Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:12262


This item is only available as the following downloads:


Full Text

*m*m
i ^ I WiqP
i i'#
'**' -
4NN0 XLVI. NUMERO 258

1/
i
f
t
PABA A CAPITAL E 6A12S OME IAO SE PASA POITE.
Por tres naeze ad amados........; .
i'ttr sei* ditos dem ....
Pwwo anno dem.. ....
Cada aiumeio avulso....
6,1000
liJOGO
24*000
320
SEGUNDA FEIRA II DE IOVEMBRO DE 1870.
PA1A DWTBO E F9&A DA PB07IICIA.
Por tres metes adiastados
Por seis ditos dem. .
Por nove ditos idem .
Por um anno idem .
sb
*7#000
DE PEMAMBUCO.
Propriedade de Manoel Figneira de Faria & Filhos.
HA0 ACEITES:
Os Srs. Gerardo Amonio Alves & Filhos, no Para ; Goncalves Pinto, no Maranhao ; Joaqaim Jos de Oiiveira, no Cear ; Antonio de Lemos Braga, no Aracaty y Joft> M*m alio Chaves, no Ast ; Antonio Marques da Silva, lo Natal; Jos
Pereira d'Almeida, em Mamangaape; Antonio Alexandrno de Lima, na Parahyba; Antonio Jos Gomes, na Villa da Penha ; Beiarmioo dos Santos Botlo, em Santo AnOe \ Doningos Jos da Costa Braga,
em Nazareth ; Francisco Tavares da Costa, em Alagoas ; Dr. Jos Martins Alves, na Bahia ; e Jos Bibeiro Gasparinho no Bio de Janeiro.
PARTE OFnCIAL.
GoTcrno <1 proTlncia.
aiPEOIKNTE AfSIfiNADO PELO EXU. Sn. DESEMDAI1CA
DOR FRANCISCO M ASSIS PEREIRA ROCHA, VICE-PRB
SIDENTE DA PROVINCIA EM JU.MiO DE DE 1870.
! teCCap
N. 633. Dilo ao Exm. Sr.'general commandante
das armas.Remetto a V. Exc. copia do aviso cir-
cular da repartig.io da guerra, datado de 11 do
crreme, e asignada pelo director geral da secre-
taria da mesma, no impedimento do Exm. minis-
tro, a(im de que faca seguir para a curte no trans-
porte Leopoldina, qua do regressar do norte todos
os prisioneiros de guerra paraguayos quequizerem
voltar ao sea paz, ticando certos de que os que dei-
xarem de ir licam expedidas a* ordens para que
iKnhum vencimento llies seja abonado, conforme
se determina po citado evito.
E. 636.Dito ao eoinmandante do vapor \jco-
peldina.0 Sr. commandante do iransposte a va-
por Leopoldina figa receber e transportar para a
provincia do Para uj navio sob sen commaudo, o
moldado do extincto batalhao n. 30 de voluntarios
da patria Ludgero Antonio.
2' secgao
N. 639.Dito ao chefe de polica.Responden
do ao offieio de V. S. sob 885 de 20 do corrate,
tenho a dizer-lhs que entendo e julgo procedente
a resposta que dea o delegado do termo do Brejo
sobre os fa;tos que Ihe.foram attribuidos pelo Li-
beral n. 15o de 17 do mei lido.
X. 610.- Dito ao mesmo.Com o parecer do
inspector da ihesouraru provincial em oflicio a.
384 de 18 do corrate, junto por copia, respondo
ao de V. S. de 28 de abril ultimo sob n. 553. quaa-
to ao aluguel da casa que tem de servir de quar-
tel do destocronlo do Poco da Paridla.
N. 641. Dito ao commandante superior da
guarda nacional do Recife. Pode V. S. fazer
acuartelar no dia 1 de jullio viodooro o 3 bata-
lhao de iulantaria da guarda oaciooal deste muni-
cipio, em substiluico do 2, Tirando expedidas as
convenientes ordens para a revista de mostra de
que trata o seu oflicio d. 129 de 21 do correte.
a'. 642. Dito ao commaodaule superior da
guarda nacional do Cabo e Ipojuca.Ao alferes da
8- companhia do batalhao n. il da guarda na-
cional sob o seu coramando superior, Joo Rodri-
gues de Moura, que mudou o sea domicilio para o
municipio de-ta capital, segando allega no reque-
nmento que veio aunexo a sua informacao de 10
do corrate, maule V. S. passar a guia de que
trata o art. 43 do decreto o. 1130 de 12 de marco
de 1853.
N. 643.Dito ao juiz de direiio de Olinda.Em-
bora oo tivesse sido presidido a sessao do jury,
que pela segunda vez julgou o reo Tliomaz, llie
recommendo que faca com urgencia seguir o re-
curso de graca do mesmo reo, observadas as dis-
posicoes da lei que o regulan).
N. 644.Dito ao juiz de direilo do Bonito.Pro-
videncie V. S. no sentido de ser submettido a novo
julgamento, de conformidade cam o accordo do
tribunal da relago de 13 do julbo de 1861, o reo
Tlioma'. Antonio de Gouveia o qual se acba preso
n.i casa de deteocao desta eidade.
N. 643.Circular a todos os juizes munieipaes
da provincia.Tomando em considerago o que
expoz o procurador fiscal da thesouraria provin-
cial em oflicio de 11 do eorrente sob n. 118, re-
commendo a Vmcs. que nao mandem cumprir ne-
nhum testamento, sem que primeiro seja devida-
meate registrado na respectiva collectoria, e delta
conste a verba d apresentago, e bem assim orde-
ne as sentencas que profrirem nos inveotarios
des bens dos que teoham fallecidos ab intestados
em que houver tasca de heranca arrecadar na
ceuformidade das leis em vigor a inscripeo dos
referidos inventarios, cumpriudo assim pelo que
I he diz respeito, o exposto nos arts. 17, 18 e 19 do
regulamento de 28 de abril de 1842, em vigor nes-
ta provincia para a arrecadacio da tasca de he-
raucas e legados; devendo a 'inscripeo ser feita
para o lira declarado no art. 18 do mencionado re-
gulamento, sojeitsndo essa falta dos escrivaes a
multa do art. i" do dacreto de 4 de junho de
. 646.Dito ao promotor publico de Olinda.
Nio consta a esta presidencia que houvesse S. S.
f. perdoado ou commutado a pena ao ro Thomaz
de que trata o oflicio de Vmc. de 14 do eorrente.
N. 647.Dito ao jaiz de orphos da capital.
Reanvada Vmc. sobre o fado de qne trata o docu-
meato a qae se refere o oflicio do inspector da
tiesouraria de fazenda n. 436 de 21 do eorrente,
os quaes para es-e flm Ihe transmiti junto por
copia.
ti. 648.Igual ao bacharel Ernesto de Aquino
Fooseca.Portara.O vico-presidente da provin
ca allendendo ao que requereu o alferes da 8*
companhia de baulhao 41* do municipio de Ipoju-
ri, Joo Rodrigues de Monra ; e tendo em vista o
cae inforraou o respectivo commandante superior
;m oficio de 10 do correle sob n. 106o resolve
que se Ihe passe a guia de trata o art. 45 do de-
reto n. 1130 de 12 de marco de 1853, visto ter
mudado o seu domicilio para o municipio do Re-
cite.
K. 649.Pita.O vice-presidente da provincia
m vista do que dispoe o chete de polica em ofli-
cio n. 895 de 21 do eorrente quanto ao.engao
liavdo na proposta para 4 supplente do subdele-
gado do 1 districto da freguezia de Gamelleira,
sendo o verdadeiro oome doxidado para essa
cargo nomeado Ant&nie Joaquim da Fonseca Car-
valho e nao Galvo como se declarou na delibera-
<;o de 2"do correte, resolve que ratificado o en-
cano, se passe novo titulo ao nomeado.
N. 630. DiU.O vlce-predente da provincia
oai vista do que pender o Dr. chefe de polica em
offlefo n. 789 de 24 do raez lindo, resolve sappri-
rair o districto do subdelegado do jury do termo
de S. Bento creado por deliboraco do 12 de feve-,
rero de 1864; restablecidos os autigos lmites.
3" seccao
N. 655.Oficio ao inspector da thesouraria de
fazeoda.Commuaico a V. 5. para sea eoaheci-
ment e direccio qae pelo govoroo imperial foi
approvadn a deliberaco que esta presidencia to-
mou em 27 de maio altimo de mandar qne se con-
ttauasse a pagar o abono da etape aue percebia o
2' teneote reformado do exercito Jos Pedro da
Silva em virtade do decreto a. 1254 de 8 de jaoei-
ro de 1865, visto estar tal Jeliberacao de acord
cera a resolucao de 29 de jaoero deste auoo.
N. 656.Dito ao mesmo.Trausmitto a V. S.
para os olvidos flns a porUria imperial de uomea-
io de Jos dos Santos e Silva, para tenente-coro-
nel eommandante do batalhao o. 57 da guarda
naetonal do mnoicipio de Caruar. I
N. 657.Dito ao mesmo.Em vista da eonta
juou em duplcala, maode V. S. liquidar a despe-
za feiu com o fornecimento de luz e agua para p
"loirtel do destacamento do termo de Cimbres,
durante os mezes de mtree e abril deste anuo, e
pagar a toa importancia a Malaquias Jos Baptista
ooformesolicitoo o chefe de polica, em offieio de
honiem sob n. 890.
N. 658.Dito ao mesmo.Remello a V. S. os
meloso papeW do engenheiro Laii Jos da Silva,
afim d* que do conformidade com o aviso da re-
parc,So da agricultura, commerclo e obras pu-
blicas de 6 do eorrente, sob n. 2, seja proeessada
a divida de qae pede paf amento o referido enge-
ntieiro; proveniente de vanlagens a qne se jaita
com direito pelas medic nominado Riacho do Mat, visto pertencer a raer-.
N. 639.Dito ao mesmo.Recommmdando nes-
a dala ao general commandante das armas, qae
faca seguir para a corte no transporte Leopoldina,
quaodo regressar do norte todos os prisioneiros de
guerra paraguayos, qae quizerem voltar ao seu
l'.'uz, transmilto a V. S. para seu conhecimento e
exeeucao copia do aviso circular expedido pelo
ministerio da guerra, em ll do correte, afim de
que nenhum vencimento seja abocado aos que li
careoi.
N. 660.Dito ao mesmo.Segundo consta de
aviso do ministerio da fazenda datado de 2 do cor-
rente, sin magestade o Imperador houve por bem
e por decreto do l" deste mez, que fique sem
efleito o de 23 de marco ultim >, pelo qual fora
nomeado o segunda escriptnrario da alfandega
desta provincia, Henrique Gomes de Oiiveira, para
servir em commsso o logar de inspector da al-
fandega do Aracaj em Sergype. O que declaro
a V. S. para sen conhecimento e Hns convenientes.
N. 661.Dito ao mesmo.Communico a V. S.
para os devidos flns, que segundo particip-u o
bacharel Paulino Rodrigues Fernandos Chaves, em
offlcir de 21 do correte, nessa data deixou elle o
excrcicio das funecoe* do cargo de juiz munici-
pal do termo de.u capital por ter finalisado o seu
ijuatriennio.
N. 662.Dito ao mesmo.Expeca V. S. as con-
venientes ordens para qae no da 1. de jal no vin-
doaro as 8 horas da manhaa, se passe revista de
mostra ao 2.a batalhao de infamara da guarda
nacional de-te municipio, que tem de desaquar
tellar e ser substituido pelo 3. batalhao da mesma
arma
N. 663.Dito ao mesmo.Declaro a V. S. para
seu conhecimento, que segundo consta do aviso
do minist-rio da fazenda de U do eorrente, fora
deferido'o requerimento do oficial da secretaria
dessa thesouraria, Antonio Martins Seabra Lemos,
pedindo ser andido a do Cear sem direito com
tudo a aiuda de cu-to.
N. 664.Dito ao inspector da thesouraria pro-
viocialAatoriso V. S. nos termos de sua mfor-
macao de 25 do corrate, sob a. 399, com referen-
cia a da contadoria dessa thesouraria. a mandar
entregar ao thesonreiro pagador da reparticao das
obras publicas por coota do pedido que incluso
devolvo, na importancia de 12:800*000, a que se
refere o oflicio do respectivo chefe n. 154 de 7
deste raez, smente a quaotia de 2-3505000, fleao-
do o restante para ser entregue depois de abertos
os necessarios crditos.
N. 665.Dito ao mesmo.Ao negociante Fran-
cisco da Costa Maia, mande V. S. pagar, depois de
liquidados em vista do pret junto em duplkata
que me remotteu o commandante superior do Rio
Formoso com oficio do 1." do corrate, os venci-
mentos relativos ao mez de maio ultimo, dos guar-
das naconaes destacados naquella eidade.
N. 666.Dito ao mesmo.Inteirado do conten-
do do oficio qne V. S. me dirigi em 14 do cor-
rente, sob n. 371, tenho a dzer em resposta que
indique a quantla qae deve ser remettida para oc-
correr as desperas com o sustento dos presos po-
bres recolhidos a respectiva cadeia.
N. 687.Dito ao mesmo.Recommendo a V.
S. que em vista do incluso attestado, que me re-
raetteu o chefe de polica, com offieio de hontem,
sob n. 891, mande pasar a Ignacio Martins da Cos-
ta, a quantia de 20*000, proveniente do alague!
da casa, que servio de quartel ao destaeameulo da
povoacaode Apipacos, aos meces de marco e abril
deste anno.
N. 668.Dito ao mesmo.Depeis de liquidados
em vista da folha e pret juutos em duplcala e es-
taodo em termos, mande V. S. liquidar e pagar a
Flavio Goncalves de Lima, conforme solictou o
chefs de polica com oficio de hontem, sob n. 888
889, os vencimentos a contar de 30 de abril a 14
de maio deste anno, da forca de infantaria e ca-
vallara reqnisitada pelo delegado do termo de Ta-
carat, para coadjuvar o de Gereraoabo na cap-
tura de criminosos.
N. 669.Dito ao mesmo.Pode V. S. de con-
formidade com a sna raformaco de 18 do corren-
te, sob n. 383, mandar abonar por adiantamento a
professora de instruecao elementar de Iogazeira, a
quantia de 400*000 para ser descontada nos ter-
mos da le provincial n. 598 de 13 de maio de
1864.
N. 670.Dito ao mesmo.Se nao houver incon-
veniente mande V. S. pagar a qnantia de 20:000*
que se julga cora direito os contratantes da estra-
da do norte, entre a cha da Mangabeira e o enge-
uno Bujury, como se v do certificado annexo ao
incluso requerimento do bacharel Joo Cavalcante
de Albuquerque.
4' seceo.
N. 672. Dito ao presidente da provincia de
Santa Cathanna.Accusando recebido o oficio de
18 de maio prximo lindo era que V. Exc. me
partecipa haver nessa data prestado juramento e
tomado posse de administrador dessa provincia te"
nho a dizer-lhe que me encontrar sempre dis-
posto a cumprir snas determincoes que sejam
relativas ao particular de V. Exc.'
N. 673. Dito ao presidente da provincia do
Rio-Grande do Norte. Cora a raformaco junta
por copia ministrada pelo desembargador prove-
dor da Santa Casa da Misericordia des'a eidade
em 18 do eorrente, sob n. 2763. respondo ao ofi-
cio que V. Exc. me dirigi em 4 do corrate so-
licitando a admisso de um interino no hospital
dos alienados.
N. 674.Portara ao vigario capitular.Respon-
dendo ao oficio do antecessor de V. Exc. de 20
de maio prximo frado, sob n. 201, declaro-lhe que
a proposta feita pelo vigario da freguezia do Bo-
nito do sacerdote italiano Vicente de Philipper
para o cargo de coadjuctor d'aqnella freguezia.
N. 675.Dita a cmara municipal do Kecife.
Daclaro a cmara municipal do Recife em respos-
ta aos seos oficios de 13 do eorrente, sob n. 45
e 46, que approvo as arrematares da obra do
calcaraento das estradas do matadouro publico e
do moro e atterro no isthmo da Cabanga do mes-
mo matadouro, pelas quantias mencionadas nos
seos oficios.
N. 676.Dita a cmara municipal da villa da
Escada.Accuso recebido o oficio de 4 do cor-
rente em que a cmara muoicipal da villa da
Escada, maoifestaodo o sea jubilo pela gloriosa
cooclusao da guerra,contra o Paraguay, lelicita
a esta providencia pelos brilhaates feitos das ar-
mas brasilefras. Em resposta tenho a dzer a mes-
ma cmara que acolhendo cheio de prazer as
snas patriticas mauifeetacoes vou leva-las ao co-
nheeimento do governo imperial.
> 677.Dita ao jaiz de paz da freguezia de
Qupap.Tendo remettido Vmc, com o meu ofi-
cio de 30 de maio prximo Hado e em vista do
que me expoz no seu oflicio de 17 deste mez no-
va ambulancia com remedios apropriados ao tra-
tameuto das cmaras de sangue, que seguudo o
sea citado oficio grassam nessa localidade, e
coustaodo-rae achar se anda a mencionada am-
bulaucia na eslaco de Una da estrada de ferro,
onde deveria Vmc. manda-la procurar como Ihe
declarei no meu citado oficio, compre que o man-
de d'alli conduzr a seu destino.
N. 678.Dita aos agentes da companhia brast-
ra de paqujtes a vapor.Podem Vmcs. faxer se*
gnir para os porto do Norte o vapor Cruzeiro
do Sul, hoje a hora indicada em eu oficio de
hontem.
N. 679.DiU aos mesmos. Recommendo ao
Sr. agentes da companhia brsaitaira de paquetes
concidero aem effeito a poruri. desta preeideoeia,
mandando dar traoporiP*r*
resolvido que os mentionados offlciaes e- pracas
sejam remeitidos para all no transporte do vapor
Leopoldina quaodo regressar de sua commsso
ao norte.
EXPEDIENTE XSSIONADO PBIO SR. DR. ELIAS FREDBW-
CO DE ALMEIDA B ALBUQCEBQUE, SECRETARIO K>
GOVERNO INTERINO, EM 17 DE JUNHO DE 1870.
1' seceo
N. 680.Oflicio ao Exm. Sr. general.De or-
deno de S. Exc. o Sr. vice-presiiente da provincia,
deiMaro a V. Exc. que nesta data se mandn sa-
tisfazer o pedido do commandaate do deposito de
recrutai, qae veio annexo ao seu oficio de nontein
datado sob o. 333.
2" seccSo.
N. 681.Oficio ao chefe de polca.De ordem
do Exm. Sr. vicepresidente da provincia, trans-
millo a V. S. para os devidos flus, a deliberarj
de hoje junta por copia, que supprime o ditricto
de subdelegado de jupi do termo de S. Bento de
conformidade com a proposta de V. S. em oficio
n. 789 de 24 do mez lindo
. 682.Dito ao mesmo.S. Esc. o Sr. vice-
presidente da provincia, manda declarar a V. S.
em resposta aos seus offlcios de hontem sob n. 888
e 891, qae icam expedidas as conveniente or-
dens para que pela thesouraria de fazenda, seja
paga a Malaquias Jos Baplisla a quantia cons-
tante do 3 citado oficio, pela provincial a Flavio
Gonsalves Lima e Ignacio Martins da Costa as in-
dicadas nos outros ofici *. '
N. 683.Dilo ao mesmo.De ordem do Exm.
Sr. vice-preidente da provincia, transmilto a V.
S. o titulo junto de nomeaco de Antonio Joaquim
da Fonseca Barbalho, para o cargo do i* districto
de Gamelleira de conformidade com o efficio de
V. S. n. 895 de 29 do correte.
N. 684.Dito ao commandante superior do Ro
Formoso. -S. Exc. o Sr. vice-presidente da pro-
vincia, respoodeudo ao orrluio de V. S. datado do
Io do eorrente, manda declarar que a thesoura-
ria proviocial tem ordem para pagar ao negocian-
te Fraociseo da Costa Maia os veocimentos cons-
tantes do citado oficio.
N. 685.Dito ao commandante superior de Bo-
nito.De ordem de S. Exc. comraonico a V. S.
para os flns convenientes, que foi remettida a the-
souraria de fazenda, afim de serem satisfeilos os
emotomeotos e dreitos devidos a patente Impe
rial de nomeaco de Jos dos Santos e Silva, para
o posto de tenente-coronel commandante do bata-
llan 57 de infantera da guarda nacional do mu-
uicipio de Carua.
N. 686.Dito ao bacharel Paulino Rodrigues
Fernandos Chaves.De ordem do Exm. Sr. vice-
presidente da provincia, acenso o recebmento do
oficio de V. S. de bontem datado, em que parte-
cipa ter deixado o exercico das funecoos do car-
go de juiz muoicipal da 1' vara do termo desta
capital por ter acabado o seu quatriennio.
N. 687.Dito ao commandante interino do bata-
lhao 32 de infantera de Villa-Bella.O Exm. Sr.
vice-presidente da provincia, manda declarar a V.
S. em resposta o seu oficio de 30 mez fiado, qae
hootem se expediu ordem a thesouraria de fazen-
da para pagar os vencimentos de qae trata o seu
citado oficio.
4'seccao
N. 688.Oflicio ao Dr. Francisco Teixeira do Sa
! secretario da Assemblea Legislativa Provincial.
N. 157.De ordem de S. Exc. o Sr. vice-ptesi-
dente da provincia, transmilto por copia a V S.
para serem presentes a Aisembla Legislativa
provincial, as informaces solicitadas em sen ofi-
cio de 25 de maio prximo Ando sob n. 6fi acerca
da companhia Pernambocaoa.
EXPEDIENTE ASSIGNADO PELO EXM. SR. DESEMBARCA-
DOR FRANCISCO DE ASSIS PEREIRA ROCHA, VICE-PRE-
SIDENTE DA PROVINCIA, ES 15 DE JUNHO DF. 1870.
! seccao
N. 690.Dito ao Exm. general.Sempre que oe
recrutas submettdos a inspeccao forem julgados
incapazes do servico do exercito, pode V. Exc.
manda-los por em liberdade, dando disso sciencia
a e-ta presidencia.
N. 681 Dito ao mesmoFcam expedidas as
ordens para que se recoilham como V. Exc. requi-
sitou ao respectivo deposito as cinco ponas os
prisioneiros de guerra paraguayos, que acham oc-
cupados no arsenal de guerra, e na reparticoo das
obras publicas, com excepeo do de nome Fran-
cisco Guemanes, que declarou ficar no Brazil, a
flm de seguirem para a corte no transporte Leopol-
dina, quaodo regressar do norte como determina
o governo imperial, e que commuoiqueiera portara
de 22 do eorrente.
N, 692.- Dito ae mesmaPode V. Exc. man-
dar por em liberdade o recruta Antonio Jos dos
SanDs, visto ter sido julgado incapaz do servico
militar, segundo o termo de inspeccaojranexo ae
seu oficio de 41 do eorrente sob n. 395.
N. 693.Dito ao Director do arsenal de guerra.
Providencie Vmc. afim do que sejam recolhidos
aos armazens deste arsenal, os objectos consumes
da nota junta por copia, que foram fornecdos pa-
ra o servido da mesado extincto batalhao n. 53 de
voluntarios da patria, e se acham no quartel das
cinco pontas, devendo Vmc, fazer a despeza do
transporte e apreseotar a conta para ser paga pe-
la thesouraria de fazenda.
N. 694.Dito ao mesmo.Devendo seguir pata
a corte no transporte de guerra Leopoldina quan-
do voltar do norie, todos os prisioneiros do exep-
cito paraguayos existentes nesta provincia, que
quiserem voltar para o seu paz, como foi deter-
minado pelo-governo imperial, faca Vmc. recolhsr
nos respectivos deposito as cinco pontas os que
se acham oceupados nesse arsenal, contorme re-
quiMlnu o general commandanle das armos
N. 695.Dito ao inspector do arsenal de mari-
nha.Mande V. S. por em liberdade e entregar
Maria Rutina da Conceiqao, o menor Tobia3 los de
Lyra das Santos, visto ter ella provado ser seu fl-
Iho, como se vu do documento aqu junio,
N. 696.Dito ao mesmo.Communico V. S.
para seu conhecimento que, segundo- consta de
participaco da secretaria de estado dos negocios
da marinia de 11 do eorrente, fot nomeado na
mesma data para o lugar de ajudante dessa ins-
pectora, o 1." teneote Francisco Jeronymo Gon-
calves, que se acba com li cenca na provincia da
Baha.
N. 697.Portara.O vice-ptesidenle da pn>-
viocia, attendendo ao que requeren Antonio Au-
gusto Pereira da Silva, resoiv coceder-lhe H-
ceoca para ir ao presidio de Femando de Morocha
ao primeiro vapor da compaotaia Pe rnam bacana
que para all seguir, e poder levar comsigo os g-
neros constantes da relacio junta, assignada pelo
secretario interino da presidencia, nao podeodo po-
rra effectuar o desembarque dos mesmos gne-
ros, sem que por parte do commandante d aquelle
presidise proceda a exame, afina de se verificar
se ha agurdente ou oulra qualquer bebida espi-
rituosa.
N. 698.Dita,O vice-presidente da provincia,
attendendo ao que requereu Antenio Augusto Pe-
reira da Silva, resolve cooceder-lhe liceoca para
poder Uocar smente com os sentenciados do pre-
sidio de Fernando de Nornnha os gneros alimen-
ticios pelo milno e feijao de prodcelo na ilha, e
bem assim para poder embarcar para esta capital,
os referidos legumes, deixaodo ser esta aposenta-
da ao respectivo commandante, para a coaveniente
inspeccao.
2." seccao.
. N. 700Dito ao chefe de polica,Segundo
participa o presidente da provincia do Cear, em
oficio o. 20 de 13 dq oorreptei se actaa praeo na
der ao jury alli pelo enme de arrombaraento- de
v i:8ra n>meltido Para w,a capital.
N. 701.Dito ao mesmo.Tendo sido conside-
rado incapaz do s-rvico o recruta Antonio Jos
dos Santos, que V. S. mandou ao general con>
mandante das anuas, segundo consta do oficio
deste, de 21 do correte, mando por dito recruta
em liberdade o que communico a V. S., que se
servir de re^oimndar autoridades policiaes
todo o cuidado, para qae nao sejam recrotados
individuos incapazes do servigo militar.
N. 702.Dito ao eommaodanfe superior do Re-
cife.Nao porte ser satisfeto o pedido consume
do ofllio de V S. de 15 do eorrente, sob n. 125,
m vista do aviso circular do ministerio da guerra
de 29 de oovembro ultimo, que prohibe o forneci-
mento de artigos bellicos sem previo aooaocio do
miaisterio dajastica.
N. 703,-^Dito ao commandante superior de
Olinda e Iguaiass.rendo por deliberacao d'esta
data, de coof irmidade em a proposta do tenente-
eoronel commandanle do 10 batalhao da guarda
nacional do municipio de Uuarass. sobre a qual
versa a sua raformaco de 17 do eorrente. nomea-
do a Joaquim Zeferino de Rollanda Cavaljanti para
alferes da primeira companhia do referido bata-
lhao ; assim o comrauraeo V. S. parasou co-
Dhecimeoto.e lirecco.
N. 704.Dito ao eiramandante superior do Cabo
e Ipojoca.Em solucao consulta conlida em seu
oficio de 20 do eorrente, sob n. 1060, tenho a di-
zer-lbe que, seja teve lugar a transferencia para
a povoacao do O' da sede da vla de Ipojuca, de-
ver ser alli insuflado o couselho de revista d a
guarda nacional, no lagar indicado pelo art. 9
combinado pelo art. 56 do decreto n. 722 de 23
de outaftro de 1850.
N. 705.Pirtaria. O vice-presienle da provin-
cia, confirmando-se com a proptsta do tenente-
coronel do 16 batalhao de infantina da guarda
oaeional do municipio de Igaarass, e tendo ero
vista a normacao prestad pelo reepectivo com-
mandante superior em oficio de 17 do correte,
resolve nomear a Joaqaim Zeferino de Hillanda
Cavalcanti para alferes da primeira companhia do
referido batalhao.
3 seceo.
N. 706" Oflteio ao iuspector da thesouraria da
fazenda.Declarndome o BXra. Sr. ministro da
guerra por aviso de 10 do correte juolo por e
pa, ter sido approvada a deliberacao qne tomn
esta presidencia, de aaiorisar o pagamento do pre-
mio de 30f>*. a que tinha direito a praga do extinc-
t > corno n. 53 de voluntario da patria, Joaquim
Rodrigues da Silva Santos, recommendo V. S. a
demonstradlo do dficit na vtroa por onde devia
correr aqae pagamento exigido notfnal do mes-
mo avise.
N. 707.Dito ao mesmo.Attendendo ao que
expoz no incluso requerimento o jaiz muoicipal e,
de orphaos do termo de Ipojuca, bacharel Joio
Baptista de Siqaeira Cavalcanti, recommendo
V. S. que maode pagar o ordenado do supplicante
correspondente ao* das 10 e W do mez de feve-
reiro e ao- *. a 27 de marco todo d'este nno, em
que por doente deixon de exercer as uoegoes do
sea cargo, eonsideraodo-se para isso ab nadas as
faltas.
N. 708.Dito ao mesmo.Providencie V. S.
para que. se nio houver inconveniente, seja paga
a Joaquim Pereira da Silva, como pede no incluso
requerimento documentido. a qae se refere o ofi-
cio do chefe de polica daudo de 21 d) eorrente,
sob n. 88-7. a quantia de 180*. proveniente da gra-
lificago de 3* diarios que vencen como encarre-
gadojdo trataraento das pessoas indigentes accom-
mettidas da varila no termo de Agua-PreU por
espaco de 60 das, como se v do mencionado re-
querimento.
N. 70r.Dilo ao mesmo.Se nao houver in-
conveniente, mande V. S. pagar a Flix Pacheco
de Mello, em vista da conta junta era duplcala
qne me remetteu o chefe de polica, com oficio de
25 de maio ultimo, sob o. 780, a quantia de.....
40*400 rs., despendida com a alimeotacao forne-
cida s pessoas desvalidas que sendo accorametti-
das da varila na villa de Serinhein, foram reco-
Ihidas e tratadas no convento d'aquella villa, nos
mezes de agosto a outubro do anno prximo pas-
sado, em virtude de autonsacao do mesmo chefe.
N. 710.Dito ao mesmo.Inteirado de quanto
V. S. expoz em sna ioformaco de 17 do eorrente,
sob n. 429, acerca do pagamento, que em oficio
de 9- deste mez, n. 843, reclamou o chele de poli-
ca na importancia de 37*300 rs. e proveniente
da despeza feita no met de maio ultimo .cem a
diaria do servente e asseio d quella repartigao.
como se v d conu documentada, que inclusa de-
volvo, recommendo-lhe que mande effectuar este
pagamento, visto baver crdito para elle, segundo
consta do parecer da conudoria dessa thesouraria.
N. 711.Dito ao mesmo.Communico a V. S.
pra os devidos fias, qae segundo participe* o jui
de direito da 1* vari bacharel Francisco de Assis
de Oiiveira Maciel era oficio de 21 do eorrente,
nessa data reassomio elle o exercico dasTuncges
do seu cargo, que por molestia deixou a 16 desta
mez. ,_
N. 711Dito ao mesmo.Communieo a V. S.
para seu conhecimento, que segunde consta de
partieipacao do secretorio de estado des negocios
da marinha de 11 do eorrente, foi nomeado na
mesma data para o logar de ajudante-do inspector
do arsenal de marinha desta provincia o 1 tsen-
le Francisco Jeronytao Gongalves ato se acba com
licenga na Baha.
N. 713.Dito ao me3mo.Communico av.s.
para os devidos fio*, que segundo participouo
juiz munipal do-termo do Bonito, bacharel Joo
Rodrigues Chaves Jnior, em oficio ae 21 do cor
rente, nessa data assumio elle as fnnegoes de juic
de direito da comarca d'aquella nome no impedi-
mento do effeetivo.
M 714.Dito ao mesmo.Communico av.!>.
para sou eonhecimento, que segundo consta de
oficio do vigario capitular de 22 do eorrente, foi
prorogada por mas 3 raezes a licenga de que go-
savaoRvo. Frmino Jos-de Fgueiredo nano
collado na freguezia de Nossa Senhora do O de
tooiuca, visto continuar a soffrer era sua saade.
N. 713.Dito ao mesmo.Tendo resolvido de-
ferir o requerimento que incluso devolvo, e-a que
se refere a sua informacao de 18 do eorrente, sob
o. 133, oo qual o Dr.fgoaco Alcebiade Velloso,
na qualidade de flader de Jos Miria de Aleocas-
tro pelos alugaeres. do proprio nacwaat n. I, silo
na ra das Aguas-Verdes desta eidade, pede para
ser transferido a Chrisiovo Jacintuo de Lyra rio-
res o arrendndolo d'aqoeile predio, assim o\do-
sua importancia a Fraoei'c- de i>anla Mindello
conforme soheitou o cnramarante saperior d'a-
quello municipio em oficio de do correte sob
o. 17.
N. 718.Dito ao mesmo.Autonso ai V. S. era
visla de sua informacao de hontem, soh a. 391, a
mandar entregar a mesa rege4ora> da -mandado
de N. S do Livrament da matriz da Vanea me-
diante (langa idnea o cont de ris votad peto
5 di art. K> da lei do orgamento vigente para as
obras d'aqaelln matriz.
I. 719:Dito ao mesmo.Expega V. 8. snas
ordeos para que, conform solictou o chefe de po-
lica em oficio de hontem, sob St,* sej paga a
Joo Antonio Pereira de Oiiveira a quantia de qne
se estiver a dever, proveniente do afiguel a eorkar
de 18 da agosto do anno prximo passado a 18 de
maio ultimo, e na razo de 4 meosaes, da casa
que serve de cadeia e de quartel ao dosaoamc&lo
na povoacao de- Muribeca.
780. Dito ao ebefe da reparta das obras
publicas.Devendo seguir para .-. corte no Mar*-
porte IjopoldiMt: quando regressar do norte todos
os prisioBeiros de guerra paraguayos que qi*e-
rem voltar ao seu paz, como determiaou o gover-
no imperial, faca Vmc. recolher ao respectivo de-
posito as Cinco Ponas, os que se acham oecupa-
dos nessa reparteao cora excepcao aode nome
Francisco Guimenes, que declarou querer Hitar no
imperio, e informe se alm deste h mais- algor
as mesraas condigSes.
I. 72LPortara.O vice-presideale da po-
viocia tendo en vista o qae requereu o prati-
cante da alfandega desta capital Francisco Ferrei-
ra deNovaes Filho, e bem assim o que a este res-
peito informaran! as estacoes competes*,, resal ve
coneeder-lhe tres atezes de liceoca com sen van-
cimeato da respectiva gratifleagb para tratar de
sua saae nesta provincia.
4* secgao.
N. 722.Offfck>ao Exm. Sr. presidente da pro-
vincia do CeariAeeuso recebido o olcio de 14
do eorrente, sob 21, em que V. Exc- me parti-
cipa haver nessa data expedido as neeessarias or-
dens, afim de ser reeolbida a thesoeraria destt
provincia pela dessa a quantia de 3:S3k63D, re-
saltado da arrematacao dos gneros alimntieioe,
enviados por esta presidencia para as- comarcas
de Cabrobo e Ouricury em soccorro *- popaaa-
gao indigente flageMada pela secca.
N. 723.Porua ao desembargador provedor
da Santa Caa de Misericordia.Concedo a anto-
risaro qne V. Exc. pedio em seu ofidio de ?do
correte, sob o. 2,731, para despender' mais pela
verbaAonos findosa quantia de J089 at o
flm do correte exercico, visto achap-se esgatedo
o crdito da laOOOjOOO, por esta presidencia au-
torisado para semelhante verba, a qualsegamlo
o seU'CKado oficio, deixou de ser incluida' no or-
camento da receKa e despezas do patrimonio' da-
quelle exercioio.
N. 724.DHa ao vigario capitular. Paretpo
a V. Exc. para sea conhecimento, que nesta data
e em visto do que requereu o deo da cathedral
de Olinda, Dr. Joaqaim Francisco de Fana, re-
solv eonceder-lhe tres mezes de liaenoa com a
respectiva congrua na forma da lei para tratar de
sua sade.
N-. 723.Dito a cmara municipal do tecife.
Remello por copia a cmara municipal desta eida-
de para sao conhecimento e flns convenientes, a
inclusa deliberacao desta data, pela.qual resolv
aatnrisar a Recite Drainage Compaoy Limited, a
fazer os edificios para as bombas de esgoto da
freguezia da Boa-Vista no terreno da roa. da Es-
peranga que tica nos fundos da casaba residencia
do Dr. Jes don Aojos de Amorira, salvo- o direito
de propriedade, cuja indemnisago correr por
coma da companhia, e os da freguezia de S. Fr.
Pedro Genealves do Recife nos fundos ao lado do
norte de arsenal de marinha, correspondente a
margera da praia no caso nao soja posswel acons-
truccao de taes obras nos lugares primeiramente
designados.por esta presidencia em deliberacao de
6 de abril ultimo.
N. 726.Deliberacao. O vice-presidamte da
provincia.atlendeodo ao que requeres o deao da
cathedral de Olinda, Dr. Joaquim Francisco de
Faria. resolve eonceder-lhe tras meza d* licenga
com a respectiva congrua na forma da lei para
tratar de sua sade.
N. 72T.DitaO Vice-presidente da provincia
attendendo aos motivos exposios pete- cemmendc-
dor Antonio Gomes Netto, como procurador do
Kecife Drainage Coropany kimiiedv en reqae '
monto de 3; de maio prximo tintio, pelos quses
allega nao poder collocar nos terrenos designados
em deliberacao desto presidencia de 6 de abril ul-
timo, as raesmas condigoos des da Cinco Ponas,
os edificios para as bombas de cegte, qne a re-
ferida companiua lera de fazer, e tendo em vista o
que informou a cmara municipal do Recife era 1
do crreme, sob n. 38, o o engenaeiro abata da
repartigao das obras publicas em 5 do maio, sob
n. 117; resolve autorsar a referida compctala no
caso de nao ser possivel a consirccco de taes
obras no lugares primeiro designados a fazer as
da freguesa da Ba-Vista no terreno da pa da
Esperanca que fica nos fundos da casa da resi-
dencia do Dr. Jas dos Anjos, salvo o direito de
propniedade, coja indemnisago. correr por conta
da companhia e as da freguezia de S. Fr. Pedro
Gongalves, nos fundos-do lado do norte do arsenal
de marinha, correspondente a margem. da praia
existente, sendo os edificios levantados nos pon-
tos que forem marcados d accordo cora o direc-
tor das obras publicas e o engenheiro da ca nasa
municipal, e flcando a emrHreza obrigada a fazer
qualquer melhoramento que a experiencia mos-
trar oecessaria com retaco a salubridade pu-
blica.
respondido de ordem do Eaaa. Sr. viee-i
da provincia.
N, 733.Dito ao presidan! e
conelho de revisti da aaMpa
da. O E maada declarar VV: Sa. maa fcea
oflic de 17"do correte, da-lar I
trabamos de revisao da goarda anrinI Aa naan-
chia da Escada, de qae fizaran Tv. Se. parte.
N. 734.Dito ao joie-de direito da f ara.'
Exm Sr. vice-presidente da- provincia raaaaj i
clarar qae flcou inteirado pelo sea afielo Ae '*
correle, de ter T S no dia. 1 ente mu, na.
molestia interrompido o enereieie das tanga as
a seo cargo, qae reassamto nessa daa.
N. 3&\Dito ao jaiz de direito mani aV *
nito.O Exm. Sr. vice-president da tiruiinaii
manda declarar que fleon ioietradn-nar i
de 1 do eorrente, de ter V. 9:.nessa Aat
do o exareieio das luncroes-dejniz dAireia> i
comarca oo empedimento do eileeaj*.
3> seero.
N. 7SROffieio ao inspeiorda teseararia ar>-
vinclal.De ordem de S.- Exc. o 8r. pruiaualu di
provincia, participo a V. S. para sem ccaanria
to que segundo consta de oficio do vicario eani-
lular de 22 do cerrante, fai previalanaaV o Eva*
Vicente Pelippes oo cargo de-ooadjortor ia franja
zia do itonito.
N. 737.Dito ao- mesmo 3: Bir. Sr. rie^-
presidente da prov.acia rasada coaaaaaaear a \
S. para sen conhecraieni > qaa segnaal tonsta AV
oficio do- 1' secretario da assembia atgistaar-
provincia) de 23 d eorrente n. 7% B i
Santino de Assis Pereira Rchn, para I
de 3 oficial da secretaria da meima ;
vago por fi-illecimen de Jos Janeara
lbo Paes de Andrad.
4.* secga.
N. 739s-Officio ae Etm. Sr. dt.tmaaapnar a
Sanu Caea de MisericordiaO Cxm. Stie--
sidente da provincia manda declarar a T. Exc
para os ibs coovecieotes roe a thcjeonnria pra-
vincial tero ordem para entregar coa, uananeu -
4:000X89, qne reqnisitoa o director do a*h> *
Mendicidede para as respeeivas despaza na aaa:
de julho prximo viadouro.
gXrEDIBNTB ASSIGNADO KL0 SR. DB. LIAS FBEABBI-
CO DE ALMEIDA E ALBWQERQUB, SECRETA310 DO
G07ERSO, KM; 22 D* MJHHO DE 1878.
?m seego.
N. 728.Oficio ao Exm. Sr. general comman-
dante das armas.De ordem de S. Exc. o Sr. vi-
ce-presdeme da provincia declaro a V. Exc em
resposta ao seu oficio da 21 do correte, sob n.
334, que nesta. dato se oxped a necessaria or-
dem ao director interino do arsenal de guerra pa-
ra mandar reoelaer ao mesmo arsenal, os objec-
tos que rara fornecdos ao extincto batalhao n.
53 de voluntarios da patria que 96 acham no quar-
tel das. Cinco Pontos. .
N. 72.. Exc.
o Sr. vice-presidente da provincia declaro a T.
Exc. em resposu ao swi oficio de 22 da eorren-
te sob o. 338, que nesU data se mandn satisfa-
eiSPACHO* DA FRCaaDBKSIA M
7 db .levraifj na I87X
Antonio Frapcisoo de Souaalaforaa a 3r. i
embargador provedor da Sania Casa de
cordia.
AgostanhoJos df, Oiiveira latnarid
da ioformagao da itMsoararia de fa
Antonio Francisao Maniw de Mi
do a licenea requerida coo rea!va.aV>s
da fazenda.
Antonio Francisco Das lima Canana
rero do terreno de marinan pedK*> a
de qne- se trata, nntando o respeebvn
a for amento.
^Aareaano Aunaste de Azeedo ?nra A I
sonraria de fazenda com ofieio de^U-naa.
Camina do Carao Torran.Infur Se.
rector geral da iaetruegao>pubiica.
Carotina Candida Ayres.Dirija-s ao Sr. a*
enabargador provedor da Santa Catana-T
dia era sessao dn junia.
i- aetano Francisco Dnaao.Pasea pottari
cedendo trinia dias somante.
Casimiro Aires de Sooaa.A tnaaonnaria
viudal com o ftcio desta data.
Padre Florencio Xavfcr Dias da Albnaratf innii.
Informe o Sr. inspeetor da thesoararia ptcvmeinl
Flavio Jos -das Santas a Sirva.tnfcraw Sr
lea ente- coro Lei commandante do mwno de -
lieia.
Francisco Carneiro Machado a Jhnier,Di-
rija-se a theMuraria .ororineial.
lleraclio (JsosUntir.o de Pao* Montairo Inlbr-
nw o Sr. icapector da thesoararia aroviaciai
Irmaadade de Nossa Senhora de Ierro.Opot>r
Uinaraente ser attendda.
Joo Luiz da Silrn Lnzia. OpnortoDarwa-
ser a Hendido.
Joo Jos t&beiro do Meraes.Pas portara cna>
cedende dnus mezs de Iwenea snatnte.
Jos Aaiomo da CosU Valate.Infera > S.
desembargador pravedor da Santa Cata de Maw-
ricordia.
Jos Carlos Vieiai.loforma o Sr. ten*nae-na5--
nel commandante do eorpo de pokcia.
Jnviao Mendos Pereira. tndUarido.
Jaao Baptista Gomes Peona.Nao ten lugar
que reqaer.
Jos dos Passoi Qoeirz.Drija-fe a thesetua
ria proviocial.
Joio RaroariQ de Aievee Campea.ln*teraia
Je* dos Pasaos Qoeirs.lofomM a Sr. tenonr
coronel commandante do eorpo de pokeu.
Tenle Josa Lourengo da Silva Meta!.a-
forroe o Sr iaepeeior da thesoararia de fazenda.
Jos M. Sodr da Moai.bfornie o Sr. manee-
tor da thesouraria de fazenda.
Joao Francisco da Cuaba.Dirijn-ae a ttesen-
raria provincial.
Luiza Manadas Qooeii.-InjaTin, Mil
ter provado isengo iegai no nraae eje kan I
designado.
Luiz Antonio Cordeiro.Aprsente o c; pfican-
te peticao especial dirigido ao governo imperto
pedrada a serventa taenMna de tobel*nea-
crivo do termo de ia B*l!a
Leopoldino Antonio da Fooceea.Nio tan ba-
gar o qne reqaer o sapplicante.
Mara Janoaria na Coneeieo.Infraas
desembargador provedor da Santa Cass.ee 1
cordia.
Manoel Jos do Aojos.A vala da
do coramandant do eorpo nio eosai
.
1
*
*
Sr
'^'^SSS'v&'^ S ^'oliedido pa-ra o deposuo de recrutoa que veio
a comnletar o arreudamento de que annexo ao citado oficio de V. Exc.
a doneidade
anda falto para completar
se trato, urna vez que se recoohega
do fiador apresenudo por Lyra Flores, e attenden-
do a ntilidade que de Ul iransferencia resalla a
fazeoda oaeional. v c
N. 716.Dito ao mesmo.Communico av.s.
que segundo consta de aviso do ministerio a juan-
ea de 13 do correte, nessa data tenho solicitado do
ministerio da fazenda para mandar que seja in-
demnsado o colre dessa thesouraria da quantia de
678*000, importancia da despeza feita com o pa-
gamento, da ajada de casto, arbitrada para trans-
porte do juiz de direito Caetaoo Estellita Cavalcao
te Peoa at a comarca do Granja,oa proviocia
do Cear.
N. 717.Dilo ao inspector da thesouraria pro-
vincial.Ero visto do pret nominal junto em du-
plcala, maode V. S. liquidar os vencimentos rela-
- ao mez de maio ultimo, dos guardas c
2* secgao.
N. 730.Oficio ao chefe de polica. 0 Exm.
Sr. vicepresidente da provincia manda declarar a
V. S. em resposta ao sea oficio de 9 do correte,
sob n. 843, que a thesouraria de faxeoda tem or-
dem para pagar a quantia de 37*300, constante
do citado oficio.
N. 731.Dito ao mesmo. Nesta data autori-
sou-se a thesoararia provincial a pagar a Joio
Antonio Pereira de Oiiveira, a mporuocia do alu-
guel de que trata o oficio de V. S. daudo de
hontem, sub o. 902, o qual fica assim respondido
de ordem do Exm. Srr vice-presidente da pro-
vincia.
N. 732.Dito ao commandante superior de Na-
zaretli.Nesta data aotonsou-se a thesouraria
provincial a pagar a Francisco de Paula Mindello,
es vencimentos constantes do offhio de V. S. data
que requer.
Manoel Alves da Silva Cateas.N3* ten
o que requer.
Miguel Jos Sarnosa Gnimarie.A i
do supplicaute carece de fundamento.
Maria Benedicta do Motta Silveica.Paeee per-
toria na forana requerida
Martinhoda Silva Costo Joaer.Entreanava,-
passaodo portara na forma reqairida.
Manoel Brasil d'Oaveira.A inaaeanara ev a
zenda coas oficio desto dala. ..
Manoel da Paixio de vea, tafhriie.
Fre Erico de Sanf Aona Riajp, fm en a
pode ser atlendido.
WiUiam Richarde.Inforaa Ir.
chefe da repariicio das obras [
Luiz Francisco de Mella Ca
licenga na forma requerida.
Antonio Marques da Silva.laara* a
municipal do Reeife.
Bemvinda Rosa Jorge de
do vista da informagao da thesoararia
MU I
Candida Rosa da Cooeeici) Pires D Sr. desembargador provedor da Santa Cana -
gericordia em sessao da junta.
C. Catao & a-Ja se exped >
nao lia que diferir.
Damao Lopes Pereira
Sr. marechal (mnajja1antejnj
Henrique de Miranda
Sr. director geraLItL
Irroandade na Glnrteao *,
de 18 dO COITente. aiauuauv.o jar irauV"i """ V".- ",- ": ,5*" "y'-" pi"ov mi r
guerra paraguayo|
wdoCan-fcOfc^-Fje.e.finJfca
niente orden *> |oe reqonr a
Relejara k W>W**-\Mr++



4 Pernambtkco Segunda feira 14 de Novembro de 1870


1
desembargador provedor da Santa Cata de Miseri-
cordia em -.- ;i i da junla.
Tenente* Jetf)jfanciieo Paes Brrelo, t- In-
forme o 8r. tjanse-coronel conraaodant do cor-
|K> de uotia.
Jos Vicente do Paula Coneedea-se o praso de
8 dus contado d*sta dala,.
los Luiz de Franca Torres.Passe portara na
fonna requirida.
Jos Viul dfi.NegreirosRequera pelos canses
eomi>etente.
Luii Manoel Rodrigues Valsees Janior.Infor-
me o Sr. juiz de direito da marca de Oliotia;
ouvindo o juiz rauniuioal e de orphos respec-
tivo. -
Maoosl Estanislao da Cost -=A tpesourarla de
fazenda com ofQcio desta tata.
9 -,
Aquilino de Mello Carneiro. O 'implicante
nao foi incluido na propina do director geral da
instruccao nublica.
Dr. Adrio Luiz Pereira da Silva. Dirija-se a
themir"rla provincial.
Ohrispiniauo Bnarque de Macedo.Informe e Sr.
inspector ila thesousaria provincial.
Ckero Rodrigues de Oliveira. Informe o Sr.
inspector da thesouraria de faz-nda.
Chrispiniano Buarque de Macado. Revalide o
seU'o e volte.
Francelino Pereira de Oliveira.Dirjase ao Sr.
de-erabargador provedor da Santa Casa de Miseri-
cordia ero sesao da junta
Isidoro de Freitas Gamboa.Indeferido.
Jos Hearique Gurreia.Sim.
Jos Joaqaim da Costa Maia.= Passe por por-
tara.
Joaquina Ferreira deBrito.\ thejoararia pro-
vrtcul com ofHeio de la data.
loia Mari de Meleiros.O lugar que reqoer o
supolieant" j foi-preeoendo.
Joo Bejerra de Mello.Dirjase a thesouraria
provincial, a quem se expede ordera ne sentido que
requor o sup icanle,
ltepartifSo da polica.
2." seccno. Secretaria da polica da provincia
de Pernair.buco, 12 de novembro de 1870.
X. 1510. Illm. o Exm. Sr.Levo ao conhoci-
ment di; V. Exc. qm\ -ogundo con3ta das partici-
pacw-s metidas boje neela reparticao, forara hon-
te.'n rceolbidos casa de delenco os seguintes
individuos:
A' minha ordem, Manoel Leandro Bezerra. Lau
renlirm J i da Rocha, Jos Francisco de Lima,
Antonio Ferreira do Nascimen'.o, Antonio Severi-
no da Silva, fose Bernardo de Lima, Sebastie
Felippe N>ry, Antonio Meudes Santiago, Jos AWw
de Lana, Raymundo Gomes da Silva, Thomnz Jos
de Araujo e Jos Rodrigues da Silva, viudo do
termo do Bjnito, o primeiro como recruta e os
demais como criminosos.
A' ordem do subdelegado de Santo Antonio, Se
bastas, escravo de Domingos Jos Ferreira, por
criaie de ferimentos.
A' ordem do de 5. Jos, Bernardina Viera do
Senna e Leopoldina Josa de Lima, por espanca-
mento.
A' ordem do da Boa-Vista, Manoel Raymundo
doLivramcuto, por desorden).
Segando communico-mo o delegad") do termo
de timb, am ofilcio de 7 do crreme, a 1 bora
da madrugada do da anterior ra dos Curraes
daquella villa fui gravemente ferido com um tiro
o soldado do -irpo de polica Manoel Joaquim da
Silva, por un seu c;>;upaohero de Dome Joiio,
Fr;.n:isco de Oliveira, em cnnstqaencia de urna
altercaco havida entre au.bos por causa de uma
mulher com fuem o ultimo esl amasiado; Joao
Francisco, depois de perpetrar j crine apresen-
tou-se ao delegado, que f-lo recolhor a resnecti-
va cadeia, proceden a corpo de delicio no oflendi-
do e e instaurando o competente summaro.
?,ir offleio de hontam co-nraunicou-me o delega-
do de S. Lourenco da Mattl que na rnesma data
te evadir da e-a que serve ah de prisao o cri-
minoso de estelionato e tentativa de mor.'e Joo
Correa de ATROJO, que para levar a effeito serae-
mante intenta abro a po-ta da prbo era que se
acbav com uma chave ou nutro iu; truniento de
que se h tria munido sern que tosse presentido
pela respectiva sentinella.
Deus guarde a V. Exc lllm. e Exm. Sr. multo
digno presidente da provincia, Di"go Velho Caval-
rante de Albuquerque.U ebefe de polica Luiz
Fernandas Pintieiro.
PERNAMBUCO.
attenco de quem competir para aja pobre ho-1
mem de cor parda e louco que vaga polas mas |
da villa causando, verdaderos sustos a popula-1
5 So.
Anda nao ha muitos dias, diz o nosso.lnfer-
mante, varias pessoas desta villa acordaran! alia
ooule sobresaltadas pelas pedradas que do alto
da ladeira jogava o infeliz doudo sobre as casas
da parte haixa. ltimamente deu elle para por.
foge i indo qne eneontra. S Ihe di- na manta
incendiar as casas on os canaviaes, estamos bem
arran jados.
Porque raaio nao se toma alguma providencia
no sentido de obviar aquello inconveniente de qne
pode resultar algum mal maior T
Seria villa do Cabo algum hospital de aliena-
dos T
ESTRADA DE FERRO DO RECIFR AO S.
FRANCISCO.Esta via de coramunicaca, no pr-
ximo lindo mez de outubro:
Rendfu 47:322*670
Despenden 36:604*916
Dando de saldo 10:717*754
' No ntftsmo periodo transitaran! na linba :
17:374 passageiros, e forana transportados:
1:416 volomes de bagagei, pesando 66:041 kilo-
gramma*.
2:789:406 kilogr. de mercadorias, e 510 ani-
maos.
as mercaderas ostao comprehenddas : 682
saecas de algodao pesando 48:639 kilogrammas, e
3:337 saicos de assucar pesando 256:982 kilogr.
A despea foi 77,35 0|0 da receiu.
COMPANHIA PERNAMBCANA -Hoje o ul-
timo dia em qne recebem carga us vapores Ipoju-
cuj Jaguaribe para os portos do norte e sul con-
formo o anouncio da mesma compauhia.
HOSPITAL PORTUGUEZ.Est de semana ues-
te esiabelecimeato o Sr. mordomo Flix Pereira da
Silva.
PROTESTO DE LETRAS.-O eserivo dos pro-
testos Jos Mariano, est de semana ; cartorio
ra Duque de Caxias, amiga ra das Cruzes, n. 39
1 andar.
LOTERA.A quo se acha venda a 170.' *
beneficio da matriz da Capuoga, a qual corre no
dia 18.
LEILO.Hoje 14 do crrante ellectna o agen-
te Pinto, no armazcpi do Sr. Carrere no largo do
Pelouriiibo n. 7 ; o le 13o de hiendas francezas,
snissas o allemaes, para lquida^ao ; dande prin-
cipio ao dito leilo as 10 horas em ponto.
PASSAGEIBOS. Vindos da llha de Fernando
no vapor nacional Mandah :
tsnente-coronel Seoastiao A. do Reg Barro,
soa senbora, 3 filhas, 1 fllho, 3 criados e 1 criado,
Dr. Joao Honorio Bezerra de Menezes e 1 criada,
capillo Christovo Pereira Pinti, sua senhora e 3
fllhos, 1 tenente, 2 alferes, 62 pracas da guarda
nacional, 1 dita de l* linda. 17 presos, uma mu-
Iher. 6 fllhos dos presos, Senhorinha Maria da Con-
ceico, Francisca Maria da Luz, Agostnha Dias de
Freitas e 1 fllho menor do 10 annos, Joaquim Ro
drigues M.iia da Oliveira, Matheus Fernandos Pe
reir, Manoel Rodrigues do Nascimento, Mara
Emilia dos Santos, Manoel Saturnino dos Santos
Meves, sua senhora o 2 fllhos menores, D. Maria
Heleodora de Magalhes, 3 filhas e 1 criada.
Sabidos para o Porto no brigue portuguez
Triumpho:
D. Margarida Candida di Cunta Almeida, Ma-
ra Victorma Morein, Manoel Ignacio Das, Jos
Antonio Alves e i^aelano Gora?s Loureiro.
Ir
REVISTA DIARIA.
ASYLO DE MENDIC1DADE.Por portara da
presidencia da proviu.'ia, Je II do crreme, foi
n imeado porteiro do Asylo de Menjii:idade o te-
uente buntrario do eaercto lela Paulo Rosa Ces-
s>-, v.sto nao ter tirado titub no praso legal Joo
Manoel de Siqeira, que havia sido nomeado pur
portara <'," 27 de Miembro ultimo.
SOCIEDADE MONTE PI BRASILEIRO.-Por
portara da presidencia da provincia, de 11 do
corrate, lu nomeado director d'e.ta sociedade,
Joaquim de G"Uva Cordeiro.
AUTORIDADES POLICIAES.Por porUrias da
presidencia, de 10 do corrente, foram nomeados :
Gorgonio Jos Viauna. Antonio Cardeal de Aleve-
do, Joaquim Salgado de Vasconcellos, 2,, 4 5.
>' 6." suprdeiit.s do delgalo de Garanhnns, Javino
Rbeiro Torres, Rwmundo Ferraz de Gouva, Moy-
ss G ncalves Lima, Antonio Severiano de Gou-
vea Lima, Raymundo da Costa Araujo, Cypriano
Roda Silva e Jos Freir do Nascimento, subdele-
gado e sopplentes do districto de Leopoldina, no
termo de Cabrob.
CONSULADO PROVINCIAL.-Por portara da
presidencia da provincia, de 10 do corrente, foi
nomeado o iraticanle da ihescuraria provincial
Joaquim Tranquilino de Lemos Duarte, lerceiro
escripturario effectivo do consulado.
F.VCULDADB DE DIREITO.-Fizeram acto sab-
hado us seguintes alumnos :
Io anno.
Nilo da Silveira Amaral, aoprovado plenamente.
Jof Carrilho do ftevorMo Barro3, idem.
Joaquim de Albuquerque Barros Guimares,
idem.
Jos Bento Viera Bacellar, idem.
2o anno.
Eugenio de Athayde Lobo Moscoso, plena-
msrc,
Epjrminonlas Viera de Mello, idem.
Avi lino llilefonso de Oliveira Azevedo, idem.
M.'UIims Joaquim da Silva, idem.
Joaquim Jos dos Res Jnnior, siraplesmento.
Esteva) Carneiro Cavalcanle de Albuquerque
Lacerda, dem.
3o anno.
' loo Perein Lagos Jnior, plenamente.
Remigio Silveira de Faria e Oliveira, simples-
mente.
Joao Tavarcs de Mello Civalcante Filho, plena-
mente.
Joaquim CanlJo F'rreira Lisboa, dem.
4 anno. \
Antonio Fausto Neves de Soasa, plenamente.
Plinio An justo Xavier de Lima, dem.
Alfredo Ernesto Vaz de Oliveira, dem.
Louienco Freir de Mesqaita Dantas, idem.
5" anno.
Francisco Vicente dos Santos Jnior, plena-
meale.
Fernando Alfonso Ferreira, dem.
Herculano Itandeira de Mello, idem.
Marciano Goncalves da Rocha, idem.
ESCOLA NORMAL. Pizeram exame no dia 12
os atnmaec segaintes :
3 aneo.
Joao Cbrlsn'aao de Oliveira, approvado simples-
nt-nte.
Mauoel (iregorb Viera Lima, dem.
Manoel llennqoe de Miranda Aceioli, idem.
Pedro Baptista de IOojosa Varejae, dem.
D ui reprovade?.
PONTE DA RA DA AURORA.De hoje em
diante li.-a prohibido o transito publico pela pon
i sobre a canal de Rlabuelo, na ra da Aurora,
qae vae ser substituida pela de ferro contratada
pela presidencia da provincia com o Sr. eoge-
nh'iro Joaquim Pns Carneiro Monteire.
FEHIMINTO GRAVE,A' uma bora da ma-
drugada tle 6 do correle, a ra dos Curraes na
villa de Itamti, foi gravemente ferido, com am
tiro, o s Hado do corpo de polica Maaoel Joa
risco de Oliveira, en coaseqoeucia d' uma discas-
ti) qu2 iveram por causa d'oina amasia do ul-
timo. O assassioo enlregon-te prisao, logo de-
pois de perpetrado o exime.
EVASAO pB PRESOS.Da cada da povoacio
de S. Loo renco da Malta evadi-se, no dia 10 do
enrrenie, Jeio Corrda de Araujo, criminoso de
Estelionato e tentativa de morte, abrindo para i*"
>o a portn da prisao com chave falsa.
VILLA DO CABO Dessa localidade nos escre-
vem i 12 do corrente pedindo-noe que chamemos
(HRONICA Jt'DiriARM.
TIUBIHAL DA UIGLA:AO.
SESSO EM 12 DE NOVEMBRO DE 1870.
11ESI0SNCIA DO EXM. SR. CONSGUIEIBO C. SANTIAGO.
Secretario Dr. Virgilio Colho.
As 10 horas da manhaa, presentes os Srs. desem-
cargadores (tirana. Lourenco Santiago, Motta,
Doria, Domngues da Silva, Regueira Cosa eSouza
Leo, fallando com causa os Srs. desembargadores
Guerra procurador da cora, Almeida Albuquer-
que e Assis abrio-se a sessao.
O Sr. desembargador Uchoa Cavalcante, apre-
sentou-se em exercicio.
Passados os feilos, deram-se os seguintes julga-
nentos :
APPr.LLAQOES CniMES.
Do joizo do chefe de polica da Parahyba.Ap-
pellante, Joo Francisco de Mello Barretto ; appel
lado, Thomaz d'Aquino Miodello.Annullaram o
prr.cesso.
Do jury do Grato.Appellante, Amaneio Lopes
Rodrigues; appellada.a juslica A' novo jury.
Do jury de Porlo-Calvo Appellante, J >s Anto-
nio de Miranda; appellada, a jusga.Improce
dente.
Revista civel do supremo tribunal Recrreme,
Manuel Ferreira de S; recorrido, Jos Benio Pe-
drosa. Juizes os Srs. desembargadores Motta,
Doria e Domingues da Silva, sorteados os Srs. des
embargadores Lourengo Santiago eSouzaLeo.
Deu-se provimento a revista.
BABEAS CORPUS.
Concederara soltura a Mauoel Francisco Duarle
o flcnu adiado o julgamento do paciente Antonio
Jos Viegas, al que cheguem as raformacoes.
PASSAGENS.
Do Sr. desembargador Gilirana ao Sr. desembar-
gador Guerra:
Appellaijao civel do juizo municipal do Reci-
fe.Appellante, Jos Victorino de Resende & C.;
appellado?, Monteiro Correa & C. appellante, D.
Honriquela Elisa Bancks de Miranda ; appellado,
Jos Laiz de Soma Ferreira. Do juizo municipal
de Porto-Calvo. Appellante, Ricarte Alexandre
Bandeira appellado, Antenio Francisco Bolla.
Do Sr. desembargador Lourenco Santiago, ao
5r. desembargador Almeida Albuquerque:
Appellacao civel do juizo municipal deBaturi-
t.Appellanle, Jos Luiz de Lima; appellado,
Pedro Guedes Soutomaor. Appellacao crime do
jury de Campia. -Appellante, Francisco Borges
Cardoso; appellado, Joo Aranha de Vascel-
los. Do jury da Telha.Appeliantes, o juizo e
Severino Antonio da Silva; appellados, Claro Alves
de Oliveira e oulro.
Do Sr. desembargador Motta ao Sr. desembar-
gador A-sis:
Appellacao civel do juizo municipal do Reci
fe.Appellanle, Joaquim Salvador Pessoa de Se-
queira Cavalcante ; appelaldo. Savador de Sequei-
ra Cavalcante. Appellante, Jos Antonio de Brillo
Bastos; appellado, tenente-coronel Manoel Joaquim
da Reg Albuquerque. Appellante, Jacintha Pla-
cida da Rocha; apoellado, Manoel Jos de Barros
Viega. Appellacao crime do jury deTraip.Ap
pellanle, o juizo; appellado, Joaquim Nunes dos
Santos. Do jury da Ara.Appellante, o juizo ;
appellado, Jos Cosme da Silva. Do Jurv de Pes-
queira.Appellanle, o juizo ; appellado, Joo Soa-
res da Silva.
Do Sr. desembargador Doria ao Sr. deserabar-
gidor Domingues da Silva:
Appellaeo crime de Gascavel. Appellante,
Raymundo Cardoso da Suva; appellada, a justi-
0*. Do jury da villa do Pereira.Appellante, o
juizo ; appellado, Francisco Raymundo de Soaza
Braga. Do jury de Campma-Grande.Appellante
Joo Correr de Menezes; appellado, Jos Joaquim
''a Vetga Lyra. Do juizo de direito da comarca
de S. Jos.AppeManie, Pedro Jos de Mello ; 5p
pelada. Do juizo de direito do Limoeira Appel-
lante, Antonio de Hollanda Cavalcante; appellada
a jnstica. Appellacao civel de jnizo municipal do
Bonito.Appellante, Prancisco Pereira da Silva
VaUnte; appellada, D. Josepha Joaquina Bezerra
do Mello.
Ao Sr. desembargador Regueira Costa :
Do juno municipal do Recife. Appellante. Joa
quim Rbeiro de Moraes e outros; appellados,
Manoel Pereira M.igalhes e outros.
D) Sr. desembargador Domingues da Silva ao
5r. desembargador Regueira Costa:
Do inizo municipal do Recite. Appellanle, o
cnsul portuguez; appellada, D. Mara Joaquina
de Oliveira Campos. Appellacao crime do jury
de Pao d'Alho.Appellante. o juizo; appellado,
Manoel de Mello Falco. Do jury de Pao d'Asso-
carAppellante, o jnize; apoellado, Paulino Jos
de Sant'Anna. Do jury da Independencia.Ap-
pelfante, o juizo; appellado, AdeHoo Jo? da Sil-
va. Appellacio civel do jmzo rrranicipal do Reci-
fe.Appellante, Dr. Joao Franei.-co Cavalcante de
Albuquerque; appellado, Dr. Antonio de Vascon-
cellos Menezes de Drummond. Di juizo muuici-
pal d'Agua-Preft.Appelltntes. p.idre Joao David
Madeira e onMs ; appellados, Pedro Emiliano de
da Silveira Lessa e outros. Revista civel.Re-
correntes. Cesta d Pilhos. como procnradi res (na
administradores dos bospitaes de Pr-) 11 v
Jim ; recorridos, Manoel Caetana Gomps e
tros.
Do Sr. desembargador Regueira Costa ao Sr.
lesembargador Sonza Leao:
Appollace civel do jnib municipal do Reci-
fe.Appellante, Francisco Goacal ves Netw; ap-
pellado, Maaoel Joaquim Baptista. Appellante;
Jos Joaquim da Silna; aptwllado. Joo Mauricio
Cardow. Do jnizo de orphos de Goyanoa.Ap-
Ipellante, o ajudante do procurador fiscal; appol-
lado, Joaquim Raphael de Mello.. Do juizo nos
jeitos da- lazenda de Reefe. Appeliantes Joan
Lui Ferreira Rbeiro eoutms; appellada, a fa-
ienda. Dia dappareeer, do juizo raamcipal do
Reeife.'App-llado, o majo? os Gomes da Silv ;
appellanle, Joaquim Duarte Pereira.
Do Sr. desembargador Souza Leao ao Sr. dw-
embargador Gitiraua:
Appella?5eaerimes.--Appellaoik,pjnizo; appel-
lados, Joao Pedro da Silva e ontro. Appellante, o
uizo ; appellado, Carlos Jos da C^sta. Appel-
lante, o juizo; appellado, Antonio Jo Dias. Ap-
pellante, o juizo; appellado.-Francisco Josi.
DELIOKNCIA CIVEL.
Ao Dr. curador geral:
Do juizo municipal do Recite.Appellante,.Ma-
ra Ferreira dos AijoajCurado; appellado, Luiz
Gomes Silvesio.
BKLIGBSCi.V CBI.VE.
Ao Sr. desembargador promotor da jnsii^a :
Do jury da villa do Jardira.Appellante, Vicen-
te Machado do Nascimento ; appellada, a justi-
ca.
' Do jury do Aracaty. Appellaate, Joaquim
Jos du Sant'Anna; appellado, Francisco Jos Pe-
reira.
Appellante, Trajano da Silva do Nascimen-
to ; appellada, a ustiea.
Asignou-se dia para julgamento dos seguintes
leitos:
APPBLUg&ES CIVEIS. ,
Do juizo municipal de Pao d'Alho.Appellante
Jos Cqrdoso de Almeida ; appellado, Severino
Jos de Fat ias.
Do juizo municipal do Recife. Appellante,
Theotono Alves Ferreira; appellado, Joaquim
Francisco Lavrs.
REVISTA CTVL.
Do supremo tribunal.Recrreme, Antonio Ju-
lio da Costa Guimares; recorridos, Forjas 4
S.
DISTniBICrjES.
Ao Sr. desembargador Gitirana : *
Recorso crime do juizo de direito de Campia
Grande.Recrreme, o juizo; recorrido, Jos
Joaquim Monteiro da Fonseca Galvo.
Ao Sr. desembargador Loureocp Santiago :
Appellacao crirrie do jury do Caruar.Apoel-
lante, o juizo ; appellado, Joo de Parias Letao.
AoSr. desembargador Almeida Albuquerque :
Do jury da villa de S. Joao.Appeliantes, o pro-
motor ; appellado, Mi-ael Jos Rbeiro.
Ao Sr. desembargador Molla :
Do jury do Recife. Apsellante, Jos Antonio
Marques do Espirito-Sanfo; rppellada, a jus-
lica.
Ao Sr. desembargador Assis:
Do jury ds Sorinhem. Appellante, Florano
Marques da Silva por seo curador ; appellada, a
justica.
Ao Sr. desembargador Sonza Leao:
Aggravo do peticSo do juizo municipal de Olin-
da.Aggravante, Josd Policarpo de Freitas J-
nior ; aggravado, o juizo.
Encerrou-se a seisao tres quartos depois do
meio-dia
rs. Aceioli, Silva Guioia-1 *A *-^^ l a. t
n desprezados os embar- AO COrDO 6leit0rftL
m. Sr. aresidmi*. Mnrth o- j
de Miranda ; juizes
Lie, Basto e Rosa,
gos com a voto do Exm. Sr. presidente, sendo vo-
roa vencidos os Srs. llosa e Basto.
Juaw especial do' commercio : embarganie ap-
pellante reo Manoel Pereira Magalhes, embargado
appellado autor D. Joan Bnsson ; juizes os Srs.
Aceioli, Silva Gnimares, bario de Naiarelh e Mi-
randa Leal Foram deepretadea os embargo,
sendo vota vencido em parte o Sr. desembargador
Aceioli.
A' pedido de um dos Srs. depntados adion-se o
julgamento do feilo entre partes, appellante Joo
Lourenco Viristo de Vasconcellos, appellado Jos
Rodrigues Pereira.
Contina sobre a mesa o feilo entre partes, ap-
pellante Jasa Alves de Agaiar, appellados os admi-
nistradores da massa fallida de Antonio Jos de Fi-
gueiredo.
PASSAQENS.
0 Sr. desembargador Res eJSilva jurn suspei-
cio e passou ao Sr. desembargador Aceioli os fei-
tos entre partes, embargante Alexandre dos Santos
Barros, embargado Manoel Jos de Miranda ; ap-
pellante Antonio Joaquim de Vasconcellos, appel-
lado o administrador da raassa failida de Joo Fer-
reira da Costa Soares.
Do Sr. dosembargador Res e Silva ao Sr. de-
sembargador Aceioli : appellante Joo Pinto de Le-
mos Jnior, appellado o administrador da raassa
fallida de Mamede & Martins. /
Do Sr. desembargalor Silva Guimares ao 8r.
desembargador Reis e Silva : embargante Joaquim
Jos Goncalves Beltro, embargada a Companhia
Vigilante.
destmboiqXo.
0 Sr. desembargador accio apresentou para se
assignar dia para o julgamedto do feito em que o
Sr. desembargador Silva Guimares relator, en-
tre partes appellante D. Maria Felismina do Reg
Costa, appellado Manoel Pereira Magalhes. O
Exm. Sr. presidente jurou snspefeao, e assnmindo
a-presidencia o Sr desembargador Silva Guimr-
res distribuioo supradito feito ao Sr. desembaa-
gador Aceioli.
AGGRAVO.
Juizo especial do commercio : aggravante Deo-
medonte d'Alraeida Magalhes, aggravado Goncalo
Luiz Rbeiro.
O Exm. Sr. presidente negou provimento.
Encerrou-sa a sessao as duas hora da tarde.
rniBUWAL D COWWEEHCIO
VCTA DA SESSAO ADMINISTRATIVA DE 10 DE
NOTEMBRO DE 1870.
'RESIDENCIA DO EXil. SR. DESBMBARGADOB ANSELMO
FtUiCISCO PEBETTL
s 10 horas da nianha, presentes os Sra^
deputados Miranda Leal ellasto e supplente S
Leilo, e sendo nomeado o Sr. Miranda Leal secre-
tario na ausencia do Sr. depudo Rosa, que nao
compareceu e communicou verbalmente nao po-
der hoje apresentars? no tribunal, S. Exc. o Sr.
presidente declarou aberta a ses-o.
Foi iida e approvada a acta da sessao de 7.
EXPEDIENTE.
Jornal Oficial de im. 248 2'2. Archive-se.
Dislribuiram-se os seguintes livros: Copiador
de Prente Viaona & C, dito de Jos Ferreira da
Costa, Diario e Copiador de Carplnteiro, Filhos &
Sobrinho, Copiador de D imiogos Alves Malbejns.
Em virtudede representaco doSr. desembarga-
dor ofiicial-maior foi distribuido ao Sr. deputado
S Leilo o livro da correspondencia offlcial que o
havia sido no deputado, hoje fallecido, barao de
Cruangy.
DESPACHOS.
Reqnerimentos :
De Guiiherme da Silva Guimares, pedindo cer-
ti l>) do registro Je sua aomeacao de seu caixc-
ro.U se-lbe.
De Frederico Hearque da Silveira Tavora e
Thom.z Terrena liaeiel Pnheiro, submettendo 4
registro o seu contrae!) social. Vista ao Sr. de-
sembargador fiscal.
De Afen les V C, tarabem submsttendo a regi-
tro a n-iineacii de seu caixeiro Fortunato Pacheco
da Silvera.^-Seja registrada.
De Angelo Dias da Silva Cardeal, submettendo
registro o trabalho de nomeacao de seu caixeiro
Manoel Antonio Flix.Na forma requerida.
De Joaquim da Rocha Moreira Jnior, cidado
brasileiro, de 32 annos de idade, natural do Cear
e eslabelecido na capital da dita provincia em com-
mercio de mercadonas por gros dindo matriculaAprsente atiestado de sua ca-
pacidade legal assignado por Joaquim da Cunta
Freir & Irmao e J. S. Vasconcellos Hughs.Vista
ao Sr. desembargador fiscal.
De Jo> Luiz de Souza, tambem brasfleiro, com
42 annos de idade, natural da mesma provincia, c
MamereiasJe de mereaJorias grosso e reta-
lho na respectiva capital, pedindo igualmente ser
admitii lo a matricula. Aprsente aitestado igual
ae apreseniado por Joaquim da Roha Moreira
Jnior.Hija vista o Sr. desembargador fiscal.
De Jos Rodrigues do Nascimeuto e Jos Antonio
Vilella, submettendo registro o seu contracto
sccial.Vista ao Sr. desembargador fiscal.
De Reinaldo da Silva Porto, registro de sua ne-
meacao Je taixeira de Guiiherme Pereira de Aze-
vedo.Registre-se.
COM IMFOnUACO DO SR. DISEMBARGADOR FI8CAL
De Joao da Silva Braga, pedindo ser nomeado
agente de leiloes da provincia do Cear Informe
a secretaria se em caso idntico nao foi reeusado
ao agente de leiloes Francis:o Ignacio a flanea
qne nuecera com hypolheca era um predio a elle
pertenceBle.
A's 11 horas e meia o Exm. Sr. presidente en-
cerrou a sessao.
SESSO JUDICIAR1A EM 10 DE NOVEMBRO
DE 1870.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. DESEMBARGADOR A. T. PI-
, HETTI.
Secretario, Julio Guimares.
Ao meio dia declarou-se aberta a sessao, estando
rennidw os Srs. desembargadores Silva Guima-
res, Reis e Silva, Aceioli, Doria, os Srs. deputa-
dos Basto, Miranda Leal, supplente S Leito e o
Sr. baro de Nazareih.
Lda, foi appn.vada a acta da sessao passada
ACCORDAOS ASSIGNADOS.
Embargante Jos Velloso Soares, embargado
Urbano Jos de Mello; embargante Bernardo Jos
Rodrigues Pnheiro, embargados Wilsons t Hett.
JUMAMEirrOS.
Juizo municipal e do commercio da cidade da
Fortaleza : appellante autor Jacob Cahu, appellada
r D. Delphina lelles de Menezes; juizes os Srs.
Aceioli, Doria, Rosa e Miranda Leal. Foi confir-
mada a sentenea appellada, sendo voto vencido o
Sr. Rosa.
Juizc especial do commercio : appellante reo
Theodoro Christaasen, appellados autores Rabe
Schmenau A C.; juizes os Srs. Res e Silva, Ac-
eioli, Rosa e Basto. Sendo proposla uma diligen
ca, votou por ella som'ente o Sr. Rosa : e entran
do-se no merecimento da causa, fot conSrmada a
sentunr;a appellada.
Jnizj especial do commercio : embargante ap-
pellan'e reo Joaquim Francisco do Espirito Santo,
embargado appellado autor Nathan Danheisser;
juizes os Sr. Res e Sirva, Aceioli, Rosa e Miran-
da Leal. Foram desprezados os embargos, sendo
voto vencido o Sr. Rosa.
Joizo municipal e do commercio de Maeeid:
embargante Jos de Oliveira Lima, embargado Joa-
quim de Souza Ferreira : sorteado o 9r. Basto em
sub-iituico ao fallecido Sr. bario de Cruaogy.
Adiou se o trlgamento sen pedida
Juizo especial do commercio : embargos ao ac-
cordo que julgou nao provadw os kifringiaieBlos
do migado; embargantes execulados E. A. Burle
& C, embargados exequantes Oliveira, Filhos &
C.;juizes 9 srs. Res e Silva, Aecioli, Rooa e
uasto borara desprezados os embargos.
Jinzo especial do commercio : appellante embar-
gante terceiro Salvador de Siqueira Cavalcante, ap-
penado exequeote Leopoldo Ferreira Martins Ri-
tieiro, executados Mauoel Ignacio de Siqueira Ca-
valcanio e outros ; juizes os Srs. Aceioli, Res e
Silva, S Leilo e Rosa. Foi confirmada a seoten-
ca appellada com o rolo do Exm. Sr. presidente,
sendo votos vencidos os Srs. Res e Silv e S Lei-
to.
Juizo espacial do commercio > e-nbaraante ap-
pellante r D. Gertrudes Anglica Joaquina, em-
bargado appellado o bacnarel Joaquim Francisco
PUBLICACOES A PEDIDO.
A companhia dos trilhos urbanos do Recifea
Apipuces, to replecta dos lucros que aufere, nao
pode ter procedimeoto diverso do que tem tido,
invadindo a prophedade albeia e apossando-se
sem consentimento e contra vontaie de seus donos,
d'aquillo que Ihe nao pertence, relativamente ao-
sens trabalhos na parte corapreliendida entre
Apipucos e Caxang; o que um crime previsto
pelo art. 269 do cdigo do processo criminal I e
sao os fanfarrdes dos constitucionaes da epocha
que assim procedem, com solemne desprezo do
art 179 S 22 da constitmeo do imperio, que ga-
rante o direito de propriedade: e como se se tra-
tasse de intimidar creancas com contos da onca,
manda-se agora ao Sr. Rawlinson fazer ridiculas
ameacas, e isto antes testemunhas de que a justica
d'este seu trra s de quem tem dinheironao
sei o que mais tem admirar-se. se a onsadia do
inglez, se o procediraento d'aquelles que a isto o
insuflara.
Um tal proceder censentanio ? e3l de accordo
com a boa razo e raoralidado que se diriara at-
tribuir a cada um ds empresarios em particular,
e a todos em geral ? Digara os horaens sensatos.
Consentiriam os Srs. empresarios em seus sitios,
ou en suas propriedades que algum particular,
ou emprezi qualquer esbulhasse os do_que Ihes
pertencepi ? como que com a prelencSo do non
plus-ultra, se ultrapassa assim o direito alheio?
S devemns querer aos outros aquillo que de-
sojamos nos.
Dar-se-ha o caso porm que tenhamos revolvido
as epochas da pirataria t
Onde porm a carta de corso que isso autorise 1
as cartas que se remetem i Inglaterra far-se-
ha menco dos terrenos assim estorquidos e oceu-
pados pela companhia ?
Ao Dr. Silva Ramos.
Pergunta-se ao Sr. Dr. Ramos se as 'da-
vidas que manifestou acerca da molestia do
Dr. Victoriano de S e Albuquerque se acham
j dissipadas pela analyse chimica feita na
Baha e nesse caso esclareca ao publico com
sua opimaj actual.
A/ respeiUvel corpo eleitoral desU provincia
apresent-me candidato eleicio prxima para
doas senadores, snpplicando cada um dos illus-
tres Srs. aleltores se digne honrar-me oom o seu
voto. ^
De mlnbas habilita^oes e de ipeus servas p-
blicos nada digrj; pdta que qual juer qne por ven-
tora possa ser o mea merecimento, cima dalle
esta a generosidade de meus Ilustres eoncidados,
eleiteres, senda esta Jbnte que me occorro, e
da qual espero me vira a honra e o beneficio, que
imploro, pelo qne llcarei profundamente agrade-
cido.
Recife, H de novembro de 1869.
Dr. Francisco de P. Baptista.
N. 3S0.-QUASI CONSUMIDA VIVA.-Quera
nao ouvio fallar do caso de Dolores Mndez, de
Lima ? foi ella atacada di escrfulas dura aspecto
e natureza a mais asquerosa e rpidamente mor-
tal. Grandes ulceras, que cada dia se lornavam
mais profundas, consumlram a carne de seus
membros inferiores, e al os ossos se Ihe apodre-
ceram. Esteve dez roezes de cama 'convertida
n'um esqueleto.
Charaarara-se mdicos de todas as partes, e
lodos elles, a desenganaram, nao Ihe restando por
tantn ontro recurso do que esperar pela morte.
Achando-se pois em to criticas circumstancas
Ihe recommeadaram que tomasse a salsaparrilha
de Bnstol, e esta a salvou, como j antes della ha-
via salvado outros rail.
Reprimion-se a calamidad?, cicatrisaram-se a-
chagas; reenperou as torcas e o apetite, n'nma
palavra, a saude, a alegra tornaro a visita-la, e
desde entao tem gosado desss supremas felicida-
des da trra, a saud a do corpo e alegra do es-
pirito.
A facuidade medha concerne que se annnnce
a salsaparrilha de Bristo', como o remedio mais
prompto e seguro de quantos se coohecem, para
todas as formas de escrfulas, cancros, tumores,
abscessos e rheumatismo.
N. 382CONQUISTAS SANITARIAS. Mlton
disse era um de seus melhores sonetos :
< A paz tero suas victimas
Nao menos celebradas qne a guerra.
As victorias que a salsaparrilha de Bristol, tem
diariamente alcancado pelo espaco de trinta e ein
co annos, pertencem essa classe ; teem occa-
sionado a derrota e exterminaco de quasi todas
as molestias humanas. As affe cOes escrofulosas
foram anniquiladas, os cancros extripado', o* ab-
cessos, as erupcSes desarraigadas, as affec?5es do
ligado desvanecidas, e subjugadas rpidamente,
todas as desordens produzidas psla eondico mr-
bida das secreedes e da corrupeo do sangue.
Centenares de casos desesperados, como aquel le
de Alejo Rodrguez, da Santiago, cuja lingua, boc-
ea e msculos faciaes haviam desapparecido quasi
completamente ; tiverara um resultado triuraphan-
te, e bem sabido que em mais devinto mil ca-
sos, as enormidades externas mais malignas, fo-
ram permanentemente caradas com a salsaparri-
lha de Bristol.
COMMERCIO.
PRACA DO RECIFE 12 DE NOVEMBBO
DE 1870.
AS 3 1/2 HORAS DA TARDE.
Cotaces ofGciaes.
Algodao de Mamanguape sem inspeceo52i rs.
por kil.
Cambio sobre Londres 90 d/v 22 1|2 22
22 t|i por I 000.
Goncalo Jos Affonso,
9 Presidente.
Mesquil Jnnior.
Secretario.
3|8 e
ALFANDEGA-
Rendiraento do dia 1 a 11. .
dem do dia 12 .
03:605i9
37:520*264
441:12o*6l3
Xovlmento da alfaadega.
Volumes en-ados com fazendas
t % t com gneros
Volumes sabidos com fazendas
i com gneros
526
Ao
Dr.
pnblieo e ao lllm. Sr.
chefe de polica.
Abaxo publico a integra de uma carta, que
sendo dirigida a meu padrasto o Sr. Manoel do
Nascimento Santos, anuuncia o cruel assassinato
que me est preparado.
1 Nenhura comraentario faQo ella, e smente exi-
jo providencia do lllm. Sr. Dr. chefe de polica, e
chamo a allenco de todas as autoridades da ca-
pital
Sao mais tres infelizes dos quaes o mais velho
tem cinco annos, que se quer reduzir orphan-
dade : Deus velar sobre elles e guardar os dias
de seu pai.
Eis a carta :
t lllm. Sr. Manoel do Nascimento Santos.Como
seja amigo de o fazer, por isso venho avisar V. S.
que se prevna, que agora mesmo sei que ehega
rara do Porto Calvo 3 as assmos, os quaes procu
rain matar seu filho o Dr. Guennes, sendo que
estes assasinos sao por gente do partido contra
rio, e que o fazem agora para se desculparem com
negocios de familia. Sirva isto de governo V.
S. E nao me assigno, porque nlo quero ticar
mal.
t Recife, 12 de novembro de 1870. e
Bacharel Joaqaim Guennes da Stlva Mello.
ELECrO
das pessoas qae teem de feste-
jar Nossa Senhora da Paz de
Afogados, no anno de 1871.
Juiz por ele ir, 5o.
O lllm. Sr. Francisco Luiz dos Santos.
Juiza por eleico.
A Exma. Sra. D. Maria Libia Wanderley da
Silveira, mulher do lllm. Sr. tenente-coronel Cono-
lano Velloso da Silveira.
Juiz por devocao
O lllm. Sr. capito Jos Caelaoo de Albuquer-
que.
Juiza por devocao
A Exma. Sra. D. Mana Isabel de Jesas Moraes.
Eserivo per eleico.
O lllm. Sr. Pedro Pernambucano da Rocha.
Escriva por eleico.
A Exma. Sra. D. Marcionilla Candida de Albu-
querque, mulher do lllm. Sr. tenente Lniz Felippe
Cavalcante.
Eserivo por devocao.
O lllm. Sr. capito Manoel Gomes de S.
Escriva por devocao.
A Exma Sra. D. Hormilla Floresta da Cunha
Salles.
Juizos protectores
Os Illms. Srs. :
Rvdra. padre Joaquim Jos de Farias.
Tenente-coronel Maaoel Joaquim do Reg Albu-
querque.
Tenente-coronel Francisco Carneiro Machado
Ros Jnior.
Dr. Jos Roberto da Moraes e Silva.
Major Antonio Goncalves >le Moraes.
Dr. Miguel Joaqnim de Castro Mascarenhas.
. Juizas protectoras
As Exm. Sr." :
D. Uobelina Candida de Albuquerque.
D. Anna Joaquina do Reg e Albuquerque.
D. Francisca de Panla dos Prazerea.
D. Senhorinha, mulher de Sr. Francisco Simos
da Silva fafra.
Juiza da bandeira.
A Exma. Sra. D. Maria Camilla Bandeira da
Cunha.
. Proenrador geral.
x O Um. Sr. Jos Nonas da Silva Braga.
Procaradores
Os Illms. Srs.:
Adehno Ildefonso de Siqueira Albuquerque.
6aldino Pereira Tavares.
Justino Martins de Almeida.
Joo Baptista Cazar. '
_ Tneaoureiro
O Hlm. Sr. tsente Jos Lncio Lins. ,
MordoiDM' e mordomas.
Todos os devotos qae conejrrerem para a fes
da mesma Seahora. Afogados 19 a fevereiro de 870.
O vigario,
Joaqutm Jos i* Furias.
duzia 30C
kilog. 163
i 54a
um 44000
i aaooo
kilog. 68
177
i 250
i 140
436
uma 1*00"
> 5*000
45
481
"65
473
----- 738
Descarregam hoje 14 de outubro.
Barca nglezaBrii/iane diversos gneros.
Barca inglezaZennia idem.
Barca francezaS. Andridem.
Barca inglezaF/iWiVin/bac.ilho.
Barca inglezaImperadorfaiinha de trigo.
Galera inglezalermionediversos gneros.
Lugar inglezNavegatorferro e carvo.
Brigue inglez Wolfreddiversos gneros.
Brigue portuguezJudithdiversos gneros.
Brigue mg.ezKdedem.
Lugar portuguez Julioidem.
TABELLA dos pbeqos dos gneros sujbitos a di-
mito DE EXPORTACAO. SEMANA DE 14 A 19 DE
NOVEMBRO DE 1870.
Mercadorias: Unidades. Valores.
Abanos ........
Algodao em caroco ....
Idem em rama ou em la. .
Carneiros vivos......
Porcos idem........
Arroz com casca. .
Idem descascado ou pilado .
Assucar branco.....
dem mascavado.....
dem refinado......
Gallinhas.......
Papagaios......
Azeite de amendoim ou men-
dobim.........litro
Idem de coco ....'.
idem de mamona......
Batatas alimenticias. ..... kilog.
Baunilha.......*
Bebidas espirituosas efarmentadas:
Agurdente cachaca. .... litr.
dem de canna...... >
dem genebra......
Idem restilada......
dem alcool........
dem cerveja.......
envinagre....... >
dem vinho de caj.......
Bolacha fina, comprehendidos os
biscoitos........ kilog.
dem ordinaria, propria para
embarque.........
Caf bom....... >
(dem escoma ou restolho ... >
dem-torrado oa moide. ...
Cal branca,.......
dem preta........ >
Carne secca ( xarque ). >
Carvo vegetal....... >
Cera amarella........
dem de carnauba em bruto.
Idem dem em velas, ....
Cha..........
Cocos seceos...... cont
Colla.........kilo*.
Couros de boi, seceos salgados,
dem idem espichados....
dem idem verdes......
dem de cabras cortidos um
dem de onoa.......
Doces em calda....... kilog.
dem em gela on massa.
Idem seceos.......
Espanadores de peonas grndes duzia.
dem pequeos......
lem de palha....... >
Esleirs de carnauba .... eento
dem propria para forro ou estiva
desavo........
Estopa nacional......kilog.
Farinha de araruta ..... *
(dem de mandioca..... 9
Feijo de qualquer qualada.
Fumo charutos.......centro
dem cigarros......
dem em folha bom kilog,
dem em folha, ordinario ou res-
tolho ........
Idem em rolo e em latas bom .
Mem, ordinario onrestolhu .
Rap.........
Gomrna de mandioca, (polvilho).
tpecacuanha ( raiz).....
anaico (toros). .....
Cauros........
Bnxams........
ProohsMLV
Jacaranda (couQoeiras) .
Leana em adata. ....
dem em toros...... %
Linios e estetas......um
i-----------------------P-----
Lour s (prancnUes). ....
Pao Brasil........
[dem de jangada......
Quiris ......
Vinhatico rostadlabodelS a 30
milmeires de gi ornara.
Idem pranchoes de dona cosU-
doaai 50 mlimetros dupsa
dem taioado do raenoaaV* '
milMmetros da grossar *. smzia
Tabeado diverso......
Tatajuba........1
Travs ........
Varas para pescar. ....
dem para aguilnadas
Idem para canoas.....uan
Cavernas de suenpirafera obra)
Eixos de cicupira para carro. par II
Melaco.........kilof.
Mel de abelha.......
Milho..........
Ossos......,
Palha de carnauba.....mostos I i
Pechury........kimg. 117
Pedras de amolar 31
dem de filtrar...... M
dem de rebollo 3k
Peonas de ema. ...*.. 4f7N
Plassava.........
Pontas oa chifres de novilho ou
vacca.........
Sabo.........kof.
Salsaparrilha.......
Sapatos de conro branco. par WU
Sebo ou graxa erarama kilog. 34S>
dem em velas. ...... 47
Sola e vsquela ...... > \
Tapioca.........
Unbas de boi.......ees
Vassouras de carnauba dase
Idem de piassava..... l
dem de imb. j.....
Alfandoga ae Pernabmbaeo, 12 de
1870.
01.* conferente.Manoel C, Bmrrtto.
O 1" cinferente-Joofluim /. V C. Mrnimtrm.
Approvo.Alfandga, 12 de novembro a* l7.
Paes de Andrade.
Conforme. Joaquim Tertuliano de JMssvaa.
RECEBEDORIA DE RENDAS INTERNAS
GERAES DE PERNAXBUGO
Rcndimeoto do dia 1 a II. i-j. >MdK
dem do dia 12 .

CONSULADO PROVINCIAL.
Rendimento d dia 1 a 11. 18.1WOT
dem do dia 12 :0#7*
.vnsm
PRAGA DO RECIFE^
KM 12 DE NOVEMBRO DE 1870. AS 3 HORAS SA TAKM
REVISTA EMAXAL.
Cambios.Saccon-se sobre Londres a 22, 2J1,
22X, 22 '/ e 22* d. por M, e a 145 sor esa '
sobre Portugal; sendo o valor dos saques efec-
tuados durante a semana de 113,000.
Algodao. Vendeu-se o de PeraamasKo a
8800 a arroba ou os 15 kilos do 7|700 sem inspeceo, o de Mace po- lo a oren,
a lOiOOO a ultima venda, e o da Parasta a
980O.
Assucar.Vendeu-se o braneoda 4#Mt a
5^600 a arroba, o snroeno*- de :J900 a %#Ms>,
mascavado pnrgado de 3400 a 700 a a i
do bruto di 21300 a 2*400, as ultimas
pelos exportadores.
Couros.Os seceos e salgados venderasa-se a
220 rs. por kil.
Arroz.O pilado da India vendeu-se a 3i*)
a arroba.
Azrite-doceO de Lisboa vendeu-se a 3420
o galo do de Lisboa.
Bacalho.Vendeu-se em atacado a lisa
barrica e a retalho do 104 a Uj.
Batatas.Vendeu-se a 3 300 a arrob.
C \i--i:.dem de 51500 a 6*200 a arrot*.
Cha.dem de 2*200 a 2*800 a libra.
Cerveja.dem de 5*200 a 9*008 adaadr
h lijas ou garrafas.
LoucAVenden-se a ingleza ordinaria de t
a 350 por eento de premio sobre a betn.
Maxtkia. A ingleza vendeu-se a 1*100 a
libra, e a franceza s 1*.
Massas.Venderam-se a 8* a cwxa.
Oleo de i.i vhaca.dem a 220>3 o gafio.
Passas.dem a 9 500 a ca xa
Presuntos.dem a 18 a arroba.
Qurijos.Os flamengos venderam-se da 2*4>
a 2*500 cada um e os de prato na razo da 809 rs.
a libra.
Sabao.Vendeu-se a 170 rs. a lilra do lUjlez.
Touclvho.Vendeu-se o de Lisboa de 11*900 a
12 e o do Rio-Grande do 9nl a 8* a Vinagre.O de Portugal vendeu-sa a 150*
Pjpa-
VinhosOs de Portugal venderam-se a>2B*
a 260* e os de outros paize; de 210* a 240* ftr
pipa.
Velas.As de composicao vendsrw is a 3tw
rs. o pacote de 6 vda.
Descont.O rebate de letras regatou de 8 a
11 por eento ao anno.
Fretes.Do algodao, carregaado em aosso aorto
para o de Liverpool 5/8 d. por libra sera capa, pava
o Canal e ordens 3/8 d. e 3 0: rarrefaaaV> ea
outros portos, para Liverpool 5/8 d. por libra e
o % Do assucar carrejando em aosso pene
para o Canal e ordens 32/6 por tonelada e 5 Do
lastro de assucar para Liverpool 17 6 e ( per
tonelada.
'
vi


937
673
525
102
5*450
195
300
330
300
337
600
300
660
476
204
476
442
959
39
27
258
168
442
436
763
4*360
4*000
1*438
471
640
260
350
10*000
1*133
784
2*180
48*000
24*000
12*000
16*000
12*000
136
681
92
272
3*000
310
1*090
11*088
6*000
MOVIMENTO DO PORTO.
Navios entrados no dia 12.
Bio Formoso e portos intermedios8 botas, "apar
nacional Parahyba, de 104 toneladas, eeanasaa
dante Oliveira, eqoipagem 14, em lastro; eaaa-
panhia Pernamhueana.
liba de Fernando2 dias, vapor aaeieaal Mmmdm-
hu\ de 222 toneladas, eommaadaale Jaba fia-
mes da Silva, cquipagem 15, carga aigo.Se e
milho ; companhia Pernambonuu.
Greenock 49 dias, brigue inglez Jtory kkmttm.
de 248 toneladas, capito WiHiara rwld. esjassav
gem 10, carga carvo : Adamson Hxwie k C
Liverpool42 dias, brigne inglez Wili Watt, eV
190 toneladas, capitn Daniel Smith, qiapafeaa
8, carga diferentes gneros : Jobastoa Paaer
AC.
Navios sonidos no mesm sa.
PortoBrigue portup>ez Trimmmna,
noel Francisco Jnnior, carga algvda* t
gneros.
BarcllonaSumaca hespanhola Ckrsaeatrlri
pito Domingos S. Jnan, rargt alf>4o
MossorHiale brasileiro JVora Esprame*,
to Manoel Franciso da Silva, carga m
gneros.
Terra NovaLugar inglez Minante, eaaaala Wis-
liam Todd Felmore ; em lasera.
Observe*
No dia 13 nao bonve entradas a i
meio da

ECITAES.
A cmara muoiripal dasta ridads fas
para conhecimemo da teua aauaeiaas oe
le postnra abaixo tnnsenpUm, as
approvados provisorlaar"
da provincia em 28 de ..
cmara municipal do Recife, 8 de
1870.
Bento Jos da Ceuta Jai
Pro-presidente.
Lourenco Bezerra Carneara da
Secretario.
Copia.4.' seceo.Paiaess do .
nambuco, 26 de outubro de 1870^ O _
dente da provincia, em *ista da rancio da
municipal do Recife de 12 da
resolfa approvar provisoria
art 2 do decreto da 26 di
artigbs de postaras ad
cripto. .
Art. !. As reftaarias. padanas ou_
trabalham por meio de fofo, so poder de
diaote ser estabeleeidas aos lugares ra-
para as ferraria*. oalderarlaa a ooiras *_
para abi serc removidas as santales esa
divanos, aneado por qualquer eirea
xaram de portencer ao* que ag ra ai
Os infractores eacorrero na moka da
na do dobro na reroeidencia.
Art 1* As oficinas
crasa


H
Diario de Pernamhuco Segunda feira 14 de Ncrrembro de 1870.
ter c
no
' f
I \
*
f
ba hare-^ tota tilo, din. .ti i i fuma. K\
nerimetru de 100 metro, fkando marcado o pras i
*M dina para eellocaeio ou ^onfamento
das chao i*s\ 0$ InTraeterM encerrarlo na mal-
ta de 3(i#000 aa do dobro na reincidencia.
Francisco a* Asis Pereira Rocha. Conforme,
Antn Annes .lame Pira.Confer, Miranda
Castro. _______________
A camararaunieipal desta cidade fax publico
pin Luulmilinm de seas mnaieipes a postara
addiciooai bailo transcripta, qne foi provisoria-
atente api>rovada pelo Exm. presidente da provin-
cia em 7 de correle.
Paco di cmara municipal do Recife 9 de no-
vembro i 1870.
Ignacio Joaquim de Sonza Lelo,
Pro-presidente.
Lournir) Beierra Carneiro da Cunha,
Secretario.
COPIA.
1' seccao.Palacio do Roverno de Pemambuco
em 7 de novembro de 1870.
O presidente da provincia em vista do officio da
cmara municipal do Recife de 13 de outubro ul-
timo, soto n. 99, resol ve approvar provisoriamente
nos termos do art. 1 do decreto de 25 de outubro
de 1831, osarligosde p turas addicionaes abaixo
tramcrip:.
Art Ia Pica prohibido a venda de carne* on
fressnras depois das 3 horas da tarde nos mezas
de outubro marco, e depois das 5 horas da tar-
de nos mezes de setembro a abril.
Art. S" As carnes on fressnras que forem en-
contrada* depois das horas cima marcadas sero
apprehendidas e enterradas, ou laucadas ao mar
em graneo distancia, e a pessoa que as estiver
vemcndo pagar a multa de 10* e o dobro ni
reincidencia, alem de soffrer quairo das de prisao
Ar. 3 As possoas que se poderaiem da9 car
nes on fressuras dep is de enterradas ou lanoad .s
ao mar acorrern as penas do artigo ante-
cedente.
Art. 4 As caries serio condolidas dos mata-
donros para os acougues em prrocas fechadas
por gelosias e forradas por toalhas limpas, sendo
penduradas cm ganchos de ferro fle modo que
nao fiquem sobre-poslis.
Os infractores encorrerao as multas do artigo
antecdeme.
Art 5* Pica marcado o praso de 60 dias para a
fabricacao de carrosas apropriadas, lindo o qua
nao sera permittido fazer a conduelo as carroas
ordinarias.
Diogo Veiho Cavaleonti de Albuqnerqiie.Con
formeFrancisco Lu:io de Castro.
O Dr. Se ."slio do Reg Barros de Lacerda, juz
de diredo especial do comraercio desta cidade do
Reeife capital da provincia de Pemambuco e
sen termo, por sua magestade imperial e cons-
titucional o Sr. D. Pedro II, a quera Deus guar-
de etc.
Fae) saber pelo presente que, Joo Jos de Pai-
va, me tez a peticio do theor siguite :
Diz loa Jos de Paivi, residente ne3ta cidade,
que o bacfnrel Cirios Justiniano Rodrigues, Ihe
devedor daqnantia de3365108, importancia de duas
letras pe j mesmo accoitas a 30 de outubro de 1863
28 defevereiro do mesmo anuo, querendo osuppll-
canteiaterrompera prescripcao na forma do artigo
453. paragraph) 3 do cdigo coramercial, requer a
V. S. se digne adraitti-lo a justificar a ausencia do
anopUcado em lugar incerto para dopois serem affl-
xados osedit:ies Jo estylo : assim pede ao Illm.
Sr. Dr. juiz especial do coramereio Ihe deQra e re-
ceber raerc (eslava a estampilha de 200 rs. inu-
tKadaj
Recife, 27 de outubro de 1870.Joo Jos de
Paira.
E nesla peticio dei o despacho seguate :
Ui^traidi. Tome-se o protesto por termo
jastiquo-se a ausencia.
Recife, 27 d: outubro de 1870.Barros de L-
cenla.
Em observancia a este meu despacho f >i feita a
dasiriboica) ao escrivo deste meu julio Ernesto
Machad) Freir Peraira da Silva, que logo fez la
vrar o termo da protesto do theor sagainte :
Protesto pira interromper prescrip^ao.Aos 28
de outabro de 1870 nesta cidade do Reeife em
raen cartorio coraoareceu o supplicante Joao Jos
de Paiva, o por esto foi dito, peranta mim e as tes
lenuinhas ihfraa as-ignadas, que reiuzia a termo
oeonteulide sui pe'.iri) qae, offerecia com>
parle diste em que depois ce lido assignou com as
testemunhas. x
Ei Ernesto Machado Freir Pereira da Silva, es-
crivo escrevi.loio Jtsc de Paiva.Francisco
Xavier le Souza Ramo?.Antonio Soares da Matta.
Depois do que o sopplicante produzindo suas
testemanhaa que d-apoz rara convenientemente
acere i da aueneia do supplicado : o respectivo
escrivo blondo sellar e prepararos autos me os
fez onclusjs nosquaes dei a sentenija do theor
segu nte :
Jigo procedente a justifica jio quanto a ausen-
cia do astifleado, que mani seja mteirado do
prousto de folias, por nditaes afflxados e publica-
dos, leudo o praz) de 30 dias. O cscrivo nume-
re as folhas 4 los autos n faca assignar pelas teste-
munhas o torm i le protesto." Pagas as cu3tas pelo
justificante. Pabli |ue-se no cartorio-
ftjeifa, 7 de novembro de 1870. Sebastio do
Reg Barros de Lacerda.
Eme imprmenlo desta raraha sentenca o res-
petivo eserlvo fez passar o presente edital com
o praz) de 30 dias, pelo iheor do qual chamo cito
i; I\ei por citado o referido supplicado para que
dentro do referido prazo comparsa por si ou por
sea procurador, allegando provando ante este jnizo
o que for a bera de sea direito e justica sob ena
de revelia.
Por tanto tria e qnalquer pesoa, prente ami-
go ou conhecilo do dito justificado, poder-lhe-ho
faier sciente de todo o expendido.
E para que chegae ao conhecimento de todos
mandei passar o presente edital qu- ser afflxado
nos lugares do eotume e publicado pela iraprensa.
Dido e passado n'esta cidade do Recifo de Per-
nambnco aos 10 de novembro de 1870
Ea Ernesto Machado Freir Pereira da Silva,
escrivo subscrevi.
_______Sehas'iio do Reg Barros de Lacerda.
O Illm. Sr. con elbeiro inspector da theson-
raria da provincia de Pemambuco manda fazer
publico que, era virtuie da ordem do thesouro na-
cional, acha-se autorisado a vender apolices da
divida publica le juro* de 6 0|0 ao auno pelo
valor nominal das mesmas apolices.
Secretaria da thesonraria de fazenda de Per-
nambuco 11 de novembro de 1870.
Servindo de offlcial-maior,
Manoel Jos Pinto.
.provincia: n ote
anno, faz publico a qaera ^H^^^^^^^^^H
raado rescindido o eontr
Pinto da Conta,3>*rrii
voluto com 38 palmos de frente sil Je i.
Pedro Martyr, estar novamente em ^ae
terreno nos dias 8, 9 e 10 do correle flMk\ aer-
vtndo de base a quarjfia de 41100 por quaartose
achava arrendado, alhn de ser aforado perpetna-
meute ao mesrao Luii Jos Pinto, ou a quem maio
res vantagens offerecer. Assim como tamban se
achara em praca nos sobreditos dias, o arreada-
meato de tm terreno sito a ra do Afjobe dosta
mesma cidade, com 83 palmos de freme e 61 de
fundo, pela qnanua de 81300, na rallo de 100 rs.
o palmo : os pretndante devero comparecer
nos indicados dias.
. Paco da careara municipal do Olinda, 4 de no-
vembro de 1870.
Manot Antonio dos Pastos e Silva,
Pro-presidente.
Marcolmo Dias de Araujo,
Secretario.
d i
DECLARACOES.
'Paquetes a Vapor
Pela recebedora de rendas internas geraes
se faz publico qae neste mez de novembro que
se Anda o praso do pagamento, sera multa, do un
posto peasoal, relativo ao 1 semestre do exercicio
corrente de 1870 71 lindo o qual ser cebrado
com a malta de 6 OtO.
Reoabedaria de Peruambuca 2 de novembro de
1870.
O administrador,
Manoel Croeiro de Sonza Lacerda
Inspec^o do arsenal de
na aria ha.
Faz-se publico que a commissao de peritos
examinando na frma determinada no regulamento
annexo ao decreto a 1324 de 5 de fevereiro de
1854, os cascos, machinas, caldeiras, apparelhos,
mastreacoes, veame ,amarras e ancoras dos va-
pores Ipojuca e Cururipe da companhia Pemam-
bucana de navega^o costeira, achou todos esses
objectos em estado de poderem os vapores na-
vegar.
Inspeccao do arsenal de marinha de Pemambu-
co 11 do novembro de 1870.
O inspector,
H. A. Barbosa de Almeida
les Iraidles -f-
.''.'-aui i."* n
FriUmana toca- ValmonCa-
Os bilhetes acham-aa a venda do eacriptorio do
theatro.
Principiar s 8 1|4 da nonte.

Hit
AVISOS MARTIMOS.
Parado Porto
Pretende safiir at o flm do corrente mei o bri-
gae portuguez Unito : a/a carga e passageiros,
rata-se com os consignatarios Thomaz de Aquino
Fonseca 4 C, na ra do Vicario n. 19.
DE
Tribunal do conimercio.
Por esta secretaria se faz publico que fica dis-
solvido e competememente archivado o contrato da
sociedade de Jos Alves Tenorio e Elisio Alberto
Silveira, estabelecidos nesta cidade com pharmacia
homeopathica, sob a firma de Jos Alves Tenorio
& C, a o capital de 6.000J.
Secretaria do tribunal do comraercio de Per-
nambuco, 10 de novembro de 1870.
O fflcial-maior
Julio Guimaraes.
Santa Casa de Mfserieordia o
Recife.
A Illma. junta administrativa da santa casabe
misericordia do Recife, na sala de suas sessSes.
pelas 3 horas da tarde do dia 17 do corrente, re-
cebe propostas p ra o rornecimonto de carne ver-
de que houver de consumir o asilo de mendicida
de no mez de dezembro viodouro.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do
Recife 12 de novembro de 1870.
O escrivo,
Pedro Rodrigues de Souza.
S\im CASADB MISERICORDIA DO
. RECIFE.
A Illma. junta administrativa da santa casa de
misericordia do Recife, na sala de suas sessoes,
pelas 3 horas da tirJe do dia 17 do corrente, re-
cebe propostas para o fornecimento de po e bo-
lacha que nouvar de ser consumido pelo asylo de
mendicidade no mez do dezembro vindouro.
Secrtearia da Santa Casa de Misericordia do
Recife 12 de novembro de 1870.
O e-erivao,
Pedro Rodrigues de Souza.
Dos portos do tul esperado
at o dia 12 do corrente o *por
Paran, comraandante J. 8. ato-
raes, o qual depois da demora do
____ cosame seguir para os pollos
do aorte.
Desde j rrcebem se passageires e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir. a qual nevera
ser embarcada no dia de sua chegada, encom-
mendas e dinheiro a frete at as 2 horas da tarde
de sua sabida.
Nao se recebem coma encommendas seno ob-
jectos de pequeao valor, e que nao excedam ai
arrobas de peso ou oito palmos cbicos de med-
cao. Indo qne passar destes limites dever 3er
embarcado como carga.
Previne-se aos Srs. passageiros qua ua pas-
sngens s se recebem na agencia, ra da Cruz n.
577 primeiro andar, escriptorio de Antonio Luiz
de liveira Azevedo & C.
COMPANHIA BRAS1LEIRA
DE
Paquetes a vapor.
Dos portos do norte esperado
at o dia 26 de novembro o vapor
Tocattins, commandante Jos Ma-
ra Perreira Franco, o qual de-
pois da demora do costnme se-
guir para os portos do snl.
Desde j recebem-se passageiros e enjraja-se a
arga que o vapor poder conduzir, a qual dever*
er embarcada no dia de sua chegada. Eucommen
las e dinheiro a frote at as 2 horas do dia da su;
labida.
Nao se recebem como eneommendas seao ob
jectos de pequeo valor eque nao excedam a dua
arrobas de peso ou 8 palmos cbicos de medical-
Pudo que passar destes limites dever ser embar
;ado como carga.
Previne-se aos senhores passageiros que sua.'
passagens s so recebem na agencia, ra da Cru
o, 87 primeiro andar, escriptorio do Antonio Lniz
le Oliveira Azevedo 4 C.
DE
iMmobilia de magno com 12 cadeiras de fuar-
*o, 4 ditas de braco^ 1 consolos cora pedra
l Jardraeira, 1 ecretarla de Jacaranda, 1 es-
tante para livros, 1 mesa de amarello para es-
criniorio, l commoda do amarello, 1 meia dita,
iwsttreira, 1 toacador de Jacaranda, 1 toillette
de dito, 1 cama de ferro para casal, 1 costurei-
1% 1 aparador, 2 boas gaardas vestidos, 1 gran-
M pnrila-loaca, 1 mobilia de amarello a Luil
a COm ** caoeiras de guarnico, 2 de bracos,
'i da aatanco, 2 consol, 1 sof e jardineira, 1
maaa de jamar, 1 apparelhe de lonca verde
para jamar, 1 bidet, 2 lavatorios de ferro, 2 con-
sejos de Jacaranda com pedra,. lanlerna?, escar-
5u TA**'t6arrafas Pa|,a vioho, camas de lona,
flttas de ferro, frascos, taboa para engoramado,
jarras, meta de cosinha, 1 taixo grande de co-
bre e muitos outrus objeeios
Quinla-feira
19 do eorrente
O agente Martin? far leilao dos movis cima,
ao segundo andar do sobrado n. 43 da ra Es-
trena do Rosario, as 11 horas do dia.
O Dr. Sebastio do lt-gi Barros de Lacerda, juiz
de direito especial do commercio nesta cidade
do Recife capital da provincia de Pemambuco,
por S. M. Imperial a qnem Dens guarde, etc.
Paco saber pelo presente que requerimento do
negociante Enzebio Rapbael Rabello & C, aeham
se abena a sua fallencia pela sentea^a do theor
segninte:
Vistos estes autos. Tendo sido requerimento
de Euzebio Rapnael Rabello & C, justiOcada a
eessaca de pagamento da firma >ocial Fonceca &
Santos, e por dita Arma a presentada, no dia e ho-
ra da inqnericao das testemunhas de folhas 14 a
16, a declaracao on peticio de folhas 16 aeompa-
nhada da deraonstracao de sen activo e passivo de
folhas 7 13. hei por declarada abertura de sua
fallencia, datas d) ,dia 4 deste mez eoj.,que, se-
gundo o requerimento de folhas 2 e detrimentos
das taaterauohas, tornou-^e effectiva a (esaacio no
ovio carador fiscal aos credores Euzebio Raohael
Rabello C que requereram a presente declara-
cao, t, para presiarem juramento, sejam eotima-
doseoin urgencia.
Proceda-se log) dispensada a opposicao de sello,
ao inventario em cujo acto nomearei depositario
interino que servir at qne tenha lagar a nomea-
50 do efectivo, para o que mando sejam convo-
cados os credores afim e que Compareci na sala
das audiencias 11 horas da manhaa do dia 15
do correte mez e por editaos publique-se esta
seateoca. _
Duraate a inquenco compare ao Joao Ferreira
dos Santos e Joo de Aqnino Fonceca, para ter
curaprim nto o art 805 do cdigo eommercial,
parte final.
Estes aatos devem ser-sellados i. a urgencia do
caso den lugar a serem despachadas antes de pago
o sello. Pague a massa fallida as enstas, Recife 9
ds novembro de 1870. Sebastio do Reg Barros
da Lacerda.
i para qne chegae ao conhecimento de tedns
mandei passar o presente edital qae ser alisado
o* lugares do cosame e publicado pela in-
trnea.
Dado e passallo nesta ei lade do Reeife de Per-
iaaiauco aos 12 de aovembro de 1870. Ea Er
'*> Machado Prelre Pereira da Silva, asajMrto
aOiDltvi
______SeitttiSo do Rf99 Borros $ Laceria.
-Va ciira munieiu! da cidade de liada
a mude do art 46 das dtspotqlM geraot a
SANTA CASA DA MISERICORDIA U RECIPE.
A Illma. junta administrativa di Santa Casa du
Misericordia do Recife, na sala de suas sess5es
pelas 3 horas da tarde do dia 17 do corrente, re-
cebe propostas para o fornecimanto de gneros que
houver de consumir o Asylo de Mendicidade no
mez de dezembro prximo.
A saber:
Aletria, kiilogramma.
Arroz, litro.
Azeite de carrapato, idem.
Azeite doce, idem.
Racalho, kiilogramma.
Batatas idem.
Caf em grao, idem.
Carne secca, idem.
Cebollas, eento.
Ca hysson, kiilogramma.
Cha preto, idem.
Farello, sacca.
Farinha de mandioca, litro.
Feijo, idem.
Fumo do Rio, kiilogramma.
Gaz, Lita.
Manteiga ingleza, kiilogramma.
Manteiga franceza, idem.
Peixe fresco, idem. _____________
Rap Mearon, bote.
Sabo, kiilogramma.
Sal, litro.
Toncinho, kilograrama.
Velas de carnauba, idem.
Velas de spermacete, idem,
Vinagre de Lisboa, litro.
Vinho branco, idem.
Vinbo linto, idem.
Os concorrentes podero apresentar suas pro-
postas em cartas fechadas e selladas as qaaes de-
vero ter a ordem estabeleeida no presente an-
nnncio.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do Re
cife, II de novembro.de 1870.
O escrivo,
Pedro Rodrigues de Souza.______
SANTA.CASA DE MISERICORDIA DO
RECIFE.
A Illma junta administrativa da Santa Casa de
Misericordia do Recife, na sala de suas sessoes
pelas 3 horas da tarde do dia 17 do corrente, re-
cebe propostas para o fornecimento de assucar
refinado de 1* e 2 sorte para o asylo de mendi-
cidade no mez de dezembro vindouro.
Secretoria da Santa Casa de Misericordia do
Recife, 12 de novembro de 1870.
O escrivo,
Pedro Rodrigues do Souta.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DB
^avegacSo costeira por vapor
Macei, escalas, Penedo e Aracaj.
O vapor Jnguaribe commandante
Guilhenne, seguir para os portos ci-
ma no dia 15 do corrate as 5 horas
da arde.
P cebe carga al o dia 14, encommendas, passa-
geiros e dinheiro a frete at as 2 horas da larde
do dia de sua sabida no escriptorio do Forte do
Matto n. 12.
Para o indicado porto segu em poucos dias o'
brigue portuguez Realidade, por ter a maior parte
de seu carregaraento prompto e para o pouco que
Ihe falta a frete barate : tratase com o consig-
natario J iaquim Jos Goncalves Bellrao, ra do
Comraercio n. 17t
Maranho.
Segne com brevidade para o porto cima o pa-
tach > nacional ^oren Arlhur, para o resto do car-
ga que Ihe falla trato se cora os consignatarios
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C, ra da
Cruz n. 57._________________________________
COMPANHIA PERNAMUCANA
DE
Navegago costeira por vapor.
Parahyba, Nata', Maco, Mossr, Ara-
caty, Cear, Mandaba, Acarac e
Granja.
O vapor Ipojuca coniraarjdan-
te, Mo ra seguir para os por-
tes cima no dia 15 do corrente
as 5 horas da tarde. Recebe car-
ga at o dia 14, encommendas
passageiros e dinheiro a frete at as 2 horas da
tarde do dia da saluda : escriptorio no Forte do
Mattos n. 12.
_ AVISOS DIVERSOS.
Venda e aviso.
Vende-se a taberna da ra da Boa flora, m
Olinda, cora poneos fundos, propna para quem
quizer principiar, por ser em bom local : a tratar
na roa da Cruz n. 37. Arisa-se tambem que quera
se julgar credor de Antoaio Lopes de Oliveira J-
nior, proprielario da taberna cima, a apresentar
suas c>nus documentadas no praso do tres das
para entrar no rateio do qu; Ihe tocar debaixo
da boa combina$o com o rcainr credor : na ra
da Cruz n. 37. Recife 14 de novembro de 1870.
CASA DA FOiflA
Aos 5:000$
Bilhetes garantidos.
A na Primejro da Marco (outr'ora ra de
Crespo) o. 23 e casas do costume.
O abaixo asignado, tendo vendido nos seus
felizes bilhetes nm lateiro n. 1702 cora 5:000;,
dous quartos n.82 com 005. e outras sortes de
100* o 40*000 da lotera que se acabon de ex-
trabir (169'), convida ao possuidorea virem re-
ceber na conforojidade do cj.-mine, sem descon-
t algui.i.
Acham-se a veSid* os felizes bilhetes garan
tidos da 2' parto da lotera, a heneflcio da ma-
triz da Capunga (IM"), qut se extrahir sexta-
feira 18 do correo mez.
PRECOS.
Bilhele inteiro 6*000
Meio bilhete 3*000
Quarto 1*500
Em porcao de 100*900 para cima.
Ililhete inuiro 5*400
Meio bilhete 2*700
Quarto 1*350
' Manoel Martins Finta.
SANTA CASA DE AnSERICORDlA DO
RECIFE,
A Illma. junta administrativa da Santa casa de
Miscr c rdia do Recife mauda fazer publico que
na cala de suas sessoes, no dia 17 de outubro, pe-
las 4 horas da tarde, tem de ser arrematadas a
quem mais vantagens offerecer pelo tempo de um
a tres annos, as rendas dos predios em seguida
declarados:
ESTABELECIMENTOS DE CAR1DADE.
Ra larga do Rosario.
Segundo andar do sobrado n. 2i A___ 303*000
Ra de Mathias Ferreira (Olinda).
Casa terrea n. 1................... 130*000
PATRIMONIO DOS ORPHAOS.
Ra do General Victorino.
Casa terrean 13................... 240*000
Ra d^ g. Jorga (outr'ora Pilar)
Casa terrean. 108................. 8041"00
dem idem n. 113.................. 181*000
dem idem n. 9*J................... 345*000
dem idem n. 96................... 203*000
dem idem n. 94................... 204*000
Os pretendentes devero apresentar no acto da
orrematacao as suas flaocas, on comparecerem
acempachatios dos respectivos fiadores.
Secretara da Santa Caa de Misericordia do Re-
cife, 18 de outubro de 1870.
O escrivo,
Pedro Rodrigues de Sonza.
THEATRO
Companhia americana e brasile-
ra de paquetes vapor.
At o dia 15 do corrate esperado de New-
York por S. Thomaz e Para, o vapor americano
Mrrrimack,o qual depois da demora do cos-
tume seguir para os portos do sul.
Para frete* e passagens, trata-se com os agen-
tes Henry Forster & C., ra do Commercio n. 8.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DB
Navegacdo costeira por vapor
Aracaty em direito ra.
O vapor Jfaidafti, com-
mandante Julio, seguir para
o port cima no da 18 de no-
vunbro as 4 horas da tarde.
Rebe carga at o dia 17,
eneommendas, passageiros e
dinheiro a frete at as 2 horas da tarde da sa-
luda : no scriptorio do Forte do Mattos n. 12.
N. B.Previne p aos Srs. carregadores que a
presente viagera. alm de 9er o frete da carga con-
sideradamente reduzida, tem alem disto a grande
vantagem de ser a mesma carga descarregada na
cidade, e praueba.
RIO DE JAD)
Para o Rio de Janeiro segu dentro de oito dias
o patacho brastleiro rabe porter o sen carrega
.\!\ FRWCEZA
EMPREZA-COIMBRA
Variidis^imo espectculo
13 RECITA DA ASSIGNATURA.
Tenca-felra 13 do corrente
Logo qae a oretestra tenha execlado a onver
tura do costme, dar! pnaciato ao espectculo
Dividido nm qoatro partes.
PRUfHRA PARTE.
Rppresentar-se-ha a linda opereta em nm acta,
Un amerar d'epicier
no qual tomam parte Mrs. Carn, Maris e MI le
larfette.
SEGUNDA PARTB.
Subir pela pri aeira vez a aetna a amito Knda
pereta em nm acto msica de insigne OffemBack
Les mariafe aix Lanlernes! f-
Na qual tomam parte Mme. Valmonca, MI le.
Brescia e Mariette e Srs. Rayaand e Carn.
ment prompto, podendo ainda receber alguma
cousa, issim eom.o mlndezas e esrravos a frete
a tratar com o seo consignatario Joaquim Jos
Gonc Ivs Bellrao, rua do C mamerrio n. 17.
Folegrairhu imperial.
SALERIA DE PINTURA
DE
/. Ferreira Filela
Desde o dia 1 de abril passado acha-se aberto o
ovo estobelecimento photographico sito rua do
^abng n. 18, equina do pateo .la matriz. Ostraba-
hos que desde entao, tem sahido de nossa offleina
;em oralmente agradado, sendo receidos por
iiguns com admiraco pelo extraordinaria pro-
gresso que ltimamente tem lido a photcgraphia
a por outros com alegra, por verem a provincia
lotoda com nm estobelecimento digno d ella, e ra-
;ontestavelmente o prireiro qne nesse genero
hoje possue : tambem nao nos pupamos em cousa
ilguma para monta-lo no p em qne se acha, es-
perando que o publico de Pemambuco saber
ipreciar nossos esforcos e recompensar nossos sa-
crificios.
Convidamos a todas aquellas pessoas, nacionae
> estrangeiras que gostair. das artes, on tivererc
aecessidade de trabalhos de photographia a visi-
taren! o nosso estobelecimento, qne estar sempre
iberio e sua disposicao todos os dias desde as 7
horas da manhaa at as 6 da urde.
Para os trabalbos de pbotographia possuimos di
Tersas machinas dos mel llores autores francezes.
inglezes e allraemes, como sejara : Lerebours ei
Secretan, Herraagis, Thomaz Rosa, Vogtlander ei
5onh eWulf. ltimamente recebemos tres nova.'
machraasi sendo urna del las propria para lomar
obre o mesmo vidr > 4 c u 8 imagens diversas e
isoladas, e outra de 6 a 12 imagens diversa* e
igualmente soladas, de sorte que no caso de
grande concurrencia pMeremos retratar sobre
ama nnica chapa at 8 (ssoas diversas e isola-
ias para cartoes de visita, e assim em menas de
nm qoarto de hora despachronos 8 differenies
pessoas qne pecam cada ama, amadozia de cartoes
mais oa menos, com os sens retratos smente, ou
;m grupo cora outras.
Encarregaraos-nos exclusivamente da dreccac
3 feitnra dos trabaihos de photograpbia dei-
iando pericia e talentos do distinelo pintor
illemo, o Sr.
Jorge A. Roth
as trabaihos de pintura, a aquarela, a oigo, e a
pastel.
O Sr. Roth acha-se ligado a nossa empresa por
ama escriptnra publica, o at o presente tera-s
lesvellado na execncao do seus trabaihos.
No nosso estobelecimento acham- se exposlos ou-
iros trabaihos imporianti s do Sr. Roth, tonto em
miniaturas aquarella como oleo, re ratos
oleo, quadros sacros e diversos outros trabaihos.
Tomamos encommendas de'retratos oleo at o
tamnho natural, assim como de quadros sacros
para ornamentofao de igreias on capellas. Tam-
bera aceitamos encomrmmdas de quadros histri-
cos.
Asseguramo3 que os precos dos diversos tra-
aalhos da nossa casa sao mu rascaren.
CARTOES DE VISITA NAO COLOBIDOS A 10)500 A
DniA
CARTOES DE VISITA. COM O COLORDO AO NATU-
RAL 16(9000 A DUZIA
Retrates era miniatura oleo ou aquarella de
1G 20J0O0 cada um, indo convenientemente en-
eaixilhado em moldura dourada e reculando c
basto da pessoa retratada de 3 4 polL-gadas c
do o quadro palmo e meio de tamanho
Julgamos que bastara) os precos cima para
larmos idea da baratera dos trabaihos do nosso
jstableeimento, qcanto sua perfeico cada nm
'enha julgar por seus f roprios olhos.
Aa melhores horas para se tirarera retratos^ ni
iosbo estabelecimsnto sao das 8 horas da manhaa
i da tarde; entretanto de urna hora s 3 da tarde
:;.] casos especiaos pda-se tambem retratar qui!-
juer pessoa.
Nos das de chuva, oa por tempo sombro po-
lemos retratar, e asseairaraos que esses dias sao
)3 mais favoraves aos trabalbos de photographii
pela doQura e persistencia da luz, e pir lermot i
aesso terrag construido cora toes proporcSes e
uelhoramentns, que erada chovendo ahorros no-
hatn uiconvenienie ha para fazer-sa bellos re-
tratos.
J. F-rreira Filela
Os abaixo assignados, proprietarios da fabri-
ca de cerveja sita rua do General Victorino, fa'
zera sciente ao publico qae desde o da 10 de se-
tembro do corrbnte anno deixou de ser advogado
da casa o Sr. Dr. Francisco Augusto da Costa, com
o qual ajustaran! suas contas, e despensaram dos
seus servijos. Recife 11 de novembro de 1870.
L. Lelden A C
BSTABTO
Salsapirlii de IrntiL
LEGITIMA E OUGSIAL
ES FIASCOS
Ba do isa 'ao
Victoria n. 83
( Outr'ora rua Nova. )
Bilhetes garantidos dapro-
vjncia.
Esta feliz casa acaba de vender entre os sen?
muito felize? bilhetes a sorte de 900$ em um
meio de d. 538, a sorte de 400 em bilhete intei-
ro de n. 1468, outra de 1003 tambem em bilhete
inteiro n. 1701 e um meio com 100$ de n. 1577,
alem de outros premios menores : podendo os
seas possuidores virem receber, que prompto-
monte sero pagos.
O abaixo assignado convida ao respeitavel pu-
blico para virem no seu estobelecimento comprar
oe felizes bilhetes garantidos, que nao deixaro de
tirar qnalquer premio como prova pelos mesmos
annuncios.
Acham-se venda os muito felizes bilhetes ga-
rantidos em beneficio da nova reja da Capunga
oue ser exiraliida sexa-fe.ira 18 do corrente mez.
M PREQOS.
Inteiro 6000
r Meio 3|000
Quarto 1*500
De 1000000 para cima.
Inteiro 5*400
Meio 2*700
Quarto 1*350
Joo Joaqnim da Costo Leite.
Escrava.
Precia-se de nma escrava para urna pequea
familia para o servico interno e que saiba engom
mar : para tratar na praca do Conde d'Eu n. 30,
1 andar.
Bartholomen & C,
Se'gunda-eira 1* do crreme luauja u Di. jua>
Mara Seve celebra;- na matriz da Boa-vista as 8
horas da manhaa ama missa por alma do Dr. Ig-
nacio Firmo Xavier, e convida a sens prenles e
amigos para assislirem a me-m.
O abaixo a?sinado, arrematante do imposto
de 200|0 do consamo de agurdente do municipio
de Olinda, pelo tempo de tres anuos, a contar do
Io de jnlho de 1869 a 1972, faz quaiqner negocio
a respeito do mesmo imposto, havenda por cobrar
qainze mezes j vencidos : quem pretender dr-
ja-se ao engenko Cajabnss do Cabo, on nssta
praca rua do Apolla n 53, que achara com
quem tratar.
Manoel Barbosa da Silva.
Criado.
No caes do Apollo n. 69 precisa-se de um cria -
do para servico d< casa e algnm mandado, nao
tendo mais de 14 anuos, piga->e bom prego.
OGRANDE PURIFICADOH DO
Esta excellente e admirate!
preparada d'urna maneira a
ca por Chimicos e Drognistas mu
d'urna iostruccao profunda, tetadotido 1
tos annos de experiencia ao par dama
ga e laboriosa pratit-a.
A sua composk-ao nao consiste d'wn
pie extracto d'ura s artigo; mas ai
composta d'extractos d*um numero de
zes, hervas, cascas, e folhas, poiiiiaitlav
das ellas, sua virtude especial on poakr
em curar as molestias as quaes teen
ou essento, no sangue ou nos
e estes differentes extractos vegetaes, j
se por urna tal forma combinados i
de conservarem em toda a sea forea.oi
rativo especial de virtude, que cada na* de
per si possue. A raiz da planta de Sakta-
parrilha, produzida as Honduras, aivw
nos usamos nesta prepararan, sendo a qoa-
lidade que todos os mdicos mais pin a
e estimam. Na composico da
parrllha de Brisol entra
por cento dese concentrado extracto. Db
oo encerra era si cousa alguma, qae pav
sa por kve ser perigosa oa rajariosa i
sade; e tanto n'esle, como em qtiasi lo-
dos os mais respeitos, ella inleiraneaie
diversa de todas essas mais prepararles,
as quaes debaixo do nome de Satsatarr-
Iha, slo accondicionadas ou postas em tari
rafas pequeas, sendo reccitada em doses
mui diminutas d'uma coiher de rh por
cada vez. Nos pelo contrario engarrab-
mos a
SALSAPARRIRA DE BR1STOL
em frascos grandes, e assim por est modo,
dividimos com os consumidores, o grande
proveito e vantagem alcaocsdfl por aqnees
que acondicionan! sua preparacao em gar-
rafas pequeas. Carla um dos frascos da
nossa Salsaparrilha de Di Mal
oonleem a messa quantidade igual porreo
contidanaqucas garrafas ni nenas, e alm
disso, posue ainda muito mais torta e
virtude medicinal do que aquella, que por
ventura se possa adiar contida dentro de
seis garrafas de pc.jue:in tamanho. Por-
tento c miti natural, que aquelles, qne se
acham oceupados em preparar e venders
suas prodceles, em garrafas peqoeaa,
murmurem egritem contra oa nossos fras-
cosgrandes- proclamando, anea nossa Kal-
sapnrrilha de Bristol nao possae a
menor virtude; pern flio effectnaiBav
teso elles postas em tilmrio, quando mdi-
oamos, ou simplesmente i os
com essas centenares de rvrtides e
temunhos authenticos. por nos rec
de todas as classes da sod 'lado, aos
plenamente attestam o n e vir-
tudes maravilhosas da nossa.
SALSAPARRJLHA DE BRISTOL.
A vantagem de turnios os nossos pra>
prios agentes naqu -lies logara arwule aa
differentes raizes, drogas, bervas, e plaa-
tas de que se compoem as nossas medkmat,
slo produzidas, que nos habilita i esar-
cer aquelle constante cnidado e dtsreBo aa
minuciosa escolha; e o que asegura eaa-
rante uniformidade de fgcafcntil.
Em quanlo que, por oalro hada, mis ni
nos pupamos nem dinheiro, nena dili-
gencias ; afim de alcancarmos o meflior
e nicamente o melhorde cada um irriga
ou ingridiente que entra na sua o>mpost-
co; pois levados e compenetrados da
mais firme e persuasiva ivmfianca; qne po-
demos afoutamente dizer aos doentes de to-
das as naces, e de todos os paizes, qoe na
Salsaparrllha de Bristol. pos
um remedio mais efficaz e seguro; do
nenhum outro, que vos tenha sido
cido at hoje, e o qual por certo nao
mallograr vossas expectathas, na
e effectiva cura das seguintes enfer
DE
SANTA CECILIA DO LIVRAMENTO.
Por orem da mesa convido a todos os irmos
professores para'o dia 15 do corrente, as 10 hora?
da manhaa, se reunirero, afim de proeeder-se a
eleicao da nova mesa que tem de reger esta ir-
mandado no anno de 1870 a 1871.
O secretario,
Manoel Teophilo ue Paiva.
I
Escrfulas,
Chagas antigs,
Ulceras,
Feridas Ulcerosas,
Tinha.
Syphilis.ouMal Ye-
nereo
Hamores Escraaa-
losos.
Irregularidades ia
Sexo
Feminino,
Nervosidade,
iKbilidade Gera,
^fluga-se
urna casa em Olinda, rua da Poeira, com 2 quar-
to, 2 salas, cozinha, um pequeo quintal, por
traz do Varadouro : a tratar na rua das Cruzes
numero 25.
CRIADO
Rio-Grande do Sal.
Segne com brevidade para o porto cima o bri-
gue nacional Amelia : para o resto da carga que
le falla, trata se eom os consignatarios Antonio
L. de O. Azevedo k C, rua da Cruz n. 67, pri-
meiro andar.
Esta opereta sobe scena'com todo o sceoario
e accesorios que exige o sea autor, nlo se tenda
p da qae a mesma opereta va bera.
TEBCEIRA PaRTB.
9tairi pela Segaada vez a seena, a nova e rin-
da opereta era a* acto msica de A de Villebi-
chot a eaeriati pTaf rs. Banmaioe at BtondelK
LEILOES.
LEILAO
DE
fazendas francezas
suissas e atl^m&as
PARA LIQIDACO
HOJE.
J. Carrere levar a leilao, por int^ryanao du
agente Pinto e para liquiiacio, nm completo a va
riado sortimento de fazendas francezas, aoJMU e
all-r-ias, propria* do mercado e existentes tmtea
.rmazem do largo do Petooriaho n. 7, ondeae
efectuar 0 lerllo, la fO (tana do dia acuna dito.
Precisa-se de nm criado: aa rna estrella do
Rosario n. 26_____________^______________
Na fB da Praia a. 60 precisase de uraa
mulber para cozinhar em casa de pouca familia,
prefere se escrava. ^^^^^^^^^^^^^^^^^
Precisa-se de urna ama
rna Nova o. 14.
para cozinhar: na
Vinho, Ululas, Xaroph e Tintuiu
'he jurubcba snuples b ferruginoso ',
Oleo, Pomaoab Emplastoo da mssmi
planta preparados por
8ARTH0L0ME0 & C
PaA-RMACETlCOS-DROGUISTAI
f*ERffAMtI-0
A Jarubeba : esli pUu fauj neonhteie:
tomo o Diis pserfls Wnico, con o nelbc
'..iirutiiili comowlpplieil nop*decimenoi
d Sgdue ba^o, bcpitiut, doms*, lomares nter-
aos especialmente do Mero, hvdropesies, rrii-
pen**, etc.; e sssooada se ferro eaul os p.eu
core, ehloroeei e filu de mensiroecio, desami-
jb dn siema|e, ele., iooM dtaerao MielU
InnaaSM* com imprtante akiide* "^jaoaaa.
prepaiffuoa j non eoAnecieo e a^wapaiajnaai
disiiiicio medico do pan a Porn|nl. Eai Han ai
aoaaot aaoartoa dietribainoa fratia laaaSMM tai
melhor (atee aaanaaar a Jirabaka taae ranattaaW
* *Pfil5f4aK
Tumores
Abscessos Apostemas,
ErupcSes,
Herpes, Febra e
Salsagem Febre e
Impigens, Biliosas.
Lepra, febres intermitientes e
hydropesia e ictericia, etc., ale.
Ontro-sim, achar-se-lia, qoe para o i
resultado e perfeito curativo de todas
las enfermidades cima apontadas o
lamento da cora, grandemente
do e apressurado; osando s ao
tempo das nossas mui valiosa
relese aasaicaraMlas at
tomadas em doses moderadas eal
cao ou conjnnctamente cora a Salsapewria;
ellas fazem remover e expellir
quantidades de materias morbaficas a
mores viciados qne se desprendea e
mente circuam espalhados pelo aya
isto causado pelo oso da Satsafarrriba; a
por esta forma facilita a volta e o
normal das operaces funcrionaes,
Acha-se a venda nos esUbeteemM
A. Caors, J. da C. Bravo V C, P.
':
AM4
Precisa-se por alegnel de n ra eaerava pe *-
fomme e faca o mais aervif > de bou csiaV IV
milia, assim como de outra q m mvtkm e eeaajar
na rna do Aragao (Vwft-de de Peiaa a. 37).
aaaaaaBMaBBavaaaaaaaaBBBVBflp
PranciTCn Lato da Suva
a todas as pessoas croe n mpmrtm
at o eenrterio pobHeo ea r*st-a
prezada eP"sa Alexandrlaa P "
e Silva ; irnalmente acraaV
membroe da sociedade fe
= ^ == _- -, flaataa.
um
2T
mi e oaTjaSltai w : r m aatiU aaaaa a>
asente, quntal e carimba J^^^^^^^|
dirija-ee a rua de S. Borja, I
0 ,
ora fcsaloaa-


Diario d Pernambuco Segunda ewa 14 de Novembro de 1870
?*.
O salo de pianos e de
msicas
oradou-se da ra Nova n. 58, 1* andar, para a
Toada
Imperalriz n. 12, loja,
onde contina reeommendando-se ao Illm. pu-
blico.
______________G. Werthelmer.
vnn runu
AS NOITES DA VIRGEM
INTERESSAXTE COMPOSIQAO LIITEMRIA.
CONTENDO :
A noite do xtasis. anajBJ
O sorriso.
A noite do assombro.
A lagrima
A noute do delirio.
O mysteno.
Gom urna carta crtica dirigida ao autor pelo
Dr. T. B. Rigueira Costa.
i volume brochado 2*000.
AS CENTELHAS
Poesas patriticas sobre a guerra do Paraguay.
1 votame brochado 2*000
NA
LIVRARIA FRANCEZA
MQFINA
Roga-se ao Ilkn.Sr. Ignacio V.eira de Mello, es-
erivao na cidade deNazareth -desta provincia, o
favor de vir a ra do Imperador n. 18 a concluir
aquello negocio que V. S. se comprometteu reali-
sar, pela tereeira chamada deste jornal, em ftns
de dezembro prximo passado, e depois para Ja-
neiro, passou a fevereiro e abril, e nada cumprio,
e por estecnotivo de novo chamado para dito
flm ; pois V. S. se deve lembrar que este negocio
de mais de otto anoos, e quando o senhor son
fllho se acbavi no estudo nesta cidade.________
Joaquim Francisco do Espirito Santo,
concordataria da raassa falllida de Maia &
Espirito Santo, pede aosseus credores o favor
de viremoomandaremrecebemos pagamen-
tos da 1* prestacio de sua concordata ; de-
vendo, para esse fm, dirigirem-se ra do
Imperador n. 44.
A luga se
orna casa terrea, sita na Capunga, com sotao, eo-
cheira, e ura pequeo quintal : a tratar na ra
do Vigario n. 31.________________________
Joaquim Jos Gonpal-
ves Beltrao
Roa do Trapiche n, 17, 4 andar.
Saoca per todos os paquetes sobre o banco de
Minho, em Braga, e sobre os seguintes lugares en
Portugal :
Lisboa.
Porto.
Valenca.
Goimaraes.
Coimbra.
Chaves.
Viseo.
Villa do Conde.
Arcos de Val de Vet.
Vianna do Castello.
Ponte do Lima.
Villa Real.
Villa-Nova de Fameiicao.
Langa,
Liaos.
Covilhaa.
Vascal (Valpasso).
Mirandella.
Beja.
Barcellos.
aIT
ro
DYVETOT
ifRua Estreila do Rosario.4
Compra e vende roupa feita
nova e \elha, objectos de
cosinha e de mesa, e
tudo que perten-
ce ao uso do-
mestico.
Na pra?a da Independencia n. 33 se da di
nheiro sobre penhores de ouro, prata e pedra?
preciosas, seja qual for a quantia ; e na rnesm:
casa se compra e vende objectos de ouro e prata
igualmente se faz toda e qualquer obra de en
eommenda, e todo e qualquer concert tendenti
* mesma arte __________________
Cosinheiro.
Precisase de ura cozinheiro, dando fiador : na
ruado Crespo n. 9, livraria franceza.
PRIMEIRO E ANTIGO CONSULTORIO
HOMEOPATHICO
Dirigido pelo Dr.
SANTOS MELLO
Os habitantes do interior podem-no
consoltar por escripto, no que serla sa-
. tisfeitos com promplido.
Presta-se lamben a chamados para o
interior, a preco mdico.
Consullas, no consultorio das 10 horas
ao raeio da.
Chamados, a qualquer hora.
Aos pobres gratis.
43Ra do Baro da Victoria43
(Amiga ra Nova).
, W. BOWMAN
ENGENHEIRO
Com fundiqao.
A RA DO BRUM N. 52.
Passano o chafariz
Machinas vapor systema melhorado.
Rodas d'agoa.
Formas de ferro para purgar assucar.
Moendas de canoa.
Taixas de ferro batido e fundido.
Rodas dentadas para moer com agoa, va-
por e animaes.
E outros objectos proprios d'agricultura.
Todo por preco muito reduzido.
Ll
O Dr. King mudou sua residencia e consulto-
rio medico cirurgico para a ra da Aurora n. 52,
i" andar, onde d consultas das 7 as 9 horas da
manhaa e das 3 as 5 horas da tarde nos dias uteis;
aos chamados devem ser por escripto e acudir a
qualquer hora do dia ou da noute.
MSO
i
l'.ipa-se aos sen! eres abaixo mencionados o ob-
sequio Je comparecerem no Bazar da Moda ra
do Baro da Victoria, a negocio qae ihes diz res-
peito :
Jlo Valenlim Vilella Jnior.
Cmlherme Dias dos Santos.
Joo Jos dos Santos Lima.
Jos Magalhes com fabrica de velas.
Jos Maria Fernande?, morador na villa do
Cabo.
Boa oeeasio.
PADARIA
UNIVERSAL
0 abaixo assignado faz sciente ao respei-
tavel publico desta cidade e seos suburbios,
que acaba de establecer cma padaria in-
titulada Universal, ra das Tamarineiras
ns. 3 e 5, no lugar denominada Jaqueira.
Tendo envidado todos os meios possiveis
para collocar este estabelecimento as con-
dices de poder salisfazer a necessidade
que bavia de um estabelecimento desta es-
pecie nos arrabaldes desta cidade, o abai-
xo assignado espera a valiosa proteceo de
todos os seus moradores.
Promette o abaixo assignado que s era-
prega na confeccSo dos artigos que se pro-
pe a fabricar no dito estabelecimento as fa-
rinhas das melhores qualidades, sendo tudo
feito pelos systemas francez, inglez, porlu-
gusz e allemo, para o que j tem contratado
trabajadores esirangeiros, conhecedores
desses systemas.
Para maior commodidade dos moradores
desta cidade o dos seus suburbios, o dito
estabelecimento ter diversos depsitos para
os anigos do seu fabrico em differentes
pontos da mesma cidade e dos seus arre-
dores, os quaes serio publicados em pr-
ximo tempo pelas circulares particulares di-
rigidas aos moradores dos arrabaldes.
FREGUEZIA DO RECIFE.
Ra da Cruz n. i3, confeitaria do Sr.
Miguel Ferreira Pinlo.
Em frente a ra do Vigario, armazem u 2,
denominado Novo Mundo
FREGUEZIA DE SANTD ANTONIO.
Ra do Imperador n. 26, confeitaria dos
Srs. Rodrigues &. G.
Oude se encontrar pao, desde o mdico
preco de 20 at 200 rs.
No dito estabelecimento e seus depsitos,
tanto na cidade como nos arrabaldes, rece-
bem-se encommendas de bandejas para ca-
samento, partida ou para qualquer ootro
fm, as quaes devero ser dirigidas em car-
ta fecbada, em que se determine, pouco
mais ou menos, o valor das mesmas en-
commendas, as quaes sero entregues no
lugar da residencia dos freguezes.
Gustavo Adolpho Wurffbain,
*0
53
O
O
Este antigo estabelecimento, acha-se hoje montado n'uma
escala de poder servir vantajosamente os sens freguezes, atten-
to o grande sortimento de joias d'ouro, prata e brillantes, que
sempre tem e recebem mensalmente das principaes fabricas da
Europa- cujos presos sao em competiveis e as obras garantidas
de lei.
JtlOREIR 1 MIARTE C.
MANUEL S C.
Tem a satisfacSo de participar aos seus numerosos freguezes, que em vista de ser-Ibes mais commodo, tem
estabelecido urna neva fabrica de chapeos de sol, na ra da Cadeia do Recife n. 9, boje ra do Mrquez de Olinda,
onde acharao os pretendentes, muilo avultado sortimento de chapeos- de sol de todos os precos, qualidades e por pro-
cos mas commodo! do que comporta o nosso mercado : convidam especialmente aos Srs. compradores por atacado
darem, sendo possivel suas encommendas, pois podero assim serem mais bem servidos, visto poderem escolher as ar-
macoes as fazendas que a demora da fabricaco bem diminuta,
NA ANTIGA E BEM CONHECIDA FABRICA
CHAPOSiDE SOL
DA
Ra do Baro da Victoria, esquina da Gamboa do Carmo.
(Antiga Ra Nova)
Ha sempre um grande sortimento de'chapeos" de sof de sedal merino, alpaca, bretanha de linho branco e par-
: do e de algodo os todos os tamanbos e feitios, alm da immesa porco de seda, merino, algodo e brim,
&ae armaces de todas as qualidades para salisfazer qualquer encommeeda. A modicidade de seus precos to conhecida
||g que esensa de mencionar.
8 do
41 MA DO BARIO DA VICTORIA 41
Neste novo armazem tem um
variado sortimento de fazendas
fraacezas, inglezas, allemas e to-
das todas se vendem por precos
mdicos, afim de acreditar a este
novo armazem.
Casemiras inglezas,
francezas, de todas as
qualidades, bros de
cores e brancos, colei-
rinhos modernos, cha-
peos de sol de seda,
unos. RUa
Baro da vlcoiia
DE
ARRUDA IRMOS.
antiga ra
AMA
Precisa-se de urna ama que cozinhe, compre e
tngomme para urna pessoa : na ra do Tores n.
16, 2 andar.
Jeo Nogoeira Rabello, commerciante na ci-
dade do Ico, que ha muitos aono3 compra nesta
praga, julga nada dever aqu ou lora, se, porm,
Um moco brasileiro de 30 annos de idade alguem se julgar seu credor, entender-se-ha com
os seus correspondentes no Recife, os Srs. Gomes
de Mattos Irmos, dentro de oilo dias.
que falla e escreve a lingua ingleza, com
todas as habilitacoes para caixeiro despa-
chante, de embarques ou outro qualquer
trabalho; precisa de um emprego. Para
informaces dirija-se a ra da Grnz n. 51.
das 9 da manha as 3 da tarde.
Ama
Na na do Mrquez de Olinda (outr'ora Cadeia)
d -"(O, precisa-se de ama ama para cozinbar.
s
CONCERTAMOS MACHINAS DE COS-
TURA.
Na roa Direita n. 64.
AMA.
JPrecisa-se de urna ama qae saiba cozinbar com
toda perfeicao para casa de rapaz sotteiro : na
roa 4o Livramento u. 6, loja.
lscravo para alagar
Precisa-se alagar um escravo para servico
padaria da roa Direita n. l.
na
Precisa-se de ama ama qae engomme, cozi-
nhe e compre para casa de pouea familia : na ra
da Anrora n. 40 se dir quem precisa.
NOVA
N. 41.
Assim como tem ama grande
ofQcina de alfaiate, montada com
todos os preparos que ha de melhor,
dirigida por habis artistas, que
pela sua promptido e perfeicao
nada deixam a desojar.
Roupa de todos os
. amanhos para bomens
meninos.
Por todos os paque-
tes recebem-se as me-
lhores e mais moder-
nas casemiras que ha
na Europa.
RUA
Allian^a
Companhia
Di
seguros martimos
na Babia em 15 de jl
de 1870.
CAPITAL'..ll. V****g*r
Tom wturo d mewadanw mmum
martimo em navios de vtSi *!> P***-
tro e ra do Imperio. Agwdi mmOm-
mercio n 17, escriplorio i* im^m hmmm-
Qalve Reltrao. ^^_^__^_^__
Acaba de sabir luz
E
HA
Livraria fran
A
OU
DE
NOSSO SENHOR JESS CHRJSfO,
l MARA SAimSSIMA

VARIOS SANTOS.
Auker:
Setenario do Senhor Ron Jess i
Offlcio do Senhor dos Patsos.
Novena do Menino Deas.
Novena de N. Senhora da Coaeeicia.
Setenario das Dores de Marta.
Offlcio das SeteDores de Mara \
Novena de N. Senbora do Car
Offlcio de N. Senbora do Cari
Novena de N. Senbora da *a__
Canucos de N. Senhora da Peska.]
Novena do B. S. Joao BaptietaJJ
Novena da Senhora Sant'Anna.
Trezena de Santo Antonio.
Novena do B. S. Jo$.
Um bonito volme encadenado.
________2000.
Agencia em Pernambueo
Do Dr. Ayer
Peitoral de Cerqa
Cara a phthysica e todas as nlniai de pan
alM parrllka
Cora ulceras e chapa anjas, i
iros.
Tale*
Conserva e limpa os cabellos.
Plalas

Paramente vegetaes sea nercari
ses, porgao e purificara todo o systeaw I
Vende-segefleetivameDte em casa i
Jobnstnn & C. ra da Senzalla Nova n. 41
Em casa de THEODOiO
ANSEN, ra da Cruz n. 18,
afiectivamente todas as qualioadaa t
Bnrdeaox. Boargoene wo Khnnn.
I
Precisa-se de ama ama forra on
servico interno e externo de nina
familia : na roa Velba n. 68.
Baro da^victorla
antiga ra
NOVA
N. 41.
Este estabelecimento acaba de soffrer urna reforma radical em acceio, artistas e commodos, e em pontoalidade as encom-
mendas, finalmente em'tudo afim de melhor servir os seus numerosos freguezes* deixa-se de annunciar todas as fazendas, para
n5o se tornar massante? .
Alagase a casa terrea o. 21 da ra do Hos-
picio : a tratar na mesma ra n. 23..
Ama de ieit^
de leite : ca ra do
Precisa-se de urna ama
Rangel n. 73, 2a ndar.
AMAS.
Era S. Jos do Maogaiuho, casa n. 2, ainda se
precisa de ama boa engommadeira, e ama criada
para servico de casa e algum ensaboado, paqa-s*
L
everendo padre Jos Ber-
nardiuo de Paiva
Recorapensa-se com generosidade a quem der
nottcia era qae parte desta cidade oa mato reside
reverenda padre portuguez Jus Bernardino de
"iva : a pessoa que delle qaera dar noticia, an-
nuncie para ser procurado.
Alnga-se ou se dar sociedade padaria al-
leccaa em Santo Amaro, a qual est bem montda
e afregaezada, tendo encanamento de agua e gaz,
e bastanie commodo. as condi^Se sao favoraveis:
trata-se no mestno lagar oa na roa da Guia nu
mero 58.________________________
Aluga-se o 1' andar do sobrado n. 20 da ms
Duque de Casias : na roa do Rosario da Boa-
vista n. 40._____________________________
642 6AZ GAZ
Cf*e|ou ao antigo deposito de Henry Forsw t
I, rn* do imperador,' um carraganiento de ca
a prmeira qoalidade; o .nal se vende em partida*
* a mamo p?r menos preco do que m ootr ins -
r parte.
I
Precisa-se de nma ama qae cosiuhe bem, forra
oa escrava, para casa de poaca familia : tratar
na roa Nova n. 30, i andar.
Companhia Fhenix
Pernambucana
S3A directora da companhia Phenix Pernambu-
cana deliberoa que os premios de seguros por ella
realisados qaer martimos quer terrestres sejam
pagos no acto de celebrar-so o contrato.
Pernambuco 11 de outubro de 1870.
Pela companhia Phenix Pernambucana
J. H. Triudade.
F. F. Borra.
Luiz A.fSequeira.
M| M|gaw Wtmm aa-Mmatge'
COMPANHIA
- nos
TRILHOS DBBAHOS
RECIFE A* OlilXDA.
Por ordena da directora sao ciwwnhJw
os Srs. accionistas para, do praw os dei
dias contados do da 11 ao du 21 do car-
rente, recolherem a 2* prestar ao t jom
aeces, na razo de 10 / do capal oa
2a emissao. Para este fim ser eoccoirado
o Sr. tbesooreiro no escriplorio da coaoa-
nhia das i 1 horas da maohaa s t oaraa da
tarde, de todos os dias olis.
Escriptorio da compaoh a, 8 de notca-
bro de 1870.
Joo JoaqmtmAlm*,
I* secretario.
E' esperado proxinuaaeale i
do da Babia o distracto oculista Dr.
de Magalhaes, qae pretende decorar-
le id po entre nos. Sao moilo MlavMs a* ept*ao>,
que este oculista com grande soeces le* prc.
ticado naqaellt provincia.
Companhia de segvis wuium
ulilidade pifcca.
A direccao de confornudade coas os
art. 41, convida aos senbo
rem-se ter^a-feira iS do
dia, em seu escriptorio n do
da n. 42, 1* andar.
Recife 12 de novembro de 1870.
Os tirecteres
Feliciano Jos Geom
Tbomaz Feraaades da
Precisa se de ama ama forra ou captiva que
saiba cosinhar bem o diario de ama casa : tra-
tar na ra do Pague de Caxias. loja n. 1.
Precisa-se
A lugar nm preto para o servico de ama casa
de familia : na roa do Qneiraado n. 6._______
Precisa-se de tima escrava que cozinhe* e
engomme para poaca familia, e nm moleque-de
12 a 14 annos: na ra da Imperalriz n. 86, 2*
andar.
priado.
Preeisa-ee de nm criado de 15 a 16 anuos, forro
on escravo : a tratar na roa Nova o. 50,1* andar.
Alaga-Be o'sitio jamo do Sr. Dr. Alcoforadc
no Csldeireiro, pelo tempo de festa. leude ructei-
ras, oaixa oom capim. e banho no fundo do sitio :
quem o pretender dlfija-se ao paleo do Gollegio,
no escriptorio'*) Sr, Dr, Fonseca, ou no mes-no
sitio,
Na travessa da roa
das Crozes n, 2, pri-
meiro andar, da-se di-
nheiro sobre penhores
de ouro, prata e briihan-
tes, seja qoal for a (pian*
lia. Na mestaa casa com-
pram-se os mesmos me-
taes e pedras.
immiiinii
^Sobrado para alugar
0 1 e 2* andar P sollo n. 6 da ra do Duque
de Caxias.: a tratar no Corar"n de Ouro.
AMA
Precisa-se de nma ama que saiba cozinhar : oa
ra do Codorniz n. 8.
RUA IIA CRUZ Y, \
Chapas de ferro galvanisadas para telheiros, etc.
Tachas de ferro para assucar, etc.
Formas de ferro para assucar.
Arados americanos. .
Carrinhos de mi.
Yenezlanas para janellas.
Machinas de descarocar algodao.
Machina de cortar fumo.
Mchica de cortar papel.
-Motores para doos cavallos.
Machina a vapor para mover machinas de algodo.
Balancas, prencas, cofres de ferro, fogOes de |ferro, enxofre,i|salitre limalha de-
jerro e muitos outros artigos.
WAMITRTANO
CILYNDROS PARA PADARIAS
Tendo ebegado ha poucos dias completo sortimento dos melhores e mais
conhecidos cylihdros americanos para padarias, roga-se s pesseas que d'elles precisa-
rem de virem vel-os ao grande deposito do
BASTOS
-IAIDAS. KACHIIA8
BRAZILIAN STREET
Ralway Company (Limited)
Esta companhia vender d'aq por ame
nos domingos e dias santo* na estaco >
Recife bilbetes especiaes, qae NnMo se-
ment no dia da venda, por 11000 cali r.
os quaes do direito a passagea e a *
volta em qualquer trena do Recato ao Ga>-
deireiro, Monleiro e Apipoce*.
Escriptorio da companhia t de i
de 1870.
Wiltam
Precisa-se de nma pesase de
telligeote e actira, qae l
tica de drogara : a tratar a rae del
n. M.
AOS 5.-OJ04000
Esli venda oa Mises
Baha, na casa feliz do arco
onrves no Redfc.
de
hd
AVISO
i,
Na rna do Vigario n.
seguintes senhores:
ChristoTio GoiHiera
Jos Martins Giuiearaes.
i
OUTR'ORA RUA DA CADEIA
ALUGA-SE
O primeiro andar de
Marcilio Dias (oatrora DinMej
gabinete na salla da fraate,
qoarto para eeeravss, qoiattl
o pretender dirija-se a trn
Deas n. 13, e par* kever a
da dos Srs. Inopes Soasa, aa
Agua potavel para
O amo Felieiano ecsrrega-s de
riamente ana em baldes (aneos) de
Olinda, mediante ajaste : i tratar ai
con o Sr: Jlo Ceeiho.


ie Pernambuco Segunda eira 14 de Novembro de 1870.
AMA
Prtci&a-se de urna ama mi easa de rapaz sol-
ato : na tas de Pedro Alfonso n. 58 (antiga rus
*a Praia).
COMPRAS.
Compra-so a collec$Lo
o Diario de Pernambuco de
Janeiro a junho do anno de
1866: nesta typogrpohia se
dir quem compra.________
U>m maito maior vantagem compram-se
ouro, prata e podras preciosas eoo obras velhas: na
0 BAZAR DA
VIU v> i 4
loja de ioias do
Cabugi.
Coracio de Ouro n. 2 D, ra do
Compra-se urna col-
leccaO de leis provinciaes
de Pernambuco do nno d*
1866: nesta typographia.
Compra-se ama porta, que tenlia tre-
se e meio palmos de altura e seis de lar-
gara, que seja de amarello, e qoe esteja
em bom estado; nesta typographia se
dir.
CANOA
Compra-se ama que tenha cerca de 32 palmos
de comprimento e 4 de largara : na ra do Vi-
gario n. 26. primeiro andar.
Vr.NDAS.
I
Vende-se ama casa eom garapeira e venda, na
estrada do Casanga, muito afreguezada-, eom ca-
cimba de pedra e cal e agua de beber, eom o
quintal muito bem plantado : qaem pretender di-
rija-se a mejraa estrada a tratar eom o dono {do
mesmo estabelecimento.
Vende-se sement de coentro muito nova
na praca da Boa-vista n. 12, taberna.
Joa de Souza Soares & C.
RA DO BAHAO DA VITORIA
(OUTR'ORANOVA)
Anresenta-se metamcrptaozeado no que pode haver de mais bello e agradavel em -
wndaa fiBas para Senhoras artigos de alta moda em Pars unto para sennoras como
para homens e meninos. w.... m>.
Mradezas afamadas, perfumaras especiaes, variedad de lindos objectos para me
nios e brinqoedos para enancas.
GRANDE SORTIMENTO
Continuamente recebido por todos os paquetes vindo da Earopa sonde teem na-
618 v^ndeSsenmaUoSmconta e manda-se por em pregados do estabelecimento razendas
em casa das Exms. familias afim de melbor escolherem o que desejarem.
0 MARAVILHOSO REMEDIO DO
DR. CHAS. DE GRATH .
OLEO ELCTRICO
KI1VG OF PAIN O RE DA DOR
I*ARA USO INTERNO E EXTERNO
CURA CHOLERA E CHOLERA MORBUS,
Ps de roseiras de varias qualidades ; assim
como de sapotis, abacate, tlgueira, laranja cravo
e pinbeira, por prego rasoavel : tratar na Boa-
vista ra do Visconde de Goyana n. >!, outr'ora
Mondego.
CERYEJA BASS
De diversos engarrafadores, vende-se no arma-
zem do Joao Rosa na Tfavessa da Madre de Deus
n.8. _____________________________
Farelo
4:200.
Saceos eom 100 libras de superior farelo
dlo barato preco a cima indicado, na roa
da Madre de Dos n. 7.___________
Grande reunio!
Ra do Imperador n. 28, ar-
mazem do Campos.
Como se est aproximando o tempo dos regabo-
fet, o proprietario deste estabelecimento tem se
esmerado em fazer reunir em sea armazem nm
completo e variadissimo sortimanto de gneros
alimenticios.
Nao se propoe a descrever nominalmente todos
os gneros comidos era sea armazem por se tor-
nar de mais enfadonbo.
Garante somente, que sua norma de ha mnile
lempo .ender pao por pao e queijo por queijo.
Avisa especialmente aos fumante?, que recebeu
de sna especial encomraenda urna factura de cha-
rulos superiores deS. Flix da Bahia, das segra-
les marcas : exposicao, marquezes, normas, ama-
dores e paraguayanos.
Venham todas as despensas dos arrabaldes e ci-
dade suprir-se de gneros de primeira qualidade.
TMiMiir
Vende-se no trapiche da Companhia Pernambu-
cana arroz da India njvo, a 2*800 a arroba em
saceos.
NOVMDES
TRIUMPHO
7 Ra doQueimado 7
DE
M0RE1B4 i BASTOS ., ,
E' chegado a este novo estabelecimento o mais bello sortimento de fazendas
inaa, sendo sua especialidade enxovaes para noivado.
Vestidos de blond de^sda ricamente bordados.
Gorgurao de seda branco para vestido.
Colchas de seda pura, para cama eom ricos desenhos.
Ditas de 13a e seda, idrm idem.
Ditas de crox, idem idem.
Cortinados ricamente bordados para cama e janellas.
Croxs para cadeiras e sofs.
Vestidos de cambraia branca bordados.
Popelines de lindos gostos.
L5as de diversas qualidades, lindos gostos e modernas.
Ricos bjurnus para passeio, eom listrs de setim.
Sabidas de baile o que ha de mais rico. >
Cretones para vestidos eom lindos desenbos.
Carnizas bordadas e sem bordados para senboras.
Camisas bordadas muito finas para homens.
Ditas inglezas para homens e meninos.
Seroulas de linho, e um grande sortimento de roupas feitas e de fazendas que
enfadonho mencionar.
Luvas frescas de Jouvin
Sortimento de tapetes para guarnieses de salas, alcatifas para forro de sala, e o
grande sortimento das acreditadas e verdadeiras
Esteiras da India
DluTlie, fluxo di tangue, em nm di.
DOr de cabis,, dorei de onvido em
tretaiastM
Sor de dente, tu um minuto,
evelgie, em cinco minuto*.
Deeloeeeoei, em vinte minntoi.
Gszgutu inohedni, em dei minntoi.
Colio e conmlioei, em oinco minuto.
Xhenmttiimo, em um ais
Tebre e febre intermitente, em nm din.
Dor nu coito e no ladoi, em de mi.
uto
Teieee perigoeee e refriados, em nm lia.
Pleureii, em nm din.
Surdei e aithma.
Hemorrhoid! e bronchitis.
Inflnunacio noi rias.
DyspepfU, eryipelu.
Molestias de ligado.
Palpitado de oometo.
RESERVE SEMPRE ESTE REMEDIO EM SUA FAMILIA
18 BOENCAS SE APRESENTAM, QUAflDO MENOS SE ESPERA.
OLEO ELCTRICO O "KINO OF PAIN" (O re ds dor) aquieta e positivamente dlaalpa mal de diflerentes
molestias e dores, e allivia mal os eoflrlmentos e produi um mais perfeito equilibrio no systema humano, otquo nao ee
pode efectuar no mesmo tempo, eom qualquer outro remedio medecinal.
Este multo ptpular remedio esta agora usando-se geralmente, pela ratao que mllhares de pessoas se tem cunde
gratis eom o dito remedio pelo Dr. Grata e outros mais.
Este lmportantt remedio nao se offerece par ourar todas as doen^as, porem tao lmente para aquellas estipulad*
as nossas direccoea.
Est operando nos principios da chlmica e da electrieldade e por isso, esta applicavel para o euramento e par
restaurado da acipa natural dos orgaos que soffrem da Irregular circulafao dos fluxos dos principaes nerros. Oleo
elctrico O King of lain oper directamente nos absorventes, rateado desapparecer as lnchaf oes das glndula! U
em um tempo inorlrel, breve sem perigo do sen uso debalzo de qualquer circunstancia.
O remedio, 6 urna undeclna par o uso externo e interno, composto dos elementos curativos, raises, hervas, e casca i,
taes, como se tem usad dos domos antepassadoi, e das quacs tem grande existencia no mundo, par curar toda* as
molestias, somente sahendo-se quaes ellas sao.
Foi um grande e espacial desojo da faculdade de modeclna durante multos annos de experlenoia para aprender o*
melhores modos que se devtam adoptar para ourar as segulntes doenf as, e que proporc^es de modeclna se devl usar.
EM PERNAMBUCO
A PHABMACIA E DROGARA DE
BARTHOLOMEO & C
2tf.=34 Ra Larga do Rosario. IV. 34.
f*OJA
GALLO VIGILANTE
Rva m Cresp* a. 9
O propnetarios deUe hm> ehwii
eimente, alm o waiu* *^y*jl
postos a apreciaeio do i
daram vlr e aeaMm a ree*er M>
da Europa nm-completo #wim
*JH
tao resolvidos a TeDBr{*
por presos muito baratinhM e
dos, eom unto que o Gallo
Muito superior* luva de pone
cas e de mui lindas coree.
Mu bou e botas foDutaj
ahora, neste genero o^ue ha ie
Superiores pestes de tartarnf pf
Lindos e riquissimos enfettes para <
Exmas. senhoras.
Superiores trancas, pretas e coree
Ihos e sem elles; esta fazenda o fas
de melhor e mais bonito.
Superiores e bonitos leernes
marhm, sndalo e osso,
eom lindos desenhos, e estes .
Muito superiores meias lo de tinueii pr
nhoras, as quaes serapre se umtnm por *\Wy
a duzia, entretanto qne nos as Tendeos per
aim destas, temos tambem grande MtJMM de
outras qualidades, entre as quaes
tinas. *
Boas bengalas de >upr
castao de marfim eom linda? e
ras do mesmo, nesie genero o
pode desojar ; alm destas ttem
uuantidade de outras qualidades,
deira, baleia, osso, borracha,'
Finos, bonitos e airosos eni
de outras qualidades.
Lindas e superiores ligas de seda e boma*
para segurar as rneia*.
Boas meias de seda para senhora
as de 1 a 12 annos de idadf-.
Navalhas cabo de marhm e tartaruga
barba; sao muito boas,e de aaie a
rantids pelo fabricante, e nos por
bem asseguramws sua qualidade e
Lindas e bellas capeilas para pot.
Superiores agnlhas para macluna t
Linba muito boa de peso, irona,
labyrintho.
Bous baralho de cartas para Tottarete,
como os tontos para o mesmo fin.
Grande e vanado sortimento das
fumarias e dos melhores e mais
fumistas.
COLARES DE ROER.
Elctricos magnticos contra as
fanilitam a denticao das
mos desde muito recebedora
collares, e continuamos a rceebe-lee .
vapores, aflm de que nanea faitea no mere:
como j tem acontecido, assimpois podara*
les quo delles precisarem, vir ao depee
vigilante, aonde sempre encontrarie
deiros collares, e os quaes "
t para
siep
TCX Ta--
CASA CAUVIN
Farinha de mandioca da Bahia.
Tem para vender muito nova o superior,
em saccas, a .prego mais commodo do que
em oatra qualqaer parte: Joaquim Jos
Goncalves Beltrao, no seu escriptorio ra
do Gommercio n. 17.
rtas n. 53, ra Direita, 3 portas n. 53, antiga]
loja d) Braga
O abaixo assignado, dono deste antigo estabelecimento, tendo em visu apresentar om]
_ completo sortimento de ferragens, rniudezas e cotileria, tem resolvido mandar buscar em
B diversos ponios da Europa os melhores objectos de sen estabelecimento dos fabricantes
m mais conhecidas ; pelo que convida ao respeitavel publico e a seus numerosos freguezes,
5 virem se *ervir dos objectos de sua carencia, aende encontrarao por menos 10 OjO do que
B em outra qualquer parte, um sortimento completo de machinas para descantear algoaao,
m do bem conhecido fabricante Cottorr Gin & C, ditas para costura, motores para animaes, >
5 ditos para fego, moinhos para caf de todos os tamanhos, da fabrica do Japi, espingardas de B
HJ dous canos e de um, tanto inglezas como francezas, 1ouca de porcelana, facas e garfos f
Sde diversas qualidades e precos, bandejas chinezas, salitre, breu, barbante, enxofre, papel e 1
limalha de ferro, ac, e agolha para fogueteiro ; assim como encontraro constante- j
mente grande porcao* de fogo do ar, e recebe-se encommenda de fogos de vista, alem de um |
m cem numero de objectos, que se tornara enfadonho numera-los : venham ra Direita n. 1
g 83, loja de Lenidas Tito Loureiro, antiga loja do Braga.
A\1D W. BOWHAN
EBCEBEffiO
Com fundipc
RA DO BRUM 52
Passando o chafariz.
Chama a attenco dos Srs. de engenho para seus acreditados machinismos e
A MAHINIFR Pbarmaceutico privilogiado
Itoulcvai.1 sbastopol, S5 PARS.
NOVAS ESPECIALIDADES A. MARINO
Aposentadas a Academia de Sdcadtt c ao Instituto ue Franca,
Sol) forma de fattiUs, deredl* I desead* rara
fuer ile momento urna sluccln
INJECCAO
Preventiva s curstiv das MOLESTIAS COTAG10SS.
KUEGTm-ffllUM
do volume i'e nn rclocio. sen indo de
l'IIU.Tr.0 e SI-.lM.A Ma M
jravci incontcsicates de rajilldad*.
ESTOJOS
Cua a forma, e de rolume de um P.irte-Moed
COTEXDO TODO 3IUTAUEXTO.
COLLYRIO Contra as affeccois das palpebras,
preparado sob a mesma (orna.
BARTHOLOMEO C
Depositarios geral para e IIH4SII, e PORTliCAL
34, roa larga do Rosario. PERNAMBUCO.
Rival sem segundo,
RA DUQUE DE CAXlA N. 4
(Antiga roa do Qoeimado)
Contina a vender tudo muito bom e
muito barato a saber :
Libras de areia preta muito boo. .
Tesouras finas para unhas e costu-
ra a.
500
Vende-se urna casa lerrea graden ca ra
Imperial n. 72 : a tratar na ra do Imperador,
sobrado n. i, entrada pela ra de S. Francisco.
' Na ra do Bario da Triumpbo, aatiga do
Brum, n. 92, vende-se o seguinte por preco m-
dico:
Cal de Lisboa da mais uova que ha no mercado.
Bolmetes para barcacas e hiate?.
Attenco
Vende-se a armado e pertence? da taberna do
logar do Terco n. 11, propria para qualquer prin-
cipiantes cedendo-se ao comprador a residencia
do sobrado de um andar por cima da mesma :
tratar no mesmo sobrado.
ihe bao de fazer melbor apre-
com especialidade para seus vapores que ainda urna vez tem melhorado.
Os vapores fornecidos por ello o j funecionando Ib
ciac5o do que qualquer dito proprio.
Deseja tambem mencionar que tem feito urna redcelo em seus precos; e que
tem prompto toda a especie de machinismo e outros objectos para a agricultura.
Doce de caj em calda
Superior doce de caj em calda por preco mui-
to mdico : no pateo do Paraso n. 14.
A SILENCIOSA.
CHEGARAM AS AFAMADAS
Machinas de coser de
Pollack Schmidt.
As mais modernas e elegantes que tem appare-
cido at boje E, com effeito nada mais se pode
exigir ie urna machina de costura em quanto a
trabamos de agalha, tal a variedade do costuras
que azera as de que se trata ; por isso que se
pode dizer que a Silenciosa de Pollak Schmidt
attingio aos ltimos aperfeiQoamentos I
A simplicidade de seu machinismo, a adheren-
cia de suas pecas e belleza de que se acbam re-
vestidas estas machinas, slo predicad m que por
si as tornam recommendada?, mesmo diante da
apreeiacao a mais escrpuulosa e exigente, coja
verdade se acha gravada em bellos caracteres em
todas as exposic jes onde as silenciosas teem sido
Tantajosamente premiadas.
/ Perto de 2,000 machinas teem sido vendidas da
corte do imperio pelo sen nico agente no Brasil
j no corto espaco de dous annos, e conlinuam a ser
I procuradas eom eothusiasmo : rogase, portanto,
1 ao respeitavel publico desta bella capital, e com
I especialidade as familias qne desejarem possuir
I urna atil e linda peja de as vir ver e examinar
/ em casa do Sr. Joao Gustavo Dutoy n. i, onde
I encontraro pessoas habilitadas para darem todas
; as explicaeSes.___________^______________
Para a festa
Chapeos de palha amarella gradeado, redondos e
chatos a 3<5O0 : na praca da Independencia nu-
'meros 7 e 9-
Cal nova de Lisboa.
Barrisrsade9, desembarcados do \ik Mo :
vende-se na roa da Madre de Dos n. arma-
iem de-Cunha Irmaos & C
PRECIOSA DESCOBERTA
TNICO DELSUC
O TNICO DELSUC que boje apresenta ao publico, depois, porm, de om severo
exame e de reiteradas experiencias, tendo a certeza de que possue urna superioridade
incontestavel a todas as outra* preparaQes, que at boje tem apparecido, recommenda-se
por sua bondade, e pelo brilbante lustro que produz nos cabellos, tirando immediatamen-
te todas as caspas e coceiras, fazendo com que appare?a em bom estar impagavel.
Esta agua compe-se de substancias cuidadosamente escolhidas, purifitadas, e
confeccionadas com o maior cuidado, e alm disto combinadas de modo tal a dar-lbe
urna accao verdaderamente efficaz. consoladora, e benigna.
Derrama-se esta agua na cabeca, e esfrega-se levemente ; immediatamente ficam
os cabellos limpos e com um brilho magnifico.
Deposito
somente em casa do autor, Andr Delsuc cabelleireiro de Pars.
Ra 1 de Marc/) (antiga Crepo) n. 7 A Io andar
Papis de agulhas francezas a ba-
lo a.........
Caixas com seis sabonetes de fruta
Libras de la para bordar de todas
as cores a.......
Carriteis de linha Alexandre a. .
Frascos com azeite para machinas
Crvatas de cores muito finas a .
Grozas de botes madepersla fi-
nissimos a.......
Novello de linba de 400 jardas a.
Caixas com 100 envelopes muito
superiores a......
Pentes volteados para meninas a.
Tinteiros com tinta preta a80rs. e
Pecas de fita elstica muito fina a
Lata com superior banha a 100 e.
Frascos de oleo Philocomo muito
fino a. .......
Frascos de macaca perola a. .
Frascos de extracto muito bonitos a
Duzia de sabonetes muito finos a.
Sabonetes inglezes a 600 rs. e. .
Frasco com agua de colonia Piver a
Dito de oleo babaza a.....
Caixas de lamparinas a. .
Sabonetes a forma menino moito
superiores a....... 240
Urtilhas da doutrina fazenda nova a 400
Libras de linba sortidas de todos os
nmeros a.......lA8O0
Capachos muito bonitos e grandes a 700
Carriteis de retroz preto, com 2
oitavas a........ 640
Agulheiros de osso eufeitados a, 240
Libra de linha francera superior
qualidade a.......2tH20
Caixas de palito do gaz a. 00
CONFEITARIA
DOS
ANANAZES
Ra da Cruz n. 16
Eucontra-se.sempre : i AMENDOAS confeitadas: .tarops refri-
BOLINHOS para cha ; p5o de l; *o!lo, gerantes; vinho Bucellas, braaco e tinto,
inglez; pastis de differentes qualidades; proprio para mesa; vermooth; absyntio;
doces de fructas, em calda e secco, em-
barriliohos em latas.
CAIX1NHAS com amendoas e pastillas,
proprias para presentes; cb preto, miado,
cognac ; vinhos finos, champagne.
PAPIS para sortes, ditos vendados
para cobrir bolos.
Rob-ante-rheumatico.
Remedio efficacissimo contra as dores rheuma-
cas at hoje o mai conhecido pelos seus mara-
vilhosos resaltados.
XAROPE DE AGRIAO. um dos medicamen-
tos que sua efflcacia as enfermidades, toase e
sangue pela bocea, bronebites, dores" e fraqueza
no peito, escrobuto e molestias de ligado, que me-
lbor tem apYovado.
TINTURA DE MARAPUAMA. A celebre rail
de marapuama, coja energa e efflcacia as para-
lysias, intorpecimento, etc. etc. muito se recom-
menda.-
Todos esses preparados se encontram^na pbar-
macia endrogara de Bartbolomeu & C, nico de-
pesito na ra larga do Rosario n. 34._____
Cigarros da imperial
fabrica de S. Joao
de Nictheroy.
Gnico deposito em Pernambuco caes da alfas-
lega veiha n. 2, i anda.
Eival sem segundo
RA DO DUQUE DE CAXIAS N. 49
Estou disposto a continuar a vender todar
as rniudezas pelos baratissimos precos abai-
xo declarados, garantindo tudo bom e pre-
cos admirados.
120 Dazias de palitos seguranza a-----
Duzia de palitos seguranca caixa
grande a..................
Frascos com oleobaboza muito fino.
Pacote com p.'s de arroz o me-
lhor que ha a...............
Navalhas muito unas para fazer
barba a....................
Caixa de linha bram do gaz a..
Vara de franjas de lidho para toa-
lbas.......................
Caixas com pennas d'aco de r-erry
superiores................. SOO
Lencos de cassa brancos e pint-
dosa....................
Caixas com 20 quadernos de papel
pautado .......
Caixas com 80 novellos de linha
do gaz a......
Duzias de meias cruas superior
qualidade a.......35600
Pecas debabadinhos com 10 va-
rasa.........
Pecas de tiras bordadascom 12
metros cada peca a 10500 e.
Pecas de fitas para cs de qual-
quer largura com 10 varas a.
Escovas para unhas fazenda fina a
Dkas para dentes a 240, 320,
400 rs. e.
Pecas de tranca lisas, brancas e
de cores a.......
Duzia de linha frxa para borda-
dos a 400 rs. e.....
Pares de meias cruas para m.'
nos diversos tamanhos a. ...
Duzias de meias brancas muito
finas para senhora a. .
Pares de sapatos de tranca do
Porto........
Pares de sapatos de tapete a. ..
Duzias de baralhos para vultarete
Sylabarios portuguezes a. .
Cartoes com colxetes t carreras a
Abotoaduras para collpte diversas
qualidades......
Caixas com penna de ac muito
boa de 320 a. -
Caixas com superiores obreUs a.
Duzia de agulha para macoina a.
Libras de pregos francezes todos
os tamanhos a......
Pacote de papel com 20 quader-
nos ...........
Resma de papel pautado super or
Resma de papel liso muito supe-
rior a...........
60
10000
80000
100
500
500
500
60
600
240
100
200
200
500
240
500
720
10200
500
500
40
120
320
320
320
:)000
500
160
100
70(
400
500
20000
500
500
500
40
500
320
40500
20000
10500
30000
400
20
400
500
40
20000
para que sao applicados, se venderao coa na m
diminuto lucro.
Rogamos, pois, avista dos ohjeetM cjm dena
declarados, aos nossos fregnetes e_aagM '**
comprar por precos muito raxoaveis a loja o ganv
vigilante, ra o Crespo n. 7.___________..
Dcordeiro previdentt
Riea do Qnclscad f.
Novo e variado sortimento de pnfalirt*
finas, e outros objectos.
Alm do completo sorliiaflatn Pgff
maria3, de que efl'ectivamente est prvrita
ioja do Cordeiro Previdente, ella acafct *
receber um oulro sortimento que ton
aotavel pelavrriecade e cbjectos, sepi"
iade, qualidades e ctirjEodtad^ 4t |f
eos; sssim, pcis, o Cordeiro Pixvldatofia
3 espera continuar a merecer a^tpfecaici-
do respeiiavel publico em gend e c '.
boa freguezia em particular, \yo o toto
tando elle de sua bem conhe
e barateza. Em di!a loja <:::< natnrfj -
tpreciadores do bom:
' Agua divin?. de E. Coudray.
Dita verdadeira de Mcrray d Laamat.
Dita de Cologae in'!sza, z? :.ric2na,,1
ceza, todas dos melhores o Eai: srrcoflac
fabricante t.
Dita de flor de jrcj--iraa.
Dita dos Alpes, e vilete para toilet.
Elixir odontjigico para cozttmfL l
8seio da bocea.
Cosmetiques de superior quiidt'C e c
ros agradaveis.
Copos e talas, maiores emencie, coa
pomada fina para cabello.
Frascos com dita japoneza, traziSpmB-
a outras qualidades.
Finos extractos malezas, aaah^zMt
francezes em frascos .mpleseen/estad.
Esseui':a imperial do .cr eagrada't! ebv
ro de vioita.
Outras coticerjtradas e c etetrea ifc*
mate teu e agradav
Oleo phocMN wrdadir.
Extracto d'lo da r caaL2d;
om escomidos cheiros, em raccs dedHf
'entes tamrnhos.
Sabonetes em barras, uioras t ornen
para mos.
Ditos transparentes, redondos e es fj:
ras de meninos.
Ditos muito finos em caixinha pan bsrt-
CaLdnhas com bonitos sabonetes mrni
fructas.
Ditas de madeira invernisaca cos/sniel
aas perfumaras, muito proprias pan |r*
tente.
Ditas de papelo igualmente botitat, tas
bem de perfumaras finas.
Bonitos vasos de metal coloridos, e 4
moldes novos e elegantes, com po de arre
b boaeca.
Opiata ingleza e franceiapan
Ps de campbora e toras
ijuahdades tambem para
Tnico oriental de Kea
Alada m*\
Um outro sortimento de
vos e bonitos moldes com filete de
e alguns d'elles ornados de lores e fto>
48tlo todos expostos apreeiacao de ejMS
os pretenda comprar.
GOLLINHAS E PNHOS BORDADOf
Obras de muito gosto e perfeieao.
liTcilaa o Mas par etmimm.
Bello e variado sortimento de tose eitot
tos, ficando a boa escoma aofosto decae
prsdsjr.
240
400
40000
lee sortiMS *
cansa da radu
PBNTOS.e fiambres.
de superior qualidade; latas com pecegos
a 10000.
RECEBEM-SE encommenda* de bandejas com boliobos. com armafo de assu-
car e sem ella ; de pSo.de 16 mbolos enTeitados com disticos e sem ellas : "e-de outros
muitos objactos proprios para graodes jantares, bailes, etc., etc.-
Attenco
30600
Vende-se um sobrado de doas andares e
grande sotao sito roa Direita, precisando de nm
grande concert : quein o pretender dirija-se i
ru larca do Rosario n. !4. 2o andar.
TTENCAII
Vende-se, arrendare oo alnga-se um sitio na
Boa-viagem ao sul da [mvnacan, com dnas casas
venaese uro "riti no BarPamo contronie ao juntas que se. ve para grande familia por ter eom-
Monteiro, com 37 bracas de Trente ; quom preten- municagao por dentr, SPn.| uina de pP(jra e cal,
der dirna se ao mesrao Barbalho, que tratara som com bastantes ps de coq os dando
Kelu Alves da Luna, ou eom Joaquim Lun ter- l03i com agui doCe na prt8 perl0 do ma parif
reir Leal, no pateo da Santa Cmz n. tft. t.___ loroar ^ ^^ banh(S s,|%li(>, \ a ,ralar
Vende-se a casa terrea n. II, em Olinda, jde Santa Rita n. 7. nfirmaco
ra do largo do Amparo, em chaos proprios : a j Boa-viagem oto o Sr. Joaquim Teixeira na roa
tratar no Recife a. 40 i ra da Cadeia. I da Gamelleira.
Vende se arn sitio no Barbalho confroote ao
Joaquim Rodrigues Ta-
vare^ de Mello,
TEM P*RA VENDER
em seu escriptorio, praca do&rpo Ssak
n. 17 :
Ftimo em folha
de 1* e S* qualidade, e Ttast aaii
, fardos a vontade dos euaaeadma.
Cal de Lisboa
ultima chegada. ,
PotassadaRuaia.
Parlaba elvsMSBellaee,.
Vrnho Bordeanx.
que em ontra qBabpMr fu%t. ey
as* eeowwDei
da tsVefM
1 na mesma. ,
i



(5
Diario de Petnambuco
___Ll______________________l
Segunda feira 14 de
Noverabro
de 1870.

GRANDE
BAZAR DO PAVAO
60-RUA DA IMPERATMZ-t50
DE
PEREIR1 DA SUYA & C.
Neste imorrtante estabelecimento encontrar o respeitavel pnblico, um grande e variado sprtaeato de fazendas do mais
aparado gosto e todas de primeira necessidade, que se vendem mais baratas do que em ostra qualqoer part, visto qoe es ne-
tos socios desta firma, adoptaran) o systema de s venderem i DINHEIRO ; para poderem vender pelo costo, HarUodo-se apenas
j ganbarem o descont ; as pesoas que neeociam em nequeoa escs'a nesta toja e armazem poderjo facer os eos sortimeatos
pelos mesmos precos qne compram as casas ihglezas, (importadoras) e para maior commodidade tas Exmas. famfias se dar5o
amostras de todas as fazendas, on Ibes levam em suas casas para escolberem.
PARA NOIVADOS CORTINADOS, COLCHAS. GROSDENAPLES PRETOS
Chegou para o Bazar do Povao um eran- Chegou para o Bazar do Paveo um gran-
de sortimento dos mais bonitos cortinados de sortimento dos melbores grosdeDsples
bordados, proprlos para camas e janellas, pretos qoe tom vindo ao mercado, qne se
qne se v#ndem de 100 00 at 200'VO o *endem de 10600 at- 5$000 o covado ;
par, assim como o melhor damasco cam 8 sS<> todoa muito em conta.
palmos de largara a imitac3o de damasco MANTELLETES DE FIL
de seda, proprias para colchan, e propria- Ni Bazir do Pav5o vene-se modernissi-
mente colchas de damasco, send< os mulho- moi caantelletes op basquinas de fil preto,
res e mais bonitas qae tem vindo ao mer- om ''C0. pelo barato preco do 10)5000 ca-
cado, da um, e barato.
TAPETES ALGODO ENFESTADO PARA LENQES.
Chegon para o Bazar do Pav2o o mais I No Bazar do Pavao vend-se o melbor al-
PECH1NCHAS
DO
PAVAO
Ra da Imperatriz 60,
Para Tender deprevsa
UNDAS JAPONEZAS PARA VESTIDOS A
A 500 RS.
Cbegoa um elegante sortimento de !5as-
elegante sortiment-'* de tapetes grandes, pa-'gfl,15niBbo amricano enfestado para leo- mna8 do Japlo, com padroes de seda e de
H
^^M tialnz 20
, ***& $"&?"** *$* faltadas fraas
dearaitaaa* La Viile da Pins, nm grande sorti-
mento de fazendas finas, como sejam : cortes de
de chevre com liatras escocezas de nraa e daas
sm o qne ha de mais alta novidade, ricas pope-
linas de sda, granadines, l5as_jeseoceas, lpicas,
bareges, etc. etc.. e nm completo sortimento de
chitas, madapoloes, eambraias brancas e de cores,
organdys e cambraia imperatriz, e outras mnitas
faeenda, ludo do que ha de melhor nesto merca-
do, qoe todo se vender o mais barato possivel.
Chamamos a attenrlo do bello sexo qne qnlaer
andar na moda, e ao mesmo tempo esperamos a
ana protec?. Manda-se levar em casa das
Exmas. familias todas as fazendas qno nos pe-
direm.
20-RA DA IMPERATRIZ20
Farla & Lesea.
ra sofs, com i cadeiras. dttns mais peque-
os, para doas cadeiras, ditos para
pianos, ramas, portas ; etc. -vende-se por
menos do que em outra qoaln;oer parte.
ROPAS PARA HOMENS
No accrtditado Ba ar do Pavlo encontra-
r o respeit ve! publico um grande sorti-
mento de ronpas para homens tanto bran-
cas como de cores, a saber:
Camisas con; pe.itos d'algolao edelinho,
para todos os precos e qua'i dades.
Cerollas de liono e algodo.
Mei-is cartas fran^ezas e inglezas.
Palitos sobrecasacos de panno preto e
casemira.
C!c- Dita- de C3eruiras pretas u de cores, com
colletes gaa*s
De todas estas roapas ha para todos os
precos e quali lades, e tem de mais mais
nm perito
ce', tendo liso o eotrancado
muito barato.
ESPARTILHO.
No Bazar do Pavao receben-se nm elegan-
te sort ment dos m por preco mu'l b^* qnalidade. que se vendem _
500 rs. o covado. pechmcha, no Bazar
do Pavao, roa da Imptratriz n. 60.
POCPELINAS DO JAPAO A 10600 O COVADO.
Cbegoa am elegante sortimento de Jin-
res espantos, qne se vendem por preco dissimas poupelmas Japooeaas, com os
mnito em conta. mais delicad s gostos, tendo raaito lastro
PANNOS DE CROCH PARA CADEIRAS!e con* listrinhas de seda, sendo esta nova
O Bazar do Pa\3o rtcehea om grande Ifazeacla Qasi da largara da chita rance-
sortDVBto dos me'oores oannos de croch, >za .e vende-se pelo barato preco de 06GO
ALFAIATE
Por qaem ?e manda fazer com prestesa
e aceio q^ulquer ppgde obra a capricho
oa tro to do frHiuez, tend* n\Me imponao-
te estab'lecirafnto t das as qua'idides &
panro fiai, as melbores e mais mder-
naseasemiras,assid cono os melhnres bnn,
qur bnncis qnr de cor; o quan 'o qoal-
qner ibr.i nao ficar inteinme ite ao gosto
dos fregoezes fi.'a por co^ta do estabeleci-
meato.
CHALES DE MERINO
Chegon pa-a o Bazar do Pavao nm elegan-
te sotiiment'decba'e da merino de coras
mull i ;>' ns c .m pairos man i decantes
para qualquer uma senbora usar, ditos de
crp n cora listas de s?da o mais fino e
Bodroo qusiem viudo ao merca lo, e ven-
de-se por proco mi'io en conta.
TOALHAS A 75i)U
No Ba^ar do Pavlo fez se uma crmdr?
com: r.i d- tildas alcorzadas, proprias
para roto, b.:st nte encorpadas e graedes,
que sempre se pnderam a|t23MiO. e li-
qmidam-a a 7 500 a doziaoa a 640 rs.
cada ama, boa pc-bincba.
CORTES DE CHITA
*UWB a 3,3850
3 520 3*520
308') 3;ion
No Bzar doPavo vende-se cortes d fi-
nistimHS :hias com padroes daros e esca-
ros, tendo 10 II eli covidos; sendo U-
zend qoe vale nMiti mais dinbeiro e liqui-
d? se pelo preco cima para acabar, na ra
da JmO'Uriz n. 6o Bazar do Pav5.
BRINS DE CORES A 295i.O e 35500
Vendem-se modernissimos brins de linbo
decor.com as cores fixa<, seaio ocote
de caira a 255 )0 e 3,55,0 e em vara a I3< 0)
e I60o, pecoiBcha, no Bazar do PavS-j ruj
da Imt'rdriz o. 6o.
CORPINHUS BRVNCOS A35000
No Baar ilo Pavo vendem-se corpinbos
decam^iraii brancos bordados, seoilo fazen-
da que o-jjre se veadea a 8^;00 e O-jl
e liqui la-se a 3,5*000 por es^arem am
poa a aialtratados, pecoincba, na raa da
Imper'ri? o. *O.
FU iTES DE COR E BRANCOS
Vende n-se bunitos fustoes brancas e de
cores, oropris para vestidos e rcapas de
meninos, sendo de cores a 800 ris o cova-
do e brancos, a 400 e 640 ris, pe-
chincha, no Bazar do Pav3o roa da Impe-
rairiz n. 60
CHITAS BARATAS
a 200 ris.
a 200 reis.
a ~2<>0 reis.
Yendem-ie chitas largas com mnito bons
pannis e cores fizas pelo barat preco de
200 is o coado ; cortes das mes-as com
10 covados a 200", pechincha, no Bazar
do Pav3o.
AS CASSNS DO PAVAO
Covado 200 ris.
a 200 reis.
a 200 ris,
Venddm-se bunias cissas de cores mia-
dinbas pelo barato preco de 200 ris o o
vado, ao armazem do PavJo roa da Im-
peratriz n 60
PANNOS PARA SA1AS A 1*000, O METRO.
No Bazar do Pavao vende-se bonitt fa-
zenda branca encorpada para saias, sendo
com babados e orogas le om lado, dando
a largura da fazenda- o compri nento da
saia. a qm\ se ple fazer com 3 ou 3 4i2
metros e vente-se a |,J, 45280 e 1A400-
assim como tamt>emno mesmo estaoeieci-
ment. se vente bon.t sai8 brancas bor-
dadas, tnn lo qaatro pannos cada ama. Utas
de 15a da c6resj promotas, am3; ^
barras difirenos da mesma fazeoda 4 SOOQ
e ouiras com barras brdalas 6^ e 7 todo isto moderno e bnnRo.
CARNAUBA.
Vende-se carnauba em saceos, oa roa da
Imperatriz o. 60, Bazar do Pa|io.
proprios para cadeiras de balaoco sofs,
pianes, t^mboretes e a proyrios para cj-
brir aimifddas e pratos; veulendo-se por
uenos do qae en qa-lqner oarte.
PARA LENCOES
No Bazar do Pavo veude-se sajerior
bramante d'algodSo com 10 palaos de lar-
gura a 1380o o metro, dito de linho cora a
!.oesma largara a 20800 cada metro, pannos
ds I nhodo p. rtocom 3 1/2 .ata'is de largura
de 70ai 1$ a vara, assim corno umg ande
sortiiMMO de H mburgo crsgaeilas e
'odos os nmeros, preces o-i qualidades.
que sa vpndem m.ds barato do que em ou-
t.a qnJqner part-i; aproveitem-
ATOALHADOS
No Bazar dj Pav5> ve.ide-^e snperior
atoalliad-. trancado, com 8 palmos de larga-
ri a 15600 o metro, dito ie linbo adamas-
cad" o nathor que tem liadao mercadea
3J500 o iretro ; todo isto mnito barato.
CORTES INDIANOS A 45500.
No Biza- d. Pa o vende-se benitos cor
tes in danos rom duas sawi pelo bara-
lusimo prefo-de 455 )0 caJa nm, pe-
chincba.
FAZEND\S PARA LUTO
No Baz^r do Pa-.o veide-sc constante-
mente o rnehior sortime to de fazendas
pretas para luto, como sajam :
Li>inoas retas li^as.
Cassa-: pretas de lia.
Caaaas pretas, francesas e inglezas, lisas
ectimsalpicos.
Chitas pretas de todas as qaalidades.
Ainadas t-retas lisas.
D'tis lavradas com brano.
Merinos, cantos, bomb-izioas, qne sa
ven tem mais barat > do que em ootra qual-
quer pirte.
CACHE-NEZ A 63000.
No Bazar do Jav5u vendem so bonitos e
grande cachi-nez de pura la, pelo bara-
to nrec-i ie 6 00o cada am
PEUICNCUA EM CAMBRAIAS VICTORIAS, A 53,
63, 73 830 0.
Veade-se um esplend lo sortimento de
oissimas eambraias victorias, por precos
mais baratas do que em otitra qualquer
pane, -endo cada p^,?a 10 jarlas a 53, 63,
65500 e 730JO, Qnissiraas a 85500 ; todas
esias cambraas valem muito mais dinheiro
e liqnidam-se por este preco em relacao a
uma grande compra qae se fez no Bazar
do Pavo.
BABAD!NH)3
No Bazar do P*v2o vende-se om grande
sortimento dos mais fln >s babadinhos borda-
dos tapados e transparentes, assim como
uma grande porc2o de entr moos largos e
estreitos, que para acabar se vende moito
em conta e mais barato do que em ontra
qnalqner parte.
SEriNSDE CORES E GROSDENAPLES.
No Bazar do Pav3o vende-se ara sortimen-
to completo dos melm res setins' e grosde-
QaD'es de todas as cftres, que se vendem
maito em conta.
TOALHAS.
Vende-se toa has do Porto com labyrintho,
proprias para rosto, no Basar do Pav5o
ro* da Imperatriz o. 60.
Colehas brancas 352 0, 35500 e 73000.
Para o Bazar do Pava" i chegon. um grande
sortimpnto das melbores colchas pretas,
sendo das mejores e uais ancor-adas qoe
tem vindo 73300, ditas um pouco mais
baia 35500 e ditas 3320.1; tambem no
me-mo esiabeleomento. se ven e om grande
sortimento de ertones e chitas proprias
p*ra colchas qoe se vendem maito emeoota.
Sedas de qoadrinhos a 1328i> ao corado
Vende-se um ele^nte sonimento de sedas
de qoa Ic'inho-, com lin-1 ssimas cores, para
vestidos e ronpas de meninos, e vende-se
13280 cada covado; pecbincba no
Bazar do PavJo.
Mndaoolo enfiestado a peca 33W0.
Vende se pecis de madap lio e feMn.
tendo 12 jardas cada peca 33000 e 3350o.
pechincha, so Bazar do Pava raa da
Impeaa.riz n. 60,
CHALES DE RENDA.
Chales 2-,o0i.
Chales 2000.
Chales 2000.
Vend'-se orna grande porefo de chales
oret-.s de rend on croch, sendo preto*.
cota 4 pautas, fazen la que seiupre se ven-
den a 53000 e li.juid -se a 240U0 cada nm.
i pechincha no B.zar do Pavio, a raa da
imperatriz o. 60.
cada c vado, no Batar do Pa-ao'.
AS POUPELINAS DO PAVO A 2-?000, O COVADO.
Cbegiu pa-a o Bazar.do Pav5o um bo-
nito sortimento das mais modernas e ele-
gantes p'jnpelinas de linbo e seda, que se
vendem pelo baratissimo preco de 23000
cada um covato, assim como ditas com
gostns escjssezes a 23400, pechiucha no
Bazrr do Pavio.
SEDAS A 23000
Ch3;ou nn elefanta sortimento de boni-
tas seda de listrinhas, com as cores mais no
vas qna tem vindo aa mercado e vendem-se
a 23000 o covado, na ra da Imperatriz
Bazar do PavSo.
AOS 2000 VESTIDOS PECHINCHA ADMI-
RAVEL.
a 230^0, a 23000.
a 25500. a 23500.
a 23000 a 23O0O.
S no Bazar do Pavao.
Vende-se bonitissimos cortes de vestidos
de phaotasia com liados gostos, sendo fazen-
das traparenies com delicados bordados e
listras qoe a nSc ser ama grande pechin-
cha qae se ..fez na compra seria paca mnito
mais dinheiro, e liquida-se a 23 e 2350D,
unisament no Bazar do Pavo.
I.AS1NHAS TRANSPARENTES A 400 RS O COVADO
Vende-se delicadas I5asinhas transparen
tes com lisir nbas miudinhas, imiacao de
uma s cor e muito briloant9S, pelo bara-
t ssimo preco da 400 rs. o covado, no Ba-
zar do Pavo
BONITAS LASINHAS A 500 RS. O COVADO,
Vende-se delicadas llasinbas com dira-l
rentes gosto pelo barato pr^co do 500 rs.
o covado, no Razar do Pavlo.
ALPACAS BRANCAS.
Vende-se um bonito sortimento de fins-
si unas slpacis brancas lavraias, imitaco
de seda, proprias para vestidos de baile ou
^smenlos no B-zar do Pavo.
ALPACAS LAVRADAS A 400, 360 E 6i0 RS.
Vende-se um grande sortimento de lin-
das alpacas lavradas de todas as cores para
vestidos e vendem-se a 400, 550 e 640
e at mil e tantos res o covado, no Bazar
do Pavo.
BABEGES DE QADRINHOS A 600 RS. O COVADO
Vende-se as mais li.idas e moderdas la-
snbas ou bareges de qaadrinbos, proprios
para vestidos, tendo qnasi largara de cbita
rsnceza. e 1 qoida-se a 640 ti. o covado,
no B^zar do Pavo.
MERINOS DE CORES RARA VESTIDOS.
Vende-se bojmos mentios de ama s6
cor com cores muuo proprios para vestido
e roupas para creancas por ser ama fazen-
da da para la e mnito leve, vende-se a 13
o covado, no Bazar do Pavo.
GLACES A 13o00 PARA VESTIDOS.
Vende-se um elegmte sortimento de^ta
nova fazenda denominada glacs seBdo uma
fazenda de la muito larga e com delica-
A ra do Duque de Caxias n 21.
(ANTIGA RA DO QEIHADO)
Receben sepainte :
E-pelhos grandes dourados, moldes bonitos.
Carteiras, charuteims e port-cigarros de muit
qualidades.
Bonitas pastas para papis, 'simples e matisadaa
Boas cautas vasas para costura com sua compe-
tente chave.
Delicadas caetas de marm com o bocal de
prata.
Modernos pentes de tartaruga, sobresjhindo en-
tre elles os mimosos telegraphijtas.
Commodos toucadores com daaS gavetas e bono
espelho.
Port bouquet, o que de melhor tem appare-
cido.
Port relogios de maitns qaalidades.
Bons talheres para erOneas.
Vostuarios, chapoiinhos, toucas, sapatos e meiai
para baptisados.
Toalhas e fronhas de labyrintho.
Chapeos e chapclinas para aeohora, moldes novo
e bonitos.
Cbapozinhos gorros e bonets para meninos
meninas.
Contra as convulsoes as
enancas
Vende-se os verdadeiros collares na Nora Espe-
ranga, ra do Duque de Caxias n. ti.
PARA TINGIR CABELLOS
para pretos oa castanhos, receben a Nova Espe-
ranza a verdadeira tinta npleza.
PARA ACABAR COM AS SARDAS
on pannos, tem a Nova Esperanza o verdadeirc
leite de rosas brancas.
AGUA DE FLOR DE LARANJA.
Vende-se na Nova Esperanza, ra do Buque de
Caxias n. 21.
PAPEL PARA ENFEITAR-SE BOLOS
receben-os mnito lindos a Nova Esperanca, ra
do Duque de Caxias n. 21.
PARA AMACIAR E A FORMSE AR A PELLE
tem a Nova Esperanza es sabonetes de pos de
arroz
CHEGAR AM,
Poqos instantneos aperfeiqo-
ados por preqo muito com mo-
do : na na Nova n. 28, loja de
Antonio Pedro de SouzaSoares.
Bombas completas para ca-
cimba, por diminuto prego, na
mesma casa.
GRANDE MAM
Qnandt a AGUIA BBRNCA, mais precisa scientificar ao
geral, e em particolar a sua boa fregoezia, da immensidade de objertoa i
te tto reeBBfle, jostamentefcroando ella menos o pode faxer e porque r
luntaria ella confia e espera na benevolencia do todos que Ih'a atienden
continuando portanto a dirigirem-se a bem conhecida Ir ja da AGUIA BRANCA i rea e
Qnelmado n. 8, onde sempre achar3o abundancia em sortJmerjto de sa
qualidades, modicidade em precos e o sen nunca desmenttido AGRADO E!
Do qne cima fica dito se conhece qae o tempo de qne a AGUIA
dispr, empregado apezar de seas costos no desempenho de bem servir a L,
bonram procurando prover-se em dita loja do qne necessitam, entretanto
rar os objectos qne por ana natureza s5o man conhecidos ali, ella
cara aquelles cuja importancia, elegancia e novidade os tornam re
bem seja :
Corpinhos de cambraia, primorosamente
enfeitados com fitas de setim e obras essas
cuja novidade de molde e perfeicJo de ador-
nos os tornam apreciados.
Fitas mni largas de diversas cores e qaa-
lidades para cintos.
Leqne nesse objecto mnito se poderia
dizer qoerendo descreve-los minuciosamente
por suas qnalidades, coree e desenhos, tal
o grande e variado sortimento que acaba
de chegar, mas para n5o massar o preten-
dente se lhe apresentar o qne poder de
melhor.
Entremeios em pecas de 12 tiras.
Guipure branco e preto de diversas qua-
lidades e desenhos.
Ditos de algodlo com flores e lisos.
O verdadeiro pnrtland. S se vende na ra da
Madre de Dos n. 22, armazem de Joo Martins de
Barro
Especialidades.
Continuam a acbar-se a venda na raa Direita
botica n. 88, os mui conhecidos e acreditados re-
medios i veame, e ontros diversos medicamen-
tos feito3 em Pari?, bem como os xaropes de co-
deina de Berth, do rbano iodaio, de iodnreto de
ferro de Blancard e as plalas do mesmo, peitoral
de cereja, pos de Rog, depnrativ de Chable,
digital de Labi'llony, pilulas on confeitos de bi%
mniho do Chevrier, e ontns medicamentos cuja
pronciencia quanio empregado as doencas das
vias respiratorias, as dor.'s rhenmaticas, na
amarellidao, na falta completa on irregularidade
de menstruo, as diarrbas, doenca* do coracao
a do estomago, tera sido e incontestavel, em
vista dos benficos resultados das experimentacSes
in nso que diversas pe?*oas dees teem feito, as-
sim como das pilulas d.-r.r:ni iada< bravinas in-
eomparaveis em sua efflcacia nos acommettimen-
tos febris ou sezoes ; exi-tindo tambem na mesma
casa, alm de suficiente quaniidade de drogas,
am nao pequeo sortimento de tintas, oleo de li-
nbaca e pincis, que se vendem por menos do qae
em ontra parte.
Capellas brancas para
Grande sortimeDio de lene fine*.
Fil de seda preto.
PERFUMARA
Grande constante sortimeato i
sempre melhor qoalidade.
Lindos vasos com pos de arroz e
Caixinhas com ditos aroeuticos.
Bonitos e modernos pentes
ra cfrcnlar o erque.
Bonitos brincos de plaqueo.
Adereros e brincos de madrepertf
Caivetes finos para abrir latea.
Tbesonras para frisar babadbee.
Aspas para balao.
Novos stereoscopos com 4B
quaes sao movidas por om
Veos de seda para chapelinas e monta-'oma? 8bslitaem ai 0DlrM-
na.
Meias de seda para noivas.
Ditas abertas de fio de Escossia.
Costomes on nniformes para meninos.
Enxovaes completos para baptisados.
Touquinhas de fil, sapatinhos bordadon crianzas,
e meis para ditos. I Diversos objectos de poreelaw,
Camisinhas bordada para ditos. I para enfetes de mesa e de lapinoal
Vistas para stereoscopos.
Bonita caixinhas de vidro
pedras.
Ditas de madeira envernisada
ras e com dminos,
Bollas de borracha para
MlMCfiHK4N.U
Com este titulo acha-se aberto inteiramente transformado este antigo-
estabelecimento de joias, onde os fregnezes e amigos encontrarlo tudo quanee
a moda e o bom gosto tem inventado na arte de ourivearia, o Collar ds ere
observar delicadeza no trato e senciridade e modecidado nos precos.
Espera que o respctavel publico venha ver o que existe de melbor em
aderacos de brilhantes, esmeraldaf-, robins e pero! as, me ios adereces, peJ-
ceiras, brincos, alflnetes e ar.neis de todas as qualido-l??, pr?5a de le (aqsMi-
ros, colheres, palileiros salvas e ontros muitos objectos que seria mfiloahe
mencionar.
Compra-se ouro, prata, brilhantes e pedras firs?. ponr?ior prero de
qu em outra qnalqner parte, troca-se e concer'.a-se todo e qualquer cbiecU>
perlencente a esta arte.
A ARARA
PE, iHHi
ATTENCA
Lonrencu Pereira Mendes GuimarJes, participa a t^dos os seos ci
tanto da praca como do mato, que estando I qoidando suas casas commmiaee.
deve fazer at o Gm do corrents anno, por laso roea a todos os seus devedoree e ?
saldar seus dbitos o mais breve possivel; ootro sim, declara aos seos deredore, qoe
os que nao estiverem na loja tem de pagar todos os seus dbitos, provando isio se tari
o abatimento que for preciso para a liquidado de suas dividas, para isto
rigir-se roa da Imperatriz n. 72, loja da Arara.
Ao resto das pechinchas
Vende-se cortes de castores para
dissimas cores, tendo tanto brilho como .
seda e vende-se pelo barato pre$o de l&,
" covado, no Btzar do PavJo.
CASEM1RAS A 7000
Vendem-se cortes e casemira ingleza de
cores para calcas sendo fazenda que vale
muito mais dinheiro e liquida-se a 7)J000
o corte de caiga, no Bazar do PavSo a ra
la Imperat'iz n. 60.
GRANDE PECHINCHA EM CAMBRAIAS TRANSPA-
RENTES a 4(J, S&M, 85, e 100000
Vende-se fi.iissima* camb aias suissas, dn
moita phantasia tendo 9 varas a 80500 e
1O0OOJ. Ditas biftoo am tOjirdas fazen-
da muito fina a 50, 60 e 70000. Ditas fi-
nsimas azuldinbas, qaev-iem moito mais
dinbeiro, a 0 e 100 10 .: t -das estas cam-
briias, em relacao a qualida e, pelos pre-
cos acma s3o mais baratas do que em oo-
tra qualqoer parte, no Bizr do P-vS .
CAMBRAIA ALLEMA COV 8 PALMOS D LAR-
GURA A 1*600, U E #300.
Veoie-se fim>sim> cambraia branca tran-
pa ente com 8 palmos de largara, qoe fac
la fazer-se om vestido apenas enm 4
varas e lijuidase a 10600, 20 e 20500 <
vara, faenda qu vale moito mais diiheiro
E pecbii cha no Baw do Pavo.
CAVIBRtK TRANSPARENTE
Peca a 40ooO
Vende-se muito finas pe;as de eambraias
brancas transparentes, ten lo 8 \\t tarasca-
da peca e com om vara de largara a 40.
pechincha, no Bazar do PavSi
A' ra da Imperatriz
n. 60.
.MIS PARA
COSTURA
Acabam de chegar ao GRANDE BAZAR
UNIVERSAL, ra Nova n. 2carneiro
viannaum completo sortimento de ma-
conas para costura, dos autores mais co-
nhecidos, as qoaes estao em expo9ic5o no
mesmo Bazar, g3rantindos-e a sua boa qoi-
lidade, e tambem ensina-se com perfeicao
a todos os compradores. Estas machinas
s5o iguaes no seo trabalho ao de 30 costo-
reirs diariamente, e a sua perfeicao tal
como da melhor costureira de Paris. Apre-
sentam-se trabalhos executados pelas mes-
mas, que muito devem agradar aos prelen-
dentes.
1
0 Bazar do Pavao ato ra da Imperatriz n. 60, esta' constantemente aberto
oas o oras da maioaa as 9 da aoute.
oa aluga-se os arraazens que foram ocenpados
com a faorica de 9abo e destilac-i do Sr. coronel
Franca, oa raa da praia de Santa Rita nova, os
qnaes offerceem proporeSes pare bem se montar
lualqner fabrica de graale (NtaMeciiaeota, com
grande vantagem para embargue e desembaf-
qoe : a tratar cm o crameidadir Tasso.
CAL NOVA LISBOA
Vende Joaqaim Jos Ramos:
a. 8.1* andar
na roa, da Crui
. calcas,
a 500 rs. Cortes de brins de cores a
10500; cortes de gangis para caigas a 10,
cortes de casemiras preta para calcas a
30500, 44, 50 e 63000.
Grtes de chitas a 2:500.
Vende-se cortes de chitas para vestaos
a 20500. Ditos de cassa para vestidos a
20500.
, Pechin:ha a 40000.
Vende-se pecas de algodo a 40, 50, 60
e 70OOO
Para liquidar a 35500.
Pecas de madapoio com 12 jardas a
30500. Ditas de dito com 24 larfias a 50,
00, 60500, 70, 80 e 900 X).
LIQUIDAgAO.
Pecas de algodi subo de listra proprio
para roupas de escravos com 42 jardas a
60500 e covado 160 rs. pira liquida.
Chitas escuras para vestidos a 280, 320
e 360 rs. o covado.
Para acabar.
Vende-se pecas de eambraias victoria, fi-
nas a 60, 60500 e 70000.
I' mito fcmrt.
Colarinhos de papel a 240 rs. a duna.
Cortinados para janellas a 50OOO.
Vende-se cortina os pra j mellas a 50
o par. Brim pardo liso para caiga de ser-
vico a 500 rs o metro.
Cortes de percales a 60000.
Vende-se cortes de percales dd daas
saias de bonitas barras a 60000.
Cooertas de chita.
Vendd-se a 10-OO, ditas Boa? a 25500.
ditaa euearoadas a adamascadas a 30500,
ditas forradas 50000.
Gangas para caigas a 280 o covado.
Brim de listra ao lado para calcas a 40i
rs. o covado.
Lencos braacos a 20000 a dalia, para li-
quidar ; grande porcSo de mantas para
gratatas a 200 rs. cada ama pira liquidar.
Cassas francezas a 280 rs.
Vende-se cseas franoezas para vestidos
a 28 i e 320 rs. o covado.
Oruandys >ie cores pera vestidos a 400
e 640 o covado.
Alpacas de corea para vestidos a 500 e
640 rs. o contdo.
I#
srs;
BALOES DE ARCOS A 14000.
Vende-se balis de 15 a 30 arce* a
e 105OO cada um. Cortes de
papel a 20500 cada am, para
Bramante de linho e algndio cea
mos de largara o 10800 o metro.
Pan "O de linho a 760.
Vende-se brabante de 10 pala s de lar
ara proprio para leoces a 208ue seetre
Leires de seda a W rs.
Vende-se ama poicao de lencos ee*
a 800 rs. cada am.
Cales de easn a 10*M.
Vende-se ama gran be porcao de
de cassa a 10000 cada om, para
Fust a 360 rs.
Vende-se fusiio de cores pan
a 360 rs. o covado.
Algodio t-nf estado a 900 ra.
Vendj-se al/idao entestado para
e toalhas a 900 rs. o metro, dito
do a 10OO > metra.
Chales de meria estaaMes a
Vende se cuales de merino
cm barras s 20, 20500 e 3 tara
Gnu le porcao di rtt Itos.
Vende-se gr cassas e chitas a 240 rs. o covada.
alea
o Rh Grande do Sal
Contina a vene>r-se desie rtico no aserite-
no de Jos Victorino de Retende a, 4 roa do
Marqqpz de Oli..rt. nntr'ora-d* Caleia l
de-se uma>rx a prea cada botija.
A Cesta ti na porte
Roupa fe Por prcinko restafal
Todos se enroeparta.
A SABER :
Uqoida^i ds reata Mis.
Venle-se pal ilota de .moato t Me
prop io para andar ene casa a 11-100 ] sV
tfe de ganga a 20000 ; ditos da Mal ca-
semira a 3 )000 ; ditos de paca da car
a 30500 e 4000; ditos de peas lea
preto i 60, 80 s 100000 ; tos da <
miras de ores, a 60 e 80>O ; <
de cassiaeUs de c res, a I05UO \
briis de qialrinbosa 100 0; d*dU
sumirs de cores, s 20OO, l a 4|0I
Calcas zoes p >ra escravos a 500 re.
de algoio de brim par lo a 10600, 2*e 200-W ;
tus de ditt branco de bobo a 3*V4)0 a 40
dia de case nins de corea a 5-*, 01 70
e 80-00 ; caaisas de caito a leOOi; da-
tas de altfodsosinh >, propriaj pra a
viv-o por ser fas-oda for4, a 10iJ
de muso ios a 10000 rs. Pi lifialr
Liseinhas pan vestidos a 320, 400 e 50
rs. o cevado.
O pmprietario da loja denominad" Arara, de ara so raepeitavef
seos fregnezes qne est conciointo m qiilacje. por e qeeei quisar
hoaabseadas por pouco tinnetro teaba a boniato de dirigir-se i roa da lapsrairaa
72, deed as 6 boras di maobia as 9 da noute.



Diario de Peruaniimco Segunda feira 14 de Novembro de 1870.
'i

H
<
AO AftMAZEM
ANCEZ
1.7-RU1I1M-11
Este conhecido estabelecimento acha-se constantemente bem sonido, em virtude das
facturas que recebe pov lodos os vapores e navios francezes, dos rticos abaixo menciona-
aos, a procos os ruis resumidos que possivel.
CAJLfJJcBIO FR1ICEZ
Bolinas para te ahora* e meninas.
Botinas protas, brincas e de muitas outras cores sortidas e bonitas, do nltimo gos-
to da moda, e precos mais baratas do que em nutras partes.
Bnttluas para horneas e meninos.
Botinas de bizerroj cordavio, lastro e pellica, das melhores fabricas e escolhidas.
Botas e pcruefras russianas.
Botas e peroeiras pan mamaria, das melborcs qualidades, de cooro da Russia, lus-
tro e bizarro.
Sapatos de borracha para hornease scnhoras
Tondo chegado grande porcao de sayatos do borracha vende-se pelo costo"aflm He
desempatar o dinheiro aell<*s empngado, sao baratissimo?.
si.*patos de lastro para horneas.
Sapatos de entrada baixa de couro de lustro com salto, de muito boa qualidade.
Abotinados para meninos e meninas
Sapatos abotinado- -le differentes modelos, de muito boas qualidades e fortes, tanto
par* meniuos como para meninas, muito baratos.
Mapatos de tpete.
Sapatos de tapete aveludado, de casemira, de charlte e de tranca r-.n-ezes e por-
tupezes para homens, para senioras e para meninos.
PERFUMARAS
Excellentes extracto-., banlias, leos, agua de cologne, florida, divipa, lavandc, den-
trmce, de toilette, jabonete.), tintura para cabellos, pomada angroise para bigodes, pos de
arroz etc., tado itto de primara qualidade, dos afamados fabricantes, Gondray, Piver e Lubin.
Qninquilliarias
Lnvas de peillca do oonbecido fabricante Jouvin, espelhos nara sallas, quartos e ga-
binetes, toncadoro- de diversos taannos, loques para senboras e para menina?, abridores
de luvas, brincos, pulceiras, boides, crrenos e chaves de relogios e tranceln*, tudo do
ouro de le, correales o brincos de plaqu, a iraitacao e de mais gosto do que as de ouro,
oaixinhas d costura ricamente Ruamecidas e ornadas com lindas pessas de msica, albuns
e caixilb< s dourados para ratos, calxinhas com vidro de augmento para distinctamente
ver-se a jverfeicao dos retrato.--., objectos de phantasia para toilettes, bolsinbas e cestinbas
ae seda, do velludo e do vbnes para braco de meninas e senhoras, ditas para costuras, pe-
queos registros muito (nos ( delicados, boaqaets de flores de porcelana, jarros pronrios
para gabinetes e sanioanae, qnadros promptos para collocar-se vistas, molduras donradas
para quadro*. estompas fina? de paysagens, cidades, figuras e de santos, vidros para cos-
mmuna, maln, saci-i.s a bo.sa5 de viagens, esporas, chicotes, bengalas, oculos, lunetas ou
KSk,e P do,lira?f' 8''avatas pretas e de cores, abotoaduras de collete e de pnnhos,
carteinnhas para notas, thfsounnhas e caivetes finos, pentes, eseovas, ponteiras de espuma
para charutos e para cigarros, fojos de domin, rodetes, bagatelas e outros differentes, ve-
nezianas modernas muito con-eniente para portas e janellas, cosmoramas, lanternas mgi-
cas, estenocopos com interesantes vistas de garas e das mais bonitas roas boulevard*
?,? 5 P*T-?w de P-Wl-P^owaph'*s e caixinhas mgicas, reverberos para candieiro?;
M^L-.^"1^ e d, laa.T c5res para ps de 'an^rnas, realejos grandes e peqnenos
ST^ r'f de todos os tamanhos, bercos de vimes para criancas, sapatinbos
f t^ ear.ni,h?,? d'r 3 % 4 "** rauit0 elegantes para conducir enancas passeio : e
outras muitaj quinquilharias de phantasia, francezas e allemes, precos muito em conta
pW^^S^^r^STeSS^L1^1^ da nflnidade de
A.TTENCA0
O dono doste estabelecimento pede ao pubico em geral que continu a visita-lo
verificando as qualidades e os precos baratos de ditos objectos por serem viudos em di-
i reitora e de conu propria.
Cantarn de Lisboa. A \ y
DiU soleiras.
Dita minnore.
Taboas de uurmorn de ttferenes g/ossuras.
Ladrilbot de marmol tli .iiffereotes cores e tamanhos.
Ditos de pedra te Ansata. -pratos e brancas.
Tmulos de pedra fina de differentes tamaitos.
Peoras para lavatorios.
Taboas de lanza.
Pas delouza para costaba.
AO HA MAIS CABELSBRllCS
A tintura jaooneza para tingtr os cabello da cabeca e da barba, foi a nica admit
lela Exposicao Universal, por ter sido reconhecid superior s todas as prepararles
tte hoje existentes, sem alterar a saude. Vende-se a i^K)00 cada frasco ni
Ra da Cadeia n. 51 andar.
ATTENCAO
Jos Joaquim da Costa Maia, tem venda no seu a'mazem, sito no largo do
Pelounnbo n. 5, os objectos seguiotes, e q*ue vende por precos mais commodos do
que em otitra qoalqoer parte :
Oleo de inhala. ,
. Couro de lustro.
Saceos de estopa.
Estopa em peca.
Vinho Bordeaux em caixas.
Feltro em peca para forrar embarcacoes.
Encerados.
Tellias de ferro> galvanisado, de differentes tamanhos, para cobrir casas.
Ferro liso galvanisado para forrar embarcacoes.
Pregos galvanisados.
N0VIOADE.
O Costa, proprietario do armazem *a Pe*
Maamore ra da Cruzes n. 42, oflerece por di-
nheiro ectotado o que de ojelbor ha no mercado,
por ler recebido mijitos dos gneros descriptos
Velo ultimo vapor.
ChocoUlc de IJ a 1*800 a libra.
Esprci.il minleisa inglcia e francera.
Honalicps para sopas denomiuadas Julienne", que
substitu' pe finiamente as mais frescas vas
Queijns flamengos o que de melhor se pode de-
fejar a 2*8()0.
Caixoes de doce de goiaba a 800, 14, U20O e a
!>00, iliij em latas a if e 2*500.
A verdadeira farinba americana vinda de conta
prnprta a 320 rs. o matp de urna libra.
\'jas stearinas a 500 e CiO rs. o maco.
lolachin;ias de todas as qualidades e dos me-
lhores fabricantes.
Ervilhas francezas e portuguetas.
Vinho de todas as qulidades.
Farelo de Li.-Jioa desembarcado hontem, em
saceos grande?, a &.
Especial e aromtico sabao de familia a 500 3
o kilo.
icabam de sahir a luz as se-
guintes pe^as para
Vende-se o verdadeiro fumo de Garaniuas:
na ra Duque de Cms n. 9, i' andar. Assim
como se vende dua cabras (bicho) boas leiteiras :
na errada do Joan de Barros n. 2!, sitio.
Armapao.
Vende-se urna excellente armagao de amarello
toda envidracadn,ei:m urna das melhores mas
deftacidade : a tratar na ra da Imperatrix n. 31.
As inoras do Recife
Chcgou ra d.i Vigario n. 2G, primeiro andar,
novo sortimento de bicos e renda dt Aracaty, a
precos muito eir^-onla, como lse vendem.
Vende-ge inri papagaio contra-feito muito
bonito, bem hilador e moilo manco : na prsca da
Boa-visia n. 12. taberna.
PUNO
tJM
wsso miiMuc,
lein a venda cm seus artuuei, a!m de outrog
ariigos de seu neg io regular, os seguimos, que
esto vendendo a procos mais baratos que em ou-
tra qnalqner parte :
PliTAS ile pinho almofadadas.
FAIIELLO em saceos grandes a 3500.
GRADES de ferro para cergados.
ESTEIRAS da India para cania e forrar salas.
CANOS de barro francer para esgoto.
GRSSO superior em barricas e as arrobas.
CEHE.NT de todas as qualidades baixos
presos
MACHINAS de derrocar algodao.
RARKIS grandes com peixe da Suecia.
LONAS e brinzoes da Russ'a.
OLEADOS americanos para forro de carros.
FOfiOES americanos muito bons e econmicos.
VINHO '!o Dordeaux em caixas.
COGNAC superior de GUntier Freres.
MILHO de Fernando a 3 o sacco.
AGUA florida;
BAHRIS de carne salgada de porco o de vacca

Manoel da Cunta Saldanha & C.
Acaba de abri-se este estabelecimento de joias, o qual tem grande sorti- S
gg; ment de todas as joias de ultimo gosto, as quaes vender o mais barato pos- 2^
si*>8lvel- %5&
^~ Todas as joias serao garantidas ouro de le, pois os seus donos tendo em ^
i,;^ vista so adquirir freguezia nao olvidar5o, vender bom e por precjs os mais
.3$ razoaveis possiveis. ^*'"
Convida-se o publico a vir a este estabelecimento, certo do qHe ficar l
satisfeito.
A' MO DE OURO RA DO CABUC N. 9 A

5.a

Jorge Tasso vende o seu magnifico sitio onde
reside em S. Jos do Manguinho, caprichosamente
plantado, arruado, com jardins, carrauianch5,
agua poiavel etc. etc., que satisfaz o gosm mais
aristocrtico-: para ver das 9 da manha as 3 da
tarde e para tratar com o corretor Goncallo Jos
Affnnco na praca do Coramercio, ou na ra do
Amorim n. 37.
Farinha de mandioca de Santa
Catharina.
Ha para' vender da muito nova e superior
chegada recentemente pelo patacho rabe
e barca Santa Mara ; por preco commodo,
a bordo dos referidos navios Tundeados de-
fronte do trapiche do Exro Sr. baro do
Livramento ou entao para tratar com Joa-
quim Jos Goncalves Beltro, no seo es-
criptorio ra do Commercio n. 17.
Cavalios a' vmi -a
Joao Flix dos SaBtos e Mathias Ferreira da Sil-
va, pretendendo vender na cidade do Recife, no
da 16 deste corrento mez, tres cavados, sendo
duus alaso e um preto, de bons signaes, todos de
boas qualidades e bons andadores baixo, bavendu
entro elles um bom esqnipador, e quando nao se-
ja muito veloz porm anda muito bonito. E assim
convida aos senhores que pretendem comprar ca-
vaos para passearem a commodo pela festa, qne
comparecen) no dia cima dito, das 8 para as 9
horas do dia, no pateo da igreja de S. Francisca,
onde pretendem es mesmos se acharem.
limalinda walsa d'Arditi
Ideal e realidade motto benita
phantasia pelo maestro Cazal-
bore
Postilhaolinda phantasia exeeuta-
da [com grande applaoso pela
msica allema
Habaneras lindas dansas para-
guayas, que tanto furor aqu lea
feilo
ACABA DE PUBLICARSE
a cullecco de motu'cas dos cavailmhos para
FL4IJTA
Receben mais grande sorliineato de no-
sicas para piano, e piano e canto, e tamben
a opera
1*000
11500
16000
para piano e canto, e tambem os melhores
pedacos para piano so cemposico o illos-
tre compositor brasileiro
Carlos Gomes
pie tanto furor fez na Italia, e bi ju fj; no
Rio de Janeiro.
A* VENDA NA
A. J. d Azevcdo
i RA DO BARO DA VICTORIA (ANT1-
______GA RA NOVA N. 11).
Covado a 160 nu
Cambraia franceza para Testido com peiiuef
coque, covado 160 rs.
Dita dita dita, covado 320. 400 e 500 r
Chitas escoras, covado 280, 320 e 360 r.
Lia para vestido, covado a 200. 240 a .700 r-
Alpaca de listas, alta novidade, a I i, l
Cambraias brancas victorias e tian.-:ari-nie-
jeca 3* a 12*.
Algod o e madapolo, peca 5* a 10*.
Mol>kioe, lazenda nov i ara calca, corte a 3.
Cortes de vestidos brancos coro barre de r.
orto a H-
Saias bordadas, grande pichincha, a i& e 2*500
Soutembarqces de alpaca a l.">00 e i.
Na loja Flor da Boa-vi?ia, de Panto (taimar.
___________rna da Imperathz o. 48.
Fogao de paiente.
Vende-se em easa dos importadores Sfew
fawkes & C. ra da Croz n. 4.
Vende-se o grnde armazen; de dmzas 2
e tintas da rna do Imperador d. t. Es-
te estabelecimento eM bem moudo na- )
^ da deve e nao tem compromiso alrm "
W e por isso acbase as ecnlicT.es m%\*
Veqde-?e urna machina para cozer saceos e
toda a mais costura com pequeo uso por preco
baixo : a tratar e ver na ra da Sanzalla n. 2,
venda. ^
TAG
favoraveis para ser negociado : traur *<
^ no me.-mo estabelecimento.
Cabra
Vende-se nma cabra (bicho) com I cabritos boa
leiteira e manca : na ra da Concordia a. li.
169.
a
DOS PREMIOS DA *J. PARTE DAS LOTERAS CONCEDIDA POR LE PROVINCIAL N. 946, A BENEFICIO DA NOVA
IGREJA DE NOSSA SENHORA DA PENHA DESTA CIDADE, EXTRAHIDA EM 12 DE NOVEMBRO DE 1870.
. PREMS.
\t
4
8
1 15
31
38
40
oo
37
.58
68
71
74
77
80
81
82
86
87
89
~95
99
104
6
8
9
14
19
31
28
26
30
31
31
41
44
48
I
m
w

n
71
78
77
78
80
87
Qi
2004
6f
10
NS. PROS.
188
93
95
98
99
202
7
11
12
13
19
23
25
26
29
35
36
49
53
57
58
39
64
65
69
71
76
78
61
83
83
91
93
97
301
4
5
10
13
16
33
89
40
69
70
71
n
6t
KS. PREMS.
10*
6/
389
94
97
408
9
18
30
23
25
29
34
35
38
43
46
53
35
87
64
65
66
74
78
91
65
NS. PREMS. KS. PREMS. i NS. PREMS.
10*
6*
93
95
538
30
34
38
39
48
47
53
59
68
- 66
JO
74
' 88
0
97
603
4
8
104
9004
6*
104
6*
204
6*
61G
20
21
22
30
31
38
40
42
45
56
64
70
77
79
83
94
99
701
2
6
8
15
17
18
29
45
48
59
63
7
68
69
71
77
86
89
90
808
7
15
18
19
36
88
38
39
64
104
64
104
64
104
64
204
841
45
49
54
57
59
62
74
76
80
98
903
3
19
23
24
30
32
36
37
55
60
63
65
71
76
83
84
89
92
96
1003
5
13
23
33
26
37
41
43
43
51
54
88
65
71
68
204
64
1075
76
79
87
94
95
99
1100
1
8
11
21
28
34
41
52
53,
38
62
69
74
79
83
88
1301
3
4
8
12
16
19
33
32
34
46
63
68
75.
80
83
87
90
92
1303
6
8
->o. rn CMS. AS. 1
u 1320 64 14*75
2' 76
26 82
33 87
35 98
44 1502
49 7
' 50 9
51 10
53 22
84 25
64 41
68 46
1 76 47
80 48
81 67
82 69
93 404 75
404 94 64 77
68 97 79
1403 80
7 84
8 85
- 17 88
18 93
20 204 95
2t 68 1600
23 4
~ 24 17
25 104 20
27 68 24
29 37
33 29
42 30
44 31
49 34 /
30 35
52 42
53 45
65 104 48
67 68 65
68 W04 68
69 68 73
70 1098 74
71 88 82
7i - 88
64
NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS.
1004
68
204
8
1693
98
1701
2
13
15
19
23
24
30
31
38
39
41
47
64
57
63
65
66
G9
70
78
81
83
90
93
97
1819
37
40
43
82
60
81
88
71
78
79
82
86
89
93
95
64
1008
5:0004
64
104
68
304
64
- i
1914
16
17
23
28
30
33
35
36
41
43
53
54
37.
60
61
63
68
70
71
78
79
81
84
91
64
104
64
104
64
93
2006 -
9
13
14
17
23 -
29
30 -
17 -
39 -
40 -
43 mi
47
61 -
58 .
55
39 _
8 -
61 ,
2070
73
78
80
85
98
99
2109
29
31
36
46
49
61
62
67
69
71
78
76
79
81
83
88
89
3303
9
14
25
28
31
33
35
38
43
46
49
86
67
O
83
94
95
1890
8
9
64
NS. PREMS.
2316
17
28
35
36
38
55
64
73
76
77
81
87
89
90
98
2105
6
9
13
16
17
19
20
26
30
39
41
- 43
45
54
60
63
64
70
73
79
85
89
95
3502
3
13
(6
1
19
64
NS. PREMS.
104
64
404
64
408
68
2546
53
57
60
62
63
68
70
72
73
78
89
2601
15
19
29
30
34
39
41
44
51
54
63
68
70
71
73
75
78
84
87
96
98
2700
1
13
14
15
30
27
38
34
40
41
47
68
NS. PREMS. NS. PREMS.
108
64
204
68
2749
50
52
53
55
56
57
62
66
76
79
93
96
2807
8
11
17
20
21
22
26
31
38
41
43
47
48
51
55
61
66
69
74
75
76
89
93
96
3900
6
6
9
13
16
19
31
6J
2925 404 3171 68
26 68 78
32 86
33 86 _
36 3212 _
37 16 _
52 19 _
53 39 6
55 33 _
60 39 __
73 34 a^
78 36 _^
83 104 48 104
84 64 49 64
90 53
91 84 _
3000 67 __
NS. PREMS.
108
68
. '
6
14
16
33
33
36
37
40
43
48
50
68
79
83
89
91
93
94
3101

17
38
M
36
41
44
56
68
108
68
108
68
*>*
8*
73
77
84
88
91
98
98
13 -
15 -
33
33 -
41 -
48 -
a -
88
88 -
n
jt

ti
88
88 -
88 -
99 -
imam



8
Diario de Pernambuco S*guiula feira ]4 IHTERATRA.
A O DA LIBERDADE.
/ .
Fkctuat nec mergiiur.
(Divisa d/fS armas de Pars).
Rola de sangoe o mar I... as nveos da tormenta,
Ao pampeo qoe ruge, ao rain que arrebenia,
PARS, agrande nao, arvora o pavilhao !
Seus mastros,,n5o sabis? columnas sao de gloria ;
Seus pannos folhas mil ila mi imtnensa historia;
Gunvz o Panllutm!
# Gravado v-se popa om nome que electrisa...
dos povos o sonho I A mxima divisa i
Do seculo o aspirar I Da vida o summo hera !
Na justiga de Deus fundiram-lhe a rouraga :
No direito o canblo; e o mar que os ameaga
Beijar-lhe o dorso vem !
Soberba e senhoril, altea a proa ingente.. y
Vai em busca do sol, nos inares do Occidente.
As vellas desbaldando aos euros um iiid !
Leva um povo de hroes, obreiros do futuro,
s p'agas do porvir, ao porto rnais seguro
Da bonanga comrnum!

Oirige a grande nao a deu^a l.iberdade !
Tem os olhos no co pur norte a hnmanidade.
Na crenga do dever a f por ara pharol!
Nlo n'assusta o bramir das ondas nem dos ventos;
Scentlbas s3o de luz seus vastos pensamentos,
Que brilham como u-sol.'
Severa e doce um lempo, a sua excelsa fronte
Resplende como a estrella a" nonle no horisonie,
Os crespos los de ouro ao vento a sacudir!
Ao seio traz pendente a cruz sobre alvo manto ;
Emblema da verdade, escudo sacrosanto
Dos povos, no porvir!
Hymnos de amor fraterno a deusa. a virgem santa,
Aos povos do universo enta, eleva e canta,
Na popa do baixel, sorrindo aos taracee* I
A nuvem fende o raio, o fogo o e.- pago alaga;
E, ao trovlo que rebrame, espuma doida a vaga
Em frvidos caribes!
No meio confusSo do horror que espalda a guerra,
A deusa sempre calma. O co, o mar, a ierra
Sua voz Ihe escutou por entre o vendaval!...
Na dextra ei-la que agita o ramo da oliveira,
Emquanto no ar flucta a tricolor bandeira.
A bandeira immortal!
Salve! deusa da paz, archaojo da harmona.
Que vens por nosso amor, calcando a lyrannia,
Os povos libertar dos reis, dos eros vis !
E' de sangue o baptismo !... A hora da provanca!
Nao se atierre jamis a nobre. a heroica Franca,
Altiva rga a cerviz !
t Monarcbas do universo ou\i que ella bradava :
Temei, oh sim temei que um dia a tena escrava,
as ancias do soffrer, despert os morios seus!
Despotismo infernal de negra vassalagem :...
Que mais querem de nos ? I Na febre da carnagem
Sois malditos de Deus! >
Ao som daquella voz que excede ao mar profundo,
A trra estremeceu I de luz encheu-se o mundo,
E a cruz da redempglo fulgi com mais fulgor r
A Europa quiz se erguer; e, os ps sentindo ao slo
Represos por grilhes... cahio, curvando o eolio
Ao sceptro esmagador!
Das florestas, entlo, a America gigante,
Estendendo Ihe a mo por sobre o largo Atlante,
Sada a Liberdade, deusa sua irmla !
E ella, no prlio audaz, travande assim do leme,
Desvia o galeo dos p'rigos que nao teme,
J sorrindo a manna !
Eis surgem mil aos mil, quaes ondas l d'oceano,
Negros moriros fataes, de aspecto sobrehumano,
Fumo e fogo em trovoes, uivando, a vomitar!...
Nos seus peitos de ago o odio em chsmrnas arde...
Parecendo Satans no feio, horrendo aiarde,
Bracejando co'o mar!
Quem sao?... Oh nlo sabis ?! Ouvi... ouvi seus gritos.
Sao escravos de reis!... Vanguarda dos precitos
Que o averno arremessra em bostas contra Deus !....
Que pretendem da Franja?... As glorias?! Os thesouros ?!
Oh seria ceifar do mundo inteiro os louros
Para cingir... pygmeus!
J tentam, mas debalde unidos monte monte,
Turvarem do futuro o lmpido horisonte,
Acercando-se nao que ? Afronta os vendavaes!
Da morte as legioes tambem tem seus ministros.
Sao blaspnemias cruz, slo cnticos sinistros
Seus hymnos marciaes !...
O' despotas, parai I... Na furia do arremesso,
Nao se aborde Pafis, a liba do prowresso,
Arca sama da paz, do amor, da crenca e f I
All ruge um viilclo... crtera ardente, accesa !...
Sahio della o porvir, cantando a Marselhesa,
E o mundo ouvio de pe !
Sahio della tambem o genio das batalhas,
O lerrivel Titn, que em nu-ens de metralhas
Voava contra os reis, moDtando em sea cursel!
Foi da Europa assomDrada s trras l do Egypto...
Escalara talvez! os muros do infinito,
Como o archanjo revel!...
Refervem na crtera as lavas como espectros :
O direito e a justiga 1 O odio infrene aos sceptros !
A virtnde e o amor I O vicio e o crime ns!
A morte impera alli soprando a inmensa forja ;
E de um povo em furor, sorrindo, aperta a gorja,
Apontalhe a cruz 1
k
Quando as vagas do mar, convulsas bravejando
De encontr grande nao, que a deusa tem ao mando,
letentem sossobra-la s fnrias do escarceo...
Como ouir'ora Carthago, em cbammas toda inteira,
Salvando oh I vla-heis a tricolor bandeira,
Recolbendo-a no co I
Depois, oh! sim I depois, tranquilla e socegada,
No porto v-la-heis, na paz to desejada,
Assombraodo o futaro e o mundo j sem reis I
Os povos e as nagoes, relendo a grande historia,
HIo de o exemplo imitar, colhendo a mesma gloria,
Segoindo as mesmas leis.
VARIEDADE
Ciuerra franco-prusslaua.
< H ntem cootinuou o iaimigo a sua mar-
cha sobre rleles, As nossas tropas que
iam em camin de Pars e tinbam tomado
parte no combate de Alheaay nTfo oderam
sustentar o terreno. >W
t Urna bi igada da terceira divisSo foi r-
pidamente flanqueada pelo inimigo, que era
mais forte emaitilbaria do que nos. e a
brigada rc.rocedeo para rleles, disputan
do o terreno palmo a palmo. A fim-- ter o avango progressivodo inimigo tive da
oppor-lhe tres batalhoes de resma da se-
gunda divulo. A's tres horas foi detido o
inimigo, pornli flanqueou-nos com a sua
artilharia e depois de um renhido combate,
honroso para o nosso exercito, resolv eva-
cuar rleles e retirar para a raargem es-
querda do Loire. A nossi retirada nlo foi
perseguida pelo inimigo e executou-se com
a melhor ordem e socego.
Novo manifest de Henrique V. Franca.
Francezes : de novo dependem de vos
os vossos destinos.
Pela qnarta vez, no ultimo meio seclo,
tem mudado asvossas institoigoes polticas,
e nos vemos entra as mais atfliclivas provas
Deveni a Franga ver o termo d'estas
agiuces, fontes de tantas desgranas ? So
vos podis dar a resposta.
Durante os largos annos do meo imme-
recido desterro, nem um $ da permilti
que o muu nome fosse causa de divisao
ou de perturbacs ; p >rm boje que pode
ser um peohor de conciliag5o e de segu-
ranga n3o vacillo em dizer ao meo paiz que
estou disposlo a sacritoar-me pelo seu b*m
estar.
Sim : a Franga de novo se elevar, se.
instruida pela experiencia, cangada de. tantos
ensaios infroctiferos, se resol ve a entrar na
senda que a Providencia Ihe iragou.
Chele da casa de Bourbou que, com a
ajma de Deus e de vossos pais, constituio
a Franga na sua poderosa unidade, devo
mais que ninguem sentir a extensao de
seus desastres, pertencendo-me o cuidado
de repara-los.
Que o loto da patria seja o signal de
despertare de nobres esforgos. O estran-
geiro ser repellido, assegurada a integri
dade do nosso terrlorio, se soubermos
unir os nossos esforgos e sacrificios.
Nlo o esquegais : volvendo a suas tra-
diges de le e de honra, so assim esta
grande nag5o por um momento debilitada,
tornara a recuperar o sea poder e gloria.
NSo ba muio vos disse : o governar nao
cons ste em adular as paixes dos povos,
mas em apuiar-se oas suas virtudes.
Nao vos deixeis mais arrastar por fataes
illusoes. As institoigoes republicanas, que
poder5o satisfazer s inspiragoes de socie
dades novas, nao crearlo raizes no nosso
solo, antigo e monarchico.
Compenetrado pelas necessidades do meu
tempo, toda a minba arabiglo est em fun-
dar comvosco um governo verdaderamente
nacional, que tenba por base o direito, a
honra por meio, a grandeza moral por
te.
Apaguemos at a recordarlo de nosas
dissenges passadas to funestas ao desen
volvimento do verdadeirp progresso e da
verdadeira liberdade.
Francezes: Saia um so grito de vossos
peitos: tudo para a Franga, pela Franga e
com a Franga.
Fronteira franceza (Suissa) 9 de outobro
de 1870.
Henrique.
eram princezas, e Frtippa, a filha de E loar-
do III, onio se tambem com o conde de
Marco, porin desde a nnild do dujue de
York, de Jacob II com lady Anu
Hyde ornou anaver enlace alguoi de
princeza com pessoa que nlo
foss de sangoe real.
A rainha Victoria, que adora a princeza
Luiza, nao quiz contrariar o sea amor para
com este Ilustre joven talento e que commanda j. apaar da sai
idade, os voluntarios da Escocia. Todos
o cutros seus lilhos, apezar de casados
com membros das familias rutes da Euto-
pa, especialmente da Allemanha, foram-o
tambem por amor e nao pelas razos de
estado.
PI IX E CADORNA. Um peridico
inglez refere a seguinie acedla a respeito
da eccopago do Quirinal pelo geoeral Car
dona:
t Diz-se que tendo o general Cidoraa
pedido as chaves do Quirinal, o pontiQce,
aosabe-lo, responder :
'Pois os ladrees precisara de chaves
para abrir as portas ? Que as arrombem.
Os soldados de Bonaparte, quando vieram
apoderar-se de Po Vil entraran) pelas ja-
nellas e nlo tiveram a insolencia de pedir
as chaves. >
Cadorna em vista de urna tal resposta
limitou-se
Papa, i
a por sellos as habitares do
BlTTENCOUM SAMPAYOT
(Da Vida Fluminense).
SUICIDIO. Suicidou-se em Paris Mr
Delesvaux, presidente da sexta scelo ju-
dicial de Pars.
Attribue-se o suicidio a terem-se encon-
trado provas evidentes, entre os papis das
Tullierias, de que Mr. Delesvaux estava
vendido ao imperador para condemnar sem-
pre todos os jornalistas ou quaesquer pes-
soas accosadas de dizerem mal, ou proce-
derem mal contra a pessa do imperador.
Mr. Delesvoux passava por ser um ho-
mem nimiamente rispido e severo : jolga-
va-se que o sen furor condemnatorio pro
ceda de urna certa mania tendente a em-
pregar sempre o maior rigor da justiga.
AGoal descobre-se agora que Mr. Delesvaux
recebia urna certa somma por cada sen
tensa contra os anti-imperialistas.
Ora, estando a ponto de verera a publi-
cidade os documentos comprovativos da
sua venalidade, Mr. Delesvaux nao se sen
to com animo de resistir ao stigraa pu-
blico.
Agora vai apparecendo toda a podridlo,
a horrorosa gangrena, aue corroa a Fran-
ga imperial.
A corrupglo chegava desde os mais altos
loncciooarios at aos porteiros das casas,
pois que j se publicaram os documentos,
pelos quaes consta que para devassar o
segredo das cartas, estavam assalariados
carteros e porteiros, vindo declarados os
nomes de uns e ouuos, no documento que
acabamos de 1er.
Custa a acreditar tamanha immoralidade,
tanto cynismo 1
Assim se preparava a Franga para lodos
os desastres que agora a tem aflgdo ; e
assim se iam amortecendo os bros naci-
naes, porque nlo ba cousa mais dissolven-
te do que a corropglo, mil vezes mais tu-
nesta do que o mais ferrenbo despotismo.
CASAMENTO DE UMA PRINCEZA. A
rainha Victoria de Ioglaterra acaba de au-
torisar o matrimpmio de sua Alba menor
a princeza Luiza com o joven marquez de
Lorn, primognito do duque de Argyllo,
membro da cmara dos pares e descenden-
te de urna das mais antigs- e Ilustres fa-
milias da Escocia.
O casamento de ama fprinceza, aceres-
centa um diario estrangeiro, com am sub-
dito da cora, um acontecimento to
pouco frequente na historia de Inglaterra,
qae a resoluglo agora tomada pela rainha
Victoria, de consultar mais a felicidade de
sua filha do qae a poltica tradicional do
Estado, nlo tem deixado de causar certa
sorpreza.
Com relaglo anda a este consorcio, le-
sa o segointe em ama correspondencia di-
rigida a am diario de Madrid :
Apezar dos Ilustres ascendentes do JO'
ven lord Lorn, qae remonta aos tempos le-
gendarios descriptos por Walter Scott, o
povo inglez na>> v com moito prazer, qae
ama princeza da sna familia reinante se
case com qaem ojo de sangue real. Em
eras remotas houve os enlaces de Henrique
VIII con quatro de mas esposan qae Dio
MULHERES GUR EIRAS Urna carta
de Epinal dirigida a um diario estrangeiro
annuncia o seguinte faci :
< Achando-se ausente a guarda nacional,
as mulbcres de Ratnbervilnes repelliram
70 ublans que quizerain impor contribu-
ges. annunciando, segundo o sea costame,
qae na sua retaguarda vinha um exercito
de 20,000 homens.
Nao se sabe quem seja urna tal Joanna
Hachette, que foi a primeira a dir o exem-
plo. mas a historia no-lo dir um dia. O
certo que, em menos de meia hora, mais
de 1,000 mulberes arremessaram-se sobre
os prussianos, armados de paos, enxadas,
forcados e tudo o mais que poderam en-
contrar mo. Os 70 ublans em vista de
urna tal resistencia julgaram prudeme vol-
tar as costas ao inimigo e desapparecer
mais do que apressadamente.
EFFEITOS DA GUERRA.Os quatro pa-
lacios de Saint-Cloud, Sainl-Germain, Meu-
don e Versalhes onde tantas vezes se os-
tentou o laxo da corte franceza, tem ac-
tualmente um deslino lio triste como im-
previsto.
O de Versalhes est convertido em um
imutenso hospital. Os seus doorados sa-
los apenas pode conter a mullidlo de ca-
mas ensanguentadas, onde se contorcem de
dr homens motilados pelo horror da
guerra.
O de Saint-Germain, residencia dos des-
terrados Staards, e que se acba quasi em
ruinas, est tambam cheio de camas e
protegido pela bandeira das ambulancias.
O de Meudon, a opulenta residencia do
principe Napolelo, destina se actualmente a
um fim diverso.
Os bosques que o rodeiam esto oceupa-
dos pelas vanguardas prusrianas, e os seos
jardins destruidos pelas obras de entrin-
ebeiramentos a que n'elles se procede. O
palacio est cheio de soldados e toda a rao-
bilia em completa desordera. A sala de
jantar, onde tantos e to brilbantes banque-
tes se deram, est convertida em um dor-
mitorio permanente.
O mesmo acontece em Saint-Cloud, onde
de dia e de noute se ouve o ruido das ar-
m is. No mirante da imperatriz e os can-
teiros onde brincava o principe imperial
acbam-se oceupados por homens que esto
sempre expostos aos projectis que partem
de c do Sena.
UMA HERONA. Escrevem he Sant-
Di (Vosges) Independencia do Tarn.
Osatirados francos do Jura uniram'se
aos de urna pequea villa do districto de
Neufehateau. Estes ltimos slo comman-
dados por um tenente de 30 annos que
tem dado provas do seu valor na guerra.
Este tenente urna mulber. outrora
administradora dos correios no districto de
Neufehateau. Fra antes d'isso mestra de
instrucglo primaria na Polonia, e pela reu-
nilo de extraordinarias circumslancias e sua
adhesao princeza, em casa de quem es-
tava, tomara parte na guerra da ultima lo-
surreiglo polaca sem que se suspeitasse o
seu sexo, chegando a ter o posto de capillo
de ublans.
Viveu depois algum tempo na Allema-
nha e falla o allemlo.
Julgou agora qua podia ser til a defeza
do seu paiz a sua aptido e experiencia e,
apezar de nlo ter antes guerreado senao
a cavallo, poz-se frente de um trogo de
atiradores |francos.
E' mulher piedosa, e assim serve de c-
rargiao e de capelllo sua gnerrilha. Leva
Strasbourg como negociante de groso trac-
to, e onnea os m^us negocios correrjm to
prsperos como na oc:asi3o om que1 reben-
too a guerra. Grande commerciante. todos
os iiieus lia ve chavara nos meus ar
mazeos. Urna malher e tres filaos consti-
tuera a minha felicidade inteira, donde ser
escasado dizer que approxiraacao do ini-
migo nlo hesilei um momento em affastar
a-familia do Iheatro da guerra. Junte i os
valjres que tinha e confiei-os a miohi mu-
lher. que foi, a instancias minbas, residir
na Ailemanh, cora os meus flhos. Qnanto
a mim n|o podia d ixar a casa, bao tonar
es armazens aos azares de um saque, sendo
tomada ; cidade. Era o mesmo que renun-
ciar aos fructos d 10 annos de trabalho e
fadigas, e portaoto resolv flear.
Nos primeiros oito das tudo f"i bem ;
o bairro onde en habitava, pareca forrar-se
aos precalgos do bombardamelo. Ao non >
da, as cousas raudarain de aspecto, porque
urna bomba veio cahir mesmo defronte da
casa, e rebentando parti as vidragas do rez
do chio. Des'de logo julguei prudente met-
ter-me no fundo da adega. Como l tinha
alguiflas provis5es deixei-me licar, o dei-mo
a lr dia e noute para mo dislrahir. Esuva
socegado, porque me julgava em seguranca,
e eslava longo de advinhar o que havia de
acontecer-me no dia seguinte.
Com elTeito, sabbalo 10, meia noute
quando en ceava, urna pavorosa estrallada
se despregou sobn a minha cabega. Corr
escada para saber dos estragos causados,
segundo as melhores probabilidales, por
a'guma bomba qno me calusse dentro de
casa. Recnei aterrado ; a entrada da adega
estava entupida pelos estilhagos das paredes;
a casa baqueara e eu jazia enterrado vivo 1
O qae me passou na mente, durante a
primeira hora de captiveiro, assoberba loda
a descripcao trabalbavam-me raivas sardas
a qae succedia ura desanimo e abalimento
geraes. Pouco a pouco cobrei algumas for-
gas, reun as minhas ideas baralbadas econ-
fusas, e consegu recordar-me de que tinha
levado pan all um caodieiro de petrleo.
Encaminhei-me s apalpadellas para o logar
em que o linba deposto, e ventura suprema I
encontre o. Accend-o e foi entlo que
pude chegar plena consciencia de minha
situaglo.
Em volta de mim s existiam ruinas; a
escada desapparecera totalmente, e aquella
adega seria inevitavelmente, o mea tmulo.
Desentuhar do lado da esoda parecame
a minha nica taboa de salvagao, e portaoto
metti hombros empreza com a furia de
am desesperado. Cada pedago de lijlo ou
caliga que extrabia arrastava outros comsi-
go; panos dos muros estavam continuamen-
te a abater, e eu ameagado de encontrar o
sepulchro em qualquer d'esses desmorna-
menos. Como se isto nlo bastara, apagoo-
se-me o candieiro mingua de oleo, e eu
fiquei inmerso as trevas. Desesperei.
Paz-me a pensar na mulher e filaos e
chore muito. Desfallecia-me a coragem de
continuar uip trabalho ao cabo do qual s
encontrara a morte! ama morte offrontosa,
a mais terrivel das mortes!
Comtudo de novo voltei ao meu trabalho
com nova coragem, porque se me nlo alu-
miava a esperanga, impellia-me o instincto
da conservaglo a proseguir com ama espe-
cie d ra va.
Haveria dous das que trabalbava no des-
atierro, quando de sobito desaba o tecto
sobre mim. Ferido na cabega por am lijlo,
desmaei. Nlo sei qoanto tempo estive assim
sem accordo. Quando* abr os olhos, de-
frontei com urna clareira por cima da minha
cabega.
O ceo estava estrellado e era noute Sof
fria atrozmente, mas nlo aventurava o m-
nimo movimento com receio de provocar
novo desabamento. Esperei que que alvo-
recesse com urna impaciencia lancinante.
Logo que pude attentar na minha sitaaglo,
voltou me a esperanga. Juntei urnas pedras,
caLga e tijolos, e empilhando-as sub, agar-
randome a ama trave do tecto, e pude bal-
dear-me para fora do meu sepulchro. Quan-
do cheguei fora, desmaiei outra vez, e re-
cuperados os sentidos sentei-me sobre as
ruinas da mina casa, e cborei mais de duas
horas. Passra 4 dias na adega ; tinha en-
trado sem urna branca e boje estou coberto
del las, como se houvesse envelhecido em I
dias mais de vinte annos.
Pelo que diz respeito aos armazens tudo
est queimado. Trabalhra doze annos para
assegurar aos meus urna mediana folgada,
e para mira e minha malher urna velhice
feliz e sem cuidados, boje vejo que tenbo a
recomegar, e ainda assim, s entrevejo no
horisonte a miseria I
O INCENDIO DO PALACIO DE SAINT-
CLOUD.A Correspondencia Hars d os
seguiotes pormenores acerca do incendio
deste palacio, que se attribue a um acto de
o)alevolencia praticado pelos francezes:
Ao regressar do campo de batalha, e
passando por Point-da-Joar, vi o palacio de
Saint-Cloud em chammas. Duas bombas
arremessadas do Monte-Valeriano foram as
soppre todo! Fi
a re-
fazer os primeiros curativos aos feridos,
am cracifixo para auxiliar os moribundos,
e anda armada de urna espingarda
um rewolver.
e de
sempre consigo um estojo de cirargiao para que produziraro o incendio. Via-se indis-
tintamente abaterem as paredes e o bosque
de Saint-Cloud principiar a arder. Pelas
dez horas o incendio parVcia diminuir de
intensidade.
O palacio fra mandado construir pelo
irmlo de Luiz XI f. A galera fra pintada
por Mignard, mas felizmente todos os ob-
jectos de arte trabara sido dalli tirados antes
da chegada do inimigo.
Um despacho dirigido de Versalhes ao
Times accrescenta o seguinte sobre o mesmo
assumpto.
f Saint-Cloud nlo mais do que ruinas.
Os quadrosetapegarias arderam todos. Sal-
vou-se o busto de Napolelo e urna parte da
bibliotbeca.
OSPRISIONEIROS FRANCEZESL-se
o seguinte em ama carta dirigida por um
prisioneiro, residente em Colonia, a um
diario estrangeiro :
Depois do escandaloso soccesso de
Sedan, fomos todos declarados prisipneiros
de guerra. Os prussianos conduziram-nos
a Igessnr-la-Meuse, pequea povoaglo dis
tante alguns kilmetros de Sedan, e tres
semanas depois ebegamos aqui. Achraos-
nos acompanhados perto de Colonia, em
am campo pertencente ao territorio de
Wahn, do qual o acampamento tomou o
nome.
Estamos organisados por companhias de
300 homens ; cada pelollo commandado
por om sub chefe prussiaoo, ao qual acom-
panha um [furriel, conhecedor do nosso
idioma, que nos serve de interprete. O
rancho compoe-s de batatas, fetjdes e
carne; pela manbla altaocamos caf, e
acostumamos-nos sem dilculdade a este
rgimen. O po mo. Quanto ao mais
vivemos como aos conventos. As nossas
cartas slo lidas pelos chefes allemles,
tacto as qae recebemos como as qae en-^
vamos. *
UM EPISODIO DE STRASBOURG. DO
Sancho, jornal Belga, extrahitnos este cu-
rioso e at dramtico episodio de am nego-
ciante estabelecido em Strasbourg. o pro-
tagonista quem vai coatarno*lo.
Ha mottos sanos qae eu resida da
PROGRESSO.A Inglaterra possue....
50:000 idiotas ou imbecies Em a naglo
modelo l admira 1
ELEPHANTE.-O Rajah Jung Bahadon
presenteoa o Daqae de Edimburgo com ura
elephante, novo ainda, o qual foi empregado
no porto de Galle a igar carvlo para bordo
do navio Galla tea. Eram 300 toneladas e
faz o servigo qae fariam 30 carregadores
qoasi.
Sendo a nossa frica to abundante de
elepbantes nlo sabemos como se nlo tenbam
applicado estes intelligentes animaos, j ao
servigo de transportes, j a todos os oatros
qae demanden) forga e destreza. Mesmo
para a agricultura am elephante domesticado
servira como ama machina de vapor.
Quantas cousas nlo ha a fazer oeste paiz I
Qoanto qae sproveitar.
Mas estamos sob o muito sabio e moito
proveiwio rgimen liberal e por Unto o s6
nalavrSo liberdade
homens I
BUDJET ILLIBBUL.Segoerfo m
mages do gjverno da India Inglez*
ceita d'aqoelle imperio di 1 *
1868 a 31 de marco de 4869 foi Ae SM.
88;000 cootos, e a desposa de cerca t.
75:000 co los, sendo por tanto o i J
voravel de 13:000 contos,
J se v que isto om faeto
mente contrario s praticas Vktron
duvida, attendeodo a qae os liberan \
se p'opem felicidade do sea passi.
sojeitam, claro qae a ludia retrofrada t
se infelicita.
POBREZA ANGLICANA-A igrefa sV
cial protestante possue em Inglaterra ansa
renda de 20:291 contos t isto para nasa pa-
pulaglo de 5 ou t nilhues de -Irmas, eat*
ua mesma proporglo qae se dara e est-
ro portuguez absnrvesse todo o rendawala>
actual do estado I
A Reforma sempre foi orna grande caav
sa------para os hispas, bispas. bwpiaai.
ministras, ministras e loda a ttlha da ae-
ciesiasiica dessa comedia que o sar
Erasmo dizia acabar sempre peloi
de um frade com ama freia.
CIVILISACiO LONDRINA.-Na >
semana de margo havia em Londres 17ftOW
mendigos !
Urna pessoa em cada l> ladrio, re-
ceptador, ou urna ave de rapia, que for-
mara um exercito de 20:000 alaaaa!
Ha 150:000 creangas lilhos de
ou de pessoas de trabalho ioterroile
eventual, destas creangas 100:000 **
perdidas as mas de Londres em coptala
ignorancia a na i ser o que algumai appraat
dem as escholas andrajmat, ou as da la-
droagem, Um relatono ollicial diz :
< To la esta populag n os oa meaos
envilecida ; as sojs facilidades inlellecSaaaa
slo as menos desenvolvidas, o tenso moral
suffocado ou inactivo pea desconlunca oa
pela immoralidade.
E no entretanto a philantropia iofteza
despende com a miseria de Londres.....
31:500 contos!
Aqui se evidenceia o qae o protesia-
lismo e o catbolicismo, a philantropia o a
caridade.
S3 essa enorme qoantia de 31:500 coatos
fosse administrada pela igrej catbolica eo-
ceno que em breve deaapparefieriaoa da
roas de Londres essas 100.000 desgranada
creangas que sao o viveiro do crime e da
immoralidade!
No entretanto compre ter sempre asi
estes facios para atirar com elles face do
insipientes ou dos malvolos qae atacaos o
catholecismo com os esplendores de dvtti-
sago material das nacs protestante, bas-
cando assim a elevaglo do booseo oaa ri-
quezas donde viria qae os Rotscbld, ji
slo os homens mais civilisados I
EFFEITOS DO AMBIENTE IMPURO.
Em 2 1/2 minutos todo o sangoe coudo
no systema humano, e qoe em om adulto
irrade 3 gallos qoasi pssa pela soperi-
cie respiratoria.
Portanto que est por 2 1/2 analos em
ama atmospbera impura soflre em todo o
sangue e acglo do ar viciado, licando-lhe
as partculas daquelle menos vitaes, menos
proprias para renovarem as forras e bem
funecionarem, com o que envenenada, o le-
vando este enveneoamento a toda a parte.
OURO.Avalia-se o oiro em crcnjaci&
no principio da era christa em 385:000
contos ; ao tempo da descoberta da Ama-
rica descera a 51:300 cootoi. Desde entaV
foi sabindo sendo em :
1600....... 94:500 contos
1700....... 315:000
1800....... 1:1121000 -
1843....... 2:225 WOO .
1870....... 5:400*000 oa 13:5
raillioes de crasados.
Mas se tal foi o augmento da quantidade
nlo foi assim o do valor porque a abundan-
cia prodnzio o abaixamento deste.
TERRIVEL INCENDIO. O Diario i-
Barcelona d os seguiotes pormenores de
um terrrivel incendio que. no dizer d'aqoelk*
jornal, veio augmentar as calamidades que
j affligem a capital da Catalunba.
Pouco depois das 4 horas da madrugada
do dia l, deram os apitos dos serenos sig-
nal do incendio no qnarto districto. O mo-
radores, ao acordarem. viram ja a atmos-
ptiera para o lado de S. Paulo de orna cor
averraelbada, o que, junto rapidez com
que corriara as bombas, indicava qoe as
cbammas estavam consumindo um granda
edificio. Com effeto assim era. Tinha-se
incendiado a fabrica do Sr. Estracb, situad i
no fim da ra de Amalia, defronte do qoar-
tel de S. Paulo.
To extraordinarias eram as proporgoes
do incendio, que erara qaasi innteis os es-
forgos dos bombeiros para o dominar, e
todo o seu empeoho se empregou em evitar.
que se communicasse aos predios immedu-
tos. Apezar de se ter trabalbado com af-
finco, apezar de terem acudido algumas pe-
gas de artilharia das qae esto depositadas
na nova Universidade e noTribuoal, nao se
pode evitar qae o fogo se communicasse i
fabrica de D. Joao Montadas, qae se acba
no passeio opposto da citada ra da Amalia
e qae em pouco tempo se coovertea em
um vulclo.
A tal altura se elevavam as chammas e tal
extenslo tomavam que se assHStaram aspes-
soas que morara as povoagdes prximas.
O sinistro ciarlo qoe projectava o incendio
illuminava toda a parte do arrebalde e largo
de Santo Antonio de tal modo, qaedaGra-
ga e S. Gervasio se avistavam perfaitameote
as pessoas que estavam nos terragos e na
ra da Bomba.
Ignora-se como comegeu o incendio. Si-
be-se nnicamente que a hora indicada o te-
reno da fabrica do Sr. Rosich vio o fogo o
despertoa os empregados qae dormiam na
casa immediaU. Brevemente recoobeceram
qae o fogo lavrava na sala chamada do
peso : penetraran) alli e o fumo fe-Ios re-
troceder. O sereno avaocou mais que q
outros e nlo tornoo a sabir. Receia-se qua
desapparecesse eotre as chammas.
A's nove da minhia o fogo estava dona-
nado em ambas as fabricas, grapa aos es-
forgos dos bombeiros, donados qaaes, Tbo-
raaz Bulb e Joao Lucas conseguirs, salvar
as habitagSes do edificio pegado i fabril
que primeiro se incendiou.

-
-!
<
ffP. DO DlAhlQ-KUA Da WJQat bl UiOUl
i


a^am i,


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EQ2CVSGVP_T3MIPT INGEST_TIME 2013-09-14T04:08:34Z PACKAGE AA00011611_12262
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES