Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:12233


This item is only available as the following downloads:


Full Text
4NN0 XLW. NUMERO 229. or
: oj(iJl)
, ABA A CAPtfAi E LCAJES VD IA0 SE PAfti mn.
Por tres mezes adiantados .
**or seis ditos idem '. ............ 60000
Por mn atino dem.. ........... 120000
Cada momero avulso ...."'" ^^^^^H^^^^^I^II^HH 240000
320

.
PA1A DEITBO E TOBA DA M.OYHWIA.
. Por tres mezes adiantados .
Por seis ditos dem. ... '*',*........... 6|7lt
Por nove ditos dem '........... 13400
Por um anno idem ........*.......* S025O
................. *7K)00
Propriedade de Manoel Hgueirda [de Faria & Hlhos.
ilO ASESTES: i

PEMAMBUCO.
REVISTA DIARIA.
PRACA DO COMJIERCIG.-O iranstorno que ao
^ff?,?ide 00lM praf" tera c"> ralla de
ponlual.dade na cheg;.da dos paquetes vapor da
Jonpjnhia Bras.le.ra, era viajera da corte para
. "nper^ devid0 j nuadas trans-
no S im, rdefn 8aperior- deQ ,n* 1ue
ISS 'SSe. a** com avidez na Asso-
.**}f'Mra',' P^' maior Par, *3 cheles das
f^. comere, do Recik, urna representare
ao geverno imperial, reclamando
abuso, de graves preiuizos
'omoierciaes.
urna subscripto
coHtra esse
para as transacc,oes
De um lado se oovia-n queixas
nh8.ro que se
pela frita de di-
^A^b "^ Ce!fS,Oada Sil"' *". bambuco,
ionio Roberto, na povoacao de Tabaringa I """' -Sol!e,ra' S-' Jo8: *"'*
gainUflPltal deramse os dous assassiqatos se-
FdniSnSlf (?7) Pela ""drada, no Outeiro das
. ''.m "IIa C4niveada sobre o coracao ao
guarda nacional destacado Joao Ribeiro Lima O
Uu Antonio da Cunha La*e, braoco, Porlatal,
28aDaos.solteiro.Po5o; tubrculos pulmonares.
ra da Si*Wa> 6horM da ,arde. no Outei-
,,mLf.2hh?', Runo Eufrasio assassinou com
WE .KIC^ao velh0 DomD8s da Silveira. .
ni2,ETlho d,reci0-r da ruccao Publica da
colas r..hi'aPfrovad? P? w adoptado as es-
tolas publicas da provincia o Esbco Histrico es.
cr.plo pelo finado Dr. Pedro Theberg pnbfedo
e^notadoporseufilho. o e_ngenhe.roTbfe da'
tr p^Sp-co^^^lS^0 das obras pub,'-. *
laaoras, que tem seu turno de f7r r^I,.
que um a seu tumo de fazer remeros,
ffisde Cerl de,xara dfi ser Wtt^prtBcT
?*, Tn. W V*por franc > s ou apar do brasileiro, o que torna mpossiveis as
tranwccoes. De outro lado fallava-se no grande
incnveniente que resulta da incerteza do dia da
"-neg., que a">ntecen&o realisar-se em nosso
porto no mesmo dia da sahida dos vapores da
.ompanmaPeroambcana, priva as provincias do
norte ue noticias por 15 e mais dias, encunando
em nossa praga as transaejoss pela ausencia de
ordena e numerario.
aJ/^a ii-J,De .fluesemelhante redamacao pro
nuza odevidoeffeito.
laaranoerVnlrefn d ,.rl!,1!ros na a,^Ddega da For-
So?: JUlh a de2erab^ fram
no-
MOXTE PI PpRTlGrEZ.-Hontfm reunio-se,
vomparecendo 1X6 socios, a assembla geral d'esta
associacao, feudo lido o relaiorio da directoria e o
(larecer da eommisiao de rontas, que foram ao-
provados por unanimidad*, bem como um voto de
ii-uvor a directora pelos bons servicos que ores-
too ao Monte Po. Sendo j hora ad.antada, re
^ilven-se transferir para domiogo vindouro i
eleijao da directoria. conselhu Smn
de cuntas, que ho de servir
social.
no
e commisjiio
prximo anno
ira tronxe as seguin-
25:7451000
i:0!U900
4:000*000
3:5001000
3:014*000
2:170*000
2:043*000
2:000000
1:410*480
1:000*000
1:000*000
801*200:
800*0001
724*640
707*000
307*500
DIXHEIRO -0 vapor Ipoj
tes qnantias para os Srs. :
ornes de Mattoi & Irmaos
l'isso Irmaos & C.
Alfredo te C.
Prente Vianna & C.
Luiz Goncalves da Silva i Pinto
I4UH A. Sequeira
Jos Luiz Goncalw-s I'erreira & C
Cunha irmaos & C.
Cunha & Manta
los Duarte das News
Vi nano da Silva Calda-
.loaqojni Jos Goncalve Beilrio
E. A. Burle & C.
Maia 4 C.
Silva 4 Alves
Companbia Pernambucana
IMPOSTO SOBRE LWSTKIAS E PROFISSEs"
-N orrrau ixu-i utccaiu* 4. Cobxaa-*r-|rrr^
ineiro semestre do imposto subr.' industrias e nro-
ftssoaa, livre de multa. Os cootribuintes devem
apressar-sa ao pagamento, atim de evitarem a
multa.
NAVIOS PER IDOS.O pataclu brasileiro Pro-
intor, de propriedade do Sr. Joaqnira Jos Gon-
.alves Beltrao, de nossa prafa, tendo sahido do
(ara no da .. de setembro, com destino ao nos>o
porto, em lastro, abri agu i na altura das Cana-
rias, e foi pique no dia 25. a leste do lugar Per-
nambuquinho 15 milbas ao sueste do Acarac
>alvoa-se apenas a tnpolago na lancha e
bote, aportan Jo ao porto do Acarac
d:a do sinistro s 4 horas da tarde.
A barca nc rueguen^e Slerling, capitao Niel-
>-n, pertencente ao porto de Lingoer, e que vinha
'i' liamburp-i para Pemambuco, com carrega-
nto de vario* gneros, consignada aos Srs. C.n-
Victoriano Anpusto Borges.
Jos de Paula Ferreira Campa.
Jos Clemente Barbosa d) Moraes
llosalyo da jedeiroa Rocha Lima.
Severiano Ribeiro da Cunha.
Jos Luiz de Souza
Luiz Sanb.
Richard Hughes.
Francisco Joaquim da Rocha.
Joao Mackee.
Manoel Nunes de Mello
Octave Joanez.
Manoel da Silva Albanu.
Jos da Fonceci Barbosa
Antonio Severiano de Vasconcelos.
Manoel Vierra Bastos.
Jos Eiamino Benevides
Mariano Ney.
Jos Paulino Hohonttz.
Joao da Rocha Moreira.
Dr. Rufino Antunes de Alencar.
a7^ presiden,e d,> Rio Grande de Nerte, atien-
den^ a que e de grande conveniencia, boa e fa-
2lbLrS,25 ex!ensas vollas. balisamento e
nTenor trii6 ^'^ de m0d *a* P8sam. O
n,enor perigo, transitar vapore* de>queo cala-
Ca'rlo r^Unh09lTeDher0da pr0Tnc'a 5.*L
tonn lgh', q.ue 9fiP,89e Para fuelles
&*9b n de levantar em ambas a nec^-
ZnJl,^ h!K,rgam8ar d8vid0 orcamento, de
s. n9b|l'ar a adminislracio a contrur
nlXT "^n que incontestavel-
raente grande augmento para as rendas da pro-
Lemos no Conservador, do Natal :
raiui0 rfa,mlLareraaiada9 w obras da cade" a
capital, do Atheno e da fonie publica; a primei-
ra pelo capitao urbano Joaquim de Lo olla Bara-
L'ello.*8 0Mni Pel Sr Pedro Paulo Vieira de
CHRONICA J( 5 MRM.
TRIIU-.VtL DA REI.Al.AO.
SESSAO EM 8 DE OUTUBRO DE 1870
?RESIDE.VniA DO EXi. SR. COXSELHEIBO C. SANTIAGO.
Secretario Dr. Virgilio Colho.
aar^doref riSnfJa' preSenotes os Srs"desem"
jargaaores Gitirana, Loureneo Santiago Almeida
Albuquerque, Motta, Doria, bomingues 'da Silva
PSPS^J8"' Soza Leo, faltando com causa
abr^TS0"8 GU6rra P-aradorda corea
memos3:03 S fet0S' deram-Se os se8ain,es Jalga-
. fARTA TESTEMtWIIAVEL.
dn,n!no,SUncipal d0 Cab0--Aggravante, Jos
r* S"imirVe; apfravad. Jarzo.-Jaizes os
flouza S ganreS lMTt^ San,ia0'Gi,irana
e aouza Leao.Deram provimento.
AGORAVO DK PETIQAO.
feitos:
Jao Chaves, no Ass ; Antonio Marques da Suva, no Natal; Jos JottiM
Santos Blco, em Santo AntSo; Domingos Jos da Costa-Braga,
Rio de Janeiro.
68aaela^ran;,hear^,f"ad0,' Ant0ni *# Barbo- adouro da povoa^.-A- commissao do m
Assignouse di;
para julgameato dos seguintes
A PLLEOS ES Vil!.
Do juizo mnoifcjpal do ReCife. AppllaWe o
"?djr8?'; appe"ad' Manoel JoaqKapSs"
v^,?gravanle- ^..Ignacio de Barros Reg ; aggra-
mel {T-imei f^Srs" va _n,n2aerque' Djria Do"og*es da Sil-
va. ueram provimento.
RECURSOS CRIMES.
rodfMmf,n,e'.DZO; Orecolrido> Ja1aim Louren-
^..t^c" J.a,zesoASrs- dfembirgadore* Doria,
WiSiK^Gitiraaa e Demin^
iMei^^T,nte', -juizo'' ""'<*". Luiz Jos do
Nas(.mento.-JUIZes os Srs. desembarcadores Do-
Sdt' Almeida Albuquerque. iSSeSj,
Santiago e Regueira Costa.u>nr,n.n J.
deligencia.
lista.
Appelian
Marques d
Appelian
Cavalcante
Burgos.
Ao Sr. d
Do juizoj
Francisca
lada, a tm
Appellani
fazenda.
.Carlos Holms;
liveira.
appellado, Manoel
|/o commeodador Antonio de Sequeira
jjippellado, Antonio Canos Pereira de
DELIGEJCIA CIVEL.
nbargador procurador da cora
fetos do Recife. Appellante, D.
jraisia da Conccigao Cunha; appel-
i visconde de Louris; appellada, a
Ao Dr. coraoir geral:
MMZ' Itripal d0JPecjfe- ~ Appellaote, a
parda gnea, pol seu curador; appellada, U. Joan-
Da Mana das Dtres
A 1 hora e ^ eocerrou-se a sesso.
douro.
LiiS? dn pr0(\urad(ir. cmmunicaDdo que o Dr.
UmDhg?rr0dD'ArceliM Xlvier Hodrigoes
Sf;. rdBm .l'.mesma setthora, Merece
hruPmQH m Pro'onpmfnlo da ra Sete de Setem-
wo'-^'nr 8 HqUaD"'a de VWW) "nr cada N-
Pafa os SuS el S^orcio l lZor\ I Jffi '? a^^^'5jK
fcitt por aquella senhora. P cleclor da v.||a de Sonza. da Parahvba d<
tm parecer do advogado, satisfazendo
larr;B, >", -.loiatcuuu a> infor-
coesde diverso? quesitos propojtos pelo Sr. ve-
Ulll
no mesmo
bdo Alberto sodr da Motta & C, eocalhon, no dia
-.') de setembro, no porto da Caieara, 80 milhas ao
noroeste da barra do Natal. Empregavam-se os
meio par salvar a carga, visto estar o casco com-
!> etaraente perdido, assistindo aos trabalhos o
vice-consul u.glez no Rio Grande do Norte, e era-
pregados da allandega respectiva.
ROL'BO.Amanbeceu no dia 7 roubado o*ar-
maaem c. 7 da praca do Corpo Santo, dos Srs. J
Lanera & C, levando os ladrf.es porcao de fa-
'fi 4A PKllcla local procede a iagacSes,
nm de descobr.r os autores
PRONCNCIA.-Pelo delegado do termo de S.
Rento foi pnnnnciado, como incurso as ponas
t> art. 2*7 do cdigo criminal, Jiio Silverio de
T1IESOURARIA PROVINCIAL-Peranle a jun
(a administrativa d'esta repartico vo praca
->o da 13 do correote-o forneciinento do trem
d cotioha oecessario a casa de delenco: ea
.jacao, pintura e reparo; do quartel do corpo da
No dia 20-a obra
jvaa. no eogenbo
10:370*000. s
.J2RY UEC'FE-Foi "atmettido julga-
nento na-ex.a-fe.ra, Rosa Mara Joaquina, accu-
y .do o Sr Dr. Joao Joaquim da Fonseca Albu-
ouerque. Nao tendo sidn\ pri So dairifeita 1
que foi recebida pelo Dr. juiz de di-
l... ..T. i.vsieuia ai propoalu para arremata-
coes de obras, trouxe essa medida grandes vanta-
gens aos cores pblicos, como vamos demonstrar
A obra da cadea, oreada em 3:216*740. foi
arrematada por 2:449*000, resultando em favor
dos cotres a importancia de 767*740.
A obra do Atheno, oreada em 3:122*230,
1- r!raalada m *:6W0O, lucrando portante
S to?a T* de 5ium;e bera a
?f.?.2 p?b,,caJ' seado orvado o metro cubico de
SdrBpedri D0 Valur de *>*m e d tijollo
e tapir nmT ^^ "^ ** 3*"
n/, T"ni ?ido exjg'd0> Por aviso circular do mi -
ameno do imperio, datado de 18 de outubro do
anno passado, urna relacao dos cegos e surdos
^,?d?n'.fr'em3 nesla Pro*'", constnos que
pela secretaria do govemo foi ella confeccionada,
jrvista dos dalos remettidos pelos vigarios das
Slih"^ freifUozias-J & m resultado essl
iSfn^"""61 su.rdos' !0 surdS mutl09
-b cegos e o cegos e surdos mudos-total 388.
Na Parahvba nada
mencao.
Mandaram a orna
. appei.laqSks civeis.
Man~iU,Ham-unicipil da lmWrii.-Appellante,
iSSLJSSST. PAmen,e,; aPP''adoi Thomaz
a Aqumo Camello Despresaram os embarcos
l,nr *?T man!ciPal da v'"a JeBarreiros.-Appel-
iante Joao Gmlherme de Mello ; appellado, Tibur-
teg Pli,,a' StESi a sen-
Do joizo municipal do Recife.-ApDellante. Sal-
SriLHnTe-de A'bniu"que: apelados G* -
a?SL ''^--Confirmada a sentenca.
mSoPP! f'? Pzar-ia CaDdida -Nbre de Gns-
procea a Silva Gus,"ao*'<>
n j APPELLACAO CHIME.
dei>o di""?-,^Fortaleza;-*PPeante, Antonio Cor-
XL2hi^i2E4a, a jusnea-lteformada
a sentenca. para julgarem a causa perempta.
HAJEAS CORPIS.
1 n-|.-jflrnn|
CAlfARA MUNICIPAL.
2- SESSAO ORDINARIA AOS 5 DEOU1T-
BRO DE 1870.
PKSIDEiCrA no sr. dr. souza lkao.
Presentes od Jrs. Dr. Moscoao. Pessoa da Silva
J\ttDga' Drf "0 C,)Sta e Dr- Angelo Henn-
1. asssf Pe fui ,ida e approvada a ac,a
Leu-se o segijnle
' EXPEDIEXTE
mnT0^L'0<0*r'7erei",ur Dr- Moscoso, com-
municando qoe. |endo sido sorteado para a sessaj
do jury nao poda comparecer Mario da cma-
ra. Inteirado,
Outro do pnraitor publico Dr. Jos Joaquim de
uiiveira onctta, coromunicando ter entrado no
exercicio do esmo eoiprego no da 22 de setem-
bro ultimo.1 iteirado.
Outro do subdelegado supplenie da Ireguezia do
Recife, Antn Ferreira Baltjiar Jnior, commu-
nicando achanse em exercicio do mesmo car Inteirado. '
Outro do socitador. apresentando a cont das
despezas judidaes fefeas de 5 de maio a 18 de se-
tombro ultimojia importancia de 231*660. e pedin-
do mais 200*0)0 -
brance.ra aos assaltos de Barnardino e de Araain
Barros, homeos estes venaes completa mente, tf\
ur?J- corruPCo J consummou sna obra. K
Bernardino tem se attribuido, com documentos ir-
W elle promotor Arpilar, e entao nao exigi ni-
0ndr0Dp,ra Le.nder""! 'enpia-se por 50*0ft
Bernard.no Ja venden um cavallo, que
" iq de um
K. dn I:^0()bre"iem"ysea,;n^%tr^|,o:
como n.nguem, praticado outros actos, qoer no
no iPm h1''."' ^Ur Como eP"Vdo pobiie..
es0crevePndod0osl,eue,r&s- ^ue nos envergonW,
deSXerSab;:ctom,SeraVe'' ^^ *+**
PiUr IXr2*l&i de direi, da comarca*.
xudJT^A m mul' Por P^ferimos dei-
xar de tratar de^e infame e execrando
vende se; que pros.ie"sn; contra", F* q""
"ntn^S!1? CDlra herde'ros do finado sar-
Ovf e'^ /ranCHC0 Joa1uim Per6'" de Carva-
nondn ,%requerr??10 d raesraos herdeiros pro-
r metat L'nt"13' melaD,e um Paam"nl
orwl fi Jta e r V res, em ,eMras co'" O
da mi* mneS 8,^annllda, P"r firmas contento
nnvfnpf, ""iaS Se fflci" "" Ex,n- Prndenle da
nnk 1 a PKdlDd0 an,r's--icao para contratar, de- "2STE5 l"'0i"lue sua consciencia ( se que
po s de cocbeeer.se a capacidade das firmas. J> a,tud' 3U! tein. um valor, ainda que di-
Lm parecer da commissao de polica apararan- 2? mfi,Jde furo- a le,te- a tQd^>-
do as cont.s aprosentadas pelo procurador sobre nr ,-Kradof? D0 PiLlr' e ^"Camos que o
a disapropriaco do terreno de becco do Falco hi. Um hofnem dp ama roputafo illi-
Approvado, au procurador. bada' e so. Pwqne Bernardioo e Barros nao en -
l m requerimento de Francisco Marinho de Al- l i apo.10 de Dr Ghaves nos aclo' de corrap-
buqaerque Mello, no qual depois de expr as oc- ^^a,.Prat,cam.o calumniara. E' impessivet o
correncias que se deram, desde que ebe vendeu T' \v a cmara um terreno seu pede, para obv ar "do" caSmSir'r^ ,* vol,arem"s a ""Prensa, se o
vidas que por ventura se possain dar entre elle e S 2^T ,Qfames ** Chaves omarem
cmara, que se nomeei urna commis- E^JKSL de_ acCQ8at.es infundadas, nao factos
a niesraa
t lJnal Com *! engenheiro era vista da escrip.
tura verifique qual foi o terreno vendido. P
uutro do Sr. vereador Pitanga :
m,nnc,enqu'!ro qne "qae addiada a arrematacao do
posto sobre coquetas e que me remettam o orea-
l ma proposta do mesmo vereador :
AaL-IJ'ODho qu? se Pea autorisaco presi-
SZ PrVIDCia Para da verba destinada i jar-
?) fnln^ pa'e0 de Pa!aci0 se lrar a 1uan,ia de
ju.^o*00ii paia se apphcar como auxiliar com
ELUa.*1 i"Ue deve funecionar a cmara
S1: Paf da camara nranlcipal do Recife,
T,do ~ Dr Pitanga- APPr-
Outra do Sr. presidente da cmara :
Proponho que se nomeie o amanuense para
pf.ee>Qeh5r ,oear ereado ltimamente. Sala das
imaginarios,
mas >m factos individuaes e especi-
icados o qQe |nes absolutamente '
e bateras cavalheirosas
rasas tfssffjsr.-i a? s rca'rf
procurador pala dar quaotia pedida. Z,.. J"^,'~:?oaia LeJo- -Approvado, eim-
Outro do engpnheir corleador, informando fa-
vorave.mente o requerimento de Vicente de Paula
Oliveira \1llas-B0a3.-C0ncedeuse
mediatamente eleito
baribe.
por unanimidade o Sr. Capi-
Matta
que
Despacharam-se aspetifSes de Aotonio Marques
vl!VJa' ..f'PiS Pre.ira de .AraPJ. Joaquim
fttS-!tt2ffiS^ ^S de ES dVSrk V
Mattos Pereira
Pedro Jos Duar-
illas-Bas e le-
^.rrtit
Una.IJ-.^ulm tn
a au-
25 Jan*'para dla,s crreme, ouvida
lonrtade competente.
j. c passageks.
uo sr. desembargador Gitirana ao Sr. desembar-
gador Guerra :
Appellacoes civeis: Do juizo municipal do Re-
cife.-Appellantes Jos de Souza Nunes Braga e
ua mulher; sppellados, Francisco Goncalves
occorreu, que raerera
HOSPITAL PORTUGUEZ.-Est de semana oes-
tonta PBraSI,eilto Sr' mordt"no Juqnin An-
LOTERA. A que se acha i venda a 164',
a beneficio da nova igreja de Santo Amaro
^ennnaem, a qual corre no dia 11.
de
da ponte sobre o rio Pira-
d'esse nome, oreada em......
1 Tempcio, qne foi
"ion!0" m*0d9Q em M^,iente'pMMr,a'lva; Se"
, ~ '^ sabbadp eniraram em jolgaroento os reos
los Francisco de s.oza e Manoel Pedro de Oll-
'ira, aecusados por offensas
_ pbysicas leves rau
,.a?, tendo por advogado o Sr. Dr. Antonio Josti-
U\ fl,lZ.a ra? lea0Aio o segundo reo preso
"1 flagrante, fo. mandado por em liberdade, por
lv.ri, rJ:erempU \"S^- Pri"iro reo fo ab
-Jvido por nnaoimidade de votos
n?,i, rafMr resci8i0 """'c pari o
-*Sf il-S,a;aeia' Sb Pretexto de que dere
f .n2?/. mSaPPareeer dentro em pouo, para
Ji44.,,d Pr-Uni aterro- Achaodo.se a
acatt da conservacao desse canal j resolvida
%Z r^Pres'lTlal.andones informara por
que razo se ha da qoerer contrarla-la ? Chama-
para isso aattencio de quera compete.
PUBLICH83 M3ICA8S.-Da mprensa de
. Trinan aA;lA^Ved' M *'
} ,"* "9*- acabam de sahir lux tres novas
S S*Lm2 yal;a de Kr/]li e a"-a p. I
U lund, todas eba dignas de apreco. A Haba-
"rfla')lJeXftP,lUda' C0,D PP'aiuoa geraee nets
'"f1 de "n"**" d -' baUlhao de^'arK
ana e do corpo de polica, nos ult.mos festeios
f da ra do Bario de S. B.rju
PASSAGEIROSVindos da Granja e portos in-
termedios, no vapor brasileiro Ipojuca :
Jos Joaqun. Colho de Freiu, e i criado, pa-
?>f, Jaq.UI? ,Coe,,M> da Cnz- D- Je8"a R. de
rlh.V di 'ra Galheiro e criad0> Maria
i deuJeiUS' M*r.a Alexandrina, Beiarm.no
S'!'"?- Ade'ino Antonio More.ra, Ignacio
r^di*-SllJa* FIancisco Viriat, Jos da Costa
Cardoso joao ManaTeixeira e 1 criado, Francisco
Alvjra puunho e 1 criado, Manoel Antonio Mo-
lan.' aT Seer2 da SilTa Manel Freir de
Mello Antonio M da Silva, Manoel Carvalho Pes-
soa Joaquim Jos da Silva Prattes, Banto Pereira
': .aildo .^^ejra de Carvalho e 1 cria
Z? 1.*-^ sabbado da Granja
portos ratern.ei.os, trazando jornae do Oara
f k ? P*^ d0 o Grande at 2 e da Para-
r.yna ate 7 do crreme.
.JH.Na*capila!.d,> Cari felleeea o ajudante con-
FXs,rd3Eiopro'imU-
.^.T1 Pernande3 ara alf.-rrion gra-
SKSSiV^fSSi C,ara- BM9d'cta a lia-
uman,T;i,;^tV2rd^adr40aDDoicada
do, Antonio Felippe Cabral de Mello, Manoel Uar-
A^,irrna,ASebnSl.,a J- de 0l've'fa Salles. Joao
A 2 u '"i',Pe.dro i0i d Vasconcellos, Pedro
u ,fUo* Joaj AQtaio Porto, Jos Martina
anl8l"U"oPrt0' ,Manoel Egdio Ferreira de
Agu.ar, Jos Pereira da M.Ua Ol.veia, Manoel Au-
K, FM^AnctP0 far?ues P^eira da Siha,
2& e9Qc; ?arar,aa; W'IBIKtS^^-i
Francisco Jo> Gomes, Porlrio Antonio do Amaral,
pr^Cax^are" i Silva 'aba, capitao Joao
Pioto de Vasconcello-, Candido Canillo dos Pas-
Hd'i,St B,aHi,0Bde S"" ngel, J* Antonio
H;llauda, Jos Fortunato de Souza Jorge, DelQno
Ferreira da Costa, Joa|uim Antonio P.-reira Vina-
gre, Joao Brrelo de Mello, 8 escravos a entregar.
Tifci^3- d?Penedo. Maceta e escalas, no va-
por MHmdQhu ~.
D. Elouier.a Maria da Conceicao, Antonio Maree-
lino Branda.., Lapertiao Gnimares Bastos. Anto-
nio Guimaraes Bastos, Jos Lemos de F., Domin-
gos Hames de Araujo Pereira, Antonio Casado de
UmaJatoba, Miooel Joaquim da Costa, Getaby
Jnior Joauna Mipervina, Antonio Jos de Castro.
vindos de Goyanna, no vapior Parahvba :
Antonio Joaquim Mantos, Manoel Seve Pilho,
Adelviro Daniel de Araujo, M noel Alves e sua
seunora, Tilo Francisco de Mello e sua jenh>ra,
Jos da si va Lm, Francisco Jos Couro, Domin-
gos Goucalves da Silva, Jos Pedro de Macado.
CEMfrERIO PUBLICO.-Obituario do dia 6 do
correte :
Emiliano, escravo, preu, Pemambuco, 1 anno,
santo Antonio; denticao.
Delfloo, escravo, preto, frica, CO annos, soltei-
ro, Lapunga ; ttano.
Pedro, escravo, preto, frica, 90 annos. >oltcro,
Capunga ; aoe nia.
Candido Alves da Silva, pardo. Pemambuco, 35
ann >s, salie.ro, Capunga ; phlvs.ca.
Manoel Max.miao Gnedes, branco, Portugal, 73
annos, casado, Capunga; iofldramacio 00 dgado.
2n rnrOU,ro- APPellaDe, a pret Mana por
seu curador; appe.lado, Amando Francisco Men-
des Do juizo de orphos deS. Bento.-Appellan-
n, Joao Antonio das Neves; appellado, Jos Gomes
^tSSt J ,JU.IZ0 rauDlciPa' Jo Limoeiro.-Ap
pelante, Manoel Alves Madel: appellado, o major
LuJ/ Francisco Barbosa Cumani
s- h dewmbar?ador Loureneo Santiago, ao
Sr. desembargador Almeida Albuquerque :
nJm la*?A mu"iciPal do Becife.-Appellanle. o
*Vrw!bidode0Jlda; appellados, Domingos Jos
d^ r .GHaimaraes e outro. Do juizo municipal
Pn^ r'Md0 Roctla-Appellante, Joao Baptista da
S. fJ : aPPel,adl^ Anna Ignacia, seus fl.
Ihosenettos, por seu curador.
-.a desemliargador Almeida Albuquerque ao
>r. desembargador Motta:
Appellaco crime do jurv do Limoeiro.Appel-
Santos0 JUIZ0 : appe,,ad Manoel francisco dos
doM)oradeSembargad0r MotU ao Sr' desembar8a-
ianAfpei'a.Cl^ ,rimes: donrvdoPenedn._Appel-
ame Antonio de Jess; appellada. a justica. Do
?.," Araca,>-Appellante, Francisco Dantas
deLerqueira; appellada, ajustiga Do jurv de
V??iTTApP-e,,,n,e' 0JQiz,'; aullado, Manoel
n?bJ tTT AS "acSoeivel do joizo mu-
S2K5L* Rec'fei-ApP3llante, Theolinio Alves
suai muh'er qni,n Francisco Lavra e
Ao Sr. desembargador Domingnes da Silva:
i,,.JUi'Z0.mlr"-c.i,'al davilla de Pattos.-Appel-
ShiliLS 3D0 de f'Rieiredo e outros; ap-
outro Alexandre de Araujo Guerra e
? S/- deserabargador Doria ao Sr. desembar-
gador Domragues da Silva :
AppeHagdes civeN do juizo municipal de Bta-
nte.-Appellante, Oelfloo doNasciraento Ges :
appellados Jos Ildefonso Pereira de Ges e su
Si.i ,D.. i "izo municipal do Recife.-Appel-
hMo'Ra Bar.bosa; appellado, Elias Emi-
U)s que appareceram na roesma freguezia.-Man- 1 vantouse
dnn.^M iinur np...,j, a.. ,..' *" -"'ou sea sessao.
?5Z?.?% Hjr> ^anao os largos e twves-1 Bento Jotfi da Costa Jnior, pr-presidente,-
estiverem cobertos de matos. Dr. Pedro de Athayde Lobo BfLosT-Caetano
BMBM rar"1TIr^ ftnf
ia7wr, jiianilO o : j
.as da povoat;^ estiverem cob
TABELLA DfVREXDIMENTO DA ALFANDEGA DE PERNAMBFCO
impossivel.
. nao se servem vis'ca-
umn.adores. que, nao podado aecusar com fan-
damen o, l.mitam-se a epithetos, applicaveis uni-
camen e a elles .Nao de admirar t .1 procedi-
mento de semelhantes entes ; os caracteres cyni-
camente abjectos e se mostrara taes era ludo.
uo que os hachareis Araujo Barros e Beraar-
dmo dizem do Dr. Chaves em seus concilibulos e
SSZFh aPPel,amos Para o juizo imparcial
e nomens sensatos da comarca do Pilar. Decli-
iSoVlm corrapao- ,lamb* ,9 fi $e"
Os imparctaes.
PEDRAS DEFOGO, 'DEOUTUBRO DE 1876
60 agora me chegou ao conhecimento urna cor-
respondencia do Itamb, publicada no Liberal n.
Z40, de IJ de setembro do corrente anno. Nao
sei o que mais admire, se a falta de generosidade
que revelara meus desaffectos polticos, aliriboin-'
do-meescnptosemque nao tomei, oem tomo
menor parte, ou se a negrura das calumnias a
oiiestos, que ah me sao lancados mios cheias !
t. mcnvel que to abertameote se offeoda um
bomem, que nem de leve molestan a aquelles. une
se dizem suas victimas !
Gnnir!,(,uem escreveuPhebo? Contra os Dn
uros e Aprlgio, juizes de direito e
MoreiraIgnacio Pessoa da Sil-
^^^' Importarao
Direitos de coturno......................
Dito de augmoto de 40 %..........
Dito de dito de30 /......................
Ditos addicioniesde8%.................
Expediente deB /, dos gneros livres de di-
reitos de comumo.....................
Armazenagem........................".
Dapaclto martimo
Ancoragcm............................
Exportando
Direitos de l.'j o, do pao brasil.............
Ditos de 9 /. d. exportacao..............
Ditos de 2 1/2 / idem....................
Ditos de 1 1/2 n do ouro em barra.......
Ditos de 1 /o de diamantes...............
Expediente das lapatazias................
Interior
Renda da typognpbia nacional............!
Dito do papel proporciona!'................
Dito do papel fi.......................
Sello adhesivo...........................
Emolumentos...........................
Imposto de transnissao de propriedade de 5
/ da vend d embarcaedes............
Dito 1 % da arrematacao de bens movis..
Extraordinaria
Receit eventual (multas).................
1810 S71
1860 1870
Depsitos
Depsitos de ditersas origens.............
Dizimo da provhcia das Alacias..........
Dito da provine da Parahvba............
Dito da provincia do Rio Grande do Norte.
Gontnbuicao de raridade..........
M4:190*673
193:S28o3o
2:193^972
92:053094
5:633*654.
'.':083a586j
3:252*750
I9:811|5tt
379*381
12*000
86aooo;
462*650:
301*000
235>0
901*540
*. ihww,i"ante- Aatun' Peregrino
n Albiqnfr^ae ; appellado, Jo3o Pinto
iCa-
f S ,ar,orll D'1 'a,zo "innicipaTdo"termo"d';
a. Miguel.-Appellante, Antonio de Monra Cas
tro, appellado, rirmtao Teixeira de M ura Do
juizo municipal da vilja de Mamanguape.-Appel
XS: JRC,mh0 LU' da Silva e sua m>er; ap-
pallado, Francisco de Salles Thadeu. Do inize
municipal da comarea do A!s.-Aooellante j nn
CS Tevi^f = appe,,ad" LniPzPGan2gaLOdU
Mut'R^S! STe,s.vLDdas d0 snpreraotribu-
-ttofaW&rSr'^ de Sa= r'
903:015*383
Alfandega de Pemambuco, 1 de outubro de 1870~
873:193*907
24:018*551
163*871
4:131*653
1:507*398
562:105*917
73:671*136
1:007*102
995*474
2:031*660
129:917*298
!:394*iW
371*280
2093120
I:0075'ie0
170*160
1:422*000
l:223*ttil
1868 1869
775:526*878
870*841
25:077*918
668* LO
802:143*787
476:83(943
65:625*849
635*790
523*014
930*750
63:680*026
1:182*740
117*450
687*600
62*800
1236*100
1:492*038
613:011*100
20*0',0
3:058*521
820*515
616:910*176
2 ===
O chefe da 2* seccao,
Lu: Francisco de Helio Cavalcante.
IIIUDI-
^^^.....-m m PeaaP pjpejsjeWMBMM. P* +
em, nma so vez que appareci no jomali.-nio de mi-
nha provincia, defendendo-me de acc^ares, fei-
tas pelo meu desaffecto e antecessor, bacliarel An-
tonio Bernardmo dos Santos, nao lancei urna
palavra, que offendesse aquelles juizes. a quem
tenho tratado com respeito. Se Ihes tive-seama
vontade que suppemyra azada a occasio, len-
ao de fallar em seus nemes : nao o fiz. Para com
os propnos desairelos sei ter espirit. recto.
Bero pode saber o correspondente que, nao
acompanhando ao Dr. Bernardmo em suas ultimas
correspondencia-, publicadas contra mim no
Despertador, dei prova de que. oieio e desprez..
discussoes jornalisticas, que nao honrandj os ta-
lentos e illustracao do escriptor. s fazem deslus-
trar seu pudor e sentimentos E' ae ssas correspon-
dencias, que se refere o articulista, para provar
meu descrdito, mo nome etc. !.'
Sirvo em urna comarca com juizes, adversarios
polticos que por certo nao guardariam segredo ;i
desmandos, ou crimes meus, se eu os tivesse. Mi-
nha coosciencia porm est tranquilla; nao tem..
o rigor da le. Quanto ao lyceu da Parahvba, an-
da vivera todos os meus mestres de prepara! jrios.
cujo testeiiiunho sempre me tem sido bastante
tionroso ; sao elles : os distinctos, Manoel Porfirio
A-anha, Thomaz de Aquino Mindello, Dr. Lindol-
plio Jos Correia das Naves e Joao Antonio Mar
ques. Como me pdenlo offender as calumnias
do correspondente ? Nao tenho inleresses poliU-
eos no Itamb, e por tanto nao havia provocar dis-
cussoes odiosas, de que nenhuma vanlagem me
podena resultar.
O ser conservador e amigo de alguns polticos
do liarabe nao sao motivos, que possam justificar
o procedimento do corresponder raeu respeito.
Nao sou Phebo. Eis o que me cumpria dizer ao
pt -j" a (,Utm ta" de>1-'onimunaliiiente me teai
ollendido. Na propria consciencia lite fique o re-
morso das injurias, que mealira ; nao preciso res-
ponder- llie no mesmo tora.
Ernesto Adolpho de Yarconcellos Chaves.
COMMUNICADOS.
Collaborapao.
VI.
Theodora, escrava, parda, Pemambuco, 9 annos,
Boa-vista; coliite.
Siman, escravo, preto, frica, 80 annos, solteiro,
oa-wu; gangrena.
hnAnHVr.adr'tU T0Hrfza de Je8QS- Parda, Pernam-
bueO, 30aonj*, casada, Redfe ; phtvs.ca !
Anguata,,branco. Pemambuco, 4 nno. Boa-vis-
la ; bcxiga?.
Recorrente. Antonio Julio
Aa *? ^Ulraa,rae; recorridos Porjaz A S.
Ao Sr. desembargador Guerra
Juiz certo do juizo municipal di Crato Annel-
u J>r. desembargador Domingues da Silva an
Sr desembargador Regueira Costl:
Prai AA^i.Cyel cj",zo aicipal de Agna
Prata -Amellante, Seralim I. Paes Barreta ao
pdlada Anna Maria da Conceicao. ApSlaS)
TmtiTL da ?,maorca d0 TeLira.-K fn.
^Manoel Reinaldo Pereira; appellada, a JUs-
Do Sr. desembargador Regueira Costa an Sr
Jeserabargador Souza Leao
aSSnifn1 ,d jnizi raaoiciPal d 'n-
A?55Ppg-,w
Ji.-
de Jos da
Ao Sr. desembargador Gitirana:
Anpnllacio c.vi do juizo municipal do Rwi
r.-Appeilaotes, os herderros de Loureneo
e^SrrtaltMSr'^
A|>p-liac8es .-iveis.-AppeUante, Joao Vicente de
^KSJB* Ger^ EstuSVf
' Brgi
Appellante, Iz.iias Jos IWrim Rr*.
appe lado Manoel do Nasciraeoto M
Apaelhn?e, Antonio Cornb de Senna e
0 exame de sanidade fdto na casa de detencao
50 lias depois que Eioardoestivera no tronco de
Guararapes, deixou prorado a toda luz que se
empregou violencia |>ara arrancar-lhe confissoes
ao sabor da familia S o Albuquerque, e portaoto,
evidente que as coafi-sdej repetidas na secreta-
ria de polica erara sem valor algum jurdico, sen-
oo ceno, como |a ficou demonstrado, que em si
mesmo ellas nada vahara era vista das suas enva-
roseraelhancas.
Ao contrario, as ultimas deelaraedes feits de-
P>is de_ser o mesmo Eduardo acareado com Jos
t. marao nao pedem deixar de ser consideradas
elidas-como a expreisj) da verdade desde que
estao comprovadas cora as sevidas encontradas
em seu corpo.
Nao duvjlaram os protogonisias desta farca
commetter esse ertme castigando mi moderadamen-
te seu escravo.
B se nao fra a benevolencia inexplicavel com
que sao tratados, esse crime daria logar forma-
cao de om proeesso para serem punidos esses se-
nhores.cmo merecem, ms, aoque parece, a casa
de detencao nao se fez para elles.
Assevera todava o articulista a que estamo res-
ponien lo, que Eduardo nao tara por modo algum
("tararapes, que c a pnsao ordinaria dos enm-
nhos, fra tratado co.n toja nni.taraco I I
Contemos a indignado para nao dar nos esse
arralo a resposta que mafto^ ante a desforc itez
oim iue querera esses algoses incutir no animo do
publico a persuasao de tiavere.n sido os nados
enveuenado- 3 mandidj do Sr. t-nente-coronel
Gaspar, argnraentaodo com a deciaracao
seu escravo obtida por anjearas, emprego de vio-
lencia e castigos barbaros.
E' muito zombar do b >m senso do publico, e
muito contar com a impnnidade II
O Audaces fortuna jutat a devisa de seu bra-
za 1. e elles plenamente a justificam.
Passemos agora prova que enteDde o articu-
lista haver feito a declaragD dos tres mdicos dis-
tractos que, tendo acompanhado a molestia dos fi
nados, opinara pelo envenenaraent.
Os mdicos que viram os doenles eos assistl-
rara, roram os Drs. Sarment, Aquino, Ramos, Es-
tevam, e Santos Mello.
Os dous primeiros lmitaram-se a fazer declara-
coes na polica, que aioia nao foram publicadas.
0< ootros, alera de iguaes declararles ante a
polica, fizerara outras pela imprensa.
Nao sabemos se o Ilustre articulista se refere ao
juizo formulado perante a polica, ou ao que elles
expozeram nos jomaes.
B" dese juiz maniresiado ae publico de qne
nos vamos oceupar em priraeiro lugar; depois o
cotejaremos com as declarac5,)s ante a polica, e
luaimeme compararemos esso juizo cora os for-
mulados pelos Drs. Aquino e Sarment.
Z...
(Contina.)
PUBLICACOES A PEDIDO.
1
Nao eostumamos ler. o jornal denominado Libe-
ral, que publca-se na capital desta provincia;
h je, porm, achando nos oeste termo, onde nao
sumos domiciliarios, tivem .s occasio de ler om
art.g., que vera no n. 216 do mesmo jornal, artigo
esse que pr seu phraseado portera aseverar ao
publico que s o bacharel Antonio B-rnardmo
com o seu comparga, o celeberrim. Araujo Bar-
ros, ani-oaovse a assacar tantos deretos ao nosso
amigo e promotor do Pilar, Dr. Ernesto Chaves,
e de urna probidade, toda so-
de um'm.ico milito hbil
Tima resposta ao Dr, Sar-
ment (pai.)
Con das depois de minha chegada da Baha, onde tai
com minha familia por occasio da molestia de
meo fallecido to e cimbado, Victoriano de S a
AlDoqnerque, dissera a diversas pessoas, qne os
mdicos daquella cidade quando ouvram a nar-
raeao das molestias de raeu muito presado pai e
to, nao se lembraram e nem Lllaram de eoveoe-
namenlo, e que isto nao passata teno de hosto-
nas dos rapazolas : resolvi para salvar minha re-
putacao e a de meu mano, tao atrozmente agredi-
das, e dar um desmentido solemne ao mesmo Sr
Dr., escrever aos Drs. Souto e Sodr e publicar a
resposta destes Senhores, o que nao me foi pos-
sivel fazer a mais tempo por carias coo Sr. Dr. Sarmeoto, se V. S. nao tivesse a le van
dade ou facilldaie de amanear o que nunca se
passou, roe privara do dissabor He vir hoje a im-
prensa declarar que S. S. faltou a verdade ase-
verando urna proposicio toda tilba de sua ima-
gioacao.
Eis as cartas dos mdicos da B .hia :
illlra. Sr. Dr. Loureneo deS e Albuquerque.
Babia, 12 de julbo de 1870.
Estou de posse de suas cartas de 5 e 6 do cor-
rente.
Verificon-se iofelzmente o mtu diagnostico e do
meu Ilustre collega Dr. Sodr do enveneoameoto
de seu pai e to. A vista da discripcao raen espi-
rito nao vascilou sobre o diagoustco. Nao ua
motivo para desar, oera para reseoti meato dos
mdicos que o trataran)___
Dr. Salustiano Sonto,
ofllm. Sr. Dr. Loureneo de S e Albuquerque.
Baha 11 dejulho de 1870.
< Em resposta a carta quo V. S. rae dirigi do
Kecife, datada de 6;do corrente, mez teubo a di-
zer-Ihe o seguinle :
Que pela exposicao dos symptomas das moles-
tias de que fallecer seu pai'J- > S e Albu-
quer.|ue, e =eu lio Dr. Viclorisoo de S o Albu-
guerqui-, me v.eram ao espirito graves suspeitas
de que semeihanlo molestia p di< proceder do
uma intoxicacao : estas suscitas tnrnaram-so
mais vehementes, quando ouv a hsu,ria dos,do-
entes, feit*. peta medico, qoe os ac.unpanhara*m
*eus padecimentos,eentao exteraeiineu pensamen-
to de maneira pomne abaixo declaro.
Attenl'' .i, d*pereeimonto geni
da erocom:-,^ **:ram>>t.nwn.so-,esqttecimea-


I



-------1 T





30 OfiT 'l*
pto i PttMariw
i:
Segunda feira 10 de Outbfo de 1870 $ 0H3MUH .IVif OPA
aos, perturbares cerebraca, photophobia^E*'|>Ti **<|rtM.^'__A&_ *,
an% abatimenio musculares promndos/WttMtfrsfiFwfflWef e^spannar _
anemia, e odera das extremidades, conforme foi-Iba torios u> arguicSes que rofe^.?i /Tmmn
relatado por V. S. e mais prenles, e ainda itoridade policial, quer como advogado e bomem
mo medico a que ft. me referi, e olhando domis poKlicO. .j-- a.
pTra a marcha rima e funesta da molestia,, de Denuncie os meus enraes e nao se .nfti
w succumbiram os doentes, dsse que era pro ^, qoexoB8iderarnme,hla.de^ra^doe oespw
weiqueumenvemraamootosetivessedado.... sivel se carecesse de sua condescenda e toleran-
Eis o que me cabe responder a V. S. cera toda ca. ..^i .,
rordade e f de que jCeafes : poden, outW JjT se nio verdade oque _}tfj*i *__ ~^
como Ine coa
podera I regaran : E. A. Baria & C, 367 eoaree seccoe
mpro- salgado* eomi,M*kos.
i abarca ingle Bm-ooiloei, paa o Canal
carregaram ; Kellef A G. 199 saccas com 1,534
kltosae altodio.
a verdade e f de que sod capa
a, farer V. S. uso desta caito, -
vier; certo de que nada me Ineommoda quanao
estou bem com Deus attnlia oeuseiencia.-
De V.-S. v
Dr. Jorooyio Sodr Pereira.
Conveoca se Sr. Dr. Sarment, que se os cabel-
los brancos de S. S. Ihe dad direito a sar acre-
ditada, os meus apezar de negros, do-me igual
direito.
O publico que ajhize.
Eogenho Guerra, i de outubro de 1870.
Lourenco de S e Albuquerque.
teste-roe, provando o contrario, por que Aao re-
ceio j mais ser contemplado pelos hooiens hones-
tos no rol dos sevandijas, tratantes e ealeteires,
antes sabem todos quantos rae conheeem que bar
procurado viver'eora honra, detestando as indigni-
dades o t'racancias, de qne outros fa*m profissao-
Villa do Inga, IB do taino de 1870.
.Antonio da Triniade A. Meira Senriqtus.
( Do Jornal da Parakybk.) v
TABELLA nos uncos Bol ginbros sbitos a DI-
REITO DK EXP0BT\gX0. 5BMAIU D 10 A 15 DK
u octmBR0.dk 1870. __~Tm__.
JMercadarias: UMSsa 5.
anos.........*a
las.
Wlj.
as
Parahyba.
O ADVOGADO DR BELARMINO PEREIRA LEI-
TB. E O CORRESPONDENTE DESTA VILLA
NO DESPERTADOR,
Hoje me veio s roaos por obsequio de um amigo
o Despertador n. 699 de 9 do crrante, em que
vera publicada nroa correspondencia desta villa,
assignada por Vicente, a qoal pretexto de noti-
ciar a dele que fiz ao criminoso do termo de
Campia- Grande, BeUarmino Pereira Leite, conhe-
cido por Bello Lino, meatira novos insultos e ea
lumn.as no mesmo estyle de outros, que o wesrao
eorrespondeota me temjegado em differentes cor-
respondencias, panucadas no referido jornal.
Desejra abster-me de responder esse novo fas-
quim, urna ver qne o seu autor nao teve a coragem
de flrma-lo com o sen proprio nome, e se aeober-
to com a capa do pseudonymo ; mas a gravidade
do facto argido mlm e aos Srs. Drs. jua de di-
reito desta comarca e juiz municipal deste termo,
me obriga proceder de modo diverso, aflm de
que o publico, cuja opinio acato, fique inteirado
da verdade acerca do facto que motivou essa falsa
argoicax ,
A' pedido do meu amigo, o Sr. Cassiano J0.~e
Pereira, de Fa(juniles, aceitei o patrocinio da causa
de seu rmao o referido Bello Lino, preso pronun-
ciado em Campia-Glande por homicidio pratica-
do em aquello termo em 1839. E assim proce-
dendo eslava em meu direito, pois, sou advogado,
e essa causa corra no termo de Campia, onde
nao sou autoridade policial. .
Apreseutei-me ao tribunal de Juryjio da desig-
nado para o sou julgaraento, e por nao ter compa-
recido nenhuma das testemunhas da accusaQao,
requeri e obtive o adiamento d'elle para ontra ses-
sao.
Estova ainda era meu direito quando assira pro-
ced, e oillustrado e honrado Sr. Dr. juiz de direi-
to nio fez mais do que cumplir um de ver que Ihe
imposto peh lei, tanto mais conviado como con-
velo o Sr. Dr. promotor publico.
Entre tonto, passado pouco mais de nm mez
prescreve o crime desse meu constituiute, e dias
depois offereci perante o Sr. Dr. juiz municipal da-
quelle termo a escepao de preseripeio, que cor-
rendo os devidos turnos foi despresaia, fuodando
o Sr. Br. juiz municipal de Campia o seu despa-
cho em um argumento de indueeo tirado de urna
-parte do depoimento da primeira f.stemunha, sem
embarfii lo depoimento conteste das de mais que
;A assevi*raram de vista que o excipiente morou sem
interruprio no distrieto da culpa desde que coitf-
metteu o crime at quando foi preso.
Esteva em seu direito o Sr. Dr. juiz municipal
decidmdo como entendeu de justica, tanto mais em
vista do parecer da promotoria, que nem ao me-
nos assisiio a iniuirieao das testoraunhas. Nao o
censurare) por isso; mas eslava eu tambem em
men direito eeumoria um dewr, que me impu-
nha a nobre raissio de advogado, recorrendo desse
despacho para t juizo superior.
Recorr, sem que porm as nzoes de3se re-
curso negasse que o meu constituinte "fosse preso
em 8. Vicente, como assevera o correspondente ;
contestei sim que a declarare de urna testemunha
de ter ouvido dizer que o reo fosse reraettido des
t% villa cadeia de Campia eomtituisse preva de
qne com effeito iss) se den,
tsse recurso foi prvido no juizo superior por
nm despach) que assenta em fundamentos jur-
dicos, como conhecer qualquer pessoa imparcial,
ieadO'O e apreeiando-o era vista das provas dos
resfiectii-iM uo. O cornwpondenta nos prest aria
serrino se se encirn"gass dfin maniar' puflinSar
essas'provas e os despachos proferidos em virtode
d'ellas.
E' verdade que o juiz superior toi o juiz muni-
cipal deste termo Dr. Feliciano Henriques Hard-
raaa, quando no exercicio interino de jak de di-
reito ; mas no exacto que eu previsee isso
como entende o rrespondent, que *em duviila
algcra rbula, qne julga os mais por si, e mede
todos os jatees pela hitla, d'aqHeHes, quem tem
imposto e redigido despachos em seu preveito, da
maie revoltante injustica.
Osinsnltos e calumnias, pois, atirados esse ma
gistrado, bem cerno ao honrade Sr. Dr. Soo da
Matta, juiz de direito da comarca, nao podem ma-
cular a ua incontestavel |robidade, mormente
partiado de fonte impura e uspeita, e versando
"* sobre nm facto, de que os proprios autos dio so-
lemne desmentido.
Nao' exacto que honvesse eu ajastado essa
causa por doos contos de reis. Nao tinha (jae dar
c dente fascinado anda pelos dous contos de reis,
recebidos do thesouro para a matriz desta villa, e
engolidos por alguns parceiros, v em todo essa
quantia ; assim como enxerga prevaricacio e so-
borno em qnalquer acto meu e dos juizes qne sen-
tencian) em favor de meus eonstituintes, embora
Ibes aesista justica.
A* respeito desse processo, e especialmente da
prescripcao alludida, nunca ti ve cjnferencia al-
gu>na com o Sr. Dr. Joao da Matta, e muilo menos
para solicitar d'elle favor algum, qne nunca_ soli-
citei no que relativo ao exercicio das fanccSes do
jnizado, qne tan dignamente exerce.
Devo-lhe certaraete attenedes e obsequios, eo-
rao meu llega e amigo, mas nao como magistra-
do ; e ja mais ousaria tentar centra a sua dipni-
dade. e a do meu prente, juiz municipal deste.ter-
rao, tanto mais quanto os reconheeo incapazes de
proferirem qnal |uer deciso que nao seja paulada
pelos principios de justica e honestidade, o que
me bastava para a livranija do meu constituinte.
Sao outros os que perdidos na epiniao pnblica
precisam sacrificar a probidade e crdito de seus
prenles e amigos para obterem despachos escan
dalosos, pondo a justica em almoeda, sem que te
nham reputocao perder, e muitos menos saibam
ou possam lucrar no foro com a lesura e honesti-
dade, que tanto encommedam aos estradeiros, e
reos de polica.

Se prevaricador o juiz municipal deste termo
por jalgar em-favor de ura meu conslicuiote, sen-
do e-se juiz mea prente, nio saspeim por lei, que
quslificacao merecer o procedimento do ami-
ga do correspondente i ex-primeiro snpplente do
juiz municipal deste termo Paulo Travasso de Ar-
ru la, que cora iodo cymsmo e escndalo solton
em recurso ladrCe^ e estellionalarios pronuncia
dos, s por que alguem era advogado de;ses la
drdes, levando o escndalo a ponto de mandar
conservar esses criminosos no eorpo da guarda, e
decidir de sua soltura depois de 2i horas de pri-
sao ; o que pareeia todo? ajuste e conivencia en-
tre aquello juiz e o advogado, sen aeeessor t
A soltura de Luiz Carfo< de Sonza Mendes, de
cretada pelo mesmo jniz municipal deste termo, na
qualidade de juiz de direito interino, de que S. S.
falla, nao pode tambera prejudicar a honestidade
do miismojuiz que o fez eom verdadeira justica.
E se falsi lade tiouve nesse processo, partira sem
duvda de outrem coui o ex-snpplente em exerci-
cio e j mais do juiz proprietario, qne ainda des-
conhece a escala das prevaricaees e traicancias
em que outro* se mostram tao versados
Estou convenc lo de que o oespeito de algnem
por no ter engolido os dinhelros de Jos veris-
sirao at depenna-lo eomo autor nesse processo,
de qne j hara promessa, motivou semelhante ar-
rojo e audacia da parte de S. S.
Mas resigiie-se, por que mu bem se poda co-
nheeer, que ^ rnente o dizer se que Lmz Carlos
cortara a ore.ha de ama cabra daquelle Jos Ve
risrimo, nao poda autorsar no animo de um jnii
recto a siistentacao de urna pronuncia, e persegui-
do que S. S. tem feto um cidado hiaeslo, qua-
i'ificado, que e at eleitor da freg^iezia de Natoba,
onde geralmente estimalo.
Respeito, pois, os magistrados, coja illustracio
e proverbi.il honradez esto muito cima dos seus
botes, e c ees venenasos. Nao se encominode
com a ainis.uie, eom que ne honra o disfno juiz de
direito desta comarca Sr. Dr. Joao da Matta Cor-
rea Lima, f|Ue nio precisa de suas auenedes, as
quaes lambe n eu e o Dr. juiz rauuieipil deste ter-
mo usar-nos eom Justina,
mas nio cera miseraveis calumnias e infames lu-
jaras, tao proprias de sua pessoa
luesto de envenenamento. .
A redacQao do Liberal em sea numero de 7 do
crrante chasqueou do collaborabor d'este Dtarw
Sor ter ditotue o veneno encontrado em um co-
t ver pode nao provir de um crime, e Jim da nrf-
mM*lrfdo de um rrmdio arsenical, e exclamou
oucm sufre medicina legal assim t
Vamos transerevar a optoiao do celebre medico
francez Ambroise Tardieu sobre a objeefao cuali-
ficada pelos sabios do liberal de ebjec^ao de an
rombo. __
A" paginas 376 da obra intitulada Estado me-
dico legal e chlinico sobre envenenamento, do
citado autor, ediecia de 1867, se l :
A substancia arsenical extra hida de um cada-
ver podera provir de urna outra origem, que nao
a de ura envenenamento ? ..
t E' esta qnestio, muito agitada por occasiao
dos envenenamentos pelo arsnico, que tem ser-
vido de thema controversias as man rdanles,
de pretexto s mais viulentas ubjeccoes contra os
novos methodos chjmicos para a extraegao dos ve
nenos, e; preciso dizer, do occasiio extrava-
gantes erros. ..
O .rsenico extrahido de um cadver, aiz->e,
nao urna prova de envenenamento, e pode ter
urna outra origem. Nio me quero lembrar aqu
se nSo das principaes. Em pritoeir lugar, o ar-
snico normal, que se julgava ter sido descoberto
no estado physiologico as visceras, nos ossos, e
em todos os tecidus dos individuos nao envenena-
dos, erro que leve vida desde 1839 a 1840: o
arsnico, producto necessario de toda a putrefac-
cao, erro mais inexplicavel ainda : finalmente o
arsnico umversalmente espalhado na natureza,
era o pantheismo arsenical, do qnal nao resta se
nao a lembranca phantastica. Ma-< a sciendr, em
seu desejo apaixonado de ir ao encontr de toda a
objeccao, creou para si, e dea anda a mao ao
erro, excessn de zele que Orfila nao soube re-
sistir, mas para o qaal a listoru nao pode mos-
trar-so severa. ,
t Os terrenos arsencaes de certos cemiterios
tin sido dados como u-na das fontes d'onde poda
provir o arsnico extrahido de um cadver. Mis,
tomando as coasas sangue fri, e attendendo a
simples observado dos fados, esta urna nypo-
these que nao mais admissivel do que as outras
O arsnico nio se acha nos terrenos senao no
estado de arsenito, ou arseoiato insoluvel. Por-
que mecanismo se faz a sua passagem do sollo
para o corpo inhumado?.... ,
t Todo se reduz sobre este ponto a possibilidadc
da mistura de algans fragmentos de trra arseni-
cal eam as materias subuieltldas exame.
t O VENSO PODE RESULTAR, EMFIM, DE UMA ME-
DICAR AO ARSENICAL.
A ditllculdade mais seria, sem davida, por-
que o facto aqui nao p le ao menos ser posto em
duvida, e o arsnico foi realmente intfoduzdo no
corpo de ara individuo vivo. Mas o veneno, como
disse, est contido no remedio; como distinguir
um do ontro?
i0 perito nao (nest3 caso) tomado de sorpreza:
elle saber levar em conta as indicacoes mais on
menos racionaos do tratamento arsenical, de que
maneira este tratamento foi instituido, a dose de
arsnico proscripta comparada com a quantidade
encontrada pela analyse : emflra, e sobretudo os
symptoraas e lesCes que podero aff*star, ou fazer
admittir a idea do euvenenamento..............
Akodao em carooo
dem em ram> on era
Carneiros vive*......
Porcos idenl ..--
Arroz com casca. ^
dem de*do oa pilad* .
Assucar M*I60......
(dera masetvado. ......
dem refinaab.......
Gallinhas........
Papacaios ., ,*
AzeUe de amendoim ou men-
dobim....... li o
dem de coco .
dem de mamona. .
Batatas alimenticias.
Baunha ....
Bebidas espirituosas
Agurdente cachaca. ....
dem de canna......
dem genebr......
dem restilada......
dem alcool........
dem cerveja .......
emvmigre .......
dem vinho de caj......
Bolacha fina, eomprehendidos o
biscoitos.. ,......
dem ordinaria, propria para
embarque........
Caf bom .? ......
(dem escolha ou restolho .
kilg;
uia
i
k >g.
eformenradas
. li
Valores.
300
165
660
4*000
24000
68
177
250
140
436
uooo
5*000
937
675
fl
5*450
VilaaAs de coaposicio venderam-se a 360
rs. o pacote de 6 velas.
Ducontos.Regulou o descont do pre mi das
iransacSes efTectuadas nesta semana a 10 %
Pbktbs.Do algodao, para Liverpool 3/8 d. por dem ; ordem; iguora-se o contedo.
S/C., Pra o Canal X d. pdr libra e 5 /, dem RS4C- N. 408 a 409.
198
300
riera A L H L B (41. ? 8.-W eaixa
idem, dem, idem, Wem, consignadas Antonio
Lopes Rodrigues : ignora-se o cometido.
dem ALRLBC N. 17.1 dita, idem, idem,
i
kilog.
337
600
300
660
476

Os mdicos que na Babia procederam ao exame
chimico legal sabiam que ao doente, cujas visceras
examinaran!, se tinha administrado prepararles
arsencaes ? ,. .
He.-timem ->> launa se dea 1 Qaem TCCtitoU
o licor arsenical, qnem o preparou, quaTSaose-
ministrada ao enfermo, e quaudo?
Nao acreditamos que a redaecio do Liberal em
boa f contine a considerar a objeccao do colla-
borador d'esie Otario, como, objeccao de arromba.
Um curioso.
dem torrado ou moide. ... *
Cal branca........
(dem preta........
Carne secca (xarqoe ).
Carvao vegetal.......*
Cera amarella.......
dem de carnauba em bruto.
dem idem em velas.....
Cha.......... *
Cocos seceos.......cento
Colla......' kibg-
Couros de boi, seceos salgados,
dem idem espichados. .
dem idem verdes ....
(dem de cabras cortidos ... na
dem de onca....... ?
Doces era calda......kog.
[dem em gela ou massa. .
dem seceos.......
Espanadores de peanas grades .
dem pequeos ......
lem de palha.......
Esteiras de carnauba ....
(dem propria para forro ou estiva
de navio........
Estopa nacional......
Pan nha de aramia.....
dem de mandioca.....
Feijio de qualquer qualidade. .
Fumo charutos......
dem cigarros......I
dem em folha bom Mlog
dem em folha, ordinario ou res-
tolho ........
dem em rolo e em latas bom
dem, ordinario ou restolho. i
Rap.......... '
Gomma de mandioca, (polvilho).
Ipecacuanha ( raiz ).....
Angico (toros)......dnz
Caibros ........um
Enxams .........
Frechaes........ *.
Jacaranda (coac,oeiras) duza
Lenha em achas......cento
dem em toros.....J
Linhas e csteios..... '
Lour s (pranchoes).
Pao Brasil........
dem de jangada......nm
Quirjs .....c *
Vinhatico cosladinho de 2o a 31
millimetros de grossnra. .
dem pranchSes de doas costo-
dos at-SO mikimetros de gros-
dfeix
ceto
kib
i '. .
;
emir
204
476
442
959
39
27
258
168
442
436
768
MMO
4*000
1*438
480
640
300
350
IOOOO
1*133
784
2*180
48*000
24*000
12*000
16*000
12*000
136
681
92
272
3*000
320
1*090
MOVIMENTO M PORTO.
Navios entrados no da 8. '
Granja e portes intermedios9 dias, vapor brasl
leiro Jpojuoa, de 360 toneladas, commandante
Monra, eqnipagem 32, carga algodao o outros
gneros ; Companhia Pernamhucana.
Terra Nova40 dias, patacho inglez Portia, de
196 toneladas, capitao 8. J. Thompson, equipa-
gem 10, crga 2750 barricas com bacalhio ; a
Corga Irmao.
Terra-Nova34 dias, brigue inglez Dora, de 228
toneladas,, capiao Goorge Deiix, equipagem
10, carga 3500 barritas cora bacallio ; a Saon-
ders Brolhers & C.
Cardff44 dias, brigne inglez Willie, de 204 to-
neladas, capitoo James Cranch, equipagem 9
carga carvao ; a Wilson 4 Helt.
Goyanna 6 horas, vapor brasileiro Parahyba
de 104 toneladas, commandante Joaquim Jos
de Oliveira, equipagem 14, em lastro ; Com-
panhia Pernambucana.
Navios sabidos no mesmo dia.
AssBrigue portuguez Adelatde, capilio Joa-
quim de Oliveira, em lastro.
Rio da Prata-Barca brasileira Isabel, captao Ca-
ntillo Ignacio do Naeclmento, carga assnear.
Navios entrados no dia 9.
Penedo e portes intermedios25 horas, vapor
brasileiro Mundah, de 222 toneladas, comman-
dante Julio Gomes da Silva, carga assucar e ou-
tros gneros : Companhia Pernambucana.
Santa Helena 7 das, brigue inglez Apjihia, de
188 toneladas, capitio J. Beckford, eqnipagem
8, em lastro, a orfle. Velo em procura de Trate
e seguk) para os portes do snl.
Oosercafao.
At m io dia nao houveram sabidas.
EDITAES.
613
631
545
2*180
170
1*703
60*000
360
1*500
5*000
95*000
3*000
12*000
6*000
10*000
103
5*000
6*000
JUISO DOS PEIT03 DA FAZENDA NACIONAL
O Dr. Ablio Jos Tavares da Silva, offlcial da or-
dem da Rosa e juiz privativo dos feitos da fazen-
da nacional por S. M. o Sr. D. Pedro II, etc.
Faco saber todos que este virara que no da
13 de outubro futuro, ua sala das audiencias pelas
11 horas da manhia perante este juizo se vende-
rlo era praca os bens seguintes: penhorados aos
herderos da .Junio Pereira Mattoso, excollcctor
da villa do Cabo, e de sea fiador para pagamento
da azenda nacional : o engenho Bom Destino, no
termo de Agua-Prela, sendo avahados as bemfeite-
ras do mesmo, consistindo em urna casa de enge-
nho e purgar sobre pilares, 200 palmos de com-
priraento e 42 de largura, tendo ao lado um te-
Iheiro que serve de picadeiro com 17 palmos de
largara, asseolamento com 5 rojos, estufa, roda
d'agua, moenda de ferro, cora formas, casa de v-
veuda, senzalla, casa de familia, todo de taipa e
em mo estado, com 162 palmos de frentes e mais
4 casas em mo estado em 8:000*000 ; e as tr-
ras do mesmo engenho comprehendendo o lugar
denomiaado Roncador, com urna legua de frente,
e igual extencao de fundo pouco mais ou meaos,
em 12:000*000; ama casa terrea na villa do
Cabo de taipa com 63 palmos de frente e 63 de
fundo, 7 janella* na frente e 2 portas, corredor no
centro, 7 quarlos, cosinha, quintal com 150 palmos
de cxlencao, e um terreno devoluto ao sul da mes-
ma casa com 18 palmos de frente, sendo todo o
terreno foreiro, avahada em 2;000*000, e o en-
genho Solidado avaliada em 18:000*000.
E para que ebegue ao cophecimento de todos
maudei pasar o presente que ser publicado pela
imprensa e afflxado no lugar do costume.
Dado e passado nesta cidade do Recite aos 21
de selumbro de 1870.
E eu Luiz Francisco Barrete de Almeida, escri-
vao subscrevo.
Abilio Jos Tavares da Silva.
2 barricas
vindas do Havre no navio fraBtezMoiMse de Non-
tes, entradas era 4 de abril de 1870: ignor^-se o
Mtedo e a cuneignagio. wr
dem H A A. tem nuatoW. 1 b*rril tinto
de Liverpool 0 navio Inglez Pascal, irado em
K de maio da 1870, consignado Henrque &
Azevedo : ignora-se o contedo.
Armazem n. 9.
Marca A G. Ns. 1 a 4. 4 caixas vindas do
Porto na barca portugama Despique I, entrada
em 11 de fevereiro de 1869, consignada Albino
los da Silva: Ignora-se o contedo.
dem J. R. II. Se numero.-! dito viuda do
Porto no brigue portuguez Triumphe, entrada em
29 de maio de 1869, consignada a Jos Francisco :
ignora-se o contedo.
dem Mnoel Fuado.Sem numero 1 caixa
vinda da ilha de S. Miguel na escuna portuguez.)
Dias, entrada em 26 de novembro de 1869, con-
signada Manoel Furtado : idem.
dem Pedro Jos da Costa Mello. Sem nu-
mero1 gigo, idem, idem, idem, consignado Pe-
dro Jos da Costo Mello : idem.
dem J P S Sem nomero. 1 barrica, idem,
idem. entrada era 27 de novembro, consignada
Jos Piato de Sonsa : idem.
dem lettreiro.Sem numero.1 caixa vinda de
New-Yoik no patacho americano Iza, entrada em
13 de dezembro de 1869, consignada H. Forster
& C. : idem.
dem C BSem numero.1 dito, vinda de Li-
verpool no vapor inglez Olinda, entrada era 22 de
dezembro de 1869, consignada Thomaz de Aqu-
no Fonceca & C. : idem.
dem J. Sem numero. 1 dita (despachada).
dem J P H.-Sem numero. 1 volme, vmdo
do Porta no navio portnRuez Seguranga, entrado
em 29 de dezembro de 1869; ordem : idem.
Sem marca e sem numero. 1 caixa vinda do
Porte no navio portuguez hioo. entrada em 4 de
marco de 1870, consignada Francisco Moreira
Pinto Barboza : idem.
Sem marca e sem numero. 1 grade de ferro,
vinda de Liverpool na barca ingleza Imogene, en-
trada em 26 de maree de 1870, consignada a H.
Wilson,
Marca J H 4 CSem numero. -1 caixa vinda
de Livorpool no vapor inglez Sapphire, entrado em
30 de mio de 1870, cora amostras : ignora-se a
coosignaco.
Alfandega de Pernambuco, 5 de outubro
1870.
O inspector interino,
Luiz de Carvalko Paes de Andrade.
o caracterisa, na bella e engracada cancho cmica
intitulada:
LA MANDOLJNE A DODO.
Em seguida lilla. Mariette igualmente se tari
ouvir, com urna canconeta intitulada
LA CANOTIEIRE D ^AlWTH CLOD.
E Mito Clmberl na canconeta
Mon Eve.
TERCEiiu Parte.
Variafo de danta compasta e exentada pal
festejado flautista Salustfm.
Em seguida o beneficiado em costme SabaiM
execntaia nm lindo pasto das panderetas do
Sltmbanco
Mlle. Brescia cantar urna aria intitulada
PASSK LA MANO.
Madame Val-monea se lar oovir cora onaa aria
denominada
A Flor dos Alpes.
E' este o espectculo que o beaeficiado oSerree
seos amigos, e ao publico em geral, i qnem
pede sea valioso auxilio ; mostrando-se agrade-
cido aquellas pessoas que j se dignaran acceitar
b Ututos.
O beneficiado approveito o ensejo para dar nm
publico tesiemanbo de sua gratidio ao Sr. Saloa-
tiano, pe > modo cavalheiroso porque se prestas
em coadjuvar aen collega em arto. ___
Mostrare igualmente grat Mme. Val-monea
qoe de boa vontade eoocorre para tornar o espec-
tculo mais digno da appreciacao do patuco, bem
assim ao Sr. Duarle Coimbra pela attenrao qne
sempra Ihes dispensoo ; e aos mais senhores de
qaem rec2bea provas inequvocas de sympathia.
Para mais commodidade de nraitas pessoas
entrada do espectculo ser as 8 IfS horas.
O resto dos oilhetes acham-se roa estrella do
Rosario n. 31, 2* andar.
de
um 16*000
Theatro de Santo Antonio
La graad dnehesse madama
%'al-monra.
A eoite de sabbado (8) foi sem da vida a me-
Ihor que temos passado naquelle theatro. Deixe-
mos tudo de parte, e fallemos em Val-monea, a
gra-duqueza apresentou-se com um vestido bran-
co bordado ouro e matiz, e um manto tal. que
se nio fosse a cora ducal, tmala hiamos por
urna rainba. O toilette rlqnissimo. Depois can-
toa ella o famoso Dites a lu, cuja msica-su-
blime o alcasar o Rio de Janeiro se estarca de en
ihusiasmo.
O canean final 4 um delyrio, Val-monca a raj-
ua do canean, e que o diga aquella platea unni-
me de sabbado qne pedio bis, e tris at.
ma nova era surge para o Sr. Coimbra. A pla-
tea de seu theatro estar sempre cheia. Astros
como Valmonca tem satellits, que Ihe enfeitam o
caminan.
Um coaseiho ao Sr. Coimbra.
Decididamente a bella mocidsde Ihe invadir o
theatro, e alguraas familias dispensario o-canean,
pois bem, annuncie soirs particulares para fami-
lia, e que bem podem ser as recitas de assignatora,
e___mande a companhia trabalhar e auxiliar a
Val-monca, e cont comnosco os mocos e com
muitos velhos tambem.
Repita-se a graa duchesse para qnarto-feira I
Viva o canean e Val-monca.
(dem toboado de menos de 25
millimetros de grossura .
Taboado diverso......
Talajnba........
Travs .........
Varas para pescar.....dot
Idem para agoilhadas .
dem para canoas.....
Cavernas de sucupira(em obra)
Eixos de ccupira para carro. .
Msiaeo.........
Mel de abelha......
Milho.........
Ossos......, .
Palha de carnauba ....
Pechury.......
Pedras de amolar ..... l
Idem de filtrar......
dem de rebollo
Pennas de eraa. ...*.. :
Piassava. -......mohos
Ponas ou chifres de novilho on
vacca.........ceno
Satoo.........kilaj.
Sal........... i
Salsaparrilha....... '
Snalos de couro branco pa"
Sebe ou graxa emrama kibg.
[dem em velas. .'....
Sola e vsquela.....,
Tapioca.........
Unhas de boi.......caito
Vassouras de carnauba dizia
dem de piassava.....
dem de imb. j
AVISOS MARTIMOS.
20*000
144*000
96*000
33
6*000
2*400
6*000
1*000
3*500
16*000
50
320
68
16
1*000
817
31
18
34
4*796
160
COMMERCIO.
r*
PACADO RECIFE 8 DE OUTUBRO
DE 1870.
AS 3 i/2 HORAS DA TABDB
Coaros seceos salgados490 rs. por kil.
Cambio sobre Londres 90 d/v 22 Ii4 e\ por
Gongallo Jos Affonso,
Presiden te.
Mesqnito Jonior.
Secretorio.
ENGLISH BANK
O Rio de Janeiro Limited
Deseo ota lettrzs da pra$a i taxa a con-
'enciooar.
Recebe dinheiro em coata i;orrente Mi
Iraso fiso.
Saca vista ou a praso sobre as cidade
principaes da Europa, tem correspondente*
a Bahia, Buenos-Ayres, Montevideo, Ne^-
i New-Orleans, e emitte cartas de crdito,
oara os mesmos lagares.
RA DO COMMERCIO N. 36-
i ALFANDRGA.
. dea do dia 8..... 20:248*119
O3.O07O45
MOVIMENTO DA ALFANDEGA
oiumss entrados cera fazendas
dem idem com gneros
/oinmes sabidos com fazenda
[dem dem com gneros
------143
113
5
_- 158
Desearregam hoje 10 de ontnbro
Brigue inglez Waller J. Commidiversos ge-
. eros.
Barca inglezaPatriot idem.
Barca inglezaRoderich Dk*faro.
Barca ingiezaSe&Quemea.
Barca poriuguezaLnw/anaplvora.
Vapor InnzuAm'tz ondiversos gneros.
Vapor nacionalIpcjucaidem.
Despachos da exportacao no dia 8 de
outubro
Na barca trncela fgaro, para o Havre car-
2*800
348
10
2*043
800
340
476
1*200
204
380
768
1*200
960
Alfandega de Pernabrabuco, 8 te outubre de
1870.
O !. cenferente. Anowo C. de P. Borges.
O 2." conferenle Joaquim I. de C. [Mendonca.
Approvo. Alfandga, 1 de outubr de 1870. -
Paes 4e Andrade.
Conforme. Joaquim Tertuliano de Medeiros.
ttECEBEDRlA DE RENDAS INIERNAS uii-
RAES DE PERNAMBUCO.
rlendimento do dia 1 a 7 11:812*966
ldmdodia8........ 1:386*440
O Dr. Manoel Antonio dos Passos e Silva Jnior,
juiz municipal e de orpbios, snpplente em
exercicio do termo de Olinda, por S. M. I. e L.
o Sr. D. Pedro II, quem Deas guarde, eic.
Faco saber aos que o presente edita 1 virem, e
deUejXQcia tiverem, que dentro de 30 das recebe
este JoliO pTTjpOstaj em curta ftjomlua'iit a -
rematarlo por venda, qnem mais offerecer, do
escr..vo Manoel, com 5 annos de idade ponco mais
ou, meaos, de cor cabra, avahado por 200*000, o
qual tem de ser arrematado requermento da
inventarame dos bens do tinado lente Jos Joa-
quim Lopes de Almeida,para pagamento dos ere-
dores deste; sendo que ser dita arrematae ef-
fectuada de conformidade com o que determina o
art. do decreto n. 1,695 de 15 de setembro de
1869.
E para que chegue ao eonhecimento de lodos,
mandei passar o presente, qne ser afflxado no ln<
gar do costme, e publicado pela imprensa.
Dado e passado nesta cidade de Olinda, aos 10
de setembro de 1870.
Eu Joaquim Herrallo Candido das Chagas, es-
crivao dos orphios interino, o subscrevi.
Manoel Antonio dos Passos e Silva Jnior.
Ao sello 300 rs. Valia sem sello ex cansa.
Passos Jnior. _^ '
Estava urna estompilha de 200 rs. mnlilisada
na forma da lei.
Oliuda, 10 de setembro de 1870.O escmSo de
orphos interino, Joaquim Hermillo Candido das
Chagas.__________________________
lulzo dos felos da azenda
nacional.
O Dr. Albino Jos Tavares, oCQctal da im-
perial ordem da Rosa e juiz pri.ativo dos
feitos da fazenda nacional, etc.
Faco saber que em vista da execuefc) que
a fazenda nacional encaminha contra os her-
deiros de JuliSo Pereira Mattoso, ex-collec-
tor do Cabo, fez-se penhora em dous es-
cravos de nome Monica e Secundino, avalla-
dos a primeira em l:000i5e o segundo era
1:4000, em conseqoencia do que e em face
do decreto n. 1695 de 15 de setembro de
1869, sao convidados pelo presente quaes-
qoer licitantes para apresentarem saas pro-
postas dentro do praso de 30 dias, a contar
da data deste, achando-se os mesmos escra-
vos para serem examinados na villa do
Cabo, a primeira em poder de Francisca
Camillo de Paula Pacheco, e o segundo em
poder de Pedro Victor Bolitreaux.
E para que chegue a noticia de todas
mandei passar o presente que ser publica-
do pela imprensa e aflixado no logar do
costume.
Dado e passado nesta cidade do Recite,
aos 23 de setembro de 18/0.
Ea Luiz Francisco Berreto de Almeida,
escrvSo o subscrevi.
Abilio Jos Tavares da Silva.
ARACAJ
Para o referido porto segne oestes qnatro dus
o patacho brasileiro JVow Gesto, e por isso qne
Joizer aproveitar embarcar carga a frete comasa-
o pode entender-se cem o consignatario kaqnim
Jos (oncalves Beltrao, roa do Commerco an-
mero 17.
Ceara'e Aracaty
A escona Georgiana segu em poneos dias, toan
a maior parte do seo carregaroeoio
tratar com Tasso Irmos & C.
DECLARACOES.
lnspecqo do arsenal de
marinha
Fai-se publico qoe a eommissao de peritos exa-
minando na forma determinada no regulamente
annexo ao decreto n. 1324 de 5 de fevereiro de
1854, os cascos, machinas, caldeiras, apparelbos,
mastreacoes. velames, amarras e ancoras dos va-
pores Jaguaribe e Parahyba da companhia Per-
nambucana de navegacao costeira, Camaragibe
e Moteqve da companhia Vigilante de reboque,
achoo todos esses objectos em estado do poderem
es vapores continaar no servio em que se em-
lnspeccio do arsenal de irarinha do Pernambu-
co 6 de outnbro de 1870.
O inspector,
H. A. Rarbosa de Almeida.
13:199*406
CONSULADO PROVINCAL
endnnento do dia 1 a 7
dem do dia 8 .
10:181*040
2:201*898
121382*938
PRACA DO RECIFE
EM 8 DB OUTUSn DE 18TO, AS 3 HOBAS DATARDB.
REVISTA NfcWWAL.
Cambios.Saecou-se sobr* Londres a 22 1/4,
22 3/4 e 23 d.'por 1*; e sobr Lisboa de 138 a 140
rs. por cento de premio, sommando o total dos
saques eflecluados para o vapor rancex ai.....
130*000.
Algodao. Vendeu-so. o de Pernambuco de
9*700 a 10* a t> do de i' serte, e o de Mocei,
posto, abordo a 10*820.
Couros.Os seceos e salgados venderam-se a
225 rs. por libra.
Aanoz.O pilado da India veudeu-se a 3* 100
a arroba.
AzEiTE-DocRO 'de Lisboa venden se a 3*300
o galio.
Bacalho.Retalhou-se de 12* a 18* por bar-
rica.
Batatas.Vendeu-se a 2*509 a arroba.
Hdlacwnhas.dem a 5* a barriquinba.
Caf.dem de 5*500 a 6* a arroba.
Cha.dem de 2*200 a 2*800 a libra.
Cebvba.Idem de 5*500 a 8*600 a duzia de
bu tijas.
Louca.Vendeu-se a ingleza ordinaria a 320
rs. por cento de premio sobre a factura.
Mantkiga.A ingleza vendeu-se de 1*100 a
1*150 libra, e a franceza ? 960 rs.
Mssas.Venderam-se a 8* a caixa.
Oleo de lishaca.dem a 2*200 o galio.
Passas.dem a 12* a caixa.
,' Qeijos.Os Qaraengos venderam-se a 2*600
cada um e u prato a 800 rs. a libra.
Presuntos.dem a 18* a arroba.
Sabao Vemleu-se a 170 rs. a libra do injlez.
Tocikho.Venden-se o de Lisboa a 15*800 e
o do Rio-Grande do Sul de 8*800 a 10* a (j>.
Vinagre.O de Portugal vendeu-se a 140* a
pipa.
VinhosOs de Portugal venderam-se de 220*
a 260* e os de outros pases de 190* a 240* por
pipa.
O inspector interino da alanaega fax publico
que existindo nos armazens da mesma reparticao
os volumesabaixo declarados no caso de serem
arrematados para consumo, eomprehendidos as
dipo-ic5es do capitulo 6. ttulo 3.' do regulamen-
to de 19 de setembro de 1860, os seus donos ou
consignatarios devero despchalos no praso de
30 dias, sob pena de Godo elle serem vendidos
por sua conta, sera que Ibe fique competindo alle-
gar contra os efleitos desta venda.
Armazem n. 1.
Marca F D.-N. 143.1 caixa vinda do Havre
na barca franceza Colegny entrada em 4 de feve-
reiro de 1870 consignada a Dubarry ; ignora-se o
contedo. ... ., ..
dem quadrado H LN. 72.1 dita dem dem,
idem, consignada a Henry Lager : dem.
dem F D.Ns. 141 e 142.-2 ditos dem Jem,
idem; ignora-se a consignacio e contedo.
dem J A A 4 C -N. 227.-1 dita Meno dem,
consignada a Joaquim Antonio de Aranjo 4 C.:
ldeidm J A A & C.-K. 7330.-1 dita idem Idem,
dem: idem. ,. .,
dem C F.-N. 7330.-1 dita dem, dem dem,
consignada a Dubarry: idem.
dem CMC P Ns. 291 bis e *b.2 ditas
dem Idem, entradas em 8 do mesmo mez, consig-
nadas a Francisco Gomes de OIivera|Jsobnnh:o
' dem diamante R A C N. 6 a 15. 10 ditas
dem, idem idem, consignadaa a Antonio Lua Oli-
veira Azevedo & C.
Armazem n. 6.
Marca F P.N. 313.1 caixa vinda do Havre,
no brigue francez Palastro, entrado em 4 de margo
de 1870 : ignora-se o contedo e a consignacao.
dem F P.Ns. 312 e 315.2 ditos idem dem,
entradas em 5 do dito mez : idem dem.
IdemFP.N's. 319 e3ULl ditas dem idem,
dem, dem : Idem. .... _
dem 314.1 dita dem dem, entrada em 7
dem : idem idem.
dem T. J Sem numero.27 sacona viudos de
New York no patacho ingls Jfarif Crowtt entra-
dos em 8 idem : idem idem,
dem T I.Sem numero.3 saceos mera idem,
entrados em 11 idem : idem dem.
Armazem o 8.
1 caixa sem marca e sem nomero, vinda de
Lisboa no navio portuguez Relmpago, entrada
em 30 de junho de 1869 : consignada a Joao E. da
Silveira.
Marca diamante F.N. 8753.1 barrica vinda
de Liverpool no navio inglez Mary Fieli, entrada
em 9 de dezembro de 1869; ignora-se o contedo
e consignacao.
dem J M P.Sem nomero.50 caixas vindas
de Hambnrgo no navio dinamarquez W hlmine,
entradas no 1." de fevereiro de 1870; consignadas
a Jas Maria Palraeira : ignorase o conWdo.
dem M J.-Sem nomero-98 ditos idem idem,
idem; consignada a Francisco A. Monteiro Jnior:
Enerase o contedo.
dem HWB&a dem. 200 dits vindas
do Havre, no navio/rancez Fgaro, entrada* em 26
idem, consignadas a IL Wilmer: ignora-se o cen
leudo.
dem A A C CNs 804 a 823.20 firdos vin-
dos do Havre no na rio francs Tjoi' Freres en-
trados em 17 de marco d 1870; ignora-se a con-
siguacao e contedo.
4
JUIZO MUNICIPAL DA f VARA.
No da 11 do eorrente vai praca de venda a
casa torrea sito na travessa de S. Jos n. 13 em
chaos proprios, por execucao de Josepha Mana da
Conceicao contra Anselmo de Souza Teixeira e sna
mulher, avaliada por 1:100*._______________
COMPAWHLIA
DAS
Mes^ageries imperiales.
At o dia 10 do eorrente mea eapera-so da Eu-
ropa o vapor francez Amazone, e qnal depws da
demora do costme seguir para Bnenos-Ayraa,
tocando na Baha, Rio de Janeiro e Montevideo.
Para condoi;oes, fretes e pasagens, traa aa
na agencia, rna do Coramereio n. 9.
No dia 12 do correle mez espera-se d< por-
tes do snl o vapor francez Gironde, commaadanMi
de Somr, o qoal depois da demora do ecttana
seguir para Brdeos,locando em Dakar (Orea)
Lisboa.
Para condicSes, fretes e passagens, irato-se na
agencia, roa do Coramereio n. 9. _____
G0IPANH1A RKVSILERI
DE
Paquetes a vapor.
Dos portes do norte esperad)
al o dia 26 do eorrente o vapor
Paran, commandante J. aSH-
va Moraes, o qual depois d de-
ijfajiB ii|iirl par pono o sml-
Desde j recebem-se passaeeiros e en*.ija->o a
carga qoe o vapor poder condnzir, a qoal devera
jer embarcada no dia de sua chegada. Enconaer
das e dinheiro a frete at as doas horas *> dia da
ma sahida.
Nao se recebem como encommendas smm oi-
ectos de pequeo valor e qne nio excedan; a 9
arrobas de peso ou 8 palmos cobieos da ns*
cao. '"
Todo qne passar destes limites devera so
embarcado eomo carga.
Previne-se aos Srs. passageiros qne soas passa-
ens so se recebem na agencia rna da O
andar, escriptorio do Antonio Lni
\zevedo k C.
COMPANHIA PERNAMBL'CAIvA
de
Vavegato costeir* p#
Porto de Gallinhas, Rio Fotidmo
Tamandar.
O vapor Parakubt segoira
para os portes cima oo
10 do eorrente meia
Recebe earga,
das, passafeiros akeiro a
(rete no escripiorio doaFaru
mora
Conselho de compras navaes
O conselho ne dia 10 do eorrente mez vista de
propostas recebidas at as 11 horas da manha,
promeve sob as condicoes do estylo, a compra dos
objectos do material da armada seguintes :
60 barras de ferro inglez propria para greInas,
livros irapresses para soccorros, sendo de 150, 100
e50folhas.2 ocnlos de alcance.16 paos de ginipapo
de 12 polegadas de corapriraonto,400 libras de pre-
gadura de zlnco, 100 folhas de papel pactado para
mappas, 50 covados de grosdenaple branco, 6^ar-
gnteas de pinho para paos de cutello, tendo e
compriraenlo 35 ps e grossura no meio 7 polega-
das de dimetro, 6 ver gonteas de pinho para mas-
tro de escaleres, tendo de comprimento 25 ps e
grossnra no meio 6 ll2 polegadas de dimetro, 50
fechos pedrezes, 20 fechaduras de broca para por-
tes, 50 pecas de lona larga, 12 pares de conchas
de folha para balancas, 50 meios de sola da trra.
100 lampeSes de folha para illnminaco, 20 cova-
dos de damasco de seda verde e 20 covados de
damasco de seda encamado.
Sala das sesse* do conselho de compras navaes
8 de ontubro de 1870.
O secretario,
AleaUdre Rodrigues dos Anfos.
xd.*

dia
". "
*me>
TBEATRO
S4NT0 MOMO.
Companhiafranceza
Qiiarta-feira & de outubro.
Recita extraordinaria
BNEFICIO
do Matlos n. 12._______________________
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DI
Varegaelo costeira
Parahyba, Natal, Maco, Momot,
caty, Cear, Mandah, Acarac e
Granja. ^ _
O vapor Ifn'utt mma-
dante, Monra sefnir pan
porto acimano dia 15 4o i
as 5 horas da tarde. '"
ga at o dia 14, a
passageiros e dinbetro a frote as aa 2
tarde do dia da sabida : escriptorio a I
Uattos n. 12.
BAHA.
Para o referido porto pretende sena*
eos dias o patacho nacional Catao, ao
maior parte de sea carregamento eagajadav ol
o resto que Ihe taita trau-se coro o eoamcaatam
Joaquim Jo Coocalvet Bakrio a ni* do
mercio a 17._______
COMPANHIA PERNAMBUCAIU
N
avegaeio efMtelra |
Manungaapa.
O vapor aaawaal Cmmim,
uuuwialaBilf B-.lva, safaara
para Manranamana aodu 12
do correla aa 5 haca da
tordo.
Reoebe earga, aaaaaaaaa-
ds, passafeirose dinheiro a iratn aaa aa -
ras da tarde do dia da sabida, no
companhia, Forte do Manee a. I).
COMPANHIA PERNAttlOCAlu'
t-
DO
PROFESSOR DE DAH9A
JOAQUIM FERREIEADOS SAJTOS
Grande e variado espectculo,
Dividido em tres partes.
PRIMEIRA PARTE.
Depois de urna brilhante syraphonia pea or-
chestra, subir a scena a multo applaodida ope-
reta denominada
Le Violonexs
Personagens. Aeteres.
Reinette........ Mllb. Brescia.
Mthieu........ Mr. Maris.
Pierre........ Mr. Raynaud.
SEGUNDA PARTE.
0 beneficiado ves'ilo de bandarilheiro execata
r um lindo o difficil passo de dansa, muilo ip-
plauiido em Madrid, inlitolado
Aragoneza
Mr. Carn se far ouvir, com todo o chiste,que
DI
Navegando costeira por va/*
Macei, escalas, Penedo Araeaj*
Mftw O vapor Qifuti, ootseana
">|U .IImIo, seguir para **w
mmm mano dia 15 do enmase
datarte.
Refcebo earga passageiros e eaeiw
o pa 14 as ahoraa da tarde do dja da
eerip.rio do Forte do HatMsa.li
aei-
Maranhao
Segu eom brevldade para o p>to
Ihabote naetoMl *** Artk* posa
raja que Ihe ate rato-se _
AatoidoTnix de Oliveira Aawvf O,
Crui n. 57.__________----------------------
Maranhafi
A barca portofnen Formem aefaar pm
Maranbo era poneos dias, raeati9_ss *
mdico : trato-se com Oliveira, F1M h C, ae
largo do Corpo Santo a. 19.


kro Ae Wumembuco- eguild ra 10 ,%4Qutu?rp ^ J|H|
Mi'
ftMflnde seguir pan 0 refer*) porto em pantos
das o palntbote Jtwtta por ter a Bator-parte da
carga, e paraa poue me Itae Ma, trau-se coa* o
consignatario Joaquim Jos Goacalves BeHro, i
nu do Commerelo 17.
Kio de Janeiro
Para o porto cima segoe com brevidade o bri-
foe nacional Isabel, tera parte do sea carregameo-
to engajado : para o resto que The falta trata-se
com os consignatarios Antonia Luiz de Oliveira
Asevedo & C, rna da Croi n.*S7. t andar.
WRTO ALEGRE. "*"*"
O bngue nacional S, Mtaoel va seguir com bre-
vidade para Por Alegre, o recibe carga a frete:
trata-se com Olivara filos' 4 C. so largo do Cor-
po Santo n. 19, ou com o caprHo na praca.
al|Mt>rel&j* (pe existam a titaio do eoaeorto, fl-
cando aun dono* ajatos a nao poderem nuisre-
clama-los.erendo^ie Vjgir *> cteDeytar.o o Sr.
?j"f s$Qn.52.
LfUKS.
DE MOVIS
qoadros, madeiras, varas e rodas para car-
ros, um cabriolei em armacao, om dito
velbo, gaftes e veaesianas promptas, ma-
deira preparada para airaesmas, ferra-
ment e amitos oatros objectos perten-
ceotes ao espolio do finado Poirier.
Quluta-feira 18 i* crrente
O agente Pinto, antorisadp peto 9r. consol de
E9TABT9 MENELECIjEHI 482
LEGITIMA E ORIGINAL
km raxsQQS uMes
sobrado par atetar
Tambem
conjMane
8obi
Alugam-se* o
roa da Moe res e soiu e o s,-^fo aWandir*.
se aiuga .o os asuasenj dos Reinos,
!*M|?,B Mjreiendenei: a tratar na ra <*>
peradorj., ds 10 horas as 3 da tarde!
Amgs-se urna peqnena casa para po*
milta, no logar do Manjninho, podendo oaft.
gosar de banbos de cbdqua e de um aprasivl
reno plantado e bera eercado : a tratar na i
lugar casa n. 21
Franca, levar leilo os objectos cima meneie-
nados, pertencentes ao espolio do uado subdito
francs Poirier, e existentes na casa 4o pateo do
Paraso n. 10, as 10 horas do referida offlene de eems.
Farinha de trigo ava-
dada
a 10 do corrente.
O agente Oliveira hri leilao/por conta e risco
de quem penencer de, sob diversas marcas, cerca
de 420 barricas com farinha de trigo avariada,
bordo do brigne ingles lnt, capilao John P. Va-
lot, na sua recente viagem procedente de Balti-
more
Hoje
s 11 horas em ponto
no era coobecido armatem dos Srs. Uenry Fors-
ter & C. sito a* caes81 de Novembro.
VkiiAo
DE
75 caixas com azeite doce muito fino.
HOJE
O agente Pestaa far leilo por conta e risco
de quem pertencer, de 45 caixas de 12 garrafas e
30 ditas de 24 raeias garrafas com azeite doce
muito fino, as quaes sero vendidas em lotes
vontade, boje 10 do correte, as 11 horas da ma
nha, na porta do Annes, defronte da alfandega.
DE
movis, lout?a e crys
taes. a saber :
sobrado de
soto da
DO
quatro andares
ra do Torres
e
n.
14, edificado m chaos pro-
prios,
Terca feira Ir do corrente.
0 agente Pinto levar leilo, precedida a
competente autorisacao, a casa da esquina da roa
do Torres n. 14, a qual torna-se recomraendavel
pela sua boa c:-nstructio, e por ser edificada em
ra de comraercio. O leilo se effectuar s 11
horas do dia aciraidito, no escriptorio do referido
agente.
IULF
DE
RITI AS
Terca-feira II do corrente.
O agente Pinto levar leilo pela terceira e ul-
tima vez as dividas activas da massa fallida de
Guimares & Silva, s 11 horas do dia cima dito'
em seo escriptorio, roa da Cruz n. 38.
GRANDE
lilil
1112 LITROS
Tenja feira
11 do corente.
Obras escolhidas de todos os ramos de direito,
litteratura nacional e estrangeira, historia, philo-
sophia, geographia dos melhores autores conheci
dosRossi. Bertanld. Boitard, Grocio, Borges Car
neiro, Goelho da taska, Oudot, Lingard, Alexan
dre Duraas, Ortolan. Tissji L; ferrieri, Lamartine
Mirabeau, Vctor Hago, Pelletan, Chaleubriand
Shakspeare, Walter Scott, Eig Quinet, Machiavel
Rousseau, Eugenio Sue, Garret, Alexandre
Herculano, Castilho, Abreu e Lima e Pinto de
Campos, padre Vieira, Rabelto e muitos outros
A' RA DO IMPERADOR V. 16
A's 10 horas
_____Por intervenco do agente Pontual.
liEIl.lO
DE
30 paneiros com tapioca
Teres-feira 11 do corrente.
O agente Pestaa far I ilo por conta e risco
de quem pertencer, de 30 paneiros com tapioca,
os quaes sero vendidos em um ou mais lotes,
terca-feira 11 do corrente, s 11 horas dama-
nba, no trapiche do Cunha, forte do Mattos.
LEILO
DE
movis, iou0t e vidros
Quarta-feira 12 do corrente.
O agente Pinto, autorizado por. ama familia que
mudoQ de residencia, levar leilo, s 10 horas
do dia acuna dito, os movis e mais objectos
abaixo descriptos, existentes no primeiro andar do
Sobrado da ra Direila n. 93, a saber :
Um pian i forte, 1 mGbilia de Jacaranda a Lniz
XV, 2 candieiros a gaz, quadros, 1 espelbo oval,
jarros para Odres, castices e mangas, 1 cama de
Jacaranda, 1 berco, 1 lavatorio, 1 guarda-vestidos,
tapetes, 1 mesa elstica, 1 guarda-muga, 1 relo-
gio, bandejas, cadeiras, louca, vidros, bolsas de
viagem e muitos outros objectos.
O leilo principiar s 10 horas.
Um piano forte. 4 langas para cortinados, 1
mobilia de Jacaranda com 1 sof, 1 jardlnelra, 2
consolos, 4 cadeiras de bracos, e 18 de guarnicao,
1 dita obra do Porto, 1 mobilia de raz de ama-
relio, 1 lavatorio, 1 barco, 1 espelhos dourados e
quadros.
Urna mesa elstica, 1 guarda-louea, 2 appara-
dores, 18 cadeiras, loucs, copea, clices, garrafas,
compoteiras, 1 machina de costura perfeita, 2
malas de viagens, louca, vidros, crxelaes e muitos
outros objectos pertencentes casa de familia e
existentes do sobrade da
RA DA AURORA N. 41
Sexta-feira
14 do corrente
0 agente Pinto levar leilo, por conta e risco
de quem pertencer, os movis e mais objectos
cima mencionados, existentes no primeiro andar
e pavimento terreo do sobrado da ra da Aurora
n. 42.
Principiar s 10 horas.
AVISOS DIVERSOS.
0 Sr. Nicolao Pengitore, tera ama eacom-
menda no escriptorio de Antonio Lniz do Olivsira
Azevedo A C.
Casa para alugar.
Aluga-se urna casa no Monleiro. Porto do Xis-
to, baixa do rio : tratar na ra de Crespo n.
17, loja.
O abaixo assignado tera contratado a com-
pra da armaco e gensros da casa n. 28, da roa
do Commercio pertencente ao Sr. Belisrio da Cu-
nha Chaves & C, se alguem se julgar com direito
queira comparecer na mesma casa ata o da 10 do
corrente.
Recife, 5 de outubro de 1870.
Manool Francisco de Sonza.
AMA
Precisa-se de ama ama : a tratar na pracs da
Independencia n. 28. Prefere-se escrava.
Ao respeitavel pu-
blico
Amanheceu hoje o mea sobrado n. 23 da ra de
S. Bento desta cidade de Olinda, era que resido ha
Untos annos cminha chara familia, emporca-
Ihado com pinturas e letreiros indignos, feitos com
carvo, por forma tal, que mandando-se lavar,
como se mandou, ainda ncou bera patente o infa-
me proceder de quem quer que praticou ou man-
dou praticar, e que bem parece ser parto dos
meus crueis e infernaos inimigos : tanto mais
quanto elles sabem que existe na typograhia um
artigo meu para ser publicado.
A ra de S. Bento urna das mais pnblicas des-
ta cidade, e que nella mora o Illm. Sr. l)r. jaiz de
direito Quintino Jos de Miranda, ainda que dis-
tante do meu sobrado; e que tambem nella mora
o Illm. Sr. Dr. promotor publico da comarca Ib-
noel Izidro de Miranda, quasi visinho meu, pois
s tem entre a minha casa e a delle, orna casa
Admira na vjrdaie, que se deem factos desta
ordemna ra, que alem de ser nma das mais pu-
blicas, nelia moram as autoridades menrimadas !
Que terrivel disrespeito s autoridades I
Que idea formaro os brasileiros sensatos e o
estrangeiro, da polica de Olinda I
Que insulto negro ao cidado brasilero nato !
A que estado est reduzida a antiga e histrica
capital da provincia de Pernarabuco do imperio
do Brasil III
Cidade de Olinda da provincia de Pernambuco
7 de outubro de 1870. Antonio Lobo Aibertin
de Miranda Henriques.
Na ra do Uueimado n. 2, as 9 horas o da
6 do correte, roubaram dnas caigas, sendo nma
de casemira preta pouco asada e urna dita de al-
paea cinzenta com debrum de seda encarnada,
sendo um pouco baixa e nova se apparecer al
gum individuo offerecendo ditas caigas, queiram
apprehender e,dirigir-se ra do Queimado n. 2,
que sero recompensados.
OGRANDE PURIFICADOR DO SANGUE!
Est excelente e admiravel medicina, e
preparada d'uma maneira a mais scientfi-
ca por Chimicos e Droguistas mu doutos e
d'uma instruccSo profunda, tendo tido mui-
tos annos de experiencia ao par d'uma lon-
ga e laboriosa pratica.
A sua composicao nao consiste d'um sim-
ple extracto d'um so artigo; mas sim,
composta d'extractos d'um numero de rai-
zes, hervas, cascas, e foJhas, possuiudo to-
das ellas, sua virtude especial ou poder
em curar as molestias as quaes teem sede
ou essento, no sangue ou nos humoresj;
e estes difieren tes extractos vogetaes, achara-
se por urna tal forma combinados ponto
de conservarem em toda a sua forca, o cu-
rativo especial de virtude, que cada um de
per si possue. A raiz da planta de Salsa-
parrilha, producida as Honduras, a que
nos usamos nesta prepararlo, sendo a qua-
lidade que todos os mdicos mais prezam
e estimara. Na coraposicao da Salsa-
par rl Iha de Bristol entra mais de 50
por cento deste concentrado extracto. Ella
nao encerra em si cousa alguma, que pos-
sa por leve ser perigosa ou injuriosa
sade; e tanto n'este, como em quasi to-
dos os mais respeitos, ella inteiramente
diversa de todas essas mais preparaces,
as quaes debaixo do nome de Salsaparr-
lha, sao accondicipnadas ou postas em gari
rafas pequeas, sendo receitada em doses
mui diminutas d'uma colher de cha por
cada vez. Nos pelo contrario engarrafa-
mos a
SALSAPARIURA DE BRISTOL
em frascos grandes, e assim por este modo,
dividimos com os consumidores, o grande
proveito e vantagem alcancado por aquelles
que acondicionan! sua preparaco em gar-
rafas pequeas. Cada um dos frascos da
nossa Maisaparrilha de Bristol
oonteem a messa quantidade igual porc5o
contida naquellas garrafas pequeas, e alm
disso, possue ainda muito mais forca e
virtude medicinal do que aquella, que por
ventura se possa achar contida dentro de
seis garrafas de pequeo tamanho. Por-
tanto mui natural, que aquelles, que se
acham oceupados em preparar e vender as
suas produeces, em garrafas pequeas,
murmurem e gritem contra os nossos fras-
cos grandes proclamando, que a nossa Nal -
saparrilha de Bristol nao possue a
menor virtude; porm quo effectivamen-
te s5o elles postos em silencio, quando indi-
oamos, ou simplesmente referime-nos para
com essas centenares de certides e tes-
temunhos authenticos, por nos recebidos
de todas as classes da sociedade, nos quaes
plenamente attestam o poder curativo e vir-
tudes maravillosas da nossa.
SALSAPARRILHA DE MISTOL.
A vantagem de termos os nossos pro-
prios agentes naquelles lugares aonde as
differentes raizes, drogas, hervas, e plan-
tas de que se compem as nossas medicinas,
sao produzidas, que nos habilita exer-
cer aquelle constante cuidado e disvcllo na
minuciosa escolha; e o que assegura e ga-
rante uniformidade de excellencia.
Em quanto que, por OHtro lado, nos nao
nos poupamos nem dinheiro, nem dili-
gencias ; afim de alcancarmos o melhor
e nicamente o melhorde cada um artigo
ou ingridiene que entra na sua composi-
cao; pois levados e compenetrados da
mais firme e persuasiva confianza; que po-
demos afoutamente dizer aos doentes de to-
das as nacoes, e de todos os paizes, que na
Malsaparrflha de Bristol. possuem
um remedio mais efficaz e seguro; do que
nenhum outro, que vos tenha sido offere-
cido at hoje, e o qual por certo nSo hade
mallograr vossas expectativas, na prompta
Trabalhador para padarie.
,JK!LBI Gr">de ds-Horte precisa-se 4s n
trabalhador dos ultknos-ehegados das Khat, aiats
rnesmo sem pratica : a tratar com Tasss frmios
L., roa oo Amorim n. 31.
AMA
Precisa-se de orna ama para cozinhar
na praca da Independencia ns. 37-39.
a tratar
MOMO
Rna do Barao da
Victoria a. 63
(Outr'ora ra Nova. )
Esta feliz casa venden aos seas, multo felizes
bilbetesa sorte de 4004 em um oieio de n. 1536,
a sorte de loo* em om inteiro de n. 3462, ontra
de 1001 em um meto de tr. lfJ7fl, e outra de WflJ
em de us quartos "de n. 631, alem de ouiros pre-
mios menores ; podendo os seas dooos virem re-
ceber, que promptamente sero pagos.
O abano assignado fas ver ao respeitavel pu-
blica para virem no sea stabefecimento eompra-
rem os felizes bilhetes, que nao deixario de tirar
qualqner premio, como prova pelos mesmes an-
nuncio?.
Aeham-se venda os muito felizes bilhetes ga-
rantidos em beneficio da igreja de Santo Amaro
de Serinhea, que corre no dia 11 do correa-
fe mez.
PRECOS.
Iateiro 6*000
Meio 3*000
Quarto 1/900
De 100)9000 para cima.
Inteiro 8*400
Meio t*700
Qnarto 1*350
_____ Joo Joaquim da Costa Leite.
A
MAG DE ODOI
Ama
Na rna da Cadeia do Recife n. 94, 2
precisa-se de ama ama e paga-se bem.
andar,
Mudanza
Kell Rindloss & C mndaram seu srmazem da
rna da Cruz n. 23. para a mesma n. 11.
PRECISASE
De nm homem. livre ou captivo, para distri-
buir pao; e igualmente de urna ama que saiba en-
gemmar bem cosinbar; trata se ra do Vi-
gario n. 16,1 andar.
Precisa se de ama ama para comprar e co-
zinhar : no sobrado n. 88 sito no largo do Terco.
ASSOCIACAO OMMERCIAL AGRItlOLA.
De ordem do presidente sao convidados os ge-
nitores associades a comparecerera no dia 17 do
corrente as 11 horas da manha, no sallo da mes
ma associacao, para em assembla geral elegerem
os membros da nova directora.
Secretaria da Associago Commercial Agrcola 7
de outubro de 1870.
Joo Maria dos Santos Almeida,
Secretario.
Ama
Precisa-se de ama ama boa cozinheira
do Llvramento n. 10.
na ra
Afuga-se o segundo andar da casa n. 35 da
na de Santa Rita : a tratar na ra do Rangel n.
41, 2 andar.
As acedes entre amigos, que devia ter lugar
com a segunda lotera deste mez, tica transferida
oara quando fe annanciar.
Francisco Xavier de Carvalho.
e effectiva cura das seguintes enfermidades:
1,1 II, t O
de50jacazes cmitoucinho
Quarta-feira 12 do corrente.
O agente Pestaa far leilo por conta e risco de
quem pertencer, e pelo maior prego offerecido, de
50 jacazes com toucinho, desembarcado a semana
passada. e serio vendidos em nm ou mais lotes
vootade, quarta feira 12 do corrente, s 11 horas
da manha, no trapiche Barao do Lvramento, no
forte do Mattos
LEIL40
Di
diversos rehuios, ferrameDtas
para relojopiros, diversas
mesas, cadeiras e utencili s
para so v ete.
O agent Mrtins firleillo, por ordem do Illm.
. L2. d" p'rIufa|. "o* objeeto cima, per-
tnceotes ao l)sp,)|i.J do saM* portuguei Joaquim
Barbosa Cspertiso, esubelwido com kja de relo-
^mj.^J* ,orvet* *fa N- ttoje ^f*0 da
Victonaj n. 7, ood tw lugar o referid leiUo.
Quarta fpira 42 i0 corrente.
..^ w .a u bon* di-
Ate a hora .do leilo se entregar a seos dooos
Na ma do Imperador n. 28, armazem de Cam-
pos, ha constantemente um completo sortiraento
de eseolhidos gneros proprios para mesa, despen-
sa ecozinha; nomea-los cada um de per si tor-
nar se-hia enfadooho um annuncio qne deve so-
mente despertar a curiosidad!! do apetite. Se nma
pessoa tem vontade de variar de comida em nm
dia de regabofe, nao tem mais nada do que diri-
gir-so ao armazem do Campos n. 28, ruando Im-
perador, examinar e comprar a variedade de g-
neros alimenticios que hanaquelle estabelecimen
to, onde a pardessas vaotagens encontrar > todos
muita sinceridade e delicadeza no trato.
Por estar-se vendendo muito barato os seguin-
tes gneros que se menciona
Ceblas a 13 o cento.
____ Lingoas secas e defumadas a vapor.
NOC..ES
DE AGRICULTURA
POR
AYRES DE ALBUQUERQUE GAMA.
1 vol. em 16 com estampas
Obra premiada pelo governo da provincia.
Vende-se em as principaes
Livrarias.
Precisa se de um caixeiro que tenha bastan-
te pratica de venda e d fiador a sua conducta :
na rus das Crines n. 24.
Precisa se de urna criada p^ra comprar e
cozinhar para ama s pe.-soa : na roa larga do
Rosario n. I, 1* andar.
Um homem easado, chegado na pouco das
llhas, je offerece, elle para fetor de sitio, e ella
para engommadeira : quem precisar dirjase
rus da Imperatriz, padara do Sr. Costa.
SHatKiiiMtflMHHBWSSBSBKSUSWSMVaHHBJSjnB
Escrfulas,
Chagas antigs,
Ulceras,
Feridas Ulcerosas,
Tinha.
Syphilis,ouMal Ve-
nreo
Humores Escrofu-
losos,
Irregularidades do
Sexo
Feminino,
Nervosidade,
Debilidade Geral,
Febra e Malignas e
Febre e Sezes
Biliosas,

Mana Benedicta Masearentws Jacobina e seos
Blhos penhoradn pela prova de amizade que ac
bam de dar-Ibes as pessoas que se dignaram ss-is-
tir no ceuiterio publieo as fxequtas de seu marido
epai Antonio de Aranjo Ferrcira Jacobina, agr
decem-lhes, e conviiam aas pra a misas tjun
oa lerQa-feira 11 do crreme, as 8 horas da ma-
nha>ra d serrelebradas n mlriz da Boa-vhta.
i luga se
u/na casa Ierres, sita na Capuoga, com soto, co
oheira, e um pequeo quintal: a tratar na roa
de Vigario n. 31.
Tumores
Abscessos Apostemas,
Erupcoes,
Herpes,
Salsagem
Impigens,
Lepra, febres intermitientes e remittentes,
hydropesia e ictericia, etc., etc.
Ontro-sim, achar-se-ha, que para o bom
resultado e perfeito curativo de todas aquel-
las enfermidades cima acontadas o adian-
tamento da cura, grandemente promovi-
do e apressurado; usando s ao mesmo
tempo das nossas mui valiosa pllulas
vegetae assncaradas de Bristol,
tomadas em doses moderadas em connec-
cao ou conjunctamente com a Salsaparrilha;
ellas fazem remover e expellir grandes
quantidades de materias morbficas e hu-
mores viciados que se desprendem e livre-
mente circulam espalhados pelo systema,
isto causado pelo uso da Salsaparrilha; a
por esta forma facilita a volta e o exercicio
normal das operacoes funecionaes,
Acha-se a venda nos estabelecimentos de
A. Caors, J. da G. Bravo C, P. Maarer
C., B M ,& A.arbosa, Bart.olomen 6 C.
Quem tiver
desoecupsdo ou a desocoupar-se at 20 do corren-
te nm ou 2 andar (nao prp roas de S Francisco, Roda, largo do Piraizo ra
das Cruzes, do Sol, Conoordia patee do Carmo, e
Camba do Carmo, queira annunciar pjr este Dia
rio, indicando onde d<-ve iratar-se, e referindo-se
a est< annuncio, que ser iodemnisado do que oa-
gar para tal fim._________ *^
Am i
Precisa-e de nina anta forra
ruada Roda n. 26.
Ajardtnamento da praga do
conde d'Eu.
Pede-se encarecidamente a todos os Srs.,
que foram nomeados em commissao para
obterem donativos, afim de se poder effec-
tuar este melboramento publico, o obse-
quio defazerem todos os esfrcos, afim de
darem conta dos resultados obtidos na re-
uniao, que tem de baver quarta-feira ( 12
do corrente), s 7 horas da n lite, em casa
do Dr. Moscoso, ru do Visconde de Al-
buquerque.
Bcnra loja de joias
*A DO CABU6A' N. A.
^rt da Cimha Sdanha C.
ment fctodiia^iflT5/SbeleCmeDte '**"' V1 tm rt0<'e w^
ment toda apas de ultimo gosto. as dbaes vender o mata bara pos-
sU^LSfSJ"3?'^8^!?deM> Pis os sen9dwando
1^jSS*^ nsoolvai^, vender bom e por pre)s os mais
saH8feito!,la*Se PmC a ^ ** "'ecimento, certo tteqae fleari
AVMO DE OUIWIIUA DO CABUC N. 9 A
VEGETAL AMERICANO
ESALIDADr
BARTHOLOMEOtC
rsna esn Mrta a* issse aslifu e mala, aurrhij paln.ur, aslksjs; tssss
rsoekiss, sn gtril contra Istss m lofriamlss ai riu ressinlsrls.
DEPOSITO GRR4L
H, RA UIM DO ROZARK). 34
PERNAMBUCO
,fdt
ISSSftS
11 Un i Sen
e emphfuma taba de Mt enraqnecid coa Mis
^te mdRMMto. qe toauri ariaein ordem entre
do. neM eeaSMcidM. O uiope VH.ul Ameriewo.
praniindo porunente reieUl. nio eonim em na
eoapoMtft nm 6 atoao le epio, e >im .omecie sne-
f de pliBUi indgenas, caja, propried.de. benfica.
a cura da moisli.s qni peruncem tos orjo. de re.-
piraeio (brarn por ad. obserradaa por lonco tempo,
tom opliiDQi resaltados cada ve mais cr.scenies; pelo
ae nos jnlg.mos aatoriudos i eompor o xarope qne
gor apresenUmo*. e offertee lo tos mdicos e ao
publico, ProTamos com os altestado. ibaiio o qoa la-
amoa dito, o contamos qoa o coacoito de qne ii seu
. larope Vegetal Americano crescera de dia 4U.
teuando mnito po. de si todoos peiiorae. oa vofa!
na. Sr. Birthalomoo t C.-O tamo Vegetal Aae-
icano. preparado oa ana concettaadisslas phiraacia,
am atil remedio pan eombator terrivel astbma.
Sofra en aquella molestia ha qa.tro metes, sea ainda
lar comba i ido oa laque, mensas, qae tinha; este ultimo
qat tie foi fortiasimo qoa ae prostoa sor dias, o.ei,
.>or*m o en milagroso xirope, tonudo apenas tre
doses, a at o presento nio fui de noto atacado. Prata
Jeu. ata ea aqae rwubtlwido por ana i. B.odo-
A therapentiea as ditersas molestias do aeito.d
phiryngite o Sal da garglnu ate a laborean
ptimonar, patsaaVpelaf dnerses aroBchite. <
he, poio o. meas atrdociBMto. par ao Mr
lio horritel mal. aa a aau .igniSeatiTa
.nhscrao na ofsat. aaaaaao o.,
- Soarao Dmru.-Sea Casa U eVaranaa
nim.Srs Bartholornee *C. aVspo eVeaataa
metes de .offrimenlo com aau teeae inraaiaa. aai
extraordaario. eipeetoracso do ai
o, a parda total das torcas, aae o
me fatigata completamente, cando o I _
troe remedio, mi resaltado ie a Miridaoal ..
Vacs. preparataa o xarope VegeUl Aaericasw, o esa
elle, gracas a Deas, na aeho rtatabelecido ha i
dois assa, o robaste coate a aaaa titease i
gr.tido me torca a esta declaracao, a p*
faxer oan qoiterem. Soa m <
muitos respeitader o criado. -
Cala Man. Beeife 8 da fttaaira da 1
AUesta 'qae aaei do xarope Vegetal
eoaposielo dos Srs Bartholoaeo ft C. para
forte denuio qae ne troaxe aaa roaqaiaao,
uxia adtender, iiflammacla e dor aa
randa falta derespiracAo. e Sqaei
tabeleeido con na a tidro do i___
me Ihea protesto tena gratiao. aUaa
aira da iS*8. /afaaa aVara
Isas raconaacidM.
rj I
i- a
;.-

34;MA'i'Aff6rP
1
arr''JE-"
T:-<,-<
Hol attamamoi procurar lUaUdos para crediur
' preparados, e deixamos qne sos applicacio e os
mKado. obtidos pelas pessoas qae se dignaram acceita-
aa
raaj
'oa, Ibes di-era crdito e toga ; porque sao sempre o
mesiao. constado, gratuitos, e A aleles qne lanca
alo o cnarlaunismo; mas nt querendo oSender as pea-
qae espontneamente nos offereeeram, o. qne abaixo
oa grat.dao pela auencio, aparando qne tenbam
iieg corroborar oeonceito. e acce'ucAo qne tem mere-
>d* nosso xarope. ortAoloweo C.
ni o eTTBTlM.
. Srin B,artlholon,eo C. con a mais sabida
,?'!? q. '>,ci"n ser MroP *>"ericaDo de ama
tenia tosse. 4 po0lo de neo poder doru.;r a ooite a
wpeito mesmo Je nadlcaiama. cv '.om*,, ell"
orn e na larcuira coiher lu aJIrrwdo, e de todo me
'o licio resiable.-iilo con
o liso rnenle Je quasi
Americano, de .oa romps-ucl, qg
r5rCu; ratuuda eSsafeato a
>. ei
if. e Vv. Ss. ami-.u, to
. ;' \0hr. <" ''' -ai.> V-,s-., ;.,-!.
i
' i iinocv
_
Vegetal
cueva btante doente de urna cociipacAo
tomn completamente rouco e qae trouie nata |
tosse, e me iapossihiUtou de comprir o cima aM
de cantor da empreta lyrica, ton agradecer-lhat I
completo reetabelecimento, qne oblite com aa f* -
do sesmo xarope. depois de hater recorrida
trauaenta. Deajani qne oatros como ea
o seo xarope pan a terem aliviado, da o
incommodo, ti o fatal asste paa. Cav ador
raeso contino a ser de Vt. Ss. atiento, venerada a
de"!" "* ~ *""' ** '^
Illms Sn Bartholona iC.-O xarope Vteul Aa*.
ricano que Vv. S.. tm eiposto A t.ndre de la aSf.
eaeia pan o curanto d'a.ihma, canformo obarta av
plic.-.ii.lo-o ,. mea albo Joaquim menor 4a
anos; v.ca. d'esse flagello. qne aU enitoaa
tieeealf a dos u havia resistido a iresi
d' rrj-de non.fsda. Qoiinm pois Vt. $s a
exrrs*o alumente sinc-ra de aer reepahech
mertwio ,-vro m- it,. pnsunal coa o i
W| s. lere-innH.ini.. y3r- ..... Tf />. V Se
" erice tetunte i
. le ... ...
CASA DA FORTUNA
Aos 5:0005
Bilhetes garantidos.
A roa Primeiro de Marco (outr'ora ma
Crespo) n. 23 e ca-as do costume.
de
"a *<"rava : oa
ltenlo
Ha am autor que faz f.ipjo inulez ppjo D'>t^ vs-
teina, para cozabar cim carta. de coquft O me*
nm autor se responsabiliw |ur 4ual.]a>r falta dkt
haj* nu trabalho: qaalqiier p.-sa qw qutzer
pode procurar oa rus Dirwta a. 59, a mialiiaer
hura- H
- Precisa-^ alagar nma {.na e,,raril para 0'
serticu domertiei. e nma f am de pones faBilis :
a tratar no pateo do Terco o. 1%
O abaixo assignado, tendo vendido nm meio n.
867 com 9005. am meio o. 1536 com 4004, e oa-
tras muitas serles da lotera qae se acaboa de
extrnhir (163*), convida aos possaideres virem
receber na conformtdade do cosime sem descon-
t algum.
Acaaai-se a venda os felizes Lilbetes garac
tidos da 2' parte das loteras, beneficio da igre-
ja de Santo Amaro de Serinhaem (16i*), que se
exrahira terca-feira 11 do corrente mez.
PREgoS.
Bilbete inteiro fiOOO
Meio bilbete 3*000
Quarto 1*500
Em porcao de 100*000 para cima.
Bilhete im ir j 5*400
Meio bilbete 2*700
Quarto 1*350
Manoel Martins Fiara.
Preci?a-se do ama sma fofra ou captiva para o
service interno e externo de ama s pessoa: na
ra estreita do Rosario, esqaina do becce da ra
do Fogo, 2* andar, entrada pela padaria.
S MUDANCA.
I O Dr. Caroline Francisco de Lima San-
am tos mudoa saa residencia e consultorio
5 para a rna do Imperador n. 57, 2o andar
| do sobrado cajo armazem conserva an-
da hoje o nome de Alianca, tendo a
entrada, que pelo lado da ponte Sete
de Setembro, o mesmo numero 57, da
frente. Abi continuando o dito Dr. no
exercicio de sna profissao de medico e
de operador, pode ser procurado a qual-
quer hora do dia e da noute
m


>,
Jt
VlNHO. PlLTJLAS, XaROPE E TlNTRA
|TK .'rjRMIeB* 8'MPLES E FERRUGINOSO I
( .eo. PoMAr>A Rmplastro na. mesma
PLANTA PRCPARAD06 POR
9AI.TK0L01E0 & CA
Pharijaceuticos-DroqI8TA8
A Jurub-' : esta planta boje roeonneeid
G0U.0 o mn< poderoso Mnieo, corno o ueihei
desof-eroentt. e como tal ippiieadi no nedecimentoi
do Agido e beo, hapatiiea, dure*M, ir.mores inter-
nos e es peer luanle, do atara, htdropeiaa, ertai-
C'las, eic, e ssoiiaJa ao erro e mil as paliiau
a, chleroeo a (alta na meatraaeSo, desama-
jos do estomago, etc.', u qne disemoo attesUi
innur-Tn curo importante oblida. aoa aosooi
oret.ara.ios j bem csnhecido. e asada pela na
tos medicas do pas e Ponaaal. Ea todos m
P03S0. deposias atnaiaot gntU fothata aa
melhor fina ashoar a Jarahaba aoa raaludo-
i appliacJo.
0 CIRRGIAO DENTISTA
Frederico Maya
Tem a bonra de scientiicar ao respeita-
vei publico em geral, e aos seas clientes
em particular que elle mudou o seu gabi
netede consultas da ruaDireitan. 12 par
a do Queimado n. 31 primeiro andar, com
a entrada pelo pateo de Pedro II, onde po-
de ser procurado para os misteres de suj
profisso, todos os dias uteis das 9 horas
da manha s 3 da tarde.
Tambem previne, qne continua a prestar-
se a vontade dos clientes nio s na cidade
como nos seos .suburbios, para onde as
idas serio precedidas de ajaste. Elle ga-
rante o bom desempenbo e a perfeico de
seus trabatoos, o qae j bem conhecido.
assim como as commodidades dos precos.
Na travessa da
das Cruzes n, 2,
meiro andar, da-se di-
nheiro sobre penhores
de onro, prata e brilhan-
tes, seja qual for a qoan-
tia. Na mesma casa com- 5
pram-se os mesmos me-
taes e pedras. 1
m cidade de Olinda, prtia de S. Francisco,
tem nma casa de pedra e cal preparada para alu-
jrar-se u venderse, pertc do banhu e da missa,
tnm gran le terreno de quintal, pecado na frente
lerraoo pira fuer una boa ca, per lo da estra-
da di esucaodamachambomb.i : quem pretender
a ella em quanto lempo, emenda e com o dono'
ne palaci. epi~copal d>,rr^m cidade. _
Preeisa se de assa ama : na ma de h ortas n
50, 1* andar.
llS aWS III llwaB
INTEKESSA.NTE COHPOSIClO LITTEiMRM.
COMENDO .*
A noite do xtasis.
O sorriso.
A noite do assombro. .
A lagrima
A nonio do delirio.
O mysterto.
Com orna carta crtica dirigida ao autor pelo
Dr. T. B. Rigueira Cost.
i volnme bmrhadc i(XK).
AS CENTKLflAIS
Poesas patriticas sobre a guerra do Parajasr?.
1 volume brochado 2JO00
NA
_______L1VRARIA TRANCEZA________
Joaquim Jos Gon ves Beltrao
Ra doTrapcbe n, 7, 1* andar.
Sacca por todos os paquetes sobre o bae* o
Minbo, em Braga, e sobre os segnintes lugares ssa
Portugal :
Lisbaa.
Porto.
Valenca.
Gnimares.
Coimbra.
baves.
Visee.
Villa do Coode.
Arcos de Val de Ves.
Vianna do Casteilo.
Ponte do Lima.
Villa Real.
Villa -Nova de Fametkao.
Lamego.
La nos.
CQvilhaa.
Vascal Valpasso).
Mirandella.
Beja.
Barcellos.
Aluga-se a casa. n. SS da ra da Aurora,
com don andares e soto : os mesma rna a. 99.
Para nma familia iHe-
maa dt duas pessoas pre-
eira-ee de una ama ao-
ca para comprar e lser
e utala aervico de casa ;
no largo da matriz e
Santo Antonia n. 4, i* andar.
Cura rpida e infjl.lvcl dnaeal-
los, pela pOaMMU
Glopean.
Beposilo especial na pharmacia de Bartbolnssso
& C,
SiRna larga do Rosarlo
Agencia ^m ^roambint
Do Dr. Ayer
Peitoral de Creja
Cura a pbthvsica n todas as ssolectiss do
*-smi parrrrilka
Cura ulceras e ch: gas antigs, irnpigeos
axis.
Tostlfta
- Cocserva e limpa os cabelles.
Pllulas cat

ir-
1 latt


Diario a* Penukoco Segunda Mrt 10 te Outufcfo de 1870

J%. l^MER^tl^DA
1Q
H
P
-a
3
i
Tolographia imperial
B
E
DE
J. Penetra Filela
VALERIA
PINTORA
Hl

Este anjgo estabelecimento, acha-se hoje montado nmna
escala de poder servir vantajosamente os seus freguezea, atten-
to o granie sortimento de joias d'ouro, prata e brilhanteB, que
sempre tem e recebem mensalmente das principaes fabricas da
Europa- cujos prepos sao em competiveis e as obras garantidas
de lei.
MOHEIKA DIJARTK^ C.
MANUEL & C.
Tem a wMtfo de participar aos seus numerosos fregones, qm vista de ae^J" m "^J^J
establecido oaa nova fabrica de chapeos de sol, na ra da Cadera do Recife n. 9, boje roa do Marquede OUnda,
"fe .Ir*, os pendentes, muiS avuliado sortimento de chapes 4e so de todos os precos^ quaI, ade, e po^pre-
eos mas cmodos do que comporta o nosso mercado : convidara especialmente ^3""J^*"
darem, sendo possivel suas eocommendas, pois podero assim serem mais bem servidos, visto poderem escolner as ar
macees as taiendas que a demora da fabricaco bero diminuta, _____________ --------------------------
NA ANTiGA E BEM CONHECIDA FABRICA
CHAPEOS DE SOL
98
.'
DA
Eua do Baro da Victoria, esquina da Camba do Carmo.
(Antiga Ra Nova)
US
Ha sempre um grande sortimento de chapeos de sol de seda, merm, alpaca, bretanha de hoho branco i par- ufe
do e de alffodo os todos os tamanbos e feitios. alm da immesa porcao de seda, mer.no, d.godao e br m, $
armaces de todas as qoalidades para satisfacer qoalquer encommenda. A mod1C.dade de seus preces e tao mecida
que escusa de mencionar.
"5)4} li>6)i><*y tXW5>
Desde o da 7 de abril passado cha-se aberto o
novo estabelecimento pbotof raphico tito & na do
Cabug n. 18, esquina do pateo da matriz. Ostraba-
lho que desde entlo, tero sabido de nossa offleina
tem geralmente agradado, sendo recebidos por
liguas coro admracao pelo extraordinario pro
rresso que ltimamente tem lido a phou graphia,
9 por outros oom alegra, por verem a provincia
dotada com um estabeleeimento digno d ella, e in-
jontestavelmente o primeiro que netse genero
aoje possue : tambera nao nos poupamos em cousa
alguma para monta-lo no p em qoe se acha, es;
perando que o publico de Pernambuco saber
apreciar nossos esforc/M o recompensar nossos sa-
crificios.
GooTidatno a toda aquellas pessoai, nacionaes
a estrangeiras que gostaro das artes, on tiverera
aecessidade de trabamos de photographia a visi-
larem o nosso estabelecimento, que estar sempre
aberto e sua disposico todos os dias desde as 7
horas da manha ate as 6 da urde.
Para os trabalhos de photographia possuimos -ro
versas machinas dosmelhores autores francezes,
ingieres e allmemes, como sejam : Lerebours et
Secretan, Hermagis, Themaz Ross, Voigtlander el
sonta e Wulf. ltimamente recebemos tres novas
machinasi sendo urna dellas propria para tomar
sobre o mesmo vidro 4 ou 8 imagens diversas e
isoladas, e ontra de 6 a 12 imagens diversas e
igualmente isoladas, de sorte que no caso de
grande concurrencia poderemos retratar sobre
urna nica cbapa at 8 pessoas diversas e isola-
das para cartBss de visita, e assim em menos de
um quarto de hora despacharmos 8 dilTeremes
pessoas que pecam cada ama, urna duzia de cartfles
mais ou menos, com as seus retratos smente, ou
em grupo com outras.
Encarregamos-nos exclusivamente da directjo
's feitura dos trabalhos de photographia dei-
xando i-pnela e talentos do distincto pintor
allemao, o Sr.
Jorge A. Roth
os trabalhos de pintura, a aquarela, a olee, e a
pastel.
O Sr. Roth acha-se ligado a nossa empresa por
ama escriptura publica, e at o presente tem-se
desvellado na execucao de seas trabalhos.
No nesso estabelecimento acham-se exposlos ou-
tros trabalhos irojionantes do Sr. Roth, tanto em
miniaturas aquarella como oleo, reiratos
oleo, quadros sacros e diversos outrus trabalhos.
Tomamos encommenda s de retratos oleo at o
tamnho natural, assim como de quadros sacros
para ornamentocao de igrejas ou capellas. Tam-
bem aceitamos encommendas de quadros histri-
cos.
Asseguramos que os precos dos diversos tra-
balhos da nossa casa sao mu rasoaveis.
CARTOES DE VISITA NAO COLORIDOS A 10)500 A
DOZIA
CARTES DE VISITA COM O COLORDO AO NATU-
RAL 16(9000 A DUZIA
Retrates ero miniatura oleo ou a aquarella de
16 iOjOOO cada uro, indo convenientemente en-
caixilhado em moldura donrada e regulando o
busto da pessoa retratada de 3 4 pollegadas e
lodo o quadro palmo e meio de tamanho.
Julgamos que bastaro os precos cima para
darmos idea da baratesa dos trabalhos do nosso
sstablecimento, quanlo sua perfeicao cada um
venba julgar por seus proprios olhos.
As melhores horas para se tirarera retratos_ no
qosso estabelecimento sao das 8 horas da manha
I da tarde; entretanto de urna hora s 5 da tarde
sm casos especiaes pde-se tambera retratar qual-
quer pessoa.
Nos dias de chuva, ou por tempo sombro po-
demos retratar, e asseguramos que esses dias sao
3S mas favoraveis aos trabalhos de photographia
pela docura e persistencia da luz, e per termos o
oosso tarrago construido com taes proporeSes e
melhoramentos, que aiada chovendo gorros ne-
ahnm inconveniente ha para azer-se bellos re-
tratos.
J. Frrreira Villela
'jjejioit-*s 'J op ai bu : sanie w ejuametueisuoo 83-rsiea.id
_......mmm
I O Dr. Manpel ftjedino Reg Valenca
M contina no exefcfoio de sea proflssao de
| medico a ra da Camba io c*mo n- 2i
| 1' andar.
mmmmmmmmm-mmm
Ama de leite.
Precisa-se de urna ama livre on sujelU, porm
de boa conducta, que tenha bom leite e com abun-
dancia, sem fllho a mamentar : a tratar na roa da
Praia, armazem ns. 13 e 15.
PEDIDO
A' roa do Livraroento a 38, priatairo andar,
precisa-ae (aliar cornos segainaalenhorea:
Jallo Adolpho Ribas (acadmico).
Querino Candido de Vaicon cello.
Joaquim Cavalcanti de Albuquerque Mello Fae
(Pombal).
Jezuino Augusto dos Santos Fragoso.
Virfsimo Corris de Lyra (Croanfi ou Vieeocia
Jos Hermino Pontnal (engenbo Prelfreoca).
Fernando Rarata da Silva (eogenho Morojo).
Antonio Gomes Cordeiro de Mello.
Eduardo de Paula Santos.
Francisco da Silva Porto.
Thom Joaquim do R so Barros.
MOFINA
DYVETOT
l4Roa Estreita Oo Rsario.4
Compra e vende roupa feita
nova e usada, objectos de
cosinha e de mesa, e
tildo que perten-
ce ao uso do-
mestico.
Roga-se ao Illm. Sr. Ignacio V^lra de Meno, es-
crlvto ba cWae delfazaretta tau orortaetojO
favor de vir a ra do Imperaaor n. 18 a roaeloir
aquello negocio qne V. S. se eomprometteu resft-
sar, pela terceira chamada deste jornal, eai tas
d dezembro prximo paseado, e depots psira Ja-
neiro, passou a fevereiro e abril, e na la eumprio,
e por este motivo de uro chamado para ato
fin pois V. S. se deve leubrar qne esto aegoao
de mais de oito aanos, e ovando o sennor s
fllho se achava no estado nesta eidada.
MUANCA.
Jos Marques de Airosa Braga far seiento a seos
freguezes, que mudou sua fabrica de aleados que
tinha na loja do sobrado n. SI do largo do Coreo
Santo, para o 1* andar do mesmo sobrado, onde
pode ser procurado a qoalquer hora.__________
II BIJA DO BARIO DA VICTORIA 41
Nesta novo armazem tem um
variado sortimento de fazendas
fraDcezas, inglezas, allemlas e to-
uJas se vendem por precos
odeos, afim de acreditar a este
n ao armazem.
Casemiras inglezas.
rancczas, de todas as
qualidadas, brins de
cores e brancos, colle-
les modernos, chapeos
4e sol de seda, finos.
DE
ARRDA IRMOS.
'"",|'v
RA
DO
Sarao da Victoria
anuya roa
NOVA
K. 41.
Assim como tem urna grande
officina de alfaiate, montada com
todos os prepares que ha de melhor,
dirigida por habis artistas, que
pela sua promptido e perfeicao
nada deixam a desejar.
Roupa de todos os
tamanbos para homens
e meninos.
Por todos os paque-
tes recebem-se as me-
lhores e mais moder-
nas casemiras qne ba
na Europa.
RA
DO
Baro da victoria
antiga roa
NOVA
N. 41.
Este estabelecimento acaba de soffrer orna reforma radical em acceio, artistas e commodos, e m pontoalidade as encom-
iendas, finalmente em tudo afim -de melhor servir os seus numerosos freguezes deixa-se de annunciar todas as fazendas, para
vto se tornar aasgante._____________
Ama.
Precise-se de urna ama para cosinhar e com-
prar : tratar no largo d'Alfandega n. 4.
Precisa se de urna ama quj saiba cosinhar
e eogommar para casa de pouca familia : tra-
tar na rna do Cabuft n. 1 loja.
Alugam-se as casas ns. 1 e .1 na traversa da
ladeira ero Apipucos : quero as pretender dirja-
se ilha dos Ratos, casa n. 8, defronte dos trilhos
de Olinda._______________________________
Akoga-se o 1* andar do sobrado n. 1 da ra
Imperial: a tratar no andar terreo.
Attenqo.
Perdeu-se bontem, pelas 3 horas da manha,
urna arga de ferro com tres chavas, desde a ra
&> Rosari < da Boa-vista al a ra Velba, passando
pela ra da Matriz : quem a achou, pede entre-
ga-las na botica do Sr. Ribeiro na praca do Conde
d'Bo.e sera recompensado.
iX'.
O Rvm. Leonardo Jlo Grego pretende
celebrar n> segunda feira (10 do corrente)
s 8 horas do dia, na matriz do Santo \n-
tonio, urna missa palo descanco eterno do
Exm. Sr. conde da BoavisU, e para esse
acto convida ao amigo desse Ilustre finado
o Sr. commendador Manoel Luis VirSes.
O commendador Manoel Luiz VirSes,
agradece a defferenca que leve para com
elle o Rvmd. padre Leonardo Joo Grego,
e aproveita a occasiSo para tambem convi-
dar aos pareles e amigos do Eim. conde
da Bda-vista que quizerem assistir a mesma
missa oelo eterno repouso de sua alma.
Precisa-se de ama ama que se presto ao
ervico de eosinna e compras, e que saiba lavar
e eogommar, para oasa de um moco soluro ;.
que se acbar aestas coadicSe dirija-* a nu da
Craz n. Si, i* andar.
THEATRO SANTO ANTONIO
GRANDE SCCCESSO
DOMINGOS, DIAS SANTOS EDIAS UTEIS
GRANDE CAF CANTANTE
loao Francisco da Silva Braga, participa ao publico desta capital, que n'este theatro haver para
os concurrentes o seguate :
Sorvetes de diversas qualidades
Vinhos. Licores.
Champagne. Imperador Theodoro.
Bordeaux. Aya-Pana.
Porto fino. La bell amor.
Rheno. Coracao.
Cbateau LaQte. Sempre viva.
Cognac marteli. Amor eterno.
CERVEJA
BASS E NACIONAL
Gelada e nao geiada
CAF CHOCOLATE E CHA
Refrescos gelados de todas as qualidades
Rosa.
Pitanga.
Grosella.
Limao.
Cidra.
Laranja.
Lima.
Queijos.
Flamengos.
Londrinos.
Minas.
Prato.
Suisso
Doces.
Pastis de nata
Bom bocado.
Empada decamarao.
, Dita de carne.
Bollo de amendoas
Pao de l.
Fructos.
Macias.
Otas.
Peras.
Abacacbis.
etc. etc.
O mesmo participa, que, alera das bebidas cima notadas haverao outras de diversas qualidades
que muito agradarlo pelo preco e boa qualidade, e desde ja participa tambem que haverlo mezas,
cadeiras e bancos para qne os concurrentes estejam a sua vontade, assim como, haver urna banda de
msica marcial, que tocar dorante a urde ao jardm do mesmo theatro.
O mesmo, encarregado pelo proprietario, avisa que dentro em pouco tempo haver nm ou mais
buhares e jgo de domino para entreteniraento do publica
desde j convida, e qner da alto sociedade, quer di democracia.
para entreteniraento flo publico qne frequentar este estabeleeimento, a quem
alta sociedade, quer di
PRECO DA ENTRADA
O da da abertura ser em breve annunciado
damizujo 25 do corrente mea do setombro.
Os devertimentos dorarte duas bora, das 4 a 6, da larde, fiaranle-se toda firdem e moralidade.
im
pelos tornaos; mas provisoriamente se abrir ao
A commissio administradora da irraandade
de Nessa Senbora do Rosario do bairro de San
to Antonio, faz sciente ao respettvel publico que
para maior commodidade transfera a festade
sua padroera para o dia 30 de ontubro, deven-
do ter principio as novenas no dia 20 do mesmo
mez.
Consistorio da irraandade, 30 de setembro de
1870.
O secretario,
Libanio Luiz da Cunha.
O salo de pianos e de
msicas
raudou-se da ra Nova n. 58, andar, para a
ra da
Imperalriz n. 12, loja,
recommendando-se ao Illm. pu-
onde contina
blico.
G. Wertheimer.
Ama de leite,
Precisa-se de urna ama de leite, paga-se bem :
na ra AugusH n. 2, 2o andar. __________
Ama
Na roa do Vigario n. 5, 2o andar, precisa-se de
uroa ama lvre ou escrava para coznbar, em cujo
desempenho se quer asseio e perfeicao._______
Attenco
Ignacio da Silva Deir, em viagem provincia
de Pernambuco, avisa a seus freguezes que con-
duz excedente tropa de burros, que passar na
villa do Pillar, Porto Calvo, Castanha Grande,
Barreiros e Rio Formoso, e dalli irom seguimen
to para a Escada : quem pois precisar, pede man-
dar encontra-lo.
AMA.
Precisa-se de uroa ama para o servico interno
de urna casa de familia de duas pessoas : a tratar
na ra do Imperador n. 79. __________*
Precisase de um menino para cixeirode
taberna: na praga da Boa vista n. 32.________
0 Sr. Victorino Luiz dos Santos, nao mais
cixeiro do abaixo assignado.
Recife, 3 de outubro 1870.
P. I. Lavme.
Ama de leite.
Na ra da Mangueira n. 7 ha para alugar urna
ama de leite sem cria.
O Io andar do Campo das Princezas ond
funcionou o ex-club pernambucano, aluga-se pare
baites, soirs, jai .ares, almocos, sociedades, reu-
ni5es e concert?, por preco muito razoavel : a
tratar na mesma casa com o abaixo assignado.
P. I. Layme.
Precisase de urna ama forra ou captiva para o
servico interno e externo de urna casa de pouca
familia: na ra Velha n. 66.
Precisa-se de urna ama que cosinhe e faga
outros pequeos servidos para casa de duas pes-
soas : ra da Trempe sobrado h. 7.
Em casa de THEODORO CHRISTj
ANSEN, roa da Cruz n. 18, encontram-i
affectivamente todas as qualidades de vinh<
Bordeaux. Boartroune eao Rheno.
AMA.
Precisa-se de urna ama que seja cozinheira: no
Caminho Novo junto a establo dos trilhos urbanos.
Severiano de Siqueira Cavaleante fez a sua
tansferencia de sen escriptorio para a ra do Im-
perador n. 77, Io andar, onde poder ser procu-
rado das 9 horas da manha as 4 da tarde.
Companhia Allianpa
DE
seguros martimos estabelecida
na Bahia em 15 de Janeiro
de 1870.
CAPITAL..Rs. 200000*000.
Toma seguro de raercadonas e dinneiro a risco
martimo em navios de vella e vapores para den-
tro e fra do Imperio. Agencia rna do Com-
merco n 17, eseriptorio de Joaquim Jos Con-
nives Beltrio.
ATTENCO
Urna pessoa pratica em negocio de raolhados e
habilitada para tomar conta (como cixeiro ou ad-
ministrador) de qoalquer estabelecimento ou ar-
mazem, i deseja empregar-se nesta praca, offere-
cendo pessoa idnea como iador de sua conducta.
Para iaformacSes dirijam-sa rna da Senzala-ve-
lha d. 138, eseriptorio.
Precisa-se de um teitor para Oto pequeo aillo
no Corredor do Bispo n. 31, Bea-jirU.
ATTENCO
Raphael Granados, professor de msicas e maes-
tro da companhia de epera hespanbola (Zarzuela),
que acaba de chegar a esC cdade, offerece-se para
dar liebes de canto e piano, assim como afina estes,
tudo por presos coavencionados. Tambem coro-
poe tangos, habanero}, romanzas, cancoes bespa-
nholas para piano e canto, por prego mdico :
quem de seus servidos quizer utilsar-se poder
dirigir-se ao hotel Central, ra larga do Rosario n.
37, onde reside.
Precisa-se de urna ama forra on escrava
para o, servico interno de pequea familia : na
ra da Araizade n. 21, Capnnga.____________
Ao Illm. Sr. Albino Joaquim Lepes, que veio do
Rio de Janeiro para esta provincia no vapor ame-
ricano Meirmaek, entrado no dia Io de setembro
prximo passado, pede-se o favor de apparecer
no eseriptorio da companhia Pernarabucana, ou
annunciar sua residencia, que se lhe deseja fallar.
DTWT BOWMAN
ENGENHEIRO
Com funditjo.
A RA DO BRUM N. 52%
Passando o ehafariz
Machinas vapor systema meihorado.
Rodas d'agoa.
Formas de ferro para purgar assucar.
Moendas de canoa.
Taixas de ferro batido e fnndido.
Rodas dentados para moer com agoa, va-
por e animaes.
E outros objectos proprios d'agricultura.
Tudo por preco muito reduzido.
mm mmmwmmmm amo
M PRIMEIRO E ANTIGO CONSULTORIO
HOMEOPATHISO Jjg
Dirigido pelo Dr.
SANTOS MELLO
B Os habitantes do interior podem-no I
9B consultar por i^cripto, no que sero sa- tt|
H tisfeitos com priimptdao.
l Presta-se tambero a chamados para o |
g interior, a preco mdico.
Consultas, no consultorio das 10 horas S
58 ao meio dia.
Chamados, a qualquer hora.
^ Aos pobres gratis.
43Ra do Baro da Victjria43 *
(Antiga roa Nova).
J. Ferreira Yillela
PIIO'rOCiK AFIII1 IMPERIAL.
18RA DO CABUGA18
A entrada pelo pateo da matriz.
Os trabathos da reedificacs desta pholosrapbia,
e que se prolongaran) por tanto tempo, achia
lelizmente terminados e lia aberta ao servico do
publico desde 7 de abril passado.
O predio em que est colloeada esta photogra-
phia acha-se muito augmentado, e so a parte desti-
nada ao estabeleeimento conta cinco satos, neln-
sive as do laboratorio. Todos os concertos e aug-
nienios tendo sido fetos expressaroenle para aa
montar convenientemente a photographia, e nao s
podendo melhor modelo escolner do qne a Piulo-
grajiia Imperial do Sr. Iasley Pacheco do Rio do
Janeiro, o primeiro puotographo do Rrasil, e nm dos
pnmeiros do mundo, segnndo a opinio dos mais
abalisados mestres, a nossa photographia acha-se
dlsposla e reedificada pelo mesmo plano da do Sr
I. Pacheco, a qual foi montada sob todas as regras
recommondadas pelos mais destnelos prefessores
de accordo com as modificaroes necessarias ao
clima do Rrasil, reconhecidas e eslndada* pelo ha-
bilssimo e pratico Sr. I. Pacheco.
Todo o iut'-ror do predio em que est nossa
photographia foi mudado desde a soleira da porto da
ra at a coberta, tendo;*e demolido toda^ aa pa-
redes interiores para se fazerem as novas salas,
edifleando-se nm novo terraco envdrarado mui
espagoso e elegante.
Como sabido, fizenr os nma viagem expressa-
metite corte para exam.narmos as melhores pbo-
lographias all, e foi a do Sr. I. Pacheco, a qn<
melhor corresponden aos nossos desejos e aspira-
(fies, o da qual trouxomos os planos depois da
all estamos todo um mez estudando e apro-
veitando as lines de t .o distincto mestre. Pen-
samos que juntando os nossos estudos o looga
pratica de 13 annos de photographia s ntilissimas
liroes ultiman ente recibidas do Sr. I. Pacheco,
tendo montado a nossa photographia. como se
acha, podemos offerecer ao Ilustrado poblicc
d'esta cdade e aos noisos nuu.erosos fregoeies
trabalhos de photographia tao perfeitos. como se
poder desejar, e disto convencidos, esperamos
que contluuem a dispensar-nos a mesma pro
leccao com que ha 15 annos nos tero honrado e
ajudado.________________^^
ATTENCO
Os abaixo assignados fazem sciente a todas a-
pessoas que tem dado obras encadenar em soa
loja e officina do largo do Collegio, que tenham a
bondade de vir procurar ditas obras e pagar as
respectivas endadernar/es, visto que algnmas a
tem decorrido mais de <5 annos, sem qne seos do-
nos as tenham reclamado ; pelo que, passados .10
dias da data deste, sero vendidas para pagamento
das despezas da encadernaco. todas aquella*
que nesse praso nao forera procuradas e pagas.
Recife 2i de setembre de 1870.
Gimares & Oliveira
Em liqnidaco
Ama.
Ra do Torres n. 16, 2* andar, precsa-se de
urna ama que cozinhe, compre e engomme para
urna pessoa.
AVISO
Os abaixe assignados, incumbidos pela comms-
sao de senboras que promovem um concert e lei-
lo em beneficio das familias desvalidas dos solda-
dos de liaba de Pernsmbnco, fallecidos ou invali-
dados na guerra do Paraguay, de distribuir do
mode que lhes parecesse mais acertado o producto
d'essa subscripeo, pelo presente avsam s viu-
vas, pais mais e Albos dos offlciaes e soldados do
exercito naturaes d'esta provincia, ou que nella
tenham assentado praca, assim como a qualquer
prente d'estes, que fazendo parte de suas fami-
lias vivesse s suas expensa, e que se acbar em
estado de pobreza, o finalmente aos proprios offl-
ciaes e soldados, com excluso dos priraeiros, caso
estejam as referidas condicSesque dentro do
prazo de sessenta dias, a contar d'esta dataaeve-
ro provar com documentos authenticos sua den-
tidade e circumstancias de fortuna, aflm de pode-
rem perceber este auxilio.
Os interessados dovero encamlnhar seus docu-
mentos oasa do directorio do partido liberal,
rna do Queimado n. 8 primeiro andar, em lodos
os dias uteis durante aquello periodo, das 9 horas
da manha s 3 da larde, a onde, depeis de aten-
didas suas reelamacoes, recebero a quanlia que
lhes tocar.
Para que o presente avise chegue ao conheci-
menio de todos, ser publicado diariamente nos
jornaes mais lidos d'esta cidade.
Recife, 6 do outubro de 1870.
Baro de Bemfica.
Lniz Jos Perera Simoes.
Abilio Jos Tavares da Silva.
AMA
Precisa-se de urna ama para o servico de casa
de pouca familia: rna estreita do Rosario n. 32,
3 andar.
Precisa-se de nm mestre
urna padaria lora da cidade :
ga, ra da Amiado n. 7.
de maceira para
tratar na Capan-
A verdadeira farinha peitoral de
S. Bento.
Esta farinha usada com vanlajosos resalta-
dos nos padeciroenlos dos orgos do peim.
como asthma ou puchamento de ratharros.
inflamaco de bofe, pleurizes e na pthysiea; re-
commendando-se com igual proveilo as pessoas
convalecentes
nico deposito na phirmacia e drogara.
DE
Bartholomeu & C
_______34Rna larga do Rosario34_______
Na praca da Independencia n. 33 SO da di-
heiro sobre penhores de ouro, prata o podras
preciosas, seja qual for a quantia; e na miaai
tosa se compra e vende objectos de ouro e prata,
i igualmente se faz toda e qualquer obra de m
iommenda, e todo e qualquer concert tendente
i mesma arte._________________
ATTENCO
De sabbado 31 do corrente em diante kavera
todos os sabbados um mnibus para Xazareth.
devendo partir do Recife as 3 horas da madruga-
da, e voltar tus segundas-feras as 3 horas da
tarde, conduzindo o numera de 10 pessoas :
tratar na rna de Pedro Adunco (antiga roa da
Praia n. 41.) com o seu proprietario Jos Piolo
Tavares Jnior.___________________
Precisa-se de nm criado livre oo eseravo : t
tratar no armazem de molbados junto a asta typo-
graphia.___________________________________
Aluga-se para servir em casa de faailto oan
boa ewrava : as Cinco Pontos n. 144.
Precisa-se de um cixeiro brasileiro de 14 a
16 annos, que tenba pratica de taberna : a tratar
na ra Imperial n. 27.
Ha perto de 30 annos veio da Babia para esta
provincia de Pernambuco urna senhora de boom
D. Mara Elias de Seuza Lobo, i quem se nao toa
podido obter at hoje 34 de setombro de 1870 no-
ticia alguma. Essa senhora, por (allecnwnto da
sua mi D. Clara Mara de Soma Lobo Bato, toa
direilo a urna heranea j liquidada, a de alguna
importancia, na mesma provincia, na capital da
Baila.
A pessoa que da referida D. Mana Elias dar no-
ticia, ou do lugar em que ella sepnltou-se, (no caso
de ter morrido) recebera do Sr. Anionij Joaoomi
de Vasconcellos, negociante desta praca orna gra-
tificacaode50l, ao apresentar-lne a cerbdao de
bito.
No caso de ser viva a mesma senhora, bastar
dar noticia corto do lugar em que ella reside para
ser procurada, afim de voltar para a capital da
Rahia, e procurar a casa do tostamenteiro de asa
tinada mi, o qual mora na ra Dreila da Peate
dos Padres, propriedade n.....J* andar, onde toas
eseriptorio a companhia de Seguros Miritkaes Boea
Conceito, que abi achara o dito toatoneMcira para
lhe dar as iostrueedes precisas, afim de recebar o
quiobo qne Ibe perlence pela morte da dita saa
mi D. Clara Mara de Souza Lobo Bato Babia
4 de setembro de 1870._______________
, Aula particular.
A escola publica do sexo masculino da prfaira
cadeira de instrueco primara da treguesto de
Santo Antonio, acha-se reanerta e sHaada aa raa
da Roda n 11, para onde os seneoree pato de ta-
mil ias poderlo mandar seus fllhos.


Vndese urna armuco aova em
dado : a tratar no pateo do Panto n. t
A\


Diario de Pernambuco Segunda feira 10 de Outubro de 1870.

/
" .'"

-rm
AO ARMAZEM
DO
VAPOR FRANCEZ

RESTAIMNT DE PARS
4Ra das Larangeiras4
MR. MICHANDON proprietario deste estabelecimento, recebe assigna-
turas para almoco e jantar, por preco o mais mdico que possivel. Bem
como fornece tambem almoco e jantar avalso.
SENDO
ALMOCO

)
Este conbecido estabelecimenlo acha-se constantemente bem sortido, em virtude das
facturas que recebe por todos os vapores e navios fraacezes, dos artigos abaixo menciona-
dos, i precos os mais resumidos que possivel.
CALCADO FRJLffCEZ
Botinas para senhoras e meninas.
Botinas pretas, brancas e de muitas outras cores, sortidas e bonitas, do ultimo gus-
to da moda, e precos mais barates do que era outras partes.
Botinas para horneas e meninos.
Botinas de bizerro, cordavao, lastro e pellica, das melhores. fabricas e escolhidas.
Botas e perneiras rnssianas.
Botas e perneiras para maulara, das melhores qualidades, de couro da Russia, lus-
tro e bizerro.
Sapatos de borracha para homens e senhoras
Tendo chegado grande porcao de sacalos de borracha vndese pelo custo afim de
desempatar o dinheiro nelles empregado, sao baratsimos.
Sapatos de lustro para homens.
Sapatos de entrada baixa de couro de lustro cora salto, de muio boa qualidade.
Abotinados para meninos e menluas
Sapatos abotinados de differentes modelos, de muito boas qualidades e fortes, tanto
para meninos como para meninas, muito baratos.
Sapatos de tpete.
Sapatos de tapete aveludado, de casemira, de charlte e de tranca francotes e por*
tuguezes para homens, para senhoras e para meninos.
PERFUMARAS
Excellentes extractos, banhas, leos, agua de cologne, florida, divina, lavande, den-
trifice, de toilette, sabenetes, tintura para cabellos, pomada angroise para bigodes, pos de
arroz etc., tudo isto de primeira qualidade, dos afamados fabricantes, Condray, Piver e Lubin.
Qinquilharias
3 pratos a escolha
Vinho
Gaf ou cha.
15000
JANTAR
f^OOO
3 pratos a escolha
Vinho.
Sobre-mes a.
Gaf ou cha.

Acdba de sahir luz
.E
Ytiinte-se'
KA
Livraria franceza.
gua mma
ou
0 MARAYILHOSO REMEDIO
DO
Dr. Chas, de Grath
OLEO ELETRICO
KING OF PAIN
0 RE DADOR
Para o uso interno e externo.
CURA:
Cholera e cholera-morbus, diarrha,
fluxo de sangue, em um da.
Dor de cabera e dores de
Luvas de pellica do conhecido fabricante Jouvin, espelhos para sallas, quartos e ga-
binetes, toncadore de diversos tamanbos, leques para senhoras e para meninas, abridores
de luvas, brincos, pulceiras, boioes, correntes e chaves de relogios e trancelins, tudo de
ouro de lei, corremos e brincos de plaque1, a imitacao e de mais gosto do que as de ouro,
caixinhas de costura ricamente guarnecidas e ornadas cora lindas pessas de msica, albuns
e caixilhos dourados para retratos, caixinhas com vidro de augmento para distinctamente
ver-se a perfeicao dos retratos, objectos de phantasia para toilettes, bolsinhas e cestinhas
de seda, de velludo e de vimes para braco de meninas e senhoras, ditas para costuras, pe- g
quenos registros muito Anos e delicados, bouqnets de flores de porcelana, jarros proprios |B
para gabinetes e santuarios, quadros proraptos para collocar-se vistas, molduras douradas Mi
para quadros, estampas finas de paysagens, cidades, figuras e de santos, vidros para eos-
morama, malas, saceos e bolsas de v'iagens, esporas, chicotes, bengalas, oculos, lunetas ou
pensinez de prata dourados, gravatas pretas e de cores, abotoaduras de collete e de punhos,
carteirinhas para notas, thesounnbas e caivetes finos, pentes, escovas, ponteiras de espuma
para charutos e para cigarros, joeos de domin, rodetes, bagatelas e outros differentes, ve-
nezianas modernas muito conveniente para portas e janellas, cosmoraraas, lanternas mgi-
cas, esteriocopos com interessautes vistas de figuras e das mais bonitas ras, boulevards,
pracas e passeios de Pars, photographias e caixinhas mgicas, reverberos para candieiros,
tapetes de vidrilho e de lia de cures para ps de lanternas, realejos grandes e pequeos,
harmnicos, aeordions de todos os taannos, bercos de vimes para criancas, sapatinhos e
toucas de la, carrinhos de 3 e 4 rodas rauito elegantes para condwir enancas passeio ; e
outras muitas quinquilharias de phantasia, francezas e allemes, precos muito em conta.
3M@3iD(!>3 iwwaa saaii(isi(D3
Para este artigo nao ha espaco nem tempo para a massante leitura da inflnidade de
gneros de brinquedos fabricados era diversos paizes da Europa.
ATTENCAO
O dono deste estabelecimento pede ao publico em geral que continu a visita-lo
verificando as qualidades e os precos baratos de ditos objectos por serem vindos em di-
reitura e de conta propra.
EKGEHHEIRO
Com fundiqo
RA DO BRUM 52
Passando o chafariz.
Chama a atten?o dos Srs. de engenho para seus acreditados machinismos e
com especialidade para seus vapores que ainda urna vez tem melhorado.
Os vapores fornecidos por elle e j funecionando Ihe ho de fazer melhor apre-
ciadlo do que qualquer dito proprio.
Deseja tambem mencionar que tem feito urna reduelo em seus precos; e que
tem prompto toda a especie de machinismo e outros objectos para a agricultura.
S

m
o
m
5

P
n
B*
p
p-
p
0
P
P
8
5.
a. p
CD
ai
ja
B*
S3
P
I!
o-
o
a
o
I
P
$*
c
p p^
+1 P P g CD
2 P- CD
II9
9 9
p-
QO
1-8
CD p
m
CD *
M O
^ -
^ 8
^
8-8
p-
p,p
t
CD-B
?-

&
ouvido,
em tres minutos.
Dr de denles, em um minuto.
Neuralgia, em cinco minutos.
Deslocaces, em vinte minutos.
Gargantas indiadas, em dez miau
o s
tos.
Clica e convulses, em cinco minu-
Rueumalismo em um dia.
Febre e febre intermitiente, em um dia.
Dr as costas 'e nos lados, em dez
minutos.
Tosses perigosas e refriados, em um
dia.
Pleuresa, em nm dia.
Surdez e ssthma.
Hemorrhoidas e bronchites.
liiflammago nos rins.
Dyspepsta e erysipelas.
Molestia de Ligado.
Palpitaclo de coraco.
Reserve sempre este remedio na sua familia.
AS DOENCAS SE APRESENTAM QUANDO MENOS SE ESPERAM.
Oleo eletrico0 King of Pain(o re da dr) aquieta e positivamente dissipa mais
de differentes molestias e dores, e allivia mais os soffrimentos e produz um mais perfeito
equilibrio no systema humano, o que nao se pode effectuar no mesmo tempo, com qual-
quer outro remedio medicinal.
Este muito popular remedio est agora usndose geralmente, pela razSo qne mi-
Ihares de pessoas se tem curado gratis com o dito remedio 'pelo Dr. de Grath e outros
mais.
Este importante remedio nao se offerece para curar todas as doencas, porm to
somente para aquellas estipuladas das nossas direccoes.
Est operando nos principios da chimica e da electricidade, e por isso est appli-
cavel para o curamento e para a reslauracio da aceito natural dos orgos que soffrem da
irregular circulacjio dos fluxos dos principaes ervos. O oleo eletricoo King of Pain
opera directamente nos absorventes, fazendo desapparecer as incbacoes das glndulas
etc. em um tempo incrivel, breve, sem perigo do seu uso debaixo de qualquer circums-
tancia.
O remedio, urna medicina para o uso externo e interno, composto dos elementos
curativos, raizes, horvas e cascas, taes como se tem usado do9 nossos antepassados, e
das quaes tem grandes existencias no mondo, para curar todas as molestias, sabendo-se
quaes ellas sao.
Foi um grande e especial desejo da faculdade de medicina durante muitos annos
de experiencia para aprender os melhores modos qne se deviam adoptar para curar as
seguintes doencas, e que proporces de medicina se devia usar.
nico deposito em Pernambuco
NA PHARMACIA E DROGARA
DE
Bartholomeu & C.
N. 34RA LARGA DO ROSARION. 34.
GRANDE
CENTRAL
37Ra 11 de Dezembro37
(Outr'ora Larga do Rosario)
No muito cenhecido HOTEL CENTRAL encontraro sempre os nossos innmeros
freguezes notaveis melhoramentos, indispensaveis para commodidade dos Ilustres fre-
quenUidores.
No HOTEL CENTRAL encontra-se-ha constantemente tudo que de confortativo e
deleitavel se pode encontrar em um estabelecimento desta ordem.
Assim acha-se all urna excellente casa para banhos, um sallo todo alcatifado e
guarnecido de divans, piano, jornaes nacionaes e estrangeiras etc., etc
DULCE FAKMEME
CHARUTOS
Imperiaes
Amadores .
Londrinos
Leaes
E de outros fabricantes, que seria ocioso innumerar.
As familias que nos quizerem obsequiar, tanto nacionaes como estraageiros, en-
contrarlo os commodos necessarios.
A moralidade e boa ordem a norma do
Hotel Central
Falla-se o hespanhol, francez, inglez e italiano.
Normas da Havana.
Suspiros.
Napoleoes
Havanas.

Pl LULAS
PHC. 2 Ru C'
PA R
HOGG
J t. HAUREB C", m Ptrntrntrntoi lOSE BELLO, m Porto Ji*n:\
NLTA LOPES, m ** FERMEIB.A et C", m jrruUo.
PRECIOSA DESCOBERTA
CUBAS MAKAVIXHOSAS
TONICODELSC
Nec plus ultra
Tirando immediatamente todas as caspas e coceiras dos cabellos. .
Deposito
lmente em casa do autor, Andr Delsnc cabelleireiro de Paria.
Ra Io de Marqo (antiga Crepo) n. 7 A Io andar
DE
NOSSO SENHOR JESS aiRISTO,
MARA SANTISSIMA
|
VARIOS SANTOS.
A saber:
Setenario do Senhor Boa Jess dos Passos.
Offlcio do Senhor dos Passos.
Novena do Menino Deas.
Novena de N. Senhora da ConceicSo.'
Setenarlo das Dores de Mara.
Offlcio das Se te Dores de liarla Santsima.
Novena de N. Senhora do Carino.
Offlcio de N. Senhora do Carmo.
Novena de N. Senhora da Penba.
Cnticos de N. Senhora da Peona.
Novena do B. S. Joo Baptta.
Novena da Senhora Sant'Anna.
Treiena de Santo Antonio.
Novena do B. S. Jos.
Um bonito volume encadernado.
2000.
ompanhia
DE
Santa Thereza.
De conformidade com e disposto no art. lo dos
estatutos, sao pelo presente convidad? qs Srs. ac-
cionistas para reunirem-se em assembla geral no
dia 15 do cerrente aomeio dia, no Io andar do
edificio n. 14, na ra da Companhia Pernambn-
cana, am de ser insultada a companhia, e pro-
cader-se as respectivas eleic<1es.
Recife, 5 de ontnbro de 1870.
Justino Jote de Souza Campos.
Commodidade publica.
As pessoas que precisaren) de amas, criados,
coiinheiros. jardineiros, eitores, amas de leite,
escravos para o servico domestico, cnixeiros, tan-
to para a praca como para o mato, casas e sitios,
poderlo desta data em diante mandar seus pedi-
dos por escripto roa do Torres n. 32, 2o andar,
casa amarea.
Restauran! de Pars
4_Rua das Larangeiras_4
Neste estabelecimento precisa-se de um copeiro
que esteja bem versado no servico.
Alupa-se um sitio no lugar do Caldeireiro
junto ao sitio do Sr. Dr. Alcoforado, com casa,
fructeiras, tendo nos fundos do sitio banho": quem
pretender dirija-se ao mesmo sitio, on no pateo do
Colleglo, escriptorio do Sr. Dr. Fonseca, prefere-se
alugar a pessoa solleira, e seDdo casado que tenha
pouca familia.
A condessa da Boa-vista conviJa a todos os pa-
rentes e. amigos do seu sempre chorado marido o
Conde da Bo3-vUta, ouvirem nma missa que
tem de ser celbrala pelo repouso eterno de sua
alma, na matriz da Boa-vista, a 10 do crreme
mez, pelas 8 horas da manfcaa, stimo dia do seu
fallecimento. J_^M^_____
Atiene do.
Tinge-se e lava-se com perfeicin, e mais barato
do que em outra qualquer parte : na ra do Ge-
neral Victorino n. \\'-\.
AMA
Precisa-se de nma ama
para dnas pessoas
to Antonio n. 12.
que compre
no largo da matriz
e cosinhe
(i- San-
Quem achnu urna volca d-- ciiellos eneas-
toada em ouro. perdida do Kecifr|para|a Boa-vista
at ra do Hospicio n. 30, no da 6 as 7 horas
da noite, tenha a bondade de a entregar na mesma
rna e numero, que ser bem recompensado.
COMPRAS.
Lom muito maior vantagem compram-se
ouro, prata e pedras preciosas e a obras velhas: na
loja de joias do Co;ac.ao de Ouro u. 2 D, ra do
Cabug.
Compra-se urna carnea em meio nso para
cavallo, e um trepador de coqueiro >i dendezeiro :
na loja de calcado n. 22, ra larga do Rosario.
Attencao
Comprase nesta typographia urna colleccao de
ei provincial do anno de 1866.
Burro
No brigne Relmpago prximo a rhegar de Lis-
boa, esperara se dous barro da raga hespanhola :
quem pretender compra-Ios pode dirigir-se a ra
do Commercio n. 48. Io andnr. __________
Compra-se nm terco de pesos de 5 kilos e
50 grammas, um temo deseceos e um de liquido :
a tratar na rna da Penha n. 33.
ODAS.

Em tempos modernos nenhom descubri-
mento operoo maior rerolucao no modo d
corar anteriormente em voga do que o
PEITOIIU DE AiKACAHlllTA
TANTO NO TRATAMIENTO DA
TOSSE, CROfO,
ASTHMA, TIIISICA,
ROUQUIDlO, RESFRIAMENTOf.
BRONCHITES,
TOSSE CONVILSA,
DORES DE PEITO,
EXPECTVRACAO DE SANGUE.
(lomo em toda a grande serie de eofermi-
dades da gauganta, do peito e dos mgaos
da REspiRACo, que tanto atormentan! e a-
zemsoffrera humanidade. A maneira an-
tiga de curar consista geralmente na appli-
cacao de vesicatorios, sanorias,sarjar ou ap-
plicar exteriormente ungentos fortissms
compostos de substancias vesicantes, alea
de produzir empolhas; cajos (liflerentesino-
dos de curar, nSo faziam senio enfraque-
cer e diminuir as forcas do pobre doenie,
contribuindo por esta forma d'uma maneira
mais fcil c certa para a enfermidade a truicao inevitavel de sua victima Quem dif-
jerente pois o effeito admiravcl do
PEITORAL DE ANACAHUITA !
VM E~EZ DE IRRITAR, MORTIFICAR E CArZAK
INAUDITOS SOFFRIMENTOS AO DOENTE,
CALMA, MODIFICA E SUAVIZA A DO.
ALLIVIA A IRRITACO
DESEMVOLVE 9 ENTENDWEKTO,
FORTIFICA O CORPO
e faz com que o systums
Desaloje d'uma maneira prompta e rapi(!a
at o ultimo vestigio da enfermidade. Os
melhores votos em medicina da Europa (es
Lentes dos Collegios de Medicina de Berlnr.)
testificam serem exactas e verdadeiras estas
relaees analgicas, ou alm disso^a experi-
encia de milhares de pessoas da America
Hespanhola, as quaes foram curadas cora
este maravilhoso remedio, sao mais que
suficientes para sustentarem a opiniio do
PEITORAL DE ANACAHUITA f
Deve-se notar que este remedio se acha
inteiramente izento de venenos, tanto raine-
raes, como vegetaes, em quanto que porm,
alguns (lestes ltimos, e particularmente
aquelles que sao dados sob a forma de Opio
e Acido Hydrocianico, fonnam a base da
maior parte dos Xaropes, com os quaes to
fcilmente se engaa a credulidade do pu-
blico. A Composiro de AnaoMfc Peito-
a acha-se linda e curiosamente engarrafadas
m frascos da medida de cerca de M
quartilho cada um, e como a dosc (pie se to-
ma s d'uma colher pequena: basta ge-
rlrnentc a applieacfto d'um oa dous frasees
para aeffectuaco de qualntirr cura.
Acha-se venda nos cstabeleciiuertos de
P. Maurer & C, i. C Brava ic C A.
Caors, B. M. Barboza t Barloiomeo 4 C1..
)ES.
iwnw
20 Ra (h Imperatrie 20
AC3ba de chegar para a loja de funds tic j
deneminada La vil de Paris um prane i
ment de fazendas linas, orno Kjra : rfires d"
poil de chevre com lisiras escocezas de nma e dn*
saias o que ba de mais alta novio:.de, ricas pope-
linas de ssda, granaduies, Bm SMOMIIS tlfttV,
bareges, etc., etc., e um eorcpletj forMMMM
chitas, madapoles, canbraias braceas e d'
organdys e cambraia imperatriz, e ontras mnita
fazendas, tudo drt que ha de meiuor ne^te menu-
do, que tndo se vender o mni- banto possiv'1.
Chamamos a attencao di bello sexo qne qclzcr
andar na moda, e M mesmo tempo esperamos a
sua protefieao. M;inda-e ievnr rii casa
FTIW familias to4iS as f.z ndas que aos
direm.
20-RA DA IMPEP.ATRIZ20
_________Frtt Le.___________
01^0 e riciro
Vmde m oleo de ricino : u.. roa da Cadeia-ve-
lha do Recife n. 1, 5 andar.
NOVIDADE.
O Costa, proprieta/io do armazem da Pedra
Marmore rna das Cruze3 n. 42, offerece por di-
nheiro contado o que de melhor ha no mercado,
por ter recebido muitos dos gneros descriptos
pelo ultimo vapor.
I JHortalices para sopas denominadas Julienne, que
substitue perfeitamente as mais frescas erva.
Queijos flamengos o que de melhor se pode de-
sojar a 3*000.
CaixSes de doce de goiaba a 800, If, 11200 e a
12800, dito em latas a i& e 21500.
A verdadeira farinba americana vinda de conta
propria a 320 rs. o maco de urna libra.
Velas stearinas a 640 o maco.
Blachinhas de todas as qualidades e dos me-
lhores fabricantes.
Ervilhas francezas e portugueas.
Vinho de todas as qmlidades.
Farelo de Lisboa desembarcado hontem, em
saceos grandes, a 5*.
Cama do serto muito nova e gorda.
Queijos de qualha, ew.,ete.
Saccas com milho a 40O0.
Especial e aromtico sabo de familia a 500 rs.
o kilo. .__________
PARA AGUA.
Canos de ferro galvanisados por barato preco.
Torneiras, e curvas para os mesmos I No armazem da travessa do Corpc
Santo n. 25.
Moinhos para caf e para milbo
Os melhores moinhos para caf e para milho que tem viudo a este mercado'
se encontrad no armazem da travessa do Gorpo Santo n. 28
Vende-se
urna nma de Jacaranda para deposito de ossos : na
rna da Imperatriz, loja de marcineiro n. 53.
Imagens e oratorios
Na roa da Cruz, armazem n. 12, a precos ra-
zoaveis.______________________________
Vende-se a taberna sita na roa Imperial n.
245, bem afreguezada, por o dono ter de retirar-se
para fra da provincia,
Potassa nova da Roafia a 200 rs. a lilira.
Cal de Lisboa.
Cera em velas.
Dita em grume.
Vinho do Porto superior engarrafado.
Dito de dito bom dem.
Dito muscatel de diversas mareas dem.
Dito tinto Palmella superior idem.
Dito dito Vermoeira idem.
Dito dito lavradio idem.
Dito branca Carcavellos, idem.
Dito dito Bucellos idem.
Caldeiras de ferro fundido para engeob.
No escriptorio de Oliveira Filhos & C ao Urg
do Corpo Santo u. 19._____________________
Vende-se a taberna sita na rna da Sania
Cruz n. 1, bem afreguezada para a Ierra ; a ca-
sa tem bons commodos para familia mirar M*-
pendente por ser de esqnina : a tratar ra rna o
Rosario da Boa-vista n. 56
Vende-se nma linda parelba de borres do Rio-
Grande do Sal, muito bem ensinados pira carro
ou cabriolet : para ver oa coxeira do ferrador de-
fronte de S Francisco, onde se dir quem a
dorano e o preco.
tontas
de hortallcas de todas as qualidades : na casa do
ouro, roa do Barao da Yictona n. 63.__________
Piano.
Vende-se um plano moderno, de muito boas ro-
zos, e do autor mais afamado : quem o pretender
dirija-se a rna larga do Rosario n. 21. 1* andar.
Na roa larga do Rosario n. 44, 1 andar, vnde-
se os seguintes livr $ de direito: Guisot, Abbade,
Andr Autran, Waldek, Gosset muitos outros.
Vende-se por barato preco a proprirdade ca
camba dos Remedios, que fot de Joo Aaasucii
Camello Pessoa, com urna grande olaria de peine
cal, que lastra 16,000 lijlos, e foroo que >
25,000, com excellente barro para toda o<
obra, com dous excelleutes viveirot oca .
acude d agua doce, tendo urna casa de tenradode
um andar e soto : as pessoas que pula**
dirijam-sea referida propriedade a eleneUf-nt
o capitao Deltino Lins Cavalcaoti Pesaoa, f
da mesma propriedade.
ATTENCA0
Vende se urna casa terrea de pedra t eai, u
ra ln perial a. 2oty nova e muito bem ou
com 2 salas, 3-quartos, cozinha lora, u
cacimba, quintal todo murado coro sahidi. m rua-
do, terreno prepro, a qaal rende 231 per wm :
a tratar no armazem da bola umarella m ofcto da
secretaria de polica.


BAZAR DO
60-RUA DA IMPERATR1-60
A Nova Esperanza
o a NOVA-ESFHRANCA lz ogfceoa
ejdbtdo ios sus frceles e a
i letal fraude rortimeYto % su-
perior i dade de seas objectos n3o com vis-
tas de atrair a attencSo de ama grande fre-
guezia, como a de que actualmente despoe,
e sim para scientificar (a interese de todos)
a qaalidade de seos objectos os quaes s3o
sempre de apurado gosto e perfei^o; tor-
nando-se qoasi iadispensavel para aquellas
apreciadores (do bom) frequentarera a No-
tiEsperanca, pois qne ella capricha em re-
ceber constantemente, o qoe ha de melhor
relativamente a sua repanieSo: o qae se po-
der verificar qaando em qualquer reuni
de pessoas (amantes do xique) v-se um
bonito enfeite em um bonito vestido, um
Neste importante esbelecimento encontrar o respeitavel publico, nm grande 8 variado sortimento de fazendas domis aroma agradavel escapar d'um alvo lenco,
aparado gosto e todas de primelra necssidade, que se venden mais baratas do qae em oatra qualquer part, vista- qne os no-
vos socios desta firma, adoptaram o systema de s venderem D1NHEIRO ; para podereaa vender pelo costo, litttotodo-se apenas
a gannarem o descont ; as pessoas qoe negociam em pequea esca'a, nesta loja e araiaaem poderlo nw os seos sortimentos
pelos mesmos precos que compram as casas inglezas, (importadoras) e para maior comaodidade das Exaras, familas se daro
amostras de todas as fazendas, ou lhes lvam em suas casas para escolnerem.
DE
PEREIRA DA SILVA & C.
PECHINCHA EM CASERHRAS A 40000. CORTES DE LA ESC0CE2ES A 60000
No Bazar do Pavao fe-se urna grande Vndese bonitos cortes de 15a escocezas,
compra em um leiUo, das mais finas vindo cada om em seo papel, pelo barato
casemiras inglezas que tem vindo a es- preco de 60000 cada um; no Bazar do Pa-
te mercado, tendo c&res claras e escuraa, v3o.
todas co padrees serios, proprios paraf! ORGANDYS BRANGO E DE COR
calcas, palitos e coUetes; vende-se a 4*000 No Bazar do Pavao vendase os mais
o covado, o qoe em oatra qaalqoer parte bonitos e muito finos organdys com listas
nao se vende por menos de60; grande largas e miudas 10000 a vara, ditas lisas,
vantagem.
BRINS DE LINHO DE COR A 10200
No Bazar d Pavao, fez-se ama grande
compra de poros brins de linho, muito en-
corpados, proprospara caicas, palitos, col-
letes e roupas para meninos, por serena de
padrees miadiohas ; garante-se que nao ba
barreHa que lbe tire a cor, e vende-se a
10200 o metro desta excellente fazenda.
MADAP1L0 FINO A 60400 A PECA.
No Bazar do Pavao vendem-se pecas de
ma jdapolao fino de mnito boa qualidade,
tendo 22 metros ou 20 taras cada peca,
pelo barato preco de 60000, por se terem
comprado om pouco enxovalhadas; pe-
chincha
CHITAS ADAMASCADAS A 240 RS. O
COVADO
O Bazar do Pavao vende muito boas chi-
tas inglezas incarnadas adamaccadas, pro-
prias para cobertas e cortinas, sendo fazen-
da que em qaalqoer loja se vende a 320 rs.
e bquida-se a 240 rs. o covado; s o Pa-
vao.
TOALHAS A 70500
No Bazar do Pavao fez-se ama grande
compra de toalbas alcocboadas, propras
para rosto, bastante encorpadas e grandes,
que sempre se venderam a \4 20000, e li-
quidam-se a 74500 a duziaou a 640 rs.
cada urna, boa pechincha."*
CHAPEOS PARA MENINOS A 20000
O Pavo vende urna grande porc dos
mais bonitas cbaposinhos de palha da ta-
lla proprios para meninos de todas as Ida-
des, sendo chapeos que valem 50000 e ven-
dem-se a 26000 cada um, muito barato.
CHITAS E RISCADINHOS MIUDINHOS
208 RS.
O PavSo vende chitas ou riscadinhos miu-
dinhos cor de rosa e rxinbos, proprios
para vestidos e roupas de creancas a 200
rs. o covado. S3o muito baratos.
LASINHAS COM PALMAS DE SEDA
Chegou para o Pav3o o mais bello sorti
mato das mais brilbantes lSasinbas claras
com bonitas palminbas, de seda; tendo lar-
gura de chita franceza e vende-se a 10OUO,
o covado grande pechincha.
ALPACAS MATISADAS A 640 RS. 0 COVADO.
Vendem-se as mais modernas e bonitas
alpacas matsadas com palmiohas, muito
proprias para vestidos de seohora e di me-
ninas pelo barado preco de 640 rs. o cova-
do ; sao muito em conta.
PARA NOIYADOS CORTINADOS, COLCHAS.
Cbeeou para o Bazar do PvSo um gran-
de sortimento dos mais bonitos cortinados
bordados, proprios para camas e janellas,
qne se veodem de 100^00 at 2O0DOO o
par, assim como o melbor damasco cem 8
palmos de largura a imitado de damasco
de seda, proprias para colchas, e propia-
mente colchas de damasco, send os melbo-
res e mais bonitas qoe tem vindo ao mer-
cado.
SEDAS DE USTRAS.
No Bazar do Pavo vende-se urna grande
qnanti lade das mais elegantes sedas com
listrinbas, tendo de todas as cores e at
farta-cr ; fazenda que ninguem vende por
menos de 20400, e liqoida-se a 20000 cada
coaio; sao moito baratas.
SETINSDE CORES E GROSDENAPLES.
No Bazar do Pav5o vende-se um sortimeo-
to completo dos melbores setios e grosde-
naples de todas as cores, que se veodem
muito em conta.
POPELINAS OE LA A 400 BS. O CO-
VADO
No Bazar do PavSo vende-se um elegan.
fe sortimen,f> das mais bonitas poupelnas
de Ha com listas miadinbas, sendo todas
qoasi de orna s cor, 400 rs. o covado ;
? baratsimo.
GRANDE PECHINCHA EM LASINHA
A 640 RS.
N) Bazar do PavSo fez-se urna grande
comora de lasiuha para vestidos, sendo de
muito bia qualidade, ornas com listas e ou-
tras com mselas, e muitos largas, que com
p ucos cova 440 rs, fazenda qoe sempre se venden a 10
ALPACAS PARA VESTIDOS FURTA
CORES A360RS.
Vende se um bonito sortimeoto das mais
brilbantes alpacas escaras furta cores,
sendo muito encorpadas e tendo om brilbo
como seda, liquidase pelo barato preco de
360 rs. o covado por se ter feito ama gran-
de compra.
l'OUPE LINAS A 400 RS.
No Bazar d > Pavao vende-se um elegante
sortmeoto das mais lindas poupelnas de
lia com os gostos miudinbos sendo qoasi
ama s cor e* con muito brilbo, pichin-
cha b 400. rs. para acabar.
CH TAS A 20 RS. O CORTE.
No Bazar do Pa3o vende-se cortes de
chita miOTnhas, sendo rocha e cor de rosa,
tendo 10 covados cada cone a 2-J vende-se
a realbo i 201 rs. o c vad i, pecbincua.
CASSAS A200RS.
fazenda de muita phantasia 800 rs. a vara,
ditos d cores, finissimos padrSes, ioteira-
mente novos 800 rs. i vara.- pechincha.
GROSDENAPLES PRETOS
Chegoa para o Bazar do Pavao nm gran-
de sortimento dos melhores grosdenaples
pretos qne tem vindo ao mercado, qoe se
veadem de 10600 at 50000 o covado ;
sao todoa muito em conta.
CAMBRAIAS TRANPARNTES
No Bazar do PavSo vende-se om grande
sortimento das melbores cambraias bra cas
transparentes, tem de 30500 at 100000
peca, ditas soissas fioissimas com 8 pal-
mos de largura a 20000, 20500 e 30000
vara, ditas victorias e tapadas da mais infe-
rior at a mais fina qoe vem ao mercado;
tudo isto se vende muito em conta.
MANTELLETES DE FIL
No Bazar do PavSo vende-se modernissi-
mos maotelletes ou basqaioas de fil preto,
.om laco, pelo barato preco de 100000 ca-
da om, barato.
PANNOS PARA SALAS A 10000, 10280 E
10600 O METRO
No Bazar do Pavao vende-se bonita fazen-
da branca encorpada para saias, sendo com
babados e pregas de um lado; dando a lar-
gara da fazenda o comprimeoto da saia, a
qual se pode fazer com 3 ou 3 1r2 metros,
e oende-se 10000 e 10280 e 1600; assim
como tambera no mesmo estabellecimento
se vende bonitas saias brancas bordadas ten-
do 4 palmos cada orna, ditas de 15a de
cores j promptas urnas com barras diffe-
rentes, da mesma fazenda 40000 e oatras
com barras bordadas 60000 e 70000,
tndo isto moderno e bfato.
ALGODO ENFESTADO PARA LENQES.
No Bazar do Pavao vend-se o melbor al-
god5o?inho americano enfestado para len-
ces, tendo liso e entrancado por preco
muito barato.
ESPARTILHO.
No Bazar do Pav3o recebeu-se um elegan-
I te sortimento dos mais modernos e melho-
res espartilbos, qae se vendem por preco
mnito em conta.
PANNOS DE CBOCH PARA CADEIRAS
O Bazar do Pavo receben om grande
sortimeoto dos melbores pannos de croch,
proprios para cadeiras de balanco sofs,
pianos, tamboretes e at proprios para cu-
brir almofadas e pratos; vendendo-se por
menos do que em qualqaer parte.
Liasinhas trasparentes 500 rs. covado
O ?avo recebea um bonito sortimento
das ma3 elegantes aasinhas transparentes
proprias para vestidos, qoe vende a 500 rs,
o covado; moito barato.
PARA LENCOES
No Bazar do Pav3o vede-se soierior
bramante d'algodo com 10 palmos de lar-
gura a 10800 o metro, dito de linho cora a
mesma largura a 20300 cada metro, pannos
ds Ijnbodo porto com 3 1/2 palmos de largara
de 7:20at 10 a vara, assim como umg ande
sortimento ue H todos os nmeros, precos ou qualidades,
que se vendem mais barato do qoe em ou-
tra qnalqner parte; aproveitem-
ATOALHADOS
No Bazar do Pav5o vende-se snperior
atoalbade trancado, com 8 palmos de larga-
ra a 10600 o metro, dito de linbo adamas-
cado o melhor que tem viodo ao mercado a
35500 o metro ; tudo isto muito barato.
Baldes reguladores a 40000 40300 e 50000
Cbegaram ao Bazar do'PavSo o mais bem
feitos baloes reguladores, sendo de fu*ti>
a 40000, ditos de musselina a 40500, di-
tos de 13asinba de todas as cores a 50000,
todos elles sao marto baratos.
Panno preto mnito barato a 30600
O Bazar d) Pavo recebeu urna grande
porco de pecas de panno preto fino, com-
pradas em leil3o, que sempre se venden a
50000 o covado e pode liquidar a 30600,
por ser urna excellente compra,
BAREGES A360RS.
No Bazar do Pavo vwnde-se um bonito
sortimeoto dos mais lindos ba reges lista-
dos para vestidos, que valem muito mai*
dinheiro e liquidi-se a 360 rs, o cova-
do, diios maito mais unos com listas a 400
rs, es:es bare^es semore se vendern a
640 e 800 rs., grande pechincha.
GURGUROA 640 RS.
CAMISAS DE ERANELLAS A 30500.
No Bazar do Pavo vende-e* em bonito
sortimeoto con lodos os tamaathe das me-
lbores camisas, de flanella de fia, coa
mangas, tanto proprias para non ens como
para seoboras e vende-se a 30000 cada
urna, e qoem comprar de meia dnzia para
cima ter um abatimeeto, Sio Ae muita
atilidade.
Cranoe peebncla eaisi taghus a 4e4J800
No Bazar ooPavao fez-se ama grande com-
pra em leilSo, de fioissimas camisas ingle-
zas com peitos e puohos de linoo, sendo
com collariobos e de todos os nomeros a
40000 cada urna, ditas sem co'lanhos^
porm fazenda tinissima a 4^500; gran-
de pechincha.
CAMISAS BARATAS a 20800,30000 e 20600
No Bazar do Pavo vende-se urna gran-
de porco de casemiras mscladas, muito
encorpadas a 20800, ditas finissimas com
msela de seda a 30200, ditas modernas
de qaadros, fazenda de maito gosto a
30600 o covado; aproveitem.
TAPETES
Chegoa para o Bazar do Pavo o mais
elegante sortimento de tapetes grandes, pa-
ra sofs, com 4 cadeiras, ditos mais peque-
os, para doas cadeiras, ditos para
pianos, camas, portas; etc. vende-se por
menos do que em outra qualqaer parte.
COLCHAS BRANCAS A 30200,30500 E 70
Para o Bazar do Pavo chegoa um gran-
de sortimeoto das melhores eolebas de fas-
to, scndo das melbores e maise corpada.
qoe tem viudo, a 70uOi', ditas um pooco
mais abaixo a 50500, e ditas a 30000;
tambem no mesmo estabelecimento se ven-
de um grande sortimento da cretones e chi-
t s, proprias para colchas, que se vendem
muit em ronta.
GORGBOES OU POPELINAS DE SEDA
20000 CADA COVADO.
Cheg u para o Bazar do Pavo um ele-
gante sortimento das verdadeiras poopelinas
de linbo e seda, com os mais modernos
gostos, que se vendem a 20000 cada covado,
o qoe em oatra q alquer parte nao se ven-
de pnr menos de 20500, previne-se que nao
sao algodao e seda, como ba muitos; mas
sim puro linho e seda ; sao muito baratas.
ROUPAS PARA HOMENS
No accreditado Baar do Pavo encontra-
r o respeitavel publico um grande sorti-
meoto de roupas para bomens tanto bran-
cas como de cores, a saber:
Camisas coa peitos d'algodo e de linbo,
para todos os precos e qua'idades.
Ceroolas de linbo e algodao.
Meias cartas francezas e inglezas.
Palitos sobrecasacos de panoo preto e
casemira.
Calcas de brim branco e de cores
Ditas de casemiras pretas e de cores, com
colletes iguaes
De todas estas ronpas ha para todos os
oreos e qualidades, e tem de mais mais
um perito
ALFAIATE
Por quem se maoda fazer com prestesa
e aceio qaalqoer peca de obra a capricho
ou gosto do freguez, tendo n'este importn-
te estabelecimento todas as qualidades de
oanno fino, as melhores e mais moder-
nas casemiras, assim como os melbores brins,
qur brancos, qur de cor; e qnando qual-
quer obra nao ficar ioteirameote ao gosto
dos ireguezes tica por conta do estabeleci
ment.
CHALES DE MERINO
Cbegou para o Bazar do Pavo am elegan-
te sottimento de chales de merino de cre6
muito hons com padres maito decentes
para qualquer urna senhora asar, ditos de
crpon com listas de seda o maisJino e
moderno que tem vindo ao mercado, e ven-
de-se por proco maito em conta.
BABADINH DS
om moderno e linde laco, um dilicado ra-
mo de finas flores, ete, etc, todos olham-se
reciprocamente e dizem com sigo (e as ve*
zes uns aos outros) estes sao objectos
comprados a NOVA-ESPERANCA: realmen-
te IIII procurar descrever em annuncios os
f artigos que contera dita loja, seria trabalbo
insano e nanea o fariamos com aquella
graea e perfeicStf com qae s3e elles fabrica-
dos, assim pois a NOVA-ESPERANCA con-
tenta-se em convidar a todos geralmente,
visitarem-na para ento ficaram intei-
rados do que ba exposto na mesma loja.
tl-Rm Dnque de Caxlavsi
Cal de Lisboa.
Vende-se cal de Lisboa, a ultima dragada ao
mercado, por preco rasoavel : no armazem de
Manoel Teixeira Bastos, ra do Commercio n. 13.
i MI
A ra do Duque de Casias n 21.
(ARTIGA RA DO QUEMADO)
Recebeu e seguinte :
Espelnos grandes dourados, moldes bonitos.
Carteiras, charateiras e port-cigarros de multa*
qualidades.
Bonitas pastas para papis, simples e matisadas.
Boas caixas vasias para costura com sua compe-
tente chave.
Delicadas caetas de marfim com o booal d
prata.
Modernos pentes de tartaruga, sobresabindo en-
tre elles os mimosos telegraphistas.
Commodos toncadores com duas gavetas e bom
espelbo.
Port bouquet, o qoe de melhor tem appare-
eido.
Port relogios de mnitas qualidades.
Bons talheres para enancas.
Vostuarios, chapozinhos, toucas, sapatos e meiai
para baptisados.
Toalhas e fronhas de labyrintho.
Chapeos echapelinas para senhora, moldes novos
e bonitos.
Chapozinhos gorros e bonets para meninos
meninas.
Contra as ponvulsoes as
crtancas
Vende-se os verdadeiros collares na Nova Espe-
ranza, na do Duque de Caxias n. 21.
PARA TINGIR CABELLOS
para pretos ou castanhos, recebea a Nova Espe
ranea a verdadeira tinta insleza.
PARA ACABAR COM AS SARDAS
ou pannos, tem a Nova Esperanca o verdadeiro
leite de rosas brancas.
AGUA DE FLOR DE LARANJA.
Vende-se na Nova Esperanca, ra do Duque de
Caxias n. 21.
PAPEL PARA ENFEITAR-SE BOLOS
recebeu-os muitoolindos a Nova Esperanca, ra
do Duque de Caxias n. 21.
PARA AMAC1AR E AFORMOSEAR A PELLE
tem a Nova Esperanca es sabonetes de pos de
arroz. ___________________
Calcados estrangeiros
Grande sortimento de calcados de todas as qua-
lidades para homens, senboras, meninos e meninas
pelo prego mais razoavel do que em outra qual-
quer parte : na loja de calcados de sobrado ima-
relio da ra da Cruz n. 21.
mm
No Ba:ar do Pavo liquidase orna por-
c3o de cansas fraoceu miodas e graudas,
cores fins, que *e vendem pelo baratiss m tissiao preco de~455 "o" ca"J
pres de 2JO rs. o covado para acaD,r. chincha. -
No Bazar do Pav3o vende-se nm bonito
sortimento dos melhores gorgnroes de la
para vestilos sendo om*'linda fazenda,
muito leve, meia transparente e muito lar-
ga com fort cores e liqoida-se a 640 r.
o covado por se ter feito grande pechincha
na cumpri.
C08EHTAS A 30
Vende-se cooert.* de chita encarnada
admasela a 35 nfa n(Da> pechiocaa.
CORTES INDIANOS A 4^.0.
No Bazar d'j Pa ao vende-se Omiioscor
1 lanos com duas saiis peo bara-
nm, pe-
No Bazar do Pav3o vende-se nm grande
sortimento dos mais finos babadinbos borda-
dos tapados e transparentes, assim como
urna grande porfo de entrmeios largos e
estreitos, que para acabar se vende moito
em conta e mais barato do qae em oatra
qaalqoer parte.
FAZENDAS PARA LUTO
No Bazar do Pav3o vende-se constante-
mente o melhor sortimento de fazendas
pretas para luto, como sejam :
Lasinbas >>retas lisas.
Cassas pretas de 13a.
Cassas pretas, fraocezas e inglezas, lisas
e com salpico*.
Chitas pretas de todas as qnaiidades.
Alpacas pretas lisas.
D'tis lavradas com branco.
Merinos, cantes, bombazinas, qae se
qarp^SbaritjdqUeeUOOtrM^
CPI rAS PRETAS A 200 RS. O COVADO
No Baz.r do Pav3o vende-se chitas pre-
ta inglezas com saip.cos 200 rs. ocovado.
d tas ledas pretas, por estarem am ooac.
0 projr eunos d este importante esta-
bel>;c.meto rogam ao respnitW pobIfl"e
parucoUrmenie 4s Exmas. familias o fam
de se d,rem sempre ao trab-lbo do lereoj
s anu annuncos, peUraz2.de muito,
d'desse.-em mudad s amw .das vezas
CACHK-NEZ A 6*000
No Bazar do Ja,i venoem e bonitos >
iiande cachi-ne* de pura .Ja, pelo bara-
to preco le BiOOii ca ,a am
t* ra exames.
TRADCgO I'NGLEZA
DOS
TRECHOS CLASSICOS
POR
C. PALMER,
R-.-4*000.
LIVRARlA FRANCEZA.

Qnando a AGUIA BRRNCA, mais precisa scientiflear ao reapeitavel pvbiie
gerai, e em particular a soa boa fregneria, da immensidade de objectos qae ultima
m recebido, justamentefquando ella menos o pode fazer e porque esaa falta k_
lontaria ea confia e espera na benevolencia de todos qoe lh'a attenderao e relevad,
coBtinaando portanto a dirigirem-se a bem conhecida kja da AGUIA BRANCA na 1
Qaeimado n. 8, onde sempre achar3o abundancia em sortimento de iperioridae m
qnaiidades, modicidae em precos e o seu nunca desmenttido AGRADO E SINCEMDADt.
Do que cima fica dito se conhece qne o tempo de qoe a AGUU BRANCA pi
aispor, 6 empregado apezar de seus custos no desempenho de bem servir a aqoellet
honram procurando prover-se em dita loja do que necessitam, entretanto sem
rar os objectos qne por soa natureza sao mais conheeidos ali, ella reaomidamt..
cara aquellos cuja importancia, elegancia e novidade os tornan recommendavtf a,
bem seja :
Corpmbos de cambraia, primorosamente
enfeitados con fitas de setim e obras essas
coja novidade de molde e perfeicao de ador-
nos os tornam apreciados.
Fitas mni largas- de diversas cores e qua-
lidades para cintos.
Lcqnes uesse objecto muito se poderia
dizer querendo descreve-los minuciosamente
por suas qualidades, coree e desenhos, tal
o grande e variado sortimento que acaba
de chegar, mas para nSo massar o preten-
dente se lhe apresentar o qae poder de
melhor.
Entremeios em pecas de 12 tiras.
Guipare branco e preto de diversas qua-
lidades e desenhos.
Ditos de algodio com flores e lisos.
Veos de seda para chapelinas e monta-
ra.
Meias de seda para noivas.
Ditas bertas de fio de Escossia.
Costumes ou uniformes para meninos.
Enxovaes completos para baptisados.
Capellas brancas para
Grandes sortiasento de
Fil de s eoa, preto.

Grand
senpre
Lindo
Caixin
Bonito
para cireoft r o ,yv
Bonitos brincos de piaqnft.
Aderecos e brincos de madrepero
Caivetes finos para abrir latas.
Tnesonras para frisar babadinbos.
Aspas para balao.
Novos stereoscopos com 48 viataa,
quaes s3o movidas por om
amas substituem as oatras.
Vistas para stereoscopos.
Bonitas caixinhas de vidro euMUm
pedras.
Ditas de madeira envernisada
ras e com dminos,
Rollas de borracha
Touqainhas de* fil, sapatinhos bordados criam-as"."" *"" bnn,a4o *
e me para ditos. Biversos objectos de porcelana, proorio.
Camismhas bordadas para ditos. I para enfeites de mesa e de laphiba
mmmmmmmmmmmm wmmmmwamm

i
o

0
N. a A l(liM&4HGa nL3A
awtiio nm
CO
*>-
Com este titulo acha-se aberto e inteiramente transformado este antigo
estabelecimento de joias, onde os freguezes e amigos encootrarao todo quanto
a moda e o bom gosto tem inventado na arte de ourivesaria, o Collar de Ooro
observar delicadeza no trato e senciridade e modecidade nos precos.
Espera qoe o respeitavel publico venha ver o que existe de melhor em
aderecos de brilbantes, esmeraldas, robins e perolas, meios aderecos, pt-
ceiras, brincos, alfinetes e anneis de todas as qualidades, prata de lei faqoet-
ros, colheres, paliteiros salvas e outros muitos objectos que seria enfador.no
mencionar.
Compra-se ouro, prata, brilbantes e pedras finas, pormaior preco do
que em outra qualquer parte, troca-se e concerta-se todo e qualquer objecto
pertencente a esta arte.
K--, r-----,----------------- .a u..uiU, fi m.iui j)icyj uv fB
que em outra qualquer parte, troca-se e concerta-se todo e qualquer objecto
pertencente a esta arte.
awaawBimnnM mmmmmmmmmmam
GEANDE IIODUAAO'
Lourenpo P. Mendes Gnimares
RUADA IMPERATRIZ N. 72
Tendo resolvido o seu proprietario liquidar todas as fazendas existentes as loja
Ganbaldi e Arara, convida ao respeitavel publico, amante da economa, visi'jrem a
loja da ra da Imperatriz n. 72, pois s deseja apurar o doheiro.
Arara vende madapolSo enfestado a 35500; Para liquidar vende bramante de S-
a peca, ditas de 24 jardas a 50000, 60000, 'nho e algoJao a I800 o metro, dito dr
65500, 75000, 85000, 95000, e 105000.} linho puro a 25800, esta fazenda pro-
Vende-se cortes de casemiras de cores pria para lences e toalhas por ter 10 pal-
Libras sterlinas.
Vende Joayuim Jos Ramos : na ra da Cruz
n. 8,1 andar.
Muita attenpo
O Campos da ra do Imperador n. 28 acaba
de reoeber em sea armazem, ama partida de s-
mentas de hortaliza que passa a mencionar as
qualidades e presos.
A saber :
De salsa, a 60 res a oitava.
He coentro, dem..
De repolbo, dem.
De ervilhas brancas, a 600 res a liara,
De ditas tortas rouxas, a 800 res a libra.
De braeolas, a 60 reis a oitava.
De pepinos, dem.
De ffijao ervilha papo de rola, a 400 a libra.
ue dito amarello, idem.
De dito meia-cara, idem
De dito cor de ganga, idem.
De tomates grandes 60 reis a oitava.
De e.jlo de 7 annos para grao, a 400 rs. a libra.
De frito de 7 annos rxo, idem.
De espna.fres, a 60 rs. a cilava.
para caigas a 45000, 55000.
Para liquidado veode-se algodao de lis-
tras proprio para caigas, camisas e saias
para escravos a 160 rs, o covado.
Na roa da Imperatriz vende-se chailes de
merino estampados e de barra a 25000,'
5500 e 35"00.
Arara veode cortes de casemira preta
para calca a 35500, 45000. 55(00, 65000,
75000, e 85000.
Para liquidado vende-se brim pardo Jiso
bom a 500 rs, o metro, dito transado a
720, 900, e 15000 o metro.
Para a cabar vende-se duzias de lencos
brancos de cassa a 25000, e 35600, ditos
de linho a 55000, G5'J0'.>.
Na ra da Imperatriz vende-se cobertores
de algodao a 15400 e corbertas de chita a
15500.
Para liqoidaco vende-se cortes de casto-
res para calcas de-homem a 500 rs.
A Arara vende chitas largas para vestido
a 240, 280, 320, e 360, rs. o covado.
0 barateiro vende percalas finas para
vestido a 440, rs, o covado.
Em liquidacao vende-se alpacas para ves-
tidos de Sras. a 500, rs, o covado.
A Arara vende ISazinbas para vestidos de
Sras. a 320, 400 e 500, rs, o covado.
0 Guimares vende mursulina de cor
para vestido de Sras. a 440 rs. o covado,
dita branca a 500 rs.
0 Men les veode fust3o de cores par-
vestidos de seahoras a 380, o covado.
O L .urenco vende cassas finas para ves-
tidos 240, 360, 400 e 440 rs. o covado.
Arara vende alpacas de lista para vesti-
dos de senhoras a 500 rs. o covado, ditas
lisas a 500 e 640 n. ocovado, ditas matisa-
das a 640 rs.
mos largura.
Vande-se cortinados para cama frnaxa
a 15400 o cortinado para liquidar.
Arara vende cortes de chitas para vesl
dos a 25500,25800 e 35200 o corte par.
liquidar.
Vendeo se cortes de cassa a 25500 c
corte s na liqoidaco a da imperatriz.
Vende-se cortinados para janellas a 64
a peca para liquidar.
ECONOMA
Vende-se duzias de collarinhos de pa-
pel a 240 rs. para acaoar.
Arara vende lasinbas transparentes para
vestidos a 500 rs. o covado.
Liquidacao, vendp-pft nrar-eito Ko ;
25200, 25500, 35. 35500,' 45, e 5#, pro-
prio para calsas e palitos por ser boa fa-
zenda e barato.
Arara vende cortes de brim para cal-
sas de bomem 15500.
Vende-se cortes de pecalas de duas saias
para senhoras pelo barato preco de a 65.
cadaum.
Grande liqoidaco de roopa frita.
Vende-se palitos de alparca e de coras
a U.
Vende-se ditos de ganga para hornea
a 25.
Vende-se ditos de brim de algodao bra
eos a 25.
Vende-se ditos de meia casemira a 24
Vende-se col tes de brim de cores a 14
Vende-se ditos de meia casemira a 255o
Vende-se calcas de algodao azul a 500 rs.
Vende-se dita de algodao de listras a 800n
Vndese ditas de brim pardo 24,1400C
e 25500.
Vftflde-se calcas do casemira de cora
i 6585.
FarinJia da trra
mnito snperior, depositada em barricas, no arma-
zem do Sr. Angelo Baplista do Nascimento, sop
do caes dos vapores do forte do M utos ; vende-se
aos alqueires, a tratar com Bernardo Jos de
Araujo no armazem do Sr. Annes defronte da al-
fandega.
CHEGARAM
CAZ CAZ GAZ
0 Bazar do Pa**? sifc, a^ui i i [ aperat z q. 60, esfci' oastaacemaate aborto
das 6 horas di manniai as 9 ix n>ato, -
Val nova de
Vende Joaquim lo Raro.-
8 andar
Id sb>>a,-
: rna da Craz n.
Brins de Angola
OS LTIMOS LEGTIMOS
Vende se em Mas de T. iebVriej 4 C. ra do
Commercio n. 46
Parlaba de manduca.
Venderse nos armaiena da Onnpaiihia Pernaro-
hurana, forotia muito alva e em saceos grandes,
I por preco maito razoavel.
Chegoa ao antigo deposito de Hearr ForsMr
, roa do Imperador, am carregaxneoto da
ie primeira qnaJidade; o qual se Tanda aai pal
i a retalho por menos prego do que a oatra<
juer parte.
Especialidades.
CoDtinuam a achar-se a venda na ma Direito
botica n. 88, os mni conheeidos a arredilado re-
medios da veame, e outros diversos madnaacn
tos feitos em Pars, bem como os jaropea Ja ca-
. deina de Berth, de rabann ioiado, de toata da
dO : na ra I\OVa n. 28, loja de Ierro de Blancard e as pilulas do mesmo, peteral
Antonio Pedrode Swz&So*x^t^tL?^ Stt
Bombas completas para c.-^r^MaS^^
cimbd, por diminuto preqo, na vias 'e,p'"li,ria> nM &?* raenmaiies-,
mesma casa.
f*ocos instanUneos aperfeiqo-
ados por preijo muito commo-
Cigarros da imperial
fabrica de S. Joo
de Nictheroy.
Dniao deposito na Parnaaboco caes da
lega vajha o. 2, anda.
alfac-
airare)Iidao, na falta completa ou irregularidad
de menstruo, as diarrhas, d-.ienca- do eoracao
e do estomago, tem sido e inconlesuvel, asi
vista do-< beneficiw resulta** das experiaaaaiacjaaa
tm-eomv d*s pauta* iaaimiaaa-amwina< iaj-
conwaravais em saa efiaana nos aaoaaateaiaaea-
los febrtc ou *ex>s ; eiistiado lambrm a* resma
casa, aiui de su fltale 'inaaMada & arotaa.
nal ai pumiaii usMainwm aaan, asta dai-
ohtaa pMiois,^ue te vaudMn pee manan *j non
m auira.aajia.




i

Diana de Ferambuco Seguala Caira 10 de Outubro de 1870.
3=
0B4ZAR
ML SICA.
Sahiram luz
As ras em contradanza.
Linda quadrilha para piano por Colas lho,
Horda Boa-vista, valsa: a venda mo grande ar-
inarem de pianos e e msicas de Azevodq, ra
Neva b. 41, hoja roa do Barao da Viciona,
N. B. Rogase aos Srs. assignantes de manda-
reot bucear a pegas de suas assignaturas.
Ultimas publicares da imprensa nacional
de msica.
N. 4. Piano. Annetta, polka brilhante,
Srooltz, 2*000.
N. 1 Piano. Minerva, polka brilhaate, por Colas
l-'ilho. U.
N. 3. Piano. Chira Diabo, polka brilhante, per
N. 4. Piano. Urna lagrima, Mazurka, por Ma-
lileeB. Zucehi. Ifr.
Jos de Souza Soares & C.
RA DO BABlO DA VITORIA
(OUTiVDRA NOVA)
Apresenta-se metamorphoseado do que pode haver d mais bello e agradavel em fa-
zendas finas para Senhoras artigos de alta moda em Paris tanto para senhoras como
para borneas e meninos.
Miuaezas afarmadas, perfumaras especiaos, variedade de lindos objectos para me
oinus e brinquedos para crianzas.
GRANDE SORTIMENTO
Continuamente recebido por todos os paquetes vindo da Europa aonde tem ha*
neis correspondentes.
Vndese muito emconta e manda-se por em pregados do estabeleci ment fazendas
em casa das Exms. familias aGm de melhor escolherem o que desejarem.
IOjta
NOVIDADES
DO
pur
5. 5. Piano. Morte de Lopes, polka marcial,
por
N. 6. Piano, La Grande Duchess, polka por Lu-
'-ien LamBert, 4 5.
N. 7. Piano. Carmen, Anita, La Playera, 3 pol-
kas dos cavallinliu?, 4 5.
N. 8. Piano. Le Souvenir, valse de saln, po
E. Casalhore, 1.
N. 9. Piano. Santirjia, Maroca, 2 valsas dos ca-
vallinhos, 4 000.
N. 10. Pianr. Chant D'Oiseaux, polka, por E.
Casalbora, i i.
N. 14. Piano. A flor da Boa-vista, valsa, por
Jos Coelho da S. A., 1J.
N. 42. Lagrimas d'Aurora, Mazurka, por J. J.
r., 1).
N. 43. A estrada de ferro, quadrilha, por Hen-
rique Albertazii, i$.
N. 14. Canto. Santa Lucia, barcarola napoli-
tana, por Gennaro Arnaud, I i.
N. 45. Canto, Marta Aria, para M. S. M" aqqari
tntt' amor, de Flotow.
N. 46. As roas em coniradanca, quadrilha, por
Colas Filho, 1S. "
TRIUM
7 Ba doQueimado
O
Doces, fructas e flores
Ra da Cruz n. i3.
Sorvete todos os dias, das 44 horas em dianto, e
todos os sabbados haver de creme.
Accoes da estracU de ferro
de OJinda,
Vende-se 23 acoes : na ra da Cruz n. 26, ar-
maiem.
GIL NM Dil
Vende Joaquira Jos Ramos :
a. 8, 4 andar
na ra da Cruz
DE
&_____________
E' chegado a este novo estabelecimento o mais bello sortimento de fazendas
tnas, sendo sua especialidade enxovaes para noivado.
Vestidos de blond de.tsda ricamente bordados.
Gorgurao de seda branco para vestido.
Colchas de seda pura, para cama com ricos desenhos.
Ditas de 13a e seda, id-m idem.
Ditas de crox, idem idem.
Cortinados ricamente bordados para cama e janellas.
Croxs para cadeiras e sofs.
Vestidos de cambraia branca bordados.
Popelines de lindos gustos.
L3as de diversas qualidades, lindos gostos e modernas.
Ricos b juraos para passeio, com listras de setim.
Sahidas de baile o que ha de mais rico.
Cretones para vestidos com lindos desenhos.
Carnizas bordadas e sem bordados para senhoras.
Camisas bordadas muito Anas para homens.
D tas inglezas para homens e meninos.
Seroulas de linho, e um grande sortimento de roupas feitas e de fazendas que
enfadonho mencionar.
Luvas frescas de Jouvin
Sortimento de tapetes para guarnieses de salas, alcatifas para forro de sala, e-o
(rande sortimento das acreditadas e verdadeiras
Esteiras da India
LOJA DO PAPAGAIO'
DE FAZENDAS E ROUPAS FEITAS
Ra ta Imperatriz n. 40, esquina do becco dos Ferreiros.
DE
a duzia.
a 24500, mui-
CASA CAUVIN y,
NOVAS ESPECIALIDADES
Apresentadas a Academia de Scicncias
CANDIDO ALBERTO SODR* DA MOTTA 4 C.
rom escriptorio e nrmezem de penaros de estiva
travessa da Madre de Dens n. 44, tem para vender
i segainte em conserva' ptimamente preparado*
tm Paris:
Ervilhas (Pelilf pois).
Feuao verde (Haricolt veris).
Dito em grao (dem flagbllets).
Espargos (Asperges).
Misckllaxea de LEGCME3 (Macedoine legumes).
Sbnoras (Carottet).
Tomates (Tomates).
Couve de BnuxELLAs (Chous de Bnxelles).
Alcachofras (Fonds d arlichants).
Espinafres (Eptnards)
Cogumellos (Champignons).
(Cpes).
Pastis com truffas (Pals truffs).
SEM TRUFFAS ( SdtlS truffs)^
Atcm com azeite (Ton a ihuile).
Trffas simples (Truffes au natnrel).
Sardinha em tomates (Sardine etc.)
Galantina com truffas (Galantins avec truffee).
Frango (Pou/cl).
I'ombo com ervilhas (Pigcon avec pois).
iJallinholas (Bcaisones).
Perdiz com azeito.nas (Perdiz avec olives).
assada ( roe).
Andorinha (Allouette).
Codorniz (Gaille).
Lamprea (Lamproie).
Picado (Andouitlettes I.)
>ALxicnA (Saucistono t.)
Carne guiz.\de (Frincanieau 0.)
Reeebeu-se mais
Um eomplelo c variado sortimento de papis
motados e doirados de differentes qualidades e es-
:uiitos desenhos proprios para forro e guarmcao
de salas, gabinetes, eseriptorios etc. Na remessa
esse artefacto tem havido o maior gogto e capri-
no da parte do nosso correspondente de Par?.
Com urna mdica comraissao sobre o casto da
'abrica vendemos este papel, pois desejamos ter
- ffectivaraente um deposito dessa especialidade.
No armazem de Candido Alberto Sodr da Motta &
:., travessa da Madre de Deus n. ti.
Fumo 9 papel
Completo sortimentD de fumo, tanto para cigar-
ros como para charutos, vindo do Rio de Janeiro,
Baha e Rio Grande do Sul. Papel de seda, linho
e algodao, de differentes qualidades, proprios para
i fabrico de cigarros. Vende-se constantemente
no armazem de Canudo Alberto Sodr da Motta
& C : travessa da Madre de Dens n. I \.
Pharmacoutico privilegiado
suocossor
Sebastopol, 55 PARS.
A. MARINIER
c ao Instituto de Franca,
IV ICPP 1 fl Sob orml dc PSlillj. devedida e dosiada par
IlhUbUUftU lastr dc momei.to urna Mliecto
IVvcntivi e curatiiw daa MOLESTIAS CONTAGIOSAS.
INJECTOR PIIILTRO
ESTOJOS m
do volnmf rte ura relosio, servindo da
lilILTIU) SEMHCA fera es
gravaa incoavacieaUi da fragdade.
a forma, e de rolnme de um Porte-Nocda
COTENDO TODO 1JIATAUE.VTO.
COLLYBIO Contra as affeccois das palpebras,
preparado sob a mesma forma.
BARTHOLOMEO C
Depositarios geral para e BRASIL c PORTUGAL
34, ra larga do Rosario. PEBNAMBXJCO.
0 proprietario deste novo estabelecimento commuaica ao respeitavel publico
desia cniade.e especialmente as Exmss. familiis que est liqaidaudo por precos bara-
lissimos as antigs fazendas que existiam nete estabelecimento. alm das que abaixo
vap relacionadas, cujos precos merecem toda a attenc5o do respeitavel publico que n3o
aeixara de com pequea quantia refazer-se de qoalquer qualidade de fazendas que pre-
cise. Previne-se tarobem que a mesma loja tem feito sortiiaenU) de fazendas moder-
nas, e continua a sorr-se das do mais apurado e escolhido costo, que vender mais
barato que qaalqtier outra loja.
' Algodaosinho com 18 lardas a 2*91800-a
peca.
Madapolo enestdo com I2jardas a 3(J
e 3500 a peca.
Dito de 24 jardas a 5f5000 para cima.
Atoalhados de linho, e de algod5o tran-
cados, e adamascados por precos commo-
dos.
Chitas escoras e claras de 240 rs. o co-
vado para cima.
Cambraias de cores miudinhas a 240 rs.
ocovado.
Ditas mais finas a 560 rs. o metro.
Baloes de mussulina a 45 e 5,5000
Guardanapos de linho a 30500 a du-
zia.
Bramante de linho a 20500 e 3f>000 com
10 palmos.
Dito de algodo a 10800 o metro.
Meias para senhoras de 40000 a
para cima.
Ditas para homens de 30000 a
para cima.
Ditas para meninos e meninas de
ostamanhos.
Colchas de fuslo branco de 30200 para
cima.
Ditas de cor de 30000 para cima.
Toalhas de rosto de 800 rs. para cima.
Cobertores de 13a finos, a 80 e 100000.
Ditos encarnados a 40500.
Ditos de algodSo a 10500. '
Cambraia tapada muito larga com pre-
gas e bordado, propria para sa>as de senho-
ras preco barato.
Laazinbas Irences trancadas, com listras
largas proprias para saias de baixo, fazenda
inteiramente nova a 590 rs. ocovado,
Cambraias brancas transparentes e tapa-
das de todas as qualidades e precos.
Lazinhas tapadas e transparentes de
muitas diversidades de cores de 320 rs.
o cevado para cima.
Alpacas lisas e de furta cores a 500 rs.
o covado.
Cortes de percala de 2 saias a 40000.
Ditos de organdy de dito dito a 80000.
Cortes de 13a da Escocia a 60000.
Ditas em peca a 500 rs. o covado.
Chales de merino lisos a 20500.
duzia
duzia
todos
Ditos estampados de 40500 para cima.
Camisinbas de cambraia branca transpa-
rente, bordadas com enfeites brancos e de
cores a 30000.
Brilbanlinas brancas de 500 rs. ocovado,
Ditas de cores a 500 rs. o covado.
Lencos de cambraia de linho, e de es-
guio at o mais fino.
Lencos chinezes a 30500
Ditos brancos de algodao
to finos.
Fil hranco e preto, liso e de salpico.
Cortes de cambraia, brancacom salpico de
flor.
Ditos de fil liso a 50000
Tarlatanas brancas, e de cores.
Peitos de linho bordados e lisos de es-
guiao.
Camisas bordadas finissimas, proprias
para noivos com a competente gravata.
Punhos de linho para hornera a 10 o
par.
Colarinbos de linho lisos e bordados.
Gravtas pretas e de cores, tanto em se-
tim como em seda, ha de todos os gostos e
feitios.
ROUPA FEITA E POR MEDIDA NA LOJA'
DO PAPAGAIO.
Sortimento de roupas feitas de todas as
qoalidades, e feitios, para precos commo-
dos, e quera comprar porco para negociar
ter um abatimeuto razoavel, grande sorti-
mento de casemiras de cores com quadtos
e listras, casemras pretas, e pannos pretos,
azues e cor de caf, brius brancos, pretos
de cores e pardos, e manda-se fazer
qoalquer obra a vontade dos freguezes,
quer para homens ou meninos, e por me-
nos preco que qualquer outra officioa, e
para issoa LOJA DO PAPAGAIO acba-semu-
nida de um bom mestre alfaiate para bem
desempenbar qoalquer obra da sua arte,
recahindo a responsabilidade sobre o pro-
prietario da loja.
Dam-se as amostras de todas as fazend
a quem as exibir, ou mandam-se levar
loscaixeiros.
A loja do Papagaio acha-se aberta d
horas da manha s 9 horas da noute.J
Francisco Teixeira Menes.
Rival sem segundo,
III "A DKilKDC C AAIA*. N. 49
(Amiga ra do Queimado)
Attenco
Vende-se, 6 juntamente os poneos gneros que
.nda tem a taberna denominada Pedra Marmore,
sita roa Direita n. i ; a mesma est collocada
a'um ptimo local, e tem bastante freguezia : tra-
a-se na roa da Madre de Dos n. 3a.
Grande pechncha.
Ricos cortes de_ cambraia bordados com 10 varas
a 11, alpacas e lias de cores a 400 e 500 ra. o
'vado : vende-se na roa do Duque de Caxias n.
49, loja de Leite, Pontes & C.
A 8^000.
Vende-se borzegoins franeezes, obra gaspiada e
muito boa, pelo diminuto preco de 8 ; venham a
alies, aiitea que se acabem : na roa da Cadeia n.
SO A, loja de iciudeza=.
Antes que se acabem.
Medalhas de prata mac: Gr: 30 : vende-se na
roa larga do Rosan n. 34
NOVIDADE EM CASEMIRAS
NA
Loja Fior da Boa-vista
DE
Paulo F. H. (uimares.
Grande e eomplelo sortimento de casemiras de
quadros e lisas, a mais modernas que ha no mer-
cado, assim como bonn paaos pretos, ditos azue-,
^,ri?V*lp'C0 de Md*. n>enns, brins, seda
UrS*^* C.*mls119 Bms in8|eia--' emolas, meias,
iXf rT\ coned"da nraa das raelbo-
2.a!?J?" Gmnle-S8 boa* obras, e menos 20
O|0 do que ftqnjjtaaer stabeieciraento.
A RA DO IMPERADOR K 48
Junto a padaria (rancxa.
uml
3 portas n. 53, ra Direita, 3 portas n. 53, antiya\
foja do Braga
O abaixo assignado, dono deste antigo estabelecimento, tendo em vista aoreseniar
completo sortimento de ferragens, miudezas e cotileria, tem resolvido mandar buscar em
diversos pomos da Europa os melhores objectos de seu estabelecimento Sos faEne
mais conbec.des; pelo que convida ao respeitavel publico e a seus numerosos frecuezes
a virem se ervir dos objectos do sua carencia, aende encontrado por menes 10 Oi do miV
em outra qualquer parte, um sortimento completo de machinas para descarocar alBodao
do bem conhecido fabricante Cottorr Gin 4 C, ditas para costura, motores para animus'
ditos para fogo, momhos para caf de todos os lmannos, da fabrica do Japi, esDincardasTfi
dous canos e de um, tanto inglezas como trncelas, louca de porcelana, facas e carfos
de diversas qualidades e precos bandejas ehinezas, salitre, breu, barbante, enxoire naoe e
lima ha de ferro, ac, e agalha para fogueteiro ; assim como encontrarao cnstauH-
menle grande porcao de fogo do ar, e recebe-se encommenda de fogos de vista, alem de um
cem numero de objectos, que se ternaria enfadonho numera-los : venham ra Direita n
53, loja de Lenidas Tito Loureiro, antiga loja do Braga. raaiy ^t p -^j^"1* u-
CASA CAUVIN a-Juma
Pharmacoutico privilegiado
auccesaor
Boulevard Sebastopol, 5f5. PARS.
NOVAS ESPECIALIDADES A. MARINIER
Apresentadas a Academia de Scieaeias e ao fcislitilo de Fruea.
IH J tUWAU momento ama solcelo PBIVUTIVA E 01
MOLESTIAS CONTAGIOSAS
Sob a forma de Pastilla, devedida e doseada para faser de
^UTITA das
WECM-PIIII.TRII
Graves
do volum de um relogio, servindo
de Philtro e Seringa sem os
inconvenientes de lragilioade.
Com a forma, e do volme de um Porte-Koeda enmend
TOBO TRATAMKNTO.
COLLYBIO
BARTHOLOMEO 4 C
ESTOJOS
Contra as affeccois das palpebras, preparado sob a mesma forma.
Depositarios geral para o BRASIL e PORTUGAL
3i, ra larga do Rosario. PBSRNAM33TJOO.
Doces, fructas e flores
Ra da Cruz n. 13.
Ha mnito que esta provincia pedia nma casa
que bem satisflzesse as pessoas que sabem apre-
ciar o que cima se v nesse distico. Er nesse
estabelecimento que se encontrara os melhores
doces de todas as fructas, seecos e de calda, doces
d'ovos de todas as especies de inassas, gelas de
goiaba, de arac, de pitaoga e mao de vacca, ven-
de-se retaiho e em grosso para qualquer parte.
Apromptam-se bandejas com bolinbos os mais de-
licados e com ricos enfeites, do que se encontra.
grande sortimento, presantes em fiambre e outros
pratus que nao se podem dispensar em qualquer
testa, xaropes de gruzella, tamarino, lima e outras
fructa*. Junte a este estabelecimento est ligado
nm bello sitio que nelle nunca faltam flores a val-
sas e em boquetes ; aprompiam-se boquetes para
noivos ricamente enfei lados de cravos brancos
com toda a perfeicao e delicadeza, muitas varie-
dades de plantas para se preparar um jardim e
plantar um sitio. A' vista das eocommendas fei-
tas se verifletr o que cima flea dito.
7~CEMENT0
.. ^ verJda^eiro poruand. S se venda na roa da
Madre de Dos n. 22, armazem de Joo Martns de
Barro,
Pechincha
Saias de laa com barra de cor a 5*,oa|6es .M
arcos a 15800, algodoz.nho com 4 palm s de lafl
gura a 5 a peca com 20 jardas, chitas proprias!
para casa a 2i0rs. o covado, la escura a 240 r
o covado : na ra do Livramento n
Contina a vender tudo muito bom
muito barato a saber:
Libras de areia preta muito boo. .
Tesouras finas para anuas e costu-
ra a.........
Papis de agulbas francezas a ba-
lo a.........
Caixas com seis saboneles de fruta
Libras de la para bordar de todas
as cores a.......
Carriteis de liaba Alejandre a. .
Frascos com azeite para machinas
Gravtas de cores muito finas a .
Grozas de botoes madepersla -
nissimos a.......
Novello de linha de 400 jardas a.
Caixas com 100 envelopes muito
superiores a......
Pentes volteados para meninas a.
Tinteiros com tinta preta a 80 rs. e
Pecas de fita elstica muito fina a
Lata com superior banba a 100 e.
Frascos de oleo Philocomo muito
fino a.........
Frascos de macaca perola a. .
Frascos de extracto muito bonitos a
Duzia de sabonetes muito finos a.
Sabonetes inglezes a 600 rs. e. .
Frasco com agua de colonia Pivera
Dito de oleo babaza a.....
Caixas de lamparinas a. .
Sabonetes a forma menino muito
superiores a.......
Cartilbas da doutrina fazenda nova a
Libras de linba sortijas de todos os
nmeros a.......1,5800
Capachos muito bonitos e grandes a 700
Carriteis de retroz preto, coa 2
oitats a........ 640
Agulheiros de osso enfeitados a, 240
Libra de linha franceza superior
qualidade a......'. 2,&420
Caixas de palito do gaz a. 00
10.
RAPE.
l
D,fppdea d5 suP*"or qualrtade, assim
Paulo Cordeiro viajado e commum, rolo franca?
gasse grosso e fino, meuron da Baha gross
ftd.^28 MPra5a daInde^enSaDo-
A 1*500.
Vndese sapates de tranca, obra baa, pelo di-
minuto preco de U300 : n bem eonbeeida loja
de mindezas da ra da Gadeia n. 80 A.
Milo.
Vende-se em saceos grandes, de suprior quali-
dade e muilo nove, por menos prego que em outra
qualquer parte : na roa do Vigario n. li, escrip-
torio de Jos Lopes G.
Vende se a taberna da ra da Senzala-nou n
39 : a tratar na misma.
Vende-se
Na roa dos Quarteis n. 1 tima armacao propria
para qualqner estabelecimento, podendo o com-
prador tirar
quem quizer
Ocar na misma bja onde est :
de trauma na roa Nova n. 4.
Doces, fructas e flores
Ra da Cruz n. 13.
Lanches todo, os dias fructas, pasto, bom Do-
cado,fjlhados, doces e rapadas.
A 5^000.
Vende-se botinas pretas e de cores, obra multe
boa peto diminuto preco de 5* : venham bem
conhecida Ioj de miudezas da roa da Cadeia nu-
mero 50 A.
120
500
60
1,5000
6ff000
100
500
500
500
60
600
240
100
200
200
500
240
500
720
10200
500
500
40
240
400
120
320
320
320
15000
500
160
800
100
700
400
Attentfio
Veade-se a armacao e pertences da taberna n.
11 do largo do Terco, muito propria para qualquer
principiante : a tratar no sobrado por cima da
mesma.
gn-nte-rkeumhtico.
o efflcacissimo contra as dores rbeuma-
boje o mab cooliecido pelos seas mar-
resultados.
E DE AGRLWX- um-dos medicamen-
sua efflcacia as enormidades, tosse e
pela bocea, bronebites, dores e fraqueza
J escrobuto e molestias de ligado, que me-
lhor tem aprovado.
TINTURA DE MARAPUAA.- A celebre raiz
de roarapnama, coja energa e efflcacia as para-
lysias, iDtorpecimento, etc. etc. muito se recom-
menda.
Todos esses preparados se encontrara na pbar-
macia e drogara de Bartbolomeu & C., nico de-
psito na roa larga do Rosario n. 34.
Rival sem segundo
RA DO DUQUE DE CAXIAS N. 49
Estou disposto a continuar a vender todas
as miudezas pelos baratissimos precos abai-
o xo declarados, garantindo tudo bom e pre-
cos admirados.
Dozias de palitos seguranza a....
Duzia de palitos seguranza caixa
grande a...................
Frascos com oleobaboza muito fino.
Pacote* com pos de arroz o me-
lhor que ha a...............
Navalhas muito finas para fazer
barba a....................
Caixa de linha branc do gaz a..'
Vara de franjas de lidho para toa-
lhas .......................
Caixas com pennas d'aco de Perry
superiores.................
Lencos de cassa brancos epinta-
dosa......................
Caixas com 20 quadernos de papel
pautado .......
Caixas com 50 novellos de linha
do gaz a. -. .
Duzias de meias cruas superior
qualidade a.......30600
Pecas de babadinhos com 10 va-
ras a.........
Pe^as de tiras bordadascom 12
metros cada peca a 10500 e.
Pecas de fitas para eos de qual-
quer largura com 10 varas a.
Escovas para unhas fazenda fina a
Ditas para denles a 240, 320,
400 rs. e....., .
Pecas de tranca lisas, brancas e
de cores a.......
Duzia de linba froxa para borda-
dos a 400 rs. e.....
Pares de meias- cruas para me.'
nos diversos tamanhos a. .
Duzias de meias brancas mnito
finas parasenhora a. .
Pares de sapatos de tranca do
Porto........
Pares de sapatos de tapete a. .
Duzias de baralhos para vultarete
Sylabarios portuguezes a. .
Cartes nm colxetes 2 carreras a
Abotoaduras para collete diversas
qualidades.......
Caixas com peona de ac muito
ba de 320 a......
Caixas com superiores obreias a.
Duzia de ago^n para machina a.
Libras de pregos franeezes todos
os tamanhos a......
Pacote de papel com 20 quader-
nos ..........'
Reima de papel pautado superior
Resma de papel liso mnito supe-
rior a...........
GALLO VIGILANTE
Ra do Crespo t
Os propnetarios deste bem eonhecido eetabel*-
cimente, alm dos muitos objectos que tinhaa ex*.
Sostos a apreciacao do respeitavel publico, maos-
aram vir e aeabam de receber (reto ultimo Tapar
da Europa nm completo e vanado sortinem de
finas e mni delicadas especialidades, as qoa- e-
tao resolvidos a vender, como de sen cwttOM,
por preros mnito baratinbw e commodoe para te-
dos, com tanto que o Gallo....
Muito superiores lavas de pellica, pretas, bris-
cas e de mni lindas cores.
Mu boas e bonitas gollinhas e punhos par se-
niora, neste genero o qne ha de mais modera*.
Superiores pentes de tartarnga para toques.
Lindos e riqnissimos enfeites para canecas das
Exraas. senhoras.
Superiores trancas pretas e de cure com vidri-
Ihos e sem elles; esta fazenda o que pode haver
de melhor e mais bonito.
Superiores e bonitos loques de madreprTola,
marlini, sndalo e osso, sendo aquelles brancos
com lindos desenhos, e estes pretos.
Muito superiores meias no de Escosei para se-
nhoras, as quaes sempre se vendoram por 3OJ0M
a duzia, entretanto que nos as vendemos por J04,
alm destas, temos tambera grande sortinente de
outras qualidades, entre as quaes aliumas mete
finas.
Boas bengalas de superior eanna da India e
castao de raarfim com lindas e encantadoras lea-
ras do mesmo, neste genero o que de melhor as
pode desojar ; alm destas temos tarabem prare
quantidade de outras qualidades, como sejam au-
deira, baleia, osso, borracha, etc. ele. etc.
Finos, bonitos e airosos cnieotinaos de eadaa e
de outras qualidades.
Lindas e superiores ligas de seda e borracha
para segurar as meias.
Boas meias de seda [ir ra senhora e para meai-
nas de 1 a 12 annos de idade.
Navalhas cabo de uariim e tartaruga para fir-r
barba; sao muito boas.e de mais a mais sao ga-
rantidas pelo fabricante, e nos por nossa vez tara-
bem assegurames sua qualidade e delicadeza.
Lindas e bellas capellas para noiva.
Superiores agulhas para machina e para erox.
Linha muito boa de peso, frouxa, para enehtr
labyrintho.
Bons baralhos de cartas para vultarete, urja
como os tentes para o mesmo flm.
Grande e variado sortimento das melhores per-
fumarias e dos melhores e mais conhecidos per-
fumistas.
C0I.ARES DE ROER.
Elctricos magnticos conj-a as convulsoes e
facilitara a denticao das innocentes enanca?. So-
mos desee muito recebedores destes prodirhjss
collares, o continuamos a recebe-!os por toees o
vapores, aura de qne nunca aitem no mercado,
eomo ja. tem acontecido, assim pois poderao aq>iti-
les que dolles precisarem, vir u> t'pposito do f'tc
vigilante, atade sempre encontrarao destes verda-
deiros collares, e os quaes attendnndo-se ao fia
para que sao applirados, se vndente com um azi
diminuto ucro.
Rogamos, pois, avista dos objectos que decame s
declarados, aos nosses reguezes e amigos a virea
omprar v |iro<;os mnito razoaveis loja do ja..o
vigilante, rnt iln CresiKi n. 7.
Oicheira.
Vende-se a cocheira di raa da Paz n. 13, bem
afreguezada, com 4 carros, sendo t de abrir e te-
char, 1 fechado e 1 aborto, e 24 cavallos gordos,
todos de parelba, tanto para o mato como para a
praca ; se dir a razio de se vender ao com-
prador__________
== Vend-se feyao, farraba. cera de carnauba
e pennas de eraa : tu ra d Mache de Dees n. 5,
Io andar.
Secretaria de ferro
Vende-se e est vs:a em cas des importado-
res Shaw Hawkes fc G., raa da Cru n. *.
500
20000
500
500
500
40
500
320
4500
2000
10500
30000
400
20
400
50C
40
20000
240
400
40000
30600
que admira!!!
Tarlatana de cores a 400 rs. o metro, madapolo
francez a 6a a peca, cortes de la com 14 covados
a 3*. cassa* de cores a 240 rs. o covado, chitas
escuras a 220, 240 e 260 rs. o covado meias para
senhora a 31 a duzia, alpacas de cores a 400 rs. o
covado, lene, os brancos embanhados a 2 j a duzia,
cretone proprio para lences a 1*200 o metro, de
todas estas fazendas se dio amostras. : na ra do
Duque de Caxias, antiga do Queimailo, n. 29.
Fog&o de patente.
Vende-se em casa dos importadores Shaw
Hswkea & O, raa da Q
".
0 cordeiro previdenti
Risa do ueiactado a. i O.
Novo e variado sortimento de nerfamar.
finas, e ontros objetos.
Alm do completo sortimento de per.
manas, de qne effectivamentfi est prvida
loja do Cordeiro Previdente, ella acaba d-
receber nm outro sortimento que se torr.
aotavel pela variedade de objectos, superior
dade, qualidades e commodi.iade- de pu-
cos ; assim, pois, o Cordeiro Previdente pea
e espera continuar a merecer a apreciaci
do respeitave publico em gerai >. ae rz
boa freguezia em p?rticular, nt t; afi.
tando elle de sna bem conhecjdamaisici
e barateza. Em dita loja erconti aro o
apreciadores do bom:
Agua divina de E. Coudray.
Dita verdadeira de Murray & Lanimac.
Dita de Cologne ingleza, americana, frai
ceza, todas dos melhores e mais acreditado
fabricantes.
Dita de flor de larangeiraa.
Dita dos Alpes, e vilete para toilei.
Elixir odontalgico para cols^-vico i
asseio da bocea.
Cosme tiques de superior qualidade e ct.
ros agr da veis.
Copos e latas, maiores e menores, cok
pomada fina para cabello.
Frascos com dita japonesa, transporta.
e outras qualidades.
Finos extractos inglezes, americanos
franeezes em frascos simples e enlatado*.
Essencia imperial do mo e agracevei cLe
ro de violeta.
Outras concentradas e de cheiros igna]
mente finas e agradaveis.
Oleo philocome verdadeiro.
Extracto d'oleo de superior qualidad
com escomidos cheiros, em Irascos de dHh,
rentes tamanhos.
Sabonetes em barras, maiores e neoorc
para maos.
Ditos transparentes, redondos e em fia-
ras de meninos.
Ditos muito finos em caixinba para bari.
Caixinbas com bonitos sabonetes imiaai-
fructas.
Ditas de madeira invernisada contecdo I
as perfumaras, muito proprias para prt
entes.
Ditas de papelo igualmente bonita, Ufc
bem de perfumaras finas.
Bonitos vasos de metal coloridos, <
moldes novos e elegantes, com p de arra;
e boneca.
Opiata ingleza e franceza para dantas.
Pos de camphora e outras dizteeau
qualidades tambem para dentes.
Tnico oriental de Kemp.
Alada aasdbs cosaca.
Um outro sortimento de coques de a
vos e bonitos moldes com filete de vidrise
e algun8 d'elles ornados de flores e fita.
estSo todos expostos i apreciacio de quta
os pretenda comprar.
GOLLINHAS E PUNHOS BORDADOS
Obras de muito gosto e perfeicao.
FlTellsm e fitas vara latea.
Bello e variado sortimento de taes ofcjat
tos, fletado a boa escoma ao gosto o i
prador.
Joaqnim Itdrgu^S^
vares de Mello,
TEM PARA VENDER
em seu escriptorio, praca doTkirpo Saato |
a. 17 :
Fumo em folha
de 1* e 2* qualidade, e vende asa oa i
fardos a vonlsde do compradores.
Gal de Lisboa
ultima chegada.
Potassa daEussia.
Farlnha de aisaadluwi.
Vinho Bordeaox.
de 1" qnalidade. Tudo de veaae mais
barate do qne em outra qualquer pane.
VmJetn-serparte da na sobrado ti
Hortas: t pessoa que pretender cotapr-ir dmja^
i raa Iuperial n, 11


8
Diario de Pernambuco Segunda feira 10 de Outubro de 1870
_____________________________________________________________________________ :._------------------------------------------------------------------------______




UTTERATMA.
i Terra.
ESTDOS ASTRONMICOS.
(Conclasao.)
O eixo maiof da eclptica *
Tambera tem um mo vi ment,
Em virtude do qual soffre
Um certo deslocamenio
E^sa linha se desloca
Sem nunca mudar de planos,
E faz sea. gyro completo
Em cento e oito mil annos.
Esse gyro se executa
Em torno o foco ardente,
Onde o sol tem o sea centro
Fixado constantemente.
D'es?a linha o mcvimento
Ou anonas perturbares
Dos planetas dosystema
Tem por causa as atraccoes.

Essa mesma cansa gra
Mudanzas na forma elptica.
Que se chamo variacoes
Da excentricidadc da eclptica.
Segundo ella se torna
A eclptica to fallada
No correr de nitritos seclos
Mas ou menos alongada.
Aterra na sua rbita
Anda sem jamis ter treguas
De tempo em cada minuto
Qualrocentas e doze leguas.
Em ama hora de tempo
Por forc-a da rotceo,
Qualquer terrestre habitante
i)o eqoador sob aeco,
Trezentas e setenta legoas
E mais cinco exactamente
Camiohar sem sentir-se
Do occidente ao oriente.
Taes sao as velocidades
Dos principaes movimentos
Que possue nosso planeta
Nos celestes firmamentos.
O terapo que a trra gasta
Em duas vezes passar
Pelo ponto que dissemos
Perihelio se chamar,
_ o tempo que a sciencia
Dea o nome cabalstico
De anno do perihelio
Ou de anno anomalistico.
Este anno difireme
Do chamado sideral,
Visto como o perihelio
Tambem moda de local.
Tem mostrado a experiencia
Com mni grande preciso
Que o grande oixo da eclptica
Muda sempre a direcco.
Rile descreve por anno
Um ang'lo de onze minutos
Na direcco em que a trra
Faz seas gyros revolutos.
V-se pos qae a nossa trra
Esse ponto vai achar
Um pouco alm do pnmeiro
Onde o devia encontrar.
Por tanto d'ahi conclue-se
Que o anno anomalistico
E maior em duraco
Que o sideral humorstico,
J vimos o que se chama
Dia terreo sideral,
Quantidade que constante
Da trra em qualquer local.
Resta que agora digamos
O que dia verdadeiro,
E qual o dia medio
Chamado no mundo' inteiro.
O tempn qoe o sol despende
Em duas vezes passar
Urna aps outra no plano
Meridiano d'um lugar ;
E' o que se combinou.
Chamar dia verdadeiro
Por ser dado pelo astro
Qoe do mundo o luzeiro.
Se suppozermos que passam
N'um mesmo dia do anno
O sol e qualquer estrella
Juntos no meridiano;
Veremos passar primeiro
No dit subsequeote
A estrella, e s a'epois
O re do dia explendente.
E d'ahi logo conclue-se
Com criterio sem igual
Que o dia verdadeiro
E' maior qoe o sideral.
A diflerenca provm
Sem soffrer contestadlo
Do avanco que n'um dia
Faz a trra em transanlo.
E como ji nos sabemos
Que o avanco variado,
Visto o mover do planeta
Nao ser oniformisado;
Conclue-se qae a dfierenca
Varia Constantemente,
E que o dia verdadeiro
E' varo eminentemente.
Mas como o sol era o astro
Qae melnor offereuia
CondiccSes para a medida
Da rotaco ou do dn
E os das verdadeims
Nao tendo uniformidade
Os astrnomos traziam
Eco seria di/Dculdade;
Ecins para a resol* i rem
O u tro 'i,
zo
Por sol vudio li plis.naffl,
Em rela<;3j este Bol
As seguales condit cues
Se acna a twa obrtyda
as suas evoluces:
A descrever um corva
Em torno do sol creador.
Gajo plano te confunda
Com seu plano do eqoador ;
.descrever essa curva
Circular exactamente,
Sobie ella se roovendo
Sempre uniformemente ;
completar sobre ella
Sua total digresso
Ao tempo em que na eclptica
Fizer sua evolucta;
A se acbar uos equinoxios
Exactamente no instante
Em que tocar n'esses pontos
Da eclptica radiante.

Subjeitaa trra moverse
N'esse plano ahi tragado,
Vejamos o que ser vem
O dia medio creado.
Esse dia o tempo gasto
Pelo sol medio passar
Duas vezes successivas
No meridiano d'um lugar.
D'ahi se v claramente
Que o dia medio legal
E' maior em durac.au
Do que o dia sideral.
A diflerenca entre os dous
E' quantidade constante,
Visto como uniforme
A transanlo circulante,
V-se pois que o dia medio
Tem constante duraco
E que ser"e p'ra medida
Da terrestre rotaco.
Estodadas dos dous ses
As posicSes relativas,
Ou entre elles e a trra
As relaces respectivas ;
Formou-se o que se chamou
Do tempo a grande equacao,
Que na sciencia dos astros
Tem mui vasta applicaco.
Por meio d*essa equaco
Se determina, ligeiro
O valor do dia medio
Sabido o do verdadeiro.
E d'ahi se deprehende
Que esse sol imaginario
Foi ama forte ala vanea
P'ra o sysiema planetario.
Sendo certo que os dons ses
Passam no meridiano
Um igual numero de vezes
No correr d'um mesmo anno :
D'abi dedoz-se que a media
Eutre os das verdadeiros
!'.' qual ao dia medio
Sem damnos para terceiros,
O anno trpico da trra
Cunta dias medios brutos
Trezentos sessenta e cinco
Cinco horas e minutos.
Esse anno assim formado
E'-acceito geralmente
Do polo norte ao do sul
Do nasceme at. o poente.
Mas como para os mysteres
Usuaes da nossa vida
Esse anno tropical
Servia mal de medida :
Os homens se combinaram,
E n'islo foram astutos,
Em desprezar as fraccSes
De horas e de minutos.
E d'abi se origioou
O anno civil normal
Formado s pelos dias
Do grande anno tropical.
E como do anno trpico
A desprezada fracco,|
Da quarta parte d'um dia
Traba quasi a duraco ;
E de quatro em quatro annos
Esse dsprezo directo
Vinba emfim prefazer
Um dia quasi completo :
E assim vinba a ficar
O anno civil normal
De quasi um dia menor
Do que o anno tropical ;
Ao civil determioou-se
P'ra cortar a anomala
Que de quatro em quatro annos
Se dsse rAe mais um dia.
A este anno assim feito
Cbamou-se anno bissexto,
Nome ligado calendas
Segundo o latino texto.
Mas ento comprehendeu-se
Que esses annos anormaes
Ttnbam maior duraco
Do que os annos tropicaes.
Foi por tanto necessario
Fazer nova correceo
Que tivesse por effeito
Por os dous em relaco.
U
ir
E por tanto concordou-se
Em qoe os annos seculaojfe ^
Que deviam s> r bissextcM
Em condiccoes regularn^
?
S de quatro em quatro sec'los
Esse rol occopariam, |p
E que os mais entre os communs
Em geral se contariam.
A prjmeira correceo
Fui Julio Cesar quem fez
Antes da vin >a de Cbristo
No aqno quarenta e seis.
O papa Gregorio treze
Com mni Ion' ave! pretexto
Dciermin a n ^pgivda
N i seculo de- imo exto.
m anno
ii ai*
S u i vulgar.
Se a divisan se fizer
Sem fraegao no quociente,
O anno assim dividido
E' bissexto exactamente.
?
Se porm houver fraeco,
Esta serve p'ra indicar
Quantos anuos inda faltara
Para um bissexto chegar.
Esse numero nos dado
Com toda a exactido
Pela diflerenca acbada
Entre os termos da fraeco.
Se de um e de outro lado
Do grande plano equador
Marcarmos no meridiano
Arcos de igual valor;
Se suppozermos que este
Da eclptica a ioclinaco,
Viole-tres graos vinte-sete
Minutos com exactido;
Se pelos pontos extremos
Desses dous arcos marcados
Dous parallelos da esphera
Nos suppozermos tirados;
Sero estes o qoe os homens
Da sciencia tem chamado
Os dous trpicos da trra
Nome mni vulgarisado.
Pelo trpico de cncer
O do norte conbecido,
O outro de Capricornio
Tem o nome mui sabido.
Se partiado dos dous polos
Marcarmos no meridiano
Dous arcos de igual valor
Aos cima, nesse plano ;
E se pelos seas extremos
Nos suppozermos tirados
Dous parallelos da esphera
Do equador afiastados;
Teremos o que se chama
Por seus nomes mui vulgares
Da nossa terrestre esphera
Os doos circuios polares.
O do norte lera o nome
De circulo polar rtico,
O outro gosa do titulo
De circulo polar antartico.
Esses quatro parallelos,
Nos quaes o calor se encerra.
Em cinco zonas dvidem
A superficie da trra.
D'entre ellas a primeira
Que a media presumida
Inteiramente se acha
Entr'os trpicos contida.
Pelo calor abrasante
Que nella permanente.
Essa zona tem o nome
De zona trrida, ardente.
Aos lados desta se acbam
Duas zonas temperadas,
Ambas tendo de calor
Condicoes bem reguladas.
Estas duas tem comeco
Nos dous trpicos circulares.
E se estendem exactamente
At os circuios polares.
Nestes circuios pr ncipiam
As chamadas glaciaes,
Cujas reas vio findar-se
Nos dous polos terreaes.
Da primeira os habitantes,
Exceptuados os limites,
Duas vezes cada anno
Tem o sol nos seas zeniths.
Nesses iostantes seus corpos
Nenhuma sombra projectam,
Visto que do sol os raios
Verticalmente os affectam.
No mais tempo sua sombra,
Sempre mui pouco alongada,
Parte do anno no norte
Parte ao sul proje'ctada.
Os habitantes das zonas
Que sao ditas temperadas
Recebem do sol os raios
Em posicoes obliquadas.
Suas sombras mais oblongas
Que as da zona do calor
Guardam sempre direcces
Oppostas ao equador.
As cinco zonas da trra
Todas juntasreunidas
Em trinta climas diversos
Em geral sao divididas.
Esses climas, que variam
Do ardente ao glacial,
Tem limites variaveis
Sobre o globo terreal.
Sao cansas disto as mudancas
Constantes, certas, eternas.
Que ao mover da trra trazem
As influencias externas.
Entre estas sao notaveis
As influencias solares,.
E no corpo planetario
As influencias lunares.
Sao estas que combinadas
Sobre a trra do lugar
Ao phenomeno das mares
Ou oscilacoes do mar.
as costas dos grandes mares
Se observa exactamente
Que a superficie das agoas
Vana 'alternadamente.
Ora tem menos a.tora
Ora est mais elevada
Do que urna altura media
A' priori fixada.
N3 maior altara diz-se
Que exisle o pra-mar,
Na menor elo coutrario
Se diz baver baixa mar.
Da menor para a maior
A^ aguas em crescimento,
Vo augmentando o volume
1 m lar u. >\ u.-nto.
igi
Quw i i mingoaudo
Ddsii. sixi-mar.
Ao prime ro facto cima
Se deu o nome de fluxo,
Ao oppos'o se chamou
De jmante ou da refluxo.
Em qualquer parte da costa
Das aguas a elevacao
as pra-mares sopportam
Contante variaco.
A diflerenca em altura
Entre a baixa e a pra-mar
o que tem de mar
O nome muito vulgar.
Nao tendo o mesmo valor
As alturas respectivas
De duas mares completas
Seguidas e successivas;
A' media dessas alturas .
Chamou se mar total,
Cujo valor na sciencia
Tem emprego especial.
At nos lempos de Kepler
Falsas ideas grassavam
Das causas phenomenaes
Qae as mares originavam.
Foi Descartes quem primeiro
Teve a idea luminosa
De nos astros procurar
Sua causa especiosa.
Mas foi N wton que coube
A gloria monumental
De construir do phenomeno
Atheoria racional.
Elle, notando qoe a loa
Transpondo o meridiano
Soffria um retardamento
Constante e qnotidiano ;
E as mares conbecendo
O mesmo retardamento,
Diario e sem excepeo
as horas do crescimento ;
E tendo j descoberto
A grande lei da attracco,
A' qual chamou sem reserva
Universal gravitaco ;
Concluio que era o phenomeno
Um effeito da attracco.
Que sobre as aguas exeree
Da la a massa em aeco.
E disto teve elle aps
Mui fcil confirmaco,
Nos estados successivos
De mais de urna lunacao.
Elle notan qae as mares
De loa no perigfo
Sao maiores do que aquellas
Que tem la no apogeo;
E qoe em cada lunacao
As de menores alturas
Sao as mares que se do
No tempo das quadraturas;
E que ao contrario as maiores
Para a mesma lunacao
Sao as das phases chamadas
Conjunccao e opposicao.
Tambem notoa qae as mares
Tem um maior crescimento
Qaando a trra tem tocado
Do perihelio o momento ;
E emfim que entre as mares
As maiores annuaes,
Sao as que tem cabimento
os lempos equinoxiaes ;
E que destas as primeiras
Tem tanto maior valor,
Quanto a la est mais perto
Do perigo e do equador.
V-se, pois, que das mares
Os phenomenos vulgares,
Tem por cansa efDcieote
Attraccoes luni-solares.
Das posicoes relativas
Do sol, da loa e da ierra,
E das diversas distancias
Que eutre elles se encerra ;
Resolta a hora precisa
Da pra-mar, e a grandeza
Das mares em qualquer ponto
Da terrestre redondeza.
Do sol e da loa a aeco
Nao tem effeito instantneo
Sobre a massa liqnefeita
Do nosso globo terraneo.
Provm isto dos atrictos.
Das torcas de cohesao,
E da inercia da materia
Ou massa eraliquefaeco.
por isso que as mares
S tem verificaco
Triuta e seis boras depois
Da lun-solar aeco.
Do que cima temos dito
Se deduz mni fcilmente
Que a grandeza das mares
Varia constantemente.
Tres causas essenciaes
De diversa n^tureza,
Das mares regularisam
A variaco em grandeza.
Sao ellas: a Ititude
Dos pontos ou dos lugares,
A posico dos tres astros,
E a extenslo dos mares.
Setenpro de 1870.
fff
ASSEMBLEa ger&l
Pabeceb da commisso respectiva sobbe o
projkctode beforma eleitorvl apbesen-
tado a 22 de jolho pelo sr. ministro
do imperio.
(Continuaco.)
As qualidades do votante eram reconbeci-
das n acto i* votacopela mesa paroebial
que compunha-se do presidente da cmara
municipal ou vereador, que servia de presi-
dente, do vigano e de mais fres ou cinco
secret trios e escrutadores1, segundo a im-
fiertanca da^parocbia.os quaes eram pro-
posto >:-t<> pri..>! i;' i!-;a sa e approva-
dO p >s
N i nao se exigi-
ra i as f
Ei ikpois ie j.irada a consti-
tendo 'te procedsr-e s primeiras
elec<5e< d-ts jara .ras dos tlepotados e se-
nadores, baixarain as instrueces de 26 de
marco de I8ii. Subsisti quasi o mesmo
processo de 1822 na organisaco das me-
sas paroebiaes, soffceodo apenas modifica-
Cio essepcial o que referia-se s condicoes
do voto, que foram limitadas segando as
prescripeSes dos arts. 91 0i di consti-
tuico.
< Estas iastraccoes vigora ram at 1840
e bem poneos foram os. abusos que denta-
se, principalmente atteodendo-se larga
margem, que Ibes prstava a extrema con-
fianca depositada as mesas paroebiaes.
< As eleicoes de 1840 vieraro infelizmen-
te demonstrar que as instrueces de 1824
nao garantiam a liberdade do voto : a com-
misso nao entrar nem na descripeo; nem
no exame dessas eleicoes, bastar-lhe-ha con-
signar que foram taes, que a cmara dos
deputaiios, filba dellas, foi previamente dis-
solvida a 1 de maio de 1842, e que a 4
desse mesmo mez aovas instroece eleito-
raes appareciam. dando mais garmtias aos
partidos polticos nao s na formaci das
listas de qualificac/to por urna junta compos-
ta do juiz de paz, vigario e subdelegado da
parochta, como na organisaeo das mesas,
cojos membros seriam eleitos por 16 ci-
dados tirados sorte d'entro os elegiveis
da paroebia.
O exemplo de 1840 foi fatal: as elei
Ces de 1842 e 1844 foram fortemente ao
cusadas de interferencia indebita do gover-
no : em ambos os ministerios que as tmliam
presidido, de oppimes polticas inteirameo-
te oppostas, tiveram grande maiora ou a
quasi totalidade na cmara, sendo que na
ultima estabelecen-se infelizmente o terrivel
abuso das deparaces.
< A cmara eieita em 1844 dotou o paiz
com a primeira lei de eleicoes, dando aos
partidos toda a garanta que pareca possi-
vel, fazendo concorrer para a organisaeo
das mesas paroebiaes a maioria e minora,
estabelecendo bases seguras para as qoalifi
cacos, creando recursos que pareciam os
mais efilcazes, e finalmente elevando o censo
para poder ser volante, e negando o voto s
pracs de pret. que ata ento votavam ar-
regimentadas.
As intences da legislatura de 1845 a
1847 foram sem duvida as melbores, mas
os resultados nao corresponderam a essas
intenges. Pela lei de 19 de agosto de 1846
foram feitas as eleicoes de 1847, 1849 e
1852, todas ellas com iguaes efleitos, todas
aecusadas de fraudes e violencias, todas di
zendo-se fe i tur as do governo.
Em 1855 reviveu-se um projecto de
1818 acabando com a eleigu por provincias
e creando districtos eleitoraes de um s de
putado. Sob a influencia poderosa do Ilus-
tre marquez de Paran, de saudosa ra^mn
ra, esse projecto passoa as duas cmaras
e foi lei nesse mesmo anno: ues d. ram,
porem, os seas resultados que nao resisti
primeira prova. A propria cmara, filha
dessa lei, modificou-a alargando os distnc-
tos, qoe em regra passaram a ser de tres
depatados.
Em ambas essas reformas maiores ga-
rantas deram se aos cidados e s opinies
que pleitoavam as eleicoes, procurou-se
cortar por todos os abusos conhecidos, e a
par das eleicoes por dtslrctos crearam-se
as incompatibilidades.
E qual o resaludo? Cama-so hoje da
mesma maneira qud antes, se nao coto
maior forca. De boa ou de m f attribue-
se todo ao governo ; se em 1857 e 1861
alguas membros da opposicao apparecerarn
na cmara, disse-se qae era porque os mi-
nisterios assim o DUam querido, que era
isso devido ora conciliaco, ora ao equili-
brio, ora par til ha das provincias do impe-
rio, que entre si faziam os ministros, ora
finalmente que era pela poltica geographLa.
que praticavam.
< A commisso nao acompanha inteira-
mente esses clamores na parle em que todos
os males sao attribudos aos governes. mas
nao pode deixar de reconbecer qoe justas
causas existem para desejar-se sabir deste
estado de coosas.
t O que em 182! foi urna necessidade
torna-se hoje um ma!.
< Em um paiz inteiramente novo, sahid >
quasi que do sysiema colonial para o de li-
berdade to ampia, como a que garantida
por oossa constituico ; faltando ao povo
nao s o traquejo, como anda o conheci-
mento dos mais comesinhos principios do
sysiema representativo, que ia vigor >r, e a
que era chamado sem preparo e sem lula,
necessario era entregar aos mais capazes a
direcco dos neg>>cios e interesses das loca
lidades. A eleico indirecta presta se a tal
resultado, e effectivamente os homens bons
ou os mais ricos tomaram a si esse encar-
go, e nao s dirigiara, como faziam todo.
Esses homens bons eram os ouvidores, os
juizes de fra, os capitaes mores eos viga
ros ; as tradices colooiaes davam-lbes de-
cidita influencia, quecootinnou a preponde-
rar om quanto novas leis nao Ih'as tiraram
para dar a ouiros, e em quanto com a or-
ganisaeo dos partidos nao se crearam no-
vos interesses e novas aspiraces.
O facto da direcco de alguns contini
da mesma maneira, mapdou apenas adeno-
minag.io dos directores. Hoje. nao ha nega-
lo, a polica e a guarda nacional: sao as
armas de que os partidos laoco mo para
vencer os adversarios. Dahi a necessidide
das reaccoes.
Imbcil ser o governo que deixar as
mos de seus advere tros to poderosas
alavancas: ser infalivelinetrte derrotado as
eleicOes e ficar em minora no ramo tem-
porario da repres'ntaco nacional.
A necessidade, porm, leva-o a entre-
gar as posicoes a seus adeptos, e dahi v m
Ibe a victoria.
Nao se grita, pois, contra o govern-i:
elle opera por forca da necessidade dos
uossos costones e em grande parle da nossa
legislaco. Podem os ministros, podem os
presideotes das provincias desejar que seja
livre a eleigao ; as exigencias do partido, as
influencas locaes, nao ih'o consentro. Sor-
Ibes ha possivel, em um districto ou era
orna provincia, dar a victoria aos adversa-
rios, mas ser palos mesmos meios porque
as dara aos amigos, isto por meio de
influencia da loc.ali lade.
* Tera-se clamado contra a polica e a
guarda nacional e pedem-se reforma*. era
a lei de i de dezembro, nem a da guarda
nacional, autorisam os abnso, q onrae deltas se ten dt-lo; raformm-
coora ij 07. r'::i. ni n incenti-
vo, qai 6 i i, (jue os abusos ex
Nao ha mi'jia

mita i ez un si
vict'iri* q e as eeicoei Ibes pro-netto/u
perpetradoras.
A libenlade na eleico pois, a pri-
meira necesi dade oeste pas.
O projecto do Sr. depatado Pauiao
de Son crea o voto directo
Com os eieitores de parochia
confonnidade ia legislac*) em
concorrer nos collegk ekitoraei, fin
eleico de depoudoe, ewaores mmt-
bros das astembleas provineiaet, m eiia-
dos inscriptos em Usas elaoraw, per
processo especial, fie ealiwM n m-
guiates condicoes.
ti Poder ser eleitor, nos tarace do
art. 53 da lei de 49 de Agosto do 1846.
2* Saber ler e escrewr. ____
3* Ter pago nos tras sesee sonrieras
imposto de baoitaco, cujo rendicssss lo-
cativo annual nio seja inferiores a 9W sa
corte, a 3600 as capitaes das prottodss
do Rio de Janeiro, S. Paolo, S. Pedro o
Rio Grande *do Sol, Babia. Peruamboeo.
Maranbo e Para, a 2404 as ootras ca-
des, e a 1204 dos mais lugares.
< 4a Independentomeote do plsaselo
do imposto, se nio estiverem eoapreben-
didos as excepces do art, 53 da ettss
lei :
< Os clrigos de ordens sacras.
Os offielaes de patente do exercito e
armada, sem distineco de activos os refor-
mados.
< Os graduados em qualquer dss facul-
dades do Imperio.
c Os doutores c hachareis forondos sa
qualquer universidade ou academia estrao
geira, competentimente habilitados pars o
uso de seus graos o Brazil.
t Os professores de instroeco publica
primaria, secundara ou superior.
c Os vereadores e os juizes de paz.
t As vantagens da creacSo oestes e'.ei
tores, a que a commisso nio dovidari
chamar jury rroprio. aceitando a expres-
so j empregadas, sao obvios Tornar
a eleico muito mais livre, creando
classe de eieitores iodependeotes do
no, augmentando o numero dos eletore?
que sero menos influenciados sobainrsas
i a localidade, e finalmente fazendo eoscor-
rer para a nomeaco dos deputados, sses-
dores e membros das assemblas provio-
ciaes representantes de todos os partidos
t Na diviso das classes destes novos
eieitores attendeu-se propriedade, i il-
lustraco e o elemento popular.
A base que procuroo o O'ojecto pera
a representaclo da propriedade a ootca
que hoje se pode adoptar. Nio ha no
Brazil imposico directa que abraoja toae
as classes da sociedade, a nica o
to sobre o valor locativo da casa de
taejo. J se disse que o censo era asilo
elevado, mas abaixar alm dos lisites do
projecio seria prejadicar intttramoste a
suas vantagens. Pode parecer, sisa, qe*
a proporco estabelecida no projecto eao
corresponde na applicaco verdade sos
factos, que o censo marcado para a eftiV
seja baixo em relaco ao das povoaces,
que oo sao cidades: que haja injiwtica re-
lativa na exigencia do pagamento do ia-
posto sobre valor locativo de 2405 para to-
das as cidades, qaando estas entro si
sificam tanto em condicoes. Sea
referir-se a abasos que aaitas
provinciaes tm praticado elevando
todas as suas oovoac&es categora ds ci-
dades, bastar lombrar qoe na proviocia do
Rio de Janeiro a cidade de Csapos, sa da
Babia a da Cacboeira, en S. Paolo as cida-
de de Santos e Campias, oa provincia o>
S. Pedro a cidade doRioGrsode, eansa
mu i tas ootras, oo se pdem, comparar as
maior numero das cidades do interior, st-
gumas bem decadentes por circoartsscrw
especiaos. Talvez conviesse tamben esta-
beiecer alguma diflerenca em relacio ha-
btaco as cidades 8 nos campos, poea
regra estas sao de muito menos valer qoc
aqnellas, eno emtanto seos moradare soo
offerecem menos garantas .
Ss alguma raoditicago. pora. w tor-
nar nescessanas, modificacao t|ua em nada
altera a idea capital do project' a cofsssis-
so reserva-se para apresenta-la em 2* drs-
cusso, a vista dos dados estalisco* qoe haV
de ser apresentados consideraco ds c-
mara.
as conferencias que coa a comaisrfc-
tee o Ilustrado autor do projecto, decla-
ro u G. Exc. que nao tinha escapado a eno-
veniencia da obl;r do thesoaro naciosal
seno urna relaro especificadas de cootri-
buintes, pelo menos do total d coalriee>
roes em cada provincia, e se isss possivet
em cada municipio, alim de poder-s* cateo-
lar qual o numero de cidados qoe esterar
no ceso de ser eieitores e qoal soa dn
trbuico ; mas que, nao teodo-se portido
obter, como produtiva, tinha dado as er-
dens necessarias para qoe na sessaO vndtn-
ro estivessera ellas colbidas, e pode-sern
ser presentes cmara. Adiaotada, eoa>>
vai a sesso deste anno, nenhum iocosjfs-
nieote ba na demora.
< Trtm-se denominado de aristocralas a
estes eleit res. eensurando-se assia o pro-
jecto por criar no paiz ama nova e noa>
deira aristocracia. Nosa lembraa os qoe
assim pensara iue aristocracia sonoro foi
charatdi a eleico indirecta e qoe os
actuaes eieitores oo sabea de ootras clas-
ses de cidados da qae aqae I as a qie per-
teocem os eleit >res jure proprw : d'OMts.
urna simples reflaxo basta para resasaior
a esta censura : se arstrocati o cida^tao
q e no Brasil paga d augu-l le casi 8i)>
raensaes n cone, e 19/J a :WJ' ea iodo o
resto do Imperio, forc* c-inf-sar q.H te-
taos urna aristocrasia muito nooKrosa.
mas muito democratisada.
t Attendeu o projact illostraco, des-
do o dideito de voto aos clerig-w. ao* oos-
ciae.s da patente, aos graduados oas avol-
lades do Imperio, aos dootores e ba hrei?
forraidos no eslrang iro mas babiliud^s^
usar de seus graos no Imperio, e noalaa
te aos professores de instrueco pjbac s*
dilTerentes graos.
c Oik'recera.n estas classes
garanta de. independencia para
cer o dir. ilo de oto ? Nio ba si
le demonstra-I): o qae vemos, o qoe
pre vimos na nossa lociediA*,
uabalmeite. A oppo^irao em
lempos, da todos os partidos, ",*^
principalmente nessas classes, orde pree>
.uitia a illuUnco, que por si comtiioe i
o.itrimonio. mais certo e i

13S.

n
sa-
I
- -i
i Coni*uar,e-ka.)
1YP. DO "DA *K>-aA DO DUE DCCOXlO


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ELAFKIQPS_5TMFY4 INGEST_TIME 2013-09-14T00:44:18Z PACKAGE AA00011611_12233
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES