio no Forte de
Mattos n. II_____________
COMPANHIA PERNAMBUCANA
oa
Vavega^ costeira por vapor
Mamanguape.
O-vapor nacional foruript,
commandante Silva, seguir
para o porto cima n dia 28
do corrente as seis boras .da
tarde.
Recebe earga passageiros.
encomnendas, e dinheiro a frete at as 2 horas da
tarde do dia da saluda, no escriptorio da Forte
do Mattas n. 12._________________________
COMPANHIA PERNAMBUCANa
DE
Savegaco costeira por vapor.
Macei, escalas e Penedo.
O vapor Jaguaribe commandante
Gailherrae, seguir para os portos aci-
_ roa no dia 31 do corrente as 5 horas
da tarde.
R"cebe carga at o dia 30, encommendas, passa-
geiros e dinheiro a frete at as 2 horas da tar-
de do dia de sua sahida : no escriptorio do Forte
do Mattos n. 12.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Xavegaco costeira por vapor.
Goyanoa.
O vapor Parahyba seguir pa
ra os portos cima no da 26 d(
corrente as 9 horas da norte.
Recebe carga, encommendas,
, passageiros e dinheiro a frete nr
escriptorio do Forte do Mattos n. 12.
COMPANHIA PERNAMBUCANA *
M
%'avegaco costeira por vapor
Porto de Gallinhas, Rio Formoso e
Tamandar.
'"ffty O vapor Parahyba seguir para os
LjUl_. portos cima no da 20 do corrente a
..rSUSJtm meia noite.
Recebe carga, encommendas, passageiros e di-
nheiro a frete: no escriptorio do Forte Ao Mattos
0.12.
LEILAO
DE
doas barricas com fio para sapateiro, 1
caixa com linha em uovellos, 1 dita com
frascos de tinta, qointa-feira 22 do cor-
; renH, as 11 horas.
O agente Pinto levar leilao, a reqteriraeuto
de Samuel de Pava Johnston & C, por autorisa-
cio do cnsul de Franca, env presenta de sen
cfcanceller e por cunta e risco de quem pertencer,
os quatro volumes cima 'designado*, avariados
bordo da barca franceza Lmza. O leilao ser
effeciuado no dia e hora cima ditos, ao escriplo-
rio do referido agente, ra, da Cruz n. 38.
LEILAO
HE MOVIS
SENDO :
Urna mobilia de jacaraad quasi nova com 18
cadeiras de guarnicao, 2 ditas de bracos, 1 sof,
2 consolos e jardineira com pedra, 1 mesa elstica
de amarado, 2 aparadores, 1 guarda louca, 1
goarda ronpa, meias commodas, raarquezas, ca-
deiras de. amarello para sala de.jaular, sof de
amareUo, candelabro e serpentinas de crystal,
jarros e mnitos outros objectos que estaro pre-
sentes na acto do leilao
HOJE
22 do corrente.
O agente Martns far leilao por ordem de ama
familia qne mndou de residencia, dos objectos
cima, na ra Augusta n 100, priroeiro andar, s
11 horas do dia.
Vara o Porto
est rece henil) carga a frete yiodico a barca por-
ingueza s. Manoel II, devendo sabir dentro, em
pnucos das visto queja Um a maior parte enga-
jada : para o paucoque Ihe falta irata-se com o
capital na praca ou na ra do Vigario n. 1, !
andar.
IRA
o
PORTO
Vai seguir em poaco lempo o brigue portuguez
Sensivel por ter a maior parte da carga engajada :
quem no mesmo quizer carreg3r on ir de pessa-
gem, para o que tem exce lentes commodos, trate
com os consignatarios Thomaz de Aqumo Fonseca
A C. Succesores, Da ru do Vigario n. 19.
LEILOES.
5 apolices do theatro de Apollo e 8 ditas
da companhia Vigilante de vapores de re-
boque d'esta cidade, a 22 do corrente.
Por despacho do lllm. Sr. Dr. juiz especial do
commercio, datado em 17 d'este mez, e a reqne-
rimento dos administradores da massa da viuva
Amorim & Filhos, o agente Oiiveira far leilao das
apoliees supra mencionadas
HOJE.
?.o meo dia em ponto, no seu escriptorio ra da
Sroz n. 53, primniro andar.
madapoldes a^ariado3, quinta-
fira 22 de dezembro ao
meio dio.
No escriptorio do agente Pinio, ra da Cruz n.
38, em continuacao, vender o mesmo agente nm
fardo de algodao azul, 1 eaixa com castores e ma-
dapolo francez.
MlfflLI illUIIIU
DE
Paquetes a Vapor
Dos (K)rtos do norte esperado
al o dia 26 do corrente o vapoi
Arinos, commandante J. de P.
Guedes Alcoforado, o qual depois
r da demora do costnme, segnira
para os portos do snl.
Desde j recebem se passageiros e engaja-se a
.arga que o vapor poder condozir, a qual devera
er enmarcada no da de sua chegada, encom-
mendas e dinheiro a Epete at s 2 horas da tarde
de sua sahida.
Jo se recejjcm como encommendas seno ob-
jectos de pequeo valor, e que nao escodan a 2
irrolja da peso ou oito palmos cbicos de medi-
co. Tudo que*passar destes limites dever ser
embarcado como carga.
Previne-se aos Srs. passageiros que sua pa*-
sagens s se recebera na agencia, ra da Cruz n.
37, primeire andar, escriptorio de Antonio Lu?
Je Oliveira Azevedo & C.
40
41
M
DE
caixas com massas, quinta-feira 22 do
corrente, s II e raeia horas em
ponto.
O agente Pinto levar a leilao, por conla e risco
de quem pertencer U caixas' com massas l-
timamente despachadas. O hilo ter lugar s
11 e meia boras do dia cima dito, no escriotorio
do referido agente
Ra dr Cruz n. 38.
DE
83 saceos com farinha de
mandioca com toque de ava-
ria, quinta-feira 22 do cor-
rente.
O agente Pestaa far leilao, por conta e risco
de quem pertencer, de 83 saceos com farinha de
mandioca com toque de avaria, vndas no patacho
Eiephante, que indo para Cabo Verde, entrou
neste porto arribado, e sern vendidas quinta-
feira 22 do corrente, pelas 11 notas da manhaa.no
trapiche do Cunha.
LEILAO
Francisco de Salles Silva
faz leilao de trastes por intervencao do agente
Martns, na travesea do Sarapatel, no sobrado
n. 1, primeiro andar, constando de camas france-
sas, sofs, marquezas, consolos, mesas de meio de
sala, cadeiras de guarnicao e banca, marquezas
de quatro, cinco e seis palmos de largura, relo-
gios de louca, sexta-feira. Principiar s 11
horas.
LEILAO
DE
DIVIDAS
da massa fallida de Antonio Pedro de
Mello, na importancia de 31:4374368
a 26 do cor ente.
Por ulteriordespacbo do lllm. Sr. Dr. juiz espe-
cial do commercio d'esta cidade, datado em 19 do
corrente, o agente Oliveira expor a segundo leilao
as indicadas dividas, em qnatro lotes, qne serio
designados de conformidade com os respectivos
mandados e relacoes a'ellas, exhibndo se estas
previamente e no acto aos pretendentes
SEGDNDA-FEIRA
ao meio dia era ponto, no escriptorio do referido
agente, ra da Cruz a. 53, primeiro andar.
LEILAO
DE
unta casa terrea sita na ra da
Vnzala Velha n, 26.
O agente Martns far leilao, a requerimento da
commisslo administradora da irmandade de S.
Benedicto do convento de Santo Antonio, e de Vc-
tor Antonio do Sacramento Pessoa, testamenteiro
e inventarame dos bns deixados pela fallecida
Rufina Maria da Onceicao, e por mandado do
lllm. Sr. Dr. juiz municipal da segunda vara, da
casa terrea n. 26 da ra da Senzala Velha, edifi-
cada em terreno proprio, s ndo a veoda feita por
apolices da di vid* publica do juro de 6 por cento
ao anuo, segundo a cotacao do dia
TERgA-FEIRA
97 do corrate
em sea escriptorio ra da Cadei n. 9, s 11
horas do da.
AVISOS DIVERSOS.
PORTO
Pretende seguir, cem malta brevidade, a barca
portugueza Social, por ter a maior parte de sen
carregamenlo engajado ; e para o pouco que Ihe
taita, trata-ge com o seu consignatario Joaauim
Jos Goncalves Beltrlo, i n do Commercio.
ATTENG&0
Quem precisar de um sacerdote para celebrar
as missas do Natal, dnja-seas Cinco Pontas, casa
terrea o. 94.
ATTENCA
Jrrevme-se a quem nteres-
sar possa que todos os bens pos
suidos pelo Sr. Jos Luizlnno-
cenrio fogge, se acha ni hypo-
thecadose dados em penhor pa-
ra g rantia de debito superior
no valor dos me^-mos bens, por
escriptura em nota do$r. tubel-
liao Porto Carreiro.
' >>mxmwzm*iwm iTamayw
Manoel Jos Ferreira Anlunes, Ceciliano Jos
Ribeiro de Vasconcellos, Jos Ribeiro de Vascon-
/ellos e Maria Elvira Ribeiro de Vsconcellos,
agradeceni cordialmente a lodos aquellos qne se
dignaran; a acompaohar o restos mortaes de sna
prusada esposa e irma ; convidando-os ao mesmo
lempo para assistlrem a missa do setimodia, que
os mesinos mandam celebrar na greja do conven-
to ao Carmo do Rtcfe, ne dia 24: as 6 horas da
manha
am piano da unrawla de 3 corda, 1 mobilia JeJ
Jacaranda a Lu.z XV. 1 dita de amarello com
pedra 1 mesa elstica, l dita com 9 palmos 1
guarda-lonea, 1 comrooda de Jacaranda, n
^goarda-roupa de magno, 1 espeHio grande 1
conwwda de amarello, 1 maehina para costura
I cama para casal, cadeiras de amarello avul'
sas ditas de Jacaranda, marquezas, censlos,
cadetras de balaceo, ditas de bracos, marque-
zas mesas redondas, marqnezoos para solleiro,
L.u!u-ie fef,ro'J.mM9 P'iHo, lavatorios,
sofs do amarello, dito de Jacaranda, 1 alcatifo
toooapara almoco, candieiros a ga, relagios
m ni toe outros objectos /
Qointa-feira 2i do corrente
pelo agente PontuaJ
no arnMzem da ra do Imperador n. 16, s 11
horas era ponto, ao correr do martello.
MOTEIi
Bllhar, bospedagent. c baiahos
.. .K2Pnett,ioa d0 *raD,le hWl d0 Monteiro
leu aberto noaprasiwel arrabalde deBeberrae um
hotel preparado com todo o esmero e atsf. Re-
SALufiS*8* m^ qaat* Mii a eomo-
a, nfhnn?,,,eis' aP Hue os concwrentes
que os honrarera em tudo sorao satisfeitos
Ama de leite.
Preeisa.se de urna ama de leite e paga-se bem:
na ra do Bariholomeu n. 33. ,
GRANDE ARMAZEM
LOUCA, PORCELANA, TUBOS
CHRYSTAES
DE
PEREIRA, IRW1A0S
Ra Primeiro de marc,o n. 15, outr'ora ra do Crespo n. 15.
Ao respeitavel publico em geral e particularmente aos seus numerosos amigos
participara Manoel Joaquim Pereira e Manoel Jos da Cosa Pereira, que acabam de
fundar um rico e suraptuoso armazem de louca, porcelana, vidros e cbystaes roa
Primeiro de Marco, outr'ora tua do Crespo n, iS, sob a razo social Pereira ~
Irmos.
A longa pratica e conhecimentos de que dispdem os anuunclantes neste ramo
de commercio, a que, ba mnitos annos, se dedicam, os tem habilitado a .-aiisfazer as
necessidades da populag-o desta provincia e suas limitrophes, offerecendo aos coosu-
midores matares vantagens do que qualquer ootro estabelecimento dest gnero.jf'
x O respeitavel publico, dignando se de visitar este novo estabelecimentoj com-
mercial, verificar por si mesmo o que os annunciantes vera de dizer.
V
A
V
/
- *

I
LEONARDO IID
primeiro introductor dos pocos tubulares di Abys-
siii', em Pernambuco.
Participa ao respeitavel publico qua ltimamente tem recebido a quarta remessa dos
ditos pocos, e os peroneas completos e aperfeicoados para a :ollocaca> d'elies em poucc
lempo, tanto em terreno mole como em trra de barro, massap ou em pedra a mais
dura que houver, como se pode verificar no sitio do aonuoctanlc no Araial dos Goqceiros
As \ant3gens que bfferece este systema de adquirir agua sobre qualquer ootro, sao
immensas; servindo n5o smente as condicoes cima mencionadas, como tambem as
cacimbas j feitas, aonde anda nao tem bombas nu a agua n5o pura, poe? elles esto
munidos de um filtro que n5o deixa entrar impuridades, vantagem que nao tem os outros.
Alm disso, a grande qoantidade d'agua que elles deitam de 5 8 pipas por bora,
conforme o dimetros do tubos. (I i/4,11/e2 po!legadas)a facifidade com que eiles
funccSonam, a simplicidade, perforo e silidez. combinada com a elegancia de sua fonai,
que para ser appreciada basta ver-se.
O annunciante tem urna pessoa especialmente habilitada, tsnto na collocacSo d'elle,
como na escolha do terreno ou lugar mais proprio, que se encarrega de t es servifjs por
preco commodo; e, visto o cambio ser mais favoravel, vende-se elles por prcos mais
moderados, recebendo-se a importancia s depois de coliocado e funcionando a saliste
do comprador.
Para encommendos e mais esclarecimeutos a respeito
trata-sejna loja do Sr. F. J. Germauu, ru> Nova n. 21 e
nrtoffiina demetaes do 8?. Paulo Jos da Silva Frei.e,
largo da Concordia n. 7.

\
i
i 1
PARS
em 87 daembro dt 1819
Wcmc,
S
PARS
PAKIS
E' sobretudo s suas propriedades eminentemente absorventes,
que o ar.fto de BeUoe deve a sua grande efficacia. Recom-
menda-se-o especialemente contra as affec?ee eegintes j
GASTRALGIAS
OVSPEPSIA
PVROSIS
AZIA
digestOes OIFFICEIS
DORES OE ESTOMAGO
COMSTIPACAO
CLICAS
OlARRllEA -
DySSENfrRIA
CHOLERINA
RODO JE EMPREGO. 0 r.r*. 4 Bnoe kCiftN*fc.iK)
toma-s antes ou depois de cada comida, sob forma de K ou de
Ksu bu. GeraJmuuo o bem estar sente-se logo depois das pri-
mr.jasdoses I'ma infurmavao entensa acompnha cada vidro
de pxj e cada lixa de pastilhas.
Deposito em Parla, l,. 1 RERE, lo, Mir Jaoob.
Vende-se na pharmacia e'flrogaria de P. ManrerA C,
ra do Bario da Victoria n. 17
(I
PARS


DHtf Pernamico Qmnla fcfe 22 de Dezembro de 1870.
/



A rt PriaiWVW S011**1 rt* *
^ix)*. *i reais do costum,
tres fus/ios a. mi oca WWOOe^nm taeio n.M3
comrlOQ/800 e outras sorte de tiftaJO)0-e 46
idou ( lextr------------
75^, twr-'
vida na pesiu1*oks -% **in ree*er til eflifor-
raidlae costuaw se descont aagnm.
AehUaVse vaada, oa bilhetes JatlMi 9* parte d*s loteras, a beneficio da Troaa|&j do
Senhor Bem Jess la Volatera (fMh qu ex-
trabir Jabado 24 do corrate mez.
pete atierro 6M0Q
bitnete 3|000
,Jirto 1/500
fiai porcia 4e 160/900 para cima.
Mfaetslauiro 8*406
Helo Mnete 2/700
Oferto t 1*390
Manoel Martin Fina.
Na agencia eotrSttmf* flOrtogai do torno
de Serinh5em em Gamelleira ; pre*a-
fallar com urgencia aos Srs. abaixo mencio-
nados sobre negocio que Ibe diz respeito,
isto no praso de 15 dias a contar da pre-
sente data.
A vinva oa herdeiros de Francisco da
Chagas Cavalcante e Lnciano Alfonso de
Mello, morador em Barreiros.
Gamelleira 13 de dezembro de 1870.
Jantho Soares de Menezes.
Agente.
HCAFE PURGATIVO
A' ESCAMONEA
De B,N Barral
Pharmaceatico-tDblniico
A atilidade des purgantes nao soffre demons-
trado alguma; a prescripco diaria que delles
fazem 03 mdicos o o aso anda mais frequente
feito pelo publico. sao provas irrefragaveis unto
como a quantidade innumeravel deste genero. S
falta apeffeicoar cada vez mais o modo de admi-
nistracao, de maneira que conservando a ana ac-
cao, elles possam ser tomados sem repugnancia
aem asco e sohr.-tud" sem receio neni perigo.
Mnitos purgantes afamados so devem este bom
xito ao seu effelto intenso e exeessivo. D'ahi o
perigo, porque irritacoes de estomago, inflamma-
S3es de enlranbas sao inevitavelmente o resulla-
o do seu emprego. Nada disso tem-se de recear
com caf purgativo.
Todos conhecem por experiencia o aroma sua-
ve e o elleito ligeramente tnico e excitante do
caf. Elle o melbor auxiliar dos purgantes dos
quaes disfarca o cheiro o sabor e ajuda a accao
sollicitanlo vagarosamente os movimentos peris-
tlticos de intestino, e prevenindo o sen effeito
muilo intenso sobre o estomago. Misturado com
escamonea, facilita as evacuacOes com promptidao
e sem clicas, e toma-se um purgante brando,
ceno, fcil a lomar c preferivel a todos os outros
salvo ama indicarlo especial da qual o medico
o nico juiz.
A innocuidade do caf purgativo permute de
emprega-lo em todos es casos simples. Desper-
tando a atona do intestino e activando a secre-
cao deste, deslre a dureza de ventre, as vento-
sidades, as flatuosidades e excita o appette. Era-
pregado mais miudo, conveniente para eva-
cuar com vagar a bilis e os humores viscosos e
e faz dessa maneira desapparecer a enxaqueca,
as dores de cabeca e prev os ataques de sangue
as pessoas que a estes sao predi-postas.
MODO DE EMPREGO.
E' tao simples como fcil. O cat purgativo
deve ser tomado fri, puro oa misturado com um
pouco* de leite fri assucarado, ou agua assuca-
rada. O vidro inteiro a dos ordinaria para
um adulto ; dua3 colhares de caf bastam para
as senhoras e para toda e qualquer pessoa que se
pur fcilmente.
. ara as enancas de 8 10 annos, a metade do
vidro sufflciente ; de a 8 annos, urna colher
de caf, e a quarta parte do vidro smente abai-
xo desta idade contra a gosroa.
E' por isso d'uma administraco muito mais
fcil do que es biscoutos, chocolates ou bolos
purgativos.
Da-se immedataraenie depos leite quenie as
sncarado oa caldo leve, e duas oa tres chavenas
de cha preto ou de tilia.
nico deposito na pharmacia e drogara de
Barlholomen & C. : rna larga do Rosario n. 34.
m -amar m Precisa-se de ama, escrava ou li-
xmJjJ. A vre : na ma do Ualdeireiro n. 68.
Precisase de um caixeiro para taberna de
14 a 18 annos de idade, e que d fiador a sua
conducta, paga-se bom ordenado: a tratar na ra
da Santa Cruz n. 3, padaria.__________________
Joaquina Jos Gonpa-
ves Beltro
Roa do Trapiche n, 17, 1* andar.
Sacca por todos os paquetes sobre o banco de
Minbo, em Brega, e sobre os segnintes lugares en:
Portugal :
Lisboa.
Porto.
Valenca.
Gaimares.
Coimbra.
Chaves.
Viseo.
Villa do Conde.
Arcos de Val de Vez.
Viannado Castello.
Ponte do Lima.
Villa Real.
Villa-Nova de Famlica.
Lamego.
Lata.
Covimaa.
Vascal (Valpasso).
Mirandella.
Beja.
Barcellos.
D se 25/ mensaes pelos servlcos de um
preto de meia idade, que seja fiel: na ra do
Rangel at 9.
Bartholomeu & C,
w***.
iwho, Pilulas, Xarope b Tintura
ds jurubbba 8implb8 fkrrusbjoto i
."Pomadae Emplastro da mhsma
p km t. preparados por
i&RTHOLOMEO & C
PHURMACEUTICOS-DROaUISTAII
' PEHXAMBK0
A Jjrnbeb : eiU planta boje reconhacid
.-.,ao o mais padecoae inico, como o ttwlhs.
-osobitnirniu.acomoul appheada noapadaeinaotoi
do figa-lo e ba;o, hepalitet, dvna, tnmim* inUi-
ios e tspecialaenu do aun, hjdropMiat, errai-
poMaa, te.; t aisociada ao farro nul pallaiai
rom. eblorowa a (alia i mmunn^e, 4ctirn-
na do esloiBo, ale., a o q*M diaamaa aiuill.
.Dnamuru cora nnpwtaMaa ahdu aoaao>
praparadoa j baca cmim4m a aaadoa palaa auu
diatineUM madaaaa da pala a Ponapl. Eaa todo o>
aoaaaa dapoaitoa diatrikmimaa paa falkatoa malhot faaaa eok*etr a linWba not nwlaaii
ttpfUaaflw.
Ss
IXPOSIClO DHIVERS1L DE 1S5I
IALHt M I CLIM
lf. labarraqb & cr
v -
lassl
.ABARRAQUE
Aiajaesi paniJerTendUfa^ aftifeo e per*
tences da taberatr de pateo do Ter?o n. 11, maiio
propria para qualquer principian^ e tambera
paraquem quiercolloer um eslabeteeimento bam
montado por ter a casa commodidades .para isao.
a qual tem quintal e cacimba, e o ion alugoel
razoavel, ceendo-se ao comprador a residenciado
sobrado de nm andar por cima da mesma, urna
vez nue precise delle para sna habittcao : a tra-
tar no mesmo sobrado.
Aluga-se
o 3 andar do sobrado a. 8 da rna da Imperatria:
atratar cora 1. J. de M. Reg i rna do Comraerao
CONFITARIA
APPROVADO PELA ACADftlA OE ME&tttftA DE PARIZ

O Qulnlutn Lal>.irr;H|MC, um
vinho eminentemente tnico e febrfugo que dev
ler preferido todas as outras preparaedes de
quina.
Os vinhos de quina ordinariamente ^mprega-
dos na medicina preparam-se com cascas de
quina cuja riqueza em principios activos extre-
mamente variavel; parte disso, em razao de seu
modo de preparaco, estes vinhos contem ape-
as vestigios de principios activos, e em propor-
cees sempre variaveis.
0 Ou lu 11111 Labarraque, approvado
pela Academia de medicina, constitue pelo con-
trario um medicamento de composicao deter-
qual os medios e os doentes podem sempre
conlaf.
0 Qulnlnm Labarraque prescripto
com grande xito s pessoas fracas, delibitadas,
seja por diversas causas d'esgotmento, seja por
antigs molestias; aos adultos fatigados por urna
rpida crescenca, s meninas qui tem difflculdade
em se formar e desenvolver; s mulheres depois
dos partos; aos velhos enfraquecidos pela idade
ou doenca.
No cazo de chlorosis, anemia, cores plidas,
este vinho um poderoso auxiliar dos ferrogi-
nosos. Tomado junto, por exemplo, com as pla-
las de Vallet, produz effeitos maravilhosos, pela
.RA DO IMPEIUDQil Ji.&.
O proprietario deaie enabflecmento atisa aos
seus numerosos e bons fre^ueres, que acaba d
preparar um grande soBimento des peihores g-
neros do mercado para rechear ae despeasas da-
qoelles que Sverera bom paladar e disfosicao pa-
ra gastar os cobres, no lempo da festa do natal.
Abi encontrarlo expelientes presentes de fiambre,
vinb.is, licores- e cognac de (dos os fabricantes,
boa cerveja, marmelada portugueza, ameixas em
eaixinha*. conservas fraocezas e portuguezas, do-
ces de todas as qnalidadeo seceos e em calda.
Tambem encontrarao bolinbos para cb de todas
as qualidades, bolos francezes e ingleze?, pac-de-l,
pudins, torta, amendoas confeitadas, e quantidada
do outros objeetos que seria enfadonho enamorar.
CADEIRAS
Um elegante sortimento de caderas de faia a
iraitacao de mogno, e onlras de Jacaranda, e bem
assim pretas douradas. obra de gosto : vande-se
as duzias no armazem do Tasso Irmaos 4 C, no
caes de Apollo.__________________________
Agencia em Pernambuco
Do Dr. Ayer
Petoral de Cereja
Cure a phthysica e todas as molestias do peito.
Sa'ss pat'rllha
Cura ulceras e chagas antigs, impigens e dar-
TOf.
Tnico
CoDserva e limpa os cabellos.
Plalas calis rticas.
Paramente vegetaes sem mercurio ; cure se-
s5es, purgao e puriflcam todo o systema humano.
Vende-se efleclivamente em casa de Samuel P.
fobnston & C. ma da Senzalla Nova d. 48._____
Aluga-se um preto muilo bom eczinheiro,
prefere-se aluga-lo para casa estrangeira: na rna
do Amorim n 45 para tratar. ________
minada, rica em principios activos, e com o '' sua rpida accao.
Deposito em Pars. L. FRERE, ru Jacob, 19
Rio Janeiro, Dtaponchelle j Chevolot.
Pernambuco, P. Manrer y C".
Bhia, Haase y C".
Ouro-Prelo, Candido IVeiirraon.
Maranhao, Ferreir y C*.
Pelotas, Antelro I^elvava.
Maceio, Falco Diaua.
Porte Alegre, Francisco afos Bello.
tt* i,. -
!
N'ESTA ANTIGA E CRED1TATA
FABRICA
ENCvNTIU SE r.A|fSTA!1TKBNTB Bill COHPLBTd 80RTI1EHT0 DI
CHAPEOS DE MIL:
De todas as qualidades I
De todos os feitios I
De todas os precos!
RA DO CRESPO N 4
tambera urna cura prompta e radical, isto
, est bem visto, quando o doente nSo se
ache n'um estado muito alm dos recursos
humanos.
Prcisa-se
de um forneiro bom : na ra eslreita do Rosario
numero 5.______________________________
T^ Ama
Precisa-ge de urna ama para cozinhar : a tra-
tar na ra do Baro da Victoria n. 60.
CASA CAUVIM ^SS!;
Pharmaceutico privilegiado
eucoessor
Uouli'viinl sjSbatopol, 5S PABI8.
NOVAS ESPECIALIDADES A. MARINIER
Apre&eladas a Academia do Sriou ias e ro Instituto da Fraiifa,
It' irf* R\ ^'> ^"^ de Pastilla, dcv.'dida c deseada para
.auLuwrlU faser de m .meato uma wluccao
Preventiva e cnr.itiva daa MOLESTIAS CONTAGIOSAS
iKJFr.Tni-Piiii Ttftd0 ve iAs;in*'*
IiWiAjIU I lllLlllUgravs InconvenianUj de fragiltlada.
FOfAlftC Com a forma, e de volume de nm Portc-Moed*
tOlUJUo COTENDO TODO 1MTAMENTO.
COLLYBIO Contra as affeccois das palpebraa,
preparado sob a mesma forma.
DADTUATAMFA f P* Depositarios gcral para e BRASIL e P0RTL AilinULUiaLU & U 34, ra larga do Rosario. PDRNAMBUOO.
CASACAUVIN A.iarihier, pharmactaSsr,i*,:to
NOVAS ESPECIALIDADES A. MARINIER
Apresentadas a Academia de Sciencia ao Instituto de Franca.
fll I CA* O Sob r,ma de P""iHJ. deaajfida e dnseada para faser da
III CwuAU momento urna solucrao PRITUTITA E C0HAT1V* du
MOLESTIAS CONTAGIOSAS
ISJECTflR-PHlllOd0.SE. TUSSiSf
Graves inconveniente de frgil i aade.
pava IOO Com (o""> do ** aa> Porte-Moeda aaaata
ESTOJUO TODO TRATAMENTO. ""'
CIjjYRIO Contra as affeccois das palpebras, preparado sob a mesma forma.
a Depositarios geral para o RBASBL e PORTUGAL
3i, ra larga do Rosario. PEENA21BUOO.
BH16L03S3&C
r Pillas assucaradas de Brisiol.
! NAO contem nem calomelanos nem nenhum
OTRO MINERAL.
A grande necessidade e falta de um ca-
! thartico on de urna medicina purgativa, ha
i muito que tem sido seHtida, tanto pelo po-
I vo, como mesmo por meio da faculdade
medica; e por isso, infinito o gosto e \
prazer que sentimos, em poderraos com |
toda a confianza e seguridade, recommendar
as pilulas vegetaes assucaradas de Bristol,
como urna excellente medicina purgativa, a
qual encerra em si todas as partes e mais
ingredientes essenciaes, tornndole em umi
perfeito, seguro e agradavel cathartico de
familia. Este remedio n5o composto
dessas drogas ordmartamente usadas na
composicSo dessas pululas, que por ahi se
vendem, mas sim, sao preparadas com as
mais finas e superiores qualidades de raizes
medicinaes, hervas e plantas, depois de se
haver chimicamente extrahido e separado,
os principios activos, ou aquellas partes
que contem o verdadeiro valor medicinal,
daquellas porcoes fibrosas inertes e agres-
tes mteirairente destituidas da menor virtu-
de. Entre esses agentes activos ou ingre-
dientes especifteos, podemos nomear a po-
dophgtiin, a qual segando a experiencia
mm demonstrado, po&ae um poder o mais
jaravilhoso possivel sobre as regioes do
ligado, assim como sobre todas as secre-
tes biliosas. Isto de combinac5o com o
leptandrin, e mais alguns extractos vege-
taes e drogas altamente valiosas, consti-
tuem e formam urna pilula purgativa, tor-
nando-se por- isso muitissimo superior,
qualquer urna outra medicina da mesma
natufeza, que jamis fora apresentado ao
publico. As pilulas vegetaes assucaradas
de Bristol, acbar-se-h5o sempre um reme-
dio prompto, seguro e eminentemente efi-
caz, para a cura Je molestias, taes como
seiam as seguintes.
Hydropesia dosmem-
bros ou do corpo,
Ama de leite
Preclsa-8* de traa ama de leite sem filho : na
rea de Hortas o. 30, sobrado. ______
XAROPE SEDATIVO
de cascas de haronas amargas to
BROMURETE DE POTASSIM
He S.-W. LAR0EE, ra alea Moi *a.nt P.ul, Paute.
Todos oa Medieoa coneordio em qae o Bromara* de PoUasmm pnro tem obre a
sistema nervoso, ama accf o ittsu almaat*. Reunido lo Xarope Larate de
Laranja amarga, caja aecfo regair' y fuB?f6es do estomago a dos intestinos,
nniversalmente appreeiado. Sem receto aasidente se pode dar as pessoas adulta
qoando soffrem de f laatlaa ale aota|aa?W va digeativaa, oa atevtosaa aa (arel!
assim que para as aBolaata* htiomi t* praoha. Para as creancas, pava w
aajaaa|Sa, i un mi taa, tesa* danranU a. dantifSo.
Deposita em Ato de Janeiro, Okavoa>t; em Pernambuco, w. lfaaiaa <*
em Maceio, rlao ma; em tiehUu, Aatavo iwivaa; em Baha, ja* Baeaw; em
Parla alegre, Tasa aHa; em Baranhao, rerreira 0a; em Onro Prelo, Walsa
Dspepsia, ou indi-
gest5o,
dAstrtagencia, on\.
pristo do ventre
habitual,
Azia do estomago e
flatulencia,
Per da do apetite,
Edtomago sujo,
oDRGIBErVr
| MEMBRO da AGADEMHde MEDICINA
Preparado pqr deslauriRS.ph.
SacJ< de BOUTIGNY-DUHAMEL
51 Ra de Clry Pttpis
O Xarope depurativo iodu rado do Dou-
tor Gibert offerece, no seu emprego, um
resultado bom, ceito e constante na cura
das tmpiyens, escrfulas, molestias da pe l le,
vicio do sangue, oostr uccSes It/mpkatcaj,
molestias contagiosas {syphiltticas), leves
tu inveteradas, e de todos os accidentes que
a" el las dependem.
A recetta deste Xarope foi toprovada
pela Academia Imperial de Medicina de
Paris.
Deposito as principae* pharmacias do
Brasil.
em Pernambuco: Maurbr e Gu; Joaqih
Martinho da Cruz Correia ; Joo da Com-
CBigAO Bravo e C*; Amisto Caors ;
Bartholomeo e Cu; Alexaudre Ribeiro;
Abreu Ribeiro ; Joo da S* Taru e IrmIo.
oiucijuf jortta
ua a ojuManaq* ef
t-ToS'oiu|xi.uioa
'Han p ti(i 09 a
-ot (oauajj 009 JP
aanlnai^)atia|'
-iai8a&
ijoiiva obaos oa Tfiws"! artas o mosonaJ
-ama in otsudoii o[n}aj Oin 'janri nam o aat anb
|nza ladad o a amoj aiiua '\t\ 'ejejjBS opta a
Cy; y*r
Affecces do figdo,
ictericia,
Hemorrodias,
Mau balito, e irregu-
laridades do lexo
femenino,
Dores de cabeca.
Em todas as molestias que derivan t
sua origem da massa do sangue: a salsa
parrilha de Bristol esse melhor de todos
os purifleadores deve ser tomado conjun
tamente com as pilulas, pois que estas
suas medicinas, tendo sido expreswnente
preparadas para obrarem de harmona urna
com a outra, quando fielmente assim se faz,
nao nos resta a menor duvid em dizer,
que no maior" numero dos casos, ptanos
amanear nao so um grnete alivio, como
*o
%
\>s

tnnr aaavm-mspoa (eaisi
108 31 0HI3QYQm
Rna do Baro da
Victoria n. 63
( Outr'ora ra Nova. ))
Bilhetes garantidos da pro-
vincia.
Esta feliz ea9a acaba de veoder entre os seos
moito felites bilhetes a stirte de 400*000 em um
meio de n. 913, a sorte 200/; em bilhete inteiro de
n. 1113, e dous meios de n. 3272 com a sorte de
lOO*, alem de ontros premios meoore?, podendo os
seos poasoidorea virem receber, que promptamen-
te sero pagos.
O abaixo assignado convida ao respeitavel pu-
blico para virem do seu estabelecimento comprar
os felizes bilhetes garantidos, que nao deixarao da
tirar qualquer premio como prova pelos mesmos
annnncios.
Acham-se venda os milito felizes bilhetes ga-
rantidos em beneficio de S. Bom Jezus da Via-Sa-
cra, que ser extrahida sabbado 24 do correte
mes.
PRECOS.
Inteiro 6 000
Meio 31000
Qoarto 1*800
De 100(5000 para cima.
Inteiro 5/400
Meio t/700
Quarto 1/350
Joao Joaquim da Costa Leite.
Precisa-se de urna ama para casa de pouea
familia : tratar na roa das Cruzes n. 14.
Preeisa-se
de um rapaz qae saiba trabalhar em velas
carnauba, que tenha boa conducta : na ra
Vigario n. 26, fabrica.___________________
de
do
Official de barbeiro
Paecisa-se de um bm official de barbeiro : na
roa da Cruz n. 14, 1 andar._________________
~_ Precisa-se de urna mulher para lavar e en-
goramar em casa de familia das 6 horas da ma-
nha as 6 da tarde ; na ra do Cabug n. 18, so-
hrado._________________________________
Quem quizer se encarregar do lavado e en-
gommado de ama casa de familia, mande tratar
na rna do Cabug n. 18, sobrado.
Estrada do Chacn para o Poco.
Aluga-se urna mei-agua com quintal, tanque
para tomar baaho, cacimba tom boa agua, muito
propria para passar se o vero, e alem disto fiea
muito perto da estaeao Chacen ou Casa Forte :
quem a pretender drija-se ao sobrado no CaVdei-
relro em frente a roa da Maagueira, que aebara
com quem tratar.
Deseja-se fallar eom os senbores ca-
pitSes de campos, a" negocio de seus in-
teresses, na Boa-Vista ra dos Prazere
n. 22. _
Caixeiro
Precisa-se de um caixeiro de idade de l a 14
annos, prefere-se portuguez : a tratareis Santo
Amaro das Salinas n. 30.
Ama.
Precipa-se de urna ama para o servido de urna
a de pouca familia : ra de. Vigario b. 1, 3.
casa
andar.
Manoel Alves Ferreira & C. mudaram o seu
escritorio da rna da Moeda n. o para a roa do
Vigario n. 3, 2 andar.________ ._______

BRAZILIAN STREET .
Railway Company (Limited)
No dia 24 do correte, alm dos trens
da tabella haver um de Apipucos para o
Recife, as 1 i horas e 20 minutos da noote.
Ni dia 25 a meia boafedepois de meia
noute baver trens do Rflfe Apipucos e
d'ahi em diante d hora em hora 1 ir*
hora d manhSa de 26.
Escriptorio dacomp-nt 21 dejdezembro
de 1870. ...
Gerente.
Precist-se de um bom bolleiro
ces do Apollo n. 89.
tratase no
*~


/
X


Diario de Pernambuco Quinta feira 22 de Dezembro de 1870
BOTICA.
-TracliMflettfflailefd, ]** (**tt
le pbaftnael tratr na roa d> Daque- de Ca-
xias, n. 67._____________________________,
Precisa-se lagar ura escravo para conduzir
fazendas : tratare no targodeiS^j0
PRIMEIRO ANTIGO CONSULTORIO
HMEOPATHICO
Dirigido pelo Dr.
SANTOS MELLO
Os habanles do interior podem-no-
consultar por eseriBlo, no que ser sa-
__i isfeitos com promplido.
JB Presta-se lambem a chamados para o
interdr, a proco mdico.
Consulta, no consultorio das 10 horas
Si ao meio dia.
fg Chamados, a qualquer hora.
58? Aos pobres grati?.
43Ra do BarSo da Victoria
(Antiga ra Nova).
n
ANTIGA,
CHAPEOS DE SOL
E BEM, CONHCIDA FABRICA,
DE
DA
O salo de pianos e de
msicas
jiudou-se da ra Nova n. 58, andar, para a
ra da
Ioiperatriz n. M, loja,
onde contina recommendando-se ao Illm. pu-
bliCO.
G. Werlheimer.
Ra do Barita da Victoria, esquina da Camba, do Carino, n. 23 (Antiga Ra Nova")
Temos honra de participar a nossos numerosos freguezes que com a'chegada de um dos socios da Europa, soprio-se a
casa com um completo sortimenlo de chapos de sol de todas as qualidades como lambem, de iodos es materiaes para os mesmos
fabrico, como sejam armacoes de todas as qualidades, sedas, rairins, alpacas e pannos, assim cuino de especial cotbihria, armas
para caca.chumbeiros e polvarinhos. Os chapeos de sol terSo abatimento de 12, 15 e 25 por cento, comprando dinhiro.
Precisase de um menino de 12 a 14 annos,
para eaixelra na padaria da ra do Rangel nu-
mero 9.
_
Piano.
-se um piano em pereito estado, do fa-
Traiimann por prego razoavel : na ra
do Livramento n. 38, armazem do Balita.
Precita-se de urna ama que lave e engomme
rom perfeicao : na ra do Barao da Victoria n. 61,
* andar.
AOS 5:0004000
Esto venda os felizes bilhetes da lotera da
Babia, na casa feliz do arco da Conceico, loja de
..limes nj Recife. ___________________
Na praca da Independencia n. 33 se da di-
aheiro sobre penhores de ouro, praia e pedrai
.reciosas, seja qual for a quantia; e na mesm
asa se compra e vende objectos de ouro eprala
figualmente se faz toda e qnalquer obra de en
commenda, e todo e qualquer concert tendent>
t mesma arte __________^__
Em cjsadeTHEOUOKO CHMSTIAN
SEN, ra da Cruz n. 18, encontram-se
effectivsmjnte todas ss qualidades de vinho
Bordeaus, Boorgogae e do Rheno.
Companhia Al iian DE
seguros martimos estabelecida
na Babia em 15 de Janeiro
de 1870.
CAPITAL..Rs. 2,000 000*000.
Toma seguro da mercadonas e dinr-eiro a risco
marilimo em navios de vella e vapores para den-
tro e fra do Imperio. Agencii ra do Com-
mercio n 17, escriptorio de Joaquina Jos Gon-
'.-alves Beltro._____________________________
Au belsexe
COLD CREAM OF ROSES.
Cette Creme dalcieuse, universellement rpan-
due en Angleterre, o les ferames sent si renom-
mes par la beaut et la transparence de leur
teint, doit s i rputation aux elementa balsamiques
et onctueux qui la composent, ains qu' sa cons-
tante efficaci poor adeucir la pean, la rendre
plus blanrhe, et contribuer ains la sanie et a la
beaut, qui, toujours, sont inseparables.
On la reconiniaHde contre les irritations de
1 piderme, telle5 que Bouto.ns, Lphlides, TA-
ES DK ROOSSBOB, ROLGEBS DE LA FlURE, et
contre les taches patriqes el les fflorescen-
ces. Cette Crt'me convient spcialeraent aux fera-
rr.es enceint> s pour prevenir LE MASQUE, auquel
ellas sont sujettes.On s'en sert encor pour em-
pcber la figure do se bler par le froid ou la trop
graade chaleur.
Prx 1:500 reis
Sel dept au magasra Basar de la Mode30
Ru do Barao da Victoria.
COMPANHIA
DOS
TRILHOS URBANOS
DO
RECIFE A9 OLINDA.
AVISO
Nos uomlagos e dias sanctificados, parti-
rao de Onda trens noile emquanto houve-
rem passageiros sufficientes embora j se
tenha esgotado o numero de viagens marca-
do as tabellas.
Na vespera e dia de Natal partiro quer
do Recife quer de Olinda trens todas as
horas do dia e da noite desde o meio dia
de 24 at 10 horas da noite de 25 para 26
do corrente mez. Os trens expresaos nao
conduzitao passageiros de 31 classe, mas
nao param em establo alguma nem interrum-
pe rao as viagens designadas as tabellas, e
no presente annuncio.
Declara-se mais que os relogios das es-
taces serlo regulados pelo do observatorio
do arsenal de marinha, para o que est um
empregado especialmente encarregado desse
servido.
as e-tagoes do Recife e Olinda trocam-se
constantemente por moeda legal os bilhetes
que por ventura houverem recebido os
passageiros por falta de cobre para troco.
Recife, 6 de dezembro de 1870.
O superintendente,
A. de Abreu Porto.
Pede-se aos Srs. assigoantes que tragara
os seus bilhetes de assignaturas para apre-
sentarem, sempre que transitarem nos trens
sem o que tero de pagar suas passagens,
igual pedido se faz aos Srs. que tem passe
do governo e desde j apresso-me em agra-
decer aos mesmos Srs.
Recife, 9 de dezembro de 1870.
O supreintendento.
A. de Abreu Porto.
AMA
Precisa-se de urna ama para tratar de crian-
cas : na ra do Graspo n. 7, loja de mindezas.
Frederico Maya
Cirurgio dentista.
Acha-se em seu consultorio para os trabalhos
de sua arte nos dias uteis das 8 horas da manha
as 3 da tarde, e aqoelles que por suas oceupa-
efies nao poderera comparecer nesses dias o acna-
rao das 9 horas da manhaa as 2 da tarde nos do-
mingos e dias santificados. Tambem continua a
prestar se a qualquer chamado, tanto na cidade
como para fra delta, sendo procurado em sen
consultorio a ra do Duque de Caxias, sobrado
amarello com entrada pela praca de Pedro II.
PagVse 30 menees pelo
preto : na roa Direila n. 129.
Este antigo estabelecimento, acha-se hoje montado n'uma
escala de poder servir vantajosatente os seus freguezes. atien-
to o grande sortimento de joias d'ouro, prata e brilhantes, que
sempre tem e recebem mensalmente das principaes fabricas da
Europa- cujos presos sao em competiveis e as obras garantidas
de lei. -
ilIOREIKA DMRTE .
3tj3gStS
Tem a sartsfacao de participar aos seus numerosos freguezes, que em vista de ser-Ibes mais commodo, tem *&
*% estabelecido urna nova fabrica de chapeos de sol, na roa da Cadeia do Recife n. 9, be je ra do Mrquez de Olinda, ^
S onde acharo os pretendenes, muilo avultado sortimento de chapeos de sol de todQS os pregos, qualidades e por pre- &
SJ gos mas commodos do que comporta o nosso mercado: cenvidam especialmente aos Srs. compradores por atacado p|
m& darem, sendo possivel suas encommendas, pois podero assim serem mais bem servidos, visto poderem escolher as ar-
41 RA DO BARiO DA VICTORIA 41
Note novo armazem tem ura
variado sortimento de fazendas
francezas, inglezas, allemas e to-
das todas se vendem por pregos
mdicos, aflm de acreditar a este
novo armazem.
Casemiras inglezas,
francezas, de todas as
qualidades, hrins do
ores e brancos, colei-
riiihos modernos, cha-
peos de sol de seda,
finos.
DE
ARRUDA IRMOS.
Assim como tem urna grande
officina de alfaiate, montada com
todos os preparos que ha de melhor,
dirigida por habis artistas, que
pela sua promptid5o e perfeigao
nada deixam a desejar.
ia
E
GALERA de pintura
DE
J. Fetretra Filela
Desde o dia 7 d abril passado acha-se aberto c
iovo estabelecimento photographico silo ra de
Cabugi n. 18, esquina do pateo ila matriz. Oslraba
ihos que desde eotao, tem sahido de nossa offieini
tem geralmente agradado, sendo recebidos poi
guns com admirado pelo extraordinari) pro
gresso que ltimamente tem tide a photc graphia
a por outros com alegra, por verem a provincis
dotada com um estabelecimento digno d ella, e n-
conteslavelmente o primeiro que nesee genere
aoje possue : tambem nao nos pupamos em cous
alguma para monta-Io no p em que se acba, es-
perando que o publico de Pernambuco saber
ipreciar nossos estorbos e recompensar nossos sa
erificios.
Convidamos a todas aquellas pessoa?, nacionae.-
i estrangeiras que gostam das artes, ou tiveren.
aecessidade de traba!h(>s de photographia a visi-
tare m o nosso estabelecimento, que estar sempre
iberio e sua disposico todos os dias desde as 7
aoras da manhaa al as 6 da urde.
Para os trabalbos de ihotographia possuimos di-
versas machinas dosmelhores autores francezes.
inglezes e allmemes, como sejam : Lerebours et
Secretan, Hermagis, Thomaz Ross, Voigander et
Sonh e Wulf. UUimamente recebemos tres nova.'
machinasi sendo urna del las propria para lomar
sobre o mesmo vidro 4 ou 8 imagens diversas e
soladas, e outra de 6 a 12 imagens diversas e
igualmente soladas, de surte que no caso de
grande concurrencia poderemos retratar sobrt
ama nica chapa at 8 pessoas diversas e sola-
das para cartoes de viita, e assim em men^s d<
am quarto de hora despacharmos 8 differenies
pessoas que pe^am cada urna, umaduzia de cartoef
mais ou menos, com os seus retratos smenle, on
jin grupo com outras.
Encarregamos-nos exclusivamente da direcej
feilura dos trabalhos de photographa dei-
xando pericia e talentos do distincto pinto?
illemo, o Sr.
Jorge A. Roth
os trabalhos de pintura, a aquarela, a.oleo, e >
pastel.
O Sr. Roth acha-se ligado a nossa empresa por
ama escriptura publica, e at o presente tem s*
iesvellado na execucao de seus trabalhos.
No nosso estabelecimento achara- se expostos ou
tros trabalhos importanti s do Sr. Roth, tanto err
miniaturas aquarella como oleo, retratos i
leo, quadros sacros e diversos outros trabalhos.
Tomamos encommendas de retratos oleo at c
tamnho natural, assim como do quadros sacros
para ornamentacao de igrejas ou capellas. Tam-
ben aceitamos encommendas de quadros histori-
ios.
Asseguramos que os presos dos diversos ira-
balboa da nossa "casa sao mu rasoaveis.
CARTOES DE VISITA NAO COLORIDOS A 10000 A
BODA
CARTOES DE VISITA COM O COLORDO AO NATU-
RAL A 160000 A DUZIA
Retrates em miniatura oleo on aquarella dt
16 20000 cada um, indo convenientemente en-
:aixilhado em moldura dourada e regulando c
busto da pessoa retratada de 3 4 pollegadas e
'.odo o quadro palmo e meio de taraanho.
Julgamos que bastarao es precos cima para
larmos idea da barate.-a dos trabalhos do nosso
astablecimento, quanto sua perfeicao. cada urr
venha julgar por seus propros olhos.
As melhores horas para se tirarem retralos_ nc
nosso estabelecimento sao das 8 horas da manhaa
I da tarde; entretanto de un. a hora s 5 da tarde
am casos especiaes pde-se tambem retratar qual-
quer pessoa.
Nos dias de chuva, ou por terapo sombro po-
demos retratar, e asseguramos que esses dias sac
os mais favoraveis aos trabalbos de photographa
pela docura e persistencia da luz, e pe r termos c
nosso terrado construido com taes proporcSes
melhoramentos, que amda chovendo ,orros ne-
ahum mconveniente ha para fazer-se bellos re-
tratos.
J.F.rreira Vil lela
m
OU JAPN
NOVI AGOA
para o Toocador
por RIGAD B G"|
iHWiiii
8, moa TiTteuM
PARIZ -
EswAgoaextra-
hida das flore do
Pirua Japnica, pelaBBJ
Eua suavidada a
.suas proprieda-
des benficas,
ezoede os cos-
mticos maia celebres; tendo sido a-
doptada por toda a sociedada elegante.
Deitadanos banhos.d'um perfume
delioioso, consolida as carnee e faz de-
saparecer as espinhaa, oomiohCes e as effloresoen~
oas da pella.
mEgo 10500.
nico deposito no Bazar da Moda n. 50,
roa do Bar5o da Victoria oitr'ora Ncva.
Precisa-se de um hornera livre ou escravo,
que d fiador a sua conducta, para o servico ex-
terno da padaria >li rua do Rangel n. 9, ______
CASA
Aluga-se o 2* andar da casa n. 36 da rua Di-
reila, com coturno los para grande familia, a cha-
ve est defronte na loja n. 20.
RUA
ila ro ia Victoria
antiga rua
NOVA
- N. 41.
Roupa de todos os
amanhos para bomens
meninos.
Por todos os paque
tes recebem-se as me-
lhores e mais moder-
nas casemiras que ha
na Europa.
RUA
De
Barao da;Vctor la
antiga roa
NOVA
N. 41.
Este estabelecimento acaba de soUrer urna reforma radical em acceio, artistas e commodos, e m pontoalidade as encom-
mendas, finalmente em tudo afira de melhor servir os seus numerosos freguezes deixa-se de annunciar todas as fazendas, para
aao se tornar massante
1
Na Iravessa da roa
das Gruzes n, % pri-
meiro andar, da-se di-
nhiro sobre penhores
de ouro, prata e brilhan-
tes, seja qual for a quan-
tia. Na mesma casa com-
pram-se os mesmos me-
taes e pedras.
Ama.
Precisase de urna ama de leite sem filho e que
sfja sadia : a tratar da rua do.Marquez de Olinda
n. 33. m
Precisa-se de urna mulher idosa e de boa
conducta, para creada de am homem soltelro, exi-
gindo-se que saia engommar o tenha habilitacoes
para bem administrar o servico de urna casa :
na rua do Imperador, armazem n. 36.
ferro
I
RITA DA CRUZ > \
Chapas de ferro galvanisadas para telheiros, etc.
Tachas de ferro para assucar, etc.
Formas de ferro para assucar.
Arados americanos.
Carrinhos de m5o.
Venezianas para janellas.
Machinas de d&scarocar algodio.
Machina de cortar fumo.
Mchica de cortar papel.
Motores para dous cavallos.
Machina a vapor para mover machinas de algodao. /
Balancas, prendas, cofres de ferro, oges de ferro, enxofre, {salitre UmaBia de
mijitos outros artigos.
MOFINA
Rogase ao Illm. Sr. Ignacio V.eira de Mello,
crivao na cidade de Nazarelh desta provincia,
favor de vir a rua do Imperador n. 18 a ronefuir
aquello negocio que V. S. se comprometteu reali-
zar, pela tercena chamada deste jornal, em fin
de dezembro prximo passado, e depois para Ja-
neiro, passoo a fevereiro o abril, e nada cumprio.
e por este motivo de novo chamado para ditc
lim ; pois V S. se 'leve lembrar que este negocie
de mais de orto anooi e quando o senhor seu
fllho se achava no tudo nesta cidade.
Ama
Precisa-se para o servico interno de casa de
pequea familia : na rua do Vigaro n. o, segun-
do andar. /
Precisa-se do urna ama forra ou captiva para
ozinhar cm casa de familia : quem bem poder
desempenhar e?ta missaa, querendo tratar, dirja-
se rua do Duque de Caxias, loja n. 1.
'Aluga-se
A casa da rua do Progresso, no Forte dos Mal-
los d. 23. -"""
Precisa-se de urna ama para casa de urna
pessoa e para todo o servico ; na rua de S. Fran-
cisco o. 48.
O Sr. Dr. Wenfbain qneira ter a bondad de
coDCoir o negocio que tem com os propietarios
ca typographa Mercantil, o qual
para o mesmo Sr. Dr. *
itrsse
FALSIFICA^OS
dasPILULASdeBLANCARD
DOLCM)
(CAVE
A nossa correspondencia do BrazH nos faz
saber que as pracas d'este paiz acho-se
actualmente inundadas por. urna multiddo de
al!''Pcaceiritdoinossosproduc!os(tejtaRl
Kara garantir-se contra estas omposicos
mais on menos perigosas, que escondem-se
d essa maneira por detrae das nossas marcas
de fabrica e mesmo da nossa firma, rogamos
aqu com instancia aos mdicos e aos do-
entes de assegurar-se sempre da origem das
Piulas que trazem o nosso nome^ppellando
entre.outros meios prcticos, pela boa f dos
nossos cottegas, os pharmaceucos. Nao de
duvtdar que n'uma questao que intressa tad
seriamente a sande publica e amoraliadedo
commercw, estes honrados intermediario \
nao se mostrem dignos da confianca dos seus
freguezes; nao de duvidar igualmente que
repudiando toda solaridade com os falcifi-
caaores e os seus cumplices, elles nao se fa-
ci um dever d'ora em diaute de procurar
as VEI1DABEIRAS PlLLl AS DE BUNCAHO em
origens certas, enderecando-se, qtftr a ns-
mesmos em Pars, quer indirectamente aos
nossos principaes correspondentes, ou ento
s casas as mais recoin- /?/
mendaveia da Franca j?,*- ,,
ou o seu paiz. >
Furtaram na tarde do dia 2 do corrente, do
primeiro andar do sobrado sito a rua da Impera-
triz n. 16, na occasiao em que eram condozidos di-
versos objectos do mesmo sobrado para as cario-
cas que estavam paradas porta da rua, am bahii
ae flandros quadrado, de tamanho regular, con-
tendo urna salva grande de prata, enxoval para
menino, diversas pec.as de roupa, varios pares de
sapatos novos para senhora e menino e outros' ob-
jectos de valor. Pede-se a quem guardn tal ba;
b, talvez sem saber que era furtado, que o v
entregar na loja n. 10 da mesma roa, onde se dar
ama gratifleacao pessoa que fizer a entrega. As
autoridades polcaes j tiverara conhecimenlo do
faci, e ha desconfianza de quem sejam os auto-
res do furto. Pede-se tambem aos senhores ou-
rives qoe apprehendajn a dita salva no caso de
Ihes ser offerecida.
CASA EM OLINDA
Aluga-se urna casa de sobrado em Olinda,
muito fresca e porto do mar, com muitos
commodos para grande familia. A tratar
no Recife, rua Bella n. 37. As chaves
acbam-se em Olinda, defronte u convento
do Carmo, em casa do Sr. capitSo Francisco
Xavier de Moraes.
0 Novo Mundo
peridico Ilustrada.tnensal, publicado em New-
York.
Asignatura por seis meces.
Rs.-Si000.
___________LIVRARIA FRANCEZA.
Ama
Precisa-se de nma ama livre de meia idade e
boa conducta, para casa da rout pooca familia :
na rua de Santa Thereza n. 14. *
PSffi
Alaga-se a nadara ailema om Santo Amaro e
aa cooflices sao favoraveis : a tratar com seu do-
no narua da Guia n. 36.
Nutrimento
MEDICINA!
Preparados por
Lanman Kemp
para tsica e toda
qualidanta dedo-
eneas, quer seja
na garganta, pel-
lo ou bofes.
Express a-
mente escoitiido
dos melAores li-
gados dos-quaes
se extrahe o
oleo, no banco
da Tena Nova,
purificado chi-
micalmente, e
suas
p ropriedades
conservadas
com todo o cui-
dado, em todo o
frasco, se garan-
te perfeitamen-
te puro.
Este oleo tem
sido subraettido
a um exame
muitosevero, pelos chimicos de mais tale-n
ot, do governo hespanhol em Cuba,foi de-
vulgado por elle e-conten
MAIOR PORCO D IODINA
do que outro qualquer oleo, que elle.tem
examinado
10DINO EUM PODER SALVADOR
Em todo o oleo de ligado de bacalho.
e naquelle no qual contm a maior porgSo
d'esta invaluavel propriedade o nico
meio para curar todas as doencas de
GARGANTA, PE1TO, BOFES,FIGADO,
Tisica, bronchites, asma, calarrho, toase,
resfriamentos.etc.
Uns poucos frascos d carnes ao muilo
magro que seja, clarea a uista,e d vigor a
todo o corpo. Nenhum outro artigo co-
nhecido na medicina ou sciencia, d tanto
nutrimento ao systema e encommodando
quasi nada o estomago
As pessoas cuja organisaco tem sido
destruida pelas afiecces das
ESCRFULAS OU RHEUMATISMO
e todas aquellas cujadigeslao se acha com-
pletamente desarranjada,devem tomar
O OLEO DE FIGADO DE BACALHO
DE
Laoman A Keuip,
Acha-se a venda nos estabelecimentos de
A. Caors, J. da C. Bravo, & C. P. Mau-
rer & C. A. A. Barboza Bartholomeu. dr C.
A' ruado Brnm n. 95, precisa-se fallar com
OSfci-. capitn decampo, a negocio de seu inte-
Pharmacetitico, nu Bonaparte, em Pars.
Aco-ie al aoi *luU ress.
-- Precisa se de urna ama para comprar,
zran.tr o fazer o mais servico de urna pessoa
: na rua do Imperador q. 7."?, 2* andar
co-
so!-
Precisa-se de urna preta do meya, idavie oara
AU
SEBM
DYVETOT
If-Kiia Eslreita do Rosario--!!
Compra e vende roupa feita
nova e a elha, objectos de
cosinha e de mesa, e
tudo que perten-
ce ao uso do-
mestico.
SEGUROS
MARTIMOS
e
CO\TH* IOCIO.
A Companhia Indemnisadora, estabelecida
nesta praca, toma seguros martimos sobre
navios e seus carregamentos e contra fogo
em edificios, mercadorias e mobilias: na
rua do Vigario n. 4, pavimento terreo.
Precisa-se de urna criada que saiba bera en-
gommar : a tratar na rua de Apollo n. 4, das 9
da manhaa as 3 da tarde.____________________
Precisa-se de um homem, sendo portuguez
mellnr, para encarregar-se de om pequeo jar-
Jim : a tratar na Boa-vista, rua do Visconde de
Goyanna n. 51, outr'ora rua do Mondego.
AMA~~~
Preci?a-se de urna, preferndose serava, para
cosinhar: tratar na rua da Palma n. 3i.______
Venda de predios Da villa da
Eseada.
O liquidante da caixa filial do banco do Brasil
nesta provincia, vende separado ou Jautamente
on casas sitas na estacao da villa da Eseada,
que pertenceram a Joaqum Salvador Pessoa de
Siquoira Cavaleanti ; assim coM vende o sitio
denominado da*Otaria, ea parte do sitio da Ca-
choeira.
.\a rua da Cadeia n. 1 aluga-se urna escra-
va para todo tervico de orna casa ne famili?.
- I
+


i


"V- --


Diario de

mbuco -^-Quinta feira 22 de Dezembro de 1870/
5
ROVOS SORTIMEBTOS
riiniim.
Ao armazem do Va-
Sor Fraucez, ra
o Bario da Victo-
ria (outr'ora ra
Nora) a. 9.
Ao armaieni do Va-
Sor Francez, rna
o Baro da Alelo-
ra (outr'ora ra
Nova) n. 9.
Perfumaras, quinquilharias e brinquedos
para meninos.
Este estabelecimento acaba de receber pelos ltimos vapores e navios de vella cbegados da
Europa todas as suas encommendas do grande soriiment de fasta, offerece ao publico em geral, por
iirecos resumidos o mais possivel, os artigos seguintes :
CALCADO
Botinas para senhorasduraque branco, preto
e de outras maitas cores escolbidas do ultimo gos-
[o da moda.
Botinas para meninas igual sortimento.
Sapatinhos de salto para senhoraduraque pre-
io, branco e de core?, e de couro de lustro.
Botinhas para crianzas, proprias de baptisa-
dos.
Botinas de diversas qaalidades para homem.
Botas rnssianas para montara, tanto inglezas
de couro da Russia para viagem, como francezas
de Melier, bezerro fino, para passeios.
Meias perneiras para meninos de 10 a 16 au-
nos.
Sapatos de brim branco para horaens.
Sapatos de vaqueta de lustro com sola de ma-
deira, proprios para banhos.
Sapatos de borracha para bomens e senhoras.
Sapatos abotinados, de differentes modelos, mui-
to bons e fortes para meninos e meninas.
Sapatos de tapete, aveiludados, Cbarlot, casi-
mira preta, de tranca portuguezes, para homens,
enhoras e meninas.
. Perfumaras.
Extractos finos, banhas, cosmticos, leos, opia-
tas, aguas de Cologne em garrafas de crystal para
presentes, agua divina, agua florida, dentifrice la
ande, agna de toilet, tintura para barba e cabel-
los, pomada hongroise para bigodes, pos de arroz
a sabonetes, tndo isto de primeira qualidade, dos
:fabricantes Condray, Piver e Lubin.
Quinquilharias
Lavas de pellica brancasJouvin.
Espelhos grandes dcuradus para sala?, quartos
abnetes.
eque3 para senhoras e meninas.
Joias de ouro, brincos, transelins, puiseiras,
ootdes de punhos, de abertura, c Trentes e chaves
Je relogio, tudo de ouro bum de le.
Brincos de plaqu imitacao de oaro. -
Correntes para relogio.
Abetoaduras para colletes e para punhos.
Albuns de velludo e marroquiro para retratos.
Mammadeiras de /idro para enancas.
Caxinhas de costura, novos modelos com mn
sica, proprias para presentes.
Quadrinhos dourados para retratos.
c
Toacas e sapatinhos de 15a para crianca?.
Capellas para noivas e para pastoras de pre-
.!pOS
Gaixinftas com vidros de augmeito para ter-
se em ponto grande a photographia dos retratos.
Ps de vtdro para pianos.
Thesourinhas para eos ara e unha?.
Bolcinhas de seda e de velado.
Cestinhas para braco de meninas.
Balaios para costura.
Cea .os d'rame pratiado para frutas e pao a
uiesa.
f* Ricos artigos de pbantasia necessarfos para toi-
Ibetes e proprios de presentes.
Jarros e bouquets de porcelana para santua-
rios.
Registros de.papel fino mui lelicados.
Quadros promptos para collocar vistas.
Molduras donradas para qualros.
Estampas de bellas payssgens de cidades, de
figuras e de santo?.
Espanadores de penas e da palha.
Carteiras para notas e para dinbeiro.
Caixioha de msica de dar se curda.
Ponteiras de espuma para cigarros e charutos
Grvalas de seda pretas e de cores.
Bengalas de cana com castoes de marfim.
Bitas de baleia, junco e de muitas qaalidades..
Pentes finos de marfim para caspas.
Escovas para facto, para cabello e para dente?.
Lunetas ou penclnez de prata dourada.
Ditos de tartaruga e de ac.
Oculos de prata dourada e de ac.
Reverbero transparente para candieiros.
Ditos para lanternas de pianos.
Cotos econmicos para vellas de aperraacete.
Cordas para violo.
Porl-pratos para mesa.
Caixinhas de diversos modelo! e precos. .
Objectos novos de mgicas o melhor possivel,
para divertir meninos.
Malas, saceos e boleas para viagens.
Eslojos de viagens, completos com navalhas.
Esporas de metal bratico para saltos.
Chicotes fortes com marlello para viagem.
Ditos de rauitos modelos, de junco e de baleias.
Luvas de fio de Escocia branca?, e de cores.
Ditas de camurca amarella?.
Machinas para fazer caf.
Globos de papel de cores para Iluminares de
festas campestres.
Bal5es de cores, de subir ao ar fcilmente.
Jogos de domin, da gloria, vispora^, rodetes,
bagatela e outros jngos allemacs.
Esterioscopos com as mais bonitas vista?, de
figuras destacadas e grupos de familias.
Armnicos ou accordions de todos os tamanhos
e novos modelos com trmulos. .
Realejos pequeos com novas msica?.
Cosmoramas de varios tamanhos, com differen-
tes vistas mui pitorescas.
Para lapinhas.
Presepios completo com todas as pegas sorti-
mentos avulsos de figurinhas, animaes, casas, jar-
dios, etc.
Atten$o
Todos os artigos mencionados ne.-te annuncio
vendem-se muito baratos, nao so pelos abatimen-
tos obtidos dos fabricamos em altengao as gran-
des e repetidas compras, como pelo bom syslema
de vender muito ainda mesmo com dirainutissimo
lacro.
MO DE OURO

TRIMPHO
7 Kua doQueimado 7
DE
MIRA & BASTOS
E' chegado a este novo estabeleciment o mais bello sortimento de fazendas
tnai, lendo sua especialidade enxovaes para noivado.
Vestidos de blond de.sda ricamente bordados.
Gorguro de seda branco para vestido.
Colchas de seda para, para cama com ricos desenho.
Ditas de !5a e seda, id'm idem.
Ditas de crox, dm idem. x
Cortinados ricamente bordados para cama e janellas.
Croxs para cadeiras e sofs.
Vestidos de cambraia branca bordados.
Popelines de lindos gostos. ,
L5as de diversas qoalidades, lindos gostos e moderna.
Ricos bjurnas para passeio, com listras de setim.
Sabidas de baile e qoe ba de mais rico.
Cretones paca vestidos com lindos desenhos.
Carnizas bordadas e sem bordados para senhoras.
Camisas bordadas muito finas para homens.
tas inglezas para homens e meninos.
Seroulas de linho, e um grande sortimento di roopas feitas e de fazendas que
l enfadonho mencionar. t
Luvas frescas de Jouvia
Sortimento de tapetes para guarnicoes de salas, alcatifas para forro de sala, e o
grande sortimento das acreditadas e verdadeiras
Esteiras da India
Boa-Ventara Jo? Coelho, tem contratado com-
prar aos Sr?. Ferreira & Irmao a taberna cila
roa do ft ngel n. 3, livre o desembaracada de
qunlquer onus, con) a clausula de (rcar o produc-
to de dito eslabclecimenlo em sea poder para pa-
gamento do passivo dos momos Srs. at onde
cbfgar dito producto. Se alguem, se julgar com
dlr-'ito a qualquer reclamaco, lenha a hondade-
d dirigirse ao annunciante, na mesma ra n. 48,
no praso de 3 das, lindo os quaes nenhu.-ia re-
clamaco poder admittir.
Recife, 19 de dezembro de 18T0.
5?
7
JOS ALVES TENORIO & G.
RA ESTREITA DO ROSARIO N.
5
Jos Alves Tenorio, professor em homeopathia, tendo-se retirado do laboratorio
homeopathico e consultorio de sea llustre e finado amigo o Dr. Sabino O., L. Pinho,
TV (Jue Pcr mu'loa aDDO estiveram sob sua directo, tcm se estabelecido, sob a firma
XvS os Alves Tenorio 4 C, rna estreita do Rosario n. 3, onde animado pela confianza
com que honraram-no os amigos da homeopalhia lhes offerece e ao respeitavel publico -y,
um completo sortimento de ledas as preparares homeopticas conhecidas, recebidas
das mais acreditadas casas de Londres e Pariz, e indiginas, bem como tudo quaoto d.z 'f^<
respeito a homeopathia e sua pratica, esperando que contlnuem a bonra-lo com a mes
-ma confianra, para o que nao se poupar esforgos.
Fregos das boticas
%
-.-
9
GLORLOS. TLNTRAS.
1 botica Je 12 medicamentos. 10*000 ' 1 botica de 12 medicamentos. 1S*000
i 24 20*000 1 24 25*000
i 36 30*000 1 t 36 10*000
1 48 35*000 i t 48 t 50*000
1 60 a. 40*000 le 60 c 60*000
i 120 70*000 1 120 110*000
Sao uteis essas boticas aos Srs. mdicos, senhores de engenho, fasendeiros, ebe-
fes de familias, capttaes de navios, e em geral todos qaantos quizerem dedicar se a
pratica da homeopathia.
Medicamentos avulsos pelos precos das outras drogaras, bem corxo chocolate de
^ Londres e do Maranhao para uso dos doentes em tratamento pelo systema homeopathico.
CNFEITARIA
DOS '-
ANANAZES
Ra da Cruz n. 16
VICTORIANO
PALHA' ES.
IAilui
IJiTEUESSAXTE C0MP0SIC0 LITTEHaRM.
CONTENTO :
A noite do xtasis.
O sorriso.
A noite do assombro.
A lagrima.
A noute do -delirio.
O mysteno. .
Com ama carta critica dirigida ao autor peh
Dr. T. B. Rigueira Costa.
1 volunie brechado 2*000.
AS CENTELHAS
Poesas patriticas sobre a guerra do Paraguay
. volume brochado 21000.
NA
LIVRARIA FRANCEZA
A' margena do rio do Poyu ta
Pancll.
Aluga-se por festa ou por anuo urna casa com
soffiiveis accommodac5e9, temi um jardim ao
lado, arvores fructferas e dando fructo, como sa-
potizeiros, mangueiras, larangeiras, goabeiras, pi-
nhas, l'gueiras e frucu-pa, etc., cacimba do agua
de beber, porto e grade de ferro na frente da
mesma cafa, e um dito no fundo do mesmo sitio,
cojo o!ha para a igreja de N. S. da Saude : qnem
a pretender dirija-se ao Heeife ua albudeca a Ira
tar com o descchame Jozuino J?. da Silva, ou no
lugar do Caldeireiro onde reiide.
Competencia
Estamos na semana em que
lis dispensas (tar
se deve recheiar
em grande rimo em pequea
escala) de bons e escollados gneros proprio.- para
os grandes das de festa. Por es-e motivo o C.AM
POS da rna do Imperador n. 28, tcm por n
deste annuncio alisar nao f ai tumeresos fr^F
goe7es e amigo*, como lambem ao publico em
dal que entra em conciencia c.m os seo? eolle-
gas, no fernee.menio dos gneros alimenticios pri-
mos a laes dispensas.
O CAMPOS e?prra i|iie sea armazcm seja prefe-
rido para es fornecimeot' s.
POH QUE iNELLE
Encontrar-se-'ha contiiiuadamenle um escolhi-
do sortirrenio de garantidos alimentse diversos
scipipes tanto para mesa como para brindes.
POH QUE NELI.E ,
Encoclrar-se-ha muitas simdeznos tratos.
POR QUE NELLE
lia srmpre a disposicao d(s cerarradore?, um
portador seguro para a cnmlue 3o dos gneros a
seu destinos, dentro da c 1aJe e estafes dos c-
minhos de ferro.
Neste estabelecimento encarrega-se de mandar
apromptar presuntos e outros quaesquer manjare.
Manoel Arcbanjo da Canha, J-.taquim Jos da
Cunha, Francisc.i Jos da Cunha, Candido Moreira
da Cosfa e Miguel Arcnanjo da Cunha (ssente),
filhos e genro di finada Maria Joaquina do Sacra-
mento da Cunha, convidam aos partntes o amigos
da mesma tallecida assistirem no da 23 do cor-
rete, sexta-feira, as 7 horas da maDhaa a mi-.-a
e memento que se tem de fazer por alma da ii.es-
ma faliecida nar igreja do Espirito Santo; e desde.
j se recenhecem gratos por este acto de religiao
Gabinete Portuguez de Leitora
em .Pernambuco
Confelho deliberativo.
De ordem do Illm. Sr. pre.-den:e convido os
senhores conselheiros a se reunirem para sessao
extraordinaria sexta-leia 23 do correte, as 7 l|2
horas da noite, na sala das respectivas sesses.
Secretaria do conseiho deliberativo do Gabinete
Porluguez de Leitura em Pernambuco 20 de de-
zembro de 1870.
A. J. nrges Costa,
2o Secretario.
Ama.
Offerece-se ama ama portugueza boa cozinheira
e engommadeira para casa de homem solleiro :
pode ser procurada na i ua do Amorim n. 36, 2*
andar.
Comprou-se um novo sortimento de las tran-
Sadas com lista de seda, faz-mda de 850 rs ven-
e-se para acabar a 400 rs. o covado: na ra do
Qneimado n. 1, loja de Gaspar Antonio V. Guia-
ntes.
P^chi'cha sem igual.
Vende-se um excellente borro iovn decr ruea.
com crinas amarelladas. mu.l'i andador, chegado
ha poucu do serta, cela insifnilieante quanlia
de 750CO. Sua djna desfaz-se do mesmo por ler
de seguir no prximo wpor para a Eun pa e por se
adiar o mesmo animal achacado dos ps: na rat
Duque de Caxias n. 9,1'andar.
DOCES. ERUCTAS E FLORES.
Na ra da 3ruz n. 137 vende-se mangase mel-
lo de llamarac.
{^ Acsbam de cheg.ir pasa a loja de j@
$1* fazendas de Antonio de Moura p<
m Rolim fe C, ma do Duque de ^
Caxias n. 31, os eguir.es ar- K
Lindas sedas de cores,fa endi snperir Pi
ja pnpeline, pelo barati.-.-imo neo de H
25 24500 o covado.
SS Chapeos de feltro brutees e pretot pa- ?
#! ra homem a Si
sr Ditesde ctor bruneosa 8. ,S
1ff( Cassas rancezas pintada de delietdea &
tgk padiSes e uperior qualidade a 500 rs. o fifi
I rS m,ro- MKi
' m Cortes de casemira de ere*, fazenda J?J
I rS} que lodos vendem a lO, a 7 y
Alpacas lavradas a locovado. fe{
H Cortes do laa com 15 co idos, lazenda fe]
S3 superior a 3|?;o0, f
S2 Ditos de FMM a\me!ie a 5.
H Camisa* de linho inglezs* a 3.
ig Alcatifa cem i palmes de laiguraa Oj
500 rs. o covado. B
i AMENDOAS confeitada9: xaropea refri-
gerantes ; vinho Bacellas, branco e tinto,
proprio para mesa ; vermooth; absyntio;
cognac; vinbos finos, champagne.
Urna senhora portugueza recentemente che-
gada nesta provincia, diseja se arrumar em algu-
ma casa de familia para o servido domestico de
ortas dentro menos cozinha : as pessoas que
e sea prestimo se qaeira utilisar, devs procura-
la na roa da Imperatriz n. 'i, ou na ra do Lima
em Santo Amaro n. 32, icnde ella est provisiria-
menie residindo.
Encontra-se sempre:
BOLINHS para cha ; p5o de l ; bollo
inglez; pastis de differentes qoaiid^des;
doces de fractas, em calda e secco, em
barrilinhos em latas.
CAIXINHAS com amendoas e pasthas, | PAPIS para sortes,' ditos vendados
proprias para presentes; cha preto, miudo, para cobrir bolos,
de superior qualidade; iatas com pecegos i
a I (5000. i PRESUNTOS e fiambres.
RECEBEM-SE ODCommendas de bandejas confbolihos, com armaco de assa-
car e sem ella; de p5o de 16 bolos enfeitados com disticos e sem elles; e de oatros
muitos objectos proprios para grandes jantarts, bailes, etc., etc.
"IVO Sil IlTO Ht MSICAS
NO
SfiLftO DE PIANOS E DE MSICAS
Ra da Imperatriz d. 14 loja
conlem :
MSICAS PARA PIANO das mais facis at s mais difficeis, toda dos autores mais
modernos as melhores edic5es da Europa e do Rio.
NOVIDADES quadrilbas, polkas, walsas.
TANGOS, Habaneros, modinhas, cancSes brasileiras e hespanhola, romances francezes,
arias e cavatinas.
Operas inteiras proprias para presentes
tido para piano e para canto da opera
Na ra da Cadeia n. 7, precisa-se fallar com
o Sr. Jos Isidoro Martin?, agente de leiloes
Iraindaue de Santa Cecilia
do Livramenro
O abaixo assignado partecipa a todos os seus
irmos que acba-se no exercicio do cargo de pro-
curador geral, para o qual foi eleito, e espera,
para o fiel e exacto cump.rimento de seus deveres,
ser benvolamente auxiliado por todos os =eus ir-
maos, afim de evitar constrangimentos de parte a
parle.
Recife, 22 de dezenbro de 1870,
Bemjamim Mariiniano dos Anjo?.
IB M>
S na loja do baraleiro rus Io de Marc,o n.
(antiga rna do Crespo). '
Madapoln fr.-.ncez com 21 jardas a 8000.
Cansas rancezas cores lixas, covado a 280 rs.
Chitas rotas e claras, covado a 2W) rs.
D tas percales, eondo a 400 rs.
Fe?as de algodao com 4 pateos do largura a
OOO.
Dilas de carrbraias brancas com 10 jardas a
4 500.
Duzas de loalhas ; Icochoadas a 73.
Ditas de ditas felpudas tinas a 95500.
Pecas de brilhantinas brancas com 18 COTSdos
pelo barato prego de5400.
Ditas dilas ssi tinadas a 85500. llo s na loj i
do barateiro ra de Mareo n. 1.
Pegas de fil bordado a 7
Camisas bordadas, duzia a 605
Chapeos de sel inglezes a 13/.
Alpacas modernas muito fina-, ultimo gosto, de
800 a 15200 rs. o covido.
Algodao trancado infestado prcpiio para tt>altus,
vara a 1500 : ao barateiro, rna Io de Margo i.
i, loja de Agoslinho Ferteira da Silva Leal & l'..
COMPRAS.
GUARANY
Em breve se principiar a dar um catalogo do grandissimo sortimento deste es-
labelecimento. Encarrega-se de encadernagoes etc.
GRANDE SORTIMENTO DE MSICAS
Com muito maior vantagem compram-st
onro, prata e pedras preciosas e u obras velhasr na
loja de joias do Corago de Ouro u. i D, ra do
Cabng.__________________________________________
Chumbo e estanho
velho.
Comprase em grandes e pequeas porgues; na
rna Novan. 11.
VENDAS.
de
sen ua?,
ajao
12, antiga ra
da Victoria n.
Nova.
Vende-se clilas, algodoes. brim, cambraia-,
chales, besauioas puta?, dan seo de algodao,
bamgtma propria para faidamenio dos meiiincs
do ar'seuai de guerra e marinhr, e nm grande
siirtimeiito do re upas feitas de todas as qaalidades
e maitas ontras f-zendas que seria enfadonho
mencionar, e que se vende per baraiissimo pie.
para acbar.
NO
SAlAO BE PI V\ON E DE 9I1JSIC'AS
Ba da Imperatriz n. 14 loja
Para flauta, clarinetta, rabeca de pequea e grande orchestra, para banda
militar e harmoDto, t5o proprio para este tempo de festas a para augmentar a s
dade dos actos religiosos.
Todo jedido das provincias ou dointerior sero promptmente
altendidos.
Nova loja de joias
RA DO|CABUGA' N.9 A.
DE
Manoel da Cunha Saldanha & G.
Acaba de abri-se este estabelecimento de joias, o qual tem grande sorti-
mento de todas as joias de ultimo gosto, as quaes vender o mais barato pos-
sivel.
Todas as joias sero garantidas ouro de lei, pois os seos donos tendo em
vista so adquirir freguezia So ovidaro, vender bom e por precos os mais
razoaveis possiveis.
Convida-se o pablicb a vir este estabelecimento, certo de qae ficar
satisfei^p;
A' MO DE OUORrtUA DO CABUCA N. 9 A
mam
ums nmus be vidaco
Estas preciosas aguas mineraes approximam-se qaanto a saa cemposigo chimica, das bem
conhecidas aguas de Vichy em Franca de Neuenahe, de Bilin, em Bohemia, de Fachmgem e Gelnau
no gr5o ducado de Nassau, de Rodera, em Moldavia, Clopatak, na viilnhanga da Kronstadte podem
ser empregadas com muito melhor vantagem do que estas as molestias seguuites :
i.* Diversas formas de dispepsias.
2.* Obstencoes do figado e das visceras abdomina.es.
:i. m diversas affecc3es crnicas da membrana no caso Jo syslema digestivo ou respiratorio.
4. Em alguns casos de gota e de lithiasis.
.1." Nos catarrhos vezicaes etc..
Segando a aoalyse feila pelo distincto aaalysadjr o Dr. Agoslinho Vicente Lourenjo, estas
preciosas aguas contm
Clorrelo de pofassio. fc
Bicarbonato de fda.
i de poiasfa.
< de cal.
t de magnezia.
de ferro.
Acido silcico.
-carDonieo livre.
sulfrico____)
Alumina..........) vestigios. >
Materias orgnicas. )
Estando boje na pratica da medicina, tanto em uso estas aguas alcalinas gasosas, e orno
sejam pouco conhecidas nesta provincia as aanunciamos para conhecimento de publica.
Deposito em Peruambace, pharmacia americana de Ferreira, Maia Caxias d. 57.
NOVIDADE.
O Costa, proprielario do armazem da Pedra
Maamore ra das Cruze3 n. 42, offerece por di-
nbeiro contado o que de melhor ha no mercado,
por ter recebido muitos dos gneros descripto?
pelo ultimo vapor.
Queijos flamengos do ultimo vapor a 2*oOO:
Biscoutos em caixinhas de configurados diver-
sas proprias para feslas as enancas.
Velas stearinas a 640 rs. a libra.
Chocolate de U a 1*800 a libra.
Especial oanteiga ingle e franceza.
Horialices para sopas denominadas Julienne, que
subslitue perfeitamenle as mais frescas ervas.
A verdadeira farinha americana viuda de coma
propria a 320 rs. o maco de ama libra.
Bolachinhas de todas as quaiidades e dos me-
lhores fabricantes.
Ervilhas rancezas .porluguezas.
Vinho de todas as qualidades. ^
Especial e aromtico sabao de familia a 500 a
o kilo.
Molho inglez. "*
Ameixas e marmeladas dos melhores tabncan-
tes.
Caf de Moka. .__________________,____________
Vende-se am terreno com 41 palmos de
frente c 200 de fundo, na ra das Xymphas, iro-
gnezia da Boa-vista a tratar na ra Direita nu-
mero 79.
Luyas de Jouvin
A Lealdade ra da Imperatriz n. 70 recebeu
pelo ultimo vapor um c-mplrlo sortimento de le-
vas braucas e de cores para hmeos, senhoras e
meninos.___________
Ricos espelhos de Veneza.
Vende-sena 1- ja de Bernardino Duarle Cam-
pos A C, Mta ra Primeiro de margo n. 16, es
mais elegantes espelhos de chrislal.______________
Caneiros e gazeco-
nomico
Acaba de chegar nova remessa dos lio deseja-
dos candieiros lodo de pcrcolana os quae> muit.i
se acommidam pela seguranca, acedo e economa,
e ainda pela excellente luz prefervcl mil veses ao
kerosene: venham antes que se acabem, uui<;;>
deposito da ra larga do Hosario n. 84, bode.
Farelo muito novo, saccas grandes, e gaz mrn
bom em gi?ndes e pequeas porche : tndo jooi
presos razoaveis, no armazem de Matheus Austip
4 C : na ra da Senzala Velha n.
106.
Allenco,
Cvliodros para padaria do melhor systema ame-
ricano : vende-se a mdico proco no armazem de
Jos Duarte das Neves tto caes do Apollo n. b.
_; MOD1L1A. _
Vende-se 1 sof, 2 consolos,'1 mesa, 1 poltronas
e 12 cadeiras muile boas, de eafvilho : na roa
do Imperador n. 37, 2o andar.
Vende-se duas casas na cidade de Olinda, sendo
urna casa terrea grande na ra da Misericordia e
um sebrado ra ra de Malhas Ferreira: a tralrar
na ra de lioitas n. 96. _______
Attenqo.
Vende-se borracha para limas de primeira qua-
lidade c chegada ltimamente, por prego commo-
do : s no largo do Carmo n. 4._________________
fomentes de hortalice,
A' ra da Clela n. 53 : aromem Uniao Mer-
cantil.____________________.-------
1- Vndese latas para doce a 0SU o cento:
no palco da Sania Cruz n. 24.____________-----
_ Vende-se ires poitadas de pedra de Lisboa.
leudo as homlreiras e leias qnf ^ "&
mos de largara cusa especia, pa quem^owr
tarer alguma obra degeet
do Bamns n. i
Parji os amig f d festa -
Ra do Bar3o da Victoaia n. 34, outr'ora
ra Nova.
Chapeos do seda, velludo, meiio, alpaca, case-
mira e brim para homens e meninos a 3J, 3o00 e
4000. E' muita barato.
Vende-se lenlilhas muito novas de Ham-
burg de 13 libras e em
libras : na padaria da roa .. :a o. 16.
Tr e tratan
Attenc^o
Vende-se urna taberna mnlo afreguezada m>
nateo-da Penha n. 1! : a tratar na mesma.
ESTEIRAS DO 4RACATY.
Grandes a 640 rs peqnenis a 240 rs.: vend-
se na na da Sanzslla N< va n. 30,_______________
Vende se nm excelente piaco orisootal pi"-
pro para principlante, por j>reso muiu mm'do:
na ra do Livraraonto n. 34


I
Quinta eira 22 GRANDE
BAZAR DO PAVAO
60-RUA DA IMPERATRIZ-60
DE
PEREIRA DA SILVA & C.
Neste importante estabelecimento encontrar o respoitavel publico, um grande e variado sortimento de fazendas domis
iparado gosto e tedas de primeira necssidade, que te vendem mais baratas do que em outra qualqoer part, vhto qne os no-
fos socios desta firma, adoptaran o systema de s venderem DINHEIRO ; para poderem vender pelo custo, limitando-se apenas
i ganharem o descont ; as pessoas qae negociam em pequea esca'a, nesta loja e armazem, poderlo fazer os eeus sortimeatos
pelos mesmos presos qne compram as casas inglezas, (importadoras) e para-maior commodidade das Exroas.-famllas se darlo
tmostras de todas as fazendas, ou Ibes Ievam em suas casas para dscolherem.
TAPETES i GROSDENAPLES PRETOS
Chegou para o Bazar do Pavlo o mais Chegou para o Bazar do Pavlo um grao-
elegante sortimento de tapetes grandes, pa- de sortimento dos melbores grosdenaples
ra so/s, com 4 cadeins, ditos mais peque- pretos que tem vindo ao mercado, crne se
aos, para doas cadeiras, ditos para veodem de i600 at 50000 o covado ;
pianos, camas, portas ; etc. vende-se por sao todoa muito em conta.
meos do que em outra qaalquer parte.
ROUPAS PARA HOMENS
No accreditado Bazar do Pavlo encontra-
r o respeitave! publico um grande sorti- res espartilhos, que se vendem por
ment de roupas para bomens tanto bran- mnito em conta
cas como de cores, a saber
ESPARTILHO.
No Bazar do Pavlo recebea-se um elegan-
te sortimento dos mais modernos e melho-
preco
PECHINCHAS
DO
PAVAO
a
Camisas com peitos d'algodlo edelinho,
para todos os precos e qua'idades.
Ceroolas de linho e algodlo.
Meias cortas francezas e ioglezas.
Palitos sobrecasacos de panno preto e
casemira.
Calcas de brim branco e de cores
Ditas de casemiras pretas e de cores, com
colletes igua?s
De todas estas roupas ba para todos os
precos e qualidades, e tem de mais mais
aro. perito
ALFAIATE
Por quem se manda fazer com prestesa
e aceio qualquer peca de obra a capricho
ou gosto do freguez, tendo n'este importan-
te estabelecimento todas as qualidades de*
panno fino, as melhores e mais moder-
nas casemiras, assim como os melhores brins,
qur brancos, qur de cor ; e quando qual-
quer obra nSo ficar ioteirmente ao gosto
dos fregoezes fica por conta do estabeleci-
mento.
FUSTvES DE COR E BRANCOS
Vendem-se bunitos fustoes brancas e de
cores, proprios para vestidos e roupas de
meninos, sendo de cores a 800 ris o cova-
do e brancos, a 400 e 640 ris, pe-
chincha, no Bazar do Pavo ra da Impe-
ralriz n. 60
CHITAS BARATAS
a 200 ris.
a 200 reis.
a 200 rers.
Vendem-se chitas largas com muito bons
pannos e cores fizas, pelo barato preco de
200 ris o corado ; cortes das mesmas com
10 covados a 20000, pechiocha, no Bazar
do Pavlo.
AS CASSAS DO PAVO
Covado 200 ris.
a 200 reis.
a 200 ris,
Vendora-se bonitas cassas de cores miu-
dinha pelo barato preco de 200 ris o co-
vado, no aroiazem do Pavo J ra da Iin-
peratfiz n 60.
PANNOS PARA SAIAS A 1*000, O METRO.
o Bazar do Pavo vende-se bonita fa-
renda branca encorpada para saias, sendo
com babados e pregas de um lado, dando
a largura da fazenda o compri nenio da
saia, quai se pode fazer com 3 ou 3 112
icios e vende-se a 10,1(9280 e 10600;
istia como tambem no mesmo estabeleci-
' t se vende bonitas saias brancas bor-
da.las, ten-Jo quairo pannos cada urna, ditas
de 13a de cores j promotas, urnas com
barras differentes da mesma fazenda 44000,
e oulras com barras bordadas 65 e 70OO,
lJo sto moderno e barato.
CARNAUBA.
Vende-se carnauba em saceos, na roa da
'raperatriz n. 60, Bazar do Pavlo.
TARLATANAS LISTRADAS CORTE A 60500
Chegou para o Bazar do Pavo um bonito
sortimento de tarlataaas listradas, sendo
verdes, cor de rosa, lirio, tendo esta bo-
nita fazenda muita phantasia, e liquida-se
cada corte a 60500, pechincha ; na roa
da Imperatriz n. 60.
CASAQUINHOS DEGUIPRE A 100, 120,
160, E 200.
Chegaram pira o Bazar do Pavao os
mais modernos casaquinhos ou basquinas de
goipure com cintora, ricamente enfeitados
com lacos e vendem se pelo barato preco
de 100, 120, 160, e 200, pechincha,
ra da Impe-atriz n. 60.
LENgOS DE MORIM A 30500 A DZIA
Vendem-se duzias de lencos fioissimos,
brancos de rnorira, sendo fazenda muito
encorpada, a 30500 a dazia. Ditos de
cambraias finissimas, fazenda que sempre
se venden a 50000 e liquida-se a 30500 a
dazia por baver muita porfo, no Bazarjdo
Pavo a ra da Imperatriz n. 60.
CORTINADOS DO BAZAR DO PAVAO A
80 100 120 E 160
Chegou urna grande remessa dos me-
lhores cortinados bordados, proprios para
camas e janellas, que se vendem pelo ba-
rato preco da 80,100, 120, e 160, o par :
ra da Imperatriz n. 60.
MADAPOLO ENFESTADO PEA A
30200
Vendem-se pecas de madapolo francez
enfestado, tendo 11 metros cada pega a
30200: pechincha no Bazar do PavSo,
ra da Imperatriz n. 60.
DAMASCOS PARA COLCHAS
No Bazar do P?vSo, vende-se damasco
enfestado com bonitos dezenhos, tondo 6
palmos de largura, proprios para colchas,
pelo barato preco de 10280 cada covado,
dito, dito, com 8 palmos muito fine 'a
40000, assim como muito bonitas colchas
de damasco de 13 que se vende na loja do
Pavlo ra da Imperatriz n. 60.
RETALHOS DE CHITAS E CASSAS PRE-
TAS.
No Bazar do Pav3o vend-ae porcio de
retalhos de chitas e cassas pretas sem li-
mite no preco : ra da Imperatriz n. 60.
Kua da Imperatriz 60.
Para vencer depressa
, LINDAS JAPONEZAS PARA VESTIDOS A
PANNOS DE CROCH PARA CADEIRAS| A 500 RS.
O Bazar do PavSo receben um grande!. Chegou um elefante sortimento de llas-
sortimento dos melbores pannos de croch, mna8 J ,aP30' com padres de seda e de
proprios para cadeiras de balanco sofas,'! !l boa qnalidade. que
pianos, tamboretes e at proprios
brir almofadas e pratos; vendendo-se
menos do que em qualquer parte.
PARA LENCOES Chegou um elegante sortimento de lin-
No Bazar do Pavao vende-se superior di88i,nas ponpelinas Japonezas, com os
bramante d'algodlo com 10 palmos de lar- raais delicados gestos, tendo muito lustro
gura a 10800 o metro, dito de linho com a ? com, strinhas de seda, sendo esta nova
mesma largura a 20800 cada metro, pannos fazenda Qasi da largura da chita rance-
ds linhodo portocom 3 1/2 palmos de largura ^ vende-se pelo barato jprefio de 10600
de 720at 10 a vara, assim como um grande
eaapre a Nova* Esperanca!?
AO BELLO SEXO.
Bita loja bem conhecida pela sua elegancia e
aperwrMade de seus objecUs, acaba de receber
mnilos artigos para o qae respeilosamente convida
ao bello sexe a vizita-la, aflm de compraren! acjuil-
lo qne precisarem para preparos de vestidos toi-
lete ou tocadores, e mesmo qnalqoer objeeto para
farer algi#jreiente..|0ois qae si na Nova Espe-
ranza flearao sali-feitos, j pela qoatidade e pre-
cos razoavis, mesmo por qae a Nova Esperan-
za ofana-se em nao se impacientar em dar a es-
colher os objeeto?, prestando-fe com o agrado
cm que cottuma receber a todos, aflm de qae
saibam com o firme proposito de voltarem ou
mandaren! a mesma loja, logo que precisen) de
qaalqner artigo por prqueno que seja.
LVAS DE PELLICA.
Receben as de Li>boa a Nova Esperanca para
homens, senhora e meninos, sendo brancas e de
cores.
NOVIDADE.
Bico de qaipnro preto com branco, a Nova Es-
peranca f quem tem I I I
Ca xa*, para joias.
Nova E*peranca receben boaa caixas de sn-
dalo para guardar joias.
Fitas largas para cintos.
Recebed-as de maltas qualidades a Nova Espe-
ranca.
Para extinguir panos ou sardas.
Nova Esperanca tem leite de rosas brancas.
Para Ungir cabellos.
Tem a Nova Esperanca a verdadeira tinta io-
gleza.
Para refrescar a pelle e aformozia-la.
A Nova Esperanca ra Duque de Caxias n. 63,
vende verdadeira albina branca de Lais.
str vendem a
>ara cu- """ rs- covado. pecbtaeha, no Bazar
pordo PavSo, ra da Imperairiz n. 60.
POPELINAS DO JAPAO A 10600 0 COVADO.
sortimento de Hamborgo ou cregueilas de
todos os nmeros, precos ou qualidades,
que se vendem mais barato do qaeem ou-
tra qnalqoer parte; aproveitem-
ATOALHADOS
No Bazar do Pavlo vende-se superior
atoalhado trancado, com 8 palmos de largu-
ra a 10600 o metro, dito de linho adamas-
cado o melhor que tem vindo ao mercado a
30500 o metro ; todo isto muito barato.
FAZENDAS PARA LUTO
No Bazar do Pavlo vende-se constante-
mente o melhor sortimento de fazendas
pretas para luto, como sejam :
Laasinhas pretas lisas.
Cassas pretas de 13a.
Cassas pretas, francezas e inglezas, lisas
e com salpico?.
Chitas pretas de todas as qualidades.
Alpacas pretas lisas.
Ditas lavradas com branco.
Merinos, cantfles, bombazinas, que se
vendem mais barato do que em outra qual-
quer parte.
CACHE-NEZ A 60000.
No Bazar do PavSo vendem.se bonitos p
grandes cachi-nez da-pura ia, pelo bara-
to preco de 60000 cada um,
PEHICNCHA EM CAMBRAIAS VICT0R1A8, A 50,
60, 70 80000.
Vende-se um explendido sortimento de
finissimas cambraias victorias, por precos
mais baratas do que em outra qualquer
parte, tendo cada peca 10 jardas a 50, 60,
60500 e 70000, finissimas a 80500 ; todas
estas cambraias valem muito mais dinheiro
e liquidara-so por este preco em relacao a
urna grande compra qae se fez no Bazar
do Pav5o.
BABAD1NH )S
No Bazar do Pav5o vende-se um grande
sortimento dos mais finos babadinhos borda-
dos tapados e transparentes, assim como
urna grande porcSo de entr;meios largos e
estreitos, que para acabar se vende mnito
em conta e mais barato do que em outra
qualqoer parte.
SETINSDE CORES E GROSDENAPLES.
No Bazar do'Pavao vende-se um sortimen-
to completo dos melhores setins e grosde-
oaples de todas as cores, que se vendem
muito em conta.
Colchas brancas i 30200, 30300 e 70000.
Para o Bazar do PavJo chegou um grande
sortimento das melhores colchas pretas,
sendo das melhores e mais encorpadas que
tem vindo 70000, ditas um pouco mais
baisa 30500 e ditas 30200; tambem no
mesmo estabelecimento, se vende nm grande
sortimento de ertones e chitas propris
para colchas que se vendem mnito em conta.
Sedas de qnadrinhos a 10280 ao corado
Vende-se um elegante sortimento de sedas
de qnadrinhos, com 1ind ssimas cores, para
vestidos e roupas de meninos, e vende-se
10280 cada covado; pechincha no
Bazar do Pavo.
CHALES DE RENDA.
Chales 200t). -
Chales 2000.
Chales 2000.
Vende-se orna grande porcio de Guales
pretos de renda o a croch, sendo pretos
com 4 pontas, fazenda que sempre se ven-
deu 50000 e liquidi-se a 20000 cada um,
pechincha no Bizar do PavSo, a ra da
imperatriz n. 60.
LINDAS BAREGES A 320 R5. O COVADO I
No Bazar do PavSo vende-se o mais bo-
nito sortmento de flnissinias bareges trans-
parentes com as mais bonitas listas de cores
propris para vestido, e liquida-se a nataca
o covado por estaaos muito prximos da
festa ; ditas mescladas, fazenda mnito lus-
trosa e com liadas cores a 400 ris o covado,
pechiocha a ra da Imperatriz n. 60.
LENQOS DE CASSA DZIA 30000
v Vendem-se finissimos lencos de passa
com delicadas cercaduras, de- edr^s fixas
j embanhades, senio proprio para bomens
e senhoras pelo baratissimo preco de 300,0
a duzia, do B&zar do PavSo a ra da Impe-
ratriz n. 60.
TOALHAS A 70500
No Bazar do PavSo fez-se urna grande
jompra de toalhas alcochoadas, propris
para rosto, bastante encorpadas e grandes,
fue sempre se venderam aj20000, e li-
midam-se a 70500 a_duzfaou a 640 rs.
;ada urna, boa pechiocha.
cada covado, no Bazar do Pa^So.
AS POUPEUNAS DO PAVO A 20000, O COVADO.
Chegou para o Bazar do PavSo um bo-
nito sortimento das mais modernas e ele-
gantes ponpelinas de linho e seda, que se
vendem palo baratissimo preco de 20000
cada um covado, assim como ditas com
gortos escossezes a 20400, pechiucha no
Bazrr do PavSo."
SEDAS A 20000
Chegou um elegante sortimento de boni-
tas seda de listrinhas, com as cores mais no
vas qua tem vindo a mercado e veudem-se
a 20000 o covado, na roa da Imperatriz
Bazar do PavSo.
CRETONE FORTE A 20000 O METRO
S no Bazar do PavSo.
Chegou o verdadeiro cretone francez pro-
prio para lencoes tendo 10 palmos de lar-
gura, e muito encorpado, sendo preciso ape-
nas para cada leccol 1V* ou 11% metros, alm
d'esta applicacSo tambem esta larga e en-
corpada fazenda propria'para toalhas, saias,
ceroulas, etc. e liquida-se pelo barato pre-
co de 20000 cada metro.
CASEMIRAS A 20500 CADA COVADO
No Bazar do PavSo vende-sa um grande
sortimento da bonita uwoim d UTDa f
cor, sendo asul, lirio, mesclada, sendo de
duas larguras, propris para calcas, palitos,
e roupas para menino, e vendem-se pelo
barato preco de 20500 o covado, roa da
Imperatriz n. 60.
BONITAS LAASINHAS A 500 RS. O COVADO,
Vende-se delicadas iSasinbas com diffe-
rentes gosto pelo barato preco de 5Q0 fs.
o covado, do Bazar do PavSo.
ALPAGAS BRANCAS.
Vende-se um bonito sortimento de finis-
simas alpacas brancas lavradas, imitacSo
de seda, propris para vestidos de baile ou
pasamentos no Bazar do PavSo.
ALPAGAS LAVRADAS A 400, 860 E 640 RS.
Vende-se nm grande sortimento de lin-
das alpacas lavradas de todas as cores para
vestidos e vendem-se a 400, 55 .e 640
e at mil e tantos rea o covado, no Bazar
do PavSo.
BAREdS DE QUADRINHOS A 600 RS. O COVADO
Vende-se as mais lindas e moderdas 15a-
sinhas ou bareges de qaadrinbos, proprios
para vestidos, tendo quasi larpra de chita
frsnceza. e liquida-se a 640 rs. o covado,
no Bazar do. PavSo.
MERINOS DE CORES RARA VESTIDOS.
Vende-se bonitos merinos de urna sd
cor com cores muito proprios para vestido
e reupas para creancas por ser orna fazen-
da de pura 13a e muito leve, vende-se a 14
o covado, no Ba*ar do PavSo.
GLACS A 10000 PARA VESTIDOS.
Vende-se um elegante sortimento desta
nova fazenda denominada glacs sendo urna
fazenda de 15a muito larga e com delica-
dissimas cores, tendo tanto brilho como a
sedae vende-se pelo barato preco de 10,
3 covado, no Bazar do PavSo.
CASEMIRAS A 70000
Vendem-se cortes de casemira ingieza de
cores para calcas sendo fazenda que vale
muito mais dinheiro e liquida-se a 70000
o corte de calca, no Bazar do PavSo a roa
da Imperatriz n. 60.
GRANDE PECHINCHA EM CAMBRAIAS TRANSPA-
RENTES A 40, 80,60, 80, E 100000-
Vende-se finissimas cambraias suissas, de
muita phantasia. tendo 9 varas a 80500 e
100000. Ditas bispo com 10 jardas fazen-
da muito fina a 50,- 60 e 70000. Ditas fi-
nissimas azuladinhas, que valem muito mais
dinheiro, a 80 e 100000: todas estas cam-
braias, em relacSo a qualidade, pelos pre-
cos cima sSo mais baratas do que em ou-
tra qualquer parte, no Bazr do PavSo.
CAMBRAIA ALL1MA COM 8 PALMOS DBLAR-
GURA A (600, U B **K)0.
Vende-se finissima cambraia branca tran-
pa-ente com 8 palmos de largura, qu faci-
lita fazer-se nm vestido apenas com 4
varas e liquida-se a 10600, 20 e 20060 a
vara, fazenda que vale muito mais dinheiro.
E pechincha no Bazar do PavSo.
CAMBRAIA TRANSPARENTE
Peca a 40000
Vende-se muito finas pecas de cambraias
brancas transparentes, tendo8 1(2 varas ca-
da peca e com um vara de largura a 40
E pechincha, no Bazar do PavSo
Perfumaras
As melhores, e do mais eonhecido .fabricante,
tanto francez como inglez, estao expostas venda
na ra Duque de Caxias n. 63, na Nova Espe
ranea.
Extractos, banba, oleo, sabonetes, agoas de co-
lonia, de laranja, florida c de lavando, etc., etc.,
tado de superior qualid.*de : vende-se na Nova
Esperanca ra Duque de Caxias n. 63.
I ?
Agora sim
GRANDE NOVIMOE
Quando a AGUIA BRANCA, mais precisa scienticar lo rospeitavel
geral, e em particular a roa boa freguezia, da immensidade de objectos que
te tem recebido, jnstamenteffoando ella menos o*ode fazer e porque, essa fj
luntaria ella confia e espera na benevolencia de todos que lb'a attender|o e relevarlo
comineando portante a dirigirem-se a bem conhecida leja da AGUIA BRJWCA 'ral d*
Queimado n. 8, onde sempre acharSo abundancia em sortimento de superioridade e
qualidades, modicidado em precos e o sen nunca desmenttido AGRADO E SINCERIDADI
Do que acuna fica. dito se conhece que o tempo de que a. AGIA BRANCA pdi
dispor, empregado apezar 3e seos cusios no desempenho de bem servir a aquellos qae t
honram procurando prover-se em dita loja do que necessitam, entretanto sem ennume'
rar os objectos que por sua natureza sSo mais conhecidos ali, ella resumidamente radi-
car aquellos cuja importancia, elegancia e novidade os tornam recommendrveis, emt
bem seja :
Corpinhos de cambraia, primorosamente
enfeitados com fitas de setim e obras essas
cuja nevidade de molde e perfeicso de ador-
nos os tornam apreciados."
Fitas mni largas de diversas cores e qua-
lidades para cintos.
Loques uesse objeeto muito se poderia
dizer querendo descreve-los minuciosamente
por suas qualidades, coree e desenhos, tal
o grande e variado sortimento que acaba
de chegar, as para nSo massar o pretn-
deme se me apresentar o que poder de
melhor.
Entremeios em pecas de 12 tiras.
Gnipure branco e preto de diversas qua-
lidades e desenhos.
Ditos de algodlo com flores e lisos.
Veos de seda para cbapelinas e monta-
ra.
Meias de seda para noivas.
Ditas abortas de fio de Escossia.
Costumes ou uniformes para meninos.
Enxovaes completos para baptisados.
Touquinhas de fil, sapatinhos bordados
e meis para ditos.
Camisinhas bordadas para ditos.
Capellas brancas para meninas.
Grande sortimento de flores finas.
Fil de seda preto.
PERFUMARA
Grande 6 constante sortimento de dita,
sempre melhor qualidade.
Lindos vasos com pos de arroz e pinsOl
Caixinbas com ditos aromticos.
Bonitos e modernos pentes dourados pa
ra circular o coque.
Bonitos brinco de plaqueo.
Aderecos e brincos demadreperof
Caivetes finos para abrir latas.
* Tbesouras para frisar babadmhoi.
Aspas para balSo. '
Novos stereoscopos com 48 vistas, ai
quaes sao movidas por um machinim
urnas substiluem as outras.
Vistas para stereoscopos.
Bonitas caixinbas de vidro enfeitados eoa>
pedras.
Ditas de madeira envernisada com vispo
ras e com dminos,
Bollas de borracha para brinqoedo *
enancas.
Diversos objectos de porcelana, propriof
para enfeites de mesa e de lapinhas.
A Nova'Eperan<;a, a ra Daqae^fe Caxias n.
63, receben nm liado sortimento de laa para bor-
dar, vindo as cores mais procuradas, branca, pre-
la, escarate etc. etc. a fila antes que se acabe 1
Aos cigarreiros.
A Nova Esperanca vende papel para cigarros
(Mais) a 4J40 a caixinba barato I
CHEGARAM
Poqos instantneos aperfeiqo-
ados por pre do: na na Nova n. 28, loja de
Antonio Pedro de Souza Soares.
Bombas completas para ca-
cimba, por diminuto precio, na
mesma -casa.
CEMENTO
O verdadeiro portland. S se vendo na ra da
Madro de Dos n. 22, armazem de Joao Martins de
Barros
MACHINAS PARA
COSTURA
Acabara de chegar ao GRANDE BAZAR
UNIVERSAL, rqa Nova n. 22carneiro
viannaum completo sortimento de ma-
chinas para costura, dos autores mais co-
nhecidos, as quaes estao em exposicao no
mesmo Bazar, garantindos-e a sua boa qua-
lidade, e tambem ensina-se com perfeicSo
a todos os compradores. Estas machinas
sao iguaes no seu trabalbo ao de 30 costu-
reras diariamente, e a sua perfeicao tal
como da melhor costureira de Paris. Apre-
sentam-se trabalhos ejecutados' pelas mes-
mas, que muito devem agradar aos preten-
demos

M
i
^ N. 3 A RUA DO CABIIGAIS. SA. f
AGOSTIiO i MOS \
Com ete titulo acha-se aberto d inteiramente transformado este antigo
estabelecimento de joias, onde os freguezes e amigos encontraran tudo quanto
a moda e o bom gosto tem inventado na arte de ourivesaria, o Collar de Ouro
observar delicadeza no trato e senciridade e modecidade nos precos.
Espera que o respeitavel publico venha ver o que existe de melhor em
aderocos do brilhantes, esmeraldas, robins e perolas, raeios aderecos, pul-
ceiras, brincos, alfinetes e anneis de todas as qualidades, prata d le i faquei-
ros, colheres, paiiteiros salvas e outros moitos objectos que seria enfadonho
mencionar.
Compra-se ouro, prata, brilhantes e pedras finas, pormaior preco do
qu em outra qualquer parte, troca-se e concerta-se todo e qualquer objeeto
pertencente a esta arte.
ARARA
ATTENCO
Cerveja branc i e preta
0A
MARCA Z
engarrafada por
Bloodo Wolfe & C.J
especialmente para o Brasil
NICOS AGENTES EM PERNAMBUCO*
J. Jeferies fy C.
46. Ru do Uommercio 46.
gAos Srs. fiimante3.g
& Charutos, finos da Babia, do afamado g*
H fabricante oaquim Jos''ds Reis, muito %k
fif superiores, por procos mdicos-: na fa- t
* brica a vapor de cigarros -na amiga ra SK
do Quartel de polica n. 21. Q
A 1#000
Espadadores de palha os mais tjem fei'o. possi
Aeis : na prsca da Independencia n, 39 '
FARINHA
de trigo a 5*000 a oarrica : no armazenV Ba-
liza, roa do Livraraento a. 38.
Lourenco Pereira Mendes Guimares, participa a todos os seos devedora
tanto da praca como do mato, que estando 1 qoidando suas casas commerciaes. o qu
deve fazer at o fim do correte anno, por Isso roga a todos os seos devedores a vire
saldar seos dbitos o mais breve possivel; outro sim, declara aos seus devedores, qu
os que Dio estiverem na loja tem de pagar todos os seos dbitos, provando isto se fart
o abatimento que for preciso para a liquidaco de suas dividas, para isto poderlo di
rigir-se roa da Imperatriz n. 72, loja da Arara.
Ao resto das pechinchas
Vende-se cortes de castores para calcas,] bales. de arcos a 10000.
a 500 rs. Cortes de brins de cores a Vede-se balSes de 15 a 30arcoa a 1#
li5500 ^cortes de gaDgas para calcas a 10, |e 10500 cada um. Cortes de cassas en
papel a 20500 cada um, para liquidar.
Bramante de linbo e algodlo cem 10 pal-
mos de largura o 10800 o metro.
Panno de linho a 760.
Vende-se bramante de 10 palmos de lar-
8ara proprio para lences a 20800 o metro.
Lencos de seda a 800 n.
Vende-se urna porcio de lencos de seda
a 800 rs. cada um.
Chales de eassa a 10000.
Vende-se urna granbe porcio de chale
de cassa a 10000 eada nm, para liquidar.
Fustao a 360 rs.
Vende-se fusilo de cores para vestidet
a 360 rs. o covado.
Algodlo enfestado a 900 rs.
Vendase algodlo enfestado para, lences
e toalhas a 900 rs. o metro, dito' transa-
do a 10200 o metro.
Chales de merino estampadas a 20000.
Vende-se chales de merino estampado
edm barras a 20, 20500 e 30 para acaba?
Grande porcao da retalhos.
Vende-se grande porcio de retalhos d
cassas e chitas a 240 rs. o covado.
INDEMNISADORA
Em eumprimento do diaposto no art.
nhia
AJ ra da Imperatriz
n. 60.
Bazar, do PavSo sito a ra da Imperatriz n, 60, sta' constantemente abertn
das* 6 horas da manhaa as 9 da noute;
19 do;
estatutos da mesma campnula sero .vendidas 80
de snas aeches em seis lotes, sendo :
1 lote de 20 acedes de ns. 181 a 300.
1 dito de 8 ditas de ns. 271 a 275.
1 dito de 20 ditas de ns. 376 a 395.
1 dito de 5 ditas de ns.1516 a 620.
i dito de 5 ditas de ns. 651 a 88.
1 dito de 20 ditas de ns. 971 a 990.
1 dito de 5 ditas de ns. 996 a 1000
03 pretendentes deverao dirigir snas propostas
ior intervencao de correares geraes at o da 27
correte ao escriptorio da dita compannia, ra
do Vigario d. 4.
Recife 15 de dezembro de 1870.
Os directores, 2
Antonio Jos Leal Reis.
Joao da Silva Rogadas.
Jos da Silva Loyo.
cortes de casemiras preta para calcas a
30500,40, 50 e 65000.
Cortes de ebiUs a 2:300.
Vende-se cortes de chita* para vestipos
a 25500. Ditos de cassa para vestidos a
20500.
Pechincha a 40000.
Vende-se pecasBde algodlo a~40, 50, 60
e 70000.
Para liquidar a 303OOJ
Pecas de madapoln com 12 jardas a
3$500. Ditas de dito com 24lardas a 50,
60, 60500, 70, 80 e 90000.
LIQUIDAQAO.
Pecas de algodlosinbo de listre proprio
para roupas de escravos com 42 jardas a
60500 e covado 160 rs. para liquidar.
Chitas escaras para vestidos a 280, 320
e 360 rs. o covado.
Para aeanar.
Vende-se pecas de cambraias victoria, fi-
nas a 6$, 60500 e 70000.
8' muito barato.
Colarinbos de papel a 240 rs. a duzia.
Garantios pira janellis a 50000.
Vende-se cortinados para janellas a 50
o par. Brim pardo liso para calca de ser-
vico a 500 rs o metro.
Cortes de percales a 60000.
Vende-se cortes de percales d daas
saias de bonitas barras a 60000.
Cobertas de chita.
Vende-se a 10500, ditas finas a 25500,
ditas encarnadas e adamascadas a 30500,
ditas Torradas 50000.
Gangas para calcas a 280 o covado.
Brim de listra ao lado para calcas a 400
rs. o covado.
Lencos brancos a 20000 a dazia, para li-
quidar ; grande porcio de mantas para
gravatas a 200 rs. eada urna para liquidar.
Cassas francezas 280 rs.
Vende-se cassas francezas 'para vestidos
a 28,0 e 320 rs. o covado.
Organd de ores para vestidos a 400
e 640 o covado.
Alpacas de cores para vestidos a 500 e
6.40 h. o corado.
LlasiDhai para vestidos a 310,400 e 520
rs. o covado.
A feeta est na porta
Houpa eita encontrarlo
Por precinho razoavel
Todos se enronparlo.
A SABER :
Liqnidaci de roapa feita.
Vende-se pallitots de brinsinho de lint
proprio para andar em caa a 10500 ; di-
tos de ganga a 20000 ; ditos de meia <*
semira a 30000 ; ditos de- alpaca de cor
a 30500 e 40000; ditos de panno fino
preto a 60, 80 e 100000 ; ditos de case-
miras de cores, a 60 e 80000 ; colletea
de cassiaetas de cores,-a 10500 ; ditos de
brins e qoadriohos a 10000 ; ditos de ca-
semiras de cores, a 20500, 30 e 40000.
Calcas zoes para escravos a 500 rs.; ditas
de algodlosinbo de listra a 800 rs. ; ditas
de brim pardo a 10600, 2Je 20500 ; di.
tas de dito braaeo de linbo a 30500 e 40 ;
ditas-de casemiras de cores a 50, 60, 70
e 80000 ; camisas de chita a 10000; di-
tas de algodaosinho, propris para o ser-
vico por ser azenda forte, a 10280; ditar
de mnsulna a -10600 re. Para liquida iv.
v *
m
w 9





O proprietario da loja denominado Arara, declaa ao respeitavel publico e aoie
seus fregnoaes que esta ooocloindo sua liquidado, per isso quem qaizer manir-se de
boas fazendas por penco dinheiro tenha a bondade de irigir* dr ^rua da Imperatriz o
72, desde as 6 horas da maobla as 9 da noute.
V


f

r
!
*

Diario \ie i'eruambuco
Venham, freguezes,
munir-se ra Duque de Caxias (amiga-
mente ra da* cruzes), sobrado das pe-
tas d?arlilberia n. G.
Nene novo estak-leeiinento eneontrarox ama-
dores do agua fresca e saberos* o indlttbrto ob
cicada oa/co, j-ois <- aeha prvido Sor iroent un : qnartinhas dos njHi
fabricantes dests provincia jarras, morineut's
Mft-ladrs, bilhas, pirrafas pilidas o torneadas'
todo 4o melhcr barro e go.no ; as potat, quartiuha?, biiln:, jarros e vasos para ili-
rei, touca vidrada do lo.las as qualidades, e mui-
tos otaros objectos sem serem pulidos, tudo de uti-
ii-tade para n ayas de fn1ila.
Tem a venda em seus armazens, alm de outros
artigos de seu neg io regulat, os seguinte, que
stao vendendo a presos" mais baTatos que em ou-
tra qualqu^; parte :
PORTAS de pinho a I mofada la?.
FARELLO em s,icu9 prajwles a 35300.
GRADES de ferro paia_cWtadc;s.
ESTEIRAS da India para cajua a forrar sala.
CANOS de barro frant^. para esgoto.
uESS superior eni barricas e as arrobas.
CEMENW ib toda? as qaadadcs baixos
HOCOS.
MACHINAS do don-areeor algodao.
8ARIUS frandesmo pede daSuecla.
LONAS e hrinz'jes da R:)
OLEADOS ame riamos para forro de carros.
FOGOES americanos muito buns e econmicos.
VJN'HO rJe Dordeaux em caixas.
COGNAC superior de Gantier Fierea.
MILH^ de-Fernando a 3/ o sacco.
AGUA florida;
BARR1S de carne salgada de poreo e de vacca
Quiala eira 22 de ezembro de 1870.
''porta* n. 53, ra Dircita, 3 p rtaa n. 53, an1 ,' loja dj Braga
O abao assi^-nado, dc.o desta antigo stabelecimeoto, lendo em vista aprerattar o
completo sorlimento de ferragens, miudezas e cotilarla"; tem resclvido mandar buscar era
diversos pontos da Europa os melhores objectos oV sen'estabelecimento dos fabricanies
mais conbeades ; pelo que convida ao raspeitavel publico e a seus numerosos frrguezes,
a virem se ervii dos objectos de sua carencia, ainde. encontrara por menes 10 00 do que
em ouira qualquer parte, um surlimento completo de machinas para descarocar algodao,
flo bem conhecido faLricants Coitorr Gin 4 C, ditas para costura, motores para animas*,
ditos para fago, raomhos p.-ra tal de todos os tamanbos, da fabrica do Japi, espingardas de
aous canos e de um, Unto ioglexas como franceas, louca de porcelana, facas e artos
e diversas qualidades e precos, bandejas cbinezas, salitre, breu, barbante, enxofre, papel' e
nmaina de ferro, ac, e aguroa para fogueteiro ; assim como encontrsiao. constanto-
icnte grando rM$o de fogo do ar, e recebe-se encommenda de fogos de vista, alem de um
cem numero de objectos, que se tornara enfadonbo numera-i"s : venham ra Direita n.
W, loja de-Leonidas Tilo Uaxnito, antiga loja do Draga.
IM
ni humus
Fspenadores a : ra do Crespo n. 25 A.
PRECIOSA 11SC0BMTA
Ti
O TNICO DELSUC que hoja apresenta ao publico, depois, poim, de um severo
?nJ!!f0 de,retei'a,laS exPeriencias< endo certeza do que possue ma sqperioridade
">contestavel a todas as outras preparaos, que at hoje Vem apparocido, recomraenda-se
por sua hondada, e pelo bnlhante lustro que produznos cabellos, tirando immedialamen-
te todas as-caspas e coceiras, faeendo com que apparefa cm bom estar impagavel.
fcsta agua compoe-se de substancias cuidadosamente escolhidas, purifieadas, e
confeccionadas cora o ma.or cuidado, e alindisio combinadas de modo tal a dar-lhe
nma acc3o verdaderamente efficaz. consoladora, e benigna.
npahai?n8/h^a'SeeSta 88u\n cabeCa, e esfregase levemente ; inmediatamente ficam
os cabellos limpos e com um bnlho magnifico.
Deposito
smente em casa do autor, Andr Dek-uo cabelleireiro de Paris.
RuaJ'de Harqo (antiga Crepo) n. 7 A Io andar
novas musas para piano.
J; Dansa des negres do mae.-tro Cazalbore.
E Hargirida, linda schouiscb.
Urna folia a-Homa, q.fj|rilba.
LUiNDS
Dansas paraguayas.
I1 Habanera-,
2a Los negros.
3a Noites de. Laque.
4* Palomita paraguaya.
Tambera reeefcou as scgumtes :
A opera Guaran//, o os melliorea pedamos
da raesma para piano e piano c canto.
Ouadrilbas-
Walsaa
E. polkas
Quadrilaas:
isoltc.
Satn.
Jardim das Fadas.
Heroica.
Capenga, Careca d C.
Homene do mar. / /
Juventud Commercial.
RocamboJe.
Ponte do Diabo.
Tenen.te do Diabo.
Imperial marinheiro.
A sultana como linda.
Independencia das senhoras.
O Club X.
Regresso do conde d'E.
Caminho de ferro.
Guarany.
Walsas :
Sonbo da virgen).
Voluvel.
Dansa d'amor.
Ultimas walsas de um doido.
Anjo da meia njte.
Garnivalesca.
Guaranv. ^
Polkas :
CabriSo.
Gorgeio do sabia.
Bulicosa.
Capenga nao forma.
Querida portodos.
A rival.
Por todos quera.
Zas Trz.
Palomita paraguaya.
Bismark.
Moreninha.
Surpreza.
Chora pitanga.
Gloria.
Guarany.
venda no armazem de pianos e msi-
cas doAzevedo, ra Nova n. II, hoje ra
do Bar5o da Victoria.
NOTICIA
HONTEIRO
Veio operar^ unta completa revoluto no artigo
Tinta para escrever.
Ra da Imperatriz n. 2
sie nofo o suo^taso estabeleciro^o d-1 'aim-ius ac-ba de chepar directa
mecte da Eurofw o maii ej^lendido soriimento de l'.uendas p.-oprias para a f-sta, tanto
para bnjens, como para senhoras; descrever e espacificar < quw do moderno e dentis
apurado gostn uefle e encontra areria impr-ssive .; mis para que se possa fazer urna
apr( simada id?,- mencionaremos com especiaiyad/t
Res cortes de vest os para casamente, crlg. ios no uHmo vapor.
los ditos de dimane seda rieteuhos inteirameole uu\os.
Di'os dtos de ditts de 15a com barras, faenda inttiiament qova.
Vestidos de cmbraia para baptisdo.
Popelinas d i seda dos gostos mais modarno.', v.iriado sorlimento de cambraias, e
cassasae cores, lindse modernos dsenhos.
Sedas lisa.-Javradas, pretis e de cores.
Cretoce para vestidos, niodernos gastes. ,
Alpacas de cres,-n iir.possivel descre-er a ^ariedade de gostos t padtoes.
trinas finas, c'aras, escoras, pretas, iodeserUiivtl o variadissimo sorlimento.
. "'''""Qi Icdrt as qtulidades, cores e lmannos, cntr? os quaes uns sao inteiramenle
S-is-b r.i;idas.pari senhoras, grande quan idade de ostos.
taiiiiainbas bordadas para senhoras uiuito molerlas, g'.-aede variedade.
^n'.rameios e (i'5 bordadas em todas as largora*.
Cambas para homem. bordadas, lisas, c celleeinhos, complato.sortimento,
Leofos de cambraia bordados, lisos ede barras.
Chapeos de velludo, palta, merino, flir.i, o que'fia de mais moderno e lindissimes
os tos.
Cortjna.los brdaog, ericacoleas<)e s Bareges da phantasia, fazenda propria para tae.
Tariataoaa decores com palmas lindissimos|?os'os.
Buini de cires para senhoras.
Gravatas para homem, grande sorlimento cm feitios e c- res.
Bretsobati esgniiki e bramante do todas as larguras.
Laa:-inbas de modernos padrees e iudos gostos. ,
Melim da Inia fazenda inteiramenle nova rwa vestidos o de lindo effeito.
Kinalmenifi rene s:e estabefe* imei to indo quo de tcelbor e mis moderno se pode
encontrar em fjzendas como em perfumaras finas, d?s quaes tem um como'cto sor-
timenlo. ^
AO8OAVALHEI0O8
Offerece igualrxeote a vantapem deenconlra-em neste estanekcimeuto:
Pannos Ooos, pretoo o di cores. ?
Caseiiras pretas finas, e ricos gorgores para coet.
Ditas ce cores, de quadros; lisos o d listrvs, completo sfriimento.
Brinsbrancos do linio de todas as qualiJades.
Ditos de cores, lisos e trancados, grane sortimenlo.
Um hbil arthta para cortar e dirigir jaique;- obra, que s se.eotrega a contento
do treguez.
Urna modista igualmente ccupala nos trabamos do PAVILHO-DA AURORA, di-
rige os que lb sao concernenies, apromptando a capricho qualqner TOILET, garantin-
dc-se a mais completa perfeifo ms seus tratamos.
Em resumo confuimos
Por chamar attencSo do reapeitavel publico para o nosso estabelecimento, que alm
de tertu 'o quo se pode desejarem fazeodas e perfumara,- tem o mais COMPLETO S0R-
TIVIENTO DE R0UPA 'FEiTA, pana homens e meninos. Maodam-se as fazendas em
casa das Exmas. familias, e dam-se amosfras.
Um completo sortimento de esleirs da India, por menos preco que em outra qual-
quer parte.
Aberta das 6 hora3 da maiiha s 9 horas da noute.
V
0 Bazar da Moda recebeu novo sortimen-
to de fazendas do nltimo gosto para vesti-
dos, assim como chapeosinbos, casacos,
borns, coques, camisinbas, etc, etc.
Continua sempre o grande e afamado sor
timento de mitidezas e perfumaras verda-
deras, que tudo se vende por baratissimos
precos.
Dam-s.) amostras e manda-so em casa das
Exmas. familias o quo desejarem, ra do
Bar3o da Victoria, outr'ora Nova, y
m saz m
r0^0^*0!^0^0^10 a He4rT ^W8l *
&, ru ao imperador, um carrflgammo da tu
# Pr,B1e'ra l^al'dade; o qtul sa vende em partidi
a rotolho por menos preco do %att parte.
rlt i""1'"1111'*^ andrino, c,
oulo, andador baixq, mnito noro, mnio bonito, e
vende-te por eaasa do Dio ter commodo sefcrr :
qnem pretender diriji-e ao poutaMa Cabail
asa de Francisco Jo? de Abre '^orog.
Vende-se nma laberna r/mito afregueada :
oo largo da Penba n. 12: tratar na nenia
Eival sem segundo, Rival sem segundo
RA DUQUE DE CAXIAM X. 4
(Antiga ra do Queimado)
Nunca fe vio um processomais perfeito c que atinja de tal forma a satis'azer as
.exigencias mais severas da escrpli:racao. r -
A sua cor lindissima e nao precisa do cuidado aigum para se conservar no
inteiro sempre com a mesma cor, sem borra, ctsta, bolr ou sem todas ess?s mazel
wtrin erofeS *** ate ago" conhecidas, anda mesmo dos melhores autores
Sobretudo, este est.mavel producto nao ata, a as peonas de ac, antes pelo con
trano, a penna adqnire um esmalte dourado que, sendo interessante, asss proveitoso
Lsta tinta, nao sendo especialmente para copiar, da comtudo duas, tres ou ma
origina fique prejudicio pelas eitracCoeSr ^'^ defej?'ffi' ^ qUe
Occcrre aqoi dizer que, para copiar imr-orta muila intelligencia e habilidade sem
o que a melhor tinta nSo satisfaz, e o deleito recae sempre soLre a tinto? S mui as
vezes quem menos colpa tem. ^ m
A dopla qualidade desla tinta extremamente apreciavel, pois que evita mm
em qnalquer escriptono baja mais do que una tinla para oa diversos misteres
Emquanto sua durabilidades n3o ba a cpiora menor duvida, pois qoe"esta tinta
depois deesenpu soffre o choqae de cidos fortissimos, sem se decompo?'; ora Ve os
cidos nao tem acC5o sobre ella, moito-menos a acc2o do lempo a pode destruir: 8iJ'
Nao c s ao ccmmercio qu este metr producto veio ser til; os professores dos
colleg.os, investigando todos osmeos.para o adanlafliento dos'ses discinolos *
aprove.tado esta tinta, que com raz5o a arharm apta para de*envolver oI oslo rZ
educandos, em consequencia da belleza da cor e fac idade de correr na riennai npla !
liquidez. Ha exemplos de crianfas que havia muito lempo tich;m um renoemnTh
extrema para a escripia, logo qa<5 foindmittida esta tinta n collegio, apoderou-se iial
a cuno idde e o gosto, e pouc tempo depois o sen adiautamer.lo era manifest
Ella tinta, par de tantas vaoiagens, lem um enico inconveniente, deteriora t
ao contacto de outra qualquer; con vero-[ibis t-la em tinteiros isentos do men rvXm
bre de ootra tinta, e evitar escrever com a penna suja de nma preparacao ditTerni^
^^tf$l&^h* m?0 para se usar de linla qoe a *J-a vKe!
Observa^.
Di veras falsificacoes e s
Os Srs. ompradoren podem o
do a tinta que eu fabrico
mancas tem apparecido, coja dnrabilidade duvidosa
o engao dvigindo-se casas circnmspectas, e pel-
4. C. Monteiro.
Contina a vender tudo muito bm e
muito barato a saber:
Libras de areia preta muito boo.> 120
Tesouras finas para unbas e costu-
ra a......., 500
Papis de agulbas francezas a ba-
t" a ......... 60
Caixas com seis sabonetes ae iruia i^uw
Libras de la para bordar du.todas
as cores a.......8000
Carriteis de linha Alexandre a. .
Frascos com azeite para machinas
Gravatas de coresMnuito finas a .
Grozas de botesf madeperslaf fi-
nissimos a.......
Novello de linha de 400 jardas a.
Caixas com 100 enveiopes muito a,
superiores a......
Pentes volteados para meninas a.
Tinteiros com tinta preta a 80 rs. e
Pecas do Ota elstica muito fina a 200
Lata com superior banha a 100 e. 200
Frascos de oleo Philocomo muito
fino a......... 500
Frascos de macaca perola a. 240
Frascos de extracto muito bonitos a 500
Duzia de sabonetes muito finos a. 720
Sabonetes inglezes a 600 rs. e. 1)5200
Frasco com agua de colonia Piver a 500
Dito de oleo babaza a..... 500
Caixas de lamparinas a. 40
Sabouetes a forma menino muito
superiores a....... 240
Cartilhas da domina fazenda nova a 400
Libras de linha sortidas do todos os
nmeros a. '......1 Capachos muito bonitos e grandes a 700
Carriteis de retroz preto, com 2
oilava a........ 640
Agulheiros de osso enfeitados a, .. 240
Libra de liaba franceza superior
qualidade a.......2(5420
Ricas touquinhas de fil para me-
HUA DO DUQUE DE CAXIAS N. 49
Estou disposto a continuar a vender todas
as miudezas pelos baratissimos precos abai-
xo declarados, garantindo tudo bom e pre-
sos admirados.
Ouzias de palitos seguranca a.... 120
Duzia de palitos segaranca caixa
grande a................... 320
Frascos com olee baboza muito fino. 320
Picote* com pos de arroz o me-
inor qus na a............... 30
Navalbas muito finas para fazer
barba a.................... ooo
00
100 Caixa de liaba brane do gaz a..
500. Vara de franjas de lidho para toa-
300 Ibas.......................
Caixas com peonas d'afo de Perry
500 superiores.................
60 Lencos di cassa brancos e pinta-
600 Caixas com 20 quadernos de papel
240 pautado .......
100 Caixas com 50 novellos de linha
160
800
100
700
400
laOJA
GALLO VIGILAJNT
Roa do Cre* po n. 9
Os propietarios desie bem oonhecidoestabelt-
cimente, alm dos muitos objectos que tiuham ex-
postos a apreciacao do resp^itavel publico, man-
daram vir e acabam de rccelier pelo ultimo yapo;
da Europa um completo c vanado sortimento u
finas e mui delicadas especialidades, aa quaes es-
tilo resolvidos a vender, como de sa'eostun>.
Sor precos muito baratinhes e commodo's para >
os, com tanto que o Gallo....
Muito superiores luvas d,e pellica, pretas, brac
cas e de mui lindas cores. t
Hu boas e bonitas gollinhas e punbos para '-
nhora, neste genero o que ha do mais moderno.
Superiores pentes de tartaruga para coques.
Lindos e riqnissimos enfeites para cabecas da*
Exmas. senhoras.
Superiores trancas pretas e de cores cem vidn-
Ihos e sem elles; esta hienda o que pode nava)
de melhor e mais bonito.
Superiores e bonitos leqoes de madreperola.
marfim, sndalo e osso, sendo aqnelles branco
com lindos desenhos,e estes pretos.
Muito superiores meias lio de Escossia para s*-
nhoras, as quaes sempre se venderam p*r 3000
a duzia, entretanto que nos as vendemos por 20*.
alm destas, temos tambera pande sortimento c
outras qualidades, entre as (usos algumas mu/.
finas.
Boas bengalas de superior canna da india
castao de marfim com lindas e encantadoras figo
ras do mesmo, neste genero o que de melbor s
pode desejar ; alm Uestas temos tmnbem grandi
3uantidade de outras qualidades, como sejam.mi
eir, baleia, osso, borracha, etc. etc. etc.
Finos, bonito? e airosos cbicotiulios de cadeia
de outras qualidades.
Lindas e superiores ligas de seda e borracb
para segurar as meias.
Boas meias de seda para senk'ora e para meni
as de 1 a 12 annos de idade.
Navalhas cabo de marfim e tartaruga para faier
barba; sao muito boas,e de mais a mais sao ga
rantidas pelo fabricante, e nos por nossa vez tara
bem assiguram.s sua qualidade e delicadeza.
Lindas e bellas capeas para noiva.
Superiores agulhas para machina e para crox
Linha muito boa de peso, frouxa, para oncee;
labyrintho.
Bous baralhos de cartas para voitarete, assiu
como os teios para o mesmo lira.
Grnde e variado sortimenlo das melhores per
fumarias e dos melhores e mais conhecidos per
fumistas.
COLARES DE ROER.
Elctricos magnticos eontra as convulsSes,
facilitara a denticao das innocentes criancas. So-
mos desde mtrit recebedores destes prodigioso!
collares, e continuamos a recebe-los por tofos o
vapores, afim de que nunca faltcm no mercado,
tomo ja tum acontecido, assim pois poderSo acei-
tes que delles precirnren!, vir ao deposito do galle
vigilante, aondt! semp e encontrarao destes verda-
deiros coHares, e os quaes attaudendo-se ao fio
Sara que sao applicados, se tenderlo com um mu
minuto lucro.
Rogamos, pois, avista dos objetos que dorsamc-i
declarados, aos nossos freguezes e amigos a viren
comprar por presos muito razoaveb loja do gal
vigilani>, rna do Crespo n. 7.
i .,
n*nos a 200
Botinas de couro para_meninos a 2(5500
Caixas com fgulhas de fundo
dourado a 240
Pegas de tiras bordadas muito fi-
a 500, 000, 800 e_______ 1^000
ATTENCA&
Chcetele nacional.
Doas medallas de prata e urna mencSo ho-
norifica.
Avilla Irwdo }r C,
Rna nota d anta Hila n. 4L9.
Existem poneos aliments simples e strbstan-
ciaes como o chocolate, estimulando snavemente
os ervos, d ao corpo o^mais poro elemento de
nulr$3o, e ao mesmo lempo fortifica os orgias di-
gestivo?. todo3 n mdicos sao unnimes re-
commendar este alimento como o mais proprio e
substancial para as pessoas de complexao frea e
debilitado,
Vende-se
Primeira qualidade li2 kit. 800 rs.
Homeoparfia 1(5 kl. !#O0O
lIe=panhot Ij ktl. 800 rs.
Vannille !|t kil. I<000.
Al meta trrobs far-se-ha abatlmento de 10 0i0
e de arroba porachne ?d 0/0
Caf muido a'vapor
garawido serfl minuta a 800 rs. o ttl., em rnaior
quantidde ter abatimento de ltO\0.
Tambera ha pscoW e l| kll. empado em
papel detinrio fhr.t le conservar sempre frese.
Vende-se bjm fumo ie Garenhnns: para
ver a mostra na ra do Rojarlo da Boa-vista ao
iSSfM^^. y ^loja're"
Banhos de Olinda
Afaba 'sahir luz esta muito linda quadri-
Ihajari rahe, nre-fo 1/000 : na rna Nova n. 11,
irmazem de plafmrs tnwkxs do Azevedo.
do gaz a
Dnzias de meias cruas superior
qualidade a.......30600
Pecas de tiras bordadascom 12
metros cada peca a 1)500 e. 20000
Pecas de fitas para eos de qnal-
quer largura com 10 varas a. 500
Pecas de tranca lisas, brancas e
de cores a....... 40
Duzia de linha frxa para borda-
dos a 400 rs. e..... 500
Pares de meias croas para me. *
nos diversos tamanbos a. 320
ozias de meias brancas muito
finas parasenuora a. 40500
Pares de sapatos de tranca do
Porto........20000
Pares de sapatos de tapete a. 10500
Duzias de baralhos para vultarete 30000
Sylabarios portuguezes a. 400
Cartoes com colxetes 2 carreras a 20
Abotoaduras para collete diversas
qualidades..-.,.... 400
Caixas com penna de ac muito
- boa de 320 a...... 50C
Caixas com superiores obreias a. 40
Dosia oe agulh* para machina a. 20000
Libras de pregos trancazos todos
os tamanbos a...... 240
Pacote de papel com 20 quader-
nos ........... 400
Re^ma de papel pautado sopero*. 40000
Resma de. papel liso muito supe-
rior a........... 30600
Vende-so sement de coeniro e alface omito
novas; na ra da Gola a 7,taberaa.
Roh-ante-rheumatico.
Remedio efBcacissimo contra as dores rneuma-
ticas at hoje o mait conhecido pelos seus mar-
vilhosos, resoltados.
XAROPE DE AtRIAO um dos medicamen-
tos que sna efflcacia as enfermidades, tosse e
sangue pela bocc, bronchites, dores e fraqoeza
no peito, escrobnlo e molestias de flgado, que me-
lhor tera aprevad).
TINTURA DE MARAPUAMA. A celebre raiz
do marapnama, cuja energa e efflcacia as para-
lysias, intorpecimonto, etc. etc. muito se recora-
menda. _
Todos esses preparados se encontram na pbar-
maeia e drogara de Bartholomeu & C, nnico de-
posito na ra larga do Rosario n, 34.
Prensa de lithog aphia.
Vende se urna ou mais de nma : quem precisar
annuncle para ser procurado.
GAZ DEVOES.
Latas com torneira
ULTIMA INNCA0,
Quem comprar do gaz uessas latas nao precisa
passa-b para garra/as oa deposito, pois qae pode
tirar para os eaniieiros todas as vezes que preci-
sar sera derramar oa perder urna gota : vende-se
no armazem do .bao Rosa, travessa da Madre de
DeoS d. 8.
Attenpao
Vende-se nm -armayao pjr barato precj e em
boa localidade para qualnuer negocio ; a tratar
nos Aflogados, roa de S. Miguel a. 3i,
Dcordeiro presiden
Raa do ^uelaiat-i> a. 46.
N'ovo e variado sorlimento de perfuman-
finas, e oulros objectos.
Alm do completo sortimento de per!,
marias, de que effeclivamente est provid
loja do Cordeiro Previdente, eiia acaba 1
receber um outro sortimento que se ton.
notavel pela variedade de objectos, superio;
dade, qualidades o commod-dades de jv-
eos; assim, pois, o Cordeiro Previdente pl?
e espera continuar a merecor a apreciacs
do respeitavel publico em ger e ae
boa freguezia em particular, nao se ala
lando elle de sua bem Coheddamanaio;
e barateza. Em dita loja tmcontrarSo
apreciadores do bom:
Agua divina de E. Cousray.
Dita verdadeira de Murray & Lamman.
Dita de Cologne ingleza, americana, fn
ceza, todas dos melhores c mais acreditad
fabricantes.
Dita de flor de larangeiraa.
Dita dos Alpes, e vilete para toilet.
Elixir odontalgico para conservafo
ssseio da bocea.
Cosmetiques de superior quaudade o chi
roa agrada veis.
Copos e latas, maiores e menores, coi
pomada fina para cabello.
Frascos com dita japonesa, tranaparen"
e outras qualidades.
Finos extractos inglezes, americano*
francezes em frascos simples e enfeitatot.
Essencia imperial do fino e agradavel cha
ro de violeta.
Outras concentradas e de cheiros ignl
mente finas e agradaveis.
Oleo philocome verdadeiro.
Extracto d'oleo de superior qutlidsfi.
com escolhidos cheiros, em frascos de dil*
rentes tamanbos.
Sabonetes em barras, maiores e menor*
para mos.
Ditos transparentes, redondos e em r
ras de meninos.
Ditos muito finos em caixinha para barb
Caixinhas com bonitos sabonetes imitase
fructa8.
Ditas de madeira invernisada contoneo E
as perfumarlas, muito proprias para pr.
entes.
Ditas de papelo igualmente bonitas, t<
bem de perfumaras finas.
Bonitos vasos de metal coloridos, t
moldes novos e elegantes, com p de ari -
a boneca.
Opiata ingleza franceza para dentee.
Pos de camphora e ontras differeni-?
[qualidades fetmbem para dontea.
Torneo oriental de Kemp.
Alada mal eoquss.
Um outro sortimento de coques de n
vos e bonitos moldes com filets ta vidrilt
e algtms d'elles ornados 8e Coras o fil
esto todos expostos i apreciacao de qat
os pretenda comprar.
GOLLINHAS E PUNHOS^BORDADOS
Obras de muito gosto e pereicSo.
FlroIIas Utas para cintos.
Bello e vareado sortimento de taes ob;-,
tos, fleando a boa escolha ao gosto do eos
prador.
JoaquimRodrgaesla- {
vares de Mello,
TEM PARA VENDER
em seo escriptorio, pr ac do Corpo Sant
n. 17 :
Fumo em folha
de Ia e 2a qualidade, e vende iun oa mais
fardos a vontXo dos compradores.
Calaje Iistoa
uUima ctegada.
PotassadaEussia.
Farlaha de mandioca.
Vintw Bordeaux.
da 1* qualldae Tn*) de tendo mais *
barato do qae em oatra qualqner parte.
appa* burlescos da Europa.
if cada nm : na raa Nova 0. 11, armuem
de pianos do Azevedo,


/
jmm
8
4%
Diario de Pernambac.-*- Quina eira 22 de Dezenibro de 1870

.

!<'..
VARIEMDE
CAPITULACO t>E SEDAN.
( onctusao,)
0 marechal Mac-Mahon,fiel, prnHro
que ludo, ao cumprimer to do dever, obe-
deceu resolvido. a arris.'ar-se ao qu; Ihe
ordenawim : ludo o qioIhe pareca itai sa-
crilicio as aras do bem, publico quadr.iva
ao seu levantado espirito, e sorria-lue a
idea de que atlrahindo sobre si ludas as
torcas ininigas. Iibertavi m imeataneamenie
a capital e da\a-he lempo para lerrum r os
seus nieios do de(esa. Quanlo ao impera
dor, n5o fez d'ij cSo algunu. Nao p 'lia
entrar as $uas v.Uis o resistir aos c Ihos do govern> da ingente, que estiva
liando provas de tanta nielligencia e ener-
ga no meio das crculnilancias mais dlll-
ceis, anda qoando visse que a sua acgo
pessoal desapparecia completamente, uma
vez que j;i n3o obrava nem como chefe do
governo nem chefe do eKercilo. comprdien-
dcnd.) n3u obstante (ierfeitameale que sej
occorressem prsperos successos, su aiiri-
i/uiria ludo o seu meritb ao gunar-l om
chafe, umquanli que ni raso contrario a
revezes cama
; responsabilidad-- dos
s 3 tare u chefe do estad
Nao intil < elefminlar quaes erara
elementos de que se roropunha
de Chalons. O p tmeirp
ii,i
ni m.;ior parle cora n
tinta dado provas em
um valor heroico, que s
pela numensa superior
Os
o exeiv.H'i
curpo, formada
a,
de
i'k
do
gimentos d'A
Fr^iscliwelor
pode it vene
dade numrica
inimigo. PiofondameDte afieladas pela
errla e pelo terrvel effeilo da anillara
prussiana, esas tropas tollavam do campo
de batalha coai disposigocs pouco lavoramis
que se tinham augoitritado com a mu
retirada para Chalos, com marchas pino-
sas e in:essantes, e com urna mullida.' de
privaros maieriae-s. O marechal Mac-
Mahon sabia isso perfeilaroenle, e compre-
hem.ua que Icria sido prudente, antes de
lomar a levar para o combate esses solda-
dos, conceder Ibes o tempo c descanso ne-
. essario para Ihes restituir a perdida firme-
za. Eram as nossas tro >as mais vetera-
nas : rodeadas pelo prestigio que tem com.
azo os soldados d'Afrjca, tioham sabido
^da e chegou a Retael no dia 2'i com o fim^
de oht r por algn* das races- para as
.nas tropas. N'efefcfaifia so enipregon
todo o dia So, e 110 seguinie o quartel ge
era passou de Kethel para Tourleron.
Desde o principio da guerra, o principe
imperial, apezar da sua lenra idade,.tinha
acompanhado seu pai e compartido com
elle, r? meio de tantas peripecias, as fad-
gas da campanil 1 ; mas em vista dos peri-
gos extraordinaria qu> nos araoacavain, o
marocha! rogn encarecidameotl ao impe-
rador que ;f;ist;i::i o niiicipo >do theeiro
da guerra. Ma-chou pois para Metieres
com grande sonti nenio, e djdh mal que
leve noticia da capilulago de Seda, diri-
g;o-Si para a Belsca.
No dia 27 cQegou o exercito ao Chtne
populen c. +-*
Aqui era onde se tinham juntado os exer-
citos k'principa Je Saxjuia e do henleiro
da Prussia, cujas vanguardas estavam ja
batendo-si! com as. tropa* d s generaes
Failjr e Doiiay. O marechal, vendo que o
inimigo liio levara vanlagem na rapidez,
resol eu uhigir-se de novo para o oeste,
com o intuito de salvar o uuico exercilo
fraric-z que ainda se conservava dtsponi-
ve!.
N'este sentido coramu?c>a as ardaos
conven enies ; ns t.'uqudlla uretjmt noule
icccbca ft'uto despacho td^graphico a or-
dejn leriiinaot; de seguir a .sui marcha
para Melz.
E'c^:tiqu! o imperador podetia terse
ir,: >slo esta ordem, mas eslava resolv*.
n 1 nao romraiiar as decisjs da regencia
i) resignado a sol er as coasequencias da
faladade, ip.ie pareca pezar sobre tolas
iuco.'s dj govjrno. Quanlo o duque
o Ujgeuta, submelteu-se urna vez mais
sua
honrosa fama.
mais de ttmer
asalento offerecido
aiin d'isso justificar a
Era por isso rnsmo muito
o espectculo, do seu d
ao resto do exercito.
O qoinlo corpo tnh|a j experimentado
os eeitos d'essa situaejio dos nimos cau-
sada tamiiem pelas pi-ec piladas marchas
que se tioham llevado dtj Biiche atiavez dos
Vosgea por Neufchateaii e o alto Marne al
campo de Chalons, lendo
combater a maior parte dj seu material e
fftiasi todas as bagagenB, o quinto corpo
apreseotava um aspecto de causaco e des-
i>rganisac3o, que nao podia deixar de ins
pirar os mais serios receios.
O stimo corpo, cuja tarda organisago
quasi que oio eslava terminada, nao tinha
Udo qua soflrer as mesmas provas, mas
t:m cotisequenria da comprida marcha em
letirada que tinha trazido de Belfort, nao
rtpresentava a solidez que leria sido pan
ilesejar.
Quanto ao corpo duodcimo, ltimamen-
te creado, compunha se de elementos de
mui diverso valor.
Formavam a prime'ua divis5o qualro re-
lmenlos novos, com os quaes se poda
Uffltar; compunnam a segunda qoatro re-
trnenlos de marclH, compostosdos qualro
halalhoes com quadros incompletos e sol
lados que nunca tinham disparado um tiro;
e c iistituiam a terceira qudro regimentos
de nfantaria de marinha, que se baleram
osamenle em Sedan, masque, pouco
lomados a marchas penosas, iam se-
ando de estropeados o caminho que
percorriam.
Tacs eram as tropnls a quero se i* im
pdi O plano de campanha mais atrevido e
temerario.
Retiroo-se, pois, o exercito e empr-hen-
deu a sua marcha para'Reims; mas quando
apenas tinha feito um jornada, estabele-
lo-se sobre a Suipp' em Rethouvdle. a
s urd ns de Pjis, oruou a tomar a di-
uc;;ai) de Metz.
Estas ordtnse contra ordens trouxerara
a )S movinieriios certas demoras. O quar-
lei genera! foi para Stonne no da 21 ; in-
felizmente, os dfi rentes corpos de exer-
cilo afastados uas des outros, nao puderam
agruparle roda d'essa posioo. e os de
F illy e de D.juay foram atacados solada-
mete.
A tenco do marechal era chegar a Sto-
nay e d'ahi a Montmdy rmas j o inimigo
eslava sem forra na pnmeira d'essas duas
idades : o exercilo prussiano, tinha feilo
marchas fnreadas ; emquan'o que nos,
ajo:qidos dii hag-igens Muamos levado seis
das com tropas fatigadas a percorrer viole
cinco leguas. Foi enfa > prec'so levar o
quartel general para Rancourt, afim de
passar o Mease em Monzn.
i
j Em qn.mlo-qiio na manha de 30 de
1 agosto, parte do exercito operava esse mo-
vmonto, j azocalado na vespera tarde
pelo general Lebrn, os corpos de Failly e
do Dooay, que jinbam ficado na margem
esqiici'da do Mease, lutavamperto de Beau-
miiii, com a avanzada do grande exercilo
prossiaoo.
O corpo de Failly, vivamente aperlado
pelas iropas quo o alacav'am, resisti bem
durante maitas horas, mas afinal foi leva-
do emde-ordom pira Mouzon. Abrigada
enviada para o auxiliar foi arrastacia na re-
lirada.
Pela sua parte o general Donay chegan-
do a Remitty, leve de atravessar a estreita
pisaagtin maions diDcutdades : a esordem cntrou
tambero cas sua; tropas.
Em sumuia. corpo do general Dirot
alcaocava C rgnan depois de urna marcha
comprida e penoso.
rji
fQcoldade de se aperteber obngou o ma- lo om retirada.
Pela terceira vez, o peneral MacMahon
foi coaatraogide renunriar ao projecto de
ir em auxilio de marechal Bznine, e na
noute de 30, como 08 acontecmentos do
dia Ihe tinham demonstrado a impossibili-
dade de alcuncar Monlmdy, deu ordem de
retirada para Sedan.
Esta cidado, elassiflcada como praca for-
te, dominada por todos os lados e inca-
paz de resistir ao poder da nova artilharia.
Estava alm d'isso mal atmada Ne mal
abastecida, sr>m ter nenhuma obra exterior
e sem poder dar nenhnm apoio ao exerci-
lechal Mac-Mah' n a approximar-se da li-
: do eamraho de ferro.
Fez um movimento sobre a sua esqner
FOLHET
a iv
DRIliim DO DIARIO DE PELMHLIO
.'IMMario. Descolwrla e mveagao dos aersta-
tos.Um grank principio de physica.Pt'aire
des liosiers e o marqiiez d'Arlandes.Carlos o
physico e o gnz hydrogeneo. Vmgens aereas.
:<)iirito inventivo dos parisienses. O Se.
Uupiiy de Lme. Um baldo de minha invenc-ao
e as miiilms linyens.- As festas do Natal.0
nascimen'.o de Jess.A noite de (esta Saude
e pastis.Nao liouve reunio no onteiro.-O
theatro das zarzuelas e o theatro francez. Q be
neficio do Carn.Urna triste noticia.
Foi no inno de 1783, em Annonay, na Franca,
que 03 irmaos M mlgolfier, inventores dos aerost-
11, flzeraw sua pnmeira experiencia ante um
eoaoorso inmen;o de poro, enviando s regido*
aih'iiQ.'phericas um viajir mo-.-hanioo, sahid i das
n?os do homem, e destinado a sulcar os ocanos
d'.' ar que env >lvem o nosso bello planeta.
Esse primeiro balao aerostatijo era ebeio de ar
aqnecido e portanto dilatado, e elevou-se em vir-
tude da dilereoca de densidade entre a massa
cjulida no seu bjjo e a massa gerat da athmos-
phera.
O grande principio de physica em que repousa a
x^iengo do aerstato que todo o corpo mergn-
litado em um fluido perde urna parte de seu peso
igual ao peso do fluido que elle desloca.
Foi es;o o grande p incipio de^coberto por Ar-
ohimedes era um banho, e que deu logar ao seu
farjoso eureka, gritado pelas ras de Syraeusa, pe-
rante as turbas, que o lomaram por lonco.
Segundo elle, um corpo qualquer, mais leve que
um igual volume de ar athmospherico, deveele
var-se nos seios deste at encontrar as carnadas
cuja densidade faga equilibrio ao seu peso.
Ora : os Moolgoifler enchiam o seu balo de ar
aquecido; o balo era formado de seda mui leve
encerada e portanto resistente, e tinha grande ei
pacidade; o ar aqnecido dilata-se e toroa-se menos
denso; logo: o balo tinha forcosamsnte de ele-
var-se at encontrar carnadas de densidade equili-
bravel ao sen peso.
Foi o que acontecen, com plena admiracao e
espanto dos Annonaystas, que preferiram ver no
acontecimiento um sortilegio diablico de preferen-
cia a ana arrojo do genio cientfico.
Os Muntgolller limilaram, porm. as suas expe-
riencias a soltarem o balo logo que se acbava
cheio de ar aquecido e perdiam-no no espado.
Pilatre des Kosiers e o marquez d'Arlandes ten
tarara ponco lempa depois a pnmeira viagem
aerea, entregando-se descripcao da- corremos
alhmosphericas, meltidos n'ama tragil barquiuha,
que sspenderira por meio de Cordas parte in-
ferior do aero-talo.
Comprebende-se que, a .nedida que o ar inte-
rior do balo ia-se resfriando, elle baixava em
virtud do augmento resoltante do sea peso, e
Fallando verdade. s tinhi alguraa im-
portancia por so 'igar Mezires e Pa-
rs pela linha do caminho de ferro que, pas-
portanto que os dous viajores o seus immediatos
successorea pouco se aemuraram no ar nessas ex-
perjaociaa c pouco poderam observar.
Todava essa3 experiencias abriram vastos hori-
-onles selencia, eprovuciram muitas esperanzas
n'um novo'ineiu de viajar, que, despcitoTle cen-
tenros do tentativas e dos nni3 >ssiduos etudos
i; cuidados em melhorar as condiedog dos aersta-
tos, pouco ou quisi nada lim conseguido em prol
da hummidade.
Um celelire pliysieo de nomo Garlos lembrou-se
de eiichcro baiucom o gaz hy drogeneo era vez do ar
dilaudo, servtado-se da di-scoberta desse gaz feita
em 176C por C ivtndisb; ,que reconlieceu ser elle
mirto mais lev-< que o ar.
Essh mesmo pbysico, logo que construio um ba-
lo com a respectiva barqumna, tentou urna expe-
riencia plevind,-se no areobtendo um eyplendido
rosnltaio.
Desde eii> o ar dilatado cabio em desuso para
as riageni aereas, e f se empregou nos aerstatos
o ca hy irogeneo.
Foi esse um grande mellioramento que muilo
concorren pira as ulteriores invcstigacSes que os
sabios lii ra-i) no seio dos ares o muitas centenas
de metros cima,da superlkie da terrra.
Muitas viagans sciontifleas furam feitas desde
eolo, e ninguem riis se conflou aos riscos da
navegu.a, aerea nos DalSes dear dilatado, que .
sao baje usados como mero recreio pelas socieda-
des mais c vilisaas.
Mas a grande, a insaperavel difculdade dessa na-
vegaQS'.ainduhojeconserva-se como umabarreira
lerrivel ao3 tentameos da humaniladeem alargar
os seu? meios de aeeo ; e a direceo dos baldes
im|)5e-lhe continuamente e talvoz para sempre un
glidoaltocomo se a nalurea tivosse receio de
ver dovassados os profundos segredos que guarda
na regio dos ares.
Intimamente, depois que a nefasta Prussia com-
mett.'U o aiteuiado de cercar o cura cao do mundo,
de corlar as comiuuicagoes da soberba e pode-
roso Paris, muitas tentaiivas tem sido feitas para
dirigir no ar os aerstatos; mas, despeito de
todo o arrojo intelectual da Franca e do espirito
perspicaz e inventivo dos parisienses, nada se con-
seguio ainda, e o balo cora as malas de Paris e
at com viajantes Ilustre?, como o- intrpido e
eminente Mr. Gambetta, tem sido entregue di;-
criejio das correntes benficas da athmosphera,
que,telizmopte para os Francezes, tem conduzido
a maioria desse* aerstatas, aeronautas e viajan
tes s regioes. onde nao penetrou ainda o exercilo
invasor. <
Aftim, pois, e nao obstante quaii um seculo de
exponencial e estudos, nao tem sido possivel obri-
gar o balo a preencher os fins do seu invento, tr-
inando uma direceo .previamente ira^ada pelo
homem, como tomam os navios sobre as aguas
maruliu;a> do ocano e nao obstante t das as fu-
rias dos venios e lodos os horrares das ondas
eueapellada?. "
Todava convm notar que o Sr. Dapuy de L
me, celebre constructor da frota eucouracada
ranceza, mui recentemeoto constrmo um balo
de forma ovoide, que elle suppoa podar dar di-
recjjo por meio do impulso mochaoico de uma
belice e da forca do vento aproveilada em uma vela
sando por llirson, era o ooico meio de
obter forncciraentos.
As tropas, enfraqoeeidas por mardias
continuas, agravadas anda cjffl revezes suc
cessivos, retrogradaram sem muila ordem
para Sad-n ; chegaram all fatigadas na
noute de 30 para 31 o na madrugada de
31.
O imperador, que no dia 30 lardees-
lava com Of'rpo do general Ducrot em
Carigrwn, onde havia de ser o quartel ge-
neral, recebeu n'essa mesma. tarde a no-
ticia do movimento de reiirada, e o conse-
Iho dado pelo marechal para se metter no
caminho de ferro-e ir a Sedan. Nada era
mais fcil ao imperador de que avadar para
Mezires e resguardar a sua pessoa. Fize-
ram-lhe essa proposta, e elle regeilou-a,
nao querendo apartar-se do exercito, e es
lando resolvido a compartir a sorte d'elle,
fosse qual fosse.
No dia 31 pela manha distribuiose s
tropas a seguinie proclamado :
Soldados.
Nao tendd sido felizes as eitras da
guerra, quiz fazdodo abslraccao de todas as
preoecupaces pessoaes, dar o commando
dos exercitos aos marechaes mais particu-
larmente designados pela opinio publica.
At agora, os vossos esforcos nao tem
sido coroados pelo xito : todava acabo de
saber que o exercito do marechal Bazaine
sa recompoz debixo das muralhas de Metz
e o do marechal Mac-Mahon fei hontem le-
vemente perseguido.
!\o vos deveis pois desanimar. Temos
impedido o inimigo de penetrar na capital
e a Franca intera levanta-'e para repellir
os seus invasores. N'estas graves cirenms-
tancias, a imperatriz reprsenla-me oigna-
inente em Paris, e eu prefer o postu de-
soldado ao de soberano. Nada me cuslar
para .-alvar a nossa patria. Encerra ella
anda, gracas Daos, homens de coraco, e
se ha cobarde', a lei militar e o despreso-)
publico Ihes farojusiica.
Soldados, sede dgaos da vo*sa ar.tiga
repuiaro Deus nao abandonar o nosso
paz, com tan'.o que cada qusl faga o seu
dever.
Feita no quartel imperial de Sedan,
em 31 de agosto de i8"0.Napoleo.
Esta proclamacao, quo mal houve tempo
de espalhar, foi o ultimo appello que o im-
perador dirigi aos seus soldados.
Einquanto o exercito francez tomava po-
sico roda de Sedan, os prus-ianos, qm
eram 230:000, proseguiam a sua marcha
na nossa pista e chegavam quasi ao mesmo
tempo que nos vista da praca. Era j
muito larde para fugir necessidade da ba-
talha que elles nos ojereciam e que nos
devamos aceitar agora na posico desvan-
tajosa em que estavamos encurralados.
Os nossos qualro corpos de exercito es-
tavam juntos perto da cidade na ordem de-
terminada para o movimento de retirada.
O ietimo corpo, que formava a retaguarda
na marcha sobre Metz, estava na frente, na
estrada departamental de Mezires ao oeste
de Sedan, oceupando o terrena desde
Floiug at ao Calvario d'Illy. O primeiro
corpo estend a-se desde Moncelle al Gi-
vonnis e Vigny, o quinto corpo estava col-
locado parte a cidade, parle nos montes
que duiomam ao sudoeste o fundo de G
vonnes O dcimo segundo corpo oceupa-
va a Mjmcclle. _| Deaufina_.Mw^1^-*r""
Plalinene perl ne Bazetl^e.
O-exercito estava pois formado em semi-
crculo roda da cidade, comas duas alas
apoiadas no Meuse. Nunca nenhnm exer-
cilo fra collocado em condices t5o des-
favoraveis. Geralmente segne-se um plano
de operagties bem denido, assegurando
urna linba de retirada na qual est) as
reservas, as ambulancias, etc. ; aqui, pelo
contrario, as nossas tropas arriscavam-se
a ser cercados por todos os lados, sem
linhas de retirada, e se tivessem a inleli-
cidade d^ querer reftigiur-se na cidade, s
podiarn precipitar-se n'um desfiladeiro
inexlncavel atravez de portas estrellas e
ras cheias de carroeis e bagagens.
Tal era no entanto a consequencia de
um plano de campanha imposto de Paris
e contrario aos principios m -is elemenlares
da arte da guerra.
No dia 31 de manha o corpo do general
Lebrun j tinha combatido e sustentara a
lula com tanta energa como valor.
triangular e n'umas azas de madeira oobertas de
seda.
Ninguem, porm, pode prever o resultado dessa
nova tentativa, e muito pira receiar que seja
ella inrucliferacorao tantas outras.
Depois do que cima levo dito, vai sem duvida
parecer extranha ao leilor uma ingenua confisso
que Ihe vou fjzer.
Eu, Syrius, consegu por artes de berliquet e
btrlogucs construir um balo aerosttico de um
modelo inteiramente novo, e ao qual, gracas ao
meu engenho, pide dar direceo.
Gomo elle feito, de qae modo ea o lirijo, c'est
mon secreC.
Metiido nesse balo e armado de am portentoso
oculo de ver ao longe, tenbo feito algumas escur-
ases looges partes e teoho observado muitas
coasas que hei de pouco pouco referir ao leilor,
debaixo do muio segredo, i se sabe.
E ainda nao estou satisfeito com essas viagens,
porque muito me falla ver, observar e analysar,
uo s ao norte como ao sul de Pernambuco.'
Devo notar que e chamo norte de Pernambuco
toda a parte que, olhando para o nasceute, Tica
esquerda de um plano leste-oeste que passe pelo
arsenal de marinha, e sul parte'que Gca direita
desse plano.
as miabas viagens abat o meu balo casua.-
menle n'uma secretaria de presidencia, n'um asylo
de mendigos en'uma academia, ao norte; en'um
edificio de correio, n'uma the3ouraria e n'ama
estrada de ferro, ao sul.
E qae bellos quadros ahi presenciei, e que so-
berbos hrisontes descortine! nessas paragen?
onde, sombra de um de3mantello bem entendido
dorme a pregaica nos bracos da ignorancia, bafo
jada pelas brisas da incuria e incensada pelas
aromticas llores de um zelo digno de raeihor
sorte.
Mas nao quero anteclpar acontecmentos. Tenha
o leitor a paciencia de esperar que passera as fes-
ia* do .Natal, e depois conversaremos.

NaUl, Fatal e festas, sao o gritos que se ouve
actualmenlo em todos 03 ngulos da cidade e sob
(odas a3 arvores dos arrabaldas, como um hymno
enioado ao mais estupendo de todos os aconteci-
mentrs que tem testemunhado' a trra.
. Com effeilo, o milagre, Untas vezes annunciado
pelos proptietas da encarnacio do verbo divino
foi o mais estopeado qae poda presencear o
mundo.
Christo/fllho de Deus, e Daui elle mesmo, bai-
xar do ceo a trra e tomar as formas materiaes
do homem para redmi-Io do peccado original-eis
tudo o que de mais santo e estupendo pode ferir a
imaginacaodo hornera, cojo espirito sempre ac-,
nhado custt a coraprehender tanta sublimidade /
Era preciso uma victima divina para arrancar
0 homem ao peccado, para lavar-lhe a nodoa ori-
ginal.
1 E o qae ha de mais bello do que o Cordeiro im-
maculado baixando babitacio do vicio e do exi-
me, para purificar com o seu sesgue 01 erros dos
bomena ?
o exercito inimigo, contando com a
superloridade de numero, tinha dividido
as-euas orgas em duas massas princpaes
que deviam atacar, si pandamente, ama
pela direiti e outra pela esquerda. O seu
intuito era tornear as duas alas do nosso
exercito e, reunindo-se nos montes por traz
Je Sedan, cerca-la iDteiramente.
Um corpo de reserva, "composto de in-
famara e de numerosa cavallaria, colloca-
da na planicie prxima de Douchery, es-
lava disposto para imptdir .toda a^commu-
nicacSo com Mezires, e os cootra-fo tes
na margem esquerda do Meuse estavam
guarnecaos por numerosa -rlhana, que
fl nqueava os ataque? da margem direita,
N'estas condicSes s havia, ao nosso ver
um* resoluro suprema-a adoptar para
sal ar Q exercito : era tomar a sui luha
de retirada para o lenitoro neutro da
Blgica.
Era j tarde para tentar uma aberla quer
ao ste, para Caiignan, queras oeste, para
Mezires, porque tanto de um como de mi-
tro lado o exercilo (icaria entre dous fogos
em presenca de forc superiores.
Mas para fugir a um assalto assim como
para operar uma retirada segura era pre
ciso cecupar em forja ^s alturas de Illy
e de Givonnes, abandonar a cidade de Se-
dan aos seus ; ropros recursos, votar a
cara ao inimigo e retirar pelas estradas que
le v a ni a Blgica.
Collocando-se com artilharia numerosa
nos montes que acabnm de indicar, podia
esperar-se conter o inimigo e proteger ef-
lieazmente a retirada. Por infelici lade, os
dous chefes q-ie se succederam no com
mando do exercito, depois do ferimento do
marechal Mac-Mahon, tinham intuitos dife-
rentes, de modo que o piaino de Illy, que
era o'ponto mais importante, foi muito d-
bilmente oceupado.
No 4o de setemhro, antes das tinco horas
da manha, princip'ou o ataque para E'ste
em B.izeille?, ouvio-se em Moocelle e Gi-
vonnes, e ao Oeste, n s m -rites de'Eleing.
Logo s cin;o horas o rnare bal Mac-
Mahon foi s avanzadas prximo deBazel-
les, e mandou prevenir o imperador que
montou a cavallo e correu logo ao campo
de balaba. Encontrn no caminho o ma-
rechal que levavam para Sedan, ferido pelo
estilaco oe uma bomba. Quo desgranado
acoutecimento, logo no principio da accao,
era de triste agouro, porque o exercito ti
Lilia plena conlianca na bravura e na capa
cidade do duque de Magenta. Este deixara
o commando ao general Ducrot, que esta-
va ao correte das suas intences.
O general WimpITen era o mais antgo ;
apresentou'uma carta de servco do minis-
terio da guerr, pedio e obieve o com-
mando em chefe. Esla sobstiluico acar-
retou tristes consequennas, porque nao
sem perigo que no decurso de urna bata*
iha, se toma-conta de disposii.oes anterior-
men'.e tomadas.
At as duas horas, sustentaran as tropas
com fig mesmo tempo, o exercilo do prncipe real
da Prussia vindo vdo oeste e o do principe
real da Saxonia, vindo de ste, operara a
sua juneciio no plaino de Illy e o exercito
(rancez ficou inteiramente bloqueado.'
Desde enlo, a batalha podia ser consi-
derada coma [>er
couf prisionero, porque, cortado de Me-
zires, d'onde Itie vinham os vveres e mo-
nices, s tinha o recurso de se approximar
das tortiiieacoes da praca onde lapccopar
um ponto central expesto ao fogo de 500
pecas collocadas em circiimferencia. Por
isso, nem os esforgos dos diferentes com-
mandantes dos corpos de exercilo e dos offi-
c.iaes em geral, nem o herosmo da nossa
artilharia," neta as hrilhanles cargas da nos-
sa cavallaria, nada pode suster a retirada
das nossas tropas.
t O imperador tinha-se dirigido desde
pela manilla mais alm da aldia sita de Ba-
Im.onle, como j issemos, o li corpo
commandado pelo general Lebrun, sustentava
valentemente a luta, drfenden lo as suas po-
sigoes; dnlli subi s colimas do Mouielle,
coroadas por bateras de artilharia e donde
poda abranger se com a vista grande parle
do campo de batalha, e airave-sou depois
o valle de Givonnes, encontrando grande
numero de feridos e entre elles o valente
corone! do5 de linha, que estendido n'uma
maca, ainda te ve forjas para se ergtier ao
vel-o passar e grtou : viva o impera-
dor testemunho e'oquente do carinbo
que Ihe prefessava o exercito
Ao subir nuvameule aos morr.es apprc-
xirooa-se delle um instante o general Wim-
pITen. P. r toda a parte sulcava o terreno
em numero prodigioso de granadas que
chegavam ao mesmo- tempo, cruzando os
fogos, da e.'querda e da direita.
Depos de se ter conservado cinco horas
exposto a esta chuva da projectis, o impe-
rador regressou" a Sedan, para confe enciar
se fosse possivel, cm o marechal MacMa-
hon : lencionava lomar a sahir, mas nao o
pode f 'zer; roas, pragas e pontes estavam
obstruidas por todos os impedimentos que
arrastra em pzde si una exercito que se
relira precipitadamente : bagagens multifor-
mes, carros de loda a especie, restos de
mil objectos differectes se viam amontoados
por todos os lados em revolta confusSo.
Ainda combata o exercilo as alturas in-
mediatas s ponas da cidade, mas como os
corpos nao tinham podido permanecer uni-
dos, no apresentavam j consistencia ne-
nhuma.
Por volta das tres o meia veio um official
da parle do general Wimpflen, para propor
ao imperador que se collocasse no centr
de uma columna, e tratasse de abrir passa-
gem atravez rio inimigo em direceo de Ca-
rignan. 0 imperador, que tinha reconheci-
do a impossinilidatle de sahir a cavailo da
cidade, resp ndeo que nao podia ir reunir-
se com o general, para salvar a sua pessoa
nao queria tao pouco sacrificar a viaa de
mullos soldados, e que estava resolvido a
compartir a sorte do exercilo.
A proposta do general WimpITen, como
o provaram os acontecmentos posteriores,
nao linha nenhnma probahilidade do xito.
Quiz este, nao obstante, fazer a tentativa
desesperada, mas s conseguio juntar 2:000
homens, e depois de ter andado 300 passos,
reconheceu a mpossibiiidade de seguir
avante e leve de recuar para a praca.
Foi ento que os commandantes dos cor-
po.3 de exercilo foram communiear ao im-
perador que as suas tropas, depois de ha-
ver sustentado durante doze huras urna lula
desigual, extenuadas pela fome o pelo can-
saco, nao podiam j oppor uma resistencia
seria.
Effectvamente, os soldados, ar.cumalados
contra as muralhas, arrojados ans fossos,.
eraai dizimados pela atunara; a propria
praca, atestada com os restos de todos os
corpos, via-se bombardeada em todas as di-
reccoes.
Os projectis incendiavam as casas e ca-
hiam sobre os feridos refugiados nella3. O
grande quartel, convertido em hospital, com
a bandeira de cruz vermelha arvorada, nao
se va livre do fogo, e hr-mens e cavallos,
apinhados no pateo, eram feridos continua-
mente.
Entre os offlciaes e soldados,- muitos en-
contraran! a morte as ras, varridas pelas
bateras nimigas, contando-se entre e'les
dous generaes.
Tratou entSo o imperador de fazer com
que chegasse ao geharal WimpITen o con-
selho de sollicilar um armisticio, porque
cada momento de demora, augmenlava o nu-
mero das victimas.
Nao recebando noticia alg^nma do general,
em presenga da tanto sangue derramado
inotilmente, e n'uma situago desesperada,
mandou igar nacidadella a bandeira branca.
. -Ao mesmo lempo, o re da Prussia en-
viava um oflicial a Sedan para exigir a ren-
digSo da praga. O imperador, que nib com-
mandava o exercito, deixou o general Wim-
pITen em liberdade para proecd-r como elle
tivesse por conveniente.
Considerando este toda a gravdde das
crcumsiancias, e nao querendo assumir a
responsabldade d'uma capitulago, envin
a saa demiss3o, que nao foi accela.
O imperador, persuadido pcli-s aflirmat-
vas da imprensa de que o re liaba decUrado
que nao fazia a guerra fraoc, mas ao seu
soberano, nao hesitoo em se constituir pri-
sionero, esperando que. alcangado o intuito
da guerra com o sacrificio da sua liberdade
o vencedor seria menos exigente com a
Franga e com o exercito. Dirigi ao rei,
por intermedio d'um des seus oficiaes, a
seguidle cana :
Senhor irmo
Perde-se a raaginac) n'um d talo inextri :a-
vel de conjecturas aute lio estupendo milagre,
que s Deus poderia praticar, e qu1? elle-pr.t-
ticou como a suprema graca que nos podia oa-
thorgar.
Dentro de poucos das, na noute de s2bbado pa-
ra domingo, a greja universal celebra o aniver-
sario natalicio de Jess, o Salvador dos homens,
que veio ao mundo sem macula do peccado ori-
ginal para redimir a humanidade desse mesmo
peccado.
Corra o anno de OOi da vulgala e era impe-
rador do mundo condecido o soberbo Augustof cu-
jo throao se ergua em Reina, ento soberana da
ierra.
Os povos tinham sido chamados ao registro de
um recenseamenfo geral, de que tora incumbido
na Juda Qoirino?, delegado de Augusto.
Os (litios da tribu de Jud deviam ir inscrever
so em Bethlem, no* flns do-anno.
Havia em Naiarelh dous esposos, Uaria e Josopb,
que viviam felizes nos bragos daua pobreza bm-
aventurada.
Arabos, como 03 seus patricios, foram Beth
lem ; mss ahi chegando ao caliir da tarde de i4
de dezembro, e nao adiando na cidade lugar onue
se arranchassm, por estarem occapadas comple-
tamente todas as habitacoes, foram obligados a
pernoitar sob um telheiro em um pauprrimo apris-
co as visinhangas da cidade. \
Mara estava grvida, c tinha concebido por gra-
ga de Deas e sem mancha do peccado original, co-
mo Ih'o annuncira um anjo do Senhor.
U a noute era seu meio quando a bemaveniura-
da esposa tornou-se me, e nasceu Jd3us, o pro-
nietiido, o divino rederoptor dos homens.
O templo de Jano linha-se fechad) : o mundo
repousava no regaoo da paz.
No instante em qae o grandioso aconlecimento
leve lugar, a natureza toa despertoa. No ar der-
ramou se a amphora de todos os gratos perfumes;
as flores abriram as corlas e a3 aves entoaram
seus mais melodiosos gorgeios e trinados.
A natureza loda resplendeu de alegr.a, poique
dos seios da Sanlissima Virgem luha nascido Je-
ss, fllho de Deu3, e Deus elle preprio I
E esse estupendo milagre se verificara n'um mi-
seravel aprisco, longe do bulkio dascidades, entre
os animaes irracionaes, e sem os atavio e ouro-
peis mundanos I
Ah 1 que exemplo maravilhoso nao ha ahi nes-
se pobre nascimento de nm Deus, qae tanto jubilo
derramou entre os homens T I
Elle, o Filho estremecido de Deas; Ello, o Ver-
bo Divino, porque nasceu assim pobre e oceulta-
mente T
Perguntae-o aos anjos que formam a sua corte
celeste.
Perguntae-o natureza toda.
Para qae quer luz, quera a propria luz ? Pa-
ra que quer riquezas e adornos, quem a pro-
pria riqueza, a maior de todas as riquezas ?

Sao decorrids 1870 annos que se verificou o
tanto milagre; sao decorridos 1870 annos que os
pastores de Bethlem foram adorar no sea prese-
pio o Menino Divino, que nascera entre es ani-
maes ; sao deorridos 1870 ar.nos que os tres reis
do Oriente vieran de longes trras ao pobre apris-
co, guiados pela estrella dos Mago3, offertar incen-
s, myrrha e ouro ao Cirdeiro immaculado que
nascera da Virgem Hara*por obra do Espirito-
Santo.
E desde ento, e ainda hoje toda a christandade
folga nejsa n-nite auspiciosa, e a natureza tort ri e
canta, o a amphora de lodos os perfumes embalsa-
ma o ar, e a corla das flores se abre, e as aves
enloam seus mais alegres gorgeios.
Eis qae vae- chegar deniro de dous.das a
noule do? encanto?, a noute santa e divina por ex-
cedencia, em que a macula do peccado original
comegou a ser apagada pelo brllio celestial da es-
trella rutilante que innundou o mundo com os
seus fulgores.
E tola a humanidade chrisia celebra festas
nessa noute, e toda a natureza folga e ri, porque
foi nella que nasceu Jess, no anuo 4004 da vul-
gata !

E' nessa nou'.e, sobre todas bella, que entre nos
os divertimentos campestres lem todos os altrac-
tivo?, tomam todo o incremento, o inebriara a al-
ma de felicidades.
Ninguem dorme ne-sa noute. Todo3 velam
alegres e prazenieiros, esperando a hora da missa,
e sonbando com a3 delicias e fulgores da auro-
ra, que beijou a fronte augusta 00 divino me-
nino.
Q jando os gallos pnneipiam a cantar, as mas da
cidade e os I arrabaldes enchem-se de novo que
se dirige s igrejas a assislir o sacrificio incru-
ento.
Depois da missa continuara os felpares e os
diverlimcnt03; o povo da ci-lade qaasi todo emi-
gra para o campo ; e de todos os semblantes se ir-
radia a luz da felicdade que brilln em todas as
almas.
Feliz, tres vezes santa e feliz, a noute de Na-
tal, a noute dos encantos, a noute das delicias ine-
briantes.
Nao ha corago que se nao dilate nessa noule,
aspirando os perfumes que impregnam o ar ; nao
ha alma qae nao doudejo de alegra ncebendo ara
influxo de amor que Ibe vm do ce. I
Tudo qae lem uma alma capaz de amar, tudo
que tem um corago capaz de sentir, ama e sen-
te-se feliz com as delicias do amor.
E' nessa noute de encanlis qu se lo as boas
festas. E eu desde j dou-as ao estimavel leitor
e adoravel leitora, alraejando-lhe toas as ven-
turas que nodem fazo-Ios felizes, e dejejando-lhes
muila sade e muitos pastis,

O que hei de en agora dizer ao curios leitor on
mimosa e exigente leitora ?
Nao houve sabbado passado reunio no club
doidonteiro. '
Or galantes saloes estiveram fechados; e o Mon-
leiro"nessa noute vestio-sede dor e cliorou lagri-
mas de saudades pelas creaturas anglicas que
costumam abrilhaata-lo com os seus doces sorri-
sose meigoflplhares.
mttes tst anima mea 1
O theatro da zarzuela neipanhola contina a
NSo tendo podido morrer eotre ee meas
soldados, s me resla o recorso de entre-
gaba mioba espada as mos de V. M.
t Sou de V. M. O bpm irmao, Napo-
leo.
O rei responden :
Senhor irmo.
Deplorando as circoaslMcias em qae
nos encontramos, acceito a espada de V. M,
e rogo-vos que lenbaes por bem oomear
om dos vossos offlciaes com plenos poderes
para tratar da capitnlago do exercito qae
t3o bizarramente combateu s vossas ordeos.
Pela -miaba parte- designei com este fim o
general de Moltke.
Sou de V. M. 0 bom irmae, Gui
Iherme.
Diante de Sedan, i." de setembro de
1870.
O 5 BR1LHANTES 'AFRICA.
Nao ha quera rilo se lerabre da fome de
ouroouc houve, nao ha muitos annos, por
occasio do descobrimento das minas da
California. Todos oaonhos dos aventura-
ros, porm, dissiparam-se quando viram que
afinal de ludo, nao ha riqueza que nao cus-
te trabalho 9 que aexploragao do our i, por
ser do ouro, nao era uma industria mais lu-
cros a do que o coramum das mais. Daquella
ftbre parece que omelhor resultado foi um
conhecimerto mais aprofundado dos recursos
da California e um desejo de aprovtito los,
desejo que, a seu turno, resullou do aug-
mento prodigioso da riqueza desse estado,
na razio de seiscentos por cenlo no ultimo
decenio.
Entretanto sempre que so falla de um tbe-
souro guardado em um logar, surgem lo-
to em toda a paite aventiireiros que esque-
cendo-se ios liabalhos da viagem, das dts-
peas e das difficul indes, atiram-se cata
das divicias. O descorjtecido ; o lucro feito de
chofre ; um transtoino das regras ordina-
rias do trabalho.tudo isso slo tstmolan
tes que uos roubam a nos mesmos aquillc
que vemos sempre e que est pre-admitlido
e que nos leva a emprebender riscos de to-
da a casta.
O amor dojogo nasco desta mesma aspi
rago. Todos nos mais ou menos gustamos
de brincar com a sorte, ou antes de brincar
com as leis da natureza para obter as mer-
cs da sorte.
Esta febre pelos diamantes d'Africa, e as
disputas que j s veem I sobre a explora-
gao das geminas, faz-oos transportar pela
mente ao que passava em Minas Geracs, an-
tes defte paiz formar uma provinca equan-
do era anda parte da de S. Paulo.
Foi a procura de esmeraldas que causou
o descobrimento de Ninas, e foram as suas
esmeraldas e o seu ouro que attrahiram os
seus primeiros habitantes. Foi a sede do
ganho que fez a Sebastiio Fernandos Touri-
nho e, depois delle, a Antonio Das Adorno
com as suas centenas de branco3 e de In-
dios, subirem pelo Doce te descerera pelo
Jequitinbonha ; foi isso que levou a tantos
outros aventuremos a metterem-se pelos
mattjs a dentro e ao iravez de mil difficul-
dades, ebegarem at o Serr do Fri, e I
se demoraren largos annos a saciarem-se
as fonles do ouro. Foi ento que os Tau-
batezes e os Piratninganos travaram deluda
por cromes na explorago, e foi pocco de-
pois desta porfa que seguio-se a mais seria
inimizade entre os nacionaes e os europeos,
os quaes ltimos comegavam a aflluir aquel-
las regioes, attrahidos do mesmo intento
que para l levava os avenlureros nales.
O hornera sempre o mesmo, nao pois
de admirar que a mesma cousa esteja oc-
correndo agora ao sul d'Africa.
Ha qoatro annos, mais ou menos, achou-
se ali um diamante, a 200 legnas da colcnia
do Cabo. Nos primeiros mezes apoz esse
d-scobrimento acharam-se mais de ri ou (:
pedras, do valor de cinco contos cada uma.
lia pouco mais d'um anno appareceu uma
id pedra a Estrila d'Africa qae, depois
de passar pur muitas mios, vendeu-se por
porto de dous mil e qtiinhentos contos.
Est visto que esta gemma nao muito
preciosa, comparada com as grandes pedras
que se lem adiado na India e na nossa pro'
vincia de Minas,pelo m -nos nao dotama-
nho de uma que possue um sultao em Bor-
neo, e que avuliada em sete mil contos.
(Coiitintutr-se-ha).
attrahir a concorrenia publica e a fazer as deli-
cias dos diletantis.
ltimamente tem sido all cantadas as zarzuelas
Una vieja, El amor y el almuerro, e D. Esdr-
julo.
Todas essas npere'.as valem j>ouco, quer como
partitura, quer como composico dramtica.
D. Esdrjulo tem lindos pedagos e foi cantado
com muilo mimo. Una vieja tambera encerra alguns
pedacinhos mimosos. Mas a outra nao me agra-
3ou alwolutatneote.
Bem sei que em materia de gosto nao pode ha-
ver controversia rasoavel. O que mira de3-
agradou pode ter agrada lo aos outros; mas co-
mo eu me limito a referir ns miuhas irapressoes,
estou cal no e tranquilh sobre o juizo que formei
d'essas oprelas.
A companbia repeta raais de urna vez a linda
opereta Campanone, do que j falle! n'outra oc-
casio e que tanto me agradou c muita gente
do meu conheciment.
As noutes da Campanone do sempre enchenla
ao theatro hespanbol, o que prova do bom aco-
Ihimenlo que mereceu essa oprela.
\ e-npreza espera alguns artistas novos. entre
os quaes algumas bailarinas, falta de que muito se
tem resentido a companhi.
Deus os traga quanlo autes: sobre tudo se en-
tre elles vierem um outro bartono e outro baixo
serio, que sejara dignos do ptimo tenor e das
sympaibicas prima-donas.
No theatro francez a companhia bouffa contina
a cantar pequeas operetas, cancoes e pedacinhos
de operas.
A concorrencia contina a ser all bem parca.
Entretanto torca confossar que Mmes. Sangles e
Valmonca e bem assim Mr. Carn, sao credores
deatlengo. ,
Trombalcazar e Le grand papa de la chanson,
sao duas bem galantes operetas, especialmente a
primeira, oude Mme. Valmonca raostra os recur-
sos de sen talento artstico.
Torga feira fez beneficio n'esse theatro Mr. Ca-
rn, o jocoso caricato da companhia.
O theafo esleve-heio n o Sr. Carn fez pro-
digios, quer na linda boufonerie Les deux aveu-
ales, quer na opereta La mut da 15 Octobre.
Annuncia se que o Sr. Carn vai deixar-nos.
Pois pena, porque elle era atina da empreta
Coimbra, e empreza sera alma empreza.....;
advnhera o resto.
Vou terminar com urna bem triste noticia.
Lucio Luz, o mimoso poeta, que escrevia folne-
tins no CorrkiI Pkrnambucano, vai deixar a boa
Recife em demanda dos patrios lares.
Elle fez as unas despedidas no da 13. E que
despedidas, e que adeuse3 I
Lefc-o, quem capaz de coraprehender as sau-
dades de um corago soberanamente bom e sin-
cero, e depois tfeixe quoimar-Ine a face urna la-
grima triste e ardente pela dor de o ver partir.
Quanlo i mira, envi Ihe daqui um saudoso
abrago e um miiho de apertos de mi.
Au revoir. syrius.
TYP- DO DIARIO-RA BU DUQB DB OXUS
\
*r




Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EMB7INNNX_QH0LPW INGEST_TIME 2013-09-13T23:41:44Z PACKAGE AA00011611_12294
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES