Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:12265


This item is only available as the following downloads:


Full Text
JRNO XLVI. NUMERO
261


i
PAA A CAWTAL 2 LVGAKS OIDE JfAO S PACA POSTE.
Por tres miw diantidos................ fiQfift
iVw seis ditos dem..............' ii
Pomnb ana* IaVra..............t [ 2j
Til
PAA DIITBO I tm DA P107HCU.
Eajgar?:::::: v:: ::::
Ib* Boa tos idoa................
ftr ma tan Mein................
S7#W0

* i
Propriedade de Manoel
de Faria & Filhos.
i

m Sw. Qmfo AMoim Altas A Filhos, no Para ; Goocalves & Pinto, no Maranbao ; Joaqaim Jos de QHreira, no Cetra ; Antonio de Lemo. Braga, no Araealj ; Job filara Jnio Chavea, no Ass ; Antonio Marque, da ata. no Natal; Jo*
Pereira d'Almada, em Mamangaape; Antonio Alexandrino de Urna, na Parahyba ; Antonio Jote OBies, na Trta da Peana; Belarmino dos Santos "BnlcSo, em Skurto Antao; Domingos Jos da Costa Braga, '
em Nazareth ; Francisco Tavares da Coste, em Alagoas; Dr. Jos Martina Alves, na Babia; e Jos Wbeiro Gasparinho no Rio de Janeiro.
_______________
PARTE 0FFTCIAL
-.. ___.
overm da provincia
KXPIDIKM i I SU 5 R NOVKMBRO.
OfBcios :
Ao Exm. Sr. ministro Ja guerra, remetiendo o
ncjppa mansar1.'di companhia de aprendzes me-
a-Tres do rseal de guerra desta provincia, rela-
tivo o mez de outaero altimo.
Ao Exm. Sr. ministro da marinha, enviando
i mappa di estado da companhia de aprenlzes
marirnfefns desla provincia, coro o diario das II-
rj>)} e.etercicios ao raei de outubro Ando.
Ao mesmo, apresentaddo o mappa do oslado
da campanaia de aprendiies artlleos do arsenal
de marinha, desta provincia, eom a nota dos di-
nheiros, jjuo firmam a sea peculio at outubro
deste aono, e aoham se depositidos oo banco io-
glez.
Ao general commandante das arma, intoi-
raodo-o de haver sido approvada pelo governo im-
perial a dliberacio, qne non, de mandar in-
<'lur no deposito de recnitas o sol lado reformado,
Ma>el ioaquiai de San r Anna, para receber etapa
p ;r atii, ate r4is diarios, no* lk< foi concedida por decreto de
-13 e novemtir.; do anno passado ; certo de que,
nos termos do aviso do ministerio da atierra de 23
di outubro aluno, dever essa praca indemnisar
os cofre.* pblicos da etapa, que hou'ver recebido,
logo- que se-Ma comece a pagar a penso.Igual
('mannieaeao fez-se a tliesouraria de faienia.
--t- Ao cnsul p irluguez nesta capital, solicitan-
do a remes-a de copias dos offleios, que pelo juiz
de nrphaos des te termo Ibe foram dirigidos, rela-
tivamente aos inventnos de Antonio Domiogaes
Atores Mata e Antonio Jos Rnnes Braga.
Ao m.-perisr da thesonraria de fazenda, trans-
mttindo as ordena do ministerio da guerra, data-
da? de 22 e 24 de outubro ultimo.
Ao mesmo, enviando, para ter a devida exe-
oircio, o aviso do ministerio da fazerida de 17 de
Ao general commandante |das armas, autori- voluntarios da patria, para a Baha, lenlo J*#
"utubro ultimo, a qu| se permute que na alau-
l''g,i desla capilar teaham os vapores da eoropa-'
nlii denominada Ch.de Limeof Steamers to Bra-
sil and Rever Piale, de que agento na corte
enhque Harper, as facilidades e favores constan-
te? do citado aviso.
An mosrao, declarando em additamenlo ao
'tli i de hontem, qoe a ajuda de cusi, que deve
ser paja ao juiz de direito Hermogenes Scrates
Tarares de Vasconcelos, de 1:250000 e nao de
1:200*000, como fe havia mencionado n'aquelle
"fticio.
Ao mesmo, mandando pagar a empreza do
lornal do Rrcife a quanlia de 33JOO, proveniente
da publicarlo de annnncios do arsenal de guerra,
dorante os mezes de julho a setembro deste anno.
Tambem mandou-se pagar a Flavio Goncal-
ves Lima a quanlia de 300*000, correspondente ao
aluguel, veecido nos mezes de abril a junho deste
snne, da casa que serve de qaartel ao destaca-
ment do termo da Boa vista.Fizeram-se as ne-
essariai eominunicacdes.
Ao mesmo, scientificando-o de haver o juiz
d? direito da comarca de Palmares nomeado, era
i'1 de outubro ultimo, o bacharel Francisco Jos de
Medeiros para exercer interinamente o cargo de
promotor daquella comarca, no impedimento do
efTectivo.
Ao mesmo, transmiliindo para os Iin3 conve-
nientes, filiacao do tambor Manoel do Nascimen-
to, contralado para servir no 1* batalhao de arti-
Itiaria da guarda nacional desle municipio, em
*ub:ttuica. i de Angelo Manoel de Freitas.Cora -
muoicou-so ao respectivo commandante superior.
Ao mesmo, inteirando o de que o juiz de di-
reito Lu'z de Albu.juerque Martins Pereira bavia
declarado acceitar a comarca da Granja na pro-
vincia do Cear, para onde foi removido da da
Boa vis a, e tendo sido considerado sera elleito
aquella reraoco, por decreto de 14 de setembro
ultimo, que designou-lhe a do ('rato na mesroa
provincia, acaba de declarar novamenle que ac-
eeita e.-ta ultima comarca.
Ao inspector da inesouraria provincial, para
informar acerca da consulta, que faz o vereador
da. cmara municipal da cidade da Victoria, Ma-
noel Jos Pereira Borges, relativamente a collecta
das carrocas /ora da capital.
Ao mesmoAutonsando o a mandar pagar iu-
depenrienlemente da apresentacao dos competentes
atestados de freqnencia, os vencimentos correspon-
dentes aos mezes de marco a setembro deste anno,
do professor Manoel Antonio Ferreira Braga, re-
movido da cadeira de inslrucco primaria de Ala-
goinha para da freguezia de Santo Antonio
desta wdaite.
Ao capilo do porto, recommendando que
eih re gue os meios de sua competencia, para que
seja observada no porto desla cidade a resolugao
do governo imperial, constante do aviso circular
do ministerio da marinha de 18 de outubro ultimo,
prohibindo a entrada nos portosdo imperio do va-
por de guerra francez llamelin, durante a actual
guerra entre a Franca e a Prussia. Neste sentido
officionse ao commandante do brigue-barca ta-
mnrac.
Ao juiz de direito da comarca de Palmares,
dizendo flcar inteirado da resolucao, que tomn,
de addiar a segunda sessao do jury do termo de
Agoa-PreU, em vita da peste de varila, que all
'st grassando com intensidade, e recommendan-
do que apenas melhore o estado sanitario daquella
loi.-alidade, convoque nova sessao do mesmo
jury.
Ao commandante do corpo de polica, decla-
rando que pode encajar no corpo sob sea cum-
ulando es paisanas (anuario Alfonso da Cruz. Sil-
veno Pereira da Silva, Joaquim Severino Ramos
t- Jos Ignacio dos Prazeres, se tiverem a necea-
Ao mesmo, antorisando-o a dar baixa do ser-
vi.;j ao furriel da 1* companhia Antonio Caetano
de Oliveira Coragero, que assim solicilou.
Ao conseibo de compras do arsenal de guer-
ra, para promover o fo'rnecimenlo de 10:000 bo-
tos grandes de metal araarello, precisos para snp-
priment do respectivo almoxartfado. Communi-
ou-se a inesouraria de fazenda.
A cmara municipal de S. Bento, trans-
miuindo para a de vida execncao, copia da lei n.
964, de 25 de jalao do crreme anno, creando na
villa de Pesqoeira ama freguezia, desmembrada
das de Cimbres, 8. Bento e Brejo, sob a invocacao
de Santa gueda, e marcando os rospectivos li-
railes.
Ponaria:
Ao gerente da companhia pernamba-
ana, mandando dar ama passagem prda at
Penedo, por conta 4o ministerio da guerra, a
ex praca do extincto 53" corpo de voluntarios da
patria Vivaldo francisco dos Santos.
EXPEDIENTO DO SECRETARIO DA PRESIDENCIA
Offlcio ao general comraandonle das armas,
participando baver-se mandado satisfazer o pedi-
do, qne fez o commandante do 9* batalhdo de in-
finterta, de 6:000 cartuxos embaJIados, e de igual
numero de capsulas fulminantes.
EXPSDKXTE DO DA 7 DI NOVUIBRO DB 1870.
Offleios:
Ao Exm. Sr. ministro do imperio, participando,
era respotfa ao aviso da 22 de outubro ultimo, que
13 do dito roez expediram-se as convenientes
ordensj^aflm da no dia 20 do corrate, j destinado
a eleigao para preeochimento da vaga, delxada no
s m tamben a leieao determinada palo falleeimeqto
do Ekbi. cande da Boavisu, votando os respeotl-
tas editores em lista sxtupla.
saodo-o a conceder tros mezes de licenca a- 1
sargento addido ao deposito de recrutas, Francisco
Marimiano da Costa Lima, afim de esperar fra
desla capital a deciso do governo imperial sobre
sua oaixa.
Ae mesmo, declarando que tendo sido posto
a disaosicao da presidencia o alferes do corpo d'es-
lado niai r da 2' c.lasse, Francisco Eduardo Ben-
jamn, ella complante para deferir a pretencao
do mesmo alferes, como efectivamente o faz, oon-
cedendo-lbe passagem para acorte ; e provemado-
o de que Qcam expedidas as necessarias ordens
para que ao referido alferes se passe guia de soc
corriraento, e se d transporte no vapor que se
espora do norte.
Expediram-se aalordoa* de que se trata.
Ao mesmo, recommendando qao amanhaa s
10 horas do dia seja apresentada ao juiz munici-
pal da 1' vara desta capital ama praca montada,
afim de entregar aos subdelegados dos diversos
di-trictos da couwea, os oltbios de oonvocacio
para a prxima sessao do jury.
Ao provedor da Santa Casa de Misericordia,
aulorisando-o a mandar admitiir nos respectivos
collegios os Olhos de Cirolina Candida Ayres de
nrmes Fructuoso e Maria, de qne tratam as inclu-
sas certidoes de idade.
Ao inspeelor da tbesouraria de fazenda, man-
dando pagar sob a responsabilidade da presiden-
cia, visto nao haver crdito para esse llm, a quan-
lia de 113*820 rs., que se est a dever, provenien-
te de urna ambulancia de medicamentos, que for
neceram Clao & C, para curativo dos indigentes
atacados de febre perniciosa no termo do Onri-
cury.
Na mesma conformidade acerca da quantia
de eem mil reis, qne devida ao Dr. Pedro de
Athayde Lobo Moscoso, por duas carleiras homeo-
pathicas, que vsndeu com destino ao tratamento
das pessoas indigentes, accometiidas da varila no
termo d'Agua-Preta
Ao mesmo, para mandar abonar a cada um
dos efflciaes, capitn do 9 batalhao de infamara
de linha, Aureliano Augusto de Azevedo Pedra e
alferes em commisso Manoel Brasil de CMiveira,
do 2 da mesma arma, tres mezes de sold, que
serlo descontados pela 5* parle, nos termos do art.
28 da lei n. 514, de 28 de outubro ultimo.
Ao inspector da tbesoararia provincial, man-
dando abonar ao teen te-cooronel commandante
do corpo de polica, a quantia de 69*000 rs., a
que tem direito para urna cavalgadara.
Igual abono mandou-se fazer ao major d'a-
quelle corpo.
Ao mesmo, para que proceda de conformida-
de com a sua inforraacao de 19 de outubro ultimo,
sob n. 676, acerca do pagamento, que reclama
Casemiro Alves de Souza, proveniente de grauli-
cacao de engajamento cuino praca do corpo de po-
lica desta provincia, que marchoa para a guerra
contra o governo da repblica do Paraguay.
Ao mesmo, dizendo qne pode mandar pagar
em termos, o que se esliver a dever ao lente
honorario do exereito Jos dos Passos Queiroz, de
seos vencimentos coma addido ao corpo provisorio
de polica, a contar de 29 de julho a 24 de agosto
deste anno.
Ao mesmo, nleirando-o de haver sido re-
colbido ao gymnasio provincial o menor Arthur
de Abren e Lima, que fura mandado admitiir por
ordem da presidencia de 8 de outubro do anno
passado, e nos termos da lei provincial, n. 87o, de
12 de junho d'aquelle anno como allumno pobre.
Ao mesmo, determinando que, depois de re-
conhecida a rma da certido annexa ao requeri-
mento de Joaquim Ferreira de Brilo, ex-praca- do
batalhao n. 51 de voluntarios da patria, mande pa-
gar a quanlia que se llie esliver a dever, prove-
niente de gratificacao, |tie vencen de conformidade
com a lei n. 611, na qualidade de praca do corpo
de polica desta provincia, que marehou para a
guerra do Paraguay.
Ao chefe de polica, recommendando que,
con a precisa diligencia se proceda pela autorida-
de policial competente ao corpo de delicio na pes-
soa de Vicente Correa Mendos Simes, e se averi-
guem as circunstancias do faci, de qne resaltou
o terimento do referido Mendes, dando V. S. as
providencias necesarias, afm de evitarse a re-
prodcelo de fados idnticos.
Ao commandante superior do Recife, solici-
tando a expedicao'de soas ordens, para que sejam
feilas as honras devilas ao cirurgiao-mrdaquelle
coramando superior, Dr. Ignacio Firmo Xavier.
Expedio-se ordem ao director do arsenal de
guerra para fornecer o cartuxame sem bala, que
for necessario para as salvas do tstylo.
A o mesmo, para que urna guarda de honra
tirada de nm dos batalbdes, sob sen commando
superior, acompanhe a procisso de Nossa Senhora
Mi dos Homens, a qual tem de sahir da igreja da
Madre de Deus s 3 horas da tarde do dia 13 do
crreme.
Ao capillo do porto, dizendo que pode re-
metter para a corle no transporte de guerra Wer-
meck os recratas de marinha Manoel Jeronymo de
Souza, Jos Vicente de Paula e Jos Ramos da
Cosa, mandando por em liberdade o de norae Ma-
noel Joaquim do Amparo, que solTre de aleijao do
anta-braco esquerdo.
Ao commandante do corpo de polica, deter-
minando que faca elevar a 10 pracas o destaca-
hmeoto existente na villa de Limoeiro.
Ao juiz de direito da comarca de Garanhuns,
devolvendo o mappa n. 11 da estalistica do anno
de 1869, qne se est organisando, aflm de que ex-
clua a cauza do crime, commeltdo em 1868 e jal-
gado no referido anno de 1869, e venhaemsupple-
torio, como ditermina o art. 183 do regalamento
n. 120 de 1842, e isto o mais breve possivel.
Ao jniz de direito de Ta:arati, transmittindo
copia de um offlcio do delegado do termo de Flo-
resta, que alinde outro do chefe de polica, afim
de que tenha em eonideracaio o estado dessa co-
marca, e teoha na merecida considerarlo o pro-
cesso para a pnnico dos reos.
Recommendou se ao promotor publico, que pro-
ceda este respeito na forma da lei.
Ao director do arsenal de guerra, para for-
necer nma perna de pao ao soldado reformado,
Manoel Felippe de Figueiredo, qno perdn a perna
direita na campanha. i
Communicon-se ao commandante das armas.
Ao mesmo, mandando satisfazer o pedido,
qne faz o commandante do deposito de recrutas,
de diversos utencilos necessarias ao servico do
mesmo deposito, em subslitaicao de outros, que
foram dados em consumo.
Inteirou-se o commandante das armas.
de Barros Peres Falco, urea Mara de Mello.
O presidente da provincia, atlendendo aoqoe
raquereram as professoras publicas de instruyo
primarla Maria Benedicta da Motia Silveira e in-
toaia Fanstina de tarros, esta da cadeira do fo-
voado do Olho d Agua dos Bredos, e aquella da
cidade de Nazareth, e toado em visto a informado
do director geral da instruccao publica de 4do
correte sob. n. 346, resolve eonoeder-lhes liceo;)
para permutaren euiresi ae respectivas sadaira,
Fizeram-se as necessarias coramunieacoes.
O presidente da provincia, era vista do que
expoz o Dr. inspector da saude do porto, em offlcio
de 26 de outubro ultimo, resolve nomear o guarda
Jos Ribeiro de Vasconcellos para exercer interi-
namente o logar de secretario daquella repartico,
durante o impedimento do respectivo proprieUrio.
O presidente da provincia, em vista devflue
expoz o Dr. inspector da saude do porto em oficio
de 26 de outubro ultimo, resolve nomear o cida-
do Manoel Caetano Cavalcanti de Albaquerque
para exercer interinamente o lu&ar de guarda
d'aqaella in9peccao, durante o erapediraenlo do
rejifteaivo proprwtorio.Expediram-se as conve-
nientes comraunicacoes.
U presidente da provincia,, atteudendo ao
qne requeren o chefe de sessao da alfaudega desta
capital, Luiz Francisco de Mello Cavalcanti, e ten-
do em vista as infonnaedes das estaces compe-
tentes, resolve conceder-lhe 3 mezes de licenca
cora vencimentos, na forma da lei para tratar de
sua saude. i\
O presidente da provincia, era tjta do offl-
cio da caxara municipal do Recife de 12 de ou-
tubro ultimo, sob n. 99 resolve approvar proviso-
riamente, nos termos do art. 2.* do decreto de 25
de outubro de 1831, os artigos de posturas addr-
cionaes abaixo transcriptos. Communicon-se
supradita cmara municipal.
pages recebidas boje nesta reartao, foram non-
lem recolnidt casa de detreao os seasintes
individuos :
A ordem de subdelegado do- Reeife, Leocadia
Avelina da Conee^ao, por disturbios; e Manoel
8eril do Nascimeno, para recrut*-
A orden do de Santo Antonio, Flix Jos Sera-
phira e Thiago Vctor Pereira, por offensas phy-
sicas.
A' ordem do da (^apanga, Antonio Joaquim dos
Santos, por crime de-larto.
Deus guarde V. Exc.
Illm. e Esm. Sr. canselbeiro Diogo Velho Caval-
caite de Albuquerque presidenta da provincia.
O oefe de polica, Lmiz Firnandes Pmhetro.
PERNAMBUCO.
A
REVISTA DIARIA.
DIA
Ao gerente da Companhia Pernambucana,
recommendando que devolva a secretaria da pre-
sidencia todas as portaras concedendo passagens
de estado, que at esta data nao tiveram exe-
cncao.
A cmara municipal da Escada, de jaran do
qas, por nao ser urgente a materia do projecto de
posturas, qne remetteu com offlcio de 18 de outu-
bro ultimo, deixa de ser provisoriamente approva-
do, masser submettilo ao eonbeeimento da as-
sembla legislativa provincial na sua prxima
reuniao.
Portaras: .
Ao commandante do transprto de guer-
ra Werneck, mandando que receba a seu bor-
do e condnza para corte a Liberato Lopes e
Silva, sua mulher e seto filhos, pagando aqaelle
as respectivas comedoriaa.
Iguaes a cerca do alferes honorario do exer-
eito Joaquim Antonio Olyrapio de Moraes, Manoel
DESPACHOS DA PRESIDEOCIA DA FBOV1NCIA DO
11 DE .NOVKMBRO DE 1870.
Antonio Pedro da Silva.Informe o Sr. inspec-
tor da thesonraria de fazenda.
Antonio Francisco Das Lima. Entregue-se
mediante recibo.
Adolpho Astolpho Lins de Albuquerque.In-
forme o Sr. director geral da instruccao pu-
blica.
Alfredo Alves da Silva Freir.Reqneira pelos
caoaes competentes.
Antonio Loiz da Silva.Requeira pelos canaes
competentes.
Bario da Soledade.Informe o Sr. inspector da
thesouraria provincial,
Companhia Pernambucana.Dirija-se a thesou-
raria de fazenda.
Alferes Prancklin Velozo de Gusmio Uchoa.
infirme o Sr. commandante superior da guarda
nacional do municipio de Santo Antao, Escada,
ouvindo o commandante do batalhao 25*, se exis-
te nelle algnma vaga de modo a poder ser atten-
dido o snpplicante.
Fulden Brothers. A' tbesouraria
com offlcio desla dala.
Hermina Celicina da Cmara Santos.A' tbe-
souraria provincial eom offlcio desta data.
Tenente Jos Ignacio Ribeiro Roma. Encami-
nhe se.
Tenente Jos de Barros Pires Falco.Eocami-
nhe-se.
Bacharel Joo Carlos Augusto Cavalcante Vel-
les.Ao Sr. inspeelor da thesonraria de fazenda
para informar.
Justina Mara da Conceicao.Dirija-fe ao Sr.
desembargador provedor da Santa Casa de Mise-
ricordia em sessao da junta.
Joio Braulio Correa e Silva. Fica expedida a
conveniente ordem no sentido era que requer o
snpplicante.
Joao Joaqaim de Albuquerque. Dirija-se ao
Sr. general commandante das armas.
Jos Balsabioo Goacalves Lima.Informe o Sr.
juiz de direito de Flores, ouvindo o jniz municipal
de Villa Bella.
Luiza Clemenlina Vieira de Mello Concedo o
pnzo de dous mezes para a supplicante entrar no
exercico de sua cadeira.
Eogenheiro Luiz Jos da Silva.Ao governo im-
perial solicitaram-se as convenientes ordens para
o pagamento do supplicante.
Marc lino Augusto da Silva Villar. Volte ao
Sr. commandante superior, afim de informar, ou-
vindo o do2 batalhao de infamara, se existe al-
gnma vaga de alferes em dito corpo.
Manoel Venancio Alves da Foneeca.Entregue-
se mediante recibo. %-
Manoel Lopes da Paz.Informe o Sr. inspector
da thesouraria provincial.
Manoel Eloy Mendes. Informe o Sr. inspector
da tbesouraria provincial.
Sebastian Mendes Bandeira Guiraaraes.Infor-
me o Sr. commandante superior da guarda nacio-
nal do municipio de Serinbiem, ouvindo o com-
mandante da seccao.
Sociedade Monte Pi Bra3leiro.Passe portara
Horneando a Joaqaim de Gouva Cordeiro.
- 12-
Antono Soares de Pinbo. Informe o Sr. ins-
pector do arsenal de marinha.
Augusto Fortunato da Costa Campello.A' the-
souraria de fazenda rom offlcio desta data.
Anna Joaquina Peres Campello de Mello.Nao
est vaga a cadeira que requer.
Damiao Lopes Pertira Guimaraes.Indeferido
vista da informaoao.
Frederico Casimiro Rodrigues da Silva.A'
thesouraria de fazenda com offlcio desla data.
Flix Barreto Monz Telles.A' thesouraria de
fazenda com offlcio desla data.
Fidelis Jos Correa. Informe o Sr. marecnal
commandante das armas.
Irmandade de Njssa Senhora da Conceicao dos
Militares.A) Sr. inspector da thesouraria pro-
vincial para informar.
Irmandade do glorioso S. Sebasliao, ereta em
sua igreja na villa do Bonito Informe o Sr. ins-
pector da thesouraria provincial.
Joao Mara de Medeiros. Entregue-se, pausan-
do recibo.
Tenente Jos Maria Marques Cesar.Passe per-
una concedendo a licenca requerida nos termos
do decreto n. 3,579 de 3 de Janeiro de 1866.
Joie Luiz da Silva Luzia. Informe o Sr. Dr.
director geral dainstruecio publica.
Jacintha Avelina da Crnx.--Informe o Sr. Dr".
director geral da instruccao publica.
Jes Jt aquira Ayres do Nasoimento.A' thesou-
raria de fazenda com offlolo desta data.
Lniza Eadoscia Baptista.Informe o Sr. inspec-
tor da thesouraria provincial.
ESCOLA NORMAL.-Terminaram bontom defl-
nitivament' os Irabalhos desta escola no corrale
auno lectitj, com as ferias e exames qoe tiveram
lugar na escota pratka annexa. O acto fin con-
cn ido e sej resoltado foi o segninie:
Carlos Carnero Leao, approvado com dslinso.
Joao JacomeMuniz Perim, dem.
Antonio Jos le Lemos, Mem.
Manoel Cieraegino Carneiro, idam.
Henrique Vicege Vianna, plenamente
Claudino Godofr-de Louekon, dem.
Joaquim Fernanlo de Oliveira, dem.
A PLICES GEaER.A tbesouraria de fazen-
da desta provincia tora ordem do thesouro nacio-
nal para vender adrices do juro de 6% ao anno,
pelo valor nominal Ma?.
COLLEGIO DE S. JOS. -No dia 4 de dezem bro
prximo dere ter lujar, no collegio de S. Jos, si-
to Soledado, sob a Ilustrada direccao das irmaas
de Santa Dorolba, o jxame puWico das alumnas
que frequentaram as aulas do estado no correte
anno.
As 2 horas da larde canmecara o acto por um
trecho musical de Jaaekh Ascher execulado,
oito mos em deas pianos, pelas meninas Josepha
Belirao, Maria Beltrfo, Cabana Villas-Bas, e Ju-
lia Amelia da Silva; ejoindo-se o exame das
alumnas habilitadas, nao so pela respectiva eom-
misao examinadora, com* por aquelles dos pe-
rentes das meninas que o lesejarem.
Terminando isso, passaraa as pessoas pre-entes
a visitar a expoieao das trabalhos eseeutadus po-
las alumnas durante o anno, conaislindo: em bor-
dados i ouro, seda, e froco, romas, e lia, tanto
em relevo com em ponto baixo; Sores de panno,
papel, e cera desanos, e verso* irabalhos cal-
lygraphicos de variados gostos e acurada exe-
cncao.
Logo, era seguida ser recitado ora agradeci-
raento pelas alumnas Amynthas Guimaraes, Julia
Cmara, Maria Alves Moniwro, e Pnura Wander-
de fazenda ley; dando flm s ilemnidade a execncio no pia-
no, pelas alumnas Josepba Beltrio, e Maria Bel-
tro, de um grande dueto de concert sobre os
motivos da opera Beluario pelo maestro Goria.
O zelo e o tolerase que tomn as dignas direc-
toras deste collegio pelo adiantameato das soas
discipulas, ii oais anda o excedente melhodo de
ensin-i ah em execncao, garante qne esse acto se-
ra urna verdadeira fesla Iliteraria, que sorprehen-
der agradavelmenle aquellas pessoas que assis-
tirem.
Os paes, prenles, tutores e correspondentes
das alumnas, com as uas respectivas familias,
seria com prazet recebidas a assislrem essa
esta daintelligencia, e para ella_ sao convida-
dos com instancia pela digna irmia directora do
collegio
NOVA IGREJA DA PENHA.Na nolieia que de-
mos, em nosso numero de terca-feira 15 do cr-
reme, sobre os paranymphos da primera pedra
da nova igreja da Penda, bouve por engao da
lypographia o salto do orne do Eira. Sr. Bario
de Morenos, que, nio podendo assistir ao acto por
ciream-tancias extraordinarias, enviou a esmola
de 2004 para as obras em exeeucio.
PUBLICACO NOVA.A' livrana franceza dos
Sr?. Lailhac'ar & C, acabam de chegar algnns
exemplares da excedente obra Chrestomathia da
Lingua *ngleza ou colleceao de escolbidos excerp-
tos da lilteralura iogleza, adaptados ao estudo
dessa lngna.
O seu Ilustrado autor, o Sr. Jos Carlos Rodri-
gues, juntoo soa obra urna introdueco sobre a
origem e o desenvolvimento da lingna inglea, e de
breves notieias sobre a vida e as obras dos autores
citados.
O livro esta dividido em duas partes -prosa e
verso, e os autores em 7 sobdivisdes, assim clasi-
ficadas : diversas ; viajanies ; historiadores ; bio-
graphos, crticos e ensayadores ; romancistas ;
philosophos e theclogos ; oradores.
Recommendamos essa obra aquellas pessoas que
quizerem bem conbecer a lingua ingleza.
FACLDADE DE DIREITO.Fizeram acto hon-
tem os seguales alumnos:
Io anno.
Aurelsni da Nobrega Vasconcellos,
mente
Jos Patricio de Castro Natalenso, dem.
Jos Virgulino Correa de Queiroz, dem.
Dous reprovados.
2 anno.
Adelino da Silva Pinto, plenamente.
Manoel Pessoa de Siqueira Campos, idem.
Francisca Caraciolo de Paula Freitas, idem.
Carlos Thomai de Almeida, dem.
Bernardo Lyndolpho de MepdoDca, dem.
Um reprovado.
3 anno.
Martinho Cesar da Silveira Garcez, planamente.
Candido Augusto Xavier de Brito, idwn.
Joaquim Manoel Vieira de Mello. dem.
Gaudino Eduardo de Brito, idem.
4" anno.
Elisiario Augusto de Moraes, pleaamento.
Ignacio Vieira da Silva Coqueiro, simpiesments.
Daro Cavalcanti do Reg AJbnqnerque, plena-
mente.
Um faltn ao acto.
5a anao.
Horteocio Sebasliao Peregrino da -Silva, plena-
mente. *
Paulo Leitio Loureiro de Albuquerque, plena-
mente.
Joio Lins de Albuquerque. Idem.
Clementino de Mosquita, Barros Waadwtey, idem.
GUERRA FRANCO, PRUSSIANA E" curiosa a
plena-
Acceiio, pois, com gratidib essa benvola felicita-
cao dirigida miau* mnita idade, porqve a velbi-
ee, separada per lao curio espaco da elernidade,
representa este arme o papel mais importante na
torra ; os homens de cabellos brancos sao os que
dirigen) a guerra alternan. Vos podis anda pas-
sar por joven ; porm de Rooo pertence j a ca-
tbeaoria dos ancioes ; Molike, com 23 dn de
dllereoca, lem a mesma idade qoe eu, e o vosso
re nio se avaniaja a todos ne nnm em aaoos
era em mocidade. Como nio bavia en, poi, de
estar orgulhoso com os- mea contemporneos ?
Cooaervai me sempre a vosea estima pessoaJ pelo
poueo lempo aue me resto a viver.Sou ele:
6tort Bancroft.
No Precursor, peridico belga, encontrar
ofsegaiate :
Um mappa antigo que se aos depara agora
por acaso, permlte-nos o letar nm eurioso facto,^
e| que os alleraes, as preteaedes que formu-
lara e nos esforcos que faxa para as apoiar, pa-
recen) ter em vista reconquistar, pelo menos n
territorio francez, a frontera da anliga Austrasia
(al como e>tava tracada em conseqoeneia da se-
paracio da Neustra no lempo de Pepin de Herslal.
Esta liaba de separac> congloba va effectiva-
ente a floresta dos Ardennes, Verdn, Met, Tonl
e Strasbargo, prolongando-se depois ao norte al
Antuerpia e ao sul alm de Zuneh.
Coraquanlo se faltasse mu-o, ha alguns annos,
das prelencoes dos prussianoa sobre a Hollanda,
que tambera fez parto da Austrasia, nio acudir
certameote a idea Je ningnem o suppor que os
homens polticos ca Allemanha podessem pensar
em reconstituir a fronleira do reino os francos
ora 678. A coincidencia todava bastante singu -
lar, e dere notar-se.
De um folheto pnblicado em Franca sobre a
defesa nacional, resulta que os pusaiauos tem no
territorio francez 720,000 borneas, divididos da se-
guate forma : exereito de occopaeao de Alsaela
60,000 ; exereito do prncipe Frederico Carlos, si-
tiador de Melz e Verdun, 200,090; para guarda
da linha das Ardennes a Sedan, 20,000; em Se-
dan e mmediacoes 30,000; linha de Nancy, pelos
dous valles de Maro; e Aube, 80,000 : liaba de
Soissoni, Laon e Rethel, 50,000'; em frente de Pa-
rs entre o alto e baixo Sena, 120,000; entre o
Mare e baixo Sena. 90,000: entre o Marne e o alto
Sena, outros 90,060.
Urna carta escripta de CherburgQ pelo Sr
Benjamn Corbre, marnbeiro a bordo da Revan-
che, que faza parte da esqoadra do Bltico,
conttj estes pormenores acere da tomada que
aquello navio fez de ama fragata couracada pros-
siana :
Urna fragata coaracada prussiana chegou-
se a nos como parlamentario ;. deixoa escorre-
gsr am torpedo para baixo da quilha da nossa
fragata.
a Quiz Deus que esta tentativa nio tivesse bom
xito; porque, mal demos por elle, levantamos
ferro, e fomos na sua pista.
Depois d'ura corso de setenta e unas horas,
couseguimos alcanca-la, nio sem custo. O nosso
commandante, por meio tiro bem eerteiro, des-
moniou-He o leme.
Nos so perdemos o mastro grande e o cano
da machina.
Qnanlo i fragata, deixamo-la em Dunkerque,
para all ser desarmada ; (leamos com a equipa-
gem delta a nosso bordo; era composta de 600 ho-
mens e 16 pecas de artifharia de 24, oito de 16, e
dez de 4, 95 cbassepots e grande quantidade de
ontras armas.
Entre os documentos encontrados as Tu-
Iberias, achou-se um mu carioso. E' urna car-
ta escripia a Luiz Napoleio, por sua prima a ra-
nha Hortensia, em 13 de julho de 1866, duran-
te a guerra da Bohemia e depois da eesso de V-
neta.
E' inleressante, como vio ver os leitares:
Estis muito Iludido O vosso prestigio tem
diminuido mais nesta ultima quinzena, do qne du-
rante o vosso reinado. Consents que os fracos se-
jam destruidos : deixais erescer demasiado a in-
solencia e a brutali'lade do vosso visinho ; acei-
laes um brinde e nem sequer sabis dirigir nma
palavra amavel quelle que vo-lo faz. Lastimo
que me jnlgueis inieressada na queslio e que nio
consideris no funesto perigo de urna poderosa
Allemanha, e de urna poderosa Italia. E' a dyra-
naslia que est ameacada, e ella que seffrer as
consecuencias.
Fallo assim, porque a verdade, que viris a
conbecer j tarde.
Nio pensis que a desgraca que me tere com
o desastre da minha patria me torne injusta e des-
confiada. Cedido o Vneto, era raister soceorrer a
Ausliia ; marchar sobie o Rheno, e impor as vos-
sas condivoes.
t Consentir que a Austria seja esmagada mais
que am crime, nm erro. Porveotara esta a
minha ultima carta. No entretanto, pareeeu-
me que faltara aos deveres de urna antiga e se-
ria amisade, se nio dissesse pela ultima vez a ver-
dade.
< Nao creio qae seja attendida, mas desejo po-
der no futuro, repetir que tudo foi para, prevenir
a ruina do que me inspirara tanta f e tamanho
affecto.
De nm relatorio do ministro da guerra do
governo provisorio consta qne se tem destribui-
do 400,000-armas guarda movel e guarda ni-
cional.
Os guardas aacionaes tem recebido 280,000 ar-
mas dos soguintes modelos :
Espingardas tranformadas para carre
gar pela colalra ( abatiere)
Espingardas fulminantes raiadas
Espingardas fulminantes de cano liso
Carabinas, armas inglezas de diversos
modelos
convoca*.
95,000
121*000
55,000
W.000
Manoel Ferreira Guimaraes. A' thesonraria de seguinte carta que o. Sr. Braocroft, ministro dos
Estados Unidos em.Berlim, dirigi ao Sr. de-Bis-
mark i^r occasiap desle felicitar o ministro ame-
ricaao peto qoioqagesimo aauiversario do sea
doutoradfl :
c Berln), 30 de setembro de 1870Mea que-
rido conde.Vi com tanta sorpresa como prazer
que, no meio do trabalho que vos incumbe de re-
mocar a Europa, tiveates lempos de escreverme
boje urna afIectno3a carta com o flm de felicitar-
me por ter vivido tanto. E', com efteito, urna
grande felicidade viver neste lempo em qoe ir1^
ou quairo horneas, qae sobretodo amam a. pM> e
que depois de longos e difflceis trabal^o pensa
fazenda com offloio desla data.
Major Manoel Cavalcante de Albuquerque La-
cerda.lo'orme o Sr. jniz de direito da comarca
de Garanhuns, oavindo o jaiz municipal respec-
tivo.
Severiano de Cerqoeira Datho.A' thesouraria
de fazen Ja eom offlcio desta data.
Severo Jos Francisco. Ao Sr. inspector da
thesonraria de fazenda para informar.
Thotnax Pereira Pinto de Mello.A' tiesourari
de fazenda com offlcio desta data.
Repartlco da polica.
2.' seccao.Secretarla da polica da provincia
ae Perna^i'quoo, 16 de noverabro de 1870.
N. \mIllm. e Exm. Sr.Levo ao conheci
Colho de Brito ex-pra{a do batalhao 53 de, f nutto de V. Eac. que, segundo consto das parci
vam concluir em paz a soa carre^g conquistem
emuma guerra dtfetuiva m;-1g gloriJi mifiur do
qae a imagmacao mais '-treja poderia imagi-
nar, e levem a reas-^ m ,res metel) M spe-
randas qne a Au^aajha alimento ha mil anno.
180,000
Alm destos armas, outras se destribuiram a dif-
ferentes cornos solados, mb numero de 53, mais
10,080.
Os guardas nacionaae movis receberam...
90,000 espingardas da modelo de 4866 (chasse-
pois).
Diz o miniistro qu s existem 10^000 armas, as
qnaes cumpre conserrar como reserva : estos...
10,000 sao cbassepots.
MARLNHA HESPANHOLA.-0 numero total de
navios que conta esta marinha de 10 fragatas
coaracadas, 3 dellas era construccao; 11 fragatas
de helico; 3 vapores de roda de primera clasu ;
10 dos de segunda ; 7 navios de hlice, de segun-
da classe ; 20 dos de teroeira; 8 navios de rodas,
de terceira classe; 14 navios menores de diversas
c'asses, e 48 eanhoneiras. Total, 131 navios, com
815 peois e forca de 23,810 cavallos.
CARACTERES FEMENINOS.-A mulher toimosa
capax de se lancar ao mar deolro de am barco
de papel.
A paciente assa am boj i, lar de nma, vella.
A curiosa dsela dar volto ao arco iris, para
saber qae cor tem de am e do outro lado.
A invejosa mato-se querendo, apealar -
esparti'ha do que 9 faz a visinha, juj, 0
A, adQitrlosa ama fura'
riro de Janeiro at ao ulfono desde o pri-
Bonitas da muitas, ae dezembro.
Bonitu e boas, ?-.
Sao poooM -* bastantes.
GOVRTO pXvu!j boas- 9 o*1"18 '
- E' uota- rt .jKif^A-^TES FRANCEZES.
teem w;-dad^ S/'0',,! ">* < os francezes
Untos 80 anh im rnMe,0,reraao,M. DM '-
. """ uf i?*W bebdotnadario inglez :
1789. Mate.Os oslados gen
pava se reumrera era Versaitles.
?792Agosto tft.Lnix-XTI depost e procla-
mada a repuWfcj. Setembro 21. Reaate-te a,
cenvenco naewnal.
imJanerro 2I.-Laiz XVI ftltliaaMii
1795.Outubro .A conveoco nttmM
dissolvid e estaftelecid o directorio.
17:- Noverrtiro m.O directorio svppitBw-
do, e ptab*(r*-w o oasnlado.-nttmUn O*
Napoleio Bonaparte noaeado prhtefr* eonaof.
1802;" Maio l Napoleio Bonaparte asalto
pnmeiro cnsul por dex aaoos, e en tU agort
e eleio vilalicio. ^^
1804.Malo 18.Napoleio eletto impender d.<
irancezea:
1814.-Abril! L-Napoleo abdlea-laio X -
Futrada em Pars a> liniz XVDI.
1815.Marco 1.Napoleio escapa-se da iba de
Elba, e estabeleee-se o imperio dos 100 tm.
Junho 22.Abdica em favor de seu fila Kaao-
leao II.J0A0 B.-Lniz XVIH voRa i Pars.
1830. Jamo 26. Principio da tvnm em
Pans.Agosto 2.Carlos X abdica.A ge le 0.
wiiz Felippe sobe ao throno.
l848.-Ferpreiro 2SCorneja a revoaaeas em
Pars.Em 2* abdica o re.- Ero 25 proclaaaanw
a repblica.Dezembro ID.-Lurz Napoleio -elct-
10 presidente da repnMiea.
1852. Dezmbro t-Napoleio III eteito im-
perador dos ffancezes.
870.Setembro 1. O imperador aples *
feto prsioneiro palos Pruesanos em Sedaa en-
viado para a ABemanha.Svieraoro 4.Napeteo
deposto e a repblica proclamada
LOTERIA.-A qae se ada venda a 170.' a
beneficio da matriz da Casanga, a qoaJ corre a
dia 18..
LEILAO.Hoje efiecta o agente Martiee,
as i i horas do dia, o leila de movis ai raso-
treita do Rosario n. 43, segando andar.
PASSAGEIRO&Sahidos para o norte a vapor
Ipojuea :
Jos Garneiro de Oliveira. sua laabira e I fi-
Ibo, Francisco A. Giloni, Vicente Ferreira Loos-
te, Joio Loraonte, Jos Lomme a Panto Loosonv,
Manoel francisco de Moora, Antonio FraaVrki.
Rodrigues de Andrade, k ao Barrw* da Carraanc-,
Pompilio P. Pimentel, Joo Fernandas Barra.
Domingos da Ota Prreira, Angn Pinto Atan
Pequero e 1 criado, Domingos fMymai Braga Ca-
valcanti e um seu eompanheiro, Laz Aalosn flnar
calves, Belarmino Benarra de MeatM Leal, Do-
mingos Uwnes da Silva, Joio Jos da Suva Sar-
ment, Antonio Pereira Costo, Francisco Oiirara
Cabral, Jes Antonio de Figoeiredo, na senhora -
i criada, Joo Francisco Barbosa, Dr. Fraaciccu
Gomes da Silva, Antonio Qnerino da Sonsa, aaoel
Pedro C Vieiro e 4 escravo. Dr. aVad de Sa
Barreto de Sampaio, seo irmao a 1 eseran, Dr.
Manoel d Si Barrete de Saine*, Dr. Jos Ayr-.
do Nasctmento, canego Firmino e 2 criado*, Nicolao Floreneiano, Franrisrn Leal
de Miranda, Antonio Gelone, V. da Si va Freir e
i irmao, Manoel Aat nio C. de Alboqnerqne, Ha-
noel Ribeiro Bastos, Luiz da Gama Puno a I es-
cravo, Miguel Rooaaek, Joo Ferreira da Silva.
Dr. Manoel Tertuliano Arruda e soa sentara, Dr.
Jeflerson Mirabeau A. Soares, 2 fletas a I criad?
0. Isabel Mathilde da Silva, D. gnea A. Silva t
criados, Dr. Joaquim Moretra B. O. Lima, Enansi-
doodas O. Brito Lyra.
Segnem para o snl;
Manoel E. A. e sna filha. Artbnr H. F1gneiren>>
M. B. B. R. Tavares e 1 criado, Francisco D 1.
Freir, Kr. Antonio P. Araujo, Fr. Manoel P. M. a
3 criados, Mara Rosa Lacena B., Manot-I Ociavia-
no G. N., Joio Vaz C. Cunha d'Albwinerqoe, Fer-
nando Guarier, Goocalo Vieira Mello, Flix Br-
relo M. Ferreira, Francisco F. Araujo Lima. G. A.
P. B. Brandis, Eduardo Gomes G. Araujo. majar
Manoel Souza Baptista Dr. Juvino Antera P. Xaia.
Lourenco F. Mesquito Dantos, Aoiohio Dia* A-
guiar o 1 criado, SemeV Faro Meadooca. Manoel
Francisco Tarn!, Manoel Jos F. Lacio, Heun<|u^
Jos Souza, Joaquim Silva Torres, Severiano E*t
ves Freilas, Joaquim Soares Barb*, Monrieimi m,
Manoel Cunha Coulinho, Alexandr.no Amonio Cor-
rea de Figoeiredo, Theoiooio Torqnato Branda.
Firmina L Lima, Dr. Francisco Rodrigces Seu
Filho e l criado, Luiz Barbosa M. Jnior e I criaaV.
CEMITERH3 PUBUCO.Obituario do dia 13 a>
novembro :
Cathsrina, escrava, parda, Peraatnaoco, 4 aam -
Recife; bronchite.
Amelia, parda, Peroarabuco, 19 mexes, B-aiNta .
deniicio.
Rnsalina Liliosa de Guimaraes Ferreira, branca.
Pernambueo, 24 annos, soltaira, Sanio Ante nio.
gastrite.
Gustavo, braneo, Pernambueo, atetas, Gnp '
convuledes.
Bernardina de Senna e Silva, branca, Parnoaata
co, 84 annos, viuva, Boavisto; veinte.
Lniza do Rosario, preta, .A/rica, 70 anana, soBrira,
Boavisto, hospital Pedra II; anatarsa.
Julia, parda, Pernambueo, 20 annos, solteira, Bos -
vista, hospital Pedro ; tubrculo naintona-
res.
Leonardo, pardo, Peraambuco, 8 osas, Boavisto .
convnlcdes.
Ignacio Jos do Couto. braneo, Portugal, 6t ana.-.
casado, curato da s; tumor g^agnenwo.
- 14-
Antonia Jacintha de Jess, branca, PorfoffL *
annos, viuva, Boavisla, hospital Pedro II; ta-
patile chrnnice.
Fraocisco Pedro, pardo, Pernaasboeo, 3> anana.
solleiro, Boavisto, hospital Pedro II; totareu-
los pulmonaws.
Sabina, escrava, preta, frica, 43 anana, sneira.
S. Jos; gassro enterite agodn.
Iiael, escravo, pardo, Cear, 39 annos naBniro.
Santo Antonio ; aneurisma.
Luiza, parda, Pernambueo, 1 mezas S. Jane; eoa-
vnlcSes. m_____
Mara da Silva Cordeiro Gouva, branca, Pernaas
buco, 32 annos, casada, Boavisto ; meterte anr
paral.
Anna Lourena da Coneeicio, parda, r>rnaanMco.
88 annos, casada, Recife ; amolecinMnso cere-
bral.
Joaqaim Francisco Gomes Saaanaio, braneo, Por-
nambuco, 21 annos, soltoiro, Popo; aparatapr
imercio. __ ^ _
Major Manol Cavalcante de Mello, branca, Pa-
namboeo,84 annos, vina, S. Jos; |aipar*'
to cerebral. ^.
Laz Rodrigues Franca, Bat-
anaos, soneteo, Roavlate ____ ~,
IJma mendiga, preto." .^'..f!
neis, S, JJDw ^ 1*2* m. M
*Hf *gM&r?BBte"'
ViL- -orava, parda, l^iraaiBtajaa, 12 ano-'
"^ a. Recite ; eongestio enrenral.
uto C rra, braneo, Prnaaainea, 3t ana*
soltoiro, Boavisto; ttano traoaanne
Jos Antonio Bezerra, pardo, Penaantaan, 3$ as-
nos, casado, Reeife ; ttano .
Izabel Francisca, treta, frica, 001
Boavisto, asyto; henaeglagia.
m

PUBLICACOES A
ATTENQAO
Advertt-w aos rabucadores de lateral e j


1
W3W0H 30 f] MII31 ^(U PeniamWo Quinta fcira 17 dTZembro de
1870
nfn Hi'
lf Mili

cheles do partido de Q^MWfftio fc|iM V^nPOJ^tiM\ nltima
arripiarem carreira no desentrea- representacio.
cularmeole aos
roehto dVwIXtfuagcrn; forjarlo as victimas de
sua contM alrdacuiade tonar ib desforra
Eolio, rjfpofiwla -ver de que l'ado'estao os ca-
eros ; de que lado as ranioraJdanes ] de" qu lado
as divassides ; de que lado, eranm, as torpezas,
nunca oavidas era i
Assim o querera,
nao se qneixem...
Algonas pa
clana^es
conapanhl
nos do lie
O modo por que
direitos os que se jutgjpn pr
obras, que a companhia dos trilhos urbanos
Recife Apipucos esi fazendo nos terrenos com-
pehendid os entre Apipucos e o Caxaog, nao ra
zoavel e muito menos justo.
jaj.a rumpinhia, que tlii ge do pravilegie 4a
desappropracio dos terrenos neeessarios para lei
to da soa estrada, nao querer empregar os nn;ios
conciliatorki e amigaveis par.a obtenco da es
sao voluMado'M-aiMK>a-WUirt, o red**
dio esl consignado na lei; 4 recorrer-se ao juizo
arbitru, embargando-se. as obras eoreeaw, i*-
gas as castas pela companhia.
Lancar-se mu do doesto e do insulto contra o
Kereuie da corapaabja* uae ocub-uma responsabi-
lidad* pele ter oestes negocios, invorvendo-se ra-
directamente neases insultos o juicos e tribaiues
do paiz, ara meio reprovada, e que ajo {>de cr
provuitoso i nenliuui jos lados cuntendo/es.
O argumento uarufles, que sempre se invoca
nestas jueyoos, fio lacro fabulosa, .toa so diz aj'
fere a compauaia dqe .trilhos uceados : .mas eite
lacro, quaudo mesmo seja fabuloso, nao deve in-
fluir novator real dus terrenos que se preleudo
desajjpronriar m heetteo da-companhia e do pu-
blico.
Xlogaenr, a nSw estor fpra de juizo, empregar
seas capilaes em roa empreza, s*m taj em vwia
lucros avaolajadus : maguera irabaJu oeste mun-
do sem a mrr nu inieresse.
Pouco aos devamo< importar co os lucro da
companhia dos (rimes urbanos do Apipucos, urna
vez que eumpra eila os .-eu= devares para con o
publico.1
Pelo que diz respeito ao seu gerente, o Sr. Raw
linson, nSo nos parees baver justica da parte do
autor das nabJicagaes a pedido, que se leraru no
Diario e Jornal do liecife de i' do-corrate.
Os negocios de desappropriaces dut terrenos
entre Apipocos e Guanga correm por copla da
direecio Ja companbia e nao Ilawlinson apenas ezecuia as delberacSes da di
receo, e dirige os trabalhos tecliuicus da liulia
terrea : com a direecio, pois, se devem entender
os que se julgarera prejudicados com a passagem
da linha por saas propiedades.
Insultos e doestos nao dio, nem nunca aerara,
aielhor direito a ninguero.
Estamos bem iabrmados, de que a companaia
antes de dar principio ao prolongamento da liana
de Apipucos ao Gaxanut procurou ouier o conseo-
timento dos senhores da propriedade Lbus Irmaus
por onde tinba de passar a mesma linha, e que s
mente, qttando tinha obtl lo est, corisenttmento foi
que secomecou. a trabalhar : succediu porm, Vte
apparecessem depois reclamares de alguna con
senhores, at eqtao descnnhecidos, e que exlgiam
iniemnisacoes extraordinarias por limitada exten-
sio de terrenos, qne longo de seren prejudicadn*
erara beneficiados cem a passagem do caainho de
ferro ; e fundando-se os reclamantes apena* 11 is
supposlos lucros fabulosos da empreza, toi ewao
que o Sr. Rawllnson opinon, para que a questao
fosse resolvida jadici.iimente, corno determina a
lei que coBcedea o previlegio, sem paralisa^ao des
trabalhos em andamento, pois, na devia & oplnie
de urna pequea menora prejndiear a da maloria
dos proprietarw, e retardar om importante m-
Ihoramento para a provincia.
Desla oplniao, para a supposla iuvaeao da pro-
uiMiuuiu= d. r.^a ciuaue, a pemuuu iu>awMP OOkto BlIsoarTBWTrvo o Io semestre do exerclclo
me2c2^eslat*') ,'a!'rS '''"* u ir"9Pf *> jMrjfie de J570 ZUflado 0. qual ser iebrado
maderrs, l agora, somente concedeu qaff om om amalta de 6 010.
O pablictffrequentdor do'theatrfi^flfttfj
io,-eoure outras oousas |ue- Ihe nae apr
deixa Q> qioleitar.-sd ,com o. ph/enesi .d)L
apaixonadoj. Respeitando a liberdade dos 00
queremos ajue Vesp'eitem ;'t nssa de forma
nos incommodar.
'T
Barros contra^ Francisco Tbomai de Barros
irreira de Oliveira e Silva"
filba e se achara ditas f
1 poder do executado ,
tros Campello, morador na|
'aro Jaboatao.
mandei passar o presente
imprensa ejfflxados nos
q^^fehj^Bta d
n lrin|po!
iu-larrea da filiada
, e so V. Exc p.vder praMlelciar
companbia enmpra o aHlamen
1 mean a forma <|oe a dMpaibi
j faz BUuipTlF pelUrpfhc
Urna pessoa, que lera na estacao de Gamolleira
?6 pranxoes de madeira a S7 das pa
condnzidos a esta cidade, e pediodo ao*
mencionada estacao carros_ para o transpone da
.B10. dt Jtneiro.
Esi a carga para ess porto o patacho nacional
Bifrtft, de 1'marcha e elasle, leudo j parte Ja
0MS* f'*reoe*w'': pessoaa que quizerem car-
regar dirfjam e ae esrriptorio de Jos Mara Pal
meira, no largo do Corpo Santo n. 4, andar. Dar
*tarem.
Pelarecebedoria
iiiwiinniiji fai publico qpg
carro eunduzisse pus
Nestas circumstaacias sotlrem os expedidores
graad.es prejuiws, dandors^ia^taa rie bavprAojJ
faltas de compromissos comihercia occtsloado;
Por a JoAipanhia aiar com as 'onrigacjes de seu Wwhta xiaMjtt Wl jswflJ160l*vlla dio
regulamento : e pessoa alguna auwdids) ofl)
suas re;laniagoes por mais exigencia que fga, e
expnpha o daamo que resniutal dttensay, A^sim
espera que V. Exc. tomando conhecimonto da ver-
ilade fara Justica.
O Prujuthctid*.
.

pequeo que seja- o rtu
dpiri, elle ver-e-bao
N. -%1fi.17MA REVOliCO NO TRTAME
TO CATHARTICO.-Milhares de pessoas eonsMe-,
ram as prfulas aperitivas como urna spedle dt
medieina ffue destroe a sns effleaua pela cooft-
nu-iclo. Em outras palavras petrsm-qae por msl?
ramere lwu obri|ados; para o flm W-
mar grandes doze. Purera as pitahn assacara*
das de Brvflnl, armara tfra grandeexeW*b des-
te particular. \ dose remore moderada, spb*>
t|UMP3 pilmas o mriero nlil r,ar* um adulta, e
seis a doze maior. O effeito que ettas produzem
permanente, e nio necesserlo o repelf-las aflrq
de se evitar uuia recahida. Para a prisao do ven
tre, dores d* carteca nefvosas desordens biliosas,
cal?frios e febre?, e'ocommodos do estomago, deb-
lidade geral, clicas, irregularidades do systema
femimno;-ellas eonsttuetn ona cura especifica.
EtfaseslSo metidas dentro de fra-=qurah>s de vi-
dro, e por isso a sua boa conservacao dumdora
em lodos o climjs. Em todos os casos aggtava- Casa terrea n. 70.
nternas geraes
novenibra gue


Recebodaria de Peruambuca
1870.
o,. I adtiiaiitrador,
Maaol Crneiro de Souza Lacerda
A tilma, junta administrativa da santa casa de
misericordia do Iteclfe, narsala da anas sesades.
pela* 3 bpras daarde.dQ da 17 do torrente, re-
cebe pfoposta1 pira o rornecimenio de carije v*r
de qtrehover oe consumir o" asilo de raendicida-
Je n i raez de dezembru vindouro.
Secretaria da. Santa Casa -dp Misericordia do
Recife lf de noven)pro de 187f).
..*,r Oeservilq.
Pedro Rodrigues de Souza.
SANTA CASA' DE MISERICORDIA DO
RECIFE,
A Illraa. junta administrativa da Santa casa de
Muere rdia do Recife manda fazer puWieo que
na sa*a de saas sessoes, no da 17 de oalubro, pr
las 4 hrtrasda'tarde, teoj desar arrematadas a
quera mas vantagens uflferecer pelo lempo de am
" -""_ nurtn Inii f^1""- irm inara
declarados^ ... ti'#-mg ai ,
HSTAflEyWWIBOl 01 GARIDADE.
Segundo andar do sobrado n. ii A....
Sobrado n. 4TT .
. Cinco Ponus.
MPKEZA-COIMBBA
Wra \1 do cmate
TA EXWAORtrARIA
ssimo espectculo
Ligo que a orchestra tenha executado a ouver-
PIUMEIRA PARTE. _______
A' pedido de nTtas pessoas-a empresa resolveu
2 de acveaHD4hlt4*,ir DWPte scena a linda opereta phantas-
^Uca em nm acto, msica de Ad. Adam
sLKS
Pantins de Violette
, prwnagen*, Actor*
ATwrnbas............ Mr. Raynaad.
Pieirnt............... jute. Brescla.
Vioette, ............ Maje. Valmooca.
Poffelunelle........... Mr. Cou.
SEGUNDA PARTE.
Subir pela segunda vez a scena a muito liada
opeieta em um acto msica do insigne Offembaek
les nariage anx Lwteriies.
Ba qual tomara parta Mme. Valmoaca, MI le.
Breseiaa Manete e Mra. Ravnaud Carn.
^lfcROEIRA PARTE.
Representar se-ha a chistosa e applaudlda see-
aa da declaraos na opera
La Grnd Ducbesse
Persona gens.
La grsnd dnchesse........ Mme. Valraonea.
Frtsgeneral.............. Mr. Caro*.
Termina dora a qnadrilha
RioOrande doSuL
Segae cora brevidade para o porto cima o bri-
gue qacipqai Amelia : para o resto da carga que
Ib* falta, tratase com os consignatarios Antonio
L. d#0. Azevedo & C., ra da Cruz n. 57,
meiru andar.
dos oa provenientes de um estado impbro'db san
gue, a salaaparrilha de Brystol, deve ser tomada
Mnjanctarfiente Com as piplas.
N. 417.-UM OUTRO TRIMPHO MEDICO
Cura nraravilhosa de rheumatismo. N^ ha mo-
lestia que se/a mais atormentadora do que o rheu-
matismo, nenhama tilo dilBcil de allviar-se ; com
ludo nm caso, o qual, peio espacode 30 annosna
via zombado e confundido a faculdade medica, ful,
segundo parece eouiptetamdite curado. Os pro-
menores foram publicados em muitos dosjornaes
do oeste, acompanhado da expressoes de admira-
cao quanto 4 to esparitoso resultad). Elles cer-
tifleam que John Roche, do Cleveland, Onjo, de 56
annos de idade. havia dorante a maior parte de
sua vida soffrido tormentos 03 mais terrivels. Os
seos membros havjara sido submetlidos aos raalc-
res tormentos e conlarces peniveis seguido de
coatracfjes musculares, at que as juntas dos
jocllios ehegaram ser do tamanho da cabera de
um hornera ; e os dedos todos encottiidos e torios,
at que mais pareciam as jarras de urna ave de
repina do que mais humanas ; em quanto qne
urna teudncla escrophulosa derramada pelo saii-
gue, claramente se mosirava pelas ebaflIcSas e
pusfulasque cobriam varias parles da sea carpo.
NeSla misera condicSo elle principiou a fazer two
ilas pilulas assucafadas de Brystol, em conjunc^o
Wm
102*000
321*000
303*000
202*000
pirata, a salsaparrilha de Brystol. Onze frasqui-
nh'is de plalas o ojio frascos de salsaparrilha, o
alliviaram inteiramente de todas as dores, os seos
membros e juntas tornaran ao seu estado natural
e presentemente ochare bom de raade, content
e alegre, tratando do ua vida. E-tas pilotas
arham-se tao adiniravelmente acondicionadas den-
tro de vldrinhos, de sorte que a sna conservacao
duradora em todos os climas.
Ao Dr. Uva Ramos.
Perganta-se ao Sr. Dr. Ramos se as dn-
vidaa que manifesiou acerca da molostia do
Dr. VictoriaDO de S e Albuquerqae se
acbam j dessipadas pela analyse chimica
fe ta oa Babia e oesse caso esclarec ao pu-
blico com sua opinio actual.
COMMERCIQ.
ALFANDEGA-
Reudiraento da dia 1 a 15. .
dem do dia 16 .
priedado alheia' contra a vontade de seo dono, a ramjiqttlleiri-ando^anHdoto^^vlrM de_escro-
distancia ( immensa. Entendemos que. leudo ob-
tido a companhia o consentimento da maioria dos
consenhores da propriedde=/)oii rmeos, per
onde lem de passar o tracado do proiongameiito
dos trilhos de Apipocos so Caxang, e nao estan-
do esta propriedade dividida, e sim possuida en-
globadamente por todos 09 consenhores, nao poda
a discordiancia de um possnidor de diminuto va-
lor (qne exige 6:000|000 somente pela cesao de
urna milsima parte do qna Ihs ?ertencia) paraly-
sar os trabalhos da estrada, co n grave prejuizo fia
pipulacao desta capital, que assim vena retarda-
do um raelhoramenlo t2o importante, como a sua
fcil communicaco com a povoacao do Caxang.
O direito de propriedade. que allega o escriptor
das publieacdes, que deixamos citadas, nao tem,
ni caso vrteme, a latifade qae se Me quer dar.
Este direito foi limitado pela coostitnicao do im-
perio, quando o bem publico o exigir. E foi fun-
dada nesse bem peral qne a lei, que concedeu
privilegio para a construeco da estrada de ferro
de Apipucos, den a companhia o direito da desap-
propriacSs dos terrenos particulares, de que pre-
cisass* para o linha frrea.
Estamos convencidos, qne al hoie anda a com-
panhia dos trilhos urbanos de Apipucos nao se
apossou violentamente de terrenos alheiot, limitan
do-se apenas a sustentar em jnizo pleitos autori-
zados pela lei de seu privilegio.
Os terrenos qae hoja oc upa a sua linha frrea
ou Ihe foram gratuitamente cedidos, ou amgavel
ou judicialmente oblidos por indemnisacoea.
Km pleito judicial (leve o eonsennor dissidente
da propriedade Dous irmaos sustentar o seu bom
direito maior indemnisa^ao, que a olTerecida pela
companhia, e nio na imprensa com discus.-5es in-
convenientes, sempre prejudiciaes quem dellas
DW.
lia dous-annos que diariamente frequenlamos a
via frrea do Recife aos Apipuco.-, e durante este
longo periodo temos do occasifto de observar o
hora comportamento do actual gerente o Sr. Wil-
iiam Rawlinson.
Ilihanidada para cora todos,zelo e interesse pelo
hira indamento da empreza, e cuidado especial
para que os seas subordinados sejam attonciosos,
e benignos com os passageiros, nenhum gerente
pnder ter em maior escala que o Sr. Rawlis;n ;
pr Uso jalgamoR injustas e inapplicaveis a esse
cavahViro as expresoes grossetras usadas para
com elle as citadas pnblicaces.
Temos esperanca do que' o autor das pabliea-
c6es pida abandonar o meio inconveniente de
que lancon maopara sustentar o seu direito.'e re-
c inrra ao que Ihe permittem as leis do paiz, e de
que somente deve usar um horaem de edoeacao.
Ra do Nogueira.
Caa terreas. ITi ,
Ra Ja Matriz da Boa Vista,
Casa terrea o. 56......J
PATRIMONIO DOS ORPH Ra do General Victorino
Casa terrea n. 13.................. 240*000
Ra da 8. Jorga (entr'ora fdar)
Casa terrea n. IO&ni............... 204*000
dem idem n. 13^.,.....;........ 181*000
dem idetn n. 99r.................. 345*000
dem idem n. 96.................... 203*000
dem idem o. 9W............... 204*000
dem dem n. 32. 161*000
Os pistenJentes deverao aprffentar no acto da
orremataijao as saas flaneas, eu comparecereni
acompanhados dos respectivos .ladnres.
Secretarla da-Santa Casa d.iMisericordia do Re-
cife, 18 de ourabro de 18W. '
C escrivio,
______________Pedro Rolrigues de Souza.
SANTA CASA Dfi MtSaiQORDIA DO'
RECIPE.
A I lima. Junta adminisiTalSva da santa easa de
mrsaTenrdia do Recffe, m sala oV sus sessdes,
pelas 3 horas da larde di da 17 do crtenle, re-
cebe propostas para o fcrnecimenlo de pao e bo-
lacha que houver de ser'consumido pelo asylo de
raendleidade no mez dedezembro vindouro."
Seertearfa da Santa Casa de MiseHeordta de
Rect.'e 12 de novemnro de 1870.
O escrivio,
Pedro Rodrigues de Souza.
SANTA CASA DA MISERICORDIA DO
RECIPE.
Peraote a jauta administrativa desta santa casa
tem do ser afora los os terrenos ns. 39 e 40 no
lugar dos Arroiabados em OUn'da, os quaa-s otr'o-
ra tstivoram aforados Maooel Jos Lopes Braga,
que fez co.-.- 1 do semelhacle aforameqlo.
Os pretendenles deverao apreseelar seas reqae-
riraentos na secretaria, onde poderu receber as
inforraacSes que precisaren!.
Secreuria da sama casa de misericordia do Re-
cife 16 de noverabro de 1870.
O escrivo,
_______ Pedro Rodrigues de Souza.
522:791*470
35:352*501
538:143*971
\oviuieuto la alfaudega.
Volumes entrados com fatendas
cora gneros
Volumes sahidos com fazendas
c com gneros
W
Ao Exm. commandante das
armas.
Chrenica do espectculo de ante-hontem.
1 .
O primeiro acto correu admiravelmente, os o-
nels broncos salisfizoram completameule.
II
O segundo acto andou bera, apenas um boitel
vermelho leve saaada da meclalha de mrito.
III
O tereairo ac4o leve ura succeiso ; se o Exm
general l e-tivesse, te.-ia apreciado boas cwuie.
O con-cuahad de Lpez brlhou t Pareca es-
tar id Paraguay 1
(V
Tres militare! laquaceram-se das roedalhas eda
farda.
IV
O Exm. bario de S. Korjav ae tbeatro sem
ser esperado
-4 casinka do ponto.,
Theatro Santo Antonio
Representoa-se honWm.no theatro Santo Anto-
bo a lindsima opereta c'dmieate mariagc aux
lamientesnio objUB'e j ter tido comeco oeste
novo tlieatr^ os partidos sempre p'rejujliciaes aos
espectaderes imparciaes, todava nao perorbaram
<4i-sa represeotacao em a noit passada.
mar-oye. tux lanlernes nao urna opeft/l
41
241
-----282
283
494
-----777
Descarregam boje 17 de oulubro.
Urigne portuguezJudiVAdiversos gneros.
Barca ingleza Brilh'inUdivi-rus gneros.
Galera inglezaHcrmionediversos gneros.
Lugar portuguez Julioidem.
liarca franceaaS. Andridem.
Barca inglezaZennta idem.
Bi igue ingiezKitei lem.
Brigue ingiez Wild Vuceidem.
Lugar ingiezNavegutorcarvo.
UECEBK:.ORIA DE RENDAS INTERNAS
GERAES DE PERNAMBUCO
Rendmento do \ 1 a 13. 23:880*837
dem do dia 16 2:690*029
28:370*866
CONSULADO PROVINCIAL.
Readraento. da da 1 a lo. 35:072*162'
Idem do dia 16 1:313*410
36:385*572
MOVIMENTO DO PORTO.
Sanios entrados no dia 16.
Glasgow44 das, barca ingleza Kohinoor, de 477
toneladas, capito Thomaz Harland. equipagem
13, earga carvo e outros gneros; Simpjon
O C
n- n J*it"f *hd*> *etmo i**, .
ttio Grande do Sul pelo Rio de JaneiroPalbibote
nawoaal Emilia, capilao Antonio Gomea Perei-
r, carga assucar.
BahaPaucho americano Wolftille, capitao John
Co*k, carga pnrie da que tro*e de New-York.
AssdBrigue braslleiro Olinda, capito O. da Sil-
va Nunes, em lastro.
Consclho de compras navaes
O oonselho promove no dia 19 do corrente raez.
visia de propostas recebldas at as II horas da
raanhaa e sob as eondicoes do estylo, a "compra
dos objectos do materi! da armada" segrales :
10 baldea leiras de folha, 10 dnzias de chicaras
e pires de folha, 6 pesas de cabo de linho de 1 1|2
polegada, 6 pecas de cabo de linho de 2 polca-
das. 6 pecas de cabo de linho de 3 polegadis, 400
ajqueires de oal preta, 30 covados de damasco de
laa eufdstado, 2 pecas de encerado para mesa, 20
faniz de folha, 48 livros de socoorros; impressos,
de 50, 10 e I50foibas, 10o lampeos de folha
para illuminacao, 106 lapes de core, 200 lapes
pretos, 2 oculos de alcance, 8 duzas de tigelas de
folha dobrada, 30 grozas de torcidas para pharol,
10 duzas de taboas de cedro de 3|4 polegadas, 10
duzias de taboas de praho de I polegada, e 10 va-
ros de ferro quadrado de 4 polegadas em qua-
dro.
Tambera o conselho no mencionado dia 19 do
correte mez contrata, por goal forma, os forne-
ciraenlos durante o lempo de 6 meaes de cemento
romano para as obras do porto, lendo as barricas
nunca menos de 10 arrobas de peso, e de carvo
ue pedra CardifT, New-castle, e do fln'o, propno
para forjas, para os navios da armada e estabele-
cimento de marinba.
Sala das sessoos do conselho de compras navae.-
lo de novembro de 1870.
O secretario,
Alexandre Rodrigues dos Aojos.
Le grnd canean!
Os bilbetes acharase a venda do eseriptorio do
theatro.
Principiar s 8 1|4 da noute.
AVISAS MARTIMAS.
PARA
o
Rio-Grande do Sol.
Vai carregar e seguir com brevidade o patacho
portuguez Princ'rpw, capitao Jos Francisco de
Abren, recebe um resto de carga a frete, para o
que irata-ae com Araorim Irmios & d, raa da
CTuz n. 3.
PARA'
Para o indicado porto segae em poneos dias o
tingue portuguez ealiiade, por ter a maior parle
de seu carreRamento prorapto e para o pouco que
Ihe ftilta a frete barate : trata se com o consig-
3alario Joaquim Jos Goacaives Beltro, ra do
ommercib n. 17.
LIVERPOOL BBASIL & RIVER PLATE
MAIL STEAMEHS.
Rio de Janeiro, Babia e Santos.
Espera-sede Liverpool al o dia 23 do corra-
le o vapor ingiez Humholdt de 1,400 toneladas, qoe
seguir para os porto* cima depois de indfspen-
savel demora.
Tem exceltentes accoumodaeoes para passagei-
ros de primetra e tereeira cmara.
Para fretes e passageiros, trata-se cora os agen-
tes Saunders Brothers & C. Largo do Corpo San-
to n. 11.
Maranhao
Segu para o indicad.> porto o patacho brasilei-
ro Bom Jetus, e pode receber anda alguma- miu-
dezas a frete : a tratar com o respectivo consig-
natario Joaquira Gorardo de Bastos, ra do Vi-
gario n. 16, Io anhar.
EBITAES.
Le

de delicado enrejo, ira* de una eompo9icao mu-
sical dlB:i), e que revela engenbo em seo autor e
rjpaeidade nos arti-tas gue a represenlaram ;
Mme. De Val-raonca e Mae. Bresaa nio deixa-
r,m passar desapercebida's as partes finis beai e
-'irprendents di qperaU, Raynaad, aue al eniio
era dnoaafcaaida etroo artista- o cvmo cantor, aiiq
i|oa a oensnrar-
fe, e com-o b irbalho cdmplaina odas artista
que toraaram parw:
Les Pantuu Violette e Le Vieieneux sio dais
Iradas opewasl'dd muakaagiadavel, oas nio tem
ihera tos *caofcos> 9*1 *< mafiag aux lantenes.
Abolido o habito de fazer-se cantar cancoaeta, e
montando o director da companhia de baTe.s op-
relas taes como as qae dizem ter em sea reperto-
0 Dr. SebastiJodo Reg Barros de Lacerda, iuiz
de direito especial do commercio uesta cidade
do Recife capital da provincfi de Pernambuco
por S. M. Imperial a uuem Des guarde, etc.
Faco sabtr pel pejie,. qua nos termos do
art. dJ decreto n ms. di 15 de setembro do
anno prximo pausado, dentro do praso de 30
dias, contados da pubcaijo desse edital, recebe-
r este juizo propostas por cartas fechadas para
arn>maiaca:> pr vendb de quatro escravos a a-
ber :
Urna escrava de noma Mria, crioula, cor prela
representa ter 24 anuos de rdade sem achaques'
do servco domestico, avallada por 900*. '
Um fllhoi da resriln- errava com o nome de
Antonio, edr preta, rdade de 7 anno-, sera acha-
ques, avahado era 300*. '
Urna fllha da-tMstifo escrav'por nome Adeiai
da, eabra, idade de 3 anuos pouco malos en me-
nos, sem athajues, avallado ad) 200*.
Uma fllha da mesma escrava por noma Rita
cabra, idade de J erraos pouco raats oa menos'
sem achaques, avahada por 150*.
As qaaes foram peuhoradas por execucao do
tenente-coronel Alexandrino -Martins Correia de
SANTA CASA DA MISERICOROIA DO RBCIPE.
A Illraa. junta administrativa di Santa Casa d*
Misericordia do Recife, na sala de suas sessoes
pelas 3 horas da tarde do dia 17 do corrente, re-
cebe propostas para o fernecimanto de leeros qne
boover de consumir o Asyio de Mendicidade no
mez de dezembro prximo.
A saber:
Aletria, killogramma.
Arroz, litro.
Azeile de carrapato, idem.
Azeite doce, idem.
Bacalho, killognmma.
Batatas, idem.
Caf em grao, idem.
Carne secca, idem.
Cebollas, cento.
Cb byssoo, killogramma.
Cha preto, idem.
Farello, sacca,
Farinha de mandioca, litro.
Feijao, idem.
Fumo do Rio, killogramma.
Gaz, lata.
Maoleiga ingleza, killogramma.
Hanteiga fraoceza, idem.
Peixe fresco, idem.
Rap Meuron, bote.
Sabio, killogramma.
Sal, litro.
Toucinho, kilogramma.
Velas de carnauba, idem.
Velas de spermacele, idem,
Vinagre de Lisbdf, litro.
Vinho branco, idsm.
Yinho linio, denT
Os concorrentes poderlo aoresentar suas pro-
postas em cartas fechadas e salladas as qnaes de-
verao ter a ordera estabeleelda no presente an-
nuncio.
Secretaria da Sania Casa de Misericordia do Re-
cife, 12 de novembro de 1870.
O escribi,
Pcdn Bodrtgves de Souza.
' DE
Paquetes a Vapor
Dos portos do sul esperado
at o dia 22 do corrente o vapor
Paran, commandante J. S. Mo-
raes, o qual depois da demora do
costme seguir para os portes
do norte.
Desde j recebem-se passageires e engaja-se a
carga que o vapor poder condazir, a qual dever
ser embarcada no dia de sua chegada, encom-
mendas e dinheiro a frete at as 2 horas da larde
de sua sahida.
Nao se recebem como eoeommendas senio ob-
jectoe de pequeo valor, e que nao excedam a 2
arrobas de peso ou oito palmos cbicos de medi-
cao. Tudo qua passar destes limites dever ser
embarcado como carga.
Provine-se aos Srs. pajsageiros que sua pas-
sagens s se recebem na agencia, ra da Cruz n.
57, primeiro andar, escriptoiio de Antonio Lniz
de Oliveira Atevedo & C.
'< Segu co
lacha naci
a qae Ihe

de par o p< rio cima o pa-
cen Amu^ para o resto do car-
9 com .os i'ooiignataries
di C, roa da
...ntonio Luht Oliveirt Asevedo
Cruz a. 57.
-iiluciat^
pn
LEILOES
urna mobilia de mogno com 12 caderas de guar-
nicao, 4 ditas de bracos, 2 cngolos com pedr
e 1 jardineira, i secretaria de Jacaranda, 1 os-
lante para livres, 1 mesa de amarello para es-
eriptorio, 1 commoda de amarello, 1 raeia di.
1 costureira, 1 loucador de Jacaranda, 1 toillette
de dito, 1 cama de ferro para casal, 1 costurei-
ra, 1 aparador, 2 bous guardas-vestidos, 1 gran-
de guarda-louoa, 1 mobilia de amarello a Lniz
XV com 12 cadeiras de guaraicao, 2 de bracos,
2 de batano, 2 consolos, 1 sota 1 jardineira, i
mesa de jamar, 1 apparelbo de louca verde
para jantar, 1 bidet, 2 lavatorios de ferro, t con-
sol de Jacaranda com pedra, lanternas. esear-
radeiras, garrafas para viobo, camas de lona,
ditas de ferro, fraaeos, tabea para engomraade,
jarras, mesa da cosinha, 1 taixo grande de co-
bra e maitos ontros objectos
1IOJTE
H do corrale
O agente Martins far leilo dos movis cima,
no segundo andar do sobrado n. 43 da roa Es-
trella do Rosario, ai II horas do dia.
A direccao convida aos seobores
rennir-se em assembla geral do dia 18 do car-
rele a 1 hora da tarde ara praeedar m **>
ci de tres dir stores, como foi deliberado na asv
semhla geral de 14 do correle.
Previne se qae no caso de nio raoair-se m-
soaro' legaf para CwssHuir a esUm, sari easrvoeada
nova reunan, que funccionara como amero pr-
senlo de acoordo com os estatutos.
Associaco Ceramereial Reneflcenie de Per
buco 16 de novembro de 1870.
Jos da Silva Loyo,
Presidente.
Limo
DE
quatro caixas com 48 queijoi londrinos
HOJE.
O agente Pestaa far leilo, para fechar eontas,
de quatro caixas com 48 queijos londrinos, as
quaes serao veudidas em um oa mais lotes von-
tade e sem reserva, no da quinta feira 17 do cor-
rete, na porta de armazem do Annes, s 11 horas
da raanhaa.
LEIUO
DE
cerca de 70 arrobas de figos em meias cai-
xas e quarlos.
HOJE
O agente Pestaa levar leillo, por eonta e
risco de qoem pertencer,. de cerca de 70 arroba*
de excellentes Ggps perelts, em meios e quarlos,
os quaes sero vendidos em um ou ma3 lotes, na
quinla-feira 17 do corrate, pelas 11 horas da
machia, no armazem do Annes, defronte da al-
fandega.
ttm sobrado na ru*y oeptefe 36 do
t sotio, para grande familia : a mur m n*
Imperarriz,1oja n
.----:----1----1----' *J^1'*|
dirija-se esta rtpojra
ti ioieiaes J. P. C.
fcente.
Bene-
Socied^de Liberal Uni Be-
nefcente
De orden do conselho a Iministratiro aie eoo-
vidados todos os srcios a rennirem-se m asMsa-
bla gi-ral no dia 20 do corrente mez, as 10 horas
da manhia, na casa da mesma sodedade. para
pr;eder-se a eleicao da nava adraioisiracie ajoe
lem de funecionar no anno prximo futuro.
Secretaria da sodedade Liberal Uniio Bofet-
ente em 16 de novambro de 1870.
Xavier Vianna Sobriabo,
1* secretario.

Innocenco
Os abano assignado*, lendo receluaV es aa-
gaiuenlo do fallecido padre Paulo Beoto Zedasoes
quatro letras tacadas pelo mesrao e aceita* pela
Sra. D. Luiza de Franca Zedames e Silva, datadas
do 21 de Janeiro de 1867, a venen- a 24, 36,46 e
60 metes, e de rs. 760* cada Dota, e tea do m
meamos j recebido da aceitante as dona priaeiras
letras, de que Ihe passaram recibo em separado,
acontece qne mandando esla pagar aa doa res-
tantes, e exigindo a entrena de todas, qae estaado
em poder do Sr. Honorato Josepa de Oliveira Pi-
gueiredo, enearregado pelos abaixo asaigaaoe de
algamas cobrancas, nao Ibes cntregou atada a*
referidas letras, que obteve em pagameato de nsaa
divida, recusndole anda houiem a faze-lo seb
pretexto de estar da sabida para frau Por seo
declarara que as referidas letras de aada valen
para o mesrao Sr. Honorato, era quaiquer entra
pessoa ; pois reservam-se o direito de s deseue-
rar a sna devedora com recibo de seu proario
punlio, quer seja as mesmas letras, su Ibes loro
entregues, quer em separado, fleaado as mes asas
sem valor, logo qae seja pago a elles f zaasaM* o
importe das letras. Recife 16 de ooveoabro de
1870.
Tasso Irmios & C
Aluga-se
o 3* andar do sobrado n. 8 da ra da Imperalriz :
a tratar com J. J. de M. Reg roa do Commercio
n. 34._______________
imaL..ix.m m\miwmaammmWsWmWsWswm
K-w'-f
D. Umbelina Rosa de Senna Ptnho, Albos e gen-
ro mandam retar amanhaa polas 7 1|2 hora- da
manhia ama missa na ordem terceira do Carino
pelo (temo descanco da alma de sea prezado ma-
rido, pai e sogro o Dr. Sabino Olegario Lndgero
Pinho, fallecido a 17 de novembro do auno prxi-
mo passado, e para assisti-la convidara a todos os
scu amigos e aos do mesmo finado.
O agente Pontaal, competentemente autorisado.
vender em leilo os predios segrales : 1 casa
terrea grande (na Capunga) ra das Crioulas n.
28, solo proprio, erai sitio, bastantes arveres fruc-
tferas. 1 dito, sitio, ra das Pernambucanas n.
36, solo foreiro, e tendo o slo 100 palmos de
frente e 500 a 600 de fundo.', 1 grande casa ter-
rea com sitio sita estrada da Cruz das Almas n.
2, 1 casa terrea com quintal murado, solo proprio,
sito roa do Rio n. 25 (Poco da Panella>
Sexta-feira 18 do corrente
no armazem da ra do Imperador n. 16, as 11
horas.
SANTA CASA DE MISERICORDIA DO
RECIPE.
..4. U"01 administrativa da Santa Casi de
pelas 3 horas da urde do dia 17 do correle, re-
LWf.8 1ra Jorneemee!o de assear
ffi^J'J. *J,J!t>jPr#flo de meadl-
crtade 00 mez de dezembro vindouro.
u2Prea/i? da ^ k* Misericordia do
Raate, II de novembro de 1870.
m ^ ,0 escrivio,
Pedro Rodrigues do Sonzi.
COMPANBIA BRAS1LEIRA
DE
Paquetes a vapor.
Dos portos do norte esperado
at o dia 26 de novembro o vapor
Tocanfins, commandante Jos Ma-
ra Ferreira Franco, o qual de-
pois da demora do costme se-
guir para os portos do sul.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
*arga que o vapor poder conduzir, a qual dever;
ter embarcada no dia de sua chegada. Encomraeu
las e dinheiro a frete at as 2 horas do dia da sur
sahida.
Nao se recebem como eacommendas senio ob
jectos de pequeo valor e que nio excedam a do*
arrobas de peso ou 8 palmos cbicos de medicar
tttdo que passar destes limites dever ser embar
jado como carga.
Previne-se aos senhores passageiros que sua^
passageus s se recebem na agencia, roa da Cru>
, 57 primeiro andar, eseriptorio de Antonio Lulz
e Oliveira Azevedo o C._________'
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DI
Navegando costeirapor vapor
Aracaty em direitura.
, O vapor Mandub, oom-
^^^. mandante Julio, seguir para
y^~^ La o porto cima no da 18 de no-
str ij^^r TemDro m8' dia-
K| Recebe carga at o dia 17,
^^^^sssbbsbW eueomtnendas, passageiros e
dinheiro a frete at as 2 horas da tarde da sa-
bida : no eseriptorio do Forte do Matios n. 11
N. B.Prevne-se aos Srs. earregadores que a
presente viagem. alm de ser o frete da carga con-
sideradamente reduzida, tem alera disto a grande
vaatagem de ser a mesma carga descarrogada na
cidade, e prancha.
Para o i'orto
Pretende sabir at o Om do corrente um* o bri-
gne portuguez Uniao : para carga e passageiros,
trata-se eom os consignatarios Thomaz do Aquino
Fonseca C, na ra do Vgrio n. 19.
IiEIIjAO
da loja de selleiro da ra da Cadcia do
Recife n. 27.
Sexta-feira 18 do corrento.
A viuva Placido, em conseqoencia de ter de fa-
zer entrega da casa em que se acha estabelecida a
referida loja, e mesmo para pagamento de seus
credores, far leilo, era um ou mais lotes, dos
objectos existentes no mencionado e9tabelecimento,
no da cima designado, e pelas 11 horas da ma-
nhia, na mesma loja.
DE
NOSSA SENHORA MI DOS HOMENS.
A mesa regadera desta irmandade vem cordial-
mente agradecer s irmandades do Senhor Bom
Jezus dos Passos, Bom Jezns das Portas, Ji. S. do
Rosario, e de Sant'Anna, da fregnezla de S. Pr.
Pedro Goncalves; bem como ao Illm. Sr,. Jos
Francisco Ribeiro de Souza, digno director do col-
legio de Santo Amaro, a honra que se dignaran)
conferir Ihe aceitando o convite que se Ihes fez
para acompanharcm a procisso de sua excelsa
padroeira ; ontro sim, aproveita o ensejo para
igualmente agradecer aquellas pessoas que tarn-
hem a coadjuvaramcom suas esmolas e serviros.
LEILO
da armaq&o e gneros existentes
na taberna sita ra da Cruz
n.32.
O agente Puntual vender em leilo a armario
e gneros existentes na taberna sita ra da Crnz
do Reeife n. 32, pertencente ao espolio do finado
Lniz Antonio da Cunta Liiges, em nm ou mais le-
les i vontade dos licitantes, a reqnerimento do
inventariante dos bens deixados pelo mesmo fina-
do, e por mandado do Illm. Sr. Dr. juiz municipal
da segunda vara
Sabbado
19 do corrente
na mesma taberna, s 11 horas.
AVISOS DIVERSOS.
Stegue uestes poneos dias para o indicado porto
o hiato Sobralense anda recebe elguma cara e
Madre de Deas n. 1.
Arremataqo
Vai a praca de venda no dia 17 do corrente 1
parte da casa de sobrado n. 23 na ra do Pilar,
avahada na quaotia de 8l6666 rs. perleucnte*
aos herdeiros de Aulouio Rodrigues de Oliveira.
Augusto Femando do Reg previne
ao commercio em geral que nao respon-
savel por quaiquer ilebito que em sea nome
exisla contrabklo por seu irmao menor
Carlos Silvino do Reg.
CASA DA FORTUNA
Aos 5:000*
Bilhetes garantidos.
A raa Primeiro de Margo (oulr'ora ra di
Crespo) o. 23 e casas do costme.
O abaixo assgoado, tendo vendido nos seus
felizes bilheles um inteiro n. 1702 com 5:0004,
dous quarlos n. 82 com 200J, e ontras sortes de
!O0i o 40^000 da lotera qne se aoabon de ex-
trahir (168"), convida aos posuidores viren re-
ceber na cooformidade do eosturae, sem descon-
t algum.
Aeaam-se a venda os felizes bilbetes gafan
tidos da 2a parte da lotera, a beneficio di aaa-
iriz da Capunga (170*), qae se extrabiri sexta-
feira 18 do correte mez.
PRECOS.
BiHttie inteiro 6*000
Meio biiheto itOO
' Qaarto 1*500
Em porgio de 100*000 para cima.
Bimete iutolro 5*400
Meio blhele 2*700
Quarto 1*350
Manoel Martins Finta.
Ao publico.
DEOGRATIAS
Irmandade da Concedi dos Militares.
Por senteo? do Dr. juiz e provedor de capellas
foi jnlgada milla a elelcio da aetnal mesa rege-
dora, e mandado convocar a irmandade para ele-
ger outros membros, e pelo nav 1 eompromisso.
Nio podendo ser reeleito nentram dos membros
da mesa disjolvda, e sim outros, de esperar que
a irmandade se compenetrando de seus deveres,
eleja urna mesa digna de seos altos Bus.
Por editaes do jnizo ser mareado o dia da
eleieii.
Recife Drainage Company
Lemited
Previne se aos moradores das casas onde se tem
collocado apparelbos do latrinas, qne nae devem
lan ar nada uelles emquaulo nio f6r declarado
pela directora das obras publicas aue pdem
funecionar ; alm do aviso previo, a companbia
tem mandado pregar os appare'hos, porm alguns
tem sido despregados para lancarem oeiles toda a
sorte de inmundicias ; por isso previne-se aos
moradores que nao s serio ruiponsavei* pelo
prejuizo e darano que causarera, como torio de
soffrer as multas impostas pelo regnlament) do
governo, alm das consequencias da falta de. promp-
to esgeto do que lancarem nos apparelbos, nio
sendo a companhia responsavel por isso.
Recife, 15 de novembro de 1870.___________
Soctedade Emancipadora.
De ordem do Illm. Sr. presidente, sao convida-
do todos es socios da Socedade Emancipadora
para se reunirem no dia quinta-feira, 24 de bo-
vembro s 10 beras da manhia, aue saloes do
Club-Peraambucano, aum de elegerem aova direc-
tora e fazer nos estatutos as mo4iloacdes que jol-
garem con venientes.
Recife, 16 de novembro de*!830v
O i" secretario,
G. Compeli.
Andr Ferreira de A'meida e sen (ilpo A-
quelino Jos de Gumares Ferreira coTdiaJmenle
agr.tdecem a todas as pessoas qae ie djgnaram
acorapanhar o? restos raortae de soa prezada fl-
lha e irmaa Rosaltoa Lyliosa de Goimarltoe ferrei-
ra ; e rogam a todos os seu paresjes e amigos a
caridade de ouvlrem as missas qae mandara resar
no convento do Carmo. as 6 horas da manhia de
din 18 do corrente, stimo de sen fajtecji
CURSO DE fERIAS
Fraaeisoo de Boeia e OUea, wtuduote de 4
auno da fatuidad* de crete M Reclfc, oofojetou-
' lido pela difMtOJM Mt
e eom battaato praiiea de atmo
iario, lem abena en sm eaaa
.i. 42, um carea de j^
lecconar a mesma
mediante mdico >
uanaata
U'ueco
primario
raa dos'
ofrereee
tlgum
rario.
ma diHsjfli ata
e ratoaveTboBO-
v.
^
' '1 **''-l't>lil III



,/
qDwto { de Pernaiabuco jr Quiot^/eira 17 de Novemhro de J87Q.

mo
s de Bristol.
OUTRQ MIHEMAL.
A grande necesj^ate e falta de um c#-
tharticofl^umi medicina furgativa, ha
muito que tem sido sentida,' tinto pelo po-
vo, comft.mei
medica; e por
prazert rjio ma
toda a confianca fr
&pua$ ve
OOIM UJM e
qual encrra'em ai tod'
da faculdade
o gosto e
rmos com
mmendar
deMristol,
purf atira, a
s partes e mai
Xe
ai
"ffBtrS-c
Perdeu-se
nado, daqutl
em 31 de deiembro prximo fataro : qi
rer aehado, lev.indo ra da Craz n
melro andar, ser* gratificado, e desde
ta-se contra qu.ilqeer transaccao que
com a mesma letra.
Recife, 14 de novamfero de 1870.
_______________^ H. De la
Aluga-se a can ">. 9 da ra
na cidade de Olind5aubera se
a tratar nos Arreimdos com
Bastos._________J^_________
OSr. Dr. ManoeNetto CardUK. 4*'
Bandeira convidadfiara compare)jMi"
ra da santa casa, aQqi de as.-igoar com.
dor os termos de aBendaraentos das ca
ocaopa. ,
3fi)ieque
bom moleqae:
estrada de
renos com quii
e com alguns arv
no muito
qaem pn
84. linaria
no Campo Grande, perto da
Olinda, pelo qne n vende ter-
palraos de fundo
lo, sendo o terre-
, chaos propris :
Imperador n.
pode tratar.
Precisase alugar -m
das Triaclieiras n. M.
Acha-se a venda das principies loju de livros, t
CHRESTOMATHIA
J. c. Wa^
Contendo: .um Tratado sfebre a origem e o
dettnvolriMeato da \ing frglt; urna*- ?om nes&gio ; H.rua4e Blrao
lecta de 150 pedajos dos principaes escrptores ; _____________
ingredMMa easMwaae,itoreaido,*; era ot: frA [ ^ ^ ^ ** -
perfeito, sgwro-:" gi%d*vM cathartico de
familia. Este remedio nao composte
dessas drogas ordinariamente usadas na,
composicSo essa6 pululas, que por ahi s
vendem, mas sim, sio preparadas oom as
mais finas e superiores qualidades de raiaeft
medicinaes, hervas e plaas,, depis de se
ha ver chimicamente exkranidio e separada,
os principios activos, ou aquellas partes
3ue contem o verdadero valor medicinal,
aquellas porcfes fibrosas inertes e agres-
tes inteiramente destituidas da menor virtu-
de. Entre esses agentes activos ou ingre-
dientes especficos, podemos nomear a po-
dophgtn, a qual segundo a experiencia
mm demonstrado, possue um poder o mais
^iaravilhso possivel sobre as regioes do
assim como sobre todas as secre-
ai
Fotograpia
ERIA JWB
J. Frrea Vtllela
o dia 7 de abril rasado acha-se aborto
lecimeato phJagraphico sito i roa di
"esquina do iftteo le entao, tero lahido de nossa offlcina
ote agradadC''sendo recebidos por
admiracao ielo, extraordinar) pro
e ltimamente tem tido a phot( grapbia,
comalegria,-oor vereni a provincia
nn!?0001 nm es'abeleelflUnto digno d ella, e in>
^mjwiaveimente o pritnejro que nesse genere
oo,epossoe : tambera nacaos pouparaosern cousa
na para monta-lo nun em que se acha, er
fu -Se de urna amaqn'lav e efigo
di Victoria n. 61,
a. 100 aboco. t,iWhico. e .*** *
auctores. "& *v *** '
Esta obra forma na volurne a 4>8 pag. la 8,
ntidamente electrotjlpado, e encadernado.
PREgO, 5*000.
LIVRARIA FRANCEZA.
CAF PURGATIVO
figado,
coes biliosas. Isto de combinacao com o
leptandrin-, e mais alguns extractos vege-
taes e drogas altamente valiosas, constr-
ien! e formam uma pilula purgativa, tor-
nando-se por isso muitissimo superior,
qualquer uma outra medicina da mesma
natureza, que jamis fora apresentado ao
publico. -4a' pitillas vegetaes assucaradas
de Bristol, ac!iar-se-h2o sempre um reme-
dio prompto, seguro e eminentemente efi-
caz, para a cura de molestias, taes como
sejam as segumtes.
Hydropesia dosmem-
bros ou do corpo,
ou indi-
Dspepsia,
gestao,
dAstringencia, ou..
prisSo do ventre
habitual,
Azia do estomago e
Datulencia,
Peda do apetite,
Edlomago sujo,
Affecces do figado,
Ictericia,
Hemorrodias,
Mau hlito, e irregu-
laridades do sexo
femenino.
Dores de cabera.
Em todas as molestias que derivam 1
sua origem da massa do sangue: a salsa
pam'lha de Bristol esse melhor de todos
os purificadores deve ser tomado conjun
tamente com as pilulas, pois que estas
suas medicinas, tendo sido expressamente
preparadas para obrarem de harmona uma
com a oulra, quando fielmente assim se faz,
n3o nos resta a menor duvida em dizer,
que no maior numero dos casos, podemos
affiancar nao 80 um grande alivio, como
tambern urna cura prompta e radical, isto
est bem visto, quando o doente n5o se
ache n'um estado muito alm dos recursos
humanos.
A' ESCAMONEA
De B,N Barral
I .sarinuceu t ice-C lilmico
Aatilidade da> imrgantes nao sofTre demons-
tra;ao algurna ; a preacripgia diaria qne delles
fazera os mdicos e o uso anda mais frequente
feito pelo publico
e o
to
Aos Srs. Henrique Lei-
den & 0.
Em resposta ao seu annuncio publicado no Dia-
rio de hoje, tenbo a. dizer-lhes que se eoganam,
quanda declarara ao publico que no dia 10 de se
tembro do correnta anuo ajustaran! suas coalas
coraigo ; pois que tal nao succedea, nstj que so
bontem foi qne se proceden a penhora em beos
dos mesmos seohores para pagamento dos meus
honorarios, como seu advogaao que fui, o que
consta do cartorio do Sr. e.-crvao M lia : deca-
rando-lnes, qae'don grabas i Bteos, por ter eu me
despedido no dia lz de seternbro do correle auno
do patrocinio de suas causas.
' Recife 13 de aovembro de 1870.
Praneisco Augusto da Costa.
Sociedade Monte Pi Bra-
sileiro.
De ordem do Sr director convido a todos os
os senbtires socios pr.ra so rennirem na sala de
nossas sessoes na quinta feira 17 do correte allra
de tratar-se do negocio urgente da mesma socie-
dade.
Socretaria da soetodade d Monte Pi Braslleirj
15 de novembro de 1870.
Manoel de Miranda Castro,
Io secretario.
provas Irrefragaveis tanto
como a qnantidade innumeravel deste genero. So
falta aperfeicoar cada vei mais o modo de adroi-
mstracSo, de maneira que conservando a sua ac-
cao, elles possam ser tomados sem repugnancia
aem a-ee e sobretodo sem receio nem perigo.
Muitos purgantes afamados s devem este bora
xito ao sen nfcttfl intenso e exeessivo. D'abi o
perigo, porque irritacoes de estomag.i, ioflamma-
(oei de eniranhab sao inevitavelmente o fsull-.
do do seu emprego. Nada disso tem-se de receaM
com o caf purgativo.
Todos conhecem por experiencia o aroma sua-
ve e o efleito ligeramente tnico e excitante do
caf Blle o melhor auxiliar dos purgantes dos
quap disfarca o chfiro o sabor e ajnda a ac^ao
sollicitanio vagarosamente os mnrimentos peris-
tlticos de intestino, e preveoindo o seu effeito
muito intenso sobre o ostomago. Misturado cora
escamonea, facilita as evacuac.de* com promptidao
e sera clicas, e torna-se um purgante brando,
certo, fcil a tomar e preferivel a todos os outros
salvo uma indicacao especial da qual o medico
o nico juiz.
A inimcuidade do caf purgativo permitte de
emprega-lo em todos es casos simples. Desper-
tanio a atonia do intestino e activando a secre-
ta) dese, destre a dureza de ventre, as vento-
sidades, as flatuosidides e excita o appetite. Etn-
pregado mais a miudo, conveniente para eva-
cuar cora vagar a bilis e os humores viscosos e
e faz dessa maneira desapparecer a enxaqueca,
as dores de cabeja o prev os ataques de sangno
as pes3oas que n estes sao predispostas.
MODO DE EMPREGO.
E' 0 fimplas como fcil. O cat purgativo
deve ser tomado fri, puro ou misturado com um
pouco de leite fro assucarado, ou agna assuca-
rada. O vidro inttiro a dos ordinaria para
um adulto ; J:ia? cclh-res de caf bastam para
as senhoras e para toda e qualquer pessoa que se
purga fcilmente.
Para as criancas de 8 10 annos, a metade do
vidro suJQciente ; de 1 a 8 annos, urna colber
de caf, e a quarta parte do vidro smente abai-
xo desta idade contra a gosma.
E' per isso d'uma administracao muito mais
fcil do que es bi;coutos, chocolates ou bolos
purgativos.
Da-se immediatamente depois le-te quente as-
sucarado ou caldo leve, e ditas ou tres chavenas
de cha preto ou de tilia.
nico deposito na pharmacia e drogara de
Barlholomeu A C. : ra larga do Rosario n. 34.
Precisa-se de uma ama que lave e engorome,
paga-sa bem : na rna de Hortas n. 1.
OITerece-se uma mulher de boa conducta e
meia idade para fazer companhia a uma familia e
tambem servieps : quera prensar dirija- se ra
Direita n. 84,
V* ISO
Desde esta data deixou de ser procurador de
Francisca Mara Ciaudina, Manoel Marinho de An-
drade Silva.
Ama
Precisase de uma ama : na ra de Santa Rita
n. 66.
AMA
Precisa-se de uma ama para casa de homem
solteiro, era um dos arrabaldes da cidade, paga-se
bom ordenado : a tratar na ra Imperial n. 47.
Aluga-se urna casa no Pob da Panella por
testa ou por aune, eom 4 portas de frente, 4 quar-
tes, 2 salas, cozinln e copia no quintal, e mnito
perto do banho e da igreja da Saude : os pretn-
danles dirijam-se ra Direita n. 10, 1 andar.
VERDADERO LE ROT
it *, DocUur-Mdedn
Ru de Saino, 61, & PA.RI8.
Ka cata grrf, Tal, entre a ralba t o papel ail
(jue lera o meu fioele, um rotulo impresa* em mi-
rtilo ce* Smi farfalas *omiHe nuirecs.
^f If.B. Remet-
Ok&r JT-j.J <*o-ton>lli;ttr
bre Part, aceitare!
a 60 illis de fat,
Maaxima^c-za-u
do ibatimenlo e i
maior descosto
Attenpao
Vende-ae um sitio no Barbalho confronte ao
Monteiro, oom 37 bracas de frente : quen preten -
der dirija *e ao mosmo Barbalho, que tratar com
Pelix Aves de Lina, ou eom Joaquim Luiz Fer-
reir Leal, no pateo da Santo Craz n. 16.______
Veode-se um papagaio conira-feito amito
bonito, bem tallador e mofo manco : na praea da
Bg*-Ylato n. tobtTtia,
^r^^. "* c* erres *raden na ra
I0S0 n ?f n,*Jf*tar M Imperador,
soorMon. a, engdapp|a f^^6 fj^,^.
m ,. '" i...iii "
Povoado dos Montes, estarlo de Uoa.
Ra da Concordia n. 40.
Este hotel acha-se hoje completamente resau-
rado, e cora as precisas acommodaedes para to-
dos aquellos que se dignarem de o frequemar.
O novo proprielario tem envidado seus esforcos
aflm de exhibir ao respeitavel publico um estabe-
leciraento digno da importancia deste povoa-
do, e semelhanca de um dos melhores dessa
capital.
Todo o estabelecimeoto acha-se pintado de no-
vo, com salas e quartos para receber com todo o
eom modo desejavel a cavalleiros e familias.
A co-mha ao gosto brasileiro e italiano, acha-
se sob a direceo do perito e bem conhecido Gia-
como, aue por certo ha de satisfazer aos palada-
res mais exigentes na forma do costume.
Tem sufflcieiite proviso de vinhos exqae'sitos e
de varias procedencias, lunchem a qualquer hora,
caf, cha, chocolate, etc. Fornece comida no esta-
belecimento ou para fra por preco muito rasoa-
vel. Encarrega-se de mandar preparar jamares
ao gosto e capricho do freguez, em qualquer
parte.
O novo proprielario do estabelecimento tem a
honra de convidar ao respeitavel publico am de
recopbecer por si proprio a veracidade deste an-
nuncio, pagando algurrs das neste povoado que
nao mais do que uma dependencia do bairro de
S. Jof dessa cidade ligado pela via frrea.
A facilidade, pois, do transporte, a eslaco cal-
mosa que val correndo, os apreciareis baohos no
rio Una, tudo. emflm, convida a um passeio a
este povoado, donde lornarao todos cem o propo-
sito de vollar.
Ignacio Manoel de Sant'Anna.
Ra do Ba7,ao da
Victoria n. 63
( Outr'ora ra Nova. )
DUhetes garantidos da pro-
vincia.
Esta feliz casa acaba de vender entre 03 sen?
muito elizcs bilhetes a sorte de 900 em um
meio de n. 538, a sorte de 4005 em bilhete intei-
ro de n. 1168, outra de 100* tambem em bilhete
inteiro n. 1701 e um meio com 100 de n. 1577,
alem de outro premios menores : podendo os
eus possuidores virera receber, que prompta-
mente sero pagos.
O abano assignado convida ao respeitavel pu-
blico para virem no seu estabelecimento comprar
os feiizes bilhetes garantidos, que nao doixaiio de
tirar qualquer premio como prova pelos mesmos
aununcios.
Acham-se venda os mnito feiizes bilhetes ga-
rantidos em beneficio da nova igreja da Capunga
que ser extrahida sexta-feira 18 do correte mez
JPRECOS.
Inteiro 6*000
Meio 3.1000
- Quarto 1*500
De 100($00 para cima.
Inteiro 5*400
Meio 2*700
Quarto 1*350
Joo Joaquim da Costa Leite.
Precisase de ora criado para um hotel em
Uoa, prefere-se escravo por ser para todo servico:
a tratar na ra Direita n. 16.
Ama
Na ra da Penha n. 25, 2" andar, precisa-se de
uma ama para todo o servico de uma casa de pou-
ca familia.
Bartholomeu & C,
- A coebeira de Vielra & C, ra do Baro da
Victoria, outr'ora ra Nova, precisa de um admi-
nistrador de boa conducta : a tratar na mesma.
a*rtciia-8aeBBiaaiiaqneiiBa riWi. .
na do Codorniz a. 8. HVB*mD* Wznaf n
gPdo que o publico A Pernmbuco saberi
Rjar nossos esforcos* recompensar nossos sa-
"Ifevidamos a todas ajobas pessoas, nacionae
waL*5B5iral(Iue ?osta *s artes O" tiveren
wcessidade de trabalhos de photographia a visi-
.1J.T n08S0 es^beleclmento, que estar sempre
per e a sua disposicao todos os dias desde as 7
ms da TfVi'ft jaj m 64 uMa
>ra os VagWs^hotPalffipossuimos di-
*cjt4r^ flam^^SHuirmSSSr et
M.eWa^ Vltimaaerak) m^tmo%ires novas
WBaei eM urm MUe propna para tomar
aonre o mesmo vidro 4 ou 8 imagen diversas e
oWas, oafca i* 6 a h mgem dwraaa 9
igualmente soladas, d sorte que no caso de
pande ecuacurreaeja podereroes retralar sobre
ama mis chape at 8 pessoas diversas eisola-
aas para cartSes de visita, e assim em meneg de
am quarto de hora despacharmos 8 diffcrenies
pessoas que pe?am cada uma, uma (Julia de cartSes
ais ou menos, com os seus retratos smente, ou
'i grupo com outras.
Encarregamos-aos exclusivamente da direccic
3 ijra dos ,ral'a"'08 d photographia dei-
lamo i pnela e talentos do dstincto pintor
iliottao, o Sr.
Jorge A. Roth
a traalbos de pintara, a aquarela, a oleo, e a
O 8r. Roth acha-se ligado a nossa empresa por
ama escu'ptnra pubWea, e at o presente tem-se
aesyelladt na execuc^a de seus trabalhos.
No nessaestabelecimerto acham-se expostos ou-
tros trabados im|iorunti 3 do Sr. Roth, Unto em
miniaturas aquarella eomo oleo, retratos
leo, quadroi sacros e djverstas outros trabalhos.
Tonmo3 tncommenlas de retratos i oleo at o
laraaho natutal, assim como de quadros sacros
para ornamenfecao de igrejas ou eapellas. Tam-
bem aceitamos encommeodas de quadros histor-
eos.
Asseguramos que os precos dos diversos tra-
balhos da nossa tesa sio mnt rasoaveis.
CARTOES DE VISITA NAO COLORIDOS A 10|5r00 A
DUZIA
CARTOES DE VISITA COM O COLORDO AO NATU-
RAL A 60OOO A DUZIA
Retrates em miniatara oleo ou aquarella de
16 20*000 cada um, indo convenientemente en-
Jaixilha'lo era moldura dourada e regulando o
busto da pessoa retratada le 3 4 pollegadas e
iodo o quaJro palmo e raeio de tamanho
Julgamos que bastarlo os precos cima para
iarrao3 idea da barates dos trabalhos do nosso
sstablecimento, quanto sua perfeicio cada um
*enha julgar por seus proprios olhos.
As melhores horas para se tirarem retratos no
aosso estabelecimento sao das 8 horas da manbaa
I da tarde; entretanto de uma hora s 5 da tarde
m casos especiaos pde-se tarabem retratar qual-
|uer pessoa.
Nos dias de chuva, ou por tompo sombro po-
iemos retratar, e asseguramos que esses dias sio
33 mais favoravei8 aos trabalhos de photographia
pela docura e persistencia da luz, e por termos o
aosso terraco construido cora taes proporcSes e
melhoramentns, que anda chovendo ,orros ne-
ahum inconveniente ha para (azer-se bellos re-
tratos.
_______________ J.F- rreira Villela
Criado.
No caes do Apolle n. 69 precisa-se de um cria
do para servico de casa e algam mandado, nio
tendo mais de 14 annos, opga-sebom preco.
v vluga-se
urna casa em Olinda, ra ds Poeira, com 2 quar-
to*, 2 salas, cozinha, um peqneno quintal, por
traz do Varadouro : a tratar na roa das Cruzes
numero 21
KING OF R
OlIJlifl.
Para o uso interno $ externo.
Cholera e cholera-morbiw, diarrha,
IIuo de Mugue, em am dia.
J5 DOr de cabera e tres de oorido,
m .trVi'minutos.
Dr da) denles, em -um miouto.
Neuralgia, em cinco minutos.
JDeslocagoes, em vinte minptos.
Gargantas incbadas, emvdez mina-
CURA:

tos.
Clica e oonrulsOes, em etnco minu-
Rhenmatismo em um dia.
Febre e ebre uitdrwiuol<), em um dia
Dr aas cosbs 9 aof li,k, en fez
nulas. ; .
TosW pMigftsas a rariao,, en, os
dia.
Pleuresa, em nm dia.
Surdez e asthma.
Hmorrhoidas e bronebites.
Inflamma(3(r nos rins.
Dyspepsia e erysipelas.#
Molestia, de figado.
Pal pita fio de coradlo.
)0
^
Reserve sempre este remedia w sua fwja.
AS DOENCAS SE APRESENTAM QUANDO WfcNOS SE ESPERAM
0!eo elelrico-O Ktng of Pain~(o rei da dr) aquieta e positivamente dissipa mais
ae dim;rentes molesUas e dores, e aliiviamais os soffrimentos e prodoz um mais perfeito
equilibrio nosystema humano, o qoe nSo se pode efJeetuar no mesmo tmpo, cm onal-
qier outro remedio mediciDaL
Este muito popular remedio esta* agora usando se geralmente, pela razio que mi-
mares de pessoas se tem corado gratis com o dito remedio pelo Dr. deGrath e oatro
stecu.
Este, importante remedio nao s offereco para curar todas as doenfas, porm to
smente para aquellas estipuladas das nossi dtrecc5ea.
Est operando dos principios da cbimica e da electricidade. e por isso est appli-
cavel para o cu-amento e para a restaurado da acelo natural dos orgos que soffrem da
irregular circolaclo dos fluxos dos principaes ervos. O oleo eletricoo zving ofPaic
opera directamente nos absorventes, fazendo desapparecer as inchacoes das glndulas
etr. em um lempo incrivel, breve, sem perigo do seu usodebaixo de qualquer circuois-
tancia.
O remedio, uma -medicina para o uso exlerno o interno, composto dos elemento*
curativos, raizes, hervas e cascas, taes como se tem usado dos nossos antepassados, e
das quaes tem grandes existencias no mrndo, para curar todas as molestias, sabendr>se
quaes ellas sio.
Foi om grande e especial desejo da faculdade de medicina
de experiencia para aprender os melhores modos que se deviam
seguintes doencas, e que proporces de medicina se devia usar.
nico deposito em P* rnambu
NA PHARMACIA E DROGARA
DE
JBartholomeu & f'"1.
N. 34RA LARGA DO ROSARION. 34.
durante muitos annos
adoptar para curar as
c\
R
TIMENTO
a -mm m Precisase de uma ama. ra da
M.J3M.ASoledade n. S2.
Perda.
Perdeu-se da ra do Hospicio Bemflj* um
pequea tranceln) de ouro com uma figa de coral
e uma crnzinha de ouro quera achar taes ob-
jectos, querendo reslitni-los o poder fazer na ra
do Hospicio n. 51. que se gratificar se for pessoa
que o exija.
Precisa-se alugar uma casa terrea no bairro
da Boa-Vista, nao excelendo o seu aluguel de
20a mensaes : a tratar na ra do Rangel n. 9.
Lava-se e engomma-se com perfeicio, tanto
roupa de homem como de senhora na ra do
Livramsnto n. 23, 1" andar.
Precisa-se de um caixeiro de 14 a 16 an-
nos, que tenha alguma pratica e d Piador a sua
conduta na padaria da travessa dos Pires n. 9.
Caixeiro
Vinho, Pilulas, Xarqpe a TlNTURl
de jurubba simples e perruoinoso
Oleo, Pomadae Emplastro da mk :
planta preparados por
BARTHOLOMEO & C
Pharmaceuticos-Droguistai
PERBMRKO
A Jambaba : eat plaata hoje reeoohecid^
como o mais padereao Inico, como o melboi
liesi.buroeiile.Bcomoui! applicaaanoapadecimenlo<
do ligado e taco, hepatile, iuresas, tomaras inlar-
dos e aapecialmeote do ntero, hjdropeaiaa, errai-
pellas, ele.; a aaaociada ao ferro e util nu palliaji
cores, chlorosea e taita de menstrnacao, desamt
jos do estomaga, ale., a o qne disemos ittettir
inuumeras caras imponiaiei obUas eom nono*
prlaradoe j bem coaaecidoa a audoi pelea aal/
liitiaclo mdicos do paiz a Portafal. Em lodba 01
nossoj depsitos dislriboimos eiitis fethetsa m
melhor faaem conhacer a Janbeba seos rasilla**
applicacao.
oD^GIBErVr
[membru daacademiadbmedcinaI
Preparado por Dsuuriers.ph.
Suc DE BOUTIGNY-DUHANEL
SI Ra de Clpy Par>ls
O Xarope depurativo iodurado do Dou-
tor Gibert oferece, no seu emprego um
resultado bem, certo e constante na cura
Oaaimpigens,escrfula, nwiesiasdapelle
vicio do sangue, obstr ucfSes lymphatitaj
molestias contagiosas {syphiluicas), leves
tu inveteradas, ede todos os accidentes ove
d'ellas dependen.
A recete deste Sirope f0 approvada
pela Academia uperial de Medicina de
Precisa se de um menino brasileiro de 13 a 16
annes, sendo do mato ombora nao saiba ler nem
escrever para o armazem de sal e garapeira : na
roa Imperial n. 249, de Valdevino da plvora.
ESW FELIZ,
Os bilhetes comprados para esta sociedade sao :
um inteiro n. 3010, um meio n. 4291, dous quar-
tos ns. 3630 e 5670, todas da lotera 112 da corte
A. J. de Brito,
Secretario.
Priado.
Precisa-se de um criado que d flanea a sua
conducta, prefere-se um menino de 12 a 16 an-
nos : na ra nova de Santa Rita n. 59.
AVISO
Um homem habilitado mfealhar em maternas
a vapor offarece-se aos seohores que das raesaaas
usarem, tanto em engenho como em Uzeada de
algodo, serrara ou entra qualquer agridnltara,
ate.: o seohor que dalle precisar pode dirigr-?e
ao becco da Boia n. 14, que aokaru con qaem
tratar.
AMA.
Precisa-se alugar uma ama forra ou captiva
para casa de familia, se bom ordenado : na
ra da Concordia n. 29, ou ua rna da Cruz nu-
mero 60.
Precisa-se de urea ama boa eecinksira para
nasa de rapaz solteiro : na ra deLivrameato au-
maro 10.
RA DA MPERATRIZ N. U LOfA.
CASA CAUVIN M
Pharmaeeutleo privilaaiad
succeseor
Boulevard Sebastopol, OS. PARI8.
NOVAS ESPECIALIDADES A. MARINIER
Apresenudas a Academia de Sciencias e ao histituio de Franca.
INJECCAO
Sob forma de Pastilla, devedida e iloseada para faser de
momento ana solnccao rBITIHTIVA E CURATIVA das
MOLESTIAS CONTAGIOSAS
IfalIFrTAD.OUIITDrt do volume de um relopio, servindo
llUfiL lUIl I IllLI lili de P1111.TRO e Seringa sem os
Graves inconvenientes de fragiliitatle.
COTA IAC Com a 'orm, ctdo volume de na Porlc-Soeda eoatend
tOldwO TOJO THATANENTO.
CO J-jI-j"\rP2*IIO Contra as affeccois das palpebras, prepsrado sob a mesma forma.
H3ST nr -TTJjCTA A /Ja Depositarios goral para o BKAKIili e I*ORTUOAaL
34, ra larga do Rosario. l-'-llTAMBUCQ.
1
O*
VERDADEIRAS
PILULAS de BLANCARD
COI IODURETO DO FERRO INALTERAf EL
~~ 'APFROTADAS PELA ACADEMIA DE MEDICINA DE PARS, ETC.
' Poaauindo u propriedades do lodo et do ferro, convem especialmente as ArRCCOs
BsaaorLOSAS, a Tsica no principio, a (raqueta a* temperamento e tambem nos casos da
Falta di coa, aiei lhe a fu riqueza e abundancia normaos, ou para provocar a regular o seu curso peridico.
If. B. O iodartta a> ferro impuro on alterado nm medicamento ipflel,
Irriunte. Cano prora de paren de aatheoeidade das fariaiair M-
wtmm aje mtmmr, am Ufir seno aeata a rata seiva t
aoeao Oaasta, aeni npredaaUa, ^aa w acha na paita inferior da ^Haria varal*. Dere-ae datconflar das aJsificacos.
ftm mmintii, rea BompmrU, 40,
1 asa fmm aaaraai al a a.



v

Piano de femambuco Quinta leira 17 55S
O salto de pianos e da
i
msicas
mudon-se da roa Nova a. 5, l a%d roa da i j
Iniperatriz n. 12.10, "_
ende continua recommendaajo-e ao Ulna, pu-
blico.
G. Wrlhelmaj.
aoIIIm.Sr.IinacioV.eira deMello, es-
criyiona cidade de Naaare d*u provino!,
favor de vir a rea do Imperador 8 a roadidr
aqoelle negocio que V. 8. se eomproaetteu reali-
sar, pela tercelra baseda deete Jora), em fina
de dezembro proxhno pateado, e depon para Ja-
eiro, passoa a teveriro e abra, e na la curoprio,
e por este motivo de novo chamado para dito
tm ; pois V. B. le deva lembrar que este negocio
de maia de oito annos, e quanao t
i m cfcava oo estad.
nesta cidade.
ITOMAi rALHMS.
IlillIftSSANR COMP0Sl$.fo LITTBR4IUA.
CONTEJS'DO
A noite do xtasis.
O sorriso.
A noite do assombro.
A lagrima
A noute do delirio.
O mysteno. .
Com ama carta critica dirigida ao autor pele
Dr. T. B. Rigneira Costa.
1 volume brochado 1#000.
AS CENTELHAS
Poesas patriticas sobre a guerra do Paraguay.
1 volume brochado 2*000
NA
LIVRARIA FRANCEZA
A luga se
ama caea terrea, sita na Capunga, com soto, co
cheira, e um pequeo quintal : a tratar na ra
do Vigario n. 31.___________________________
Joaquim Jos Gonpal-
ves Beltrao
Roa do Trapiche n, 17, !* andar.
Sacca por todos os paquetes sobre o banco de
Minho, em Braga, e sobre o9 segnintes lugares ea
Portugal :
Lisboa.
Porto.
Valonea.
Guimaraes.
Coimbra.
Chaves.
Viseo.
Villa do Conde.
Arcos de Val de Ver.
Viarma do Castello.
Ponte do Lima.
Villa Real.
Villa-Nova de Famelido.
Lamego.
La nos.
Covilhaa.
Vascal (Valpasso).
Mirandella.
Beja.
Barcellos.______^_______
A1J
RO
BYVETOT
.4-Bua Estrella do Rosario^
Compra e vende roupa feita
nova e >clha, objectos de
cosinha e de mesa,-e
tudoqueperten-
ce ao uso do-
mestico.
~Na pra^a da Independencia n. 33 se da di
aheiro sobre "penhores de ouro, prata e pedra:
creciusas, seja qual for a quantia; e na mesm;
;use compra e vende objectus de ouro eprata
. igualmente se faz toda e qualquer obra de en,
eoromenda, e todo e qualquer concert tendenw
, mesma arte
' Cosiuheiro.
Precisase de um cozinheiro, dando fiador : na
ruado Crespo n. 9, livraria francea.
1
I
O Dr. King mudou sua residencia e consulto-
rio medico cirurgico para a ra da Aurora n. 32,
4* andar, onde d consultas das 7 as 9 horas da
manhn e das 3 as 5 horas da tarde nos dias uteis ;
aos chamados devem ser por e>cripto acudir a
qualquer hora do da oo da noule.
AVISO
R-iga-se aos senheres abaixo mencionados o ob-
sequio de comparecerem no Bazar da Moda ra
doliiro da Vicara, a negocio que Ihes diz res-
peito :
Joao Vlenlim Vilella Jnior.
Gtiilberme Dias dos Santos.
Joo Jos dos Santos Lima.
Jos Magalhaes coro fabrica de velas.
Jos Maria Fernandes, morador na villa do
Obo.
Joaquina Francisco do Espirito Santo,
c$nc"ardilar da massa Talluda de Maia
EspiritoSonto,pede aossous credores o favor
de viremoumandaremreceberos pagamen-
tos da i* prucld de sua concordata ; de-
Vendo, para esse fim, dirigirem-se ruado
Imperador n. 4!. ......L_
wmammsKm
PRIMEIRO E ANT1G0 CONSULTORIO
HOMEOPATHI'X)
Dirigido pelo Dr.
SANTOS MELLO
Os habitantes do interior podem-no
consultar por eseripto, no que serie sa-
tisfeitos com promplidio;
PresU-se lamben a chamados para o
interior, a preco mdico.
Consultas, no consultorio das 10 horas 3
ao meio da.
Chamados, a qaalquer hora.
Aos pobres gratis.
43Ra do BarSo da Victoria43 I
(Antiga roa Nova).
*m wm&
D, W. BOWMAN
ENGENHEIRO
Com fundiqao.
A RA DO BRUM N. 5&
Passando o chafariz
Machinas vapor syslema melhorado.
Rodas d'agoa.
Formas de ferro para purgar assucar.
Moendas de canna.
Taixas de ferro batido e fundido.
Rodas denudas para moer com agoa, va-
por e animaos.
E outros objectos proprios d'agriculttira.
Tudo por preco amito reduzido. ^
PADARIA
UNIVERSAL
"O abaixo assignado faz sciente o respei-
tavel publico desta cidade seus suburbios,
que acaba de cstabelecer urna padaria in-
titulada Universal, ra das Tamarineiras
ns. 3 e 5, no lugar denominada Jaqueira.
Tendo envidado todos os mios possiveis
para collocar este estabelecimento as con-
diQoes de poder satisfdzer a necessidade
que havia de um estabelecimento desta es-
pecie nos arrabaldes desta cidade, o abai-
xo assignado espera a valiosa protecc3o de
todos os seus moradores.
Promette o abaixo assignado que s em-
prega na confecc5o dos artigos que se pro-
pe a fabricar oo dito estabelecimento as fa
riulias das meibores qualidades, sendo todo
feito pelos syslemas francez, inglez, ponu-
gusz e alienlo, para o que j lea contratado
trabajadores estrangeiros, conhecedores
desses systemas.
Para maior commodMade dos moradores
desta cidade o dos seus suburbios, o dito
estabeiee metilo ter diversos depsitos para
os artigos do seu fabrico em differentes
pontos da mesma cidade e dos seus arre-
dores, os qoaes ser" publicados em pr-
ximo tempo pelas circulares partculares di-
rigidas aos moradores dos arrabaldes.
FREGUEZIA DO REQFE.
Ra da Cruz n. !3, confoitaria do Sr.
Miguel Ferreira Pinto.
Em frente a ra do Vigario, armazem u 2,
denominado Novo Mundo
FREOJEZIA DE SANTD ANTONIO.
Ra do imperador n. 26, confutara dos
Srs. Rodrigues A. C
Oude se encontrar pao, desde o mdico
preco de 20 at 200 rs.
No dito estabelecimento e seus depsitos,
tanto na cidade como nos arrabaldes, rece-
bem-se encommendas de bandejas para ca-
samento, partida ou para qualquer ontro
m, as quaes deverao ser dirigidas em car-
ta fechada, em que se determine, pouco
mais ou menos, o valor das .mesmas en-
commendas, as quaes ser5o entregues no
lugar da residencia dos freguezes.
Gustavo Adolpho Wurffbain,
u
CompanhiaMlian^a
secor* mmt ei|t>e?ecida
naHbem lSi^jtneiro
de 1870.
CAPITAL..Rs. J^OOOtolOOO.
Toma tefaro da nwraaonai i n. eiro a nsco
maritimoen navioa de vella e vapprM paraAe*-
tro e fon do taH^rio. .Agneii rpa do Com-
mercio O 17,l*crfptork. 0 J^pln lo Gon-
ealvea ^eltrio. ,.,
Acaba de sabir ft htz
E
Veode-se
NA
Livraria france.
"PB^
?S [H'j
Este antigo estabelecimento, acha-se hoje montado n'nma
asala de poder servir vantajosamente os sens freguezes, atten-
to o grande sortimento de joias d'oiiro, prata e brilhantes, que
sempre tem e recebem mensalmente das principaes fabricas da
Europa- cujos prepos sao em competiveis e as obras garantidas
de lei.
JHOltEIBA MU ARTE .
Boa occasio.
Um moco brasileiro de 30 annos de idade
que falla e escreve a lingua ingleza, com
todas as habilitacoes para caixeiro despa-
chante, de embarques ou outro qualquer
trabalbo; precisa de um emprego. Para
nformaces dirija-se a roa da Cruz a. 51.
das 9 da manna as 3 da tarde.
Aloga-se ou se dar sonedade padaria al-
lerraa em Santo Amaro, a qual est bem montada
e afreguezada, tendo encanamento de agna e gaz,
e bastante conmodo. as condiedn sao -favoraveis:
trata-so no mesmo lagar ou na ra da Guia nu-
mero 56.
Irm ndade
das almas da matriz do Corpo Santo.
Aatorisado pelo nosso irmao Jniz convido a todos
os nossos irroaos .a comparecerem no consistorio
da i-mandade na quinta-feira 17 'o correte mez,
as 8 horas da tarde, aflm de em mesa g tar-se de negocio de interesse da irmaodade.
O eserivSq,
_____ Manoel Jof dos;Santos.
fiAZ GAZ GAZ
> Chegon ao antigO deposito de Henrj Kortter
t, roa do Imperador, um carregamento do gal
de primeira qnalidade; o qual se vende em partida!
a retamo por menos preco do que m ootr* *'
%wk parte. *^
com
CAIXEIRO.
Preelsa-se de un pequeo para caixeiro
prntica de taberna : na roa de S. Jos n 3
CASA 00 RO D'IVETOT
RA RSTRETA DO ROSARIO N. 14.
As pessoas que tem deixado objecto* nesle
estabelecimento, 83o convidados a irem re-
tira los dentro do praso de 3 das, a contar
do presente annuncio, sendo vendidos os
que u5o forera retirados, sem direito re-
damaco.______________________________
AMAS.
Em S. Jos do Maogoioho, easa n. 3, anda se
precisa de urna boa engommadeira, e orna criada
servieo de casa e algom epsaboado, paga-se
Jeao Nogueia Rabello, commerciante na ci-
dade do Ico, que ha rauitos annos compra nesta
praca, julga nada dever aqui ou fra, se, porero,
alguem se julgar seu credor, entender-se-ha com
os seus correspondentes no Beeife, os Srs. Gome?
de Mattos Irmaos, dentro de oito dias.
Muga se a casa terrean. 21 da ra do Hos
picio : a tratar na mesma ra n. 33..__________
Precisa-se de urna ama que cosinhe bem, forra
ou escrava, para casa de poaca familia : tratar
na rna Nova n. 80, i* andar.
Precisa se de urna ama forra oo captiva que
saiba cosinbar bem o diario de nma casa : a tra-
tar na rna do Lnqae de Caiias. loja n. I.______
Aluga se o sitio junto do Sr. Dr. Aleoforado-
no Caldeireiro, pelo tempo de fesla, tende fructei:
ras, baixa com captan, e bjaho no fundo do sitio .
quera o pretender dirjase ao pateo do Collegio,
no escriptoro do Sr. Dr. Fotseca, ou no mesmo
sitio.
-------------------
AMA
Precisa-se de urna ama que alba bem cozinbar
e paga-se bem : a tratar na rna do Queimado
loja de miudezas da Boa Pama n.3S.
Motequc
Precisa-se para criado de nm moleqoe de 14 a
18 annos, del e diligente : a tratar na roa Nova
n. i9, t* andar}______________________________
AMA
Preciso-w de tima ama para cozinhar : na ru
do Mrquez de Olinda (antiga da Gadeia) n. 22.
D. Antonia Isabel do Couto agradece cordeai-
mente a todas a pessoas qoe assistiram ao enter-
ro e acoropanbaram ai cemiterio publico o cada-
ver de seu presada marido Ignacio Jos do Cont,
e de novo convida a todos os prente e amigos
do dito finado a fazerem o caridoto rbsequio de
assistirem a missa do stimo dia Qtie lera Ingar
na matriz da Boa-vista, sexta-feira 18 do crren-
te pelas 7 horas da manbit, e desde j se anteci-
pa a dar ?ens crdete" agradecimen'.
MANUEL l C.
Tem a Mtisfaco de participar aos seus numerosos freguezes, que em vista de ser-Ibes mais commodo tem
sUbelec^ umi nova fbrica dTchapos de sol, na roa da Cadeia do Recife n. 9, beje roa do Mrquez de Olrada,
onde achrto^os pretendentes, muio avuludo sortimento de chapeos de sol de todos os precos, qualidades e por pre-
Ss mas ^odoTdo que comporla o nosso mercado : convidara especialmente aos Srs. compradores por atacado
^SSTwSfvellsois encommendas, pois poder5o assimserem mais bem servidos, vtslo poderem escolber as ar-
macoes as lazendas qw a demora da fabricac2o bem diminuta, ____________.----------------------------------
NA ANTIGA E BEM CONHECIDA FABRICA
CHAPEOS DE SOL
Ba do Barao da Victoria, esquina da Camba do Carmo.
(Antiga Ra Nova")
Ha sempre um grande sortimento de'cbapos de sol de seda, merino, alpaca, bretanha de Heno brinco e par-
do e de Todo os todos os lmannos e fettios, alera da immesa porcao de eda, merm, algodSc c brim, ^
amaces de todas as qualidades para satis/azer qualquer encommenda.
que escusa de mencionar.
NOSSO SENHOR JESS CHWSTO,
.MAB1A SANTISSIUA
E
VARIOS SANTOS.
A saber:
Setenario do Senhor Bom Jess dos Passos.
Offleio do Senhor dos Passos.
Novena do Menino Deus.
Novena de N. Senhora da Conceicao.'
Setenarlo das Dores de Maria.
Offleio das SeteJDores de Maria Santsima.
Novena de Senhora do Carmo.
Offleio de N. Senhora do Ca mo.
Novena de N. Senhora da Penha.
Cnticos de N. Senhora da Penha.1
Novena do B. S. Joao Baptista.|
Novena da Senhora Sant'Anna.
Trezena de Santo Antonio.
Novena do B. S. Jos.
Um bonito volume encadernado.
2S000.
Agencia em Pemambuco
Do Dr. Ayer
Feitoral de Cereja
Cura a phthysica e todas as molestias do paito.
Salsa parrllha
Cura ulceras e chagas antigs, impigens e dar-
;ros.
Tnico
Conserva e limpa os eabellos.
Ptalas catbarilcas.
Puramente vegetaes sem mercurio ; cura se-
soe, pnrgao e purifleam todo o systema humano.
Vende-se|efttclivatnente em casa de Samuel P.
Johnston & C rna da Senzalla Nova n. 43.
Em casa de THEODORO CHRIST
ANSEN, roa da Cruz n. 18, encontranm*
ifiectivamente todas as qualidades de vinfct
Bordeaox. Rourgoene edo Rheno.
41 RUA DO IS\R\fl D4 VICTORIA 41
Precisa-se de urna ama forra ou captiva para o
servieo interno e externo de urna casa de pouca
familia : na rna Velha n. 66.
Neste novo armazem tem nm
variado sortimento de fazendas
francezas, inglezas, allemaas e to-
das todas se vendem por precos
mdicos, aflm de aci editar a este
novo armazem.
Gasemiras inglezas,
francesas, de todas as
qualidades, brins de
cores e brancos, cotei-
riiihos modernos, cha-
peos de sol de seda,
unos. RUA
DE
ARRDA IRMAOS.
Bario da Victoria
antiga ra
NOVA
N. 41.
Assim como tem ama grande
ofScina de alfaiate, montada com
todos os preparos que ha de melhor,
dirigida por habis artistas, que
pela sua promptidSo e perfeicSo
nada deixam a desojar.
Roupa de todos os
amanhos para homens
meninos.
Por todos os paque-
tes recebem-se as me-
Ihores e mais moder-
nas casemiras qne ha
na Enropa.
RUA
BarSo da; victoria
antiga rna
NOVA
N. 41. i
Este estabelecimento acaba de soffrer urna reforma radical em acceio, artistas ecommodos, e m pontoahdade as encom-
mendas, finalmente em tudo afim de melhor servir os seus numerosos freguezes deixa-se de annunciar todas as iazenaas, para
q5q se tornar massantef_________________ _________J____________ --------------
Companhia Fhenix
Pernambucana
A directora 4a companhia Pbenix Pernambu-
cana deliberou qne os premios de seguros por ella
realisados quer martimos quer terrestres sejam
pagos no acto de celebrar-se o contrato.
Pernambuco 41 de oulubro de 1870.
Pela companhia Pheoix Pernambucana
J. H. Trindade.
F. F. Borges.
Luiz A,iSequeira.
Na Iravessa da roa
das Cnues n, 2, pri-
meira andar, da-se di-
nhelro sobre penhores
de ooro, prata e brilhan-
tes, seja pal for a pan- I
tia. Na mesma casa com- =
pram-se os mesmos me-
taes e pedras.
(Sobrado para alugar
Ol'B f andar e solio n. 6 da rna do Duque
da Caxlas : a tratar no Corar" de Ouro.
erro
RUA DA CRUZ M, t
Chapas de ferro galvanisadas para telheiros, etc.
Tachas de ferro para assucar, etc.
Formas de ferro para assucar. -
Arados americanos.
Carrinhos de m5o.
Yenezianas para janellas.
Machinas de descarocar algodo.
Machina de cortar fumo.
Mchica de cortar papel
Motores para ddos caballos.
Machina a vapor para mover machinas de algodo.
Balaocas. prencas, cofres de ferro, fogSes de jferro, enxofre,i|sahtre hmalha de
muitos outros artigos.
COMPANHIA
DOS
TRILHOS URBANOS
DO
RECIFE A9 OliIMDAa
Por ordem da direcloria s3o convidados
os Srs. accionistas para, no prazo de dez
dias contados do da 11 ao dia 21 do cor-
rente, recolherem a 2* prestaco de soas
aeces, na raz5o de 10 "/, do capital da
2* emissao. Para este fim ser encontrado
o Sr. thesooreiro no escriptorio da compa-
nhia das 11 horas da manna s 2 horas da
tarde, de lodos os dias uteis.
Escriptorio da companh a, 8 de novem-
bro de 1870.
Joo Joaquim Alves,
Io secretario.
K' esperado prximamente nesta cidade vino
do da Baha o distiDCto oeuli.-ta Dr Jo Lourenc^
de Magalhaes, que pretende de.norar-se ponc-
tempo entre nos. Sao muito notavsis as operacoe
que este oculista com grande successo tem pra
ticado naqoelU provincia.___________________
BRAZ1L1AN STREET
Railway Company (Limited)
E-ta companhia vender d'aqoi por diante
nos domingos e dias santos na esta cao do
Recife bilhetes especiaes, qoe servirao se-
ment no dia da venda, por 1 os quaes du direito a passagem de ida e
volta em qualquer trem do Recife ao Cal-
deireiro, Monteiro e Apipucos.
Escriptorio da companhia 9 de novembro
de 1870.
WilUam Raictinton.
___________ Gerente.
Precisare de urna pestoa de confiaoca, in-
telligente e activa que teuha conhecimento e pra-
tica de drogara : a tratar na rna do Imperador
n. 22.
5:000^000
Escrava.
Precisa w de nma para cosinha r e lavar
roa de Hortas n 30, sobrado.
na
OS AMERICANOS
CILYNDROS PAM PDARIAS
Tendo chegado ha poucos dias completo sortimento dos meibores e mais
conbocides cylindros americanos para nadaras, roga-se s pessoas que d'elles precisa-
rem de virem vel-os ao grande deposito do
BASTOS
iijin wm i mi il M
OTSTWmH RUA DA CADEIA
Eslao venda os feliies bilhetes da lotera da
Babia, na easa feliz do arco da Conceico, loja de
onrives no Recife.
Agua polavel para Olinda.
O preto Feliciano encarrega-se de condutir dia-
riamente agua em baldea (caneos) do Recife para
loinda, mediante ajuste : tratar no Varadouro
Oom o Sr. Joao Coelho.
Precsa-96 alugar um molequ de 10 a 12
annos para compras de nma casa de pouca fami-
lia : a tratar na roa do Mrquez de Olinda n. w,
2* andar ^^____
Aviso ao respeitavel
publico,
Antonio Mximo de Barros Leite, professor jo-
bilado d'instrucco primaria, co nmana na pro-
dssao de ensino^m sua casa de res-donc^a rna do
Bario da Victoria (anga rna Nova n. 60, esqai-
na oe ira pa a rua*do Sol e promette ernpre-
ar todos os esforcos e recorsos de iu Iqnga pra-
fica de 45 annos dV magisterio pr
no curto espato de tempo o bom adiatrlameato
Ku" alumnos. Pelo que o annnpciant con-
dT?tth os pais de familias quer desta cidade,
Jer d-entra qualquer parte para Ibe oonflarem
seus oupos; aseverando aos pas dos mesmos
ana acceita pensionistas por preco ruHo commo-
do em relacSoao estado do pala a cid qoanto ao
en estabelecimento, eDe o mais arejado possi-
vel alm das grandes iceommodaedea qne ten: x
adverte mais joe ero dito seo- eslabetecimenio se
ensioam todos os prtparatorae conforme seu*
pais qua>rem> .___________
PRECISA-SE
De nm menino de II a 14 annos teosa ai
ma pratica d caxeiro para loja do paleo do
yramento n. 36.
U:
H
t i


El
Diario
de Peruai&buco
Quiitfl eira
17 de Novembro
de 1870.
***
AO ARMAZEM
H. HIIA l.H. 7
Este conhecido estabelecimento acha-se constantemente bem sortido, era vlrtode das
foetnru qne recebe por todos o vapores e navios trance*, dos artigo abaixo menciona-
dos, preco os mais resumidos que possivei.
C AINADO FRXEX
Botinas para callaras e menlaas.
Bolinas pretas, brancas e de militas ontras cores, sortidas e bonitas, do ultimo gos-
to da moda, e precos mais barates do que em outras partes.
Botinas para homeus e meninos.
Botinas de bizerro, cordavlo, lustro e pellica, das melhores fabricas e escelhidas.
Botas e perneiras rnsslanas.
Botas e perneiras para mantaria, dae melhores quaaades, de couro da Russia, lus-
tro e buerro.
palos de borracha para horneas e scnnoras ^
Tendo chegado grande porcao de sapatos de borracha vende-se pelo custo.aflm Gde
desempatar o dinheiro nelles empregado, sao baratissirnos.
Sapatos de lustro para horneas.
1 Sapatos de entrada baixa de couro de lustro com salto, de muito boa qualidade.
Abotinados para meninos e meninas
Sapatos abotinados de differentes modelos, de muito boas qualidades e fortes, tanto
para meninos como para meninas, muito baratos.
Sapatos de tpete.
Sapatos de tapete aveludado, de casemira, de charlte e de tranca franceies e por-
tuguezes para homens, para sentaras e para meninos.
PERFUMARAS
Excellentes extractos, banhas, leos, agua de cologne, florida, divina, lavando, den-
trifice, de toilette, sabonetes, tintura para cabellos, pomada angroise para bigodes, pos de
wtox etc., tudo isto de primeira qualidade, dos afamados fabricantes, Condray, Piver e Lubin.
Quinquilharias
Luvas de pellica do conhecido fabricante Jouvin, espelhos para sallas, quartos e ga-
binetes, toncadores de diversos tmanhos, leques para senhoras e para meninas, abridores
de luvas, brincos, pulceiras, botdes, correntes e chaves de relegios e trancelins, tudo de
ouro de lei, correntes e brincos de plaqu, a iraitacao e de mais gosto do que as de ouro,
caixinhas de costura ricamente guarnecidas e ornadas com lindas pessas de msica, albuns
e caixilhos dourados para retratos, caixinhas com vidro de augmento para distinctamente
ver-se a perfeicao dos retratos, objectos de phantasia para toilettes, bolsinhas e eestiohas
de seda, de velludo e de vimes para braco de meninas e senhoras, ditas para costuras, pe-
queos registros muito finos e delicados, bouquets de flores de porcelana, jarros proprios
para gabinetes e santuarios, quadros proraptos para collocar-se vistas, molduras doeadas
para quadros, estampas Anas de paysagens, cidades, figuras e de santos, vidros para cos-
morama, malas, saceos e bolsas de viagens, esporas, chicotes, bengalas, ocnlos, lunetas ou
pensinei de prata dourados, gravatas pretas e de cores, abotoaduras de collete e de punhos,
carteirinhas para notas, thesounnhas e caivetes finos, pentes, escovas, ponteiras de espuma
para charutos e para cigarros, Joiros de domin, rodetes, bagatelas e outros differentes, ve-
nezianas modernas muito conteniente para portas e janellas, cosmoramas, lanternas mgi-
cas, esteriocopos com interessantes vistas de figuras e das mais bonitas mas, boulcyards,
pravas e passeios de Pars, photographias e caixinhas mgicas, reverberos para candielros,
tapetes de vidrilho e de laa de cores para ps de lanternas, realejos grandes e pequeo?,
harmnicos, acordions de todos os tamanbos, bercos de vimes para criancas, sapatinhos e
toucas de lia, carrinhos de 3 e 4 rodas muito elegantes para condtuir enancas passeio ; e
outras omitas quinquilharias de phantasia, francezas e allemaes, precos muito em conta.
iBBDD9iD3ia(D3 9IHWH wmm
Para este artigo nao ha espaco nem tempo para a massante leitura da inflnidade de
gneros de brinquedos fabricados em diversos paizes da Europa.
ENCA
=
*? I
leu i venda do sea a tnazem, tito uo largo do
limes, e que vende por precos aais cotnmodos do

los Joaquim da
Pelourinho n. 5, os objectos
qae em outra qualquer parte
Oleo de liona?a.
Coaro de lustro.
Saceos de estopa.
Estopa em peca.
Vibo Bordean* em caiias
Feltro em peca para forrar embarcacoes
Encerados.
Telhas de ferro gatvanisado, de differentes tamanbos, para cobrir casas.
Fsrro Uso gaivanisado para forrar embarcacoes.
Pregos galvanisados. \
Cantaria de Lisboa.
Dita soleiras.
Dita marmore.
Taboas de marmore de difisrsntes grossuras.
Ladrilhos de marmore de differentes cores e tamanbos.
Ditos de pedra de Ansam. pretos e brancos.
Tmulos de pedra Gna de differentes tamanbos.
Pedras para lavatorios.
Taboas de louza. m m 11 n' rt
Pas de louza para cosinha. _____ v
NAO H V MAIS CJJBEIdbOBBH ANCOS
tintura janoneza para Ungir os cabellos da cabeca e da barba, foia nica admit-
tida Exposigo Universal, por ter sido reconbecida superior s todas as preparacoes
ale boje existentes, sem alterar a saude. Vende-se a 1 000 cada frasco na
Ra da Cadria n. 51 1 andar.
ATTENCAO
O dono deste estabelecimento pede ao publico em geral que continu a visita-lo
verificando as qualidades e os precos baratos de ditos objectos por serem vindos em di-
reitura e de conta propra.
FALQU
c
N'ESTA ANTIGA E CRED1TATA
FABRICA
DE
EMOSTRI SE COSSTiHFUgXTB RUI C01PLETQ SRTIBEHO DE
CHAPEOS DE O,:
De todas as qualidades I
De todos os (cilios I
De todas os precos I
RA DO CRESPO N' 4
tora a cora.certa tu tanei uiifu e rcenles, ealarrhM pnlmmr, uthmi toiM tovnin, wUrrfc*
tnoekiai, em goral emir laOs h loffrimenlM di tiu reiiintori.
DEPOSITO GERAL
SO'X'XG.A. SI DROOARIA
14, BOA LARGA DO R0ZAR10. M
PERNAMBUCO
A therapeulica da diverja molestia do pello, deada
i pharyngile ou mil da garganta iU tobercalaclo
pulmonar, paasando pila* diversaa broochitei catiiitiMi
a o tmphysema acaba da acr enreqnecida coa m
ate medicamento, que tomara a primeira ordem entra
todoa at boje conhecido. O xarope Vegetal Americano,
[arantindo paramente vegetal, nio contis m ni
tompoico nm s alomo de opio, aim lmenle suc-
toa de plantaa indgena, enjae propriedadea beneficu
a cara da molatiaa qne perteneca toa orglos de rea-
piracio (oram por 061 observada por longo tempo,
com optimoa remitido cada ver mata crescenie; pelo
qna nos julgamoi antoriaadoi a eompor o xaropo qoi
agora apresenlamoa, a a oflarece lo aos medico ao
publico, Provamoa com os atteatadoa abano o qna la-
vamos dito, contamos qna o conceito de qne ja gosa
o larope Vegetal Americano erescer de di* da,
ieiando muito apos do si todos os poiMrt.es *o vogs.
Illm. Sr. Bartbalomeo A C,O tarop Vegetal Ame-
iicano, preparado em ana conceitoadissima pbarmaeia,
i nm all remedio para combater A terrivel aalhma.
Sofra eu aquella molestia ha quatro metes, sem linda
Mr combatido os ataque meneaos qn* tinba; este ultimo
que tive foi fortieaimo que me prostou por S din, nsei,
porm o seo milagroso tarop, tomando apenti iros
loses, e al o presenta nlo fu da novo atacado, "frita
a, qaa a qia ruubelaetdo por IM mi. Rendo- Esto rocoahocidl
Iba, pus 9 men ap-decimentos por me Mr aliviada A
Uo borrivel mal. Com a man aignificaliva graliit
aubatrawo-m* doTmca. affectuoao o reconhoeido eriads
Sttmm D*vU.Su Casa 14 de Mvarairo datSM
Illms Sr Bartholomeo k C Depoia do qai ni
metes de aoITrmenlo com ama toaso inceasaiM, (aatk
extraordinario, expoctoracAo di nm calarrbo amara!!
do, perd toul das forcas, qne o mAaor puse
me faligava completamente, cansado de tomar caii
tro remedio lem reanllado tive a felicidade da lber q*
Vmc. preparavam o tarop VegeUl Americano, e ce*
elle, grtca i Den, me acho restablecido ka mili A
don metas, e robusto como se nada tivaae MfriaVs. /
gralido me (orea a esU declarsgJo, qne poderle Vmsi
fuer o oto qaa qniterem. Son com estima de Tu*
mullos respeiUdor e criado. Antmi Jotqwm i
Castre SIt*. Recife 8 de fevereiro de 1868.
Atiesto que ese i do zirope Vegetal Americana; i
eomposiflo doa Sr Bartholomeo A C. pan can ds
forte defini qna me trouie urna ronqaidlo, qia me al
fui! edtender, inflammaclo dor ni garganta, lase
grande falta de respiraclo, e tiquei complatamaat* m
tabeleeido com m a vidro do mismo tarop; m
qne Ibes protesto elerns gralidlo. Recite 18 di )>
neire de 1868. ;SfMm Pr*r irtmto Vmiu.
JIEDAIHA
AUIHGADOdeBAGAL
Mm
DE HONRA
CHANCO E ESCUftO
Dc-sinfcctindo o Oleo e Figado de Br.cilhde,
n Sennor Cbevrier de< a esta prpr-insaprepre-
elo Ihernpeatiesi um ebriroe l>or agradaveil
.tic nnhuBH de saas virinli-s !!ic tiram.
Esta ii:;p',itante descoheru, qne rrangeoa a
aenuloraua Hedilha de honra, vlganse o
,:;odo Oleo de Figado deBacalho desinfectado.
Os nredi^oso rei*eium preferivelmenlea todot
os outros, em todas os motrsihs onde so em-
reaa Oleo de Figad': de Bacallao.
Ver por mala pi.riniMiores osfelalonos medi-
eaei qi'.t routeni a noticia que Icceiapuibl cade
frasee.
FERRC6INS CE CDEVRIER
0 Scnhor Chevrler corapletou a sua desco-
oeru ajunlaa-do a iodura de ferro ao Oleo do
Bacalhao desinfectado. Este Oleo de Finado de
Bacalblo ferrugiuso tem todas as pro|inedaties
do oleo e do ferro, iivte-e fieilmeote e nanea
ansa prisio de ventre. Portanto 4 preferivel
ls Biaia preparac.Oi!S ferrugineas (Pilulas ou Xi-
ron;), convern ero todas as docncas orle ;:
etpret'! o ferro. Tsica pulmonar, bronchili'',
rai'hitiatno. escrfulas, iinpigeus, gola, rl.eu-
Biilisaio ciirontco, calarrhcu int:; s, d
sias, eonvilsreneias difliceis c fraque?
constituido.
MO DE OURO
Nova loja de joias
RA DO CABUGA' N.9 k-
DE
Manoel da Cunha Saldanha & C.
Acaba de abri-se este estabelecimento de joias, o qnal tem grande sorti-
mento de todas as joias de ultimo gosto, as quaes vender o mais barato pos-
sivei.
Todas as joias serlo garantidas ouro de lei, pois os seas donos tendo em
vista so adquirir freguezia n5o olvidarlo, vender bom e por precjs os mais
razoaveis possiveis.
Convida-se o publico a vir este estabelecimento, certo de qae ficar
satisfeito.
A' MO ti OURO RA DO CABUC N. 9 A
l'heirtiiHin CISK B :PK >l. Si.fie Na m^mi pharmacia aclin-se o VUno e ELIXIR i9 03CA, erclretil s | repavarVs w -
O TAFFETVLKErAl'.lO'-i';ARrnC*. para cavarWehamjS, fnflas,corudiiruc etttuoca.
OlGKilLOS dcBISHTH composto i:ootraasdiiirrbraa,djCuUia9,drci dejstiinijo, eti
Df.positarid, cm Mu le Janeiro, Diponciiem* el c'- h^iiia; Mua&taU Iumao n C
l'erinimhur.o, I*. MAUMKIl el Cw. UunuJtOO, r'bhHtmA Cl C*. I' -to A'.cgrt,
!** Josf. Ut.h.o. Prfotns, ivncrtl.tivi.
-* Try-^w" -''it'."'."^-*-'
f~- "?~.\~
FALSIFICA^OES
das PILULAS de BUNCARD
(CAVE
A nossa correspondencia do Brazil nos faz
saber que" as prapu d'este paiz acho-ic
actualmente inundadas por urna multido de
(alcificaces vis dos nossosproductos (textual.
Para garantir-se contra estas composifos
mais on menos perigosas, que escondem-se
d'essa maneira por detraz das nossas marcas
de fabrica e mesnio da nossa firma, rogamos
aqui com instancia aos mdicos e aos do-
entes de assegurar-se sempre a origem das
Pilulas que trazem o nosso nome, appefiando,
entre outros meios prcticos, pela boa f dos
nossos collegas, os pharmacuucos. Na6 de
duvidar me n'uma questao que intfrcssa tafl
seriarneuto a saude publica e a uoralidade do
Acio-ie as nossaa Pilulas
DOLUM)
commercio, esles honrados intermediarios
nao se moslrem dignos da confianca dos seus
freguezes; nao de duvidar igualmente que
repudiando toda solaridade com os falcili-
cadores e os scus cumplices, ellcs nao se fa-
ci um dever 'or* era diante de procurar
as VERnADBRAS PlLLAS DE BLANCtRD .Cm
origens ceilas, enderesando-se, quer a nfis-
mesfflQs em Paris, quer indirectamente aos
nossos priheipaes correspondentes, ou ento
s casas as mais recora-
mendaveis da Franca
ou do seu paiz.
1 Gi'^'^tl*.".'-.?, W** VM**
Pharmaceitico, ra Bonaparte, em
su principie Fharmucia.
Pai.
ROB LAFFECTEUR
_c._u_. >:- monia hereditaria dos humores.
O arrobe he especialmente recommendada contra as doeacu svphilitica recentes, invete-
daS OU rebelde! un m>ri^. .. J. nnlauin
"das UFTECTElJt, e
SAlTiT-GERVAlS, ra Richer, 11, i Paria.
em can do doutor GIRAUDEAU DE

MARIUMOS
E
COfIRl FIH.O.
A companhia Indemnisadora, esta bel... a
nesla prava, toma seguros iiaritlmos'tor
navios e seus carrgamentos e contra fogo
em cdifKios, mercadorias e mobilus: na
roa do Viario n. 4, pavimento terreo.
Quejn precisar de iu cunurer p3ra ta-
zer obras da alfaiate, bem feilas e paletees de pa-
o flno, dinja-se a rna Formo n. 21 que acha-
ra com quem tratar. Tambem cose para senho-
ras toda o stora e qnerendo fiador das mesmas
obras se dar.
P. ecisa-se alugar urna prela escrava de rucia
idade : na travessa da rna Bell i n. 8.
Frederico Maya
Cirurgilo den.isla
Afha-se em sea consultorio para os Irabalhos
de sna arte as das Dtcli das 8 boras da manhaa
aa 3 da tarde, e aquelles que por suas oc.npa-
edes nao pderem comparecer nessef das o aclia-
rao das 9 horas da manhitn as l da tarde nos do
mingos e dias santificados. Tambem continua a
prestar se a qualquer chamado, tanto na cidade
como para lora delta, sendo procurado em seu
consultorio a ra do Duque de Caxias, sobrado
amarello com entrada pela pra.ja de Pedro II.
Nutrimento
Hotel Aurora
Ra das Trincheiras numero 48.
Manoel Garrido annunci ao publico que se
acba aberto este novo, elrgante < cominodo eslab.
(cimento, em que se pode bem apreciar a couftc-
cao dos productos da m te culinaria.
Recebe aseignaturas para aliir enlacio, lano no
estabelecimento como para os domicilios, e tam-
bero encommendas particulares satisleilas com
decenci).
Sorvelesde nas fructas noie, e nos sabbados
a,saborosa M.\0 DE VACCA.
As bebidas o gneros de consumo eslao bem re-
presentadas neste estabeleciraent.______________
AMA
estran-
na ra
-Precisase urna ama para casa de
geiro de tr da Imperatriz n. 9.________________
D-se dous a ir* contos de ris a premio
sob liypolbeca de predio : nesta typographia dir-
se-ba onde.
COMPRAS.
Compra-se a collec$Lo
do Diario de Pernambuco de
janeio a junho do anno dt
1866: nesta typf g pohia se
dir quem compra.
Lora muito Hiaior vanugem compram-se
ouro, prata e pedras preciosas o n obras v el has: na
loja de joias do Coracao de Oaro n. 2 D, ra do
Cabug.____________
Ounipra-se urna S
lecca5 de leis provineiaes
de Pernambuco do nno d^
1866 : ne-ta typographia.
Compra-se urna pona, que terina tre-
se e mfck> palmos de altura e seis de lar-
gura, que seja de amarello, e q> e estoja
em bom estado; nesta typograpliia se
dir
MEDICINA!
Preparados por
(ntnan rtkemp
frara lisit m e toda
gualidanta ded -
enfas, qer si ja
na garanta, pei-
lo ou bofes.
E x p r o s s a-
njente escolbido
dos melhores li-
gados dos quaes
se exttahe o
oleo, no baMo
da Terra Nova,
purificado chi-
nicalmente, e
suas
p^opridads
conservadas
com todo o cu -
dado, em todo o
frasco, se garan-
te perfetamen-
te puro.
Este oleo lem
sido submettido
a um exame
muito severo, pelos ch i mieos de mais tale-n
ot, do governo bespanbol em Cuba.foi de-
vulgado por elle e contem
MAIOR PORgO D'IODINA
do que oulro qualquer oleo, que elle tem
exam-oado
I0D1N0 E'UM PODER SALVADOR
Em todo o oleo de figado de bacalho,
e naquelle no qual contem a maior pomelo
d'esta invaluavel propri'edade o nico
meio para curar todas as doencas de
GARGANTA, PE1T0, BOFES,FIGADO,
Tisica, bronebites, asma, catarrbo, tosse,
resfriamentos,etc.
Uns'poucos frascos d carnes ao muito
magro que seja, clarea a vista,e d vigor a
todo o corpo. Nc-nhum outro artigo co-
nhecido na medicina ou sciencia, d tanto
nutrimento ao systema e cncommodando
quasi nada o estomago
As pessoas cuja organisacao tem sido
destruida pelas afocfocs das
ESCRFULAS O RHEUMATISMO
e todas aquellas cujadigeslo se acba com-
pletamente desarranjada.devem tomar
O OLEO DE FIGADO DE BACALHO
CE
Lanmau A Kemp,
.Se que desejamver-selivres -esepasiE
de ermidades________________________
Fogao de patente.
Vende-se tro casa dos impiriadores Shaw
lawkes & C. ra da Cruz n. 4.
CANOA
Compra-senma que tenha cerca de 32 palmos
de comprimenlo e 4 de largura : na ra do Vi-
gario u. 20. primeiru andar.
V:NDAS.
NQVID&DE.
O Costa, proprielario do irmazem da Pedra
Maamore ra das Cruze3 n. 12, offerree por di-
nheiro contado o que de ruellior ha no mercado,
por ter recibido mullos des gneros descriptos
pelo ullirao vapor.
Chocolate de 1 a 1*800 a libra. '
Especial n anleiga ingleza e frnceza.
Honaliccs para sopas denominadas Julicnne, que
substitue perfp.ilamenle as mais frescas ervas.
Queijos flamengos o que de melnor se pode de-
sejar a 2*800.
Caixdes de doce de goiaba a 800, 1, 1*200 e a
1*800, dito em latas a 2* e 2*500.
A verdadeira farinha americana vinda de conta
propria a 320 rs. o maco de urna libra.
Velas siearinas a 500 e 640 rs. o maco.
Bolachinhas de todas as qualidades e dos me-
lhores fabricantes.
Ervilhas francezas e porluguezas.
Vinho de todas as qualidades.
Farelo de Lisboa desembarcado hontern, em
saceos grandes, a 5*.
Especial e aromtico sabio de familia a 500 3
o kilo.
(ovado a 160 rs.
Camb'sia franreza para vestido com pequer
.oque, covado 160 rs.
Dila dila dila, covado 320. 400 e 500 rs.
Chitas escuras, covado 2O, 320 e 360 rs.
Laa para vestido, covado a 500, 240 a 500 r>.
Alpaca de listas, alia neividade, a 1*, 1*, i*.
-Camhraias brancas victorias e transparentes,
iieca 3* a 12*.
lgod o o madapolit peca 5* a lOfl.
Molr-kines, lazemia m>v i ara ealaja, corle a 3*.
Corles de vestidos brancos ce.m barra da cor,
rte a 2*.
Saias bordadas, grande, pechincha. a 24 e 2*500
Soutembarques de alpaca a 1*500 e 2*.
Va loja Flor da Boa-vista, de Panlo Guirnarats,
ra da Imperatriz u. 48. _______
Farelo novo de Lisboa
Vende Mane el Joaquin Gosea Braga, em saco -
de 100 libras a i800 : no aimazera amarello de-
fronte do arco da Conecifib.
FARIN
de trigo a 5*000 a aarrica : no armazem Ba-
liza, ra do Lvranjenlo n. 38.
Vende-se um cabriolel riinericano de 4 rodas lo
do reformado de novo com c iberia ou sem ella
na ra do Imp- rad> r n. 9 ,
Aguad Vichy
Das fonti^s m
HAUTER1VE E CELESTINS.
Vende-se por menos do que em outra qual-
quer parte no armazem da ra do Vigario n. 11.
CRETONE FOKTE A 2,5000 O METRO '
S ro Bazar do Pavo.
Cbegoa o verdadeiro cretcne francez pro-
prio para lencoes tendo jopamos de lar-
gura, c miiloencorpado, sendopreio ape-
nas para cada le col 1 '/toa Va metros, alm
d'esu applicacSo tambem esta larga e en-
corpada fazenda propria para toalhas, saias,
cerculas, etc. e liquida-sc elo barato pre-
go de 2^000 cada rr.elro.
MOSSAMB.QIE A 40U RES O COVADO
. Ne B zar do P\5o vende se as mais lin-
das lasinl as mossambiques, sendo fazenda
com muito lustre e muita fantazia : liqui-
dara-se a 400. rs. ra da Imperatriz n, 60
CISEMIRAS A 24500 CADA COVADO
No Bazr do PavSo ver.de-se um grande
fortimenio de bonitas casemiras de urna f
cor, sendo a$nl, li io, modada, sendo de
duas largura?, propiias para calcas, palitos,
e rou.as para menino, e vendtm ss pelo
barato preco de 2^500 o covado, roa da
Imperatriz n. 60.
TARLATANAS LISTRADAS CORTE A 65500
Cbeg< u para o Bazar do Pav5o um bonito
soriiitiento de larlatanas listadas, sendo
verdos, cor de rosa, lirio, tendo esta bo-
nita fa;en cada corte a 60500, pechincba ; na roa
da Inrpratriz n. 60.
CAStQUINHOS DEGPRE A 400, \U,
W, E 200.
Cbegaram p?ra o Bazar do Pave os
iiaitjnodertios casaqoiahos ou basquina? de
guipare com cintera,ricamente enfeitados
c'in iarjos, e vndem se pelo barato preco
de 100, iU, 16.5, e 200, pechincba,
ra da Iflipentrir n. CO.
A SILttXtTISA
CHEGABAM AS AFAMADAS
Machinas de coser
DE
Pollaek Schmidt.
RA DO CRESPO N. 4.
As mais-modernas e elegantes que tem
apparecido ale bojt E, com effeito nada
mais se pode exigir de urna machina de
costura em quanto a trsbalho de agulba, tal
a vai iedade de costuras que fazem as de
que se trata; por isso que se pode dizer
que a Silenciosa de Pollaek Scbmidt attingio
aos ltimos aperferccamenlos!
A simplicidade de seu macbinismo, a ad-
herencia de suas pecas e belleza de que se
acbam revestidas estas machinas, sao predi-
cado- que por si as tornara recommendadas,
mesmo diante da apreciaco a mais escru-
pulosa e exigente, cuja verdade se acba gra-
vada em bellos caracteres em todas as ex-
posices onde as silenciosas leem sido van-
lajo.-amente premiadas.
Perto de 2,000 machinas teem sido ven-
didas na corte do imperio pelo seu nico
agente no Brasil no curto espaco de dous
annos, e continum a ser procuradas com
enthusiasmo : roga-se, portante, ao respei-
tavel publico desta bella capital, e com es-
pecialidade as familias qte desejarem pos-
suir urna til linda peca de as vir ver e
examinar, na casa cima indicada onde en-
coniraro pessoas habilitadas para darem
todas as explicaces, e so fazem todos os
concerios na ra Prinleiro de Marco (ou-
trora Crespo)
ATTENCAO
Vende se urna canoa de carregar 1,100 a 1,300
lijlos : a tratar na rna Direitu n. 101,
A l$i 00
Vendem-se borzeguins para criancas, obra boa,
pelo diminuto preqo de S*500 : veibam loja de
miudezas da ra da Cadeia n. 50.
A 7g000.
Vende-s laa para bordar, Mhita C0.r.MHS* ^
diminuto preco de 7* : venham i ra da uaea
n. 50 A, loja de miudew.______________
- Ainda eiistem vend algnmas flltr:,deir3s
propria para purificar agua, as qnaea, evitam o
cholera, >bre amarelh e ontras molestias ; ven-
de-e na ra doCoromercio n. 38. Na rnesma
casa'vende-se nm relugio de ooro injlez enroo-
metro.______________________ .
" = V?r,de se a armacSo da roja da rna da lrr-
peratriz, propria par iniud' '
tratar na mesma ra n. 44.
i
"4



"
6
Diario de Peraambuco Quinta feira 17 de Novembro de 1870.
': 'i-i,-, i- wa<* -'i t> j>:

noia
i
BAZAR DO PAVAO
60-RJA DA IMPERATRIZ-60
RA DO OEIMADO)
eflnte :
*ourdos, moldes bonitos.
"'ras, e fiort-eigarrc de muita
qu
ilflfti
h\ !
'
DE
PEREIBA DA SILVA & C.
Neet importante estobeleeimento encontrar o respeitavelpobtico, nm grande e variado sortimento de fazendas domis
apurado gosto e toda de primera necssidade, qne se vendern mais baratas do que em ontra qualqner part?, visto que os no-
os socios desia firma, adoptaram o sistema de s ?tnderem DINHEIRO ; para pderem vender pelo costa, lsaitaodo-e apenas
ganharem o descont ; as passoas que negocian em Dequena esca'a. nesti loja esrmazem poderlo (azer os seos sortimeatos
pelos mesmos precos qne compram as casas inglezas, (importadoras) e para maior oommodidade das Exroas, familia se darlo
mostras de todas ai fazendas, ou Ibes levam em snas casas para escelberem.
PARA NOTADOS CORTIItWS. COLCHAS. i GROSDENAPLES PRETOS
CORTIHADCS, COLCHAS.
Chegou para o Bazar do Povlo um gran*
de sortimento dos mais bonitos cortinados
bordados, proprios para camas e janellas,
qne se vlndem de 105^00 at 20)9000 o
par, assim como o melbor damasco com 8
palmos de largara a imitado de damasco
de seda, proprias para colchas, e propria-
Chegon para o Bazar do Pav5o um gran-
de sortimento dos melliores grosdeniples
pretos que tem vindo ao mercado, que se
veodem de 1^600 at 55000 o covado ;
83o todoa mnito em conta.
MANTELLETES DE FIL
No Bazar do PavSo vende-se modernissi-
PECHINCHAS
66
mente colchas de damasco, sendt os melbo- mos mantelletes on basquinas de fil preto,
res e mais bonitas qne tem vindo ao mer- ;m laco, pelo barato preco de 104000 ca-
cado. da nm, barato.
TAPETES
Chegou;para o Bazar do Pava*o o mais
elegante sortimento de tapetes grandes, pa-
ra sof, com 4 cadeiras, ditos mais peque-
os, para doas cadeiras, ditos para
pianos, sarnas, portas ; et. vende-se por
menos do qne em ontra qnalqner parte.
ROUPAS PARA HOMENS
No accreditado Ba!ar do Pav3o encontra-
r o respeitavel publico nm grande sorti-
mento de rounas para homens tanto bran-
cas como de cores, a saber:
Camisas con: peitosTTalgodSo edetioho,
para todos os precos e qoa'idades.
Ceroulas de linho e algodSo.
Meias curtas francezas e inglezas.
Palitos sobrecasacos de panno preto e
casemira.
Calcas de brim branco e de cores
Dilas de casemiras pretas e de cores, com
colletes iguaes
De todas estas roupas ha para todos os
preces e qualklades, e tem de mais mais
nm perito
ALFAIATE
Por quero se manda fazer cora prestesa
e aceio qualqner peca de obra a capricho
on goto do fregnez, tendo n'este importan-
te estabplecimento t idas as qnalidiies >e
panno fino, as Pielhores e mais ronder-
aas asentirs, assim como os melhores brins,
qnr brancas, qur de rr ; e qnanlo qual-
qner obra nao car inleirameote ao gosto
dos fregnezes fica por conta do estabeleci-
mento.
CHALES DE MERINO
Chegon para o Bazar do Pavao nm elegan-
te sotiirnent' docha'e3 de merino do coras
muio bons com pairos mnito decimos
para qualqner nma senhora usar, ditos de
crpm coro listas de seda o mais fino e
moderno que tem vindo ao mercado, e ven-
de-se por proco raai'o em conta.
TOALHAS A 74500
No Bazar do Pavao fez se nma grande
compra de toalbas alcochoadas, propri;is
para rosto, bastante encorpadas e grandes,
qne sempre se venderam a 1125000, e li-
quidam-se a 7500 a duzia^ou a 640 rs.
cada ama, boa pechincha.
CORTES DE CHITA
a 3320O a 358 SO
3H 120 3*520
Wv ) 3520O
No B^zar do Pavao vende-se cortes d fi-
Bissimas chitas com padroes claros e esca-
ros, tendo 10. H e 12 covados; sendo i-
zend' qne vale moito mais dinheiro e liqui-
da se pelo preco cima para acabar, na roa
da Imp^ratriz n. 60 Bazar do Pav3o.
BRINS DE CORES A 255C0 e 35500
Vendem-se modernissimos brins de linho
de cor com as cores fi xas, sen lo o co^te
de calca a 23500 e 3450O eemvara a 1.5100:1
e 15600, pechincha, no Bazar do Pav"o roa
da Iropntriz n. 6o.
CORPINHUS BR.VNC0S A 35000
No Bazar do Pavo vendem-se corpinhos
de cambraia brancos bordados, sendo fazen-
da qne sempre se venden a 85000 e 103
e liqnirla-se a 35000 por esiarem nm
doo*o maltratados, pechincha, na raa da
Imperairiz n. 60.
FIHTES DE COR E BRANCOS
Vendem-se banitos fustes brancas e de
cores, nroprios para vestidos e renpas de
rr.'nioos, sendo de cores a 800 ris o cova-
do e brancos, a 400 e 640 ris, pe-
chincha, no Bazar do Pavo rna da Impe-
ratriz n. 60
CHITAS BARATAS
a 200 ris.
a 200 reis.
a 200 reis.
Vendem-se chitas largas com mnito bons
pannos e cores fizas, pelo barato preco de
200 ris o covado ; cortes das mesmas com
10 covados a 23000, pechincha, no Bazar
do PavSo.
AS CASSAS DO PAVO
Covado 200 ris.
a 200 reis.
a 200 ris,
Vendem-se buni'as cassas de cores min-
dinhas pelo barato preco de 200 ris o co-
vado, no armazem do Pavo rna da Im-
pera tr i z n 60
PANNOS PARA SAI AS A 1*000, O METRO.
No Bazar do Pavo vende-se bonita fa-
zenda branca eocorpada para saias, sendo
com hahados e pregas de no lado, dando
a largura da fazenda o compri nento da
saia, a qual se c te fazer com 3 ou 3 1|2
metros e vende-se a 15,15280 e 10600;
assim como tambem no mesmo estabeleci-
ment > so vende bonitas saias brancas bor-
dadas, tendo quairo pannos cada nma, litas
de 13a de eflres j promptas, nmas com
barras differentes damesma fazenda 45000,
e ontras com barras bordadas 65 e 75001',
todo isto moderno e barato.
CARNAUBA.
Vende-se caroanba em saceos, na roa da
mperatriz n. 60, Bazar do Pavio.
ALGODO ENFESTADO PARA LENCES.
No Bazar do PavSo vend-se o meibor al-
gndo-inho amf ricano enfestado p?ra len-
ces, tendo liso e entrancado por preco
mnito barato.
ESPARTILHO.
No Bazar do Pav3o recebeo-se nm elegan-
te sort ment dos mais modernos e melbo-
res espartilhos, qne se vendern por preco
mnito em conta.
PANNOS DE CROCH PARA CADEIRAS
O Bazar do Pavo receben nm grande
sortimento dos me'bores pannos de crocbr
proprios papa cadeiras de bataneo fofas,
pianos, tamboretes e at proprios para cu-
brir almofadas e pratos; veodendo-se por
menos do que em qudquer parte.
PARA LENCOES
No Bazar do Pavo vende-se so)erior
bramante d'algodo com 10 palmos de lar-
gura a 15800 o metro, dito de linbo cora a
mesma largura a 25800 cada metro, pannos
ds linhodo porto com 3 1/2 palmos de largura
che 720 at 15 a vara, assim como um glande
sortimento de H mbnrgo ou creguella* ie
odos os nmeros, precos on qaalidades,
que se vendern mais barato do qne em on-
tra qndlqner prh ; aoroveitem-
ATOALHADOS
No Razar do Pavo vende-se snperior
atoalhady trancado, com 8 palmos de largu-
ra a 13600 o metro, dito de linho adamas-
cado o oielhor que tem vindo ao mercado a
35500 o metro ; tudo isto muito barato.
CORTES INDIANOS A 43500.
No Bazir do Pa-o vende-se bonitos car-
ies indianos com duas saias pelo bara-
tsimo preco de'-155)0 caia.nm, pe-
chincha.
FAZENDAS PARA LUTO
No Caz >r do Pavo veado-se constante-
mente o melhor sortimento de fazendas
pretas para luto, como sejam :
Lasinhas retas lisas.
Cassas pretas de 13a.
Cassas pretas, francezas e inglezas, lisas
e com salpico?.
Chitas pretas de todas as qualidades.
Alpacas pretas lisas.
Ditis lavradas com branco.
Merinos, cant -s, bombazinas, qne -so
vendern maisbaratj do que em outra qual-
qner parte.
CACHE-NEZ A 65000.
No Razar do Pavo vendem.se bonitos e
grande; cachi-nez de pora ta, pelo bara-
to prec> de 63000 cada nm.
PEHICNCIIA EM CAMBRAIAS VICTORIAS, A 53,
65, 75 850C0.
Vende-se nm esplendido sortimento de
flnissimas cambraias victorias, por precos
mais baratas do que em outra qualquer
parte, tendo cada peca 10 jardas a 53, 65,
65500 e 750CO, flnissimas a 83500 ; todas
es'a3 cambraias valcm moito ma3 dinheiro
e liquidam-se por este preco em relacjo a
urna grande compra que se fez no Bazar
do Pavo.
BABADINHiS
No Bazar do Pavo vende-se ora grande
sortimento dos mais finos babadinhos borda-
dos tapados e transparentes, assim como
urna grande porco de entremsios largos e
estreitos, que para acabar se vende mnito
em conta e mais barato do qne em ontra
qoalqner parte. '
SETINS DE CORES E GROSDENAPLES.
No Bazar do Pavo vende-se nm sortimen-
to completo dos methores setins e grosde-
paples de todas as cores, qne se vendem
amito em conta.
TOALHAS.
Vende-se toalhas do Porto com labyrintho,
proprias para rosto, no Bazar do Pavo
roa da mperatriz n. 60.
Colchas brancas 352 O, 35300 e 75000.
Para o Bazar do Pavo chegon nm grande
sortimento das melhores colchas pretas,
sendo das melhores e Jiais encorpadas qoe
tem vindo 75000, ditas nm pouco mais
baixa 35500 e ditas 35200; tambem no
mesmo estabelecimento. se vende nm grande
sortimento de crtones e chitas proprias
para colchas qoe se endem mnito em conta.
Sedas de qnadrinhss a 15280 a* cavado
Vende-se m elegante sortimento de sedas
de qnadrinhos, com lind ssimas cores, para
vestidos e roupas de meninos, e vende-se
15280 cada covado; pechincha do
Bazar do Pavo.
Hidapelio enfestado a peca 35000.
Vende se pecas de madapdo eafestado,
tendo 12 jardas cada peca 35000 e 35500,
pechincha, no Bazar do Pavo roa da
Impeaairiz n. 60.
CHALES DE RENDA.
Chales 200J.
Chales 2000.
Chales 2000.
Vendi'-se nma grande porco de chales
pretos de renda oa croch, sendo pretos
com 4 pontas, fazenda qne sempre se van-
dea 55000 e li quid -se a 25000 cada nm,
pechincha no Bazar do Pavio, a raa da
] mperatriz n. 60.
Qnando a AGUIA BRRNCbi,
al, e em particular a sna
tem recebido, jnstamem
atara ella confia e espera
i precisa scieD tincar ao respeitavel puh
, da immensidade de objectos que nlt
lia menos o pode fazer e porque essa falta
la de todos qoe lh'a attendero e rel
^Duque d Casias n 21*
iWmS:
Bonius pastad pm panol*, timpte e awtisaas. ffntinnando portanto a" dirigirem-se a bem conheadalcia da AGUIA BRANCA
tet'c'havT* P**,Co*ora sn C0P* Uaeimado n. 8, onde sempre acharfo abundancia em sortimento de soperiorid
Delicadas* caetas de rawftm com o bocal df finalidades, modicidada em precos e o sen nunca desmenttido AGRADO E S1NCEBJD
prata. Do que acuna fierdifo se eonbeceqoa o tempo da ojie *AGUIA BRANCi
Modernos M^a>t^rt^,s Z^SliSSrmS vetase bom Jpr"m procurando prover-se em dita loja do que necessitam, entreunto sem en
rar os objectos que por sua natnreza sao mais conhecidos ali, ella resumidamente
cara aqnelfes coja importancia, elegancia e tovidade os tornam moramentf**,
bem teja :
Eua da mperatriz 60,
iar:i vender *lcpresa
LINDAS 1APONEZAS PARA VESTIDOS A
A 500 RS.
Chegon um elegante sorti ment de las-
inhas do Japo, com padroes de seda e de
mnito boa qnaidade. que se vendem
600 rs. o covado. pechincha, no Bazar
do Pavo, raa da Iflperairiz n. 60.
poupelinas no japo a 15600 o COVAOO.
Chegou nm elegante sortimento de lin-
dissimas poupelinas Jiponezas, com os
mais delicados gostos, tendo muito lustro
e com l3rinhas de seda, sendo esta nova
fazenda cuasi da largara da chita (ranee-
za e vende-se pelo barato preco de 1560O
cada covado, no Bazar do Ha'o.
AS POUPELINAS DO PAVO A 25000, O COVADO.
Chegou para o Bazar do Pavo um bo-
nito sortincepto das mais modernas e ele-
gantes poopelinas de linho e seda, que se
vendem pelo baratsimo preco de 25000
cada um covalo, assim como ditas com
go?tos escossezes a 25400, pechiucha no
Bazrr do Pavo.
sedas a 25000
Chegoa o. t elegante sortimento do boni-
tas seda de listrinhas, com as cores ma3 no
vas qua tem vindo aa mercado e vendem-se
a 25000 o covado, oa roa da mperatriz
Razar do Pavo.
AOS 2000 VESTIDOS PECHINCHA ADMI-
RAVEL.
a 250C0, a 25003.
a 25500. a 2J500.
a 25000 a 25O0O.
S6 no Bazar do Pavo.
Vende-so bonitsimos cortes de vestidos
de phantasia com liodos gostn3, sendo fazen-
das traparentes com delicados bordados e
listras qne a nao ser orna grande pechin-
cha qne se fez na compra seria pura mnito
mais dinheiro, e liwiida-se a 25 e 25500,
unicamento no Bazar do Pavo.
LASINHAS TRANSPARENTES A 400 RS O COVADO
Vende-se delicadas lasinhas transparen-
tes com listrinhas roiudinhas, imitacSo de
urna b cor e muito brilbantes, pelo bara-
tsimo preco de 400 rs. o covado, no Ba-
zar do Pavo
BONITAS LASINHAS A 500 US. O COVADO,
Vende-se delicadas lasinhas com diffe-
rentes gosto pelo barato preco de 500 rs.
o covado, no Razar do Pavo.
ALPAGAS BRANCAS.
Vende-se um bonito sortimento de flnis-
simas alpacas brancas lavradas, imitaco
de seda,, proprias para vestidos de baile oa
pasamentos no Bazar do Pavao.
ALPACAS LAVRADAS A 409, 560 E 640 RS.
Vende-se um grande sortimento de lin-
das alpacas lavradas de todas as cores para
vestidos e vendem-se a 400, 550 e 6i0
e al mil e tantos res o covado, no Bazar
do Pavo.
BABEGES DE QADRC^HOS A 600 RS. O COVADO
Veode-se as mais lindas e moderdas la-
sinhas ou bareges de qnadrinhos, proprios
para vestidos, tendo quasi largura de cbita
frsnceza. e liqnida-se a 640 T3. o covado,
no Btzar do Pavo.
MERINOS DE CORES P.ARA VESTIDOS.
Vende-se bonitos merinos de. urna s
cor com cores muito proprios para vestido
e roupas para creancas por ser orna fazen-
da e para la e muito leve, vende-se a 15
o covado, no Bazar do Pavo.
GLACS A 15000 PARA VESTIDOS.
Vende-se nm elegante sortimento desta
nova fazenda denomioada glacs sendo urna
fazenda de la muito larga e com delica-
dissimas cores, tendo tanto brilbo como a
seda e vende-se pelo barato preco de 15,
" cevado, no Bazar do Pavo.
CASEMIRAS A 75000 '
Vendem-se cortes de casemira ingleza de
cores para calcas sendo fazenda que vale
mnito mais dinheiro e liquida-se a 75000
o corte de calca, no Bazar do Pavo a roa
da mperatriz n. 60.
GRANDE PECUINCHA EM CAMBRAIAS TRANSPA-
RENTES a 45, 55,65,85, E 105000
Vende-se flnissimas cambraias suissas, de
mnita phantasia tendo 9 varas a 84500 e
105000. Ditas bispo com 10 jardas fazen-
da muito fina a 55, 65 e 75000. Ditas fl-
nissimas azuladinhas, que valem moito mais
dinheiro, a 85 e 100000: todas estas cam-
braias, em relajo a qualidade, pelos pre-
cos cima sao mais baratas do que em on-
tra qnalqner parte, no Bazr do Pavo.
CAMBRAIA ALLEMAA COM 8 PALMOS DE LAR-
GURA A 11600, U E 1*800.
Vende-se finissima cambraia branca tran-
pa-ente com 8 palmos de largura, que faci-
lita fazer-se nm vestido apenas com 4
varas e liquida-se a 1|600, t e 25500 a
vara, fazenda que vale mnito mais dinheiro.
pechincha no Bazar do Pavo.
* CAMBRAIA TRANSPARENTE
Peca a 40000
Vende-se mnito finas pecas de cambraias
braceas tMBfptMotM, tendo8l|i raras fia-
da peca e su pw vara de largura i 4J.
E pechiacia, pe Bazar dq PaiaT
A' vm ti Imperatr
n. 60.
espelho.
Port bou'iuet, o que de melbor tem appare
cldo.
Pert wfogtose aftas qoaliflades.
Bons lalheres par oriao^as.
Vostuarios, cuapfeiinhoj, tonca?, patos e meiai
para baptisados.
Toalhas e fronhas de lahyrimhD'.
Chapeos e chapelasfra seihor, moldes novo
ehMiiM.
Cnapeeinho gorros e bonet para meninos
meninas.
Ooiitra as Bivulsoes na*
enancas
Vende-a* os verdadeiros collares na Nova Espe-
ranza, ru doDaque de taxias n. .
. PARA fINR CABELLOS
para pfcs ranea a verdadoira tinta ingleza.
PARA ACABAR COM AS SARDAS
on pannos, tem a Nova Esperan^ o vertadein.
leile de roas braneaa.
AGUA DE FLOR DE LARANIA.
Venderse na Nova Esperanca, ra do Duque d
Caxiax n..
PAPEL PARA ENFSITAR-SE BOL*-
recebeu-os muito lindos a NovaEsperanca, roa
do Duque de Caxias n. 81.
PARA AMACJAR E A FORMSE AR A PELIJE
tem a Nova Esperanca es sabonete d po de
arroz.
CHEGARAM,
Fcxj09 instant&neos aperfeiqo-
aclos por preqo muito comirto-
do: na ra Nova n. 28, loja de
Antonio Pedro de SouzaSoares.
Bombas completas para ca-
cimba, por diminuto preco, na
mesma casa.
m ya
Corpinhos de cambnia, primorosamente
tnfeitadas com fitas de setim e obras tasas
aoja novidcT'de molde e perfec<5o de a'or-
tos os tornam apreciados.
Fitas mni lateas de diversas cores e qaa-
lidades para ciatos.
Loques oess objecto mnito se poderia
dizer qaerendo descreve-lesmimiciosameote
rr snas qualidades, cftree e desenhos, tal
o grande e variado sortimento qa acaba
de chegar, mas para i msssar o preten-
ente w lhe apresentar o qu poder do
melhor.
Entremeios em pecas da 12 tiras.
Gnipnre branco e preto de diversas qua-
lidades e desenhos.
Ditos de algodlo com flores e lisos.
Veos de seda para chapelinas e monta-
ra. %
Meias de seda para noivas.
Ditas abortas de fio de Escossia.
Costurnes ou uniformes para meninos.
Enxovaes completos para baptisados.
Touquinhas de fil, sapatinhos bordados
e meis para ditos.
Camisinhas bordada para ditos.
CEMENTO
0 verdadeiro portland. S se vende na roa da
Madre de Dos n. 22, armazem de Joo Martins de
B*rm< _____________
Especialidades.
Continuam a achar-se a venda na ra Uireita
botica n. 88, os mui conhecidos.e atfredltadra re-
medios de veame, e outros diversos medicamen-
tos feitos em Paris, bem como o xaropes de co-
letea de Berth, de rbano iodado, de iodureto de
ferro de Blancard e as pllulas do mesmo, peitoral
de cereja, pos de Roee, depurativo de Ch;ible,
digital de Labi'llony, plalas ou confeitos de bis-
mutho de Ctwvrier, e outro medicamentos cuja
proflcienei i quando empreados as duencas da;
vas respiratorias, as dores rheumaticas, na
amareliido, na falta completa ou irregularidade
de meoslruo, as diarrhas, doenca* do cora'1
e do etomago. tem sido e incontestavel, em
vista dos benficos resultados das experimentagSe!
nu uso qne diversas pessoa? dplles twm f"ifo, as-
sim como das Dilulas denominada* hravinas in-
compaTaveis em sua pfficacia no< acommettimen-
tos febris ou seze3 ; existindo tambem na mesma
casa, alm de sofBwrnte quaniidade de drogas,
um nio pequeo sortimento de tintas, oleo do li-
nbaca e pincis, que se vendem por menoi do qup
em outra Darte. > _^__^_____
U4S PARi
CIBTBA
Acabam de chegar ao GRANDE BAZAR
UNIVERSAL, ra Nova n. 22-cahneiro
viannaum completo sortimento de ma-
chinas para costura, dos autores mais co-
nhecidos, as quaes estSo em exposic5o no
mesmo Bazar, garantindos-e a sua boa qna-
idade, e tambem eosina-se com perfeico
a todos os compradores. Estas machinas
sao iguaes no seu trabalho ao de 30 costu-
reras diariamente, e a sna perfeico tal
como da melhor costnreira do Paris. Apre-
sentam-se trabalhos executados pelas mes-
mas, que muito devem agradar aos preten-
dentes.
Capellas brancas paja mecinat.
Grande sortimento de flojas fiaff.
Fil de seda preto.
PHFUMAJtlA
Grande ? cenatante sortimento de alta,
sempre melhor qualidada.
Liados vasos com pos d arroz e piaael.
Caixinbas com ditos aromticos.
Bonitos e modernos pentes dourados pa-
ra circular o coque.
Bohrfcs brincos 4e pfaquo.
AdeMfos a brincos de madrepero/
Csnrvetes finos pera abrir latas.
Thesouras para nisar babadfnbof.
Aspas para balo.
Novoe stereescopos com 48 vistn, ai
quaes sao movidas por im machiniam*
urnas substitnem as nutras.
Vistas para stereescopos.
Bonitas caixinh de vidro enfeitadoaeon
pedras.
Ditas de raadeira envernisada .com viapo
ras e com dminos,
Bollas de borracha para brnqued d
enancas.
Diversos objectos de porcelana, proprloi
para enfeites de mesa e de lapinhas.
^3
feo
=>
*C3
O
_Q
I
\ 'i A Rll0 CMfiA Uk
>
^B
s
1-8
o
1 m -
co
. >-
Com este titulo acha-se aberto inteiramente transformado este antgo
estabelecimento de joias, onde os fregnezes e amigos encontrarse tudo quanto
a moda e o bom gosto tem inventado na arte de onrivesaria, o Collar de Ouro
observar delicadeza no trato e senciridade e modecidade nos precos.
Espera que o respeitavel publico venha ver o que existe de melhor em
aderocos de brrlhantes, esmeraldas, robins e perolas, meios aderecos, pul-
ceiras, brincos, alfinetes e anneis de todas as qualidades, prata ^de lei faquei-
ros, colheres, paliteiros salvas e outros muitos objectos que seria enfadonho
mencionar.
Compra-se ouro, prata, brilhantes e pedras finas, pormaior preco do
que em outra qualqner parte, troca-se e concerta-se todo e qualquer objecto
perlencente a esta arte.
H MHHHH
ATTENCAO
Lourenco Pereira Mendes Guimara'es, participa a todos os sena devedore
tanto da prsca como do mato, que estando 1 qnidando suas casas commerciaes. o que
deve fazer at o fim do corrent9anno, por Isso roga a todos os seus devedores a viren
saldar seus dbitos o mais breve possivel; ontro sim, declara aos seus devedores, qne
os qua nao estiverem na loja tem de pagar todos os seus dbitos, provando isto se tari
o abatimento que for preciso para a liquidaco de suas dividas, para isto poderSo di-
rigir-se rna da mperatriz n. 72, loja da Arara.
ou alaga-se os armazens que foram oceupados
com a fabrica de sabio e dastilacao do Sr. coronel
Franca, na ra da praia de Sania Rita-nova, os
quaes offerecem proporcSes para bem se montar
qualqner fabrica da grande estabelecimento, com
a grande vantagem para embarque e desembar-
que : a tratar com o commeadador Tasso.
MVAMIM
balOes de arcos
Vende-se balSes de 15
Vende Joaqnim Jos Ramos :
a. 8, 1* andar
na ra da Cruz
0 Bazar do Pavao sito a ra da mperatriz n. 60, este' constantemente aborto
das 6 horas da manbaa as 9 da noute.
m
do Rio Grande do Sal.
Contina a vender-so deste artigo no escripto
rio de Jos Victorino de Rezende 4 C, raa do"
Mrquez de Oliada, outr'ora da Cadeia n. 52.
A 310 rs., na ra Direita, botica n. 88, ven-
Qe tinta rxa e preta cada botija.
As mo Chegon i roa do Vigario n. 16, primeiro andar,
novo sortimento de bkos e renda do Aracaty, a
precos muito em conta, como l se vendem.
Cal nova de Lisboa.
Barris grandes, desembarcados do lugre Julio :
nde-se na r oa da Madre de Dos n. 34, ama-
m de Cnnha Irmaos & C.
Tonde-'SB a terus"
raaVett
ten4 dirit
. n. 59
1 Ye^*' fr?*!!S^4^Bife'98U : -q'iem pre"
# Btowntlna n. 6.
Vendem-se tres carros de 4 rodas para um
eavaflo, sendo nm de dons asepto!, outra de dous
ir (t ventade) e ontro de quatro, 4o excel-
carro americanos na rna da Fjorentina
Vende-se
IndepeMencia, ra do "Rangel n. 3,
unto de geag dbitos : a tratar no
Ao resto das pechinchas
Vende-se cortes de castores para calcas,
a 500 rs. Cortes de brins de cores a
14500; cortes de gangas para calcas a i&,
cortes de casemiras preta para calcas a
SlVm, 4tf, U e 65000.
Crtes de caitas a 2:500.
Vende-se cortes de chitas para vestipos
a 25500. Ditos de cassa para vestidos a
2^500.
Pechincha a 44000.
Vende-se pecas de algod5o a 43, 54, 64
e 74OO0.
Para liquidar a 34500.
Peca de madapolSo com 12 jardas a
34500. Ditas de dito com 24 jardas a 54,
04, 64500, 74, 84 e 94000.
LIQUIDAgAO.
Pecas de algod5osiobo de listra proprio
para roupas de escravos com 42 jardas a
64500 e covado 160 rs. pira liquidar.
Chitas escuras para vestidos-a 280, 320
e 360 rs. o covado.
Para acabar.
Vende-se pecas de cmbralas victoria, fi-
nas a 64, 64500 e 74000.
V mnito barato.
Colarinhos de papel a 2i0rs. a dnzia.
Cortinados para janellas a 54000.
Vende-se cortinapos para janellas a 54
o par. Brim pardo liso para calca de ser-
vico a 500 rs o metro.
Cortes de percales a 65000.
Vende-se cortes de percales d dnas
saias de bonitas barras a 64000.
Cobertas de chita.
Vende-se a 14500, ditas finas a 24500,
ditas encarnadas e adamascadas a 34500,
ditas forradas 54000.
Gangas para caifas a 280 o covado.
Brim de listra ao lado para calcas a 400
rs. o covado.
Lencos brancos a 24000 a doxia, para li-
quidar ; grande porcSo de mantas para
gravatas a 200 rs. cada orna para liqnidar.
Cassas francezas a 280 rs.
Vende-se cassas francezas para vestidos
280 e 320 rs. o covado.
Organdys de cores para vestidos a 400
* 640 o covade.
Alpacas de cores para vestidos a 500 e
640 rs. o covado.
..Lasinhas para vestidos a 320, 400 e 520
rs". o covado.
0 proprietario da loja denominado Arara, declara ao reapei
seos fregnezes que est coucloindo sna HqaidacSo, por rseo qoea
boas fazendas por pouco dinheiro tenha a bondade de dingiMe
72, desde as 6 horas da maohSa as 9 da noute.
a 14O0O.
a 30 arcos
II
e 15500 cada um. Cftes de cassas em
papel a 24500 cada um, para liqnidar.
Bramante de linho e algndSo cem 10 pal-
mos, de largura o 14800 o metro.
Panno de linbo a 760.
Vende-se bramante de 10 palors de lar*
2ara proprio para lences a 24800 o metro.
Lencos de seda a 80u r.
Vende-se orna porco de lencos de seda
a 800 rs. cada nm,
Chales de cassa a 14000.
Vende-se nma granoe porfao de chale*
de cassa a 14000 cada om, para liquidar.
Fusto a 360 rs.
Vende-se fusilo de cores para vestidos
a 360 rs. o covado.
AlgodSo enfwtado a 900 rs.
Vends-se algodio enfestado para leocea
e toalhas a 900 rs. o metro, dito tratua-
do a 14200 o metro.
Chales de aeria estamiades a 3400O.
Vende se cuales de merino estampados
c>m barras a 24,24500 e 34 para acabar
Grande porc8o di retalboe.
Vende-se grande porcJo de realbef de
cassas e chitas a 240rs. o covado.
) A fsta est na porta
Roupa feita encontrarlo
Por precinho razoavel
Todce se enronparto.
A SABER :
Liqnidacii de rtaaa frita. ._
Vende-se pallitots de brinsiabo de lame
proprio para andar em casa a 14800 ; dt>
tos de ganga a 24000 ; ditos de meia ea-
semira a 3*000 ; ditos de alpaca de
a 35500 e 44000; ditoe de peoao l
pre'o a 64, 84 e 104000 ; ditos d
miras de corea, a 64 e 81000
de cassinetas de cores, a 14500 ; Oneefa
brins de qoadrinhosa I400t;.d,u****
semiras de cores, a 245O0, U *#wrj.
Calcas zoes para escravos a 500 rs.; ae
de ilgodSosinho de listra a 800i*; aVas
de brim pardo a 14600. He US ; di-
tas de dito branco de linho a 34500 e # ;
ditas de casemiras de coree a 5#, i i, 7#
e 840O0 ; camisas de chito a 14000; al-
tas de algodiosinho, proprias pera o i
vico por ser fazenda forte, a 11280 f
de mosolina a 14000 rs. Para Media
*1
nuda
\


Quinta eira 17 de Novembro de i .-

Acabam de sabir luz asse-
guintes pe^as para
pi
smtema*sm&% c.
RIJA DO RUMO IM VITOR1t
( QUTlVORA NOVA) ,
Aarwen-se,Jttftatuwpbo?$ad op que yode haver de mais bello e agrada,vel m fa-
aendas finas para Senhoras argos de alta moda eiu Pari* lauto para sahosas como
para hornease meninos. >
Mjwtezas a/armad^s, peruiraarias especiaos, variedad de lindes objectos. para-jae-
qs e briaquedos para criancas.
', .GRAWE.SORTIME^TO
Ur^namenio^ecehido porgados os paquete* viada da Europa aonde tem ba-,
oeis. correspondentes.
Vende-se muito emconta e maada-se por ero pregados do esiabelecimento fazudas
ero. casa das Exms. familias afim de atelhor escolherem o que desejarem.
limalinda walsa d'Ardia
Ideal' e realidad* muido benita
phantasia pelo maestro Cazal-
bore
Postiih3olinda phantMi-exeeuto*
dti *com grandn applauso pota
raulca aitemla
Habaneras lindas dansas para-
guayas, qoe tanto furor aqui tem
feito
ACABA DE PUBfclCAR-SE
a colleccao de msicas dos cavallinhoapara
IrJOOO
FIAUTA
Receben mais grande sortimento de mu-
sieas para piano, e piano e canto, e tambem
a opera
IL
para piano e canto, e tamben oa melbores
pedis para piano s composicao do ilus-
tre compositor brasileiro*
Carlos Gomes
qne tanto furor fez na Italia, e hoje faz no
Rio de Janeiro.
A' VENDA NA
A. J. de Azevedo
A RA DO BARO DA VICTORIA (ANTI-
GA RA NOVA N. II).
Ps de roaeiras de vari qaalid-iies ; as9im
como de sapotis, abacaie, llpueira, laranja cravo
e pwheir, por preco rasoavel : tratar na Hoa-
vista roa do Viscoade de Guyana n. 51, oulr'ora
Moniego.
Farelo
4:200.
Saceos com 100 libras de superior farelo
dlo barato preco a cima indicado, na ra
da Madre de Dos n. 7.
Grande reunio!
Rji do Imperador n. 28, ar.
rnazem do Campos.
Gomo se est aproximando o tempo dos regabo-
fet, o proprie'ario deste euabelecimento tera se
esmerado era fazer reunir em seu arroazem um
completo e variadsimo sortimanto de gneros
alimenticios.
Nao se propoe a descrever nominalmente todos
os gneros comidos em sen armazem por se tor-
nar de mais enfadonho.
Garante somonte, que c sua norma de ha muilo
tmpo /ender po por pi e queijo por queijo.
Avisa especialmente aos fumantes, qae receben
de soa especial encommeiida urna factura de cha-
rutos snperiores de S. Flix da Baha, das seguin-
tes marcas: exposico, marquezes, uorraas, ama-
dores e paraguayanos.
Veohara todas as despensas dos arrabaldes e ci-
dade soprir-se de gneros de primeira qualidade.
Farinha de mandioct da Babia.
Tem para vendar muito nova-o superior,
em saccas, a preco mais commodo do,qoo
em outra qualqaer parle: Joaquim Jos
Goncalves Beltrao, no seu escriptorio ra
do Commercio n. 17.
_ Na ra do Mario da Triumpho, antiga do
Brum, n. 9i, veude-se o seguinte por preco mo-
7 Ra do Queimado 7

E' ebegado a este novo estabelecimento o mais bello sortimento de lazndas
toas, sendo sua eSpecialidade enxovaes para noivado.
Vestidos de blond de.sda ricamente bordados.
Gorgtirao de rV branco para vestido.
Colchas de sed* j.jra, para duna com ricos desenhos.
Ditas de lia e seda, id-m idem.
Ditas de crox, idem idem.
Cortinados ricamente bordados para cama e janellas.
Croxs pira cadeiras e sofs.
Vestidos de cambraia branca bordados.
Popelines de lindos gostoe.
Laaa de diversas qoalidades, lindos gostos e moderna?.
Ricos b.urnos para passeio, com fistras de setim.
Sabidas de baile o que ha de mais rico.
Crotones para vestidos com lindos desenhos.
Carnizas bordadas e sera bordados para senhoras.
Camisas bordadas muito finas para homens.
D!tas inglezas para homens e meninos.
Seroulas de linho, e um grande sortimento de roupas feitas e de fazendas que
( enfadonho mencionar.
Luvas frescas de Joiivin
Sortimento de tapetes para guarnieres de salas, alcatifas para forro de sala, e o
rrande sortimento das acreditadas e verdadeiras
Esteiras da India
mmm mmmmmmwmmmmmmmmmmms^mmm:
O MARAVILHOSO REMEDIO DO
BB. CHAS. DE GRATH .
OLEO
xtmro or PArrv o re da dor
*AttA USO INTERNO E E X T E K, IV O
CURA CHOLERA CHOLERA MORBTJS,
Dtorh, fluxo da anfue, em um da.
Dr da eabatja, dOTM a ourido ea
Bar da danta, wu mimnto.
Bawalgia, em cinco miautaa.
DaalooaQe, em vinta minuto..
Oarganta. inehadM, arn dw minutoi.
Colios. convulaoaa, em cnoo minutoi.
Vhmsmtiimt, em um di*.
Fthre fefare intarai tanto, em um da.
Dar nu cortai a noa lajea, em dea mi.
motea.
Toaaea arigoaM a retriadea, em um da.
Plemaaia, em na da.
Sardea e aathma.
Hemorrhoidaa e branekitU.
Inllamma^o noa ria.
Dyapepaia, erjralpeUa.
Koleatua de flgado.
ralaitaeao de oeracto.
'Iportas n. 53, ru Direita, 3 ptrtqs n. 53, antiga]
% foja dj Braqa
SB O abaixo assignado, dono deste antigo esUbelecimento, tendo era vista aprasentar nml
completo sortimento de ferragens, miudezas e cotileria, tem resolvido mandar buscar em i
diversos pontos da Europa os memores objectos de seu estabelecimento dos fabricantes f
1 mais conhecidos; Dlo qne convida ao respeitavel publico e a sens numerosos freguezes {
Ma virem se jervir dos objectos de sna carencia, anue encontrarlo por menee <0 0)0 do qo* !
em ontra qualquer parte, um sortimento completo de machinas para descarocar algodo |
m do bem coubecido fabricante Cottorr Gin 4 C, diUs para costura, motores para animaes i
ja. ditos para fogo, moinhos para caf de todos os lmannos, da fabrica do Japi, espingardas de i
dous canos e de um, Unto inglesas como franceas, ouca de porcelana, facas e garios f
g de diversas qualidades e precos, bandejas cbineza-, salitre, bren, barbante, enxofre, papel e |
! Iimalha de ferro, ac, e agnlha para togneteiro ; assim como encontrarlo constante- i
H mente grande porcao de fogo do ar, e reeebe-se encummenda de fogos de vista, alem de um |
Ht cem numero de objectos, que se tornara enfadonho numera-i'w : venhara ra Direita o.
53, loja de'Leonidas Tito Loureiro, antiga loja do Braga.
dico
Cal de Lisboa da mais uova que ha no mercado.
Molinetes pnra barcaeas e hiates.
Attenpo
Vndese a armacao e pertence? da taberna do
lugar do Terco n. 11, propria para qualquer prin-
cipiantec, cedendo-se ao comprador a residencia
do sobrado de um andar por cima da mesma :
tratar no mesmo sobrado.
Doce de caj em calda
Superior doce de cajti em calda por preco mui-
to mdico : no pateo do Paraso n. 14.
Cal nova de Lisboa
Barns grandes, e ltimamente chegada, ven-
de-se por commodo pre^ : no caes da alfandega-
velha, escriptorio de Azevedo 4 Barbosa Junier.
K
Tem venda em scus armazens. a!m de oulros
artigos de seu neg io regular, os seguinte, qne
eslao vendendo a procos mais barato qne en ou-
tra qualquer parte :
PORTAS de pinho almofadadas.
FAMELLO em saceos grandes a 35500.
GRADES de ferro para cereadoi.
ESTEIP.AS da India para cama e forrar sala*.
CANOS de barro francer. para esgom.
GESSO superior em barricas e as arrobas.
CEMENTO de todas as qualidades i baixos
preces.
MACHLNAS de descarocar algudio.
BARItiS grandes com peine da Sueoia.
LONAS e brinzoes da Russia.
OLEADOS americanos para forro de carros.
POGOES americanos muito bous e econmicos.
VINHO re Bordeaux em ollxaa.
COGNAC superior de GatUier Freres.
MILHO de Fernando 3 o facco,
AGUA florida."
BARRIS de earne saigada de porco e de vacca
Farinha d^ mamlioca de Santa
Catharina.
rta para vender da muito nova e saperior
ebegada reoantemente pek> patacho Arabt
e ka Sa"<* Afarta; Pr Pre^o commodo,
do
fronte do trapiche do Exm Sr. bar*) v
jLivraaMa** ou entao para tratar com Joa
qaira Jos Goacalves Baltrao, no sea ei
criptono ra do Commercio n. 17.
DAVID W. BOWMAN
ENGENHEIRO
Com funipao
RA DD BRUM 52
Passando o ch fariz.
Chama a attencjlo dos Srs. de eogenho para sens acreditados machinismos e
;om especialidade para seos vapores que anda urna vez tem melhorado.
Os vapores fornecidos por ello c j funecionando Ihe h3o de fazer melhor apre-
ciado do qae qualquer dito proprio.
Deseja tambem mencionar que tem feito urna redueco em sens precos; e que
tem prompto toda a especie de machinismo e outros objectos para a agricultura.
BESERVE SEMPRE ESTE REMEDIO EM SUA FAMILIA
A8 BUENCA8 SE APREHENTA3I, QUANDO MENOS SE ESPERAJI.
OLEO ELEOTtlCO O KINO OF PAIN" (O rol da flor) aquieta e poeltlvamonta dlwlp. mu de diffenmtaa
moieitiM e dores, e allhla mata oa ioftlmentea e produ nm mal perfeito equilibrio no ajatema humano, o n ue nio a*
pode afleotjur no meamo tempo, com quklqaer outro remedio medoclnal.
Eate multo popular remedio eaU agora usando-ae geralmente, pela raaao que mllharea de peaaoas ae Um curada
gratis com o dito remedio pelo Dr. Orath e ontromala. *!- --
na noaaMd^r*aIa It"mi'' "^ m '**' Va* "r **>" rertSrrf T^-"" ^""Sf d>i,nia d '"Icidade e por laso, ata appllcavel para o curamento e para a
r3CT,B,l!'tf do. orgaos qae aoflrem da Irregular olreula^So do. fluxo. do. prl.olp^ aerro. 01,
elctrico O Klng orPata op,ra directamente noa abaorretites, faaendo desappareeer as inchaedes daa itlandulaa at4
emqmtempolnorlTel,breveaaiai)erlgodosUaodebaUodequaIquorclrcum8tancla. ya
O remedio, urna medeclna para o nao externo o lnterao, composto dos elemento. omraUToa, ralaea, barra, e casca.
taes como se tem usado dos nostos antepasaadoa, e daa qne. tem grande exletenala no mundo, para curar toda a.
moloatlaa, somente ahendo-so qaaes ella sao. ^^ m
Fot um grande e oapecjal decejo da faculdade de medeclna durante mullos anno. de experiencia para aprender os
melhorc. modo, que ae devlam adoptar para curar as segulntes doenyas, e que propo^ee. de medeoinaM derla uaax.
DO
GALLtf VHHATTE
Ha* do CresM a. t
OrpronrieW****
Crespo
De fcmcua
NA
T>TtOGA.HIA. DE
EM PER1VA1YIBUGO
PHAEMACIA
BARTHOLOMEO & C
M".=34 Ra Larga do Rosario. IV. 34.
CASA CAUVIN A.MABIBIER,
^"^*r-^ ^ar^ W IIK Boulevard SV
Pbarmaceutico privilegiado
suocessor
Sebastopol, GS l'ARIS.
NOVAS ESPECIALIDADES A. MARINIER
Apreseiitailas a Aiailcuiu de Scienrias e ao Instituto de Fraiifa,
I El ICfP A fl SO ,l"la de Pjs'iIIj. devedid. e (k>M:ida para
liluLWUn fjser de mouieuto ui.u sciucca
Pre.atlva s coratlva das MOLESTIAS COHTAGIOSAS.
do Yolnnie ile um reloain. serviudo da
I'IIILTRO c SERINGA sem o.
lilwLuiUU 1 UlLIilU|TaTH"ia6Mi.uua''aa"i^mdaa.
ESTOJOS ta
a forma, e de volunte de um Porte-Voed.
COTBXDO TODO JRUTAUBNTO.
COLLYBIO Contra as afleccois das palpebras,
preparado sob a mesma forma.
BARTHOLOMEO k C"
Depositarios gerai para e BRASIL, e PORTUGAL
34, ra larga do Rosario. PEKaSTAMBUCO.
Rival sem segundo, Rival sem segundo
HL'AUL'(|tt> HE CAX1A8 X. 49 RA DO DUQUE DE CAX1AS N. 49
(infiM mi' !t ^iiiH'iliii Estou disposlo a continuar a vender todas
^Allll^d I Ud UU yueimdUUJ as mjudezas pelos baratissimos precos abai-
) bom e xo declarados, garantindo ludo bom e pre-
cos admirados.
120 Duzias de palitos segaranca a----- 120
Duzia de palitos seguranza caixa
PRECIOSA IIESCOBERTA
0 TNICO DELSUC qne hoje apresenta ao publico, depois, porm, de nm severo
exame e de reiteradas experiencias, tendo a certeza de qae possne urna superioridade
incontostavella todas as outras preparares, que at hoje tem apparecido, recommenda-se
por sua bondade, e pelo brilbante lustro que produznus cabellos, tirando immediatamen-
te todas as caspas-ecoceiras, faz en do com que appareca em bom estar impagavel
Esta agua comp5e-se de substancias coidadosamente escolbidas, purifieadas e
confeccionadas com o raaior cuidado, e alm disto combinadas de modo tal a dar-ha
nma ac?3o verdadeiramente eficaz, consoladora, e benigna.
nOMKai?ne/i?ma"seestaa8uaJla,1cabeca' e engase levemente; immediatamente icam
os cabellos limpos e com um brilbo magnifico.
Deposito
smente em cas do autor, Andr Delsnccabelleireirode Paws
Ra Io de Marqo (antiga Crepo) u. 7 A Io andar
muito barato a saber:
Libras de areia preta muito boo. .
Tesouras finas pata unbas e costu-
ra a......... 500
Papis de agulhas francezas a ba-
lso a......... 60
Caixas com seis sabonetes do fruta I 000
Libras de laa para bordar de todas
as cores a...... 80000
Carrileis de liona Alexandre a. 100
Frascos com azeite para machinas 500
Gravatas de cores muito finas a 500
Grozas de botes madepersla fi-
nissimos a....... 300
Novello de liua de 400 jardas a. 60
Caixas com 100 envelopes muito
superigres a...... 600
Pentes voleados para meninas a. 240
Tinteitos com tinta preta a 80 rs. e 100
Pecas de tita elstica muito fina a 200
Lata com superior banha a 100 e. 200
Frascos de oleo Philocomo muito
fino a......... 500
Frascos de macaca perola a. 240
Frascos de extracto meito benitos a 500
Duzia de sabonetes muilo linos a. 720
Sabonetes inglezes a 600 rs. e. i200
Frasco com agua de colonia Piver a 500
Dito de oleo babaza a..... 500
Caixas de lamparinas a. 40
Saiioneles a forma menino muito
superiores a....... 240
kartilhas da doutrina fazeoda nova a 400
Libras de liaba sor ti das de todos os
nmeros a....... 10800
Capachos muito bonitos e grandes a 700
Carrileis de retroz preto, com 2
oitavas a........ 640
Agulhfliros de osso enfeitados a, 240
Libra de linha francesa superior
qualidade a....... 2420
Caixas de palito do gaz a. 00
CONFEITARIA
DOS
ANANAZES
Ra da Cruz u, 16
Eocontra-se sempre:
BOLINHS para cb; p8 e 16; bollo
inglez; pastis de dilTerenlet cualidades;
doces de froclas, em calda e secco, ,en>
barrilioboa em latas.
CAIXINHAS com amendoas e paslilhas,
prepriw para presente ; cha preto, miodo,
a hnrrtn A ,.7"a F F V^ "-"". v>i'n fald presente ; ena preto, mioao, I
rome do LnS / T'08 f^8^ *? ^SS*? 1*' > com pecegos L
a 10000.
AMENDOAS confeiudas: xarone r*^
gerantee; vinho BoceUa, branco o tinto
praprio par mesa ; vwmonm. a
cognac; vinboa finos, cbampagn.
PAPB8 para sortw,
para cobrir bolea.
rttos venda*
PRESUNTOS e. fiambres.
RECEBEMiSE oncoramendas de bandejas cora bpliohos, comtmiarSn <\a i
%?i el?; d*"? de l e te eifeiudos cott ** e deS
/mullos objectos proprloa para grandes jamares, bailes, etc., etc. wm,s
Rb-aote-rheum! tioo.
Remedio effleaoissme eontra as dfires iHenma-
tieas a>6 boje o naaie coahecido pelos seus mar
vilbosos resoludos.
XAROPE DE AGR1AO. um dos medicamen-
tos qoe sua effleaeia as enfcrmidaleV, tosse e
saDgue pela bocea, broncbes, dores fraquea
uo peiio, esereboto e mokaitia de tigiio, qae ae-
Ibor tem aprevado.
TINTURA DE MARAPUAMA.- A celebre rail
de marapoama, coja energa e efflcecia as pars-
lyaiM, IMerpacimeato, ele. etc. muito se reeom-
inaoda.
Todos e&ses preparados se eacontratu" na Phar-
macia e droga/ia de Barllioloraeu & C, muco de-
posito M roa larga do Rosario n. 94.
Cigarros da imperial
febrica de S. Joo
de Nictheroy. .
OHic*epoiltp em Paraamtaeo cae* da alten*
dega velha n. 1, indi.
grande a........____....... 320
Frascos eom rlcobaboza muito fino. 320
Pacote com p.'s de arroz o me-
lhor que ha a............... 320
Navalbas muito finas para fazer
barba a.................... 0000
Caix'i de linha brau do gaz a.. 500
Vara de franjas de lidho para toa-
Ibas....................... 1G0
Caixas com pennas d'aco de Ferry
superiores................. 800
Lencos d cassa brancos e pinta-
dos*.................^.... 100
Caixas com 20 quadernos de papel
pautado ....... 700
Caixas com 50 novellos de linha
do gaz a....., 400
Duzias de meias cruas superior
qualidade a.......30600
Pecas de babadinhos com 10 va-
ras a. ........ 500
Pecas de tiras bordadascom 12
metros cada pepa a 10500 e. 20000
Pegas de fitas para cs de qual-
quer largura com 10 varas a. 500
Escovas para unbasfazenda fina a 500
Ditas para dentes a 240, 320,
400 rs. e....., 500
Pecas de tranca lisas, brancas e
de cores a....... 40
Dozia de linha fixa para borda-
dos a 400 rs. e..... 500
Pares de meias cruas para xsx,'
nos diversos lmannos a. > 320
Duzias de meias brancas muito
finas parasenliora a. 40500
Pares de sapatoa de tranca do
Porto........20000
Pares d.e sapatos de tapete a. 10500
Duzias de baralbos para vultarete 30000
Silabarios portuguezes a. 400
Cartes com colxates 1 carreras a 20
Abotoaduras para colkte diversas
qoalidades....... 400
Caixas com peona de ac muito
boa de 320 a...... 50C
Caixas com superiores obreias a. 40
Duzia Oa agulna para machina a. 20000
Libras de pregos franceses todos
os tamanhos a...... a40
Pacote de papel com 20 quader-
nos ........... 400
Rema de papel pautado superior 40000
Resma de papel liso muito supe-
rior a........... 30600
Cabr
Vende se urna cabra (bicho) com 3 cabritos, boa
leiteira e manca na ra da Concordia n. 14. r
Gal nova de Lisboa
No armezem amareltff defronte do ajo* da Con-
ceiejo, Manoel Joaquim Gomes Braga, vende cal
de Lisboa nova a 6 a barrica, fazendo difierenca
em portfias : pode tambem ser procurada no ira-
umrreB0jaeen|aHvr* para orna bul casa,
lito aru io Gat, pul. ua. il patax d* frente
e 78 de fundo para uca*. t^yan, quintis
preco por quanto se vende anima ao comprador :
a tratar u r eslreiu do Rosario o, 31, loja,
YnjgtslW cabrlqlet om perfcilo aaiado
urna macana, de eostura, nova : no Corredor do
**pn. W Ifa- mesBMk casa twca-se ma (ma-
gMRd* Obrlite, obra ntuo bonita, om todo* oa
pertence8 de prata ; e vende-se o especial xarope
9e joa para molestia do peito.
cim mte, alera dw iwH*i otttfaa v* ttaUa e>
postos a anreca5* *): Tm&tont*Vko, oaav
darim vir e acabam de reeeber palo alfir.'. Tay*r
da Europa Un eotnplf lo ^ vanado aortMia *$
Objs e mui deleada* wp.aUfad9. a
tao resolvidos a veaaVir, coa 1
Sor precos muito baratisbe P0ait1Hi pai ib-
o, com tanto qne o Gallo.... _
Multo snperiores lavas de pellica, pita, hra
cas e de mui lindas cores.
Mui boas e bonitas goiliaJis. e
atora, neste genero o qoe ba da) mais 1
Superiores pentes de urtaruga para
Lindos e rquissimos sefciies para
Etmas. sennena.
Superiores trancas preta* de cores casa visir
Iface e sem eUes; esta (aasnia %w peste tmm
dn melhor e mais bonito.
Superiores e bonitos leqnes de
o-arfim, sndalo e osso, senda aql
oan lindos desenhos, e este* sasl
Muito superiores meias lio t'.
nhoras, as quacs aempre se venerasn 1
a duzia, entretanto qne nos as tenassnarptr!
aim destas, temos tambera grande sorttatsjs a
o atrs qoalidades, entra as quaes algtaraM sansa
Unas.
Boas bengalas de superior coima da lisia
castao de marfim com lindas e ecrantadoras Cfa--
r;is do mesmo, neste genero o qne ate :
pide desejar ; alm destas temos
Juantidade de ootraa qnaiidadea,
eir, baleia, osso, borracha, etc.
Fiaos, bonitos e airosos chieotiabos de caau
de outras qualidades.
Lindas e snperiores ligas da ssda a lani>i
para segurar as meias.
Boas meias de seda pa .1 sen hora e para atsai
as de I a i 2 annos de idade.
Navalhas cabo de manim e taiurogapan bar
barba; sao muito toas, e de mas a ana* si p-
rantidas pelo fabricante, e nos por nossa sz t
bem asseguramas sua qualidade e delicadeza.
Lindas e bellas capehas para noiva.
Superiores agulhas para machina e para en
Linha muito boa de peso, frouxa, pata <
hibyrintho.
Bons baralbos de cartas para volurete,
como os teios para o mesmo Om.
Grande e variado sortimento das sainares por
fumaras e dos memores e mais conbeiidos per
fumistas.
COLARES DE ROER.
Elctricos magnticos contra as convulsa*, a
facililam a dencao da* innocente criancas. Se-
rnos desde muito recebedores deste* pn "
collares, e continuamos a reeebe-ios por
vapores, aflm de que nanea faiteas ao 1
tomo j tem acontecido, assim pois sudar!* aqa.
les que delles precisarem, w ao deposito do galk
vigilante, aoade sempre encontrario eslai vsian-
deu-os cellares, e os qnaes attendendo-se ao ani
Dar que sao applicadcs, se reoderio cota asa u
diminuto lucro.
Rogamos, pois, avista dos objectos qne deixaaju
declarados, aoa nossos fregueses e aaaigos a vinar
comprar por precos muito razoaveis loja do galk
vigilante, roa o Crespo n. 7.
Dcordeiro urevidentr
a*
Hna do <|uela:a jo a. 19.
Novo e variado sortimento de iwrftaar.r
finas, e outros objecin-.
Alm do completo sortimento de perf
marias, de que etTectivamente est proTki;
loja do Cordeiro Providente, ella v :bt c
receber um outro sortimento qoe re I
ootavel pela variedade de obj'clos, shtm ri
dade, qualidades e commodidadet rit
?08; assim, pois, o Cordeiro rYetide
e espera continuar a merecer a apreciaca
do respeitavel publico em ger-1 e
boa freguezia em particular, nc
tando elle de sua bem conbexissiai?r.
o barateza. Em dita loja ncooir5
apreciadores do bom:
Agua divin?. de E. Coudrav.
Dita verdadeira de Murray i I iiassiii
Dita de Cologne inglesa, amori;2r:
ceza, todas dos melhores emaacral'.
fabricantes.
Dita de flor de larangeiraa.
Dita dos Alpes, e vilete pat^
Elixir odontalgico para 1 iiiaaimi.j
asseio da bocea.
Cosmetique8 de superior pi'iitiaV e .
ros agrada veis.
Copos e latas, matores e minoras, c
pomada fina para cabello.
Frascos com dita japoneza, triasp*i.
e outras qualidades.
Finos extractos inglezes, amaricano;
francezes em frascos simpies e ccSate
Essencia imperial do fino e agradavj t
ro de violeta.
Outras concentradas e de neirat igua.
mente finas e agradavtis.
Oleo philocome verdadeiro.
Extracto d'oleo de superior quiaaaV
com escolhidos ebeiros, em fraseo* do ta-
ren tes tamanhos.
Sabonetes em barras, maiores e aUBor*
para mos.
Ditos transparentes, redondos aai lf t
ras de meninos.
Ditos muito finos em caixinha para bar!
Caixinhas com bonitos sabonetes iatitead
fr netas.
Ditas de madeira invernisada contar.de I
as perfumaras, muito propinas para p-
senles.
Ditas de papelao igualmente boolat, ^a>
bem de perfumaras finas.
Bonitos vasos de metal colorido,
moldes novos e elegantes, com p ie vr
9 boneca.
Opiata inglesa e francesa para
Pos- de carophora e ontras
qaalidad8 tambem para dental.
Tnico oriental de Eemp.
Alada amala ajase*.
Um outro sortitoenlo do coques 4t bm
vos e bonitos moldes com filete de vidr*,.
3 aJguns d'eUes ornados de floras lu<
estao todos expostos i apreciado a emts
os pretenda comprar.
GOLLINHAS E PNHOS BORDAD06
Obras de muito gosto e pe/fctclu.
Flvellaa e Atas para
Bello e variado sortmsaaan e tais aja.
toe, fleaodo a boa escolbs ao gosto do ese
orador.
asa^a^sVasalBVaflQa
Joaquim Rodrigues la-
vares 4e lio,
TEM PURA TEIBER
ero sea escriptorio, ame* da Corpa
n. 17 :
Fvmo em folha
de l' e l" qualidade, e venda nm 00 nana
fardos a vaatade dos cnrapradiri.
Cal de Lisboa
ultima ebegada.
Potassa da Russxbl
Fariatka da asamasBtia.
Vinho Bortleau.
da 1* qualidade. Todo de ajaj
barata do aaam ontra
Yeade-a* a taasraa da trena, na
nova tle Casanga. aJsjaSaaassr"
casa de pedra e cal: qoaa q
dita taberna.
L

l*x '


8
t itrio de Pernambuco Quinta
i
I
LITTI&ATVRA.
^

_._
/


asneros dos anjos. (I)
FORMA DE THOMAZ MOOSE.
0 mando nada era era flor; it fulgen'
tes estrellas mal tmham comecedo seu coreo
radiante ; e o lempo, nevo entao, corita va
seas primeiros citas pelo Sol; os anjos o os
borneas se junhv.n nos enmes das colinas
e nos prados risonhos luz sune do cre-
psculo da natnreza salisfeita. A dr o5o
reioava anda, jaem o peccado havia latir i M
seu sombro veo entra o bomem e os ce is.
A trra entao achava->a mais prxima do
co, n?m como agora tinba o crme e i>
desespero ; eolio < s olhos mortaes viaui
sem cusi os olhos ngelinos c mtemplando
das alturas o mundo :ue grava inferiorineii-
te. Ab t porque havia d. paixio profanar
essa bella manhaa da trra, porque havh de
maocbar corago da celeste origem ; e. lem-
branga aiada mais triste, porque havia desta
soirbna ma'digoar ter nascido do amor da
molhcr ?!
N'uma noute dtssa primavera do mundo
tres bellos mocos conversavam sobre a en-
costa de urna colina, donrada por um raio
do sol no occiso, que pareca adorraeoer no
meio Je perfumes. Da espago em espago
olhavam o ceo distante, em que o dia colhin
suas 3sas radiantes, n suas sublimes tronos
denunciavam serem ellos habitantes do
mundo celestial: seres de luz que volam
em torno do Senbor, como tomos aos raios
solares; e que a cada instante da noute e
do dia, transmitiera, -travz de suas infini-
tas legies, o echo de seu luminoso
verbo, (i.)
Elles lailavara a respeito do ceo, e mais
inda df>s?as Kvas brilhantes que os linham
feito baixar. Cedendo gradualmente a doce
influencia da virag5o embalsamada da tarde,
do respirar silencioso das flores, da suave
iaz que brilhava sob suas cabegas, cada um
nelles coititi a historia de seus amores,
(I\ Os amores dos anjos com as fi'has
dos homen<, que faz objecto deste poema,
tem sua fonte na m iraduccao feita p-los
setenta do (. versculo do Gnesis tradu-
zindo filhos de Deas por anjos de
Deus o que junto aos commentarios de
Philon, e as absurdas fieges do livro de
Eoork, incitaram a imaginagao de escrip-
tores semi pagaos sendo de admirar que
S demento da Alsxaodria, Tertuliano e
Lactancio se deixassem levar do erro, S.
Joo Chrisostomo em sua 2.a homelia
sobre o Gnesis mostra cabalmente o ab-
sardo de tal leuda, e o igualmente S. Cy-
1 lio, que com S. Thom-z d'Aqnino e oulros
santos padres entendem que o Gnesis fal-
lando de < Fi hos de Deus refere-se aos
deseenden'es de Sjlh, por Enos, familia
particularmente favorecida dos ceos ; en-
tendeodo por filhos dos homens a raga
maldita de Gaim.
Entretanto segundo oulros a verdadeira
traduego filhos dos nobres ou os gran-
des i como traduz o Targum d'Ankelos.
(i) S. Diniz de opiui > que quando
Isaias representa os seraphins como gritan-
do uns aos oulros, sua inlengo mostrar
as communicacoes do pensamento e vonlade
divina transmiltindo-se das altas hierarchias
dos anjos s mais inferiores.
e aliara a Inwif d ssa hora funesta em
lo u pasturo que abandona seu ele-
vado niee, fastmfdo oor um oMws seduc-
tores, tocou os ceos pelos sorrisos de ama
mulbcr.
O primero (Jfie' RTToii pareca o rasaos
celesJLdoaltts; hc*w da asta fraoa tem-
pe i*^ pr i mpresses terres-
ires. i loBolaquelies que mais se
iproximam di ihroo, fendo o seu lugar
entre os crculos fu gentes que se tendera
loo "taparo infinito,- e ijs asas apenas re-
QiClcn fracfts rajos da luz central.
Bello e glorioso,-briHiava entretanto me-
nos 'jt os seus ooraeanheiros; anda tinha
rettos da luz do Enera, mas ja alterada, e
mnchala. Nao fura s o amor que em sua
ug. te, omras alegras inaii terrestres linham
nefla deixido vestigios profundos.
aoja recolhou-se um instante, em
punto a memoria, semelhante ao explora-
dor de an'.igos tmulos, percorra o passado
nebuloso, e levaotava os sudarios que o
lempo lancera sobro, as itloses perdidas,
despois do que ssprou e disse :
Historia do primero arijo.
Ha tuna trra situada alera no dourado
Oriente em que a naturosa n5o conhece tre-
fas, e se langa sobre o poral dos ceos, ao
encontr do dii, sea esposo glorioso
N'uma manhaa, que incumbid de urna ce-
leste misso terrestre, pairava por escolher
um logar onde repouzasse, vi do alto do
elemento oscilado, (oh vtso celaste e fa-
tal ) urna d is mais formosas (libas do
hnmiin, a vi .serai-velada no crystal trans-
parente d'um rio, que sera occoitar o bri-
Iho de seus encantos, os raostrava com
Bat mysieiio, como atravez das illuses
confusas de um sonho.
Tomadd de adrarago, a va brincar no
meio das aguas, que deshsando-se em torno
d lia, muUipiicavam os raios da luz como
diamantes fulgentes, emquano ella avan-
C-iva cercada dos fulgores que creara. B uei
lentamente para gosar de mais porto um
t.io linio espectculo ; mas o estremeciraen
to de rainbas asas, (pois o abalo do prazer
percorru cada urna das peonas) assustou-a,
quando attmgia a b'irda dessa limpha pura
que inda boje reflecte os seus encantos I
parou margem, semelhante a nev que o
sol em seu occaso tinge de urna cor de rosa
mais viva. Jamis esquecerei seus oihos,
a vergouba, a innocente surpresa de sen
lindo rosto, iiuaorto me apercebeu nos ares !
Dir-se na que cada um da seus pensainen-
tos, cada um de seus raovimentos estavam
fixos nesse ch5o, lio immovel ficou, seme-
lhante ao heliotropo que florece junto ao
regato, cora as pealas voltadas para o ceo:
Com piedado da surprehendida virgem,
embora com pezar fugindo a tal vislo, de-
rigi meu vo pira a turra, ..m de esconder,
sombra das mnhas asas aberlas, o brilho
de meas olhos que j o senta, era por de-
mais ardente para ella e para mira ; ma>
antes de desvendar raeus olhos impacientes
ou de entrever o rio, a virgem tinba fgido.
A fohagem da floresta m'a havia occultado
de repente, como urna nuvem sombra re-
cebe em seu seo a la ornada com todos
os encantos de sua viva e inspiradora clari
dade.
N8o cabe a lingua supprimir o p der, o
despotismo qf
raim desle esse tostaste. -. jnia djake
non i ||a
busca dessa-ilooe hiz- oind.. meus^ro-j
veres, esquecia o mesmo co, tudo, excepto
a magera un daqaella que
rae havia apparecido n'eisa lmpna argntea I
ftpoU, vi desusar jwito dalla
felizes cta* ; presiaqdk) ouv
cojos so^s excediaraera harmona
dos aerapfeins do Rdeaa, mesrao qu
anirados pelo amor, seos accemtos se,
nam raiis puros e mgicos, eontemp
os,seas olhos, nos qutes brilhava para raim,
bello e azulado como a miveia qtw se devisa
al-a vez da agua placida, ora cea cena vetes
mais adorado do que minha patria celestial.
Oh! que me imuoriava o paraizo quando
podia oavir essi voz, embevecer-ro.) nesses
olhos ? aiada que o ar que sohra a trra
respirava fosse por domis pesado, e me-.
fjhtlico, era elle^operado por na respiracSo,
e se bem qud as flores se mostrassem des-
coloridas e os ceos sem brilho, apenis ella
se mostrava o amor llios dava seu encanto
e fulgor.
Na creago s conhecia dous mundo o
lugar querido e consagrado a onde ae actor]
va Lea e o immenso e rido deserto onde
ella nao se achava I
Meas votos eram vaos, e meo delirio
mais v5o aiada. Para conseguir urna vista
ardente e terrial de seos olh >s, ou um cul-
pado desejo de seu corago, leri com ale-
gra arrancado minha.s a*as, e laucado os
seus destrOgos 06*3% fogo ardente que n5o
se pronuiicia no ceo. iMtii esperanza !
Ella ficava pura e calma como o lirio, cuja
candidez mais brilha aos raios ardenles do
meio dia. Entretanto ella me tinha ara >r
ardente, mas n3o como mortal... Nao, nao
havia nada de terrestre em seu amor. Ape-
nas amava em mim o ser de raga anglica,
habitante dessa morada radiante que tantas
vezes tinhi visto em sonhos, desse co ao
qual diriga era cada manbSa as suas sop
plicas, e do qual a noile cootoiaplava o
bnlh desojando ter asas aflm ti'escapar
deste mundo obscuro para essa Kvre e
glori sa regi3o.
< Parece-me ve-la anda sentad* mau
lado, ao ciarlo rosado do crepsculo da
tarde, com a cabega vallada para a estrella
que mostrava se no horisonte, como a jo
ven esposa que se inclina sobre a borda do
leito nupicia, nessa hora de mysterios e
silencio. Oh I dizia, porque o mea destino
impedio que eu fos-e o es irito dessa bella
estrella, habitando sua esphera brilhan
te, puro e solado como todos esses seres
radiantes, sera outra occopago que orar e
resplandecer, ou accender o raeu turibulo
ao sol, e dirigir seus fogos e perfumes ao
altar do Omni, tente I
Tal era a innocencia da virgem que o
meu crme, ou antes o destino me faria
amar, e por quera rae abrasava em chara
mas queexcedam o fogos mais violentos
da Ierra. Si livesseis visto suas vistas,
quando minha primeira confisso sanio d
raeus labios tremulos|! Nao leva a expressao
da colera; Nao ella nao ficou irritada, mas
triste... Era ama drtao calma quaoto pro
funda ; um lato que nao permute lagrimas,
tanto a amargura que enebe o corago se
fixa e gela nelle I Pensar que seres angli-
cos, que eu.de^quem ella tinha querido o
*m*t xo-iw o-'ty) ^w i
gtomi
peccaa q a luz irre-
misstweomrioiar quo ella, ser born-
i) e fra,'il, essaiava, com a avesinha novt
do mar, elevar-se a uata regfw sublime,
emqaarrtoque eu. cfeturnftscido rtosoiw
encontrando-a em minha qqeda, da luz a do
repaso, "be fazt-VoTtatd novo seu vflo
trra para nelli beber oa amarga faga do
peccado e da morte !
Nessa mesma noite mea coragSo osta
impaciente por fogo que o dev rava; o
termo de tnraha estada sobre a Ierra esla-
va findo, e sempre antre os cos e esta zona terertes,os celes-
tes guarda*, que vellam junte/ ao throno,
erara ver radiar a asi de seu d ligen
mensagetro. POr militas v. zos meus labios
se entreabrirn para pronunciar a patarra
ooderosa e sagrada, de que usao os envia-
dos do co quaodo chegado o instante de
deixar este mjndo, e voltar a regiSo ce-
les ; orna ve* estive de tal modo dispos-
lo a solta-la, q'ie minha asas abortas aos
raios e a brisa do co, se bayiao oraegado1
a agitar. Aeu coragao,porem, enfraquecea,
o encanto romp3U-so. A divina palavra ex-
pirou em ress labios em confuso murmu-
rio, e rainbas atas proraptas a s'elevarera,
cairam como d'ante- *; forga e vida I
.Como podetia deixar um mundo que,
lerna ou infle.vvel, ella rao tornava mais
caro do que a minha piirki, a gioria e a
felicidade eterna ? C )uao fugara podando
d esp -ranea de morrer mesrao por essa fatal
vista ? ^ Que imporlava o lugar era que er-
rava, i'om tanto que os seus olhos nelle
estivessem fixos, que el'a nelle vivesse e
respirar-se ? A dor, o desespero, a morte
eran mais doces com ella, do que as mas
brilhantes alegras do co Sern- ella !
Mas, me traosvio.. Nesse dia havia urna
festa que concurra em nviltido, cora)
flores que brinclo ao sopro ardente da vi-
rago do esto, a jovial e bella mocidade
deste brilhante torro. Tambera ella all
se achava, nica e rainha no meio de suas
jovens companbeiras, embora sua utodesia
fronte anda 8stivesso empinada da nuvem
que eu tinna feito ap,>irec -r pela manhaa;
(Ximeira de dor ou ver^ooha que manchou
o brilho de sua candidez dos primeiros
annos. O delirio aprderoo-se de meu cora-
g5o. Excitado pelo tumulto da ruidosa
esta, entreguei-mi a toda essa alegra fre-
ntica, a esse transporte de prazer; que jul-
gam felicidade aquellos que nunca experi-
mentaran) como o excesso da pena pode
romper em risos ruidosos. Triste apparen-
cia de alegra e vida, relmpago do intimo
confuto das paixes semelhante as chispas
que soiio das aspados que se cruso nos
combates.
(CoMmiar-se-ha).
<-w alma aol prfos barbaron. (307 annos 4apois dabata-
ras de umij Iha ile Afifr
e capnpV^a
dador tambem um Ham
OdttKre, ebefe dos narotas conquM^a
Italia expulsa Romulo Augusto ou Angustuto
do tbrono'SBppritoe o- toll de imperador
do oeMent e governa erfe s a Italia sob
o ti ulodes>(Hnr//<
492. fnvasSo tl.js Ostrogodos. Tbflodori-
co, seu ri, derrota Odoacre, rei dos heru-
los, em Ra*enna. entao capital do imperio,
em lugar de Rom.
552. BelisaVio e Narss, generaes de
Jastiniano imperador do Oriente, c -nqois-
tara rapi lamsnte toda a Italia e toraam Roma
o aples. Os res ostrogodo Totila e
Toias s3o morios, o primero na rjatalha de
Lootagio, o segan na qual expira de tolo poder ostrogodo
que havia p>oduzldo oro res desde Theo-
dorio al Teias.
FOLHETIII
ORKiWAL DO DIARIO DE PERNAM3UC0
tII\IIA BOI.S\
Simmaiuo O/iin do mundoO Apocali/-
ncAs transformaces da materiaOs
meu receiosO que vai pelo mundo
bauzil, Vollaire e DupuisA apostasia
do rjrnliosA Besla do ApncalypseO
resto de um sonhoO despertarUrna
conversa de tremUm livro de poesas
O Baile do Club A mocidade, a poesa
e o amorAs damas e a toalsaAlgu-
tnas toilettesRecordacoes e saudades
Um poeta no ClubUm cavalheiro inge-
nuoO Sr. Hanrique.
Nos primeiros lempos do ebristianisrao
era difficil, se nao impossivel, encon rar-se
urna crenga robusta e firme no aoniqnilla-
mento do universo, no fim do mundo, no
dia de juizo, como se diz vulgarmente, e
a superstico n3o tinha anda tocado o
ponto extremo que ebegou depois do
seclo IV da nossa hera.
At entSo o Apocalypse tinha sido consi-
derado um livro apocrypbo, e muitos ou
antes quasi todos os phi.osophos s se oc-
cupavam d'elle p:ra reduz-lo s proporges
debilssimas de ama futilidade inconse-
quente.
S depois do secuto IV que foi attribui-
do ao Evangelista Joo, bispo de Palmos,
esse monumental p.rto de um espirito vi-
sionario, e eocorporado aos livros santos
da igreja calholica.
Desde eni3o a crenga no fim do mundo
foi se arraigando no animo dos chrisios
era suas varias sertas, e a superstigao com
toda a sua sequencia de aprebeoses, apo-
derando-se do Apocalypse, erguea um
nivel descommunal a idea do juizo final.
O homern naturalmente levado crer
as transformages da materia pelo que
elle observa quasi diariamente na natureza ;
mas d'ahi crenga no anniqaillamenlo total,
vai um passo gigante, ha um abysmo in-
sondavel.
Um ser, animal ou vegetal, que morre ;
um edificio que se incendia ; os lquidos
ou solidos que mudam de estado ; nada
mais exprimen) do que urna transformago
material da rnesma ordem e natureza d'a-
quellas que o homern obtera apropriando
os productos da natureza aos osos da vida.
Ao que, pois, escencialmente material
acontece o mesmo qae ao espirito : nao se
anniquilla. Se assim nao foase, a trra boje
teria menos massa do qae no sen principio,
e sto nao se tem observado
Como, pois, admittir um anniquillamento
da trra como pretende o Apocalypse ?
Dir me-hao : Deas nada impos-
sivel.
De accordo. Mas, nlo tendo Deus
feito inutilidades, nio ba myster de ann
quillar o mundo.
Essas consideragoes faiia eu ontr'ora e
bem assim rruitas outras n'esse sentido ;
mas boje eston mudado, e o Apocalypse'
vai tomando a meas olhos proporges as-
sombrosas.
Hoje tenho medo, sincero medo, do
jnzo final, e cada instante me parece
oovir os son fatdicos das trombetas qae
bao da fazer cahir os maros da nova Je-
rico, convidando todos aquellos que habi-
taran) a ierra comparecerem no tribunal
divino.
E n3o para menos o que vai pelo mun
do !
As cinco partes do globo, lodos 03 con-
tinentes e Ibas, eivados de intrigas edes
gustos, sulcados de lagrimas c de dores, e
extorcendo-se em medonhas convulses,
ahi estro aiteslando que comegou verfl-
car-se a viso do bispo de Patmos.
Os povos aliram-se uns contra os outros
encarnigadamente e destroem-se mutuamen-
te ; as condigoes physcas da ierra modi-
Qcam-se profundamente ; surgem e desap
parecera ilhas e abrolhos ; os ros e. os
mares crescem e invaden) os continentes ;
rasga-se o seio da trra e irrompem vol-
ces ; cidades nleiras desapparecem em
gargantas gigantescas prodozdas pelos tre-
mores de ierra ; a fome e a peste devastam
a humanidade ; violentas tempestades e fu-
races semean) mo largas a destrugao ;
quebram-se sceptros e desmoronam-sc
turnos ; a moral, degrada se por toda a
paite ; o papa 8 coagido abandonar a cu-
rul temporal ; a3 religes semelham a tor
re de Babel; tu lo emrim muda de aspecto,
ludo se arruina, todo so precipita n'nm
abysmo horrivel I
E o que quer dizer essa decadencia
do mundo ?
Ah I tremei incrdulos O fim do
mondo chegado I
Sim. o fim do mun lo, o grande acon-
tecimento annunciado pelo Evangelista Jo3o,
o terrivel julgamento final, chegado com
todo o seu cortejo de espantosos desastres,
com todo o sen squito de tremendas ca-
tastrophes I
Ha qnatorze seclos que esse acontec-
ment esperado. Ei-lo ah final, t3o
medonho como o descreve o Apocalypse I
De que serviram as dootas objec-
ges de Abauzil contra o Apocalypse ? De
que utilidade forara ao mando as heresias
e blasphemias de Voltaire, de Dopois e de
tantos outros contra as visos do Evange-
lista ?
Ei-lo ahi o fatdico fim do mando,
gelando de medo os coraces, escalando as
raoralhasda crenga, abalando os alicorees
da raz3o, e esraagando todos os principios
salotares da moral evanglica I
Os excessos do ultramontanismo e os
abusos da corte de Roma, o falso christia-
nismo dosjesoitas, o ante-ehristianismo dos
destas e dos scepiicos, e o materialismo
dos atheus, ahi esto annanciando a apos-
tasfa dos gentos.
Sabis o que a apostasia dos gen-
tos ?
E' o principio do alvoroto universal
que ho de prodozir os sons extrugidores
das trombetas do juizo final I
Para caracterisar complelameote a profe
cia faltava apeaas a horrivel besta do Apo-
calypse.
Ella j appareceu, est na Europa.
A horripilante besta de sette cabegas
e dez cornos, n3o foi Dioclec iano, como
suppoz Bossuet ; n3o foi Trajano, segaodo
Grtius ; n3o foi Laz-XIV como pretendea
am pregador d'aquelles tempos; nio foi
nenhum dos res da Inglaterra, como qui-
zeram alguns catholicos ; era foi finalmen-
te Napoleio I, como presumir varios
autores modernos. Nio, a raedooha beata
do Apocalypse cunjuajue I A prssia,
VAMEDADE
Alternativas porque tena pasea-
do Roma desde .a sua fiinda-
co at o presente.
(Conclasao.)
476. Destraigao do imperio do Occidente
5ii8. Os lombardos coramandado^ pelo
seu rei Albolno e pela trago de Narss pe
neiram por toda a Italia. Coreega em Roma
ogoverno do exarchado (principado) era
Lancino que se apossa de todos os bens de
Alboino.
73.'. Queda do Exarchado por Astholfo
rei dos lombardos (deu viote um exarchos
desde Longiuo at Eutyches e doroa cenio
e oitenti e quatro auno).
754. Astholfo depois de ter feito cahir o
exarchado, acaba por se apoderar de toda
a Italia a pretende impolgar os estados do
papa. Este, que era BstevSo II pe.te auxi-
lio a Pepino, rei de Franga que derrota As-
tholfo, toraa-lhe Ravenna e Pentapole e faz
(lestes estados doagSo ao (apa qae o vera
eorar a Reims.
774. DestruigSo dos lombardo p >r Car-
loe Magno. Didier seo re morto.
Carlos Magno coroadopor Leo III impe-
rador do Occidente, titulo que contina por
mais oito imperadores fraocezes al Luiz IV.
Carlos Magno confirma a do.ig.lo aos papas
feita por Pepino e addicon-lhe os ducados
de Perugino e Spoleto.
904. Cometa a funesta dominago era
Roma da familia Marozia.
9t>2. Othoo I, imperador da Allemanha
sHbraette a Lombardia inteir, e faz-se pro-
clamar imperador da Italia. Depe o papa
Jo3o XII e colloca em seu lugar Ls3d VIH.
Estas ilesordens continuara nos reinados de
Othoo II e III at Henrique U.
1077. Gregorio VII exc-xnmunga Henri-
que IV e proclama-se indepeodente da pres-
s3o germnica.
DotacjK) da Toscana e outros dominios
italianos feita aos pontfice* Rmanos pela
gr3a-condessa Matbilde. Esta dotaclo toma
o titulo de PatrtHiorti'o de S. Pedro.
1084. Henrique IV marcha sobr Roma
e toma-a depois de tres aturados cercos;
expulsa o papa Gregorio Vil e pe em sea
lugar Clemente III.
1139. O celebre hereje Arnaldo de Bres-
cia expulsa Eugenio Illeestabelece em Roma
a repblica e um senado.
1149. O papa Adriano IV chama em sea
auxilio o imperador Frelerico Barbaroxa e
conseqae expulsar de Roma Arnaldo de
Brescia, o qual decapitado.
4241. Marcha do imperador Fmlajfci
II sobre Roma, faga de Gregorio IX.
1309. Cleraeote V traoajarta a retid-
cia dos p>p*s para Aviahio.
.ira
1347. Rieozi forma o plil
de fazer da Italia ana repastes
Roma loase a capital; favorecido pois peto
ausencia dos papas eatabdeea esa Rosta a
repblica que dora pooco:
1377. Bonifacio IX volts a
cia de Avinbao para Roma.
1499. Carlos VIII de Frat-ca nt i ltm>
quista de aples intenta lomar Rosta, atas
os factos se lhe oppoem.
1727. E' Roma tomada d'as condestavel de Bourboo o qual ah foi atarlo*
na brecha.
1798. Berthier. marectal de Frasea apo-
de ra-se de Rosta era 10 de llversero do daie
anuo. ExpulJo do papa rio fl e preds-
raacSo da repblica.
ISOt. Tratado da Luneville pelo qaal
Roma entregue ao papa Pi TU.
eo re de direito divino que pretendea
cora da Allemanha 1
Ab I que medo que eu sinto t
Erigam-se-me os cabellos no crneo e
agitam-se-me os msculos todos docor-
po ao pensar no fim do mendo (
Passa-se em mim urna revolog3o. A
cabega danga-me nos hombros; os hom-
bros dangam-me sobre o trax ; o trax
gyra-me sobre o ventre ; o ventre rodo-
moinha-rae sobre as pernas ; as pernas
se desengongam nos ps e estes trepudiam
na trra como se pizassem n'um chao de
brasas f Que horror !
O medo devora-me. J me tem acon-
tecido acordir sobresaltado pelos tiros das
fortalezas saudarera algura natalicio d
principe, e pensar qus sao os prenuncios
do desmoronamento geral do Recite !
Ha tres dias, s 5 horas da manhaa, fui
despertado por uns sons de corneta. Sup-
puz logo que eram as trombetas do juizo
final. Foi preciso que me deraoostrassera
que eram as cornetas da polica que toca
vam alvorada, para que eu socegasse I
Ah I bem triste viver assim, em
constantes sobresaltos e sempre tomar a
nuvem por Junno !
Mas o que f*zer, se tudo se conspira
contra mim ?
At em sonhos vejo realisada a visSo
de S3o Jo3o Evangelista. Ouvi o resto do
sonho que encetei quintafeira passada.
Tinba-vos fllalo de ama trindade
jesutica. Essa trindade era muto do peito
de Pulto, viva em seo palacio e era do
numero de seus mgicos ou nigromantes.
Era ebefe d'esses mgicos (fmulos particu
lares de Plntio) um antigo druida, igual-
mente jesuta requintado, de nome Repetti.
Como quer que fosse de estylo, fui cora-
primentar o Sr. D. Pluto, que, com a sua
amabilidade costumeira, se dignou infor-
mar-so das cousas da trra. Conteilhe o
qae havia e o que sabia, e conclu fallndo-
le dos meas temores sobre a realisagSo
do predito no Apocalypse.
O Sr. D. Plutao assegurou me que assim
era, e disse-me qae os seus mgicos m'o
confirmaran), se en o qaizesse.
Mandoa-os chamar.
Vieram os quatro figuros j de mim co-
nhecidos. O ebefe, am aceno de S. M.
D. Pluto, tirou do bolso ama caixinha
dourada, onde cada am dos mgicos tomoa
urna pitada (de um p prateado, chamado
de prlimpimpimpim.
Cada mgico em face d'esse p pronun-
ciou palavras cabalsticas, e as tres pitadas
forano em seguidas depositadas sobre urna
placa de chrystal de rocha. Repetti logo
depois circundou-o de figuras exhoticas,
depois.do qae soprou-o.
Ao contato de sea hlito inflammado, o
p ganhon fogo, fez ama pequea detonag3o
e tran formou-se em flocos nebalosos res-
plendentes de um incens delicadissimo.
Essas navens foram-se conglobando e
formaran) ama esphera, que se solidificon
externamente, e Sobre ella distingu ea
continentes, ilhas, mares e ros, tudo cer-
cado de ama atmospbera aeriforme.
Eu eslava boquiaberto.
Repentinamente a vista foi-se-me aparan-
do e ea vi qae o globo era a trra I Dis-
tingu as montanhas e os valles, vi oa pa-
ses separados pelas fronteiras, e observe
as grandes e pequeas cidades, villas e al*
deias. Erajpageitoso I,..
Pouco depois sent movimento e vida n'a-
quella esphera de um metro apenas de raio;
e vi as erupges vulcanicas, as invases dos
mares e o cresciraento dos ros, as mudan*
gas ubitas dos climas e das condigoes cli-
matricas e atmosphericas, as geras entre
os povos, a peste e a fome devastando os
continentes, e os thronos cahindo e os
sceptros quebrando-se !
Puz a m5o nos olhos para furtar-me ao
horrivel espectculo, dei ura grito de an-
gustia, e... acordei.
Achei me n'um carro do trem de Olinda,
das 7 horas da manh3a. onde a frescora
do ar e o movimento das molas,' emba-
lando-rae agradavelmente, me fizeram
adormecer. Q"aodo abri os olhos estava
cercado por alguns passageiros. Pergun-
tei o que havia ; responderam-me que eu
dera ura grito horrivel.
Expliquei-lhes eoto o sonho que tivera,
e o meto se apolerou d'elle3 avista das
"consideragjs qae fiz sobre o fim. do mun-
do.
O fim do mundo !. isso pilheria,
disse urna galante menina.
O Andr sorrio-se.
Effeitos do somno : juntou ura accio
nista lacnico e incrdulo.
E' exacto, accrescentou urna matrona,
o somno pro luz a vezes sonhos bem ex-
travagantes t
A conversa foi-se prolongandi so-
bre o assumpto e pouco depois cahio sobre
estradas de ferro.
A mocinha que achara ser pilheria o fim
do mundo disse ao Sr. Andr :
Eu gosto mais da sua maxamboraba,
Sr. Andr, do que da do Rawlinson, por
que.illa bole menos.
Honveram olhares de esguelha e sorrisos
abafados. Eu toraei urna nota.
Cinco minutos depois estavamos no Reci-
fe. Encaminhei-me para casa pela ponte de
Santa Isabel.
No largo de palacio encontrei um amigo
que me perguotou : J leste ?
O qae, homem ?
Ah I n3o sabes ainda ? O Castro Al-
ves publcou am volume de poesas. E
mostrou-me am livro.
Li na capa : espumas fi.uctcjantes.
Pedi-o emprestado e segu mea caminho.
Gastei tres dias e tres noutes na leitora
d'esse livro ou aotes no estudo d'essas pa-
ginas intimas de um corago ardentemente
sentimentoso e de ama alma divinamente
inspirada.
Castro Al ves am nome que valle o qae
pesa. A litteratura patria j o conhece e
applaode. As espumas flucTantes nao
fizeram mais do qne corroborar a opinio
3ue geralmente se formava, n'esta cidade,
O sea autor.
Eis, pois, mais um bom, mais um pti-
mo livro, que ha de enriquecer muita bi-
bliotheca.
as poesas de Castro Alves n8o ha nada
desprezar: pensatoontos magestosos, ima-
gens luminosas; phrase colorida e animada;
tudo all se revela grande e bello como a
intelligencia do inspirado poeta.
As espumas fluctoantes s3o mais urna
aureola que circunda a fronte laureada do
poeta, sao mais ama corda qae orna a
Alhenas brasileira.
Fmalmeta.chegou o dia 19. e abn-
ram-se os salo do Club do Montviro!
1808. Annexagio da Roma e de
parte dos estado*- da igreja ao apen
eez, sendo o resto annexado ao mne da Ma-
in. Roma declarada a segunda cidade do
imperio da Franga. Prislo do papa Pi 11
(fie havia excommungado Napoleio I.
1814. Queda de Napoleio. O
sao restitoidos ao solio pontificio.
1848. Nova proclamaban da repoMka
em Roma. OSento Padre Po IX v-seobr>
gai'o a fugir para Gasta.
1849. Pi f\ restituido so solio pon-
tificio sob a proteegao de Napoleio III s da
Austria.
18*0. Qne da de Napoleio. Estrada das
tropas italianas em Roma. O Saeta
Pi IX soflre com unta resignacio
ramente evanglica a imprudencia d'
que ousam al mesmo invadrr-lhe os apo-
sentos Iff....
Taes teera sido os transmitas poras tan
passado a cidade eterna. Como acaba de
vr-se por esta rpida exposicJw. si> aa
cidade alguma no mondo qne tenha sollrido
tantas o tio dolorosas e crois altemativss.
Esperamos fazer om servco as Isttrss ex-
pondo aqu chronologicamente esses fados.
Por elles se v que. essi altiva stHropsss
que nutr'ora snb)ugoa toda a Rana v#-ss
agora por esta t Roma, qoe dea leis a todo
o mundo ; Roma caas agoias victoriosas
fizeram curvar a cervis s man aguerridas
legioes nena ao menos boje j lhe hato o
ser a capital tranquilla e sagrada da Chhs-
tandade t.-..
Mas, um dia mais e ella se levantara satas
bella e radiante do qoe nones t brittari
como um facha celeste derramando o sen
vivido clarao por todo o orbe terraoaeo ?
Esse dia, creiam-no. nio viri longe, alo
v r:i longe por que as trancees rpidas e
successi vas porque esli passando os insta-
ros, os reinos, os povos. as nacOss, fortes
horaenagens e intrnsecos, nio Ibes dsisast
sustentar o equilibrio e adquirir bases sali-
das e preduraveis.
Muito corago susprava por esse dia,
muita alma doudejava por esse paraso, para
di>tendersea vo peregrino s regios phan-
tasticas do amor e sonhir adormecida no
regago pudibundo da poesa.
Os bailes s3o o sonho constante das
mogas. Ir nm baile, dansar muito e de-
pois-----tornar ir a outro bajle ; eis no
que se resumen) as aspirages das almas de
quinze annos, para as quaes tudo sao flores
e incensos, para as quaes tudo sao poesa e
amor, para as quaes tudo se resume n'um
cntico sublime entiido pelo corag3o ao
autor da natureza encantadora que lhe mi
nislra ar e luz, vida do corpo e vida da
alma.
Na note de 12, mtito sorriso desabro-
chen em labios rubros cheio de esperangas
e radiante de felicidade.^
E' tSo bella a mocidade Qialquer bi-
gatella torna-a venturosa. Um nada, um
sorriso, ura olhar, um aperto de mo, urna
palavra de amor, qaalqner insignificante ba-
nalidade, inflammi-a,electrisa-a, divinisa-a,
e conduz-laao templo do bello e do grande
rendar culto no altar da poesa aos dou-
rados sonhos de ura futuro de rosas, que
se lhe antlba sera possbilidade de ser des-
truido i
Sim, feliz, bem feliz a mocidade!
Na reunio do Club ella ostentoa toda
a sua grandeza, toda a sua belleza, toda a
sua non chalan', oa oxhibigao de seus
atractivos, de seus dotes de espirito, e de
seus doces abandono* pela dansa.
Cerca de quarenta senhoras encba o bello
saiao no Club. A's 10 horas principiou o
baile.
O ambiente do salao eslava impregnado
dos mais deliciosos perfumes. A orchestra
preludiou ama walsa. Houve ura estreme-
cimeoto geral, e pouco depois alguns pares
volteavam vertiginosamente, segurado as
evologes da embriagadora dansa.
A walsa o non plus ultra da dansa. E'-
se arrebatado n'um turbilhSo espantoso; es-
quece-se a gente de si, ergue-se o corpo
acim da trra, quando se dansa ama
walsa. O mundo desapparece e o co se
abre com todos os seus explendores quando
nos ritorneios da sonbadora dansa sente-se
o contacto de um corpo de sylphide qae o
braco emfebrecido aperia couvulsamente.
Ah a walsa a rainha das dansas!
Depois da walsa foi urna quadrilha, de-
pois ama polka, depois outra, outra, e omi-
tas polkas quadrilbas e valsas. O baile ter-
minou as 1 horas. Ningaem aiada estava
fatigado; poder-se-hia continuar dansar
por mais dois dias, e ninguem se fatigara.
O qae vos direi das toilettes ?
Que bou ve elegancia e simplicidade ?
Nao bastante. Rem sei que sois mais exi-
gentes ; mas eu nio sou entendido em toi-
lettes.
Nio obstante direi sempre alguma cousa
qae notei.
Chamou minha attengao um vestido de
longa canda de fil negro salpicado de pe-
quenas flores escarales de seda. Faiia-lhe
sombra urna sb-saia de gorgur3o preto.
Seus enfeites consistiam om cascarrilbas de
fitas de s la escarales adornando o lalhe
e a saia. O cinto era negro e escarate, e
aa ponas desciam e prolongavam-se at o
extremo da cauda. Flores artificiaos rubras
no ponteado e jolas de coral vermelho com-
pleta vam a toilette. ^
Notei mais am yeatfjj de gorgario azal
escaro com segunda saia de tarlatana
ea, ornada de rendas e formando anvgacos
em forma de pouf. Flores artificiaos bran-
cas e joias com podras finas costpletavast
a toilette.
Syrapathisei muito com as simples todas*
de quatro innaas. Consistiam ellas esa ves-
tidos de tarlatana branca com pomfet, lacas
azues de seda e cintos da mesaaa cor. e la-
res artificiaos nos cabellos.
Era urna dessas irra3as, dois botos de
rosa amelia presos artsticamente nos sedo
sos e negros cabellos davam-he ama traca
extraordinaria.
Observei aiada um elegante e simples ves-
tido de tarlatana branca com pouf, ornado
de rendas, e preso por nm cinto de seda
escarate. Flores rubras nos esbsnos o
joias de phantasia completaran) a toi-
lette.
Alm desles rauit >s oulros captiva svst-
patbias pela sua simplicidade e aparado
gjslo. A maioria era de tarlatana,
de carabraia fina, e raros de seda.

Quando deixei o Club trazia a alma rspt-
ti de douces effluvios de amor, o corceo
entumescido de saudades e o crneo Btcaa-
dido por nm turbilho de recordacoes.
E como n3o acontecera assim, se all vi
mais de urna belleza que me captivos, mais
de nm rostinho divino, capaz de fazer dar
volta ao milo de Santo Antonio ?!
Sobre-tudo vi ama moreninba, liada costo
os amores, potica cmo as ficedes alientass
e bella como a madooa de Rapbael, qoe eier-
ceo sobre mim ama influencia sobreaato-
ral.
E que olbos, meu Deas, qae sis less t
Sio indefiniveis. Tem ama languidez sahu-
me e revellam urna alma anglica e sp-
xonada.
Tambera I i encontrei ama menina arrs a
plida, de oaos zoes e cabellos
claros, que me enebeude felicidade s
trou-me as ventaras do co atravez d'i
olhinhos vivos e expressivos.
Ah I se en podesse a mal-as todas da
urna vez o repartir entre ellas sata pobre
coragSo I Como ea seria diloso l
coasas mui
canosas 'asa
Observa-se
baile.
Um poeta ropetio todas
com qoom dansoa : hei- de compr ess psr*
ma sobre esta quadrilha I
Urna moca qae ouvira-o dizer s statata
cousa sua visinba, quando locos a sas ves
responde a lhe: ____
Ah o Sr. compoe posesas ?! A vejo
que tem de escrever muitos! __^.
Um cavalheiro qoe W sprsssotsdo por
um amigo i orna senhora: .^ ____
Nao acha extraordinario, sastaassnat>
ra, qae ea danse com V. Exe., ojnt nam
podia ser rainha mii ?
A dama : tem razio ; e por uno vas
dar-Ihe um par digno de ai.
A Sra. dirigio-se a asta aasasan da 8
annos, e, tomando-a pea *>.
galante cavalheiro: ei-la, poda briscar esssj
'
Um ootro cavalheiro, o Sr. Hamn-
que.............., i *
prximo folhetim rsiq>SB e esse Sr. Han-
rique.
Au rtvoir.
TYP. 00 ptAKlU-tU llUIrVPat tV


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ELAW3T7K2_ZTH15J INGEST_TIME 2013-09-13T23:35:21Z PACKAGE AA00011611_12265
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES