Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:12242


This item is only available as the following downloads:


Full Text
QUINTA FEIRA 20 PE 0UTUBR0 DE 1870.
PARA A CAP LUGARES. 05DE IAO SE PAGA P01TE.
Por I tentados.......
Jrtuc .................
Por um.^ano..............
Cad uero avultw................r .
'ABA DEIT10 E POBA DA PB07IICU.
244000
820
Por t
Por se.* df
Por nev
Por om auno dem
i

Propriedade de Manoel Figueira de Faria & Flhos.
SAO AtJBWTEB :
Os Srs. Gerardo Antonio Alves & Filhos, no Para ; Goncalves d Pioto, no Maranhao ; Joaqnim Jos de Oliveira, no Cear ; Antonio de Lemos Braga, no Aracaty ; JoSo Maria Julio Chavea, no Ass ; Antonio Marque* da Silva, no Natal; Jos Jnatino
Pereira d'Almeida, em Mamangaape; Antonio Alexandrino de Lima, na Parahyba ; Antonio Jos Gomes, na Villa da Penha; Belarmino dos Santos Balcao, em Santo Ant3o; Domingos Jos da Costa Braga,
em Nazareth ; Francisco Tavares da Costa, em Alagoas; Dr. Jos Martins Alves, na Babia ; e Jos Ribeiro Gasparinho no Rio de Janeiro.
PARTE OFnCIAL.
Goreruo da i;oviuchv
EXI'.~I)IENTE ASSIfi.NADO l'KI.0 EXM. Sn. DESBUUMA-
" FRANCISCO DR ASS1S PKRKIIM ROCHA, VICS-PRE-
8I9RNTE DA PnOVI.NC.IA, EM ?4 DE MAIO DE 1870.
1.' seero.
N. 78o.Offlcio so inyector do arsenal de ma-
riDl.i. f. romnico a V. S. pura seu conhecimen-
to, ijue segundo consta de aviso da repartico do
imperio de do corrente, f >i autoriza J i pela ver-
ba eventuaes do ex rricio de 1869 a 1870 o cr-
dito da quantia de 1213622. alim le ser indemni
sado o ministerio da marrana da metade da impor-
tancia dos concertos de que carela a balieira ao
servico de inspecro da ande do porto e que lo-
ram Ritos nesse arsenal, visto cono, sondo des
empenbaJe na mesma balieira o servico da polica
da mencionado porto, deve correr meiade da des-
peza por contado ministerio da justica.
N. 787.Dito ao capito do porto.=Manle Vmc.
por em liberdirte o recrula Luiz Francisco de*Ie-
deiros. visio ter provado isencae legal.
N. 788.ito ao conselho de compras do arse-
nal de guerra.Auloriso o conselho de compras
do arsenal de gueira a promover a compra dos ob-
jecin precisos para o almoxariado do mesmo ar-
senal, e pira os arabalhos das offleinaa de primei-
ra e segunda classe, constantes do pedido junto sob
n. 16.
2.1 seceao.
N. 789.Offlcio ao Exm. Sr. ministro da justica.
N. 99 Em addilaniento ao offlcio que tive a
honra de dirig a V. Exc. em 27 de abril 8ndo, sob
n. 70, sobre os pretndante* a serventa vitalicia
do offlcio de escrivao do jury e execucoes crirai-
naes deste termo, pa requerimento junto de Jovino Epiphanio da Cunta,
que requer a sua magestade o Imperador a graca
de ser prvido na serventa do dito offlcio ou na
dos de tahellio e escrivao de orphaos e mais an-
nexos do termo de Agua-Preta, sendo que deixoo
de ser ua peticao remettida nessa occasio, pela
razio que dei em meu offlcio de 12 do corrente,
sob n. 89.Informando a peticao do supplicante
refiro-me as informac8es inclusas por copia, que a
seu respeito do os juizes de direito da primeara
vara desta capital e o da coraarea de Palmares aos
documentos que junlou e ao que declare no pri-
meiro des meus supradilos offleos.
N. 790.Offlcio ao Sr. Dr. ctiefe de polica.
Par* que possa ser effectuado o pagamento que V.
S. soiicitoa em offlcio de 10 do corrente, sob n. 721,
da quantia de 19*400, proveniente do aluguel a
contar de 28 de outubro do anno prximo passa-
do a 16*de Janeiro ultimo, da casa que serve de
quartel ao destacamento do povoado de S. Jos da
Extrema, fat-se preciso que seja remedida a con-
ta desta despeza, conforme solicita o inspector da
tneso.irana provincial, em offl:io de 21 deste mez,
n.303.
N. 791.Dito ao commandante superior da guar-
da nacional de municipio de Pao d'Alho.Respon-
dendo ao offlcio de V. S. de 22 do corrente, tenho
a dizer-lhe que em vista do disposto no aviso do
ministerio da guerra de 29 de novembro ultimo,
nao pode ser satisfeita a requisico de armamento,
convindo entre tanto que ao melhor modo que for
possivel seja cumprida a ordem desta presidencia
contida da portara que em 7 do corrente que foi
dirigida a V. S.
N. 791Dito ao jan de direito da comarca de
Caruar.Communico a Vine, para os devidos fin
que segundo consta do Diario Offtcialn. 111 de 13
deste mea, por decreto de 6 do corrente, foi remo-
vido ojuiz municipal e de orphaos Antonio Pauli-
no Cavalcante de Albuquerque, do termo de Bui-
que para o de Caruar.
N. 793.Dito ao joiz de direito da comarca de
iaranhuns Communico a Vmc. para os devidos
iins, que segundo consta do Diario OfiHl n. 111
da 19 do corrente, por decreto de 6 deste mez, foi
reconduzido o juiz municipal Antonio Paulino Ca-
valcante de Albuquerque, para o de Caruar.
N. 794.Dito a> juiz municipal da primeira vi-
ra.Faca Vmc. seguir na primeira occas o que
houver para o presidio de Fernando de Noronha,
os sete sentenciados de justica, que segunde aviso
do ministerio da justica de 7 di corrente, vieram
no vapor Muge, e por offlcio de 19 do corrente, se
ordenou ao Dr. chefe de polica fossera recolhidos
a casa de detenco.
N. 795.Dito ao commandante do corpo provi-
sorio de polica.Mande Vmc. engajar no corpo
sob seu commaodo os voluntarios da patria, Jos
Rodrigues de Vasconcellos ( corneta ), Anuncio
Jos de Santa Anna, Manoel Marnho Spyndola, Joo
Francisco Cordeiro, Rarmundo Alves de Lima e
Joio llaptisla de Lima, dos qaaes trata o seu offl-
cio n. 271 de 23 do corrente, se liverem a precisa
idoueidade.
N. 796.Portara.O vice-presidente da pro-
vincia altendendo ao que Ihe requereu o bacharel
Manoel Antonio da Fonceca Mello, promotor publ-
ce da comarca de Fiares, resolve conceder-Ihe tres
mezes de licenca cort ordenado na forma da lei e
cuitados do da 26 de abril prximo lindo, para
tratar de sua saudo, fleando de nenhum effeito a
que Ihe foi concedida em fevereiro ultimo.
3.* seceao.
N. 797.Offlcio ao inspector da thesouraria de
fazenda.O brigadeiro commandante das armas,
participon-me em offlcio de 20 do corrente, sob n.
272, que em consequencia do impedimento do pri-
ineiro cirurgio honorario do exercitp, Dr. Alexan-
dre de Souza Pereira do Carrao, ennarregou inte-
rinamente da enfermara militar, sob a administra-
cao do conselho econmico do deposito de recrutas
ao segundo cirurgio reformado do pxereito Feli-
ciano da Silva Tavares, e designou o pirimeiro dito
tambem reformado e empregado no ervco da
guarnicaoDr. Miguel Joaqun) da Costal Mascare-
nhas, para fazer provisoriamente panel da junta
de saode presidndo-a .- o que declaro a|V S. para
seu conheciment.
. 798.Dito ao mesmo.Communci a V. S.
para seu conheci ment que segunde cvnsta de
aviso da repartilo do imperio de 7 do torrente,
foi approvad* pela respectiva verba, do ejercicio
de 18691870, a ajuda de cnsto na importancia de
6O040O0,/iue esla presidencia mandou pasar sob
sua responsahihdade para indemnisacao dosj gastos
de vi agen de Ida e volta na sessao do corrente ao
no, ao deputaoo pela provincia do Cear, lesem
bargador Trislao de Alencar Araripe, visto \ mes
nio desembargador, residir na capital desta\ pro
vincia.
N. 768.Dito ao inesmo.\os termos de
informacao de 14 do corrente, auloriso V.
mandar que seja levada as despesa do minis
da mannba, sob a rubrica forca naval na r
de 9*600 a arroba, a importancia das 200 Ir
de carne verde que segundo o incluso con!
ment que devolvo remettido pelo command:
do presidio de Fernando com offlcio de 3 do
rente n. 151 forano pelo mesmo commandante
necidas para aliraentacao da iruamicao da cor
de guerra i/ietheroy.
N. 769 Dito ao mesmo.Era observancia
desposto ne art. 6 de decreto n. 4386 de 24
abnl do anno p. p.'transmit o a V. S. para os
convenientes o titulo junto de remocao do ba
ral Francisca Lua Correia de Andrade do carjgo
de juiz moaieipal do termo de Santa Luzia jdo
Norte na provincia das Alagcas, para o de Fl
nesta provin;ia.
N. 70,luto ao eamo.Em vista dos 2 i
so3 recibos que me remetleu o chefe de
offlcio do 1* de abril ultimo 90b 1
mande V. S. pagar ao Dr. Joaqun) Goncalves Li-
ma a qoaoiia de 145J ou o que justamente se de-
ver do aluguel ven;id 1 de Janeiro p. p. a marco
d-'ste anno, da casa que serve de quartel ao de-
tacamente existente no termo da B >a-vista.
N. 791.Dito o mesmo.Expeca V. S. suas
ordens para que depois de liquidada em vista das
2 inclusas contas juntas em duplcala a despeza
feila nos mezes de outubro do anno p. p. a abril
ultimo, cem o fornecimenlo de luz a agua pira o
quartel do destacamento da villa do Bonito, seja
paga a sua importancia a Fernandes & Pereira,
conforme solicitou o chefe de polica com o offl-
cio de 21 do corrente sob n. 772.
N. 792.Dito ao mesmo.Transmillo a V. S.
o incluso offlcio circular da directora geral das
renda publicas datado de 7 do corrente.
N. 793.Dito ao mesmo.B^motto por copia a
V. S. para o seu conhecimento o o incluso aviso
expedido pela repartirao do Imperio em 5 do cor-
rete, aulorisando o crdito da quantia de 12*622,
pela verba eventuaes do exarcicio de 1869 a 70
pira ser iodemnisado, o ministerio da marinha da
melada da importancia dos concertos de que ca-
rece a balieira do servico da inspeccao do porto,
e que foram feitos no arsenal de in.iruha desta
provincia.
N. 794.Dito ao mesmo.Transmito a V. S.
para os lios convenientes as 7 inclusas ordens
si-ndo 5 do tribunal do 1 he* uro nacional sob n.
77 a .81 e 2 do ministerio da guerra, datada de 9
e 13 do corrente, e bera assim um offl :io da direc*
loria das rendas publicas de 4 do corrente do
mesmo mez.
N. 795.Dito ao mesmo.Tendo nesta data au-
torisado ao conselho de compras do arsenal de
guerra, a promover a compra dos objectos necea-
ce.'sarios ao almoxarifado do mesmo arsenal, das
offleinas de 1' e 2' classe constantes do parecer
junto por copio sob n. 16, assim o communico a
V. S, para o seu conhecimento.
Pi. 796.Dito ao mesmo.Communico a V. S.
para os devidos fias, que segundo consta do Dia-
rio Oficial a. 111 de 13 do corrente, foi recondu-
sido a seu pedido por decreto de 6 deste mez o
juiz municipal e de orphaos Antonio Paulino Ca-
valcante de Albuquerque do termo do Buique pa-
ra o de Caruar.
N. 798.Dito ao mesmo.Segundo consta de
aviso da repartirlo da guerra de 6 do corrente, foi
aprovada a deliberaco qne esta presidencia to-
mn de mandar abonar a gralilicaco diaria de
300 rs. a cada urna das pracas do corpo n. 30 de
voluntarios da patria, o que declaro a V. S. para
seu conhecimento.
N. 799.Dito ao'mesmo.Providencie V. S. pa-
ra que em vista da conta junta em duplcala, que
remetteu o engenheiro encarregado das obras mi-
litares com o offlcio de 21 do corrente, seja paga
a Bernardino de Sena Cruz, a'quantia de 10< que
se lbe est a dever por haver tapado os arromba-
meotos feitos pelos recrutas na parole da enfer-
mara militar, e no assoalho do xadrez pequeo.
N. 800.Dito ao inspector da thesouraria pro
vincial.Em vista de sua informacao .de 17 do
corrente sob n. 295, com referencia a da contado-
ra dessa thesouraria, mande V. S. pagar smente
a quantia de 137*050 proveniente dos'ven cimentes
de 15 pracas e um offlcial com que toi augmenta-
do o destacamento existente em Itamb, sendo os
das pracas a contar de 8 a 21 de marco ultimo e
os do offlcial de 11 ao citado da 21, como se v
da foiha e pret que devolvo em duplcala, e que
me remetteu o chefe de polica com offlcio de 8
de abril p. (Indo n, 480.
N. 801.Dito ao mesmo.Pode V. S. nos ter-
mos de sua informacoo de 21 do corrente sob u.
305, expedir as convenientes ordens para que os
vencimentos do destacamento de guardas nacionaes
existentes na'villa da Escada sejam pagos pela res-
pectiva col lectora.
N. 802. -Dito ao mesmo.A Jos Virgilio da
Silva ou ao seu procurador, mande V. S. pagar de-
pois de liquidadaem vista da conta e relaco jun
tas que me remetteu o ebefe de polica com offlcio
de 21 do corrente sob n. 773, a importancia da
despeza feila no mez de marco ultimo com o sus-
tento dos presos pobres da cadeia do termo do
Bonito.
N. 803.Dito ao mesmo.Devolvendo a'V. S.
a inclusa conta, com a importancia de 105*400 re-
lativo ao sustento de 17 criminosos, que vieram
de Fijres para a capital e constam da mencionada
conla, tenho a dizer em resposta ao seu offlcio de
21 do corrente sob n. 302, que dessa despeza man-
de pagar somante a quantia que justamente se de-
ver, de cenformidade eom a tabella a que se re-
fere o citado offlcio.
N. 804.Dito ao mesmo.Transmiti a V. S. o
incluso prel nominal que me remetteu o commad-
dante superior do muuicipio de Sirinhaem com
offlcie de 17 do corrente, aflm de que mande li-
Jui.ir e pagar os vencimentos relativas ao mez
e abril ultimo dos guardas nacionaes destacados
n'aquella villa.
4*seceao.
N. 805.Offlcio ao Exm. Sr. desembargador
provodor da Santa Casa de Misericordia.Trans-
miti por copia a V. Exc, para seu conhecimento
e fins convenientes, a inclusa deliberaco d'esta
data declarando sera effeito, e em vista do que V.
Exc. me representou por parle da junta adminis-
trativa dVssa Santa Cas>, em offlcio do 1 de abril
prximo lindo, a de 2 de marco ultimo, pela qual
a presidencia alterou as disposiedes dos arts. 2 do
regulamento de 22 de junho de 1855, e 36 de 28
de Janeiro de 1861. Cumpre-me entretanto mani-
festar a V. Exc. que converia para algum caso
excepcional modificar os referidos artigos, sob
proposta da mesma junta, na forma do respectivo
compromisso.
N. 806.Dito ao mesmo.Inteirado do quanto
V. Exc. expoz em seu offlcio de 20 do corrente,*
relativamente divida do casal do brigadeiro Gas-
par de Menezes Vasconcellos de Drummond, de-
xada pelo finado Joo Vieira Lima ao hospital
Pedro II, tenho dizer-lhe que, achando muito
conveniente a novacSo proposta por Francisco
Manoel de Souza Oliveira, e aceita pela junta ad-
ministrativa d'essa Santa Casa, approvo esse acto
em todas as suas partes.
N. 807.Dito cmara municipal do Recife.
Respondendo ao offlcio de 11 do corrente, sob n.
34, em que a cmara municipal do Recife pede
aulorisacao para despender mais at o (ira do cor-
rente exercieio a quantia de 2:000*000 rs., pela
verba do 4 do art. 2 da le do orcamento mu
nicipal vigente, que se acha extincta, tenho dizer
mesma cmara que, em vista do art. 26 d ci-
tada lei, proceda de cooformidade cora o disposto
no 8 2 do art. 24 da lei n. 853, de 5 de junho de
1868.
N. 808.Dito masma.Declaro cmara mu-
nicipal do Recife, para seu eonhecimento, qne,
segundo consta de aviso da repartico do imperio
de 14 do corrente, a cmara dos deputades ap
provou para a 14* legislatura as eleicSas secun-
darias que se effectuaram no Io districlo eleitoral
d'esta provincia para preenchimento da vaga dei-
xada na mesraa caraira pele Sr. visconde de Ca
maragibe.
N. 809.Dito mesma.Cora a informacao
junta por copia ministrada pelo chefe da reparti-
co das obras publicas, em 19 do corrente, sob n.
138, respondo ao offlcio que me dirigi a cmara
municipal 'esta cidade, era 29 de abril ultimg,
sob n. 26, acerca da edifleaco que Jos Cordeiro
do Reg Pontes pretend fazer w aeus terrenos
travesa da Ribeira para o caes.
" 0.D-lo cmara municipal de Pa) d'Allw.
cmara municipal da villa de Pao
d'Alho, para seu conhecimento, que, segundo
consta de aviso da repartico do imperio, de 14
do corrente, a cmara dos deputados approvou
para a 14' legislatura as eleicSes secundarias, que
se effectuaram no Io districto eleitoral d'esta pro-
vincia para preenchimento da viga leixada na
mesma cmara pelo Exm. Sr. Visconde de Catna-
ra8lbe- ^ ,
N. 811.Dito cmara municipal da villa do
Cabo.Communico cmara municipal da villa
do Cabo, para seu conhe rmenlo, que, segundo
consta do aviso da repartico do imperio, de 14
do corrente, a cmara dos deputados approvou
para a 14" legislatura as eleicoes secund iras que
se effetuaram no 3* districto eleitoral desta provin-
cia para preenchimento da vaga deixada na mes-
ma cmara pelo conselheiro Dr. Jos Bento da
Cunha Figeiredo. Igual s cmaras municpaes
de Ipojuca, Victoria, Escada, Serinhem, Rio For-
moso, Barreiros e Agua Preta.
N. 812.Dito aos senhores agentes da compa-
nhia Brasileira de paquetes vapor.Os senhores
agentes da companhia Brasileira de paquetes man-
den) dar transporte para a Bahia, por conta do
ministerio da guerra, lo vapor que se espera do
norte praca do extracto batalho n. 42 de volun-
tarias da patria Antonio Jos do Xascimento.
N. 813.Portara.O vice-pre3idente da pro-
vincia, attendendo ao que representen, em offlcio
do 1' de abril prximo lindo, sob n. 2565. a junta
administrativa da Santa Casa de Misericordia, por
intermedio de sen provedor, e tendo em vista o
art. 84 do respectivo compromisso approvado pela
lei n. 531, de 9 de junhb de 1862, resolve que fi-
que de nenhum eff-ito a deliberaco de 2 de mar-
co ultimo, pela qual a presidencia alterou as dis-
posicSes do< arts. 2 do regulamento de 22 de
junho de 1855 e 36 do de 28 de jaseiro de 1861.
EXPEDIENTE AS3IGNAD0 PELO SR. DI!. ELIAS FREDE-
RICO DE ALMRIDA E ALRUQUERQUE SECRETARIO
INTtRINO, KM 24 DR MAIO DR 1870.
1* scelo.
N. 824.Offlcio ao commandante de Fernando.
S. Exc. o Sr. vice-presidente da provincia res-
pondendo ao offlcio de V. S. datado de 3 do cor-
rente sob n. 151, manda declarar que acaba de
autorisar a thesi uraria de fazenda a levar a des-
peta do ministerio da marinha a importancia da
carne verde, que segundo o conhecimento annexo
ao citado offlcio foi fornecida corveta Nicteroy.
N. 825.Dito ao engenheiro militar.S. Exc. o
Sr. vice-presidente da provincia manda declarar
a V. S. em resposta ao seu offlcio de 21 do cor-
rente, que a thesouraria de fazenda tem ordem
para pagar a quantia de 101000 constantes do ci-
tado offlcio.
2* seceao.
N. 826.Offlcio aaSr. Dr. chefe de polica. -5.
Exc. o Sr. vice-presidente da provincia manda de-
clarar a V. S. em resposta aos seus offleos de 11
do corrente sob n. 770, 772 e 773, que tlcam ex-
pedidas as convenientes ordens para que pela
thesouraria de fazenda seja pago ao Dr. loaquim
Goncalves Lima a quantia-de 145*000 e a Fer-
nandas e Pereira a de 452220, e pela provincial
a de 33*000 a Jos Virgilio da Silva ou a seu
procurador.
N. 827.Dito ao commandante superior da
guarda nacional do municipio de Santo Antio.
O Exm. Sr. vicepresidente da provincia .manda
declarar a V. S. em resposta ao sen offlcio de 3
do corrente, que ficara expedidas as convenien-
tes ordens, para que o destacamento da villa
da Escada passe a ser pago de seus vencimentos
pela respectiva collectoria.
N. 828.Dit) ao commandante superior da
guarda nacional do municipio de Serinhem.
S. Exc. o Sr. vice-presidente da provmcia, res
pondendo ao offlefo de V. S. datado de 17 do cor-
rente manda declarar que a thesouraria provin -
cial tem orlem para pagar os vencimentos cons-
tantes do citado offlcio.
4' seceao.
N. 829.Offlcio ao Dr. Francisco Teixeira de
S, Io secretario da assembla legislativa provin-
cial. N. 118.De ordem de S. Exc. o Sr. vice
presidente da provincia, transmillo por copia a V.
S. era resposta ao seu offlcio de 11 de abril pr-
ximo lindo sob n. 17 para ser |pre*ente a assem-
bla legislativa provincial a inclusa informacao
minislrrda pelo goverdador do bispado em 23 do
corrente sob n. 202, acerca do projecto n. 4 do
corrente anno que acompanhou o seu citado of-
flcio. ?
N. 830.-Dito ao mesmo.N. 119.De ordem
de S. Exc. o Sr. vice-presidente da provincia,
transmuto a V. S. para ser presente a assembla
legislativa provincial o incluso exemplar da falla
com que S. M. o Imperador abri a 2' sssso da
14* legislatura da assembla geral legislativa.
N. 831Dito ao inspector da saude publica.
Mande Vmc. preparar com urgencia urna pequea
ambulancia com medicamentos apropriados a c-
maras de sangue, vindo acompanhada do compe-
tente receituario afim de ser enriada para a fre-
guezia de Quipapa onde reina aquello mal.
Vasconcellos
da thesouria
Abaixo signados moradores e commerciantes
estabelecidos ra d) Biro da Victoria desta ci-
dade.Ja se deram as providencias,
Cbrysolito Ferreira de Castro Chaves.Ao Sr
insoector da thesouraria de fazenda.
Cicero Brasilelro de Mel.Informe o Sr. ins-
pector d.a thesouraria de fazenda.
' Jos Ementa Alvos da Silva.A'"vista das in-
orraacSes requeira ao governo imperial.
Joo Alfonso Bigueira.Informe o Sr. *Dr. juiz
de de direHo da comarca do Rio Formoso, ouvindo
juiz iQuc^pai respectivo.
Luiz Eduardo dos Santos.Sejam entregues me-
dame recibo.
Dr. Manuel Teixeira Peixoio. Salsfeitas as exi-
gencias do Dr. procurador fiscal e da cenladorla
lero deferidas.
Manoel Jeronymo Barreiro Rangel.Informa o
Dr. chefe de poicia, ouvindo as autoridades allu-
dids.
Tente coronel Manoel Antonio dos Passos a
Silva.Deferido nos termos do parecer do Dr.
irocurador Ibeal, e da informij) do Sr. inspec-
or da thesouraria de fazenda n. 633 de 3 do cor-
rente, a quem se remetieran) estes papis para o*
fins convenientes.
9
Ajnlino Jos do Gaimaries Ferreira.Informe
0 Sr. director geral interino da ioslrucco pu-
blica.
1 Anna Bezerra Cavalcante da Silva Costa.Passe
portara Horneando a supplicante para reger inte-
rinamente a cadoira da villa da Boa-Vista, cora a
gratilicaco annual de 600*000.
Biro do Livramento.Informe o Sr. engenheiro
chefe da repartico das obras publicas.
Bernardo Alves Pinheiro. = Informe o Sr. Dr.
chQfe de polica.
Ephigenia Maria de Almeida. A supplicante
nao foi contemplada na proposta.
Dr. Joo Jos Pinto Jnior.Certifique.
Jos Augusto da Araujo. Ao Sr. engenheiro
chefe da repartico das obras publicas para dizer
o que entender em vista das ponderac3es do Sr.
inspector da thesonraria provincial.
Luita Clerflentina Vieira de Mello.Passe porta-
ra nom >ando a supplicante para a cadeira de Pe-
trolna.
Mara da Conceico de Azevedo.Passe portara
Horneando a supplicante para reger interinanunte
a cadeira di villa de Ingaseira, com a gralilicaco
annual de 600.
Dr. Silvio Tarqninio Villas-Boas. Dirja-se ao
Sr. desembargador provedor da Santa Casa de Mi-
sericordia.
Thomaz de Car-alho Soares Brandao Sobri-
nho.Dirija-se thesouraria provincial.
J) Ignacio Avila.Dirija-se thesouraria pro-
vincial.
I
Arseno Antonio da Cunha Miranda. Informe
o Sr. director interino do Asylo de Mendicidade.
Antonio Deoclecio Gonzaga.Informe o Sr. na-
rechai/commandante das armas.
Ans'eln Jos dos Santo?. Expedio-so ordem
para ser dada a guia que pede.
Antonio Caeano de Oliveira Coragem.Informe
o Sr. leneoie coronel command**! do corpo de
polica.
Horacio Alves Feilosa. Informe o Sr. Dr juiz
de direito da comarca de Garanhuns.
Joaquim Ferreira deBrito. Informe o Sr. ins-
pector da thesouraria provincial.
MaHinho da Silva Costa.Informe o Sr. conse-
lheiro director geral interino da insiruceo pu-
blica.
Rosa Mana de Barros.Dirija-se ao Sr. desem-
bargador provedor da Sania Casa de Misericordia
em sesso da junta quanto menor Flora, e nde-
fordo quanto ao menor Antonio.
Sebastio Antonio do Reg Cavalcante.A' the-
souraria provincial com offlcio desta dala.
DESPACHOS DA PRISIDENCIA DO DA 7 DE OUTUBRO
DE 1870.
Padre Antonio Doraingues de
Araujo.Informe o Sr. Inspector
provincial.
Padre Antonio Domingues de Vsconcollos Arau-
jo.Informe o Sr. inspector da thesouraria pro-
vincial.
Antonio Carlos de Lemos Duarte.J est pr-
vido o lugar que reqcer.
Associaco Commercial Beneficente.Junta a
authentica da lei do orcamento, volte ao Sr. Dr.
procurador fiscal da thesouraria da fazenda pro-
vincial.
Baro de Ouricury.A' vista ido que dispoe os
arts. 21 e 25 do regulamento de 2 de junho de
1834, e informon a cmara municipal desta cida
de, o terreno para urna sepultura a perpetuidade
pode cemprehender o destinado a ter quatro ou
mais sepulturas, segundo foi concedido pela mes-
raa cmara municipal ou pela presidencia, e o
sen cnsto ser o de tantas vezes cern mil res
quaotas forem as sepulturas n'elle contidas.
Padre Cantillo Mendoza Furtado.Passando
recibo, entregue-se.
Eloy Travasso Sobrinbo,informe o Sr. cora-
mandante superior da guarda nacional do muni-
cipio do Limoeiro, ouvindo o respectivo comman-
dante do batalho.
Francolino Americo de Albuquerque Mello.
Indeferido vista da informacao.
Joo Paulo Rosa Cesse.Informe o Sr. eommari-
dante do presidio de Fernando.
Joaquim dos Santos Azevedo,Informe o Sr.
inspector da thesouraria provincial.
Jo-epha Maria do Espirito Sant).Nesta data se
expedio ordem para ficar em observaco o fllno
do supplicante por espaco de 8 das.
Joo Baplista Gomes Penna.Passe.
Jesoino Nunes* Pereira.Informe o Sr. lente
coronel commandante do corpo de polica.
Manoel da Paixio de Oliveira.Informe o Sr.
tenenie-coronel commandante do corpo de palicia.
Theodero Jos Tavares.D-se.
Thereza Emilia de Souza Gomes.Dirija-se a
thesouria provincial.
8
Antonio Francisco. Martins de Miranda.Junto
este aos requerimentos anteriores, volte ao Sr. ins-
pector da thesouraria de iaienda.
Anna Beierra Cavalcante da Silva Costa. A
supplicante j foi interinamente nom^ada para a
] cadeira.4a I* da Boa-yiala. l
DIARIO DE PERNAMBUCO
RECIFE, 20 DE OUTUBRO DE 1870.
Xotlcias do snl do Imperio.
Chegou hotilemdo Ro de Janeiro e Bahia otrans-
porte de guerra bra;ileiro Marcilio Dias tendo salu-
do da corte no dia 9 do corrente, adiantando dous
dias as noticias que recebemos pelos vapores Pa-
ran e Gronde.
Nenhum vapor tinha chegado da Rio da
Prata.
S. M. Imperador acompanhado dos seus sema
nanos, visitou no dia 7, as offleinas de machinas
do arsenal do marinha, e os estabeleciraentos das
ilhas das Cobras.
Por decreto de 3 de agosto, 'fez-se merc
Joo Pedro Freir Barem Filho da serventa vita-
licia do offlcio de escrivao do jury do termo do
Rio-Grande, na provincia de S. Pedro do Rio-Gran-
de do Sul.
Por decreto de 21 de seterabro fez-se merc
Joo Capistrano de Aguiar Mootaroyos da ser
ventia vitalicia do offlcio de escrivao especial do
commercio dotermo da capital da provincia do Ma-
ranhao.
Por decretos de 21 de setembro bou ve Sua
Magestade o Impera lor por bem :
Conimutar na pena do gales perpetuas, que se-
r cumprinda no presidio de Fernando de Moro-
nha, a de morte imposta pelo jury do termo de
Itaguahy. na provincia do Rio de Janeiro, ao reo
Emiliano, escravo que foi de D, Josefa de Andra-
de liaena.
Perdoar as seguintes penas:
De quatro mezes de priso simples e multa cor-
respondente metade do lempo a que foi con-
demnado o padre Jos Joaquim Correa de Almei-
da pelo juiz de direito da 2- vara criminal da cor-
te, por crime de injurias impressas.
'__por decreto do 1* de outubro, coneederam-se
honras de postos militares do exercito, em remu-
nerado de relevantes servaos prestados na guerra
do Paraguay, aos individuos abaixo mencionados:
De lente: ao lente de voluntarios da patria
Vicente Baplista de Souza.
De alteres r aoex-alferes do 28* corpo de vo-
luntarios da arriA Manoel Antonio de Souaa Guer-
ra : ao ex-apero de commisso de voluntarios da
patria Josugenio Cavalcanti; ao 2o cadete e
2* sargento do 31 corpo dito Jos Luiz Osorlo.
__Por decreto da mesma data passaram a ag-
gregadea aos corpos e arma a que pertencem os
seguintes offlciaes:
Arma de infantera,Capitao do 17* batalho
Marimba Jos Ribeiro.
Tenentes : Do 12a dito Jos Francisco Soares,
do 15* dito Jorge Caetano de Souza Cousseiro.
Alfares: Do 9 dito Prudencio Talles de Mene-
zes, do 17* dito Antonio Luiz Vieira, da arma de
infantera Joo Teixeira de Sampaio.
Ao corpo de sande do exercito.Alteres phar-
macentico Henrique Luiz de Almeida.
Por portaras de 6 de outubro foi exonerado,
pedido, o tenente-coronel reformado do exercito
Sebastio Antonio do Reg Barros, do ^commaodo
do presidio de Fornando do Noronha.
Por decreto de 30 de setembro, foi transfe-
rido para a 2* clasae o capto-teaante Jos Ma-
xiralano de Mello e Alvim.
Por decreto de 8 de outubro;
Foram nomeados :
O offlcial da directora geral do contencioso do
thesouro nacional, Jos Francisco Vi anna, para o
lugar de ajudaale do procurador fiscal do mesmo
thesdnro,
Francisco Vieira da Faria Rocha, para o de
thesoureiro da recebedoria da Bahia.
O ajndante do porteiro do thesouro nacional,
Leonibo Flix da Silva, para o de porteiro do mes
mo thesouro.
O continuo do thesouro, Franciso Rodrigues
Barbosa, para o de ajudanie do porteiro do mesmo
thesouro. m
Foram demiuidos:
Manoel Gonsalves Bibeirn Rocha, do lugar de
porteiro do thesouro nacional.
Cario- Martins de Freitas, do lugar de 3 oscrip-
tnririo da alfandoga do Rio-Grande, provincia de
S. Pedro, pedido.
No dia 8 fallaceu o con3elhiro Alexandre
Maria de Maris Sarment, que durante longo nu-
mero de annos desempenhou elevados cargos no
thesouro nacional.
O cambio regulava sobre Londres 22 1/8 d.
papel particular.
A alfandega randeu de 1 a 8 do corrente
766:327*157.
Os soberanos () vendiam-se de 10*900 a
10*950 rs. cada um.
As plices geraes de 6 0/0 vendiam-se a
90 0/0.
PERNAMBUCO.
REVISTA DIARIA.
TROPA DE LIXHA.-A' bordo do transporte de
guerra ilnrsilio Dias, chegado hontem, veio o 2
batalho de infamara de linlia, cora 295 pracas e
23 offlciaes, sob o commando do Sr. major Seve-
riano Siqneira Daltro, para estacionar nesta pro-
vincia. O batalho desembarenu tarde e foi
aquartclar na fortaleza das Cinco Ponas.
PROVINCIA DA BAHIA.-O larsilio Dias ape-
nas trouxe da Bahia algunras cartas.
SALVAS.Por ser hontem dia de S. Pedro de
Alcntara, padroero do imperio, o brgue-barca
Ilamnrac salvou 1 hora da tarde.
CLUB POPULARHoje haver sesso. Ordem
do da.Revista de jornaes pelo Dr. Nobre ; pre-
leccao sobre direito natural pelo Dr. Figueiredo.
Entrada franca.
JOVEN AMERICA.Hoje ha sesssao d'esta so-
ciedade s 5 horas em ponto, no lugar do cosiume.
"PASSAMENTO.Deu hontem alma ao Creador
a Exma. Sra. D. Mara da C. Figueira de Mello,
esposa do Exm. Sr. senador Jeronymo Martioiano
Figueira de Mello.
OLEILO.Amanha (21 do correle) effecta o
agente Pinto o leilo de movis, louca, vidros, li-
cores e vinhos, no terceiro andar do sobrado da
ra do Vigario o. I.
LEILO.Hoje effecta o agente Martins o lei-
lo de i carros de passeio e 4 cavallps para os
mesmos, s 11 horas do dia, oa ra do Imperador,
esquina da ra do Crespo.
SANTA CASA DE MISERICORDIA DO RECIFE.
O pessoal dos estabeleciraentos cargo d'esta
santa casa m mez de setembro, foi o seguate :
Hospital Pedro //.Enfermos nacionaes 188 es-
trangeiros 28, mendigos Jo hospital 16, ditos en-
viados do asylo 14, filhos de enfermos 6, em-
pregados 7, irmas de caridade 9, serventes e lava-
deiras 15total 283.
Hospicio de alienados.Enfermos 74, emprega-
dos 10, servente 1total 85.
Hospital dos Lazaros.Enfermos 25, emprega-
dos 4, serventes 2total 31.
Casa dos expostos.Educandas no estabeleci-
mento 83, meninos em creacao 79, amas externas
79, dem interna 1, irmas de caridade 8, empre-
gados 3, servente 1total 236.
Cbllegio dos orphaos.Educandos 81, emprega-
dos 10, serventes 2total 93.
Collegio das orphaas.Educandas 134, irmas
do caridade 9, empregados 3, serventes 4total
150.
Asylo de meniicidade.Mendigos 77, emprega-
dos 6, guarda e enfermeiros 6, barbeiro e cozi-
nheiro 2total 91.
Secretaria.Empregados 6, advogados2, solici-
tadores 2, cobradores 2total 12.
Total geral1001.
D'este pessoal 667 pertencem ao patrimonio dos
e>tabeleciment)s de caridade, 243 ao patrimonio
dos orphaos e 91 ao asylo de mendicdade.
CEMITRRIO PUBLICO.Obituario do dia 17 do
corrente :
Francisco Jos Aives de Carvalho, branco, Per-
nambuco, 45 annos, casado, Santo Antonio ; ente-
ro eolito.
Manoel da Cruz e Silva, pardo, Pernambuco, 34
annos, casado, S. Jos ; hedropezia.
Bento, pardo, Pernambuco, 2 mezes, Recife ;
espasmo.
Mara, preta, Pernambuco, 1 mez, S. los; con-
vulcoes.
Anna Mara da Conceico, parda, Pernambuco,
30 annos, solteira, Boavista, hospital Pedro II; en-
feceo purulenta.
Domiog s, escravo, preto, frica, 50 annos, sol-
teiro.-Boavista; apoplexia.
Alfonso Romo, pardo, Pernambuco, 2 mezes,
Santo Antouio, casa dos expostos ; convulcOes.
Maria Pereira do Espirito Santo, parda, Pernam-
buco, 34 anuos, solteira, Santo Antonio; congesto
cerebral.
Anna Francisca de Barros Reg, branca Per-
nambuco, 23 annos, casada, Afogados ; apoplexia
pulmonar.
Martinho, branco, Pernambuco, 10 mezes, Reci-
fe ; clampesia infantil.
COMMUNICADOS.
Collaborapo.
Estevo
distinelo
e Santos
Sr. Dr.
e o articulista anda que nao eiUsse o mw i*
Dr. Ramos, certamenle se referi elle como fut
dos mdicos distinclos que opinavim mor wt*
quasi certeza.
Icelinado post mortem ao envenenamenlo il
lustre Dr. confessa que nao obstante su tapit)
ca e superioridade sobre aquel tes medica, <*.
principalmente sobre o Dr. Aonico, aperar
de haver, como assistente, diagnosticado con-
trariamente aquella molestia diversa, nio dravi-
dava que ello livesse havido.sendo possivel rov-
os finados houvessem suecumbido por alai la da
veneno.
Resulta do que escreven o Dr. Ramo, r.qn
elle medico muito ma muito mais positivo do que o- nomeados, nio eon-
heceu emquanto viveram Jou de Si e Dr. Vhf*-
rian > nenhum dos symptomas de enTenenammu,
e quasi certo que at repellia essa idea porqu
provavel qne S. S. fosse um dos eoilegas ojo*
se referi o Dr. Pantos Mello em sna ponlieari.
de 8 de julho ; e portante, o sen jniao medfen
era contrario ao envenenamenlo ; e islo e de um
rigor lgico inconlestavei.
Nao duvida, porem, o Ilustre- Dr. recomVcer
que poda ter-se engaado, que pedia ter luvid.
propinarn de veneno sem qne os sena sympto-
mas se manifestaren) claramente, e fos.-em apre
ciaveis, escapando assim a perspicacia e icien-
cia de S. S. e dos outros mdicos, e por ahi alem
entra S. S. em divacaces qne se nao honrara a
sciencia qne S. S. diz ter. servem ao menos para
mostrar qne elle sobreludo borneo de bu* t.
despido de orgnlbo, e promplo i eeatessar
seu erro.
O campo das probabilidades, porem, vasto,
n'elle nao se ba de baseiar o juizo de um medico
to experimentado.
Peguntaramos S. S. se nao temesemo iear
usraagados e nos nao arreceiasse-nos de termo*
tambem perseguidos por sua sombra impUKmwri,
se em sua consciencia era capas de opinar at o
momento em qne fallecen Joo de Sa, e embarrota
o Dr. Victoriano, qne elles tinb.ni sido envene-
nados.
Se S. S. respondessenaocontentar-nas-bia-
nos com iMo, mas se o Mostr Dr. reaaantaie
sim-ento Ihe diriamos como aos Drs. Esteva*
Santos MelloS. S. nao cumpno o ten Jettr, e
mesmo mcorre em complicidad/.
Deixando, porem, hypothetes e probabidadef,
fica averignado por snaa deelare/\ei e eierip*
nao ter valor algum como apreciarn ou joi*>
medico acerca do envenenamenlo, se ella ve
depender das declararon* de Eduardo.
Para opinar pelo envenenamenlo poM-mcrttm
por con lecturas ou probabilidades e nao pela apra-
ciaco dos symptomas, nao o tendo eonhoeido aa
qualidade de assistente, nio vale a pena ser Ao
Ilstralo e distinclo medien como S. S.
Isto faria qualquer profano pondo je lado a
licao dos mestresa saber qne, para afltrmar aja*
houve morte por propinaco de veneno, 41
sario nao smente a acbada da substeacia
sa no cadver, como tambem qne os syi
da afeccSo mrbida combinara com os do va
encontrado.
Este, sim, era o trabalho qne S. S. devia
hender, e que nada tem de hercleo, i .
agora que a analyse chimiea feita as viscera do>
Dr. Victoriano, na Babia pelos Drs. Sonto e Sodr,
demonstren que a substancia encontrada for i ar-
snico.
Os escriptos do Dr. Ramos, qne sao o desenvol-
vimento do seu juio medico declarado peraatn a
polica; nao podiam, portante, formar indicios",
quanto mais prova do envenenamenlo, romo diz
o articulista anonymo do Diario, a qne estarn
respondendo.
A Incoherencia, a contradieean, a retrartae*
de nm juizo medico, e a formulario de ootr> por
conjecturas e probabilidades nao assentes rw -
tudoe analyse dos symptomas apreciados dorante
a vida, mas em declaracoes oblidas post i+Httm
por raeo de violencias e tortoras nunca fornv.ro
prova, n menos anda a jactancia eom qn< apar
d'isso o Hlustre medico se vitupera, e a invtwfiva
com qne aqride a oolro collega sen aempre res
peitado como medico n'esta provincia, cojo noaae
citada cora elogio as academias, e obran da
notabilidades medicas, por mais qne islo dra ao
Ilustrado Dr. Ramos.
(Continua).
PUBLICACOES A PEDIDO.
\C '.OOlOM
IX
Aos distinetos mdicos Drs.
Mello, seguio-se o muito
Ramos. .
Em urna serie de artigos que publicou no Jornal
do Recife propoz-se o referido Dr. provar que
os Drs. Sarment e Aqnino tinhara aprecido mal a
molestia e errado a diagnosis.
O Sr. Dr. Ramos era seu relatorio polica
disse que nunca chegara a coonecer positiva-
mente a molestia de que fallecern) Joo ue S e
Dr. Victoriano, e accrescenta no Jornal do Recife
de 20 de julho, em seu communicado que por
essa declararlo nao se poda duvidar de sua ca-
pacidade medica.
O seu maior empenho mostrar que o Dr.
Aquino tambera nao tinha juizo certo, e que ora
diagnosticava a molestia de um modo, era de
outro.
Resulta da seus artigos, em os quaes se propoe
mostrar os erros dos Drs. Sarment e Aquino,
que elle assim como o Dr. Estevo se incliuavam
urna molestia cerebral e anda que tivesso de
i abandonar mesmo essa idea que como por ne-
( cetsidade tinha abracado, e deixar seu espirite
< na terrlvel angustia de nao poder julgar com
seguranca da natureaa da molestia. >
Nada temos cora a ques"o entre o Dr. Ramos e
Drs. Sarment e Aquino: mas o que vera
do Asylo de Memle-
dade.
(17* offlcio.) .
O Exm.Sr. provedor da Sansa Casa de Inen-
cordia, trata, nesles offleics, de demonstrar njn
quantia de 4:000*, que recebia roensalmenie da
thesouraria provincial era insufflciente para a
despezas do Asylo de Mendicidade, eomprakaadida
a de ordenados de empregados e enrativn dan
mendigos recolhidos ao hospital Pedro II, e esia-
belecen comparaco entre a despeza mensal **
estabolecimenlo e do hospicio de alienada tan* n
do referido Asylo.
Para chegar ao seu fim, insiste no erro
clculos que aprsente!, especifica a despeza v
tas, e demora-se em consideracoe adato, para
chegar a este resultado :
t Sirva-se agora V. Exc. comparar aaan despe-
za cora a que tem feito o Asvlo de 23 do mareo a
31 de Jnlbo, na importancia de 16:033*917, iajsaav
sive a de 3:373*050 adiantada para a dMptna
deste ultimo mez, nao fallando na aawata n
88580, em que at 30 de jnnho M nehava ta-
caneado o ex-director, e neto a do trtame alo dw
mendigos no hospital em os mezes de jnaho j-
Iho, na importancia de 1:184* e vari se nonv de
minh.1 parte deslealdade e aleivoaia.
Foi deste modo qne o Sr. provedor qmi miatrar
que en nao tinha razio em aizer qne
exactamente assegurou qne a uiumilalMn m
4:000* era rasufflciente para toda a desama i
Asvlo I Foi ainda comraeltendo iratxaetiddn*, ajne
elle quiz justificar a ana inexactidao I
E nao tnho o direito de dizer ana a sna -
severaeSas resentem-se de aleivoaia e mmml-
dade f
No trecho transcripto da o Sr. provedor qn **
marco a jnltao fez o Asylo urna despaxa de.....
16 083*917. nao se fallando na qoaaaia de...-.
1:184*000 do curativo do meadajoa no btjaMal,
nem na de 882*500, em que na eslava atean-
cado*
Nio ba exaclidao neata diaer. era o A*jlo dea-
pendea nesse espaco de lempo qnaana tn me
ciona o Sr. provedor, nem o raposlo alcance
podio ser considerado anftnento na despee, ajana-
os
ser ncontestavel do quanto disse o Dr. Ramo3
3ue elle nao cooheceu a molestia, e longo vai
'uwpar urna quasi certexi apamento,
do ao contrario era dermnai^o-
Nesta parte h dupla deslealdad d8r. pr
dor, denomina alcana o qne era **Jd*>*
dera accrescimo de despeza o qnn ">
redcelo. ......J^..-----
Em prova de que o Asylo nac
ta que foi indicada, trae
da conta corrente feita r Sa* Cana, andxj
ijustei miabas contas:
Recebi.Em abril
a maio.
c jnnho
e jo1'
s




II
Diario de Pemamb&co (juiula feira 20 de Outubro d 1870
Despend.Aabril
. n*o
i
/
-.
juaho
julhu
' "
3:51i*2l8
3:803*470
2:784*440
3:367*991
13*493*110
Doduzdo desle 13:1931.119 a
qnantia de 944*. que entregue ae
roeu saccessor, reduz-se a ispeza
teila durante o meu extwloio da ,.ulll|
director do Asvlo a............. li.om#iu
Receben a Santa Casa. Ja ibe-
sourana provincia! de mareo a ja- .nnAQQO
uO.. .....................""
Ficou de aldo a qaantla Je... J:4o0*88l
Este saldo, pois, ebegava o sobrava para o pa-
gamento dos ordenados r dativos aos quauo tne-
ie, e lamben para a despea feita com o curati-
vo doi mendigos no hospital Pedro II at o flm de
jullio, se esse curativo ni) fosse feito por um pre-
co exeessivo.
Ve-so, pnrtanto, que o'Sr. provelo^no seu de-
sej i iitiino:!. rado de iiierepacoes nao duvidou,
nem duvida prejudicar a e>,aelidao dos factos no-
qne diz re-paito ao At-yto do Mendicidade durante
v lempo que o dirig.
Trahidos a:-sim os fados a maior clarea e evi-
dencia, me parece que, em relaeao aos p.egocios
do invino Asyb, a palavra do Sr. provedor, nao
poda deixa rde ser suspeta, porque exprime, nao
a exactiddo e a justioa, raa< ata o despert e a
rava.
Rorife it de outubro de !870.
J, P. B. de Helio Reg.
(18 e 20 officios)
Com este artigo coucluo as apreciacoes a que
me com^rMneti quanto a primeira sane de officios
do Sr. provedor da Sant Caa de Misericordia, e
por islo na me alimgarei.
Nos dous officios de que me vou oceupar, refi-
ri se ao sej exercicio de provedor ha 10 anuos,
ao despeto que me fleoo por ler perdido a posi-
c5o de director do Asylo quando mas tnlia felo
para me segurar n'elle, e as circunstancias de
ler o meu ofueio que acompanh >u as ultimas cou-
tas, sus prestei, data de 22 de jullio, tendo sido
entregue a 3 de-gusto, o que mostrava nao ter eu
a iue-a que dizia de anular as rainlias coulas.
l'rescinJindo da alluso que conl;ii um destes
officios, em relaeao ao* horneas fatalmeule taina-
do? para estragare i o patrimonio da Sania Casa,
porgue nao dvna de alinelo nem vem a propo
vilo; devo dizer que me iliCferenle que o Sr
provedor continu ou deixa do continuar no ex-
ercicio desto cargo, a que parece ter lano amor.
Nao digo, nem contesto qae o tenha excrcido
muito bein.
Creio pamente que Ihe impoe o sacrificio dos
seus eommodos e das suas sanias oracoes; mas
como os presidentes fazera-lhe a doce violencia de
o reoeaoMf, vai continuando...
Pedir demisso, recusarnuuca.Se o Sr. pro-
viJor o mais caridnso homem da provincia...
Cono ha de deixar sera sua proteceao as anglicas
irmli de caridade, e os pobres, elle o pai da po-
breza ?...
Mas eu creio que se o Sr. provedor fosse capaz
de um desapego a Sinta Casa, e dsse a sua de-
ini-so, havia de euconlrar-st nesta cidade, quein
fosroignalqietite caidoso, seno.menos lo devoto
aa menos mais tratav.il.
Eutretanto, bom nao filiar nisto, o Sr. prove-
dor nao pede dciniss i, nem que Sanio Antonio
Iba peca; o mslo de mandar e ter dependencias
elle nai renuncia fcilmente.
K quaulo solicite d mis-o, ha de ser assim a
modo de Hozas6 para que Me peeam para con-
tinuar, e ol-) continuar para o bem de lodos.
Engana-se o Sr. provedor, se pensa que eu fiz
extorco para segurar-uie no Asylo. Se lal eu qui-
resse, o me o era outro, era agradar e affagar; o
uno eu quiz foi que aquelle eslabelecunanio atlin-
gisse ao ln para que foi instituido, e na icasse
comntt i!-:, reducido caa de invlidos.
Xunca uve intencao de ftaaf por muito lempo
no exereick) de sua directora.
Meu fi;n era tiral-o, nao direi mais das garras
do Sr. provedor, e ato do seu Jago, que bem pre-
via eu, seria o devirtuamento de lao til institu
cao.
Qjanto a questao da dala do meu cuicio e da
demora da entrega, a que da Unta iinpjrtancia_o
o Sr. provedor, para exercer o seu genio recslci-
tranle as cooaM iiisigaicantes; nao dou impor-
ta icia ao' con alentarlos que fez, ....
I)xei apatas que a de:hora do offieo nao influi
n > meu ajuste de conta?. porque entregndolo eu
no dia de agosto, s a tamos de selembro rpram
io;iiaJisa; minhas cantas, recusando-se o Sr.
provedor a mandar receber o saldo que eu quiz
ent 'ogar antes disto aeoniecer.
Rio adianlomais consideragoes, jorque a outra
serie de officios que hoje comeca a ser publicada
lalvez me offereja mais e-pago. O Sr. provedor
om espirito frtil en arguicoes, e nao asdcixara
4eproduzirem abundancia no seu novo esforco.
Nao espero, esteja certo, lealdade nem boa f
de sua pirie ; mas nao recuarei.
Ke;ife, 15 de outubro de 1870.
J. />. B. de Mello Reg.
i aria proviucial que na secretaria da Santa Casa
e que deviam ser prestadas as contas relativas
importancHt do l:00 dados para o e>.
i da casa no dia da-inaoguracao, dirig um ot-
ao *x-directorj Moi'.o [ llego, aflm de que ai
apresentatse.
O ex-director entenda que sssaa contas de-
viam ser prestadas na thesonraria e pelo mofdo-
(nn que hava receido a sobredila importancia.
Eu tambem eatendia qae essas cootas deviam
tT prestadas na"hesonraria, onde a quautia men-
cionada fon directamente recebida c assim abra
(ava em parte a opinio do ex-direetor Mello Re-
g, e s della diverga, em quanto elle pensava
que tans eonta deviam ser prestadas pelo mordo-
pio, urna vez que esle Ihe havia entregue a quan
lia recebida, o que o ex-director nao negava, o
nesino o havia reeonliecido porantoo sea succes
sor I)r. Olvera Foneeca, coow e ve do offlcio
por copia n. -1.
Uepois de dous officios a mim enviados pelo ex-
direcior Mello llego, elle apresentou a nota cons-
tante da copia n. 2, e demoastrativa da applicacao
da qnantia cima indicada, e remmetteu m saldo
de 360$ 160, que foi recebido pelo thesoureiro da-
Sania Casa, como V. Exc. particpe era oflUio
u. 3010 de 5 do corrale mea.
Releva dizer que a parcella do 590# concer-
nente aos reirato3 encomraendados para o Aswo ,
alguos dos quaes se eslavam aperfeicoando, so ro
paga no da 30 do agosto ultimo, como se ve ao
recibo por c>pia n. 3.
Occorre nie urna duvida, e vem a ser se o ex-
direclpr Mello Reg, ao deixar o cargo que exer-
cora, devia ou nao ter logo recolhido o saldo, que
agora entregou, deixando em poder de seu suc-
cessor a iiportancia dos retiatos para o paga-
ineuto dilles, quando fos^em dalos por prmptos.
Dus puarde a V. Exc.-Illm. e Exm. Sr. des-
embargadir Francisco de Asis Pereira Rocha,
vice-presidente da provincia.O provedor da am-
ia GasaMuseino Francisco Peielli.
por seas coiiep n eollocaram no honroso
ara.
Km t >s de eleicito popular, t de
noro*a$Se do governo, tam o Exm. Sr. Dr. Poriella
conquisUdo geral estima, e mantillo alto conceito.
Fircae era suas eonviccoes tem dad provas de
saber com resignar^ sofi'rer os revezes da adver-
sidade poltica.
A sua vida partlsfliir, e pobUca^ conslliie nm
^Bde virtudes, dignas de seiwntada.
entre seus filh.os um que lano se destingao, e tan-
to- merece, nlo pode deixar de expontaneamenle
dar-lhe prova do sen apreco, elevando-o escolha
imperial na lista sxtupla, que vai elcg.-r.
Julgamo-nos felzes, sn as linhas qut flcam ah
iracadas dispertarem a lombranga do digno corpo
eleitoral.
Um eleitor.
valer reflectido e pericia no combale; o tenente-
coronel commandante do 81* de volualarios Alo-
xaAro Augusto de Fras Villar, por ter i frente
a bisarro batalhao sustentado vivo fogo con-
tra a triucheira iaimiga e mais tarde a retirada ;
us meas ajudantes de ordeos major Dionysio Ama-
ro da Silvelra, e lente Henrique da Azevecfa Pi-
re-, se portaram com valor at serem gravemente
contusos; capita Francisco-Silreir Filho, que
apezar do contuso me acompanbiu a transmiti
Quando a provincia tem a fortuna de encontrar minhas ordena at o llm do combate ; lente a
Negocios
do Afcji-!
dade
de llendlcl-
N.l.
Copia
Asylo do Mendicidade 30 de agosto de 1870.
Illm. e Exm. Sr.Acabo de receer > offlelo de
V. Ere, em que V. Exc. mo diz que, tendo o ex-
director deste Asylo declarado em offlcio de hon-
tcm, que o mordomo quem deve prestar as con
tas das dc?pcza< feilas com a quantia de 1:200*,
recebila da thesonraria provincial, para expedien
te e assefo da casa no da da insUllago do mos-
mo Asylo; eu informe, ouvndo o indicado mordo-
mo, o quu se deu em relacTo a Ul assumpto. O
mord mo declaroume que ha vendo, por ordem de
meu antecessor, recehido da thesouraria provin-
cial a quantia de 1:200*, para os fins supra indi-
cados, cntregou-a integralmente ao mesmo meu
antecessor, que foi quem Ihe deu appcaijao.
Cumpre-mo accrscenUr que, entendendo-me
com;o meu antece.-sor, veriflquei ler-lhe sido real-
mente eutregue essa quana.
eus guarde V. Exc. Illm.-e Exm. Sr. des-
embargador Anselmo Francisco" Peretti, provedor
da Santa Casa de Misericordia.O director interino
lote Joaquim di Oliveira Foneeca.
N. 1
Copia
Nota da applicacao que leve a quantia de 1:200*
recebidos pelo mordomo do Asylo de Mendicidade
na ihesouraria provincial:
Documento n. 1............ lfj*600
n. 2............ 95*2W>
n. 3............ 40*000
i, i............ 590*000
Saldo emdnheiro
833*8i0
366*160
1:200*000
Conforme.
Pedro Rodrigues de Souza.
N.3.
Copia
O Asylo de Mendicidade, deve
Bhei & C :
Maio 30 1870.
2 retratos a oleo do III n. Sr. Dr.
Portella e do senador Frederico----
5 photograpliias dos membros da
coinmssao : os Illms. Srs. Dr. Ra-
mos, Dr. Sarment, baro da Soleda-
de, Jos Pires Ferreira e do Dr. Fe-
lppe Figueira...................
Alberto llens-
i20*000
170*000
590*000
Santa Casa de Misericordia do Recife, 21 de se-
tembro de 1870.-.X. 3051 A. Ulna, a Exm. Sr.
Desde o lempo do ex-director Mello Reg exis
tiam uo Asylo duas carrocas para enjo servico
bastava um animal, se alli tivesse havido a preci-
sa economa.
Havia, porm, dous bois, um dos quaes foi
comprado pela repartirlo das obras publicas, como
?e vfi da relaeao exist-ote na secretara da Santa
Cva, pela quantia de 180*000, certidao junta
i. i.
O valor do ontro boi foi contemplado as con-
tas, que o ex-director apresentou, relativas
aos diai do mez de Julho prximo passado, era
qae ainda leve exercicio em dito Asylo.
Este segundo boi presume-se vendido na im-
portancia de 130* pelo ex-gnarda do Asylo Joao
Ferreira de Oliveira Santos, o qual no dia 27 de
agosto prximo passado, declarou parante os Srs.
Dr. Josa Eustaquio Ferreira Jacobina, Albino Jo
s da Silva e Pedro Rodrigues de Souza, que elle
nao tinha boi, e s a pedido figurava vender o de
que se trat, declaracao que tambera fez perante
iuiii nessa c em mais loas outras occasiSes.
Ciimpr me notar a V. Exc. urna circumslancia,
e vem a ser que o guarda, que apparece como
vendedor d> boi em qnestao, assignou o recibo da
raspectiva importndia nao em o seu nome de
Joao Ferreira de Oliveira Santos, mas com o no-
me de Joao Pereira dos Sanros, certido n. 2.
Ouvi dizer qoe as carrocas e bois, a que me es-
ou referindo, foram lia algnm lempo, arrestados
na penhorados, e que o depositario entrogara em
canfianca esse3 objeclos ao embargado ou exe-
cuttdo.
Nada posso afflrmar a V. Exc. com certeza a
esle respailo, mas c insta rae que era nm do car-
inos de-la cidade luuve urna penhora n. 4716, a
qual foi aeeusada em 21 de marco de 1867, e leo-
do o a Ivogado pedido vista era 27 do mesmo mez
ni' recolheo. mais os auto ao eaitorio.
A ser verJade iato nue me c insta, nao se pode
,b r se a fallada penhora loi etectuada oas car-
r.j^is e bois mencionados, e nem provavel que
se possa obter de prometo a volla da execuco
para o radicado eartorio, urna vez^ que aquelle ad-
vugado acha-se de presente na curie.
DeQe guarde V. Exc. Illm. e Exnj. Sr de-
semhargador Fniocieeo da Assis Pereira Rocha,
vice-presidente d provincia. ) provedor Ansel-
mo Francisco Peretti.
N. 1.
Carlico que da relicto existente nesta secreta-
ria, dos objoews comprados pela roparlieio das
noria awbcaa para u Asylo de Mendicidade, cons-
ta ijna .Uque|lee;innlecimaaio pola quantia de 180*
reiaria da San Casa de Misericordia do
li.: :ife, i de Mttmbro de 1870.
O eacrivio.
Pedro Uodrii/ues de Souza.
Recebemos. Rscife 31 de agosto de 1870.
Albulo Henschel & C.
Eslava sellada cora urna estampilha de duzen-
tos ris.
Conforme.
Pedro Rodrigues de Souza.
Santa Gasa de Misericordia do Recife, 21 de se-
tembro de 1870.N. 3056 Illm.' e Exm. Sr.
Tenho a honra de participar a V. Exc. que o al-
cance da qnantia de 882*580 que em meu ofieio
n. 223', declarei existir as contas do ex-director
do Asvlo Joaquim Pedro Brrelo de Mello Reg
at 30" de junbo fiado, com a apreseniacao da con-
t dos 21 das do mez de julho elevou-se a de-
887*639 cora a qual entrou o mesmo ex director
para o respectivo cofre no dia 16 do coi rente, fl-
cando assim justas as referidas contas.
Deus guarde V. Exc. Illm. e Exm. Sr. de-
sembargador Francisco de Assis Pereira Rocha,
vice- presidente da provincia.
O provedor,
Anselmo Francisco Piretli.
Conforme
Pedro Rodrigues de Souza.
Santa Casa de Misericordia do Recife, 21 de se-
tembro de 1870.= N. 3057. Illm. e Exm. Sr. -
Consta me que no dia 29 de junho prximo passa-
do, dando um meoino saltos em cima do aliar da
capella do Asylo, cabio ao chao o sanctuario que
bavia castado 170*, despedacando-se os vdro3 do
mesmo sanctuario e ficando com um dos bracos
quebrados a ima^em de Santo Antonio que all ha-
via. Para que se po-.sa celebrar all o Santo Sacrifi-
cio, se faz de raister o concert do oratorio e daima
gem, despeza que nao teria de fazer-se se o ex-d
rector ou alguem por elle houvesse evitado o pre-
iuizo que leve de occasiona-la.
Deus guarde a V. ExcIllm. o Exm. Sr. des
embargador Francisco de Assis Pereira Rocha,
vice-presidente da provincia.O provedor Ansel-
mo Francisco Peretti.
Conforme,
Pedro Rodrigues de Souza
(Continuar-sehaj
Eleipao senatorial.
Gtlfft:' M na*
N. 1
eoniaa relativas
aos 21 das
Ai wt
reetr
Ihoen que dirijo o Asylo o ex-di
Reg e por elle apre-enladas, vera a
vnpredo pela qaola de 150*. estn-
com a afignaHir de i&i Pereira
nao eiira o de Joao Ferreira de Oli-
declarou ler sido quem passaa dito
da Santa Casa de Misericordia do Re-
etembro de 1870.
O eserivao,
Pedro Rodrigues de Souza.
Santa Casa da Misericordia do Recife. 21 de se-
abro de 1870...1. 3055 Illm. e Exm. Sr.
JBanadeado V. Exc e o dlfio inspector da ihesoa-
No dia 20 de novembro vai a provincia eleger
era lista sxtupla os cidados, d'entre os quaes se-
rao escolhidos dous senadores, que preencham as
vagas havidas cora o fallecimento dos Exms. Srs.
niarquez de Oiittda, e con-le da Boavista.
Sao conhecidos 5 canditos, que pela imprensa
ilzerm sua apresentaeao, quando apenas se trata-
va da eleicao para o preenehimento da Ij das va-
gas : cada um exibio seus ttulos a to subida
honra.
E' natural, por?, qie es -en nomo continen!
a figurar, como candidatos lista sxtupla, agora
que a eleicao vai ser feita para preencbiment,
uo de ama, mas de ambas as vagas: falta um
nome para completar a lista sxtupla: vamos of-
ferece-lo ao corno eleitoral, lembrando o Exm. Sr.
Dr. Joaqui"" Pires Machado Portella.
As qualij^dea que destinguem esse nosse com-
provinciano, os servcos que tem prestado a pn -
vracia e ao paiz, e o subido conceito, qne por sua
ntelligencia, iliuslrago, e honradez, tem at hoje
gosade, sao ttulos valiosos, que mnito o recom -
inendara.
E' um cidadao dlsinclo, digni de oceupar urna
radeira no senado, e cojo nome nao pode sor es-
qnecdo na prxima eleicao.
Secretario dogaverno da provincia durante di-
versas aduimisIracSes, simba dar provas de muita
habilitadlo para a cadelrj administrativa
Director geral da iostruegilo publica da provin
cia, tem sabido eforgar-se pelo degeovolvimento,
e progresso d'esse importante ramo da adminis-
tra co.
Cerno vice-presidente, lera por tres vezes admi-
nistrado esta provincia com geral satisf.tcao. dei
xando signaes do muito que se interessa pelo b-m
eslar de sua trra natal. E por tal forma se hou-
ve, que o governo imperial nomeou-o presidente
da provincia do Para.
Deputdo provincial, destn 1850 at 1863, sonbe
seaipre corresponder conHanca qae merecer do
vol papular.
Fot eleito depatado geral na legislatura di^ol-
vlda ero 1863, e na presente legislatura um dos
representantes da provincia na cmara tmpora
ra, onde M mas habiliusoes forana apreoiada
Campanha rl<> Paraguay.
Hommando do 3* corpo de exercito em Pa-
tc-Cu, 20 de julho dti 1868.-Illm. e Exm. j
Sr.ll'cebend a rrdem de V. Exc. paca, ao
amarillecer do dia 16 do correnle, proceder a re
conheciraento viva (brea contra a trinchclra de
Humail e assata-la se fosse poaiivel, vista da
p.irte que V. Exc. leve, de que o nimigo eslava
abandonando a ransma trinchara e pascando para
o Chaco, citmpri a dita ordem pela forma segra-
le: O l1 corpo provisorio de cav.illeria comman-
dado pelo lente-coronel Vasco Antonio da Fon-
loura Chananeco, fez a vanguarda cora ordem de
roconbecer o campo al a trincaoira inimiga, e
atacar as suas av;ingadas ; seguindo-se este car-
po a 7a brigada de infamara corainandada pelo
coronel Frederico Augusto de Mesquta, composta
dos balalnoes 4 e 13', o batalhao de eugenheiros,
eommandado pelo tenenie-coronel Conrado Mara
da Silva Billencourt, e a brigada da arlilheria vo-
lanle commindada pelo coronel Emilio Luiz Mal-
let. Formaram acjlumna de reserva as brigadas
de infantera 6' commandada pelo coronel Garlos
Belbez de Oliveira Nery, 8" pelo coronel Hercula-
no Sanchos da Silva Pedra, a 12" pelo tenenie co-
ronel Manoel da Cunha Wanderley Lin?, tollas sob
o ominando do brigadeiro Carlos Resin; e a forca
oriental sob o com mando de Seu digno general D.
Henrijue Castro.
As 6 horas da manilla comecoa o movimento,
co'iio V. Exc. testomunhou; o bravo tenante-co-
ronel Chauaneco avancou com tal raDidez ssbre a
irincheira inimiga, que sorprendeu o piquete que
havia lora dj irincheira, e do qual s poderam
escapar-se 4 pracas; ontinuaado a avancar, raan-
du apear o corpo sobre o primeiro fos-o, e com
bem dirigido fogo de seus atradore-, fez callar a
boca de fogo de grosso calibre que eslava eolio*
cada no amgnlo da trinchara ; porm, em segui-
da, a metralha e fuzilaria inimigus. obrigou a re-
tiraren!-se esses bravos com 53 offlciaes o pecas
fra de combate, e a maior parte de seus cavallos
morios.
Quando me aproximei trinen aira, deu-me
parte o tenente-coronel Chananeco do occorrido, e
da que o seu corpo tinha lomado urna peca de ar-
lunaria ; mis que nao pdenlo su'tenur o ponto,
mandara retirar. Esta parte mo fez julgar que.
pelo ponto aonde a dita peca tinha sidj tomada,
poderia ter lugar o assalto, e ordenei a carga pelo
batalhao 13 sustentado pelo 4; porm, todos estes
moviraentos foram praticados debaixo de metralha
e fuzilaria do inimigo, o que nao bastou para con-
ler aquelles batalhdes.
Chegaudo eu ao primeiro fosso reconheci que a
peca alludida nao tinha sido tomada t> sim suspen-
dido o seu fogo pela no-sa fuzilaria, tanto da ca-
vallara, como depois da infantera, que tambera
fez ca armis duas bacas de fogo. J naquelle
ponto quiz levar a effeto o assalto e mandei avan-
car o naialliao de enganheros para proceder ao
conveniente trabalho, u as carretas que craduziam
as escalas e pranchoes em quanto eu rt?conhecia,
como ineera possivel, a irincheira inimiga.
Vi que da parle do sul da Irincheira vinha urna
forca, que nao pude calcular o numero, e chega-
va correndo em proleceao do panto atacado e qne
so auginentavam os disparos de artilheria de cam-
panha dos ngulos norte c sul do mesmo pon
t. Projectis de todas as especies variam nossas
flleiras e sera embargo muitos dos nossos offlciaes
e pracas chegaram a transpr o primeiro fosso
d'onde fuzilavam as arlilherias inimigas. Chegadas
tres carretas com o material do assalto sobre a
nossa esquerda mandei que a tropa o tomasse,
porm aquella parle da linha estava, com poucas
excepcoes, nv-ria ou f.'rida, as-ira como o meu,es-
tado-maior, ordenancas e piquete; rnandei avan-
car en lao o batalhao 39 em proteceao da Itoha,
tendo antes paitipado a V. Ex:, do que se pusa
va e de que linha perdido mais de metde da tVca
atacante daqnelles quatro batalhoes sem ter con-
seguido penetrar os primeiros obstculos, e que o
oimicro augm-nlava sua resistencia, nlo tendo
saludo a Ruarnicao da praca como se dizia. Nesse
momento V. Ex:, me fazia s^ber que obrasse se-
gundo eMendesse e um pouco depois recebia
OROBM Di: V. US. DE RETIRAR EM ORDEM. O bata
Ihao 30 que havia marchado em proteceao do 4,
.13" e engenheirop, poneos minutos depis de ha-
ver chegado ao primeiro fosso, tinha fra de
combate o commandante, o fiscal e 127 offlciaes e
pravas. .
A nossa'artilhera que, por falt de poscao con-
veniente, formm em baialha em rao terreno, o
dominada pela metralha inimiga, tinha soffrido
algumas pardas o era de pouco auxilio para o
ataque, foi a primeira que mandei retirar para a
columna de reserva; mandando depois tambera
retirar a forca que snstemava o fogo na irinchei-
ra, protegida pelo batalhao 51, estendido em ali-
nderes.
O primeiro fosso do in-migo compntei em 12
palmos de largura e igual senlo maior profundi-
dade seguindo-se-lho urna larga linha de abatizes
e depois a irincheira principal, que ainda tem pela
frente bocas de lobo, segundo dizem os vaqua-
nos. A guarncao da triucheira mostrava as ca
becas somonte, e o seu nutrido fogo de fuzlleria
cruzava-se cora a metralha das faces do ngulo
sobre nos-as tropas. O terreno a porcorrer at
aquelle ponto, tem diversas Ugas e patanos pelos
flancos, o do augulo para a direita eesquerda tem
um pequeo espaco secco corlado por alguns
vallas velbos. As lagas nao sao profundas, alcan-
zando a agua a barriga dos cavallos. As partes
dos commandantes das divisoes, brigadas e corpos
que junto remeti, e com as quaes me conformo,
instruirlo a V. Exc das oceurrencias havidas em
cada urna dessas unidades, bem orno dos nomes
dos offlcias e pracas, cujos feitos sao dignos de
honrosa raencao ; cabondo-rae o dever de infor-
mar ainda a V. Exc, que o 1 carpo provisorio de
cavalieria, os batalhoes 4, 13, 39, e o de enge-
nheiros, portaram-se com verdadeiro denodo e
galhardia ; que o 1 regiment de arlilheria a ca-
vallo e bateras do 4 corpo provisorio da mesma
arma, cora a maior firmeza e ordem se conserva-
ran ao alcance da metralha do inimigo, hostili-
sando-o com energa, u que o batalhao 51 de vo-
luntarios, mais urna vez deu provas do seu valor
e firmeza, ap iando o movimento da frente cora o
sea fugo sobre a esquerda dos atacantes, e prote-
gendo depois a retirada lenta que leve lagar. Ti-
vemos 1019 individuos fora Je combate, como
consta das relaces que j devera ler sido apo-
sentadas a V. Exc
Se as torcas que tomarara parte na accao, e tao
bem se p iriaram, nao conseguirn), o lira que V.
E*>. teve era vista, seria s devido a impericia da
minua parte.
Alera dos offlciaes o pracas mencionadas as
parles dos difirante* commin los, julgo do meu
dever especialisar ainda o bravo coronel Frede-
rico Augusto de Mssquita que, eondoziodo a bri-
gada de sea enramando ae combate, moalro mais
uma vez valor e sangua fri, conservando se na
linha at ser ferido: o tenante-coronel Antonio
de Campos Mello, commandante do i batalhao de
infantaria qua mais ama vez se portn com de-
noio e foi g-avamenie ferido ao transpr o toteo;
o major Jlo Nepomueeno da Silva, commandante
do 13 batalhao que primeiro atacon eoro o seu
batalhao, mosirou valor reflectido, o major do
mesmo batalhao Jos Maria do Nascimenu), por
v lo as fil-iras dos combatentes com valor e san-
gua fri, animando a tropa, al qne cabio grave-
mente fertdo ; o major Antonio Jos Pereira J-
nior, com mandante do batalh 39*, pelo enthu-
im > e valor com que se portou at ser grave-
mente ferido; o oapitao-fiscal do mesmo batalhao
JoaoTeixeira Guimaries, por e ter portado cora-
j .amante at ser ferido; o teoente-coronal Con-
rado Mara da Silv* Bittenconrt, commandanle do
hualhaode engenheiro, pelo valor e eothusiasmo
cm que fui ao combate com parte de seu bisarro
i.aialhao ; o bravo tenente-coronel commandante
de I corpo provisorio de cavallsria Vaaeo Amonio
da Foniura Cnananeeo, eajo nome bem conhe-
noei Luli da Rocha Osorio, pela valor, calma e
presteza com que transmit!) minhas erdens e en-
tre a metralha soccorreu ao bravo tenente-coronel
Campos Mello, tirando-o do fosso, ferido; lente
Jos Smelo Torres, por se ter portado cora valor
eter-me dado o seu ca vallo logo que me vio p ;
lente Jos Rodrigues por bravo, e ser um dos
poucos que poderam transpr o primeiro fosso,
animando a tropa; tenenie Manoel Aprigio da Cu-
nha e alfares Frederico Ferreira Rangel, emprega-
dos na repartilo do quartel-mestre-general, por
me terera acompanhado do principio ao flrn do
combate o mostrado coragem e sangua fro ; alte-
res Domingos Jos da Silva Filh), escriturario da
repartido do ajulante-general, nico empregado
de aua reparticao que sobreviveu, por se ter por-
tado bem; alferes Joao Carlos da Rocha Osorio,
commandanto do meu piquete, por ter mostrado
valor o calma, e ;r com o piquete apeado trans-
pjsto o primeiro fosso, fazendo vivo fogo ao ini-
migo at a ordem da retirada e com os poucos
soldados que Ihe restavajo.
E' digno dos maiores elogios o capillo Joaquim
Amonio Ferreira da Cunha, cncarregado da repar-
ticao do quartel-mestre-general, por ter ainda
mais uma vez, como sempre, dirigido com acerlo c
aclividada o servico de sna reparticao.
Tambera sao dignos de mencao o tenento do cor
po 17 de cavallaria Thiraoteo Garca da Rosa, que
acbaudo-se doente juuto ao mea quartel-general,
se apresentou para o combato, e me acompanhou
at o fim; os mdicos do corpo de sauda Dr. Sil
verio de Andrade e Silva, Julo Jos de Carvalho,
Cesario Eugenio Gomes de Araujo, Francisco Ho -
raem de Carvalho, Js Rufino de Noronha, Joa-
quim Mrianno de Macado Soares, e acadmicas
Arsenio de Souza Maiques, Manoel Pinto Ferreira
Jnior, Jos Pinto da Silva, Elpidio Rodrigues Sei-
xas e Lucrado Pereira los Passos Jnior, pelos es-
torcos que empregaram em applicar aos nossos
eridos os primeiros soccorros de sua arte.
O Sr. general D. Henrique Castro, commandante
da columna oriental, e o brigadeiro Carlos Resin,
commandanle da reserva, se honveram nos seus
postos com a firmeza e discernmento que os ca-
racterisa. Aquelle disncte general j deve ter
partecipado V. Exc. o occorrido com a forca de
seu commando.
Deus guarde V. ExcIllm. e Exm. Sr. raare-
cbal de exercito raarqu;z de Caxias, commandante
em chefe da todas as forca? bra9ileiras e interino
dus exercitos alliados.Fiiconde do Herval.
Cunts, ah encontramos empregadoa qae nada
mais sabiam informar alera dos preco* do: appa-
remos de e 2" classe, aicos que esto all em
exposioio.
Somos adeptos da empreza de lmpaza da cida-
de, coja atilidada reconbecemos, mas precisamos
e temos direlto da ser bem esclarecidas.
Um propietario.
Moftna
Pede-se ao Sr. Gaspar Cavalcante de Albuqner-
que Ucha para responder esfs innocentes per-
gunlas:
Quanto despenden para comprar as herancas
universaes da casa Aratangy ?
Os bens dados aos herderos para pagamento
pertenciam ou nlo s mesmas herancas? Se per-
tenciam um contracto de venda pereito aquelle
em que o vendedor figura de comprador e o com-
prador de vendedorf
As letras passadas por occasiao d'esse negocio
j foram paga?, ou j esto ellas por list do sen
numero de calles pregados naquelle que acei-
tou-as ?
O engenho Murissca, dado em pagamento
um dos herdeiros, era que terreno est assen-
lado?
Quanto deu pelas trras em que levantoa esse
engenho ?
Quanto gastou para comprar parte da froprie-
dade Porto de Galrahas? J pagou as letras d'esse
negocio? '
Pelo preco por quanto o Sr. Gaspar comprou,
pode ser senhor de lodo o imperio : mas a paga ?
O Sr. Gaspar Drummond est no foro, e o Sr.
desembargador Alvaro na Relaeao : o Sr. Gaspar
pode continuar comprar.
Ah I Sr. Ga-par, Deas consentc, mas nao para
sempre.
Tio-Kio.
I lambe.
IO de outubro de
1890.
Para esta comarca veid no principio do cor-
rente anno o bacharel Jos Tavares da Cunha
Mello.
Encontrando ludo aqu na mais complet paz,
semelhante estado de consas nao poda agradar a
Tavares, espirito curto, porm turbulento e bri-
glo.
O nosso resera-chegado, expulso de Campias
a trote pelas grandes facanhas qae l commetleu,
devia ter bem presente a licao da experiencia.
Esta nao Ihe proveitou ; a naiureza o creou Jo-
s Tavares da Cunha Mello, elle nao quiz trabir
a naiureza; mostrou-se ainda ueste lagar intri-
gante, rixoso e excesivamente maldizente.
Em ebegando aqu o primeiro cuidado de Ta-
vares fi sahir de port em porta, lembrando com
todo despejo, a un suas famosas pasquinadas
contra o aado Dr. Cuoha Machado, a outros os
actos offlciosos de torpissiraa suhseryiencia em
casa do coronel Villa Secca, era Campias.
A' alguns, h imens o pudor desconhecido ; sao
talludos p'la mtureza de modo lal que nelles o
pudor nao pie penetrar.
Ha quem diga que os homens assim 9ao nex-
pugnaveis a certos respeitos.
Assira como ha fortalezas inaccessivets aos as-
faltos dos inimigos, ha tambera homens inacces-
siveis aos assaltos do pudor.
Slo homens fortalezas.
Tavares foi continuando sua misslo de homem
intrgame, e tanto enredou, mentio e calumniou
que afinal foi conhecida por todos e est isolado,
e abandonado de quasi todos.
S algumas pessoas, ou pelos lacos de paren
leseo, oa por compaxao, anda olhara para Ta-
vares e eslendem-lhe sua mao.
O despreso da opniao publica dojorosissimo ;
Tavares sahe passeio, sen passo irregular,
de um homem, que soffre, ora para, e v-se cer-
cado de um numero consideravel de muleques,
que o sadam com o sea favorito appellido calle-
gial de Dr. Cabaco.
Tavares volve os olhos para os seus respeta-
dores, qaer dar-Ibes, surge a briga entre Tavares
e os moleques.
Apparece a polica, e por compaixo nlo con-
duz Tavares para po lo em custodia.
Confessamos igualmente que quando lemos um
artigo no Diario de Pernambuco do 1* do corren-
te, no qual se diz que Tavares doudo suppose-
mos que seu autor gracejava. .
Procuramos aquilatar o mrito de tal assercao,
e verificamos que verdadeira.
Da cidade de Goyana mandaram-nos a segra-
te carta :
' t Foi lido nesta cidade um artigo, em que as-
s-veram que o Jos Tavares, residente nesta villa
doudo.
i Jos Tavares estava presente, ouvndo a leilu-
ra, agitou-se, gritou com toda a forca de uma
cigarra de Janeiro, os visnhos acodem, Tavares
precipita-se em direccio a uma das portas da ca-
sa em que aqu existe um bilhar, o pegaram ;
furioso clama, chorando, dizendo quo ha de dar e
matar.
Neste inlerim Tavares correu at o meio da
ra, onde foi de n >vo pegado, suado, banhado em
lagrimas. Fasia d I
A physionoraia, os gestos de Tavares, suas amea-
cas, os seus passos precipitados, era urna palavra,
ludo em Tavares nos convencen de que elle esla
louco.
t Tenha m pena de Tavares, deixem elle vi ver
socegado.
Aprecera os leitores se Tavares doudo on
nlo.
Const-nos que elle assim que voltou de Goyan-
na andou de porta em parta pedindo atestados
acerca do sen estado mental.
Mnde de rumo o nosso Tavares, assim, com
attestados do Sr. Araujo Barros e de outros, a
cujos ps prostou-s para coosegui-los, nlo se
prova a saoidade de sen espirito.
Quer provar que nlo foi S. S. que brgou com
um criado naquelle bello dia da nolificaclo dos
guardas nacionaes, procure outros raeios ; attes-
tados graciosos nao fazem prova.
Quer provar qae nao sabio contuso, o qne
irapossivel, mude de prova. .
Consta-nos que Tavares est sendo pre cessado.
Qerem tornar o hornera furioso I
Lembrem-se qae elle lera escasa expressa na
le penal; que nao ple ser condemnado.
Que prova mais cabal da loncura de Tavares
do qae andar elle, de paita em perla, chorando,
em cala dos attestados para provar que sao de
espirito ? 1
Querem outra prova ?
Vejara a correspondencia que elle manden pu-
blicar, amaacando algumas pessoa desla villa.
Pode alguem ser mais louco > I
Que actos da vida humana podem patentear
mais evidentemente o estado de loucara ? I
Ainda ha quera nutra duvida acerca da loucu
ra de Tavares ?
Qaerera anda outras proras ?
Dirijam-se ao curador de Tavares, o tenenie
Trajano Evaristo Ferrib Caslello Branco, que sa
ciar plenissimamente a todos, que ainda vacil
lam.
Concluindo, pedimos a Deas qae lance suas
vistas para esta comarca : homem appareeeu duu
do o proprieiario Cosme Ignacio da Araujo Lima,
hornera trabalhador e ptimo pai de familia, e
agora apresent-se tambem louco o sea primo ha-
chare! Jos Tavares I I *
Iiemtito.
N. 429.-GONORHA. FORTALEC1MENTO.
E' alcancado mediante o oso das pilulas azucara-
das de Bristol, estes dous processos slo ioespera-
velmenle reduzidos a um s, e o mesmo ja nlo se
pode dizer de nenhum outro cathartico existente.
Por esta mesma razio ellas sao indubitvelmenie
o remedio alterativo, o mais efflcaz e precioso que
jamis foi receitado para as curas da paralysia,
fraqueza nervosa. Debilidade geral, vorligens e
tonluras de cabeca.
Estas enfermidades acham-se geralmente mais
ou menos ligadas, quer j como etfeitos ou causas,
com ama certa condicao morbosa do estomago, do
flgado, ou dos intestinos. Sobre estes orgaos as
pilulas operam de ama maneira directa e com
uma tal promptidao e.Lrca curativa, que verda-
deramente fax admirar, era quanto qae por outro
lado, ellas dio vigor a todo o systema.
A salsaparrilha de Bristol, sendo de todos os
agentes o mais notavel para a renovaco da vila-
ldade do sangua, torna-se portalo em tes casos
odispensavel. As pilulas vio dentro de vidrinhos
e par isso a sna boa conservadlo duradonra em
todos os climas.
o coDselbeiro Dr. Pedro oirao da Matlan*
Albuquerque, fafo publico qoe rica marcado
o praso de 6 roezes contados da data deale,
para a inscripclb Jos qoe pretendereis con-
correr ao tugar de lente subsliinto da Fa-
coldade de Uireito do Recife,- vago pelo ac-
cesso do substituto Dr. Joio Jos Pinto Ja-
oior, cadeira de que era proprietario o
Exm. Sr. conselheiro Dr. Jos Beato da
Cunba e Figaeirdo, em virtude di jobiia-
Cao a este concedida.
Pelo qoe todos os pretendentes ao dito
logar poderlo apresentar-se desde j na
secretaria desta Faculdade, para assignarem
seus nemes no li vio competente : o que bes
tambem pemittido fazer por procurador,
se esverem mais de vinte leguas desta
cidade, ou tiverem justo impedimento.
Oevendo outro sim presentar docnansa)
tos qae mostr sna qnalidade de cidadao
brasileiro, e de qoe estao no goso de sena
direitos civis e polticos, islo certiJao de
baptismo, olba corrida do luitar ne sen
domicilios, e mais o diploma de Dr. por
uma das Faculdades de Direito do imperio,
ou publica forma, justificando a impossibi-
lidade da apresentaejio do original, e na
mesma occasiao podero entregar qnaesqoer
documentos que julgarem convenientes on
como titulo de babilitacao, ou como provas
de servicos prestados ao estado, huoaa-
nidade, ou sciencia, dos quaes se Ibes pli-
sar recibo: tuio de conforraidade com
os arts. 36 e 37 do decreto o. 1,286 de 28
de abril de 4851 e lile seguintes de n.
1,563 de 24 de fevereiro de 1855.
E para que chage ao conbecimento de
lodos mandou o mesmo Eim. Sr. director
interino alDxar o presente, que ser publi-
cado as follias desta cidade e as da corte.
Secretaria da Faculdade de Direito do
Recife 18 de outubro de 1870.
O officii, servindo no impedimento do
secretario.
Manoel A. dos Passos e Silva Jnior.
i- '
\ .
DECLARACOES.
N. 430.-ENXAQUEGA, HEMICRANCIA, DO-
RES BILIOSAS E NERVOSAS DA CABEgA.To-
dos estes males provm dos desarraajos do esto-
mago e do ligado, e nenhum remedio at hoje des-
coberto, to perfeitmente li upa. purifica e orga-
nisa estes orgos com maior presteza e segurauca,
do que exactamente as pilulas assucaradas de
Bristol. A autoridade em que fundamos esla in-
bontestavel assercao, consiste em um grande ma-
co de testetr.-unhos; os quaes, qualquer um juris
ta do piiz pronunciara concluentes ; por exem-
plo : Edward Warren, de Brooklyn, escreve o se-
grate :
Depois de eu haver padecido pelo espaco de 8
annos de um constante e repetido ataque de enxa-
queca dons frasquinbos das pilulas de Bristol me
puzeram bom. Isto acconteceu cinco mezes
esta parle, e desde entao para c nao experimen-
tei nova repeticao do mal. A Sra. Wilson, mu-
Iher do Sr. W Ison. da Nova York, diz: As suas
pilulas restituirn! me a sade e o goso da vida.
Durante muitos annos fui atormentada de constan-
tes dores biliosas da cabeca.. Nenhum remedio
foi capaz da me dar o menor ;allivio, at que ex-
perimente! as suas pilulas, ellas nao s lizeram
desappareeer a molestia, como tambem melbora-
rara consideravelraente o estado geral da minha
sade. Como ellas se acheni raellidas em vidri-
nhos, ellas conservam-se in varia veis era todo os
clima. Em todos os cases provenientes de im-
pureza do sangue, a salparrilha de Bristol, dever
ser tomada conjuntamente com a; pilulas.
Obras publicas.
De ordem do Illm. Sr. director das obras pu-
blicas se declara que tendo a Recife Drama ge
Company (Limited) de proceder a eolloeacio do*
respectivos apparlhos de despejo as mas Direi-
ta e Martynos, sao os moradores obligados a per-
mitiir o ingresso aos agentes e trabalbadores da
rae ma companhia, qna se apresentarem manidos
do competente passe, e designando a classe do ap-
parelb) que escolherem e o lagar de sua eolloea-
cio, como prescrevem os aitigos 6, 7,8 e 11 *>
regulamento de 8 do correte maz.
Secretaria das obras publicas 19 de oulafiro de
1870.
O secretario,
_________Feliciano Rodrigues da Silva.
Na audiencia do da 22 do correle vai a
praca parante o juizo municipal da 2a vara om
relogio cora uma correnle, por execuco qae ao-
ve Joao Paulo da Soma contra Vicente Ferreira
da Silva.________________________________
Juizo dos feito .-i da fazenda
nacional
Por ordem d j Illm. Sr. Dr. juiz dos Mos 4a
fazenda nacional f adiada para quinla-feira 27
do crrente a praca do engenho Bonn Deslino, e
casa terrea na villa do Cabo, penhorados para pa-
gamento do qae deve o ex-collector Jaliao Pereira
Mattoso ; senlo a avaliaclo do engenho e benffei-
torias 20:0001, e da casa 2 000* ; a prac tena
lugar as 11 horas da manilla na sala das au-
diencias.
Recife 13 de outubro de 1870.
CQMMERCIO.
eido do exercito e cujos servicos V. Exe. conhece.
pr ru iis urna vez mostrea seu enliw'siamo e va-
lor ; o coronel Emilio Luiz Ballet, eommandaiMe
da brigada de artilhtria, pelo seu valor e sango*
fro, que mais uma vez notei; o bravo tenente-co-
ronel Severiano Hartins da Foneeca, commandante
do i regimeato de artharu caralla, palo sea
PRACA DO RECIFE 19 DE OUTUBRO
DE 1870.
AS 3 1/2 HORAS DA TARDE.
Assucar novo bruto americano 2I00 por 13
kil. (hontei).
Aceces ea divida publica89 1|2 OjO
Couros verdes salgados261 rs. por kil.
arabio sobre Londres 90 djv 22 por 1*000
(nontein a hoje).
Dito sobre dito 90 d|v 21 3|4 d. por 1*000 do
banco (hoje(.
Descont de letras10 0/0 ao anno (hoje).
Goncallo Jos Alfonso,
Presidente
Pelo secretarle,
A. P. de Lemos.
ENGSII BANK
Limited
laxa a cor,-
>f Rio de /aneiro
Deseo ata lellras da praca
'endonar.
Recebe dinheiro em corita corrente hi;
Iraso fixo.
Saoa vista on a praso sobre as cidade
>rlncipaes da Enropa. tem correspondente!
la Baha, Baenos-Ayres, Montevideo, New
a New-Orleans, eemitte cartas de crdito
a jar os mesmos lagares.
UA DO COMMERCIO N. 36-
ALFANDEGA.
^eidimentododiala Ib. 414:466*794
c-am do di? 19.....28:933*011
SANTA CASA DA MISERICORDIA DO
RECIFE.
Perante a lilma. junt administrativa da Sania
Casa de Misericordia do Recife, na sala das sosa
seques, pelas 3 horas da tarde do dia 20 de ontn-
bro, se ha de arrematar pelo lempo de osa a tres
annos a renda da casa n 16 do becco. das Bota?,
concedendo a mesma junt algumas van (geos ja
no prego, j no praso aquelle qne se en:arregar
de fazer os con certos de que dita ea-a precisar.
Secretaria da Sant Casa da Misericordia do
Recife 18 de outubro de 1870.
O eserivao,
._____________PVo Rodrigue sde Souza.
Santa Casa de Misericordia
do Recife
Devendo ler lagar n > hospital Pedro II, no dia
19 do correnle, pelas 10 horas da manhaa, a festi-
vidade de S. Pedro de Alcntara, padroeko da-
quelle estabelecimenlo, convido pelo presente, esa
virtude de ordem da Illma. junt, a todos osmc-
nhores mordomos e snpplentes, assim cono a to-
dos os irmaos da Santa Casa, para qne se dignes
comparecer a esto acto.
Santa casa de misericordia do Recife 15 de
outubro de 1870.
O eserivao,
Pedro Rodrigues do Sooza
443:399,8tt>
MOVIMENTO DA ALFANDEGA
'oame." entrados com fazendas
dem idem com goneros
'otomes sabidos com fazendas
dem idem cora gneros
245
981
-----1226
128
567
-----695
Descarregam hoje 20 do corrente.
Barca inglezaPafriodiversos gneros.
Vapor inalezGodia/O'--dem.
\ECEBEDORlA DE KENDAS INTERINAS t-
RAES DE PERNAMBUCO.
iondimento do dia 1 a 18. 47:255*805
d*mdodla 19........ 5:905*682
53:161*487
CONSULADO PROVINCAl.
rteudimento do dia I
'dera do dia 19.
a 18.
18:767*715
071*248
19.438*963
Interesa* publico.
Agora qoe a companhia da lirapnza desta cidade
est prestes a principiara lanecioaar, e que tem
convidado pelos jaruaes os nroprieiarios para irera
a* respectiva Bcjiptorio, aura de escolber os ap-
parlhos, justo qoe facarn publicar pelos jornaes
a parle de ooitraiocora o governo que regula os
pracoados apnareiboi, toas elasses ; e obrigaetes
em qae estao os proprietarws para com a aesma em-
preza : visto como iendo nos ido i das 4 aquelle
escriptorio eem seguida ao deposito ra da Con
MOVIMENTO DO PORTO.
Navio entrado no da 18.
Rio de Jaaeiro e Baha9 das, transporte nacio-
nal a vapor Marcilio Dios, coraroandanle capi-
llo tenenie, Iraz para esta provincia o 2* bata-
lhao de infantaria com 295 pracas, 23 officiae
e varias multares pertancentes aos mesmo?.
A'ario sahidit no mesmo dio.
Perto-AlegreBrigue brasileiro S. Uamel, capi-
lae Joao Jos de Mallos Porto, carga sal e outros
gneros.
Terra-Nova -Patacho ioglez Portia, capito L L
Thompson, em lastro de area.
Observacao
Suspeodeu do lamario para as Aniilbas, o pa
tacho americano lfrid, capitn Daniel, com a
mesma carga qua irouxe de Montevideo.
it3*oaa
SANTA CASA DA MISERICORDIA DO
RECIFE.
A film.a. junt administrativa da Santa Casa tfe
Misericordia do Recife manda fazer pablkosjM
na sala de suas sessoes, no da 20 de ouiubro, ta-
la 4 horas da tarde, tem de ser arrematadas a
quem mais vantgens offerecer, peto tempo de mm
a tres annos, as rendas dos predios em egaidi de-
clara dos :
ESTABELECIMEMTO DE CARIDAD*.
Ra das Calcadas.
Casa terrea o. 36.....* .
Roa larga do Rosario.
Segando andar do sobrado o^t .
Casa terrea n. 26......
Roa dos Acougunho.
Casa terrea n. 26.......
Ra de s. Benlo (Olinda.)
Casa terrea n. 19. ,......
Ra de Mathias Ferreira.
Casa terrea n. 15.
PATRIMONIO DOS ORPHAOS.
Roa de S. Jorge (ontr'ora PMar.)
Casa terrea n. 108.......204*01
dem idem n. 106......" .
dem idem n.
dem idem n.
dem idem n.
Os pretenderles deverio apresenur M aes
arrematcio ias suas llancas oa eosnpareesnsB
acompaahadof dos respectivos fladorea.
Secrataria Ja Sana Can da Misericordia do Ra-
cife, 18 de oujubro de 1870.
O escTivi,
Pedro Rodrigues de flssBH,
i.ioaaoa
34S*flat
Relaco
do so
rerj^i
bro
Antn
Francisc;
Hermim
o de
J 'aqui
C-, loa
de Oh
Bapli
lenca
Albu
ra,
Correio gcraL
cartas regisuadas, procedeni
e norte do imperio, existantaa aa
ci do correio em 17 e
1870.
Jos da Silva, Antonio Marti*
Deltlno da Silva (21, Go-Ur< Weoaa,
Francisco do Espirito Sanio (2), JosMua-
e Silva, Jolino Fernanle > Crm,
Cardoso Dias, Jqnim Caetai
uim da Silva Ramos, Jos Joaqun
Jos de MagalbaV Macha
de Medeims, Lniz Manoel Rjdr|jro" Ta-
ii'z Rodrigues VHIares, Maria Amela y
uerque Mello (2), Prediliano Oosta* PsfWi-
no Montoiro de Mello.
O encarregado do reg-
Manoel dos Passos Ib randa.
eir.
efioasa
EDITAES.
Faculdade de Direito
De ordem do Exm. Sr. director interioe
TBEATRO
En a-eenseqoenela e anda conunm
Ule. Brescia, e mesmo nao tor si
parai todo o scenario el
'i


I

/
Diario 4t Ptfarntuco Quiote feira 20 de Oulu

1870.
ft
tka o espectculo da hojo quinta-feira transferido
par
Sabbado 22 do corrate
O espectculo completamente aovo e dividido
en qaatro partes.
0 distinelo bailarino porlaguez o Sr. Joaqaim
Perrelra dos Santos, prest a-se a eoadjnvar a em-
preza dansando os daos lindos passos que o mes-
tno seohor executou no sea espectculo,, sendo
primeiro
0 passo de Palmira.
O aegunio *
. Aragonesa
As pessoas que tomaram bilhetes da camarotes
e cadoiras, descalpem esta falta Qlha nicamente
do desejo qae tem o emprezarto de que suba a
sceaa a i pera
LES
PART1WS DE VIOLETTE
com todo o brilhantisrao possivel.
O programma ser publicado no Diario de ama-
nba.
O pequeo numero de biloetes que existem
acbam-se venda no escriptorio do theatro.
Grande e variadissimo espec-
tculo
GYMNASTICO E ACROBTICO
*NO RANDE JARDM DA
IMPERIAL
FABRICA DE CERVEJA
DE
H. LEIDEN A C.
RA DO BAR DE S. BORIA N. 35.
B-.NEFICIO
DA
Sociedade Joven America.
Dirigido i elo artista brasileiro Vicente do Re-
g, que possnido de sentimentos humanitarios e
levado pelo amor santo da liberdade e dse jando
coadjuvar quaoto Ihe for possivel para que dita
soeiedade possa ter incremento e levar a effeito
alorriar o maior numero de escravos, exponta-
neameate resolveuse oFferecer dito espectculo
esperando qne o publico em geral nao deixar
de concorrer para nm lia lo til e social.
PROGRAMMA.
i* Urna linda symphonia por msica militar.
PRIMEIRA PARTE.
2o O trapesio, exercicios de torca, equilibrios,
deslocacSes e agilidade, trabalho iraportantissimo
e admiravel, pelos artistas brasileiros, Vicente
do Reg, Julidorio, Angelo e Silva.
3." Msica marcial.
SEGUNDA PARTE.
4." Diflkeis o sorprehndentes posicoes de equi-
libr os executadas palo, artista Vicente do Reg
e Medeiros.
5." Msica militar.
TERCEIRA PARTE.
6 Admiravel e perigoso trabalho denominado,
o duplo trapesio executado pelos artistas Julido-
rie e Angelo.
7." Msica militar.
QUARTA PARTE.
Perig03isMmas deslocacoes pelo raesmo artis-
ta Vicente do Reg o qual nesta mesma occa-
siao e pela primeira vez representar a ceia ter
rivel, onde comer e beber com os ps, traba-
lho nunca visto.
9. Msica militar.
QUARTA PARTE.
10. Finalisar o espectculo com o muitoin.e-
ressante entre-raez o horaem Tonel.
Entrada t000.
Principiar as '> 1/2 horas da tarde.
O jardiin acha-se convenientemente decorado,
bavendo lugares reservados para familias. Os bi-
lhetes acham-se venda ra da Imperatriz, n.
68, e no da do espectculo na mencionada fabrica
de cerveja.
N. I!. Os billietcs passaJos sao pagos na en-
trada,
(1) O comt r e beber com os ps nao como fez
o mando.
AVISOS MARTIMOS.
ARaC/VJIT
Para o referido P'Tto segu dentro em quatro
dias o patacho nacional Tres Amigos, e por isso
quem quizar aprovoitar em carregar carga a fre-
te eommodo, pode se dirigir ao consignatario Jo.i-
fOim Jos GjiiimIvos leltrao ra do Gommercio
n. 17.
Liverpool BrasiL-e iver Fia-
te Mail 8t< me s.
Espara-se de Liverpool i 21 do corrente o pa-
quete inglez La Place, do 1,100 toneladas, que
seguir, depois da indispensavcl damora, para a
Bihia, Rio do Janeiro o Santos. Tem boas accom-
moda^fos para passagoiro3 de e 3" cmara.
Para (reto ou passigens, trata-se com os agentes
Saunders tfrote.s e \, largo
do DorpoSaato n. 11.
BAHA.
Para o referido porto pretende seguir em pou-
cos dias o patacho nacional Calado, por ter a
maior parte de seu carregamento eagajado, e para
o resto que Ihe filia trala-sc com o consignatario
Joaqaim Jos Goncalves Bellro ra do Com-
mercio n. 17.______________________________
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
navegado costeira por vapor
Em direilura a Mace e Penado.
O vapor Mandah comman-
dante, Julio seguir para os por-
tos cima no da 22 do corrente
as 4 horas da tarde. Recebe car-
ga al o dia 21, encommendas
passageiros e dinheiro a frete at as 2 horas da
tarde do dia da sahida : escriptorio no Forte do
Maltos n. 12.
Maranhao
Segu com bre vi dada para o porto cima opa-
Ihabete naeionat Joven Arlhur, para o re to da
carga qae Ihe falta trata-se com os consignatarios
Antonio Luiz de Ollveira Azevege & C, roa da
Ornan. 67.
COMPAMHIA BRASILES
DE
Paquetes a vapor.
Dos porto? do sul esperado
at o dia 23 do corrente o vapor
rinos, commandante o primeiro
tenante Jos C. Duarte, o qual
_______depois da demora do costume
sentir para os portos do norte.
Desde ja recebem-se passageiros e engaja-se
aarga qne o rapor poder eondntir, a qual deven
ter embarcada no dia de suachegada. Encommen
das e dinheiro a frete at as 2 horas do dia da su;
nuda.
Nao se recebera como encommendas sanio ob
jectos de pequeo valor e que nao excedam a dua
arrobas de peto ou S palmos cbicos de medica,
rudo que passar destes limites dever ser embar
ado como carga.
Previne-se aos senhores passageiros que sua;
passagens s se recebom na agencia, ra da Crui
n, 57 primeiro andar, escriptorio de Antonio Luli
de Oliveira Azevedo C.
Rio-Grande do Snl.
Segu cem brevidae para o porto cima o bri
gue nacional Amelia : pan o resto da carga que
Ihe falta, tratase com os consignaiarios Antonio
L de O. Azevedo 4 C., ra da Cruz n. 37, primei -
ro andar.
LEILOES.
LEILO
DE
dous carros de passeio
e quatro cavallos
para os mesmos
O agente Martins far leilo por conta e risco
de qnem pertencer de dous carros de passeio, sen-
do um forrado de novo com os competentes aro
reos e ambos em bom estado, assim como de qua-
tro cavallos em boas carnes para o mesmo carro.
HO JE
As 11 horas do da na ra po Imperador esqui-
da ra do Crespo (hoje 1 de marco.) _______
DE
fazendas ge raes
a 20 do corrente.
Henry Wilmer far leilo por intervencao do
agente Oliveira de perfeito sortimento de fazendas
de linho, la e d'algodao as mais proprias do mer-
cado, como bem conhecidas dos seus freguezes :
Hoje
As 11 horas da manha em seu armazem sito
ra da Cruz n. 62.
LEILO
DE
movis li'uqae viclros a saber :
Um piano forte d'um dos malhores fabricantes,
urna mibilia de Jacaranda ras de braco, 18 da guarnidlo, e 2 consolos com
pedra, jarros para flores, 1 relogio, 2 cadeiras de
balanco, 1 raobilia de palha, 1 mesa elstica, 1
excellente guarda-louc, 2 apparadore3, 1 sof, 12
cadeiras, louca, vidros e muitos outros objectos
pertenejntes a casa de familia, os quaps se tornara
recommendados pelo b mi estado e pouco uso que
teem.
Sexta-fetra 21 deoutubro
no 3 andar do sobrado novo di ra do Vigario
n. 1.
O agente Pinto aulorisado por ama familia que
raudou de residencia, levar a leilo os objectos
cima mencionados, existentes no 3 andar do so-
brade da ra do Vigario n. 1, onde se effeetuar
o leilo.
Principiar s 10 horas.__________
LTTO
DOS
Utensilios da padaria da rna
Imperial u. 13.
O agente Martins far leilo dos utensilios da
padaria da ra Imperial n. 183, constando de ce-
lindros, maceira, tendedeira, toalhas e mais objec-
jectos; atsira como das dividas na importancia de
1:3004000, tudo pertencente Theotonio Pereira
Bastos, e para pagamento le seus credores.
Sexta-feira
21 do correte.
A's 11 horas de dia na mesma padaria.
COMBIA BHVSILEIRA
DE
Paquetes a vapor.
Dos portos do norte esperado
at o dia 21 do corrente o vapor
Paran, commandante J. da Sil-
va Moraes, o qual depois da de-
mora do costume seguir para os portos do sal.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se t
carga qne o vapor poder eonduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de sua chegada. Encommen
das e dinheiro a frete at as duas horas do dia d;
sua sabida.
Nao 90 recebam como encommendas seno ob-
lados de pequeo valor a que nao excedam a 5
arrobas de peso on 8 palmos cbicos de med-
cao.
Tudo que passar dastes limites dever se
embarcado como carga.
Previne-se aos Srs. passageiros que suas paasa
ens s se recebem na agencia raa da Cruz n. K7
andar, escriptorio da Antonio Luiz de Oliveir:
Azavedo & C.
Sor vete
ra n. 67,
, antfg* rus NV
i gario da Victo-
Preciaa-te de um caixeiro : no ajwaxem do
protegido de S. Pedro.
loada
de-
clarar seu nome, raa e quarteiro, ato P sen
annuncio tratar a abaixa assignad, ija nrma
nao se devisa.
Um dos inteMaaadoa.
* Pede-se Mhora que diz ser inWrdm;
pela razio de recber offensas, que M wgne
Na lravessa da roa
das Crazes n, 2, pri-
meiro andar, da-se di-
nheiro sobre penhores
de ouro, prata e brilhan-
les, seja qnal for a qoan-
tia. Na mesma casa com-
pram-se os mesmos me-
(aes e pedras.
AMA.
Precisase de ama ama que saiba engommar
com perfeicao, e sendo estrangaira preferivel:
a tratar na ra Nova, casa n. 22. _________
AMA
Precisa se de urna ama para o servlco interno
de ama casa de duas pessoas : a tratar na roa do
Imperador n. 79.________________________
Ausento-se.
Da casa da ra dos Pires n. 23, em dhs do mez
de agosto passado a mulher Jeronyma, c- parda
clara, alta, espadauda, com marcas de bexigas,
beicos grossos, e com os denles superiores podres
e faltos, usa de amarrar os cabellos e trajava
bem, cuja mulher sanio de casa por nao estar em
seu perfeito juizo : pede se a quem della ti ver no
ticia o favor de dirigir-se ao lugar cima.
Ac ba de sah luz o oficio
DE .
\. S. DI COVCEIClO.
Acompanhado de urna collecco de oracoes co-
mo : Responso le Santo Antonio e opcao de Santa
Maria Eterna. Ris 320.
I.IVRARIA FRAN^ZA.
Aluga-se o sobrado n. 9 na Passagem da
Magdalena : a tratar cem J. I. de M. Reg.
Deposito de pao e
eestas.
Ra Larga do Rosario n. 36.
Fructuoso M. G. avisa a todos os seus benignos
freguezes, que hontem recebeu novos sorlimentos
de berco3 volantes para os resemnascidos, balaios
de meninos aprenderem andar, maracas cobertos
de palha, baniejas grandes para roupa engomada,
balaios para costura groc^, ditos de depositar pa-
pel rasgado, ditos para facas e garfos, ditos para
por fructas na mesa, temos da balaios para depo-
sito de roupa servida, ditos de azafates grandes
brancos e de cores, ditos de eonie?.n brancas e de
cores, entre oslas alias e baixas. condecinhas para
encher do doces seceos, balainhos para ninhos de
canario, cestinhas para pastoras no festejo de pre-
sepios, cestinhas finas o mais delicado po9sivel para
meninas de escolla, outras maiores para senhoras,
cadeiras de vime, proprias pata passageiros que
segaem em vapores para Europa, cestas de todos
os unannos para fazerse compras no mercado,
balaios cempridos e redondos brancos e do cores,
temos em quantidade; cera branca em rolo para
accender luzes. Aqui acham os no sos benignos
amigos o oplimo pao, bolaxa e massas doces, fabri-
cadas com a melhor farinha do n ercado; o tama-
nho do nosso pao sempre maior do que o de ou-
tra qualquer parte a sem o menor gosto do azedo.
AMA
Precisa-se de uma a na para casa de pouca fa
milia : na ra da Cadeia n. 21.
Para uma familia muito pequea de-
seja-se encontrar uma pessoa de reconhecido
comportameDtn que asstsla a dona da casa
em vigiar o servico das pretas coser etc. O
servico diminuto o tratamento agradar,
exige-se porm pessoa dd toda confidnea,
na ra do Imperador n. 4 arm >zemFide-
lidadese dir quem .
ITTH)
\ _.
O abaixo assignado pede a todas as pessoas que
Ihe devem, o favor de satisfazerem seus dbitos
no praso de 30 dias contados da data deste, cer
to de que, os que nao fizerem serio suas contas
cobradas judicialm nte, e alguns chamados por
iste jornal.
Olinda 12 de outnbro de 1870.
Thomaz Jos de Gusmo,
CASA DA FOBTDSA
Aos 5:4*01
Bilhetes garantidos.
A rna Primeiro Marco (oatr'ora roa de
Crespo) n. 23 casas do costume.
O abaixo assignado, tendo vendido nos seas
felizes bilhetes qntro quartos n. 28 com 3:0001,
ara raeio n. 39 com 400*, atrs sertes de
100*000 o 40*000 da lotera qne se acabou >
extrahir (105"), convida aos possnidoras virem
receber na conformidade do costume, sem descon-
t alguro.
Acham-se a rente o felizes bilhetes garan
tidos da 4 parte da lotera, a-beneficio da matriz
do Bonito (166*), que se extraar terca-feira 26
do corrente mez.
PRECOS.
Bilheto inteiro 6*000
Meio bilhete 3*000
Qoarto 1*00
Em porcao de 100*000 para cima.
Jlhete inteiro 5*480
Meio bilhete 2*700
Qoarto 1*380
i______ Manoel Martins Flor*.
m\ i oto
Rna do Baro da
Victoria n. 63
(Outr'ora ra Nova. )
11 i I heles garantido da pro-
vincia.
Esta feliz casa acaba de vender entre os sens
muito felizes bilhetes da lotera n. 165* qne cor-
reu hoje quatro quartos de a. 3373 rom a serte
de 900*, um inteire de n. 1430 com aserte de
100*, dous quartos de n. 305 era a sorte do 100*,
nm meio de n. 3226 com 100* Je muitos outros
premios menores que seria enfadonho mencina-
los, podendo os seus possuidoros virem receber,
qne promptamente sero pagos.
O abaixo assignado covida ao respeitavel pu-
blico para virem muuir-.-e de bilhetes da lotera
(166) a beneficio da matriz do Bonito, qae ser
extrahida terca-foira 25 do corrente mez.
PREQOS.
Inteiro 6*000
Meio 3*000
Quarto 1*500
De 100)5000 para cma.
Inteiro 5*400
Meio 2*700
Quarto 1*350
Joo Joaqaim da Costa Leite.
DE
Uma mobilia de Jacaranda Lpz XV, composta de
12 cadeiras de guarnicao, 2 de bracos, 2 con-
sol?, 1 jardineira com pedra e 1 sof, 1 guar-
da-louca, 1 guarda-vestido (obra muito bem
acabada), 1 guarda-roupa, 1 cmoda de ama-
relio, 1 meia dita, 1 lavatorio de mogno com
c-pclho, 1 mesa* para jantar, 2 bancas para es-
cripia, 1 pequea estante, 1 sof de amarello,
12 cadeiras e 2 consol?, 1 marquezo de oili-
cica. 1 dito de amarello minio bem conservado,
3 mesas redondas, 2 rnarquezas, 28 cadeiras
usadas para sala de jantar, 2 serpentinas de vi-
dro e 1 candelabro com 4 luzes, 1 machina de
costara, 1 cama franceza para casal, porcao de
louca azul para jantar, 1 machina para copiar,
diveisos quadros, venesianas, 2 pares de Lin-
ternas, vidros, bolea de viagam, 1 relogio do
parede, 2 ditos para mesa e 1 dito de ouro pa-
tente iaglez (com a competente corrente), alm
de outros muitos objeut s qne estar o a vista
dos compradore--.
Sexta-feira
21 do corrente
s 11 horas da mauhaa
(em ponto, e sem reserva de precos)
pelo agente Pontual, no armazem da raa do Im -
perador n. 16.
^iuga-se
um sobrade de um andar e soto no largo da ri-
beira de S. Jos n. 19 : a tratar na ra do Vis-
conde de Goyanna n. 51, outr'ora Mondego.
^io d^ Janeiro
Para 9 porto cima segae om brnvidade o bri-
fu.- nacional Isabel, tam parte do seu carregamen-
to engajado: para o resto qii' Ihe falta trata-**
eom.o* consignatario Antonia Luii dp Oliveira
Azevedo 4 C.,'ra di Cruz n. 37, 1" andar.
HIA'
Pretende seguir para o r. f irid p irto em poneos-
lia" o palnabote Rosita por lar a maior parte da
aarua, e para a pon-;, que iha falta, trat-se coro c
e<>'ioignatario ioaquim Jos Goucalve Bellri), '*
rus dj Commorcio n. 17.
AVISOS DIVERSOS.
Companhia Phenix
Fernambacana
A directora da conipiiiliia Phenix Pemamba-
caaa deliberon qne o? premios le seguros por ella
realisados quer martimos |Oer terrestres sejam
pagos no acto de celebrar se o c intrato.
Peroambiie) ti da Hitabr.i i- l^70
Pelacuu;ia/ihia "iierax Peniambucana
J II T nidada.
F. V. Rugas.
L'i'z a *> lueira.
MiiLEQE
Precisa-se du um ,>., \ o serv jo
caga; na ra do Batn da Victoria, outr'ora
Nova n. 36.
de
ra
FOLHINHAS
Aeafc* vemU >*
LIV-RARIA FRANCEZA
BU do Crespo, N O.
u tfuulu Flkliku
PEDIDO
A' ra do Lvramento n. 38, primeiro audar,
precisa-ge fallar com os seguintes senhores :
' Julio Adolpho Ribas (acadmico).
Querino Candido de Vasconcellos.
Joaqaim Cavalcanti de Albaqnerqne Mello Fillw
(Pombal).
Jezuino Augusto dos Santos Fragoso.
Virissimo Correia de Lyra (Crtiangi ou Vicencia
Jos Hermino Pontual (engenho Preferena).
Fernando Parata da Silva (engenho Morojo).
Antonio Gomes Cordeiro de Mello.
Eduardo de Paula Santos.
Francisco da Silva Porto.
Thom Joaquim do R so Barros.
ALCATRAO IIUTIT
Luto coHonrriMM i titulado
0 t Guyot thegou a tirar ao alcatrio a
sua acrimonia ex> seu amargor insupporttveii,
o que o torna mais solnvel. Aproveitando essa
feliz descocera, elle prepara um licor con-
centrado de alcatrao, o qual, sob nm pequeo
volume, contem uma grande proporcao de
principios activos.
0 A!etri> de Cyoi (fioudron de
Guyot) possue por consequencia todas asvan-
tagens da agua de alcatrao ordinaria, sera ter
os inconvenientes. Basta deitar d'elle ama
comer de cafa n'mn eapo d'agv pan
logo nm copo de eirfBmt* apea da
sera gosto degagradaiaL Cada qaai |
d'esaa maneira preparar a mu agaa de
catrao quando d'ella precita,
economa de tempo, beilidade da
e evita o manejo lio
0 AleatrA* A
vantagem mnitas
inertes, nos cases de deftaxos,
toases, catarrhoe.
O Aleatr Ac Qmjot empregado com o maior xito as mnlnatil
EM BEBIDA. Urna celher de caf para vm copo d'aaua ou dua* colinra r
topa para uma garafa :
BRONCHITES
CATARRHO DE BEXIGA
DEFLUXOS
TOISI PERNITAZ
IRRITAQAO DE PEITO
TOS8E CONVULSA >
El FOMEKTA$ES. cr puro ou com um pouco a"agua:
AFFECQ6ES DA PELLE
COMICHOES
MOLESTIAS DO COURO CABELLUDO
El DUEGCOES. Umapartede licorequatrod agua IHfcsAii tiiilriMiin.....i ii.)
FLUXOS ANTIGOS OU RECENTES
CATARRHO DA BEXIGA
O Aleatrfto de Guyot foi experimentado com um verdadeiro xito au>
principues liospitaes de Franca, da Belijica e da Espttnha. Fot reconlteculo
que, para os tempos de calor, elle conslilue a bebida a mais liyaienica, e so-
bretodo durante os tempos de epidemia. Urna intruccao accompa::!ia cada tidro.
Veud :-se na pharmacia e drogara de P, Mau-
rer & comp., ra Baro da Victoria n, J7

M
Folograpliia imperial-
E
AfJBHIA tt: PINTURA
DE
J. Feretra Trllela
Desde o da 7 de abril passado aclia-se aberto o
ovo estabeleciraento photographico sito ra do
^abug n. 18, esquina do paleo da matriz. Ostraba-
hos que desde entao, lem sabido de nossa offleina
;era geralmente agradado, sendo recebidos por
lguns com admiracao pelo extraordinarii pro-
zresso que ltimamente tem tido a photc graphia,
i por outros com alegra, por verem a provincia
lotada com um estabeleciraento digno della, e in-
jonteslavclmente o prinero que nesse genero
iojepossuo : tambem nao nos poup.imos"em eousa
ilguma para monta-lo no p em qno se aehs, es-
perando que o publico de Pernambnco saber
ipreciar nossos esfor^os e recompensar nossos sa-
:rilicios.
Convidamos a todas aquellas pessoas, nacionaes
) estrangeiras que gosiam das artes, ou liverem
aecessidade de trabahos de photugraphia a visi-
arem o nnsso estaMeelmeoto, qtm estar sempre
iberio e sua dUposieao t idos os dias desde as 7
ioras da raanhaa at as C da tilde.
Para es irabalhos do [hotographia i"issnimos -ip
/ersas machinas dosmelhores autores francezes,
nglezcs e allmcmes, c-mo sejam : Lerebours el
Secretan, Herrangis, Thomaz Rosa, Voigtlander el
snh eWulf. ltimamente recebemos tres novas
uachinasi sendo uma dolas propria para tornar
sobre o mesmo vidro i ou 8 imagens diversas e
soladas, e outra de G a l imageus diversas 9
gualmente soladas, de sore que no caso de
grande concurrencia podaremos retratar sobre
ama nnica chapa at 8 pessoas diversas e isola-
jas para cart5es de visita, e assim em monas de
jm quarto de hora despacharmos 8 dfferenies
pessoas que pecara cada uma, uma dnzia de cartCes
nais ou menos, com os seu3 retratos siuente, ou
m grupo com outras.
Encarregamos-nos exclusivamente da direccao
i feitura dos trabahos de photographia dei-
tando pericia e talentos do ilislncto pintor
illemao, o Sr.
Jorge A. Roth
n trabahos de pintara, a aquaHa, a oleo, e a
pastel.
O Sr. Roth acha-se ligado a nossa empresa por
ama escriptura publica, e at o presente tera-se
lesvellado na exacncao de sens trabahos
No nessoestabelecimerto acham-se expostos ou-
iros trabahos imjiortanu s do Sr. Roth, tanto em
miniaturas aquarella como oleo, reiratos
leo, quadros sacros e diversos outros trabahos.
Tomamos encommendas de retratos oleo at o
tamnho natural, assim como de quadros sacros
para ornamentado do igrejas ou capellas. Tam-
bem aceitamos encommendas de quadros histri-
cos.
Asseguramos que os precos dos diversos tra-
bahos da nossa casa sao mu rasoaveis.
CARTES DE VISITA NAO COLORIDOS A i 0400 A
Dl'ZIA
CART5ES DE VISITA COM O COLORDO AO NATO-
RAL A 165000 ADUZIA
Retrates em miniatura oleo oa ;i aquarella de
10 a 20*000 cada uro, indo convenientemente en-
aixilhado em moldura dourada e regulando o
busto da pessoa retratada de 3 4 poHegadas e
lodo o qnadro palmo a meio de tamanho.
Jnlgamos que bastarlo os precos cima para
larmos idea da baratesa dos trabahos do nosso
jstableeimento, quanlo sua perfeicao cada um
renha julgar por seus proprios olhos.
As melhores horas para se tiranbm retratos^ no
nosso estabelecimento sao das 8 horas da manhaa
I da tarde; entretanto do uma hora s 5 da tarde
sm casos especiaos pde-se tarabem petratar qual-
quer pessoa.
Nos dias de chuva, ou por tempo sombro po-
lerao retratar, e assegur irnos que esses dias sao
js mais favoraveis aos t-abalhos de photographia
pela doenra e persistencia da luz, e p* r termos o
aosso trras construido cun taes proporr6es e
nelhoramentiis. qne amila chovendo orros ne-
ihura inconveniente ha para fazer-se bellos re-
tratos.
J. F rreim Villeta
1'*". coslnoiamoi procurar UesUdoi pira acredilar
oros preparados, deiamos qne ana applicaclo e oa
'ilUdoa obtidos pelas pessoas qne se dignaramacceita-
o, Ihes deem erediu e oga ; porque sao sempre o*
atestados considerados gratnito*, deilea qae lanca
alo o charlatanismo; mas ni qnerendo oRender as pes-
jss qae espontneamente nos offereeeram, os qne abaiio
'lo transcriptos, os fazemos publicar manifeslando-lhes
u>sa gratidlo pela auenclo, esperando qae Tenais
i! "s corroborar o conceito, e acceitaclo qne tem mere-
nd costo xarope. fioriAolomw A C.
TTISTlMt.
Il'ms. Srs. Bartholomeo A C. E com a mais sabida
atisfiflo qne declaro ser o xarope Americano de ama
fi-acia extraordinaria, pois qne soBrendo ba dias de
llanas tost, i poni de nlo poMer dormir a noite a
' m.'siL.-o de medicamentos que lomava, a elle
I e na tarceira eotbtr fui alliviado, e de todo me
i-' le mu o o aoaaeirta di onari
uln peii i ase ranlttdo inonifes'o 3
" i ii : Vi. >. am'iro, f-
bri: i utonlo ,13 Janir,-.
;
C. .',
Mnte po popular pe nam-
bucano.
De ordem da directora convido a todos os nos-
sos irmos para se rennirem em ass&mbla geral I
no dia 23 do corrente mez, pelas 10 horas do dia,
para se proceder a eleico da administraQo vin- i
donra, e se nao bouver numero legal, se passar ;
a trabalhar em negocios de milita urgencia da
mesma soeiedade.
Secretaria do Monte pi popular pernarabncano,
18 de outubro de 1870.
O Io secretario,
Candido Jos de Ges Telles.
taran a aaaMB
Vegetal Americano, de ana eoapo acbefa baetante doente de ama constipaba*,
tomn completamente ronco e qae tr*n*
tosse, e impossibiliton de enmprfr o*
de cantor da empreza 1 frica, no agnViei _
completo restabelecimento, qne *ktr*n caen nm t
do mesmo xarope, depois da kaver racerrid* a
traumentos. Desejarei qne entree caen* *n r
ao sen xarope para se Torean almanta n tan) Imilanl
incommndo, lio fatal neste paix. Cana nMler
relo conlinno a ser de Vt. St. atlent*. *
obrigado. Laiz Cremona. BaaUn S da
lllms Srs Bariholome*ac.O mapa
ricano qne Vt. St. tm expott* I Tenn> i d
eacia pera o cnratiTo d'isibma, ennfbraM <
pticando-o a men lilho Joaajnim. ntmrr n 1
anno9-. Tictima d'esse BagHIo, qc ate nal tapir 1
elemente a don >inii bs'ia resi^tMo 1 ejt mi
de --ui.Je aaentata, Qne.rtn pon Vt. S*
ei sso alta sne afnear le mfa recahei-initat* a
rnciilqrio .....t- :. Ihe primi com o uateen
xrope, ar- i- y-, a. crttwA*t
. a tfc< 1
I
1 t '
Ci
ASSOCIAgAO :OMMERCIAL AGRIOOLA.
Tendo alguns dos senhores socios eleitos para a
directora, por motivos justificados deixado de
aceitar os cargos para que foram eleitos sao ne
novo convidados os senhores associados para a
eleicao em asamblea geral no dia 25 do corrente,
as 9 horas da manha, aiim de se elegerem os
novos merabros.
Secretaria da Associacao Comraercial Agrcola
20 de outubro de 1870.
Joao -Mara dos Santos Almeida,
Secretario.
Boa casa
Aluga-se uma grande casa nos Coelhos cor fron-
te ao hj-pital Pedro II, assobradada, grande quin
tal murado, oeclieira. quarus para estribari.i c
criados, commodos para duas familias, porto de
desembarque, banlio salgado, emfim ama bella
casa : a tratar na ra do Mondego, olaria n. 13,
com Marcelino Jos Lopes.
O abaixo as daado declara ao respaila vel
publico e com especialidade ao respeitavel corpo
do commercio, que comprou a taberna da ruado
Sebo o. 13 ao Sr. Trnnquelino Pedro de Alcnta-
ra, livro e desembarazada de qualquer onus : se
alguem se julgar cora direiio a mesma, appareca
no praso de trss dias. Recife 20 de outubro de
1870.
Antonio Marques de Oliveira.
LEUM
O abaixti .vsiKu.il) di palmeo |ue se acham
j-r file apeligrados ..- arr. nd'iwiiln* da casa
(U8 foi Iv.iel fram-.ir. n) Api-ucos, o p rt" Uw pre
viiih i muem a itrra4e; en itu tu annunci"U por
Diaria Re.-.f.. 18 I" Mtlaorn l 1870.
__________Ant 1 Bokiu- l-fininv).
Precisa-se de nm menino com alguna pratica
de taberna ; na ra da Concordia o. 23._________
flTTENQAO
Precisase de um pharmacent eo eoaa as ha^i-
iiacofs precisas e ipie ntre com algnm ea|iul
para tomar conta de nma pharmacia em boa li>-
calidade a com alinma fregnezia, faz-se esle ne-
gocio de dar-se socirdade, por sen dono qnerT
se retirar para fra : quem qnizer dirija-a* a esta
typographia com as iniciaes J. C ______
Victorino Jos Perreira deixriu de ser nrwt
ro do Sr. Jos Harta (5 mcalvrs Vieira G-ji-nnraes
Jtsdc 16 do corrente.
Aluga-se uma casa muito iresra co higar
do Monteiro, a margem do rio Capibaribe tra-
tar na ra 1 de margo, outr' ra Crespo, loja 4a
esquina n. 8.
Precisa-sa de um caixeiro qne loaba prahra
de taberna : na rna do Codorniz n. 7.__________
Precisa-sn de um caixeiro com pr..tica de
taberna : na rna Imnerial n. 216.
Precisare de uma negrmha de 12 a ti aa>
nos para andar com meninos : na roa da G! ra
89 i' andar. __________^^_____ _____
Precisa-se alagar nm preto pan o irattVv d?
padaria : na ra Direila n. 129
Ama
Precisa se de uma ama para eozinhar em n**
de homem solteiro : a tratar ni rna Din-ita n. 32
A, loja de calcado.______________________
Precisa-se de uma ama livre, de mtia idade
e boa conducta, para o servico interno e externo
do casa de muito pauca familia : na ra de Santa
Therezi n. 11.
- Precisase de um bom copeiro, o tambem de
um servente que seja forro ou captivo : 110 hotel
francez, rna das Larangeiras n. 10.
Bartholomeu & C,

Cosinhe ro.
.: Precisa-se de un cezinheiro : a tratar na raa
Nova, casa n. 22. ^______________
Aluga-se um e-cravo de 20 anata : na tu
do Rangel n. i6, sobrado._____________________
Precisa-si de 11 na ama de leite : trata-se
na na da Mieda n 'H._______________________
Precisase de urna ama q e saiba eozaar
bem : na ra do Qreiinado n. 50.
Aluga-se a ca-a n. 32 a ra deS. Jo.>,
2 salas, 1 quarto, eozmha, quintal e raci n*a, por
{'*^ por me'. : a tratar no mesmo Inrar.
Ama
Paga se b>m ordenado pr nma atna qae eatv
nhe para uma casa de fanilia : na rna da Seon-
la-velha n. 90.
Ami
Praeisa-se do uma ama qae cozinlte
gomme e cinnpre p ra ama pess. Tunes 11. 16, 2 andar. ____________________
__A us;i--e um 1 boa tcrava : ao
Jos n. i9. ____,
iV>
iue
Vlllr
e-le
O alMi&'i HtiinAl) |ii'"i '' 'M'in'elros e
iMr.iros : <\ tam iiwur c-ntralar p lera dirigir
>e raa da Imperatriz n. 3. I" andar
r. uuvo AdVho VurUbai.
'I OCA, X MIOPE B TlNTU.i.
"HUEKOA. SIMPLBS P. PlRROtltOK
. lJor,;\D,\ BaWjtASTBO P u
' PUSP.MIADOA POR
ftTHOL0E0 & 6'
fHAnMACEtlTlC08-LlROQUIciT..i.
IFR%WII1 A
\ Juruht : orr.H o pail' cunto o mcr- .
;..-.- e epnnaiuiem -lo
enilni, te*, p >.toriios~* blt en aDi-ii.'tmayec, desaira;.
ios do auontero, Ui., e o qne di>emos itesti-
eaemeras ceia imparuataa oklutat uai oumo-
piAparao ja hora coonocidoe tudo* pol'W ssav
I iluinei medico da pan > IN>riii(ai tn loifiw
aotai's .lepc-euoj dinribnimon *rt% fniketn '
melhor (asean eonbeem Jnrabnbn sen* rmait*
I
ESCOLA PHARMACKUTICA M PaVfM
Medalha da raU 1M0
OE
L^OUEUR
faflllMoivcoj EN
GTIYOT
EXTRACTO DE iLCATllfi.
Dnico mediranteatn auanornaV por MstMn
Hoarattaa >Fianpa, B--Icj Bannnn*) can*
mallMir p-aa*i*cne issiaainaxa saiilsrle n
otes k AG \ DE AI.CATntAa
( Dn.ii a>l>>ei-*tu p*.*l
litro *n, >
ctila cafo grtpjt.)
O u.crtiUr.'or
.-on rl !-
hP>l(*.
rnia mrwlsr f>
sroarre Onm**, eC^/y'm
Ri. iltsFram- tttrm, 17
J5er/
^79-


I
Vr.


Diario de Penwimbuco Quinta ei 20 de Outubro de 1870
0 conselheiro Jos Bento da Cttnha Fi-
joeiredo aviza aos seus coBstituintes, que
Ue acha-se restituido ao seu escriptorio de
levocacia, podando ser procorado dos das
uteis desde as dei: horas da maoba ai as
3 da tarde.
ATTElAO
Portaran) de sabbolo para domingo, da casa n.
8 no tk> da roa do Joao Fernandos Vieira, urna
rne.a de jantar, de lo aro, cora pe torneado* de
amando, tendo 12 pannos de comprlmento e o l\i
ditos de largara, arara como dons bancos compri-
dos da gjesma, de lo uro, cu jos objectos nao se
poda carregar cora menos de quatro pessoa!, pelo
ue roga-se a todas as autoridades p,liciaes para
descnbrir e serem restituidos a seu dono, ou quem
der noticia ser generosamente gratificado
A MW Precisase de urna ama para pDuea
jm.*m.jmfamilia: na roa do Cardeireiro n. 68
Ensiuo primario e de mathe-
maticas.
L. F. Teixeira, capitao de ariilherla, reformado,
competentemente habilitado pela directora da ins
truccao publica, tem iberto ra do Destino n. 37,
ama aula de iostruccao primaria, e outra de ma-
temticas, em que feccionar toda a aritbmetica,
algebra, geometra e irigonometria, fuccionando
nena das 3%i 6 horas da larde, e naquella das 9
horas -da manhaa as i da tarde.
AVISO
Roga-se aos senhores abaixo mencionados o ob-
sequo de comparecerem ra do Baro da Vic-
toria n. 46, aflm de trataren) negocios de interesse
reciproco :
Americo de Siqueira Brito.
Manoel Candido Pereira de Lyra.
Joaquim Esteves Vianna.
Jos Egidio Ferr-ira.
Jos Vieira de Ohveira Maciel.
Jo. Joaqnim de A guiar
Joao Francisco Emeterio Portelia.
Joao Gil Paes Brrelo.
Joaquim Doarte Correia.
Severioo Mrnoel Duarle.
Precisase de urna ama para casa de pouca
familia : a tratar ra do Cabug n. i laja.
Precisa-se de duas amas, urna para cozinhar
e comprar e outra para engommas e lavar : na
ra do Hortas n. 1 deposito da charutos.
Da ruado Mondego n. 39, desappareceu um
cachorro do reino, branco e muito felpudo, com
urelhas grandes : roga -se quem o pegar lvalo
a tina cesa que se gratifica.
COWPANHA
DOS
TRILHOS URBANOS
DO
ECIFE A9 OIIXDA.
AVISO
De 24 do corrente em diante se conduzi-
ra carga de bagagem, indo em cada trem
um carro de bag;igem e ao meio dia partii
o trem de carga, tocando engodos os pontos
:om os precos das tabelas aprovadas pelo
governo da provincia.
Recife, 18 de outubro de 1870.
O supreintendente.
A. de Abren Porto.
n
TABELLA dos piucos de rnw.sponTES de
BAGAOENS E MERCADOIIIA. FRBTI POR
imdadi: o: rnACcAo de 10 kh.i.o<;iiam-
MAS.
' x n c- i- 2 2
A.
fe


Este antigo estabelecimento, acha-se hoje montado n'uma
asala de poder servir vantajosamente os seas freguezes, atten-
to o gran le sortimento de joias d'ouro, prata brilhantes. que
sempre tem e recebem mensalmente das principaes fabricas da
Earopa- cujos presos sao em competiveis e as obras garantidas
de lei.
JHOREIRA 111 ARTE .
MANUEL <3c C.
Tem a sausfacao de participar aos seus numerosos freguezes, que em vista de ser-Ibes mais commodo, tem
s estabelecido urna nova fabrica de chapeos de sol, na ra da Cadeia do Recife n. 9, be je ra do Mrquez de Olinda, )S?
l) onde acharo os pretendentes, muito avullado sortimento de chapeos de sol de todos os precos, qualidades e por pre- 5j!|
jgft eos mas commodos do que comporta o nosso mercado: cenvidam especialmente aos Srs. compradores por atacado gS
'%$, darem, sendo possivel suas encomtnendas, pois poderao assim serem mais bem servidos, visto poderem escolher as ar- ;
t? macoes as tazendas que a demora da fabricacao bem diminuta,
NA ANTIGA E
BEM CONREADA FABRICA
M DE
DE SOL
BM
DA
m
Ba do|fiaro da Victoria, esquina da Gamboa do Carmo.
(Antiga Ra Nova)
OH
Ha sempre um grande sortimento de chapeos de sol de seda, merino, alpaca, bretanha de lmho branco e par- &M
% do e de algodo os todos os tamanbos e feitios, a m da immesa' porc3o de sida, mer'.n, algodao e brim, ||
^ armaces de todas as qualidades para salis/azer qualquer encommenda. A modicidade de seus preces 13o conhecida g
i&M que escusa de mencionar. *?M
t o.. (iHa

m
mm*
mmmm mmmfmm


-'
'
S.-S
a
o
C c s. -
c -
es
a.
=.':
a:
s
w P3 -.
- E' -


K
\L l
\C 11. 16
P3
>
A' ra dos Pires
A' do Principe
A' Joao de Barros
t. l. l, JC
o o c c.
Ao bijeco do Es-
pinheiro
i i. < i. r. i L i .
3 0 0 0=;
t) li. l IJ l .-
o o o o o o
: l l. t i. --
o o c oo O O
oooooooo
'\
l t. I i, ^- J- _,
000000=;
i \k '* **-*-< *- *
OOOOOOOQo o
A' Encruzhada
l -1114 DO BARAO D4 VICTORIA 41
Neste novo armazem tem um
variado sortimento de fazendas
fran. ezas, iuglezas, allemaas e to-
das todas so vendetn por precos
modicGS, aGm da acacdiUr a este
novo armazem.
Casemiras inglezas,
franct-zas, de todas as
qualidades, brins de
ores e brancos, colti-
riubot modernos, cha-
peos de sol e seda,
finos.
RA
DE
ARRUDA IRMAOS.
A' Belm
AoCampo-Grande
Ao Salgadinho
Aos Arrombados
A' Olinda
Palacio d presidencia de Pernambuco, 21
dejonho de 1870.Assignado, Francisco
de Ass Pereira Rocha.Confere, Antonio
Annes Jaceme Pires.
Andr de Abren Porto,
Superin tendente.
E
TABELLA dos fuetes de ademas e mate-
RIAES.
Assim como tem urna grande
officina de alfaiate, montada com
todos os preparos que ha de melhor.
dirigida por habis artistas, que
pela sna promptido e perfeicao
nada dei.vim a desejar.
Roupa de todos os
lmannos para homens
e meninos.
Por todos os paqae"
tes recebem-se as me-
Ihores c mais moder-
nas casemiras que ha
na Europa.
Attenpao
selo da Silva Deir, em viagetn provincia
de Pernambuco, avisa a seus freguezes que con-
duz encllente tropa de burros, qur pasaari na
villa do Pillar, Porto Calvo, Castanha Grande,
arreiros e Rio Formoso, e dalli ir tua seguimen
to para a Escada : quem pois precisar, pede man-
dar encontra- lo.
Precisa se de urna ama forra ou captiva para o
servico interno e externo de urna casa, de taca
familia : narua Velha n. 66.________________
Companhia liianpa
DE
seguros martimos estabelecida
na Baha em 15 de Janeiro
de 1870.
CAPITAL..Rg. J,000:000#000.
Toma seguro da mercaduras o dincoiro a risco
martimo em navios de vella e vapores para den-
tro e fra do Imperio. Agencii rna do Com-
mercio n 17, escriptorio de Joaqnim Jos Gon-
talves Bel trio.
Na a do Imperador n. 28, armazem de Cam-
pos, ha constantemente um completo sortimenio
de escolhidos gneros proprios para mesa, despen
sa e cozinha; nomea-los cada um de per si tor-
nar-se-hia entadonho um annuncio que deve so-
mente despertar a enriosidade do apetite. Se urna
pessoa tem vontade de variar de comida em nm
dia de regabofe, nao tem mais nada do que diri-
gir-fe ao armazem do Campos n. 28, ra do Im-
perador, examinar e comprar a variedade de g-
neros alimenticios que ha naquelle estabelecimen-
to, onde a pardessas vantagens encontrara j lodos
muita sinceridade e delicadeza no trato.
Por estar-se vendendo muito barato os segain-
tes gneros que se menciona
Ceblas a 13 o ceoto.
_______Lingoas seccas e defumadas a vapor.
A luga-se
I urna casa terrea, sita na Capunga, cora soto, co-
cheira, e um pequeuo quintal : a tratar na ra
do Vigario n. 31.
Na praga da Independencia n. 33 se da di
lUeiro sobre penhores de ouro, prata, e pedral
preciosas, seja qual for a quantia; e na mesm;
Msa se compra e vende objectos de ouro e prata
t igualmente se faz toda e qualquer obra de en
iommenda, e todo e qualquer concert tenden!
i mesma arte
A verdadeira farinha peitoral de
S. Benlo.
Esta farinha usada com vantajosos resulta-
dos nos padecimenlos dos orgos do peito,
como asthma ou puchamento de catharros,
inflamacao de bofe, pleurizes e na ptbysica; re-
commondando-se cora igual proveilo as pessoas
convalecemos.
nico deposito na ph \rmacia e drogara.
DE
Bartholomeu & C.
______ 34Ra larga to Rosario34
Ama.
Precisase de urna ama boa cozinheira
do Livramento n. 10.
na ra
- Precisa-se alogar um preto escravo de meia
idade, paga-se bora a nguel : nesla typographia
Joaquim Jos Gonpal-
ves Beltro
Ra do Trapiche n, 17, 1" andar.
Sacca por todos os paquetes sobre o banco d<
Minho, em Braga, e sobre os seguinte? lugares en
Portugal :
Lisboa.
Porto.
Valen?a.
Guimaraes.
Goimbra.
Chaves.
Viseo.
Villa do Conde.
Arcos de Val de Vez.
Vianna do Caslello.
Ponte do Lima.
Villa Real.
Villa-Nova de Famolicao.
Lamego.
Lanos.
Covilhaa.
Vascal 'Valpasso).
Miramlella.
Beja.
Barcellos.
Baro da Viclori:
RA
Baro da victoria
antiga ra
NOVA
- N. 41.
m0na 5?ein8tbelecP?l02cab.a de ?nffrer Dma reforma radical em acefio, artistas eccmmodos. e m pontcalidade as encom-
io se tomar massanS SmW 8 S6U8 numerosos fre8uezes deixa-se de annunciar todas. as fazendas, para
Ama de leite.
Preclsa-e de orna aiM lirr
de boa conducta, qoc tenha boa I
daneia, sem Albo a aumentar : a
Praia, armazem ns. 13 e 15.
Al
RO
DYVETOT
-Rua EstreU d Uum-U
Compra e vende roupa feita
nova e usada, objectos de
cosinha e de mesa, e
tudo que perten-
ce ao uso do-
mestico.
mudou-se da rna Nova
ra da
onde contina
blico.
O salao de pianos e de
msicas
n. 58, 1* safar, pan a
Imperalriz 1.12, teja,
recommendando-se ao IQm. y--
_________________G. Wenhelaer._______
d, w. mm
ENGEHHEIRO
Com fundiqao.
A RA DO BRUM N. 52.
PassHno o chafariz
Machinas vapor systema melhorado.
Rodas d'agoa.
Formas de ferro para purgar as!u:a.-
Moendas de canoa.
Taixas de ferro* batido e fundido.
Rodas denudas para moer com agoa, va-
por e animaes.
E outros objectos proprios d'agricuUar?.
Tudo por preco mnito rednzido.
AVISO
CASA PARA ALUGAR
Alegase o Io andar do sobrado n. 6 rna do
Duque de Caxias : tratar no coracao de ouro,
rna do Cabug.________________
Para nina familia a He-
rnia do duas pessoas pre-
cisa-se de urna ama mo-
ca paia comprar e fazer
o mais servico de casa :
no largo da matriz de
Santo Antonio n. 4, 2o andar.
AMA
AMA.
DO RECIFE
|AT A ENCRU-
ZILHADA
Saccoo'ii i bec-t
tolitro de cal.
Milbeiro de fijlo.
Dito de tena...
Encbamel de 4 a
5 palmos___
Trave de 4 a 7
ditos...,....
Jdem de 8 a 10
ditos.....,..
Prtnch5o de Ion-
re........,,
dem de amarello
80 rs.
3,5000
4,5000
300
. OO
iWOQ
500
lOOO
ATK QUNBA
160 r<.
6^000
4000
600
1*000
240C0
iduoo
12^000
Precisa-se de urna ama para c
iratar no Mangumho, sobrado novo dos Sr3 Car-
pmteiro, on no caes da Companhia Pernambu;a-
na n. 2; adverle-se qoe serve escrava ou livre
mas que cosmhe era.
.los* e farros Campello e sua mulher lendo
no Diario de Pernambuco de 18 de jnnho do cor-
rente anae, ora annuncio do agente Martin* de
que seriara vendidas em leilao algumas dividas
pertencente* ao casal de Caetano Pereira Goncal-
InLnhnh''.sen^t entre eHas urna hypotheca no
engenho ReitmuuAo pertenoentes aos annuncian-
tes; vem pelo presente protestar contra tal annun-
wo e declarar mu formalmente qne o dito enge-
nho Redemumho de sua propriedade, por om-
pra feita livre e desembaracada a Flix Paes da
fcilva, nao tendeos aaounclantes desde essa dau
at h( je onerado dito engenho, que sito na co-
marca de Santo Antio, com divida ou titulo algnm
e para que pessea alguma charoe-se a ignora nci
ftzem o presente. Recife 14 de outubro de 1870
RESTAURAN! DE PARS
4Ba das Larangeiras4
MR. .M1CHAND0N proprietario deste estabelecimento, recebe assigna-
turas para almoco e jantar, por preco o mais mdico que possivel. Bem
come fernece tambem almooo e jantar avuso.
ALHOQO
SENDO
Palacio da presidencia de l'ernambnco, 21
de junho de *870.~Assignado, Francisco
.le Assis Pereira Rocha.Confere, Antonio
^Annes Jacome Pires.
Andr de Abren Porto,
Superintendente.
Por ordem da directora, e em execocSo
20 qoe dispoe o art. 13 dos estatutos, sao
convidados os Srs. accionistas para a sesso
ordinaria de que trata o mesmo artigo, a
qual ttir lugar no dia 31 do corrente ;i 10
horas da manhia no salo da estacio provi-
soria da ra da Atir ira.
Escripturio da couipanhia, 19 de outubro
de 1870.
Joo Joaquim Alves,
Io secretario.
ilTTENQAO
No obrado da ra estreita do Rosario n. $5,
preciaa-se alugar um moleque de 12 a 14 annos :
quem o tiver dirija se, que achara eom quem
tratar. Na mesma casa prepara-se almoco ejan-
tar para fra.
>OtO
I
pratos a escolba
Vinho
Caf ou cha.
JANTAR i
'>
idooo
Ama
Precisa-sede urna ama : na ra de Hortas n.
50, andar.
AMA
MOFINA
Roga-se ao film. Sr. Ignacio V.era
crivao na ckiade deNazareth desta
de Mello, es-
provincia, o
---------------
jSOPA3 prc'.o8|5escoiba -;i
Vinbo.
Sobre-mesa.'SS
Caf ou ch.T^
. PRECISArSE
pe iim homem, livre ou captivo, para distri-
buir pao ; e igualmente de urna ama qoe saiba en-
Agencia em Pernambuco
Do Dr. Ayer
Peitoral de Cereja
Cura a phthysica e todas as molestias do peito.
salsa parrllha
Cura ulceras e chagas antigs, impigens e dar-
Tos.
Tnico
Conserva e limpa os cabellos.
_______Pillas cathartlca.
Em casa de THEODORO CHRIST
ANSEN, roa da Cruz n. 18, encontram-t
lectivamente todas as qualidades de vinh-
9ordeaox, Boargogoe eao Rheno.
AVISO
Precisa-se alugar urna casa com commodos
para pouca familia, sendo preferida na freguezia
da Boa-vista : qnem tiver alguma nestas condi-
s queira dlrigir-se a ra da Cruz armazem n.
Sabbado 15 do corrente entregou-se a um
negro ganhador duas caixas com batatas, marca
M C para embarcar no porto do capim para os
Aplpucos, aconteceu o negro entregar a outrb ca-
noeiro, ulves de Olinda ou Beberibe : quem as
receben por engao queira annunciar por este
Diario, on participar na taberna que foi do Sr.
Domingos na roa de Santo Amaro, esquina.
Casa para alugar
0 i* andar do sobrado sito no largo do Carmo
n. 18 : a tratar no mesmo.
Os Srs. bacharel J..aqoiui Cordeiro Coelhn
cintra e Andr Cordeiro Coelho Cintra qneiram
apparecer na rna do Hospicio n. 84 a negocio de
sen particular interesse.
Os abaixe assignados, incumbidos pela eomats-
sa> desenhoras que promovpm um concert e lei-
lao em benetlcio das familias desvalidas :* -olda-
dos de linba de Pernmbcco, fallecidos cu n-a
dados na guerra do Paraguay, de distribuir >
moda que Ibes p.-.recesse mais acertado o proiacu
d'essa subscrpc, pelo presente avisam is vk.-
vas, pas mais e liihos dos offlciaes e soldados d
exercito naturaes d'esta provincia, on qa<- ; .
tenham assentado prac?, a-.-i-n cemo ;i .|ui'^,
prenle d'estps, que f.iztmij parte de ua^ faa:-
lias vivesse as suas expensa*, e que seacfcar em
estado de pobreza, e finalmente aos proprios cB-
ciaes e soldados, cun exclusao dos primeiro, a.-
eslejam as referidas eoaAftoqoe dentro dr
prazo de sessenla das, a contar d'esta d3laaev*-
rao provar eom di'cumentos anihrotiens s:a idec-
tidade e circunstancias de f irtuna, aflm de pode-
rem perceber Mta auxih .
(s iolercs;ado3 devcrln encaminhar ?eus d)cu-
mentos casa do directorio do partid > libera',
ra do Qucimado n. 8 primero andar, em lodo
os dias uteis durante aqmlle periodo, das 9 bnra*
da manhaa as i da tarde, e tn.l?, depon de aOrc-
didas suas reclamarles, nctbero a quantia que
lites tocar.
Para quo o presente aviso ebegne ao cenier
ment de todos, ser publcalo diariainet'
jornaes mais lldos d'esta cidade.
Recife, 6 de outubro de 1870.
Dar. de Bemfka.
Luiz lord Pereira Simocs.
______________Abilio Jos Tavares da Silva
Commodidaio publica.
As pessoas qne preci?arem de amas, eriaoY->.
cozinbeiros, jardinero-, fritores, amas de teit-
escravos para o serweo d inieteo, e-ixeir tac-
to para a prsca como para o maro, casas sMps,
poderao desla data em dianle mandar seos pedi-
dos por escriptu ra do Tares n. 39, 1* dar
casa amarella.
Aluga se urna casa no Moaltiro, p. rt> d>
Xisto, baixa do rio : tratar na raa do C*esf .->
n. 17, lja.
Precisa -sa de um meato de naeein. par.-i
urna padaria em Una. exigindo se para dito em-
prego a boa conducta : n > Caes dj Apollo arma-
zem n. 65.
Acaba de sahir a luz
E
Vende-se
KA
Livraria franceza.
GUIA IIO'DT
ou
(ollero mMusuiimaH
DE
NOSSO SENHOR JESS dltlSTO,
MARA SANTISSIMA
E
VARIOS SANTOS.
A saber:
Setenario do Senhor Bom Jess dos Pastea.
OfDcio do Senhor dos Paseos.
Novena do Menino Dos.
Novena de N. Seohora da Conceicaa;
Setenario das Dores de Mara.
Offlcio das Sete Dores de Mara Santi(t Novena de N. Senhora do Carmo.
Offlcio de N. Senhora do Carmo.
Novena de N. Senhora da Peaba.
Cnticos de N. Senhora da Peaba.
Novena do B. S. Joao Baptista J
Novena da Senhora Sant'Anna.
Trezena de Santo Antonio.
Novena do B. S. Jote.
Um bonito volume eneademade.
2*000.
favor de vir a rna do Imperador n. 18 a oncinir!gr mmar ,Iem cos'nhar; trata e ra do Vi-
aquelle negocio que V. S. se comprometteu reali- I ^arion- IC andar.
Precisa-se de urna ama para cozinhar em casa
de pnncafamilia : na rna da Soledade n. 68.
Ama.
Precisa se de urna ama forra mi escrava para
ma ca.'a de pouca familia : Irata-s* na toja o.
5 da equina da ra da Malre de Deo?.
aqueiie negor que v. o. se comprometteu reali-
j sar, pela terralra chamada deste jornal, era Ons
de dezembro prximo passado, e depois para ia'
IVeci-a-se de
para o servic*
ra da Amiza-'
urna ama f.>rra ou esefava
neiro, passou a svureiro e abril, e nala
e por esle motivo i de novo chamado
de mais de oito ann. "*> e qoando p senhor
Albo se achava no estu, *to nesta cidade.
qii
ido
cunipno
para dito
firo ; pois V. S. se di;ve lembrar q b te negocio
sao
A.ma
Precisa-se de urna ama pa ^a ewrinhar, livre n
interno de pequea familia t na aserava : Ha fabrica a vapor v'* garro, roalar-
"- 2<' Capa rg?. | ga do Rosar) j n. SI.
Precisa-se de urna ama para fazer o ser-
vico de pequea familia, qnal se dar bom
nrdeoadii; roa de S. Jorge (outr'ora Pi-
lar) n. 138 Io andar.
Companhia
- Precisarse de nma ama
cuidar no i. ais servico de casa (
teira : na ra do Imperador n
para engommar e
e urna pessoa sol-
75, andar. -
DE
Santa Thereza.
De cenfirmida com o art. II dos estatutos, sao
convidados os Srs. accionistas realisarem a't o
dia fi de novembro prximo, a primeira entrada
na razao de SO 0/0 do capital snbsenpto podeendo
dinc irse para esse tim ao escriptorio do direct..r
raixa o Exm. Sr. baro da Soledade, na praca do
Corpo Santo. "
Previne-se aos referidos aenhores, que na for-
ma do ar 12 dos nwmo et*intos, deixaro de
er considerados accionistas, aqueelles dos signa-
tarios que nao flz>rem as en.'radas as pocas
marcadas. ^
Rcife 80 de ontubro de 1870.
Precisa-se de nma ama para
zinhar : na rna do Duque de Caxaw,
Qneiraado n. SI _____________________
AGRICULTURA
roa
AYRES DE ALBQUBRQI GAMA.
li aifem 16 com esampaa
Obra premolva pelo goveino da araviacit.
Vende-se em as principaea
Livrarias.
Para exames.
TR ADUCgO Ilf 6LIZA
nos
TRECHOS CLASSICOS
roa'
C. PALMER,
R.-4dOOO.
LIVRARIA FKANCEZA
Precisa-se de nm| caixeiro de II a U aa-
de idade. qne d fldr a Ma cmnneta, roa ur-
lica da taberna no ateo da ltii*ira a. S3.
Ama de eit
FYeelsa-se de ama ama de leite, paga-sa bel
na iravesa do Ver' n. 1", $ natar.
N*a rna do M.iide^o n. 91. areca-a-ae '
ama para- tofo jervip do ires peswi' da >


Diario de PfaamLtteo Quinta eira 20 de Outuirfo de 1870.
GRANDE
AO ARMAZEM
VAPOR FRANGEZ
Este conhecido estabelecimenlo acha-se constantemente bem sonido, em virtude das
facturas que recebe por todos os vapores e navios francezes, dos artigos abaixo menciona-
dos, precos os mais resumidos que possivel.
CALCADO FRANCEZ
Botina para *enhoras e meninas.
Botinas pretas, brancas e de muitas outras cores, sortidas e bonitas, do ultimo gos-
to da moda, e precos mais barates do que era outras partes.
Botinas para borneas e meninos.
Botinas de bizerro, cordavao, lustro e pellica, das melhores fabricas e escelhidas.
Botas e pernelras russlanas.
Botas e peraeiras para mamaria, das melhores qualidades, de couro da Rossia, lus-
tro e bizerro.
Sapatos de borracha para horneas e scnhor&s
Teodo chegado grande porcao de sapatos de borracha vndese pelo custo afim (de
desempatar o dinheiro nelles empregado, sao baratissimos.
Sapatos de lustro para horneas.
Sapatos de entrada baixa de couro de lustro cora salto, de muito boa qualidade.
Abotinados para meninos e meninas
Sapatos abotinados de diferentes modelos, de muito boas qualidades e fortes, tanto
para meninos como para meninas, muito baratos.
Sapatos de tpete.
Sapatos de pete aveludado, de casemira, de charlte e de tranca francezes e por-
tnguezes para horaens, para sentaras e para meninos.
PERFUMARAS
Excellentes extractos, banhas, leos, agua de cologne, florida, divina, lavande, den-
triflee, de toilette, sabenetes, tintura para cabellos, pomada angroise para bigodes, pos de
arroz etc., tudo isto de primeira qualidade, dos afamados fabricantes, Condray, Piver e Lnbtn.
Quinquilharias
Luvas de pellica do conhecido fabricante Jouvin, espelhos para sallas, quartos e ga-
binetes, toucadorej de diversos tamanhos, leques para senhoras e para meninas, abridores
de luvas, brincos, pulceiras, botoes, crrenos e chaves de relegios e trancelins, tudo de
onro de lei, correales o brincos de plaque, a imitacao e de mais gosto do que as de ouro,
caixinhas de costura ricamente guarecidas e ornadas com lindas pessas de msica, albnns
e caixilhos dourados para retratos, caixinhas com vidro de augmento para distinctamente
ver-se a perfeicio dos retratos, objeclos de phantasia para toilettes, bolsinhas e cestinhas
de seda, de velludo e de vimes para braco de meninas e senhoras, ditas paca costuras, pe-
queos registros muito finos e delicados, bouquets de flores de porcelana, jarros proprios
para gabinetes e santuarios, quadros promptos para collocr-se vistas, molduras douradas
para quadros, .estampas finas de paysagens, cidades, figuras e de santos, vidros para cos-
morama, malas, saceos e bolsas de viagens, esporas, chicotes, bengala, oculos, lunetas ou
pensioez de prata dourados, grvalas pretas e de cores, abotoaduras de collete e de punhos,
carteirinhas para notas, thesounubas e caivetes finos, pentes, escovas, ponteiras de espuma
para charutos e para cigarros, Jogos de domin, rodetes, bagatelas e oulros difterentes, ve-
neiianas modernas muito conveniente para portas e janellas, cosmorama?, lanternas mgi-
cas, esteriocopos com interessaotes vistas de figuras e das mais bonitas ras, Loulevaras,
pravas e passeios de Paris, photozraphias e caixinhas mgicas, reverberos para candieiros,
tapetes de vidrilho e de laa de cores para ps de lanternas, realejos grandes e pequeo?,
harmnicos, acordions de todos os tamanhos, bcrcos de vimes para ciancas, sapatinhos e
toncas de laa, carrinhos de 3 e 4 rodas muito elegantes para condusir enancas passeio ; e
outras muitas quinquilharias de phantasia, francezas e allemaes, precos muito em conta.
iBiaolaQQBBQS ip&aa sasiaiisi^
Para este artigo no ha espaco nem tempo para a massante leitura da infinidade de
gneros de brinquedos fabricados em diversos paizes da Europa.
Id
_JSl\
O dono deste eslabelecimeoto pede ao nulifico em geral que continae a visitero 9
verificando as qualidades e os precos baratos de ditos objeclos por strem viudos em di- n
reitura e de conta propina. itj;
A.
MAO DE OURO
Nova loja de joias
RA DO CABUGA' N.9 A.
DE
Manoel da Cunha Saldanha & G.
Acaba de abri-se este eslabelecimeoto de joias, o qoal tem graode sorti- S|
ment de todas as joias- de ultimo gosto, as quaes vendar o mais barato pos- jxL
sivel. $5|
Todas as joias serSo garantidas onro de lei, pois os seo dooos tendo em
vista so adquirir freguezia u3o olvidarlo, vender bom 5 por prec )S os mais
razoaveis possiveis. (&&
Convirjc-se o publico a vir a este es'.abeleciroento, certo de qa6 flear
A' MAO DE OURO RA DO CABUC N. 9 A
HOTEL CENTRAL
37Ra 11 de Dezembro37
{Ouh'ora Larga do Rosario)
No muito cenhecido HOTEL CENTRAL encontrado gempre os nossos innmeros
freguezes notaveis melhoramentos, indispensaveis para commodidade dos Ilustres fre-
quentadores.
No HOTEL CENTRAL encontra-se-ha constantemente tudo que de confortativo t
deleitavel se pode encontrar em om estabelecimeato desta ordem.
Assira acha-se all urna excellente casa para binhos, um sali todo alcatifado
guarnecido de divatu, piano, jornaes nicionaes e estrangeiras etc., etc
DULCE fkXMK
Normas da Havana.
Suspiros.
NapoleSes
Havanas.
CHARUTOS
Imperiaes
Amadores
Londrinos
Leaes
E de outros fabricantes, que seria ocioso innumerar.
As familias que nos quizerem obsequiar, tanto nacionaes como estrangeiros, en
contrarios commodos necessarios.
A moralidade e boa ordem a norma do
Hotel Central
Falla-se o bespanbol, francez, inglez e italiano.
PARA AGUA
Canos de ferro galvanisados por barato preco.
Torneiras, e curvas para os mesmos! No annazem da travesea do Corp<
Santo n. 25.
Moinhos para caf e para milho
Os melhores moinhos para caf e para milbo que tem vindo a este mercado
se encontram no armazem da travessa do Corpo Santo n. 25
0 MAMVILHOSO REMEDIO
DO
Dr. Chas, de Grath
OLEO ELETRICO
KING OF PAIN
0 RE DADOR
Para o uso interno e externo.
CURA
Cholera e cholera-morbus, diarrha,
loxo de sangue, em nm dia.
Dr de cabeca e dores de ouvido,
em tres minutos.
Dr de dentes, em um minuto.
Neura'gia, em cinco minutos.
Deslocacoes, em vinte minutos.
Gargantas inchadas, em dez minu-
tos.
Clica e convulsoes-, tm cinco mina-
Rheumatismo em um dia.
Febre e febre intermitiente, em um dia.
Dr as castas e nos lados, em dez
minutos.
Tosses perigosas e refriados, em om
Pleuresa, em nm dia.
Surdez e aslhma.
Hemorrhoidas e bronchites.
Inflarnmacao nos rins.
Dyspepsia e erysipelas.
.Molestia de flgado.
Palpitacio de coracao.
Re$< rve sempre este remedio na sua familia.
AS DOENQAS SE APBESENTAM QUANDO M2NOS SE ESPERAM.
Oleo eletricoO King of Pain(o rei da dr) aquieta e positivamente dissipa mais
de differentes molestias e dores, e allivia mais os solrirnentos eproduz um mais perfeito
equilibrio nosystema humano, o que nao se pode eTectuar no mesrao tempo, com qual-
quer outro remedio medicinal.
Este muito popular remedio est agora usando se geralmente, pela raz3o que mi-
Ibares do pessoas se tem curado gratis com o dito remedio pel Dr. de Grath e outros
mais.
Esle importwte remedio n3o se offerece para curar todas as doencas, porm to
somente para aquellas estipuladas das nossas direccoes.
Esl operando nos principios da chimica e da electricidade, e por isso est appli-
cavel para o cu amento e para a lesiaoraco da aeco natural dos orgos que soTrem da
irregular circulaco dos fluxos doi principas ervos. O oleo eletricoo King ofPain
opera directamente nos absorvenles, fazendo desapparecer as inchaces das.glndulas
etc. era um tempo acrivet-, breve, sem perigo Jo seu uso debaixo de qualquer circums-
tancia.
O remedio, urna medicina para o uso externo o interno, composto dos elementos
curativos, raizes, honras e cascas," taes como se tem usado dos nossos. antepassados, e
ras quaes tem grandes existencias no rarndo, pan curar todas as molestias, sabendo-se
quaes ellas s3o.
Foi um gran 'o e especial dusejo da faculdada de medicina durante muitos annos
de experiencia para aprender os roela ires molos que se deviam adoptar para curar as
ites doencas, o que prrporces de medicina se devia usar.
NA PHARMACIA E DROGARA
DE.
Bartholomeu & P.
X. ?,\RA LARGA DO ROSARION. 34.
MAO Hi MAIS CABEfjIjOSBRAJVCOS
admit-
eparaces
aaahwsfa ^ **- '- -- .---. r-^r -^^r A tiniura jaooneza para tingir os cabelles da cbe(;a e da barba, foi a nica
tida Erposici 'niccrsal, por ter sido reconheciJa superiores todas as prep;
atehoje existente^ sem alterar a saude. Yende-se a 14000 cada frasco na
Ra da Cadeia n 51 I* andar.
XAH O PE
idiif:,ia
ESA LIDADE
BA R T NO LO M E O & C'
'"*' ^ UrU^ttt* u6V nmu, eiUrrBM |Ibobv, ulhmi; Um ntiIh, HUrrW
VHiu, em gortl esotra fin 01 Hlrimeitts iu tm raiiratoriti.
DEPOSITO GERAL
OTIC3A. EJ DROGARA
M, ROA UMA DO 10ZAW0, 34
PERNAMBCO
?ulmonr, passtndo pelas dF-~- >-----w
AMA
para casa de
'adeia do Re-
Precisa-ge de urna ama dciiceota
rapaz solteiro : i traiar na ru.i da 0
cite, ln]a de ferraypns. n 156.
Ama
Precisa-ie di' uma ama para cozinhar; u roa
do Crep > d. 48, i andar.
AVISO
Precisa-se de urna ama pnra cafa da famil
na ra de Hurlas d. 30. sobrado.
Aviso.
Precisa-se de urna ama de leite sem (litio
ra de Hortis n. -O, cobrado.
na
Precisa-se de urna ama para todo o servleo
de casa d pouca familia : na ra do Padre Fio-
riano n. 40, andar.
AMA
Precisa-se de urna ama de meia idadrpara co-
zinhar em cafa de homem suifiro : na ra de
Pedro Alfonso, outr'ora ra da Prab.n. 59.
Aluga je nma ama para casa de eslranxei
ros : a tratar na roa do Duque de Caxias n. 26,
oatr'ora ra das Cruzes.
Precisa-so de urna a na fiel e diligenie para
o servico do urna casa de pouca familia : a Iran
na ra da praia do Caldeireiro ou ra dos O.-sus
numero 14.
Para audar com crianc?, precisa se alujar
urna rapariga forra ou escrava : na ra da Ca-
deia n. 8, armazem.
Ama.
Precisa-se de urna ama para casa de homem
s, que saiba lavar, engoma ar e cjziohar : na
ra da Cruz n. 2', Io andar, por cima da botica
COMPRAS.
Lom muito maior vantagem compram-se
ouro, prata e pedras preciosas e n obras vclhas: na
loja de joias do Corarlo de Duro n. 2 D, ra do
Cabug.___________
Compra-se um cylindro am ricano j usado,
assim como precisa se Je um trabalhador de pa-
daria para o mat) : trata-se na ra de Pedro
Alfonso n. 28, armazem.
Vr;NDAS.
NOVIDUDE.
O Costa, proprietario do arOazem da Pedra
Maamore ra das Cruzej n. 42, offerece por di-
nheiro contado o que de rnelhor ha no mercado,
por ter recebido muitos dos gneros descriptor
pelo ultimo vapor.
Horialiees para sopas denominadas Julienne, que
substitue perfeilamente 39 mais frescas ervas.
Queijns flameogos o que de melbor se pode de-
ejar a 3*000.
CaixSes de doce de goiaba a 8C0, l#, 1J200 e a
15810, dito em latas aije 2500.
A verd?.deira farinlia americana viuda de conta
propria a 320 rs. o mago de urna libra.
Velas stearinas a 640 o maco.
Bolachinhas de todas as qualidades e dos me-
lhores fabricantes.
Erviihas francezas o porlugu'rzr.s.
Vinho de todas as qualidades.
Farelo- de Lisboa desembarcado hontem, em
saceos grandes, a 5,*.
Carne do serto muito nova e gorda.
Saccas com milho a 4000.
Especial e aromtico sabio de familia a S00 rs.
o kilo.
Farinhi de mandioc da Bahin.
Tem para vender muito nova o superW,
em saccas, a precu mais commodo do quti
em outra qualqaer parte : Joaquim Ji*
Gonfalves Beltrao. no seu escriptorio ra
do Commercio n. 17.
Bom e barato, na ra
d
6

Crespo'n
Vendo-se chilas osearas e claras a 200 e iO
rs. o covado, algodao me-clado, 4 palmos do li r-
gura, a 200 rs. o ovado, peca* de algodao de 23
jardas a 3|, madapolao a 3$ a peg, eambraiM
lisas a 3800, atoalhado de duas larguras a 24O0
a vara, lencos de seda da India a l'280: na loja
do Guilherme.
Cal n va de Lfeboa.
Desembarcada ltimamente: vende-se no tra-
piche Alfandega velha.
Vendase
um sobrado em Olinda, na ra de llatbl i Perret-
ra, caial e pintado de novo, cum quintal o ca-
cimba, e muito fresco : a iratar na Boa-visU, ra
i Viconde de Albuquerque, oatr'ora "latiz. n,
14, 2 andar.
m
Pihilas assucaradas.e Irislt!.
NAO CONTEM NEM CALOMELANOS NU N0UC.V
OUTNO MINERAL.
A grande necessidade e Talla de um ca-
tltartico ou de urna medicina purgativa, ha
muito que tem sido sentida, tanto pelo po-
vo, como me sino por meio ta facukbde
medica ; e por isso, infinito o gosto
prazer que sentimos, em podenso* oa
toda a conliancaesegurdade,rccomnendar
as pilula.i rvgetaes astucaradas de BriMti,
como urna excellente medicina purgativa, a
qual encorra em si todas as partes e aais
ingredientes essenciaes, tornando-se em um
perfeito, seguro e agraddvol cachara de
familia. Este remedio nao computo
dessas drogas ordinariamente usadas m
romposicao dessas pululas, que por ah ae
veiuiem, mas sim, sao preparadas com a?
maisfinas e superiores qualidades deraizt
medicinaes, hervas e plantas, depois <\>
haver chimicamente extrabido e separad,
os principios activos, ou aquellas partes
que contecm o verdadeiro valor medicinal,
daqullas porges fibrosas iiiertes e agres-
tes inteir.imente destituidos da menor Na-
de. Entre esses agentes activos oo ingre-
dientes especficos, podemos nornear a ptr
iophgln, a qual segundo a exptfv
mm demonstrado, possuo mn poder o maii
jaravilhoso possivel sobre as nj
ligado, assim como sobro todas as secre-
fes biliosas. Isto de combinaran com >
leptandrin, e mais alguns extractos vege-
taes e drogas altamente valiosas, cons-
tuem c formum urna pilula purgativa, tor-
nando-se por isso muitissimo superior,
qualquer trina outra medicina da mesa)
natureza, que jamis fora apresentado ao
pubJico. As pilulas vegetan astucarade-
de Brislo!, acliar-se-lio sempre um rena-
do prompto, seguro e eminentemente '-fl;
caz, para a cura de molestias, taes come
sejam as seguintes.
Hydropesia dos meir.-
bros ou do corpr
Dspepsia, ou indi-
gestao,
dAstringencia, ou..
prisao do venlre
habitual,
Aiia do estu nago e
atulencia,
Perda do apetite,
Edlomago sujo,
Ailecfoes do fgado.
Ictericia,
Heniorrodias.
Mau balito, e irregu-
laridades do a
femenino,
Dores de cabera.
Em todas as molestias que derivara i
sua origem da massa do sangue: a talsc
parrtlha de Bristol esse mclhor de to
os purificadoics deve ser lomado ronju.
tamente com as pilulas, pois que c
suas medicinas, tendo sido expressameafa
preparadas para ebraiem do liarinonia um-.
com a outra, quamlo li!incntc assim se |
n5o nos resta a menor dovil om H
que no inai(!f numero dos aaos, |
afliancar niio so um grande alivio, om i
tambern urna cora proamn e radica!,
est bem visto, quando o deenle no -a
ache n'ura estado muito eJem 'los roca
humanos.
Fctriuha d mandioca do Santa
Catlitriia.
Ha para rendar da muito i..< a e h
rior ciiegadi receoiemeaie pelo pat;
rabe e barca Sauta Mara, por prefo c n.-
mo o, a bordo ros referidos navios fin
dos di'lrtnlo do trapclie do Exm. B
do Livr .ment, ou eliu para Irmr .
Joaqun Jo^ (ioocalvat i ktiiu, n" -ti
crptorio na do Commatoio a. 17.
Farinha de mandioca
da Baha.
.vi nct'pi' mi ai i nm inri
PEGHINCH-
Bo;s sedas de coress a I#600 o
covado, lindos poilo de chevres lar-
gos com listras de seda a ;i00 reis
o covado ; na loja das Collumnas,
ra l. de Marco ( ortr'ora do
CrespoJ n. 13, de Antonio Correa
de Vasconceilos.
ft
ATTENCA
Acha-se aberla de novo a padana da ra da
Concordia n. 17, bem montada com as memores
farinbas do mercado, trabalhando com todc esme-
ro, llmpeza e asseio, pelo que os seus propriela-
ros convidam a todas as familias para suprirem-
se do melhor pi, bolacha e raassas riaas de todas
as qualidades, pois que protestam servir a todos
do melhor modo possivel, e com toda a fidelidade.
ehaver sortimento completo de pao todas as
tardes.
Ni es ) .1 I i": '- r .
- p ii la nos ti.:
tes, iir> Hii- Jo Mallos.
Doc>', fruc^v ei
Ra da C-tu B. I I
Sorvete todos os dia?, dis I i h*>r.is t d;atf,
tendo na- i !, fe ra, iu .
rente.
PIANO
Vende-s un piano moderno, de ntoilo b .-
vozes, edo autor mais afamado : quem o preten-
der dirija se a ra larga do Rosario SI, pr -
meiro andar.
Farinha de milho
Vende-se diariamente farinha da ilbo muida
fina e nova a ISO rs. a libra, e unten fatmea
grossa a 100 rs. : na roa do Cofovello n. S5.
Vende-se
um coup muito elegante, e orna victoria
Na officiDa do ferrador df fronte de S. Fran-
cisco se dir quem o dono.
i o rmphyem c!
Iiems broDcbitM ciUrrbMt
i*ta med.can.enlo qn uart i priieira orden? Mire
tedoi at boje conhecdos. O i.rop. Vegetal American?
larantindo pnr.mele ,Ul, Uo lonlm enTioa
ompo.cio om n itomo 2e opio, .Im iomeoieMe.
de planlaa mdigenaa, cuja propriadadeTbeneSaa
.. cora da molai.ai qn, pertencem VoTaV,VoT 7.
bracio foram por n*. obser.ada, p7r IcV um,
com ptimos resollados cada et msiVereanlM-^te
,n do. jnlgamo antoris.do. ^*J*T S
igor. apresentsmoa. ofl.rwe lo Z ZX ?o
anbhco. Pravamot com o altesl.do, .baiw o q |"
.amo, dito. contamos ,0. o concito da qn. dtosa
larone Vegetal Americano crescert ,a dii,
Unando ma.to .pos d. si uto ,. ftoZJ^^.
tilo. Sr. Barthalomeo *C.-0 nrop. Veg.ul Ame-
mmo .preparado em so. coKeiiD,dMim.TkariMria,
L,fn. n LT U.V!" Tb,,M 'ml "bSa-
aofris en sqn.lla mol.sti. ha qo.tro meses sem anda
m combatido ossuqoe. mnMe. qoa iJnba* eso imo
o l.e foi rortiMiBo que m. pro.ton pr 8 d,u. nMl
ooremo n milagroso ropi. tom.ndo apaas m
**; os oo -n. ;...h.l^.rto Mr nmt w BtBd0.
Iba, pola oa meas agrdecimeitos por me ter aliviado t
lio borrvol mal. Gom a mais sigiificaliTs grai ti
snbacrawo-me da Vmcs. affeelaoao a reconbecido crian
- Safirina Duaru.-Soa Casa 14 do foreroiro de i Mi
Illms Srs Bartnolomoo AC. Depois da qaasi m
meses de aoffrimeoto com ama tosse incessante. tut
eitraordinario, oxpoeloraclo de nm catarrho aman-
do, a perda total daa Torcas, qno o menor pina,
me fatigava completamente, cansado do tomar si i
troa remedios sem resallado tivoa felicidade d uj a
Vmcs. preparara o larope Vegetal Americano, i tis
olio, gracaa a Dena, me acbo restabelecido ka nai* *
dois meses, a robusto como se nada liresse eoffr.*. t
gratidio me torea a osla declaraco, que poder*- vv
fazer o nao qae qiiurem. Son com estima da f su;
mullos reopoiudor o criado. Antonio Juan i
Cttr* t Stlv. Bocifa 8 do fetstairo do i(W8
Allosio qs. .sai do x.ropo Vngetal Amaxica, t.
eomposi,o doo Srs Bartholomeo I: C. para car. is r
rom deflnio qne me trono ama renqoido, qia m ai
lana odtoBdor, mflammacAo o dor nagargacta. ios.,
grande falta dereap.raclo o nooei eompletamem. r
tsbelecido com nm- ao vidro do nesmo aarcp ,l
que Ibas protesto eterna gratidio. Racia f a",
neirodo I8M -/Maaro. Parsir.1 4rMlaf'VMte-
atao roaonsMcieloa.
PHCp 2 Ru e#ST!r,LiONE
par i a
MAUREft el C", tm Pernambuco. JONE
LVA LOfF.N.
o sitio do Gajueiro n. 6, com cesa grande com
mnitos commodos para grande familia, com mui-
tas arvores de frucio, e agua encanada: pode ir
ra da Aurora n. 6, que achara com quem
tratar.
Vende-se urna armacio do taberna na ra
Imperial n. 150 : a traiar na mesma casa.
Nos dias SI e 8S do crreme achar-se-ha
vend no sitio do Fundi em Beberibe, urna vacca
crioula, nova, muito gorda, parida ha oito dias, e
dando bom e abundante leite, acrescendo ser de
urna mao-idao extrema : as pessoas que precisa-
rem aproveitem a occasiao
Fo hinhas para 1871
Folhinhas de Pernambuco, anecdtica e religiosa
3 02(1 rs.
Folhinhas do Rio de Janeiro, Laemmert, Guima-
raes a 500 rs.
Almanalc Luso-Brasileiro it
Folhinhas de porta 160 rs.
LIVRARIA FRAXCEZA.
IM 1 lili.
Finos chanuos de 100 em eaa a S4000 : n..
ra do Crespo n. 23 e prac^ da Im! a nu
No armezem
DE
Rodrigues & Irmo
A RU\ DA CADEIA DO RECITE W. 9
Ha para veader om cofre de forro i tro-
va de fogo dos melhores qne tea indo a
esle mercado,
E' BARATO
Para acabar.
Tarlatana a 320 rs. o metro, ntin para wtwora
a SJ500 a dnzia, lencos braactx abubiln a
14600, H, 24800 e 3*000 a dozia, til bran-s
grandes abanhados a 34, 34300 ei4a 4n, na-
napolao francez com SO varas a peta a M, eam-
hraias de cores a SSO e S40 r. o eovaeJo, eMtas
escuras a 200, 0 e S0 rs. o eovad setin Wm-
gnito proprii para vestido, fazenva aova, a IB
o rovado alpacas de cores a 400 rs. o Cor
raa? brancas a 34, 34300, 44*, 3*, <
74, alaodo do iMa p roopa e eaerai
vos a 160 rs. o c
lesrtennv
na ru
numero S9.

i. r.-m n
I l'lllll


r re
acba-
ROMANA
Ven Je-se nma
03 pe?o- o'
n. 2.

Han*


6
Diario de Pei-namboco
____
_
Quinta feira 20 de Oulubro de 1870.
=
I
K

i
I
GRANDE
BAZAR DO PAVAO
ww^ 60-RA DA IMPERATRIZ-60
DE
20 Ra da Imperatriz
Acaba de ebegar para a oja de .'azendas
Infflaisfr ~
PEREIRA DA SILVA k C.
Neste moc rante estabelecimento encontrar o respeitavel publico, am grande e variado sortimento de fazendas do tuais
ipnrado gosto e todas de primeira necessidade, que se venden mais baratas do que era ontra qualquer part, visto que os ne-
vos socios desta Arma, adoptaram o systema de s venderem DINHEIRO ; para poderem vender pelo, coito, limitaade-se apenas
a ganbarem o descont ; as pessoas qne negociam em pequea esca'a, nesta loja e armazem poderao (azer os feos surtimentos
pelos mesmos presos que compram as casas inglezas, (importadoras) e para maior commodidade das Exroas, familas se dar3o
amostras de todas as fazendas, ou Ibes levara em suas casas para escolberem.
I i
O
Bou
dencminaa La Villa de Pars, um jrande sorri-
menio dOTazendas finas, como sejaitt : corles de
poil de chevre com listras escocezas de ama e duas
=aias o qne ba de mais alta novidade, ricas pope-
linas de teda, granadino?, las escocezas, alpaca?,
bamges, etc., etc., e am completo sortimento de
chitas, madapoloes, cambraias brancas e de cores,
organdvs e caicbraia imperatriz, e oatras muilas
fazendas, tudo do que ba de melhor neste merca-
do, qne tndo se vendar o man barato possivel.
Chamamos a alinelo do belb sexo que qnlzer
andar na moda, e ao mesmo lempo esperamos a
sua proteccSo. Manda-se levar em casa das
Exmas, familias todas as fazendas que nos pe-
direm.
20-RA DA I.MPEKATKIZ20
Faurl & B.essa. *
BRINS DE LINHO DE COR A 10200
No Bazar d PavSo, fez-se ama grande
compra de puros brins de linho, moito en-
corpados, proprios para calcas, palitos, col-
letes e roupas para meninos, por serem de
padres miudinhes; garaiite-se que nao ba
barreda que lbe tire a cor, e vende-se a
1^200 o metro desta eicellente' fazenda.
TOALHAS A 70500
No Bazar do Pavao fez se urna grande
CORTES DE LA ESCOCEZES 60000
Vende se bonitos cortes de 13a escocezas,
vindo cada ora em seo papel, pelo barato
preco de 60000 cada um; no Bazar do Pa-
vSo.
ORGANDYS BRANCO E DE COR
No Bazar do Pavao vende-se os mais
bonitos e muito finos organdys com iistas
largas e miudas 10000 a vara, ditas lisas,
fazenda de mnita pbanlasia 800 rs. a vara,
PECHINCHAS
DO
*%..
GRANDE MMDADE
Qnando a A GUIA BRRNCA, mais precisa scientifkar ao respeitavel _
geral, e em particular a sua boa freguezia, da immensidade de objectos que i
te tem recetado, justamente'qoando ella menos o pode fazer e porque essa falta
luntaria ella confia e espera na benevolencia de todos que Ih'a attendero e ral
continuando portanto a dirigirem-se a bem conhecida leja da AGUIA BRANCA 4
Queimado n. 8, onde sempre acharao abundancia em sortimento de superiori
qualidades, modicidade em presos e o sen nunca desmenttido AGRADO E S1NCE
Do que a'cima fica dito se conhece que o tempo le que a AGUIA BRANCi peca
dispon, empregado apzar de seas cusios no desempenbo de bem servir a aquellos ajos a
bonram procurando prover-so em dita loja do que necessitam, entretanto seno eaBosve-
rar os objectos que por sua natureza sao mais condecidos ali, ella resumidamente indi-
car aquelles cuja importancia, elegancia e novidade os tornan recommaaaanci, coate
bem seja
Cal de Lisboa.
Vende-so cal de Lisboa, a ultima chegada ao
mercado, -por preco ranavel : no armazum de
Manoel Teixeira Bastos na do Conimercio n., 13.
compra de toalbas alcochoadas, proprias ditos d cores, finissimos padrees, inteira-
para rosto, bastante encorpadas e grandes,
que sempre se venderam a\t20000, e li-
quidam-se a 7600 a duziaou a 640 rs.
cada una, boa pechincha.
CHITAS E RISCADINHOS MIUDINHOS
200 RS.
O Pavao vende chitas ou riscadinbos miu-
diohos cor de rosa e i xinhos, proprios
para vestidos e roupas de cranlas a 200
rs. o covado. S5o moito baratos.
PARA NOIVADOS CORTINADOS, COLCHAS.
Cbegou para o Bazar do Povao um gran-
de sortimento dos mais bonitos cortinados
bordados, proprios para camas e janellas,
qne se veodem de 100'00 at 2O0OCO o
par, assim como o melbor damasco com 8
palmos de largura a imitacSo de damasco
de seda, proprias para colchas, e propria-
mente colchas de damasco, sende os melho-
res e mais bonitas que tem vindo ao mer-
cado.
SETINSDE CORES E GROSDENAPLES.
No Bazar do Pavao vende-se um sortimen-
to completo dos melhrres setins e grosde-
oaples de todas as cores, que se vendem
muito em conta.
CU TAS A 20 RS. O CORTE.
No Bazar do Pa?3o vende se cortes de
chita miudinhas, sendo rocha e cor de rosa,
tendo 10 covados cada corte a 2$ vende-se
a retalbo a 200 rs. o ovado, pechincha.
CASSAS A 200 R3.
No Bazar do Pav5o liqoida-se urna por-
']?.o de cassas franoe-as miudas e graudas,
cores finas, que se vendem pelo baratissim
pre?> la 2 o rs. r> covado para acabar.
CAMISAS DE ERANELLAS A 30500.
No Bazar do Pavao vende-se um bonito
sortimento com todos os tamanhos das me
Ihores camisas, de fline la de 15a, com
maogas, tanto proprias para horens como
para senhoras e vende se a 3.-5000 cada
urna, e quem comprar de meia dnzia para
cima ten ora abatimet.to, Sito de omita
CAMISAS BARATAS a 20800,30000 e 20600
No Bazar do Pav3o vende-se urna gran-
de porc^o de casemiras mscladas, muito
encorpadas a 20800, ditas finissimas com
msela de seda a 30200, ditas modernas
de quadros, fazenda de muito gosto a
30600 o covado ; aproveitem.
TAPETES
Chegou para o Bazar do Pavao o mais
elegante sortimento de tapetes grandes, pa-
ra sofs, com 4 cadeirss, ditos mais peque-
nos, para duas ca leiras, ditos para
piar, s, ramas, portas ; etc. vende-se por
menos do que em outra qualqner parte.
COLCH, S BRANCAS A 30200,30500 E 70
Para o Bazar do Pavao chegou um gran-
de sortimento das melhores colchas do fus-
tao, s- ndo das melhores e mais e corpadas
que tem vindo, a 70uO ditas um pouco
mais abaixo a 55500, e ditas a 30000;
tambera no mesmo estabelecimento se ven-
de am grande sortimento d3 crotones e chi-
t s.pDprias para colchas, que se vendem
miiit em conta.
ROUPAS PARA HOMENS
No accreditado Ba ar do PavSo encootra
r o respeit-vel publico um grande sorti-
mento de roupas para homens tanto bran-
cas como de cores, a saber:
Camisas coa peitos d'algodSo e de linho,
para todos os precos e qua'idades.
Ceudas de linho e algodo.
Meias cortas fraocezas e inglezas.
Palitos sobrecasacos de panno preto e
casemira.
Cilr,is de brim branco e de cores
Ditas de casemiras pretas e de cores, con>|
colletes guaca
De todas estas roupas ba para todos os
oreos e qualidades, e tem de mais mais
am perito
ALFAIATE
Por quem se manda fazer com prestesa
e aceio qualquer peci de obra a capricho CHITAS PRETAS A 200 RS. O COVADO
ou go-to do freuuez, tendo o'este importan- No Bazar da PavSo vndese chitas pre-
te estabelecimento t.das a% qualidades de tas invMas com aalpicos 2'10 rs. ocovado,
panno fino, as me|nores e mais moder- ditas I:.Jas pretas, por estarem um pouco
as casomirag, assim como os melhores brins, russas, 12 > o covado; pecbincba.
qur brzncos, qur le c6r; e qaanlo qual- O* proletarios d este importante esta-
qner obra nao licar ioteirameote ao gosto bellecimeoto rogan ao respeitavel publico e
dos reguezes fica por conta do estabeleci- particularmente s Ezmas. familias o favor
ment. de se d*rem sempre ao trabiltio do -lerem
CHALES DE MERINO 'os stms aonuncios, peU razo de amitos
C'iegou para o Bazar do Pavjo am elegan- d'elles serem mudadas ainm iadas vezes.
te iot1 ment'decli'e< >\-merino de cores CACH^-NEZ A 60000.
mull oms cim ptlrB* mono decmtes No Bazar do 'avio vendem.sebonitos *
para qtulquer urna senbon usar, ditos de rao-ie- cachi-nez de pura i), pelo bara-
crnon com lisias lo seda o mais fino e t>> preco ie 6*0t)" cada am
modern que tem *i do ao mercado, e ven- pehicncha em cambraias victorias, a 50,
dd-se por proco mato em oonta. 60, 70 80O(jO.
BABADtMJIS Veode-se um ezpltmdi *o sortimento de
fims'imas eatabraias victorias, por preco*
No Bar do Pav3o ve:de-se om grande mai. bar-tas do que em ontra qoalquw
mente novos 800 rs. vara; pecbincba.
GROSDENAPLES PRETOS
Chegou para o Bazar do Pavo um gran-
de sortimento dos melhores grosdenaples
pretos que tem vindo ao mercado, que se
veodem de 10600 at 5)000 o covado ;
sao todoa mnito em conta.
MANIELLETES DE FIL
No Bazar do Pavao vende-se modernsi-
mos mantelletes ou basqninas de fil preto,
:om laco, pelo barato preg de 100000 ca-
da um, barato.
PANNOS PARA SAI AS A 10000, 10280 E
10600 O METRO
No Bazar do PavSo vende-se bonita fazen-
da branca (ncorpada para saias, sendo com
babados e pregas de um lado; dando a lar-
gura da Tazenda o comprimento da saia, a
qual se pode fazer com 3 ou 3 lr2 metros,
e oende-se 10000 e 10280 e 1600; assim
como tamben no mesmo estabellecmento
se vende bonitas saias brancas bordadas ten-
do 4 palmos cada ama, ditas de 13a de
cores j promptas amas com barras diffe-
rentei, da mesma fazenda 40^*00 e oatras
com barras bordadas 60000 e 70000,
todo ista moderno e barato.
ALGODO ENFESTADO PARA LENgES.
No Bazar do Pav3o vend-se o melhor al-
godJoiinho amtricano eofestado para len-
c38, tendo liso e entrancado por preco
muito barato.
ESPARTILHO.
No Bazar do Pav3o recebeu-se um elegan-
te sortimento dos mais modernos e melho-
res espartilhos, que se vendem por preco
moito em conta.
PANNOS DE CROCH PARA CADEIRAS
O Bazar do Pavlo recebeu um grande
sortimento dos melhores pannos de croch,
proprios para cadeiras de balanco sofs,
pianos, tamboretes e at proprios para cu-
brir almcfadas e pratos; vendendo-se por
menos do que em qualquer parte.
PARA LENCOES
No Bazar do Pavao vend6-se sn>erior
bramante d'algod3o com 10 palmos de lar-
gura a 10800 o metro, dito de nho cora
mesma largara a 20800 cada metro, pannos
ds linhodo portocom 3 1/2 palmos de largura
de "O at 10 a vara, assim como umg ande
sortimento de Hmburgo ou cregueila; le
todos os nmeros, precos ou qualidades,
que se vendem mais barato do qoe ora ou-
tra qnalqoer parta; aproveilem-
ATOALHAOS
No Bazr do PavSo vende-se superior
atoalhada trancado, com 8 palmos de larga-
ra a 10600 o metro, dito de linho adamas
cado o melhor que tem vindo ao mercado a
30500 o metro ; todo isto muito barato.
Panno preto moito barato a 30600
O Bazar d) Pav3o recebeu urna grande
porejo do pec*s de panno preto fino, com-
pradas eca leilo, que semore sa venden a
50000 o covado e pode liquidar a 30600,
por ser urna excedente compra,
COBEHTAS A 30
Vende-se cobertas de chita encarnada
adamascada a 30 cada nma, pechincha.
CORTES INDIANOS A 465C0.
No Bazar do PavSo vende-se bonitos cor
tes indianos com duas saias peio bara-
tissimo preco de 405 .0 cada um, pe-
chincha.
FAZENDAS PARA LUTO
No Bazir do Pav3o vende-se constante-
mente o melhor sortimento de fazendas
pretas para lato, como sejam :
L3asinuas retas lisas.
Cassas pretas de la.
Cassas pretas, fraocezas e inglezas, li
e com salpico?.
Chitas pretas de todas as qualidades.
Alpacas pretas lisas.
Ditas lavradas com branca.
Merinos, canto'S, bombonas, que se
vendem mais barat do que em outramal
qoer parte.
sortimento dos mais flu-n bab-iditihos borda-
tapalo:; a irio'trwi'e*. assim como
/'ao le porgan i-' eiir m-ios largos ^
vende n
em rai<) do que em utra
qaalq 1er parto.
parie, e io cada p^ca 10 jarlas a 50. 60,
605i'O e 70> O, rtdissimas a 8-iSOO ; todas
esa camb'aa.s vaH-m midt mjis dmheiro
rt !i'. 11 -."' por m; precu om relacio .
ma imnMi c < ivae.
PAVAO
ua da Imperatriz 60,
Para vender depreasa
LINDAS JAPONEZAS PARA VESTIDOS A
A 500 RS.
Chegou um elegante sortimento de ISas-
inhas do Japo, com padrees de seda e de
moito boa qnalidade. que se vendem a
500 rs. o covado. pecamchi, no Bazar
do PavJo, ma da Imperatriz n. 60.
POUPELINAS DO JAPO A 10600 O COVADO.
Cbegou um elegante sortimento de lin-
diss mas poapelinas Japonezas, com os
mais delicados gosto?, tendo muito lustro
e com lisirinhas de seda, sendo asta nova
fazenda >uasi da largara da chita trance-
za e vende-se pelo barato preco de 106OO
cada covado, no Bazar do Ha-3o.
AS POUPELINAS DO PAVO A 20000, O COVADO.
Cheg;u para o Bazar do Pav3o um bo-
nito sortimento das mais modernas e ele-
gantes ponpelinas de lineo e seda, que se
vendem pelo baratsimo preco de 20000
cada um covado, assim como ditas com
gott>s escossezes a 20100, pechincha no
Bazrr do Pav3o.
SEDAS A 20000
Chegou um elegante sortimento de boni-
tas sedas de listrinuas, com as cores mais no
vas qua tem vin 'o aa mercado e veudem-se
20000 o covado, na roa da Imperatriz
Bazar do Pav3o.
AOS 2000 VESTIDOS PECHINCHA ADMI-
RAVEL.
a 20OCO, a 20000.
a 20500. a 20500.
a 20000 a 20000.
S do Bazar do Pav3o.
Vende-se bonitsimos cortes de vestidos
de phantasia com lindos gostos, sendo foxen:
das'traparentes com delicados bordados e
listras qae a nao ser um grande pechin-
cha q;;e se fez na compra seiia para rmiiio
mais dinheiro, e liquida-se a 20 e 2050
uaicamento no Bazar do Pavo.
LASINIIAS TRANSPARENTES A 400 RS 0 COVADO
Vende-se delicadas I3asinhas traosparen
tes com lisir'nhas miudinhas, imitar.30 de
urna s cor e muito brillantes, pelo bara-
tssimo preco de 4C0 rs. o covado, no Bi
zar rio Pav3o
BONITAS LASINIIAS A 500 RS. 0 COVADO,
Vende-sa delicadas lasinbas com diffe-
rentes gosto pelo barato preco de 500 rs.
o covado, no Bazar do Pav3o.
ALPAGAS BRANCAS.
Venle-se um bonito sortimento de finis-
simas alpacas brancas luvrada-, imitacao
de seda, proprias para vestidos de baile ou
pasamentos no Bazar t!o Pavo.
ALPAGAS LAVRADAS A 400, 360 E 640 RS.
Vende-se um grande sortimento de lin-
das alpacas lavradas de todas as cores para
vestidos e vendem-se a 400, 550 e 6\0
e a: mil.e tantos res o covado, no Bazai
do Pav3o.
BAREGES DE QUADRINHOS A 600 RS. O COVADO
Veide-se as mais lindas e moderdas laa
sinhas ou bargas de qoadrinhos, proprios
para vestidos, tendo qua-i largora de cbita
frsnceza. e 1 qoida se a 840 r3. o corado,
no B^ar do Pavao.
MERINOS DE CORES PARA VESTIDOS.
Vende-se bonitos merinos de urna s
cor com cores rauio proprios para vestido
e roupas pa a ovancas por ser orna fazen-
da d>i para la e omito leve, vende-se a 10
o covado, no Baar do Pavo.
GLACS A 10UOO PARA VESTIDOS.
Vende-se um elegite sortimento de.-tx
nova fazenda d fazenda de 13a muito larga e com del c -.-
dissimas cores, tendo tanto brilbo como a
seda e vende-se pelo barato preco de 10,
o C4vado, no Bazar do Pav3o.
SEDAS DE QUADRIN03 A U280 O COVADO
Venle-se uoj elegante sortim.nto de se-
das de quadriohos, com lindlssimas cores,
para vestidos e opos de meninos, e ven
de-se a 10 80 cada covado. k pecbio-
zl a no Btzar do.i*a*3o.
GRANDE PECHINCHA EM CAMBRAIAS TRANSPA-
RENTES A 40, 50,60, 80, E 100000
Vi de-se finissimas camb aias saissas, de
muita phantaaia tendo 9 varas a 80500 e
1O0OOJ. Ditas bisuo .;om lOjwdas fazeo-
da muito tina a 50, 60 e 70000. Dir-s fi-
nissimas azul idinhas, que v lera muito mais
dinheiro, ;> 80 e 100 K),: t idas estas cam-
braias, em relacSo a qualilaie, pelos pre-
cos cima sa i uih* baratas do que eta ou-
tra qualquer parte, no Bizr doPivS)
CAMBRAIA ALLEMAA COM 8 PALMOS DE LAR-
IIUIIA A 14600, H E 4300.
Venie-se fini>sno oambraia branca tran
pa ente com 8 palmus de largura, que faci
lia f'ZT-se varas e lijuida se a 14(600, 20 e 20-jOi)
vara fa emla iu v?la muito soats dmh'iro
pecbi cht "O Ba ar lo Pav3o.
CAMBRUA TRANSPARENTE
Peca a 40uQ
Vende-=e toiio fln-;s pe;as de cambraias
branca* tratisp rentes, ten lo 8 ha tarsca-
la p--ca e o ped sena, uo Ba3 .
A' ra da Imperatriz
A MA EiPEIL\M
A ra do Duque de Caxias n 21.
(ANTIGA RA DO QFJMAD0)_
Recebeu e seguinte :
E^pelhos grandes doarados, moldes bonitos.
Carleiras, charuteiras e port-cigrros de muita
qualidades.
Bonitas pastas para papis, simples e matisadas.
Boas caixas vasias para costara com sua comp-
tente chave.
Delicadas caetas de marflm com o bocal d*
nrata.
Modernos pentes de tartaruga, sobresatundo en-
tre elles os mimosos telegrapbistas.
Coramodo3-toucadores com duas gavetas e bom
espelho.
Port bouqaet, o que de melhor.tem appare-
cido- ,-,
Port relogios demuits qnalidaac9.
Bons talheres para criancas.
Vostoarios, chapeVtzinhos, toacas, sapatos e meias
para baptisados.
Toalhas e fronhas de labyrintho.
Chapeos echapelinasparasenhora, moldes novo*
e bonitos.
Chapozinhos gorros e bonets para meoino3
meninas.
Contra as convulsoes as
crinneas
Vende-se os verdadeiros collares na Nova E9pe-
ranca, ra do Duque de Casias n. 21.
PABA TLNGIK CABELLOS
para pretos on castanhos, receben a Nova Espe
ranea a verdadeira tinta ingleza.
PABA ACABAR COM AS SARDAS
ou pannos, tem a Nova Esperanza o verdadeirr
leite do rosas brancas.
AGUA DE FLOR DE LABANIA.
Vende-se na Nova Esperanca, iua do Duque de
Caxias n. 21.
PAPEL PARA ENFETTAR-SE ROLOS
recebeu-os mnito lindos a Nova Esperanca, ru
do Duque de Caxiv n. 21.
PARA AMAC1AH E A FORMSE AR A PELLE
tem a Nova Esperanca es sabonnte de pos de
arroz
Corpinbos de cambraia, primorosamente
enfeitados com fitas de setim e obras essas
cuja notidade de molde e perfeic3o de ador-
nos os tornam apreciados.
Fitas mni largas de diversas cores e qua-
lidades para cintos.
Leques uesse objecto muito se poderia
dizer querendo doscreve-los minuciosamente
por suas qualidades, coree e desenhos, tal
o grande e variado sortimento que acaba
de ebegar, mas para n3o massar o preten-
dere se lhe apresentar o que poder de
melhor.
Entremeios em pecas de 12 tiras.
Gnipure branco e preto de diversas qua-
lidades e desenhos.
Ditos de algodio com flores e lisos.
Veos de seda para chapelinas e monta-
na.
Meias de seda para noivas.
Ditas abertas de fio de Escossia.
Costumes ou uniformes para meninos.
Enxovaes completos para baptisados.
dito,
Capellas brancas para men*M.
Grande sortimento de flores finas.
Fil de seda preto.
F ER FUMARIA
Grande e constnt sortimento H
sempre mellu r qnalidade.
Lindos vasos con p3 (!e *nm t piase!.
Caixinhas coi; ditos aromatices.
Bonitos e mo.Kti ites urados pa-
ra circular o cajoe.
Bonitos brincos de plaqueo.
Aderecos e brincos de rnadrej-i ro
Caivetes finos para abrir latas.
Thesouras para frisar babadinhoi.
Aspas para balao.
Novos stereoscopos con 48
quaes sio movidas por um
urnas substituem as outras.
Vistas para stereoscopos.
Bonitas caixinhas de vidro enfeitados ce
podras.
Ditas de madeira envernisada coa Tisp
ras e com dminos,
Bollas de borracha para brnqueio 4
Touquinhas de fil, sapatinhos bordados, enancas,
e meis para ditos. i Diversos objectos de porcelana, propris
Camisinhas bordadas para ditos. para enfeites de meta e de lapmhas.
PC
0
i) P;i7ii
sit >

Sahiram luz
As ru.is em contradanqa.
Linda qnadrilha para piano por lilas filho,
Flor da Bna-vista, valsa: a vmda no grande ar
mazetn de pianos e e msicas de Azuvelo, ra
Nova n. 11, boje ra do Baro da Victoria,
N. B. Roga-so aos Sr?. assignaotes do minda-
rem buscar as pegas de suas assignaturas.
Ultimas publicacoes da imprensa naeional
di! mu-ica.
N. I. Piano. Annelta, polka brilhante, por I.
Smoliz, 200O.
N. 2. Piano. Minerva, polka brilhanf, por Colas
Filho, 13.
N. 3. Piano. Chieo Biabo, polka brilhante, por
..., 800.
.V i. !': i. Urna buril :a, Ma.urka, por Ma
alee B. Z iccl i, nr.
8. S. Piano, tforte de i. pe?, po ka i wctol, por
", ti.
f. 8. Piano, La Grande i lehess, polka por Lu-
cien LamBert, 1.
N. 7. Piano. Carmen, Anita, La Playera, 3 pol-
ka- ((.i- cavallinhos, i.j.
N. 8. Piano. Le Souvenir, valse de saln, po
E. Casalbore, 13.
N. 9. Piano. Santinha, Maroca, 2 valsas dos ca-
vallinhos, 1*000.
N. 10. Pianr. Chant D'Oiseattx, polka, por E.
Casalbora, 14.
.. II. Piano. A flor da Boa-visti, valsa, por
Jps Coelho da S. A., 15. n
N. 12. Lagrimas d'Aurora, Mazurka, por J. J.
N. 13. A entrada de ferro, qnadrilha, por Heu-
rique AlberUzi, 13.
N. 14. Canto. Santa Lucia, barcarola napoli-
tana, por Gonnaro ArnauJ, 1 i.
N. 15. Canto, Marta Aria, para M. S. M' aqqari
mu' amor, de Flolow.
N. 16. As roas em contradanza, quadrilha, por
Colas FilhT, Kl. __________
COSTURA
Acaham de cttog ir au GUANE BAZAR
UNIVERSAL, nu Nova o. 2-CABNEiRO
vian.n'a mu compj*to sortimento de ma-
lii ias pnra -..-.tina, i\n autores mais co-
nhecidos, a> m-es siSn em exposiQ5o no
naesao fesr, ^ rantie los-a a sua boa qti--
lidade, e tau-b n ensin<-se com perfeicSo
a todos os comprartorrs, Estas machinas
si i i^uat-s nu sen tiabaibo ao de 30 coslu-
raima rtiariautent^, e a sna perfeico tal
COim da m ;,li ,r ojstnrnra e Paris. Apre-
cniatii- e im'i.i!I|m< execotmlos pelas ra>s-
Htas, qu raui o di wn agradar aos preten
Vrod*-** > r:-. h .-, iiie-it.. jie molhadu* sito
4 ra DiitMla n. 89. i qiul >tffBce militas vana
uen- aneiilnn.l.i s .. g nmorcio da via
ferr-mlo H^-if- a 3 Fr. -un com tam-
i.em por ter a eisa a pr.ipnedWe para um pro-
greso.
0 COLLAR DE Oa
N. 3 4 RUA DO C4BUGA N. 3A.
mostiim vm
0
?
Com este titulo acha-se aberto inteiramente transformado este antigo
estabelecimento de joias, onde os reguezes e amigos encontrarlo todo quanto
a moda e o bom gosto tem inventado na arte de ourivesaria, o Collar de Oaro
obervar delicadeza no trato e senciridade e modecidade nos precos.
Espera que o respeitavel publico vonha ver o que existe de melhor em
aderecos de brilhantes, esmeraldas, robins e perolas, meios aderecos, pal-
ceiras, brincos, alfinetes e anneis de todas as qualidades, prata de le faqnei-
ros, colheres, paliteiros salvas e outros rauitos objectos que seria enfadonbo
moncionar.
Compra-se ouro, prata, brilhantes e pedras finas, pormaior
que em outra qualquer parte, troca-se e concerta-se todo e qualquer
pertencente a esta arte.
r preco do
qner objecto
MCMM
Lourenpo F. Mendos Gnimaraes
RUADA DIPERATRIZN. 72
Tendo resolvido o seo proprietario liquidar todas as fazendas existentes as loja
Garibaldi e Arara, convida ao respeitavel publico, amante di economa, visitaren >
loja da ra da Imperatriz n. 72, pois s deseja apurar o dinheiro.
Arara vende madapolSo enfestado a 3#5001 Para liquidar vende hnmante de li-
a peca, ditas de 24 jardas a 5#000, 6,5 JOO, nho e algodao a 14(800 o metro, dito d
6,9500, 7J000, 8#000, 91000, e lOWOO. | linho poro a 25800, esta fazenda pro-
Vende-se cortes de casemiras de cores
para calcas a 4,5000, 50000.
Para liqaidaco vende-se algodo de lis-
tras proprio para calcas, camisas c saias
para escravos a 160 rs, o covado.
pria para lences e toalhas por ter 10 pal-
mos largura.
Vende-se cortinados para cama fr'xi
a 1^400 o cortinado para liquidar.
Arara vende cortes de chitas para wt
Na rna da Imperatriz vende-se challes de dos a 20500,20800 e 30200 o corte
merino estampados e de barra a 20000, liquidar.
20500 e 30dOO. i Vendcose cortes de cassa a 24500
Arara vende cortes de casemira preta corte s na liqoidacSo a da imperrtriz.
para calca, a 30500, 40000. 50100, 60000, j Vende-se cortinados para janellas a 84
70000, e 80000. a peca para liquidar.
Para liqaidago vende-se brim pardo liso ECONOMA
bom a 500 rs, o metro, dito transado
720, 900, e 10000 o metro.
Para a cabar vende-se dazias de lencos
brancos de cassa a 20000, e 30600, ditos
de linho a 50000, 60000.
Na ra da Imperatriz vende-se cobertores
de algodo a 10400 e corbertas de chita a
10500.
Para liqaidaco vende-se cortes de casto-
res para calcas de homem a 500 rs.
A Arara vende chitas largas para vestido
a 240, 280, 320, e 360, rs. o covado.
O barateiro vende percalas finas para'
vestido a 440, rs, o covado.
Em liquidaco vende-se alpacas para ves-
Vende-se dazias de rollarinhos de pa-
pel a 240 rs. para acabar.
Arara vende lasinbas transparentes pir
vestidos a 500 rs. o covado.
Liqntdaco, vences paraneito liso a
20200, 20500, 30 30500, 4 e 50, pro-
prio para catsas e patitos cor ser bes a-
zendae barato.
Arara vende cortes de hra para ra>
sas de homem (0500.
Vende-se cortes de peealas de Anas saias
para senhoras pelo barato preco de a 64
cadaum.
Grande liquidaco de roupa feria.
Vende-se palitos de alparca e de corea
tidos de"Sras. a 500, rs, o covado. a 20.
A Arara vende lazinhas para vestidos de' Vende-se .ditos de ganga para
Sras. a 320. 400 e 500, rs, o covado. a 20.
O Guimares vende mursulina de cor j Vende-se ditos de brim de algotlo bran-
para vestido da Sras. a 440 rs. o covado,; eos a 20.
dita branca a 500 rs.
O Men les vende fusto de cores par-
vestidos de senhoras a 360, o covado.
O L'turenco vende cassas finas para ves-
tidos 240, 360, 400 e 440 rs. o covado.
Arara vende alpacas de lista para vesti-
dos de senhoras a 500 rs. o covado, ditas
lisas a 500 e640 rs. ocovado, litas matisa-
das a 640 rs.
Venle-sa ditos de meh casemira a 24.
Vende-se coietes de brim.de cores a 14'
Vende-se ditos de meia esemira a SJSgC
Vende-se calcas de algodo azul a 500 ra.
Vende-se dita de algoio de listras a 800 ra
Vende-se ditas de brim pardo 24,14800
e 20500.
Vende-se calcas da casimira de coro
a 6080.
Farinha da trra
mnito superior, depwnada em barrica?, no arma-
zem do Sr. Angelo Baptista do Nascimento, aop
do caes dos rapores no forte do Mattos ; vendej-se
aos alqueires, a tratar com Bernardo Jos de
Araujo no armazem do Sr. Annes defronle da al-
fandega.______________________
AZ GAZGAZ
n
i
_ i
fr*oqos instantneos aperfeiqo-
dos por preqo muito comino-
do : na na Nova n. 28, loja de
Antonio Pedro de Souza Soares.
Bombas completas para c -
cimba, por dimmut" preqo, na
mesma casa.
Cigarros da imperial
fabrica de 3. JoSo
de Nic beroy.
(TniC'> depo-uo oru Pm nauba' ca n da alfaB-
ega veltu 11. i, Ia anda.
Chegou ao aoogo deposito da Heory Poraua
1, ra do Impendur, om carrecaaaeoao lo primeira qnalidade; o qual m ve
i a retalho por menos preco do qua a i
raer parte.
Especialidades.
Continuam a acnar se a nnO oa
botica n. 88, os nmi conhaci*) i
medios de veame, e onltw
tM feitos em Pars, bem eomo o u
deiua de Berth.4, ie rabn tolad, oa i
ferro de Blancard "as
de coreja, pos de Ra.
digital de Lah.'ll.iny, plalas
mutho de Chewri.'r. e ontro
proflcineia quan lo emj
Tas respirat>>ria< ms
uuarellkfao, na falla rompleU oo
lii menstruo, oa*. tiarrMas, OM
-ido e
tjU hu benenc>i~ resnlt?
o'X aso qn'
im como das {Minias
eiimparavois m\ -oa
los folir oa *fs5-* ; eaintadn I
lm de iiflacr* l._
iii ni> pequM > -'irtMesofojOa
ihac* e pincew, qna se \
ata ontra partt,
i plalas do savOMSv naanl
ig, (leoaratm 00 CeaOat,
ailnlas oa etmtlm Os las-

Eilt


n
Bfi d I'ernanibucu Quinta eira 20 de Gutubro de i870.
\i
>
)
<

CANDIDO AMiUUTO SODR' DA MOTLV i C.
eom eseriptorro o armeram di; pcnfr.is de esl
'< Den* n." t, t m nra vond;i
irires**

ri oplimamedtc preparado
o segante
m Pars:
EOWUUS (PjIiU ;).,'s).
I'eh.vo mea [tfaricof* veris).
uno IX omi(Wi flnyeollels).
Espargos [xUpenj s).
MlSCRLLANEA DtLECUMBi (MaCtdoilU leQUmti).
SEHOUBAS (Carotlcs).
Tomates (Tunales).
Coirre db Brl'xei.las (Chous e fmxelles).
Alcacuofius (bnrfj d'aiiichanlsl
Emn\mRB (junars)
Coo.UaiKU.os (Ckampigiions). .
(Cepi).
Pastbis com oftai (Ptvs tru/fs).
srm triff.vs ( ans truffs).;
ATUM COM AIEITE (7u (l l'hllile).
Tnums simples (Truffes au naiurel).
Saboinha km tomates (Saudinc etc.)
Galantiica com trdffas (Gulantins avcc Iruffet).
VtkVBO (Poulet).
PMBO CO BRV1LHAS {?<0O0n VtX pois).
'ALUMioi-AS {Ucmsones).
Perdiz com azeitunas (Perdiz avcc olives).
assada ( rottf).
Andomha (Alhuelte).
Codorniz (Gaie).
Lahprea (Lamproie).
PiCADO (Anda/lellrs I.)
Sacocha (Sancissono I.)
Carne gltzade (Frincaniea* O.)
Recebeu-se mais
Urn completo e variarlo sirtimento ilc papis
pintados c doirados de differcntes qualidades e es-
Juisitos desenhos, proprios para fcirro e guammao
e salas, gabinete?, escriinoro', ele. Na remessa
desse artefacto tero havido o maior posto e capri-
cho da liarte do muso correspondente de Paris.
Com uma mdica commissao sobre o custo da
fabrica vendemos este pape!, pois desejamos ter
effeelivameute um depotilo dossa especialidade.
No armazem de Candida Alberto Sodr da Molla &
C, traversa da Madre de Fumo
IZAR
Jos de Sonza Soares & C.
BIJA IIO BARiO DA. YII
A
(OUTIVORA NOVA)
Apresema-se metamorpbozeado no que podo ha ver'de mais "oilu e agradavel em fa-
zendas finas para Senhoras artigos doalta nuda ero Paris "tanto para senhoras come
para borneas o meninos.
Miuaezas alarmadas, perfumaras especies vaiiedade de lindos ohjcctos para me-
ninos c brinquedos para enancas.
GRANDE SOIITIMENTO
Continuamentc recebido por todos os paquetes vindo da Europa ?onde tem ba-
I beis correspondente?.
Vende se muito emeonta e raaada-se p i cm pregad s do estabelecimenlo fazendas
em casa das Exms. familias alim de melhor cscolhercra o que d\sejarom.
NOVIDAD
LOJA HO
DE FAZEHDAS
PAPAGAIO
ROUPAS FEITAS
Ra DE
TRIU
DO
papel
Completo sortimento de fumo, tanto para cigar-
ros como para charutos, vindo do Hio de Janeiro,
8ahia o Rio Grande do Sul. Papel de seda, linho
e algodao, de difireme* (nulidades, prcprioi psra
o fabrico de cigarros. Vcnde-se constantemente
no armazem de Canudo Alberto Sodr da Motta
- C. : Iravessa da Madre de Deus n. li.
FIO PARA SACCOS.
em casa de Okel Dindloss A C, ra
Vende se
da Cruz n. H.
A 8^000.
Vende-se boMagOtns francezes, obra gaspiada e
muito boa, pelo diminuto proco de 8jS ; venham a
elles, antes que se acabem : na ra da Cadeia n.
COA, iujajlemiudetas.
Brins de igla^f
OS LTIMOS LEGTIMOS
Vende-se em cass de T. Jefferies & C, ru8 do
Commerelon. iG.
FareoT 3^500
Vende-se Trelo em saceos grandes a 31500,
nos armaren- d? Tasso Irmais A C. : na Praca
do caes do Apolo.
Moleqne
Precia-se alupsr on comprar ura molequ e de
12 a lo aonos, del e inteligente que sirva para
cria.o, a tratar na roa Nova n 19, andar.
ATTENCAO
No armazem de JIJIs Lalhaoi A C. : na rea
(a\z n. 38, rende-se :
Lona larga de 36 polegadas.
Dita estreita de 2o dita*.
Saceos vas os para assnear.
Setlina, silhoi? e arreios.
Vinho de B-trdvaux Uno cn:i caxa.
Sabao inglez nmhh,
Sabonetcs dito dito.
da
ORDEAUX.
Vende-se exeellento vinho liordeaux em quar-
tolas o meias qaartoiis : no eserietono de Cunha
& Manta, rna do Mrquez de Onda n. 40.
Ra do Queimado
DE
E' dtegado a este novo estabeleciraont) o mais bello sortimentr >de dtemis
aas, seudo s*a especialidade enxovaes para ooivado.
Vestidos de blond de,seda ricamente bjtdados. >
Gorgurao de seda branco para \cstido.
Colchas de seda pura, para cama com ricos desenlio*.
Ditas de la c seda, id m dem.
Ditas de crox, idem idem.
Cortinados ricam nte bordados para cama e janelbs.
Croxs p >ra cadeiras e solas.
Vestidos de cambraia branca bordada*.
Popelines de lindos gostos.
L5as de diversas qualidades, lindos costos e moderna.
Ricos b/omus para passeio, com listras de setim.
Sabidas de baile o que ha de mais rico.
Cretones para vestidos com lindos desenlio?.
Carnizas bordadas e sem bordados para senhoras.
Camisas bordadas muito finas para homeos.
D tas inglesas para homens e meninos.
Seroulas de linho, e um grande sortimento b roupas ferias e de b3n0as que
4 enf.donbo mencionar.
Luvas foseas de Joiivd.
*~ 'Sarttfneiito.de tapetes para guarnic-oes de salas, alcatifas yira forro rit-sala, o c
grande eortimento das acreditadas c vrdadeir;s
Esteiras da India
O proprielario desie novo estabelecimenlo -oommunica ao respeitavel publico
deata cidade, e especialmente as Exmss. farailiti que, est liquidando por precos bara-
tissiraos as antigs f,iZitidas qua existiam ne-te esti-belecimento, alm das que abaixo
\3o relacionadas, cujo> precos me.ccem toda a attenco do respeitavel publico que n3o
deixai de com pequea quantia refazersc do qualquer qoaidadede fazendas que pre-
cise. Previne-se tambem qc a mesma laja tea Teilo sortimento de fazendas moder-
nas, o continua a sortir-so da? do mais apurado c escoHwo gosto, que vender mais
barato que qualqaer outra luja.
MM%
CASA CAUVIN K
Pliarmaceulico fir^vilceiad
Ruccessor
bastiol, BB PABIS.
Iiuulevuvd
NOVAS ESPECiAllOAflES A. MARINIER
AprisciUadas a AcaJcmia ilc Scu-iuas c ao Lucidla iv Franca,
IH ICrr Af ^ a 'ml' e PooUlta, Iwali e doMail par*
iliWCvOHW fjscr te anaeato loa Mlura
Preventiva c curativa das BOLEETIAS COSIV.GIOSS.
IKJEGTOE-niILTRO
ESTOJOS Cm
I HILTIiO c SEHINA lera m
Gravas inconvenientci de fragidade.
a forma, e ri> volume de ni Ponc-Mocd
COTENDO TODO 7RATA&IENT0.
OOL.LYRIO Contra as ilieccois das palpebraa,
preparado sob a mesma forma.
AlgodSosinlto com 18 jarda* a 40800 a
peca.
MadapolSo enfestado com 12 jardas a 3#
e 3/5jO a pega.
Di:o do ^4 jardas a 5(5000 para rims.
Atoa!i?.i!os de iinho, e de algodao tran-
cados, t adamascdos por prefes commo-
dos.
Chitas escw-as e claras de 240 ,,s, o co-
("vado para ama.
Gambrais de efires rmudinhas a 2 iO rs.
ocovado.
Ditas msis finas a GO rs. o metro.
Baloesde mussiirirra a 4?3 e WOOJ
Guardaiiapos de nho a 3300 a du-
"zia.
Branrroft de Hubo a 2!oOO e 35005 cari
*0 pahoos.
Dito do alfoda a I i800 o metro.
Mofes para senhoras de 4A00D a dczia
para cima.
Dkaspara bemens de 3500O a hizia
para tim.
Ditas para meninos e meninas de 'lodos
os lmannos.. -
Colchas deltelo branco de 35200 para.
cia.
Ditas decftr de 35008 para cima.
Toalhas de rosto-de 360 rs. para cima.
Cobertores de la finos, a 85 e 105000.
Ditos encamados a 45SO0.
Ditos de-a!godo a 15500.
Cambraia tapada multo larga com pre-',
fas e bordado, propri* para sa-as'de senlio-
ras preco-barato. %
Lt&zinbaF- Irences trancadas, com listras
:1argas proprias parasalas ds baixo, fazenda
' intfciramonts nova a 9G rs. otO-ado,
Cambraias brancas transparentes' O t apa-
das de todas as qualifiades e precos. ^
Llatmbas tapadas e transparentes /de
militas diversidades de cores da 320 rs.
o cevado para cima.
Aipacas usas o de arta cores a 500 r.
o covado.
Cortes de percala de 2 saias^a 45000.
'Ditos-de organdy de dito dito a 85000.
Corles de laa da Escocia a 650OO.
Ditas em peca a 500 rs. o covado.
Chales de merino lisos a 2500.
BARTHOLOMEO l C
Depositarios geral para e BBASIL c PORTUGAL
31, ra larga do Rosario. FEENAMBUOa
Ditos estampados de 45500 para cima.
Camismbas de cambraia branca transpa-
rente, bordadas com enfeites brancos e de
cores a 35000.
Brtibanlinas brancas de 500 rs. o covado,
Ditas de cores a 500 rs, o covado.
fcencos de cambraia de linho, e de es-
guiSo at o mais fino.
lencos chinezes a 35500 a duzia.
Ditos brancos de algodao a 25500, mui
id finos.
Fil hranco e preto, liso e de salpico.
Cortes de cambraia, brancacom salpico de
flor.
Ditos de fil liso a 55000
Tnrlatarmbrancas, e de cores.
Peitos de linho bordados e lisos de es-
gpio.
Catntsm bordadas finissimas, proprias
para noW c m a competente gravati'.
Ponbas de linho para bomem a 15 o
par.
Colramos de linho lisos e bordados.
Grvalas prctas e de cores, tanto em se-
fan como em seda, ha de todos os gostos e
totios,
80UPA FEITA E POR MEDIDA NA LOJA
DO PAPAGAIO.
Sor.imento (e roupas feilas de todas as
qiwtidades, e feitios, para precos commo-
des, e quem comprar porcao para negociar
ter ura abatimeulo razoavel, grande sorti-
meato de casemiras de cores com quadtos
e KeiraSt casemras pretas, o pannos pretos,
asaos e cor de caf, brins brancos, pretos
de cores e pardos, e manda-se fazer
qualquer obra a vontade dos freguezes,
qaer pata homens ou meninos, e por me-
nos preco que qualquer outra dfteija., e
l*ara issoa LOJA 00 PAPAGAIO acha-sema-
niila de um bom mestre alfaiate para bem
desiupCi1.^.r qoalqaer obra da sua arte,
recabando a responsaii,';^^ sobre o pro-
prielario da loja.
Dam-se as amostras de todas as fazend
a qnem as exibir, ou mandam-se levar
ioscaixeiros.
A loja do l'apagaio adiase aberia d
horas da manb5a s 9 horas da nonte.5
Francisco Teixeira Hiendes.
GALLO VIGILANTE
Rna do Crespo n. 7
Os proprietarjo de
cimente, alm dbs nraitos objeclos rpie taha;,
nostoi a apreciaro do repeifave!
darain vir c aca)am de reeeber pe
da Europa um c mplet. o vana*' *"*
finas e mui delicadas especialidades, "<***'
to resolvidos a *> por prefos muito baralinhes e emmm* pan -
dos, com Unto que o Gallo....
Muito superiores loras de pellica, prma, "-
cas e de mui lindas c/.res.
Mni boas e bonitas gollinhas e piawp ^
nhora, neste genero o que ha He mar^too**-
Superiores pentes de tartaruga para oqnes.
Liados e riquissiiuos enfeei para calieeae ea-
Exraas. senhoras. .
Superiores trancas pretas e de eres c-ra 71:-
Ihos e sem elles; esta laterita *> qne pfde feaew
de melhor e mais bonito. ^^
Superiores e bonitos loques de raadrejeraia
raarlini, sndalo e osso, seudo airneBes braacu
com lindos desenhos, e estes preto.
Muito superiores meias lio d-> ******* ** *
nhoras, as quaes sempre se rendiram por *>*<
a duzia, entretanto que nos as vendemos per IM-
alm desUs, temo: tumbem p iMMc i
outras qualidades, entre as qoael algumas
finas.
Boas bengalas de npafiftc eaxina da laca
caslao de marfini cm luida* e enfangaraKa-
ras do mesmo, aeste eei ero o <;:; re melr
podo de.-ejar ; alm dess lemas iarr*s gr.
Juanlidade de outrjr- qir... ejan, bl.
eir, balcia, osso, h :' rtj-
Finos, bonitos e airotM ehieotrBifli ii eaaaa s
de oulraa qnaiidadcs.
Lindas e superiores li'- de seoa t aem-s
para segurar as meia-.
Boas meias de seda para senbera e para w-t
as de 1 a l annos de i!
Navalhas cabo de marlim e tartaruga
barba ; sao muito boa: ,e de mais a mais sao r--
ramidas pelo fabricante, e dos |x>r i">?sa vex **-
bem asseguramis sur. qualidade e deticdeu.
Lindas e bellas capellas para noira.
Superiores agulha." para iiaehiM e -.ira cre-
Linha muito boa do poso, frojxa, p.ra *eV
labvrintho.
Bons baralhos dt cartas para voMaRta, asees
como os tentos para o mesmo lim.
Grande e variado s> -rtiraento oas roo. lores pt
fumarias e dos n::!'aorcs e mais jonhc:>dos fes
fumistas.
COLARES DE ItOElt.
Elctricos magnticos contra as eoavulsSe, *
facilitam a donticao da-innoce.-it''- crian?,?*,
mo-. desdo mui lo rcceLedores du.-tes pKd|iiiw
collares, e enntmuaino a r*eaW4ai por "*"* '
vapores, flm de rroe nunca fatteni no mercad
tomo ja lf !: v'"' '.'iio, assim pois [,-:.Uerao a^-- -
les qv vir ao deposito f
>arrarf.o r"*:.
vial!
Farelo
4-200.
Sacos com 103 libras d< superior farelo
dlo barato precj e cima iudicado, na ra
da Madre de Deus n. 7.
Rvai sem segundo,
BA OtXlUaE BE CADA m. 4
(Anligarua do Queluiado)
S portas n. 53, ra Dimita, 3 p rtn.s- n. h%,antiya\
hja do Braga
t -o lo o *i.-ia aprcvsntar
Vende-se superior farinha de mandioca m sac-
cm grandes : no escriptrio de Antonio Luiz de
Ohvotca Azevedo {, C, ra da Cruz n. S7, pri-
meiro andar. *
L]
d!
J* verdadeiio porlland. S se wnde na ra da
aure de Dos n. 22, armazem de Joao Martins de
Barro
Milho.
Veae-se em saceos grandes, de superior quaii-
rtade e muito noro, por menos preco que em outra
qualquer parte : na ra diVigario n. 14, escrip-
torio de Jos Lopes (1. .
Secretaria de ferro
Vendesa e est vista em cisa dos importado-
resShaw ffawkes & C, raa da Cruz n. 4.
UL IVA DI LISUA
G abaixo ass;gnado, dono deste anligo estabelecimenlo, i
completo sortmiento de ferragens, mindezas e cuileria, ten, roMMide mandar hoaear em *'
dirorsos pontos da Europa os melhores objectos de seu es( iboleeunenlo dos .bricantes ^
mais connecidos; pelo que eoevida ao respeitavi puWieo i a eus numerosos inguezt* S<
a virera se errir dos ol.jecto3 de sua careucia, a.-nde eneontr. rao por wenw -OiO uo qi'e' 8
em OT.tra qualquer parte, um sortimento completo de rnackWis para darocar alioaao .^
do bem conhecido fabricante Cottorr Gin A C, ditas para costura', motores pa'ra ammae*
ditos para fogo, rooinhos para caf de lodos os -tamanbos, d/ fabrica do Jaai, espingardas de
dous anos e de um, tanto inglezas como ranceas, touca de porcelau, facas e garios
de diversas qualidades e precos, bandejss chineeas, salitre, bceu, barbante, enxofre p*ael e
Iimallia de ferro, ac, e agulha para fogueleiro ; assim como encontrarao consume-
mente grande porcio de fogo do ar, e recbese -ncommenda de fogos de vista alem de um
cera numero de objectos, que se tornara enfadw.iio numera-loa ; venham rna Direif.i o
53, loja de Lenidas Tito Loureiro, antiga loja da Braga. *
I!
Mi
CASACAUVINAMAraiER
I^iarmaeeutlco privllealftdo
successor #
Sebastopol, BB. PARS.
Boulevard
NOVAS ESPECIALIDADES A. MARINIER
ApreMnUdas a Academia de Sciencias e as tuslitnto de Franca.
III IC Pf A A So!) forBa de faslitla, deve lida e doseada
llUCbbMU momento ama soluccao PREVEITIVA E 00
H0LESTIAJS CONTAGIOSAS
ira fase/ de
ATIVA das
TUECTIIR-PUIUI.0
Graves
do volume do un relogio, servindo
de Pbiltbo e Sebinga sem os
inconvenientes de IragilJade.
Con a forma, e do volume de ora Porte-Moeda eontenda
TOBO TRATAHENTO.
Vende Joaquim Jos Ramos:
o. 8. 1* andar
na rna da Cruz
o
II MJMJ II11 I I/U|
Na roa estreita do Rosario, sobrado n. 35 pri-
meiro andar, lem capellas dt saudade?, de perpe-
tua, de sempre-vive e de eraros, proprias para
quem qaiter boUr as catacumbas, j com as tas
e os lelreiras, tudo de gosto e barato : quem
oizer deve rir comprar do (lia 23 em diante. Na
mesma casa tra boquetes e flor de cera, e pre-
param-se de era vos naturaes para qualquer oller-
a, bor-.la.n-se as fitas a ouro, e deve a eneommen
da ser feita tro-1 das ante.
PoUssa nova da Rossia a 200 rs. a libra.
Cal de Lisboa.
Cera eui vela.
Dita em gintt,
Vioho (i i l..i in supefivir engarrafado.
Dito de .t.b..m dem.
ptto mus itl de diversas marcas idem.
Dito lint) l'ulmella snperior idem. *
Dito dito Vi-rmoeira idem.
Uiiodjto (.irradio, idem.
Dito braato Caraveiios id.m.
Dito dito llucellos Idem.
Uldeiras de ferro fundido para engenhos.
oo^S^" F"hos & C' M larg
ST*i)?a~5e Itsboa
JB^S^S^,^i,*toeho Principio:
JjaW.gnfca Irmios 4 c, i roa da Madre de
COLLYRIO
BARTHOLOMEO & C
ESTOJOS
Contra as affeccois das palpebras, preparado sob a mesma forma.
Depositarios gcrul para o BRASIL e PORTUGAL
31, ra larga do Rosario. PEBNAMBCO.
DAVID W. MII4N
EffiHtHI80
Com fundipao
RA DO BRUW1 52
Paseando o c^olaiiz.
Chama a attenco dos Srs. de eugenlio para seus acreditados machinismos e
;om especialidade para seus vapores que anda una vez tem meiborado.
Os vapores fornecjdoa por elle e j funccionaniio Jhe hao de fa^er melbor apre-
iiaco do que qualquer dito proprio.
Deseja tambem mencionar que.tem /eiln urna r^duefao em seueprecos; e que
lem pronjptotoda a especie demachinismoe outrosobieclospara a agricultura.
Contina a vender tudo
muito barato a saber:
Libras de areia preto muito boo. .
Tesouras finas para unhas e eos tu-
ro a......., .
Papis de a&u!has francezas a ba-
lao a.........
Caiaaa com -seis sabuneos de ruta
Libras de l para bordar Je to*%t&
as cores a.......
Carrilis de linha Alexandro a. .
iHnscoa com azeite para machinas
Gravatas de cores mullo linas a .
Orozas de bolees madepersla -
nissimos a.......
Novello de linha de 400 jardas a.
Caixas com 100 envelopes muito
superiores a......
Pentes volteados para meninas a.
Titiiei!t.s com tinta prela a 80rs. e
Pecas de rila elstica muito iba a
Lata com superior banha a 100 e.
Frascos de oleo Phiccomo muio
fino a.........
Frascos de macar perola a. .
Fratf59tre e*racto muito b mitos a
Dt...5Li_aoiietes muito finos i.
Sabonetes ngtezes a 600 rs. e. .
Frasco com agua de colonia Pivera
Dito de oteo babaza a.....
Caixas de lamparinas a. .
Sabonetes a forma menino muito
superiores a....... 24
Carubas da doutrina azenda nova a 400
Libras de linha sortidas de todos o
nmeros a.......1(5800
Capachos muito bonitos e grandes a 700
Carriteis de retroz preto, com 2
oitavas a. ...;.. 640
Agulheiros de osso enfeilados a, 240
Libra de linha franceza superior
qualidade a. ..... 24420
Caixas de palito do gaz a. 00
muito bom -e
120
500
8#0K
toe
5tKJ
B8fi
500
60
600
240
400
200
200
500
240
500
720
40200
500
500
40
Rival sem segundo
RA DO DUQUE DE CAXIAS N. 49
Estou disposto a continuar a vender toda
as mindezas pelos baratissimos precos abai-
xo declarados, garantindo 'tudo bom e pre-
cos admirados.
Duzias de palitos seguranca a....
Duzia de palitos seguranza caixa
grande a...................
Frascos com r ir o baboza muito fino.
a -/v? i -acotec cora P*B de ar|,oz o me-
lhor que ha a...............
Vavalbas muito finas para fazer
barba a....................
-Caixa de linha branc do gaz a..
Yara de franjas de lidho para toa-
lhas .......................
Caixas com pennas d'aco de Perry
superiores.................
Lencos di cassa brancos e pinti-
dosa......................
Caixas com 20 quadernos de papel
pautado .......
Caixas com 50 novellos de linha
do gaz a........
Duzias de meias cruas superior
qualidade a.......30600
Pecas de babadinhos com 10 va-
ras a. -.......
Pecas de liras bordadascom 12
metros cada peca a 1(5500 e.
Pepas de fitas para eos de qaal-
quer largura com 10 varas a.
Escovas para onbasfazenda fina a
Ditas para denles a 240, 320,
120
320
320
320
UOOO
800
160
800
100
700
400
5C0
2,51000
500
500
I
400 rs. e.
PRECIOSA I (ESO IBERTA
CUMAS MARAVlaLHOSAS
DO
Kec plus ultra
Tirando immediatamente todas as caspas ecoceiras doacftoeos.
Deposito
fom^le em casa dpuior, ^r.Delf*c.c*bei|eireirode Paris.
Ra 1* de HarQo (antiga Crepo) n. 7 Al* andar
Roti-Hnte-rheum;ico.
Remedio effleacissimo contra as dores rhenma-
ticas at boje o mai.- coabecidb pelos seus mara-
vilbosos resaltados.
XAROPE DE AGRIAO.- um dos medicamen-
tos que sua effkacia as eniermidales, tosse a
sangue peta booca, brouebites, dores e fraqueza
no pello, eicrobuto e molestias de ligado, que me-
lhor tem acrcrado.
TINTURA DE MARAPUAMA.- A delebre raiz
de rnarapnama, roja energa e efficacia as para-
lysias, iutDrpecimenio, etc. etc. muito^se recom-
i inda.
Todos esses preparados se encontraraJna phar-
macia e drogara de Bartholomea & C, dhco de-
posito na roa larga do Rosario n. 3.
Paulo Cordero
Vende-se rap Psalo Cordero (loo viajado, en
latas, meio grosso e rinagrinho : no deposit da
ra do Vigario.n, 11. 1 andar.
Grande piachiiwjha.
lieos cortes de castaraia bordados com 10 varas
i 7*.alpacas e lias da coies a 400 e 600. o
ceyadp : reiide-.se na ruado Duaue de Caxias n,
MojadeLeiit, PnMea-A C.
res da
a
spoa. 15,
Pecas de tranca lisas, brancas e
de cores a.......
Duzia de linha frxa para borda-
dos a 400 rs. e.....
Pares de meias cruas para mv *
noa diversos tamanhos a. .
Duzias de meias brancas muito
finas parasenbora a. .
Pares de sapatos de tranca do
Porto........
Pares de sapatos de tapete a. .
Duzias de baralhos para vultarete
Sylabarios portuguezes a. .
CartSes com colxetes carreras a
Abotoaduras para collete diversas
qualidades.......
Caixas com penna de ac muito
boa de 320 a......
Caixas com superiores obreias a.
Duzia de agulba para machina a.
Libras de pregos francezes todos
os tamanbos a......
Pacote de papel com 20 quader-
nos ...........
Resma de papel pautado superior
Resma de papel Iteo muito supe-
rior a ...........
500
40
500
320
4.J500
23000
14500
30000
400
20
400
50C
40
2*5000
240
400
40000
30600
Fogo de patente.
Veadese em ea
Hawkes & C ra da Crn o. 4.
deliv attendodri w a-' irr
nra qa 'inderari Mnaa bv.
diminuto Ib
Rogaii-.-. :- :-.s ajae iai'.
declarad, s, au : asaig* a .
comprar |... -.- ; -. lojaV zi
vigilante, na rio Cj B V. ___________
Jcorc i%?
Ba do u. f
Novo e \ariado
finas, e c-utros
Alm do completo sorli
tnarias, de que effectrvameiiU'
loja do Cordeiro Previdente, -i aON
receber ura ontro startl
notavel pela variedads di
dade, qualidades ecot;
Cos; assiiii, poil, oGmteiro ir:
e espera continuar an.sieccT ?!'~
do respeitavr! publico en geis
boa freguezia em par;. .
tando elle de sua bem gcam
a barateza. Em di'a loja fon
apreciadores do bom:
Agua divina de E. Couda/.
Dita verdadeira do Murray & Uamui
Dita de Cologne ingleza, americaE?, I
ceza, todas dos melhores e maKHi+.HiL-
fabricantes.
Dita de flor de larangeiraa.
Dita dos Alpes, e vilete para toilet.
Elixir odontolgico para consrracJo
sseio da bocea.
Cosmetiques de superior qualidade e cbt
ros agradavei8.
Copos e latas, maiores e metorea, ce -
pomada fina para cabello.
Frascos com dita japcoeza, tranapaxer.
e outras qualidadts.
Finos extractos ingiezea, aaericaaM
francezes em frascos simples e eofeitada*
Essencia imperial do fino eagradare! d
ro de violeta.
Outras concentradas e de heiroi ifc
mente finas e agradareis.
Oleo philocome verdadairo.
Extracto d'oleo de superior qoritidu-
com escomidos cheiros, em fraseo* dig*
rentes tamanhos.
Sabonetes em barras, maiorej e taparr
para maos.
Ditos transparentes, redondos a ea ir
ras de meninos.
Ditos muito finos en caixinka para bari..
Caixinhas com bonitos sabonetes fclian:
fructos.
Ditas de madeira invernisada com^o i
oas perfumaras, muito propriaa para
lentes.
Ditas de papelio igualmente bonita, tas
bem de perfumaras finas.
Bonitos vasos de metal coloridos, e
moldea no vos e elegante*, com pdi> ar
e boneca.
Opiata ingleza e franceza pan
Pos de camphora e ootraa
qualidades tambora para deotes.
Tnico oriental de Kemp.
Alada mu e.oes.
Um ontro sortimento de coquea da h-
vos e bonitos moldes com nieta de wctl
e alguns d'elles ornados de florea flw
esto todos expostea a apreciaeio de so*
o pretenda comprar.
GOLLINHAS E PUNHOfi BOfiDADOC
Obras de muito goato e perfetcio.
Flvellas Has pava -*1m.
Bollo o vanado sormento da taea oaa
(os, ficando a boa escolha ao goato ao ,-t
orador.
WMWWmMtrm
Joaquun Rodrigues Ta-
vares de jfelk).
TEM PABA VHDKR
em sen escriptrio, praca do Corpo Saa
o. 47 :


-
i"i: nas
DAS FONTES
8 CBLESTI2VS
b-av oaUaa e a reUlmo.
No anmatem. da ru> do Vigirio n. ti.______
wVende se oleo de riclao na raa da Cadeia-ve-
laa 4o Reo* a. I, aadar,
Pnmoem foHia
de 1> e z* qualidade, e ve
fardos a ronlade da* a
Cal de L!
ultima ebegada.
Potassadafiufd.
Fartmaa 4e ai amalla ai.
Vinho Bordeaux.
barato do ^ue en (** qaatawr
Vende-s um sobraditibo de au
na da 8. Gonealo n- W : a Uat r a
Q*J4taa4oa.i,oj*>'




Pernambuco Quinla reir 20 de Gutubrt) d 187()
uaec^csawa
ASSEMBLA GEM
CMARA DOS DBPTADOS.
PaiieCKTI B.\ ^q iii^pkcTIVA SI'
I'HOIKOTO QR 11
TADO A H DE Jl Hfl PKLOSn. 1HNIST.U) DO
IMPtRlO
(Cox/ -." se, jtilgt-se objecto de elib-'rafJK e
vai a imprimir pan entrar na ordem do?
trahalbos, o seguile projeeto, sobro an\s
toa n atera :
* Arl. 1 A* le* ni. 387 de i9 de agosto
di I8it, u. 8 iij 10 di) setembro do
IS.j'i a. 1,082 de -12 dn agosto de i
o os s-ik respetivos reglamentos, serio
observados con as alteracos segoinles:
Art. i." Nenhu na provincia fiar m nos
de tres denotados, e cada urna formir um
s disirieto eleitoral.
1. As provincias do Alto Amazonas,
Pinihy, Rio-Grande doNorK Espiritastn
i i'.ir.ii), Santa enharino, Goyaz e Millo-
G;\>sso darlo tres diputados cada urna ;
. i de Sergipe e o municipio neutro quil .33 do Pani. Parahyba e Alagftas cinco : as
M.iranhfio e Rio-Grande do Suf, seis ; a
4 > Ceara, orto; a^do Rio de Janeiro-, novo;
de S Piolo, dez ; as di Bihia e Paran a-
buco, lalrz; a de M n-as-'Jeraes, vino.
O numero decleilores de art. ."
' di le n i,08 de 18 de agosto de
SOO iiea reduzido a quinze. As fraguo/jas
rtsiw que, pelo numero de seus eleitores,
oo $*!* aggre jacio dos de outras eircum-
vizinc.t "- puderem reunir aquello minimo,
sem |'ironizo das cidades e villas prximas,
fjimai '3& collegio eleitoral.
t s ., *.. O goverao na corte, e os presi-
i -as prev ncias, fia.io o numere de
irS que cada parochia deva dar, na
razio de um e'e'1' r Por 'r',la voti",l,'s>
conforme a muor das tres uitiraas quali-
caepes ; nu ,s M cidadios d) parochia que
nao poder d* T cincP eleitores serio quaiii-
cados e-votara0 ua parochia raais vizinha.
| i Os e. 'teres e os sapplentes, que
concorrerem \ c 'vocaejio, votario promis-
cuamente para jnffllro das juntas de qua
lificaco e mesas Tivocliiaes, depositando
cada um na urna iirn* medula com um s
nome ; as mesas parSci>aes os dous inais
votados serio c* svcrsteiio.?, os dons imooe-
diatoa os escrutadores.
Nos colegios eleitorts, os secretarios
e os e cratadores serio ucmeados do mes-
po m >do, com cdula com um s nome.
3. Os votos natos, conferidos a ine-
legiveis ou porque nao lenbatn as qoalida-
des neoessarias, ou porqae esljam a osen tes
di povoaco, sede da jimia, assembla pa-
rochial, ou colegio eleitoral, on porque de
ficto nao existan, dio accesso aros immedia-
\raern
ser o interino, oa
g.K
i
tos na .ordem da votacio para memros
dessas corporacoes.
G. Se os votos forem insuficientes
pira elegerem todos os merabios de junta
ou de mesa, ou se todos forem dados a um
g individuo, ou a d -us, ou a tres, eieito
ou eleiios cora o presidenle nomearSo os
.mais membros.
| 7." Concorrendo todos os votos, -e'm
individuo* melegivei?, C presiuCfG" da junta
ou mesa, poc -;iecisao motivada, exarada na
acia ro^diva. far proceder a outra elei-
'"',' e, se idntico for o resaltado, o pro-
sididente, motivando o sen procedimento,
nomear os quatro msanos.
N >s collegios eleitoraes, o presidente,
que deve exercitar as altribuices deste pa-
* j c .' .11 i. 2. ut> i
(ment w. I 812 de 3 de agosto di
nparecerem
ippWtes, o presidente con vi
ci
oouparer.?rm elegero os mesarios, se-
gofndo-se em ludo as disposics dos f
7U. -
y." A joiila e ssamWas parjishiaes
ser;i i presididas \>Ho eleitor mais votado
entre 05 presentes; ,iki faita deelcitores,
>3fo> sap})lentes m iotna ordem.
1 S? nllo oompirewer at o meio-dia
neitor ou MipM-ti aig>>> para presidir
piula ou assemi'a parochaf o juiz de paz
em exoroicio con>pare;er i mme di ata mente,
e tfesigfj r um ci lado com as quadades
de e!e t r pan pre-idh" ama ot outra; e o
naneado proceder nis-termos do parag.-a
pho antecedente.
O juiz d^ paz em exeroioio deve estar
ia povoacSo, s le di junta ou assembla
parocliial, durante os das da qualifrcaclo
ou di efeicio, sob im de rosponsa&ilida-
de cri ninal
II. No imped.raenur rfe presidente fe
lunta, mesa pirocbij?, 011 mesa de collegD,
llorante os trabadlos, os mesarios elegerao'
quem o .siilslitna.
III. Quan.lo estiverera mrpeddos qua-
tro msanos, o mico presente assumir a
iresideacia. e formar nm interina na
forma do ^ 8..
IV. litando knpedidos iodos- os cinco
mesarios, proceder-se lia constiti^o de
ii'va ruesa ou junta, segundo a^disposicoes
antecedentes, dispen-iaila- a- cowocacao de
eleitores e de supplentes, se no estiverem
presentes.
I'). As con vocales oa'denad'fi pelos
arte. 4. e 'I da let n. "Hl de 19 d agosto
de 18 i(i sirio fetos pelo juiz da pas em
ex rrcicio, o beta assira &3mpetem a esse
funecionario a execueay des recursos pr-
vidos no5 termos do art. 37" da meso lei
e a guarda dos hvros, logo- que se sospen-
dam 01 se findem as sessScs- peridicas des
juntas ou os trabafhos- das a^semblas pH--
rocbi.ies e dos collegios eleitoraes para re'
metie-ios ao arob'vo monicipal no prax.s
pie fr marcado em regulamento.
* II. As juntas qua:ilicdoras faro
dous alistamejitos distinctos, nraoido opio-
O juiz de d
nao cej^H
por ed.ta!, do pa-
grapbo antecedente, recorrido, a(Jm de
llegar n lo recttrso o que lhe con-
ver.
-13. To los os documento! que auxi-
liarem on servirera de base s dacisoes das
juntas serUo rubricados pelos membros
dallas e reraettidos ao archivo da caraira
municipal, por iater.nedi do joiz de paz
em exercicio, excepto os qu devarem acora
panhar ou contrariar recorsos interposlos
para os juizes do direilo, e esses documen-
tos ser5o eilregues aos interessados, se o
requererem para aqtiefle m ao presidente
da junta, ou ao juiz de paz era exercicio,
ou ao presidente da cmara municipal, em
cujo r>;>der ou guarda estiverem.
S os recorreutes 00 os recorridos po-
dero requerer os menso aados documentos.
Pascado, porra, seis nrezes, os que ti-
verem direito aos documentos arshivados
podero reo;oeTe-los ao presidente da c-
mara, pascando e deixando recibo.
a Art. 3." O fjVeito de vofer as assem-
blas parodiiaes t garantido do' seguate
modo:
i." A pronuojia em processo crimf-
nal nao .suspen le o eaercioio do voto.
'rnclna, n.) pode votar era ur volado
nella, embor.v esteja o/haifioado; poder,
pon^w, volar e ser votado* oa parochia1 onde
resilir, se at: um mer antes da eleic 1
aposentar ceitidoaiiilientica. rubricada, a
requ^rimento motivado, pelb jniz de paz? da
parochia da goal se* rondo,-de sua guaSli-
cac3o nesta; sencto desde loga inscripto sa
respectiva lista soppleraentar.-
* ffiU* Tenlo O'cidaaSo ni* de um dc^
miciHo; e estando por isso qn.dii.cauo env
mais lo orna parocbi;, s poder' v#ar em
urna aiac, se nou'/er desistido- do exerci-
cio a~sivo do voto esa 011 Ira. aprenenlaudo
mesa" danjuella parochia cerlide requeri-
da ac presiinte da mesa da paroehia re-
nuncilai
t 4."' Ao oidadStv qne conei-rrendo a
cbamaefe) for contesUa fca ide'idde,
raantide odireito de assigar saas-cedulas,
00 de fa3fr-las assignan por dous 3idd5os
qoatiBeados-para eleitor, oue o coafcecara ;
as cedoliB* serao aperadas em separada,
o na veri-
sao da
votos a
t 8 Os votantes cuja identidade baja
sido ontestada por 10 dadSos, segondo o
6.* e cojos votes bajatn sido tomados
em separado, nio a ju*tilioar3o; ao contra-
rio, o oous oa provj incumbe aos contes-
tantes, sob a pena de s'rem apuradas as
cedu'as-no collegio eleitoral, se os respec-
tivos votoanSo-aproveiiarein aqualquerdos
mesmos roatestantes.
i NcSta ultima bypolhese. sa n votante
qurzer ulilisar seos votos, deverfjustificar
sua ideatidade com citado do eleitor esup-
plente prejudicado pela aceumolacSo dos
mesmos votos a oufros.
9," O mesarios- e cidadios que, por
oesso da legislacio actual: um dos cidadios se a mesa nao conveneer-se, at fidar-se
apios pira votarem as asscin!)4a.s paro-
cbiacif, e oritro dos cidadios- aptos para
serenv nomtados eleitores.
A' ihcluyo e a exclnso dos eidadios
que bonverem adquirido 011 perdido as qua-
lidade* s'sero feitas vista de- documen-
tos lespes- offerecidos por quem- qoer qne
requerir urna ou ootra.
A xclus3o p>r mera obliterado no
listanaento nao tira ao cidudio esclnido o
direito de votar na respectiva assembla pa-
rochia!. 00 o de poder ser votado- para
eleitor, se nao bouver outro obstaolo legal
a um ontro-direito. -*" "
1 A exclnso-por -Mtr"de renda- ser in-
timada psssaimente ao excluido se- pode:
-icr encontrado, on por editad no taee con-
trario, dentro do prazo de dez diae%
a 12. Sao xtinctos os c-nselbos mu-
nicipios de recursos. Decidiro oe-recursos
os respectivos-juizes de direito deoonMHrca,
em visla dG- allegado e provado, e no prazo
lixado em regulamento ; salva a appellac^o
para a efco do districlo. O esccivao ser
o do jury. Onde bouver mais de um juiz
de direito servir um cada anno.
a 11 tima chamada, de se- ser elle caaesmo
tndh'idno alistado.
I 5." O-erro de ncflte ou de qualquer
pos yualiticativos do votante nao pod-jus-
tificar a rejetvo de suas cedrias, se ajesa
ufe declarar que no qnsrteiro existe-indi-
doo com o nome e qualcativos maneio-
nados .no alisiamento. Acezar disso,. e no
ase de- insistencia da mesa, o votante po-
der1 otar do-remedio doparagrapho ante-
cedente relatando se na aeta a oceurrencia.
*6i. Dez^ cidadoSj, qualifkados-para
eljitGf, podem-conteslar a-adent dade do um
votante apezar do voto contrario da .mesa.
tanto a a hypo+hese do i* como na.-do
3i0,. de. positaudo imtnediaiamante declaracio
aesiaaada, que ser rubrieada pelos-naesa-
io-ft inserida' na acta : salvo ao votante o
aemeiS o do voto em separad.
I 7. Os votantes cnja> identidad* baja
3tdb< 'contestada pela masa, e cojos-votos
lia jan sido i ociados em separado, poderio
ij.i8tifiM-las com a citaco dos contestantes
ante o juizo civil- que jnlgar deniivamen-
te-, com prefereneia a outro qualquer servteo.
-Com a seatanca o-votante requefera ao
FOLHETIM
DIKBU l DIARIO DE PERNAM81IC0
A 1HIMHA BOatiSA
SMMAMJ Siriui ; as estrellas; eu, a
minka bolsa e o folhetim; o lettor e os
assii/nantes de jometes ; wn phantasma e
vinngeilado ; as cousas do arco da ve-
Iha ; os olhos do mundo ; os Ihealros e os
espectculos ; honra e gloria; o Sr. Jos
Pancracio e os tundas-e cancans ; as
eleirdes ; os furores mal concentrados e
seus congneres; nm pensamento de
Sclioupenhauer e outro do Sr. Jos de
Alencar.
Seem urna de nos^as noutes calmas,
serenas e lmpidas coniemplardes o co
azul recamado de estrellas que cobre o he-
mispherio em que se assenta garbosa a
belia cid^de do recife, veris, estimareis
eitores, nao longe do equador, urna cons-
tearo chamada do Cao Maior, cuja estrel-
la mais formosa tem o sympathico nome
de Si'ri"s.
CoQiemplai-a por alguns instantes, estuaai
o cambiante de suas cores, med a exen-
so do poder Iluminador de seus raios ;
e estou certo que diris comigo: fulgct
anr/elus 1 .
Volvei depois urna vista curiosa por todo
o espaco celeste, perscrutai-o no mais re-
dondito de seu seio inQnito, fazei a anato-
ma de todas as constelag5es, pesai no
vosso espirito todas as bellezas de cada
orna das estrellas ; e ainda estou certo que
em resollado do confronto repetiris comi-
go : fulget ngelus I .
Sirius a mais formooa e a mais bri-
lhaute estrella do co; o seu brilho tal
que qnasi sempre excede o do gentil pla-
neta Venus.
Deus como que se esmerou em faze-la
assim bella, assim soberana entre as suas
iguaea, para mostrar-nos a i'mpoesibilidade
d'essa igualdade absoluta sonhada pelos
homens avancados em ideas polticas, ver-
daderos utbopistas, quf vivem embeveci-
dosnas suascrencas como outr'ora os por
tuguezes na volta de D. Sabaso.
Sirius, meas leitores, tritw, minhas
encantadoras leitoras, a minha constante
preoecupago ; o meu sooho de todas as
noutes e o meu pensamento de todos os
das ; a minba alegra de todas as horas
e o meu pezar de todos os minutos. Si-
rius o nctar qae me embriaga os senti-
dos e o veneno que me carbonisa o cora-
, ao. Sirius o meo ideal, a partcula
ausente de minh'alma, que s agora se acha
completa : sirius em urna palarra a mi-
nha amada, r fibra mais doce e sonora
de meu coracio, ultima racto de urna
alma apaixonada, capai de todas as virtu-
des e de todoi os crimen, de todas as su-
blimidades e de todos os desvarios.
Nao voi admiris por tanto que eu tenba
tomado o sen nome pata fechar o meu fo-
lhetim : era-ote necesario em precioso
final, e esse nome qae vale nm poema in-
eiro, satisfai-me perfei.ament.
frandu ou sem coibecimento dos individuos,
cuntestarem a dentidade de qualquer votan-
te, corametier o crime previsto no art. 23fr
I 4. do cdigo ciminal.
*0. Os individuos qnev nao sendo
os qualScados 00 os eleitos. concorrerem
chamada 011 de facto votareis as assem-
blas parochiaes ou nos collegios- eleitoraes
commettem1 o crime previsto nos arts. 301
e 302 do cdigo criminal naja 00 niosido
contestada a sua dentidade.
< 11. Cade votante depositar na* orna
Ijduas cdalas, cada qual com um f Borne,
'a primen-a para eleitor e segunda para
supplente, com o respsctiw sobrescripto.
I*. Aajuracio come?3r pelas ee-
duas par eLiitores ; os raai* votados, at
completarem o numero ixado' para as pa-
roebias, serao declarados eleitores.
O'mesmo se proceder cora as cdu-
las pura supptontes.
t I ti Os diplomas do eleitor e do seu
respectivo suppleoto seri ama certidio da
votaco dada a co o a outro, com a desig-
>n?tio do-nurnn>q\ie a ambo3 conbe as
classificaroes dos ei'fiitores e dos sapplen-
;tes. O supplente de cada eleitor ser o que,
segundo a classiScaco resollante da vota
(jio obtida per me por outro, bouver al-
canzado o raesms-numero. O diplanw de
nraser igual ao do- outro ; assigoado pela
mesa parocbieK & eleitor e o supplente
tambera o asignaran, cada qoal o sen,
mogem,- perante ebv e os rseeberam. Es-
tando ausentes o eleitor ou o supplente,
cace qoal delspoder assir?ar o sea d-
picata perante o juitr. de paz, em er-
eicio em cojo poder dtevem existir-
fArt. 4. Nbs-coltegjos eleitoraes o sup-
plente de eleitor, exNtoindo o setr diplomev
ser admittido acotar em aosenda on na
falta dqoelle, ndepeisdentemeat de cca-
voeacio.
3 1. Neahwn-'snpplente poder sufce-j
liluir -senao ao eiitor respectivoi
$ 2.* A classrfioacsofeila pelas mesas
paroctaaes soflrer-alt-iracio se os votos to-
mados em separado por aquellas- devoren
ser acenmulados a qnena forem d direito*
coiaformo esta le,-edescollocare*09 etei-
tos 5este caso a-mesa dos collegios elei-
toraes cerificar- nosrespectivos-daplomasa-
alterarjrx
1 =3:* Cada aeitOF su o sen.respectw-
supplente depositar na urna doas cedulas-j
urna pera deputadds-gerae3 ou provinciaes
e oatrai para os" suppfentes de- uns -ou de
oulros. eom o neeessario sobrescripto.
Tendo de elegec-se al S^deputadbs
geraes, eada cdula contera tres nomesT
collocades segundo a prefereneia qae os
candidatos merecereta do eleitor ; at l&
4;: al 20. 5.
em-
benevolen-
Agora eu.
Aprusentando-me perante vos revestido
da tnica de folhetinista, nio o taco arro-
gantemente. Bem sei que roe tallara, os
dotes de espirito que devem csractensar
o folheliuista; mas tal o men desejo. de
procurar-vos alguns minutos do distraceao,
qu-a nao trepido em metter hombros a
presa, esperando indo de vossa
ca.
Mas, quam sois vos, perguntar-mo-
heis ?
E' justo ; vou responder-vos :
Lembrais-vos do vosso tempo de criancas,
quando para acalentar-vos diz/iam-vos l
vem o bicho, tutu come- alie etc, etc. ?
Poi bem, esse bicho, esse tutu, sou en,
sem tirar nem por ; e, se nao, vede : viole
e cinco anoos de telad?, quatro pos e meio
de altara, rosto anguloso e oblongo,, na-
riz arqueado e comprido, tendo na extremi-
dado a cor da pimonta malagueta, barba
vermelba e cabellos cachados e longos da
mesma cor, bocea rasgada, formada por
labios gr ssos e rubros, atravz, dos quaes
se ve duas filleiras de denles alvos e pe-
queninos, olhos castanhos pequeos e bri-
llantes ; eis os meus prinaipaos tragos. Jun
lai isto urna pequea e elegante corcua-
da, duas toaos delgadas e mimosas e m
pescoco engravataJo como qualquer pari-
siense ; e tereis re eu lodo completo.
Mas nao essa lea apparencia o que
me constiiue at certo ponto um bere ; nao,
nao O meu prestigio, .a minha forca,
aqaillo que me eleva quasi altara deum
here e a minha bolsa.
Sabis o que a minba bolsa ?
E' nada meno3 qus o meu folhetim. E'
um sacco porttil de viagem, que trago
sempre na mi direila, e onde guardo todas
,as commonicaces que recebo e todos os
apontaraentos que tomo as minhas viagens.
Ah I verdade. Ainda vos nao disso
que sou viajante. Pois bem, sou um amigo
eterno das viagens) ando sempre n'utna
roda viva, correndo Secca e Mecca. As
viagens sao a minha mana, sio a minha
idea fixa; e confesso-vos que tenho apren-
dido muitas cousas e tomado moitas notas
no meu constante caminhar.
Hei de abrir-vos a minha bolsa e dar-vos
todo que n'ella se conlm. Nio ide sup-
por que fallo da bolsa do commercio nem
do escondrijo onde guardo alguns parcos
vintens que deixou-me o senhor meo pai,
que Deus haja. Nao, eu fallo do meu com-
paoheiro de viagens, do meu sacco' porttil.
Este o maior, o nico thesonro que pos-
sao, alm de um coracio sinceramente de-
votado ao sexo amavel, v3, queridas lei
toras, de quem me confesso submisso cria-
do e apaixonado admirador, apezar da mi-
nha feia catadura.
O folhetim, pois, resume se para mitn
n'uma velha bolsa de viagem onde se achato
agglomerados na mais medonha anarchia de
que ha memoria : cantos e historias, verda-
des e mentiras, pontos e virgulas, passeios
humorsticos e carteiras, circulares poltii-
cas e commercies, vestidos d la modee
flores, rsteos de luz e trepas profunto*,
romances e dramas, comcdtet tragedias,
jfiias v qumquiUwias, pastis de nat Tendo de ehger-se al 20 diputados
pro vi n 'aes, ila contera 4 nomes ;
at 3.1, 8; at 42, .
i Mete de senadqr s?r di-
posiiadi orna s cdula com tres nomes,
conforme a prefertfcia qae os candidatos
mTecerem do eleitor ou do seu respectivo
snpplente. se a vaga fr s urna; .duas c-
dulas, se duas forera as vagas, e assim
tantas ce lulas quantas forem a? v gas, de
sorle qne sejam submettidaj escolha im-
perial tantas listas trplices quantas forem
as vagas a preencher, de accordo cora o
art. i:? da canslituicio politici do impe-
rio.
O eleitor, na hyoolbee de doas ou
mais vagas, poder repetir todos oa alguns
dos nom-is ja contemplados na primerra ce-
dula.
O sobrescripto essenea*, cousistira
nov nome d > sonador fallecido.
SS Contarlas, separadas e emmaca-
das as cdulas, seTio aberlas urM a urna.;
numeradas e rubricadas pelos mesarios '
proporgio qe forer* abertas, e transcrip-
tas* na acta integralmente; na mesma ordem
emqiae o? nomes estiverem collocadoe.
* J 6; As cdula d^poisde transcriptas
na acta serio coordenadas-, emmadas, fe-
chada era iuvlibero lairad e remdt'das
cora a authentica-de que trata o art, 7Vda
lei n, .Wde I!) de agosto de 184(5 c-
mara mooicipal d;;capital tifo provincia.
% 7.* Aos coligios eleitoraes appli--
cavel o a. 61 da Sei n: 38f^ de 19 de
agosto de 1864, no aso de nao poder con-
ciuir-se o processo da eleiciViv ern am s
dia.
8. O candidato?, on seos procu-
radores munidos do necesario fttromento
de procuraci^ tra e ilreito de admissio
os-'recinto do^ eollegio-i-eleitoraes-pora fis-
talisarem o repectivo processo e reclama-
ren'o qne lhe eonvier, e assrgnwaw as
actas se quizenm.
' PtSo essencial a transcripc3o-"dO ins-
trumento de prcenracio nss acta* basta a
simples mencio de sua epinicio e-depo-
sito.
/Jrt: 5. O ministro de imperio na
corte, eos presidentes as provincrae-, logo
qae reoeberem as attfhentica* dos collegios
eleitoraes, mandarsb poblicar no jornal'oS-
cial as cdulas de di collegioy desdo a^pri-
raeira at- 2 ultima, segando a discriniina-
?io e namoraijio eonaiantes das nsm8
authentica, e guardada rigorosamente a.-or-
dem dos noes votados em cada un das
ditas c-dola.
t Aps-nrecebimentode cada antlieetic*.
a pblic*;Sn nio deyer* serdeoorada mais
de doas titas,
i i .""Passados tres dias, depois que-
8r feila a> poblicacceHigida neste artigo,
a apuracao gral das- anUienticas ser fita
pela cmara. Ewnicipe-tVtlia corte cpelas das
eapitaes rl' provincia.
t- .2. CMabelliiteorno escrivi do juie
de paz, qcal delles Ten o competente, se-
gondo a lei. do 30 de outnbro de 1830,-e*-
trahir do se livro da-notas nm trlado>da
acta nelle transcripta, e- concertar con. o>
secretario de-eellegio olatoral, e,-na faite,
com algn* dos mesarios- e o remetiera5 ao
governo nacerte, e aoe-presidenles n^ ov>
vincias, cobrando da agancia do corraio ne-
cibo expresen e declaatifn para so* resal-
va, e fechando na presenta do agente o-in-
volucro qoe-dfcver eieemr o mencioafldo
traslado.
. 3. SO bouver demora ea exteaivio
de alguroa-authenlica do eellegio ou do-pri-
raeiro trasla !o delta, O govera l
da cmara municipal respectiva oai pie
da qus lhe houver sido renwtiida pava a
aporacio, e por esta mandar faxer a po-
blicacio. O governo, pora, sea parda
de lempo e por expresso. requisitart da ca-
ma ra municipal, a cujo dislricto perltMH
collegio eleitoral, copia anteen'ica daa 1
dos trabadlos deste. e ordenar ao
ou ao escrivi do juiz de paz a
am segando traslado da acta
seu livro de not3s, se o pritr honrar
sido extraviado.
Entretanto, qualquer candidato podara
requerer ao governo, prestando algMl tras-
lado que baja oblido em virtnde do art 1"
% 10 da lei n. 8i2 de 19 de seteabro de
1855, a publicajrio das ceda as do respectivo
collegio por esse traslado, se cmara mn-
nicipal nao houver sido remetftda a reapse-
liva aiilhenlica, da-qoal elle deva dar a co-
pia a que refere-se este paragrapto eos sm
principio.
% O tabellio on escrivao 4o joi
de paz n poder denrorar nem regatar a>
qirat pier cidadio traslados da acta ; e pre-
ferir sernpre, no compriraenlo tfnr, o
candidato <> cidad3o votado aquella qae o
nio for: tildo aob sua responsabilidad'j cri-
loin^f.-
Seivic*> algum, seja e naloreza qpe
fiir. seii motivo para autorisar a demora a
milito mtfios 9 re:usa de traslado* aos m
teressados: liavendo servico argenie a im-
preteriveh, o serventuario ser considerado
impedido para effcilo de ser nonieado osa
snbtituto adhoe, se nio Iioovct sc^stitato
kawl.
5." As cmaras muni'ipaes aparado-
ra podero- reqaisitar ao governo doas on
tres embregados de reparticocs publicas,
qne- a> aiixilism-na apuracao.
0 6. O processo da apuean aera o
sesainle :
'I. (Jontag*m-dos'eleitores qae concor-
reren aos diverses cctegios ; e da nomaro
total delles. repartido- peto dos tlepntado*
geraes 00 provineiaes a a eleger, 00 por
tres, cirladios que deve compor as liatav
senatorial. veriUcar-se e- qoociento, daspre-^
zad qualquer fraccio da divisan.
c If. Jhppa da vetafo parcial do cada
coligo, cdula per cdula, seguna a aa>
meraco dada a estas as collegics a por
classes de votos.
Itt. Qoadro da somava total 10 votos
dos candidatos em cada ctosse.
c IV. Refaci doe que, com os "toa da
prirneira ciasse ou da principal clajta apa-
rada, obttverara o qaocien:?, don qca-o ei-
.-.ederam e dos qae s o obtiveram.
Y. R o quoc.ente ou que apenas o alcafar sai,
desde o mais votado al ao qne o boavar
sido menos, e numoracao delles.
\i Kelacio dos qae obtiveram o qoo-
ciente na cas se principal- imraedia'asnete
aparada,, a qae devem coapletado asa oa-
tras laases.
(OtmUnnar-*-**).
Errataa.
lls-poosia a Terra boa tem
dei>se um engao no segoodo
nltima quadra da Ia eolonna, qoa
ler-e ; Do* periodos precedentes, a
pajeados precedentes.
serones, perfumes eesscmtas rmmieipaes
ft tuti quanti..
E como qoer qne eo-seja liberal ma
maniere, deisar-vos-het penetrar no amago
do... nio estomago nao,... da minba j
bolsa ; e l. tereis ocoasio de ver o que
v.ai pelo mondo, isto pelo fondo da mi-
nha incoDopajavel e inseparavel esmpanbeira.
Mas, nao me affljaes, leitor, com as^
vossas satyras- e doeslos, porque prometi-.
vos ser sincero na eahibicio dos meus fonr
dos de reserva.
Bom sei que poc via de regra o leitor
inexorr.vel para com aquelles qne proenrom
distrah'.-io, e por isso mesao quero tentar
fortuna com a minba bolsa ; mas repito-vos
sede indalgentes.
Nio ratencjto do vosso servo humiissi-
mo tocar na corda senstvel de ninguem ; e
crdeque se- tal acontecer-me seripor fa-
talitt visto como nem mesmo dos amigos
de ler jornaes por emprestaron,, de quem
alias sou acrrimo inknigo, me julgo aoto-
risado por o dedo na cbaga.
E, qnant aos a3sigoaoiee sinceros, nio
tenbaiaa elles receio; amos detodo (fe"1
racio, porque sem duvida quando^
wos.hao de lancar um olbar, embra triste,
p ra os andares, terreos d este grande so-
brado, onde por algum tempo alugaev um
qaarto.
A proposito de quarto. lembra-me con-
iar-vos urna historia de arripiar. Trata-se
nada menos que de um mimoso phaiiiasma
que, no primeiro quarto depois da meia
noote, apparece na aristocrtica ra da Au-
rora, todos os dias, oa antes todas as nou-
tes.
A principio houve quem dissesse ser elle
urna alma penada, que procura va quem em
seu lugar fosse fazer urna romera S. Gon-
calo. Dopois appareceu um intrpido moco
qne trocou fallas com a infeliz alma.
E, tiradas as conlas, qaereis saber quero
era o phantasma *
Urna pudipanda deidade, qae, sempre
de trajos brancos, occultava o roste n'um
cache-nez e conversa va amores i tees des-
horas.
Coitada I A infeliz soffre e procara ali-
vio aos seus soffrimentos; e o mando fal-
la e o romance apparece, cheio de vida e de
fragancias miasmticas.
E vos, leitora, qae tendes o coracio de
iomba rola, que sois a bondade em pessoa,
amentai-a, e rogai Deas pela vida do
innocente qae, ha poneos dias, foi deposto
porta de um cidadio prestimoso da
ra... -e ali recebe o leite qae a desnatu-
rada mii lhe negoa.
Sio estas as historias chamadas do arco
da velha ; cousas do mando, e de qae elle
chora por am olho, em quanto brilha no
outro um raio da mais doudejante alegra.
Ah I os olhos do mundo veem maito !
E, apezar de term um a lagrima qae lembra
o cemiterio, e o outro o reflexo de um sor-
riso que recorda o theatro, elles tem urna
terca visaa de longo alcance.
E' por isso que elles viam ootr'ora o San-
ta Isabel saltitante de alegra, regorgitando
de povo e levando ao longe seos attracti-
kos ; e boje veem-n'o ero raines, depois
qae foi devorado pelas sacrilegas cnamroas
do mais sacrilego de todos ss incendies,
esperando embad borrejen referen*. I
pelo man do ornamento para voltar ao p
dos tempos idos.
B todos chorar esses tsaapos, e todos
lamentam a falta de artistas nos tboatros.
A arte fugio de Recife !
Eipectacles nao nos faltam, temo-Ios
at demais. porque temo-ios em duplcala,
ambos sobre o palco, um. das operas, dra
roas etc. em.exbibico, o outro dado.pelos
pretensos artistas, queyenterrando vivos e
desenterrando morios, levam a arte nlti-
ma degradacio e fazea-oos lembrar qae,
longo da riraio-nos, dovemos chorar porque
temos ante os olhos 'em vez de palcos
cemilerios, em vez de artistas- coveiros,
ero vez representacoesentetraraentos.
Queris provas t
Ido ao Sant5 Antonio, 06se pequeo e
mimoso theatrinho. exceptoal Valmonca e
3aron, e oovi nio importa o qn. O cora
cito eslalar-vos-ba no peito sob o peso da:
trra que n'aqneHe asylo de cadveres vos
llancario sobre ocorp^ E* triste e dolo-
Iroso I
Ide ao Moateiro, assisti representacio
de um drama ou comedia, ouvi urna cao
ci qualquer ; e seris accommettido pelos
miasmas dos comilerios e sentiris ebeir
de cera queim.ada. tiombile dicttbl
Ah I Moliere e Offenbac, transpondo os
humbraes de taes casas, exclamariam sem
duvida : etilamos 00 templo da ntorte, dei-
xemos os nossos livros e msicas para s
nos lembrarmos de Dos t
Arle, infeliz arte, quanto vives despre-
zada I Crano soffres entre as. mios de taes
verdugos 1
Ha poneos dias foi ao theatro do Mon-
teiro ; dava-se um espectculo em festejo
boa vinda de um vulto respeitavel da cam-
panha do Paraguay, do general Victorino.
Annancira-se um drama em am acto
honra e gloria, da peona do nosso joven
e mimoso poeta Victoriano Pateares.
Essse drama, de assumpto militar, lin-
do, e bem imaginado e delineado. Seo
estylo, adaptado ao assumalo, e o eslylo
flaente e elevado do poeta pernambucano.
Queris saber como foi desempenhado ?
treme-me a penna ao escreve-lo ; ouvi an-
tes o Sr. Jos Pancracio, que all se achava :
Dizia o hornero ebeio de urna nobre
indignacio : enterrado, mea amigo, com.
pletamente enterrado. As lagrimas cor-
reram-me dos olhos como as aguas da cas-
cata de Paulo Affonso, ao ver aquelle aseas-
sinato. Tive impetos de galgar o palco
rezar um de profundis / E a poesa final,
esse echo patritico de urna alma soberana-
mente grande e bella, aceitada em tempera-
tura de somete!
E o pobre hornero chorava, dizendo essas
"palavras.
Quando entrei de novo na sala dos es-
pectculos vi o poeta paludo e abatido co-
mo o espectro da dr. Nio lhe foi leni-
tivo bastante a ovacio qae o pablico Iri-
bulou-lhe chamando-o ao proscenio e des-
prezando o mi desempenbo pelo que de
bom tem a composicio ero ai I E' que
deve doer maito n'um concito de pai os
ralos trates dado* .4 wa Albos ; e depois,
vareo da
ftl
o mo deseropenho de nm drama, entbora
sem razie algnma, sempre vai reficctir no
seuautort. E ,0 poeta.all estava, sentindo
a cada instante o ponh) do assassisto en-
trar lhe no. coraco e lancar-lbe veneno na
ferida.
O drama de Palhanas foi perfeitanaenle
enterrado, com todas as honras devidas
sua genarchia e aos espectaderes de lio
desolante espectculo.
Entretanto houve um artista o Sr. Pere-
grino, que se eafoacjoa para bem desempe-
nharasen papel,.que alias.sstava estud>
do ,\ mas a mole tinha-se desprendido e
esmsgou-o c m o.sea peso. O Sr. Pe:e-
grino foi victima dos seu& collegas.
De qu valle i um artista saber o que faz,
tor consciencia>do que QKi.eslorcar-se para
desempenhar bem.o seo.papel, qoandeseas
corapanheiros o irapcdee-.de satisfazer a es-
peciativa publica, o ob?igaai-no suecumbir
00 meio das minas que elles proprios ca-
vm?
Taes erara as consideracoes quih depois
do espectculo, fazia o Sr. Jas Pancracio
n'um cairo do trena, que demandava o Reci-
fe e onde o nono de infamara vinha tocaa-
do o lund paraguayo Habanera*.
O Sr. Jos Pancracio um cidadio cua-
lificado; foi juiz de paz nos boas tempo do
progresso, e ainla hoje tem influencia po-
ltica. Suas manas sio os. oancans% os htn-
dte e as eteiedes, sobre todo os primearas,
pelos quaes d alma e vida.
O Sr. Pancracio nio pode ouvif nm baia-
ninho qae nio se remecha todo, atacado
por violentsimas commocoes.
Na ooile qoemarefiro, oSr. Jos Pan-
cracio estev mpagavel: respirou longos
haustos. saltou, pnoteon e bateu palmas
como um lonco, quando a Sra. Montani dan-
sou o canean final na Notte do Carnaval.
Houve am momento qae o sen entusiasmo
tocou 03 paroxismos do delirio, e por tal
forma que sappuz que se alirasse ao palco
para fazer om do com a sympathica ac-
triz.
Depois do espectculo foi um gosto apre-
ciado no trem. Houve um immenso alvo-
rolo para ve-lo sapatear as Habaneras to-
cando castanholas nos dedos. A viagem foi
soberba.
N'ootros lempos, qaando o Sr. Jos Pan-
cracio presidia o collegio eleitoral, a oppo-
sicio venca sempre, sem colpa do pobre
homem.
Bastava-lhe ouvir os sons de nm chora-
dinho para perder o equilibrio e a serie-
dade.
O pobre homem, por mais esteros que
Bze'sse, era sempre arrebatado da mesa
pelas ondas sonoras do fatdico lund. E
entio era cousa digna de apreco v-lo ex-
torcer-se as convulses da dansa e fazer
caretas e tregeitos capazes de provocar o
riso s podras. Gonta-se que em urna des-
sas occasioes o Sr. Pancracio cabio n'um
poco, em cojo amago anda continnou o co-
mecado baiano, accelerando as caretas com
os goles d'agua que era obrigado a en-
golir.
Para o Sr. Pancracio o tempo de eleices
era tempo de fastas. Actualmente elle diz
liga : no meu tempo as eleieiies... 1
eretm,.. e eogole o resta da pbrase para
nio comproroetter-se.
No lempa do Sr. Pancracio aa eleices
qne se approximam seriam aro 'ana sum-
sum.
Eleioes f... ser festejado pelos candida-
tos, prometter votos lodos, e- distribnir a
chapa que )be imoanbam; oraa coosas
mnito simples para aSr. Jos Pancracio.
E nesses bons tetapos os candidatos poo-
co preenravam os eleitores a os joizes da
paz : o directorio era lado, isto om ho-
mem, qae resuma o directorio, era toda a
raais agnma consa.
oje o negocie fia-se mais fino. Os can-
didatos ) procoram os eleitores, fazaado-
Ihes muitas barretadas, dio muitos apertes
de mi. levam doces para 03 filhos doe va-
tantes, gastara dinbeiro em carros o circo-
lares, fazem-se recommeodar pelos joroaes.
etc. etc.
- Quantum mtUatus, ob ilh t
< Seis lugares n'uma lista para
res e am chuveiro de candidatos I
anarchia, qpe desmoralisaco, ai
ootro dia am liberal entet! 1
E o bomem tinba l suas razos;
tempo o ebefe designava os eleitos da
e a massa votava : eis todo. Hoje a 1
franca, e o hornero estranba isao;
razio.
Os candidatos ao pastel senatorial
garo 4 cada canto, acotavelam-se aas
enchem os camarotes dos tbeatros
tara a paciencia albeia com os saos
encommendados. Exemplo: no Diaria da
sabbado ultimo om bolo de caretas
de furores mal concentrados,
differencas, despeaos mal contidos
quejandas iguarias, offerecido por'
de um candidato aos collegas doi
e elogiado.
Matheus, primara os teus, dia
e o mundo vai assim: cada oa trata* pri-
meiro de si e s depois de satisfeilo sa ae-
cupa com o prximo, e muitas vase ana
sacrificado para que cada om faca brifcar a
sea eu.
Modificando nm pensamento de
nhauer ea direi: o pernio
indostnaf que s cura
s tem um pensamento positivo ti
a conservacao de si mesmo e de t
si caes.
E' este o espirito dos nossos
uticos era geral; as excepcoes sio |
mas honrosas.-... _
.........e os candidatos fervilaaar, %
s elles hoje enchem as panas da 1
nio, eu quera dizer enchem aa nm
pernas.
E paremos aqu, lenbomdo dos tai
mens. que nio lio para gracas.
das do vidas voa me acooertaoCo
anomjmo, que, na pbrase do Sr. Jo*
Alencar, o domicilio da cotascNoa
nio se penetra seno aro nome dt lei.
Al outra vez.
o da poUtica 4 as
foprogrmMr. tem
cheio de s|0dlc
lefunta


S-aica
Y.00DIAHIQ -Wi

1



Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EP30B4IMR_KSVL5H INGEST_TIME 2013-09-14T04:22:22Z PACKAGE AA00011611_12242
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES