Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:12273


This item is only available as the following downloads:


Full Text
UNO XLVI. NUMERO 269
.TT>
vi

ir
i
i
,

PAli 1 CAP2TA1 E LCAEES OIDE 110 SE PAGA POITE
rVr tre? mezes adiar.tjdos
t*'r seis tilda Wem .
I'oriun jtivii'J')!Q.. .
Ua ffiumcru avulo
SIBBADO
i
PA1A DOTIO E TOBA DA PH07UCIA.
Por tres mezes adiantados ........... 6#7M
Hr Mis ditos idem................W. 131500
vrto8-idem................^ 20#p<
um dqo idem................* OTIOM-
T
Propr#dade da Manoel 71fi|er6a de Faria & Filhos


sll
O Srs. Gerardo Antonio Ai ves 4 Filhos, no Par ; Goacaves d Pinto, no Maraubp ; Joaquina Jos de Olwwra; no Cssrf ; aH)M^>uio de Leaios Braga, no Aracaty ; Joo Hara Jnlio Chaves, no Ass ; Antonio Harqnes da SUva, no Natal; Jos JustiM
Pereira d'Almeida, em Mamangoape; Antonio Alejandrino de Lima, na Parany/ba ; Antonio Jos Gwi na Villa da Penha; Beiarminodos Santos BnlcSo, era Santo AntSo; Domingos Jos da Costa Braga,
em Naaaretfa ; Francisco Tasares da Costa, em Alagoas; Dr. Jos Martn m<*, na Baha ; e Jos Ribeiro Gasparinho no Rio de Janeiro.
i i. _._.___.....__,_________- .____ fcl_____
=fi=
PARTE OraCIAL
overao da nroTlacla
HIMBUSKT4 DO OIV 2J DB SOVKUBRO D.~. 1870.
Aclo :
O presinela da" provincia, atindanlo ;io que
eqwereram o oflkial e escriturario la secreta-
ria do aromo, Francisco do Leroos Duarin e
Theodoro Jos Tavares, rs ntvo nomoar urna jun-
>a medica comeo-ta dos Drs. Pedro da Athayde
Loba Mjayea, los Sorbno di Soasa ^ Adrum
Luiz Pereira da Silva, para d- confiraridade eom
dsposio n<> rt 1" da le provincial n. 97o de 7
lo abril de>18-'>l, veri laca r m aquelle omprega-
<1j* estio ou nao impassibililados de continuara
MTvfr por nlubiliiiea. phystca, adquirida no
't-Tcicio do respectiva cargos
Exnedtrastt-eo m nocessarias coru.'.iunicaeos.
Oficies .
Ao Kxai. Sr. ministro da fazenda, remitiendo
e: cumplimento ao aviso de 13 de agosto nllitno,
copia da toAtrnurio prestada pela Associacao
Commercial Uenedcenie nesla provincia, acerca
da abolicio dos asios quo peruiii'iram ai ombar
cacSes eslrangWras fizer o servco do transporte
costaba entro os portos habilitados d) imperio.
Ao director geral da intruo^Ao publica, pa
ra qne providencie como caber era suis attri
f'nicos. sobre a fallado movis o utensilios da es
:oia de nsinu primar! d i casa de detencao, re-
l :i i sitando o que fir nceossario para que ela func-
cone r-^ularroenio.
A. Ur. chefe do poltcia, recommcndando,
]Oe depois de ourir o administrador da casa de
deleocao, presto as infirmaces que colher sobre
preses constantes da uoia junta e a verairidade
d> que*i|*gam.
N-jia a que fe refere o oficio cima.
Lauriano Antonio Bispo, queixa se do nao ter
-ido requisiiado para responder ao jarv ( do Bo-
nlc.)
Glsudino Fragoso da Silva (ceg), nao lora sido
i lMi a appellavil) que pende da relamj ha
tempos.
Manoel Joaquim do Sant'Anna, preso como es-
oravo dos hordoiros de Manoel da Silva Neves ;
I t que lrre.
Joio Angelo de Mendon?a (Paranayo), qneixa-
* do retardameuto de seu processo.
Honorio Jos de Souia. chegou de Fernando, dix
qae compietou a execnc) da sellenca, e recla-
ma ser remedido para Minas donde veto.
Tbeodon Calcante Lins, nao lem processo.
loan Flix da Gnu e Lourenco Vieira da Cruz
Villa Bella), ro!ardamento da appellagao.
Bernardo Correa do> Santos (Villa Bella), re-
t-rdamenlo di appellaca:.
Joaquim Manoel Bezerra, vejo de Fernando e
iitGorft para que fim, visto ser sentenciado.
Fsdro Sosres Teixeira, preso no Coar em 1861,
ao pan aqni em 1866 e diz que nao tem proces-
+" ero oijoigado
Ant-mio Fsrreira do Nasdiaento (Boto), preso
i logo remettido pelo delegado, sem processo.
Ao inspector da thesourana de fazenda, au-
:isand>o, de cooformidade cora a sna informa-
<:o, a expedir as convenientes ordens, para que
ao soldado Joaquim Bazilio Pyrrho, seja abonada
a gra iflcaco de 6/000 mensaes, marcada no art.
81 do regulamenlo de 17 de fevereiro de 183!,
rtmquanto estiver exercendo o lugar do amanuen-
>a da enfermara militar do presidio do Fernando
lo Noronha.
Ao mesmo, iransmittindo o titulo de recon-
Ob&ves no lugar de jniz municipal da primeira
vara desta capital, aflm do serem pat'os os direi-
tos e emolumentos devidos.
Ao mesmo, communicando haver o bacha-
rol Francisco Domngae Bbciro Vianna, deixado
per doente, no da 14 do crrante, o exercicio do
careo de juiz municipal e de orphaos do termo
li Cimbres.
Ao inspeclorda tliesouraria provincial, man-
dando indemnisar o administrador da casa de de-
i-Kifao da quanla do iOiOO), proveniente da tro-
4 do relogio daquelle estabelecmonto, como se
v da canta junta.
Ao comtrandantc suporior do municipio do
l.irnoeiro, dizendo nao poder ser adoptada a pro*
(sla que remetteu, acerca do f-squadrao do ca-
vallana n. 10, por nao estar bem justificada e se-
rem prejudiciaes aos corpos as alteracoes de un-
tormes, sempre onerosos aos respectivos offlciaes
< guardas.
Ao juiz de direito do Tacaran), declarando
iicar inteirado das ultimas occorreneia; da co-
marca ; recomroendando que agradeca em nome
<); presidencia aos p rtculares quo elfeetnaram as
prisSes dos erimnofos de que traa, o bom servi-
;> que prestaran!; e pedindo conta do resultado
dos processos quo iam ser instaurados aos referi-
dos criminosos.
Ao mesmo, approvando a deliberacao que
loc.oa acerca das pracas do destacamento all
existente e do rlfercs Lanrenlino Folix de Olivei-
ra Lima.
Ao thesoureiro das lotera-, permellindo de
eonformidade com a sua informacao a extraeco
d* parle de loleria concedida pela lei do ora-
rrento vigente s obras da igreja do Senhor Bom
I -sus da Via Sacra da Santa Cruz, em lugar da
iiie pela mesma lei concedeu-se a irmandade de
ossa Senhora do Bom Conselho, a qoal, segundo
a citada infurma(o nao oode correr por estar su-
geita ao imposto de 8 0/0.
Ao cornmandante do corpo de polica, man-
dando substituir na primeira opporlanidade o ca-
bo daquelle corpo, que se acha destacado na villa
de Taearat, ltenlo o ;eu mo com por lamento,
cumprindo que depois das necessarias averigua-
res o faga corrigir disciplinarmente.
Ao bacharel Nabor Carneiro Bezejra Caval-
'-mte, inleirado do obiecto da representacao, qne
V S. diri^p-me a data de 14 do eorrente, acer-
.5 do estaheleelraeota de ama sociedade de redi-
i o real sob a denomina cao deCrdito bypolbeca-
rio de Pernambucotenho a dizer-lhe qne reco-
nhecendo a importancia e utilidade da institaicao,
'ija organisaco V. S. promove, eU presidencia
o auxiliara, como couber era suas altribocoes,
para a reafiia^ao das ideas que expde.
Fies a dispoajcao de V. S. como pede, urna das
-ilas dste palacio para as reunioes da socie-
dade projeetada, at que se installe definitiva-
mente.
Renov** V. S. 09 protestos de mlnna perfeiu
'Mima e desunca eonaideraco.
Portaras :
Aos agentes da eompaahia brasileira de paque-
tes a vapor, mandando dar transporte para a cor-
te, por conta do ministerio da marraba, no vapor
uo se espera do norte, ao commissario da arma-
da Luiz Antonio da Silva.
Coramunicou-se ao cornmandante do brgne bar-
'> Itamarac.
Aos mesmos para fazerem desembarcar de
lurdo do vapor Paran t serem entregue ao di-
rector interino do arsenal de guerra, os qaatro
raixdes que vieran) Ja corle disposicao da pre
.tideocia.
Inteirou-se ao mencionado director.
Despachos -.
Antonio Joaquim Pereira de Oveira.Informe
" lSIP^.* **rarla pfOTeeiaL
CsaBlr M Gome 4a Sl^r -hfcrme b Sr.
inspector sfenoartru provineial.
, DT*!!!2 fni0 ATrw~frfor o 8r. re|-
dor do ihmiwu. .
nirmtw. *L t *
Edeltrudts Carolina de Mallos Pereira.tafor-
meo Sr. desembarfader provedor da Santa Csa
de Misericordia.
Bacharel Francisco .Dmirlngues Bibeir Vianna.
Concedo 30 das do ticenca eom ordenado a
contar de 14 do eorrente, como pede.
Franeiico Xavir de Paiva.loforme o Sr. Dr
chafe de polica. N i
Francisca Mara da Silva lavares.Informo
Sr. desembargador provedor da b iota Casa de
Misericordia. ..
Alfares Francisco Corroa de Mattos.loforrae o
Sr. director da escola normal.
Henrique de Miranda Hioriques.ludeferido.
Jacintho Avelino da CruzIndefendo a vista da
informacao
Joaquim Herraillo Caodidosdas Cbagas.Certi-
fique-se.
Joio Pereira Lagos. Ao Sr. lente coronel
commandan do corpo do poltcia, para infor-
mar.
Jos Goncalves Ferreira Costa.Informe o Sr.
inspector da thesonrana de fazenda.
Joaquim Manoel de Castro Santos. Ao Sr.
cornmandante superior da guarda nacional do
municipio da capital para informar.
Joaquim Basilio Pyrrho.Deferido, expec.a-se
ordem.
Laurindo Olympio Feij de M--.Ho.Informe o
Sr. engenheiro chefe da reparlico das obras pu-
blicas.
Mara Candida Barbosa de Albuquerqne Mar-
nhi-.Sendo a filha da supolicante menor de
sete annos de idade, nao tem lagar o' qne re-
quer.
Miguel Jos Bulbosa Guimaraes.Entreguo-se
os documentos mediante recibo.
Mana Manoela Cavalcaote Informe o Sr. des-
embargador provddor da Santa Casa de Miseri-
cordia.
Mara Magdalena da Concecao. Junto ao re-
quermento aaterior, volte ao Sr. inspector do ar-
senal de marinha para informar.
Rita Mara do Nascimento.Concedo o praso de
15 das.
Padre Vicente Ferreira de Siqueira Varejao.
Ao Sr. director geral da nstrnecao publica para
dar o seu parecer.
EXPEDIENTE DO SBCr.LTARIO.
Offlcio:
Ao capitao do porto, participando ter S. Ex.
codcedido nesta data o pra-o de quioze dias pa-
ra o recrata de marinha Tuomaz Bezerra Caval-
cante provar isencao legal.
Iloparllvio da polica.
1.* seccio. Secretaria d polica da provincia
do Pernambuco. 2.1 de novembro de 1870.
N. 1-'T)8 Illm. e Exm. Sr.Levo ao conneci-
raento de V. Exc. qne, segando consta das partid
pacoes recebidas hoje nesta reparlico, foram non-
tem recolhidos casa de delenoao os seguintes
individuos:
A' ordem do subdelegado de Sanio Antonio,
Vicente Ferreira Borgoi, por crirae de furto.
A' ordem do da Boa-Vista, Antonio Flix Vianna,
Lniza Ignacia de Albnquerque Maranhio e Mara
Francisca, por briga, o Joaquim Jos, para re-
crala.
A' ordem do da Cupnnga, Joio Guilherme de
Senna Barros, por disturbios.
Partipou-me o subdelegado da freguezia da Var-
zea, por ofOo de hontem datado, que no lugar
denominado Bebodouro, pelas 2 horas da tarde do
da anterior, indo um menor de 3 annos de idade,
que era peridicamente accommettido.de ataques
epilpticos, approximar-se urna cacimba, preci-
pita' a-se nella casualmente, e logo depois sendo
lirado d'agua por seas proprios paes, que lamen
taram semelhante accidente, suecumbio i despeito
dos soccorros que Ihe Tirara ministrados, qne
comparecendo ali immedialaraente Gzera proce-
der auto de vistoria, declarando os peritos ser
motivado a morle pelo que j sonra o dito menor,
e ter sido n'agna da cacimba accommetlido d'um
ataque de apoplixia.
Dens guarde V. Exc.
Illm. e Exm. sr. censetbeiro Diego Vellio Caval-
auti de Albnquerque, dignsimo presdeme da
provincia.O chefe de polica, Luiz Antonio Fer-
uandes Pinheiro.
PERNAMBUCO.
REVISTA DIARIA.
ELEICO SENATORIAL. Temos o resultado
dos seguintes collegios :
Carvar.
Dr. Ignacio Joaquim B7
Dr. Aguiar 57
Desembargador Alvaro 57
Monsenhsr P. de Campos 57
Dr. Barros Barrete 51
Consslheiro Paula Baptista 40
Dr. A. deOliveira. 20
Resumo dos collegios do Recife, Pao d'Alho,
Olinda, Iguarass, Goyaona, Nazareth. Limoeiro,
Cabo, Escada, Agua Preta, Victoria, Serinbaem,
Rio Forraoso, Barreiros, Bonito e Cania ni.
1. Desembargador Alvaro 1035
2. Dr. Barros Brrelo 10*5
3. Dr. Aguiar 9i'J
4.* Dr. Ignacio Joaquim 916
C. Monsenhor P. de Campos 34
6. Dr. A. de Olveira 896
hon-
| trra deveu elle ser traduzidjpara o fnncez, a***^
um parisiense, de coja terceira edicao foi vertido
para o poituguez pela Exraa. Sr. D. EuNlia Au-
gu-ta Goraide Penido, illiutro brasileira da pro-
vincia de Minas Geraes.
Para provar a excedencia da ohra, basta assig-
nalar o consumlo qne ella tem lido, qar w I-
glsterra, quer na Franca, o ullimaihente en al-
MflMU provincias brasileiras do imperio. Essa ex-
oelNttia anda reconhecida por S. Exc. Rvaa
D. Pedro Mana de Laeerda, bispo de S. Sebastio
4o Rio.de Janeiro, em um documento qne nainis-
trou a traductora approvando a obra e recom-
mendando sua leitura aos catholcos.
Uma ligeira leitnra que lijemos do livro, con-
venceu-nos da sua mxima utilidade e dos servi-
cos qne elle pode prestar aquellos que nao con he-
cem da relgao catholica, senao as mais perfunc-
toriss noco'.', e assim se acham multas vezes
inhibidos de resolverem as duvidas que porventnra
Ibes possam apresenlar esptrtos animados de ten
tmenlos opposte s deetrflas da naica e 'anta
rel;giao do Calvario.
A traduccao portugueza est na altura da tra-
dcelo franceza.
Agradeceudo a delicada oiferta, reeommeada-
mos ao publico em geral, e especiraente aos pais
de familias, essa Obra tan 0*1 quo nesnsnria.
RA DO BISPO DE SARDIHV.-Pedem-nos
para lembrar a conveniencia de s serem limpa
as aguasestagnadas desta ra, do bairro do Reci-
fe, pela manba e nao ao meio dia, como cosa-
me, com grave incomraodo do publico.
RA DOS GUARARAPES.Acabamos de ver a
escrava a que nos referimos em ama de nessas
passadas Revistas, e nao achraos o quo nos infor-
maram, isto sgnaes de sevicias fetas por sua
senhora.
FACULDADEDE DIREITOFizeram acto
tem os seguintes alumnos :
3a anno.
Aristides Cesar de Almcida. plenaraenle.
Manoel Ribeiro Brrelo de Menezes, idem.
Carlos Francisco de Araujo Costa, idem.
Jos Ferreira Nobre Forraiga, idem.
Manoel Mara Marques Mariz, idem.
4 anno.
Almino Alvares Affonso, plenamente.
Joo de S e Albuquerque, idem.
Placido de Pinho Pessoa, idem.
Francisco Antonio de Olveira Prxedes, id.:n.
o* anno.
Antonio Ramiro da Silva, plenamente.
Braz Florentino Henriques de Souza, idem.
Ernesto Rodrigues Vieira, idem.
Ulysses Machado Pereira Vianna, idem.
gancho de Barros Pimentel, idem, idem.
MONTE PI PORUGUEZHoje, s 7 horas da
tarde, ter lugar a posse dos membrosda nova di-
rectora d'esta benefleente associacao ; e em se-
guida a Inauguraoao da primeira seccio do con-
selho fiscal; caja formal idade ter logar no Ga-
binete Portugnez de Leitura.
MORTE CASUAL.Aule-hootein, no logar Be-
bodouro, da freguezia da Vanea, s 2 horas da
larde, estando a brincar prximo de urna cacimba
un menino de 3 annos de idade, que habitual-
mente era accommetlido de ataques epilpticos,
cahio dentro d'ella e fallecen poacos momentos
depois de ser tirado por seos proprios, apetar dos^
es (orcos erapregados.
LIVRO UTILISSIMO. Pomos obsequiados
eom um exemplar da obra Porque tomos nos. ca-
tholkos t do protestantes -publicada nao bajnaw
lo lempo no Ro de Janeiro
Esse Bvro teve toa origem na Inglaterra ; sea
amor o Dr. Keenao, sacerdote da igreja catholica
da Eseosaia.
A' saa grwte lHueoefa 5 nomnda na Infla-
CARUARL"No dia 21 do eorrente comecoa a
funecionar o tribunal do jury d'esla comarca, sen-
do esta a segunda sessao judciaria do correle
anno.
THESOURARIA PROVINCIAL.No dia 21 de
detembro prximo deve ter lugar o concurso para
preenchimento de orna vaga de pratieante d'esta
reparlico, de vendo o exarae versar sobre gram-
matica nacional e arilhmetica al a theoria das
proporedes inclusive.
ARREMATACES.Perante a junta administra-
tiva da thesouraria provincial, vio praca :
No da 15 de dezembro, as obras do 7J e 8* lan-
Sos da estrada do Limoeiro. avaliadas este por
:289J, e aquello por 4:776^200.
No dia 7 de dezembro, o aterro da vanea- do
engenbo Rosario, avallado em 5:720/.
LARGO DA ASSEMBLEA.-Pedcm-nos para
chamar a attencio do Sr. fiscal da freguezia de S.
Fre Pedro Goncalves. para a immundicia que ha
no largo da Assembla, com grave incomraodo
publico. Nao sera prohibido fazer despejos e pra-
ticar outros quejandos actos em lugar lio publico ?
Cremos que sim ; e por iiso ohamames para ah a
attencio do Sr. fiscal.
OTARIO DE PERNAMBUCO.-Se chegarem bo-
je os vapores Tocantins, do norto do imperio, e
Onetia, da Europa, destribairemos amanhaa nos-
so numero de segnnda-feira.
UMA NOVA PROPHECIA.-O Phare, di Loira
publica a seguate carta :
1 Sr.Permi'ti que vos envi a copia de ama
v el lia propbecia relativo segunda metade do 19*
seculo, a qual encontrei n'uraa bibliotheca que
herdei ha seis mezes, e qne s agora examinei:'
Essa proph-cia muito deve agradar aos nossos le-
lores: Extrahi delta apenas as passagens mais fri-
santes.
Quanto primeira metade do 19" seculo, diz
a propbecia que addnionando-lho duas semanas
de annos (14) ao 1 anno do seculo (1800), oblera-
se um anno funesto Franja (1814), porque nelle
heuveram invasao e mizerias de toda a especie,
Se 1800 resurarem-se tres semanas do annos
(121), ter-se-ba o anno da morte de Napoleaol
(1821). Se em vez de tres se aecrescentarera seis
semanas de anno (42), se obtura o anno da morte
do duque de Orleans (1842) ; a sete se manas do
annos (49), do o anno do comeco do poder do
herdeiro collateral do primeiro imperador. Es-e
poder cessar depois de tres semanas de annos
(21), e com efToito 18*9 reunido a 21 d 1870.
c Nesse anno, diz a prophecia, a nacao germ-
nica invadir a Franca e penetrar at as portas
de Pars; mas a Franca nao perecer. Estes
fados se realisaro antes do dcimo mez da deci-
ma semana de annos (antes de outnbro de 1870),
mas esse mez nao terminar sera um grande de-
sastre para os Allemacs. Infeliz do gratfde despo-
ta t Infeliz do sea cooselheiro I Eiles serio
amaldicodos por todos I O sangue derramado
pedir vinganca I Eu vejo a trra coberta de
cadveres 1 Os allemaes postos cm debandada,
perseguidos pelos filhos dos Gualezas e dos Fran-
cos, cheios de colera e de ra va I Ante vejo um
massacro horrivel, da qual a Europa inteira treme
e se espanta t O velho despola morro, e os ven-
cedores s param as margens do grande rio (o
Roeno).
Emm a prophecia accrescenta que haver a
queda do catholicsmo e o cstabelecimento de uma
repblica dos Estados-Unidos da Europa, antes
do fim do 19 seculo I
LOTERA.A que se acha venda a 172.a a
oenficio da igreja de Nossa Senhora do Rosario
da Boa-vista, a qual corre no dia 30.
PASSAGEIROS.Sahidos para o norte no vapor
Paran :
Dr. Jos Sfebastio Ruourickz, Dr. Satyro Ray-
mundo dos Santos, Jos Antonio de Farias Como,
Dr. Francisco Dmenio de Araujo Cito e 1 criado.
Demetrio Bezerra da Rocha Montes, Ignacio do
Reg Toscano de Bnto, 1 filho e 1 criado, Joio An-
tonio dos Santos Coelho, Dr. Antooio Manoel da
Souza Olveira, Joaquim Vieira de Souza Gavosa o
sua senhora, Elice Lagarde. Dr. Bertino Jos Mi-
randa e 2 criados, Aderaldo Francisco Sampaio e
I irmaa, Raymundo Joio de Maraes Reg, Eniyg-
dio da Rocha Athayde, Paulo Jos Gomes, Fran-
cisco Gomes Marques da Fonseca, Dr. Antonio Ro-
drigues da Silva e Souza e 1 criado, Jos Joaquim
da Silva Gomes, Joaquim Ferreira Deniz.
Vindos de Maraangnapo, no vapor Con-
ripe :
J. Rodrigues da Silva Rocha, Dr. Antonio da Cu-
nda Xavier de Andrade, Joio Alves de Salles, Joio
Alves da Cunba, Gracillano Alves da Cnnba, An-
tonio Ferreira Borges, Pompilio Carneiro Montei-
ro, Manoel da Costa Lima, Manoel Lopes Angelo
Ridardo Carneiro de Miranda e 2 escravos, Manoel
Joaquim dos Santos Olveira, Americo Jos de
Franca, Hermenegildo Souza Lobo, Antonio de
Olveira Thewgr, e 1 escravo a entregar.
pro prximo passado, Aecose-se o archi-
'gerente da Companhia Pernambucana, satis-
do o pedido que se Ihe izera por offlcio de
forrete.a' secretaria para os lias conve-
gerente da C-xnpanh L Santa Thereza, tambem
azendo o pedido que Ihe (ora feito por igual
. O mes.no destino.
aerete da Compania dos irilboe urbano
ufe Apipueos, talisfazendo igualmente o
que se Ihe havia feito por ofcio tambem
do corrate.dem.
Srs. deputadoi foram distribuidos os se-
livroi : C>piador de Jenuioo Jos da Rosa,
uto Fernandes Ramos de Oliveira, Diario
endino Goncalves Rodrigaos Franca.
DESrACHOS
oer i montos :
Dr. Julio Augusto a Cunha Guiraares, oIH-
aior da secretaria) deste tribunal, pedindo
o para o Sr. secretario certificar-Ihe em
la outrou no exercido de seu dito cargo ;
11) onos etTectivo- de servido, quantas tal-
dade ne-se periodo de 10 annos, e se fo-
onadas polo Bxm Sr. presidente para a
'io do respectivo ordenado; e, finalmente,
an> os referidos 10 anuos obtevo algama
lleenca alm da de tres mszc?, emeonse-
a de molestia do pessoa de sua familia.
niono rtius de Carvallio Azevcdo, aeb-|
registro a nomeacio de seu.caixeiro
m Jos de Olveira.Regjstre-se.
Albino Mar ti us da Silva Borges, submetten-
bem registro a de seu caixero Jos Ray-
de Mcll:.Registre-sc.
De Augusto Octaviano de Souza & C, tambem
suburfltendo registro a de seus caixeiros Eulam-
pio Leandro de Oliveira, Leoncio Vital da Silva e
Joaram Vital da Silva.Como requerom.
De Jos Joaquim Goncalves do Barros & C, pe-
imdO) certidio do theor do registro da nomeacio
de saas caixeiros Jote Joaquim Goncalves de Bar-
ros Jnior o M mocl Accioli de Moura Gondim.
Sm.
O Exm. Sr. presidente apresentou um memorial
endert'sad por Carpinteiro, Filho & Sobrinho, fa
zendo diversas consdeacoes sobre os despachos
proferidos era sestees de 24 e 31 do prximo pas-
sado, que Ibes uegou matrimla, e pedindo a re-
considerarlo destes; e o tribunal decidi que este
memorial fosse distribuido aos seas membros pela
ordem da antiguidade.
Nada mais havendo a traur, o Exm. Sr. presi-
dento encenou a sessao s 11 horas e meiado
dia.
SESSO JUDCIARIA EM 21 DE NOVEMBRO
DE 1870.
pnEsromcu do exm. sr.. dksejib..3gad>r a. r. n-
BETTI.
Secretario, Julio Guimaraes.
Ao meio dia, adiando se reunidos os Srs. des-
sralnirpdores Silva Gnlmates. Rete e Silva, Ac-
cioli, debitados liosa, Basto, Miranda Leal sup-
. pente Sa Leitio, declaroo -so aborta a sessao.
Lda fui approvada a acta da seesao pas-
sada.
agcordos assignado s proferidos nodia 17 do
eorrente.
Appellante Jos Alves de Aguiar, appellados os
administradores da massa fallida de Antonio Jos
de Figueiredo; embargante Joio Lourenco Viria-
to de Vasoncellos, embargado Jos Rodrigues Pe-
reira.
JIXO AMENTOS.
Juiz) especial do coramercio : embargante em-
bargado appellante reo Joio Pinto de Lemos J-
nior, embargante embargado appefiado antor o ad*
ministrador da massa fallid:, de Mamede Mar-
lins; juizes os Srs. Reis c Silva, Aecioli, Miranda
Leal e S Leilao. Foram desprezados os embar-
gos, sendo voto vencido o Sr, Miranda Leal..
Juzo especial do commercio : embargante ap-
pellante arrestante Andr Barbosa Soares, embar-
gada appellada arrestada D. Candida Mara dos
Prazeres; juizes os Srs. Reis e Silva, Accioli, Miran-
da Leal e Rosa. Foram desprezados os embargos,
sendo voto vencido o Sr, Miranda Leal.
Appellante Antonio de Azevedo Neves, appellado
Bento Jos de Macedo Pocas; embargante Joaquim
Jos G racalves Beltrio, embargada a Companhia
Vigilante. Adiados a pedido dos Srs. depulados.
PASSAGENS.
Do Sr. doeemuargador Reis e Silva ao Sr. des-
embargador Accioli: appellante Miguel Archanjo
de Figueiredo, appellado o lulor das menores Ma-
noela e Ignez appellante Joaquim Francisco do
Espirito Santo, appellado David Flack ; appellante
o administrador da massa fallida do Sebastio Jos
da Silva, appellado Joaquim Lopes d'Almeida.
Encerrou-s* a sessio mela hora da tarde.
phantasticaa eracificaco'es de Brasileiros, exagera-
dissimas sevicias de escravos o cousas semeihan-
les, inventos puramente forjados para ennegrece-
rn o quadro de suas accosaedes.
E porque aquellos que dir**> nao partilhar essas
ideas nao se do prossa a provarem, como era
alias de seu.mais rigoroso dever, que ellas correm
nicamente por eoota do qnem as escreve, que nio
esli no animo desses chefes improvrados, que
pensara este de ontro modo?
Pescadores das aguas turvas aguardara apresa,
sejam quaes forera os meios pelos quaes possam
apoderar-e delta.
Ao menos este o juzo que autorizara pelo modo
como procedem, e deixaoi proceder.
Recife, 18 de novembro de 1870.
L
Ao
aos
CHROMCA JDIf URIJL
MUBirffAIa DO (OlHRR(lo
iCTA DA SESSAO ADMINISTRATIVA DE 24 DE
NOVEMBHO DE 1870.
fBISDOBNClA DO BXM. Stt. DESBMBAROADOR ANSELMO
FRANCISCO PERETTL
As 10 horas da mauha, presentes os Srs
depulados Rosa, Basto, Miranda Leal e supplente'
S Leitio, S Exc o Sr. presidente abri a sessio
Lida, foi approvada a acta da sessao de 21
EXPEDIENTE.
Oficios :
Do secretario do tribunal dp coramareio da cor-
te, romattendo uma relacao dos commerclantes
OiatrtCUUIo5
em dito
PUBLICACOES A PEDIDO.
A reforma desTaira-se, delira.
Quando os chefes da opposicio mandam ou con-
seutera que o orgao de suas ideas polticas esteja
creando preconceitos que nao s nos compromet-
iera no exterior mais ate nos podem trazer a pecha
de um povo usurpador e que trama as trevas
contra a segaran; 1 de seas visinhos, na verdade
se faz sentir a necossidada de leis que evitem o
emprego de meios tao ignobeis.
Nos que experimentamos por cinco annos as
maiores e mais dolorosas provaces de uma guer-
ra a qne nos arremecou talvez a incuria desses
mesmos que hoje aconselham on coosentem essas
intrigas Hibernes, e cujos desastres ainla enlutara
o paiz, nao podemos deixar de lamentar que a am-
bicio do poder lance mi de armas lio despresi-
veis para comnater adversarios polticos sem atten-
cio s consecuencias qne podem resultar do em-
prego dellas, e ao desar quo solTreria o nosso cr-
dito se cooseguissem ollas persuadir tio grosseiros
embastes."
A reforma no sea syslema de acensar o gover-
no denunciando falsamente intences que esta
jamis pedera alimentar quaes sejam essas do
restabelecimeoto da provincia Uisnalatina, denun-
cia sim verdadeiramente de quanto sio capazes
cortos brasil?iro degenerados, quando a sede da
governanca os impelle a devastacio at dos pro-
prios scnlimentos nacionaes.
Ante um quadro to desanintador da idea de
patriotismo, e at de ciyilisaco fgreoso recoohe-
eer com certos liberaes da poca-que o Brasil est
de feito na carencia de reformas, e que ama dellas
e mais instante certamente era a de urna lei que
mandasse deportar esees Odos espurios e degene-
rados que sac ifieam os seotiranotos naeionana
ambicio de apodararem-se de on poder de que
uzeram a pouco 9 pessimo use de que os vindou-
ros um dia pelas recordacoes da historia indubita-
velmente se harraonisario.
Sim, era de urna reforma denlas de qua careca
9 Brasil, de uma lei qne deportaate certos brasilei-
res degenerados que a*i esto esendjujdn 1 patria
com cores que nos degradam.
Ouofossem esses visionarios fcme|lids e ambi
eioaos bradar fra da patria contra uqaella, cuja
seiva estragaran ddpois de fartos.
E nao pawartauaM pelo dissabor de arguerem-se
eaire nos bra tos naiserelos qa pato, menos ser-
vsrio da Mma aoi Maten.4 tran qne tea
dado prava** Nrinoi-^ <}# ae toa servido,
publico.
O abaixo assignado apressa se responder
Srs. Antonio Luiz dos Santos e Bario 00 Livra-
ment dzendo-lhe que, suas senuorias uo sao
exactos quando declarara ao publico que se acharo
de accordo cera o Sr. Dr. Jos* Bernardo Galvio
Alcoforado ora tudo quanto este senhor tem feito
para a dasapropriaeio do terreno (Hho de vidro
em Parnaraeirira; visto que, aquelle senher nada
tem feito tal respeito, nem polia fazer, unu vez
que, pelos coeseuhores do referido sitio foi conce-
dido a companhia dos irilhos, o transito cora as
condices qne suas sonhorias assignaram ; e s3d
ellas: Cooservacio do sitio vedado ao transito pu-
blico por meio de um porto e viga con-tante,
iudomnisaco que amigavelroenle t'osso arbitrada
pelo coosenco voluntario.
E' justamente isto que nao s o Sr. Dr. Jos
Bernardo como soas senhorlas se comprometie-
ran!. Mas qne, pelo relaxameolo da adminstra-
lo da empreza, so nao pode fazer effectivo ami-
gavtlmenle, motivos pelos quaes o Ilustre doutor,
por meio de quatro demandas, tem frustrado at
ao presente, reduzindo assim a pobre e misera
vmva meeira euado de roendicidade, com o
que rauilo so tem indisposto o publico contra a
companhia dos irilhos e seus administradores es-
tigmatisando tio inslito procedimento.
Nio venham, portanto, os sdnhores de Santos e
Livraroento fazer ver ao publico que, sio s soli-
darios com o senhor doutor em desapropriaedes,
nio s porque se nio tracta d'esse caso, como
porque te de tal se (ratasse em nada se tornaran)
admiraveis.
Agora se Ss. Ss. querem do desviar sobre si
encargos de consciencia, sejam francos, digam ao
publico, nos em materias de direito somos leigos,
por eonseguinte assgnamos de cruz o que escreve
o doutor, visto que elle enleude do riscado, se
peccamos por conta d'elle.
O que verdade que os proprietarios do si:!o
cavalheirosameute consentiram em que foasem afli-
xado; os trilhos antes de pagos do valor da des-
apropriacao e que era retribui.-ao esse seu pro-
cedimento tivorara de ver o seu sitio todo estraga-
gado, enlrecue i invadi dos transentes, taran-
tado-se nelle obras de podra e cal, quando deram
c rasen ti ment s para assenlamento dos trilitos e
sendo decorridos mais de 4 anuos nem um Tiotem
tem receido sendo Jorcados entreter quatro
demandas I I
Note-se qne o pretexto que os eonsenhoros nio
quizeram receber uma paga rasoveI; mas cha-
mam prego rasoavet o que o Sr. Dr. Alcoforado
cm seu mero arbitrio qoiz impor aos proprietarios,
e jnigam desculpar-se cora esse pretexto, quand >
certo que quem quor pagar, e o credor sem ra-
zio recusa receber, ao menos deposita, que o
qne attesta a vontade de pagar o que devido,
mas o Sr. Dr. Alcoforado entende que esse depo-
sito nio pode permanecer em melhor lugar do
que em sua algibeira e de seus companheiros, e
;eja bem protelado qaatro annos sem haver ao
menos sentenca em primeira instancia.
Quanto nio poder anda protelar at a effecti-
va indemnisaco dos proprietarios que tio cava-
Iheiros forampara com a empreza ?
Ja vem os Srs. de Santos e Livramento que os
proprietarios tecm loda a razio de quexar-se,
serapre, apozar que o capricho parle do outros
que nao sim senhorias e neste juzo anda per-
manecen! embora a generosidade com que snas
seuhorinhas tecm procurado amparar o Sr. Dr.
Alcoforado contra a odiosidad'! que o crea era
rlacio a esse negoeto.
Recife, 21 de novembro de 1870.
Jos Antunes Guimaraes.
PROTECTORA DAS FAMILIAS
Os senhores contribaintes a essa associa-
'io que preferem mandar pagar suas annui-
dades tiesta provincia, podero dirigirse a
ra do Livramento n. 19, 1 andar, antes
do dia 10 do prximo mez de dezembro,
afim de que os fundos possam ebegar na
sede da associago no Rio de Janeiro antes
do seo vencimento 31 de dezembro de 1870.
Recife 15 de novembro de 1870.
Narciso Francisco de Vidal.
Coyauna.
as linbas que escrevemos, a respeilo do Sr.
Antonio Domingues de Souza, dissemos :
1.* Que esse benemrito portugnez gosava da
consideradlo publica por sua posicao social, e por
seu trato grave e circunspecto.
2." Que elle j como commissario da eommissao
promotora da colonisaco de Mossamedes, j como
agente consular na cidade de Goyanna, tinha ser-
vido com applauso e benemerencia.
3.* Que como simples snbdito portugnez havia
dado provas de philantropia e dedicacao a favor
da sua patria natal.
Para coraprovar o primeiro tpico, nio hesita-
mos em asseverar, que todo o corpo coraraercial
de Goyanna, e parte do do Recite, que a cmara
municipal, o juiz de direito, o juiz municipal, e as
autoridades policiaes serio concomes em atteitar,
que o^Sr. Antonio Domingues de Souza, pessue al-
guraa fortuna, legtimamente adquirida, e qne a
sua conducta publica irreprehensivel, or quan-
to j as suas relacSes de agente consular, ji as
suas relaees comroeriaes, e j as relaces ps-
soaes mantera um porte serio, grave e circuns-
pecto.
Para com provar o segundo, bastar transcre-
vermos os dous seguintes officios.
[ Illm. Sr.A comaissio central portugueza des-
ta cidade escolhida pelos seus compatriotas para o
fim de prover a expensas destes ao transporte de
todos aquelle3 portugnezes que quizerem ir esta-
oeiecer-se e fazer parte da nova colonia nacional
de Mossamedes effectuando assim ama segunda
eipedico para este ponto das nossas possesses
d'Africa occidental, tundo sido autorisada a no
mear dentre os seas concidadios desta cidade, e
do interior da provincia aquellas que julgar mais
proprio por seu prestigio entre os nossos. por sua
posicio, e por seus senlimeutos palriotioos pa
promoverem assgoatura das quaulias noessaarias
para esse fim ; e procederem depois sua sunran-
a, julgoo acertado dever nomear a V. S, em quem
reeondecs todas as boas quaUdades para esta ci-
ade.....................................
iribjftaj ducaMpo mezdp. at^.da. oatros-nMnosleean*, como tenha ;Mqob
lares conhecem o sen nentmm valimento para rofcr
V. S.; roas esperara e coartara muito na solk-
tude de V. S., e sobre tudo na sua dedicacao a
nossa patria e aos nossos compatriotas --ara eoo-
larem que V. S. se prestar do melhor bom grado
a esta iqcumbncia coucorrendo assim mais acti-
vamente para a realisaco desta empreza em qne
todos nos devemos empenhar ; e nesu esperanea
a commlsso central pede a V. S queiradar prin-
cipio o mais breve possivel aos seus trabalhoe.
O abaixo assgnados agradeeendo a V. Sv de
ante-mio a sna acquiescencia ao convite que Ibe
fazem, e toda a >ua prestante coa dj a va ci Ihe
apresentam sens protestos de respeito e apreeo.
DeusguTde etc.-Recife 1 de dezembro de 1849
Illm. Sr. Antonio Domingues de Souza.=Goyan-
na.Joaquim Baptista Moreira, presidente da eom-
missao central.Miguel Jos Alves, secretarte.
Illm. Sr.-Em oIBcio de S. Exc. o Sr. ministro
plenipotenciario de sna magestade fldejissima m>
Rio de Janeiro de dita de 4 de jnlho prximo pas-
sado, me foi declarado qne sendo satisfactorio o
modo pelo qoal V. S. tem desempenhado as fonc-
coes de seu cargo, convera que insista em que V.
S. se preste a desempenha-lo, o que cumpro- do
melhor grado, prestando lestemunho do modo ca-
bal com que V. S. ha exercido o cargo de que tu
acha revestido. Espero, pois, que V- S. em coo-
sideraeio aos desejos manifestados pelo Exm. Sr.
ministro plenipotenciario de sua magestade fide-
lsima continuar a ler a sen cargo a agencia con-
sular de Portugal n'essa cidade e seu termo.
Deus guarde etc.Consulado de Portugal em
Pernambuco, 3 de agosto de 1870.Illm. Sr. An-
tonio Domingues de Souza, agente consular de-
Portugal em Goyanna.Clandino de Araujo Gui-
maraes, consnl.
Era relaca) ao terceiro tpico de nossa asser
o fado de elle tomar a iniciativa das subscrip
a favor do monumento a Camoes e da reedi
cao do asylo de Mara Pa, j por si bastante a
comprovar a sua philantropia ; mas nos aceros-
tamos que nenhuma duvida temos em desafiar a
quem quer que seja, que seriamente nos aponte
um fado e um nome proprio relativamente a
qualquer subdito portugnez, que proenrasse o Sr
Antonio Domingues de Souza, ou como agente con-
sular ; ou eomo particular, e qua nio fosse alten
dido.
Limtamo-nos a iazer esta relificacao ao qne>
dissemos a respeito do vice-eonsnl de Goyanna u<>
Diario de Pernambuco de 12 do correte'
Declamar nio argumentar.
Deelnraeft*.
Joio d'Albuquerque Barros Guimaraes declara,
por meio desta ao Sr. Narciso F. de Vidal, que Sea
nnllo o contrato acerca da seguranca de vida de
seus dous filhos, visto como nao receben ainla os
respectivos contratos, como diz o primeiro docu-
mento que tem em seu poder, que jalea tambera
nullo; ficando portanto desonerado de qualq'ier
obrigacio a tal respeito.
Outeirio, 20 de novembro de 1870.
Monte pi portuguez.
(A nova directora)
Hoje as 7 horas da tarde deverter lagar a po-
se da nova directora eleta, e a Inauguraoao da
primeira sessio do conselho fiscal de esperar
que todos os membros, de um e outro corpo nao
deixem de comparecer a ossa formaiidade do lan-
o alcance.
A directora que so retira lega a sua sucer-sora
seria e espinhosa como importantissima misso n
cumprir.
Abre-se portanto um novo periodo de contiuucs
serviros administrativos para os membros da neva
directora, os quaos reunem as qualidados qus as
exigencias da sociedade reclama. Almejamos
portanto a nova directora presidida pelo in-
tegro e honesto carcter do Illm. Sr. Gregorio
Paes da Araaral, uma admioistracio pautada pelas
normas da iusu'ca, e confiamos qne a associucio
lucrar muito do zoilo, actividade e circumspee-
cio do Sr. Gregorio ; com taes predicadas S. S.
ha de promover, estamos certos disto, todo o bem
que poder em prosperdade da sociedade, nos o
felicitamos pela acertada escolha para presidente
do Monte Po : questio um tanto de querer,
e S. S. seguramente querer ; animado portanto;
o Sr. Gregorio dos melhores e mais boa s desejos,
esperamos que os associados tambem (Icario par.
sua vez satisfeitos com os fecundo1* resultados que
ha de obler auferir d'uma administracio dirigida
com criterio, intellgencia e forca de vontade.
Repensando assim a mais completa confianza
na reconhecida apttfio dos membros da directo
ria, confiamos tambem na alta misso que vai me-
ter a nombro; tenha a directora uma vontade
resoluta e ioabalavel unidade de pensaipento qun
tudo conseguir, e assim prestar a sociedade o
mais importantes servieos, e fari uma brilhant
admioistracio, como de esperar, entio sens ac-
tos administrativos serio fortes pelo apoio dos as-
sociados.
Ss ha um assnmpto que deve desde j inspirar
i nova directora como que no actual estado d*
cousas exige uma atienen j desvellsda, sem ne-
nnuma duvida a reforma dos estatuios, e acqnisi-
Qio.do pessoal para o quadro social, nomeaudo-s
para tal fim commisses pelas freguezia?, das
quaes devero fazer parle os membros de conse-
lho, em cajo corpo existem cavalleiros que-
pela sua posicao e prestigio muito podero fazer.
se assim o fizorem lerao conquistado nm irracn
sauel direito de gratidio des associados : baja
portanto uma vontade retolata e inabalavl que
tudo se conseguir para elevar a associacao aquel-
lo grao de prosperdade que ihe esta reservad*,
o que n; dizejamos e esperamo-lo.
Um por rauitos socios.
COMMERCIO.
PRACA DO RECIFE 2 DE NOVEMBRO
DE 1870.
AS 3 1/2 HOBAS DA TABDE.
Cotacfes offlciaes.
AlgodSo do Rio Grande do Norte646 rs. por kii.
posto a bordo.
Cambio sobre Londres 90 d/v 23 M2 23 5t8 por
11000 (hontem).
Dito sobre dito 90 div 23 li2 por WOOO.
Cambio sobre o Rio de JaneiroIB tyi 3|4 por Ofi
de descont (boje).
Gqueaio Jos Affonso,
Presidente.
Mosquita Jnior.
Secretario.

Oaabnbco assgnados quer como membros da
rxwntsnt' central pmugueza.qjr como ptfftiea
ALFANDEGA-
Rendmento dedial a:4. .
dem do da 15 .
750:aBt#1l
23:722*361
774:084*933
NTleat la alfaatega.
Volumes entrados coa fasendas
1 1 coca teneros 321
Volumes sabidos com fanaada W6
> eom gneros 217
Descarregim boje M de ouAu%rc-.
lMaringJeM afti-tioordi vanee laneros
321
%&

f"

/
9k.
*w"


5
1fr.nl jm
Brigue togle- WiU ^aw-trilluu de ferro.
Brifne portuguez.-/it Calera togleaflcrmtoMferro
Brigue ingtei-Bcmeciaarioha de trigo.
Patacho anwttiw % lunario Uemt diversos
genero. /*t
Barca portO|l|tflira-idem.
RBCEBEDOl fe RRNDAMNTERNAS
b GEHHP W, PErlNAMofCO
Renmmento do du i a Si. 44:3494939
dem do dia 25 .
Pernambrco
*
*""-
Sabbado 26 de Novembro de 1870
46:3374021
CONSULADO WOVWCIAL.
Mendiroento de dia 1 a 24. 58:298Jfe3
dem de dia 25 2:9il*4*
61141*469
MOVIMENTO DO PORTO.
p Navm entrados no da 25.
Vatsaognape12 horas, vapor brasileiro Coruripe,
de 222 toneladas, coramandanle Jos Heoriques
da Silva, equipagem 17, carga 260 fardos com
algodao e 15 saceos com milho ; i companhu
Pernarabucana.
Liverpool56 ds, barca ausiriaca Sacra Familia,
de 290 toneladas, capitao Antonio Cercicb, equi-
pagem 8, carga carvo ; a Jobnston Pater k C.
Navio sahido no mesmo dia.
ParaPatacho brasileiro Bom Jess, capillo Ma-
nuel Fraukltn do Amaral, carga asacar.
Rotear** do Rosario

Casi terrea n. 70.
Roa detNegueira.
Qasa terrean. 17. ,
Rua da Matriz da Boa Vista,
Casa terrean. 86......7
PATRIMONIO- D08 ORPHOS
Ra do General Victorino,
*
U... raaMpi **% itt 1
Jorge (eutr'era Pilar)
303*000
221*000
3034000
OOSJOOtj
iaAtxxi
Di
dem idWp m^y.'.'.'.'.'...'.'.'.'.'. JuOOO
dem idea 9t.............."..... 3434000
dem idem i. 96................... 903/000
dem idmn p. 94.,................. 2044000
dem idea 31. ....... 461*000
(ti pretndeme* deverio spreaenUr no acto da
orreniataoio as soas flaneas, jan comparecer
acempao&dcs dos respectivos fiadores.
Secretaria da Santa Casa do Misericordia do Re-
cife, 18 de ontubro de 1870.
0 escrivo,
Pedro Rodrigues de Souza.
. EDITAES.
A cmara municipal do Recife, tendo de
construir um grande mercado nesta cidade, con-
vida ais Srs. engenheiros e contratantes de cbras
para, dentro do praso de dous mezes, apresenu-
rem seas pirraos ; e, paramis facilitar esse ira
fcalbo, offerece as bases seguiuie-, que soffrero
as modiflacSes reconhecidas necessarai : .
O novo mercado publico ser consiruido no
centro da praca onde actualmente existe o mer-
cado de S. Jos, no espato comprebendido entre a
ra de Pedro ATonso e o muro actual do hospi-
cio da Penda no prolongamenio da ra de S. Jos.
O novo mercado dever apresenlar urna su-
perficie coberla de 3,500 metros quadrados poueo
mais ou menos.
o Ser de ferro fundido, ferro balido, alvenaria
de lijlo ou pedra de cantara, ou de granito do
Rio de Janeiro. O travejamento da coberla ser
de ferro batido do melhor systema admittido, e as
tenas serio de ferro, onduladas gal /anisadas, ou
de barro chatas modernas.
Ter passcios em roda, de 2 metros e 20 de
largura calcados com Uges de Li.-boa, assim como
ras espacosas. Ter a solidez necessaria parajjm
edificio destinado a um servico publico que nao
deve ser interrumpido.
< Ser de urna arcbitectura simples e elegante.
Dever ser consiruido de tal maneira que a
eirculaeo seja fcil, que soja bem a rejado, e que
se possa fcilmente entreter um grande aceio.
As paredes do edificio at urna certa altura
serio de pedra de cantara de Lisboa ou de alve-
naria de lijlo guarnecido de azulejo, para se
p der constantemente conserva-las limpas.
< Todo o pavimento ser lageado com pedras
de Lisboa, escolhidas e as lages sero assentadas
sobre carnadas de belume ou cemento, conforme
fr reconhecido o melhor.
O edificio ser feixado ; as abortas inferiores
menos as destinadas pora as entradas sero guar
nocidas de venezUnas, que sirvam para defender
o interior c nlra o sol, as chuvas e grande vente,
sem contudo interceptar todi claridade.
As .venezian.is internas rao de vidro, con-
forme as que se lem empregado nos novos mer-
cados da Europa ltimamente.
Ni coberta ou prxima a ella deixsr-se-hao
asertas, ds maneira a dar maior claridade ao edi-
ficio e arejar a parle superior.
t A ivi-io interna ser feita de maneira que
teoha tanto quanto tur possivcl igualdad do van
lagein nos lugares.
As ras ou passageas internas sero pelo me-
nos do i metros de largura e os lagares para os
vendedores tero a mesma dimensaj.
Os baleSes ou mezas sero de medeira ama-
relio, o as lampas de pedra branca de marmore.
As entradas do ediiicio tero grades e partoes
de forro.
t O edificio ser dividido da seguinte maneira:
l. Urna pirte doslinada a venda das carnet
verdes de Ihis, carneiros, porcos etc.
Urna parte para a venda de farinba, legu-
mes ot,\
a 3." ma parte para a venda do peixe.
4." Urna parte para a venda de verdaras.
Dever ler no mesmo edificio :
I. I" n cerpo de guarda.
2.# ll.ii lugar para o porteiro.
3* Um lugar para o adminstrador.
4.* Lalriaa publica.
Para commodidaJe dos vendedores e acceio
do mercado, dever ter prximo ou dentro do edi
licio como se iaigar mais coaveaientc agua com
abundancia ; duas on mais fontes sao indispen-
saveis.
Os eoncnrrenles devero apresenlar os dse-
olios seguintes:
< Urna planta geral onde se ache indicadas as
entradas das ras que dio para a praca ; na es
cala O.OOlm. r
f .o plano do mercado na escala de 0,005 m.
Dezenho do enre e ele v cao longitudinal e
transversal na escala de O.OIm.
i Dezenhos representando a eievaco e detalbj
das priupaes juntas das pecas ds ferro batido ou
fundido, assim como do systema da coberla na
ercala de 0,10m.
t Estes dezenhos sero acompaohados de orna
descripeo circumsunciada de todo o e qualidade dos materiaes e o svstema de assenla-
los.
(lonsotado provincial.
Na forma do art. 50 1 da lei provincial n.
963, avi.-ase por esta reparticao, a quem interss-
sar possa, que com o mez de dezembro prximo'
abre se o praso de 30 dias all marcados para' o
pagamento voluntario dos impostos da decima
urbana e de5 OO sobre a rend dos bens de rait
de corporae,oes do mi mora, relativos ao se
mestre do correte anno financeiro de 1870-71,
incorrendo os contribuiotes que nao realisarem o
mesmo pagamento no rTerido praso, nv commi-
oaco do 3a do eitado artigo.
Consulado provincia! 21 de novemmbro de
1870.
Se'vindo de administrado."*
A. Wi'ruvio P.: B. e Accioli de Vasconc ellos
SANTA GASA DE MISERICORDIA DO
RECIFE
A jnnta administrativa da Santa Casa, precisa
contratar cora quem por menor preco flzer os
concertos de que oecessita o cano que condnz
agua da camboa para a casa da lavagem de rou
pa existente no eollegio de Santa Thereza em Olin-
da, como as radiadoras que esio as paredes da
dita casa, reboca-la por dentro e por fra e fazer
de um lado um paredo na oxtenso de 40 pal-
mos.
Os pretendentes devero ir examinar os repa-
ros de que necessita dita casa e apresentar su as
propostas, quinta feira pelas 3 horas da tarde na
sala das -essdes da junta.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do
Recife, 19 de novembro de 1870.
O escrivio,
Pedro Rodrigues de Sonza,
MUELA BMIBU
NO
CAMPO m PROEZAS .
i."S-!'ec,?a-se <*'t"D* *ui* fcf ooescrav qai>
aaiHj Cozahar bem i-Ha ra oaa Grsea n. II, se-
gondo andar, entrada pelo beca do Onvidor.
amo nt.i^2E,n!,aJie9p*i,ho'a % 5*nelas ten a honra e
joanto uuriiigene publico desia cidade, a lista dM artistas aue n
no (los mes-nos, para que nao se diganae nrornw Eevemr o
^.Lnddl tncia rin^TialidaSWr^Kdo
no
o de apresentar ao resptiuvel
-.niara, sem nada dizer era abo-
W> publico, que com sua pro-
WIHW b applicacio de cata nm del-

enho das melhores pecas e'seu." repertorio.
WtJECrRES DA- COPANHU
Jos Lartiiler e Jt^jo Castflo
REGENTE DIRECTOR DA QRQHESTRA
s. um Tiliio
lf) ah
PROFESSORES DA ORCHESTRA 20.
Praeiras4ama
D. Maria de las Nieve- Bibefa.de Castillo
D. Lotea Rivera de LaiHiller.

Priroeiro barritono
D. Bonifacio Ros. .
Primeiro baixo cmico
D. Raphael Granados.
Baixo serio
D. Jos Garcia.
Segundo barritono
D. Antonio Coneia.
Mestre de coros
i. Raphael Granados.

Tribunal do
conimercio.
publico que cam
Segunda dama
D. Maria Garcia de Granados.
Aponlador de verso
D. Frederico Riosa.
Contra regra
D. Antonio Souza.
Primeiro tenor em todos gneros.
D. Alejo Custla.
D. CORISTAS DE AMBOS OS )S.
Pintor soenographico, LEN CHAPULN. Machiaista, JOS AL VES MONTEIRO.
REPERTORIO DA COMPANHIA.
Domina ni r^J,m il^f '' Ci"#*aane, ogu com fuego, Diamante de la eorona, Relmpago,
^Zt^hJ^u-^' D'abl en ^ Poder Hijas de Eva, H.ja del Regiment, Barbero de Sevna
ai yo mero Re, Mis dos Mujeres, Estebanillo.
Zarzuelas em 4 actos : Marina, Sargento Prederico, Magyares.
i. Di f"^ *? etn 2 actos : Mtrua, Estreno de nm rtUta, Postilhio de la Rioj, Tramoya, Co-
* uel tnablo Pleito D. Simn, Un caballero particular, El amor y el amnerso, Una vieja, El ulti-
mo mono, El viscoDde, El grumee, La vuelta del corsario, El sacristn y la viuda, D, xdrujulo e
muiias outras do mesmo genero. '
Grande espectculo
Sabbado 26 e domingo 27 do corrent
Ama
Pracisa-se alagar ama ama para cozinhar e en-
gommar para casa de pouca familia, no Arraisl,
sitio da bomba : a traur no pateo de S. Pedro
n. 11.________
-i^Ta ra ImpMftl 5, 1 esir, cadpnV
se Obras sterlinas, moodae nacianass, tanto do ou-
roawpo de prata pelo ctmbio da Braca.
CASA DA fTUNA
Aos 5:0001
Bhetes garantidos.
A na Primeiro de Mir?o (om'ora roa dt
Crespo) n. 23 e casas do eostume.
Oabajxo assifnado, tendo vendido nos seas fe-
lius bilhetes doas meios de n. 1574 eom 400*000
e outras sones de 100* e 46 da loteria que se
acabou de exlrahir (171.-) convida sos possuido-
res a virem receber na conformidade do eostume
sem descont algum.
Acham-se a venda os bilhetes garantidos da
7- parte da lotera, a beneficio da igreja de Nos
sa Senhcra do Rosario da Boa-Vista (172*) que st
axtrahirt qnarta-feira 30 do corrent mez.
PRECOS.
Rilhete inteiro 6|000
Meio bilhete 3*000
Quarto 1*500-
Em poreao de 100*000 para cima.
Rilhete im iro 5*400
Meio bilhete 2*700
Quarto 1*350
Manoel Martins Pinza.
Olinda
No largo de S. Pedro Marivr acha-se um so-
brado caalo e pilalo que se alaga pelo lempo
de testa ou por anno, com boas ascomoda^oes
para familia : a tratar na mesma cidade com o Sr.
Antonio Ramos roa do Paco Castelhano.
Ti
CAMPANNE,
Por esta secretaria se faz
competentemente archivados :
O contrato de sociedade de Jos Rodrigues do
Nascimento e Jos Antonio Vilella estabelecidos
nesta cidade com taberna sob a Arma de Jos Ro-
drigues do Nascimento 4 C. e o capital de 1:580*.
O contrato de Frederico Henrique da Siiveira
Tavora e um commanditario estabelecidos na lina
de Fernando de Noronha, com casa de eoromercio
de gneros do paiz, e o'capital de 5:000*000 em
commandita sob a firma do socio Tavora.
Secretaria do tribunal do eommercio de Per
nambuco, 24 de novembro de 1870.
0 ofilcial-maior
Julio Guimaraes.
ZARZUELA KM TRES ACTOS
Msica do mae:tro Marza, poesa do Sr. FronUura. ( Em Iialia esu peca intitula-sePro-
va de urna opera seria)
PERSONAGENS :
Correto geral,
Kela.;ao das cartas registradas, procedentes
do sul e norte do imperio, exisleates na
.reparticao do correio em 24 de novem-
bro de 1870.
Bernardina Maria da Silva, Flix Pereira de
Simas, Jos Bartholomeu (i), Jos Lacas Ferreirj,
Jos de Sonza Reis, Joo T. Marsillac, Lnandra O.
Al ves de Camino, Manoel Ribeiro Brrelo de
Munezej, Quiridona Mara da Coneeieao.
O enearregado do registro,
Manoel dos Patsos Miranda
THEATRO
OtCLARACOES.
Sra. Ribera de Castillo
Sra. Garcia de Granados.
Sr. Castillo.
Sr. Riosa.
Sr. Granados.
Sr, Garcia.
Sr. Correia.
mesma.
Corita.....
Violante............
Artsrto.............
Capanone...........
D. Pamfilo..........
D. Sandalio.........
U. Fastidio..........
Coristas e atdees.
A accao pasa-seno tneatroontre os arlisfas que compdem a companhia e o emprezario da
PREgOS :
Camarote de orem... 10*000
Dito do 2' ordem........ 120000
Ditos da frente ao lado do
da presidencia........ 15*000
Reservado para senhora.. 2*000
Cadeira................ 2*000
Plateas................ 14000
O* bilheles acham-se a venda no escritorio do theatro.
N. B. -r-Os camarotes tera 6 entradas.
erpa feira lldo andante mez pelas 8 horas da
manha, na ordem 3 de S. Francisco, resa-se
urna missa pela alma do fallecido senador Joo
Pedro Dias Vieira fallecido na corte em 29 de ou-
labro prximo passado.
Casas Boa-Via ge m
Allugam-se duasexcelfentes casas na Boa-Via-
gem, sitas ra d'Aurora, sendo urna grande e
ontra menor : esta com 2 sallas, 2 quartos, dis-
pensa, coztnha, f >rno e fugo ; e aquella com 2
sallas, 5 quartos, 2 armarios, cosinha grande com
todos os preparos, e alem de todo ama grande
pajhoca a beira-mar para os banhos salgados :
trata-se na ra do hospicio n. 60, ou na ra do
"gario n. 19 1 andar. ________
Para banhos salgados
Alaga-e urna excellente casa na Ba-Viagem
ra d'Aurora, com 2 sallas, 2 quartos, cosinha
fra e 1 gabinete ; aa roa do Vigario n. 19.
CAFE PR61T1V0
A' ESCAMONEA
De B,N Barral
Pharaaceotlco-C r> ImIco
uiilidsde des porgantes nao soffre demons-
io almna; a pwSjeTipcias bzem ofwdicos e o uso aiuda sasis frequente
feilo pelo pablico sis provea Irrefrngaveis tanto
como i qnantidade innumeratol deste jenero. So
falta aperfWcoar cada ve: mais o nodo de admi-
nistraclo, de maneira que conservando a sna ac-
eio, ellos possa m ser tomados sem repognanci*
nem aseo e sobrrtado sem reoeio neni perigo.
Maitos porgantes afamados s devem este bom
xito so sea efeito intenso e excossivo. D'shi o
perigo, porque irritares de estomago, mflamma-
coes de entranhas sao inevitavelmente o resulta-
do do seu emprego. Nada disso tem-se de recear
com o caf purgativo.
Tedos conhecem por experiencia o aroma sua-
ve e o efleito ligeiramente tnico e excitante do
caf Elle o melhor auxiliar dos purgantes dos
quaes disfarga o churo o sabor e ajuda a acr,lo
" citando vagarosamente os movimentos peris-
AVISOS MARTIMOS.
Conseibo de compras navaes
O con-eibu promove no dia 26 do crreme mez.
a vista de propostas recebidas at. as 11 horas da
matiha e sob as condiedes do estylo, a compra
dos ohjeclos do maten*l da armada seguales :
10 baldeadeira- de foba, 10'duzias de chicaras b
pires de f.lha, 30 ovados de damasco de lia en-
festado, 20 funiz de (olbi, 100 lampies de folna
para lluminacao, 100 lape de cores, 200 lapes
pelos, 2 culos de alcance, 8 donas de ligelas de
tolaa dobrada, e 6 vardes de ferro qaadrado do 4
polegadas eto quadro.
Tambem o conselhj por goal forma contrata do
mencionado dia 26 lo crrenle mez o fornecunen-
i > de cemento romano de boa qualidade para as
obras do porto, tendo cada barrica nanea menos
de iO arrobas de peso.
Sala das sessoes do eonselho de compras aavae-
2-1 de novembro de 1870.
O secretario,
Alexandre Rodrigues dos Anjos.
COMPAA
BEBRIBE
O caixa interino desfa oipaniH, o Sr.
Coibiniano de Aflojoo Fowwa, acaa-se au
torisado a pagar no $eu eterptorio ra do
Vgano n. 19, das 10 horas s 3 d* larde,
o 45 dividendo desta cotnirttjhtana propor-
io de U por cada acSo,
Escripterio da comwnbia do Beberibe
z2 de novembro de 4870.
^ Oseewtario,
Dr. Prosuda G. de Sonza fttanaa.
SANTA CASA OH AISEhlGokIA )
BEGFE,
A Illma. joata idafisirativa da Santa casa de
EMPHEZA-COLMBHA
Sabbado 26 de novembro.
Espectculo extraordinario em beneficio de Mlle.
Heleno Sangles ; honrado com a presenca de sna
Exc. o Sr. presidente da provincia.
Tomam parte os artistas Mr?. Raynaud, Carn, j
Maris e Mlle Brescia ; assim como os Srs. Fraa-
celino do Moura Pessoa, Aatooio Hartins Vianna,
Salustiaoo e o maestro Casalbore.
Primeira parte.
Miro ero.Mr. Raynaud.
Rond Bresilien.Mr. Carn.
Posa la mano.Mlle. Brescia.
Le Peupler.Mr. Maris.
Aria da grande opera Barbeiro de Sevilha.
pela beneficiada.
Segunda parte.
LE CHALET
opera cmica em um acto, msica di A. Adam.
Daniel.Mr. Raynaud.
Man.Mr. Maris.
Uet l yA beneficiada.
Terceira parte.
Varasoes para clarinela, pelo Sr. Antonio Mar-
tins.
Variaedes para flauta, pelo Sr Salustiano.
Aria da opere Guilherroe Tell, pela beneficiada.
Quarta parte.
Variatoes para rabeca, pelo Sr. Francelino,
acumpanhado ao piano pelo Si*. Casalbore.
Duelo da opera Cbanson de Foriunio por Mlle.
Brescia e a beneficiada.
Durante os inlervalio! a msica do 1* batalho
de ai tiibaria se fara ouvir.
Principiar i is 8 e 1(4 horas.
Os bilhetes acham-se a disposieao do publico,
em mo s beneficiado no hotel d'Earope.
COMPANHIA BMS1LEIM
DE
Paquetes a vapor.
Dos porlos do norte esperado
al o dia 26 de novembro o vapor
Tocnnlins, commaodante Jos Ma-
rta Ferreira Franco, o qual dc-
pois da demora do eostume se-
guir para os porlos do sul.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
sarga que o vapor poder conduzir, a qual deven
ter embarcada no dia de suachegada. Encommen
las e dinheiro a (rete at as i horas do dia da su
unida.
Nao se recebem como eacommendas seno ob
lectosde pequeo valor e que nao excedam a duai
uTobas de peso ou 8 palmos cbicos de medicao
ludo que passar destes limites dever ser embar
;ado como carga.
Previnc-se aos senhores passageiros que sua-
oassagans a se rooabem na agencia, ra da Gru
a, 57 primeiro andar, escriptorio de Antonio Lulz
le Oliveira Aievedo 6 C
Eio de Janeiro.
O patacho nacirnal Esfrega a sabir at o fim do
mez, ainda recebe algama carga : a tratar no es-
criptorio de Jos Maria Palmeira, largo do Corpo
Santo n. 4, I* andar
BAHA
Para e referido porto segu dentro de seis dias
i polaca italiana Sura, e por isso quem quizer
aproveitar carregar a frete commo^o, dirija se ao
consignatario Joaquim Jos Goncalves Beltro
ra do Coramercio n. 17.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
COMPANHIA PERNAMBUCANA
H
avecapo eostelra por vapor
Macei, escalas do Penedo.
O vapor Giqui, commandaote
Macedo, segmra para os portos ci-
ma no dia 30 do correte as 5 horas
da larde.
Recebe carga at o dia 29. en-
commendas, passageiros e dioheiro a frete at as
i horas do dia da sabida, no escriptorio do Forte
do Mattos n. 12.
Rk
na sala de as sessoes.
las 4 horas da Urde, |em ils-aor artsvnaiacUs a
lueui mais vanugens offerecer pelo lempo de um
kdaado*-0"' WfWla KTABELEOMENT'DS OB CAWDADE.
Sobca4on,4i. *IW>[
Domiiigo 27 do corrent
As 6 horas da tarde.
UNDO E VARIADO ESPECTCULO
Dividido era quatro partes.
Ouvertura pela orebestra.
PBIMEIRA PARTE.
A linda opereta em um aclo
I*a leqoa de musique
na qual tomam parte Mrs. Maris a Mlle- Brescia.
SEGUNDA PARTE.
! Cancooeu
J'N'ONS PAS D'ESPRIT.
canudada por Mlle. Mariette.
i.Q Caocio
LA MANDOLINE A DODO
canudo pele caricato Mr. Carn.
3. Romance
V VOUS N'AVEZ REN A MEDIR
xibide por Mr. BaynauJ.
4.'Caoco
AH I QUE J'AYME LES IML1TAIRBS
exhibida per Mane. Valmonca.
TERCJMRAPARTg.
Representar-se-ha alinda opereta cmica tai
nm aclo
Les Hiron PenonageM
Pepetti........ MUeBraieia.
FtMmaM...... Mtaso Vataswaea.
Qt'AHTA MMt
Representar se-a a muit Hada o sppiaudida
Ona da dtora fio mi
1A -WM.
n/mit
grjmd dnebesse.;....,7Tmo. VfmoDca.
Hral-...;...:...... Hr.CsJDD.
Termina coma qturilhi
COMPANHIA PERNAMBUCANA
OK
avegaco costelra por vapor.
Porto de Gallinbas, Rio Formoso e Taman-
dar.
0 vapor Parahyba seguir pa-
ra os portos cima no dia 30 do
correte a mea nonte.
Recebe eargs, encommendas,
____passageiros e dinheiro a frete no
escriptorio do Forte do Mattos n. l.
Varegftcio eosteira por vapor.
Mamanguape.
O vapor nacional Coruripe,
commandaote Silva, seguir
para o porto cima no da 28
do correte as seis horas da
Urde.
Recebe carga passageiros,
encomnendas, e dinheiro a frete al as 2 horas da
tarde do dia da sabida, no escriptorio do Forte
do Martes n. 12.
<&-.

AVISO AVISO
Grande vantagem
AOS SENHNRES DE ENGENHOS.
Um estrangeiro que frequentou por algnns an-
uos os eollegios de Franca, se cfferece aos senho-
res de i ngenhos, na s para leccionar o portu-
guez em espaco de nm anno, quando muito, como
para ensinar o francez eom toda a perfeico era
espajo de seis mezes, pelo grande conheciraento
das maneiras mais facis de aprender-se e de co-
mo se eusioa nos eollegios francezes, alera de ter
grande pratica por ter tambera j leccionado em
engenhos das provincias do Brasil : quem de seu
prestimo se quizer utflisar pode delxar carU fe
chada, a qualque- hora, com enderezo a Mrs. A.
B., na roa da Cruz n. 32, loja de livroa, ra Di-
reiu n. 118, botica, e na ra das Trincheiras n
50, loja.
Ensino secundario
0 bacbaiel A. R. de Torres Bandeira, proessor
da segunda cadeira de geographia e historia no
Symnaso provincial de Pernambuco, tem resolv-
a abrir, na casa de sua residencia, roa dos
Marivrios n. 2, %' andar, um corso de
Geographia e historia,
. Rhetonca o potica,
Philosophia.
E est prompto para enspar estas disciplinas
em qualquer eollegio. Tambem se offerece para
dar licOes de lingua franceza e de geographia s
sen horas.
Precisa-se de urna ama para cozinhar em
casa de pouca familia : na ra Direita n. 127, 2*
andar.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Navegando costeira por vapor.
Parahyba, Natal, Maco, Mossor, Ara-
caty, Cear, Mandaba, Acarac e
Granja.
O vapor Pu-atuma commandao-
te Azevedo, seguir para os por-
tos cima no da 30 do correte
as 5 horas da urde. Recebe car-
ga at o dia 29, encommendas
passageiros dinheiro a frete at as 2 horas da
larde do dia da saluda : escriptorio no Forte di
Mattos n. 12.
g|^
PARA'
CC^PlHIA PERNAMBUCANA
DE
eclra
\TaYega Goyanoa.
O vapor Parahyba segnir nara o
porto cima no dia 26 do correte as
_ 9 horas da noite.
Recebe carga, encommendas, passageiros e di-
nheiro a frete, escriptorio no Forte do Mattos
n. 12.
2L
Cofflpiia americana e brasilei-
Segu com brevidade para o porto cima o pa-
tacho Mara, para o resto da carga que Ihe falu
trata-se com Pereira Vianna & C., roa do Vi-
gario n. 11.
Os administradores da massa fallida de Antonio
Pedro de Melle convidim com urgencia aos ere-
dores da mesma mas-a apresenUrem seus ttulos
de crdito dentro do praso de oito dias, eonlir
desta data, para serem classificados : na ra do
Vigario n. 25,1* andar.___________
Joaquim da Siiva Alves Ferreira estahelecido
na estrada aova do Casanga com oeg ci de mo
I liados e garapeira declara pelo presente que nada
deve nesta praca on fra della ; e se alguem se
julgar seu eredor aprsente sna eodta do referida
lugar para ser paga no nm de tres dias. Recife
25 de oovemoro de 1870.
so.
tailicos de intestino, e prevenindo o sea ffeito
muito intenso sebre o estomago. Misturado com
escamonea, facilita as evacuaede- com promptido
e sem clicas, e tornase nm purgante brando,
certo, fcil a tomar e preferivel a todes os outros
salvo urna indicacao especial da qual o medico
o nico juiz.
A innocuidade do eaf purgativo permitte de
ernprega-lo em todos es casos simples. Desper-
tando a atona do intestino e activando a secre-
cj deste, destre a dureza de ventre, as vento-
sidades, as Untuosidades e exciu o appetite. Em-
pregado mais miado, conveniente para eva-
cuar com vagar a bilis e os humores viscosos e
e faz dessa maneira desappareeer a enxaqueca,
as dores de eabeca e prev os aUques de saogue
as pessoss que a < ses sao predi-postas.
MODO DE EMPREGO.
E' tao simples como fcil. O cal purgativo
deve ser tomado fri, puro on misturado eom nm
pouco de leile fro assucarado, ou agua assuca-
rada. O vidro inteiro a dos ordinaria para
um adulto ; doas colhsres de caf basum pan
as senioras e para toda e qualquer pessoa qoe se
porga fcilmente.
Para as criancas de 8 10 annos, a meude do
vidro suficiente ; de 5 a 8 annos, urna comer
de caf, e a qnaru parte do vidro smente abai-
xo desta idade contra a gosma.
E' por isso d'uma administraco muito mais
fcil do que es biscoutos, chocolates on botos
purgativos.
Da-se immediaUmente depois leite qaente as-
sucarado ou caldo leve, e doas ou tres chavenas
de cha preto ou de tilia.
nico deposito na pharmacia e drogara de
Bartholomeu A C. : rna larga do Rosario n. 34.
Monte po portuguez.
Pelo presente sao convidados os distiaclos ca-
va I he iros, membros da nova directora e eonselbo
fis :al, a reunirera-se sabbado 26 do corrent ae 7
horas da urde, no Gabinete Portngoez de Leitura,
alira de tomaren) pos-e dos seas respectivos cargos.
SecreUra do Monte Pi Portugus em Pernam-
buco 23 de novembro de 1870.
Jos da Silva Loyo,
Presidente.
Joaquim Gerardo de Bastos,
SecreUrio.
Alague l
Alnga-se urna soffrive casa de viveoda e sitio
com bastantes e boas fructeiras, boa agua de be-
ber e banbo prximo casa, perto do povoado do
Casanga : quem a pretender enlenda-se na atu-
co das Cinco Pona com o seu ebefe, ou as
obras aplicas cora o capitao Francelino.
Ama.
Na roa estreita do Rosario n. 28, precisa-se de
aou.
AMA
Precisa-se de urna ama pa-
ra fazer o servido de pequena
familia, a' qual se dar' bom
ordenado: na ra dt 8. Jor-
ge, outr'ora Filar, n. 138,1*
andar.
Anu
Precisa-se de urna ama qne
tratar na ra do Codorniz n. 8.
aaiba coziobar a
Ama
Preeisalse de urna ama para cosinhar : tra-
ter na ra da Alegra n. 5.__________
O lf a Precisa se de ama ama: roa da
^.-W-MimSoledade n. 52.
Prevencao
PARA'
Para o indicado porto segu em poneos dias o
brigae portugus Bealidade, por ter a maior parte
de seu carrexamenlo prompto e para o pouco que
loe falta a frete barate : tratase eom o coosig
oaiano Joaquim Jos Goncalves Beltro, ra do
Coramercio n. 17.
Maranhao
Segu para o indicado porto o patacho brasilei-
ro Bom Jeiut, e pode receber anda alguma- rain-
dezat a frete : a tratar com o respectivo coosig-
naUriP Joaquim Gorardo de Bastos, ra do Vi-
gario n. 16, aobar.
O abaixo assignado previne a qaem inuressar,
que a escrava Benedicu, pertencente ao Dr. Can-
dido Jos Casado Lima, Ihe esU empenbada por
escriptara publica passarta em notas do tabelho
llineida; assim como que pelo juizo municipal
da 1* vara da capital se promove a devida execu-
cao. Ningunm, portante, poder legauneate fazer
transac;o alguma eom a precitada escrava, pro-
tesUndo-se proceder crimmalmeote contra quem
a oceultar. Recife 23 de novembro de 1870. .
Amaro Joaquim da Fnn>eca e Albuquerqoe.
ra de pifeles a vf#r.
Al o dia l*4le dezembro esperado dos portos
do sul "
AVISOS DIVERSOS.
Precisa-se de uma na livre de meia idade
e boa cooduc a, para lodo o servico de urna casa
do sol o vapor americano Mmimack m L r!,7 "T* ,oao MJ?T ae 45" casi
depois da demora do costme seguir nara%ew- ,mai P00" 'am,lia : n* rua de SanU Toerei*
: toconno-^VarTsrfboS' P"a *
Paja fretes e passaens, trau-se com os agen-
tes Henry Forster A C, rua do Commereio n! 8.
n- 11-
Fallai vs, Almas Vivas, que aa moras nada
dizem til Um predio com loja, de tros andares
e soto, do vosso patrisnonio, arrendado oseo o
tempo de CaeUno Pinto, por t90#000 seade pre-
ferido este, a oferta que se rae faz de 1:200#000,
aleta no segnn por sna eonu. 8a queris fazer
cortezias, anirai eom 104 aa differeoea parn
WO DE JAHDi)
Segu em poneos das para o indicado
podo O brigoe naciooal Galao da 4 -'------ cofre pelo que seris mepanaareis, e sari ieio ar-
par ternsaior parto da carn nnis-uV* aWef E o que^e diz na freguezU da Recife, e as
pw u. W9, ^Botr^of _^lwii. j eaapajga-lo quem provase sor sen dono. Elfec-
a nm/m jas almas vivas
QNOVELLEIRO DA FREGUEZIA DO RECIPE.
SNo servimos para capas, e por-isso, Deas vos
favureca, Sr. Novellelro. Bera sabemos qoe pes-
caes da resa, e mostraos que sois amigo das almas
morus; fleam tambera collocados os vomos amen,
amen, amen*, ao p da cifra 1:200*000 til
Continua! na vossa cruzada, porque as almas
m rUs echoaro mais um amen em oral de
vossa santidade, e as vivas melhor apreciaro a
vossa deeicaco sci gemkris.
As almas visas.
Venera vel coDfraria|de Saota Rittade Casa
Domiogo 27 de corrent proceder a eleicio dos
funcciomrios que tem de administrar a confraria
de Sanu Ritta de Cassia ae anno de 1870 a 71,
em cuja occasio se pora o nove eompromisso em
execujo, e por isso convido a todos os nossos ir-
maos a se reunirera no respectivo consistorio s
9 horas da manha para o referido On.
Consistorio da veoeravel cinfraria de Sania Rit-
U de Cassia, 25 de novembro de 1970.
O escrivio,
Jeronymo da Costo Uma.
Precisa-se de um moeque oo pardinbo
de 12 annos para servido de casa, pagndo-
se bom aluguei; em S Jos do Maoguiobo
antes da igreja, sitio n. 2.
AMA
Precisa-se de ama ama para cozinhar e eafoto-
mar para duas oessoas: a traur na rna da Impe-
rador n. 79, loja.
AMA.
Precisa-se de orna mniatioba de idade de II
12 annos para lomar eonta de uma crianza: i
traur na rua estreiu d Rosario n. 14.
Attenpo.
O Sr. Joo J. de Magalbes Bastos tem uma ar-
to vinda de Buenos A) res, na travesea da Madre
de Dos n. 13, arraazem de Fernaodes & Irme.
talielre.
Precisa-se de um eaixeiro qoe falle ingle ou
allemo : no botel Universo, rua do Commereio
numero I.
Na roa das Crasos n. 15
ama para andar com meninos.
offi
Feroce-se
A4aga-se a casa da rua do Pregrease. i
da de novo: no Forte ao Hattm n. 23, itieeaam
Para o referido porto sefae dentro
dias npnteeno r
uvameote appareeea o Sr. Manoel Aatooio Goneal
vas, can loja de juias roa do Cabag, qoe. mos-
iraaao ser sen legiumo dono, o roeebeu passando
o oompeMaas recibo; ?, como o meen qaiira-m
|iBiriHmieli fraanear eom a quaalia de 2*000
em pneos loonpwHensor p*|0 eogio ^ DOUncj0 e sea tra-
^adsSLT^SlS^IS^KII yaasssr-iae esaa ana rauatucepcia. dando-lbe
asasaeate aaraiatifdne.
Lu de tama mi com loja a pintor na rea
do Quartel do Polica n. 6, faz ver a seto fratae-
ses e amigos, qne por knpedtmonio de sai mo-
lestia autorisou ao son eaanado Manoel Marino
deSaHes para fazer qualiraer obra de pintura esa
seus fragules precisarom, para o que tora "
offloiaee. qoe uempesmerie eamn
praatesa,eeeperaas wtae aroieccaa.
CAiXEIRO.
Precisa se de um eaixeiro que
na rua do Raagel n. 41,
arao* da
-
Vhivs.ilhos e Blhas de Antonio Jos Piolo, tal
lecido no Oar, convida a todos os seus prenles ,Pr*"-8 de uma escrava qne eosipbe, cmase
e amigos r matar a missa e soatns dia nn coa- "^ ma'3 *,pim ser,|'? em MS* aopoocAJM-
vento do Carmo, ao dia 2 4 oorreote as>T aera S*?* J*e J"l* hon a* Anal7(^lMsJ5r
4 ttea,m vessa do Ciriocan ^no dia 21 do Mrmmkv^*
6 para 8 auras da maaba, um meom 4e^
Vaspasiano. cor parea, de iOade 10 aara
o.s, taToa vostldo peletat iejapiTaj
brim de linoo, chapeo de feftrn preto :
eocoptrarem oo delle Uverem BOMUasoa ana
tseoiao e levarejn ao ao dito
lejirnifiiena renompaasaaj;
DMdaado.
tarto n. 43,1-aaaW
T -e asBi
l flaam

f
i
#
N
l\
^- i
\f
J


1
.

w*.
I

1
vite.
O thejoureiro da coafrari de N. S. do Livra-
i participa que leudo de festejar-ea a virgem
r Santa Lua tata confraria no dia 1J do
mar prximo vindcuro, convida a todos acuelles
devotos da mesroa virgem martyr, a contribairem
com suas (olas, aflm de qne possa realisar-se
a dita festa cora pctnpa e soleronidade.
No trapiche Companhia, Isrgo do Corno San-
to n. H> eiste nm cartao para o Sr.'Luiz Biock.
EST,
mmmn im
la de BrisM.
LEGITIMA E ORIGINAL
EM FRASCOS GRANPES-
Boa do BarSo da
Victoria n. 63
( Outr'ora ra Nova. )
BHIietes garantidos da pro-
vincia
Esta feliz easa acaba de vender entre os sem
rauito felizes bilhetes a sorte de 100* em nm
dmo bilbete de n. i17, outra de 100* em dous
nattos de o. 2903, e alem de ontro? premios mu-
eres; podando os seas possaidores virem re-
eeber, qae promptameote serio pagos.
O abano assignado convida no respeitavel pu-
blico para virem no sen estabelecimento comprar
os (Mizas bilbeles garantidos, qae nao deixaro df
llar ejnalquer premio como prova pelos mesmos
naaaattaa
Aeham-se venda os moito feliies bilbeles ga
rantidos em beneficio da igrejs de N. S. no Ro
sario da Boa-vina, qae ser exlrabida quarla-
felra 30 do correte met
PREfOS.
Inteiro 6*000'
Meio 3*000
Quarto 1*500
De 100(5000 para cima.
Inteiro 5*100
Meio 8*700
Quarto 1*350
Joao Joaqnim da CostaLeite.
FotograpM
imperial
NXTVRA
OGRANDE PURIFICADOR DO SANGUEI
Esta excellente e admiravel medicina, e
DE
J. Ferretra Vhla
Desda o da 7 de abril pastado acha-se abertosc
aovo estabelecioenfo photographieo sito roa da
'.aboga n. 18. esquinado paleo'la.matriz. Osirato-
ihos que desde eatao,1em sabido de nossa oficina
em geralmte agradado, sendo rebebidos por
tlgnns con adnlraeio pela extraordinario pro-
(resso qaa altimamante tera tido a pbot) graphia,
a por odtros com alegra, por verem a provincia
lutada com oca estabefeeimeato digno d ella, e in
TfilLHOS PANOS DO RECIPE i APIPUCOS
Passeio Apipucos. Ida e volta.
preparada d'uma maneira a mais scientifi- eootestaveimente o primeiro qae nesee genera
ca por Chimicos e Droguistas mui doutoa e
d'uma instruccSo profunda, tendo tido- mui-
tos annos de experiencia ao par d'uma lori-
ga e laboriosa pratica.
A sua composicSo n5o consiste d'um SfSFJ1 Convidamos a todas aquellas pessoas, naniboaef
Ba occasio.
Um moco brasileiro de 30 annos de idade
qae folla e escreve a lingua ingleza, com
todas as habilitaces para caixeiro despa-
chante, de embarques oo outro qualquer
trabalho; precisa de um emprego. Para
informacoes dirija-se a ra da Cruz n. 51.
das 9 da manha as 3 da tarde.
AVISO
Roga-se aos senheres abaixo mencionados o ob-
sequio Je comparecerem no Bazar da Moda ra
doBaro da Vickria, a negocio que Ibes diz res-
peitu :
Joo Vlentim Vilella Jnior.
Guilherme Das dos Santos.
Joo Jos dos Santos Lima.
Jos Magalhes com fabrica de velas.
Jos Mana Fernandes, morador na villa do
Cabo._______________^_______
O ^enllor...... em Oiinda que tem mandado
conduzi pedras da ra do Porto Seguro para o
seu terreno ra do....... queira mandar bota-las
no seu lugar se nao quer qtie por e>le mesmo jor-
nal declare o seu nome econe outras gentilezas
a respeito de ediflesco'-:' baratas.
No esrrujtori de Alfredo & Barbosa Jnior
precisa e fal'ar com os seohores :
Francisco Marques da Fonseca Pitia.
Joao Galdino Wanderley.
Beroardioo de Senna Wanderley.
Jos Al ves Maciel Jnior.
CapiloJjs Bezerra Cavalcanti Maciel.
AOS 5.-000J000
Eslao venda os feiizes bilbeles da lotera da
Babia, na casa feliz do arco da Conceico, loja de
ourives no Recife.
Escrava.
Precisa s alagar um i escrava que saiba cozi-
nhar : na fabrica a vapor de cigarros, ra larga
do Rosario n. 21.
Precisa te alugar um preto : na ra do Ran-
gal n. 9.________________________________
Ama.
Precisa se de urna ama que saiba cozinhaj a
tratar na ra do Olnrniz n 8.
Alugase o 2* andar do sobrado n. 30 da
roa da Aurora : a tratar na ra Bella o 37 l
andar.
P ra a fasta
Alugam-se daas casas terreas cora commodos
para familia e sitio com fructeiras, cocheira etc.,
na Varzea. lugar Ambol : a tratar na ra do
Crespo n. 7.
para a
Preci-a-.se de 'ira boa cuJiuheira
ra da Aurora n. 24, z andar.
Precisa se de urna ama que lave e engomme
com perfeicio : na ra do Barao di Viitoria n. 61.
2* andar. '
Virginia.
Tendo-se e e instructivo romance mandil vir mals por ser
btstaate procurado, e que se acha venda na li-
vraria franceza. Este iivro al devia ser adoptado
nos collegios de ambos"os sexos, pois que bisto-
rico. religioso, e sobre tndo proveitoso
umi
Precisa-je de ama ama qae saiba cozinbar com
perfeicio para ca*a de bjmem s.tieire : na rra
do Livramento n. 6, loja.
Em casa de THEODORO CHRIST
ANSEN, ra da Cruz n. 18, encontrun-ac
eflectivamenie todas as cualidades de vinhi
Bordean*, Bourgogoe edo Rbeno.
Bartholomeu & C,
pie extracto d'um s artigo; mas sim^
composta d'cxtractos d'um numero de rai-
zes, hervas, cascas, e folhas, possuindo to-
das ellas, sua virtude especial ou poder
em curar as molestias as quaes teem sede
ou essento, no sangue ou nos humores;
e estes differentes extractos vegetaes, acham-
se por urna tal forma combinados ponto
de conservarem em toda a sua forca, o cu-
rativo especial de virtude, que cada um de
per si possue. A raiz da planta de Salsa-
parrilha, produzida as Honduras, a que
nos usamos nesta preparado, sendo a qua-
lidade que todos os mdicos mais prezam
e estimam. Xa composicSo da ttalsa-
parrllha de Brlstol entra mais de 50
por cento deste concentrado extracto. Ella
oo encerra em si cousa alguma, que pos-
sa por leve ser perigosa ou injuriosa
sade; e tanto n'este, como em quasi to-
dos os mais respeilos, ella inteiramente
diversa de todas essas mais preparacSes,
as quaes debaixo do nome de Salsaparr-
Iba, sao acondicionadas ou postas em gari
rafas pequeas, sendo receitada em doses
mui diminutas d'uma colher de cha por
cada vez. Nos pelo contrario engarrafa-
mos a
SALSAPARRIRA DE BRISTOL
em frascos grandes, e assim por este modo,
dividimos com os consumidores, o grande
proveito e vantagem alcancado por aquelles
que acondicionara sua prepararlo em gar-
rafas pequeas. Cada um dos frascos da
nossa Salsaparrilha de Bristol
oonteem messa quantidade igual porco
contida naquellas garrafas pequeas, e alm
disso, possue ainda muito mais forca e
virtude medicinal do que aquella, que por
ventura se possa achar contida dentro de
seis garrafas de pequeo tamanho. Por-
lanto mui natural, que aquelles, que se
acham oceupados em preparar e vender as
suas produccoes, em garrafas pequeas,
murmurem e gritem contra os nossos fras-
cos grandes proclamando, que a nossa Sal-
saparrilha de Bristol nao possue a
menor virtude; porm qu5o electivamen-
te sSo elles postos em silencio, quando indi-
oamos, ou simplesmente referimo-nos para
com essas centenares de certidoes e tes-
temunhos authenticos, por nos recebidos
de todas as classes da sociedade, nos quaes
plenamente attestam o poder curativo e vir-
tudes maravilhosas da nossa.
SALSAPARRILHA DE BRISTOL.
A vantagem de termos os nossos pro-
prios agentes naquelles lugares aonde as
differentes raizes, drogas, hervas, e plan-
tas de que se compem as nossas medicinas,
s5o produzidas, que nos habilita exer-
cer aquelle constante cuidado e disvcllo na
minuciosa escolha; e o que assegura e ga-
rante uniformidade de excellencia.
Em quanto que, por outro lado, nos nao
nos poupamos nem dinheiro, nem dili-
gencias ; afim de alcncennos o melhor
e nicamente o melhorde cada um artigo
ou ingridiente que entra na sua composi-
co; pois levados e compenetrados da
mais firme e persuasiva confianza; que po-
demos afoutamente dizer aos doentes de to-
das as nacoes, e de todos os paizes, que na
Salsaparrilha de Bristol. possuem
um remedio mais efficaz e seguro; do que
nenhum outro, que vos tenha sido offere-
cido at hoje, e o qual por certo n3o hade
mallograr vossas expectativas, na prompta
e effectiva cura das seguintes enfermidades:
boje possue : tambem nao nos poupamos em eouaa
ilguma para monta-lo no p em que seaeba, ea-
penado qne o publico de Pernambaeo sabara
praciar nossos esforcos c recompensar nossos sa-
:rpcios.
por I:
A. Roth
a estrangeiras que gostam das artes, ou tivererc
oecessidade de traBalhos de pbotographia a visi-
tarem o noaso estabeleclmento, qae estar sempre
iberio e sua dlsposicio todos os das desde as 7
loras da manbaa at as 6 da tarde.
Para os trabalbos de pbotograpbia possuimos di-
versas machinas dosmelbdres autores francezes,
mglezea e allmemaes, como sejara : Lerebours et
ieereun, Hermagis, Thomaz Ross, Voigtlander el
Sonh eWulf. ltimamente recebemos, tres novas
nachinasi sendo urna dellas propria para tomar
sobre o mesmo vidro 4 ou 8 imagens diversas e
soladas, e outra da 6 a li imagens diversas e
igualmente soladas, de sorte qne no caso de
grande concurrencia poderemos retratar sobre
jma nnica chapa at 8 pessoas diversas e isola-
las para candes de visita, e assim em men^s de
m quarto de hora despacharmos 8 difireme
pessoas qae pecara cada urna, umaduzia de cartees
naia on menos, cora os seos retratos smente, on
*m grupo com oatras.
Encarregamos-nos exclusivamente da direc?5o
i feura dos trabalbos de photograpbia ai-
lando penda e talentos do distincto pintor
allemo, o Sr.
Jorge
is trabalbos do pintura, a aquarela. a oleo, e a
pastel.
O Sr. Roth acha-se ligado a nossa empresa por
ama escriptura publica, e at o presente tem-se
lesvellado na execucao de seus trabalbos.
No nossoestabeleeimertoacham-se exposlos on-
tros trabalbos imiwriaou s do Sr. Rotb, tanto em
miniaturas aquarella como oleo, retratos
leo, quadros sacros e diversos outros trabalbos.
Tomamos encommendas de retratos oleo at o
.amono natural, assim como de quadros sacros
para ornamentacao de igrejas ou capellas. Tam-
bera aceitamos encommendas de quadros histor-
eos.
Asseguramos que os precos dos diversos tra-
palhos da nossa casa sao mui rasoarew.
oartSes de visnA nAo coloridos I0kX)
DlIZIA
3ARTOES DE VISITA COM O COLORDO AO NATU-
RAL A 16(JOO0 A DZIA
Retrates em miniatura oleo ou aquarella t
16 20x000 cada aro, indo conveaientemente en-
^ixilhado em moldura dourada e regulando o
Dusto da pessoa retrataba de 3 i pollegadas e
todo o quadro palmo e meio de tamanho
Julgamos que bastarlo os precos. cima para
larmos idea da baratesa dos trabalhos do nosso
istablecimenlo, quanto sua perfcigao cada nm
enha julgar por seus proprios olhos.
As melhores horas para se tirarem retratos no
aosso estabelecimento sao das 8 horas da maohaa
I da tarde; entretanto de urna hora s 5 da larde
im casos especiaes pde-se ambem retratar qual-
juer pessoa.
Nos dias de chuva, ou por tompo sombro po
lemos retratar, e asseguramos que esses djas sai
w mais favoraveis aos trabalhos de photograpbia
>ela dofura e persistencia da luz, e pe r termos o
osso terrar;} constrnido com laes proporcSes e
nelhoramentiis, que anida chovendo orros ne-
ibum inconveniente ha para fazer-se beljos re-
;rtos.
J. Frreira Vitlela
BILHETES ESPECIAES
PARA UALQUERIREM
O salo de pianos e de
msicas
n. 58> i* andar, para a
andon-ae da raa Nova
ruada
mi contina
blico.
Imperalri n LMi,
recommendand-f an Iilm. ao-
G. .^rthelmer.
VICTORIANO PALHAKES.
A9 VUYHFK-SK
lias estapoes
Do Recife, Officina?, Soledade. Caiialio-N5vo, 8. los,
Tonw e Ponte de Ucha.
hservaeos, servem para o da da compra
DOCES,
13
DOCES SECCOS
CAJ*
LIMO
ABACAXI
LAR4NJA
CIDRA, ETC.
FRUGT4S E FLORES.
Ra da Cruz13.
FRUCTAS
ABAC XIS
SAPOTIS
UVAS
LARANJAS
MELES, ETC.
Neste eslabelecimento encontrar o freguez todos
os dias presuntos em fiambre, pastis, bons-boccados,
doces de ovos, e de todas as ootras qualidades, sec-
eos e em caldas, podios, e tudo quanto se possa de-
sejar no corfortavel um excellente LUNCH ; fortifi-
cando, aquecendo, e refrescando o estomago com os
melhores vinhos do Rbeno e Bordeanx ; xaropes de
todas as qualidades para capils ; sorvetes de todos
os fructos, com especialidade as tercag-feiras, quin-
tas e sabbados o excellente sorvete de creroe.
Tudo com muito a^seio.
FLORES
BOUQUETS
PARA NOIVAS
PARA JARROS
AVULSAS
PLANTAS, ETC.
Escrfulas,
Chagas antigs,
Ulceras,
Feridas Ulcerosas,
Tinha.
Syphilis,ouMal Ve-
nreo
Humores Escrofu-
losos,
Irregularidades do
Sexo
Feminino,
Nervosidade,
Debilidade GeraL,
Febra e Malignas i
Febre e SezSes
Biliosas,
VlNHO, PlMJLAfl, XAROPB I TlNTURi
db jurub8ba simples b ferruginoso:
Oleo, Pomadas Emplastro da mksu
p.'.anta preparados por
BARTHOL0ME0 & C
i armaceuticos-Droquistai
l'EniAMUITO
A Jarnbeba : mu plMtti k r*coiktc.4i
orno o um paieroo iodico, como o melbs
uhij**Qit.itomu\\tptiiciA BotpiJMjinmoi
ito Ofido bico, hifMiiM, ia-iut, Uimw inUr
-ao immmIwmh aur, kydfMMlM, rrii-
.llu, etc.; t auocMM M torro i aOl BM pcttxju
orm, Mtnrm falu na, ieami
:* 4 MHWfi. Ai, M aaiBMTM cuu iaa*ruiM* MMbw Ma umo>
onaaraaw j* > csBhwtM taaiiii fl mm
iiDcMi ftwBem m pui h>apj. Ka K>*f >
aOWM tfMlM diMIllMIBM |TMm fetMMt MK
wumt mmb iiabim lirabak nm ijli
ayateata.
Tumores
Abscessos Apostemas,
ErupcSes,
Herpes, '
Salsagem
Impigens,
Lepra, febres intermitientes e remittentes,
hydropesia e ictericia, etc., etc.
Ontro-sim, acha/-se-ha, que para o bom
resultado e perfeito curativo de todas aqael-
las enfermidades cima apontadas o adan
ta ->nto da cura, grandemente promov
do e apressurado; usando s ao mesmo
tempo das nossas mui valiosa p I lu as
vegetaes assuearadas de Bristol,
tomadas em doses moderadas em conneo
c3o ou conjunctamente com a Salsaparrilha;
ellas fazem remover e expellir grandes
quantidades de materias morbficas e hu-
mores viciados que se desprendem e livre-
mente circulam espalhados pelo systema,
isto causado pelo uso da Salsaparrilha; 8
por esta forma facilita a volta e o exercicio
normal das operacSes funeciones,
Acha-se a venda nos estabelecimentos de
A. Caors, J. da Q, Bravo 4C, P. Maorer
O professor Joo Jos Barros > da Silva Ju-
venis, removido da cidade de Goianna, renoncion
hontem o testo da licenr;a que nbteve para a so
mudana daqnella cidade, e entrnu h'je no ejer-
cicio de seu magistei o, na cadeir da 2* seccao
la ra Jmpprial de ca* n% 859 da mps iia raa.
ROB LAFFECTEUR
Approvado era Francia, Rusaia, Austria e Blgica. 0 arrobe vegetal Laffecteur sa antho-
Srizado, be mu superior aos xaropes de cuisinier, de Larrey e de salseparrilha. De fcil
restao, adagraved ao paladar, e ao alfato, eUe cura radicalmente ea* tarrearlo, as
ecflesdapeUe, Inaplaeu. alporeaaj. tumoreaw ulceras, aaraa dege-
nerada, escorbuto, e os accidentes provendos dos partos, da idale critica, e da acri-
monia hereditaria dos humores.
O arribe he especialmente recommendada contra as doencas syphiliticas recentes, invete-
rada ou rebeldes ao mercurio e ao ioduro de potassio.
ite-Mr.e ** rd^ei"> ROB LAFFECTEUR, em casa do doutar GIRAUDEA DE
5A1NT-OERVAIS, ra Richer, It, i Paria.
GASA DA FORTUNA.
RA DE MARCO OUTIfORA DO
CRESPO N. 23.
Aos 20:000^000.
0 abaixo assignido tem da osMips hilbetes do Rio de Janeiro, pagando
promptaniente, como entuma, lualquerpremio.
PRECOS.
Inteiro 2i*O00.
Meio 121009.
Quarto 6J.0P0.
Manoel.Manins Finza.
Ama
Precisa-se para o servico interno de casa de
peiu'na familia: oa ra do Vigario n.-5, segun-
do and'r.
Cario? Duboix agradesse a todas as pessoas qne
aeompanharam os restos mortaes de sna esposa
D. Leocadia Emilia de Souia Gomes Duboix ao
cemiierio publico ; e pedem se dignem assistir as
mi-sss que pur -ai akaa manai jpsar na ma
tnz da B -avist a 6 boras da manha de segnn
da feira 28 do crreme, stimo dia.
AMA
Precisa se de ama ama para casa de estrangei -
ro da trea pessoas; preft.re-ae escrava : na roa da
.itnperatnz n. 9.
A luga se
ma easa terrea, sita no Capunga, cora aotio, eo
neira, e nm pequea quintal: a tratar
lo Vigario d. 31.
Achk-w i venda ou principies lojis de livros,
CHRESTOMATHIA
DA
LINGUA INGLEZA,
roB
J. C. RODRIGUES.
Contendo: um Tratado sobre a origem e o
desenvolvimento da Lingua Ingleza; urna se-
lecta de 150 pedajos dos principaes escriptores ;
e un esbo(09 biographcos c crticos desses
auctores.
Esta obra forma um volume de 438 pag. in 8,
ntidamente elcctrotypado, e encadernado,
______ PRE50, 5looo.
I-I li 1.1 1 i, .> r.ZA.
Offerece ae urna a 111.. para cuzmhar e com-
prar : a tratar na ra dp Hartas n IJ, loja.
Precisa-se alugar uuia negra para vender
na ra : a tratar na ra das lineo Punas 0. 43
rTeciba-se de ama >eubora coiu m habilita-
rles precisas para ensipar meninas ero um enge-
nbo : a qu-* se achar habilitada, dirija-se a praca
do Corpo Santo o. 17, primeiro andar, das 7 horas
da n anhaa s 4 da Urda.
Irmandade das Almas
do Corpo 8 nt<>
Tendo-se convocado pela segunda vez a mesa
geral d'esta msa irmandade para a reuoiSo oue
deva ter Jn.ar m dia 3 da correte, aflm de
MMrMolTer-M nefocio de .ateresse da mesma
irmandade, ja discutido e apreciado em mesa re-
gadora ; e nio tenlo comparecido numero de Ir-
nioa para constituir-ae ; de novo convoco e con-
vido a todos e a cada um de nossos irmio nela
tereeira vez, a reunir se para o indicado fim no
da 27 do corrate mea, as 11 horas da m.nhaa
avilando se por esta Crnaa a neceasidade em que
fiaara coJTocada a actual mesa de providenciar
como no caso cabe e a le aotorisa.
Consialorio, aos 24 de novemi.ro de 1870.
O escrivjo,
Manoe Jos dos Son/01.
PRECISASE
de nm rapaz de boa conducta qne tenha ortica
de irabaMiar em fabrica de vela de carnauba m
ra do Vigario o.
26.
AMA
Na raa larga do Rosario n. 32, precisa-se de
urna perjeiucoainneira, e que eompre. sendo naa-
taa eoirdcb> paga-ie bm. ^^
Na cocheira da ra do Jai, arador n. tf fav
a4je urna cxoeHwte burra de carro, caariolat e
A SILENCIOSA
Chegaram as afamadas machinas de coser
DE
POLLACK SCHMIDT
Ra d Crespo n. 4.
As mais modernas e elegantes que tem apparecido at hoje I E, com effeito nada
mais se pode exigir de um i machina de costura era quanto a trabalho de agulha, tal
a V2riedade de costuras que fazem as de que se trata ; por isso que se pode dizer
que a Silenciosa de Pollack Schraidl attingio aos ltimos aperfeircoamentos t
A simplicidade de seu machiaismo, a adherencia de suas pecas e belleza de que se
acham revestidas estas machinas. so predicado que por si as tornam recommendadas,
mesmo diante da apreciacSn a mais escrupulosa e exigente, cuja verdade se acha gra-
vada era bellos caracteres em todas as exposicoes onde as silenciosas teem sido vaa-
lajo.-amente premiadas.
Perto de 2.000 machinas teem sido vendidas na corte do imperio pelo seu nico
agente no Brasil no curto espaco de doos annos, e continuam a ser procuradas com
enthusiasmo : roga-se, poriant>, ao respeitavel publico desta bella capital, e com es-
pecialidade as familias que desejarem possair urna til e linda peca de as nr ver e
examinar, na casa cima indicada onde encomraro pessoas habilitadas para darem
todas as expicaces, e se faem todos os conserlos na ra Primeiro de Mar$o (oa-
tr'ora Crespo.)
FEIIUl(il\bO DG CHEfRIER
0 Scnhor Cheifier complelou s sua desco-
beru aiunlai-do a iodura de ferro ao Oleo de
B iclho dusinfa'lado Este Oleo de Figado de
Bacalbo ferrugiueo leo toda* u propnedules
do aleo o do ferro, digere-i facilmeaU e wnco
causa pristo de ventre. Porianlo prefcrivel
ia mais pn;purm;iSes [crrugineM(PdutasoD Xa-
rope), eonvcm cui todas ai doencas onde se
empresa o ferro. Tilica pulmonar, broachites,
rarbilisno, escrfulas, impigea*. gola, rheti-
natismo. ebronico, caiarrhos amigos, djipep-
iaa, coimUfceneiat difllceu e fiaque/ai de
eonituirao.
M"Hmf*mmrin GtlBVRMKH, ?!. rfc# rVufi. .7Tottlim>fi-r
Na meso plMirmaeh arhSo-se i. TIIIHO e ELIXIR de COCA,, excellenles preparaefles tnicas.
O TAFffcTVWtNBRiHlicon RNICA rra curar as cltagan, feridas, cortadura o contusocs
O GRASLOS de I6MUTB con
Desifectando Oleo.i Fijado de Baealhit,
o Scnhor Chcvrier dea a esta precios prrpara-
(,-io iberapcutica nm chpn- e sabor agradaTeii
*': ruc nenbuinailaii*iiiudcilhetiraai.
Cbia irap'jrtanta lie.sco'.icria, que graagtoa a
seu auto: urna (ledillia lie honra, vulgarisaa o
u;odo Oleo deFigadodeBacalbto desinfectado.
0 medico* o receitam prcfcrholmeslaa todos
os outros. em todas as molftias onda sa em-
pa'ga o Oleo de Figado de tiacalhAo.
Ver or mais pormenores os relaiorios medi-
caes qi:econten a noticia qne accompaoka cada
fra5to.
ompostet esotra as dinrrheas,disenterias, dres d estomago, Me
DfiPuswanurs en Rio4* Janeiro, Uupunchem.g ct (.". Bu/Ha, Moreira Irmao et Cu
Pernantbuco, P. Madrek et Ck. Maraiihao, FtRiiEiEA el CH. Porto Alegre,
INTKRKSSANTK COMPOSIfiO UTIWlItl.
oonteiwo :
A noite do xtasis.
O sorriso.
A noite do aaaombro.
A lagrima el
A nonte do delirio. *
O raysterio.
Com urna carta critica dirigida ao autor pele-
ar. T. B. Rignein Costa. ,
i volme brochado- 2*000-.
AS CENTELHAS
Poesas patriticas sobre a guerra do Piragua?
1 volume brochado 2*000
NA
LIVRARIA FRANCEZA
Joaqnim Jos Gonpal-
ves Beltro
Ra do Trapiche n, 17, i* andar.
Saeca por todos oa paquetes sobre o baneo do
Minho, em Braga, e sobr os seguintes lugares em
Portngal : *W
Lisbaa.
Porto.
Valenca.
Guimares.
Coimbra.
Chaves.
Viseo.
Villa lo Conde.
Arcos de Val de Vea.
Viannado Castello.
Ponte do Lima.
- ViHaReal.
Villa-Nova de Famlica.
Lamego.
Lanos.
Covilhia.
Vascal (Varpasso).
Mirandella.
Beja.
_______Barcellos.
AC
ftBI
DTVETOT
I4--Rna Esireila do Rosario-H
Compra e vende roupa feita
nova e >elha, objeclos de
cosinha e de mesa, e
tudo que perten-
ce ao uso do-
mestico.
Na praca da Independencia n. 33 se da di-
beiro sobre penhores de ouro, praa e pedras
ireciosas, seja qual for a quanUa; e na mesma
asa se compra e vende objectos de ouro e prata.
i igualmente se faz toda e qualquer obra de en-
ommenda, e todo e qualquer concert tendent
i mesraa arte
az az az
Chegon ao antigo deposito de Henry FoMar #>
i, ra do Imperador, um carregamento da gas,
le primeira qualidade; o qual se vende em parMaa
i a retalho por menos preco do que em outra maja
raer parte.
MOFINA
Roga-se ao Mm. Sr. Ignacio V.aira de Mello, -,
crivan na cidad de Nazareth desta provincia,
favor de vir a ra do Imperador n. 18 a oucuir
aquelle negocio que V. S. se comprometteu reali -
sar, pela terceira chamada deste jornal, em fins
de dezembro prximo passado, e depois para Ja-
neiro, passou a fevereiro e abril, e naia eumprio,
e ponente motivo de novo chamado para dito
flm ; pois V S. se deve lembrar que este negocio
de mais de oito annos. e quando o senhor san
Qlho se acbava no estudo nesta cidade.
PR1MEIKO E ANTIGO CONSULTORIO
HOMEOPATHI X)
Dirigido pelo Dr.
SANTOS MELLO
Os habitantes do interior podem-no
consultar por espripU), no que serio sa- SM
lisfeitos com promptido.
Presta-se tambem a chamados para o
interior, a preco mdico.
Consultas, no consultorio das 10 hora3 1
ao meio dia.
Chamados, a qualquer hora.
Aos pobres gratis.
43Raa do Rar2o da Victoria43 I
(Antiga ra Nova).
Acaba de sahir Iva
E
Vende-se
NA
Livraria franceza.
A
OD
C0LLEGC.10 K .WVES.U EdflHMM
Df
NOSSO SENHOR iESUS CHEUSTO,
MAltlA SANTISSIMA
E
VARIOS SANTOS.
A saber:
Setenario do Senhor Boiu Jess dos Pasaoa.
Offlcio do Senhor dos Pasaos.
Novena do Menino Deus.
Novena de N. Seohora da Conceicio.
Setenarlo das Dores de Mara.
OflBcio das Sete Dores de Mara Santistxna.
Novena de N. Sennora do Carmo.
Offlcio de N. Senhora do Ca mo.
Novena de N. Senhora da Peona.
Cnticos de N. Senhora da Peana-
Novena do B. S. Juan Bapliata.,
Novena da Senhora Saut'Aana.
Trezena de Santo Antonio.
Novena do B. S. Jos.
Um Bonito volume eaeariecnado.
________21000.
Aluga-aa V. t* anear do sobrado i. Han
ra do fedaja.Ah*)OS(, entr'ora da Prala : a ka-
Ur na leja id ane.
Priado.
Na roa nova de Santa Rita n. 89, preeiaa-ane
nm crudo bom corpeiro, e qae d nanea int
conducta : quera nao estiver nestas vt0H *
escotado la ir,.


u
.!
Diario de femaiubiico Sabbado 26 de Novenibro de l$7
.
Ama.
Preciase de na aa para o servios interno o
externo de sma^au de Emilia de duas pessoas '
a tratar na ra de Pedro Affooao (oulr'ora rna da
Praia) i. 47, V addw. -
Padaria.
Ama.
Precsate de orna ama aue engomme fic/b
maii servco de urna casa de familia, piefcrlodj-
se escrava : na rna do Visconde de Pelotas (Ara-
gao) n. 37.____ ^^^^^
Alan-te a padaria allemaa em Santo Amaro, o
aa confflcSe sio favorayels : a tratar com sea
dono na rna da Guia n. 56.___________________
Agencia em J^ernambuco
Do Dr. Ayer
Petoral de Cereja
Cara phthysica e todas as molestias do peito
salsa parrllha
Cura ulceras e chagas antigs, impigens e dar-
crea.
Tnico
Cocserva c limpa os cabellos.
Plalas catb rticas.
Puramente vegetaes sem mercarle ; cura se
**es, purgao e purificara todo o systema humano.
Vende-seieftectivamente em casa de Samuel 1'.
Johnston & G raa da Sentalla Nova n. 41
CompanhiaAlianpa
/ .DE
seguros martimos estabelecida
na Baha em 15 de Janeiro
de 1870.
CAPITAL..Rs. 1,000 000*000.
Toma seguro da mercadonas o din eiro a risco
martimo em navios de vella e 'apores para den-
tro e ra do Imperio. Agenci t rna do Com-
aerok) n 17, escriptorio de Joaqnim Jos Gon
^ve Bel trio._____________________________
Ama
Precisa-so de ama ama
sario d. 31, 1* andar.
na raa larga do Ro-

A o n. 13 da ra 4 Queimado.
Ricos siptos c -m sables de blonde caprichosa-
mente, guarnecidos de fitas de seda e de setim e
recortados a chiuea, alern do que adornados de
flore a9 mais bem trabalhadas que tem vindo ao
mercado, 6 objecto de exlaslar o comprador.
Ha adequadoi para todos os vestidos inclusive o
de cor branca, eaer bom aproveitar-se annjii qUe
se acabem, ama vei quo pequea quanfldade.
Ra do Queim >o n. 13, lija de Paes
Mello di C. A____.
Povoado dos Motiles, estaco de Una.
Raa da Concordia n. 10.
Este hotel acha-se hnje completamente restau-
rado, e com as precisas acommodac.5es para to-
dos aquelles que se dignarem de o freqnentar.
O novo propietario tem envidado seus esforcos
atlm de exhibir ao respeitavel publico um estabe-
lecimento digno da importancia deste povoa-
do, e seraelhanca do um dos meHiores dessa
capital.
Todo o etabelecimento acba-so piulado de n
ro, com salas e quarlos para receber com lodo o
commodo desejavel a cavalleiros e familias.
A cosinha ao gosto brasileiro e italiano, acha-
se sob a direccao do perito e bem conhecido Gia-
como, aue por" eerto ha de sal'sfazer aos palada-
res mais exigentes na forma do costumo.
Tem sufficiente provino de vinhos exquesitos e
de varias procedida*, lunchem a qualquer hora,
af, cha, chocolate, etc. Fornece comida no esta-
belectmento ou para fra por preco muito rasoa-
vel. Encarrega-se de mandar preparar jantares
ao gosto e capricho do freguez, em qualquer
parle.
O novo proprietario do estabelecimento tem a
honra de convidar ao respeitavel publico afim de
reconhecer por si proprio a veracidade deste an-
nuncio, pagando alguns das neste povoado que
nao mais do que urna dependencia do bairro de
S. Jos de.-si cidade ligado pela via frrea.
A facilidade, pois, do transporte, a eslacao cal
mosa que val correndo, s apreciaveis banhos no
rio Una, ludo, emflm, convida a um passeio a
M? povoado, donde tornarao todos cem o propo-
sito de voltar.
_________Ignacio Manoel de Saut'Anna.

Adolpbo Curio.
A viuva, filhos e gcuro do fallecido Adolpho
Curio, mandara celebrar na (reja da Sania Cruz,
sabbado 26 do c rrfnto, as 8 horas da minhaa, a
missa de stimo dia ; e pelo presente convidam a
todas as pessoas que lunraram sea fallecido ma-
rido, pai c sogro assislirem a este acto de cari-
da de. ._________________
'Club do Muntetro,
Sabbado S do corrente ha ver reuni2o
familiar.
O empresario,
P. J.Layme.
Acharam ou fuitaram.
O Sr. passageiro ou empregado da estrada de
ferro de Apipco que achou ero um dos wagons
ara emhrulho coolendo 2 covados de panno preto
e oulras faiondas, querendo restitui-lo o poden
fazer ao ehcfe da estaca) do Recife, qu lecom
pensar, assirp como a quem do raesmo der no-
ticia.____________________________________
Ojuiz da irmaodade de N. S. da Saude da
reguezia do Poc.< da Panella convida novamente
'is mesario.' e mais membros desla irmaodade pa-
ra se reunirem no consistorio da matriz as 10 ho-
ras do dia 27 do correte mez, para se tratar da
festa de nossa padroeira e de oulros negocios, o
que nao poade ter lugar domingo prximo pas-
tado.
O esenvao,
Alfre'o T. C. de Vasconcellos.
I
N
DE
SANTA CECILIA NO CONVENTO DE N.
S. DO CARMO.
De conformidade com o capitulo 9* de nosso
compromisso, lenbo a honra de convidar todos os
nosso* Irmaos profesores e particulares compa-
recerem no nosso consitorio no da 29 do corren-
e, as 9 horas da man aa, afim de se procederis
a eleicao da nova mesa administrativa que tem de
reger no anoo futuro de 1870 a 1871.
O secretario,
Simplicio da Silva Barbosa.
Au belsexe
COLD CREAM OF ROSES.
Cette Creme delicense, nniversellement rpan-
due en Angleterre, o les femmes sent si renom-
tnes par la beact et la transparente de lenr
teint, doit sa rpntatlon anx lments balsamiques
l onctueux qui la composent, ains qu' sa cons-
ume effleacit pour ad ,ucir la pean, la rendre
pas blanche, et coniribner ains la sam et a la
beaut, qui, toujours, sont inseparables.
On la recommaBde eontre les irrittiions de
1 piderme, telles que Boutons, pblides, Ta-
ches DE RoGSSFXB, ROUGEURS DE LA FlUURE, 61
octre les taches patriques et les ffloresce.n-
tces, Cette Crme convient spcialement aux fem-
nea oneciles pour prevenir LE MASQUE, auqael
elles sont sujettes.On s'en sert encor pour em-
pcher la figure de se bler par le froid ou la trop
grande chalear.
Prix 1:600 res
Seal dept au nftgasin Basar de la ModeJO
Rae do Raro da Victoria.
Frederieo Maya
Cirorgi3o den isla
Acha-se em sen consultorio para'os trabalho?
Je saa arte nos das uteis das 8 nora da manhaa
as 3 da tarde, e aquelles qne por snas occopa-
^5es do poderem comparecer nesse das o acua-
rio das 9 horas da manla a t da tarde nos do
mingos e dias santificados. Tambem eontinua a
prestar ce a qgalqaer chamado, tanto na eidade
-on par fora delta, sendo procurado em seo
consultorio a roa do Dnqne de Caxias, sobrado
amarello com entrada pela praca de Pedro II.
Aluga-se
o > andar do, sobrado n. 8 da roa da Iraperatrii:
4 Prpcisa-se de um.. p.soa de coolianca. r
ote e activa, qne teuha oooheeimento pra
eade droga/ia ; irataf na ra do Imperador
Q. M
Lom muito Riaior vantagem eoi
ouro, prau e pedras preciosas e a obras ?d
loia de ioias do Coracio de Onro n. 1 u,
COMPRAS.
ioja de joias
Cabng.
am-s*
na
ra do
Lythographia.
Qoera quizer vender ara prelo de tythograpbia
com 4 pedras e 1 rolo, annuucie para ser procu-
rado. _
COMPRASE
Esta Ajos axtra-
hids das flores do
Pirus ipomea.pela]
- sua suavi-Jadn a
zjsuas propnoda-
das benficas.
excedo os cos-
meoosmais celebres; tendo sido i-
doptadi por todaasociedade elegante.
Deitada nos banhos. d'um p?riume
delioioso. oonsolida as oarne6 e faz de-
saparecer as espionas, comiohoes o as effloresoen-
oies da palle.
PREQO 10500.
nico deposito no Bazar da Moda n. 50,
roa do Bario da Victoria ostr'ora Nova.
SEGUROS
MARTIMOS
E
CONTRA FOCO.
A companbia Indemnisadora, estabelecida
nesta praca, toma seguros maritimos sobre
navios e seus carregamentos e contra fogo
em edificios, mercadorias e mobilias : na
ra do Vicario n 4, pavimento terreo.
Este antigo estabelecimento, acha-se hoje montado n'nma
escala de poder servir vantajosamente os sens freguezes, atten-
to o grande sortimento de joias d'ourc, prata e brilhantes, qne
sempre tem e recebem mensalmente das principaes fabricas da
Europa- cujos presos sao em competiveis e as obras garantidas
de lei.
MOREIRA HITARTE .
um temo de medida- de pao para secos e um
dito de folha para lquidos, sendo todo do doto
padrio: quen tiver dirita-se a raa do Yigarto n.
to en annnncie._______'____________'_________
Tanque para agua
Compra-so um tanque de ferro ou madeira em
bom estado proprio para agua: na padaria da ra
Direita n. 8i.
VENDAS.
Faiia a
Precisa-se de um caixeiro que tenha pratica de
padaria qne d fiador a sua conducta : na traves-
a da ra do Pires n 9.________________^^^^
Aluga-se o i' andar ila ra eslreita do Ro
sario n. 43 : a tratar na fabiiea do cigarros da
ra das Trincheiras n. 43.
LO JA DA AURORA
do Rosario n. 38.
Ra Larga
DE
Manoel J'-s Lopes $ Irmdo.
Estao vendendo pelo baratissimo preco os objec-
los abaixo mencionados
Carriteis de linha com 200 jardas a 60 rs.,
duzia
Dilos de linha cora 100 jardas a 50 rs.,
duzia
Cart5es ctm linha de 200 jardas a 50 rs.,
duzia
Ditos 50 jarda9 a 30 rs.,
duzia
Miadas de liuba i'rOxa de algo jao para
bordar
Gaixas com pennas de ac
Caixis de lamparina do gaz a 80 e
Carriteis de ac com 300 jardas de linba
propria para machina a
Pecas de lita elstica branca a
Didaes de ac para senbora cada um do
100 a
Didaes de oro para senbora cada um
Fazenda de crochet preto e branco preco
commodo.
Caixa- de metal com espelho para jabo-
nete a
Caixas com alfinetes preto a
Resmas de papel de peso pautado a
Pacotes de papel amisade liso a
Caixas com 100 envelopes a
E,-panadores de pennas de todos os l-
mannos, vende-se barato para acabar.
Duzia de phosphoros segsranca a
Caixas com etiquetas a
Candes com corchetes de 2 carreiras a
Caixas com linha do gaz com 50 novellos
Novellos de linha com 400 jardas a
Grosas de boloe> de louca para camisas
Verdaderos collares anodinos magnticos
pira enanca a
Agulheiros de madreperola muito finos a
Dilos de marGm muito bonitos a
Meias para senbora muito finas duzia
Jugo de dminos muito finos a
Pecas de enjre-meios h rdadus a
Caminabas para senhora fazenda lina pe-
lo diminuto preco de
Lapis de borraxa proprios para escripia
l'iuceis para baiba muilo bons
Peras de fita de algodo lustrosa a imita-
cao de seda propria para debrura a
Abotuadnras para menino a
Ditas para hornera a
Grvalas de cores para meninos a
Carieiras com agalhas de todos os tama-
itos e qaalidades a
Fita de linho de cores, larga, propria para
blezianas, peca
Assim como um variado sortimento de eslam-
pas de pinturas finas a saber : a morle do justo,
dita do peccador, o inferno, o Paraizo, o qnadro
das idades, o juizo final, o quadro de todos os reis
de Franca ate Napoleo III, ditos de todos os papas
at po IX, dito do concilio em Roma, todos por
precos baratissimo?, neste estabelleclmento ba
sempre um completo sortimento de rap de tadas
as qaalidades o mais fresco qne ha no mercado,
o que recebemos por lodos os vapores, loja da
Aurora na rna larga do Rosario n. 38.
640
560
560
280
50
320
100
120
220
200
MO
240
80
fiOO
600
600
280
400
40
640
60
160
41000
800
320
i 000
11000
320
3/500
320
400
500
200
500
500
500
2*000
Vende-se um cabriole! novo de duas rodas
por commodo preco
Ja-niin d. 20.
a ver e tratar na ra do
Roobaram do da 28 de agoslo do corrate
anno cinco a seis camisas de madapolo com pei
to de linho novas, outras tantas cerouias de liobo,
algumas toalbas de rosto, oito ou del pares de
meias de algodao, tres lencoes de linho, doze len-
cos de linlio brancos para alglbeira, e mais algu-
mas pei;as*qoe nao se sabe, todas com marcas, al
i urnas de linho enearnado, e outras dHinbo. Sa-
be-se quero as roobon e aonde ram vendidas :
queira, pois, qoem as comprou, restilui-las, dep- -
sitando-asna casa da roa da Sania Croa n. 23,
para nao ser implicado no proeesso que Sa est
instaurando pela suhdelegacia da Bja-Visla con
traoantor da roabo. Foram WBdidi na Boa-
Vista.
Preefeia.se de um ama para eogomma
sa de p-quena familia estranaeir,. attfZ
portugneza : a tratar na raa do Torre a^dft
etp ca
R-se
ANUEL & C.
m
m
5%
NOVIDADE.
O Costa, proprietario do armazem da Pedra
Maamore raa das Cruzet n. 42, offerece por d .-
nbeiro contado o que de roelbor ha no mercado,
por ter recebido mullos dos gneros descriptor
pelo ultimo vapor.
Chocolate df 15 a U800 a libra.
Especial n anleiga ingleza e franceza.
Honalices para sopas denominadas Julienne, 'ce
sabsttue perfeilamente as mais frescas crvas.
A verdadeira farinha americana vinda do canta
propria a 320 rs. o macn de ama libra.
Velas stearinas a 300 e 640 rs. o maco.
Bolachinhas do todas as qualidades e dos me-
Ihores fabricantes.
Ervilhas francezas e portugueza?.
Vinho de todas as qualidades.
Especial e aromtico sabo de familia a 500 7
o kilo.
Molho inglez.
Ameixas e marmeladas dos mclhores fabrican-
tes.
Caf de Moka.
Tem a satisfago de participar aos seus numerosos freguezes, qne em vista de ser-Ibes mais commodo, tem
estabelecido urna nova fabrica de chapeos de sol, na rna da Cadeia do Recife n. >, boje ra do .Mrquez de Olinda,
onde achar5o es pretendentes, muilo avullado sortimento de chapeos de sol de todos os precos, qualidades e por pre-
cos mas commodo do que comporta o nosso mercado : convidam especialmente aos Srs. compradores por atacado
darem, sendo possivel suas encommendas, pois poderlo assim serem mais bem servidos, visto poderem escolher as ar- -j
macoes as lazendas que a demora da fabricarlo bem diminuta,________________________________________________
NA ANTIGA E

BEM CONHECIDA FABRICA
DE SOL
DE
;l*
da m
Eua do Barao da Victoria, esquina da Camba do Carmo. gg
pj (Antiga Ra Nova^l 0,
B Ha sempre um grande sortimento de"ctapTde sol de seda, merino, alpaca, bretanha de linho branco e par- yg
K$ do o de aicodao os todos os tamanhos'e feitios. alm da immesa porco de seda, mer.n, algodao e bnm, gffi
gg armaces de todas as qualidades para satisazer qualquer encommenda. A modicidade de seus precos 13o conhecida ^
^ que escusa de mencionar. ?5J8
Caadle ro egaz eeonom e.
Acaba de ebepar nova remes^a dos to deseca-
dos candieiros lodo de porcelana, os quaes maito
se recommendam pela seguranes, asseio e econo-
ma, e anda pela excellenle luz prefervel mH ve-
ze? ao kerosene.
Venbain antes que se acabem.
nico deposito na
Raa larga do Rosario n. 84
Botica.
Olinda
Vende-se o sobradinbo da ra de Malinas le. -
reir n. 16, com bom quintal e boas condicoes de
duraco ; c a casa n. 6 da ladeira da Misericordia,
com bons enmmodos para familia, quintal morad?,
bastante grande, cacimba, e um grande p de ta-
marindo de excellente sombro quera pretender
dirija se a ra d Crespo n. 18, 1 andar, ou ao
agmie Jos Euzebio Alves da Silva, ra da Au-
rora.
\\ RliA DO lAMO D4 VICTORIA i
Neste novo armazem tem um
variado sortimento de fazendas
framezas, inglezas, allemaas e to-
das todas se vendem por precos
mdicos, afim de acreditar a este
qvo armazem.
Gasemiras inglezas,
francezas, de todas as
qualidades, brins do
cores e brancos, colei-
rii los modernos, cha-
peos do sol de seda,
Anos.
DE
ARRUDA IRMAOS.
RA
Sarao da Victoria
autiga ra
NOVA
N. 41.
Assim como tem ama grande
officina de alfaiate, montada com
todos os prepares que ha de melhor,
dirigida por habis artistas, que
pela sua promptid5o e perfeic5o
nada deixam a desojar.
Roupa de todos os
amanhos para homens
meninos.
Por todos os paque-
tes recebem-se as me-
mores e mais moder-
nas casemiras que ba
na Europa. .
RA
r*.
ar o daSvtctorla
antiga rna
NOVA
N, 41.
Este estabelecimento acaba de soffrer urna reforma radical en acceio, artistas e commodos, e m pontoalidade as encom-
mendas, finamente em ludo afim de melhor, servir os seus numerosos treguezes eixa-se de annunctr todas as tazenaas, par
i3o so tornar massanter .___________________-----------------------------------
Na Iravessa da roa
Crazes n, 2, pri-
meiro andar, da-se di-
nbeiro sobre penhores
de onro, prata e trilhan-
tes, seja qnal for a quan-
lia. Na mesina casa com-
pram-se os mesraos rae-
laes e pedras.
IIIIIIIVMIH
oobrado para alugar
O e a andar e sotao n. 6 da ra do Duque
de Caxias : a tratar no Corac'o de Ooro.
Aluga-se a casa terrea n. 66 rus nova de
Santa Riu : trata-se na mesma ra n. 85.
I
*
Be-
Soctedade liberal mo
~- neficente.
'i De ordern do conselno administrativo s5d" con-
viaados todos os socios reuoirem-s em asseo-
bl geraj no da 17 io corrente mez, as 10 hsras
da manhaa, na? casa da mirria sociedade para
jnlgarem a valMade da eli msirativo qne tem de funecionar uo anno de 1871.
Secretaria da Sociedade Liberal ttuio Benefl-
cente, em 23 de novemhro d 1870
Innoancio Xar,tr \jfpia iobrtnho.
-a-se de
____Ebuerio e eWanio
andar das iO boras da manbaa as da tanto 'f jerro
RA DA CRUZ
Chapas de ferro galvanisadas para telbeiros, etc.
Tachas de ferro para assucar, etc.
Formas de ferro para assucar;
Arados americanos.
Carrinhos de m5o.
VeDezianas para janellas.
Machinas de descarocar algodo.
Machina de cortar fumo.
Mchica de cortar papel.
Motores para dous cavallos.
Machina a vapor para mover machinas de algodo.
Ralancas, prendas, cofres de ferro, ogoes deRferro, eixofr8,j|saIitre [umalha de
muitos outros artigos.
O Bazar da Moda recebeu novo sorlimen-
to de fazendas do ultimo gosto para vesti-
dos, assim como chapeosior.os, casaeo1.
borns, coques, camisinbas, etc. etc
Continua stmpre o grande e afamado sor
timento de miadezas e perfumaras verda-
deira?, que tudo se vende por baratissimos
presos
Dam-se amostras e manda-so em casa ds
Exmas. familias o que desfjarem, ra o
Baro da Victoria, outr'ora Nova.
A' 500 rs.
NA
Flor da Boa-Vista,
DE
Paulo Guimares.
Camlsinhas bordadas para senbora a 500 rs.
Gollinhas, dem dem a 440 e 500 rs.
Mantas de vareja para seuhora, proprias para ba-
nho, a 800 rs.
Chi>as escuras o claras, o covado de 280 a 360 rs.
Mus.-ulinas de cor, padroes novos, covado de 2**0
a 440 r.
LSa* Amelia para velido, o covado a 500 rs.
Ditas, padroes miudinhos, o covado de 400 e 506 rs.
Pecas de algido, madapolo, caubraias brancas:
vende-se mais barato do que em qualquer oc-
tra parte.
A' ra da Imperatriz, n. 48,
franceza.
junto padaria
Na ra do Crespo n. 5 0-
Veude-se a selecta de linho, 4 palmos de Iarg>
a, peca com 30 jardas, pelo baraiisso preco da
25*000, cambra a franceza com 7 1|2 palmos de
largura alia vara, cambraia victoria fina a
4*500 a peca, lazinhas proprias para vestido d-.
enflora e menina a 400 rs. o eovado, atoalbado
de linbo, 2 largaras, a 24500 a vara : na loja
do Guilherme. _________________
Atten Vende-se um bom cavallo de sella de boas an-
dares : no patea da Ribeira n. 13.
T. Jefferles A C, roa do Commercio e.
46, tem para vender :
Brins de Angola legitimes.
Saceos de estopa,
Fio para fogueieiros.
Chapeos de sol baratos.
Lonas largas e eslreita?.
Linba branca em novellos.
Panno ripeado para e< Ichio, _^__
OS AMERICANOS
CILINDROS PARA PADARIAS
Tendo ebegado ha poucos dias completo sortimento dos memores e mais
conhecidos cylmdros americanos para padanas, roga-se s pessMS que d'elles precisa-
rera de viren vel-os ao granrte deposito do________
BASTOS
fjKfctl A D1/* S. -machi ar AS
criado para
da familia: 1
OUTE'OEA RfiA DA CADEIA
Calados franceies
Grande sortimento de calcades franceics para
homens. st-nhor'as e chancas, bolinas de setime
dura ue branco, ditas de cores, sspalinhos borda-
dos de setim branco.ditos dedorao.ae de cores para
senhora.pelo preco mais commodo de que em ou-
ira qualquer parte : na loja de calcado da bota de
ouro a ra da Cruz n. 21. sobrado amarello.
-------------1-
A 7000
Vende-se la para bordar, bonitas cores, pelo
diminuto preco de 7# : vebhara roa da Cadeia
o. 50 A, loja de miodeas.
Attenpao.
Vende-se nm carri novo e um boi gordo : na
roa da Cadea do Recife o. 57.
TENDMr
vinho do Porto engarraado velho e excrtlenles
qnalidadfs.como at-jam : Batjrdo, Malvasia, Dn-
que do Porln, Dbque d<3 Caxias e onlras marcas
bt-m conbecidas, Mslm coito em harris da 4*, de
o* e ancorlas : n<> ascrptoria da Soares Pr
ra do Vgario n. 17.
/




Grande reunio!
Hu do Imperador n. 28, ar-
iiiazem do Campos.
Como so est aproximando o tempo dos regaba-
ftt, o proprie ario deste estabelecimento lera se
esmerado em fuer reunir era seu arroazem um
eomplelo e variadissmo orlimonto de qeneros
anaenUeios.
Nio se prope a descrover nomioalmente todos
>s gneros comidos em seu armazera por oar de mais enfadonho.
Garante somonte, qae sua norma de ha mnito
*mpo /ender pao por pao e qoeijo por queijo
aa^"!f?fraeQt* tomantes, que receben
de u etpeiial encomraenda urna factura de cha-
r"*"P,5riores d?S.Ftl* da Bahia, das seguiu-
^ marcas : exposicao, rnarquezes, normas, ama-
lores e paraguasoanos.
iJlSS,,oda5 ** desPeMa8 aade toprtr-se de gneros de primeira qoalidade.
Farinha de mandioca da Bahia.
Tem para vender tnoito nova o superior,
em saccas, a praco mais commodo do qae
em ootnt qualqaer parte: Joaquim Jos
"encalves BeltrSo, no seu escriptorio ra
do Commeroro n. 17.
Diario de Pernambuco SaW>do 26 de Noveiabro de 1870.
Na ra do Baro da Triuinpno,
tirum, n. 92, veode-se o seguinte por
lico: v
Cal de Lisboa da mais uova que ha no mercado
Bojinetes para barcacas e hiates.
aatiga do
preco rao-
FALSIFICARES
DftsmULASDEBLANCARD
(CaVE DOLM)
A uossa correspondencia do Brazii nos faz
saber que ns {iracas deste paix acliose
actualmente inundadas por unta mtiltiddo de
(alcificaces vis dos nossos productos (textual.
Para garanuY-sc contra estas coiiiposicos
mais on menos pergosas, que escondem-se
d'essa maneira por detraz das nossas marcas
de fabrica e mesmo da nossa firma, rogamos
aqu com instancia aos mdicos e aos do-
entes de assegurar-se sempre u origem das
Pilmas que traxem o nosso nomc.appellnndo,
entre oulros meios prcticos, pola boa f dos
nossos collegas, os pharmaceulicos. Nao de
duvidar que u'uma quesla que inlressa tafl
seriamente a saude publica e a moralidade do
Ao.io-se as nouai Filulai as
commercie, estes honrados intermediarios
nao se mostrem dignos da confianca dos seos
fregueaes: nao de dtivuhr uamonte qu
repudiando toda solaridade com os falcifi-
cadores e os seus cumplices, ellos naosefa-
co um dever d'or* eui diante de procurar
as VERDADEIBAS PlLULAS HE BLANCaMI em
origens certas, enderecando-se, quer a nos-
mesmos em Paris, quer indirectamente aos
nossos principaes correspondentes, ou ento
s casas as mais recom-
mendaveis da Franca
ou do seu paix.
PharmacetUko, ma Bonaparte,emPari.
principaes Vharmaciaj.
NOVffiADES
DQ

Tem i venda em seus armazens. alm de outros
artigos de seu neo o regular, os seguintes, que
estao vendendo a precos mais baratos que em ou-
tra qualqaer parte :
PORTAS do pinho almofadadas.
FARELLO em saceos grandes a 35300.
GRADES de ferro para cercados.
ESTEIRAS da India para cama e forrar sala*.
CANOS de barro francex para esgoto.
GESSO superior em barricas e as arrobas.
CEMENTO de todas as qualidades baixo
precos.
MACHINAS de deicarccar algodo.
BARRIS grandes com peixe da Suecia.
LONAS e briozdes da Rossia.
OLEADOS americanos para forro de carros.
FOGOES americanos inulto bous e econmico.
VINHO 'le Bordeaux era caixas.
COGNAC superior de Ganlier Freres.
MILHO de Fernando a 31 o sacco.
AGUA florida;
BARRIS de carne salgada de porco e de vacca
Farinha dn mandioca de Santa
Catharina.
Ha para vender da muito nova e superior
chegada recentemente pelo patacho rabe
e barca Sania Mara ; por preco commodo,
a bordo dos referidos navios fundeados de-
ronte do trapiche do Exro Sr. bario do
Livramento ou enl5o para tratar com Joa-
raim Jos Goncalves Beltrao, no sea es-
oriptorio ra do Commercio n. 17.
A loja de cera a praca do Conde de Eu :
cera
;ratar na mesma.
" AZULEJOS
AZULEJOS.
AZULEJOS
Ha para vender algans milheiros dos mais lin-
ios azulejos, viudos por encomraenda de alguem
]oe por circumstancia os dispensa. No armazem
Je Tassp frmao 4 G., praca do caes de Apollo
10 p da ponte provisoria.
TRIUMPHO
7 Eua do Queimado 7
DE
, HOREIBA & BASTOS
E' ehegado a esto novo estabeJecimento o mais bello sortimenjo de fazendas
as, aendo sua especialidade enxovaes para noivado.
Vestidos de blond de,seda ricamente bordado*.
Gorgur5o de seda branco para vestido.
Colchas de seda pura, para cama com ricos desenhos.
Ditas de laa e sed, id m idem.
Ditas de crox, idem idem.
Cortinado* ricamente bordados para cama e janellas.
Croxs p=ra cadeiras e sofs.
Vestidos de cambraia branca,bordados.
Popelines de lindos gostos.
Laas de diversas qualidades, lindos gostos e moderna?.
Ricos b urnus para passeio, com listras de setim.
Sahidas de baile o qae ha de mais rico.
Cretones para vestidos com lindos desenhos.
Carnizas bordadas e sem bordados para senhoras.
Camisas bordadas mnito finas para homens.
D tas inglezas para homens e meninos.
Seroulas de linho, e um grande sortimento de roupas feitas e de fazendas qae
* enfadonho mencionar. H
Luvas frescas de Jouvin
Sortimento de tapetes para guarnicoes de salas, alcatifas para forro de sala e
frande sortimento das acreditadas e verdadeiras
Esteiras da India
0 MARAVILHOSO REMEDIO DO
DR. CHAS. DE GRATH
OLEO ELCTRICO
KIIM G OF PAI1Y O RE DA DOR
PARA. USO INTERNO E EXTERNO
CURA. CHOLERA E CHOLERA MORBTJS,
LOJA
DiarrUea, flua i Mague, em um dia.
O* de osmm, dore de oavide em
reemiaito.
n*r late, em um minuto.
Keuraifia, em ctmeo miautoi.
P-e*m, am vate minuto,
OargUtu iuehada*, em dei minuto.
C*11** eonvuleee, em cinco miautea,
amaeM, a all
'br4 e febre iatermitmU, em um dia.
Dor ui coitai e aoi ladoi, em dea mi.
natoe.
Tomui aerigosai e refriados, em um a.
Pleareiia, em um dia.
Surdoi e aithma.
Hemorrhoidti a breacbitia,
laflammacio nos rie.
Dyspepa, eryaipalaj.
Molestias de figado.
Palpitacao de eorafta.
REERVE SiMPEE ESTE EEMEDIO EM SUA FAMILIA
AS DOENCAS SE APRESENTAS, RUANDO MENOS SE ESPERAM.
_Ot**m*UtaA O "KINO OF PAIN" (O re da doO^u.eU.poeltlvam.ntad.as.pamaLdediffereBtet
^^dr^o^^ara^rma" ""^ >" "* '" -- d ~
a-n^Tt^
r-rta^mrTdl"!! ^" ^""P1"' da clUm'ca e d hetriolda*. e por Imo, MU applicaTel para o enrmenlo e para, m
eCZ 0^.^^9rpn, r1 d*Lf"0* qU 8ffrem dimpil" c,rcn"5i0 d0' "- PrinCpa^^rvo,. OT
Tam^mr^^8, t 0Per*dl"oUmenM Crvente., fawndo di.ppar.cer as laeaVooJdoglndula, .~
^ breTe "em ptTlB0 d0 "u UB0 debaUo de 1<""aa" circumstancia. B'">ulae at
taet ooTo ..',ma ed*olnl P" u, externo e lnte"">- ompoeto dos elementos oaratlros, ral.es, herra. e casca,
.lf^L^!nf 8 TI"1 dMeJ d* r,c,Ud'de d ""Jecln durante multo anno de experiencia para aprender os
-elaoree modoe q.e derlam adopUr para ourar as seguintes doen9a, e que propor,6e, toSSZttEEE?
E ROOARIA Z>E
EM PERIVAMBUCO
V-A. PHARMACIA
BARTHOLOMEO & C
W-=34 Ra Larga do Rosario. IV. 34,
CASA CAUVIN *J*-
NOVAS ESPECIALIDADES A. MARINIER
Aprosen'.adas a Acatciaia de Seieaetai e ao Uelitote ile Faro,
Acabain de sahir a luz as se-
guintes pecas para
PIANO
limalltida walsa d'Arditi
Ideal e realidade muito bonita
pbantasia pelo maestro Cazal-
bore
PoslilbJolinda pbantasia execota-
da jcom grande applauso pela
msica allemSa
Habaneras lindas dansag para-
guayas, qoe tanto furor aqui tem
feito
ACABA DE PUBLICAR-SE
i colleccao de msicas dos cavallinhos para
.TOO
loOOO
i))o00
1*000
FLAUTA
gRecebeu mais grande sortimento de mu-
cicas para piano, e piano e canto, e tamben
opera
IL
para piano e canto, e tambem os memores
pedacos para piano s composigo do illus-
tre compositor brasilciro
Carlos Gomes
que tanto furor fez na Italia, e hoje faz no
Rio de Janeiro.
A* VENDA NA
i
DE
NUSICA
DK
A. J. de Azevedo
A RA DO BARO DA VICTORIA (ANTI-
GA RA NOVA N. II).
aportas n. 53, ra Direita, 3 portas n. 53, antiya\
loja do Braga
-LSf*0 ^iinado> d,on *< antigo estabelecimento, lendo em visu apresentar o
Scompleio sorlimeoto de ferragens, miudezas e colileria, tem resolvido mandar buscar em
diversos pernos da Europa os melhorcs objectos de seo estabelecimento dos fabricante
mais conhecidos; pelo que convida ao respeitavet publico e a seus numerosos resuezes
8 a virera se iervir dos objectos de sua carencia, asnde encontrarao por menas 10 0i0 do au
em outra qoalquer parte, um sortimento completo de machinas para descarocar aleodao.
SL^mp,cof^ec.do abncante Cottorr Gin & C, ditas para costura! motores para animaes m
M n. 5? g0i molnho! c*!6 de ,odos os amanbs, da fabrica do Japi, espingardas de 1
! Z?. n^raT' lm "'B'^ .rao Iranceas, louca de porcelana, facas e garios |
S def vfsas quahda()ese p bandejas ^^ ^.^ r barbante, enxofrc, papel e S
M Zn 5 *rt"' -a5J % agJha para f8ue'eiro ; assim como encontrarao constante- \
t mente grande porcao de fogo do ar, e recbese encommenda de fogos de vista, alera de um H
MV1D W. BOWMAN
EMENDO
Com fundico
RA DO BRUM 52
Passando o ch^fariz.
Chama a attencJo dos Srs. de engenho para seus acreditados macbinismos e
x>m e8pecialtdade para seus vapores que ainda tima vez tem melhorado.
Os vapores fornecidos por ello o j funecionando Ihe bao de fazer melhor aore-
:iac5o do que qualjuer ditoproprio. H
Deseja tambem mencionar que tem feito um redueco em seus precos e aae
tem prompto toda a especie de macbinismo c outros objectos para a agricultura.'
Pharrnaceulico privilegiado
Kiiocssor
Sebastopol, 55 PARS.
II? lETPPAn Sob foni" d'" ^*l "l*i aaVCiW c
lUvULhU rasar di- MubIo ama so!n.,.
Prevcntira e enrativj das M0LEC7AS C0MTASI0SA8.
i '.na pura
i!o voiiimi! ''c um reletH), srrtimlo de
I lili.TRO ,' SI IINC.a faui ol
I\ IFl'Tl.R-lMI Ttt
llltlLUIUll i lIlLlllU gravas '-coainienles at Itafiaala
ESTOJOS *
a forma, < do rolumc ile um l'orlc-.Mo.Ja
COTBNDO TUBO IB.ITAJJEXTO.
COLLYBIO Contra as aflecco das palpebras,
preparado sob a rneMi.j forma.
BARTHOLOMEO C
Depositarios geral para e Itit.l^HL e IHtHTCUlL
3i, ra larga do fiosario. PlNAMBlJOO.
Eival sem segundo, Rival sem segundo
RA DUQUE DE CAXIAS M. 4 RA DO DUQUE DE CAXIAS N. 49
0\'<'iloI Estou disposto a continuar a vender toda-
iiu.uuuj as niiudezas pelos baiatissimos precoa aba
muito bom e xo declarados, garantudo ludo boui e pre-
sos admirados.
120 Dozias de palitos spguranca a.... I2('
Duzia de palitos seguranza caixa
500 grande a................... 320
Frascos com oleobaboza muito tico. 32*
60 Pacote com p.'s de arroz o me-
l)OO0| morque ha a............... 32(1
Va valas rutiito
UhlO VIGILAN!!
Rita do Crespo a. 9
Os propnefcris desie bern conheeido sub*;*-
cimento, alm dos moitos "bjettos qae tintiam ei-
pestos a apreciacio daram vir e acabam il receber pelo nltimo vaf*-:
la Europa um completo e vanado lOrtimDio d
Anas e nmi delicadr.s csp^cislidRdes, as qcaes f-
tao resolvidos' a vender, como de eu costar*,
por presos muito baratinhos e cammodos para le-
dos, com tanto que o Gallo....
Muito superiores luvas de pellica, pretas, briav
cas e de mai lindasres.
Mu be as e bonitas gullinhas e punhos para sev
ohora, oeste genero o qno ha de mais modernci.
Superiores pentcs do 'tartaruga para coques.
Lindos o rquissimos enfeites para canecas *>
Exmas. senhoras.
Superiores trancas pretas e de edres com vidr-
ihos e sem elles; esta fazeuda o que pode hpvw
de melhor e mais bonito.
Superiores e bonitos leque de madreperoi.
n;arnm, sndalo e osso, sendp aquelles brairfw
com lindos desenhos, e estes pretos.
Muito superiores meias fre-de Eseossfa pura s*-
rhoras, as quaes sempre se venderam por 30GOt
a duzia, entretanto que nos as vercdcmes por SO*,
aim destas, temos tambem grande gorthnento ce
outras qualidades, entro aa quacs alguma waiu
finas. 1
Boas bengalas de superior canna da India *
castao de niarlim com lindas e encantadoras figu-
ras do mesmo, nesie genero o q\te de melhor m
pode desejar ; alm destas temos tambem gran*
auanudade do outras qualidades, como secara, mi-
eir, baleia, osso, borracha, etc. etc. etc.
Finos, bonitos e airosos cnicotinhos de eadet. a
de outras qualidades.
Lindas e superiores ligas de seda e barra.i
para segurar as meias.
Boas meias de seda para senhora e para raen:
as de 1 a 12 anuos de idade.
Navalhas cabo de marm e tartaruga para fasf-r
barba; sao muito boas,e de mais a mais to g
rantidas pelo fabricarji?, e nos per uossa vei Urr-
bem asseguramws sna qnalidade e delicadeza.
Lindas o bellas capelln i Superiores agulhas para machina 3 para croi
Linha mnito boa de peso, frouxa, para encbtr
labyrintho.
Bons baralhos de cartas para voilarete, as?
como os tentos para o mesmo lira.
Grande e variado sortimento das melhorcs per
fumarias e dos memores e mais conhecidos per
fumistas.
COLARES DE B.OER.
Elctricos magnticos contra as convulsoe,
facilitan) a den ti cao das innocentes cri anejas. Se-
rnos desde muito recebedores dcstes prodieiosot
collares, e continuamos a recefce-los por toaes 01
vapores, afim de que nunca faltem no mercado,
tomo j tem acontecido, assim pois podero aqnel-
les que delles precisarem, Tir ao deposito do galii
vigilante, aonde sempre encontrarao destes verdi-
deiros coljares, e os quaes attndendo-se ao a
para que sao applicados, se venderlo com uro mr;
diminuto lucro.
Rogamos, pois, avista dos cbjectos que deixamc*
declarados, aos nessos fregnezes e amigos 1 vire,
comprar por precos muito razoavtis loja do ga'\
vigilante, roa rio Crespo n. 7.
Lfl
PRECIOSA DESCOBERTA
TNICO DELSC
am ? JaPS? ?ELSC ? hoje aP8enta ao Publico, depois, porm, de um severo
?n,?J de,retefadas esPe"enctas. tendo a certeza de que possue urna superioridad,?
P"*JgSrA* br,lhante 'ustro ^e produz nos cabellos, tirando immediatamen!
te todas as caspas e coce.ras fendo com que appareca em bom estar impaSvel
,nnfa,,^ a gU comPe:se de fubstancas cuidadosamente escolbidas, purificadas
11 a?adaSJT mm c^idad0' e almdisl combinadasde modo ta 1 d\
nma acc5o verdadeiramenle efficaz. consoladora, e benigna be
na nhJO'v* ma"*'C C3ta aualnaltcabf *> e esfregase levemente ; immediatamenle Tiear.
os cabellos limpos e com um brilho magnifico. uaHiwuuwiie ncam
fieposito
smente em casa do autor, Andr Delsuccabeileireirode Paria.
Ra Io de Mar^o (antiga Crepo) n. 7 A V an-lar
CONFEITARIA
DOS
- VENDE-SE
a terreno ji cem alirereps para orna boa casa,
il7aVn? d,G,lfO qual teta 37 palmos d frente
e / ae i t^MSfc-* ?eo,Je Aira a c^prador :
p tratar n rcTO^a ,. Ro8a,^ ne 31, loja.
Labyriutbos.
lencos e toalbas de labyrintho do C-ira Tenem mniro em coma, pva acabar
ANANAZES
Ra da Cruz n. 16
nglez; pastis de diflerenies quaiid-ds; Jropno para mesa; Soni lf'
CADINHAS com amendoas e pastilbas,
propnas para presentes ; cha preto, miudo,
de superior
a 4.0000.
quaiidade ; iatag com pecegos
vendados
1 PAPIS para sories,3 ditos
para cobrir bojo^. j.
PRESUNTOS e tambre..
ttMabifbM-si!, oncommendas de banileja com ln. ir.iios. cornuBu.^,, a. ^
car e sem ella; de po de 16 e bolos eufeitados cora dfotir, *, wra|?3? \^1
muitos objectos proprios para gratderjantares, bailes, etc., ele
(Amiga ra do
Contina a vender tudo
muito barato a saber :
Libras de areia preta muito boo. .
Tesoura* finas para unbas e costu-
ra a.........
Papis de agulhas francezas a ba-
13o a.........
Caixas com sais sabooetes de fruta
Libras de lia para bordar de todas
as cores a.......8000
Carriteis de linha Aleandre a. 400
Frascos com azeite para machinas 300
Gravatas de cores muito finas a 300
Grozas de boloes madepersla fi-
nissimos a....... 300
Novello de linha de 400 jardas a. 60
Caixas com 400 envelopes muito
superiores a...... 600
Pentes voiteados para meninas a. 240
Tinteiros com tinta preta a 80 rs. e 400
Pecas de fita elstica muito fina a 200
Lata com superior banha a 400 e. 200
Frascos de oleo Philocomo muito
fino a......... 500
Frascos de macaca perola a. 240
Frascos de extracto muito b >nitos a 300
Duzia de sabonetes muito finos a. 720
Sabonetas inglezes a 600 rs. e. 4200
Frasco com agua de colonia Piver a 500
Dito de oleo baboza a..... 500
Caixas de lamparinas a. 40
Sabonetes a forma menino muito
superiores a....... 240
Lartilhas da doutrina fazenda-nova a 400
Libras de linha sortidas de todos os
nmeros a.......15800
Capachos muito bonitos e grandes a 700
Carriteis de retroz preto, com 2
oitavas a........ 640
Agulbeiros de osso enfeitados a, 240
Libra de linha franceza superior
quaiidade a.......2420
Caixas de palito do gaz a. 00
ocx.
50t
460
so<
100
Rot>- ntorheumnico.
Remedio efficacissimo contra as dores rheuma-
ticas at boje o mai; conbecido pelos seus mara-
vilhosos resultados.
XAROPE DE AGRIAO. um dos medicamen-
tos que sua efflcacia aas enfermidaies, tos se e
sangue pela bocea, bronchites, dores e fraqueza
no peito, escrobuto e molestias de figado, que me-
mor tpm aprovado.
TINTURA DE MARAPAMA.- A celebre raix
de marapuama, cuja energa e efflcacia as para-
lysjas, iatorpecimenlo, etc. etc. muito se recom-
m Todos esses preparados se encontrara na phar-
raacia e drogara de Barinolomen & C., nico de*
pesito na ra larga do Rosario o. 34.
Cigarros da imperial
fabrica de S. Joo
de Nictheroy.
nico deposito em Pernambuco caes da
lega velha u. 2, t* soda. /
as para fazer
barba a....................
Caixs de linha bran do gaz a..
Vara de franjas de lidho para toa-
lbas ---------.................
Caixas com peonas d'a^o de i erry
superiores...............
Lencos do cassa braucos e pinta-
dosa....................
Caixas com 20 quadernos de papel
pautado ....... 70t
Caixas com 50 noveilos do linha
do gaz a........ 4(X
Duzias de meias cru.ts superior
quaiidade a.......3flK>0t
Pecas de babadinhos com 40 va-
ras a.........
Pecas de tiras bordadascoin 42
metros cada p ca a 4($500 e.
Pecas de fitas para eos de q> al-
quer largura com 40 varas a.
Escovas para unbas fazenda fina a
Ditas para denles a 240, 320,
400 rs. e.....
Pecas de tranca lisas, brancas o
de cores a.......
Duzia de linha frxa para borda-
dos a 400 rs. e.....
Pares de meias cruas para mt>.'
nos diversos tamanhos a. .
Duzias de meias brancas muito
finas para senbora a. .
Pares de sapatos do tranca do
Porto........
Pares de sapatos de tapete a. .
Duzias de baralhos para vultarcle
Sylabarios portuguezes a. .
Cartoes com colxetes i carreras a
Abotoaduras para collete diversas
qualidades.......
Caixas com penna do ac muito
boa de 320 a......
Caixas com superiores obrejas a.
Duzia de agulba para macnina a.
Libras da pregos francezes todos
os tamanhos a......
Pacota de papel com 20 quader-
nos ...........
Rorma de papel pautado super or
Resma de papel liso muito supe-
rior a ..........
5CH
2500(
500
500
500
40
500
320
<550('
20000
I #500
3,5kKK'
400
20
40(
50X
40
2r>00f^
240
400
4-JOOO
3fi(X
alfai-
ATTENCAO
Vende se urna canoa de carregar 1,200 a 1,300
lijlos : a iralarna ra Direita u. 101
7 A i100
Vendnm-se borzeguins paro crancas, obra boa
pelo diminuto preco de 200 : venham loja de
auudaws darua da Oadeia ni SO.
FARINHA
de trigo a 5*000 a ai rica s no
liza, roa do Livramento n. .18
uinazciii lia-
----
CHEG\RAM-
As vi-rdadeiras luva- l^ peli.-.i inai.U', checa
das no uitim-t lapnr. para a I, }: da rjia da Rarf^U
do necife no II, em frente a Mira, |wi i
|io aau(i).
ule de c.i-nm. e ali.ee dm*-
! fl ra da Guia n. 7, i
Dcordeiro prevident
Bsta do 4;5!clascsdo n. i.
Novo e variado sortimento de peruin&r i
finas, c oulros objectos.
Alm do eomplelo sortirr;t>nto de per!.
marias, de que effectivamentc est provid*
oja do Cordeiro PrevidcDte, oila acaL-a d
receber um ouiro ser Ornea'o que se tr i .-.
noiavel pelavEriedado de objectos, sut
lade, qualidades c ccmroodidades da pr
;os; assim, pois, o CordeiroPreviente pea;
9 espera continuar amorecor aapreci:ci-
io reapeitavfil poblieo ca- gortd e o
ooa freguezia ein particular, nio se li-
tando elle de 4j3 lua cocheadamatfktf
d baraieza. Em dita ioja eccontrario t
apreciadores do bom:
Agua divina de E. Coodray.
Dita verdadeira rJe-Murray A Lamniat.
Dita de Cologue ingloza, Sinericaaa, fr;:
:oza, todas dos memores e attaisacrftHU.1
fabricantes.
Dita de flor do larangeiraa.
Dita dos Alpes, e vilete para toilet.
Elixir odontalico para toservacc
sseio da bocea.
Cosmcliques de superior quaiidade o if i
*os agrsd.-vei.
Copos e latas, maiores o ffieDoies, cti
pomada fiua para cabello.
Frascos com dita japoneza, Iranspar
a outras qualidades.
Finos extractos iugiezos, smaricaso
francazes cm frascos simples a enfeitados.
EsseiK'ia imperial do Sao eagradara eht'
o de violla.
Outras concentradas o do cheiros igc;
(nenie fij23 c agrr;davei3.
Oleo philoromo verdadero.
Extracto d'oleo da superior qualid*
com eseiido.i cbiriros, em frascos dedis
"entes tamanhos.
Sabonetas cm Larras, maleras a nsnort
para mos.
Ditos transparentes, redondos a ora fi:
as de meninos.
Ditos muito finos cm caixinba para bart;
Caixinhas com bonitos sabonetas imaD
frnctas.
Ditas de madaira invernisada contando i
aas perfumaras, muito proprias para p*>
cnies.
Ditas de papelao igualmente bonitas, t&*>
bem da perfumaras finas.
Bonitos vasos de metal coloridos, a i
moldes no vos e elegantes, com p da ano
e boneca.
Opiata ingleza e franceza para dentei.
ros da camphora a outras (fferenf
^oalidadcs tambem para dantas.
Tnico oriental de Keiup.
Alada vals coqaea.
Um outro sortimento de coques dt
vos e bonitos moldes com filis da \
a algnnsdelles ornados de flores .
-istao todos expostos i apreciacio de
os pretenda comprar.
GOLLINHAS E PUNHOS BORD.4JD
Obras de muito gosto e perfeiclo.
rivclla- e fitas para elntcs.
Bello e variado sortimento de taes obj.
tos, ficaodo a boa escoma ao gosto'do cor
ordor.
% Joaquim Rodr'nies la-
vare-' de Mello,
TEM PARA VENDER
em sen escritorio, pra$a do Corpo Santo
n. 17
Fumo em folha
0 de f e i* quaiidade, o tende nm "a mais
5 fardos a vonrade dos con^radores. I
Cal de Libn
^ fclUma ebegada.
f PotassadaRnssia.
^ Parla* de aiandloea.
de quaiidade. Tudo de vende'majo
hram d que fni nutra aj"*'
Kugo de pa'eiile.
i era ca-
i C ra da Ci ua u. 4.
1
Sbkw


r^<
f
1
'
6
Diado de Peroambuco Sabbado 26 de Novembro de 1870.
++
.......
BAZAR DO PAVAO
60-RUA DA IMPERATRE-fiO
PEREIRA DA SILVA & C.
t.:..
Nesle morrante estabeiecimento encontrar o respeitavel publico, am grande e variado sortimento de fazeodas da mais
aparado gosto e todas de primeara necessidade, qae se veodear mais baratas do que em outra qaalqaer partj, visto- que os bo-
tos socios desta firma, adoptaram o systema de so venderem DINHEIRO ; para poderem vender pelo costo, limitando-se apenas
a ganbarem o descont ; as pes>-oas que negociam em nequpna esca'a nesta loja e armuem podero fazar os sea* aortirientos
pelos mesmos precos que compram Das casas inglezas, (importadoras) e para maior commodidade das Exutas, familas se darn
amostras de todas as fazeodas, ou Ibes levam em suas casas para escoiherem.
PARA N0I7AD0S CORTINADOS, COLCHAS. J GROSDENAPLES PRETOS
Chegou para o Bazar do Povio um gran-' Chegoa para o Baaar do Pavao nm gran-
de sortimento dos mais bonitos cortinados de sortimento dos melbores grosdeoaples
bordados, proprios para camas e janellas, Pretos qne t*m vindo ao mercado, qae se
qae se veadem de 100 00 at 2O0TO o wdem de 0600 at 55000 o covado ;
par, assiai como o melbor damasco cem 8 8a tdoa muito em conta.
palmo de largara a imitac.3o de damasco ALGODAO ENFESTADO PARA LENgES.
de seda, proprias para colchas, e propria-
A ra do Duque de Caiiae n 21.
(AITIG RA DO QUEMADO)
Bseebeu se|um :
Espelhos grandes dourados, moldes benitos.
Cjarleiras, eharmelras o port-cigarros de muita>
qualidades.
Bonitas pastas para papis, simples e matisadas
Bou caixaa vasias para costara com sua ccmpe-
1 tente chave.
Delicadas caetas de marfira com o bocal di
prata.
Modernos pentes de trtaras, sobresibindo en-
tre elles os mimosos telegraphistas.
Commodos toucadores com daas gavetas e boro
espelho.
Port bouqnet, o qne de melhor tem appare-
cido.
Port relogios de murtas qualidades.
Bons talheros para.crianzas.
Vostuarios, chapozinhos, toacas, sapa tos e metai
para baptsados.
Toaihas e fronhas de labyrintho.
Chipos e chapelioas para senbora, moldes novo
e bonitos.
Chapozinhos gorros e bonets para meninos
meninas.
Contra as convulsas
DO
PAVAO
Eua da. Imperatriz 60,
f*srs tcivqct* 'SRfpfRnat
LINDAS JAPONIZA P#RA VESTIDOS A
A 500 BS.
Cbegoa nm elegante sortr*etrto de l"as-
elegaote~sortimeQh~de"tapetes Yodes,!-' son ment dos mais modernos e meluo-">h {o JapSo, com padroes de seda e de
ra sofs, com 4 cadeiras. ditos mais peque- res espartilbos, que se venden por preco moi^ boa qnaltdade. que se vendsm a
wm mwjh
Qaaado t-AGUIA BRRNCA, mais precisa scientificar ao respeitavel publico e*
geni, e em particular a na boa fregnezia, da immensidade de objectos qne ultimamen
te tem recebide, jastamentefquando ella menos o pode fazer e porque essa falta invo
lootaria ella confia e espera na benevolencia de todos qne lh'a attenderSo e relevarlo,
continuando-portanto a dirigirem-se a bem conhecida leja da AGU1A BBANCA i roa d
Queimado n. 8, onde sempre acharao abundancia em sortimento de superioridade en
qualidades, modicidade em precos e o seo nunca desmentido AGBADO E SINCERE ADR.
Do qne cima fica dito se conbece qae o tempo de qae a A GUIA BRANCA pd
dispor, empregado apezar de seas castos ao desempenho de bem servir a aqoeHes qae
bonram procurando prover-se em dita loja do que necessitam, entretanto sem ennurns
rar os objectos qae por sua natureza s5o mais conhecidos ali, ella resumidamente indi-
cari aquellas caja importancia, elegancia e novidade os tornara recommendaveis, con*
bem seja
mente colchas de damasco, send: os melbo-
res e mais bonitas que tem viudo ao mer-
cado.
TAPETES
Chegou para o Bazar do Pavao o mais
No Bazar do PavSD veod-se o melbor al-
godao-ioho auiriCHO enestaao para len-
ge; tendo liso e entrancado por preco
muito barato.
ESPARTILHO.
No Bazar do Pavao receben-se nm ele gan-
aos, para daas cadeiras, ditos par
pianos, camas, portas ; etc. vende-se por
meaos do qae em outra qnalqaer parte.
ROUPAS PARA HOMENS
No accrtditado Ba:ardoPav3o encontra-
r o respeitavel publico om grande sorti-
mento de roupas para bomens tanto bran-
cas como de cores, a saber:
Camisas coa peitos d'algodo edelinho,
para todos os precos e qua'idades.
Cero las de linbo e algodSo.
Meias curtas francezas e inglezas.
Palitos sobrecasacos de panno preto e
casemira.
Calcas de brim branco e de cores
Dita- de casemiras pretas e de cores, com
colletes ignaes
De lodas estas roupas ha para todos os
precos e qoali lades, e tem de mais mais
nm perito
ALFAIATE
Por qaem se manda fazer com prestesa
e aceio qualquer pe?a de obra a capricho
oa ro to do freaaez, tendo n'este importan-
te estab^leeimento todas as qualidades de
panno fin, as melhores e mais moder-
nas caseroiras, assim como os melhores brins,
qur brancos, qur de cor; e quanlo qual-
quer obra nao ficar inteiramente ao gosto
dos freguezes Oca por conta do estabeleci-
mento.
TOALHAS A 70500
No Bazar do PavSo fez se orna grande
compra de Ralbas alcochoadas, proprias
para roHo, bastmte encornadas e grandes,
que sempre se venderana a\t20OOO. e li-
quidam-se a 7*500 a dudaron a 640 rs.
cada urna, boa pechincba.
CORPINHOS BR VNCOS A 35000
No Bazar do Pavio vendem-se corpinbos
de caia->rai i bnneos bordados, sendo fazen-
da que sen.ire se veodeu a 85000 e 10,?
e hqui ia-se a 30090 por esiarem am
pon o maltratados, pecnincha, na raa da
Impera'riz o. HO.
FUSILES DE COR E BRANCOS
Vende o-se bunitos fustoes brancus e de
cores, roprios para vestidos e reupas de
meninos, se>ido de cores a 800 ris o cova-
do e braaoos, a 400 e 640 ris, pe-
chincha, no Bazar do Pav5o roa da Imps-
ralriz n. 60
CHITAS BARATAS
a 200 ris.
a 200 res.
a 'iO reis.
Venl^m-se chitas largas com muito bons
pann'is e ccres flxas, pelo b*rat> preco de
20(* rea o colado ; cortes das mesmas com
10covadosa230'0, pecbmcha, no Bazar
do Pav3o.
AS CASS\S DO PAVAO
Covado 200 ris.
a 200 reis.
a 200 ris,
Vende.n-se buoitas ossas de cores miu-
din'>a> pelo barato preco de 200 ris o c
vado, no armazem do Pavao J roa da Im-
perati iz o 60.
PANNOS PARA SAI AS A 1*000, O METRO.
No Bazar do Pav3o vende-se boniti ta-
zenda braica encorpda para saias, sendo
com babados e uresis ie on lado, dando
a largor i da fazeoda o compiinento la
saia. a qinl se ple fazer com 3 ou 3 1|2
metros e vende-se a 1$, 14280 e 1^00;
as*im como tamhem n > mesmo estabeieci-
meot> se ven le bonitis sai is brancas bor-
dadas tsnto quatro pannos cada orna, litas
de 13a de cores j promotas, amas com
barras iiff--rent- s damesma fazenda 49000,
e ou'ras com barras bordabas Gle 70jO ,
todo isto e moderno e barato.
CARNAUBA.
Vende-se carnaoba em saceos, na raa da
Imneratm n. 60. Bazar d i Pavao.
TARUTANA^ LISTRADA3 COKTE A 6500
Cneg a para o Bazar do i^So um bonito
sortiiueoto de tarlatanas lisir.d.s, sendo
verdes. c6r de r^sa, lirio, tonto esta bo-
nitt faenda rnuita phantasia. e liquida-se
oda corte a 64500, pechincha ; na ra
da Im eratriz n. 60.
CASiQUl.NHOS DEGI^RE A 104, 124,
164, E 204.
Chegaram para o Bazar do Pav3o os
mai-mo temos casaqninhos on basquinas de
goipure com cintura, ncam^ote enfjitidos
eom iac^s, e v.ndem se pelo barato preco
de 10, 14, 164, e 204, pecniocja,
ra da Iope atriz n. 60.
LENgO* DE MORIM A 34500 A DUZIA
V-idem-se du/.ias de lene s Snissimos,
braoc s de uiorim, sendo fazenda muito
encopada, a 3)J5oO a dszia. Ditos de
mano em conta.
PANNOS DE CROCH PARA CADEIRAS
O Bazar do Pavao receben om grande
sortimento dos melbores pannos de croch,
proprios para cadeiras de balanco sofs,
pianos, tamboretes e al proprios para cu-
brir almofadas e pratos; vendendo-se por
menos do qae em qaalquer parte.
PARA LENCOES
No Bazar do PavSe venderse aawrior
bramante d'aigodSo com rO palmos de lar-
gura a 1480o o metro, dito de linbo com a
mesma largura a 24800 cada metro, pannos
ds linbodo porto com i l/ palmos de largara
de 720 at 14 a vara, assim como nmg aode
sortimento de H-mburgo ou creguella* ie
todos os nmeros, pre?os ou qaalidattes,
qae se vendem mais barato do que em oa-
tra qnalqner pnU ; aproveitem-
ATOALHAOS
No Bazar do PavSo vende-se snperior
atoalhad tpanr;ado, com 8 palmos de largu-
ra a 14600 o metro, dito de linbo adamas-
cado o melbor que tem vindo ao mercado a
34500 o metro ; tudo isto muito barato.
FAZENDAS PARA LUTO
No Bazar do Pavao vende-se constante-
mente o melhor sortimento de fazendas
pretas para luto, como sejam :
Lasinhas "retas lisas.
Cassas pretas de 13a.
Cassas pretas, francezas e inglezas, lisas
e com salpicos.
Chitas pretas de todas as qualidades.
Alpacas pretas lisas.
Ditis lavradas com branco.
Merinos, cant5?s, bombazinas, qne sa
vendem mais barat 1 do que em outra qual-
quer parte.
CACHE-HEZ A 64000.
No Bazar do av3o vendem se bonitos a
ijrande-i cacbi-nez de pura laa, pelo bara-
to preco le 63000 cada am
PEUICNCIIA EM CAMBRAIAS VICT0IUAS, A 55,
64, 74 840t.O.
Vende-se um esplendido sortimento de
Aoissnas cambraias victorias, por preco-
mais baratas do que em outra qaalquer
parte, lendo cada peca 10 jardas a 54. 64,
64500 e 74000, finissimas a 84500 ; toda*
estas cambra'as valem muito mais dioheiro
e liquidam-se por este preco em relac3o a
urna grande compra que se fez no Bazar
do Pavio.
BABADINH)S
No Bazar do Pav3o vende-se um grande
sortimento dos mais finos babadinbos borda-
dos tapados e transparentes, assim como
urna grande porejo de entr mjios largos e
estreitos, que para acabar se vende mnil
em conta e mais barato do que em outra
qualquer parte.
SE1INS DE COBES E GROSDENAPLES.
No Bazar do Pavao vende-se um sortime -
to completo dos niel 'res setins e grosle-
aaples de lodas as cores, que se vendem
muito em conta.
Colchas brancas 332 0, 34500 e 74000.
Para o Bazar di) Pav3 > ebegou um grande
sortimento das melbores colcnas pietas,
sendo das melbores e mis encordadas que
t-m vindo 3 74000, dita um pouco mais
baisa 34500 e ditas 3520 ; tambero no
me-mo esiabelecimento. se ven ie um grande
sortimento de crtones e chitas proprias
para colchas que se vendem maito emcoata.
Sedas de quadrinhis a 142S0 ao corado
Vendri-se om eleg mte sortimento de sedas
de qoalriobns com Un I ssimas cores, para
vestidos e roupas de meninos, e vende-se
14280 cala covado; pechincba no
Bazar do Pavao.
CHALES DE RENDA.
Chales 2 :.oo >.
Chales i 2000.
Chales 2000.
Vend -se orna grande porco de chales
pretns de rend ou croch, sendo pretos
com 4 p'intas, fazen la que sempre se ven-
den 540Jo e li juid >-se a 24000 cada am.
pechincba no B.zar do Pavio, a roa da
imperatriz n. 60
LINDAS BAREGES A 320 RS. 0 COVADO
No Bazar d,i Pav3 > vende se o mais bo-
nito sort ment de finissimas bareges trans-
parentes ci m as mais bonitas lisias de c e
pro iras para vestido,-O liquida-se a oatac*
o covado por e>taruios muito prximos da
feua ; dUas moscadas, fazenda muito lus-
trosa e com liidas cdr*>s a 400 r s o curado,
pe hincha a raa ia I np rstriz n. 60.
LENCOS DE lASSA DUZIA 34OJ0
Vendem-se finissimos leocos de cassa
com delicadas cecaiuras, de cor 8 fixa-
500 rs. o covado. pecbtnchi, no Bazar
do Pavao, roa da Imperatriz n. 60.
POUPELINAS- DO JAPO A 14600 0 COVADO.
Cnegou um elegante sortimento de lin-
diss mas poupebnas Japonzas, com os
mais delicad is gostos, tendo maito lustro
e com listrinhas de seda, sen lo esta nova
fazenda auasi da largura da chita rance-
za e vende-se pelo barato preoo de 1460O
eada cvado, no Bazar do ra -3o.
AS POUmiNAS DO PAVAO A 24000, O COVADO.
Cheg u pa o Bazar d-> Pavao um bo-
nito sortimento das mais modernas e ele-
gantes ponpehaas de tioho e seda, que se
vendem pelo baratsimo prego de 24000
cada um covado, assim como ditas com
go-tos-escossezes a 24100, pecbiucha no
Bazrr do Pavao.
SEDAS a 24000
Chegou a a elevte sortimento de boni-
tas sedas de listrinhas, com as cores mais no
vas qua tem vindo ao mercado e veudem-se
a 24000 o covado, oa ra da Imperatriz
Bazar do PavSo
CRETONE FORTE A 24000 O METRO
S no Bazar do Pavao.
Cbegoa o ve dadeirocreton1 francez pro-
prio para leocoes tendo 10 pa'mos de lar
irura, e muitoencorpado, sen 10 mecho ape-
nas para cada le col i '/i oa 1 '/* metros, alm
d'esti appicacao tambera esta larga e en-
corpda fa/enda propria para i.alhas, saias
i'eroolas, etc. e liquida-se pelo barato pre-
co de 24000 cada metro.
CASEMHUS A 24500 CADA COV VDO
No Bazar do Pavao vendr-se u-jb grande
sorliujifito de bonHn casemtrasdw omi
cor. sendo asul, li'o, m-sclada, semo d^
duas larguras, proprias para calcas, palito'
e rou as para mrnino, e vendem s > pel<
barato prefo de 4500 o covado, roa da
Imperatriz n 60.
BONITAS LASIMIAS A 500 RS. O COVADO.
Ven le-. delicadas lasiobas com diffe-
rentes gosto pelo barato pr^co de 500 rs.
o covado, no Kazr do Pavio.
ALPACAS BRANCAS.
Ven1e-se um bonito sonimeotode finis-
simas alpacas brancas lavral< imitagao
de seda, proprias para vestidos de baile uu
.asamenlos no B^zar do Pavo.
ALPACAS LAVRADAS A 400, 560 E 640 RS.
Vende-se um grande sortimento de lin-
das lpicas labradas de todas as cores para
vestidos e vendem-se 'a 400, 550 e 6t0
e a mil e tantos res o covado, no Bazar
do Pavao.
BAREGES DE QDADRINHOS A 600 RS. O COVADO
Vende-se as mais li das o moderaa- 13a-
simias nu har-ges de quadrinhos, proprios
para vestidos, tendo quaM largura de chita
irsncezi. e I quida-se a 640 rs. o covado,
no B zar dn Pav8o.
MERINOS DE CORES RARA VESTIDOS.
Vende-se bouuos merius oe ama so
cor com cores muito proprios para vestid
e roupas para creancas por ser urna fazen-
da de pora lia e muito leve, vende-se a 14
o covado, no Bazar d" Pav3o.
GLACES A 14.KK) PARA VESTIDOS.
Vende-se um eleg nte sortimento de>ta
nova fazenda denominada glacs sendo urna
fa/endi de 13a muito larga e com deiica-
dissimas cores, tendo tanto brilbo como a
seda e vende-se pelo barato preco de 14,
covado, no Bt/.a- do Pav3o.
CASEMIRAS A 74000
Vendem-se c rtes de casemira ingleza de
cores para calcas sendo f-.zend que vale
muito maU di iheTo e liquida-se a 74000
o corte de calca, no Bazar do Pava a raa
la Imperatnz n. 60.
GRANDE PECHINCHA EM CAMBRAIAS TRANSPA-
RENTES a 44, 54,64, 84, e 104000
Vende-se finissimas camb aias suissas, d-
moita phantasia tendo 9 varas a 84500 e
10400o. Ditas bispo com 10 jardas fazen-
da muito fina a 54, 64 e 74000. Ditas fi-
nissimas azulidrabas, qae v-lem muito mais
linheiro, a 84 e 104 K)j : t >das estas cara-
nrtias, era relajo a qualilaie, pelos pre-
cos ac'tna sin mais baratas do que em ou-
tra qualquer parte, no Bazr do Pavli.
CAMBRAIA ALLEMA COM 8 PALMOS DE LAR-
GUIU A 14600, U E 91*300.
Venie-se flnisinn cambraia branca tran-
pa ente com 8 palmos de largara, qae fac
lita fazer-se m vestido apenas com 4
varas e li juila te a 14600, 24 e 24300 ,
vara, fazenda qa vale muito mais dinheiro.
E pechincha no Ba'ar do Pavio.
CAMBRUA TRANSPARENTE
Peca a 44dO
Vende-se mnito fins pecas de cambraias
brancas transparentes, tendo8 l|2 tarsca-
la pe(a e com om vara de largara a 44.
pecbmeba, no Bazar do Pavl> -
A' ra da Imperatriz
n. 60.
as
cnaigas
Vende-se os verdadeiros collares na Nova Espe-
ranca, raa do Duque de Cxias n. 2fc
PAHA TINGIR CABELLOS
pan pratos on castanbos, reeebeu a Nova Espe
ranea a verdadeira tM* ingleza.
PARA ACABAR COM AS SARDAS
on pannos, tea a Nov Esperanca o verdadeirt
icite de rosas brancas.
AGUA DE FLOR D&LARANJA.
Vende-se*a Hova Esperanca, roa do Boque de
Caxias n. 21.
PAPEL PARA ENFEITAR-SE BOLOS
recebeu-os muito lindos a Nova Esperanza, nu
do Duque de Caxi n. 21.
PARA AMAC1AR E AFORMOSEAR A PELLE
tem a Nova Esperanna es sabonetes de pos de
arroz
CHEGARAMi
Poqos instautineos aperfeiqo-
ados por preqo muito commo-
do: na ra Nova n. 28, loja de
Antonio Pedro de Souza Soares.
Bombas completas para ca-
cimba, por diminuto prerjo, na
mesma casa.
CEMENTO
O verdadeiro portland. S se vende na roa d
Madre de Dos n. 22, armazem de Joao Martina t
ftarm
Corpinhos de cambraia, primorosamente
enfeitados com fitas de setim e obras essas
caja nevidade de molde e perfeif5o de ador-
nos os tornam apreciados.
Fitas mni largas de diversas corea e qua-
lidades para cintos.
Leques oesse objecto mnito se poderia
dizer querendo descreve-los minuciosamente
S'or suas qualidades, coree e desenbos, tal
o grande e variado sortimento qne acaba
de chegar, mas para nlo massar o pretn-
deme se lhe apresentar o qae poder de
melhor.
Entremeios em pecas de 12 tiras.
Guipare branco e preto de diversas qua-
lidades e desenhos.
Ditos de algodlo com flores e lisos.
Veos de seda para chapelinas e monta-
ra.
Meias de seda para noivas.
Ditas abortas de fio de Escossia.
Costamos on uniformes para meninos.
Enxovaes completos para baptisados.
Touquinhas de fil, sapatinhos bordados
e meis para ditos.
Camisinhas bordadas para ditos.
lltCIIIMS i'ABi
COSTURA
Acabam de chegar ao GRANDE BAZAR
UNIVERSAL, na Nova n. 22carneiro
viannaom completo sortimento de ma-
chi jas para costura, dos autores mais co-
nhecidos, as quaes esto em exposiclo no
mesmo Bazar, gnrantindos-e a sua boa qo-.-
lidade, e tambern ensina-se com perfefo
a todos os compradores. Estas machinas
slo iguaes no sen trabalbo ao de 30 costu-
reras diariamente, e a sua perfeico tal
como da melhor costureira de Pars. Apre-
sentam-se trabalbos executados pelas mes-
mas, que muito devem agradar aos preteu
deotes.
ou alnga-se os armazens que foram ocenpados
com a fabrica de sabo e destila?*) do Sr. coronel
Franca, na ra da praia de Sania Rita nova, os
qaaes offerfeem proporees para bem se montar
ijuaiqner fabrica de granJe estabeiecimento, com
a grande vaolagem para embarque e desembar-
que : a tratar com o cotnaHndudiT Two.______
CAL NOVA I LISBOA
Vende Joaquira Jos Ramos :
o. 8. andar
na ra da Crui
terwj i branc i e preta
DA
engarrafada por
Blondo Wolfe & C.V
espectalm n'e para o Brasil
NICOS AGENTES EM PERNAMBUCO.
/. Jefe rtes Sr C.
46. Ra do )i>mmftrc'o46.
Capellas brancas para meninas.
Grande sortimento de flores final.
Fil de seda preto.
PERFUMARA
Grande e constante sortimento de dita,
sempre melbor qualidade.
Lindos vasos com pos de arroz e pinsel
Caixinhas com ditos aromticos.
Bonitos e modernos pentes douradospa
ra circular o coque.
Bonitos brincos de plaqueo.
Aderemos e brincos de madrepero/
Caivetes finos para abrir latas.
Thesouras para frisar babadinhea.
Aspas para bailo.
Novos stereoscopos com 48 vistas, ai
quaes slo movidas por am machimim
ornas snbstituem as outras.
Vistas para stereoscopos.
Bonitas caixinhas de vidro enfeitadoa eo
pedras.
Ditas de madeira envernisada com viipo
ras e com dminos,
Bollas de borracha para brinqnedo d
crian?as.
Diversos objectos de porcelana, proprio
para enfeites de mesa e de lapinhas.
t
p
S

I
fl
N.3ARIJAD0GABVGAPIU
AfiOSTIMMA IUL\05
S-
c
1
0
00
Com este titulo acha-se aberto e inteiramente transformado este antlgo
estabeiecimento de joias, onde os freguezes e amigos encontrarlo todo quanto
a moda e o bom gosto tem inventado na arte de ourivesaria, o Collar de Ouro
observar delicadeza no trato e senciridade e modecidade nos precos.
Espera que o respeitavel publico venha ver o que existe de melbor em
aderecos de brilhantes, esmeraldas, robins e perolas, meios aderecos, pul-
ceiras, brincos, alfinetes e anneis de todas as qualidades, prata de lei faquei-
ros, colheres, palileiros salvas e outros muitos objecto3 que seria enfadonho
m mencionar.
Compra-se onro, prata, brilhantes e pedras finas, pormaior preco do
M qu em oatra qualquer parte, troca-se e concerta-so todo e qaalqaer objecto
pertencente a esta arte.
zmmmmmmmm^mu mmmmmmmmmmmmmmmw
A ARARA
f
ATTENCAO
Loareoco Pereira Mends Guimarles, participa a todos os seas devedore
tanto da praca como do mato, que estando I quidand suas casas commerciaes. o que
deve fazer at o h'm dn corrate anno, por ls-o rusa a todos os seas devedores a viren
saldar seus dbitos o mais breve possivel; ootro sim, declara aos seos devedore:', qae
os que nao estiverem na loja tem de pasar todos os seus dbitos, provando isto se fars
o batimento que f ir iiecisn para a liquidaclo de suas dividas, para isto poderlo di-
rigir-se roa da Imperatriz n. 72, loja da Arara.
Ao resto das pechinchas
Vende-se cortes de castores para calcas,
500 rs. Cortes de brins de cores a
Baratissimo.
Comprou-se grande qnantidade de lias com lis-
tas de seda fazenda de 900 ris, qae se vende por
Ul, para acabar : 1 j de Gaspar Antonio Vieira
Guimario, roa do Queimado n. I.
Parluha de mandlnea.
A bordo do brigae Jnna Virginia, fundeado
era frente ao trapiche Rarao d>> Livraraento, ven-
de-se superior farinha de mandioca, recem-chega-
da de Santa Catharina, em pnrcao e avarejo : a
tratar com Jos Victorino de Rezende 4 C, a roa
do Mrquez de 0inda n. 52. ^^^^^
canibr-aias fin'-sira s, fazenla que s-m th j eraba hid s, sjnli pr -prio para ho len-
se venido a 5000 e lijuida-s a 35jO a e sentirs felo baratissimo prego de 3^0 O
duzn por h Pavlo a ra da Imperatriz 0. 69. jratriz n. 60.
O Bazar do Pavao sito a raa da Imperatriz n. 60, esta* constantemente aberto
das & horas fh raantia as 9 da noute.
ATTENCAO
Em Olinda, roa dos Milagrea, taberna n. 1, ven-
de-se farinba de mandioca multo snperior em
sancos e a retalho por barato prego ; tambera tem
porejio da de S. Maihefr para aniraaes.
Venham, freguezes,
munir-se i roa Duque de Caxias (amiga-
mente ra das Gruzes), sobrado das pe-
Cas de artilberia n. 6.
Neste novo estabeiecimento encontraro os ama
dores de agua fresca e saborea 09 melhores ob
jeetos de barro, pois se acha prvido de todo o
*or imento eomo sejam : qnartinbas dos melborps
fabricantes de4a provincia, jarras, morinroes,
resfriadores, bdhas, garrafas p >li<1as e torneadas
todo do melhor barro e gosto; asim como jarras,
potes, qnartinbas, bilbas, jarros e vasos para fl >
re, e amitos outros objectos sem serem plidos,
todo de ntilitade 'ra as ca*as de familias
na roa
Vandam-ae calzas eom ceblas a 6
o Coi orate 14.
rs.
ldSUO; cortes de gangas para calcas a i<5,
cuites de casemiras preta para calcas a
35500, 40,80 6 6)000.
Girtes de ciiilas a 2:S0O.
Vende-se cortes de chitas para vestipesj
a 2 >80. Ditos de cassa para vestidos a
0500.
Peebin'ba a 40000.
Vende-se pegas de algodao a 40, 50, 60
e 70000.
Para liquidar a 30800.
Pec^de roadapoio com 12 jardas a
5300. Ditas de dito ora 24 jardas a 60,
60, 60800, 70, Si e 900 >0.
LIQUIDACO.
Pecas de algoua si-.no de listra proprio
para roupas de e-cravos c m 42 jardas a
ii(>50U e covado tOO rs. p ra liquidar.
Chitas escaras para vestidos a 280, 320
e 360 rs. o cova.10.
Para aeabar.
Vende-se pecas nas a 60, 0500 e 70000.
I' aito barat*.
Golarinhos de papel a 210 rs. a dazia.
Cartiaados para janellas a 80000.
Vende-se cortina os pra j aellas a 80
o par. Brim pardo liso para calca de ser-
cico a 800 rs o metro.
Cortes de percales a 60000.
Veode-se cortes de percales de daas
saias de bonitas barras a 60000.
C ibertas de chita.
Vende-se a 10500, ditas tina? a 21500,
ditas encamadas e adamascadas a 30500,
ditas forrada} 80000.
Gangas para caigas a 280 o covado.
Brim de listra ao lado para caigas a 400
re. o covado.
Lencos brancos a 20000 a dozia, para li-
quidar ; grande porgao de mantas para
qratatas a 200 rs. cada ama para liquidar.
Cassas francezas a 280 rs.
Vende-se cassas francezas para vestidos
a 28e 320 re. o covado.
' Organdys <16 cores para vestidos a 400
e 640 o covado
Alpacas de coras para vestidos a 800 o
0>O rs. o corado.
Laasinhas para vestidos a 330, 400 e 820
ra. o covaio.
BALES DE ARCOS A. 10000.
Ve' de-se balos de 18 a 30 arcos a 10
e 165 u cada um. Cortes de cassas em
papel a 2d80M cada um, para liquidar.
Bramante de linbo e aig >io cem 10 pal-
mos de largura o 10800 o metro,
fan o de linbo a 760.
Vende-se bramante de lOpalm s de lar-
gara proprn- para leoces a 20800 o metro.
Lcbcn de seda a 80" re.
Vende-se urna p a 800 rs. cada nm.
Guales de cassa a 10000.
Ven<1e-8e urna graDhe porcao de chales
de cassa a 10000 cada um, para liquidar.
Fustao a 360 rs.
Vende-se fosiio de corea para rostidos
a 360 rs. o ovado.
Algodao tnf atado a 900 re.
Vendi-se algodSo enfestado para lences
e toalbas a 900 rs. o metro, dito transa-
do a 10200 o ai tro.
Chales de mcrin estampados a 20600.
Vende se cuales de merm estampados
com barras a id, 20500 e 34 para acabar
Gran le porgao d> retamos.
Vende-se grmde porgaa de re/alhos da
cassas e chitas a 240 rs. o covado.
A Testa est na porta
Roapa fe Por preciado razoavel
Todos se enrom.arao.
x A SABER
Liquidieii de raspa Mta,
Vende-se pal itots de oriasiinf
proprio para andar em casa a 10500 ; di-
tos de ganga a 20000 ; ditos de meta ca-
semira a 3j000 ; ditos de alpaca de cor
a 30500 e 40'tiO; ditos de panno fino
pre o i 60, 80 e 10W00 ; ditos de case-
miras de jores, a 60 e 80 M); coiletea
de casaiaetas de enres, a 10500 ; ditos de
bros de qoadriohos a 10O'iO; d "f"*
semiras de cores, a W-M0.M* *ij
Calcas zoes p.ra fvos T ".' jS.
de aigodosinho de lwra a 8.10"f
de brim par lo a I0MO.JMg :.dl:
tas de dito branco d. tobe a^3*500 e 40 ,
diu* de casemiraa de cores a 5^6* *
e80.oo; caaaisasde m a *,-
opre
de musu ina a 10600 re.
de Itabo
vico oor ser azndi rie
0 proprietario da loja denomina* Arara, <^ ^P^S W-a
seus fre^nezes qae est coocloindo ana liqdilacao, por ; qoeca q* i-oeMtrw 1
boas Tazendas por ponec-taheiro teoha ahondadedo rigir-w roa da bnperatrii ,
72, desde as 6 horas da machia as 9 da coate.
{
/

!
^
v


Diario de Pernambuco Sabbado 26 de Noven.br Ue 1870.
v.
M I -,
-
AO ARMAZEM
Canlria de Lisboa.
trmore.
^M armare de dtfferentes grossuras.
ios de maraMr de dlffereotes cores e lamanhos.
Dloi de pedra de Artsam. pretos e brancos.
Turnlos de pedra fina de diferentes tamanhos.
Pedras para lavatorios.
Tboas de louza.
Pias de loDza para cosinha.
=
ir ,
DO
i
n
VAPOR FRANCEZ
. I, MU 1H, 7
faCmrai^ohC'01'S,tal)eleciraen,0 8cha-se wn^ntomente bem sonido, em virtode das
^^^^?%!& fraDC"es> dos arUgosabaixo menciona-
AIi%!VIIO FRWIEX
Botiuas para cutieras e meninas.
tn d mn,*0in preUs' braQi;as e de ?,ailas 0u,l'as cres'80rtidas e ailas, do ultimo eos-
to da moda, e a pi ecos mais baratas do quo era outras partes. .
Botinas para borneas e meninos.
Bolinas de bizarra, cordavo, lastro e pellica, das melhores fabrieas e escolhidas.
Botas e pernelras rnssanas.
tro e huero ''erQOiras par* maDtaria> da melhores qualidades, de cooro da Russia, lus-
Hapatos de borracha para horneas e senhoras
...t? Sh;3lP.dj 8r?,n,Je Pr& Je sapatos de borracha vende-se pelo custo'aflm Pde
desempatar o dinheiro nelles empregado, sao baratsimos. 6
* )patos de lustro para bonicas.
^Sapatos de futrada baixa de couro de lustro com salto, de muito boa qualidade
Abocinados para meninos e meninas
nr. B^-tn2'08 abolmados d difTerentes modelos, de muito boas qualidades e fortes, tanto
par* meamos como para meninas, muito baratos.
Sapatos de tpete.
PERFUMARAS
triM S'tfif* fix,|ract03' baDhas> oleos. aua d eologne, florida, divina, Uvande, den-
X^m .^6 ^ I**006"*- tm,ura P?ra calilos, pomada angroise para bigodes, pos de
arroa etc., ludo 1*0 deprimeira qualidade, dos afamados fabricantes, Cobdray, Piver e Lubin.
Quinquilharias
**- ''uvas *e P*!He* d0 conbecido fabricante Jouvin, espelhos para sallas, quartos e ga-
^^1 fle?,T?*P"*oa, 'eqnes para senhoras epara meninas ab ido?es
talnvaa, brincos, pulceiras, botoes, correntes e chaves de relegios e tranceln tudj de
Sto COr^eteS e bIM de pla*u> a ^-"S50 e de raais losto do que as de ouro
??A?'*a*tT nei(t,enl'' naniecidas e ornadas com lindas pesaas de musicaTalbuns
vp? dS!?dof paf.a ?,U5 caisinha3 com vdro de augmento para dlstincumente
ae seaa, ae veHu.lo e de vuncs para braco de meninas e sen horas, ditas Dar costuras n-
2??^h?g,?,r0S mT fiS e de.1C8d0!'' b0B('wto de flores de Palana fardos propriw
KaTuadr*5 ^run^ZsTlT P^1 P?" -86 v.stas, moldurad S
para quaoros, pampas hs de paysacens, cidades, figuras e de santos vidros nara eos.
%SZS?,??,ii\Mstsio Viagens> poras cocotes, bengalas, oculos, lunetas ou
EESEi praU doura?8 ravatas Pre^s e de cores, ahotoadurs! de collete e derantaoL
cartemnhas para notas, thesounnhas e caivetes finos, pentes, escovas! ponteiras de rama*
para charutos e para cigarros, Jo2os de domin, rodeas, bagatelas e oitro? SSerente ^ ve-
caT^eHTf Z't0 rVeDfnte P!,ra Port^ejanellas. cosmorama? SSStmS.
I as as ?sa dVpr^KSi ;s=e
*enWo,Pe^^^ da nidadeda
ATTENCAO
riflMni.d^M dc9^ ^tabe,dcillle"'o pede ao pubTice era geral que contiDae a
SSfde^n^ril.88 PrC?8 baratS de dH0S bj&S Serem St
visita-la
em di-
ATTENCAO
MO DE OURO
5^
Jos Jonaim da Costa Maia, teta venda oo-seu a:mazem, sito no largo do
relourinho d. 5, os objectos seguintes, e que vende por presos mais commodos -joe m outra quaquer parte : "
Oleo de .inhaga.
Cooro de ustro.
Saceos de estopa.
Estopa em pega.
Vinho Bordeaux em caixas.
Feltro em pe/4-a para forrar embarcacSes.
Encerados. .
Telhas de ferro galvanizado, da differeutes tamanhos, para cobrir casas
Ferro iiao galwmsado para forrar emoarcacoes.
rregos galvaosados.
Nova loja de joias
RA DO CABGA' N.9 A.
DE >;*
Manoel da Cnnha Saldanha & C.
Acaba dei afcri-se este estabelecimento de joias, o qual tem grande scrli- $
p v6git0 de loda6 JWM-* uUimo oslo, as ^uaee verter o mais barato pos- H
Todas as jotas serioarantida* .ouro de le, pois os seus donos teodo era :
vista so adquirr fregueata nao olvidar3o. veader bom e por procos os mais
, razoavea possivs.
fe tsWt?*1"86 PDbIC0 a V'r a eSt e8UWecimeot9' cert0 <* l^e ficar
aaraft^rr.^vr.^^ M0 M ^ROSA DO aBCA N. 9 A
M Af A AI CJUHBlaiUMi BRA WCOS
tida pJ. -Jf^06" f*" "^ 0SJ Mballos da cai)ea e da barba'oi a n*ca admit
?fKS J-Wrfl/' Pr ^ s'do reeonbecida superior as todas as prepararoes
ate boje ententes, sem alterar a saade. Vende-se a i#000 cada frasco na
Ruada Cadeia a. 51 randar.
Ra da Imperatriz n. 2
A. esie novo e omptnoso e&labelecitoenlo de azendas acaba'de cbfpar di-eca-
mentla -Europa.o mais expleodidc sorimento de fazendas propnas para a f-sta, tanto
para ncmen?, -orno par3 senhoras; descrever e espetilicar o qoe de moderno e de-mais
parado gnsto neile e encontra seria impos'ive; mas para-que .e posea fazer urna
apr ximada i le, mencionaremos com especlali lade :
Ricos cortes do vest los para casamento, ebegado no oltimo va.or.
iios citos de ditos de seda deseuhos ioteirameoie novos.
unos d tos de ditrs do 13a erm barras, fazeuda iDteiramente nova.
Vesiidos de cambraia para bapiisado.
Po, chnas d^ seda dos gostos mais modernos, variado lorliauol') de caatraia*e
cassas ae cores, lindse modernos deseuhos.
Sedas lisas, lavradas, prelas e de cores.
Cretone para vestidos, moderous g' sus.
Alpacas de eres, iropossivcl des^eera variedade degosios e p?dioes
Cbuas finas, Caras, escaras, pretas, iodescriptivel o vanadssimo anrtiao^.
vd i l(,QiS S$ qu3|ldades' cores e lamanho6. ^tre os qoacs uns sau ioteiamente-
Saias b pdatfis pura senhoras, grande quan lade de gostos.
Camisiuhas bordadas para senhoras muito mo lerdas, grande variedade.
Entremeios e tiras bordadas em todas as argora.-.
Camisas iara bomem, bordadas, lisas, e collerinbos. completo soitimento,
Lencr.s de cambraia bordados, lisos e de barras.
Chzpos de velludo, palba,"merin, feliro, o que ha de mais moderno e lioditsvn s
Cortina.ios bordados, e ricas colchas de seda, e de crochet.
Baregf s de phantasia, fazeoda propria para baile.
Tarlatanas decores con^ palmas lindissimos gos'os.
Bomas de cores para senhoras.
Gravatns ira bomem, gande sortimento em feitios e cores.
Bretanha, esguio e bramante de todas as larguras. '
Laazinbas de modernos padroe? e iodos gostos.
Metim da India fazeuda inteiramente nova para vestidosede lindo effeito.
Finalmente reane este estabelecimento tudo que de melhor e m^is moderno se pode
encontrar em fazendas como em perfumarlas Anas, das quaes tem um comp'eto sor-
timento.
AOS CA VALfEIROS
Offerece ignaln:ente a vantagem deencontrarem neste estabelecimeuto:
Pannos finos, pretos e de cores.
Casemiras preta3 finas, e ricos gorgorees para collete.
Ditas de cores, de quadros,-lisos e de lislras, completo sertimentn.
Brins brancos de linbo de todas as qualidades.
Ditos de cores, lisos e trancados, grane sortimento.
m b;;bil artista para cortar e dirigir qoalqoer obra, que s se entrega a contnto
Urna modula igoalmente eccapada nos trabnlhos do PAVILFIO DA AURORA di-
rige os que lhe s5o concernentes, apromptando a capricho qualquer TOILET, rnt;n-
dc-se a mais completa perfeic3o nos seus trabalhos.
Em resumo concluimos
Por chamar attencao do respeitavel publico para o nosso estabelecimento, que aim
TiuDMTnl que ?e p0de HMtNlODE KUPA FE1TA. para homens e meniaos. Mandara se as fazendas em
casa das Exmas. familias, e dam-se amostras.
Um completo sorlimento de esleirs da India, por menos preco que em outra q^al-
quer parle. ^
Aberta das 6 horas da maoha s 9 horas da noute.
ATTENGAG
Chocelae nacional.
Duas medalbas de prata e.ama menc5o ho-
norfica, i
Jvilla Trnro & C,
llua nova de Santa Rita u. 49.
Existem poneos alimentos simples e substan-'
ciaes como o chocolate, estimulando suavemente
os ervos, da ao corpo o mais puro elemento de
nuincao, e ao mesrao tempo fortifica os oreaos di-
gestivo. Todos os mdicos sao unnimes re- I
commendar este alimento como o mais proprio e
Std Pa" 3S PeSSOa< de C0D)P,esa fra ,
8
P.lll i A FfiSTA
NA LOJA
liE
Vende-se
Pnmeira qualidade 1|2 kil. 800 rs.
Homeopatha | kil. 1JOOO
He-panhol i\l kil. 800 rs.
Vanoille i|3 kil. tJOOO.
At meia arroba far-se-ha abatimento de 10 OO
e de arroba para cima JO OjO ^
Caf muido a' vapor
garantido sera mistura a 800 rs. o kil., em maior
quantidide tera abatimento de i2 OO
n.IaimHbem.hVacotes de'I2 kiL empacotadoem
papel de estanto para se, conservar seropre frese
Paulo Guiroraes
Palitots de brtrn branco bluzas, de
, 3 4. 5, e 6#000.
Ditos de alpaca branca de 3, a 4*.
Ditos de dita de cor, de 3 a 3*500.
Calsas brancas de briin, de 2 a 8*.
Golletes brancos, de 2 a 3*500.
Grande sorlimento de calsas de casimi-
ra preta e de cor, palitots de casimira
de todas as cres, obras todas .cortadas
por um perito mestre.
Na mesma loja se manda fazer obras
por medida e por menos 20 per cento
I que em airo qualqner eUbeteciraento, j
pois para isso acham-se munidos d'um j
perito mestre e offlciaes.
A RA DA IMPERATRIZ N. 48.
Junto a padaria franceza.
Vinho Xerez
2T2'i", q*alida1e',era aiXi3 TCnde-se em
casa de T. Jeffenes & C.
Anda existem venda algumas flltradeiras
propnas para purificar agua, as qnaes evitam o
cholera, febre amarella e ontras molestias : ven-
de-se na roa do Commercio n. 38. >a mesma
casa vende-se um relwgio de ouro inglez ebrono-
metro.
Vende-se o estabelecinienlo de molhados sito
a roa Direita n. 99.
6.
LISTA GERAL
171.
a
DOS PREMiOS DA V. PARTE DAS LOTERAS CONCEDIDA POR LE PROVINCIAL N. 940, A BENEFICIO DA NOVA ,GREJA DE N03SA SENHORA DA PENHA DESTA QDADE,
EXTRAHIDA EM 25 DE NOVEMBRO DE 1870.
A'S. PREJIS.
I /
* -
I'
i
7
53
24
28
36
37
38
39
49
31
54
55
58

C9
V>
74
*
91
93
95
102
U
17
14
.10
17
18
X)
34
1
3
U
M
ft
1%

m
200
1
#
13
6i
40*
6*
AS. PREMS.
230
32
35
36
42
46
52
57
60
62
71
73
76
"77
84
83
91
96
304
13
15
16
27
52
58
2
63
66
69
70
71
87
3
90
410
13
21
14'
26
28
83
36
41
.43
48
47
4J
6*
10*
6*
10*
6*
10*
U
AS. PREMS.
452
60
61
72
74
77
79
80
6*
200*
6*
A'S. PREMS.
640
43
46
72
76
77
87
94
98
6*
10*
6*
20*
6*
NS. PREMS.

90 99
93 20* 704
- 95 6* 9
96 12
99 16
504 19
21 33
27 39
38 46
32 49
36 50
38 1
46 W
51 _ 67
56 63
57 66
61 _ 68 4
63 . 84
4 96
67 94 -
71 m 96
73 10* 800 -
77 6* 6 -
79 9m 8
8i 13 m
81 14
93 16 -
96 19 _
97 32
98 33 ~
08 X
10 37
15 41
13 M> 48
M . M
18 mm .m
f?\ .a -
38 O 40*
881
83
94
97
901
3
6
9
13
15
16
22
19
30
32
33
36
38
46
49
51
66
68
63
71
1015
16
<7
18
20
27
81
40
41
14
46
33
3f
66
m
71
n
n
76
6*
NS. PREMS.
6*
1089
90
96
97
1101 -
3
5
7 -
19
23
28
33
69 5;000*
57 10*
10*
6*

63
65
66
78
87
1200
3
14
17
22
26
19
38
48
44
49
64
66
6
7
77
n
91
92
98
6*
AS. PREMS.
_

_ 86 _
r wv
' 1880
12 M
-* 12 *
1 . J* *""
1334
41
45
33
34
65
57
60
63
63
67
74
76
77
81
92
94
1405
9
10
18
14
16
20
12
14
88
M
'63
36
37
58
64
66
\
79
84
86
86
90
#1
.1900
6*
M*
6*
400*
6*
10*
6*
.
'
A'S. PREMS.
1316 6*
17 100*
18 6*
24 a~
31 *
84 -
41
44 -
15
56
70
74
90
1603
9
38
33
34
99
40
47
49
m
n
67
70
71
73
n.
81
1
8 '
90
92
1766
:ir'
18
18
33
38
SI
n
"jo
W
NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. 1 NS. PREMS.
NS. PREMS. NS. PREMS. I NS. PREMS. NS. PREMS.




^M
8
Diario de Pernanibuco Sabba lo 26 de NovembO de 1870
4y-
__
UPTERATURA,
*
DI.DD DO BKNTI
Mayne Red
"(ContioaacJo)
Apezar de nSo se instaurar procedo
iiem por isso o fado adquir.) menos r-.Mi-
cidade. Dopgi Ditk leve a pruden a no
'S} tos que levara e com os quacs a fa:i. Iw
Harding i juig >u sufficienlemente eastiga' >.
O amo d'elle que sin leve remedio s r.n
expulsadlo do sen servico. o que den resultado tornarse Doggt Dick dentro < n
pouco o Mita babil carador furtivo do que
bavia memoria. Mis ficaram-lhe por l;d
m ido gravadas na memoria as bastonadas
que levara i sardina, que cm todos os en-
coatros que leve com os guardas di casa
se mo>trou seu raivoso adversario, al
que, n-'uma escaramuca, ferio mortalmcnte
um guarda-caca do general.
Para escapar violante acgSo da justica
leve de ngir. Sjube-se que passra ein
Bolonha e depois em Marselha, oml- >
aggregou urna sociedade de Ingleses, que
neg iavam en rava los para a Italii, ?m-
bando- pr:vav>>lni>ntB de se disfarcar de
iod' n'alg m ran'odVssa trra classica, en
to dividida em pequeos estados, nos quaes
a aeco da justica se resenta da guerra civil
que O minava.
III
O TIRO DE FLECHA.
Sao decorridos tres annos. Os don> ir-
mitos, fondo concluido seas esludos, l ahi-
lan a casapaterna; acham-se ambos na
:uade adolescente. N^ei deslingne-se pela
egulari lade do seu comportamento.estncta
efiODOmia e dedicaco as letras. O carcter
de H-inrique mi ifesta-so sob diverso as-
pecto : mostra repugnancia pelos livros e
tespreso pela economa.
Nigel era dominado por instrumentos de
astucia e egosmo, ao passo que Hen iqiif,
rtetoralmeote generoso, d-uxava-se arreba-
tar ineons doradamente polas paixoes que o
tempo so linha de amortecer.
E o general, postoque, c mo Jacob, sen
ssh urna certa predile-cco pelo ilho mato
novo, nao poda deixar de viver descontante
pelas ms inclinaces que Ihe notava, o, ao
conlrario, plenamente satisfeto com a con-
ducta do Mata velbo.
Quando rabos anda frequentavam as
ralas, a satisfacii dos trumphos escolsti-
cos obtidos por N-gel nao chegava a cora
pensar o pai ds innmeras picardas de
que Henrique era o bere. Deve, comtndo
izei-se quo aquello nao se descutdava
de fater o panegrico dassuas proprias vir-
:ude, denunciando ao mesmo lempo a-
altas do irmo. Henrique escreva poucas
vezes, e essa para pedir dinbeiro.
O velbo soldado, generoso at a impru-
dencia, nao Ibe recusava qualquer sub-
sidio.
Terminados os estados, achavam-se os
mancebos no goso d'esse periodo de des-
canco, durante o qual a chrjsalida escolar
ae transforma era borboleta e fortifica as
zas para dirigir o vo pelo mando.
-Se acaso entre os irmos restava anda a
."bbtranca do alguma antiga offensa, pelo
rueos nao se manifestava, e pareciam exDe
rimentar um pelo outro franca amisade
fraternal. Cli^gou, porm, o da em que
um senlimento novo fez rebentar a anitnad-
>ers5o que jazia latente naquelles dous co
r'jea.
Este senlimento. sob a influencia do qual
tongo-de constituir o alvo da vida, o fia-
g lio do I
A' u,i i de sabir da diffi-
cuidado resoltante de deas opinies rao op-
postas doptar-o ojeo/ termo e dividir a
grande familia femimia era dous grupos:
um compislo i\ raulbcres que fazem a
falicidade dos humen*, outro das que as-
ceram pira ou tormento.
CtisU-me#sinceramer*e ter de incluir no
seguid > g opi) lk-lla Mainwaring, porquanlo
i soa formoatir14lw dava direito a entrar
no primeiro ; mas, porexperiencia propria,
sou rrcadu a clasilia-ia assim, e, se n3o
(orino descube. 11 :i lempo a sua deslealdade,
liria sido mas lado pelo; encantos da-ap-
pivnc'-a. v
Fui em um bie >]u-! o caso se deu.
Boa adora va dan;i rom; todas as mu-
Iberia do grande lora.
Cmvidado pr um civaiheiro, fui pilo
mesmo apreseniado aquella deidade, e por
um equivoco, devido a defeitode pronuncia
delle, liq tei ti lo por B lia com titular. Por
aso lamoem Ihe merec a deslncr;ade dan-
car commigo repet las vezes, e senlia-me
lsongjadj e feliz, fazendo a corte primei-
ra fo.mosura do -rao. Clieguei mesmo a
suppr que, litaba encontrado o mais agrada-
vei par, niio s para aquella noute, como
ara o resto da camba vida. N5o cabia oui
mim do orguiho vi-ndo acercaren)-se de ni
o.s danzantes despeina 'os, que censurav^m
o meu pronunciado a-lolumieulo peante to
admirada criatura
ur ju a tllus i at hora avancada do bai-
le CiiCjra eo ao auge da alegra : forco-
so ora desear na eaeafla inversa. Acabava
de dancar urna walsa rom Miss B-lla e
acompanliei a junto de tima senliora de ap
paral .so a pjelo, qual aquella me apre-
aentou orno suamai. Niufiquei lisongea-
do om a recepcao e a' me retirei dalli
pouco sali.l'.'ilo da s:n pouca delicadeza
pttra Commigo. Miss Maiowaring promet-
t -u-me dancar commigo anda orna vez. e,
como nao encontrarse distrace^o longe del-
la.cm breve regresse; ao meu lugar e sen-
ci me n'oraa cadeira air r. do sopb oceu-
pado pelas damas ftlainwaring. Vi que con-
feenciavam arrrtiadaujenie, o por issome
ab-tive de int rvir n' conversa ; mis per-
cebt'iido que s^ lailn no meu nome, nao
pude d-ixiir de prestar attencSo :
Um conde Jdizia a mEsts re-
dondamente engaada.
Porm, minlu m. saiba que o Sr.
Sotiiliwcli m'o apresentou sob este titulo,
e realmente as suas maneiras s5o de fi-
dalgo.
O Sr. Sratbwfcq tolo; ladyC.
infonnoii-me a scu respeilo e disse-me que
um simples capitSo,
Sertamento .'redarguio a ilba, des
peitada.
E la vacs compromctler-te com elle
para nova danca* qtfando lord Poltover j
por ditas vezes quasi so me laneou aos ps
para o ter de ti que dances com elle.
E que het de fnzer agora ?
Dizer-llie que nao te lembravas que
j esta vas comproraettida antecipadamente
coto lord Poltover.
Pois sim, mama, mas para contra-
riar um tal qui pro qu.
A conversa eessu e eo ia retirarme,
quando ellas olharam [>3ra mim. Eolio
n5o pude deixar de Ibes dizer o seguinte:
Ser-m^-bia penoso, minba senliora,
nbriga- a a faltar um compromisso e for-
car lord Poltover a laticar-se de joelbos:
pivfiro por isso liberta-la de urna promessa
f'ita om indigno capilao.
E, dirigii)do-!he um respeitoso compri-
ment, tratei de me distrabir, danzando
se dgna-
ram areilar as minbas bomenagens. Feliz-
mente, antes do findar o baile, ainda encon-
trei quem me flzesse esquecer a mtnha
infelicidade.
Tenho dep is d'isso encontrado Miss Bel-
la Mainwaring, qual n3o dirijo mais do
que a linguagem tacita de um olbar, que,
ainda assim. do incontestavel eloqoencia.
V
i amisade, ainda a mais profunda, se trans- j depois com todas as forana que
forma s wzes m odio, era o amor.
Nigel e H.niique apaixonaram-se pela
mesma mulher.
Miss Bella Mainwaring era doptada de
ima formosura e elegancia capaz de trans-
:ornar caberas muito mais prudentes do
me as dos nossos dous estudantes.
Cmtava tila alguns annos mais do que
ellos, mas, se no eslava na idade em qu
a formosura attinge o apogeo do vico, esti-
va, ao menos, no periodo da vida em que
as grabas da muiher se osientam mais ex-
pendidas.
Para nao desdizer, pois, do concito do
jome do baplismo, de que ella se uanava,
ira I'hU como a bella das mais bellas do
condado do Bucks.
Sen pai, coronel ao servico da Gompitihia
das ludias, morreu no Pundjab. Mmos
feliz que o gene al Harding, nao teixou
viuva mais do que o estrictamente preci-
so para a acquisifo de urna modesta casa
de campo situada nao longe do parque de
Beecliwod.
E, com respeito qualquer intencio ma
rimoni.il. nao bavia por al i objeclo con ii
_'no, nao ser Bella Mainwaring, por quera
effeciivamenle ambos se apaixonaram, pelo
motivo della corresponder aos seus olnares
com aquella tocante reciprocidad, mut3S
\ezes lba apenas do galanteio.
Aconle'-ea que esl< paixao se manifes-
v.u em ambos no mesmo dia e i mesma
bofa, n'uma fesla de exercicio de flecha da 1a
pelo general, e qua concurreram, p r con-
vite, wss Mainwaring e sua mi. A di'in-
dade insidiosa que preside festas d^su
ordem ferio com orna de suas perniciosas
ellas o corceo dos dous filbos de H >rding.
Mas a seusacao da ferida mamfestou-se sob
diverso aspecto nos dous mancebos. Henri-
que fui todo assiduidade e altences junto
de Bella, ora iodo buscar-lbe a sella e apre-
sentando-lne o kco, ora resguardando-a do
sol com o seu chapeo.
Inver-amente; Nigle cooservoa-se de lar
go, affectmdo completa indifereoca. Fez
por despertar o ciume de Bella, dirigindo-s-
i oulras mulberes; empregoo outros ardis
i ropr os do seu espirito calculista, e, no
tueio de ludo, soube oceultar aos circoms-
tantes o deseavolvimento da sua paixo.
Henrique foi menos feliz : ainda a festa
u5o terminara e j todos tinham a certeza
de que ama setu acertara no alvoo cora-
:3o de Henrique Harding.
IV
A MULHER DO TOM.
Tenho-me por vezes questtonado nos se-
guales termos:
O qae seria o mando sem a nra'ber f
Ha duas tbeorias prooostas completamen-
te destnelas. Segundo ama, a mulher o
nico m da oossa existencia; por ella <
para ella sao os nossos trabamos e vigilias,
as nossas latas e escriptos, a noss* eloqoen-
cia e esforces. A' nao ser a mulher. nada
fariamos, por isso que nos fsftava o objecio
de nossaa aspirac- s. E seria sappoKave<
a existencia sem incentivo que a conozisse
om determinado objecto?
Segundo a ootra iheona, a mulher, bem
pira fura de agua, e o phaeton foi pacha-
do para a ribanceira com grande e agrada-
vel sorpr./.a, princplmente das4uis se-
nboras.
Quando delxaram o logar do sinistro,
cada qual ia convencido de que em brevo
Mis* Bella Mainwaring trocara o seu ap-
pellido pelo do [oven Henrique harding.
VI
Tt'nVA-SE O HORISONTK
BeeciiWood Park era urna residencia con-
forlavel sob todos 03 pontos di vista,
porm. fltava all a completa, tranquildade
de espiri o a que aspirara o seo proprieta
rio. retirando so do servigo militar.
Oque occa^inav fsto era o proceder
dos fllho-. Na sui presenca os dous rm3os
traa vara se com urna alTabilidade estudada,
porm. o pai tirtoa razoes para sosteilar a
existencia de orna inimizado latente Ain-
da em lempos do collegio, H-nrique gra
i;as sua indJe gene osa, leria esquecido
toda o resenlimeuto que traba do irmo,
se elle bouvesse feito ao meos melada do
cam.nlio para a reconciliaco, mas era isso
mesmo que Nigel nlo faza. Aciualmerite
separados pelo amor da Bella, convertera-
se a. antipatnia em ioiraizade declarada.
S t rde o general se apercebeu da nu-
vem que escorcen a sua tranquillidade do-
mestica. Julgra que seus ullios, como a
mator parte dos mancebos da sin classe,
queretiam ver alg.ima cousa do mundo an-
tes de se prenderen) pelo mitrmonio ;
por isso o que nos piimeiros lem^o o alli -
gia era a idea do que H;nrique se exceda
om pouco nos seus hbitos de extravagan-
cia, deplorando ao mesmo tempo que Ni'el
fosse quem s vezes Ibe f>>za sentir isso
mesmo, denunciando as (illas du irm3o
sob cores demasiado carregadas.
O general comepon por dirigir Jljnri-
[qae fraterijaes conseibos o depois acres
censura?. Tudo foi baldado. Cliegcu a
cousa a termos do veterano se exasperar
devras, ebegando a dar idea de qoerer
desherdar o li.ho.
E'tavara as rebaes entre os m^mbros
da familia Harding n'esles lermos. quando
general foi informado da pafxo de Hen-
fique por Miss Mainwaring, sem com indo,
a do Nigel liie ebegar ao seu ceobecimenio,
porque tambera era geralmente ignorada.
O incidente da cacada, hsongsiando om
pouco o general pela prova de valor dada
publicamente por seu ilho. foi o ponto da
partida das suas conje?turas corroboradas
por subsequeetes inforswces. Ora- o ge-
neral Uvera intimidade com a familia
Mainwaring na hidia, esan 10 por isso ao
facto dos precedentes da- m3i de Belte, e,
com quanto depois que etias vollaram
Inglaterra poucas vezes as visse, todava,
pelas ieformaces obtdas, ebegoo con-
cluso de applicar o ditado : tal mai, tal
lba. Vendo a impossibilidade de a accei-
tar por ora, tratou desde lego de conja^
rar o perigo.
Hecasaria a seu fllho a permissao para o
casamunto ? Prohibir-lhe'bia desde j as
visitas a casa de Bella ? Dirigir-se bia k
viuva. solicitando a sua nteivento para
cortar taes relaedes, ou solicitara mesmo
da lha o sacrificio de renunciar a ellas ?
Nao era provavel que qualquer d'estes
alvitres prodozisse completo effeito. Bem
poda Mies Bella nao 6 receber em easa, mas
nao faltavam occasies de Ihe apparecer
em lodo o esplendor da sua seductora bel-
lezi : taes como na igreja, tna caca, no
baile e a qualquer h ra do dia no verde
jantes prados que circotndavam Beeehwood
Park.
O veterano era hornera de tacto para que
se expozesse a nm cheque que bumilbasse
o seu carcter e autoridade paternal. Ur-
ga langar mi de um nieio ; mas, para
que se nao cegasse com a indignacao que
j o oceupava, deixou passar as prime ras
impresses pjra depois proceder com se-
gtiranca.
vn
DIPLOMACIA FEMLNINA
ANDA EXILIA 0 MAIS FORTE
Mais felizes teriam sido os irmos Har-
ding. se na sua primeira lide amorosa
liuvessem receido urna deccpgSo igual
minha. Mas, ao conlrario, ambos clles
foram mais no menos correspondidos as
suas homenogecs perante Bella Mainwaring,
amda que aprescnlarfas de modo diverso.
H ririquu que quera vencer de assalto o
coraco do Bella e Nigel sitiava a prara
lentamente. O primeiro amava com o ar
d r do ico, o segundo com a simulada
mdifferenca do tigre. E ella bem o com-
pretender ; mas, accedendo s insina-
roes de 3ua mi, resolver nao optar por
nenhum, e assira distribua igualmente as
>uas amabilida es, sem que ninguem po-
desse dizer precisamente qual era o pre
ferido. Chegou, p rra, um dia em que
o desuno, n'um incidente occasionado na
caca, pareceu determinar a favor de Hen-
rique o direio m3o de Bella, palo prin-
cipio de que a unis forraosa deve pertea-
cer ao mais valente.
Tinha-se ido a urna cacada aos veatjos e
prestes ia dar-se o grito do ataquo junio
de urna laga situada n'uma vasta planicie
dos montes Chiltren. O veado, quando se
sentio perseguido, saltn fura da sarca c
coi reu pela margem da laga antes' das
carruaguns terem formado a linha de ata-
que. O pbaeton em que se acbavam Miss
Bella Mainwaring sua mi eslava mesmo
na orla da laga. e o vead, ao passar,
tocou com os galbos no nariz do poney e
mergulhou na agua : o cavallo, furioso,
poz-se as patas e procipilou-se na agua,
arrastando o phaeton e parando s quando
a agua chegava aos ps das duas seoboras;
mas no mesmo momento o veado, batido
do outro lado, volta-se e vem de encontr
ao pbaeton. O poney fraquejou de pernas,
e o coebeiro, sacudido da almofada pelas
pjntas do veado. precipttou-se de cabeca
abaixo na laga.
A sitaacao das duas senhoras era das
mais criticas. Nigel estava mu prximo
do sinistro e conservava se perplexo, sem
dar indicios de acudir, quando Henrique
apparecea, e, avallando de golpe de vista
o perigo que eslava nomnente, enterrou
as esporas na barriga do cava'lo, metteu-se
i agaa, collocoo-se ao lado do pbaeton, e,
saltando fra da sella, agarrou o veado
pelas ponas.
A lta que se seguio poderia ser fata-
liesima para o mancebo, se om monteiro,
eoirando resollamnte na agua, nlocra
faces
de matto as guellas do
v sse urna
reado.
O poney, iigoiramento ferido, levantou-
He ; o coebeiro Urou-se mejj asphtxtado
A cagada aos veados om que Henrique
pralicou um acto heroico foi a ultima d'a-
quella estaco. A primavera cobrio u con-
dado de Bucks do seu manto de verdura
constella 10 de flores. A codorniz depeni-
cava as cearas de trigo ; o cuco fazia re-
percutir o seo canto melanclico na am-
piidSo dos bosques, animados, ao caair da
tarde, pelos mel liosos Ganticosdorbuxi
nol. Era o mez de majo, quadra maravi-
Ibosa, na qual a natureza inteira parece
sentir a necessidade de amar, quando os
mais intraiaveis habitantes dos ares e os
mais tmida animaes da Ierra, impelidos
pelos proprios instinclos, procurara as es-
pessas brenhas para ahi se eniregarem aos
doces enlevos que as outras estaces Ihe
s3o vedados. Nao se sabe ao certo se a
especie humana est rigorosamente sobordi
nada mesma influencia. Talvez obomem
primitivo a experimentasse e obedecesse
lambem aos impulsos da natureza, mas o
que i facto que, qoalquer que seja a
poca do anno em qae germine o amor
em dous jovens coraces, inqaestiona-
velmente a primavera a quadra que a na-
tureza designou para a sua mataridade.
Assim succedeu com Henrique Harding,
que, chegado aquella pocha, resolveu.de-
clarar-se abenameote sobre as suas int-n-
coes amorosas. Com respeito aos senti
meatos de Bella Mainwaring para com elle
vamos saber a verdade. oovindo o dialog <
entre a mai e a lha hora do almoco.
Proounciira-se o nome de Henrique Har-
ding.
Ent3o queras casar com elle f per-
guntava a mi.
S m, mam, com a sua permisso.
E a vootade d'elle ?
Bella sollou ama risada eproseguio :
A vontade d'elle -me conhecida.
Entlo j t'a declaroa de viva vos 1
Precisamente nao, porm a mam
quer saber ludo antes de dar o sea coa-
sentimento... Pois lado Ihe digo ; se me
aio engao as datas, creio que ser boje
o dia d'elle se declarar.
E como sabes isso I
Muito fcilmente : mandou-me dizer
que tinba coosas serias a trata comigo e
pedio-me licenca para vir fallar-me depois
do meio dia. O que lera a dizer-me seno
qoe me ama e ser feliz obiendo a minha
ra3o ?
A m5i nlo responden, o a fllha com sor-
preta, nao vir no rosto d'ella a expresso
com qae contava.
Espero, qaerda mam, qae seja do
sen agrado um genro como Henrique.
Querida fllha. responden a fiara
com o sen tom crcomspecto panicalar a
so* nacionalidade escocezaisso negocio
gnre, "1'"
bes os mingoados recursos qoe tea pobre
pai nos legou.
De certo que sei, e a isso e devido
o ter eu de virar algunas vezes os meas
vestidos para me apreseoiar conveniente-
mente : mas ama raxo para desposar Hen
rique, qae me evitar esses desgostos.
Quem sabe I
A mam sabe alguma cousa, qae me
oceulta, seo respeito.
N5o sai nada, infelizmente.
Porm, seu pai rico c tem apenas
dous filbos, que, segundo a mam me
disse, devem herdar igualmente, e cu con-
tentar -me-hia com essa parte.
Tambera eu, mss a diflcutdade a
certeza d'isso.
Enlo parece Ihe que nao (leva casar
com Henrique ?
De certo, mas sim com Nigel.
Porque ?
Porque coDheco o carcter do gene-
ral ; hoje a situaco dos herdeiros melin-
drosa, por depender s vezes do capricho
do testador.
D'esta vez ficno Bella pensativa.
E' para receiar continuou a respei-
tavel matronaque o general desherde o
filho ou pouco Ihe deixe, por quanto, se
gnndo me consta, esl desgostoso cora o
sea genio e hbitos de prodigaidade.
Porm, mam, talvez o matrimonio o
corrigisse e c eslava eo para tomar cotila
da sua fortuna.
Sim, na hypothese d'elle a ter, mas
abi que est a diflcoldade.
Porm, man, eu gosto d'elle.
Estou contrariada, minha filha. Deve-
ras ser mais prudente e pensar primeiro
no futuro ; por agora nao decidas nada,
espera. Pecte isto no leu c no meu in-
teresse.
Mas elle nSo pode tardar : que Ihe
rrsponderei ?
Cora urna desculpa maito fcil : que
careces do meu consentimeirto. Vamos,
Bella, nao precuas qne eu le ensine o re-
cado. Urna resposta inconsiderada pode
levar-lc a desposar um hornera mais pobre
anda do teu pai, e, era lugar de]te veres
obrigad a virar os vestidos, pode< nao ter
le ; temos compromissos qae s por com-
mum accordo se pndera quebrar ; o con-
trario seria ama hjustica, a quo me nao
presto, quando mismo tivesse de inorrer
1:0 sea desagrado.
O general guardou um instante de silen-
cio. Quem o observasse superficialmente
dira, pelo modo porque olhava para o fl-
lho, qne ama colera concentrada o domina-
va, mas o que ren'mf.nte Ihe ia no coraco
ora a Iota entre o sentimento do dever pa-
ternal e o amor excessivj que elle consa-
grara ao ilho. Mas oteamorconcenirou-o
elle no peito, e, electando a maior fiieza,
disse :
Pode ren'rar-se! Vejo a sua pertina-
cia na desobediencia, mas teflicta que Ihe
pode custar cara. E eu tenho o direilo de
dispor dos mous bens em favor de quem
me agradar; caso com Miss Bella e vel-< s-ba
possuidos porNigol, n> devendo conlar
para si com mais do que mil libras, o suf-
ficiente para so transportar d'aqui pira ra.
Tem entendido ?
Sim, senhor, e com bailante magos.
De certo que me 6 Irisle perder o patrimo-
nio a que julgava ter direilo, bim que mais
irisle ainda me seja o perder a sua aroisa
de; sem embargo, rennnciarei aquelle e
e esta, se lanto preciso para nao infringir
a minhi palavra. E' de Miss Billa que de-
pende o eu despozal-a ou nao: creio que
raen pii me comprebende.
Pereitamer.te, senhor. Limilome,
porm, a declarar-llie que tambera eu dei a
minha palavra bei de cumprl-a. Pode min-
iar a poldra biia, s isso Ibe apraz, mas peca
a Deas que ella o nao faca cm bculos,
como o senhor faz ;>;> meu coraco!.. Queira
rirar-se.
Henrique, de fronte curvada, sabio da bi-
bfiotlieca silencioso c a pasos lentos.
E' todo o retrato da mai Jdisse o
general, segurado com a vista Cirao nao
bei de querer-lhe, a pesar dos seus defeilos t
Um coraco daquellcs nao pode pertencer
seno a urna mulher maito digna; por isso
hoi-du salval-or d por onda der !
Tocou de nono a campainlia, mas com
tola a violencia r o criado ap^areceu insan-
ttneameiite.
55a ao
iieT>ar-
Prodencia e que te 5 Goilherme t
mesmo qne vestir,
aconsplh".
Bella, sem responder, deu um ai, que,
nao sendo demasiadamente profundo ou
triste, deixoa, loda 'ia, antever ma qoe
os seus conselhos nao e?am- d$ todo inoteis,
isto que sos filha adoptara o partido da
prudencia.
VIH
o pai e o ntm>
O general Hbrding eos turna va passar
loogae horas no seu gabinete de le tura
onde nlo fa'tava livro algura bom com res-
peito a assumptos do Oriente. Era sen
gosto particular ler de vez em quand 1 al-
gumas descripcoes e documentos relativos
s -diversas expedicSes de que a India tem
ido o tbeatro, sem, com ludo, deixar
tambera de cultivar a le tura de alguns
livros de stiencias naturaes. Aseim a elle
povoando a sua sohdSo.
Urna rnanhia entrou no gabinete, ms nao
Ibe foi possivel harmooisar o espirito c m
a leitora : era grande o seu desasocego,
por quanto ora batia com a mo na fronte,
ora balbucala algumas palavras entrecor-
tadas, em que figurava o uome dos filbos.
Eis o que elle dizia ~
Vai dar cabo de mim este negocio da
pawo de Henrique pela tal rapariga : cons
t-me que elle-esl bem agarrado, mas eu
vou* terminar isto. Nada, ella n2o da
massa de que se faz a mulher de um ho-
rnera de bem; n3o me dava tanto euidado,
se se tratasse de Nigel. Mas que digo eu?
Nada, nao convem para nenhum. Bem me
lemiira o que a mai foi, o que ella fez sof-
frer iquelle pobre Mainwaring I Tal loi a
mi, tal pode ser a lha r.. Porm como
liei-de eu salvar o pobre rapaz de om infor-
lunio destes?
O general poz-se a passear de om lado
para- o outro, silencioso e-de fronte curvada
sob o peso de seas pensamento?.
At que encontrei fexclamou elle
risonbosim, mas nao ha um momento
perder: em quanto eo estou meditando,
vai elle operando e engolpbando-se no abys-
mo, de que mais tarde nao o poderei tirar.
O general locou a caapainha, a que logo
responden um criado d? apparencia to ve-
neranda como o veterano.
Guilhermol
Mea general I
Onde est mea filho Henrique ?
Na cocheiaa, mandar sellar a poldra
baia.
A poldra baia que ainda nao foi mon-
tada ?
E' verdade, e que eu supponho peri-
gosa, porm o Sr. Henrique gosia dos pe-
ngas, e quando eu ia para Ihe fazer algumas
ebsemees, o Sr. Nigel dissfl-me que re
niettesse com a miaba obrigaeo.
Corre a cochina, diz Ibe que o pro-
hibo de montar a egua baia e que vonba
fallar-me immediatamente. Anua depres-
sa!.. Sempre o mesmo I proseguio o ge
neral no seu monologoE' como eu u'outro
lempo : fascina-o o perino. A egoa baia!
Mas se fosse s isso! Peior ainda a a pai-
xo pela rapariga I
Mandou-me chamar, meu pai ?
E' verdade. Parece que queros mon-
tar a poldra baia ?
Sem duvida. E mea pai acha nisso
algum inconveniente?
Tens vontade de esmagar a cabeca ?
NSo receio tal. Parece me que meu
pai nao conhece a rainoa destreza como ca-
va lleiro.
O que eu conheco que tu tens dema-
siada conflanca em ti; atreveste sem minba
licenca a montar am besta viciosa e com-
mettestes ontros actos mais imprudentes
ainda. Nao me agrada isto e espero que te
emendes.
E que actos sao esses, meu pai 1
Gastas o dinheiro desordenadamente
e precepitaste de olhos fechados no maior
dos perigos.
Nao sei qae allude.
Finges nao sabor, mas eu lembro-te
qae o perigo e ama mulher que te des-
vair.
O mancebo fez-se paludo e depois verme-
Iho, mas nao respoadea.
E agora occasio, senhor, de ihe di-
zerproseguio o veteranoqoe forcoso
renunciar a essa mulher.
Mea pai...
Deixemos-nos de protestos amorosos;
nao posso oavil-os emuito menos atlendel-os.
Repito ; forcoso rapaneiar a Miss Bella
Mainwaring, absolutamente e para sempre I
Mea pai exige nm impossivel | Entre
mim ew^mglber existe ama psixSo for-
General I
Manda poro (rom, mas a toda a pro-
sa:
Minutos depois a orruagem parta a ga-
lope com o general, e Henrique, cavalgando
a indcil baisa, dirigia-se para a casa de
Belta Mainwaring.
IX
XAQDSMMK.
Woolet eslava no seu escriptorio, que era
separado do sea escrevente por urna parede
espessissima, na qual bavia uma estreita
porta.
Desie lado nenbuma indiscrico sereceia-
va, mas n'uma das paredas laleraes do ga-
binete bavia um cerlo escaninho, onde o ta-
bellio mandava nwtter o escrevente, que,
sem ser visto, escutava as conversas entre
seu patrb e os onstiluitites, sempre que
valia a pena registrarem-se.
E' escusado dzer-se que Woolet era ta
bellio, pforisso qae exerci n'uma peqoe^
na cidade do condado d Bucks, onde des-
envolva a chicana como se estivesse n'uma
grande cidade. E' verdade que a nda nao
tinba apanbado na rede nenhum peixe gordo,
sendo at ento a presa mais- valiosa qae
ibe cabira aas garras- a viuva Mainwaring,
sua conslitninte, ou, poroutra.sua victima.
Por isso tambem pouco uso tinha feito a*
atti do seu trern, qoe, todava contava po-
der-lhe ainda servir de muito.
Chegou um dia en* que estesonho pare-
ceu ter com eco de reabsaco. Uma car ra
gem de apparatoso aspecto, guiada por um
coeheiro. d> pe-o de uma tonelada, levando
ao-lado um lacaio esmeradamente vestido,
atravessava as ras da cidade que tinba o
digno Woolet'no numero dos seus habitan-
tes e parava exactamente aporta delle.
Nunca una-agente da chicansentir tanta
vaidade como aquelle, no momento em qoe
o escrevente, metiendo o naris de fuinia
pela porta enlre-aberta, annuncioo o geoe
ral Harding.
Um instante depois era este introduzido
no escriptorio.
O escrevente, um signal roysterioso do
patro. desappareceu como um doende, in-
troduzindo-se no armario, que. como dis-
semos, tinba um Ora pouco decoroso.
E' ao Sr. general Harding que te.nbo
a honra de fallar ?disse o tabellio, cur-
vando-se exageradamente diante do vete-
rano.
E' o Sr. Woolet que est presente ?
acudi aquello.
Sou, o propro ao seu servicos
E' d'elle mesmo qae eu careno, no
caso de poder dispor de si.
Que oceopaco poderia impedir-me
de oavir o Sr. general ? Em que posso
obsequiado ?
Obsequiar-me nao; reclamo apenas
as suas fancces de tabellio, qiw supponho
ser.
Como bal me acho inscripto no an-
nuario dos tribunaes e aqu est a prova.
Woolet, dzendo isto, a presenta va ao ge-
neral nm pequeo livro.
N5o careno de ver o annuariores-
pondeu este seccamente.O que preciso
psaber se o senhor est as circunstancias
de lavrar um testamento.
' O louvor em bocea propria vitupe-
rio,acudi o tabellio-mas visto ser-pre
ciso responder cathegoricamente, qne reme-
dio tenho seno dizer que sim ?
E' quanto basta; teme o seu lugar e
naos obra.
O Sr. Woolet, que tambem era propie-
tario do orna carroagem, poderia ter-se
chocado com aa maneiras altivas do gene-
ral. Era, com effeito, primeira vez qae
assim o tratavara no sea proprio gabinete,
mas tamhem nanea all linha entrado cons -
tituinte de tal importancia ; por isso reco-
nbeceu a inconveniencia de se mostrar or-
gulhoso e a necessidade de corvar a espraha
dorsal. Sem diser ama palavra mais, sen-
too-se escrivannha, aguardando a deter-
mnacao do general, qae se sentara em ama
cadeira defronte.
Escrova sob a minha redaecodisse
este.
O tabellio, cada vez mais obsequioso,
tomou papel e peona, e escreveu o seguinte,
que o general redigio:
c Dou e lego mea filho mais velbo,
Nigel Harding, todos os meas bens immo-
veis, comprebeodendo, alm das casas de
Babitaclo e trras, as apolices da Gompa-
nbia das Indias, exceptuando a somma de
mil libras esterlinas, de qae as mesmas
apolices sao a hypotbeoa, a qual somma
ser eniregae i meo filho mais boto, Hen-
I 1 *
rique Harding, como a nica heranca qo
flea com direito.
Escreveu ?perguntou o general.
Todo o qne determinou.
Poz-lhe a dada
E' o qae falta.
Pode pr-lb'a.
Woolet obedecen.
Tem aqu alguem que possa servir
de testemunha ? Nia tendo, chama-se o
mou lacaio.
E' desnecessario; serve o mea escre-
vente.
Mas nao sao pieci as duas testemu-
nhas?
Assm o prescreve a lei, mas eu pos-
so ser umi.
Muilo bemdisse o general.
E dispoz-se a assgnar.
Porm acodio o tabellio, admirada
do laconismo do tcstamenionao faltar
aqui alguma coosa ? Parece me qne, sen-
do dous os seus filhos, o general nao que-
rer...
O quo ea quero este testamento
encerrado, e, se tem alguma objeceo i
fazer Ihe, bem v que pouco me custa diri-
gir-me outro quadjuer collega seu.
Woolet cotnprehendeu a inconveniencia
de oppr duvdas. e. depois qoe o general
assgnou, deu-se pressa em fazer outro
lanto, seguindo-o igualmente o escevente.
Eslava, pyrtantu, autbenleo o testamento.
Agora faya exlrabir uma copia e
guarde o original at quo lite seja recla-
marlo.
Feita a copia, o general metleu-a na al-
gibeira, e, recomuiendando discripc
tabellio, voltou para a carroagem, que
lio na d'rrecco do palacio.
E' nolave!bcou o tabellio dizend/
comsigoque este homcm venha procurar-
me em vez de ir ao sen tabellio, o sobre-
ludo que (fesherde r> filho mais aovo, tendo
uma fortunar como tem, de cera mil libras
esterlinas. E nao homvm que reeonsidere.
Em todo o caso, o que indispensavcl -
que em prevna umi terceira" pessoa- que nc
capaz de me trahr e que rae levar em
conta este servso.
Minutos depois, install ido na sua baioc;,
como elle Ibe coamavn, segua bom rodar
o hbil ehicaneiro em direc?ao residencia
da viuva Mainwaring.
X
o ve.ns.no MOnns
A mediocre fortuna que usufrnia a viuva
Mainwaring permittialhe sustentar um pe-
queo trero, que ordinariamente era guiado-
eleganteraerrte por Bella, figurando sem-
pre na trazeira um grwm- fardado coro es-
mero.
As onze b ora-que a mi e a filha entretinham o dialo-
go j relatado prepa: avam-sc ellas sabir
03 sua carroagem, quando lhes chegou
porta o trem de Woolet.
As duas senhoras, que nesse dia nao ti-
nham o maior empenho ao passeic-, volla-
ram atraz, afra* de receberera o vsitante,
o qual, depois de feitos os pnmeiros oum-
primelos, declarou que o objecto da sua
visita nada tinba de comraum com Miss Bel-
la, pelo que esta se retiro; deixando-o s
com a mi.
A maoeira por que Wostot se condozii
perante a viuva Mainwaring era considera-
velmente menos obsequiosa do que aquella
com que tratara o general Harding. Entre
um general que cuspe de algumas cente-
nas de libras e a viuva de um coronel
relativamente pobre ha immensa differenca
Ento o que o traz por aqni, Sr. Woo-
let ?perguntou ella.
Negocio de penca importancia talvez
e que e.'.porei concisamente.
Estou na melhor disposico para o
oavir: queira sealar-se.
O tabellio tomou uma caeira, emitan-
lo Madama Mainwaring tirou o chapeo e
o chale, e os collocou sobre um camap.-
Ha alguma oovidade i- lativamente
aos meu negocios ?
Aquelle de que venliofullar-lbe, mi-
nha senOora, nao sei se lho merecer gran-
de consideraco, mas entonen de meu dever
coramunicar-lh'o e espero- que tora* este
expediente apenas como oaexcesso de zelo
da minha parte.
A vmva abri cora sorpreza os olhos
oulr'ora bellos. O prembulo da conver-
sa fazia-lhe prever algoma grande novi-
dade.
O excesso de zelo da sua partedis-
se ellanao podo nunca desagradar pes-
soa alguma e muito menos mim. Queira,
pois, fazer-me a sua communicacao, qne-
toma?ei no apreco devido e qoe bei dei
responder com toda a franqueza.
Em primeiro lugar devo dizer V-
Exe. que o assumpto que me ocenpa seria
lido por inconveniente tratado por outrem,
mas devendo eu a V. Exc. a honra de me
ouvir algamas.vezes, creio estar justificada
a minba dedicaco. Diz-se por abi ou afir-
ma-se antes que sua filha est prxima
contratar aJIianc conjugal com om Gibo do
general Harding. Posso saber o que ba de
verdade tal respeilo ?
Ao Sr. Woolet direi' os motivos desse
boato. '
Poderei ainda perguotar qual dos
dous filhos do general o escolhido de soa
fllha?
De certo. Mas cota que flm o per
gunta ?
Com um flm que supponho impor-
tante.
E, tirando da algibera um papel sella-
do, com meia dazia de liabas escriptas e
estes mal seccas ainda, apresento-lh'o, d-
zendo :
Chamo a saaatteucio para este do-
cemento.
A viuva, proporco que ia Irado, tor-
nava-se-lhe o roste gradualmente vermemo.
e, apezar da soa fleogma escossesa nSo
poda ser indifferento ao ver alli como que
um echo dos seos proprios pensamentos,
uma resposta s reflexes qoe ainda ha
pou o fizara com soa filha. NSo era ella
pessoa da maior ingenuidade, e por isso,
soccoreodo-se a todos os recursos de que
poda dispor, empenhon-se em demonstrar
qae o testamento qae acabava de ler4M
nao nteressava maito. O qae mais a im-
pressionara, dizia ella, era ver a odios
disimcco qoe o general estabelecia ente
os dous filhos, para o qoe nunca poda dar-
se como fundamento a conducta om ponco
leviana do mais nevo, justificavel em ratSo
da idade e susceptivel de emenda futura, e
qne pela sua parte, posto qoe o negocio
loo nao interessasse directamente, Ihe agra-
deca, comtudo, a bondade com qoe eh> a
pasera ao facto do mais original dos team-
BMotos.__________(CmtitmrsiJm).
TYP. DO DIAUlUr-atM Do Mj^QS UZ Gltih

1

-


jLJ


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EGW9DN821_RWIAIB INGEST_TIME 2013-09-13T22:45:57Z PACKAGE AA00011611_12273
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES