<%BANNER%>

Diario de Pernambuco ( Wednesday, November 30, 1870 )

Permanent Link: http://ufdc.ufl.edu/AA00011611/12276

Material Information

Title: Diario de Pernambuco
Physical Description: Newspaper
Language: Portuguese
Publication Date: Wednesday, November 30, 1870

Subjects

Genre: newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage: Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract: The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding: Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation: Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities: Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution: University of Florida
Holding Location: UF Latin American Collections
Rights Management: Applicable rights reserved.
Resource Identifier: aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID: AA00011611:12276

Permanent Link: http://ufdc.ufl.edu/AA00011611/12276

Material Information

Title: Diario de Pernambuco
Physical Description: Newspaper
Language: Portuguese
Publication Date: Wednesday, November 30, 1870

Subjects

Genre: newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage: Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract: The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding: Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation: Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities: Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution: University of Florida
Holding Location: UF Latin American Collections
Rights Management: Applicable rights reserved.
Resource Identifier: aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID: AA00011611:12276

Full Text
>
J*
km XLVI. HUMERO 272 ww ;
oidi
D *
R
FAU A CAPITAL E ITCABS OIDE IA0 FAfiA WBTL
Por tres mezes adiantados ....... ajuw
Por ion ditos idea...... ........... .z
PoromMnoidcnr....... *............ ****>
'Cada iuumero avul.u......[ ........... *****;
820

_9}HgM FEIRA 30 OE NOVEMBRO DE I87D. *
Por tres mema adiantados .
Por seis ditos idea. .
Por nove ditos



Por um anoo idas

fwt
3*00
aouso
7JOO0
Propriedade de Manoel Rgueira de Paria & Hlhos.
'Os Srs. Gerardo Antonio Alvea d Filaos, no Para ; Gom?alvea d Pinto, no Maralo ; Joaqu
AO AOKVB
-_ a,~ ruuo,, H0 rara ; wa^vea flato, no Maralo ; Joaquim Jos de Oiveira, no Cear ; Antonio de Lemoa Brara no Aracatr Joan Mari, t t*
^^.V-^MH^^uf**; Aoto.o,o* Gon.es. na Vi, d. P^Be^ino l ^^
mNawreth Francisco Tavares da Costa, em Aiagoas; Dr. Jos Martios Altea, na Babia | e * Hibeiro Gaspariuho no fito de Janeiro. ^ **
Justino
PARTE 0FF1CIA1.
C-orcrno da provincia
i laattaMa M da 2> db novrubro de 1870.
Actos :
O presidenta ra provincia resoiveu nomear
o oaebarel Tiburcio R.ymnndo da Silva Tavares,
gara o cargo de promotor publico da comarca de
i i .- i pre-i lente ih provincia, conformando-se
r;rj emposta d<>4tiub;r atufo de p.hcia, emoffl
ii 36i, de hoje datado, resolve exonerar o
capta* Antonio Graciado de Gumo Lobo, do
cargo de delegado do termo de Floresta, por assim
u o ver pedtdo.
i'ara o cjnseiho di iavotiigaola a que vai
ser tubmetlM* o soldado da 9.a companhia do
vrp da polica, Klavimo Machado de Lints, oo
II: '.i.'.
O callao Alvar
Presidente. *
i>urado Ferreira de Agitar.
Votan.
' ^^cirurgi.. Or. Jos Pereira da Costa Molla.
A leres-rrsnciseo Pereira Lagos
6iiped:ram-so as neeessarias communicaedes.
'.?fficios :
~ A" exeellenlisMmo rigario capitular, decla-
i.iad., que, segundo informa a Ihesouraria de fa-
'naa, eslo fritas as competentes nota9 para po-
der o ex-vigario eneommendad i da fregnezia do
KJt reverendo Joaquim Cocino da Croz, receber
o .'mella repariicao a congrua a que tiver direilo.
Ao general commandante das armas para
ittir o m parecer sobre a materia do aviso do
immstem da guerra de <) docorrente, relativa-
mente a conveniencia de seren feitos por pedidos
tenwstrae s snpprimentos de genero* do presi-
de Fernando de Noronlu.
a thesouraria de fa-
dlc
N*ste sentido officioir-se
/;nda.
Ao mesmo, respondeodo com una copia da
intormaco do director do arsenal de guerra, ao
ticio em que representou acerca da demora, que
i mi navido na satisfacao do pedido de roupa para
oj doaoles, em irataraenlo na enfermara militar.
Ao mesmo, recommendaodo a expedicao de
"U.3 ordens, para que lenha baixa o seja entregue
a Mfl pai Landelino Teixeira Lima, que o reclama,
Iteaor de 13 annos, Francisco Teixeira Lima,
TJ-.sem co.isentimento paterno, asseotou praca
orno voluntario no 9. batalho de infantaria; pois
ue considera-sc a presidencia autorisada para
issifll proceder, mi virtude do artigo 33 do decre-
i 217* do i. de maio de 1858, que embora
1 v trate precisamente da especie, virtualmente a
RpreneMk por identidade de rao.
Ao cliefe de polica, aflu do que para a or-
:!.rii>ae.iod i relato.-io assembla legislativa pro-
viaciaJ na sua prxima reuma i, remeta presi-
daacia, ate o flu de Janeiro vindouro, a infirma-
;i-j circumstanciad. que a essa reparlicio incum-
i,e ministrar sobre n estado de seguranza publica
- iQdividual da provincia, acompanhada dos map
o estalistieoj dos crimes, commetudos e dos jul-
Kidos ni anno crrente ; aisim como sobre o es-
ido, seguranca, eapaeitede e divi-ao para os se-
\ <, d* todas as prides da provincia, declarando
'.' o de propriedade nacional, provincial, muni-
cipal on (larlicular os edificios une a isso se pres-
laa, o ueste caso quanto se despende annualmen-
le com o seu aluguel ; quaes os destacamentos
x.lentes e em que districtos. stia forja e fim a
que se destinan ; m fSo de guarda nacional ou de
polica e se as casas que Ihe servem de quarteis
lo particol-res ou nao, e no prmeiro caso qual a
*u aluguel, e quando autonsado. se convem con-
servar ou alterar a actual divso policial ; final-
mente as med las, que mais convenientes julgar
l .ra prevenga. dos dLlictos e captura dos crimi-
Hijos, e o melhor meio de prover a alimentago
dos presos, que por sua indigencia sao soccorridos
peios cofres da provutda.
Ao mesmo, para mandar remover da cadea
'.indi para a fortaleza do Brum. o alfares do
'"'.'batalho da guarda nacional, JoSo Augusto de
Mello, que assim requerou.
riiTommendou-se ao commandante das-armas a
expedicao de suas orden?, para que o mencionado
nes 3eja recebido naquella fortaleza.
Ao inspector da thesouraria de fazenda.trans-
unOiOdo, para os devidos fms, as guias de soccor-
rmenlo das pracas dos batalli5es l.\ ! 3.*, 4,
>', 6.-e 8." de infantaria e I." do artilharia di
suarda nacional deste municipio, as quaes regres-
s.ram do presidio de Fernando de Noronha, onde
e achavam destacadas.
Ao mesmo, remetiendo para os fins conve-
lenles, a cerndo de obllo do gu.rda do 3. ba-
ilbap de infantaria da guarda nacional deste mn-
nicipto, Baldoino Arco-verde de Albuquerque Ma-
unbao, que, estando destcalo no presidio de Fer-
nando, all falleeeu de cholerina.
Ao mesmi, traDsmittindo para seu conheci-
ment, copia do aviso do ministerio da justica de
12 do corrente, sobre o crdito de 3:046030 par..
o pagamento do augmento de vencimentos dos em-
bregados do tribunal do commercio, segundo a ta
bella annexa ao decreto n. 1304 de 8 de
ultimo.
organlsada pelo commandante interino do bata-
mi 90 de Tracuhaem, visto determinar o aviso
do ainlsterii) da justija de 23 de dezembro de
t85i, que as propostas para offlciaes dos corpos
d guarda nacional sujam feilas pelos comman-
dantes effeetiros, e nao pelos interinos, salvo o
caso de impedimento prolongado dacMielles, e por
conveniencia do servido, o que nao se verifica da
mesma proposta.
Ao inspector da alfandega, mandando entre-
gar ao director interino do arsenal de guerra os
quatro ciixOes com fardamenlo e instrumentos de
msica, remettidos pelo arsenal de guerra da cor-
te no vapor Paran.
Ao juiz municipal do termo de Cimbres, pa-
ra que em observancia ao aviso do ministerio da
justicadelO do corrente, ponha em concorso a
serventa vitalicia dos offlcios de partidor e conta-
dor daquelle juizo.
Ao promotor publico de Garanhuos, chaman
do,a sua attencao para o fado de ler Autonio
Fernandos Ferro, segando participou o chele de
polica, assaisinado nj dia 12 do corrente,oa lo-
gar Caipora, sua amasia Juvinana Bezerra Le'te,
e fendo gravemente a Antonio Januario da Silva,
qne a acorapanhava; e recommendando que em-
pregue se as deligencias seu alcance, afim de
ser o delnqueme capturado e ter regular anda-
mento o summarii crime, que deve ter sido ins-
taurado.
Ao engenueiro fiscal da lluminacao a gaz,
chamando a sua atlancao para o respectivo servi-
50 nesta cidade, e determinando que expedidas as
providencias que couberem era suas altrlbugSes,
propooha o que julgar conveniente para sanarse-
raelh nte iiregularidade.
Despachos :
Antonio Soares de Pinho.A' vista da informa-
cao passe portara.
Alfares Antonio Manrique da Fonceca Jnior.
Ao Sr. inspector da thesourario de fazenda cpm
oIBcio desta data.
Bario do Livramento.A" thesouraria
cal com ofHcio desta data.
Francisco Pacifico lo
souraria prouincial.
Fulden Brother.A' thesouraria com offlcio
desta data.
Joo Angosto de Mello.Deferido.
Joaquim Ferrejra de Brito. Dnja-se thesou-
raria provincial queja tem ordem para pagamen-
to do supplcante.
Coronel Joaquim Cavalcante de Albuquerque.
Informe o Exm. Sr. general commandante das ar-
mas.
Landelno Teixeira Lima. Oiriis-se ao Sr.
commandante das armas.
Mara Auta de Jess Campello.Prejudicade.
Keller 4 CJuntera os documentos exhldos po-
rante o consalado e por esta reparcao jalgados
insuincientes.
potencia nesta luto fratricida, propondo a sua sab- .aberto, faltando m milhai e meio de oesos na-
!?J?lio^.OQ_teT?ndo a.ontros palees o ferrete de | pe) penco mais a menos-
Para chegar reparticao era preciso abrir qua-
tro portas; para chegar ao dinheiro era necesea-
9 escobri o segredo da fechadara complicadis-
o cofre.
provin-
Arnaral.Dirija-se a the-
eXPROIBNTE DO SBCnBTAntO.
Offlcios :
Ao commandante superior do municipio do
Cabo, declarando que por decretede 3 deste mez,
toi o capilo Jjio Carlos Bezerra Cavalcante Bo-
rneado tenente coronel commandante do batalho n.
40 municipio de Ipojuca.
Ao commandante superior do municipio do
Brejo, hteirando-o de qae |wr decreto de 3 deste
mez, foi reformado no mesmo posto o lente co-
ranel commandante do batalho n. 37 da guarda
nacional sob seu commando supenor, Joaquim de
Almeida Catanho.
Ao tenente coronel Gualter Martiniano de
Alencar, commuoicand'j que por decreto de 3 do
corrente, foi S. S. nomeado coronel commandante
superior da guarda nacional dos municipios de
Cabrob e Ex.
Ao Dacharel los Maria Hoscoso da Veig
Pessoa, transmittindo para os devidos fins, co
pa do ofllcio que a 15 deste mez dirigi pre
sidencia com rea cao a sua nomeacao, exer-
cicio ds juiz de dreito da comarca do Teixeira na
provincia da Parahyha.
A Fraocelino jbeodato Rodrigues, prevenin-
do-o de que a petico documentada em que pedia
ao goverao imperial ser prvido na serventa vi-
lalica dos offlcios de partidor e contador do termo
de Cimbres, existe na secretara da presidencia e
nao teve deferimento por nao ter sido o exame de
habilitado feilo de conformidade com o arl. 9 do
decreto n. 1294 de 16 de dezembro de 1853.
Cam, estampado na fronte?
Cahiria vencido pelo estigma lancado pela naco
inteira, fulminado pela autoridade governatva,
abandonado pelos incautos qae n'um momeato de
cegueira poltica se tinham agrapadb ao redor de
sua bandeira, ensanguentada por um crime atroz,
ennegrecida pelo fnebre veo da rebellio ?
Resolver-se-ha, emfim, a passar pelas forcas
caudinas, entregndose de raios atadas ao frater-
nal governo do Sr. Sarmiento, enrgico durante a
lula benvolo e clemente depois da victoria f
Quera a si .proprio fizesse eslas perguntas, e li-
vesse a ingenaidade de esperar a resposla de al-
guma dellas, mostrara ter esquecido qae vivemos
aqu no paiz das mil e urna sorprezas de todo o
genero.'em que os acontecimentos sociaes e polti-
cos >e snecedem com a variedada e neterogeneida-
de das vistas de um cosmorama.
Pois assim mesmo, sem, possuir j a candara de
que era dotado na feliz idade dos meus vinte an-
nos, vaejllei um momento antes de acreditar na
realisaco dos taes boatos de paz.
No dia seguinte ao de urna grande batalha e vic-
toria, no momento emque as noticias do theatro da
guerra concordara, era que se faz ama persegn'-cao
sem tregoa nem descanco ao rebelde balido ; em
que nos pintam o seu exercito em estado lamenta-
vel, lulando com as consequencas da derrota sof-
rnda, com as miserias raateriaes, com a defeceo
des seus, que se passam aos bandos diariamente
as lileira do exercito nacional, no momento emfim
eai que me dizem que a provincia de Entre Ros
estremece de prazer aos primeiros raios da auro-
ra de sua salvacao oeste momento supremo,
em que os partidarios de Lpez Jordn deviam
estar abatidos o cabisbaixos, srfrgo no meio da so-
ciedade de Buenos-Ayres urna commissa pacifi-
cadora, composta dos cidados mais grados, uns
amigos ntimos do ehefe da rebellio, ootros de
governo, para bascar una soloco ao problema
que ha tantos mezes se discate nos campos de En-
Ire-Rios, e que heniem anda nos davam como re-
solvalo pelas baionetas dos bravos soldados da re
publica.
Eato era mais urna (arca a batalha de Santa
Rosa ? Seria como um pendanl ao c< mbale do
sauce descripto pelo coronel Ayala ? N3o dizima-
va a vanguarda do governo a retaguarda do ini-
migo ? Existe se quer um exercito legal, fra dos.
documentos offlciaes ? Estarla morto todo o pres-
idio da le, para que n'um momento destes se pu-
dessofallar em ntervir entre a naco eo rebelde?
Nada de tudo isto.
O que explica esta repentina apparicao de nm
lercero poder no estado, deste grupo de argenti-
nos, que sem poder invocar um carcter de nen-
tralidade, necessana para a mediagao alga a voz
para eosinar ao governo a solacio, qae nao soube
achar, o qne explica isto a completa mpopnlari-
dade da guerra de nm lado, e do ootro a circams-
taucia de arbar-se um dos belligerantes nd e o
outro em camisa.
Bis aqui porque o governo do Sr. Sarmiento,
qne anda hontem se ostenta va animado da mais
nobre energa, acceta tcitamente esta intervenco
de paz, e a instancias dos seus amigos d a conhe-
cer pelos jornaes a saa maneira de encarar a sub-
inissao do rebelde e toda a imprensa applande as
significativas palavras de S. Exc que sao as se-
grales :
0 presideole da repblica foi convidado de va-
rios modos e por di*erent?s canaes a manifestar o
sea pensamento acerca da pacfleaelo da provin-
cia de Entre-Ros, te as forcas revoltadas contra
a repubica se moslrassetn disposias a submetter-
se : e crendo qae esta maoifestacao nenhnm in-
ajaj
.^ "ocompna illndir a vigilancia do
inarta que passeia pela solea.
Pois b-'m, nem o guarda ouvio cousa alguma,
ow1 regadura alguma fot arrombada: -todo foi
aaerto mano regularmente e com as suas chaves,
at mesmo o colte.
At agora nada e descobrio acercados ^adres.
uos empregados nenhum f,i preso para averigua-
os, porque isso offenderia a dignidade republi-
O certo qae nem djoheiro, nem ladro apare-
ce, e o que mais signlar, os jornaes, depois das
ngeiras noticias d > pmeiro movimente, cahiram
todos em silencio sepulcral.
Assim tentador o nobre mister de ladro I
Como qualquer outro mortal, tenho a minha
mana; quando trato te cousas que interessam
iramigracao para o nos Brasil, cdonisaco dos
nnjsos matos urna febr de irapacieocia se apo-
dera de mim e aproveitc tudo quanto possa ser
ntil ou nocivo.
J varas vezes rne oceupe de Matto-Grosso, e
la sua navegaco subvenonaa, medida excel-
ente se fosse be n applicaoa. Infelizmente nao .
Unsta-me qae al boje ninhum vapor desta li-
naa passou deAssumpeo, (onlo desdo o qual se
a r j"0 *** via8em em peouenos vapores, pouco
adequados para transportar wlonos e imigrantos.
Lraiu que isto merec;ria urna (scalisaco mais se-
vera da parte do nosso govern.
Acabo de ver ara decreto da provincia sus-
petdendo o thasoureiro, a quen\ eslava confiado o
milhao to my-teriosameate rouiado.
18
Por decretos de 9 do correte concederam te ao
capiiao reformado do exercito Thoroaz Goncalves
da Silva as honras do posto de major do mesmo
exercito, em aliento aos relevantes servieos pres-
tados na guerra contra o Paraguay.
Por decreto de 16 do corrente foram nomeados
o tenente goneral visconde de Santa Thereza, o
S525?" de oampo ,ot da V'eloria Seares de
Andrea eo brigrdeiro Joao de Souza da I'onceca
bosta membros da comraisso de que trata o art.
1* do decreto n. 4,619 de 4 deste mez, que regnla
o modo pratico de organisar-se o qaadro para o
preenchimento das vagas existentes no exercito e
as escala- de promocae.
INTERIOR.
RIO DE JWtJlltO
16 DB NOVKMBRO DE 1870.
S. M. o Imperador, acompanhado de sius sema-
narios, visitou hontem s II e roda horas da ma-
nhaa a escola militar da Praia Vermelaa, e all
assistio ajs exames de malheraaticas eleraenlares
dos alumnos d> curso preparatorio e liijo de
geometra descriptiva dos alumnos do segando
anoa do curso saporor, percorrendo depeis as
dependencias do estabelecimento, retirando-seas
2 horas da larde.
Aifolhas qae o vapor inglez Flamsteed trouxe
tronfem do Rio da Prata-atc 10 do correte, nada
referera de importante. Di Eotre-Rios nao ha
noticias diversas das que trabamos, . em Monte-
video conservava-se tudo no mesmo p. O minis-
tro da guerra a'nha ido a Paysand e Salto apres-
sar a marcha dcujxercito do general Caraballo.
O resallado dos exames de hontem na Facalda-
de de Madicuia foi o seguinte : .
1 anno medico : Jos Francico Dias Furtado,
Manoel Teixeira Maciel Jnior, Olympio Joaquim
da Silva Pinto, Carlos Ferreira Alves, approvados
plenamente; Francisco Uoocjilves de Moraes e
Domieiaoo da Costa Morena Jnior, approvados
simplemente.
3" anno : Joo Henriqae da Silva Coutinho, Joo
Penido de Castro Menezes, Antonio Manoel da Cos-
ta Guimaraes, Miguel Zacaras de Alvarenga. Pju
O resultado dos exames de honlem da Pacnlda-
de de Medicina foi o segninte :
1 anno medico.Antonio Laii Moateiro da Sil-
va, approvado plenamente ; Alberto Das Ferraz
da Laz e Benjaraim Antonio da Rocha Fara J-
nior, approvados simplesmente.
Houve urna roprovaco.
3 anno medico.Cometi Emilio das Neves
Milwarde, Joo Oiogo Esteves da Silva e Jos Mar-
tras Carneiro Leao, approvados plenamente; Fran-
cisco Pinto RiDeiro, approvado simplesraeote.
Houve duas reprovaces.
4o anno.Paalo Cesar de Andrade Uuque-Es-
trada, Joo Bxpti-ta Vinelli, e Jos Olegario Alves
1-erreira, approvados plenamente; Valeriano Ra-
mos da Fonceca, approvado simplesmente.
Clinica (6 anno).Alfredo Piragibe, Fernando
w r'u l,e Azeve,lo> Francisco Villela de Paula
Machado e Henriqae Hermeto Carneiro Leo, ap-
provados plenamente.
3 aune pharmaceulico.Achules Fortunato An-
tonio Sumien e Bernardino da Silveira Dntra, ap
provados plenamente ; Jos da Costa Valllm J-
nior, Ignacio Pereira de Oliveira e Jos Lopes da
Costa e Souza Jnior, pprovados simplesmente.
Foram approvados na Ia cadeira do 3o anuo
(mecnica) da Escola Central os Srs.: Jos Freir
de Andrade Parreiras Horta, Augusto Coelho da
Silva, Garlos Maximiano Pimenta de Laet, Pedro
Belim Paes Lerae, Manoel de Mendotiga Guima-
raes, Marees Thomaz da Costa e S, Alberto Eu
genio Andrade Parreiras Horta, -Caldino Alves
Monleiro, Antonio Gomes Sudr, Jorge Benedicto
Ottoni, Antonio Jos Ribeiro da Cruz Rangel, Bal-
thazar Bernardino Baptista Pereira, Jos Theodo
ro de Souza Lobo, Jos Camino de Souza, Tobas
Rabello Leite, Jeronymo Furtado de Mendonca,
Francisco Jos de Mallo e Souza Janior, Armenio
da Figueiredo, Joo Loiz Pinto Campista, Joao de
Freitas e Castro. Francisco Severiano Braga Tor-
res, Tbeophilo Beaedicto de Vasconcellos, Joo
Ramos de Queiroz, AUino Jos Chavantes, Fran-
cisco Carlos da Costa Real.
Bandeira-de Gouva, e foi jolgado habilitado para
prestar exame de posto.
_ 20
Por portara de 10 do corrente mez toi dispen-
sado o engeubeiro Antonio Gavalcanla de Sooza
Raposo da commissio de medir e demarcar a-<
Ierras denominadas Bordu do Campo, na provmcK
do Paran.
Por portara da mesma data foram coaeo'lidV
oous mezes de licenca ao porWro da inspeec>>
fA n* ^ras PUDlicas do municipio, Jos Pdrei-
ra de Oliveira, com todos os vencimentos e na for-
ma do decreto n. 4,484 de 7 de marco deste ann,
atim de tratar de sua saude.
agosto
Ao mesmo, para mandar ajustar roBtas ao
ailores do 7. batalho de infantaria, Antonio Hen
nqce> da Fonceca Jnior, que segu para a corte.
ao mesmo, commuuicando haver o juiz mu-
incipal do termo de Ipojuca, bacbarel Jooo Bap
lista de Siqueira Campos, reassumido o exercicio
Uj seu cargo por ler cessado o impedimento do
juiz de direito da comarca do Cabo.
Ao mesmo, jnieirando o de ler o juiz de di-
reito da comarca de Garanhuns nomeado era 15
do corrente o bacbarel Francisco Antonio Cesarlo
d Azevedo para exercer interinamente
di promotor publico daquella comarca.
Ao mesmo, prsvenindo-o de que o bacbarel
Francisco Domingues Ribeiro Vianna entrou em
: do corrente, no exsrcici.. do cargo de juiz mu-
nictpal do termo de Cimbres.
Ao mesmo, declaran Jo que em 18 do corren
le, e bacbarel Manoel Annos Jaeome Pires pres-
leu juramento e entrou no exercicio do cargo de
juiz municipal do termo de Agua Preta
Exigise desees hachareis a remessa de cerli-
o de exercicio.
o cargo
Comnaode das armas.
JUARTEL-GENERAL DO COMMANDO DAS ARMAS NA
PROVINCIA DE PERNAMBCO. 29 DE NOVEM-
BRO DE 1870.
Ordem'do dia n. 512.
0 marechal de campo commandante das armes,
faz publico para conhecimento da guarnico a
ins convenientes, qie em cumprimento ao dispos-
to pela presidencia era offleie de 7 do corrente,
embarcou hontem para a corte no vapor Tocan-
tms o Sr. alfere do estado-maior de 2* classe
Francisco Eduardo Bimjamim, pelo que foi desliga-
do do deposito especial de instruccao onde servia.
O mesmo marechal de campo determina que na
manha do dia Io de dezembro vindooro, ae passe
revi-ta de mostra em seas respectivos quarteis, a
companhia de operarios militares do arsenal de
guerra, ao 2 e 9" batalhoes de infantaria e aos
depsitos existentes nesta provincia pela ordem se-
guinte :
As C horas a companhia de operarles, as 6 1|4
ao deposito especial de instruccao, as 6 l|2 ao 9*
batalho, as 7 ao deposito dos recrutas, e as 7 Ii2
ao 2o batalho.
Assignado.Baro de S. Borja, marechal de
campo. y
Conforme. -Emiliano Ernesto de Mello Tambo-
rtm, tenente ajudante de orden encarregado do
dealhe.
Pela ibesouraria provincial mandou-se pagar. los do Nascimenlo, por nfracco de posturas.
Ao Baro do Livram nlo a quantia de A' ordem do subdelegado de S. Jos, Joo Co-
28J9; i rt. corresoonlente a 2" e 3J oru- Iho da Cosa e Lniz Jos da Silva, por disturbios.
Deas guarde V. Exc.
Illm. e Exm. sr. conselheiro Diogo Velho Caval-
corresponJenta a 2* e 3' presta
da ponte do Caxaog de que
I28J978 rs.
<;es das obras
'ontratante.
A Claudiano da Silva Reg a de 20*000 rs.
do aluguel de um quarto contiguo a caoeia do
termo de Tacarai, qae serve do priso as mu-
Iheres.
Communicou-se ao chefe de polica.
- o9AQ / 813*890 rs. pn veniente do gaz consumido com
a iliuininaco desta ;idade, durante o raez de se
tembro ullirao.
- Ao capitao do porto, dizendo que pode por
eiL i os recruIas Sebastio Peixoto Jagua
ribe a Loiz Rodrigues de Sena, que sao incapa
*w do servia, e dar o conveniente destino aos
de noines Jo? Eleutero da Trindad e Raymnn-
do Felippe Saoagc, q*uo foram considerados ap
Expolile portirta aos agentes da companhia
brasileira de paqmtes a vaper, para o transporU,
-at a corta aos dous nliimor desse recrnu.
.,"~ A? eommandaiue superior do manici'pio de
Naareth, declando, para os fins convenientes. no
Mer ser approvada a proposTa, qae rerp e'ueo
Repartido da pollela.
2.* seccao. Secretaria da polica da provincia
de Pernambuco, 29 de novembro de 1870.
N. 1373. Illm. e Exm. Sr.Levo ao conheci-
mento de V. Exc. que, segundo consta das partid-
pacoes reeebidas boje nela reparticao, foram hon-
tem recolhidos casa de detenco os seguintes
individuos:
A' ordem do Dr. delegado da capital, Manoel
- Iiao Cynllo Leao da Silveira e Julio Cesar Ferreira
conveniente tem, e pode ao contrario proporcionar Brandao, approvjdos plenamente
aos que procedem de boa r occasio de servir
sua patria, responde a estes convites com a se-
guinte declaraco, resolvida em conseibo de mi-
nistros.
O presidente da repblica ouvir e a tender
toda e qualquer propo.ta de paz que emane do
ehefe ou chefes das forcas rebeldes, e que as cr-
5 anno : Galdino Antanio do Valle, Manoel de
Assis Vera Bueno e Juvenato de Oliveira Horta,
approvados plenamente.
IIiu"0 urna repiovaco.
6.' anno : Francisco Claudio de S Ferreira,
Milln da Franca Alencar, Jos Antonio Pereira
da Silva, Joo Lulz dos Santos Titara e Joo Bap-
cumslancias actuaes se funde as seguintes bases: i lista de Lacerda Filho, approvados plenamente.
Submissao sem condc.es das forjas rebeldes
Si autoridades nacionaes.
Amnista gt ral
Afasumento temporario do chefe da rebellio
e dos ootros que o governo designar, afim de po-
der realisar-se a organisacao da provincia, con-
forme o que o congresso ordem u. 4 de novembro
de 1870.-0. F. Sarmiento.
Continuaran] hontem na Escola de Marinha os
exames, que deram o resultado seguinte :
2." cadeira do Andrade Leite, plenamen-e, grao 10 ; Americo
Lenidas Barbosa de Oliveira, idem grao 8;
Duarte Hue Bacallar Pinto Guedes, dem, grao 7 ;
, Antouio Augusto da Costa Lacerda Jnior. dem.
>. Lxc o Sr. presidente, como s v, renuncion i go 6 ; e Jos da Cunha Ribeiro Espindola, sim-
desta vez aos seus hbitos ; /o lacnico. E3te la- i plesmente, grao 4.
conismo depois de urna granda victoria n> deixa i.- cade'ira do 2. annoAspirantes : Jos Ro-
d parecer-se cora o texio inexoravel de ama le, drigucs de Abreu o Bernardo Goncalves da Costa,
e contrasta singularmente com a verbosdade bel- plenamente, grao 8 : Jos Ramos da Fonseca,
licosa com que o Sr. pre.-dente proclamen a idem, grao 7 : e Leopoldo Freitas da Costa OU-
guerra contra o assassino. do Sr. capilo general | veira, dem, grao 6.
2. anno. PhysicaHooveram dous alumnos re-
rquiza.
Submissao sem condi(oes.
Amnista gcral.
E" um tanto difficil conciliar estas duas coasas.
A primeira anda revela o ebefe legal, que tem
confianca na Justina de sua causa, e os meios de
faze-la triumpbar.
A .-efiuuda, porm, que segundo o meu fraco
parecer, concedida de anterao, conslitue urna
condicao. urna contradico, mano propria de um
espirito em quo j entrou a duvida.
No sei se a comraisso pacificadora ficoa muito
satisfeita com a declarajo presidan -ial; mas pa
rece que o sea zelo.de ir buscar Lpez Jordn na
provados e dous no compareceram.
- 17 -
Por portara de 15 do corrente foi nomeado Luiz
Ribeiro Pessoa para o lugar de sacrista, que se
acha vago, na capella imperial.
Por portara de 16 de novembro foi demittio
Hyppolilo Antonio da Rocha do lugar de adjunto
da reparticao geral dos telegraphos.
O resoltado dos exames de hontem, na Facukla-
de de Medicina, foi o seguinte :
- 1." anno medico.Eugenio Marcondes Horaem
sua actual residencia, que ninguem conhe.ee, es-1 de Mello, Alberto Leite RiDeiro e Manoel Carlos
mou unoi pouco com grande vanlagem das futuras ciato Moreira, approvados ptenaraente ; Luiz Ma-
glorias do general Rivas, que por emquanto s I r0 de Sa Freir, Ernesto de Freitas Cressiama e
paaeco do mal ehromeo do palz-magreza dos ca- j j0b Lagdea Corroa do Reg, approvaaoe simples-
mente. ,
3. anoo medico.Joo do Nascimento Goeaes,
Francisuo de Oliveira Coutinho Janior, Sejwstio
Giocalves da Silva Mssearenhas, Luiz Augusto
Correa de Azevedo e Francisco Caeuno dos San-
vallos.
Se devo estar pelo que se disse, S. Exc devia
ter tomado nisto ingerencia mais activa.
anti de Albuquerque, presidente da provincia.
0 ebefe de polica, Luiz Antonio Firnandes Pi-
nheiro.
Bueno-Ayres, 9 de novembro
de isao
Apenria se esvaacera a fumaca dos foguetes qae
a carar.ra municipal mandn qaeimar, para feste
jar o feliz acenteciraento da batalha de Santa Rosa,
precursora da completa derrota do exercito de Lo
9 ez Jjrdan, vaticina la pela vigsima vez, batalha
rm qae o general da naco D. Ignacio Rivas_se
oobrio de gloria eterna e iraperecedoura, coraerja-
ram a correr rumores de paz.
Teria sido a lelo dada ao rebelde, depois de
cinco mezes de lio laboriosa e estril, to positiva,
qae o caudilba chegasse a recoqhecer 8 sua iqj-
Dizem, pois, qae chegou nm enviado extraordi-
nario de Lpez Jordn, procurando S. Exc o Sr.
ministro Burges para que prestasse o seu auxilio
afim de fazer chegar ao conbeclmente do governo'
proposlijoes de paz de Lpez Jordn.
O nosso ministro tena acceitado este encargo
de mediador, mas o Sr. Sarmiento nem teria per-
mitido que o enviado desembarcasse.
Segundo este, parece que o canal da legar*
brasdeira no eslava incluido oo qnatquer canal de
que o Sr. presidente da reoublica faflou em sua
declararn._
Irra I A gente tambem no pode "prever todo I
Todos eslns rumores de paz parecem ter influi-
do de.tal maneira sobre as operaedes de guerra
que hoje nao Ihe posso participar absolutamente
cousa alguma acerca dellas.
Veremos se at o dia 15, em que lenciono tor-
nar a escrever-lhe, adiantaroos alguma cousa.
A noticia que ous veio dahi, do soicdio do joven
Muro, caosou aqoi profunda sensaco.
Toda a gente, sem exclnsio de eflres polticas,
Acompanhou o Sr. general B. Mure na sua amar-
ga oor de perder tio desastradamente um lbo mi
teliz idade em qua para quasi todos - existem
sorrisos e flores
, A maior parte dos jornaes se limitaram a man-
dan ao pai ifflicto os seos sinceros pezam-js. S a
Tribuna, cora a sua frentica pixo por tudo
qoaoio espalhafalo, e com o desejo de parecer
aempre bem informada, teceo sobre o tmulo do
intehz.mancebo um romanee absurdo.
Um roubo importante, o anda mala inleres-
sante pelas circamstancias rajsteriosas qae acom-
panharam acaba de dar-se ns regles offlciaes do
gowmo da provincia.
Araotiecevi
tos, approvados plenamente ; Jos Joaquim de Al
var'eoga Cunha, approvao -implesmente.
5. aono.Augusto de Oliveira Pinto, Antonio
Polycarpo de Meirelles Eoout e Polycarpo Rodn
gues Wiolli, approvados plenamente; Jorge Xavier
da Silva, approvada sinawlesmeeto.
Exames de clinio (S1 anno).Ignacio Xavier
Campos de Mesquiasr ferael Rodrigues Barcetlos,
Pacifico Goncalves da Silva Mascarenhas, Antonio
Goiaes Goacary o Joviano Bodrigues, e Moraes
Jardim, approvados plenamente.
Continoaram honUa os exaraes da 1* cadeira
do 3. anno da Escola de Marinha e foram appro-
vados os aspiranles Francisco Pinta Torres Neves,
plenamente, grt) & ; Adolphe Pinbeiro, idem, grao
& ; Antonio Arfe Cmara, idem, grao 5 ; Frede-
nco Das de S, simplesmente, grao 4 e Joaquim
dos Santos Magalhies Jnior, dura, gr>o 2.
Terminarara os exames de physica- do 2o anno,
sendo approvados os alronos externos Joo Jos
da Silva o Souza, plenaraeate, ario 6 ; Franctsoo
Jos Vieira, simplasmeRte, grao 3 ; e Alfreda Jos
de Abreu, dem, grao %
Continuaran) os 'xames da Ia cadeira o mes-
mo 2*auno e forana approvados os aspirantes Al-
fredo Silverio de Sd'uu, plenamente, gr 7; Iero-
nyrao Ferreira das Neves, Augusto Teix.tira lleu-
des o Arlonr Indio, do Brasil e Silva, simplesmente,
grao 4.
O supremo tribunal de jastica, s?m conferencia
de bonlera prouaociou o ex-pwdente So- Paahy
Simplicia de Souza Mea/lesk como i ocurso as
penas dos arjs. 139 e- ttu v0 cdigo criminal, em
processo de. re#insaail<.ade instaurado por dc-
Coiihoaarara hontem os exames da Escola de
Marinha e deram o resultado seguinte :
2" cadeira do 3 anno.Aspirantes: Carlos Vi-
dal-de Oliveira Freitas, Art4s SperiJiao de Sen-
ta Draga e Haymuodo d MfIIo Fuado de Men-
donea, approvados simplesmente con o grao 3 ; e
os paisanos Manoel Venancio Campos da Paz, idem
idem, e Francisco Agapito da Veiga, idem com o
grao 2. j
Clnica applicada pyrothechoa.Aspiranles;
Americo Lenidas Barbosa de Oliveira e Duarte
Huet, Bacellar Pinto Guedes, plenamente grao 9 ;
Joo de Andrade Leite, idem grao 8, e Antonio Au-
gusto da Cosa Lacerda Jnior, idem grao 7.
1" cadeira do 2o anno.Aspiranles: Justino de
Souza Franco, plenamente grao 6 ; Manoel Rodri-
gues Cajado e Candido dos Santos Lara, simples-
mente grao 5, e Alberto Saladino Flguelra de
Aguiar, dem grao 3.
19
S. M. o Imperador acompanhado de seus sema-
narios, visitou hontem a escola central, onde as-
sistio aos eximes de economa poltica, chimica e
eogenharia civil.
Sua Magosta le foi tambem academia da Bellas-
Artes ver o retrato de D. Anua Nery, do Sr. Vc-
tor Meirelles de Lima, quadro que para este flm
fura removido para a mesma academia, onde con-
tinua exposto.
Por decrete- de 12 do corrente bouvj S. M. o
Imperador por bem perdoar aos seguales reos :
Joaquim Mariano dos Santos Moateiro, o resto
da pena de 6 annos de pri-o com trablho, im-
posta pelo jury do termo de Vianoa, na provincia
de Maranho, por crime de homicidio.
Andr Antonio Rodrigues, o resto da pena de 2
annos de priso com trablho, imposta pelo jury
do termo da Conceico, na provincia do Amazonas,
por crime de homicidio.
Por decreto de 15 do corrente M o 2 tenonte
Ja 2* classe Henriqae Carlos Ribeiro Lisboa, re
formado no mesmo posto e com seis vigsimas
quintas partes do respectivo sold, por sollrer de
molestias incoraveis, que o impossibililaro de con-
tinuar a servir.
Per outra da mesma dala perdoou-se ao prati-
co Felippe Jos da Silva a pena de seis mezes de
priso, a que foi eondemnado por sentenca do
conselho supremo militar-de juetiija, proferida eaa
8 de outubro ultimo.
Por titulo de 17 do corrente, toi nomeado Joao
Aflonso Lima Nogueira Janior para o lugar de
praticate lo thesouro nacional.
O resaludo dos exames da 1 cadeira do 5
anno (engenharia eral) da Eseola Central fei o se-
grate : Apprbvado com dstinceo grao 10, loa
quim Galdino Pimentel e Alfonso Pires de Carva-
Iho e Albuquerque; approvados plenamente com
o grao 9, Francisco de Paula Bacalhi, Antonio Pla-
cido Peixoto de Amarante, Luiz Arnaud Ferreira
de Mallos, Alvaro Nunes Pereira, Eraigdio Adol-
pho Vielorio da Costa, Agostinho da Silva Olivei-
ra, Manoel Rodrigues Bautista, Rodrigo Ribeiro
de Oliveira e Silva, Jos 'Americo dos Santos e
Artliur Rodrigues Torres Alvim ; cora grao 8,
Francisco Xavier Gomes, Luiz Betim Pa -s Lerae,
Guilberme Augusto de Souza Leite, Fredorco Fer-
reira da Silva Santos, Joao Thomaz Alves Noguei-
ra e Carlos Augusto Osorio Bordni; com grao 7,
Manoel Tavares de Aquino Jnior, Jos Augusto
dos Santos Malta e Abel Ferreira de Malta* ; e
com o grao 6, Joo Caideira de Alvarenga Mas-
seder, Jos da Cuaha Barbosa, e Joaquim Jos de
Almeida Pernambuco.
Q cofre, de ferro da theauraria, I pacta da, ausurobfe^ 4 respectiva provincia.
Coitiuuaram hontem os examos na ejcola de
marinha e deram o resultado segralo*!
2* cadeira do 3* aano,Paisanos :_ Luiz Le
melle e Sabino de Azeredo Coutinho, simples-
mente, grao 3 ; Nicolao Viriato Chaves Barcellos,
Perciliano Olympio Nogueira. lleves e Candido
Floriaao da Costa Barreto, ideraVfcro 2 "> e Carlos
Jos de Araujo Pinoeiro,idem, gr) 1.
Em chimica applicada pyrotoclinia, form ap-
provados os alumnos militares ; Jos da Cunha
Ribuiro Espindola e Francisca Pinto Torres Ne-
ves, plenaraeate. grao 6; Antonia Alves. Cmara,
simplesmente, grao 3; e Joaqam dos Santos Uta
galhaes Janior, dem, grao 2.
1" cadeira do 2" anno.O alnmuo militar Jos
Lopes Pereira Bahia Jnior, siraplainiente grao 2;
e os alumnos paisanos, Joao Jos da Silva e Soasa
e Alfredo Jos de Abreu, Idem grao l.
Pez exame. de generalidades das materias da 2'
cadeira do 3* anno o alamoo externo Leopoldo
Continuaran! hintera os exaraes da 1" cadeira
do 2* anno da escala de marinha, sendo approvaoV
o alumno paisano Gustavo Antonio Garnier .im-
plesmente, com o grao 3.
Desenlio de ligara e paisagem do 1 anno, aspi
rantes Antonio Leopoldino da Silva, e Francisco
dos Santos Malta, plenamente, grao 10; Emilio da-
Miranda Ferreira Campello, Augusto Froetooso-
Monteiro da Silva, Joaquim Jos Das de Airuiar Jn -
oior, Alfonso Manrique Neiva, Aristdes Monteiro
do Pinho. Godofredo Silveira da Motta, e Innocan-
cio Marques de Lemos idem grao 3 ; Rdyearpo
Cesario de Barros, Joo Cordeiro da (iraca Castel-
laos, Bernardo de Oliveira Bueno, Justiniano de
Oliveira Souza e Mello e Henriqae Christtano
Braune, simplesmente grao 1; Jos Lopes da Silva
Lima Janior, plenamente, grao 10.
3e anno.Desenlio de machinas a vapor: aspi -
rantes Americo Lenidas Barbosa de Oliveira,
Duarte Huet Bacelrar Piolo Guedes, Joo de An-
drade Leite, Aotonio Angosto da Costa Lacerda
Jnior, Jos da Cunha Ribeiro Espindola, Joaquim
dos Santos Magalhes Jnior, Antonio Alves C-
mara, Raymoodo de Mello Furtado de Mendonca
plenamente, grao 3; Francisco Pinto Torres, Ne-
ves, si oplesmente, grao 2; os paisanos Mooel
Venancio Campos da paz, plenamente, grao 3;:
Francisco Agapito da Vega e Nicolao Vinal.*
Chaves Barcellos, simplesmente, grao I. Chimi
ca: aspirantes Adolpho Pinheiro, plenamente,
grao 7 ; Frederieo Das de S, Carlos Vidal de
Oliveira Freitas e Aristdes Speridio de Senna
Braga, idem, grao 6.
2* anno.Topographia e desenho respectivo :
aspirantes Leopoldo Freitas da Costa Oliveira, Jos
Ramos da Fonceca, Jos Rodrigues de Abren, Ber-
nardo Goncalves da Costa, Alfredo Silverio de
Souza, Jeronymo Ferreira das Neves e Angosto
Teixeira Mendes, plenamente, grao 3 ; Arthur In-
dio do Brasil e Silva, simplesmente, grao 2.
O resaltado dos exames de ante hentem e
hontem |da facaldade de medicina foi o se-
guinte :
1* anno medico.Manoel de Avillez Carvalho.
Alfonso Henrique Ennes Bandeira e Felippe Aris
lides Caire, approvados plenamente.
Francisco de Paula Fraga e Thomaz Whately Jn-
pJor, approvados simplesmente.
Houve qoatro repmvados.
3 anno molida _Krioo.o-> r*r(i de Medeiros, Augusto Prates Alvares da Cunha.
Virgilio Horacio de Oliveira, Alfonso Pereira da
Silva, Jos Maria Velho da Silva, Luiz Joao Falle
ti, M inoel Felizardo de Azevedo e Pacifico Esleves
Valladares, approvados plenamente.
Antonio Pereira de Barros Leite, Cesario Pereira
Machado, Arlindo Ramires Esqnivtl Janior e
Thophilo Datra Chaves, approvados simples-
mente.
5o anno.Mariano Luiz da Silva, Emilio M-
chalo Pereira Durval Pereira de Mesqaita, Car-
los Aususlo de Oliveira e Silva, Antonio Joaquim
da Silva Lea. i, Antonio Emiliano Se Souza Castro a
Francisco Nogueira Cardoso, approvados plena-
mente.
Antonio Francisco dos Sontos Bastos e Jos Ri-
cardo Pires de Almeida, approvados simples-
mente.
Chimica (6 anno).Candido Jos de Carvalho
Lima, Theotonio Jos de Vasconcellos, Aaga^io
Trajanode Hollanda Chacn, Antonio Manoel Al-
ve* do Reg e Jos Angosto Machado, approvados
plenamente.
A Sra. D. Anna Vieira Bastos, moradora nesta
corle e o Sr, Jos Pinto Ribeiro. fazendHro emJAra -
roana, por occasio de inventariaren os bens de
seo finad) irmo, o capito Jo- Pedreira da Costa
Vieira, deram liberdade a cinco eseravos.
Da fregnezia d'Ara communbam o segotnte M
Jornal de Valenca :
Na freguezia d'Ara pelas 8 huras da n ote do
da 5 do corrente mez, appareceu ama grande tro-
voada, forte e terrivel.acompaohada de to ane-
donh) tufo que poz em alarma e completamente
aterrada toda a populaeao que snppunha chegado
o dia Anal.
O vento devastoutudo poroadii passon, na
delxando orna sarvore em p ; as casas ticaram
sem tenas, e urna S& d?3tas se no encoatra, f >i
tudo pelos ares. O estrago no foi geral, apenas
em 500 bragas de largura mais ou menos, nao se
podendo avahar quanto a exleaso, porque foi era
murtas leguas; pareca que o tufo por onde pas-
sava qnerta abrir um caminho ou urna estrada, le-
vando tudo adiante de si. Nao deixou cousa alga
ma eos cima aa trra; derrnbou grandBs'arvore-.
como taqneiras, jueiranas e oalras grandes arrima
seculares que se viam orno monumentos imme-
moriaes, e que sempre mereeeram o aosso re?pci-
to e dos nossos antepassados para a. sua conver-
sa ci.
i As arvores, meaores, qne nooo>reeiam gran-
de resistencia, ficaram torcidas e quebradas. Fui
una devastarla corapleu : anda hoje faz horror
olhar-se para, sem tibantes destroces e ruinas.
Cahio unta chuva de pedra, em tinta qaanti-
dade, que ainda no dia 8 se podia_ apanhar. car-
gas; a chava nos lugares onde man foi de pedia.
era lo-ibucdanle e torta, que nao havia telhaao
que a eonliveese ; chovia dentro da casa eomo na
ra, a agua pasaava alera dos k rnozellos dos iran-
seantes. Achou-se oo dia seguinte ni matos
urna quantidade inmensa de passaros morios, as
galliahas e demais criacoes amanheceram lambeo<
monas nos pastos e dorraidouros que estavam ac-
tempov Os propnearios Jos Pereira dos Santos.
Jos Vicente e outros soffreram grandes prejuiaos;
suas casas ficaram destelhadas; perderam todas,
as suas plantacoes de canoas e (amo, que vjram
todas arrancadas e em cima da trra.
r-Saffreram muito os lugares Palioba, Pilroeira,
Riacho de Ara e MaMos do Andanhy, continuan-
do para diante. >
.t Desde que foi comraettido o roubo quo- uoticia-
mos, na capella do Sr. Dr. Araujo e Silva, a poli
cia tratoo cora a maior eropeobo de descokrir o
autores deste crime. Gracas aos esfoxeos dos Srs
1. delegado e major commandante do corpo de ar-
baos alcanrjoa-se satisfactorio resaludo.
As informales qae obtrveawe tobre est *Sf
sampto sa as seguales :
O roubo foi commellido pr.tres, dos mais u
dazes ratoneiros qae se tem cetebnsado nos faslo^
do crime nesta odrte. Doos j estio presos p
rhamara-so Jo Alves d Casta, coohecida poi
V,cente Ferreira oo Vicente Hespaonol, e Amo-
nio Moreira Campos.
Ha multo qae estava planeiado o crime, cstav*.
mesmo ajustada a venia do fructo do- roubo com
um relojoeiro da ra do Carioca n. 86.
Anteriormente j os ladrSes tiobam-se tornada
sospeitos no theatro do crime; sendo ento preso-
es-es pela nibdelegaoia da frefuezia da Gtoita,
llfaVR
4


;owi*3Q QmmMm aa o Win
FerDAmbiico
iaaW-. '".' n i,
Quar& feira 30
de Novembro de 1870 OftlMIM JVJX' OHfc
_~
x
..'
mas, nao havendo baa de positivo coa W He*
foram solt?.
AporUdlOkKlUtoi aberta com chave falsa,
tiue. bem ftfga H pnohl, foi ahad to jardim
o lado da^bella: Todo* 05 objeetw de prata,
inclusive ? grande lampada, paramentes de sa-
cerdote e raqal qne havia no coradouro na occa.-
siio do roubT l'oram levado peles Udrdes e oc-
cultos em ama casa da travessa da Barreira, onde
.comprador foi ver os-#je*tos, ajbeta-roaenosl
mente compra-lo?. I pora *e arada o lugar pala
onde os transportaran!, consta entretanto que fo-
ram inmediatamente fundidos omeiaes, pusi
ura crucifixe de bron ou oafcre praleado, pelo
que depois se fci descont na importana paga
aos ladrtfcs que tinham vendido o crucidio como
de prala.
O comprador qne tambera fu* preso, wrpoz
recurso de kabm corpw parante, o juiz * direito
da 1.* vara crime, preteadendo ser Ilegal a sua*
priso, por ser afiangavel a cumplicidade no cri-
uie de roubo. O juii mandou informar o 1. de-
legado de polica por quem tem sido feitas as ave-
riguacocs, e a cuja ordem esto presos os delin-
quate, e mareon o dia de hontem ao meio da,
para o paciento ser apresenlad pelo carcereiro da
detencao na casa das and.encas.
A"s 9 horas da notte de 10 do crrante perdett-
se na aliara do* baixns de S. Tlioin, tan conse-
queocia de ter balido em urna galera que ha tena
pos all fon a pique, o hale nacional Notsa Se
nhora dn Gpnceicao. A muito custo consigui o
meilre do hiato eocalha-lo na praia do Forado,
ah por mio de nm cabo d? vai-vem logrou a
tnpolaco salvarse com a roupa do corpo. Ease
cabo foi lavado a trra pelos grandes esforcos de
om dos tr peanles.
Alguns dos destroc que licaram do oanjragw
serviram aes miseros tripulante* para armare)
ama barraca e nella se refugiaren) at que a sorle
Ihes depararse com alguns succorros.
O navio era propriedade da companhia Espirito-
Sanio e Campos.
Hoje enlrou o hiate Presiden!, procedente de
Campos, leodo a seu bordo o naeslre do Nosv
Senhora da Goneeico
Entre a meama praia od Forado e Macah au-
fragou nessa mesma noile c oate nacional Flores-
ta, cuja tripolago couseguao alvar-se.
1 .
Por decreto n. 4,627 de 15 do corrento foi con-
cedido privilegio a Rayniundo Carlos Leite 4 li-
nio para fabricante e venderem o apparelbo de
sua invengan, que denominan) auto-motor.
O resaludo do? eximes ftnaes da aula secun-
daria dofi* amo (economa poltica, estatislica e
principios de direilo administrativo da Escola Cen-
tral foi o se i 11 i o le :
Approvbdos com dislineco, gio 10, Joaquim
Duarte Murlinlio ; approvados plenamente, grao
J, Luiz Augusto, de Oliveira ; gra 8, Jos Au-
gusto Devoto ; grao 7, Lopa Gongalves Bastos Nel-
to, Joio Feliciano Pedroso da Costa Ferreira e
B laveoiura Caetano Ribeiro ; grao 6, Augusto de
Aorado Souza, e Jos Joaquim de Pinto Jnior.
22
Pelo paquete ingloz Germmy, da hnba do Pa-
c fleo, recebemos hontem fulhas do Hio" da Prata
al 13 do crrante. Depois enlrou outro paquete
ingles,o Douro, da linha de Soulhamptou, com
olhas at 17.
E" dlfllcil saber ao certo o qu% se pasaa em En-
tre Ros ; enireaalo u quo pare'ce resultar das
diversas noticias que Lpez Jordn promet* dar
aiuda muito que fazer s tropas do governo. En
ir atrae ceaos, diz una correspondencia que o
motivo da ida do caudillo ao departamento da
Paz fra roceber armas e mesrao pecas de cam-
panha, que Ihe expediam os amigos de fra da
provincia, sem qac ucnboni dos generaos argen-
tinos polesse obstar ao desembarque destes pe-
tretbot de guerra. Esperava-se agora urna bala-
!ha, mis o geneial G-lly yObes nao se_ mova de
un-fe ostra por julgar vanlajosa a posicao.
A repblica do Uruguay nao apreseniava mu-
dauc,' iQsivel no osudo das cousas, a espeilo do
qual nos escrevera de Montevideo :
O- blancos permanecem com forceas numero-
*', pjim mal armadas danle das trincheiras.
C nstantemote se desprenden) da um e outro la-
I i guerrllbu sem ouiro oajecto mais do que ta-
aer .;lgumas victimas.
Alfirmasequo, apenas aquellos hajam rece-
bldo 2 ao 3,000 armas que compraram, atacara
a Pr-
Umm a commanicacao pelo rio esla tranca, a
1>-..-1 receba gado e todos os gneros alimenti-
f,i...<" do i| 110 oari-c-, {atit-> Jo Unftnn<-*yrp.s como
dosoniros pontos do litoral. Por osle lado, poriau-
v\ o -;! 1 nao produz elfilo algura, s serviado
I>ai mnbarafw o coromerco.
O i xercito ao norte do Rio Negro fieva no
ii;a i 1 em Salsipuedes. general Goyo Suarez,
, 11 iHiido-se demiltido o general Carabao, com
. agora os exercit >s do sul e do norte, oc-
i-iipava-M activamoole em engrossar as suas li
icir .-, e coostt qup e pora em marcha immedia-
Um< 'e o auxilio da espita!, irazendo comsigo
j 1 8.000 huraens, sendo a maior parte de ea-
VaUarl..
>:> .1 esta forca olirigari cerlameate o gene
tnu^ic^Msa^r^Wtt-da jWvfccla das
Alafoas o Di. Jos Antonio Lop
spes.
e Silva,
Ragua-
' Por decretos de 16 do crranla foram nomo-
d*s r '
O desembargador da raltcao do liaranho, Joto
Baptisla Gonijates Campos, procurador da ao-
rta, soberana e fazend nacional na mesma re
lacao. ^^
0 badiare! Francisco de Pava Arao
iuiz municipal e de arjtos do termo do
hy, oa provineia do Rio de JanolR). I ,
" O baafcarel Eme?lo Pinte Loboo Cedro, Juiz rao-
niciml e de orphajs do termo da Capaila, na pro-
vincia de Srralpe.
O bacbarelTFirmino Baiboaa Coriolfo, juiz rna-
nicitl o de orphaos dos t rmo recaldos 00 Caa-
cavel a Aqulrai, na provincia do Ceara.
o amanuensada secrelarfa da polica da pro-
vincia de Sergipe, TacRo Rodrigues de Olrwira,
theoureiro da mesma secretaria.
Foram nomcados para a guarda nacionaTde ;
Pernan bucoJos Belarmino Pereira _
lo, major ajudante dt ordens, e o alferes cirur-
gio Odilon Austnetlano Brayoer capifao ciror-
gomr do commaodo superior do municipio 110
B mito. ..
Rio Grande do Norte. r0 capilo Jos Prasedes
Benevide3 Pimenia, major ajodante de ordens ;
Luiz Manoal Fernaiides Filbo. .aaotao secrolario
geral, e Francisco Joaquim'ae Souza, capilao ci-
rurgio-mor do commaodo superior da muaici-
pios da lmperatriz e annexo?
Jlo Csrrda do \ranjo a Maooel Marques da Silva
Acauan, approvados plenamente; Francisco de
Paula Batno e Atevedo Machado, Amonio da
Coata Pinto Cebo Eugenio dos Reis, approvados
slmpfesmente.
*.*ahtlo.Mijuel de Oliveira Silva, approvaw
pleaamanfe ; ff^rmenegildo da Cuuha ttibeiro Fei-
, Antonio Jos de Cisiro Junitr e Luir da Costa
TTTI
WM^JlS^P^r^^
m
de Oliveira, Antonio Ferreira de C. Andrade, Er f
manado Pupo Nogueira, Antooio F. da Andrade e obras da igreja de N. Senhora do Rosario da Boa
" vista pede-nos para lembrarmos quelles que por
sorle liverem de tirar os premios maioras da lo
j, _
ChavesdfFaria, ai^tiovado simpiosuieoie.
Houveiduas repn>vai;des. f ,
6." annoCHolcj; Luix de Souza Araujo, Lo-
poldo AlbeltofclI.alhaesCoulo, Ap'.onio Pmhei-
ro Guedes, Antonio Francisco do Araujo Macuco e
rico Marinho da Gama CoeHio, approvados plaia-
' meato.
'3> anno pharmac^utieo Alfredo Ribeiro Pe-
drizo, apprvado sinpleMnente. Houve 8 repro-
vajoos.
O resultado dos exa nes da 2' cadelra do 3
anoo (cbimica) na Eacola Central, foi o se-
tnie : ;
Apprnrd h plraimeiitp :
Maximhno Pimenia do Laet__
no Alves Monteiro, Manoel de Mendonc,a Guima-
ries e Jorge Benedicto Ottoni; cora o grao 7, Jos
Freir de Andrade Parreiras H na, Pedro IJelim
.Pacs.L0mos. eGiodido Ribeiro do Sonta Mendon-
c.a-, e com o grao 6, Alberto Eugenio de Andrade
Parreiras Hurla, Antonio Jos Ribaijro da Cruz
Kangel, Balthazar Bernardino Bapiisla Pereira, Al-
bertu Behnonte Aguiar, Joaquim Jos da Silva No-
gueira, Alberto Macedo de Azara ina, Luiz Alfonso
coifi o gfto 9, f!arfo
coniJ-gro 8, Galdj
Par-0 capilao Evaristo Aqlonio Lope de Son- Braga, Mo Gonfutves de-Aranji, Raymuado de
za, major ajudante de ordens ; Adao Florencio
N gueira, capilao secretario geral, e .Antonio
Taeodoneo da Silva Perrha, capilao quarlel-mes-
ire, do commando superior da capital.
Cincedeu-se '
Ao major reformado da guarda nacional da pro-
tocia do Maranhao^ Manoel Jos da S Iva, me-
Ihnraroenio do reforma ao posto do tenente-co-
runel.
Ac bacharel Joo d 19 Santos Sarahyba, a de-
missao qne pedio do lugar de juiz municipal ede
orphaos do termo de Itaguaby, na mesma pro-
vineia.
Foram declarados vagos os offleins do tabelliao
do publico, judicial e olas do termo de Santarem
na provincia io Ear, e de offlcial do registro ge-
ral das hypolhecas da respectiva comarca, em vis
la da impossibilidade om que se acha o serven-
tuario vitalicio Joo Chrysostomo Pereira o S-m-
11, de continuar a exerce-los, o da falla de outros
meios de subsistencia ; ficando obrigado o seu
succas^or a prestar-lho a terca parle dos rend-
montos conforme a lotac_ao.
Contnuaram hontem os exames da escola de
marmita, os quaes deram o resultado 1" cadeira do 2 anno.Aspirantes. Houve dois
reprovados.
Topographia e desenho respectivo, aspirantes :
Candido dos Santos Lara, plenamente grao 3 ; Al-
berto Saladino Figueira Aguiar, Justino de Souza
Franco, Manoel Rodrigues Cajado e Jo Lopes Pe-
reira Bahia Jnior, simplesmente grao 2 ; paisa-
no* : Joo Jos da Silva e Souza, plena mete grao
3; Gostavo Antonio Carniur, idem grao 2; e Al-
fredo Jos do Abren. dem grao 1.
3o anno.Chimica applicada a pyrotechnia : as-
pirante Raymundo de Mello Fuado de Mendon-
ca, approvado plenamente, grao 6 ; os alumnos
paisanos Francisco Agapito da Veiga .o Manoel
Venancio Campos da Paz, dem, idem ; Nicolao Vi-
riato Chaves Bareellos, simplesmente grao 3.
A alfendega rendeu de 1 a 23 do crrante
I,780:2i6/J8.
. 23 -
S. M. o Imperador visitou hontem o archivo mi-
litar, a offleina lilhographica que Ihe annexa, e
secretaria do commaodo geral do corpo de en-
genheiras.
Por decreto n. 4,-628 de 16 do crrante foi conce-
dido aoengenhelro Joo Martins da Silva Coutiobo
privilegio para a imroduccao as provincias do Rio
de Janeiro e Minas Geraes das machinas vehculos
e arados do systema R. W. Thomson.
Enlrou hontem o vapor italiano talo Pntense,
que sahido de Montevideo no raesmo dia cora o
Douro, traz todava folhas de 16 de Buenoa-Ayres,
d'onde sahio um da mais tajde.
Referera apenas relativamente a Entre-Ros que
o general Rivas flzera juoccao com Gelly y Obes e
contiouava a perseguirlo le Lpez Jordn. Na
As iiiu.'c,io, mas ia reconsiderar amia alguns ar-
tigo?.
Miranda Osorio o Francisco Jos de Mello Souza
Juni'T.
Approvados simplesmente com o grao 5, Jos
Carvalho de Souza e Joo Luiz Pinto Campis-
ta ; com o grao 4, Joo Ramos de Queirz e Alva-
ro Pamplona Nebar da Fon-eca ; com o urioA
Arminio de Figoetrado, Joo Tilo Teixeira Mendp
e Francisco Severlano Baga Torres c com o grf>
1, Augusto Coelho da Silva, Fernando Palmeiro
Pereira da Cuaba e Diogo da Cuuha Moreira.
Faltaran) aos exames doas alumaos.
siio, mas antes di>so
tentativa deste geueral
r I Apparicio a levantar o
devo-ao esperar alguma
p ira -m-trar aqu
A vigilancia extrema, e a desconfianca no
1 ij-intott tropa que defeude a praga mu funda-
.i, porque as deserc.oes, al de officiaes, teem
rouiinnado.
. Na Confcderacao Argentina espera-se urna
i.-.iallia, a tolo o momento entre Lpez Jordn e
Gi ly y Obes.
Amanhaa deve ficar r^slabelicida a linha te
legraphtca entre esta pra^a e a de Buenos-Ayres
por accordo da gerencia da empreza cam o gover-
no oriental e o general blanco que nos sitia, sob
promessa de que olla s servir para a transmis-
so do despachos commerciaes, suppnmidas M
e-iaces qoe poderiam servir ao governo para
communic.ir-se com a campanha.
O nosso ministro, viconde do Bio Branco, sa-
bia yara Buenos-Ayre* no Vidal de Oliveira. Re
s-dveram-se as diliculdades que "existiara enire o
governo orientalco har) de Man, eujo banco
f.>i aura-asada a continuar e emitr bilbetes vis
u . ao portador na conformidad dos seus esta-
tutos. \
Aitendendo a urna reclainacao do commercio,
o governo acaba dr habilitar um ponto tpelo que
possam fguir para o interior as Tnercadorias que
al agua nao tiohara sabida. Os blancos, pela sua
parle, nenhuiu obstculo punham a este tra-
uco.
Foram poslos em liberdade, com a condico
le sahirem da cidade, os dous irmos Shaw. qu-
|nr suspeiits estavam reeotbidos ao cabildo.
As guerra:* do Rio da Prala prometiera lomar-
se menos selvagens, se devenios tomar ao serio
ama ordera geral expedida ltimamente pelo t/o-
vejne de Montevideo, prohibindo maltratar os f^
rido* aprisionados, que pelo contrario receber-i
os meamos desvelos que s proprioi, e neoirah-
samn as mbulaucias e os eirargioes e srvenle-
ligados as ine-aias, para oque se nsar de nm
distioctivo, cruz branca em campo vermelho. que
indique tanlos os edificios era que se rocolheio
os tridos cocaa as pssOas dedicadas ao seu ser-
uro.
ilntretanti moliograram-se as leolalivas de nm
arrinjo amig:.v| entre os beligerantes. Exigiaaj
5 blancos que o presidente .itllq ienuocias.seo
(i .der ras inos ao presidente do cenado, que se
lhes d-sem farantias lilwrdade oas eleijoes
formando se un governo mixiu e tirando do seio
dorase p 1 ido metxde dos ebefes polticos da
ranipanha, e alera Aislo, que se pagasse.ui a di-
ptaateiUt p^los Bsatmei blaneu nesta guerra.
Opr'sil ie apenas ijuew conceder liordade de
elnicdes farantida pela palavra do sen goweroo, <
rec nneiNiaenii) das patentes que os oIBoiaeg e
chelea blancos tiabararno exercito, antes da inva-
s'. Bldalos f.iram, poriaolo. oa es(>rc->s do cpr-
p tiplmaej eslraogewo para traier auioaa as
panes a um aecorio.
Oo Pacifico sao teni interesse as noticias, a fcio
>er a que vena da Boiivia. do acbar-ie gravemwa-
e enfermo o presidente Melgarejo, que tendo frar-
uyado urna pya n'uma qaieda de cavallo, ia sof-
r r w aoipuiatao, recelando >e que nao sobrevi
vesse. Siibsiiioi-o enlretanto Muoz, qne era mai
vi io do exer io.
Por decrete! de 16 do crranle fui uxoa,erado, a
sen pedido, do lugar do inspector da sade publi-
s da provincia Jas AlagJaa, o t. Thonjaz do.
I m.flna C-plodo!a.
Koram nomeados :
Oicial da ardam da Bota, o uneuto-eorooel Fe-
li.-berio d Oliveira Freir, da cnaotinidade a ro
o g 3 do art. 9 do decreto n. 233 de 7 6 de-
zcrabro de 1861.
Cavalheirus >U ordena de S. Beato do A*n, es
capiaos do jnUotaria Jos Manuel da Silva Mar-
ques e Cbri?.iano Joaijuim de Sani'Anna, e o de
cavalrari Joiquim Alves de Oliveira.
Terminaram hontem os exames de manobra e
de machinas a vapor para o 3* anlo da Escola de
Marioha os quaes deram e resultao seguinte :
Manobra Aspirantes: Ameriio Lenidas Bar-
bosa de Oliveira, Duarte Huel Bacellar Pinto Gue
des o Joo de Andrade Leite, plenamente grao
3; Antonio Augusto da Costa Lcerda Jnior, Jos
daCunha Riber Splndola, Joiquim dos Santos
Magalhes Jnior, plenamente grao 1; Francisco
Pinto Torras Nevee, plenameite grao 3; Antonio
Aires Cmara, plenamente grao 2; Adolpho Pi-
nheiro, Frederico Das de Si, plenamente grao
3; Carlos Vi Jal de Oliveira PreHas, plenamente
grao 3; Arisrtdes Spindio to Senna Braga e Rai-
mundo de Mello Portado de flendonca, plenamente
grao 3.
Paisanos: Francisco Ajapilo da Veiga, plena-
mente grao 3; Manoel Vmancio Campos da Paz,
Nicolao Viriat) Chaves Bircellos, Lait Lemelle,
Candido Florencio da Csta Brrelo, Presciliano
Olvmpio Nogueira Neves, Sabino de Azerelo Con-
tinho e Carlos Jos de Aujo Pinheiro, plenamen-
te grao 2.
Machinas a vapor e lesenho respectivo.Aspi-
rantes : Adolpho Pinhnro e Friderico Das de S,
plenamente grao 3; Cirios Vidal de Oliveira Fre
tas, simplesmente gr) 2, e Aristides Spiridio de
Souza Braga, olenammle grao 3.
Paisanos.Luiz Lemelle, plenamente grao 3 ;
Presciliano Olvmpi Nogueira Neses e Candido
Floriano da Cosa Sarreto, simple"nente grao 2;
Sabino do Azeredo, CoiHioho, simplesmente grao
I; Carlos Jos se Araujo Pinheiro, plenamente
r0 3
Ante-hontem prestou exame ac generalidades
em chimica, ealumoo paiaio L^.po d) Bandeira
du Gouva, e lui julgado habilitado para exame do
poni.
O resultado dos exames de ante-hontem e hontem
na Faculdade de Medicina foi o seguinte:
!. anno medico. Joo Maximiano Coutinho
Ayaior, Jio Aristides Soares Serpa, lorqualo de
S Pinto Magalhes, Luiz Jos Mendos, Christiano j seguinte
Alves de Araujo Rocas, Antonio Teixeira de Souza! Em urna fazeada para os lados de Caconde,
Magalhes e Eduardo Augusto Ribeiro. approvados deu se urna horrivel catastropbe que sobremodo
DIARIO DE PERNAMBUCO
RECIFE, 30 DE NOVEMBRO DE 1870.
Noticias do *iil do imperio.
Chegou bonlem pela maaha o vapor inglez
Douro, trazendo datas: do Rio de Janeiro 21 e
da Bahia 27 do crrante.
Sob as rubricas P.TJe ior e Interior encontrara o
os loltores por extenso o que de mais imprtame
ha; alm do que apenas traiem os jornaes rece-
bi Jos o seguinte :
GOTAZ.
No dia 3 de oulubro falleceu o padre Mame I
Innocencio da Costa Campo?, vigan'o collado da
freguezia de Corumb.
UINM-GERAES.
Do Conservador, da Campauha, trauserevemos o
plenamente; Antonio Eduardo de Barrado, Alberto
Hcmique Duval e Amonio da Terra Pereira Fho,
approvados simplesmente.
Ho uve duas reprovagites.
3. anno medico.Guiluerme Pereira da Silva,
Francisco Leopoldino Bueno de Faria, II raorie Ro
drigues de Araujo Libero, Fracklin Benio Pereira
Salgado, Prudencio Augusto Suzano Brando e
Galdino Emiliano das Nev?, appr>vado? plena-
mente ; Antonio Caetano da Silva Lara, Germano
Augusto da Suva Chaves, Manoel do Monte Fer-
nandes Godinho e Juvenal Marlioiano das Neves,
approvados simplesirenie.
4." anno.Augusio Ferreira dos Santos, Augus-
to Cesar de Andrade Duque-E'trada, J.npjim Ber-
nardos Das, Carivaldo Jos Chavantes e Francisco
Julio Xavier, approvados plenamente; Bernard
Teixeira de Carvalho, approvado simplesmente.
5.* anno.Joaqun) Jos de Carvalho Filho, Joa
qmra Pereira dos Santos, Alfonso Carlos Moreira,
Joo Baplista de Castro Andrade e Diogo Cesar
Garcez Palha, approvados plenamente ; Joaquim
Estanislao da Silva Gusmo, approvado simples
pente,
6 anno.Clioica : Manuel Ribeiro Marconles
Machado, Joo Baplista Laper, Joo Bapsla de
Lacerda Filho, Alfredo Magno de Almeiia Reg,
llenrii|ue Cesio Sami.o, Jos Jasiiao de Mello
Guilberme. Alberjo das Neves Milward, approvados
plenamenle;
3*abno pharmaceutico.Diniz Augusto de Sou
ia lioucalvcs e Manoel Pereira da Silva Polycarpo,
approvados plenamente; Joo Baplista Bellone
Ao ionio Correa Seara, approvados simplemente
Houve duas repruvaces.
Terminaran) hontem os exames da 1* cadeira do
2* auno, cbimica do 3 e apparelho do 1* da Escola
Central, os quaes deram o seguinle resul-
tado :
i.* cadeira do anno.Deixra de fazer acto o
nico alumno militar que re^tava, por ter adoeci
do. 1" anno.Apparelh", aspiranles: Polycarpo
iessrio de Barros. Emilio ae Miranda' Ferreira
Canipello, Amonio Lepollinn da Silva, Bernardo de
Oliveira Bueno, Aristides Monteiro do Pinno, Jos
Lopes da Silva Lima Jnior, Godofredo Silveira da
Moita e Innocencio Marques de Lomos Bastos, ap
pnvados plenamente, grao 3; Augusto Fructuoso
Monleiip da Silva, Joaquim Jos Das de Aguiar
Juni r, Afina-1 Hennqno Nina, llearique Chns
ano Brue e Fra cisco dos Santos Malla, simples-
mente, grao 2o; Joo Cordeiro da Graca CastellSo-
e fustiniano de Oliveira S raza e Mello, idem, grao
l.''Ibiiiiiea. 3 anno: paisanos, Luiz Semelle,
Po.'Ci'liano Olyrapij N^ueira Nev?, Candido Flo-
riano da Cosa Brrelo. Sabino de Azeredo Couli-
ulio c Carlos Jo de Araujo Pinheiro, plenamente,
gitand"; fran^z : Amenco Lenidas Barbosa de
Oliveira, plenamente, grao 3; Duarte Huet Bacel-
Ur Piolo Guedes, Joo de Anlrade Leiie, Antonio
Augusto da Cosa Lacerda Jnior, Jote da Cuuha
Rieiro Spindola, Joaquim do*Santos Magalhes
Jnior, Francisco Pinto Torres Neves, Antonio Al-
ves Cunara, Adolpho Pinheiro. Frederico Das de
Si Carlos Vidal de Oliveira Frailas e Aristides
Spendio de Senna Braga, idem, grao 2; in-
glez : o primeiro plenamente, grao 3, e os ouiros
lmplesmente, grao 1*
24
Por portara de 21 do correte permiltio-se ao
alferes do exercijo joaquim J >s de Mello, que foi
commissionado no pos lo do capilao durante a
guerra do Paraguay, coulinuar a usar dos distinc-
tiroa desie pjslo nos termos do art. i* da lui
n. 1755 de 26 de junho desto anno, que flxou as
I oreas do trra para o auno flnauceiro de 1870 a
Por portatia de 22 tambera do-i>rroate. conce
deu-k a Hnrique Marque* da Silva a demisso
igie pedio do lugar de amanuense da secretaria do
corno de tade 4o ejercito.
Por portara de igual data foi oomeado encarre-
gdo do muse/militar o lenle honorario do
exercito, Jote Caflos de Olira Mala.
Resultado dos exames
de Medicina.
3.* anoo ra dico. Joaquim
de hontem, na Faculdade
Duarte Murtinho,
lameniamos.
Havia ne??a fazenda ura grande camnvial.
junio ao qual existia um capinzal muito secco.
Manifesiacdo-se fogo no dito capinzal, e prevendo
o dono da fazenda qne o fogo se communiearia ao
cannavial e o devorara, mandou 30 escravjs dos
melhorcs aprevenilo, fhzendo ura acero na distan-
cia que mais cravinha. Achavam se os desgrana-
dos j era meio do aerrico, quando o logo, pene-
trando com medraba intesidade no cannavial, de-
voran estes por tal forma, que envolveu os negros,
deixando-os hornvelmente carbonisados.
c Observando o lazendeiro, de perto, nma lo
lamenlavel sceua, e verificando com horror a mor
te do> tnuta escravos, teve um accesso de delirio
lo desesperado, que disparen um tiro em nra ou-
vido, de que Ihe resultou a morte instantnea,
Ha tempos noli'iinos um desastre qne se
dra perlo da cidade de Lavras succedido em urna
cacada de pacas, ondo se achavam tres eacadora?,
suecurabindo Ura d'elles a um tiro de e-pingarla,
disparado no intuito 1. segurar o bicho, mas que
desgracadamente acertou no crneo de um desses
infelizes, que inmediatamente o levou d'esta para
a melbor vida.
o Idntica desgraca drase para os lados de S.
SfibasiiSu do Capiluba, a qual no9 contam do se-
guinte modo :
c Indo um individuo com um lllbo para urna
caca ja do capivaras, o prohibindo aquello a um
ouiro fllho meaor que os acompanhasse, aconlece
que esle s e>cjndidas introdzio-se por urna mace-
ga. e conseguio presenciar e apreciar 03 mevimeo-
toa dos d-aus caladores. Um estes, o filho que an
dava rastejando a ca?a, vendo bolir urna restinga
na qual v urna sombra que se Ihe afflgurou ca-
pivara, disparou lo certeiro tiro para aqnelle lado,
que a sombra esiacoa e a restinga ceesou de
bolir.
< irigindo se alegra ao lugar e ufano de ter
egura a caija, recuou h irrorisado, quando v, em
vez de capivara, o cadver lodo ensanguentado do
irmo a quera o pai liana prohibido de acompa-
o a-los. >
s. taulo.
No dia 16 do correnta foraui encerrados os
exames, na Faculdade de direilo, do crranle anno
lectivo.
O-namero de hachareis formados no prsenle
anoo lectivo fi de 52, dos quaes nasceram : na
corte e provincia do Rio de Janeiro 2, na provin-
cia de Minas 12, na de S Paulo 7, na do Hio Gran
de do Sul 3, na do Paran 2, na de Santa Catha-
ria 1, da de Goyaz 1, na da Brii 1 e na de Per-
nambueo 4.
Tin-s formado al o presente em S Paulo 1641
hachareis, dos quaes 349 nascldos na corte e pro
vincia do Rio de Janeiro, 418 na de S. Paulo. 310
na r.o Mina=, 96 na da Bahja e 9fia do Rio Gran-
de do Sul.
P6ra marcado o da 26 do crrante para a
inauguracao dos trabbaos da estrada de ferro
Iluao*. na pevoar,ao do Salto, urna legua-mais 00
aneos distante de li.
No dia 15 fallecer ea Saotos, aps prolcnga
i* enerraidade, o negociante d'aqneila praca ma-
jur Jeremas Luiz da Silva. O finado gosava em
Santua e em toda a provincia de griftle eonslde-
raco.
A Opima Coniervadora noticia qpe foram
presos era Loreoa o rea Caetano, escravo, que no
Piquete assassinra 1 Joaquim de Souza, aanio-
Ihe det facadaa; om Guaratiaguei, o feo Francis
co Pedreiio, que aMi se achata pronunciado; e na
Liraelra, Ignacio Bueno da Cosa, pronunciado po
termo da cidade da Conatiluigao, por tentaliva de
morte na pessoa de ialvador Alves; e Salvadoi
Balthazar, pronunciado Como autor da tentativa
de norte era Francisco l< da Fongeca Jnior.
A sociedad dramtica Libertadora conce-
der liberdade) a duas eriancas por occasli de le-
var-se scepa o drama Abnegatic, de Ernesto
Biester.
No inventario ami|.v-i a aue se est proceden-
do |Kir fallecimentiJ de D. Regioalda Dellna lo
Araaral, diz o Cofreh PauUttauo, a berdeira D.
Gabriell Fraoco da Andrade dea liberdade, aera
ooud ci aljama, aoa escravos Mara Mulata, Mar
garida e Mioeitfna; ou herdeiros capiu Aaae EJiaa
e D. Gabrielfa Franco de Andrade, na mesma oc
Majjk) o do mesrao modo alforriaram os escravos
ra Grande e Joaquim BeogOella ; & inven-
taro a que se acaba de proceder por (a lecimento
de D. Mana de Nazareih Ferraz, o herdeiro Jos
Elias de Oliveira dea liberdade tambom sera onus
ao? e*orav|-jgosiinho e sua mnlber, e o he,
Jos Luiz a Oliveira o mesmo fez em reiaeo
ecrata Innocencia.
A loja maconica independencia, da capital,
por oecasi de empossar a nova directora, tam-
bem eedra caria de liberdade aNduus eseravo
menores, qne pertenciam ao espolio 80 Uado Joo
Correa de Campos.
A Sra. D. Mara Luiza Nogueira de Camargo
liberiou sdandico alguma ura casal de escra-
vos, que comprou precisamente para esse flm ; e
e o Sr. Belarmino Rodrigue's Pires o sua esposa
libermrara taojbera oescrato Francisco, cripulo de
12 auoos, sem condicao alguma.
Pelo Sr. Joaquim Mariano Borba tambem
fofana IfoKiados graWUaanente os seas escravo*
Jose Justo.
A mesma lolha diz que na cidade de ll os
Srs. Jos Soares de Barros e" seus irmos, por oc
casia o de proeteder'-so & ataliac/10 dos ben legados
pela mi dos mesmos senhores, libertarara gratui-
lamante osdiratoa Antonio, I nalhaa, Jorge, Jos,
Mana e Andr; e medame ratribuicao, Jr.s,
mestre alfaito. U eaarato Jonatoas ful liberudo
expen?a3 do herdeiro Sr. Jos Soares de Barros.
RIO OE JANEIRO.
, Eis as noticias comraerciaes da ultima dala :
Iocluindotranacc5es importantes em cambio,
efectuadas hontem a ultima hora e huje sobre
Londres a 23 3/4,23 7/8 e 24 d. papel parUcular,
sommam os saques desta uuinzena :
. S bre Londres cerca de 3t 770,000 a 22 l/i
22 3/4, 23 e 23 l/i d. papel bancario, 22 1/8, |/4,
3/8, 1/2, 5/8, 3/4, 7/8 e 24 d. papel particular )
. Sibre Franca cerca de frs. 50.000 a 405 rs.
"" Sobre Hamburgo cerca de B. 72,000 a 780,
734 e 748.por B.
S bre Lisboa o Porto regnlou a 134 0/0 de pre-
mio vista e a 130 0/0 a 90 d/v. tAia#i
t Os soberanos estiteram boje a 103100 10*120
r" e a 10/150 a dinheiro, a cojas cotaejies flzerara se
?" algunas transacSes. Ficara mais Armes as a pli-
ces gerae? de 6 0/0 que foram negociadas a 97,
97 1/4, 97 1/2 e 97 3/4 0/0. Das do empreslimo
nacional de 1868 foram negociadas 40 ao preco
de 1:040*.
c As acedes do banco do Brasil eslivaram lime
mais fruuxas. Um lote de 100 foi negociada a 178$,
um dito de 200 ditas a 178J300 e ura dito de 200
ditas a 1794500. 11#
t Das da companhia da D;a da Alfandega,
renderam-se 50 da amiga eraissao a 30* de pre-
mio.
DAHIA.
Foram nomeados promotores publicas: ia
comarca de Itapicur, o Dr. Jos Antonio Goima-
res Netto; e da comarca da Feira de Sant'Aona,
o Dr. Jacome Martins de Araujo.
A presidencia da provincia, prra remediar
as difflculdades flnanceiras com que luctavam os co
fres provraciaes, contrahio um eraprestirao interno
de 946:000*, cora a sociedade Commercio e com a
casa commercial de Brandan le frraa, sob as segu n
les clausulas : Io juro de 6por cento ; 2*erais-
sao por 86a; 3" o dinheiro adianlado ao governo
era dezembro para o resgate das lettras qne se
lera de pagar no reterldo mez vence o juro de 7
por ceolo at o ullimo do referido mez ; e o que
ficar em poder dos negociadores para entregas
posteriores vence igual juro; 4" o juro dos se-
mostres ser pago nos mezes de Janeiro e julhq a
coraecar ne.sle ultimo de 1871, e depiis dos das
12 dos referidos mezes ;"5* a provracia araorlisa
annualmente 10 por cenlo da emisso, a comejar
do anuo de 1873, sorteando 3 mezes antes os nu
meros das apolices a araoriisar, cujo juro cessa-
r 00 semesire de araorlisaclo, dndose a devida
publicdade ao sorleio para conhecimento dos in-
leressados ; 6* a araorlisaco se far pelo prego
3ue as apolices tiverem no mercado, nao deacen-
0 do de sua emisso, nem subindo cima do par.
As apolices sero de 500* ou de 1:00* voniade
dos negociadores; 8' no corpo da apolice se de-
clarar as coodicSes esaenciaes do contracto ; 9'
o governo da provincia nao contratar ama nova
emisso de apolice3 no presente anuo floanceiro,
e dentro do anno aogainte dar preferencia aos
negociadores em gualdade de cir jumstancias para
qualquer outra.
Lemos ao Jornal :
a No dia 19 do corrente naufragou na Barra
Fala, era viagem do Prado para esle porto, e
bule nicioual Ramos II, com carregarcento da
raadera.
Logo que o navio comecou aafundar-se, tra-
laram os passageiros e a tripolaco de salvar-se
em ura bote do mesmo, consegrando depois de
horriveis transes ebegar a Caixapregos, nao lo-
granlo porm essa felicidade o negociante Anta
nio G racalves Barreiras, praprietarjo do referido
hiatv e eslabelecido ne?U praca com armazem de
mulhados; arrebatado tres vezes do bote pelas on
das na ultima suecumbm. O cadver foi arrojado
a Caixapregos, onde Ibe deram sepultura.
t Um pa^sageiro, vindo desse logar, alera de
referir os Tactos adraa, visto nao ter chegado an-
da ura s dos nauragos, narra o seguinte episo-
dio :
Dormiam pacificamente em um camarote do
hiate duas eriancas no momento em que todos pro-
curavara salvar-se, e nesse transe supremo esque-
cerani-oas.
Mas a providencia vela racessantenwnte sobre
suas crealuras. Depois de todos salvos em t-rra,
eis que ebegam tambem ss e salvas as duas ere -
angas em urna laboa do camarote qae toha com-
pletamente despedazado de encontr a urnas po-
dras.
c Escrevemnos da feira de Sani'Anna :
Urna horrivel calastrophe velo derramar o
mais cruel seQtimento no seio da numerosa fami-
lia do capilao Manoel Alves de S. Boa-Ventora
Couto, proprielano Jo engeoho uQebra Canga-
ika.
Segando oavimos oarrar, achata-se o falle
cido n'uma de suas fazendas de criar dezesei?
leguas desta villa e no dia 26 dirigio-se s
.aos matos para boior fogo em um rogado, depois
do que di trahindo-se em matar tat, f i prendi-
do violentamente pelo fogo, que assim roubara .he
desastradamente a existencia.
O sen cad*1er foi encontrado dous dias de-
pois do acontecimenio e transportado para esla
villa onde sepnltou-se no dia 30. ,
No dia 12 de selembro prximo passadn, na
villa do rio das Eg-as, Prancedno Pereira Ramos
assass nou com seie facadas s. bre o peito e-quer-
do a sua propria mulher F acuosa Maria das
Neves, esundo ambos mezes em casa do pai
deta, e sogro datuelle, Martiniano Miranda dos
Santo .
O delegado capturen o assassino no dia se-
guinte, e instauren Ihe processo, em virlude do
qual foi pronunciado no art. 193 do cdigo crimi
nal.
PERNAJKUCO.
REVISTA D1AEIA-
leria que corre hoje era beneficio da mema igre-
ja, que do-pensem un pequeo obul para coad
juvago da mesma ; sendo que esle pedido seja
atiendido podero faze-lo efectivo ao thesoureiro
Maximiano L-pea Macff*, ^ua doQuli-
n. 8.
BOMBARDEiBA PBDO AWBNSO. Foi no-
meado conunandante deste vapor de guerra o Sr.
cipitaoteneae Jaciotho Pernandes Pinheiro.
PROVINCfADO CEARA'. Pelo ministerio do
Imperio expedlo-ae orden presidencia da pro-
vincia do Ceara, para mandar proceder a eleicio
de um deoutado a assembla geral pelo 3o distric-
to, em substituidlo do Sr. cotiselheiro Araujo Li-
ma, chamado para mlniftro da guerra.
MERRIMACK.Este vapor americano devia sa-
talr do Rio de Janeiro para New-York e escallas,
rfo "da 25 flo Corrente.
CONGREGACAO DAS FILHAS DE MARI A. -
Lemos no Jornal do Commercio, o Rio de Janeiro
t A seguime carta do sanlissimo padre Pi IX,
o Grande, para a congregaco das lilhas de Maria,
fot dirigida aobresbyiero socolar Vicente-Rodri-
gues da Cosa Soares, e ao desembargador Luiz
forlartato deBnto Abrau Sa Menetes :
t Po Papa IXAos nossosamadosfilhos saude
e beooo apostlica. Recebemos as voasas letras,
assignadas por vos e por nossas amadas lilhas em
Christo, as irmaa? da coagregacao das filbaa d-
Maria, que nos enviastes-no da 21 do passado
mez de junho.
Por ellas, poi?, conhecemos com grande con-
solago, a insigne piedie destas senhoras, que de
um modo particular ah st. consagraram honra e
ao culta da Excelsa Mi de Deus, e grandemente
nos alegramos do sen zelo para com a Beatlssima
Virgem, .do qual nao posslvel que deixem de
emanar extraordinarias e salutares utilidades para
ellas, e anda para todas as mais que seguirem seus
exemplos.
Alm disto, amados filhos, nos foi agradavel,
tanto vossa f. como a doctas piedosas senhoras,
coro a qual publicamente confessastes um sincere
obsequio e reverencia ao magisterio infallivel do
romano pjotiflee, dogma j declarado por disposi-
ci do concilio ecumnico do Vaticano, conforme
os vossos votos e os de todos os bons fiis e asssim
todas as gragas que as vossas lettras signilicastes
de filial amor em.memoria do dia anniversario em
que agradou divina vontade collocar-nos, embe
ra sem merecimenios, nesta cadeira de Pedro.
Por estes vossos servicos espontneamente at-
testamos os sentimentos de nos^o gratissimo cora-
go, e ai oda quo de nenbuma sorte duvidamos
que as vossas oragoes e as destas piedosas lrmas
nao nos nao de fallar, nem santa igreja, oeste
lempo to necessarias. Pela nossa parte supplica
mos ao Omnipotente Deus, para que sobre vos e
sobre as raesmas irmaas derrame com clemencia
as riquezas de sua bondade, e a todos augmente
na exteoso da justiga e da verdadeira felicidade,
que companheira da mesma justiga.
Como presagio, porm, destas celestes dadi-
vas, e em testemunho da nossa paternal banevo-
lenca, com todo o afecto do nosso coraco amoro-
samente damos a bengo apostlica a vos e'a todas
as nossas amadas lilhas em Christo, e a todos e-
mais que sobrescreverara ? lettras que nos fe-
ram prsenles.
Dada em Roma janto de S. Pedro, aos 20 das
do mez de agosto do anno de 1870, 2o* do nosso
pontificado.Pi..Papa IX
LOTERA.A que se acha venda a 172.* a
beneficio da groja de Nossa Senhora do Rosario
da Boa-vista, a qual corre hoje.
PASSAGEIROS.Sabidos para Europa no va-
por inglez Douro :
Bernardo Fernandos, Antonio Teixeira Leile,
Francisso Torres, Jos Goocalves Casaca, Jos
Beto de Campos, Jos Tavares Fernandes, Joha
Barrar?, Ricard Enes, James Enes.
Sabidos para a Bahia no patacho nacional
Calado:
Capitn Ignacio da Silva eir e 1 escravo, Mi-
guel Jes de Alraeiaa, Amonio Cururabano, Fran-
cisco Flix dos Sanios, Thaodoro de Mello, e Braz
da Silva.
fu ROICA JCOK MRIt
TRIBUNAL OA I1I2I..4C.10.
SESSO EM 29 DE NOVEMBRO DE 1870.
RESIDENCIA DO EXM. SR. CONSELHHIRO C. SANTIAGO.
Secretario Dr. Virgilio Colho.
As 10 horas da manha, presentes os Srs. desem
aargadores Gitirana, Guerra procurador da corta,
Molta, Doria, Regueira Costa e Souza Leo faltan-
do com eausa os Sr?. desembargadores Lourengo
Santiago, Alineada Albuquerque, Assi?, Domingues
da Silva e Uchoa Cavaleante, abrio-se a ses-
sao.
Passados os feitos, deram-se os segrales julga-
nentos :
APPELLAQAO CIVEL.
Do juizo municipal do Recife.Appellante?, Jes
Vijtorino de Rezende i C.; appellados, Monieiro
Correa (t CDesprasados em embargos.
PASSAGENS.
Do Sr. desembargador Gitirana ao Sr. desembar-
gador Lourengo Santiago:
Appellaca civel do juizo do orphaos deGoyan-
na.Appellante, o juiz >; appellado, Joaquim Ra-
fael de Mello.
Do Sr. desembargador Molta ao Sr. desembar-
gador As sis:
Appelfogo crimedojury de Floresta.Appel-
lante, Marianno Jos da Cruz; appellada, a justi-
ga. Do jury de Canned.Appell nle, Pedro
Coelho da Silva; appellado, Jo dos Sanios Lessa
Jnior. Do jury de Baturit.Appellante, Joo
Raymundo dos Santos; appellada, ajusliga. Do
jury de Palmeira dos Indios.Appellante. o jui-
zo ; appellado, Manoel Pereira de Oliveira Cibellu
do Do juizo municipal d > Recife,Appellaotes,
Jos Pires Ferreira e < utres; appelladq, Jos Joa
quim Pereira de Mendonga.
Do Sr. desembargador Doria ao Sr. desembar-
gador Domingues da Silva:
Appellago civel do juizo municipal do Pao
dos Ferros.Appelianles, Sllv no Jos de Carva
Ibo e outros; ap:>eliada, D. Bacbel de Souza Lima
Cavaleante.
Do Sr. desembargador Regueira Costa ao Sr.
lesembargador Souza Leo:
Appellagescriines.Apoellante, o cern el Re-
migio Virissimo d Avila Lins; appellado, Joo
Ferreira de Mendonga. Appellante, o promotor ;
appellad 1, Jos Antonio de Araorim
Do Sr. dererabargador Souza Leo ao Sr de sem-
bargador Uchoa C^valcan e :
Appellago a me.Appellame, Silverio Antonio
da Silva; appelleda, a juslica. Appellago ci-
vel do juizo municipal do Recife.Appellante,
Francisco Gongalves Mello, como tulor do menor
Arthur ; appellado, Manoel Joaquim Bapli.-U.
Assignou-se dia para juramento dos seguintes
leilos:
APPM.LACOKS CRIMBS.
Appellanle, o juizo; appellao, Manoel de Mello
Falco. ,
Appellante, Antonio de HoHapda Cavaleante;
appellada, a juslica.
Appellante, Jos Francisco da Silva ; appellada,
a Justiga.
Levaolou-se a sesso as II bpras da rnaooaa.
Da Manoel Moreira de Souza, que. tambem aecu-
za ler ir ma annos de idade, e nacional da pro-
vincia do Rio-Grande do Norte, e eatabeteMo eom
loja e armazem de chapona grosso e a relalbo a
roa do bailo da Victoria n. 4Sdesla cidade, .pedin-
de tambem sr dmHtido matrcula. ' abona-
da sua conducta commercial por Adriano A. de
1 A. Jotdip, Mello Labo A C, Mgorio Paea do
Amaral/t a. [Jarle V C, L. A. Salazar Janior,
Alfredo Garca & ftmo e Gomde Mallos Ir-
mos.-Vista ao Sr. ttesombargador fiscal.
De Manoel J aunar i o de Arruda, nacional da-
quella mesma provincia, o cora idade de 29 annos,
morador nest,< cidade, onde eslabelecido eom ar-
mazem defazenlas e ronpa feila em grosso e re-
tal lio i ra do bario da Victoria n. 41, pedindo
ser gualnienlo admillido a mmenla. Attesiam
era sea abone os meamos iieatantes em favor de
Manoel Moreira de Souza.Haja vista ao Sr. des-
embargador fiscal.
De Manoel da Silva Mendonga Vianna, subnaei-
tendo regillro a noraeaco de seu caixeiro Fabri-
cano Piolo de Miranda.Seja registrada.
De Jlo Antonio de Almeida & C, submeilendo
lambem regi-tro a de sen caixeiro Joio-Jos dos
Reis.Como requerem.
De Ferreira Luna 4 C no mesmo cotiJeauan-
to de seu caixeiro Basilio Magno Baposo de Mel-
lo.-Slm.
De Cuuha A Manta, como proenzadores de Joo
Aoastacio Gomes, do Cear, tambera submeiiendo
registro a nomeago do caixeiro que seu consli-
totnte dra Antonio Jos de Freilas.FoiU a re-
valilagao por nao tavsidoaeslampilnada nomea-
go inutilisada, volle a peticao.
De Finiieisoo de Araujo .eaar, apreseutado pa-
ra ser ngislrada a de seus caixeiros seus lilnos
Joo de Araujo Cesar e Manoel de Araujo Cesar.
Na forma requerida.
De Manoel Alves Guerra, proprielano do trapi-
che alfandegadoGuerradeclarando qne sao ad-
ministradores do mesmo trapiche Dioclecio Ribeiro
de Brilo e Anasiacio Jos de Mallos, dflbaixo da
firma da Brito & Mattos.Deferido.
e Antonio da Silva Carneiro, pedindo qoe se Ibe
certili 1 ie se Joaquim Pinheiro Maeiei eaiseiro de
sua loja de fazendas nos Amigados, 11. 94. e desda
quando se acha inscripto como tal.CerliHqu-se.
De Antonio Joaquim Noaes, para que lambem
s? Ihe ceriique se est registrada a nomeago de
seu caixeiro Fernandes Tavares de Lyra. Como
pede.
De Jos Rodrigues Ferreira, para certificar-se-
Ihe se no corrente exercieio fra inscribo cerno
caixeiro de Manoel Francisco Marques. Cerlifi-
PROMOTOR IUBLICO.-Por portara da presi
dencia da provincia, de 25 do correte, foi Ho-
rneado pnrijot r publico da comarca de Tacara t,
o oacharsl Tiburcio Raymundo da Silva Tavares.
VISITAS.S. Exc. o Sr. presidente da provineia
visiiou, 00 domingo em Olinda, o collegio das or-
phaas, o bospiclo de alienados, e tambem a matriz
aeS. Pedro Martyr e a igreja da C>nceigao.
M'-re-eu especial atiengo de S. Exc. o collegio
das orphas, onde su demorou duas horas, infor-
mando-se minucio.>ameuie acerca dos diversos ser-
vicos do esiabelecnnenio, e principalmente da all-
raeotaeo, ensiuo a irabalho das eduaaodas, cuja
nuinoro elvando se cento e trinla e nove, ac-
oomii adini-se mal oa casa que oceupam.
O rduicio em que se acb a o hospicio de aliena-
dos tan bem oo ao presta aecessidaoes de urna
casa de tal ordena : S. Exc. o percorreu lodo com
a co-tumada aiieocao e ouvio o regente sobre a
econou'ia e direccao do estabeleoimeoto.
JURY.Anie-hiniem eondemftou esle tribunal
no art. J01 do eod. erim. a Manoel Moqteiro de
Siqneira, pronunciado nos arls. 193 e 34 do mes-
m. ro*go pe| crme deferimentos letes fellos
Luiz Antonio aple*).
DINHEIRO. O v TiJm Letivnmt* r,eres 400#000, e Paol Guelphe
'*J e '"" de uosaa praga para a Europa,
2IU .
EM TRANSlTO.ayQini note reeebidas em nos&o.
porto, levou o Dovro para a Europa 64 passagei-
ros.
IMPOSTO PBSSOAL-Hoie o ullimo dia do
otft mateado para o reeebimento sem multa re-
latir* do abarlo anuo do referido imposto.
IKIIH VVI. DO CUMMKRtHJ
ACTA DA SESSAO ADMINISTRATIVA DE 28 DE
NOVEMBRO DE 1870.
BESmiMCU DO XM. 88. DBSBMBARGADOH ANSIUtO
FRANCISCO PEREITI.
As 10 horas da manha, presentes os 8rs.
depotados Miranda Leal e Basto supplente S Lei
lo, faltando o Sr. deputado Rcsa, e sendo era seu
impedimento nomeado o Sr. Miranda Leal, para
servir de acrelario, s Exc. o Sr. presidente abri
a tesso.
Lida, foi approvada a acta da sesao de .
8XPEDIENTI.
Offlcio da junta dos eoVrectores aeompsabado do
boietim commercial da semana ltimamente An-
da.A' archivar.
Jornal 0/fctal Je os. il a 26^-Odauri.
Aos Srs. deputa/4.01 foiam dJsl||b(i|los os se-
guintes livros ;
Diario eCipiador de Francisco Perfelra BoTga",
dito de J.w Arvee Tenorio, Qiorio do Maai*l Mi**
Guerra A Filho, Copiador .la Mjnhacdlhirtbra & C.
Visto o livru de regfiro da cocrwpoudeoea offl-
cfaj. eucontronse llnlpa e regular a efcerialuraeao.
nasACHos
Requrimentos :
Requenmento do bario de Santa 0^?. MP a|5
casa ter irinia annos de dad.f, o ser.ttr desta
pfovincia, estabelecido na rf spechv capital cen
casa de drogas e pharmacia sob. 9fMf^^r'
IhoJoineu 4 C, pedrado ser ailmilfdo Vottrlcbla'
(le commercianie. Ah mam sna canjdbao legal 0?
eommercantes Jos Joaquim de Parta Macbado,
Gaspar Antonio Vieira Ouimai'laa e JWl Aetedo
de Andrade. Vista ao Sr. desembargador fiscal.
que se.
De Manoel da Cuuha Saldanha & C. para se Ibe
registrar a nomeago de seu caixeiro Manoel da
Cuaba Saldanha Filho.Registre-se.
De Gomes de Matlos Irmos, submeuendo are-
glsiro urna prourago bastante de Raymundo
Ferreira dos Santos Cominha, constituindo eeu
procurador a Vicente Ferreira dos Santo Cami-
nha ",ooio requerem.
Dos meamos, requerendo baixa no registro da
nomeago de caixeiro qae deram a Manoel Cor-
rea de Crasio.Na forma requerida.
De Manoel Ramos Correia e Manoel Gomes da
Silva Amorim, submeuendo registra o seo is-
traio social.Vista ao Sr. desembargador fiscal.
De Thomaz Lias Caldas e Satyro Emiliane Mei-
ra de Vasconcelos, tambem submettendo a regis-
tro o seu distralo social.Haja vista o Sr. desem-
bargador fiscal.
De Ascendino Gongalves Rodrigues Franca e
Luiz Ferreira Maciel Pinheiro, mostrando haveraoa
satisfeito o disposto no art. 2* 7 do decreto n.
4:503.Vista ao Sr desembargador fiscal.
COM INFORMAIJAO 00 SR. DRSRMBARGADOB flSCAL
De Antonio Gongalves Torres, registro de sua
barcaGalgaGomo requer.
De Joo do Reg Lima A Filho, eoni"el !"1'
cial.Satisfacam o parecer fiscal.
Summario contra o agente de Veiloes da Para-
hyba, Felippe Carreiro Estrella.- Seja convidado
o'Sr. deserabargader fiscal para assistir ao jalga-
ment, que lera lagar no dia lde dezembro pr-
ximo futuro.
O Sr. deputado Basto passon o memorial de <-*r-
pinieiro, Filbo & Sobrinho ao Sr. deputado Mi-
randa Leal.
Dida a hora (11 1/ da manha), o Bxm. Sr.
presidente encerrou a sesso.
SESSO JUDICIAR1A EM 28 DE NOVEMBRO
DE 1870.
PRKSmKNCIA DO KXM. SR. DESEMBARGADOR A. t. PB-
RBTT1.
Secretario, Julio Guimaraes.
Ao meio dia, achandose reunidos os Srs. des-
embargadores Silva Guimaraes, Reis e Silva, Ae-
cioli, deputados Basto, Miranda Leal o supplente
S Leito, fallando com participago o Sr. Basa,
declaroo-se abena a sesso.
Lida foi approvada a acta da sesso pa-
sada.
O escrivo Albuquerque registrn o ultimo pro-
testo de lelira ii do presente mez sob o n. 2189;
e o escrivo Alves de Brito 26 do *to mea sob
o n. 2122.
ACCORDAOS ASSIGNADOS.
Embargante embargado Jo> Pinto de Lemos
Jnior, embargante embargado o administrador da
macea fallida de Mamede A Martlus; embargante
Andr Barbeta Soases, embargada D. Candida
Maria dos Prazeres.
JULG AMENTOS.
Juiz especial do commercio :.embarganteeae-
culado Joaquim Jos Gongalves Beltio, embar-
gado exequeote a companhia vigilante ; juizes os
Srs. Silva Guimaraes, Beis e SUva, Miranda l*al
e S Leito.
Foram julgados nao provados os embargos in-
fringentes do julgado deste tribunal.
Embargante Antonio de Atevedo Neves, embar-
gado Benio Jos de,Maeedo Pocas.
Adiado a pedido de um dos Srs. deputado
DESIG.NACAO DE DIA.
Nao estando prsenle o Sr. Ro:* assignou-;e o
primeiro dia ulil para o julgamento dos seguintes
fefos, nos quaes o mesmo Sr. juiz, entre partes,
appellanic Joaquim Francisco do Espirito Santo,
appellado David Flack; appellante Miguel Ar-
enario de Figueiredo, appellado o tutor das meno-
res Manuella e Ignez; appellante Joaqmm Fran
cisco do Espirito Sanio, appellado Jos Pejiciano
de Nzareth ; appellante ra viuva e brrdeiros de
Diogo J >s da C'sta, embargos de df cfaraelo df
appellado Antonio Duarte Caroeire Vianna.
PASSAGENS.
D) Sr. desembargador Silva Guimaraes ao Sr.
ao Sr. desembargador Reis e Silva', appeJIanls ar-
restados a vitrva e herdeiros de Diogo Jos da'
Co neiru Vianna.
Do Sr. deeembargador Reis e Sijva ao Sr. des-
embargador AccioJi appellante Joaquim Antonio
Pereira. appellado Vicente Jos de Brito.
O Sr. desembariiador Reis e Silva jurn sUspe-
goepassou ao Sr. desembargador AccioJi, em-
brgame Jos Cesario de Mello, embargado Jlo da
Cuuha Reis.
Do Sr. desembargador Accioli ao Sr. deserobar-
gajor Reis e Silva: appellante Joaquim da Silva
C su appellado Joo Rolrigues Qordeiro.
DRSTRIBUigXo.
O Sr de-embarcador Accmli lurou suspaico e
desiribuio-se ao Sr. desembargador Reis e SJm a
feito en qu-) sao partes, embargantes os aarlpi'-
iradores da masa fallida de Antonio Jos de fi-
gueiredo, embargado Eugenio Mo eir da Silva.
Encerrou-sa a sesso a urna hora da tarde.
v .
PUBLICACOES A PEDIDO.
Celebridades em una Juigaaaeaate>
ttnperior.
No juizo do tsrrno 0o Catold da provineia da Pa^
rahyba, contra meo pai. o major Joo Baplista da
Cisia Coelho, mo verana arcad de liberdad* unta
sua escrava de norae Anna Ignacia, seos filhos e
Dlos, sob o falso fundamento de ler aquella oa -
cido de vntre livrf.
P guindo meu pai por titalo legitimo de eotapr
a refer la escrava, por mais de 40 annos, sem -
terrupec alguma, fendo eii antecessor
do-a tai bem pr igaal ltalo por bastante
succedeu que Joaquim da Silva Saldaana,
de meu pai, para delle vingar-se. invenlai
Anna Ignacia, tinba naseido de veotre livre,
esse fundamento (ez propor-se-lbe aquella ai
a fTente da qual se cpllocou, sustentando a e i
teqdo-a sempre eom a niaor onenugio de
p estigio e de dirtMtto..............f.,
P.rade obter de nm Itlgn, jaiz mu
pente daquelle alio serto do seu dominio*
oa em favor de seus proteg los, da qual
meu pal para o tribunal da retacio de
uoo.
Discutida a appellago no tril
pelo mais solido e Jurdico aceral
senteng* appellada, Julgadn- f-.r,
eravn o\-meu pai os iodirauoe L
emancipados na Matonea inferior proferida no


.....; -.. ,.'
\'f
* *
jaifo djto, u\\ postiietif do Sr. Saldabas: r-Tnwrca-vo ar-Tes urna noticia*
i?",0."IffflMi^yMM f'd *" "'*< Nio tadeOyC
1 .'_____
dewmbSE KT?3Jo,B
w^ AfcMiil** feaqoMrqjte,, cwo macidoj
' a das Sra. SoouUioeMoUa
Upe aeeordio fot wlorojadp a virtude de era-
mwb opposto* patos patead!* insertos, por ter
DMrttfo Sr. deiembeff* Albuqaerqao, do Yo-
fu jW'prioeiM liab dado era favor de mea
saairgoo mea pai por ana vez esse segando
aeeordio e eonscgnio ser elle reformad pelo mes-
mo rolo do Sr. desembarfader Albaquerqae : e
assim fieoa sisando prlraeiro aeeordio em
sea favor cato, o* sapa votos primitivos, quero
dizer, cora m t* votas tendedores, e os doas ven-
adee.
Uat llao do Sr.jSaldaoha, que aeompanhou a
caos jara n instancia superior, e aqui s datao-
roa para assistir o sea corso, e todos os seas mo-
vimontos, flel as iattruscoeH da aeu pai, quiz mos-
trar que o seu uti potstdttis ni* m atenda j-
mente ao remoto Catle, e qae elle nio devla el-
L2ir**o*a onuB*1 com M ** modestas do
aaia*,, Baiae Uido eanpreheadea e tado empre-
*tt,ji*!* C<"DP'' jala* da victoria nesae pe-
W E*i on<,e a ProPf*dde alheia era um Obi. c
irrisn e descrea ; o trinmpho do Sr. Sal
JSt0faoa P*" aos bjecto de eipeca*po
e iMerdpge, e para, outro* quealao de honra e ea-
pneto^aaraiudo de capa parar lado isto, o amor a
P**" orlado, que tcde# arnera e qurrer nos es
de-oi a ndei e a feie,e4flvado.os muitas vezes
M aserrifae as mesas dos carros do? seos en-
epaus por leve* falta* de servigos 111/..........
O uwa.ro cuidad*, pois, do Sr. Sldnlu, toi
mudar de adverado para outro, que inutilisasse Re
quarto julgameoto da causa os dignos jnies, que
me foram hostia nos juramentos aoteriores, quar-
to julg menlo qOe procurou obler par roelos de
embargos de restitnica oppostos ao terceiro ae-
eordio.
Com effeito
nVaVaar p-
late
Cabo Pranelsai & d
imha de' reflkw oai
pelo enme de que acensado Veausanlo-lhe
mal o Joii municipal Joio Gonxaga BaretfkW-, qae
presidia o tribunal ao impedimento doni. Sr.
Dr. iuii de direito Maneel Clementino.
0 relo commettldo por este juiz B
ser indagado pele governo, e res
Cada Tez confirma mais o que disse
tribunal, o Dr. Joio Augusto do Reg
Snaza Leo. O grande advogado
Gaspar Drnmmod, raostrou o qu
val, ileixou correr a reyelia os Jiataj de
constitaiate. Picaran proee-sos atad da reied
sera urm prtpartios para entrar ea "
tendo viudo milito a-lempo. O jutt
julgameno de Verejio encerrou a seale 4* mey
I he competir. Bom Dr.
O burro.
K
sem
Henrlqiie l.rldcn A V ao Dr.
Francisco Augusto da Coat
No Diario de Ptuqambuco de 17 do corr
Sr. Dr. Francisco 'Augusto da Cosa dect
nao ajustn amigavelineule comiiosco sua
ios de Paula, carga fatenda e ootros1
CanalBarca ioglexi Nbula, capillo Pesehwek,
carga assucar e algodio.
Guararapes (no Rio Grande do Norte)Brigue io-
glez Plantn, cagdj^^arters, em lastro de
Liverpool-Barea franceta Skiflt Yvet, eapitio
Benj an aeg algodio.
Santo* e ifetiu iWOHtifldiosVapef inglez Hm<
iioldl, omnaadaote Byorne, ea>g Darte da que
trouwd Bnropa
sahendo que um genro do Sr. de-
semoargador Francisco Doraingues advogava neste
foro, e cerlo dos escrpulos desse digno magistra-
do, aeandonoo o sen primeiro advogado e entre-
goa a caaia a aquelle, que fanecinando nella for-
Su aeu honrado sogro a dar-se de susp-'ito I
m esta suspeicao, adraeote, nao eslava, porm.
segur o triuojpho do Sr. Saldaoha, por que o
venoinaulo da causa dependa aiuda do outra sus-
peicao, para qoe os antos pudessem ehegar ao Sr.
deaeaabargatlor Guerra, qae, como pracarador da
coroa, nos julgamenios aateriores da causa se li-
nea envolvido oa diseussio, e emitlido o'sea juizo
em t*vor dos pretendidos libertos, e era por isloj
sabida o sea voto : necias condiroes era forenso
ubter-se a saspeicao do Sr. L Santiago, oa do Sr.
Alfruqaarque, para que os autos passassem ao Sr.
Gusrza.
A do Sr. desarabargador Santiago era impossivel
obter-so, por qoe esse digno magistrado, pelo que
te-n discutido em casos idnticos, t-m sustentado
a domrina, de que j tendo proferido o seu voto
era ama causa por mais do urna vez, nao se julga
auspeito nella pelo fado de ter a parte constituido
advogado aigum seu parent-', como meio de in-
compatibilisa-lo : e muilobem pensa esse honrado
magistrado, por qae o fundamento -da nullidade
das su moralidade do juiz e a moralidade dos jaizes e de-
coro da juslica repellen), qae am juiz qae j lera
seu voto dado por mais de urna vez ea urna cau-
sa, voluntariament3 se ioatilise e recue pelo sim-
ples factj de ter a parte prejudicada procurado de
proposito um meio lio grosseiro para inutilisar-
iue o voto. A theoria contraria nio boa : p>r
qae aatorisa as partes o emprego de eertos meios
para iua'Iisar os votos dos juize3 proferidos con-
tra ellas, introduz, por assim dizer urna especie de
especuhfo'entre as partes e os jaizes, pela qual
les lie* licito ,0or aquelle meio repudiar juizes
qae voiam contra ellas, e escolher ootros o que
de certo tira a justiga todo o sea decoro, e vai
precipitar es tribunaes no inflmo grao de abat-
ment e descrdito I Honra, pois, ao Sr desera-
bargador Santiago, pelle, assim, de sf todas as tentativas das partes,
para iaatilisa-lo era causas, onde o sea vote e
inizo tenha sido proferido.
Livre, por tanto, o Sr. Santiago de quaesquer
tentativas para ser nulilisado no quartojulgamea-
to da causa envidou o Sr. Saldanha, oa seus agen-
tes os meios para arredar Jo julgameno o Sr. de-
sembargador Almeida o Albaquerqae.
Magistrado, e com effeito, apezar ila grande ho-
nestidade desse digno, taes intrigas se urdirn) que
elle jurou suspeicao por motivos supervenientes,
que todava nao declarou I
Factoa ha, porm to graves, que por si s ex-
primera tudo.
V-se, pois, que o Sr. desembargad .r Almeida
e Albaquerqae, que vaiou a i* vez em favor de
mea pai, a 2* contra, e a 3a outra vez em favor,
nao tendo at cutio encontrado no aanctuario de
sna con?cenca motivo nenhum de saspeicio, e
nio se teado dado no feto circirastanria, absola-
lamente nenhatna que alterasse o estado da causa
com rdacio elle, ciar- que am digno magis-
trado qae vio-se forjado jarar saspeicio nos
embargos de restitnicao, depois de ter por tres
vezes julgaioo feito, tevo para isto urna causa
grave e extraordinaria, que nao sendo declarada e
conhecida nos autos, leve por certo sua origem
tora de lies.
Comprehendo, que um juiz nio tem obrigac,jo
de, jurando saspeicao, declarar o sea motivo e
mas isto tem seus limites tragados pelo direito e
pela moral : quando um juiz offlcia no feito,
o jalga tantas vezes, quantis jnlgou aquelle ma;
gistrado, a sua suspeicao nao motivada em ultimo
ul garaento, que a causa dmitte, tem dar-se nos
autos circumstancia nenhuma qae altere o an-
tigo estado da mesma cansa, am acto alta-
mente extraordinario, sarprehendedor, e digno de
repara, qae por si coostitae no feko urna triste
celebridade, que se presta diversas interpreta-
res pjuco ravoraveis ao decoro da justici, e
moralidade dos tribuoaes.
Realisaia por ianti a suspeigio do Sr. desem-
itargador Albuqaerque, passarara os autos ao Sr.
deserabargador Guerra, que o substituto, e entio
nenhuma davida mais restoa sobre o faturo rece-
bimento dos embargos de reslituicao. e do triara
pao d Sr. Saldanha, porque o voto o sr Guerra,
era rasa conhecida pela rasao j expendida de
ter elle declarado sua opiniio na causa, por occa-
siio dos julgamentos aateriores, em caja diacus-
sio, C'HBi procarador da cor, se envniveu.
Parece que o Sr. deserabargador Guerra devia
recuar de ser juiz em causa, ondea sua opiniio
j era conhecila no tribunal cijas sessdes sio
publicas e tive esperanza-, le que assim proce-
dea-!; mas esa e*perauca se exnguio logo, des-
de qui vio Sr. Guerra rejeber os autos era ara
sibhido, e entrega-Ios oa terca-fera seguate, pe
diado da para julgameno t
Que o Sr. desembargador Guerra nio se reeo-
naecease saspeto, como devia (aze lo, causa qae
nio me sorprehendea ; o que porm me sorpre-
bendeu, e sorprehendea mu tos, foi que o Sr.
Guerra estando infelizmente cpgo, po-lase em
doas das e meio ver e estallar uos autos lio im-
porlantes, de mais de trezentas paginas, conside-
rando verdadeira a sapposla prova de ter Anna
Ignacia leseen lido de veotre liare em vinte e oi-
to depoiraeatos de lesteraanhlias que jura^am so-
bre diversos factos e circumstancia falsa, confusa
e contradi loramente, e com isto se habilitasse
volar na causa I
Entretanto, nesse pequeo espaco de lempo (ra
que juiz nenhum por mnlbor vista quo lenhs, e
por maior que seja aintel igencia e pratiea de jul-
gar, nao pod>a ler e estodar nns autos tao volu
mosos) o Sr. de ceg, prodocii) o phnomno e a celebridad de
le-los, estad -los e de habilitar jnlga los I I
Com effto nio se fez esperar o qnarto jnlga-
mento da causa, no qaal com o voto do Sr. Guer-
ra foram recbidoa. o embargos de reslituicao, e
jateados livres nove seravos da legitima proprie-
daie de meu pai, votando aioda- vencidos os Srs.
d^seraborgadores L. Santiago e Guaran, joiz oste
se subsu.uio o Sr. dasembargador Oomingues da
Trinmphou, pon, o Sr. SaMaoha, mae trium-
phou por esse aeeordio preciptiade.e de plena ov
reilo aullo, e obtido por emprego de meios, que
servirara de ncompatibilisar j.uxas, e de produ-
zir anspeicoes fardadas, dos quaes meios ea nun-
ca, mere de D^as, lanciria oeao.
Esse aeeordio que am lampo competente ser
Tlad cora as provas d. auto, disposiedes de
direito, e os precei tos da mural social, nio me des
aaiovu, e aem ras desaojes, e bera calmo vou
tratar do reenrso le rewta, onde aguardo a nl-
ama palavra la jastiea, e illusinga< d-) alto tri-
bunal do homo pan, onde por certo, nio se aire-
vem ehegar os recursos do Sr. Saldanha para
lautilisar ntas predozir saspeicts toreadas, e
ande sao entrara e era ioftuem consideraces a>
gamas exlranhas o direito e a jastica.
Reeife 9 de aovembro de 1870.
/ Salmo B. Souza US Castelto Branca
de oo3lu eiusa.. Rao adjura que o Sr. Dr. Gesta
oom minaiavel tatag, que Ihe na invejaiuos,
diga que se despedir do patrocinio de neesas cau
sas, duaado eeajetla ler ajustada suae coalas no
da 10 de sele moro prximo lindo, em eeaa'uen-
ca de que odiju um titulo de divida da impor-
tancia de JOOjt por salde de contas, pagavel por
a&< no flm do dita muz.
Na exacto que foase o Sr. Dr. Costa qoem
se despedir ; nos- qu o dispensamos, poro*
lofthziDuuie uo tomos bera suceedidos no xito de
algumas pequeas questoes nosaae enirugues aos
cuidados do dito Sr. doutor.
A propria carta que o Sr. doutor nos dirigi
em data de 12 do referido mez de selembro, de-
volvendo o ltalo da divida cima aliudida, e que
se acba nos autos de arbitramento, o desmentido'
mais solemne voluntaria despedida do Sr. Dr.
Costa, porquanto quera d gracas Deas por se
vr livre de ama coasa nio se molesta por vr-se
d'ella privado.
O Sr. Dr. Costa diz em a referida carta, que en
consequeusia de termos lomado outro advogado,
nio eslava pelo ajuste que lizeraraos.
Ora, se o Sr. doutor, em virtude de havermos
tomado outro alvogado, chegu ao ponto de occul-
lar a verdade, de negar o que se passou em pre-
venga de testemunbas fidedignas, como que todo
cheio de si, julgando-se laureado de urna accao no-
bre, diz que foi quera se despedio do patrocinio de
nossas cansas ?
Se foi o Sr. doutor quera se despedir, porque
la oto se raolestou cora o contrato que iizemes cora
o outro advogado ?
Parece no que o Sr. Dr. Cosa ou nao reflecte
quando escreve, ou dosconhece a torga dos ter-
mos ; nao nos engaamos na segunda parte.
Aqu Seamos, deixando que o Sr. doutor se es-
torca por vr-se privado de mais um meio de alar-
gar a sua clientella. Aguardamos a decisio dos
(ribunaes nos embargos qoe oppozemos ao arb-
ramento e penhora para inteirar melhsr neste
negocio o publico que entio sentenciar a qaal de
nos assiste a razio.
Reeife, 17 de aovembre de 1870.
Henrtque Leiden & C.
t f
De QTdem f)o Exa. Sr, conselheiro
president^dt proriocia eootida-se a todos
os funeciomrio oabeos pa assistirera ao
tejo que 9f fad dg, faaer em palazo a
ie de S. M. q topacador pelas \ toras
rde do dia i c dezembro Wfjdwro,
annrersario natalicio do mesms aogBto
pelos ser fieos prestados como nosso ad vogadotan snior.
!*._f*!.39L * D0 corre umi peSlwra Jecretaria do governo de PernanABCd 3
para pagamento de seus honorarios, e qae dlv cy
gracas Deus por ter-se despedido do patrocini > J
novembro de 1870.
0 secretario.
Elu i j'tmida 6 Klhutpu'S**-
N. 389.-OLEO PURO MEDICINAL DE FIGADO
DEBACALHODELANMAN & KKMP.Nioguem
pode dizer quando um tysico tera chegado tal ex-
tremo que na i pe ser curado com o oleo de li-
gado de bacalbo.
Blle sempre produz allivio. Anda mesmo aquel
le? j desengaados, vivero muio mais lempo -
e cora meaos dorescora o oleo, do que sem elle.
Dora quanto existan) innumeraveis aitigos espu
rijsos do mesmo nome, eom tudo pode-se alean-
car o legitimo, elle merece a confianca que nelle
se deposita, quer neste paiz, quer no estrangeiro.
Existen) duas qualidades dalle, brnco e negro,
porm nenhum delles contera urna gola d'outra
oousa qae nio seja o Huido vivificador e cura tu i
extrahido dos ligados frjscos e saos da melhor
escolha de peixe.
O sen effeito para alliviar e curar a losse a
mais obsiinada, verdadeiramente pasmoso. O*
mores nocturnos cessara geralraente, depois de
se haver lomado algumas garrafas nelle. O
doente adquire carnes e torgas, gragas a sea be-
nfico influxo. Estes resultados sio un formes e
seguros.
As pessoas que soffrem de affeccoes pnlraona-
res ou do ligado, acharo nelle am auxiliar segu-
ro e um remedio poderoso e elllcaz.
N. 395.-OLE0 PURO MEDICI VAL DE PIGADO
DR BA ;ALHAO DELaNMAN* KEMP.A iy>i;a
urna molestia insidiosa. Urna vez qoe teoha
prin:iplado a deslruigio dos pulraoes, a enf-mu-
dade segu a sua marcha rapdament , e uto sera
j.ie a suspeite.
Todos os mdicos confessara que para esta mo-
lestia tudo intil, excepto o oleo de figado de ba
caiiiao. A dHcmdade porm s est em se ubler o
artigo puro. A adultera gao quasi que un ver
sal; poYm os que se deixara engaar, devem
por a colpa era si mesmos, pois que bera sabi lo
que ueste mercado o oleo puro medicinal de Agi-
do de bacalhode Lanraao & Kemp, tanto o bran-
ca como o preto, exlrabido d) ffgado de pene
fresco, e era todos os sentidos o typo mais fino
deste adrawavel pulraooieo, o qaal era oenhuoi
outro paiz se pade conseguir. Nenhum risco se
corre, quando a sade se acha era perig.i. p>-e
vi-to que se tenha a rao Ira remedie conhecido
da maior excelleneia. Este o grande antidoto
para todas as m ilestias d >s palrades e da gargan
ta, para as eeccoes di ligado e das escrfulas.
As-iin o afJBrraam centenares de medico? e innu-
raeravia doentes.
9 Doutor Sbasiio do Ftego Barros de La-
cerda, juiz da direito e especial do cqb-
mercio n'eeja < idade do Reeife de Per-
uambuco por S. M. I. etc.
. Faco saber aos que o presente edital vi
rem, e dalle noticia tiveren qae no dia 9 de
dezeipbro do corrente anno se ha de arre-
matar por venda, a quem mais der em praca
publica deste jozo, depois da audiencia res-
pectiva mil pec^s de chitas brancas, esca-
ras, encarnadas de listras de cores, pretas
e riscadinhos, com 23.-035 metros a 6i90OO
a peca, importara em 6:0004000, as quaes
vao a praca por ezecucio de Jse Fernan-
do Gomes, contra Jop Evangelista de S,
e Joi Antonio d'Amorim.
E na falta de lanzadores que cabra o
preco da avaliacSo ser a arrematacao fetta
pelo preco da adjodicacao com o abatimento
da le.
E para que chegue ao conhecimento de
todos, mandei pasear o presente, qae ser
publicado pela imprensa e afflxado nos la-
gares do costme.
Dad e paseado nesta cidade do Reeife
de Pernambuco, aos 29 de novembro de
1870.
Ei, Ernesto Machado Freir Pereira' da
Silva, eecrivao o subscrevi.
R'cife 29 de novembro de 1870.
Sebastio do liego Barros de Laceria.
ellppa Antonio Bodrigtles da Cosa.
" j'*Pnii#aeDad9
fciHHnioe*Me!lo.
FpMm? PaaWdo Lira -
oao JosdeCiirvAliio Jloraes
Uz Alfredo do Moraes.
.noel Victor de Jezus da Malta.
" da Bocha e Silva,
aira Gemioiano de Arroda.
.> Jos de Medeiros.
Joaanim AIva*o Garca.
*>* da Silva Loyo Juafor.
fcao Walfredo ne Medeiros.
o Antonio de Andrade Luna,
ime Hornaguera de Aguiar.
Antoaio Luiz s Oliveir Azevedo.
Antoato Botelho Pinto "de Mesquila.
anoel Alves Guerra.
Jos da Silva Magalhaes.
mG)Bgalvei Pareira Cascao.
..jnim Bernardo dos Rais.
Joaqun) Lopes Machado.
Francisco Ferreira Bailar Jnior.
Jos Ferreira Baltar.
iaquim Francisco das Chagas e Silva,
sdro H.isorio de Cerqueira.
tent Eleuterio de SoOza Castro.
Jfernardino de Senna Ponlual
Conforme.
O offlcial-maior,
Jutio Guimaries.
1 vj,_
^umptuoso ble e coqcerio
BIliBftnI
Awnyeniam da memoravel restaoraeao de
Portugal do dmini hespanhol em 640.
"Jtoprietori, do saldas ao Can da Ramos,
pl horas da mnhla, nc BinJvra-
| menta, no largo da At^oftlr

COMMERCIO.
Sri. redactores da revutmdimia. Por amor a
PRAgA DO RECIPE 29 DE NOVEMBRO
DE ib 70.
AS 3 1/8 HORAS OA TABDI.
Gotacoes officiaes.
Assucar m sea vado do Rio Grande da Norte375
rs. por 16 kil. posto a bordo a freus de 20i e
5 OfO.
\lgwdau 1* sorte53S rs. por kil. (hornera).
Algodio sem inspeegao5ii rs. por kil. (hontem).
imhio sobre Londres 90 d/v 22 3i4 e 23 aur
1*000.
Pirata de assucar daqui para-os Estados Onldos
3i| por lib. e 8 aj.
Fre* de assucar do Natal para Liverpool20i e
5 0|0.
Frete de algodio do Natal para LiverpoolIIi|6 e
5 0{0
Frele de algodio do Cear para Liverpool -11|16
Gongalo Jos Affonso,
Presidente.
Mesquila Jnnior.
Secretario.
REGEBEIK)RI\ DE RENDAS INTERNAS
GERAES DE PERNAMBUCO
Rendimento do di* 1 a 28. 5i:4960i6
dem do dia 29 2:227*838
66:723*884
CONSULADO PROVINCIAL."
Baadimeawdadialaa. 67.939*583
Idea de a i 3.930*484
71:910*069
MOVIMENTO DO PORTO.
Navios entrado no dia 99.
Rio de Janeiro Babia5 das vapor inglez Dou-
r, de 1785 toneladas comraandante Gellies,
eqopjgera 115, carga varios gneros: Adara-
son Houvre C. a
^aT?* 4\*\' Maca hespanhola S Antonio, de
193 toneladas aapito J.iaquim Durall, equipa
M M,iC.*riSL^nh0 e QU,r"8 M'Hri>s i Pedro
M. Manry. Simo para fc,^
doW^rJlaf"' br[u h^panh .1 Frmciscl
de 220 teseladas cap A. J.ronymo Forres euii,
K^;:r|a *** ^lo/rammas de carn
aCarneiro^ereiraC. s^uk. para Havana
JVattoi sonidos no mesmo da.
Sowitampton e portos inter.nr-dios-Vanor ingle2
Doiro, oaimandante Gellies, carga alaadio e
oalroi geros. -'aao
Bahia-Patath nactonal Cldo, capltio Fraacis-'
O tribunal do coraraercio da provincia de
Pernambuco convida aos senhores commerciantes
nacionaes raatriculudos e residentes neste distrieto
comparecerem no dia 14 de dezembro prximo
futuro, as 9 horas da manhaa, na sala da associa-
gio cjmmerciai benefleente, para proceder se a
elego de dous leputados commerciantes e de
dous suptenles yue no seguinie quadriennio de
1871a 1874 lera de funeconar, visto Andar este
anno o praso da eleigio, em virtude da qual fuuc-
lonaram como deputados os Srs. Jos Marcelino
Ja Rosa e Bario de Cruangy, e como supplentes
o Srs. Jos Francisco d Sa Leitio Antonio Jos
Leal Reis, na forma do titulo nico do cdigo do
comraerco e decr< lo n. 696 de 5 de setembro de
1830.
E para constar mandn o sebredito tribunal fa-
jero presente, qm assignado pelo *eu secretario,
tsta publicado no Diario de Pernambuco e Jornal
do Reeife, e afflxado na praca do commercio eom
a lista de que trata o artigo 5* do citado decreto.
Secretaria do tribaaal do commercio de Per-
nambuco, 14 de mvembro de 1870.
O secretario,
Jos Marcelino da Rosa.
LISTA.
Jos Jeronyme Menteiro.
Luiz Ant rain Siqaeira.
Bario de Ouricury.
Antonio Jos Leal Reis.
Jos Marcelino la Rosa.
Joao Iguacio de Medeiros Reg.
Elias Baptsta di Silva.
Bario de Bandea.
Jos Francisco S Leitio.'
Joaa da Silva Faria.
Gabriel Ant mi i.
Manoel Duarte Rodrigues.
Manoel Antonio da Silva Moreira.
Joapim Umricio Gragtlves Rosa.
Antonio de Soma Pavolide.
Jos Gomes Leal.
Antonio G'inrs Miranda Leal.
Heoiique Bermrdes de Oliveir.
Francisc-t Ferreira Bailar.
Joio da Cunta Magalhaes Jnior.
Thoraaz Francisco de Salles. Rosa.
Joaquun Jos da Costa Fajozes.
Jos Rodrigues Pereira.
Jos C.n i lo de Barros.
Antonio Luiz dos Santos.
Jos Pert-ira "a Cunta.
Aureliano Augusto de Oliveir.
Pedro Joaquun Vianna de Lima.
Jos Joaquun Das Fernandos.
Jos Velloso Soares.
Manoel Joaquun linos e Silva.
Viceot Mm les Wanderley.
Antonio Valrniun da Silva Barroca.
Francisc Accioli de G ravea Lins.
Antonio da Silva Ferreira Jnior.
Bar > da Soleda ie.
Jos Pereua da Cunha Janior.
Olimpio Gongalves Rosa.
Luiz Jos da Silva Guimaries.
Jos Moreira da Srfva.
Jo- Augusto de Araujj.
JaO iiapllstal (j.illitA Pcuua.
Jjs de S Leita. Jnior.
Antonio Wvea Barbosa.
Manoel Joaquim Hodrigues de Souza.
Joan fimo de Lem<.
Vicnle Jos de Itrto.
Uariuiilom u Frai.cisco de Souza.
Jos Pires Periera
Joio Pinto de Leiuos Jnior.
Ca-tauo Cyriao d Coala Moreira.
L jLrenco Luiz das Neves.
Miguel Joi- de Abren.
Can lido Casimiro Quedes Alcoforado.
Jos Antonio Ba-t .
Automo de atoura Rolim.
Jiaqum F.-ancisco Lavra.
Tnomaz Teixeira Bastos.
Jos Francisco do R*go Mello.
Jos Bom Ramos de Oliveir.
Jos Antonio M reir Das.
Joo Manoel Puntual Janior,
Joio Ferreira da Silva.
Jos Feliciano Nazareth.
Jo- Alves Fernandos.
Antonio Francisco Martina de Miranda.
Antonio Ignacio du Reg Medeiros.
Augusto Fred.-rico de Olivaira.
J i Francisco Lavra Peona.
H rioino Egidio de Figueiredo. .
M-inoi-1 Jo da Silva Guimaries.
Domingos Alves Matheas.
Bario de NaiarelD.
Joaquim Felippe da Cota.
Feliciano Ju Gomes.
Francisco Antonio da Rosa.
Paulo Jos Goovts.
Manoel Pereira Lenios. v
Francelioo Xavier daFonseca, *
Francisco Jaaqnim Rineiro de Brto
Corbiniano de A^juao Fonseca.
Antonio Jos Silva do Brasil.
Alfredo Heorique Garca.
Francisco Ignacio de Oliveir.
J(ao de Castro Guimaries.
Luiz Gencalves da Silva.
Joaqun) Olinto Bastos.
Demetrio Acacio de Araojo Basto?.
Alvaro Augusto de Almeda.
Joio Pereira Reg
Antonio Joaquim de Vasconcellos.
Joio Jos da Silva.
Claudio Jo de Sant'Anna.
Joo Chrysostomo Gongalves Rosa.
Marcelino Gongalves Rosa.
Frnciso Antonio G. mes de Mallos.
J i*o Jeaquim Alves.
Francisco Apolonio Hezerra da Silva,
COMMMDO SUPERIOR
yuarlel, do commando superior interino da guarda
nacional do municipio da Reeife 29 de nevem-
bro de 1870.
O Illa. Sr. coronel oommandante superior inte-
rino convida aos eenhorm ofBclaes dos corpes do
sarvigo activo que nio arnmam em parada, e dos
da reserva para comparecern pelas 4 horas da
tarde ao palacio da presidencia na dia 2 de de-
zembro prximo faturo, aQm de* assisiirera ao
cortejo que se tem de fazer eftgw de . M. o
Imperador, dando nesse dia o 4* batalhio de Ib-
fa otaria da guarda nacional a guamigio da praea.
O secretario,
Firmino Jos de Oliveir.
Correifl geral,
Relago das carjas registradas, procedenles
do soi e oiirie do imperio, existentes na
repartido do correio em 24 de novem-
bro de 1870.
Bernardina Mara da Silva, Flix Pereira de
Simas, Jos Barthoiomeu (4). Jos Lucas Ferreira,
Jos de Souza Rtis, Joo T. Marsllae, Leandra O.
Alves de Carvalho, Manoel Uibeiro Brrelo de
Menezez, Quiridona Maria da Conceicio.
0 encarregadh do registro,
Manofl dos Passos Miranda
Adalnlsira^So dos crrelo de
Pernamfoiico o de aoTonbro
dci90.
Malas ptlos vapores Gvjai e Pirapama da
Compaahia Perwmburona.
A correspondencia |ue tem de ser expedida hoje
(30) pelos vapores cima mencionados para os
portos do-sul at Araeaj, e para os do norte at
a Granja, seraresebida pila m.'.nera -egninte :
Magos de jornaes, irapressos de qualquer nata-
reza, e cartas a registrar at as 2 horas da tarde,
cartas ordinaria* al as 3 horas, e estas at 3 1|2
pagando porte duplo.
O administrador,
Alfonso do Reg Barros.
rT^J!^J:tDdi03P iil' com loiTo esme-
ro a nacencia qae suas Carca* pranttttr.
ix. ^.ta1.C:as,ao que ProPr'eUho desies sa
loes, appella para o patriotismo dos fllhos da his-
.?*, Lus,tana> em excepcio de classe, (0)rinc|-
paJments os sniores condecorados e talares
aesse peqnenino mas valente torrio
Espera qae todos eoneorrerio eom a denjons-
tracio de sea afleeto pelo amor da patria, nao so
para oue vela dignamente sollemnisar o aniver-
sario da nossa liber|acao poltica na Europa, como
para mostrar ao mundo hjteiro que os portugue-
es rMiikntei oa America nunca se esquecem
Aj"SJSI?3f i5ta * fl*fJ#o 4a nossa
le^oi^daaeqi coneopret; oexeaploab
"asmo dys valemos franceies que
so paifia, da Umgiiqn* larras,
* n a sacudir .o tfgo efiraajeirrda -- saP^ijifiajieamente adornados e emban-
atlrado com as cores naclonaci, brasstras e por-
lagaezaa bera eomo os iropheps e armas das duas
tnaoaia ; a msica el eaaarregada a qm abil
rujaasor ; antes de principiar o talle tocar se-
a aa nyranos brasileiro e portoguez.
Principiar i 9 horas.
AVtSOS MABfTIaWS.
7 caixas com WaflrJIlps sonidos
Quinta-fera 4 de dijembro. -
O agente Pestaa fara*leiBo pwconta a risco de
Juera pertencer, de 7 eaixas eom biseoMaa MU-
o, a serio vendida era um ou mm \otm,
U f ira 1 de dezembro de 1870, s "
maaUa, na porta do Anoee.
lloaras di
DE
na ra da Saladle casa n. 56.
O ageote Pontual, competentemente aulorisad,
vender em leilao os movis seguinlej : mobilia
de Jacaranda a Lniz XV, 3 rico espelhw, 4 jarros
de porcelana, 4 figuras de dita, 1 tniletta de Jaca-
randa com raarmore, 1 lavatorio oom dito, l cama
de Jacaranda para easal, 1 piano, escarradeiras
2 guarda-rcupas, 1 bidet, 1 aparador eam mar-
moro, 1 guarda-louga, 1 mesa elstica, 1 safa de
amareJo, cadeiras de balanon, de braco a inarai-
gao, 1 apparelho de porcelana pai jantar, 1 dito
de dito para cha, garrafas, compoteira, clices e
copes, 1 cadeira para piano, 1 magnifica uraa, 1
machina para coatura, 1 realejo, Wgos, < mar-
queta, 1 cama de amarelfo para casal, 1 sof de
mogao, 1 toilette de dito, 2 consolos de Jacaranda
com espelbos, 2 pares de lanternas e amitos oa-
tros eDjectos que estario patentes na occasiio do
leilio
Sexta-feira
2 de dezembro
naruada Soledade, casa n. 56, as 11 hora?.
Companhia americana e krasilei -
n de paquetes a vapor.
At o dia 1 de dezembro esperado dos portos
do sol o vapor americano Jferrmiac*, o qual
depois da demora do eo-lume segalr para Kew-
York tocando ao Rara e S. Thomaz.
Para fretes e passagens, trata-se com os agen-
tes Henry Forster & C, ra do Commercio d. 8.
THE4TR0
DA
ZARZLELV HESP.l.\BOL.l
NO
campo das nimm
iioj:
Terceira representago da muto applaudida
zarzuela hespauhola em 3 actos
CAMMNONE
Principiar s 8 1|4 da nouto.
N. B.Acha-se em ensaios a linda zarzuela em
3 actos
Jugar com fuego.
THETRO
COMPANHIA PERNAMJJUCANA
M
Navegando costetra por vapor
Fernando de Noronba.
As doze huras da manhaa
do dia 8 de dezembro prxi-
mo futuro segair para aquel-
le porto ura dos vapores des ta
companhia.
Recebe carga at o I i i o, eucomraendas, passa-
geiros e dlnheiro a frete at as 10 horas da ma-
nhaa Jo dia de tua salid j : no cscriplorio do Forte
d) "fortos i. 12.
B!0 DE JANEIRO
Soifiie em poucos d-as para o indicado
prvrt) n -brig'.io naekinal Galgo. d I* classe,
por lera maior p te rta carga engajada ; e
pera o resto que aioda pe receber frete,
trata-se com Francisco Hibeiro Pinto Gui-
maries, armazem ra do Baro do Trium-
pbo d. 96, (outr'ora do Brum).
MHIA.
Para o referido porto segu dentro em poucos
das o patacho nacional Calado por ter a maior
parte da carga embarcada, e para o resto que Ihe
falta a precos modcos, trata-se com o consignata-
rio Joaquim Jos Gongalves Beltro, ra do Com-
mercio n. 17.
Eio de Janeiro.
O patacho nacimal Esfrega a sahir at o Qm do
mez, anda recebe alguma carga : a tratar no es-
criptorio de Jos Mana Palmeira, largo do Corpo
Santo o. 4, 1 andar
BAHA
turan Filtran
EMPHEZA-COIMBRA
Lindo e variado espectculo em
rnude galla para so
lemaloar o feliz natalicio
de Mi. H o Imperador.
Sexta feiro 2 de dezembro
Logo que S. Exc. o Sr. presidente da provincia
a dignar com nancer em seu camarote, a orehes
tra executar urna de sua* escolhidas pegas.
Em seguida a Sra. de Valmonca cantar
O hymao nacional
Fazendo iro toda compaobia.
Seguindo se o espectculo dividido era 3 partes.
PRIMEIRA PARTE.
Canconeta
MR. NICOLS.
cantado por Mlle. Mariette.
Roreaoce
MA ERA I
exeeulado por Mr. Raynaud.
Cancao
LA MANDOLINE A DODO
cantado pe caricato Mr. Carn.
Aria italiana
POSA LA MANO.
exhibida por Mlle. Brescia.
Canelo.
LE LABAJREU
cantado por Mr. Maris.
Cancio da opera
LA PER1CBOLE
cantada por.Mrae Valmonca.
SEGUNDA PARTE.
Represaniarse-ba pela priraeira veas a muito
linda opereta em um acto, mnsiea de OITemback
e m-trumeniacao do regente da orehestra Jos
Coelno Barbosa.
TROMBAL CASAR
na qual turnara pirte M.ue. Valmonca e Mr. Ma-
ris, Carn e Raynaud.
TERCEIRA PARTE.
A na lo linda e muno-a opereta em am acto,
UN SOIRE CHEZ MLLE. CONTATS,
na qual tomara parte Mmej. Valmonca e Brescia.
Os bilhetes achara se a venda do escriptorio do
theatro.
As pessoas que teem encorarnendado bilhetes
para esta da taimara a boadade de os mandar
bascar al quinia-feita ao eio dia.
Principiar a 8 oras.
Para o referido porto segu dentro de seis dias
a polaca italiana Sra, e por isso qaem qaizer
aproveitar carregar a frete coramo^o, dirija se an
consignatario Joaquim Jos Gongalves Beltrao
ra do Commercio n. 17.
AVISOS WVERSOS.
AVISO
Jos Joaquim Aives avisa a quem convier qnu
foi nomeado administrador da massa fallida de
AlDeida Borges 4 C, e que o rmpeseme para
arrecadar e vender o que pertencer a dita massa
Reeife 24 de novembro de 1870
Precisa-se de urna criada e prefere-se es
trangeira, para acompanbar urna familia aue se
retira do paiz : a tratar na ra da Croz n. 53.
Os abaixo assigaados fazera sciente ao rs-
peilavel publico e com especialidade ao corno do
commercio, que no da 8 do corrente dfssolverain
amigaveimente a sociedade que tinham no estabe-
lecimento de taberua sito ra ctreita do Rosa-
rio a. 18 son a firma social de Maclel & Agr, re-
tirando-se o socio Agr pago e satisfeilo do seu
capital e lucros, e licando o sicio Maciel aa pesse
exclusiva de dito estabelecimento, e a sea cargo
a liquidacao do activo e passivo. Reeife 26 de
novembro de 1870.
Jos Joaquim da Costa Maciel.
____________Jos Pires Aura.________
Companhia de seguros martimos
utilidade publica,
A diseegio de accordo com os estatutos art. 41,
convida aos sfnhores accionistas para/reuniao d
assembia geral no dia 30 do corrente a 1 hora da
tarde, no escriptorio ra do Mrquez de Olinda
a. M, 1* andar.
Reeife 26 de novembro de 1870.
Os directores
Feliciano Jos Gomes.
_____________Thniiaz Fernamles da Caoba.
AO PUBLICO
Hontem 27 do crreme por volla da 7 horas da
noite, ansentou-se da casa do abaixo assignado,
morador ra das Cinco Ponas n 24, urna rapa-
riga sua alllhaJa, cora idade de 13 para 14 annos,
cor fola, levou vestido urna saia de chita escara e
eorpinbo de casa eou) oalmas : snnpfe-sA tiv
sido oodom4* pr mii.i niOTTre Ue iiume CeupoiUl-
na que vire de ser ama de casa l para a Boa-
vista, coja mulher Ua da mesma rapariga, um
poaco mais aberta da cor e mallo surda : roga-se
porlaalo a quera souber dar qualquer noticia a
respeilo, o favor de dirigir-se rna cima oa
ra estreita d Ihe ficar agradecido.
______ Francisco Lopes da Silva.
Pili'
Para o indicado porto segu em poneos dias o
brigue portugaez Reaiidade, por ter a maior parte
de seu carregamento prompto e para o poaco qae
Ihe falta a frete barata : trata-se eom o consig-
natario Joaquim Jos Goncaives Beltro, roa do
Coraraercio n. 17.
Maranhao
Segu para o sdieado porto o patacho brasilei-
ro Bom Jezus, e pode receber anda algomas miu-
Jeza- a frete : a tratar com o respectivo consig-
natario Joaquim Gerardo de Bastes, rna do Vi-
gario n. 16, 1* anhar.
Para Lisboa
O brigae portagaez Soterimo, eapitio Bogigan-
ga ; para carga e passageiros trata-se cora E. R.
(tabello & C, roa do commercio n. 48, on com o
eapitio.
SALOES .
DO
CAES DO RAMOS
Para Lisboa
Segu em poneos dias eom a carga que tiver o
patacho portagaez RestauracSo : qaem no mes-
mo qnizer carregar oa ir do passagern. dirjase
aos consignatarios Oliveir Filaos A- C, largo do
Corno Sanio n. 19, I* andar.
*~
wmm
LEILOES.
DE
um cabriolet francez de duas
rodas em muito b.,m estado
HOJE.
O agente Pestaa (ara leilao por conta e risco
de quem pertencer, de um cabriolet cima des
cripta, o qual sr vendido sem limites, quarta-
feira 30 dr corrente, as 11 horas da manhaa, no
largo do Co'po Sante. ____________
DE
31 saceos Cira arroz com avaria de agua
salgada
Quinta-reir 1.* da dezembro.
O agente Pontana far leilio por conta e risco
de qaem portoneor, de 31 soeces marca B com
arroz, avanadas de igua saiguda, vinuas da B il
no navio Pastoro, entrado oeste porto em 7 de ju-
nto pronao pairado, as quaes serio vendidas
quinta-fein 1 de dezembro, s 10 e meia horas da
minha, no armazem do A oom.
LEILAO
Para os proprietarioa qv.e (azem casas
DE
150 portas novas de molduras
Quinta-fetra f de dezerobro de 1870.
O aganie Pe-una far leilao per conta e risco
de quem pertencer, de l$ p, tas novas todas al
nantdadaa e muito bem acabitdae, as quaes serio
vendidas em lotes, a ventado d js licitantes, ou em
an so, quinia-feira 1* de dawmbro de 1870, s
VICTORIANO
iTAimnn
PAULA
INTERESSANTE C0MPOSIC0 LITTERARU.
CONTEMDO ;
A noite do xtasis.
O sorriso.
A noite do assombro.
A lagrima
A noute do delirio.
O mysteno.
Cora urna carta critica dirigida ao autor pelo
Jt. T. B. Rigueira Cosa.
1 volme brochado 2J0O0.
AS CENTELflAS
Poesas patriticas sobre a guerra do Paraguay.
1 volume brochado 2*000
NA
LIVRARIA FR^NCEZA
Attencao
Na roa do Imperador n. 71 offereee se urna pes-
so habilitada para cobran ;a. dando flaior'de sna
conducta.
Os abaixo acaes da
massa fallida de Fon convidara aosdevedores da mesma ma resillantes nesta praga ou lora deila, a mandarem
sattsfazer seus dbitos dentro de 15 dias; contados
do presente, ra do Commercio n. 48, 1* andar,
ou aos depositarios Mendes & C>. Ih >,. ra da
Madre de. Dos. Fiodo esse lempo tera de se pr>
ceder judicialmente contra aq i> lies que nio hou-
verem pgo Reeife 28 de novembro de 1870.
E 1'. R^b-llo & C.________
Alluga-se o prnner > andar do sobrado da
rna do Vigari n. 3, proprio para familia, oa es- *
ripctorio ; a tratar no trapiche Queiroz,
3fSI3fc
m
Emilia Laura Leal, Manoel Paolino do Nasci
meato, Heorique Soares de Awvedo e Virginia
Laura Azevedo, cordialraente agiadecen a todas
as pessoas que se dignaran' a-si-tir as exequias
e acompanbar os resto* m riaes de seu muito pre-
zado espose,georo e euohadi Jobo Cesar Lsal, e
onvidan as masmas pessoas para ouyirem uraa
missa que por alma do mesm j tinado mandara
re-ar na igreia do Espirito Santo, no dia 1* de de-
zembro as 6 oras da manhaa,
w un- trntrn w^i*> M. ^Haaan
M noel Fernandes Nogneira tendo recebido
a infausta noticia do falleoimento de sen pai, em
Port igalTnga aos seus amigos o caridoso obse-
quio de asiislirem a urna missa qu- por alma do
raes-no finado manda celebrar no dia ls de dezem-
bro oa mitriz de San o Antonio ; e por este acto
de religjao e caridade se confesa eternamente
grato.
A pravoocio e o Dr. DandiMo Jos
Casado Lima.
Para qae melhor responies ma, devolvendo intacla, em toda ** virgindade,
a idea de oag dacao *' oeculuci'.' d-t e-icrava Be-
BdicU, que empenftou ao b mister" e t mais coaseatanoo ora sea aonnufo
carucUr, sua aUa no icio de illu-fre professorda
fmneo do co legio das artes e procod-i intelligen-
cia como medico pela academia de Pars, devol-
ver intacto.o respectivo pagamento desempe-
nhando paria! modo a refrita et-,rava, sem ser
preciso para este 8 n a aeco di justiga e do triste
cortejo da seas offleiaes.
Reeife II q> novembro de 1870.
. Aalonio Jjequim Fonseca de Albuquerque,

^^*^


Diario de Perntftbueo Quarta fera 3fr de Noveinbro de ifcfrO
v
Precisa-se de una aa para, o. servio interno e
externo de ob> easa de familia de *H?. J"*?!:
a tratar n na la Pedfo ffonso (ootr ora ra na
.47,F
Ama.
Praclsa dfr'^aa ama qne,
mala Wt'.'^, de urna casa de fami
Podara
**. eacrava,
gao) n. 37.
na rsa do Viscunde
raroe faca o
..ja, preferlndo-
da Pelma (Ara-
Alttgase.apakri*
dooo na ra da Orna, h. M
aa nift Santo Amaro, e
a tratar com $eu
Bda oceasio.
I Um moco brasileiro de 30 **?
jue falla a escfeve a lingo* logla, mb
todas as habilitacSes para catxetro despa-
jante, de embarques oo ouiro qMitMr
trabalho; precisa de om emprego. wr
inormacSes dirija-se a ra da Lroz n. ai.
da 9 da manhaa as 3 da Urde. ______
Agencia em Pernambuco
Do l>r. Ayer
Peitorai de Cereja
tura a pnlnyatc* a todas as molestias do peito
salsa parrllha
Cura ulceras a chagas antigs, impigens e dar-
tros.
Tonteo
Coneero e limpa os cabellos.
Plalas catbartlea*.
Puramente vegetaes sem mercurio ; cura se
soes, purgao e purificara todo o systema humano
^ende-se ehcva mente em casa de Samuel P.
Johnaton k C ra da Senzalla Nova n. 42._____
Companhia Allianpa
DE
seguros martimos estabelecida
na Baha em 15 de Janeiro
de 1870.
CAPITAL..Rs. 2,000 (K)0#000.
Toma seguro da mercadonas a din eiro a risco
martimo em navios de vella e; apares P J"
tro e fra do Imperio. Afanen a ra do Com-
raercio n 17, ripiarlo de loaqu.m Jos Gon
ralves Beltrao.__________________
^STbTsBxe
COLB CREAM "OF ROSES.
Cette Crema dalicieuse, uoiversellement repan-
due en Angleterre, o les emmes sent s'renom-
iLces par la beaul la tcansparence de leur
leint doitsa rpnutiou aux lments balsamiques
tante efflcacii pour ad ucir la. peao. la rendr*
plus blanche, et conlribuer aius a la >ante et a la
iieaut, qui. toujonrs, sont inseparable*.
On la recommande entre les .irnttion* de
I piderme, telles que Botrroiw, Epbl>dks a-
/iies be Rocsskts, RouGEiins dk la Hucre, ei
contra les taches patbiques et les fcFFLOSEsr: en-
tes Cette Crme convient spealemeni. aux rem-
an encrales pour prevenir LE MASQUE, anquel
lle sdnt sujeltes.-On s'en sert encor pour em-
peher la figure de se bler par le frod ou le trop
grende chaleer.
Prix 1:500 res
Sel depSt au magasin Basar de la Moda-o
Bnedo Barro da Victoria.__________________
Frederico Maya
Cirurgiao dentista
Acha-se em sen coasultnrio para os trabalho*
de sua arte nos das uteis das 8 hora* da manhaa
a- 3 daarde, e aqrelles que por suaa oceupa
coes nao poderera comparecer n^se- dras o aeha
rao das'9 horas da inaaha as 2 da tarde nos oV
minos e dias sanuhVados. Tambera continua a
prestar so a qualqner chamado, tanto na cidade
como para fra delta,, sendo pn curado em seu
concitarlo a ra do Dnque de Casias, sobrado
amar lio com entrada pela praca d Pedro II.
Ao n. 13 da ra do Queiraado.
Ricos sntoa can saiotes de blonda caprichosa^
mente guarnecidos de fitas de seda edeset.rae
recriados a cbineza, alem do que adornada de
flore* as mais bera trabalhadas que tem vindo ao
mercado obucto de extasiar o comprador.
mHa adequdos para todos os vestidos inclusive~o
de cor branca, eier bom aprove.tar se antes que
se acabem, un-a ve* que peque" quedada.
Ra do Queimado n. 13, loja de aes
MpIIo A ".. _^_^_
KANG
W1S0
>' b m \
ira
.;!<
Roaa-se aos senheres abaixo mencionados o ob-
quio de comparecerem no Bazar da Moa a roa
lo Baro da Vietcria, a negocio que le dit rS-
aeito :
Joao Yalentim Vilella Jnior.
Guilherme Dias dos Santos.
Joao Jos dos Santo Lima.
Jos Maealhaes com fabrica de velas. '
Jos Marta Fefnandes, morador na *illa oo
Cabo___________________________, ,
Precisa se aiugar um preto: na roa do Ran-
gel n. 9.
*
NOVA AGOV
a o Toucador
IMPORTA A
porRIGAUDeOI
PEBF0H19TA
S, na vivlemie, 8
PARI2
lirio
AGOA
PAR*
TOUUD01I
IlICKDeC.
8
l Vntioe
KII
EstaASoaextra-
hi Ja das fiores do
PiruBdspomca.pel
- sua suavidade e
suas propneda-
des bensoas.
excede os cos-
mticos mais celebres; tendo sido a-
doptada por toda&sociedade elegante
Deitada nos banhos. d'um perfume
delicioso, consolida as carnes e faz de-
saparecer as espionas. oomioh3es e as effloreaoen-
oiu da pelle.
PRECO .5500.
nico deposito no Bazar da Moda n. M,
ra do Baro da Victoria otJtr'ora Nova.
Eate antigo estabelecimento, aeha-se hoje montado n'uma
asala de poder servir ventajosamente os sens fregueses, atlan-
te o grande sortimento de joias d'onro, prata e bnlhantes, que
sempr tem e recebem mensalmente das principaes fabricas da
Earopa- cujos preeos sao em competiveis e as obras garantidas
iUOKEIRA DUAXEI
Os administradores da roassa fallida de Anlenio
Pedro de Mello convidim com urgencia aos ere-
dores da mesma massa apre*entarem sens ttulos
de crdito dentro do praso de oito dus, a eannr
desU dala, para serem clarificados : na roa oo
Vigario n. 25,1 andar.
Reeife, 26 de novembro de 1870.
Silua & Joaqom Filippe.
habilila-
freeisaae de uiua enhora com a<
cues precisas para ensinar meninas em um eDge-
nho a qm se acbar habilitada, dirija-se a pra^a
do C roo Santo n. 17, primeiro andar, das 7 oras
da manhaa as 4 da tardo.__________________
MANUEL &C.
mS ak laandas que a demora da fabricago j bem diminuta,__________________--------------------------------------.-----
Ama
Precisa-se para o servico inlenn de casa de
pequea familia: na ra do Vigano n. 5, segun-
de andar. ._____________
Alugue
Escraya.
Precisa-s atefar'> escrava que saiba cozi-
nhar : na fr.brica a vapor de cigarros, ra larga
do Rosario n. 21.
Aluna se o 21 andar do serado n. 30 da
roa da Aurara : arralar na ra Bella n. 37, Io
andar.
MARTIMOS
E
CONTRA FOGOe.
A companhia Indemnisadora. eslabeleciaa
nesia praca, toma seguros martimos sobre
navios e sens carregamenlos e contra logo
em edificios, mercadorias e mobtlias : na
roa do Vis ario n 4, pavimenloterreo.__
NA ANTIGA E BEM CONHECIDA FABRICA
DE M
CHAPEOS DE SOL

Aluga-se urna soffrivel casa devivenda sitio
com bastantes e boas fructeiras, boa agua de be-
ber e banho prximo casa, perto do povoado do
Caxanga : quem a pretender entenda-se na esta-
dio das Cinco Pona* com o seu chefe, ou as
obras publicas con o capilin Fraocelino.______
m
DA
Eua do Baro da Victoria, esquina da Gamboa do Carmo.
(Antiaa Ra Nova'i
m
Ama
Precisa-se alugar nma ama para cozinhar e en
eommar para casa de pouci familia, no Arraial.
sitio da bomba : a tratar no pateo do S. Pedro
n. 11._____________________________.____
Ama
Precisalse de urna ama para
lar na ra da Alegria n. 5.
cosinhar : ira-
AMA.
MOFINA
Pre-.i:-?a fallar com os Srs. Uomo Alexan
dro Bernardino de Matos e Pedro Alexandre I er-
nardino de Mallos, no escriplorio de Jjaquirn Ro-
drigues Tavans de Mello, prac do Corpo SaDio
n. 17, Io andar, a negocio He sens mteresses.
V>rginia.
l^ndo-ae esgotado a primeira rctnessa desle til
b instructivo r miance mandei vir nials por ser
lisiante procurado, e que se aeha venda na li-
vrari i i'ranceza. Bsla livro at devia ser adoptado
no eoHegiot de ambos os sexos, pois que histo-
i i.-. rciii o, p sivhre ludo proveitoso.________
Pn \ t-sa de um m>leque para servico de
biel: na ra das Cincos Puntas n. 14.
M
A
DTVETOT
i-Rua Estrella (lo Rosario^
Compra e vende roupa feita
nova e ^ el ha, objec'os de
cosinha e de mesa, e
tudoqu* perten-
re ao uso do-
mestico.
Roea-se ao lllm. Sr. Ignacio V.eira de Mello,
crivao na cidade deNazareih desta Provincia
favor de vir a ra do Imperador n. 18 a onclu r
aquelle negocio que V. S. se comprme leu reaii-
sar, pela lereeira chamada deste jornal, era fin
de dezembro prximo passado e depois para Ja-
neiro, passou a fevereiro e abril e naja cuniprio
e por e-te motivo de novo chamado para dte
lim ms V. S. se aove lembrar que este negocie
de mais de oito annos. e quaooo o sennor sen
filho se achava no estodo nesia cidade.
PRIMEIRO E ANTIGO CONSULTORIO
HOMKOPATH1 .0
lal.ltldo pelo or.
SANTOS MELLO
$ Os habitantes do interior podem-no
consultar por escriplo, no qae serao sa-
^ lisfeilos com promptido.
[ Presta-se tambem a chamados para o
oa interior, a prego mdico.
Consullas, no consultorio das 10 horas
@| ao meio da.
tm Chamados, a qualqer hora.
g Aos pobres gratis.
( 43Ra do Baro j (Amiga roa Nova).
Acaba de sanir luz
E
Vende-se
NA
Livraria franceza.
A
to conhecida
j^ que escasa de mencionar.

Precisa-se de urna mulatinha de idade de 11 a
12 annos para tomar conta de urna criau{a :
tratar na ra estreita d Rosario n. 14._______
41 RA DO HAMO DA VICTORIA 41
I
Neste novo armazera tem um
variado sortimento de fazesdas
francezas, inglezas, allem5as e to-
das todas se venden) por preeos
mdicos, afim de acreditar a
novo armazem.
Casemiras inglezas,
francezas, de todas as
cualidades, brins de
cores e brancos, colei-
rii.bos modernos, cha-
peos de sol de seda,
tinos.
HUA
DE
AHRUDA IRM10S.
^~-,

UiU
OU
COMPANHIA
DOS
TRILHOS ORBAHOS
00
REC1FF A9 OIIWDA.
Do Io do dezembro em diante bavera nos
-lias uteis mais um trem do .Reeife Olin-
^la s 9 '/ h iras da manha e outro s 8
Vj da ncib3 assim como de Olinda ao Re-
eife s 2 V 8 '/ boras da tarde.
Do dia 11 do mesmo mez em diante ba-
\erlo noa domingos e dias sancti&cados
Jrens expr-essos do Reeife i Olioda s 4 */
e 6 l/i horas da tarde vollando de Olinda
s 5 V e 6 Kit horas da tirde sem locar
em eslar.ao algnma.
Reeife, 28 de novembro de 1870.
O superintendente,
A. de Ahreu Porto.
Ooiflpii'hia de tilho^ urba-
nos do Reeife aBberibe
Era consequencia do officio dacomaDisso
^e contas, datado de 25 do correte em o
possivel apresentar o resultado de seus lw-
iallios at o dia G de dezembro prximo :
o Jllm. Sr. presidente da assembla geral,
manda convidar aos Srs. accionistas, para
qoe nesse meertio dia pelas 11 horas da
manh5a, st> achem reunidas na. eslavo da
rha da Aurora, aBm de conoor a sessSo
adiada d dia 31 de outubro, e de 3ppre-
'ado o parecer da referid i commisgo.
Reeife, 28 de novemtiro de 870.
No impedimento do 1 secreljrio
Antonio A. 2o secretario.
Apolices.
Na ra no va de Santa Rita n. 49 e 51,- ierra
ria a vapor, vende se apoliets da provincia a juro
de 8 1|2 : i tratar com Jo- Ignacio Atrilla.
DE
NOSSO SENHOR JESS GHR1STO,
kMAlUA SANTISSIMA
R
VARIOS SANTOS.
A saber:
Setenario do Senhor Bom Jess dos Pasaos.
Offleio do Senhor dos Passos.
Novena do Menino Deus.
Novena de N. Senhora da Conceicao.
Setenario das Dores de Hara.
Officio das Seta Dores de Mara Santis&.ima.
Novena de . Sennora do Carmo.
Offleio de N. Senhora do Ca mo.
Novena de N. Senhara da Penba.
Cnticos de N. Senhora da Pecha.
Novena o B. S. Joao Baptisla.,
Novena da Senhora Sant'Anna.
Trezena de Santo Antonio.
Novena do B. S. Jos.
Um bonito volume encadernado.
Assim como tein ama grande
oflkina de alfaiate, montada com
todos os preparos que ha de melhor,
dirigida por habis artistas, que
pela sua promptido e perfeicao
nada deisam a desejar.
Roupa de todos os
amanbos para homens
meninos.
Por todos os paque-
tes recebem-se as me-
lhores e mais moder-
nas casemiras qoe ha
na Europa.
RA
Pv
Ama
Precisa-se de urna escrava que cozinhe, compre
e faca mais algum ser i{Q em casa do pouca fa-
milia, e que tenha bons costumes: na ra do
Queiinado n. 46.__________________________
Dividendo.
Pag-se o 6o dividendo da massa fallida de
Amonm, Fragoso, Santos & C. a razao de 3 0|C.
as tercas e sextas f.iras das II horas da ma-
nhaa a 1 da tarde, n) escriplorio da ra do Vi-
g-rio n. 13. 1' nJar_____________________. "
" Em o sa de THKOOKO niKlSTIiN
SEN, roa dn Cruz o. 18, eoc-ntram-se
efftciiamrfule todas as qnalidades de vinho
ti nleaux, Boingogae e do Bheno.________
Ensino secundario
O hacha i el A. R. de Torres Bandcira, professor
da spgnnda cadeira de geographia e historia n
gymnasio provincial ae Pernambnco, tem resolv-
do abrir, na ca-a de sua residtncia, ra
Marlvrios n. 2, 2o andar, um curso de
i-ographia e historia,
Rhetonca e potica,
Philosophia. -.
E est prorapto para ensinar estas diseiphn.-
em qnalquer collegio. Tambem se offerece para
dar hgoes de lingua franceza e de geigraphia r-
senb' BarSo da Victoria
antiga rna
NOVA
K 41.
Este estabelecimento acaba de soffrer urna reforma radial em ^ ^^^
mendas, mmente em ludo afam dfl melhor servir os seus merosos
ao se tornar massante
Baro dajvlctorla
antiga rna
NOVA
n; 4i.
6AZ m GAZ
Chegou ao antigo'deposito de Henry Porsior *
i, ra do Imperador, um carrogamento de g.
le primeira qualidade; o qual se vende em parda
i a retalho por menos preep do que em ontra qna
raer parte.
A\IS0 AVISO
Grande vantagem
AOS SENDERES DE ENGENHOS.
NUm estrangeiro que freqiifiit.u por alguna an-
nos os ddlegios de Franc.a, se ifforece aos senhi-
res de ngenhos, naj s para leccionar o poriu-
guez em espac de um anuo, quando muito, com >
para ensiDar o francez com toda a perfeicao em
espaco de seis i:ieaes, pelo grande tvnbeeinaento
das maneiras mais facis de aprender-se e de co-
mo se eusina nos collelos francezes, alem de ter
grande pratica por ter tambem j leccionado em
engenbos das provincias do Brasil : quem de seu
prestimo se quizer ulilisar pode deixar carta fe-
chada, a qualqer hora, cora endereco a Mrs. A
B, na ra da Cruz n. 51, loja de IWroB, ra Di-
rfit n. 118, botica, e na ra das Tnncbeiras n.
50, loja.
2S000.
0 salo le pianos e de
msicas
1* andar, para a
nndou-se da ra Nova
-ua da
n. 38,
mde
rlico.
Imperatriz n. 12, loja,
conlinda recommeodando-se ao lllm. pu-
G. Werthelmer.
Preeisa-se de um moleqoe ou preto velbo
para eriado : na ra do Rangel n. 9._________
Ni ra Imperial n. 49 precisa se de um eai-
xeiro que tenha pratiea de laherna._________^
Precia se de urna ama q^ue lave e engomme
om perfeicao : na rna do Barao di Victoria i. 61,
y* andar.__________________ .
~ Aluga-se um skio no lugar da Torre, de-
fronte da Ponte de Ueha, com casa eoromoda e
areiada, baixa de capim e bastante terreno para
plaiucao. Qubi oretender dirija-se ao ! andar
andar da cas n.-li7, ra de Imperador ; entra-
ba pelo caes 22 de Novembro.
A prevenoftD
do Dr. Amaro Joaqnim da Pnn'.e a Albnquer-
qae resp.mdo repellindo e devolvenda me inlacia
a jda de negoeiaoao ou de ocenitacSo dascrava-
MB Miiio peranteo tribonaes
Recrf- iS drt novembro de 1570.
Canudo Jos Casado Lima.
roa
pri-
Na travessa
das Crazes n, 2,
meire andar, da-se di-
nhelro sobr penhores
de ouro, prata e brujan-
les, seja qnal for a pan-
lia. Na mesma casa com- _
pram-se os mesmos me- g
-___________\wmmm
Sobrado para alugar
0 I* e 2* andar e solio n. 6 da roa do Duque
de Caxias : a tratar no Corar'n de Ouro.
Aluga-se o 2* andar do sobrado n. 53 na
rna do Pedro ArT osa, ouir'ora da Praia : a tra-
tar na loja do mesmo.
taes e pedras.
No escriplorio de Alfredo & Barbosa Jnior
precisa se fallar com oa senhoros :
Francisco Marques da Foaseca Pitia.
Juo Galdino Waoderl^y.
Bernardino de Senna Wanderley.
Jos Alves Maclel Jnior.
Capilao Jj Bezerra Cavaleanli Maeiel.
6:00(V000
EUo venda os feljzes bilhetes da lotera da
|aii a, na casa feliz do rea da Cooceicjo, loja de
onrites ni'Reei
*._--------------------- .. .'
Preci>a-f de ima Boa eoeinheira para a
ra d Aurora n. 24, i> andar. I
ferro
BA DA CRUZ
Chapas de ferro galvanisadas para telheiros, etc.
Tachas de ferro para assucar, etc.
Formas de ferro para assucar.
Arados americanos.
Carrinhos de m8o.
Venezianas para janellas.
Machinas de descarriar algodo.
Machina de cortar fumo.
Mchica de cortar papel.
Motores para dous cavallos.
Machina a vapor para mover machinas de algodao. ..... d
Balancas, prebeas, cofres de ferro, fogoes de ferro, enxofre, salitre |Umaina ae
muitos outros artigos. ^
OS AMERICANOS
CILYNDROS PAM PADARIAS
Tendo cagado ha poucos dias completo sortimento dos melhores e mais
couoecidos cylmdros americanos para padarias, roga-se s pessoas que delles precisa-
ren! de virem vel-os ao grande deposito do
BASTOS
IiO.J 1PA MACHIMAS
Na praca da Independencia n. 33 se da d;-
iheiro sobre penhores de ouro, prata e pedra>
)reciosas, seja qual for a quantia ; o na mesm*
asa se compra e vende objectos de ouro a rala.
(igualmente se faz toda e qualqer obra de en-
jomraenda, e todo e qualqer concert tndem
i mesma arte
Irmandade
de Nossa Senhora da soledadr
ELEICAO.
De ordem do lllm. Sr. juiz s5o convidados todos
os irmaos desta Ilustre irmandade comparece-
rem no consistorio da groja da Soledade domingo
i de dezembro pnximo vindouro, pelas 9 horas da
manhaa, aflin de assistirerrf a missa votiva, e em
seguida proceder-se na forma do compromisso a
eleicao da nova mesa qne tem de reger a irman-
dade no anno de 1871. Reeife 28 de novembro
de 1870.
Manoel Barbosa de Aranjo,
Escrivio interino.
Aluga-se o 2* andar dr ra
sario n. 43 : a tratar na fabrica
rna das Trincheiras n. 43. ___
estreita do Ro-
d cigarros da
Precisa se de urna ama
sario n. 28
Ama.
na fai estreita do Ro-
MI 111111
OUTR'ORA RIJA DA CADEIA
Precisase de urna ama que compro e coz-
nne para eas de pouca fanilia : na ra nova de
Santa Rita o. 41._________________________
Precisa-se de urna ama que BabjcoiiQhar com
perreico para casa de homara aolletra na rra
do L'vramento n. ft \c\\________------,----------
CASA DA FORTUNA
Aos 20:OOOM>00.
QU"t0tfanoel Martin Fiuza.
.


H

Diario de Peruambuco Quarla (eir 30 de Nvembro de 1870.
3=
i
AO ARMAZEM
VAPOR FRANCEZ
17-Rlll MH, 7
Este conbecido estabeleeimen'to acha-se constantemente bera sonido, em virtude das
rielaras qne recebo por todos os vapores e navios francezes, dos artigos ahaixo menciona-
dos, i precos*s raais resumido que possivel.
CACADO FIVVM F.Z
Botinas para enhras e meninas.
Botinas pretas, brancas e de muitas outras cores sortidas e bonitas, do ultimo gos-
to da moda, e preces mais barates do que em outras partes.
Botinas para borneas e meninos. '
Botinas de bizcrro, cordavao, lastro e pellica, das ntelhoros fabricas e escnlhidas.
Botas e pernelras russfanas. .
Bous e peraeiras par* manta ri a, la-s melhores qualidades, de couro da Russia, lus-
tro e bizerro.
palos de borracha para horneas e senhor&s
Tendo chegado grande porcao de sapatos de borracha vende-se pelo custo'afim Ede
desempatar o dinheiro nelles empregado, sao baratsimos.
Sapatos de lustro para homcns.
Sapatos de ntrala baixa de couro de lustro com salto, de muito boa qualidade.
Abotinados para meninos e meninas
Sapatos abotinados de diferentes modelos, de muito boas qualidades e fortes, unto
para meninos como para meninas, muito baratos.
sapatos de tpete.
Sapatos de tapete aveludado, de casemira, de charlte e de tranca franaezes e por-
tuguezes para horaens, para senhoras e para meninos.
PERFUMARAS
Excellentes extracto, banhas, leos, agua de coloene, florida, diviua, lavande, den-
trifice, de toilette, sabenetes, tintura para cabellos, pomada angroiso para higodes, pos de
s., tudo isto de primeira qualidade, dos afamados fabricantes, Condray, Piver e Lubin.
arroz etc.,
Quinquilharias
Luvas de pellica do conhecido fabricante Jouvin, espelhos para sallas, quartos e ga-
binetes, toucadore' de- diversos tamanbos, leques para senhoras e para meninas, abridores
de luvas, brincos, polceiras, botdes, corrent* e chaves de relsgios e tranceDns, tudj de
onro de ei, correntes e brincos de plaqu, a imitacao .e de mais gosto do que as de ouro,
caixinhas de costura ricamente guarnecidas e ornadas cora lindas pessas de msica, albuns
e caixilhos dourados para retratos, caixinhas com vidro de augmento para distinctamente
ver-se a perfeicao dos retratos, objectos de phsntasia para toilettes, holsrahas e cestinhas
de seda, de velludo e de vimes para braco de meninas e senhoras, ditas para costuras, pe-
queos registros muito finos e delicados, bouqoets de flores de porcelana, jarros prnprios
para gabinetes e santuarios, qoadros promptos para collocar-se vistas, molduras douradas
para quadros, estampas finas de paysagens, cidades, figuras e de santos, vidros para cos-
morama, malas, saceos e bolsas de viagens, esporas, chicotes, bengalas, oculos, lunetas ou
pensinez de prata donrados, gravatas pretas e de cores, abotoaduras de collet e de pnnhos,
carteirinhas para notas, thesounnhas e caivetes finos, pentes, eseovas, pontoiras de espuma
para charutos e para cigarros, joros de domin, rodetes, bagatelas e outros differeates, ve-
nezianas modernas muito conveniente para portas e janellas, cosmoramas, lanternas mgi-
cas, esteriocopos cora interessantes vistas de figuras e das mais bonitas mas, boulc-vards,
pracas e passeios de Paris, photozraphias e caixinhas mgicas, reverberos para candieiros,
tapetes de vidrilho e de lia de cores para ps de lanternas, realejos grandes e pequeos,
harmnicos, acordions de todos os tamanbos, bercos de vimes para crancas, sapalinhos e
toncas de laa, carrinhos de 3 e 4 rodas muito elegantes para conduiir cnanijas passeio ; e
outras muitas quinquilharias de phantasia, francezas e allerae?, precos muito em conta.
l'..ra este artigo nao ha eepaco nem tempo para a mascante leilura da inQnid?.de de
gneros de brinquedos fabricados em diversos paizes da Europa.
O dono deste estabelecimento pede ao publico em geral que continuo a visita-jo V5
verificando as qualidades e os precos baratos de ditos objectos por serera vindos em di-
reitura e de conta propria.
ATTENCAO
b.
i

<*
:mm
Jos Joaqutm da Coila Mata, tem i venda no sea a ni azora, sito no largo do
Pdourinbo n. 5. os objectos segointes, e que' Vende por precos mais conamodos do
qne em outra qualquer parte :
ftleo de nuaa. T^* *
Couro de lustro. "W *w *"^
Saceos de estopa.
Estopa em peca. >
Vinho Bordeaux em caixas.
Fellro em peca para forrar embarcaces.
Encerados.
Telhas de fercp galvanisado, de diferentes tamanbos, para cubrir casas
Ferro liso galvanisado para forrar embarcacOos.
Pregos galvaoisados;
Cantara de Lisboa.
Dita soleiras.
Dita marmore.
Taboas de marmore de differeates grossuras.
Ladrilhos de marmore de differentes cores e tamanhos.
Ditos de pedra de Ansam, pretos e brancos.
Tmulos de pedra fina de differentes tamanhos.
Pedras para lavatorios.
Taboas de louza. .
Pias de lonza para cosinha._______^^^
WlllA AM1A
Ra.da Imperatriz n. 2
A' este novo e somptuoso estabelerimeBio de fazendas acaba de chegar directa-
mente da Europa o mais e xplendido sortimento. de fazendas propnas para a fiSta, lanto
para lemeos, como para senhoras; descrever e especificar o que de moderno e de mais
apralo gosto nelle se encontra seria iApossive ; mu3 para que se possa fazer nma
aproximada id, mencionaremos com especiaiiiade :
Bi&s cortes de vest los para casamento, ebegados 10 nltimo vapor.
Ditos ditos de ditos de seda deseuhos inteiramente novos.
Ditos d't''-s de dit< s do 13a c< m barras, fazenda inteiramente nova.
Vestidos de cambraia para baptisado.
Popelinas di seda dos gastos mais modernos, variado sortimento de cambrsias, e
cassas de cores, Indose modernos deseobos.
Sedas lisas, lavradas, pretas e de cores.
Cretone para vestidos, modernos g< str s.
Alpacas de ares, impossivel descreer a variedade de ?osios e padres.
Cbitas finas, caras, escuras, pretas, iodescriplivel o variadsimo sortimento.
Bailos de tecus as qualidades, cores e tamanbos, entre os qnaes us sao inteiramente
DGvidae.
Saias birdadas para senhoras, grande quan idade de gostos.
Camisinbas bordadas para senhoras muilo modernas, graude variedade.
Entremeios e tiras bordadas em todas as larguras.
Camisas para homem. bordadas, lisas, e collerinhos, completo sortimento,
Lencas de cambraia bordados, lisos ede barras.
Chapeos de velludo, palba, merino, feliro, o que ha de mais moderno e lindissimos
gostos.
Cortinados bordados, e ricas colchas de seda, e de crochet.
Bareges de pbantasia, fazenda propria para bail.
Tarlatanas de cores com palmas lindissimos gostos.
Burns de cores para senhoras.
Gravatas para homem, grande sortimento em feitios e cores.
Bretan^as, espuio e bramante de todas as larguras.
L5azinhas de modernos padroes e indos gostos.
Metim la India fazenda inteiramente nova para vestidos ede lindo effeito.
Finalmcti'b rene jse estabeiecimer.to tudo que de roelhore mais moderno se pode
fnc^ r tur en: tazen jas como em perfumaras finas, das quaes tem um completo sor-
timetto.____
AOS OAVALfEIiiOS
flfferece igualrrente a vantagem de enconlrarem neste estaDek cimeuto:
Pannos finos, pretos e d^ cores.
Calmitas pretas finas, ericesgorgores para collete.-
Ditas de cores, de qoadros, lisos e d: listrs, completo sortimento.
Brins brancos Jo lin' o de todas as qualidades.
Ditos de cores, lisos e trancados, Ran e sortimento.
Um babil artista para cortar e dirigir qoalquer obra, que so se entrega a contento
do frejuez.
Urna modista igualmente tecupa la nos trabamos do PAVILHAO DA AUROBA, di-
rige os que le so concernen es, apromptando a capricho qualquer TOILET, garantrn-
dc-se a mais completa perfei(o nos seus trabalhos.
Em resumo concluimos
Por chamar attenc5o 1o respeitavel publico para o nosso estabelecimento, que alrr
de tor tu ;o que se pode desojar em fazendas e perfumaras tem o mais COMPLETO SOR-
TIMENTO DE RUPA FE1TA, pa a bomens e meniuos. Mandam-se as fazendas em
tasa das Estras, familias, c daro-se amos>r Um completo sorrimento de esleirs da India, por menos preco que em outra qual-
quer parte.
' -Aberl das 6 horas da manh&a s 9 horas da noute.

^Vlie ocfia ftM livr
boa conducta, para tudo' o sel-vico de urna casi
de mui pooea familia : na rna de Santa Therea
nnintTO ti.
- Arrenda -yo o uio denominado Peixinho,
situado entre Clinda e Reheribe. cum prand<* casa
margem do nu, cuntetnK. 1 mas < vMi*'*, 5
quartos grandes terrado un frem.. e>ubaria. Iii-
xa plantada de e*pim, sup d ICO f ixes p r (rur,
muitus arvoredos de i uiU> gr;:i-J% mn^y,
lerrenospar plamacdef, et . Qoa soionia ffi :
a tratar n ra daBicca S. ivda, em oimda,
numero 1
Muga-se urna negriuha d'; idadti li annos,
muilo mtelligenle e esperta para casa de familia,
mas adv.ue fe que , recttiinda e i.ao va i a ra :
quero quizer dinja-ie a ra Formosa a. i\.
Ama de icit
Precisa-se de urna ama-de leite sem (litio, prefe-
rindo-se escrav. r na ra larga do Rosariu u. 12,
2* andar.
Precisa-!*? de una p. s>oa de coaAOCa, in
telligente e activa que leuda conhecimento e pra
tica de dragara : a ti atar na roa do Imperador
a. t.
AMA
i Offtrece-se urna molhcr de bons costumes para
ama de casa de familia ou casa do homem solle
ro : a tratar na ra das Trincheira* u. 16.
Lom mnito maior vantagem compram-sr
ouro, praia e pedias prrei!>sase ( -Abrat vellos: na
toja de oas do Coracao ae Ouro . t , ra do
Cabug. ^
Lytbographia.
Quem quizer vendf r uro pri-lo de tylliographia
com pedras e 1 rolo, annuncie paiu &er procu-
rado.
VrN0AS.
NOVIDADE.
PAR % A FEslT.l
KA LQJA
PflllO
PE
branco biaza*.
l
jlots Je brxn
Prt '' ti^(,W', n .
Dtfns de alpaca branca de 3, a i&.
Ditos de-dila je rr,^e 3 a 3_OO.
Calsas graneas de briin, de 2 a Sfi.
Golletes brancos, de 2 a 31500.
Grande sortnrimo de paisas de casimi-
ra prel.t o de cor, palnls de ciniira
de t-idas as cre, obras todas corladas
por um perito maire.
Na mesma loja se manda fazer obras
por medida e por menos O p*r cento
qne em outro qualquer eiabelecinifnio,
pois para i-so acham-ss manidos d'um
perito mestre e i IBriaes..
A ULA DA 1MPEHATBIZ N. 48.
Junto a padaria fraiterza.
O Costa, preprietario do rroatem da Pedra
Maamore rna das Cruzes n. 42, offeroce por di-
nheiro contado o que de roellior ha no mercado,
por ter recebid mallos dos gneros descriptor
pelo ullimo vapor.
Queljos flaim-ngos do ullimo vapor a 5^800.
Biscoutos em caixinhas de conflguracoes diver-
sas proprias para festas as cnanfas.
Velas slearinas a Cid rs. a libra.
Chocolate de \& a 1*800 a libra.
Especial n anleiga ingleza c fivnceza.
Horiaces para sopas denomiuadas Julienne, que
snbstitue peritamente as mais frescas ervas.
A verdodeir faiiiiha americana viuda de conta
prepria a 320 rs. o maco de urna libra.
Bolachinhas de todas as qualidades e dos me-
lhores fabricantes.
Ervilbas francezas e porluguezas.
Vinho de todas s qualidades.
Especial e aromtico sabao de familia a 300 >
o kilo.
Mulho inglez.
Ameixas e inarmeladas dos melhores fabrican-
tes.
Caf de Moka.
Anda existem venda' algorn*,* IBlradiii^-
proprias. para purificar agu, as quaes evitam o
cholera, It-bze amarella e ouiras multias ; vec-
Je-sc na tua d> Cnimcroio n. 38. i'-a mesma
casa vonde-s* um relogio de ouro jrigki chrono-
f.eirn.____________________ ____ i ______
"ATTENCA6
Choceiale nacin?!.
Duas medaloas de prtla e nma mciico bo-
unriflea.
A villa lindo Sf (?,
Ra nova de Manta Rla a. 4tt
Existen) poucos alimrnt<>s simples *M|Nar--
ciaes como g chocolate, eslmulacdo suaveineu'e
os nervo3, i'Q ao corpo o mais puro eliafito de
nutricio, e au momo lempo furiVa os utgi-s di-
gestivos. Todoj m meflieek sao unnimes a re-
rnniiiiend,tr eala alm.eiito coiit'i o mais propii-.
substancial ia as pesseas de-compiexae Iraca
debilitis,
Vende-se
Primeira qualidade i\i kil. 800 r^.
Homeoi.atha i|2 kil iiOt^O
Re-paoltol i|2 kil. 8o i.-.
Vannillc 1|2 kil. iCO.
Al meia arroba f.ir-se ha abatiinem e de arroba para cima til 0,0
Caf muido a5 vupor
garantido se ni mi>tura a 800 rs. o kil., em maior
quantidtde ter abalimento de l |0.
Tambem ha pacotes de )|2 kil. empicotado en
papel de estaoho para se conservar seropre fre- .
Caadle ros e gaz eeoncm co.
Acaba de cfcenar nova remessa dos tao deseja-
dos candieiros lodo de porcelana, os quaes muito
se recommendam ppla seguran ja, asseio e econo-
ma, ainda pela excedente luz preferive! mi
ze? ao kerosene.
Venham sutes que se acaben!.
nico deposito na
Ra larga do Kosatio o. 84
Bolii-a.
Vinho Xcrez
de primeira qualidade, em caixas i vende-se em
casa de T. Jt/Teries & C.
ve
Olinda
Vende-se o obradinho da ra de Malinas Fer-
reir n. 16, com bom quinm e boas condiroes de
duracao ; e a casa n. C da ladeira da Misericordia,
coro bons commodos para lamilia, quinta! murado,
ba-l .nlo erande, atiaba, e um grande \ marindo de weelleuie ,mbrio quem pretender
dirija se a rna do Crespo n. 18, Io andar, on ao
ag;nle Jo; Enzebio Alves da Silva, ra da Au-
rora.
A' 500 rs.
NA
IV AO HA MAIS CABEIiliOSBRA WCOS
A tintura jauonea para Ungir os cabeilus da cabera e da barba, foia unir admt
tida Exposifo Universal, por ter sido reconhecida superior .< todas as preparages
ale boje existentes, sem alterar a saude. Vende-se a 10000 cada frasco na
Kua da Cdeia n. 51 1 andar.
Prevengo
O ubaixo assignado previne a quem interassar,
que i escrava Benedicta, perteneente ao Dr. Can-
dido Jits Casad) Lima, Ihe est empenhada por
csi'.ri,itura publica passa a em notas do tabofliao
Manida ; assim oomo que pelo juizo municipal
da Ia vara da capital se promove a devida exeeu-
fio. Ninguem, porlanto, poder legalmente fazer
Aluga-se
una casa terrea, sila na Capunga, cora soto, co
;heira, o um pequeo quintal : a tratar na ra
lo Vigario n. 31.
Para b.mhos salgados
Aluea-e urna excedente casa na Ba-Viagem
. ra d Aurora, com 2 sallas, 2 quartos, cusinha
t'ransac-o abruma com a precitada escrava, pro- fra e 1 gabinete ; na rna do Vigario n. 19.
teslandi -se proceder criminalmente contra quem
a occuluir. iecifrf 25 de nvembro de 1870.
.Vi.aro Joaquina da Fon-eca e Albuqoerque.
( tasas B.i-V:tgem
Allugam-se duas excedentes casas na Ba-Via-
gem, sitas ra d'Aurora, sendo urna grande e
outra menor: e>ta com 2 sallas, 2 quartos, dis-
pensa, crzmha, f rno e lugao ; e aquella cora 2
sallas, 5 quartos, i armarios, coslnba grande com
todos os preparos, e alem de tudo nma grande
pallti <;a a beira-mar para os banhos salgados :
trata ss na ra do hospicio n. 60, ou na rna do
Vigaiio n. 19 1 andar.__________________
Ama.
MG DE OURO
Nova loja de joias
RA DO CABUGA' N.9 A.
DE
Manoel da Cunha Saldanha & C.
Acaba de abri-se este estabelecimento de joias, o qual tem grande sorti*
ment de todas as joias de ultimo gosto, as quaes vender o mais barato pos-
tcI.
Todas as joias serlo garantidas ouro de le, pois os seus donos tendo em<
vista so adquirir fregueziajiSoolvidarlo, vender bom e por precos os mais'
razoaveis possiveis.
Couvida-se o publico a vir a este estabelecimento, certo de qr:e ficari^
saiis/eito.
A' MO DE OURO RA DO CABUC N. 9 A
Precisa se do urna ama que saina eozmhaj
iratar na rna do Codorniz n 8.
- Airaz da mariz de Santo Antonio, sobrado
n. 48, Io andar.faz-se comida para fra Cum au-
seio o promptido.
Ama
Pnicisa-se de nma ama para casa de homem
solteiro, nicamente para cozlnhar, poim isto qae
saiba cora perfeicao : a tratar na tua do Mrquez
de Olinda, amiga rna da Cadeia, n. 14
Est por se alugar
hotel, cora commodos para .pequea
Sur
D
por detraz
lamilia : a tratar
Poeta.
a ca-a no Caxang
odo para
ao sitio da llha do "engenbo
Ama
Precisa-se alugar urna ama para cozinhar e ea-
gommar em casa de pouca familia, no Arraial,
sillo da Bomba : a tratar no siUo de S. Pedro nu-
mero II.________________________________
__Pretisa-se de urna ama para comprar, co-
zinhar e engommar para urna pessoa, paga-se
bem : na ra das Laranfeiras n. 4.
..Precisa-se de urna ama para cozinhar e en-
gommar somente para
ra da Boda q. 45,
urna pessoa : a tratar na
AMA
Precisa-se de urna ama para lavar e eogommar,
paga-se bem : na ra de lionas n. 1.
Flor da Boa-Vista,
DE
Paulo Guimares.
Camlsinhas bordadas pr>ra seniora a 500 rs. .
Gnllinhas, idtm dem a i'iO e 500 rs.
Mantas de va reja para seuhera, proprias para ba-
nho, a 800 rs.
Chitas escuras e claras, o c. vado de 2S0 a 3C0 rs.
Mnssulina de cor, padrdes novos, covado de 280
a 44u r-
Laas Amelia pira vestido, o covado a 500 rs.
Ditas, padroes miodiohos, o covado de 100 e 500 r
PeQas de algidao, madapolo, caiiliraias brancas:
vende-se mais barato do que em qualquer en-
tra parte.
A- ra da Imperatriz, n. 48,
junto padaria franc* za.
NEIilHJ A
Na ra do Crespo n. O
Vende-se a selecia de liuho, 4 palmos de largu-
a, peea com :I0 ardas, pelu baratisso pre^o da
25*000, cambraia franceza con. 7 1|2 palmos de
largura a 18 a vara, cambraia victoria fina a
iSOO a pe^a, lazinhas proprias para vestido de
senhura e menina a 400 r* o covado, -aloalhadu
de linho, i larguras,, a 2*500 a vara : na loja
do Guilherrae.______________________________
T. Jeeries & C, ra do Comraercio n.
46, tem para vender :
Brins de Angola legtimos.
Saceos de estopa, ^^ ^krv
Fio para fogueieiros.
Chapeos de sol baratos.
Lonas largas e estreias.
Liana branca em novellos.
Panno riscado pira c> Icho,
Curso de ferias.
No collegio de S. Pedro de Alcntara se faz um
curso de ferias das segointes materias : rhetori-
ea, philosopnia geometra;, gi-qgraphia e historia
FEITOR
Precisa-se de um feitor portuguez que emenda
de jardim e fructeiras, para tomar conta de um
pequeo sitio em Parnamein'm, pode entender se
eotn o dono na ra das Crazes n, 36, I* andar,
das 2 as 4 boras da urde, ou n i mesmo sitio.
Ama
Precisa-se de un a ama : na ra larga do Bo-
sario n. 31, 1 andar.
AMA
II B3M PREDIO
Vende se a casa de Hons andares e sotatf
da ra do BarSo da Victoria, oulr'ura ra
Nova n. 69, que faz esquina para a ra do
Mrquez do Henal, tem exc*llenle vi-ta, e
torna-se recornmendavel pela locilidade em
que se aeha siltnda, nma das melhores,
sem dovida, daquella ra. Tetum exctl-
lento acqolsicSo para o comprador, porque
do capital empregadu obtera um juro *oz-
vel o sem' ri-co alptim : quem pretend I a
dinja-se a ra d-i Cadeia do .Recife n. I9.jjua': quem quiier dTrijase roa Formosa
que achara com q;;em Iratar.
Na ra o Mrquez de Olinda (outr'ora Cadeia)
n. 50, precisa-so de nma ana para cozinhar.
LOJA DA AURORA
Ra Larga to Rosan o n. 38.
Manoel / s Lopes $ hwdo-.
Est vendendo pe'o baratissfmo pre^b os ebjec-
ios ahaixo mencionados '
Carriteis v Untas com 200 jardas a 00 rs.,
duzia
Dito- de linhs com 100 jardas a 50 r-,
duzia
Cartoes ctm linlu de 200 jardas a 50 rs.,
duzia
Dilos o BO jardas a 30 rs,
dozia
Miadas de luiha iroxa de algoda3 para
bordar
Caixas c ni pennas de ac
Caixis de lamparilla dn gaz a 80 0
Carrilende tai com 300 jardas de nha
propria "ara machina a
Paca* deYt.i elafiiea tranca a
Dada es de ac para .senhora cada un do
100 a
Didaes de reo para enborajraaa nm
Fazenda de "crochet pelo e braBCO preco
rommod >.
Caixas de metal eoiu espelbo paia jabo-
nete a
Caixas com alfinetcs prelo .i
Resmas de papel de peso r ant-ido a
Pacoles de papel misdo Htt<< a
Caixas Cos 100 envelopes a
apaadores de peonas de tndoa o ta-
nianhoi. vudo-.-e barato para acabar.
Duzia de phrtfrhfros .-eg-rani;a
Caixas nem etiquetas a *
CarlSes com corchetes de 2 carreira a
Caixas cen linba d, p;.z n m 50 novellos
Novellos do liuha [<;> 100 jardas n
Grosas de hi iSi" de l> ur: para eniebas
Verdadeuf s collares anodinos magnticos
p;ra cii;ue a
Agrdbeiros uc madrepen te muito lincs a
Duos de inuliui muito bonitos a
Meias para senhora rr.nilo finas tozfa
J go de domis muito linos a
Pecas de entre-nn iis li rdsSut
Cainiui:.,is para (enhora Eeoda lia: pe-
lo diminuta prego de
Laj is de liurraxa propriM |r* escripia
Piuceis para baiba muito bous
Peca* de fila de algodao lustrosa a imita-
gao jle seda propria para debtulaa
A Domaduras para menino a_
Ina- para homem a
Grvalas de cores i ara meninos a .
Carleiras com apullias do todos os tama-
nhos e qualidades a
Fita de linhu de cures, larga, propria para
blezianas.peca
As-im eoiiiu un variado sortin enl de estam-
pas de pinturas linas a saber : a morte do just .
dita do peccadur, o u'erne, o Para izo, o qu
das i-Jades, o jui-:o final, o quadro do todos os rei-
de Franca al Napnl< ao III, ditos de lodos os papas
al po IX, dito Jo concilio em Roma, todos p"r
pregos baraiissimo, nc=ie csiabellecimento ha
sempre um completo sojUraento de rap de lada-
as qnalidades o mais fresco que ba no mercada,
o que recebemos por lodos os vapores, loja da"
Aurora na ra larga do Rosario n. 38.
Venham, freguezes.
muirse ra Duque de Casias (aot-ga-
mente ra daa Citizes), sobrado das pe-
cas de rlilheria n. (i.
Neste novo eslabelecimento encontraraoos ama
dores de agua fresea a saborosa os melhores ob
jectos de barro, pois se acha prvido de lodo o
sor ment como sejim : quarlnhas dos melhores
fabricantes dosta pfo?hieW, jarras, rrtorn?ues,
resfriadores,-tullas, garrafas p-'lldas e torneadas,
tudo do melhiT barro e gosto"^ asim como jarras,
potes, quarlinlias, bilha?, jarros e vasos para Ai-
re?, e muitos outros ohjectos sera seren polldos.
ludo de uliHtode para as rasas de familias.
__ Vende-so om cabriole! novo de duas rodas
por commodo preco : a ver e tratar na ra do
Jasaiim n. 20.
6W
5(0
M
60
MiO
110
2
ii.i
240
80
ffiO I
rU
100
10
610
i
ICO
8O0
320
iiooo
I 00 i
320
3*500
31
100
.100
200
500
B00
500
1*000
Precisa se de um moleque para servico de
hotel : na rna das Cinco Puntas n. 14. ^^__
Aloga-seuma negriuba do idado de 14 an-
nos, muilo intelligente e esperta para casa de f.i
milia ; nm adverte-so qu>) rerolhida e nao vai
roa r '--
n. 21.
-------------- - ; m ,
Precisa-se > una ama livre ou escrava para
casa de estrangeiro : a tratar na Capunga, p irlo
; Lasserre n. 26.
] Aluga-se
Precisa-fe de urna ama qne bngomnie e rdzinhp j o 4 andar do-sobrado n. 8 da ra da Imperatriz :
bem para nma fami'ta d' a tratar I a tratar com J. J. de M. Beto rqa do Commercio
pesia lypographia, 'p. 34.
i
DAS
FONTES ^
Hauterive & Celestina
- Vende-se mais barato do
qualquer parle no armazem
rio n. 41.
que enrostra
di ra do Vi-
/IPOLICES
Santa Rita n. 40 rana
a vapor, veotle-se apoHets da provincia a juros
: i tratar com Jos Ignacio Avilla.
O Bazar da Moda recebeu novo sortime:-
to de fazendas do ultimo gosto Jpara vesti-
dos, assim como chapeosicos, casaeo,
bornts, eoques, camisinhas, etc. etc
dmiinua sempre o grande e afamado sor
lmenlo de- mindezas perfom;irias verda-
deras, que ludo se veBde por baratissirm s
presos
Dm-S'i amostras e mandarse em casa das
Exrnas f.-milias o qw m, ra d
BarSo da. Victoria ______
~T 7 A Po"
BsBaaad
pir i-
rentes form
jaw-se a ra lmp<

y
.


6
aaMHM

iario de Pemainbucu Quarta eira 30 de Novembro de 1870.

/
,.
,l .....-----------.----U.
-~lil**ili
/
BAZAR DO PAVAO
60-RA DA IMPERATRIZ-60
DB
PEREIRA D4 SIHA 4 C.
Neate imo(rtante estabeledmento encontrar o respeitavel publico, oes grande e variado sortimento de fazendas do mais
aparado gosto e todas de primeira oecessidade, qae fe vendem msis baratas do que em oatra qualquer partj, visto qoe os no-
ves socios desta firma,, adoptaran o systema de so venderem D1NHEIRO ; para poderem vender pelo costo, limitndole apeoas
ganbarem o descont ; as pestoas qoe negociara enueqaena esca'a ne^ta loja e armazem podero fazer os feos sortimentos
pelos meamos precos qoe cmnpram as casas ioglezas, (importadoras) e para maior commodidale das Exroas, familas se daro
nostra8 de todas as fazendas, on Ibes levam em saas casas para escolhetem.
PRA N0IV4D0S COMISADOS, COLCHAS. | GROSDENAPLES PRETOS
Cbegou para o lazar do Potito an gran- Cbegou p*ra o Bazar do Pavao um gran-
de sortimento dos mais bonitos cortinados de sortimento dos mellmres grosdeoaples
brdalos^ proprios para camas e janellas, pretos qoe t-m viado ao mercado, que se
qoe se vendem de 105 00 at 200 ro o sendera de 10600 at 53000 o covado ;
par, assina como o melbor damasco cm 8 83 tdoa moito em conta.
palmos de largara a imitacao de damasco ALGODAO BNFESTADO PARA LENCES.
ile seda, propas para colchan, e propria- No Razar do Pavao veod-se o melbor al-
gente colchas de damasco, seodr os melbo- godSo>inho amtncano eofeslao para len-
tes e mais bonitas qae tem vindo ao mer- coe, teodo liso e en trancado por preco
cado. moito barato.
ESPARTILHO.
No Bazar do Pavao recebes-ge om elegan-
PECHINCHAS
TAPETES
Cbegoa para o Bazar do Pavao o mais
elegante sortimento de tapetes grandes, pa-
ra lea, com 4 cadeiras, ditos mais peque-
nos, para doas cadeiras, ditos para
pianos, camas, poetas ; etc. venle-se por
meos do que em oatra qualquer parte.
ROUPAS PARA HOMENS
No accreditado Baiar do Pavao encontra-
r o re mento de roupes para bomens tanto bran-
cas como de cores, a saber:
Camisas coa peitos d'algodSo e delinho,
oara todos os precos e qua'idades.
Cero ilas de linbo e algodao.
Mm cortas francezas e iBglezas.
Patitos sobrecasacos de panno preto e
casemira.
Calcas de brim branco e de cores
Ditas de casemiras pretas e de cores, com
rolletes iguaes
De todas estas roapas ba para todos os
preces e qualidades, e tem de mais mais
om perito
ALFAIATE
Por qtiprn se manda fazer com prestesa
e aceio qualqosr peca de obra a capricho
oa go-to do freguez, teodo n'oste importan-
te estah'Mcimento todas as qualidades de
panno fino, as melhores e mais moder-
aas casemiras, assim como os melhores brins,
qur hrancos, qar de cor ; e qoanio qual-
qner obra nao flcar inteiramente ao gosto
dos freguezes fi;a por conta do estabeleci-
ment.
TOALHAS A 70500
No Ba-ar do Pavao fez-se orna grande
Jom-T de toalbas alcochoadas, proprias
para rosto, bastite encorpadas e grandes,
que Betflpre se venderam a\l20OOO, e li-
quidams- a 7*500 a duziajOu a 640 rs.
-jada ama, boa pechincba.
CORPrNHOS BRANCOS A 30000
No Bazar do Pavao vendem-se corpinb.03
decimoran fcrancus bordados, sendo fazen-
da e liqnila-se a 3(5000 por esiarem um
pon o maltratados, pecoincha, na roa da
Impemriz o. 60.
FU-m\,ES DE COR E BRANCOS
Vende n-se bunitos fostoes brancas e de
oores, roprios para vestidos e roapas de
menino*, sendo de cores a 800 ris o cova-
do e hrancos, a 400 e 640 ris, pe-
chincha, no Bazar do Pavo roa da Impe-
ratr-.z n. 60
CHITAS BARATAS
a 200 ris.
a 200 reis.
a 200 reis.
Veo lem-se cbitas largas com muito bons
pannos e cores fizas, pelo baratpreco de
200 ris o covado ; cortes das mestnas com
10 covidos a 20000, pechiocha, no Bazar
do Pavao.
AS CASSAS DO PAVAO
Covado 200 ris.
a 200 reis.
a 200 ris,
Vendem-se bonitas cassas de cores miu-
din'as pelo barato preco de 200 ris o co-
rado, no armazem do Pavio roa da Im-
peratriz n 60.
PANNOS PARA SA1AS A 1*000, O METRO.
No Bazar do Pavao vende-se bonit i (a-
zenia hraoca encorpada para saias, sendo
com baados e pregas ie om lado, dando
a largura da fazeoda o compri aento ta
sais, a qual se ple fazer com 3 ou 3 4|2
metros e vende-se a 10, 44280 e 10600;
as>im como tambero, no mesmo estabeleci-
ment se ven le booius sai s brancas bor-
dada, ten lo quairo pannos cada urna, litas
de I3a de cores j promptas, amas com
barras d Eferentes damesma fazenda 4)000,
e ouiras com barras brdalas 60 e 701)00,
todo isto moderno e barato.
Eua da Imperatriz 60,
Para veader deaaroMta
LINDAS JAPONIZAS PARA VESTIDOS A
A 600 RS.
Gbegoa- um elegante sortimento de litas-
te sort ment dos mais modernos e meho-j urnas do Japao, com padrees de seda e de
res espartilhos. que ae' veodem por preco mpft0 Doa qnalidade. que se vendem
muito em conta.
CARNAUBA.
Vende-se caroanba em saceos, oa roa da
Imperatriz n. 60. Bazar d i Pavio.
TARUTANA^ L1STRADAS CORTE A 65500
C'iegr a par o Bazar do Pavao um bonito
sortimento de tarlatanas lismd.s, sent
verdes, rr do rsa, lirio, teodo esta bo-
nita fa7.enda rauita pantasia. e bqoda-se
cada corte a 6*3500, pechincha ; na roa
da Im eralriz o. 60.
CASlQUINHOS DE GUIRE A 400, 120,
ib\.E*0,J.
Cbegaram para o Bazar do Pavo os
mai molemos casaqoinbos oa basquinas de
goipure com cintura, ricamente eofeit-idos
com lacos, e vt-ndem se pelo barato preco
de 10*, 4 !5, 460, e 200, pecbincba,
ra da lape atriz o. 60. *
LENCOS DE IORIM A 3500 A DZIA
VHudem-se duzias de lenc;>8 finissimos,
branc s de rocrim, sendo fazeoda muito
encorpada, a 35u0 a dezia. Ditos de
PANNOS DE CROCH PARA CADEIRAS
O Bazar do Pavo recebeu nm grande
sortimt'hto dos melbores pannos de croch,
proprios para cadeiras de balauco sotas,
pianos, t alborotes e al proprios para cu-
brir almifadas e pratos; vendeodo-se por
menos do que em qaalquer parte.
PARA LENCOES
No Bazar do PavJo vende-se saurior
bramante d'algodao com 40 palmos de lar-
gura a i(5800 o metro, dito de linho com a
mesma largura a 20800 cada metro, pannos
ds Inhodo porto com 3 4/2 palmos de largura
de 720 at 4<5 a vara, assim como umg ande
sortimento de H-mburgo oa cregueilas de
todos os nmeros, prec/'S ou qualidades,
que se vendem mais barato do qoe em nu-
tra qnalqoer prt); aproveitem-
ATOALHAOS
No Bazar do 'Pavao vende-se superior
atoalhado traocarjo, com 8 palmos de larga-
ra a 4)9600 o metro, dito cado o melbor que tem viodo ao mercado a
30500 o metro ; tudo isto muito barato.
FAZENDAS PARA LUTO
No Bazar do Pavao vende-se constante-
mente o melbor sortimento de fazendas
pretas para luto, como sejam :
Laasiohas Tetas lisas.
Cassas pretas de lia.
Cassas pretas, francezas e inglezas, lisas
e com salpico?.
Chitas pretas de todas as qaalidades.
Alpacas pretas lisas.
Ditas lavradzs com branco.
Merinos, cantos, bombazloas, qoe sa
vendem mais bant do qae em oatra qual-
quer parte.
CACHR-NEZ A 60000.
No Bazar do Jav3o vendem.se bonitos t
grande* cacbi-nez de pura la, pelo bara-
to prec) ie 6-5000 cada nm
PEIIICNCIIA EM CAMBRATAS VICTORIAS, A 50,
60, 70 80Of0.
Vende-se um ex den di lo sortimento de
finissimas cambraias victorias, por preco
mais baratas do que em ootra qualquer
parte, ieado cada peca 10 jardas a 50, 60,
60500 e 70UO, fiuissimas a 86500 ; todas
estas cambra.as valem muito mais dmheiro
e Hqoidam-se por este preco em relacao *
ama grande compra qae se fez no Baza
do Pavao.
BABADINPDS
No Bazar do Pavao vende-se om grande
sorumento dos mais finos babadinbos borla-
dos tapados e transparentes, assim como
urna gran te porco de entr-meios largos -
estreitns. que para acabar ee vende mnit
em conta e mais barato do que em outra
qualquer parte.
3EHNSDE CORES E GROSDENAPLES.
No Bazar do Pav3o vende-se um sortime -
to completo dos melhores setins e gros te-
aapies de todas as cores, que se veodem
moito em coma.
Calchas branets i 302<>O, 30500 e 70000.
Para o Bazar do Pava ebegou om grande
sortimento das melhores colchas pretas,
sendo das meibnres e uais encordadas q tum viodo 70000, ditas om pouco aais
baixa 3-J500 e ditas 3020o; tamb^m no
mesmo estabelecimento, se ven te um gran ir
sortimento de crotones e chitas proprias
para colchas que se vendem maito em conta.
Sedas de quadrinhos a 40280 ao corado
Vundi-se nm elegante sortimento de >eda.-
de quadrinhos, com lind ssimas cores, para
vestidos e roopas meninos, e vende-se
40280 cada covado; pechincha no
Bazar do~Pav3o.
CHALES DE RENDA.
Chales 2.00>.
Chales i 2000.
Chales i 2000.
Vend'-se ama grande porfo de chales
pretos de rend ou croch, seodo pretos
com 4 pontas, fazenda que sempre se ven-
den 50000 e li |uid .-se a 20OUO cada um
pechincha no B.zar do Pavo, a raa da
imperatriz o. 60.
500 rs. o covado. pechirjcha, no Bazar
do Pavio, roa da Imperairiz n. 60.
POCPELINAS DO JAPA0 A 4|600 O COVADO.
Cnegou um elegante sortimento oe lin-
dsimas- poupeimas J^ponezas, com os
mais delicados gostos, tando maito lustro
e com listrinhas de seda, sendo esta nova
fazenda quasi da largara da chita france-
za e vende-se pelo barato preco de 406GO
cada covado, no Bazar do Paao..
AS POUMUNASbO PAVO A 20000, 0 COVADO.
Cheg o para o Bazar d Pavao um bo-
nito sortimento das mais modernas e ele-
gantes poopelinas de lioho e seda, que se
vendem pelo baratsimo pre?o de 20000
cada um covaJc, assim como ditas com
go tus escossezes a 20400, pechiucha do
Bazrr do Pavo.
SEDAS A 20000
Chegou a a elegante sortimento de boni-
tas seda* de listrinhas, com as cores mais no
vas qoa tem viodo ao mercado e veudem-se
a 20000 o covado, na raa da Imperatriz
Bazar do Pavo.
CRETONE FORTE A 20000 O METRO
S no Bazar do Pavao.
Chegoa o verdadeiro cretone francez pro-
priopara leocoestendo lo pamas de lar-
gura, e mnitoencorpado, sendo precito ape-
nas para cada le col 4 '/i ou 4 '/j metros, alm
d'esti appli;acSo tambem esta larga e en-
corpada fa/enda prepriapara toalbas, saias,
realas, etc. e liquida-se pelo barato pre-
go de 20000 cada metro.
CASEM1R1S A 20500 CADA COVvDO
No Bazar do Pavo vendase um grande
sortiiu nio le bonitas casemiras de urna
cor, .sendo aul, lirio, moeclada, seo-to de
duas larguras, proprias para-calcas, palito',
e roa as para menino, e vendem si pelo
barato preco de *05OO o covado, raa da
ImpfiNitriz n 60.
BONITAS LASINHAS A 500 RS. O COVADO,
Valide-** delicadas laasinhas com diff-
reotes gosto pelo-barato preco de 500 rs.
o covado, no Bazar do Pavao.
ALPACAS BRANCAS.
Veole-se um bonito sortimvito de finis-
simas alpac^s braocas lavrada-, imitacao
de seda, proprias para vestidos de baile on
asanientna no B^zar do Pav3o.
ALPACAS LA Vil ADAS A 400, 560 E 640 RS.
Veode-se om grande sonimento de lid-
das alpacas lavraaas de todas *s cores para
vestidos e veodem-se a 400, 550 e 6i0
e ai mil e tantos res o covado, no Bazar
do Pavo.
BAREGES DK QUADRINHOS A 600 RS. 0 COVADO
Vende-se as mais lindas e moderuas la-
sionas on bar gs de quadrinhos, proprios
para vestidos, tendo qua.M largara de cbita
'rsnceza. e I quida-se a 640 ra. o covado,
no B>zar do Pav8o.
MERINOS DE CORES RARA VESTIDOS.
Vende-se bonitos merinos ae ama so
cor com cores roaio proprios'para vestid"
e roupas pa-a creancas por ser ama fazen-
da dn pura laa e muio leve, vende-se a 10
o covado, no Bazar do Pavio.
GLACS A 10UOO PARA VESTIDOS.
Vende-se um eleg ote sortHDHOto den?
nova fazeoda d-momi' ada glaes seado umn
fazenda de lia maito larga e com delca-
lissimis cores, tendo tanto brilho como a
seda e vaode-se pelo barato preco de 40,
ce vado, no B izar do Pavio.
CASEMIRAS A 70000
Veodem-se c rtes de casemira inglesa de
cores para calcas seodo ftieod que vale
mano mais diheirt) e liquida-se a 7000o
o corte de calca, no Bazar do PavSo a ra
la Imperatriz o. 60.
jue de Caxiae n. #S
IWkVHpaiMa Dio qnerendo deixar de lem
brar a todos feralmente, e com espeeiatldade i
9ua eonUiata fregnezia, o que ella val recebendo,
UMe atis quaato aoroxina'se o lempo em qoa
todos parecer mal diapoatos para auavar ai
fadigas paseadas, isto , aproxima-se otempolha-
madi a testa; ella apressa-se em mencionar o oto
tem recebido ltimamente, pois eoaio sabem, o
seus objeetos priman sempre em gusto e saperia-
ridade, assim pois os apreciadores, do bora diri-
jam se $ Nova Esperanza afim de compraren o
que de merhot1 extsie no mercado, como seja :
M Jemos aderemos de urtaraga e madreperola.
Agulhas para bordar em lia.
Lindas caisac de conre da Kossia proprias pa-
ra presentes, contend tres francos de crystal com
fln >s extractos.
Bots agnlhas cantoa.?.
Um va iadissimo ortmeoto de modernos enleU
tes para vestidos.
Espnrtilhos de muitas qaalidades.
Bonitas e elegantes esixas para costura.
Tbtes I de sefla para crochel, de bonitas cores.
Lindifimes bonecasyetidas e despidas com que
se agrada porfeiameote aqs meninos.
Delicados raro8 de (lores de laranja com 1 lit
metro de cbHiprmebto para regac/> de vestido de
noiva?.
Bonitos vasos com banba com dsticos de appe-
lidos brasileiros proprios para presentes.
Modernos pentes dourados para senboras.
Bons telescopios eom bonitos e intere$santes car-
loVs de vista*.
Fiaas cadeias de cabellos e pla^o para relogios.
Fio* MboneMs de areia para awac aras maos.
Boas meias d lia para lameos e senhoras.
Um grande sertimeiHo de finas thesouras e ca-
ivetes de mnitas qnalidaoes.
Bonitas meias de cores para bomens e senboras;
ornada alpaca.
K-i.i pomada preparada eom tutano de urco
pelo afamado fabricante Piesse A Lubine, e real-
mente muito boa, e um verdadein antidoto pira
as caspas, e existe somente ra Duque de Casias
n. 63, na Nova Esperanca.
Perfumaras
As melbores, e do mais conhecido fabricante,
tanto francez como inglez, estao expostas venda
na roa Duque de Caxias n. 63, na Nova Espe-
ranca.
Extractos, banba, oleo, jabonetes, agoas de co-
lonia, de laranja, florida e de lavando, etc., etc.,
tudo de superior qualidrde vende-se na Nova
Esperanca ra Duque de Caxias n.,6^_______
GIAUNOMDI
Quando a. AGOTA BRRNCA, mais precisa scientificar ao reapeiUvel _-
geral, e em ptrlicular a raa boa fregoezia, di immensidade de objeetos qae nltiiL
te-tem recebido, josUmentetquado ella menos o pode fazer e porque essa falta
lantana ella confia e espera na benevolencia de todos qae lh'a attenderao e reU
continuando portanto a dtrigirem-se a bem contaecida leja da AGUIA BRANCA i na di
Qaeimado n. 8, onde sempre acharto abundancia em sortimento de superioridaf e
qualidades, modicidade em presos e o seo nunca desmenttido AGRADO E SINCERIDAD!.
Do que cima flea dito se coohece qoe o tempo de que a AGIA BRANC t poda
dispflr, empregado apezar de seas castos no desempenho de bem servir a aquellos qae
honram procurando prover-se em dita loja do que oecessitam, entretanto sem eiaftaia
rar os objeetos qoe por sua natureza sao mais conhecidos ali, ella resomidamentebdi-
car aquellas caja importancia, elegancia e novidade os tornan recommeadtaeia, eaaa
bem seja
Corpinbos de cambraia, primorosamente
enfeitados eom fitas de setim e obras essaj
caja novidade de molde e perfeicJo de ador-
nos os tornam apreciados.
Fitas mni largas de diversas coree e qaa-
lidades para cintos.
Leques uesse objecto moito se poderia
dizer qnerendo deacrew-los mimiciosamente
por suas qaalidades, coree e desenoos, tal
o grande e variado sortimento qoe aeaba
de ebegar, mas para nao massar o preten-
dere se lhe apresentari o qoe poder de
melhor.
Entremeios em pecas de 12 tiras.
Gwpore branco e preto de diversas qaa-
lidades e desenhos.
Ditos de algodao com flores e lisos.
Veos de seda para chapelinas e monta-
ra.
Meias de seda para noivas.
Ditas abortas de fio de Bscossia.
Costumes oa nnformes para mecios.
Enxovaes completos para baptisados.
Touquiohas de fil, sapatiobos bordados
e meis para ditos.
Camisinhas bordadas para ditos.
CHEGArUMi
Poqos instaut&neos aperfeiqo-
ados por preqo muito commo-
do: na rua Nova n. 28, loja de
Antonio Pedro de Souza Soares.
Bombas completas para ca-
cimba, por diminuto preco, na
mesma casa.
CEMENTO
O verdadeiro portland. S se vende na rua da
Madre de Dos n. 22, armazem de Joo Mirtins de
Barros
MACHINAS NA
COSTURA
Acabam de ebegar ao GRANDE BAZAR
UNIVERSAL, rua Nova n. 22-carneiro
viajsnaum completo sortiraeot de ma-
chi aas para costura, dos autores mais co-
nhecidos, as quaes estao em exposiclo no
mesmo Bazar, garantindos-e a sua boa qua-
lidade, e tambem ensina-s com perfeicSo
a todos os compradores. Estas machinas
sio igaas no seu trabalho ao de 30 costu-
reiras diariamente, e a sua perfeicao tal
como da melhor costureira de Paris. Apre-
sentam-se trabalbos execntados pelas mes-
mas, que muito devem agradar aos preten-
deres.
Capailas brancas para menioas.
Graode sortimento de flores latas.
Fil de seda pjeto.
PERFUMARA
Grande e consunto sortimento de dita,
sempre melbor qoalidade.
Lirios vasos com pos de arroz e piosel,
CabriBbas com ditos aromticos.
Bonitos e modernos pentes dooradee pa-
ra circular o erque.
Bonitos brincos de plaqueo.
Aderecoe e brincos de madreperoi
Caivetes finos para abrir latas.
Thesouras para frisar babadinbos.
Aspas para balao.
Novos stereoscopos com 48 vista*, ai
|*qoaes sio movidas por om maciumim
urnas substituem as outras.
Vistas para stereoscopos.
Bonitas caixinhas devidro enfeitadot co
pedras.
Ditas de raadeira envernisada com vispo
ras e com dminos,
Bollas de borracha para brinquedo t
crianzas.
Diversos objeetos de porcelana, proprio
para enfeites d mesa e de lapinhas.
mmmmmmm^mmmm mmmmmmmmwmmnmwm

2
O
I
N. a A NA NCAMJGii N. 3jt.
AMTI10& ItllOS
0
09
Com este titulo acha-se aberto e inteiramente transformado este antigo
estabeleci ment dejoias, onde, os freguezes amigos encontrarlo tudo qnaoto
a moda e o bom gosto tem inventado na arte de ourivesaria, o Collar de Ooro
observar delicadeza no trato e seociridade e modecidade nos precos.
Espera qae o respeitavel publico venha ver o que existe de melhor em
aderaos de brilhantes, esmeraldas, robios e perolas, meios aderecos, pnl-
ceiras, brincos, alfinetes e anneis de todas as qualidades, prata de le faqaei-
ros, colberes, paliteiros salvas e outros muitos objeetos que seria enfadonho
mencionar.
Compra-se ooro, prata, brilhantes e pedras finas, pormaior preco de
N| qoe em outra qualquer parte, troca-se e concerta-se todo e qaalquer objecto
perlencente a esta arte.
A ARARA
S
S
S
LINOAS BAREGES A 320 RS. 0 COVADO
No Bazar do Pav3i vende-se o mais bo-
nito sort meoto de floissimas ba reges trans-
parentes c< m as mais bonitas listas de core*
propias para vestido, e li-ju da-se a oitic*
o covado por esteos muito prximos da
fe trosa e com lindas cores a 400 rea o covado,
pe binchi a i ua >a epumiris o. 6i).
LENgOS DB iASS\ DUZIA 3 Vende-u-8e fioissiaos lenco* de cassa
com decad-is cerca turas,, de cor s flxa*
cambraias finhsims, fazenla qne iemprejja mba hids, sho lo proprio para bo se veuiHu a 50OUO e liquidarse a 3f600 a e senh-ras pelo baratissuin preco do 3^10 0
dnzn por h*vrr mait porpao, oo Bizando'a duzia, no Bazar do Pavio a ruada Impe-
60.
Pavio a roa da Imperairiz "o.'eU |ratiiz n.
0 Bazar do Pavao sito a rua a Iiiperat GBANOE PECHINCHA EM CAMBRAIAS TRANSPA-
RENTES A 40, 50,60, 80, E 100000
Veode-se Guissima* camb aias suissas, d
L moita phantasia tendo 9 varas a 80SOO e
1O0OOU. Unas bNpo com 10 jardas "fazen-
da muito una a 50, 60 e 70000. Ditas ti-
oissimas azul idmbas, qoe v lioheiro, a 0 e 10#-jo-j: t^das estas cam-
brias, em relacSo a qualidaie, plos pre-
fos ac'ma s3-i mais baratas do qae em oo-
tra qualquer parte, oo Btzr do Pavli.
CAMBRAIA ALLEMA COM 8 PALMOS DE LAR-
GURA A 11600, H B SifiOO.
Veoie-se lim>sim< cambraia branca tran-
pa eote eom 8 palmos de largora, qoe fac
la fazur-se \ varas e liquida se a l6O0, 0 e 20500
vara, faenda que fale moito mais dioheiro
b pecbiocha no Baar do Pava.).
CAMBRAIA TRANSPARENrE
Peca a 40000
Vende-se muito finas pecas de cambraias
brancas transparentes, Jendo8 l| varas ca-
da peca e com om vara de largura a 40.
E pechincba, no Bazar dn Pava >
A' rua da Imperatriz
n. 60.
oa alapa-se os artnazens que foram oceupados
com a fabrica de sabao e destilaco do Sr. coronel
Franca, na ruada praia de Santa Rita nova, os
qnaes offerveem proporedes para bem se montar
lualqner fabrica de gran le estabelecimento, con)
a- Brande vantagem para embarque e desembar-
que : a tratar com o rommendadur Tasso.
5
ATTENGAO
CAL MVA i LIMA
Vende Joaquim Jos Ramos :
n. 8. i* andar
na rua da Crui
terv ja branc i e preta
DA
JItKCt %
engarrafada por
Bloodo Wolfe&C.^
tspectfdm'-nte para o Ilrtisil
NICOS AGENTES EM. PERNAMtUCO.
/. Jefenes $ C.
46# Rua *io U'mmerc:o 46.
Farlnha de maaidloea.
A bordo do brijfiie Mana & Virginia, fundeado
em frente ao trapiche Bario d-> Livramento, ven-
de-se superior farinha de mandioca, reeem-ehega-
da de Santa Catharioa, em porelo e avarejo : a
tratar com Jos Victorino deReiende & C, rua
do Marques de Onda n. 51.
ATTENCAO
Em Olinda, rua doa Milagres, taberna n. 1, ven-
de-se farioba de mandioca muito superior em
sancos e a retalho p>,r barat prego ; tambem tem
porcSo da de S. Mathfa par animare._______
Cacados fraqcezes
Grande sortimento de calcados franceze9 para
homens, senhuras enancas, botinas de setlme
dora ue bran;o, ditas de cores, sapanhos borda-
dos de setim braneo.ditos deduraque de cores para
senhora.pelo prco mais cornmodo ds que em ou-
tra qualquer pirte : na loja de calcado da bou
ouro a rua da Gru nt II, sobrado amarello
Loureoco Pereira Mends Guimar5es, participa a todos os sens devedore
tanto da praca como do mato que estando I qoiriando suas casas commerciaes. o qoa
deve fazer at o flm do correte anno, por lsso rosa a todos os seus devedores a virem
saldar seus dbitos o mais breve possivel; ootro sim, declara aos seos devedores, qoe
os que nao estiverem oa loja tem o abatimento qoe for treciso para a liqmdacjo de saas dividas, para isto poderlo di-
rigir-se roa da Imperatriz n. 72, loja da Arara.
I
Ao resto das pechinchas
Vende-se cortes de castores para calcas, bales de arcos a 10000.
a 600 rs. Cortes de bris de cores a Ve-de-s* bai5ss de ftf a 3' arcos a 10
10500; cortes de gangas para caifas a 10, e 105 O cada um. Cortes de cassas' em
cortes de casemms preta para calcas a papel a 205un cada um, para liquidar.
30500, 40,50 e 6 Crtes de editas a 2:300. naos de largara o 40600 o metro.
Veode-se cortes de chitas para vestipesj Pao-o de liBboa 760.
a205O. Ditos de cassa para vestidos a Vende-se brauante de 10 pelm s de lar-
2050o. | gura proprn- para lencea a 20800 o metro.
Lencas de&edaa 80" rs.
Veode-se orna pi rcu de lencos de seda
a 800 rs. cada om.
Chafes de eassa a 10000.
Veode-se orna granbe porejo de chale
de cassa a 10000 cada om, para liquidar.
Fost a 360 rs.
Veode-se fost3o de cores para vestidos
a 360 rs. o covado.
Algodao nf estado a 900 rs.
Vendi-se ah dio enfestado para leoeei
e toalbas a 900 rs. o metro, dito transa-
do a 10200 o m tro.
Chales de merina estampados a 20000.
Vende se coates de merm estam jados
cm barras a 20, 20500 e 3 i para acabar
Gran le porco d* retalhos.
Vende-se grande porca j de refalhos da
cassas e chitas a 240 rs. o covado.
60
um cavallo gorda; manso, bom andador e 9<*rfl
achaques: os pieteneates podero procurar in
fornjaedes nn primeim andar do sobrado da roa
60, esta* constantemente aberto *'-*'**'*
a A liiiitaa ra moviSS,. ft J l "-vvmouuo Ul IV Na cocheira da roa 4o Inperador n. 27 ven
aaS O OraS (la raaniaa aS y dU nOUte. de- orna excellente burra de carro, cabriolet e
de sella.
Pechin-ha a 40000.
Vende-se pecas de algodao a 40, 50,
e 70000.
Para liquidar a 30500.
Peca 4 de madapotao com 12 jardas a
o$500. Ditas de dito com 24 tardas a 50,
60, 60500, 70, 80 e 900 O.
LIQUIDAgAO.
Pecas de algodl -sinho de listra proprio
para roapas de e-cravos c*-m 42 jardas a
tj4500 a covado toO rs. p ra liquidar.
Chitas escaras para vestidos a 280, 320
e 360 rs. o covado.
Para acabar.
Vende-se pecas de cambraias victoria, fi-
nal a 0, 60500 e 70000.
r nanita barato.
Colarinhos de papel a 210 rs. a duzia.
Cnrtiaaes para janellas a 50000.
Vende-se cortina; os p*ia janellas a 50
o par. Brim pardo liso para calca de ser-
vico a 500 rs o metro.
Cortes de percales a 60000.
Veode-se cortes de percales d duas
saias de bonitas barras a 60000.
' C menas de chita.
Veode-se a 10500, ditas finas a 25500,
ditas eacama las e adamascadas a 30500,
ditas forradas 50000.
Gangas para calcas a 280 o covado.
Bri n de listra ao lado para calcas a 400
rs. o covado.
Lencos (trancos a 20000 a dnzia, para li-
quidar ; graode prelo de mantas para
ratatas a 200 rs. cada orna*pa liquidar.
Cassas francezas a 280 its.
Veode-oe cassas fraocesas para vestidos
a 28) e 320 rs. o- covado.
Orsandys >ie cores para vestidos a 400
e 640 o covado
Alpacas de oores para vestidos a 500 e
6*0 rs. o colado.
A festa est na porta
Roupa reta encontrara o
Por precioso razoavel
Todos seenroni arao.
A SABER :
Uqaidaeit de rtapi felta.
Veode-se paiitots deonnsiano de finno
proptio para andar em casa a 10500 ; di-
to< de ganga a 20000 ; ditos de saea ca
sem-ra a S&000 ; ditos de alpaca de cor
a 30500 e 40'OO; ditos de paoeo no
pre o t 60, 80 e 100000 ; ditos d
miras de cores, a 60 e 80 >o0
de cassinetas de eres, a. 10500 >
brins de quadrinhos a 10000; d.ioaideca-
semiras de cores, a 20500, 3 J e *0OOO.
Calcas zoes para eacravos a 00 ./JgJ
de algodiosinho de ^Sj .,f
de brim par lo a 10600, 20 e^20500 di-
tas de dito branco de linho a 30oO
eoetes
ditos de
70
di-
L'asinhas para vestidos a 330, 400 e 510
rs, o covadp.
0 proprietario da loja deoomioado Arara, declara ao respeitavel pQDnco e
seus fregnezes qae esta coocloiodo so qnidacao. por is*o quem quizar momr-se
noas fazendas por pouco ooejro tenha a beadalede dirigir-so ru da lmperauTi d
72, desde as 6 horas da maobaa as 9 da aoote.
dita- de casemiras de cores a 54,M
e 80' 00 ; camisas de bita a lwu ,
Us de aUodaosinhi. W'"." . 5^:
vico por ser fazeoda for.e, a 10280 ,*t
de muso loa a 10600 rs. P-rt bjaidar
"
te
1


I ippwi
/.

I
Diario d JPefjaaail>uco (tttttft em 36 i Novflibro
Tem venda em seus armazn?, alm de outns
artigos de seu neg o regular, os seguiite, que
eslao vendendo a preces mais baratos que em ou-
ira qnatquer part; :
PORTAS de pinho alrmrad.ida<>.
FARELLU em sacies randas a 3&3Q0.
GRADES de ferro para cercados.
ESTKIRaS da India para cama e forrar sala.
"ANOS de barro francer. para esgoto.
G-8SSO superior em barricas e as arrobas.
CEMENTO de lodas as qualidade baixos
precos.
MACHINAS de devanear algodlo.
BARRIS grandes com pe'ixe da Suecia.
LONAS e brimoes da Russia.
OLEADOS americanos para Torro de carros.
FOGOES americarios milito bons e econmicos.
VTNBO rte Bordeaux em caixas.
COGNAC superior de Gaulier Freres.
MILHO de Fernando a 3 osaceo.
AGUA florida;
BARRIS de carne salgada do pnreo e de vacca
Farinha de mandioca de Santa
Catharina.
Ha para vender da milito nova e superior
chegada recentemrnte pelo patacho rabe
e barca Sonta Mana ; por pirro commodo,
a bordo dos referidos navios fundados de-
fronte' do trapiche do Exr> Sr. barao do
Livramcnto ou eni3o para tratar cora Joa-
quim Jos Goncalves Betr5o, no seu es-
criptorio ra do Coraraercio n. 17.
A loja de cera a praca do Cunde de Ea :
tratar na mesma.
a- AZI1LRJ0S
AZULEJOS.
Ha para vender alfUjOS inilheiros dos mais lin-
dos azulejos, viudos par encoaimenda de alguem
que por circunstancia ps dispen-a. No armazem
de Tasso Irmr.n^Sc C, pr.ica do caes de Apollo
ao p da ponte provisoria.
Acabam de sabir a luz as se-
guintes pecas para
.r%..L
Urnalinda walsa d'Arditi
Ideal e realidade muito benita
pbantasia pelo maestro Cazul-
bore
Pjstiihlolinda phanlasia ejecuta-
da com grande applauso pela
msica allema
habaneras Jindas dansas para-
guayas, que tanto furor aqui tem
feito
ACABA DE PUBLICAR-SE
i .lecfii de msicas dos cavailinbospara
I-5XK)
,0000
1,5500
10000
HRecebeu mais grande sortiim-nto de mu-
ecas para piano, e piano e canto, e tambem
i ^pera
IL
Grande reunio!!!
Ra cfo InrppfVfor n. 2b* ar
nazem do C*n>pc.
Gom*.sftst tpwmawto o teDwK dos vegabo-
fer, o prQpGM-#io dtsie etabeleeiniiiuto tem se ,
esmerado era Tazer reunir em seu aro,azem un
completo e varia J:imo .ortimanto ds gneros
ilimetotflos.
Nao aa propS* desrrever nominalmenlu |;.dos
o? genero cojuidt em seu arr>HZm por se tor-
nar de oais enfad) iho.
Garante somente, qu- sua norma de ha muito
wmpo Vender pao i .r fia e qm-ijo por qoelio.
Avisa especiatmcute aos fumantes, que receben
de sua .especial' encointuenda urna factura de cha-
rutos superiores de S. Flix da Baha, da? stguin-
les marcas : exposica, marquezes, normas, ama-
dores e paragoassuinoj.
Venham todas as dispensas dos arrabaldes e ci-
dade suprir-se de gneros de primeira qualidade.
Farinha de mandioca da Baha.
Tem'para venfljr muito nova o superior.
em sacC33, a prego ma1* commodo do que
era rjtri qoalqir parte: Joaquim Jos
GoWlvos Bcltrtto, nrseu escriptorio ra
do Cbmir.ercio n. 17.
Na ra do Hn-) da TriumplM, amiga do
Brum, p.ti, vende-se o segointc p.>r preco m-
dico:
Cal de Lisboa da maip nova que lia no mercado.
Bqlinetaa para barcadas e hiatos.
--.-



vhiMtbKQ&m
DAsPILULASortttCAfiD
[CAVE TJdLtH)
A ussa correspondencia do Brasil aos fax
saber que as pracas d'cste paiz achao-se
actualmente inunda/las por urna multiddo de
fatei/icare* vi: dos nossos productos (textua!.
Paiugaranlir-se contra estas composijocs
mais on menos periaosas, que cscondem-se
d'essa maneira por dtraz das nossas marcas
de fabrica e mesmo da nossa firma, rogamos
aqui com instancia aos mediros c aos (l-
enles de assegurar-sc sempre a 01 igem das
Pilulas que traaem o uosso nome, appcuando,
entre outros mcios prcticos, pea boa f dos
nossos collegas, os pharmaceulicos. Nad de
duvidar que n'uma questao que inlressa tafl
seriamente a Mude publica e a moralidade do
AAo-M as nouBi Pilulas
cominercie, estes^ honrados nlvrmediarios.1
nao se mostrem dignos da co'nlianca dos scu. J
freguezes; nao de duvidar igualmente rjao'f
repudiando toda solnridade com os falcift-
cadores e os seus rumplices, elles n\o s cito un dever 'oii em diaute de procurar
as VEMUDEIKAS Pll.LL.VS DE Dl.'.NCvIID "eill
origens certas, er.derecando-sc, quer a ns-
mesmos em Paris, qner indirectamente aos
nossos principis correspondentes, ou entio
s casos as mais recom- xf/ )y
moinlaveis da *w^fy
5^
ou do sen paiz.
Pharmacttko, ra Uonpparte, em Parit.
nal jiiiaeipaes j?ho;raacas.
NOVIDADES
DO
7 Ra do Queimado 7
DE
M0RE1RA & BASTOS
E' ebegado a este novo estabelecimento o mais bello sortimento de fazendaa
loas, leudo sua especialidade enxovaes para noivado.
Vestidos de blond de(sda ricamente boidados.
Gorguro de seda branco para vestido.
Colchas de seda pura, para cama cora ricos desenbos.
Ditas de ISa'e seda, id- m idem.'
Ditas de crox, idem idem.
Cortinados ricamente bordados para cama e jmilas.
Croxs para cadeiras e sofs.
Vestidos de cambraia branca bordados.
Popelines de lindos gostos.
Las de diversas qualidades, lindos gostos e moderua.*.
Ricos b.urnus para passeio, com listras de setim.
Sahidas de baile o que ha de mais rico.
Cretones para vestidos com lindos desenbos.
Carnizas bordadas e sem bordados para senhoras.
Camisas bordadas muito finas para homeus.
D tas inglezas para bomens o meninos.
Seroulas de linho, e um grande sortimento de roupas feitas e de fazendas que
i eufadoubo mencionar.
Luyas freseas dt Jouviu
Sortimento de tapetes para guarnicoes de salas, alcatifas para forro de sala, e o
(rande sortimento das acreditadas e verdadeiras
Esteiras da India
ilpoitas n. 53, ra Direita, 3 porta* n. ',anliyat
loja do Braga
O abaixo assignado, dono deste antigo e.-tabelecimonto, tendo em vista apre. completo sortimento de ferragens, miudezas e colileria, tem resolvido mandar buscar era ?2
diversos pontos da Europa os melhores objectos de sea estabeleciruento dos fabricantes |
mais conbecides ; pelo que convida ao re*peitavel publico e a seus numerosos freguezes, j&g
virem se servir dos objectos de stra carencia, atnde cncontrarao por meces 10 OO do que S
em outra qualquer parte, nm sortimento completo de machinas para descarocar algodS". 2
do bem conhecido fabricante Cottorr Gin c C, ditas para costura, motores pira cr.imae;, 2
ditos para fogo, moinhos para caf de todos os tamanbos, da fabrica do Japi, espingardas de fp
dous canos e de um, tauto inglezas como franceas, louea de porcelana, lacas e garfos jg,
de diversas qualidades e precos, bandejas chinezas, salitre, breu, barbante, enxofre, paprl e ^
limalha de ferro, aro, e agulha para fogheteiro ; assim como encoutraro constante- S
mente grande porcao de fogo do ar, e recbese encomraenda de fogos de vista, alem de um 8
. cera numero do objectos, que se tornara enfadwtiho numera-loa : venbara ra Direita n.. gj
o, ioja de Lenidas Tito Loureiru, amiga loja do Braga.
mu mmmm
w.
EHGEKHEmO
Com fundiQc
RA DD BRUI 52
Passando o ch.i'anz.
Chama a attencp dos Srs. de engenho para seus acreditados uiaciiiuismos t
;om especialidade para seus vapores que aiuda una vea leja melborado.
Os vapores fornecidos por ello o j funecionaudo Ihe ho e fazer melbor aprc
-iafo do que qualquer dito proprio.
Deseja tambem mencionar que ipm feilo urna reduccSo era seus precos; e que
tem prompto toda a especie de machiuismo e outros objectos para a agricultura.
PRECIOSA DESGOHERTA
6 MARAVILHOSO REMEDIO DO
DR. CHAS. DE GRATH
KIIMG OF PAIIff O RE DA DOR
IA.K.A XJSO IlVTEItlPO E EXTERNO
CURA CHOLERA CHOLERA MORBUS.
Diarrlie, fluxo da langne, .m om di.
r de cabera, e dorea de ouvido em
trai minuto i.
Jhr de dente, em xm minuto.
Vevtlgia, em cinco minntoi.
lHrioecoi, em Tinte miMtei.
OarjanU inchmdM, em dei minntoc
Odie e convuliAei, em cinoo miautoe.
Bhanmatimo, em um da.
SekM e febre intermitente, em um dia.
Sor nai eoiUi e noi ladoi, em des al.
mtoa.
Tonei perigoiu e refriado*, em um dia.
Pleuresa, em om dia.
Surdei e aithma.
Hemorrhoidaj e bronchitia
Inflammaco ao* ria.
Dyipopma, erysipelaa.
Koleatia* de ngado.
Palpitado de eexaele.
RESERVE SEMPRE ESTE REMEDIO EM SUA FAMILIA
AS DOENCAS SE APEESESTAM, QUAXIK) MENOS SE ESFEBAM.
OLEO ELECTHIOO O "KINO OF PAIN" (O re da dor) aquieta e poelUramente diaslpa mais de differrate*
Mleetlaa e dore, e alllvla mal oe ofllmentoi e produi um mal perfelto equilibrio no aystema humano, o que nao a*
pode effeetuar no meano tempo, com qualquer outro remedio medecinal.
Eate multo popular remedio eeU agera usando-M geralmeiite, pela raaao que mllbares de penoa* ae tem curad*
gratis com o dito remedio pelo Dr. Oratn e outroa mal*.
Eate Importante remedio nao s,offereoe para curar toda aa docncas, porem tao somonte para aquella* eittouladaa
as nocsas dlreecoe*. r
EsU operando no* principios da eblmlca e da eleotrlcldade e por Isso, est applleaTel para o euramento e par
restauracao da ccao natural dos orgdos que soffrem da irregular clrouU9oo dos fluxo* dos prlncipaes nerros. Oleo
elctrico O Klng of Paln opera dlrecUment* nos abeorrentee, faaendo desapparecer a* lnobaooes das glndulas at
em om tempo inerlvel, brere en perlgo do seu uso debeixo de qaalquer clrcumstanol.
O remedio, um medecina par o uso externo e Interno, composto dos elementos eur&tlros, ralles, berras, e caso*
Ues, como se tem usado dos nossos ntepassados, e das quaea tem grande exlstenol no mundo, par ourr toda* ai
molestias, somente sahendo-se quaes ellas sao.
rol um grande e especial desojo da raculdade de medecina durante multo* annos de experlenel para aprender o*
melhores modos que se derlam adottar par eurar as segulntes doenoas, e que proporf oes de medecina se dcvl* usar.
.llff.FPl

Tf
ISA.
EM PERNAMBUCO
PHARMACIA E DROGARA DE
BARTHOLOMEO & C
=34 Ra Larga do Rosario. IM. 34.
para piano e canto, e tambero os melhores
pedacos para piano f compo<';o do illus-
tre etmpe^sitor brasileiro
Carlos Gomes
qn8 tanto furor fez na Italia, e hoje faz no
Rio de Janeiro.
A' VENDA NA
O TNICO DELSUC que boje ap'reseiita ao publico, depois, porm, de um severo
exame e de reiteradas experiencias, tendo a certeza.de que possue urna superioridade
incontestavel a todas as outras preparacoes, qtieat hoje tem apparecido, recommenda-so Qmte.TaTrelroV^
por sua bondade, e pelo brjlbante lustro que produz nos cabellos, tirando imm'ediatamen-' oitavas a ...
te todas as caspas e coceiras, fa^endo com que ppareca em bom estar impagavel.
Esta agua compoc;-se de substancias cuidadosamente escolhidas, purifisadas, e
confeccionadas com o maior cuidado, e aTm disto combinadas de modo tal a dar-lbe
nma ac?5o verdadeiramente efficaz consoladora, e benigna.
Derrama-se esta agua na cabefa, e esfregase levemente; immediatamente ficam
os cabellos limpos e com um brilho maguifco.
Deposito
somente em casa do autor, Andr Del-u'-. cabedeireiro de Paria.
Ra Io de Afargo (antiga Crepo) n. 7 A Io andar
CASA CAUVIW AJKrama.
Pbarmaceutico privilegiado
suocessor
srh.i-iopc.i, an pars.
na do Crespo n. 9
Os propnelarios deste bem conhecido estabelt-
cimente, alm do? muito dbjectos quo linlism ei-
postos a apreciaco do respeitavel puMiro, maD-
daram vir e acabam de receber p*io ultimotajtor
da Europa um completo e vanado sortiniejiio >t
Anas e mu delicada espw-iabades, 33 qnaes es-
to resolvido* a vender, como de seu coirum.
por precos muito baraUr.bog e eommodds para te-
do8, com tanto que o Gallo....
Muito superiores luvas.de pellica, preH^rax
cas e de mui lindas coi es.
Mu boas e bonitas eollinbas e pnnhos para s*-
nbora, neste genere o ifae ha de mais moderno.
Superiores pen'es de tartaruga para coques.
Lindos e riquistimos eoeiles para, cabca di
Exmas. senhoras.
Superiores trancas pretas e de cores com vidr-
Ihos e sem eiles; esta fazenda o que pode tumi-
de melbor e mais bonito.
Superiores e bonito ieqvm de madrejjerol*.
marfim, sndalo e osso, sendo aquelles buncot
com lindos desenhos, e estes pretcs.
Muito superiores meias fo d Eseossia para pe-
choras, as quaes sompre se venderam p 30|10(X
a duzia, eutretanto que nos as vuiiJumos por 20*.
alm dcstas, temos tambem grande sartuvento dt
outras qualidades, entre a- quaes algtunas muiw
finas.
Boas bengalas de nrerior caima da India
castao de martim com linda*, o encHiitaderiig figu-
ras do mesmo, oeste gene: o o que de jhclhor s*
pode desojar ; alcm destas temos t?.mboin gran4
Juanlidade de outras qnalid des, como sejam.ma
eir, baleia, osso, borracha, etc. etc..ele
Finos, bonitos e airosos ehicutinhos- de cadeia *
de outras qualidades.
Lindas o superiores ligas de seda e borracha
para segurar as meias.
Boas meias de seda para aenhora e para tnen
as de 1 a 13 annos de.icde.
Xavalhas cabo de marhm o tartaruga para fazer
barba ; sao muito boas,e de mais a mais sao ga-
rantidas pelo fabricante, e nos por nossa vez taro
bem asseguramws'saa qualidade e delicadeza.
Lindas e bellas capellas para iNtiva.
Superiores agolhas para machina e para croze
Liuha muito boa de peso, frouxa, para enchei
Iabyrintho.
Bons barathos de cartas para voltarete, assin
como os tentos para o mes.no tim.
Grande e vanado sortimento das nilhores per
fumarias e dos melhores e mais conhaci'los per
fumistas.
COLARES DE ROER.
Elctricos magnticos contra as convoisSes,
facilitam a denti^ao das innocentes criancaa. So-
mos desde muito recebedores destes prodigiosa
collares, e continuamos a ri-cebe-los por tos
vapores, aftm de que nunca faltem no mercado,
tomo j tem acontecido, assim pois podero aquel-
les que delles precisarem, vir ao deposito do galle
vigilante, aonde sempre cncontrarao destes verda-
deros collares, e os quaes attendendo-se ao fin
para que &ao applicados, se venderao com um rotu
diminuto lucro.
Rogamos, pois, avista dos objectos que deiximot
declarados, aos nossos freguezes e amigos a viren,
comprar por precos muito rsroaveis loja do galle
vigilante, ra o Crespo n. 7.
Boulevard
NOVAS ESPECIALIDADES A. MARINIER
Ai>rese:>tacUs a Academia Sol> ii lorm i de Pjsij, devedida c descaes para
(jsi-r dr monirnl n-na folurro
INJECCAO
Prerestiva c curatira das MOLESTIAS CONTAGIOSAS
injectou ruiLino
l'
vouuiie r
riiii.Tito
um rrloci.i, srrvindo ds
C SERINGA swii os
graves iucunvenientes dt fragidadi.
ESTOJOS
Cum a forma, e di> roame de um Porte-Mocd
COTE.VDO TODO I/IATAME.VTO.
COLLYRIO Contra as alTeccois das palpebras,
preparado sob a mesma forma.
BARTHOLOMEO i C
Depositarios geral para e BRASIL, e PORTUGAL
34, ra larga do Rosario. FEIFUttAMBTJOO.
500
60
ItJOOO
8000
400
Sival sem segundo,
r \ai<{ii:i: c *aia tu. 4
(Antiga roa do Qncimado)
Contina a vender ludo muito bom
muito barato a saber:
Libras de areia oreta muito boo. .
Tesouras linas para utihas e costu-
ra a.........
Papis de agulbas francezas a ba-
ilo a.........
Caixas com seis saboneos de fruta
Libras de laa para bordar de todas
as cores, a.......
Carriteis de linha Alexandre a. .
Frascos com azeile para machinas
Grvalas de eorestinuito uas a .
Gw.as de boloA madepersla fi-
nissimos a.......
Noveno ie linha de 400 jardas a.
Caixas com 400 envelopes muito
superiores a...... GOO
Henies volleados para uieiiias a.
Tntenos com tota preta a 80rs. e
Pe?as de fita elstica muito fina a
Lata com superior hanha a 400 e.
Frascos de oleo Pbilocomo muito
fino a.........
Frascos de macaca perola a. .
Fiascos de extracto muito b -nitos a
Duzia de sabonetes muito finos a.
Sabonetes inglezes a 600 rs. e. .
Frasco com agua de colonia Pivera
Dito de oleo babaza a.....
Caixas de laraparinas a. .
Sabonetes a .forma menino muito.
superiores a.'......
Lartibas da doutrina fazenda nova a
Libr.ts de linba sortidas de todos os
nmeros a...... .
Capachos muito bonitos e grandes a
Sival sem segundo
RA DO DUQUE DE CAXIAS N. 49
Estou disposto a continuar a vender todas
. as miudezas pelos baratissimos precos abai-
e io declarados, garantindo tudo bom e pre-
cos admirados;
l'iO Dozias de palitos seguranca a.... 120
Duzia de palitos seguranca caixa
grande a................... 320
Frascos com olio baboza muito fino. 320
Pacote com p. s de arroz o me-
' loor que ha a............... 320
V,iv?.llias muito ricas para fazer
barta a.................... 0000
C.uxi de liuha bran do gaza.. 500
-240
400
200
200
500
240
500
720
4,5200
500
500
40
240
400
1,5800
700
640
Agulheiros de osso enfeitados a, 240
Libra de linha franceza superior
.qualidade a.......2,5420
Caixas de palito do ,gaz a. 00
Ro nte-rheum: tico.
A, J. dt? Az^vedo
A RA DO BARAO DA VICTORIA (ANTI-
GA RA NOVA N H).
: - ------
Atacadores par*
luvas.
Ataca tuvas ^.m mnit, \6 e sera que
amarrotp as merman, e venrie p"lo peq"oeo prO-
o de 800 r?. cada om, brnf>! !
s a 6/
na
ra
Vendein-sc caixas com
o Cxftrnij: n. H.
\wk>-M eenraate ova* :na roa da Guia n. 7,JajKrBa,
ANANAZES
Ba da Cruz n. 16
Eocoura-se sempre : AMENDOAS confeitadas: xaropea rfri-
BOLIMKrS para che ; pao de l ; bollo geranios ; vinho Bucellas, branco o tinto,
inglez; pastis do differentes quaiidades^ propro para mesa; vermoui; absjntio;
doces de fructas, em calUa e secco,' am Sogoac; viuhos fios, champagne.
barrilinh s em latas.
PAPE para sotles,} ditos vendado*'
para cobrir polos.
?de e uros eanoa do carrear 1,200 4.300
Moe : atraiar na roa Direita n. Ol,
CA4X1NHAS om amendoas e pastrlbas,
proprias para presentes; chi preto, miodo,
de superior qualidade ; ata com pecegos
a 43000. PRESUNTOS e fiambres.
RECEBEM-SE encommendas de Iwodejas com honbos, Com armacSo de asau*'
car e ano ella; de pi de l e bolos eofeitados com diaUcos e sem elles; e de fctros .ilann^ I^J^JSI? wia!5*g' !*f*!R
multo objectos proprios para graades jaotares, bailes, etc., etc.
I has
5001 Vara de franjas de lidho para toa-
500'
500
60
460
Remedio effleacissioio contra as dores rhenma-
ticas at boje o roat conhecido pelos sens mara-
vilhoso rf-Jiiltadns.
XAHOPE DE AGRIAO. um dos medicamen-
tos que sua ifllcacia as enfermidales, tosse e
sangue pela bocea, bronchites, dores e fraqueza
no peito, e.-crobulo e molestias de ligado, que me-
luir tem aprevado.
TINTURA DE MARAPUAMA.- A celebre ran
de marapuama, cuja energa e efflcacia as para- Libras de pregos Trancezes todos
lysias, intorpecimenio, etc. etc. muito se recom-
m^oda.
Todo. essps preparados se enoontram na phar-
macia e drogara de Rartijulorneu 4 C, unjeo de-
posito u ra larga do Ro>ario n. ^4
Caixts con> pennas d'aco de erry
superiores................ 800
Lencos ds cassa braucos e pinta-
dosa..................... 400
Caixas com 20 quadernos de papel
pautado ....... 70(
Caixas com 50 noveilos de linha
do gaz a....., 400
Ouzias de meias cruas superior
qualidadea.......WGW
Pocas de babadinhos com 40 va-
ras a......... 500
Pecas de tiras bordadascom 42
metros cada p?a a 4^5500 e. 2(500t>
Pecas de fitas para eos de qual-
quer largura com 40 varas a. 500
EscGvas para minas fazenda fina a 500
Ditas para denles a 240, 320,
400 rs. e....., 50(
Pecas de tranca lisas.' brancas e -
de cores a. ...... 40
Duzia de linha frxa para borda-
dos a 4(io rs. e..... 500
Pares de meias cruas para m. '
nos diversos lamanbns a. k 320
Duzias da meias brancas muito
finas para senhora a. 4<5500
Pares de sapa tos de trancado
Porto........2,5000
Pares re sapatos de tapete a. l^oo
Duzias de baralhos para vultarete 3)0000
Sylabarios portugueses a. % 400
CartSes com colxetes carreras a 20
Adobaduras para collete diversas
qualidades....... 40(i
Caixas com penna de ac muito
' boa de 320 a. .... 50C
Caixas com superiores obreias a. 40
Duzia de agulha para macnina a. 20000
Cigarros da imperial
fbrica de S. Joo
de Nictheroy.
nico deposito em Pernambuco cae- da
lega velha n. 2, 4* anda.
alias-
AivIHW
o; lmanlas a...... 240
Pacote de papel com 20 quader-
nos ........... 400
Re.na de papel pautado sopor i or 40000
Resma de papel liso moito supe-
rior a . .........* 30600
de trigo a 6*000 a jarriea r do armazem Ba-
lita, ra do LivramenM n. 38.
imiodesu daroa da Cadeia a. 00.
viobo do Porto engarrafado velho ede exceHentec
]qti:Jidad<^9 uoninsHj.m : Ka^tardo, Malvasia, Dn-
4*i do fom, Buque d Caitaa e ootras marca?
w| coohf ciii*, assim curo ea barris de 4*. de
I v>. 6 ancorotas no esorlptoria de Soares Primos
Unude vigarioD. 17.
Ocordeiro previeiit^
Ra do 4|ue!i>*-tic u. ti G.
Novo e variado SortimfiDto de poyftmiar,!
finas, e'outros ob]c' .
Alm do completo sotaneato do Jr&r!
marias, desque enectivamontp est;' pr !
loja do Cordeiro Prevjdeiitc. ella ai
receber um outro sortimento
aotavel pela variedade de objectos, st
dade, qualidades e connrlodidad s oe ni
?os; assim, pois, o Cordeiro Pre '
e espera continuar a merecer a aprecia-
do respeitavel publico em geral e
boa freguezia em particBiar, Di '*
lando elle de sua bem < e barateza. Em dita loja encnritrarl*-
ipreciadores do bom:
Agua divina de E. Coudray.
Dita verdadeira de Murray & Lamxaaii.
Dita de Cologne ingleza, americana, frs
ceza, todas dos melhores e maisacrcdil.-
fabricantes.
Dita de flor de Iarangeiraa.
Dita dos Alpes, e vilete para toiiet. .
EUxir odontalgico para ccnsevvavo
isseio da bocea.
Cosmetiques de superior quaiidaoc e cha-
ros agradaveis.
Copos e latas, maiores t macGie.;,
pomada fina para cabello.
Frascos com dita japonsza, traaspai-cb.
a outras qualidades.
Finos extractos inglezes, aaericaoot
francezes em frascos simples e enfeitadoa.
Essencia imperial do Sno eagradavil cr*
ro de violeta.
Outras concentrada e de chuiros -
mente fiuas e agradaveis.
Oleo philocome verdadeiro.
Extracto d'pleo de superior qaaUdxdi
com escolbidos ebeiros, em frascos de drf*
entes tamanbos.
Sabonetes em barras, maioros e menorv.
para maos.
Ditos transparentes, redondos e em Sgc
-as de meninos.
Ditos muito finos em caixinba para barb;
Caixinhas com bonitos sabonetes imitani
fructas.
Ditas de madeira invernisada contendo t
Qas perfumaras, muito proprias para pr.
lentes.
Ditas de papelio igualmente bonitas, lar
bem de perfumaras finas.
Bonitos vasos de metal coloridos, e 4
moldes novos e elegantes, com p de am
a boneca.
Opiata ingleza e franceza para dental.
Pqs de campbora e ootras dlereiii--
.Taadades tambem para dentes.
Tnico oriental de Kemp.
Anda aials eoqns.
Um ontro sortimento do coques de- r..
vos e b-.ttos moldes com filete de vidrta.
? algBns d'elles ornados do flores e flt
<:st3o todos expostos apreciadlo de qnc:
os pretenda comprar.
GOLLINrlAS E PUNHOS BORDADOS
Obras de mnito gosto e perfeicSo.
Fvclla e Haas para eiotus.
Bello e variado sortimento de taes obje:
los, ficando a boa escolh? ao gosto do coa
Drador.
JoaQuim Rodrigues Ta- ]
yare* de Mello,
TEM PARA VENDER
em 8eu escriptorio, prca doTJorpo Santo
n. 47 :
Fumo em folha
de 1* e 3a qualidade, e venda um on ciis
fardos a vooiae dos -compradores.
Cal de Lisboa
^ ultima ebegada.
Potassa da Russia.
Farlafca m flltw.
Vinho Bordeaux.
de 1* qoalidade. Todo de vende mais
barato 4o que n outra' qo alqu er pane.
Fogao de patente.
Vaodese em caaa des impomdurfcs tuw
Sawkei 4 C ra da Cru a. i

m


8
$
1

i
UraATDBA,
de Pernmbiico QuaHa feira 30 de Novembro de 1810
't"' 1>W
DKDO
DBTI\0
DO
pon
May fie Reid
(CoHtinaacio)
XVI
-E em casa ? "
Pony mais.
Quanio?
Oilenla escudos Ulvz.
Corpo di Boceo l E' urna conla
doitda! Onde se acba o dinheiro'.'
- No reu quarto,
Tem l quera o .entregue?
S>id. arrumbando a mala,
- Bera. ' ore 1*0 escrever
!e raandera essa dinheiro. D
t
ft-
le-
para que
c pan t,
Signare ar-
Giovaw; o linteiro Gktcorao.
ista, escreva.
Coroprebendendo a inutilidade da resis-
lacia, o pintor obedecen.
Esperedase o salteador, poirlo-
IL8 a mao no braco.Deve ter alguma
coosa ra*s alui do dinh-iro. Os signares
r-ijlezes costamam viajar com todo o con-
forto. Se posse algumas joias, man fe \ir
i oibem.
Da pouco Ihe serve o mais que t>
. um ato completo, pouco Kfelhor d>
qt'.e este, e-ons q larenta quadros embocados
menas, e qoe, mesmo concluidos, de ponen
.Sor seria.
Maravilha-ine a sua penetraco!
luciamou o salteador s gargalhadas, qua
correspondern igualmente os corapanhei-
)s Comprehende perfeitamenle o nnsso
t; 10 Frque-se, pois, enm a sua roupa
. mande vir o dinheiro.
O pintor rotomou a penna.
Espere ahiinterrompeu notamente
o chafo. signare lem amigos na cidade
e ;:i me esqoeeia essa especie. Moito !o
de elles,migar contribulado pari. o paga-
mento do seu resgate I
NAo tenho em Roma amigo algum,
?iem mesmo quem d cinco escudos pira
' uar das suas garras.
Bravo O tignore graceja I
Digo apenas a verdade.
Nos veremos, signore pittore, e, se
nao nos engaa, poder 'dormir ainda c.-ta
ule em ma casa, alias permanecer na
montan e a' talvez sem orelhas ; com-
rehende-me ?
Mito bem.
Ruono! himno Mas repare bem
> qoe escrevo. O portador da sua caita
nformarse de tudo o que Ihe diz re-1-
." lo, e. pela Virgem se se prova que qniz
vulir-nos, pobre da sua pelle f
Pois bem, aceito as condices.
Ento escreva.
\ carta, depois de escripia, dobrada, fe-
toada e sobrescriptada ao dono da casa
onda o joven inglez resida, foi entregue
era memoro da corporaejo. Este, vestido
moda do campo de Roma, tomn o cami-
.bo da cidade.
Levantado o cava I ete que Hecrique ar-
mara, comecaram lodos a escalar a monta
nna, acompaohados do prisioneiro que en-
i rava com urna especie de melancola a
"/.spitalidade que Ihe eslava reservada.
XVII
DESAGUAD \\ IX ENCONTR.
.N5o muito para admirar que Henriqne
e.icarasse este acontecimento com algum!
,ue-frio, se considerarmos o estado de
desgoslo cada vez mais pungente que nutria
i ferida que Ibe causara o rigor paterno
a indiffen-nca de Baila Mainwaring.
Torturado pelas crueis recordagSes do
passado, inquietava se pouco com o pre-
le. as primeiras semanas de expa-
. "lo, talvez elle, em lugar de evitar, pro-
i.urasse um tal acontecimento. No fim de
i;oi atino de assidua applcaco pintora,
ii- e um penco resignad'), se que a
BCi'a da patria nao tinha prodnzido me
effeito, porquanlo nao podemos dizer
elle possuisso um genio entusistico
artes; o acso fizera-lbe escolher esta
> m(i nanos de vida. At certo tempo, a
pintora realisra as soas modestas aspira-
, elev.?odo-o ao ponto de poder visitar
folia. Aih desperlou se-lh^ a ambfrao,
iti s aperfeicoar-e na arte, mas at ado-
ir, sanio estnguir, a recordarlo dos seus
itortooioa, Diqui o modo porque encarou
a sua actual siuac3o perante os salteadores.
A quadrilha suba a raonlanha por um des
- ierriveis caminhos 'So frequentes nos
>tadoi pontificios, mais bem reparados
lalvez no lempo de Cezar do qoe na actua-
1 ilaoe.
Manrique pouco Ibe iraport^va saber pa-
r onde o condnziam, que de certo devena
: para algum subterrneo convenido cm
guarida de salteadoaes. Senta certa 6urio-
s-dale de ver um lugar d'esses, qoe-po I
ler orcasiao da reproduzir na tela.
l"i:ou. pois, sorprehendido quan^'o se
''m pisonea de urna populosa al lea,
qoa os salteadores tran-pozeram desassom-
I'rsdamente, e esta sorpreza nao lardn em
i iverter-se na maior admiraQo, vendqque
os saltea lores se desembaracavam das ca-
r binas e as encostavam s paredes das ca-
sas, como quem se preparava para all pss-
sr a ooule.
Os aldeSos n5o s se nae mostrarm sor-
i/rehendidos com a presenca "da quadrilha,
at muitos d'elles vieram partilhar das
jes dos salteadores; o proprio cura
'i. vaga va de grupo em gruDO, destribuindo
bencios, que os saltead Tes remuneravam
tom offeriaa de dinheiro, extorquido sem
davida i infelizes viajantes, algnns talvez
revestidos d^s mesmas vestes sagradas.
Era ama scena da mais perfeita originali
dide, bem digna de interesse para qoalqaer
estrangeiro, e sobretodo para um artista, e
propria a fazer-lbe esqoecer por algum tem-
po a impressSo do captiveiro.
So quando chegoa a noule Henrique foi
uosperudo da sua atlitode philosopbica-
taeote observadora. At entSo os salteado-
res Dio haviam Julgado necessario ma0ieta-
!o. A resignacio e apparente indifferenca
com que recebera a captura convencera-os
o qoe elle n5o tinha a menor idea de se
evadir. Ao chefe dava-lhe isso pouco cui-
liado: antes que o prisioneiro podesse
cnegar rRoma, ja o emissario teria vasco-
lejado as gavet s e despojado a mala ; por
i into os escudo* estavam seguros e quanto
ao restante espolio nada bavia esperar
que valesse a pena, e ni0 6ra civel que
ti>Usse algum amigo abastado que pagasse
o seu resgale. O misera el iraje do pin-
tor basura para se regeiter Ul bypoth^se.
Foi, pois, mais por obedecer pratica
qne por ootro qoalqoar motivo que os
salteadores resolveram manieU lo
a noi iiol
gulhavi no marn
munidos Do cor
lista.
Em um d'elles reconbeceu Henrique o
primeiro qne Ib sabtra no monte Era
um inglez, como bem evidenciava na phj'-
si-inonaia e pronuncia. As fetenes davartt
dea de pabiifo e o rolo de cordas que
socrac va rran como o seu intermedio-pro-
v'avel para i morto.
Henrique admiren se le ver alli'nm com-
Ijatri'itt. Este, eolio:ando-se-llie defron'e,
comecmi a desenrolar/a onda. Era a pri-
meira viz que o manctjjo se va exposto
nma lat humiiliacfio. P\>ra ^aiquor ingl.-z
a mulle de ganle importa a maior degra-
dado : imagine se a imnressHo que experi-
itieiiinia um joven in'da lia pouco herdeiro
presimivel do miboes e que nnnc soffrera
castigo algum, n3o ser urna ou outra cor-
recci-> reglamentar dos collegios de Eton
ou Oxford.
Ao priucipio recuson se enrgicamente
ser ligado, protestando n5o ler a menor
idea de evadir-se, dizendo mais qne a ui
lioerdade estiva dependen'e e Ihe lora pro-
mettid snb certas condeses que se obrigava
a cumprir.
Nao temos nada com as condices;
isso l com o chefe. A nossa obrigacao
prende-!o.
0 caso ora decisivo, porm Henrique jul
gon dever appellar para os sentimentos pa-
triticos do seu & nterraneo.
Oscnhor ioglez?disse elle em !om
conciliador.
Foi-oredargnio o salteador meca-
mente.
E espero que nao deixar de t ser.
Vamos, e que lem cora isso ?
E' porque eu tambem o son.
i Nao lie digo o contrario. Pensa que
son tolo, que n3o o conlieci logo pelo idio-
ma damndo que nunca esperei tornar
ouvir ?
Vamo?, ana rvalUBiro ; um inglez
deve ser amigo dos seus patricios.
Ca!e o bico e nao me chame cavaihei-
ro I Fasse para c as maos, que a corda
est prompta, , visto que um inglez, aper-
ta-ia beis bem!
E, agarrando-lbe as m3os, ciogio-ih'as
atraz das costas. '
N'esse momento reparn que o dedo m-
nimo da miio tsquerda do prisioneiro tinha
urna giande cicatriz longitudinal, e erii3o,
alfastando ns maos, como se hornera to-
cado ti'um ferro em braza, recuou, dando
um grito de admirado misturado de ran-
cor.
A sorpreza do mancebo por aquello inci-
dente traosfonnou se tambem em espanto,
quando reconbeceu no rudo salteador Dog-
gi Dirk, o guarda-caca de ontr'ora.
'!i-xclamou Doggi Oick, dirigin-
do Iba urna mesura de escarneo.Com que
eniao temos por c o Sr. Henrique Har-
ding?... Quem poder espera-lo as
montanlias de Italia em 15o pobre traje !...
Diga-me: o qne feito do velho general e
suas grandes prop edades, o parque, as
granjas, os bosques, as tapadas e os faizoes?
Ab os fiiaoes D'esses deve lembrar-se e
eu lambm!
F, dizendo isto, enrugava-sc-lhe a fronte
diabocamerde.
Eslou certo que seu irmo Nigel pos
sne tudo i?so, e mais ainoa prevavelmente
aquella formosa boneca, lo sua affeicoada !
Nao era petisco para o dente de tim mal-
trapiio como o senhor vem ; parece que
saino le casa de algum ferro-velho !
Ileniique tinha ouvido desde o comoco
com um silencio de despreso tudo o que o
salteador dissera, porm aquellas ultimas
pbrases o sangue que Ihe refervia as veas
alluio-lho todo ao cerebro. Doggi Dick
comprehen leu que se exceder e que devia
ter maiii^udo o tilho do general antes de
o pr -vocar assim. R jconhecendo o erro,
qniz emen la-!o, mas en tarde. Antes que
podesse dizer mais nada, a m3o esquerda
fie lien iquo segurava-o pelas guelas, e a
direita, duscarn^ndo-se-lbe sobre a cabera,
fazia-o rolar no chao, como um boi abat.do
pela ch jupa do carnicairo.
Em presenga d'isto. todos os salteado-
res lloarara exUlicos; porm momentos de-
pois correram em massa a acercar-se do
mancebo.
H:nrique, seguro por urna dizia d'elles,
em bre.e foi laucado por trra, ligado da
cabeca aos pos e chicoteado com as p ntas
das corda*, entre os applausos das ranari
gas d.t aldeia, que pareciam regosijar-se corr
o tnumpbo da forca bruta sobre a innocencia
perseguida.
XVHi
SYMPATIIIA.
xMd este i vontade
de
Esta scena de selvageria tinha, curadillo,
urna testdmunba compadecida. E" intil
dizcr-se qoe era umi mulher. porquanlo
na aldeia nao havia um homem que ousasse
tomar parlidj contra os salleadores. Du-
rante a- soa permanencia as povoaeoes,
coosideravam se esles completamente se-
Dbores do poder, o qiial nao cessava de
preponderar anda depois da ausencia d'el-
les. O acampamento dos salteadores nao
dislava mudo das povoacSes, que estavam
sujeitas de um momento ao ontro serem
invadidas e saqueadas.
A mulhe^r-que se enieroecia com os solri-
raentos do joven inglez era ainda joven, e,
posto que filba do syndico do lugar, n3o
tinha influencia para valer ao infeliz preso ;
a propna authoridade paterna debalde se
intc-rporia naqnella occasiSo, e por isso a
joven leve que concentrar em si o sentimen-
to que a animava.
Da janeila da casa, que pareca a me'bor
da. aldeia, destacava-se ella sob a mais for-
mosa figura que podia encontrar-se as
cercanas de Roma : hivia'alli orna combi-
^aacao de encantos classicos que no nos o
espirito podemos associar aos de Lucrecia.
Belleza esplendida, reunida orna pbysio-
nomia caracterstica da mais perfeita pureza
virginal, eis o rol-ato; e, para complemen
to da analoga, all estava bem prximo
d'ella urna ra ebeia de Tarquinios. Era
como que o cordeiro solado no meio de
um rebanho de lobos, guardado apenas pelo
velln pai e pelo decrepito cura da aldeia.
Eis as suas tnicas defezas, que, comquanio
fossem os represenuntes da lei e da igreja,
achavam-se amitos em plena decadencia da
sua amhori lade no centro de ama povoacao
pervertida na essencia.
O contraste que offerecra aquella joven
no ceniro de tal perspectiva d3o podia
deixar de ropressionsr o mancebo inglez.
Desde qoe all chegra a qaadrilha, niO[
se mover a joven da janeila, e, sendo mni
durante, ao prisioneiro sentar-
se raer lose
iiesmo mo as jutras, e ^ue |gl
vezas as palpebras d'ella se abaixavara pe
rente os olhares e ditos jirosselros qoe da
maltiiiSo sobiam at ao seo alcance.
Os olhos da joven por vezes se dirigiam
ao prisioneiro, que jnlgoa ver n'isso prova
dft coas seraclo. E' verdete qoe esla pona
ser ocasionada s pela su;i desgr.ira Ja sor-
te, mas em todo o caso exprima se de 'flru
modo agradavel.
O roslo encantador daquii|la italiana trou-
xe-lhe memoria Bella Mainwaring, recor-
daQo que agora nws qne nunca sentia me-
nos amarga. Dizia-lhe nm presentimento
que quella impressio deveria ser duradou-
ra ; n3o sabia explicar o motivo, mas pare-
ca Ibe qne, se podesse continuar ver tal
mulher, chegaria talvez esqnecer-se de
Bella Mainwaring.
Durante aquella hora de captiveiro consi-
deron-se mais feliz do qe nunca oMora oos
dous aonos da sua peregrinac3o. Contem-
plando aquella magnifica estatua animada,
sentia-se mais inspirado do que nahet o
fra so es tildar todas as esculpturas da ci-
dade eterna.
- Gomtudo aquella felicidade nascente nao
era isempla de nquietacSo. Henrique no-
ton que a joven o olhava s furtadellas,
retirando o olhar quando o cruzava com o
seo. Esta prova de singela innocencia
encbe-lo-hia do alegra, se n3o notasse
desde logo a causa. A joven era vigiada.
n3o por seu pai, roas pelo chefe dos sal-
teadores, qual n3o tirava os olhos d'ella.
Sob a persisjencia de tal olhar, a joven
retirou-se da janeila, porm alucia do pri-
sineiro com os salteadores attrahio-a alli
de novo.
Henrique, dabatendo-se com elles, nao
cessava de a contemplar, sinda quando eiles
o fostigavam. O seotimento da sua dr e
da humihacio quasi se Ibe nao tornava
pesado perante o olhar significativo que a
joven Ihe lancou e que pareca dizer:
Coragem e resignacSo I Se eu po-
dess*, iria arrancar-vos das m3os dos vossos
algozes, mas a menor prova de interesse
da minba parte seria a vossa sentenca de
rnorte.
Assim nterpretoo elle o olhar expressivo
da joven.
Cbegou a noote. A' medida que se apro-
xiraava a escurido, a iroagem querida da
joven lornava-se menos distncta, acabando
por se confundir as trevas.
Os salteadores entraram para a taberna
D'alli sahiam sons de instrumentos de
cordas acompanhados do tilintar dos copos,
de blasphemias e nxas, urna das quaes veio
terminar na ina punta de navalha.
Henrique do ponto onde o haviam dei-
xado preso nao perda um s daqoelles por-
menores da orgia e os salteadores vigiavam-
no agora de modo bem diverso do principio
da sua priso.
Esto centraste de procedimento comecava
inquieta-lo. e principalmente quando mais
larde o chefe, sahiodo da taverna, disse
que, se de manh5a ihe n3o apesentassem
o captivo, faria fuzilar as sentinellas.
Henrique desenganou-se de que aquiljo
nao era urna simples ameaca produzida pelo
effeito do vinho, porquanto logo me o che-
fe d'alli desappareceu, os guardas vieram
certificar-se da solidez das cadeias, addcio-
nando-lhe mais, por precaucl , de forma
que o infeliz ficou na impossibilidade abso-
luta de evadir-se, quando por acaso essa
idea Ihe occorresse.
E nesse momento Henrique pensou pela
priraeira vez na sua liberdade; as ordens
dadas pelo chefe, as preeaucoes dos guar
das, despertavam-lbe certas apprehensSes :
se tencionavam dar Ibe liberdade no da
seguinte, porque motivo o preudiam e vi
giavam assim por urna noute?
Depois vio regressar o mensageiro que
fra cidade, e, portanto, havia decorrido
o lempo preciso para, recebido o preco do
resgate, o libertarem. Estar-Ine-hia re-
servado algum supplicio maior por causa
do incidente havido eotre elle e D
Dick ?
A caosa do prolongaraento do seu
liveiro era muito seria: asseritava no plano
de Ihe roubar por rauilo terapo a liberdade
ou a raesmo a vida.
Bem longe estava elle de suppor-se em
t3o grande perigo, e por sso, conservando
se em vigilia, cogitava menos do futuro do
que das dores que presentemente Ihe cau-
savara os ligamentos de coi da.
A' despeito d'estas dores e al da du
reza do leito, que n5o passava de ser a
pedra da ra, terminou por adormecer, e
dormio profundamente at que o pootap
de um guarda o chamou realidade de sna
situac3).
XIX
As vossas
a pena a
ggi
cap
prximo d'ella o lugar onde foi permUtido meas bomens ?
EM MARCHA
Ao romper do da estav?m os salteacjo-
ree a camiMio ; a aldeia em que haviam
passado a noute n3o era lugar proprio do
seu refugio ; vinham alli urna ou outra
voz repousar e folgar, m a permanencia
poderia expo-los a urna sorpreza por parte
das tropas ponlficaes, qoaudo estas esta-
vam de viga, o que por va de regra, s
tinha lugar quando algum crime mais no-
tavel se praticava.
Chegra exactamente urna d'essas occa-
sioes eo mensageiro qoe fra dezpojar as
malas de Henrique troovera a prevengo
d isso, pelo que os salteadores logo se pe-
zeram a caminbe.
Os aldeSos, quando acordaram, felicita-
ram-se por M motivo. "
Os saltead res in ernaram-se as monta-
ohas. lam suficientemente carregados de
dinheiro, jow, e baixella da ouro e prata,
roubidas na quinta de um nobre, o que
pozera em raovimento os dragoes do papa
O covil dos salteadores devia de ser em
lugar muito recndito e remoto, a ajuizir
petos cammbos longos, turtuosos e escar-
pados que seguiam. Anda antes do flm
da jornada se achava j o pobre prisioneiro
com os ps estropiados : as m5os prezas
atraz das costas, n3o Ihe permittiam con-
servar o equilibrio, e por fsso a marcha se
Ihe tornava tanto mais penosa, quanto tam-
bem a aggravava a affeccSo moral que o
assaltra.
Qs salteadores trabara fallado f dos
contractos, e qoando sahiram da aldeia
interrogara, Henrique o cbfe tal respai-
lo, respundendo-lhe este que primeiro a
iufringira elle.
Nao sei porque disae Henriqug.
Per Bacho t redarijoio, aquello
Como ingenoo o tignore inglese f J Iba
esqueceu o soberbo marro dado n'am dos
^gaao pera o merecen 1repu-
se ep posso decidir
lesraam-o ; entre nos
de labio. '
N'esse cato, estoo absorvid ; os
seus bomens deram-me vinte por cada um
do "murros que eu del, como bera atiesta o
meo corpo.
Pois d gracas Virgem por estar
'anda viv# ou antes por ler ahi ossa cica-
triz no dedo minirao.
No dia imoediato a> da sahiia da aldeia
chegaram a urna morttanln espessamenle
arborsada, onde 6 camiiiho era i3o esireito
que s vetes s podia passar por elle nm
h"mem. Os viajantes sentiam-se arder em
sede,-que mitigavara com o gelo depositado
as anfractuosidades dos rochados.
Quasi ao sol posto, liz.vim alto e om
dos salteadores foi enviado a descobrir
campo. 'Passado* vinte minutos, ouvio- se
o uivar de um lobo -o* direccSo em que
partir o arda avanca la, e aqiee uivo
foi seguido de outro maior distancia e por
ultimo ouviose o berrar de urna cabra.
depois do qnepoz-se a quadrilha a cami-
nb.
Ao voltar de um rochedo, oflereceu-se
vista nma montanba comea fend da por
um despenhadeiro profundo.
Escalon-se a raontanlia. Chegando ao
cume, os olhos do prisioneiro presenceiram
um espectculo aimiravel Desahrolava-
selhes em frente um amphithebtro de for-
ma circular a sumir se na mais vigorosa
vegetacao, va s urna laga prximo da
Lqua!, no meio dearvores, surgiam algumas
paredes denegridas expellirem fumo, o
que indicava a existencia alli de creaturs
humanas.
Era aquolle o ponto de reun3o dos sal
leadores, que chegaram all mesmo ao por
do sol. A habiiag3o d'e les nao ora, pois,
gruta era, caverna, mas urna especie de
logarejo, composto de duas ou tres casas
de pedra e algumas chocas de palha (pa-
gliaii), muito freqiieutes as mrntanbas
da pennsula Mica.
A laga que havia no centro devia de
ler sido outr'ora nma crtera, qne. agora
extracta, servia de reservatorio chuva e
gelos convergentes da montanba. As cho
cas devam de ter sido feitas pelos saltea-
dores e as casas talvez edificadas por algum
anligo explorador dos veios minerios all
abundantes. A montanba possuia na appa-
renca duas sabidas, urna ao norle, oulra
ao sul, indicadas ambas por um pico, so-
bre cada urna das qnaes se perfilava urna
forma humana. Eram as sentinellas dos
salteadores, as quaes, sempre que muda-
vara de attilude, faziara brilhar aos raios do
sol o ac luzente de suas armas.
O joven inglez, de p sobre a pequea
piarza do quartel-general, percorria a isla
sobre aquello qoadro da vida italiana.
Lembrou-lbe entao a celebre bailada do
Fra Diavolo e urna certa noute passada
no theatro real no camarote de Bella" Main
waring. Mas nao Ihe foi permittid> remon-
tar-e por largo tempo ao cuiso dss suas
recordaces, pelo menos ao ar livre.
Obedecendo s ordens do capitao, dous
salteadores condoziram Henrique a um
quarto escuro de urna das casas de pedra,
fechando-ltie a porta cora a brutalidade pro-
pria da sua digna corporacao.
Ouvindo o sinistro correr dos ferrolhos,
a que se seguio o mais triste silencio, cabio
o prisioneiro na mais profunda tristeza, co-
mo quem pela primeira vez se achava "en-
cerrado n'uraa masmorra.
XX
LETRA PE CAMBIO.
O verse livre de tal companhia devia de
ser um lenitivo para quera soffrera tantos
tormentos, mas o que veio por termo an-
ciedade de Henrique foi a necessidade de
repouso para o corpo.
Algumas folbas de arvores espalhadas no
cb3o serviram-ihe do cama, e, cediendo
forca dji falig, na) lar loo a adormecer.
Os rais do sol. penetrando de madrugada
pela grade da janeila. vieram haier-lbe de
chapa no rosto, desperlando-o de um pro-
longado somno.
Ergiie-t-se, e, passando revista ?o apo-
sento, recooheceu evid -nt"-manta ser de-ti-
nado a pesio. A janeila, collonada a gran-
de a'tura e gjarnecida de v'ares da ferro,
era 13o estreita. que mil darja passagem-a
um gato ; a porta io slidamente construi-
da, que lo/o o fez convencer da impossibi
lidade de evaso, a niio sor por meio de
corrapcS i dos guardas. Sobre esla hypo-
these nenhumi esperanza p dia1 firmar, e,
portamo, resolv-u-s; a esperar os lacios o
mais ph'losnpnicamente possivcl
Comocou a sentir fume e comera todo o
que Ihe apparecesse. Poz-se escuta a ver
se chegaria o guarda cora o al moco ; antja
passos, mas eram os da sentinella no cor-
redor. No fim de urna hora de anciosa es-
pectativa, ouvio novos passos e um dialogo,
em sequida ao qual so abri a porta.
Bons das, Sr. Henrique. Passoo urna
bella noute, nao verdade ? O caplo en
via-lhe os seos cumprimentos e deseja ve-lo
quanto antes.
E, sem mais dizer, Doggi Dick, com o
mesmo mau hotmr cora que ordinariamente
se-porta qualqu^c pjlicia menos civil, foi-o
empurrando a't ao quarto do capitao.
Como natural, aquella aposento era o
mais conf>rtavel alli e o joven artista ficou
maravilhado dos esplendores da sua deco-
rac3o. A raobilia era de boa qualidade e
fabricaclo. Em todo elle se ostemava o
1,1X0 e a riqueza; quadros, espelhos, relo-
gios, candelabros e aparadores repletos de
riquissiraa baixela. Estas maraviihas, dis-
postas sem gosto, constituiam urna eney-
clopedia grotesca doantigo e do moderno,
que trazia a ideia ara musen ou antes
um armazem de emprendaos sobre pe-
nhores.
No meio desta resplaedecente colleccSo
da objectos preciosos achavam se sentados
om homem e umi mulher.' Aquella era o
capitao de dragoss, cujo uome de Corvino
o prisioneiro pela primeira vez ouvio, pro
nuociado p la sua companbeira, quem o
ebefe cbmava Cara Popeita.
Corvino jiis conhecemos: Popetta, co-
mo mulher deste, merece tambem ser des-
cripta.
Era de estaturafquasi t3o elevada como
Corvino,'e, como elle, vesta extravagante-
mente. Os seus atavos resplandecalo de
pedras e lantejoalas dooradas ; o cabello
ara abundante e negro como peonas de
corvo. Devia ter sido formosa. Quando
ee ra. deixava ver urna denudara da mais
correcU perfeico, mas bavia nella o que
quer que fosee de analoga com os deates do
tigre na occaiiio de arriiiar-se .'i presa.
A formosuri, que fra oatfoM dote de
Cira Popetta, po ieria ain la eolio conser-
varse, aiiendendo aqu ni excedaos
trinta anuos, se nai fosse una cicatriz ar
roxada qnfl, coriandolbe transversalmente
a face direita, a desfigorava completa
mente.
A jnizar pelos olhos, outrai cicatrizas
mais profundas talvez Ihe tinhara desfigu-
rado a alma.
O olhar que ella lancou ao prisioneiro,
raa entrada na sala, te-lo-ia f to estr 4e o chefe o n3o ti vase impedido de nota-lo,
mandando-o logo sentir e di/.ando-lba :
E intil perguot ir a'i $ignw nrlstt
se sabe escrever. A m'k liabil n< mmajo
do pineal deve saoer usar da penna ; pegue
n'ttOM dessas e escreva o que vou dictar,
verim lo todo no sen idioma. Aqu tem
papel conveniente.
E ao raesmo tempo apresenlava Ihe os
utensili s proprlos para a escripta.
O prisioneiro, ignorando oa-sumpto que
tinha a tracta como secret rio do saltea ior,
pegn na pinna e pergnnton se era carta
que tinha a ercrever, e, nesse caso, a quem
dirigida.
Ao Sr. general Hardbg responden
Corvino.
A meo pai ? nlerrogou o man;aboJ
E que Ihe quer o seqbor ?
Nada de perguntas, signore mntlore;
escreva o que Ihe digo.
Padre caro I Comecou o salteador.
O secretario besilou, lembrandorse de que
omiitira aquella pbrase na. ultima carta es-
crpta'ao pii e'dnvi'tando de a emprega-
agora sob arSdaccSi de um saltiador. A
ordem, porra, era premptoria o o chefe
repsiio-a a neacailoraraenle. Ilaoriqua vio
se foreado a obedecer. _
Agora prosiga sem hesitara-:), con
linuou Corvino do con'rario temos bis-
loria.
Henrique escreveu, pois, sob o dictado
do Corvino a seguint caria :
Caro p*i._Tatn a presente por fim in-
forraa-lo de qae me acho prisin iro as
montanhas de Italia, a quarenti milhas pr-
ximamente de roma, sobre as frouteiras na-
politana?. Os que me capturaram s3o ho-
mens implacaveis, que ma matara, se Ifi-ss
ivo for enviado o raen resgate. Esperara
a sna resposU, para o qne Ihe enviara esse
emissario, por cuja conservado respon-
savel a minba cabeca. Se for preso ou sof-
frer qualquer detenco. ficarei sojeito aos
maiores supplicios. O mea resgite Asedo
em cinco mil libras esterlinas. Em troca
desla sorami. que ihes deve ser entregue
em ouro ou letlras sobre Born, dar-me-n5o
a liberdade, o que acredito lacam, porquanto
estes homens. convenidos em salteadores
por virtude de nerseguicoos de um governo
injusto, n3o deixam de nutrir ainda senti-
mentos de honra. Se n3o me envia es'.a
somraa, previno-o, meu caro pai, de que
nunca mais me tornar a ver
Agora assigoedisse o salteador.
Henrique ainda urna ve? besilou. Escre-
vera sobre o dictado daquelle e o trabalbo
da vers3o nao Ino dera toda a liberdade
para meditar o sentido das pbrases. mas
agora, que Ihe ordenavam que assijnasse
aquede humilde appello comraiseraco pa-
terna, quando a recordarlo da carta altivi
que precedentemente Ihe dirigir eslava
ainda lo viva, sentia, a maior repugnancia
a suspender-lhe a mao.
Ass'gne I exclamou o salteador,
dando um pulo nacadeira Assigne j !
Henrique nao se resolva.
Se nao assigna immedataraenle, pro-
testo Ibe pela Virgem que taraos sangue
derramado Cospeito ser escarnecido por
um pobre diabo de pimtore, por um dam-
nado inglese I
Signore I exclamon Popetta, que at
alli se absiivera de entrar na conversa -
obedeca, buono- cavaliere: niio ha inconve-
niente no que meu marido exige ; assim
qne elle procede para com todos os que se
aflaslam da grande cidade. Assigne, caro
mo, e tudo correr bera ; lera a sua liber-
dade eser restituido aos qne Ihe sao caros.
E, dizendo isto, Popetta deixra o soph
em que estava recosala, e, api oximan lose
do joven, punba Ibe a mo no hombro.
O tom mavioso em qae estas palavras 'orara
pronunciadas de certo desagradou a Corvino,
o qual, levantando-se precipitado e agarrando
Popetta pela cintura, a arremessou brutal-
mente para ura canto da sala, bradando :
Betira-le, desavergonhada, e n3o tor-
nes a intrometter-te no que te nao im-
porta I
E, voltando-se para o prisioneiro com
urna pistola na m3o, disse-lhe cora voz cava:
Assigne 1
Henrique vio a impossibilidade de insistir
na recusa ; lerabrou-se de intentar urna luta
com salteador, mas tambem vio que, ain-
da quando sahisse vencedor, nao escapara
da morte, que semjuvida Ihe sena infligi-
da por Doggi Dick e os mais seqoazes que
l estavam fra. A conjunctura era grave
e decisiva: ou assignar ou morrer; e o jo-
ven artista n3o esUva ainda no ultimo ex-
tremo de desesperanca para assim se sacri-
ficar inconsideradamente. Inclinando-se pois,
sobre a mesa, addicionou caria as pala-
vras : Henrique Hardiog.
Signore Ricardo !uradou o chefe.
Dig.'i Dick enlrou logo.
Sabes ler ?Disse Corvino,"entregan-
do-lhe a carta.
N3o sou leitrado, mas sei o bastante
para decifrar urnas garatujasrespondeu o
renegado.
Corvino examioou a caria, certificou-se
da boa traduccSo, focbou-a e fel-a sobres-
criptar convenientemente, depois do que o
signore. Bicardo recebeu ordem de recon-
duzir o prisioneiro masmorra.
Nessa mesma noute, amella carta, que
custandoa vida a Henrique, segua cami-
nbo de Boma por um proprio.
XXI
UEBAIXO 00 CEDRO.
Dacorrera nm anno depois que Bella Ma-
inwaring recusara a mao de Henrique Har-
diog.
Voltra a poca em que a cotovia estabe-
lecia o "seu pomo as cearas de trigo, o
cuco cantava por entre o espesso arvoredo
a e rooxiool encba os bosques de seus
melodiosos caticos.
Os montes Coiltren, quo todos os annos
visito, conservavam o mesmo aspecto, e na
sociedade apreseotada aoleitor nos primei-
ros captulos deste livro nao se dera lam-
b:n alteracSo sensiv-d.
Em um baila qoe servia de complemento
a urna festa de jogo de.flecha encontrei no
vamente Mas Maiawaring. Conearvava-se
a raioba dae bellas da sua trra, pos-
to que duas oa tres jovens suas patricia
ameacavam disputar-ib a soberana. O sen
casamento jA n3o en a ordem do dia, como
doze mexes antes,, porm- o squito dos
i seus admiradores la o mesmo, fal-
lando apias Hanriqe. tu coHee^io.
Soubinjue Nigal tomara o sen tagar, o
qua mj foi dito ao ouviao n'aqaelle mesmo
baile, em qoe tambem ella esUya prosete.
Se bem qoe eoohecease o meter de Nigel
Harding para dnvidar de tal bjqfcttiwe, foi
rao ella confirmida no decurso da noote^
Estes saraos no estio co3tamam prdon-
gar-se, offerecendo melhor oceasNao do qae
uo invern para amorosos dalogo*." Os
passei M a do, com que se preenchem os
iniervallos das contradance^, podem esten-
dor-se ao longo das avenidas janeada! de
areia e por sobre os tapetes d mimosa
relva. E' agr lavel evitar nestes pssatara-
[pos o ambiente snlTocador dos saldes prin-
cipalmente quando se tem por companhia o
par com quem se danea. Aproveitra me eu
da um de-tes ensejos para gozar com om
elegante da fresca briza da noote a ib om
magestoso cedro. Foi curia a nossa demo-
ra alli, e quando nos retiravamos, notou a
minha companbeira baver perdido o leqna
o lembron-se que o havia deixado sobre um
banco onde estiveramos senudos ; disse-rae
que esperasse, que al'e ia buscal-o, ao que
tive de acceder, mas depois qoe sa retirou,
considerei umi inconveniencia deixar ir ama
senhora. s aquella hora por eotre um bosque
a resolv scguil-a. Procuramos o laque, mas
debalde. Betrogradamos, e quan lo vicha-
mos a distancia, notamos qae so dirigiam
para debaixo do cedro duas pessoas, qne
pela direcc3i que levavam em relc3o ao
ponto en qie nos achavamos collocados de
certo nos nSo virara, no que raais nos con-
firmo'i a circumsiancia de pararem conver-
sando era voz alta.
Por um tcito accordo entre mini e a mi-
nha dama, suspendemos os passos na ideia de
ouvir o que diziam, que por certo en o se-
guimento de long.i conversa,
Bera seidizia a voz masculinaqae
elle est no seu pensamento: seria inatil
querer contercer-me de que Ibe fai semore
indifierente. Estou ao fado de todo, M'ss
Mairrwaring.
E' realmerta urna perspicacia admi-
ra vel a sua, Sr. Nigel Harding !redarguio
interloculoraVejo que sabe mais do qne
uu, e al do que seu praprio irmo nunca
soube a tal resneito : a nao ser assim, por-
que motivo tena eo regeitado a sua ra3o ?
Espero, pois, que se coavonca de qae entre
mim e elle nao havia amor nena compro-
nissos, pelo menos da m'raha parte.
Houve um momento de silencio, findoo
qua! Nigel, como que menitando sobre
aquellas palavras, prosigui :
Sendo assim e achando-se o seo co-
raco livre, permitta-me que Ihe pergunte
porque motivo nao acceita o offerecimento
que Ihe faco ? Sj me nao engao, j me
deu a ent-oder que ea Ihe n5o repugaava
como marido ; nao sei, portanto, a raz3o
de se oppor a conceder-me a soa mo.
Quer qua Ih'a d'ga. Sr. Nigel ?
S i n3o desejasse isso, n3o o implora-
va to ardontemenie.
Serei francaredarguio Bella. Doas
obstculos surgem entre nos, qual delles
mais forte para a nossa oniSo : um o con-
sentimento de minha mai, sera o qual jorei
na casara ; o outro o consentimento
de seu pai, sem o qual o nao posso fazer.
Eis o que tenbo protestado e o que n3o iu-
fringire, por maior que seja a affeiclo qae
Ibe consagre; raais isto j est dito por mais
vezes; voltearas ao baile ; a nossa falta
pode tornar se reparada.
E, dizendo isto, desappareceu como urna
syiphide por entre a ramagem do bosque em
directo sala de baile.
O apaixonado seguiu-a de longo, sem se
atrever a dizer mais nada, visto qae as con-
diges estipuladas pela sua querida nao po-
diara cumprir-se com a prmptido arebi-
cionada.
Eu e a minba companbeira seguraol-os
da longe, sem trocar nma nica palavra re-
lativamente entrevista de qoe foramos te?-
temunhas casuaes.
O que alli ouvi obrigou-me a fazer ama
ideia pouco edificante da especie homana
era geral e especialmente de Bella Marawa-
(ing.
o meu loro intimo deplorava a lic3o de
astuta diplomacia femnina qae a ingenua
minha c impanheira acabava de "receber,
lembrando me de que talvtz ella um dia
viesse a adoptal-a em seu proveito.
XXII
UM VIAJANTE SINGULAR
Por urna tarda do anno de f49 os ja-
notas que sa diiigiam a Wtndsor e Ooest
assestavam os noculos na direcejio de ura
viajaote exquisito, cuja procedencia ^e igno-
rava, o que appareceu sobre o caes dePad-
diogton. E, todava, i nica circomstaocia
que o l rnava n ilavel era a siyj presenca no
caes de Paddington, porquanlo na ponte de
Londres todos os das se veem figuras
ideticas.
De cor excessivamente moren*, aquello
individuo trajava por sobre.o falo pretoom
paletot semelhrate a poncho mexicano; o
cbapu de abas largas, terminando era breo,
dava-lhe a origem calabreza.
Eis o individuo que fazia convergir sobre
si os oculos dos elegantes e que momentos
depois desapparecia repolireado n'um trem
de priradra classe.
Chegado a Slougb, o viajante espern que
sahissem todos os mais, a no flm, sallando
a trra, drrigio-se em conversa ao chefo da
estarlo. Entre aquelles do homens, nm
de estatura colossal, de casaca verde com
abotoadara dourada. e o oulro. espcimen
diminutivo da raca latina, de cor trigaeira
e vestido de poncho, havia ul contraste.que
eu, achando-me entao alli espera do com-
boyo descendente, n3o pude deixar do re-
parar Umbem nos dous'extramos-rpositi-
vo e negativoHa especie humana.
A primeira palavra que me chegou aos
onvdos, pronunciada por elles, foi o nome
do general' Harding, expresso em idioma^
italiano, e, presUodo atiencio, reconheii
que o pgmeu se informiva da morada do
general. Estive a ponto de offerecer-rae
para Ih'a ensiaar, mas logo me lembroo
que o ebefe da etac3o a devia coohecer v
bem ; de mais a mais. o trem que acabava
de ebegar mal me dava lempo para tractar
de mim, pois s entSo vi que arada n8o
tinha comprado bilhale, a por isso dirigi-me
ao postigo da bilheteira. Depois mal live '
tempo para vero estrangeiro metter-se
n'um carro de praca, em que se affaatoa da
estacSo. '
Det mnalos depois acommodava-m^ ea
n'om compartimento vazio, so'irevind logo
um incidente qae fez desapoaracr compta-
tamente do mea espirito a ideia do estnm-
geiro. ____________(Co*tmiar-$*hei).
TYP. DO DlAitfO-BU* DODUQOK OB CAXUS
i
/

wm