Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:12243


This item is only available as the following downloads:


Full Text
*IND XLI/. NUMERO 239
_

!
PAEA A CAPITAL E 1UGABES OffDE IAO SE PASA PORTE. '
or tres rueies dinudos......... ^o^
y se* ditos rian........ '*' iJffi
rom auno idep......... ; ......... J
Cada mumero avuLso....... ............ 24)***
SEXTA FElfl* 2f 'DE OUTUBRO DE 1870.
Por tres metes adiantados
Por seis ditos dem. .
Por nove ditos dem .
Por om anno idem .
PARA DEITRO E PORA DA PBOVIHCIA.
#7W
i31500
201250
271000
Propriedade de Manoel Figneira de Fara & Filhos.
SAO ACEITEN:
Os Srs. Gerardo Antonio Alves & Filhos, no Para ; Goncalves & Pinto, no Maranfaao ; Joaqnim Jos de Ofiveira, no Cear ; AnLio de Lemos Braga, no Aracaty ,' Joao Mara Julio Cuates, no Ara ; Antonio Marques da Silva, no Natal; Jos
Pereira d'Almeida, em Mamanguape; Antonio Alexandrino de Lima, na Parahyba ; Antonio Jos Gomes, ka Villa da Penha; Belarmino dos Santos Bok3o, em Santo Antao; Domingos Jos da Costa Braga,
em Nazareth ; Francisco Tarares da Costa, em Alagoas ; Dr. Jos Martins Alta, na Babia ; e Jos Ribeiro Gasparbo no Rio de Janeiro.
PARTE QUICIAL.
GoTcrao da provincia.
KXPEDIESTK A"Sir..Nl> I MU M SR. DESEMBRCA-
LO!! FRANCISCO ()K UM PKRKIRA RIK:HA, VICE-PRE-
>;:ntk da FkOVUrciA km 15 dk maio de 1870.
1* secijo.
N. 837.Dilo a Si', general commanlante das
armas.Expec V. Exc as mas oritens para que
.-eja apreseutada ao juiz municipal da 2" vara
urna praea montada pura levar as diversas subde-
legadas d.:sle municipio os nllicioa para a con
v i cacao da pmxiina reuniio do jury.
N. 837.Dito ao inspector do arsenal de ma-
rinha.Constando de ollicio do chefe da reparti-
r > das obras publicas datada de hoje e sob n.
til, ach.ir-se interceptado o transito no lugar da
paule de Caxanga, em consecuencia da grande
quanlidade d'agua que o no tem temadn, recom-
mendo a V. S. que mande por a! uina lulieira a
diSposieaa do euzenlieiro ajuiante daquella re-
partico, conf-Tine sollicia o mesmo ebefo no ci-
tado ollicio.
N. 838.Dito ao mesmo.Transmiti a V. S.
para seu conhscimenlo e direceo, copia do aviso
de 7 Qn correnie, no qual o Exm. Sr. ministro da
marinha comwuniea-me haver naquella data au
tarjando a presidencia da Bahia a engajar 2 cal-
dereros de ferro, perito nessa especialjdade, para
irem servir n'esse arsenal por 3 annos mediante*
os vencimentos e condujo:- declaradas no citado
aviso.
3" seccao.
N. 842.Offlcio ao insp-ctor da thesouraria de
fazenda.Communico a V. S. para seu conhe-
cimento, que attendendo ao que requereu o profes-
sor publico da 4 cadeira da reguezia de S. Jos
desta cidade, Antonio Juvino da Ponceea, expeco
nesta data as convenientes ordens a thesouraria
provincial para fazer wmt o descont de 5 */.
que o supplicante offereceu de seus vencimentos
para as de.pezas da guerra.
X. 843.Dito ao mesmo.Em resposta ao offl-
cmqoe V. S. me dirigi em 19 do corrente, n.
330, tenho a diier que pode mandar effectuar sob
mirilla responsabilidade, nos termos do decreto u.
2884 do 1 de fevereiro de 1862, visto nao haver
crdito para esse lim, o pagamento do premio de
3001000 a qoe tem direito a praea do extincto
corpo de voluntarios da patria n. 53 J jaquim Ro-
drigues dos Santos.
N. 844.Dito ao mesmoEm vista do incluso
requerimento documentado, mande V. S. pagar ao
gerente da con panhia Pernambueaoa, por conta
o crdito de 40:0001, absrto para soecorros p-
blicos, a quamia de 111*200, proveniente do trans-
porte e comedorias dadas a bordo do vapor Ipo-1
/tica do Macoty, para esta capital ao alfere An-
tonio Joaquina, de Barros Lima o as 6 pracas que
foram em commisso levar gneros alimenticios
aos desvalidos das comarca da Boa-vista, Ca-
brob e Ouricury.
N. 845.Dito ao mesmo.Communico V. S.
para os devidos lins que, segundo partecipou-me o
uacharel Paulino Ferreira da Silva, era offlo de
18 do crrenle, nessa data deixou o exercicio do
cargo de jmz municipal e de orphos da termo de
Caruar por ter nessa data tioalisado o seu qua-
trienio.
N. 846.Dito ao mesmo.Mande V. S. pagar
ao gerente da companhia Pernambucana, que as-
sim o soliciu no incluso requerimento documen-
tado, a quantia de 180334 ou o que justamente
se dever de passagens dadas por conta do minis-
terio da guerra no vapor lptjuca, na ultima via-
gem que fez as provincias do norte.
X. 47.Dito ao mesmo. Traosrailto V. S.
para seu conhecimento e direceo copia de aviso
de 7 do corrente, no qual o Exm. Sr. ministro da
marinha communica-me haver n'aquella data au-
tonsado a presidencia da Bahia aingajar2 caldei-
reiros de ferro, peritos na especialidade, para ser-
virem no arsenal de marinha desta provincia, por
3 annos. com os vencimentos diarios de 4300 e
mais vantagens declaradas no sitado aviso.
X. 818.Dilo ao mesmo.Depois de liquidados
em vista da fclha epret juntos em duplcala, os von-
cimenios relativos ao mea de abril ultimo, do oUJ-
cial e piaca as, guarda nacional destacados na
villa de Cabrob, mande V. S. pagar a sua impor-
tancia a Dinamerico Augusto do llego Rangel,
conforme solicitou ocommandante superior d'aquel-
le municipio era efflcio de 2 do corrente.
X. 849.Dito ao mesmo -Mande V. S. liquidar
em vista do pret junto em publicata, os venci-
mentos relativos ao mez de abrii uliirao dos guar-
das nacionaes destacados na povoaco dos Montes,
e pagar a sua importancia a Manuel Jos Alves,
conforme" solicitou o commandante superior do
municipio de Agua Preta, em offlcio de 19 do cr-
rante.
X. 850.Dito ao mesmo.Mande V. S. pagar a
empreza da illuminaco publica desta cidade, que
assim o solicita no incluso requerimento docu-
mentado, a quantia de 8:361*730 ou o que justa-
mente se dever, do gaz consumido com a mesma
ulumnacio durante o mez de marco ultimo.
X. 852.Dito ai mesmo.Atienden la ao que
expz o chefe da repartico das obras publicas em
Bub de hoje sob n. 142, reaommeado a V. S. que
mande entregar ao thesoureiro daquella reparligio
mais 4:000# proveniente de objectos ferneeidos ao
asylo de meudicidade, visto ter sido insufflciente
a- quantias adianladas para esse flm.
X. 833.Dito ao chefe da repani(o das obras
publica*.Mande Vmc. proceder os reparos de
que carece o telhado do aljube da cidade de Olin-
da, e por em algumas portas do mesmo fechadu-
ras, como requisita o chefe de.policia em offlcio oe
21 do corrente sob n. 783.
41 seecao.
X. 854.-Offlcio ao gerente da companhia Per
aambucana.O Sr. gerente di companhia Per-
nambucana, mande dar urna passagem de estado
a proa at o Cear a Olympio Manoel de Medeiros,
sobrinho de Mara Felicia de Jess que indi-
gente.
N 855.Dilo ao mesmo.O Sr. renle da com-
panhia Pernambucana, mande dar passagem de
estado a r al o Rio-Grande do Norte ao inspec-
tor da alfandega daquella provincia Thomaz Anto-
nio Ramos Zany e a sua ulna menor de 10
annos.
EXPEDIENTE ASSIGNAD0 PELO SR. DR. ELIAS FREDE-
BICO DE ALXEIDA E ALBUQUER0GE, SECRETARIO DO
COVERNO, EM 25 DE MAIO DE 1870.
1." seccao.
N. 8-16.Offlcio ao Sr. Dr. chefe de polica.0
Exm. Sr. viee-presidente da provincia manda de
N. 839.Dito ao commandante superior da
guarda nacional de Cabrob.O Exm. Sr. vi
ce-presiden lo da provincia, respondendo ao oftlcio
de V. S. datado de 2 do corrente, que a thesoura-
ria de fazeoda tem ordem para pagar a Diname-
rico Augusto da Rogo Rangel os vencimentos
contantes do citado offlcio.
X. 860 Dito ao commandante superior da
Kuarda nacional do municipio d'Agua-Preta.S.
Exc. o Sr. vice-presidente da provincia, respoo-
dendn ae offlcio de V. S. datado de 19 do correnie
manda doclarar que a thesouraria provincial tero
ordem para pagar a Manoel Jos Alves os venct-
menios constantes do citado offlcio.
N. 861.Dilo ao juiz municipal da 2J vara.-O
Exm. Sr. vice-presidenle da provincia, mande de
clarar a V. S. que fleam expedidas *s convenien-
tes ordens convenientes para lhe ser apresentada
a praca montada de que trata o seu offlcio de 24
do crreme.
N. 862.Dito ao bacharel Paulino Ferreira da
Silva.O Exm. Sr. vice-presidente da provincia,
manda aecusar o recebimento do offlcio de V. S.
de 18 do corrente em que participa ler nessa data
deixado o exercicio do cargo de juiz municipal e
e orphos do termo de Caruar por ler finaliza-
do o seu quatrionio.
3" seccao.
N. 863.Offlcio ao inspector da thesouraria pro-
vincial.O Exm. Sr. vice-presidenle da provincia
manda coinraunicar a V. S. que nesta dala man-
dou que pela repartico das obras publicas fossem
feiios os reparos de que carece o aljnbre da ci-
dade de Olinda, portas e fecbaduras em algumas
de suas ponas, em vista da requi^cao do chefe de
pollnia, em offlcio n. 785, de 23 do c >rrente.
N. 864.Dilo ao memo.O Exai. Sr. vice-pre-
idenlP da hr.win 'ii minina H.n.l r-ir -i V C -.*.,
clarar a V. S. que nesta data se expedio ordem a
repartico das obras publicas para fazer-se os
reparos e por as (echaduras as perlas do aljube
de Olinda, de que trata o seu offl ;io n. 785 de 23
do corrente.
X. 837.Dito ao mesmo.O Exm. Sr. vice-pre-
sidente da provincia manda acensar o recebimen-
to do offlcio de V. S. de 24 do crrante, em que
participa ler por portara de 23 desle mez demit-
tido Caetano da Costa Pereira do lugar de guarda
da casa de detenclo e Horneado para o substituir
Joo Mendes Maciel.
I* leeco.
X. 858Dilo ao presidente da relacio. 0
Exm. Sr. vicepresidente itx provlneia manda de-
clarar a V. Eic. que neam dadas as convenientes
orden para que sejam taitas reparos ae que
serve a casa em que Tunootona esse tribunal, fl-
cando assim. respondido o iu oBoio de 24 do
correnie.
sidente da provincia manda declarar a V. S\, para
os devides los, que, segundo participou o chefe
de pocia, em offlcio n. 786, de 24 do corrente,
por poriaria do da anterior, foi exonerado Caetano
da Cosa Pereira do emprego de guarda da casa
de delencao, e nomeado Joo Mendes Maciel para
e substituir.
N. 865.Dito ae mesmo.De ordem de S. Exc.
o Sr. vice-presidente da provincia, communico
V. S., para seu conhecimento, que, segunde consta
de offlcio do regedor do gvmnaslo, de 24 do cr-
reme, falleceu no da 22* o professor de aJemo
daquelle estabelecimento Carlos Steober.
X 866.Dito ao chefe da repartico das obras
publicas.S. Exc. o Sr. vice-presidenle da provin-
cia manila declarar a V. S. que nesta data se ex-
pedio ordem ao inspector do arsenal de marinha
para mandar por disposigo do engenbeiro aju-
dante d'essa repartico, no lugar da ponte do Ca
xang, a balieira de que trata o seu offlcio de
hoje, sob n. 141.
X. 867.-Dito ao mesmo.Nesta data autorisei
a thesouraria provincial adiantar ao ihesoureiro
d'essa repartico o 4:0003 constantes do offlao
de V. S., o qual flca assim respondido, de ordem
de S. Exc o Sr. presdeme da proincia.
4' secijio.
N. 868.Offlcio ao Dr. Francisco Teixeira de
Sa, 1" secretario da assembla legislativa provin-
cial.N. 120.De ordem de S. Exc. o Sr. vice-
presidente da provincia, transmiti por copia a V.
S., em resposta ao seu offlcio de 30 de abril pr-
ximo lindo, sob n. 33, para ser pre-enle assem
bla legislativa provincial a inclusa informaco
ministrada pelo chefe Ja reparlicao das obras pu-
blicas, em 20 do correnie, sob n. 139. relativa-
mente ao acude que se est construindo na cidade
da Victoria.
N. 869.Dito ao regedor do gymnasio provin-
cial.S. Exc. o Sr. vice-presidente da provincia
manda declarar a V. S. que, pelo seu offlcio Ai
24 do corrente, flcou inteirado de ter fallecido no
dia 22 o professor de allemo d'esse estabeleci-
nlento Carlos Steuber.
EXPEDIENTE ASSIGNAD0 PELO EXM. SR. DESEUBARGA-
DOR FRANCISCO DE ASSIS PEREIRA ROCHA, VICE-
PRESIDENTE DA PROVINCIA, EM 27 DE MAIO.
!seccao.
N. 874.Poriaria ao commandante do presidio
de Fernando.Attendendo ao que me requereu o
sentenciado de justica exislente nesse presidio Ale
xandre Deluk, e tendo era vista a sua informaco
e a da thesouraria de fazenda, de 20 do corrente,
sob n. 333, resolv por deiiberaco d'esta dala, e
de conformidade com o disposte "no art. 36 do re-
gnlamenlo que baixou com o decreto n. 2403 de
U de fevereiro de 1865, conceder-lhe d'ora em
dianie o jornal de 500 rs. diarios pelo trabalho e
deveres que all desempenha na qualidade de sar-
gento carcereiro, assim o communico a Vmc. para
seu conhecimento e fins convenientes.
N. 875.Dita.0 vice presidente da provincia,
attendendo ao que lhe requereu o sentenciado de
justica, existente no presidio de Fernando de No-
ronha, Alexandre Deluk, e tendo em vista as in-
formacoes do commandante do mesmo presidio, e
do inspector da thesouraria de fazenda, n. 353, de
20 do corrente, resolve, de conformidade com o
disposto nu arl. 36 do regulamento que baixou
com o decreto n. 2403 de 11 de fevereiro de 1865,
conceder-lhe d'ora em diante o jornal de 500 rs.
diarios, pelo trabalho e deveres que all desempe-
nha na qualidade de sargento carcereiro.
2.* seccao.
N. 878.Dito ao Dr. Juiz de direito da 2- vara.
Convido V. S. a comparecer oeste palacio, 30 do
corrente ao meio dia para fazer parte da junta
que era ultima instancia tem de julgar o soldado
do corpo provisorio de polica Jos Francisco do
Reg, enviando-lhe o conselho de julgatnento do
mesmo para que aprsente o relatorio de cstylo.
N. 879.Dito ao tenente -coronel Francisco de
Miranda Leal Seve.Convido Vmc. a comparecer
neste palacio 30 do correnie ao meio dia, para
fazer parte da junta que deve era ultima instancia
julgar o soldado do corpo. provisorio de po-
licia Jos Francisco de Reg. Iguaes aos lenentes-
coroneis Joaquina Leal Seve e Decio de Aquino
Fonceca.
N. 880.Portara O vice-presidente da pro-
vincia attendendo ao que lhe requereu o coronel
da guarda nacional Francisco Jos Pereira Lobo,
resolve coneeder lhe 3 raezes de licenca para ir a
corte para tratar de seus negocios particulares
N. 881.Dita.O tice presidente da provincia
altondendo ao que requereu o bacharel Joo Bap-
tista de Siqueira Cavalcante juiz municipal do
termo de Ipjuca, resolve conceder-tne 30 dias de
licenca com ordenado na forma da lei para tratar
de sua saude nesta capital.
N. 892.Dita.O vice-presidente a provincia
attendendo ao que lhe requereu o baeharel Joao
Alvares Pereira de Lyra juiz municipal e de or-
phos do termo do Brejo, resolve prorngar por
mais nm mea a licenca que com ordenado lhe foi
concedida a 26 de fevereiro ultime.
3" seecio.
N. 883.Offlcio ao inspector da thssouraria de
fazenda.Inteirado de quanlo V. S. expoz em sua
Informaco de 21 do corrente sob n. 358. acerca
do requerimento em que Joaqnim Jos Goncalves
Bellro recorre para esta presidencia da deiibera-
co da junta dessa thesouraria que ebriga a en-
trar para o respectivo cofre no praso de 8 dias
com a quantia de 402*218, como iadumnisacjto de
137 tavos alqneires de farinha que faltaram na
que vendeu para fornecimanto do presidio de Fer-
nando de Noronha, tenho a dizer que convm ac-
ceitar se essa inderansaco, na raaao da metale
daquella quadlia, como offerece o supplicanie vis-
ta nao ser poaslvel provar-se que o desfalque pro-
veio del le, e atienta a regra de que em laes com-
pras nao lera a reclamaejb depoit de paga a rea.
pectiva importancia,
N. 884.Dito ao Imesrao.Remeta- me V. S. a
informaco que para ser satisfeita a resoluco da
assembla legislativa provincial de ti do corrente.
foi exigida por esia presidencia em portara de 12
relativamente a importancia dos impasto de siza
que foram recrlhidos aos cofres dessa repartico
e a que eslavatn sugettas os contratos entre partes
mencionadas na citada poriaria.
N. 885._Dilo ao mesmo.Recommendo a V. S.
a expedico de suas ordens, para que nos termos
de sua informaco de 21 do corrente sob n. 359,
seja paga era viste das competentes cootas a quan-
tia de 2315840, despendida como se v da nota
que incluso devolvo e me remetleu n conselheiro
presidente da relacio com offlcio de 16 desle mez,
com a compra de objectos necessarios ao expedi-
ente daquelle tribunal, nos mezes de dezembro do
anno prximo passado abril deste anno.
N. 886. Dilo ao mesmo. Autoriso V. S. em
vista de sua informaco de 21 d corrente sob n.
350, com refereocia a da contadoria dessa thesou-
raria, a mandar que se contine a abonar ao l-
ente reformado do exercito Jos Pedro da Silva a
etapa de 1*000 diario, que eslava percebendo de
conformidade com o decreto n. 1,234 de 8 de ju-
Iho de 1863, e foi suspensa desde selembro do
anno prximo passado em vista de deiiberaco da
junta dessa thesouraria.
N. 887 Dito ao mesmaAllendendo ao que
me requereu o sentenciado de justica existente no
presidio de Fernando de Noronha Alexandre Deluk,
e tendo a vista as informacoes do respectivo com-
mandante e a de V. S. datada de 20 do correnie
sob n. 353, resolv por deiiberaco desta data e da
conformidade com o disposto no art. 36 do regu-
lamento que baixou com o decreto n. 2,403 de 11
de fevereiro de 1865, conceder-lhe de ora em d-
ame o jornal de 500 res diarios pelo trabalho, e
deveres que all desempenrra na qualidade de sar-
gento circereiro, o que communico a V. S. para
seu conhecimento.
N. 888.Dila ao inspector da thesouraria pro-
vincial. Se nao houver inconveniente, mande
V. S. pagar Flix Pacheco de Menezes, em vis-
ta da conta junta era duplcala, que me remetleu
o chefe de polica com offl:io de 25 do corrente
sob n. 790, a quantia de 40*400, despendida com
a alimentario fornecida s pesseas desvalidas, que
sendo accommettidas da varila, na villa de Se-
rinhem, foram recolhidas e tratadas no convento
daquella villa, durante os raezes de agosto oulu-
bro de-te anno, em virtude de autorisaco do mes-
mo ebefe.
N. 889.Dita ao mesmo.Transmiti por copia
a V. S., para seu conhecimento e execucio, na
parte que lhe tocar, a deiiberaco desta data, pela
qual resolv encarapar a obra "de 726 raelro? cor-
rentes de erapedramento no 5 lanco da estrada da
Victoria, e multar o respectivo arrematante Feli-
ciano Marqnes Vianna.
N. 890.Dila ao mesm-xReraetto V. S., para
seu conhecimento, a inclusa copia do parecer di
commisso de fazenla e orcamenio da assembla
legislativa provincial, approvando o acto de 12 do
corrente, pelo qual mandou esta presidencia tirar
da renda de 3 % de que trata o art. Ia da lei n.
777 de 11 de julho de 1867, a quantia do 1:5905,
que faltava para completar a de 4:000*. necessa-
ria para as despezas do As vio de Mendicidad.',
nesle mez.
N. 891. Dita ao mesmo Fico inteirado pelo
offlcio que V. S. me dirigi, em 10 do corrente
sol n. 278, de haver o fiscal da collectona de ren-
das provinciaes de Itamb nomeado o cidadio Can-
dido Goncalves de Oliveira para exercer interina-
mente o lugar de eollector, durante o impedimenta
do respectivo proprielario Joaquim Jos Moreira
le Aguiar.
N. 892.Dita ao mesmo.Mande V. S. adiantar
ao thesoureiro da Santa Casa de Misericordia a
quantia de 4:000*, que se faz necesaria para oc-
correr s despezas do Asylo de Mendicdade no
mez de junho prximo vindouro, segundo consta
do offlcio do respectivo director datado de hoje.
N. 893.Dita ao mesmo.Para satisfazer a de-
clarago da assembla legislativa provincial, pres-
te V. S. as informacSes constantes do 3o e 4o pe-
riodos mencionados" no offlcio do respectivo 1" se-
cretario, de 25 do corrente sob n. 66j incluso por
copia.
N. 894.Dila ao chefe da repartico das obras
publicas.Transmiti por copia Vmc, para seu
conhecimento e execuco na parte que lhe locar,
a deiiberaco desta dala, pela qual resolv encano-
par a obra de 726 metros correles de erapedra-
mento no 3 lanco da estrada da Victoria, e mul-
tar o respectivo arrematante Feliciano Marques
Vianna.
N. 895.Portara.O vice presidente da provin-
cia, attendendo que, segundo se evidencia das
informagoes do chefe da reparlicao das obras pu-
blicas e do inspector da thesouraria provincial,
datadas de 8 de abril e U do corrente, e sob n.
93 e 182, ha muito que se acha concluido o prazo
para a entrega provisoria da obra de 726 metros
correntes de empedramento no 5 langa da estra-
da da Victoria, sera que o respectivo arrematante,
Feliciano Marques Vianna, tenha executado os re-
paros necessarios para effeetnar-se essa entrega, re-
solve, de conformidade com o disposto no art 76 do
regulamento de 31 de julho d 1866, acampar
essa obra, e multar o mesmo arrematante na dci-
ma parle do valor della. Neste sentido deverio
ser expedidas as convenientes ordens para exeeu-
co desta deiiberaco.
?WENTE ASSIOMADO PBLO SR. DR. ELIAS FREDEB>
(DB AURIDA E ALBUQUGROUE, SECRETARIO DC-
WI1NO, EM 27 BE MAIO DE 1870.
2* seccao.
a. 991.Offlcio ao Sr. Dr. chefe d> polica.O
Ex*. Sr. vice-presidente da provincia, manda de-
elamr a V. S, em resposta ao seu olncio de 25 do
crlenle, sob n. 790 que a thesouraria provincial
tem ordem para pagar a Flix Pachee de Mene-
zes a quanlia de 40*400 rs. constames do citado
offioio.
H. 902.Dito ao conselheiro presdeme da re-
laco.-O Exii. Sr. cice-presidente da provincia
m.uitia declarar a V. Exc, em resposta o seu of-
licio de 16 do correte, que a thesouraria de fa-
zenda tem orden para pagar em vista das compe-
tentes contas a quantia de 231*240 rs. constante
do diado offlcio.
4.* seccao.
N. 903.Offlcift ao Dr. Francisco Teixeira de
S |f secretario Aa assembla legislativa provin-
cial. ,\. 121.Db ordem de S. Exc. o Sr. vice-
presidente da provincia, transmiti a V. S. para
lerem o conveniente destino, os inclusos autogra-
phos das reseluccois sob ns. 923 &024 do corren-
te anno.
N. 904.Dito ao director do Asylo de Mendic-
dade.Nesta data aitorisou-se a thesouraria pro-
vincial, adiantar ao thesoureiro da Santa Casa
de Misericordia a quantia de 4:000*000 constante
de offlcio de V. S. datado de haje, o qual ftca
assim respondido de ordem do Exm. Sr. vice-pre-
sideale da provincia.
pela ambico, que levoo- a sua quasi total mi-
na.; e pera porem relevo os generosos sentimen-
tos e puras imeacft que o imperio- serapre u-
!tno e nalre para coro as repblicas sub-america-
nas-, quinhoneirat-BB grandiosa lula que terminou
no Cerro-or coi a inorte desse chee que Ilia-
camente a empreteendera, violando em plena pai
de mo armada, o- lerrHorio de duas potencias
aimgas.
*ja porlanto bo:
PUBLICACOES A PEDIDO.
O
Sr. Pirettl.
Pense que dando-me ao trabaron de *emr
cora o Sr. deserobargador Anselmo Praocws Y-
reiu, nm cidado )ualifica"o, j adunia*. -p>
vindoo 2 batalhoraqnem[idadeTft dado a bealiee ; traba en lua eotmf-
o raarechal de campe- sauda ron emoco d pra
zer, esperando1 que o seo eooaportamente nesta
guaraieao serasempre pautado pela uuiao, wdem,
subordinado e- disciplina, predicados que fazem
o soldado lorte e respeieado, apto Pr* o desera-
penhci'da nebro espinos* ramio, que a soeie-
dade lhe eonfiou.
Assignado.'O oarechal de campe, baro S:
Borja.
Conforme.EmUiano Brnestt- <> Mello Tanto-
rim, teneale ajudaole de orden eucarregado do
delalhe.
4a seecio.
N. 896.Offlcio ao desembargador provedor da
Santa Casa de Misericordia.Deelaro a V. Exc.
para seu conhecimento e lius convenientes, que a
thesouraria provincial tem ordem para adiantar
ao thesoureiro desse estabelecimenlo a qnantia de
4:000* para as despezas com o Asylo de Mendic-
dade no mez de juaho prximo vindouro.
N. 897.Dito ao gevernador do bispado. Para
satisfazer a deiiberaco da assembla legislativa
provincial, comida em offlcio do respectivo 1. se-
cretario, desta data, informe V. S. com o seu pa-
recer acerca do incluso projecta n. 103 do corren-
ie anno.
N. 898.Dito: a cmara municipal do Rec.fe.
Transmiti a cmara municipal do Reate para
seu conhecimento e lins convenientes, a inclusa
copia da lei n. 923 de 25 do corrente autorisando
a mesma cmara a despender desde j al a quan-
tia de 4:000* com a delilwacao de um offlcio so-
lemne em suffragio s almas dos bravos que em
defeza da patria falleceram nos campos do Para-
guay.
If. 899.Dito .'a cmara municipal de Villa-Bel-
la.Declaro a cmara municipal de YiHa-Bella
em resposta ao seu offlcio de 4 do corrate que
orcamento de que trata o seu citado oficio loi
transmitido assembla legislativa provincial na
presente sesslo, e a informaco exigida por esla
presidencia em 23 de mareo ultimo, relativamente
receita municipal arrecadada 'durante o anno
prximo passado e anterior, e para satisfazer o
disposto no aviso do imperio de 10 do citado mez
de marc/), cumpre perianto que a mesma cmara
preste >emelbanie, informacjta com a possivel bre-
viafl.
N. 900.Dita ao gerente da Companhia Pernam
banana.O Sr. gerente da Companhia Pernam-
bucana, mande dar urna passagem de estado a r
al o Cear, ao juiz de direito Dr. Domingos Jos
Goncalves,^once de Laon, e de prOa a, urna cria^
da 4q mesmo,
DESPACHOS DA PRESIDENCIA DOl DIA 14 DB OUTUBRO
M 1870.
Antonio de Manezes Gysneiro Bandeira de Mello.
Informe o Sr. Dr. diriclor geral da nslrucco
publica
Alexandre Flix dos B*is.Ao chefe de polica
recommendou-se que se proceda a respeito como
for de lei.
Camarina Felicia de Gcuveia.Aguarde a sup-
plicanie os esclarecimentos que foram solicitados
do governo imperial.
Damiao Lopes Pereira Guimaraes.Informe o
Sr. raarechal commandante da armas.
Joaquim Jos de Almeida Oliveira.=-Se nao hou-
ver deferimento emregue-sepassando recibo.
Jaciotho Jos de Andrade-.Informe o Sr. gene-
ral commandante das armas.
Jos Domingues Codeceira.Informe o Sr. ins-
pector da thesouraria provincial.
Jorge Dowsley.Conceda-se com ordenado na
forma da lei.
Amonio Develecio Gonzaga.Na ha vaga.
Amaro Joaquim Peres Campello de Mello.A
cadeira a que alinde j este provida, e esla presi-
dencia nao pode estender a faculdade concedida
pela lei que foi somonte para a capital.
Jos Itufioo de Almeida.Informe o Sr. Dr. che-
le de pelicia.
Jovraa Sosa dos PrazeresvFoi despachado em
17 de agosto ultimo, o requerimento a que a sup-
plicante alinde.
Manoe Jos dos Anjos.lemetti do ao Sr. com-
mandante do carpe de polica para attender ao sdp-
plicante.
Pereira Vianna & CRemettido ao Sr. inspec-
tor do arsenal de loarinba para attender ao sup-
plicanie oe que requer.
15
Auna Bezerra da Silva Casta.Passando recibo
entregue-se.
Antonio Pedro da Silva_=-Informe o Sr. inspector
do arsenal de marinha.
Aureliano Augusta Pereira de Carvalho.=Re-
queira a assembla legislativa provincial.
Bario do Livramento. Informe o Sr. engenhei-
ro das obras militares.
CanJida Rosa da Conceicao Peres.Informe o
Sr. desembargador provedor da Santa Casa de Mi-
sericordia.
Joaquim J is Rodrigues e Jos Raymuodo Ca-
bra!.Nao devem os supplicanles receiar que pela
nomeaco do escrivao do juiz de paz, que succe-
deu ao'que foi demittido por nao merecer confian-
ca do respectivo juiz possa prejudicar o direito dos
mesmos supplicantes pela supposta irregularidade
da demisso.
Mnoel Pedro da Silva.Expedio-se ordem para
o supplicante 3er inspeccionado.
Manoel Alves da Silva Caldas.Informe o Sft
regedor do Gymnasio..
Thomaz Antonio de Gouvea.Informe o Sr. Dr.
chefe de polica.
Luiz Francisco da Cunta.Como requer.
17
Antonio Francisco- Marlins de Miranda.=Ji se
pro.ideociou no sentido que requer o supplicanie.
Ernesto Soares do Azevedo.Informe o Sr Dr.
chefe de polica.
Peilden Brothers.A thesouraria provincial oom
offlcio desta data.
Dr. Joo Honorio Bezerra de Menezes.Conce-
da-se a licenga requerida com a condiccao do-yol-
tar no seguinte vapor que partir para o presidio
depois de sua chegada a esta cidade.
Jos Ribeiro da Fonceca.Cerlifique-se o que
constar.
Manoel Joaquim de OHveira.Informe o-Sr. ca-
pito do porto.
Manoel Thomae de Socza.Informe a. cmara
municipal da villa de Barreiros.
18 -
Cesario Jas Atexaadriuo des Santo.Conce-
da-se na forma do estylo.
Pirraioo Casado da Cunta Lima.Intime o Sr.
Dr. juiz de direito da comarca de Caraeohans, ou-
vindo o Dr. Jaiz municipal do termo daBom Con-
selho.
Francisco Borges Leal.De-se.
Heraclio Cootan*Mio de Paula Moaleiro. Inr
forme o Sr. regedor do gymnasio.
Irroaodade de Sant'Anna da Madoe de Deus.
Informe o Sr. inspector da thesoararia provin-
cial.
Bacharel Jos Jnlio Rijmeira Pialo do Souza-
Conceda-se sem vencimentos.
JbaV Leoncio Teixeira e Silva.Remettido. a Sr.
inspector da thesouraria provincial para mandar
passar a certido requerida.
Joao de Lemos Leal Res.Como pede.
Luisa Clementina Vleira de Mello.Informe o
Sr. director geral da. instrncao publica.
Luiz de Franca.Requ eir ao governo imperial.
^Marlins & Leopoldo.A thesouraria de fazenda
com offlcio desta data.
Tenente-coronel Sebasiiao Antonio de Reg Bar-
ros.Conceda-s nos termos da informacio.
Sabino Mooteiro de Mello.Sim noe termos do
estylo.
Com manilo das arma.
iARTEL-GENEBAL DO CTJMMANDO. DAS ARMAS NA
PROVINCIA DE PERNAMBUCO* 20 DE OUTU-
BRO. DE 1870.
Ordem do dia 901.
O mareehal de campo commandante das armas
faz publico, que hontem caegou a esta provincia
no transporto Marcilio Dm o batalho de in-
famara, que della marchara a 3 de novembro do
1864, cora destino a guerra do Paraguay.
Este batalho, que vera aqu estacionar e fazer
o servieo da guarn cao, presin, como os demai*
cornos do exercito, valiosos e importantes servida
na, sanguinolenta campanha dos cinco annos
Or&m-do da- aidoml a te n. 501.
O mareaba! de campe commaedame das armae-
determina que os Srs. tenentes Manoel Anselmo
Pereira Guimaraes, Ernesto Alves Paebeco sejam'
d.isligados.-aquelle do depesite-de recrata, e este
do 9 batal!o de infamara, e se apreseotem ao
Sr. commandante do 2 da raesmo arma para o
qual foram- designados em on)em> do dia da re
panico do sjadante general de ITdesetembro
prximo passado sob o n. 73tV
Determina,, outro sim, que o St. alfem com
missionado lente JseV Louenco nez dexe de seguir parva cor, e ae aprsente
w referido Sr. commandante do 2; visto que pela
citada ordem de da foi igualmente designado para
este batalho.
Aisignado.Baro de S. Bopjn, raerecto) de
campo.
Conforme. RmtHano E rar, tenente ajudante de ordens encarregado do
detalhe.
es podeaee
PEMAIBHCO.
REVISTA MARA.
AUTORIDADB.PcaUCIAL.Por penuria, pre-
sidencia da provincia, de iTdo corrente, rbi bo-
meau delegado de polica do terme- de GJowres,
o respectivo juiz- miiicpal Dr. Francisco Boumb-
gues Ribeiro Viaaaa. -
DEPUTADOS A ASSEMBLA GERAL. Por
portara da presidencia da provincia, de ifto cor-
rete, foi designad o dia 21i de novembro prxi-
mo para se proceder eleioio -de im. depofcdo
geral pelo segunde dlsiricto- eletoral,. em. sabetl-
luicn do Sr. conselheiro Joe Alfredo Gomia 4e
Oliveira, nomeado ministro dos-negocios do- pe-
lio.
FERIMENTOS GRAVES.Na.madrugada d 7
do corrente, no distrioto de Ilapissuma do twrmo de
Iguarass, Manoel de Gouveia Souza, ferio grave-
mente cora um tiro Sabino J6s Gcmes da> Silva,
qjue foi preso en flagrante.
No dia 24 de agosto ullim o, no lugar Giqmi-
ri,.do quarteiro do Sanharoly do termo de Cim-
bres, Amaro Viceale Ferreira, era estado de-desar-
ranco mental por excesso de bebidas akoolieas,
ferio gravemente com duas tacadas- sua proprta
mulher ; depois de que siadou-?e com um. Uro
de espingarda.
ASSASSINATO.=.\'u lujar Pocas, da freguesa
da Gloria do Goial, fji emtoatradoj.enterrado e j
em putrefacto, o cadver de Itiearde Jos/-Barbosa.
Tendo-se reconhecido dos examos feito, ler sido
Barbosa assassioado cora om tiro no ventre, flor ata
presos como autores desse crime sua propria mu-
lher Bernardina Barbosa e Francisco, escravo de
Josepha Mara da Concei.oao. os quaes fbram pre-
sos e esto sendo processados.
ESPANCAMENTO. ??o lugar Sororea,. do ter-
mo de Cimbres, foi espancado a 16.'de selembro
Vicente Ferreira da Suva, por tal forma que nao
pode declarar quera foi o seu oiftinser.
CADVER.No da, 16 do correnie, no ntg.tr
Gamelleira, do termo de Pao t/'Alho, foi entontra-
do e cadever de um homem rme se ooeupava do
snn'ico posta*; declarando os peritos ter sido a
raorte causada por urna apoplexia.
CAPTUBAS.-Pclo delegado, do termo de- Cim-
bres foram. capturados e recolhidos- a respectiva
cid-'ia os reos pronunciados Joo Manoe* Caval-
cante, Maaoe4 Joaquim Netto Nogueira, Bmaaldo
Francisco dos Santas- e Manoel dos Santos, ns dous
primeiros por homurtdio, e os dous ultimo por
furtos de-gado.
FuRO'DO RECIPE.Coca, o prazo de 8 dias,
contados de I i) do corrente, achara-se oat coocur-
so os oOetos de eslribuidcr e eontadsr de or-
phos da cidade d Recito:.
DEFEZA DE "MESES.Ante-honte roncluio
a defeza de suas taeses perante a congsegaco da
faculdade de direito do Recre o Sr. tacaarel D.
Lua de Souza da Silveira, sendo em seguida re-
provado II
Estamos de tonga dato habituados respeitara
congregaco da faculdade e a ver n'etia urna itr
terprete fiel da Justina e da scienci*. Desta ver.
porn sentirnos destoar ; e, fallando pelo que ge-
i ai raen te lemos ouvido, qner-no parecer que nao
presidio ao julgaraenio do Sr. D, Luiz o raesmo
espirito de jtjslic.a qae d'antes.
Em suas iheses o Sr. Dt Luiz snstenlava ideas
libera es, algumas das quaes em opposico a aossa
conslituicio ; mas pergunlaremos : urna vez que o
candidato defende*. bem suas Iheses, urna nez qpe
a manifestado do peosamenlo lvre, e o Sr. LV
Luiz era sincero ; por que razio nao se lhe fez in-
teira justica ? por que razio esmaga-lo sob.o. peso
do quo& scnp*v scrif f por que razio anda
ama vez manifestar assim claramente plena ooq-
Qanca ao mayxler dtait ?
Releve-nos a congregaco da facnldade esto jus
to ressentimento. Nos tallamos em non da jus-
tica ; e,. se a congregaco teve razio_ no. sea modo
de proceder, nio o diz assim a opinlie poWtea.que
toda favoravel ao Sr. D. Luiz. Eis por que des.
toamos d'esta vez da deliberacio da coogregacio
da faculdade ae direito, extranhando, o sen acto,
Bosso ver pnaeo juste.
Contlnuaraos, pois, a ser coberentos.
ILLUWN\CO PUBLICA.Chamamos a atten-
cao do Sr. arreraatanto da illuraiaacio publica da
cidade de Olinda, para o deleixo por que feito o
servico petos seus empregados, sobre ludo na par*
te alte da cidade. A ra Nova poucas notes tem
os larapedes aceesos ; e, guando esli, sempre
por urna ou dnas horas, licaado a ra s escuras
no reste da notte, como aconteceu as noites de
17,18 e 19 do corrente. Esperamos o devid re-
medio.
LEILAO.Hoje efledua o agente Martias o lei-
lio de pertences da nadara da. ra Imperial n.
183, e bem assim das dividas da mesma nadara
na importancia de 1:300*000, as 11 horas do dia
na mesma padaria.
Hoto 24, eBBOJua o agento Pialo o leilio de
movis e louca, vidros e mais objectos, conforme
est annunciada para o terceiro. andar do .sobrado
da raa do Vlgario n. 1, devendo principiar s 10
horas em pooto.
Concorreu par7o desaggravo da honra o digni LOXERl^A que se apea venda a 166.' a
dade nacional; para libertar um povo valrnte, beneficio dj matriz, d/j BjaAlo, que corre RQ dia 3
mas. truel jado jtor um chefe periinsn ej^rascionado I qq correntov '^
um adversario leal, e que entre
diecueeao ser de cavaitoiros.
Mas eeganei-me i' O Sr. deserabergador Pereth
- hoje para mira diim desillusio, ama des-o-
cio. r
Nunca rae persuad tese da desleMade a
fe na argaraentaco. cagasse ao poato de apr>-
vekar-se de calumnia* e bisidades, omra B>:r
erjraidas e perversamente engendraba*.
Nunca peosei tambera- que, o odm e a vafae>-
ca que^e a-sanharam contra min, erweaesetn
ate-a* madNaacTies como as rjoe se ler toito!
Pas- bem! Anda race rm eonfeseo ve:id >.
dou ao pubheo a minae petovra de qce todos m
Oflletos que hoje foram pi:bliead>H o.nv-m as a.
indgaas- calumnias a .-.mi, hei de vmvar em
occasioo- opportana.
Y.' reeebido um. real sequer, de berro veooMe m
Asylo e Mendicidad' ; a -fal-o a qoe na* caa-
tern os referido ofllcios, qpe s lera par lea
at!ribuir-me ffcclos que noe coetaaetli.
Sorprendido como liquei, coas estos oflatoe, >
aei anda o panido que devo tentar : earert paa-
ser um peuco, ver con hei de aroeeder.
b" o caso em qne deve oarr o cocela* eV
qpem esteja de espirito calato.
Iteeife 19 de eotnbro de 1870.
I. P. Barril t Mrtk *{>
Pedro das Wtm
arla Lcopoldla lo
O que Sra-a- rala se asila ta.
aouvesse lagrima f
( ih. HaassiaM).
era a Ugriane eoaehrasa >
sello do tamul Na '
( 9. (L amaneo.
S o lumal ser om a>r*.
sem sabida-on o pwrlieo oaa a
Etoraidad '
(CaYvnrMnaMxe.
O goieo de ama eterna saadad veaho Vcfallmr
sobrs o pranteado hmulo da cariaknea eanaeod
iocoasHlavel aa dr, e ao praato Jos Pedro a
Nev; porque, alen de romper do araargr-
soflror do nesso amf/o, conheremo tambear par,
comc'disee Laiz Besnoyer, iralbeTa alan M
luzao que aa vida se perde. a nJtm fdiriadaav
que a. alma se canee, eaultiraa paiaio qme sai d-
peito. E qoanto praoto ai faa verter a- dar.
quando a mi inexhorawf da-atarle ceata ai
or aqueta, que do homem o ooracao, ao sa r
de Leroux, qae -wm altarrqm ama rrtipm *
Licda como era ea, che-a de eataatos, eomoa
flor celeste, vimos- qaal a roza, aa tarde* de FJn-
llierba iramorohercer, e logo pender I 'itaadi
ao vendaval dosepniebro. Ah-I fei ama r reta,
que decent dos eos soaia-s* a ora barata
sem fundo, ii eomo ora anp, qu<- baleo axa >>-
xando o mundo para voar a eatraidade : EMa
era um auto. Na aurora da existencia p.va das-
canear, como viandante, aa-primtieai fadi-ae da
maonaa da vida, seetou-se a somera da ma
nilha e ah debaixo dessa st-mara atr u-^wada
senta o somao de descanso e Jescaaeata, bh
era osemoo para eternidade, e ahirren. Cruel
falalidade lt
Espesa.lio-extremosa e dedicada do w*m ami-
go, a sombrad'ile era flor, qne eaaaJIava aerimi-.
Mi aarinhosa, era quem nr. parea do .-mitt re-
sida a verdade do amor materaai, alfigava sea
terna lilhioios embalanito-o* ao-soonso da mar*
grata, esperac.ia^ oo e-relhiHi-*e a vento trio da
mortoausencia eterna perqu- anlo cteram as
liihosem oyphaodade !
Sonhora extremamenla- viratsaa, Mimada da
todo.. bemJaseja como ena, deawt gravada hnie ao
fundo do coraco dos que a ceaaeciam o niartyri
da saudade,, aborto alnz!rediohomsoy tulnj
no. Ao oosso amigo, que acaba de pe~der o lyp
de tantas virtudes, de qpem as olhos sao eneia-
ciados pelo veo de sentidas lagrimas, e as atoa*
bandas peio inartyrio de sofrimente, damos e
ncesos psames e pedimos atsignaeio para a ser
te uue tonba consola 5o -p porque se o oerpo vot-
v ao nada para ser entrega aos ver 'es V> aa-
palchro, a alma voa a etendade para >er a si-
ria de lasos.
Recito 20 de ou labro de 1870.
__________________Viuntto rmva.
%esasie>s do-%svylo de Jfleaiirl-
Saata Casa de Misericordia do ftaeife, H <1 se-
lembro de 1870. N. 3867 A. rnte Exm. Sr.
Mostr o offlcio da coma melosa a I, asm
dirigido pelo Dr. Jos Joaquina de Oliveira Feaote-
ca, que oa casa onde est o Asylo, navia teto ca
mas de ferro desconcertadas, aamtrln fu* veadtda
pelo coramendador- Aalomo Goma Nato, e aa*
eesas eamas tora comprada com a casa
a que se alinde.
Da declaracao inclusa da copia n. *, *e ve aue
o lestamenteiso de finado Slarr diz qne ao dia I
de marco prximo Indo, entnegou aa ex-diraca.1
Mello Reg seta caaaas, quo-me haviasa sido dada-
para concertar.
O concert que se fez ne*sas camas foi por-se-
Ines o lastre, segando coasta da offlcio ateta'
por copia n. i da repatticae da obra paah
cas.
Consta igualmente do, mesmo afleio qae ao da
32 do indicado mez de marco to paga a Praaci*-
co Ribeiro Pari Jniora quaaua da 80aW>, P
venien e de seto camas de ferro, qae aaadaa pata
o Asylo, sea do duas a 151000 cada urna, eiaco
a 10* cada orna
De duas orna, oa as camas, qne Patio Jomar
vendeu para o Asyle, nio wiitam aeale, oa a*
que ella vendeu sin as proprias qoe foram repara-
das, na fundicio da Slarr.
Nio sei se Francisco Ribeiro Patio Jaatnr atm
algum estabeleeimento da ferragaa; eavi dmrr
que empregado puhaco, e pede acoatecer eme
lhe tenham dado para vender cono astas
camas concertadas, oa se teaaam servido da :
nome para este lim.
O que diz a reparlicao das obras publicas i _
to a venda das camas pora varaade,esa T.
Exc se dignasse oavir ao raendoanda Pasla sa-
br este assurapto, protavel qaa ftoma ao ea-
nheciraento do que mais conviria saaer a mat ra-
pdlo. _
Deus guarde V. Bxc. Illos. e Exta. Sr de-
sembargador Francisco de Asas Pereira Roeaa
vice-presidente da provincia.
) provedor,
Anselmo Francisco Pmtti.
Costa
Asylo de Mendicidade 15 de i
Htm, e Exm. Sr.Em oflleto desta
data a*r-
I
iavadsaaSBSl
WT



lili
(Diaria de Pramtaco Sexta feira 21 d Outubro de
1870


gunta V. Ee. se quaodo se tomou coala da casa
comprada ao comraendador1 Antonio Gomw Netio,
para installar->e o Asyle- 4o Meudiciuade, foran
encontradas aUi algtuaas cama, e em que nu-
mero.
Eui resposta tculio a dizer' V. Exc, V" mis-
lindo no sallo dos Asvlados cinco cama de rorro
m roo eAao, Jiiforuanin-mo o ex-goarda Fer-
reira dos Sanios, e u mordo no Clemente Jnior,
qutella liiiham >Jj vendidas coai o edificio, O
raeamo raordoau informa me, que *lmdeas ca-
mal existiain maisdaas compradas.coiaac.is-
Deus guarde V. Exc Ului. e Exm. Sr. ae<-
embargador Anselmo Francisco Perctu, provedor
da Santa Casa de Merie. rdi.O directo Mermo
Jos JoafHim de Oliveira Fonceca.
Conforme,
Pidro Rodrigues da Soasa.
N. 2.
Copia
Declaro que foraro entregues pelo Sr. Joaquim
de Helio Relio, director do A>ylo de Mendi
cidade, em marco deste anoo, sete camas de ferro
para M-rem concertadas as quaes entreguen*
ear M de arco o recebemos a importancia do
concert em 5 de jolho, por urdem ou pela repar-
tido das obras obras publicas.
Recife 30 de agesto da 1870.
Por 6. G. Starr, testamentare do Sr. C. Starr,
Miguel Fontoura.
Conforme.
Pedro Rodrigues de Sonza.
N. 3.
Copia
Rspank. 30*01$ obras publica*.S. 5j.-Pr
nambueo 9 de setembro de 1870.Illin. e Exm.
Sr.Cu i ii .rindo o despacho de V. Exc exarado
no offlcio que devolvo do Exm. Sr. prowedor da
Santa Casa, tenho a infor nar o seguinle :
Dos documentos existentes no archivo da the-
siturara desta repartiro, con'ta ter o tbesoureiro
pag em 3 de jalh > prximo passado a Joaqnini
de Oliveira Mello, como procurador de C. Slarr a
quantia do 42J, or ter-se preparado nesse estabe
lecimento o lastro de 7 camas de ferro, par o Asy-
lo de M ndicidado r.izao de 63 cada um. cojo
diicum-uto est coiupeteuteinenie certificado cim a
data de ai de mamo ultimo, pelo mordomo do dito
AhId,
Do raesmo archivo consta um documento d
*00l importancia de vinte camas de ferro, qu
vemleram Silva & Alves, i razo de 203 cada urna
para dito Asylo, a que fot paga em 24 de marco,
estando tambera certificado pelo mordomo do Asy-
io, cora o respectivo recibo datado de 19 de mar-
co prximo pasando.
Na merma conformidade existe um documento
do 200J, importancia de oito camas de ferro com-
pradas e pagas a Man el Francisco de Azevedo &
lrmo para o mosmo A>ylo.
Finalmente existe um documento de 805 pagos
Fraucisco Rbeiro Pavo Jnior, em 20 de mar-
co, provenienio de sete camas de ferro, que ven-
dea para o Avio, sen .lo duas a 153 cada urna, e
cia i I O cada urna.
Todos esses documento^ alm do certificado do
raordom i, trazem o visto e rubrica do ex-uirector
do dito A?vio. E' o que consta por esta repar
tico.
Deu3 guarde a V. ExcIllm. e Exm. Sr. de
embargador Francisco de Assis Pereira Rocha,
vice-presideiite da provincia.
i enget.heiro chefe.
Jos Tiburcw Pereira de ilagalltaes
Conforme,
Francisco Luanda Costa.
Conforme
Pedro Rodrigues de Soza.
da supradita igreja; o asiro, o ahavxo aaigDado,'
da|coo'iin S. tc. Rvtta o Sr. D. ni I
snflptica aos llevlo* de Soasa Seuhora do S-iute
quo se p c.-letn anudar cora sivts esmolas
rlosao dos ref riiwi noneertes e reparar,
dita igreja de Nossa Senhor do Montea poeodi
para essa flm se dirigir ao
juiz perpetuo
,. ilimoel Luiz Vimcs.
Recife, 20 e ouluhja jo 1870. ^
Moftna.
Ped--e aoSr. Gaspr Cavalcar.te de Albuquer'
qito Q*hs para responder eea-t laoeoent!- per-
t-uiua:
Quanti despenJau pir.i c-mprar a hcraaaaj
uoivfrsaes'da casa Ara.ntgy ?
Os bi-ns dados aos h'rdoros para paj
pertMciamm naoisaicsuias heranen*? Se r**
loneiam um contracto re venda wrfeiti) aqf?lfe
em q;ie o vendedor figura de a/mfrador e u mu
prador de vendedor*
As letrav passadas por occasiao d'w** i^go?i*
j for.Mii pagas, ou ja eslo e!4as por li-'.^ do t*M
Homero de calotes pregados aquello i|e afi-
ln as?
eogenho Mnrissca, dada em pagamento a
um dos berd'-hos, eui que terreno esta asseii-
Udo?
Quanl dea pelas trras em qm: lev.,iitou s-c
engeoho?
Quanto gastn para eompuar parta da prnnrio
dada Porto de Galinhas? Ja pagou as letras l'i-s->
negocio ?
Pelo pre<;i por quanto o Sr. Gaspar compron.
polo ser senhor de todo imperio : mas a paga*
O Sr. Gaspar Orummund e>ta no foro, > Sr.
desfmbarg.idor Alvaro na Relacao: o Sr. Gaspar
pJe i'oniiniiar convivir.
Ah 1 Sr. Gaspar, Deus eonsenU', inas uiio para
sempre.
TkfKie.
i qu todos os pretendentcs ao ito
iga > apresenhr-se iesde j na
U Faculdade, para assigoiijem
implanlo: oqneUiea
ubum jpd-^iiLiidi fazer por procurador,-
-,! asvei-ijw \ u<\& de vinie leguas dtsia
cidide., ni) livercm justo imp^rliment.
0y.:ndi) tuUco sim aprftseatar doaimea-
tot <| io Mioslrc sua qualidado da c;dal
ni. -.lleno, do, .'im exilio no abU) de mus
iireitos civi e poticos, to certidl0|de
lupiismr, folha eorrU do tatar de seus
do;nic.',os. tnaii o diploma de Dr. por
nma ilas FaculdadM 5e liireilo do imparto,
i)\\ ptiblicM turma, justificando a imposaibi-
di .;ptjsjiit2C-H' to original, e na
uYestna opcasio prifierio entregar qnaesquer
|4oi:iimt;iHos ijue jirigarem coaveruente^ oa,
: toio de habJU.-ic5t>, ou como prous
de Nervinos prestados a o estado, huia-
n>'; me. mi ^ciencia. Jos quaes se Ibes pas-
sar recibo : tiidu de conformidade catn
s arts 3' o :17 do decreto n. i,28b' de28
te abril de !85V e Hi e seguint. s den.
l,.)('r: ilu ii de evereiio de 1855.
l para qu cb/gue ao coniecimento de
fiados MHdifii o raesmo Ex-m. Sr. director
ijteiifio alliKar o presente, que ser ptjbli-
i-ddu uas folbas desta cidade e as da curtfi.
Si-oratoria da Faculdade ne ireilo, do
Recife 18.1o outnbrode 1870.
O "ficral, servimlo no impedimento do
secri'Vwiii.
MiukkI A. das Passas e Silra Jimio*.
N. 4"1.-UM REMEDIO VEGETAL ASSO>(1ltO-
SO. Aflual rhegou-so a descubrir na Menta com-
c-ntrada d'um prodm-to vogetal, um ^fflcrfrrfmo
reHiedin positrvo, contra todas s eofermilndo*
precursoras da nhthysira. A arvnro da sxiWe,]
poi" que assiin verdarieiramente ;ie se deve
na chamar, da qua! so extrae esta nestiiMTfl
thesouro, a anacahoita do M-xico, e o peitnrnl
de tmacahnita sicao que alcanea stUfire a victoria Robre as en-
fermi bi'o's ininiigas dogorgao* da rppiraci>.
Jamiis honve remedio algnm que f BWs'"
dentro em tao pouco lempo lo nniversalnwWe p. -
pelar. Os gratos leslemunhos ;Li? ro acoes tgra
decidos, que padeceram do loases, e.q'.'jnenci.s,
rouquldio, inflamafiio do paito, bronchites, aslh
ma, catarros, constipac's, pliihysii:aj. itc, se re-
ceban! cada dia aos centenares do l.d*s is quatn-
partes di mnndo.
Sama Casa de Misericordia do Recife, 21 de se
tembro de 1870.N. 3058 Illm. e Exm. Sr.
Em additamentoao officio n. 3036, cabe-me dizer
a V. Exc. que se entender o 6X-director do Asylo
Mello Reg que nao apfhcavel a denominago
de alcance quanli"' de 837J639 que elle entre-
gou ao thosoorejro da Santa Casa, nao tercia me-
nor luvid.. em denominalo saldo, que ndevida-
mente Bioo em oder do ne.-mo ex-director de--
de o da 22 de julho prximo passado, em que
passoB o Asylo ao sen saccessor, al os dias 12 e
16 do correte, em que o recolheu ao cofre da
Santa Casa, saldo este que unido outro de....
:i66l60, de u,ue tratei uo meu oCQcio o. 3010 do
." do corrate, somraa i:i.'533"99.
Deus guard Y. Exc. Ulm. e Exm. Sr. de-
sembarnador Francisco de AsJj Pereira Rocha,
vire pro-ideute da provincia.
0 provedor,
Anselmo Francisco Piretli.
C jo forme,
Pedro Rwlrigues de Souza.
Cupia.
4a seccao.Palacio do coverno de Pernambuc-
em 26 de setembro de 1870.Accusando recei-
dos os oflicios de V. Exc de 20 do enrrente sol
ns. 3013 n 3043 A, B o C, 3044 a 3047, e de 21
sob n. 3049 3034 A, a 3037 A, e de 22
tambem do crreme o. 3058, teoho a dizer, que
fsta presidencia Oca iuteirada do haver o ex di-
rector do Asylo de Mendidade Joaquim Pedro
Brrelo de Mello Reg, entrado no dia 16 desle
mez com o alcance de <:M53f799 (alcance e nao
saldo, porque se este existisse teria sido entregue
ao seu successor no dia 22 de julho ultimo) e res
Muido muitos objectos do Asylo, os quaes con-
duzira par fura quando eotregun-o ao mesmo
successor, licando anda muitos objectos que de-
viam existir no estabelecimemo e bem assim de
haver as despezas com a aimentacao dos asylados
sem que houvesse differen^a do que elles consu-
miam antecedentemente, lwixado a menos da me-
lado da que se (ez na aiministraco anterior.
PJeV. Exc. se julgar conveniente dar publi-
cada le aos citados oflicios.
Deu guardo a V. ExcIllm. e Exm. Sr. de*-
embarcador provedor da Santa Casa de Miseri-
cordia.
Francisco de Assis Pereira Rocha.
Conforme,
Pedro Rodrigues de Souza. ^
Elipao senatorial.
De hije um mez procede-se a eleicao em lis-
ta sxtupla da qnal sero escolhidos dons substi-
tutos para as caderas que deixaram vagas no se-
nado os Exms. marquez de Olinda e conde da
Doavtsta.
Entre os candidatos que se apreselam, algans
ha demerito real por .aslaxes, eenrieos ao
M o : nao mea intento a precia-lo* separadameo
te, mas quero chamar a attencao dos meus colle-
gas do eleiterato para um nome duplamente syra
palhieo for seas servioos e suas qu&lidades -fallo
do Exm. Dr. Francisco do Reg Barros Brrelo.
Senions poltico* tem-nos muitos. Vimo-lona
asM-inbipa provincial na vanguarda dos que mais
trabainavam pela prosperidade desta provincia, de-
pois afrente daquella i;n(iortanle commissao dos
nove que apreciaram os erros e desmando* do nri
meire presidente pr -gresaista, onde 4>rilbaram
sena talentos, e sua pslavr* esclarecida ee fea oa-
vir em prol das vicliuia- io progreuo.
Na* eleicoes todo o vlrum as potlaa das inatri-
zes com aquella urbanidsiie e attrativos que lhe
-io proprios, rodeado da opposiijao que aaim-iva e
aconselliava; e em S. io^e apedrejado oom o povo
pela poliria deafarcada, ao mando do goveroe
Sem offeasa. pjisw due-Jn, auohum dos grandes
.diticos d'esia um e faaittarisou tanto oom o
pjvo, e menos orgulho e mais sympathia mostra
ter oa quadr* eidltoral, en opposicao I
Homeni de erinia, sua iboisa vimo-la serapre
aborta paca aapeiJes eompaoneiros 'de iraba-
Ihoa leitoraoa : e p dipam as freguexia de 8. Jo-
s e Beavista.
Palavra fcil, e estyllo rho, o Dr. Baures .Bar-
reto aunfie dweulir o ar|:aiBnUr com cireza e
latir parlamentares.
O wrp-^ eleitoral da pnvincia, ae ido coflhe-
ess S. Exc Ihe offereceria exponlaaeamente seu
villa.
Tal o candidato une roeoninendo aos eleitores
. -p- (;ia.< da provincia a quera elle solicilou a
fetinn da iocla-ao de seu nomo na Jista sexiupla
qne se van votar 20 de novembro.
Racife. 90 de ouHabro de 1870.
tmeievr.
N. 79.-PERMITT1I!-SE-HA EXPSNDKR U.V1A
PAL.WBA SOBRE AS E.NFEBMIDADES DOS
PULMOES E DA GARGANTA.Q-tando mpot-
mdes se ehegam a enfermar, pode-s'- dizif que p
doente suacha as bordas nma oferwMhd*"ln-
ruravel, e o primeiro pasro dado em tao wrteoa
>ituacai a tosse. Torna se pojs di insior iw-
portancia o atalhar se a mima immeatamenti'.
Se por acaso perguntardes de qne maneira laso
se pode conseguir, promplamente r*pa C4tm o peiloral de unacahniia de Kemp, cujo ex-
ltenle xarope preparai.1 e compiisto OBtno
ma'avlioso e balsmico sueco d'uma atvore de
Mxico, conhecida desde muitos seclos petos
aborignes, como remedio excelso pin as enfer-
1 inidades pulmonares. Esta inapnilica p.-.'pancao
cura a tosse dentro hhmucos da*. *mi e*r> aaa
puncas horas; aliiviar a asilima, euivu a irri-
tada n.erin'iraaa da iraenea e imprdir 'fhilim-nte
o de; envolvido da phthysiea. An oontrarie-de to-
dos e-ses peiloraes e xaropes teilui i'.', fruc.ias e
uutras substancias acres o d'uma atateza llovi-
dos, o I nao encerram em si nenhiiRi acido
prus^icii, o como igualmente nao contm neivioma
mistura de antimonio ingrediente este, ipue abun-
dantemente se enconiri as pnparacoes daqui-lle
por conseguate o sen gosto nao prodna nausea*
e suave e agradavei do tomar-se.
as testemQOhas seguin-
P.iA'vA 00 RECIFE 20 DR ODTUBRO
DE 5870.
as '; 1/5 iror.AS da ranoH
lambi sobre Londres 90d|v 21 3|i por t00l>
(hontein a hoje),
ioacalio Jos AffiM.
Presidente
Pelo fi'cretirio,
A. P. do Lemos.
n
1
Jf Rio de /aneiro LimitfO
tyesconta lettras da praca laxa a Ci/fi-
"nconar.
Recebe dinheiro em cootff crrente bu
l raso fio.
Saca vala oa a jiraso sobre as cidadei
jrlncipaes da Europa, tem oorrespondeatei
ia lahia, uenos-yres, Montevideo. Nu.w
; New-Orle^ns, e cmiUe cartas de cretio
a isr os mesmos lugares.
HUA DO CO.MMERCIO N. :tb-
AI.PANDEGA
oc"-r.ortortf 'ii 1 a 19.
i.,.: >lo d.s 20.
443 399>8*rt
25.714*164
469:II3;969
MOV1MEMTO DA ALFANDEGA
'otumes entrados con fazendas 243
Iem dem coro enero 214
'oame* sabidos com alendas 97
(dem dem cora areneros' 307
457
604
Oesoarregam taje i i do cometik.
Barca inglezaPattotcarao.
Vapor iDglezGladiator -diversos gneros.
\iiEBEUOlUA DE BANDAS INTKt.iNAS u.--
RAESDEPEBNAMBCO.
\endimento de di 1 ?. 1. 83:16U487
deododia 20. 3;098J92fl
i> ;ns .eci.r iitenn r da iifaiite;a faz yublico que
sali'iaii'i 22 do crrenle, deaots do roeio dia e a
porta de nn-sma repurticae, serao levados
h ts! publica, livres da direito, os velumes abai-
xo declarados :
Armazemn. 4
H I, triangulo, v,-. 528/530. Tres caixas com
G(> riuaes de camisas de madapolao/com peKo de
linho: v.-,!,r de cala luzia 24iW0. total....
l:4MpNft
H L A E n?. 1060/61. Duas cahas de tecido
'le Imh i iIsj at 8 lien, pesan lo 751 kilogramraos,
vjlorlek:-9ramin 1l3:i3, total 1:005*092.
N. IOS!. UMa dita .le ito, at'8 fios pasando
2-jfi !iio;ni!)ia-', vilor d.> kilojrimma l383,te-
lal 3.I-.5218. e*64 kilotrammus i/e 12 flos, valor
du kilogramml z, total 160J. '
N. 1063. Urna caixa com brim de liaho entran-
pida, pesando 9i kilogrammas, /alor do kilogram-
wa 25666, total 250 ; e 245 hllogrammas de te-
cido de (mho liso at 8 (ios, valr do kilogramma
U333, .tai 3202385.
H L qaadrcd >. N. 58. Umo caixa com 55 pe-
ras de tecido de linho liso 12 flos, pesando
'jo kilograaimas vahr do kiogramma 25, tolal
UOj.
V L & C. N. 31. Urna caixa cora 24 pecas de
brim de algndao emrhncadc pesando 121 kilo-
gra as, va: ir do kilogrammi, 25, total 2425.
H N. .\. 61. U:n "iiibrulh com meio kilogram-
ma contend) pastilhas aromticas, valor do kllo-
praniina 23. I.
A E. .Ni. 1 '27/135. Urna wixinha com um kilo
camma He npVs de tftirts moldados, valor do
kiogramrna 66fi, 685.
Bif.'iik Torm.l. Um cliveo de tecido de algo-
da i pila h HtieHt, valor 1^.
Dous pares ilc meias da algodo curtas para
li ,r;i.>M\ dmais 22 centesimos, valor de par 166
t. 333 rs.
O lu bou -ts de nscade de algodo, valor de um
300. toial UOOO rs.
3 leoeos- de chita, vnhr de um 100 rs. total
330 rs.
J L T?dor. Um voluire com nma calca de ca-
xemira, valor 5*.
S/m. FJp dito com loiifla n. 2, pesando dous ki-
logra'iimas, valor do kiiograrama 333, total 666
ris.
J triangulo. N. 1/30. Urna caixa com louca n. 1,
pesahdH 4 Kilogramma, valor por kilegraraia 166,
letal b(ii rs.
Armazem n. II.
Triangulo fetrefro. Urna caixa com diversos ob-
jectos para mgica, va1 ir de ludo 50.
2000 trramroes de penan* emendadas para en-
f-ii-s. val r ce nma gratnma 66 re. toral 132*.
,F ts T. lima caixa. e un dous kilo^grammos de
fnllias de Raqdrea em obra -imples nao clas>ifija-
das, valor 1' kilogrsmmo 166 rs. 2J332.
3oi vassoofas orjinartts, valor de urna 20 rs.,
tol.vl 70W).
Armazem n. 3.
Diversas amostras sem valor offlcial.
Alfaudega de. Pernartihuco, 19 de outubto de
isro.
O inspector interino,
Lmz de Carrnlho Paes de Andrade.
de Axaujo, Vicente Perrelra da Cnaha,* Paulino
Vicente Ferreira, Jos Anjonio da Slva, Thereaa
Mana 4e Je:,us.
E em 5 dias de prisao
tea:
Joao Evangelista Xavier Ramos, Candido Martins
de Barros, Domingos Gomes Correa, Samuel Hal-
leday, Jos Lourenco Duarte, loaquim Mendes
Torres, Joaqaim Carneiro Leal, Manoel Leitao Fil-
gueira, Aaloaio Luiz Caldas, Emilia Mara da Con-
clelo, Maaoel Francisco Teixelra, Francisco de
Frias Teixeira, Constantino Vctor de Farias, Jos
loaquim dos Santos, Joaquim Amencio de Albu-
qaerque, Joaquim de Sant'Anna Lima, Silvcria
Miria da Coneeigo, Salomo Gualbert > da Cmara
Guerra, e Theodoro Tiburcio de Siqueira Va-
rejao
E para que chegue a noticia a lodos oa inters-
sados mandei passar o presente edilal, que ser
publicado pela impreosa.
Dado e passado nesta cidade do Recife, aos 19
de ouiubro de 1870.
En Manoel Antonio Correa, escrivao interino do
jury o e>crev.
________Francisco de Assis Qliveira MacieL
O capito Maao.tl Amonio Hibeiro. jmz de paz
do l-aeno desta freguezia de S.Jos do Re-
cife, m virlude da iei etc.
Paco saber aos eleitores espeiaes desta fregue-
zia, que a eleicao que se vai proceder no dia 20
de novembre prximo vindeuro, para preenehi
ment da vaga deixada no senado pelo fallecimen-
to do Exm. Sr. Marquez de Olinda, ser rgnalraen
te para preeucbin. ento da vaga occasioaada pelo
falleeimento do Exm. Cont da Roa-vista, confor-
me a ordem da presidencia da provincia, que me
fei commuoicada por offlcio da cmara munici-
pal desta cidade, datado de 14 do crrente, pelo
qne devera os eleitores desta freguezia que assim
convoco, eomparecerem no referido da 20 de uo-
vembre na igreja matriz de Santo Antonio para se
proceder a referida eleicao, volando cada um em
ama lista que contenha seis nomus.
E para que assim conste a lodos mandei passar
o presente para ser afflxado no lugar do coatume
j-e publicado pela imprensa.
Dado e passado nesta fregnezia de S. Jos do
Recife aos 10 de oatubro de 1870.
Eu Jos Goncalves de S, escrivao de paz o es-
ere vi.
Manoel Antonio Ribeiro,
Jniz de paz do fauno.
5:260*4I3
CONSULADO WWVINOAL
.lendimento do dia i
dem do dia 36. .
a 19.
19:138*963
4:570*904
24:009*867
M0V1MENT0 DO PORTO.
Navio entrado no da 30.
Loandai84ias, barca grega Kleonitj/, de 318
iti^eladas. capitn K. N. Paactulis, luipagem
12, em lastro; a ordem.
Leith 52 dias, ^brca ingleza Cuba, de S20 to-
neladas, capitio James Patter, oquipagem 10
carga carvao ; a Eduardo Feotn.
Smtos sakidos no vusmo dia.
Rio de Janeiro patacho inglaz BmtitL auiun
G. JeUard, em iasUo.
Terra-NovaBrigae ioglez Dora, capiao Goorge
Debns, em lastro.
Rio-Formoeo < porto intermedioVapor bra-
sil-iro ara|rp, comuandante Ovoirai m
lastro.
Igreja de Vmi wenhora m
Muie em O laida
Continuando o concert da igreja de Noasa Se
nli.ira Uo ILuie em Olmdi. segundo o pronieltidn
iviji. Sr. D. abbida do mosteiro de S.
Bajito de assiin o fazer, logo que terminjisee o ia-
verno, e para cajo concert S. Ex-:. Rtma. tem
t'inpregado todas os uieios e etr^us a seu alcan-
ce, acntete que o referido concert nao pJe ser
- ordem beoedietma tea Jn ser tambem applicado-
arepaeacoes e concert 4os predio da ordeaj ja
porque tea) bavido mor& oa exiraccio das ou-
tra partea da lotera, coacedida pan o concert
ttTS.
Faculdade de Direito
Da ordem do Exm. Sr. director interioa
o coselheiro Dr. Peijre Aou-an da Mattm
Alburjuerqne. ftpo publico que fie marcado
o praso de 6 roezes coatados da dta deste,
para a inscripeo loi que preteadarem WB-
correr ao lugar de lauta gobOitaitu dd i'o-
culdade de iireito du Recifs, vago peto ar,-
esso do wbstitoto Xir- ioo Jos Hnio Ju- d
U>r, caileira de que era proprieturio o,
Exm. Sr. ooateMKiro Dr. Jas Jiguto di
Caoba e FtgoerMo, m *Wade da jubila
(io a este coocada.
O Dr. Francisco d'Assis Uuveira Maciel, oavileiro
da ordem de Chri.-to e juiz de direito da t" vara
criminal desta comarca do Recife por S. M. o
Imperador etc.
Faz saber, em v,rinde do art. 266 do cdigo do
nrnrrtan criminal, aos qao o prsenle edital viren,
que havendo sido onvocada a 4a sesso ordinaria
o.i jury desu capitiil para o da 29 de setembro
prximo finil foi esta insultada no da i- e en
cerrada no da 18 o corrate, que foram julgados
na om'-iii.i sesso 14 prniunnn eonlendo 16 reos
pavana, oos vaos 13; que foram assiduos em assistir os traba-
lho.> da referida sessan os senhores jurados se-
grate* :
Dr. Jos Antonio de Almeida Cunha, Jos Anto-
nio Pililo. Dr. Jo*) Joaquim Funseca de Albuquer-
que, Francisco Aniimio de lrito, Jos Joaquim Xa-
vier Sonreir, Dr. Leonardo Francisco de Almeida,
Jos A1T aso do llego Rarros, Jos dos Santos La-
fes, Antonio Machado Pereira Vianna, Dr. Manoel
homnz de Barros Campellii, Malurmo de Mello,
Luiz Goncalves da Silva, capillo Antonio Jos de
Souza Coossaro, Cari s Augusto Los de Souaa,
Manoel do Amparo Caj, Francisco da Silva Miran-
da, Luiz Pereira de Mello, Jos Francisco do ftego
Barros, Januario Constancio Moalero de Andrade,
Jos Marcelino Alves da Fon-eca, bario de Cam-
po-Verde, Vicenta Machado Freir Pereir da Si -
va, Jos Joaquim Simes do Amaral, Theodoro
Hachado Freir Pereira da Silva, Triatao Francisco
Torres, Thomaz Antonio Ma.n.J Monteiro, Augus-
to Coilio Lene, Ulisses Pernambucano de Mello,
Shunte flodrii^aes da Cunha, Thomaz Garren,
tneote ila armada Fraociaco Xavier Rodrigues
Pinheiro, Vicente Caldoso Ayres, Dr. Manoel Go-
mes Viegas Janior, Dr. CastoOo Manoel da Silva
Guunaraes Jnior, Dr. Candido Valeriano da Silva
Freir, Dr. Augusto Carias Vaz4e Oliveira.
Que foram menos assiduos o senhores jurados
eguinle:
Bernardino de Sena Poataal, Dr. Joaquim Jos
Ferreira da Rocha, Dr. Bernardo Pereira do Car-
ino, Dr. Antonio Manoel de Siqueira Cavalcaute,
Candido Jo.- da Silva Guimares, Bellarmino do
Reg Barros, Juvino CodHao da Silva, Joe Eiivbao
Borges chda, rajor Antonio Dorneilas Cmara,
Urbano Mamede de Almeida, f eriuiano de Moraes
Carvalbo, Dr. Jos Eustaquio Ferreira Jaco-
bina.
Outro sim, forara multados as quantias abaixo
mencionadas, em razio de nao terem ooraparacido
no respectivo tribunal oem mandado eacosa legi-
tima os jurados seguales:
Jos -Franuisco Htbairo de Souza em 3Mi An-
tonio Guncalves Torr s em310*, Thomaz de' Car-
alho Paes de Andrade em O, Joaamm MMdes
Carnain Lneto em EiO*. ^
Deixaram os demais jurado de serem multados
na uwnwonada ssao uns por-nao tetara sido no-
lineados eiooiros por apresentareea escusas tegiti-
E -analmente, ene forara condemnados. em vir
lude. do art 33 da Iei A 3 de delmbro *7iZ.
em 15 das de priKao, por terem denado 4e eom-
parecer as testemunbas segnintes :
Jos de Souza Monieiiv., ofioda Maria dos Pra-
xctcs.>aqujtii Ferreira de Mwa, AutonioJ-^
Ferreira Augusto Riber, de Aqnino, Antonio Jo^
Wira, Ltara Mana_ de Jesw. Felicia Maria da
Loncesao, Joao P^hcarpo da Crnt, Maaoel h*t
frinc-ilves da Lu, Antonio J0i Tavare^. Rosa
M.na do Espirif-S-nto, Vctor JnsS de ]
sus. Joo Felippe de ^anuag, J.^quim Ja^.le
Jiiveira, Maooel Joaquina do Kancimento, h,-
UrPns Lirrda^de Araujp, J.mee But.n, Aman-
c:o Borges d Meadonca,^i,uIBM Esteva M ,reir.
da Losti, Beajauuiu DrwBmud Pereira Guerra
Uit.PeUe^a aeMeneaeeFr^^SuK
do Ei,W4io^auto, Igaacia^scravo, Saiyro Js
3 I %.
Em 10 da ,de prisao
tes:
witomunbaaaegain-
Tertuliano Soare da Silva, Gtfharna Mara do
Perante a cmara municipal desta cidade
estar em praca nos dias 21, 22, 24, 25 e 26 do
corrente para ser arrematado por quem maior
preco offerecer, o imposto de aferiefles de pesos e
medidas pela quantia de 18:210*.
A arrematacao ser feita por um anno : aquel
les que pretenderen! concorrer a ella, devem ha-
bilitarse na forma da Iei e apresentarera dons dias
anles as suas habilitacoes para serem julgadas.
As condicoes do contrato serito declaradas antes
de entrar a praca.
Secretaria 9a cmara municipal do Recife 19 de
outubro de 1870.
Ignacio Joaquim de Souza Lelo,
Pro-presidsnte.
Loaren?) Bezerra Carneiro da Cunha
__________________Secretario
O capitao Jos Pedro das Neves, juiz de paz mais
votado da freguezia de S. Fr. Pedro Goncalves
da cidade di Recife, etc.
Fago saber aos Srs. eleitores ospeciaes abaixu
declarados que, tendo o Exm. Sr. vico-presidente
marcado o dia 20 de novembro para a eleicao de
dous senadores pelo falleeimento dos xms. mar-
quez de Olina e conde da Boa-Vista, deverao os
mesmos Srs. eleitores comparecer, s 9 horas da
raanhaa do referido dia, na matriz de Santo Anto-
nio, atim de darem seas yutos em seis cidadaos
que tenham as qualidades d9 ser senadores, como
marca a Iei.
Eleitores.
Capitao Jos Pedro das Neves.
Br. Antonio Gomes Tavares.
Joao da Cunha Maalhes Jnior.
Jos da Silva Loyo Jnior.
Manoel Jos Baptista.
UsteVao Jorge Baptista.
Manoel Francisco Marques.
Joao Marques Correa.
Herculano Jos Rodrigues Pinheiro.
Dr. Antonio Estevo de Oliveira.
Manoel Estanislao da Costa.
Joao Francisro Pardelhar.
Joao Joaqaim Alves.
Antonio Rufino de Andrade Lnna.
Jos Marques da Cota Soares.
Gustavo Lesiaseno Furtado de Meodonca.
Jos Joaquim Alves de Miranda.
Joao Lins Marques Jnior.
Joao Francisco Marques.
Bernardo Fen eir Loureiro.
Autonio Faustino Cavalcanle de Araujo.
Manoel Marques de Abreu Porto.
Padre Miguel Vieira de Barros Marreca.
E para constar mandei passar o presente, e affi
xa-lo no lagar mais publico desta freguezia, e pu-
blicar pela aprensa.
Freguezia de S. Fr. Pedro Goncalves do Recife,
19 de outubro de 1870.
En Innocencio da Cunha Govanna, escrivao, o
esorevi.
Jo Pedro das Nevos.
O Dr. SebastiSo do Reg Barros de Lacer
da juiz de direito espe ial do commer-
cio desta cidade do Recife de Peroam-
btico, so termo por S M. imperial e
constitucional o Sr. D. Pedro D aquem
Deus guarde etc.
Faco saber pelo presente que no dia 27
do mez de oatubro do corrente anno, se
ba de arrematar por venda quem mais
der em praca publica deste juizo, depois da
audiencia respectiva, os movis e gneros
seguintes:
Urna armaejo de madeira com seus per-
tences, 1005. 23 ourins de louca bran-
ca e pintada, a 4x0 rs. 5 bulis a 400 rs.
13 duzias de chicaras e pires, a ltiO. 10
bacas branca e pintadas a 400 rs. 78 duzias
de tigelas piuladas a 800 rs. 48 pessas de
louca da trra a 40 rs. cada ama.
6 duzias de coucos de pi a 240 rs.
4 ditas de vassooras de palha a 240
rs. 9 urpemas a 100 rs. 4 duzias aban s
a 160 rs. Urna pipa por 120000. Urna quar-
tola 30OOO. Urna dita oom 2 caadas de
a -100 rs. 3 aacoretis vacias a 140OO. 30
garrafas vazis inclusivel frascos e botijas
a 10 rs. "
Os quaes gneros foram penhorados por
fexecucao de Job Pereira Bastos, contra Cle-
menttao Goncalves de Farias, e na falta de
licitantes ser a arrematacao feita pelo pre-
90 da adjudica-cao, com ibattmento reapac-
tivo da Iei.
E para qne chegue ao conhecimento de
todos mandei passar o presente edital que
ser affixadonos lagares do cosame e pu-
blicado pela imprensa.
Dado e passado tiesta cidade do Recife
de Pernamboco aos H de outubro de
4870.
Eu, Ernesto Machado Freir Pereira da
Silva serivao o escrevi.
tebastitto do Reg Barros de Lacerda.
DECLARACOES.
Na audiencia do dia 22 do corrente vai
praca perante o juizo municipal da 2* vara un
relogio com ama corrente, por execucao que mo
ve Joao Paulo de Souza contra Vicente Ferreira
da Silva.
J uizo dos feitos da fazehda
nacional
Por ordem do Illm. Sr. Dr. jaiz dos feitos da
fazenda nacional foi adiada para quinta-feira 27
do corrente a praija do engenbo Bom Destino, e
casa terrea na villa do Cabo, penhorados para pa-
gamento do que deve o ex-collector Juliao Pereira
Mattoso ; sen lo a aval jacio do engenbo e bemfei-
torias 2O:000a, e da casa 2 000$ ; a praca tem
lugar as 11 horas da manhaa na sala das au-
diencias.
Recife 13 de outubro de 1870.
CONSULADO POIVTUGUEZ.
Pelo presente sito convidados os credores do es-
polio do finado subdito portugnez Joaquim Barbo-
sa Cupertino a apresentarem as suas coutas na
chancellarla do consulado de Portugal na provin-
cia de Pernambuco, dentro do praso de oito dias
da presente data, para serem conferidas e pagas
at onde chegar o producto do espolio : fiado o
praso marcado nao podem ser attendidas.
Coasolado de Portugal em Pernambuco 20 de
outubro de 1870.
O chanceller,
Arlliur Aureliano Ferreira
n9MvmaTi-'*a
:
Braga.
THEATR
SANTO
Companhiafranceza
SOIRE PARA FAMILIA.
Sabbado 22 do corrente
9. RECITA DE ASSIGNATURA.
Grande e variado espectculo.
DIVIDIDO EM QUATRO PARTES
No qual toma parte
Mme. de Valmonca
Ouvertura pela orchestra.
PRIMERIA PARTE.
Mlle. Marieite, ^e far ouvir na linda canQoneta.
LA V1GNERONNE DE SSE3NES.
Mr. Rayaaud. desempenhara o novo romance
Ma era .
Em segnida, o distincto bailarino, Sr. Joaqaim
Ferreira dos Saoius, dansar o lindo passo
8 ltimbanoo
SEGUNDA PARTE.
Representar se-ha pela primeira vez a linda
opereta cmica em um acto, escripta por Mr'
PAUL B01SSELOT, msica do insigne Offemback
Lischen et Fritzchen
Personagens. Actores.
Lischen......... Mme. Valmonca.
Fritzchen....... Mr. Maris.
1BRCEIBA PARTE.
Mr. Carn, eantar a sua aerapre e muito ap-
plaudida caacao cmica
UN HOMME COMME IL FAUT.
Mlle. Mariette, desempenhara a nova e linda
caosoneta
MR, SIEN NICOLS.
Seguindo pelo Sr. Saatos o muito applaudido
passo
Aragoneza
QUARTA PARTE.
^Subir pela primeira vez s ena, grande ope-
ra fantstica em um acto, msica do insigne maes-
tro Adolpho Adam
LES
PANT1NS DE VIOLETTE
Personagens. Actores.
Alcofribas, mgico... Mr. Maris.
Pierrot.seu filh.....
Violette............ Mme. Valmonca.
Polichinelle......... Mr. Carn.
Esta opereta vai preparada como o exige sen
autor, sendo todo o scenaro e raacbtnisrao com-
pletamente novo, assim como todo o vistnario e
mais accesorios sao todos novos e re juissimos.
A empreza aproveita a occasiao de prevenir ao
pnblico qu se achara em ensaios operetas de
grande espectculo as quaes tem certeza que mni-
lo agradarlo aos respeitaveis frequentadores deste
theatro.
O pequeo numero de bihetes que existem
aeham-se venda no escriptorio do theatro.
Principiar as 8 horas.
9. Mostea mRar.
QUARTA PARTE.
10. Finaliaari o eapecueolo eom o i
ressante entre-mea o borneo ToaeL
Entrada 14000.
Principiar s 5 1/1 horas da tarta.
O jardim acha-se conTeuealeaaenH
havendo logares reservados para baaikae. Os
IhetaMebam^a -venda roa a laaperaahz, a.
68, e m da do eapecucuto. aa
de cerveja-.
N. B. Os bilbeiea paaaaioa sao
irada,
(1) O comer e beber coa os ps ao i
o maneta.
AVISOS MABITM.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
na
.Varega^o eostelra. paar
Parabyba. Natal. Macau, Mosarr, Aracatf,
Ce ara, Mandab, Acarar e Granja.
O vapor Pirapmmm, e
mandante Axeve*>,
para os portos aama ao *
31 do corrente as "> noraa da
Urde.
Recebe caifa ale o aa S9,
cncommendas, passageiros e dinheiro a n>a ar
s 2 horas da tarde do dia da sabida, an pieria
rio do Forte do Matta n. 12.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
Vavegaco covtelra por raaxar
Mamanguape.
O vapor nciooal Coruiipr,
commandaote Silva, acfura
para Mamanguape no m M
do correte as 6 horas da
urde.
Recebe carga, eaaaaaaana-
das, passageiros e dinheiro a frete at as S ae-
ras da larde do dia da sabida, ao aaariplar a
companhia, Ferte do Mallos n. 11
COMPANHIA PERNAMBUCAIV.
DE
Navegacdo costara por vapor,
Goyanna.
O vapor Parakifba seguir pa-
ra o porto cima no dia i6 do
correle as 9 horas da iuwet.
Recebe, carga encomia nada a
passageiros e dinheiro a rale a*
escriptorio do Forte do Mallos n. 11 ^^^^
ARAGAJIT
Para o referido porto segne dentro ena quatro
dias a patacho nacional Trea Amgos, e por isao
quem quizer anroveitar em carregar carga a Bre-
te eommodo, pode se dirigir ao condigna! rio Joa-
quim Jos Goncalves Retirlo roa do Commercio
n. 17. __________________________
Liverpool Brasil e ^.iver ra-
te Mail 8t> mes.
Espera-se de Liverpool a 21 do corrale a pa-
quete inglez La Place, de 1,200 loarinin, aa*
seguir, depois de indispensavel demora, para a
Baha, Rio de Janeiro e Santos. Tem boas
moda roes para passageiros de 1* e 3*
Para frete ou passageox, trata-ae coa oa l^.
Saunders broters e O, largo
do 0>rpo 8a no n. 11.
BAHA.
Para o referido porto pretende seguir eaa aua-
cos dias o patacho nacional Calado, por lar a
maior parte de seu carregamento engajado, e para
o resto que Ihe frita trata-so com o -*gT*!irw-
Joaquim Jos Goncalves Reitro i ma 4a Coav-
mercio n. 17.
COMPANHIA PERNAMBUCAN/.
DB
Vavega^o eostelra pr Tapar.
Em direitura a Macei e Penado.
O vapor Mrmdak eoaaana-
dante, Jnlio segoir para os par-
tos cima no dia 22 do crreme
as 4 horas da urde. Receba car-
passagerros e dinheiro a frete at as 2 batas a
tarde do dia da sabida : escriptorio ao Forte ao
Manos n. 11
tfio dt Janeiro
Para o porto cima segu eom brevidale o bn-
gue nacional Isabel, tem parte do sea rrrapaaea
to engajado : para o resio qne Ihe falta trata-so
com os consignatarios Antonia Lnix de Olrv
Azevedo & C.'roa da Cruz u. 57, andar.
m
Preiende seguir para o referido porto eaa |
das o palnabote Rosita por lar a maior [
carga, e para a ponca qoe Ihe falta, trata-ee con a
coosignaurio loaquim Jos Goncalves nutria,
rna do Commereo n. 17.
Urna dita oom
vinagre por 60000. 1 barrilcom 5 cana- Gjande VariadgSimO SDeC-
das de vinho branco por 2W0OO. i barril
Rio Grande do Snl
Para o porto cima segu em anacos aa a p
tacho nacional Garibaldi, o qual recebe aaraa
frete, que se trata com Jos Victorino at Baacai
A C, a ra da Caieia n. 52._______________
Maranhao
com 1 1/2 caada de azeite doce por 6*J0Q0.
25 saceos de estopa a 200 rs. 1 dito com
ralbas por 20000. 4 liaras de folha de lou-
ro a 120 rs. 121 garrafas de vinho a 30O
rs. 4 frascos tora (jeoebra a 200 rs. 81
meias botijas de serveja Bass a 800 rs. 18
gnalas de serveja ordinaria a 200 rs. 7
ditas de serveja d* torra a 160 rs. 2 latas
de ervtfbas a 300 rs. 3 frascos de sal re-
fiaado a 200 rs. t2 lates de bolacbinbas a
640 rs. 7 garrafas de oognac a 600 rs. 6
frascos de vidro de booca larga a 10000
ca-la una.
83 uiassos de cigarros a 40 rs. 26 pe-
dias de amolar 60 rs. cada urna. 1 1/2
amiba de velas de carnauba a 80000. 0
auases d'al' o a 100 rs. 100 duzias de
phoaphoros de gaza 120 re. 10 duzias de
ubwpboros segucaaca a 300 ts. Urna ai-
ruba de sabio amareilo a ICO rs. Seis mo
Ibos de axboka sem valor. 2 caias de ala-
tria talbertm por 30000. 5 libras de cra-
vo da india a 200 rs. 5 libras de pimeota
do reino a 20 j rs. 5 libras de comanos a
00 rs. 1 libra de alfaaema a 200 rs. t
6-.odes cum farintra de araruta a 30OW. 2
doras de cha da iadia a 10000. y libras
loaaaiacar aaMoavadi refloadoa 140 rs. 4
I tiras de abocar refinado branco a 1 Ors.
8 libras d* bolanas fl as a 100 rs. 23 li-
bras dd baulia do p reo a 300 rs. 10 li-
bras de manieiga franceza a 1500 rs. 10 li-
bras du tattoiutiD a 300 rt. 10 latas de
xa a 100 rs. uuio -Iqueire de sal
50.1 rs. 8 libras de cbi por 20000.
4 libras 4o b Mofado sem valor. 2 ws-
mas ie papal para emnralho por 20006. i
arrobas de arrorjfrla o a 20600. 1 meia
cuia de fejjSo a 800 ,xs. 4 libras de palha
por
tcalo
GYMNASTICO E ACROBTICO
no BRANDE jardim ixv
OA
IMPEMAt
FABRICA DE CKRVEJA
0 DE
H. LEIDBN C.
RA DO BAR-d BE 8. BORJA N. 3JS.
Domingo 23 do' corrente
B-NEFICIO
DA
Sociedade Joven America.
Dirigido peto artista brasileiro Vicente do Re-
g, que posuido de sentimeolo humanilarios e
evado pelo amor sanie da liberdade e deaejaaao
coadjuvar quanto Ihe for possivel pata que dita
sociedade poa.a ter iocremeoio e levar a effeito
alfjrriar o maior numero de escravoa, expona-
nearaeale resoWtuse offerecer dito jupect.culn
esperando que o publico em gexal nao deixar
de coacorrer para um Un tao uiile social.
PROGRAMMA.
1* Urna linda aynpbonia por oasaica oailrtar.
PRIMEIRA PARIR
t 0 trapes, exereieos oe larca, aqaabtios,
deslocacoes e agilidade, trabalho haorJantissirao
e admiravel, pelos arUaUs brasilairos, Vicente
do Rfgo, Julidix-w, Aogeio e Suva.
3.'Msica marcial.
SEGUNDA PARTE.
4.* Diffleeie e sorpreheadiHiles posadas de equi-
libr os eiecatadas palo artista Vieeate do Rhoo
e. Medeiros.
5.a Msica militar.
TERCERA P-.RTE.
. 6 Admiravel e perigoao trabaloo aaaominado,
o duol.. uapeslo ezeeuiado pelos artillas Julido-
rie e Angelo.
?.* Msica militar.
r QUARTA MRTB.
Parosi8&iajaa deslocacoes pelo meaaw artis-
ta Vicente do Reas o qual nesta
aiao e pela primeira
Segu com brevidade para o porto adaaa a aa-
Ibabote nacional Joven Artkur, para a re a da
carga que Ibe filia trau-ae com oa eaaaiaaataaM
Autonio Luiz de Oliveira Azevage A C, roa a
Croa n. 57.
COIPASBIA URASILEIlJl
BE
Paquetes a vapor.
Dos porto do sol
ateo dia 53 do corrate a' vapor
Arinos, commandaote o an
tenenle Jo- C Duarte, o
depois da demora io
seguir para os portos do norte.
Desde j recebem-se paaaagairoa a aaxaia-aa *
carga que o vapor poder coaduair, a goal aariti
ser embarcada no aia de suaebagaaa. aneaaaMB-
las e dinheiro a frete ate aa 1 hora* do dia aa aaa
iabida.
Nao ae recebem como eaconaaeadaa aeaao aa-
jectos de pequeo valor eqaenaoexcaaan a ala
arrobas de paso oa 8 palmas cubico de ~'
ludo que pastar de&tes Umitas davac aar i
ado como carga.
Provine-se aos senharas paasajana aae aaa*
passagens so se recebent oa afeada, raa a Craa
n, 97 orimeiro andar, eacripiorio a Aaaaaa Lata
de Oliveira Aieveo C ^_____^__
Rio-Grande do SnL
Segu cera brevidade para o porto aaWa a bri-
gue nacional Amelia : para a rosa a ora aaa
ihe falta, trata se eom os eoaaigBaiariAa
t da O. Azaredo A C, ma a Cruz a 57,,
ro andar.
rivel, onde comer
Iba auoca vino.

LEILOES.
LELAO
DE
movis I ugte vidros a saber :
Um plano forte dura dos memore i
uan m ibilia de j^-nanla om um s fa,
rasfraraoo, latda.jaaraitao. el
paditv jarras paatMaraa, 1 reioata.
balaaaa, 4 muailia da palta, i
Mftlhalagaaraai
________ adslras, loaca, i ____
ve repreaataM a cota bar- periaae*n*s-
e beber com oa i
pea, traba- laaocimeodadoa pato bao aaiadoa aoaea



Diario de P^matoboco* Sexta Jelra 21 de Outubro de M70
Bloje
M 3* andar do sobrada uuvo da ra do Vifrio
11.1.
O agente Palo autopiado por ama familia que
nwdou de residencia, levar a leiiao os objocts
cima mencionadas, ejflstettes no 3* andar do so-
brade da roa do Vigafio n. 1, onde se effectuar
o leillo.
Principala s 10 bor
^tum- -z&sm-i
4L te
WeastllM da drta 4a
i^erta!PM75gai
O agente Mamas tan leiiao dos WewiUo* da
lindros, maceta, teBdecleia,' tealhas e mais objec-
\ wlt*ott0 d*8divi<> o imporlancia de
I.JOOJOOO,' tde perfcmWnte Theofbio Pereira
asios, e para pagamento de seas credores.
HOJE
91 do corrate.
A's 11 horas de dia na mesma padaria.
o cmifiao-sRmsTA
Frederico Maya
Tem a honra do sdentificar ao respeita-
*ai publico eai goral, a aos sea gum)m
w* partientor que elle mudorj o seagM}
nete de consultas da ra Direita n. 12 pfif*
a do Queimado n. 31 primeiro andar, con
a entrada pelo pato di *edro II, onde p-*
de ser procurado para os mis teres de sua
profissao, todos oe da* titeis das 9 borai
da manha'a s 3 da tarde.
Tambern previne, que contina a prestar-
se a vontade dos dientes nie- s na cidadf
como nos seus suburbios, para oidt a
idas'serSo precedidas d ajuste. ElfegaJ
rante o bom desempenho e a perfei?3o de
seus'trabalbos, oqaej bem conhecidn
assira cono as commodidadat dos precos
Precisa-se da.aai.oflxeiro : no armazem do
protegido de S. Pdaw.
Urna oMhilia dejacaralLaiiXV,ca*ostl e
15 canoras de guarntcao, de bflgTii cdn-
oios, l jardinera con podra e 1 sof, 1 euar-
da-loaea 1 guarda-ve-tido (obra mnito ben
acabada), 1 guarda-roupa, 1 cmoda de ama-
k ""*' lavatrio de mogo com
e-pelbo, 1 mesa para jantar, 2 bancas para es-
cripia, 1 pequea taita, 1" sote de amarello,
12 caderas e 2 consol?, 1 marqnezao de oiti-
cica. i ffrto de amarello mnito bem conservado,
i mesas redondas, 2 marquezas, 28 cadefras
usadas pira sala de jantar, 2 serpentinas de vi-
aro e 1 candelabro com 4 luzes, 1 machina de
costura, l cama frarteeza para casal, percao de
louca azul para jantar. 1 machma para copiar,
diversos quars, venastenas, t pires de lan-
ternas, vidro-, bolea de viajero, 1 relogio do
parede, 2 ditos- para mesa e 1 dito de ouro pa-
tente luglez (com a competente corrente), alm
de outros muiros object s que estaro vista
dos compradore?.
IIO.IK | ; >$g
21 do corrente
s 11 horas da manha
(em ponto, e sera reserva de preces)
pelo ageate Pontual, no armazem da ra do Im-
perador n. 16.
Pette-se senhora que diz ser insubordinada
pela razio de receber offenaag, aoe se digne de-
clarar seo nome, ra e quarteirao, /isto no sea
annuncio tratar a abaixo asignada, coja firma
nao se devisa.
Um dos interewadog.
anajmiiiaami
Aos 5:0(HP#
Bilhetes garantidos..
A ra Primeiro da-fiarso (outr'ora ra de
Crespo) n. 23 e casas do costua.
O abaixo assignado, tendo vendido noj atas
felizes bilhetes qotro quartos n. 28 coak&otKr,
um mel n. 294 cora 400*, e outras-. serte de
100*000 o 40*000 da lotera, que s acaben de
oxtrahir (165*), convida aos posfuldajw vireo
receber na conformidade do costumereeajaeseon-
to algum.
Acham-se a venda os felizes biana gara
tidos da 4' parte da loteria, a beneficio da nutria
do Bonito (166'), que e extrahir terca-feira 2*
do correte mez.
PRECOS. %
Bilhete inteiro 6*000
Meio bilhete 3*000
Quarto 1*500
Em porcao de 1001*90 para cima.
Bilhete ntire 5*400
Meio bilhete 2*700
Qaarto 1*350 V
Manoel Hartins Fio \
UAIBO II 6DT0T
uca concuitimo titulad
i-
. Lma mobilia de amarello, 1 cama franceza, 1
marquezao. 2 cadeiras de viagem, 1 dita para pia-
no. 2 con-los de amarello e 3 langas e argolas
para cortinados, 1 comraoda, 1 cama de ferro e
vinhos, livros.
HOJE
Na travessa da roa
das Crnzcs n, 2, pri-
meiro andar, da-se di<
nhelro sobr penhores
de ouro, prata e bridan-
tes, seja qual for a pan-
da. Na mesma easa com-
pram-se osmesmosme-
taes e pedras.
AMA.
Bina (te Basuo da
Victoria n. 83
(Outr'ora ra Nova. )
Bilhetes garaatldos dapro-
Tncla.
Esta feliz casa acabkrde vender entre os seos
muito felizes bilhetes da lotera n. 163* que cor-
reu hoje quairo quartos de n. 3373 com a sorte
de 900*, um inteire de n. 1430 com asorta de
100*, dous quartos de n. 305 c >m a sorte de 100*,
um meio de n. 3226 com 100*e mullos outros
premios menores que seria enfadonho mencina-
los, podendo os seus possnidores virem receber,
qne promptamente serao pagos.
O abaixo assignado covida ao reapeitavel pu-
blico para virem munir-e de bilhetes da luteria
(166) a beneficio da matriz do Bonito, que ser
extrahida terca-feira 25 do corrente mez.
PHECOS. .
Inteiro 6*009
Maio 3*000
Quarto 1*300
De 100)5000 para cima.
Inteiro 5*400
Meio 2*700
Qaarto 1*350
___________ Joao Joaqnim da Costa Leile.
O Br Gttjgt dregout a tirara alcatrlo a
o qne o torna mais sohnal. Aprweilando essa
felia deaeoberta, elle prepaM um licor con-,
centrado de akatrto, o qaal, sob um pequen
^olume, conten urna grande-proporcSd de
principios activo/
0 Afc.tr*. d* C^MWGoudron de
t lagens d*egua,dvalcatra>ordinaria, semter
os inconrenientes. Baata deitar d'efla na*.
colher de caf n'tnn copo 4'agna para obter
logo um copo de exeellente agua de alcatro
su- forte desagradavet. Cada qual pode
dssaonaneira preparar a sua agua de al-
ean* quando d'ella preeiaa, o que offereee
eaononaa de tempo, facilidade de transporte
O Aletr*o 4 mrm substitue 4com
yantagem muitas tisanas mais ou n^nos
inertes, nos casos de deflnxos, bronchites,
Usses, catarrhos.
0 nicati-a. m fajol emprefij-cotio amm xito as molestias seguintes .-
H BEBDA. -* Urna cdhet d* caf para um copo d'agua ou duat coiheres de
topa para urna garufa:
BRONCHITES
CATARRHO OE BEXIGA
DEFLUXOS
TOS9E PERNITAZ
IRRITACO DE PEITO
TOSSE CONVULSA
QI FOHERTA(QES. l*c6r puro ou con umpotteod"agua:
AFFECCOES DA PILLE
COMICNOES
MOLESTIAS DO COURO CABELLUDO
El DUECfOES. Urnapartede licore quatrod'agua (mec.inieir.a..u vmI.i >
FLUXOS ANTIGOS OU RECENTES
CATARRHO OA BEXIGA
0 AleaMo de Gayo* fot experimentado com um verdadeiro xito nos
principies hospitaes de Franca, da Belgiea e da Espanha. Fot reconhecido
que, para os tempos de calar, elle eonslitue a bebida a mais hygienica, e so-
oretudo durante os tempos de epidemia. Urna intruccao accompanha cada vidro.
Yeade-se na pharmacia e drogara de P, Mau-
rer & comp., ra Bar&) da Victoria n, 17
Precisa se de urna ama que saiba engommar
com perfeico, e sendo estraugeira preferivel:
a tratar na ra Nova, casa n. 22.
AMA
Precisa se de urna ama para o servido interno
de urna casa de duas pessoas : a iratar na ra do
Imperador n. 79.
SI do correnae.
POR INTERVENCO DO AGENTE PINTO
No sobrado d roa do Vigario n. i,
por occasiao da venda de piano, mobilia, louca e
crystaes para ali annunciade.
AVISOS DIVERSOS.
I
ESTIIOO DE PREPARATORIOS
AULASESPECIAES PARA OS AL.MMOS QUE TEEM
DE KA7.ER EX AME EM ARCO PRXIMO. E NO
KIM DO AN.NO LECTIVO
Khetorlca e pot'ea.
Pailosophia.
Geograp^ln.
Histeria.
Portugazz.
Fraacez,
Jos Soares d'Azeveiio, professor de lin-
gua e liller.iura nacional no gyranasio pro-
v.noial do Recife, tem aberto em sua casa,
ra Bella n. 37, aulas especiaes de prepa-
ratorios, para os alumnos que tiverem de
fazer exame em marfo prximo, on do flm
do anno lectivo. Dirigir-se indicada re-
sidencia, a qua!quer hora.
mmmmm a
MDANCA.
O Dr. Garolino Francisco de Lima San-
tos mudou sua residencia e consultorio
para a ra do Imperador n. 57, 2 andar
do sobrado cujo arjiazem conserva an-
da hoje o nome de -Alianja, tendo a
entrada, que 6 pelo lado da ponte Sete
de Setembru, o mesmu numero 57, da
frente. Ahi continuando o dito Dr. no
exercicio de sua profis&h da medico e
de operador, pode ser procurado a qual-
quer hora do dia e da nouie.
Ac ba de sahi luz o oficio
DE
W. S. DA < o\< i ir\o.
Acompanhado de orna collecco de oracoes co-
mo : Responso le Santo Antonio e oracao de Santa
Mara Eterna. Ris 320.
____________L1VRARIA FRAi^EZA.___________
Precisa-se da um bom cozinbeiro que enten-
da de massa, e de outros servicos tendentes a
sua profissao : na ra da Aurora n. 16.
aixeiro
Precisa-se de um caixeiro para padaria, com
pratica da mp.sma o que d fiador a sua coadacta
ni pateo do Terco n. 38
O abaixo assiguado fsz scicate ao publico e
com especialidade ?o corpo do commercio, que
comprou a taberna sita no Barro Vermelho, ao Sr.
Antonio da Mofa e Silva : quera sejulgar com
direilo, queira aprnsentar suas contas no pra?o
de tres das da data dente, para serem pagas, que
passando o dito praso nao sa respou?abilisa por
qaaliuer debito qun apuareca, Recife 20 de ou-
tubro de 1870.
Jso Machado Evangelho.
Na ra do Imperador n. 3 tero ama pessoa qne
e encarrega de armar catacumbas e tmulos no
cemiteno pabliei, a-ando o qne fr preciso pira o
aia a de novcinorj, omo.-moracito dus Seis de-
f untos.
Joao Ferreira Pinto Guimares, convida aos p-
renles e pessoas de sua unsade a candada de
otivirem algumas anifsas no stimo dia do fallec-
menlo de sua presida irmaa Maria do Esoirilo
Santo Guimari- B. na jgreja nutriz de S. J pe p"la< 7 horas da ma-
nha do dia seguida-felra 2i do corrate, e des
de ja agr ioce a lU* a- p'>soas que assisrem
a este acto de cari Me ** r'ligio.

AMA
Precisa-so de ama a na pira coiinhar e com-
prar: na r la 1" d \t>c> n. 2.?, casa da fortuna
Previne srt ae .Sr. n s ir in rtMpsetiVd qa^
o meio bilh-'te d* k>t-r i |i tem le correr no dia
25 e caso de Ih er aire >, i, hf^n ii premio, nao
o pague se nii a Eiwa.mi.) Aauu Giraos, qae
(WU lejntmi dmi
."^.ff^' ,la ",0 tugioi Je H a
14 a*^,d '' r1''' #*T ** P^ca da taber
na ejM adr do a* ooudusU : ui raa noerial
n. 163.
Deposita de pao e
cestas.
Ra Larga do Rosario n. 36.
Fructuoso M. G. avisa a todos os seas benignos
freguezes, que hontem recebeu novos sortiraenlos
de berco? volantes para os re->eranascidos, balaios
de meninos aprenderem andar, maracas cobertos
de palha, banlejas grandes para roupa engomada,
balaros para costura groca, ditos de deposilar pa-
pel rasgado, ditos para facas e garfos, ditos para
por fructas na mesa, ternos de balaios para depo-
sito de roupa servida, ditos de azafates grandes
brancos e de cees, ditos deeondecas brancas e de
cores, entre estas altas e baixas. condecinhas para
encher de doces seceos, balainhos para ninhos de
canario, cestinhas para pastoras no festejo de pre-
sepios, cestinhas finas o mais delicado possivel para
meninas de escolla, outras maiores para senhoras,
cadeiras de vime, proprias para passageiro> que
sepuem em vapores para a Europa, cestas de Iodos
os Unannos para fazer se compras no mercado,
balaios compridos e redondos braaeos de cores,
lemos em quanlidade; cera branca em rolo para
acceoder luzes. Aqui achara os nossos benignos
amigos o ptimo pao, bolaxa e massas doces, fabri-
cadas com a mellior fariuba do rrercado; o tama-
nho do nosso pao sempre maor do que o de ou-
tra qualqner parte e seqi o menor gosto de azedo.
PEDIDO
A ra do Livramento n. 38, primeiro audar,
precisa-se fallar com os segrales senhores :
Julio Adolpho Ribas (acadmico).
Querino Candido de Va3concellos.
Joaquim Cavalcanti de Albuquerque Mello Filho
(Pombal).
Jezuino Augusto dos Santos Fragoso.
Virissimo Correia de Lyra (Cruangi ou Vicencia
Jos Herraino Pontual (engenho Preferenca).
Fernando Barat da Silva (engibo Morojo).
Antonio Gomes Cordeiro de Mello.
Eduardo de Paula Santos.
Francisco da Silva Porto.
Thora Joaquim do R eo Barros.
Para urna familia muitu pequea de-
seja-se encontrar urna pessoa de reconhecido
comportamento que assista a dona da casa
em vigiar o servido das pretas coser etc. O
servido diminuto o ira lamento. agradar,
exige-se porra pessoa de toda confisca,
na ra do Imperador n. 4 arm zemFide-
lidadese dir quem .
^luga-se
um sobrad de um andar e sotao no largo da ri-
beira de S. Jos n. 19 : a tratar na roa do Vis-
conde de Goyanna n. 51, outr'ora Mondego.
Precisa-se de um mogo de 16 annos ou de
um bomem de 40 anno?. que saiba ler e escrever :
na ra da Concordia n. 68.
Offdroce-se um mogo para leccionar francez,
pnrtuguez, piano e msica em casa de familia ho-
nesta : quem qnizer dexe carta fechada na ra
estreita do Rosario n. 14,
FOLHINHAS
Aeakte 4* Mklr fjm* e HhiM.
LIVRARIA FRANCEZA
u
6
Ra do Ojrepo. M 9.
u tfiaidu lUkiahu
E RELI
8
PilaftAiniON H71
PREgo 320
!!!
Fotographia imperial
E
4XBRIA DE PINTURA
DE
/. Ferretra Filela
Desde o dia 7 de abril passado acha-se aberto o
ovo estabelecimento pnotographico sito roa do
Habug n. 18, esquina do pateo da matriz. Ostraba-
hos que desde enlo, tem sahido de nossa offleina
;em geralmente agradado, sendo recebidos por
ilguns com admiracao pelo extraordinario pro-
gresso que ltimamente tem tido a phoUgraphia,
i por outros com alegra, por verem a provincia
Jotada com um estabelecimento digno d ella, e in-
:ontestavelmente o prineiro que nesse genero
hoje possue : tambem nao nos poupamos em cousa
..Iguma para monta-lo no p em que >a acha, es-
perando que o publico de Pernambuco saber
apreciar nossos esfor^os e recompensar nossos sa-
orificios.
Convidamos a todas aquellas pessoas, naetonaes
3 estrangeiras que gostam das artes, ou tiverem
aecessidade de trabalhn* de photographia a visi-
larem o nosso estabelecimento, que estar sompre
iberio e sua disposico toflos os dias desde as 7
horas da manliaa at as 6 da Urde.
Para es trabalhos de jhotographia possuimos -ip
versas machinas dos raelhores autores francezes,
inglezes e allmames, como sejam : Lerebours el
secretan, Hermags, Tbomaz Ross. Voigtlander el
5onh eWulf. ltimamente recebemos tres novas
aiachinasi sendo urna dellas propria para tomar
sobre o mesmo vidro 4 ou 8 imagens diversas e
soladas, e nutra de 6 a 12 imagens diversas d
gualraente soladas, de sorte que no caso de
grande concurrencia podereax retratar sobre
ama nica cbapa al 8 pessoas diversas e sola-
das para carto9s de visita, e assim em menas de
am qaarto de hora despacharme* 8 differenies
pessoas que peijam cada urna, umaduzia de cartes
iiais on menos, com os seas retratos sement, ou
em grupo com outraa.
Eucarregamos-nos exclusivamente da direceo
3 feitara dos trabalbos de photograjhia dei-
sando pericia e talentos di distinelo pintor
allemao, o Sr.
Jorge A. Roth *
>s trabalhos de pintura, a jquarela, a oleo, e a
pastel.
O Sr. Roth acha-se ligado a nossa empresa por
ama escriptura publica, e at o presente tera-se
lesyellado na execugao de seus trabalhos.
No nosso estabelecimerto aeham-se expostos ou-
tros trabalhos imiwrtanti s do Sr. Roth, tanto em
miniaturas aquarejla como oleo, re;ralos
oleo, quadros sacros e diversos outros trabalhos.
T.-inr.mos en"omrapnd: s de retratos oleo at o
tamnbo natural, assira como de quadros sacro
para ornamentacao de igreias ou capellas. Tara-
bem aceitamos encommend&s de quadros histor-
eos.
Assegnramos que os precos dos diversos tra-
balbos da nossa casa sao roui rasoaveis.
CARTKS DE TBiTA NAO C0L0RD30S A 10000 A
DUZIA
CABTOES DE VISITA COM O COLORIDO AO NATU-
RAL A i 60000 A DUZIA
Retrates era miniatura oleo ou acoarella da
16 20*000 cada ara, indo convenientemente en-
aixilhado em moldura dourada e regulando o
busto da pessoa retratada de 3 4 pollegadas e
;odo o quadro palmo e meio de tamanho
Jalgamos que bastarao os presos cima para
iarmos idea da baralesa dos trabalhos do nosso
sstableciraento, quanto sua perfeico cada um
venha julgar por seus proprios olhos.
As melhores horas para se tiranem retratos no
aosso estabelecimento sao das 8 horas da manhia
f datarde; ontretante de urna hora s 5 da tarde
;m casos especiaes pde-se tambem retratar qual-
juer pessoa.
os dias de chava, ou por tempo sombro Do-
lemos retratar, e asseguramos que esses dias sao
>s mais favoraveis aos trabalhos de photogrannia
oela docura e persistencia Ha luz, e p< r termo o
aosso terrat) construido na taes propores e
neUiorameutos, que anda chnvendo orros ne-
ihum ineonvenieftie ha para fazer,-se bellos re-
ratos.
/ F rreira VilUla



i-

m
3*
Hoi MMM procnoi ittestados par* crediUr
..'-'.Si,^ep^JOS, e,deiln qne soa applica?ao e o
iv j ""t'aoa pelas posas qne m digoaram aectiu-
o. Ihes deen credit e ogi ; porqna sio sempre o
itustado considerado granulos, e del les qne lanca
ao o cturlaunismo; mu ni qnerrodo offender as pes-
oa^qoeespontneamente nq; .ffereeeram.os qne abaixo
ao truaeriptos. os fazemos pnblicar mani(estando-lhM
wis gratidio pe aUeocio, esperando que Tenbtm
mi corroborar o conceito, e aeceitacio que tem mre-
'1* nosu xarope. Bartholonto C.
Illas. Srs. Bartholomeo ft C. com a mais subida
tuiaeao qne declaro wr o xarope Americano da urna
lHccia extrordinna, pois qne soffrendo ba di de
itensa tosse. ponto de nao poder dormir a noile a
i^eito mesmo de medicumenlos qc8 tomafa. a elle
eorri e na terceira colher fui lliiido. e de todo me
to boje reatabeleeido com o uro son-nte de quasi
'. s. mea rwoafceticv ota Pe r. s. n-iP0. w.
.erad.^r or-npidr.. lauoeJ Al io viejas Jwiwr,
!U : i ..; '
Vi '..;,: ..
' ..... .'.'..
Vegetal Americano, de sna compoeicio, qiando
acheva bstanle doente de ama conslipaco, on tu
torni'n completamente rouco e qne trooxe ama forU
tosse, e me impossibiliton de comprir os meus dewei
de cantor da emprexa lrica, von agradecer-lhe mer
completo restabelecimento, qne obtive com nm s ridre
do mesmo xarope, depois de her recorrido miito*
traumeutos. Deaejarei qne ontros como en recorr
ao sen xarope para se Terem ahiados de tao terme,
incommodo, tle faUl oeste pix. Com mlcr eonsida-
rtclo contiDdo ser de Vv. Ss. (tiento, venerador t
delfea" ~ Crona. Recite 25 de setembn
lllms Srs Brtliolome*C.-0 xarope Vegetal Ame-
ricano que Vv. Se. tm posto i venda de toda efl-
cac para o caratiio d'asthma, eoforme observei as-
pl:caao-o a mea lilho Joaqaim. menor de qeatri
noM) viclina d'esse flagello, qne al entaopor esraet
e cdeme a doos annos katia resistido a onlroa saro*!
i -raede Mmeat*. Qneiram nois Vt. Ss. acceiur i
presKo alw.. -nte sincera de neo reconhrcim.me k
i entorto senrten .;^.. |le praetaran com a ludseaa
vrop;, aerediijuifome para eaii re de Vt. Ss. criad
:<- cnbncsdo. Americ-- Nutto da Men^uoja. -
:- :i .lj fBfiJi
D\S
Foaes Hanterive e Relestins.
No araazeia da ra iln V^.rjn n II.
1 .-..--------------:-------------------:------------------------------------------------------------------------------------- ------------------
.

Q
jC
-^vt,
tf IU

(GxiVE Dt^M.)
A nossa correspondencia do Braati nos faz I
saber que as pcacas actualmente inundadas por urna muliido de
falcificaces vii dos nossos productos (text.:!.
Para garantir-se contra oslas coniposi(oes
mais on menos perigesas, (|ie escoudem-se
d'essa maneia por detr.tz dus nossas marcas
de fabrica e mesmo da nossa tirina, rogamos
aqui cora instancia aos mdicos e aos do-
entes de assepurar-se sempre W origem das
PiLULASque trazein o nosso nome, appellando,
entre outros meios prcticos, pela boa f dos
nossos collegas, us pliarr.iacculicos. Nad de
duvidar que n'uina questaA que iu'.i'-ressa lad
seriamente a saude publica e aii..nalidadedo
Aco-se as oonm Punas

commercio, i.sies- lloarados ir.terniedarios
naO s.: mosUviii diMM da embauca dos seus
fregu? -s: nao de iluvida. igualmente que
repudiando toda solaiidude com os f.tlcifi-
cadores e os seus rnanfaifr ellos nosefa-
co un, dever a'oi%. em dianle de procurar
as VEllDADElRAS PlLLLAS DE BlaNC\RD em
origens certas, enderecandu-sc, quer a ns-
mesmos em Pars, quer indirectamente aos
nossos principis correspondentes, ou eutao
s casiis as mais recom-
mendaveis da Franca
ou do seu paii.
Pharmaeeutko, ra Bonaparte, em Pars.
as prinripocs Fbarroacias.
MEDALHA
FJGADOnt BGALHAUIFIGAOOde BACALHAU
^^^bsp*;
HONRA
' O abaixo assignadu fai publico |ue se acha
H>r elle seqnpsteail.H us arr- nd .iht-m>w da casa
ne Coi htfl fraucfj rtm Apinuco*, e pir isso ore
vme niagunm a irr^nde, camo se annuncioa oor
.te Diario. Renfe 18 \a outabro de 1870
Antonio Ha r,JUH ,| fi ,,m^
O al.aix t-ig'iaJ i prva.$> S 'a'(iinleiriis e
^Irriro : q im quwer r -niraiar |1HW diriair-
-e a r>a da imparalrii n. 3, 1* atir
^ia Dr. Goauvi Adulaha TaiHiia
FERRLGINKO DE CHETRIER
O Senber Cherrier completo a na deseo-
bert ajnntaa-do a iodnra da ferro a Olea de
Baealbao djaiafectad*. Este Olea da Finado de
Baealhio ferragineo tem todas u propriedades
do oteo e do ferro, digere-se fcilmente e nunca
cansa prislo de rentre. Portanto preeriTel
tt mis preparacSC fermgineu (Pillas on Xa-
rope), conven em todas as doencu onde se
emprega o ferro. Tunea pulmonar, bronchites,
rtchitiamo, eserotalu, impigeas, gota, rhea-
matismo enroaico, caurrhos intigoa, dyspep-
liai, eoBveleacenciu difficeis e baqueta de
rawu. eonstituicio.
JMarinaria f IIFYHiFn, llrtic fw Faub MotUmmrtre
5\.T2S/l,5laJ.K;,aoy?50-* ELlil^ d COCA, exeellente preprces tenicas.
2 TnITSt, JP^IfV^5,Ii?om ^"ICA para corar i c.agas, feridu, corudwu eoitnsoes.
0 ORAMULOS deBlSMUTH composte contra u dirrbeu,djienteriu, dores de estomaga, ele.
Depositario, em Rio de Janeiro, Dopohchelle et C". Baha, Mordea Jjuiao et C
Pernambuco, P. Madrbr et O*. Maranhao, Ferrura etC. Porto Alegre,
f~ JOSB BEM/). Pelotas, AWTtTHO LlIVAS.
BRANCO E ESCURO
Desinfectando o Oteo de Figado de Bacalbio,
o Senhor Cheirier deo a eala precios prepara-
cao theraaeatioa nm efceiro e sabor agradavais
que nenbuma de naa virtudes Ib tirara.
Esta aportaite descoberta, qne grangeo a
sen autor urna Medalha de honra, vulgarisea a
uso do Oleo de Figado deBacalbio desinfectada.
Os mdicos o receitam preferirelmentea todos
os ontros, em todas as molestias onde te em-
prega o Oleo de Figado de Bacalbio.
Ver por mais pormenprea o relator ios medi-
caes que contera a noticia qne accompanha eada
frasco.
Ama
Precisa-se de urna ama qne c
gomme e compre para nma
Torre a lyt an4r.
Aioga-se o" boa esera** : M
l.is n. 49.
a raa 4
M(nte pi popular pe:
* bucaco.
De ordem da directora convido a todo*
sos irmaos para seTeanirem em a-semlila _
uodia 93 do corrente mez, pelas 10 hora* do
para se proceder a elfici da adoun'ftrafaVt
donra, e se nao boaver numero legal,
a irabalbar em negocios de maiu
mesma aociedide.
Secretaria do Moateriio popular
18 de oatubro de 1870.
0 1* eeretario,
______________Gandido Jos de Ge Telle*.
ASSUaA(;-vO JJllBKCIAL AGRIcOLA.
Tendo alga doa^nk ir sorins eieilr* par a
directora, por motivo) jusiifloEdos derxaio t
aceilar os cargos para qn>' furam e!eifr.< -iodr
novo convidados os senhores asaoeiatfos pan a
elecao em asamblea geral no dia 23 do raafe-
as 9 horas da manhia, allm de se rlcprii o
novos membros.
Secretara da Associacao Commercial liii1
20 de outubro de 1870.
Jo5o Maria dos Santo A Impida,
_______________________Serrelario.
Boa casa
Alupa-se urna grande caa nrs Coeftoaeaaiftai-
le ao bjspiui PeJro II, .isobradada, graat aja
I tal murado, eocheira. quartos par* estribara
I criados, coramodos para doas familias, Mft V
I-lesembarqne, banlio salgado, emoa nasa Mb
casa : a tratar na ra com Marcelino Jos Lope*.
O abaixo a>-ignaiu declara a,> respHttrval
publico e com especialidade ao respeitavei cono
do commercio, que comproa a taberna da roa w>
Sebo n. 13 ao Sr. Trnnqaeliao P^dro de Aleaala-
ra, livre e d^scmbaracarla de o,aalquer ooas : w
''gnem se julgar com direilo meama, arparan
n nraso de trss dias. Recite 20 da oatubro Je
1870.
_________________Anlonio Margues de Olraaira.
Precisa-se de nma ama livre, de axis tdaete
e boa conducta, para o serv-, interno e exierao
de casa de mnito penca familia : na roa nT
Tneren n. 11.
Precisase de nm bom cooeiro, e UaTabata
mi servente que seja forro oa captivo :
trance?, ra das Larangeiras n. 10.
I'reci.-a se de urna ama para ciranar eeaat-
prar para ama pessoa : na ra esireita do Baatv
rib n. 25, Io andar piga-s bem.
Atteuqao
Um pai de familia pobre e h mrado otfcreeo-
a alguns dos senhores negociantes desta aran
para i>screver em seu escriptoriu por ler boa si-
sa, mediante ama recompensa lazoavel : qaeaa,
pois, se quizer utilisar de seos -evico*, aaaaaeie
oara spr procurado.
VIGTOHIAXO '\Lli\IIEX.
ti ni iji
IMERRSS.1ME COMPflSldd LITTER41-T
co,\te.\do :
A noile do xtasis.
O sorriso.
A noite do assombro.
A lagrima
A tioutc do delirio.
0 toysterio.
Com urna carta critica dirigida ao autor aeto
[)r. T. R. Rigufcira Costa.
1 volume brochado OOO.
AS CENTLHA8
PcHisias patriticas aobre a guerra do Paragmay
1 volume brochc.do SOOO
NA
LIVRARIA KRANCRZA___________
jabonetes .!'aic?trSo.
De Annio Neves de Castro.
K -tte aoreduado propar, , que tao b*
acceitaco tem merecido fiesta provincia,
maito se recommenda pan cora certa das
mpigens, sarnas, fiestas, cnceiras, e todas
s molestias de pee, sencio ainda preferi-
vel oara a barba, outro qoalqaer sabo-
aete.
Uaico deposito do verdadeiro, na phar-
nacia edrogaria de Bartholome d C,
i-ua larga do Rosario n. 31.
.
Bartholomeu & C,


Vinho, Pilulas, Xarope b Tmruna
DE JURUBKBA 8IMPLE8 E rERRUOtMOaO;
Oleo, Pomadas Emplastro da Mana*
' PLANTA PREPARADOS POR
BARTHOLOMEO & f
PHARMACEUTI0O8-DROUISTaa
A Jarnbeb : -aau piaata 4 M*.
cuido o mei paaaaaao toaioe
Jesobslrueot. eoeaoul PP}*" *
do lijado baco, bepaiue, '___ *"
co* e eaaacialaieole do taro, afaropeai, _*
pellaa, eii7 oc,^ aa ferro < til m Mtttiaa
core, chloraae flw e iMiMtraac*, mmtr-
do astoeaifo. etc., a o qae dM
numeras earas imparunlai HIMM
ata..
disuado edico do pau e Fortaaal. Cal
nosici dapoaito distribaimo raua Ir"
arclhor laatai ooafceoar a JarasMtM an
m liiii.


I
te
1
Diario de Ptnyimbuco Sexta feira 21 de Outubro de 1870
0 conselheiro Jos Bento da Cunh* Fi-
gueiredo avixa ios seus constituintes, que
elle acha-se reslido ao seu escriptorio d
devocacia, podendo ier procurado nos das
uteis desde as dei horas da manb3a at as
3 da tarde.
m. lf a Preeia-sa de ama un aera ponen
^TMLcm familia: na roa do Cardeireiro n. 68
fnsiuo primario e de mathe-
m a ticas.
L. F. Teixeira, capitn de artilherla, reformado,
competentemente habilitado pela directora da ins
iracqio publica, tem aborto ra do Destino n. 37,
urna aula de instraecio primaria, e outra de ma-
themalicas, em que leceionar toda a arithmetiea,
algebra, geoawtria e iiigouometria, fuecionando
nesta das 5 as 6 horas da tarde, e naquella das 9
horas da manhaa asida tarde.
A ESMEn LDA
KS
AVISO
Roga-seaos senhores abaixo mencionados o ob-
sequio de coroparecerem ra do Bario da Vic-
toria o. 46, aflm de traurem negocios de interesse
reciproco : ,
Americo de Siqueira Brto.
Manoel Candido Pereira de Lyra.
Joaquim Esteves Vianna.
/os Egidio Ferreira. m
Jos Vieira de Oliveira Maciel.
Jos Joaqnimde A guiar
Joo Francisco Emelerio Portella.
Joao Gil Paes Brrelo.
Joaquim Duarte Cnrreia.
Severino Manoei Duarte.
Precisa-se de urna ama para casa de peuca
familia : a tratar ra do Cabug u. i ioja.
COMPANHIft ,
DOS
TR1LH0S URBANOS
aD
Attenpo

i
Ignacio da Silva Derro, em viageir: provincia
de Pernambuco, avisa a seuj fregantes que con-
dux exeellente tropa de burros, que tusar na
Tilla do Pillar, Porto Calvo, Castanha Grande,
arreiros e Rio Forraso, e dalli fri em seguimen
to para a Escada: quem pois precisar, pede man-
dar encoDtra-lo.
3
aO
_____I
Precisase de urna ama forra ou captiva para o
servico interno e externo de urna casa de pouca
familia: najrua Velha n. 66.
numa
Este antigo estabelecimento, acha-se hoje montado
escala de poder servir vantaj o smente os seas freguezes, atien-
to o grande sortimento de joias d'ouro, prata 6 brilhantes, qne
sempre tem e recebem mensalmente das principaes fabricas da
Europa- cujos presos sao em competiveis e as obras garantidas
de lei.
HITARTE .
Companhia Allianpa
DE
seguros martimos estabelecida
na Babia em 15 de Janeiro
de 1870.
CAPITAL..R. 9,000:0001000.
Toma seguro da mercadonas o dintieiro a risco
martimo em navios de vella e vapores para den-
tro e fura do Imperio. Agenei i i ra do Com-
mercio n 17, escriptorio de Joacnim Jos Gon-
galves Beltro.
Ama de leit.
Precisa-se de urna ama livra on injerta,
de boa conducta, que tala o erle e cea
dancia, sem fllho a mamentar : a tratar a
Prala, armatem ns. 13 e 15.
DO
HEC1FE A' OlilMDAa
Por ordem da directora, e em execucao
o que dispoe o art. 13 dos estatutos, sao
convidados os Srs. accionistas para a sesso
ordinaria de que trata o mesmo artigo, a
qual ter lugar no dia 31 do correnle s 10
horas da manhaa no sal5o da estaco provi-
soria da ra da Aurora.
Escriptorio da companhia, 19 de outubro
de 1870.
Joao Joaquim Alus,
A" secretario.

MANUEL <5c C.

&
Tem a MtisfaoSo de participar aos seos numerosos fregaezes, que em vista de ser-Ibes mais commodo, tem
*8n eslabelecKk) orna nova fabrica de chapeos de so!, na ra da Cadtia do Kecife n. 0, neje ra do Mrquez de Olnda,
*2 onde acharo os pretendentes, muito avuludo sortimento de chpeos de sol de todos os precos, qualidades e por pre-
& eos mas commodos do que comporta o nosso mercado : convtfam especialmente aos Srs. compradores por atacado Sl| darem, sendo possivel suas encommend3S, pois podero assim serem mais bem servidos, visto poderem escolber as ar- a
maces as tazendas que a demora da fabricarlo bem diminuta, ^____________________________________
AVISO
De 2i do corrente em diante se conduzi-
ra carga de bagagem, indo em cada trem
um carro de bagagem e ao meio dia partir
o irem de carga, tocando- emjtodos os pontos
cora os precos das tabellas aprovadas pelo
governoda provincia.
Recife, 18 de outubro de 1870.
O supreintendente.
A. de Abreu Porto.
D
TABELLA nos rasgos de transportes de
M9BNS E MERCADOJ11AS. 'fRETE POR
i:X10ADE 00 FRACOO DE 10 KILLt.lillAM-
MAS.
ffl>
i
_
se
NA ANTIGA E BEM CONKECIDA FABRICA
CHAPEOS DE SOL
DA
US
I _
Eua do Barao da Victoria* esquina da Gamboa do Carmo.
(Antiga Ra Nova)
Ha sempre um grande sortimento de chapeos de so! de seda, nerin, alpaca, bretanba de linho branco e par- vg
? do e de algodo os todos os tamanhos e feitios, aim da imrxesa porco de Jtda, mer.n, algodo e brim, |^
l armaces de todas as qualidades para satsfazer qualquer encommenda. A modicidade de seus precos e lo conhecida J^g
que escusa de mencionar. ? ^
mm
Na a- do Imperador n. 28, srmazem de Cam-
pos, ha constantemente um completo sortimento
de eseolhidos gneros proprios para mesa, despen
aa e cozinha; oomea-los cada um de per si tor-
nar-se-hia enfadonbo um annuncio que deveso-
mente despertar a enriosidade do apetite. Se urna
pessoa tem vontade de variar de comida em um
dia de regabofe, nao tem mais nada do que diri-
girle ao armazem do Campos n. 28, ma do Im
perzdor, examinar e comprar a variedade de g-
neros alimenticios que hanaquelle estabelecimen-
to, onde a nardessas vantagens encontrara) todos
muita sinceridade e delicadeza no trato.
Por estar-se vendendo muito barato os seguin-
tes gneros que se menciona
Ceblas a li o cenlo.
Lingoas seccas e defumadas a vapor.
DYVETOT
14-Rna Eslreila do lonrii-M
Compra e vende roupa feta
nova e usada, objectos de
cosinha e de meta, e
. todo que perten-
ce ao aso do-
mestico.
A luga se
urna casa terrea, sita na Capunga, com sotao, co
cheira, e um pequeo quintal : a tratar na rna
do Vigario n. 31.
Na praca da Independencia n. 33 se da di
iheiro sobre penhores de ouro, prata e pedral
preciosas, seja qual for a quantia; e na mesm;
:asa se compra e vende objectos de ouro e prata
* igualmente se faz toda e qualquer obra de en
sommenda, e todo e qualquer concert tendent*
v mesma arte
a>-,g?2cras."
Z aa o -i to fl
-? ^ 5 ~- ~> '- -

= o
^a
.
?l?%?-
o
Q--.
" n
3
65 S. S
8 :
t
2
V ra dos Pires
V do Principe
> i*, t.
~ o o
l K) ti. t&
O O ~ c
i i.', r C es, t
O O => =
l t. I4i >.C A>
O O so oo
i .. 14. t, l. -- --
O O 5 O O S C
i i <- t t i -- _- _-
coosooo
- t. :c i'. i^ t ..- _^
- ooooooooc
3
75
_(
A' Joo de larro;
Ao bceo do Es-
pinheiro
A' Encruzilhada
A' Belm
AoCampo-Grande
Ao Salgadinho
t, Ib 10 M. 1-0 -*.
O O o o o o o
\os Arrombados
A" Olinda
BARAO DA VICTORIA 41
Xeste novo armazem tem um
variado sortimento de fczendas
franuezas, icglezas, allemas e to-
das todas se vendern por presos
mdicos, ' novo armazem.
Casemiras ingleza?,
francezas, de todas as
qualidades, brins de
;rs e brancos, colei-
rii los modernos, cha-
peos ie sol de seda,
finos. RL'a
DE
ARRUDA
aro da Victoria
anuya ra
Palacio d-i presidencia dePernambuc. -21
dejonho de 1870.Assignado, Francisco
de Amm Pereira Rocha.Confere, Antonio
Annes Issome Pires.
Andr de Abreu Porto,
Superintendente.
E
TABELLA nos fbefes de maderas e mate-
WAES.I
DO RECIPE
ATE A EXCRU
Z1LHADA
Saccocarn 1 hec-
tolitro deca..
Ailheiro de tijlo.
Dito de telha...
Eocbamel de 4 a
5 palmos....
Trave de 4 a 7
ditos........
dem de 6 a 10
ditos......
Prancbao de loa-
ro.........
dem do amarello
60 rs.
3.1000
4000
300
500
13000 *
500
lO0O
AT: Of.INDA
160 rs.
6^(000
8,5000
600
1,5000
OCt)
ii$ooo
2^000
Palacio da presidencia de Pernambuco, 21
de jnnho de 1870.Asignado, Francisco
de Assis Pereira Rocha.Confere, Antonio
Annes Jacooae Pires.
Andr de Abreu Porto,
Superintendente.
Ama.
"" Precisase de urna ama fnrra ou escrava para
rma casa de pouca familia : trata-se na Ioja n.
io da esqaina da ra da Madre de leos.
V0A
H. 41.
II
Assim como tem ama grande
ofGcina de alfaiatc, montada com
todos os preparos que ha de melhor.
dirigida por habis artistas, que
pela sua promptido e perfeicao
nada deixam a desejar.
Roupa de todos os
amaDhos para bomens
meninos.
Por todos os paque"
tes recebem-se as me-
Ihores e mais moder-
nas casemiras que ha
na Europa.
RA
Baro da Victoria
aaliija ra' '
NOVA
N. 41.
Este estabelecimento acaba de soffrer urna reforma radical em aecno. artista e commodos. e em pontcalidade as encom-
mendas, linalnjente emjtudo afim de melhor servir os seus numerosos! freguezes, deixa-se de annunciar todas as fazendas, para
n3o se tornar massante
AMA.
Preeisa-se de urna ama para cosinnar: J
tratar no Manguind, sobrado novo dos Srs. Car-
pinteiro, cu no caes da Companhia Pernambn:a-
aa n. 2 ; .idverte-se que serve escrava ou livre,
inas que cosinha Dem.
Jos de Barros CamoeHo e sua mulher leD4o
no Diario de Pernambuco de 18 de junho do cr-
reme anas, ara annuncio do agente Martins, de
que seriam vendidas em leiiao algumas dividas
pert*ceotes ao casal de Casiano Pereira Goocal-
ves Cantal, sendo entre ellas urna bypotbeca no
engenho lled*muinho pertencentes aos aununcian-
tes; veo pelo presente protestar contra tal annun-
cio e declarar mu formalmente que o dito enge-
nho Redemuinho de sua prepriedade, por com-
pra feita llvre e desembaracada a Flix Paes da
Silva, nao tendo os annunctantes desde essa data
at hr je onerado dito engenho, que sito na co-
marca de Santo Antao, com divida ou titulo aigam
e para que pessoa alguma chame-se a ignora nci
fazera o presente. Recife 14 de outubro de 1879
RESTAURAN! DE PARS
4Ra das Larangeiras4
.\IR. M1CHAND0N proprietario deste estabelecimento
taras para almoco e jantar, por preco o mais mdico que
como fornece tambem almoco e jantar avolso.
recebe assigna-
possivel. Bem
ALMOgO
SENDO
1TTENCA0
No sobrado da ra estreita do Rosario n. ,135,
precisa-se alugar um moleqie de it a 14 asnos:
quem o ti ver dirija se, que achara com quem
tratar. Wa mesma casa prepara-se almoco ejan-
tar para fra.
Precisa-se de urna ama forra on escrava
para o servico interno de pequea familia : na
rna da Amizade n. ti, Capunga.
MiiLEQUE
Precisa-se de um moleque para o servido de
casa; na ra do Baro da Victoria, outr'ora ra
-Nova n. ;56.
Precisa-se di''una
na rna da Moeda n 35.
ama de lelte : trata-se
_____
Precisa e* de uina una qw silba cwinhai
bem : na rna do Quehnado n, 30.
Aloga-se a ca^a n. ;4 a ra dn S. Joao, coui
2 sal, i quarto, connha, quintal e cacimba, por
i'tf per xa : a iratar m rcesmo lufar.
Companhia Phenix
Fernambncana
A directora da eompanhia Phenix Pernamuu-
cana deliberou que os premios de seguros por ella
realisados quer martimos qner terrestres sfjara
pagos no acto de celebrar se o contrato.
Pernamboco ti de outubro de 1870.
Pela com.twhia Phnix Pernambucana
J. H. Trindade.
F. F. Borges.
__ Luiz A. Seqneira.
5000
pratos a escolha
Vinho
Caf ou cha.
JANTAR
S-iiooo
jSOPA3 prstai a es-:oha
Vinho.
Sobre-mesa.
Gaf ou cha.
A verdadeira farinha peitoral de
S. Bento.
Esta farinha usada com vantajosos resulla-
dos nos padecimentos dos orgos do peito,
como ustluna ou puchamento de catharros,
inQamacao de bofe, pleurizes e na ptbysica; re-
commendando-se com igual proveito as pessoas
convaleeentes.
nico deposito na phirmacia e drogara.
DE
Bartholomeu & C.
34Ba larga do Nosario34
0 salao de pianos e de
msicas
mudou-se da rna Nova n. 58, aadar, para a
ruada
Imperalriz i. .1 Ioja,
onde contina recommendando-;e a* Illa,, pu-
blico.
________________G. Weriheiaer.________
D, W. BOWlUPi
ENGEHHEffiO
Com fundiqSo.
A RA DO BBUM N. S2.#
Passando o thafariz
Machinas vapor systema memorado.
Rodas d'agoa.
Formas de ferro para porgar asnear.
Moendas de canna.
Taixas de ferro batido e fondido.
Rodas dentadas para moer com agoa, va-
por e animaos.
E ontros objectos proprios d'agricoUar?.
Todo por preco muito rednzido.
AVISO
Ama.
Precisa-se de urna ama boa cozinheira
do Livramento n. 10.
na ra
- Precisa se alugar um preto escravo de mea
idade, paga-se bom auguel:nesta typographa
Joaquim Jos Gomjal-
ves Beltro
Ra do Trapiche n, 17, Io andar.
Sacca por todos os paquetes sobre o banco d<
Minho, em Braga, e sobre 03 segnintes lugares ea
Portugal : I
Lisbaa.
Porto.
Valenca.
iSuimaries.
Coimbra.
Chaves.
Viseo.
Villa do Conde.
Arcos de Val de Vez.
Vianna do Castello.
Ponte do Lima.
Villa Beal.
Villa-Nova do Famelicao.
Laraego.
Lao?.
Covjlhaa.
Vascal (Valpasso).
Mirandella.
Beja.
_______Barcellos.______
CASA PARA ALIGAR
Aluga se c 1 andar do sobrado n. 6 rna do
Duque de Caxias : a traiar no coracao de ouro,
ra do Cabug.
Agencia em Pernambuco
Do Dr. Ayer
Peitoral de Cereja
Cura a phthysica e todas as molestias do peito.
afsa parrllha
Cura ulceras e chagas antigs, impigens e dai-
xos.
TOIliCO
CLserva e limpa os cabellos.
Plalas eatbartleas.
Em casa de THE0D0R0 CHRISTj
\NSEN, ra da Cruz n. 18, encontram-i
flectivamente todas as qualidades de vinhr
Rordeaox, Bonnrosme edo Rheno.
Sabbado lo do corrente entregou-se a um
negro ganhador duas caixas com batatas, marra
M Aplpncos, acontecen o negro entregar a outro ca-
noeiro, talves de Olinda ou Beberibe : quem as
recebeu por engao queira annunciar por este
Diario, ou participar na taberna que foi do Sr.
Domingos na ra de Santo Amaro, esquina.
Os Srs. bacharel Joaquim Cordeiro Coelbo
Cintra e Andr Cordeiro Celho Cintra queiraro
apparecer na roa do Hospicio n. 81 a negocio de
seu particular interesse.
Companhia
MOFINA
PRECISASE
Roga-se m film. Sr. Ignacio V.eira de Mello, es-
envao na cidade dOxNazareth desta provincia, o
favor de vir a roa do Imperador n. ffi a concluir ario ,,
aqnefle negocio que V. S. se comprmetten reali- \*inoa- l0> a"dar-
sar, pela tercera chamada desle jornal, em flns '
de dezembro prximo passado, 8 depois para Ja-
neiro, passn a tevereiroe abril.e nala cumprio,
e por este motivo de aovo chamado para dito
fim ; pois V. S. se deve lembrar que este negocio
de mais de oito annos. e quinao o senhqr sou
fllho se achava no estado nesta cdade.
De um hom'em, livre ou cafitivo, para distri-
buir pan; e igualmente de urna ama que saiba en-
grmmar bem cosinhar; trata tt ra do Vi-
a
Amo,
Ama
Paga se bom ordenado pw urna ama jqwcoii- Precisa-le de um ama para cozinhar, livre aa
nhe para rima casa-de fam V* ; na roa ^
la-velha n.
crava : na. fabrica a vapor de cigarros, tu lar-
iad fiossri
Precisase de urna ama. para fazf r o ser-
vico de pequea familia, qoal se dar bom
ordenada; roa de S. Jorge (outr'ora Pi-
lar) n; 138 1 andar.
- Precisa-se de nma ama para engommare
cuidar r ice de. casa du urna pessoa sol-
Vira : runfloJniperador n. '.'o, andar.
DE
Santa Thereza.
De cenformida com o art. 11 dos estatutos, sao
convidados os Srs. accionistas realisarem ate o
dia 3 de novembro prximo, a prmeira entrada
na razio de 20 0/0 do capital snbscnpto podeendo
dirigir-se para esse tlm ao escriptorio do director
caixa o Exm. Sr. bario da Soledade, na praca do
Corpo Santo.
Previne-se aes referidos senhores, que na for-
ma do art. 12 dna mesmrs estatutos, deixarao de
ser considerados accionistas, aqueelles dos signa-
tarios que nao iizerem as entradas as pocas
marcadas.
Recife 20 de outubro do 1870.
ATTENCXO
Precisase de um pharrnaceutico com as hab-
iitac/5es precisas e que f itre com algum capital
para tomar conta de urna pharmacia em boa lo-
calidade e com alguma freguezia, az-se este ne-
gocio de dar-se sociedade, por seu dono querer
3e retirar para fra : quem quizer dirija-se a esta
typographia com as iniciaes J. C.
' Os abaixe assignados, incumbidos p. la euUBi*-
sa) de senhoras que promovem nm eonerrto let-
lio em beneticio das familias desvalida* dos solda-
dos de linba de Pern: moneo, fallecidos cu tova* -
dados na gnerra do Paraguay, de distribuir
mudi que Ihes parecesse mais acertado o prodor.
d'essa subscripta", pelo presente avisara is vii.-
vas, pas miis e nhos dos offlciaes e saldado* c.
exercito natnraes desta provincia, en qne tela
tenham asseatado prara, assim como a qoalqu :
prente d'estes, que fazendo parta d<- suas fas: -
lias vivesse s suas expensa, e que cachar em
estado de pobreza, e Analmente aos proprios ciaes e soldados, com exclusao dos pruneiros, eao
estejam as referidas ccndifSesqne dentro o
prazo de sessenta dias, a rentar desta daladevt-
rio provar com documentos antheobeos saa tttt-
tidace e circunstancias de fortuna, aflta de V-
rem perceber este auxilio.
Cs interessados deverio encaminbar sens dv:-
mentos i casa do directorio do partido libera,
ra do Queimado n. 8 prime os dias uteis durante aquello periodo, das 9 hora
da manhaa s 3 da (arde, e end?, depcis de an>i-
didas suas reclamaroes, recebero a |nanti
Ihes tocar.
Para que o presente avisa chegue ao cor.
ment de todos, ser publicado lar.amec:-
jornaes mais lidos d'esta cidade.
Recife, 6 de outubro de 1870.
Bario de Bemfka.
Luiz Jos': Pereira Simo*.-. <,
Abilin Jos Tavares Ja Silva
Commodidaio publica.
As pessoas qne precisarem de amas, cria-
cozinh^iros. jardiueiios, feitorer, amas de -
escravos para o sen ico d >o:e.-tieo, caixeiro*.
lo para a praca coreo pr.ra o mato, casas u
pode rao dtsta dala em diente mandar seas -
dos por escripto ra do T. rres n. 35, i* a4ar.
rasa amarclla.
Aluga se urna casa n > .>l it^ ir >, porto I
Xisto, baixa do rio : i tratar na roa to Crea
n. 17, Ioja. ""
Acaba de sahir luz
E
Vendase
NA
Livraria frauceza.
CHA devota
00
IILFl,10MiratieHlflK
DE
NOSSO SENHOR JESS CHRISTO.
MARA SA.vnSSIMA
E
VARIOS SANTOS.
A saber:
Setenario do Senhor Bom Jeus dos Passoi.
Offlcio do Senhor dos Passos.
Novena do Menino Deas.
Novena de N. Senhora da Conceigio.;
Setenario das Dores de Mara.
Offlcio das Sele Dores de Mara Sanim'oaa.
Novena de N. Senhora do Canso.
Offlcio de N. Senhora do Carmo.
Novena de N. Senhora da Prata.
Cnticos de N. Senhora da Prafca.
Novena do B. S. Joao Baptnfa.|
Novena da Senhora Sant'Aaaa.
Trezena de Santo Antonio.
Novena do B. S. Jos.
Un bonito volme encadenado.
ajooo.
Precisa-se de ama ama para
zinbar : na rna do Duque de Caxias,
Queimado n. ti
ee-
AGRICULTURA
m
AYRES DE ALBQERQE CAMA.
li aiPero 16 com estampas
Obra premolva pelo goverao da prvtfDoa.
Vende-se em as principase
Livraria s. i
Precisa-se de nm) caixeiro de II a t4
de idade. que d fiador a sua conducta,
tica de taberna : no pateo 4a Nheira ii. 23.
rom ara-
Ama de eit
. Aluga-se urna casa muito Iresca no lugar
do Monteiro, a margem do rio Capiharibe tra-
tar na roa l' de marco, outr'ora Crespo, Ioja da
equma n. 8.
Preciss-se de urna regrinha do 12 a 14 an-
nos para andar :om meninos: na rna da Gloria n
89 andar.
Ama
Precisa-seda tima ama
jBO, 1" ao^
Precisa-se de nma ama de Me, papa so i
na traversa do Veras n. l\ 1* saar
Na ra do Nondego a.;
ama para todo servico de tres
39. precisase4aa
rs pi'jw' de haaa
prssaas
Precisa-se alngar nrn preto para o
padarra : na ni Direiu n. IW.______^_______
Ama
Precisa-se de nma ama para entrnaar em casa
de homem soiteiro : a tratar aa roa Da-afta a. :'
A, Ioja de calcad".
Cosinhe-ro.
' Precisa-se da um cozinheiro : a
Nova, casa n. 2
na roa de llortts n I Alngi-sa um e>cravo de M>
1 do Raneel n. 46. wbrado.
rratw a* ma


t
a.
i

:

Diario de Feuiambuco Sexta eira 21 de Outubro de 1870.
AO ARMAZEM
VAPORFRANCEZ
Este couhecido eslabelecimenlo acha-se constantemente bem sonido, era virtude das
facturas que recebe por todos os vapores e navios franceies, dos artigos abaixo menciona-
dos, presos os mais resumidos que possivel.
CALCADO FRAUCEZ
Botinas para senhoras e meninas.
Botinas pretas, brancas e de militas outras cores, soriidas e bonitas, do ullinio gos-
to da moda, e precos mais baratas do que em outras partes.
Botinas para horneas e meninos.
Botinas de bizerro, cordavao, lustro e pellica, das melhores fabricas e escolhidas.
Botas e pernelras rnsslanas,
Botas e perneiras'para mantaria, das melhores qualidades, de couro da Russia, lus-
tro e bizerro.
Sapatos de borracha para hemens e senhoras
Tendo chegado grande porco de sapatos de borracha vende-se pelo custo afim de
desempatar o dinheiro nelies erapregado, sao baratissimos.
Sapatos de lustro para horneas.
Sapatos de entrada baixa de couro de lustro com sallo, de muilo boa qualidade.
Abotinados para meninos e meniuas
Sapatos abotinados de diferentes modelos, de muilo boas qualidades e fortes, tanto
para meninos como para meninas, muito baratos.
Sapatos de tpete.
Sapatos de tapete aveludado, de casemira, de charlte e de tranca raaeezes e por-
tuguezes para homens, para sentaras e para meninos.
PERFUMARAS
Excellentes extractos, banhas, leos, agua de cologne, florida, divina, lavande, den-
trifice, de toilette, sabenetes, tintura para cabellos, pomada angroise para bigodes, pos de
' arroz etc., tudo isto de primeira qualidade, dos afamados fabricantes, Condrav, Piver e Luan.
Quinquilharias
Luvas de pellica do couhecido fabricante Jouvin, espedios para sallas, guarios e ga-
binetes, toucadore de diversos tamanlios, leques para senhoras e para meninas, abridores
de luvas, brincos, pulceiras, botes, correntes e chaves de relogios e trancelins, tuda de
ouro de lei, correnies e brincos de plaqu, a imitacao e de mais gesto do que as de ouro,
caixinhas de costura ricamente guarnecidas e ornadas com lindas pessas de msica, albuns
e cakilhos dourados para retratos, caixinhas com vidro de augmento para distmetamente
ver-se a perfeicao dos retratos, ojecTos de pbantasia para toilettes, nolsinhas e cestinhas
de seda, de velludo e de vimes para braco de meninas e senhoras, ditas para costuras, pe-
queos registros muito finos e delicados, bouquets de flores de porcelana, jarros proprios
para gabinetes e santuarios, quadros promptos para collocar-se vistas, molduras douradas
para quadros, estampas finas de paysagens, cidadas, figuras e de santos, vidros para eos-
morama, malas, saceos e bolsas de Yiagens, esporas, chicotes, bengalas, oculos, lunetas ou
pensinez de prata dourados, grvalas prets e de cores, aboloaduras de collete e de punhos,
carteirinhas para ola-, thesounnbas e caivetes finos, pentes, eseovas, ponteiras de espuma
para charutos e para cigarros, Jocos de domin, rodetes, bagatelas e outros differentfs, ve-
nezianas modernas muito conveniente para portas e janellas, cosmoramas, linternas mgi-
cas, esteriocopos com interessaotes vistas de figuras e das mais bonitas ras, boulcvards,
pracas e passeios de Paris, photoraphias e caixinhas mgicas, reverberos para candieiros,
tapetes de vidrilho e de laa de cores para ps de laniernas, realejos grandes e pequeo?,
harmnicos, acordions de todos os tamanhos, bercos de vimes para criancas, sapatinhos e
toucas de laa, carrinhos de 3 e 4 rodas muito legantes para coodiuir crianzas passeio ; e
outras muilas quinquilharias de phantasia, francezas e alleme-, prejos muito em conta.
33 mm iwamm
Para este artigo nao ha espaco nem tempo para a massante leitura da infinidade de
gneros de brinquedos fabricados em diversos paizes da Europa.
II
O dono deste estabelecimento pede ao pub'ico em geral que continu a visita-lo
I verificando as qualidades e os precos baratos do ditos objetos por seren vindos em reitura e de conta propria.
s m^^msm^m^^
MO DE OURO
Nova loja de joias
RA DO CABUGA' N.9 A.
DE
Manoel da Cnnha Saldanha & C.
Acaba de abri-se este estabelecimento de jotas, o qua! tem grande sorti-
'i ment de todas as joias de ultimo gosto, as qnaes vender o mais barato pos-
" ivel.
Todas as joias sero garantidas ouro dB lei, pois os seis donos tendo em
vista so adquirir freguezia uo, olvida rao, vender bom e por precos os mais
r.izoaveis possiveis.
Convida-se o publico a vir a este esiabelecimeato, certo de qae ficar
satiseito.
A' MAO DE OURO RA DO CABUC N. 9 A
ilmfflWf^r"awii



m

GRANDE
HOTEL CENTRAL
37Eua 11 de Dezembro37
(Outr'grq Larga do Robario)
No muito nbacido HOTEL CENTRAL encontrarSo semore os nossos innmero!
fregueses notaveis melhrameutos, indispensaveis para commodidade dos Ilustres fre-
quentadores.
No HOTEL CENTRAL eocontra-se-ha constantemente tudo que de confortativo *
deleilavel se pode encontrar em um estabelecimento desta ordem.
Assim acba-se all orna excellente casa para banhos, um sali todo alcatifado a
guarnecido de divans, piano, jornaes nacionaes e estraugeiras etc., etc
DULCE FARMM
i
AVISO
Precirfvae de inia^ma* para nasa de familia :
na ras de Hurtas n. 30 sobrado.
Aviso.
Preeisa-se de nina ama de reile sem filho : na
ra de Hortis n. 0. Morado
Pri-cisi-se de um < ama -ira iii(i u servic.
de casa de potica familia : na ra do Padre Pin
riano n. 40, andar.
AMA
Precisa se de nina ama de nula idadi par eo-
zinhar em casa de homem soiteiro : na ra de
Pedro Alfonso, oulr'ora roa da PraU.n. jo.
Normas da Havana.
Suspiros.
Napoledes
Havanas.
CHARUTOS
Imperiaes ..
Amadores
Londrinos .
Leaes
E de outros fabricantes, que seria ocioso innumerar.
,A8 familias que nos qaizerem obsequiar, tanto nacionaes como estrangeiros, en-
contrario os eommodos necessanos. _
i A moralidade e boa ordem a norma do
Hotel Central
Falla-se o bespanbol. francez, inglez e italiano.
PARA AGUA.
Canos de ferro galvanisados por barato precO,
Torneiras, e curvas para os mesmos 1 No armazem da travessa do Corpt
Santo n. 25.
Moinhos para caf e pata milho
Os melhores moinbos para caf e para milho qu tem vindo a este mercado
se encontrara no armazem da travessa do Corpo Santo \ 25
0 MARAYILHOSO REMEDIO
DO
Dr. Chas, de Grath
LEO ELETRICO
RING OF PAIN
OREIBADOB
Para o uso interno e externo.
Cholera e cholera-morbus, diarrha,
iluso de angue, em um dia.
Dr de cabega e dores de oovido,
em tres minutos.
Dr de dentes, em um minuto.
Neuralgia, em cinco minutos.
Deslocaces, em vinte minutos.
Gargantas inchadas, em dez minu-
CURAt
los.
Clica e convuiaes, m cinco minu-
Rlieumntisiio em um dia.
Febre e febre intermitiente, em um dia.
Dr as costas e nos lados, em dez
minutos.
Tosses perigosas e refriados, em um
dia.
Pleuresa, em om dia.
Surdez e asthma.
Hemorrhoidas e bronchites.
Inflammacao nos rins.
Dyspepsia e erysipelas.
Molestia de flgado.
PalpiUco de coracao.
Reserve sempre esto remedio na sua familia.
AS DOENCAS SE APRESENTAM QANDO 1NQ8 SE ESPERAM.
Oleo eletricoO King of Pain(o re da di) aquieta o positivamente dissipa mais
de differentes molestias e dores, e allivia mais os solfriraento.s eproduz um mais perfeito
equilibrio nosystema humano, o que nao se pode elfetuar no mesmo tempo, com qual-
quer outro remedio medicinal.
Este uuito popular remedio est agora usando se geralmente, pela razao que mi-
Ihares de pessoas se Uta curado gratis com o dito remedio pelo Dr. de Gralh e outros
mais.
Este importante remedio no se offerece para curar todas as doencas, porm to
somente para aquellas estipuladas das nossas directes.
Esla operando nos principios da chirnica e da electricidade, e por isso est appli-
cavel para o cu amento e para a resiauracao da aeco natural dos orgos que solfrem da
irr< ilutar circulaco dos fluxos d s principies ervos. Goleo eletricoo King ofPain
opera dilectamente nos absurventes, fazeudo desappareetsr as inchaces-das glndulas
etc. em um tempo ioerivel, breve, sem perigo do seuusodebaiso de qualqner circums-
tancia.
O remedio, urna medicina para o liso externo e interno, e..mposto dos elementos
curativos, raizes, hervas e cascas, laes como se tem usado dos nossos antepassados, e
las qtiaes tem grandes existencias no mrjfido, para curar todas as molestias, sabendo-se
quaes ellas sao.
Foi uiq grande e especial desejo da faculdade de medicina durante muitos annos
de experiencia para aprender os meJInres modos que se deviam adoptar para curar a?
seguintes doencas, e que p.'eporcoes de medicina se devia usar.
NA PHARMACIA E DROliAUlA
DE
Bartholomeu &'?.
N. 54SI LARGA DO ROSARION. 34.
MAO IIA MAIS ABKIION11IIA\1 OW
A tintura jsooneza para tingir os cabeilus da cabeea e da barba, foi a nica admit-
tida Exposicn niveruil, por ter sido reconiecida superior s todas as preparages
atehoje existentes, serr> alterar a saude. Vent3-se a IK)0 cada frasco na
Ra da Cadeia n. 51 I* andar.
XA R O P E
'JWMilIMlH
ESALIDADC
BARTHOLOMEO&C
rara a cora etru n imui uiju e reeeotei, eatarrkit pnlmiar, uliw; Uw umn, utirrW
InmUm, m grd entra tota m Mffrioetlw iu tm miintoriti.
DEPOSITO GBRAL
OOTIOA. XD 0HOGAHI A.
ti, 1D1 URGA DO ROZiRIO, S4
PKRNAMBUCO
A ihertptnlici du nwMt molesiii do peito.dMd.
rluryngite m mal da garganta il a UbwcDbcte
almoDar, pauando palai difenaa broachii caunkatt
o emphyMma acaba da aer anreqnecida coa mata
ale medicamento, que toaaari a primeira orden entra
lodo* al boje eonhecidos. O iaropa Vegatal Amtricioo
(arantindo paramenta TatetaJ. dio eontm em ana
eomposicio om 6 alomo de opio, an t0met ane-
coa do planta* indgena*, enja* propriedades benfica*
aa enra da molatiaa qae perteneem aoa orgloa da rea-
piracio foram por n6* observadas por longo tempo,
com ptimos resallados cada re mais cresceniea; pelo
ana no jnlgamoa anlonaadoa a oompor o arepa 01.
agora apresentamoa. a oSareee lo aoa medieoa a ao
publico. Proiamo com o* attestados abaiio o qaa le-
amo* dito, a contorno* qo* o concho do qne il gosa
a xaropa Vegetal Americano erescer do dia a dia,
enaodo mmto apos d. si todos os paiMrae* cm toga.
Illa. Sr. Barthalomeo t C.-0 larope Vegetal Ame-
:icano. preparado em tna cnceitaadissima pliarmacia,
e om ntil remedio para combater i lemtal sathma.
Sofra en aquella nolaMi* ka qaalro mezes sem anda
mcombatido os aUqoea manaaea qne tinba; este nllimo
qnt tite foi tortiaalmo qae ex prostoo por S diu, nsai,
wrem o *en milagroso larope, tomando apenas tna
oses, a at o presente nao foi da noto atacado Praaa
Jl*u. na aa Bqao raatabelacido par ama *jj Ptnd"
Iba, poi meo* acrdocimanto* por me ter aliviada 4
U. norrifel mal. Com a mais (ignificativa graudlt
aabaerawa-na* da Vmc*. affeetnoao o reconbecido criad
- Sateriii* Duora.-Sua Casa 14 da foterairo da i*M
Illms Sr* Bartbolomeo t C. Depois da qian *t
mata* da iolfriiianio com ima toase incessaate, fasta-
Y axtraordiatario, xpectoracio d. nm catarrho amarellr
4o, perda total da* forcas, qne o menor pata*
me bUgiava complaumenle, cansado da tomar meis ai
trosroaaedioaaaai resallado tiTeafeiicidadedeaabara
Vmc*. prepara?am o larope Vegetal Americano, *a.
elle, gracaa a Dona, ana acbo reatabelocido ka maia *
4oi* meta*, rebasto como se nada titesse seffriA*.
Clidio ao torea a asta declaradlo, qo podarla Vitte
ir o nao qaa viaorem. Son com estima da =
muilo RKoaiudor criado. .Antonio /oaatuw t
Ctstn a Sitm-----Recife 8 da ferarair d 1868.
Attasto qae aji do larope Vegeul Amrkii, e
eompoaiflo do. Sr* Bartkolomeo C. para car da tx
forte defini qaa me trome orna ronqnidlo, qna m itt
fazia adtender, inflammaclo dor na garganta. :oi
grande falta d napiracAo. fiqoei eomplalamant ra#-
taboMcido coa nm t tidro do dhivo larope; adir
qM Ibes protesto eterna grttidAo. Recife 14 da p
eirode 1848. mfmm Ptrtin l?*U/Vtm*
KatAo rawoskacids..
o; 1'. UAt'ttER et t-", ein Permmbvto; WM". BELLO, .' 'orlo Ai
Aluga se Dina ama para caa de estrautiei-
ro : a tratar na ra do Duque de Caxias n. 26,
oulr'ora roa das Cruzes.
Precisa-se de um.i ana lie! e uiligeule para
o servico de urna caa de pouea familia : a Halar
na ra da praia do Caldeireiro ou ra dos U9us
nnmero 14. _______________
Para andar com wiancai, precisa .e alugar
ama rapariga forra ou escrava : na ra da La-
deia n. o, armazem.
Ama.
Precisa-se de urna ama para caa de bonmcn
s, que jaiba lavar, ensnmrrar por cima da: n
roa da Cruz n. 2V, Io andar, n o c izinhartu-a
Precisa-o de um menino alfniate
estreita do Ro n. 14.
na ra
Aloga-se o -obrado u. 9 aa Haasage
Magdalena : a tratar ecm J. I. de M. Hego.
ESCOLA PHARMACF.UTICA DR PARS
Medalha de VraU 1860
GDlfOT
EXTRACTO DE ALCATRAO.
nico medicamento approrado por todos os
Hospftaes de Frama, Blgica Espanha como
mellior preitiiracAo itutantanea e regulada em
dM, da AGUA DE ALCATKAO.
( uat cotheradat grandes de liquido por cada
litro de agua, ou urna eolkercia pciuena por
cada copo grande.)
',"oA,0",dor "> nernle* das mu-
b?5?a. '"IOB"M' rortilo. e d
Exigir a firma do inrea/or. f
Deposito Geral ^^S'^m9^
Em PARS. -7 -^?">
Dbposito : no Rio da Janeiro, Dnponchelle: M
B-ikta, Silva Lopest no /"enioiiiliifo, P. Maurer
el C" ni larankat, Feneira el C".
VERDADEIRO LE ROT
de IIG.1.et, Docteur-Mdedn
Ru de Seine, 51, & PARS.
lie um -i sea ir0 e '^'"to cowrr
Ela calvicc,
p d e restaura (brea e smidade a pet
da caberai
Elle de prompto faz ees.-ara (meta preaaa-
tura dos cabellos.
Elle d grande riqueza de lustro ao ca-
bellos,
Elle doma e Taz preservar os cabellos es
quaiquer forma e posicio que se dse*
n'um estado formoso, liso e macio.
Ele faz erescer os cabellos bastos e com-
pridos,
Elle conserva a pelle e e casco da cabrea
iimpo e livre de toda a especie de caspa.
Elle previno os cabellos de se toniarea
brancos.
Elle conserva a cabera n'um estado de fe?;
cura refrigerante e agraihnel.
Elle nao demaziadamente oleoso, m
rento ou pegadico,
Elle nao deixa o menor clieiro desagra-
da VI '1,
Elle o melhor e o mais aprasivel artif t
para a boa conservacio e ananjo dos ca-
bellos das senhoras.
Elle o nico artigo proprio para o per.-
teado dos cabellos e barbas dos ser.
res,
Nenhum toucador de senhora se pode n i
siderar como completo sem o
O CABELLO.
Tnico Oriestfal
o qual preserva, mpa.forliiicae afonoose
Acha-se a venda nos 4*4*tolfcSMMM4*t
A. Caors, I. da C. Bravo C. P. Maor*r
de C, M. Barbosa, Bartholon-cti C. e M
todas as principaes tojas de perfumara
e boticas.
Partnba d^ mantiroca deHsjnUt
Catkarna.
Ha para vender da niuilc nova e
rior cnegada recwlltme ptss pau.ii-
rabe e barca Santa Marn, por sraM r 1 -
mo o, a bordo dos refer > navios fondea-
dos defrrnte do trapclie o Exid. f*ri->
do Livramento. ou enlo para tratar cor^
Joaquim Jos Gom.alvcs Kel >, m> cu es-
criptorifl .i roa do Coiwti w. 17.
Doc s, fructas Boa da Croz n. I t
Sorveie lodoi os dia?, d:s ti k mi m dic.
lendo uas tereas-feiraa, qasrta* e Militado* e
creme.
Em cada garrafa, ral. entre a rojh 0 papel ajul
que leva o meu smete, um rotulo impresso em ama-
rcllocom o sello iarsau* do overno nuua*
>^ A'.*------m*J-
Cl^y. '-----i> tfnd.vspini:al(llra
^/ vzsli^l^-p ir 5(|0 frnro$ S().
=*^ lirei'aris.aceitavel ,
a 6 Hia dr vis'a 7,
aomixiiuo,gna-.se L
do abatimcati e do I
coaior descunto
Lom moito R'?ior vnr.lagom compram-se
onro, prata e pedras preciosas e a obras vahas: na
loja de joias qo Co-ajao ie Onro a. 2 D, rna de
Cabug._______
Compra-se om cylimlro amerreano ja usado.
assim como precisa se Je ,im trabalhador de pa-
daria para o inati : trati-se na ra de Pedro
Affunso n. 28. arrea; m.
Compra-e uuro e p-ata em ubraisxvell-as :
na ruada San!- Amar), bairro de Santo Amonio
n. 16.
Carriiiiio para menino.
Compra-sc am carnnho le mein uso, ipie sirva
para dous dkddos : a tratar na ra da Impera-
triz n. 4.
V1NDAS.
NOVIDADE.
O Costa, proprietario do armazem da Pedra
Maamore roa das Ci uzes n. 42, offerece por di-
nbeiro contado o que de melhor ha no mercado,
por ter recebid) maltos des gneros descriptos
pelo uliimo vapor.
Honalii'es para sopas denominadas Julienne, que
substitue perleramente as mais frescas ervas.
Queijos flamengos o qr.e de melhor se pode de-
sejar a 3*000.
CaixSes de doce de goiaba a 800, 1*, 1*200 e a
11800, dito em latas a 2*1 e 2*500.
A verdadeira farinha americana vinda de conta
propria a 320 rs. o maco de ama libra.
Velas stearinas a 640 o maco.
Bolacbinhas de todas as qualidades e dos me-
lhores fabricantes.
Ervilhas franceras e portuguezas.
Vicho de todas as qualidades.
Farelo de Li.-boa desembarcado hontem, em
saceos grandes, a o.
Carne do serlo minio nova e gorda.
Saccas com milho a 4000.
Especia! e aromtico sabio de familia a 500 rs.
o kilo. *
Vende-se
o sitio do Cajueiro n 6, com csa grande com
amitos eommodos para grande familia, com mu
tas arvores de fruelo, e agua encanada : pode ir
ra da Aurora n. 66, qne achara com quem
tratar.
Vendse urna armacao de taberna na na
Imperial n. 130 : a tratar na mesma casa._____
['
jj
L
Vende-se um paso nv
i t e i aotor mais afamad
ler dirija-se a ros larga in i
meiro andar.
vino r. M,
Farinha de milho
Vendse diariamen'e tarilte 4a ajjSJn
lina e ujva i ISO r.-. ;- libra, e la
gn>-sa a 100 r>. : na n r. i ; v.;,, n. fj.
un eoup moito di -i
Na ollicii,.! du eirador
cisco s du;i ijutm 0 o d p i.
Fumo desliado do B:i< peruly :
111200 a libra.
Ra Urga do Resano n
ato.
Uai nova tie Ltsln w
Cheali! n:i :! ;:".Mltf |:! i p:i! i.- Pinc-pi
vcnil.Mii Coi & C-, a i' *
DISCUUSO :' mi
deflnici 11 pn.al ea |
ci do '

i'n Stunm:> .,.-
dre Cari J.
I.IVRAKIA K
Tftb rna
Vende-?? nina bfcrrM BSl ISSjai
atregnezada pan .i .'rrj, i- in il
propria para um friaupaMe, u- Af>gaJi a, pa; i
da Paz n. 9 : qnea: prrteader dftijaVSS a rnesres.
Farinha demandioc- da Baha.
Tem para vender muito nova c tuperk-r,
em saccas, a preco mais cummodo do qo-
em mitra qualqaer parte: Josqnim Jos
Goncalves Beltro. no seu escriploi io rea
do Comroercio n. i7.
Bom e barato, na rna
do Crespo n. 20,
Vende-se chilas escuras e claras a 900 e 1*0
rs. o covado, algodao mesetado, 4 palmos de lar-
gura, a 200 rs. o ci vado, pecas de algedo de i.-
jardas a 3*. madap^lao a 5i a peca, canabrau
lisas a 3*800, aloalhado de duas brpurat a 2*40)
a vara, lenco- de seda da India a 1*280: u kja
dn Guilherme.
Cal n va de UskN.
Desembarcada ltimamente : vende-se so tra-
piche Alfandega velha^________^______
Nos (lias 2l e 22 do correte achar se-ha
venda no sitio do Fundao em Beberibe. urna vacca
crioula, nova, muito gorda, parida ha oito das,
dando bom e abundante lene, acrescendo ser de
urna maoido ex'reraa : as pessoas qne precisa-
rem aprnveiiem a eccasiao
Folhinhas para 1871
Folhinhas de Pernammi:--, aceedilica e relie;osa
a 320 r-.
Folhinhas do Ric de Janeiro, Laa nmert. Goima-
raes a 300 rs.
Almanak. Luso lrasileiro i*.
Folhinhas de perla 160 rs. /
_________LIVR.XRIA FRANOEZV.________
Yend-se
um sobrado em OUnda,' n* ra de Mathias Ferrei-
ra, caladoe pininla de ivo, com qiiinial c ca-
cimba, e muito fresco : a tratar na Boa-vista, ra
do Vi oulr'ora Matriz, o.
44, 2* andar.
XAROPE
IFPURATI
doD^GIBERt
MUMBHO DA ACADDILlDEffiDMlP^
Preparado por DESLAURIERS.ph.
Suc* de BOUTIGNY-DUHAMEL
51 Ra de Clj^- Pap:s
O Xan.pe depurativo iodu mdu do Dou-
tor Gib'Tt oITorfC'1, no sen emprego. na
resultado bom, corto e consiinte a can
d;isimpigens,escrfula*, molettiuik}*Ur,
vicio do sangue, obslr ucee* lympkttic* ,
molestias contagiosas (sifptol'tiettt. leca
ou itweteradia, ede tvdo$a$xe d'ellas dependem.
A reccita deste Xaropc foi aMiovada
Academia imperial de Medie na de
Deposito as principa pharniai tas do
13 ra'
im J-crnaubuco: Mairkm e C": ,
Mautinuu da Crcz Corbeia ; Joto da Coa-
ci:icao Bravo e C; Aosusro Caosa ;
BARTBOLOMEO O C*; AlBXAKIaU BlMMSr,
Abreu Ribkiro ; Jodo da S* Fasia e um*k%





6
Diario de Pemanibuco Sexta feira 21 Ao. Outubto de 1870


-,
l
i
GRANDE
BAZAR DO PAVAO
60-RUA DA IMPERATRIZ-60
DE
PEREIRA DA SILVA id
Neste imocrtaote estabelecimento encontrar o respeitavel pnbco, um grande e variado sortimento de fazo-idas do mai3
apurado gosto e todas de trmetra necessidade, que se vendem mais baratas do qoe cm ontra qualquer part, visto que os do-
tos socios desta firma, adoptaran o systema de s veoderem DINHE1RO ; para po-iereui vender pelo cos, liraitaiiaV>-se apenas
a ganbarem o descont ; as pessoas que negociam em Dequena esca'a, nest loja e armazem podero fazer os seas sortimeotns
pelos mesmos precos que compram as casas inglezas, (importadoras) e para raaior commodidade das Extaas. familis se daro
amostras de todas as fazendas, ou Ibes Ieram em suas casas para escolherem.
PARA WUADOS CORTINADOS, COICHAS. i CORTES DE LA ESCOCEZES 64000
Cbegou para o Bazar do Pov3o um gran-
de sortimeDto dos mais bonitos cortinados
bordados, proprios para camas e janellas,
qne se vendem de 104 00 al 204JCO o
par, assim como o melbor damasco cem 8
palmos de largura a imitacSo de damasco
de seda, proprias para colchas, e propia-
mente colchas de damasco, aendi os melbo-
res e mais bonitas que tem rindo ao mer-
cado.
TAPETES
Ghegon para o Bazar do Pavo o mais
elegante sortimeDto de tapetes grandes, pa-
ra sofs, coin 4 cadeiras, ditos mais peque-
nos, para duas cadeiras, ditos para
pianos, camas, portas ; etc. vende-se por
menos do que em outra qualquer parte.
COLCHAS BRANCAS A 30200,34500 E 70
Para o Bazar do Pavo cbegou um gran-
de sortimeoto das melbores colchas de fus-
to, snjo das melbores e maise corpadas
que tem vindo, a 73l)0i", ditas nm ponco
mais abaixf a 5550), e ditas a 30000;
tambem do mesmo estabelecimento se veo-
de um grande sortimetito do cretooes e chi-
t-s, proprias para colchas, que se vendem
muit. em conta.
ROUPAS PARA HOMENS
No accreditado Ba-ar do Pavo eicoitra-
r o respeitvel publico am grande sorti-
mento de roupas para homens tanto bran-
cas como de cores, a saber:
Camisas coa peitos d'algodo e delinho,
para todos os precos e qua'idades.
Cero .las de liobo e algodo.
Meias certas francezas e inglezas.
Palitos aobrecasacos le panno preto e
casimira.
Caifas de brim brando e de cores
Ditas de casemiras pretas e de cores, com
coetes iguaes ,'
De todas estas roupas ha para todos os
recose qualidades, e tem de mais mais
nm perito
ALFA1ATE
Por raem ?e manda fVzer com prestesa
e aceh qualquer pefi de obra a capricho
ou (jo to do fregnez, teodo n'este importan-
te estabelecimento todas as qualidades de
Danno fino, as melbores e mais moder-
nas casemiras, assim como os melbores brins,
qur branens, qar de cor; e quando qual-
quer obra nao tcar inleirameote ao gosto
dos freguezes ca por conta do estabeleci-
meDt't.
GH4LES DE MERINO
Chegou para o Bazar do Pavo ara elegan-
te sottimento de chales de merino de cores
muito onns o un pilroesmuito decantes
para qualquer uuaa robora usar, ditos de
erpOD com lisias de seda o mais fino e
modero i que tem nodo ao mercado, e ven-
de-se por proco mu '.o em oonta.
TOALHAS A 70500
No Bazar do Pavo fez-se urna grande
'lomora de t"?lnas alcoenoadas, proprias
p*ra rosto, bastante eacorpadas e grandes,
que sempre se venderam aj20000, e li-
quida n-se a 7 500 a duzia^ou a 640 rs.
cada una, boa pe-hincha.
CORTES DE CHITA
a 302OO a 30840
30520 30520
30840 30200
No Buzar do Pavo vende-se cortes d fi-
nsimas chitas com padres claros e esca-
ros, tendo 10. 11 e 12 covados; sendo fi-
zenda que vale moito mais dinheiro e liqui-
darse pelo preco acitm para acabar, na ra
da mperatriz n. 60 Ba2ar do Pavo.
CASEMIRAS A 70000
rendem-se c rtes jo ca core? para calcas sendo f >zenda que vale
multo mais diaheiro e liquida-se a 70000
o corte de calca, no Bazar do Pavo a roa
da mperatriz n. 60.
BRINS DE CORES A 20510 e 30500
Vendem-se moderoissimos brins de linho
decorcem ancore^ 6 xa >, sendo ocote
de ralea a 23500 e 305 -0 eemvara a 10000
e 10600, pechiHcha, no Bazar do Pavo ra
da Ifuoontrir. n. 60.
CORPINHOS BR ANCOS A 30000
No Bazar do Pavo vendem-se corpinbos
de camoraia brancas bordados, sendo fazen-
da que sempre se veudeu a 80000 e 100
o liquila-se a 30000 por esiarem um
pon., maltratados, peciracha, na raa da
Imperairiz n. 1 O
FU TOES DI! COR E BRANCOS
Vendea-se bunit >s Instos brancas e de
cores, i.roprios pura vestidos e renpas de
meoioos, seudo'de cores a 800 ris ocova-
do e braceos, a iOO e 640 ris,
Vende se bonitos cortes de la escocezas,
vindo cada um em seo papel, pelo barato
preco de 60000 cada nm; no Bazar do Pa-
vo.
ORGANDYS BRANCO E DE COR
No Bazar do Pavo vende-se os mais
bonitos e moito finos organdys com listas
largas e miudas 10000 a vara, ditas lisas,
fazenda de muita pbantasia 800 rs. a vara,
ditos d cores, finissimos padres, iottira-
mente novos 80> rs. vara; pechincLa.
GROSDENAPLES PRETOS
Cbegoa para o Bazar do Pavo am gran-
de sortimento dos melhores grosdeoaples
pretos qoe tem vindo ao mercado, q-sa se
vendem de 10600 at 50000 o covado ;
sao todoa mnito em conta.
MANTELLETES DE FIL
No Bazsr do Pavo vende-se modermssi-
mos mantelletes ou basquinas de fil preto,
;om laco, pelo barato preco de 100000 ca-
da am, barato.
PANNOS PARA SAIAS A 10000, 10280 E
10600 0 METRO
No Bazar do Pavo vende-se bonita fazen-
da branca tncorpada para saias, sendo com
babados e pregas de nm ladi.; dando a lar-
gura da fazenda o comprimeoto da sata, a
qual se pode fazer com 3 on 3 1(2 metros,
e nende-se 10000 e 10280 e 1600; assim
como tambem no mesmo estabeilecimeoto
se vende bonitas saias brancas bordadas ten-
do 4 palmos cada urna, ditas de la de
cores j promptas urnas com barras dfffe-
rente, da mesma fazenda 40^00 e outras
com barras bordadas 60000 e 70000,
tudo isto moderno e barato.
ALGODO ENFESTADO PARA LENGES.
No Bazar do PavD vend-se o melhor al-
godosinho americano enfestado para len-
Ces, tendo liso e entrancado por preco
omito barato.
ESPABTILHO.
No Bazar do Pavo recebeo-se nm elegan-
te sortimento dos mais modernos e melho-
res espartilbos, qoe se vendem por preco
muito em conta.
PANNOS DE CROCH PARA CADEIRAS
O Bazar do Pavo recebeu um grande
sortimento dos melbores pannos de croch,
proprios para cadeiras de bataneo sofs,
pianos, Umboretes e at proprios para cu-
brir almofadas e pratos; vendendo-se por
ceos do que em qualquer parte.
PARA LENQOES
No Bazar do Pavo vende-se sujerior
bramante d'algodo com 10 palmos de lar-
gura a i08OOometro, dito de linho cora 3
taesma largura a 20800 cada metro, paDnos
ds l'nbodo porto com 3 1/2 palmos de largura
de 720 at 10 a vara, assim como ring- ande
soriimenio de ILmourgo ou, cregueilaj ie
todos os nmeros, precos ou qualidades,
que se vendem mais barato do que em ou-
tra qnslqner parta; aproveitem-
ATOALHADOS
No Bazar do Pavo vende-se saperior
atoalbado trancado, com 8 palmos de largu-
ra a 10600 o metro, dito oe linbo adamas-
cado o melhor queAem vindo ao'mercadoa
30500 o metro ; tudo isto muito barato.
Panno preto moito barato a 34600
O Bazar d) Pavo recebeu urna grande
porco de pecas de panno preto fino, com-
pradas em leil-1, qu3 sempre S9 venden a
50000 o covajo e pode liquidar a 30300,
por ser urna excellente cora ora,
CORTES INDIANOS A 40500.
No Bazar do Pavo vende-se bonitos cor-
tes indianos com duas saias pelo bara-
tissimo preco de 405 JO cada um, pe-
chincha.
FAZENDAS PARA LUTO
No Bazar do Pavo verde-se constante-
mente o melbor sortimei.to de fazendas
pretas para lato, como sejam :
Laasin ias retas lisas.
Cassas pretas de la.
Cassas pretas, francezas o inglezas, lisas
e com salpico?.
Chitas pretas de todas as qualidades.
Alpacas pretas lisas.
Ditis lavradas com branco.
Merinos, canto s, bombazinas, que so
vendem mais arat do que em outra qual-
quer parte.
CACHS-NEZ A 60000.
No Bazar do Pavo vendem.se bonitos e
grandes cacbi-nez de pura la, pelo bara-
to preco de 65000 cada am
PECH1NCHAS
DO
-***
da mperatriz 20
Acaba de chorar para a toja de fazendas finas
denominada Ea TUIe nm grresorti
ofbto de fartndas toa*, taino $ejm : ches de
p de chevre ca IstraneoMzat deumre duas
M o qoe t fe mai Uta novid.ide, ricas pope-
IV de Mw :,as escoceus, alpacas,
bareges, .elf,, etc., e um completo sprlinento de
chitas, raadipol3esf*|i|*ias braocti e de cores,
organdj's e fatnbrafa"1mp>ratrir, "etrntras mnitas
fazandas, tudo do qne ha de melbor neste merca-
do, que tuda se vender o mai,. barato possivel.
Chamahw'n atteoefo do MI toxico qne qalzer
andar di oda, e ao mesmo lempo esperamos a
sua pruteccae. Manda-se levar am casa das
Exmas. familias todas as fazen/laf que nos po-
direm.
20-JftUA DA IMPERATRIZ-20
Pars & I.ema. '/
mercado-, pof:pff<;i
Ma<)el-"rPiTflr\ B
de Lisboa.
L*boa, a ultima chegada ao
rlwavel : no armazem i
! na do Commercio n. 43.
A 50,
PEHICNCHA EM CAMBRAIAS VICTORIAS,
60, 70 80010.
Vende-se um esplend lo sortimento de
fioissimas cambraias victorias, por precos
mais baratas do que em outra qualquer
Pe" parte, -endo cada peca 10 jardas a 50. 60,
S n' ^ BaZar d Pav3 rM da IDpa-, 605O e 700^0, flniss.mas a 8.J500 ; todas
estas cambraias valem muito mais dinheiro
ratnzD. 60
CHITAS BARATAS
a 200 ris.
a 200 res,
a **0 reis.
Vend-im-se chitas largas com moito bons
pannos e cores fixas, pe barat. preco de
200 ris o covadi. ; crtes d 10 c>vadi)S a 2dO O, pechincha, no Bazar
do Pavo.
AS C*.SS\S Dt) TAVO
Covado 2 )0 ris.
a 200 res.
a 200 ris, (
Vend' i-srt b icii'as c*ss< de cores min-
a pidobarau) i,reco'ie 200 ris o c >
vad ', ui ar nztu du Pdv a roa da m-
peratriz n 00
e liqnidam-se por este preco em relacao a
urna graode compra qoe se fez no Bazar
do Pavu.
BABADiNH )S
No B sortimento (ha mais fin m bab lnb borda-
dos tapados e t'ans.i iremes, assim como
urna grao >e porco de entr m ios largos e
estreiU.s, qoe paca acbar e vende moito
em conta e in*> barato do que em outra
qualquer parre.
EUNSDE ORES E GROSDENAPLES.
No Bazar -> Pavn v nd t-M nm s mmn -
ti co p'et'i .os niel re. mos e ros
iiapies |m i ,1 is 8 cjMS> que se vende'.n
j muito em couu.
Ra da mperatriz 60.
Para vender depressa
LINDAS JAPONEZkS PARA VESTIDOS A
A 800 RS.
Cbegou nm elegante sorti tiento de laas-
inhas do Japo, com padres de seda e de
muilo boa qnalidade. que se vendem a
500 rs. o covado. pechinch,no Bazar
do Pav3o, ra da Imperairiz n. 60.
POUPEUNAS DO JAPO A 10600 O xCOVADO.
Cbegou um elegante sortimento de lio-
dissimas poupelinas Japonezas, com os
mais delicadas gosto?, tendo mnito lnstro
e com lisirinhas de seda, seno esta nova
fazenda cuasi da largara da hita rance-
za e vende-se pelo barato preco de 106OO
cada covado, no Bazar do Pa-o.
AS POUPEUNAS DO PAVO A 2,f000, O COVADO.
Cheg in para o Bazar do Pavo nm bo-
nito sortinento das mais modernas e ele-
gantes poopelinas de liobo e seda, que se
vendem pelo baratsimo preco de 20000
cada um covado, assim como ditas com
gott escossezes a 20400, pecbiucha no
Bazrr do Pavo.
SEDAS A 20000
Cbegou n.-a elegante sortimento de boni-
tas seda* de listrinhas.com as cores mais no
vas qua tem vindo ao mercado e vendem-se
a 20000 o covado, na roa da mperatriz
Bazar do Pavo.
AOS 2000 VESTIDOS PECHINCHA ADMI-
RAVEL.
a 20000, a 20000.
a 20500. a 20500.
a 20000. a 20OOO.
S5 no Baz*r do Pavo.
Vende-se bonitsimos cortes de vest ios
de pbantasia com lindos gostos, sendo aien-
das traparentes com delicados bordados e
lstras que a nao ser um grande pechin-
cba que se fez na compra seria para muito
mais dinheiro, e li/juida-se a 20 e 2050 ,
noicamento no Bazar do Pavo.
LASINHAS TRANSPARENTES A 400 RS 0 COVADO
Vende-se delicadas lasinhas transparen
tes com listr'nhas miudiobas, imkaclo de
urna s cor e muito brante, pelo bara-
t ssimo preco de 400 rs. o covado, no Bi-
zar fo Pavo
BONITAS LASINHAS A 500 RS. 0 COVADO,
Vende-se delicada; ls^sinbas com dilT-
rentes gosto peio barato preco de 50 rs.
o covado, do Bazar do Pavo.
ALPACAS BRANCAS.
Ven^e-se um bonito sortimento de finis-
simas alpacs brancas lavradas imit;fao
de seda, proprias para vestidos de baile ou
'xisamentos no Bazar do Pavo.
ALPACAS LAVRADAS A 400, 560 E 640 RS.
Vende-se um grande sortimento de lin-
das alpacas lavradas de todas *s cores para
vestidos e vendem-se a 400, 550 e 610
e at mil e tactos res o covado, no Bazar
do Pavao.
BAREGES DS QADRINHOS A 600 RS. O COVADO
Veude-se as mais lindas e moderdas la-
sinhas ou bar:ges de quadriohos, proprhs
para vestidos, tendo qoasi largura de chita
frsncezi. e 1 quida-se a 640 ra. o covado,
no Bizar do Pavo.
MERINOS DE CORES PARA VESTIDOS.
Vende-se bonitos merinos de urna s6
cor com cores muito proprios para vestido
e roupas pa.a creancas por ser orna fazen-
da de pora la e moito leve, vende-se a 10
o covado, no Bazar do Paso.
GI.ACS A 10UOO PARA VESTIDOS.
Vende-se um eleg-nte sortimento de-ta
nova fazenda denominada glacs sendo umi
fazenda de la muito larga e com delca-
di?simas cores, teado tanto brilho como a
sedae vande-se pelo barato preco de 10,
o c vado, no Bizar do Pavo.
SEDAS DE QUADRIN05 A U180 O COVADO
Vende-se un elegante sortim.nto de se^
das de quadriohos, com lindsimas cores,
para vesiidos e r tupos de meninos, e ven-
de-se a 10 80 cadi covado. fc' pecbia-
oba, no Bazar do Pavo.
GRANDE PECHINCHA EM CAMBRATAS TRANSPA-
RENTS A 40, {{0,60, 80, B 400000
Veude-se fioissimas camb.aiassuissas, d^
mnita pbantasia teodo 9 vjms a 80500 e
10000'j. Ditas Wmio .-om 10 jardea idea-
da mnito tina a 50, 60 e 70000. DiUi ii-
nissimas azulidinBas, qne valem mnito mais
oioheiro, a 80 e 100 ) : t .das estas caao-
brtias, em relaco a qualida ie, p^los pro-
cos acma s> mais baratas do quaem ou*
tr4 qualquer parle, no Bnr do P^v|->.
CAMBRA1A ALLEMAA COM 8 PALMOS DE LAR
GURA A U80O, i$ E 2*560.
Ven le-se floissim cambraia branca tran-
pa ente com 8 palmos de largan, qae faci-
lita fazar-se om vestido apenas com 4
varas e liquida se a 10600, ,0 e 20500 -
vara, fa/enda m^ v^le muito mais dinheiro
E pechincha no Ba ar do Pava i.
CAMBRUA TRANSPARENrE
Peca a 40,ioO
Vende->e tu.iiio finas pe.as de cambraias
branca* traospdrentes, ten lo8 ||| varas ca-
la p'ca e com um vara de largura a 40.
pech ucoa, o Basar d Pava,
A' ra da mperatriz
n. 60.
A ra do Duque de Caxias n 21.
(ANTIGA RA DO QUEIMADO)
Recebea ?> segninte :
Espelbos grandes dourados, moldes benitos.
Carteiras, charuteiras e portpigarros ale mnita*
qualidades.
Bonitas pastas para pipis, simples e -Riatisadas.
Boas catxas vasas para costura com sna compe-
tente chave.
Delicadas caetas de marfim com o bocal d
prata.
Modernos pente? de tartaruw, sobresahindo en-
tre elles os mimosos telegraphistas. v
Coaimodos toucadores cora doas gavetas e bom,
espetno.
Poat'bouquet, o qne de melhor tem appare-
cida
Port relogios de muitns qualidades.
Bons talheres para crianzas.
Vostnarios, chapor.inhos, toncas, sapitosemeias
para baptisados.
Toalbas e fronha* de lahyrinlho.
Chapeos e chapelinas para senhora, moldes novo
e bonitos.
Chaporinlws gorros e bonets para meninos
meninas.
Contra as coavulsoc-s nas
crisneas
Vende-se os verdadeiras collares na Nova Espe-
ranca, rna do Duque de Caxias n. 21.
PARA TINGIR CABELLOS
para pretos on castanhos, receben a Nova Espe
ranea a verdadeira tinta ingleza.
PARA ACABAR COM AS SARDAS
on pannos, tem a Nova Esperanca o verdadeirc
leite de rosas brancas.
AGUA DE FLOR DE LARANIA.
Vende-se na Nova Esperanca, ra do Duque de
Castas n. 21.
PAPEL PARA ENFI-ITAR-SE BOLOS
recoben-ns muito lindos a Nova Esperanza, rn>
do Duque de Caxhs n. 2t.
PARA AMACIAR E A FORMSE AR A PELLE
tfrn a Nova Esperanca *>s sabonetes de pos de
arroz
U1MNMMN
Qoando a AGIA BRRNCA, mais precisa scientificar ao respeftatal
g^-al, e em particular a* sna boa fregneria, da immensidade de objectos que ol____
tetem recebido, jnstamentefqoando ella menos o pode fazer e porque essa falta i
Imitara ella confia e espera na benevolencia de todos qne lh'a attenderto e reto*
continuando portanto a dirigirem-se a bem conhecida leja da AGUIA BRANCA i n aV
Queimado n. 8, onde sempre acharo abundancia em sortimento do superoridade a
qualidades, modicidade em precos e o sen nunca desmeettido AGRADO E SiNCERIDE.
Do que aeima fica dito se couhece qoe o tetapo de qut a AGUIA BRANC4. fti
dispi-, empregado apezar do seus custos no dsempenho de bem servir a aqoallae q
honram procurando prover-se em dita loja do qne necessitam, entretanto sea ana
rar os objectos que por sua natureza slo mais conhecidos ali, ella resumidatanle
cara aquellas cuja importancia, elegancia e novidade os tornara recomnendatak
bem seja : '
Capailas brancas para meninas.
Grande sortmfento de flores Goal.
Fil de seda prrto.
FEhFUMAWA
Gratda e constante sortimento da
sempre meiher qnalidade:
Lindos vasos com pos e aroz e
Caixinbzs coni ili:'>s aromailros.
Bonitos o njoderno ppntes ilrr.rsdeai
ra circular o c-qu;.
Bonitos brincos de plaqueo.
Aderecos e brincos de madreare?
Caivetes finos para abrir latas.
Tbeeooras para frisar babadinhoa.
Aspas para balSo.
Novos stereoscopos com 48 vistas,
quaes s5o movidas por um maerna
urnas substituem as outras.
Vistas para stereoscopos.
Bonitas caiiinhas de vidro erfeftadoa i
peAns.
Ditas de raadeira envernisada com
ras e com doramos,
Bollas de borracha para brinqoedo t
Corpinhos de cambraia, primorosamente
enft'itados com ae de setim e obras essas
cuja novidade da molda e perfeic3o de ador-
nos os tornam apreciados.
Fitas mni largas de'diversas coras a qoa-
lidades para ciutos.
Leques oesse objecto muito se poderia
dizer querendo descreve-los minuciosamente
or suas qualidades, coree e desenbos, tal
o grande e variado sortimento qua acaba
da ebegar, mas para nao massar o preten-
dere se lhe apresentar o que poder de
melhor.
Entremeios em pecas de 12 tiras.
Gohpure branco e preto de diversas qua-
lidades e desenbos.
Ditos de algodSo com flores e lisos.
Veos de seda para cbapeh'nas e monta-
ra.
Meias de seda para noivas.
Ditas abortas de fio de Escossia.
Costumes ou uniformes para meninos.
Enxovaes completos para baptisados.
Touquinhas de fil, sapatinbos bordados i enancas,
e mais para ditos. Diversos objectos de porcelana, propriat
Camisinhas bordadas para ditos. psra enfeites de mesa e de lapinhas.
MUSiC A.
Sahiram luz
As ras em contradanza.
Linda qnadrilba para piano por Colas lbo,
Flor da Ba-vista, valsa: a venda no grande ar-
mazem de pianos e e msicas de Azevedo, ra
Nova n. I i, hoje ra do Baro da Victoria,
N. B. Roga-bd aos Srs. assignaates de manda-
rem buscar as pegas de suas asignaturas.
Ultimas pnbiicaces da imprensa naeional
de msica.
N. 1. Piano. Ancetta, polka brilhante, 'por I.
Smolu, 25000.
N. 2. P ano. Minerva, polka brilhante, por Colas
Fiih, 15.
.Y 3. Piano. Chico Diabo, polka brilhante, por
, 300.
N. 4. Pi".io. Umi i.-.grima, Mazurka, por Ma-
UleeB. Zurcfli. if.
i>. o. 1' ano. Morte da pes, poika innrcial, por
",13.-
Y S. Piano, La Gran le Du ;h .--, juika por Ln-
cien LamBert, 1.
N. 7. Piano. Carmen, Aila, La Playera, 3 pol-
kas dos ravallinhos, i.
N. 8. Piano. Le Souvenir, valse de saln, po
E. Casalbore, 1J.
N. 9. Piano. Santinha, Marcea, i valsas dos ca-
vallinhos, 1*000.
N. 10. Pianr. Chant D'Oiseaux, polka, por E.
Casalbora, i.
P. 11. Piano. A flor da Boa-vista, valsa, por
Jos Coelho da S. A., 1<3.
N. 12. Lagrimas d'Aurora, Mazurka, por J. J.
P-, U.
N. 13. A estrada de ferro, quadrilha. por Hen-
fique Albertazzi, i.
N. l. Canto. Santa Lucia, barcarola napoli-
tana, por Gmnaro Arnaud, 1*.
N. lo. Cauto, Mara Aria, para M. S. M' aqqari
luti' amor, de Flotow.
N. 16. As ras em contradanza, quadrilha, por
Colas RUio, U.
I 0 COLLAR OS I
N..ilRI.4D0(MlJGAN.3.A.
1 iMTim i mus \
Com este titulo acha-se aberto e inteiramente transformado este antigo
estabelecimento de joias, onde os freguezes e amigos encontrarlo tudo cuanto
a moda e o bom gosto tem inventado na arte de ourivesana, o Collar d Ouro
observar delicadeza no trato e senciridade e modecidade nos precos.
Espera qoe o respeitavel publico venha ver o que existe de melhor em
aderecos de brilhantes, esmeraldas, robins e perolas, meios aderecos, pal-
ceiras, brincos, alf3netes e anneis de todas as qualidades, prata de le faquei-
ros, colberes, palileiros salvas e outros amitos objectos que seria enfadonho
mencionar.
Compra-se onro, prata, brilhantes e pedras finas, pormaior preco do
qu em outra qualquer parte, troca-se e concerta-se todo e qnalquer objecto
pertencente a esta arte.
%By
CHAME UIIDAUr
Lourenpo F. Mendes Gnimaraes
\ RUADA MPERATRIZ N. 72
Tendo resolvido o seo proprietario liquidar todas as fazendas existentes as loja
Garibald e Arara, convida ao respeitavel publico, amaito da economa, i volfram a
loja da rna da mperatriz n. 72, pois s deseja apurar o dinheiro.
Arara vende madapolSo enfestado a 33500 Para liquidar vende bramante da S-
a peca, ditas de 24 jardas a 53000, 6 )00, nho e algodio a 14800 o metro, dito 6^500, 7000, 8,5000, 9^000, e I0,?0O0.
Vende-se cortes de casemiras de cores
para calcas a 40000, 5^000.
Para liquidadlo vende-se algodio de. lis-
tras proprio para caifas, camisas e saias
para escravos a 160 rs, o covado.
Na ra da Imperairiz vendase chailes de
merino estampados e de barra a 24000,
24300 e 34000.
Arara vende cortes de casemira preta
para caifa a 34500, 44000. 54100, 64000,
74000, e 84000.
Para liquidaclo vende-se brim pardo liso
bom a 500 rs, o metro, dito transado a
720, 900, e 14000 o metro.
Para a cabar vende-se duzias de lencos
brancos de cassa a 24000, e 34600, ditos
de linho a 54000, 64)90.
Na ra da mperatriz vende-se cobertores
de algodao a 14400 e corbertas de chita a
14500.
Para liquidarlo vende-se cortes de casto-
res para caifas de bomem a 500 rs.
A Arara vende chitas largas para vestido
a 240, 280, 320, e 360, rs. o covado.
O barateiro venda percalas finas para
vestido a 440, rs, o covado.
Em liquidafo vende-se alpacas para ves-'
tidos de Sra. a 500, rs, o covado.
A Arara vende lazinhas para vestidos de!
S PAR4
COSTURA
Acabam de chegar ao CHANDE BAZAR
UNIVERSAL, ra Nova n. 22-CAnNEino
mansaum completo sorumemo oe ma-
gmas para costura, ros autores mais co-
uliecidos, as gu misino Bi?ar. g-ranlimtoa-* a sua bd qa>-
lidado, e tarnb m ensim-se com perfcicSo
a todos os compradores. E>ts machinas
s i iguaes no sen tmbaino ao du :iOcostu-
reirag. diariamente, e a sua perfoifio tal
obran da i]|1i||.1rcostuj-. sentaio-.e trao.inos eftAcnta&H pelas BtS-
las, que minio devoro agradar ao ore ten
denles.
Sras. a 320, 400 e 500, rs, o covado
OGuimarles vende mursalina de cor
para vestido de Sras. a 440 rs. o covado,
dita branca a 590 rs.-
O Men les vende fusilo de com par-
vestidos de senhoras a 360, o covado.
O L 'urenfo vende cassas finas para ves-
tidos 240, 360, 400 e 440 rs. o covado.
Arara vende alpacas de lista para vesti-
dos de senhoras a 500 ra. o ovado, ditas
lisas a 500 e 640 rs. ocovado, -litas matisa-
das a 640 rs.
linbo puro a 24800, esta fazenda pro
pria para lencoes e toalbas por ter 10 pal
mos largura.
Vende-se cortinados pira cama trex
a 14400 o cortinado para liquidar.
Arara vende cortes de chitas para raa
dos a 24500,24800 e 34200 o corta pan
liquidar.
Vende o-se cortes de cassa a 24500 c
' corte s na IiquidacSo a da mperatriz.
Vende-se cortinados para janellsa a 64
a pefa para liquidar.
ECONOMA
Vende-se duzias de colla inhos da pa-
pel a 240 rs. para acabar.
Arara vende lasinhas transparentes pan
vestidos s 500 rs. o covado.
L'qnidaclo, venie-se paraneito liso j
24200, 24500, 34- 34500, 44 e 5#, pro-
prio para calsas e palitos por ser baa fa-
zenda e barato.
Arara vende cortes de brim pva cal-
sas de bomem 14300.
Vende-se cortes de pecalas de duas saba
para senhoras pelo barato preco de a 64
cadaum.
Grande liquidacio de roupa feha.
Vende-se palitos de alparca a de
a 24.
Vende-se ditos de ganga para
a 24.
Vende-se ditos de brim de algodio brac
eos a 24.
Vende-te ditos de meia casemira a ii'
Vende-se coletes de brim de coras a 1#
Venderse ditos de meia esemira a 24oC
Vende-se caifas de algodao azul a 500 rs.
Ven le-se dita de algodao de listras a 800n
Vnde se ditas de brim pardo 24,11600
e 24500.
Vende-se caifas de casentira da core
a 6484.
Farinha da trra
muilo superior, depositada em birricas, no arma-
lem do Sr. Angelo BaptisU do Nasciraenlo, ao p
do caes dos vapores no forte do Mittos ; vende-se
aos alqneires, a tratar com Bernardo Jos de
Araujo no armazem do Sr. Annes detronte daal-
fandega.
GAZ (AZ tikl
0
.>
I) RlfiWriti a'*ii li [ar))ritcJMS a. fj),
das 6hrasd*inimai js-9 lt
mu' oartiat^juate aberto
q nita.
VeinJ.- se o eu>tler.aiult
ra Hirwia o. 99, o Qual ..llar.!
geo-. alien
lifia pjr ter]
grwso.
<- o. ay, o qual <>i
- i >l .idos sit>>
vam
ra i da via
mj Um
paia am pro
CHEGARAM1
Chegoa o antigo deposito de Henrr Ftnmr *
J-, ra do Imperador, am irr tiwiir 4e (
le prmeira qojJidade; o qoal un twiIi frT^T
t a retal no por menos pre?o do que m oamafnt*
raer parte.
Especialidades.
Continan) a acbar-M a venda ni ra
Por*(i< iiiqtant&n^ns anorfoion botica n. 88, os mui conhecidn* e aerediUdoa m-
aclOS por prcO muito COmmo- ^s feito em Pars, bem eo>sP<
r t ~n daina de Barlo, de rabio todado, de
(10 : na na Nova n. 28, loja (le ferro de Btaoeard e as pilnlas io mmtmi,
de eereja, pos de Rog. dipital de La6>llony, pilnlas on e0"*
muihn le Chevrier, e oatros
Antonio Pedro de Souza Soares.
Bombas cimpletas para c,-
cimba, por diminuto preco, n"is re-pin
r r *i aioarellid-.
mesma casa.
'
Cigarrog da imperial
fabrica de S. Joo
de Nictheroy.
Onleo deposito era Pernambaco caes da aiUn-
iC> *> a. S, i uda.
ratoria. as dores* i
na bits eosspM os i
4p imnsiru'i, as diarrba, doeoc< i anpm
e dn min|>i, tem sido e mmatestml, m
. ,u us.) qu.' diversas pa?as deitn Mea Wto, a.
nm 0M< 'las pilula* dflatMnwada* bravivs *-
coniiaravms em aa eSkacia l
im fiibris on -rtoVs ; ejdsttado
.im .V -nfflcieole laanridada de
tjju i"'qii.')-' -jrtiHUlo de liotas, sise da I-
aaas Me>, qua te raadau por meaoa d fas.
eoi ooua mtu.
\ imMif



Diario de Pemambuco -r Sexta feira 21 de Ouluko de 1870.

V
?


1*10 PARA SACHOS.
VjBei ni casi de Oket Bidbss & C., rtia
8^000:
Yenda-so borj'jflTns ffaneezr*, ehrft (fisplaJa i
moito ima, pelo diausata prpo de K* ventum ti
Ue?,antes que w ,v,kIi':u : o*-ra da- Cadeis c.
50 A, reja deNmi:tdi-za.
Brinscle Angola-"
OS LTIMOS LEGTIMOS
Vende-se ora ca-s Jt: T. JeflVrics & C., ra do
Commerelo n:48. _______
Farelo a 3^500
Yndose h'-elo em usos grandes a 3*300
dos armaren* de Tasso rmlos 4 C. : na l'rac
do caes do Ap Moleque
Precisa-se .mugar un comprar um molequ e de
l-a<5nnoH, fiel e inteligente qne sirva para
cnaJo, trai.tr na roa Nova d 19, t andar.

Jos de Souza Soares & C,
RCA DO DIBAO DA. VltPOKI.
(OTR'ORA NOVA)
Apresenta-se metara-rpbozeado no que podo haver da mais helio 2 agrad-K em f'-
zendas finas para Senhnras artigos de alta moda era Pars lai to para senltoras como
para bomns e meninos.
Miuaczas alarmadas,- perfumaras espeei. es variedad* de lindos Objectos para me-
ninos e brinquedos para criancas. ,
GRANDE SOftTIME.NTO
Continuamente recebido por todos os paquetes vindo da Europa aonde tem ha-
bis correspondentes.
Vende se muito emcon'.a e maada-se p r era pregad s do es tabejeci ment fazendas
ira casa das Exms. familias afim demeltior escolberem < que desejarcm.
No armaxem de Milis Latham A C. : na ra da
Cruz n. 38, Venile-se :
Lona larga de 30 polfadai.
fita eslreita il > 23 Ka*.
Sacos vasio- par as-acar.
Sellins, silbos e arreios.
Vinhc de Bordpaux lino em caixa.
Sabao inglez em eaixa.
Jabneles dito dito.
DO
VINHC 80ROEAUX.
Vende-se excellent.! vinho Bord.-aux em quar-
tolas e meias quariol-s: no esmptono de Cunha
& Mana, na do Mrquez .ie Olinda n. 40.
Farelo
4:200.
Saceos cora 100 libras de superior farelo
dlo barato preeo a cima indicado, na ra
da Madre de Dens n. 7
Vende-se superior teiioha de mandioca em lt-
eos grandes : no e.-oripiorio de Antonio Luis de
O.iveira Azevedo A C, ma da Cruz n. 57, pri
raeiro andar. r
CEMENTO
u > verJdail,'ro pi'rtlaud. S se vende na ra di
Madre de Deo n. 22, armazem de Joao MarUns de
pJt,nya
Vende-se em saceos grandes, de superior ouali-
uade e muilo nove, por menos preco qoe em utra
qualquer parle : na ra dj Vicario n. 14, escrio-
toriode Jos Luye* G.
Swrctnrm de ferro
Vende-se e est vista em casa dos importado-
res >haw Bawkes & C.. rna da Gru n. 4.
FEITAS
, OE FZEID/IS E ________________
uua da Imperatriz u. 40, esquina do bei'co dos Ferreiros.
O proprietario deste novo cstahelecimento commonica ao respeitavel publico
testa idade, e especialmente as Exmss familiiB que est liquidando por precos bara-
tsimos as antigs fazendas que exisiiam nect* estibeleeimento, alm das que abaixo
vao relacionadas, cojos precos mcei-ern toda a att ncao do respeitavel publico que n5o
deixaia de com pequea qnanna refazer-se de qnalqaor qualidadde fazendas que pre-
cise. Previne-se tambero, que a mean laja lem f*;i5o sortimento de fazendas moder-
nas, e continua a sortir-se das do mais apurado e escolhido gosto, que vender mais
barato que qtialqacr ontra ioja.
Ra do Queimado
DE
rDfff
E' chegado a este novo estabelecimento o mais bello sortiment de tstprrdas
Jrus, sendo sua espcciali'ade enxovaes para noivaiio.
Vestidos de blond de.sda ricamente bardados.
Gorgurao de seda branco para wdo.
Colchas de seda pura, para cama esm ricos desenbos."
Ditas de la e seda, id m idem.
Ditas de croxe, idem idem.
Cortinados ricam-rnte bordados para cama o janellas.
Croxs p^ra cadeiras e sofs.
Vestidos de cambraia branca bordados.
Popelines de lindos gostos.
Laas de diversas qoalidades, lindos .'ostos e modernas.
Ricos b umus para passeio, com lastras de setira.
Sahidas de baile o que ba de mais rico.
Cretones para vestidos com lindos desenhos.
Carnizas bordadas e sem bordados para senlioras.
Camisas bordadas muito finas para liomens.
D tas inglezas para homens e meninos.
Seroulas de linho, e um grande sortiraento de roupas feitas e de fazendas que
i unfadonho mencionar. i
Luvas tpsmis de Jouvin
Sortiraento de tapetes para guarnieses de salas, akalifas para forro da sala, e c
jrande sortimeolo das acreditadas e verdadeiras
Esteiras da Inia
CASA CUVIi
Vptide ioaqnim Jos Damos:
n. 8. andar
na ra da Cruz
P$RA
o
lj ju/U IllliJIlM
Na ra eslreita do Uosarm, sbrado n. 33, pri-
meiro andar, Km capellas de saudades, de perpe-
tua, de sempre-vive e d-i travo?, prsprias para
quem quizer botar na< catacumbas, j com as ta?
e os letreiras. tudo de roslo e barato : qaem
ipizer dove vir comprar do dia 25 em diantp. Na
iiii-ma mu \w boque'fs dn fl.jr de cera, e nre-
piram se Jp cravos naluraes para qualijuer offir-
ta, bordam-Ee as fitas a miro, e deve a encominen-
a spr feia iros das antes.
A. MRINER,
I 3<>i/ !c viii (1
NOVAS ESPECIALIDADES A. MARINIER
AfMMHUM a Acaiienia t Scienrias b ao IMMNM de Fniiia,
Pharmaccuiico privilegiado
RiicccRsor
ibaatopol, CS PABIg,
com ISJardas a 2^300 a
Sob a formj de Pj-.;!!;i. deiredida i iostiii para
fts!r (le imnliitr, am< -nl.Tf.in
WJCCCAO
Preventiva e euraUve da! M0LISTI4S COhiAJlOSAS.
fflECTOR-PHILTKO
ESTOJOS ^
do vo'imp > ora lolo-jio, s;in'indo de-
niu.Ti'.o e m.ium;a
graves inconvenisulea de frajilidade.
i forma, e ** volnmo de em l'orti'-Moi-da
COTBNDO 'iObU IHATAMENTU,
OOLLYBIO Contra as affecrois das palpebras,
preparado tob a mesma Corma.
Algodaoticli
peca.
MadapolSo enfeitado com 12 jardas a 3 e 305CO a peca.
Dito de m jardas a oOGO para cima.
Atoalhados de linho, e de algodo tran-
Cados, o adamascados por precos coturno-
dos.
pChiUs escuras e claras de 2iO rs. o co-
vado para cima.
Cambraias decores miudinbas a 2i0 rs.
t> copado.
Ditas mais finas a oGO rs. o metro.
BafiJes de fflussuiioa a k& e o?0o
Goardanapos de linho a 3,?500 a-du-
zia.
Bramante de linho a 203GO e 3 10 palmos.
Dito de algodao a I$800 o metro.
llieias para senheras de 4000 a duza
para cima.
Ditas para homons de 3?>000 a dol
para cmia.
Ditas para meninos e meninas de todos
os tamaitos.
Colchas de fuslo branco de 3)5200 para
cima.
Ditas de cor de 35009 para cima.
Toalhas de rosto de 500 rs. para MU,
Cobertores de la finos, a U e 10(000.
Ditos eocaraados a 4w5500.
Ditos de algodo a 10500.
Cambra1* Utpada imito larga cm pre-
sas e bordado, propria para sa ras preco burato.
Laazinbas Irencus trancadas, com listras
largas proprias pan saias de baixo, fazenda
iiiteiramente nova a 590 rs. ocovado,
Cambraias brancas transparentes e tapa-
das de todas as qualklades e precos.
Lr/.inhr.s tapadas e transparentes de
-mnitas diversidades de cores de 320 rs.
, u cevado para cima.
Alpacas lisas c de furia cores a 500 rs.
o covado.
Cortes de percala de 2 saias a 4<5000.
- Diti-s de organdy de dito *lito a 80000.
.Corles de la da Escocia a 60000.
Ditas em peca a 500 rs. o covado.
Chales de merino lisos a 20300.
BARTHOLOMEO C
1SI
Depositarios geral para e BRASIL e PORTUGAL
34, na larga da Rosario. FEJRJXAMSUOO.
Ditos estampados de 40500 para cima.
Camisinhas de cambraia branca transpa-
rente, bordadas cora enfeites brancos e de
Cores a 30000.
Brilbantinas brancas de 500 rs. ocovado,
Ditas de cores a 500 rs, o covado.
Lerdos de cambraia de linho, e de es-
guio al o mais fino.
Lencos cbiwfMS a 30500 a duzia.
Ditos brancos de algodo a 20500, mui
to finos.
Fil hranco e preto, liso e de salpico.
Cortes de cambraia, brancacom salpico de
flor.
Ditos de lil liso a 50000
TtrlatMM tantas, e do cores.
Feitos de linho bordados e lisos de es-
gt.iao.
Camisas bordadas finissimas, proprias
para njivos dmi a competente gravan.
Punlios de linho para homem a 10 o
par.
Ci.lainbos de linho lisos e bordados.
Gravatas pretase de cores, tanto em se-
lim como emseda, ha de todos os gostos e
fetios.
ROUPA FE1TA E POR MEDIDA NA LOJA
DO PAPAGAIO.
Sor ment re roupas feitas de todas as
qnaiidades, e fcitios, para precos commo-
dos, e qoem comprar porco para negociar
ter um abatimeuto razoavel, grande sorti-
raento de casen.iras de cores com quadtos
e listras, C3ssmras pretas, e pannos pretos,
acns c cor de cafe, brius brancos, pretos
de cores e pardos, e manda-se fazer
qtialqaer obra a vontade dos freguezes,
nos preco qoe qualquer outra officiaa, e
para issoa LOJA DO PAPAGAlO acha-se mu-
nida do um bom mestre alfaiate para bem
desempenhar qualquer obra da sua arte,
rtcahindo a responsabilidade sobre o pro-
pietario da loja.
Dam-so as amostras de todas as fazend
a quem as exibir, ou mandam-se levar
loscaixeiros.
A ioja do Papagaio acha-se aberta d
horas da manh3a s 9 horas da noute.2
Francisco Teixeira Mendes.
Potassa nova di Russia a 200 rs. a libra.
: i! de Lisboa.
Cera em velas.
Dita em gruine.
Vinho do Porto siwrior engarrafad.
Dito de dito bun dem.
Dito moscatel de diversas narras idem.
Dito tinto l'almella superior idem.
Dito dito Vermodra idem.
Dito dito lavradio idem.
Dito braneo Carcavellos idem.
Dito dito Bucellos idem.
C.drfciras de ferro fundido para engenru.
No escriptorio de Oliveira Filaos A C. ao
do Gorpo Santo n. 19.
largo
EGHiNCH- I
sedas de coress a 40000 o 0
0
m
0
Sjo
^x covado,- hilos poilo de cbevres lar-
J grs com listras de seda a 500 res M
** o covado ; na loja das Collumnas, "
%f. ra 1." de Marco ( ortr'ora do
0 Crespo) n. 13. de Antonio Correa j$
^ de Vasconceilos.
E' BARATO
Para acabar.
Tarlatana a 3il rs. o metro, metas para senhora
a 21500 duzia, lencos brancos abanhados a
UeOO, 2|, 2*500 e 3J0OO a duzia, dit >s brancos
randes abanhados a 34, 3*500 e4* a dozia, raa-
apnlao francez com SO varas.a peca a 6*, cam
braias de cores a 220 p 240 rs. oicoaado, 'oMats
escuras a 200,210 e 260 rs. o aovad sem tran-
cado prnprie para vestido, fazenda nova, a 500 rs.
ocovado alpacas de cores a 400 rs. o covado,
cambraias brancas a 3*, 3*500, 4*800, 5*, 6* e
7*, akodi de lula proprio para roupa de esera-
vos a ICO rs. o covado, cortes de la com 14 eo-
vados a 3, cuales de merino estampados a 2*500:
na roa do Duque de Caas, antiga do Qneimado
numero 20.
ROMANA
Vi'nle-se ama tlauca remana com
tend.j os pagos que loe >o newarios :
S JVs n. 2.
pooeo oo
na roa de
Achaiie aberia de novo- a patona da rna da
Con.oriian. 17, bem naootada coro as melhoree
rariima do toarcadi, ir-lwlHaadn-corn.lutl' orna-
*? UmP'-v esselo, pelo qiW os seos proprieta-
ri>'seifii|m t..tfls,a< familia" para snprirem
m?Yhl'r"R.-nWat!ha,e massa- ftws de Kdaf
as q i nnaaes, pon, que pruteatain servir a todos
-hiLeJt,r.alI P0**""^ e .cun toda a ftdelidade,
tard" "fenlo completo de pi todas as
ei-agua,'teoo o patfnos e {rei. .)
EZZS&F:*io ******* se
ra com qaem tratar. *^ ^^
3 portas n. 53, ra Direita, 3 p rtas n. 53. mUiytA
loja do Braga
%
O abaixo assignado, dono deste antigo estabelecimento, leo ki pbi rta aure-^ntar i
5 compieto sortimento de ferragens, raiudezas e cotileria, lem ^:vi,') mandar buscar em ***
5 diversos penso da Europa os melhores objectos de seu e>i Oici-i-icneni'> Dos fabricantes
j^ mais conhecidos; pelo que convida ao respeitavel mblico seus ooowroaoa roKuezes m
g^ virem se servir eos objectos de sua carencia, a-nde eneont^rao por menas t 8, Jaui *"
Qj& e:i ontra rjualqtier parte, um sortimento complt-io de maciinas para dtrvearccar atoda
|| do bem eooliecido faiincante Cottorr Gin & G., ditas para costura, motores pa'ra anme*' w
ditos para fogo, moinhos p.^ra caf de todos os lmannos, da fabrica do Japi, espingardas d **
>M dous canos e de um, unto inglezas como francezas, louca de porcelana, facas e garfos M
M do diversas qualidades e precos, bandejas chinezas, salitre, breu, barbante, enxofre, papel e 1
g iimalha de ferro, aeo, e agnlha para foguctfiro ; assim como encontrarlo constante- a
^ mente grande porco de fogo do ar, e recbele .icommenda de fogos de vista, alem d<- um SS
cem numero de objectos, quo se tornara enfadouho numera-I"* : venham roa Dirwia n
B 53, loja de Lenidas Tito Loureiro, anga loja do Braga. *~t
CASA CAUVtN BBPI
Pharmaeeatlco priTneslado
auccessor
Bonlevord Sebastopol, OS. FJURI8.
NOVAS ESPECIALIDADES A. MARINIER
Apreeentadas a Academia de Scieneias e ao hiitolo de Kranca.
Eival son segundo,
RA DUQUE OE CAX!A K. i
(Amiga roa doQueimado)
Contina a vender todo muito bom e
muito barato a saber:
Libras de areia preta muito boo. .
Tesouras finas para nnhas e costu-
ra a......._, .
Papis de agulhas francezas a ba-
lao s.
|U |Cf*Pn ^^ firma def lilla, devedida e doseadi para aser de
IRUCuuJtU momento ama oluecao PRSVK1TTIV* E CUHAT1 Vi das
MOLESTIAS CONTAGIOSAS
lilTOR-PQIintO
Graves
do volume de \m relogio, ervindo
de Puiltbo e Seringa aem os
inoonveoieates de IragitiamAe.
Com i forma, e d olnme de nm Porte-Koeda eontcado
10B0 TRATAII*TO.
COLLYEIO
ESTOJOS
Contra as affeccots u palpebras, preparado sob a
forma.
BARTHOLOMEO C
Depositarios geral para o BRASIL, e PORTI'G.IL
3i, ra larga do loaario. i'-BIBNAMBTJCO.
MVIOWJOWIIAN
EHGMEIRO
Com fundipao
RA DO BRUM 52
J'assaudo o eh.--i Cariz.
Chama a attongao dos Srs. de tngenbo para 'teas acrediadu xttachnsmos e
:om especialidade para seus vapores que anda nma vez tam melhorado.
Os vapores foenocidos por elle.ej funcionando Ibeto de fazer saemor apna-
;iacao do que qualquer dito prqprio.
Desejaambem mencionar que t*m feito urna reduccao em seus precos; e qoe
em prompto uxia a especie d>.macbmismo e untros obiectos para a ,agrieat*ira.
OaiEas-com seis sazneles (le fruta IrJOtM.
LiiiiivS le ia parajordar Jetod>s
as cores a....... 8I090
Carriteis de linha MeWUdN a. 100
Frascos com azeite para machinas 5O
Grvalas re cores wrritn rfnas a 800
Grozas de boles madepersla S-
nissimos a....... 500
Novello de linha de 400 jardas a. 30
Caixas^omlOO envelopes moko
superiores ,...... 600
Pentes volteados para meninas a. 240
Tioleiios com trata preta a 80 rs. e 100
Pecas de fita elstica muito fina a 200
Lata com superior banha a 100 e. 200
Frascos de oleoPhilocomo mriito
fino-a.......... 800
Frascos de macaca perola a. 240
Frascos de extracto muito b mitos a 500
Duzia de sabonetes muito finos a. 720
Sabonetes iglezes a 00 rs. e. 10200
Frasco com agua de colonia Piver a 500
Dito de oleo babaza a..... 500
Caixas de lamparillas a. 40
Sabonetes a forma menino muito
superiores a....... 240
Cartilhas da doutrina fazenda nova a 400
Libras de linha sorlidas de todos os
Horneros a....... {800
Capachos muita bonitos e grandes a 700
Carriteis de retroz preto, com 2 .
oitavas a........ 640
Agumeiros de osso enfeitados a, 240
Libra de linha franceza superior
qualidade a....... 2^420
Gaias de pajito do gaz.a. ._____00
Rol*- ntorhMm*1)ie(>.
Renedfa efleaeisslma centra as dores rbeuma-
ticas at boje o mai.- coahecido pelos seus mara-
rTilhosoj rewltaioB.
XAROPE DE.AGRUO.- nnxiios jedicamen.
tos qoe sua efflcaca tas enfermidajes, tosse e
sangue pela necea, bponchites, dores e fraqaeza
loo pe, *>crc*uto e anotestias de ligado, que rae-
Ituir twn aprovado.
Tl.XTURA DE MARAPAMA.- A celebre raix
de marapuama, cuja energa e.efflcacia as para-
lysifti intorpeciraento, etc. tHc. mallo se reeonH
aieada.
Todos eses preparados se encontrara^aa phar-
macia e drogara do Bartholomeu & G, anico de-
posito na ra larga do Ro-ario n. 34.
Sival sem segundo
RA DO DUQUE DE CAXIAS N. 49
Estou disposto a continuar a vender todas
as miudezas pelos baratissimos precos abai-
xo declarados, garantindo tudo bom e pre-
cos admirados.
20 Duzias de palitos seguraoca a....
Duzia de palitos seguranca caixa
500 grande a...................
Frascos com cleobaboza muito fino.
00 Pacote^ com p's de arroz o me-
120
320
320
l1
CUAS HAHAl ILIIOSAS
Kac plus ultra
Tirando inmediatamente tods as rppas e eoccifns ^osoabeHs.
Depsito
rnente em.casa do a olor, Andr Delsao cjjodaireiro de Baria.
Ra 1* de Skarqo (antigaSepo) n. 7 ^ 1 andar
Paulo Cordeiro
Vea> tarap Paulo Gordeiro fino viajado, em
tatas, meio grusso e vinagnnho : no deposito da
ra do Vigario a, II. l sajar.
Grande pee hincha.
Ricos cortes de carntuaia-bordados soo> 10 vana
a 7*. alpacas e as de core a 400 e 500 rs. o
mi>: ****<* nh*r>u W,idtftdaiWta, PaaMaacsc

, Oleadeuciuo
Veade aeoleo de ricino : na roa d Cadeia-ve.
iba do Rectta i, |> andar
lhor que ha a......,........ 320
Va albas muito finas para fazer
barba a.................... I 000
Caixa de linha bram do gaz a.. 500
Vara de franjas de lidho para toa-
lhas....................... 160
Caixas com pennas d'aco de Perry
superiores................. 800
Lencos da cassa brancos e pinta-
dosa...................... 100
Caixas com 20 quadernos de papel
pautado ....... 700
Caixas com 50 novellos de linba
do gaza....., 400
Duzias de meias cruas superior
qualidade a.......36O0
Pecas de habadinhos com 10 va-
ras a., ........ 500
Pecas de liras bordadascom 12
metros cada peca a 10500 e. 24000
Pecas de fitas para cs de qual-
quer Largura com 10 varas a. 500
Escovas para unbas fazenda fina a 500
Ditas para dentes a 240, 320,
400 rs. e....., 500
Pecas de tranca lisas, brancas e
de cores av...... 40
Duzia de linba frxa para borda-
dos a 400 rs. e. 500
Pares de meias cruas para me '
nos diversos tamanhos a. 320
Duzias de meias brancas muito
tinas para senhora a. 4500
Pares de sapatos de tranca do
Porto........20000
Pares de sapatos de tapete a. 10500
Duzias de baralhos para vultarete 30000
Sylabarius portugueses a. 400
Cartees com colxetes carreras a 20
Aootoadui as para collete diversas
qualidades....... 400
Caixas com penna de ac muito
boa de 320 a...... 80C
Caixas com superiores obreias a. 40
Duzia e agnlha para machina a. 20000
Libras de pregos franceses todos
os tamanhos a...... 240
Pacote de papel cem 20 quader-
nos ........... 400
Rema de papel pautado superior 40000
Reama de papel liso nraito supe-
rior a........... 30600
Fogfto de patente.
Vende se em ca^A dos importadores Shaw
Hawkns A C., ra da Cruz n. 4.
E apaadores de palia
Soperiore a 1*000 : na ra do Crespo n. J5,
No armezem
^n DE
Rodrigues & Irmao
A W\ DA CADEIA DO REOFE N. 6
Ha para vender um cofre de ferro pro-
va de fogo dos melhores qoe tero vindo a
este mercado,
I'ftalA
DO
GALLO VIGILANTE
Rna lio Crespo a. 7
Mamis
pjbiico, mat-
aram vir' e acabam d>- receto ; }tu -a^r
da Europa um completo e vanado soflaaMB* it
finas e mui delicadas es| h ialid ircaea. -
to resobridos i '* ^^ eostaxa.
por precos muito aantinbui e comiuodos para le-
dos, com tanto que o Gallo....
Muito superiores uvas de pellica, pretas, bra-
cas e de mui lir.das cures.
Mui boas e bonitas gollinhas e prtnhos para .*-
nliora, neste genero o que iia de mais raedernc.
Superiores pentes de tariaruga (.'ara c an^i.
Lindos e riquissimus i nitcs para caldcas d
Exruas. senhoras.
Superiores trancas preas e de cores er.ru vid- -
Ihos e sem elles; esta fazenda c qae pode- baw
de melhor e mais bonito.
Superiores o bonitos laques de madreperoia,
niarflm, sndalo e osso, sendo'aqnel'ci braaeoe
com lindos desenhos, e estes pral
Muito superiores nielas Ba aa 'v-scossia para jj-
nhoras, as qnaes sempre c vendern pt- %'fiYQ
a duzia, entretanto que nos ;.- vc.demos per ibi,
alm deltas, temos tambein exaude sorti
outras qualidades, entre as qoaea algumae marte
finas.
Boas bengalas de superior caima da Icdu 4
castl.o de marflin en inHi1onaji~
rasdomesmo, neste (leero o que le melfa
pede desejar ; alm deltas ",'i i:::r'hen gran. :
quanidade de outras qualidades, enew sejar3,B.-
deira, baleia, osto, boi ..".etc.
Pinos, bonitos e airosos rhteotialMa de eaJe:a
de oatras qnalidades.
Linda? e seperior."-: Hgaa deneda e borraera
para segurar as meias.
Boas meias de sec.-vpara r-ihora e para et:
as de 1 a 12 anuos .
Navalhas cabo de mariim e tartarusa para fait-r
barba; sao muito hoas,e de mais a mais sao fa-
ramidas pelo fabricante, e nos por nossa ves tarc-
bem asseguramss sua qualidade e delicadeza.
Lindas e bellas capellas pasa iwivu.
Superiores agulhas para machisa e para eroxe
Linha mullo boa de peso, frouxa, para eacatr
labyrintho.
Bons baralhos de cartas para voliareae, asno
como os teios para o niesmo lim.
Grande e vanado s rtiraento das melhores per-
fumarias e dos wolhoies e mais conhecidos per-
fumistas.
COLARES DE ROER.
Electrices magnticos contra as convulsSe?.
facilitam a denti^ao das innocentes criancas. So-
mos desde mu!) recebedores destesprodipov:
collares, e eontiacamoa a recebe-los por todaa "i
vapores, all.n -.: (;:;.' nunca faltem no mereaof.
como j.\ ; i a-. !',!. can, ai>m pois podero aqaei-
les .' .vir ao deposito do ga'-c
Li'^ntrario desteavercr-
deiros p >' rmnns attendendo-se ao tn.
paraqi e vendarla com um m^i
diminute lu.:r.>.
Roganu s, p ns, a : i cbjedoa que deiT.aau
declarau'. .. ,. .. fn guezes s amigos a viren!
comprar por i-!';- >;,..iu razmveis loja do gal!e
vigilante, rna '.'<>.. i 7
D Mrdei) o /den
Rna o QerlmiB b. f O.
Novo e variado sortimento de perfuniar
finas, e ostros objectos.
Alm do completo sortiaieato di
marias, deque effectivamente estprtmdi
loja do Cordeiro Inevidente, ella kAi
receber um outro sortimen:o (
notavel pela variedade di; abyecto!
d&de, qualidades eeonintodi
eos; assim, pois. o Cordeiro Pre vid n/
e espera continuar a merecer aapn
do respeitavel publico em feral
boa freguezia em particular, nfe
lando elle de sua bem eonhed
e barateza. Em dita ioja ene
apreciadores do bom:
Agua divina de E. Coadray.
Dita verdadeira de Murray A Lamman
Dita de Cologns ingleza, americana, fr::
ceza, todas dos melhores emaisacreditede
fabricantes.
Dita de flor de larangeiraa..
Dita dos Alpes, c vilete para toilei.
Elixir odontalgico para conservajD
i8seio da bocea.
Cosmetiqces de superior qualidade
ros agradaveis.
Copos e latas, maiores e menores, Co-
pomada fina para cabello.
Frascos com dita japoneza, transp:
* outras qualidades.
Finos extractos inglezes, americano
(rancezes em frascos simples 3 eneitedoi.
Esse/icia imperial do fino e agradavel ch
ro de violeta.
Outras concentradas e de cheires igu
mente finas e agradaveis.
Oleo philocome verdadeiro.
Extracto d'oleo de superior qaid'
com escolhidos cheiros, em fraseos dedil!
rentes tamanhos.
Sabonetes em barras, malares e mens:
para mios.
Ditos transparentes, redondos e em Ci-
ras de meninos.
Ditos muito finos em caixinha para bar.
Caixinhas com bonitos sabonetes imitan;.
traetM.
Ditas de madeira invernisada contando \
as perfumaras, muito propriaa para pri
lentes.
Ditas de papelio igualmente bonitas, tas
bem de perfumaras finas.
Bonitos vasos de metal coloridos, a i
moldes novos e elegantes, com p do arre
e boneca.
Opiata ingleza e franceza para dente*.
Pos de camphora e outras differeat:
qualidades tambem para dente*.
Tnico oriental de Kemp.
Alada sjualai o^saea.
Um outro sortimento de coques da u
vos e bonitos moldes com filis de vidr
e alguns d'elles ornados de flores e flt-
esto todos expostos a apreciaeio do qw
os pretenda comprar.
GOLLITHAS E PNHOS BORDADO!:
Obras de muito gosto e perfeicad.
Flvellsu e fitas para lates.
Bello e variado sortimento de taes oL
tes, ficando a boa escolha ao gosto do c;:
prador.
Joaquim Rodrigues Ta-'
vffe^ de Mello,
TEM PARA VBNDER
em seu escrlpterio, tata do Carpo 3aoio
Fumo em foiba
de e 1- qualidade,^ Mtdeam'rn meto
fardos a vontade dos eayaSadorw.
Cal de LMkm
ultima asesada.
Potaesadaftrj^sia.
FarlsJla 4e snaadloea.
Viulio Bordeau.
de 1* qualidade. Tudo de vende ans
birato do que em ontra qualquer parto. |
- Vende-se oanabradrebode ota aossr iiUY.t
rna de S. Goncalo a- 17 : a tratar na ra do
C^aimado a. 4, foja de fsnafas.


I
i

8
V
Diario- d Pernambucd ~- Sexta feira 21 de Oittubro dt? htfO
ASSEMBLEA GEHAL
(guardada a Referencia di maioria de votos
[da ela-s-i .-inierinp, w\ resolvjdo o empale,
CMARA DOS DEPUTADOS-
Pabecer da commissAo nESPRCTivA soir.r; o
l'ROJECTO DE REFORMA KI.EITOIIAL APl'.KSKN-
TADO A DE JL'I.HO PECO Sil. Mt.NISTi'O DO
IMPERIO
(Concluso). \
VII. Formadlo 'las tormas dos que ape-
nas obti.erara o quociente, dos que o ex-
cederara e dos que o n3o obtvcam : com
a declarado dos votos sopprfluos, quinto
aos segundos, e dos votos deficientes, quin-
to aos ultimo?.
Os que apenas obtiveram o qoociente,
formar cada ira soa turma, denominada
especial.
Os que o excedern), formar caria om
sua turma, denominada geral, numeradas
estas tormas segundo a maior volai.Ti > de
cada um dos eleilos.
Os que n'w obliterara, forraaro nm.i
s turma denominada subsidiaria, com.-can-
co pelas cdulas d>>s mais votados a; s
do? menos votados.
As turmas especiaes e geraes s.o fap*
pas, era que sgrupam-se por classes s vu-
tacoes das ceflulas, c:jos votos de primeira
ou da principal classe apurada forara dados
a cad" um dos candidatos e'.eitos.
A turma snl)sidiaria o mappa cm
que agrupam se tambera por classes as vo-
tac5es de todas as cdulas, cojos vot-s de
primeira classe on da principal classe apu-
rada foram dados aos candidatos que nao
obtiveram o quociente.
VIH. Helacao dos que nao completa-
ran! o quociente con os votos colhido.-; as
turnias geraes, e que devera completa-lo na
turma subsidiaria.
IX. helaco dos que nao completaran)
o quociente na turma subsidiaria, e que
devera ser levados relaco V, e dos que
o nao completaram, enjos votos considemm-
se perdidos para tornaren! livres as respec-
tivas cdulas.
i 7. Os principios reguladores sao :
so o hfivcr, puder alcancar o quociente- da apurado
com o voto de classe complementar poste
ror. ser-lbe-ha este adjudicado e desconta-
do ao outro.
* XI. tilis.-dos ,ji votos superfluos de
urna turran ^erai, em qualqoer classe, se-
raoBcnsileradas esgotadas as respectivas
Cdiil. s, nao |rt>dndo C3da um destas dar
raai-i (l j qna um voto.,
XII. Na turma subsidiaria, o candidato
que liver em sen favor a preferencia, on
pela raiiori.i i) vot-s ou pela soluejo de
empale como j licou delerrainado, percor-
rer antea dos ouVoS concurrentes as di-
versas classes ci'ti)i>lemeniares. e adjudicar
a si os soffrapio nbtidos em cdulas, cojos
votos de priraeira ou da principal classe
apurad \ huuv^rem sido dados otilros
concurrentes menos volados. e ero ordem
aaceoUente. No caso de empate erare dous
ou ra lis emeon entes menos votados, ser
prejudiido o que nao puder utiaar seos
mos em qaalqi)r hyp lese, para formar
n quociente : mis em iguildade decircoras-
tanrias. a sorle decidir.
XIII. Se algum concurrente n3o obtiver
o quociente, on se um ou outro o Obtiver e
entraanto nao ficar prebenchido o numero
dos une devm s-r'eleitos aporar-se-ho os
votos soperOoos da segunda classe as tor-
mas ijjToi's e na subsidiaria, desprezada a
votaco de primeira classe obtida p-ios con-
ctin-enies racomalelos ; e considerada a se-
por efleito de inelegibilidade dos votados,
dar accessoaoimraettiato segundo a ordem
c XIX. O nome de ual caodidado, repe-
tido na mesma cdula, ser considerado nlo
esc ripio ; e assim tambero o que fr dado
a individuo supposto, oo a individuo /alie
cido antes oo ao lempo aa eleicao.
XX. O erro de nome, ou de qualqoer
dos qualificativos em alguma cedola, nio
aotorisa a n3o contagem do voto, se eviden-
temente pertencer a am dos condidalos que
houverem dispolado a eleicao.
| 8." As cmaras aparadoras remet-
ieran ao senado, cmara dos.depotados,
e s assemblas provinciaes todos os papis
qoe hooverem constituido o processo da
apuraco, que o hooverem auxiliado, e que
hooverem servido de baso a qualquer de-
ciso.
t A remessa ser feita por intermedio
dos presidentes de proviocias e do ministro
do imperio, aos quaes ser entregua;, me-
diante recibo, depois de rubricados pelos
vereadores, e de fechados e lacrados com
o sello das arn3 imperial, opado pela
corporaco apuradora. e asompanharb a
entrega duas vias da relac> dos mesmos
papis, assignada pela respectiva cmara
miinieiDal e autheoticadas pe secreta
della.
< Art. 6." A ecol! imperial, a que re-
fere-se o art. 43 da er>nstituico poltica do
imperro, ser feita 9otore listas3 iriplices,
apresentada pelo senado, depois de verifl-
vereadorasooiinnar a ser o atinal em-
qoauion3o,Sftrxeguldo por lei especial.
* Art'. I5> As atc(>33 ou omissoes, com-
mettidas por nembrob dejunia ou mesa no
processo eleoral e nao previstas especial-
mente nesta lei, sao crimes de responsabW-
dade de fonecionario pblicos., para serem
processados e julgados como taes.
Art. IQ^SIo rev 'gadas zs disposicSes
em contrario.
Paf i da cmara dos deputdos, 13 de
agosto de 1870. 7orio Mcndes de Almeida.
VARIEDADE
BOMBAg. GRANADAS E BAL.AS-. Do
jornal francez La Patrie, traduzimos o se-
grate artigo:
Lemos lodos os draa correspondencias
qoe se dizera escripias no campo da. bata-
Iha, mas as quaes rema uma singular con-
foso; e se commeitern erro palpaveis.
Raras sao as correspondencias cojos au-
tores nao nos retram ler v. no mais re-
nbido do combate, solearemos bombas peto
ar e nhirein perto del les-, coo*a pooco me-
nos que- impossive
Paraesclarecimento d.-ss-pessoo? albeias -
milicia, e qoe afinal (larj- so e4)rigadas arique tem a forran-que o nome om.
potc' fixo e aobre plata-formas di Oaderra
onstrnidas par,? esse fm. NSo tero cart
ta com rodas coran as pec^, e psr isso nao
pode transportar-se com rapidez, de om
para outro lado no campo de batalla. As
bateras de morteiros s5o fixas e ltam bas-
bante lempo a desfazerem-se.
A bomba desereve no sr om circulo ou
urna curva mais ou menos extensa antes de
cahir sobre o objecto a que dirigida. De
pooco ou nada serve o avistla n'um cam-
po du oatalha ; mai depressa poder evi-
tarse uraa granada on urna bala.
Ass-ira, pois, caros teitores, tedas as ve-
zes qi- lerdes na descripeo de fima bata-
Iha ou de om combate travado longe de
urna praj.i forte, que o autor da descripeo
esteva em risco de ser destruido por uma
bomba, uo vos assusteis pelos periges que
liver corridb.
Os projectis empregados ao campo de ha-
talha sao a araada oblongj a granad* de
bajas para azer fogo a grandb distancia, e,
finalmente, ce saqninhoa de metra Un pra
hter fogo a pequea fli-tancia-. A bala exi
projectil massito s se usa pira, derribar
um ')bslacolo, para abrir breuqa ou para
destruir o castro de um navio.
A> granada ooibnga um projectil co.
Rst
gandaHuse como principal relativamente !car e approvar o processo eleiiura' respec-i
t I. Ha tantas classes de votos quantos
forem os nomes que cada cdula deveri
conler ; o primeiro voto de cada cdula
de primeira classe, o segundo de secunda,
e assim os outros.
II. O voto de primeira classe prefere
ao de segunda, o desta ao de terceira, e as-
sim em diante.
III. Apurados os votos de primeira
classe, sSo declarados ele tos. segundo a or-
dem da votaco, os que houverem excedido
o quociente e os que apenas o houverem
a caneado.
IV. Os que nao houverem obtido, se-
rao relacionados para o effeito de guarda la
sempre a preferencia do mais votado no
caso de competencia sobre o voto de uma
cdula, adjudicarera a si os votos comple-
mentares obtidos as outras classes, apenas
os precisos para formaren), como as da
da primeira ou da principal classe apurada,
o quociente.
t V. As turmas especiaes nao do voto
a!gom complementar, e sao consideradas
esgotadas as respectivas cdulas.
VI. As turmas geraes do apenas os
votos superfluos, ou excedentes do quocien-
te Gxado.
VII. A turma subsidiaria fornecer vo-
tos complementares s aepois de percorri-
das por todos os candidatos concurrentes,
segundo a ordem de preferencia, cada uma
das classes das turmas geraes, guardada a
r.umerago destas, de sorte nao se passe aos
votos de orna classe as mesraas turmas
geraes sem que cada um daquelles candida-
tos haja percorrido a classe anterior ; e s
os fornecer aos candidatos qoe nao houve-
rem alcanzado o qoociente com os votos
complementares das turmas geraes.
t VIII. No ciso de empate de votos en-
tre dous ou mais candidatos concurrentes,
a preferencia ser resolvida era favor do
qoe liver mais votos na classe immcdiata-
mente inferior aquello era que se formou o
empate.
IX. A ordem da votaco anterior ser al-
terada para o effeiio da preferencia pro-
por^o que os candidatos concurrentes adju-
dicarera a si em cada classe complementar
de turma geral maior ou menor somma de
votos.
t X. N3o se adjudicar a um dos candi-
datos concurrentes o voto de classe comple-
mentar posterior em cdulas, cujo voto de
ciasses complementar anterior j houver si-
do adquirido por outro candidato concur-
rente ; mas, se algum dos concurrentes,
FOLHETISl
VIVA UNS DI 10ITJ
POR
Xavier de Montpin.
P.mTE TERCEIRA.
A COKSA DE IAHOI
(Contraoaco do n. 234;
IV
Maint-Haivcnt eatheqnlza o sen
hospedelro.
Aquello pensamento consolador socegou-a
algoma cousa.
Julia penteon os formosos cabellos pre-
tos, to coDjpridos e abundantes, que des-
atando os pelas costas abaixo, podia envol-
verle n'el es como n'om manto. Poz de-
pois na cabeca ama coifa branca, como as
nsava n'outro tempo, qaando, sem pezares
era cuidados, ia danc.tr nos bailaricos das
aldeias vizinhas.
Vestio o melhor fato que achou na saa
modesta guarda roupa. Era o mesmo que
trazia quando Saint-Maixent, entSo preso,
1:k> deitava temos olhares na sala baixa,
durante a ceia, fato qoe ella conserva va
desde entSo como reliquia preciosa.
Terminados estes differentes preparos,
miroa-se Julia ootra vez ao espelho, mas
sem sorrir sua imagera ; antes pelo con-
trario, dizendo bem tristemente:
No, n5o, ji nSo soa o qae era. Hei
de parecer-I be feia I
A triste mociaba enganava-se de meio
meio. Nao eslava ella de modo algum feia,
e at, sendo vista por .algum apreciador
intelligente, passaria nao s por bonita mas
por formosa, porque, todo o qae bavia per-
dido em loucania, tinba gwho em delicadeza
e destinco.
Com a saa pallidez mate e os olhos' di-
latados por am. cerco azal, pareca mais
aos v >ioa superfttoa dos eleitores na pri-
meira, e salv,- os votos complementares
adjudicados a concurrentes que com elles
aleancarara o qo< oiente, proceder se-h na
forma ji determinada- em relaco primeira
classe ; e assim em diante.
XIV. Se. apuradas- todas as classes,
nao preliencher-s quociente. o humero dos que Oevern ser
eleilos, ser este prehenchido pelos mais
votados na primeira classe, sem os- votos
complementares das turmas gerae e da
turma subsidiaria mencionados no- ni 12
deste paragrapho, e descontados os de pri-
meira ciarse que houverem perdido na-hy-
poinese do final do mesmo n. i i desie pa-
ragra,:ho. Se esses nao forem scllicieotes,
ser prehencbi pelos mais volados coi os
votos superfluos da segunda classe, as
mesmas rondiees dos anteriores : e atstm
em dianlc.
XV. Se. apurada a primeira classe de
votos. COdidat algum alcanzar o quociente,
ser despiezada, e passar se-h apurajo
dos de segunda classe e como nesta idntico'
fr o resoltado ser tambem disprezados e
passar-se-h tercein : e assim as mais.
Na classe em que algom candidato al
cancar apenas o quociente, esse ser decla-
rado cleiio e as respectivas cdalas, for-
mando turma especial serSo considerados
esgotadas ; mas desprezar-se-b toda a vo-
taco recente dessa classe, e aperar-se-h
a classe immediata, exclusive os- votos de
cdulas de turma especial.
Se, p >rm, algum ou algnns candidatos
excederera o qudenle, essa classe, tornan-
do-se principal, decidir-se-b em turmas
geraes, subsidiarias c especiaes se houver,
como licou determinado quanto a apuraco
da primeira classe, sem preju zo e outras
turmas especiaes anteriores j feitas por
outros candidatos.
XVI. Na mesma classe, os mais vota-
dos t'>maro os primeires lagares na lista
dos eleitos apurados, e as differentes clas-
ses, quando estas funecionarem como com-
plementares, prevalecer a prior i dado na
ibrmaco do qoociente.
c No caso de empate entre doos ou mais
candidatos na mesma classe, decidir a sorte
para a simples collocaclo na lista, se todos
os empatados entraren no numero finado
dos eleitos; se, porm, fr necessario de-
terminar qual ou quaes deiles devero ser
considerados eleitos, prevalecer o.principio
da maior votaco na ulasse immediata.
XVII. Se em nenhuma classe candidato
algum obtiver o quociente, a lista dos eleilos
ser formada pelos mais votados da primei-
ra classe; S3 algum ou alguns cand'datos
houverem alcancido apenas o qoociente,
prevalecer ainda aquello principio, descon-
tados aos votados na primeira classe os
votos de cdulas que em favor de candida-
tos j eleitos formarem turma ou turmas
especiaes.
XVlII. Os votos dadi s a inelegjveis nao
sero apurados; e a cmara municipal ex-
por circunstanciadamente na acta as raz3es
do seu procedimento. A annullaco de votos,
llVO.
Art. 7.' Para o caso1 do art. -29 'econs-
titoico poltica do imperio, iodos o edi-
tores da provincia conconerao s ornas:
mas bastar que o ministro oo tenha oqoo-
ciunle. ainda qoe outros candidatos aejam
mais voiadlisv oo bastarf que obtenaa a
maioria de votos abaixo de- qoociente se
outros candidatos- nao o venceris pelo qoc
cieute. Os eleitores depoztar&o na urna s
uma cdula com um s nosre
Ari: 8. O denotado s ser obstitu^o
pelo supplente qj'e na classifi(ac*> houver
obtido o mesmo omero, seg-jndo a orde*
da aporacSo, oo segundo a (?nd resu!-
tante darerifleapao de poderes.
I.* O drreio de subs'.lttiao ser
adquirido"nos seg'n*w casos:"
Renuneia ;
. Morte;
Aoseneta;
Impedimento.
S- 2* R caso iart- 29 da> uoostitai-
Co publicando impeh> nao ha o> dreito do
sobstituicjo.
Art. 9.. A'pronuoei em proeesso cri-
minal nao chela illegaldade papa- denota-
do ou senador.
Art. ll>. As nulljdades nas o* as que
nao alterare: o resultado eleiturai,- ro vi-
ciara a eleicao.
Art. 1 Deputa do algum, dtpa*>)e a
legislaco, poder acertar d& governo empre-
g/i, contrato, raerc, titak) ou condooorafo ;
aos senadores, porav nao licito aceitar
emprego e cntralo.
Io Os que j servirem cargos vitali-
cios deixaro o ejercicio- das func9~is res-
pectivas dorante a legislatura ; o senado-
res, porm, devero ser aposentados,, jubi-
lados o reformados, conforme fot a oatn-
reaa dos cargo qae exeroeren, cosao leado
ascondices Jfegaes para iss4>.
- 2." Os qoe nao servem cargo vi-
talicios os deixaro vagos?
3. Estes, disposifoesnio preiudicam
a do 20 do art. Io da lei don. 742 do 19
de seiembro de 1855 e a. dos i3j 14 e
15 do art 1. a lei o. I,o* de 8de agos-
to de 1860.
Art.' 12. O governo- nao coobecer da
validado ou da nullidade dos trabalbos de
juntas qualflicadoras, seoao para impar as
penas administrativas e mandar processar
os deqnentes.
Art. 13. Nao prevalecer eleieo -algu-
raa que nao seja feita no> lugar determinado
na lei e presidida pelo ancejonario compe-
tente.
Paragrapho nico. Sob pretexto algum
ser impedida a entradodo cidadao-no edi-
Scio era que houver de proceder-se: a elei-
cao.
Art. 14, Na eleicao de juizes de paz
e de vereaderes, incumbe cmara munici-
pal respectiva a execogao das senteneas ju-
diciarias sobre a identidade dos votantes
contestados, nos termos do art. 3S-| T.
Paragrapho nico. O modo pratico da
votaco na eleigo de juizes de paz o de
uma dama da corte disfarcado, qae uma
aldeaa.
Comprehende-se, porm, fcilmente que
a filha do lio Guilherme, estalajadeiro na
aldeia de S. Jndas, l no tim da Anvereia,
nao chegasse a adevinhar nada d'isto.
A omca janella do qoarto de Julia dava
para a estrada real.
A mocinha fui abri-la, deixando cahir at
meio as cortinas de panno estampado, por
traz das quaes se occuliou e espern, com
firme confianca, interrogando successiva-
raente cora a vista as duas extremidades do
norisoote, porque l para ella, pensar que
o marqnez deixaria de vir era o maior dos
absurdos.
N'isto se passou orna hora.
Oovio-se na estalagem nm grande raido
do passos, de esporas e de relinchar de
cavailos.
O preboste Dionisio Robustel o os seas
qaatro bomens, depois de ter molhado sufi-
cientemente o gasnete, dispunba-se a con-
tinuar a jornada.
Julia vio-os sabir pelo porto, e poucos
minutos depois j os tinba perdido de vista.
A estrada real, em toda a extensao qae a
vista podia abranger, ficou deserta ; o cre-
psculo adiantava-se cada rez mais.
Como elle se demora I murmorou a
donzella. Se apezar de ludo nao vesse I..
accrescentoo com a voz sorda e angustiada
entonaco. Nao 1 nao impossivel I Ha
de vir... diz me o coraejio que nao tar-
dar. .. ahi ebega... approxima-se... ji o
entrevejo... ei-lo... ei-lo. .>. Se alegra
mata, creio que vou morrer I
O sol, prximo a esconder-se, mostrava
apenas raetade do sea disco sobre ama
barra estreita de navens vermelbas e inflam-
madas. Os seos oltimos raios innundavam
do am vapor doorado as brancas sinuosi-
dades do caminbo qoe serpentea va entre
ora occeano da verdura em direccSo ao
bosque d'Ebreuil.
Pareceu de repente Julia qae por entre
aquellos vapores da tarde se ergua mna
nuvenzinha de p.
saber a diilerenca que ha entre ae bombas, cheia- de plvora e estala mais o*l menos
granadas-e bulas, vamos expicar-lhes no
que consiste cada om desres-projeetis e pre-
veni-las cntra as bombas imaginadas per
aiguns corres pendentes.
A bomba om projectil espherico e de
grosso calibre, ersprsgado ao ataque e na
defeza das pravas, para anminar edificios
ou1 inVendia-ios, para abrir brecha as
trincbeiras dos sitiadores, destrui-lasy lan-
car ft>go sprovisoes e matar os trahalha-
dores oecupados as obras de defeza.
A bomba oca, e esl dieia uma mecha cujn cotnprimento acalco hado
segundo o tempo qj h< de permanecer no
ar, owom pistn que the coinmanca o logo
no momento de cahir no chao on de bater
contra objecto a-qoe foi dirigido, produ-
zem a eploso ne*oecaio oppcrtona:
Ao cabir orna bemb n'om edibwe,' fora-e-,
a nao ser ama casamata construida pro*
de bomba, isto com nma abebada de
orna espessnra baatsute fonsiderovel para
resistir aowpeso desee enorme projectil, pese-
qoe augmenta em s-jbtdo grao pe* veloevj
dado qoe adqoire no moisento de cabir
Nao faltan credolos, qne, tendo-lido far-->
tos desta olasse em oommoventes amces*
se persoadem qoe, revetiodo-se d- muic
valor, na cecasilo enG n solo formando neMua especiado coa,
so pode, a.-rtes qae que ella arrbente, ar-
rancar-lhe a>-espoleta e impedir por isso que
tya explosl-.
Desejariamos qoe nenbom d> nossos
generosos e- arrojado* eitores se atrevesse
longe em razo do comprimento dt mecna
destinada a communicar o fo^o ao inte-
rior.
A granada arrsraessada por meio de
pejas de arlilharia oompridas e chamadas
canb5es-o obuses. O'calibre dessas boc-
eas d.i fogo n5o israal em todas as nces.
Em Franca ha as do-tres dasses. a ?roer :
o caaho raiado de Vi, qne obtm um al-
cance mfcrnao de :t,209' metros ; o canho
raiadcde ie o canhao-raiaitode montanba,
tambem' de 4. Esle" ultimo raontade-em
uma carreta tirado por mna*.
O canho de 12 servp. par as bateriae-de
reserva*;. o-seo projeciipesa 12 kilogram-
mas, justamente com a carga. O canho de
4 osa-se as bateras (te- divisos, e **o
que mat**- abunda e emptiega-ae na catopa-
nba ; o sen projectil pesa- 4 kilograranws.
A peca ife-moolanba usa-e^-no-terreno onde
a peca ccmmuwi de arlilharia nao pode ro>
dar.
A granada arrensessa-se directamente ao
objecto sobre qe se apona, o de reco--
cnete on ena faaendo-se eom qne toque di*
versas vesos no c>o e qtje se levante e-j
torne a cahir successivamente sobre elte
aftm do destruir os obstacoics-que encontr-
na soa passagem.
A granae comaom quando retenta es-
palha os seas esWkacos oi> fragmentos ao>
redor de si. A granada de balas, alm dos
estidiacos, langa os proieclis contidos no seir-
in*erior.
O sacco de- metralla una.reorpiente quo
a ex.penmeaSar senwHiante cousa,.so por;conlm balas- de grande calibre, as quaes
casuadade annisse acs-setas pos urna bora-i espalha entre oe mknigos, a-pequeas dis-
ba, pois que seguramente nao conseguira
tak lia e correra a eme morte certa. O
que se pode fazer, o-qae. com perigo da
soa vida, levou a elTe+v-o da t&tie mar-
CO-d 1855 tierna das triivneiras e Sebas-
topol, um soleado do* regiment nc 81 de
lirjhay por norae Davoine.
limo bomba 4ancada pefn inimigo- cabio,
sem rebentar^ no mere- de um grupo de
soldadas qut estava de guarda, oe quaes-
iara indubitave^aaente ser victimas della,
tancias.
Os projedis fkam livres ao sakwr da boc-
ea de logo, eatendenvse no armaneirad
leque. e abrangem om espado-tanto maior
qpanto maior for a distancia a que' se acbo
o alvo contra o-qoat se disparara avo qoe
nao pode eslar & mais de quatro
q^iiohenlos mettos, se se desoja qae o tiro
aproveite.
Finalmente, a hala massica,rauHo menos-
perigosa qna a granada, e qae n'oacro tem-
Quo significa aqoelte alomo perdido no
espaco ?
Nada, talvez, o nao obstante, toda a alma
da mocinha !he subi aos olhos,. qoe atten-
taram com anciedade crescento n'aquelle
ponto apenas pereeptivel.
A ligeira poeirada foi-se approximando
com rapidez. Em breve 3e pode avistar om
cavallo correndo i todo o galope, e afinal
debuxou-se claramente a esbelta forma do
cavalleiro.
O coraco de Julia deixou de pulsar, o
passou-Ibe uma nuvem por diante dos
oihos, vedando o borisonte.
Escurece-se a minba vista, balbucioa
ella ergoendo as maos sapplicantes ; som-
mem-se os objectos... j nao vejo nada...
E' talvez assim qae se morro... O' fteus,
deixa-me anda viver!... Permitte que o
veja uma vez mais I... e depois, so a mi-
nha bora ebegada, cumpra-se a tata von-
tadet
Ouvia-se cada vez mais perceptivo! o rui-
do cadencioso das ferraduras do cavallo ga-
lopando pela estrada, o em breve soou to
perto que a moca chegou a cuidar, com
immensa agona, que passra para diante o
cavalleiro, sem parar n'aqnella casa.
O seu modo foi, porm, de corta duraco,
porque o rodo parou de repente, e uma
voz sonora gritn :
O' de casa I Qne demonio faz o es-
talajadeiro ? Onde para a gente d'esta es-
talagem ? Vamos, patifes, aviar, e sai-
bam qae v5o ter a honra de recebar um
fidalgo.
Aquella voz era a do marqnez de Saint-
Maixent. Julia conhecea-a logo primeira
palavra, e, dominada por nma commoclo
maito viva, cabio sera sentidos no meio do
quarto.
Entretanto, os berros do marquez tinham
se ouvido no andar terreo.
O to Guilherme, a criada e o moco da
cocheira acudiram todos am tempo eami-
to pressa. A rapariga segaron no cavallo
pela cabecada, o moco agaentou o estribo,
e o to Guilherme tripjicoa. e multiplicou as
l suas mesuras e cortesas,, tanto quanto lh'o
porque estando a media- aeeesa aaproxima- po se usa va no campo da btelos 4e prefe-
va-se a occaso de rebenlar. Davoine,
pego na bomba coa ambas as mos &
lanoou-a paran outro- lado do parapeito,
onie-rebentoa sem causar o
trago..
Esse valene soldado- obteve pop- essa oo
casilov eomo pj-emio do> seu arrojos a me-
daXia militar,, lendo sidts- alera disso men-
cionado na ordem geral. do exercko.
Vamos exgbear agora a razo porque 3'
bomba nao pode ser empregada no campo
de batalha, e.jcepto quando so trata de uma
praga forte como socosdia com o aaqoe do
Sebastopol.
Ai bomba arremessada por meio da-
urna bocea de fogo a-.que se chama raorisi-
ro, que tem a- forma- de om c'n truncado,
ou,. por out.-a, semi-espbcrica, no funde da
qual se col loca a plvora era pcqraena quaa-
tidade, comparativameole cora, o peso dn
projectil, empregaedo-se todas, as precau-
voes necessaiias para que ao aarregar nao
se d explosao, o que algumas- vezes tem.
.accedido.
O morteiro, assim denominad* pela sua
semelbanca com os almofarizes dos droT
gaistas e ph armase tilicos, coltoea-se em um
rencia a qualta/ier outro projectil, so servo
para derribar obstculos mcleriaes nos cer-
cos e no mar. empregando-se-priacipalmen-
miaiano es- f te para bater em brecha ou para melter a
pique algn navio.
A PRUSS1A> EM 1870.Chamamos a at-
ienco dos leitores sobre o inters-santo ar-
tigo que se segu, escriplo polo notavel pu-
blicista Mr. Eduardo LabooJaye :
Nestes uliimos 40 anoos a guerra ti-l
nba-se soavisado rauilo, e a consignarlo de
nm novo ireitO'publico doo .ampio campo
justiQa e huaianidade. Este principio
geraimentc- acceie, baseava-^e em que a
goerra s* so faaa entre os execcitos kSelli-r
gerantes ; deviam. respeitarso por um-.e
outro lado os habitantes indensiv., as reu-
Iberes o as-cnancas. No circo de Anvers,
o ataque e defeza prolongaram-se nicamen-
te para solar a cidade ; aode Roma o exer-
cilo fransez.escolbeu uma. posiv'o desvanta-
jK)sissiraa-.com o nico am de poupar os
monomeBios da cidade eterna; as expodi-
ces da Gt i moa a Italia fieeram-se sem, im-
prcontribuiees nem violencias; tudo se
fez segundo as leis da borra, como- se se
permittia a magestosa rotnndidade do seu
abdomen, dizendo sempre l comsigo :
Eo j vi este Qdalgo nao sei oade !
Saint-Maixent. entrn na, hospedara.
Ot, senbor estalajadeiro I disse elle
com ar meio zombeleiro, porque estava de
bom humor ; fiaa-me esperar, mas como eu
soa de condicao benigna, tenciono perdoar-
Ihe, com tanto que o vicho seja bom e a
comida menos ra. Ora vamos, arranjar
tudo o mais- depressa possivel; estou com
fome de palmo e meio!.
Est servido nao tarda nada,, meu fidal-
go, obtemperou o to Guilherme, deslum-
hrado pelas maneiras familiares- e imperio-
sas do recem-chegado, o atrevo-mo a esperar
que o mea fidalgo ha de ficar de todo em
todo satisfeito.
Trata-me por senhor marquez.
Farei todo o> qoe esliver ao mea al-
cance para obedecer ao senhor marque.
Cont com isso.
O senhor marqoez tenciona fazer-nos
a honra de passar a noute D'esta soa casa ?
Tenciono... Mande-me arranjar o
quarto qoe esl no meio do corredor...
e que tem, segunda nao parece o n. 5.
* O senhor marqnez conbece isto por
aqui palmos I bradou Guilherme estope-
fado.
Ji nao a primeira vez qoe entro
n'esta casa. V, v, senbor estalajadeiro,
nao percamos tempo ; j o comer aqui de-
via estar.
O to Guilherme correa para a cozinba, e
om quarto de bora depois assentoo-se Saint-
Maixent mesa, cheia de apetitosos man-
jares e deempoadas garrafas de venerando
aspecto.
Depois de satisfeitos os primeiros impe-
tos da fome, levantou o marquez a cabeca
e vio o to Guilherme, qoe olbava para elle
de bocea aborta. '
Digno estalajadeiro, disse-lhe elle
rindo-se, quer qne adevinhe o qae n'este
instante lhe d mais que pensar ? Quer?
Pois Vmc. est se lembrando da minba
cara, e perguota l com os seos botoes,
sem encontrar resposte, quando e como leve
a honra de me ver a primeira vez.
NSo o neg, senhor marquez ;; procu-
ro o nao posso atinai.
Deixe estar qoe eu Ibe ajuduum pou-
co a memoria. Esse quarto n. 5, qoe ha
pooco loe ped, recorda Ibe uma noute hor-
rivei-. Espantosas calumnias, poderosos ira-
n gos opprimiam injustamente nm fidalgo ;
trouxeram-o preso sua estalagem, e Vmc.
dea-lbe o quarto n. 5, onde ficoa.maito henx
guarpado, nao obstante o que, sempre con-
sogoio fugir. Pois esse fidalgo oo eu;
O senbor marquez de Saint-Maixent 1
balbociou Guiluerme pondc*-se milito brac-
eo o recaando aJgons passos.
Em carne e csso, tolveu o nosso
here. Mas qpe tem ? dtr-se-bia que Ibe
mello modo r Tomarme por ventura por
algum monstro carregado do iniquidades ?
Ignora que o re, do quera, dimanam toda a
verdade e jastica, redozio i nada as calum-
nias e me livrou das machinaces dos meus
inimigos t
Eo \a sabia, senbor marques, disse o
estalajadeiro com voz trmula.
Entio porque motivo empallidece e
se affasta de mim f
O respeito... a sorpresa...
Sejamos francos: fallaram-lhe tantas
vezes dos meas suppostos crhnes, repeti-
ran>lhe tanto mondo qne eu era ora mal-
vado indigno do perdo, e por tal modo o
chegaram a convencer, que lhe parece agora
difficil mudar de opiniio e ver eu mim
pora e simplesmente um nobre e leal fi-
dalgo.
Oh 1 isso nao I Olhe que se engaa,
senhor marqnez, exclamott Guilherrae com
ar de conviccJo ; l pelo senhor marqoez
ia eo por as mos no fogo, e at a cabeca,
E o honrado estalajadeiro nao menta.
Acabava de se operar n'elle uma repen-
tina transformacao, e comparando as obsti-
nadas afirmativas de Dionisio Robustel
com a suprema autoridade do re, do quem
segando a expressSo de Saint-Maixent, ema-
navam toda a verdade e toda a justica, a
ptlavra do preboste ficoa de peior'partido.
traiasse de om doello; foi por este motivo,
que, terminada a goerfa, os inimigos pndt-
ram aperiar-se as maos.
Est va reservado Prossia o resuci-
tar as praticas selvagens de outros lempos.
O assassinalo dos guardas movis de
Vechy; a obrgaco imposta aos filbos da
Alsacia de trabalharem as trinebeiras em
frente de Strasborgo, e, n'oma palavra, o
bombardeamento da cidade, ao lacios to
odiosos, que excitam a indgnaco universal
e que os povos civillsados brevemente ana-
themalisaro. Cegos com o seo primeiro
triompho. anciosos cada da por um ama-
n/ia glorioso qoe possa escapar Ibes, os
Prossianos semeiam ao redor de si a desoa-
?o e a morte ; cdberao a vinganca. 5o
est, de eerto, longe o da em qoe per nma
crael experiencia, se convenjam de qoe a
sua maior falla militar e poltica foi este in-
suflo bumanidade.
* Os diarios al lema annoncram-nos qao
o veneranda bispe de Strasborgo se dirigi
ao campo prossiano para protestar contra
o liomoardeareento da capital, por julga-to
ontrarfo s praxes da guerra. Pedio qoe
se deixaasem sabir da cidade as mulleres e
as criancas. O general prossiano de Wer-
der, res^ondnu '
3ei pereiiaroente que nao tomarei
Strasborgo atacando as suas mu ralbas;
cempete, pois, aos- seos habitantes obrigar
o- seu general a capitolar.
Kespondendo as*rm, o general Werder
o o- que Ib? deram tees ordens-, esqoecem
que as ideas da justica e bumanidade leen
teiio* algum progresso- no mundo- ha meio
seepto.
EtteptUMfo a Priissia, quemsusien-
lar que possa fazer-se morrer orna popula-
ran inoflensiva'eom o unteo fim de obrigar
a render-se uraa cidadella ?
E costme, diz ojnrisconsnllo alle-
mo Rantscbli, qne o sitiador annoncie a
sua inteco de bombardear a praca. alim
de qoe os cidadSos nao combaiente e es-
pecialmente as maneres e as criancas,- pos-
sam por-se a salvo. E'- este o direitomo-
derno rifte gentes,-5o estas- as leis da hu-
manidad* qoe todos os povos ohservwn,
exceptuando os discpulos de Hege', os
piedosos- e mysticos cidados de Beritm.
Para elle* anda estamos na poca das de-
golacSes de qoe nosd noticia o Antigo Tes-
tamento ; nao poder, toda vi, ler o Evaa-
gelho e azer-se cfcristaos. O* sen corago
nao Ibes ia qoe esta detesta el crueldad
lm disso intil. P&rsoadeose, porvea*-
tura, qoe um general francez se dentar in-
timidar e esqoeceri a seos deveres T
NSo.NG'-tbzem senao accreseaotar ao no-
mo prussiano- om estygma de horror qno-
nvnca se apagar.
Succedem-se as- geraces a- o esqoeci-
ment cobre os tmulos dos vencedores o
vencidos; os tactos, porm, ficam, e a soa
eloquente Iragnagem ohegar e-geraes ro-
turas.
A.-, ruinas do castello de Heidelberg re-
Gordam inesesanlemeal aos Alienaos a de-
vaslaco do Palataado; a catedral de
StrasborgOt destruya pelos projectis da
artilnaria prusiana, a igreja de* Tbomaz
demolida e a bibliotheca incendiada, diro
claramente- aos scalos vindpcros o qne
eram os Prussianos ai 1870. OSr.de
Bismark tena todas as-celebridades; at a
de Lovos.B em presenca destes borro-
res, ainda fallamos do* nosso progresso, da
nosea iilostraeao, da noasa pbilosopfaia e da
aessa religiao Qoe homilbacao para os
que vivemos-no secuto-XIX E o que orde-
na estes horrores um re que sejnlga
christo, um velho que talvez brevemente
ir dar cootas a Dos dos seus actos I Nao
tem familia? Nao tem-amor aos-seus filbos
para desta forma ordenar a morte de lodo
om povo indelezo ? J4 lga porvenlnra qoe a
alma innocente de uma enanca nao igual,
perante Caos, de um principe coberlo de
saugue ? Nao se lembra que se approxima
o da em que estas tauJberes o estas crian-
zas assassioadas se levantaro em preseno
doJmz Supremo para pedir jusbfa e ama!-
dicoar os seus verdugos?
UM NOME DESTINCTO. Mr. J. S. La-
eordaire, professor de anatoma em Lige,
acaba do fallecer.
Era hornera destnelo em lettras, e ento-
mologista notavel: a soa historia dos In-
sectos, de qoe no atino passado publicara
o 8. volme atiesta o saber o tlenlo d'esie
naturalista. O seu appellido era j bem
conhtecido, como irmao do grande prgador,
L'abb Lacordairo, das conferencias em
Notre Dame, e que foi to intimo de Lame-
nais, e de Montalembert.
Desde aquello momento sentio-se o to
Guilherme animado a defender contra toda
a gente a honra immaculada do sea hos-
pede. Assim, o o allirmeu com tal vehe-
mencia e de maoeira to positiva, qne o mar-
quez de Saint-Maixent se dea por satisfeito e
se dignou de loe prometter a maior pro-
teceo.
Guilherme, cajo entnusiasmo ebegava a
ser inverosmil, senta dveras ao ter all
mao o Dionisio Robustel para o atanazar
um pedaco.
Dganme agora, honrado e-stalaiadeiro,
proseguio o marquez, que feito foi de saa
dlba, aquella bonita rapariga que c vi o
anno passado, e qoe se chama Julia, se bem
lembro? Porque motivo nlo esl ella
aqui ? Casou-se ?
Se secasoo ?... repeli Guilherme
com entonaco lamentosa. Ah i nio, se-
nhor, e qoer-me parecer qae nunca poderei
casa-la.
Como assim ? E bonita, loocS, Vmc.
ba de certamente dota-la... e nao faltarlo
pretendentes.
Pois sim, senbor, mas qae ella todos
os partidos que se Ibe offerecem recosa,
diz que antes quer ficar soiteira.
Anda talvez namorada f
Nao quero crer, senhor marqoez ; ella
dizia-me logo. Sabe qae seo bom pai e
qae nada me obrigaria a contrariar a sua
inclraaeo. .
Eu nio poderla ve-U ? Tenho maito
gosto ema comprimentar...
Comprimentar Jnlia f Ah I senbor
marqoez, qoe honra para nos I L ella qoe
est sempre a pensar no senhor marqnez.
NSo m'o diz, mas eo bem o conhqco.
E Guilherme Chadorant enfloa pela es-
cada cima com toda a precrpitacao que as
pernas Ibe consentiam, dizendo em Utos
berreiros :
Julia I oh Julia t vem c depressa.
Oiha que o senbor marqoez de Saint-Mai-
xent faz a honra de perganUr por ti I
(ConttnNar-se-Aa).
yTd MANO BA DO DUQUE DC*XU
t
C
.

-
jfs


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ELLY8AZEG_QUOOWS INGEST_TIME 2013-09-14T00:57:48Z PACKAGE AA00011611_12243
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES