Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:12286


This item is only available as the following downloads:


Full Text
/
IBrM^nWI
T
^:\


aNNO XLVI. NUMERO 282.
M i.
.-*
I,

i.
fABA i CAPITL E IUCAWS OIDiS IA0 5? TACA MTE.
Por (res meaos adiantados
t*ot seis, ditos dem .
'Pfir'om artno idem.. .
Uda ttuoero avuio.
li>|000
*4#GO
890
TR(JA FElfiA 13 DE DEZEMBR DE 1870.
PABA DEHTBO E FORA DA P10VIHCIA.
Por tres mezes adianudos...............- M760
Por seis ditos idem.................... 13500
Por nove ditos idem................... jojS j
Por um anno idem........'........... 27#00
Propriedade de Manoel Kgneira de Faria & Filhos.
a* axte'
T* Srs. Gerardo Antonio Alves d Filhos, no Para ; Connive, Puto, no Mai-uhfe ; J^ Jos do Ormn, *> Coar* ; tomo de Lemos Braga, no Aracaty ; Jlo Mari, Julio Chaves, no Asea ; Antonio Marines da Silva; no Natal; Jote Justino
Pwetra d'Almeida, era Maaaagpape; Antonio Alezandrino de Lina, m Parte ; Aototoo Joto Goato. na Villa da Penha; Belarmino dos Santos Baldo, em Santo Antao; Domingos Jos da Costa Braga,
em Nazarota; Francisco Tarares da Coala, m AJaftoaf; ftr. feo Martina-|1 vea, na Baha ; e Jos Ribeiro Gasparinbo no Rio de Janeiro.
PARTE OFFICIAL.
oven da provincia
EWKWKNTE DO DA 7 DK DKZUURO DE 1870.
Actos:
O presidente da provincia, rcsaiye conceder
a Antonio Feitosa Os Mello, .1 exoneradlo que so
beitou do lugar de foiter uforente do consulado
provincial.
O presideato da provincia, tonto oujido as
repariiefs competentes, resolve nomoar a Frn-
cisco Borges Leal, par3 o lugar vago de feitor
conferente do consulado provincial.
O presidente da provincia, resolve conceder
a exonerarlo, que pedir ti Joaquim Borges Car-
neiro, o b.achsrel Feliciino Placido Pontual, dos
cargos de repetidor interino que exerciam no gyra-
Dana provincial Expediram-se as necessarias
commurticaeoes.
Offlcios :
Ao general commandanle das armas, permu-
tado que o soldado invalido Antonio Joaqun) de
Sant'Anna v esperar na fregnezia da Escada,
pela decisodo governo imperial acerca de seu des-
tiao.
Ao provedor da Santa Casa de Misericordia
aulonsando a mandar incidir no respectivo qua
t'ro, alim da serem admiiiidas no collegio das or-
phaas, qtianJo houver vaga, as menores Amalia,
hlha de Mara Manoela Cavalcante e Jna lilha de
Francisca Maria da Silva Tavar^s.
Ao director geral da instrueco publica, con-
cedend^lhe atohsaco para abonar as faltas,
que por doante deu no mez de novernbro ultimo, o
profetuor>ublieo da eadeira do R t-arinho, na co-
marca de Pao d'Alho, Deocleciano Ferreira dos
Santos.Communcou-se ao inspector da thesou-
1 aria proviucial.
. Ao Dr. chefe de polica, recommendando que
h^a transportar para a Parahyba o sentenciado
Avelino Ferreira Lopes, que" para esse flm vai
r posto a sua disposico.Neste -entido expado-
<> rdem ao juiz municipal da 1' vara desta ca-
!!.
Ao inspector da thesouraria de fazenda, re-
metiendo, de conformidade cora o aviso do tumis
nrio do imperio de 22 de novernbro ultimo, um
exemplar do Io volume da obra do Dr. Alexaodre
Jote de Mello Moraes, intitulada o Qtongraphia
Histrica do imperio do Brasil.
Iguaes exe raptores foram enviados a Ihesoa-
rjria provincial, a lepartico das obras publicas e
maisesiacdes.
Ao mesmo, interandoo de quo o juz mu-
e pal do termo de Santo Anto, bacharel Jos Ri-
cardo Gomes de Carvalho, esteva forado exerci-
Ci do seu cargo desde 20 a 27 de novernbro fiado
por se acbar anojado.
Ao mesmo, afim do que a requisico do ge-
neral commandanle das armas, mande entregar ao
commandanle do deposito especial de instrueco
a .juauta de 1:000*. para a compre de 23 caval-
iis..nocwo^;TTBWnmu da rpeeliva cavalha
do, deven lo o referid) commandanle prestaron
p irtunamcnte contas dessa quanlia. Communi-
cou-se ao general.
Ao inspector da llujsouraria provincial, man-
1 m:i Jo entregar ao theaoureiro das obras publicts
.. quanlia do l:029j60o para occorrer a despezas
cora os reparos ntenles da escola normal.
Ao mesmo, para que com preferencia a ou-
Ira despeza. mando entregar ao mencionado liie-
'oureiro l:5i0, para 01 reparos, que vo ser exe-
liados por adminisiracao oa ponte sobre o rio
I na.Expediram-se as necessarias communica-
cS M.
Ao mesmo, aulonsando o a proceder, de con-
I rmidade com a su 1 informafj acerca do paga-
mento, que reclama Jos Aniouio de Amula, d
'antia de 427803, de foroecimento por elle feito
aos presos pobres da radea de Nazare.Ui, durante
1 Moettn de Janeiro a junho de 188.
Ao mesmo, dtzcndo 1 ras da verba nslrue<,'ao publica no corrente
-(vicio, os venciinentos do professor publico da
posto f.r-officio por ter sido o mestto escravo con-
demnado a peta de morte.
Ao promotor pnbtte* da comarca de Olinda,
chamando a swa-iiobrio para o fado, que part-
cipou o chefe de polica, de ter sido s 8 turas da
non te do da J do corrate, brido gravemente Ma-
noel da Costa Sacramento com uro tiro de espin
garda, desparado pe crioulo, conhecido per Gra-
zina, que esiava embriagado; erecommendando as
necssarias deligencias para a captura, processo
punifS) do deliiiqocnte.
Ao da comarca do Santo Anto, dizfldo
constar de participacao do Dr. chefo de polica ter
sido assassiaado n districto de subdelegada
Jaquelle termo Policarpo de tal, sendo indigilado
como autor desse crime Jos Gregorio, e chaman-
do a sua attencao sobre esse fado para -que em-
pregue os meios legaas a seo alcance, aflm de ser
capturado e punido o indicado, na forma da le,
fazendo com que teoha o devido andamento o res-
pectivo processo, cujo resultado deve ser trazido
aocrahecimento da presidencia.
Ao juz commissario de medcao de trras no
municipio d'Agua-Preta declarando irregular, por
exceder a suas atiribuicoes, x requisicao, que,
segundo consta de particao do Dr. chefe d polica,
fez Smc. ao delegado do termo d'Agua-Preta,
acerca da prisao dos indios do aldeiamento.do ria-
cho do Malto, Manoel Franci so, conhecido- por
Manoel Ouriyes, Jcs Thomaz, Manoel Balbinb Tar-
taruga e Jos Ramos, suppostos autores do arran-
camento (Jos marcos das posses de Francisco Ca-
valcante Ribeiro o seu mano Braz Ribeiro, lf ti-
madas por esse joizo, o que deixoo de ter lugar
por nao estar provado terera elles commellido esse
uelicto ; e prevenindo-o de que os possuidores de
terrenos que^e julgarem tesados pelos indios, de
a de Rivas sabe-se qw fispendea .eap muitiiien-
los por falta de cavallos, em qnanto Lpez Jor Ja,
inovendo-se em todas as direc^es, zomba das h*-
(as oa'kinaes.
A volta do ministro coincidi eem a chafada a
esta capital da noticia de se acharen os jordaais-
tas sitiando a cidade da Concordia.
Esses areontolmentos, como se v, distraen)
completamente e noticias qnetnna parte d ni-
prensa f.u oowKaottnmile dreaMr de wvtdea
immensas no "eltfrcito revoluncionano.
A cansa de Lapes Jordn mi, au dHvd* tfm-,
a nao ser por ama traosaceo, teoha terme prasi-
mo a iota civil. At hoie o governo naeonaf tea
repelldo decididamente essa idea, e eonta esnugar
pelas armas o caudlho Eatre-Riano. Vmm
guando o consegoe eBens queira que seja quaoto ,
antes.
O Sr. visconde do Rio-Branco (Paranoa) aoka- S
so nesla capital desle o da J6. S. Bxe. teta tido
continuadas coafereacias com o ministro de rea-
30 de novernbro.
cabatn de chegar notictas de Entre-Ros. Se-
ellas o general Gel'y derrotou o coronel
noso na Concepcin del Urngnav. logrando,
retanto, os dispersos vadoar o rio internar-se
"?\a nontal. O* jordaoislas nJrara umbem
fwidos da Concordia, sondo castigados severa
I
ite pelos valentes defensores da causa nacio-
a.botn notar que estas noticiasuao passam de
kjtalos. e que a sahida dos paquetes para a Euro-
} onde o governo argentino trata de levantar
reinprosmo, apparecem sempre estas noticias
victorias, que rnais tarde se de3menlem.
Va Blbia lllanca houve uraa nova ncursao de
ios.
INTERIOR.
coes extriorea D. Tejedor, e igoaroa aqu, segn-1.
do se diz, a ehegada do rearestente oriental."
1 Ainsta que este ser o Sr. Adnipto Rodrifuaa, que i
RIO DK .liVIJUO
Jos
para
essa ca-
cadeira do Rio-Doce, Caatodio
Pessoa, visto nao haver quoia
ira.
Por essa ibesourara mondou-se pagar :
Ao i'tnpreittiiro do calgaminto desta cidade a
I ..ttitta de 19:80."5i"0, a que se julga com direilo
p 1 haver executado, no mez de novernbro ultimo,
-. rvieo correspondente a essaqnantia.
A Pedro Jos de Lyra, a de 9t>, proveuienle do
aiuguel de ntn semestre vencido no 1 de novern-
bro ultimo, da casa que serve de quartel ao desla-
c1 nwnto do Poco da Panella.
A empreza da estrada de Ierro do Racife a S.
Francisco a de I020o0 de transportes, dados nos
trena da mesma estrada por conta da provincia, uo
mez de ouiubro ultimo.
Ao commandanle superiar da guarda naci-
mi do municipio do Recle, recummondando suas
urdena, para que urna guinla faca as moras devi-
daa, por occa>io da festa de N. Seiihora da Cencei-
rio, que se tetn de celebrar amanilla na igreja
matril da freguezia de S. Jos desta cidade.
Ao commandanle do municipio de Olinda.
Dvt'.-rmdo o que requereu o tenenie-coronel Ma-
u,il Dionisio Cunes do Reg, commandante do
'' batalho de reserva desse municipio, delibera
ar-ilie a pena de pilo dias de prisa, que por
t"se commando superior Ihe foi imposta.
Assitn proced na esperanza qne o referido te-
nante coronel mostrar-se-ha d'ura em diante mais
exacto no cumprimento de seus deveres, e obdien-
. a> ordens legaes dos ;seus superit.reSj do que
V. S. fa lo ha sciente, partecipando o eu proced-
ment ulterior.
Confio que, compenetrados V. S. e os offlciacs
sota seu commando superior da necessidade de
barmonia e Ji9ciplina, no servir i da guarda^ na-
cional, evitem se quesiuesdcsagradaveis e esteris,
e ;mo o que ora resolvo.
Ao do municipio de Flores, para informar
acerca do offlcio, que devolve, do alferes Jos Ray-
inuado Pereira, commandante do extindo desta-
camento de Villa-Bella, a qnem declarar desde
logo que a dissoluco do mesmo destacamento im-
portava a despensa dos servicos de quera o com-
mandava.
Ao capilao do porto, mandando por em liber-
d.de o recrula Angelo Joaquim de Saul'Auna,
v.sto ter provado isengao legal.
Ao juiz de direito da comarca de Garanhuns,
dtzendo que parecen) improcedentes os motivos
ixposlos em seu offlcio de 11 de novernbro ultimo,
que deram lugar ao adliamento da 2' sesso do
jury daquelle termo; e que importando semelhan-
te alvitre prelenco de direitos dos reos, e irregu-
laridade na admioistraeao dajostica.sdeveelle ser
tomado em casos especiaes e emprevistos, depois
de esgotados os meios legaes; o que seno de-
preheode dos termos do citado offlcio, nao s por
que a falta de promotor poda ser supprida, no-
meando Smc. quejo servisse interinamente, seno
tambera porque, no case de impedimento legal de
sua parte e de seus substitutos cumpria-lhe cha-
mar o juiz de direito da comarca mais visinha,
segundo as despesicSes do decreto n. 3373 de 7 de
janeir 1 de 1865, e de avisos posteriores que o tom
xplieado.
Ao da comarca de Ilamb, exigindo a re
roetsa com urgencia da inforraaco, que deixon
de enviar, do carcereiro da eadeia daquelle termo,
acerca da Bbnducta do escravo Cesarlo, como dis-
poe o aviso n. 287 de 28 de junho de 1865, afim de
que possi ter destino o recurso de gra?a, nter
vem usar dos meios que a lei faculta, perante as
autoridades competentes, conforme as cireurastan
cias oceurrentes, nao podendo esse jmz>, especial
como ultrapassar os limites de sua commis-
sao.
AoDr. chefe de polica recommendon-se a ex-
pedico das convenientes ordens, para qne os
indios do referido aldeiamento nao sejam atropella-
dos e perseguidos eom ordem de prisio sem culpa
fermada e fra dos casos em que a lei faculta a
preventiva.
Ao director geral dos indios communicon-se as
providencias expedidas, recommendando que use
dos meios suavisorios para que os indios respei-
tem os actos do juiz, commissario e contra elles
representem ao superior competente, quando en-1
tenderem que sio offensivos de seu< direitos.
Portaras :
A cmara municipal do Reeife para que re-
meta nma coma da planta desta cidade, afim de
poder resolver-se acerca da alteracao, proposta
pelo engenbeiro chefe da repartico das obras pu
blica*.
A cmara municipal d'Agua-Preta, para
mandar extrahir do livro competeote, com a gossi
vel brevidade, nma copia da acta da instaladlo do
collegio eleitoral daqueila tilla para a eleicao de
senadores, que se proceden no da 20 de novem
bro ultimo.
Ao conselho e compras navaes, approvatjilo
peio terapo de 3 mezas smente o contrato celebra-
do com Jos Mondes de Frailas para o fornecimen-
to de carvao de pedra ao arsenal de marraba e
aos navios da armada pelos precos estipulados no
referido contrato.Communicou se a thesouraria
de fajen Ja.
Despachos:
Antonio Feitosa de Mello.Coacodo a exoneracoo
pedida.
^ Benjamn Ernesto Perer da Silva.Informe o
Sr. Dr. director geral da instrucco publica.
Basilio Luiz Culho.Informe o Sr. Dr. chefe de
polica.
Bellarmino do Reg Barros, Jos da Silva Loyo,
Francisco Ferreira Balthar, Jos Joaquim Antu-
nes.Informe a cmara municipal desta cidade.
Custodio Jos da Silva Pessoa.Ao Sr. inspector
da Inesoar ra provincial com olflcio desta data.
Donata Maria 00 Nascimento.Informe o Sr. Dr.
chefe de polica.
Bacharel Feliciano Placido Pontual.Pa=se por-
da Silva I lara na forma requerida.
Francisca Maria da Silva Tavares.Dirija-se ao
Sr desembargador provedor da Sania Casa da Mi-
sericordia.
George Hermn Augusto Ehord.Habiltando-se
no concurso annunciaio, ser o seu pedido toma-
do en consideradlo.
A mesa regedora da irman lade do Saotissimo
Sacramento da matriz de S. Jos do Reeife.Fica
oxpedtda a conveniente ordem.
Joo Cbrisostomo de Oliveira PelagiaIndeferi-
do, vista da informadlo.
A empreza do encauamenlo d'agua potavel.Eo-
caminlie-se.
(ommenda or Jos Jacome Tasso.Junte o ttu-
i lo de af trmenlo a que allode, e a planta exigida
pelo decreto n. 4105 do 1 de fevereiro de 1868.
Joaquim Jos da Sil/a.Concedo 15 dias conta-
dos desta data para provar o que allega.
Bacharel Menelo dos Santos da Fonseca Lins.
informe oSr. Dr.juiz de direito da comarca de
Itamb.
Jos Antonio de Arroda.A thesouraria provin-
cial com offlcio'desta data.
Joo Raptista Gomes Pena.Informe o Sr. Dr.
juiz de direito da 1* vara.
Carneiro.Passe portara na
Joaquim Borges
forma requerida.
Leandro Gomes
do Mello Cavalcante.Certili-
0 Sr. ins-
j o anno passado estere 110 Paagnay, m mmma' 2 DK "nano de 1870.
carcter. JPor ttulos de 29 do passado foram nomeados :
Em Montevideo leve o Sr. Paraahos de denmen-l *" escriptorario da thesouraria de Santa Cauta-
lir pela imprensa a noticia de que ura doe Bns da! ria Candido Melclirades de Souza.
sita misso era tratar da noorporacao da Banda: -f" escripturario d; do Paran, Caetano Alberto
Oriental ao imperio. Essa notida, qne as foHus JOfllis e Felinto Elysio de Paula,
i ofensa ao Brasil poblicaram com os 1 laipaalnii
c..mraentarios, foi tirada ( bom saber-se) Oa an
diario brasileiro, a Reforma, que, ao que parece,
contina eom o louvavel empeoho de desacreditar-
nos perante o estraogeiro, no intuito de fater mal
ao ministerio, a quera altribue disparates, qne no
Brasil fazein rir, mas que nesle< paizes proluzem
ra effeito maravilhoso : accordara os vdhos odios
qne a alliaoca nao pdde fazer desappareeer de to-
do, e compromettem as boas relagoes que devem
existir entres estes estados e o Brasil.
O' espirito de partido espirito de partido I
Acabam de ser inaugurados os irabalhos do
camieho de ferro transandino. Apezar das agitaedes civis, nao ees-
san) nestes paizes os melhoramentos raatenaes.
J nao fallo as estradas de ferro que se vo es-
tabelecendo em todas as direcedes, porque sei que
aqu nao se encontram as difflculdades naturaea
que tornam exces^ivsmeate dispendiosos e demo-
rados os irabalhos dessa natnreza no Brasil ; mas
telegraphos f Funccionam hoje, com admiravel
admira vel regularidade, um sem numero .de Imitas
telegraphicas, e em pouco lempo ter esta rep-
blica urna rede completa, qne ligar entre si e a
capital todas s cidades e povoacSes importantes.
Entre nos, caminhase nisso, come em qoasi ludo
a passo de tartaruga. Ha um odio aos especula-
dores, e um terror s concessoes de previlegios
qua nao se eoncebem. O resultado nada fazer-
mes, ou eotao possuirmos linbas cerno a do sol,
que furriona regularmente tres dias no anuo, e
eujos telegrammas levara mezes para chegar ao
seu destino.
Do Paraguay as noticias que acabamos de
receb r sao i anortantes.
A constituido foi sanccionaJa no da 18 do cor-
rete pela assembla coustituinte, e promulgada
na tarde do dia H pelo governo provisorio. No
dia 25 foi eleito presidente da repblica oSr. Cy-
rilo Antonio Rivarola, tomando po3se no mesmo
dia por occasio do juramento da consliluicao. Foi
eleito vice-presidente o Sr. Cayo Millos.
A opposco desnorteou eom o procediraento do
Sr. Bareiro, que resolve abandonar a poltica, de-
sastrado em favor de Miltos. Nos dias que proce-
dern) eleicio conchegaram se os amigos do Sr.
Bareiro e o circulo dos Deconds. Isto aggravou a
falsa posicao do secretario geral doSr. Rivarola.
No dia 23 sepultou-se na Assumpco a noticia
do estar a liga felta, sendo a nova combinacao ba-
seada na eleicao do Sr. Bareiro para presidente, e
Arambur para vicepresidente. Os agentes ar-
gentinos trr.balhavain subterrneamente para es-
ta combinarn. Parece que com effeito chegou a
haver algum accordo nesse sentido.
A convenci', mandando promulgar a constitu-
cao, designou o da 23, para o juramento em toda
a repblica, mas o Sr. Bareiro recu-ou-se avassig-
nar o decreto, d telaraudo que era impossivel rea-
iisar esse aclo etn to curto espaco de tempo.
Os amigos de Sr. Rivarola attribuico ao Sr.
Bareiro algum jiensamcnto oceulto e resolvern
apressar a eleicao. Resolvern) oue o juratneoto
ua capital, tivesse lugar no dia 25 do corrente, li-
cando adiado, na campanha, para 5 de dezembro.
Apressaram a remes-a d 1 authographo para ser
no mesmo dia promulgado, e notle, quando deli-
beravam acerca do dia para 'a a eleicao do presi-
dente, decidiram faze-la immediameiite. prevale-
coodo-se do art. 127 da constituico.
Jolicia n Echo do Sirt, folha do Rio-Grande, que
a-ociedade Renelicenc\a Portuguea D. Fernando
Ha ua capital do Paraguay, acaba de offertar uraa
todalha ue ouro-aos meneos hrasileiros que mais
ajOvicos-prestaran) essa sociedade.
*Na faculdade ae mede;ina defendern) theses no
da 29 de novernbro, na augusta presenc de S.
ft). o Imperador, os alumnos segrales:
. Ilennque Herrado Caroeiro Leo, Manoel Ribeiro
Mirondes Machado, Israel Rodrigues Barcellos
Rlno e Antonio Gomes Guacurv, approvados ple-
namente.
No da 30 de novernbro :
Francisco Villeia de Paula Machado, Manoel Go-
mes Belfort Duarte, Manoel Pialo Ferreira Jnior,
Jio iSaptista Lopes, Jos Antonio Pereira da Silva,
Jalio Francisco Torres, Joo Baptista de Lacerd
Fimo e Fernando Marrano de Azevedo, approvados
plenamente.
_E hontem :
'Candido Jos de Carvalho Lima, Bcnto Goncalves
Cruz, Beolo Jos de Souza, Gutlliertne Alberto das
Nev; Milward, Joviano Rodrigues de Moraes Jar-
dlm, Manoel Pereira Cibral Jnior, Theotonio Jos
di) Vasconcemos e Luiz de Souza Araujo, approva-
Jos plenamente.
que com os seus 4,000 devia fazer levantar
cerco.
O governo, para que os sitiantes nao cobrassem
imposto dos gneros que deixavam passar para a
cidade, prohibi toda e qualquer entrada de vive-
res nao ser por agua, por onde continuava a
abastecer-se a capital. Fazia isto dizer alguns
que era o mesmo governo que eslava sitiando a
cidade.
O presidente Battle concedeu a Duncau Stewart
a pedida demisso de ministro da fazendi, encar-
regando do expedienle da repartir > o respectivo
official-maior.
4 -
Pjr titulo de 1 do corrente foi nomeado Cyreno
Jos Pereira para o lugar de amanuense da secre-
taria da thesouraria do Paran.
_0 Sr. commendador Jos de Souza Breves con-
cedeu a liberdade ao seu escravo menor Ti-
burcio.
A isso que se oppoz a minora. Houve algum
tumulto, e alguns gritos do : (ora o tyrano; mas
o povo das galeras chamou ordem a opposigao
dando vivas a* Rivarola e maioria da convenci.
Alguns dos opposicionstas retiraram-se do salo.
A eleigao leve ento lugar, retirando-se depois
della os opposicionstas que haviam ticado. Ape-
zar de um protesto assignado p r alguns opposi-
cionstas, e que foi distribuido no dia 25, a eleicao!
Elfectuaram-se no da 28 do corrente, na fazen-
na da Boa-Esparanca, propriedade da Sra. D.
FVaucisca Mara Valle da Gama, as primeiras cor-
ridas de cavallos no prado qua o Sr. Dr. Jos Cal-
mon Noguera Valle da Gama all litando ti cons-
truir, leudo em vista animar um dos mais impor-
tantes ramos de industria nessa provincia.
O resultado d'essa bnlliante fesla, para a qual
concorreram as mais importantes familias do Juiz
de Fra e seus arredores, foi o seguinie :
Ia corrida.Disputaran) os premios Relmpago,
Cayip e Velocipede. Foi vencedor o Relmpago,
sendo segundo o Velocipede.
2' corrida.Guarany, Pavao, Palmcrxlon, Pury
e Sonnette. A victoria foi alcaucada pelo Guarany,
sendo segundo o Parti.
3j corrida (amadores).Cysiu, montado pelo
Sr. Dr. Costa Ferraz ; Tymbira, pelo Sr. commen-
dador Tallas; Canario, pelo Sr. Julio de Freilas;
Caciior, pelo Sr. P. de Siqueira ; Prcgaka, pelo
Sr. Carvalho. Foi vencedor o Cysne, sendo sc-
guoio o Canario.
41 corrida. Pltarol, Caxamb, Bragan^a e
Cayip. Ganhou o Phmol, viudo em seguida o
Cayop.
5' corrida.Guar, Tamcyo, Distanciado e Pal-
mentn. Foi vencedor o Guar, sendo Tamogo o
segando.
6' corrida (amadores)-.An, montado pelo Sr.
Dr. Cosa Perras; Domado, pelo Sr. Julio de Frai-
la* ; Paciencia, pelo Sr. Carvalho; Andonnha,
peto Sr. P. de Siqueira. Ganhou a victoria o Ana,
eavallg intelro, de 6 annos de iJade, propriedade
do Sr. Lourenco Brasa. Dourado foi o segn lo.
7* corridi.Jequitib, Camarao,.Bodoque, Ata-
hona e Feroz. Foi vencedor o Jequitib, sendo
t'eivz o segund".
8 corrida-Cassino. Lambaiy e Cacique. Foi
vencedor o Cassino sendo segojido o Cacique.
9J corrida.Vencedoras das seis corridas de
jockeys. Concorreram apenas Relmpago, Cassi-
no, Guar e Pharol. Foi vencedor o Guar, sendo
segundo o Relmpago.
u pequira Cysne, vencedor da 3" corrida, in-
lero e oriundo da celebre raca mineira Sublime.
E' propriedade do Sr. Dr. Jos Calmon Noguera
Valle da Gama.
que por duas
Por decreto de 23 de novernbro u'tmo, e na
conformidade da imperial resolucao de 24 de oti-
lubro prximo passado, tomada sobre consulta da
seceo de guerra e raarinha do conselho do esta-
do, foi promovido a tenante coronel commandante
do 8 batalho da mesma arma, Joo da Souza Fa-
gundes, contando antiguidade de 22 do setembro
de 1866,
Por decreto de 30 do mez passado foi concedida
ao desembargador Joo Antonio de Araujo Freitas
Henriqucs a exoneraco que, pedio 4 cargo de
presidente da provincia do Cear, e por carta im-
perial da mesma data foi nomeado para o referi-
do cargo o bacharel Jos Fornandes da Costa Pe-
reira.
Por cartas raperiaes da mesma data foram na-
turalisados os subditos portuguezes Joo Madeira
da Fonseca e Ignacio Baptista de Lemos.
Por dacretos da mesma data foram nomeados:
Joaquim Jos Ferreira baro de Guaratiba.
Albino Jos da Silva commendado da ordem da
Rosa.
Foi promovido a offlcial da ordem da Rosa, o
cvalheiro da mesma ordem Joo Caetano de Oli-
veira Guimaraes.
Fei nomeado o Dr. Joo Pedro Maduro da Fon-
seca para os lugares de inspector de sade pu-
blica e de commissario vaccinador da provincia do
Amazonas.
Na escola central o resultado dos exames da
aula secundaria do 4 anno (botnica e zoologa;
foi o seguinie :
Approvados plenamente cora o grao 9, Agosii-
nho Luiz da Gama Jnior, Manoel Pereira Res,
Manoel Pinto Torres Neve3 Jnior, Luiz Carlos
Barbosa de Oliveira, Henriqne Christino da Silva
Guerra, Joaquim Silverio de Castro Barbosa e Luiz
Raphael Vieira Sonto ; com o grao 8, Antonio Go-
mes Rarroso, Joio Cancio Ferreira da Silva, Cen-
jamim Franklin de Albuquerquc Lima, Marcos de
Azevedo e Souza, e Alfonso Caroeiro de Oliveira
Soares; com o grao 7, Jos Feliciano de Nornba
Feital, Joo Crockatt de S Pereira de Castro, Jos
Francisco Martins Guimaraes, Tibias Rabello Leite
Jnior, Henrique Barroto Galvo e Joaquim Ribei-
ro da Veiga; e com o grao 6, Jatintho Adolpho do
Agular Pantoja, Luiz Cezar do Amaral Gama,
Henrique Maria Leoni, Joio Teixeira Scares, Gas
par Rechsliner, Christino do Valle, Alberto Au-
fosto Isacson, Joo Paulo Dias Carneiro, Manoel
oaquim T;ixeira Bastos Jnior, Plinio Soares, Je-
ronynio Francisco Ribeiro, Jos Goncalves Pinto,
Jerooyrao Furtado da Mendonca e Sebastio Ave-
lino Fernandos Chagas.
Approvados simple mente com o grao 5, Quinti-
iano da Silveira Lobato, Miguel Paulo Mover e Fre-
derico Augusto Liberalli.
que-se.
Manoel Antonio de Jess.Informe
pector da the*ouraria de fazenda.
Miguel Jos da Silva.Volte ao capito do porto
para informar com o resultado da inspecco.
Tenente-coronel Manoel Dionisio Cunes do Re-
g.Deferido com ofticio desta data ao eumraao-
dante superior da guarda nacional de Olinda.
Maria Manoella Cavalcante.Dtrija-se ao Sr.
desembargador da Santa liasa da Misericordia.
Paula Maria da Conceigo.Seja posto em liber-
dade.
Racliel Adolfo Cavalcante Ferreira.Informe o
Sr. inspector da thesouraria provincial.
EXPEDIENTE DO SECRETA1U0.
Ofiicio:
Ao capito do porto participando haver a
presidencia concedido 15 dias de praso ao recrula
Joaquina Jos da Silva para provar isenco legal.
0 Guar, cavallo de cinco annos,
dos Srs.' Rivaroa e Miltos foi mui "bem recebdo I vezesja tem corrilo no Prado Flumineos, pro-
pelo povo. Silvano Godoy, um dos convencionaes pnedade do Sr. Francisco Xavier Calmon do Silva
addictos aos Decouds, e um dos mais ardentes | Cabral.
inimigns do Rivarola, declarou em seu nomo e no Os premios coosistiram em medalhas do prata
de seus amigos, que acatavam a nova ordem de I para as corridas dos jockeys e do ouro para as
cousas como legitima expresso da vontado popu-1 dos amadores e vencedor dos vencedores.
lar. Loisaga reconciiiou se tambem com o novo Os premios para os segundos cavallos foram of-
presidente,v e no baile que enoerrou os festejos ferecidos pelo Sr. Calmon Cabral, e constavam de
conversaran por multo tempo e era tom araigavel. joias de prata e ouro.
O Sr. Bratro no dia 24 havia dado a sua de- '
BL'ESOS-AVRES, 29 DR NOVRMBRO DE 1870.
A guerra de Entra-Ros contina e parece que
pr i'ongar-se-ha por muito lempu, nao obstante as
to apregoadas vicuas do governo. Hoje j
ninguem tem ilia-5es a esse rospeilo, e at mesmo
os menos inleressadcs em occultar a verdade, con-
fessam qiie as coosas caminham mal'e que o chefe
entre riano dispoe anda de ele nentos efflcazes
para resistir.
Os revezes soffridos pela, dvisau do general Gel-
ly Obes ero 12 e 14 do corrente foram seguaos da
tomada de Gualegtuvch pelos revoltosos oda per-
da de um vapor de guerra, mettido a pique pela
adunara dos meamos.
ministros da guerra coronel Gainza, qSe an
dou perigrioando pelo theatro da guerra, com *o
fim de dar impulso s operadoes, regresson hon-
tem, deixando as cousas qussi oo mesmo estado
que ante?. Da dirigi de Gelly nao ha noticias ;
misso vista da deciso da constiturate, .sendo
substituido pelo Sr. Matheus Collar.
Tuo indicava que as dissidencias qne procede-
rn) a eleicao vo desaparecer, gragas ao tino e
espirito conciliador do Sr. Rivarola. No dia 26
leve elle lars conferencias com os Srs. Taboada,
Bollar. Gil, Palacios, Miranda, Jovellaro?, e Miltos,
mas nao se sabia anda quaes seram os noves mi-
nistros.
Os festejos do juramento da constitnico estivo-
rara animados. Pronunciaram-se varios discursos
havendo em muitos delles allusoes lsongeiras
allanca e particularmente ao Brasil. Dcus inspi-
re o- novo governo.
Cbegaram hoje npticas da Bolivia. Utna nova
guerra civil rebentou nesse paiz.
O general Rendnn, commandante de Polosi, su-
bievou-se, ploclamando se a constituyo de 1861,
e estabelecendo um iriumvralo composto delle, do
gineral Camperoe Dr. Tapia.
O general Campero, que se achava neita capi-
tal, parti ha dias em direceo frenteira da Bo-
livia. O general Lanza, que seguir contra Ren-
don, foi deposlo e preso, passanJo-se o batalho
que commatidava para os revoluncionarios. Mel-
garejo, apezar de nao adiarse completamente
reslabelecido, resolveu pr-se frente do cexerci-
to e marchar sobre Oruto.
O correio dBoliva, trszendonos essas tristes
noticias, foi, entretanto, portador da agradavel
novo de achafse com vida o presidente Melgarejo,
cujo fallec ment passava aqu como certo. E'
bem que estejamos prevenidos em Maio-Grosso,
pois ninguem sabe que proporcSes tomrra a re-
rolu.
Esqueca-rae diter-lhe que est aborto, e ao-
cerra-se esta noite ura Bazar dirigido pelas se-
nhoras mais elegantes desta capital. O producto
da verdade do3 objectos ah expostos destinado
fuadario de uraa encola agrcola.
As con das terminaram s 2 horas da tarde.
A' nouie houve na fazenda um grande baile.
Era 27 do mez passado, o Italiano Vicenzo Pe-
latier foi recJhido ao hospital da Santa Casa da
Misericordia para se tratar de um ferimento que
um si lizera para por termo existencia. Ante-
hontem noute, no mesmo hospital, levou rea-
lidaJe seu desgranado Intento, estrangulndole
com um lenco.
A autoridade procedeu exame e- indagacSes
respei to d'este fado.
_3-
Do Rio da Prata recebemos pelo paquete Libe-
ria da lnha de Liverpool, lolhas de Buenos -Avies
e Montevideo at 26 e 27 do passado.
As noticias de Eutre-Rtos sao sempre as mes-
mas. Depois da tomada d Gualegnaychu peles
rebeldes, e combate de S. Christoba, em que pa-
rece fra de duvida haver Gelly y Obes soffrido
algnraas perdas, effecluou este general a sua june-
cao eom 6 exercito de Rivas, e insiste-se em que
as forcas naciooaes persoguem as de Lpez Jor-
dn, que vo muito desmoralisada* e das quaes
lodos os dias debanda gente. Apezar desta per
seguico por ura ladu, desmeralisaco e debandada
pelo outro, entenda muda gente, que a guerra de
Eotre-Rios prometa larga duraco anda, e o fado
de nao se permitttr que o telegrapbo do Paran
para Buenos Ayres transmiltisse noticias seno ao
governo, nao era dos mais proprios para desvane-
cer esta crenca.
O facto era que muitas povoacoes e departamen-
tos da provincia nbudcciam nicamente s autori-
dades de Lpez Jordn.
Mantinha-ie no mesmo p o sitio de Montevideo
com a nica dlTerenca de rae, alm dos tiros dos
piquetes avancades, tro.-avara-se tambera alguns
de peca, que felizmente nao cansavara grande3
estragos. Esperava-se, constado, que. nao tar-
darse apparecer o exercito do general Soare,
Na Faculdade de Medicina defenderam thse
e foram approvados plenamente os alumnos se-
gus tes :
Henrique Cesidio Samico, Lucio Jo Pereira dos
Passos, Antonio Francisco de Araujo Macuco, Luiz
Antonio Dolphim, Jos Augusto Machado, Meton
da Foncaca AlencarJ Jos Justino de Mello e Gus-
tavo Xavier da Silva Capanema.
_ 6
Pelo p;quel5 francez Sindh, entrado hontem, re-
cebemos fallas do Ro de Janeiro at ao I* do cor
rente.
Relativamente a guerra civil era Entre- Ros-es-
palhou-se a ultima hora a noticia do urna victo-
ria alcancada pelas armas do gi verno geral. Parle
das forca> do general Gelly y Obes, diz se, bate-
ram os rebeldes do coronel Reynoso na Conceieao
do Uruguay, refugiando-se os dispersos na Banda
Oriental. Sobre o estado geral das cou>as diz a
Tribuna na sua revista da quinzena :
t Sao sempre contradictorias as noticias de En-
tre-Ros. Por un lado dz-se que as tropas de
Lpez Jordn cercam a cidade da Concordia, que
Ritas est em Cala, onde espera por cavallos, e
que Galleguay torna a ver-sa ameac/ida. Por ou-
tro, quer-se que Lpez Jordn esteja no Pantano-
ro, a 5 leguas de Santa-Rosa, onde espera darnova
batalha, o que a cavallaria se Ihe dispersou do
outro lado de ro Gualeguay vadeado era Tala pelo
general Rivas. O que ha positivo que a cidade
zinlia de Gualeguaychu tornon a ser invadida pe-
la) forcas de Lpez Jordn, e que entra os belige-
rantes se assignou um armisticio, dizem uns que
at 10 de dezembro, outros que at 26, armisticio
de que geralmente se esperara ver surgir bases de
paz acetlavei, pie restluam finalmente a tranquil-
lid ufo aquella malfadada provincia.
Nos conllns da repblica, na provincia do Ju-
juy rebentou taraban) nma revnlucc, diante da
qual o goveroador Iriarte, dapois de alguns dias
de lula, t-ve de fogir, abandonando o posto a ille-
galidade. Esperava-se comtudo que este incidente
nao tivesse outras ronsequencias.
No cerco do Montevideo lizeram diverso a
diaria rertetico das mesmas scenas e episodios um
dos quael realmente estupendo Defronte da ca-
pital, a entrada do porto, ergue-se o roqueiro for-
te do Cerro, reputado utomavel, pelo que tinha
apenas urna guarnico [de 70 homens, alias suffl-
ciente para o defender contra todo o poder do3
blancos. Pois bem, na noute de 28 para 29 esta
ioexpugnavel f rtaleza foi tomada por quatro ho-
rneo* que escalaratn os muros, subjugando a guar-
nico de modo que esta nao pJe disparar um ni-
co tiro.
Ao romper da al va os blancos, tendo metlido
tropa no forte, annuncavam a suaposso- cora 21
tiro de peca.
Para attenuar o effeito produzido por este gol-
pe atrevido, as forjas de Montevideo lizeram] ni
mesmo da 29 urna sortida em raassa, chegando
at a villa da nion, onde as blancos se_ entrin-
cheiraram no edificio do collegio. Para nao arrui-
nar o e.iiabelecimento nem derramar intilmente
sangue, pois que nao havia inlenc/to de oceupar a
villa, as tropa do governo, depois de alli haverem
permanecido urnas duas horas, retiraran) se para
a cidade, onde foi apregoado como grande trium-
pho este feito, alias sera resultado e censurado por
parte da imprensa como um capricho que custou
muitas vidas preciosas. Os de dbntro perdern
orna pega de campanha desmentada na refrega, e
segundo sua paopria coofisso unj 70 homeus entre
morios e feridos, alarmando haverem causado ao
ioiraigo muito maior damno.
Continuava a esperar-se o exercito do Goyo Soa-
res que estaba sempre a passar o Rio Negro com
4,000 a 5,000 homens.
O presidente Batlle reuni um conseibo de ge-
neraes e cheles de batalho, dizem qu para ou-
vi-los sobre se os seus actos comino avam a inspi-
rar-lhes conflanca.
Apezar da rcaposta ser a mais satisfactoria pos-
Por decreto de 30 do mez lindo :
Foi jubilado o bacharel Manoel Ferreira da Sil-
va, professor de historia o geograpbia das aula*
preparatorias annexas a faculdade de direito do
Reeife, cora todos 03 vencitnentoi marcados no art.
25 do regulamento hque Itaixou com o decreto n.
1,331 A, de i7 de fovereiro de 1854, por conisr
mais de 35 annos de servico, .efeclivo no magiste-
rio, e com a gratificaci extraordinaria a que s-
refere o art. 28 do mesmo regulamento.
Por decretos de 30 de novernbro ioram nomea-
dos para a guarda nackra'il das seguintes provin-
cias :
Maranhao. Joaquim Francisco de Andrad
Moura, capito qnarlel-mesire do commando sn-
lrior dos municipios de Bananeiras e Iodepen
dencias.
Manoel Pedro de Souza Barbosa Fillio, capil >
secretirio geral do commando superior do3 muni-
cipios do Rombal e annexos.
Parahyba. -Fernando Antonio dos Santos, l-
ente coronel chefe do estado maior docoraraando
superior do municipio da Vargera Grande.
Piauhy.O capito Jeremas Jos da Silua M'lfo.
major ajudante de ordens : o lente Slplino Jts
Pereira e Mello, capilio secretario geral: o teen
leFrmrao Correa de Lemos, capito quarlel-me
tre, e Anfriso Jos de Carvalho, capito cirnrgio-
mr do commando superior do municipio d-
Oeiras.
Foi recondusdo o bacharel JosJoaquim Do-
mngues Carneiro no lugar de juiz municipal c de
orphos do termo de S. Bernardo da provincia i >
Cear.
Foram designados : f
O capito Manoel Carneiro i>\alcanti de Albn-
querque Lacerda, para exereer as fenles d.-
major do batalho de infantaria n. 31 da guarda
nacional da provincia de Pernambuco.
O latalho da reserva n. 11 da guarda naci
nal da mesma provincia para ser a ellcasgrefi-
do o major da extracta i1 seceo do balainao .! >
referida guarda Jos Polycarpo de Frailas.
O capital Jeaquira Marques de AnJrade par.
exercer as funecoes de major do batalho de in-
halarla n. 12 da guarda nacional da provincia d <
Parahyba.
Concede'u-se reforma :
Ao capito secretario geral do comman I > up '-
or da guarda nacional do municipio de Maman
guape, da provincia da Parahyba, Luiz Anl.nio
Goccalv-s, no posto de major.
Ao capito do batalho n. 24 da guarda nacio-
nal da provincia do Maranhao, Luiz Goazag i d *
Aguiar, no poslo de major.
Ao capito do 7 batalho da guarda nacional .'<
provincia do Para, Cesario Antonio de Santa B-
gida, no poslo de major.
Concedeu se melhoramanto de reforma no pos-
to de capito ao tenente reformado da guarla-.:.-
conal da provincia do Piauhy, Clemente Campil-
lo da Fonceca.
Fez-se merc do serventa vitalicia do- t-li-
cios :
Do destrbuidor e contador dojuizodo; fel
da fazenda Jo termo da capital de Pernambuco i
loaquina Gomes Pessoa.
Por despachos de 4 do corrente houve S. M. n
mperador por bem ndefenr as seguintes petirSe-
IJe graca:
Do bacharel Jeronymo Mximo Noguera Peni-
do, em favor do escravo Francisco, condemoad-*
pelo jury do termo do Para, na mesma provincia,
apena de gales perpetuas que foi-lue commtitada
en 12 annos de gales por decreto de 5 de jinho da
1867.
De Jos Lopes Hachado, condemnado pelo dele-
gado de polica dolermo di capital de P rnambu
co a 2 mezes de pnso e multa correspondente a
raetade do tempo, por crime de injurias ita-
pressas.
Por decreto de 30 do novombro ultimo foi
chefe de esquadra Francisco Cord-iro Torras e Al-
vino exonerado do lugar de membro effeclvo d >
conselho naval,
Consta-nos que o ministerio da fazenda coa-
traliio ultiraamonle, por offerta que Ins ura capi-
talista, um emprestimo de 700:0001, ao par, e i
juro de 5 1/2 % ao anno, cora cundico de ser
reembolsado d'aqni a 50 annos. .
0 sivel, corra o boato de que elle renunciara o po-
der, cora o que se removera um dos principa.-*
obstculos para chegarem a um accordo os don =
partidos que se combatem. A 30 nao presidio elfo
ao conselho de ministros, e a Tribuna do 1*
annoncia o facto com alguma solemnidadt
No Paraguay a nova constituico foi saneciona-
da a 16, promulgada a 41 e jurada na capital a 2?!
devenJo-o ser em breve lempo por toda a repbli-
ca. Para presidente deau foi eleito Cyrilo Antonio
Rivarola, para vice-presidente Cayo Miltes, como
mais dettdaraente se ver da correspondencia d^
Buouoi-Ayres, que refero anda vaos pormeno-
res de ioieressc.
Mais urna revoluco na Bolivia nos annunca
correio do Pacifico. O general Rendon, goveroa-
dor de Potos, levaotou-se com forcas considera-
veis, e o presidente Melgarejo, muito melhor, mas
arada nao de todo restabelecido, preparavase para
marchar em pessoa contra elle.



Defenderam theses hontem na facul lado de me-
dicina, e foram approvados plenamente, os alum-
nos seguintes :
Ignacio Xavier Campos de Mesquita, Osear
Adolpho de Bulboes Ribeiro, Antonio Manoel Al vas
to Reg, Augusto Traja no de Hollando Chacn,
Joo Pedro Monteiro de Souza, Erico Mirinlt di
Gama Crlho, Alfredo Piragibe e Leopoldo Albcri
de Magalhos Couto.
O resultado dos exames de desenho do 3o anr. >
da escola central foi o seguinie: approvados ple-
namente, com o grao 9, Alberto Eugenio de An-
drade Parreiras jlorta, Joo Luiz Pinto Campista
Alcino Jos Chavantes; com o grao 8, Galdino Al-
,ves Monteiro e Joo Ramos deQueiroz; com >
grao 7, Francisco de Mello Souza Jnior, Jos*
Freir de Andrade Parreiras Horta, Antooio Gome*
Sodr, Antonio Jos Ribeiro da Cruz Rangel, los
Carvalho de Souza, Theophilo Benedicto de Vas-
concellos e Manoel de Mendonca Guimaraes;
com o grao 6, Jorge Benedicto 0:tooi, Pedro Retir.:
Paes Lema, Alberto Belmonte de Aguiar, Carlos
Maximano Pimenta de Laet, Jos Theodoro d
Souza Lobo, Balthazar Bernardino Baptista Perei-
ra, Carlos Augusto Carvalho de Azantbnja, ler
nymo Furtado de Mendonca, Augusto Culho d:i
Silva, Fernando Palmero Pereira da Cunha, Mar-
cos Thoraaz da Costa e S, Paulo Ferreira Alves
Arrainio de Figueiredo.
Approvado simplesniente, coaj o grao 4, Jos d
Freius e Castro.
O resultado dos exames de desenho do 4- ann >
foi o seguinie :
Approvados plenamente com o grao 9, Jacinilt i
Adolpho de Agular Pantoja, Leopoldo Jos da Sil-
va e Joaquim Ribeiro da Veiga ; com o grao K
Plinio Soares, Marcos da Azevedo eSonta, Henr.
que Christino da Silva Gunrra. Manoel Pinto Tor-
res Neves Jnior, e Luiz Cesar do Amaral Gama .
com o grao 7, Mwuel Paulo Meyer, Joao Lana
Ferreira da Silva, Luiz Barbosa de Oliveira, Ante
oio Gemes Barros, Lult Raphael Vieira Soufc.
Joaquim Silverio de Castro Barbosa e Agostinh-
Luiz da Gama Jnior; com o grao 6, Hennqu^
Maria Leoni, Alberto Augusto saeson, Ctolllri
do Valle, Camillo do Lellis e Silva Jnior, Hear.-
i


, ,-T



JH*IM di Prianibcd Tere* eifa 13 de bezembro de 1870
f
*'^!!
T
que Barreto Galvo, Jos Francisco tantas Gtn-
maraes Filho. Joio Teixeira Soares, Alfonso Car-
neiro de Qeveira Soares, Sebastio Avelrao Fer-,
uandes Chens. Jeronyrao Francisco Ribeiro, Ma-
noel Joaqoiul TeJxeira Basto JanioY, Jos Conni-
ves Pialo, 4amtiliano da Silveira Lobato, Benja-
mn* FranMin de Albuquerque Lima, Gaspar,
Richsteiner, Jos Feliciaoo de Noronha Feital, Jlo
Paulo Das Carneiro e Henrique Wllis di Sil-
va.
=5=
_______s
o crio 5,Joo
e Claudio livio
Approvados simples mente com
Chrockafk de S Pereira de Castro e
a Reis.
7
S. H. o Imperador acompalo de seos sama
narioi embarcoa hontem no ars*ual de mariojha t
foi iba das Cobras, baler a eavilha da caverna
teestra do vapor BracanM, que all te acha em
construccio para o ser vico do mesmo arsenal, e
cujas dimensiJes siu as seguiutes: eemnriraento
ds Jioha d'agua 410 ps, bocea extroma 18 ps G
pollegada-, o.ntal 7 ps e 8 pollegadas, calado d'a-
uaffs.i
Estiveram presentes a esta soleraaidade os Srs.
ministro da marinha, almirante visconde de Ta-
maadar, vicealmirante Waudenkolch, inspector
4o arsenal* ommauJante da eslaco e os cora
mandantes dos lavios da guerra eertos no pprto.
Voltando i 11 hora* Sua Mageslaua ao arsenal,
assistio na respectiva aula aos examen de arith
rae tica e geometra, e 1 hora da tarde retirou se.
Por despacho de 5 do corrate forana demtidos.:
Pedro Nolasco de Barros dolugor de praiieanm
da recebedoria io Rio de Janeiro, e tmiz Jos Cam-
pos do Amaral Gurgel do de 11 I de reeebedor do
sello da mosma reparlieao.
Defendern) hontem the*es na Faeuldade de Me
dicina eforam approvados plenamente os alumnos :
Alfreto Magno de Auneida Beto, Antonio de
Paula Mascarenhas, Pacifico Goncalves da Silva
Mascarenhas, Ant aio o-i Teixeira, Jos Ferreira
de Seixas, Francisco Claudio de S Ferreira, An
tonio Pinheiro Guedes e Joao Laix dos Santos Ti
tara.|
Palleeeu ante honteo o professor Jos Maridos
de Santa R >sa, lente Jo conservatorio do msica e
a'-itor da applaud.di contata execuiida no temlo
erguido no Campo da Acclamacao, por oecasio
dos fastejos offlciaes pela lermiuaco da guerra do
Paragmy.
Daixuu viuv.i c fllhos en extrema pobreza.
Aotehontera, pelas cinco liara* da tarde, o por-
nguei Antonio de Siquein Rangei, empregado no
estabelicimento da Phenix Dramtica, tontn sui-
r.dar-se, ingenndo urna poco com massa paos-
phoiica, e foi logo recolhido casa do saude do
Dr. Giras.
De cartas que escrevra deprebende-se que
motivo?, em sen conceito pffeasvos de sua digni-
dade, o levaram a semeibante; oxcesso. Procede se
a indagacoes.
OIABIO DE PEBNAIHBCQ
RECIFE, 13 DE DEZEMBRO DE 1870.
Noticias do siil do Imperio.
Chegou hontem pela nvanha o vapor francez
Sindh, trszen lo jrnaes do Rio de Janeiro al 7 e
da Babia al 9 do torrente.
Sob as rubricas Exterior e Interior encontrarn
os leitnre? por extenso as noticias mais importan-
tes, alm das qnaes apenas achamos nos jornaes
as qne seguem.
nEPl'BMCAS 3 PACIFICO.
Di Chile aleancam as folhas a 13 do passa-
do. Nada occorrera de ioteresse ; cohtinuava a
tratar-se do intitulado rei Orelio I, que pareca
estar completamente desprstigado, e at correr
ri=co d vida entre os indios, a quem elle promet-
tia todos os das a chegada de forcas auxiliares
centra a repblica chilena.
Tambera referen) os joroaes que no deparla-
mento de S. Carlos cahira tamanha geada que
destruir todas as plantacdes, causando um pre-
jnio calculado em nada menos de cem mil pesos.
No Per, pela circumstancia de ser persegui-
do o redactor do Nacional, D. Juan Francisco Pa-
so?, jue pode escapar ;i polica, foi o governo in-
terpelado as cmaras, eo ministro da justiea de-
clarou que o governo tvera conhecimento de urna
.'".I- rousniraeao, motivo pelo qual mandara
prender o redactor do .X-iaonal.
Aeero-eeniou que o governo estava reolvido a
proceder r-,m ener.ia |nalquer que fosse a posi-
cao lades Jas le-fas iridigitad33.
Xe- -uio proterl i o dtputad Benevides
contra patarras do ministro, que Ihe parecan)
ronter cas. Ligo dojwis tumou a palavra o
oiini'i) i|j -ueria, e l-u ujia cana escripia de
Sinli i i a nesino depui lo Beneyidas, acerca da
or -, !o :os,0(IO pos. Acto eontinu-', cons-
lilui' Miniara em sosso secreta.
N i IJjlivia ficava inieada urna rebelliao. O
((i. i :>:.! -; il. Rendon, commandante geral em
Poto-i. pruclamou a coostiloiea de 1861 e esta-
llle,- n um numvirato de que. so conslituio clie-
f sendo os ouiros companheiros, o general Nar-
] Caminero, que se ach na Confederar) Ar-
;: o .., o L)r. Lucas K. de la Tapia, que estava
m Tacna.
Iteceiava-se que o movimento se estendesse a
nutras provincias.
O geaeral Melgarejo, presidente.da repblica,
apetar de nao estar restabelecido do todo, resol
veu inmediatamente collocar se frente do exer
cito e marchar sobre Oruro.
O conselho executivo j se achava na cidade da
Paz, cando terminados os trabalhos do con-
gresse,
Fora autorisadoo empreiar) da estrada de fer-
ro central argentina para estadar a lopograpbia do
>ul da repblica e levantar o planos de urna es-
ira J que ligue Polo-i a BuenosAyres.
MINAS OKRAF.S.
Lemofl no Noliciadnr de Minas :
No da 14 de novembro deu se no districto da
Pieladedos Ge raes, do termo do Bomflm, o ^e-
Sinte ficto criminoso : um escrato fogido de no
me Elias, pardo, que all appareceu ltimamente
eommeitendo roubos, furtos e toda a sorle de dcs-
aeatot, encontrando-se em unia^ das estrada* que
vai ter aquello arraial com urna raparigrde 16
ann.is >ie idade, que ia em rompanhia de sua mi
Lucinda a urna fazeoda, apolerou-sedella e seen-
tranh .u em um raatto prximo, nao obstante os
sritos o e;forc.)S empregados pela mi, para livra-
la das garras do moostro, que conseguio desap-
parecer das vistas desta com a menor tambem em
gritos.
O delegado de polica, tendo noticia do Cacto,
dirigi-se ao lugar acompanhado de grande nnme
ro do pessoas e do subdelegado capiio Lucio Al-
ves Pereira, e depois de militas pesquiza-, cons?
guio encontrare mon^ro* n'nm rancbo de una
roca em co.npanhia de sin victima. Prendaa-sa o
criminoso e in.-taurouse Ihe o competeflto proecs-
so por estupro.
s. PAULO.
Chegaram folhas de S. Panlo at 4 do cor-
rale.
Findara o concurso para urna cadeira'de
lenio subsiiuto da acukfade do direito. Diz o
Correio Paidistano onstar Ihe. torera sido appro-
vados os can lidadoe na seuuinie classiQcaco : Dr.
Almeida Reis, Amerlco Brajiliense e Leoncio de
CarvAlba
Defender tbese para lomar o grao de doa-
Ur, e f ira llenamente, approvado, o S". bacharel
Jos Julio de Albuquerquo Barros, formado em
Peroambuco.
Segundo a Gazeta de Campias, devia come-
car em marco prximo futuro o asseniamento dos
tiilos (la estrada de ferro de Junliahy a Campi-
as, p r toda a secca > que vai f Jnmliahy a C -
pivary, tican 'o logo franqueado ao publico esse
iiiporlant* melhoramentq.
a respeito J> finado bard do Juadiahy.
Em homenagem a memoria deste distmclo
paulisla, a cmara municipal d> cidade de Juu !ia-
lu, c^n se-so de i-i do mez fiado, approvou una-
;:nemente a segrate iaUcloo :
t Too mi da 11 da mez fmJo fallecido o com
men-Jalor Antonio de Qaeiroz Telles, barSo de
Jnndiahy, cojo nome quer dizerhonradez, pro-
lodada, (lidicacao, inteireza.de carcter, verdailei-
ro patriotismo, religosidade e caridade sendo o
tinado o typa dJaatigo paulwu, e o flllu a quem
e-ta cilado.deve tndo ;qm\ da pobreza, o pro-
r .loa-ilsv.Iidos; jpMuzin'lo o pensamento
i;uniine djajfcinuiiicyjio," que se cobrio de luto
com esta p|K irreparavel, sentida U:nbe;n em
zoda pr .vinela, a qeem e ao imperio prest ra rele-
vantes $erv 50 ; indicamos que flrae consigoado
. i acta o -eutmento de profundo p zar, i
se ada possuida esta cmara por taa iafoln
-iinteoiiuemo, prjpondo i pata -.
petuar a memoria de to conspicuo e integerrimo
cidadao, esta cmara resolva o aguinte :
1." A ra ii-eiu desta cidade, onde iea)pre
r#o am, le ttttt>t\aai n'ora em diaate,
ra do bario do Juao'.'ahy.
t* Noraeac. urna rommissao esencial .pare
promover um subscripeo, cojo producto aera
empregado m uin retrato a oleo, do finado, que
ser collocado na sala das ses5es desta cmara,
noprimeiro aoniunario-do-eea-fallecimenl. Os
mxnbros da cmara municipal prescindiran) da
subacripcao eeaip_canafces-em os, senUmeotus de
todos os seos rnaairipes, queeueNm, concorren-
do para a sabsenp^ao, pagar um peoneno iribnto
de gradio, reipeito e anauade o filiado barao de
Jnndiahy..
c Sala o* sessoet da eraura municipal de Jnn-
diahy, 23 de novemliro de' 1870. >
Realisara se no dia 16 do paseado a mango
racao do* irabalbos da estrada de ferro Ruana,
achando-s presentes o presidente da provincia
grande numero de pessoas idas da capital, bem
orno de Itii e clrcumvixlnhattja.
No da seguinte o presidente da provincia re
gressara capital.
A sociedade Redemptora, compostideienhe-
ras, em sa ses&Se asnual resolvere- libertar tres
escrvoj menores.
Um preto livre, de nome Benedicto Antonic
da Molla, de cerca de 50 annos de iJade, assassi-
nara aua mullier dando llie una tacada as cos-
tas, levado de ciumes. O crine foi perpetrado na
asa de e.on*olhejro Vicente Pires da Muda, onde
residiam o assassino e a victima. Consummado o
ademado, Molla foi entregaras* a prisio.
Fallecer na cidade do Tiete, com 60 annos
de idade, Joo de Moura Campos, que era all fe-
ralmente estimado.
rio di uranio.
Por aviso de 30 de novembro ultimo foram
promovidos a guardas-marinhas os aspirantes se-
guintes, nos termos do decreto n. 2163 de 1' de
maio de 1858 :
Amerieo Lenidas Birbosa de Oliveira. Jiao de
Andrade Lsite, Duarle Huet de Bacallar Piolo
Guedes, Adolpho Pinheiro, Antonio Augoto da
Costa Li cerda Jnior, Francijco Pinto Torres
Neves, Jos da Cunta Ribeiro Spindola, Frederico
Dias de S, Arisiides Spiridiao de Soiua Braga,
Antonio Alvts Cmara, Raymundo de Mello Fur
lado de Mundoaca. Carlos Vidal de Oliveira Frei-
tas, Joaquim dos Santos Magalhies Jnior.
A alfandega da corte rendeu de 1 a 6 do cor-
rele 340:757*318.
Eis as noticias commerciaes da ultima data :
Effecluaram-se lransac;oes roas qne regula
res em combio sobre Londres a 23 3(4 e 23 7|8
d. papel bancario, 24 e 24 1|2 d. papel particular,
i Negociaram-se 3,000 soberanos a 10*100,2,000
ditos a 10*130 e 5.370 a 10*lo0 a diuheiro,
5,000 ditos a 9*900 para o fim de Janeiro, 5,000
ditos a 10* para o mesmo praso, 12,000 ditos a
10*080 para o dia 15 do corrente, 5,000 dito a
10*100 para o uiesmo prazo, um pequeo lote de
apo ices do emprestimo nacional de 1868 a....
1:025* e 43 ditas geraos de 6 0|0 a 96 00.
BAHA.
Tendo deixado o exarcicio do cargo de ihefe
de polica o Dr. Autero Cicero de Assis, presi-
de Qle nomeado para Govaz, entrou no ejercicio
daquelle cargo o Dr. Carlos de Cerqueira Pinlo,
jui*. de direito de Nazarelh.
Achava-se arribado no porto da capital, o lu-
gre norte-alleni3o Sol, em viagera para Valparaso.
No dia 6 do corrente proceJeu-se eleiijo
da dous depntados para o Tribunal do Commer-
cio, sen Jo eleitos os Srs. : Emygdio Jos de
Maltes o Joaquim de Castro Guimres :
Defenderam theses na (acaldado de medicina,
e foram approvados plenaraenie : Lasdllo Jos
de Carvalho e Araujo, Ernesto Eustaquio de Fi-
guciredo, Antonio Pedro da Silva Castro, Mauricio
Bernardo Francisco de Souza, Jos .VIiriino Bar-
roio, Francisco Borges da Silva, Joaquim Pereira
da Silva, Conimenlin Io? Tneodosro de Souza
Daalas, Augusto Jos de Lentos, Ernesto Melchia-
desda Silva Pinto, Joo Chrysostomo da Malla
Bacellar, Manoel Pires d Carvalho, Nicolao Alves
Pitombo, Jt5o Gualberto Ferreira Santos Reis.
Virgilio Pires de Carvalho e Albuquerque, e Joao
Sabino Vieira.
No dia 30 de novembro S. Exc. Rvm. o Sr.
arcebispo conferio a orJcm de presbylero Fre
ilirico Augusto Raposo da Cmara, da diocese de
Pernambuco.
Lemos no Jornal:
A Sociedade Libertadora 7 do setambro acaba
de receber do seu cum.nissario em Minas do Rio
de Cenias, o Rvm! conego Jos de Scnza Baibosa,
noticia de mais 2 alforrias conferidas era nome
d ella, pur Francisco Gomes Jardim e sua mulhcr
D. Marlinna Barrosa de Andrade cria Lucinda,
parda de 5 annos, e pelo Rvm. viaario Jeronymo
Dantas Barbosa ao crnalo adulto 'Valerieo.
Amonio Amuncio da Silva, socio benemrito
da dita sociedade, fallecido na mesma vi|l, a 6
Je novembro irlfinio, dei.xou inmbein liberta, pur
lestamer/io, sua eci ava Mana Eva, parda, de 46
aunos.
O conego Souza Baibosa merece os maiores
elogios pela dedicacan com que Um propagado
nos serloes d'esia provincia as ideas emancipado-
ras, cuja iLlluenca se deve em menos de 6 me-
zes 31 alforrias, s em Minas do Rio do Contas.
Da villa de Alce baca commnuiearam o se-
guinte ;> um dislincto cvalbeirc d'e.-ta cidade :
a Na noule do Io do corrente (oulubn) pelas 8
horas mais ou meuos, desenvolveu-se urna exha-
laQo, que, correndo ua direceo de N. O. a S. E.
demarou-se n'esse curso por espaco de dous ou
tres minutos e desapparecera, seguindo-se logo
um grande ruido, como de trovoada ao Irnge c
estouros semelbantes aos de bombas de fogueles,
na mesma di ec(;o de N. O.
i Es:e phenonieno causou assombro a popula-
Cj, e d'aqueila noute e:n diante tem reinado
constantemente fortissimo vento sul.
' Na tarde do da 7 de uutubro, das 3 para a
4 horas cabio nm f.rtc temporal acompanhado de
trompada chuva de pedias. Muitos moradores
di) centro d'osu villa o da do Prado contara que
grande foi o sobre-salto que d'elles so apoderara,
vi-to coma inuiio eonsideravel foi a qujotidade
das pedras, algumas das quaes, poaco mais ou
menos do lamanho do urna laranja, poleriam pe-
zar urna libra, e penetravam u>s lelhados das
casas indoTerir os seus habitantes e cahiam so
bro o gado que espavorido corria pelos camp s
qua ficaram juocados d'ellas. As podras, dizem
anda elles, erara geiadas e em poucos instantes
ilesaziain-se en aguas.
< No da 9 do mesmo mez, indo de suajazenda
para a Villa do Prado o cidado Frencisco Anto-
nio Fontoura, supplente do j izo municipal^ da
doiegacia do Prado, em companhia de sua seho
ra, urna cufiada, urna aliihada d'esta, e urna mu
cama, lo los em urna canoa com lo-'da. de repente
- 6 1|2 botas da tarde, e>curec3u inteirameute
puuco depoi< abrindo um clarao, semelhante ao
de um grande relmpago, a lodos iffuscou por
alguns instantes, e-talando logo apoz um horrfvl
trmao ; iramediataniente aentiadae a mucama
do Sr. Fonloura, que se havam abracado tona
das de ,-inedo, oneijaram se de que suas faces
abiasavam-se como >i eslivessam queiraadis,
nVsle c-tado pasar.,m tola a noule em viagem,
at que ao araanhecer do davio-se com. effeilo
que ellas tinham um dos lados das faces Inteira
menie to.-tadjs. Oilo CiiS depois, sera que para
isto se ompregasse loedicamento algum, as face
da-|uellas raparigas, assm olToi.li las, largaran) a
pelle, ticando ella* falizmeute sem o menor def-
felo.
Nj mez de novemliro f.illeceu Maria Theresa
da Conceie>, na idade do 109 anuos e no gos .
perfeto de todas as suas faculdades physicas e
intellecluae.-.
este o ltalo ob que appe-
receu na curte um iiovd orgo da imprenta, que
se dedica aos negocios mcameos e redigido sob
os auspicios do grande rlenle do Brasil.
Esse jornal publica-se aos domingos, e os done
primeiros unmeros, qua enviiram, de 20 e 27 de
novembro, cooliu artigos interessantes, qoer so-
bro a,magonaria em geral, quer sobre a do Bra-
sil, de cujo oriente publica 03 Irabalhos dignos da
luz da publicidade.
Agradecen io o cCCerecimenlo, deiejamos pros-
pera vida ao novo campto.
AO SR. FISCAL DE 8A.\TO ANTONIO. Re-
commendamos attencao desse agente municipal
o 2o ailar do nico sobrado dos dous andares qce
ha no I ido aorta do largo do Paris/), cujo* mora-
ocres lai.gam a ra de S. Fraueis?r.aue Iba uca
lo lado posterior, qnaata gua por|tem em casa,
qualquer hora do da.
Domingo ultimo lancaram sobrenma pessoa que
por all pas-ou < 9 horas do dia (I I) urna enor-
me baca de. agua, porca, que moibou e viandante
litieralmenie.
E' preciso que o Sr. fiscal cunpra e faca cura
prir a postura municipal que s refere osse ob-
jecto.
ESTRADA DE FERRO DO RECIFE AO S.
FRANCISCO.Esta via de communicacao, no pr-
ximo (indo mez de novembro r
Reiidm 69:229*010
Despenden 36:675*741
PAULINO CAMARA.-No vapor francez SiwdlH
vieram hontem do Rio da Prata ca,.^aft do finado
. Je* Paolino dafitmara, o prUnefxo voluntario
da patria de Pernambuco.
IRO.-CTvapgr Sindh traax* fc000*O00
10:000*000
vapor brasileiro Paran levo de nossa
Pauella, o subdito bespauhol Bento Jos Domin-
gues ppr um fulano Coiho, que Ihe atifou tre*
en chalada j sobro a regio do peito esqoardo, em-
pregaedo-ee duas um pouco abaixo^ peilo, e
que nap pooetraratn na cavidade thoitaxiea per
ter o puohal c ncontrado as costellas, e a twceiaavj para t> Sr^ Jos Duartidas Nevaei -
o bfeo esqherdo em liona horisontal ao^5ora\ao para os Sr*. Pereira Vianna 4 C.
penetrando o ferro at o humeras.
QjegreMgi| ne alli.aaeNe o ffieio de Meritio
de pal, e k se enlrefa a* do da emhriagaez,
pz-se em fuga, apenas seno, que aos gritos do
aggredido ceudiam algemas peesoas de povo.
FERIMENtOS GRAVBS.-No dia 9 do corrate,
prximo ao portan do aliio dafira. D. Rita Joa-
Juina Accioli do Reg, na freguezia io Poco da
anella, o pardo Laurenno ferio com. urna pu-
ntialada ao crioulo Evaristo, eterave da dita D.
Rila, pondo so lego em foga.
A's 8 horas da nonio do dia 10, na prais e
S. Francisco, aa cidade de Olinda, Aoastacio Joao
Ferreira, casado e neerador, foi gravemente bri-
do por.J.o Cavancaete de Albuquerque, alfares
(la guarda nacimal.
NAVIOS ENCONTRADOS-A galera americae
Hilen Goodspeed, na sua viagem de Bake.rs 1-
para Cork, fa|j[ou : a 20 de outubro, na lat. S .
e Ipng. O. de Greenwicb 81, com a galera am*-
rirana E/dorado ; a 3 de dezembro na Il 8. 10 e
long O. 28 58', & m a barca americana Glenia-
wer ; a 4, na le. 8. 9 e long. O. 30", cem a tur-
ca ingleza Princess Charhe, cm vagam de Cardiff,
e na lat. S. 9 45' e Img. O. 32, com a bara mfr-
te-allemaa Needertander Qrange. indo para Bala-
via, com 50 das de viagem.
O VIGILANTE.-E'
Dando do saldo em favor di garan-
ta de juros
32:553*269
1110-
UUT
inte
e, b
FEMAMBUCO.
REVISTA DIAEIA.
VIA FRREA DO RECIFE AO S. FRANCISCO.
O Exm. Sr. conselheiro presidente da prnvmei;.
O Di'ino de S. Paut d a ,-eguiate noticia,'1'"/ "'' ,,ll!'ng nma execnci.) pela estrada de fu-
ro do sul at "Una, acompanhado do Sr. Dr. direc-
tor flw obras publicas o. engenheiro fiscal da mes-
ma r-trada.
S. Ese. sahlo das Cinco Ponte; s 7 l|4 horas
da manhaa em expresso demorou-se urna hora ha.
casa do snperinlendento na villa do Cabo, parando
lmente lias eslacSes principaes o no ponte inter-
medio 3 liaba cntro-tis ostaed da Escuda e Fre-
xeiras para observar, a [>pdido do Sr. Dr. enge-
nheiro fiscal, o liical om qne se podena construir
imi estaeSo reclirmada por nabitantes d'alli.
Chegaae a Um ls 11 ||2 hora* do dia. 8. Exc.
dh*ig4-M logo cavallo, com algumas das pes-
soas que o arompanhavam e que n vieram rece-
ber, ao lugar da ponte projftada sebre o rio una,
qne deve ligar a e.Ha\Vi terminal da eslraia de
ferro a nutras vias d3 eonrinuoieaeiopara diver-
sos pontos do interior di provincia.
8. Bxe, regresnou s t 1|2 horas da tarde, che-
gando nesta cidade as 5 3|4.
TENTATIVA DE MOflTE.-Ante-hoctem pea-
lo horas da noate foi eggredido em sua propna
casa a ra da Casa Fine na freguezia do Poco da
No mesmo periodo transilaram na linha :
17:50 :/z passageiros, e foram transportados:
1:880 volumes de bagagem, pesando 75:837 kilo-
grammas,
4:384:180 Icilogr. de meresdorias, e 516 ani-
maes.
as mercadoras estao comprehendidas : 831
saccas de algodo pesando 64:587. kilngrammas, e
30:725 sjeos de assucar pesando 2:323:975 kilo-
gramrnas. '
A despeza foi de 52,97 0,0 da receiu.
COLLEGIO DE S. JOSE'.-Teve lugar no sab-
bado tarde a desiribuig.io de premios s aluni-
nas do collegio de S. Jos, sob a sbn ciire.cao
das irmlas de Santa Oorotha, qne mais se distin-
guirn) durante o anno lectivo de 1870.
Foi cenme o acto, que comecou s 4 .1/4 e ter-
minen depois das 8 horas di noate, perautj um
concurso de mais de qualientaspejsas, dis quaos
erara aproxima Jmente cem as senhoras pre-
sentes.
O grande qnadro destinado festa achata-se
ricamente ornado, tendo em seu lado' fronteiro
porta do entrada, em ponto elevado, um pequeo,
mas lindo scenario.
Priueipiou a fn.ncc.ao por um hymno sobre mo-
do harmonioso, canudo por algumas das alumnas
em coro, o por uina oi.tra dellas acompanhadj ao
piano.
E;n seguida algumaa das collegiaes representa-
ram un pequeo drama, mnito sentimental o mo
ral, cuja execacjo agradan gerahmrate, e que
melhor saccesso teria obtido se ao fra o tom Jo-
clamaroio em que todas as porfonagnS so expri-
mirn!. Foi osla parte do dvertmento honrada
com nma esiron losa e unisona salva de palmas.
Vei.i aps a deslnbuicao dos premios.
Dartmos, resumidamente por classe*, os nones
das coilegiaft mai- galarJuadas :
Primeiru elasse.-DD. Josepha e Maria Bellrio ;
Margkrida Cmara; Caelana Villas-Boas ; Leopil
la Ayres ; Julia Regadas ; Mana Mends ; Victo-
ria Ferreira ; Marciumlla Barro?; Mara de Mi-
rauda. Nesla elasse foi proclamadaprincezae
recebeu as respectivas honras D. Josepha Bel-
ira-).
Segunda ciaste.-^D. Maria Leite ; Francisca
Beltrao ; Maria Los ; Hara, e Candida de Almei-
da ; Antonia Pinheiro; Elvira Hallidav ; Mara
Aztvedo ; Hila da Silva; Maria Campos ; Maria
Doarte ; Honorata Burgos. Beccberam as inig-
uias de jir/nceao : DD. Maria de Almeida, Fran-
cisca Beltrio, Elvira HalliJay, Maria do Azevedo,
Maria C mpis e Mara Leite.'
Terceira ciaste.DD. J.nnaa Maranhao ; Rita
Ljrra ; Amalia Haraaho ; Josepha Trigueire ;
Emilia Silva ; Rosa Campos ; Cordolina Lasos;
Almo da Silva ; A,:na Albuquerque ; Antonia Coe-
Iho ; Maria Reis ; Adelina Regadas ; Anna Men
do3?a ; Mana Garrido ; Carolina Carvalho; Ma-
noela Caldas ; Rjsa Villas Boas ; Mana ManU ;
Paula Cavaleante. Rceberara as insignias de
jirinceza : DD. Rosa Campos e Alice Silva.
Onurfa c-ise.DD. Maria Rodrigues ; Attia
Villas-Bdas; Amalia Nogueira ; Isabel Guimarass;
Clan Fonceca ; Rosa Cmara ; Carlota, e Maria
Siqueira ; Julia Cmara; Maria Montciro ;-Joe-
pija Dama*; Francisca Uondim ; Amalia Nogusi-
ra ; Marii Cmara; UmbafinaReis ; Arquilina dos
santos. Recebeu a m-igaia de princeza : D. Ama-
lia N'ogueira.
Quinta e ultima ciaste.OD. Maria Just;
Amynthas Guimaraes ; Marii Jlonteiro; Clara
Ueha ; Paula Wandtrley; Deber de Mello; Judia
Abren Mana da Cmihi.
Cominovedoi'3, de certo foi esta festa, em qne
ainfao:ia b-buu risriuha o\ primeiros orvalhos
dessa nuvoni luminosa, guiadora da Hebrea eter-
na, e que se chama inslruccao.
E forcoso dizer que o cjllogio das irmas de
Santa por jtha digo de toda a nossa animapao e
gratido, pelas prccio5os resultados que vai apre-
sentando.
Entre d o governo de todos os lempo i tem es-
quecido a educagaoda mulher; o que'hvsido um
mil ; porque o -eio da mulher ser sumpre om
berco e ama fmte ; enchei-o do flores e de loz.
elle produzir auroras ; enchei-o da p e de tre-
vas, ello soprar tempestdes.
Darante ipdo acto tocou a msica dos meno-
res do arsenal do marinha.
MANUYHSSO.-OSr. Joaqnm Antonio Mari-
nho, morado/ em MiXoi, alforrinu gn'uitamente
duas escraVas suas de nomes Maria e Antonia,
nicas que possuia.
PAR A11Y8 A.Temos datas da capital desU pro-
vincia at 10 do corrente.
A assembla provincial extraordinaria con-
vocada pela presidencia da provincia, abrio-se no
da 7,lendo nes a oc asio o Exm. Sr. senador
Almeida o Albuquerque o seu relalorio em qua
expoz com clareza e precisao, o estado grave as
i naneas da provincia, >olicitando medidas adeojna-
Jas para melhorar a crise.
Foi derajltido o ajudanle do engenneiro das
obras publicas Antonio Polari;no s porsuauua-
lia.le de t;rangeiro, como por nao sorera aclual-
funccioPMv 'i0S SeUS *ervi5',s rePisao em quo
Cumiada
biic;i.
0 furlo de oavallos tem diminuido alguan
!*&* Jl:O00|000
1 Blhia 6:65i|00
< o Rio de Janeiro 10:500*000
FESTA BE SANTA LUZIA.-Na igreia do Li-
wamento ttr lugar hoje, a festa dessa eeneranda
Sanu, sendo orador da festa oflwn. padre Raphael
Antonio Coiho, e do Tu-Dnm o Rvm. padre
Mello. '
EM TBAHSITO. Com 3 receidos ao nesso
porto, levou o SineVk para a Europa 91 passa-
geiros.
HOSPITAL PORTUGTJEZ.-Este hospital na se-
mana de 4 a 10 do corrente, sendo mordomo Ma-
noel M. de Oliveira leve, o seguate movimento :
-Exfoliara 41, entraran) 11, sahiram curados 12,
eceu 1, existem 39.
COMPANHIA PERNAMBUCAMA.-Hoje o ul-
timo dia em que recebem carga os vapores Ipo
juca e Mandah para os porlos do oorte e su-
conforme o aanuucio da mesma eompanni*.
HOSPITAL PEDRO II.O uiovimentp desse es-
tabeiacimeMe de 5II de dezembrode 1870 foi
de 236 doentes existentes, ntrarara 40, sahiram
21. fallecern) 4, exislem 231, sendo 160 homens,
e 91 mulberes.
Advertencia.
Foram visitadas as enfermaras nesses das
as 6, 6 1/2, 6 6 1/2, II pelo Dr. Ramos; as 10,
9 l/i, 10 1/2,10, 9. 10 pelo Dr. Sarment.
Fallecidos.
Manoel Joaquim de Sant'Aona; tubrculos pul-
monares.
Laurentino Antonio- Bezerra ; apaplexia serosa.
Jos Thom Fragoso da Silva ; infeecao pura-
leote.
Luiz Bezerra da Silva; febre amareila.
LOTERA.A qne se aeha venda a 174*, a
beneficio da igreja de Nos/a Ssnhora daBoavil-
gem, a qual enrre h"jo 13 do corrente.
PASSAGEIRO. Sahidos para o sal no vapor
Paran :
Amonio Duarle d'Oliveira Reg Netto, Rodo-
piano Raymundo, major Sil vino de Cerqueira
Daliro, capio Jo- Pedro de Alcntara, alferes
Silvestre Gomes de Sant'Aona. Dr. Manoel Ri-
beiro Barreto de Menezes, Dr. Qointino Ferreira
da Silva, Dr. Francisco Frederico da Rocha Vieira,
Jos Antonio Floreta Bastos, Joao Pereira des
Santos Andrade, Candido Jos Magalhies Garces,
r. Jos Alexandre de Souza Galvao, Mathens V.
de Oliveira, Cicero B. de Mello, tenante Henriqne
C. Brrelo de Almeida, Dr. Innocencio Alvares,
Firmino L. de Caslro e i criado, Joib Diogc da
Fonseca Amaral, Jos M. da Silva, Manoel Anto-
nio da F. Costa e um criado, 1 escraVo io com-
raendador Joo Pinlo de Lemos, o imperial ma-
nnheiro Jos Francisco de Almeida, Nathan Klein,
Manoel ae M. Camp s, Joo de A. Monteiro, Syloio
la S. Ramog, Nylo da Silveira Ramo, Dr. Fran-
cisco J. da Silva Porto e 1 criada, D. Balbina de
Jezus Pinheiro e 1 criada, Antonio R. dos Santos,
Manoel A. Cordeiro Guaran, Manoel Jo' Alves
Coelho, Jo; G. Mangabeira e 1 criado, Joao Cara-
pos, Domingues B. de Araujo Pereira e 1 filho,
Francisco de S. Mello, Jo Castro Monteiro, len-
te Antonio Francisco Maia, e Pedro Francisco de
A. Mello, Antonio M. da Rosa, Joo dos Res S.
Dantas Filho e 1 criado, Domingos Moreira Dias
Bastos. W. Wcher, Dr Jos Augusto Barboza
Coelho, E. Emilia de' Mendonca. -e sua sobrinha
Rita de Mendonca, Claudtno Falco Dias e 1 filho
menor, Luiz F., 1 escravo do Baro da Soledade,
Jos de Abren Miiado 6* batalhao de infantera,
Silveno da H. Cavaleante, Henrique Kopke, Can-
dido da Silva L~A<\
Sabido* no vapor francez Sindh :
Andr M. de A'nieida. S. de Pulir, Joaquim
daS. Torres, Augusto ?. Reinor, Francisco Dinam.
Entrados do sul no vapor ingtez Sindh :
Jos Joaquim G., James W.. Joo Bandeira,
Priehit P., J. J. Silva P., Ignacio L do Amaral, L
do Amaral Lima, J. E. Christiani, Joo E. Silva
Lisbda, J, Pereira Mello H., Joo Dautas H., Joa-
quim Nepomueeno Torres, A. C. de C, G. P. Vi-
anna Bandeira, Olegario los dos Santos.
Sahidos para o'norte no vapor Arincs :
Capitao de cominsso Luiz Francico de Paula/
Aiubuquerque Maranbo, Exm. Dr. Manoel do
Reg Barros de Suozj Leo e 3 escravos, Jos Tei-
xeira de Vasconcellos, Francisco Teixeira de Vas-
concellos. Amalia do R'go Barros, Joo Caciano
Barnardino de Brilo Ferreira. Autonto Domingues
Ramos, Joaquim da Cta Alecrim.vDr. Pedro
Emygdio da Silva Riws. Augusto Carlos de Mello
Leite, Dr. Jos Maria Leil) da Cunha, Felippe
Jos de Lima e 1 erado, Carlos Hypolito de Santa
Helena Magno, Antonio Vicente Magn\ major Joao
Goncalves Baplista de Moura, Celso de Magalhes
e 1 criado, Jos Marques dos Santos, Antonio Ale-
xandrino Ribeiro Lima, Raymundo Francisco Car-
neiro Monteiro, Dr. Benedicto H. de Albuquerque
Henriques. D. Maria Jos Gsmes. Antonio Rodri-
gues da Costa, Sebasliao de Mello Reg, Xilderico
Araripe de Faria, Jos Pereira de Carvalho, Fran-
cisco Pedro.
Vindos do Rio Formoso no vapor Parahyba :
Thom Jacimho Gouva, Jos Mariano Carnei-
ro, M. noel L. Mends, Hypolilo F. da Silveira e I
escravo Sebastio N Pessoa, Thnotonio T. da Mot-
ta, Miguel G. Jnior, Jo< Martina, Antonino F.
Pereira e 5 pessoa. Dr. Joo Cimbra e 1 escravo,
Antonio Moreira Vianna.
De Paula dflfcpiuola, no mesmo sentido respec-
tivamente m eu caixeiro Francisco Alflro de
Barros Correia.-Cuio requerm.
De Joaquini Custodio de Oliveira, no mesmo
sentido quaotu do seu caixeiro Herraino Ateiaoo
Vianna.Sim.
De Aulono da Silva Carneiro. pedindo cerlidio
de ser Joaquim Francisco Maciel Pinaeiro caixeiro
I "de sua leja
das )*pireiurWlM|ga
"ndo.CertiQque-se.
tero filho ASobriaho.
ausencia do Sr. depolado
dos n. 94, e
Memorial 4e
Contina adiado
Rosa.
COM PAURKa DO IB, DBUHBARGAJMft TlSCAt
RequerioMMos :
De Auznsl) Octavinno de Souza, pediodo matri-
cula.Como pede.
De Fraacifco Antonio de Assis Gees, idem.-
Corao requer.
De Joaqaim de Souza Silva Cunha, idem. Slm
, De Luiz Jos Pereira Simoes, idem. Deferido.
D* lote Alves Barbosa Jnior, oatural desu ei-
dade e nefla morador, inaior de 29 annos, estabe-
lecido com eseriptofio de eommisdes de assn-
car e outros gneros, pdindo tambera raatricu
la de commerciante. Attestam em seu favor o ba-
ro de Bemflca, Ijaro de Nasareth e Antonio V
da Silva Barroca.Como requer.
Summano contra o agente de leudes Estrella.
Contina adiado em consequencia do nao compa-
rec meato do Sr. Rosa.
Contracto social de Pelippe Estrelia & CAdia-
do em quanio nao fur decidido o summano.
Rehabilitaco de Lourengo Pereira Mendes Gui-
maraes.Adiado.
A's 11 horas e meia foi encerrada a sesso.
UIROM A JUBWIARU.
liUIII \\I- DO COH1IERCIO
ICTA DA SESSAO ADMINISTRATIVA DE 9 DE
DEZEMB:lO DE 1870.
'RE5lDl^NCIA DO EXM. SR. DRSBMBAHGADOR ANSILMO
KHANCISCO PRRBTTL
s 10 horas da manliaa, presentes os Srs.
deputados Miranda Leal e Basto e o supplente Sr.
S Leiio, faltando com participa?o o Sr. depu-
lado Rosa, em cujo impedimento foi nome .do e
mesmo Sr Miranda Leal para servir de secretario,
$ Exc. o Sr. presidente declarou abena a sesso.
Lida, apppovada a acta da sesso do 5 do
correte, com declarepao de se ter dado omi sao
aa acta da sesso antecedente em se nao declarar
Iue foram'iambem aitestantes em favor de Amaro
ss dos Prazeres os coramerciantes S Leiio Ir-
mos.Esteve presente o Sr. deserobargador fis-
cal.
DESPACHOS.
Requer mentos:
Di Dr. Luiz Rodrigue Villares, amanuense in
terprete da secretaria deste tribunal, pedindo que
se consulte ao governo para se Ihe abonar a gra-
liflcaco da 4" parle do. seo ordeoado nos termos
do arl. 44 do regulamento n. 738 de 25 de novem
bro de 1850, visto contar 10 aaaos efectivos de
bons servico?.Diga secretaria.
De Jos Luiz de Mello, natural desta provincia
e residente na respectiva capital, com 34 anuos
da idade, e;labelecidoj) ra do Duque de Caxias,
em fazendas por grosso e retalho, sob a razo so-
cial de Mello & Oliveira, podmdo matricula. Abo
nam seu crdito commercial Keller & C-, D. P.
Willa & C. e A. Burle A C.-Vista ao Sr. de em-
bargador fiscal.
De Jos Domingues do Car no e Silva, com 30
anuos detlade, natural desta cidade e oella resi-
dente, commerciante de grosso trat e membro da
firma social de Candido Alberto Sodr da Molla,
pedindo tambem matricula.' Abonara sua capaci
dale legal Luiz J. C. Amoriro, Anlonio Jos Silva
do Brasil o Joaqaim Felipe da Costa. Vista ao
Sr. desembargador fiscal.
De Seyeriaoo de Siqueira Cavaleante, com 43
annos de idade, natural desta provincia e nella re-
sidente estabelecido 'com escriptprio de commis-
toes de assucar e outros goneros, pedindo Igual
mente ser matriculado. Attestam os commercian-
tes Candido C. G. Alcoforado, Gorbiniano de Aqui-
no Fonceea e baro de Nazarelh. Feita a revali
dacio por ao estar a estampilha ioatilisada, voile
a pelico.
De Hiooel Pereira da Cuaba, da 27 annos de
idade, natural desta proviocia, em cilla capital *
domiciliado, sendo membro da firma Cunha A L,
com com commarcio de impertacao eexportacao,
pedindo ser individualmente matriculado. Attes-
lam em seu abono Antonio da Silva Ferreira Ju
ai jr,.Luiz Antonio Siqueira e Adriauo Castro &
CVista ao Sr. desembargador fiscal.
De Francisco Joaquim Ribeiro de Brilo e Cor-
biniano de Aquino Fonceca, dando conhecimento
Je terem procedido iuventano e balanco da so
ciedade extracta de Thoma de Aqnino Fonceca 4
C.,nos termos do art. 7* do contracto social. Di
ga-se a secretaria vista do art. do contracto ci-
.tado pelos suppcautes.
De Jjaquun Paulino Nicas Muaiz, offei.eceudo
e a of. [a registro a nuueago de seu caixeiro Cnrystovao
SESSAO JUDICIARIA, EM 9 DE DEZEMBRO
DE 1870.
r&K8DUiUU DO BXM. 8B. DESBMJJAaOADOa A. T. PE-
MIL
Secretario, Julio Guimaraes.
Ao maio dia deelaroa-se abena a sesso, estan-
do reunidos os Srs. desembargadores Silv Gui-
maies, Reis e Silva, Accloli, deputados Basto, Mi-
randa Leal e supplente. S Leilo, faltando cora
participaco o Sr. Rosa.
Lida foi approvada a acia da sesso pas-
sada.
Foi aprosentada a peticio, que o Exm. Sr. con
selheiro presiden!' da provincia raaodou ioformar,
do- continuos e offlciaes de justiea deste tribunal
sollicitaodo do governo imperial augmeolo de seus
ordenados.
ACCOBDAO AS SIGNADO.
Embargantes a viva e herdeiros 'de Diogo Je
da Costa, embargado Antonio Duarle Carneiro
Vianna.
JULGAMHNT03.
Juizo especial do commercio : appellante autor
Joaquim da Silva Cota, appellado reo Jos Rodri-
gues Cordeiro; juizes os Srs. Reis e Silva, Aecio-
li, S Leilo e Miranda Leal. Foi reformada a
sentenca aapellada, sendo voto vencido o Sr. S
Leilo.
Juizo especial do commercio : embargaule ap
pallante autor Antonio da Azevedo Neves, embar-
gado appe lado reo Bento Jos de Macedo Pocas;
juizes os Srs. ReU e Silva, Accioli^M.randa Leal e
S Lail). Foram desprezados os embargos.
Appellante Antonio Joaquim de Vascoocellos,
appeUad-is os administradores da massa fallida de
Joao Ferreira da Costa Soares : adiado a pedido
de um dos Srs. deputados.
Continan) sobre a mesa, por nao ter compare-
cido o Sr. Rosa, os felos entre panes, embargante
appellaa>e reo Joaquim Francisco do Espirito San
lo, embargados appellados autores Lhmann Fre-
res; appellante Jos Barbosa de Carvalho. appel
lado Antonio de Sou.a Braz ; embargante Joaquim
Francisco do Espirito Santo, embargado Jos Fe
liciano Nazarelh; embargante Miguel Archanjo
de Figueirodo, embargado o tutor das menores
Manuela e lgaez ; appellante o administrador da
massa fallida ae Manoel do Amparo Caj, appella-
do Miguol Archanjo de Figueiredo.
DES1GNACAO DB DIA.
Nao estando presente o Sr. Rosa, o Exm, Sr.
presidente designou o primeiro dia mil para o jul-
gament) do feio em que sao parles, appcllaoie
Joaquim Autouio Pereira, appellado Vicente Jos
de Brilo.
PASSAGEM.
Do Sr. desembargador Silva Guimaraes ao Sr.
desembargador Reis e Silva; appellanles Jobnston
Pater & C, appellados Tasso Irraos.
Do Sr. desembargador Reis e Silva ao Sr. des-
embargaJor Silva Guimaraes: appellaote Joaquim
Fraocisco do Espirito Santo, appellado Joao d'Oli-
veira Leite e Souza.
Eacerrou-se a sesso a meia hora da tarde.
PUBLiCACOES A PEDIDO.
sem alleraco a salubridade pa-
gnta los Jor-
algodoe
crise com-
calamdade puliliea, oo obstante
tiaes da localidade.
O circulo Cassal prosigue multo concorrido
apezar da crtse raoneiarii qae nos Qagella
.Sao insignificantes as safras de
r, pelo que contamos com um
marcial nunca vista nesta prace.
O algjjdao iota-se a 7*200 a* arroba, e oasse'
Etkiique.
PAItA S. EXC. O Sil. PRESIDENTE DA PROVINCIA
E O DR. CHEFE DE POLICA VEREM.
O ercandalo, a immoralidade e a eorrnpco tem
aliingido ao mais alto grao, que possivel no ter-
mo do Buique.
Nao sera razo que o dzemo. O soffrimen-
tos porque a cada momento vamos passando, sem
encontrarmos para elles unitivo na polica desta
infeliz localidade. autorisam-uos a que digamos
milito mais.
Nao nos oceuparemos de fados estranhos, para
que nos nao qualifiquora de odenlos, e consegain-
lemene nao decaiam nossas amarguras do crite-
rio e valor que ellas merecem.
0 fado que vamos relatar revolta ao mais ab-
jecta e cynico espirito, quanto mais aquelles, em
cujo eorac) rebalem com a mxima violencia os
seuiiraentos de frateraidade e bro 11
Era 29 de dezembro do anno prximo paseado,
foi meu irmo e intimo amigo Jos de Albuquer-
que Cavaleante brbaramente assasainado por Jos
M igalhaes da Silva Porto, em pleno dia na povoa-
Esse facinora, q"ue desenvolvendo nesse lamen-
tavel arontecimento o mais subido grao de per-
versidade cravou diversas pnnhaladas sobre o pei-
to do miiu infeliz irmo, j mesmo depois de mer-
lo, ese facinora Jos Magalhes, n que, tendose
evadido da cadeia desta villa, em se saber mn
e por onde, se acha h'je, como que apatrocioado
pelo delegado de polica o major Sevenano Carne -
lo Pessoa Cavaleante, e pelo subdelegado da Pedra
Joo Salzado (Cavaleante, transitando pelas ras da
l'o Ira ao meio dia, armado de clavinote e faca de
f-poota.
Nao basta a Jos Magalhes ter assasainado meu
irmo, e passeiar boje impune pelas ras, que re-
gou com o sangue de sua victima, seno mais para
completar a sua obra de malvadesa e infamia, in-
sulta a mim, a mea irmo e pa,provoca-nose
ameaca nos at de assassinar-nos.
Temos invidado todos os meios e recursos para
previnimos qaal juer desgnea, mas todos os rec a-
mos, que temos feito ao delegado de polica o ao
subdelegado da Pedra, para que .providencien) de
tornar a ser preso dito criicraoso, tem si Jo com-
pletamente baldados.
Reccorremos a final ao Dr. juiz municipal, visto
nos termos convencido de que as autoridades po-
liciaes, canhuma aitenco davam as nossas quei-
xas.
O Dr. juiz municipal, verdade, insomraodon-se
bastante com semeliante noticia, e enviando ao;
subdelegado do districto da Pedra Joo Salgado
Cavalcanle um offlcial de jusllca com cinco pra-
cas para eflectuar a pnso do faciunora Jos Ma-
galhes, respondeu aquelle subdelegado ao mesmo
offlcial de jastfca Joo Marques da Cosa, que o
nao prendera, em vista do que voltou este com
os cinco soldados sem levara effeit a deligencia
Em consequencia dessa resposla di subdelegado
ao offlcial do justiea, e anda mais por me constar
e ser pul) ico qae Jos Magalhes vive na mais
estrella intimidado com aquella subdelegado, co-
men Jo e donntodo na casa deste, n .s absleraos
completara, ate da nos dirigir aquella auturidado,
>obretudj porque, tendo ido o inspector da policio
Franceliuo Monteiro Cavaleante pedir ordem ao
referido subdelegado para prender o facinora Ma-
galhes, aquelle cha Ih'a quit dar.
Assim pois, as eonJicoos em que no) achamos,
ameacados at demorte rogamos encarecidamente a
. Exc. u Sr. presidente da provincia e ao Sr. Dr.
chefe da polieia, que, quizer ouvir nossas queixas,
como pacidos do iotiuio de nosso corajio, e pro-
videnciar do forma a que se possa pievenir e dei-
xar de lamentar a desgraca de mallos pas qe Ja-
iiiilia.
Na .verdade, ae sardes forem sos nossos recla-
mos, Vv.^Excs. 'certos tambem podem Qcar que
tes seilo os ullimos recursos e urudeucia, que,
por cerl >, eoovUaremos.
Fazimos este publicado para, que fique sciente
o publieo de quo, apesar du desespero, a que nos
'.era levado o ficjnora Magalhes temos invidado
todos os recurso, quem a lei e
r-^7% Ag;n---------------
cas providencias, no sentido de se prevenir mais
um desaawee lafteniavel aeonleenianlo, mni-
to confiamos, que deeta -vez, jwrtivss termos a
tantos dissabores, porque sos tem feito pastar
perverso Magalhies.
Buique, 3 de dezefflbro d* 1870.
Joaquim Leite Cavalcautf.
O MINISTRO DO n*KH(*te*. JOAO ALFRBOO B 0 COR-
MSPO.N0F.NTC OB MMAUBUCO NO JORNAL Wi
COMMERCIO DO DIA 10 00 OOBRNTB.
E' urna flagrante injpetira a apreriacao do cor-
respondente de Pernambuco sobre a "nomeacao de
Dr. Manoel do Reg para a presiioVncia do Piauhy.
Qutm Ihe aieancou essa posiclo nao foi nem e
eeeniese*, nem arecommendaco do Sr. visconde
de Camaragibe, mas o proprio merecimenlo do
nomeado.
Quer pele concert bem adquirido de illuslrado,
estudio!o e numerado, e quer pela connrmaeao
desse rdito pelos seas discursos proferidos na
assembla provincial de Pernambuco, o Dr Ma-
noel do Reg era apontado pelos que o conheeiam
como urna bella acquisico para os.altos eargos
daadmlmstracao; e o digno mitiistr'lo imperio
conflando-lhe tal comraisso nada mais fea que
dar nma prova do desejo de acertar na escolha
do pessoai administrativo, e aproveitar e verda-
dero merecimenlo para os cargos importantes
do paiz.
A nomeaclo deve ter sorprendido o noffleado.
Melhor. Nao.porqae a violeta ocrulta-fe de-
baixo da densidade dafe folhas ape o perfume
deixa de denunciar a existencia da Tlnr.
Assim deva aconiecer cora os homens de lelps.
No remanso do gabinete que o g**eruo deve-
entrar inesperadamente, rogando o* para repar-
tir com a sociedade os frucios de suas rigWaV
Quanto mais habilitado o individuo, mata da-
vida de si, e mais modesto .
E quera conhece melhor isso o poltico que
elevou-se as altas posicies pelo* esforoos pro-
pros.
A eonquisu alheia nao motivo de enveja, e
nem pesadelo atormentador.
Pelo contrario. A compartigao da* vantagens
da publica considaraco encarada como premio
devdo ao merecimenlo real. Sendo ele o pro-
prio que vai ao eacoatro dos iadividuos habilita-
dos para auxlia-lo aas arduas tarefas de que se
acha ucumbido.
Alem de proficuo estimulo, semelhaale compor-
u.)ento digno de maiores elogios.
Quautas vezes, porem, laes actos dictados
pelos mais puros sentimentos do bem publico nao
sao desvirtuados pela maledicencia ?
Nesse caso esta a ceosura do correspondente
de Pernambuco: sendo Unto maior a Djost.ca,
quando o correspondente sabe perfeitamente que
o Dr. Manoel do Reg sobnnho do Sn bario de
Villa Bella, antagonista do digno Sr. conselheirn
Joao Alfredo.
De-nos censura to injusta. Se o Dr. Manoel
do Reg foi elevado a presidencia do Piauhy, deve
essa pisieo nao s aos seus verdadeiros mereci-
menlo*. como ao espirito de rectldo, e ao de-
sejo de ver nos primeiros cargos do paiz, d^
actual ministro do imperio.
Assim como elle coaquistou a posicao que tem
aos seus esforcos, tambera desej i que os antros a
conquisiera pelos seus esludos e habllitacoes.
Fados seraelhantes henram aquem espratica,
como aquelles a favor de quera sao feitos.
E' esta a rectilcaclo qae fazemos a censura da
correspondencia de Pernambuco.
Tributo de gratidio.
A Sociedade Liberal Uao Beaeceale ; falla-
ra a um dever da gralido, se nao ve;se. oeraate
o pabheo reconhecido, cordialmente agradecer a
todos quanto se dignaran) com seus prestimos, au-
xiliadlo para a soleranisaco do 3* anniversario de
sua rastallaco, que solcmnisou-se no dia 8 do
corrente, com especial menejio, as religiosa- r-
mandades da Senhora Sant'Anna e Mai do- Ho-
mens, erecias na igreja da Madre de Deus ; que
anida por esta terceira vez por demais astidnas
foram cm comparecer ao acto celebrado no mes-
mo templo ; attendendo em seu todo o nosso pe-
dido e convite : assim como, e, da mesma forma,
s sociedades, nossas irmas e oulros cidados,
qae pela autorizada palavra de seus representan-
tes no decorrer do da e noute de sua sesso mag-
na a melhor abrilhanlou, demonstrando o verd.i-
deiro caminho para a sna prosperidade social e a
muiuilidade inherente aos sauJii_da btneficc'i-
ciasendo -estasfonte no Popular, Monte Po
Brasileiro, Uniao Benelicente do3 Talladores, Club
Popular e os cidado Jos Firmo Xavier, acad-
micos Jos Maria da Rocha Car/albo, Francisco
Antonio de Oliveira e Silva, Peliao Goe-ie?,
Augusto Cesar Consseiro do Mattos, e o nosso
mni digno soeio Honorio Florano Correia de Bri-
lo e effectivos, Joa.juim Teixeira Peixcto Filbo e
Pedro do Rosario; seria tambera alheio se aqu
nao consignasse os relavantes strvicos auxiliares
que Ihe tem prestado a illustrr empreza do Dia-
rio de Pernambuco que desdo o lempo de sna
inaugurac;o Ihe te n iublieado seus aununcios e
oulros escripjos, sem Ihe exigir um ceilil.
Acceite por taoo todas estas benemritas cor-
poracSes e cidados, nossa adhesadasympalhia, al-
to apreco e dedicarn, e em quanto aos seas ser-
vicos, a Deu3 competir recompensa-Ios, e nos nos
tributara os.
Secretaria da Sociedade Liberal Uniao Benefi-
cenle, em 10 de dezembro de 1870.
Innocencio Xavier Vianna Sobrinbo,
I* secretario.
f. 18iAGUA DE FLORIDA DE MURRAY k
LANMAN.-Todos os perturaos os mais delicados
sao obtidos das flores das regioes d > trpico ; e
de todas as eisenciaes da aroma'.ica flora do tro-
pieo, esta por sem duvida a raais dura lora, pu-
ra e dei icio-a p >r excedencia. Ella embalsama a.
respirac) e da um agradavel e fnigrante slbor
ao paladar, todas as vezes qae se usa pelas ma-
nhas como enxagamento da boca mixturada
n'uma pouca d'agu, as maneira appeiecivel o mau goslo do charuto de -
pois da se haver fumado.
Os senh res, uo obstante a presente predomi-
nante paixo de barbas compri la?, os quaes ainla
conservara una cria preferenca no uso da na-
valha de barb ; acharan c ra agrad iwl sorpre-
za, que esla deliciosa agua de cheiro, orna ve*
levemente applica ao roto depois da barba feita
os exempu da sua usual penalidade sentida tgo
pois d-s de ardencia da pelle barbeada.
qua-
N. 186.-AGA DE FLORIDA DE MURRAY \
LANMANCom quasi toda a certeza p-le se por
era duvida so t as mil e urna variaveis flores
que adornavam e Jerramavam to delicioso per-
fume sob o verdescento jardim do Pariso : es-
palhwam urna fragrancia mais para e delicada
na atmosphera, do que aquella que se diffunde e
encha o gabinete de vestir, ou Boudoir, no pial
se haja aberto um fras:o desla odorfera e delei-
Uvel agua de cheiro.
Comparada com o passageiro e voltil cheiro
cessenriao ordinarias, o seu mimoso e ^elieloso
aroma p-ie-se ehamar inextinguivel, inapagavel,
nmqnanto que por outro lado a verdadeira onh-
la essencia era sea genero, que d'uma maneira a
mais viva, nos faz agradavelmente recordar, tra-
zendo-nos mente o deleitavel e genuino perfu-
me das aromticas e floresceoles flores; n'nn pa-
lavra nella existe e floresee a belleza e o encaa-
tamento.
O volme do delicado aroma espargido de al-
gumas golas derramadas sob o lenco,^ verdadei-
ramenie maravilhoso e deleitavel; e come um
agradavel meio d restaneleeer desraaios, vertigens
e dores de cabera, assim como servmdo de odo-
rfero adorno pessoa e ao paladar, quando usa-
da em dilnico eomo nm enxagoamento de boca
ou cosmtico, ella por eerto nao tem sea igual efe-
tre todas as mais agaas chorrlas impifruraa.*.
COMMERCIO.
ALFANDEGA-
Reudirocnto do dia 1 a '10.
dem do dia i*
3lo:76fi|(.'Jyi
34*83**060
350498108
VovlHicnto da Ifaadesa
Volumes entrados com (atoadas
. com gneros
Volumes sahidos com.fezpudas
c i com Seberos
13J
1416
-- m
JB
"2*
l



w
Deicarregara hoje 13 de dezemro.
Barca inglezaDelpktn -diversos gneros.
Barca portuguexaS. Migueldiversos genero.
Patacho ioglexJfmirvarios gneros.



I

Brigue Tnglez -msefin-tmn.
alera ioglea-^-^jM^ fasfrlu de trigo.
Ghtestal farinha
Patacho americano
trif o.
'5?'0*.. %|WL~ftwMoiid di wrsos gneros.
Despachas de exportado' no da 10 de
dot&tabro
Na barca iogleaDrtadnauakt, para Ca-
nal carregaram-. Keller & C, 235 saeeas om
35,705 kilos de algoaa
No brigue ioger MtryJohnston, para o Ca*
nat-earrafanun-: Rafea Scbanmettoa 4 O. 298
aocas cora 81,217 kilos da algodao.
No brigue />rtuguez l/moo, para o Porto,
Tegaram : T/iomaz de Aqaiao Fonseca & C,,t
cas cora 3,379 kilos de algodao ; Carvalhol
cNofMira, 50 saceos com 3,750 kilos de acucar
raajOi 50 ditos com igual paso de dito masca-
vado.
Na barca inglez H'irmione, para Liverpool
carregaram : Joahu n Patar om 60.000 kilos de assucar raiscevado.
N) brigne portuguez ata f, para Lisboa
carregaram : T. de A. Ponseca & C, 800 saceos
cois 15,000 kilos de assucar bramo e 600 ditos
com vWO kilos de dito maseavudo.
No palhabote portoguer Novo Protegido, pa-
ri 9Jio da Pnli carr98ou Joaquim Jos Gonoal-
ve Bbltrio, 45 barricas com 3.337 kilos de asn-
ear branco e 15 ditos com 1,183 kilos dadtto raas-
etkida.
No patacho hespanhol Invenavel, para o Rio
tarraia carregaram : Pereira Carneiro & 300
barricas e 50 raeias ditas com.32,404 kiios d? as
suoar. branco e 150 barrica cora 18,296 kilos do
alto masca vado.
No brigue portugus Soberanot para Lisboa
tarragaram : e. II. tabello & C, 400 saceos tora
.'.oiOO kilo de assucar bramoo Amorim Irmos
A 74 couros seceos espichados com 818 kilos
RECEBEUORJA DE RENDAS INTERNAS
GERAES DE PERNAMBUCO
Keodimento do dU 1 a 10. 17:533*514
dem do dia 12 8:868*092
26:401*606
MOVIMENTO DO PORTO.
Navio entrado no dia It.
Newport39 dias. barca ioglea Rmpress, de 399
tonelada, capio Anthony Pugsbey, equipagem
12, carga carvo ; a ordem.
Nano sabido no menino da.
Rio de Janeiro=.Palacbo brasileiro Esfrega, cap
tao Candido Rodrigues Vianna, carga assucar e
tutros gneros e 3 escravos a entregar.
Portos, do sulVapor brasileiro Paran, coraraan-
dante Moraes, oarga varios gneros.
Nidios entrados no isa 12.
Rio da Janeiro e Bahia 5 din. vapor franca
Sindh, de 1797 toneladas, commandante Gio.-t,
equipagem 13!, carga diferentes geoeros : a
Tieeset Frere.
New-y >rk46 dia, brigue norte allemaa Helios,
da 248 toneladas capitao Menke. equipagem 9,
carga 700 barricas com farinha de trigo e ou-
tros gneros, a Henry Forster &
Rio Formoso6 liares vap >r brasileiro Parahyba
de 104 toneladas, commandante Oliveira, oqui-
pagom 14, em lastro ; a compaohia Peroambu
cana.
Navios sonidos no memo dia.
Borde.iux e portos intermedios Vapor francez
Sindh, commandante 6io que ironxe dos portos d> sul.
Cear -Barga ingloza Flynj Cloud, capitao West,
em lastro.
ObservacSo.
Suspendeu do lamaro para Corck, a galera
araerisana Hilen Goodofred, capitao Prebel, com a
mesma carga que trouxe de Bakers Isiand (no
Pacifico).
*> '?^Bvwftwm da SRItvpor us
da vofcajL
61 Jos Fjmm da Reg M& idem.
62 Jos aMa fe AlbuanjiSL Mello
idem,
^3LLwHr98 Fer**.'*
6 Jajay TVtMi de Aquiu, par mHona
los. ^^^
65 Jos Vranna Vaz, idem.
66 Jos Zeferlno Ferreiaa Velloso, idem.
67 Joviniano Avelino Pereira Darte, dem.
68 Jastinlano de Mello e Silva, par nnanimidade
de votos.
69 Juventino Infante Los Theraado, por maiona
de voto*.
70 Laoriano Jos de Barros Filho, idem
71 Leandro de Almoida Kibeiro, idem.
72 Lelo Alves Manaia, idem.
73 Luiz Frederico Cjdeeeira, por nnanimidade
de votos.
74 Luiz Manoel de Oliveira Mendes, por raaioria
de votoa.
75 Manoel Alves Vitalia, idem.
76 Manoel Carneiro de Souza Bandeir, por
nnanimidade de votos.
77 Manoel Femira da Silva, idem,
78 Manoel Francisca Raftellir, por materia de
votos. p
79 Manoel Gomes da Silva, idem.
80 Manoel Joao de Oliveira, idem.
81 Manoel Jos Kerreira, idem.
82 Manoel Jos Fernandos de Barros
idem.
83 Manoel Mara de Sant'Aona
dada de votos.
84 Manoel de Mesquita Wauderlev, por miorla.
de vetos.
85 Manoel Pereira. Taixeira, idem
86 Manoel da Suva Bomfira Junior, idem.
87 Manoel Jos de Medeiros Correa, por unani-
midadn de voto.
88 Octavio Augusto de Magalhes, por maioria
de votos.
89 Permino de Araojo Lima, por unanimidade
de votos.
90 Pedro Lao Vellozo Filho, por maioria de
votos.
91 Raymundo Carneiro
unanimidade de votos.
92 Rodolpho Joo. Barata de Almeida Filtio por
maioria de votos.
93 Rodrigo Correa de Araujo, idem.
94 Salustiano Jos de Oliveira, idem.
95 Uriel Gomes de S, idem.
96 Vitalino Cordeiro Lins, idem.
97 Joaquim Cordeiro Ai vim de S, idem.
Secretaria da Facnldade de Direito do Recife,
13 de dezembro de 1870.
O secretario interiao
Manoel Antonio dos Passos-e Silva Jnior.
3
Sonrintro,
P, por nnani-
orremitacaa as sua Sateae, ai cofafarteerem
MtwnMiA ifewettivt liad
^wmtWMJkWszW, *Wi5rtU *> Re-
eift, 90-om novembro de 1870.
O escrivo,
Pedro Rodrigue d Soaia.
Da ordem do Illm. Sr. coB-elfeeirointfecior
da tfeeseararia de fazenda desta provincia se faz
publico que no dia 17 do corrate mez, pelas t
horas da tarde, ir a praca para ser arrematada
em basta pnbliea perante a jnnta da mesma the-
souraria a quem maitder a casa terrea u. 11 sita
na ra de S. Sebastiio da villa de Iguarss, ava-
hada em 200*000.
Qs pretendentes deverao dirigir snas propoata
em cartas fechadas ao mesmo Illm. Sr. contelhei-
ro inspector at as 11 hora do referido dia cima
indicado.
Secretaria, da thesouraria de fazenda de Per-
nambuco 7 de dezembro de 1170.
Servindo da' offleiai-maior,
Manoel Jos Plfito.
P.\ pi> vapor.
>;noa.
0, vapo Puraltuba seguir psra o
porto, acjma no-di 16 do eorrente as
9 feons dt noite.
- carga, encommendas, passageiros e di-
oneiro a frete, esenptorio no Forte do Mattos
r
Recebe
Pela recebedona de rendas internas geraes
se faz publico que ueste mez de dezembro que
as irmaadades religiosas? o bancos, companhias e
sociedades anooymaa e quaesqner awociacSes
pias, beneficentes oo religiosa teem de pagar a
decima de mi mora-, llvte*de multa, relativa ao
1* semestre o cecetcio conmnla de 1870-71, en
qpe, flndo raferidb paso, ser pasar com a mu
,l\de6Q|0. ^
l Recebederia. de Penumbaco i* de- dezembro dfe
1*70.
O administrador,
Maaoel Carneiro de Soaz LacerJa.
por
de Souza Bandeir a, por
Cwisulato provnwial.
Na forma do a. 80 g de, le provincial n.
963, aviase per eata. repartirlo, a qnem interes-
sar possa, que com o-mez. de dezembro prximo
abra-se oprasode30 das all marcado* para o
pagamento voluntaria- dos impostos da decim
urnaaa e de 5 0|0 sobre a rend dos bew da rail
de coftporacies de mioznorta, relativos al* se-
mesiae do eorrente anejo flnanceiro dfe t870-7,
moorrendo os contribuidles que nao reallsarem o
mesmo pagamento no referido praso, necommi-
oacao do | 3 do citado artigo.
Consalado provincial 21 de novemmbro de
1870.
"Servindo de administrador.
A. Witruvio P. B. e Accioli de Vasconcellos
COMFANHIA PERNAMBCANA
V DE
Wavegafdo costea por vapor,
Paj-ahyba, Natal, Maco, Mossor, Ara-
caty, Cetra, Mandah, Aeanex e
Granja.
O vapor pajuca commandan-
te Moura, seguir para os por-
tos cima no dia lo docorrenk
as 5 horas da tarde. Recebe car-
ga at o dia 29, eneommenda.'
t.iWn? e nto'ro a frala. at as 2 horas -da
ff**) H <> oda : eaoriptorio no Forte do
anos n. 12.
"COMPANHIA PERNAMBUCANA
Mavegacdo cosletra por vapor
Mcei, escalas, Penedo e Aracaj.
O vapor Mandah, com-
mandante Julio, seguir para
os port s cima no da 15 do
crrante as 5 horas da urde.
Bfctbe carga at o dia 14,
encommendas, passageiros e
jmieJro a frete at as 3 horas da tarde da sa-
ma : noescriptorio do Porle do Mattos n. 18.
/r.aDove Jacae* comtooeiuho.
QUINTA^FEIRA, 15 DO CORRATE.
O agenta Patana far leilio par conta e risco de
quem pertencer, de 19 jacaes era excellonte touci
m "^'"^mlidoemuiB oftmais lotes,
-feil ** A-------------- "
nbo
sexta-feM 18 do eorrente, "as fliorsdamanbaa
no armazem do Aaoes.
AVISOS DIVERSOS.
INS1TOJT0 AJlCBBOBdGKO GEOGRAPBG0
E PERAMCCASO
Havori sessa ordinaria quinta-feira i5do
eorrente dezembro, pelas 11 horai da raa-
nbSa.
ORDEM DO DIA
Pareceres e mais trabalbos de commis-
soes.
Secretria do Instituto, 12 de dezembro
de 1870.
J. Soares d'Azevedo
Secretario perpetuo.
BUSTOS DE HOMENS .mteBRE, trabalho
multo esmerad em dtveraos |amaohos : no sala-
de pianos ede ratuieag, roa da Imperatrf b. H
leja.
Perdea-se w gezta-feira'9 do iwrmig ge
a Associacao Agrcola at e armazem' do Sr. Feli-
ciano Jos Gomes, na ra do Apolio, nm Bteeaez
de onro, com os vidros aines : qnem o acheta que
rendo restituir a sen 'tono, ser gratificado : na
ra das Trincneiras n. 48, fabrica, ounestlypo-
grapala.______________
Previoe-se ao Sr. rhesoareiro das towriaa~da
provincia qure o quarto de bilhete n. 1838 aertaa-
cea Jos Pereira da Silva e Joaqun Aatoaia da
Conha como e-t as cota da mesmo qdarta.
' Aluga-se um sobrado na ra d&atlBas
Ferreira em Olinda, muito fresca e muitos comrao-
dos para familia ; a tratar na rea do (Jueamado n
33, ou em Olirtda na ladeira da S na esquina que
vira para o Bvmfim.
Aluga-se otna cas* wrrea em Olinda, na na
da Ribeira B 15; mu frese propria para pasaar
a /esta : qnem a preleoder dinji-se a ra do Fi
lar n. 17, que achara com quem tratar.
O inspector interino da alfandega faz publico
que terca-feira 13 do eorrente, depois do meio dia,
a porta da mesma reparticao, serao levados has-
la publica, livres de direitos ao arrematante, 500
resteas de cebolaj a granel, pesando 1,500 kilo-
grammas, avahadas em 2495, as quae3 vieram de
Porto na barca portugueza Social entrada em 26
do mez Ando, e foram abandonadas aos direitos
por Soare- Primos.
Alfandega de Pernambuco 9 de dezembro de
1870. i
O ipspector interino,
Lniz de Carvalho Paes deAndrade
EDITAES.
vo-
Almeida, por ana-
Faculdade de Direito
De ordem do Exm. Sr. director se faz publica
a lista dos examinandos de lingua naciooal habi-
litados para serem adrailtidos ao exame oral que
deveenmecar amanha (terca-feira) 13 do crren-
te s 9 horas do dia.
1 Aeyndino Vicente de Magalhes, habilitado
pir unanimilaJe de votos.
2 Adalberto Elpidio de Albuquerque, por maioria
de vutos.
3 Alfredo Octaviano Pinto Guimaraes, idem.
4 Affmso Gonralves Meira de Vasconcellos, una-
nimidade de voto*.
5 Alfredo de Aquioo Fonceca, por maioria de
votos.
6 Alfredo Saldanba, idem.
7 Amancio Olympio de Andrade Barros, idem.
8 Amonio do Carino Seraahim e Silva, idem.
9 Antonio Francisco Pereira de Camino, idem.
10 Antonio Pacheco Soares da Silva, por nnani-
midade de 'otos.
11 Augusto Pereira Pinto, par maioria de
tos.
12 Antonio Manoel Raposo de
nirnidade de votos.
13 Antonio Ribeiro de Albuquerque Maranho,
por raaioria do votos.
4 Augusto de M.randa Souza Gomes, idem.
15 Augusto Teixeira de Azevedo, por unanimi-
dade de votos.
16 Benardino de Senna ibeiro Jnior, por maio-
ria de votos.
17 Cypriano Jos Velloso Vianna, por nnanimi-
dade de voto-.
18 Chateaubriand Bandeira de Mello, por maio
ria de voto?.
19 Domingos JosMarques Filho, idem.
20 Edmundo Rodrigues Germano, idem.
21 Eduardo Gomes Perreira Velloso, por unani-
midade de votoi,
22 E'ysio de Mello Albuquerque, idem.
33 Estevao Paes Barreto Castello Branco, por
maioria de votos.
24 Fernn i) Baptista Vieira, idem.
2o Flavio da Cunta Lima itibeiro, por unanimi-
dade do votos.
26 Prancisco Altino Correia de Araujo, por maio-
ria de votos.
|27 Francisco de Assis Bezerra, idem.
28 Francisco BaptrSia Vieira, idem.
29 Francisco Barbosa de Paula Pessoa, idem,
30 Francisco MiCiel de Oliveira, idem.
31 Francisco Magarinos de Souza Leo, por una-
nimidade de votos.
32 Francisco B rges Marqm-s, idem.
33 Francisco Ferreira de Siqueira Varejo, por
maioria de votos.
34 Francisco de Paula Goncalves da Silva Sobri
nho, idem.
1"i Fiederico Augusto Borges, por unanimidade
de votos.
36 Galdino Po dos Santos, por maioria de
tos.
37 Gaspar de Menezes Vasconcellos de Drum-
inond, por maioria de vetos.
38 Genesco Telles Bandeira de Mello, por maio-
ria de votos.
39 Ileliodoro Xavier Lopas, por nnanimidade de
votos.
40 Hennque Jlo de L acerda, por maioria de
votos.
41 Henriqne de Miranda, idem.
42 Hereulano Marques Ingle de Souza, por una-
nimidade de votos.
43 Hennque Hermeto Martina, idem.
44 Isaas Gueds de Mello, por raaioria de vo-
tos. m
48 Joo Augusto de Albuquerque Maranho,
idem.
46 Joo Baptista de Castro Rebello Jnior,
unanimidade de voios.
47 Joo Capistrano de Abren, idem.
48 Joo Gualberio Gomes de S, por maioria de
jotos.
\m '? ^oa(laim "e Freils Henriqnes, dem.
50 Joo Pedro Honorato Correia de Miranda, por
unan n.iaade de votos,
ol Joao Po da Silva Valenca, por maioria de
votos.
l0*0 da 8,VS Pire9 Prrtra, idem.
* Joequim Tmnriio do Reg Barros, por nnanl-
midade d votos.
5* Joaqoim Jerooyrao Fernandas da Cahba Fi-
Itio.por maigria de vol.
Jos de Amorim Salfado, idem.
votos ^ Si',r' P* QDtin,idd d
5T Jof Bandeir de MflBo, idem.
iw Jos Donato Gomes Ton 2. w..i^
0 Doutor Sebastio do Reg Barros de La-
cerda, juiz de direito e especial do com-
mercio n'esta ridade do Recife de Per-
nambuco por S. M. I. etc.
Fa$o saber aos que o presente edital virara
e delle noticia tiverem que a requerimento
do negociante Jos Mara Palmeira, se acha
aberta sua fallencia pela sentenfa do theor
seguinte :
A' vista de pelico de folhas duas, de
negociante, Jos Ma ia Palmeira, declaro
aberta a sua fallencia, a datar de 28 de no-
vembro prximo rindo, em que assignou
dita peticao. Nom^i) carador fiscal o bar5o
da Soledade, e no aclo do inventario a que
immedialamente e dispensada a opposico
dos selos se proceder, nomearei deposita-
rio que servir at que seja nomeado pelos
credores outro que provisoriamenie receba
a casa solida, para o que devem compare-
cer na sala das audiencias, a 15 do eorrente
ao meio dia.
Por editaes publique-se esta declararlo e
faca-se a convocado ordenada. Pagou as
custas pela massa. Recife 9 de dezembro
de 1870. Seba-ti5o do Reg Barros de La-
cerda.
E para que chegue ao conhecimento de
todos, mandei passar o presente, que ser
publicado pela imprensa e afinado nos lu-
gares do costme.
Recife, 9 de dezembro de 1870.
Eu Manoel Mara Rodrigues do Nascimen-
lo, esenvao o subsrevi.
Recife 9 de dezembro de 1870.
Sebastio do Reg Barros de Laoerda.
De ordem do Illm. Sr. subdelegado da fre-
guezia de Nossa Senhora do Poco da Panella, faz
saber a quem possa interessar, que existe depo-
zitado para ser entregue a quem legtimamente
reclamar um certo numero de pecas de roupa
branca e de core?, que foram encomradas no es-
polio da lavadeira Joaana, que morreu affogada
no Rio Capibarihe.
Monteiro, Io de dezembro de 1870.
O eserivo do subdelegado,
____ Francisco dp Hollanda Chacn.
Cwnpanliia americana e brasilei -
ra de paquetes a vapor.
At o dia IS de eorrente esperado de New-
ork por S. Thomaze P.r, o vopor americano
South Americano qaal depois da demora do eos-
turne seguir para os portos do sul.
Para frete* e passagens, trata-se com os agen-
les Henry Forster & C, ra d.o Commercio n. g.
Ama
Precisa-se de urna ama somente para cozioliar
para urna pequea familia : na ru* Sova n. 20,
toja de ferrasen?.
Precisa-se de orna ama para cozinbar e com-
prar : a tratar na reflnacao aa roa de Hortas.
Ainda est para ser vendida a armacao e per
tences da taberna do pateo do Tereo n. 11, muito
propria para qualquer principiante e tambera
para quem quizercolloer um estahelncimento bem
montado por ter a casa commodidades para isso.
a qual tem quintal e cacimba e o sen alnituel
razoavel, cedando-se ao comprador a residencia do
sobrado de nm andar por cim\ da mesma, urna
vez que precise delle para sua habitaco : a tra-
tar no mesmo sobrado.
de
CRUDO
Arrematado.
Quinta-teira 15 do eorrente ir praca perante
o juizo dos fetos da fazenda um sitio com casa de
vivenda de peira e cal, chaos proprios, na pevoa-
cao dos Afogado, ra do Gamboa, tendo a casa
24 palmos de frente e 32 de fundo, com 2 salas, 2
quartos, cozmba fra e copiar, tendo o sitio algu-
mas arvores fmctiferas e um viveiro cora parte
d'agua, tndo avaliado em 1:600* ; o qual sitio e
casa vo praca por despacho do Illm. Sr. Dr.
uiz dos feitos da fazenda e a requerimento de Ig-
nacio Jos da Luz, como inventariante dos bens de
seu casal por falleoimento de sua mulher D. Ger-
trudes Mara do Tnurapho, para pagamento das
despezas do inventario.
Maranho
A escuna Georgiana segu breve por ter a
maior parte do carregamento engajado : a tratar
com Tasse Irmaos & C.
BAHA
THEATRO
Fago saber que em raen carlono existe orna
letra da quantia de 16:0001, valor recebido sobre
ttulos depositados cerno da caucao n. 160, da qual
portador o Eoglish Rank of Rio de Janeiro, Li-
mited, e aceita por Francisco Joao de Barros. E
tendose ausentado para lugar iqcerto o dito acei-
tante^pelo presente o notifico para pag-la ou dar
a razio por que o nao faz, fleando desde ji inti-
mado do competente protesto se a nao pagar.
Recife 10 de dezembro de 1870.
Eitava inutilisada a estamnilha.
O escrivao dos protestos.
Antonio Jos Alves de Brillo.
EMPKEZA-C01MBKA
Recita extraordinaria.
BENEFICIO DA ACTIlIZ
ELE. MOTE THYERRI.
Terga-feira 13 do eorrente.
Grande e variado espectculo
DIVIDI00 EU TRES PARTES
Ouvertura pela orchestra.
Pnmeira parte.
A muito linda i applaudida opereta em um ac:o,
msica de Offemback
Les
Para e referido porto segu dentro de seis dias
a polaca italiana Sira, e por isso quem quizer
aproveitar carregar a frete commo',o, dirija se ao
consignatario Joaquim Jos Goncalves Bellrao
ra do Comraercio n. 17.
COMPANH1A PERNAMBUCANA
DR
%'aTegaco costelra por vapor
Mamanguape.
O vapor nacional Corurtpe,
commandante Silva, seguir
para o porto cima no dia 12
do correte as seis horas da
larde.
Recebe carga passageiros,
encoronendas, e dnheiro a frete at as 2 horas da
tarde do dia da sahida, n> eseriptorio do Forte
do Mattos n. 12.
Para Lisboa
0 brigue portuguez Soberano, capitn Bugigan-
ga ; para carga e pafsageiros trata-se com E. R.
(tabello A C, ra do commercio n. 48, ou com o
capitao.
Precisa se de um iiioleuue do 16 a 18 anuos
na ra do Imperador n. 32, estaminet.
No largo do Gorpo Sanio n. 4,2* andar, alu-
ga-se urna escrava para lodo servir de urna casa
do familia.
Caixeiro
Precisa se de um caixeiro de 12 a 14 anuos,
proferlndo-se dos chegados ha pouco : na ra dos
Pire? n. 50.__________
Ama,
Precisa-se de nma ama brasileira, portugueza
ou franceza para servico de urna s pessoa, paga-
re bem : a tratar no hotel Universo.
CASA DA FORTUNA'
Aos 5:000
Bilhetes garantidos.
A ra Primeiro de Marco (onlr'oip roa
Crespo) n. 23 e casas do cosame.
O abaixo assignado, tendo vendido nos seos fe-
lizes bilhetes dous meios de n. 1860 com 400*000
dous meios n. 980 com 200|000, e ontra orles
de lOOa. e 48/ da loterirque se acabou de ex-
trahir (173*), convida aos possuidores a virem re-
ceber na conformidade do coslume sem descont
algum.
Acham-se a venda 03 bilbetes garandos da
o" parte da lotera, a beneficio da igreja de Nos-
sa Senhora da Boa Viagem (174"), que se exlra-
bir terga-eira 13 do eorrente mez. v
PRECOS.
Bilhete inteiro 6*000
Meio bilhete 3*000
Quarto 1*300
Em porcao de 100*000 para cima.
Bilhete int7iro 5*400
Meio bilhete 2*700
Quarto 1*350
. Manoel Martins Pinza.
Afferico
Preci:a-se fallar com o Sr. Joo Roiinguesue
Parias, vindo de Portpgal no vapor domezpassa-
do, para se Ihe entregar urna cartv vinda de Por-
tugal : na ra da Cruz n. 46.
DECLARACOES.
ve
por
votos.
Gomes Torres, por maioria de
Tribunal do commercio.
Por esta secretaria se faz publico que nesta
data foi admettido registro o brigoe nacional
Galq\ de 295-toneladas, do qnal proprietario
Amonio Goncalves Turres.
BSecrelaria do tribunal do commercio de Per-
nambuco, 24 de novembro de 1870.
O oflicial-maior
______________________Julio Guimaraes.-
SANTA CASA DA MISERICORDIA DO RECIFE.
Olnhelro a v sta.
A jonta administrativa da santa casa da mise-
ricordia do Hecife, precisa contratar o furneci
ment da carne verde que tiverem de coasumir lo-
dos os estabelecimentos pios a seu cargo, inelu
sive o asylo de mendieidade no trimestre de Janei-
ro a marco vindouro
Recebe propostas na sala de suas sessoes pelas
3 horas da larde do dia 15 do crrenle.
Secretaria da santa casa de misericordia do Re-
cite 12 de dezembro de 1870.
O eserivo,
__________ Pedro Rodrignes de Souza.
SANTA CASA DA MISEHICOHDIA DO < EC1FE.
A Illm. junta administrativa desta Santa Casa,
continaa a receber propostas para fornecimento
dos seguintes objeclos para o asyio* de mendieida-
de, na sala de suas sessdes, pelas 3 horas da tarde
do da lo do correte.
100 camisas de algodozinho para homem.
100 caifas de azulao. /
50-chapos de feltro para hornera.
50 ljelas de tinco.
50 pratos de dito.
6 cubos de amarell com lampo.
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do Re-
cife, 12 de dezembro de 1870.
O escrivao,
_____ Pedro Rodrgne de Souza.
SANTA CASA DE MISERICORDIA Di)
RECIFE,
A Illma. junta administrativa da Santa easa de
Miser c rdia do Recife manda fazer publico que
na sala de suas aessdes, no dia 15de dezemriro, pe-
las 3 hora da larde, tem de ser arrematadas %
quem mais vantagene offerecer pelo tempo de um
a tres annos, ai rendas dos predios em seguida
declarados:
ESTABELECIMENTOS DE CARIDADES
, Rna de Horlaa.
sobrado n. 41. ..... 303*000
Ra de Santa Rita.
Casa terrean. 32.*......161*000
Roa da Matriz'd Boa-Vista.
Casa terrea n. 5,......202*000
Pateo do Paraizo.
Primeiro andar do sobrado i. 29 163*000
marMgc aux Lanlernes.
Na qual tomara parte Mine. Valmonca, Hile.
Brescia e Marietie e Mrs. Raynaud e Carn
SEGUNDA PARTE.
Duetto da opera
PREOCLER
canudo por Mlle. H. Saogles e Mrs. Maris.
Canconeta
J'AYME g\
desemp^nliada pela beneficiada.
Romance
LES MOSQUETEIRES DE LA REINE.
exibido por Mlie. Sangles.
. Cancao da opera
LA PERICHOLE
cantada por Mme Valmonca.
A mu to linda e mimosa operen era um acto
Chicard et Bo
na qual tomam parte Mr'. Mariz, Raynaud, Ca.
ron e Mlle. Brescia e a beneficiada.
Os bilbetes poden ser procurados em mo da
beneficiada fie hotel da Europa e no dia do espec-
tculo no eseriptorio di theatro.
Principiar s 8 1|4 horas
THEATRO
DA
ZARZUELA IIK SP V\H0L \
NO
CAMPO DAS PRIMEZAS
Oaarta reir 14 de dezembro
PRIMEIRA PARTE.
Subir a scena pela primeira vez
Um acto intitulada
Para Lisboa
Segu em poneos dias c m a carga que tiver c
patacho portuguez Restauragdo l: quem no mes-
rao quizer carregar ou ir de pas^age'm, dirija se
aos consignatarios Oliveira Filbos & (L largo do
Gorpo Santo n. 19, l* andar.
Rio de Janeiro.
O patacho nacif nal Esfrega a sahir al o fim do
mez, anda recebe alguma carga : a tratar no es-
eriptorio de Jos Mana Palmeira, largo do Corpo
Santo n. 4. Io andar
Precisa se de urna ama para casa de duas pes-
soas : no largo do Paraizo n. 6.
- >a ra do L'vrameuto n. 3' compra-sa p3
de larangeiras de umbig >, cravo e selecta.
Attenpo.
Franesco Manoel da Silva, faz sciente ao res-
peitavel corpo do commercio, que omprou ao
Sr. Dr. Alvaro Caminha Tavares da Silva a phar-
maciae drogara cita ma do Mrquez de Olio-
da n. 12, nm todas as drogas e mais utencilios,
livres e desembarazados.
Recife, 9 de dazembro de 1870.
UBVJMBV587555:'
!K?.:K3g*nBti
Para Lisboa
Sahe com a possvel brevdade o higre portu
guez Julio por ter a maior parte da carga compra-
da : para o resto e passageiros trata-se com os
consignatarios Thomaz de Aquioo Fonseca & C.
Suc:e>;-ore?. "rna Jo V'igari i n. 19. 1" andar.
RIO DE "JAlfERir
Para o refer lo porto pretenle seguir com mui-
la brevidade a barca brasileira Santa Marta por
ter a maior parte do carregamento engajado, e
para o resto que Ihe falta *> escravos a-frete, tra-
ta-se com o consignatario Joaquim Jo3 Goncalves
''eltro a ra do Commercio n. 17.
Luiz Amavel Dab.mrcq o sua mulher D. M^ria
Josefina da Silva Dubourcq, convidam aos seu i
parent-* e amigos para assistirem a urna missa
que mandara celebrar no dia 14 do eorrente as
7 horas da manha na igreja matriz S. Pedro
Novo, em Olinda, por alma de sua mi e sogra
D. Maria Brgida da Silva Duburck ; e desde j
gradeceui a todas as pessoas que se dignarera
concorrer a esle acto caridoso.
*>jtea&aaw>ia<-->->-&
AVISO
Deseja-se fallar aos Srs. Jos Cesar de Mello e
Domingues Antonio de Araujo, no eseriptorio de
Jeaquim Jos Gmgalves Bellro, roa do Com-
merci) n. 17, a negocm de seu inleresse.
PRECIS-SE
de um caixeiro ao afl^ucad i conducta, e que en-
tenda de msica, prefere-e quem saiba tocar pia-
no, agradando paga-se bem : a tratar na ra da
I i'peratriz n. 14, ioja.
O abaixi assicnado, arrematante da afterica.
dos pesos e medidas d'este municipio, participa aos
Sr. negociantes dos estabelejimentos quo estao
sujeitos este imposto, que do da 12 do eorrente
em diaote principia a dita afferico, em to-
dos os dias uteis,vdas 9 horas da manhia as 4
da tarde, ra eslreila do Rosario n. 31, junto
armazem do Sr. Moreira,
Recife;-9 de dezembro de 1870.
Miguel dos Santos Costa Jnior.
Cozinheiro
Precisa-se de um perfeito cozinheiro forro ou
Captivo, que faca as compras e d fiador a sua
conducta : a tratar na roa do Mrquez de Olinda
armazem n. 35.
A ra do Brum n. 92, precisa-se fallar com
os Srs. ca pitaes de campo, a negocio de seu inte-
rese.
Aluga-se a casa terrea n. 66 ra nova do
Santa Rita : trata-se na mesma ra n. 55.
0
Urna pessoa plenament- habilitada offerece-se
para administrar qualquer estabelecimento de mo-
Ihados, armazem de estiva, algodao oa assucar
anda mesmo como caixeiro ; ainda para liquida-
gao de qualquer negocio na capital da Parahvba
do Norte, onde esteve 32 annos; ainda mesmo na
referida cidade nara fiscalisaco dos pesos de al-
godao e assucar, embarcados para fra della, e d
fiador idneo : a tratar oa ra da Senzala-velha
eseriptorio o 138. '
Para o Po -to
sahe irapreterivelmente at o dia 23 deste mez de
dezembro eorrente otngue portnguez Judilh :
para o resto da carga e p-ssageiros trata-se com
os eobsigoatarros Thomaz dr Aquino Fonseca &
C Sneeessores ra do Vigario n. 49.
Para o Porto
est reeebendo carga a frete mu lico a barca por-
tugueza S. Manoel II, devendo sahir dentro em
poucos das visto quo j tem a maior parte enga-
jada ; para o pouco que Ihe falta trata se com o
capit>na praca ou na ra do Vigario n. 1, Io
andar.
>*-ff-a=MS
"'->*' 'Hjiii'a
LEILOES.
a zarzuela em
Personagens Actores
A"6'- ........ Sra. Rivera de Castillo
Conrrado...... Sr. CasUllo.
Leon......... Sr. Rioza.
P>ncho........ Sr. Grnalos.
SEGUNDA PARTE.
. ssixir* "iaMae,a com,c m
El amor y el almnerro
Pelas Sras. Nieve, Rivera e Gareia, e os Srs.
Castillo e Granados
TERCEIRA PARTE.
El juguete cmico lineo bailhable era ura oua-
dro. H
D EXDRUJLO.
Pela Sra. Rivera de Lartiller h Sr. Granados
Principiar s 8 lj4 da noule.
DAS
dividas que fazem parte da massa fallida de Antonio
Gendolf.
QUARTA-FEIRA, 14 DO CORRENTE.
O agente Pesua levar do novo leilSo as
dividas que fazem parte da missa fallida de Anto-
nio Gendol no valor conforme a relapso de rs....
873*620, e se o vendidas oa quarta-feira 16 do
correte, as 11 horas da maoha no largo do Cor-
po-Santo junto do armazem do Sr. B -ItrSo.
Cidade de Olinda
Aluga-se urna casa terrea aeabada ha pouco,
calada e pintada, cora 2 salas, 3 quartos, soto den-
tro e eozioha fra, sita ladera da Misericordia
com um oito para a travessa das Corthesias. bella
vista e muito tresca, em frente a ra do Bomflm,
off rcenlo pela dita ra eaminho coramodo para
se ir aos banhos do mar: a fallar na mesma ci-
dale ao Sr. Thomaz J.i- de Gusmo cora loja de
fazendas nos Quatro Cantos prximo a referida
casa.
Irmandade
das almas da matriz do Corpo Santo.
Em nome da mesa regedora convido a todos o?
nossoi irmos para terca/eira 13 da eorrente as
5 hora? da tarde, rcuoirera se, para em mesa ge-
ral, iratar-se de negocios da irmandade.
Jos Monteiro Siqueira,
__^____________Escrivao.
Amas e copeiro
Para casa de pequea familia, precisase
de duas amas, orna para engommar e ou-
ira para algum emsaboado e servico de
casa, e um copeiro de 12 a 14 annos, ga
rante-se bom aluguel e tratamento: em S.
Jos doManguinbo'aptes da igreja casa o. 2.
Moieme.
AVISOS martimos;
PORTO
Pretende seguir com umita brevidade a barca
cinco cavallos algnns gordos e bons para sella.
QUARTA-FKIRa, 14 DO CORRENTD.
O agente PefUna far leili de 5 cavallos, tendo
2 quartus para carga e 3 que servero para se
passar a fesia por e*arem gordas e terem aigans
andares no largo do Corpo-Santo ao p do arma-
zem do Sr. Bellrao, as 11 hiras da manha.
LIMO
DE
dividas da mista fdl-.ida de Antonio Pedro
de Mello na importancia
total de 31:1375168 rea.
A 15 do eorrente.
Por mandado do Illm. Sr. Dr. juiz ejpecial do
commercio d'esta oidde, e a requerimento dos ad-
ministradoras da dita massa fallida, o agente OH*
veira far leilio de dividas da mesma massa na
importancia sufra, em quatro lotes, que serio de-
signados de conformidade com o mandado, as
ralacSas Tallas, as qaaas previamente e no aeto
serlo exhibidas aos pretendentes :
Quint. Wra
ao meio dia em ponto, no eseriptorio do referido
agente, ra da Cruz n. 63, primeiro andar.
i'rogr.mma da festa do reco-
Ihiuieato da.
Festa de N. S. da Conceico do recolhimonto
daquella cidade.
No dia 18 do eorrente tem de ser celebrada
com toda a pompa o magnificencia a festa da N.
3. da Conceico excelsa padroeira do reeolhiraen-
te das freirs de Olinda.
Nwse dia cantara sua primeira missa o Rvd. Sr.
aVaaeisco Raymunlo da Cunha Pedrosa, sendo
ansfar no evaageibo e Te-Dewn o Rvm. Sr. padre
Joa Eslavas Vianna cuja paiavra aulorisada e es-
tvlamUime sao bem coohecido na triboaa sa-
grada.
A msica da orebesta ser dirigida pe'o insigne
professor Porciuncula.
Urna das molhores bandas de msica executar
tanto de dia como de nouto as melbores sympha-
nias, do seu repertorio.
A tarde subiro differentes baldes da gosto ex-
quisitos e novo, e lindo o Te Deum ser desarvo-
rado o estandarte da excelsa padroeira e conduzi-
do por meninas candi lamente trajadas d branc >,
soijuindo-s o fogo, de artificio depois do qnal
haver trem para o Recife, tocando em todas as
e6tac3es Intermediarias.
Recife, 12 de dezembro de 1870.
Os devotos encarregados da festa.
Precisa-so de um moleque para o servico de
casa : na ra dj Baro da Yicloria n. 30, outr'ora,
ra Nova.
Offiial dn birbeiro.
Precisase de um bom offical de barbeiro : na
ra da Cruz n. 24. Io andar.
CONFEITARM
RA DO IMPERADOR N. 26.
O pmprietario dste estabtdecimenu avisa aos
seus numerosos e bous freguezes, que aeaba de
preparar ura grande sortiment > des melbores g-
neros do mercado para reehear ae despensas da-
quelles que tiverem bom paladar e disposicao pa-
ra gastar os cobres, no lempo da festa do Natal.
Alii enjontrarao ex olientes presentes de fiambre,
vinbos, licores e cognac de todos os fabricantes,
boa cerveja, marmelada portugueza, ameixis em
caxlnhas, conservas franeezas e portuguezas, do-
ces de todas as qualidades seceos a em calda.
T^mbem encontraro bolinhos para cha de toda*
as qualidades, bolos franceses e inglezes, pas-de-l,
pudins, tortas, fcmendoas confeitadas, e qnantidade
do outros objeclos que seria enfadonho enumerar.
AMA
Na ra do Mrquez de Olinda, outr'ora Cadeia
n. 50, precisa-se de urna ama para coziohar.
EsUs preciosas aguas mineraes 'aporoxiraam-e quinto a sua cemposico chlmica, das bem
nonhecidas aguas de Viehy em Franca de Nnucnahe, de Bilin, em Bohemia, de Fachingem e Gelnau
no grao ducado de Nassau, de Rodera, era MHdavii, Clopatak;, na vizinhaca da Kronstadte podem
ser empregadas com muito melhor vantag^m do que estas as molestias seguintes :
1. Diversas formas de dispepsias.
! ObslencSes do flgado e das visceras abdominaes. '
' 3'.' Ira d'ver3as '*> crnicas da membrana no caso do yftema digestivo ou respiratorio.
4. Em alguns casos de gota t> de uthiasis.
5. Nos catarrhos vezieaes ete.
Segundo a analyse feila pelo dislincto analysador o Dr. Agostiobo Vicente Lonreooo, estts
preciosas aguas contm ^^^
Clorrelo de potassio.
Bi-carbonato de soda.
< de potassa.
de cal. *
t de magnezia.
de ferro. v,
Acido silcico.
carbnico livre.
sulfrico___\ 0
Alamina..........) vesgios. > i
Matenas orgnicas.)
Bstaado hoje na pra'ca da medicina, tanto em aso estas asnas alcalinas gasosa, e como
sejam aoaeo eonecdas nesta provincia as aaannciamos para conhecimento de publica.
Caxiai d U0 6m POTa*n,t,act' phBaela americana de Ferreirt, llaia & C, ra Duque de
-
aa#


jTJiario de Pernambuco '_* erqa eira 13 de Dezembro de 1870
Dividendo
Paga-se o 6a dividendo da massa fallida de A
moo Fragoso & C, i razao de 3 0(0, todas as
sextas-feiras das 11 horas damanhaa a 1 da tar-
ri nn Mrrintnrio da rui do Vigarjq n. i|, pri
marro anfar.
- m am e^'nh"0 ,r88 iegoaT~ moendo d'-jn, .ge dous sitios para lawadorest
*a
I
uinaniu II .- aj.ie UUUJ "" I--------------------------
Je ^ nart 00 pies deassucar a eada- um, e a
me SuSm, sendo m6r parte do, partid^ e
SuvXoo oapoelra grossa,: ? prten.
^ Ul nSgocio, eutenda *e ', Qoeimado
n^j-aodar, entrada, jejojargo "j0 Coliegio.
DKassa fallida de An-
tonio Pedro de
Mello.
Os administradores da massa lalliA de Antonio
l'edro de Mello vem de novo convidar aos credo-
res da mesma raassa para dentro do praso impro-
rogavel de oito dias, a contar desta dU, apresen-
tarcm seus litlos de crdito, completamente sel-
lados, ano de se faier a classificacao dos meamos,
na ra do Vigarb n. 15, i* andar. Recife 12 de
deiembro de 1870.________________________
Costureiras ~
Precisn-se de costnreiras : na roa estrella do
Rosario n 14._____________
Ainda se nao alngou a casa da roa Augusta
n. 92 com coramodos para urna granoe familia :
quera a pretender dirija-se ra do Vigario nu
mero 12.____________________________
ffi DE LIITI,
Precisase de urna ama de leite sem filho: na
roa do Sebo n. 20.
xvna do Barao da
Victoria n. 63
( Outr'ora ra Nova, )\
Bilhetes garantido da pro-
vincia.
Esta feliz casa acaba de vender entre os seo*
muito felizes bilhetes asorte de 5:000*000 em.um
bilbete inteiro de n. 2469, ootra de 900*000 ero
bilhete inteiro de n. 31023, e tres qaartos de n.
. 2636 com a sorle de 100*. alem de outros pro-
mios menores rpodendo os seus possuidores virem
receber, qoe promptaraente serao pagos.
O abaixo asigoado convida ao respeitavei pu-
blico para virem no seu stabeleciraento comprar
os felizes bilhetes garantidos, que nao deixarao o*
tirar qoalqoer premio como prova pelos mesmos
annuncios. .... ,
Acham-se venda os muito felizes biiheies ga-
rantidos era beneficio da igreja da Boa-Viagem,
nue ser extrahida terca-feira 13 do crreme mez
1 JPREgOS.
Inteiro 6<000
Meio 3*000
Qutrto U500
De iOOtfOOO para cima.
Inteiro 5*400
Meio 2*700
Quarto 1*350
Joao Joaquim da Costa Leite.
CASA
NA
CHAPEOS DE SOL
D.V
Ra do Barao da Victoria, esquina da Camboa, do Carmo, u. -23 (Antiga Ra Nova^
Temos honra de participar a nnssos numerosos freguezes que com a cbegada de um des socios da Europa, supno-se a
rasa com um completo sortimento de chapeos de sol de todas as qualidades como tambera, de todos os matenaes para os mesmos
Seo como sejamarraacoes de todas as qualidades. sedas, mirir.s, alpacas e pannos, assim como de eipeccotbil. na, armas
para wca chumbeiros e polvarinbos. Os chapeos de sol terao abatimento de 12, 15 e 25 por cento, comprando a aranero.
Alugase um casa com t salar, t |*j iabj*
mete e 2 quartos, por preeo mdico : a tratar na
ru do Vigario n. 19.
Ama
Precisa-se para o servido interno e
pequea faroili*: na roa do Vigario n. I
do andar.
casa de
, sefnn-
Na casa n. 7 no largo do Hospital Pedro II
(nos Goelhos), precisase fallar com os sennores
capitaesde campo a negocios de seus interesses.
Ao arinazero de fazendas de Santos Falcao &
C. ra do Mrquez de Olinda n. 45, acaba de
ehegar da Europa pelo vapor fracez Gerona* um
completo e variado sortimemo de botinas inflezas
para homem e senhoras, que se estao vendendo
por precos limitadissirao?.: na ra do Mrquez de
Olinda n. 45. _______
BOTICA.
Precisa-se de um caixeiro com alguma pratica
de pharmacia : a tratrr na ra do Duque de La-
xias n. 57.______________________________
Precisa-se alagar um escravo para conduzir
fazendas: trata se no largo de S. Pedro n. 3.
Gratifica-se bem a quem liver achado nma
bomba pequea de pao, que foi perdida indo em
um carro do Recife para a Capnnga : quem tt-
ver pode levar rna doCommeicle n. 48, an-
dar, escriptorio de E. R. Rabello & C.__________
Prevengo
O abaixo assignado previne a quera Intereasar,
que a escrava Benedicta, perieneente ao Dr. Can-
dido Jos Casado Lima, Ibe est empenhada por
escriptura publica passa^a em ola do tabelliao
Almeida ; assim como que pelo juizo municipal
da 1" vara da capital se promove a devida execu-
cao. Ninguem, portanto, poder legalmente fazer
iransaccao alguma com a precitada escrava, pro-
testndole proceder criminalmente contra quem
a ocenllar. Recife 25 de uovembro de 1870.
Amaro Joaquim da Fonseca e Alboqnerque.
VICTORIANO PALHAhES.
Vende-se farinha de mandioca em saceos
muito nova e bem torrada, cbegada ultima-
mente, send:> propria para meza, e mais
em conta do que em otilra qualquer parte,
para prompta liqui iac3o ; na ra Duque
de Carias (antiga ra das Cruzes) armazem
do Marmore. n. 42. ____
PRIMEIRO E ANTI60 CONSULTORIO |
H0ME0PATHI~0
Dirigido pelo Dr.
SANTOS MELLO
Os habitantes do interior podem-no
consultar por escripo, no que serio sa-
tisfeitos com promptidao.
Presta-se tambem a chamados para o
interior, a prego mdico. .
Consultas, no consultorio das 10 horas
ao meio da.
Chamados, a qualquer hora.
Aos pobres gratis. .
43Ra do Bar3o da Victoria43
(Antiga roa Nova).
Paga-se bem.
A urna ama que cosinhe e compre pira
nessoas : a tratar na ra Nova n. 10.
tres
i:nsno de pv. paratorios, segun-
do o novo piogramina, para
ctames.
O prolessor Torres Banolra lem resolvido abrir,
para os mocos que se preparara para a faculdade
de direito, lem dos cursos de phosophia, de rite-
tonca e potica, e de geographia e historia, um
curso especial de lingua portugueza ; e em rea
cao s senh ras, a rujo ensino tambem se dedica,
igualmente se profioe d;ir licoes de lingua portu
d'ifia, de Uona franerza o de geog'ophia._____
(riado.
Este antigo estabelecimento, acha-se hoje montado n'uma
asala de poder servir vantajosamente os seus freguezes, atten-
to o grande sortimento de joias d'onro, prata e brilhantes, que
sempre tem e recebem mensalmente das principaes fabricas da
Europa- cujos prepos sao em competiveis e as obras garantidas
de lei.
MOREIBA 11UARTE .
_ -. ^.^m^.-* .*- \l#/. t- f.Xltl/.A'r t
INTERESSANTE COIPOSIQAO LITTERIRU.
CONTENDO :
A noite do xtasis.
O sorriso.
A noite do assombro.
A lagrima
A noute do delirio.
O mysterio.
Com urna carta critica dirigida ao autor pele
dr. T. B. Rigueira Cesta.
1 volume brochado 2OUQ.
AS GENTELflAS
Poesas patriticas sobre a guerra do Paraguay.
. volume brochado 2*000
NA
LIVRAR1A FRANCEZA_________
Ama
Precisa-se de nraa ama livre de ineia idade e
boa conducta, para casa de mui pouca familia :
na ra de Santa Therea n. 11. _______
Na ra do Duque de Caxhs, outr'ora do Quei-
mado, n. l'i, 1* andar, precisa se de um criado
forro ou cautivo, de idade de 12 a 16 annos.
Precisa se de lima ama forra nu captiva para
ozinhar leseapenhar e.-ta missai, queretido tratar, dirija-
si1 i ra do Duque ile Caxi.ts, loja n. 1.
Ama
Paecisa-se de urna ama de loite : a tratar na
roa do Commercio n. 8, armazem. _____
AMrV
Precisa-se de urna ama, preferindose escrava :
na roa da Cadeia do Recife n. 21. ______
0 salao de pianos e de
msicas
nudou-se da ra Nova n. 58, 1* andar, para a
'nada
Imperatriz n. 14, loja,
jnde contina recommendando-se ao Illm. pu-
beo. ... .
G. Wertheimer. -______
__Precisase de urna ama ojie lave e eugomme
com perfei^ao : na ra de Barao da Victoria n. 61,
2 andar. ____
l.
%& maces as lazendas que -
PMARU.
Aluga-se a padaria allema em Santo Amaro e
as condicoes sao favoraveis : a tratar com seu do-
no na ra da Guia n. .*i6.___________________
Engommadeira
No coliegio de S. Pedro de Alcntara precisa-se
de urna mulher para lavar e engommar, e paga-
re bem.______
Vid-
AOS 5:000){I000
Estao venda os felizes bilhetes da loteria da
Bahi.i. na casa feliz do arco da Conceieo, loja de
curives no Recife._______________._________
Na praca da Independencia n. 33 se da di-
iheiro sobre penhores de ouro, prata e pedrai
irectosas, seja qual for a quantia; e na mesa:
asa se compra e vende objectos de- ouro e prata
i igualmente se faz toda e qualquer obra do en
jommenda, e todo e qualquer concert tendent-
i mesma arte
AMA
Precisa-se de urna ama livre, de meia idade
e boa conducta, para casa de muo puica fami-
lia : na roa de Santa Thereza n. 11.
Precisase de urna ama (ue lave e cngo;i.
me, paga-se bem : na rna de Korta n. 1
A arrematadlo da pequen parle do sobrado
da ra de Hortas n. 110, pertmeente as menores
Mara o Joaquina, annnnciad;i para o dia 5 do
corrente, ficou transf-rida para o dia 12. depois
da audiencia do Sr. Dr. juiz e orphOos Io sup-
plente.
Caixeiro.
Precisa-St5 de um caixeiro para padaria, que
d fiador a sua
rtita n. -i.
con jucta, na -padaria da ra
ffi
Precisa se de una ama para o servico dein-
i.ino : na ra de Sania Isabel n. 7, para urna
familia pequea de cstrangelros. _______
S mentes
Semeutes novas de hortahea : na roa do Mar
nuez de Olinda, outr'ora Cadeia n. 50.
ton c sa de TIIKUUORO CHHISTlAN
SEN, ma d^ Cruz o. 48, eucontram-se
effectivamote lodas as qnalifiades de vinbr
Bordeaux, Bourgogae e do Rheno.
41 RA DO BARIO DA VICTORIA 41
MARA BRGIDA DA SILVA DUBOURCQ.
Fernando Stepple da Silva, Virginia Dubourcq
da Silva, Luiz Amavel Dubourcq, Mara Josephioa
da Silva Dubourcq, e Antonio Dubourcq (ausente),
Jos Affonso Baudoux, genros filhos e ora agra-
decem cordialmente as pessoas que se dignaran)
assistir as exequiat e acompanharem ao cemiterio
publico os restos mortaes de sua prezada sagra e
reai; convidam novamente aos seus parales e
amigos assistirera a missa do stimo dia, qoe pelo
eterno repouso da finada mandam celebrar quar-
ta-feira 14 do-correnie, pelas 7 luras da manhaa,
na natriz do Corpo Sanio. Por esse ailo de reli-
giae e caridad-* flearao reconhecidos. _
* *
D. Luiza Francelina de Slqneira Cavalcanti, D.
Hermelinda de Carvalho Moreira, D. Mara Lins da
Costa Wandcrley, Joaquim Lins da Costa Wander-
ley, Antonio Lins da Co'ta Wanderiey, D. Guiller-
mina Amelia Correia Wanderiey, pungidos pela
mais acerQa dor, convidam aos seus prenles e aos
amigos de seu fallecido marido, pai e sogro Joa-
quim Jos da Costa, a assistirem as missas do se
timo dia que *e tem de celebrar no dia 14 do cor-
rente, na igreja da Santa Cruz, pelas 7 horas da
manhaa ; pej que loes anteclpa seus eteanos re-
conhecimentos.
Companhia Aliianpa
DE -
seguros maritiroos estabelecida
na Bahia em 15 de Janeiro
de 1870.
CAPITAL..Rs. 2,000 000*000.
Toma seguro da mercadonas o din ero a risco
martimo em navios de vella e 'apores para den-
tro e fra do Imperio. Agenci i roa do Com-
mercio n 17, escriptorio de Joaquim Jos Gon-
calves Beltrao.__________________________
Au belsexe
COLD CREAM OF ROSES. *
Cette Creme ddlicieuse, nnWersellment rpao-
due en Angiettrre, o les fanones sent si renom-
tnes par la beaut et la transparence de leur
teint, dot sa rputation aux lmenls balsamiques
et onctuenx qui la composent, ains qn' sa cons-
tante efflcact pour ad^ucir la peau, la rendre
plus blanche, et contribuer ains i la sanie et a la
beaut, qui, toujours, sont inseparables.
On la recommaBde eontre les irrilations de
I piderme, telles qne Bouto:is, phlides, Ta-
CIIKS OE ROCSSKUR, Rougeurs oe la Fiure, el
conlre les laches patriques et les Epflorescbn-
ces. Cette Crme convient spcialement aux fem-
mes encrales pour prevenir LE MASQUE, auqnel
elles sont sujettes.On s'en ser! encor pour em-
pcber la figure de se bler par le froid on la trop
grasde cbaleur.
Prix -1:500 reis
Sel depol au magasin Basar de la Mode 50
Ru do Bario da Victoria.__________________'
Agencia em Pernambuco
Do Dr. Ayer
Fetoral de Cereja
Cura a phthysica e todas as molestias do peito
fftalaa parrilha
Cura ulceras e cbagas antigs, impigens e dar
JOS.
Toa leo .
Conserva e limpa os cabellos.
Minias eatbartlcas.
Puramente vegetaes sera mercurio; cura se-
joef, purgao e purificara todo o systema humano.
Vende-se efltdivamente em casa de Samuel P.
lohnston & C roa da Senzalla Nova n. 41_____
Nesle novo armazem tem um
variado sortimento de fazendas
francezas, inglezas, allemas e to-
das todas se vendem por precos
mdicos, afim de acreditar a esta
aovo armazem.
Gasemiras inglezas,
francezas, de todas as
qualidades, brins de
cores e brancos, colei-
riuhos modernos, cha-
peos de sol de seda,
finos.
RA.
DE
ARRUDA IRMAOS.
--.
Jos AITonsq.Baqdoux e seus irmlos convidam a
seos parentes e amigos para .assistirem a urna
missa quo mandam dizer no dia 14 do corrente,
as 7 horas da manhaa, na matriz da Roa-vista,
por alma de sua sogra a lia D. Mara Brgida da
Silva Dubourcq ; e desde j agradecen) a lodas as
pesseas que se dignarem concorrer a este acto de
caridade.
Baro da Victoria
antiga ra
NOVA
N. 41.
Assim como tem ama grande
officina de alfaiate, montada com
todos os preparos que ha de melbor,
dirigida por habis artistas, que
pela sua promptidSo e perfeic5o
nada deixam a desejar.
Roupa de todos os
amatihos para bomens
meninos.
Por todos os paque-
tes recebem-se as me-
lhores e mais moder-
nas casemiras que ha
na Europa.
RA
Dw
BaroiLVYlctoirlii
antiga ra
NOVA
N. 41.
Este estabelecimento acaba de softrer urna reforma radical em aecuo, artistas ^^^^r^.^^l^^Z;
amn^m^m^^^^^Tm^f^ numerosos freguezes e.xa-se de annunclar todas as fazendas, para
nao se tornar massante
COMPANHIA
DOS
TRILHOS URBAHOS
RECIFE A9 OMIDA.
AVISO
Nos domingos e dias Enetificados, parti-
ro de Olinda trens noile emquanto bouve-
rem passageires sufHcienles embora j se
tenha esgotado o numero de viagens marca-
do as tabellas.
Na vespera e dia de Natal partir5o quer
do Recife quer de Olinda Irens todas as
horas do dia e da noite desde o meio dia
de 24 at 10 horas da noite de 25 para 26
do corrente aez. Os trens expressos nao
conduzirSo passageiros do 3* classe, mas
n5o param em estacSo alguma nem interrom-
perSo as viagens designadas as tabellas, e
no prsenle annunciq.
Declarare mais que os relogios das es-
Ucoes serse rtgolados pe'o do observatorio
do arsenal de marinha, para o que esl um
empregado especialmente encarregado desse
servigo.
as e;tacoes do Recife e Olinda trocam se
constantemente por moeda lgalos bilhetes
que por ventura hooverem rebebido os
passageiros por falta de cobre para troco.
Recife, 0 de dezembro de 1870.
O superintendente,
A. de Abreu Porto.
Pede-se aos Srs. asignantes que tragam
os seus bilhetes de assignaturas para apre-
sentarem, sempre que transitarem nos trens
sem o que ter2o de pagar soas passagen?,
igual pedi lo se faz aos Srs. que tem passe
do governo e desde j apresso-me era agra-
decer aos mesmos Srs.
Recife, 9 de dezembro de 1870.
O supreintendenta.
A. de Abren Porto.
Aluga-se
o 3 andar do sobrado n. 8 da roa da Imperatriz:
a tratar com J. J. de M. Reg roa do Commercio
o.
Eu abaixo assignado declaro ao corpo do
commereio que vend a minha taberna sita ao lar
go do Carmo n. 13, livre e desembarazada de qual-
quer onusao Sr. Jo5o Goncalves Fetreira. Beci-
fe 8 de dezembro de i70. ,
-Antonio Leal de Barros.
Ama.
Precisa se de urna ama para casa de pone* fa-
milia : na rus Dirsila o. 55. Icja^__________|__
(asa em Olinda.
Alugase em Olinda urna boa casa de so-
brado, raui) fresca, peno do marj e cora
muitos com'modos, para passar a fesia.
Dirija-se no Recife roa Bella, n. 37,
sobrado de 2 andares.
l
Na Iravessa da roa
das Cruzes n, 2, pri-
meire andar, da-se di-
nhelro sobre penhores
de ouro, prata e killian-
tes, seja qoal for a quan-
tia. Na mesma casa com-
pram-se os mesmos me-
taes e pedras.
oobradopara alugar
O e J* andar e souo n. 6 da roa df Duque
de Caxias : a tratar no Corac'n de Ouro. I_____
PERDEU-SE
da Pra?a da Boa vista at o Recife um maco de
papis : quem os achou querendo, pode levar a
ra da Aurora n. 51, que se agradecer e recom-
pensar^_______________________________
Ama de leit
Precisa-se de urna ama de leite .* na ra do
Queiroado n. 30. ________
Miguel Ferreira Pinto faz scien^e-ao publico
que o Sr. Delminio Gaudencio Riblro Pessoa,
deixou de ser empregado de sua cava desde o dia
3 de dezembro oerrente. ____
Ama
Precisalse de urna ama para cosiuhar: tra-
tar na rna da Alegra n. 5.
jerro
RIJA
Chapas de ferro galvanisadas para telheiros, etc.
Tachas de ferro para assucar, etc.
Formas de ferro para assucar.
Arados- americanos.
Carrinbos de mo.
Venezianas para janellas.
Machinas de descarocar algodo.
Machina de cortar fumo.
Mchica de cortar papel.
Motores para dous cavallos.
Machina a vaoor Dar mover machinas de algoaao.
S?al prencasreofres de ferro, fogoes de ferro, encofre, Jsahtre |l.malha de
muitos outros artigos. ______
OS AMERICANOS
CILYNDROS PARA PADAMAS-
^endo ch*ado-ba poucos dias-icompleto sortimento dos melhores e mais
conhecidos cybndros americanos para padarias, roga-se s pessoas .que d elles precisa-
ren de virem vel-os ao grande deposito do
BASTO
Ii4>*JTAT Dl'S 35ACEIJ1S
un i imii i si i %
OUTR'ORA RA DA CADEIA
Julio Isaac, encarregado por procuracao bas-
tante de N Danheis>er da casa de penhores tra-
vesa das Cruies n. 2, avisa a quera liver jeias
em seu poder, que far leilao por ntervencao do
agente Marins, no dia 13 de Janeiro prximo. As
pessoas que desejarera gnardar por mais tcmp'i
em maos do annunciaote seus penhores, venham
papar os premios qne esio a de ver at o dia do
leilao, depois do qual nao terao direito a recia-
magSes. ___________________________
AMA.
Precisa-se de orna ama para casa de bomem s,
qne lave, engomme e cozinbe : na roa da Cruz n.
, 1* andar, por cima da botica.____________
Ferda
Perdcu-se na noite de 8 do corrente ao sahir do
espectculo no pavilbSo de Santa Isanel at o so-
brado da rna do Imperador-n. 25, urna pulsera
de pedras azues : quem a liver acbado e qneira
restitui-la, pode drigir-se ao dito sobrado, qne
ser generosamente recompensado
COMPRAS.
' Comi muito maior vanta#Sm cotnpram-se
ouro, prata e pedras preciosas e n bras velbas: na
loja de joias do Coracao de Ouro n. 2 D, roa do
Cabug.
Attongito.
Compra-se ps de roseiras das melhores
qualidades, assim como de varias flores
mimosas : nesta typographia se dir quem
compra.
odas!
Vende-se umexcellenie piano onsontsl pro-
prio para principiante, por preco mu.to iwnodo:
na roa do Livramonto n. 3t.______________
Prensa de ltho^iapbia.
Vende se nroa ou mais de urna : ^uem precisar
annunele para ser procurado.
Vendem-se alguma* etas terreas irata-se-
ru do Rangel n. 3.
-4.


Diario de Pernambaoo Terqa feira 13 de Dezembro de 1870.
N
CU'




i
i
NOVIMDES
DO
TRIUMPHO
7 Kua doQueimado 7
DE
IMOREIRA & BASTOS
E' chegado a este Dovo estabelecimento o mais bello sortimento de fazendas
Ujm, sendo sua especialidade enxovaes para noivado.
Vestidos de b|ond de ,sda ricamente bordados.
Gorgurao de seda bronco para vestido.
Colchas de seda pura, para cama com ricos desenhos.
Ditas de 15a e seda, idem idem.
Ditas de crox, idem idem.
Cortinados ricamente bordados para cama e janellas.
Croxs para cadeiras e sofs. '
Vestidos de cambraia branca bordados.
Popelines de lindos gostos.
L5ai de diversas qualidades, lindos gostos e modernas.
Ricos b turnas para passeio, com listras de setim.
Sabidas de baile o que ha de mais rico.
Crotones para vestaos com lindos desenhos.
Carnizas bordadas e sem bordados para.senhoras.
Camisas bordadas muito finas para bomens.
Ditas inglezas para bomens e meninos.
Seroulas de linho, e um grande sortimento de roupas feitas e de fazendas que
t enfadonho mencionar.
Luvas frescas de Jouvin
Sortimento de tapetes para goamices de salas, alcatifas para forro de sala, e o
trande sortimento das acreditadas e verdadeira3
Esteiras da India
m

JOS ALVS TENORIO & G.
RA ESTREITA DO ROSARIO N. 5
Jos Alves Tenorio, professor em homeopalhia, lendo-sc retirado do laboratorio
bomeopathico e consultorio de seu lilustre e fin: do amigo o Dr. Sabino O., L. Pinho,
que por muiloa annos esliveram sob sua diiecro, tem se e?tabeleeido, sob a firma
Jos Alves Tenorio A C, ra estreila do Rosario a 3, onde niraado pela confianca
com que honraram-na os amigos da homeopalhia lhes offcrece o ao respeilavel publico
om complet sortimento de tedas as -preparaeoes homeopticas coohecidas,-recebidas
das mais acrediadas casas de Londres e i'ariz, e indianas, boui como ludo quanio diz .r',*
respeito a bomeopalhia e sua pratica, esperando que continen! a bonralo com a mes- Jk.-a;
ma c.nlianea, para o que nao se poupar esforcos.
I're eos das boticas
GLBULOS.
1 botica de 12 medicaiiKn'.os.
KA
^
24
36
48
60
120
TINTURAS.
lOiOOO I botica de 12 medicamentos. loOOO
201000 i t 24 25S000
30*000 1 < 3G 40000
355000 1 18 30000
401000 l C0 60*000
700C0 1 120 llOitOO
W
Sao uleis essas boticas aos Su. mdicos, senhores de ecgeDho, faseud iros, che-
fes de familias, capitaes de navios, e em geial todos quantos quizerem dedicar se a
pratica da homeopatbia.
Medicamentos avulsos pelos precos das outras drogaras, bem como chocolate de
Londres o do Maranhao para uso dos doentes em tralamento pelo syslema bomeopathico.
WK
M!
r.'Vv4i^l
HOYOS SORTMERTOS
Ao armazem do Va-
por Francez, ra
do Bar So da Victo-
ria (our'ora ra
Aova) u. 7.
-
Ao armazem do Va-
por Francez, ra
do Baro da Victo-
ria (ontr'ora ra
*'ova) u. 9.
IwCES,
13Ba da Cnus13..
DOCES SECCO? FRUCTAS FLORES
CAJ' ABACAXIS BOUQUETS
LIMAO SAPOTIS PARA NOIVAS
ABACAXI UVAS PARA JARROS"
LARANJA LARANJAS AVULSAS
CIDRA, ETC. MELOES, ETC. PLANTAS, ETC.
Neste eslabelecimento encontrar o freguez todos
os dias presuntos em fiambre, pastis, bons-boccados,
doces de ovos, e de todas as outras qualidades, sec-
eos e em caldas, podios, e tudo quanto se possa de-
sejar no coi fortavel um excellente LUNCH ; fortifi-
cando, aquecendo, e refrescando o estomago com os
melbores vinhos do Rheno e Bordeaux ; xaropes de
todas as qualidades para capils ; sorvetes de todos
os fructos, com especialidade as tercas-feiras, quin-
tas e sabbados o excellente sorvete de reme.
Tudo com muito assio.
3
MAO DE ORO
Nova loja de joias
RA DOICABUGA* N.9 A.
DE
Manoel da Cunha Saldanha & C.
Acaba de abri-se este estabelecimento de joias, o qoal tem grande sorti-
mento de todas as joias de ultimo gosto, as qoaes vender o mais "Barato pos-
sivel.
Todas as joias serao garantidas ouro de lei, pois os seos donos tendp em
vista so adquirir freguezia nlo olvidarSo, vender bom e por precos os mais
razoaveis possiveis.
Convida-se o publico a vir a este estabelecimento, certo de qee ficar
satisfeito.
A' MO DE OUORRUA DO CABUCA N. 9 A
ATTEPCAO
Jos Juaquim da Costa Maia, tem venda no seu aimazem, sito no largo do
Pelourinho n. 5, os objectos seguintes, e qoe vende por preces mais commodos do
que em outra qualquer parle :
Oleo de inbaca.
Couro de lustro.
Saceos de estopa.
Estopa em peca.
Vinho Bordeaux em caixas.
Feltro em peca para forrar embaTcaces.
Encerados.
Telbas de ferro galvanisado, de differentes tamanhos, para cobrir casas.
Ferro liso galvanisado para ferrar embarcacBes.
Pregos galvanisados.
Cantara de Lisboa.
Dita soleiras.
Dita marmore.
Taboas de marmore de differentes grossuras.
Ladrilhos de marmore de differentes cores e tamanhos.
Ditos de pedra de Ansam, pretos e brancos.
Tmulos- ele pedra fina de differentes tamanhos.
Pedras para lavatorio*.
Taboas de louza. *
Pias de louza para cosinha.
CONFEITARIA
DOS
NAZES
Perfumaras,
quinquilharias
para meninos.
e brinquedos
Este estabelecimento acaba do recetar pelos ltimos vapores e navios de vella chocados da
Europa todas as suas encommendas do grande sorinentj de testa, oferece ao publico cm geral por
precos resumidos o mais possivel, os artigos seguintes :
CALCA IIO
Botinas para senhorasduraque branco, preto
o de outras murtas cures escolhidas do ultimo gos-
to da moda.
Bolinas para meninas igual sortimento.
Sapatinbos de salto para senhora duraque pre-
to, branco e de cores, e de couro de lustro.
Bolinbai para crianzas, proprias do baplisa-
dos.
Botinas de diversas qualidades para bomem.
Botai russianas para montara, tanto inglezas
de coufo da Russia para viagem, como franeezas
de Melier, bezerro tino, para passeios.
Meias perneiras para meninos de 10 a 16 au-
no?.
Sapatos de brim branco para horneas.
Sapatos de vaqueta de lustro com sola de ma-
deira, proprios para banbos.
Sapatos de borracha para homens e senhoras.
Sapatos abotinados, do differentes modelos, mui-
to bons e fortes par meninos e meninas.
Sapatos de tapet?, avelludados, Charlot, casi-
mira preta, de tranca porluguezee, para homeu?,
senhoras e meninas.
Perf ama ras.
Extractos finos, banhas, cosmticos, leos, opia-
ta?, aguas de Cologne em garrafas de crystal para
presentes, agua divina, agua florida, deritifrice la
vande, agna de toilet, tintura para barba e cabel-
los, pomada hongrolse para bigodcs, pen de arrez
e sabonetes, tudo isto de primeira qualidade, des
fabricantes Coudray, Piver e Lubin.
Quinquilharias
Luvas de pellica brancas-Jouvin.
Espelhos grandes dourados para salas, qu.jr.iis
Ba da Cruz n. 16
Ei.conlra-se sempre : j AMENDOAS confeitadas: xaropes refri-
BOLINHS para cha ; pao de lo ; bollo gerantes; vinho Bucellas, branco e tinto,
inglez; pastis de differentes quaiidades ; proprio para mesa; vermouth ; absyntio;
doces de fruclas, em calda e secco, em cognac; vinhos finos, champagne.
barrilinbos em latas. -
CA1X1NHAS com amendoas e pastilbas, PAPIS para sortes.g ditos vendados
proprias para presentes ; cha preto, miudo, para cobrirJwlos.
de superior qualidade ; latas com pecegos
a i500. i PRESUNTOS e fiambres.
RECEBEM-SE encommendas de bandejas com bolinhos. com armacSo de assu-
car t sem ella ; de pao de l e bolos enfeitados com disticos e sem elles : e de outros
muitos objectos proprios para grandes jantares, bailes, etc., etc.
fe
..eques para senhoras e meninas.
Joias de ouro, brincos, transelin?, fuilseira,
botes de pnnhos, de abertura, c Trentes e chaves
de relogio, ludo de ouro bom de lei.
Brincos de plaqu imitado de ouro.
Correles para relogio.
Abctoaduras para colletes e para punhos.
Albuns de velludo e marroquirs para retratos.
Mammadeiras.de /ideo para crianza?.
Caixinhas de costura, novos modelos com mn-
sica, proprias para presentes.
Qaadrinhos dourados para retratos.
Toncas e sapatinhos de laa para crian.
Capellas para noivas e para pastoras do pre-
sepios di i
Caixinhas com vidros de augma no
se em ponto grande a photographia dos reli
Ps de vidro para piados.
Thesourinhas para eos ra e uohas.
Bdcfnhas de-seda e de -velado.
Cestinhas para Joraco de meninas. .
Balaios para eoatura.
Ceso d'afame pratiado para tmHa
misa.
lucos artigos de pbanUaia uecessarlos para toi-'
Ih'tcs e proprios de presentes.
Jarros e bouquets de porcelana para santua-
rios.
Begistro3 de papel fino mui lelicados.
Quadros promptos para enllocar vistas.
Molduras douradas para quatros.
Estampas de bellas paysagens de cidad>, de
figuras e de santos.
Espanadoro- de penas e de pal ha.
-Carleiras para notas e para dinheiro.
Caixinha de msica de dar se Corda.
Poaieira* de espuma para cigarros e charutos
Grvalas de seda pretas e de cores.
Hengalas de cana com castoes de marlim.
Dlas de baleia, junco e de multas qualidades.
Pentes finos de marfim para caspas.
Escovas para faci, para cabello e para denles.
Lunetas ou_penclnez de prata dourada.
bitos de tartaruga e de ac
Oculos de prata dourada e de ac.
Reverbero transparente para candieiros.
Ditos para Linternas de pianos.
Cotos econmicos para vellas de spermacele.
Cordas para violo.
Porl-pratos para mesa.
Caixinhas de diversos modelos e prer.u.
Objectos novos de mgicas o tnelhor possivel,
para divertir meninos.
Malas, saceos e boiras para viagens.
Estojo* de viagens, completos com navalhas.
-Esporas de metal branco para sanos.
Chieoks fortes com martello para viagem.
Ditos de muilns modelos, de junco e de baleias,.
'.uvas de fio da Escocia brancas, e de cores.
Ditas de camurca auiarella.
M .chinas para lazer caf.
Gl bos dj papel de cores para illumlnacfies e
f -;.v campestre?,
tiaiue de cores, de subir ao ar fcilmente.
domin, da gloria, vispora?, rodetes,
muros jogos allmesr
.:opos com as mais bonitas vistas, de
- 'siacadas e grupos de familias.
.o* ou accordims de todos os tamanhos
com trmulos.
,:quenos com novas msicas.
-ramas de varios tamanhos, com difieren
mi pftorescas.
Para lapinhas
l'icopioi completo com todas as pecas e sorti-
meatos avulsos do flurinhas, animaes, casas, jar-
He.
Attenp^o'
r.riji(os mencinalos ne:te annuncio
no baratos, ni) .- pelos abatimen-
s fabricantes em altencao as grao*
i di cimpras, como pelo bom systema
a de veaJer muito anda mesmo com diminutissimol
lucra.
I MOVIDADE.
O Costa, propietario o armazem da Pedra
Maamore roa das Crmes n. 42, offereee por di-
nheiro contado o que de melbor lia no meruado,
por lr ^eeebid^ mnltos dos gneros descripUis
polo ultimo vapor.
Qaeijos llamaogos do ultimo vapor a i'800.
Biseoutos em caixinhas de ''wllgura<;oes diver-
sas proprias para feslas as enancas.
Velas slearinas a 6i0 rs: a libra.
Chocojate de l a l80O a libra.
Especial nanleiga in|(leza e IrMice/.a.
Hortallces para sopas denominadas .lulienne, qne
sub.-tilue peifrilamettScas mais rrescat civas.
A verdadera farinha americana viuda de conla
propria a 320 is. o maco de urna libra.
Bulichinhas de todas as qualidades e dos me-
Ihores fabrican.es.
Ervjlhas francezas e pnringuezas.
Vinho de todas as qualidades.
Especial e aromtico sabao de familia a 500 3
o kilo.
Molho inglez.
Ameixas e marmeladas dos roelhcn:s fabrican-
tes.
Caf de Moka.
A' 500 rs.
NA
Fl p da Boa-Vista,
DE
Paulo Guimares.
Camlsinhas bordadas para senh*ra a iiOO rs.
Gollinhas, idem dem a 440 e 500 rs.
Mantas de vanja para senhora, proprias para ba-
nho.a 800rs.
Chias escoras e claras, o covado de 280 a 360 rs.
Mussulinas de cor, padroes novos, covado de 280
a 440 r?.
Laas Amelia para venido, o covado a 500 rs.
Ditas, padroes mudinrbs, o covado de 400 e 508 rs
Pecas de algodio, madapolo, cambraias brancas:
vndese mais barato do que em qualquer ou-
tra parte.
A' ra da I m pera Ir z, D..4Q,
junto parlara fparic za.
Carrinho americano
Vndese um excellente carrinho americano
novo, com as-entos para dua> e qualro-pessoas :
quem quizer ve lo e examina-lo dirija-se ao ;aes
do Apollo, cocheira eenfronte :to porto das -anoas,
e para tratar no argo do Corpo jauto u. 6; se-
gundo andar.
Todos
Afluelleis que quizerem bitp satisf^zer ss
exij^eniias esloaaiticas. nao tem mais que
fazer urna vizila ao sempre btm scrlido
armazem 'de vveres do Oinpos da na do
Imperador n. 28, pois- ah so acbam em
Grande reimio um ecolhido c variadsi-
mo joriimento de ?enro proprios defctes
tpmpos do fega bofes.
t Caiu|ios
Limita-se a fazer mencao dos seguintes g-
neros que ser3o n cbidos com
AGRADO
a saber :
Presontos inglezes e de atnegp.
Salames de Ltafe *
Conservas inglesas o francezas.
Queijos Londrino?, Flamengos e Pratos.
Toucinho inglez para lonCh.
Champanlie, sufieriores marcas.
Riscouto, t'jlaxinba ei bolinhos em latas.
Cbouricas,'linguicas e sakbicbas em ditas,
cores fsn.macaes, cbminilio, curaco e
aya-pana.
Rilter Peiynees e oulras marcas.
Cognac mattell e outras ditas.
Charutos do Cofta, por diversos preos.
Vinhos de diversas qulidades e precos.
Cervi'ja (Rass) co torno a 320 rs. o copo.
Adobo a 200 rs a bra. *
Lingoas feccas a 240 rs
Coacervas fi aneez-s com. tubaras.
PAR 1 A FESTA
NA LOJA
Vende-sa urna cama uova de ainareilo pro-
pria para noivos. na loja de marcineiro ra das
Laraoceiras n. 13.
M
Pau'o Qaiffi! raes
I'..li! 'i- de brim branco Muzas, de
3 4. 6, o GJOOO. "
Dito- de lpaca branca do 3, a k$.
Ditos de dita de cor, de 3 n 3j>500.
Calsas brancas de brim, de 2 a 8J.
Colif les brancos, de.2 a 3300.
Grande sorlimenio o/alfasde casimi-
ra [reta e de efir, palilois i!o raslroin
de todas f.s cores, il.ras todas corladas
por um perita mes tro.
Na nesn loja ^e manda fazer obras
por medida e por menos SO pw cento
qne em outro qualquer c-iabelecmpnto,
pois para i-so acham-s munidos d'nm
perito mestre o olflciaes.
A RA'DA 1MPEIUTRIZ N. 48.
Juuto a padaria"franct-za. -
SELLE
Yendem-so sellms com arreios e sem elles, e
ludo quanio objectos pr-rtenrentes a selleiros,
por menor preco que em ou'ra qualqner parle
para liquidar. *
27-Rua da Cadfia27.
um fogao airvrkaiio novo proprio para casa de
grande familia: a trlar ca na do Apollo nu-
mero 28
urna canoa de amarello toda pregada a cobre, a
qual carraga 10 >c;Sfa$: para v\r no psrio Saa
canoas, eatraiar na ra do Apollo n. 28^_____
Attenpo
Cfiegou .i ra Dire'ta n. 29 n desejado se rumen-
lo de balaios de todas as qualidades crino sejam :
condecas, brreo?, roupeiro, cestas, aeifales^ de
todas as qualidades, que se vende mais barat do
que em outra qualquer parte.
GA2 DEVOES.
Lttas com toraeira
ULTIMA l.NVEMj.Vn,
Quera comprar do paz nessis' latas ua) pfeci=a
passa-lo pafa garrafas ou deposito, pn;s qoe pode
tirar para os candieiros todas as vezes que preci-
sar sem derramar ou perder urna gota : vende-se
no armazem do Joiio Rosa, travessa da Madre de
Deo3 n. 8.
O Razar da Moda receben mvo sortimen-
to te fazendas elo ultimo gesto para vesti-
dos, assim como chapeosinhos, casacos,
born?, coques, camisinhas, etc, etc
Continua se-irpre o grsndo o^famado sor-
lmenlo elo rindezas e peif.marias verda-
deiras, quo ludo so unde p,r baralissimos
precos
Dam*6 aftosfras e rn.ind->se em casa ds?
Exmas. familias o que elesej-r: m, ra do
Baro da Victoria, ouh'ora Nova.
Vende-se demerite d<- ooratto o alfaco muito
nova : na ra da (jia n 7,lalrpa.
A Ij&OOO
Espanadores de palha o* mais bem fei o. po^si
.seis : na prses da Iidrpendenria n, 39
Vende-se ou arrendare a meiacjt do sitio
do-Ourgos, distante da villa de r.aranhnns quatro
legoas, com casa de vivenda, eng^nhoca de fazer
rapadura, com bous brjos e Ierras preprias para
plantar aljodao, mandioca, milho e feijlo os pre
tendentes podem infirmar e de Trujano de Mo-
raes Cam|>ello, em S. Joo, junto a Qoeimada da
Onc.a, e para tratni em Cuyambuca, na casa caa
da, junio a estaco.
^Aos Srs. fumantes^
9 Charutos linos da Babia, do afamado *J
9 fabricante Joaqaim Jos dos Reis, muno
jg superiores, por precos mdicos : na fa- %
2 brica a ^apor de cigarros na autiga ra S
W do Quartel de polica n. 21.
tenientes de hort Jicas
A' ra da
cantil.
Cadeia n. 53, aimazem Uniao Mor-
Doces, tVuctas e flo os
Na ra da Cruz n. 13 vende se fiambre as
libras.
Doces, fructas e flores
Sorvetes todos os dias das II horas em diante.
NOVO SORTIMENTO DE MSICAS
KO
SALAODE PIANOS E DB MSICAS
Ra da Imperalriz numero 14, loja
Contm :
MSICAS PARA PIANO das mais Uceis at as
mais dilfleeis, todas dos autores mais modernos
as melbores ediees da Europa e do Rio.
NOVIDADES
Quadrilhas, polka?, valsas tangos, habaneros
raodinhav cancOes brasileiras e hespanhes, ro-
maneas francezm, arias e cavatinas, operas intei
ras proprias para preseetes, tudo para piano e
para canto da opera
v GUARANY
Em breve principiar-se-ha de dar um catalogo
do grandi>3imc sortimento deste esta' elecimeuto
encairega-se de encadernac.5es, etc.
GRANDE SORTIMENTO DE MSICAS-
NO
SALAO DE PIANOS E DE MSICAS
Ra da Imperalriz n. 14, loja
Para 11.uta, darme!?, rabeca, para pequea e
grande orchestra, para bapda militar, para har-
monio, o proprio para'esto lempo d< f stas e pa-
ra augmentar :i solemnidade dos altos religiosos.
Todo pedido s provinftas ou do tatenor
promptamentc atlendidos.
- x jEsarnE-HE
urna vacca crionla, nova, parida de poncis da?,
gnrda e bonita garante se dar mais d quatro gar-
rafas de leile e dir mesmo cinco sendo beni jU-
mentada : ein BeberJbe, sitio Caet.
v.
CAFE PURGATIVO
A' ESCAMONEA
De B* Sural
P-nraSiiccutico-HliuIco
A Utilidad dys purgantes ci*Sxffr'e demons-
tra, ao ilgBioa ;' a o e.-cripro liaiia qne delle<
fazein-os mdicos e o oso" anda mais irquenle
foll pelo publico ^a) piovs irrefragaVeis lauto.
cornos jnantidaih innuinrravcl sesle genero. S
falta pe teipiar cada" vei maia o modo de admi-
nistntcilrr, de maneira que coi,servando a sua ac-
q5o, elles possare fer Uimados tem repugnancia
nein a-co e sobretodo sem receio neni perigo.
Muitos porfiles afamado* s dovem este bem
xito ao seu effeilo iiiten.-o e exoessivo. D'ahi "
perigo, porque irrjlaeoes de estomago, inllamma-
(fies de eniranba> siio inevitavelmente o resulta-
do do seu emprogo. Nada disso tem-se de recear
com o caf. purgalK'o.
Todos conhecem por experiencia o aroma sua-
ve e o efleito ligeiramenle tnico e excitante do
caf Klle o melh r auxiliar dos purgantes dos
qnaes disfama o charo o sabor e ajuda a aeco
solicitando vagarosamente os moviments peris-
talliccs de interino, e prevenindo o sen effeilo
muito intenso sebre o estomago. Misturado com
escamonea, facilita asevacuacoe> com promptido
o sem clicas, e torna se om imrgante brando,
certo, fcil a tomar e preferivel a todos os outros
Ivo urna jndica^ao especial da qual o medico eV
o nnico juiz.
A innocuidade do caf purgativo permitle de
empri'ga-l em todos es casos simples. Desper-
ando a atona do intestino e activando a secre-
c*~deste, desire a dureza de ventre, as vento-
sidades, as flaluosidades e excila o appetite. Em-
pregado mais a miudo, cooveniente para eva -
cuar com vagar a bilis e os humores viscosos e
e faz de^sa maneira desapparcor a enxaqueca,
as dores de cabeca e prev os ataques de sangue
as pessoas qne a estes sao predi-postas.
MODO DE EMPREGO.
E' to simples como fcil. O cal purgativo
deve ser tomado fri, puro ou misturado com um
pouco de leite fri assucarado, ou agua assuea-
rada. O vidro inleiro a dos ordinaria para
umadnl.o ; duai eolh.'res de caf bastara para
as senhoras e para loda o qualquer pessoa qne a
pur -faiilnieiite. -
ara as criancas de 8 10 annos, a melade do
vidro uftteiente de a B annos, urna colher
de caf, e a qoarta parte do vidro smecle abai-
xo de.iia idade contra a gesma.
E' por isso d'uma admimsiracao muito mais
fcil do que es biseoutos, chocolates ou bolos
purgativos. -
Dase immediatamente depsis leste quente as-
sucarado ou cMo leve, e duas ou tres chavenas
de cha prelo ou de tilia. ,,..,, d
nico deposito na pharmacia e drogara uo
Bartholonieu A C. : roa larga do Rosario n. _
FARINHA
de trigo 5^000 a eaerica; to armazem Ba-
liza, ra do Livramenlo n. ..
<- -
Ptciiiha.
Tende-sfl
na rileira da Boa
ca a '20 rs., da Escatla a 60O rs. e de
tOOri., com alista dos compradores i
da verdade.
Muribe-1
anna a
..lecerot

rasa re a 14, do p.
i Direita n. 6V,
Vende-se porcos
ove arrobas de peso
72, CatniLh) Novo.
bc-m sevades,. de cinc j a
: na ra da Eiperanca o.




6
Diario de
Pernambuco
Terc,a feira 13

Je
Dezembro
de
LJ
1870.
L

GRANDE
BAZAR DO
60-RUA DA IMPEMTRIZ-60
DE
PEREIRA DA SILVA & C
N98te importante estabelecimento encontrar o respeitavel publico, um grande 0 variado eortimento de fzendas do mais
aparado gosto e todas de primeira necfessidade, que se vendem mais baratas do que em ootra qualquer part, visto qw os Bo-
fos socios desta firma, adoptaram o systema de s vendefem a DINHEIRO ; para poderem venden pelo custov limitando-se apenas
PECHINCHAS
DO ^
PAVAO
Ra da Imperatri 60.
Para Tender depressa
LINDAS JAPONEZAS PARA VESTIDOS A
A 500 RS.
O Bazar do Pavio recebeu um grande; Chegu on elegante sortimgnto de I5as-
sortimeoto dos melbores pannos de crecb, 1DQas doJipao.com padroes-do seda e de
propnos para cadeiras- de balance solas,
pianos, tamboretes e at proprios para cu-
brir atmofadas e pratos; vendendo-se por
menos do que em qualquer parto.
PARA LENCOES
No Bazar do Pavio vende-se snierior
bramante d'algodo com 40 palmos de lar-
gura a l08Ouo metro, dito de lioho com a
mesma largura a 20800 cada metro, pannos |
ds linhodo porto com 3 1/2 palmos de largura
de 720 al 10 a vara, assim como um grande
sortimento de H'mburgo ou creguellas de
todos os nmeros, precos ou qualidades,
que se vendem mais barato do que em ou-
tra qnalqner parta; aproreitem-
ATOALHAOS
No Bazar do Pavio vende-se superior
atoalhado trancado, com 8 palmos de larga-
ra a 10600 o metro, dito, de linho adamas-
cado o melhor que tem vindi ao mercado a
3(5500 o metro ; tudo isto muito barato.
FZENDAS PARA LUTO
No Bazar do Pavo vende-se constante-
mente o melbor sortimento de fazcndas
[tretas para loto, como sejam :
Laasinoas cretas lisas.
Cassas pretas de 15a.
Cassas pretas, fraocezas e inglezas, lisas
e com salpico?.
Chitas pretas de todas as qualidades.
Alpacas pretas lisas.
Ditas lavradas com branco.
Merinos, cauto-s, bombazinas, qne sa
vendem maisbarat do que em oatra qual-
quer parte.
CACHE-NEZ A 6(5000.
No Bazar do Pavio vflndem.se bonitos e
rande-i cachi-ne^ de pura iaa, pelo bar?-
to preco de 6->0i cada um
PEIIICNCHA EM CAMBRAIAS VICTORIAS, A 50,
60, 70 80000.
Vende-se um esplendido sorlimento de
ftoissimas cambraias victorias, por precos
mais baratas do que em outra qualquer
parte, lendo cada peca 10 jardas a 50, 60,
60500 e 7(5000, Qnissiraas a 80500 ; das
estas cambraias valem muito mais dinheiro
i ganharem o descont ; as pescas "que negociam em pequpna esca'a nesta loja 'e armasen podero
pelos mesmos preeos que compram as casas inglezas, (importadoras) e para maior eommodida.de das
amostras de todas as fzendas, ou lhes levam em suas casas para escolherem.
TAPETES i GROSDENAPLES PRETOS
Chegou para o Bazar do Pavo o mais Chegou para o Bazar do Pavao um gran-
elegante sortimento de tapetes grandes, pa- de sortimento dos melbores grosdeniples
ra snfs, com 4 cadeiras, ditos mais peque- pretos que tem vindo ao mercado, qoe se
nos, para doas cadeiras, ditos para vendem de 10600 at 50000 o covado ;
pianos, camas, portas ; etc. vende-se por slo todoa muito em conta.
menos do que em outra qualquer parte. ESPARTILHO.
ROUPAS PARA HOMENS i No Bazar do Pavio receben-se um elegao-
No accreditado Ba-ar do Pavio encootra- te sortimento dos mais modernos e meho-
r o respeitavel publico um grande sorti- res espartllbos, que se vendem por preco
ment de roupas para bomens tanto bran- moito em conta.
cas como de cores, a saber: PANNOS DE CROCH PARA CADEIRAS
Camisas con: peitos d'algodlo e de linho,
oara todos os precos e qoa'idades.
Cero das de_ linho e algodio.
Meias cartas francezas e inglezas.
Palitos sobrecasacos de panno preto e
casemira.
Calcas de brim braoco e de cores
Ditas de casemiras pretas e de cores, com
colletes igua8
De todas estas roupas ha para todos os
precos e qualidades, e tem de mais mais
am perito
ALFAIATE
Por qaem se manda fazer com prestesa
e aceio qualquer peca de obra a capricho
ou go-to do fregaez, teodo n'este importan-
te estabelecimento todas as qualidades de
panno oo, as roeihores e mais moder-
nas casemiras, assim como os memores brins,
qur brancos, qur de cor; e quando qual-
quer obra nao ficar iotetramonte ao gosto
dos fregnezes fica por conta do estabeleci-
meato.
FUSTvES DE COR E BRANCOS
Vende-n-se bonitos fustSes brancas e de
cores, croprios para vestidos e rcupas de
meninos, sendo de cores a 800 ris o cova-
do e brancos, a 400 e 640 ris, pe-
chincha, no Bazar do Pavo ra da Impe-
ralriz n. 60
CHITAS BARATAS
a 200 ris.
a 200 reis.
a 200 rers.
Vendem-se chitas largas com muito bons
pannns e cores fixas, pelo barato preco de
200 ris o colado ; cortes das mesmas com
10 eovadoa a 20090, pechincha, no Bazar
do Pavo.
AS CASSAS DO PAVO
Covado 200 ri?.
a 200 reis.
a i00 ris,
Vendeoi-se bunias cissas de cores miu-
dfobas pelo barato Drecode 200 ris oo-
vadn, no armazem do Pavo ra da Im-
peratriz n 00.
PANNOS PARA SA1AS A UOOO, O METRO.
No Bazar do Pavo vende-se bonita fa-
zen-ia branca eucorpada para saias, sendo
com baoados e pregas le um lado, dando
a lar i" r i da fazeuda o comprinento da
saia, a q ni se pie fazer com 3 ou 3 4|2
metro* e venle-se a 10,10280 e 10600;
a&sitn c^rao tamben) no mesmo estabeleci-
meit.' so vpiHe bonitas saUs brancas bor-
dadas, ten io quatro pannos cada una, titas
de la de cores j promotas, urnas com
barras diferentes dameraa fazenda 4WJO,
e ou!ras com barril brdalas 60 e 70DO11,
ud^ isto moderno e barato.
CARNAUBA.
Vende-se carnauba em saceos, na ra da
Imneratriz n. 60. Bazar doJPavo.
TARLATANA^ LISTRADAS CORTE A 63500
Cheg< u para o Bazar do Paa"o um bonito
sortimento de tarlatanas listnd.s, sendo
verdes, cor de rosa, lirio, tendo esta bo-
nita favenda muita phantasia, e liquida-se
cada corte a 60500, pechincha ; na rda
da Im -pratriz n. 60.
CASaQUINHOS DEGUPURE A 100, 120,
160, E 200.
Chegr.rara pira o Bazar do Pavo os
, mais modernos casaquinhos ou basquinas de.
guipare com cintura, ricamente enfeitados
com lacos e vendem se peto barato preco
de 103, 1 .'0, 160, e 200, pechiocoa,
ra da Tope a tris n. 60.
LENgO- DE MORIM A 30500 A DUZIA
Ve^dem-se duias de lenc-s flniswmos,
branc-s de morim, sendo fazenda muito
eocorpada, a 30500 a dezia. Ditos de
cambraias ffo^sira^s, fazenda que sempre
se ven leu a 5 5000 e liquida-se a 30500 a
dnzia por h-iv-r muito porco, no Biar.do
Pav) a ra da Imp^ratriz o. 60.
CORTINADOS DO BAZAR DO PAVAO A
80 100 120 E 160
Chegou urna grande remessa dos me-
lhores cortina ios tor ;ados, proprios para
camas e janellas, que se vendem pelo ba-
rato preco de 80, 100, 120, e I60,o p*r :
roa da Impsratriz o. 60.
MADAPOLO ENFESTAOO PEgA A
30200
Vendem-se peca Je madapolo francez
enfestido, lendo 11 metros cada peca a
302)0 : pechincha no Bazar do Pavo,
a ra da Imperatnz n. 60.
DAMXSCUS PARA COLCHAS
No Bazar do P enfestado com bonitos dezeohos, teodo 6
palmos de largor*, proprios para colchas,
pelo barato preco ds 10280 cada covado.
dito, dito, com 8 pal os muito fino a
40000, assim como muito bonitas colchas
de damasco de 15 que se vende na loja do
Pavo rm da Imperairiz n. 60.
RETALHOS DE CHITAS E CASSAS PRE-
TAS.
No Bazar do Pavo vende-se porco de
retalhos de caitas e eassas pretas sem li-
mite no preco : roa da Impewtriz n. 6j.
(azer os teas sortimeatos
Ex ai as. familis se daro
Roa Wn%nt b Milu 08
A NoUtoran5a nao qnerendo deixar de lem.
^rar *ctl^ e com especialidade
suaconJllefreEaeta, o que ella vai recebendo,
tarto mqasDtoaoroxima-fe o tempo em que
todos parecen] mata dispostoa para suivisar as
(Migas passadas, iite aproxima-^e o iemp*o cha-
mad ) a fasta; ella aprassa-se era mencionar o qne
lem recebido diurnamente, pois como aabem, o
leus objeetu primam empre em gusto e saperia-
ridade, assim pois os apreciadores do bom diri-
jam se Nova Esperanza afim de comprarem o
que de melbor exisie no mercado, como seja :
Modernos adereces de tartaruga e madreparola.
Agnllias para bordar em lia.
Lindas anas do cour<* da Rasaia propriaa pa-
ra presentes, caulendo tres frascas de ciystal oom
finos eitiwotos.
Boa agulhas cantofa.
Um va iadissimo soitmenlo de moderaos ente)-
les para- vestido.
Esparlillios de muitas qualidades.
Bonitts e elegantes caiws para costura.
Turril da seda para crochet, de bonitas cores.
Linditimas bonecas vestidas e despidas com que
e li juid ui-.se por este preco em relaco a
orna grande compra que se fez no Bazar
do Pavo.
BABADiNH)S
No Bazar do Pavo vende-se um grande
sortimento dos mais finos babadinbos borda-
dos tapados e transnarfinte3, assim como
urna grande porco de entrmMos largos e
estreitos, que para acabar se vende mnil
em conta e mais barato do que em outra
qualquer parte.
SETINSDE CRES E GROSDENAPLES.
No Bazar do Pavo vende-se um sortimen-
to completo dos meMiores setins e grosde-
laples de todas as cores, que se vendem
ailo em conta.
Calchas brancas 3j2 0, 30300 e 70000.
Para o Bazar do Pava > chegou um grande
sortimento das melbores eolebas pretas,
sendo das melbores e jiaia encordadas qoe
tjm vindo 70000, ditas um pouco mais
baiza 30500 e ditas 30200; tambem no
mesmo estabelecimento. se veo le um grande
sortimento de crotones e chitas proprias
para colchas que se venjum imito em coala.
Sedas de quadrinhas a 10280 ao corado
Vende-se um elegante sortimento de sedas
de qoa irinhos com liad ssimas cores, para
vestidos e roupas de meninos, e vende-se
10280 cada covado; pecbincba no
Bazar do Pavo.
CHALES DE RENDA.
Chales 200J.
Chales 2000.
Cbales 2000.
Vend '-se ama grande porejo. de chale
pretos de rend ou croeb) seodo pretos
com 4 p-iotas, fazerrla que 8empre se ven-
deu 50000 e li juid -se a 20000 cada um.
pechincha no B>zar do Pavo, a ra da
imperatriz o. 60
LINDAS BAREGES A 320 RS. O COVADO
No Bazar do Pava i vmde-se o mais bo-
nito sort ment de fiaissimas bareges trans-
parentes c m as mais bonitas listas de cores
proprias para vestido, e liqu da-se a pataca
o covado por estarmos moito prximos da
feua ; dihs mesc'adas, (agenda muito lus-
trosa e com lindas cms a 400 ris o covado,
pe;bincha a ra da Imperatriz n. 60.
LENCOS DE CASSA DUZIA 30030 .
Vendem-se fioissiiuos lencos de cassa
com delicadas cerca taras, de cor s fizas]
j embanh id< s, sendo pnprio para borneo
e senboras pelo b iratissimo prego de 30O 0
a duzia, no Bazar do Pavo a ra da Impe-
ratriz n. 60.
TOALHAS A 70500
No Bazar do Pavo fez se urna grande
xiniDra de toalbas alcocnoadas, proprias
para rosto, bastate encapadas e grandes,
ue sempre >e venderam a]120OOO, e h-
midam-se a 7A500 a dazb^oa a 640 rs.
;ada urna, boa pechincba.
wm wwm
Quando a AGUIA BRRNCA, mais precisa- scieotificar ao respeitavel publico a
geral, e em particular a asa boa freguc-zia, da immensidade de objectos que ultimamen
te tem recebido, justamente|quando ella menos o pode fazer e porque essa falta invo
luntaria ella confia e espera na benevolencia de todoa qne lira attenderlo rrievario
contmiando portanto a dirigirem-se a bem conhecida leja da AGITA BRAMfia ra d<
Quemado n. 8, onde aempre acharSo abundancia em aortimeato de supefiuridade e
qualidades, mooicidade em precos e o seu nunca desmentido AGRADO E SIBCERIDADB
Do que cima fica dito se conhece qne o tempo Je que a A0WA BHNC\ pd
dispr, empreado apezar de seos custos no desempenhb de bem servir a aquellea que
honram procurando prover-se em dita loja do que necessitam, entretanto sem ennuma
rar os objectos qne por sua natureza sao mais conbecidos ali, ella resumidamente indi-
car aquelles cuja importancia, elegancia e novidade os tornam recommendaveis, cent
bem seja :
Corpinhos de cambraia, primorosamente
enfeitados com fitas de setim e obras essas
cuja novidade de molde e perfeico de ador-
nos oa tornam apreciados.
Fitas mni largas de diversas cores e qua-
lidades para cintos.
Leques uesse objecto muito se poderia
mailo boa qnaiidade. que se vendem a
500 rs. o covado. E pechincha, n Bazar
do Pavo, roa da Imperairiz n. 60.
POUPKUNAS DO JAPAO A 10600 O COVADO.
Chegou um elegante sortimento de lin-
dissimas poupehnas Japanezas, com os
mais delicados gostos, tendo muito lustro
e com listiinhas de seda, sendo esta nova
fazenda quasi da largura da chita franco
za e vende-se pelo barato preco de 106OO
cada covado, no Bazar do Pa AS POUPELINAS DO PAVO A 20000, O COVADO.
Cheg)u para o Bazar do Pavo um bo-
nito sortimento das mais moderna! e ele-
gantes ponpelinas de lioho e seda, que se
vendem pelo baratissimo prego de 20000
cada um covado, assim como ditas com
go;tos escossezes a 20400, pechincha no
Bazrr do Pavo.
8E0AS A 20000
Chegou u n elegante sortimento do boni-
tas seda de listrinhas, comas cores mais no
vas qua tem vindo ao mercado e veodem-se
a 20000 o covado, na roa da Imperatriz
Bazar do Pavo.
CRETONE FORTE A 20000 O METRO
S no Bazar do Pavo.
Chegoo o verdadeiro cretone francez pro-
prio para lencoes tendo 10 pa'mos de lar-
gura, e moito encorpado, sendo preciso ape-
nas para cada leucol i '/? ou 1'/metros, alm
d'esti appluacao tambem esta larga e eo-
corpada fazenda propria para toalhas, saias,
reroulas, etc. e liquida-se pelo barato pre-
co de 20000 cada metro.
CASEMIRAS A 20500 CADA COVADO
No Bazar do Pavao vende-se um grande
sortim-nto de bonitas casemiras de urna fa
cor, sendo asul, lirio, masclada, sendo de"
duas larguras, proprias para calcas, palitos,
e roanas para mrnino, e vendem se pelo
barato preco de ?05OO o covado, roa da
Imperatriz n 60. m
BONITAS LAASINHAS A 500 RS. 0 COVADO,
VtMne-se delicadas llasinbas com diffe
rentes gosto pelo barato prego de 500 rs.
o covado, no Bazar do Pavo.
ALPACAS BRANCAS.
Vende-se um bonito sortimento de finis-
simas alpacas brancas lavradas imitaco
de seda, proprias para vestidos de baile ou
.asamentos no B^zar do Pavo.
ALPACAS LAVRADAS A 400, 560 E 6i0 RS.
Vende-se um grande sonimenlo de lin-
das alpacas lavraaas de todas as cores para
vestidos e vendem-se a 400, 550 e 640
e ai mil e tantos res o covado, no Bazar
do Pavo.
BAREGES DE QCADRINHOS A 600 RS. O COVADO
Vei.de-se as mais lindas e modernas la-
sinbas ou bar~ges de quadrinhos, proprios
para vestidos, tendo quasi largura de chita
'rsncfza. e l quida-se a 640 rs. o covado,
no B.-izar do Pavn.
MERINOS DE CORES RARA VESTIDOS.
Vende-se bonitos merinos de urna s
cor com cores muito proprios para vestid
e roupas pa
da d pura la e muito leve, vende-se a 10
o covado, no Bajard> Pavo.
GLACS A 10UOO PARA VESTIDOS.
Vende-se um elegmte sortimento de^ta
nova fazenda d"nomi':ada glacs sendo urna
fazenda de la muito larga e com debea-
dissimas cores, tendo tanto brilbo como ai
seda e vende-se pelo barato prego de 10,
covado, no Bazar do Pavo.
CASEMIRAS A 70000
Vendem-se c irte de casemira iogleza de
cores para caigas sendo fazenda que vale
muito mais diubeiro e liquida-se a 70000
o corte de caiga, no Bazar do Pavo a ra
da Imperatriz n. 60.
GRANDE PECHINCHA EM CAMBRAIAS TRANSPA-
RENTES a 40, 50,60, 80, E 100000 '
Vende-se finissimas camb aias suissas, d
muita phantasia teudo 9 varas a 80500 e
100000. Ditas bispo com 10 jardas fazen-
da muito fina a 50, 60 e 70000. Ditas fi-
nissimas azuhdinbas, que valem muito mais
dinheiro, a 80 e 1O0JOO: todas estas cam-
braias, em relago a qualidate, pelos pre-
cos cima sao mais baratas do que em ou-
tra qualquer parte, no B.zr do Pavio.
CAMBRAIA ALLEMA COM 8 PALMOS DE LAR-
GURA A 11600, U E t500.
Vende-se finissian cambraia branca tran-
pa ente com 8 palmos de largura, qoe fac
lita fazer-se om vestido apenas com 4
varas e liquida-se a 15600, 20 e 20500 a
vara, fazenda qne vale moito mais dinheiro.
pechincha no Bvar do Pavio.
CAMBRAIA TRANSPARENTE
Pega a 40000
Vende-se moito finas pegas de cambraias
brancas transparentes, tendo8 l|2varas ca-
da pega e com om vara de largara a 40.
E pechincha, no Bazar do Pavio
A' roa da Imperatriz
su 60.
metro de coraprimenlo para regajo da vestida de
coi vas.
Bonitos-vasoe'com banba com disticos de appe-
lidos brasileiros proprios para presente*
Modernos penies douraos para seoiiora?.
Bong telescopios com bonito e ioteressaDles car-
iSes de vistas.
Fina eadeias de cabellos e plaqu para relogios.
Perfumaras
As methores, e do mais conheeldo fabricante,
tanto francez como inglcz, esli expostas 'venda
na ra Daque de Cnxias n. 63, na Nova E;pe-
ranga.
Extracto, Banha, oleo, sabonetes, agoas de co-
lonia, de laranja, florida e do lavande, etc., etc.,
lado de snperior qualidrde : vende-se na Nova
Esperanca ra Duque de Caxias n. 63.
Agora sim I! !
A Nova Esperanca, a ra Duque de Caxias n.
63, receben um lindo sorlimento de Iaa para bor-
dar, vindo as cores mais procurada.*, branca, pre-
ta, escarale etc. etc. a ella antes que se acabe I
Aos cigarreiros.
A Nova Esperaoca vende papel para cigarros
(Mais) a 4#00 a caixlnba barato I
desenhos, tal
o grande e variado sortimento que acaba
de chegar, mas para nio massar o preten-
dente se lhe apresentar o que poder de
melhor.
Entremeios m pegas de 12 tiras.
Guipure branco e preto de diversas qua-
lidades e desenhos.
Ditos de algodio com flores e lisos.
Veos de seda para chapelinas e monta-
ra.
Meias de seda para noivas.
Ditas abortas de fio de Escossia.
Costumes ou uniformes para meninos.
Enxovaes completos para baptisados.
Touquinbas de fil, sapatinhos bordados
e meis para ditos.
Camisinhas bordadas para ditos.
dita
CHEGARAM
Pbqos instantneos aperfejo*
ados por preqo muito com mo-
do:'na ra Nova n. 28, loja de
Antonio Pedro de Souza Soares.
Bombas completas para ca-
cimba, por diminuto prego, na
mesma casa.
CEMENTO
O verdadeiro portland. S se vende na roa da
Madre de Dos n. 22", armazem de Joio Martins de
Ranw
MIMAS Pllli
COSTURA
Acabam de chegar ao GRANDE BAZAR
UNIVERSAL, roa Nova n. 2carneiro
viannaum completo sorlimento de ma-
chiaas para costura, dos autores mais co-
nbecidos, as quaes csto em exposigio no
mesmo Bazar, garantindos-e a sua boa qo i-
lidade, e tambem ensina-se com perfeico
a todos os compradores. Estas machinas
s5o iguaes no sen trabalho ao do 30 costu-
reiras diariamente, e a sua perfeigo tal
como da melborcostareira.de Paris. Apre-
sentam-se trabalhos executados pelas mes-
mas, que muito devem agradar aos pretn
denles.
CAL Mi DE LISBOA
Vende Joaquim Jos Ramos
a. 8, andar
na roa da Cruz
Lervej x branc e preta
DA
engarrafada por
Bloxlo Wolfe & CJ
especialmn'e ara o Brasil
UNICS AGENTES EM PERNAMBUCO.
J. Je feries .
46. Roa do (OmiiifTC'O 46.
3*" AZULEJOS
AZULEJOS.
AZULEJOS
Ha para vender alguns milh-iiros dos mais lin-
ios azulejos, viudos por encomraenda de algucm
ue por circumstancia os dispensa. No armazem
le Tasso Irmo & C, pra$a do caes ds Apollo
io p da ponte pruvigona.
Lona de algo 15o para velas de
embarcaos ?s.
Vende-se em casa de T. JetTenos & C.
46=Rua do Coramercio -46
Capell'as brancas para meninas.
Grande sortimento de flores finas.
Fil de seda preto.
PERFUMARA
Grande constante sortimento de
sempre melhor qnalidade.
Lindos vasos com pos d arroz e pinsel
Caixinbas com ditos aromticos.
Bonitos e modernos pentes dourados pa
ra circular o coque.
Bonitos brincos de plaqno.
Aderecos e brincos demadrepero/
Caivetes finos para abrir latas.
Thesouras para frisar babadinhoi.
Aspas paca b?13o.
Novos stereoscopos com 48 vistai, ai
quaes s5o movidas por um machinim
urnas substituem as outras.
Vistaspara stereoscopos.
Bonitas caixinhas de vidro enfeitados co*
pedras.
Ditas de madeira enverniaada com viipo
ras e com dminos,
Bollas de borracha para brinqaedo i
enancas.
Diversos objectos de porcelana, proprioi
para enfeites de mesa e de lapinhai.
I B COLLAB E ODM i
lAI.3ARUAD0GABlIGAN.al
1 AC0STI10& nifis i
Com este titulo acha-se aborto e inteiramente transformado este antigo
estabelecimento de joias, onde os freguezes e amigos encontrarlo tudo quanto
a moda e o bom gosto tem inventado na arte de ourivesara, o Collar de Onro
observar delicadeza no trato e senciridade e modecidade nos precos.
Espera que o respeitavel publico venha ver o que existe de melhor em
aderocos de brilhantes, esmeraldas, robins e perolas, meios aderecos, pul-
ceiras, brincos, alnetes e anneis de todas as qualidades, prata de lei faquei-
ros, colheres, paliteiros salvas e outros muitos objectos que seria enfadonho
mencionar.
Compra-se ouro, prata, brilhantes e pedras finas, pormaior preco do
qu em outra qualquer parte, troca-ee e concerta-se todo e qualquer objecto
pertencente a esta arte.
ATTENCAO
Loureoce Pereira Mends GuimarSes, participa a todos os seos devedor?
tanto da praca como do mato, que estando I qoidando suas casas commerciaes. o qn
deve fazer at o fim do corrente aono, por Uso roga a todos os seas devedores a viren
saldar seus dbitos o mais breve possivel; outro sim, declara aos seus devedores, qua
os que nao estiverem na loja tem de pagar todos os seus dbitos, provando isto se fart
o abatimento que f jr preciso para a liquidarlo de suas dividas, para isto poderlo di
rigir-se ra da Imperatriz n. 72, loja da Arara.
Ao resto das pechinchas
Vende-se cortes de castores para calcas,
a 500 rs. Cortes de brins de cores a
10500; cortes de gangas para calcas a i&,
curtes de casemiras preta para calcas a
30500,40, U e 6 >000.
Crtes de cuitas a 2:500.
Vende-se cortes de chita* para vestipes i
a2o50J. Ditos de cassa para vestidos a'
05OO.
Pechincha a 40000.
Vende-se pecaste algodo a '40, 50, 60
e 70OOO.
Para liquidar a 30500.^
Peca de madapoio com 12 jardas a
j-5500. Ditas de dito com 24 jardas a 50,
00, 60500, 70, 80 e 900 '0.
LIQUIDAgAO.
Pecas de algoo- si-ibo de listra proprio
para roupas de escravos com 42 jardas a
60500 e covado 160 ra. pira liquidar.
Cintas escuras para vestidos a 280, 320
e 360 rs. o covado.
Para acabar.
Vende-se pecas de cmbralas victoria, fi-
nas a 60, 60500 e 70000.
K' moito barato.
A 10000.
a 30 arcos a
i
8REU
noar-
Bazar do Py^o sit > a ra da Imperatriz n. 60, esta' constantemente aberta
das 6 oras da maniia as di noute.
Vende-se a I #500 a arroba em barril .
mazem da bola amarella no oiSo da sj^retaria da
polica.
DAS
FONTES
Hauterive & Celestina
qnalquer parte no armazem
gaiio n. 11.
Colarinhos de papel a 240 rs. a duzia.
Cortinados para jaoellas a 50000.
Vende-se cortina os para jaoellas a 50
o par. Brim pardo liso para calca de ser-
vico a 500 rs o metro.
Corles de percales a 60000.
Vende-se cortes de percales d duas
saias de bonitas barras a 60000.
Coberlas de chita.
Vende-se a 10500, ditas finas a 20500,
ditas encarnadas e adamascadas a 30500,
ditas forradas 50000.
Gangas para calcas a 280 o covado.
Brim de listra ao lado para calcas a 400
rs. o covado.
Lencos brancos a 20000 a doiii, para li-
quidar ; grande porcSo de mantas para
gravats a 200 rs. cada orna para liquidar.
Cassas francezas a 280 as.
Vende-se cassas fraocezas ..para vestidos
a 280 e 320 rs. o covado.
Organdys de cores para vestidos a 400
e 640 o covado.
Alpacas de cores para vestidos a 500 e
640 rs. o corado. *
LSasiflhas para vestidos a 320, 400 e 5*0
rs. d covackr.
BALES DE ARCOS
Ver'de-se bai5s de i 5
e 1,-55 u cada um. Cortes de cassas em
papel a 2050'i cada um, para liquidar.
Bramante de linbo e algudSo cem 10 pal-
mos de largura o 10800 o metro.
Panno de linbo a 760.
Vende-se braoante de 10 palmos de lar
gura propri para lencoes a 20800 o metro.
Lentos de seda a 80" rs.
Vende-se urna pcrcSo de lencos de seda
a 800 rs. cada om.
Cbales de cassa a 10000.
Vende-se urna graooe porco de chalet
de cassa a 10000 cada um, para liquidar.
FustaO a 360 rs.
Vende-se fusilo de cores para restidot
I 360 rs. o covado.
AlgodSo infestado a 900 rs.
Vendase aUodao enfestado para lencei
e toalbas a 900 rs. o metro, dito transa-
do a 10200 o m-tro.
Chales de merino estampados a 20000.
Vende se cbales de merino estampados
c6m barras a t, -20500 e 30 para acaba?
Gran le porco d) retalhos.
Vende-se grande porcSo de retalhos do
cassas e chitas a 240 rs. o covado.
: A (esta esta" oa porta
Roupa leita encontrarlo
Por precinho razoavel ,
Todos se enroaparto.
A SABER :
Liqnidar'i de roopa feita.
Vende-se pal i tota de bnnsinho de linho
proprio para andar em casa a 10500 ; di-
to, de ganga a 20000 ; ditos de meia ca-
semira a 3oOOO ; ditos de alpaca de cor
a 30500 e 40 pre-o i 60, 80 e 100000 ; ditos d
miras de tnres, a 60 e 80000
de caseioetas de eres, a 10500 *
brins de qoadrinhosa 10O semiras de cores, a 0*, 30 e 40000.
Calcas zoes p.ra escravos a 500 rs., aiui
de aigodaosinno ds listra a 800 rs.; ditas
de brim par lo a 10600, "? i dl*
tas de dtto branco de linho a M5WJ *,
ditas.de casemiras de cores 50^6," /#
e 80<0O ; (amias de bita a 10000; di-
tas de alodSosion% proprias part. p ser-
vico porer f^fof i|l^Ldlta,
colletes
ditos de
de mesa ina a
O proprietario da loja denominado Arara, deciaa ae i oie
Vende-se mais barato do que em ootra seos fregnezes qoe est concluindo sua liquidado, por >sOTHirm [ de
m da rda do Vi- boas /aseadas por pouco dtaaetaTtenba a bondade de higir dr rol da lmpentnx n,
72, desde as 6 horas da maobia as 9 da noute.
.
I .
M
------------1 ...


*> .. i
f*
5?
1ZJ.
Diario de Peruanibuco
Tr

*3C
ieiwi 13 de Dezembro Ue 1870.
n.i>,.-:f
b 4
i
I
I'
,<
.Vi
I,

'V ,
\m de sSattias (antJga-!
ja da* Gruzes), sobrado das pe-,
Venham, freguezes,
W de.
fcue oo t-fc StHhWB afWHrar 5o Sa *ma-
jetlos de birrj
aoriment
fabrleant
laores ob
vW<" Je todo o
i
*^.iuir< .*as pihuas 6 tormrda^
ado do melttor iarro fo*lo; as.-iui como jarras,
potes, qaariiy: s evas. para fl >
re, tonca visrada de todas as qoaridades, e mu-
H ontros objectes'amh serein potidos, lodo de uti-
Wwnwpara aiTcasas ftfriimiliav
U
Jera venda em es aromen?, alem de ontros
!Tta*f Ua BB8 0 r8lalar> OT sega'"", qae
stao veudndoa precoamais baratos que era ou-
rafloalqaer parle :
TORTAS de pinho sfmofadadas.
FAREfiLiem sacins grandes a 3J300
GRADES de ferro pan cercados.
v^4S da ,m,ia para cama e orrar M|a.
'^amjs de barro francer. para esgoto.
^fiP flPeri"r em barricas u as arrobas.
LE.VrE.XTO de todas as qualidades baixos
recos.
MACHIMAS do descarocar algudo.
BAljIUS grandes am peixo da Snecia.
LONAS eJirinzoVs da Rass a.
MEADOS americanos para forro de carros.
i'.9J?;JES amwcanos muito bjus e econmicos.
vINHO fie Bordeaux em caixas.
COGNAC superior de Gatitier Freres.
MILHO de Fernando a 3/ o facco.
AGUA florida."
BARRIS de earnn salgada Un porco q.de vacca
" LOJA DA AURORA "
Larga do Rosario n. 38.
DE
Manocl Jos Lopes Irmdo.
Esto rosolviios a vender barato todaslas roiu-
dezas existentes em seu cstabeleciroento, a saber :
Um lindo sortiuiento de riquissimas fitas escosse-
us de sarji ou de setim qae tem amostras, e ?-oncarregam de mandar
levar em qualqoer parte.
Espartiltios de liuho, faxenda boa 4o00
Capachos compridus a 700 rs. y 800
Ditos redondos a 800
Pecas de lila de lia de cores a 500
Ditas da seda prtta eim pospontos mui-
o boa a 1000
Latas com pos de arroz IJOOO
Caixas com 100 envel^pes quadrados
proprias para cario>s:. fiofl
Caixas cora 100 ditos de porcelana a 1000
Bolees do sso brincos para e.l\;a, giosa.a 80
Ciitos do dito urelo*, glosa, a 100
Cnixas com c lebetrs 3 '40
Ollas ecim clcheles preto a im)
Carlas com alliue'esa go
d<> bibadMio Iwinl.tilj a iOO
Caixas com agullus frapcezas a 210
Penles volteados para menina a .120
Espetos de colana de Jacaranda a i'000
Butoes de pouno para menina a 100
Bahados do Port.., largo, vara a 200 rs. o 280
Normas para escripia a 200
Magos de palitos de denles a 120
Asslm como recbenlos peto vapor viudo do Rio
de ianeiro o rap Paul C ra larga ilr Rosario n.
HHMM
35=
Z3E
$j>o>>tasn.hZ,rua Dreita, 3 p ras n. &,(mLiya^
loja dj Braffa
P.nl^X0 *?s'8Dado' d,c-> dett mH "tbelecimento, fendo invista .ipreseutar tn|
corapieto sorlimento de ferragens, miojas e eoiileria, lera resolvido mandar bnsuar era '
.versos pontos da Europa os melhores objecios de seu esMbeicciraenu dos fabricantes
mais conhecldas; pelo que convida aorespeitavel. pubco e a seus numeroso? freguezes,,)
a virem se ervir dos objectos de sua carencia, ande encontrarSo por menfes 10 0,0 do que
em ontra qoalquer parle, nm s, rlimenio eorapleto de machinas para descarecar agodao,'1
do bem conhecnlo fabneaiile Cottorr Gin & G.,- dilas psra costura, motores para animaos,.,
dito, para fogo, moranos pira cafe de todos ps tamtBfloe, da fabrica do Japi, espingardas d:J
dous canos c de un, tanlo ingieras como franoeas, looca de porcelana, lacas e garfos
ii.her-Sa,5 f'nalldaae9 e Pre?os. bandejas chinezas, salitre, breu, barbante, enxorre, papel e
nma na e rerro, ac, e agulha para foguefeiro ; assim cmo encontrarlo consiatto- '
n meoie grande porcao de fogo do af, e reeebe se eucommenda de ogos de vis, ajera de am I
cera numero oo objectos, que se tornara enfadouho numera-Jn : veBhara ra Direia n.i|
_ 53, loja de Lenidas Tilo Loureiro, antiga luja do Braga.
HHMIjbIWwhr
'"W">
PRECIO
SCOBERTA
-' J0N ?ELSUC 9Dehe aprese! ta ao publico, depois, prm, de um severo
fn wt de1re!te"das ^Penencias. tendo a certeza de que possue urna superiotidade
Lnfhnnd3, tS Vr*t PreP?^- 1ueat hoje temapparccido.recornmenda-se
? rS na tt' e Pe' brilbfnl ustr^Produznos cabellos, tirando immedi..mco-
te todas as caspas e coceiras, azendo com que appareca cm bom estar impagavel.
.^f. .tslYua compoe-se de substancias cdadosamejte escolbidas, purificadas, e
^afeccionadas com o maior cuidado, e alem disto combinadas de modo ta a dar be
nma ac?ao vcrdade.ramenteefficaz. consoladora, e beoigna
n, raUpiTnrhwa;-!e'la a8 Mcs-btca. e esfregase levemente ; iiDiucdiaUnent Bcam
os caueilos limpos e com um bnlbo magniC'.'/).
Deposito
someute em casa do autor, Andr Debu: cabelleireiro de Paris.
Kua T de Marc.o (antiga Crepo) n. 7 A 1* an-Jar
NOTICIA
Fspeoadores a 1 : la do Cresirn n. 23 A.
iionTGmo
veio operar unta completa levoliHjSo no aitigo
para escrever.
Erna da Imperafriz n. %
A' estt nowi o MimptuoBO eslabolcim-Tilo d>h fazenJas acaba de ebegar diec;a-
aenie da Europa o thiU explendidD sor.imnto deTazendas propnas para a hsta tanto
para ht-nsena, .orno para senhora*; dcacrevr o especificar o que de moderno e dinais
apurado.goato nelle se fncontra seria impossive ; m;is para quee possa faier urna
aproximada -idea, mencionaremos c m espeoi3ii lado :
Kic s corles de vest 'o para casamente, ijfafp.J no ultimo vapor.
l)i'os ditos dediwsde seda de^enhos inHMian.e,ie notos.
D-'os dus de liii-s do 13a c m bana*, I/woda riciament nova.
Vesiidos de eabraia para bapiisado.
Popelinas d seda d s grstoi m.iis moderno:, variado sortticerit) da camtr>ias
casas ae cores. 1 ndos e modernos desenhes.
Sedas lis^, lacadas, r retas e de cores.
Creoce p^r;i vestidos, modernos g.-slis.
Alpfc^s decres, impossivel des?revr a varieda.Jc de gosios t p^dtocs.
Limas fin^s, caras, esc^ras,prelas, ine*r,ii,tivel o vanadissimo-sortimnK
ta "ida e !' S 8S qui,ildade5' corcs e tomanitcs, entre o, quaes uns sao inteiramente
Sias b riadas psr^snUoras, urande quamidade ^e gostos*
f:iai.s,ni ns lomadas para senhoras mtiiio molernaf, gande variedade.
tntremeos e .<;is bordadasom tolas as larnra.. *
Camisas jara hornera, bordadas, lr-as, c collerinhos. completo sortimento,
Lencas de eambraia bordados, lisos ene barras.
Chapeos de velludo, palha, merino, fjlira, o que na de raais moderno e lindissimcs
OS IOS.
Gortitta'os brrdados, ericas colchas do seda.e do crochet.
Breges de pfiantasia, azenla propria rara baile. I .
Tail; tanas de cons com pabt.as lindissiraos gos'oj.
(tornos ("e d ns pura seboras.
Gravatas (ara Li :ue:rj, ,'ranie sortimenio em feitios ec res.
Bre+anr-a-, espuian e biairant de todas as larguras.
kasznbas de mo:emcs padrOese iodos gestos.
Met'm .la lu ia ISzeuda iiiie-ramente nova para vest iosede lindo effeito.
Fahoeore reui e se estabee imei to tudu qa?. de oveilior e mais moderno se pode
pi)C(.utr?r en a:en-Jas como em perfumarias fina, d.s quaes tem um comii'eto sor-
timeoto. -
AOSCAVALJMKOS
Ofleiece |uR(KNe a wtitagMi deenconl;a em nesie esUbi-UcimeutQ :
Pantids finas, pillos e d- cores.
Ca-.eciras pelas inas.'erictisgorgoroes para colleie. j
Ditas de coces, de quadros, ises-e d? lisins, completo s'rtimenlo.
Diitis brancos ile limo de t Ditos tii- cores, lisos e trarcados, Ran e ortimejilo.
Um babi ani>ta para cortar e dirigir qualque, obr^, que s se et.iregt acontento
do (rejuiri;.
Uoja mdica igualmfiite ^ecupaia nos traemos !o PAVILHO DA AURORA, di-
rige os que Ibe so cnrxernenies, apromptando a c;;pricbo qualquer TOILET, garntin-
do-ie a liis, comi-'lea perCajcfto dos seus inibilhos.
Em resumo concluimos
Por cbaniarattenco do respeilavel publico para o nosso estsbelecimento, que ales
de ler tu .o que se pode rfwjar em-fazeodas e perfumaitai tem o mais COMPLETO SOR-
TIMENTt) DE ROUPA FE1TA, pa a horneas e mniaos. Mandam-se as fareudas em
casa das Lxmas. familias, edam-so amos.ras.-
Um corjcpkto so;timenio de eet iras da lda, por icdcs pre?o qos em outra qual-
quer parte.
Aberta das 6 hora? da manhaa s 9 horas da no ate.
EitMA
Dp
VIGILANTE
Rna do Crespo n. 9
Os proprietario desta -bem fonbefidoetabel6-
cimsnte, aJm dos uiuilos oLjuctaa u,e linbair. -
postos a apreciacao doTcspeilavV aai-
oaram vir e acabam di' reccfier \n\-j ultimo vapor
da Europa um completo e variado sortrnento d
finas e mui delicadas espeeialidades, a quaes *?
tao r.esolvido a vender, como de seu costam.
por preces multo baratinl'j>s e commodos para tc-
dos, com unto que o Gallo....
Muito superiores luvas de pellica,..pretae, brau
cas e de mui lindas coree
Mui boas e bonitas gollinhas e punhos para a-
nhora, neste genero o que ha de mais mcaerno.
Superiores pentes de lartaruga para coqnes.
Lindos e riquissitOK enfeites para cabecas da>
Exmas. seoboras.
Supenoros naneas preus o de cores com vidn-
Ibos e som eiies; esta fajencLi que pode havtr
de rnclbor e mais bonito.
Superiores c bonitos leques marfim, sndalo osso, sendo aquellos branco
com lindos desechos, e etla re\|>
Muito superiores neias do de Rsc.ossia para se-
nboras, as quaes sempic so \cndcram psr 30000
a duzia, cntt-etanto que nos as vendemos por 20.
alm destas, temos tatibeni praide ottimento (i
outras qnalidades, entre as quaes algumas mu:'..
finas.
Boas bengalas de superior canna da India
caslao de niarlim coiii lii.rfas e enc-iniadcfas flgu
ras do rncsrno, neste peero o que de melhor s
pode desojar ; alm destas temos tj'mbem pracc
Iuantidade de outras qua-i^ade, cemo seiam, ma-
eir, ba'.oia, osso, borradla, etc. etc. etc.
Fao:>, bonito e airosos cl.-coiihhos de cadeia
de ouli as (jualidades.
Lindas -e superiores ligas de seda-e borrad
para segurar as moas.
Dos nieias de seda pira enhora e para mem
iias de 1 a 12 annos de idade.
Kavalhas cabo de marim e lariaruga para favr
barba ; sao muito boas.e de mais a mais sao ga
ranlidas pelo fabricante, e nos por uossa vez tac
bem asseguramss ua quaiidade e delicadeza.
Lindas e bellas capellas para noiva.
Superiores agulhas para machiua e para erox.
Linha multo boa de peso, frouxa, para encher
labyrinlho.
Bons baralhos de cartas para voltarete, assiu
como os tentos para o mesmo Om.
Grande e vanado sortimento das molhoresper
fumarias e dos memores e mais coiiLecidos per
(umistas.
COUQUES DE ROER.
Elctricos magnticos contra as nonvulsiSes,
fadlitain a dentigan da? innocentes enancas. Se
mos desde muito recebedores desles prodigioso i
collares, e continuamos a rcccbe-lo.< por toes 01
vapores, afim de que nunca faltem no mercado,
tomo j tem acontecido, assim pois poderlo aquel-
es que delles precisarn, vir ao deposito do g?.i'.
vigilante, aonde sernprc eucontraro (estes verda-
eiros collares, o o* qSMt attendendo-se ao a
puraque ljo applicados, st xenderao com um mu:
diminuto lucro.
Rogamos, pois, avista Lcfs fbjectos que deixame
declarados, aos nossos freguezes e amigos a viren
comprar por precoj' muito nzoaveis ibja do gaUi
vigilante, ra n Crespo n. 7.
iiah k m
1
3a
41
uovas musr as para piauo.
||Dans8 des negras do maestro Cazalbore.
H'Margarida, Ijnda schoitiscb.
ma folia a Roma, quadrilha.
LUNDS
Dansas paraguayas.
Habanera.
Los negros.
Noiles do Loqoe.
Palomita paraguaya.
Tambera recebeu as segumtes:
A opera Guaran/, c os melh iros pedamos
da mesma para piano>e piano e car.to.
Qoadrilus
Wais,18
E poikas
Quadrilbas:
l'..selte.
Saan.
Jardira da3 Fadas.
Heroica.
Gapenga, Careea C.
Itometis do1 mar. #
Juventude Commercial. .
UoCiiiiboIe.
Ponte d > Diabo.
Tenente do Diabo.
Imperial marinbeiro.
A sultana como c linda.
Independencia das^senboras.
O Club X.
Hegresso do conde dUu.*
Caminho de ferro.
Goarany.
Walsas:
Sonbo da virgem.
Voluvel.
Dansa d'amor.
Ultimas walsas de um doido.
Anjo da meia noite.
Carnavalesca.
Goarnv.
Polkas :
CabriSo.
Gorgeio do'sabi.
tlulicosa.
Gapenga nao forma.
Querida por todos.
A rival.
Por todos querida.
Zas Trz.
Palomita paraguaya.
Ili.-mark.
Moreninha.
Surpreza.
<:iora pitanga.
Gloria.
Guarany.
A venda no armazem de pianos e musi
case.Azevedn, roa Nova n. II, liojorua
do Ber3o Vei.dem e dous tspelhos e urna nMia de
jicaranda oom wo oso e por praaq. com modo
i irar ua ra dalmperauia p.4. aodar
Chfoa ao anlioieposito da I
^, roa do Imperador, um cari
da prii^eira qnalidade; o qual se vey
aratattopormenMroeo
-parte. V
50(1
Nanease vio um processomais perfeito e que atUnja de tal forma a satis azer as
exigencias mais severas da wriptcwejto.
A sita cor lindisima o na. precisa do cuidado a!gum para so conservar no
tinteiro sempre com a mesma cor. sc-rn Lona, chsta, bolr ou sem todas <*u ze|
est iSoi S a8UntaS at^,,Laco:;LecilJas'aida mesmo dos melbores autores
ala.a as peonas de ac, antes pelo con-
ngel
Sobretudo, este eslimavel producto d3i
Esta tinta n5o sendo especialmente para copinr, d comtudo deas tres nn S
op.as m rr.cz depo.s de escripia; preciso,.po?m deixarTe o JaS bemZZl
sem o enxrgar com o mal*borro, porque nao ha o meo de bcnlv ?ZsJt
*(t t0P,a' n5 se agglomeram t.ttas minas guantas copias e quer^m t ar
ra:s >Ke-se com o original tnando urna orna lanas quantas e deeiim aemn,
original fique prejudicado pelas extraccoes. ae.ejam, semque 0
nfl 0"C,!"re 8t di^r qae' Para C(iP'ar mPr,a muila intelligcnda e babilidade sem
A dupla fjnal.dade desla tinta extremamente apreciavel, pois oue evin mu
em qualquer escr.p.or.o baja mate do que urna tinta par/os diversos iSst2.cs q
Emquantosua dnrsbilrdade, nao ha a oP[ora menor duvida, pois qu 'esta tint-
depo.8 de escripia soffre o choque de cidos foniss^mos, eem se decornTor ora J r I
CpiaUs?ve0..tCm 3CCa 'bfe el'3' a,, ffieD0S a ac<30 d0 ltmP a pWeslS slo
Nao 6 so ao cunmercio que este meu prodocto veio ser til; os profe^sores do,
collegios in ves .-gando lodos os meios para o adianUmento Cos st us SiVcipUToS tem
aprove.tado nu tinta, que cera ,5o aacbanm apta para derenvoher o Jfi, no,
educandos cm GODUflomai da belleza da cor efaci.idade de co.rer m pnr/iSa!!!
liquidez. H3exem,l extrema para a ectspta, logo que foi ndmitiida este tinta no coilegio, apoderc5?se delfa!
a cuno.dade e o goslo, e ponco rcjnpo dtpois o seo dianlamenlo ei manifest '
Esta tinta, par de Untas \anl"geii, tem cm i nico Inconveniente, deterioras*
so contacto de outia qualqtur; conven, pejj l-la em tinkitofi sentos do men-r vslnm
bre de outra unta, e evitar escrever cem a penna*uja de nma preparacao differenS?
Obseryai?.
(' !
. Diversqs falsificacSes e semelhancas tem apparecido, cuja dprahilidade k m.i.i do SaST SSfevilar -cngan ^" > ^e^dovte
Rival sem segundo,
l&UA DItfcl lilla: UAXIAS \. 4t>
(Antiga ra do (uciado)
Coutina a vender tudo muito bom
muito barato a saber:
Libras de arcia prola muilo boo. .
Tesouras Unas para unbas e costu-
ra a. ........
Papis da agulbas francezas a ba-
lao a.........
Caixas com seis saboneles de fruta
Libras de la para bordar de todas
as cores a.......8>;000
Can iteis de cba Alexandre a. .
Frascos com azeito para machinas
Grvalas do corespnuilo finas a .
Grozas de boteSt madepersla fi-
nissimos a ....... .
Novello de linha de 400 jardas a.
Caixas com 100 envefopes muito
superiores a .. .
Peni es volteados para Tnenmas a.
Iioleiros com tula prela a80rs. e
Pecas de fila elstica muito fina a
Lata com superior banha a 100 c.
Frascos de oleo Philocomo muito
lino a.........
Frascos de macaca perola a. .
Frascos de extracto muito b mitos a
Duzia de saboneles muilo tinos a.
Saboneles iuglezes a 600 rs. e. .
Frasco com agua de colonia Pivera
Dito lie oleo babaza a. .
Caixas de lamparinas a. .
Saboneles ;t forma menino muilo
superiores a.......
Carlilhas da doutrina fazenda nova a
Libras de linba soHidas do todos os
nmeros a.......tSOu
Capachos muilo bonitos e grandes a 700
Carriteis de retroz. preto, com '2
oilavas a.-....... C40
Agulheiros de osso enfeilados a, 240
Libra de linba franceza 6uperior
quaiidade a.......2j(420
Caixas do pauto do gaz a. 00
ATTENCAO
Vende se urna canoa de carregar 1,200 a 1,300
lijlos : a tratar na ra Direita n. 101, *
ATTENCAO
Chocelale nacional.
Duas medalaas de prata e urna menclo ho-
. notifica.
villa Irmdo Sp C,
Rna nova de anta Rita n. 49.
Exilem poneos alimentos simples e substan-
cies como o chocolate, estimulando suavemente
os ervos, d ao corpo o mais puro elemento de
nuiricao, e ao mesmo lempo fortifica os orgos di-
gestivo. T^dJ os tnadicoa sao unnimes re-
commendar este alimento cerno o mais pruprio o
substancial para as.pessoas de eomplexao frca o
debilitada,
Rival sem segundo
1IUA DO DUQUE DE GAX1AS N. 49
Estou disposto a continuar a vender todas
aa miudezas pelos baratissimos preces abai-
e lo declarados, garantindo tudo bom e pre-
: eos admirados.
120 uzias de palitos seguranca a------ 120
Duzia de palitos seguranca caixa
grande a................... 320
! Frascos com clcobaboza muito fino. 320
(30 Pacote* com p.^s do arroz o me-
4(50001 Ihorqueha-a............... 320
Navalbas .muito tinas para fazer
baroa a.................... 1000
tOO Caixa de bnha branr do gaz a.. 500
500 Vara Je franjas de lidho para toa-
500 Ibas....................... 160
Caixas com peonas d'aco de Perry
500 superiores................. -. 800
60 Lencos di.cassa brancos epinta-
dosa...................... 100
Caixas com 20 quadernos de papel
paulado ....... 700
Caixas com 50 novellos de linha
do gaz a........ 400
Dozias de meias cruas superior
quaiidade a........3|5G0C
Pecas de bibadinhos com 10 va-
ras a......... 500
Pecas de tiras bordadascom 12
metros cada peca a 1,5500 e. 2*000
Pecas de fitas para eos. de qoal-
quer largura com 10 varas a. 500
Escovas para unbas fazenda fina a 500
Ditas para dentes a 240, 320,
400 rs. e....., 500
Pecas de tranca lisas, brancas e
de cores a. ....'. 40
Duzia de linha frxa para borda-
dos a 400 rs. e..... 500
Pares de meias cruas para m,'
nos diversos tamanbos a. 320
Duzias de meias brancas muito
finas parasenhora a. .
Pares de sapatos de tranca do
Porto........20000
Pares de sapatos de tapete a. 1500
Duzias de baralhos para vultarete 3*000
Sylabarios portuguezes a. .' 400
Cartoes com colxetes 2 carreras a 20
Abotoaduras para collete diversas
000
240
100
200
OO*
500
40
300
720
1*200
500
500
40
240
400.
4*500
Vende-se
Primeira quadade 1|S kil. 800 rs.
Homeopatba 1|3 kil. 1*000
Hespanhol 1|2 kil. .800 rs.
Vannille 1|2 kil. I#000.
Al meia arroba far-se-ha abalmeoto de 10 0i#
a de arroba para cima 20 0|0
Caf muido {? vapor
garanlido sem mistura a 800 rs. o kil., em maicr
quanlidide lera abatimento de 12 Oi
TarobemhapaeotMdftli* kil. itcoUdo n
papeT^jMhopara se cwervar sampre frase.
---------L_.
A. C. Monteirg.
Apollos.
Ja roa nova de Santa Rita n.-48 e fil, eern
Cordfio grosso
qualidades....... 400
Caixas com peona de ac muito
ba~ de 320 a...... 50C
Caixas com superiores obieias a. 40
Duzia Ou agulha para macbina a. 2*000
Libras de pregos francezes todos
os tamanbos a...... 240
Pacote de papel com 20 quader-
nos........... 400
Re~m de papel pautado superior 4*000
Resma de papel liso muito supe-
rior a ...'........ 3*1600
ps de alecrn em latas
rna Formosa n. 7.
quem quixer dirija-se
Kol nte-rheum?itico.
Remedio efBcacissimo contra as ddres rhenma-
ticas at hoje o mal.- conhecid j palos sens mara-
vilhosos resultados.
XAROPE DE AGRIAO.- nm dos medicamen-
tos que Hua efflcaeia as enfermidales, toase e
BMgne pela bocea, bronchites, dores e fraqoeza
no peno, a lhor tem aprevado.
TINTDItA DE MARAPAMA.- A celebre raiz
de raarapuama, coja energa e effl&cla as para-
lysias, inlrpecimento, etc. etc. muito se recom-
menda.
Todos esses preparados se eoconlram na pbar^
macia e drogara de lartholomeu A C, nico de-
pewto na ra larga do Rosario n. 34.
CAIIEIRAS
AWMC.4N4&
Em ca-i do J. 0. (i.Coyle i ra d) Cammerco
?:; 5_T8B(lem"8 exeallentes cadeiras arnerieanas
Ch^aram do Porto oraa grossos de ouro de
1 Imperador o. 30.' pequeas para mentaM,
cao
too
D'coreirc previdenti
Ra I $ncuiS!o u. i.
Novo e variado sortenlo do perfumarin
finas, e nitros objectos.
Alm do completo sortimenio de per i.
martas, de que efectivamente est nrovi-i:
loja do Cordeiro Previdonte. ella aba t
receber um outro soriimeato que ^c
aotavel pela variedade de objectos, superiw
dade, qualidades ecom^odidades oc
?os; assim, pois, oCordt:r.'l'rev;d:t.' pet
e espera continuar a merecer a i,pre<; "aci-
do respeilavel publico em ger*i o rU >.
boa freguezia em paftienlar, d2i
tando olle de sua bem conho;
e barateza. Em dita loja em
ipreciadores do bom:
Agua divina de E. Coudray.
Dita verdadeira do Murray 4 Lamman.
Dita de Cologne ingleza, arr.3ricana, fr::
ceza, todas dos melbores e maisacrediud:-
fabricantes.
Dita de flor de larangeiraa.
Dita dos Alpes, e violte para toilet.
Elixir odontalgico para conservado t<
sseio da bocea.
Cosmetiqu* de superior quaiidade o ch
ros agradaveis.
Copos e latas, maiores e menores, ce
pomada fina para cabello.
Frascos com dita japonea, trtaspren:
e ostras qualidades.
Finos extractos inglezes, sauflieanoi
francezes em frascos simples e enfeiUtdo
Essencia imperial do fino eagradavel cb#
ro de violeta.
Outras concentradas e de cheiros igua
mente finas e agradaveis.
Oleo philocome verdadeiro.
Extracto d'oleo de superior qoalfdai
com escolbidos cheiros, em frascos de di>
rentes tamaobos.
Sabonetes em barras, maiores e Recen
para maos.
Ditos transparentes, redondos e em gi
ras de meninos.
Ditos rauito finos em caisinha para barb.
Caisinhae com bonitos sabonetes cila
fractas.
Ditas de madeira invernisada Ccntendo s
as perfumarias, muito propriaa para prh.
sentes.
Ditas de papelo igualmente benitas, t_
bem de perfumarias finas.
Bonitos vasos de metal coloridos, o
moldes novos e eleasetes, com p de arre
a noneca.
Opiata ingleza e franceza para dente.
Pos de camphora e outras differet
qnaltdades'tambem para dentes.
Tnico oriental de Kemp. '
Anda mal* ceqnes. -
Um outro sortimento de coqnes de n
vos e bonitos moldes com filis de vidrilbe
e alguna d'elles ornados de flores e fiu
3st5o todos expostos apreciafSo de cnei"
os pretenda comprar.
GOLLINHAS E PUNHOS BORDADOS
Obras de muito gosto e perfeiclo.
Flvellas e fitas para cinto*.
Bello e variado sortimento fle taes obja:
tos, ficando a boa escolba ao gosto do coz
pctdor. /
JoaquimEodr^ueeTa- f
vares de Mello,
TEM PARA VESDER -"
era seu escriptorlo, praca o Corpo Santo
n. 17 :
Fumo em folha
de 1" e V qnalidade, e vende om ou mais
fardos a vontade dos coenpradorea.
Qal de LisJboa
ultima chegada.
Potassa da
Faripliade
Vinho Borxreaux.
de-1* qnalidade. Todo He vende mata *
barato do qoe en ootra qnalroer parte. A
Vino Xerez
de primeira quaiidade, em caixas ; vende-st em
can de I. JeiTeriei & G.
fl;
<.'




Diario
Peraamboco Ter^a
13 de Dezembro de 1870
>.w

.....


. '. '
MIME
GUERRA FRANCO-PRUSSIANA
CIRCULAR DE MR. TIIIKRS AOS EMBAJXADOftfcS
DASQATU'J NACOtS I'HOMOTOtWVS DO AR-
MISTICIO MALOGRADO.
Srs .ombataadoras.-Creio do met d e-
dar s quatro grande potencia que lia
feilo ooMi.'.lo a pr..p eolre Jraova e a Prgssia, con'a suca ja
mas fiel da ncgociaeo grave e delicada -io
que me encarreguei. Prov.do d n* salvo-
conducto [iie S. M. oJniperador da Riia
e o gabinete hritannico padiram por rnin a
S. M. o re di Prussia, sahi de Tonrs em
28 e outubro e depois de ter atravesado
a linha que separa va os ,dous exercilos che
guei a Orleais.
Secn perder lempo lomei o camrah de
Versales acornpanhado de um ocial ha
varo que o general bar5o jle Tana Uvera a
bondade de permillir que uie acompanhasse
para vencer as dilliculdades que podesse tn-
contrar no caminho.
Durante este difiQcil trajelo pude conven-
cer-me por mitn proprio. e desgracadamen-
te n'um territorio francez de qnan'.o tetn de
horrivel. a guerra. Obrigado por falla de
enaltes, adeler rao tres ou qualro horas d.i
noite^m Arpajan, cheguei a Versaina* no
domingo 30 pela manhaa.
Nao permanec nesta cidade mais do que
alguns moaentos, tendo concordado piwia
mente com o Sr. conde de Bismark qoe as
nossas convers>ces#n3o comecassem al
que completas** em Parts os poderes qu
necessariamente recebra incompl'los da
delegaco de Tours.
Acomoanbado de officiaes parlamentarios
que dev'iam facilitarme a passagerr das
ayancadas, airavessei o Sena pe'a ponte de
Sftvre*. actualmente cortada e apeei-me no
ministerio dos negocios eslrangeiros para
tornar mais facis o mais prompias as m-
nbas comraunicacoes com os membros do
governo.
Passada a noile em deliberarles e depois
de so ter adoptado urna resolucao por una-
nimidades recebi os poderes necessarioi
para negociar e pactuar o armisticio qoe as
potencias neatraes baviam planeado a ini-
ciado. '
Sempre cuidadoso em nao perder um
lampo em qoe cada minuto es'ava marrado
pe'a effusfio" de sangue hommo, voltej a
airavessar as avancadas, cm a noile de se-
gunda.feira 31 de outubro, e no dii seguio-
te, Io de novembro ao meio da, esteva con-
ferenciando com o chanceller da confedera-
cao da Allemanha do Norte.
O fim da minha roisso era conhecido para
oSr. conde de BL-roaik que, como o go-
verno da Franca, recebra a proposla das
potencias neutraes.
Depois de algumas observares sobre a
inlervene. 5o dos seus governos, nestt neg
eiaco, o^servacoes que devi escutar sem
admitti las, o fim da nossa misso licou ex-
tremado e estabelecido entre o Sr. conde
de Bismaik e eo.
Tratava-se de pactusr ora armisticio que
Ateste cessar a effuso de srngue entre
duas das nagoes mais civlisadas do globo,
e peruaittisse Franca constituir, por meio
de urnas eleiees feilas livremenle, um go-
verno regular com o qual se podesse tratar
validamente. Este objecto eslava taolo me
lhor indicado, quanto que muitas vetes a
diplomacia prussa- txpozra quo na situar
actual das ;ousas em Franca nao sab:a a
quem dirigir-se para entabolar negocia
toes.
Por este motivo oSr. conde de Bisuiark
- me fez notar, sem insistir, que neste mo-
mento e.-tavam em Cassel, tratando de re
lormar-se, os restos de um governo que ati-
agora era o nico reconheeido pela Europa;.
mas que foro esta declaraco nicamente
para precisar a siluayo diplomtica e au
isospcnso, b tamben? a constituicio em
! Franr i de um po ter orno quem pudesse
naronaissns validos* e por ama
vet dw-viajaros, -liavji, pois, acoordo com
pelo sobre o objKio essencial, e toda a
discussn vinha ur superflua.
Eanqnanto duraaao do armisticio propuz
ao chanceller da coaedera<;ao rio norte qoe
fnsse de 2ii a 30 dias, sendo o mnimo 25.
Nv, :.-:i#]i-s<\ he disse, doze diaspara
se combinen e decidam,
n di i para volar, \ ou H para que os elei-
los, dado o csiad^ dos cjininhos possam
reunir se em, Ronto determinado, e de 8 a
10 cinfi \ para a compiovi'cao dos pode-
r-s, e c i >lituii;5o da fatara asscmbla na-
cional.
O conde do Jismk naj repUcou a estes
calculo;, e limilou-se a dizer que quanto
menor fosse a dur fio, menor seriam lam-
bem as ililli.nldides que poderte apresentar
ao p co do armisticio proposlo, mas pare-
cen convir coraigo em que a dnraeio lose
de 2 as.
Vmlia em -egoida a grave queslao das
tleicbes. O Sr. de Bismaik houve por bem
flirmar me que no paz oceupado pelos
exeiritos prus>iinos seriam to livres como
nnica o linham sid) em Franca. Agrade-
c Ihe por esta seguranea com que me tena
dado par sa i.feiio, se o Sr. de Bisraark em
seguida io i.vrssc feilo algnmas reservas
efitn respailo a certa porcao do territorio
francez prximo das nossas fronleiras, e al-
leaaa, seguido tile, de origetu o li'gua-
No mesmo i-islante espond qaeo armis
li.-io, se quena pacida lo immediatamente,
na liivii prejud.car nenhuma dasqueslSes
que pudessem apresentar se n'um iratdo
de pat definitiva, quo, ptla mmha parte,
recusava encelar qoalquer naqnelle momen-
t, ; e que obrando assim, fazia-o segundo
as rtinhas inslruc;e?, e sentimentos pes-
soses. O con ic de Bismaik respondeu-me
que era tarabem ib opino em nio tocar
em nenhnma des1 as qnestoes, e propoz-me
nao inserir nada a este proposito uo pro-
jecto do armisticio, 9 que por consegninte
nada se prejndicaria sobre este ponto; que
seio admiltia a agitarlo eleitoral as pro-
vincias de que se tiatnva, n3o se opporia a
que fossem repre?entadas na fulura assem
b'a da Franca por nota.eis que nos desig-
nramos e sem que elles se mcsclassem,
jue gosariam de urna liberdade completa
de opino,como a dis demaisrepresentan-
tes de Franca. Estando esta questo, a
mais grave de todas, em va de solucS), o:-
eopairo-nos do procedmento dos oxercitcs
durante a suspensSo das hoslilidades, e re-
solvemos, de accordo, com os generacs
prussianos reunidos e presid.dos pelo rei,
o que nos parecen equitativo para todos, e
c cosime em s?melh-antes casos.
Os exercilos beligerantes obrgar-se-ham
a ficar no ponto onde se enecnirassem n
dia cm que se firmasse o armisticio ; urna
linha marcas ia i s pontos em que se detives-
sem e seria a demarcado que nio pode-
r am atravessar, mas dentro da qual teriam
a faculdado de moverse ainda que sem fa
zer acto algum de boslilidadv.
Estavamos, por assim dizer, de accordo
sobre os diversos ponlos desta difDcil ne-
gociacio quando se apreentou a u'lima
queslo : a do a':asiecimento das pracas si-
tia-las, e especialmente da de Paria-,
O Sr. de Bismaik nao oppozra sobre
osle ponto obj:ce"io alguma fundr-mental c
nao parecer centellar mais do que j im-
portancia das q-vmtidades pedidas, e a difli-
coldade de reun las e inlrodnzi las era Pa-
rs (o ue demais s a nos pertencia); e
em quanto s qaantidades, declarei-lbe for-
mdmente que seriam bjecto de discussoes
amigaveis e de concessoes importantes da
nossa parlo.
Desta vez quz tambem o chanceller con-
sultar com as autoridades mudares, s
quaes bolsas muiias vezes se submeltra j.
que o armsticio era absolutamente contra-
rio aos interesses prussis; qu_ darnos
um met de detafogo era proporcionar aos
nossos exercilos o lempo de reorganiza-
se ; que introdnzir em Pars qaantidades
de viferes, difficeis de Veterminai era dar
o mero de prolongar hidefioidameote a sua
resistencia, que n5o se podia consegninte-
ment, conceder-nos vajjiagens semilhantes
sem equivalencias militares (expressSo do
mesmo conde de Bismark).
Apre-sei me a responder que sem duvi
da o armslieit podia ter para nos certas"
vantagens raaleriaes. mas que 0 governo
prusso de va ter previsto Uto antes de ad-
mittir o principio do armisticio-, qoe de-
mais o acalmar as paix5es naturaes, o con-
ceder sobre ludo ao desejo formal da Eu-
ropa urna deferencia conveniente eram pa-
ra a Prussia vantagens politic rs que tanta
valia linham como as vantagens mteriaes
que ella podia ooibogar nos.
Perguntei eniSo, comludo, qoaes eram
as equivalencias militares que se nos^exi-
giam pos que o Sr. conde de Bismark pu-
nba grando cuidado em n5o as indicar.
Alfim enunciou-as, maj com certa re-
serva.
Urna posc5o militar no arredor de Pa-
rs, disse-me. E como en insistisse,
um lorie,accrescentoo,--e ainda mais
do que um. Detive inmediatamente o
chanceller da confederacSo do norte. E'
Pars,exclamei o que peds, pois re-
cusar-nos um mez de abastecimento du-
rante o armisticio tirar no* om'mez de
resistencia; exigir-nos um oo varios fortes,
pedir-nos as nossas manillas lYtna pa-
lavra, pedir-nos Paris, dando nos os
meio> de a fazer render ou pela-fome ou
pelo bombardemento. P is bem, tratando
comnosco de um armisticio n3 > podieis
suppor nunca que seria com a condi.So
de entregar-vos Paris que a nossa prin-
cipal forra, a nossa g-ande esperanca e que
para vos a grande difiiculdade que n3o ten-
des podido vencer em cineoenta dias de si-
tio. Chegados a este ponto n5o foliamos
ja dar umpasso mais.
Fiz notar ao Sr. de Bismark e fo-me
faci couhecer qoe o espirito Uiumphava
aaquelle momento as resoluces Qa Pru;-
sia sobre o espirito poltico, que acoose-
Ihava a paz e tudo quinto podesse facili-
Ped pois ao Sr. de Bismark a facul-
dado de vo lar s avancadas para fallar da
siluagao com o Sr. Julio Favre, ao que, se
presin com urna cortezia que Ihfl encon-
treisemprc em quanto se referia a relaces
pessoaes.
Ao separar se,' o conde de Bismark en-
aclarar ao coverno fran-
candidatura monarchica, querendo da-la so-
em favor repblica.
Concoidou-se em que se mindafse
^rjssno das actas a credencial apiosen
tadapor D. Miguel Cueva, lleruaudes, elci-
*eput4o is cortes peta circumsciipcSo
oiril.remetiidaspclo ministerio da go-
acSo.
Mandaram-se, para a bibliolheca cinco
exemplares das pautas das altendegas* das
ilbas Philipinas, remellaos pelo Sr. miisJ
trfi do altramar.
Deu-se conta, e as cortes ficaram inlei-
rada, permttindo que se juntessem io res-
Sectivo expediente, de 5"5 exposicoes de
eputacoes- municipalidades, corporac5e^
e particolares, diversos centros, e 200 le-
legrammas em favor do dnqoe d'Aoste ;
ootra de crescido numero de habitantes
Saragoca, Igualada, Santo Aodr de Palo-
mar" e de mais algnmas povoaces, pedin
do seja eleito D. Baldomero Espartero ; e
mais outras de Segovia, Valencia e outros
pontos, pe-.4indo que a eleic-So do- monar-
cha recaia m pessoa que uao S9ja eslran-
geira. ,
Tambera ficaram inteiradas as cortes de
um pedido da maiora da d-putac3'> pro
vincial de Oviedo, declaran lo n3o ser ex-
acto qoe a indicada corporarSo tivesse of-
frido o seu apoio ao governo pe!o qae
respeta. soluc3o do rei apresentada s
cortes ; de dnas expos;c5es de alguns ha-
bitantes de Madrid e de Nova Herm sa,
solicitando que as corte oSo elejam para
re o duque de Aosta; de outra ie varios
eleilores e habitantes de Sevilha, pedindo
seja oleito rei o duque de Montpensier ou
o du Victoria, com preferencia a qnalquer
candidato estrangeiro ; e de outra da mu-
nicipalidade de^urgos, Logroo e ooiras,
do partido progressista (ie Almadn del
Azongue; *> Ateneo liberal de Reus, e de
consid-ravel numero de cidad3os do com-
mercio de Madrid, declarando qe aca'a
rao e respeitaro o ro que as cortes ele-
gerem no uso da sua soberana.
, O Sr. Figoeras: Devo principiar apre-
sentando orna traposiclo de alguns inters-
sados as presas inglezas anteriores a 1808,
pedindo que se modifique a legislac5o vi-
note a este respeilo.
Outra de varios republicanos da cidade
de Ly3o, pedindo s cortes, qoe'tao favo-
recam com o seu voto a candidatura apre-
sentada pelo gorerno.
Outra de centenares de habitantes da ci-
dade de Penas de San Pedro, pedindo
que as cortes declarera nao ter faculda-
des para eleger o re, e que se este se
votar, se verifique por eleiejo directa do
povo.
O Sr. presidonte :Sinto que esses ele
lores n3o se tenpam lembrado d'isso, quan-
do elegeram os depotados, qoe linham de
coneoirer vottelo porqoelemem. segonlDosejava saber se o novo rei ba de jurar
para se inlroraeilcr do man-ira alguma no e concordamos adiar para o da seguinte, ,
gi verno interior da Franca.
R-spoud immediatamente ao Sr. condp
de Uisraa k que nos assim o entendamos;
que quanto ao mais o governo que.acabava
de precipitar a Frar.ca no abysmo de urna
guerra loucameule esolvida, condolida com
oapudio, Oodira para sempre em Sedan a
sna existencia funesta e seria para a naci
Iranceza utna recordac3o de vergonh e do
dr.
Sem responder ao que en dizia, o Sr.
cunde de Bismaik protestou de novo contra
toda a idea de ingerencia nos nossos nego-
cios interiores, e accrescentoo que a minba
preseDCa io quaitel-general prusso e are-
cepc3o que recebia erara as provas da sin-
icridade desla declaraQo, pois sem se im-
portar com o que se passava em Cassel, o
chanceller da confederado do male se
apressava a tratar com o enviado extraordi-
nario da repblica franceza.
Termmadas eslas observaces prelfmina-
res Gzemos uai pimero exame summario
das qucsl5es que envolva a proposta das
potencias neutraes:
1. Principio de armisticio cujoobjecto
essencial era ansiar a effos3o de sangue e
proporcionar Franca o meio de constituir
um governo bastado nos sulfragios explci-
tos da naco.
2. DuraejSo do armisticio motivado pelo
prazo que necessila a formaco de urna as-
sembla soberana.
3. Liberdade para as elecoes plenamen-
te assegurada as provincias actualmente
oceupadas pelas tropas prussas.
i. Procedimente dos exercitos bellige-
rantes durante a suspenso das hostili-
dades.
5. e ultimo. Abastecimento das pracas
sitiadas e especialmente de Paris durante o
prazo do armisticio.
Sobre estes c.nco pontos e particularmen-
te sobre o principio do armisticio, o Sr. d
Bismark, segundo rae pareceu, nao tinba
ubservaces insuperaveis que fazer-me, e
acreditei depois desta piimeira conferencia
qoe durou quatro boras, qoe podamos en-
tndermo-nos sobre todos os ponlos e esti
polar orna coavenc3o qoe sera o primeiro
acto de orna paz ardeniemente desejada por
ambos os mondos.
< Soccederara-se as conferencias muitas
rezes em doos dias, porqoe eu esteva im-
paciente por ebegar a um resoltado qoe de-
via fazer cessar o ruido do canbSo que cons-
tantemente ouviaraos, e cada tiro me faz temer novas desgracas e novas immolaces
de victimas humanas.
Eis qaaes foram durante estes conferen-
cias as objecc6ea e soJocSos sobre os diver-
sos ponlos cima enumerados.
Em quanto ao principio e objecto do ar-
misticio o Sr.'de Bismark afiirmou-me qoe
desejava tanto, como as potencias neutraes,
o termo das hostilidades, ou pelo menos, a
a solacio definitiva da qoettao.
Em 3, o Sr. de Bismark, que encontre
pensativo e preoccopado, pergonlou-me se
tinlia noticias de Paris, a que devi respon-
der que desde Begonda-feira tarde n3o li-
nha nenhnmas. O Sr. de Bismark eslava
no mesmo caso. E'.tio deu-me a 1er par-
tes das avancadas que fallavam de urna re-
volucio em Paris e da proclamado de um
novo governo.
Aqu^lie Pars d'on'o as noticias mais in-
sgiiuif;nles partidm outr*ora cotn a promp-
li;) da lectncidade para se espalharem
em alguns minutos pelo mundo, teria podido
ser ueste momento theairo de urna revolu
To sem qoo lies das depois se sonbesse
algunas tonta as suas portas. Profunda-
mente contristado ao ver este phenomeno
histrico, a.'firmei ao Sr. sonde de Bismark
que se a desordem podesse triumphar um
mntenlo em Paris, o enrgico amor da or-
dena no povo parisiense, igual ao seu pa
triolismo, restabeleeeria promptamente a
oriem perturbada.
Comtudo, eu nao linha j poderes se as
noticias espalhadas eram fundadas ; entend,
pois dever suspender esta negociacSo at
chegada de novas informales.
Tendo oblido do Sr. de Bismark os meios
de pr-me em communicac,3o com Pars,
pude no mesmo da saber o que se passra
e assegurar-me de que nao me havia enga-
a lo ao allirm.r que o iriumpho da desor-
dem s poderia durar poucas horas.
Fui na m.sma tarde a casa do Sr. conde
de Bisraark, e continuamos dorante urna
grnde parte da noite na negociacio inter-
ronipida pela manhaa.
A questo do abastecimento da capital foi
vivamente discutido enlre nos, cando sem
pre bem affirmado pela minba parte, que
em quanto aos meos pedidos relativos a
quantidades, podiam modilicarem-se depois
de urna discussSo minuciosa.
Breve pude notar quo nao era urna ques-
tao de detalhe a que suscitara, mas urna
questo essencial.
Fiz valer para com o Sr. de Bismark o
grande principio dos armisticios qu exige
que cada bel igerante se ache ao terminar a
suspenso das hostilidades no estado em
que se achava ao comeca-las; que este
priocipio foodado na justica e na razo
ahrangra o uso de abastecer as pracas sitia
das e o de substituir cada dia os vveres
consumirlos diariamente, porque sem este
precaoco, disse airSr. de Bismark, um ar-
misticio b'Staria para tomar as pragas mais
fortes do mondo.
Nao havia que replicar, pelo menos
assim creio, a esta enunciacSo de prin-
cipios e de osos incontestedos ou incoles-
lavis.
O chanceller da confeflerar-Jo do norte,
exprimindo-se entio, nio-em seo nome mas
no das autoridades militares, declarou-me
carregou-me de aclarar ao governo
cez qoe se quizesse fazer as eleicbes 9em
armisticio deixaria urna lbentele completa
era todos os territorios oceupados pelos, representados na assemblea.
exercilos pros3os, dando alm disso per-
raisso para as commurricacbes entre Paris
e Tonrs em tudo o qo se relaconasse
cora as eleicoes.
Regstre esta declaraco e no dia se-
guinto de novembro, a presen tei me as
avancadas rancezas, alravessando as para
fallar com o Sr. Julio Favre, n'uma casa
abandonada.
Expuz-lhe completamente a sitcacio 6ob
o aspecto poltico e militar, dando-lbe tem-
po at ao dia seguinte para dirigirme a
resposta official do governo, com todos os
meios para que podesse recebe-la em Ver-
sales. Recebi-a eflectivameote no dia se-
guinte, O de novembro, Nella se me con-
vidadava a romper as oegociaces em vista
de qoe se negava o abastecimento e a dei-
xar iminediatirneute o qoartel-general prus-
so para ir a Tours e all ficar, se consen-
ta nisso, disposcio do governo, pos
que a minba intervencio poderia porventu
ra ser ulil pata negociacoes ulteriores.
Communiquei esta resolocio ao conde
de Biimark, repelindo-lhe que nao poda-
mos enlregar-lhe nem a subsistencia nem
a defeza de Paris, e que senta amarga-
mente pela minha parte nao ter podido le-
var a bora termo um acto que teria eondu-
zido paz.
Tal a exposicio fiel destas negociacoes
que dirijo s quatro potencias neutraes que
liveram a boa nspiracio de desejar, de
querer e de propor urna suspenso d'ar-
mas, qoe teria approximado o momento
em que a Europo ioteira podesse respirar,
eutregando-se aos Irabalhos da civilisaco
e nao dormir agitada pelo temor de ver a
cada instante surgir um accidente pavoroso
que esparza sobre o continente o incendio
da guerra.
A's potencias neulraes pertence agora
julgar se ha tido em bastante considera-
C3o os seus conselhos, e n a nos, es-
tou certo, a quem podero lancar em rosto
o nao os ter apreciado como raereciam. Fa-
zomo-las juizes do proceder das duas na-
coes bell geranles, e pela miiiha parte agr-
dego Ihes sob o duplo titulo de hornera e
de francez, o apoio qoe me ho presta lo
nos esforcos que inteutei com o fim de de-
volver minha palria as vantagens da paz
que perdeu, nao por culpa sua, mas pela
de um governo cuja existencia a nica
falla da Franca; porque urna falta irre-
paravel a de ler-se dado ura governo semi-
Ib nte e de Ihe abandonar sem fiscalisacio
os seus destinos todos..Recebei, etc.
Tours, 9 de novembro de 1870.A.
Thiers.
"O Sr. Figoeras :Tambem poderia di-
zer se que elles sentiro que os depotados
Ihes oio dissessem que iam votar um can-
didato estrangeiro,
O Sr. presidente :Nada disseram os
deputados, mas tambem nada disse S. S.
S dechraram qae pensavam votar a mo-
narchia, do mesmo modo que S. S. dis-
se que pensavam faze-lo cm favor da rep-
blica.
O Sr.-Fgueras:Eu nao necessitava di
zer se ia ou nao volar rei, porque ?oo re-
publicano; mas os monarchicos deyiam di-
zer se pensavam em votar para rei ornes
trangelro.
O Sr. presidente :Para S. S. s3o iguaes
todos os res, e d'isso estamos convenci-
dos todos os que nutrimos senlimenlos mo-
narchicos.
O Sr. Figoeras .Devo apezar, disso*
apresentar urna exposico de am grande
numero de habitantes de Caravaca, que pe-
dem o mesmo que os de Penas de San Pe-
dro, e outra de mil habitantes da cidade do
Jan, pedin lo que as corles nao favorecam
com os seus votos o candidato apresenlado
pelo governo.
Feilo isto, lenho a honra de perguniar
Sr. presidente se temou as medidas neces-
sarias para a liberdade d is deliberaces e
votai;3o ; pois que, segundo as minhas no-
ticias, estamos cerctdos deforcas milita!os,
achando-se Madrid convert la em nm acam-
pamento (susurro).
O capitn general e o governador militar,
que sempre costumam vr vestidos paisa
na, aedam se boje em trajo de guerra. E
que se dir do candidato que sahir eleito
deste modo ?
Acreditar ningnem na liberdade desta
votaco ?
Tenho concluido "
O Sr. presidente :--Sinto que o Sr. rt
geras tenba dito o que nao existe em par-
te nenhuma.
Vim percorrendo todas as ras, todos os
sitios adjacentes asserabla, e nao vi es
ses preparativos militares, que c men-
te nao necessitamos.
Quanto ao mais que disse S. S. tomo
um desabafo nos momentos solemnes em
que nos encontramos, e nao tenho que
responder ao Sr. Figoeras.
O S. Musqoiz :Vou pedir ao Sr. pre
ridente se sirva mandar que se procoda a
leitura de urna proposta que alguns depu-
tados deixaram sobre a mesa.
Cortes constituate bespanho-
las.
Sessao de \6 de novembro, em qiie se volou
o monarcha.
Presidencia do Sr. Ruiz Zorrilha.
Aberta a sessao s 2 horas e mcia, e li-
da a acta da anterior pejo Sr. Llano y Per-
si, foi este approvada.
As cortes tomaram conhecimento das se-
grales com.nunicacdes:
Urna do Sr. Pascual y Silvestre, partici-
pa- do nao poder assistir sessao por se
achar enfermo, e declarando que dava o
seu voto ao duque d'Aosta.
Outra do Sr. Garrido (D. Joaquim), fa-
zendo saber qoe o mo estado da sua sa-
de o impede de assistir sess3o. e que d
o seo voto ao patriarcha das liberdade
hespanholas, o general Baldomcro Espar-
tero.
Ootra do Se Lopes Ruiz, levando ao co-
nhecimento da assembla, qae em conse-
qoeocia de se achar doeote, nio pode as-
sislir s>ssio, mas qoe, se o podesse fazer
dara o seu Voto a favor do duqoe de Moni-
pensier.
E outra do Sr. Rios y Ramos, na qual.
de Sevilha, declara achar-se de cama, sen-
do-lbe por esta razio impossivel assistir i
sessao para dar o sea voto contri qaalqner
O Sr. presidente: O Sr. Matqnit nao
tinba que pedir isso. Logo drei o que jal-
go dever fazer-se em cumprimento do re-
glamento.
O Sr. Muzquz :Pco que se lea o art.
101 do regu'amento-
0 Sr. presidente :Ha de ler-se.
O Sr. Villanueva :Tenho a honra de
apresentar urna exposic5o, ou para melhor
d zer, um protesto contra a eleico, que se
pensa fazer para rei, em favor do duque
de Aosta, procedente da cidade de Toledo,
e ootra de Talavera de la Reina, no mes-
mo sentido.
O Sr. secretario (Llano y Pers):Todas
estas exposices se juntaran) ao respecti o
expediente.
O Sr. Blanc : Tenbo a honra de apre-
sentar urna exposico de alguns habitantes
de Medinaceli contra a candidatura esiran
geira do cidado Amadeo da Saboia. (Riso).
Dito isto, devo dar algumas noticias para
tirar o Sr. presidente do erro em que in-
voluntariamente incorreu ao tratar das for-1
(as militares. Precisamente fra da pona1
de Alcal ba um acampamento. '
Sr. presdante:-Para nomear rei, nao
se neceseita outra cousa mais do que os
votos des. deputados. OSr. Blanc podar,
dizer o que quizer ; mas nio far effeiio
no paiz o qae saa sepboria disse, qoe nin-
gnem vio, e qoe nio e certo.
O Sr. Vinader :Tenbo qae declarar
que os Srs. Mantorote e Olazabal nio podem
do p*l"nforraaram. qae a-) por o pe em ter-
ritorio baspanhol ejam presos. Portante
encirnigaram-^ne de declarar que se tves-
sem-viad, o seu voto teria sfdo contrario i
candidtora impopular, bumihante e vergo-
nhosa p governo. (Varios senhores depo-
ierrompem vivamente o orador,
outros da esquerda apoiam)
O Sr. presidente : Supplico aos Srs.
deputados que dm dem>n pa cialidade, corno esl3 dando a mesa o o
presidente, o qual deve dizer ao Sr. Vina-
der que nao pode permittr commen'aiios
ao apresentar exposices.
O Sr. Vinader : Agradeco ao Sr. presi-
dente porque segu um p.-oced.mento dis-
tincto do que observim a'guns senhores
depotados.-. ^
E' fado, e nio commentarios. mas oso
ds mesroa expressOes que empregara os
qoe me encarregaram de*ta maoifestaQo.
Alm disso, o duque de Ao-te ain la nS
esta nomeado rei.
Ped tambem a palavra pira apresentar
urna exposico de muitis mil cidadSo?, pa-
tindo qae as cortes seMrvam rejeilar a can-
didatura de Aosla, por n3o ser hespanhola,
e por ser filh) de um rei exc>mmungado.
O Sr. presidente :Nao consentirei qinv
o Sr. Vinader faca nm discurso para -tratar
da elcicio do monarcha. A me a levou a
ua imparcia'id de ate ao ponto de se n3o
lerem os despachos telegraphicos, e expo
sc5es que ha em favor da candidatura do
duque de Aosla, e nao justo que o que se
negou aos que a julgam boa, se permita ao-
Sr. Vinader, nem a qualqu?r outro era con-
trario ao regulamento. Aprsenlo sua se-
nhorin exposices, mas nio faca commen-
tarios.
O Sr. Vinader :Pedio qua se les-e a
bulla de excommunbSo fulminada pelo sum-
mo pontfice contra os invs res. (Risus da
parte de muilos senhores deputa los, e ap-
pausos de outro--,)
O Sr. presidente :Perdoe-r.ie V. S.
Eunlo posso permittira leitura de um do-
cumente, que se n3o refere eleicio do rei.
O Sr- Bovi Aprsente duas exposices
cora centenas de assignaturas contra a can-
didatura do governo.
O Sr. Moreno Rodrguez :-Peco que se
leia a lista dos votan es na sessSo de 30 de
n .vembro de 1834, que estabeleceram como
base a monarchia hespanhola de D. Isabel II,
e sua dynastia.
O Sr. presidente .Gomo S. S. a encon-
trar j registrada^pde l la quando q izer
O Sr. Moreno Rodrguez : Com muito
gosto. (Leu a(
O Sr. Gastn :Desejaria queoSr. pre-
sidente se servisse ma: dar lr os aits. 25
e 27 da ronstituico.
O Sr. presidente :Agora mesmo os val
lr um Sr. secretario.
O Sr. secretario leo os indicados rticos,
os quaes diz- m o seguinte :
Art. 25. To lo o estrangeiro pode es-
tabelecer-se livremente no territo.io hespa-
nhol, exercer nelle indu;lra, oa dedicarle
a qualquer profisso, para cojo desempenho
nao exijam as leis titulas de aplido expe-
didos pelas autoridades hespanholas.
c Art. 27, Todos os hespanhees sao
admissiveis aos empregos e cargos pblicos
segondo oseulnerito e capacidade.
A obteoco e desempenho d'esses em-
pregos e cargos pblicos, assim com a
acqusicio e o-exercicio dos direitos civs e
polticos. sSo indepeodentes da religio que
professarera os hespanhoes.
Q estrangeiro que nao cstiver nalura-
lsado n3o poder exercer era Hespanha
cargo algum de que dependa aotoridadade
e jurisdicSo.
O Sr. Abarzoza : Peco que se le.iam os
nomes dos deputados que votaram contra
a monarchia e dynastya de D. Isabel II. na
mesma sessao a que se referi o Sr. More-
no Rodrguez, por isso que assim saber o
futuro monarcha a que ha de ater-se no que
diz respeilo lealdade de cerlos monar-
chicos.
Esta lisie foi lida pelo secretario Snchez
Humo, a qual dizia ;s-im :
* Senhores que disseram nao: Rui Pons
Lusano, Alfonso, Suris Char, Corni, Calvet,
Madoz (D. Fernando) 'Beitemali, Navarr
(D. Affons >) Garcia fluz. Garca Lpez,
Manejan, Rivero, Ferrer y Garca, Orense,
Pereira, Figueiras, Ordaz y Aveci'la ( Jo-
tal. 19.)
O Sr. Godinez de Paz :Devo fazer urna
acclaraco. No anno de 54 n> votei eu'
por Isaoel II, nem teria votado por nenbnm
Bourbon ; mas era m.marchico, e por isso
mo abs^ive-de votar.
O Sr. Sorni :Pedi a palavra, primeira,
para retiflear o que disse o Sr. presidente
relativamente s tercas qoe esto prepara-
das, asseguraudo at os commandante da
milicia terem recebido ordem ; e segundo
para recordar ao Sr. ministro da graca e
justica, a perguota que Ihe dirig em conse-
quencia da pnso do Sr. general Pi.-rad.
O Sr. presidente : -A respeilo do pri-
meiro ponto, tenho qoe responder ao Sr.
Sorni, qoe o presidente da assembla nao
sabe, uem lera que sabor o que se passa l
fra ; mas alm disso devo declarar qoe
percorri algumas ras, e nao vi nada do que
diz S S. Os Srs. deputados t9em inde
pendencia completa para voterem como
quizerem.
O Sr. Garca Lpez :O meu amigo o
depwtado o Sr. Rodrguez acaba de me de-
clarar qae se ameacou de raorte os Srs.
deputados. Quuera saber se o Sr. presi-
dente pode garantir-nos a vida nesta solem-
ne pecasiio.
O Sr. Rodrguez (D. Gabriel(:Eu disse
alguma cousa ao Sr. Garca Lpez particu-
larmente ; se S. S. quer pedir-roe expli-
caces do que isso significa tambem Ih'as
darei em particular; mds aqui nada tenho
que dizer a S S.
O Sr': presidente .Ordem do dia.
O Sr, Diaz Quintero : -Peco a pa'avra.
O Sr. presidente : Perdoe rae S. S
porque ainda quando baja duas proRostas
apresenladas pelos Srs. Muzquiz y Vinader.
O Sr. Diaz Quintero : Quera dizer a
proposito de urna exposico da muticipali-
dode de Sevilha, favoravel ao duque de
Aosla, que isso n3o exacto, por isso que
vi um documento que a desmente. Isto
prova que o zelo dos governadores enganou
o governo.
O Sr. presidente :S. S. pode confron-
tar o qne julgar conveniente, oa secretaria
o qae a mesa pode assegurar, qoe ha as
trezentas exposices, e as parlicipaces le*
legraphicas de que se deu conta aos Srs.
deputados.
em italiano ou emhespanaol ; e em are-
senea'esta difficnldade, aappHearia **-cr-
tes, que addiasaem por algom tempo a elei
Cao do rei, al qae o candidato apnndesse
o bespanhol.
O Sr. presitenue :S. S. ora, pelq
que vejo, qae o rei, qutodo chufar o caso.
h de prestar a jn o joramento, e ser re- ,
cebido e acatado pet paiz, apezar d S. S.
a dos qoe pnsim como S. 3. Nao tenho
mais nada que responder a S- S.
la duas p/opostas apresenladas na mesa
pelos Sr^Vnader e Mnzquiz. Os Srs. de-
putados sabern que a le -iobi% a eleicio
do monarcha prohibi toda a discasso do-
rante os oito dias qoe preceaerera a elti-
c3o ; por ennseguinte, qoe dermgoa o ar-
tigo 1e reglament que permitie fazer pro-
postas ante de se entrar na ordem do dia ;
nao pode portento a mesa fazer' leitora
das que se a presentaran. De outra ma-
neira seria poisivel, urna vez que sigan*
deputados eslivessem de accordo, ir aecu-
raul ndo propostas, afim de nio entrar-naos
na ordejn do dia.
O Sr! Figueras:Peco a palavra.
O Sr. presidentesPara evitar o que S.
S. podo dizer, e o que podem dec'arar ou-
tros Srs. deputados, e os recursos pira que
podem appellar as opposices, devo decla-
rar, que ainda qaando o regulamento me
tenba dado raz3>, esteja convencido da ver-
da le das minbas opinies, sempre prefer
consultar a cmara, e nesta occasiio voo
fazer 6"mesmo.- Voq perguniar, pois, se
ha motivo para qne se leiara, apoiem e dis-
cutera as pron*stas aoresenladas.
O Sr. Figoeras:Pede que se leia o ar-
tigo Io da le de II de.junbo, epede tem-
Dera a palavra contra a pergunte do presi-
dente, que a violacio do direito dos depu-
tados, e do regulamento.
O Sr. presidente :-Ha nm artigo no re-
gulamento que permitte fazer propostes
antes de entrar na ordem do dia ; mas ba
tambem orna le votada pelas cortes qoe
deroga esse artigo para o caso da eleicio do
monarena, impedndo qoe baja dtecoss3o
desde oito dias antes da votacio.
O Sr. Marqoiz pede que se leiam alguns
artigos do regulamento.
OSr. presidente:Vai-se ler o art. 1
da lei sobre a eleico do jnonarcha, a pedi-
do do Sr. Figueras.
(Foi lido pelo Sr. secretario Carratala).
O Sr. Figueras :-*-Este artigo n3o impede
que nos, antes de efflrar na ordem do dia.
facamos o que se faz sempre, e o qae deve
fazer-se boje, apezar da ordem do dia ser
a eleico do monarcha. Diz a lei que nio
havera ses3o, mas n3o diz que haveodo
sessao nao veja o regolamento.
Quanto o que dizia o Sr. prcident de
qoe alguns depotados collgados podem im-
pedir a eleico do monarcha, lembro a S.
S. o que succede nos paizes onde se coohe-
cem e praticam as regras parlamentares ;
se bouvesse deputados que tivssem seme-
Ihante proposito, estariam no seo direito.
por isso que ha qne acceitar o parlamenta-
rismo com as suas vantagens e os seas in-
convenientes.
Na cmara ingleza os deputados irlande-
zes irapediram durante tres legislaturas, que
passasse a lei sobre as communidades reli-
giosas. All se disse a um ministro que
quera impedir que isto se fizesse, qoe todo
o deputado.inglez pode osar e abasar dos
direitos parlamentares.
Pois moito bem ; pois nos qoeremoe, nao
abosar, mas usar dos nossos, e vos qaereis
atlogar-nos o grito da irrdignaco.
O Sr. presidente:Nio tem V. S. a pa-
lavra para isso.
O Sr. Figueras :Sr. presidente, o qoe
S. S. teme qoe se laca boje, tem-se feilo
com t ;da a lei, e fez-se durante a discusso
da constituico do estado. Acaso a lei fun-
damental que ha de jurar o proprio rei, ba
de ser menos do que o re ? E se ento po-
damos apresentar propostas antes de enlrar
na ordem do dia, popqae se ha de agora
violar o regul .ment ?
O Sf. Romero Robledo: -Peco a pa a-
vra.
OSr. presidente :O preceito legal est
claro e termiuante ; o presidente tem tido
a tolerancia e imparoialidadeque devia para
com os senhores da opposic5o, para qae
cada um possa manifestar a sua opino.
O an. Io da lei da eleicio do monarcha
deroga terminantemente o do regulamento;
quando diz que durante oito das se n3o
discote esta questo, claro que nao pode
querer que s di>cuta hoje. Por isso o
presidente, sem petmittir que nenhum de-
putado toroe a usar da palavra, vai consul-
tar a cmara para que julgue ou decida en-
tre o que dzem as opposices, e o que ox-
poz o presidente.
O Sr. Silvela (D. Francisco):Se ha vo-
taco, peco a palavra para explicar o meu
voto.
O Sr. Diaz Qaiotero :Ea tambem peco
Sr. presidente.
O Sr. presidente se-No posso concede-
la a V. S, nem a nenbnm Sr. dpatado,
emqoanto a cmara nao resolver.
O r. Mozquiz :Pedio a leitora de al-
guns arligos do regulamento.
O Sr. presidente:Nao tem a palavra,
Sr. Muzquiz. E' preciso qne- entremos na
ordem do dia, para o qua tem impaciencia
9 maioria da cmara, e a maioria do paiz
(signaes de approvaco.
(Os Srs. Quintero e Muzquiz insistem em
pedir a palavra. O Sr. Paul y ngulo pro-
nuiciou algumas pilavras que se nao o-
viram. Muitos senhores aepotados: votos,
votos. Grande agitaco.)
O Sr. presidente :Ordem, senhores.
(Os Srs. Paul y ngulo e Muzquiz conti-
nuara de pe, pronunciando palavras que
nao podem ou\ir-se pela confuso que ha
no salo.) _
O Sr. presidentetr-Rogo aSs. Ss .queso
sentem. por isso qoe o presidente nio Ihes
concedeu a palavra. .^.
Vae-ae consultar a assembla, qae oovio
as razss do Sr. Figoeras. e as da, mesa
se se deve anlrar desde j na ordem do
dia, como prescreva o art. 4 da le da
eleico do monarcha. -*--*-.
(Feita a perguota pelo Sr. jecretano^
Caralalas, alguns snhores denotados o
esqaerda reclamara contra a perguna, po-
tros pedem que a votacio sep nommal.
Fortes rumores da d.reita. Mmenlos da
WOSn presidente :-Ser nominal a vo-

t
-
*
L
t3C50
Peco aos senhores deputados qoe
se impaefentem ; isto a coosolidacl
mooarcft.e o allimo desafogo na
bliea. (ConmuaA
lo.)
O Sr. Sr. Cabello ;Peco a palavra para "2*Z1-.. >,..,> nnng iw raitiV'
w se posso evitar m conficto maioria* ToiARio-RA tu, putji db OXt|J


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EBBPL7J0U_1CE7IV INGEST_TIME 2013-09-14T00:32:10Z PACKAGE AA00011611_12286
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES