Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:12271


This item is only available as the following downloads:


Full Text
MNO XLVI. NUMERO 267.
OTfii
m
iUA
?

I!
nu a captai e miBis am iao se paca pwtr.
Por tres aunes adiantados........ AMana
Por ae ditos dem........ ........ JS55
^er-aa wmo dem.......... ........ !tE^
Cada mumero avtso.......... / TI...... *M


/WHIIH TEIN 24 DE NOVEMBRO DE 1870.
PABA DORSO E JOBA DA PHOVUCIA.
Por tre mezes adiantados .'.
for seis ditos idea.............
Por nove ditos idem .
Por on aono dem
I
6|7M
i3#500
204280
871000
Propriedade de Manoel Rgrueirta de Para & Hlhos.

NAO AfiBITEl .--------(-----
0. Sr,. Grario Antojo *les 4 Fita, M ; G^i fiat0, w MarJnMo Joaqoln toj mm 0mi Aomlo '^ .
rtoreU.; Franco n. da CosU, m Alago*; Dr. tet Marti., Alm, Bahia^. Jo) gibrire gyjy no ,io j. Janeiro, Br'ga'
PAUTE OFFICIAL.
Ciorerno da provincia.
EXI EDI8NTS DO I1U 18 DS aOVEMDBO DE 1870.
Actos :
Para o conselho de lulgameuto a que vai ser
obnfetlido o sold do eorpo de polica Manoel Ma-
na o jares, iioineio :
Presidente
'J uiajor Joao Francisco da Cunha.
Auditor
() Dr. promotor publico da capital.
Vogaes .
Tenente Flic:.no de Azevedo Mello.
Francisco de Siqueira Cavalcanie.
Atferes J iao Francisco da Silva Castro.
i"; Pereira da Silva Guimares.
Francisca Pereira Lag-s.
Para o conselho de ligamento do soldado
do corpo de polieia, Joaquina Soares da Silva de-
signo :
Presidente
0 cMQiir Jilo Francisco da Canha.
Auditor
0 Dr. promotor publico da capital.
V'ogaes
Tenente Feliciano de Azevedo Mello.
Manoel Gandido de Albuquerque.
Atfercs Joo liibeiro Montarroyos.
Falipy Augusto Fflaa Villar.
JJ P.-reia da SilvaGuimares.
Remenea-se ao comiaaoflanle do corpo para os
levtdos lins, os procesaos do conselho de invest-
gacia i os actos acuna mimados.
O preciante da provincia, atteodendo ao que
requereu a directora di sociedade benelicente
Monte pij Portuguezresolve de conforniidade
cota o 6* do art. 29 dj decreto n. 2711 de 19
do dezerabro de 1860, nomear a Gregorio Paes
( i Amara I, para presidente da nic-ma sociedade.
O presidente da provincia, attendendo ao que
requeren Matheus Fernandes Pereira, resolve con-
vder Ihe licengj para ir ao presidio de Fernando
no primeiro vapor que para all seguir, levando
eomsigo os gneros cumiantes da relago junta,
asignr;da pelo secretario da presidencia, nao po-
diendo, porin, effectaar o desembarqae dos raes-
rw? gneros sem que por parte do coramandante
do dio presidio se proceda a exame, afira de ve-
tilicarse ha agurdente ou outra qualquer bebida
espirituosa.
Igual a Francisca Gandida de Jesn3 concedendo
licenea somente para embarcar gneros.
i.licios .
Ao Exm. Sr. rninislro da iustica, enviando
paru os lins convenientes, a certido de exerccio
do l> tabellio e escrivo do crime. civel e protes-
to! de letiras do termo de Olinda, Joo Theodomi-
ro da Costa Monteiro.
Ao Exm. presidente do Cear, aflm deque
cm virtude de reiiuisiao do ebefe de gpolicia, desta
provincia sejam remettidos para esta capital eom
--guranca, no 1* vapor da cornpauni.i Pernatnba-
rasa, o? presos Gaetano GoDgalves dos Santos,
Francisco Barbosa da Silva, e Secundioo Jos.Bar-
b ti, que se achara na cadeia do Crato.
Gomraunisou-se ao chefe de polcia.
Ao general commandanle das armas, auto-
ri.ando-o, nos termos de sua informarlo, a per-
iiiittir que o soldado invalido do corpo n. 51 de
voluntarios da patria, era addido ao deposito de
re rutas, Joo Felippe Santiago, agjarde a deci-
sao do governo imperial sobre a sua baixa ou re-
forma, na comarca de Pao d'Albo, onde tem fami-
lia, com a obrigacao, porm, de comparecer men-
talmente as revisus de niostra.
Ao Dr. chefe de polica, para mandar proce
der as necessarias arerignaedes sobre o faetc da
vaso do preso Joao Correia de Araujo da cadeia
da povo.icao de S. La rengo da Malta, trzendo o
resultado ao conhecimento da presidencia.
Ao inspector da thssouraria de fazenda,
transmittindo para os devidos Gns, a filiaran do
tirabor I-uiz de Paula Aranjo, que foi contratado
p tra servir na i* companhia do 1* batalho de ar-
Ulnaria, em substtugo ao de nome Antonio Ma-
i. el do Espirito Santo, que foi despedido.
'vimniuoicuu se ao o^mmandante superior do
Kecifc.
Ao mesmo, mandando adiantar tres mezes
de sold ao alteres S-lvestre Gomes de Sant'Anna,
do 8 batalho de infamara addido ao 2 da mes-
mi arma, afim de Ihe serom descontados pela 5"
parte.
Ao mesmo, recommendando que mande pa-
gai a Pedro Panlo dos Santos os vencimentos do
ollciale pracs da guarda nacional destacados na
villa de Pesqueira durante o rr.ez de outubro ul-
timo.
Communcou-se ao commanlanie superior do
Jirejo.
Ao -iiesmo, mandando que expega suas ordens
ao collector de rendas geraes do Cabo, aflm de
que nenhum procedimento teiha acerca da apre-
tagSo dos ttulos dc>3 empregados da estrada
rri dj Recita a S. Francisco, para o paga-
so j selo proporcional de que trata a sua
inforrasro de 17 do corrente sob n. 738, at ulte-
rior deciso do governo imperial.
A > inspector da thesouraria provincial, de
clarando para os lins convenientes, haver abona-
do a; ft-ltas que, por doenie deu no mez deoum-
bro ultino, a protov-ra publica da 3* cadeira de
iiiatroceio primaria da povoacao de Vicencia He-
n:dr.a Floresta dos Santos Gordeiro.
Ao mesmo, exigindo a remessa com urgen-
le urna copia do contrato, celebrado com o
impreiteiro de carrs de ferro do Recifa a Jauoa-
to para o prulongamenlo da respectiva estrade
at a cidade da Victoria.
Ao me *mo, para que ponha novamente em
raga com o augmento de dez por cento no valor
dos respectivos orcaraentos, as obras dos stimo e
litivo mucos da o-trada do Limoeiro, visto nao
haver apparecido licitante a essas obras. -
Ao mesmo, determinando que com urgen-
oa remeta ao chefe da reparticSo das obras pu-
nir*, urna copia do contrato celebrado naquella
thesouraria para a consirucro do pago da as-
-embla legislativa provincial.'
Communicou-se ao referido chefe.
Ao commandante do presidio do Fernando,
para fazer vir a esta capital com a precisa sega-
ranea, a ser apretentado ao D<\ chefe de polieia,
o sentenciado de jnstiga Lourenco Jos da Paixo,
afim de constituir procurador, como solicitou.
Ao chefe da repartico das obras publicas,
para que mande fazer no edificio em que unecio-
na a escola normal, dorante o lempo das ferias, a
(jiniura e outros reparos, que como necessarios
sao ialicados pelo' respectivos director no offlcio
junio por copia.
Expediram-se as necessarias communicacoes.
Ao director da escola normal, autorisaodo-o
a contratar a acqaisicao dos objectos menciona-
dos ia relacao que remelleu, visto serem indis-
pensaveis ao expediente e exercicios da escola
pratica.
~ Ao director geral dos indio, recommendan-
do, que de conformidade com o aviso do ministe-
rio da agricultura de i i de outubro Ando, d ter-
rmoantes ordena aos direclorea parciae das di-
versas aldeas desta provincia, aflm de que nio
permitan, que os seus habiuntas, individual on
conectivamente emprebeodam jornadas i corte,
sob o mico fundamento de reprtaenUrem ao go-
^"--SEJTI*?mde seas direse intr*s-
sas, devends S. S. tomar conhecimento de suas ne,
cesatdaiea o informar a presidencia para .rajoU.
trar-lhes os auxilios que esiiverem a a sen al-
cance.
Ao juz de direito de Garanhuns, recom-
raeudando que informe sobre o que representa
Luiz Elias da Silva Albuquerjue, segundo tabel-
hao e escrivo do civel do termo doBom Conse-
lho no requermento documentado, junto por co-
pia, e providencie para que o mesmo serventua-
no continua a xercer interinamente os offlews de
primeiro tabelliao e eecrivaj de orphies e raai1
annexos daquelle termo, orno fui ordenado pela
presidencia a 7 de raaiodeste anno.
Ao juz municipal do termo de Olinda, di-
zend^ que no estado em que se acha a questo
aguada entre esse juiza e o cnsul de S. M. Fide-
lsima nesta provincia, sobre o inventario do sub-
dito portognex Antonio Teixeira de Fana, eonvm
aguardar a deciso dos tribunaes competentes,
tanto mas quando nanhnma reclaraaeo appare-
ce at agora por parte do dito cnsul.
Ao commandante do corpo de polica, man
dando que seja posto era liberdade e desligado da-
quelle corpo, o teoente addido Joo Pereira Lago.
Communicou-se a thesouraria provincial.
Portaria :
A cmara municipal do Recife, para remetter
urna copia do termo de contrato da arrematacao
do imposto deafeiicSes de pesas e medidas neste
municipio.
Despachos:
Alfredo Garcia & lrraao.Informe o Sr. com-
mandante superior da guarda nacional.
Adoipho Astolpho Luiz de Albuquerque. In-
forme o Sr. inspector da thesouraria provincial.
Damio Das Chave*. Depqia de apresentar-se
a thesouraria de fazenda, a quera reraetlida a
sua petico informada, pode retirar-se livremente
para onde Ihe convier.
Directora do Monte Pi PortuguezXomee-se
a Gregorio Paes do Amaral.
Flavio Jos dos Santos e Silva-Indeferldo, vis-
ta da informarlo do commandante do carpo de
polica.
Henedina Floresta dos Santos Corfleiro.Defe-
rido.
Bacharel Jos Cliraaco do Espirito Santo.Pro-
ve o que allega.
Jos Felippe Santiago foforme o Sr. inspect r
da thesouraria provincial.
Jos dos Pas-oa Queiroz.Indeferido, vista da
nrormacao do commandante do corpo de po-
lieia.
Jos Henriqua Trindade.Informe o Sr. enge-
nheiro chefe da repartico das obras publicas.
Jos Carlos Vital.-,-Iodeferido, vista da infor-
raacao do commandante do corpo de polieia.
Jos Hennque Trindade.Estando j approva-
do pela assembla provincial o contrato celebra-
do com o supplicante, nao esta presidencia com-
petente para altera-lo.
Exm. Dr. Manoel do Reg Barros Souza Leao.
Informo cora urgencia a thesouraria de fa-
zenda.
Manoela Mara da Conceicao. luforme o Sr.
Dr. enere de poticia com a powivel brevidade.
Rachel Adopho Cavalcanie Ferreira. Informe
o Sr. director geral da ostrueco publica.
Silvestre Gomes de Sant'Anna.A" thesouraria
de fazenda com offieio desta data.
EXPEDIENTE DO SECRETARIO.
Offlcio :
Ao general commandante das armas, decla-
rando haver S. Exc. o Sr. presidente da provincia,
deferido a peticao do soldado invalido Damio
Das Chaves, sobre que versa a sua informaco
de lo do corrente com o despacho seguinte :
Depois de apresenlar-se thesouraria de fazenda,
a quem remellida a sua petico informada, pode
retirar-se livremente para onde Ihe convier.
Ao mesmo, concedendo a aulorisacao, que
solicitou para por a concurso o lugar vago de pra
tirante daquella thesouraria.
Ao mesmo, afim de que, independentemente
de flanea ou de prestacao de cantas, sejam entre-
gues ao viee-commissario dos capuebinhos, fre
Venancio Mara de Ferrara, a proporcao qus fo-
rera recolnidos ao cofre de neficios das lotarias extradas a favor das obras
da nova igreja de Nossa Seohora da Penha.
Inteirou-se ao referido coraraissario.
_ Ao mesmo determinando que faca adiantar
nao so du as datas de sold, a contar de 11 a 30
do crrante,,para 30 pracas do corpo* de polica,
que seguem al a villa do Limoeiro, escoltando
criminosos, mas tambem os vncimntos deste
mez, do offleial subalterno qoe v commandando
essa forra, ao (^al je abonar 30, como anda de
custe de ida e vilta.
Gommunicou se ao commandante do corpo.
Ao mesmo, mandando que se pague ao g-
rente da rompanha pernambacana, a quantia
de 418, de passagens e comedorias dadas a bordo
do vapor Gequi desta cidade at Penedo, a offl
ciaes e pragas do corpo de polieia.
Ap commandante superior do municipio do
Recife, para que urna guarda tirada de um dos
corpos sob seu eommando superior, faga as hon-
ras devidas por occasio da resta de Nosaa Senhe-
ra do Bom Snccesso dos Navegantes a do Te Denm
que Jdevem ter Jugar a manha na igreia do
Pilar. B '
Ojhefe de polica, Luiz Amonio Fernanda
PEENAMBUCO.
Ao capito do porto, dizendo que pode re-
metter para a corte, no vapor Tocantm que
esperado do norte os reerntas de marinha Manoel
J-rancisco de Jess, Manoel Cyrillo do Nasciraento,
Ignacio Gomes Coutinho, Manool Francisco da
Trindade e Lucas Jos da Exaltago Maniva; man-
dando por em liberdade os de nemes Jos Joa-
quim dos Santos e Antonio Jos de MeHo por te-
rem sido julgados incapazes do servgo em inspec-
gao de saude.
Expedio-se portara aos agentes da companhia
brasileira de paquetes para darem transporte aos
pnmeiros desses reclutas.
Ao chefe das obras publicas, para que or-
ganise e remeta a planta e orcamcuto de um
passeio nublico no local designado pela cmara
municipal, segundo a planta da cidade.
Idera para a reconsiruorao do theatro de San-
la Isabel.
Ao commandante do corpo de polica, anlo-
risando o engajamento dos paisanos Joo Baptista
de Lima e Lacio Soares Pereira, se tiverem ido-
neidade.
EXPEDIENTE 00 DA 19 DE NOVEMBRO DE 1870.
Actos :
O presidente da provincia resolve conceder
a exonerago, quo pedio Manoel Pessoa de Siquei-
ra Campos, do cargo de repetidor do gvmnasio pro-
vincial.
O presidente da provincia resolve declarar
de nenhum effeito a nomeago do cidado Virginio
Velloso Freir, para o cargo de subdelegado do
district i de Timbaba do termo de Itamb, de que
trata a portaria de 15 do corrente.
A cmara municipal do RJecife, concedendo
a autorisago que pedio para despender no exer-
ccio corrente a quantia de 1:800*000 pela verba
eventuaes dos ceraiterios, visto nao ter a lei do
orgaraento municipal vigente consignado cr-
dito.
Offl cas:
Ao general commandante das armas, para
que, visto ter se autorisado a compra do ocufo de
alcance solicitado pelo respectivo commandante
para a fortaleza do Brum, informe se o que foi
dado cm consumo traba j vencido o Ismpo de
sua duraco, e no caso contrario quera o inuli-
lisou.
Ao chefe de polica, dizendo que a thesoura-
ria de fazenda j tem erdem para fazer a indem-
nsarao, sob a responsabilidade da presidencia,
da quantia de 60000, constante do recibo qne
devolve, e foi entregue ao delegado do Ouricurv,
para as despezas com a conducg3o de um cai-
xo rom medicamentos para curativo dos 'indi-
gentes.
Ao inspector da thesouraria de fazenda,
mandando indemnisar o 9" batalho de infamara
da quantia de 40,despenQidaora a conduego de
artigo i de faruamento do arsenal de Guerra para
o quartel daquelle batalho.
Ao mesmo, recommendando que mande pa-
gar ao gerente da companhia pernambocaua a
quantia de 21*666, de comedorias abonadas a
bordo dos vapores Pirapama e Gequi, trez
pragas e dous criminosos, que foram trans-
portados estes para Macei o aquelles para o
Ceara.
Ao mesmo para que seja paga a companhia
pernarabucana a quantia de 2:o'3l*317, de trans-
portes, passagens e comedorias dadas por eonta do
ministerio da guerra nos vapores Mandalm e Ge-
quia cas viagem que fizeram, o 1 ao presidio de
ternando e o 2* as Alagoas.
Ao inspector da thesouraria provincial, de-
clarando em solucao as duvidas suscitadas entre
essa thesouraria e a repartico das obras publicas,
que nao sendo possivel applcar rigorosamente o
artigo 116 do regulamento da mesma repartico
as quantias adianiadas ao seu Ihesoureiro para
obras especiaos de fra do municipio da capital
pela dlflculdade da exhibigo dos dotumentoa in-
dispensaveis, e inconveniencia de interromperem-
se os trabalhos, devem os pedidos respectivos ser
satisfeitjs Jno principio de cada mez mediante
um balancete organisado pelo mesmo tbesoureiro,
demonstrando o emprego das quantias receid*s e
saldo existente era sea poder ; evitndose, desta
arte o inconveniente de reter elle sommas supe-
riores a sua fianga, e havendo meio de faxef-se
effectiva a sua respoaaabdade no caso de
abuso.
Remelleu-se capia deste oficio o ebefe das
obras publicas.
Aomesino, recommendando de novo que,
sera embargo de quaesquer duvidas apparecidaa.
TS P'W* "reg da quantia de...
ta.awiou, pedida pelo chefe das obras publicas
para as despezas do emente mez.
Ao raesmo, pan que, sem mas objeccao pV
ue a prirtftira preUgo ue se est a dever > 0
enge'nheiro civil Joaquim Pires Garneiro Monta'>n
t.'a construegao da ponlesinh de ferro sobre A'iy*
nal Riachuelo. > *s oc*'
Ao juz de direito da 1" vara e auditor de
guerra interino, convdando-o a comparecer no
palacio da presidencia a 22 do corrente ao meio
da para fazer parte da junta, que em ultima ins-
tancia tem de julgar o soldado do corpo de poli-
ca Jos Francisco Correia, cujo processo se Ihe
remette, aflm de apreseotar o relatorio do es-
tylo.
Offieiou -se no mesmo sentido aos tenentcs-co-
ronein *>s FraocUoo Piru, Joa ionnuim Silveira
e Francisco de Miranda Leal Seve.
Ao juz de direito do Rio-Formoso, appro-
yando o sea procedimento de addiar para o dia
5 de novembro vindouro a rennio da 2" esso
do jury do termo de Serinhem visto nao ter sido
possivel dar-se a sua abertura a 27 do mez Ando,
como fra designado, e recommendando a sua so-
lictude o emprego das medidas facultadas" por le,
afim de que nesse dia se rena o tribunal, com >
convra, aos interesses da justiga e crdito da
instituiga.
Portara- :
A cmara municipal de S. Bento, declaran-
do que, em vista dos motivos constantes da infor-
marlo, junta por copia, da thesouraria provincial,
nao possivel attender j o seu pedido, para a
constraego do agude, de que trata o seu oflicio
de 6 de outubro ultimo.
Ao cooselho de compras do arsenal de guer-
ra, antorisando-o a promover a compra de um
oculo de alcance para uso da fortaleza do Brum.
Despachos.
Amaro Frcderico do Nascimento.Informe o Sr.
commandante superior da guarda nacional do
municipio do Recife.
Antonio Marques da Silva.A' vista da infor-
raago da cmara municipal desta cidade, requei-
ra em tempo a assembla provincial.
Augusto Jos.Mauricio Wanderley.informe o
Sr. director geral da instruego publica.
Companhia Parnambucana.Dirija-se thesou-
raria provincial.
Companhia Pernarabucana.Dirija-se a thesou-
raria de fazenda.
Companhia Pernambueiua.Dirija-se a thesou-
raria de fazenda.
L-mandade de .\ossa Senhora da Soledade.In-
forme o Sr ihesoureiro das loteras
Irmandade de Nossa Senhora do Bom Successo
dos Navegantes.Fija expedida as convenientes
ordena no sentido em que r.iquer os supplicante.
Joo de Carvalho Soares Brandan.Informe o
Sr. ngenheiro chefe da repartigo das obras pu-
blicas.
Joo Cardoso Mesquita.Requora pelos eanaes
competentes.
Tenente J s Francisco Paes Brrelo.Informe
o Sr. general coraniandanle das armas.
Jos Leomllo da Cunha Alcanfor.Informe o Sr.
inspector da ihesouraria provincial.
Jos Henrique Trindade.Como requer.
ngenheiro Joaquim Pires Carneiro Menteiro.--
Dirija se thesouraria de fazenda.
Joo Antonio Rodrigues.Informe com urgen-
cia o Sr. Dr. ebefe Jde polieia.
Luiz de Menezes Vasconcellos de Drummond.
Informe n Sr. inspector da thesouraria provincial
Manoel Nunes de Medeiros. Entregue-se os
documentos medante recibo.
Manoel Pessoa de Siqueira Campos.Passe por-
tara concedendo a exonerago pedida.
Fre Seraphim de Gatania.' Juntas as informa-
cues da me3ma cmara municipal ns. 50 e 37 de
z2 de |unho e 12 de jull ultimo, e urna copia do
aviso do ministerio do imperio de 16 de agosto,
informe o Sr. inspector do thesouraria provincial'
ouvindo o respectivo procurador fiscal.
Sociedade Phil'artistica.Nomeio o primeiro dos
candidatos.
Repartlf&o da polica.
2." secgo. Secretaria da polica da provincia
de Pernambuco, 23 de noverobio de 1870.
M. 1548.Illm. e Exm. Sr,Levo ao conheci-
mento de V. Exc. que, segundo consta das partici-
pagoes recebidas hoje acata repartico, foram non-
tem recolhidos ca e detenglo os seguales
individuos :
A minha ordena, Jos Patricio Marques da Silva
e Jos Francisco da Rocha, viudos do termo de
Pao d Alho, o primeiro como recrota e o segundo
como criminoso.
A ordem do subdelegado do Recife, William
Renenan Jaymn Eait, Eduard Leel Neil Carapbll
inglezes, reqriesico do respectivo cnsul. '
A ordem do de Santo Antonio, Honorato, escra-
vo df Jos Luiz de Siqueira, requerimento deste,
A ordo;m Ao de S. Jos, Faustino Antonio Telles
e Est'jvo, oscravo d Mariana de Jess Silva como
'dictados em crime de furto.
A ordem do da Magdalena, Leonor de tal por
embriaguez e desordena. '
Deas guarde V. Exc.
Illm. e Exm. Sr. cotrselbelre Diogq Velho Caval- .
cate de Albuqaerqne presidente a provincia. I Joo Correa d QNrvalho.
REVISTA DIARIA.
FACULDADE DB DOIEITO. --- Fizerao) fcontem
acto os seguales alumnos :
- 3 anno.
Manoel Pmlo de Sonta Dantas Fllho, plenamente.
Manoel Quiotiliauo da Silva, idem.
Francisco da Silva Saldanha, idem.
Bvidio CJementn d'Aguiar, idem.
, .4 anno.
Joao Polycarpo doi Santos Campos, plenamente.
Gandido Cesar da Silva Leao, implesmenle.
Manoei Barbosa Airares Ferreira, idem.
Manoel Pedro de Raende Filho, plenamente.
o anno.
Jos Flix de Sampio, plenamente.
Vicente Pereira do lega Jnior, idem.
Heracleo de Aranjo k'illar, idem.
Haonihal Frederico ernandes da Canha, idem.
Henrique Kopke Junor.
DEFESA DE THBS9. .Nos das 1 e 3 de de-
zembro prximo deveter lugar, peranle a Facul-
dade de Dire.io, a dcftsa de ihscs do Sr. bacha-
rel Francisca Antonio Filgneiras Sobrinho. '
GYMXASIO PROVINCIAL.Damos em seguida
o resultado Jo julgameso dos exames dos alumnos
daste estabeleoimento :
Unga wcional.
1.a sargio.
Antonio Jorge Guerra, apjrovado smplesmente.
Antonio Aecioli Lins, plemniente.
Antonio Agostinho da Azeiedo Varejo, repelente.
Justino da Motia Silveira, tJenamente.
Henrique Augusto de Albniuerque Milet, simples-
Jos Ribeiro Guimares, pleamente.
. |." secgo.
Jaslino da Motta Silveira, approvado simplesmente.
Jos Ribeiro Guimares, idem
Joaquim de Azevedo Siqueira Varejo, idem.
Lingua atinu.
l. anno.
Antonio Aecioli Lins, approvado plenamente.
Alchiredes Francisco Cavalcanie de Albuquerque,
idem.
Alfredo Eugenio Correa de Oliveira Andrade, idem.
Antonio Gomes Leal, repelente.
Ceiso Aprigio Guimares. simplesmente.
Gatulio Brasilides Lyra da Silva, repetente.
Henrique Capitalino Pereira de Mello, simplesmente.
Delviuo Jos da Silva, idem.
Jos Theophilo Gomes de Mello, idem.
Jos Janaario da Costa, plenamente.
Justino da Motta Silveira, simplesmente.
Manoel Celestino da S.lva Pereira, repetente.
Manoel Correa de Oliveira Andrade, simplesmente.
Peregrino AITonso Ferrair, ropoute.
Xsto \vier d* Grnz, simplesmente.
2. anno.
Antonio de Carvalho e Souza, approvado simples-
mente.
Antonio da Silva Cabral, idem.
Joo Lspes de Simieira Santos, idem.
Francisco Joaquim da Silva, repetente.
Luiz Velloso de Carvalho, plenamente.
Luiz Gonzaga de Araujo, simplesmente.
Manoel Clemeotino de Oliveira Escorel, com dis-
tinego.
Manoel de Carvalho e Souza, idem.
Perminio de Abren e Lima Figueiredo, simples-
mente.
3." anno.
Antonio Pereira Simes, approvado com distinego.
Joaquim Rudesimo d'Albnquerque, simplesmente.
4." anno.
Jos Leodegario Rabello Padilha, approvado ple-
namente.
Lingua franceza.
1." anno.
Antonio Muniz Pereira Jnior, approvado simples-
mente.
Henrique capitalino Pereira de Moli, simples-
menta
Joo de Freitas Barbosa Jnior, dem.
Jos Ribeiro Guimares, idem.
Jos Francisco de Andrade e Vasconcellos, idem.
Joaquim Anselmo de Hollanda Cavalcanie, idem.
Jos Januario da Cosa, idem.
Jos Leodegario Rabello Padilha, com distinego.
Manoel Clementino de Oliveira Escorel, plenamente.
Plato Francisco Cavalcanie de Albcquerque, sim-
plesmente.
Perminio de Abren e Lima Figuetredo, idem.
Xista Xavier da Cruz, repetente.
2." anno.
Antonio de Carvalho e Souza, approvado plena-
mente.
Joo Lopes de Siqueira Santos, simplesmente.
J'-aquim Rudesimo de Albuquerque, plenamente.
Lniz Velloso de Carvalho, idem.
Manoel de Carvalho e Souza, com distinecao.
Pedro Hegino da Cunha Soutamaior, simplesmente.
Lingua inglesa.
1. anno.
Amonio do Carvalho e Scuza, repetente.
Antonio Epifanio de Carvalho Pimentel, approvado
simplesmente.
Joaquim Rudesimo de Albuquerque, idem.
Manoel de Carvalho e Sonza, plenamente.
2. anno.
Antonio Pereira Simoes, approvado plenamente.
Arithmelica.
Joaquim Anselmo de Hollanda Cavalcanie, appro-
vado simplesmente.
Geometra.
Antonio Epifanio de Carvalho Pimentel, approvado
. plenamente.
Desenlio.
Henrique Capitalino Pereira de Mello, approvado
simplesmente
Basilio Baptista Boaventura Rodrigues d'Almeida,
idem.
Perminio da Abren e Lima Figueiredo, idem.
Chrispim Xavier do Amaral, idem.
Manoel Colho dos Reis, idem.
Nao com parecerm exame, sera motivo justifi-
cado os Srs. :
Manoel Antonio Pinheiro Lyra, lingua nacional.
Allredo Euganio Corre de Oliveira Andrade, idem
Jos Francisco de Andrade Vasconcellos, idem.
Acacio Jos Moreira, idem.
Antonio Colho Pinoairo, latim, 1 anno.
Joaquim Anselmo de HoHanda Cavalcante(-idem,
V anno. Vs*
Joo de Freitas Barbosa Jnior, idem idem.
ASSOCIACAO COMMERCIAL BENEFI-
CENTE.Reuniram-ae hootem, em assembla ge-
ral, 81 accionistas desta corporaeSo, para proce-
derem eleicao dos merabros que faltavarn para
completar a directaria, sahindo afeitas os Srs.
P'-1 Fraga Rocha.
Joaquim Jos Gongalves Beltrw.
Silva Alves.
Gomes de Maltas & irmos.
D-. P. Wild.
Jos Mara Pestaa.
Manuel Pereira Lemos.
Alheiro, Oliveira & C.
Adriano, Castro & C.
Antonio-Jos Pereira Monteiro
remandes 4 Irmios.
S Laito & Irmos.
Martins & Leopoldo.
Manoel Alves Barbosa.
O vapor Paran levon lionten,
Praga, as seguinles quantias:
Para a Pmhyba.
a Natal.
o Maranhi.
o Para.
1:793*940
1:752*000
1:700*000
1:200*000
997*000
911*000
840*000
713*810
588*000
523*000
518*000
496*000
369*520
200*000
de nossa
27:000*000
30:000*000
16 840*000
f7:5O0*00O
THEATrtO SANTO ANTO.NIO.-Faz boje bene-
ficio n esse theatro maderaoiselle Brescia. O es-
pectculo variadsimo e parece ser muito re-
commendavel.
Sabbado faz igualmente beneficio n'esse thea-
tro mademoislle Singles. O programma deste
espectculo btante attrahente e a beneficiada
credora de sympathias.
JURY.Foi hontera julgado n'esse tribunal o
reo preso Candido Liberal. Findos os debates e
estabelecidos os quesitos, o conselho de julgamnto
negou a existencia do crime de araeagas, previsto
no art 207 do cdigo, em vista do que fofo reo
absoivdo e solt.
NSTRUCCO PUBr.IGA.-0 professor da ca-
deira da 2" aecgo da ra Imperial, acha-se no
exercicio do sou magisterio na casa n. 259 da ra
Imperial.
LEITURA PARA MENINOS. A' livraria fran-
ceza dos Srs. Lailhacar C, ra Primeiro de
Marco n. 9, acabam de chegar alguns exemplares
do Alforge da Boa Razao, obra publicada ltima-
mente no Rio de Janeiro pelo Sr. Brnno Seabra,
esenptor conhecido e dislincto do imperio. Nelle
vem reunida urna variada collecgo de mximas,
contos e proverbios extrahidos ora dos livros san-
tos e ora ae profanos, com judiciosa oscolha,
prendendo a attengo das criangas, qnem elle
expressamente offerecido, pelo mavioso da narra-
tiva e pelas ideas que expende.
Na falta em que vivemos de obras apropriadas
votos
t
a educago elementar, deve a prsenle ser acolhi-
da cora sineeridade e prazer por aquellas que se
ioteressam pelo desenvolvimento da ossa ioslruc-
go primaria.
SALO DE CABELLEIREIRO.-A' ra do Ran-
gel p. 1 acaba de abrir o Sr. Joaquim Moreira
Dias um elegante salo de cabelleireiro; no qual,
alm de perneados e barbas, trabalba-se em todas
as obras de cabello, taes que cadeias para relo-
gios, coques, trancas, etc.
JOVEN AMERICA.Reune-se hoje esia socie-
dade, em assembla geral, para proceder eleigo
da directora elfaetiv. Na casa, do coatume, s 5
horas da tarde.
PIRAPAMA.Chegon hontem da Granja o por-
ras intermedios este vapor da companhia Pernam-
bucana, trzendo datas: do Cear 12, do Ro
Grande 17 e da Parahyb.i 22 do corrente.
Encerram-se os trabalhos legislativos da
assembla do Cear. v
Pela presidencia da provincia foi nomeada urna
commisso, composta dos Srs. senadores Thomaz
Pompen de Souza Brasil e Domingos Jos Noguei-
ra Jaguarlbe, conego Hyppolito Gomes Brasil, Dr.
Gongalo Baptista Vieira, coronel Jcaqnira da Cu-
nha Freir, Drs. Manoel Fernandes Vieira e Justi-
no Domingues da Silva, para se encarregar de dar
execugo lei provincial que votou urna quantia
para a slforria de eseravos.
Para membros das coramissees encarrrgadas da
emanciparlo de eseravos nos termos, sedes das
camarcas da provincia, foram nomeados os juizes
de direito, municipaes, presidentes das cmaras
municipass, paroehos d.-.s respectivas freguezias e
nos termos que nao forem sedes os paroehos das
freguezias, juizes municipaes e presidentes das
cmaras.
No patacho porhguez Georgense chegaram ao
porto da Fortaleza, viudos da ilha de S. Miguel, 65
colonos, sendo 51 homens e 14 mulheres.
Em Pedra-Branca, Ciaudino Pereira da Silva
libertou a tres eseravos seus.
No Rio-Grande do Norte e Parahyba nada
occorrea que merega mengo.
RA DOS GUARARAPES.Informam-nos que
anda continan, os castigos immoderados de urna
senhora moradora na ra dos Guararapes, em
Fra de Portas, era ama sua escrava mulata,
qual queimou ltimamente sobre um dos olhos
com urna braza de Foro. Porque razo se nao poe
termo a semelhanle raartyno t
RA DAS TRiNGHEIRAS.Temos queixas con-
tra certas filhas ae Jerusalm, que se dizem ir-
mas, moradoras nesta ra, as quaes insultara os
vsinhos e os transentes, serapre que lhe< apiaz.
CLUB POPULAR.-Ha hoje sesso, sendo a or-
dena do diarevista do jomaos pelo Dr. Nobre,
conferencia sobre direito natural pelo Dr. Figuei-
redo.
HONRAS DO EXERfJTO.-Por decreto de 9 do
corrente foram concedidas as hoDras de brigadeiro
ao Sr. coronel honorario do exeretto Francisco
Joaquim Pereira Lobo.
SEMINARIO DE OLINDA .-O Exm. a Rvm. Sr.
monsenhor reitor acaba de receber do Rvm. Sr.
vigario da freguezia de Santo Amaro de Jaboato
a quantia de 200* para is obras do e3tabeleci-
mento.
IGREJA DO MONTE.Pouco on qaasi nada tem
adiantado, segundo nos informara, a obra da ro-
bera d'esta igreja em Olinda, apezar de j ter sido
recebido o importe do beneficio de ama ou duas
parles de loteras.
Pedem-nos que lerabremo3 ao Rvm. Sr. D. abba-
de (a S. Dent, que seapproxima a poca da festa
da padroeira dessa igreja, e que rouitos senliro
os devotos romeiros se nao fr ella feita ah, e sim
no convento dos religiosos benedictinos, como se
diz geraimente.
DESANIMADOR.De um trabalho notavel de
economa poltica, extrahimos o seguinte quadro,
que nao nada tranquilizador.
Em janeiro de 1870, achavam-se sem trabalho e
sem recurso de especie algaraa.
ttZl *"-* ."* ultimo coneederam ?
14 cartas de liberdade, sendo :
,Jl^*m?- SI*;D; Joacl0"a Francisca de Figuei-
redo, irmaa do defueto padre Lniz Jos de FiSuei-
redo, liberiou 10 eseravos : Herculno, ardo, d-
Jl annos, mestre de a*3ucar; Jos, pardo, de t
annos Vernica, parda, de 6 mezes; Mana, par-
da, de 33 annos, e mais 3 Albos ; Francehw, pr-
da, de H annos ; Sergio, plFoo, de 10 annos, e
Jos, pardo, de 6 annos.
0 pr. Dr. Manoel Vicente Ribeiro da Sorna dea
liberdade Manoel, africano, de 38 annos; e dea
150* para Antonio Alves Valoneo libertar a sera-
va Vicencia, conhecida por Bate, de 34 a*J*oe
parda.
O Sr. -Ignacio de Lovolla e Souza, octogeaario
den liberdade Lnzia, crioula, de 53 annos.
O Sr. Felippe Jos de Souza, morador era Ta-
muaia, em Timbaba, den liberdade as suas es-
cravas Mana, africana, de 60 annos ; Rufina, mu-
lata, de 24 annos, lilha der-ta; e Candida, mraiata,
de 4 annos, filha de Rufba,
A Sra. D. Ermelinda Mana de Jess, libertan
por um eonto de ris a Joanna, africana, de 3t
annos.
O aigcdo vndense na semana da 12 d
?era?2&.8*209l5k'h,S;e0aS9nCar
NOVENAS.Principiam hoje as novenas da
testa de Santa Rili, precedendo tarde a bencao
das imagens, segundo noticiamos hontem.
SANTA CASA DE MISERICORDIA DO RECIFE
O pessoal dos estabelecimentos cargo d'eta
santa casa no dia 31 de outubro, fot o segrate
Enfermos no hospital Pedro II 190
Filhos de enfermos 6
Enfermos no hospital dos lazaros 27
Ditos no hospital de alienados 76
Mendigos no h .al Pedro H 16
Ditos no AsylosP|t 98
Educandos no collegio dos orphos 82
Educandas no collegio das orphas 137
Ditas na c?sa dos exposlos 83
Meninos em criago 78
Empregados 89
Amas 79
Serventes 25
Total 986
Jos Dnarte das Noves 53
Bernardino Gomes de Carvalho 53
A. Valentina da Silva Barrroca 53 >
Antonio Ignacio da R. Medeiros 15 >
Joaquim Olyntho Bastos 19
H. H. Sirif! 18
DINHEIR. O vapor Pirapama tronxe para
os Srs.:
A. Alberto de Sonza Aguiar. 15:100*000
Luiz Anlodio Seqnelra. 14:312*380
Prente Vianna i; C. 4:000*000
Lniz Goocalyw 4a Silva A Pino. 2:M3#000
1:800*60
Na Inglaterra 50,000 homens
Na Hespanha 15,000
Na Italia 20,000 c
Na Blgica 10.000 <
Em Nova York 105,000 t
Em Philadelphia 50.000 c
Em Cincinnate 35000
Em S. Luiz 28,000
Em Chicago 20,000 C
D este pessoal 6:7 pertencem ao patrimonio dos
eslabelecimentas decaridade, 247 ao patrimonio
dos orphos e 112 aoasylo de mendicidade.
LOTERA.A que se acha venda a 171.' a
beneficio da nova igreia de Nossa Senhora jla Pe-
nha, a qual corre no dia 25.
PASSAGEIROS. O vapor nacional Pirapatnii,
viudo do norie, trouxe o? seguinles :
Tenente-coronel Jos Fernandes d'Aranjo Vian-
na, D. Luza Rosa de Mello, D. Malina Eneas de
Mello, Firmina Maria da Conceicao, Demetrio Goer-
nere, Peregrino Viriato de Medeiros, Manoel An-
tonio Ferreira Maia, Alexandre Luiz da Costa, Rav-
mundo Antonio d'Oliveira, Ciaudino Xavier da
Fonceca, Francisco Bezerra de Sonza. Agostinh..
Leite d'Aranjo, Joaquim Carlos d'Albuquerque.
Izidro Ferreira Maia, Antonio Ferreira Pinto, Jo-
I Prospero Cavalcanie, Antonio Veenia M. Martes.
I Antonio Laeava, Andr Cavalcanie d'Albuquerque.
Frederico V. Albuquerque, Alexandre Jos d'Ao-
drade, Jos Caetano 0. Monteiro, Candido Xavier
C. Vasconcellos, Galdino A. Sanios Lima, Joaquim
Rodrigues Ferreira e 1 eseravo, Jos Eslanislo
Galiana, Manoel Modest Pereira Lago, Joaquim
Paulo Rodrigues da Silva, Miguel Ricardo de Mo-
raes, Eslevao Jos d Silva, Francisco Tavws
Pessoa, D. Anna C. S Leito e 3 escrav.,?, to
Mandes e 1 eseravo, Antonio d'Oliveira Piolo.
Joao C. Pereira Pinta, Joanna Baptista da Val,
Libanio A. C. Pinheiro, Ladislao Adoipho de Sal-
les, Samuel Balkar, Antonio Fichine, Braz Fenme,
Joo Pinto, Paschoal Victor, Manoel Marque Ca-
raacho, Antonio Paschoal, Jos Rodrigues Chaves
da silva Lima, Fr. David da Natividade, Dr. Fran-
cisco A. S. Carvalho Jnior e 1 criado, Francisco
A. C. Lima, Benjamn Jos Baptista e sua molher.
D. Francisca R. Cesar do Nascimenlo o i lilhos
menores, 4 eseravos a entregar.
CEMITERIO PUBLICO.-Obituario do dia 21 de
novembro.
Augusto, pardo, 8 mezes, Boa-vista : convul -
goes.
Manoel Basilio, pardo, Pernambuco, 48 anno--,
solteirc ; tubrculos pulmonares. Hospital Pedro II.
Maria, branca, Pernambuco, 4 mezes; espasmo.
Jos, branco, Pernambuco, 20 me( os, Boa-vista ;
bexigas.
Flora Norberto do Sacramento, branco, Baha.
22 annos, casado, Santo Antonio ; tubrculos pul-
monares.
Anoi Joaquina do Espirito Santr, parda, Per-
nambuco, 60 airaos, _vuva, S. Jos; absesso no
estomago.
Ciaudino, eseravo, preto, Pernambuco, 22 anuo-,
solteiro, Graca; hypetropha.
Benedicto, eseravo, pardo, Pornambuco, 13 an-
nos, solteiro, Recife; congesto cerebral.
LEILAO.Hoje effectua o agente Martins as 11
horas do dia o lei Iao de 2 grandes espelhos a i
exceilente pianno e diversos movis, ra da in--
peratriz 20 3. andar.
PUBLICACOES A PED10G.
Os testamenteiros e socios do finado comrrenda-
dor Thoraaz de Aguino Fonceca, na sociedade qu
girava sob a Urina de Thomaz de Aqnino Fonceca
& C, lendo o acnoncio que os herdeiros do pri-
meiro matrimonio fizeram no Diario de Pernam-
buco de hoje, resaondem ao referido annuncio com
a transcripgo da condiego seliraa do respecliv
contrato.
t Por morte de qualquer dos associados, se pro-
ceder immediato balango, para se prscisjr o
capital e lucros do fallecida, e para liquidaran <-
ajustamento de rentas tero os socios sobreviven^
les o pra,o de um anno, para entregar o lio,un
perlencenle ao fallecido aos seus herdeiros e sue-
cessores, em dinheiro, fasendas e dividas, jp*
?inda por ventara nao estejam liquidadas. > '
O que est determinado n'esla condiego o
que se ha de cumprir religiosamente, entraado a
firma de que fez parte o referido commendador.
em liquidago na coofermidade do contrato e d.t
lei que rege a materia, a saber : os arts. 3dS, 33."i
n. 4 e 344 do cdigo commercial.
Sendo os annunciantes socios gerentes a elle-
competem a liquidac'>, que se ha de fazer, nio *
vontade delles, mas pelo que clara e terminante-
mente dspfle a lei citada e o contrato social.
Recife 22 de novembro de 1870.
Francisco Joaquim R- Brito.
Corbeniano i Aqnino Fonceca.
JOGO DE PALAVRAS.-A Gazela da Cruz pn
blica o seguinto jopo de palavras, qne damos era
francez, para Ihe nao tirar o mrito.
La chul de Fempire.
L'erapire respiro (8 mai).
L'empire aspire (14 juillet).
L'erapire tire (12 ant).
L'empire se retire (A aoul).
L'erapire eroplre (1431 aoolJ..
L'emaire expire (2 Septembre).
CIDADE DE GOYANNA.-Reeebmos hontem o
JWfitnfil, de 8 e lt do corrale.
AttenpaS
0 abaixo assignado avisa a qnem interes-
possa, que a casa terrea n. 11 a ra de Mathii*
Ferreira, da cidade de Olinda, oerteoceote ao
herdeiros de Maria Joaquina da Paixo, ihe est
hypothecada, e que no juizo municipal daqi.
cidade, trata da cobrsnca da dita hypothta, "toa
chegando o valor da dita casa ptra aeu pagamen-
to, anda foi constrangido a pagar 5 annos da d-
cimas, remindo a na juizo dos fetos da fazenda
onde j suva arrematada, com o que dtspeadei.
a quantia de dozentos e viole e dous mil e in-
taotos reis; e porque cbayassa a sna noticia qn


3U
mmmi i*mmm\
ernambtkco Quinta feira 24 de Novembro de 1870
BM M** H ^V ?K QMM
a3aS5ega-
Rendimeoto da dia 1 a it.
. dem. do dia. 23 .
Movimiento da alfaadega.
aquelles herdeiros pretendan), fazer venJer a"n-"
(erida casa rejfKkdamente, a pretexto de paga-
mento de euatae Jinventario, parnlhas, sob par-'
Ulnas, ele., o hUo a Vigiado protesta desde- ja
proceder coMr* .qetom quer que concorrer para
semelhante eetefltato, visto serem aquellos ner-
deiros tambem responsaveis pela bypotheea por
terem assignado a escriptora com a flnada Maria^
Joaquina da Paixio : ofUMs ig*melle, qW Vormaeemtradee-OTa*
em lempo o juizo coDjigtente>rovara, que r.ao
ha>ia fazenda snffleienffpara se preceder taren-
uo por fallecimento llttroella Mara JoaMHM da
Paixio, porqnanto o unioo bem por ella deixiao,
fora a casa referida, cajo valor nao exceden a
400* rs. entretanto, qee emente o principal jeroi
da j referida hypotbee* excede a 800*.
Recife 22 de novembro de 1OT0.
Jas Vicente de Lima.
mmtmt
QWUM
719:1101
Ao publico.
T -com^nerS. _U
Volua* saidos coa lajeada 173
, > com gneros 91
641
264
dias antes do priraeiro em qne dore comeeai
am de tirar o ponto da dissertaeao
.oadq.; ffaras da manbia, e perante
mare ntrao d j sorteados
-3re*rtt oVhculdade de direito do Recife 13
diiswsiiiw He 1870.
O offlclai no impedimento do secreta rio
l i1 yii
DECLARACOES.
O abaixo assignado apresta se responder aos
Srs. Antonio Lulz dos Santos e Bario no Lrvra-
ment direndo Ihe qne, suas senhorias nao sao
exactos quando doclaram ao publico qne se achara
de accordo com o Sr. Dr. Jos Bernardo Galvo
Alcoforado em todo qnanto este senhor tem felto
para a desspropriacio do terreno Olho de vidro
em Parnameirim; visto qne, aquello senher nada
tem feito tal respeilo, nem poJia faier, ama vez
que, pelos consenhores do referido sitio foi conce-
dido a cempanhia dos irilhos, o transito comas
condicSes que saas senhorias assignaram ; e sao
ellas : Conservacao do sitio vedado ao transito pu-
blico por meio de um porlao e vigia constante,
indemnisacio que amigavelmente fosse arbitrada
pelo cons&co voluntarlo.
L' justamente isto que do so > Sr. Dr. Jos
Bernardo como suas senhorias se comprometi-
ram. Mas que, pelo relaxaraento da administra-
cao da eraprexa, se nao pode faier effeclivo ami-
ga vel mente, motivos pe! quaes o Ilustre doutor,
por meio de quatro demandas, tem frustrado at
ao presente, roduxindo assim a pobre e misera
viuva meeira i estado de mendieidade, com o
que omite se tem indisposto o publico contra a
companhia dos Irilhos e seus administradores es-
tigmatizando tio inslito procedimento.
Nao venham, portanlo, os senhores de Santos e
Livramento faier ver ao publico que, sao > soli-
darios com o senhor dontor em desapropriaroes,
nao s porqae se nao tracta d'esse caso, como
porque se de tal se tratasse em nada se lornariam
admiraveis.
Agora se Ss. Ss. querera de desviar sobre si
encargos de consciencia, sejam rrancos, digam ao
publico, nos em materias de direito somos leigos,
por conseguinte assignamos de cruz o qae escreve
a doutor, visto qne elle enlende do ritcado, se
pcccamos por conta d'elle.
O que verdade qae os proprietarios do sitio
cavalbeirosamente conseulrara em que fossem affl-
xados os irilhos antes de pagos do valor da des-
apropriacio e qae em retribuieao esse sea pro
cedimenlo tiveraro de ver o sea sitio todo estraga-
gado, entregue a inva.-io dos transente!., levan-
tando-so ni lie obras de pedra e cal, quando deram
consentiraento s para assentamento dos trilhos e
sendo decorridos mais de 4 annos nem ara viatem
tem receido sendo forrados entreler quatro
demandas I I
-Note-se que o pretexto qae os consenhores nao
quizerara receber urna paga rasoivel; mas cha-
mam preco rasoavel o que o Sr. Dr. Alcoforado
em sea mero arbitrio quiz irapor aos proprietarios,
e julgam de-culpar-se com esse pretexto, quando
certo qne quem quer pagar, e o credor sem ra-
zio recusa.receber, ao menos deposita, que o
que atiesta a vontada de pagar o qne devido,
mas o Sr. Dr. Alcoforado entende qne esse depo-
sito nao pode permanecer em melhor lugar do
qne era saa algibeira e de seus companheiros, o
seja bem pro telado quatro annos sem ha ver ao
menos sentenca em primeira instancia.
Quanto nao poder ainda protelar at a effecti-
v indemni-acao dos proprietan is qae lio cava-
Iheiros foram para com a empreza ?
Ja veem os Srs. de Santos e Livramento que os
proprietarios teem toda a razio de queixar-se,
sempra, apszar que o capricho parle de outros
que nao suas senherias e neste juizo ainda per-
manecen) embora a generosidade com qne suas
senborinbas teem procurado amparar o Sr. Dr.
Alcoforado contra a odiosidade que o cerca em
r Jacio a esse negocio.
Recife, 21 de novembro de 1870.
Jos Antunes Guimaraes.
Descarreg am tale 24 de ouluhro.
Brigue portugoet/u#w-diversos gneros.
Briau portugus .aia dem.
BarcIngleza Kahinoor diversos geteros e
GaeraingleaHrmwii-diversos gneros.
Brigue inglez Wild Ware-lrilhos de ferro.
Barca portugueza-Cknwnina-diveraos Meros.
RECEBEDRW DE RENDAS INTERNAS
GERAES DE PSRNAMSUeO
Rendimento do dia 1 a 22. 3?:W189
dem do dia 23 1:476*214
41:578*403
CONSULADO PROVINCIT3
Rendimento ds dia 1 a 22. SO:212*5li
dem do dia 23 .... 4:135*914
54:348*498
MOVIMENTO DO PORTO
*
Navios entrados no dia 23.
Rio Formoso6 horas, vapor brasileiro Parahyba,
de 104 lonelladas, cornmandante Oliveira, equi-
pagera 14, em lastro; a companhia Parnara-
bueaaa.
Granja e portos intermedios9 das, vapor brasi-
lero Pirapama, de 312 toneladas, cornmandante
Aievedo, equipagem 30, cari: difereutes geno-
ros; a companhia Pernambucaua.
Babia6 dias, barca portngueza Clemenlina, de
284 toneladas, capitio Manod dos Santos Silva,
equipagem 13, carga 2,500 saecos com farinha
de mandioca e outros gneros ; a Joaquim Jos
Goncalves Beltrao. '
Terra Nova-27 dias, barca ingleza Lavmta, de
251 toneladas, capitio M. Kenzl, eqafpagem 13.
carga 3375 barricas com bacalhn; a Sawnders
Brothers & a
Terra Nova42 dias, barca ingleza Stella, de 21J
toneladas, capilio lames Freine, equipagem 13,
carga 3037 barricas com bacallao ; a Sawndres
Brothers & C.
Ierra Nova39 dias, brigue inglez Audax, de
199 toneladas, capitio Hambly, equipagem 9,
carga 2556 barricas cora bacalhao ; a Sawnders
Brothers 4 C.
Cardiff 43 dias, escuna ingleza Mury Anmng, de
168 tonelada?, capilio W. K. Murpby, equipa-
gem 8, carga carvio; a Thomaz JerTeries 4 C.
Cette48 dias, barca franceza Mxico, de 199
toneladas, capitio Penny, equipagem 11, carga
vinho e outros gneros; a Tisset frre.
New-York51 dias, patacho americano Leonora
Meger*, oa 204 toneladas, capilio Hicks, equipa-
gem 8, carga 2,000 barricas com_ farinha de
trigo e outros gneros; a Tasso Irmio.
Navios saliidos no mesmo dia.
Portos do norteVapor brasileiro Paran, cora-
mandante Moraes, carga varios gneros.
Cabo YerdeBrigue portuguez Relmpago, capi-
lio Joio Epiphanio da Silveira em lastro.
ParahybaBrigue mgle Monarca, capitio Curre ;
em lastro.
Observando.
Saspendeu do lamario para o Rio de Janeiro, o
brigue portuguez Adelaide capilio Joaquim de
Oliveira, carga a meama que trouxe do Ass..
Consliw de coapras navaes
O oonseilrtfomovo no dia 26 d corrent* max,
i vista de arifosias recebHw at aa H horas da
manba>e sobas condicdM do eslylo, a compra
dos otfaetos do material-da armada seguimos :
10 baldeadeiras de.folha, 10 duzias de chicaras e
pires de JMba, 30 cavados de uaasco de lia en-
ftstado, lafooiz Wh, 100 lampioes de folhs
para illuminacio, 100 lapes de cores, 200 lapes
pretos,"l-ocntosTlratcancB, 8 dorias de tlgelas de
folba dobrada, o 6 varoes de ferro quadradodei
polegalas em quadro.
Tambem o consellvo por igual forma contrata no
mencionado" dl 'So rio corrate mez o forneclmen-
to de cemento romano de boa qualidade par as
obras do porto, tendo cada barrica nnca^mno?
de 10 arrobas de peso. .
Sala das sessoes do eonselho de compras navao>
23 49 novembro de 1870.
O secretario,
Alejandre Rodrigos dos Aojos.
PAMPA Mil A
BEBRIBE
O caixa interino desU companhia, o Sr.
Corbiniano de Aqaino Fonseca, acha-se ao-
torisado a pagar no 9eu escriptrio roa do
Vigario n. 19, das 10 horas s 3 da tarde,
o 45 dividendo desta companhia na propor-
(3o de 3# por cada acr;ao.
Escriptorio da companhia do Beberibe
22 de novembro de 1870.
O secretario,
Dr. Prxedes G. de Soim Pitonga.
a orchestra tiver dosempenhado urna
ljhores ouverturas, dari priicipio o di-
\ qae sera honrado com a assistencia do
; presidente da provincia.
Primeira part.
Representar-se-ha a muito linda opereU em nm
acto,
U NU1TE BLANCttfi,
aa qot iornrn parte os ardsUs Mrs. Maris o Ca-
n.n a benefldada.
Segunda parte.
l. Cinconeta
VAI8EZ-VENS JDSEPH
desempenhado por Mlle. Mariette.
2." Couplato
DES ROItDE LA BELLE HELUNB.
cantado por Mr, Carn.
3. Romance i^^-i^
LESTEMPSDE,CERISES
exhibido por Baynand.
4." Valsa, deserapenhada pela beneficiada.
8.' Canco _______ _________
OH i LA I GROS JEAN A BORRE'
cantada por Mr. Maris.
6." Aria da opera
TROVADOR
cantada por Mme. Valmonca.
Tefcetra parte.
A nova e mato linda opereta em um acto,
UN SOIRE CHEZ MLLE. C03TATS,
na qual tomam parte Mme. Valmonca e a beneli
ciada.
E' esle o dlvertimenlo que a beneficiada tem s
honra de apresentar ao respeitavel publico per'
oamcacano, de quera espera todo o apoio e pro
teccio.
A beneficiada, era um dos intervallos, ir aos
camarotes agradecer a todas as pessoas que se
dignarem honrar o seu espectculo.
Havera um quarto de hora depois do espect-
culo uro trem especial que tocara em todos os
4, pontos da Imha at Apiparos.
Os bilhetes acham-se venda em mi da bene-
ficiada, e no dia do espectculo no escriptorio do
theatro. "
Principiarais 8 e 1|4 horas
-r^
_
fFfW
dezas a frote : a tratar com o respectivo consig-
natario Joaquim Gorardo de Bastos,. ra do Vi-
gario n. 16, Io anhar._____________________
~
SF
Para o referid
o patacho
irtt segueiianlro onv pouoaa
nal Calad' por ter a malor
rcada, e par o resto que las
:os, iratt-so com o conaignattu
rio Joaquim Jote Goncalves Beltrao, roa do Com-
marcio n. 17.
IIIJ I lllBBWgg.......
Me da carga
a pregos
Alngare
um casa com mnilos cnamodos para familia, na
roa augusta n, 71 : a.ttaiar na roa de ro A-
fonso, ontr ora ra da Praa n. 20.
Ka ra das Cnuos
ama paraandar com menino*.
d. 15 offereee so nma
Ama
PrectaMe alugar na ama para enzinhar e en-
gommarpara casa- da pone TamlH, no ArraiaL
sitio da bomba : a tralar no pateo de S. Pedro
n. 11. _
LEILOES.
oiqo1
LEIHO
DE -
dous ricos e grandes espelbos, um excellente pia-
no forte de Jacaranda, urna cadelra para o mes-
mo, seis cadeiras de Jacaranda, nm importante
gnarda-roupa de amarello, nma columna de
rooguo com pedra, 24 cadeiras de amarello obra
multo bem feita, 2 consolos de raz de amarello,
i mesa elstica de amarello, 1 retogk) de parede,
3 lantereas de vidro, 2 duzias de calis para
champagne, 1 temo de bandeijas de chario, 1
par de lanlernas pequeas, 1 candeiro de gax,
garrafas para cheiro, 6 tapetes pequeos, es-
carradeiras e raaitos oatros obje tos.
iio-ii:
O agente Martins fara leilao dos importantes
movis cima, por conta de ama familia que ron-
dn de residencia, no terceiro andar do sobrado
n. 20 da ra da Imperatriz, s 11 horas do dia.
EDITAES.
Arrematapao.
Vai a praca de novo no dia 24 de oorrente de-
pois de nda a audiencia do Dr. juiz de orphios
a parte do sobrado da ra do Piar n. 23, avaha-
da por 816*666 rs. com o abat da quinta parte
este qnantia.___________________________.
circular 9&-
Ministerio dos negocios da fizenda.Rio de Ja-
neiro 11 de novembro de 1870-Praooisco de Sal-
les Torres Hornera, presidente do tribunal do the-
souro nacional, ordena aos snbores inspectores
das tbesoararias de fazenda qne sobrestejam, at
segunda ordem, na venda de apolices da divida
publica. _
Francisco de Salles Torres Homem.
AVISOS MARTIMOS.
1 V
Ao Dr. ilva Ranos.
Pergunta-se ao Sr. Dr. Ramos se as tiu-
vidas qoe maniestou acerca da molestia do
Dr. Victoriano de S e Albuquerque se
acham j dessipadas pela analyse chiraica
feita na Babia e nesse caso esclarece ao pu-
blico com sua opiniao actual.
protectobTms familias
Os senhores contribtiintes a essa associa-
?ao que prefoiem mandar pagar suas annui-
dades nesta provincia, podero dirigirse a
ra do Livramento n. 19, 1. andar, antes
do dia 10 do prximo mez de dezembro,
afim de que os fondos possam chegar na
sede da associa^lo no Rio de Janeiro antes
do seu vencimento 31 de dezembro de 1870.
Recife 15 de novembro de 1870.
Narciso Francisco de Vidal.
N. 421.TRIUMPHOS DO GRANDE CATHAR-
TICO VEGETAL. De todas as partes do mundo
correm abundantemente continuadas provas da
grande effkacia das pilulas assucaradas de Bris-
tol. Nos lugares pantanosos e infestados de febre
biliosas, calefrios e sez3es, os ?eus resultados teem
sido maravilhoso. Urna carta de um medico d'alli
diz : c ellas esli pondo um termo final as febies
intermitientes nwtas paragens. Eu as receito para
todos os casos biliosos, e as lenho como o melhor
medicamento de familia que jamis temos possui-
do. Nao menos extraordinarios sio 9eus effeitos
nos casos de indigestio e em todas as aolestias
provenientes do ligado e intestinos. A suavidade
e brandura de sua accio, admira a todos que as
tjmam pela vez primeira, em quanto qne suas
qualidades investigadoras sio applaudidas com
particular emphase. Ellas estio rpidamente sup-
lantando esses velhos e caducos purgantes drs-
ticos ; e o facto dellas nao desmereeecem pela
conservaciD achaodose ntidamente acondiciona-
das dentro de vidrinhos, lhes di nma immensa
vnntagem sobre aquellas feoecentes pilulas, cuja
existencia lio precaria como o 9o suas virta-
des. Em todos os casos provenientes ou aggrava-
dos peh estado impuro da massa do sangue, a
saUaparrilha de Bristol, deve ser asada juntamen-
te com as plalas.
N. 422.-INVALID0S RACIONIS.-Urna meia
duzia de palavras simples e serias com ajgum
dentre vos outros que soffreis de indigestio, e
soa costuaiada coropanheira prisao de ventre ha-
bitual. Desejais allivo sem prostraccio, e nma cu-
ra rpida sem dores. O meio de alcancardes a-
quplle allivio, e de conseguirdes aquella cura, vos
offerecida debaixo da forma das pilulas assuca-
radas de Bristol; o nico cathartieo e alterativo
. xistente, o qnal abre as pasagens obstruidas dos
intestinos sem czusar o menor desmaio ou ancia9,
e torna a restituir ao estomago e ao ligado, o vigor
que Ibes bavia sido roubado pela moleslia. Este
desobstruente natural nunca eofraquece orgao al-
gum cu abate as forjas geraes, ao contrario elle
infallivelmente renova a satide natural do appare
llio digestivo e dos vasos secretorios. Raramente
str preciso chamarse um medico na casa em
que este separo e todo poderoso remedio de fam[-
lia existir, e bom ser qne todo o boro pai e mai
dfl familia o tennam sempre i mi. As pilulas
vio mullidas dentro de vidrinhos, e por isso a sua
conservacao duradora em todos os climas. Em
todos os casos de impurezas do sangue, a salsa-
parrilha de Bristol deve de ser administrada jun-
i a mente com as pilulas.
CmmcRCIO.
PRAGA DO RECIFE 23 DE NOVEMBRO
I TE 1870.
AS 3 i/ BOBAS DA TABDE.
Cotacoes officiaes.
Aigodio 1" sorte36 rs.por kll.
Cambio sobre Londres 90 d/v 23 d. por 1*000
(honteii). ... ,
Cambio sobre e Porto 90 dpr 130 0|0 de pre-
mio.
oncalo Jos Alfonso,
Presidente.
Mosquita Jnior.
Secreiario.
A cmara municipal do Reeife, tendo de
construir um grande mercado nesta cidade, con-
vida aos Srs. engenheiros e contratantes de para, dentro do praso de dous metes, a presenta-
ren seus planos ; e, para mais facilitar esse tra-
balho, offereee as bases seguinte?, que soffrerio
as modiflcacSes reconhecidas necessarias :
c O novo mercado publico ser construido no
centro da praca onde actualmente exisio o mer-
cado de S. Jos, no espaco comprehendido entre a
ra de Pedro Aboso e o muro actual do hospi-
cio da Penha no prolongamenio da roa de S. Jos,
t O novo mercado dever apresentar urna su-
perficie coberta de 3,500 metros quadrados pouco
mais ou menos.
a Ser de ferro fundido, ferro batido, alvenana
de tijolo ou pedra de cantara, on de granito do
Rio de Janeiro. O travejamento da coberla sera
de ferro batido do melhor systema adrailtido, c as
telhas serio de ferro, onduladas gal/anisadas, ou
de barro chalas modernas.
t Tora passeios em roda, de 2 metros e 2r> de
largura calcados com lages de L.iiboa, assim como
ras espaoosas. Ter a solidez necessaria para um
edificio destinado a um servico publico qae nao
deve ser nter rompido.
Ser de urna architectura simples e elegante.
Dever ser construido de tal maneira qqe a
crculacio seja fcil, que seja bem arejado, e que
se possa fcilmente entreler um grande aceo.
a As paredes do edificio at urna cena altura
serio de pedra de cantara de Lisboa ou Ue alve-
naria de tijolo guarnecido de azulejo, para se
poder constantemente conserva-las limpas.
f Todo o pavimento ser lageado com pedras
de Lisboa, escolhidas e as lages serio assentadas
sobre carnadas de betume ou cemento, confgrme
fr reconhecido o melnor.
O edificio ser feixado ; as abertas inferiores
menos as destinadas pora as entradas serio guar-
necidas de veDeziinas, que sirvam para defender
o interior entra o sol, as chuvas e grande vente,
sem contado interceptar toda claridade.
As venezianas internas serio de vidro, con-
forme as que se tom empreado nos novos mer-
cados da Europa ltimamente.
Na coberta ou prxima a ella dexar-se-hao
abertas, de maneira a dar maior claridade ao edi-
ficio e arejar a parte superior.
t A divisio interna ser feita de maneira qne
tenha Unto quanto Or possive ignaldade de van
Ugem nos logares.
t As ras n passagens internas serao pelo me-
nos de 2 metros de largura e os higares para os
vendedores terio a mesma dimensi).
Os balcoes ou mezas serio de msdeira ama-
rello, o as lampas de pedra brauca de mar more.
As entradas do edificio terio grades e portoes
de ferro.
O edificio.9er dividido da seguinte maneira:
t 1. Urna parte dostinada a venda das carnes
verdes de bois, carneiros, porcos etc.
2. Urna parte para a venda de ferraba, legu-
mes etc.
3. Urna parte para a venda do peixe.
4. Urna parte para a venda de verduras.
Dever ter no mesmo edificio :
< 1.* Um corpo de guarda.
2. Um logar para o porteiro.
t 3.* Um lugar para o administrador.
* 4.* Latrina publica.
t Para commodidade dos vendedores e aceeio-
do mercado, dever ter prximo ou dentro do edi
ficio como se julgar mais conveniente agua cora
abundancia ; duas on mais fontes sao indispen-
"saveis.
c Os concorrentes deverao apresentar os dse-
nhos eguintes:
t Urna planta geral onde se ache radicadas as
entradas das roas qne dao para a praca; na es
cala 0,001m. A1U11(
Ura plano do mercado na escala de 0,005 m.
Dezenho do corte e elevaeio longitudinal i
transversal na escala de 0,01ra.
t Dezenhos representando a elevaeio e detalh
das princlpaes jontas das pecas di ferro batido ou
fundido, assim como do systema da coberla n
ef cala de 0,10m.
Estes dezenhos serao acompanhados de urna
deseripeo circnmstaneiada de todo o edificio da
quaHdade dos materiaes e o systema de asinta-
los. >
Consulado pro\incial.
Na forma do arL 50 1 da lei provincial n.
963. avfca-se por esta repirticao, a quem interes-
ar possa, qae com o raes de dexembro prximo
abre-se o praso de 30 dias all marcados para o
pagamento voluntario dos imposto da decima
urbana e den OtO sobre a rend dos bens de raiz
de corporales de mi mora, relativos ao 1 se-
mestre do corrente anno financeiro de 1870 71,
incorreudo os contribuiutes que nao realisarem o
mesmo pagamento no referido praso, ne commi-
naci do 3 do citado artigo.
Consulado provincial 21 de novetnrabro de
1870.
Se-vindo de administrado"
A. Witrnvio P. B. e Accioll de Vasconcellos-
COMPANHIA BRAS1LE1RA
DE
Paquetes a vapor.
i i_ Dos portos do norte 6 esperado
ateo dia 36 de novembro o vapor
Tocanini, cornmandante Jos Ma-
ra Ferreira Franco, o qual de-
pois da demora do costme se-
guir para os portos do snl.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
larga que o vapor poder conduzir, a qual deven
ter embarcada no dia de sua chegada. Eneommen
Us e dinheir a frete ate as 2 horas do dia da su;
lahida.
Naoserecebemcomo encommendas senao ob
lectos de pequeo valor e que nao excedam a daai
arrobas de pese ou 8 palmos cnicos de medicio
rudo que passar oestes limites dever ser embar
;ado como carga.
Prevne-se aos senhores passageiros que sua^
passagens s se recebem na agencia, ra di Crm
o, 87 primeiro andar, escriptorio do Antonio Luir
de Oliveira Azevedo 4 C. ___
Ama
Pweiaa-se de urna mnlatinha da idade de 10 a
II anaoa para tomar cunta de nma crianza : a
tratar na ra estreita do Rosario n. 14.
Alugnel
Aluga-se urna sofffive t isa de vi venda e sitio
com bastantes e boas frueteiras, boa agua de be-
ber e banbo prximo casa, perto do povoado do
Caxang : quem a pretender enlenda-se na esta-
cao das Cinco Ponas com o seu ebefe, on as
obras publicas cot o capitio Francelino._______
Ama,.
Na ra estreita do Rosario n. 28, precisarse de
ama.___________________________________
O Sr. Joio Marques de Freilaa^ Quintarles
tem urna carta vinda de Portugal na 'ra Duque
de Caxias, lo ja da Boa Fama n. 35.
m.
SANTA CASA DE MISERICORDIA DO
RECIFE,
A Ulnia. junta administrativa da Santa casa de
Miser c rdla do Recife manda fazer publico que
na sala de suas sesjrJes, no tta 24 de outubro, pe
las 4 horas da tarde, tem de ser arrematadas a
quem mais vantagens offerecer pelo tempo de um
a tres annos, as rendas dos predios em seguida
d00laESTABELEC[MENTOS DE CARIDADE.
Ra de Santa Rita.
Sobrado n. 41........1614000
Ra larga do Rosario.
Segundo andar do sobrado n. 24 A 3030000
Cinco Pontas.
Casa terrea n. 70.......221*000
Ra do Nogueira.
Casa terrea o. 17......303#009
Ra Ja Matriz da Bea Vista.
Casa terrea n. 36......T- 2024000
PATRIMONIO DOS ORPHAOS.
Ra do General Victorino.
Casa terre n. 13................... 240*000
Ra de S. Jorge (ontr'ora Pilar)
Casa terrea n. 108................. 22*^5S
dem idem n. 103...........-...... 18'*5S2
dem idem n. 99................... 345*000
dem idem n. 96................... 20?*S22
dem idem n. 94................... 20**J
dem id.-m n. 32.......161*000
Os pretendentes deverao apresentar no acto da
orretnatacio as snas fiancas, on comparecerem
acompanhados dos respectivos fiadores.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do Re-
cife, 18 de outubro de 1870.
O eserivao,
Pedro Rodrigues de Sonza.
DB
fazendas diversas
Hoje 24
Magalbes Irruios continuarlo o sea leilao, por
intervencio do agente Oliveira, do mais completo
sortimento de fazendas finas, as mais proprias do
mercado, e chapeos de feltre
QUINTA FEIRA
pelas 10 horas da raanhaa, em sen bem conhecido
armazem sito ra da Cadeia, alias do Mrquez
de Olinda.
AMA
Pi ecisa-se de urna ama pa-
ra fazer o servido de pequea
familia, a' qual se dar' bom
ordenado: na ra de S. Jor-
ge, outi'ora Pilar, n. 138, Io
andar._________________
AMA
Precisa-se de urna ama para comprar e cosinhar
para duas pessoas, pateo da matriz de Santo An-
tonio n. 12.
HOJE
Por intervencio do agente Pontaal vai hoje
leilao na roa do Imperador o. II, ara cabriolet de
duas rodas com todos os pertences, em perfeito es-
tado, s 11 horas da manhaa, por occasiao do leilao
dos movis.
4
Faculdade de Direito
do Eecife.
De ordem do Exm. Sr. director e em cumpri-
ment do art. 78 ,do rognlameBio complementar
dos estatutos, fago publico qoe ao bacharel Fran-
cisco Antonio Fifgneiras Sobrinbn foram mareados
para deftadaeju Ineses que apresentou, os dial
i e 3 de dMeSbro prximo vindouro ; devendo o
mesmo bacharel comparecer nesta secretaria tres
Pela recebedoria de rendas internas geraes
s faz publico que nesle mez de novembro que
se finda o praso do pagamento, sera multa, do im-
posto pessoal, relativo ao semestre do exercicio
corrente de 1870-71 findo o qual ser cobrado
com a malla de 6 010.
Recebodaria de Peruambuca 2 de novembro de
1870.
O administrador,
Mano,l Crneiro de Sonza Laeerda
SANTA CASA DE MISERICORDIA DO
RECIFE
A junta administrativa da Santa Casa, precisa
contratar com quem por menor preco fizer os
concerlos de que aecessita o cano que conduz
age da caraboa para a casa da lavagem de rou
pa existente no collegio de Santa Tbereza em Olin-
da, como as racnadnras que esli as paredes da
dita casa, reboca-la por oentro e por fra e fazer
de um lado um paredio na oxtensio de 40 pal-
mos.
Os pretendentes deverao ir examinar os repa-
ros de que necessita dita casa e apresentar suas
propostas, quinta-feira pelas 3 horas da tarde na
sala das essoes da junta.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do
Recif9,19 de novembro de 1870.
O eserivao,
______________Pedro Rodrigues de Soma,
SANTA CASA DA MISERICORDIA DO
RECIFE.
Perante a joma administrativa desta santa casa
tem de ser afralos os terrenos ns. 39 e 40 no
lagar dos Arrumbado? em Olinda, os quaes ontr'o-
ra estiveram alorados Manoel Jos Lopes Braga,
qne fez cessio de semelhante aforamento.
Os pretendentes deverao apresentar seas reqae-
riraentos na secralaria, onde poderio receber a*-|
iafermacOes qne precisaren).
Secretaria da santa casa de misericordia do Re
eife 16 de novembro de 1870.
O eserivao,
____________Pedro Rodrigues de Sonza,
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DB
Savc?:ac5o coate!* por Tapor
Macei, escalas do Penedo.
O vapor Giaui, cornmandante
Macedo, seguir para os portos ci-
ma no dia 30 do corrente as S horas
da larde.
Recebe carga at o dia 29. en-
commendas, passageiros e dinheir a frete at s
2 horas do da da sabida, no escriptorio do Forte
do Mattos n. 12.______________ ..
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DB
NaTegacSo coslclra por vapor
Porto de Gallinlias, Rio Formoso e Taman-
dar.
O vapor Parahyba seguir pa
ra os portos cima no dia 30 do
corrente a me'm noate.
Recebe carga, encommendas,
passageiros e dinheir a frete no
escriptorio do Forte do Mattos u. 12. _____
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Savegacao eosteira por vapor.
Goyinna.
O vapor Parahyba seguir para o
porto cima no dia 26 do corrente as
9 horas da noite.
Recebe carga, encommendas, passageiros e di-
nheir a frete, escriptorio no Forte do Mattos
n.12.__________________________________
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DB
costeara por vapor
Mamanguape.
O vapor nacional Cortirtpe,
, cornmandante Silva, seguir
para e porto cima no dia 28
do corrente as seis horas da
tarde.
Recebe carga passageiros,
encommendas. e dinheir a frete at as2 horas da
tarde do dia da sahida, no escriptorio do Forte
do Mattos n. 12._____________
GOMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Navegaco costeira por vapor,
Parahyba, Natal, Maco, Mossor, Ara-
caty, Cear, Maodah, Acarac e
Granja.
O vapor Ptrapatna cornmandan-
te Azevedo, seguir para os por-
tos cima no da 30 do corrente
as 5 horas da urde. Recebe car-
ga at o dia 29, encommendas
passageiros e dinheir a frete at as 2 horas da
tarde do dia da sahida : escriptorio no Forte do
Mattos n. 12. ______
Ama
Precisa-se de urna ama que saiba cozinhar
tratar na ra do Codorniz n. 8.
ATTENCAO
Divide-se nm sitio no Campo Grande, perto da
estrada de ferro de Olinda, pelo qne s? vende ter-
renos com quinhentos e tantos palmos de fondo
e com alguns arvoredos de frncto, sendo o terre-
no mnito bom de plantario, e chaos proprias :
quem pretender dinja-se ra do Imperador n.
54, livraria, que se dir com quem se pode tratar.
DE
WIOBILIAS
de Jacaranda a Lui XV, ditas de amarello com
pedras, guardas-loucas, mesas para jantar, camas
para casal, commodas de Jacaranda, ditas de ama-
rello, secretaria com estante para livros, marqne-
zdes, espelhos grandes, gnarda-roapa de mogno,
marquezas, nm pequeo bilhar com os competen-
tes utencilos, mesas para jogo, cadeiras avulsas,
consolos, ralogios para mesa, arandellas a gaz,
candieiros, tinas, louca para almoco e ranitos ou-
tros objectos
Sexta-feira 29 do correte,
pelo "agente Pontnal, na ra do Imperador n. 16, as
11 horas em ponto, ao correr do martello.
AVISOS DIVERSOS.
Ama
Precisaise de urna ama para cosinhar
lar na ra da Alegra n. S.
tra-
Caixeiro
Offereee-se nm moco com pratica de taberna
i tratar na ra da Cracprriia n. 23.
Precisa-se de um caixeiro que tenba pratica
de taberna e de fiador a sua conduca : tratar
na ra de Paysaml n. 39, esquina da ra que
vai para o hospital portuguez.________________
m af m Precisa-se de nma ama: ra da
M.if*im.Soledden.52.
avegaco
iffff*
PARA'
THEATO
C01PAIH FRANCEZA
BENEFICIO DA ACTRIZ
Soire para familia*
QAtfa-feira 24 do correte
LINDO E VARIADO ESPECTCULO
Dividido em tros partea.
Segu com brevidade para o porto cima o pa-
tacho Mario, para o resto da carga que Ihe falta
tratase com Pereira Vianna 4 C, ra do Vi-
gario n. 11. .______________
INSTITUTO ARCHEOEQGKO HMRAPVIGO
E PERMMBIUD
llavera sess5o ordinaria quinta-feira 24 do
corrale novembro, pelas 11 horas da ma-
n) 3a.
ORDEM DO DIA
Pareceres e mais trabalbos de commis*
soes.
Secret ra do Instituto, 21 de novembro
de 1870.
J. Soares d'Azevedo
Secretario perpetoo.
Precisa-se de um moteque ou pardinbo
de li annos para servico de eesa, pagaodo-
se bom aluguel; em S Jos do Manguinho
antes da igreja, sitio n. 2.______^^^^
Bio de Janeiro.
Esi carga para esse porto, o patacho nacional
Bsfrega, de 1* marcha e classe, tendo j parte da
carga para receber : as pessoas que quizerem car-
regar dirijam-se aa escriptorio de Jos Mara Pal-,
meira, no largo do Corpo Santo n. 4,1 andar, para
tratarem.______
P.-iiBA
o .
Rio-Grande do Sul.
Vai carregar e seguir com brevidade o patacho
portuguez Principio, capitio Jos Francisco
Abren. Recebe um resto de carga a frete, para
o qne trata-te com Amorira Irmaos & C, ra
Criz n. 3.
d
HU'
Para o indicado porto sene em poucos das o
brigue portognez Realidadt/tor ter a maior parte
de sen earregamento prompto e para o pouco que
Ihe falta a frete barate : trata-se com o consig-
natario Joaquim Jos Goncalves Beltrao, rna do
Commerclo n. 17.
RIO DE JAI t
Para o porto cima sefiilrt em poneos das t>
brigue nacional Galgo, de laase, per ter a
maior parte da earga-, engajada ; e para' o resto
que ainda pode receber a frete, trata-se com Fran-
cisco Ribtiro Pinto Odimartas, armazem rna do
gario do Triumpho n. 96, ontr'ofa do Brnm.
Maranh&o
Segu para o indicado porto o patacho brasilei-
ro Bom ieiw, e pode recebar ainda algunas ma-
CAFE PURGATIVO
A' ESCAMONEA
De B,N Barral
Pharmaceiitlco-CMmieo
A ntilidade dos purgantes do soffre demons-
tra ;ao alguma; a prescrip(io diaria qne delles
fazem os mdicos o o uso ainda mais frequente
feito pelo publico sio provas irrefragaveis tanto
como a qnantidade innumeravel deste genero. S
falta aperfeieoar cada vez mais o modo de adrai-
nistracio, de maneira que conservando a sua ac-
cio, elles possam ser tomados sem repugnancia
nem asco e sobretndo sem receio nem perigo.
Muitos purgantes afamados s devem este bom
xito ao seu efleito intenso e excessivo. D'ahi o
perigo, porque irritacoes de estomago, inflamma-
Soes de entranhas sio inevilavelmente o resulta-
o do seu emprsgo. Nada disso tem-se de recear
com o caf purgativo.
Todos conbecem por experiencia o aroma sua-
ve e o efleito ligeiramente tnico e excitante do
caf Elle o melhor auxiliar dos purgantes dos
quaes disfarca o cheiro o sabor e ajuda a aefio
sollicitando vagarosamente os movimentos peris-
tlticos de intestino, e prevenindo o sen efleito
rauito intenso sobre o estomago. Misturado com
escamonea, facilita as evacuacoes com promptidio
e sem" clicas, e torna se nm purgante brando,
certo, fcil a tomar e preferivel a todos os outros
salvo urna indicacio especial da qual o medico
o nnico jniz.
A innocuidade do caf purgativo permitte de
emprega-lo era todos es casos simples. Desper-
tando a alonia do intestino e activando a secre-
cio deste, destre a dureza de ventre, as vento-
sidades, as flatuosidades e excita o appetite. Em-
pregado mais i miado, conveniente para eva-
cuar com vagar a bilis e os humores viscosos e
e faz dessa maneira desapparecer a enxaqneca,
as dores de caneca e prev os ataques de saogne
as pessoas que a estes sio predspostas.
MODO DE EMPREGO.
E' tio simples como fcil. O cat purgativo
deve ser tomado fri, pur on misturado com nm
pouco de leite fri assncarado, ou agua assnca-
rada. O vidro inteiro a dos ordinaria para
um adulto ; duas colhares de caf bastam para
as senboras e para toda e qualquer pessoa que se
purga fcilmente.
Para as criancas de 8 10 annos, a metade do
vidro suffleiente ; de S a 8 annos, urna colher
de caf, e a qaarta parte do vidro gmente abai-
xo desta idade contra a gosoa.
E' por isso d'nma admiuistracao mnito mais
fcil ao quo es biscoutos, chocolates on bolos
purgativos.
Da-se immediataraente depois leite qnente as-
sucarado on caldo leve, e duas on tres ehavenas
de chi preto on de tilia.
nico deposito na pharmacia e drogara de
Bartholoraeu 4 C. : ra larga do Rosario n. 34.
Monte pi portuguez,
Pele presente sio convidados os elstinctos ca-
valheiros, membros da nojvr directoria e eonselho
lis jal, a rennirem-se sabnado 36 do corrente as 7
horas da tarde, no Gfamete Portugus de Leitura,
alta de tomarem poese dos sena respeolim cargos.
Seeretaria do Monto Pi Portnguex em Pernaa-
buco 93 de novembro de 1870.
Jos da Silva Loyo,
Presidente.
Joaquim Gerardo de Bastos,
Secretario.
AMA
Precisa-se de urna ama para cozinhar e engora-
mar para duas pessoas: a tratar na ra do Impe-
rador n. 79, loja.
Sociedade Emancipadora.
De ordem do Illm. Sr. presidente, sio convida-
dos todos es socios da Sociedade Emancipadora
para se reunirem no dia quinta-feira, 24 de no-
vembro s 10 horas da manhaa, nos sales do
Club-Pernambucano, afim de eleceretu nova direc-
toria e fazer nos estatutos as mooificacoes qne jal -
garem convenientes.
Recife, 16 de novembro de 1870.
O 1 secretario,
___________ G. Compeli.______
CURSO DE FERIAS
ELQUENCIA POTICA
Francisco de Boria e Oliveira, e.-tudante do 4o
anno da faculdade de direito do Recife, competen-
temente habilitado pela directoria geral da ins-
iruccio publica e com bastante pratica do ensino
primario e secundario, tem aberte em sua eaaa
ra dos Prazeres n. 42, um enrso de rbeterica, e
offerece-se para leccionar a mesma disciplina em
algum collegio mediante mdico e razoavel hono-
rario. _____________________
km.
Precisa-se de urna mnlatinha de idade de 11
12 annos para tomar conta de urna criaDca :
tratar na roa estreita do Rosario n. 14.
USA DA FORTUNA
Aos 5:000^
Bilhetes garantidos.
A rna Primeiro de Marco (oatr'ort roa do
Crespo) n. .23 e casas do costme.
Acham-se a venda os felizes bilhetes garan-
tidos da 6* parte das loteras, a benecio da no-
va igreja de Nossa Sentara da Penha (171"), qna
se extrahiri sexta-feira 23 do corrente mez.
PRECOS.
Bilhete inteiro 6*000
Meio bilhete 3*000
Quarto 1*800
Bm porcio de 100*000 para cima.
Bilhete iateiro 5*400
Meio bilhete 2*700
Quarto 1*390
Manoel Martins Finia.
Atten O Sr. Joio J. de Magalhies Bastos tem Qma"r_
ta vinda da Bueuos-Ayres, na travess, da Madre
de Dos n. 13, armazem de Fernandas Irma*.
Fadaria
Precisa-se de nm"caixeiro qne tenha pratica de
padarla que d fiador a sua conducta: na traves-
a da rna dos Pires n. 9. ...,,,....
Criado.
Na rna nova Je Santa Rita-a. 59,
um criado bom corpelro, e qne d
conduela : quem nao estiver
escusado ) ir.
precisa-se de
anea a sua
condieoes.
- Aluga-se o 2* andar da roa estreita do Ro-
sario i 43: a tratar na fabrica de cigarros da
roa das Trincheiras n. 43.
Precisa-se de urna aaaa eiuaoriado para
MPrico interno e externo de ama oasa da familia :
a trater na roa da Penha n. 1, 3* aotat>_______
------------ tWtetf. '
Preeisa-se de on, ealxpiro ^e fajbj intlKoa
allemio : no hotel Universo, roa d Commercio
numero 2.
Preciasede nma ama que lave e engem-
me, paga-se bem : na roa de aortas 1.1.


V fc
f
V
Diario de Pernambuco Quinta {eir 24 de Nove

o
Fotograp!
ALKKIA e rnnruRA
-if. Ferrar* FilLda
>iMt&M*ia r*PMt*maJbj,se
awveubeleciwmui photographico silo i
Cabug n. ,r$uim 've dasde ti, tem sabido de Mea .
anlaMD agradado, Mido reoebMot por
cwn irimtirfteio pete extraordinario pro-
b qw QltkBMMnte tan tida a fhctc|raphia,
jgr oottot Oftantofrte, por vrem 8*uicia
doada eott'nm osfMeMMDto digno dia, e in-
eoMbsMWfaMtft prneiro que nese enero
hojepoesue : tembettffllo nos podamos era cousa
* por* tttnta-le no em qne se acha, es-
P*Wo apreciar nosso esforjo o-recompensar nossos sa-
crificios.
Convidamos a todas aquellas pessoas, nackmaes
e traatftrts que eostam das artes, oa tiverem
de trabarnos de photographia a visi-
tarem o soaso estabelecimento, que estar sempre
aberto e sua disposicao todos os das desde as 7
hori*nbia k6**rde. j
Iva oa trabalhos de jnotographia possuimos di-
vett akebmas dmMMres 'autores francezea,
infteww HtnerriaeB, t*ne sejam : Lerebonrs et
WwrlteM, Hermagis, TboraatRdta, VMgtteader et
8eah e Wnlf. ltimamente recebamos tres uWas
achinasi sendo urna deltas propria para tomar
obre o mesmo Yidro 4 oa 8 imagen diversa* e
toaladM, e outra de 6 a i imagens diversas
igualmente fsoladm, de sorte qne ao caso de
grande concurrencia poderemos retratar sobre
urna Ttniea chapa at 8 pessoas diversa e sola-
das para cartSes de visita, eassim em menas de
ntn qnarto de hora despacharmos 8 dHTerenies
peeteasqne pecam cada urna, ama duzia 4a eartoes
satis on menos, com os seas retratos somonte, on
em ajrapo com ontras.
Enearregamos-nos exclusivamente da flireccio
feitara dos trabamos de pbotographia dei-
xando penda e talentos do distincto pintor
allemao, o Sr.
Jbrge A. Roth
os trabalnos de pintara, a aquarela, a oleo, e a
pastel.
O Sr. Roth acha-se ligado a nossa empresa por
urna ejcriptura publica, e al o presente tem-se
desvellad na execucao d seus trabalnos:
No nessoestabelecimer.to acham-se exposlos ou-
tros trabalhos irajiortanti do Sr. Roth, tanto em
miniaturas i aquarella como oleo, retratos
oleo, quadros sacros e diversos ontros trabalhos.
Tomamos encommendas de retratos oleo at o
tamnbo natural, assim como de quadros sacros
para omamentaeo de igreias on capellas. Tam-
bem aceitamos encommendas de quadros histri-
cos.
Asseguramos que os precos dos diversos tra-
balhos da nossa casa sao mut rasosveis.
CARTOES DE VISITA NAO COLORIDOS A iO|0-OO A
DUZIA
CVRTOES DE VISITA COM O COLORIDO AO NATU-
RAL A 464000 A DUZIA
Retrates .em miniatura oleo on aquarella de
,10 20/000 cada nm, indo convenientemente en-
caixilhado em moldura dourada e regulando o
busto da pe todo o quadro palmo e meio de tamanho.
Julgamos que bastarlo os precos cima para
darmos idea da baratera dos trabalhos do nosso
establecimento, quanto sua perfeiclo cada nm
venha julgar por seas proprios olhos.
As melhores horas para se tirarem retratos no
nosso estabelecimenu slo das 8 horas da manhaa
T da tarde; entretanto de urna hora s 5 da tarde
em casos especiaes p6de-se tambem retratar qual-
quer pessoa.
Nos dias de chuva, ou por tempo sombro po-
demos retratar, e asseguramos que esses dias sao
os mais favoravels aos trabalhos de photographia
pela docura e persistencia da luz, e pf r termos o
nosso terrajo construido com laes proporcSes e
meihoramentos, que anda chovendo jorros ne-
nbum inconveniente ha para fazer-se bellos re-
tratos.
____/. F'treira Villela
O professor Joo Josa Bjrroso da Silva In-
vens, removido da cidade de Goianoa, renunciou
hontera o esto dalicenca que obteve para a sua
mudanza daquelh cidade, fe entrou boje no exer-
clcio de seu magisterio, na i* cadeir* da 2a seccao
da ra Imperial desta ciiade, sendo a escola na
casa n. 259 da mesma raa._________________
Alaga-se o 2C andar do sobrado n. 33 na
ra do Pedro Alfonso, ouir'ora da Praia : a tra-
tar na toja do mesmo.____________________
lASTDA FORTUNA.
RA DE MARCO OUTR'ORA DO
CRESPO N. 23.
Aos 20:000|)000.
O abaixo asfkrodo tem sempre exposto ven-
da os felizes bilbetes do Ro de Janeiro, pagando
protnptamente, como costnma, qualquer premio.
PRECOS.
Inteiro 24*000.
Meio 12*009.
Qnarto 6*000.
Manoel Martins Fiuza.
V*N
ixposicIo
!R8iL DE 18



ID I
ALF. Li
CLAMI
&c


-.->






.-.,'
Le
Ifi vi fH) i!
'*

APPROVADO PELA ACADEMIA DE MCI
PARIZ


uas/aa
m
& Qntitlum LiliarrnqMO,
IXTldS
iftn i
I9
IPJWt'*^tw
i
_Qnelle aerante, mon Dien !
~ Quelle cassuade, saprist I
Eh I eh I eh I
Un direoteur important
Ah I ah I ah!
i. M.
Em resposta ao annuncio publicado no Dia-
rio de 15 do correle inez, no qual se procura sa-
ber aonde mora o reverendo Jos Bemardino de
Paiva, oa roa do Livramenlo n. 16 existe urna
pessoa que dar noticias do dito padre, podendo
ser pruenrada das 8 as 10 horas da manhaa.
Ama
Precisa-se para o servico interno de casa de
pequea familn: na ra do Vigario n. 5, segun-
do-Pilar._______________________________
attenco
O Sr. Martiobo de_ Frailas Garda qneira appa
recer na admiaittracio do correio (das 9 horas
da manhaa as S da tarde) ou na roa Direita n. 36
(antes oa depos d'aquaila hora) para fallar com
o abaixo assignado a negocio de seu interesse.
AMA
Precisa sa dea um am i, na ra astreita
-arft a. 28.
o Ro
Preclsa-se de urna ana forra ou captiva
para o servico interno e externo de urna casa de
pequana tamljia '. na raa de S. Franaisco n. 27.
i^fk^mii9imlttm^hi
Utto,
CHRESTOMATHIA
*
:LINGUA INGLZA,
tf_
J, C. RODRIGUES.
Contendo: um Tratado sobre a origen e o
deseBvolvtaWrto d Lingna Ingle; urna se-
lea de 150 pedajo doe principaea eagriptores j
e too esbozos WogTaohico? e critoos desse*
DCtons.
Est obra tonta nm Totano de 4*8 pag. In 8,
nitdainente dectrotypado, e eocadernaxlo.
PRE50, o**
L1YRAR1A FRaNCEZA._________
.-.
viribo eminerrlerriente tnico e letrifugo que deve
3o L JfiP. &
ser preferido todas as otras preparacoes de
quina. f X 1 Trfi!'* 1
vinhos de quina ordinariamente emprega-
na me_i(na preparra-se com cascas de
fl-ttfa cuja riqueza era pTrneipios actitos e_trr>
mmente variavel; parte dissp, em razgo de Seu
modo de preparado, estes vinhos cohtem ape-
nas vestigios de j^erpios activos, e em propor-'
caes sempre variaveis.
),
0 Qulntiim Labrrac|rie, approvado
pela Academia de medicina, constitue pelo con-
trario um medicamento de composicao deter-
minada, rica em principios activos, e com o
isjoq el__________
qual os mdicos e os doentes podem sempre
contar. *
W m
0 QuIold-tir^Marra^oe prescripto
com grande exijo s pessoas tVaeas, debitadas,
seja por diversas causas d'esgtamento, seja por
antigs molestias; aos adultos fatigados por urna
rafrfa crescenca, s merlinas ein se formar e desenvolver; s mulheres depois
dos partos; aos velhos enfraquecidos pela idade
otj dueca.
T '.!| f V. v
'. L \
No cazo de chlorosis, anemia, edres plidas,
este vinho um poderoso auxiliar dos ferrogi-
nosos. Tomado junto, por exenipto, com as pilu-
las de Vall_t, produz effeitos maravillosos, pela
sua rpida aeco.
0 saMo: chtanos
mtiltcas
nudon-ae da ra iitttM: $8; > atMar, para a
""*lBl!rtt_|i.!fi(l(S|,
onde continua raommendande-se ao Illm. pu-
blico.
6
VICTORIANO
vfrthttnor. ,
mHMB
INTERESSAfTTE C01PWWJ0 LITTIR4RI1.
toNTWw:
A nolte- da assOmbro.
A lgrima
A ooote do delirio.
Otfrjtono. -..-. i_/B'
Com urna carta critica dirigida ao autor pelo
Dr. T. B. Rigueira Costa.
1 volnme braahado U809.
ASCENIELJIA8
Poesas patriticas sobre a guerra do Paraguay.
1 volme brochado 2*000
NA
LTVltARrA- FRANCEZA
Deposito em Pars, L. FRERE, ru Jacob, 19
Rio Janeiro, Dtiponcltelle 5 Clievotof.
Pcrnafnbuco, P. Aaurer y C".
Babia, Haoe y C".
Ouro-Prelo. Candido Wellerso-.
Maranhao, Perrefrra y Cf*.
Pellas, Aiiteiro Leivas.
Maceio, Falco Da.
Porte Alegre, Franolsoa Jos Bello.
p
Precsalo de urna ama que cosinhe bem, farra
oa eserm, para casa de ponca famifia : trUr
na ra NoviTL 50, andar.
A SILENCIOSA
TR1LH0S URBANOS DO BEGIFE A APIPCOS. Chegraram as afamadas machinas de coser
Fasseio Apipucos. Ida e volta.
por I:
1,
1
mramL
BILHETES ESPECIAES
PARA QUALQUER TREM
A' VESTDEIt-SE
as estacos
Do Recife, Officina?, Soledade. Caminho-N5vo, 8, los,
Torre e Ponte de Ucha.
Ohservafio* strvem para o da 4 compra.
POLLACK SCHMIDT.
Ra do Crespo n. 4.
As mais modernas e elegantes que tem appareoido at boje E, com eieito nada
tois se pude exigir de urna machina de costura em quanto a trabalho de agulha. tal
a variedade de costaras que fazem as de que se trata ; por isso que se pode dizer
que a Silenciosa de Pollack Schmidt attingio aos ltimos aperfeircoamentos!
A simplicidade de seu macbinismo, a adherencia de suas pecas e belleza de que se
acham revestidas estas machinas, sao predicado; que por si as tornam recommendadas,
mesmo diante da apreciara") a mais escrupulosa e exigente, cuja verds.de se acha gra-
vada em bellos caracteres em todas as exposices onde as silenciosas teem sido van-
tajosamente premiadas.
Perto de 2,000 machinas teem sido vendidas na corte do imperio pelo seu nico
agente no Brasil no curto espago de dous annos, e continuam a ser procuradas com
enthusiasmo : roga-se, portante, ao respeitavel publico desta bella capital, e com es-
pecialidade as familias que desejarem possuir urna til e linda pega de- as vir ver e
examinar, na casa cima indicada onde encontraro pessoas habilitadas para daren
todas as expcaces, e se fazem todos os'concertos na ra Primeiro de Margo (oo-
tfora Crespo.)
,------------_--------------------1.--------.----------------------.--------------------------------------1--------- ----------------------
**.
DOCES. FRllCTAS E FLORES.
13Ra da Crua13.
DOCES SECCOS FRUCTAS FLORES
CAJ' ABACAXIS BOUQUETS
CIMAO SAPOTIS PARA NOIVAS
ABACAXI UVAS PARA JARROS
LARANJA LARANJAS AVULSAS .
CIDRA, ETC. MELOES, ETC. PLANTAS, ETC.
Neste estabelecimento encontrar o freguez todos
os dias presuntos em fiambre, pastis, bons-boccados,
doces de ovos, e de todas as outras qualidades, sec-
eos e em caldas, podios, e ludo quanto se possa de-
sojar no corbrtavel ora escolente LUNCH ; fortifi-
cando, aquecendo, e refrescando o estomago com os
melhores vinhos do Rbeno e Bordeaux ; xaropes do
todas as qualidades para capils; sorvetes de todos
os frnctos, com especialidade as tercai-firas, quin-
tas e sabbados o eellento-sorvete de creme.
Tudo com multo asseio.

MASCO E liSGURO
DcslBfftando-c Olee ie PSdo de Bacilhie,
o Henhor Chetrift- *6 preSoa prrpara-
co iticrapi'ntici un ehejee eebor igradatel
que Benhouiadeieur1f|i(li slhetiram.
ej Eala importuiile descoberta, que grtnfeoa $,
' scu.aul.or urna Scdallia de honra, vulgai isa* o
'i ' Ofldivoso receilam proferiTelmetileatodoa
Ver pea. HMs.pAmi*aarei m rtDrioi medi-
Mi qiiecoBv-.n aiidtiaU qae cempn
Trtta+maia C/tEV
I pS#ff!a)fcchl
FERRUOINEO DE CBETRIER
O Sehor Cherrier coapletow a ana deseo-
berta ajuiian-do a iodura de ferro ao Oleo de
EJCoU;o de.iufftado. Sale Oleo de Figado i
BacxJMo ft-rrof-ineo tem toda as prepriedad^'
do oteo, do ferro, digere^a fcilmente e onti'".
causa prisllo 'de reWre. Portante preferif el
i mais preparac9esferrQgintM(Pib>lasouXa-
Npe). iiooTriii em todas a* doenfas onde se
aaprega o ferro. Tsica pulmonar, bronfhites,
rachilismo, escrfulas, impigens, gota, rhu- ?j
matismo ehronico, c-tarrbos antiROs, dytprp- *
alas, {onvalesceneia* difSceis e fi aqueas de M
eonatituiclo.
J^JV, l.rwe ?* afreta. Monttnartr* p|
NH0 ELIXIR da COCA, excellentes preparacOes nicas
J
0 TA f%yLJyH cana RN1C para curar as chagas, frula, corladura e contusdes. ,{
fORAOCIiOSdeBfcMuHeotopostas contra aadisrrheas.djsenleiias.dSrS dee>.iuiago, etc. Ij
DfPOSJTABjo, calt'o de Janeiro, Doponchbli.e et C'. Baha, Moruha Irmao et C* U
Pe/na***co,+. MadrbK et C". Maranhao, Fkrrgiba et C". Porto Alegre, U
ROB LAFFECTETJR
ApwoTado on Vnnela, Rnasta, Austna'e Blgica. 0 arrt*e vegetal lffecteor sa antha-
mado, Be proi suferior oi xaropta de caistaier, de Lirrn e de *a1spjrriUia. De facfl
dipest, damred ao paladar, e ao alfato, elle cura radicalmente eaa mercarlo, aa
affec*\ea*p*e, lampan, mtportmm, tunara ailer
* ** o o accidentes.provendo do partoi, da ii
mona bareditana dos humore*.
O arrobihejapecialmeate recommeadada contra as doenca iyphiliticu reoeatea, iBTete-
radaa ou rebeldei ao mercurio e ao itduro de poUsaio.
ltI Tdafoiro ROB LAFFECTUR, m caaa do doator 6HAUDEA DE
-GERVAIS, na Richer, l, a Pasts.
8
"raa de-se-
'a,edaacri-
Joaquim Jos Gornjal-
ves Beltrao
Roa do Trapiche n,17, t* andar.
Sacca por Jodos os paquetes sobre o banco de
Moho, em Braga, e obre os seguales lagares em
Lisboa.
Porto.
Valenca.
Gnimares.
Coimhra.
Chaves.
Viseo.
Villa do Conde.
Arcos de Val de Vez.
Vianna do Castello.
Ponte do Lima.
Tilla Real.
Villa-Nova de Famelicao.
Lamego.
La nos.
CovilhSa.
Vascal (Valpasso).
Miraodella. -
Beja.
Barcellos^____________^_________
ftM
DYVETOT
14-Rna Estreitado Rosario--l
Compra e vende roupa feitn
nova e velha, objectos de
cosinha e de mesa, e
tudo que perten-
ce ao uso do-
mestico.
Na praca da Independencia n. 33 se da di*
heiro sobre penhores ae ouro, prata e pedral
jreciosas, seja qual for a qaanlia ; e oa mesma
asa se compra e vende objectos de ouro e prata.
rigualmente se faz toda e qualquer obra de en-
>oramenda, e todo e qualquer concert tendentf
t mesma arte
m m 6az
Cbegou ao antigo deposito de Henry Forster *
u., ra do Imperador, um carregamento da gas
le primeira qualiJade; o qual se vende em partida*
i a retalho por menos proco do que em outra qual*
raer parte.
MOFIM
Roga-se ao Illra. Sr. Ignacio V.oira de Mello, es-
crivao na cidade de Nazareth desta provincia, o
favor de vir a na do Imperador n. 18 a concluir
aqoelle negocio que V. S. se comprometteu reali-
sar, pela tereeira chamada deste jornal, em fina
de dezembro prximo passado, e depois para Ja-
neiro, passou a tevereiro e abril, e nala cumprio,
e por este motivo de novo chamado para dito
fkn ; pels V. S. se deve lembrar que este negocio
de mais de cito annos, e quando o seohor seu
filho se achava'no eftndo nesla cidade.
I PRiiy
PRIMEIRO E LITIGO CONSULTORIO
HOMEOPATHI-0
DI.-luido pelo Dr.
SANTOS MELLO
Os habitantes do interior podem-no
oonsullar por escripio, no que seras sa-
ttsfeitos com promptidao.
Presta-se tambem a chamados para o
interior, a preco mdico.
Cnsul lae, no consultorio das 10 horas
ao meio dia.
Chamados, a qualquer hora.
Aos purs gratis.
13Roa do RarSo da Victoria43
(Antiga ra Nova).
miliiHHil
Acaba de sahir
S
5
rne-
i\A
se
Livttffla ffanceza.
GUIA
MTinnniAiiinj
iMBaWllVW ral IWlB.illJ
NOSSO SBlWOR
.MARA S
GBlStO,
SIMA
VAPBOB Santos.
A saber:
Setenario do Senhor Bom Jess dos Passo?.
OflQclo do .Senhor dos Passos.
Novena do Menino Deus.
Novena de N. Senhora da Conceicio.
Setenarlo das Dore3 de Mara.
Offlcio das SeleJDores de Maria SantisiMna.
Novena de N. Senhora do Carmo.
Olfioio de Ni Senhora do Carmo.
Novena de N. Senhora da Penha.
Canucos de N. Senhora da Penha.
Novena do II. S. Joo Bapttsta.
Novena da Senhora Sant'Anna.
Tretena de Santo Antonio.
Novena do B. S. Jos.
Um boniUi volume encadernado.
2I00.
AMA
Precisa-se.de urna ama
33,1 andar.
ni ra do Vigario n.
festa
l*ara passar a
AlogAse por tres mezes urna casa caiada e pin-
tada, rom cacimba, por preco commodo^ na ra
d Bai*o em Olinda
lo n. I*.
>t prec/) commoao, n ru
a tratar no largo do Parai-
f


1
.')
Precisa-se
externo d
Pi2??*
i-se de un
2S
Ama.
orna ama para o servido interno e
casa de familia de duas pessoas :
le Pede* Alfonso (utr'ora roa da
addir.___________________
Podara.
Alaga-se a padaria aliemaa em Santo Amaro, e
as condicoe alo favoravel : a tratar cora sen
dono na roa da Guia n. 56. ________________
Agencia em Pernambueo
Do Dr. Ayer
Peitoral de Cereja
Cura a phthyslca e toda as Molestias do neito
9alM parrilha
Cora ulceras chagas antigs, impigeos e dar
Iros.
TOBlCO
Conserva e limpa os cabellos.
Plala* cathartleas.
Paramente vegetaes sem mereurie ; cura se
soes, purgao e purifleam todo o systema humano.
Vende-sef eflt divamente em casa de Samuel P.
Johnstcm & C ra da SanzaHa Nova n. 41
Companhia Allianpa
DE
segaros martimos estabelecida
na Babia em 15 de Janeiro
de 1870.
CAPITAL..Rs. 5,000 000*000.
Toma seguro de mercaduras o din'eiro a risco
-martimo em navios de villa e vapores para den-
tro e fra do Imperio. Agencit ra do Com-
mereio n 17, esuriptorio de Joaquim Jos Gon-
calves Beltro.
&$%\
ia
Nutrimento
MEDICINA!
Preparados por
Lanman & Kemp
para tsica e toda
qnalivlanta dedo-
eneas, quer seja
na garganta, pe-
to ou bofes.
Express a-
rente escolbido
dos memores li-
gados dos quaes
se entrabe o
loteo, no banco
Fda Terra Nova,
purificado chi-
micalmente, e
suas
p roprie conservadas
com todo o cui-
dado, em todo o
frasco, se garan-
te perfeitamen-
le puro.
Este oleo tem
sido submettido
a um exame
muitesevero, pelos chimicosde mais tale-n
ot, do governo hespanhol era Cuba.foi de-
vr.lgado por elle e contem
MAIOR PORgO D'IODINA
do que ontro qualquer oleo, que elle tena
examinado
10DINO E'UM PODER SALVADOR
Em todo o oleo de figado de bacalho
e naquelle no qual contm a maior porco
d'esta invaluavel propriedade o nico
meio para curar todas as doencas de
GARGANTA, PEITO, BOFES.FIGADO,
1 isica, bronehiles, asma, catarrho, tosse,
resfriamentos.etc.
Uns poneos frascos d carnes ao muito
magro que soja, clarea a vista.e d vigor a
lodo o corpo. Nenhum outro artigo co-
liecido na medicina ou sciencia, d tanto
nutrimento ao systema e encommodando
quasi nada o estomago
As pessoas cuja organisaco tem sido
destruida pelas affecces das
ESCRFULAS OU RHEUMATISMO
e todas aquellas cujadigesto se acha com-
pletamente desarranjada,devem tomar
O OLEO DE FIGADO DE BACALHA0
M
i.minian t Kemp,
Em tempos modernos nenhum descubr-
ment operou maior revolucao no modo dt
curar anteriormente em voga do eme p
PEITORVL DE AMCABITA
TANTO NO TRATAMENTQ DA
. TOSSE, CROPO,
ASTHMA, THtSlCA,
ROUQCIDAO, RESfTUAMENTOS.
BRQNCHITES,
TOSSE CONVULSA,
DORES DE PEITO,
EXPfCTBACAO DE SANGE.
Como em toda a grande serie de enfermi
dades da gaugama, do peito e dos orgao,
da respiracg, que tanto atorjneotam e f;a-
zem soffrer a humaradade: A maneira an-
tiga de curar consista geralmeote na appli-
cacSo de vesicatorios, sangrias,sarjar ou ap-
plicar exteriormente ungentos fortissimos
mpostos de substancias vesicantes, alm
de produzir empolhas; cujos differentes mo-
dos de curar, ti&o faziam seno enfraque-
cer e diminuir as forcas do pobre doente,
contribuido por esta forma d'uma maneira
mais fcil e certa para a nfermidade a des-
truicaoinevitavel de sua victima 1 Quem,dif-
ierente poisto o effei admiravel do
PEITORAL DE ANACAHUITA !
VM E EZ DE IRRITAR, MORTIFICAR E CADZA
INAUDITOS SOFFRIMENTOS AO DOENTE,
CALMA, MODIFICA E SUAVIZA A DOR.
ALLIVIA A 1RRITACAO
OESEMVOLVE ENTENMMENTO,
FORTIFICA O CORPO
e faz com que o systema
Desaloje d'uma maneira prompta e rpida
at o ultimo vestigio da enfermidade. Os
melhores votos em medicina da Europa (os
Lentos dos Collegios de Medicina de Berlim)
testilicam serem exactas e verdadeiras estas
relaces analgicas, ou alm dissoja experi-
encia de mimares de pessoas da America
Hespanbola, as quaes foram curadas com
este maravilhoso remedio, sao mais que
sufficientes para sustentarem a opinio do
PEITORAL DE ANACAHUITA 1
Deve-se notar que este remedio se acha
inteiramente izento de venenos, tanto mine
raes, como vegetaes, em quanto que porm,
alguns d'estes ltimos, e particularmente
aquelles que sao dados sob a forma de Opio
e Acido Hydrocianico, formara, a base da
maior parte dos Xaropes, com os quaes t5o
fcilmente se engaa a credulidade do pu-
blico. A Composico de Anacahuita Peito-
a acha-se linda e curiosamente engarrafadas
m frascos da medida de cerca de meios
quartilho cada um, e como a dose que se to-
ma s d'uma colher pequea: basta ge-
ramente a applicaco d'um ou dous frascos
para a effectua^So de qualquer cura.
Acha-se venda nos estabelecimentos de
P. Maurer C, J. C Bravo & C. A.
Caors, B. M. Barboza e Bartholomeo A C
3
o

al
s
03-
sin Este antigo estabelecimento, acha-se hoje montado n'uma
escala de poder servir vantajosamente os sens freguezes, atten-
to o grande sortimento de joias d'ouro, prata e brilhantes, que
sempre tem e recebem mensalmente das principaes fabricas d
Europa- cujos presos sao em competiveis e as obras garantidas
de le*
JIOIIEIKA DIJARTE .
IVERDADEIRO LE ROT
de iieaeiBi, DocUur-MUedn
Ru de Seine, 61, & PARS.
tacata garrafa, val, cutre a ralbac o mmI atol
que leva o meu lineU, ua rotulo apresto en at-
rillo com o Suu luriuAi so tontm tuncas.
' S Jf.B.-Remel-
C^7 ~ j J tencVneuialeUra
-C//^vU^i fcaeOfraatoiio.
kat Parta, MdUrel
a 64 ai it ruta,
aormtxuno,p)za-u
4o ibatlamto t do
aaalor ineopto.
AROPE
PURATI
boDRGIBErTr
GWBRO DA ACADEMMdeMEDICIIVA
IEPARAD0 POR D^SLAURIERS-PH.
'ucH os BOUTIGNY-DUHAMEL
51 Ra de Clpy Papjs
Ama.
Precisa-se de urna ama que engoffime e faga o
mais servico de nma casa de familia, preferindj-
se escrava : na ru:i do Visconde de Pelotas (Ara-
gao) d. 37.
Ama
Precita-se de urna ama
sario d. 31, Io andar.
na raa larga do Ro-
Aluga-se o i" andar do sobrado da ra do A-
pollo n. 28, com accmmd.io?s para grande fa-
milia : a tratar no armazem do me.-mo.
iiw m me
Ao n. 13 da ra do Queiraado.
Ricos sintos c ;m saiotes de blonde caprichosa-
mente guarnecidos de Otas de seda e de setim e
recortados a chineza, alem do que adornados de
flore!1 as mais bem trabalbadas que tem vindo ao
mercado, 6 objecto de extasiar o comprador.
Ha adequados para todos os vestidos inclusive o
de cor branca, eser bom aproveitarse ante que
se acabem, urna vez que pequea quaniidade.
Ra do Queimado n. 13, loja de Paes
Mello & a
MANUEL & C.
commodo; tem &!
Tem a satisfago de participar aos seos numerosos freguezes, que em vista de ser-Ibes mais
estabelecido urna nova fabrica de chapeos de sol, na rna da Cadeia do Recife n. 9, boje roa do Mrquez de Olinda, r,
onde achar5o os pretendentes, muilo avultado sortimento de chapeos de sol de todos os precos, qualidades e por pro-
cos mas commedos do que comporta o nosso mercado : convidam especialmente aos Srs. compradores por aUcado a
darem, sendo possivel suas encomoaendas, pois poder3o assim serem mais bem servidos, visto poderem escolher as ar-
macoes as lazendas que a demora da fabricaco bem diminuta,_______________^^_______^^^^__
NA ANTIGA E BEM CONHECIDA FABRICA
DE
CHAPEOS DE SOL
DA
Ba do Barao da Victoria, esquina da Camba do Carmo.
(Antiga Ra Nova")
Ha sempre um grande sortimento de~cbapos de sol de seda, merino, alpaca, bretanha de linho branco e par- Cgn
do e de algodo os todos os tamanbos e feitios, alm da immesa porcao de teda, merino, algodo e brim, p|
armaces de todas as qualidades para satisfazer qualquer encommeEda. A modicidade de seos precos to conhecida 5
que escusa de mencionar.
ragt
AOS 5.000^000
Esto vena is bilbetes da loteria da
Babia, na casaeliz do arco da Uacenao, lo>a da
ourlrea no Becife.
Precsa-se de urna ptssoa de conllansa, in-
teiligente e activa, qe teb* ^Baecimento e pra-
tica de drogara : a tratar na na do Imperador
n. M.
II RA DO HAMO DA VICTORIA 41
Neste novo armazem tem um
variado sortimento de fazendas
francezas, inglezas, allemUas e to-
das todas se vondem por precos
mdicos, afim de acreditar a este
novo armazem.
Casemiras inglezas,
francezas, de todas as
qualidades, brins de
cores e brancos, colei-
ritihos modernos, cha-
peos de sol de seda,
finos. RA
DE
iRRIJDA IRMAOS.
Baro da Victoria
anuya raa
NOVA
N. 41.
Assim como tem urna grande
ollicina de alfaiate, montada com
todos os preparos que ha de melbor,
dirigida por habis artistas, que
pela sua promplidao e perfeigao
nada deixara a desejar.
Roupa de todos os
amanhos para homens
meninos.
Por todos os paque-
tes recebem-se as me-
lhores e mais moder-
nas casemiras que ha
na Europa.
RA
Dv
Iu'io da|jvietorla
antiga ma
NOVA
N. 41.
Este estabelecimento acaba de soffrer urna reforma radical em acceio, artistas ecommodos, e m pontnalidade as encom-
mendas, finalmente em ludo afim de melhor servir os seus numerosos freguezes deiza-se de annunciar todas as fazendas, para
o2o se tornar massanter
O Xarope depurativo iodu rarir) do Dou-
X(f 9ibfrt offereee, no sen emprego, um
resultado imm, certo e constante na cura
AStmnigens, escrfulas, molettiatdapelle,
vicio do snngue, obstr uccen lymphatica.;,
molestias contagiosas (typhihticas), leves
ou inveteradas, ede todos os accidentes que
d'ellas dependem.
A receita deste Xarope foi anprovada
pela Academia imperial de Medicina de
Pars.
Deposito as principaes pharmacias do
Brasil.
n Pernambuco: Maurer e C; JoaO
Martinoo da Cruz Oorreia ; Joo da COA-
cEigAO Bravo e C; Augusto Caobs ;
Bartholomeo e C; Alexahdre Romo;
Abreu BiBEiROjJoaodaS'FARuelBuXo,
Esta Agos entra-
hiia das llores do
Piros Japnica.pe
cus suavidade e
JiEuas proprieda-
des benficas,
excede os cos-
me.ioosmsic celebres; tendo sido a-
doptada por todatsociedade alegante.
Dei'.ada nos banhos. d'um perfume
delicioso, consolida as carnes fas de- |
sapirecer es espinhas, oomiohSes e as efflorescen-
oit; di pella. ,
PRECO 1(5500.
nico deposito no Bazar da Moda n. 50,
raa do Barao da Victoria orjtr'ora Nova.
Companhia Fhenix
Pernambucana
A directora da companhia Pbenix Pernambu-
cana detiberon qne os premios de seguros por ella
realisadoa quer martimos qner terrestres sejam
pagos no acto de celebrarse o contrato.
Pernamboco 11 de outabro de 1870.
Pela companhia Phenix Pernambucana
J. H. Trindade.
F. F. Borges.
Laiz A.lSequeira.

SEGUROS
MARTIMOS
E
(0\TR4 I (M-O.
A companhia Indemnisadora, estabelecida
tiesta praca, toma seguros martimos SQbre
navios e seus carregamentos e contra fogo
em edifn-408, mercadprias e mobilias: na
ra do Vlgaro n. pavimento terreo.
~~nAloga-se o i andar do sobrado n. f 1 na
ra piretia, a chaye st na taberna dos Srs. Lo-
pes (f Soaza, n. W.
Na Iravessa da roa
das Ciros n, 2. pri-
mero andar, da-se di-
nhelro sobre penhores
de ooro, pralae brilhan-
tes, seja qual for a qoan-
lia. Na mesma casa com-
pram-se os mesnos'me-
taes e
oobradopara alugar
O e andar e sotao n. 6 da rna do Dnane
de Caxia: a tratar no ConrMe Olirod0 Unqne
- Aluga-se a cata terrea n. 6 ra nova de
Santa Rita : trata-ae na mesma ra n. 8S.
ierro
RA DA CRUZ *. I
Chapas de ferro galvanisadas para telbeiros, etc.
Tachas d ferro para assucar, etc.
Formas de ferro para assucar.
Arados americanos.
Carrinhos de mao.
Veezianas para janellas.
Machinas de descaro^ar algodo.
Machinado cortar fumo.
Mchica de cortar papel. *
Motores para dous cavallos.
Machina a vapor para mover machinas de algodo.
Balancas, prencas, cofres de ferro, fogoes deftferro, enxofreJIsaltre malha de
amitos outros artigos.
j- Precisa-s de urna ama forra ou escrava que
coiinfce Jjaa e, ensotme : na raa nova lie Santa
OS AMERICANOS
CILYNDROS PARA PAMRIAS
Tundo ebegado ha poneos das completo sortimento dos melhores e mais
condecidos cylindros americanos para padarias, roga-se s pessoas que d'elles precisa-
rera Je virem vel-os ao grande deposito do ,
BASTOS
Frederico Maya
CirurgiJo deniista.
Acha-se em sea consultorio para os trabalbo
de sna arle nos das uteis da* 8 hora da manhaa
as 3 da tarde, e aquelles que por suas oceupa-
eOes nao poderem comparecer nessee dia o acba-
rio das 9 horas da manhaa as I da Urde nos do-
mingos e dias santificados. Tamben continua- a
prestarse a qualquer chamado, tanto na cidade
como para (ora delta, sendo procurado em seu
consultorio a roa do Duque de Caxias, sobrado
amarellu coro entrada pela praca de Pedro II.
Aluga-se
o 3* andar do sobrado n. 8 da ra da Imperatriz :
a tratar com J. J. de M. Reg raa do Commercio
n. 34.
An bello sexe
CLOD CREAM OF ROSES.
Celte Creme delicense, oniversellemeoi rpan-
due en Anghterre, o les emmes sent si renora-
mes par la beani et la traasparenee de lenr
teint, doit sa rpatation aux elementa balsamiqoes
el onctueox qui la eomposent, ainsi qu' sa cons-
tante efficacii pour adoucir la pean, la rendre
plus blanche, et contribner ainsi i la sanie et a la
beaut, qui, loujours, sonl inseparable.
On la recommaBde eontre les irrialions de
I piderme, lelles que Boutons, prubbs, Ta-
ches DE ROUSSBUB, ROUGEURS DB LA FlUURE, et
eontre les laches patriques el les pflobescen-
c.es. Celte Crme convient spciaiement aux em-
mes enceintes pour -prevenir LE MASQUE, auqael
elles sonl sujeites.On s'en sert encor pour em-
pcher la figure de se bler par le roid ou la trop
grande chaleur.
Prix 1:300 res
Sel dept au magasio Basar e la Mode30
Rae do Barao da Victoria.
Precisa-se de pma ama forra oa escrava pa-
ra cozmnar e comprar : a tratar na ra da Ca-
deia n. 33, loia de chapeos.___________________
mm^mmmsmmatmmmmmm
Manpel Domiagaes da Silva Jnior, Francelino
Domingues da Silva, Jos Domingues do Carmo
e Silva, e Domingo- Antonio da Silva, mandam
celebrar algumas missas de stimo dia pela alma
de sea lio Francisco Fernandos Vianna, aainta-
feira 21 do corrente pelas 7 horas da manhaa na
matriz do SS da Boa-vista,, para o que convida a
todos seus parentes e amigos afim de assistirem, e
pelo que Ihe flearao agradecido-.
W
Antonio Jos da Silva, socio da firma social
Martins & Silva, estabelecida com taberna raa
das Nimpbas n. 18, verificando pelo balanco pro-
cedido em dito estabelecimento no dia 11 do cor-
rate, que seu socio Antonio Luiz Martins em
qualidade de gerente tem f< to compras dos gene-
ros na maior parte sob sua nica firma, e alem
disto pagoa tambem em seu nome quatro mezes
adiantados do alugael da casa, abusando por este
modo da confianza que o annunciante nelle de-
positara : roga por isso a lodos os creiores de
predito estabelecimento a lhe apreseniarem suas
contas no praso de tres dias para verificar se o*
seus crditos estao em harmona com os que fo-
rem mencionados no referido balanco.
AVISO
Roga-se aos senhers abaixo mencionados o ob-
sequio Jo Barao da Victoria, a negocio qae Ihes diz res-
peito :
Joao Valentim Vilella Jnior.
Goilherme Dias dos Santos.
Joao Jos dos Santos Lima.
Jos Magaihaes com fabrica de velas.
Jos Maria Fernandes, morador na villa do
Cabo._____________________________________
Boa occasio.
Um moco brasileiro de 30 annos de ni..Ji.
jue falla e escreve a lingua ingleza, com
todas as babilitagoes para caixeiro despa-
chante, de embarques ou outro qualqner
Irabalho ; precisa de um emprego. Para
ioformacoes dirija-se a ra da Cruz n. 51,
das 9 da manhaa as 3 da tarde.
Povoado dos Montes, estaclo de Una.
Ra da Concordia n. 10.
Este hotel acha-se hoje completamente restau-
rado, e com as precisas acommodaQoes para to-
dos aquelles que se dignaren.) de o frequentar.
O novo propietario lera envidado seus esforcos
afim de exhibir ao respeitavel publico um estabe-
lecimento digno da importancia deste povoa-
do, e semelbanca de ura dos melhores dessa
capital.
Todo o estabelecimento acha-se pintado de ne-
vo, com salas e qaartos para receber com todo o
commodo thsejavel a cavalleiros'e familias.
A cosinha ao gosto brasileiro e italiano, acha-
se sob a direccao do perito e bem conhecdo (la-
como, tiue por certo ha de satisfazer aos palada-
res mais exigentes na forma do eostume.
Tem sufflciente proviso de vinhos exqnesitos e
de varias procedencias, Junehem a qualquer hora,
caf, cha, chocolate, etc. Fornece comida no esta-
belecimento ou para fra por preco muito rasoa-
vel. Encarrega-se de mandar preparar jantares
ao gosto e capricho do freguez, em qualquer
parte. ^
O novo proprietario do estabelecimento tem a
honra de convidar ao respeitavel publico afim de
reconhecer por si proprio a veracidade deste au-
nando, pasando alguns das neste povoado qae
nao mais do que urna dependencia do bairro de
S. Jos dessa cidade ligado pela va terrea.
A facilidade, pois, do transporte, a estacao cal-
mosa qne val correado, os apreciaveis banhos no
rio Una, todo, emflm, convida a um passeio a
este povoado, donde tornarao todos cem o propo-
sito de vollar.
Ignacio Manoel de Sanl'Anna.
OVTB'OBA XA DA CADEIA
CASA DO 010
Rna do Baio da
Victoria n. 63
( Otttr'ora ra Nova. )
Iiilhctcs garantidos da pro-
vtBcia.
Esta feliz casa acaba de vender entre os seos
muito felizee bilbetes a sort de 200* em um
bilbete mtelro de n. 09, outta de 100* tambem
em bilhete inteiro de n. 3174, e um quarto de o.
5J com lOOjL e alem de outros premios menores :
podendo os seas possuidores virem receber, que
promptamenle serio pagos.
O abaixo asiignado convida ao respeitavel pu-
blico para virem no seu eslabelecinifOto comprar
os (otiles bilbetes garantidos, que nao deixarao de
tirar qualquer premio como prova pelos mesmos
anhuncios.
Acham-se venda os muto felizes bilbetes ga-
rantidos em beneficio da nova igreja da Peoba,
que ser extrahida sexta-feira 2a do corrente mez.
jPRECOS.
Inteiro 6*0003
Meio 3*000.
Quarto 1*500
De 100A000 para cima..
Inteiro 5*40(r
Meio i*70u\
Quarto 1*350
Joao Joaquim da CostaLeite.

M




t
Piano de Penmmbuco Quinta eira 24 d* Novembro de 1870.

"-*-
AO ARMAZEM
DQ
H. 7-Mi m H. 1
Este conhecido estabelecimento acha-se constantemente bem sortido, em virtude das
fictara qae recebe por todos o vapores e navios franceses, dos artigue abaixo menciona-
dos, procos oe mais resumidos que possi vel.
CALCADO FR1ICEZ
Botinas para acabaras e meninas.
Botinas pretas, brancas e de muitas outras cores, sortidas e bonitas, do ultimo go-
lo da moda, e procos mais barato do que em outras partes.
Botinas para boinens e uaenloos.
Botinas de bizerro, cordavao, lastro e pellica, das melhore* fabricas e eseelhidas.
Botas e per ne Ir as russlanas.
Bolas e peraeiras para mantaria, das melhores qualiades, de coaro da Russia, lus-
tro o bizerro.
Manatos de borracha para horneas e senhoras
Tendo chegado grande porcao de sapatos de borracha vende-se pelo custo]am Jde
desempatar o dinneiro nelles empregado, sao baratsimos.
Sapatos de lustro para horneas.
Sapatos de entrada baixa de coaro de lustro com salto, de muito boa qualidade.
Abotinados para meninos e meninas
Sapatos abotinados de differentes modelos, de muito bees qualidades e fortes, Unto
para meninos como para meninas, muito baratos.
Sapatos de tpete-
Sapatos de tapete avelndado, te casemira, de charlle e de tranca franeexes e por-
togwzes para homens, pan senhoras e para meninos.
PERFUMARAS
Excedentes extractos, baahas, leos, agua de cologne, florida, divina, lavande, den-
trifice, de toilette, sabonetas, tintara para cabellos, pomada angroise para bigodes, pos de
arroz a, tudo isto de primeira qualidade, des afamados fabricantes, Condrey, Piver e Labia.
Quinquilharias
Lavas de pellica do conhecido fabricante Jouvin, espelhos para sallas, qaartos e ga-
binetes, toacadoree de diversos umanbos, leques para senhoras e para meninas, abridores
de lavas, brincos, pnleelras, botdes, oorrenHs e chaves de relegios e traneeiins, tudo de
ovo de lei, correales e brincos de plaqu, a imitacao e de mais gosie do que as de onro,
catxinhas de costura ricamente guarnecidas e oreadas com lindas pessas de msica, aibuns
e aixilhos dourados para retratos, caixinhas com vidro de augmento para distinctamente
ver-se a perfeicae dos retratos, objeetos de phmtasia para toilettes, bolsinhas e cestinhas
de seda, de velludo e de vimes para braco de meninas e senhoras, ditas para costaras, pe-
queos registres muito finos e delicados, bouqoets de flores de porcelana, jarros proprios
| para gabinetes -e santuarios, quadres promptos para collocar-se vistas, molduras Bouradas
para quadros, estampas finas de paysagens, cidades, figuras e de santos, vidros paTa cos-
morama, matas, saceos e bolsas de viagens, esporas, chicotes, bengalas, ocnlos, lonetas ou
pensinez de prata dourados grvalas pretas e de cores, abotoadnras de eollete e de pannos,
carteirinbas para notas, tbesounohas e caoivetes finos, pentes, esoevas, ponteiras de espuma
para charutos e para cigarros, jocos de domin, rodetes, bagatelas e ontros differentes, ve-
neiianas modernas mnito conveniente para portas e janeltas, cosmoramas, lanternas mgi-
cas, esteriecopos com iateressantes vistas de figuras e das mais bonitas roas, boulevards,
pracas e passeios de Pars, photftgraphias e caixinhas mgicas, reverberos para candieiros,
tapetes de vidrilho e de laa de cores para ps de lanternas, realejos grandes e pequeos,
harmnicos, acordions de todos os lmannos, bercos de vimes para criancas, sepatinhos e
toncas de laa, carrinhos de 3 e i rodas mnito elegantes para condoiir enancas passeio ; e
outras martas quinquilharias de phantasia, francezas e alinales precos muite em conta.
biiq^osidos vmA wssamm
Para este artigo nao ha espaco nem tempo para a massante leitara da inflnidade de
gneros de brinquedos fabricados em diversos paizes da "Europa.
ATTENCAO
6 dono deste estabelecimento
verificando as qualidades e os precos
reitura e de conta propria.
de ao putiico em geral que continu a visita-k>
aratos de ditos objeetos por seram vindos em di-
MAO DE OURO
Nova loja de joias
RA DO CABUGA* N.9 A.
DE
K Manoel da Cunha Saldanha & C.
Acaba de abri- este estabelecimento de jotas, o qaal tero pande sorli-
mento de todas as joias de ultimo gosto, as qoaes vender o mais barato dos-
sivel. F
Todas as joias serSo garantidas onro de lei, pois os seas donos tendo em
vista so adquirir freguez.* d3o olvidaran, vender bom e por precos es mais
razoaveis possi veis.
Convida-se o publico a vir a este estabelecimento, certo de qee ficar
satisfeito.
MAO DE OURORm DO CAHUC N.0A
~*S2l I L^tr*"
Jos Joaqun* da Costa Mais, tem i venda no sen Y mateo, sito no largo do
Pelourino n. 5, os objeetos aegointes, e que vende por-precos mais commodos do
que ero outra qoslquer paf ^H
Oleo de Imtnca. -
Cauro de lustro. fc w TO -Em an.
Saceos de estopa. a
Estopa m peca. -fl
Vinho Bordeaos em calxas.
Feltro em peca para forrar embarcares.
Encerado*.
Telhas de ferr.o galvanisado, de differentes tamannos, para cobrir casas.
Ferf liso galvanisado para forrar embarcagSes.
Pregos galvaoisados.
Cantara de Lisboa.
Dita soleiras.
Dita marmore.
Taboas de marmore de differentes grossuras.
Ladrilbos de marmore de differentes cores e lmannos.
Ditos de pedra de Ansam, pretos e brancos.
Tmulos de pedra fina de differentes tamanhos.
Pedras para lavatorios.
Taboas de louza.
Hnw i.iflt v i
Pias de louza para cosinha.

MAOUlMAIS CABELLOS BRACOS
A tintura japoneza para Ungir os cabellos da cabeca e da barba, foi a nica admit-
ida Eeposico universal, por ter sido reconhecida superior s todas as prepararles
ate boje existentes, sem alterar a saude. Vende-se a 16000 cada frasco na
Ra da Cadeia n. 51 1 andar.
Ama
ja* de lima aM qve ennmini, co
__be dom aerfeioid par*-cir de orna f;
lia de dun pessoas : no pateo do Paraizo n.
obrado de jim andar. \f-r
?>
24,
Trabalhad r
Precisa-te i'e om trabalhder Forro ou captivo
para o servfeo interno de ora < i^leloeimenlo : a
tratar na botica da >u* larga t) Itosrno n. H.
O eiby...... em (Anda <-yp leni .mandada
condnzir podras di rus do Puno Seguro para o
sen terreno ruado....... epeira, manjar bni-as
no seu logar se nao quer que por e?te mesmo jor-
nal declare o sea qonie c con'e outras gentilezas
a respeito de ediflelcSes harat:s.
Wu escripturjp do AWredo & Barbota Jnior
precisa-se fallar com oa genhores :
Francisco Marques da Fonseca Pitta.
Joao Galdino-Wanderley.
Bernardino de Senna Wanderley.
Jos Alves Maciel Jnior.
Capillo Jo Bezerra Cavaleanti Maciel.
COMPRAS.
Gom muito maior vanlagem compram-se
onro, prata e pedras preciosas e a obras velbas: na
loja de joias do Coracao de Oaro n. 2 n, ra do
Gabug.
Lythographia.
Quem quizer vender um prelo de tythographia
com & pedras e 1 rolo, annunrie para ser procu-
Hado.___________^_____
Na ra do Imperador n 5, 1* andar, com
pramse libras sterlinas, momias nacionaes, tanto
de ouro como de prata pelo cambio da praca.
PAVILHAO1A AURORA
Ra da Imperatriz n. 2
A' este novo e somptuoso estabelecimento de fazendas acaba de ebegar directa-
mente da Europa o mais esplendido sortimento de fazendas proprias para a fasta, tanto
para homens, como para senhoras; descrever e especificar o que de moderno e de mais
apurado gosto neHe se encotra seria impossivel; mais para que se possa fazer urna
aproximada idea, mencionaremos com especial! iade :
Ricos cortes de vesti los para casamento, chegados co ultimo vapor.
Ditos ditos de ditos de seda deseuhos Hiteirameute novos.
Ditos ditos de ditos do lia com barras, fazeoda inteiramente nova.
Vestidos de cambraia para baptisado.
Popelinas de seda dos gostos mais modernos, variado sortimento de cambraias, e
cassas de cores, lindos e modernos deseosos.
Sedas lisas, lavradas, pretas o de cores.
Cretone para vestidos, modernos gustes.
Alpacas de cores, impossivel descrever a variedade de gostos 6 padroes.
Chitas finas, ciaras, escoras, pretas, iadescriplivel o variadissimo sortimento.
BallBesfie todas as qualidades, cores e tamanhos, entre os quaes uns sio inteiramente
nevidade.
Saias bordadas para senhoras, grande quaniidade de gostos.
Camisinbas bordadas para senhoras muito modernas, grande variedade.
^Entremeios e tiras bordadas em todas as larguras.
Camisas para bomem, bordadas, lisas, e collerinhos, completo sortimento,
Lencos de cambraia bordados, lisos ede barras.
Chapeos de velludo, palbe, merino, feltro, o que ha de mais moderno e lindsimos
gostos.
Cortinados bordados, ericas colchas de seda, e de crochet.
Bareges de pbantasia, fazeoda propria para baile.
Tarlatanas de cores com palmas lindissimos gostos.
Burrrs de cores para senhoras.
Gravatas para bomem, grande sortimento em feitios e cores.
Bretanbas, esguiio e bramante de todas as larguras.
Laazinbas de modernos padroes e lindos gostos.
Metim da India fazenda -inteiramente nova para vestidos ede lindo effeito.
Finalmente rene este estabelecimento todo que de raelhore mais moderno se pode
encontrar em fazendas como em perfumaras finas, das quaes tem um completo sor-
timento.
AOS CAVALHEIKOS
Offerece igualmente a vantagem deencontrarem neste esUoelecimeulo :
Parmos finos, pretos* de cores.
Casemiras pretas fiaas, e ricos gorgorees para eollete.
Ditas de cores, de -quadros, lisos e de lislras, completo sortimento.
Brias brancos lejinbo de todas as qualidades.
Ditos de cores, lisos e trancados, grnele sortimento.
Um fcabil artista para cortar e dirigir qoalquer obra, que s se entrega a contento
do fregaez.
Urna modista igualmente iccupaJa nos trabalbos do PAVILHAO DA AUBORA, di
rige os que lbe sao conceraenies, apromptando a capricho qoalquer TOILET, garantin-
do-se a mais completa perfeico nos seus trabalbos.
Em. resumo concluimos
Por chimar Etteocao do respeitavel publico para o oosso estabelecimento, que alm
de ter n o qae" se pode desejar em fazendas e perfumaras tem o mais COMPLETO SOR-
TIMENTO DE BOUPA FEITA, para bornees e ineniaos. Mandam-se as fazendas em
casa das Exmas. familias, e dam-se amostris.
Um completo sortimento de esleirs da India, por menos preco que em outra qual-
quer parte.
Aberta das 6 horas da uiauba s 9 horas da ioute:
Compra-se urna casi terrea que tenha duas
salas e dons qaartos. en Santo Antonio ou Boa-
Vista : quem ti ver dinja-se ra do Cotovelio
n. 17.
m

VENDAS.
N0V1DADE.
O Costa, propietario do armazem da Pedra
Maamore ra das Cruzes n. 43, offerece por di-
nbeiro contado o que de nilhor ha no mercado,
por ter recebido muitos dos gneros descriptof
pelo ultimo vapor.
Chocolate de 14 a 1*800 a libra.
Especial manleiga ingleza e franceza.
Horialices para sopas denominadas Julienne, que
substilue perfeitamente as mais frescas ervas.
A verdadeira farinba americana vinda de conta
propria a 320 rs. o mago de urna libra.
Velas stearinas a 300 e 640 rs. o maco.
Bolachinhas de todas as qualidades e dos me-
lhores fabri cantes.
Ervilhas francezas e portuguezas.
Vinho de todas as qualidade*.
Especial e aromtico sabao de familia a 500 2
o kilo.
Molbo inglez.
Ameixas e marmeladas dos melhores fabrican-
tes.
Caf de Moka.
Punas ssucaradas de Bristoi.
N^O CO.NTEM nem calomelanos nem ^enhcm
otrnto mineral. .
A grande necessidade e falta de um ca-
thartico ou de uina medicina purgativa, ha
muito que tem sido sentida, tanto pelo po-
vo, como mosmo por meio da faculdade
medica; e por isso, infinito o fosto e
prazer que sentimos, em poderraos com
toda a confianza e seguridade, recoromendar
as piltilas vegetaes assucaradas de Bristoi.
como nma excellente medicina purgativa, a
qual encerra em si todas as."partes- e mais
ingredientes essenciaes, tomando-se em um
perfeito, seguro e agradavel cathartico de
familia. Este remedio n9o composto
dessas drogas ordinariamente usadas na
composicSo dessas pululas, que por ahi se
vendem, mas sim, s5o preparadas com as
mais finas e superiores qualidades de raizes
medicinaes,- henas e plantas, depois de se
haver chimicamente extraliido e separado,
os principios activos, ou aquellas partes
que contem o verdadeiro valor medicinal,
daquellas porces fibrosas inertes e agres-
tes inteiramente destituidas da menor virtu-
de. Entre esses agentes activos ou ingre-
dientes especficos, podemos nomear a po-
dophgtn, a qual segundo a experiencia
mm demonstrado, possue um poder o mais
jaravilhoso possivel sobre as regies do
fyado, assim como sobre todas as secre-
C5es biliosas. Isto de combinarlo com o
leptandrin, e mais alguns extractos vege-
taes e drogas altamente valiosas, consti-
tuem e form?m urna pilula purgativa, tor-
nndo-se por isso muitissimo superior,
qualquer urna outra medicina da mesm?
natureza, que jamis fora apresentado ao
pubUco. A pitillas vegetaes assucaradas
(fe Bristoi, achar-se-h5o sempre um reme-
dio prompto, seguro e eminentemente effi-
caz, para a cura de molestias, taes como
sejam as seeuintes.
No domingo 20 do crreme furlaram da ra
4as Trincheiras casa n. 10 uina corrente de ouro
a moda, de paseador com doas tollas esmaltadas
sendo urna em cima o outra em baixa, c leudo a
bella de baixo um ganebioho : pede-se aos Srs.
onrives e mais pessoas quem ditta corrente for
apresentada para comprar, de toma-la e aonan-
ciar por este Diprio, caso nao .queira levar a dita
caa, -sera geaerosamente reeompencado e se pa-
gar o annnncio.
AMA
AMA
Precisa-se d: ama ama para cosinhar e engom-
mar para casa de urna familia de duas pessoas :
tratar na ra nora.de Santa'Rita a. 51, serra-
ra a vapor.
Precisa se de urna ama para casa de estrangei-
ro de tres pessoas, prefere-se escrava : na ra da
Imperatriz n. 9. ^^^ _^_
Para casa de humera solteiro precisase de
urna ama para c servido interno : a tratar em
Santo Amaro no seguimento da ra da Aurora n.
44, andar. ____
Ama
Precisa se de urna ama para cozinhar para duas
pessoas: a tratar na ra Direita n. 32 A, loja de
calcado.
Ama.
Precisase de ama ama que saiba cozinhaj : a
iratar na ra .do Codorniz n. 8.
I
Precisa-ae de ama ama forra ou captwa para o
sesvico interno e externo de urna casa Je pouca
familia : na ra Velha n. 6.
Precisa-se de ama ama para todo servico
de casa de familia : ra de Aortas n. 30.
O abaixo assignado tem justo e contratado
i conapcar a taberna sita na ra da Boa Hora, em
Olinda, n. 24, ao Sr. Francisco Pires Licate llvre
e desembaracada de qualquer onus : se algaem
tiver embaracen a por semelhante Wansaco,
queira dirwir-se a mesma taberna no praso de
tres dias. Olinda 31 de novembro de 1870.
_________ Jos Anionio da Silva Braga.
Para a festa
Ahigam-se duas casas terrea eom commodos
para familia e sitia com fructeiras, cocheira etc
n? Variea, lagar Ambol : a tratar na ra do
Crespo. 7.
Aluga-se ama casa na ra Angosta o -92.
com commodos para nma grande familia : qoem
pretender dirija-se a ra do Vigario n. 12.
Precisa-se de urna boa. cosiDheira nara a
rna da Aurora n. 24, 2a andar.
Caxeiro brasileiro.
Offerece-fe uro rapar brasileiro de 14 a 15 an-
nos, com ortica de taberna : tratar na roa da
Gloria n. 57.
Na rna dofineimado a. 34, precisa-se de
orna ama para cosinhar em casa de rapaz solteiro.
Precisa se de urna ama eme lave e engomme
eom perfeioao : na ruada Barao da Victoria n. 61,
2* andar.
Virginia.
Tendo-se dSgnudo a f,rimcira reme?sa deste til
e instrtfctivo romance mar.3; vir mais por ser
b?stnte procurado, e que se actia venda aa l-
vrara franceza. Este ,'ivro m deWa ser adoptado
nos coflegios de smbos os sexo?, pois que 6 histo-
rico, reliaJewo. e sobre ludo proveitoso-.
A'mu
Preei>a*s de ama ama que saiba cozinhar* cotfl
perTeicao paja casa de homem >ateir : na i7
do Llvramentj n. C.
Aluga-se ama preta escrava perfeita cori-
nheira ; a iratar na rna 1 de Mareo (amiga do
Crespo) n. 7, loja do Passo._________________
A luga se
ama casa terrea, sita na Capnnga, com aotio, co
cheira, e nm pequeo quintal: a tratar na roa
do Vigario n. 31.
Aluga-se
um sobrado na roa o Hospicio n. 35 de nm andar
e aoto, para graade familia : a tratar na rna da
Imperalrit, loja n. 44.
Cozinheir.
Precisa-se de ama cozinheir : na ra do Barao
da Victoria n. 21.
Apprehendeu-se sabbado 19 do corrente, na
loja do pmce-nez de onro, i rna de Hortas n. 15,
um annel com brilhante; da mi de orna preta, e
soppde-se seja achado ou fartado : quem for do-
no e der os signaos cortos, Ihe ser entregue pa-
gando as despezas deste. A dita preta ora quera
vender, ora ver se valia 10J000.
A3-|o palmo.
Domingos Jos da Cunha Lages, na ra da Sen-
zal-nova n. 30, vende alguns terrenos no lagar
do Barbalho, que domarcam com as estradas do
Honteiro e Caldeireiro, e com a da Petinga que
vem da estrada nova, tend) 908 e tantos palmos
de tundo ; desnecessario dizer a qulidade da
trra, pois que quem quizer comprar ver as ex -
cellenles e vigorosas plantas que j existe era
terrenos do mesmo lugar.
ou indi-
Cautlie ros egaz eeonom $o.
Acaba de chegar nova remessa dos to desoja-
dos candieiros todo de porcelana, os qnaes muito
se recommendam pela seguranza, asseio e econo-
ma, o anda pla excellente luz preferivcl mil ve-
ze? ao keroaene.
Veoham antes que se nrabem.
nico deposit na
Ra larga do Notario o. 8i
Botica.
Dspepsia,
gesto,
dAstringencia, ou..
prisao do venlre
habitual,
Azia do estomago e
flatulencia,
Perda do apetite,
Edtomago sujo,
Hydropesia dosmem-
bros ou do corpo,
Affecres do figado,
Ictericia,
Hemorrodias,
Mau hlito, e irregu-
laridades do sexo
femenino.
Dores, de cabera.
Em todas as molestias que derivara }
sua origem da massa do sangue: a salsa
parrillia de Bristoi esse melhor de todo
os purificadores deve ser tomado conjun
tamente com as pilulas, pois que estas
suas medicinas, tendo sido expressamente
preparadas para obrarem do harmona urna
com a outra, quando fielmente assim se faz,
n5o nos resta a menor duvida em dizer,
que no maior numero dos casos, podemos
afGam-ar nao s um grande alivio, como
tamhe'm urna cura prompta e radical, isto
est bem visto, quando o doente n5o se
aclte n'um estado muito alm dos recursos
humanos.
Olinda
Vndese o sobradinho da roa de Hathias For-
reir n. 16, com bom quirtil c bnas condi^oes de
duraco ; e a casa n. 6 da ladeira da Misericordia,
com bous commodos para familia, quint.il murado,
basUnte grande, cacimba, c um grande p de ta-
marindo de excellente sombro quem pretender
dirija se a rna do Crespo n. 18, 1 andar, ou ao
agente Jos Eazebio Alves da Silva, ra da Au-
rora.
Vende-se fumo do paz bem curado, proprio
para charutos e cigarros, sendi capa segunda e
mrlo, por preco commodc : na taberna do pateo
de S. Pedro, sobrado n. 1. em Olinda.
O Bazar da Moda recebett novo sortimen-
to de fazendas do ultimo gosto para vesti-
dos, assim como, chapeosinhos, casacos,
boms, coqnes, camisinbas, etc, etc
Continua sempre o grande e afamado sor
tmenlo de miadezas e perfumaras verda-
deras, que todo se vende por baratissimos
precos
Dam-se amostras e manda-so em casa das
Exmas. familias o que desejarem, ra do
Bar5o da Victoria, outr'ora Nova.
A 7000
Vende-se lia para bordar, hnnitas cores, pelo
diminuto precv de 7* : remata ra da Cadc-M
n. 50 A, loja de iniudpzas.
Anda existem venda algnmas 6liradeira5
proprias para purificar agn, a quaes evitara o
cholera, febre amarella e outras molestias ; ven-
de-se na rna n Commercio n. 38. Na mesma
cusa vende-se um relugio de ouro inglez chrono-
metr.________________
SEIiECVA
Na ra co Crespo n. C^U
Vende-se a selecla de linho, 4 palmus de la!-a-
a, peca eom 30 jardas, pelo baratisso preco dr.
20iXl, eambraia fraseen eom 7 1|2 palmo; de
largura a 15 a vara, cambraia victoria fina i.
iS",00 a peca, Minhes nroprias Dar ve^tiJo de
senhora e menina a 400 r?. o covado, atoa'.i :
de luho. 2 la.guras, a 2500 a vara : na loja
do Gailherme.
Attenpo
Vndese um botn cav^llo de slla de bons an-
dares : do >aleo da ititira n. 13.
Veadese nma casa em Santa Thoreza, e-m
Olinda, com f'commcdacoes para duas familias por
ser muito grande, com portao para o porto de
embarque, tem um grande viveiro e baila1* de
capim os pretendentes podem tratar com Manoel
da Cunha Martins na ra do Cotovel'o n. 29.
T. Jeflerio* & C, ra do Commercio n.
46, tem para vender :
Brins de ADgola legitimes.
Saceos de estopa,
Fio para fogueteiros.
Chapeos de sol barata'.
Lonas largas e estreitas.
Linha branca em novellos.
Panno riseado para ce lebo,
Aguad Vichy
Venham. fregnezes.
munir-se ra Duque de Caxias (antiga-
mente ra das Cruzes), sobrado das pe-
Cas de artilberia n. 6.
Neste novo estabelecimento encontrarlo os ama-
dores de agua fresca e saborosa os melhores ob
jectos de barro, pois fe acha prvido de todo o
sor imento como sejam : quartinhas dos melhores
fabricantes de?u provincia, jarras, moringoes,
resfriadores. buhas, garrafas polidas e torneadas,
tndo do meltior barro e gosto; as potes, quartinhas, bilhas, jarres e vasos para fl j-
rei, e muitos outros objeetos sem seren polidos,
lado de militada para as casas de familia;.
Aluga-se pequea casa com sota defronte
da virgem da Saode, no Poco da Panella, perto do
banho, muito fresca, poco de boa agua, e indo c
mais que preciso : trata-se no mesmo logar na
taberna junto.
Escrava.
ProcUa.salogar um escrava quo. saiba cozi-
nhar : na fabrica a vapor de cigarros, ra larga
do Rosario n. 21.
a PRECISASE
Precisa-se de om bom forneiro : naroa do
.Rangel n. 9, padarla.________
Prtfisa-ta atogar vm prelo: na roa do Rao-
gel n. 9-_____
= .Na :ocneira da roa do Ijiperado." > 7 Ten-
de-se ama encllente borra de carro, cafJplet e
de ella.
VENDE-SE
am terreno ji cum alicorees para nma boa casa,
sito roa do Caz, o qual tem 37 palmos d-> frente
e 78 de fundo para a tasa e 22 para quintal ; c
preco por qnanto se vende anima ao comprador:
a tratar na rna estreita do Rosario n. 31, loja
Calcados francezes
Grande sortimento de calcadas francezes para
homens, senhoras e crianzas, botinas de setm e
ilnra tue branco, dita; de cores, sspatinhos borda-
dos de setim brano.d.tos deduraque de cores para
senhora.plo preco mais commodj de qae em ou-
tra qualquer parte: na loja de ealgado da bota de
onro a roa da Croz n. 21, sobrado amrello.
LAS
Vendem-se eaixas eom ceblas a 61:
do Codorniz n- 14,
oa ra
Das (bates
HAUTERIYE E CELESTINS.
Vende-se por menos do qne em outra qoal-
quer parte no armazem da ra do Vigario n 11.
1TTECA0"
Chocelate nacional.
Duas medalbas de prata e urna mencSo ho-
norfica.
Avilla Irmdo $ ,
Ra nova de Santa Rita u 4
Exislem pouco? alimentos simples e substan-
ciaes como o chocolate, estimulando suavemente
o* ervos, da ao corpo o mais paro elemento de
nuincao, e ao mesmo tempo fortifica os oreaos di-
gestivos. Todos o mdicos, sao unnimes re-
commendar este alimento como o mais pronrio e
obstancia! para a? pessoas de complexao traca e
debilitada,
Vende-se
Primeira qualidade 1|2 kil. 800 rs.
Homjopatha 1)2 kil. U000
HespanhoH|2 kil. 800 rs.
Vanaille 1|2 kil. IJOOO.
At meia arroba far-se-h abatimenlo de 10 Ojrt
e de arroba para cima 20 0|0
Gaf muido &' vapor
-garant do sem mistura a 800 rs. e kil., em maior
quartdide lera abatnaato de 12 0|0.
Tambem Ira'pacotes de 1|2 kil. empacotade
papel deestaBho par; se conservar sempre Tresc.
._____________^____, < ..
Ve nde-se tima taberna muito aregnejada
no ftigar do Barro entrada para o Che^a, eontoi
a mesma casa um sitio com muitas fructeiras,
granle planta de capim; vende-se a vontade do
comprador, s annago ou sertida com os gensroa
lao-ejifUr; a lrai?r na me;msL
j


6
k
>;i
Diario de Pemainbuco
Quinta feira 24
L_i,, .,i^,'i------
de Novembro
de
_^_____>
1870.
BAZAR DO

60-RUA DA IMPEMTRIZ-60
DE
DA SUVA & CL
Neste iraoortante estabelecimento encontrar o respeitavel publico, m grande e variado sortimento de fazendas do mais
aparado posto e todas de primeira necessillade, que t? vanlan maiahar^? *oa socios desta firma, adoptaran) o systema de s vetearen DINHEIRO ; para, poderem vender pelo costo, limitando-e apenas
a ganhirem o descont ; as pesaoas que negociara em pequea esea'a, nesta loja earmazem podero tazer'os seus aortimeatos
pelos meamos precos que compram as casas inglezas, (importadoras) e para maior commodidade das Exilias, faarths se daro
amostras de todas as fazendas, ou ibes levan em suas casas para escolherem.
%"Wm" lsmutn^ii
| o Duque de Ca&ias n 21
A RA DO QEIMADO)
RSb*rs segrate :
Espelhos grandes doarados, moldes bonitos.
Carteiras, charotelrts port-cigarros de ante
Bonitas ptsUs para payis, simples c natisadas
Boas caixas vasia para costura com sua Compe-
tente chave.
Delicadas canelas de marflm com o bocal
prata.
Modernos pestes de lartaroca, sobresabindo en-
tre elles os.nunwso telegraphisUs.
Commodos tucadores com duas gavetas e bom
espelhd.
Port bouquet, o que de melhor tem apare-
cido.
Port rokf ios de militas qualidades.
Bons talberes para crianzas.
Vostuanos. ehapottbo?, toacas, sapalos e meias
para baptis*.
Toalhase fronhas de lab} rindo.
Chapeos e chapenas para senhora, moldes novo*
e bonitos.
Chapozinhos gorros e bonets para meninos
meaffias.
Contra as convulsSes as
PARA N0IVAD08 CORTINADOS, CoLCWS. i GROSDENAPLES PRETOS
Cbegou para o Bazar do Povo um gran- Chegou para o Bazar do Pave na gran-
de sortimento dos mais bonitos cortinados,de sortimento dos melbores grosdeoapres
bordado?, proprios para camas e janellas, Pretos qne tem vindo ao mercado, que se
que se venden de 10500, at'20^000 o 'endem de 44600 at 54000 o covado (
par, assim como o melbor damasco cem 8 8^ todoa mnito em conta.
palmos de largura a imitaco de damasco ALGODO ENFESTADO PARA LENCOES.
de seda, proprias para colchas, e propria-! No Bazar do Pav5n vend-se o melbor al-
PECHINCHAS
- 4)0
mente coicbas de damasco, send os melbo- godo-inho amtricano efestado
res e mais bonitas que tem vindo ao mer-
cado.
TAPETES
Chegou para o Bazar do Pavo O mais
elegante sortimento de tapetes grandes, pa-
ra sofs, com 4 cadeiras, ditos mais peque-
nos, para duas cadeiras, ditos para
pianos, camas, portas ; etc. vende-se por
menos do que em outra qualquer parte.
ROUPAS PARA HOMENS
No accreditado Ba^ar do Pavo encontra-
r o respeitavel publico um grande sorti-
mento de roupas para bomens tanto bran-
cas como de cores, a saber:
Camisas coa -peitos d'algodo e delinho,
para todos os precos e qua'idades.
Ceroulas de linbo e algodo.
Meias cortas francezas e inglezas.
Palitos sobrecasacos de panno preto e
casemira.
Calcas de brim branco e de cores
Ditas de casemiras pretas e de cores, com
Golletes iguaes
De todas estas roupas ba para todos os
precos e qualidades, e tem de mais mais
um perilo
ALFAIATE
Por quem se manda fazer com prestesa
e aceio qualquer peci de obra a capricbo
on gosto do freguez, tendo n'este importan-
te estabelecimento todas as qualidades de
panno fino, as melbores e mais moder-
nas casemiras, assim como os melbores bros,
qur branco*, qar de cor; e qaahdo qual-
quer obra nao ficar iateiramente ao goslo
dos freguezes fija por conta do estabeleci-
meto.
TOALHAS A 70500
No Bazar do Pavo fez se urna grande
ttmora-da toalhas alcocboadas, proprias
para rosto, bastite encorpadas e grandes,
que sonipro se venderam a \\25000. e li-
quidam-so a 7500 a-duziaou a 640 rs.
;ada uu-a, boa pechincha.-
CORPINHOS BRINCOS A 30000
No Bazar do Pavo vanJem-se corpinhos
de cora'traia brancos bordadlos, s9ndo fazen-
di que se npre se vendeu a 84'JOO e 104
o liquidarse a 3000 por esurem um
pouxi maltratados, pecoinch;, na ra da
Imperairiz o. 00.
FSTvES DE COR E BRANCOS
Vendeai-se bunit os fustes brancos e de
cores, iroprios pira vestidos e rcupas de
meninos, sendo de cores a 800 ris o cova-
do e i-nucos, a 400 e 640 ris, pe-
Ciin :;ia, no Bazar do Pavo ra da Imp>
ntrlZD. 60
CHITAS BARATAS
i 203 ris.
a 200 res,
a 200 reis.
.,ii in-se chitas largas com muito bons
pannos e cores fizas, pelo barato preco de
200 ris o covado ; cortes das mesn?s com
40 covados a 25000, pecbincba, no Bazar
do Pavo.
AS CASS\S DO PAVAO
Covado 200 ris.
a 200 reis.
a 200 ris,
Vendena-se bunitas cissas de cores miu-
dtnhas pelo barato preco de 200 ris o co-
vado, no armazem do Pavo { ra da Im-
peratriz n 60.
PANNOS PARA SA1AS A 1/000, O METRO.
No Bazar do Pavo vende-se bonita fa-
zenda branca encorpada para saias, sendo
com babados e pregas de o a lado, dando
a largura da fazenda o comprinento ra
saia, a qual se pode fazer com 3 ou 3 1(2
metros e vende-se a 45, 15280 e 15600;
assim como tambem no mesmo estabeleci-
mento se vende bonitas saiis brancas bor-
dadas, tendo qualro pannos cada urna, ditas
de la de cores j promptas, urnas com
barras diferentes da mesma fazenda 45000,
e oulras com barras bordadas 65 e 750O0,
todo isto moderno e barato.
CARNAUBA.
Vende-se carnauba em sccoi, na roa da
Imperatriz n. 60, Bazar do Pavo.
TARLATANAS LISTRADAS CORTE A 65500
Cbegou para' o Bazar do Pavo um bonito
sortimento de larlatanas listradas, sendo
verdes, cor de rosa, lirio, tendo esta bo-
nita fazenda muita phantasia, e liquida-se
oda corle a 65500, pecbincba ; na ra
da Imperatriz n. 60.
CASAQUINHOS DE GUIPURE A 105, 125,
165, E 205.
Cbegaram para o Bazar do Pavo os
para len-
por preco
ces, tendo liso e atrancado
muito barato.
ESPARTILHO.
No Bazar do Pavo recebeu-se um elegan-
te sortimento dos mais modernos e memo-
res esparthos, qoe se vendem por preco
muito em conta.
PANNOS DE CROCH PARA CADEIRAS
O Bazar do Pavo recebeu um grande
sortinof Bto dos melbores pannos de croch,
proprios para cadeiras de balanco sofSs,
pianos, tamboretes e at proprios para cu-
brir almofadas e pratos; vendendo-se por
menos do que em qualquer parte.
PARA LENgOES
No Bazar do Pavo veode-se tuierior
bramante d'algodo com 10 palmos de lar-
gura a 15800 o metro, dito de lioho com a
mesma largura a 25800 cada metro, pannos
ds liobodo porto com 3 1/2 palmos de largura
de 720 at 45 a vara, assim como omgi ande
sortimento de H.mburgo ou degellas de
todos os nmeros, precos ou qualidades,
que se vendem mais barato do qoe em ou-
tra qnalqner p:rta; aproveitem-
ATOALHADOS
No Bazar do Pavo vende-se snperior
atoalhada trancado, com 8 palmos de largu-
ra a 15600 o metro, dito do linho adamas-
cado o melbor que tem vindo ao mercado a
35500 o metro ; tudo isto muito barato.
FAZENDAS PARA LUTO
No Bazar do Pavo veodo-se constante-
mente o melbor soriimerito de fazendas
pretas para luto, como sejam :
Lasinhas pretas lisas.'
Cassas pretas de la.
Cassas pretas, francezas e inglezas, lisas
e com salpico?. '
Chitas pretas de todas as qualidades.
Alpacas pretas lisas.
Ditis lavradas com branco.
Merinos, caotOis, horobazinas.. que sa
vendem mais barat. do que em outra qual-
quer parto.
CACHS-NEZ A 65000.
No Bazar do Pavo vendem.se bonitos e
grandes cacbi-nez de pura iaa, pelo bara-
to pre?o de 6?000 cada am.
PE1IICNCHA EM CAMBRAIAS VICTORIAS, A 55,
65, 75 850"0.
Vende-se um expleudi lo sortimento de
Gaissimas cambraias victorias, por precos
mais baratas do que em outra qualquer
parte, tendo cada peca 10 jardas a 55, 65,
65500 e 75030, Qnissimas a 85500 ; todas
estas cambraias valem mnito mais dinheiro
e liquidam-se por este preco en relacio a
urna grande compra que se fez no Bazai-
do Pavo.
BABAD1NH )S
No Bazar do Pavo vende-se um grande
sortimento dos mais finos babidinbos borda-
dos tapados e transparentes, assim como
urna gran le porco de entr.m :ios largos e
eslreitos, que para acabar se vende mnito
em conta e mais barato do que em oatra
qualquer parte.
SETINSDE CORES E GROSDENAPLES.
No Bazar do Pavo vende-se um sortimen-
to completo dos melbores setins e grosde-
aaples de todas as cores, que se. vendem
inuu> em conta.
Colchas brancas i 35200, 35500 e 75000.
Para o Bazar do Pavo chegou um grande
sortimento das melbores coicbas pretas,
sendo das melhores e mais encorpadas que
tem viudo 75000, ditas um pouco mais
baixa 35500 e ditas 35200; tambem no
mesmo estabelecimento. se veo le um grande
sortimento de crlones e chitas proprias
para coicbas que se vendem mnito em costa.
Sedas de qoadrinhos a 15280 a* cavado
Vende-se um elegante sortimento de sedas
de qaadrinbos, com lind ssimas cores, para
vestidos e roupas de meninos, e vende-se
15280 cada covado; pecbincba no
Bazar do Pavo.
CHALES DE RENDA.
Chales 200).
Chales i 2000.
Chales 2000.
Venck'-se urna grande porco de chales
pretos de renda ou croch, sendo pretos
com 4 pontas, fazenda que sempre se ven-
den 55000 e liquida-se a 25000 cada um,
pechincha no Bazar do Pavo, a ra da
imperatriz n. 60.
m w^ .v ^s^
I^I^WW oow -=*-'
Otando a AGUIA BRRNI, mait precisa cientifior ao rwpeUvel
geral, e em particular a sna boa retjuezia, da immensidade de objectos qnei
te tem recebido, justamente|quando ella meno o pode fazer e porque essa fail
lontaria ella confia e espara na benevolencia do iodos que lh'a attendero e t
continuando portanto a dirigirem-se a bemconhecida-lcja da AGUIA BRANCA!
Queimado n. 8, onde sempre acharo abundancia em sortimento de superiori
qualidades, modicidad em preces e o sen nunca desmenuzo AGRADO E SINCEf
Do qoe *cinu fiflt.dit9e eoahec* que o tempo le qne a AGUIA BI
dispr, empragado apaear de aeus cusios no desempenho de bem servir a aque_
honram procurando prover-se em dita loja do que necessitam, entretanto sem
rar os objectos que por sua natureza sao mais conhecidos ali, ella resmidamei_
elle cuja importancia, elegancia e novidade es toraam raamnensve*, cem*
LINDAS BAREGES A 320 RS. O COVADO
No Bazar do Pavo vende-se o mais bo-
nito sort'inento de finissimas bareges trans-
S^^;S0,^L!S^25^^^^^^ as mais bonitas listaste c6res
proprias para vestido, e liquida-se a pataca
o covado por estarmos muito prximos da
festa ; ditas mescladas, fazenda muito lus-
guipure com cintura, ricamente enfeitados
com Jacos, e vendem se pelo barato preco
de 105, 1*5, 165. e 205, pechincha,
ra da I LENQOS DE MORIM A 35500 A DUZIA
Veadem-se duzias de lencos flnissimos,
brancos de morim, sendo fazenda muito
encorpada, a 35500 a dazia, Ditos de
cambraias finissimas, fazenda que sempre
se vendeu a 55O0O e liquida-ae 35500 a
duai por h^ver mui prco, no Bazar do
Pavo a roa da Imperatriz o. 63.
flua da ImpenttriE 60,
Para vender depressa
LINDAS JAPONEZAS SARA VfiSUDQS A
A 800 RS.
Cbagou va legante sorti^eMo e lai-
inhas muito Tioa qnaidafle. que s vendem uj
500 rs. o covard. pecamch-a, no Bazar
do Pavo, raa da Imperairz n. 60.
MUPEUNAS no japAo a 15600 o COVADO.
Cbegou um elegante sortimento de lin-
dissimas poupelinas J ponezas, com os
mais delicados gostos, tendo muito lustro
e com li3trinhas de seda, enflo esta nova
fazenda quasi da largura da chita france-
za e vende-se pelo barato preeo -de 15600
cada covado, no flazar m f/a^So.
AS POOPEUNAS DO PAVAO A 25000, O COVADO.
Cheg >u para o Bazar do Pavo um bo-
nito sortimento das mais modernas e ele-
gantes poopelinas de lioho e seda, que se
vendem pelo baratsimo preco de 25000
cada um covado, assim como ditas com
go?tos escossezes a 25400, pechiucha no
Bazrr do Pavo.
SEDAS. A 25000
Chegou u n elegante sortimento de boni-
tas seda de listrinhas, eom as cores masno
vas qua tem vindo ao mercado e veudem-se
a 25000 o covado, na roa da Imperatriz
Bazar do Pavo.
CRETONE FORTE A 25000 O METRO
S no Bazar do Pavo.
Chegou o verdadeiro cratone francez pro-
prio para lencoes tendo 10 pa'mor de lar-
gura, e moito encorpado, sendo preciso ape-
nas para cada leccol 1 '/i ou 1 '/a metros, alm
d'esta applisaco tambem esta larga e en-
corpada fazenda propria-para toalhas, saias,
ceroulas, etc. e liquida-se pelo barato pro-
co de 25000 cada metro.
CASEMIRAS A 25500 CADA COVADO
No Bazar do Pavo vende-se um grande
-urliao^nto de bonitas casemiras de urna f
cor, 6eodo. asul, lirio, mesclada*-afeudo de
duas larguras, propriae para-c^, palitos,
e rou.jas para menino, e vendem so pelo
barato pre?o de 25500 o covado, rua da
Imperatriz n. 60.
BONITAS LASINHAS A 500 RS. O COVADO,
Vende-se delicadas lasinbas com di A-
renles gosto pelo barato preco de 500 rs.
o covado, no Bazar do Pavo.
ALPACAS BRANCAS.
Vende-se um bonito sortimento de finis-
simas alpacas brancas lavradas, imitaco
de seda, proprias para vestidos de baile ou
asamentos no Bazar do Pavo.
ALPACAS LAVRADAS A 400, 860 E 640 RS.
Vende-se om grande sortimento de lin-
das alpacas lavradas de todas as cores para
vestidos e vendem-se a 400, 550 e 6i0
e al mil e tantos res o covado, no Bazar
do Pavo.
BAREGES DE QCADRINHOS A 600 RS. O COVADO
Veode-se as mais lindas e moderdas 13a-
sinhas ou bareges de quadrinhos, proprios
para vestidos, tendo quasi largura de chita
frsnceza. e l.quida-se a 640 t. o covado,
no Bizar do Pavo.
MERINOS DE CORES RARA VESTIDOS.
Vende-se bonitos merinos de umi s
cor com cores muito proprios para vestido
e roupas para creancas por ser urna fazen-
da de pura la e muito leve, vende-se a 15
o covado, no Bazar do Pavo.
GLACS A 15000 PARA VESTIDOS.
Vende-se um elegante sortimento desta
nova fazenda denominada glacs sendo urna
fazenda de la muito larga e com delica-
dissimas cores, tendo tanto brilbo como a
seda e vende-se pelo barato preco de 15,
covado, no Bazar do Pavo.
CASEMIRAS A 75000
Vendem-se cortes de casemira ingleza de
cores para calcas sendo fazenda que vale
muito mais dinheiro e liquida-se a 75000
o corte de calca, no Baxar do Pavo a ra
da Imperatriz n. 60.
enancas
Vende-se os *ertfad>iros ollares na Nova
mu, na do Duque de Caxias n. 21.
PARA TNCIR CABELLOS
para pretos ao entanhoe, rteeben a Nova Espe
ranea a vertadenv lala meza.
BASA ACABAR COM AS SARDAS
on panno, ten a .Nova Esperanca o verdadeirc
leile de rosa brancas.
AGUA DE FLOR DELARANIA.
Vende-se na Nova Esperanca, rna do Daqae 4*
Caxias n. SI.
. PAPEL PARA ENFEITAR-SE BOLOS
reeebao-os qpaHo lindos a Nova Esperanza, ros
do Duoe de Caxias n. 21.
PARA AMAC1AR E APORMOSEAR A PELLE
ten a Nova Esperanca es sabonetes de pos de
arroz
v
CHEGARAM
Pocos in8tautneos aperfeico-
ados por pre<;o muito commo-
do: na rna Nova n.28, loja de
Antonio Pedro de Souza Soares.
Bombas completas para ca-
cimba, por diminuto preco, na
mesma casa.
ovia
btm
Corpinhos de cawbrtia, primorosamente
eofeitadot com fita de setim e obras esats
Cuja nvdadB de molde e perfeico de ador-
nos os toraam apreciados.
Fitas mni larga de divenas cores e qpa-
lidades par cintos.
Leques uesse objecto moito se poderia
duerquerendo deecreve-losminacioeaaente
por suas qualidades, coree e desenos, tal
e o grande e variado sortimento qne acaba
de chegar, mt para uo massar o freteih'
dente se lhe apresentari o qee peder de
memor.
Entremeios em pecas de 12 tiras.
Guipure branco e preto de diversas qua-
lidades e desenhos.
Ditoa de algodo com flores e lisos.
Veos de seda para chapelinas e monta-
ra.
Meias de seda para noivas.
Ditas abortas de fio de Escoesia.
Costumes ou uniformes para meninos.
Enxovaes cempletos para baptisados.
Touquinhas de fil, sapatinhos bordados
e meis para ditos.
Camisinhas bordada para ditos.
dita,
CEMENTO
O verdadeiro porUand. S se vende na raa da
Madre de Dos n. 22, armazem de Joao Martina de
Barro
MACHINAS PARA
COSTURA
m de chegar ao GBANDE BAZAR
UNIVEBSAL, ra Nova o. 22carneiro
viannaum completo sortimento de ma-
chinas para costura, dos autores mais co-
ndecidos, as quaes estao em exposico no
mesmo Bazar, garantindos-e a sua boa qua-
lidade, e tambem ensina-se com perfeico
a todos os compradores. Estas machinas
sao iguaes no seu'trabalho ao de 30 costu-
raras diariamente, e a sua perfeico tal
como da melbor costureira de Paris. Apre-
sentam-se trabalbos executados pelas mes-
mas, que muito devem agradar aos preten-
dentes.
ou aluga-se os armazens que forara oceupados
cora a faDrica de sabio e destiladlo do Sr. coronel
Franca, na ra da praia de Santa Rita-nova, os
qaaes offerecem proporcOes para bem se montar
qnalqner fabrica de grande estabelecimento, cora
a grande vantagem para embarque e desembar-
qne : a tratar com o commeadador Tasso.
CAL MA DE LISIA
Cipellas brancas pera meifeas. .
Grande sortimento de florea finas,
Fn3 de Seda preto.
PERFUMARA
Grande e constante sortimento de
sempre melhor quaiidade.
Lindos vasos com pe de arroz e pinsel
Caiiiobas com ditos aromatices.
Bonitos e modernos pentes doeraolos pa-
ra circnlar o coque.
Benitas Inines 4e plaqueo.
Aderecoe e -brincos de madrepero
Caivetes finos para abrir latas.
Thesouras para frisar babadinhoi.
Aspas para balo.
Novos stereoscopos com 48 vfgai, ai
quaes s2o movidas por um macniam*
urnas substituem as outras.
Vistas pan tereeecope*.
Bonitas caixinbas de vidro enfeitados ce
pedras.
Ditas de madeira envermsada com viapo
ras e eom dminos,
Bollas de borracha para brinqsedo dt
| criancas.
Diversos objectos de porcelana, proprioi
para enfeites de mesa e de lapinhas.
o
J
N.3ARI!AI)0CAII!SfAN.3,A.
ACDSTI.\W nauos
pqET Pf i nui rtA mu iU 11 n v g-
w
co
Com este titulo acha-se aberto e inteiramente transformado este antigo
estabelecimento de joias, onde os freguezes e amigos encontrarlo tudo quanto
a moda e o bom gosto tem inventado na arte de ourivesaria, o Collar de Ouro
observar delicadeza no trato e senciridade e modecidade nos precos.
Espera que o respeitavel publico venha ver o que existe de melhor em
aderocos de brilhantes, esmeraldas, robins e perolas, meios aderecos, pul-
ceiras, brincos, alBnetes e anneis de todas as qualidades, prata de lei faquei-
ros, colheres, palileiros salvas e outros muitos objectos que seria enfadouho
mencionar.
Compra-se ouro, prata, brilhantes e pedras finas, pormaior preco do
qu em outra qualquer parte, troca-se e concerta-se todo e qualquer objecto
perlencente a esta arte.
A ARARA
ATTENCAO
Lourenco Pereira Mondes Guimar5e3, participa a todos os seus devedore
tanto da praca como do mato, que estando 1 qaidando suas casas commerciaes. o que
dere fazer at o fim do correnta anno, por Isso roga a todos os seus devedores a viren
saldar seus dbitos o mais breve possivel; ootro sim, declara aos seus devedores, qne
os que nao estiverem na loja tem de pagar todos os seus dbitos, provando isto se far
o abatimento qne for preciso para a liquidarlo de suas dividas, para isto poderlo di-
rigir-se roa da Imperatriz n. 72, loja da Arara.
Ao resto dgs pechinchas
Vende-se cortes de castores para calcas, I bales de arcos a 1 a 500 re. Cortes de brins de cores a1 Vende-se bales de 15 a 30 arco a 14
1)1500; cortes de gangas para calcas a 1(51, \ e 10500 cada um. Cortes de cassas em
cortes de casemiras preta para calcas a papel a 23501 cada um, para liquidar.
Vende ioaquim Jos Ramos :
a. 8, i* andar
na rna da Cruz
trosa e com lindas orea a 400 ris o covado,
peiuincha a ra da Imperatriz n. 60.
LENQOS DE CASSA DUZIA 350D0
Vendem-se finissiaos lencos de cassa
com delicadas cerca loras, de coros fixas
j embaohad's, sendo proprio para bomens
e senhoras pele baratissimo preco de 3#0( 0
a duzia, do Bazar do Pavo a rna da Impe-
ratriz n. 60.
GRANDE PECHINCHA EM CAMBRAIAS TRANSPA-
RENTES A 14, 5#,6, 84, E 104000
Vende-se finissimas cambraias suissas, de
muita phantasia tendo 9 varas a 84500 e
104000. Ditas bispo com 10 Jardas fazen-
da muito fina a 54, 64 e 74000. Ditas fi-
nissimas azul adornas, que valem muito mais
dinheiro, a 84 e 104000: todas estas cam-|
bras, em relac a quaiidade, pelos pro-
cos cima sao mais baratas do que em ou-
tra qualquer parte, no Bazr do Pavo.
CAMBRAIA ALLEllAA COH 8 PALMOS DE LAR-
GURA A 11000, U E 2*500.
Vende-se finissima cambraia branca tran-
pa -ente com 8 palmos de largora, que faci-
lita fazer-se um vestido apenas com 4
varas e liquida-se a 14600, U e 24500 a
vara, fazenda que vale mnito mais dinheiro.
E pechincha no Bazar do Pavo.
CAMBR4IA TRANSPARENTE
Peca a 44000
Vende-se moito finas pecas de cambraias
brancas transparentes, tendo8 1|2 tarasca-
da peca e com om vara de largura a 44-
pechincha, no Bazar do PavD
A' ra da Imperatriz
n. 60.
Fita asul, na ra do
Cabug n. 2.
Sao chegados a este estabelecimento chapos
pretos para homem ('frmas as mais modernas) a
101000, assim como bisqninos de gros-de napes,
crochets pretos para sen hora, os melheres que ha
no mercado ; cassas -de cor a 210 rs. o covado;
chitas a 200 rs.; ertes de chitas olindenses
dnas saias a 9|; coberlas de chita chineza for-
radas a ( ; ditas de crochet, ricas, a 12, as me-
lhores que tem apparecido : tuda a dinheiro qne
para aeabar.
Chegaram afinal Capellas mortaarias as
melhores que tem rindo ao mercodo, sortimento
completo, tanto de vidrilhos com imagens, como
de perpetuas amarellas. Na loja da Fita Azul,
roado Cabug._______________________
Cerveji branc i e preta
DA
0 Bazar "do. Pavao sito a ra da Imperatri* n. 60, esta1 constantemente aberto
* das 6 horas da manta as 9 da nonte.
engarrafada por
Blondo Wolfe & C.
especialmente para o Brasil
NICOS AGENTES EM PERNAMBUCO.
/. Je feries $ C.
46. Ra do (Jommercio 46.
Baratissimo.
Comprou-se. grande quaotidade de lias com lis-
tas de seda, fazenda de 900 ris, que se vende por
441, para acabar : loja de Gaspar Antonio Vielra
Guimarao, rna o Queimado n. I.
Farlaha e mandioca.
A bordo do brigue Mana & Virginia, tundeado
em frente ao trapiche Barao do Livramento, ven-
de-se superior farinha de mandioca, recem-chega-
da de Santa Catharina. em porcao e avarejo : a
tratar com Jos Victorino de Rezende & C, rna
do Mrquez de Olinda o. 52.
ATTENCAO
Em Olinda, roa dos MUaires, uberna n. 1, vetf-
de-se farinba de mandioca muito superior em
saceos e a retalho por barato praco>; tambem tem
porclo ds de S. Mathens para agtaaes.
Vende-se o estabelecimenlo de molhados sito
ra Dlreita n, W.
34500, 44, 54 e 6J000.
Crtes de chitas a 2:500.
Vende-se cortes de chitan para vestipes
a 25500. Ditos de cas3a para vestidos a
245O0.
Pechincha a 44000.
Vende-se pecas de algodo a 44, 54, 64
e 74000.
Para liqnidar a 35500.
Pecas de madapolo com 12 jardas a
35500. Ditas de dito com 24 ardas a 54,
04, 64500, 74, 84 e 94030.
LIQUIDAgAO.
Pecas de algodosiaho de Iistra proprio
para roupas de escravos com 42 jardas a
04500 e covado 160 rs. pora liquidar.
Chitas escuras para vestidos a 280, 320
e 360 rs: o covado.
Para acabar.
Vende-se pecas de cambraias victoria, fi-
nas a 64, 6)5500 e 74000.
I' Mdto barato.
Colarinhos de papel a 240 rs. a dnzia.
CsraHos para janellas a 54000.
Vende-se cortinapos pira janellas a 54
o par. Brim pardo liso para caifa de ser-
vico a 500 rs e metro.
Corles de percales a 64000.
Vende-se cortes de percales d duas
saias de bonitas barras a 64000.
Coberlas de chita.
Vende-se a 14500, ditas Anas a
ditas encarnadas e adamascadas a
ditas forradas 54000.
Ganga* para calcas a 280 o covado.
Brim de iistra ao lado para clcala404
rs. o covado.
Lencos brancos a 24000 a doiia, para li-
quidar ; grande porco de mantas para
gravatas a 200 rs. cada orna para liquidar.
Cassas francezas a 280 rs.
Vende-se cassas francezas para vestidos
a 280 e 320 rs. o covado.
, Organdys de corea para vestidos a 400
e 640 o covado.
Alpacas de cores para vestidos a 500 e
640 rs. o covado.
Lasinbas para vestidos a 330,400 e 520
rs. o covado.
Bramanto de linho e algudo cem 10 pal-
mos, de largura o 14800 o metro.
Panno de linho a 760.
Vende-se braaante de lOpalm's de lar-
Sara proprio para lencoes a 24800 o metro.
Lencos de seda a 800 rs.
Vende-se urna porco de lencos de seda
a 800 rs. cada um.
Chales de cassa a 14000.
Vende-se nma granbe porco de chale
de cassa a 14000 cada um, para liquidar.
Fust a 360 rs.
Vende-se fusto de cores para vestidos
a 360 rs. o covado.
Algodo entestado a 900 re.
Venda-se al?odo enfestado par* lencei
e toalhas a 900 rs. o metro, dito transa-
do a 14200 o metro.
Chales de merina estampados a 24000.
Vende se chales de merino estampados
cftm barras a 24, 24500 e 34 para acabar
Grande porco di retalhos.
Vende-se grande porco de re/alhos de
cassas e chitas a 240 rs. o covado.
A festa est na porta
Roopa feita encontraro
Por precinto razoavel
Todos se enrouparo.
A SABER:
Liqdidaeio de ronpa il-
Vende-se pallitets de brinsinbo de itabo
proprio para andar em casa a 14500
tos de-ganga a 24000 ; ditoa de meta ca-
semira a 3*000 ; ditoa de alpaca de cor
a 34500 e 44000; ditos de panno uno
preto a 64, 84 e 105000 ; ditos de case
miras de cesf a 64 e 84000 ; coUetea
de cassioetas de cores, a 14500 5 ditos de
bros de qoadrinhos a 14000 ditosdjca-
semiras de cores, a 24500 34 e^OO
Calcas zoes para escravos a 500 rs., ditaa
de algodosinho de Iistra a 800 rs. ; Utas
de brim par lo a 14600, 21 e.24500 ; di-
tas de dito braaco de linho a 34500 e 44 ;
ditas de casemiras de cores a 54, 6, JO
e 84000 ; camisas de chita a 14000 ; di-
tas de algodosinho, proprias para o ser-
vico por ser fazenda fore, a 1280; drt
de mosuSina a 14600 ra. Pra liquida r
O propietario da loja denominado Araia, declara ao respeitavel publico e aos
seus fregnezes que est concluindo sua liqoidaco. por isso quem quber manir- de
boas fazendas por pouco dinhelrqL tenna a bonda de dirigir-.* a raa da Imperan** n.-
72, desde as 6 horas da maobJa as 9 da noute.
24800,
34500,

-
_A


Diario de Pfaatobuco Quii a felfa 4 de Novembro/de 1870.
V
o
\-

=
-------
*-
Grande reuniao!
Roa d ImpeFadorn. 26, ar-
trazetn do Campos.
Como se .isla jircxiinaado u lempo ios rtgabo-
Itt, o xnaptietfri >lere estnelecimeita tero se
esmerado ein fator rit#r em -u armzera um
cornal e variajisjiaw fortimCiu de poneros
alimsoUawa.
Nao se uropoe a desirever nominalmente todos,
os gneros' con; seu armr.zem por se tor-
nar de mais enfartonho.
Garante smente, que sua norma de na mnilo
lempo /ender pao per pao e queijo por queijo.
Avisa especialmente aos fumantes, que receben
de sua especial cneouiraeuda nma factura de cha-
rutos superiores deS. Flix da Baha, das seguin-
tes marcas : exposicao, niarqnezes, nor:nas, ama-
dores e paragua-suanua.
Venham todas as despensas dos arrabaldes e ci-
dade saprlt-ec fa genero de priraeire. qualidade.
Farinha de mandioca da Bahia.
Tem para vender milito nova o superior,
em saccas, a preco raais commodo do que
em outra qualqaer pane: Joaquim Jos
Goncalves Mirto, no seu escriptorio ra
do Comaercio o. 17.
Na Eaa*k llaij da Tnumpho, antiga do
Brum, n. 9S, vende-se o seguinte pjr preco mo-
Q1C0 .
Cal de Lisboa da mais nova qne ha no mercado.
Bqlinetea para barracas e hiaU*.
Attem?o
Vende-se a armado e pertence? da taberna do
logar do Terco n. U, propria para qualqoer prin-
cipiantec, cedendo-?e ao comprador a rosidencia
do sobrado de um andar por cima da mesma :
tratar no mesrao sobrado.
TASso nma
Tem venda om seos arraazens, alm de outros
artigos de seu neg io regular, os seguintes, que
estao vendendo a precos maia baratos que em ou-
tra qaalquer parto :
-PORTAS de piano almofadadas.
FARELLO em sae:os grandes a 33300.
GRADES de ferro para cercados.
ESTEIRAS da India para cama e forrar sala*.
GANOS de barra trance?, para esgoto.
GRSSO superior em barricas e as arrobas.
i EMENTO do todas as qualidades baixos
pr
MACHINAS de descarocar algodao.
BARIS grandes cnm peixe da Snecia.
LONAS e brinzoes ria Russ OLEADOS ambicanos para forro de carros.
FOGKS amerca.io3 muito bons e econmicos.
VINHO ''e Bordeaux em caixas.
COGNAC superior de Gautier Freres.
MILHO de Fernando a o weco.
AGUA florida;
RARRIS de carne salgada de porco e de vacca
FALSIFICARES
dasPILULASdeBUNCARD
CAVE
A nossa correspondencia do Urazil nos fai] commercio, estes
saber que as pracas d'este paiz acho-se) nad se mostrem dignos daconfi
actualmente inundadas por urna multido de freguezes; nao de duvidar igi
fatcifi-aca vis dos nossos productos (textual.
Para garantir-se contra estas eomposicos
mais on menos [lerigosas, que escondem-se
d'essa maneira por detrax da* nossas marcas
de fabrica c mesmo da nossa Gima, rogamos
aqu con instancia aos mdicos e aos do-
entes de assegurar-se sempre a orgem das
1'ilulas i ue Iraiem o nosso nome, appellando,
entre outros meios praceos, pela boa f dos
nossos collegas, os pharmaceulicos. Nao de
duvidar que n'uma questad que intressa tao
seriamentesaudepublica e amoralidadedo
DOLM)
honrados intermediarios
os da con flanea dos seus '3
^uakneate quoi
repudiando toda solaridade com os falciii-' f
cadores c os seus cumplices, cllcs nao se fa-
ci um dever dora em diante de procurar
as vaiiDADiaius Pillas de Blancard em
origens cortas, enderecando-se, quer a ns-
raesrnos em Pars, quer indirectamente aos
nossos principaes correspondentes, ou ento
s casas as mais recom-
mendaveis da Franca
ou do seu paix.
0 MARAVILHOSO REMEDIO DO
DB. CHAS. DE OBATH .
J>/iarmacMtico, ra Bonaparte, em Paris.
Aoo-ie as noiva PiluU, oaa prioeipae, Fha.nmoias.
NOVIDADES
DO
KIIMG OF PAIItf O RE DA DOR
para uso interno e externo
cura cholera e cholera morbus,
Farinha d mandioca de Santa
Calhariiia.
Ha para vender da muito nova e superior
ebegada recentemenle pelo patacho rabe
e barca Santa Mara ; por preco commodo,
a bordo dos referidos navios tundeados de-
fronte do trapiche do Exro Sr. barSo do
Livramento ou enlao para tratar com Joa-
quim Jos Goncalves Beltr5o, no sea es-
criptorio ra do Commercio n. 17.
A loja do cera a praca do Conde de En :
tratar na mesma._______
AZULEJOS.
AZULEJOS
Ha para vender algn* mi I hf i ros dos mais lio-
dos azulejos, violos por encommenda de alguem
qne por cireurastancia os dispensa. No armarem
de Tasso IrmSo & C., praca do caes de Apollo
ao p da ponte provisoria.
7 Ra do Queimado 7
DE
MIRA & BASTOS
E' ebegado a este novo estabelecimento o mais bello sortimento de fazenda'
loa, sendo sua especialidade enxovaes para noivado.
Vestidos de blond de^sda ricamente bordados.
Gorgwo de seda branco para vestido.
Colchas de seda pura, para cama com ricos desenbos.
Ditas e 15a e seda, idtm idem. ,
Ditas de crox, idem idem.
Cortinados ricamente bordados para cama e janellas.
Croxs pira cadeiras e sofs.
Vestidos de cambraia branca bordados.
Popelines de lindos gostos.
Las de diversas qualtdades, lindos gostos e modernas.
Ricos b urrcus para passeio, com listras de selim.
Sabidas de baile o qoe ha de mais rico.
Crotones para vestidos com lindos deseohos.
Carnizas bordadas e sem bordados para senhoras.
Camisas bordadas muito finas para horneas.
Dtas inglezas para homense meninos.
Seronlas de linho, e um grande sortimento de roapas feitas e de faz<<5 que
I fjifadonho mencionar.
Luvas frescas de Jouvin
Sortimento de tapetes para gaarnicoes de salas, alcatifas para forro de ata, e o
trande sortimento das acreditadas e verdaderas
Esteiras da India
Dlarrh*, uxo d n(ae, eai um d.
Dor i lak^a, ores d. envido m
tr minuto.
Dor de dente, em om minnto.
valgia, m cinco minntoi.
DwloeBcSet, em Tinto miamtoi.
Oargaattu iacaadma, dea aaatoa
Oolioa ttiiTuUtM, m cinco ainotoa.
KMUutinu, a am di.
Tibit f bre intormitonto, *m um dia.
Dor naa coitai noi lados, em dea mi-
natof.
Tossea perigoias e refriado i, en un dia.
Plemresia, em um dia.
Sarde* ntun.
HemorrhoidM bronohiti.
Inflammcao noi risa.
Dyipepiia, eryipelu.
oleitiai de ligado.
Palpitacao de oorujao.
na i ir"r .i ':'
IiOJA
RESERVE SEMPRE ESTE REMEDIO EM SUA FATVITTJA
AS DOENCAS SR APEESESTAM, CjUANDO MENOS SE ESPERAM.
OLEO ELCTRICO O 1 SINO OF PAIN (O re da dor) aquieta e positivamente dissipa mal de dlfferentet
molestlae e dores, e allivla maii oe soOrimentoi e produi um mais perfelto equilibrio no syitema humano, o que nao *
pdde eflectuar no mesmo tempo, com qnalquer outr remedio medeclnal. -
Esto multo popular remedio est agora osaado-se feralmente, pela raxio que miliares de pessoas se tem curado
gratis com o dito remedio pelo Dr. Qrath o outros mala.
Este importante remedio nao set>Oorece para curar todas as doenetts, porem too smente para aquellas estipuladas
MI noasaadirecf oes.
Est operando dos prlnolpios da ohimloa a a oleetrlotdade o por lato, est applleavel para o cursmento e para a
restaura^ao da aceito natural da* ergio* q aoflrem da irregular circula^ao dos Buzos dos principal ervos. Oleo
elctrico O Klng o Paln opera directamente nos absorten tes, faiendo desapparoeer af InobjMj oes dos glndulas at
em um tempo lncrivel, breve sem perlgo do sea uso debalzo de qnalquer crreumstancla.
O remedio, nma medeelna para o uso externo e Interno, eompoeto dos elementos curativos, ralles, hervas, a eascaC,
taes, como se tem osado dos aoasos antepasaados, o das quacs tem grande existenoia no mundo, para corar todas aj
molestias, somenW sahendo-se qnaes ellas sao.
Poi um grande e especial desejo da faculdade de modeclna darn te mullos annos de experiencia para aprender os
meftores modoeque se deviam adoptar para curar as seguintes doenfas, e qae proporc;dei de medeelna so devia osar.'
KM PERNAMBUCO
NA. PHARMACIA E OK-OG-A.R-I A DE
BARTHOLOMEO & C
Ia=34 Ra Larca do Rosario. N. 34.
CASA CAUVIN AJBHS5
liMJHL
Acabaui de sabir a luz as se-
guintes pecas para .
PIANO
limalinda walsa d'Arditi
Ideal e realidade muito bmita
phantasia pelo maestro Cazal-
bore
PoslilbSolinda phantasia execota-
da com grande applauso pela
msica alternas
Habaneras lindas dansas para-
guayas, qne tanto faror aqui tem
salto
ACABA DE PUBLICAR-SE
collcccao de msicas ios cavallinhos para
tf5000
1,5000
UOO
l^iOOO
3\pertas n. 53, ra Direite, 3 portas iu 53, nti hja do Braga
O absixo cisignada, coao dele autigo el^elecimeak), tendo em vista atireseotar mni
livcrsos pomos da Europa 09 melhores objedoe de sen estabelecimento dos fabricmtes I
: mm comheeides; pelo que convida ao respdtavel publico e a seus nnmerosos fregavaes, |
i virem se rrvir dos objecto3 de sua carencia, aende enmnirarao p>>r mesas 10 0(0 le qae j
- m ouira qnalquer parte, um sortimento completo de machinas para deaearofar algodao;
do bem conbecido fabricante Cottorr Gin & C, ditas para costura, motores para animaos,
dons canos e de um, tanto inglezas como rraacezas, ouca de porcelana, facas e garios
de diversas qualidades e precos, bandejas ebinetas, salitre, tireu, barbante, emofre, panel e
limalha de ferro, ac, e agnlha para foguetuiro ; assira como encontraran constanie-
meate grande porgao de fogo do ar, e recebe-se encommenda de fogos de vista, alem de um
eem numero de objectos, que se tornara enfadonho numera-lns : veohara roa Direita n.
5^, toja de Leocidas Tito Loureiro, antiga loja do Braga.
Pharmaceutico privilegiado
succes8or
Ioulevi KOVAS ESPECIALIDADES A. MARINIEB
AftesenUdas a AeaJemia de Soicncus c ao Instituto d* Frutea,
I SI irfr- li Sob forml P'91'"4- desdida e doscada para
IwaltuuHU r>ser ^l' n""neut0 uma '" uc'"1
Prtvoitiva e curativa das MOLESTIAS COIITACIOSAS.
iTfn!r(\v irsurrnAdo volme < MCM-PillLTRO, imtSK,tM4sMC!
' travs inconvenientes de fratilldas.
ESTOJOS
Com a forma, e de velume de utn Porte-MoeJa
COTBNDO TODO liliTAMBNTO.
OOIiLYBIO Contra as affeccois das palpebras,
preparado sob a. mesma forma.
BARTHOLOMEO G
Depositarios geral para e BRASIL, e PORTUGAL
3a, ra larga do Rosario. PEHNAMBUCO.
Eival sem segundo,
RA DUQUBDE CAXlA* R 4
(Antiga roa do OMimada)
Contina a vender tudo muito bom
muito barato a saber:
david w. mm
EMEBBEIKC
Com fundipo
RA 00 BRUM 52
Passando o chaariz.
> Chama a atteoco dos Srs. de engenho para sfuis acreditados machinismos e
om especialidade para seus vapores que ainda nma vez tem melhorado.
Os vapores formcidos por elle e j funecioaando Ibe ho de fazer melbor apre-
ciac3o do que qnalqner dito proprio.
Deseja tambem mencionar que tem eito uma reduccaoem seas presos; e que
tem prompto toda a especie de maebinismo e outros objectos para a agricultura.
PRECIOSA DESCOBERTA
FLAUTA
' Receben mais grande sortimento de mu-
sicas para piano, e piano e canto, e tambem
a opera
L
para piano e canto, e tambem os memores
pedacos para piano s composicSo do Ilus-
tre compositor brasileiro
Carlos Gomes
que tanto furor fez na Italia, e boje fax no
Rio de Janeiro.
A' VENDA NA
DE
1USKA
O TNICO DELSUC qne boje aprsenla ao publico, depois, porm, de am severo
exanie e de reiteradas experiencias, tendo a certeza de que possue uma snperioridade
incontestavel a todas as outras preparares, que at boje tem apparecido, recommenda-se
por sua boodade, e pelo brilbanle lustro que produznos cabellos, tirando immedia lamen-
te todas as caspas e coceiras, fazendo com qne apparega em bom estar impagavel.
Esta agua compe-se de substancias cuidadosamente escolhidas, purfleadas, e
confeccionadas com o maior cuidado, e alm disto combinadas de modo tal a dar-loe
nma acc5o verdadeiramente efficaz, consoladora, e benigna.
Derrama-se esta agua na cabeca, e esfrega-se levemente; immediatamente fleam
os cabellos limpos e com um brilbo magnifico.
Deposito
smente em casa do autor, Andr Delsuc cabelleireiro de Paris.
Ra F de Martjo (antiga Crepo) n. 7 A F andar
CONFEITARIA
DOS
DE
A. J. de Azevedo
RA DO RARO DA VICTORIA (ANTI-
GA RA NOVA N. If).
Venda de terreno
Vende se, um terreno na ra Imperial defronte
do sobrado que foi do Sr. rnajor Gosmao. (em 800
palmos de frente e segu at a liona ierres, con-
tendo anDfSM bemfeiiptiis, etambe ^fulha,
preco barato : a tratar os ra da Conefti nu-
uvero 113.
Ra da Cruz n. 16
Encontra-se sempre:
BOLINHOS para cha; pSo de lo
inglez; pastis de differetes qualidades;
doces de fructas, em calda e secco, em
barrilinhos em latas.
CArXINHAS com amendoas e pastilbas,
propinas para presentes; cha preto, miudo,
de superior qualidade ; Jatas com peceos
a tmo.
AMENDOAS confeUadas:
bollo J gerantes ; vioho BoceHas,
xaropes refri-
branco e tinto,
proprio para mwa; verraoora ; absrntto?
cognac; vinhos finos, champagne.
PAPIS para sortes.l ditos vendidos
yara cotorir bolos.
PRESUNTOS e fiambres.
RECEBEM-SE oqcommendas de bandejas com herifoboi. cominnatn Aa an-
; de P5o de 16 e bolos enfeitados com m'stfcoie sem ellsTe de oSos
maitoi objectos proprio* par^grandei jwUre, bailes, ete., etc,
-*i
Libras de areia preta muito boo. .
Ttesouras finas para atibas e eoi tu-
ra a.......,
Pipis de agitas rancezas a ba-
lo a.........
Caixas com seis sabonetes de Iruta
Libras de lia para bordar de todas
as cores a.......80000
Eival sem segundo
RA DO DUQUE DE CAXIAS N. 49
Estou disposto a continuar a vender todas
as miudezas pelos baratissimos precos abai-
e xo declarados, garantindo tudo bom e pre-
cos admirados.
. 500
60
-i 000
100
500
500
Carrsteis de linha Alexandre a.
Frascos com azeite para machinas
Grvalas de cores muito finas a .
Crozas de boldes madepersla -
nissimos a.......
Novello de linha de 400 jardas a.
Caixas com 100 envelopes muito
soperiores a......
Pentes volteados para menfnas a.
Tiateiros com tmU preta a 80 rs. e
Pecas de fita elstica muito fina a
Lata com superior banha a 100 e.
Frascos de oleo Pbiiocorao moito
fino a.......'
Frascos de macaca parola a. \ .
Frascos de extracto moito boratos a
Dozia de sabonetes moito finos' a.
Sabonetes inglezes a 600 rs. e. .
Frasco com agua de colonia Piver a
Dito de oleo babaza a.....
Caixas de^ lamparinas a. .
Sabonetes a forma menino moito
superiores a....... 240
Cartilhas da doutrina fazenda nova a 400
Libras de linha sortidas de todos os
nmeros a.......lf$S00
Capachos muito bonitos e grandes a 700
Canutis de retroz preto, com 2
oitavas a.........' 640
Agulheiros de osso enfeitados a, 240
Libra de linha franceza superior
qoahdade a.......2#420
Caixas de palito do gaz a. 00
500
60
600
240
100
200
200
500
240
500
720
1)5200
500
500
40
Ko b-t nte-rheuma tico.
Remedio effleactssima contra as dores rheuma-
ticas at hoje o mais conhecido pelos seos mar-
vllhosos resoltados.
XAROPE DE AGRIAO um dos medicarnen-
to* que sos. cffleacia nts enfermidade!", tosse e
sangne pela bocea, broncbileg, dores e fraqoeza
no peilo, eicrobuto e molatias de ligado, que me-
lbor tem aprovado. m
TINTURA DE MARAPAMA. A celebre rail
de roarapnama, cuja energa e eCDcacia as para-
lyas,. intorpecimento, etc. etc. muito se reoom-
menda.
Todos esses preparados se encontram^na phar-
macia e drogara de Bariholomeu dr G, nico de-
poiil na roa larga do Reusno n. 34.
Cigarros da imperial
fabrica de S. Joo
120 Duzias de palitos seguranca a....
Duzia de palitos seguranca caixa
grande a...................
Frascoscom oleobaboza muito fino.
Pacote com p.s de arroz o me-
Ihor que ba a...............
Navalhas muito finas para fazer
barba a....................
Caixa de linha bram- do gaz a..
Vara de franjas de lidho para toa-
lhas.......................
Caixas com peonas d'aco de Porry
superiores.................
Lencos de cassa braucos e pinta-
dosa......................
Caixas com 20 quadernos de papel
pautado .......
Caixas com 50 novellos de liaba
do gaz a....., .
Duzias de njeias cruas superior
qualidadea.......3(5600
Pecas de bbadinhos com 10 va-
ras a.........
Pecas de tiras bordadascom 12
metros cada peca a 10500 e.
Pecas de fitas para cs de qnal-
quer largura com 10 varas a.
Escovas para unhas fazenda fina a
Ditas para denles a 240, 320,
400 rs. e....., .
Pecas de tranca lisas, brancas e
de cores a.......
Duzia de linca frxa para borda-
dos a 400 rs. e.....
Pares de meias cruas para me. *
nos diversos tamanhos a. .
Duzias de meias brancas muito
finas parasenhora a. .
Pares de sapatos de tranca do
Porto .,.......
Pares de sapatos de tapete a. .
Duzias de baralhos para, vultarete
Sylabarios portuguezes a. .
Cartoes com cohetes 2 carreras a
Abotoaduras para collete diversas
qualidades.......
Caixas com penna de ac muito
boa de 320 a......
Caixas com superiores obreias a.
Dozia de agulha para macbina a.
Libras de pregos franceses todos
os tamanhos a......
Pacote de papel com 20 quader-
nos...........
Berma de papel pautado superior
Resma da papel liso moito supe-
rior a........... 30600
de Nictheroy.
nico deposito em Peraambuco caes da
tof* teltaa n. ?, 1* soda.
alian-
Ven.de. se uma canoa de carregar 1,200 a 1,300
iWrrit
*jrib9-: a ttsurtn roa Dtrrita n. 101
Ai&OO
, Vendam-ae bortegnins para criancas, obra btt
pelo diminu preco de liSOO: venham i loja de
niadesas darua da Cadeis a. 50. i
120
320
320
320
0000
500
160
soo
100
700
400
500
20000
500
500
500
40
500
320
40500
20000
10500
30000
400
20
400
50C
. 40
20000
gallo Vigilante
Una de Crespo a. %
Os propietarios deste bem conhecido estabele-
eimente, alm dos muitos objectos qne ttahain ex-
Sostos a aprCiacio do resieitavel publico, man-
iram vir e acabam de receber pelo ultimo vapor
da Europa um completo e vanado sortimento di
finas e mu delicadas especialidades, as qnaes et-
Oo resolvido a vender, como ae seu costum,
Sor precos muito barattobes e commodos para to-
os, com unto que o Gallo....
Muito superiores luvas de pellica, pretas, bran-
cas e de mui lindas cores.
Mni boas e bonitas goilmhas e punhos para **-
nhora, nesto genero o que ha de mais moderno.
Superiores peutes de tartaruga para eoquee-
Lindos e riquissimos ecees para cabeeas d
Exmas. senhoras. .,
Superiores tranas preta? e de cores com r:tr
Ihos e sem eles; esta fazenda o que pede nava
de melhor e mais bonito. .
Superiores e bonitos Jaques de maoreperota,
marfim, sndalo e osso, sendo aquelies brane
com lindos desenhos, e estes pretos.
Muito superiores meias fio de Eseossia para se-
nhoras, as qnaes sempre se venderara por 30aoeo
a duzia, enUetanto que cs as vendemos por *,
alm destas, temos tambem grunde *rtimento a
outras qualidades, entre as quaes afumas mm
finas. ,.
Boas bengalas de superior caima da India ?
castao de marfim com lindas e eiu-aniadoras .ga-
ras do mesmo, neste genero o que de melhor ss
pode desejar ; alm dcsias trrr.es tambem granos
quanlitlade de outras qualidades, come sejam, ma-
deira, baleia, osso, borracha, etc. etc. ote.
Finos, bonitos c airosos chieolinhos de cadea
de outras qualidades.
Lindas e superiores ligas de seda t borrad
para segurar as meias.
Boas meias de seda para senhora e para meai
as de 1 a 12 annos de idade,
Navalhas cabo de maifim o tartaruga para_fazer
barba; sao muito boas.e de mais a mais sao gs
rantidas pelo fabricante, e nos por nossa vez tam-
bem assegurames sua qualidade o decadea.
Lindas e bollas pellas pax/ noiva.
Superiores agulhas para machina e para croxe.
Linha muito boa de peso, frouxa, para enener
labyrintho.
Bons baralhos de cartas para voltarete, assui
como os tontos para o mesmo fim.
Grande e variado sortimento das memores per-
fumaras e dos memores e mais conhecidos pw .
tUmi8ttS' COLARES DE ROER..
Elctricos magnticos contra as convulsees, s
facilitara a dentico das innocentes criancas. So-
mos desde muito recebedores destes prodieosw
collares, e continuamos a recebe-los por toces m.
vapores, afim de que nunca faltsm no meresdo.
tomo j tem acontecido, assim pois podero aque-
les que delles precisarem, vir ao deposito do gai.c
vigilante, aonde sempre encontrarao destes versa-
deiros collares, e os quaos attendendo-se ao na;
Sara que sao applicados, se renderao eom um noi
iminuto lucro. IJMM1
Rogamos, pois, avista dos fc; setos^ue deixarcci
declarados, aos nossos freguezes e amigos a rvtec
comprar por precos muRo rmoaveis a loja do ginc.
vigilante, ra do'Crespo n. '/.___________.
D eordeiro prevdents
Rjia do ftir-lniado n. !
Novo e variado scrimento de perfumaru-
finas, e outros objectos.
Alm do completo sortimento ue por'
maas, de que. effectivamersto ps?lpr{7':
loja do Cordeiro Providert,. 'e'j < -..
receber um ouU'o sortimento qci
ootavel pela variedade de objectos, -:
dade, qualidades ecurmroiltfadf; ,:
eos; assim, pois, o Cordeiro Previd'. ,
e espera continuar a merecer a aprecia
do respeitayel publico em ger^i c
boa freguezia em parti(,.r, no-
tando elle de sua .bem conheci-'s-
e barateza. Em dita ioj? encontur:
apreciadores do bom:
Agua divina de E. Coura*,
Pita verdadeira de Murray Lamui^..
Dita de Cologne ingleza, americas?, f. r
ceza, toda? dos melhores e mais acredita :<
fabricantes.
Dita de flor de larangira.
Dita dos Alpes, e vilete para toile.
Elixir odontalgico para coDservs.-,-:.>
asseio da bocea.
Cosmetiques de superior qualidade e pl
ros agradaveis.
Copos e latas, maiores e msaores, c
pomada fina para cabello.
Frascos com dita japoneza, tr?nsprcs:
e outras qualidades.
Finos extractos inglezes, americanct
francezes em frascos simples e enfeitados.
Essencia imperial do fino e agradavel ch
ro de violeta.
Outras concentradas ede ebeiros igas.
mente finas e agradaveis.
Oleo philocome verdadeiro.
Extracto d'oleo de superior qualidad'
com escomidos cheiros, em frascos do diffr
rentes tamanhos.
Sabonetes em barras, maiores e mecorc
para mos.
Ditos transparentes, redondos e em fif*:
ras de meninos.
Ditos muito finos em caixmha para barfc-
Caixinhas com bonitos sabonetes imitan*
fructas.
Ditas de madeira invernisada oontendo}
as perfumaras, muito propria para p?.
lentes.
Ditas de papelSo igualmente bonitas, tas
bem de perfumaras finas.
Bonitos vasos de metal coloridos, e
moldes novos e elegantes, com p Ce re
e boneca.
Opiata ingleza e francesa para dentes.
Pos de camphora e outras derent*
qualidades tambem para dentes.
Tnico oriental de Kemp.
Atada mais eoqne*.
Um outro sortimento de coquee do Bt
vos e bonitos moldes com Aleta de vidrife>:
e alguns d'elles ornados de floree fitar
esto todos expostos i apreciadlo de qtre;
os pretenda comprar.
GOLLINHAS E PUNHOS BORDADOS
Obras de muitogosto e perfeicto.
Flrel 1 as e fitas para ciatos.
Bello e variado sortimento de Ue obj*.
tos, fleando a boa escoUia ao gesto do coi?
prador.
400
4,5000
FARINHA
de trigo a $1000 a barrica : no armazem Ba-
liza, ra do Livramento n. 38.
JJ
J
As verdadeiras luvas de pellca Inglezas, chega-
dai no ohimo vapor, para a loja da ra da Cadela
do Recite no 11, em (reate a botica, perlo de Cor-
no gasto, _________^
Vende-se Smente de coentro e |fce muito
soyas; u ra da Gula a. 7, tabenv
Joaquim Rodrigues Ta-
vares de Mello,,
TEM PARA VENDER
em sen escriptorio, praca do Corno Santo
B. 17:
Fumo em folha
de 1' e f qualidade, e vende um ou mais
fardos a vontade dos compradores.
Cal de Lisboa
' ultima chegada.
PqtassadaRnssia.
JFanHHsMi cw Bsisssaiiooa.
Vinho Bordeatix.
de Ia qualida. Tu* efe vende mais
barato o qne em pr ""a qnalquer parte.
Fogftd de patente.
Vende-se cm casa dos importadores
aswkss & C rtu i Gnu n. i
1
i-
Ssaw
ILnHi




8


Diario de Pernambuco Quinta fera 24 de Novembro de 187o
** i "' -----------k.-----------.u^^j.________._____!
A4*-: .A
YARIEDADE
QANTO OBRIGA A AMIZADE !--Hi
pensamentos que se cbdocam entre o cr-
neo e a pelle,e nao caosam o cerebro, por-
que nao teera nenhuroa eommtmicacao com
%, ?r isso todf)s repeem sem reflectir :
E* bom tor amigos eu) toda a parle E?
um dos taes.
Conheci na Allem^nha am K\0 elegante,
iom aigtm espirito, alguma bra.ura, jico,
enifira, cora as condigoe de alguns privile-
giados qoe \vem na possivel bemaventuran-
;a deste valle de ligrimas.
Mas que pensam que ell.i fez para sor
feliz?...
Pz em pratica esle apborismo
t E' bom ter amigos em toda a parle
Por conVqneocia quem quera comer ia
sua eaea; quem precisava de djnlh'iio
nao tinb mais que pedir-lh'o; as sua*
amantes radia-as ao primeiro amigo que
agradava dolas-. H
Hermano, era este o seo nome, apertsva
a tnao ao sei? sapateiro, e, de lempos
lempos, v.silava.0 seu alfaiate. Se afg.^-m
o olbasse de revM n8 ra. qu* desgraca i
nao dormira cinco- aoutes.
A oeuevoeocia. ewpregadi a lorio ir>
afeito com todo o iu*odo, era a sua oreu- ,Pe,M relacbw
pacao nica.
Se jogava, .perda de jropos.lo par ifo en!
irear mimigos; se fa/ia versos, Jazia-os t .
maos; se dansava, raosJra-se desairse ;
emfim, nao quera ler superioridede em ne-
Hbooi genero, pan d5o excitar inveja.
A sua riqueza que poda ser iovejada.
mas o dinlieiro nao era seu. Treze irai-
gos vestiain-se em casa do, seu alfaide:
trinta calcavam-se no seu sapateiro ; toda
a cidade de Swvi-Brucken usava chapeos
do seu cbapeleiro. Quem pagava era He;
j se v.
Nao era possivel contar-se as pessoas que
iam ceiar todas as rutiles sua casa.
Como Hermann era oliz! Nao havia
ninguem que nao o tratasso por tu.
Mas se elle atienlasse nos lucros desla
amisade universal, varia que os que evtt-
vam cantar diante dos outros, por lerem
\oz inculta e rouquenha, nao sentiam o
menor escrpulo em atormenta r-die os
tvmpauos, berrao-du-lhe aos oovidos.
No invern obrigavam-no a afaslar-se do
iogo, para dar tugar ao primeiro extranho
que apparecia.
Ao jautar, deixavam Ihe a sopa e a vacia,
e "ievoravam as melbores iguarias,por-
que, eotra amigos, nao ha ceremonia,e
lodos so serviam antes delle ; e as mangas
timpavam-lhe ao fado s mos gorduren-
ias.
L'm dia, um dos seus amigos escreveu-
ibe urna carta uestes termos :
Foge. Acaba de ser desc berta nina
conspiradlo em que eu tinha entrado, e
apoderarara-se lie todos os meus papis.
Como eras raeu amigo, como sabia que se
podia contar comiigo, tinha posto o leu no-
me na cabega da lista. Seremos coniem-
nados ;i morte, se nos apanham. Foge.
Nio percas um instante.
Hermann mueva em-um dos bairros
mais afaslados do centro da cidade. 0 ho-
nua encaroftido da distribuido da* car-
tul, vjodaj lermana era a oeica
que Ii3>i bijato* Mtendeo
que, MMVftiigWmfee* piree,wa,dbra-
radar-se, e gonrdou-a para levar-Ih'a no
dia immediato, qnando livesse outrai, qoe,
pravavelmente. Havia de ter pirro meJlV
sitio. A ear^, pois, ciiegou s maos di
Hermana no'da segointe, e atrar deli oe
soldados, com .orde de prenrje-'o."*
O CQmmaudaW-e'era um vmigo que n3ol
qoiz ler o rtiiagdsio- de prenda-lo pessoal
ment-, e icwi A porta, fk soldados, sen'
chce que os represe, ar-l!iatarammQro
o preso.
Hermaua, caw o pretwito de vestir-se,
paison Joutro qtijrfc, c sal u pea janell.
Mas cabio em peso, aobre o amigo, retido
porta pela magoa.
O amigo asiHiou-se e den um grito, que
fui ocvMo p'os soldados1. Hetnnn, por
cnn;equeticia, nao pode es.-apar-^e.
instauroii fe n proceaso. Toda a cidade
eslava convencida da irme-encia- de Her-
mano ; porm, pefe *im pelo nto, a maior
parle dos- juizes buwavam pretexfo para
evitar o pecoso de ver de coudemnar um
amigo.
O aecuaour, que era tf amigo, vendo
qtn-, |)diarn duvdi'r da sira iroparcialjdade,
q.ie livera com o acensad",
a acCTkncy como nunca fizera a
Os novog conaalheiros da catado ,per ^JBu s pancada Indica o carvoalro, o
cebaram somonte 15,000 francos a os m,
: a -(^rdeatlo dof^fMwW prineM
classe da Repblica desee a 13:000 francos,
o dos de segunda classe a IfcsOpO n o dos
do terceira a fO:000; Os" 55Vprefeito3
perceberSo 6:000, 5:000 ou 4:000 fran
conforme a classe a qoe perlencerem.
O mBbtros propeni .(jp os s
ordenados ^dsgam a 10:000 frneos.
tz de 25:000 francosj\pprceb*r3o os di
jeclores gwaes somerif 15:000. Os snb-
directoies flcarSo cora 8:000 a 10:000
franco?.
Os membros do governo d- defeza na-
cional nao perc'ebem subveng3o* algma.
lepheiro um creado-, m trwyltgo.etf. o*rtiOi-porqtra s esperarnifs qoe tenha mendoulhe o retrato.
nliuin reo.
advogado e Her&ann
smodo coramovido/- p..'rqiuj
estar de tal
era seu amigo
qne em ve? de (Vti'e-to solacoa. Ani
mando-se algnma cuta, oo pode recor-
dar-se dos argumoutos oi'aJvis. cono que
contara salva-!. A coiomoga'i'i fez-llie per-
der a memoria : o pezar, enfraqnecendo-
Ihe a voz, tlrou-Ibe o acenro da conviccSo.
Hermano foi condemnado Boonemement.
A autoridade, tea-endo qoe o espantos1
numer de amigos (jue elle tinha lentasse
arrumbar a prisSo. para salva-lo, langou-
Ibe caileas aos ps e ;3 miK)9, e metleu-o
uni segredo'.
ro di-i do snpplfcto, o coademnado, ti-
rando fopgss da desesperaco. quebroff as
algm.-s.'. csrapon das ra3os m sotdados,
e teria fgido, se a immensa jnulo de
amigos qoe 3W ve4o morree nSo Ibe ira-
pedissem a pr'ssagern por todos os lados.
O carrasco, que tsmbem f6ra seu amigo,
mal podia resistir dolorosa pena que ceu-
lia. Sue mo tremu'a rlao pede- separar-
Ihe a cabcg.a do corpo seoo ao, quinio
golpe
ECONOMAS DA RKPLBLICA. Gom
este titulo le se o seguintc em um jornal
francez:
t O ministro da fazenda charaoa a alten-
go dos c llegas para as medidas qoe de-
viam ser adoptada, aOia de collocar c-the-
aouro da Repblica em posigo de poder
tfatisfsier as exigencias da situago.
t Kar-r-e-hinm economas em todo, ex-
cepto na guerra.
J nao se pagam os t>,700:000 fran-
cos da lista civil e do- principes e pnncezas
da familia imperial; igualmente nao se pa-
ga mals ao senado e ao conselho de estado
costando aqueile 5,500,0110 francos e este
1,300:000 francos.
Duas pancadas annunciam um nanea
geiro qaatyi-'T, o carleiro e oulro assim.
Tres pancadas anauncim em re^ra ge-,
ral o dono da casa ou amigos de conflanca.
Quatro pancadft indicad) dtna pe^oTde
importancia ou algum representante aa an-
Liorfdade.
As mesmss qnatro pancadas repetidas
uas vezes forlemente e com intervalos,
innunciam un ministro, orna digndade da
igreja ou um personagem da a'ta nobreza
histrica.
A tal extremo levam os Inglezes erae
costume que seria immediatamente despe-
dido de urna casa o creado que cusasse
bater como o amo.
NOVA MACHIN.V.-L se no Times i
t Acabamos de pr^sencear urna expe"
rienca do oud Steamer, do Sr. Tonsonf
Foi realisada as ras de Paris. Ess
poderosa machina puchando um enorme e
pesado mnibus, contendo 50 passegeiros
e bagagens, corria peras rnas com veloci-
dad e igual a do um superror cavallo gal-
lepe.
A machina da> torga de qaatro caviHos;
e olfeito poda comparar-se ao de um pe-
queo rebocador pacbaodo unto gigantesca
nao.
Em virtode da infrmgSo do engenhei1-
ros ao governo fnncea, este designon duas1
estradas,, e algumas das-mais frecuentadas
ras de Paris. onde a machina tra*alhou e
C bom aproveiiar Igora, responden
juizo, n3) a casara mais.
Era em um
0 SOMNO E 03 9ONH0S.-E' indubi-
avelmente o sorano vida da noute, e bem
pode dizer-se qoe o leilo o mundo da
sombras.
No soaano ha flores, campos, mares, ar-
vores, passaros e bosques ; no sonm
chora-se, cantase, ri-se, faila-se e ama-so.
O reo de mora, -quando dome, t le-
vantarse e sontos as imagens fetidicas do
cadafalso e do Apft.
O amante v a \tt%etB querida da mn-
llier qoe adora,
O desgracado vislumbra ae vezes um raio
de esperance.
As creancas soonam co a musi".a e cem
os jogos rom que seentreteem.
As moraeres co qoe Ibes realc'am a ormoscra.
A ma sonha com os fimos ; opbi!osepho-,'tra/?aina-
com as illBooes peroras e o velbo com os Os engeabeins declarara o sertfco das
de pintar
ama con-
mioha
NO CONFESIOSAHIO.
confessionario.
Accuo-fne, senhor padre,
o rosto, dise ao seu confessor
fessada.
Mas com que fim faz isto,
Iha?
E' para parecer mais formosa.
Poz os ooulos o confessor, olhou'a cora
atlengio e veodo que era a mais feia crea-
tura do mundo, disse-lhe com a m:.ior m-
genntdade :
Pois conlioue, miaba filha, continuo,
porque est anda muilo looge do que de-
soja.
PENSAMENTOS DE DM DOUDO.ma
mulber infiel urna locomotiva qoe desen-
carrilha.
lraa mulber corpeilc, urna fas pra-
gas de Piara.
Urna- mulber e?lupida, a mater ca-
iamidade do marido.
Urna mulher vai'Jeea,
dos adoradores.
A mnllufr um manjar
deusee quando o nio tempera o diabo.
A nmlfier .-flnaimente, oro bocado chelo
de espiabas. Infeliz aquello ojue o engolel'
idade, qnando j costara cincoenta, encom-
o marrrio
digno dos
NAO /O DE fA'VALLEIWKEm urna
reunio conversavam diverso* fiwgos e mo-
gas.
- As raulheres So anjos cabidoi do
FOLHETIB
mm M DIARIO DE PERN.\M!il!CO
SmAuaiO O jury e alguns tragos da sua
historiaComo se attiram epigrammas
Um eificit notavelUma sesso de o
jury Urna audiencia modello Um furor
justoJuizes e escrivesRetrato e /labi-
lidades do Sr. HanriijueO Iheatro e le
mariage aux lanternesOs diverlimeii-
ios presentes e futuros do fecifeA es-
tra das zarzuelasA prxima reunio
do ClubDescoberta do dom da ubiqui-
dadQ baile do Barao de S. JorjaA
falta deum par de luas. Umpost
saiplum,
Fiz protesto de failar-vos boje do jury, e
vou cumpr -lo. escrevendo algumas linhas
proposito d'essa kistituig3o librrima,
quando praticada com sinceridade, visto
como pens que ella urna immensa ga-
ranta para os direitos e liberdades do ci-
dadao.
O jury urna nstituigo democrtica, que
foi conhecida de muilos pov. s aatig s, que
todava ignoravam-lhe o nouie. Hojo al-
guns conhecem Ihe o nome, mas descoohe-
cem-Ihe os salutares beneOqios.
O jury um tribunal popular ; sua subs-
tancia consiste em ser urna eraanagao di
recta do municipio e diversa dos magistra-
dos ; sua forma est adstricta direccao e
autor!lade de um magistrado, que o loo
essa
onde
dias formosos da sua juventud?. _
Sao semppe as mais- bellas a cr-eagoes
sonbadas.
Teme o criminoso o sonoio, porque nelle
o uve o grito d* conscieGOia.
Feliz o somiw da creanca. ptKjue so
Ibe reproduz flores, candidez e myste-
rios I
Feliz o soaxe do arti*tay porque- delle
flucta rihi mundb-'de inspiraces, d'onde
se expandem ralos da gloria.
Feliz o somno das mnlberes, qoe Ibe
guarda os segredos e que Bm pdB sor-
prender as lagrimas, os sonrisas e o sus-
piros.
Aves e flores viven sempre pouco, por-
que nab^pdeakiaoceccia ica^j por meito
lempo ao mundo.
Anjoque vai e--deaaanda da-patria a
crianga que tgorre.
A inuoceocia a flor da ama> que enr-
mnrcheceao sopro das parxoes, e quando
estas se agitam. eritio da a.lma se despren-
de e voe< para o cae, que a sm natural
morada.
COSTC^ES- INGLEZES-;--T3o aferrados
estn os Albos de Albion a time U moneti
que at descobriram o meio de chamar
porta, indicando ao aiesmo tempo a pes-
soa que o faz. Urna pancada de me-
nos seria- urna hnmiibafo; nm pancada
de mais seria, naqpella garande sociedade,
urna nsurpagae e urna imperdoa^el inso-
lencia.
Um exonplo:
machinas melhor e preflrivel ao de mais cn, disse em dus motos.
?uperores e amestradoscavailos, e de ne-
p.bum perige- para o publico, senos de
produzir os abalroatnente e cataslropbes
doa caminbc* de Ierro.
A preparar especial de guarnigao das
rodas inhibe a machina d<* solavancar e
deisar mieos no terreno pela acg3o das
rochs.
Poi realmente'prodigiosa arapidez com
que sobio a ladera do Trocadeiro, cuja io-
clinaao de ornear onze, e-mesrao de um
em nova; e seguramente nao era meno- a
de ent-earro puchado por unw-veloz parelba.
jnsptrot verdatoira sorpresa- ver-se
pouco as rodas afaiavam no terreno ; el
alm (rsto, destrino e apagou,- delineando
cirooloe-, os sulcos-das roda* do mnibus.
Este machina vaV> ser erapwgadas nos
caminbes vicinaes,~ e por ledas estas cir-
camslaniias, cbamaram a atteeeao dos ofli-
Acha pntao qne sou om my> cabido
rfo^o? perjontou urna das mogas, que,
alera de outros defeto, tinha o variz flor*
rivelroente acittado.
Pois nao, retorqnro mogo, as in-
felizmente, ao c.hir do co, de om as
venta-no ch5o,
FLOR D'AL\SLiA inceeencia, serondo
a Biblia, um vaso de finsimo ouroi qon
contm um raio do ceo, om dstilUr pn-
rissiino da Omnipotencia Drvna.
Vestemnia os poetas coa as c6r*s de
Na experiencia ftt fura da cidade, e suas ^,^,0,3^ Juntasiau- e collocanvna
umeasapo conp.ataaMnte lwndoe alagado. em UlD irmo de.Mvm ^ !ado &3.an.
quao
jos e luetoando entre os sonaos nacarado
de uma virgem.
. A inneeacia obergo, isee um pbilo-
sopho ; e iodubitar/elmente .:5o os pnmei-
rt>s anoos-omais formeso s>iaolo da inno-
cencia.
Porque- Rio bellas- sao "as- dores ? POr-
piaes d artUbala; presentes-aos ensaios, ntteMak e syrailisara a-inmcencia.
Oflimof man. nao 1 *. rln or t\ c\tohf\xr\-\ nn. "
soggeriodo-lhes a i a de se osysiema po-
derla ser empegado vantajosamenle nos
transportes multare em campanha.
OPIPBiO DE BM CASADO.C mogo
de uns qjjinze anoes foi ler eora o ai e pe-
oio-lbe lieenga para casar :
Pois nao, reponJen o paif casa-te
qnando quizeres.
-T- Cfemo! realwvu a raaiv qae eslava
presente, pois coiwentes que se case uma
crianga de quince anuos que anda alo tem
juizo I
presidente. Onde se acha omitiida
forma, fallara garantas ordera
esia substancia alterada, faltam garantas
liberdade. .
Roma coohecen e praticou essa mstitui-
clo ; mas perdaiacom a liberdade, qu in-
do o senado desligou os imperadores do
comprimente das leis. Foi isso no lempo
de Augusto.
Entretanto Sneca e Quinliliano dizem
qoe o jury ainda persisti por algum lem-
po em Roma, observndo-se n'elle a forma,
mas n3o a substancia, visto como a sua
composigSo, aescolha dos jurados, so ema-
nava do povo apparentemente, em quanto
que na real.dade era feita pelo poder. Era
pois, um simulacro, que prova que o ma-
chiavelismo mais velbo do que Machiavel I
Os povoe do norte da Europa, que in-
vadir as Galias no seculo quinto, lam-
bem conheciam e praticavam sinceramente
o jury. O feudalismo, porm, Anal ab-
sorveu em seu proveito essa iostituigo,
que oppanhase s suas aspira?5es e ihva-
ses.
Na Inglaterra o jory parece datar de
Henrique III. Os inglezes, porm, orgu-
Iham-se em fazer recnar a data do seu es-
tabelecimento at o re Alfredo e mismo
alm.
Na Frange moderna, isto depoic da
revologlo, o jury sinceramente pralicado.
Fui revolugJo que creon, desenvolveu e
aclimatou essa institugao no slo da
Franga.
Nos Estados-Unidos o iury nascea com a
independencia, e em parte alguna elle
melhor comprebendido e respailado. To-
dos os estados da Uniio nSo o formara d>
mesmo modo, mas a divergencia nio es-
sencial.
Nos ootroj paizes da America o jory tem
prorandas raizes como na UniSo Americana
do Norte, o nem da ootra forma se com-
prehenderia o novo continente, onde todas
as lberdades se ostentam, onde a demo
cracia rasga lodos os dias nevos horieontes.
No Rra'il a institnija'o do jury pura.
q;ier na sna rma, qer na sua essencia
ou substancia. E' utna das pencas lber-
dades (?; c garantas que tem o cidado.
Felizmente o poder tom-n'o respeitado ;
que alias bem para admirar f
E' forcosa t>or;n, que eu 'igra, com
profundo pezar, que o jury no Brasil j
nao o que d'antes foi !
Sim. nao ; antigamente era urna offen-
sa ser-se recusa Jo em se:-o d'esse tribu-
nal para formar o consdho de julgamento ;
boje nao, c urna gloria, que todos procu
ram porfa, e que mudos akaagam com
prejdzo do terceros.
Eu j vos disso n'outra occasiSo qoe era
muito amigo de viagens. o ye* tinha va
jado e contoava dedicarme s viagens.
Pois bem, em uma das nossas provincias
fui asfislir uma sesso do jery.
O tribunal funecionava na ra do Rei, era
um edificio que servir oulr'ora de cadeia!
CaspitA disse eu, que opigramma I
Mas nao icou abi o meu pasmo. O
edificio tinha dous andares ; na loja func-
cionavam os juizes inferiores, no segundo
anjar nm tribunal superior e no primeiro
o jury.
Quem me den essas informaco>s accres-
cenlou :
Bem v que verifica-se aqui o torri-
bissimo // medio consislit virtus etc.
Ontro epigramma disse eo, v
quem loca.
Agraden as info. mages e subi o pri-
meiro lango do oseada.. Achei-me no pri-
meiro andar ; funecionava o lury. Enlrei;
um cerbero f.z-ine lirar o chapeo.
A sala do tribunal era quadrangular e
oblonga, a eutrada era lateral.
No fundo, encostada face leste; estava
a mesa e a C3deira do juiz, cuja direta
vi a banca do promotor e i esquerda a do
escrivao.
esquerda da entrada c junto ao portal
uma simples balaustrada divida o longo
salo em duas partes: a de leste era a sala
das aasaftes do tribuna], a de oeste a ga-
lera dos espectadores, que, seja dito de
passagem, invaliam, tortQ e direito, o
recinto do tribunal.
Cerca de dous metros distante da banca
do juiz, havia om grande estrado, sobre
elle ama longa mesa e aos lados d'esta
doze cadeiras. Esse tudo era cercado por
uma balaustrada. Era esse lugar destinado
ao conselho de julgamento.
Por traz d'essa pega estava a- banca do
advogado, e por traz d'esta o banco des
aecusados.
Aos lados do sali havia cadeiras e
bancos para os jurados e mais especta-
dores.
Qnando entrei e sentei-me, o relogio do
salao, enllocado no fundo, por cima da
cabega do juiz, dava-det horas.
Vejamos o que se passon :
OjuiTO Sr. escrivp faga a cha-
mada.
O escrivao assim cumprio. Faltaram al-
guns jurados, mas havia numero.
O juiz Est aberta a sesso, e sao
multados era 200000 os Srs. A. B. C. e D
Um meuvizinko jurado (baixinbo e
zangado). De qne servam essas maltas? Os
Srs. A. B. C e D hao de ser dispensados
d'eUas, s?o potencia.! q'mu tet|ft I 0 jory
e as multas so-se fizenam para os felices,
como eu, qne nao tem padrinho !
Bom, disse en com os meus botoes,
outro epigramma 1
Owe-!rfztWAo- UrigiHo-te 9 iw-rl
o Su. sen duvida. n3o d'aqai?"
Nato senhor, son do Pernambuco,
E por la veenvse esses desaforos f
Hmeos, nao sai.
Isto para arrebentar! Esta j a
segunda vez qne sirvo este anno-como ju-
rado. Entretanto os Srs. X. V-Z-, ete. e
tal, pontiohos... ha dez annos qne nao
serven I De que valle terera os nome na
urna? Se sao sorteados, ou ararajamdis-
pensss, ou oblem netevac3o das maltas, e,
se per acaso aqui vem, sao sempre recu-
sados ou pelo promotor ou pelos aboga-
dos t Isto nao tem geito, na. acha ?
iVcho que o senhor tem razo, e pen-
s qne conviria qoe em algasia reforma se
impozesse ao promotor a obrigago de
motivar snas recasas, come nos Estados-
Unidos.
Aqni, meo amigo, s servem nos
conselhos os artistas e os- pobres empre-
gados pblicos ; tudo raais recusado ou
dispensado. O senhor vai ver.
O juiz, depois de tossir e escamar:
Vai-se proceder sorteio. (Lendo): Dr. K.
O promotorRecaso.
Dr. W.
O advogadoRecuso.
O Sr. T. (Rico negociante)-
O advogado.Recaso.
Uma hora depois eslava composto o
conselho. A orna estava vasta, porque o
promotor recusou 11 e advogado 12 ju-
rados I
O tal men vizinho fazia parte do conse
Iho ; estava fulo de raiva, e olhava-me por
forma duerme : entao> ou nao exacto ?
Sorri tristemente para o homem, e la-
meotei esses vicios que se v5o introdozin-
do todos os dias n'uraa d?s mais livres
Sostituiges que possuimos.
Deferido o juramento ao conselho o juiz
mandn apregoar o nome do reo e leste-
munhas.
0 escrivdQ lemdoReo a justiga I..
Home ama gargalhada geral no tribunal
o paoprio joiz, serio e circunspecto como
era, sorrio-se.
Qoarto epigramma exclamei entre
gargalhadas, e sahi
0- segundo andar estava fechado : o tri-
bunal superior nio funecionava. Desci, e
penetrei no andar terreo.
Em uma das salas dava audiencia nm
ju z, sentado na soa cadeira no fondo da
asa.
Em frente delle e em-torno de ama
mesa estavam os escrives. Aos lados
ha viam cadeiras oceupadas per espectado-
res, procuradores, meirinhos, emfim por
todos os zanges do foro.
Septei-me junto nm velhole, qne lita
gava all. Lancei am olbar pela sala. Que
immundicie I O cbao nio tinha calcamen-
lo, as paredes estavam cbeiaa de pintaras
e de palavras obsenas, algumas cadeiras
eram taradas, a banca do joiz estava qaasi
sem forro.
Como t ? pobre, ioleliz jnstica !.-
nao pude dexar de murmurar.
O Juiz julgoa alguns feitos, ou antes lea
algumas sentencie dadas anteriormente,
fiado o que um sogeito ergaea-se. e fez
um requerimento.
-. O juiz: Falle oSr. QScrivjo proprie-
torio,
Oquequsr dizer esse prsprietariOy
perguntei ao vellHite ?
Chocarrica do joiz.
Sorri-me, e prestei attengo.
fl* jttiz : deferido o reqaerimentcv
visto nao ter o Sr. G. -prdo, (t'uaccionai io-
do fra) spresantado em tempo o documenta
que se refere o auton
Quem 6 esse Sr, G. gorfot
0-wlhaHi E' um erapregado do
foro, quena, o joiz mraaosa con esse ep>
iheto, porque eHe lera notfido.
Irra, roen S. Thiago de Campostela,
que uizes f qne magistrados i. I..
0 juiz levanlou a sesso. Ao deixassa
cadeira, core a sua rlassica luneta no oleo,,
den as cosas ao publico e sabio. Um dos
eocrivles ergueu-se e pespeiou-lhe uma
furiosa careta.
Pergtiiitei ao vemote quem era aquelle
escrivao.
Ob disse-me elle, pois nao conbece
o Sr. Gra-m-garo-t-p-a-s ? Ignora quem seja
um riquissimo e honradisskno escrivao d'es
la trra, to fallado quo intclligente ?l...
Coohecia-o apenas de nome. NSo
sou d'aqai, mas em minha provincia esse
senhor tem boa fama. Fama i-rfo/, diz o
proverbio.
Pois elle mesao, accrescentou o va-
Ihote; est muito bem e tem-se em coala
de jurisconsultosescrivao. Sua forluna
bem bonita!.....mas, s Deus sabe
com que sacrificios foi adquerida I.. V
aquellas rugas que Ihe cobrem a face ma-
cilenta ?... Sao os vestigios das lagrimas
de muitas viqvas, orpbSos e algnns pas de
familias !... ye aquellas hombros der-
reados ?... E' o peso da alma de um
pobre homem, de quem. depois de ler em-
palmado a fortuna, elle fez morror de des-
gostos n'uraa priso I... V&aquelles..
Basta, senhor ; pelo amor de Deus,
basta 1 exclamei tranzido de horror.
Sahi da sata das audiencias conimovido
at a medula dos os30s.
Qne joizes t que escrivles I que foro !
Santo Deas. Ah justiea, justica, emque
mos te collocaram I
NSo me qoiz demorar moitos dias em tal
trra ; esperei ancioso o paquete, e, log
que elle tocou no. porto, vim para esta pro-
vincia qoe a minba.
Gomo ir o toro por aqui ?\ Nao sei
nem desejo saber. Basta de decepges;
ao menos quero conservar um resto de
illusoes.
..
Prometti no passadolfolhelim dizer quem
o Sr. Hanrique. Vju desempenbar- rae
da palavra ; l vai verso :
Doze palmos de altura, penas longas,
A barriga pregada no espinhago,
Pescogo fino e alto, ps enormes,
E trinta annosvtrepados no cachaco;
FeigSes semi-carun/ias, olbos pardos
Bocea immensa, bigode emvo frisado,
Cabellos desgrenhados, tez chineza,
E certo ar de maluto apajvalnado;
Bis os tragos do hroe dos armarinhos,
Que falla sempre em tom de fa-hordo;
Eis os tragos do Hanrique miudinho,
00 grande dansador parlapato.
Eotao, j sabem quem o meo ho-
mem?
Se ainda nao sabem esperem pelas ka-
lendas gregas para melhor o conhecerem,
ou, se hSo, V5 aQ Clabdo Monteiro e re
Pelo espeso esvoaeam as aves, canan
ae despooiar do dae sao como a harpa des
bosques.
Vivem oomo as ores vivemy e s vege
como ella6-nascem e-morrea'so mesmo
i.
GUSTAVO WlEBiZ.- mft pintor de
flruxe las, aess conbecido pelo seu genio
excntrico. Entre oulros factos, occorren
uUimameite com elle o^segaiote. A con-
dessa de 5f*~, que dizia ter trinta annos de
parem nos cavalheiros dansantes. Aquella
que virem ao invez dos pwoes, sempre
alegre olbar para.o p -medirs fk
guras da daasa, o -Sr. Hairiqoe, sen ti-
'rarnemppr.
O illostre representante das mudezs,
descubri qne a dansa o seu xarof-db
bosque, e por isso entrega-e tanto i ella
qne esqoece-se de dirigir palavra dama.
Elle nao- perde am compasso, nao daixa
passar sem reparo uma nota da crchestra,
nem se descuida jamis d conservar o oes
em esquadria, emqnaoto espera a sua-vez
de envar em aclividade.
E' um prazer v-lo pavonear-se com o
chapee em quiza de leqan- e abate o em
signa! de continencia s damas, como firia
com a espada aualquer oflkial da guarda
nacional em dias de parada.
0Sr. Hanrique nm, fi)cco onde se con-
centrara todos- os olbares as reuutoes a
que e.'e vai.
S basta de Sr. Hanrique.
0 que hei-de agora dizer
Ab j sei. O iheatro de Santo An-
tonio den ltimamente a opereta e maane
aux lanterms.
A msica de Otfenbac, isto tem o
cunhoe o chiste das composigoes legres do
gracioso maestro.
O assampt) trivial, mis torna-se inte
ressanto pela e\presso que Ibe d a mi>-
sica.
A esecugJoeorreu mal. S a Sra Yal-
monca se compenetreu do seu papel e des-
erapenhou-o conscienciosamente.
O Sr. Reynaud e a Sra. Brescia esquece-
ram-se de que representavara typos de cam-
ponos (paysans). Nem g6sto nem a pa-
lavra revelavara nelles a origem campesina ;
dir-se-hiara habitantes da cidade ou antes
da la.
A Sra. Mariette, como sempre costuma,
deserapenhou mal, pessimameate, a sua
parle.
A wit'se en scenne teve seusdefeitos.
A opereta foi cortada em alguns pon-
tos.
A msica foi horrivelmente mutillada pela
orebestra. -
Computo: enterro da opereta. Resultado
para a empreza: thealro cheo de logares
vazios, na pharse do espirituoso Mephisto-
pheles.
Annunciam-se novas operetas; ouvi-las-
hei-e depois.direi como eorreu sua execu-
g"ao.

A nossa boa e poetioa cidade do Rocife
j nao sent a enorme, a estupenda, a ante-
nvilisadora falta de divertimentos, de passa-
tempos, de distragdes, que a torturavam nao
ha muito.
Sem contar o theatrinho de Santo Antonio,
e o do Monteiro de quando em vez, temos
agora o Club do Monteiro com as suas sa-
batinas de reunios familiares; o pavilhao S
Izabe), que prometi abrir seu rotundo bojo
aos diletanttis da msica joco-seria ; a fa-
brica de cerveja, onde vio continuar, segun-
do me afiiirmam, os interessantes festivaes;
e finalmente vamos ter os divertimentos cam-
pestres, que sempre nos traz a estaco cal-
mosa, taes como os passeios, os banbos,
os fandangos,os presepios, os bunbameu-
boi, os caboclinhos, os polickinelks, etc.,
etc. *
O Recife e seus ar^baldes v3o se acnar
a'm.mare-magnumfo divertimentos t
Quantum mutarusabilb! Outr'ora an-
Mas, porque o pintor nao Ibes disfargasse
as rugas, a condesa regeitoa o trabalho.
No dia seguale, Wierlz accrescentou pin-
tara urnas grades, dentro das qaaes via-se
a condessa, e poz por bao o segrate le-
treiro : Presa por dividas.-
Exposto o quadro ao publico, espalhoo-se
immediatamente a noticia de que a condessa
eslava pro*a por dividas, correndo moita
gent sua casa para verificado fado. A
condessa procuroo depois o pintor e expro-
brando Hie a sua conducta, pagou a impor-
tancia do trabalho, qoe o pintor fez reverter
em favor do3 pobres da cidade.
SOBERANO FRANCE2ES PW910NEI-
ROS.Napolee III o stimo soberano
de Franga que perde a sua liberdade pela
surte das batalhira.
Ltriz o Benigno fbi em S2D encerrado
por seos liln-s convsua segunda1 mulher em
um nrosteiro.
Em Wfi Carlos o Calvo foi feito prisio-
nero pelos seus fidafgos que se havam r-
bellado.
, Jo3o F Acou prisioneiro na batalba de
Poiliers, ea'regando a ana espada a Diony-
so de Morneeque, alleavao.
Luiz Xr fbi condozido por Carlos o Te-
me-ario na retaguarda do- exercitode Bor-
gonha, quando marchen a> sitiar os liegen-
ses seus alliados.
Fancisco f icou prisioneiro na batalha
de Pava. Tambem como o re Jlo ren-
den a sui espada a am belga, o conde'de
Lanuex vce-rei de aples.
ltimamente .'apoleao prendeu se daos
vezes, em 18 e 1815.
S CELEBRE.Em uma da suas ulti-
mas- audiencias, o ti ibunal correccional de
de Metz leve de jutgar o seguate caso:
lios negociantes, depois de feenarem o
seus estabelecimento, travaram-se de ra-
zoes. Um delles, depois de ter esgotado o
vocabulario dos epithetoj mais... enormes
langou- ao seu adversario o adjectivo prus-
siano.
Aquelle, exasperado, levou o seu visinho
perante a polica correccional por injurias e
inffamaco. 0 tribunal deu a segointe sen-
tenga r
1 Considerando que, as circunstancias
actuaos oepitheto qualifkado peloqoeixoso
de injurioso e diffamatorio rene effejtiva-
mente este duplo carcter :
Condmno o Sr. X.. a tres mezes de
pris5o, 500 francos de iodemnisagao e 50
francos de multa e cusas.
DIFFEBENCA NO 0LHAR.O olbar da
vii-gem pudibunda um poema dalcissimo
e um relmpago glorioso.
O olfear do ciumeeto nm raio procura
lugar, onde faga expteso.
0 olbar do amante oflendido nm-rugi-
do de viagaoga.
O olbar da moga innocente vai e-pupil-
las do amante como a mariposa luz, sem
pensar que vai all aueimar as azas. ,
dava a geite cata da ama distraga e nada
enconirava; boje ja se encentra em que
matar o tempo emquaato o tempe dos nao
mata, e muito breve serao tantos os diver-
timentos que ninguem eaber como-aprovei-
ta-los nem qnal preferir.
Sabba Jo estra a companhia dezarzuelas
no oavilbo S. Izabel.
E' um genero de espectculo, inteirav
mente novo entrense creio que para to-
dos nos. Deus queira que nao seja novo
para os artistas, que-modestamente se apre-
8entaro.
A zarzuela annuBciada c.waMoisE, em
3 actos.
Tomam parte no espectculo am casal de
granados.
Os tempos qoe- correm sao propricios s
granadas ; que c dlgam a Franca e a Pros-
sia. Por isso presumimos qoe serao rece-
bidos com especial agrado os Srs. Grana-
des.
Com tanto que o Instituto os nao mande
anhivar, tudo ir bem.
Sabbadc verificar-se-ha na Club do Mou-
teiro a primeira reunio familiar daeteanno.
Muila geate do meu conhecimenio pre-
para-so para ir ao Club. Faco votos para
que a simplicidade nao abandone aqaelles
modestos salees.
Pretendo achar-me ao mesmo tempo no
Club e as zarzuelas.
Ninguem se admire disso. Descobri o se-
gredo e possuo o dom da ubiquidade I
S ravelarei esse segredo, s transmie-
rei esse dora as mogas que me guardaren!
uma quadrilha para sabbado, no Club.
..
Ainda uma novidade!
No dia Io de dezembro prximo vndou-
ro ter lugar o projectado baile queoSerece
Pernambuco ao Ilustre baro de S. Rorja,
em signal de aprego pelos servigos presta-
dos por lo bravo general, nos campos do
Paraguay, causa do Brasil, isto causa
da civilisagao.
Por essa occasio ser-lhe-ba entregue a
cora cvica, de ouro e pedras finas, que o
povo offerece ao here pernambucano pelos
seus feitos brhantes na guerra dos cinco
annos. "
J raandei escovar a minha classica casa-
ca para o faustoso acootecimepto. S me
falta nm par de luvas, que j nao compre;
por n3o haver no mercado luvas da letra
Y. Se a leitora me quizesse emprestar um
par t
Am revoir.
SIBHJS.
P. S.Ao Sr. Dr. Affonsod'Albuqueroue.
A' bondade dos proprieta ri os do Diario,
que generosamente prestaran! suas columnas
para os meus folbetins, devo o ter lido a
vosea carta no mesmo dia em que a envias-
teis a tvpographia.
Nao quiz responde-la em publico por qoe
essa carta era um documento privado: iria
pessoalmente responder-vo-la.
Publicaste-la bontem no Uberai, isto ,
tiraste-Ie o carcter privado ; vou dar-vos
a nica resposta que merecis:
Sois wn jesuta imbcil, risum tenea-
tis, Sr. Dr. Affonso (TAlbuqitrque.j
Vede bem que desla vez falla serio o
Vosso hutniliisimo servo.

,'J
SIRIO.
TYP;
rio-ba t> ikjqe D8 gax^^


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EY3LJ89P8_0DTAR0 INGEST_TIME 2013-09-14T04:13:04Z PACKAGE AA00011611_12271
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES