Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:12267


This item is only available as the following downloads:


Full Text

I
"^

BaanTi
ananaa
jhmjbbbbji
i
MHI

mmmm
wm
wm
w
i
fc
AUNO XLVI. NUMERO 263.
tkU k MJITAL E LIGARES OIBE RO SE FACA FORTE.
Por tres aa* diantados..... --^^
........... 320
______ ____ _______ H^^^^^^^^l

SUBIDO 19 DE* NOVEMBRO DE 1870.
PARA DEITEO E FOBA DA PHOTWCIA.
Por tres meies adiantados......."^........
Por seis ditos dem...................
Por nore ditos idem......*...........
Por om anno dem ....
13H00
17,
Fropredade de Manoel Kgueira de Fara & Filhos.
AO ACECTES:
Os Srs. Gerardo Antonio Ai A Filhos. no Para ; Goofalve. Pinto, do Maralo ; Joaquim Jos do o***, i Cear ; Antonio de Leaos Braga, no ***j ; Jo* Mara Mfe Chave, no Am ; Antonio Marqo da ff* no Natal; Jo*
Pereira d'Almeida, em Mamanguape; Antonio Alexandriao de Lima, na Parahyba ; Antonio Jos Gomes, na- Tilla da Penha; Belarmmo dos Santos Baldo, em Santo Ant3o; Domingos Jos da Goeta Braga,
_______________________^ fim Nazareth ; Francisco Tavares da Costa, em Aiagoas ; Dr. Jos Martins Alvos, na Babia; e Jos Ribeiro Gssparinhono Rio do Janeiro.
PABTE OmCIAl.
Goveran da provincia.
riPEDIE,NT 4)0 1)IA 11 DE NOVKUBIIO.
Offlcios:
Ao E*ei. Sr. ministro da facenda, remettendo
dous ejemplares da colleego, das leij desta pr -
vincia promulgadas no correle anno.
Igual remessa fez-se .ios demas ministerios;
repartios* e-autoridades da provincia.
- Ao Exm. Sr. ministro do imperio, declarando
em resposia ao aviso de 28 de outubro ultimo, que
julga sulllciente o numero de fO exemplare-
do 1" volumo da obra do Dr. Alexandre Jos de
Mello Moraes, intitulada Chorographia Histrica
pelas reparlicdes publicas dest provincia.
Ao Ex. Sr. ministro da guerra,transmittin
do para os fins convenientes mappas c coma ge-
ni do material da exercito, Telavo ao trimestre
rindo, o obalaocete do oiovimento da palvora no
imam o periodo. "
Ao general comraandante das armas, autori-
sando-o a conceder vinte dias de lcenga ao solda-
do do 9o batalhao de infantera Manoel Fran-
cisco do Nascimenlo, para ir a cidade de Ca-
ruar.
Ao itiesmo, permiltindo que o soldado inva
lido Joho Joa.juim de Albuquerque continu a per-
manecer na villa de Iguarassit, com a obligara i
de comparecer as revistas de mostra.
Ao mesmo, recommendando a expedida)
delengao seja feila por pravas do exercito.
Communicou-se ao chefe de polica.
Ao provedor da Sant- Casa de Misericordia,
recommendando que mande inscrever ni respec-
tivo quadro, afim de ser alroittida no collegio des
orphas, quando houver vaga, a menor Antonia,
lilha de Justina Mara daConceigao, e que acom-
pinha a respectiva cenido de idade.
Ao inspector da ihesouraria de fazenda, para
que continu a pagar os vencimentos doi praticos
e remadores do arsenal Jemaruha, al decisao do
governo imperial.
Fez-se o necesario expediente.
Ao mesmo, traosmittindo para os devidos
pleitos, treze orden--, sendo no >e do the'ouro na-
cional, sob ns. 193 a 203 e 207; duas do ministe-
rio da guerra datados de 4 e 3 do corrente, e duas
em duplcala, expedidas Dla repartilo do aju-
dante general, sob ns. 738 c 73!>, bem com um
oflicio da directora geral de rendas publicas, data
do de 2 deste mez.
Ao mesmo remtenlo para os lns conve
nientes, as portaras de nomeacio de agentes dos
orreios das villas de Iguarass e Ingazeira. e de
judantes os de Floresta, Ouricury e Trom-
bitas.
Ao mesmo, determinando em vista do que
cxpdl o Dr inspect ir da sande do porto, -que d,
i'om possivel brevidade, suas ordens no sentido
de ser removida do Lazareto do Pina a plvora all
existente.
Ao meimo, mandando oagar ao delegado do
Ouricury a quantia de 143*0:10, em que impor-
tan) os vencimentos de urna escolta de guardas
nacionaes, que conduiio d'a jueile termo para o do
Crato, na provincia do Ceara, os recrutas Henri-
que IWeira da Luz, E-tevao Pereira da Silva,
Mariaoo Joao Gualberlo de Souza e Jos Gomes da
Silva, os quaes fien m daquella provincia no va-
por Guar., e acham se com prag no exer-
cito.
Communicnu-se ao chefe de policii
Ao inspector da thesouraria provincial, man-
dando adiantar os vencimentos, relativos aos me-
zes de dezembro a mareo do anno prximo fin-
dourp, de nm offleial e 15 pragas do corpo do p)-
licia, que acham se eVtacados em Salgueiro.
Ao mesmo, mandando adiantar igualmente
cinco mezes de vencimentos a contar do Io do cor-
rele, ao capillo do mesmo corpo Antonio Jos de
Aadrade, que vai seguir para Salgueiro na quali-
da le de delegado de polica.
Communicouso aocomman Jante do corpo.
Ao mesmo, autorisando-o a proceder, de
conformidade com a sua informaco, acerca do
pagamento que reclama Hermina Celicina da Ca
mar Santos, de seas vencimentos na qualidade de
professora da cadera do instruccao primaria da
Venda-Grande.
Ao mesma, para rranlar fazer os soguinles
pagamentos:
Ao bacharel Joaqnim Jos Ferreira da Rocha
Jnior, a quantia do 5:20'i83C, correspondente
a despeza que fz durante o mez de setembro ul-
timo, com o f ustento e diela'S djs presos pobres da
casa de deleocao.
Ao sargento Manoel Aeostinho da Silva, ou ao
seu procurador, a quantia que Justamente seestt-
ver a de ver dos venc ment- de nma escolta de
guardas nacionaes, que conduzio criminosos do
termo de Bui^ue para esta capital, os quaes foram
recolhdos a casa de delencao.
A' pessoa que se mostrar habilitada a quantia
de 29U100, em que importan) os vencimentos re-
lativos ao mez de outubro ultimo, dos guardas na-
cionaes destacados na cidade de Olinda.
Fizeraro-se as necessarias communicacoes acer-
ca desles pagamentos.
Ao inspector do arsenal de marinha, autori-
sando a mandar fornecer da plvora vinda da
corte, e que se acha a cargo daquella inspeccao,
a de que precisar o arsenal de guerra, mediante
mdemnisacao ao ministerio da marinha da impor-
tancia da mesma plvora pelos precos estableci-
dos na corte.
Expednm-se as necessarias eommonicacoes.
Ao commandanle superior do municipio do
Bonito, para qne urna guarda de honra, tirada do
baialbio n. 26 de infantaris, assista a (esta e acom-
panhe a procissao de Nossa Senhora da Concei -
co, que devem ter Ingar no da 18 de dezembro
vmdouro na igreja matriz daquella freguezia.
Ao inspector da alfandega desta capital, em
resposta ao seu oflicio, acerca da euado de mina
em que te aebt o caes entre o arco da Coneecio
e a eecaAoha, remettendo-lhe copia do aviso do
ministerio da agricultura, sobre esse objecto e
ponderando que parecem desoecessarios os re-
paros exigidos pelo mesmo inspector, por flear
parte do relendo caes comprehendida no plano
dos trapiches coja construccao foi contratada pelo
major Bellarmino do Rege Barros e outros.
Ao director do arsenal ce guerra, determi-
nando que apenas eja recebido naquelle arsenal
para onde vai ser re me nido por parte do comman-
danle do 9' batalhao da infaotaria, um cofre con-
leudo livros e papis pertencentes ao 7* batalhao
da mesma arma, mande collocar no dito cofre no -
vas (echadoras, em snbsttuicao de outras, que fo-
ram arrombadas Da (alta das respectivas chaves.
Gomraunieou-se ao commandanle das armas.
' At Dr. auditor de guerra, recommendando
que se aprsente ao capillo de fragata Ignacio Ac-
cioli de Vasconcelios, presidente nome.do para
o conselho de guerra, a que tem de responder o
imperial marioheiro da 3' elasse Patricio da Silva,
a&m de fazer parta do mesmo conseibo, como lbe
lumpre.
Ao inspector da thesouraria e azenda, re-
commendando qne (ac apresentar-se o lente
reformado da armada, Manoel Antonio Viegas, a-
tuilmeote emnregado na alfandega, para o mesmo
fia, borlo do brigue barca llamar ac.
Communiqne-se ao mencionado capitao de (ra-
gatr.
Ao commandanle do corpo de polica, auto-
risando o engajamento dos paisanos Agostinho
Ferreira da Silva, Joiqaim Jos de Sant'Anna,
F.ancisco Pedro Tiburcio, Joao Raymundo Nonato,
e Affmso BenvenutoChristo, se tiverem idoneidade.
Ao iuz municipal do termo de Olinda, de-
terminando que remeta o edital. pondo em con
curso a serventa vitalicia dos offkios de segundo
tabellio o escrivo do civil e mais annexos d'a-
quelle termo, como lhe foi exigido.
Ao promotor publico desta capital, chaman-
do a sua attengao sobre o fac'o criminososo pra-
lieado pelo sentenciado militar Vicente Jos d'An
nuncia^ao que na tarde de 3 do corrente ferio Basta
cidade a duas pracas do corpo'de polica, na resi-
dencia destas, aonde se dirigi acompanhado por
dous soldados do 9 batalhao; convindo que Vme.
declare quaes as deiigeaeias que requeren no
cumprimento de sens deveres, relativamente a es-
te facto.
Offlciou-se ao general comraandante das armas
sobre o mesmo facto, reclamando o emprego de
medidas disciplinares, que evitera a reproduco de
Tactos idnticos.
Ao promotor publico de Olinda, chamando a
sua atteocao para o facto de hiver Manoel Fer-
reira Caroeiro ferido gravemente a Sima > de Souza
Santas no dia 6 do corrate, no districto de Bebe-
nbe ; re.eommendou-se qne empregasse as deli-
gencias a seu alcance, tanto na fo/macao da culpa,
como no plenario, afim de qne nai Oque impune
o delinquente, trazendo ao conhecimento da pre-
sidencia o resultado doproeesso.
Ao gerente da companhia Pernambucana,
declarando que segundo consta da secretaria da
presidencia as passageas de estado, na Huta do
norte, que o governo tem direito em virlude dos
contratos com essa companhia, eslih dadas al
13 de fevereiro e nSo at abril ou maio do anno
vtndourp, como se v de seu oflicio de 9 do cor-
rente, e por isso convm que informe a quera fo-
ram dadas as referidas passagens, afim de verifi-
carse com exaciidao que datas ellas aleancam.
Ao conselho de compras navaes, approvan-
do a compra que promoveu dos objectos precisos
para supprlmenlo do almoxarifado do arsenal de
marinha, e de que tratam os seus offlcios de 7 e
10 do corrente.
Inteirou-se a thesouraria de fazenda.
A eamara municipal de Ipojnca, approvando
a arrea uacao do imposto de aferiedes de pesos e
medidas do seu municipio. m
K de Goyauoa remetiendo o ornamento e
planta para um cemiterio que se torna necessario
naquella cidade, afim de que promova pelos meios
a seu alcance a construccao dessa obra no terreno
indicado no referido ornamento.
Portaras;
Ao gerente da companhia Pernambucana, man-
dando dar urna passagem de estado a r at Ara-
caj no dia 13 do corrente a Severiano Esleves
de Preilas.
O presidente da provincia, resolve considerar
sem effdito a portara de ~27 ae setembro ultimo,
pe!a qnal foi nomeado Joao Manoel de Siqueira
para o logar de porteiro do asylo de mendicidaJe,
visto nao ter solicitado al o presente o respectivo
titulo.
presidente da provincia resolve nomear o
tenenta honorario do exercito Joao Paulo llosa
Cesse para o lugar de porteiro do asylo de raen-
dicidade.
Fizeram-se as necessarias communicacoes.
O presidente da proviucia, atiendendo ao
que requereu a sociedade Monte-po Brasileiro,
resolve da conormidade com o 5* do arl. 29 do
decreto n. 2711 de 19 de dezembro de 1860, no-
mear Joaquim de Gouveia Cordeiro para o cargo
de director da mesma sociedade.
- 12-
Ofucios :
Ao Exm. presidente da provincia de S. Paulo,
remettendo copia da planta da casa de detencao
desta capital, como requisitou.
Ao general coramaniante das armas, recom-
mendando que faga constar ao commanlante do 2o
batalhao de infanlaria haver sido recolhida a divi-
da do ex-cadete do extracto 23 corpo de volunta-
rios da patria, Antonio Alexandre de Macdo Pas-
sos, na importancia de 141(750 e proveniente da
diflerenca de gratificajo de voluntario que deixou
do receber, cumprindo que o mesmo comraandante
mande fazer a competente averbacao nos asseuta-
meatos daquella praca.
Ao mesmo, diz>-ndo que pie conceder ao
soldado do 9 batalhao de infanlaria Angelo Cus-
todio de Mesquita 15 dias de luenga para ir a
cidade da Victoria.
Ao Dr. chefe de polica, respoodendo com a
copia da inforraagao do inspector da thesouraria
provincial ao seu oflicio acerca do pedido de varios
objeelos para o desiacainento da freguezia da
Varzea.
Aoinspejtor da thesourari? de fazenda,_man-
dando adiantar tres mezes de sold nao so aos
alfares eff ctivos do 2o batalhao de infanlaria Jos
Joapjim Ayres do Nascimenlo, FrederiM Carneiro
Rodrigues da Silva, Manoel Ferreira Guimares e
TU jmaz Pereira Piolo,como tambera aos offi ;iaes de
comraissao major commandanle interino daquella
batalhao, Severiano de erqueira Daltro, e alfares
Augusto Foriunato daCesu Campello e Flix Br-
relo Muniz, pois que sendo o fim da lei habilitar o
offlcial que (era accesso oom os maios indispensa-
veis a fazer face as despezas a que obrigado com
alteracao do uniforme e ontras, parece de equida-
de, se nao de direito que gose do favor do adiaota-
menio do sold, sempre que obliver accesso, seja
por promoijo, seja por commisso.
Ao mesmo, inteirando de haver o juiz muni-
cipal do termo de Ipojuca, bacharel Joo Bapiisu
?e Siqneira Cavalcante assumido as funego -s de
juiz de direito da comarc di Cabo no impedimen-
to do efTectivo.
Poressa thesouraria mand&u-se pagar :
A Jo- Pereira de Alcntara do O' a quantia da
3911510, que se est a dever dos cunearlos que
faz no quartel das Cinco-Ponas, para ser atli alo-
jado o 2 batalhao do infantera.
Aos professores nomeados para o seminario de
Olinda os honorarios a qne tiverem direito, nos
termos do decreto n. 3073 de 22 deiinril de 1863,
visto lerem sido approvadas essas nomeagSos pelo
governo imperial e commuoicou-se *o vigario
capitular.
Ao inspector da thesouraria previncial deter-
minando que mande adiantar ea vencimentos, a
contar do 1 deste mez at 28 de fevereiro do anno
vindouro de um offlcial subalterno adex pragas do
corpo de polica, que destacan) para a villa do
Granito, a abonar a esse offlcial a quantia de 140a
como ajoda de custo de ida a rolla e a gratifica-
cao de commaodo na razio de 154 mensaes.
Commuhicou-se ao commandante do corpo.
Ao mesmo, para que pague ao fornecedor
Joaquim Jos Ferreira da Costa Jnior a quantia
de 5:514*178, despendida com o sustento dos pre-
sos pobres da casa de detencao, durante o mex de
outubro ultimo.
Inleirou-ae o Dr. chefe de polica.
Ao inspector do arsenal de marinha reeora
mendando, para cumprimento do aviso do ministe-
rio da ma'inha de29 de outubro ultimo, que infor-
me como tendo Horacio de Gusrao Colho ex-es-
crivo das ffleinas, sido nomeado 3* escripturario
da contadoria, e designado para escrivo do almo-
xanado, desde novembro do anno prximo passa-
do, atada ae coiuarva no axercicio 4o logar
extracto.
Ao commandante superior do raootelpio da
Boa-Vista, devolvendo a proposta Que o Cumman-
dante do batlhlo n. 47 apreseniou directare
presidencia, afim de que, obserraota se a lei,
venha por sen intermedio, daridameate infir-
mada.
Ao regedrr do Gyranasio Provincial:
Nao sendo possivel qne o Gymnasio satisfaga es
importantes dos de sua instituigo as eondigoes
em que encontrei-o quando pessoalmenieo visiiei
hontem, segundo as observagdes que endo passe
a V. Hvma., recommendo-lhe que, sem parar nos
melhoramentos rncetados na sua adroiisiraco,
exponha em abreviado relatorio as medidas que
devam ser attendidas com urgencia a reqoisite as
providencias ao regular andamento de to til
stabelecimento.
Ao commandante do corpo de polica, deter-
minando que faga destacar no districto da Boavia
gem um inferior e tres pragas, e augmentar o
destacamento da villa de Salgueiro com mais 5
pragas.
Communicou-se ao Dr. chefe de polica.
Ao juiz municipal da I* vara desta eapital,
traosmittindo em satisfagan a sua requisigao copia
da sentenga do jury do lermo do Buiqoe, que con
der.inou o reo Marcos Bezerra de Arauj, a do ac-
cordao do tribunal da relagao que dexou de to
mar conhecimento da appellagao por elle imposta.
AO conselho de compras do arsenal de guer-
ra, auiornando-o a receber dua caldeiras que
Joaquim Alves da S. I va Santos se propoz a ven-
der para o 9_bJtalbio de infantaria, urna vez que
no mercado nao se encontram -com as diraensoes
exigidas e o preponente sugeita-se a um bati-
mento rasoavel no prego das menores.
Porta rias:
Ao gerente da companhia pernambucan3,
andando por a disposicao do agente fiscal da
provincia da Parahyba, Joao Rodolpho Gomes, tres
passagens de estado a r e duas a proa.
O presidente da provincia, attendendo ao que
requereu Castor Vieira da Luna, resolve conside-
rar sem effeilo a portara de 3t de outnhro ultimo,
que o noraeuu para o lugar d8 csrreio da recebe-
doria de rendas internas.
O presidente da provincia, resolve de confor-
midade com o art. 10 do regulamento mandado
observar pelo decreto n. 2551 de 17 de margo de
1860, nomear Amador de Barros Cavalcante Lias
para o lugar de correio da recebedoria de randas
internas.
Fizeram se as necessarias commonicagSe.
O presidente da provincia, attendendo ao que
requeren o pn-fessor publico da cadera da fre-
guezia de Aguas-Bellas Caetano Francisco Durles,
sGbre que versa a Informagio do director geral
da instruccao publica de 17 de outubro ultimo, n.
341, resolve coneeder-lhe trinta dias de liceoga,
com o ordenado somenie, p3ra traiar do sua
sade.
14
OfOcios :
Ao Exm. Sr. ministro da guerra, remetiendo
o termo de inspecgo de sade, a que foi nova-
mente submettdo o cabo de esquadra do i" bat-
Ibao de infanlaria, Francisco Pereira de Brito.
Ao enviado extraordinario e ministro pleni-
potenciario do Brasil em Londres, transrailtindo o
balango e copia da acia da liqnidagao, a que se
proceden as contas da eslrada de ferro do Recife
S. Francisco, relativamente ao mez de outubro
ultimo.
Ao general commandante das armas, dizen-
do ficar sciente da deliberago, que tornou, de
mandar incluir no deposito de reinitas o soldado
reformado, Jos Paulo Annanias, para por alli re-
ceber a etapa at que entre no goso da pensao
que lhe foi concedida, e previniado-o de que vai
solicitar do governo imperial a remessa para esta
provincia da carta relativa a essa pensao.
Ao provedor da Sania Casa de Misericordia,
mandan io inscrever no respectivo quadro, para ser
amittido no collegio dos orphaos, o menor Joo,
neto de Joaquim Jos Ferreira da Penha.
Ao mesmo, para mandar entregar ao alferes
Francisco Gongalves Rodrigues Franga sua lilha
de nomo Mara, educanda do collegio das orphas.
_ _Ao Dr. chefe de polica, concedendo a auto-
rsaca >. que solicitou, para ser .mugada urna casa,
afim de servir de quartel ao destacomento da po -
voago du Caxang. I
Comrnunicou-se a thesouraria provincial.
Ao inspectoi da thesouraria do fazenda
communicando haver o juiz de direito da comarca,
do Cabo, bacharel Manoel Clementino Carneiro da
Cunha, deixado o exercicio do seu cargo, por en
commodo de sanie, pa-sando-o ao juiz municipal
de Ipojuca, bacharel Joo Baplista de Siqueira Ca-
raleante.
Ao mesmo, comnmnicando que o juis muni-
cipal do termo de Jgnarass, bacharel Joao Carlos
Augusto Cavalcante Vetlez, reassumio o exercicio
do seu cargo a 29 de outubro ultimo.
Por essa thesouraria mandn-se pagar :
Ao alferes Mariano dos Res Espinla, agente
do conselho econmico do deposito de recrutas a
quantia de IjtJOO, despendida com o transporte de
um caixo com artigos de fardamento do quariel
da Soledade para o arsenal de marinha.
Ao delegado de nolcia do O&rifury, ou ao ssu
procurador a quantia de 238*260 de diarias abo-
nadas a recrutas que d'alli viraam cora destino
ao exercito.
Ao inspector da thesouraria provincial, de
terminando que, apenas forem prestadas as com
plenles contas, mande entregar ao tbesoureiro da
irmandade de Santa Anha, erectaua igreja da Ma-
dre de Dos, Francisco de Millos Vieira, dous
contos de reis votados pela lei do orgamento .vigen-
te para as obras da mesma igreja.
Ao mesmo, antorisando a mandar pe zar a
Severiano Monleiro Leite a quantia de 740*620,
que falta para completar a de 1:140*620, em que
importaran) os concertos e melhoramentos, por
elle feitos Da cadeia de Cimbres.
Ao mesmo, mandando adiantar qnatro mezes
e duas datas de sold, a contar de 11 do corrente,
para cinco pragas, com qne vai ser augmentado o
destacamento de polica existente era Salgueiro.
Communicou-se ao comraandante do corpo,
Ao mesmo, para mandar lavrar, depois de
pagos os direitos geraes e provinciaes, o termo de
transferencia, que (az William Richard, da empre-
sa da illnrainacao a gazda cidade de Olinda.
Ao vicecnsul da Hespanlia nesla capital,
dizendo que pode mandar publicar o oflicio da'
presidencia de 13 agosto ultimo, a os documentos
annexos, relativos a oacionalidade de Joao Antonio
Carpinteiro da Silva.
Ao comraandante superior de Itamb, decla-
rando que, se por falla de livros foi feia em ca-
dernos a qualificacao da gnarda nacional daquella
municipio, por estes podera ser prestadas as infor-
magfies que lhe forera exigidas.
Ao juiz de direito xle Pao d'Alho, Inteiran-
do-o de que nao proceden regularmente, pondo
era coocurso os offlcios de partidor e contador
daquella comarca sera ter primeiramente avergual-
do o abandono, que delles fez o serveoluario Fran-
cisco Xavier de Souza Ramos, pelo que annullo
dito concurso e proceda contra esse empregado,
de conformidade com a le, derendo enviar o edi-
tal para o prerachimento da raga de escrivo
do jury, afim de ser reproduzido nesta eamtal
Ao juiz de direito de Tacarat, dizendo que
a presidencia espera que sejam capturados e pu-
nidos os criminosos, que vagara naqaeHa comarca,
empregando Sffle. pradentes medidas, qne lendara
a prevenir novos delictos e esforcanao-se pela
manutengan da ordera publica, e seguranga indi-
vidual.
tartas:
o gerenta da c.injpanhia Pernambucana, man-
dando dar un passagem de estado a r- al Ser-
gipe a Luiz Birboza Madureira Jnior e de proa a
um seu creado; bem como transporte al Mace ,
por coma do ministerio da guerra, a ex-praca do
exmelo batathao 42 de rolontario da patria, Jo-
s Henriques Correia.
Mandou-se considerar sem effeito a portara pe-
la qual se havi determinado a companhia a-ra-i-
leira de paquete, que des3e passagem a- essa
prae.
O presidente da provincia resolve considerar
de nenhum effetto a portara de 29 de outubro- ul-
timo, pela qual fui reseendido o contrato celebra-
do com o engenlteiro ciril Joaquim Pires Carneiro
Monteiro para a contruegao da pontesinha da ra
da Aurora sobre o canal da Riachuelo, e determi-
na que o mesrao contrato continu era sen inteiro
vigor.
Neste sentido oxpediram-se as necessarias com-
mnncagdes.
do de 18C9 h overam 402.baptisado na freguezia,
8o casamentos, e 439 obilos.
VPA FRREA DE OLINDA.-Viajaales desta li-
nna farrea, qne eostumam Bear no peroao da
Duar Coelbo (oMr'ora Arrumbados a. aos pedem
para lambrar drreeeao desla emprea a conve-
niencia de ser alorado um dw lados da eslrada
nesse panto, afim de dar commodo desembarque.
Parece isso lao rasoarel, que recorameadmo-lo
aos senhores directores.
Reparttylo da polica.
2.'secgo. Secretaria da polica da provincia
de Pernambuco, 17 de novembro de 1870.
N. 1 ijj. nitn. e Exra. Sr.Levo ao conheci-
mento de V. Exc. que, segundo consta das partici-
pagoas recewdas hoje nesta repartigo, oratnTton-
tem recolhdos casa de deieng \ os seguintes
individuos:
A minha ordem Jos, escravo de M'tnoel Caval-
cante de Mello, por fgido.
A ordem do subdelegado do Santo Antonio, Do-
mingos Jase Alves de S,como indiciado em crime
de roubo, e Antonia Mara da Omceigo por dis-
turbios.
A ordem do de S. Jos, Alexandrina Mara da
Conceigao, por crime de furto, e Jos Eleulerio da
Trindade, para recrula.
Commuuicou-me o delegado de Serinhem, por
officu datado de 15 do corrente que o subdelega
do do 2 districto de Ganellera lhe pnrtecipara
que no da 5 no engenho Prado, fora ferido com
urna facada Francisco de Paula Lima, por Anto-
nio Mi reir dos Sanios, qua foi no acto de ser
preso maltratado e ferido na cabega pelas pessoas
que o perseguan); e bem assim que, tendo pro-
cedido corpo de delicio as pessoas dos offendi-
dos, mandara racolher a priso os indigita los ac-
ores de laes crraes, para contra os raesmos pro-
ceder nos termos da lei.
O subdelegado do districto da Boavista, em offi
ci desta data, parlecipou-me que constando-Ih>
ter se dado hontem das 10 para 11 horas da noiie,
urna morteno Ingar do Chora-menino do districto
da 'Capnnga, para alli sa dirigi incontinente, en-
contrando cora efTeilo Candido Paulino Freir de
Jesns, mono com urna ficada no peito esquerdo ;
e qua (azoado as convenientes ndagacoes soube
ter sido autor desse crime Antonio Joaquim Per-
reir, que se evadir immediatameute,
Parlecipou-me lanbem nesla daU o Dr. subde-
legado a freguezia de Santo Antonio, que hoja
ines-ao pelas 9 horas da manha, ao entrar Tno-
mo Joaquim da Mascarenhas Ramos em sua luja
de ourives n. 12, na ra estreita di Rosario en-
contrara urna taboleu orgada, altando-lhe diver-
sas joias na importancia de 700*, pertencentes a
Francisco Pedro de Advinculo, pelo que compa-
recen Jo alli e procedendo o exame e mais diligen-
cias, verificara que o ladra j entrara por nma por-
ta que communica a escada do sobrado com a
loja, e dah penetrada pelo corredor da sala posto-
rior, cuja porta linha sido deixada aberta por
Mascarenhas, que rocahindo vehementes suspeitas
sobre Manoel Benedicto, empregado na companhia
de limpeza publica maulara o recolher a deten-
cao.
Deus guarde V. Ex?.
lllra. e Exm. Sr. conselheiro Diogo Velho Caval-
cante de Albuquerque presidente da provincia.
O chefe de polica, Luiz Antonio Fernaniet Pi-
nJiro.
PERNAMBUCO.
REVI3TA DIARIA.
ELEI^O SENATORIAL.Os diversos calegios
eleitoraes da provincia devem reunir-se amaoha,
em suas respectivas .sedes, para o fim de elegerem
apresentada i sua magestade o Imperador, afim de
serem escolhidos dous senadores du imperio.
E' pois sem duvida um dos maiores direitos que
assistein aos cidados a esculla de homens capazes
de representar todos os seus interesses no seio da
represenlaco nacional; e a responsabildade d'esse
acto sobe de ponto tratando-se de representantes
vitalicios.
as circunstancias actuaes, em que o paz pede
reformas e o governo promelie-as, fazendo-se as-
sim interprete da opinio publica, a composigo
de urna lista para senadores deve ser ardua tarefa.
Mas o corpo eleiloral especial, i quem ella est
incumbida, nao deixar de usar do seu direito cora
o criterio que o distingue c de que j deu provas
n'outra occasio.
Que a lista sxtupla se componha de cidados
que sejam penhores seguros para a felicidade do
paiz, o nosso mais rdante v jto a desejo. E da
boa escolha dos representantes da nago que de-
pende es encialmente a marcha regular do sys-
teraa por que nos regamos. Urna asseabla geral
bem composta irapde governos respeitaveis por to-
dos os litlos, e os governos bem constituidoa sao
indispensaves para o bom andamento dos nego-
cios pblicos e para a felicidade do povo.
Cumpra o corpo eleMoral o seu dever, escolhen-
do cidados na altura dos cargos que vo oceupar
e de accordo cora o nosso paci fundamental, a le-
ra assim-conlribnido para o bem coramnra.
Repetimos : esse o nosso mais ardenl voto.
FACULDADE DE DIREITO.Fixeram acto hon-
tem os seguintes alumnos:
2* anno.
Venancio Augusto da Magalhies Neyvas, plena-
mente.
Silvio Vasconeellos da Silvera Ramos, dem,
ihomaz Francisco do Reg Muniz, dem.
Xvlo Rodrigues de Miranda, dem.
Celso da Cunha Magalhies, idea.
Manoel Florentino de Albuquerqne Montenegro,
dem.
3* anno. *
Sergio Hygino Dias dos Santos, plenamente.
Syndoro Augusto de Moraes Reg, dem.
Jos Pedro de Sa Pereira, simplesoMnte.
Um repretado.
4* anno,
joaquim Moreira Pinto, plenamente.
Benjamlra Soares de Axavedo, siraplesmente.
Miguel Archanjo de Figueiredo Jnior, plenamente.
Jos Felippe de Gusraao Ueboa. simplesmente.
o* anno.
Satyro Raymundo dos Santos, plenamente.
Lycurgo de Albuquerque Nascimeuto, idem.
Benedicto OooTre de Albuquerque Henriques, idem
Francisco Primeiro de Aranjo Cit, idem.
DADOS ESTATISTIC03.-A fregueiia de Santo
Antonio, da eidade do Recife, tara 485 bracas da
compnmento de sul norte e 375 de largura de
oaseeote poente ; conta 11702 almas de ppala-
cao, du quaes 10712 escravaa e 990 lirrea. Ha-
sidem nella 12 sacerdotes com i dales entra 40 e
70 anuos ; tem parocbo collado, que o desde
o anao de 1834, (ando servido antai em ontra pa-
rochia, com a idade de 13 annqp. Durante o an-
TILIDAD PUBLr.A-Deve-ter logar segon-
da-feira (il) a rennio da assembla geral dos ae
cionistas desta compaahia de seguros, para dar
cumprimento disposicao do artigo 39 do res-
pectivos eslatuio?.
SOCIEDABfE LIBERAL UNIO BBNEFICBNTE.
Amanba devem os membros o>sla sociedade
proceder eieigao da nova> administnago.
JURY.Hontem abrio-se a quarta sessao do
jury, sendo sna presidencia exercida pek>Sr. Dr.
Silva Neyvas, e a promotaria publica palo Sr. Dr.
Oliveira Fonceca.
Condnzido a barra do tribunal o reo Joaquim
Jos da Silva, pelo crime de fcrimento leve prati-
cado em Vicente Ferreira de Mbraes, em setem-
bro do anno passado, fora, em face das resposla*
dadas aos questos o reo absolvhlo.
FERIMENTO.No dia Sd> correle, no enge-
nho Prado, da freguezia de Garaallcira, Francisco
do Paula Lina, foi ferido, por Anin Moreira
dos Santos, com nma facada.
ASSASSINATO.Das 10 para II horas da noite
de 17 do corrente, no lugar Choramenino, foi as-
sassinado com nma facada no peito esquerdo Cin-
di.-lo Paulino Freir de Jesas, por Antonio Joaquim
Ferreira, que se poz em fuga.
ROUBO.Amanheeeu honlem ronbada em joias
no valor de 700*000 a loja.de ourives da ra Es-
treita do Rosario n. 22, pertencente Thom Joa-
quim de Mascarenhas; lendooladro (oreado par
isso a porta de-eommunicagao da escada do sobra
do. Havendo graves suspeilas de ser autor desse
crime Manoel Benedicto, empregado na companhia
de limpeza da cidade, foi elle preso.
CLUB- DO M0NTElRO.=Por motivos justos nao
ha hoje rennio familiar no Club do Monteiro.
ALMANAK PARA 1871A pharmacia ameri-
cana, ra Duque de Casias n. 57, destribue gra-
tuitamente almanaks para o anno vindouro.
TRIBUNAL DO COMMERCIO.No dia 14 de
dezembro prximo devem reunir-se, na sala da
AssocingSo Cotnmercial Btmefietnte, todos os com-
merciantcs matriculado?, afim de procederem
eleigao de dous deputados commerciantes e de
dous supplenles, para funecionarera no quatren-
nio de 1871 a,1874, em substituigo dos Srs. Jos
Marcelino da Rosa. Bario de Cruangy, Jos Fran-
cisco de S Leitao t Antonio Jos Leal Reis.
HUMBOLDT.Espera-se de Liverpool e Lisboa,
al o dia 23 do corrente, ejie vapor inglez, em va-
gem para a Bahia, Rio de Janeiro e Santos.
MONTE PI POPULAR PERNAMBUCANO.
Amaoha celebra esta sociedade o 14. aniversa-
rio de sua inslallac.io, fum missa solemne na igre-
ja do Espirito Santo, e scsso magna do palacete
do pateo de S. Pedro.
RECTIFJCACO.A nomeagao de Virginio Vel-
loso Freir, para subdelegado do districto de Tm-
baba, foi julgada de nenhum effeito.
NOVIDADE. r A' loja doj Srs. Paes de Mello k
C, rna do Duque de Caxias n. 53 ( outr'ora
Qudmado 13), acaba de receber um variado sor-
timento de cintos das melhores qualidades, pro-
prios para* ricos vestidos.
LADRES DE CAVALLOS. Ha alguna dias
chamamos a attengao do Sr. subdelehado da Pas-
sagem da Magdalena, segundo districto de Afoga-
dos, para alguDs d'esses industriosos, que por alli
andavam, segundo nos informaram. O Sr. major
Belarmino do Reg Barros, reassumindo ltima-
mente o exercicio d'aquelle cargo, incumbo-sc
dar-lhes caga, e, segunda-feira ultima, con^eguio
capturar ditos ladros de cavados. Foi um bom
servigo prestado propriedade privada, que es-
lava todos os dias ameagada e exposta aos ataques
d'esses famigerados industriosos.
INCONVENIENCIA.Pedem-nos o seguinte :
Todas as tardes as familias da ra Nova de
Sima Rita sao encemmodadas por diversos indi-
viduos que banham-s em completo estadode nndez
na praia visinha. Rogamos ao Sr. subdelegado de
S. Jos que faga cessar semelhante abuso, e evite
que no centro desta cidade se d o espectculo
que alli se testemunha diariamente.
SOCIEDADE TERPSICHOBE.Esta sociedade
solemnisa hoje o 8." aniversario de sua inalada-
gao com nm esplendido e sumpluoso soire, para
o qual nada se tem poupado.
NAVIO ENCONTRADO.O briguez portuguez
Mia encontrn na lat. N. 1." I' a longitude 0 de
Grenwich 28.", 29' e 8" com a escuna sueca Pri-
ver Plata, que, sem occorrencia notavel, ia de via-
gem para Montevideo.
GUERRA 'FRANCO PRUSSIANAUrna carta
de Londres dirigida um diario eslrangeirr, d os
seguintes pormenores relativamente a um ardil
empregado para fazer sabir de Metz o general
Bourbaki :
i O general Bourbaki, chegou no da 17 de se-
tembro a Canden-House, Chislehurls, no condado
de Kent, residencia da mperatriz Eigenia, quan-
do toda a gente o snppuoha batendo-se cm Metz.
A Imperatnz ao v lo julgou que Melz tnha cap
tulado, e o graeral, nio menos sorprendido, d>-
monstrou que tinha vindo ver a imperatriz em
consequencia de ordens argentes suas. A impera
triz respondeu que nao tinha dado instruccao al-
guma a esse respeito era ao marechal Bazaioe
nem ao general Bourbaki.
i A imperatnz, depois de relectir uro momento,
lembrou-se deque quando estivera era Hastngs, se
lhe apresentra um francs residente em Londres,
cuja inicial N e que depois de expor-lhe as
suas deas sobre a sitoagao, chegra at a formu-
lar um projecto de proclamago da imperatriz
Franca. A imperatriz negou-se a acoar-H>'o, po-
rm o hroe desta aventura manilestou desejos
de ir ver o Imperador a Wilhelmshoue, cooseguio -
do obler do filho Yeste urna paotographia qne
proraetteu entregar a seu pai.
O Sr. N., comtudo, julgou dever dirigir fe ao
quariel general do rei da Prussia, e conseguio
fallar sem diflkoldade ao Sr. de Bisraark. Nao s
foi immediatamente recebido pelo chanceller, mas |
tambem lhe lacultou um pastt pelo qual o outo-
r isa va a atravessar as liohas do exercito do prin
cipe Frederioo Carlos, entrar em Metz e sabir da
praca com ama ou duas pessoas.
f 0 Sr. N apresenton-se ao marechal Bazaine
no dia 24, e disse-lhe que Bismark nao quera
tratar seno com a imperatriz regente, que esta
vaoillava e qne desejava, antes de tomar resolu-
oSes definitivas, consultar ou o marechal Cauro-
nerl ou o general Bourbaki, irmo de Mad Lebra-
tn, que acompanha actualmente a imperatriz.
t O marechal Canrobert, ferido em urna perna,
nio poda emprenender a viagem e o marechal
Bstarae ordenon ti rminantemente ao general Bour-
baki que (osse Inglaterra. O Sr. N. conduzio o
i CJ-
o pfoeral Bourbaki o espern deiatde. O
referi i lord GraarMIe esu aveatora,' i
oelli ao embaiiMior da Pmwia, a .
torff c qaal lelegrphu m rei
aotorisr.B'O general a rlur para 1
O referido correrpondenta a__
chave d este enigma muilo bem poderla ser,
Sr. N., azmdo se passar por fraaeez. I"
siao de ver em Melz ludo quaMo pal
a Prossia, tanto sob o pooto de risu _
sob o poltico.
De um relatorio lainisterio m l
olicas do governo de rVis, exlrakiaoa ai
fas noticias eerea do armamento d'aei
pital. ^^
A nova lio ha (arrea eon-trmda em redar*
interior do recinto tem 40 kilmetro, facilita .
prompto transporte de as a ootros de ctfe au
ou material da guerra.
< Construio-se um vasto paiol Irlmid, par r
deposito das rKinigoes da ariilhana.
P ra o abastecimenio das aguas da cictdr tr*
bairros altos, que eram aumentados ptioaqort-
to de la Dbnys, que o ioMuge cortan, fio pravi-
dos pelos grandes reserratonos da laltiill 4V
Menilmoiant : a zona media pelas oneaiaas >-
belecidas no interior da cidade : flaahswaaa a par-
te baixa fornecida pelas loromarei caMacada-
no Sena, pelo pobo arteataao de Passy. e par tu.
oolro que ura grande indwtrial, Mr. Sar, paejr-
nerosamenle i dispasicao da ridae.
A commisso norneada para estaar a
cacao dos recursos seienlincos a dafeza da i
regulou o emprego da lut eleetriea para pararjuar
os trabalhos do aimigo durante a Baile, a iNaaai-
nagao pelo raaguesiom, e fabrico do algooaa-pot-
vora comprimido, o emprego da* materia i
raaveis como meto de aoUksar o iniaiga)
cha, a inflamraago das minas frasee i
Eslabelecen nns torpedos terrestres, qoe
tara fcilmente na superficie do (oto a
com a pressao dos ps : as proximidades m f-r
tes estao coilocadas mnitas d'estat ormidavet-
machinas destruidoras.
< Quinze offlcinas esto aberlas, onde sa repa-
ram gratnilamenle ae armas, davido iato caapr
rago das companhia.* dos caminaos de feria r
dos industriaes. A offleina central do Louvre ama
preparado mais de 26,000 espingardas.
A transformagao das espingardas antigs rea-
lisa se regularmente, e as dna* oficinas qua esae
irabalho estao encarregadas, (ornecem dnnamea-
800 espingardas transformadas.
< Tambem se conseguio o fabrico dos efcanat-
pots : a industria particular (abrir as diff-re
tes pegas, a o governo manda eaiao armar as es-
pingardas.-
Urna commisso dt pyrotechaia leas feito mni-
las experiencias, e esU traundo de (aricar a d>
namiie.
< Koram encommandadas 102 aetralaadan*
de diversos modelos, em 10 fabricas, entrego** na
do 13 at 27 de outubro.
113 metraIhadoras do systeraa Gatliing
C.liri.-lophle devem ser entregues, a contar e 27
de outubro
312,600 cartuchos para roatraHianoraa ast Ja
entregues.
< oOmorleiros a seos accessorits coa 50car-
retas, j entregues.
< 400 reparos de sitio, que j principiaraoa a
ser entregues.
500,000 obnzes de differentes calibres, anconi
mi endados a difiere ates fabricas de fundicao a Pa-
rs, que os vo entregaudo diariamente.
5,000 bombas.
c Mullas pegas de grande alcance, de manaan.
cuja entrega esla prxima.
Finalmente, 300 pegas de 7 eenlienetroj
raiadas de carregar pea culalra, coa o alcance
de 8,000 metros, cuja entrega eomecar em 25 a>
outubro.
Esta encoramenda, recebida por vario* fanri-
cantes da capital, p-e ser levada ao nnatro ne
CtlO pegas.
MORitER E VIVER.-l'm jornal astranaia"
publicon a segninte noticia, a mal a aaaa pe
soas podar gradar, se acaso llus conrier, rire-
ram interraitienteiuenie ; a coosa ser non, aa<
dispnsala hiamos mesmo qoe foraaos a*
ricos.
Leiam e inararilbcm-se :
< Presume um chimico sueco lar saseobario c
meio de suspender o curso da existencia nono
mem, fazendo a proseguir quando aproover.
Gruselibocb, esta o noroe do profesa.",
-erve se de urna serpente para por ea prauca
seu processo, e a torna rija e fra como m fira>
marmore.
Se a dexasse cahir no chao, se (aria cm pe
cagos.
Conserva o reptil nesss esudo
annus, e depois, por meio de nma ai.
mulaote, cuja composigo o sen segredo, a apr-
senla to viva como antes da experiencia
< Ha qumre annos qne a serpele ea snesi-
tem essa existencia, constante de mora a raar
reigdes successivas.
O grande chimico dirigio-se ao *n aprer
no, pedindo-rhe que cuncedesae nm sentencia*-
a raorle para nelle fazer experiencias,
metiendo-se a reslilni-lo a' vida aoeaboda
annos.
Nao se sabe anda da reipoau do govr rao At
Suecia, mas de suppor, no caso de onrar nisne.
qoe o paciente seja perdoado.
LOTEHf A.A qoe ae acha ranea a 171.a *
beneficio da nova igreja de Noasa Sabara na fa-
una, a qual corre no dia 25.
PASSAGEISOS.Sahidos no vapor nraalana-
anaiatl, para o Aracaiy :
Joo Jos da Silva Sarment, Joaqnim asenir
de Barros Oliveira Lima, Jos Antonio de fjfa-
redo, sua senhora e 1 criada, Manoel R.
ro, Juvenil R. Pinheiro e criado.
Sahidos para o Rio de Janeiro
gleza Imperador :
James Kells a Joh Maiheos Bandeare.
Vindos de Lisboa no brigue portaran Lmm
Antonio Manoel Nones, Fononato Airan n* Fa-
ria, Antonio da Silva Peres, Vieana Atolondre a\>
Brito.
f IRNICA JLIMCIAR1A.
ntinUML
VCTA DA SESSAO ADMCOSTlUaiTA BK 17
NOVBMBitO DC IS*
raismcncu do exm. sa.
nuuicisco rnorm.
s 10 horas da
deputados Rosa, Basto,
S Lei to, o Exe o Sr.
Foi lida e apptovaa a
Offl;ios
Do Dr. secretario da
ordem da mama, na a
leis provincia do
aecuso-ae.
Do Sr. Dr. offlcial raaior,
eommodadb deixira ia
gao.=lnteirado.
Do Eoglish Bank o Mo
ao quertel general do principe Freerico Carlos, a irando os eaclarneiaato a y
foi posto sna disposicao um trara especial que o
Iransportou fronteira belga. Entretanto o Sr. N.
diseara que tinha de conferenciar com o Sr. da
Bismark, para tratar das eeniiqdas da paz, e qne
Irla brevemente reunir-se-lhe ero, Inglaterra, onde


por oflicio da 14 do enrreat*.- A'
os fins eonranteatoi.
Aos Srs. depntados (ana nnaraantan a et-
Kbjw lrros: Copiador na WjC,* *
incsco Joe da Casta Arnan, War i
f ,
aaaaaaaaaaaaajaa


Ofllif
008flfcrio de Peraambitco "Sabjjado 19 de Novemlwo de 1870
iii i
contrarios,
n*>'ferttocer 'm% arraiaes
d'aates
e
de Matheos Aaslm & C., ditos de
tas de Delphi-) Lopes da Cruz, i conlrarios, cootestifa^Mi$ervco3
BequerMM : *CH,S | seis cavalhelros, eatlsa do sea partido,
DaJoie^BHtt Barbosa di Silva, pedinJo certi- "especialoientB 10 pas.
diodeqau l^eiros-tem inscriptos neetetri-L n3s renuidas" lutas da imprensa; e da
tribuna parlamentar, e nos terriveis codq-
baoal. GHCfbe se quantos caixeiros o suppli- .
cante tem matriculadas..
Do mesmo, pediado que se ordenen^* neceas*-
as verbas no regtafoBP **$* de *as
caixeiros Jlo Capisaraao de Oliverra e Jlo EJhii-
liano de Miranda. Cosa o pede.
De Antonio Jos Femra Menteiro, padJedo aue
se the registe a nomeaeao de sea caixeiro, Antonio
Hermes d.) Sacramento Reeklre se.
De G .mes do Mallos ltalos, pediado que se
Ibes cerfillque se entre os xerciciott'i,8

1870 lora registrada a n neagao de seo eaixaro
e qual o seu noaie. Cerliftque-se.
De Ascendi* Goncalves Rodriguosv-Franca e
Luiz Ferreira Maciel Pinheiro, submettendo a re-
gistro o son contrato social.Curapram a disposto
no art. i" 7 do decreto n. 4503.
De Frederico Cesar Burlaniaque & G, aprsen-
las* para ee Ihe registrar a nomealo de as
caixeiros Antonio Ribeiro Campos e Francisco
Agripino do Reg Barros.Regislre-se.
De Coala Moseira empadrado que aja .sana-
da, eom ama declaracao da secretaria, a emissao
de uio lereui declarado os mines de seis caixei-
ros na peticao em que pediram ceidlo de se
achirara inscriptos.Como requerera.
Da Machado e Alitieida no mesmo sentido pela
oimsau de seu caixeiro.Como requer.
De Antonio Pedro de Souza Soares, tambem no
mesmo sentido quanto aos nomes de seus caixei-
ros que f ir*n oniiiud is.Sim.
De Antonio Cesario Moreira Das, [alendo al-
guajas considerandos, aura de nao ser conceiiia a
moratoria pedida pelo commercianta Joo Nepo-
muceno Pereira dos Santos, =- Sim, no devido
tempo.
De Jos Antonio Basto, apresentaado, para ser
registrada, a nomeago que deu Manoei Jos Si-
rooes para cauein Jos armizens alfandegados ps.
9, 15 e 17 roa do Gimmercio.Regislre-se.
Do roasmo, pediado certido do registre da s-
pracitada nomeaco, e da do citado caixeiro
Adriano Ramos de Albuquerque. Gomo requer.
COM INTOnUACAO DO SR. 0BSKMBAR0AD0R RISCAL
De Jos Rodrgaos do Naseiniento e Jo- Anlo-
lonio Vileila, mostrando haverem europrido o
despacho proferido em ti do correte. Regis-
tre-se.
De Frederico Heurique da Silveira Tavora e
Thomaz Ferreira Maciel Piobeiro, contrat so-
cial. Regislre-se na forma da lei.
ADIADOS DA PRXIMA PASSADA SB3SA0.
De Jos Luii de Souza, pediado matricula de
omimerciante.Contina adiado.
Da Joaquim da Rocha Moreira Jnior, pedindo
tambem matricula.Como requer.
Dada a hora (ti 1/2 da manba), o Exm. Sr.
presidente eneerrou a sesso.
SESSO JUD1CIAR1A BM 17 DB NOVEMBRO
DE 1870.
PKXSniNCIA DO IXM. SR. OBSBMBARGADOB A. t. Pl'
RBTTI.
Ser viudo de secretarioReg Rangel.
Ao meio da, adiando-se reunidos oa Srs. des-
embargadoros Silva Guiraares, Reis e Silva, MoUa
e Aeeioii e os Srs. depulados Rosa, Basto, Miranda
L^al e supplente S Leito, o Exm. Sr. presidente
declarou aberla a sesso.
Lida, fui aporova-ia a acta da ses-ao passada.
ACC01UMO ASSIGNADO.
Embargante Jos de Ohveira Lima, embargado
Joaquim de Souza Ferreira.
JULOAMRNTOS.
Jnizo monicipal de Macei: appellante embar-
gante terceiro Jos Alves de Aguiar, appellados
xecuiados os administradores da maaaa fallida de
Antonio Jos de Figueiredo. Desprezada a preli-
minar apresenlad?, sendo vot vencido o Sr. de-
deputado Rosa, fol conlirmada a senteoca appel-
l.ula.
lain municipal de Baturil : embargante Joao
Lourenco Virialo de Vasconcellos, ombargados
Jos U Jrigues Pereira e sna raullier. Foram des-
prezados os embargos.
luiM especial do coramercio : appellanle Joo
I', lio de Lemos Jnior, appellado AnJr d'Abreu
Port i, administrador da massa fallida de Mamedo
e Martin : adiado a pedido de um Sr. deputad;.
PASSAGRNS.
D > Sr. desembargada Silva Guimaries ao Sr.
desembargador l\ei3 e Silva : appellantes a viuva
de Di'ifd Jos da Cosa por i e como totora de
seas lilhos e o Dr. cura/lor goral, appellado Anlo-
ni i Duarte Carneiro Vianna.
D i Sr. divemhargador Accioli ao Sr. des^mbar-
jrador Reis o Silva : appellanle Maria Felismina
do Rogo Costa, appellados Manoei Pereira Maga-
Btei e outros; appellanle Joaquim Francisco do
Espirito Santo, appellado Jos Feliciano de Nasa-
relh,
DESTRIBUICA0.
Ao Sr. descmbar*ador Reis e Silva : appellante
Jos Francisco do Reg Mello, appellados Simpson
Rroad k C.
Ao Sr. desembargador Accioli : appellante D.
J-anna Francisca Cavalcapte, appellado oDr. Ber
uardo Antonio de MendooQa Castello-Branco.
Ao Sr. desembargador Silva Guimsres: appel-
lante Jos Joaqiim da Costa Maia, appellado o
Banco Mercan il Portuguez.
AGGRAV0S.
Juizo especial do commercio : aggravantes Gon-
calves Irmos & C, aggravado Guilherme Augus-
to Roirignes Selte. O Exm Sr. presidente den
provimento.
O mesmo Exm. Sr. presidente, a requerimento
do Pedro M. Maury, raandou remetter para o jui-
zo especial do commercio es autos da faileneia de
Maia & Espirito Santo, afim de ler logar alli a de-
sistencia do aggravo interposto pelo supplicante,
ten lo si I) para esse llm entregaos os mesmos au-
tos ao t'-crivo Alves de Brito que est de semana.
E nada mais ha vendo a tratar, foi encerrada a
sessaj a 1 hora da tarde.
bates, que nosjos aniversarios nos deram
COMMUNICADOS.
Goilaborapao
ELEIfO DE SENADORES.
Amanha reone-se o corpo eleitoral da
provincia, para formular a lista sxtupla,
presentantes no senado em substituirlo aos
dous Ilustres senadores, que, ba pouco
tompo, biixaram ao tmalo.
A maior e mais plena liberdade ha rei-
nado entre os membtos do grande partido
conservador naescolha dos s^us candidatos
A clava de forro, qtle esmagava a liga, to-
do; as veze. que tinba de concorrer s or-
'n?, nao se ten feito sootir no seio dos
conservadores ; nao se intima ao corpo
eleitoral conservalor urna cnapa de ferro.
A que se organisou, para ser jfferecida
consideraco do brioso eleilorado espe-
cial, foi o resultado da franca e leal com-
binac5o dos amigos e correligionarios dos
candidatos, que nella figurara.
No partido conservador de Pernambuco
nao se sent falta de pessoal idneo para o
representar em ambas as cmaras legislativas
Necessitassemos formular duas listas sx-
tuplas, e nos encontraramos doe nomes,
qie nos ni envergonbariam no senado.
Nio passariamos pelas tortoras qre ras-
ssram os nussos adversarios, qaando ti-
voram, em poca nao remota, de apre-
sentar candidato^ senatoria.
Os se>s candidatos, que comp5em a cha-
pa, qae livrement adoptoa a maioria dos
. onservadores desta capital, submettendo-a
a approvacio do illustre corpo eleitoral da
provincia, so homets de servcos reaes ao
partido, qne Ue coracBo se dedicara de
iontfa dala.
So lijadores constantes, quer nos dias
da bonanca, qner nos da adversidtde.
Perrefra de Agniar, Pinto (le Campos,
Ignacio Joaquim, Augusto do Olrveira, Alva
ro UchOa e Barros Barreto, signifleam con-
stancia as ideas conservadoras, dedicacio
pela cmsa publica, zelo petos interesaos
moraes e msteriaes do pal, e tenacidade
em contratar os inimigos das instituiges
jaWOlS.
para lanca/Hios fra das ornas, todos estM
catalbeirox representaran! papis impor-
tantes.
A prow, de que nao a vaneamos urna
oexactidao, nos a encontramos no proced-
meato.ioqualificavel que tem tido na im-
prenta os nossos adversarios.
Os males que da constancia dedicaeSo
destes nossos corregtqiiwrios no fatal do-
minio ligueiro Ibes resuilou, elles anda
boje os sentem. por isso que, qom tanta
ancia e furor, tem alies procurado atacar
as reputares destes candidatos, e lan?rr a
intriga no seio de nossos correligionarios.
Perderlo lempo e traballio, nos o espera-
mos
O iorpo eleitoral do partido conservador
ha de mostrar-se superior estes manejos
de intrigas de nossos kiimigos, e na de
convncelos, de que o partido conservador
em Pernambuco faz muita di(Teren?a do
que, por antithese, aqui se denomina Il-
iberal.
Gomo succede na familia, succedeu no
seio do partido conservador, que akgans
de^goslos devido? imprudencias, e ao
amor proprio offendido gsrassem pequeas
desavencas, que felizmente nao tiveram
alcance e as consequencias que os nossos
adversarios desejavara : mas hoje, que os
motivos desses desgostos nao estSo mais
em jog), e que a calma e a reQex3o tem
ch?mado os desgostosos a melbor pensar,
fazendo ioteira justica as intences dos
amigos dte todos os lempos, a aniJo s
far sentir, e os nossos inimigos se desilla-
dirSo por urna vez.
Acred tamos pois, que a chapa qae por
accordo e onsanso, quasi gjraes, dos ami-
gos, se organisou ser acceita por todos
os nossos co re igiouarios
N5o concluiremos sem dizer algnmas pa-
lavras sobre a recente candidatura do con-
selbeiro Paula Oaptista
S. Exc. respeitavel por mutos ttulos, e
mais que tudo pela sua illostncto, e talen-
tos, ha mutos annos qae se tinba recolhido
vida privada, como que caneado das lutas
partidarias, e smente dispostoa continalas
no campo dasciencia: deisou pela sua au-
sencia as lutas afroaxar os lagos e ligacao
intima com o seu partido, dalii a razio de
nao tor sido o seu nome lembrado e contem-
plado na lista que boje olTerecemos ao corpo
eleitoral.
Nem mesmo sabiam os conservadores do
seu desejo, de qua somente tiveram noticia
pela sua circular, ha poucos dias publicada,
quando sem graves inconvenientes -ja n5o
poda ser contemplado na lista sxtupla.
Veo portanto tarde a sua apresenlacfr). e
nenbnm resultado colher elle de urna vota-
cito no collegio da capital, urna vez que os
amigos do interior nao sustentam a saa can-
didatura. Gomo simples prova de conside-
raco tambem seria intil, por que o conso-
Ibeiro Paula Baplista nlo tem hoje necessi-
dade tiestas provas, por que por mais de
urna vez Ih'as tem dalo o pirtido conser-
vador.
Assim pois nenhuma necessidade baver
de ser alterada a chapa, que sem interven-
fo do governo, e de influencias indebitas
acceitma maioria dor conservadores dasta
capital ; e o corpo eleitVal demonstrar
mais urna vez que da unio as ce a forca.
Temos fe em Dens, que anda desta vez
nao bitera o Ubernl palmas, applaudindo o
descalabro do partido conservador.
Theatro Santo Antonio
Gironica de quinta-feira.
O eapecieenlo correu admiravelmentebem.
- P6d-se, 4 sm aite. apreciar o nariam alan-
ternes.
Podra nScr! se os hohets brancos nao eslaram
l I... quod a nobis Deu vertat (i)
Eh i bic-n, atarr, aa plaasir.
A casinha do .
AO PUBLICO
CnnsUaU a um Qoo*nhor de 3 partes do so-
brado qa-m aada^al-ra 4Hortas n. 410,e
credor or decimas que tem pago da mesma casa.
divida ana prefere oulra qualquer, que algoeo
proenra-eassar orna aypotheca qie dirterna mes-
ma casa, nao explicando que a mesmo hypothaca
a amagarte snent vendida aa tempoa, e herda-
no lor da ana cont e tanto, assegnraado este
credor hypolhecario que os herdeiros vendem as
emtras 6 partes, o qae falso, e nao vendase, pois
tanitiein foram compradas, como se far valer j
juizo competente seus direitos ; assim se previne
a este credor de tima parte qua nao conout a
icominodar os herdein da resma, "sob pena de
ser punido judicialmente.
PUBLiCACOES A PEDIDO.
Recife
Estrada
de ferro do
A.pipucos.
Em relacao aos emprezarios da estrada de ferro
do Recife a Apipucos dissemos no Diario de 13
do corrente: e ahi eslo os homens depatse
sempre .dispostos a turiferarem os caprichos e
abusos, por mais desenfreiad^s qne estes spjam.
E nao nos illudim s. No Diario que se Ihe se
guio apresentou-se o W todo cheio de afectuosas
caricias para com a empreza e o Sr. Rawlinson'
que lalvez Ihe nao encommendasssem o sermao.
Pela nossa parte nao nos lembramos do cavalheiro
urbano, zeloso, cuidadoso, tnteresseiro, e benigno,
em maior escalla que qualquer ontro havido e
por haver per omnia scula seculorum. Alm de
que o proprio W qualitlca o sea cavalleiro de ins-
trumento, oa mero executor das deliberacoes da
directora: Fallamos do3 emprezarios, nenhuma
palavra ao Sr. Rawlinson, que. (Ah maganot..)
teve a fortuna de merecer os affagos do \V, do le-
gendario W, e tanto nao somos hosin ao Sr. Raw-
linson que abandonamos por esta vez a empreza
somento para Ihe darrai's um conselho. Ouca-nos
o Sr. Rawlinson : Acanlelle-se do tal cojo: um
hypoerita, om judas, um polvo que se apodera de
todas as cores para apanhar a innocente victima
que abraca os meios, quaesquer aue esles sejam,
comanlo qne Ihe caiam es peixes bocea, mais
dilatada que a do grande rio Amazonas; que em
flm. ao interesse, deveres da amizad(>, de gratidao.
de digoidade todo elle sacrifica. Caatella Sr.
Wilham con as miantes lamnrias destasereia de
nova epeeie.
D-lhe um ponlap inglez, arremesse-o dentro
da caldeira da locomotiva n. 7que talvez Ibe fa-
r a caridade de livra-lo das de Pedro Botelho que
ardentes o esperara. n
Voltareraos.
W.
Ao publico, e aos Srs. Tasso
Irmftos & C.
Acaba de ebegar-me s mos o Diario de Per-
nambuco de boje, e sorprehende-me o annuncio
qne os Sr. Tasso Irmios & C. flieram nelle pu-
blicar eom relacao ao abaixo asxigoado ; em se-
goimento de viagem para algumas freguezias cea-
traes nesta provincia, e nao podendo d'aqui dar
cabal resposta aos Srs. Tasso Irmos & C. por
me serem preciso ter vista, cartas a documentos
qae se acaam na casa de mioha residencia no Re-
cife, apresso-me apenas em dizer que nao ver-
dade dos Srs. Tasso Irmos & C qae eu me ue-
gasse a fazer-lhe entrega das lettras de que trata
em aeu annuncio, porque.tinha de-fazer viagem ;
se es Srs. Tasso limaos k C. livesse tido raiha
primeira carta de 15 do corrente eom os olbos da
intelligencia, nao se aniraanam a virem em publi-
co fallar a verdade I
Hei de voltar breve a cidade do liecife, e pro-
vare ao publico e conveacerei aos Srs. Tasso Ir-
mos A C., fue estes aenhores faltaram a verdade
em sea aonuacio a que respondo, qliando a fir-
mara qae Ibes nao euireguei as I citas pretextando
estar de viagem, provare ene nao entreguei as
leitras como qnena eotregal as, porque os Srs.
Tassos, as nao quena receber eom aa declaraciea
justas e aeeeesarias que en exiga, e anda exijo
que alies e acam.
E porque poblicacoes desta ordem, podem ao
utlico parecer que den qualquer quantia aos
rs. fastoe, releva que para desappsrecer qual-
quer impreaso que me aja d*>fe>ravel, deolare
desde j que nada devo aoa Sra. Tasso Irmos A
C. e que ao contrario aod antes redor de nao
pequea quantia, proveniente da honorarios vena-
do* e suppriment do dinheiro para difTreates
queatee ana.
Villa da Eseada, 17 de novembro de 1870.
Honorato Jotepk i Oliteira Figueirelo.

Ao Dr. Silva Rasaos.
Perguntase ao Sr. Dr. Ramos se as to-
vidas que manifeslou acerca da molestia do
Dr. Victoriano de S e Albuquerque se
achara j* dessipadas pela analyse chimica
fe;ta na Babia e nesse caso esclareca ao pu-
blico com sua opinio actual.
Hontem pela primeira vez ti vemos observando
fra do Urentro de Sanie Antonio o ensaio da ac-
triz Helena Singles, aliancamo ao publico que a
meloJia de suas vozes vai fazer sucumbir o riva-
lismo monea.
Os espeetodores.
A CASINHA D PONTO
Nao bala Sra. Casa
Com n-;o. nao bula nao,
E depois nao v quoixar-se
Dos eff-itos de ara tafo ;
Pois seus esteios sao fracos
E Vmc. p'rair ao chao,
Basta que se ihe atire
Urna capella de mello.
O Cacltpo admirado.
COMMERCIO.
ALFANDEGA-
Reudimeuto do dia 1 a 17. .
dem do dia 18 .
595:528*738
219671012
619:495*780
Xovlmcno da alfaadega.
V ihimes sahidos com fazendas 120
t > com gneros 155
-----275
Descarregam h>je 19 de oulubro.
Polaca italianaSaraiJem.
Brigae inglezWM Waveirilhos de ferro.
L"gar inglez Navegatorcarvo.
Barca inglezaBnlkanle idem.
Barca ingleza Kahinoor diversos gneros e
carvo.
(Jalera ingleza Hermionediversos gneros.
Brigue portuguez/ndV/Adiversos gneros.
Barca ingjezaZennia dem.
Brigne ingiezKeMero.
RECEBE'.'ORU DE RENDAS INTERNAS
GERAES DE PERNAMBUCO
Itoudi nenio do dia 1 a 17. 29:455*041
dem do dia 18 2:632*186
3F
x
32:087*227
CONSULADO PR0VINC\L =
Rendimento d dia I a 17. 38:20i*8i9
dem do dia 18 5:568*832
43:773*681
MOVIMENTO DO PORTO.
Navios entrados no dia 18.
9i yanna6 horas, vapor brasileiro Parahyba, de
10a toneladas, commandanla Oliveira, equipa-
gem 14, em lastro ; Companhia Pernambu-
cana.
Lisboa28 dias, brigue portuguez Laia, de 275
toneladas, capillo Antonio Francisco Vieira,
equipagem 16, carga varios gneros; a Tho-
maz de Aqnino Fonseca A C.
New-York -44 dia?, barca iogleza-tyng Cloud,
de 343 toneladas, capillo James West, eqnipa-
gem 11, carga carvo ; ordem.
Navios sahidos no mesmo dia.
Rio dn JaneiroRarca ingleza Imperador, capito
Wil'iam Heard, carga parle da que trouxe de
New TorE
Rio Grande do NorteLugar inglez Farn, capillo
Collhepe, em lastro.
AracatyVapur brasileiro Mandah, commandan-
le Julio G. da Silva, carga varios gneros.
ECITAES.
Faeuldade de Direito.
De ordem do Exm Sr. director e de conformi-
dade com o art. 3 das novas instruredes que bai-
xaram com o decreto n. 4430 de 30 de outubro
do anno passado, fac publicar as lisias dos ins-
criptos pra os prximo exames que devem co-
me?ar no dia 25 do corrente mez de novembro.
Francez.
1 Antonio Epinacho Cavalcanle de Albuquer-
que.
2 Antonio Jos dos Santos Porto.
3 Antonio Jos Teixeira.
4 Antonio Ignacio da Silva Jnior.
5 Antonio Pioheiro Lobo de Menezes.
6 Angelo Custodio de Medeiroa Crrela.
7 Antonio lyssas de Oliveira.
8 Antonio Henriqne de Miranda Jnior.
9 Arlhur Marq es de Amorim.
10 Alfredo Saldanha.
11 Antonio Pereira da Cmara Lima Filho.
12 Andr Cavalcante de Albuquerque Arco-Ver-
de Filho.
13 Abilio Albcrtino da Cmara Lima.
14 Anirog^oeo Alfonso Ferreira.
15 Anlono de Anuda.
16 Alfonso Olindenses Ribeiro de Sonza.
17 Antoaio Cesario f.ardoso Ayres.
18 Arthaf de Barros Falclo de Lacerda.
19 Albino Gongalves Meira de Vasconcellos.
20 Augusto Pereira Pinto.
21 Amonio Brandlo da Rocha.
22 Antonio Pacheco Soares da Silva.
23 Ascondino da Silva Villar.
24 Abdisio de Vasconcellos.
25 Affunso Lopes de Miranda.
26 Alfred > Abdon de Loyolaj
27 Bazilio da Silva Santiago.
28 Bca Olavo Carneiro Lelo.
29 Bernardinn Francisco de Lima Santos.
30 Capitalino Pereira de Barros e Silva.
31 Carolino Paulino Connives da Silva
32 Cyril o Osorto Porfirio da Motta.
33 Carlos Samuel de Aran ja.
34 Cypriano Jote Velloo vianna.
35 Caetano Eslelita Cavalcante Pessa Jnior.
36 DiomeJes Goucalvea da Silva.
37 Dioraedes Tbeotonio de Camino
38 Danrel Oliveira Barros de AlmeMa.
9 Delflrlo Cavatcaaie de Alhoqnerque Lins.
DoHHngoa los Ferreira Guiarles
40
41 Eduardo Augusfc, de Sou Pitanga
42 Edmundo Rodrlguel Germano.
43 Ernesto Marques da Silva
44 Ernesto Demetrio da Coala Amorim.
II Egydio Osorio Porfirio da Motta.
46 E-tevo Carneiro Lelo.
47 Elisio de Mello Aibuqoereae.
48 Frederico ?erreira Franca.
49 Frauoisco Jos BabWlo Fbo
50 FraitUn CavalcaaM de Bato Ribeiro.
51 Fraocaaco Jos de Araujo Mello.
52 Francisco Correa de Araujo Vaaeoncelioa
53 Frederico do fiogn Barros.
54 Francisco Joaquim de Oliveira Caoba.
85 Francisco Barb sa de Paula Peaaa.
86 Flix Joaquim Daltro Canteante
57 Franco Aluno Correa da Araujo.

u68 Francisco Teixeira de Vasconcellos.
S Francisco Soares da Silva Rotamba Jnior.
Uves de Souza CarvaH Netlo.
^tanci- 's Villar.
*abio Aslidiaho Moreira Temporal.
WFrancisco Itaeiano Teixeira.
84 Francisco de Assis Bezerra.
65 Gusuvo Olympio de Miranda Fontoura.
n de Oliveira ierras alindo. ~*n
e Carvalha Ooncalve da Rocha.
YanciscoJ2blbo e Silva.
leves da Foncaca.
erreira da Cesta Jnior.
_ nes de Araujo Pioheiro.
|72 Jos Maabado da Motta Pimealel.
73 Jjaqnim Fernandes de Canraitio.
74 Jos da ouza Castro.
75 J ao Haingelista Carneiro da Cunha.
t76 Jlo Garlos Gol vio. ^...4
77 Jos Pinto da Cunha Souto-Maior.
18 Jcs Lucio Montsiro da Franca.
79 Jos Cavalvinie de Calda Albuquerque.
80 i lo da Silva Retumba.
81 Jovino da Silva Santiago.
82 Joaquim de Azevedo Carvalho Siqueira Va-
ajjav
83 Jos Pedro de Almeida Pernambuco.
84 Jos bornes da Silveiea Jnior.
85 Jos de Moraes Vieira da Cunha.
86 Jos Maria C urea das Neves.
87 Jelo Vieira da Cunha.
88 Jes Francisco dos Santos Almeida.
89 Joaquim Jeronymo Fernandes da Cunha Fi-
lho.
90 Joaquim Filgueira de Meoezes.
91 Jos Mariano Carneiro de Aguiar Cavalcnte.
92 Jos Vianna Vaz.
a93 Jlo Gualbert Gomes de S.
94 Julio Coriolano Dias.
95 Jlo Gomes da Costa Janior.
96 Joaquim d'Amorim Garca.
97 Joajuim da Costa Farias Jnior.
98 Jos Epifanio |de Araujo Pereira.
99 Joaquim Domicin Leopoldino Ferreira.
100 Leandro d'Almeida Ribeiro.
101 Luiz Francisco Pitia de Albuquerque.
102 Luiz Antonio Pires de Carvalho e Albuquer-
103 Luiz Antonio Marques da Silva Goimaraes.
10't Manoei Eugenio da Rocha Samico.
105 Manoei Jos Ferreira Guimaries.
106 Miguel Archanjo Gjncalves da Silva.
107 Manoei Augusto de Mesquita.
108 Manoei do Naaeiment Vioira da Cunha.
109 Manael Bsrnardino de Azevedo.
110 Manoei Maria de Araujo.
til Manoei Estelita Cavalcanle Pessoa.
112 Martiniano Jos de Mello e Silva.
113 Manoei Camillo Ferreira Landim.
114 Manoei da Silva Bomfim Jnior.
115 Manoei Barbosa da Silva Jnior.
116 Manoei Xavier de Moraes Vasconcellos.
117 Nero Macario de Moraes Guerra.
118 Pedro Leo Velloso Filho.
119 Pedro Goncalves Carneiro Lelo.
120 Pacifico da Silva Ca.-lello Branco Jnior.
121 Pedro Hygino da Cunba Soulo-maior.Q
122 Raymundo Pereira Castello Branco.
123 Rufino Augusto de Almeida Jnior.
124 Rodolfo Pia da Silva Valenca.
125 Santos da Costa Gondino Jnior.
126 Silvino Fiatano de Farias Albuquerque Ma-
ranblo.
127 Thtodoro Alves Pacheco.
128 Tibureio Jos Tavares.
129 Thomaz Cancio de Souza Landim.
130 Vicente Ferreira das Chagas.
131 Zoumo Zenadis da Cmara Lima.
Inglez.
1 Antonio Pinheiro Lobo de Menezes.
2 Antonio Manoei Raposo d'Almeida.
3 Antonio Pedro da Silva Marques.
4 Amerito Vsndefley Jacques.
5 Alfredo Saldanha.
6 Augusto Teixeira de Azevedo.
7 Antonio Hibeiro dti Albuquerque Maranhlo.
8 Arlindo Francisco Nogueira. J
9 Antonio Gahlino de Araujo Cunha.
10 Antonio Vanderley Navarro Lins.
11 Alfredo Moreira Gomes.
12 Albino Goncalves Meira de Vasconcellos.
13 Amonio Euclldes da Silveira.
14 Augusto Paes Barreto.
15 Adolfo da Rocha Vanderley.
16 Antonio Marques da Silva Guimaries.
17 Autonio d Carra Seraflm e Silva,
18 Augusto de Miranda Souza Gomes.
19 Bernardo Antonio de Meadonca.
20 Chateaubriand Bandeira de Mello.
21 Cypriano Jos Velloso Vianna.
22 Claudino Velloso Freir.
23 Deomedes Goncalves da Silva.
24 Deodato Sezino Villels dos Santos..
25 Eamundo Rodrigues Germano.
26 Eugenio Lauro Maciel Monteiro.
27 Elisio de Mello Albuquerque.
28 Frederico Augusto Borgu.
29 Francisco de Paula Goncalves Silva Sobn-
nho.
J30 Francisco Maaarioo de Sonza Lelo.
31 Fabio Austncliano Moreira Temporal.
32 Francisco de Castro S Brrelo.
33 Francisco Joo Sorra Cardoso.
34 Francisco de Assis Borges da Fonseca.
35 Francisco Barboza de Paula Pessoa.
36 Francisco da Gama Porto.
37 Feliciano do Reg Barros e Araujo Ju
nior.
38 Flavio da Cunha Lima Ribeiro.
39 Francisco Baplista Vieira.
40 Fabia Cabral de Oliveira.
41 Frederico Luiz Viira.
42 Francisco -e Assis.
43 Francisco de Assis Bezerra.
44 Francisco Muniz da Silva Ferraz.
45 Galdino Pi dos Sanios.
46 Guilherme Vieira da Cunha.
47 Gu-tavo Olympio de Miranda Fontoura.
48 Uearique Pereira Mina Vinagre.
49 Higino de Bastos Mello.
50 Herculano Moraes Inglez de Souza.
51 Innoceocio Peregrino Alves Arouxa.
52 Jos de Amorim Salgado.
53 Manoei Menleiro Peixot.
54 Jos Zeferino Ferreira Vtlioso.
55 Jos Bonifacio de Medeiros.
56 Jos Bandeira de Mello.
57 Jos Donato Gomes Ferreira.
58 Joo Po da Silva Valenca.
59 Joo Augusto de Albuquerque Maranhao,
60 Joaquim Cavalcanle Leal de Barros.
61 Joo do Reg Barros.
62 Joaquim Olympio de Peiva.
63 Joaquim Jernimo Fernandes da Cunha Fi-
lho.
64 Jos de Souza Castro.
65 Jacioilu d'Assumpco Paes de Mendonca.
66 Joo Cavalcante a Mello AzJo.
67 Joo Ardano da Costa Imbuzeiro.
68 Joaquim Filgeira de Menezes.
69 Jos Vianna Vaz.
70 Joaquim Boarque de Sarapaio Jnior.
71 Jos Calistrato Carrilho de Vasconcellos.
72 Jos Caetano Metulio Filho.
73 Justiniano de Mello e Silva.
74 Lourenco Bezerra de Albuquerque Mello.
75 Leandro de Almeida Ribeiro.
76 Luiz Francisoo da Costa ,Ribeiro.
77 Liandro Pacheco de Albuquerque Arco-
Verde.
78 Lelo Alves Mamia.
79 Luiz Antonio Pires de Carvalho e Albuquer-
que.
80 Maaoel Jos Ferreira.
81 Manoei Alves Villela.
82 Manoei Ribero de Carvalho Janior.
83 Manoei de Barres Barreto.
84 Manoei Filgoeira de Menezes.
86 Manoei Pacheco Borges
86 Manoei Balthasar Pereira Deeguis Jnior.
87 Manoei Domingues Paes Jnior.
88 Maaoel Carneiro de Sonza Bandeira.
89 Manoei los de Medeiros Correa.
90 Manoei Vieira da Silva.
91 Manoei de Souza Reg Barros.
92 Manoei Aristides Feroaudes Vieira.
93 Manoei Antuues da Costa Mauricio.
94 Manoei Estelita Cavalcante Pessoa.
95 Manoei Andifax Carneiro de Albuquerque.
96 Manoei da Silva Bomfim Jnior.
97 Pedro Lelo Velloso Filho.
98 Pacifico da Silva Castello-Branco Janior.
99 Rodrigo Correa d' Araujo.
100 Sindulpbo Cbeledonio Caiafange d'Assumpgao
Santiago.
101 Salvadur Elias da Rosa e Silva.
102 Salvador Corroa de S e Benevides.
103 Saotino Ximenes de Oliveira Maciel.
104 Timolilo Pires de Albuquerque Maranhlo.
105 Tiborcio Jos Tavares.
106 Theodoro Alves Pacheco.
107 Thomaz Cancio de Souza Landim.
Latn.
i Antonio Maaoel Raposo d'Almeida.
2 Antonio Jos Ferreira.
3 Antonio Pinheiro Lobo de Mentas.
4 Antonio Marques da Silva Goioarlaa.

8 Aflilberto Cmara Correa de Si. '
6 Arthnr de Barros Falcio de Lacerda.
7 Augusto Teixeira de Azevedo. *
8 Aatonio Brandlo da Rocha.
9 Antonio Jos Freir.
10 Abilio Alberlino da Cmara Lima.
U Andr Cavalcante d'Albuquerque Areo-Verde
Filho.
ii Antonio Pareira da Casan Lima.
13 Antonio Cesario Car Josa Ayres.
14 Antonio Eaclide da Silva.
18 Albino Goacalvea Meira de Vaseoacellos.
16 Antonio do Carmo Seraflm e Sihra.
17 Antonio Pacheco Soares da Silva.
18 Alfredo Saldanha.
19 Antonio Vanderlei Navarros Lias.
20 Alfrelo Abdon de Loylla.
21 Braz Oiavo Carneiro Leao.
22 Cesario Antonio Cardoso Ayres.
23 Caelano Estelita Cavalcante Pessoa Jnior.
24 Cypriaaa Velloso Vianna.
5 Carino Crumencio do Reg Barros.
26 Domingos Jos Ferreira Guimaries.
27 Deodato Cezino Villela dos Santos.
28 Eduardo Augusto de Souza Pitanga.
29 Estevlo Paes Barreto Castello-Branco.
30 Eduardo Carneiro da Silva Guimaries.
31 Ernasto Marques da Silva.
32 Elizio de Mell Albuquerque.
33 Frederleo Ferreira Franee.
34 Flix Joaquim Daltro.
35 Francisco da Silva Rosa e Silva.
36 Francisco Altino Correa d'Arnjo.
37 Francisco d'Assis Brito Jnior.
38 Francisco Soares da Silva Retumba Jnior.
39 Francisco da Rocha Hollanda Cavalcanle.
49 Fabio Austicliano Moreira Temporal.
41 Francisco Barbosa de Paala Pesase.
42 Frederico Luiz Vieira.
43 Felippo Nery de Siqueira Salles.
44 Francisco d'Assis Bezerra.
45 Francisco Ferro Castello Branco Janior.
46 Francisco Muniz da Silva Ferraz.
47 (J.'uezio de Souza Siqueira Campes Barros.
48 Genesco lelles Bandeira de Mello.
49 Guarino de Sonza Peixe.
50 Gregorio Goncalves de Castro Mascarenhas.
51 Henrique Stopple Gomes Lima.
52 Herculano d'Oliveira Torres Galindo.
53 Heliodoro Cavaleanli da Silva Cabral.
54 Joo de Siqueira Cavaleanli.
55 Jlo Evangelista Carneiro da Cunha.
36 Ignacio Francisco Colho e Silva.
57 Jos Pinto da Cunha Sont-Maior.
58 Jos Candido Dorolho e Silva.
59 Jos Cordeiro Alvm da Silva.
60 Jos Bandeira de Mello.
61 Jlo Baptista Goncalves Ferreira,
62 Joaquim Alcebiades Tavares e Holanda.
63 Joo Gomes da Silveira Janior.
64 Jos Solano Carneiro da Cnnba.
65 Jos Henardo Carneiro da Cunha.
66 Joo Vieira da Cunba.
67 Joto Maria Corris das Neves.
68 Joo de Moraes Vieira da Cunba.
69 Joaquim Rodrigues Villares.
70 Joaquim Brandlo da Rocha.
71 Joaquim Fernando de Carvalho.
72 Jos Francisco de Siqueira Salles.
73 Joaquim Jeronymo Fernandes da Cunba.
74 Joaquim Xavier Carneiro de Lacerda.
75 Joaquim Filgueira de Menezes.
76 Jos Vianna Vaz.
77 Jos Julilo de Mello.
78 loaquim da Costa Farias.
79 Jos Calistrato Carrilho de Vasconcellos.
80 Joao Gomes da Costa Jnior.
81 Jio Paulino da Cunba Barreto.
82 Jos Mariano Carneiro de Aguiar Cavaleanli.
83 Jos de Souza Castro.
84 Jlo Gualoerlo Gomes de S.
85 Lauriano Jos de Barros Filho.
86 Leandro da Almeida Ribeiro Filho.
87 Lourenco Justiniano Tavares de Hollanda.
88 Luiz Francisco Pita de Albuquerque.
89 Luiz Aatonio Marques da Silva Guimares.
90 Luiz Paulino Cavalcanti de Albuquerque.
91 Luiz Antonio Pires de Carvalho Albuquerque.
92 Luiz Jos Correia de S.
93 Luiz Manoei d'Oliveira Mendes.
94 Manoei Jos Ferreira Mendes
95 Manoei Balthasar Pereira Diegis Jnior.
96 Manoei Domingues Paes Janior.
97 Manoei do Reg Mello.
98 Manoei Vieira Ja Cunha.
99 Manoei Thom Dias d'Araujo.
100 Manoei do Na-cimento Vieira da Cunha.
101 Manuel Maria d'Araujo.
102 Manoei E-telita Cavaleanli Pessoa.
103 Maaoel Joaquim de Mendonca Janior.
104 Manoei Barbosa da Silva Jnior.
105 Manoei Camillo Ferreira Landin.
106 Ner^o Ramos da Silva Gusraao.
107 Pedro Barbosa da Silva Jnior.
108 Pedro Goncalves Carneiro Lelo.
109 Pacifico da'Silva Castello Branco Jnior.
110 Raymundo Jos de Souza.
111 Rodolpbo Pi da Silva Valenca.
112 Raymundo Pereira Castello Branco.
113 Rodoiplio Joo Barata d'Almeida.
114 Sindulpho Cheledonio Caiafange d'Assumpco
S. Tiago.
115 Thom Joaquim d'Oliveira Jnior.
116 Theodoro Alves Pacheco.
117 Thomaz Cancio de Souza Landim
118 Vicente Ferreira de Barros Vanderley -e
Araujo.
119 Victaliano Cordeiro Lins.
120 Zozimo Zenades da Cmara Lima.
Secretaria da Faculdade de Direito do Recife, 18
de novembro de 1870.
O oillcial, servindo no impedimento do secretario,
Manoei Antonio do Passos e Silva Jnior.
SANti'CASA
-z
O Dr. Jos Bernardo Galvo Alcoforado Jnior,
juiz municipal supplenle da 1* vara nesta cidade
do Recife da Pernambuco e seu termo, em vir-
tude da lei, etc.
Faco saber pelo presente que nos termos do
irt. I* do dec. n. 1695 de 15 de setembro do anno
prximo passado, dentro do praso de 30 dias con-
tados da publicSclo desse edital receber este
juizo propostas por cartas fexadas para arremata-
cao por venda do eseravo seguate:
Ura eseravo de nome Jos, prelo, de idade 22
annos, de servico de campo, natural d'esta provin-
cia avaliado ero 1:000*000, o qual foi penhorado
por execu{o de Rodrigues Almeida & C contra
Fran.'isco Thomaz de Baros Campello e saa mu-
Iber, e se acha dito eseravo depositado era poder
do depositario o mesmo exeentado Francisco Tho-
maz de Barros Campell".
E para qne conste mandei passar o presente
que ser publicado pela imprensa e aflxado no
lugsr do cos'ume.
Dado e passado nesta cidade do Recife aos 16
de novembro de 1870.
Eu Manoei Jos da Molla, escrivo do civel, o
subscrevi.
Recife 46 de novembro de 1870.
Alcoforado Juxior.
Dr. Jos Bernardo Galvo Alcoforado Jnior,
juiz municipal supplenle da primeira vara d'esta
cidade do Recife, em virlude da lei, etc. :
Fago saber pelo prsenle, que nos termas do
art. 1. do decreto n. 1695 de 15 de setembro do
anno prximo passado, dentro do prazo de trinta
das, contados da publicaco d'este edital, receber
esto juizo propostas or cartas fechadas para arre-
maticao por venda dos e-era vos sagointes :
Um eseravo de nome J's, prelo, crioulo, natu-
ral d'esta provincia, idade 22 annos, servico de
campo, avahado por 1:000*000.
Urna escrava ds nome Joaquina, preta, de na-
ci Angolla, idade 48 annos, solteir., servico de
campo, avahada em 400*000.
Os quaes foram penhorados por execuco de Ro-
drigues Almeida & C. contra Jos Florencio de
Oliveira e Silva, e ditos escravos se acharo deposi-
tados em poder de Francisco Thomaa de Barros
Campello.
E para que conste a lodos, manda pasear o pre-
sente, para ser anisado ao Juagr do cosame e pu-
blicado pela imprensa.
Dado e passado aos 16 de oulubro de 1870.
Eu, Maaoel Jos da Multa, escrivo, o subs-
brevi.
Recife, 16 da oulubro de 187a
Aieoforaio Jtmior.
DECLARACOES.
O IIIra. Sr. con elheiro inspector da thasoa-
rlria da provincia de Pernambuco manda fazer
publico aue em virlude da ordem da presidencia
no dia 26 do corrente mez, pelas 2 horas da tarde,
serio arrematados perante a junta da mesma the-
souraria por quem maior lauco offerecer, dea ca
vallas pertenceates ao deposito especial de ins-
trucclo.
As pessoas a quem convier deverio compare-
cer nesta thesouraria no dia e hora cima indi-
cados.
Secretaria da thesooraria de fazanda da Par-
aambuce 18 de novembro de 1870.
Serviado de offlcial-maior,
Maaoel Jos Pate.

Pranle a jonial
tem de ser atora Jes es
lugar dos Arroaibedos aa
ra esveram aJaradas ~
que f(x cessio de
Os rete
rimaatosna
inforaacdes ^am aaeei
Secretaria da saaia ca* de
cito W de noveatato la 4*70.
O
____ Pedre
aa. alta
Carrcw geni.
Relacao das artas ntrate,
do tul e norte do imperio,
repartifao do correto eaa 17
bro.de 1870.
Antonio Angosto Ferreira Lie,
de Guimares Ferreira, Pnreiriaa
va, Elysea de Soasa Manes, Fr
Luiz Pairo, Flix Ferreira Laaa,
da Silva Ferraz, Jexuiao Alves
Bartnolomen (2), Je de Cosa
Marillae Luiz Manoei de Oliveira
dro O Alves de Carvalho, Pedro
Rodopiano Raymoido.
O eoearrepdn do
Maaoel dos
Fea*. .1
THEATRO
cohpwhh mm
EMPHEZA-COIMiaU
Sabbado 19 do crrate
14a RECITA DA ASSIGSATUsU.
Yariadissimo espectculo
trviDIDO EM TaaXS PABT15
Ouvertnra pela orebesira.
PRIMEIRA PART.
Canconeta
J'NONS PAS D'ESPRIT.'
canudada por Mlle. Marfettt.
Ronde da
RRESILIENS.
desempenbado pelo caricato Mr. Cana.
Aria _^
LES SABOTS DE LA MARQCTIE.
exhibida por Mlle. Brescia.
Romance
MA NEBA I
exeentado por Mr. Raynaud.
Canelo.
LE PEUPUEi.
exeeatada por Mr. Maris.
A boire da opera
LA GRANDE DUCHESSE.
desempenbada por Mme. Valala.
SEGUNDA PART.
Representar se-ha a chisto opereta asa I
Les mariige aox
Na qual tomara parte Masa. Ti
Brescia e Marette e Mrs. Rayaaal a
TERCEIRA PART.
Subir i seena a amito liada e
reta em um acto
Les Hirondelles k h
Perscnagens.
Pepetti pifaro............... Me.
Fritzmann locador de rafaeea.. Mese. Ta
Os bilhctes acham-se a veada do uulaSurie aa
theatro.
Principiar s 8 l|4 da aaaar
THEATRO
SANTO ANTilNN.
COMPANHIA FR\NCEZA
Domingo 20 do corrente
As 6 horas da tarde.
ESPECTCULO
Dividido em doas parles.
PRIMEIRA PART.
1.* Canemela
PAS CA.
cantado por Mlle. Mariette.
1" Romance
LE TEMPS DES CEJUSES.
exibido por Mr. Rajnan 1.
3* Aria italiana
LES SABOTS DE LA MARQ1ZE.
deserapeohad) pr Mlle. Brescia.
4* A linda cancio
LA MANDOLINE A DODO
cantado pet caricato Mr. Carn.
')." Cangao
LES GUEUX.
cantado por Mr. Maris.
6. Canelo.
AH I QUE J'AYME LES MHJTARK3
exhibida por Mme. Valmoaca.
SEGUNDA PART.
Representar se-ha a lioda i-pereta aaaaan sea
um acto
Les Hirondelles de la me
Personagens.
Pepetti........ Mlle Ira
Fritzmann...... late V
Os bilhnies vemlem-se no ajctiasarts i
a UOtO a entrada.
Os camarotes de S* ordem sao rtsTvi
as familias a 11 cada pesaaa.
Principiar s f horas 4b i
1
THEATRO
_____ BENEFICIO DA ACTRU
9EleS
Soire para
Quinta-reir 24 k
LINDO E VARIADO MPICTfafa
Dividido rm tren
Logo que a orcheslra trrer dt
do suas melhores oavertnras, dar i
verlirnent.
Primeira parte. _
Rejireseattrss-ha a rouilo iaas apnala eaa aa
acta, ^^
U NUITE MANOB.
na qual tomara parta oa araatas Mrs. bbbm a Cav
roa e a eneaeiaea.
Segoasia parte.
1.' Cancoeeu _____
VAISE-TErIS
dewmpenhado por MUe. Marfea.
1 Cooptis
DES ROIS DR LA
cantado por Mr. Caroa.
3.' Romaaee___'__
LES TWPS DE
exhibido por fUyaaad.
i." Valsa. Jniaaiaaadi pa
5." Caspio
obi la i gros;eaha
cantada por Mr. Mana.
f. Aria da opera
TROVADOR
eaaana por Mme. V
A nova e malte
Terceira parte.
la ua^ oaarata sai asa aa,


A >rV
Diario de Pernam
Sabba.o 19 de Noveulhro de 1870.
isz
fbesefl
NSOIRB
nagai mv* pai*
' E; Ma o divartim- laija fra a
aerara te apresentar ao respeuavel publico per-
nBhl**<>4 qaea wpentaif apoio e pro-
^Wefceieda, era ur_Idea iatervillos, ir aoi
<^arotes agradew a-todas a* pessoas qae si
dignaren! honrar o sea espectculo.
Hatera am qnarto de hora d.patedo espect-
culo ora trem especial qoe tecali em todos os
posto da haba at Apipueos.
Os bilhetes acham-ie a venda em mao da bene-
ficiada, e no ala do especaoslo no eseriptorio do
thaatro.
Principiar 4a 8 e l|i hora?.
AVISOS MWtTIMOS.
o
Rio-Grande do Sol.
Vai oarreoar e seguir cora brevidade o'pataeho
portugaei Principto, capitlo Jos Francisco do
Abres, recebe ura resto de carga a frete, para o
qoe trata-se com Araorim Irmios & C, roa da
Gnu*. 3.
HU'
Para o indicado porto segu em poneos das o
brigue portugus Reediiade, por ter a maior parte
de sea carregamento prompto e para o ponco que
Iba falta a frote barat* : tratase cora o consig-
natario Joaqun) Jos Goncalves Belirao, rna do
Gommercio o. 17.
LIVERPOOL BRASIL & RIVER PLATE
MAIL STEAMERS.
Rio de Janeir s Babia e Santos.
Espera-sede Liverpool at o dia 83 do corren-
te o vapor inglez Hamboldt de 1,400 toneladas, qoe
seguir para oa portos cima depois de indispen-
savel demora.
Tem excellentes aecorr.moJac8es para passagei-
ros de primeira e terceira cmara.
para fretes e passageiros, trata-se com os agen-
tes Sannders Brothers 4 C. Largo do Corpo San-
to n. 11. ^_^_____
Maranhao
Segu para o indicad.' porto o patacho brasilei-
ro Bom Jeius, o pode receber ainda alguraas min-
dezas a frete : a tratar com o respectivo consig-
natario Joaquim Gorardo de Bastos, ra do Vi-
gario n. 16, Io anhar.
sal refinado e botinas para
homem
a 22 d-0 cor ente.
O agente Oliveira far leilo, por ordem de di-
versos e conta e riioo de quem perfencer, de 10
barricas eontendo caa urna quatro daiiat de fras-
cos com sal refinado inglez, e de t caiiaa- epaten-
do cada ama ISO parta de superiores botinas de
cordavao para homem, em lotes, i vaotade do
pretendentes
TERfA-ElRA
s 11 horas da manhia, em ponto, em sea escrip-
torio 4 roa di Cruz 33, priraeiro andar.
AVISOS DIVERSOS.
O juiz da irmandade de N. ,S. da Saudfe da
freguezia do Poco da Pan el la convida a todo os
msanos e mais membros de?ta irmandade cois-
parecerem as 10 horas do da 20 do correte no
consistorio da Igreja.matri, aflm de tratar-se dos
raeius de levar ?e a etfaHo a M desunosaa pa-
droeira.
Togo da Panulli 17 de novembro de 1&70.
0 temi,
Alfredo T. C. de Vasconcellos.
O r. J,ts Bapiau Marque- Oun tora urna
cari* riih de Lisboa no l:iro Jj Crpo Santo
n. 19, Io andar. ,
Ama
Preeisa-se para o servieo intenn de easa de-
pequea farnili : na ra do Vigario n. 5, segan-
do andar.
Paquetes a Vapor
Dos portos do sul esperado
at da 22 do crtente o vapor
Paran, commandante J. S. Ma-
raes, o qaal depois da demori do
costme seguir pira os portos
do norte.
Desde j recebem se passageiros e engaja-se a
carga que o vap.ir p ider conduzir, a qual devera
ser embarcada no da de sua chegada, enonm-
mendas e dintieiroa frute at as 2 horas da tarde
de sna sabida.
Nao se recebem como eneommendas senao ob-
jectos de pequeo valor, e que na, exceda ra a 2
arrobas de peso ou oito palmos cbicos de medi-.
<;ao. Tu Jo que passar destes limites dover ser
embarcado eom > carga.
Previno-se aos Sr.. passageiros que suas pas-
sagens s se recebem na agencia, ra da Cruz n.
57, prirneiro andar, cscriptoiio de Antonio Luiz
de Oliveira Ateveio & C.
compaiia wswm
DE
Paquetes a vapor.
Dos portos do norte esperado
ateo dia 26 de novembro o vapor
Tocantins, commandante Jos Ma-
ra Ferreira Franco, o qaal de-
pois da demora do costme se-
guir para os porto* do sul.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual deven
er embarcada no dia de sua chegada. Encommen
dasedinheiro a frete al as 2 horas do dia da su*
sabida.
Nao se recebem como encommendas senao ob
jectos de pequeo valor e que nao excedam a dua
arrobas de peso oa 8 palmos cbicos de medical
rudo que passar destes limites dever ser embar
cado como carga.
Previne-se aos senhores passageiros que sua-
passagens s se recebem na agencia, ra da Crui
n, 87 prirneiro andar, escriptorio de
de Oliveira Azevedo & ..
Precisa-se de urna ama de leite : na ra Di-
reita n. 127, 2' andar. ____________________
ROUBO
Na noute de 17 do corrate roubaram da loja
de ourides na rna estreita do Rosario |o. 12, os
objectos seguales:
8 cadeis de ouro.
i tranceln) chato.
2 voltas de tranceln liso.
2 ditas com oral e cruz.
6 1|2 adorecos de ouro em papel.
4 pares de rosetas com pedras.
5 pares de rosetas lisas.
2 pares de brincos lisos.
3 allinetes, sendo dous lisos e um com pedra.
2 pares do botos para puoho, lisos.
3 cruzes com pedra.
1 par de brinco de lilagram, grandes.
3 pares de rosetas grandes.
4 cassoletas de diversos gostos.
1 vernica e diversas Cruzes lisas, figas de c
ral e outras obras miudas, levan lo tambera alguns
didaes de prata e jJhantasi* ; assim como 6 ca
deas de plaqu, roga se as autoridades polieiaes,
aos Srs. ourives ou a qiu'm forera ditos ob'ecios
offerecidas a aprebenso dos mesmos. _________
Ao
Irrmndade d*a)_H
Por senleoca do Dr
fof jalgada nulla eleicSo da actnal ma regi-
dora, e mandado convocar a Irmandade liara ele-
ger ontros membros, e oMo-pov i compromisso.
NSo podendo ser rereft^enhum dos membros
da mesa dissolvid, a sim outo~ de esperar que
a irmandade se compenetrando de seas deveres,
oleja ama mesa diana, de seos altos fins.
Por Gdiues do jaico ser* marcaq o
lelo.
dia da
NOSSA SBNUOftA Mil DOS HOMENS.
A mesa regadora *eita irmandade vera cordial-
mente agradecer s irmandades do Senhor Bom
Jmos dos Passos,8om mus da PorUs, N. o. o
n*m>. e de Sant'Asna, da freguezia de S. Kr.
Pedro Goncalves ; betaJ.eaio ao lllm. 8r, Jote
Pranefaco Ribeiro de Sxtua, digno director do ool-
legio da Saoto Amaro, a qonra que aediisarara
conferir-lhe aceitando o convite que se le fe
gara acompanharem a procisso de sua eicelsa
padroeira ; outro sim, aproveila o ensejo ojnra
igualmente agradecer aquellas pessoas que tam-
oem a coatljuvarara cog suas esaolas eservco.
Sociedade Liberal Unilo e-
aficente
De orden) do cooselho alminisirativo sao con-
vidados todos os steios a reanirem-se em assem
bla geral no dia 20 do corrnte mez, as 10 horas
da manha, na casa da mesraa sociedade, para
prceder-se a elei^Io da nava administrarlo que
tem de fuaccionar uo anno prximo futuro.
Secretaria da sociedade Liberal Uniau Benefi-
cenle em 16 de novambro.de 1870.
Innocencio Xavier Vianna Sobrinho,
_______________Io secretario._________
Recife Drainage Oaropany
Lemited
Previnese aos moradores das casas onde se tem
collocado apparelhos de latrinas, que nao devern
lan ar nada nelles emquanlo nao fr declarado
pela directora das obras publicas que pdem | salvo urna indicacao especial da qual o medico
funecionar ; alera do aviso previo, a companhia o onico juiz.
tem mandado pregar os appare'hos, porm alguns A innqcuidade do caf purgativo permitle de
tem sido despregados para laDcarem nelles toda a
CHRESTOAjVTHIA
Wngua ingleza,
ron
J. C. RODjqGUES.
Cosiendo: um Tratado sobre a Otigem e o
d*COTolvimento da Liogu Inglt-xa ama se-
lecta de 150 pedacoi dos. principaes escriptores;
t apo bocos biographicos e crticos desses
auctona.
; Sata obra forma um volme de 428 pag. in 8*,
nitidaoeate electrotvpado, e encadernado.
PRECO, 5$oo.
LIVRaMa FHa.M-EZA.
CAFE PfiGATIVO
A' ESCAMONEA
De BN Barral
Pharmacentlco-C imlcrt
A otilidade des purgantes nao soffre demons-
tra ;ao alguma ; a prescripgo diaria que delles
fazem os mdicos e o nso ainda mais frequent*
faito pelo publico ajo provaa irrefragaveis tanto
eemo a quanttdftde ianumeravel daste genero. So
falta aperfeijoar cada vez maja o modo de admi-
mstraMo, de manaiM qoe conservan jo a aua ac-
cao, ellea possam ser tomados sera repugnancif
aem asee e sobetudo aeu receio neni perigo.
Moitos purgant(!s afamadoa s davem este bom
xito ao seu effeito intenso e excessivo. D'ahi o
perigo, porque irritaco^i de estomago, inflamma-
Qdes de enlranhas s5o Inevitaveminte o resulta-
do do seu emprego. Nada disso tera-se de reeear
eom o caf purgativo.
Todos conhecem por experiencia' o aroma sua-
ve e o efleito ligeiramente tnico e excitante do
caf Elle o melhor auxiliar dos porgantes dos
quaes disfarca o chfro o sabor e ajuda a acc.io
sollicitando vagarosamnte os moriraentos peris-
taliicos de intestino, e preveoindo o seu effeito
ranilo intenso sebre o estomago. Misturado coir.
escamonea, facilita as evacuarles com promplidao
e sera clicas, o torna-se um purgante brando,
certo, fcil a tomar e preferivel a todos Os ontros
volta.
TR1LH0S URBAH0S SO RECIFE A'
Passeio Apipucos. Ida e
Nll:lllftlu.A(I
BILHETES ESPECIES
PARA QUALQUER TREM
A' VEWDER-KE
as estaedes
Do Recife, Offlcina, Soledade. (kminho-N5vo, 8. los,
Torre e Ponte de TJcha.
Ohseron> erren, para da da
DOCES, FRUCTAS E
13Ra da Crt-
Alaga-se o 2* andar do sobrado da ra do A-
pollo n. 28, com acommudaco s para grande fa
milia : a tratar no i.rnmem d) inosmo._______
Companhia de seguros martimos
utilidade publica,
A direccao de conformidad? com os estatutos
a't. 39, convida aos senhores accionista a reuni
rem-se segunda- feira 21 do correte a 1 hora da
tarde, em seu escriptorio raa .0 Mar juez do
Olinda n> 42, 1' andar.
Recife 18 de novembro de 1870.
O3 directores
Feliciano Jos Gomes.
ThoiTiaz Fernandes da Conha.
Antonio Luiz
Para o Hurto
Pretende sabir at o fira do correte mez o bri-
gue portuguez Untao : para carga e passageiros,
trata-se eom os con-ignatarios Thomaz de Aquino
Fonseca A C, na ra do Vigario n. 19;_________
Aracaty
Segu oestes pencos das para o indicado porto
o hiate Sbrateme ainda recebe alguma carga a
frete : tratar com S Leilo Irmos, raa da
Madre de Deus n. 1.
Precisa-3e de urna ama forra ou eserava pat
ra cozmbar e comprar : a tratar na ra da Ca-
deia n. 53, loja de chapis._________________
Ama
Aluga se urna ama que saiba cozmhar e engom-
mar para casa do urna familia no Arraial, sitio da
Bomba : a tratar no ateo de S. Pedro n 11.
sorle de immandicias ; por isso previne-se aos
moradores que nao s sero resposavei* pelo
prejuizo e damno que causaren), como terao de
soffrer as mullas impostas pelo regulamento do
governo, alm das coiftequen^ias da falta de promp-
to esgoto do que lancarem nos apparelhos, nao
sendo a compannia responsavel por isse.
Recife, 1S le novembro de 1870._____________
Sociedade Emancipadora.
De ordem do lllm. Sr. presidi-nte. sao convida-
dos todos ts'socios da Sociedadp Emancipadora
pava se reunirem no da quinia-feira, 21 de no-
vembro s 10 horas da manha, nos saldes do
Club Pernambucano, afim de elsgereni nova direc-
tora e fazer nos estatutos as mo garera convenientes.
Recife, 16 de novembro do 1870.
O Io secretario,
G. CdmpeUo.
CURSO DE FERIAS
ELQUENCIA POETISA
Francisco de Borta e Oliveira, e-tudanle do 4o
anno da faculdade de direito do Recife, competen-
temente habilitado pela directora geral da ins-
iruccao publica e com bastante praiira do ensino
primario e secundario, tem aberto em sua casa
rna dos Prazeres n. 42, um curso de rhetorica, e
offrtrcct.se para leeefooar a. mesma diM-iplina em
algura collegio mediante mdico e razoave hono-
rario^__________________________
O abaix 1 as-ignado faz sriante ao corpo do
commercio, que di-.sde o dia 17 do correte deixou
do ser sira calxiir 1 o Sr. los Ribsiro Arrabalde.
Recife 17 de novembro de 1870.
Jos Ftrreira da Costa.
emprega-lo em todo es casos simplps. Despor-
tando a atona do Intestino e activando a secre-
5I0 desle, d sidades, as Carnosidades o excita o appetite. Em-
pregado mais miudo, conveniente para eva
cnar com vagar a bilis e os humores viscosos e
e/az dessa maneira desapparecer a enxaqueea,
as dores de cabega o prev os ataques de sangue
as pessoas que a estes sao predbpostas.
MODO DE EMPREGO.
E' tao simples como fcil. 0 cat purgativo
deve ser tomado fri, puro 00 misturado com um
ponco de leite fri a-sucarado, ou apua assuca-
rada. O vidro Inteira a dos ordinaria para
um adulto; duat colhres de caf bastara para
as senhoras e para toda e qualquer pessoa que se
puxga fcilmente.
. Para as chancas <1e 8 10 annos, a metade de
vidro snfliiiiente ; de 1 a 8 annos, urna colher
de caf, e a quarta parte do vidro smenle abai-
xo desla idade contra a gosrra.
E' ptr tso d'uma administrado muilo mais
fcil do qu as ji-oouto.-, chocolates oa bolos
purgativos.
Da se immediatamento deniis lo:to quente as
sucarado ou caldo levo, e daas ou tres chavenas
de cli preto oa de tilia.
nico deposito na pharmacia e drogara de
Bartholomen & C. : ra hrga do Rosario n. 34.
Cosinhe ro.
Precisase de um cozinlHro dando fiador
'nado Cre*|M n 0. livnria fratirnza.
na
DOCES SECCOS
CAJ'
LIMO
ABACAX1
LARANJA
CIDRA, ETC.
FRUGTAS
ABACAXIS
SAPOTIS
UVAS
LARANJAS
MELES, ETC.
FLORES.
13.
FLOin
lODOBTS
PARA NOmS
PAIAJAU06
WLILSAS
PLANTAS. ETC.
Neste estabelecimento encontrar o freguez lodos
03 dias presuntos em fiambre, pastis, bons-boccados,
doces de ovos, e de todas as outras qualidades, sec-
eos e em caldas, podios, e ludo quanto se pissa to-
sejar no corfortavel um excelente LUNCH ; fortifi-
cando, aquecendo, e refrescando o estomago com os
melbores vinhos do Rheno e Bordeaux xan.pes de
todas as qualidades para capils; sorvetes de lodos
os fructos, com especialidade n*s terr;as-feiras, quin-
tas e sabbados o encllente sorvete de crerae.
Tudo com mu'o a seio.
GRANDE SOETIMENTO
Precisa-se de urna ama para comprar e cosinhar
para duas pessoas, pateo da matriz de Santo An-
tonio n. 1|
Antonio Teixeira dos Santos e seas filhos agra-
decen) a todas as pessoas que acompanharam os
restos mortaes de sua e-posa e mi D. Emilia Can-
dida C. teixeira dos Santos ao cemiteno publico ;
e pedem se dignera assistir a mis-a que por sua
alma maodam rosar na ordem terceira de S. Fran-
cisco, tergi-feira 21 do corrnte, as 7 horas da
manha, SBlimo dia.
Os hachareis Laurino de Moracs Pmheiro, Bar-
bino de Moraes Pinheiro, Manuel Pereira de Moraes
Plnbeiro, mandara celebrar a guias missas de s-
timo dia, pela alma do sea finado mano Miguel da
Cunha Araujo Pinheiro, sabbado 19 do correle,
as 7 horas da manha, na igreja de S. Francisco,
para o que convida aos seas amigos afim de as-
sistirm, e pelo que lh->s ficarao agradei-idns.
HU'
Segu eom brevidade para o por(p cima o pa-
tache Harto, para o resto da carga qae lhe falta
tratase com Pereira Vianna & u, ra do Vi-
gario n. ti._________________________________
Bio de Janeiro.
Est carga para esse porto o patacho nacional
Esfrega, de 1* marcha e classe, tendo j parle da
carga para receber : as pessoas que qniterem car-
regar dirijam-se ao eseriptorio de Jos Mara Pal-
meira, no largo do Corpo Santo n. 4,1" andar, para
traiarem
Maranhao.
Segoe eom brevidade para o porto cima o pa-
tacho nacional Joven Arthur', para o reslo do car-
SI que lhe falta trata se eom os consignatarios
atonto Luiz de Oliveira Azevedo A C, roa da
Cruz n. 57.______________________^^
Rio-Grande do Sul.
Segae eom brevidade para o porto cima o bri-
gue naciooal Amelia : para o resto da carga que
me falta, trata se com os consignatarios Antonio
L. de O. Azevedo A C, rna da Cruz n. 87, pri-
rneiro andar.
%
oeleoade Loter.ca Plato.
Pertence a mesma o bilbete mieiro n. 1169 da
142* lotera, que se ha de extrahir em Nictheroy,
provincia do Ri de Janeiro.
O secretario,
F. X. Ferreira.
S..bb.)do, 19 do correoiH, a< 7 | horas da ma
nha, na igreja do Paraiz, dir-^e-ha a a irissa
por alma do muits eslimavel Dr. Igaacio Firmo
Xavier, e con vida se para assistir a mesma os
seus prenlas c amibos ___
U.n amigo do fijado -\nl'iiio Joaqun Ferreira
Gomes Sampaio, manda dizer urna missa de 7 da
na matriz de Saulo Antonio, pelo eterna reposo da
alma do fallecido, no dia 19 do corrnte pelas 7
horas da manha, e para ese acto de carldade
convida-se os prenles e amigos do fallecido.
ma?-' ?
Na ra do Qnmmado n. 34, precisa-se de
urna ama para cosinhar era casa de rapaz solteiro.
Ama.
Precisa -se de urna ama que saiba bera cozi-
nhar : a tratar na na do Qanimad) n. 50'______
Aluga-se o lindar do sobrado n. 3 na ra
do Vigario : a tratar no trapiche Guerra.
LEILOES.
LEUA
da armaqSo e gneros existentes
na taberna sita ra da Cruz
n. a*,
O agente Pontaal vender em leilo* a armaco
e fraeros etisteetee na taberna sha raa da Crnz
do Reeife 0. 32, pertencente ao espolio do finado
larda Aitn da Cuaba L-ges, em um oa mais lo-
tes i vonlade dos licitantes, a requerimealo do
inveitarlante dos bens deixados peto mnpo (loa-
do, e por oMMado do Illa. Sr. Dr. iaiz municipal
' 4r seguoda vara
Sabbado
19 do correte
mesma taberna, a .11 .horas.
Sociedade llccre 'tira Terpsl-
chore.
Por ordem desta presidencia, convido aos Srs.
socios a reunirera-se em a^scmbla geral no re-
cinto desla s ciedade, domingo 20 do correte ao
meio dia, afim de assislirem leitura do relatorio
do anno rindo, e posee da nova presidencia.
Secretaria da Sociedade Recreativa Terpsiehore,
17 de novembro de 1870.
Antonio Annes Jacome.
- O 1 secretario,_______
Au bello sexo
CLOD CREAM OF ROSES.
Cette Crerae delicie use, aniversellement rpan-
due en Anglelerre, o les femmes sent si renom-
mes par la beaot et la transparence de leur
teint, doit sa rpatation attx lments balsamiqaes
el onctaeax qai la composent, ains qu' sa cons-
tante efflcacil pour ad.ucir la peaa, la rendre
pos blanche, et contriboer ains la santo et a la
beaut, qni, toujours, sont inseparables.
On la recoraraaade eontre les irritatioa de
I piderrae, telles qae Boutons, phlides, Ta-
CHBS DE ROUSSRUa, RODGEDRS DE LA* FlOURI, et
contre les taches patbhiues et les fflobbscen-
ces. Cette Creare, coavient spcialement aux fem-
mes enceintes pour prevenir LE MASQUE, auquel
elles sont snjettes.On s'en sert encor pour em-
peher la Bgure de se bler par le froid oa la trop
grande chafear.
Prix 1:800 reis
Sal depfjt au magasin Basar de la Mode50
Ru do Bario da Victoria.
I.-inainhule
de Nossa Senhora do R >sario da freguezia
de Santo Antonio.
Tendo o lllm. Sr. Dr. provador de capellas de
sigoado o dia 20 do crrante para se proceder a
eleico de juiz desta irmandade, de conforraidade
ao art. 61 cap. 8* d > compromisso qne ha de re-
ger esta irmandade, sao convid .dos tod-.s os ir-
mos eomparecerom no referido dia as 9 horas
da manha para asserabla geral.
Consistorio da irmandade 17 de novembro de
1870.
Libanio Luiz da Cunha,
Secretario.
Povoatki dos Montes, eslavo de Una.
Ra da Concordia n. iO.
Este h>tel acha-se boje completamente restau-
rado, e com as precisas acommodacSes para, to-
dos aquelles que se dipnarem de o frequentar.
O mvo propnetario tem envidado scusesforcos
afim de exhibir ao respcitavel publico ura eslab*-
leciraent' digno da impon rada deste povoar
do, e semelhauca de um dos melhjres dessa
capital.
Todo o estabelecimento acha-se pintado de n -
vo, com salas e quartos para receber com todo o
comraodo desejavel. a cavalleiros e familias.
A co>inha ao costo brasileiro e italiano, acha-
se sob a Jirecr-ap do pirito e bem conherido Gia-
corao, (tue por cerlo hide sat sf iz-ir aos palada-
res mais exigentes na forma do coslume,
Tem sufil^ipiite provisi de vinhos exqnesitos e
de varias procedencias, lunehem a qualquer hora,
caf, cha, chocolate, etc. Fornece comida no esta-
belicimento ou para fra p r preco muito rasoa-
vei. Encarrega-se do mandar preparar jantares
ao gosto e capricho do freguez, em qualquer
parte.
O novo proprietario do estabelecimento tem a
honra de convidar ao respeitavel publico afim de
reconhecer por si proprio a veratdade deste an-
nuncio, passando alguns das neste povoado que
nao e mais do que ama dependencia do hairro de
S. Jo dessa cidade ligado pela va frrea.
A faeilidade, pos, do irausporle, a estaclo cal-
mosa que vai correado, is apreciareis banhos no
rio Una, tudo, emliin, convida a um passeio a
este povoado, donde torna rao todos cem o propo-
sito de voltar.
Ignacio Manoel de Sant'Anna.
Ao n. 13 da rna do Queimao^o.
Ricos sintos r m ajotes de blonde capncaosa-
mente guarnecidos de fitas de seda e de setlm e
recortados a chinata, alem d i que adornados de
floref as mais bera trabalhadas qae tjm vindp ao
mercado, objecio de extasiar o comprador.
Ha adequados para todos os vestidos inclusive o
de eor branca, eser bom aprovettar-se abtes que
se acaben, ama vez qae peqaeaa quantidade.
ana do Qaeima.lo n. 13, loja de Paes
dio A d
Previne se ao Sr. Guilhenniuo Sebastio do
Rosario que no praso de oito dias, a contar da
data deste jornal, venha tirar o caoo qae ha seis
mezes se acha no concert na tenda do largo do
palacio, do contrario ser o cano vendido para
pagamento dos concertos.
Alfonso Ernesto Menard- 4 C.
O Dr. Joaquim de Aquino Fonseca, hachare! Er-
nesto de Aquino Fonseca, Antonio Augusto da
Fonseca, Decio de Aquino Fonseca e Pergentino de
Aqaino Fonsesa (ausente), agradeeem a todos os
seus amigos e prenles o caridoso obsequio de
assislirem as exequias de seu finado pai o com-
meodador Thmaz de Aquino Fonseca ; e de novo
rogam se digoem assitlir a missa que por sua alma
mandam rosar na capella do eemiterio publico,
qaarta-feira 21 do corrate, as 7 horas da ma-
nha.
Associaqo Commercial Bene-
ficente.
Nao se tendo unido os membros desla asso-
etacao em amen safflciente i constituir-se a as-
sembla geral, convocada para o dia 18, sao no
ramete convidados para reunirera-se terca-feira
23 do corrnte a 1 hora da Urde, na sala das sea
soes da mesma associaoao.
Associaco Cemmercial Beneflcente de Prnam-
baeo 18 de novembro de 1870.
Jos da Silva Loyo,
Presidente.'
Jos Henrique Trindade,
Secretario interino.
DE
MSICAS DAS MAIS MODERNAS
AO
ULM H WMSIIM
DA
RA DA IMPERATRZ N. 14 LOfA.
PRECSASE
de um rapaz de boa contacta que tenha pratica
de trabalhar em fabrica de vela de carnauba : na
roa do Vigario tf. 26._________
Ama
Precisa-se de ama ama qae saiba cozlohar
tratar na roa do Codorniz n. 8.
ATTENCAO
Divlde-se nm sitio no Campo Grande, perto da
estrada de ferro de Olinda, pelo qae s) vende ter-
renos com quindenios e tantos palmos de fundo
e com alguns arvoredos ae fnieto sendo o terre*
ao multo bom de planiacio, e chaos proprias :
ijuem pretender dirjase ra de Imperador n.
64, livraria, qae se dir com quera se pode tralaa
Aluga-se
por prego comraodo am grande sitio comease de
p^dra e cal, grande baixa de capitn, no lagar do
Fundo, Beberihe de baixo, perto do rio : a tratar
oa ra estreita do Rosario n, 41. loja.
A SILENCIOSA
Chegaram as afamadas machinas d*j esero
DE
POLLACR SCHMIDT.
Ra d Oespo n. 4. .
As mais modernas e elegantes que tem apparecido al boje E, con effeito raada
mais se pode exigir de umi machina de costura em quanto a trabalbo de agalla, tal
a variedad? de costuras que fazem as de que se trata ; por isso qoe so pode dtaer
que a Silenciosa de Pollack Shraidt attingio aos ltimos aperfeircoam-'ni !
A simplicidade de seu machisismo, a adherencia de suas pegas e bollen de qae se
acham revestidas estas machinas, sao predicado* que por si as t-rnam recomMadadarj.
mesmo diante da apreciagio a mais escrupulosa e exigent. cuj verda le se aAa gra-
vada era bellos caracteres em todas as exposic5es onde as silenciosas leen sido ?-
tajosamente premiadas.
Perto de 2,000 machinas teem sido vendidas na corte do imperio pelo seo araico
acente no Brasil no curto espaco de dous annos, e continaam a ser pro:oradas cora
enihusiasmo : roga-se, portanto, ao respeitavel publico desta bella capital, e coral es-
pecialidade as familias que desejarem possair urna otile lindi peca de as examinar, na casa cima indicada onde euponirarSo pessoas habilitadas para darera
todas as exp icacSes, e se faem todos os concertos na roa Prirneiro de Marco (ea-
tr'ora Crespo) ______________________________
Club do Montetro,
Por justos motivos nao tem lugar a rea-
niao familiar de hoje.
O empresario.
P. J. Loyme.
Para a fusta
Alugara-se duas casas
pira familia e sitio com
oa Vanea, lugar
Crespo a. 7.
terreas com commodoi
fructeiras, cocheira etc.,
Ambol : a tratar na raa do
A pessoa que precisar de ama costureira,
qae cose ptimamente de alfaiate, assim como ves-
tidos de senhora, dirija-se i rui Formosa n. SI
tratar.
AVISO
Pele-te ao Sr. Jannario Raymnndo Gomes, et-
ldante^ de preparatorio, flino da provincia do
Maranhao, qne tenha a kondadn de vir raa da
Esperanca (Caminho-novo) n. 7, realisar o nego-
cio qu nao deve Ignorar, e nao o fax-ndo como se
pede.se publicar neete Diario a razio porque
chmalo. ^ ^
7 vea
de de sella. aua
Precisa se de orna ama forra ou eserava que
he bemj engomme : n roa nova de Santa
n. 57. ^^
Precisa se de urna ama qu lave e eogomme
com perfeicio : amada Bario da Victorian. 61,
1 andar. *_________________________
Oflbrece-ee urna mnlher i* boa condndu e
meia idade para fazer companhia a ama familia e
tambera servioos : quem precisar dirija se i ra
Direita n. 81. _____
Protectora das familias.
Os senhores cpntribuintes a essa associa-
c3o que preferem mandar pagar suas annui-
dades nesta provincia, podero dirigirse
ra do Livramento o. 19, 1. andar, antes
do dia 40 do prximo mez de dewmbro, i muito feizes biibete a aerte eiaM araaa
afim de que os fundos possam chegar na bilhete inteiro de n. 1*0, mira de
sede da associaco no RiVde Janeiro antes effl bl,nelH ,nte,ro D-: l7*'e
Roa do Bai-ao da
Victoria n. 68
( Outr'ora ra Nov*. )
Biiaetes garaatlalaa '
?lacla.
Esta feliz casa acaba d vender
do seu vencmento 31 dedezembm de 1870.
Recife 15 de novembro de 1870.
Narciso Francisco mk da potmim
Aos 6:000*
Billietes garantidos.
A rut Prirneiro -de Marco (ontr'or* na de
Crespo) n. t3 & casas do costme.
Acham-se a venda os felfees bilbetes taraa-
tidos ta paxte das loteras, a beneficio da no-
va igreja de Noesa 9enhora da Peuba (171), qne
se exff atalra sexta-feira tS do correo tu meL
PREgOS.
Bilhete rnteiro #000
Meio bilhete ; JUM
Quarto 1JW0
Em porcao de 100*>J00 para cima.
Bilhete inteiro 5*400
Meio bilhete 5170)
Qeirto I**
Menoel Martlns llnxa.
Ama
Na rna da Penhi n. U, f andar, preeisa-se de
urna ama para todo e servif) de ama easa de pou-
ca familia._______________________________
" Alaga-se para familia ama eserava de 14
annos : a tratar no pateo do Terco o. 137 al ai
9 da manhia .
i
Precisa-se *e
33, t* andar,
AMA __.
Maa*:um oYlfarlo n
Em reepesta- ao atauaoeo pabejledo na Dia
re de 15 de correte mez, no qaal M "procara sa
her aoBde mora o reverendo Jos Benardiuo de
Palva, na raa do Uvramento n. 16 existe ama
pessoa qae tara noticias do dito padre, podendo
ser procurada das 8 i 10 horas da raanhia."
Preell'to de ama ama qne Uve e engomme,
pafa>ee beaa : na roa de floH n. I ________
Criado, e coziahei o
Ka raa doBaro
qsaa aiog um,
52 com 100, e alem de entre*
podendo os seas poswidiree vireta
promptamenie sero pague.
O abaixo assignado eonvida ao
blico para vrem no sen esttbetee
os felues hilhetes garantidos, aa ate
tir r qualquer premio como prava
anunncioe.
Acham-se venda oe raaito Ma
rantidos em beneficio da aova tarafe
qae seri extrahida sexta-tora XS do c*
iPMCOS.
sr as
Quarto 1SM
De 1001000 para ca
Inteiro 54400
Meio UNO
Qaarto 1130
| lote Jarteja te
-^laga-se
ama casa en Olinda, rea da Poeira, eeaa 11
tos, S tajas, erateea, rara peanarae aarJeaj
trax do Varadouro : a aaiar aa na tea I
numero 13._______________________________
m -mu m Pweiea-ea te rara ara: Arara te
AMilLSttiateteraW._______
frreieaas alnaara eaea ara atea
da Boa-Villa, nao exereate o T?
)0| menaaes : a tratar aa raa te Paraaaf ra. 1.
de S. Borja i. 5i se dlrt
uaaai it orna eeerava a-ra rvttekaat-
po de-oaea, na rna ^ Irnaarair a. ea,
-TTfJaagirairal^f^H
melboree qae t *~
eomakto, unto tevMwlaai
de perpetnes amareRaa Ra
ruadoGabOft


fc.
Diario de eniiiuoo fcabbado W d NoernWo de 1870
SFINA
O salSo de pianos e de
msicas
adou-H da ru Nova n. 8, i andar, para a
nu 4a ,
Inperatriz n. 12, loja,
ende contina reeominendande-se ao Illm. pu-
WC" G. Wenhalmer.
wnm PALHAMS.
ISTERESSANTE C0MP0SIC0 UTTERARI.l.
COMEADO :
A noite do xtasis.
O sorriso.
A noite do assombro.
A lagrima
A noute do delirio.
O mystdho.
Com ama carta critica dirigida ao autor pelo
Dr. T. B. Higueira Costa.
i volume brochado 2*000.
AS CENTELflAS
Poesas patriticas sobre a guerra do Paraguay.
f volme brochado 2*000
NA
UVRARIA FRANCEZA
fK**> x Illm. Sr. Ignacio Yjira de Mello, es-
envi na cWade de Naurelh desta proviaeia, o
tavor de vir a roa 4a imperador n. 18 a nciair
aquella negocio que V. 3. se compremetteu reali-
aar, pela teroBira charanda deste Jornal, em fins
de deiembro prximo passado, e depois para Ja-
neiro, paasou a tevereirt e abril, e na la cnmprio,
e por este motivo do novo chamado para dito
fim ; pola V. 8. se deve lembrar que este negocio
de mais de to annos, e quanao o senhor san
fljto ae acbavt no estado neata cidada.
Joaquim Francisco do Espirito Sanio,
concordataria da massa faUlida de Maia de
Espirito Santo, pede aos seus credorea o favor
de virera ou mandarem receber os pagamen-
tos da V prestacio de sua concordata ; de-
vendo, para esse a?, dirigirem-se ra do
Imperador n. 41. _____
mmmammmmwm*
PRIMEIRO B ANTIGO CONSULTORIO J
HOMEOPATPIOO
Dirigido pela Dr.
SANTOS MELLO
Os habitantes do interior podem-no 1
consultar por escriuto, no que sarao sa-
tisfeitos cora prompudao.
Pres'ta-se tambem a chamados para o
interior, a preco mdico.
Consultas, no consultorio das 10 horas
ao meio da.
Chamados, a qualquer hora.
Aos pobres gratis.
43Roa do Bario da Victoria43
(Aniiga ra Nova).
A luga se
ama casa terrea, sita na Capunga, com sotao, co
cheira, e um pequeo quintal : a tratar na ra
do Vigario n. 31.___________________________
Joaquim Jos Gonpal-
ves Beltrao
Roa do Trapiche n, 17, 1* andar.
Sacca por todos os paquetes sobre o banco de
limbo, em Braga, e sobre os seguintes lugares en
Portugal :
Lisboa.
Porto.
Valen?a.
Guimaraes.
Coimbra.
Chaves.
Viseo.
Villa do Conde.
Arcos de Val de Ve*.
Vianna do CasteHo.
Ponte do Lima.
Villa Real.
Villa-Nova de Famelicao.
Lamego.
Lao?.
Covilha.
Vascal fValpasso).
Mirandella.
Beja.
Bareellos.
____AU
RCBH
DYVETOT
..Boa Estreita do Rosario-I
Compra e vende roupa feita
nova e ^elha, objectos de
cosirvha e de -mesa, e
tudo que perten-
ce ao uso do-
mestico.
Na praca da independencia n. 33 se da di
oheiro sobre penbores de ouro, prata e pedra;
ereciosas, seja qual or a quantia; e na mesm
ijsecompra e vende objecto9 de ouro e prata
(igualmente se faz toda e qualquer obra de en
xommenda, e todo e qualquer concert tendenti
mesma arte
Acocbeira de Vieira A C, ra do Baro da
Victoria, outr'ora ra Nova, precisa de um admi-
nistrador de boa conducta : a tratar na mesma.
VVISO
Roga-se acs senheres abaixp mencionados o ob-
sequio Je comparecerem no Bazar da Moda ra
do Baro da Victcria, a negocio que Ihes diz res-
peito :
Joao Vlenlim Vilella Jnior.
Goilberme Dias dos Santos.
Joo Jos di>s Santos Lima.
Jos Magalhaes cn fabrica de velas.
Jos Hara Fernaodes, moradur na villa do
Cbo:
Boa occasio.
Um moco brasileiro de 30 annos de idade
que falla e esersve a lingua ingleza, com
.todas as habilitacoes para caixeiro despa-
chante, de embarques ou oulro qualquer
trabalho ; precisa de um emprego. Para
informaces dirija-se a roa da Croz n. 51,
das 9 da mmhaa as 3 da tarde.
m (i-az m
Chegou ao antigo deposito de Henry PorsUr i
ci, roa do Imperador, um carregamento de gai
ie primeira qnalidade; o qual se vende em partida*
a retalho por menos prego do que em outra qual-
uer parte.
Criado.
Precisase de um criado que d Sanca sua
conducta, prefere-se nm menino de 12 a 16 an-
nos : na ra nova de Santa Bita n. 59.
LVIUU >
1
D. W. BOWIKAN
ENGENHEIRO
Com fundi^ao.
A RA DO BRUM N. 52^
Passado o ihafttriz
"Machinas vapor syslema memorado.
Rodas d'agoa.
Formas de ferro para porgar assacar.
Moendas de canna.
Taixas de ferro batido e fnndido.
Rodas dentadas para moer com agoa, va<
por e animaes.
E outros objectos proprios d'agricalttjra.
Tudo por preco muito rednzido.______
~~PADAMA
UNIVERSAL
O abaixo assignado faz sciente ao respei-
tavel publico desta cidade e seus suburbios,
que acaba de estabelecer urna padaria in-
titulada Universal, ra das Tamarneiras
ns '! e *i, no lugar denominada Jaqueira.
Tendo envidado todos os meios*possiveis
para coilocar este estabelecimento as con-
iiices de poder satisfazer a necessidade
que havia de um estabelecimento desta es-
pecie nos arrabaldes desta cidade, o abai-
xo assignado espera a valiosa proteegao de
todos os seus moradores.
Prometle o abaixo asignado que s era-
prega na confeccio dos artigos que se pro
pe a fabricar no dito estabele* ment as fa
rinhas das melbores qualidades, sendo tudo
feito pelos systemas francez, inglez, poriu-
gusz e ailemao, para o que j tem contratado
trabajadores estrangeiros, conhecedores
desses systemas.
Para maior commodidade dos moradores
desta cidade o dos seus suburbios, o dito
estabelecimento ter diversos depasitos para
os artigos do seu fabrico em differentes
pontos oa mesma cidade e dos seus arre-
dores, os quaes sera publicados em pr-
ximo tempo pelas circulares part culares di-
rigidas aos moradores dos arrabaldes.
FREGUEZIA DO RECIF.
Ra da Cruz n. 13, cenfeitaria do Sr.
M'guel Ferreira Pinto.
Em frente a ra do Vigario, armazem u 2,
denominado Novo Mundo
FRECUEZIA DE SANTD ANTONIO.
Ra do Imperador n. 26, confeitaria dos
Srs. Rodrigues A. C.
Oude se encontrar pao, desde o mdico
preco de 20 at 200 rs.
No dito estabelecimento e seus depsitos,
tanto na cidade como nos arrabaldes, rece-
bem-se encommendas de bandejas para ca-
samento, partida ou para qualquer outro
fim, as quaes devero ser dirigidas em car-
ta fechada, em que se determine, pouco
mais ou menos, o valor das me?mas en -
commendas, as quaes sero entregues no
lugar da residencia dos freguezes.
Gustavo Adolpho Wurffoain,
Aluga se a casa terrea n. 21 da ra do Hus
picio : a tratar na mesma ra n. 33..
Precisa-se de urna ama que cosinhe bem, forra
ou escrava, para casa de pouca familia : tratar
na ma Nova n. 50, Io andar.
Precisa se de urna ama forra on captiva que
saiba cosinhar bem o diario de urna casa : tra-
tar na ra do buque de Caxias. loja n. 1.
AMA.
Precisa-se alagar urna ama forra ou captiva
para casa de familia, d se bom ordenado : na
roa da Concordia n. 29, ou aa ra da Cruz nu-
mero 60.
Ama
Precisa se de urna ama
o 66.
na ra de Santa Rita
Molequc
Precisa-se para criado de um moleque de 14 a
15 annos, fiel e diligente : a tratar na ra Nova
n. Ift ndr;

I
S
25
ai*
525
e
Comp anhia Allian^a
seguros mtntiiBO ttUattmoii
na Bahi nr 15 de>n
de 1870.
CAPITAL..Bl. fj*<
Ton seguro 4a uunadOTM 11
maritimo em naviofl da vel #
tro e fra do Imperio. Ajd* i tmjBO*'
mereio n 17, eacriptorio da hajria Mm m*
cal vea Beltrao.______________^-^
Este antigo estabelecimento, acha-se hoje montado n'uma
dscala de poder servir vantajosamente os seus freguezes, atten-
to o grande sortimento de joias d'ouro, prata e brilhantes, que
sempre tem e recebem mensalmente das principaes fabricas da
Europa- enjos prepos sao em competiveis e as obras garantidas
de lei.
JIOKEIKA DIJARTE .
precisa w alagar nm eKrava
em ata da pouca baiiia: aa ru
mero 60-
AMA
Precisa-se de una asa para
solteiro, em um dea arnhlta da
bom ordenado : a tratar na na "
laga-se orna casa oo Mfa
feita ou por auno, com 4 yertas da I
tos, 2 salas, coiinha e cooi
perto do baabo e da itrrja da :
denles dirijam-se roa WreHa a f f;
PrecUa-se de orna aerara
urna casa de pequea familia, aaa
moleque de 10 a 12 anos para
rna do Duque de Clxiae a. 31, 1*
amarello.
MANUEL & C.
Tem a satisfaglo de participar aos seos numerosos fregoezes, que em tista de ser-Ibes mais commodo, tem
estabelecido. urna nova fabrica de chapeos de sol, na rna da Cadeia do Recife n. 9, heje roa do Mrquez de Olinda,
onde acharao os pretendentes, muito avultado sortimento de chapeos de sol de todos os precos, qualidades e por pro-
cos mas commods do que comporta o nosso mercado : convidara especialmente aos Srs. compradores por atacado j
darem, sendo possivel suas encommendas, pois poderlo* assim serem mais bem servidos, visto poderem escolher as ar-
macoes as tazendas que a demora da fabricacSo 6 bem diminuta,________^_^__^_^__^______^___^^_
M ANTIGA E BEM CONHECIDA FABRICA
CHAPEOS DE SOL
DA
Ba do Baro da Victoria, esquina da Gamboa do Carmo.
(Antiga Ra Nova")
Ha sempre nm grande sortimento de chapeos de sol de seda, merino, alpaca, bretanha de Hbc branco e par-
do e de algodo os. todos os lmannos e feitios, alm da immesa porco de stda, merino, algodo e brim,
armaces de todas as qualidades para satisfazer qualquer encommenda. A modicidade de teus precos lo conhecida
qne escusa de mencionar.
pata acra aa
AMA
Na roa da Camoda do Carmo u. M
de nma ama que compre e eoimfce pan OH
pouca familia.____________________________
ATTENCA
Precisa se de um foraeiro para a P
ur na ra Estreita do Rosario, a. &
Arrendare nma i
n. 25, pelo praao de dous
ressa dos Goararapes a. 3.
Agencia em Pernambiico
Do Dr. Ayer
Petoral de Cereja
Cura a pbthysica o todas aa mooM"
flaisa parrllha
Cura ulceras e ebacaa autigao,'
TOO.
Tomle*
Cocserva e limpa os cabetto*.
Mlnlaa catbi
Puramente vegetaes sem
soes, porgao e puriflcao lodi
Vende-sejeft*cutamente coa casa do
JohnsK'D & C ra da Seaxalla Hora a II.
Em casa de THEODOftO CUffiT
VNSEN, rna da Cruz a. 18, aatatramat
flectivamente todas aa qualai aa nt
^ordeanx. Boanrocnn edo Haaaa.
VERDADEIRO LE RO
Ru da Selne, 61, a PARS.
\\ ROA DO SARAO DA VICTORIA 41
Neste novo armazem tem um
variado sortimento de fazendas
fran.ezas, inglezas, allemas e to*
das todas se vendem por precos
mdicos, afim de acreditar a este
novo armazem.
Gasemiras inglezas,
francezas, de todas as
qualidades, brins de
cores e brancos, colei-
rii.hos modernos, cha-
peos de sol de seda,
finos. RUa
Sarao da victoria
DE
ARRUDA IRMOS.
antiga rna
NOVA
N. 41.
Assim como tem nma grande
oficina de alfaiate, montada com
todos os preparos que ha de melbor,
dirigida por habis artistas, que
pela sua promptidao e perfeigo
nada deisam a desejar.
Roupa de todos os
amachos para homens
meninos.
Por todos os paque-
tes recebem-se as me-
lbores e mais moder-
nas casemiras que ba
na Europa.
RUA
u
Baro dar Vctoria
antiga roa
NOVA
. 41.
lilil l
Precisa-se de ama ama torra oa
servico interno e externo de urna
familia : na rna Velha a. 60.
Aluga-se
um sobrado na raa dj Ho-pieio n. 35 de um andar
e sotao, para grande familia : a tratar na ra da
imperatriz, loja n. 44.
_.IT .* a,bai.xo *"'nado?, tendo reeebido em p-
Samento do falleciro padre Paulo Bento Zedame*
quatro letras faradas peln mesmo e aceitas pela
2?m ;u?'"de ?r*T Zfdames e Sil. <"
60 mezee. e de rs. 760* cada urna, e tendo o
SSS?0aiV^h,dn d* aceilaL,e a8 daa8 P'imeira*
letras, de que Ihe pawaram recibo em separado
acontece que mandando eta paaar M duas ?m'
tantes, e exigindn, a eatreira de todas, qne staodr
em poder do Sr. H^nr.ratcHJoseph de Oliveira Fi-
gueiredo, encarrepado pelos abaixo asaignados de
afeumas cbranlas, nao Ibis eotregou aioda a?
referidas letras, qne obteve em pagamento de urna
divida, recusando-pe anda bontem a faze-lo sob
pretexto d* estar de sahida para fra. Por iuo
declaram qne as referidas letras de nada valere
para o mermo Sr. H inora to, nem qnalqner ontra
Peesoa ; pois refArvaro-* o ireito de s desono-
rar a sua devedira com recibo de seu proprio
9*Obo, quer saja ns mesmas letraa/ae Ibes forem
ptregnes, quer em separado, flcado aa mesmas
? valor, logo que seja puo ,a lies mesmos o-
gorte das letras. Rectfe 16 Je npveajbio de
tw/v.
Tasso JrmSos \ C.
Este estabelecimento acaba de soffrer urna reforma radical em aectio, artistas ecommodos, e em pontoalidade as encom-
mendas, finamente em ludo afim de melbor servir os seus numerosos freguezes rjeixa-se de annunciar todas as fazendas, para
q5q se tornar niassantef ______________________
Companhia Phenix
Pernambucana
A directora da companhia Phenix Pernambu-
cana deliberoa que os premios de segaros por ella
realisados quer martimos quer terrestres sejam
pagos no acto de celebrarse o contrato.
Pernambuco 11 de outubro de 1870.
. Pela companhia Phenix Pernambucana
J. H. Trindade. .
F. F. Borges.
Luiz A..Sequeira.
lafalMMaEldSaaiaiiMI
! tarrifa, ral. entre i rolhr o mmI uai
ixte, nm rotulo ImpreiM ra tmt-
r*Uoooi rttio iMraiAL ao mm, numii.
NB.-rtcmtt-
Un*nemalttr
(rmrotM-
ll, aeelUrtt
^^^ a ee *. de n(k,
^V tomnlmo.ge-
V^,^^ ^^/ doolwtwirrtptao
rclM com o Si
J (^ bto Par, aa
AMA
**"**fr
tita
geiro de trf g pessoat, prefere s
da Imperatilx n. 9.
Na Iravessa da roa
das Crozes n, 2, pri-
meira andar, da-se di-
nhelro sobre penhores
de ooro, prata e brilhan-
tes, seja qual foraqian-
tia. Na mesma casa com-
pram-se os mesmos me-
taes e pedras.
/Cobrado para alugar
TJ 1 e 2* aadar faotio n. 6 da roa do Duque
de Caxias : a tratar no Corar'n de Onro.
HU DA CRUZ >. t
Chapas de ferro galvanisadas para telheiros, etc.
Tachas de ferro para" assucar, etc.
" Formas de ferro para assacar.
Arados americanos.
Carrinhos de mao.
Venezianas para janellas.
Machinas de descarocar algodSo.
Machina de cortar fumo.
Mchica de cortar papel.
Motores para dous cavallos.
Machina a vapor para mover machinas de algodo.
Balancas, prendas, cofres de ferro, fogoes dejiferro, enxofre.'fsalitie hmalba de
ferro muitos outros artigos.
onniiiciior
OL1NDRS PARA PADARIAS
Tendo cbfgado ha poucos dias completo sertimento dos melhores e mais
conhecidos cylindcos americanos para padarias, roga-se s pessoas qne d'elles precisa-
rem de virem vel-os ao grande deposito do
BASTOS
COMPANHIA
DOS
TRILHOS DRBAHOS
RECIFE A9 OLi DA.
Por ordem da directora sao coaaaaaa
os Srs. accionistas para, no praao aa iti
dias contados do da II ao da 21 ao car-
rente, recolherem a 2a presiacio t taas
accoes, na razio de 10 /,. do capital i
* emissao. Para este fim ser
o Sr. liiesooreiro no esrriptorio da i
nhia das 11 horas da manhia s S
tarde, de todos os dias otis.
Escriptorio da companb a, 8 do
bro de 1870.
Joo Joaquim
I* secretario.
Precisa-se de urna p-s*oa tfa
telligente e activa que teuha
tica de drogara : a Halar aa ra o
n. .

AOS 6:0004000
Esli venda os felizes bilbeies da lotera a
Baha, na casa feliz do arco da Caaciaple, teja ao
ourives no Recife.___________________________
gua potarel p. rm Olinila.
ireio Feliciano enrarrep-M ao wfcarlr Ota-
ole agoa em baldeo (eatoo) o locifc pan
0 preto
riameole agua m
I oinda, mediante ajuste :
Oom o Sr. J< 3o Onellio.
ir atar aa fa
Precisase alugar um
annos pira compras do aa
lia : a tratar na ra do "
V andar.
lavis
a.
SEGUROS
MARTIMOS
CO\TRl FOCiO.
A companhia Iudemnisadora,
nesta praca, loma segaros
navios e seos carreganaeatoa
em edificios, mercadoriaa
roa do Vigario o 4, pav
Precisa-se alagar uoaa ralacaan
idade : na traveasa da raa BaKa a a.
Frederico Maya
Cirorgo de u
Acba-se em seu coataMoe aara oo araao
de sna arte nos das aam das Baa aaai
as 3 da tarde, e aqoeNes aaa par saaa **-
g5es aao poderem conferecer ooooo aa aaraa-
rao das 9 horas da ataafeia aa 1 da
mingos e dias saatilcaaoa.
prestar se a qualqaor
como para fra dola
coasoltorto a raa a _
amarello com entrada pota praca da
Hotel Aurora
Roa das Trioeaeras
Manoel Garrido aaaaral
aso
lecimento, en que so paa aaai
_* a .____*_._. Ja *a>Caa ayaaMBad
JL OuI a IIA S MACHI ]! AS
astran-
na rpa
Escra
va.
Precisase de ama para eoeinhar e lavar.foa
rna do Hortara 3ft obrado.
OUTE'ORA RUA DA CADEIA
bem .
dceadi.
Sonreos de iaa
aMaorosaMAODfiVACCA.
As boa*ia o ap
praoeatadasaonaj
cao dos producto* daartoeaBa a*^ ^_______
Recabe aseigaanra para aaaaaalj M, toatoao
esubeleeimeato eaaao para a iMaa^o M
h.m urnnarii aajaaaBBiaa
Aluga-se
o 3 andar do >
a tralar c.m J. J. da M. Befo a raa ao
"-r^.^a-^a.aaaaia.ai
sobW
se-ba eade.


Diario de Pernamb
>abbado 19 de Novembro de 1870.
r
COMPRAS.
Compra-Stt a coliectfto
do Diario de Peraambuco de
Janeiro a junho do sno d(
1866: nefcta typogrpehia se
dir quem compra.
Lom muito maior vantagem compram-se
onmprafa epedras preciosas e ji obras velhas: na
38i!J0,as o Co^sao de Ouro o. t D, ra do
- Compra-se urna porta, que tenha tre-
se e meio palmos de aliara e seis de lar-
gura, que seja de amirello,. e qr,e esteja
em bom estado; nesta typographia se
dir.
O BAZAR DA
CANOA
Compra-se orna qae tenha ecrca de 32 palmos
de compnmento e 4 de largara : na na do Vi-
gario n. 26. primeiro andar.
VENDAS.
NOVIDADE.
O Costa, proprietario do armaiem da Pedra
Maamore a roa das Crazes n. 42, offerece por di-
nbeiro contado o qae de oelbor ha no mercado,
por ter recebido moltos dos gneros descriptos
pelo ultimo vapor.
Chocolate de IJ a 1*800 a libra.
Especial n anteiga ingleza e franceza.
Hortalices para sopas denominadas Jalienne, que
substitue perfntameDie as mais frescas ervas.
A verdadeira farinha americana vinda de conta
propria a 320 rs. o maco de urna libra.
Velas stearinas a 500 e 640 rs. o maco.
Bolacbinhas de todas as qualidades e dos rae-
ihores fabricantes.
Ervilhas francexas e portugnezas.
Vinbo de todas as qualidades.
Especial e aromtico sabo de familia a 500 3
o kilo.
Molbo inglez.
Ameixas e marmeladas dos melhores fabrican-
tes.
Caf de Moka. ___________________
Vendem-se tres carrus de 4 rodas para um
cavallo, sendo um de dous asiento, outro de dous
a quatro (a vootade) e oatro de quatro, sao excel-
entes carros merieanos : na ra ^a Florentina
numero 14.
Farelo
4:200.
Saceos cora 100 i i br as de superior farelo
dlo barato preco a cima indicado, na roa
da Madre de Dos n. 7.
Grande reunio!
Ra do Imperador n. 28, ar-
n azeni do Campos.
Como se esl aproximando o tempo dos regaba-
/Vi, o proprie ario deste estabelecimento tem se
esmerado em fuer reunir em seu armazem um
empleto e variadissimo sorti manto de gneros
alimenticios.
Nao se propoe a descrever nominalmente todos
os gneros comidos era seu armazem por se tor-
nar de mais enfadonho.
Garante somonte, que s'ua norma de ha muite
tempo .reoder pao por pao e queijo por queijo.
Avisa especialmente aos fumantes, que receben
de sua espe.-ial encomraenda urna factura de cha-
rulos superiores de S. Flix da Bahia, das seguin-
tes marcas ; exposicao, marqueses, normas, ama-
dores e paragua>suanos.
Venham todas as despendas dos arrabaldes e ci-
dade suprir-se de gneros de primeira qualidade.
Farinha de mandioca da Bahia.
Tem para vender muito nova o superior,
em saccas, a preco mais commodo do que
em outra qualqaer parte: Joaquim s
Goncalves Delirao, no seu escriptorio roa
do Comroercio n. 17.
> Na ra do Baro da Triumpho, antiga do
Brura, n. 92, vende-se o seguinle por preco m-
dico: _
Cal de Lisboa da mais nova que ha no mercado.
Bolinetes para barracas e niales.
Attenpo
Vende-se a armacao e pertenec da taberna do
logar do Terco n. 11, propria para qualquer prin-
cipiantec, cedendo-se ao comprador a residencia
do sobrado de um andar por cima da mesma :
tratar no mesrao sobrado.
TASSO MIIS U
Tem. venda era seus armazens, alm de outns
arligos de seu neg io regular, os seguintes, que
esiao vendendo a precos mais baratos que em ou-
tra qnal'iufr parte :
PORTAS de pinho alraofadadas.
FARELLo em saceos grandes a 35500.
GRADES de ferro para cereados.
ESTEIRAS da India para cama e forrar salas.
CANOS de barro francei para esgoto.
GESSO superior em barricas e as arrobas.
CEMENTO de todas as qualidades baixos
precos.
MACHINAS de descarocar algodao.
BARrtIS grandes enm pixe da Saecia.
LONAS e brinzdes da Russ>a.
OLEADOS americanos para forro de carros.
FOGOES americanos muito bons e econmicos.
VINHO 'le Bordeaux em caixas. '
COGNAC superior de Gautier Freres.
MILHO de Fernando a 'i o sacco.
AGUA florida;
BARRIS de carne salgada de pnreo e de va cea
Farinha de mandioca de Santa
Caiharina.
Ha para vender da muito nova e superior
ebegada recntemele pelo patacho rabe
e barca Sania Mara ; por preco commodo,
a bordo dos referidos navios fundeados de-
fronte do trapiche do Exro Sr. bario.do
Livramento ou entao para tratar com Joa-
quim Jos Goncalves Beltrao, no seu es-
criptorio ra do Commercio d. 17.
A toja, de cera a praea do Conde de En :
tratar na mesma.
DE
Jos de Songa Soares & C.
RA DO BARAO DA VITORIA
( OUTR'ORA NOVA ) .
Apresenta-se metamorphozeado no que pode haver de mais bello e agradavel em fa-
zendas finas para Senboras artigos de alta moda em Paris-tanto para senhoras como
para homens e meninos.
Miudezas afarmadas, perfumaras especiaos, variedade de lindos objectos para me-
ninos e brinqoedos para enancas. -
GRANDE SORTIMENTO
Continuamente recebido por todos os paquetes vindo da Europa aonde tem ha-
bis correspondentes.
Vende se muito emeonta e maada-se por em pregados do estabelecimento fazendas
em casa das Eims. familias afim de melbor escolberem o qae desejarem.
NOVIDADES
DO
TRIUMPHO
7 Ra doQueimado 7
DE
H0REIRA1 BASTOS
E' chegado a este novo estabelecimento o mais bello sortimento de fazendas
(as, sendo sua especialidade enxovaes para noivado.
Vestidos de blond de ,sda ricamente bordados.
Gorgur3o de seda branco para vestido.
Colchas de seda pura, para cama com ricos desenbos.
Ditas de 13a e seda, id- m idem.
Ditas de crox, idem idem.
Cortinados ticamente bordados para cama e janellas.
Croxs para cadeiras e sofs.
Vestidos de cambraia branca bordados.
Popelines de lindos gostos.
Lias de diversas qualidades, lindos gostos e modernas.
Ricos b urnus para passeio, com listras de setim.
Sabidas de baile o que ha de mais rico.
Cretones para vestidos com lindos desenhos.
Carnizas bordadas e sem bordados para senhoras.
Camisas bordadas muito finas para homens.
D'tas inglezas para homens e meninos.
Seroulas de linho, e um grande sortimento de roupas feitas e de fazendas que
i enfadonho mencionar.
Luvas frescas de Jouvin
Sortimento de tapetes para guarnices de salas, alcatifas para forro de sala, e o
rrande sortimento das acreditadas e verdadeiras.
Esteiras da India
3fportas n. 53, ra Direita, 3 p rtas n. bS,antiya]
foja d) Braga
O abaixo assignado, dono deste antigo estabelecimento, tendo em vista apresentar n
completo sortimento de ferragens, miudezas e cotileria, tem resolvido mandar buscar em
diversos pentos da Europa os melhores objectos de seu estabelecimento dos fabricantes
fi mais conhecides; pelo que convida ao respeitavel publico e a seus numerosos freguezes,!
2 virem se jervir dos objeck)3 de sua carencia, aende cncontrarao por menos 10 0|0 do que
| em outra qualquer parte, um sortimento completo de machinas para descarocar algodao,
H do bem conhecido fabricante Cottorr Gin & C, ditas para costura, motores para antmaes,
25 ditos para fogo, moinhos p.*.ra caf de todos os taannos, da fabrica do iapi, espingardas de
S dous cano9 e de um, tanto inglezas como lranceas, louca de porcelana, facas e garfos
M de diversas qualidades e precos, bandejas chinezas, salitre, bren, barbante, enxofre, papel e
I limalha de ferro, ac, e agulha para fogueteiro ; assim como encontrarlo constante-
I mente grande porco de fogo do ar, e recebe se encomraenda de fi'gos de vista, alem de um
5cem numero de objectos, que se tornara enfadonho numera-loa : venhara ra Direita n.
53, toja de Lenidas Tito Loureiro, antiga toja de Braga.
msmmsm mmmwmmmmm mmmmmmm mm&
MTIDW.NWUN
EKGEHHEIRO
Com fundico
RA DO BRUM 52
Passando o chafariz.
Chama a attengao dos Srs. de engenbo para seus acreditados machinismos e
;om especialidade para seus vapores que anda urna vez tem melborado.
Os vapores fornecidos por ello o j funecionando lhe h3o de fazer melhor apre-
:iacao do que qualquer dito proprie.
Deseja tambem mencionar que tem feito urna redcelo em seos precos; e que
tem prompto toda a especie de macbinismo e outros objectos para a agricultura.
PJ- AZULEJOS
AZULEJOS.
AZULEJOS
Ua para vender algan3 milheiros dos mais lin-
dos azulejos, viudos por encomraenda de alguem
que por circunstancia 09 dispensa*. No armazem
de Tasso Irmao & C., praca do caes de Apollo
**o p da ponte provisoria.
AVISO
Vende-se a terca parte da propriedade Uroary
i0* BQ,Mr(la provincia da Rio Grande
?,"* .<*a consenhor o tenente-corooel
SXIZ1*0 le ",,eir 1fler" Pretender
ddve dirigir -se ho an^enhj pangan I tratar co.n
u? JS&?k'ae?n V,cenl Goncalve.de
XM, rewdente no Serid, fcnda Maihad-
PRECIOSA DESCOBERTA
TNICO DELSUC
0 TNICO DELSUC qoe hoje apresenta ao publico, depois, porm, de nm severo
exame e de reiteradas experiencias, tendo a certeza de que possue urna superioridade
incontestavel a todas as outras prepararles, que at boje tem apparecido, recommenda-se
por sua bondade, e pelo brilbante lustro que produznostabellos, tirando immediatamen-
te todas as caspas e coceiras, faz en do com que appareca em bom estar impagavel.
Esta agua comp5e-se de substancias cuidadosamente escolhidas, parifleadas e
confeccionadas com o maior cuidado, e alm disto combinadas de modo tal a dar-ihe
nma acc5o verdadeiramente efflcaz. consoladora, e benigna.
Derrama-te esta agua na caneca, e esfrega-se levemente ; inmediatamente ficam
os cabellos limpos e com um brilbo magnifico.
.Deposito
smente em casa do autor, Andr Delsnc cabeileireiro de Paris.
Ra F de Mar CONFEITARIA
DOS
ANANAZES
Ra da. Cruz n. 16
s ^ t; *(J3S0i2s;! ra*-
doces d
barrilinbos em latas.
CAIXINHAS com ameBdoas e pastlbas,
proprias para presentes ; cb preto, mindo,
de superior qualidade ; tatas com pecegos
a l^OOO.
PAPIS para sorles,
para cebrir bolos.
ditos vendados
presuntos e flmbros.
' eJas com holinhos com armapsn ,
.re sem elli; do pi de l e trtot enfeitados com dsticos Tsem eC %e oiJ
muitos objectos proprios para grandes jamares, bailes, etc., pte e4e dolro'
0 MARAVILHOSO REMEDIO DD
DR. CHAS. DE GBATH .
OLEO ELCTRICO
IiOJA
GALLO VIGILANTE
roa m Cmpm m. f
HUffO OF
I*A.It,A USO
PAIIM O RE DA DOR
INTERNO E EXTERNO
CURA CHOLERA CHOLERA MORBUS.
Birrli, flnxo d uuigue, em um lia,
Jt*t eak^a, deiM da ouvldo em
tmmiMtoi.
>r da deste, n miamto.
rtifi, mu elBeo minuto*
SmIomKm, OuyutM ImskadM, em des minuto.
Cne,e oonruleoei, em eineo minuto.
"*we,ttem,mmdie,
'te* e ebre intermitente,-* um di.
Oer au coiUi e no ledoe, em de mi-
nuto.
Toieee nerigecu e refrUdet, em um din.
Plenreein, em um dia.
lurte e Mthmn.
Hemorrhoid e bronohii.
Innmmacio aoi rime.
DTIpepel, eryarMu.
Moleitiej de flgul.
Palpitaedo de eontdo.
RESERVE SEMPRE ESTE REMEDIO EM SUA FAMILIA
18 DOEKCAS SE AFRESENTAM, QADO MEROS SE ESPEBAM.
OLEO ELCTRICO O KllfQ OF PAIN ". (O re de dor) quieta e tuitivamente dlsiipa mal de dlnerentea
moleetU e dore, e allivl mal oa loffrimentoi e produ nm mala permito equilibrio no lyatema humano, o que nao m
pode eeotuar no meimo tempo, com qualquer ontro remedio medeolnal.
Ete multo popular renado esta agora usando-ae geralmente, pela raiao que mllhare de peaaoai ee tem enrmrf.
fraila com o dito remedio polo Dr. Orath e outroa mal. oaraaa
Eite Importante remedio nao se offerece para curar toda a doenoa
na nona direeooee.
, porem tao somonte para aquella estipulada
Est operando noe principio da ohlmlca e da eleetrieldade e por Uso, esta applleaTel para o enrmenlo e para a
reelauracao da accao natural dos orgao que soffrem da Irregnlar olreula9ao do fluxo do prlnolpae nerro Oleo
elctrico O Klng of Paln Opera directamente nos absorventea, faiendo deaapparecer aa inchaooe das glndula ate
em nm tempo Incrlrel, breve sem perlgo do seu uso debalxo de qualquer clroumstanola.
O remedio, e nma medeclna parao neo externo e Interno, composto dos elementos ouratlvo, ralle herraj e cateas
taee, como ee tem usado do nossos antepassados, e da quaes tem grande existencia no mundo, para ourar toda ai
molestia, somente sahendo-ae quaes ellas sao. ^^
Fol nm grande e especial deeeje da facnldade de medeclna durante multo auno de experiencia pan aprender oe
memore modoe qae se devlam adoptar para ourar a seguintes doenoa, e que proporooe de medeclna k derla usar.
EM PERNAMBUCO
NA. PHARMACIA E DROGARA Z>E
BARTHOLOMEO & C
1V.-34 Ra Larga do Rosario, IV. 34.
CASA CAUVIN A. fflARIHIER, Pharmace8^c?seg{:iv,e8lado
^^^**1'1^ *#F*'# W IV Boulevard Sebastopol, BB PARS.
NOVAS ESPECIALIDADES A. MARINIER
Apresenladas a AcaJemia de Sciuiicias e ao laMiteH Sob forma de P..siil!j, derr.di c dnteadl para
fsser de moiuenlu ana sulur^.o
iriJECCAO
Prevtntiva e curativa das MOLESTIAS COMACiOStS.
IXJECTOR-raiM
ESTOJOS c,n
do volme i*e um relf>Hio, s-.'nindo de
I HILTitO c SI U\i;\ tm c
grave iDconreoisnle ie ftigllllem
i forma, de voiume de um l'orie-Slo.Ja
COTEXDO TODO UUTAMENIV.
C'OLLYRIO Contra as uffeccois das palpebra,
preparado sob a mesma forma.
BARTHOLOMEO & C
Depositarios geral para e BRASIL, e PORTUGAL.'
3 i, ra larga do Rosario. PERNAMBOa
Rival sem segundo,
(Antiga ra do Queioiado)
Contna a vender tudo muito bom
muito barato a saber:
Libras de areia preta muito boo. r
Tesouras finas para unhas e costu-
ra a....... .
Papis do agulhas rancezas a ba-
13o a.........
Caixas com seis sabonetes de fruta
Libras de la para bordar de todas
as cores a.......8000
500
.60
10000
100
500
500
Carriteis do lilia Alcxamlre a.
Frascos com azeite p>ra machinas
Grvalas de cores muito finas a .
Grozas de botSes madepersla fi-
nissimos a.......
Novello de linha de ,400 jardas a.
Caixas com 100 envelopes muito
superiores a......
Pentes volteados para meninas a.
Tinteiros com tinta preta a80rs. e
Pecas de fita elstica muito fina a
Lata com superior banha a 100 e.
Frascos de leo Philocomo muito
fino a.........
Frascos de macaci perola a. .
Frascos de extracto muito bonitos a
Duzia de sabonetes muito finos a.
Sabonetes inglezes a 600 rs. e. .
Frasco com agua de colonia Piver a
Dito de oleo babaza a.....
Caixas de lamparinas a. .
Sabonetes a forma menino muito
superiores a....... 240
Cartilhas da doutrina fazenda nova a 400
Libras de linha sorlidas de todos os
nmeros a.......iiJ800
Capachos muito bonitos e grandes a 700
Carriteis de retroz preto, com 2
oitavas a. ....... 640
Agulbeiros de osso enfeitados a, 240
Libra de linha franceza superior
qualidade a.......20420
Caixas do palito do gaz a. 00
Koh-> nte-rjieuri'tico.
Remedio efflcacissimo contra as dores rhenma-
ticas at boje o maL- conhecido pelos seas mar-
vilhdsos resoltado?.
XAHOPE DE AGRIAO. um dos medicamen-
tos que sua efflcacia as eofermidaies, tosse e
sangae pela bocea, bronchites, dores e (raqaea
no peito, ecrobuto o molestias de ligado, qne me-
lhor tem aprovado.
TINTURA DE MARAPUAMA.- A celebre raix
de marapuama, coja energa e efflcacia as para-'
lysias, intorpecimenlo, etc. etc. muito serecom-
menda.
Todos esses preparados se encontram na phar-
macia e drogara de baribolomeu & C, nico de-
pasito na ra larga do Rosario n. 34.
Cigarros da imperial
fabrica de S. Joao
de Niclheroy.
nico .deposito em Pernainlroco caes da alfan-
lega velha o. S, anda.
Rival sem segundo
RA DO DUQUE DE CAXIAS W. 49
Estou disposto a continuar a vender todas
asmiudezas pelos baralissimos precos abai
e xo declarados, garantindo tudo bom e pre-
cos admirados.
120 Duzias de palitos seguranca a-----
Duzia de palitos seguranca caixa
grande a...................
Frascos com kobaboza muito fino.
Pacote* com p's de arroz o me-
lhor que ha a...............
\avalbas muito tinas para fazer
barha a....................
Caixi de linha bran do gaz a..
Vara do franjas de lidho para toa-
lhas.......................
Caixas com penpas d'aco de Ferry
. superiores ................
Lencos da cassa braucos e pinti-
dosa.....................
Caixas com 20 quadernos de papel
pautado .......
Caixas com 50 novellos de linba
do ga'z a....., .
Duzias de mejas cruas superior
qualidade a.......3(30(
Pecas de babadinhos com 10 va-
ras a.........
Pegas d liras bordadascom 12
metros, cada p ca a 1(5500 e.
Pecas de fitas para cs de qntl-
quer largura com 10 varas a.
Escovas para uubas fazenda fina a
Ditas para dentes a 240, 320,
400 rs. e....., .
Pecas de tranca lisas, brancas e
de cores a. '......
Duzia do linha frxa para borda-
dos a 400 rs. .- .' .
Pares demeia3 cruas para nw.'
nos diversos taminhos a. .
Duzias de meias brancas muito
finas parasenhora a. .
Pares de sapatos de tranca do
Porto........
Pares de sapatos de tapete a. .
Duzias de baralhos para vultarete
Sylabarios portugueses a. .
Cartoes com colxetes i carreras a
Abotoaduras para collete diversas
qualidades.......
Caixas com penna de ac muito
boa de 320 a......
Caixas com superiores obreias a.
Duzia de agulha para machina a.
Libras de pwgos francezes todos
oslaroannos a......
Pacote de papel com 20 quader-
nos ........ _. .
Rema de papel pautado superor
Resma de papel liso muito supe-
rior a -..........
500
60
600
240
100
200
200
500
240
500
720
10200
500
500
40
f Vende-se ama canoa de carregar 1,100 a 1,300
Mjt^a tratar na ra Direiin o. m,
A 2ff. 00
120
320
m
320
000
500
leo
soo
100
700
400
500
2^00
500
500
500
40
500
320
4*500
2*000
1*500
3*000
400
20
400
50C
. 40
2*000
240
400
4*000
3*600
. Cabra
Vndese urna cabra (bicho) com 3 cabrito?, bea
lelteira manca : na ra da Concordia n. II.
----------------.m________,________. *______
Vender nm cabriole! cm perfeito estado
urna machina de costura, nova : no Corredor do
Rispo n 3.1. Na mesma casa tifcrse ama ima
gm de Corista, obra muitd boniia, com todos os
pertpncfs de prta ; e vppde se o especial xarope
de jua par> molestia do peito.
Vendem-ge bonegniis para 'criancas, ob odaa.
pehi-diiD&ratq preco de WOO: venham ofi de trigo a 5#0<
mludez 4a raa dCadeia n. 80. Jifia, rna doU
Ba-
Ot propnetarfc iesit |
emeiiie, alm doa mnMM I
postos a apreciacio do
daram vir e aeatam t i
da Europa nm completo e'
Anas e mni delicadas
lio revolvidos a Tender, _
por precos muito baratwlm
dos, com tanto qne o Galle_
Muito superiores lnraa 4* \
cas e de mni lindas cores.
Mu boa* e
nhora, nesta genero o qne ka
Superiores peanas da lartamfa para i
Lindos e riqnjsntoaos
Exma;. senboras.
Superiores trancas preus da ein* i
Ihos e sem elles; esta Jateara aja |
do melhor e mais noaile.
Superiores e neatoi leaara w
raarflm, sndalo e oseo, sel
com lindos desemV?, e estes fretea.
Muito snperiorea i.;, ias lo 4a laca
nhoras, as quoea tempre se
a duzia, entretanto qne nos as
alm deelas, temos tanatee
oulrs qualidades, entie aa uaer,
Unas.
Boas bengalas de superior
casto de marflm com liadas o i
ras do mesioo, ueste t>aero q
pode desojar ; alm deelas Manos
uactidade de outras qualidades, i
eir, baleia, osso, borracha, ele. i
Finos, bonitos e airosos
de outras qualidades.
Lindas' e superiores ligas de seda i
para segurar as meias.
Boas meias de seda para seaaora para
as de I a It annos d idsde.
Navalhas cabo de marfiat e lartarafBJ
barba; sao muito buas,e da asis a
rantidas pelo Cabricante, e nos por m
bem asseguram^s sua qualidade e 4sm
Lindas e bellas capelln para or*a.
Superiores agulhas para ntwlnaa i
Liaba iuuio boa de peso, nroaia, para i
labyrintho.
Bons baralbof de cartas para
como os tentos para o aasaan* fl
Grande e Taado sortJaaanto
fumarias s dos atethora toa coafcataa par
fumistas.
C01.Ar.E5 DE ROFF.
Elctricos magnticos eoatra ai
fa-ilitam a dentiro da- ira
mos desde mnito reeebedare*
collares, e continuam< s a recebe-tos por
vapores, afim de qud nunca filtem
tomo j tem acontecido, assim por podario i
lee qae delles precisarem, Tir ao deposite da
rifilante, aonde seropre enconararaa
deiros collares, e os quaes
para que iao applrados, se tnadara i
diminuto lacro.
Rogamos, pois. arista dos enjerto* a,
declarados, aos nos?os fregue/'s e anifaa a'
comprar por precos muito moa veis heja dn>
vigilante, ra do Crespo n. 7.
eTOf
Jcordeiro prevdectt
aua lo Qnefrata u. IO.
Novo e variado sortimento de perfuaaar.
Unas, e onlros tjbjeclos.
Alm do completo soa*tLt:> da fk
aah.-s, de que eilectivamecle sti pravua
0}a do CorJeii IVevidcnle, eila acal
receber um outro sortinenU poa tz tea-
otavel pclavariei. Je de cbje^toft,saaesav
lade, qualidades a i.;>aitaoditiaaes M pr
os; ratB, poia,oe,rdetro?re\nraH f*
a espera continuar a merecer a afrauafl
do respeitavel put;ii. i ai e ii
boa freguezia em patieCH
laudo elie de sea bem cuiiti.xida nr.r,t.'J
a barateza. Em dita oja eicoaifaic
precindores do b*>ra:.
Agua divina de E. Coud
Dita verdadeira de .'Jnrray Jt L
Dita de Coiotme ingleza, z^ierkaLa,f/m
cm, todas o meihtrea manuraOle
fabricanto*.
Dita de flor de lurangairaa.
Dita dos Alpes, e vilete para lodat.
Elixir odontlgico para ':-.raenac' igseio da bocea-.
Cosineliques de superior qualiiaak t s*
ros agradaveis.
Copos e latas, HP r BiD'.rea, era
pomada fina para cao
Frascos cem dila japuvaa, traKMnajV
DBlras qu-tlidadfi.
Finos extractos inglezas, mutkmm
francezes em frascos simi.ies e eafii'
Essencia imperial do Snx a -/atU'-etCB*
ro de violeta.
Outras encentradas e de cMrw ifta.-
aicnte" finas e agrdave3.
Oleo philocome verda.Jeii u.
Extracto d'oleo do sup.uor
com escolbidoscberoj.ea (rascee ti
rentes tamanhos.
Sabonetes em h?:ras,nuiurage nerari
para m2os.
Ditos transparentes, redondos e em tfz
tu de meninos.
Ditos muito finos em caixinba pan tark-
Caixinba3 com bonitos laberam iwtije
finetas.
Ditas do madeira invernisada centeao S
aas perumarias, mnito proprias pera pt*
jjentes.
Ditas de papelio if^aJmesde besAae, Us>
bem do perfumaras finas.
Bonitos vasos de metal eoeanaa, e d
moldes novos e elegantes, coa po ie are
e boneca.
Opiata ingleza e franceza per i
Pos de campbora e outra
qualidades tambem para den'ee.
Tnico oriental e Kemp.
Aiaiela
Um outro sortimento de
vos e bonitos moldes coa filels'de
? algunsdelles ornados de lera
estiO todos expottos i a
os pretenda comprar.
GOLLLNHAS EPUNHOS
Obras de mnito goeto e
Flrellam o tm i
Bello e variado si ltalo de tara spa-
los, ficando a boa escoma aefsrae deas
prdor..
1^BW''^*'^aat*Naaf**^ai'
wflflwV
^a^ ^a% ^a^^a^ ^a^
Joaquim Eodrwues la-
yare de Mello.
TEM PARA YIHSn
em sea ateripAerio, sesea da Corp* Saate
n. 17 :
Pomo em folha
de 1* e i' qualidade, a
fardos a Toatade dea j
Gal de
ultima
iho BofddMox.
5. Tara
P^P^Pflp^P^P^ein oaira
V*nde-
clawlas^
Foe&o de p


6
Diario de Petnambuco


Sabbado
_____i__________
19 de Novembro de 1870.


GRANDE
BAZAR

do Duque de Caxiaati 21.
^fc DO QUEMADO)
60-RA DA IMPERATRIZ-60
. ,y A^ -Su-

de
PEREIRA DA
&C.

Neste imrxrtante estabelecmento encontrar o respeitavel publico, om grande e variad sortimeeto da fazeodaa do mis
aparado costo e todas de primeira neeessidade, que te venden mais baratas do que em outra qualquerJP^'-TJ^J" <* bo-
tos socios desta firma, adoptaram o systema de s venderem I DfNHEIR.O ; para poderem vender pe]o crt0;^*f^
i ganharsm o descont ; as pessoas qae neeociam em r.equna esca'a nesta loja e armazem poderao fazer os sens ?0rrtmeatos
pelos mesmos presos qoe comprara oas caeas ingle?as, (importadoras) e para maior coramodtdade das Elttas. ramiias se darlo
amostras de todas as fazendas, ou Ibes levam em suas casas para escolherem.
PASA KOIVADOS CORTINADOS, COLCHAS.
Chegou pura o Bazar do PovSo nm gran-
de sortimento dos mais bonitos cortinados
bordados, proprios para camas e janellas,
qne se vendem de 105' 00 al 200000 o
par, assim como o melbor damasco cem 8
palmos da largara a imitaco de damasco
de seda, proprias para colchas, e propia-
mente colchas de damasco, sendi os melbo-
GROSDENAPLES PRETOS
Chegoa para o Bazar do Pavo um gran-
de sortimento dos melbores gresdenaples
pretos qoe tem vindo ao mercado, qoe se
veadem de 10600 at 55000 o covado ;
s5o todoa muim em conta.
MANFELLETES DE FILO
No Bazar do Pavo vende-se modernissi-
mos maotebetes ou basquinas de fil preto,
res emais borjitas qae tem vindo ao
cado.
. TAPETES
Chegoa para o Bazar do Pavo o mais
elegante sortiment' de tapetes grandes, pa-
ra sofs, com 4 cadeiras, ditos-mais peque-
nos, para duas cadeiras, ditos para
pianos, camas, portas ; etc. vende-se por
meos do que em ontra qaalqoer parte.
ROUPAS PARA HOMENS
No accrtditado BaardoPavo encontra-
r o respeit-vel publico om grande sorti-
m?Dto cas como da cores, a saber:
Camisas c a paitos d'algodo e delinho,
para todos os precos e qaa'idades.
Cero ilas de linho e algoda"o.
Mei.is cartas francezas e ioglezas.
Palitos sobrecasacos de panno preto e
caseroira.
Caifas de brim branco e de cores
Dita-; de capemiras prctas e de cores, com
colletes igua.-s
De to las estas roupas ha pasa todos os
precos e qua lados, e tem de mais mais
nm perito
ALFAIATE
Por quera se manda fazer com prestesa
e aeeio qinjner psfide obra a capricho
ou go t do dragan, tendon'este importan-
te establec monto tdas as qualidaies -te
panno fin as melbores e mais moder-
nas cascniras, assim como os melhores bros,
qur bi.-nc s qur de cor ; e qaanlo qual-
quer obra nao ficar ioieiramente ao go3to
dos fregtsezes fica por conta do eslabeleci-
QpOtO.
TOALHAS A 70300
No Bazar do Pavo fez se urna grande
com..r.i da toalbas alcochoadas, proprias
para rosto; bistanle encorpadas e grandes,
que sempre se venderam a\120OoO, e li-
qnidam-sa a 7-500 a duziajou a 640 rs.
cada ama, 6 boa pechincba.
CORTES DE CHITA
a 302OO a 30840
30520 3*520
30840 35200
No B'zar do Pavo vende-se cortes d fi-
nisHroas cbtHu com padrees claros e esca-
ros, lent 40 ti e 12 corados; sendo fi-
zenda >ju6 v",le moito mais dinheiro e liqui-
da se pelo proco acim para acabar, na ra
da Imperati iz o. 60 Bazar do Pavo.
CORP.NHOS BRINCOS A 30000
No Razar do Pavo vendem-se corpinhos
dec.miraii trancos bordados, sendo fazen-
da que semore 89 venden a 80300 e 100
e liqitila-se a 30000 par estarem am
pero maltratado, pechracha, na ra da
Emperatriz n. FU toes de cor e BRANCOS
Vende n-se bunitos fustes brancas e de
cores, proprios para vestidos e renpas de
meninos, sendo de cores a 800 ris o cova-
do e brancos, a 400 e 640 ris, pe-
chincha, no Bizar do Pavo roa da Imp-
ratriz n. 60
CHITAS BARATAS
a 200 ris. ,
a 209 reis.
a 200 reis.
Vendem-se chitas largas com mnito bons
pannos e cores fixas, pelo barato preto de
200 ris o covado ; cortes das mesmas com
40 covados a 20000, pecbincba, no Bazar
do Pavo.
AS CASSAS DO PAVO
Covado 200 ris.
a 200 reis.
a 200 ris,
Vendem-se bonitas cassas de cores miu-
dinbas pelo barato preco de 200 ris o ca-
vado, no armazem do Pavo roa da Im-
pera triz n 60.
PANNOS PARA SA1AS A 1JO0O, O METRO.
No Bazar do Pavo veode-se bonit i fa-
zenda branca encorpada para saias, sendo
com babados e pregas de nm lado, dando
a largara da fazeada o compri nenio da
saia, qaal se pie fazer com 3 oa 3 Ir?
metros e venle-se a 10, 10280 e 10100;
assim como arabem no mesmo estabeteci-
meoii se vende bonitas saias brancas bor-
dadas, ten lo qaatro pannos cada ama, ditas
de lia de c6res j promotas, amas com
barras differentes da mesma fazenda 4 4000,
e ontras com barras brdalas 60 e 70Oj,
todo isto moderno e barato.
CARNAUBA.
Vende-se carnauba em saceos, na rna da
Imperatnz o. 60. Bazar do Pavo.
TARLATANAS LISTRADAS CORTE A 60500
Ches?* u para o Bazar do Pavo am bonito
sortimento de, tarlataoas listradas, sendo
verdes, cor de rosa, lirio, tendo esta bo-
nita fatenda muita pbantasia, e liquida-se
cada corte a 60500, pechincha ; na roa
da Im >eratriz o. 60,
CASAQUINHOS DE GUIARE A 100, 12*.
MAM*.
Chegaram para o Bazar do Pavo os
mais mo ieraos casaqoinhos on basquinas de
goipure- com cintura, ricamente enfeitidi s
com lacos, e v-ndem se pelo barato preco
de 10, 1*0, 160, e ao*, pechincba,
ri da Imperatriz n. 60.
PECHINCHAS -
PAVAO
mer. om laco, pelo barato preco de 100000 ca-
da am, barato.
ALGODO ENFESTADO para LENCOES.
No Bazar do Pavau vend-se o melbor al-
gnd5oinho americano enfestado para len-
Ces, tendo liso e entraado por preco
muito barato.
ESPARTILHO. -.
No Bazar do Pavao recebeu-se nm elegan-
te sort ment dos mais modernos e melbo-
res esparttlhos, qne se vendem por preco
moito em conta.
PANNOS DE CROCH PARA CADEIRAS
O Bazar do Pavo rrceben ora grande
sortiriiHito dos me'bores pannos de croch,
proprios para cadeiras de bala neo sofs,
pianos, tamboretes e at proprios para cu-
brir almofadas e pratos; ten^enlo-se por
meno3 do que eoi qu Iquer parte.
PARA LKNgCES
No Bazar do P.ivao vindc-se 6aierior
bramante d'algodo com 10 palmos de lar-
gura a 10800 o metro, dito de linho cora a
mesma largura a 20800 cada metro, pannos
ds 1 nhodo portocom 3 1/2 palmos de largan
de 70ate 10 a vara, as^im como nmg ande
sortiieuio de H mbrgo ou cregueilas ie
'odos os romeros, presos ou qnalidales,
que se vendem mais barato di que eai oo-
tra qndqner prt-<; aproveitem-
ATGALHADOS
No Bazar do Pavo verfle-se snperior
atoalbada trncalo, com 8 palmos de larga-
ra a 10600 o metro, dito oa linio adamas-
cado o melbor que tem linde ao mercado a
30500 o metro ; todo isto mnito barato.
FAZENDAS PARA LUTO
No Bazar do Pavo ve-vle-se constante-
mente o melhor sortrneto de fazendas
pretss para luto, como sejam :
L^asinhas retas li Cassas pretas de Ia.
Cassa-i retas, fraocezas e inglezas, lisas
e com salpico?.
Chitas pretas de todas as qnalidades.
Alpacas pretas lisas.
Ditis lavra-las com branco.
Merinos, cant s, bombazinas, qae so
vendem maisbarat- do qoe em outra qnal-
qner parte.
CACHS-NEZ A 60000.
No Bazar do V3.> vendem se bonitos e
grandes cachi-nez de pura la, pelo bara-
to preco le 65000 c;aa am
PEHICNCHA EM CAMBR.UAS VICTORIAS, A 50,
60, 70 830 0.
Vende-se um explendido sortimento de
finissimas cambraias victorias, por precos
mais baratas do que em ontra qaalquer
parte, ie^1o cada pea 10 jarlas a 50, 60,
60500 e 70OjO, ni3simas a 80500 ; todas
estas cambraas valem muito mais dinheiro
e liquidam-se por este pre?o em relacSo a
nma grande compra qae se fez no Bazar
do Pavo.
BABADPiHJS
No Bazar do Pavo veode-se nm grande
sortimento ">s mais finos babadinhos borda-
dos tapados e transparentes, assim como
urna gran te porco de entr m^ios largos e
estreitos, que para acabar se vende mnito
em conta e mais barato do qae em ontra
qualqner parte.
SEl'INS DE CORES E GROSDENAPLES.
No Bazar do Pavo veode-se am sortimen-
to completo dos melhores solios e grosdn-
aaples de todas as cores, qae se vendem
muito em conta.
TOALHAS.
Vende-se toalbas do Porto com labyrintho,
proprias para resto, no Bazar do Pavo
rn da Imperatnz o. 60.
Colchas brancas i 3 52 0, 30500 e 70000.
Para o Bazar do Pava > chegoa om grande
sortimento das melbores colchas pretas,
senlo das melhores e nais encordadas qae
tem vindo 70000, ditas nm pouco mais
baixa 3J500 e ditas 302OJ; tambem no
memo esiabelecimento. se ven le nm grande
sorti oento de ertooes e chitas proprias
para colchas qae se vendem rnnito em conta.
Crias de qnidrinhns a 10!SO ao corado
W.nde-se nm elegante sortimento de sedas
de qnadnohos, com lind simas cOres, para
vestidos e roupas de meninos, e vende-se
10280 cada covado; pechincha no
Bazar do Pavio.
Midapolio infestado a peca 30000.
Vende se pecas de madap ln e ifestido,
tendo 12 jardas cada peca a 30000 e 30500,
pechincba, no Bazar do Pavo i rna da
Impeaatriz n. 60.
CHALES DE RENDA.
Chales 2>.ooo.
Cbales i 2000.
Chales i 2000.
Vende-se ama grande porfo de cbales
pretos de renda ou croch, sendo pretos
com 4 pontas, fazen da qne sempre se ven-
deu 50000 e li aid -.-se a 20000 cada nm,
pechincba no B.zar do Pavio, a roa da
imperatriz n. 60.
taOSSAMBlQUE A 400 REIS 0>COVADO
No Bm'r do Payo-vende se as mais lin-
das lasinbas mossambi |ues, sendo fizenda
com muito lastre e muita fanta?ia : l.qui-
dam-se a 400, rs. rna da Imperatriz b, 60
fina ^a ImperotrwJO.
Para Tender depressa
UNDAS JAPONEZAS PARA VESTIDOS A
A 560 RS.
Chegoa nm elegante sortimento de las-
inbas do Japo, com padroes de sede e de
maito boa qnaidade. que se vendem a
500 rs. o covado. pechincba, no Bazar
do Pavo, roa da Imperarriz n. 60.
POCPEUNAS DOWAPAO A 10600 0 COVADO.
Chegou um elegante sortimento de lin-
diss-mas ponpelinas Jiponezas, com os
mais delicados gostos, tendo muito lastro
e com listrinhas de seda, sen le esta nova
fazenda joast da largara da ehita france-
za e vende-se pelo barato pre$o de 106OO
cada evado, no Ba?ar do t'a o.
AS POPELINAS DO PAVO A 20000, 0 COVADO.
Chegoa para o"Bav.ar do Pavlo um bo-
nito sprtimento das mais modernas e ele-
gantes ponpelinas de' linho e seda, qae se
vendem pelo baraii3^imo preco de 20000
cada um covajo, assim c.omo ditas com
go.-tos escossezes a 20400, pechiucha no
Bazrr do Pa>5o.
SEDAS A 20000
t Chngon nnehu'anti sortimento do boni-
tas sedas de listrinhas, com as cores mais no
vas qua tem vin !o ao mercado e veadem-se
a 2#000 o covado, aa ra da Imperatriz
Bazar do Pavo
CRETONE FORTE A 20000 O METRO
S no. Bazar do Pavo.
Chegou o ve dadeim cre'.onj francez pro-
prio pan lencoes t noo 10 pa'mos de lar-
gura, e milio encorpado, sen lo piecho ape-
nas para cada le col t '/toa 1 */a metros, alm
d'esti apnl6*$So tambem' esta larga e en-
corpa-la fa enda propria para toalhas, saias,
reronlas, etc. e liqui'da-se pelo barato pre-
50 de 20000 cada n etro.
CASE.M1R\S A 20500 CADA COVADO
No Baz r do Pavao veid^-so Ufn grande
sortiai n'o'e bunitas casemiras de om* *
cor, sendo aul, li o, msclada, sendo de
duas largura?, proprias para calcas, palito ,
e rou as para menino, e vendem e-* pal"
barato proco de '0500 o covade, a roe da
Irapentriz n 60.
BONITAS LA9INHAS A 500 RS.-0 COVADO,
Vende-se delicadas laosianas com diffe-
rentes gosto pelo barato pr^co de 500 rs.
o covado, no Bazar do Pavo.-
ALPACAS BRANCAS.
Vende-se um bonuo soitimentode finis-
simas alpacas brancas lavrab imitaco
de seda, proprias para vest'dos de baile ou
asameotds no B-izar do Pavo.
ALPACAS LAVRADAS A 400, 560 E 640 RS.
Vende-se um grande sonimento de lin-
das alpacas lavraaas de todas as cores para
vestidos e vendem-se a 400, 550 e 640
e at mil e tantos res o covado, no Bazar
do PavSo.
, moldes
Carliras, eharuteiras e port-cigarros de muita
Bonitas pastas parapipe6, simplaae matlsadas
Boas cateas vasas para costara com sna compe-
tente chave. .
Delioaea* eaneln de nwrflm c< o bocal a
Modernos peales de tartaruga, aobresahindo en-
tra elles os mimosos telegrapblstas.
Commodos toacaflres com duas gavetas e boa
Port bouquet, o que de melbor tem appare-
oldo.
Port relogios de mnitas qnalidades.
Bons talheres para crianc?.
VwWario, ehaptxinhcs, toacas, sapatosemetii
para baptisados.
Toalhas e ronhas de labyrintho.
Chapeos e chapelinas para senhora, moldes novo
e bonitos.
Chpo**1*09 gorros e boneU para menino
meninas.
Contra as convulsQes as
criancas
Vende-se os verdadeiros collares na Nova Bspe-
ranca, rna do Duque de Caxias n. ti.
PARA TINGIR CABELLOS
para pretos ou caatanhos, receben a Nova Espe
ranea a veraeira tinta ingle. ..._
^ PARA ACABAR COM AS SARDAS
ou panno, tem a Nova Esperanca o verdadeire
leite de weas branca?.
AGUA DE FLOR DE LARANJA.
Vende-se na No* Esperanca, ra do Boque d
aX'apAPEL PARA ENFEITAR-SE BOLOS
recebeu-os mnito lindos a Nova Esperance, rn
do Duqne de Caxias n. 11. ..,.-
PARA AMACIAR E AFORMOSEAR A PELLE
tem a Nova Esperanca es sabonetes de pos de
arroi _______ ._______.
NADE
Qptdo a AGUIA BUNGA nais precisa scientiear ao rapeiUvel patio*
geral, em particnlar t sna boa freguwia, di immensidade de utUrtWO
te tem receido, Jnstamentefqnando ella menos o pode fazer e porqne t
lantaria ella confia e espera na benevolencia de todos qne lb's atteta
continnando portante a dirigirem-se a bem conbcida leja da AGUIA BRANCA i
Qeimado n. 8, onde sempre acharao abundancia em sortimento de i
qnalidades, modicidade em precos e o sen nunca desmenttido AGBADOl
Do qne cima fica dito se conhece qae o tempo de qne a AGUIA
dispr, empregado apezar de seas custos no desempeobo de bem servir a aqwlM
honram procurando prover-se em dita loja do qne necessilam, entretanto r~
rar os objectos qne por sna natnreza sao mais conhecidos ali, ella
oar aquelles caja importancia, elegancia e novidade os tornara re
bem seja
UU BRANCA p
CHEGARAM,
Poqos instanUneog aperfeiqo-
ados por preqo muito commo-
do: na rna Nova n. 28, loja de
Antonio Pedro de Souza Soares.
Bombas completas para ca-
cimba, por diminuto preqo, na
mesma casa.___________________
CEMENTO
O verdadeiro portland. S se venda na rna da
Madre de Dos n. 22, arenaren) de Joao Martins de
Barro!___________________________
Especialidades.
Continuam a achar-se a venda na rna Direita
botica n. 88, os mui conhecidos e acreditados re-
medios de veame, e outros diversos medicamen-
tos feitos em Paris, bem como os xaropes de co-
deina de Berth, de rbano iodado, de iodureto de
ferro de Blaneard e as pillas do mesmo, oeitora!
le cereja, pos de Roe, depurativo de Chable,
liaii.-il do Labelloov, pilulas on confeitos de bis
mutho de Chevrier, e ontro medicamentos cj
'profkieneia quando ertfpregados as doengas da^
vas respiratoria, as dores rheumaticas, n
amarellidao, na falta completa ou irregularidad*
de menstruo, as diarrha?, doenga do eora?ao
e do estomago, tem sido e ineontestavel, em
v.sta dos benelicos resultados das experimentaoef
ou uso que diversas pessoas delies teem feito, as-
omparaveis em ?ua effleacia nos acommettimen-
tos febris ou aezoes.; existindo i>mbem na mesma
casa, alm de sufQciente quandade de drogas,
im nao pequeo sortimento de tintas, oleo de li-
anaca e pincis, que se vendem por menos do quf
^m outra narte. -__________
Corpinhos de cambraia, primorosamente
enfeitados cem fitas de setim e obras essas
caja novidade de molde e perfeicao de ador-
nos os tornara apreciados.
Fitas mni largas de diversas cores e qna-
lidades para cintos.
Leqnes nesse objecto mnito se pedera
dizer qaerendo descreve-los minuciosamente
por sus qnalidades, coree e desenhos, tal
grande e variado sortimento qne acaba
de chegar, mas para nao massar o preten-
dente se lhe apresentar o qne poder de
melbor.
Entremeios em pecas de 12 tiras.
Guipare branco e. preto de diversas qna-
lidades e desenhos.
Ditos de algodao com flores e lisos.
Veos de seda para chapelinas e monta-
ra.
Meias de seda para noivas.
Ditas abortas de fio de Escossia.
Costmes on uniformes para meninos.
Enxovaes completos para baptisados.
Tonqninhas de fil, sapatinhos bordados
e meis para ditos.
Camisinhas bordadaa para ditos.
Capellas brancas para mentas.
Grande sortimento de flores "
Fil de seda preto.
PERFUMARA
Grande 6 constante sortimento 4
sempre melhor qnaidade.
Lindos vasos com pos di arres s
Caixinhas com ditos aromatices.
Bonitos e modernos pentes
ra circular o coque.
Bonitos brincos de plaqueo.
Adereces e brincos de madrepsrar
Caivetes finos para abrir latas.
Tbesouras para frisar babadinbes.
Aspas para balan.
Novos stereoscopos com II
quaes sao movidas por om
urnas substitnem as ontras.
Vistas para stereoscopos.
Bonitas caixinhas devidro
pedras.
Ditas de madeira envemisada
ras e com dminos,
Bollas de borracha para
enancas.
Diversos objectos de porcetaot,
para enfeites de mesa e de'
BABEGES DE QUADIUNII0S A 600 RS. O COVADO
Veude-se as mais ti idas e modernas la-
sinbas on bar ges de quadriohos, proprios
para vestidos, tendo quasi largura de cbita
frsnceza. e I q-ii-la-se a 640 rs. o covado,
no B MERINOS DE CORES RARA VESTIDOS.
Vende-se bonitos merms de urna so
cor com cores mui o proprios para vestido
e roupas pa>a creancas por ser orna fazen-
da de pora lia e muito leve, vende-se a Id
o covado, no Bazar d Pavo.
OLACS A 10UOO PARA VESTIDOS.
Vende-se um elegmte sortimento dests
nova fazenda denominada glacs sendo urna
fazenda de la muito larga e com del ca-
nissimas cores, tendo tanto brilbo como a
seda e veode-se pelo barato preco de 1$,
cavado, no Bazar do Pavo.
CASEM1RAS A 7,5000
Vend^m-se cortes oe ca-emira ingleza de
cores para' calcas sendo fazenda que vale
muito mais dinheiro e liquida-se a 7(5000
o corte de calca, no B*zar do Pavo a ra
da Imperatriz n. 60.
GRANDE PECHINCHA ElT CAMBRAIAS TRANSPA-
RENTES a 4, {55,64,84, e 104000
Veode-se finissimas camb aias suissas, de
muita phantasia tendo 9 varas a 84500 e
10400o. Ditas bispo com 10 jardas fazen-
da muito fina a 54, 64 e 74000. Ditas fi-
nissimas azuladinbas, qne v lem muito mais
diobeiro, a 83 e 10<3 )0 >: t 'das estas cam-
braias, em relacao a qualida le, pelos pro-
cos cima sao mais baratas do que em ou-
tra qualquer parte, no Br do Pava).
CAMBRAIA ALLEMA COM 8 PALMOS DE LAR-
GURA A 14600, U E 2*500.
Veu1e-se flnissinn cambraia branca tran-
p a ente com 8 palmos de largura, que fac
lita fazer-se nm vestido apenas cm 4
varas e li^oida-se a 14600, 24 e 24500 a
vara, a*enda que vale maito mais dinheiro.
pechincha no Baw do Pavo.
CAMBRAIA TRANSPARENTE
Pece a 44000
Vende-se muito finas peces de cambraias
brancas transparentes-, tendo8 i\i tarasca-
da peca e com om vara de largara a 44.
pechincba, no Bazar do Pavo
A' ra da Imperatriz
n. 60.
0 Bazar do Pavao sito ama a Imperatriz n. 60, esta* constantemente aberto
das 6 horas da mantifta as.9 da noute,
lACHINAS PARA
COSTURA
Acabara de chegar-ao GRANDE BAZAR
UNIVERSAL, ra Nova n. 22carneiro
viannaum completo sortimento de ma-
chi aas para costura, dos autores mais co-
nhecidos, as quaes esio era exposico no
mesmo Bazar, garantindos-e a sua boa qaa-
lidade, e tambem ensina-se com perfeicao
a todos os.compradores. Estas machinas
sSo iguaes no seu trabalbo ao de 30 costu-
raras diariamente, e a saa perfeicao tal
como da melhor costareira de Paris. Apre-
seatam-se trabalhos executado3 pelas mes-
mas, que muito deven] agradar aos proteo-
dentes.
oa alaga-se os armazens que foram oceupados
com a fabrica de sabo e destilacSo do Sr. coronel
Franca, ra da praia de Sania Rita-nova, os
qnae orTerecem proporcSes para bem se montar
qualquer fabrica de granie eUabelecimento, com
a grande vantagem para embarque e desembar-
que : a tratar com o commeadador Tasso.
CAL NOVA I LISBOA
Vende Joaqoim Jos Ramos:
q. 8, 1* andar
na roa da Cruz
COLA
do Rio Grande do Su\:
Contina a vender-so desle artigo no escripto-
rio de Jos Victorino de Rezende 4 C, rna do
Mrquez de Olinda, outr'ora da Cadeia n. Si.
A 310 rs., na ra .Direita, botica n. 88, ven-
de-se tinta roa e pre cada botija.________
(Jal
de
nova
Barris grandes, desembarcados
nde-se na roa da Madre de Dos
m de Cunha IrmaV 4 C.
Lisboa.
do
n.
agre Julio:
3i, arma-
Vende-e um sitio na Capunja, lodo mora-
do, portao de forro com orna mei-agua dentro : a
tratar oa roa da Ventara n. 4, taberna. ____
Vende-se
o armazem Independencia, roa do Raogel n. 3,
para pagamento d seos dbitos: a tratar no
mesmo.
Ps de' roseiras de varias qnalidades; assim
tomo de sapotis, abacate, flgoeira, laranja cravo
i pinhelfa, por preeo nseavel : i tratar na Boa-
fiMft rae de Vseoode de Govana n. 81, oatr'ori
bulfe.
0
IV. 3 A RU4 DO C ABUGA N. 3X.
m
Com este titulo acha-se aborto e inteiramente transformado ste antigo
estabelecimento de joias, onde os freguezes e amigos encontraro todo guamo
a moda e obom gosto tem inventado na arte de ourivesara, o Collar deOor*
observar delicadeza no trato e senciridade e modecidade nos precos.
Espera que o respeitavel publico venha ver o que existe de melhor em
aderados de brilhant.es, esmeraldas, robins e perolas, meios aderpros, pI-
ceiras, hrincos, alfnetes e anneis de todas as qualidades, prta de lei faqnei-
ros, colheres, palileiros salvas e outros moitos objectos que seria enfadonh
mencionar.
Compra-se ouro, prata, brilhantes e pedras finas, pormaior prego m
que em outra qaalquer parte, troca-se e concerta-se todo e qaalqner objeele
perlencente a esta arte.
m
A ARARA
W!, iSIMA
ATTENCAO
Lourenco Pereira Mends Guimares, participa a Indos os seos ie redora
tanto da praca como do mato, que estando I qoidand>> snas casas commtrciMa. f
deve fazer at o fim do co^reDt^ auno, por lso roea a todos os smu deredere* a nrea
saldar seus dbitos o mais breve posivel; oatro sim, declara aos ros d*edo",
os qu nao estiverem na loja tem de pagar todos os seos dbitos, probando
o abatimeoto que f ir preciso para a liquidac > de suas dividas, para arto |
rigir-se roa da Imperatriz n. 72, loja da Arara.
_s
Ao resto das pechinchas
Vende-se cortes de castores para calcas,} bales de abos a IHK
a 500 rs. Cortes de brios de cores a! Ve"de-se ba'Sus de *5
14500; cortes de gang*s para caifas a 10,
curtes de casemiras preta para caifas a
30500, 44, U e 6S000.
Certes de chitas a 2:500.
Vende-se cortes de chita.* para vestipes
a 24500. Ditos de cassa para testidos a
0500.
Pechincha a 4,5000.
Vende-se pegas de algodo a 40, 50, 60
e 70OOO.
Para liquidar a 33500.
Pecas de madapuio com 12 jardas a
35500. Ditas de dito ora 24 jardas a 50,
00, 60500, 70, 80 e 900 K).
LIQUIDACAO.
Pecas de algoa. si jhu de listra proprio
para roupas de escravos com 42 jardas a
00500 e covado 100 rs. pira liquidar.
Chitas escuras para vestidos a 280, 320
e 300 rs. o covado.
Para acabar.
Vende-se pecas de cmbralas victoria, fi-
nas a 60, 00500 e 70000. .
E' mnito barato.
Colarinhos de papel a 240 rs. a duzia.
Certiaides para janellas a 54000.
Vende-se cortina os para janellas a 50
o par. Brim pardo liso para caifa de ser-
vico a 500 rs o metro.
^Cortes de percales a 60000.
Veode-se cortes de percates d daas
saias de bonitas barras a 60000.
Cobertas de chita.
Vende-se a 10500, ditas flnai a 20500,
ditas escamadas e adamasadas a 30500,
ditas forradas 50000.
Gangas para caifas a 280 o covado.
Brim de Ustra ao lado para calcas a 400
rs. o covado.
Lencos brancos a 23000 a duxa, para li-1 do cassiaeta* de enres, asi
qnidar; grande porco de mantas para brins de ao
gravatas a 200 rs. cada nma para liquidar.
Cassas francesas a 280 rs.
Vende-se cassas francezas para vestidos
a 280 e 320 rs. o covado.
Organdyg de cores para vestidos .a 400
e 640 o covade.
Alpacas de cores para vestidos a 800 e
610 rs. o contdo.
Liasinhas pira vestidos a 320,400 e 810
rs. o covado.
O proprietarlo da lija denomieado Arara, te*"
seus fregnezes qae est coaclarado sus ligadscio. por"") qm i
boas fazendas por pouco dinheiro tenh* $__* m-^ ~
72, desde as 6 horas di naohia ai 9 da wte.
a II
e 105 K) cada nm. Crfc de
papel a 20500 cada nm, para
Bramante de linho e aig<>ro am 10
mos de largura o 10800 o metro.
Pao"0 de linho a 760.
Veode-se bra ame de 10 pata t
8ura proprio para lenfes a 2|8UOo
Le*** de eda a M- ra.
Veode-se ama p>rco de
a 800 rs. cada om.
Cale da cam a 1
Vende-se ama graooe porfi
de cassa a 10000 cada om, para
Fastao a 360 rs.
Vende-se fosto de coree paa
a 360 rs. o covado.
Algodo tnfstado a
Vendj-se aUodao enfesUte
e toalaas a 900 rs. o
do a 10200 o m tro.
Ckales e eria
Vende se cnaies de mtim
cOm barra a U, 0800 3*
Granie porco di
Vende-se grade porfi do
cassas e chitas a 240 re. o
A testa esta na porta
Roupa feta eoeootrario
Por precinto moetel
Todo se enromar**
A SABER
Liqitafie ie
Vende-se pal Hots de i>i
prop io para andar em casa a
tos do ganga a 20000 ; dilM
semira a 30000 ; dito <
a 30800 a 40K)O; ditos de
preto a 60. 80 a 00000
miras de cores, a 60 a j
brin de <.------
semiras de cores, a w.W
Calcas zoes p .ra eheravo 8
de algodaosinho ds listra a
de brim par a HNO.U
Us de dito branco de Dao
dita* de casimiras da com
e 80';OO ; caawas de
us de aWodaosiah, pmw V*
vico por ser fazenda fora, a.Utf;
de mvea ioa a 10600 re. s\l-----
aboaSIMtaM ;
ores a 54. 61 U
caita a lJOO, aV
l_^__i


9
\f
"**S !
Diario de Pemambuco SSabbado 19 de Novembro de 187.
>
46 ARMAZEM
FRANCEZ
H, 7
Este conlteeido esiabelecimento acha-se constantemente bem sonido, em virtude das
fectur* que receba por tudo os vapores e navios francezes, dos artigos abaixo menciona-
dos, k precos os mais resumidos que possivel.
CAIi^AltO FRilCfiZ
Botiaas para ^cuberas e meninas.
Botinas pretas, brancas e de omitas outras cores, surtidas e bonitas, do ultimo gos-
:o da moda, e preces mais baratos do que em outras partes.
Botinas para imneus e meninos.
Botinas de bizerro, cordavao, lastro e pellica, das melhores fabricas e escomidas.
Botas e pernelras riisslanas.
Botas e peraeiras para mantara, das melbores qualidades, de couro da Russia, las-
tro a buerro.
Sapatos de borracha para homens e senhoras
Tendo chegado grande porcao de sapatos de borracha vende-se pelo custo>fim Jde
desempatar o dinbeirs nelles empregado, sao baratsimos.
Mupatos de lustro para homens.
Sapatos de entrada baixa de couro de lastro com salto, de muito boa qnalidade.
Abotinados para meninos c meninas
Sapatos abotinados de diferentes modelos, de muito boas qualidades e fortes, tanto
pan meninos como para meninas, muito baratos.
ftapatos de tpete.
Sapatos de tapete aveludado, de casemira, de charlte e de tranca francezes e por-
tuguezes para homens, para ssnhoras e para meninos.
PERFUMARAS
Excellentes extractos, banhas, leos, agua de cotogne, florida, divina, lavande, den-
trke, de toilette, sabonetes, tintura para cabellos, pomada angroise para bigodes, pos de
arroz etc., tudo isto de primeira qualidade, dos afamados fabricantes, Condray, Piver e Labio.
Quinquilharias
Luvas de pellica do conhecido fabricante Jonvin, espelbos para sallas, quartos e ga-
binetes, toucadore- de diversos tamanhos, leques para senboras e para meninas, abridores
de lavas, brincos, pulceiras, botdes, correntes e chaves de relogios e tranceln?, tudo de
oaro de lei, correntes e brincos de plaqa, a imitaco e de mais gosto do que as de onro,
caixinhas de costura ricamente guarnecidas e ornadas com lindas pessas de msica, albuns
e caixilbos donrados para retratos, caixmha3 com vidro de augmento para distinctamnte
ver-se a perfei?ao dos retratos, objectos de phantasia para .toilettes, bolsinhas e cestinhas
de seda, de velludo e de vanes para braco de meninas e senhoras, ditas para costaras, pe-
queos registres muito finos e delicado?, bouqnets de flores de porcelana, jarros proprios
para gabinetes e santuarios, quadros promptos para collocar-se vistas, molduras douradas
para qnadros, estampas finas de paysagens, cidades, figuras e de santos, vidros para eos-
moraua, malas, saceos e bolsas de viagens, esporas, chicotes, bengala?, oculos, lunetas ou
pensinez de prata dourados, gravatas pretas e de cores, abotoaduras de collete e de punhos,
carteirinhas para notas, thesounnbas e caivetes finos, pentes, escovss, ponteiras fie espuma
para charatos e para cigarros, Joros de domin, rodetes, bagatelas e outros differentes, ve-
nezianas modernas mnito conveniente para perlas e janellas, cosraorama?, lanternas mgi-
cas, esteriocopos com interessaotes vistas de figuras e das mais bonitas ras, boulevards,
pracas e paseios de Paris, photographias e caixinhas mgicas, reverberos para candieiros,
tapetes de vidrilhn c de lia de cores para pos de lanternas, realejos-grandes e pequeo?,
harmnicos, neordioos de todos os tamanhos, hercos de vimes para enancas, sapatinhos e
toncas de laa, carrinhns de .1 e i rodas muito elegantes para conlinir crianzas passeio ; e
outras umitas quinquilharias de phantasia, francezas e allemaes, preces muito em conta.
Para este artigo nao ha esparo era lempo para a mas-ante leitnra da infinidade de
gneros le brinquedos fabricados em diversos paizes da Europa.
ATTENCAO
O dono deste estabelecimenlo pede ao publico em geral que continu a visita-lo
veri8cando as qualidades e os precos baratos de ditos objectos por serem viudos em di-
reitera e de conta propria.
ATTENGAO
Jos Joaquun da Cosa Maia, tem venda do sea a mazera, sito no largo do
Pelourinbo n. 5, os objectos seguintes, e que vende por precos mais commodos do
que em onlra qualquer parte :
Oleo de inbaca.
Couro de lustro.
Saceos de estopa.
Estopa ero peca.
Vinbo Bordeaux em caisas.
Feltro em pe^a para forrar embarcac5es.
Encerados.
Tenas de ferro galvanisado, de differentes tamanhos, para cobrir casas.
Ferro Jiso galvanisado para forrar embarcaces.
Pregos ga'lvaoisados.
Cantara de Li?boa.
Dita soteiras
Dit roarmore.
Taboa* de marmor* de diflereates groranras.
Ladriliios de marmore de differentes cores e tamanhos. .
Ditos fle Vpedni de Amara, q*t e brancos.
Tamales de pudra fina de diflwentes turaanhos.
ledras para lavatorios.
Taboas de lotiza.
Pias de louza para cosinha.
i""
=
MAO HA MAIS ABEJLliOBR l MCOS
A tintara jaooneza para Ungir os abellos da cabera e da barba, foi a nica admit
tida Exposif&o Universal, por ter sido rconhecida superior s todas as preparares
ate boje existentes, sem alterar a gande. Vede-se a l000 cada frasco na
RiMi da Cadeia n. 51 l andar,

3
tei
^3
ce 2. P SO
B.
s p
p-
p S
>* so
0 P P1 P ce m
r8*
p-o o i
CD
o en P es O t=f
*t s. 3
&


tle um eventivo seguro e certo conii rB
Ca calvice,
e d e restaura forrea e sanidade a peto
da cabecat
Elle de prorapto faz cessar a, queda prema
tura dos cabellos.
Elle d grande riqueza de lustro aos ca-
bellos,
Elle doma e faz preservar os cabellos en
qualquer forma e posicSo que se desejf
n'um estado formoso, liso e macio,
Ele faz crescer os cabellos bastos e com-
pridos,
Elle conserva a pelle e o casco da cabec*
limpo e livie de toda a especie de caspa
EHe previne os cabellos de se tornaren
brancos.
Elle conserva a cabeca n'um estado de fsaj
cura refrigerante e agradavel,
EHe nao demasiadamente oleoso, gordo-
rento ou pegadico,
Elle nao deixa o menor cheiro desagra
davel,
Elle o melhor e o mais aprasivel artig
para a boa conservado e arranjo dos ca
bellos das senhoras,
Elle o nico artigo proprio para o peo-
teado dos cabellos e barbas dos senho
res,
Nenhum toucador de senhora se pode con-
' siderar como completo sem o
O CABELLO.
Tonteo Orleatal
o qual preserva, limpa, fortifica e aformose
Acha-se a venda nos estabelecimentos dt
A. Caors, I. da C. Bravo & C. P. Maure
4 C, M. Barbosa, Bartholomeu A C, e en
todas as principaes lujas de peruuariaf
e boticas.
Covado a 160 rs.
Canibraia franceza para vestido com peqaei
toque, covado 460 rs.
Dita dita dita, covado 320. 400 e 500 rs.
Chitas escuras, covado 280, 320 e 360 rs.
Laa p^ra vertido, covado a 00, 240 a 500 rs.
Alpaca de listas, alta novidade, a U, 14, U-
Camhraias brancas victorias e transparentes,
oeca 3^ a lis.
Algo i o e madapolao, peca 51 a 10.
Mol>kines, lazenda nova para calca, corte a 3J.
Cortes de vestidos brancos com barra de cor,
;rte a 24.
Saias bordadas, grande pechincha, a 24 e 24500
Soutembarque? de alpaca a 14500 e 24.
Va loja Flor da Boa-vista, de Panlo Guimaraes,
rna da Imperatriz n. 48.
Vende-se sement de coentro e alface muito
novas : na rna da Guia n. 7, taberna.
Cerveja branc t e preta
Nova loja de joias
RA DO
CABUG.V N.9 A.
DE
!.'*'
Manoel da Cunha Saldanha & C. $&
Acaba de abri-se este estabelecimenlo de joias, o qual tem grande sorti-
*f ment de todas as joias de ultimo gosto, as quaes vender o mais barato pos-
sivel.
Toila8 as Joias ser3 ?arant'das ouro de lei, pois os seus donos tendo em
f v visla so adquirir freguezia u5o oividaro, vender bom e por preces os mais
v ^ razoaveis possiveis.
I.-'. -, Convida-se o publico a vir a este esSabelecimento, certo de qee ficar
mgs satisfeito.
A' MAO DE OURO RA DO CABUCA N. 9 A
^ | k "i^^S^'^?^^^l<
fe
m
m
DA
MIBCA Z
engarrafada por
Bloodo Wolfe&C.
especialmente para o Brasil
UNICuS AGENTES EM PERNAMBUCO.
/. Jefertes $ .
46. Ra do ('ommercio46.
.Vende-se urna pequea casa de laipa cober-
ta de telha, no lugar das Areias, freguezia dos
Afogados ; a tratar na ra da Penha n. 25, 1.
andar.
Fitaasul, na ra do
Cabng n. 2.
Sao chegados a este estabelecimento chapeos
Pretnspara hornera (formas as mais modernas) a
104000, assim como basqninos de gros-de naple?
crochets prelos para senhora, os melheres que ha
no mercado cassas de cor a 240 r?. o covado
chitas a 200 rs.; cortes de chitas olindenses
duas saias a 64; cobertas de chita chineza for-
radas a 64 ; ditas de crochet, ricas, a 124, as me-
lbores que tem apparecido: tudo a dinheiro aue
para acabar.
smo.
Vende e por preeo
praca, leo caja, agoi_
convento do Calino, erllab
Vndese Ba para bordar, kim*M eoiw, at
diminuto prec de 74 : veskwn roa i Ca*M
a. 50 A, loja de iudM. ^^___^^____^_
Cal nova de Lisboa
Barns grandes, e nllimanmft el
de-se per commodo pre;o : do can t,
velha, e-criptorio de Azevedo k Barbos
Ainda existein venda algaoa* IHf
propria! para purificar agtu, as qoaw
cholera, febre amarella e oatras mhilaw ;
de-se na roa do Commtrrio 38. fa
casa xende-se um relugio de oaro
metro.
Agnad Vichy
Das fonies
HATEnn'R E CELESTT
Vende-se por meco do que
qoer parte do armazem da roa dj
II.
Farelo novo de Lisboa
Vende Maooel loaquim Conrea Braga. ^
de 100 libras a 4iW)0 : nn armazem
fronte (lo arco da Cooceico.
icabam de saliir a luz as se-
guintes pecas para
PIANO
limalinda valsa d'Anlili
Ideal e realidade miiiio brnita
phantasia pelo maestro Cazai-
bcre
Postilholinda r,h;.na>ia exrecta-
da com grande applaoso pela
msica allema
Habaneras lindas dansas para-
?;aayas, que tanto furor aqm ttm
sito
ACABA DE PUBLICARSE
t collecQo de mosicas dos cavailinbos para
mm
un
MM
IMi
FL4UT1
Receben mais grande sortimrnto de
sicas para piano, e piano e canto, e te
1 opera
IL
V
para piano e canto, e tambero os roe t.-re*
pedacos para piano compjsi^o do iWus-
tre compositor brasireiro
Carlos Gomes
joq -tanto furor (ez na Italia, e boje tn 00
Rio de Janeiro.
A* VENDA NA
MSICA
DE
A. J. de Azevedo
i RA DO BARO DA VICTORIA (ARTI-
GA RA NOVA N. II).
LISTA
170.
a
2.
DOS PREMIOS DA A. PARTE DA LOTERA CONCEDIDA POR LEI PROVINCIAL N. 472, A BENEFICIO DA MATRIZ DA CHUNGA, EXTRAHIDA EM 18 DE NOVEMBRO DE 1870.
SI. PREMS. hB. PREMS. KS. PREMS. NI. PREMS.
2
13
23
30
31
33
39
47
32
58
62
75
7
77
78
9S
104
7
11
18
11
S3
33
3C
37
80
54
55
37
68
*
7S
W
83
88
9S.

203
8
U
14
15

30
13
38
6/
100*
1 #
9003
6d
10*
6*
236 6* 420
37 30
39 31
40 34
43 35
49 38
52 41
53 45
57 10* 52
62 6* 55
63 - 89
67 69
68 70
69 73
72 10* 77
76 6* 78
77 79
91 82
95 85
307 86
8 92
17 93
29 _ 502
34 _ 6
43 __ 8
45 11
48 14
50 15
57 . 17
61 19
68 20
69 24
70 31
83 20* .48
85 6* 50
67 (-1 78
90 H
91 2
94 3
402 - 94
J 604
10 . 9
12 12
16 26
17 32
18 20* 31
19 H 39
6*
<~
C41
47
48
60
51
52
54
55
60
70
71
79
94
95
98
99
706
11
15
23
26
34
36
39
45
49
50
51
58
60
62
65
71
73
74
79
91
800
1
12
17
23
N

18
37
50
6*
20*
6*
NS. PREMS.
851
52
63
64
66
79
84
901
5
8
12
24
25
26
32
34
38
43
44
48
62
/>
7.0
75
02
93
08
1000
3
12
17
19
29
31
37
41
44
56
61
75
79
1
81
6*
20*
6*
KS. PREMS.
NS. PREMS.
1089
94
96
1100
4
6
9
15
20
21
24
46
47
51
62
64
68
69
72
78
1211
14
15
20
23
24
34
37
38
42
51
52
6
m
72
81
90 s
96
97 '
6
1307
16
11
*96
0*
10*
6*
1328
36
40
43
48
69
80
83
92
96
1406
8
9
13
16
18
23
27
36
44
45
51
54
59
74
76
83
84
91
92
"94
1509
13
14
16
16
19
16
34
38
39
56
97
71
79
71
6*
200*
6*
10*
40*
6*
101
e*
NS. PREMS.
1881
83
88
90
92
93
99
1603
12
30
33
39
54
3
92
86
87
90
5
99
1708
13
20
34
86
39
69
47
-40
50
68
71
72
73
76
77
82
84
68
89
90
92
94
98
1661
9
6*
20*
*
NS. PREMS.
40*
6*
_ ;

1807
11
16
17
18
20
25
29
38
41
43
46
,55
57
78
79
81
82
93
1903
4
6
14
17
20
22
13
28
26
34
38
38
41
44
88
56
73
7
77
89
9*
93
96
m
10
w.
10*
6*
10*
6*
NS. PREMS.
2018 6*
20 -
23
27
29 -
35
37 -
57
. 70
71
76
84
87 -
89 -
90
91
92
93 -
97
9100 -
4
8
10
14
30
33
38 -
37
85
67
60 -
63 -
66 -
69 -
76 -
77 -
80 -
84 -
96 -
2205 -.
It
17
19
17
18 r
31 -
NS. PREMS.
2232 6* 2447
35 50
44 37
48 59
57 61
61 66
71 72
74 73
78 76
79 77
83 80
-68 _ 83
89 91
92 97
93 2510
96 12
2301 15
5 20* 16
9 6* 18
14 19
.30 23
32 28
58 29
59 31
63 32
67 35
68 38
74 47
76 48
81 84
88 58
2401 61
4 62
7 10* 63
8 6* 69
10 70
1 73
16 99
17 -- 2608
10 17
16 11
18 27
33 16 31
38 6 33
37 36
40 37
NS. PREMS.
6*
20*
10*
6*
INS. Pl IEMS.
2643 6*
56
66
70 10*
74 6*
75
89
NS. PREMS.
93
96
1702
3
4
8
ll
21
26
41
45
48
62
66
71
80
89
91
95
96
97
2802
7
15
13
34
36
41
48
59
17
69
78
74
75
76
80
81
. 90
10*
6*
10*
10*
6J
10*
2895
2907
8
11
17
34
35
36
39
44
45
47
52
54
57
64
67
70
78
83
84
85
89
96
97
99
3001
7
8
12
16
19
11
11
18
29
33
s
40
41
44
40
49
55
60
10*
;6*
NS. PREMS.
100*
6*
40*
6*
3065
67-
70
74
75
78
87
92
99
3101
2
3
9
13
15
18
20
21
21
28
38
36
41
43
46
49
66
88
61
63
67
71
74
78
79
96
91
99
3111
13
14
19
11
ir
0
6*
10*
6*
10*
6*
400*
6*
6*
10*
6*
100*
61
18 -
NS. PREMS
3129 6*
31 -
39
41
48
54
61 -
61 5:000*
71 O*
74 -
7 -
81
83
86
87 -
93
97 -
99
3301
6 -
7 -
f -
10
14 -
22
30
31
39
41
43
56
87
60
M
46*
6*
66
75
76
78
84
06
89
91
98


-* -
8
Diario de Pernambuco Sabbado 19" de Novembro de 187$)

>


I
i
i
AftBlCETDBA.
algodi
Do algodoeiro.0 algodofiro coost toe o
mais importante genero, Gosei/pium, da fa-
milia das alvaceas, fazendo parle da see-
Cjtoou tribu das Hibimas. As varias es-
pecies desse genero sao plantas herbceas-
vivazes, ou mais gecalmente aroustos que
crescem al 25 ou 27 palmos (6 meiros) de
altura.
Caracteres botnicos.As folhas sao al-
ternas, pecioladas. cordiformes, palmaiin^r-
vias, tri. ou quraquelobadas, sendo os lobos
agudos.. As flores sao grandes, vistosas, e
nolaveis por sua corolta de bella cor ama-
relia.
O.* fructos, que vulgarmente sao chama
dos macat, teem a forma de orna capsula
ovoide, de vrtice ponteagudo, abrindo-se
ao termo do sen amadurecimento em 3 ou
4 valvas (dehiscencia hculicid); cada frus-
to dividido 'Menormente em 3 Oo 4
compartimentos (lojas) por outras tantas fu-
Ihetas (septos) ; cada compartimenio ou luja
contm 3 7 sementes pretas, ovoides, en-
volvida poc om frco de filamentos, mais
uu menos Jongos, mui finos, de cor branca
ou arruivascada. Estes frcos de filam- n-
tos teem por origen) orna f irmaco de rel-
ies, emanado da episperma ou tegumento
proprio da sement, e coii3liiuem a subsl.tn-
cia textil, conhecida pelo nome de algoJn,
a qual representa na industria moderna pa-
pel imporiantissimo, como tambem era co-
nhecida e utilisada, do mesmo modo que
boje, pelos povos da mais remota antigui-
dade.
Os botnicos consideran) os diversos al-
godoeiros, cultivados ou silvestres, como
simples variedades de pequeo numero de
especies; nio esto, porm, de accordo
quinto ao numero certo das especies.
Assim Linno menciona 5 especies; La-
marek 8; de Candolle 43; ao passo que
Robr admitle 29, e o Dr. Ryle somente 4.
Citaremos aqui, nicamente, as especies
mais importantes.
i." O algodoeiro herbceo ou de Malta
(Gossypium herbaceum), urna planta an-
nual, que adquire rpido desenvolvimento
em poucos mezes, elevando-se de 50 cen-
tmetros i 1/ metro de altura, conforme
o grao de fertihdade do terreno. Distin-
guere das outras especies por ter suas fo-
Ibas as divises ou (s lobos cuetos, arre-
dondados e terminados bruscamente por
urna pinta delgada, e demais pela existen-
cia de urna glndula na base.
A flor de cor amarella clara, e com urna
mancha purpurina na base de cada peala.
A capsula do tamanho da noz e apr-
senla 3 compartimentos ou lojas. Fornece
um algodao do mais puro branco, ou ama
reliado. Esta especie originaria da Asia.
2." O algodoeiio arbreo ou arborescente
(Gossypium arboreum ou arborescens),
um arbusto de 5 6 metros de altura, que
vive muilos annos. As folhas desta especie
sao tongamente pistoladas, quinquelobadas,
e munidas de duas estipulas. As flores sao
cor de purpura, e no mais semclhantes as
da especie herbcea. Os fructos s5o cap-
sulares, c conteta 3 ou 4 lojas.
V.ve esta especie na India, na China e ns
Arabia, donde foi transp antada para as
ilhas Canarias, que, seu turno, a cedeu
America. Produz excellente algodao; ,
porm, menos cultivada que o algodoeiro
herbceo, por ser diflicil a colheita dos
frucios, vista da altura do arbusto.
3. O algodoeiro da India (Gossypium
indicum), oriundo do paiz, que seu nome
especifico indica.
Nan excede 4 metros de altura ; suas
flores sao cor de purpura ou araarellas com
o unguiculo (p das ptalas) purpureo;
seus fructos sao capsulas de 4 lojas, e de 4
valvas; finalmente suas folhas sao geral-
mente pequeas, com 3 ou 5 lobos alonga-
dos ou agudos.
4. O algodoeiro felpudo (Gossypium
liirsitum), natural da America. Tem esta
especie, que animal ou biennal, os segura-
tes caract .res; ser mui ramosa e felpuda;
as flores de cor amarella ; as folhas moles,
pubescentes as doas faces, e com os pecio-
los igualmente felpudos.
5. O algodoeiro religoso ou de tres pon-
tas (Gossypium religiosum), pequeo ar-
busto de 1 1 1/2 metro de altura, carac-
terisado pelas flores que sao, successiva-
mente, brancas, ruivas e vermelhas, e pelo
comprimento do estyletc, ou columna do
FOLHETIM
I VIVA DIPIIS M MOR.
POB
Xavier de Montpin.
paute i iiu i m \.
A CONDESSA DE RAHON
(Conlinuaco do n. 262;
XX
Urna noticia Importante.
Um silencio profundo, um silencio de
assombro, quasi de estopor, succedeu
aquellas palavras.
O marquez de Saint-Maixent, mais lvido
que um phantasma, dizia comsigo :
Oh os meas receios... os meus
receios i... Que o inferno se abra para
tragar esse atbade maldito 1
Os coveiros interrogaram com a vista o
abbade, que mudo e immovel, leve alguns
segundos de hesitacao ; mas ao cabo fez-
lhes um signal, que quera- dizer :
Obedegam.
Os coveiros pozeram logo mos obra.
A tampa do caixo eslava presa com pa-
rafusos em vez de presos, e a ferrogem
nao Uvera anda tempo de os agarrar ma-
deira, de modo que bastou orna facca para
os tirar um aps outro.
O trabalbo foi demorado, nao obstanle ;
mas afioal sabio' o ultimo parafuso, levan-
tou-se a tampa, e entre as dobras de um
branco sndario, debnxou-se urna forma bu-
mana.
O conde j nao respirava.
Comprehendia-se que queria laDcar-se,
precipitar-se sobre o cadver ; mas as
suas forcas nio correspoBdiam sua von-
tade.epor outro lado, Saint-Maixent ano-
parava-o com ambos os bracos. ,
Annibal proeorava soltar- e; mas o seo
estado de fraqaeza, toausava-lhe a resis-
pirtHlo O frneto urna cptala de 3.1o-
jas ou compartanlos o abrindo-se em 3
valvas ; fornica ama especie de-algodo de
excessiva branenra ou de cor ruiva, con-
forme as variedades da plaa.
O.9 O algodoeiro folha de videira (Gossy-
pium vittfilium), assim denominado pela
semelhanca.qe aprsenla suas folhas com
as da parrefca. Desenvolve grandes flores,
pe inoculadas e aaiarellas, com ama mancha
vcrmelh na parte interna do unguicu'o. O
Inicio urna capsula ovoi le, Irilocular e
trivalvo. Esta eperio parece ser natural
da India, e cresce at 3 ou 4 metros de
altura.
Os agricultores do algoso grupam as va-
rias especies d< algodoeiro em 3 fraudes
classes, cojos fundamentos s3o a altura do
vegetal, e que do : Io os algodoeiros Iter
haceos ; 2o os algodoeiros arbustivos ; 3o
os algodoeiros arbreos.
A zona de cultura do algodoeiro extre-
mamente vasta ; com effrito, este vegetal
dejeovolve-se bem, nn s as regies tro-
picaes dos-dous bemispherios, como tam-
bem nos paizes cuj temperatura nao desee
abaiso de 16,25 17,50 ;cent grados, o
que acontece, por exeraplo, na Grecia e na
Hespanha. Na.Eunpa, a cultura do algo-
doeiro ces3a no parallelo de 45 de lalitude
norte. Ni Asia, eslende-se at 46 do lado
le Astrakhan, e al 4le_na costa oriental,
na Chica e no Jipo. Os limites sao os
mesmos, prximamente, na America septen-
trional ; porm, m America meridional, a
zoaa do cultura desee at 3 de lalitude
austral na costa oriental, e 33 na costa
ocidental. Em todo o vasto continente da
frica prospera o algodoeiro.
II
Cultura do algodoeiro.Este vegetal ex-J
ge terrenos seceos e arenosos.
O sal eommum parece influir na boa qua-
lidade dos productos, porquanto observa-se
que as melhores variedades, partcolarmen
lo o Sea Island, s prosperara ventajosa-
mente nos terrenos visinhos s costas mar-
timas.
A cultura do algodoeiro reqner muilos
cuidados e assaz minuciosos; nao pode,
poif, ou nao (leve aecupar grandes espatos
cada ilgodo:l. Nos Estados Unidos, por
exemplo, as maiores plantages nao abran-
gem mais de 15 10 hectares de terreno.
Para formar um algodoal, procura-so um
terreno movel e bem desaggregado para
que as raizes pos-san desenvolver-se fa;il e
livremente.
As sementes sao disposlas, no teto de
semenr-se, em tirillas ou em quinconcios,
e,u covas de 25 30 centmetros (cerca de
1 1/2 palmo), e distantes urnas das ou-
tras de 1 metro para as variedades do algo-
doeiro herbceo, e de 1 1/2 2 melros
para as oiras. Deila-se 4 ou 5 sementes
em cada cova, affasladas as semenles de 10
15 centmetros. Ao fim de oto das as
sementes comecam a germinar. Logo de-
pgis d se a primeira limpa ou monda, ar-
rancando as hervas silvestres, que viriam a
suTocar as tenras plantas ; esta opjrago
repet -se diversas vezes, e quando fur ne-
cessana, at a poca da flores enc-a do al-
godoeiro. Arranca-se igualmene, de cada
cova, os ps mais fracos, deixando ficar so-
ment? os mais vigorosos.
O apparecimenlo da primeira fl.r n'um
algodoal sempre festejado como uta feliz
acontecimento. Ce.rca de 70 das depois,
as sementes tendo attingido o lernio da ma-
dureza, as capsulas, ou maas, que as en
cerram, abrem-se naturalmente e o algodao
apresenta-se fra, alvo como frocos de ne-
v : chegada a poca da colheita.
Como, porm, o algodoeiro tem ao mes-
mo lempo botoes de fbr. flores em diver-
sos graos do desabrocbameoto, e fructos
maduros, comprehende-se qae esta phase
da cultura dever prolongar-se por slguns
mezes.
Faz-se a culheila, arrancando com os d-
dos as semenles envolvidas pela materia fi-
lamentosa, deixando a capsula apegada aos
ramo Um trabalhador activo pode co-
Iher de 12a 150 kilogramraas de algodao
por da. Logo depois de colhido, trala-se
de secca-lo ao ar lrvre, estendendo o sobre
tendes, poslos sobre pyros, ou em eiras
bem calcadas seccas; depois de que re-
colhido aos depsitos ou armazens. Esta
s:ca indispcnsavel, porquanlo facilita
muito a separaco dos filamentos das se-
mentes, separaco que consti'.ue a operado
chamada do descaro(amento, e que se effec-
tua por meio de machinas especiaos, e cu-
jas formas variara conforme o paiz.
Terminada a co'heita, d-se rnna ultima
monda on limpa ao terreno, e lira-M as
plantas moras Em algor paizes,- qirebfa-
se apenas o tronco dos,algodoeiros, deix.m-
do-os sobre o terreno ; porm, preferi-
vel poda-Ios 33 cenlimetro (1 i/i p*imo)
do cliSo.
Os aigodo^iro herbceos produzem logo
no primeiro anno. Assim acontece tambem
s vezes com as outras especies ; geralmen-
te, porm, somente ao flm de dous annos
que a phnt3 corneja produzir.
As variedades vivazes s3o podadas anna-
almente, resultando rebento que fl .rescem
com vigor. Finalmente, aocabo de alguns
annos, ordinariamente 4 on 6, o algodoeiro
perde sensivelmenie a ficnldade producti-
va ; pie-se entSo decota!-os; aorra, or-
dinariamente, abandona-se a plantado e es-
labclece-se novo argodoal em outro ter-
rena.
A cu'tura do algodoeiro, de ficto, exgma
enormemente o solo, e inf jlizmenie s5o bem
evidentes os desastrosos effeitos que ella
.produzio sobre centenares de milheiros d
hecsares de terrenos, reducidos por ella e
esteridade, nos Estados-Unidos.
As plantac5es estSo, por outro lado, ex,
postas aos ataques do diversos inimigos. Os
mais ene-amigados s > duas especies do nic-
tuellas (N'ictua subterrnea e N. gossypii),
a ultima dasquaes, no estado de larva, des-
poja muitas voznas planto de sua: folhas.
das fbres e do fruclos no espado de 24
horas I N3) menos nociva a ygale avicu-
lar, que dando caca no interior da terr aos
pequeos n ectos, de qiw so nutre, ou fa-
zendo os ninhos, corta as raizes que enco.'i
Ira em seu tr-tjecto.
Sao tambem notaveis pelos estngoi, qie
cansam un\, Xyloph-igo (Bostrichus capu-
china/) qu penetra o tronco e ramo do al-
dociro, e as cochonilkas que invad-m por
myriadas as plantarles e fazera perecer os
algodoeiros sugando-lhes a seiva.
III.
Do algodao, ou mitcria textil do algo-
doeiro.Avadase a producgSo mdi da
um algoloal, por hectare, em 1,200 kihgr.
de algo !o bru'o, isto tal qual colhido
das plantas; em 800 ou 900 kogr. de
algodao descarnado. Como, porm, um
hornera nao pode descarofir mus ds mio
kylogramma (cerca d-i 1 lib-a) por dia, re-
correa-se machinas, que differem confor-
me os paizes. Urna das miis simples
aquella que se desighi, na America dj Nor-
te, pelo nome de rollcr gin, isto machina
de rollo ou cylindro, a qual coisisteera
dous cylindros de ferro ou da madeirahrte,
de mui pequeo dimetro, que giram hori-
sontalmente em santido contrario um do
outro poslos era movime ito por um pdil,
ou por meio d'agua.
Os cylmdros podem ser approximados
ou afastados um do outre, vontade, afim
de que as sementes nao passem pelo inter-
vallo delles. Posto o algodao bruto na ma-
chi ia, os cylindros agarram os filamentos,
pucham os cxnrcenJo um certo esforz de
iracgSo, e por este meio os separara dos
carogos sem partir a fibra. Esa machn,
de simples construcc3ot pode descarocar
cerca de 4 ou 5 kiiog. de algodao por hora
O raoinho de sem(saio-gin), do americano
Witney, compe-se de um systjma de cylin-
dros ernssados de ponas ou especies de
denles curvos, que acluam como cardas;
rom esta machina obtenhse trabalno tres
vezes maier do que com a precedente ; p>
rm, tem ella o grave inconveniente de rom-
per os,longos filamentos do algodao.
Finalmente, depois de descarocado e com
pletamente separado o algodao das semen
tes, irata-se. de limpal o da poeira, baten-
do-o com varas ou erapregaodo para esse'
fim machinas especiaos. Depois desta ope-
rario, enfardado para ser enviado s fa-
bricas ; no comraercio, toma entSo o nome
de algudaceinli ou em rama.
Os algodes variara de cor e de qaali-
dade, segundo a especie do algodoeiro que
os produzem. Assim, uns s) de cor bran
co mate; < tino lustroso ; liratn alguns ivo ott pardo,
e outros apresenlam diversos mitzes ou
radacoes do amarello. Qoanto s qualida-
des.consistem essencialmente na tenacidade,
r.a flexibilidade, na macieza ou brandura,
e principalmente no cumprimeato dos Sos,
isto dos filamentos ou fibras. Nos mer-
cados commerciaes, costuma-se dividir 03 al-
godes em duas categoras, os de longi-fi
bra e os de curta-fibra, designando alm
disso cada especie pelo nome da localidade
d'onds provm. O Sea Island, chamado
tencia. Enio, com aqulla mesma voz
que gelava de espanto os que o ouvam,
como fe fosse a voz de um morto, disse :
Levanten) o sudario...
Os coveiros linbam-se afastado alguns
passos.
Ajoelhou se um frade ao p do caixo,
e com mao trmula, levaotou o hmido
envoltorio. .
Appareceu ent5o o rosto da morta ene-
grecido pela apoplexia, decomposto, im-
possivel de reconhecer.
J nSo era Julia Chadorant, era a con-
dessa de Rabn, mas sim orna vis5o asque
rosa evocada sbitamente por um genio
mo.
Annibal solton om grito surdo, despren-
derse dos bracos do marquez, den um
passo para diante e cabio sem sentidos
beira da cova.
Saint-Maixent approximou-se do abbade
com viveza.
Em nome do co, monsenhor, disse
Iheelle, por piedade, por bumanidade, or
dene que fechem quanto antes o fretro I
Se o mea desgranado primo tornasse em
si e vase pela seganda vez este horrivel
espectculo, creio que morreria ou endon-
deceria.
Tem raz5o, senhor marquez, replicou
o abbade. Oh 1 p humano 1 accrescenton
n'isto te convertes qaando te falta o sopro
da vida 1
0 frade tornon a cobrir a cara da morta
com as dobras do sudario.
Os coveiros Irataram de pregar a tampa,
e, quando Annibal recuperou os sentidos, s
encontrn sea lado o marquez e o abba-
de, que Ibe prodigalisavam os seas cui-
dados.
O caixo eslava j havia tempo entre os
brazoes e pannos pretos do carro fnebre.
Monsenhor, murroorou o coode, per-
doai-me a fraqueza qae me fez desfallecer
na vossa presenga... O homem ama
crea tura misrrima...
Qaando o suave rosto qae tanto amei me
appareceu tal como a morte o poz, sent
urna commocSo inexplicavel... Jalgoei
a de boje, al morrer... Ate ao di estej
momento, tenho ignorado toda a exteaso
que pode tomar a dr... D'aqui em dian-
te j nada me resta saber... Tundes
feito muito por meo respeito, monsenhor...
Mas eslai certo de que a miuha gratido
ser to inexg tavel como as vossas hon-
da 'es...
A comitiva poz-se camraho com leotido
solemne. Atravessou o bosqae de Ebueail,
passou por (liante da casa solitaria e seguio
pela estrada que conduzia aldeia de S.
Judas.
Quando o carro funebro e as duas car-
ruagens entraram na aldeia, Saint-Maixent
deitou a cabega por urna das porlinholas e
olhou.
A estalagem da3 Armas de Franca pa-
reca deserta ; portas e janellas, ludo estava
fechado e silencioso. A tabolela havia des
apparecido.
Grande afflaencia de aldeos, attrahidos
pela curiosidade, interceptava o caminbo.
Lzaro apeiou se da almofada e passou
por ao p do marquez que he fez um srg
nal e lbe disse em voz baixa :
Porque motivo est fechada a esta
lagem ?
O criado foi um dos gropos, interro-
goo, e poucos segundos depois trouxe esta
res posta:
E' porqae morrea o tio Gailberme.
Saint-Maixent deixou pender a cabeca.
0 povo arredoase, e o prestito fanebre
seguio lentamente a sua viagem.
Tinha-se mandado um correio ao castello
de Rahon, afim de annunciar a funesta no-
ticia e a prxima chegada dos restos mor-
laes da condessa.
Em todo o paiz, muitas leguas em redor,
se notoa um futo sincero e profundo.
, Lactancio, o honrado mordomo, teve
lodo o caidado era gemer anda mais do
3oe os que gemiam devoras, e como nao
esprezava as oxasies de piotar o sea
zlo, ordenoo g~randes peparativos.
Qaando o comboio chegou aos limites
dos dominios do conde, os sinos de tolas
as igrejas principiaran} dobrando finados ;
os sacerdotes de todas as parochias, vestin-
do comprfdas csalas pretas cota croz
ordinariamente Georgia hngx fibra, o p-i-
mei loa os algoddds coahecidos, e
por isso mesmo o maii caro.
Os outros algoi'S di cau*goria longa-fi-
bra, alo clissrflcidos ni seguate or Jem:
Bourbon; Jamel ou Egypto ; Porto Rico;
Caveona ; Pernambuco ; Motril ou Granada;
Babia ; Camoochi; Para ; Miranhio ; Hait;
Minas; Guadeloupe ; Cuba; M.irtin ci:
Trindade de Cuba ; Cumana; Caracas e
Cartbagena.
A' frente-dos curta fibra cooca se o al-
godao da Luisiana; seguem-se depois, em
a ordem de seu valor respectivo, os de
Ciyenna, Alabama, Mobile, Tennesses, C)
ro{ina, Gaorgis, Senegal, Virginia, Soubon-
jack, Kirkagach. Knick, Surate, Madrasta,
Alexandria e Bengala
Resulta desta enumerado que sao os Es-
tados-Unidos que produzem as mais bellas
e mais eslimadas especies de algodao, e
foroecem cerca dos 3/4 dos algodes con-
sumidos annuahnenle no mando inteiro. Os
longa-flbra americanos so empregados n i
fabricago dos tecidos mais finos, como sao
os percales ou tulles (fil-) e as musselinas
(cassas); os algodes carta-fibr servem
para os eslofos communs ou entrefinos, es
pecialmente para a fabricagSo das chitas.
O Brasil produz geralmente algodes da
categora longa-fibra, mu procurad >s espe-
cialmeote para a confecgo dos madapolans
e para os diversos artigos de bonetera.
Algumas das especies brasieiras concor-
rpra cora vantagra e priraazia en .re as me-
lhores dos Estados Unidos e de outros pai-
zes, e com prazer consignamos o facto, assiz
honroso para a lavoura nacional, da que os
mercados de nnsummo do algodao vo se
abaslecendo da anno anno de quantidades
successivamente crescentes desta genero.
Gumpre notar que os algod3s brasileiros,
curta-fibra, sao apenas empregados na pas-
samanaria, e na*confec;5o de teci los eros-
sos. E' preciso, po:s, tratar de cultivar as
especies que fornecem osalgolis decuria
libra, de sorle a pl-os era ostad de lutar
cora vantagem cora as das o itras proceden-
cias o que nao ser difflcil-havendo trabi-
Ibo da parte dos lavradores.
Os tecidos de algodao, posto qua menos
duraveis que os de linho o de canliamo, re-
commendam-se entre todos os outros forne-
cidos palas plantas textis, por suas quilda-
des hygienicis, qu^. os tornam igual nenie
propros a preservar do fro e do calor. Por
ser mi conductor do calrico, as vestes
d'algodo conservara bem a temperatura
propria do corpo nos paizes frios; e p>r
absorver proraptamente o sur, teem a gran
de vanlagem de, nos paizes quentes, facili-
tar a transpiragio, prevenindo assim graves
molestias que se originara, da suppresso da
exhalago cutnea. A roupa de linho ,
rustes paizes, extremamente nociva.
As sementes do algodoeiro servem para
a alimenticio do gado, cora o tambem forne-
cem ara oleo ass*z bom para lampadas.
A pasta d'algodo goza tambera de certas
propriedades modicinaes; applicada sobre
as queimaduras do corpo, minorara conside-
ravelmenle as dores. Era certas lugares do
Brasil, adrairiistra-se o cosimentodas folhas
lonras e dos carogos do algodoeiro nos ca-
sos de dysentera, ede asihma. As semen
tes maceradas em vinagre fortes sao tambem
empregadis como tpicos contra as enxa-
queas.
O algodao, cuja coraposigo chimica a
da cellulosse pura, sto formada de 12
equivalentes (partes) do carbono, 10 de hy-
drogeneo e 10 de oxigenoo, produz urna
substancia nimiamente explosiva, quando se
se deixa em immersopor 12 ou 15 minuto*
em acido aiotico monobydratado (agua for
te); nesta operago, o algodao nao perd sua
forma, porm lixa urna certa quantidade do
acido. Lava-se depois o algodao em agua
pura e secca-se com milita preca'ugo, e ob-
tem-se o algodo-polvora, ou pyroxilina,
substancia, cujo aspecto o do algodao, po
rra que defligra sub.tamenle ao contacto
de urna braza. A coraposigao do algodao
plvora, segundo as aualyses dos chimicos,
corresponde seguinte formula Gl H ,7
O ,7 3 Az O3, sto 24 equivalentes de car-
bono, 17 de agua pura e 5 de agua forte
(acido azotico anbydro). O algodao-polvora,
erapregado as armas de fogo, imprime
baila a mesma velocidade incial, que urna
carga de plvora 4 vezes mnor; tem alen
disso a vantagem de arter completamente,
sem deixar como a plvora resi loo, que.aca
ba por obstruir a culatra das arm^s, preju-
dicando, por isso a preciso do tiro. Alera
destes mritos, tem anda em seu favor
branca, entoaram sagrados cnticos e su-
premas lamentages, e millares de aldeis.
vestidos de luto, com a cabega descoberta
o os olhos chorosos, formarara duas filei-
ras para saudarem ama ultima vez na sua
passagem a que em vida fra para elles
urna Providencia, mi caritativa e boa ; de-
pois, medida qae o carro fnebre ia pas-
sando, segoiram-o, e s se ouvia em tor
no das carruagens o ruido dos solugos aba-
fados e os passos de urna turba compacta.
Chegaram afiual, no meio do commovido
acompanhamento, igreja paroebial, distan
le do castello um qoarto de legua.
N'aquella igreja estava o paniheon dos
fidalgos da trra.
Celebroa-se o offlcio de defuntos, e o
caixo onde estava o cadver de Julia Cha
dorant occapou o lagar qae pertencia aos
despojos mortaes da muito alta e poderosa
senhora Mara Armanda Eleonora, condessa
de Rahon. ,
N'aquella mesma noute om correio vindo
i todo o galope de Clermoot entregou
formosa Olympia um olicio soltado com
lacre preto e com as armas do conde Joo
de Octeviile, governador da proviocia.
A carta qae vinba dentro do sobrescrip
to, escripta pelo paoho e letra do governa
dor nos termos da mais refinada galantera,
connba urna noticia da maior importancia.
O marques de Aabray de Chavigny, de-
pois de ama ceia demasiado ahondante, ti
nba passado i melhor vida.
Viuva e senhora absoluta dos dous mi
Ibes, dos quaes s liaba desfrutado at
entio o uiofructo sob a admioisirago de
sea marido, Olimpia podia dispor livre-
mente da ana pessoa e das suas aeges.
Ningaem lhe impedia por unto qae se ca-
sasse com Saint.Maixent.
Muitos acrediuro qae, ao saber aquella
nova, qae lhe qaebrava as cadeias mais
cedo do qae ella podia esperar, a maqueza
havia de sentir um vivo alvoroco.
Mas nao foi assim. w
Olympia empallideceu, e com a testa en-
roga'ia, os olhos mrios torvos, mais pare-
ceu devorada por ama grande angustia do
que cheia de jubilo,
fa^jaaie transporte, e nio aRerar'.se, sorfMo bom resaltado, 'evoa
olvora, durante o transporte, peta de Bristot e de Londres a ir
bumanidade. Porm todas essas vantagros materia prisa no Lavante. Esta
sio conlrabalangadas p >r grandes incoove-f|^^^ foj taV> favoiecid p?lo goveraa h-
t oo meiado do saco! XVII, nV
havia quasi nem o na paroetta, por meair
que fosse, qna alo tivesse, para dar ocea-
pagio aos lavradores arante o
um certo numero de toares
oieutes, o quaes fiziram renun iar o sed; ^^H|
emprego as armas de guerra, apoz nume-
rosos eosaios em differentes paites.
O maior dos inconvenientes o de fazer
arrebentar as armas, e em todos os casos
fatigal-as muito mais do. que a plvora eom-
mum. Alm disso, cusa cerca de 6 vezes
mais, e sua fabricago tem ocasionado mu-
graves accidentes.
IV.
Descnvoloimeio da cullnra e da indus-
tria do algodiio. Parece que o algodoeiro
era cultivado na Lidia dsseba mais remola
antiguidade, segundo refere o pai da histo-
ria, Herofloto, em sen livro publicado no
se -.ulo V antes de Jesu3 Christo.
*0s Indi mos, diz elle, possuem urna plan-
la que produz, era vez de fructos, I5*de qua-
lidade superior e mais bella que a de car-
aeiro. e cora a qual fabricara seus vesti-
dos. N5o se assevera nesse livio que os
Assyrios e os Egypcios iessem aso dissa
espacie de teci do,; com effeito. estes dois
povos nao conhecam, n'aquella poca, ao
que parece, seno os estofos de 19 o de I -
nho. No Egypto, entre o* milhares de t-
mulos que t;em sido abertos, jamis se en-
contrara as faxas que envolvem as mumias
o mnimo vestigio de tecidos d'algodo.
Ariarto, que flvfj no seculo II da nossa
era, confirm o tesemunbo de Herodoto.
Diz elle, alera disso, que os Lidanos chama-
vam planta do a'golo Tala, e dssereve
a capsula que fornece a materia textil, isto
o algodfio. Mas, nessa poca, o algodoei-
ro tinha )\ franjueado o rio Indo, porque
Strabo refere a cultura des le vegetal na en-
trada do gofpho Prsico, o Pimo, o antigo,
assevera ser tambera conhecido o algodoeiro
no alto Egypto e na Arabia, oadj se fabri-
civa vestes d'algodo para os sacerdotes
egypcio3.
O comraercio dos tecidos d'algudo co-
megava ao masrao terapo a tomir grande
incremento.
No seculo II antes de Jess Christo, es-
tava cerrado nis raoi dos A"abes, que i5o
busca-ios Birygaza, hoje Birotch, na India,
e os transpertavam pira o porto egypcio de
Adule, no mar vermllio. No seculo VIH,
os rabes introluzirara o algodao ni frica
septentrional, de onde o iransplantaram
pra a Haspanha. No se,culo XIII, as ma-
nufacturas do Fez e d Marrocos tnham
grande nomeada, e os productos dessas fa-
bricas eram mui procurados por todos os
paizes mozulmanos.
Ni Europa os primaros ps d'algodjeiro
loram plantados na planicie de Valonea. Ao
m9smo tempo so estabelecram fabricas de
tecidos d'algodo era Cordova, era Seviltia
e em Granada ; e, no seculo XIV, as cassa*.
ditas musselinai de Granad), eram repula-
las mais bellas e mais finas que as da Syria.
Na m^sma poca, a cultura do Igodoeiro
ganeralisou-se na Ciina, onda a opposigo
dos fabricantes de tecidos do soda e de la
impedir por longo tempo o desenvolvi-
mento da industria do algodao. Foi tambara
durante o seculo XIV qu esta iniustrh p9-
net'ou na Italia, onde veio a concentrar-se
era Veneza e era Milo, e que os turcos a
levaram para a Albania e Macadonia.
Um seculo depois, os europeus ene mira-
ra m na em plena pmsperidada era C-iba, no
Mxico e no Per, onde o algodoeiro pa-
rece ter sido caltivado em toda a poca
Parce tambera que os indgenas da frica
Central, da Senegambia e da c >sla de Guie,
cutlivavam desde muito lempo esta vegetal,
que Ibes fornecia a substancia de seas ves-
tidos; *certo, pelo menos, qae em 1590
pannos de algodao, fabricados n'Africa,
foram levados de Banin Londres.
Nao se c rahoca exaotiraenta a poca em
que a industria do a godo fra introduzida
na Inglaterra.
Pela primeira vez fiz-se mengo della era
o Tratado de Commercio, publicado, em
1641, por Lewis Roberts; porera nessa
poca, Minchester, e muitas o a tras cidades,
pussuam fabricas de algodao j mui antigs.
Aikin refero aos primeiros anno3 do sculo
XIV a ehegada Gr-Bretanha d03 primei-
ros fardos de algodao, que foram vistos nisse
paiz, conduzidos por navios venezianos e
genovezes. Nao se sonbe, porm, tirar
nenbum partido da nova materia textil, e
foi esta utilisada para a confecgo de me-
cas ; mas, em 1430, os tjceies de Ches-
ter e de Lancaster tiveram a idea do fabri-
car, com o algodao, fustes; o qua ten o
(mtinwmrmtm)
VARIEDADE
Porque motivo era aquella pallidez ? Por
que motivo essa pertorbago ?
E'que a formosa Olympia lembra^a-se
da promessa de casamento que traba es-
cribi e assignado, e havia tempo qua nao
queria casar-se com o marquez de Saint-
Maixent.
Isto exige algumas explicacss.
Que abysmo se tmha aberto entre aquel-
los dous entes, unidos primeiro pelo adul-
terio e mais estreitamente depois pela com
plicidade no crirae ? Esse abysmo era o
medo.
A senhora de Chavigny tinha concebido
por Saint Maixent urna d'essas paxeS vio-
lentas, mas exclusivamente sensuaes, que
nunca sobreviven) aos primeiros gosos, e
que se dissipara mal cboga a saciedado.
J nao amava o marquez, e o medo ti-
nha succedido ao amor.
Conhecia-o de sobra ; vra-o trabalhar
nos seus elementos, e sabia que para obter
o fim invejado nao recaava ante nenhum
crime, despedagava sem compaixo quaes-
quer obstculos ; dizia comsigo, finalmen-
te, que ama riqueza dividida entre os doas,
nao tardara em. o desgostar ; qae havia
de qure-la toda para si, e de todo isto a
formosa Olympia deduzia o seguinte :
Quando ea chegar a ser marqnezi
de Saint-Maixent, estou perdida sem reme-
dio, e nada no mondo poder salvar-me.
Por cooseguinle, e preciso impedir todo
o custo esse motrimonio. Impedi-lo, sim I
Mas como ? porque raeios ? Essa fatal
promessa qne o marquez tem em sea po-
der qae me prende. QuSo nescia e im-
prudente fui I Apenas recobro a minha
liberdade, e j me vejo ameacada de a
perder. Maldita promessa l Como hei de
tiraI5'a ?
Olympia resolven reflectir sobre o caso
O correio enviado pelo conde Joo de
Octeviile, governador da provincia da Au-
vernia, ignora va naturalmente o contedo
da sua missiva.
A marqueza, desejosi de ciptar a pro-
tecgo de om parsonagem tio poderoso
como o senhor de Octeviile, respondeu-lhe
con ama carta, onde a mais, provocativa
DIA 13 DE OUriJBRO EM PAWS O
Siecle publica o seguate relatoro asSur
do cnefe d'estado maior de Pars acare* do>
dia 13 de outubro :
c Tendo-se notado estes oltmos da* eoo-
sideraveis raovimentos de tropas do i
decidi ,o governador qne a divisio
cbard fizesse um reconhecimenlo offeosvo
esta manha, estendendo-se das posieat
d'Issy, direita, at s de Cachao. i m-
querda.
c O geieral Blanchard dispoz as toas tro-
pas em tres columnas : a da direita (13 *
de marinha) devii operar na direecao da
C amart, a do centro (g-oeral Scisbialle) so-
bre Cbtillon, a da esqnerla (movis da
Cote d'Or e do Aub?, coronel da Grancej)
sobro Bagneox.
Estes movimentos, protegidos pelo fugo
suontado dos fortes de Mon'roage, de Van-
vres e d'Issy, executaram-so com moita or-
dem e vigor.
< O governador tmha mandado o general
Schmilz, chef-; d'eslad i maior general, i
direita das posicas, para seguir o conjuicto
dos movmentos.
O general Vinoy, commandaote do 13.*
corpo, ti ni 11 disposto as suas reservas na
retaguarda do forte de Montronge.
f Bagneux foi assaltada pelos movis da
Cote d'Or, cujo proceder, j mignalado
duas vezes, foi briihante. 0 1.* batalho
do Aube, que va o fogo pea primein vea,
teve tambem urna excellente attitode; o
seu commandante, Sr. Dampierre, foi glo-
riosamente nV'rto frente da sua gente.
c O t mente corenel de Grancoy. qae de-
termina va o conjuncto da op?rago. bonrou-
se altamente.
c Os marinheiros do forte de MontTMige.
commandados pelo capillo de fragata d'An-
dr, tomaran) parte na aegn e formarara a
retaguarda cora firmeza notavol, durajta a
retirada da nossa esquerda.
c No centro, as nossas tropas, seguiodo
por entre as casas de Coatillon, quasi qae
sem perdas tomaram duas barricadas, e
avangaram at igreja e estrada que leva
de Cbtillon a Clamart.
Entre estes dous pontos, dous batalbdas
se esieoderam na melhor ordem. avancando
debaixo do fogo do inimigo, al s vinnas,
que orlam as desodas da estrada de Ci'venta
c D'ahi fizoram fogo contra os aUradores
inimigos, postados por Iraz d'um valalo no
plaino do Cbtillon.
< Duas baleras prnssanos se desmasca-
rarara rpidamente, urna ao p de Tour--
l'Anglais, a oulra perto de Cbtillon ; o fogo
d'ellas foi successivamente exncta pelos
canhes de ^auvres e d'Issy.
N'este instante, mostrarara-se as massas
prnssianas no cmo do plaino, descobrindo
se tambara ao fogo da artilharia e dos fortes.
t Eslava conseguido o intuito do reconhe-
cimenlo ; ordenou-se a retirada; operon se
ella no melhor estado, sob as ondeos do ge-
neral Blanchard, cujas boas disposices as-
segnraram o xito do reconhecimenlo.
Do lado de Clamart occopra >s a obra
do Moinho de Pedra ; a fuzilaria travou-se
neste ponto, e o inraigo nao conseguio des-
alojar-nos da nossa posi;8o.
As nossas perdas sao pouco considora-
veis. As do inimigo, que esteva constante-
mente debaixo do nosso fog*. apezar de
nao serera por agora apreciadas, teem gran-
de carcter de gravidade. Doixoa raais de
300 morios em Bagneux. As suas perdas
foram egaalmente consideraveis em Cbtil-
lon e as alturas. O numero dos prisionei-
ros conhecido eleva se a mais de 100.
O governador felicitan as tropas que
tomaram parte no reconhecimenlo, assim
como as dos fortes, pelo ardor e sangue
fri de qae de-ara mostras nessa jornada.
t Paris. 13 de outubro do 1870, 8 horas
o 1/2 da tarde. O chefe do oslado maior
general. Schmitz.
garridice se oceultava nm pouco sob as
formas de urna exaltada gratido.
Entregou ao correio este escripto, acom-
paubado com uns doze luizes de ooro,
despedio-o, e nao disse nada da sua viovez,
certa de qae se passariara anda alguns
das antes de chegir a noticia ao castello
de Rabn.
A noute seguinte passou-a Olympia de
vela, empregando aquellas largas horas de
insomnia em procura de urna hbil combi-
nago, por meio da qual voltasse para o
seu poder a fatal promessa ; mas fosse in-
fecundidade de imag'mago, oo fosse diffi-
culdade real e verdadelra, o certo que
nada lhe occorreu de proveito, nem mesmo
soguindo a via d'essas intrigas complicadas
o laboriosamente urdidas, em qae primava
Saint-Maixent. Resolveu entio recorrer
aos mrios mais simples, que de principio
supprimira por causa d'essa mesma sim-
plicidade.
No dito dia proco roo encontrar-se sos
com Lzaro, e disse-lhe :
Preciso de lhe fallar em particular.
A senhora marqueza tem-me sempro
s suas ordens, responden o criado com
promptidio.
V esta noute ao mea aposento, urna
hora antes da ceia ; estarei s.
Terei a honra da obedecer com a
maior pontualidade.
Nao se esquega, conUnuou a formosa
Olympia, qae desojo qae o sonbor marqnez
de Saint Maixent nao saiba da nossa en-
trevista, at
Fique- descangada, senhora marqueza,
qae mea amo nada saber, marinaron o
criado, muio admirado d'aqoella recom-
mendagio.
Cont com isso.
Lasaro cnmprimentou, e a marqueza con*
Unuoa passeiindo.
(Continuar-f-ka
TYP. DO DlARIQ-aVJA Ou WJQIW 1W CiJiS.
v*


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EJD3QVM2R_HLLYY0 INGEST_TIME 2013-09-14T03:09:21Z PACKAGE AA00011611_12267
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES