Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:12232


This item is only available as the following downloads:


Full Text
RO 228.
o i.-iu8

*
*


PARA A CAPITAL E LUGARES OIDE IA0 SE PACA POBTL
Por tres mexes adiantadoa .... -i............
Por seis dkos idem..............."....
Por am armo idem...... ..............
Cada mumero avulso............ .

000
1**000
24*000
320
SABB4D0 8 BE OUTUBR DE 1870
---------- i i
PARA DIITRO & PORA DA PRO?HCU.
Por tres mezes sdiantado*.................
Por seis ditos dem....................
Por nove ditos idem ..../..............
, Por um anno idam...................
6f7M
3#B00
2080
1000
Propriedade de Manoel Figueira de Faria & Filhos.
AO ACENTOS:
Os Srs. Gerardo Antonio Alves 4 Filhos. no Para ; Goncalves & Pinto, no MaranhSo ; Joaqaim Jos de Gliveira, no Cear ; Antonio de Lemos Braga, no Aracaty ; JoJo Maria Jolio Chaves, no Asan ; Antonio Marqnes da Silva, no Natal; Jote Juatin
Pereira d'Almeida, em Mamangaape; Antonio Alexandrino de Lima, na Parahyb; Antonio Jos Gomes, na Villa da Penha; Belarafao dos Santos Bulcao, em Santo Ant3o; Domingos Jos da Costa-Braga,
em Nazareth ; Francisco Tavares da Costa, em Alagoas; Dr. Jos Martins Alves, na Baha ; e Jos Ribeiro Gasparinho no Rio de Janeiro.
PARTE OFFICIAL,
Ministerio do imperio.
CO.t'DECOnAQKS AO EXERCITO.
(Coneluso.)
Alferes : Antonia Jos da Costa Branda), Cor-
diiheiras ; Salvador Machado, dem ; Manoel Fer-
reir Guimares, idem ; Jlo Alan j da Silva Fi-
Iho, idem ; Manoel Benedicto de Lima, idem ; las
Maria Palmeira, idem ; Ida Pereira dos Santos,
idem ; Antonio Moreno, idem ; Abelardo de Ol-
veira Bueno Parroui, idem : Cleodato llodrigues
Jacques, idem ; Joaquim' Alexandrino Gutierres,
idem ; Joo de Almeida Senna, pelos ltimos fei-
tos: Jos Flix Bandeira, idem ; Joaquim Jos de
Souza Pachaco, idem ; Florencio da Silva Cmara,
idem ; Procopio Brrelo Meirelles, idem ; Joao
Justiniano da] Rocha, Cordilheira* ; Antonio dos
Santos Coimbra, idem; Francisco Rodrigues
de Faria, idem ; Jos Ferreira Ramos, idem ;
Frankliti Machado da Silva, idem ; Franhlin Men-
na Machado. polo* ltimos feito*; Cypriano Rodri-
gues, Gardilheiras ; Antero da Casta Albano, idem ;
Joaquim da Ite-sa Caslilho, ltimos feitos ; Vicente
Ferreira Valente, dezemhro de 1868 e Cordilhei-
ras; Joaquim Manoel Manas Moreira, Cordilhei-
ras; Frederico Casimiro Rodrigues da Silva,idem ;
Thomaz Pereira Pinto do Mello, idem ; Jos Lu!
Rodrigues da Suva, idem ; Joao Jos de Santa
Anna, idem ; Francco Marcos Tury Cerejo, idem;
Pailadelpho Benigno do Amar.il Hjnnques, idem ;
Silvestre Goncalves Pereira, idem ; Francisco Tei-
xeira de Carvalho, idem : Joaquim Cordeiro Cu-
v.tlcanii, idem ; Manoelt Joaquim do Nascimento
Machado, idem ; Joao Baptista de Siqueira, idem ;
Jos UuIqo Marques, idem Antonio Bsuedicto de
Araujo, idem, Olavo Vieira do Amaral, idem ;
Manrique Alfonso de Araujo Macedo, idem ; Se
bastio Jos Velho Brrelo, idem ; Belarmino Fer-
reira Lima, idem ; Eleodoro Gomes da Cruz, idem ;
Joao Francisco de Lima Castro, idem ; Antonio
Jos da Fonseca Lessa, idem ; Francisco Ferreira
dos Santo* Azevedo Jnior, idem ; Firmino Ray-
muodo dos Santos Reis, ltimos feitos ; Manoel de
Campos Salvaterra, dem ; Joao Bento da Silveira,
idem ; Jos Leite da Silva, idem ; Porfirio Fran-
cisco Rosa, idem ; Pedro Alexandrino Tavares,
ilem ; Fausto Monteiro de Oliveira Lima, idem ;
Cicero de Alencar Araripe, idem ; Candido RuPno
Borges da Fonseca, idem ; Tristo Sucnpira de
Alencar Araripe, idem ; Ibraim Gomes Ferreira,
idem ; Joaquim Candido de Oliveira Marques,
Cordilheiras ; Joaquim Jorge de Mello Filho,
idem; Joao Evangelista Lal, idem ; Jlo Tei
xeira de Sampaio, dem ; Felippe Bezerra Cavai-
canti, idem; Joo liras da Silva, idem ; Floru-
bello Jos Ferreira da Fonseca, idem ; Salvador
Gomes da Paixo, idem ; Affouso Pinto de Oliveira,
idem ; Bibiano Jos da Concerno, idem ; Gelasio
Servulo Alves de Araujo, idem ; Joaquim Goncal-
ves, dem ; Francisco dos Santos Bezerra, idem ;
Antonio Fernandes Lisboa, idem ; Manoel Fer-
reira Lins, idem ; Francisco Pinheiro Teixeira,
idem ; Emilio Francisco Part, ltimos feitos ;
Morlencio Fortunato dos Santos, Cordilheiras ;
Francisco de Paula Toledo Martins, idem ; Boa-
ventura de Oliveira Pantoja, idem ; Minervino
Francisso da Costa, idem ; Amancio Augusto de
Oliveira, idem ; Francisco Antonio da Fonseca
Jnior, idem ; Severiano Nana*, idem ; Pedro de
Alcntara Moreira, idem ; Joo de Araujo Cosa,
idem ; Mapoel Alexandre Pessoa de Mello, idem-;
Antonio Avehno Nobrega, idem ; Florentino Jos
Martins, idem ; Luiz Telles da Cuntu Sandes,
idem ; Antonio Augusto Pinto Palmeira, idem ;
Constantino Jos .\unes, idem ; Joo Ferreira do
Souza, idem ; Jos Vicente de Paula, idem ;
Francisco Marques de Souza Brito, idem ; Joao
Goncalves de Faria, idem ; Joao Pedro de Sou-
za, idem ; Polycarpo Ferreira de Miranda,
dem ; Francisco de Paula Moraes, dem ; Mauoel
Antonio d'Ornellas, idem ; Joao Ignacio de Souza,
idem ; Francisco Jos da Rocha, Cypriano Quin-
tino Ourique, idem ; Manoel Kaugl Clcmentino
Fausto Souza, dem ; Diarte Rodrigues das Cha-
fas, idem ; Manoel Alves de Azevedo Jnior,
dem ; Joo Jacinihoda Porciuncula, idem ; Ben-
pmin Ramos de Carvalho, dem ; Lydio Purpu-
raren dos Santos Costa, idem ; Euphrasio Joaquim
da Silva, idem ; Antonio da Silveira Guiarte,
idem ; Manoel Jos Pereira da Sirva, idem ; Joa-
quim Borges Teixeira, idem ; Pedro de Almeida e
Mello, idem ; Prudente Jos utra, idem ; Manoel
Leite da Silva, idem ; Vasco Antonio da Silva,
dem ; Joaquim Arislides de Barcellos, idem ; An-
tonio Ferre.ra d'Avila, idem e ltimos feilos ; Ge-
miniano Baplista Je Oliveira, Cordilheiras; Anto-
nio Jos de Mello Brabo Filho, idem e ltimos fei-
tos ; Ernesto Joo de Vissen, Cordilheiras ; Er-
ne.s'.o Adolpho Bailar, idem ; Joio Feistierto da
Silva, idem e dezembro de 18158 ; Antonio Ferreira
Je Miranda, uilimos feilos ; Augusto Carlos Mon-
reiro, idem ; Pedro Pereira Fortes, Cordilheiras ;
Claro Pereira dos Santos, idem ; Laiz Pialo de Mi-
randa, combate e tomada de Corumb ; Valeriano
Gomea de Meirelles, ataque de Paysand comba-
tes de i de raaio de 1806 e dezembro de 1868 ;
Francisco Ayres Bicudo, idem de 18 de julho de
1866 ; Jos Joaquim dos Santos Ferreira, dem de
i de maio de 186.*i e dezembro de 1868 ; (Juirino
Jos Rodrigues, diversos combates e tiroteos em
Matto-Grosso; Francisco Cardoso de Menezes Fra-
ga, combales de 3 e 22 de setembro de 1866 ; ex-
dito Joo Alves Vieira, idem de 24 de maio de
H66; Adelo de Abreu Carvalho Conlreira, idem
de dezembro de 1868 e Cordilheiras ; Frauci-eo
de Paula e Silva Ctitim, idem ; Frederico Cardoso
da Silva, idem ; Francisco Manoel de lirito, idem;
Sebastlo Goncalves da Costa, idem ; Melcbiades
Marinho de Qaeiroz, dezembro de 1868 ; Pruden
co Telles deMnezes, idem ; Mariano Jos P da Silva, idem; Antonio Gentil Ibirapitanga, idem;
Antonio Lopes Rangel, idem ; Jos Bispo da Silva,
dem; Aristiles Goelho da Silva, dem ; Jos Leo-
nel do Nasc ment, idem ; Luciano Lopes de Quei-
roz, idem ; Joaquim Fernandes Braga, idem ;
Franci co Xavier de Albuquerque Mello, idem e
Cordilheiras ; Luiz Henriques de Freitas, idem
idem ; Antonio Joao de Araujo Colho, idem ;
Jos Rodrigues da Costa, Cordilheiras; los Ro-
drigues Lima, idem ; Benlo Gongalves Guimares,
dezembro de 1868 ; Garios Augusto de Souza
Franca, idem ; Manoel Bento de Arruda,jdem ;
Augusto Gomes Ribeiro Leito, iJem ; Joao Mar-
ques dos Santos, idem; Luiz Antonio Das de
Andrade Jnior, idem; Leocadio Alexandre da
Gonceicao, idem ; Manoel Ferreira da Silva, idem ;
Pedro Augusto de Mondonga, idem ; Manoel Ro-
drigues da Costa, idem ; Luiz Antonio Dias de
Andrade Jnior, idem ; Leocadio Alexandre
da Conceicau, idem ; Manoel Ferreira da Sil-
va, idem ; Pedro Augusto de Mendonca, idem ;
Manoel Rodrigues da Costa, idem; Jos No-
nes Garca, expadigo sobre Curuguaty e Igua-
temy e combale da 28 de novembro de 1869;
Jos Pereira de Araujo, dezembro de 1868; Joa.j
Segismundo Bonosso, idem e ltimos feitos ; Aa
ionio de Paula Ferreira Chaves, dezembro de
1868.; Jos Maria Pacheco, idem; Miguel Fran-
cisco de Lemos, idem ; Antonio de Souza Reg
Caiola, idem ; Saciano Lopes Guerra, Idem ; Joo
Baplista Ebichen, dezembro de 1868 ; Joao. Jos da
Silva Costa, idem ; Francisco Alvaro de Souza
('.amargo, idem : Antonio Jos Henrique de Vas-
coaeeltos, idem; Bento Manoel de Azarabuja, Cor-
dilheiras ; Joaquim Nunes da Silva Jardim, idem ;
Jos Pedro Pereira, idem f Manoel Thomaz dos
Santos, idem ; Antonio Fernando de Avila, idem ;
Carlos Pereira eos Santos, Idem ; Clementino
Fausto de Souza, idem ; Fleio Candido de Mo-
raes, idem ; Francisco Carvalho de Moara. idem ;
Jos Ferreira da Silva, idem ; Jos de Mello Bar-
balho Filho, idem ; Laarindo Machado da Trnda-
de, idem ; Manoel Rangel, idem; Flix Antonio
de Alcntara, dezembro de 1568; Anton'o Macha-
do Rozendo, idem ; CliMitovao Francisco de Pau-
la Cavalcaoti, idem ; Jos Leite de Castro Sobri-
nho, idem ; Jeronymo Jos de Barros, idem ;
Isaas Antonio Teixeira, idem; Lacio Ferreira
Doria, idem ; Jos Moreira de Mattos, idem ; Joo
Jos de Paiva, idem ; Joaquim Ayres do Nasci-
mento, idem ; Joao Antonio de Azerelo Coutinho,
idem e Cordilheiras ; Francisco Jos Machado
dos Reis, idem ; Joo Paulo de Santa Anna, idem;
Gamillo Jo de Mello, expedicio Villa Rica ;
Demetrio Jos los Passos, idem ; Jos Chaves Al-
ves da Cruz, idem ; Firmino Luiz Machado, idem ;
Jos Luiz Pereira da Cunha, idem ; Leopoldino
Moreira, idem ; Jo- Francisco Machado, idem ;
Jos Florindo Rodrigues de Oliveira, dem : Pau-
lino de Sonza Martins, idem ; Placido Antonio da
Silveira, idem ; Joo Paulino Lopes, idem ; Ma-
noel Antonio Duarie, idem ; Manoel Nonato Neves
de Seixas, iddm villa de S. Pedro ; Miguel
Moniz Tavares, idem ; Solero de Menezes,
dem ; Galdino Jos Cardoso de Araujo Abran-
ches, idem ; Augusto Frederico Pereira de Carva-
lho, dem ; Joo FerreiraBasto*. idem ; Luiz Pe-
reira de Vasconcellos, idem; loo Ernesto de Salles
idem ; Raymnndo Braulio Freir da Silva, idem ;
Saturnino Augusto de Mendonca Lobo, idem ;
Xpngio Januario de Araujo, idem ; Antonio Gal-
dino de Jezus Mafra, idem ; Gamillo Machado
Freir, idem ; Ernesto Alves Pacheco, idem ;
Lauriano Jos Pimenta, idem; Jo* Correa de
Mallos, idem ; Jos Carlos Vital, idem, desembn
de 1868; Francisco Correa de Mattos, idem;
Joaqaim Antonio Rioeiro da Fonseca, idem ;
Joo Baplista Pereira Marques, idem; Manoel
Mauricio Lopes Lima, idem e Cordilheiras; Joao
Baplista Cupertino Ferreira, dezembro de 1868 ;
Antonio Tertuliano de Carvalho, idem ; Ago Au-
reliano da Costa Paiva, dem ; Pedro Jos Ribeiro,
dem ; Eraygdio Dantas Brrelo, idem ; Ernesto
Joo de N'esseno, idem ; Joaquim Borges Vieira,
dem ; Eugenio|Pedroso de Oliveira Menezes, idem;
Ernesto Pitan, idem; Joao Antonio Rodrigues,
idem ; Franklin Octavio de Alencastro, idem ; An-
tonio Joaquim de Pinho, exeedicao villa de S.
Pedro ; Joo Jos de Araujo Farias, idem ; Joao
Rodrigues do Prado, idem; Pedro Monteiro do
Amaral, dem ; Joo de Souza Ribeiro Jnior,
dem ; Joaquim Luiz Martins de Agrim, idem ;
Olympio Leite de Meirelles, idem; Carlos Jos
Das do .Nascimento, idem ; Antonio Lydio de
Oliveiro, idem ; Modesto da Silva Pamphvro,
dem ; Jos Nelsio da Cunha, idem ; Vidal Coins
djs Santos, idem ; Antonio Rodrigues Cordeiro,
dem ; Manool Maria de Carvalho, combate de
dezembro de 1868; Claudio do Amaral Savaget.
idem ; Miguel Teixeira da Costa, idem ; Paulino
\ ieira de Mello e Silva, idem; Heleadoro Emi-
liano Valdetaro, idem ; Joae Aotonio Vieira
Christo, idem ; Ha y mundo do Garmo Ferreira
Chaves, idem ; Zeferino Jos" Beotes, expedicao
villa da Gonceicao, dem ; Modesto da Silva Pom-
peu, dem ; Oypriaoo Aristides dos Sanios Lima,
combate de dezembro de 1868 e Cordilheiras ;
bevenno Jos da Costa, idem ; Francisco Pereira
do Lago, combate de dezembro de 1868 ; Ja-
nuario de Souza Braga, idem ; Manoel Ciernen-
- Sodr, idem ; Francisco oa Ghagas Figuei
lino
redo, idem ; Olympio Luiz Goncalves de Noronha,
idem ; Jos Ribeiro da Silva Pessoa. idem ; An-
tonio Lauriano da Silva, dem ; Jos Pereira de
Macedo, idem ; Gamillo de Mello, idem ; Fruc-
tuoso Jos de Leivas. idem ; Antonio Adolpho da
Fontoura Menna Barreta, idem; Genuino da
Cunha Beis, idem ; Jos Maria da Silva Jnior,
idem ; Jos Marques Franca, idem ; Jos Gomes
Porto Ferraz, idem; Justo Antonio Ferreira de
Souza, idem e Cordilheiras; Luiz Alves Leite de
Oliveira Silgado, idem, idem ; Manoel Moreira
da Fontoura Filho, idem, dom ; Francisco Ro-
drigues Portugal, idem. idem ; Augusto Cesar
Gaspar, expedicjio villa da Gonceicao ; Jeremas
Jos Rodrigues, idem do general Portinho ; Fe-
lisberto Jos Pereira de Barcellos, combate de de-
zembro de 1868; Cesario Aotonio da Rosa, idem;
Jos Gomes Moreira, idem e Cordilheiras : Inno-
cencio Jos de Souza, cmbale de dezembro de
1868; Genuino da Gupha Rodrigues, idem ;
Marcos Adolpho Proeac,, ltimos feitos; Jos
Tnomaz Leito, dezembro de 1868 ; Narciso Fran-
cisco da Silva, idem ; Americo Machado de Souza
idem ; Bento Mendes de Moraes, idem ; Severino
Goncalves da Silva, idem; Francisco de Souza
Leal, idem ; Liborio Nunes de Mello, idem ;
Eliseu Nogueira de Andrade, idem ; Manoel Joa-
quim Vargra, idem ; Felisberto dos Santos Ro-
balo, dem; Vidal Gome3 de Campos, idem; Idalino
G. Valente, dem ; Trajano R. da Cruz, idem ;
Ignacio Gongalves de Meirelles, idem : Quintino
'os Borges, idem e das Cordilheiras ; Firmino Pe-
reira Lima, idem ilem ; Manoel de Souza Sarmen-
t idem idem ; Firmo da Silveira e Castro idem
idem; Jos Maria d>s Santos Prates, idem; Hyppo-
lito Jos Pereira, ltimos feitos; Carlos Vieira de
Lima, dem ; Amonio Goncalves Casso, idem ;
Antonio Gomercindo, dezembro de 1868; Manoel
Leile, idem ; Francisco Antonio de Brum, dem ;
Jos Candido Pereira, idem ; Jos Lucas Barbo-*,
idem; Jorge da Silva Avila, idem; Manoel do Nas-
cimento Vargas, idem ; Luiz Gongalves Lagns,
idem ; Jos Maria Xavier de Araujo, expedicjio
do general Portinho e combate de 21 de julho de
186i); Joo Alberto de Souza, idem idem; Joo
Manoel da Silva, idem ; Jlo Soares Bapt-sta Ma-
chado, idem ; Antonio Mariano Teixeira Brasil,
dem; Pelro Alves Teixeira, idem; Agoninho
Jos di Silva Abreu, idem; Carlos de Oliveira
Soares, idem ; Amancio Fagundcs de Freitas,
idem ; Trajano de Menezes Cardoso, idem ; Aoto-
nio Machados dos Santos, idem ; Jos Luiz Cabral
da Silveira da Cunha Godolm, idem; David An-
tonio de Oliveira. idem ; Julio Alves Chaves, idem;
Eduardo Roberto de Broce, idem ; Joo Ignacio
de Carvalho, idem; Joo Propicio Carneiro da
Fontoura, dem ; Basilio Guterre?, idem ; Januario
Jos de Oliveira, idem; Fructuoio Saturnino de
Abreu, dem ; Antonio Jos des Sanios Azevedo
Jnior, idem; Joaquim da Rocha e Souza, idem ;
Fernando da Gama Lobo d'Eea; Joo Jos de Oli-
veira Freitas, idem; Jos Leite Ribeiro, idem; Ca-
millo Martins Baplista, idem; Ananias Pereira
Crisp m de Vasconcellos, idem ; Francisco Hersog,
idem; Joaquim Jos de Oliveira, idem: Jesuiuo
Melchiades de Souza, idem; Rozendo Ferreira
Bastos, idem; Manoel Emygdio do Espirito Santo,
idem; Pedro Jos de Lima, idem; Bernab Flo-
riano de Oliveira, idem; Januario da Silva As-
sumpcao, idem ; Ernesto Tavares Franca, idem ;
Rufino Francisco do Lavour. idem ; Timotheo An-
tonio do Amaral, iem; Joaquim Jo- de Santa
Anna, pelos de dezembro de 1868 ; Armindo Jos
de Oliveira, pelos de 2 e 4 de maio de dezembro
de 1868; Joaquim Orencio da Costa Lui. idem
idem ; Jos Lourengo da Sil va Millanez, idem idem;
Joo Cesar de Sampaio. id*m idem ; Olympio Au-
relio de Lima Cmara, idem idem.; Amaino Adol-
pho Alves de Almeida Gaimars, idem idem;
Joaquim Machado de Novaes, idem idem; Jos
Rodrigues Cabral -Noya, idem dem ; Arihur Ojear
de Andrade Guimares, idem idem e Cordilhei-
ras ; Jos Luiz Barreto, pelos combates de 21 de
margo e os de dezembro de 1868; Gercino Martins
de Oliveira Cruz, pelos de 8 de maio e dezembro
de 1868: Carlos Olympio Ferraz, idem; Manoel
Rodrigues das Chagas, idem; Mathias Luiz Cesar
de Mello, idem e Gordilheiras; Estevo Porfirio
Teixeira. Dlos combates de dezembro de 1868;
Vicente Baptista de Souza, idem; Joo Candido
Borges de Athayde, idem ; Antonio Ernesto Go-
mes Carneiro, idem e Cordilheiras; Paulino Julio
de Moraes Carneiro, idem idem ; Segismundo Au-
gusto de Mendonga Lobo, pelos de dezembro d;
1868; Joo Marcos de Freitas, dem; Ramiro de
Souza Gasto, idem; Francisco Pereira de Souza,
idem; Joaquim Antonio Maltosa Ferraz, idem;
Bodrigo Jos de Figueirdo Neves, Idem; Felicia-
no Jos Cardoso, idem-; Jjo de Oliveira Neves,
idem : Antonio Mendes de Oliveira, idem; Joio
de Deas Martins de Carvalho, idem; Manoel Eneas
Flores, idem ; Antonio Goularte da Silva, idem ;
Venancio Leo Penteado, idem e Cordilheiras ;
Joo Henrique Daun, pelos de dezembro de 1868;
Francisco da Costa Peixoto. idem ; Julio Correa
Pinto, idem ; Luiz Martins d'Avila, Claro Jos de
Souzi, idem; Domiciano Jos de Borba, idem;
Jos Machado, idem; Hygino Jos do* Anjos, pelas
combates das Cordilheiras; Jos Jeronymo Chaves,
idem; Norberto Jos de Souza, idem ;'Manoel Eu-
frasio dos Santos Das pelo* de dezembro de 1868
o Cordilheiras; Nicolao Ritter, pelos de dezembro
de 1868; Antonio Jos da Silva Rosa, Idem; Atiplo
Ferreira Fleury, dem ; Joo Baptista Menna Bar-
reto, idem ; Jos Eduardo Pacheco de Andrade,
idem ; Vasco Pereira da* Noves, idem; Jos Her-
menegildo Monteiro de Albuquerque, dem ; Jos
Barreto da Silva Maia, pelos ltimos feitos ; Vale-
rio Segisnando de Carvalho, pelos combates das
Cordilheiras ; Joao Rufino Marques, idem ; Joo
Braz da Silva Jnior, idem ; Theotonio Lopes Bar-
ros, idem; Felippe Santiago de Albuquerque, idem;
Felisraino Pinto de Souza Valenga, idem ; Augus-
to de Souza Dardeanx, dem ; Ernesto Btgdocio d
Souza Monteiro, ilem ; Manoel Dntra Fiaibo, pe-
los combates de dezembro de 1868 ; Joo Farias
de Oliveira Lima, idem ; Candido Rodrigues de
Oliveira, idem ; Cynllo Jos Canino, idem ; Angelo
Francisco de Souza, idem e Cordilheiras; Jos Igna
ci de Qoadros, idem ; Tristo Leo de Araujo,
idem ; Constancia Radngues da Silva, idem ; Ni-
colao Tolentino Dias, idem Gandido Lourengo de
Souza, Medeiros, idem; Ignacio Jos Mamar, idem;
Pedro Nolasco da Silva, idem ; Jos Cancio da Sil-
va Ruivo, dem ; Pedro Werlarg, idem ; Zozimo
Francisco Gongalves, idem e Cordilheiras ; Felis-
berto Caldeira da Fontoura, idem idem ; Carlos
Gabriel Xefferrer, idem idem ; Antonio Raphael
dos Santos, pelos combates de dezembro de 186 <;
Gaspar Joo Sattes, idem ; Antonio Francisco Mo-
reira, idem ; Manoel Joo de Menezes, idem ; Ga-
briel dos Santoi Moraes, idem ; Jos Vicente Cor-
reia, idem ; Gregorio Soares Dias, idem ; Florido
Lepes de Moraes, idem; Seralim Correia da Silveira,
idem ; Joaquim Basilio Ferreira, idem ; Agostinho
Rodrigues Marques, idem ; Antonio Israel Lucas,
idem ; Paulino Antonio Alves, idem; Ismael Anto-
nio Alves, idem ; Francisco Alves da Silva, idem ;
Eloy Raimundo Lemos, idem ; Bento Goncalves da
Silva Filbo, idam ; Jos Luiz Maia, idem; Jos Cr-
rela de Borba, idem ; Antonia Martins Beltro,
idem ; Franciseo Antonio Alves, dem ; Evaristo
de Freitas, idem e Cordilheiras ; Joao Marcelino de
Souza, idem idem ; Jaaquim Fernandas de Andra-
de e Silva, dem idem ; Manoel Joaquim da Silva
idem idem; Jos Alves da Silva Cunha, idem idem,
Manoel PrescHiano de Oliveira Valladlo; dem
idem ; Joaquim Cardoso de Agujar a Souza, idem
idem; Ernesto de Carvalho e Andrade, idem idem;
Antonio Delfino de Siqueira, idem idem ; Jos Joa
quim Alves Bezerra, idem idem ; Joo Mauoel
Menna Barreto Filho, idem idem; Joaquim Barre-
ta da Gama Lobo Pitia, idem idem ; Juvencio Jos
Fraga, idem idem; Jos Victorino de Oliveira Mou-
ra, idem idem ; Jos Antonio de Souza, idem dem;
Jos das Neves Pinheiro, idem idem ; Jos Ignacio
Ribeiro, idem idem ; Duarte Paranhos de Oliveira,
pelos ltimos feilos ; Francisco Flix de Bruce,
pelos combates de dezemhro de 1868 e Cordilhei-
ras ; Crispir de Mello e Castro, idem ; Joao Pe-
reira Guterres, pelos de 3 e 22 de setembro de
1866 e os de dezembro de 1868 ; Cassiana Xavier
Monteiro, pelos de dezembro de 1868 e Cordilhei-
ras ; Braz Banjamin da Silva branles, idem ; An-
tonio Jos Leite, idem Antonio Fernandos de
Souza Couceiro, idem ; Manoel Feliciano Pereira
dos Sanias, idem : Pedro Ignacio de Almeida Gue-
des, idem ; Lino Pereira Rebougas, idem ; Jos da
Costa Bastos, pelos de dezembro de 186'-!; Manoel
Joaquim de Paiva, idem; los Cela no de Souza Cou-
ceiro, idem ; Joo Francisco Menna Barreto, idem;
Olegario Antonio de Sampaio, iJem ; Joaquim An-
tonio Jos dos Passos, idem ; Pacilieo Alves da
Costa, idem ; Guilherme Antonio da Silveira, idem;
Joo Avelino Pilla, ilem ; Felippe Nery de Aguiar,
ideal ; Armando Nunes, idem ; Reginaldo Nemesio
Marreiro de S.i, idem ; Belarmino Moreira Tempo-
ral, idem ; Marcelin > Jeronymo de S Bandeira,
ilem ; Luiz Maria de Oliveira, idem ; Miguel Vc-
tor Damasceno Filho, idem : Joo Bernardo do Ra-
ga Barros, idem ; Manoel Prxedes de Magalhaes
Leal, idem ; Francisco Antonio de Souza Camiso,
idem ; Jos Elisiario dos Santos, idem ; Joo Laiz
de Castro e Silva, idem ; Joaquim Machado de
Souza, idem ; Sebastaa Antonio Rozendo Leal,
dem; Augusto Fortunato da Costa Campelm, idem;
Pedro Abreline da Oliveira, idem ; Joo Manoel da
Silva, idem ; Joao Soares Baptista Machado, dem;
Aotonio Mariano Teixeira Brasil, idem ; Pedro Al-
ves Teixeira, idem; Agostinho Jos da Silva Abreu,
dem ; Garlos de Oliveira Soares idem ; Amancio
Fganles de Freitas, idem ; Trajano de Menezes
Cardoso, idem; Aotonio Mchala dos Santo,idem;
Jos Luiz Cabral da Silveira da Cunha Godollim,
idem ; David Antonio de Oliveira, idem ; Julia Al-
ves Chaves, dem ; Elnardo Haberlo de Bruce,
idem ; Joo Ignacio de Carvalho, idem ; Jola Pro-
picio Carneiro da Fontoura, dem ; Brasilio Guttu
res, idem ; Januario Jos de Oliveira, dem ; Frnc-
tu iso Saturnino de Abreu, idem ; Antonio Jos
das Santos Azevedo Jnior, dem ; Joaquim da Ro-
cha e Souza, idem ; Fernando da Gama Lobo de
Ega, idem ; Joo Jos de Oliveira Freitas, idem ;
Jos Leite Ribeiro, idem; Camillo Martins Baptis-
ta, idem ; Ananias Pereira Crispim de Vasconcel-
los, idem ; Francisco Hersog, idem ; Joaquim Jos
de Oliveira, idem : Jesuino Melchiades de Souza,
idem ; Rozendo Ferreira Bastos, idem; Manoel
Emygdio do Espirito Santo, idem ; Pedro Jos de
Lima, idem; Bernab Floriano de Oliveira, idem
Luiz de Souza Conceigo, idem ; Adelino Braulio
Iguarassu, idem ; Jo Manoel Lumatc. idem ; He-
leodoro Joaquim de Oliveira, idem ; Vicente An-
tonio Rodrigue, idem ; Jeremas de Lima e Al-
meida, dem ; Firmino Raymunlo dos Santos Res,
dem ; Francisco Duarte Vianna, idem ; Amancio
Das da Cunha, idem; Horacio Henriques dos Reis,
idem: Capitalino Bandeira de Mello Cesar de Leu-
reiro, idem ; Jos Raymnndo da Costa Valerio,
idem ; Jos Maria da Rocha Andrade, idem ; Se-
veriano Carneiro da Silva Reg, idem.
Sargentos ajudantes : Joo Ferreira Panaco
idom pelos combates das Cordilheurs; Pedro Jos
de Oliveira Costa, idem ; Hippolyto da Costa Go-
mes, idem ; Zozimo Adeltrudes Jaimes de Freitas,
idem ; Paulino Liborio de Faria Pnho, dem ; Lu-
cinlo Rodrigues Luiz, idem ; Deocleto da Silva
Monteiro, pelos combates de dezembro de 1868 ;
Franklin da Silva Torres, idem.
Sargentos quartet-mestre: Manoel Luir dos Reis,
pelos combates das Cordilheiras ; Salvador Baptis-
ta do Nesciraento, idem; Antonio Porcelis Filho,
idem.
Primeiros sargentos: Zeferino Horacio Marceli-
no, idem ; Jos J^ourengo Nees, idem ; Nspolejo
Goncalves Meirrelles, idem ; Crescenco Gomes
Martins^ idem ; Vicente Silveira da Assumpgo,
idem ; Ceslao Alvaro da C >sta, idem ; Genuino
Amaro Albino, idem : Manoel Franklin da Silva,
idea; Manoel Cicilio de Souza, idem; Damio Lo-
pes Pereira Guimares, idem ; J >s Paulo de Arau-
jo, Idem ; Francisco de Paola Moreira, idem ; Luiz
Garlos Correia da Silva Roana, dem; Jos Hyppo
lito Mariz e Franca, idem ; Murillo llodrigues de
Senna, idem ; Simpliciaoo Tude Pacheco, idem ;
Joao Alves de Assumpgo, idem ; Calixto Laes,
idem; Romo Xavier do *Vascimenta, idem ; Vital
Prudencio Ribeiro, idem; Ireno Climaco Pereira,
pelos combates de dezembro de 1868; Joo Nepo-
muceno de Campos, idem ; Manoel Pereira Car-
doso Filho, idem ; Salvador Alves de Castro, idem;
Saturnino da Silva Borges, idem ; segundo cadete
segundo sargento Antonio da Silva Pedreira, pelos
combates das Cordilheiras; cadete Manoel Jos do
Couto, idem ; segundo dito Alfredo Ernesto Jac-
qae Ourique, ilem ; cadete Francelino Freir Re-
zende, idem ; segundo dita Antanio Candido Go-
me*, dem; idam segundas sarganlo* : Antonio
Goncalves Pereira, idem ; Jos Herculano Pereira
da Cunha, idem ; segundos cadetes: Laiz Neves de
Aguiar, idem ; Salvador Fragoso Netio, dem; par-
ticular Ovidio Cypriano Bezerra de Mello, idem.
Segundos sarhentos : Pacifico Antonio da Silva,
idem ; Mariano Pacheco da Alencar, idem-; Jos
Maria da Casta, idem ; Basilio Xavier de Souza,
idem ; Francisco de. Paula Vaz, idem ; Jos Rai-
mundo do Nascimento, idem ; Adriana Rozendo
do Bomlim. idem ; Pelronillo de Canalho Rangel,
idem ; Raimando Felippe ae Santiago, idem ; Gil
Panni de Souza, idem ; Manoel Jo das Chagas
Jnior, idem; Joaquim Antonio Ferraz, idem ; Ale-
xandre Joaqaim Duarte, idem ; Jos Nunes Bar-
basa, idem ; Joo Caslanho de Araujo, idem; Jos
Lapes Tavares, idem ; Joo Gongalves Carneiro
Maia, pelos combates de dezemb'ro de 1868 ; Ma-
nonel Vieira Alunado, idem ; Sil vina Xavier de
Souza, pelos combates de 2 e 4 de maio e de de-
zembro da 1868 ; Cecilio Mendes da Luz. pelos de
dezembro de 1868 sargento Antonio Maneel do
Nascimento, pelos combales de 8 de maio e de de-
zembro de 1868.
.Cabos d esquadra : Antonio Soares da Por-
ciuncula, peles combates das cordilheiras;. Fran-
klin Machado Flonsbal, idem ; Galdino Jos Car-
dase, idem; Joao Flix Alves de Siqueira, idem ;
Virgilio Cardoso Belfort, idem; Francisco Jos
Ribeiro, idem; Raymundo Carneiro Leo, idem ;
Jio Vicente Maria. idem ; Domingos Vieira Ma-
chado, idem; Joo Victor Ferreira, idem ; Thomaz
Soares Correa, idem; Nanoel Belmiro da Silva,
idem ; Sabino Grenorio da Costa, idem ; Joaquim
AI vas da Costa, idem ; Joo Vieira de Sonza. idem;
Matoel Corr do Nascimento, idem; Joao Jos
Rodrigues, idem ; Sebastio Gomes da Silva Ri-
beiro, idem ; Manoel Pinto Lopes Rangel, 'idem ;
Joa de Deus do Nascimento. idem ; Jos Gandi-
do de Castro, idem ; Manoel Franca, idem ; Anto-
nio Diogo Filho ; pelos combates de dezembro de
1868; Apolinano Goncalves Meirelles, idem ; Do-
minga* Gervasio da Silva, idem ; Pedro Laiz de
Oliveira, idem; Mariano Jos Francisco, idem.
Forrieis : Henrique Augusta Frederico Leal J-
nior, pelos combates das Cordilheiras; Francelino
Pereira de Jess, idem : Verissimo Jos da Silva,
idem ; Joi Xavier da Rosa, idem ; Manoel Car-
rea dos Santos, idem ; Manoel da Costa Souto,
idem ; Ada > Gross, pelas combates da dezembro
de 1868 ; Avelina Idalino da Fontora Pupe, idem,
Hygino Soares dos Santos, idem.
Anspegadas; Feliciano Jos Viegas, pelos com-
bales das Cordilheiras ; Manoel Germana da Silva,
idem; Joaquim Tude de Abren, idem ; Joo An-
tnnio Muniz, idem ; Francisca Jas da Souza/idem;
Francisco da Silva Brum, idem ; Cesario Ameri-
cano, pelos combates de dezembro de 1868 ; Jos
Antonio Gongalves |de Aguiar, dem.
Soldados: Manoel Gomes, pelos combates das
Cordilheiras; Gaspar Correa de Figueir, idem ;
Jos Antonio da Silva, idem ; Innocencio Jos da
Silva, idem; Irina Trislo da Silva, dem ; Aman-
cio Lellis Crueamb, idem; Wencesl > Jesuino
Leandro, idem ; Jos Rodrigues Barbalho, idem ;
Hayraundo Jos Pereira, idem ; Bernardina Jas
Mareira, idem ; Sabina Pereira dos Anjos, idem ;
Franklin de Lima, idem ; Silvestre Lourengo Gi-
mes Duarte, dem ; Luiz Franciseo do Espirito-
Santo, idem ; Manoel Alve3 de Souza, dem ; Ma-
noel Miguel do Nasal nento, idem ; Luiz Paula de
Miranda, idem ; Manoel Francisco da Silva, idem ;
Manoel Jos do Nascimento, idem ; Maximiano
Bispo dos Anjos, idem ; Francisco da Conceico,
idem ; Jos Luciano Paranagu, idem ; Francisco
Xavier Bandeira, idem; Laurentino Antonio Mo-
reira, idem ; Jos Luiz de Souza, idem ; Jos Vi-
cente de Araujo, idem; Polycarpo Porcino Calla-
do idem ; Martim Ferreira de Andrade, idem ;
Vicente Ferreira Moreno, idem; Benedicto Gon-
galves Alves, idem; Demetrio Pereira Maciel, idem;
Manoel Alves Lopes, idem ; Jos Izidoro dos San-
tos, idem ; Antonia Jas da Silva, idem; Francisco
Christovam Racha delta, idem ; Manoel Thom
Corroa, idem ; Jos Joaquim da Silva Amaraate
idem ; Pedro Nunes de Souza, iJem ; Firmino Jos
da Cruz, idem ; Manoel Anacleto. idem ; Cypriano
Martins da Rosa, ide;a : Andr Rodrigue de Oli-
veira. CardilhoirH; Nanoel Jacintha Ferreira,
dezembro de 1868; Manoel Joaquim do Monte,
Idem ; Francisco Ignacio Aty, idem ; Baaventura
G imes de Lima, idem ; Santiago Benites, ilem ;
Joo Francisca da Silva, idam ; Antanio Pereira
idem ; Juo Manoel Prxedes, idem ; Angela los
de Vargas, idem ; Francisco Pereira Borges idem;
clarim-mr Joo Francisco, idem.
Governo da provincia.
EXPEOIENTE ASSIGNAOO PELO EXM. SR. DESEMB.VBOA-
OOR FRANCISCO DE ASSFS PEREIRA ROCHA. VICEPRE-
SIDENTE DA PROVINCIA, EM 13 DE MAIO DE 1870.
1" scelo.
N. 40i.Dito ao Exm. Sr. ministro do Brasil
em Londres.Tenho a honra de transinittir a V.
Exc. o bataneo e copia da acta da liquidago,
que se proceden das cantas da estrada de ferro do>
Recife S. Francisco, relativamente ao mez de
abril prximo finio.
N. 405.Dito ao Exm. general commandante
das armas.Tendo nesta data providenciado para
que seja coudnzida para a corte no vapor Itnpicu-
r a ambulancia que acorapanhou o 42 corpa de
voluntarios da patria, e bem assim o 1* cirurgio
do exercito Dr. Diogo Cezar Garcez Palha e um
criado expensas suas; respondo d'este modo ao
offlcio de V. Exc. de hontem datado, sob n. 223,
podendo autorisar o director do arsenal de guerra
fazer as despezas precisas com a conduegao para
bordo da mencionada ambulancia que acompanhou
o 53* corpo. ,
N. 406.Dito ao mesmo.Providencie V. Exc,
am de que os sentenciados indultados e os mais
que tiverem de ir para a corte no vapor Itapicur
estejam bordo at s 5 horas da tarde.
N- 407.Dito ao inspect>r do arsenal de mari-
nha.Transmiti a V. Exc, para sea conheci-
menlo, copia do oftici que rae dirigi o inspector
da thesoiiraria de fazenda, em 7 do crrante, sob
n. 313, acerca do pagamento do cafvo de pedra
fornecido por esse arsenal em margo e abril deste
anno ao transporte de guerra vapor Itaplcur,
e afim de que satisfaga, com urgencia, requisi-
cao que faz o mencionado inspector no final do
citado ofBcio.
N. 408.Dito ao commandante do vapor /tni-
cur.Recommendo a Vmc. que logo que tiver
recebido o carvJo necessario siga para o sea des-
tino.
N. 409.Dito ao mnsmo.0 Sr. coramandanto
do vapor Itapicur reecba seu bordo e coniuza
para a corle, disposigao da Exm. Sr. ministro da
guerra, mais urna ambulancia, alera das duas de
que trata a portara de 7 corrente. a qual ser
remettida para o mesmo vapor por parle do Exm.
general commandante das armas.
N. 410.Dito ao raesreo.O Sr. commandante
do vapor Itapicur receba sea bordo e conduza
para a corte, por coala do Exm. Sr. ministro da
guerra o 1 cirurgio do exercito Dr. Diogo Velho
Garcez Palha, e bem assim um criado, expen-
sas suas.
2* secgao.
N. i 11.Offlcio ao commandante superior in-
terino da guarda nacional do municipio do Recife.
Tomando em considerago o que ponderou-me
o general commandante das armas, em offlcio *de
hontem datado, a expedicao de suas ordens, afim
de que a guarda diaria da fortaleza lo Brum, se-
ja composta de 1 inferior, 1 cabo e 18 pracas. at
aue v para all o destacamento que deve substi-
tuir o que retirou.
N. 412.Dito ao commandante superior interi-
no da guara nacional do municipio do Recife.
Tendo sido rebolludo- enfermara militar, para
ser tratado, o guarda do 6 balalbio de infamara
deste municipio Joo Francisco do Nascimento
que se achav.a destacado no Brum, recommendo
a V. S. a expedigo de suas ordens, afim de que
seja elle desde a dia 6 deste mez considerado ad-
dido ao 2* bata Iluto de infamara da mesan arma
que ora se acha aquarlelada fazendo o servigo da
gaarngo, einqnaolo se adiar na enfermara em
tratamento, como solici tou o brigadeiro comman-
dante das armas, em officio.de 12 do corrente, sob
n. 234.
N. 413.Dito ao juiz de direito da comarca de
Nazareth.Ministro V. S. os esclarecimentos que
sao exigidos no aviso junto por copia do ministe-
rio da justica de 28 do mez Ando.
N. 414.Dito ao 6 supplente de juiz municipal
do termo de Cimbres.Remeta Vmc. com toda a
urgencia a informacao que Qz exigida por despa-
cho d'esla presidencia, de 6 de abril prximo fin-
do, langadu no offlcio do presidente da cmara
municipal de Cimbres, datado de 17 de marco ul-
timo.
N. 413.Dito ao commandante do corpo provi-
sorio de polica.Pode Vmc. ODgajar no corpo sob
sen coramando o voluntario da patria Jos Vicente
Lias de Barros, de que trata o seu offlcio n. 225,
de 6 do corrente, se tiver para isso a necessaria
idoneidade.
t. 416.Dito ao mesmo.Mande Vmc, dar bai-
xa do servgo do corpo sob seu commando ao sel-
dado Jos Eugenio da Silva.
N. 417.Portara.O rice-presidente da pro-
vincia, de couformidade com a proposta do doutor
chefe de p'licia em offlcio n. 731, de 12 do cor-
rente, resolve nomear para o lugar vago de Io
supplente do subdelegado do distrielo de Ouipap,
do termo de 8. Bento, o cidado Joo Joaquim Ri-
beiro Campos.
3" seeco.
N. 418. Portara aa inspector da thesouraria
de fazenda. Atiendendo ao que sollictou no re-
querimento que incluso devolva, o alferes refor-
mado do exercito, Miguel Alfonso Ferreira. e ten-
do em vista o parecer da contadoria dessa thesou-
raria, que se refere a sua informacao de 7 do
corrente sob n. 314, autoriso V. S. a expedir suas
ordens, para que se continua a abonar o snppli-
cante a etapa de mil ris diarios, que percebia em
vrtude do decreto n. 123 da 8 de julho de 1863,
u foi suspensa par deliherago da junta da mesraa
thesouraria desle setembro do anno prximo pas-
sada.
N. 419.Dita ao mesmo. -Se nao hoover incon-
veniente, mande V. S. pagar s pragas do extincto
corpo de voluntarios da patria, constantes da in-
clusa relaga, o premio de 300000 concedido pelo
decreta n. 3371 de 7 de Janeiro de 1863, e que,
segundo consta do offlcio junto por copia, do bri-
gadeiro commandante das armas, datado de hon-
tem e sob d. 236, deixaram ellas de receber na
corte por estarem doentes no hospital.
N. 420. Dita ao mesmo. Por canta do crdito
de 40:0003, aberto pela presidencia para soc-
corros pblicos, mande V. S. pagar ao baro do
Livramento, em vista dos tres inclusos documen-
tos, que me rmetteu o Dr. Augusto Frederico de
Oliveira com olflcio de 7 do corrente, a qiianlia
de 3333100, proveniente dos vveres e ferramenla
agrcola por este lornecdo, de ordom da mesma
presidencia, a.o director parcial dos indios da al-
dea de Cimbres, Joaquim de Almeida Catanho
Soorinho, com destino aquellos indios.
N. 421.Dito ao mesmo.Depois de liquidados
era vista das relacoes nominaes e prets juntjs em
duplcala, os vencimantos relativos ao mez de fe-
vereiro e margo desta anno, dos guardas nacionaes
destacados na villa deGaranhuns, mando V. S. pa-
gar a sua importancia a Francisco Pereira da Men-
donca & C., conforme solici tou o commandante su-
perior daquelle municipio, om offlcio de 5 do cor-
rente sob n. 23.
N. 422.Dito ao mesmo.Transmuto por copia
a V. S. para seu conhecimento e lins convenientes,
o aviso expedido pela repartigo da guerra era 11
de abril ultimo acerca da gratificarn de 300 rs.
diarios que de conformilade com o decreto n. 3371
de 7 de Janeiro de 1865, mandou esta presidencia
abonar aos voluntarios do extincto batalho n. 53
desta provincia.
N. 423.Dito ao inspector da thesouraria pro-
vincial. Inteirado de quanto V. S. expoz em sea
offlcio de 6 do corrente sob n. 271, tenho a dizar
em resposta que approvo as pregos constantes da
nota que veio annexo ao citado otflcio, e devem
servir de base as licitagoe para a arrematago do
pedagio das pontes e estradas, que vat a praga
no mez de junho prximo vindouro.
N. 424.Dito ao mesmo.Transmuto a V. S.
os inclusos documentos, a lira de que mande li
quidar a despeza feta no mez de abril ultimo.com
o forncimento de diarias, e ditas para os presos
pobres da casa de detengao, e pagar a sua impor-
tancia ao bicharel Joaquim Jos Ferreira da Ro-
cha Jnior, conforme solicitou o chefe de polica
em offlcio de hontem, sob n. 728,
N. 425.Dito eo mesmo, Providencie V. S.
para que seja paga, depois de liquidada, em vista
da conta e relago juntas que me remellen o che-
fa de polica com offlcio de hontem sob n. 730, a
despeza feita com o sustento dos presos pobres da
cadeia do termo da Agua-preta, no mez de abril
ultimo.
N. 426.Dito ao mesmo.Annuindo ao que so-
licitou o chefe da repartigo das obras publicas,
m offlcio de 7 do correnta sob n. 120, recommen-
do a V. S. que mande entregar ao thesouro daquel-
la reparticao mais 4:000*. para a eonlinuagao das
despezas cora as obras qne estao senda execuladas
por adminstragao no V ilistricto, e nj podem ser
concluidas durante um niez, cerlo de que foi in-
sufflcente para esse fim, a quautia constante do
pedido mensal, segundo se evidencia do citado of-
flcio.
4'secgao.
N. 428.Dito ao Exm. Sr. presidente da pro-
vincia da Baha.Bogo a V. Exc. que com o pres-
tigio de que dispoe, se digne auxiliar o embarque
do carregamento de farinha de mandioca, que a
casa commercial desta provincia, Costa & Filho,
tem de transmitlir no vapor da Companhia Bra-
silera de Paquetes que abi tem de tocar no meiado
do corrente mez, e vem consignada ao baro do
Livramento com destino ao soccorro da popula gao
desta provincia.
N. 429.Dito ao Sj. desembargador provedor
da Santa Casa de Misericordia.Declaro a V. Exc.
para seu conhecimento que dea approvado o or-
gamento da receita e despeza dos dona patrmt-
nios a cargo dessa Santa Casa, qne acompanhou
o seu offlcio de i do crranle sob n. Gft, une lie
a sim respondido.
N. 430.Dita ao inspector da saude do Porto.
Com a copia inclusa do oftkio do presidente fe
provincia do Maranbo, de 23 de abril prximo
lindo, remello a Vmc. as duas comas de sade da
galera Fortuna e do palhabote Emilia, ato aV
serera lomados as irregularidades que nato ae
notam, depois de que me serio devolvida para to-
rera o convenL-nte destino orno solicita o me$a
presidente.
N. 431.Dito ao gerente da Companhia Pr-
nambucana O Sr. gerente da Companhia rVr-
nambucana mande dar urna passagem de praau*
a capial do Rio Grande do Norte em logar desti-
nado a passageros de estado, a Joaquim P**ro
Alves, que consta ser desvalido.
EXPEDIENTE ASSIGNADOPHLOKXM. SR. DR. EUAS m-
DERICI. DE ALMEIDA R ALBUOUBROUE, SECUT/i!*
DO OOVF.RNO KM 13 DE DE MAIO 1870.
1* seivao
N. 433.-Offleo ao Exm. Sr. general comman-
dante das armas.O Exm. Sr. vice- presidente 4
provincia, manda declarar a V. Exc, em respes
ta ao seu oflieio do hontem sob n. 256, qn a
thesouraria de fazenda tem ordem para pagar >
premio de 3004000 a que se juigam com dire,
as pragas do extincto corpo de voluntarias da (>r
tria n. 42, constantes da relago que veio aanexa
ao cilado offlcio.
N. 434.Dito ao mesmo.De ordem de S Exr.
o Sr. vicepresidente da provincia, declaro a V.
Exc. em resposta aos seus nfficios de 12 do cor-
rente, sob ns. 253 254, qne fleam expedida* as
convenientes ordens no sentido dos roeneioaados
offlcios.
2* seeco
N. 43o.Offlcio ao Sr. lir. ehee de poBeia.
De ordem do Exm. Sr. viee-presidente da provin-
cia, transmito a V. S. o ltalo junto, de nomea-
go do cidado Joo Joaqaim Ribeiro Campos, pa-
ra o cargo de 1 supplente ao subdelegado do fcs-
tricto de Quipap de conformidade com a prapoa-
ta de V. S. em offlcio n. 731 de I i de maio ai-
timo.
N. 436.Dito ao mesmo.O Exm. Sr. wn-
presidenle da provincia, respondendo aos oaVms
de V. S. datados de hontem e sob as. 728 e 730,
manda declarar que a thesouraria provincial tasa
ordem para pagar as quantias de 4:685810 ed>
2600 constantes dos citados offlcios.
N. 437.=Dito ao mesmo.S. Exc o Sr. vice-
presidente da provincia, manda declarar a Y. S,
em resposta ao seu offlcio de 3 do corrente son n.
23, que a thesouraria de fazenda tem orden pan
pagar a Francisco Pereira de Mendonca Jt u, na
vencimenios constantes do citado offlcio.
3* seeco
N. 438 Offlcio ao chele da reparticao da
obras publicas. O Exm. Sr. viee-prt n lento,
da provincia, manda declarar a V. S. em resposta.
ao seu nlDcio de 7 do corrente sob o. 120, que :
thesouraria Drovincial tem ordem para entregar
os quatro contos de ris, con-untes do cilado of-
flcio.
4' seego
N. 439.Offlcio ao Dr. Franciseo Teixeira ae
S, 1 secretario da assembl legislativa provin-
cial. N. 102.De ordem de S. Exc. o Sr. fice-
presidente da provincia, transmiti por copia a T.
S., em resposta ao seu offlcio de 5 do corrente san
n. 45, para ser presente nssembia, a inclusa,
informagao ministrada pelo engenheiro chela da
reparligaa das obras publicas em -10 dete aaez
sob n/128, acerca do estado do edificio em'que
funeciona a mesma assembia.
N. 440.Dito ao engenheiro fiscal da estrada
de ferro.De ordem de S. Exc. o Sr. vice- presi- -
dente da provincia, coiumunico a V. S. que segan-
do declarou o superintendente da estrada de ier-
ro do Recife a S. Francisco, em offlcio ue 11 corrente, tica como represenunte da eompannia
o Sr. llenes Speucer superintendente das locomo-
tivas, visto ler o mosmo su|ierinlente de seguir
par a corte, em consequenci de ordem qne re-
cebeu da directora de Londres.
N. 441.Dito ao superintendente da estrada d>
ferro do litcife a S. Francisca S. Exc. o Sr. *i-
ce-presidente da provincia, manda declarar a V.
S., que pelo sen ollicio de 11 do corrente, ieou
interirado de que tendo V. S. de M'^uir para a
corte no dia 14 deste mez, por ordem que receben
da directora um Londres, deixa na saa au.-enru
como representante dessa companhia o Sr. Ht-nrs
Speaer, superintendente das locomotivas.
FERNAMBUCO.
SEVTSTA DIARIA.
GYMNASIO PROVINCIAL. Por portara da
presidencia da provincia de 5 do corrente, fot no-
meado Joo Feliciano da Molla Alboquenjuj, re-
petidor gratuito do gymnasio provincial.
INSTRUCGAO PUBLICA.Ita portara da pre-
sidencia da provincia, de 5 da corrente, f\ n >-
meada D. Josepha Prepedigna cabello Padilha,
professora publica.da cadeira da Praia dos Car-
neiros.
Por portara, de 6 do corrente, foi jubilado.
seu pedido, o professor publico da cadeira d>-
Pasmado, Luiz Ignacio de Oliveira Jardim. com
o ordenado por inteiro, por contar mais de 2 >
anno, de exercicio.
AUTORIDADES POLlCIAES.-Pcr portaras i%
presidencia da provincia, de 4 e 6 do crrente,
forara nomeados :
Alexandrino Bemardino do Figaeirelo Reis t
Silva, subdelegado do distrielo de Garja, t* da
freguezia de Jaboalo.
1* 6* supplentes do subdelegado do distrtt >
de sitios Novos, no termo de Oorienry Joio da
Silveira Machado, Joo Gomes de Souza, Seraphim
Jos de Soaza, Herculano Ala-es Gomes, Wences-
lao Duque de Urquiza Aragio, e Joaqaim Jos
Gomes.
GUARDA NACIONAL.Por portara da presi-
dencia da provincia, de 4 do rneados para o 42* batalho ds intantara do mu-
nicipio de Serinhem :
Tenente quartel-mestre, o alfares Jos Maane!
de Sonza e Oliveira.
Alferes porta-estandarte, Manoel de Barros
Accioli Lins.
Ia companhia.Tenente, o alferes Jos Theotonio
Paes de Albuquerque ; alferes Miguel TeiMra.
de Mello, e Rento Jos Pereira Dutra.
2.a dita.Alferes Gongalo de Albuquerque O-
valcante l'chda, e Gaetano Pereira Lima.
3.* dila.Capilao, e tenente Jos Jaeome de
Araujo : lenle, o alferes Manoel da Gama Ro-
meiro; alferes, Laurentino Jos da Cosa Liara.
5.' dita.Tenente, o alferes ArtsUdes Florinbn.
Cavalcante de Abuquerque ;. alferes Jaa Joaqoim
da Cunha Ximenes.
6." dita.Tenente, o alferes Paulino Ferreira de
Aranjo ; alferes Pedro Gonralves da Sta, e Ai-
tooio Jos Pereira Dutra.
MICROCOSMOHaveri baje sessao extraordi-
naria n'esta socledade as 12 horas da
no lagar do coslaaw.
MONTE PO PORTUGUKZ.Os socios
instituigo devem reunir-se amanba, as III



/
ll.l'ltU .dK.4*
I

ni


Ba|i



|>iano de Peraambuoo Sabba.o 8 de Outubro de 1870
____ _____
*, no sallo do Gabinete Portugue* de LH
fa, para, ouvirem o relatorio da directora,
apjprovar o .parear dacommissSe de conta, e
nova irooloria para o anno de 1871.
ANDA A PBOfOSITO.Reraetiemno as se-
ales liabas sobre o Carimente feto em Jos
Francisco dos Santos por Maooei Jacintho de Santa
Ama, que se evadi :
VV. SS. adroiuiram neoiem na eos RevisU
om escripto, em qm se di z que Manoel Jacnthe
passeu sio e salvo pelos arredores do logar en
rae coraoietieu o erime, de que se occapeu sue
mmtta de terca feira anima ; rogo-lhes que ad-
mittam tambem o seguinte :
Nao sei se o escriptor, dizendo arredans, se
referi ao districto policial onda se dea o exime,
oa se refere aos districto visinhos^ o sesudo
ambiguo, porque tugares do crime pde-se enten-
der como o ponto preciso onde elle foi pratica Jo,
oa tarobem o districto que u comprehende.
Se se refere ao ponto preciso, iste se arrt-
dores abrange somente o districto policial onde se
den o delicto, posso assegurar V. S. que in
acia a assergao de que o delnqueme passeia
soe salvo, visto como omitas e continuas dili-
gencias se t-m feto para o encontrar, e nao tem
sonido' bom i Afeito de nenhama d'ellas, porque Ma
noel Jacintbo nao apparece, e nem viva alma an-
da o vio, depoi- de domingo.
Se se refere aos districtos visinbos, anda as-
sim we parece inaceitavel semelhante assergao,
por isso que em todos elles se tem feto igualmente
diligencias sem resultado real.
Era eoncluso, o informme do sea Diario
de boje nao tem razo alguma, e parece-me que
o sea flm foi smente levar ura desar as autori-
dades polieiaes daqualles districtos, que alias se
esforcam por bem cumprrem com os seus de-
veres.
Se o informante est convencido do que diste,
elle que venha enlender-se com o subdelegado
actual em exereieio, que ir com S. S. prender o
criminoso, onde indicar que elle se acha aeou-
4ado.
Publicando estas linhas, Srs. redactores da Re-
vista, roaito grato ser-Ibes-ba o etc. etc. etc. Re-
cife, 7 de outubro de 1870.Morador do Luxa.*
CIDADE DE OLINDA.-A Mari municipal
des te municipio, desejando perpetuar o nome do
primeiro donatario da capitana de Pernarabuco,
resolveu mudar na sessao de 6 do correte, o
nome da povoacao dos Arrumbados para o de po-
voagao de Duarte Coelho.
THEATRO DE SANTO ANTONIO.Soben) hoje
a scena neste iheatro as operettas Un amout
eptcier, e La Canne a" un grand homne, pela
campanilla franceza, o rond da operetta Petil
Faust e a scena da declaraeao da operetta Gran-
de Duchesse pela distincta artista madama de Val-
monea, que untos applausos tem colbido do
nosso publico.
TRILHOS URBANOS DE OLIXDA. Amanhla
baverio trens do Recife para Olinda e vics-versa
desde 6 horas da manba at 10 da noute, de bora
em hora, apenas com nter va lio de 11 ao mel da.
DIARIO DE PERNAMBUCO.Se ebegarera hoje
os vapores francez Anazone e brasileiro Cruseiro
o Sul, destribuiremos amanhaa nosso numero
de segunda-feira.
SETENARIO Amanhaa principia o seteeario
do Senhor dos Passcs oa matriz do Corpo Santo,
que ser feto com pompa.
NOVA PUBLlCACO.-Rceberao3 e agradece
mos ao sea Ilustrado autor, a offerta de um
ezemplar do discurso congratulatorio pronunciado
no acto da collago do grao de doutor em direito
pela Faculdade do Recife ao Sr. bacharel Antonio
Carneiro Antunes Gumares, pelo distincto lente
da primeira cadeira de direito civil Dr. Aprigio
Guimaraes.
A PROPOSITO DE THEATRO.-O Sr. Duarte
Coimbra, proprietario do tbealro de Santo Anto-
nio nos pedo a seguinte publicacao :
Constando ao proprietario do theatro Santo
Antonio, que alguera mal intencionado quer
indispo-lo para com o puWIco desta capital, di-
zendo que o mesmo empresario n3o quer alagar
o tbeatro ; vero, por este meio, declarar que
falsa tal imputarlo, como melhor se v da se-
guinto declaraeao que publicoa neste Diario de
30 de agosto ultimo :
O empresario previne todosfos Srs., qne sao
artistas, que este tbeatro est disposigo de todo
e qualqaer que queira dar espectculos, concer-
tos e ri'iiiiiO"-', mediante ajuste que ser mar-
cado por urna tabella que se acha no escriptoro
do theatro. As pessoas que se quizerem utilisar,
podem dirigir-se este theatro a fallar com o
empresario, e na falta deste com o fiscal do mes-
mo, o Sr. Jos Bernardino Correa de Barros.
JuHio Ooaaes VUlar, braaeo, Po*|i;5i an-
uos, casado, S. Jos ; psralesia.
. Elisio, raneo, Pernamboco, 8 mas, 5. lose
indigesta*.
CHRONICA JIJUCURIA.
riUBUIlAL DO COMERCIO
ACTA DA SESSAO ADMINISTRATIVA DE 6 DE
outubro fe uro.
nusbucu no bxh. so. deshourgaoob aiselmo
rRANCBOO PKBITTI.
As It horu da manha, estando reunidos es
Srs. denotados Rosa, Basto e supplente S Lei-
to, continuando a faltar com participaglo o Sr.
Miranda Leal, S. Exc. o Sr. presidente abri a
sessao.
Foi lids e approvada a acta da sessao de,3.
,_ sxfwiKirro.
sjOfflcicio do conservador uo'commercio de Ma-
cei, enviando ama copia da carta de registro ex
pedida pela conservatoria no hiato nacional Oli-
veira.Proceda-se na forma do estylo.
Os ns. 219 e 220 do jornal offlcialArchvem-se.
Poram distribuidos os seguintes livros: copia-
dor de Candido Alberto Sodr da Molta 4 C, dito
de Bento de Frenas Guimaraes, dito de Joaquim
Lopes Machado A C, dito de Moraes A Iroiaos.
Comparecen JeroDymn da Costa Lima e assig-
nou termo de fiel depositario dos seguros que fo-
rera levados ao trapiche Cunha, de que admi-
nistrador, expedado-se-le a competente carta
patente.
DESPACHOS.
Petico de Augusto fiaplista do Nascimento pro-
prietario do trapiche que se donminaAngelo
declarando baver noraeado administradorr do mes-
mo a Jerooyrao da Costa Lima, aftra de que se
procada os devidos laogamentos.Registre-se.
De Saunders Brothers & C, pedindo que, pela
junta dos correctores, se lhes|certifique qual a dif-
ferenga proporcional que se faz por tonellada de
freto entre o assucar embarcado em saceos e em
caixas.Na forma requerida.
De Paulo Guelphe, pedindo cerlido de estar
ou nao registrada a nonmago de seu caixeiro
Francisco Damazio dos Santos Honorato.Certifi-
que-se.
De Luiz Amavel Dubourcq, apreentaudo conho
cimento de ter effeetuado o pagamento do imposto
de sua pmflsslo de corrector geral relativo ao se-
mestre Ando.Registrado seja entregue.
Rplica de Thomaz de Aquino Fonceca & C. so-
bre o despacho proferido na sessao prxima pas-
sada mandando-se satisfazer o parecer final com
relago ao registro de seu contrato social.A' vis-
ta das consideracSes que apresentaram, mandou-
se registrar.
COM INFOBMAQO DO SR. DESEMBARGADO! FISCAL.
Petigao :
De D. Isabel de Farias Guimaraes e Candido
Jos da Silva Guimaraes, contrato de sociedade.-
Registre-se.
Dada a hora (11 1/2 da manha), o Exm. Sr.
presidente encerrou a sessao.
ESTABELECIMENTOS DE CARIDADE.Movi-
mento do hospital de Nossa Senhora da Conceicao
dos Lazaros, do 1. ao ultimo de selembro de
1870.
Existiam 15" horneas e 12 mulheres, evadio-se
1 homem, morreu 1 mulher, existem 14 e 11
mulheres.Total 25.
Foi visitado o estabelecimento pelo Illm. Sr. Dr.
Villas Boas no impedimento do respectivo medico
deste o Sr. Dr. Ignacio Firmo Xavier, nos das
seguintes: 2, 6, 10, 12, 14, 18, 24 e 29. *
Existem embregados neste estabelecimento 8,
a saber: capellao 1, medico I, regente 1, dita 1, bar-
beiro 1, coznhcira I, serventes 2.
Advertencia.
Morreu :
Francisca Mara das Neves, parda, selteira, idade
18 annos, recolheu-se a este hospital em ."i de
Janeiro de 1870, falleceu a 18 de setembro prximo
passade.
O mordomo do mez,
Vicente Villas Boas.
O regente,
Dtniz Ignacio P. dos Santos.
Mevimento do hospicio de alienados na Mi-
sericordia de Olinda, do Io ao ultimo de setembro
de 1870.
Existiam 29 homens e 46 mulheres, entraram
1 hornera e 2 mulheres, sahlo 1 homem, mor
reram 1 homem e 2 mulheres, existen 28 homens
e 46 mulheres.Total 74.
Existem 10 empregados neste estabelecimeato, 7
homens e 3 mulheres, sendo: 1 regente, 1 medico,
1 capellao, porteiro e sachristo interino 1; 2 en-
fermeros, 1 barbeiro, 2 enfermeiras e 1 cos-
nbeira.
Foi visitado o mesmo estabelecimento pelo Sr.
Dr. Joo Maria Seve, por achar-se doente o
respectivo medico o Sr. Dr. Ignacio Firmo Xavier,
nos das: 4,9, 11, 13 15, 25 e 30, as 7 horas da
manha, e a 1, 2, 4 e 5 da tarde.
Advertencia.
Entraram :
No da 3, urna mulher, de nome Francisca Rosa,
parda, solteira, com 30 annos de idade e natural
desta provincia.
No dia 7, outra, de nome Antonia Maria da Con-
ct.ican, parda, solteira, natural da provincia do
Cear o c mi 40 anuos de idade.
No dia 13, um homem, de nome Joo Antonio
da Cunba, pardo, solteiro, com 16 annos de idade
e natural da freguezia do Puco da Panella.
Sabio :
No dia 6, um hornero, de nome Andr, preto,
solteiro, cora 40 annos de idade e natural desta
provincia; entrou para este estabelecimento a 22
de novembro de 1864.
Fallecern) :
No dia 14, urna mulher, de nome Martinha Ma-
ria da Conceicao, parda, solteira, cora 59 annos de
idade e natural desta provincia ; de tsica pulmo-
nar: e entrou para este estabelecimento a 16 de
Janeiro do anno prximo lindo.
No dia 28, outra, de nome Eduvirgem Maria da
Luz, parda, solteira, com 57 annos de idade, na-
tural do Recife, de diarrhea; e entrou para este
estabelecimento a 7 de marco de 1865.
No dia 29, um homem, de nome Luiz Bernardo
da Silva, parJo, solteiro, ora 30 annos de idade,
natural desta provincia, de herysipella recolhida;
e entrou para esto estabelecimento a 23 de julbo
do correle anno.
Existem neste estabelecimento, 74 alieoados, 70
a custa da earidade e 4 qne pagam a casa.
Hospicio de alienados em Olinia, 30 de setem-
bro de 1870.
O regente, '
Luiz do Reg Barros.
LOTERA. A que se acha venda a 164',
a beneficio da nova igreja de Santo Amaro de
Serinhem, a qual corra no dia 11.
SESSAO JUDICIAR1A EM 6 DE OUTUBRO
DE 1870.
PRSroBNCU DO EXM. SR. DESEMBARGADOR A. 9. ti-
RKTTI.
Secretario, Julio Guimaraes.
Ao meio dia declarou-se aberta a sessao estando
reunidos os Srs. deserabargadores Silva Guima-
raes, Res e Silva, Motla, Accioli, deputados Rosa,
Basto e supplente S Leilo, faltando com parte-
cipaco o Sr. deputa no Miranda Leal.
Lida, foi approvada a acta da sessao anterior.
ACCOODAOS ASSIGNADOS.
Embargantes Tasso Irmaos, embargado Antonio
Moreira Res; embargante Francisco Mendes Mar-
tins, embargada D. Mara das Neves de Miranda
Oliveira; embargante Jos Carlos Teixeira,- em-
bargos Oliveira, Filbos & C.
JCLGAME.NTOS.
Juizo municipal e do commercio de Baturite :
appellantes, reos Felinto Elseo de Camino Couto
e outros herdeiros de Manoel Antonio de Oliveira,
appellados autores Salgado. Souza C,; juizes os
Srs. Res e Silva, Accioli, Rosa e Sa Leito. Nao
se tomou conbecimento da appellaco por ter sido
apresentada neste tribunal fra do tempo.
Juizo especial do commercio ; appeliante autor
Jos Alves Barbosa, appellado reo Lourenco Pu-
gi; juizes os Sr?. Res e Silva, Silva Guimaraes,
Rosa e Basto. Foi confirmada a sentenga appel-
lada, sendo voto vencido o Sr. desembargador Res
e Silva.
Juizo especial do commercio: presidencia do
!>r. desembargador Silva Guimaraes. Appeliante
exequente Miguel Archanio de Figueiredo, appel-
lado executado Joaquim Jorge de Mello, tutor das
menores Manoela e Ignez; juizes os Srs. Reis e
Silva, Accioli, Rosa e S Leirao. Foi confirmada
a senteDga appellada, sendo voto vencido o Sr. S
Leitao.
Appeliante Joaqnim Francisco do Espirito San-
to, appellado Jos Feliciano Nasareth ; apppellante
Jos Maria Palraeira, appellado Antonio Luiz de
Oliveira Azevedo.-Adiados pedido dos Srs. de-
putados.
Appeliante Joaquim Francisco do Espirito San-
to, apsellado Silvano Blum : sorteado em 1* lu-
gar o Sr. Basto, jurn suspeigao e nao pode haver
sorteio por nao estar presente o Sr. Miranda Leal.
Nao forara propostos os seguintes feitos por nao
ter comparecido o Sr. Miranda Leal: appeliante
Antonio Francisco de oliveira, appellados Tasso
Irmaos; appeliante Jco Francisco de Carvalho,
appellado Manoel Francisco da Silva Novaes ; ap-
pellantes os curadores fiscaes da massa fallida de
Antonio Pedro de Mello, appellados Jos Marcel-
lino da Rosa & Filho ; appellantes a viuva e her-
deiros de Diogo Jos da Co.'ta, appellado Antonio
Duarte Carneiro Vianna; appellonte Joaquim da
Silva Costa, appellado Joo Rodrigues Cordeiro;
embargante Joaquim de Azevedo Maia, embargado
Jos Antonio de Almeida Guimaraes; appeliante
Antonio de Azevedo Neves, appellado Bento Jos
de Macedo Pogas, appeliante Jos Alves de Aguiar,
appellados os administradores da massa fallida de
Antonio Jos de Figueiredo.
PASSAGBNS.
Do Sr. desembargador Silva Guimarae* ao Sr.
desembargador Reis e Silva : appeliante o adminis-
trador da massa fallida de Pedro da Silva Reg,
appellado Flix Sauvage.
Do Sr. desembargador Accioli ao Sr. desembar-
gador Silva Guimaraes: appeliante Salvador de Si-
queira Cavalcante, appnllado Leopoldo Ferreira
Martins Ribeiro.
DESTRIBigAO.
Ao Sr. desembargador Accioli: appeliante Jos
Joaquim da Silva Barrete, appellado Ivo Antonio
de Andrade Luna.
AGGRAVOS. x
Juizo especial do commer:io : aggravantes Luii
Gongalves da Silva i C, agravado Francisco
Soares de Moraes; aggravantes Luiz Gongalves da
Silva & C, aggravado Braskliano Jos da Costa;
aggrazantes Antonio dos Santos Oliveira e Joo da
Silva Fria & Irmo, aggravado Custodio de Prono
Porto.O Exm. Sr. presidente negou provimento.
Carta teUemunhavel vinda do juizo municipal e
do commercio de Serinhaera : aggravantes Ber-
nardo Jos de Oliveira Machado e outros, aggrva-
dos os successores de Rodrigo Gongalves Bastos.
O Exm, Sr. presidente nao tomou conhecimento
Encerrou se a sessao a I 1/2 hora da tarde.
mo'lerreno, exigindo que o'nevo temple
fique com a vista fnteiramente desataban-
$ada de outro qnalqoer edificio.A com-
rajsso de edificacJo, juntando-ge o parecer
do advogado e da commissio que i deu o
sed parecer sobre tal assurapto.
Um officio desta cmara com despacho
ao Exm. presidente da proJaca. ordenan-
do que (he aoja rematada a derionstriclo
do prejuifco que hoave na coupra e venda
da da farinha que foi destinada ao abastici-
mento desta cidade. Que se remeta a de-
monstrafJo do prejuizo.
Outro do Dr. Joio Raymundo Pereira da
Silva, participando que por encommodo de
sade nao poda acceder ao convite de vir
prestar juramento naqualidade de supplen-
te de vereador 'da cmara municipal. desta
cidade.Inteirado.
Despacharam-e as peti$es de Antonio
Francisco Dias Lima, Antonio Moreira de
Mondonga, Antonio Ferreira Costa, Antonio
Maia de Brito, Antonio de Souza Leite, An-
tonio Botelho Rezeode, Antonio Pinto Bar-
boza, Antonio de Souza Oliveira Mello, An-
tonio Milborges Saraiva Galvo, Caetano Cy-
riaco da Costa Moreira, lente coronel
Francisco Carneiro Machado Ros Jnior,
bacharel Fancisco Augusto da Foaceca e
Silva, Faustino Jos da Fonceca, Fernando
Stepple, Francisco d'Assis Brito, Francisco
de Souza Martins, Francisco Agostinho Goi-
mar3cs,|Guilberme Patricio Bizerra Carvalho,
Guilherme Augusto de Athayde, commenda-
dor los Pires Ferreira, Jos de Medeiros,
Joaquim Alves da Silva Joquim Manoel
Ferreira de Souza, JoSo Doroelly Jnior,
Jos da Conceicao Oliveira Figueiredo, Joa-
quim Maria do Monte, Jos Laureano dos
Passos, Jos Antonio da Silva, Lenidas
Pires Alves Ferreira Coelho, Manoel da
Silva Almeida, Manoel Ignacio de Lima
Marques A Carneiro, Manoel Antonio da
Silva Rios, Manoel Jeronymo Ucha Cavsi-
canti Paulino Herculano de Figueiredo e Vi-
cente Herculano de Lemos Duarte, depois
do que apreseotoo o Sr. presidente da c-
mara o seguinte requerimento :
< Tundo fallecido o Exm. conde da Ba-
< Vista, cidado Benemrito, que por muitos
ltalos se recommenda a esta provincia,
proponho a suspens3o de nossos trabalbos
* por boje em sigoal de homeaagem e res-
peito a t3o digno varao. Sala das sessoes
da cmara municipal do Recife 4 de ou-
tubro de 1870.Souza Leo. Foi ap-
c provado e encerrou-se a sessao *
Ea Lourenco Bezerra Carneiro da Cunha,
secretario obscre.vi. Ignacio Joaquim de
Souza Leo, P. P.Dr. Pedro de Athayde
Lobo Hoscoso. Ignacio Pessoa da Silva.
Dr. PraxedesGomes de Souza Pitanga.
Angelo Henriques du Silva. Bento Jos
da Costa Jnior.
PUBIICACOES A PEDIDO.
Monte pi portnguez.
Senhores socios, directora convida-vos para
amanhaa s 11 horas no gabinete portuguez de
leitura, aiim de prestar-vos as respectivas cootas,
e subraetter vossa approvagao o relatorio de sua
gerencia, nesta solemne ocoasao mais de perto
conhecereis grande ntilidade de vossa caridosa
e santa associaco, 4 I-que apreciareis o qoanto
ella tem despendido com soccorros, e sido til a
um assoriadu.'que arranado pelo revez da sorte
geme no infortunio, j na sua triste cboupana
como na prisao, a viuva e orpho indigente en-
contra nella o balsamo da consolacao, o enfermo
a quem os facultativos aconselham a mndanga de
ares, ella os tem transportado nao s aos lares pa-
trios, como aos sertea desta e outras provincias
do imperio, associacoes como estas, cujos litis tao
uteis como sublimes, um poder supremo existe
que as protege e ampara ; para sto muito tem
concorrido a pratica e roestra cora que a actual
directora tem sabido dirigir seus destinos, a jus-
tiga manda que assim o digamos, nao obstante
termos pronunciado por diversas vezes nesta fa-
lla centra ella.
Um outro assumpto de nao menos importancia,
muito vos deve interessar ; amanhaa deve-se eie-
gor a futura administracao, que tem de dirigir
esta divina e santa inalituigao, pedimos aos nos-
sos consocios que nao deixem de comparecer, e
lembrando-lhes que nova administragoa incum-
be serias obrigagoes, cujo desempenno reclama
enrgica actividade, zelo alm de outras qualida-
des, a escoiha dove recahir em cavalbeiros que
possuam aquellos predicados ; lembramos apenas
que a direccao que vi eleger-se tem entre ou-
tros o dever imperioso de pelo menos iniciar a re-
forma da le fundamental da sociedade por de-
mais defeituosa.
Porm, antes disso preciso que todos meios se
empreguem para elevar a associagao qaelle grao
de prosperidade que desejavel, e por isso sao
precisos homens nao s Ilustrados, honestos, mais
anda, a energa de espirito emprehendedor, con
liamos, por tanto, extremamentente as boas n-
tenges de todos os socios, na honestidade de cada
um, somos entretanto forgado a confessar, que
nem sempre isso 'consume um indispenssvel re-
quesito para realisagao de urna idea flxa, nao bas-
ta ser honesto, conseguintemente bem intenciona-
do para se elevar ao cabo emprezas dessa ordem.
preciso que essa virtude digna da veneragao se
rena a urna torga de vontade inabalavel que traga
resultados reaes, es quaes nao apparecerao de
certo, desde qne cada raembro da direegio que
tem de eleger-se nao aprsente urna vontade
enrgica ; s indifferenga a raorte de grandes
ideas, e nenhuma sociedade pode -viver qoando
nao aceita o principio severo da undade do pen-
samento.
Convm, pois, que cada voto exprima, em vez
de urna demonstragao de sympathia, e sentimento
do bem Jappiicado aos interesse, da associagao,
as>im que chamamos a attencao dos Srs. socios,
para que vejamos realisar tod s os desejos que de-
vem assim ter aquelles que realmente se inte-
ressam pelo progresso desta tao uiii e humanita-
ria associagao. Condemnai as trevasoh I Srs. so
cos esse vosso indifferentsmo
veis representadas por um partido, que intitula-se
de ordem e de aspiragdes civilisadrai I
A liga, que neohuraa base poltica tem, por ser
am-eorpo origioado de interesse e'do despeito, re-
ligiosamente ataca-se; seus merabros alera de
deis ns aos outros, gabera repellir qualquer idea
qne mesmo de leve possa manchar a reputacio do
correligionario, e tornem-ae furiosos ao ouvirem
censuras d* pposigao; entretanto conservadores
ha em Perotmbuco, que applaudem e at recitara
cora gosto nos jornaes iBjurias, vomitadas pelos
inmlgos, contra companheiros distinctos e prest-
rnosos com o flm de desprestigia-loa III......
E' eom effeito mui decoroso a ama poltica nao
louvar as acoses indignas de qualquer de seos
membros; porra, afrontar ao intmigo, confirman-
do peradas invengoes do Inimigo. que tudo invida
para desfigurar c arruinar o be lo edificio, cons-
truido por nobres inspiragdes patriticas, por
demais araesqurobar, mesmo sevandijar o que
de precioso deve resultar da combinagao de ideas
subllafcs, que moraliiara o partido mprehandedor
de lisongeiras reformas.
Reagir contra o correligionario fiel e prestiraoso
nao o abrir espago as flleiras ? nao satifazer o
InWgo, que, vendo suas malvolas vociferagoes
produzirem o effeito desejado, transborda de pra
ser, e u/ano diz: nao tardara squeda fatal da
canaha?.....
Desde ja eonvenpo-me que o mea peosamento,
3ue as verdades, que acabo de expender, nao agr-
aro aos conservadores elvadoa, egostas e inex-
perientes, que as adversidades e phases criticas
desapparecem, e na bonanca sao os mais avklos
de posigoes honrosas; porm, nao a esses que
fallo, porque considero-os verdaderos sangoes,
mas sim aos vultos saliente, que sabem apreciar
as conveniencias polticas do partido, e velara com
o mais apurado cuidado em *eu posto de honra,
para que a arca de suas garantas nao sosaobre
no meio de agitadas, ondas que por todos os lados
a circundan.
Nio espero, nem desejo, que es pescadores oa
transfugas polticos (que considero legitimas ca-
poras) concordem com o mea modo de pensar,
porque delles s podem emanar a traico, arma
forjada pelo bedeoudo enredo, em que vvem sem-
pre chafurdados, e com o qual muitas vetes arrui-
nara os bons fundamentos de urna politice.
Fique assim bem comprebendido que s o polti-
co de ideas saes e de reconbecidas provengas,
para mira merecedor de honras e attenges, sejam
quaes forem os seus teres e fortuna.
Se espesinha-se amigos experimentados, inaba-
aveis em seus principios polticos e vigilantes ata-
layas do partido, para considerar-se iniraigos de
hontera e certas nullldades polticas, nao se crea,
que e partido tenha tonga existencia em sua go-
vernanga. Cada um amigo prestigioso, que per-
demos, ser ura presente de incalculavel aprego,
que nvnharemos ao inimigo, que nao se incem-
moda ae.vr retirarem-se de nos aquellos, qne j
perteoceram-lhe, porque nao sao esses comedian-
tes, que rrustam-lbe as raachlnagoe*.
Verdades tao palpitantes nao obstam a que o m-
rito soffra os effeitos da mais eslranha reagao,
manejada despeitosaraente, e porque consdera-
gdes ?l.....
O partido, os amigos e? tao declarando-se por
todos os pontos da provincia. Nao ha lealdade ;
cada um quer gosar de maior preponderan-
cia ; nao ba disciplina poltica: tudo marcha des-
ordenadamente. E nnguera (a nao ser algum cy-
nico) poder negar quaoto tenho dito as poucas
linhas, que termino aqu.
Um conservador bonitense.
boudade
oa-
Ao publico
Declaro que nao fui medico assistente do
nado Dr. Victoriano de S e Albuquerque,
que apenas assisti a conferencia, e Ihe fiz
duas oa tres visitas nos ltimos tres dias
de sua existencia depois que voltou de
Guararapes, j quasi moribundo, havendo
alli sido medicado; e que estes fados a
nirrgnem autorisam a considerar-me medi-
co assistente.
Recife, 7 de outubro de 1870.
Dr. Jos Joaquim de Moraes Sarment.
A condessa de Val-monea
Hoje representa a insigne artista a Sra.
condessa de Val-mooca, auxiliada com o
Sr. Maris, a muita linda scena da opera La
grand ducheure, que tem sido representada
com grandes applaosos no theatro Alcagar
do Rio de Janeiro ; quem a vio no lindo
Rondeau infernal da opera Petit Faust e no
Tyrolienne de la vie Parisienne, que foi le-
vado scena quarta-feira 5 do correte, n5o
deixar de concorrer ao theatro a festejar
a eximia actriz, cuja voz tanto tem agra-
dado aos diletantes.
Pernambuco pode orgulbar-se de ter em
suas plagas urna actriz daqualidade da Sra.
condessa de Val-monea.
Recife, 8 de ootubro de 1870.
LEILAOO leilao de .movis e mais objectos
iue f.tz-ra orte do espolio do subdito francez
f'oirier, annuncir. lo para bontero, fica transferido
para >egunda-feira 10 do crrente.
CEM1TEIUO PUPLICO.-Obtuario do dia 3 de
ontubrn :
Or. Antonio de Araujo Ferreira Jacobina, bran
co, Babia, 83 annos, casado, advogado, S. Pedro
Marty- : broocbite sulfocante.
Aflooso, braiuo, Pornambaco, i mezes, Boa-
vtsta; convulses.
CMARA MUNICIPAL.
i* SESSAO ORDINARIA AOS 4 DE OUTU-
BRO DE 1870.
PURSIDltNCIA DO SB. DR. SOUZA LRAO.
Presentes os Sts. Pessoa da Silva, Dr.
Pitanga, Dr. Bento Costa e Dr. Angelo
Henrique, abri se a sessao e foi lida e ap-
provada a acta d'antecedenle.
Leu-se o seguiote
EXPEDIENTE :
Um officio do Exm. Sr. vice-presidente
da provincia, concedendo autorisacao para
despender a quantia de 9OO4I00O pela ver-
ba limpeza da cidade marcada no 4o do
ari. 2o da le do orcamento municipal vi-
gente.Inteiradae que so communi jue ao
procurador.
Outro do mesmo, remetiendo por copia
a informarlo ministrada pelo engenheiro
chefe das obras publicas, concernente aos
reparos de que necessita o calcamento da
ra da Madre Deus e travessa do Corpo
Santo.Inteirada.
Urna peiicSo do Rev. prefeito da Penba
Fr. Siraphim de Catania e mais religiosos,
com despacho do Exm. presidente da pro-
vincia, mandando informar sobre a cessSn
que aquella religiosos fazem do terrean em
frente a igreja, como tambem sobre a entre-
ga da quantia consignada, ^como indemnisa-
$Jo pela cesao, oa desapropriaejo do mes-
>. nao deixeis de
comparecer, lembrai-vos apenas que amanhaa
tem de decidir-se do futuro destino de
tituigo, e
vossa ras-
que muito fatal pode ser se deixarem
ctrrer a revelia tao importante causa,
Um socio.
Bonito.
Nenbura partido poltico se deve eonsiderar ver-
uei ramete coosoliJado, desde que em sea seio
rema a deslealdade, serapre originada de louco
despeito ou ambigao de posigoes precarias.
Os membros de um partido deven formar um
so corpo, terem um s pensamento e ama fiel ex-
pressao, tudo tendente a moralisagao das ideas,
que fazera objecto de tuas delicias sociaes, quer
S,CnT g9and0 M arantias do poder, quer sa
boreando suas oppressfies. A politicaTcjjos ntem
nna 5AXtA7,a.ra"s?, '""fe* Principos/ entendo
que nao pode ter vida duradoura e serve de escar-
neo a sua adversaria : Assim pensando, digo que
polticos voluveis pretenciosos, invejosos oigois-
.2r?a d,ipre!:?9' >ae ^ervempara
t u'f H8 eMr3 da. que promeltem abrir
L^^r P*" uro/ Amelles, po-
rm, que, idolatrando seus principios pulitcos,
AlirmV!L9e flme3' 8> l0n8 de fe3 Pretenges
^ almejam o progreiso de soas |j, erabor
passando pelas mais penosas fadigas, deve-se
considerar legtimos opperark da civilisago e
defensores dedicados das prerogavas poUcas do
E' dominadojestes sentiraento% senhores, que
eucom.cragao nteiramente confragido vio
ir se estragando o parUdo eooservador amis
rapiia caneira, sem que seus pernos pilotea pres-
tera a menor auengo a maneira ante-poliUo*. dot
que algm dos seas membros s parfia se empenoam
a delacerar e deDegnr a. rapuucao de seos cora-
panheiros de trabaloee e softVimentos, atirsn-
do-lhes at as faqes oa proprios doesto', eserip-
Ao publico.
Para a ealumnia nao ha impossiveis.
Urna prova disto o artigo assignado ldomeno,
e publicado ne Diario de Pernambuco do 1 do
corrente mez.
Nesse pasquim, escripto em liguagem de arriei-
ro bebado, entre insultos ignobeis, calumnias in-
fames, e invenios e jograhdades s proprias de
nm farcista de ribeira, diz-se : que o bacharel Jos
Tavares da Cunha e Mello ultrajan as faces rugo-
sas de seu venerando pai. Este bacharel esl por
certo rouito sobranceiro a ataques dessa naturesa,
e nae precisa de auxilio algum para confundir
seus abjectos inimigos, mas nem por isso, nos,
seus irmaos, e testemuohas do sea respeite e
amor filial, deviamos deixar de vir imprensa dar
um solemne dismentido torpe calumnia, que ah
deixamos transcriptas.
As faces venerandas do capitn los Tavares de
Mello, pai do bacharel Jos Tavares da Cunha Mello
e nosso, soffreram ultraje de quem quer que fosse,
e por ninguem foram mais respeitadas do- que pelo
seu extremoso filho o bacharel Jos Tavares da Cu-
nha Mello. Se o ldomeno do Diario de Pernambu-
co duviiiar da nossa palavra, descubra se e deixe
o anonymo, manto j gasto pelos calumniadores vis,
.........e ouse contestar-nos.
Cidade de Goyanna, 3 de outubro de 1870.
Dr. Francisco Tavares da Cunha Mello.
Arminw Americo Tavares da Cunha Mello.
Bacharel Joaquim Tavares de M. Barrttto.
Manoel Tavares Barreto.
fe de
vi-lo.
E logo em minha pfesenga o Sr. Dr. chefe de
polica o interpelloo, a elle referi o qne mehavia
oito; o br. Dr. chefe de pulici iosistio especial-
mente sobre a circumstancia de have-lo o aubde-
legado fendo com suas proprias mos, a elle res-
ponden que aira.
fimo o Sr. Or. chefe de psbch raustoo-* ai
r. Dr. delega*) parrvistorhtr e interrogar. La
deixei na secretarla de polica, e nio euidei de
indagar que seguijiento o negocio teve. Somente
das depois soooe por constar entre os moradores
deste lugar, qne Evangelista havia feitodeclara-
goes favoraveis ao Sr. subdelegado mediante di-
nheire que Ibe derara e a promessa de um ca-
vallo.
Curapre saber que Evangelista ura pobre ho-
mem que vive de trabelhar jornal guando aeba
servigo, e mora em trras do Sr. subdele-
gado.
Ao principio dnvidei roas depois vendo publicada
no Deano a defeza do Sr. subdelegado, convenc-
rae entao do que j se dizia sobre o modo porque
foi-lhe arranjadaa defesa.
Rogo ao publico que attenda para estas cir-
enmstancias:
A verdade qne Evangelista foi frido ; islo nio
se nega, e publicando-se o auto de pergunU) te-
ve-se o cuidado da nio fazer o mesmo quante a
vistona.
Sendo urna verdade o ferimento, nem o auto de
pergnntas nem o officio do Sr. subdelegado indi-
cam quera fosse o sea autor ; referem apenas que
nouve urna lula entre menteos, oa qual intervie-
ram Evangelista e outros que o feriram. Nngaem
sane que meninos sao esses, nem quaes esses
outros que tambera intervieram na luto, faeto in-
tetramente maginario.
O offendido comparecen coraigo peranle o Sr.
Dr. chefe de polica no dia 20; mas porque nao
vistoriado e interrogado n'esse dia para se-lo so-
mente dous dias depois, morando alias distante da
cidade ? E" qne se precisava de tempo para ar-
raojar as cousas.
Alm diste, quando o offendido comparecen no
da 22 perante o Sr. Dr. delegada veio acompa-
nhade por continuo do tribunal do commercio que
aqu juz de paz, primeiro supplente do subdele-
gado, e um sea alter ego. Levou comsigo o ho-
mem e assistio a toda a diligencia at o flm.
O mesmo offendido, que declara ter sido acon-
aelhado por mim attribnir o ferimento do sub-
ddlegado, declara ao mesmo tempo que o attri-
buira por estar zangad cota o subdelegado. Se
esta J era a disposicao de sen animo, nao careca
de suggeslao minba.
Rogo mais ao publico que confronte o auto de
pergootas com o officio do Sr. subdelegado.
- Prescindo de apreciar a legaldade e justiga da
prisao : O Sr. subdelegado estando no servigo de
sua lavoura chama um homem que passa, tendo
alias em si um ferimento, e o interroga, nao sobre
o ferimento que elle apreseotava, mas sobre o tra-
taraeoto que dava sua mulher ; e porque as res-
oslas que dea o pobre homem nao fossem satis-
actorias, procura prende-lo, manda agarra-lo
pelos seus proprios trabajadores I
Isso diz o Sr. subdelegado em sea officio I
De saa parte diz o offendido que o Sr. subdele-
gado o chamara, e porque elle nao acodio ao sen
chamado, mandn-o prender, agarrar pelos seas
irabalhadores, que nessa tentativa magoarara-lhe o
ferimento I
Qnauta contradicho e inverosimlhanga.
Se Evangelista trouxesse o ferimento recebido
noute, nao era mais natural que em vez de fugir
do Sr. subdelegado o procurasse para queixar-se
contra^aquelles que o ferirao 1
E nao era mais natural e mais do dever do
Sr. subdelegado que vendo-o assim ferido antes
tratasse de saber quem o ferira, do que indagar
o modo porque o pobre homem viva eom a mu-
lher? E poda o Sr. subdelegado prender Evan-
gelista s porque as respostas, qne dea acerca de
tal iodagagao nao foram satisfactorias f
E como que o Sr. subdelegado diz que pren
deu porque as respostas nae toram satisfactorias,
quando Evangelista declara que o mandou agar-
rar por que elle Evangelista nao acudi ao sea
chamado ?
Creio que tenho deixado aos olhos do publico
bem patente a verdade, e conflo tranquillo no sea
juizo. Esteu longo de acreditar que o Sr. Dr.
ebefe de polica fosse cumplice no preparo d'essa
celebre defeza com qne se apreaentu o subdele-
gado do Peres; mas S. S. deve ter lido e refkcii-
do sobre essa defeza, assim eomo acreditamos que
ha de ter esta nossa publcago. Louvamo-nos
no juizo que em sua eonsclencia ha de formar
respeito d'esse subdelegado.
E urna vez que fui provocado publicar estas
duas linhas devo acerescentar era relacao ao ou-
tro ponto, de que trata a informagio daquelle
subdelegado, e de que tambera o Liberal dea no-
ticia, que neste lagar nao ha quera ignore haver
sido o escravo da Sra. D. Mara, proprietaria do
engenho Ibura, espancado, e muito espaocado,
depois de preso em presenga do Sr. subdelegado,
havendo fallecido seis das depois de recolta ido
casa de detengao; e se o fallecimente proveio de
urna hernia, como diz a certidao que o Sr. subde-
legado publicoa, quem aos asegura que o espan-
camento nao agravasse esse soffrimento? E nesse
caso deixou o espancamento de ser causa da
morte I
Parece-me que se nao estamos em ara paiz br-
baro esses facios nao de vera paisar desapercebidos
para as autoridades superiores.
Peres, 6 de outubro de 1870.
Alexandrino Martins Correa Barros.
Cambiossbre Portogal rr. m*wsm-
mio (bonleo).
ENGLISH BANK
Of Rio de Janeiro Limiied
Desconta lettra* da pnp i tan a *
endonar.
Recebe dinheiro ea coou correte ka
I raso fixo.
Saca vista ou a prasost_.
prlncipaes da Europa, ten cor.
aa Babia, Bnenot-Ayres, Mootev
i New-Orleans, e emitte cartas de
para os meamos logares.
RA DO COMMERCIO R. *
ALPAUTJMA.
I e adimanto do dia I a 6 .
dem do dia 7 .....
I
MOVIMEHTO DA ALTANDRiA
a

n
i
w
-----SM
/olames eatradoa cm fsaeadne
dem idea eom genero*
folumes sabidos eom f azendaa
dem dem coto gneros
Descarrecam hoje 8 de os
Brigue ioglez Waller J. Cmmin *i
eros.
Barca inglezaPafriMideas.
Brigue norte-allamioAnne Heiene larssta
trigo.
Barca ingleza Rodench Dku(erro.
Barca inglezaSea Quem idean.
Despachos de rxportaco no a 7 it
outubro
Na barca francesa CoUt**, para .
carregarara : Tissel freres k (1, Sm
eos com 6,828 kilos, 7,900 kilos de
No brigue ioglez Wild Rose, por G
carragaram : llabe SehranseUan k u, 318 sai
com 14,778 kilos de algadao.
ECEBEDOBiA DE RINDAS LTTBRNAS
RAES DE PERNAMBUCO.
.alimento do da 1 a 6 ... 8:1
ldsmdodia7........ S.8SMn*
CONSULADO PROVINCAL
ftendimento do dia 1 a 6
dem do dia 7
2:MJfc3a
M-.ia
MOVIMENTO DO WJTC
iVarios entrados no 4 7
Triestre68 das, brigue dinamarqoR Id*, s Ht
toneladas, capito I. Johansen, eqoapafsai 8 se-
ga 2,.")50 barricas eom farinka 4c trigo ; er
dem.
Aai-ios sahidos no wsetmo iin.
LiverpoolVapor inglez Amazon. cammamkmm
John Corbiskley, carga algodao, eosww, eearec
gneros.
Ro Grande do SalBrigue nacional Prinrezm, ea-
pilao Valentn Jos Augusto, carga asesjear e
outros gneros.
BabiaBrigue ioglez Regulator, eapilac
carga farinha de trigo.
EDITAES.
NAOOCUL
O tenente-coronel Alejandrino Martins Cor-
roa de Barros, e o bacharel Jos Maria
de Albuquerque Lima, subdelegado do
districto do Peres.
No Diario de Pernambuco n. 221 de sexta-feira
30 do passado, vem publicado a informagao qne
ao Sr. Dr. delegado desta capital deu o Sr. subdele-
gado do Peres relativamente ao fado, de que deu
noticia o Ltbvral, de baver sido pelas proprias
mos do Sr. subdelegado ferido, no acto de esca-
parse a'ama prisao arbitraria e injusta, nm indi-
viduo da nome Joo Baptisla Evangelista.
A informagao acompanhada de am auto de
pergunus fetas a Evangelista na psesenga do Sr.
Dr. delegado, auto onde vem escripto como decla-
rado por Evangelista que recebera o ferimento em
urna luta cora outros provocada por uns meninos,
e que se anteriormente declarara ao Sr. Dr. chefe
de polica, que fora o dito subdelegado quem o fe-
rira com as suas proprias mos, fui porque acha-
va-se eoto zangado contra o subdelegado per t
lo mandado prende., e porque en o aconsethara
que tal declaraeao ftzesse.
Protesto eom todas as minhas torgas contra se-
melhante aleive, lludem-se aquelles que ante o
respeitavel publico procuraran) empreslar-me um
carcter s proprio delles.
Narrarei o que se passou; e deixarei ao publi
co qualificar o procedimento do Sr. subdelegado
ou dos que Ibe eneemlraram a defeza.
No dia 20 do mez passado acbava-me em mi
nha casa preparando-ma para vir a esta cidade,
quando apparece-me Joio Baptisla Evangelista
apresentando-rae am ferimento as costas que dis-
se-me ter sido feto pelo Sr. subdelegado com as
suas proprias mos, e que ao passa r pela povoa-
gio do Barro, algumas peasoas i quem elle refe
rjo o ocoorrldo, disserara Ihe que me procurasse
como pessoa capaz de faciliur-lhe os meios de
qneixar-se s autoridades superiores.
Fotemconsequencia disso que uo mesmo dia
MONTE PO PORTUGUEZ.
Apresentamos concideracao dos senhores so-
cios a seguinte chapa quante a directora, e fazen-
do-o nao temos em vista desconhecer as brutean-
tes qualidades que ornam outros cavalbeiros da
nossa sociedade muito dignos. de serem por vos
contemplad )s :
Directora
Bernardo Gomes de Carvalho.
Francisco Joo de Barros. .
Antonio Baptista Nogueira.
Antonio Augusto dos Santos Porto.
Thesoureiro
Jos Joaquim Alves.
Substituto do vice-presidente
Manoel Jos da Cunha Porto.
Do 2e secretario
Antonio Soares Pinto.
Do thesoureiro
Francisco Gaedes de Araujo.
Conseiho.
Para presidente lembramos o Sr. commendador
Jos Joaquim Faria Maebado.
Um votante.
AOS SUBDITOS DE S. M. FIDELISS1MA.
Tendo de realisar-se domingo 9 do corrente a
reunio da assembla geral do Monte Pi Portu-
guez. a'ira de proeeder-se a leitura do relatorio da
actual directora e eleger-se a nova, pede-se aos
senhores socios que hajam de comparecer no Ga-
binete Portuguez de Leitura, para que tenba lugar
um acto de tanta importancia.
Alguns socios.
Mote.
Por minhas alias (acanhas
Eu pretendo um baronato.
GLOZA.
Alto em corpo, grande em manhas,
Com o chapeo de sol ao hombro,
todos j causo assomhro
Por minhas altas facanhas.
J nio sio ellas estranhas,
Nem ao menor ci, <>u gato ;
E como a liba do Rato
Inda nio tem um bario,
Aproveito a occasiio :
Eu pretendo um baronato.
O Phantasma.
Errata.
Na poesa qne se senue urna carta fnebre,
hontem publicada do Sr. J. Silva Reg Jnior, no-
tam-se alguns erros de imprensa. Primeira parte.
3" estanciaE' das leis aas trevasetc., deve
lr-se: E' das leu natoraes. Terceira parte, 2*
estanciaQuiz ao mondo regressar, deve lr-se:
Quiz ao co regressar.
JUISO DOS FEITOS DA FAZENDA
O Dr. Abilio Jos Tavares da Suva,
tan da Rosa e juiz privativo es
da nacional por S. M. o Sr. D.
Fago saber a lodos qne este
13 de outubro futuro, na sala das
11 horas da manha perante este jnisn se
rao em praga os besa segnintes : peasntlsn a
herdeiros de Julio Pereira Meloso, r\ coNscsk
da villa do Cabo, e de sen fiador para snfsnssns
da fazeoda nacional : o engenho Boas Desun, s
termo de Agua-Preto, sendo avallado* sh L.
ras-do mesmo, eonsistiodo em nina cana 4a i
nho e purgar sobre pilare*. 200 palna s eas-
priraenlo e 'ti de largara, (ende ao M ma st-
Iheiro que serve de pieadeiro eom 17 pal 4e
largura, asseolaroento eom S rafes, estafa, rata
d'agua, raoenda de (erro, eom lorstes, ras e -
venda, seozalla, casa de familia, raen de tais*
em mo estado, eom 162 palmos e frentes t -
4 casas em mo estado em 8:008jHt; e as tr-
ras do mesmo engenho eotnpreuomimmim rayar
denominado Roncador, com asna legms o srantr.
e igual extenco de fundo pooeo rasm oa anara,
em 12:000*000; ama casa ierres aa viNa
Cabo de taipa eom 65 palmos e fresas 83
fundo, 7 janellas na frente e i parras, cornear a
centro, 7 quartos, eosinba, qnialal eom 139 sassso*
de extenco, e om terreno devololo ao sal a sara-
ma easa eom 18 palmos de freno*, san) rano
terreno foreira, avahada em 1000*000. a o eav
genho Solidade avahada em 18:0004000.
E para qoe ebegne ao cootierianain o tsos
mandei passar o presente qne san pobin-ao pab
impreosa a affixado no logar do costn
Dado a passado nesta cidade o Recite aos ti
de setembro de 1870.
E ea Luiz Francisco Barreto e Inania, i
vo subserevo.
Abilio Jos Tmtmrn m ,
e Sirva.
COMMERCIO.
tos ca.eu,adameato-pel. oijposigao, que ri e ^ eomar^TerTateTsr.^coef de 7lte a +
de praxer, em presencas de scenas o dd^rada-1 vandocomigo o oftendido, epedi ao Sr Dr. ebe-
PflACADO RECIFg 7 DE OUTUBRO
DB 1870.
AS 3 1/2 HOtdLS OA TABDB
arabio sobre landres W drv 22 l\i e 22 1)2
d. oor 14000.
O Dr. Manoel Antonio dos Passa
juiz municipal e de Hiparas, I*.
exercicio do termo do Olroa, par S. M. L a O.
o Sr. D. Pedro II, quera Deaa gnart. i
Fago saber aos qoe o presente efisl in
del le noticia tiverem, que dentro a 301
este juizo propostas em cartas fechadas |
remaugo por venda, quem mais
escravo Maooei, com 5 annos de idade
ou menos, de cor cabra, avallado par
qual tem de ser arrematado
inventarame dos bens do finado l
quim Lopes de Almeida, para ptpasale sa ora-
dores deste ; seodo qne ser dita arreontsea ef-
fectuada de cooformidade coa o qoe aasamnont o
art. do decreto n. 1,695 de 15 de jiinrasn a>
1869.
E para qoe ebegne ao cooherssrasje t
mandei passar o presente, qoe ser;
gar do costme, e publicado pato "
Dado e passado nesta cidade s i
de setembro de 1870.
En Joaquim Hormillo Caadido das
crivao dos orpbaos interino, o i
Manoel Antonio dos Pasara e :
Ao sello 300 rs. Valia
Passos Jnior.
Eslava urna esUrapilha de 200 rs.
na forma da leL
Olinda, 10 de setembro e 1870.O i
orpbaos interino, Joaquim HoraMo
Chagas._______________________
O inspector interine da alfaaega
que existindo nos armazeas da
os volumes abaixo declarados l
arrematados para consumo,
dispo"icdes do capitulo 6.* litla
te de 19 de setembro de 1860, eo
consignatarios deverao despacaal
30 dias, sob pena de find elle
por sua eonta, sem qne Ibe fique
gar contra os efleitos desta veada.
Annasem o. 1.
Marea F D.-N. H3.1
na barca fraoceca Cofcfay i atraes ora 4
reiro de 1870 consignada a
conteJo.
dem quadrado H L.N. 72.I
dem, con-ignada a Henry Lagar:
dem F D.-Ns. 141 e III-t t
idem ; ignorase a con-i anaci a
dem J A A A C -N tif-l a
consignada a Joaqnim Aatws a
dem.
dem J A A & C.-N. 7330.-1 Ma
dem: dem.
dem C F.-N. 7330.-1 U rasas, 1
eob8igna IdraCHC P.-Ns. 2W b o 202
idem dem, entradas ees 8 a
C:


Diario de PcamkMCO Sabbado 8 de Outui>ro de 1870.

'
r
nadas
idem.
Francisca Gons de Oliveira Sobrlnlw:
\mliUS&9
-Jos Fernandas da Silva.
dem
dem,
veira Ajm^C"^^ 6
Safare* F P.1 3! L
So bngne francosPiJlfr^entradoentin8 nurce
de 1870 ignorasen^i.ST&,!^.
dem F IV-Ni. 3 e 38.-2 *tes *^
entradas em 5 do dito mez: dem dem.
dem F P.^-N. 3W e 310.-1 ditas dem dem,
dem, idem: dem. ..
dem F. 314.I dlu dem dem, entrada em T
dem: idemMeo, __.
dem T. J.Sem numero.27 saceo vindos de
New York no patacho infiel Mary Crowt lira-
dos era 8 dem: idem dem,
dem T 1Sena namero.3 saceos dem dem,
entrados em 11 idea: idea idea.
Aromara n. 8. %
1 caixa sem merca e sea nnmero, viada de
Lisboa no navio portugaea Relmpago, entrada
aa 30 de junho de 1869: consignada a Joio E. da
SUveira.
Marea diamante F.N. 8753.1 barrica viada
de Liverpool no navio ingles Jfui-y Finid, entrada
em 9 de dewmbro de 1869; gnora-se o contedo
e eonsignacao.
;*Idera J M P.Sea nnmero.-*) caixas viadas
de Hambnrgo no navio dioamarqaez Wtl kbmne,
entradas no !. de fevereiro de 1870; consignadas
a Jos Mara Palmeira : ignorase o contedo.
dem M J.Sem numero.98 ditas idem dem,
dem; consignada a Francisco A. MonleifD Jnior:
ignora-se o corneado.
dem HWB4C. dem. 200 ditas vindos
do Havre, ne navio fraacez Figuro, entradas em 26
idem, coasignadas a H. Wilmar: ignora-se o can-
teado.
dem A G C-Ns 801 a 823.20 fardos va-
dos do Havre no navio francez Trois Freres en-
trados em 17 de margo de 1870; ignorase a eon-
signacao e eanleudo.
dem ALRLB CNs. 129 a 138.10 caxas
idem, idea, idea, idea, consignadas Antonio
Lopes Rodrigues : ignora-se o contedo.
dem ALRLB-N. 17.1 dita, idem, idem,
idem; ordem; ignora-se o contedo.
dem R S 4 C. N. 408 a 409. 2 barricas
viadas do Havre no navio fraacez Mousse de Non-
ttt, entradas era 4 de abril de 1870: ignora-se o
contedio e a consigoago.
dem H 4 A. Seai numero. 1 barril vindo
de Liverpool no navio inglez Pascal, entrado em
26 de maio de 1870, consignado Henriqne &
Azevedo: ignora-se o contedo.
Armazem n. 9.
Marca A G. Ns. 1 a 4. 4 caxas vindas do
Porto na bara portugueza Despique II, entrada
aa 11 de fevereiro de 69, consignadas Albino
Jos da Silva : ignora-se o contedo.
dem J. R. N. Sem nnmero.1 dita vinda do
Porto n brigue portugus Triumpke, entrada em
29 de maio de 1869, consignada Jos Francisco :
ignora-se o contedo.
dem Manoel Furtado.Sera nnmero 1 caixa
vinda da ilba de S. Miguel na escuna portugueza
Dios, entrada era 26 de noverabro de 1869, con-
signada Manoel Furtado : idem.
dem Pedro Jos da Costa Mello. Sem nn-
mero1 gigo, idem, idem, idem, consignado Pe-
dro Jos da Costa Mello : hiera.
dem J P S Sera nnmero. 1 barrica, idem,
idem. entrada em 27 de novembro, consignada
Jos Pinto de Souza : idem.
dem lettreiro.Sem nnmero.1 caixa vinda de
New-York no patacho americano Iza, entrada em
13 de dezembro de 1869, consignada H. Forster
& C. : idem.
dem C B Sem nnmero.1 dita, vinda de Li-
verpool no vapor inglez OUnda, entrada e.n 22 de
dezembro de 1869, consignada Tbomaz de Aqui-
o Fonceea & C. : idem.
dem J. Sem numero. 1 dita (despachada).
dem J P H.-Sem numero. 1 volme, vindo
do Porto no navio portnguez Seguranca, entrado
em 29 de dezembro de 1869; ordem : idem.
Sem marca e sem nnmero. 1 caixa vinda do
Porto no navio portnguez Unido, entrada em 4 de
marco de 1870, consignada Francisco Moreira
Pinto Barboza : idem.
Sem marea e sem numero. 1 grade de ferro,
vinda de Liverpool na barca ingleza Imogene, en-
trada em 26 de marco de 1870, consignada H.
Wilson,
Marca J H 4 CSem nnmero. 1 caixa vinda
de Livorpool no vapor inglez Sapphire, entrado em
30 de maio de 1870, com amostras : ignora-se a
coosfgnacao.
AHandega de Pernambuco, 5 de outubro de
1870.
O inspector interino,
mz de Cartalko Paes de Andrade.
N. 341
N. 342
N- 3441
ante.
Batyro
0 abeuo assigaado havaodo effectuado
to Ilkn. Sr. teneote-corooel Jos Joaquina
do Reg Barros, ultimo administrador do
morgado de Santo Amaro nesta cidade, a
conpfa de todo e terreno que ea Fra de
Portas era perteneeote ao mesmo morgado
a saberaas rus do Pbarol o. 2 at a
casa a. 68, e d'ahi seguiodo pelo corredor
da casa iu 63 da roa do Pilar, boceo da
Moleta hoja traves da Fuadieae, roa. dos
Guararapes, pelo iado que olba para o po-
ente,at a ultima asa fronteira a forta-
leza do Brum sempre do mesmo lado, pre-
vine a quem eatiier de pos desses solos
que no prazo de 30 das, contados desta
data, venna com elle enlender-se na ra do
Imperador n. 21, para reeorroecer o sea
dominio diraco o satiafczer-lba opportuoa-
aenteo laudemioe os foros que estiver a
dever.
Recife, 5 outnbro de 1870.
Joaquina Lopes de Akaeida.
JUIZO MUNICIPAL DA 1* VARA.
Ne dia 41 do cmante vai otaca da venda a
casa terrea sita na travessa de S. Jos n. 13 em
chaos proprios, por execueao de JosepharMana da
Conceicao contra Aneelmo de Soaza Teixeira e sua
mulher, avahada por 1:1001.______________
Oe ordem do libo. Sr. oonselbeiro inspector
da thesouraria de fazenda desta provincia sao con-
vidados os offlciaes abaixo declarados que perten -
ceram aos extinctos carpos ig. 30,42 e 53 de vo-
luntarios da patria, para que at o flm do crran-
te mez venham indemnisar a fazenda das qaantias
por que Iba sSo respoasaveis segundo as guias que
es acempanharam da corte, sob pena de se proce-
der ejecutivamente a cobrahea das dividas daqnel-
les que as nao satisizerem no praso marcado.
Secretaria da thesouraria de fazenda de Pernam-
buco 3 de ontnbro de 1870.
Servindo de official-maior,
Manoel Jos Pinto.
Relacao a que se refere o annuncio cima.
Corpo n. 30.
Tenente-coronel Apolinario Florentino de
Albuquerque Maranhao Sobrinho 171*244
Tenente-ajndante Antonio Jos da Silva 68i
Carpo n. 42.
Major Joao Capiatrano de Aguiar Montar-
royos 172*587
Capitao Porfirio Hygino da Coste 27*200
Felizardo do Reg Toseano de
Brito 34*900
Ttente Jos Carlos Vital (as despezas de
sna nomeacao do posto de tenente).
Corpo n. 53.
Coronel Alexandre de Barros Albnquer-
que 184*044
Tenente-ajudante Francisco Climaco de
Salles Barbosa 99*069
Alfares Joaquim Nunes do Valle 7*200
t Elpidlio Josjda Silva e Azevedo 7*200
c Joao Gnalberlo Correia 7*200
a Jos Francisco de Souza Leite 7*200
< Prudencio Peasoa da Veiga 7*200
c Francisco dos Pasaos Baptista 7*200
c Joao Baptista de Vasconcellos 7*200
SANTO AimniL
art chtaute
Domingo 9 de outubro.
As 5 nona da tarde e>caba s 7
PROGRAMMA.
Mlle. Mariette, desempenhara a nova e linda
cansoneta
MR, SIEN NICOLS.
Mr. Maris, desempenhara a caocao
JE RBVIENDROI
Mademoiseile Choiberl cantar s aria d opera
GALATHEE".
Mr. Raynand, desempenhara o bello romance
L'Hirondel]e du present
Hite. Mariette cantar s nova caaeonete
Faut avaler <;a
Mr. Carn, desempenhara a nava e linda can-
ci cmica ____
JE NE PEOX PAS MBtTRl LA MAIN DBSSCS.
O hflhates vendem-se no escritorio do; thtatro.
Entrada 1*000.
THitRO
OLIDA.
Grandes e variados espectculos de predi-
gitago, ecrobatieos e scenas cmicas
Sabbado 8, as 8 horas da noute
Domingo 9. as 5 da tarde
SOBA DIRKCCAO DO ARTISTA
Jos tiongalves da Silva.
Depois de fiada a orchestra, dirigida pelo pro-
fesor Jos Tavares de Medeiros, dar principio
o espectculo pela maneira seguate :
PRIMEIRA PARTE.
Os jovens artistas Angelo, Julio Doria e Reg,
executero perigosos equilibrios sobre dons tra-
pozios.
SEGUNDA PARTE.
Em seguida o artista Flaviano cantar a bam
conbecida aria.
MEU YOYO VOCE ME MATA.
1ERCEIRA PARTE.
O artista Goncaives apresentara varias e diffi
ceis sortes de seu gabinete.
QUARTA PARTE.
O Sr. Flaviano Coelho se mostrar no desem-
penho da bem conheeida scena intitulada
O MATTO APARVALHADO.
QUINTA PARTE.
Finalisar o divertimento o joven Vicenta exe-
cutando algumas deslncagSes anda nao vistas.
E" este o divertimento que o director pretende
apresentar para o qne espera toda a benevolencia
do respeitevel publico.
Os bilbetes acham-se a venda no mesma thea-
tro, e havera trem depois do espectaenlo.
, COMPANHIA PERSAMBUCANi
f aTega^aa r^Sn aar
Parahyba,Tfatai, Hacao\ Mossor,
caty, Cear, Mandaba, Acarac*
Granja.
O vapor Ipojuca
dante, Moura segu]'
porto* aeimano dia 18
as" 5 horas da tarde.
ga at o da 14,
Pliro8"eTinnah a frete at a
tarde do dia da sabida : escriptoda ns Forte
Mallos n. 12.
i{j .H'-tfi
BAHA.
Para o referido porto pretende seguir em pon-
eos dias o patacho nacional Calado, por ter s
maior parte de sen earregamento engajado, e para
o resto qne lhe taita trate-se com o consignatart*
Joaquim Jos Goncaives Bellrao rna do '
mercio n. 17.
COMPANHIA, PERNAMBUCANA
DI
Navegado costelra por vapor
Mamanguape.
O vapor nacional Coruripe,
eomasadanta Silva, seguir
Sara Mamanguape no dia 12
acrrante as 5 oras da
tarde.
Recebe sarga, eocommen-
daa, passageiroa e disbeka a frete at as 1 ho-
ras da tarde do dia da sahida, no escriptono da
eanpsnhia, Frte do Maos n. 12.____________
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DK
Navegando costetrapor vapor
Macei, escalas, Penedo e Aracaj.
nw- O vapor Giqui, commandante
/AAL Macedo, seguir para os portos aci-
M ma no dia 15 do correte as 5 horas
da tarde.
Recebe carga passageiroa e eneomtnendas, at
lopia 14 as 2 horas da tarde do dia da sahida no
I escriptorio do Forte do Mattas n. 12.
neiro, Coelho da Bocha,
a*un
MfeSbeai
Rmiseau, Eugenio
Marcnlano, CsUjj, Abreu
e Lias e Pinto de
Campos, padre Vieira.Jsbello e ronRoe ontros
A' RA DoHdO
Por
kDOR H. 16
aoca
intstSanaj do agente Pontnal.
m wtftis.
AlSjp^aMpaajsais'aaaama paaaTav
foiat de baao* de aaaa a aa m saaslalssr-
raa>Bsntadoebaa eereaia: atnarwaaaM
Jiilzo dos feltOs da fazenda
nacional.
O Dr. Albino Jos Tavares, official da im-
perial ordem da Rosa e juiz privativo dos
feitos da fazenda nacional, etc,
Faco saber que em vista da execuc5o que
a fazenda nacional encaminha contra os ber-
deiros de Ju!i5o Pereira Mattoso, ex-collec-
tor do Cabo, fez-se penhora em dous es-
cravos de nome Monica e Secundino, avalla-
dos a primeira em 1:0005 e o segundo em
4:400^, em conseqaencia do qne e em face
do decreto n. 1695 de 15 de setembro de
1869, s5o convidados pelo presente quaes-
quer licitantes para apresentarem suas pro-
postas dentro do praso de 30 dias, a contar
da data deste, achando-se osmesmos escra-
vos para serem examinados na villa do
Cabo, a primeira em poder de Francisca
Gamillo de Paula Pacheco, e o segundo em
poder de Pedro Vctor Bolitreanx.
E para que chage a noticia de todas
mandei passar o presente que ser publica-
do pela imprensa e afflxado no lugar do
costme.
Dado e passado nesta cidade do Recife,
aos 23 de setembro de 18/0.
En Luiz Francisco Berreto de Almeida,
escriro o subscrevi.
Abilio Jos Tavares da Silva.
Conselho de compras navaes
O conselho ne dia 10 de correte mez viste de
propostas recebidas at as 11 horas da manbla,
promeve sob as condicoes do estylo, a compra dos
objectos do material da armada segnintes :
60 barras de ferro inglez propria para grelhas,24
livros impresses para soccorros, sendo de 150, 100
eS0folhas,2 oculos dealcance,16 paos de ginipapo
de 12 polegadas de comprimento,400 libras de pre-
gadura de zinco, 100 folhas de papel pactado para
mappas, 50 eovados de grosdenaple branco, 6 ver-
gonteas de pinho para paos de cutello, tendo de
comprimento 35 ps e grossura no meio 7 polega-
das de dimetro, 6 vergonteas de pinho para mas-
tros de escaleres, tendo de comprimento 25 pos e
irossnra no raeio 6 1|2 polegadas de dimetro, 50
echos pedrezes, 20 fechaduras de broca para por-
tas, 50 pecas de lona larga, 12 pares de conchas
de folha para bataneas, 50 meios de sola da trra.
100 lampedes de folha para illuminacio, 20 eova-
dos de damasco de seda verde e 20 eovados de
damasco de seda encarnado.
Sala das sessoes do conselho de compras navaes
6 de outubro de 1870.
O secretario,
Alexandre Rodrigues dos Anjos.
Tribunal do commercio.
Este secretaria faz publico que ficam competen-
temente archivados.
O contrato d8 sociedade de Thomaz de Aquino
Fonseca, Francisco Joaquim Ribeiro de Rrito e
Corbertino de Aquino Fonseca, estebelecidos nes-
ta-cidade com casa de consignarles e compra e
venda de gneros, sob a firma de Thomaz de A-
quino Fonseca & C, e o capital de 410:915*519.
O contrato de Thomaz Lins Caldas e Satyro E-
miliano Meira de Vasconcellos, e9tabelecidos nesta
cidade com cocheira, sob a firma de Thomaz Lins
& Vasconcellos, e o capital de 2:645*.
O distrato da sociedade de Arminio Fernandes
Alves de Lima e Manoel Jos de Souza. dissnlven-
de a firma Ai Arminie & C, cuja liquidacao fica
exclusivamente a cargo e sob a responsabilidade
do ex-roci Arminio.
O contrato de Isabel de Farias Guimaraes e
Candido Jos da Silva Guimaraes, estebelecidos
nesta cidade sob a firma de Candido Jos da Silva
Guimaraes & C., com casa de commercio de gene-
ros de estiva e o capital de 15:000* em comman-
dita.
Secretaria do tribunal do commercio de Per-
nambuco 7 de outnbro de 1870.
' O official-maior,
Julio Guimaraes.
AVISOS MARTIMOS.
ARACAj
Para o referido porto segu nestes quatro dias
o patacho brasileiro JVoco Goslo, e por Uso qnem
qnizer aproveitar embarcar carga a frete commo-
do pode entender-se com o consignatario Joaquim
Jos Goncaives Bellrao, ra do Commercio nu-
mero 17.
Cea a' e Aracaty
A esenna Georgiana segu em poneos dias, tem
a maior parte do seu earregamento prompto :
tratar com Tasso Irmiios & C.
Maranhao
Segu com brevidade para o porto cima o pa
Ihabote nacional Joven Arthnr, para o reto da
carga qne lhe falta trata-se com os consignatarios
Antonio Lniz de Oliveira Azevego & C., roa da
Cruz n. 57.
Maranhao
A barca portugueza Formosa seguir para o
Maranhao em poneos dias, recebe carga a frete
mdico : trata-se com Oliveira, Filhos & C, ao
largo do Corpo Santo n. 19. __
MI
Preiende seguir para o referido porto em poneos
das o palnaboto Rosita por ter a maior parte da
carga, e para a pouca que lhe falte, trata-se cora o
consignatario Joaquim Jos Goncaives Bel trio,
ra do Commercio n. 17.
< aluga ?(. os araaiaas
os preteodeaies
n. 28, d M) tM
casa n. 9.
Kio de Janeiro
Para o porto cima segu com brevidadeo bri-
gue naeional Isabel, tora parte do seu earregamen-
to engajado : para o resto que lhe falta trata-se
com os consignatarios Antonia Lniz. de Oliveira.
Azevedo & C., roa da Cruz n. 57,1 andar.
PORTO ALEGRE.
O brigue nacional S, Manoel vai seguir cora bre-
vidade para Porto Aleere, e recf be carga a frete :
trata-se com Oliveira Filhos & C. ao largo do Cor-
po Santo n. 19, ou com o capitao na praca.
LEILOES.
COMP
M Devendo anuabaa, domingo, prooeder-st
s eleic5es da directora, conselho fiscal e
enmmissao do cootas, qoe \m de funecio-
nar no prximo auno social, oferecemos-s
segnintes nonas constdtrac3o dos Srs.
- sas, h sendo todos e*l8 cavalheiros dft-
Cjm~ tintos por suas qoaWades pessoaes o pro-
vad dedica c3o ao Monte-Pi, como boa
PortMgoszes qne se przan de ser, tesos
firate confianza qoe todos os Srs. assoeiados
mes prestarlo o sea voto, animados do
lonvavel desejo de qne a associaclo progri-
da, e cada vez mais concorra para metbo-
rar a situarlo daqnelles qne a constituem,
qoando cabidos na adversidade. t
l1 cduladirectora.
Illrns. Srs.:
Bernardino Gomes de Carvallo.
Gregorio Paes do Amaral.
Francisco de Medeiros Raposo.
Antonio Augusto dos Santos Porto.
Thesoureiro.
Manoel da Silva Pontes.
Substitutos.
Do vice-presidenteFrancisco Gaedes de
Araojo.
Do 2o secretarioManoel de Souza Leao
Flores.
Do thesoureiroJoaquim Manoel Ferreira
de Souza.
2a cdulaconselho fiscal.
PresideuteIllm. Sr. Manoel Teixeira Basto.
Io secretarioIllm. Sr. Antonio Baptista
Nofoeira.
2 secretarioUlm. Sr. Manoel Soares Pi-
nhoiro.
Conselheiros.
Illrns. Srs.:
Victoriano Matbens Ferreira.
Joaquim Rodrigues Tavares de Mello.
Francisco Moreira Pinto Barbosa.
Jos Joaquim Alves.
Jo3o da Silva Ferreira.
Joao Mara dos Santos Almeida.
Antonio Goncaives da Silva.
Antonio Joaquim Goncaives Fraga.
Antonio Goncaives de Barros.
Antonio de Souza Bego.
Joaquim Martinho da Cruz Correa.
Manoel Ferreira Pinto Malheiro.
Francisco Ferreira Maia.
Joaquim Ribeiro da Gama.
Antonio Jos Ferreira Monteiro.
Joo Baptista Boaventura Rodrigues de Al-
meida.
Antonio Maia de Brito.
Jos Martins Dias.
Jos Cordeiro do Reg Pontes.
Balthazar Pinto de Gouva.
Jos Ferreira Colbo.
Manoel Fernandes Velloso.
3* cdulacommisslo de contas.
Illrns. Srs. :
Jos Duarte das Neves.
Miguel Jos Alves.
Joo Pereira Moutinbo.
Alguns socios.
,t de urna
o d. 13.
Awm
para
Trabalbador ptra i
PajnoRio Grsndt o lleTls sraaan-aa Sai
trabalbador dos otnos sapo*
meeaio sem pratka : ssur eM
C, na do Amorim n. 31.______
Precisase de orna au4e
a tratar na rna do Cabn#*. k* i
AMA
Precisa-se de orna ama para
na praca da Independcswb se. 37-31.
Moleque
Precisaba da saoseaa
15 aanos, fiel e intelligeota :
n. 19, lc andar.
etta
a tratara* i
Precisa-se de nm teitor pan
na Corredor do Bi*ao a. 31,
CASA DO m
Bua do Bario da
Victoria n. 68
(Outr'ora ra Nova. )
Este feliz casa venda* nos ana aaMS Ma
bilhetes a sorto de 4004 ea na) bm 4a B.
a sorte de 100* em ura lotairo de a. Mi
de 100# em nm meto de n 1076, a oesra
em deas qaartos da n. 631, alea da sai
mos menores i poiandn os seos doaoa \
oeber, qne promptamenie serio pagos.
O abaixo aesignado fu ver ao rasa
bllco para vtrem ao san estabeteernaaS
rem os felizes bilhetes, qoe nao daarla a
qualquer premio, como prava pesos
nuncio?.
Acham-se venda os mmto felu
rantidos em beneficio da igreja de
de Serinbaem, qoe eorre no da 11
PREC08.
Intairo 5*000
Meio 3*000
Qoarto 1*500
De 1004000 para cima.
Inteiro 5*400
Meio 2*700
Qnarto 1*350
Joo Joaquim da Coala
Ama
Na rna da Cadete do Recite n. X*
precisa-se de urna ama e paga-se I
Mudanpa
Kell Bindloss & C nadaran sen
ra da Crux n. J3. pan a awa n.
11
11.
Aloga-se urna boa casa com nlsayi
tos, cosinha fra, bom quintal, aa r*
da, Ladein da Misericordia n. 1
mesma eilade, na rna Jogo da B la
De nm
buir pi;
grrnmar bem
gario n. 16,1
BECLARACOES.
Uoje 8 do correte mez, depois da audiencia
do Dr. juiz municipal da 2." vara, serio arrema-
tados os alugneis do segundo andar e sotao do
sobrado n. 31, sito a roa larga do Rosario.
Tendo sido decidido por accordao do tribunal
da relacao de 30 de julho do crrante anno, que
diverses terrenos de marinba em Fora de Portas do
Barro do Recife deste cidade, que haviam sido afo-
rados pela fazenda na t de lhe perlencerem, sao de
propriedade de Joaquim .Lopes de Almeida; o Illm.
Sr. conselheiro inspector desta thesouraria de fa-
zenda manda declan r as pessoas constantes da
relacao infra que devem nao s recolher imme-
diatemente a esta thesouraria os ttulos que de
taes aforamenios lhes fonm dados e se acham sem
effeito, como reconhecer o dominio directo do mes-
mo Joaquim Lopes de Almeida, nos terrenos de-
signados na dita relacao.
Secretaria da thesouraria de fazenda de Pernam-
buco 3 de outubro de 1870.Servindo de offlcial-
inaior, Manoel Jos Pinto.
Relacao dos terrenos de marinba em Fora de Por-
tar, a que se refere o annuncio cima.
N. II.Antonio Jos Coelho.
N. 14.Jos Jacome Tasso Jnior.
j. |7.Antonio TeixeiraJLopes.
N. 18 A.Fortunato Cardozo de Gouveia.
j. 28.=Doraingos Henriqne Mitra, cerno tutor de
sao Olho Deodato.
N. 31 B.Mara Severina da Rocha Lins.
N. 33 B.Jos Joaquim de Castro Moura-
N. 33. C.-Dr. Manoel Francisco Teixeira.
N, 41.Antonio Alves Barbosa.
N. 48.Joi Fernandas da Silva.
N. 53.Joaquim Lopes de Almeida.
N. 168 C.Dr. Frederico Miguel de Sonza.
N. 168 D.O mesmo.
N, 168 EPadre Joao .Baptista de Albuquerque.
N. 168 F.O mesmo.
N. 168 G.Manoel da Silva Lopes.
N. 108 a-Franeiseo Jos dos Passos Guimaraes.
N. 16 L-Thomaz Teixeira Bastos.
N. 309.-Joaquim Lopes de Almeida.
N. 31J. Joao Marques Correia.
N. 313.Jos Fernandes da Silva.
N. 318.O mesmo.
-N. 319.Manoel Estanislao da Coste.
N. 3M>.r-DaaMagos da Silva Motte.
N. 314.Domingos Henriqne Main,
de sen Olho Deodato.
n. 326.CatoJino Goncaives Lesas, Maris de Bar
ros Coaraia'Lassa,
^ A.Manoel Jos do NMcimeoto e Silva.
n, 33a> b.o mesmo.
como tutor
THEATRO
SIMO ANTONIO.
Companhiafranceza
8.a RECITA DE ASSIGNATRA.
Sabbado 8 de outubro.
Ouvertura pela orchestn.
O espectculo dividido em quatro partes.
PRIMEIRA PARTE.
Representar-se-ha pela seganda vez, a opereta-
cmica em 1 acto
Uq amour d'epicier
Personagens. Actores.
Vermi celle........s Mr. Maris.
Reglise-.......... Mr. Carn.
Brigitte.....'.....v Mlle. Mariette.
SEGUNDA PARTE.
Mme. de Val-monea, cantar o lindissimo RON
DEAU da opera
ns 9WV9 uaosff
TERCERA PARTE.
Subir scena a mnito linda e applaudida ope-
reta em ura acto
LA CANNB DUN GRAND HOMME.
Personagens. Actores.
Langinme........ Mr. Carn.
Baudrillarh...... Mr. Baynau.
Serabhina........ Mlle. Choiberl.
Nanette......... Mlle. Mariette. ,
QUARTA PARTE.
Representar-se-ha pete primeira vez a grande
seena da declaraco na opera
LA GRANDE DUCHESSE
Personagens Actores
La grande duchesse.... Mme Val-monea. ,
Fntz.................. Mr. Maris.
Os bilhetes acham-se a venda no escriptori do
theatro das 9 da manhia em diante.
Principiar s 8 horss.
DAS
Messageries imperiales.
At o dia 10 do correte mez espera-se da Eu-
ropa o vapor francez Amazone, o qual depois da
demora do costume seguir para Bnenos-Ayres,
tocando na Baha, Bio de Janeiro e Montevideo.
Para conducoes, fretes e pas?agens, trata-se
na agencia, ra do Commercio n. 9.
No dia 12 do corrente mez espera-se dos por-
tos do sul o vapor francez Gironde, commandante
de Somr, o qal depois da demora do costume
seguir para Brdeos, tocando em Dakar (Gera) e
Lisboa.
Para condicSes, fretes e passagens, trata-se na
agencia, roa do Commercio n. 9. ^_____^^
COMPMHIA BRASILERA
DE
Paquetes a vapor.
Dos portos do sul esperado
at o dia 8 do corrente nm dos
vapoies da companhia o qual
depois da demora do costume
seguir para os portos do norte,
ja recebem-se passageiros e engaja-se a
arga que o vapor poder conduzir, a qual devera
ser embarcada no da de suachegada. Encommen-
las e dinheiro a frete at as 2 horas do dia da sna
jahida.
Nao se recebem como eacommendas senao ob-
jectos de pequeo valor e qne nao excedam a duat
arrobas de peso ou 8 palmos cbicos de medicao
Tudo qoe passar destes limites dever ser enmar-
ado como carga.
Previne-se aos senhores passageiros que sua?
passagens s se recebem na agencia, ra da Cra?
n, 57 primeiro andar, escriptorio de Antonio Lult
de Oliveira Azevedo A C.___________________
COMPAILA BRASILE1M
DE
Paquetes a vapor.
Dos portos do norte esperado
at o dia 26 do corrente o vapor
Paran, commandante J. da Sil-
va Moraes, o qual depois da de-
mora do costume seguir para os portos do sul.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
targa que o vapor poder conduzir, a qnal dever
ser embarcada no da de suachegada. Encommen
las e dinheiro a frete at as duas horas do dia da
iua sahida.
Nao se recebem como encommendas senao ob-
lectos de pequeo valor e que nao excedam s 1
arrobas de peso ou 8 paliaos cbicos de medi-
cio. ,
Tudo qne passar destes limites deveri ser
ambareado como carga.
Previne-se aos Srs. passageiros que suas passa
fens s se recebem na agencia ra da Croz n. 57.
andar, escriptorio de Antonio Luiz de Oliveira
\zevedo & C.
Farinha de trigo ava-
dada
a 10 do corrente.
O agente Oliveira fari leilao.'por cont e risco
de quem pertencer de, sob diversas marcas, cerca
de 420 barricas com farinha de trigo avariada,
bordo do brigue inglez iris, capitao John P. Va-
lot, na sua recente viagera procedente da Balti-
more
Segunda-feira
s 11 horas em ponto
no bem conhecido'rmizera dos Srs. Henry Fors-
ter & C. sito ao caes22 de Novembro.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Xavegae&o eostetra per vapor.
Porto de Gallinhas, Rio Formoso e
Tamandar.
O vapor Parahyba seguir
para os portos cima no da
10 do corrente meia noite.
Recebe carga, encommen-
das, passageiros e dinheiro
DE HOVEIS
quadros, madeiras, varas e rodas para car-
ros, uro cabriolet em arrnaca, um dito
velao, gales e venezianas promptas, ma-
detra preparada para as mesmas, ferra-
mento e muitos outros objectos perten-
centes ao espolio do finado Pnirier.
Se^nsidla-feira i O do corrente
O agente Pinto, autorizado pelo Sr. consnl de
Franca, levar leilo os objectos cima mencio-
nados, perteneentes ao espolio do finado sublito
francez Poirier, e existentes na casa do pateo do
Paraizo n. 10, s 10 horas do dia cima dito, na
referida offleina de carro?.
Ha perto de 30 annos veio da Baha para esta
provincia de Pernambuco urna senhora denome
D. Mara Elias de Sonza Lobo, da quem se nao tem
podido obter at hoje 21 de setembro de 1870 no-
ticia alguma. Essa senhora, por alleciranto de
sua rai D. Clara Mara de Souza Lobo Bate, tem
direito a urna heranca j liquidada, o de alguma
importancia, na mesma provincia, na capital da
Bahh.
A pessoa que da referida D. Maria Elias der no-
ticia, ou do lugar em que ella sepulton-se, (no caso
de ter morrido) receber do Sr. Antonio Joaquim
de Vasconcellos, negociante desta praca urna gra-
titkaco de 50i, ao apresentar-lhe a certido de
bito.
No caso de ser viva o mesma senhora, bastar
dar noticia certa do lugar em que ella reside para
ser procurada, aflra de volter para a capitel da
Baha, e procurar a casa do testamenteiro de sua
finada mi, o qual mora na rna Direita da Fonte
dos Padres, propriedade n.....2* andar, onde tem
escriptorio a compantfia de Seguros Martimos Bom
Conceito, que abi achira o dito testamenteiro para
lhe dar as instruccoes precisas, aflm de recebar o
quinbo qne lhe partence pela morte da dita sua
mi D. Clara Maria de Sonza Lobo Bate Bahia
2i de setembro de 1870.
Precisase de orna ama para
zinhar : no sobrado n. 28 sito no
eoaafar_n
larpadn
Precisase alagar nm moteqae oaWatt
annos,: na roa Direita n. 79, loja de oartvaa.
ao daatti
ASSOCIACAO flMMERClAL AGUGMJb.
De ordem do presidente sj eonv"
nhores associades a comparecer
corrente as 11 horas da manteas, aoisaBa
ma associa^ao, para em asseasMa farai
os membros da nova directora.
Secretaria da Asoeacao Cosasaemil Ag
de outubro de 1870.
Joao Mara dos Samaos Ali
Secretario.
Quem precisar ae nm
id;Je de 14 annos para eaixeiro da qoakjaw
belecimento, tanto nesta praca asa tora M
deixe carta fechada com as inioass A. G. L i
arco da Conceicao, loja n. 4._______________
Atw\
Precisa-se de nma ama boa eocinbein
do Livramento n.
10.
A/uga-se o segund andar da
ra de Santa Rita : a tratar na ma
41, 2* andar.
eaaa a. 25i
do.
do Mattos n. 12.
frete no escriptorio do Forte
PARA O RIO GRANDE DO SUL
segu com brevidade para o porto cima o bsigne
Srionai Ameiia, para o resto ds carga qne Iba
te, tratase com os consignatarios Antonio Luiz
de Oliveir* Azevedo & C, ros da Croz n. 87,1*
andar.
DO
sobrado de quatro andares e
soto da ra do Torres n.
14, edificado m chaos pro-
prios,
Terca-feira 11 do corrente.
O agente Pinto levara leilo, precedida a
competente autorisacao, a casa da esquina da ra
do Torres n. 14, a qual torna-se recommendavel
pela sua boa oonstrnc^o, e por ser edificada em
ra de commercio. O leilo se efTectuar s 11
horas do dia acimidito, no escriptorio do referido
agente.
TILT
DE
DIVIDAS
Terc>-feira 11 do corrente.
0 agente Pinto levar leilo pela terceira e ul-
tima vez as dividas activas da raassa fallida de
Guimaraes & Silva, s i 1 horas do dia cima dito'
em seu escriptorio, rna da Cruz n. 38.________
GRANDE
LEILO
DE LM VIIO*
Ter^a feira
tt do correte.
Obras escolhidas de todos os ramos de direito,
litteratnra nacional e estrangelra, historia, pnilo- '
snpnia, geograpbia dos melheres autores conhacl-
dos-Rossi, Bertauld, Boiterd, Grocio> Borges Csx-
Aula particular.
A escola publica do sexo masculino da primeira
cadeira de iostruccao primaria da freguezia de
Santo Antonio, acha-se reaberta e sitala na roa
da Roda n. 11, para onde os senhores pais de fa-
milias poderao mandar sens fllhos.____________
Vndese urna armaco nova em rauito bom
estado : a tratar no pateo do Paraizo n. 2.______
Companhia Allianpa
DE
seguros martimos estabelecida
na Babia em 15 de Janeiro
de 1870.
CAPITAL..Rs. 200000*000.
Toma seguro de mercadonas e dinneiro a risco
martimo em navios de vella e vapores para den-
tro e fra do Imperio. Agencia rna do Com-
mercio n 17, escriptorio de Joaquim Jos Gon-
caives Beltro.
AMA
Precisa-se de urna ama para o sec/ico de casa
de ponca familia: rna estreite do Rosario n. 32,
3 andar.
O Sr. Nicolau Pengitore, tem urna eocora-
menda no escriptorio de Antonio Luiz do Olivsira
Aievedo & C.
As accoes entre amigos, qoe derta lar
com a segunda loteria deste mez, lea trasr
oara quando fe annnnciar.
Francisco Xavier da Camino.
Na cidade de OUnda, praia de S.
tem urna casa do pedra e cal preparada jara
gar-se ou vender-se, perto do baobo e aa
tem grande terreno de quintal, pegado aa
terreno para fater orna boa casa, parta
da da estacao da machambomba : qoem
a ella em quanto tempo, enleada-aaoa
no palacio epi^copal da mesma cidade.
Precisa-se de nm raestre de maceira para
urna padaria lora da cidade : tratar na Capun-
ga, rna da Amisade n. 7._____________
Casa para alugar.
Aluga-se urna casa no Monteiro, Porto do Xis
to, baixa do rio
17, loja.
tratar na roa da Crespo a.
ATTENCA
Urna pessoa pratica em negocio de molhados e
habilitada para tomar conta (como eaixeiro ou ad-
ministrador) de qualquer estabelecimento ou ar-
mazem, deseja erapregar-se nesta praca, offero-
cendo pessoa idnea como fiador de sua conducta.
Para informacoos dirijam-se roa da Senzala-ve-
Iha n. 138, escriptorio. __________^_
O abaixo assigoado tem contratado a com-
pra da armacao e ceiros da casa n. 28, da ra
do Commercio periencente- ao Sr. Belisrio da Cu-
aba Chaves & C, se alguem se julgar com direito
queira comparecer na mesma casa at o dia 10 do
corrente.
Recife, S de ontnbro de 1870.
Manoel Francisco de Souza.
Ajardwamento da prafi do
conde, d Eu.
Pede-se encarecidamente a todos os Sn.,
qae foram nomeados en commissio para
obterem donativos, afim de si poder efce-
tuar este melhoramento publico, o
qoio defazerem todos os esf'rcos,
darem conta dos resaltados obtidos na m-
unio, qae tem de baver qaarta-eira (12
do correte), s 7 horas da noilt, mi eam
do Dr. Moscoso^ roe do Visconde de JU-
buqaerqae.
CASA DA FOfim
Aos 5:00011 .
Bilhetes garantidos.
a ros Primeiro de Marco (omrors rna de
Crespo) n. 23 e casas do
O abaixo assigoado, tendo vi
887 com 900*s nm meto n. 1531
tras umitas sertes da loteria qne
extrahir (163"), convida aos poasojdawa
receber na confornudade do costase
Acnam-se a vena cafetees bbatea
tidos da 2 parto das loteras, beneftao
ja de Santo Amaro da Settabem (16'), i
exrabir terca-etra 11 do corrente asaz.
primos.
Bilhete inSevro 6*000
Meio bilhete 3M
Quarto !*>
Em porclo de 100 JOOO para eiasa.
Bilhete inteiro 5#4
Meio bilhete 2*700
. Quarto i#3
Manoel Martiw Fhm.
AMA
Preeisa-s de ama \ma : a tratar na prseada
Independencia a. 28. Prefawao escrava,
Ama.
Precisase de ama ama : na ras de n
1* andar.
mMfEI!8g.
Elseo Martias.
Antonio Siq
Escriptorio



de Prnamtoaco SabbaAe de Outi&ro de 1870
Este antigo estabelecimento, acha-se hoje montado n'uma
escala de poder servir vantajosamente os seus freguezes, atten-
to o grande sortimento de joias d'ouro, prata 6 brilhantes, qne
sempre tem e recebem mensalmente das principaes fabricas da
Europa- cujos presos sao em competiveis e as obras garantidas
de le.
tfoogNipliia inperial
alexia mE
I
J. Fenxtra Vdlela
FIXTUMA
HOREIRA 1IARTE .
MANUEL & C.
Tem a satisfacSo de participar os seas numerosos freguezes, qae em vista de ser-Ibes mais comraodo, tem
estbelecido urna nova fabrica de chapeos de sol, na ra da Cadeia do Recife n. 9, boje ra do Mrquez de Olinda,
onde acharao os pretendentes, muilo avultado sortimento de chapeos de sol de todos os precos, qualidades e por pre-
cos mas commodos do que comporta o nosso mercado : convidam especialmente aos Srs. compradores por atacado
darem, sendo possivel suas encommendas, pois poderlo assim serem mais bem servidos, visto poderem escoiher as ar-
mares as tazendas que a'demora da fabricarlo bem diminuta,
NA ANTIGA E BEM CONHECIDA FABRICA
CHAPEOS DE SOL
DA
Ba do Baro da Victoria, esquina da Camba do Carmo.
(Antiga Ra Nova)
do
I ES- 8 Strtimenl0 de chapeos de sol de seda, merino, alpaca, bretanha do linho branco e par-
ede algodao os odos os lmannos e feitios, aim da .immesa
armacoes de todas as qualidades para satis/azer qualquer encommenda.
qne escusa de mencionar.
A
porcao de seda, merino, algodao e bfim,
modicidade de seus presos to conhecida w
* .
: '-'" vi.*-
w
\f&* (&$ GS) S S
mmmm
>A Ni
D4 VICTORIA 41
^Iv fV ***rH P*sad0 k-M aberto o
aov MaMeelmedlo photographico sito a ra do
uanuga n. 8,esqaiaa do pateo .la matriz. Ostral-
los qae dasde errtao, tem sahido de nossa offlcioa
tem geralraente agradado, aendo reoebidos oor
ilgunseom admiracao pelo extraordinario pro-
rresso que ltimamente lera tido a photcgraphia,
b por outros com alegra, por verem a provincia
dotada com um estabelecimento diano d ella e in-
EOBtesiaveimeBte o primelro que nesse genero
boje possue : tambem nao nos poupamos em cousa
alguma para monla-lo no p em que se achs es-
perando que o publico de Pernambuco saber
apreciar nossos esforcos e recompensar nossos sa-
crificios.
Convidamos a todas aquellas pessoas, nacionaes
e estrangeiras que gostam das artes, ou ti verem
necessidade de trabalhos de photographia a visi-
taren) o nosso estabelecimento, que estar sempre
iberio e a sua di3posico todos os dias desde as 7
dores da manha at as 6 da tarde.
Para os trabalhos de pholographia possuimos -ip
versas machinas dosmelhores autores francezes,
inglezes e allmemes, como sejam : Lerebours el
Secretan, Hermagis, Tbomaz Ross, Voigtlander et
sonh e Wulf. ltimamente recebemos tres novas
machinasi sendo urna deltas propria para tomar
sobre o mesmo vidro 4 ou 8 imagens diversas e
isoladas, e outra de 6 a 12 imagejis diversas 9
igualmente isoladas, de sorte-qne no caso de
grande concurrencia poderemos retratar sobre
urna nica chapa at 8 pessoas diversas e isola-
das para cirtdes de visita, e assim em menas de
am quarto de hora despartannos 8 differenies
pessoas que pecara cada urna, nma duzia de cartees
mais ou menos, com os seus retratos smente, oo
em grupo com outras.
Encarregamos-nos elusivamente da direccao
e fcitura dos trabalhos de pholographia dei-
xando a pericia e talentos do dislincio pintor
allcmao, o Sr. v
Jorge A. Roth
os trabalhos de pintura, a aquarela, a oleo e a
pastel.
O Sr. Roth acha-se ligado a nossa empresa por
ama escriptura publica, e al o presente tem-se
desyellado na execuce de seus trabalhos.
No nosso estabelecimento acham-se exposlos ou-
tros trabalhos importantes do Sr. Roth, unto em
miniaturas aquarella como oleo, reiratos
oleo, quadros sacros e diversos outros trabalhos.
Tomamos encommendas de retratos oleo al o
tamnho natural, assim como de quadros sacros
para ornamentaco de igrejas ou capellas. Tam-
bem aceitamos encommendas de quadros histri-
cos.
Asseguramos que os precos dos diversos tra-
balhos da nossa casa sao mui rasoaveis.
cartoes de visita nao coloridos A 10(500 a
DCZIA
cartSes de visita com o colordo ao natu-
ral Al 6to00 a dzia
Retrates em miniatura oleo ou aquarella de
16 a 20*000 cada aro, indo convenientemente en-
caixilhado em moldura dourada e regulando o
busto da pessoa retratada de 3 i pollegadas e
todo o quadro palmo e meio de tamanho.
Jnlgamos que bastarlo os precos cima para
darraos idea da baratesa dos trabalhos do nosso
jstablecimento, quanto sua perfeicao cada um
venba julgar por seus proprios olhos.
As melhores horas para se tirarem retratos no
nosso estabelecimento sao das 8 horas da manha
j da tarde; entretanto de urna hora s 5 da tarde
jm casos especiaes pde-se tambem retratar qual-
quer pessoa.
Nos dias de chuva, ou por tempo sombro po-
demos retratar, e asseguramos que esses dias sao
os mais favoraveis aos trabalhos de photographia
pela docura e persistencia da luz, e p< r termos o
aosso terraco construido com taes proporcoes e
mclhoramentits, que ainda chovendo orros ne-
ihum inconveniente ha para fazer-se bellos re-
batos.
tliejin *r> 'o opuoBag 're ssjmi
iP_ew
N311V
O Dr. Manoel Enedino Rogo Vatenca
eentinoa no xerelcio de sna proflssao de
medieo i ra da Camba do Carmo u. 21
1* andar.
a de leite.
Precisa-se de urna ama llvre ou snjeita, porm
de boa conducta, que lenha bom lelie e cora abun-
dancia, sen fllho a mamentar : a tratar na ra da
Praia, armasem ns. 13 e 15.
PEDIDO
A' roa do Livrarnenlo n. 38, pmin naar,
precisase fallar com os ff niales Haaerii:
Julio Adolpho Ribas (acalearico).
Querino Candido de Vasconcelos.
Joaquim Cavalcanti de AJbaqnerqi* Mafia FM
(Pombal).
Jezuino Augusto dos Sanos Fragoso.
Virissimo CoiTeia de Lyra (Crnaagi oa Ticen ea
Jos Hermino Ponina I (engento PreWeap).
Fernando Barata da Sirva (enttato MorajD).
Antonio Gomes Cordeiro de Mella.
Eduardo de Paula Santos.
Francisco da Silva Porto.
Thom Joaqaim do R co Barro*.
MOFINA
DYVETOT
H-Riia Esfreita do Rosario-i.
Compra e vende roupa feita
nova e usada, objectos de
cosinha e de mesa, e
tudo que perten-
ce ao uso do-
mestico.
A commissau administradora da irmandade
de Nessa Senbora do Rosario do bairro de San-
to Antonio, faz sciente ao respeitavel publico que
para maior commodidade iransferiu a festade
sua padroeira para o dia 30 de outubro, deven-
do ter principio as novenas no dia 20 do mesmo
mez.
Consistorio da jrmandade, 30 de setembro de
1870.
O secretario,
Libanio Luiz da Cunha.
Roga-se ao Illm. Sr. Ignacio Veira de Vela, es-
envao na cidade deNazareth desu pravMt.
favor de vir a roa do imperador ib a reactor
aquelle negocio que V. S. se eotoproneOea mi-
sar, pela terceira chamada dan jorcal, tm las
de dezembro prximo paseado, e depon Mea Ja-
neiro, passoo a Cevereiro e abril, e aala cmmcm
e por este motivo de novo rtiimiilu pandS
flm ; pois V. S. se deve lembrar qae e*te aegocio
de mais de oito anuos, e qoande o iraaor wm
fllho se acbava no estado aeeCa ddada.
MUDANCA."
Jos Harqnes de Airosa Braga faz sciente a seas
freguezes, que mudou sua fabrica de calcado* qaa
tinha na loja do sobrado n. 21 do largo do Carpo
Santo, para o 1* andar do mesmo sobrado, oade
pode ser procurado i qualquer hora.
O salao de pianos e de
' msicas
mudou-se da ra Nova n. 58, 1 andar, para a
ra da
Imperalriz n. 12. loja,
recommendando-se ao Illm. pu-
onde contina
buco.
G. Wertheimer.
J. F-rreira VHiela
ATTENCAO
Raphael Granados, professor de msicas e maes
tro da companhia de opera hespanbola (Zanuela),
que acaba de ebegar a est> cidade, offerece-se para
darlicoes de canto e piano, assim como afina eMes,
tudo por precos convencionados. Tambem com-'
p5a tangos, habaneros, romanzas; cancoes hespa-
nholas para piano e canto, por preg mdico :
quem de seus servicos quizer utflisar-se poder
dirigirle ao hotel Contra!, ra larga do Rosario n.
37, onde resida.
Ama de leite,
Precisa-se de urna ama de leite, paga-se bem :
na ra Angosta n. 2, 2 anJar.
Neste uovo armazem tem um
variada frumento de fazendas
franeczas, iugle2as, allemas e to-
dastoJjs se vendem por precos
mdicos, afim de acreditar a esta
navo armajem.
Casemiras ingleza?,
fraacezas, de todas as
qualidades, brins de
res e trancos, eolle-
>s modernos, chapeos
de sol de seda, finos.
DE
ARRDA IRMAOS.
RA
D '
Baro da Victoria
ai liga ra
NOVA
H 41.
Assim como tem orna grande
GQioa de alfaiate, montada com
todos os preparos que ha de melhor,
dirigida por habis artistas, que
pela sua promptido e perfeicao
nada deisam a desejar.
Roupa de todos os
tamanbos para homens
e meninos.
Por todos os paqne-
tes recebem-se as me-
lhores e mais moder-
nas casemiras qne ha
na Europa.
RA
Aluga-se um sitio com boa casa de vivenda
e grande quantidade de arvoredos de fructo, en-
tre os quaes boas laranjas de umbigo, sapotis,
goiaba;. etc.no largo do chaforiz da Passagem da
Magdalena : a tratar com o sen proprietario no
sobrado da esquina que voita para os Remedio*
Precisa-se de urna ama forra
para o servico interno de pequea
ra da Amizade n. 21, Capunga.
n escrava
familia : na
Precisa-se do urna ama para todo o servico
na ra de Hortas n. 30, sobrado.
i
VMA
DO
Baro da victoria
antiga ra
NOVA
N. 41.
Ama
-Xa ra do Vigario n. 5, 2- andar, precisa-se de
urna ama livre ou escrava para eoziohar, em cuio
desempenho se quer asueto e perfeicao.
Attenco
Ignacio da Silva Deir, era viagem provincia
de Pernambuco, avisa a seus freguezes qne con-
duz excellente tropa de burros, que passar
villa do Pillar, Porto Calvo, Castanha
Barreiros e Itio Formoso,
to Dar a Escada:
darencontra-lo.
Precisa-se de urna ama portugueza
estrangeira : a tratar na esiaco dos
baos no porto do capim.
para cas.
trilhos ur-
na
Grande,
e dalli ir ora seguimen
quem pois precisar, pede man-
AMA.
Precisa-se de urna ama para o servico
de urna casa de familia de duas pessoas :
na ra do Imperador n. 79.
interno
a tratar
s^aWjaas^trjar z&Fsszr**"- em >m>m>
nao e tornar massante.
de annunciar todas as fazendas, pata
prar
Ama.
Preca-se de urna ama para cosinhar e coro-
" > tratar no largo d'Alfandaga n. i.
Precisa se de urna ama que saiba cosinhar
e engommar para casa de pouca familia: i tra-
tarna na do Cabnga o. 1 loja.
iJri LT?"" Casas M- e ;J na traveisa da
f?h,lPDipaei" : qn*m as Pretender dirija-
?e Olinda ^ "" n' 8> defronte dos
Aluga-se o andar do sobrado
irapenal: a tratar no andar lerreo.
THEATKO
n. 1 da ra
Attenpo.
nmPf1d,e^f^h?ntetn' pe,as3horas *1 manha,
maargola de ferro cora tres chavas, desde a ra
do Rosan-) da Roa-vista al a ra Velha aaaana
pela ra da Matriz : quem a achou pede emS
gallas na botica do Sr. R.beiro na praca do Conde
flEo, e sera recompensado.
.. m^ ANTONIO
DOMINGOS DIAS SANTOS EDIAS UTEIS
GMHDE CAF CANTANTE
vi Braga, parnepa ao pubco desta capital, que n'este theatro haver para
Sorvetes de diversas qualidades
^urSto^f8"83' ^^ M ^ ^
Precisa se de um menino para caixeiro de
taberna : na praca da Boa vista n. 32
Gabinete Portuguez
de Leitura.
A direccao do Gabinete Ponngnez de Leifura
prensando proceder a um balanco em sua biblio-
theca, pede aos seus associados se dignem at o
15 de outubro, fazer recolher os livros que lidia
rem em seu poder. ve-
Secretaria do Gabinete Portuguez de Leituraam
Pernambuco aos 27 de setembro de 1870.
Antonio de Albuqnerque Mello,
__. ___________l" secretario.
O Sr. Victorino Luiz dos Santos, nao mais
caixeiro do abaixo assignado.
Recife, 3 de outubro 1870.
_________. P. L Lavme.
Ao Illm. Sr. Albn Joaquim Lopes, que veio do
Rio de Janeiro para esta provincia no vapor ame-
ricano Merrmack, entrado no dia 1 de setembro
prximo passado, pede-se o favor de apparecer
oo escriptorio da companhia Pernambucana, ou
annunciar sua residencia, que se llie deseja fallar
I). W. BOWMAN
ENGENHEIRO
Com fundigao.
A P.UA DO BRUJ N. 52.
Pass'indo o rhafiriz
Machinas vapor systema melhorado.
Rodas d'agoa.
Formas de ferro para purgar assucar.
Moendas de canna.
Taixas de ferro batido e fundido.
Rodas dentadas para moer com agoa, va-
por e animaes.
E outros objectos proprios d'agricultura.
Tudo por preco muito reduzido.
J. Ferreira Villela
l>ll4r 18-----RA DO CABUG-----18
A entrada pelo pateo da matriz.
Os trabatbos da reedifkaeaa desta phctofrapia
e que se prolongaram por Unto tepo, ira n
lelizmente terminados e ella abena ao servtaa 4a
publico desde 7 de abril passado.
O predio em que est collocaa esta photogra-
phia acha-se muito augmentado, e ( a parle asti-
nada ao estabelecimento conla cinco salas, iacla-
sive as do laboratorio. Todoa os eoneertos e aag-
menios tendo sido fetos exprossamente para e
montar convenientemente a pbotograpiia, e nao so
podendo melhor modelo escoiher do qna a Pktto-
grafiia Imperial do Sr. Inslev Pacheeo ao Ra io
Janeiro, o primeiro pbotograpbo do Brasil, e un dos
pnmeiros do mundo, segando a opiniao dos mata
abalisados mestres, a nossa pholographia afta tt
disposta e reedificada pelo mesmo plano da 4a Sr
[. Pacheco, a qqal foi montada sob todas as regra
recommendadas pelos mais desuncios professor
de accordo com as modificaroVs ne<'essarias ao
clima do Brasil, reconhecidas e esluaada* peto aa~
bilissimo e pratico Sr. I. Pacheco.
Todo o interior do predio em qne est aotsa
pholographia foi modado desde a soleira da pera a
ra at a coberta, tendo-se demoiido teda as pa-
redes interiores para se fazerern as novas salas
edificando-se um novo terraco envidracado mmi
espacoso e elegante.
Como sabiao, fizemos nma viagem expressa-
mente corte para examinarmos as melkores abo-
tographias all, e foi a do Sr. I. Pac leca, a 7a
melhor corresponden aos nossos desejes asatra-
c5es, e da qual trouxemos os planos 4taofS do
all estarmos iodo um mez estndar.do o aero-
veitando as licSes de lio dlstinclo mestre. Pen-
samos que juntando os nossos estados o haga
pratica de 15 annos de photographia i; atOisaBas-
licoes ultiman ente recebidas do Sr. L Facteeo,
tendo montado a nossa pholographia asno se
icha, podemos offerecer ao illnstrado pohfico
d esta cidade e aos nossos nun erosos fregnaie*
trabalhos de photographia lao perfeitos, coa
podera desejar, e disto convencidos, penar
que contluuem a dispensar-nos a mesma pr>
teccao com que ha 15 annos nos leo bonraoo -
ajndado. .
1TTECA0"
Os abaixo assignadas fazem >cient'? a loa-
pessoas que tem dado obras encadenar em ou
loja e ofUcina do largo do Collegio, qne lesbia a
bundade de vir procurar ditas obra e pagar a
respectivas endadernac es, visto qne ahjoous u
?em decerrido mais de 6 anaos, sera qae sato to-
nos as tenhain reclamado ; pelo que, passatoa $>
das da dala deste. serao vendidas para pagaaMor.
das despezas da encad^rnacao. todas acmeUas
que nesse praso nao forem procuradas e nasa
Recife 2i de setembro de 1870.
Gum.es & Olivein
______________Em liqoidario
Lavase e engomma se com perfeicao e preco
commodo ~ ---- -- ------
na ra do Jardim n. 1.
2h?.Vn-LeonardJ0 J ^hora^nT0'3 felra (,0 d0 ">
as 8 horas do da, na matriz de Santo 4n-
Eim.Sr. conde da, Boavista, e para ess
acto convida ao amigo desse Ilustre finado
o Sr. commendador Manoel^Loiz Vir5es.
0 eommendador Maooel Lniz Vir3es
agradece a defferenca que teve para com
elle o Rvmd. padre Leonardo Jo3o Grego,
eaproveita a occasio para tambm codv-'
dar ao3 parentes e amigos do Exm. conde
da Boa-vista que quizerem assistir a mesma
ssa oelo eterno repongo de sua alma.
Pieei.sa >e deouia ama que s<
servico de coMnha e compras, e que saiba lav.ir
o engommar,. para ;asa de um moco soiteiro :
SL'na2!,ai.Tnt.COnd?5eS *** a raa'a J
Vinhos.
Champagne.
Rordeaux.
Porto fino.
Rbeno.
Cbatean Laflte.
Cognac marteli.
Licores.
Imperador Theodoro.
Aya-Pana
BASS
La bell amor.
Coracao.
Sempre viva.
Amor eterno.
CERVEJA
E NACIONAL
Oelada e nao gelada
CAF CHOCOLATE E CHA
Refrescos gelados de todas as qualidades
Pitanga. Doces.
Grosella. D Pasei8 de nata
Limo. p Uom, bocado.
Cidra. n-, ropada oecamaro.
I ara na ^ lta "* Mr0e.
Queijos. i -oi.
Flamencos. M Frn*s.
Londrinos. .. Mi&*9-
Minas.
Prato.
Suisso
aue mn?tnTo0rffiCJpa' ^il6n^ las bebidas cima notadas haverao
a.toagradarao pelo preco e boa qualidade, e desde j participa
Ama de leite.
ha para alagar urna
Na ra da Mangueira n. 7
ama de leite sem cria.
O 1 andar do Campo das Princezas ond
runcionon oexclub pernambueano, aluga-se pare
oaiies, soirs, jantares, almocos, sociedades, reu-
moes e concert, por preco muito razoavel :
tratar na mesma casa com o abaixo assignado.
P. L Layme.
! PRIMEIRO E ANTIGO CONSULTORIO
H0ME0PATHP.0
Dirigido pelo Dr.
SANTOS MELLO
Os habitantes do interior podem-no
consultar por escripto, no que sero sa-
tisfeitos com promptido.
Presta-se tambem a chamados para o
interior, a preco mdico.
Consultas, no consultorio das 10 horas
ao meio dia.
Chamados, a qualquer hora.
Aos pobres gratis.
43Ra do Baro da Victoria43 i
(Antiga ra Nova).
Ama.
Ra do Torres n. 16, andar, precisa-se i
urna ama que coxinhe, compre e engomme para
urna pessoa.
Cozinheiro
i r^frC!iS,a,5Lde nma cosinheira forra on escreva:
a roa da Ladea do Recife n. 18, andar.
cadeiras e
Uvas.
Peras.
Abacachis.
etc. etc.
outras de diversas qualidades
lamben) que haverao mezas.
Precisa-se de urna ama forra ou captiva para o
servico interno e externo de urna eisi de pouca
familia : na roa Velha n. 66. v

,vrdVqTefdaPS7S esla ^.e.ime^ ,aea
oilliares e j6go
um tumai
Precisa-se de urna ama que cosinhe e fac"a
outros peqnenos servicos paraHCasa de duas oes
soas: a roa da Trerape sobrado a. 7. P
aaOT?" m\ dt THEODOW^HHlSi
4NSEN, rna da Craz n. 18, eocontramV
jflectivamente todas as qualidades de vinb
ordeaax. Boureoene edo Rheno
AMA.
0$ deveriimetuos dorara im horas; da 4 j fj da tarde.
VJ^'k J6- *"!* ama ,'"e 'ia Minheira: no
laminh Novo junto a PS,acio trilhos Urbanos
a-nie se ahWr C^^^S^S^ LS
orden e oraia.*. l^^&X^i^.lW*-
Girante-e toda ordem e moniidade.Irad^ das.9howtoZuS
a 4 da larde.
AVISO
_Os abaixe assignados, incumbidos pela commis-
saj de senhoras qne promovem um concert e lei-
lao em beneficio das familias desvalidas dos solda-
dos de liaba de Perosmbuco, fallecidos on invali-
dados na guerra do Paraguay, de distribuir do
moda que Ibes parecesse mais acertado o producto
d'essa subscripjao, pelo presente avisara s viu-
vas, pais mais e filhos dos offlciaes e soldados do
exercito naturaes d'esta provincia, oa qne celia
tenham assentado praca, assim como a qualquer
prente d'estes, qne fatendo parte de suas fami-
lias vivesse s suas expensa.', e que seachar em
estado de pobreza, e finalmente aos proprios offl-
ciaes e soldados, com exeloso dos primeiros, caso
estejara as referidas condicesque dentro do
praio de sessenta dias, acontar d'esta dataa eve-
ro provar com documentos anthenticos sua iden-
tidade e circunstancias de. fortuna, afim de pode-
rem perceber este auxilio.
Os inleressados deverao encaminbar seus docu-
mentos casa do directorio do partido liberal
roa do Queimado n. 8 primeiro andar, em lodos!
os das uteis durante aqut-lle periodo, das 9 hora,
da manha s 3 da Urde, e onde, d^pois de altn'
didas suas reclamacoes, reeebero a quaniia oue
Ins tocar. M
-.P1raHq".V pnLSeme a!.'e cneaeaoconhe)-.i-
memo de todos Sera publicado diariamente nos
jornaes mais lldos d'esla cidade,
Recife, 6 de outubro de 1870.
Baro de -mlca.
Loii J- Pereira Sirodes.
Ahilio Jyj Tavares da Silva.
Uoate po portntncz
A direcoria convida todos oa mkiI*s nein
a reuoirem-se em assembla geral don. ngo 9 do
crreme, as II horas da manha, no Gabias* Por-
tuguez de Leitura, nao so para apreciarla o rata-
torio da mesma directora e parecer da rnmsai.:
de contas, como para em seguida se proceaVr a
eleifao da nova directora, conselho Bseil e ewr-
raissao de comas, que teera de fonccionar no pr-
ximo anno social.
Para os fins convenientes vai em ;cnida trans-
cripto o art. 27 dos estatutos :
Os soci is presentes votaro laceando em tr+*
urnas outras lanas cdulas, indicando a primera
a os nomes dos membros (5) e substitutos (3) da
directora pela seguinie forma :
So sero volad s com designaro de cara o
< lliesoureiro e os tres substitutos, desta, do ?e-
< cretario e vice-presidente; os outros saasaitM
< ("a directora (presdeme, vice-presio>me, 2
secretarios) sero os quatro mais votadas des-
tes se enviar urna lista ao governo da aroviaca
< para a esculla do presidente, Horneando depon
' o mesmo presidente dentro os tres mniasjnii res-
tantes o vice-presidente, Pe> seeretarits.
< A segunda cdula contera os nomes dos viate
e cinco membros do conseibo fiscal fpre^ideace,
Io e 2* secretarios e vinte e dens conselsehW
e a terceira os dos membros da comis-ao de
contas. >
Secretaria do Monte Pi Portuguez en Peroaa-
bnco 3 de outubro de 1870.
Jos di Silva Loyo,
Presidente.
Joaquim Gerardo de Basto;,
Secretario.
A verdadeira farinha peitoraJ de
S. Bento.
Esta farinha usada com vantajoaos resalta
dos nos padecimentos dos orgos da i
como asthma ou puchamento de riittmr-f'
i ^ f/ b0,e p,eariM9 e M m*nTrZ
commeodando-se com igual proveito
convalecen tes.
nico deposito na ph irmacia e droiarw.
DE
Barrolomen 4 C
Rna larga do Rosario34
Na praca da Indepeodeaeu a. 33 se da ai-
uwrosobre penhores de onro, prata a
preciosas, seja qual for a qnantia; a aa
asa se compra e vende objectos de airo ai
igualmente se fax toda e qnalaosr ata
Jommenda, e todo e quaJqner conos
mesma arte.
ATTENCAO
De sabbado 31 do corrento em dianto aaar
todo* os sabbados na mnibus para Riaaram.
derendo partir do Recife as 3 oras da aaadroaa-
[da, e votar as segundas-f.iras as 3 brax da
tarde, condnzindo o auen de 10 pestoas : a
tratar na ra de Pedro Adunco (antua raa da
Pr ia n 41) rom o seu propnet-rio Jos Plata
Tavarfs Jnnior.
Precisa-sede um criado livre oa escravq ; f
tratar no armazem de molhados jooto a esta itm-
gratiliia.__________-___________ *^
Aluga-se [iara servir em easa de taima T.
boa e-prava ; as Cinco Ponas n. 144.
Precisa-se de um cauciro brssilessa da4<>a
16 anoos, que tenha pratica de taberna :
ni raa Imperial o. 27.




Diario de Pernambuco Sabbado 8 de Outubro de 1870.
;t,;'j ; .T,g?P
' *' "' ."
=*=
V;
AO ARMAZEM
VAPOR FRANCEZ
RESTM! DE PARS
4Rtra das Larangeiras4
MR.' MICHANDON proprielario deste estabeiffcimento, recebe assigmv
tnras para almoco e jantar, por preco o mais mdico que possivel. Bem
como fornece tambem almoco e jantar avulso.
Este conhecido estabelecimento acha-se constantemente bem sonido, em virtade das
| facturas que recebe por todos o* vapores e navios francezes, dos artigos abaixo menciona- l
aos, a precos os mais resumidos que possivel.
CAMBADO FftAMCHZ
Botinas para aeahoraua e meninas.
Botinas pretas, brancas e de muitas outras cCres, sortidas e bonitas, do ultimo gos-
lo da moda, e a precos mais barates do que em outras partes.
tinas para borneas e meninos.
Botinas de bizerro, eordavao, lustro e pellica, das memores fabricas e escomidas.
Botas e pernelras russlanas.
Botas e perneiras para mantaria, das melhores qualidades, de couro da Russia, lus-
tro e bizerro.
Sapatos de borracha para hornease senhoras
Tendo ehegado grande porcao de sapatos de borracha vende-se pelo custo am Sde
desempatar o dinheiro nelles empregado, sao baratissiroos.
Sapatos de lustro para horneas.
Sapatos de entrada baixa de couro de lustro com salto, de muito boa qualidade.
Abotinados para meninos e meninas
Sapatos abotinados de differentes modelos, de muito boas qualidades e fortes, tanto
para meninos como para meninas, muito baratos.
Sapatos de tpete.
Sapatos de tapeto aveludado, de casemira, de cHarlote e de tranca transezes e por-
tuguezes para bomens, para senhoras e para meninos.
ALMOCO
SENDO
10000
3 pratos a escolba
Vinho
Caf ou cha.
JANTAR
10000
pratos a escolha
Vinho.
Sobre-mesa.
Gaf ou cha
PERFUMARAS
. fuellantes extractos, banbas, leos, agua de cologne, florida, divina, lavande, den-
tnoee, de toilette, sabenetes, tintura para cabellos, pomada angroise para bigodes, pos de
arroz etc., tudoisto deprimeira qualidade, dos afamados fabricantes, Condray, Piver e Lubin.
Quinquilharias
0 MARAVILHOSO REMEDIO
DO
Dr. Chas, de Grath
OLEO ELETRICO
RING OF PAIN
o re da dor
Para o uso interno e externo.
&:
Acaba de sahir luz
Vende-se
Livraria franceza.
a Jtl\
4BM&
t________
NOSSO SENHOR JESS CHRISTO,
MARA SANTISSIMA
E
VARIOS SANTOS.
__., A saber:
nm na1 o S3Dhor %P Jesus dos Passos.
Offlcio do Senhor dos Passos.
Novena do Menino Dens.
Novena de N. Senhora da Conceicao.'
Setenario das Dore3 de Maria.
Offlek) das Sele Dores de Maria Santsima.
Novena de N. Senhora do Carrno.
Offlcio de N. Senhora do Carmo
Novena de N. Senhora da Penba. '
Cnticos de N. Sonhora da Penha
Novena do R. S. Joao Baptista.
Novena da Senhora Sanl'Anna.
Trezena de Santo Antonio.
Novena do B. S. Jos.
Um bonito volume encadernado.
2$000.
Companhia
DE
Uvas de pellica do conhecido fabricante Jouvin, espelhos para sallas, qoartos e ga-
binetes, toucadora de diversos taraanbos, Jeques para senhoras e para meninas, abridores
SLfju&i bnncos Pn'cras,botoes correnta e chaves de retogios e trancelins, todj de
oaro de le, correntes e brincos de plaqu, a imitaco e de mais gosto do que as de ouro
?2K2! de,costora ricamente guarnecidas e ornadas com lindas pessas de msica, albuns
112 dfonrado? Par,a re,rals> caixinhas com vidro de augmento para dlstinctamente
^;^^vfl'|a^d.0!^re,at0S 0bjeCKt0S dPhn'asia para toilettes, bolsinhas e cestinhas
L?*.de llud0 ^e "mes para fera<* de meninas e senhoras. ditas para costuras, pe-
rTErS raT fiQ9 e d1,C8,0, boa^eis de flores de Porcelana, jarros proprios
KSSS? 6 f maXT TT0S proraptos P"1 collocar-se Vistas, molduras douradas
EnE lrf' eStampaS 2Df9 de' Paysagens, cidades, figuras e de santos, vidros para eos-
tZ %%,??" %*"**" ** Vagens' esPras- ctco,es. bengalas, oculos, lunetas ou
K. f d0,rad.S' gravttas prelas e de cre9> *botoaduraf de ollete de punhos,
n^han nf nrr?,tr?.0Ur!nba^e T1Vetes m?> Pen,es- es?0V3s> PonIeira9 ** pama*
f, m? pa a C-',garr8' J00S de dom,no- rodtes. bagatelas e outros differentes, ve-
na!esteHnlnT,nm"9Bl^nwnfnte Para pon.se janellas, cosmoramas, lantemas magi-
nraWs TZ\ HpJf'T8?1'163 ,8Us d? figurfl8 e das mais ^^^ ras, boulevards,
toS LP v K Pari9-phi)t0if.raphias e ci,xnhas ma'c^ reverberos para candieiros
h.wfni.L e deA '^j36 core* para P09 de 'alternas, realejos grandes e pequeos
i^TL^^Z^ ^l 9Htamanh03' ,ber?os de M Para ancas, sapallos
S ?fe ^rr,nh01? d? 3 e 4 rodas mj'to elegantes para conujir enancas passeio ; e
outras muitas qmnqu.lhar.as de phantasia, francezas e allemaes, precos muito em con.
genercs^b^qSl0 lffS t?erT^L7^ ^ aM' *
Cholera e cholera-morbos, diarrha,
Quxo de sangue, em um dia.
Dflr de cabera e dores de onvido,
em tres minutos.
Dr de denles, em um minuto.
Neuralgia, em cinco minutos.
Deslocacoes, em vinte minutos.
Gargantas indiadas, em dez miu-
Clica e convulsoes, em cinco minu-
CURA:
os
tos.
ATTENCAO
wsM^d0D0 deSi,eJ stabelecimento pede a pubTico em geral que continu a vita-lo
verncando as qualidades e os precos baratos de ditos objectps por serem vindos em di-
reitura e de conta propria. '
Rbeumatismo em um dia.
Febre e febre intermitiente, em um dia.
Dr as costas e nos lados, em dez
minutos.
Tosses perigosas e refriados, em um
dia.
Pleuresa, em nm dia.
Surdez e asthma.
Hemorrboidas e bronchites.
InflammacSo nos rins.
Dyspepsia e erysipelas.
Molestia de Qgado.
Palpitarao de coraco.
DAVID W. BOWMM
EHGEWHEIRO
Com fnndico
RA DO BRUM 52
Passando o chafar.
Chama a attencSo dos Srs. de engenho para seus acreditados macbinismos e
com espectalidade para seus vapores que anda urna vez tem melhorado.
Os vapores fornecidos por elle e j uncciooando lhe bao de azer melhor apre-
ciacjto do que qual uer dito proprio.
Deseja tambem mencionar que tem feito urna reducto em seus precos; e que
:em prompto toda a especie de raacbiaismo e oatros objectos para a agricultura.
-------~_*v ^.M UAU um. i aiyna\a\j uw wi ayau.
Reserve sempre este remedio na sua familia.
AS DOENCAS SE PRESENTAM QU.\ND0 MENOS SE ESPERAM.
Oleo eletricoO King of Pain(o rei da dr) aquieta e positivamente dissipa mais
de differentes molestias e dores, e allivia mais os soffrimentos e produz um mais perfeito
equilibrio nosystema humano, o que nao se pode effectuar no mesmo tempo, com qual-
quer outro remedio medicinal.
Este muito popular remedio est agora usndose geralmente, pela razo que mi-
Ihares de pessoas se tem curado gratis com o dito remedio pelo Dr. de Grath e outros
mais.
Este importante remedio nao se offerece para corar todas as doencas, porm to
somente para aquellas estipuladas das nossas direcces. '
Est operando dos principios da chimica e da electricidade, e por isso est appli-
cavel para o curamento e para a reslauracjo da acejo natural dos orgos que soffrem da
irregular circulacao dos fluxos dos priucipaes ervos. O oleo eletricoo King of Pain
opera directamente nos absorventes, fazendo desapparecer as inchacoes das glndulas
etc. em um tempo incrivel, breve, sem perigo do seu uso debaixo de qualquer circums-
tancia.
O remedio, urna medicina para o uso externo o interno, composto dos elementos
curativos, raizes, hervas e cascas, taes como se tem usado dos nossos antepassados, e
das quaes tem grandes existencias no mundo, para curar todas as molestias, sabendo-se
quaes ellas sao.
Foi um grande e especial desejo da faculdade de medicina durante muitos annos
de experiencia para aprender os raeltnres modos que se deviara adoptar para catar as
seguintes doencas, e que propones de medicina se devia usar.
nico deposito em Pernambuco
NA PHARMACIA E DROGARA
DE
Bartholomeu & C.
N. 34RA LARGA DO ROSARION. 34.
Santa Thereza.
De conformidade com e diposto no art. 15 dos
estatutos, sao pelo presente convidados 03 Srs. ac-
cionistas para reunirera-se em assembla geral no
da iodocerrente aomeio dia, no 1 andar do
edificio n. 14, na ra da Companhia Pernambu-
cana, aflm de ser installada a companhia, e pro-
caderse as respectivas eleiedes.
Recife, 5 de outubro de 1870.
____________Justino Jos (le Souza Campos.
Uommodidade publica.
As pessoas que precisarem de amas, criados,
cozinheiros. jardineiros, feitores, amas de Ieite,
escravos para o servico domestico, caixeiros, tan-
to para a praca como para o maio, casas sitios,
poderao desta data em dianle mandar seus pedi-
dos por escripto ra do Torres n. 3i, l- andar,
casa amarelia.
Reslauranl de Pars
4_Rua das Larangeiras_4
Neste estabelecimento precisa-se de um copeiro
que esteja bem versado no servico.
Aluga-se um sitio no lugar do Galdeireiro
junto ao sitio do Sr. Dr. Alcoforado, com casa,
fructeiras, lindo nos fundos do sitio banho : quem
pretender dirija-se ao mesmo sitio, ou no pateo do
Collegio, escriplorio do Sr. Dr. Fonseca, preferese
alugar a pessoa solteira, e sendo casado que lerna
ponca familia.
ii i iimnm i1 i
GRANDE
A condessa da Boa-vista convida a todos os pa-
rentes e amigos do seu sempre chorado marido o
Gondo da Bou-vista, ouvirem urna miss.i que
tem de ser celebrada pelo repouso eterno de sua
alma, na matriz da Boa-vi?ta, a 10 do crrante
mez, pelas 8 horas da manhaa, stimo dia do seu
fallecimento.
A'tencdo.
Tinge-se e lava-se com perfeica, e nuil lir.rato
do que em oulra qualquer parfe : na ra do Ge-
neral Victorino n. 33.
AMA
Precisa-se de um ama que compre e co:inhe
para duas pessoas : no largo da matriz da San
to Antonio n. 12.
Lom muito maior vantagem compram-se
ouro, prata e pedras preciosas e n obras velbas: na
loja de joias do Corago ce Ouro a. 2 D, roa do
Gabug.
Em tem pos modernos nenhum desca, ri-
men to operou maior revolucjo no modo de
curar anteriormente em voga do que o
PEITORVL DE AWCAHIIT4
TANTO NO TRATAMENTO DA
TOSSE, cnoro,
ASTHMA, THISICA,
ROUQUmAO, nESmiAMCNTOS.
BRONCHITES,
TOSSE CONVULSA,
DURES DE I'EITO,
EXPECTTR'CAO DE SANGUE.
Como em loda a grande serie de enfe;mj-
dades da gamanta, do peito e dos eiteACt
da respiracAo, que tanto atormentam e '-
zemsoffrera humanidade. A maneira .--
tiga de curar consista geralmente na applj-
cac5o de vesicatorios, sangrias.sarjar on ;.p-
plicar exteriormente ungentos fortissirri'S
compostos de substancias vesicantes, 2 tan
de produzir empolhas; cajos differentes nao-
dos de curar, nao faziam senio eofraque-
cer e diminuir as forras do pobre doeie.
contribuindo por esta forma d'uma mane-ra
mais fcil e certa para a enfermidade a f *
trui(?3o inevitavel de sua victima Quem c-
jerente pois o effeito admira\el do
PEITORAL DE \NAC\HUITA f
VM E EZ DE IRRITAR, MORTIFICAR E CftCZMI
LNACDITOS SOFFRIIIKMOS AO DOENTE,
CALMA, MODIFICA E SLAVIZA A IM.
ALLIVIA A IRRITACO
DESEMVOLVE ENTEXDUIENTO,
FORTIFICA O COPO
e faz com que o systiima
Desaloje d'uma maneira prompta e r-t 'a
at o ultimo vestigio da enfermidade. Os
melhores votos em medicina da Europa i
Lentas dos Collegios de Medicina do Boi:.m.
testificam serem exactas c verdaderas e- .5
relaces analgicas, ou alm dhHQi exp: -
encia de milhares de pessoas da Amt; .
Hespanhola, as quaes foram curadas cea
este maravilhoso remedio, sao mais n.
suflicientes para sustentarem a opinic
PEITORAL DE AN.ACAH1TA f
Deve-se notar que este remedio se a : a
inteiramente izento de venenos, tanto n.
raes, como vegetaes, em quanto que porc".
alguns d'estes ltimos, e particuiarme:.;
aquelles que sao dados sob a forma de Ore
e Acido Hydrocianieo, forman a base
maior parte dos Xaropes, com os quaes :;.
fcilmente se engaa a credulidad do tn-
buco. A Composirlio de Anacnhuib Pe
aacha-se linda e curiosamente engarrafad; >.
m frascos da medida de cerca de me.-t,;
quartilho cada um, e como a dose que se te-
ma so d"uma collicr pequea: basta -
ramente a applicaco d'um ou dnus fras.. 5
para aeffcctuaco de qualquer enra.
Acha-se venda nos estabelecimeeJM i:
P. MaurerC, J. C lave A C. ...
Caor, R. M. Rarboza e Bartfioioneo & -
n
'i\!
1
i
-i \
NTRAL
37Ra 11 de Dezembro37
(Oufr'ora Larg do Rosario)
No muito conhecido HOTEL CENTRAL encontraro sempre os eossos innmeros
freguezes notaveis melhoramentos, indispensaveis para commodidade dos Ilustres fre-
quentadores.
Np HOTEL CENTRAL encontra-se-ha constantemente tudo que de confortativo e
deleitavel se pode encontrar em um estabetecimento desta ordena
Assim acha-se alli urna excellente casa para banhos, um sal3o todo alcatifado e
guarnecido de ivans, piano, jurnaes nacionaes e estrangeiras etc., etc
DULCE FRMEME
Gompra-se urna earroca em :nel uso para
cavillo, e um trepador de coqueiro e dendezeiro :
na loja de calcado n. 22, ra larga do liosario.
Attenco
Compra-se nesta lypographia urna collec-ao de
ei provincial do anno de 1806.
Bnrro-
No brigue Relmpago prximo a clu'gar le Lis-
boa, esperara se dous burro da raca hespanhola :
quem pretender compra-Ios pode dirigir-so a ra
do Gommercio n. 48, Io andar.
Compra-se um lerno de pesos de o kilos e
50 grammas, um terno deseco^ e um de liquido :
a tratar na ra da Peuha n. 33.
V1NDAS.
CHARUTOS
fmperiaes ,
Amadores
Londrnos
Leaes
E de outros fabricantes, que seria ocioso innumerar.
As familias que eos quizerem obsequiar, tanto nacionaes cerno estraaeeiros, en-
contraro os commodos eecessarios. .
A moralidade e boa ordem a norma do
Normas da Havana.
Suspiros.
Napolees
Havanas.
Hotel Central
Falla-se o hespanhol, francez, inglez e italiano.
PRECIOSA DESCOBERTA
CUHAS YIAIlAVI1MIOSAS
TNICO DELSC
Nec plus ultra
Tirando immediatameote todas as caspas e coceiras dos cabellos.
Deposito
lmente em casa do autor, Andr Delnc cabelleireiro de Paria.
Ra 1* de Margo (antiga Crepo) n. 7 A T andar
NOVIDADE.
O Costa, proprietario do armazem da Pedra
Marmore rna das Cruzes n. 42, offerece po di-
nheiro contado o que de melhor ha no mercado,
por ter recebido multos dos gneros dscriptos
pelo ultimo vapor.
I IHorialices para sopas denominadas Julidnne, que
substitue perfeitaraente as mais frescas erva.
Queijos n*mengos o que de melhor se pode de-
sojar a 3*000.
Caixoes de doce de goiaba a 800, i, 1*200 e a
i*800, dito em latas a 2* e 2*500.
A verdadeira farinha americana viuda de conta
propria a 320 rs. o maco de orna libra.
Velas siearinas a 640 o maco.
Bolachinhas de todas as qualidades c dos me-
lhores fabricantes.
Ervilhas francezas e portuguezas.
Vinho de todas as qualidades.
Farelo de Lisboa desembarcado bontem, em
saceos grandes, a 8*.
Carne do sertao muito nova e gorda.
Queijos de qnalha, etc., ele.
Saccas com roilho a 4*000.
Especial e aromtico sabo de familia a oOO rs.
o kilo.
20 Ra da Imperatrii;
Acaba de chepar para a mja de batatas f,t -
den*minada La Vilie da Par-, r:u ptfikl m1-
inenio de fazendas linas, como sejam : crV
poil de chevre com lisras cscocezas
-aias o que ba de mais alta noridaie, riir.-i.i rioj...
linas de seda, granadinos, laa< i alp? .
Iiareges, etc., ele, e um completo sortia en:
chitas, madapotdes, caubraias bracr
o rgaoys e cambra la impen.:iiz, o .
faztodas, tudo do que ha de nabar n-Me ra_
do, que tudo se vender o mau faral ; -
Chamamos a alinelo d i bello scxj qne o
andar na moda, e ao mesmo temp,- e.-p-ra
sus protecg'i. Mandarse levar et ctsa i'.m
ICxmae. familias todas as fizt-nd.-.s qne '
direm.
20-RA DA EMPERATRIZM
________Fari A- L^aaa._______
01 o de lio
' Vende se oleo de ricino : na rcu Ja Cai
Iha do Hrciff n. 1, 2o andar.
Potassa nova da Pusiia, a 200 rs. a libra.
Cal de Lisboa. .
Cera em velas.
Dila em grume.
Vinho do Porto superior engarrafado.
Dito de dito bom dem.
Dito muscatel de diversas marcas idetc
Dito tinto Palmella superior dem.
Dito dito Vermoeira dem.
Dito dito lavradio dem.
Dito trance Garcavellos idem.
Dito dito Bucellos id<-rn.
Caldeiras de ferro fundido para engrano^.
No escriptorio de Oliveira Filbj 4 a ao Jaro
do Corno Santo u. 19. *
Vtnde-se a taberna sita na rn 4a Saau
Croan. 1, bem afregneaada para a trra; a ca-
I sa tem bons commodos para familia morar Mi>-
I pendente por ser de es juina : a traUr na roa lo
Kosario da Boa-visu n. 56
Vende-se um cabriolet ameno! coa peac
uso para 2 e 4 assentos, tendo 4 rodas de anirc
celiente, Ianca e varees para 1 e 2 cvalas a
tratar na rna do Imperador, cocheira n. 25
PABA AGUA.
Canos de ferro galvanisados por barato preco.
SanWDTTraS'eCai'V3Sp(ar90Sm9Sal,J: *Q armazera .S d0 c^
Moinhos para caf e para milho
Os melhores moinhos para caf e para milho que tem viudo a este mercada
M encontraa no armazera da-travessa do Corpo Santo n.
Vende-se por barato preco a propriedade na
camba dos Remedios, que foi de Joao Anastacio
Camello Pessoa, com urna grande olaria de-pedra e
cal, que lastra 16,000 lijlos, e fornoque c mporla
25,000, com excellente barro para toda e qualquer
obra, com dous excedentes'viveiros e um grande
acude d'agua doce, tendo urna casa do sobrado de
um andar e sotao: as pessoas qne pretanderem
dinjam-se a referida propriedade a entenderle corr
o capillo Delno Lins Cavalcanti Pessoa, consenhor
da mesma propriedade.
Vende-se
urna urna de Jacaranda para deposito de ossos na
ra da Imperatrit loja de rrarcineiro n. 83.
Parlaba de rnaadiuca!
kT %Se T armazeDS da Companhia Pernam-
bocana, farnhs mni.o a|va e em sccos grnn
pn> preco mimo raroavel. K^nnef,
= 1^; L'-fr. f^'n^-.cerale-eiTnTnla
e pnn-ia* de.enu : na ra di Madre de
i .indar
oaufia
is n. 8,
1
A retara de fr/ro
Vende se nma linda pareiha de barcos do fi*.
brande do Sul, mnito bem ensillados pira carra
fronte de S Praacisco, onde se dir ten s
donino e o prejo. '
NVIDADE EM C\SEIIIrU8
T n "A
Loja Fior da Boa-vista
i DE
Paolo F. M. Giijuries.
Grande e completo sortimento de rnianni a
quaitros e lisas, as mais modernas que ba no ar-
cado, assim como bons panos pretos, ios n>,
casemiras salpico de sedi, merinos, brias, asdia
para c Hete, camisas finas ingletas, aerlas, nwtas,
colarinhns, etc., etc, tudo por preco muito en
cunta. O mesmo esiiDelecimen o se aeha niuiiea
de mu rerlto alfaiate, eoneiderada nma ae melk, -
tese boas obras, e iwdo 20
iro (|nalqner e-Mb*leimente
'A' RA DO IMPERADO'.! K. ifl
_ Juii_io_a padaria frar
Brins de Angola
OS LTIMOS LEGITIMO^
de se em cas? de T. eflyies k C, nci a
Lom nercio n. 46.

UH


ana
banal
Diirio de
Pernambuco
, i,, iit
Sabbado 8 de Outufro de 1870
-
_
.....


BAZAR
60-RA DA MPERATRK-60
s
DE
PEREIRA DA SILVA & C.
0([
Norte importante estabelecimento encontrar o respeimrel publico, am grande e variado sortimento de fazendas domis
ido gosto e todas de primeira necssidade, que se venden mais baratas do que em oatra, qualqner partaf visto, qae os no-
socios desta firma, adoptaram o systema de s venderem D1NHEIKO ; par poderem vender pelo costo, limitando-se apenas
*gtobarem o descont ; as pessoas que negociam em pequea esca'a, nesta loja eartnazem poderao fazer os seos sortimentos
paks mesmos precos qae compran as casas inglezas, (importadoras) e par, maior oommodidade das Exmas. lamiias se darao
ostras de todas as fazendas, on Ibes levam em suas casas para escolberem.
PICHINCHA EM CASEM1RAS A 4*000. CORTES DE LA ESCOCEZES 65000
No Bazar do Pavao (ez-se urna grande Vndese bonitos cortes de 13a escocesas,
ampra em um leilao, das mais finas vindo cada om em sea papel, pelo barato
easemiras inglezas que tem vindo a es- prego de 6*000 cada um ; no Bazar do Pa-
to Bureado, tendo cores claras e escaras,' v5o.
ledas com padroes serios, proprios para! ORGANDYS BRANGO E DE COR
caicas, palitos e colletes; vende-se a 45000 No Bazar do Pavao vende-se os mais
covado, ofloe em outra qualqoer parte' bonitos e muito fiaos orgaodyscom listas
nao se vende por menos de 65; grande {largas e miudas 15000 a vara, ditas lisas,
vaatagem. fazenda de maita phantasia 800. rs. a vara,
IBINS DE LINHO DE COR A 1*200! ditos d cores, finissimos padres, inteira-
No Bazar do Pavo, fez-se ama grande mente novos 800 rs. vara.- pechiacba.
ampra de puros brins de linho, mnito en- GROSDENAPLES PRETOS
Chegoa para o Bazar do Pavao um gran-
melbores grosdenaples
eorpados, proprios para calcas, palitos, col-
ines e roupas para meninos, por serem de
padroes miudinhes ; garante-se que nSo ba
iarrella que lhe tire a cor, e vende-se a
4*200 o metro desta excellente fazenda.
ADAPOLO FINO A 6*400 A PEQA.
No Bazar do Pavao veodem-se pecas de
jaadapolSo fino de muito boa qualidade,
sendo 22 metros ou 20 raras cada peca,
peto barato preco de 65000, por se terem
comprado om poaco enxovalbadas; pe-
nbjocha.
CHITAS ADAMASCADAS A,240 RS. O
COVADO
O Bazar do Pavao vende muito boas chi-
tos inglezas incaroadas adamaccadas, pro-
prias para cobertas e cortinas, sendo fazen-
da qae emqjalquer loja se vende a 320 rs.
e Kquida-se a 240 rs. o covado; s o Pa-
TO
TOALHAS A 7*500
No Bazar do Pavao fez-se ama grande
compra de toalbas alcochoadas, proprias
para rosto, bastante encorpadas e grandes,
que sempre se venderam a II 2*000, e li-
qaidam-se a 75500 a doziarjou a 640 rs.
cada urna, boa pechiocba.""
CHAPEOS PARA MENINOS A 2*000
O Pavao vende um grande porcSo dos
mais bonitos chaposiobos de palha da ita-
;is proprios para meninos de todas as Ida-
des, sendo chapeos qae valem 5*000 e ven-
dem-se a 25000 cada am, maito barato.
CHITAS E RISCADINHOS MIUDINH03
200 RS.
O Pavo vende chitas ou riscadinhos miu-
iches cor de rosa e rxinhos, proprios
para vestidos e roupas de cranos a 200
h. o covado. S5o muito baratos.
LASINHAS COM P'ALMAS UE SEDA
Chegou para o Pav3o o mais bello sorti
ment das mais brillantes laasinhas claras
com bonitas palmiobas, de seda; tendo lar-
gura de chita franceza e vende-se a 1*000
o covado grande pechincha.
ALPACAS HATISADAS A 640 RS. 0 COVADO.
Vendem-se as mais moderna; e bonitas
alpacas mat'sadas com palmiohas, moito
proprias para vestidos de senhora e d me-
ninas pelo barado preco de 640 rs. o cova-
do ; sao mnito em conta.
PARA NOIVADOS CORTINADOS, COLCHAS.
Cbegou para o Bazar do Povao um gran-
de sortimento dos mais bonitos cortinados
bordados, proprios para camas e janellas,
qae se veodem de 10*000 al 2O*0C0 o
par, assim como o melbor damasco cem 8
palmos de largara a imitacSo de damasco
ie seda, proprias para colchas, e propria-
mente colchas de damasco, send' os melho-
res e mais bonitas que tem vindo ao mer-
cado.
SEDAS PE LISTRAS.
No Bazar do Pavao vende-se nma grande
qnanlilade das mais elegantes sedas com
iistrinhas, tendo de todas as cores e at
ftirta-cr ; fazenda que ningaem vende por
menos de 2*400, e liqaida-se a 2*000 cada
covado; sao mnito baratas.
SETINSDE CORES E GROSDENAPLES.
No Bazar do Pavo vende-se um sortimen-
-te eospleto dos melhores setins e grosde-
saples de todas as cores, que se vendem
aauit> em conta.
POPELINAS DE LA A 400 BS. O CO-
VADO
No Bizar do PavSo vende-se um elegan.
2e sortimento das mais bonitas poupelinas
de 13a com listas miadinaas, sendo todas
qoasi de orna s cor, 400 rs. o covado;
p baratsimo.
GRANDE PECHINCHA EM LASINHA
A640RS.
Nj Bjzar do Pavlo fez-sa ama grande
ampra de lasinha para vestidos, sendo de
muito b la qualidade, amas com listas e ou-
aras eotn mselas, e maitos largas, qae com
pencos co vados se faz vest lo e liquida-se
440 rs. fazenda qae sempre se venden a 1*.
ALPACAS PARA VESTIDOS FURTA
CORES A360RS.
Veaese am bonito sortimento das mais
brilhautes alpacas escuras farta cores,
sendo muito encordadas e tendo um brilbo
eomo seda, liqaida-se pelo barato preco de
330 rs. o covado por se ter feito ama gran-
as compra.
POUPEUNAS A 400 RS.
No Bazar do Pavlo vende-se nm elegante
sortimento das mais lindas ponpelinas de
12a com os gostos mindinhos sendo qnasi
ama s cor e co n muito brilbo, pichin-
cha b 400. rs. para acabar.
CH TAS A 2* RS. O CORTE.
No Bazar do Pavao vende-se cortes de
chita miudinbas, sendo rocha e cor de rosa,
teodo 40 co vados cada corte a 25 vende-se
a retalbo a 200 ra. o ovado, pschincha.
CASSAS A 200 R3.
NoBa:ar do Pavo liqaida-se ama por-
fi de cassas francezas miadas e graudas,
crea fins, qae se vendem pelo baratissim
prec > de i mj rs. o covado para acabar.
de sortimento dos
pretos qae tem vindo ao mercado, que se
veodem de 4*600 at 5*000 o covado ;
s3o todoa mnito em conta.
CAMBRAIAS TRANPARNTES
No Bazar do Pavao vende-se nm grande
sortimento das melhores cambraias brancas
transparentes, tem de 3*500 at 10*000
peca, ditas suissas finissimas com 8 pal-
mos de largura a 2*000, 2*500 e 3*000
vara, ditas victorias e tapadas da mais infe-
rior at a mais fina qae vem ao mercado;
tudo isto se vende mnito em conta.
MANTELLETES DE FIL
Nd Bazar do Pav2o vende-se modernissi-
mos mantelletes ou basqainas de fil preto,
.om Jaco, pelo barato preco de 40*000 ca-
da om, barato.
PANNOS PARA SALAS A 4*000, 1*280 E
4*600 O METRO
No Bazar do Pavo vende-se bonita fazen-
da branca tncorpada para saias, sendo com
babados e pregas de um lado; dando a lar-
gara da fazenda o comprimento da saia, a
qaal se pode fazer com 3 ou 3 i j2 metros,
e nende-se 4*000 e 1*280 e 160O; assim
como tambem no mesmo estabellecimento
se vende bonitas saias brancas bordadas ten-
do 4 palmos cada orna, ditas de 13a de
corea j promptas amas com barras difi-
rante*, da mesma fazenda 4*rKX) e ontras
com barras bordadas 6*000 e 7*000,
todo isto moderno e barato. *
ALGODO ENFESTADO PARA LENQES.
No Bazar do Pavao vend-se o melbor al-
godoinho americano enfestado para len-
C68, tendo liso e eotrancado por preco
muito barato.
ESPARTILHO.
No Bazar do Pav3o receben-se um elegan-
te sortimento dos mais modernos e melho-
res espartilbos, que se vendem por preco
mnito em conta.
PANNOS DE CROCH PARA CADEIRAS
O Bazar do Pavao recebeu om grande
sortimento dos melbores pannos de croch,
proprios para cadeiras de balanco sofs,
pianos, tamboretes e at proprios para cu-
brir almofadas e pratos; vendendo-se por
menos do que em qualqner parte.
Laasinhas tranrparenles a 500 rs. o covado
O Pavo receben um bonito sortimento
das mais elegantes laasinhas transparentes
proprias para vestidos, qae vende a 500 rs.
o covado; maito barato.
PARA LENQOES
No Bazar do Pavao vende-se snierior
bramante d'algodao com 40 palmos de lar-
gara a 1*800 o metro, dito de linbo com a
mesma largura a 2*800 cada metro, pannos
ds liobodo portocom 3 4/2 palmos de largura
de 720 at 1* a vara, assim como um grande
sortimento de Himburgo ou or agellas de
todos os nmeros, precos ou qaalidades,
que se vendem mais barato do que em ou-
tra qnalqner parte; aproveitem-
ATOALHADOS
No Bazar do Pavlo vende-se snpenor
atoalbado trancado, com 8 palmos de larga-
ra a 1*600 o metro, dito de linho adamas-
cado o melhor que tem viuda ao mercado a
3*500 o metro ; todo isto muito barato.
Balfs regaladores a 4*000 4*300 e 5*000
Cbegaram ao B izar do Pavo o mais bem
feitos bales reguladores, sendo de fustSu
a 4*000, ditos de masseliaa a 4*500, di-
tos de lasinha de todas as cores a 5*000,
todos el les sao mutto baratos.
Panno preto mnito barate a 35600
0 Bazar d j Pavo recebeu urna grande
porco de pecas de panno preto fino, com-
pradas em leilao, qae sempre se vendea a
5*000 o covado e pode liquidar a 3*600,
por ser ama excellente compra,
BAREGES A360RS.
No Bazar do Pavo vende-se um bonito
sortimento dos mais lindos ba*eges lista-
dos para vestidos, qae valem maito mais
dinheiro e liquidi-se a 360 rs, o cova-
do, ditos maito mais finos com listas a 400
rs, estes bareges sempre se venderam a
640 e 800 rs., grande pechincha.
GURGUKOA640 RS.
No Bazar do Pavo vende-se nm bonito
sortimento dos melbores gurguroes de la
para vestidos sendo orna linda fazenda,
muito leve, meia transparente e muito lar-
ga com farta cores e liqaida-se a 640 rs.
o covado por se ter foito grande pechincha
na compra.
COBEHTASA 3*
Vende-se cohertis de chita encanada
adamascada a 34 cada orna, pechincha.
CORTES INDIANOS A 45500.
No Bazar do Pavo vende-te bonitos cor
tes indianos coa duas saias pelo bara-
tsimo preco de 4*5 JO cada um, pe-
chincha.
CAMISAS DE ERANELLAS k 3*500-.
No Bazar do Pavo vende-se um bonito
sortimento com lodos os timanbas das me
lbores camisas, de flanella de 15a, com
mangas, tanto proprias para booens como
para senboras e vende-se a 3OO0 cada
urna, e qaem comprar de meia dnzia para
cima ter nm abalimento, Sao de maita
atilidajde.
Granoe peafciflcha oa caaiu ingfrus le 458*0
No Bazar do Pato fez-ee ama grande com-
pra em leilao, de fioissima camisas ingle-
zas com peitos e pannos de linbo, sendo
com collariohos e de todos os nmeros a
4*000 cada ama, ditas sem co lariabos,
porm fazenda finissima a 4*500; gran-
de pechincha.
CAMISAS BARATAS a 2*800, 3*0C0 e 2*600
No Bazar do Pavo vende-se ama gran-
de porco de casemiras mscladas, muito
encorpadas a 2*800, ditas finissimas com
msela de seda a 3*200, ditas modernas
A BrOTft Jsp6rftiiQ8>
91llm aiaae c CaxUft 1
Quandoa NOVA-SSPERAN^A. faz os sena
_ expone a Mes fregdezes e a
ide sortimeito eso-
bjectosno l conltis-
tas fie atrakr a attenco de ama grande fce-
guezia, como a de que actualmente despoe,
e slm para scientiflear (a interese de toaos)
a qaalidade de seas objectos os qaaes sao
sempre de aparado gosto s perfeioao; tor-
nando-se quasi indispensavd para aquellos
apreciadores- (do bom) frequenlarem a No-
vaEsperanca, pois qoe ella capricha en re
cebar constantemente, o que na de melbor
relativamente a sua repartQo: o que se po-
der verificar qoando em qualquer reaaio
de pessoas (amantes do xique ) v-se am
bonito enfeite em um bonito vestido, um
aroma agradavel escapar d'um alvo leoco,
am moderno e linde Uco, um dilicado ra-
mo de finas flores, ete, etc, todos olham-ee
reciprocamente e dizem com sigo (e as ve-
zes uns aos outros) este? sao objectos
comprados aNOVA-ESPERANCA: realmen-
te IIII procurar descrever em annuacios os
artigos que contem di loja, seria trabalho
insano e nanea o fariamos com aquella
,erm e perfiaico com que sao elles fabrica-
dos, assim pois aNOVA-ESPERANCA con-
tentase em convidar a todos geralmente,
visitarem-na para ento ficaram intei-
rados do qoe ba exposlo na mesma loja.
91Riia Pawwe de Caxlasf
Lisboa.
eiwnowiffi
Qaando a AGUIA BRRNCA, mais precisa scientifiear m nipeitml P^> geral, em particnlar a saa boa fregoezia, da immensidade de objectos qoeo
te tem recelado, jusUmentefqoando ella imdos o pode fazer e porqw isa usa
luntaria ella confia e espera na benevolencia de todos que lh'a *|e'~"~IS.ry?Tl
continuando portanto a dirigirem-se a bem conbecida leja da AGUIA BR
Queimado n. 8, onde sempre acharo abundancia em sortimento de sapi
qaalidades, modicidade em precos e o sea nunca desmenttido AGRADO E sJj!5!f
Do que cima fica dito se conhece que o lempo de que a AGUIA BRANCt^pata
dispor, empregado apezar de seas custos no desempenho de bem servir a aqueUea
honram procurando prover-se em dita loja do que necessitam, entretanto semj
rar os objectos que por sua natureza sao mais conhecidos ali, ella resumid ante i
cari aquelles caja importancia, elegancia^ e novidadeos tornam receaweaaaasss, aoasc
bem seja
i
Cal de
Vende-se cal de Lisboa, a ultima chegada ao
mercado, por preco rasoavel : no arraazem de
Manoel Teixeira Bastos, rna do Commercio n. 13.
PORCOS
Corpinhos de cambraia, primorosamente
enfeitados com fitas de setim e obras essas
coja novidade de molde e perieico de ador-
nos os tornan apreciados.
Fitas mni largas de diversas cores e qaa-
lidades para (untos.
Leques oesse objecto moito se poderia
dizer querendo descreve-los minuciosamente
por suas qaalidades, coree e desenhos, tal
o grande e variado sortimento que acaba
de chegar, mas para nao massar o pretn-
deme se lhe apresentari o que poder de
melhor.
Entremeios em pecas de 12 tiras.
Goipar-e branco e preto de diversas qaa-
lidades e desenhos.
Ditos de algodo com flores e lisos.
Veos de seda para chapelinas e menta-
rla.
Meias de seda para noivas.
Ditas abortas de fio de Escossia.
Costamos ou uniformes para meninos.
Enxovaes completos para baptisados.
Capellas brancas para meninas,
Grandes sortimento di floras
Fil de s eoa, preto.
Farinha de trigo uro pouco avariada para por-
eos, bois, galinhas, etc., etc., a 51 a barrica com
6 arroba?, assim como tambem serve para pada-
ria por nao estar moito estragada : na ra do Li-
vramento n. 36, armazem Baliza. ___________
de quadros, fazenda de mnito gosto a
3*600 o covado : aproveitem.
TAPETES
Chegoa para o Bazar do Pavo o mais
elegante sortimento de tapetes grandes, pa-
ra sofs, com 4 cadeiras, ditos mais peque-
os, para doas cadeiras, ditos para
pianos, camas, portas ; etc. vende-se por
menos do que em outra qualqner parte.
COLCHAS BRANCAS A 3*200,3*500 E 7*
Para o Razar do Pavo chegoa um gran-
de sortimento das melbores colchas de fas-
too, s-ndo das melhores e mais e corpadas
qae tem vindo, a 7*00?, ditas nm poaco
mais abaixo a 5*500, e ditas a 3*000;
Umbem no mesmo estabelecimento se ven-
de um grande sortimento ds cretones e chi-
t.s, proprias para colchas, que se vendem
muit. em conta.
GORGURES OU POUPELINAS DE SEDA
A 2*000 CADA COVADO.
Chegou para o Bazar do Pavo nm ele-
gante sortimento das verdadeiras poupelinas
de linbo e seda, com os mais modernos
gostos, que se vendem a 2*000 cada covado,
o qae em oatra q ialqoer parte nao se ven-
de por menos de 2*500, previne-se qae nao
sao algodo e seda, como ba maitos; mas
sim paro linho e seda ; sao moito baratas.
ROUPAS PARA HOMENS
No accreditado Bazar do Pavo encontra-
r o respeitavel publico am grande sorti-
mento de roupas para bomens tanto bran-
cas como de cores, a saber:
Camisas con; peitos d'algodao e de linho,
para todos os precos e qaalidades.
Ceroulas de linho e algodo.
' Meias cortas francezas e inglezas.
Palitos sobrecasacos de panno preto e
casemira.
Calcas de brim branco e de cores
Ditas de casemiras pretas e de cores, com
colletes iguaes
De todas estas roupas ha para todos os
precos e qaalidades, e tem de mais mais
am perito
ALFAIATE
Por qaem se manda fazer com prestesa
e aceio qaalqaer peci de obra a capricho
oa gosto do freguez, tendo n'este importan-
te estabelecimento todas as qualidades de
panno fino, as melbores e mais moder-
nas casemiras, assim como os melbores brins,
qur brancos, qur de cor; e quando qaal-
qaer obra nao ficar inteiramente ao gosto
dos regnezes tica por conta do estabeleci-
mento.
CHALES DE MERINO
Chegoa para o Bazar do Pavo nm elegan-
te sottimento de chales de merino de cores
muito bons com padres maito decentes
para qnalqner urna senhora usar, ditos de
crpon com listas de seda o mais fino
moderno qae tem vindo ao mercado, e ven-
de-se por preco mnito em conta..
BABAD1NH3S
No Bazar do Pavo vende-se om grande
sortimento dos mais finos babadinbos borda-
dos tapados e transparentes, assim como
urna grande porco de entrmelos largos e
estreitos, que para acabar se vende mnito
em coata e mais barato do qae em oatra
qaalqaer parte.
FAZENDAS PARA LUTO
No Bazar do Pavo vende-se constante-
mente o melbor sortimento de fazendas
pretas para loto, como sejam :
Laasinhas pretas lisas.
Cassas pretas de la.
Cassas pretas* francesas e inglezas, lisas
e com salpicos.
Chitas pretas de todas as qaalidades.
Alpacas pretas lisas.
Ditas lavradas com branco.
Merinos, cantosa, bombazinas, que. ss
vendem mais barato do que em oatra qaal-
qaer parte.
CHITAS PRETAS A 200 RS. O COVADO
No Bazar do Pavo vende-se chitas pre-
tas inglezas com salpicos 200 rs. ocovado,
ditas todas pretas, por estarem am poaco
rassas, 123 o covado; pechiocba,
O proprietarios d'este importante esta-
belleci ment rogam ao respeitavel publico e
particularmente s Rimas, familias o favor
de se darem sempre ao trabalho de lerem
os seas annuncios, pela razio de maitos
d'elles serem mudadas amia dadas veses.
CACHE-NEZ A 6*000.
No Bazar do Pavo vendem.se bonitos e
grandes cachi-nez de pura la, peto-bara-
to preco de 6*000 cada um.
Toaquinhas de fil, sapatnbos bordados
e meis para ditos.
Camisinhas bordadas para ditos.
Grand
fsemira
lindo
Caixia
Bonito
para circular o .,{.
Bonitos brincos de piaqnet. i
Adereeos e brincos de madrepenx
Caivetes finos para abrir latas.
Thesouras para frisar babadinbos.
Aspas para balo.
Novos stereoscopos com 48
quaes sao movidas por um
urnas substitnem as outras.
Vistas para stereoscopos.
Bonitas caizinnas devidro enfaitadosi
pedras.
Ditas de madeira envernisada coa ?tapo-
ras e com dminos,
Bollas de borracha para prinqoaaa *
enancas.
Diversos objectos de porcelana, .
para enfeites de mesa e de lapinhasC
A ra do Duque de Caxias n 21.
(ANTIGA RA DO QUEMADO)
Receben e segu nte :
Espetaos grandes donrados, moldes bonitos.
Carteiras, charnteras e port-cigarros de maita
qaalidades.
Bonitas pastas para papis, simples e matisadas,
Boas caixas vasias para costara com saa compe-
tente chave.
Delicadas- caetas de marfim com o bocal d
prata.
Modernos pentes de tartaruga, sobresabindo en-
tre elles os mimosos telegrapbistu.
Commodos toucadores com duas gavetas e bom
espelho.
Port bonqnet, o que de melhor tem appare-
cido.
Port relogios de mnitas qaalidades.
Bons talheres para changas.
Vostoarios, chapozinhos, toacas, sapatos e meiai
para baptisados.
Toalhas e fronhas de labyrintho.
Chapeos e chapelinas para senhora, moldes novos
e bonitos.
Chapozinhos gorros e bonets para meninos
meninas.
Contra as convulsas as
crianzas
Vende-se os verdadeiros collares na Nova Espe-
ranca, rna do Dnqne de Caxias n. 21.
PARA UNGIR CABELLOS
para pretos oa castanhos, recebeu a Nova Espe-
ranza a verdadeira tinta ingleza.
PARA ACABAR COM AS SARDAS
on pannos, tem a Nova Esperanca o verdadeiro
leite de rosas brancas.
AGUA DE FLOR DE LARANIA.
Vende-se na Nova Esperanca, ra do Duque de
Caxias n. 21.
PAPEL PARA ENFEITAR-SE BOLOS
recebeu-os muito lindos a Nova Esperanca, ra
do Duque de Caxias n. 21.
PARA AMACIAR E AFORMOSEAR A PELLE
tem a Nova Esperanca es sabonetes de pos de
arroz.
0 Bazar do Pavao sito a ra da Imparatjiz n. 60, esta' constantemente abert o
das 6 horas da man hita as 9 di noute.
Calcados estrangeiros
Grande sortimento de calcados de todas as qaa-
lidades para homens, senhafas, meninos e meninas
pelo preco mais razoavel do que em outra qaal
quer parte : na loja de calcados de sobrado ima
relio da ra da Cruz n. 21.
F ra exames.
TRADUCgO INGLEZA
DOS
TRECHOS CLASSICOS
POR
C. f. PALMER,
B?.-4*000.
________LIVBAItA FRANCEZA_________
Libras sterlinas.
Vende Joaquina Jos Ramo: na ra da Cruz
n. 8, 1 andar.
Maita attenpao
O Campos da roa do Imperador n. 28 acaba
de rec-eber em sea armazem, urna partida de se-
mentes de hortaliza que passa a mencionar as
qualidades e preces.
_ A saber :
De salsa, a 60 reis a oitava.
De coentro, dem..
De repolho, idem.
De ervilhas brancas, a 600 reis a libra,
De ditas tortas roaxas, a 800 reis a libra. .
De bracolas, a 60 reis a oitava.
De pepinos, dem.
De fijo ervilha papo de rola, a 400 a libra.
De dito amarello, idem.
De dito meia-cara, idem.
De dito cor de gaoga, idem.
De tomates grandes, a 60 reis a oitava.
De eijo de 7 aonos para grao, a 400 rs. a libra.
De 'dito de 7 anuos rio, idem.
De espnaifres, a 60 rs. a oilava.
mmwmmmmmmmm wsmmmwam
I o
N.\RI!tD0(lN.3iU
I AHTI10& 1RMA0S |
Com este titulo acba-se aberto e inteiramente transformado este antigo
estabelecimento de joias, onde os fregnezes e amigos encontrarlo todo qoanto
a moda e o bom gosto tem inventado na arte de onrvesara, o Collar de Onro
observar delicadeza no trato e senciridade e modecidade nos precos.
Espera qne o respeitavel publico venha ver o que existe de melbor em
adereeos de brilbantes, esmeraldas, robins e perolas, meios adereeos, pal-
ceiras, brincos, alfinetes e anneis de todas as qualidades, prata de lei faqoet-
ros, colberes, palileiros salvas e outros mnitos objectos qne seria enfadonno
mencionar.
Compra-se onro, prata, brilbantes e pedras finas, pormaior preco da
qoe em oatra qnalqner parte, troca-se e concerta-se todo e qnalqner objecto
pertencente a esta arte.

Val nova de L*boa
Vende Joaqun, Joe Ramos: roa da Croi n.
8, l* andar
Uilll UIIDKAr.
Loorenpo P. Mendes Guimares
RUADA MPERATRIZN. 72
Tndo resolvido o sen propietario liquidar todas as fazendas existentes as loja
Garibaldi e Arara, convida ao respeitavel publico, amante da economa, i visi'jrem a
loja da rna da Imperatriz n. 72, pois s deseja apurar o dinheiro.
Arara vende madapolio enfestado a 3.-3300; Para liquidar vende bramante de li-
nbo e algodo a 4#800 o metro, dito de
linbo paro a 25300, esta fazenda pro-
.

a peca, ditas de 24 jardas a 50000, 60JOO,
65500, 75000, 85000, 95000, e 105000.
Vende-se cortes de casemiras*de cores
para calcas a 45000, 55000.
Para liquidado vende-se algodo de lis-
tras propro para caigas, camisas e saias
para escravos a 160 rs, o covado.
Na ra da Imperatriz vende-se chailes de
merino estampados e de barra a 25000,
25500 e 35000.
Arara vende cortes de casemira preta
para caifa a 35590, 45000. 55tOO, 65000,
75000, e 85000.
Para liquidaco vende-se brim pardo liso
bom a 500 rs, o metro, dito transado a
720, 900, e 15000 o metro.
Para a cabar vende-se dazias de lencos
brancos de cassa a 25000, e 35600, ditos
de linho a 55000, 65900.
Na rna da Imperatriz vende-se cobertores
de algodo a 15400 e corbertas de chita a
15500.
Para liquidado vende-se cortes de casto-
res para calcas de homem a 500 rs.
A Arara vende chitas largas para vestido
a 240, 280, 320, e 360, rs. o covado.
O barateiro vende percalas finas para
vestido a 440, rs, o covado.
Em liqaidaco vende-se alpacas para ves-
tidos de Sras. a 500, rs, o covado.
A Arara vende lazinhas para vestidos de
Sras. a 320, 400 e 500, rs, o covado.
OGuimar3es vende mursulina de c6r
para vestido de Sras. a 440 rs. o covado,
dita branca a 500 rs.
O Mentes vende fusta o de cores par-
vestidos de senboras a 360, o covado.
0 Loarenco vende cassas finas para ves-
tidos 240, 360, 400 e 440 rs. o covado.
Arara vende alpacas de lista para vesti-
dos de senhoras a 500 rs. o covado, ditas
lisas a 500 e 640 rs. ocovado, ditas^matisa-
das a 640 rs. -
pra para lences e toalhas por ter 10 pal-
mos largura.
Vende-se cortinados para cama fr*"eaza
a 15400 o cortinado para liquidar.
Arara vende cortes de chitas para
dos a 25500,25800 e 35200 o com
liquidar.
Vendeo-se cortes de cassa a 21500
corte s na liquidaco a da imperatriz.
Vende-se cortinados para janellas a 64
a peca para liquidar.
ECONOMA
Vende-se duzias de collarinhos de pa-
pel a 240 rs. para acabar.
Arara vende laasinhas transparentes para
vestidos a 500 rs. o covado.
Liquidaco, vende-fs paraoeito So a
25200, 25500, 35. 35500, 4|, i|, pre-
prio para calsas e palitos por ser bea fa-
zenda e barato.
Arara vende cortes de bria pan ca-
sas de bomem 15500.
Vende-se cortes de psealas de dos saias
para senboras pelo barato preco de a 64.
cadaum.
Grande liquidaco de ronpa feita.
Vende-se palitos de alparca e de
a 25.
Vende-se ditos de ganga para
a 25.
Vende-se ditos de brim de algodo
eos a 25.
Vende-se ditos de meia casemira a 25
Vende-se coletes de brim de cores a 14'
Vende-se ditos de meia cu caraira a SfBoC
Vende-se calcas de algodo azul a 500 rs.
Vende-se dita de algodo de listras a 800 n
Vende-se ditas de brim pardo 25, U60C
e 25500.
Vende-se calcas de casemira da
a 6585.
Farinha da trra
moito superior, depositada em barrieas, no arma-
zem do Sr. Angelojlaptista do Nascimento, ao p
do caes dos vapores no forte do Mattos ; vende-se
aos alqneires, a tratar com Bernardo Jos de
Aranjo no armazem'do Sr.Annes defronte da al-
fandega. ____^__ z.___________
CHEGAMM
m GiZGU
Ghefou ao antigo deposito 4* Heary
, roa do Imperador, nm earrepma
de primeira qaalidade; o qnal a* vate a
t a retalbo por menos preco do fne
Taer parte.
Especialidades.
Continuara a achar-se a venda na
i ootica n. 88, os mni eonbecido e aei
roqos instantneos apnenlo- med08 d3 y6]imei e ,**
ados por preqo mnito
do: na ra Nova n. 28, loja de
Antonio Pedro de SonzaSoares.
Bombas completa para ca-
cimba, por diminuto preqo, na
mesma casa.
ro Oireiti
Cigarros da imperial
fabrica de & Joao
de Nictheroy.
nico daposo em Panumonco caes da alfau-
dega vaina n. 1, i* anda.
nnm mn- los fpitos era Paris- bem eomo ropaa -
deina de Berth, de rbano iodado, de radore de
Ierro de Blancard e aa plalas do aman, acoral
de cereja, pos de Roc, deparando de Catite,
digital de Labellony, plalas oa eoatritw de ka-
mutbo de Cbevrier, e outros medi
proflciencia qaando erapregade
viaa respiratoria;, as dores
amarellido, na falta completa on imiaaiidali
de menstruo, as diarrhas, doencas do eoraaio
e do estomago, tem sido e InaoaaateHii, aa
visU dos benficos resoltados das pnrkaaMaaies
oa uso que diversas peinas dala) Mam salo, as-
incoase da plalas sassaasdas stavas sa-
tos febris oa ataist; ekisaas) taasaa aa ssssnu
casa, alea de saBaeate qnaiasate da dangas,
u-Doio peqsootort^s4sdetsaa,slet** I
nbaca pincs, .oa sa
em oatra parta.

1
_-_


b


scc
........II X.
HliSICl
Sahiram luz
As ras em contradao^a.
nor aa Ba- vista, valsa: a venda no grande ar-
mazem de pianos e e msicas de Axevedo, roa
^o-.44, **** m *> *lrio da Wctoria,
N. B. Boga-ee ate Srs. assignantes de msnda-
rem uscar" as pe?as de suas asignaturas.
Ultimas publicaces da imprensa oational
de msica.
N. 1. Piano. Annetta, polka brilhante, ptL
Smohz, SjOOO. H
N. 1 Piano. Minerva, polka brilhaale, por Colas
rilho, a
N. 3. Piano. Chico Diabo, polka brlioaate, por
, 500. *
N. 4. Piano. Urna lagrima, Mararica, por Ma-
lllee B. Zocchi. IfT.
5. 5. Piaa Morte de Lopes, polka marcial, por
11.
N. 6. Piano, La Grande Duchess, polka por Lu-
cien LamBert, if.
N. 7. Piano. Carmen, Anita, La Playera, 3 pol-
ka dos cavalliohos, U.
N. 8. Piano. Le Souveoir, valse de saln, do
E. Casalbore, l.
S. 9. Piano. Santraha, Maroca, 2 valsas dos ca-
vallmhos, ijOOO.
N. 10. Pianr. Chant D'Oiseaux, polka, por E.
Usalbora, tx. v m
fLM.Plin0- A D6r da Boa-vista, valsa, por
Jos Coelho da S. A., 13. ^
N. 12. Lagrimas d'Anrora, Maiorka, por J. J.
N. i3. A esusada de ferro, qnadrilha, por Hen-
nque Albertaui, la. ^
N. 14. Canto. Sania Lucia, barcarola napoli-
tana, por Gennaro Arnaul, Ij.
N. lo. Canto, Marta Aria, para M. S. M' aqqari
intt amor, de Flotow.
^-J6. As roas em cowradanca, quadrilba, por
ZAR DA MODA
DE
Jos de Souza Soares & C.
BCA DO BIRAO DA VIT4IKI i
(OUTR'ORA NOVA)
Apresetua-se metaovTpbozeado do qoe pode haver de mais-beUo e aaradavel em fa-
zendas finas para Senberas artigo* de alta moda em Paris tanto para senioras como
para borneas e meninos.
n.-iBiT* forowts, perfomarias especiaos, variedade de lindos objectos para me-
amos e bnnquedos para enancas. *^
' CHANDE SORTIMENTO
Gonlinuamente recebido por todos os paquetes vindo da Europa aonde tem iia-
oeis correspondentes.
em Doces, fructas e flores
Ra da Cruz n. 13.
Sorvete todos os das, das 11 horas era dianto e
todos os sabbados aver de creme.
NOVIDADES
TRIUMPHO
7 Bua doQueimado 7
DE
MOREIRA & BASTOS
E cbegado a este novo estabelecimento o mais bello sortimento de fazendas
waa, sendo sua especialidade enxovaes para noivado.
Vestidos de blond de ,sda ricamente bordados.
Gorgurio de seda branco para vestido.
Colchas de seda pura, para cama com ricos desenhos.
Ditas de la e seda, id-m dem.
Ditas de crox, idem idem.
Cortinados ricamente bordado para cama e janellns.
Croxs para cadeiras e sofs.
Vestidos de cambraia branca bordados.
Popelines de lindos gestos.
Uas de diversas qoalidades, lindos gostos e modernas.
Ricos b-jurnos para passeio, com listras de setim.
Sabidas de baile o que ba de mais rico.
Crotones para vestidos com lindos desenhos.
Carnizas bordadas e sem bordados para senhoras.
Camisas bordadas muito finas para homens.
D tas inglezas para bomens e meninos.
LOJA DO PAPAGAIO
DE FAZENDAS E ROUPAS FEITAS
Kua da Imperatriz n. 40, esquina do becco dos Ferreir.
IOJA
II
^St^^SSSSM!^^ Pr em P"** d0 Ubelecimento beodas des.a tdJ^^SLS?.' "SltlS?8!!?. ^.T^ resPeiUvel Pn.b,ico
ciaade, e especialmente as Extass. familiis que est liquidando por precos bara-
vtr, S ?s a?tlgas fazendas 1ue existiam o* te estabelecimento, alm das que abaiio
ivr!^'onadas' ^J08 Precos mwecem toda a attencao do respeitavel publico que nao
?fl p ?m Pe^uena 1a!mtia refazer-se de qoalquer qualidadede fazendas que pre-
ireyme'se tamtiem qoe a meama loja tem feito sormento de fazendas moder-
ase.
blrtn mfa B." *orUr"8e d,88 ^ mai9 JPurad0 6 escolhido gosto, que vender mais
uardiu que qualqaer c
enfadonrSiieainh0' 6 Um 8rande SOrtmeDt0 de rooPas^ta de fazendas que
mencionar.
Ac$es da estrada de ferro
. de Oiinda.
na ra da Cruz n. 26, ar-
Vende^se 23 acSes
raazem.
Vende Joaquim Jos Ramos :
n. 8, andar
na ra da Cruz
Luvas frescas de Jouvin
w,ni SS de tapetei.pfa aarn,'c5es de salas, alcatifas para forro de sala, e o
fraude sortimeDto das acreditadas e verdadeiras
Esteiras da India
ontra loja.
Algodaosinho cora 48 jardas a 2800 a
peca.
MadapolSo entetado com 12 jardas a 30
e 05GO a peca.
Dito de 24 jardas a 54000 para cima.
Atoalhdos de linbo, e de algodlo tran-
cados, e adamascados por precos commo-
dos.
Chitas escuras e claras de 240 rs. o co-
vado para cima.
Cambraias de cores miodinhas a 240 rs.
ocovado.
Ditas mais finas a 560 rs. o metro.
Baloes de mussulina a 45 e 5(5000
Guardanapos de linho a 35O0 a du-
zia.
Bramante de linho a 20500 e 3^000 com
10 palmos.
Dito de algodao a 1(5800 o metro.
Meias para senhoras de 40000 a dozia
para cima.
Ditas para homens de 3)5000 a duzia
para cima.
Ditas para meninos e meninas de todos
os tamanhos.
Colchas de fustSo branco de 30200 para
cima.
CASA CAUVIN A- mawnier, Pharma^s^^->
- Boulevaid Sbartopl, SS PARIg.
WJVAS ESPECIALIDADES A. MARINIER
Apresenudas a Academia de Stieicias e ao Instituto de Franca,
IN JECCQ ^ a f0".'.dS ,>"""a de,eaidl d<>da pura
n W fa5cr df momento urna soluceao
Preveitivi e curitlv dai MOLESTIAS COrTAGIOSAS
CANDIDO ALBEKTO SODR" DA MOTTA de C.
:otn escriptorio e arraezem de gneros de estiva
traressa da Madre de Dens n. J4, tem para vender
j seguanle em conserva ptimamente preparado
em Paris :
Ehvilhas (Pehts pois).
Feiio verde {Haricots vertt).
Dito bm gbao (dem flageolUts).
Espabgos (Asperges).
Miscellanea de LEcuMF.s (UcuxAoine legumes).
Sekouras (Carottes).
Tomates (Tomates).
)]ocve de Bbxellas (Ckous de Bruxelles).
Alcachofbas (Fonds (Tartichants).
Espinafres (Epinards)
Gogumellos (Champignoiu).
(Cpes).
Pastis com trdffas (Pals truffs).
SEM TBLTFAS ( SdlU truffs)
ATM COM AZEITE (Ton d rhuile).
Tritffas simples (Truffs au naturel).
Sabdlnha em tomates (Sardine etc.)
Galantina com troteas (Galantins apee truflee)
FBAtiGO (Poulet). '
Pombo com ervilhas (Pigcot arec pois).
Gaixin-holas (Bcaisones).
Perdiz com azbitoxas (Perdix avec olives).
assada ( rolie).
Andorinha (Allouette).
Codorniz (Gaille).
Lamprea (Lamproi).
Picado (Andouillettes t.)
Salxicha (Saucissono t.)
Carne ccizade (Frincandeau 0.)
Reeebeu-se mais
Um completo e variado sortimento de papis
pintados e doirados de dilTerentes qualidades e es-
juisitos desenbos, proprios para forro e guarnicao
ae salas, gabinetes, escriptorio, etc. Na remessa
de3se artefacto tem havido o raaior gosto e capri-
.no da parte do nosso correspondente de Pars.
Cora urna mdica commissio sobre o custo da
fabrica vendemos este papel, pois desojamos ler
^irecUvameute um deposito dessa especialidade.
.\o armazem de Candido Alberto Sodr da Motta A
I, a travessa da Madre de Deus n. li.
Fumo e papel
Completo sortimento de fumo, tanto para cigar-
ros como para charutos, vindo do Rio de Janeiro,
Bahia e Rio Grande do Sul. Papel de seda, linho
e algodao, de differentes qualidades, proprios para
o fabrico de cigarros. Vende-se constantemente
no armazem de Canudo Alberto Sodr da Motta
* C. : travessa da Madre de Deus n. 14.
INJECTORPIIILTRO
do roame Je ura rclof io, servindo de
l-HII.TRO e SF.niNCA sem os
gravci inconvenientes de fragilidade.
ESTOJOS
Com
a forma, e de rolnme de um Portp-5lnl
COIENDO TODO lH\TAMENTO *
COLLYRIO
Contra as aCfeccois das palpebras
preparado sob a mesma forma.
BARTHOLOMEO f
Depositarios geral para e BRASIL c PORTUGAL
34, ra larga do Hosario. PEaNAMBTJOa
Ditas de cor de 35K)00 para cima.
Toalhas de rosto de 500 rs. para cima.
Cobertores de 15a Anos, a 8$ e 100000.
Ditos encarnados a 45500.
Ditos de algodao a 10500.
Cambraia tapada muito larga com pre-
gas e bordado, propria para sa ras preco barato.
Uazinbas Irences trancadas, com listras
largas proprias para saias de baixo, fazenda
inteiramente nova a 590 rs. ocovado,
Cambraias brancas transparentes e tapa-
das de todas as qualidades e precos.
Lazinhas tapadas e transparentes de
moitas diversidades de cores de 320 rs.
o cevado para cima.
Alpacas lisas e de furta cores a 500 rs.
o covado.
Cortes de percala de 2 saias a 4,5000.
Ditos de organdy de dito dito a 8(J000.
Cortes de 13a da Escocia a 6(J0OO.
Ditas em pefa a 500 rs. o covado.
Chales de merino lisos a 20500.
Ditos estampados de 40500 para cima.
Camisinhas de cambraia branca transpa-
rente, bordadas com enfeites brancos e de
cores a 30000.
Brigantinas brancas de 500 rs. ocovado,
Ditas de cores a 500 rs, o covado.
Lencos de cambraia de linho, e de es-
guio at o mais fino.
Lencos chineaes a 30500 a dozia.
Ditos brancos de algodao a 20500, mui-
to finos.
Fil hranco e preto, liso e de salpico.
Cortes de cambraia, brancacom salpico de
flor. v
Ditos de fil liso a 50000
Tarlatanas brancas, e de crei.
Peitos de linho bordados e lisos de es-
giio.
Camisas bordadas finissimas, proprias
para noivos com a competente gravata.
Punhos de linho para nomem a 10 o
par.
Colarinbos de linho lisos e bordados.
Gravatas pretas e de cores, tanto em se-
tim como era seda, ha de todos os gostos e
feitios.
ROUPA FEITA E POR MEDIDA NA LOJA
DO PAPAGAIO.
Sortimento de roupas feitas de todas as
qualidades, e feitios, para precos commo
dos, e quem comprar porcao para negociar
ter um abatimeuto razoavel, grande sorti-
mento de casemiras de cores com quadtos
e listras, casemras pretas, e pannos pretos,
azues e cor de caf, brins brancos, pretos
de cores e pardos, e manda-se fazer
qoalquer obra a vontade dos freguezes,
qoer para homens ou meninos, e por me-
nos preco que qualquer outra officina, e
para issoa LOJA DO PAPAGAIO acha-semu-
nida de um bom mestre alfaiate para bem
desempenhar qualquer obra da sua arte,
recahindo a responsabiiidade sobre o pro-
pietario da loja.
Dam-se as amostras de todas as fazend
a quem as exibir, ou mandam-se levar
lOBcaixeiros.
A loja do Papagaio acha-se aberta d
horas da manhla s 9 horas da noute."
Francisco Tdxeira Mendes.
muito
3 portas n. 53, ra Direita, 3 portas n. 53,antiya\
floja do Braga
um;
O abaTxo assignado, dono deste antigo estabelecimento tpnrln m Jai. M .
completo sortimento de ferragens, miudezas e ZEEtILei^LgL.Tttt* y*"*
diversos pontos da Europa os melhores objectos de sen MtiZESZLu? a! ?l3C3T em
mais conhecidos; pelo que convida ao respeitavel ----- Dt0 do8 raor,canK*
120
320
320
320
publico e a seus
a virem se servir dos objectos de suacareScaT Vfaie^mkk7Tor ETflJ.TJT'
em ontra qualquer parte, um sortimento completo de mE fL ^^?.?'0.,^ do
. um sortimento completo de
bem conhecido fabricante Cottorr Gin & C, ditas
machinas para descarocar algodao"
para costura, motores
Attenpao
Vende-se, e juntamente os poneos gneros que
ainda tem a taberna denominada Pedra Marmore,
sita roa Direita n. 4 ; a mesma est collocada
n'nm ptimo local, e tem bastante fregnezia : tra-
?a-se na ra da Madre de Dos n. 3i.
Grande pechnchaT
Ricos cortes de cambraia bordados com 10 varas
a 7,1, alpacas e lias de cores a 400 e 500 rs o
covado : vende-se na ra do Duque de Caxias n
19, loja de Leite, Pontes Je C.
ditos para fogo moinhos paxa caf de todos os'umanhos, d fabrica do anf JmZMS
dous. canos e de um, tanto inglezas como Irancezas, \oSt iffi2t ttF?Jl
de diversas qualidades e precos, bandejas chinezas saitr hrn JEZH?* ca/ e garfos
limalba de ferro, ac, e agn ha para So SJ7**arbante>, en-xofre' PaPe'
mente grande porcao de fogoso LgL5g"*P. "* ^ g.trte coMUnte-
cem numero de objectos, que se tornara enfadonho numera-Jos renham?1 mTS nm
53, loja de Lenidas Tito Loureiro, amiga loja do Braga. e&L \lwt* "
wAVrV
mmxmm mmammmm mmmmmm mmmmm
CASA CAUVIN a. ibuiei
Boulevard
PharmaeeuUco priviloaiado
suoooeaor
Sbaatopol, BB. PARS.
N0>!S fpECIALIDADES A. MARINIER
presentadas a Academia de Silencias e 10 histitato de Fruca.
IHtUiAU momento ama solnectb PBEVUTIVA S C
MOLESTIAS CONTAGIOSAS
Sob a forma de Pastilla, deredidae dosetda para faser da
ORATIVA du
10000
500
160
800
100
700
400
MCM-PHILTR0
Graves
do volume de um relogio, servindo
de PHitTBo e Seringa sem os
inconvenientes de ragilioade.
Coa a forma, e do toIotm de mn PorU-loed contenta
TODO TRATAMENTO.
ESTOJOS
COIuLYXttlO Contra as affeccois das palpebras, preparado sob a mesma forma.
BARTHOLOMEO G
Depositarios geral para o BRASIL e PORTUGAL
34, ra larga do Rosario. PKRNAMBTJOO. *
A 8^000.
Vende-se borzeguins francezes, obra gaspiada e
moito boa, pelo diminuto preco de 8f ; venham a
elles, antes que se acabem : na rna da Cadeia n
50 A, loja de miudezas.
pm iiii-ini-iii
A ESMERALDA.
A antiga loja de modas francezas ES- jfi
MERALDA, ra da Imperatriz n. 5, avi- M
sa s Ilustres familias que a teem honra- j~
do com a sua conflanca, que espera am f|j
bonito sortimento de enfeites das ultimas am
"das, raaBJado vir de Franca, e qne, |g
em virinde da guerra que asjola actual- y
mente aqneile paiz. tem retardado a sua fl|
remessa. Entretanto em qnanto nao chega f
rf^#rlirDeat' rewbem-w encoramen- M
u para preparar venidos vestuarios pa
trn,ipml'9adu^ bem eo," to*o que for 2
oenr de9,e tbelecimento es- 5
Doces, fructas e flores
Ra da Cruz n. 13.
Ha muito que esta provincia pedia urna casa
que bem satisflzesse as pessoas que sabera apre-
ciar o qne cima se v nesse dstico. E' nesse
estabelecimento qne se encontrara os melhores
doces de todas as fructas, sceos e de calda, doces
dovos de todas as especies de inassas, gelas de
naba, de araca, de pitanga e mao de vacca, ven-
de-se a retalho e em grosso para qualquer parte.
AprompUra-se bandejas com bolindos os mais de-
licados e com ricos enfeites, do que se encontra
grande sorlimjmto, presuntos em fiambre e outros
pratos que nao se podem dispensar em qualquer
testa, xaropes de grozella, taraarino, lima e ontras
fructas. Junto a este estabelecimento est ligado
um bello sitio que nelle nunca falum flores a vul-
sas e em boquetes ; apromptam-se boquetes para
noivos ricamento enfeitados de cravos brancos
cora toda a perfeicao e delicadeza, umitas varie-
dades de plantas para se preparar um jardim e
plantar um sitio. A' vista das encommendas fei-
tas se verificar o que cima tira dito.________
0_CEMEiNTO
unA?frZeiI PrUand. S se vende na roa da
Madre de Dos n. 22. armazem de Joo Martin de
Fechincha
Satas de lia com barra de cor a 5i,oaloes -dfl
arcos .14800, algodozraho com 4 paira J
peca com 20 jardas, chitas proprias]
para casa a 340 rs. o covado, laa escura i n m
o covado : na raa do Livramento n. '
RAPE.
franeez.
no eflno, t jurn da Bahia grosso e
Harro(
A M500.
Vende-se sapatos de tranca, ohra boa pelo di-
de mindtgas da rna daCadaia n.50 A.
Mho.
yend.Mmsacc|rjde8, de superior quali.
dade Mito nm\ por mnoa preco qne era nlrt
qualqaer parte : oa ra do Vi|ario o. 14, escrip-
lorio do Jote Lopes 6.

Vende se a taberna da ra da Seozala-noTa
39 : a tratar na fnssma. 0Ta
Vende-se
N rna dos Quarteis 1 urna arrnacao Drowia
para qualqner eslabelecmento, podendoo Slt
prador tirar ou flear na mesma bja onde S& -
quem qnizer pode iratariia na ra Nova n 4 '
Doces, fructas e fl res
Ra da Cruz n. 13.
Lanches todo- os dias, fruetts, naste 1.. >-
eado, folhados. doces mpiSis boB bCh
A5m:
c^herga^ de mmdezas da rtu da SA
nuJ
Eival sem segundo. Eival sem secundo
RA DUdUB DE CAXIAS 1. 4 RA DO DUQUE DE CAXIAS N. 49
(Anta rna dO Oflfiimadft) Es.to aposto a continuar a vender toda*
_,. mm*J as miudezas pelos baratissimos precos abai-
Dom e xo declarados, garanndo tudo bom e pre-
cos admirados.
120 Dozias de palitos segnranca a____
Duzia de palitos segnranca caixa
50U grande a...................
Frascos com oleo baboza moito fino.
o Pacotes com p.'is de arroz o me-
lhor que ba a,..............
Navalhas moito finas para fazer
barba a....................
Caixa de linha branr do gaz a..
Vara de franjas de lidho para toa-
lhas .......................
Caixas com pennas d'a?o de Perry
superiores .................
Lencos de cassa brancos e pinta-
dosa......................
Caixas com 20 quadernos de papel
pautado .......
Caixas com 50 novellos de liaba
do gaz a....., .
Ouzias de meias cruas superior
qnalidadea.......34600
Pe$as de babadinhos com 10 va-
ras a.........
Pe^as de tiras bordadascom 12
metros cada pega a 1500 e.
Pecas de fitas para eos de qual-
quer largura com 10 varas a.
Escovas para unhas fazenda fina a
Ditas para dentes a 240, 320,
400 rs. e....., .
Pecas de tranca lisas, brancas e
de cores a.......
Duzia de linha frxa para borda-
dos a 400 rs. e.....
Pares de meias cruas para m.'
nos diversos tamanhos a. > .
Dozias de meias brancas muito
finas para senhora a. .
Pares de sapatos de tranca do
Porto........
Pares de sapatos de tapete a. .
Dozias de baralhos para vultarete
Sylabarios portuguezes a. .
Cartes com colxetes t carreras a
Abotoaduras para collete diversas
qualidades.......
Caixas com penna de ac muito
boa de 320 a......
Caixas com superiores obreias a.
Duzia de agulha para machina a.
Libras de pregos francezes todos
os tamanhos a......
Pacote de papel com 20 quader-
nos ...........
Rdf ma de papel pautado superior
Resma de papel liso muito supe-
rior a .........
Contina a vender tudo
muito barato a saber:
Libras de areia preta muito boo. .
Tesouras finas para unhas e costu-
ra a......., .
Papis de agulhae francezas a ba-
lso a.........
Caixas com seis sabonetes de fruta I 000
Libras de la para bordar de todas
as cores a.......6*000
Carriteis de linha Alexandre a. 100
Frascos com azeite para, machinas 500
Gravatas de cores muito finas a .' 500
Grozas de botoes madepersla fi-
nissimos a....... 500
Novello de linha de 400 jardas a. 60
Caixas com 100 envelopes muito
superiores a...... 600
Pentes volteados para meninas a. 240
Tinteiros com tinta preta a 80 rs. e 100
Pecas de fita elstica muito fina a 200
Lata com superior banba a 100 e. 200
Frascos de oleo Philocomo moito
fino a......... 500
Frascos de macaca perola a. 240
Frascos de extracto moito bonitos a 500
Duzia de sabonetes muito finos a. 720
Sabonetes inglezes a 600 rs. e. 10200
Frasco com agua de colonia Piver a 500
Dito de oleo baboza a..... 500
Caixas de Iamparinas a. 40
Sabonetes a forma menino moito
superiores a....... 240
Lartilhas da doutrina fazenda nova a 400
Libras de linha sortidas de todos os
nmeros a.......1,5800
Capachos muito bonitos e grandes a 700
Carriteis de retroz preto, com 2
oitavas a........ 640
Agulheiros de osso enfeitados a, 240
Libra de linha franceza superior
qualidade a....... 20420
Caixas de palito do gaz a. 00
Attencao
Vende-se a arrnacao e pertences da taberna n.
II do largo do Terco, multo propria para qualquer
principiante : a tratar no sobrado por cima da
mesma.
GALLO VIGILANTE
Raa Os proprietario desle bem eooheefdo -ni m*_
cimente, alm des mu tos objectos qoe tkhaa
postos a apreciaco do respeitavel pubse, sm.
daram vir e acabam dfl reed>er pelo ultimo m^
da Europa um completo e v inado sprtineai.^,
finas e mtri delicadas especialidades, as lio resolvidos a vender, con de sea co4sbsh,
Sor precos muito baratabas e eommoo. pan sa-
os, com tanto que o Gallo....
Muito superiores lavas de pellica, pretas, sts-
eas e de mui lincas cores.
Mu boas e bonitas goilinhas e poabos pan m-
nbora, neste genero o que ha de mais moifena.
Superiores pentes de tartaruga para eoqpmx
Lindos e riquissimos enfeites pan cabina m
Exmas. senhoras.
Superiores trancas pretas e de core, coa 1
inos e sem elles; esta fazeuda o que podo I
de melhor e mais bonito.
Superiores e bonitos leqnes de ma**
marrn, sndalo e osso, sendo aqneile. bn
com lindos desenhos, e estes pratos.
Muito superiores meias fio Ae Escom, para-
nhoras, as quaes sempre se venden* por 3J ~
a duzia, entretanto qne nos ai vendemos por:
aim destas, temos tambera grande sortirr
outras qualidades, entre as quaes aleumas
unas.
Boas bengalas de superior cama da
casto de marlira com lindas e encantadoras I
ras do mesmo, neste genero o qne de m4
pode desojar ; alm destas temos ttwktm 1
quantidade de outras qualidades, como
deira, baleia, osso, borracha, ote. ote. etc.
Finos, bonitos e airosos cnicotinbos de ademo
de outras qualidades.
Lindas e superiores ligas de seda e boratmi
para segurar as meias.
Boas meias de sed. p.-ira senhora e para smmV
nas de 1 a 12 annos de idade.
Navalhas cabo de marrn e tartaruga pan (mar
barba ; sao omito boas,e de mus mais siomv
rantidas pelo fabricante, e nos por aossa va mm-
bera asseguraras's sua qnalidade e delicadeo.
Lindas e bellas capellas para noiva.
Superiores agulhas pan ma.;hina e pan eras*.
Linha muito boa de peso, frouxa, pan enctm
Iabyrintho.
Bons baralhos de cartas pan vollarate, wa
como os tentos para o mesmo ttm.
Grande e variado sortimento das metheres tm-
fumarias e dos melhores e mais conheeita mm-
fumistas.
COLARES DE ROER.
Elctricos magnticos contra as nimia1 eos,
facilitara a denticao das innocentes eriaacaa. So-
mos desde moito recebedores destespr ~
collares, o continaamos a recabe-los por
vapore-, alim de qne nunca faltem no mer
tomo ja lera acontecido, assim pois poderi
es que dees precisaren!, vir ao deposito do i_
vigilante, acude serapre encontrarao deses wrmv
Qoros collares, os quaes attendendo-se ae mn
Sara que .ao applicados, se veaderao com na mm
iminuto lucro.
Rogamos, pois, avista dos objectos qoe 4exama
aeclarados, .103 nos-ios rregnezm e untos vinm
comprar p..r piceos omito rizoaveis loja do ral
vigilaute. na do rrepn r. 7.
R-ante-rlieumtico.
Remedio efficacissimo contra as dores roeuma-
ticas at boje o mais conbecido pelos seus mara-
vilhosos resultados.
XABOPE DE AGRIAO.- um dos medicamen-
tos que sua eficacia as enfermidales, tosst e
sangue pela bocea, bnnebites, dores e flaqueza
no peito, escrobuto e molestias d. flgado, qoe me-
lhor tem aprovado.
TINTURA DE MARAPUAMA.- A celebre raiz
de marapuama, coja energa e eficacia as para-
lysias, i o torpee i meato, ote. eto. maito.se reeora-
aienda.
Todos esses preparado se encontrara na phar-
macia e drogara de Bartholomeu & C, nico de-
posito na roa larga 4o Rosario n. 34.
**^........ 1 i'*^ ii
Antes que, se acabem.
Medalbas de prata mac: Gr: 30 : vende-se na
ra larga do Rosario n. 34
Coeheira.
Vende-se a coeheira da raa da Pax n. 13, bem
ifreguezada, com 4 otros, sendo de abrir e fe-
ttar, 1 fechado e I aborto, e al cavallos gwdos,
Mos de parelha, Unto par. o mato como par a
pasca; so dir. rue de se vender o oom-
*ca;
ador.
icoenei
- Vende se ama coefioira na ra do Imperador
n. 17; a tratar na mema.
500
20000
500
500
500
40
500
320
40500
20000
40500
30000
400
20
400
50C
40
20000
240
4O0
40000
30600
que admira!!!
Tarlatana de cores a 400 rs. o metro, mtdapolio
franeez a 64 a peca, cortes de lia com 14 corados
a 3J, cassas de cores a 240 rs. o covado, chitas
escuras a 220, 210 e 260 rs. o corado meias para
senhora 3# a duzia, alpacas de cores a 400 rs. o
covado, lencas brancos Stolianhados a ij a duzia,
cretooe proprio para lences a 1**00 o metro, d
toda esus fazendas se dao amostras : n. roa do
Ddqne de Caxias, antiga do Quelmado, n. 29.
FogSo de patente.
Vende-se em casa dos importadores Shaw
flawkes*a,madaCruxB,i
Jcordeiro prevideat*
Rea do lueimado n. I.
Novo e variado jortimento de perfumar
finas, e outros objectos.
Alm do completo sortimento de perf r
marias, de que efectivamente est pro .ida
loja doCordeiro Providente, ella acaimv4
receber um outro sortimento qne se tora
aotavel pela variedade de objectoa, superior,
dade, qualidades ecomnndidad^ de .
eos; assim,pois,oCordeiroPrevident pe
e espera continuar a merecer a acreuael-
do respeitavel publico em geral e mi nt
boa freguezia em parcalar, nao se ama
lando elle de sua bem ommVkteaaEJmm
e barateza. Em dita lo.tr, eBeontnrle o
apreciadores do bom:
Agua divina de E. Coudray.
Dita verdadeira de Murray 4 Lamotn.
Dita de Cologne ingleza, americsca, ,'rai
ceza, todas dos melhores emaisacredj^:
fabricantes.
Dita de flor de larangeiraa.
Dita dos Alpes, e violeto para toilet.
Elixir odontalgico para conserva^o 4
isseio da bocea.
Cosmetiques de superior qualidade c fem
ros agradaveis.
Copos e latas, maiores e menores, cea
pomada fina para cabello.
Frascos com dita japonesa, transparaos-
a outras qualidades.
Finos extractos inglezes, americanos
francezes em frascos simples e enfeitados.
Essencia imperial do fino e agradare! dMl
ro de violeta.
Outras concentradas e de cheiroe igual-
mente finas e agradaveis.
Oleo pnilocome verdadeiro.
Extracto d'oleo de superior qualidsdt
com escolhidos cheiros, em tascos ded
rentes tamanhos.
Sabonetes em barras, maiores e menor
para inos.
Ditos transparentes, redondos e em fifi
ras. de meninos.
Ditos muito finos em caixinha para bartK
Caixinhas com bonitos sabonetes imitase,
fructas.
Ditas de ma deira invermsada ccntendC
as perfumaras, muito proprias para pk
lentes.
Ditas de papelio igualmente bonitas, tac
bem de perfumaras finas.
Bonitos vasos de metal coloridos, t
moldes novos e elegantes, com p de arr
e boneca.
Opiata ingleza e franceza para dentes.
Pos de camphora e ontras dSermmi
qualidades tambem para dentes.
Tnico oriental de Kemp.
Anda mais emeime*.
Um outro sortimento de coques de.as
vos e bonitos moldes com filete de vdrjp
e alguna d'elles ornados de flores e fltm
esto todos expostos apreciaco de emv,
os pretenda comprar.
GOLLINHAS E PUNHOS BORDADOS,
Obras de moito gosto e perfeicio.
FlTellaa e flfaa mar elaes.
Bello e variado sortimento de taea objmr
tos, ficando a boa escolha ao gosto do eca>
prador.
JoaquimEodriffues Ta-
vares de Mello,
TEM PARA VENDER
em sea escriptorio, prnca doCorpo Samo
Fumo em folhk
de 1' e 21 qualidade, e vende nm u mais i
fardos vontade dos eoiapradare.
Cal de Lisboa
ultima ebegada.
PotassadaRussia.
Farlaha de aiandloea.
Vinho Bordeaux.
de 1* qualidade. Todo de vunl mais ]
barato do que em outra qaal Vendem-se punes de ua orado de rea i
Aortas: pessoa que pretender comprar dn*
* roa Imperial b, U.



8
Diario de Pernambuco Sabbado 8 de Outubro de 187o
s


UTTERATDBA.
A Terra.
ESTCDS ASTRONMICOS.
(Continuaco)
O movimento da ierra
Em torno "m eixo-certo
Prodoz a noute e o da
N'um regulado concert.
Com effeito; a luz do sol
So Ihe pode luminar
A metade que p'ra elle
A rutago faz voltar.
Essa barrta gosar
Do calor e luz do sol,
Variando do crepsculo
T is cores do arrebol.
A ootra ban la porm
Que se acha em densas trvas
Kelcmbra esse hemisplierio
Do chaos as eras coevas.
E cono seu movimento
Em torno ao eixo polar
De repouso um s minuto
N5o deixa^a trra tomar,
V-se que todos os pontos
Da nossa esnhera sadia
Cada qual por sua vez
Desfructa da noute e dia.
Em torno do sol a trra
Na translagab regulada
Descreve urna curva plana
Perfeitamente fechada.
Essa curva ama elipse.
Dita eclptica na sciencia,
Porque s n'ella os eclipses
Tem lugar e existencia.
Ella faz com o equador
Um augolo muito notavel
De vinte tres graos e minutos
Sempre constante e estavel.
V-se pois que o eixo terreo
E' sobre ella inclinado
Em qualquer ponto da rbita
D'um ngulo determinado.
Do equador o plano corla
A eclptica j fallada
Segundo urna linJia recta
Dos equinoxios chamada.
A eclptica tem doas eixos
De desigual comprimento,
No maior estSo os focos
Aos lados do cruzamento.
' N'um dos dous focos se acha
O grande sol creador ;
A linba que o liga trra
Se cbama raio vector.
Um extremo do eixo grande
Tem o nomeperihelio,
O outro que Ihe opposto
Se denomina deaphelio.
A' esses pontos extremos
A sciencia em seus resquicios
eu o nome especioso
De pontos dos dous solsticios.
Eotr'as leis da astronoma.
Urna das mais importantes
E a dka le das reas,
Cujos usos sao constantes.
Esta lei consiste em que
Da trra o raio vector
Descreve reas iguaes
Em tempos de igual valor.
Oa que as reas percorridas
Por essa notavel linba
Em proporgo sempre esto
Cornos tempos que ellacaminha.
E, como os raios vectores
Variam de A' medida que na rbita
Segu a trra o movimento ;
V-se que os arcos descriptos
Na curva em tempos iguaes
Por forga das circumstancias
Tem extenfoes desiguaes.
E d'ahi logo conclue-se
Que da terra o movimento
Em torno do sol festivo
Varia cada momento.
Mas como a terrestre rbita
curva mui regular
Em simetra disposta
Em torno do astro solar;
V-se'com toda a clareza
Que da trra a translago
E' feita regularmente
Com uniforme variago.
V-se mais que o movimento
Se accelera ao perihelio,
E que ao contrario lento
as vizinhangas do aphelio.
Do aphelio ao perihelio
Elle e sempre accelerado,
Do perihelio ao aphelio
Ao contrario retardado.
Os pontos dos equinoxios
E os pontos solsticiaes
A eclptica dividem
Em quatro partes iguaes.
Mas como da terra vario
Sobre esta o movimento,
Visto ser o vector raio
De desigual comprimento ;
V-se qu'essas quatro partes
De comprimentos iguaes
Pela terra sao descriptas
Em tempos mui desiguaes.
Esses periodos de tempo
Tem o nome de estagoes,
E todos juntos completara.
Um anuo de evoluges.
A inclinado da eclptica
Sobre o piano do equador,
E da terra o movimento
Digressor ou translator ;
Sao a causa eficiente
Da existencia de estagoes,
E de ter a noute e o dia
Mui diversas gradagbes.
Gom effeito, o eixo terreo
Se aehando assim inclinado
==
,, l..,^.r..,)0 ',j.
"..i""


-i
=
Sobre o plano da eclptica,
Como j foi demonstrad.
E demais guardando elle
Qoasi a mesma inclinadlo
E conservando em geral
Parallela a direceSo";
V-se que do sol os raios
Vao caliir os continentes
Nos varios ponfos da rbita
Em direegoes divergentes.
E por tanto sendo varia
Na intensidade e valor
A porgo que ella recebe
Quer de luz, quer de calor ;
V-se que os das solares
Variriar5o de grandeza
Para qualquer parallela
Da terrestre redondeza.
Isto : o dia e a noute
Em geral defirirlo
Nao smente no calor
Mas tambem na duraco.
Quando a tera toca os pontos
Chamados equinoxiaes.
Os raios do sol Ihe cahem
Qaasi em liunas verticaes.
N'esses pontos s3o os das
Rigorosamente iguaes
As noul.es respectivas
Para todcs os mortaes.
Quando porm ella se acha
Nos pontos solsticiaes
Das e noutes se tornam
Muito e muito desiguaes.
N'esses pontos v5o cahir-lhe
03 raios obliquamente,
De sorte que alguns lugares
Tem Jtrvas constantemente.
Os dous solsticios se acham
No espago infindo azol
Cada qual n'am hesmipherio
Um ao norte outro ao snl.
Quando a trra est no norte
Reina abi grande vero,
Ao passo que no outro polo
Ha invernosa eslago.
A reciproca verdadeira
Mudadas as posices.
Visto como sao inversas
As terrenas estagoes.
Estes periodos do anno
Nomeados assim sao :
. O fresco onlono, o invern,
A primavera e o vero.
A partir do equinoxio
Da balanca nomeado
At chegar ao solsticio
Que de icrao chamado ;
Os das va o augmentando
E as noutes diminuindo
Para um polo, que no outro
Vai-se o verso sentindo.
Para a parte sul da terra
O maior dia ento c
O vinte e um de dezembro,
Que dia de S. Thom.
Esse tempo condecido
Pela gentil primavera,
Que na vasta nature/a
Graneles mutacSes oppra.
A partir d'esse solsticio
T de aries o equinoxio,
Os das vao decrescendo
Com signaes de grande ocio.
Durante todo esse tempo
As noutes vao augmentando,
Mas menores do que os dias.
Sempre e sempre vao ficando.
Esse periodo o tempo
Que ue vero chamado,
E que vinte e tres de margo
Seu curso tem completado.
A partir d'esse equinoxio
V3o os dias decrescendo,
Menores do que as noutes
Constantemente jazendo ;
At que chega o solsticio
De invern denominado,
Que vinte e dous de junbo
Temo seu praso expirado.
Este perodo do anno
E' o chamado de outono,
N'elle os seres se preparam
Para o invernoso somno.
A partir d'esse solsticio
Vao os dias augmentando,
Mas menores do que as noutes
Regularmente ficando;
At que chega de novo
O equinoxio da balanca
Onde o periodo invernoso
Completa sua pujanga.
De setembro vinte e dous
N'esse ponto toca a terra,
Completando a curva plana
Onde a digressao encerra.
D'esta exacta exposigo
Com mui rigor se avaha
Que papel as estagoes
Tem a grandeza do dia.
V-se que, na primavera
E no correr do vero,
Do que as noites tem os dias
Sempre maior duragao.
V-se mais que no outomno
E na invernosa estagao
sempre menor o dia
Do gue a noite em extenso.
Assim, pois, a duragao
Do dia solar chamado
Traz da terra o grande anno
Em dous tempos separado.
No primeiro elle sempre
Que tem maior durado,
No segundo tem a noite
Predominio de extenso.
Deduz-se anda do exposto
Que a duragao do dia
Para ambos esses tempos
Diversamente varia.
E portanto que do dia
O modo de variages,
Urna da ootra distingue
Cada duas estagoes.
No correr di primavera .
o ia em crtacii Meto,
pajjso que no verte
Tein o inverso "cabimento.
Ao contrariono outomno
Vai o dia decrescendo,
Ao passo qoe no invern
Vai elle sempre crescendo.
E' assim qne se distingue
Do anno as quatro estagoes,
Pela grandeza dos dias
E por suas variages.
Tambem se poda fazer
Entre ellas distnegoes,
De suas temperaturas
Seguindo as gradaagSes.
Na primavera e verlo
A trra mais aquentada
Por maior somma de raios
Que do sol Ihe mandada.
A razao disto provm
De se achar o astro exposto
Por mais tempo aos quentes raios
Que do sol Ihe do de rosto.
No ootomno e no invern
Ella menos aquecida,
Visto como a aeco do sol
E-lhe mais amortecida.
Com effeito, nesse tempo
Os raios sao mais cbliquos,
E portanto os seus effeitos
S3o mullo menos proficuos.
Ao comegar o vero
J contm a nossa esphera
Urna porgo de calor
Que guardn na primavera.
Por isso nessa estagao
A terra se acha mais quente,
Tem mais vida e mais calor
Do qoe tem a precedente.
Alguns restos no outomno
Guarda sempre a nossa esphera
Do calor que recebe u
No vero e primavera.
Porm como a maior parte
Desse calor se irradia ,
Para os celestes espagos
Desse tempo em cada dia;
V-se qoe o fresco outomno
E' mais quente que o invern,
Que n'alguns pontos da terra
Dura um tempo quasi eterno.
Ao findar-se esse periodo
A trra tem esgotado
O calor que nos primeiros
Tinba em si alimentado.
Mas como ah tem nascenga
A primavera ridente,
Na qual os raios do sol
A terra beijam de frente;
V-se ser o triste invern
Mais fri que a primavera,
Cujo calor bemfazejo
A vida na terra gera.
A distancia que da trra
Vai ter ao sol creador,
Linba que da eclptica
Chamada o raio vector;
Em sua meda contm
Sem nenhum erro oo receio
De leguas trinta milhes
Mais quatro milhoes e meio.
Se n'um ponto da eclptica
Urna estrella fixarmos,
,E se del le o terreo gyro
A' contar nos comegarmos;
Quando a Ierra regressar
A' esse ponto ideal,
Ter completado o tempo
Chamado anno sideral.
O tempo que a terra gasta
Em duas vezes passar
Por um mesmo equinoxio
Que em seu gyro encontrar;
E' o tempo que na sciencia
Se chama anno tropical,
E do qual differe um pouco
O chamado sideral.
Com effeito, os equinoxios
Se deslocando por anno
Cincoenta segundos justos
Da eclptica no plano ;
E de mais sendo esse gyro
Em opposta direcgo
A' que segu a nossa trra
Na sua revolug3o;
V-se que o nosso planeta '
Mais quem os vai achar
Dos pontos em que deixoo-os
Quando os foi antes tocar.
E d'ahi logo conclue-se
Que o anno tropical
E menor em duragao
Do qoe o anno sideral.
O total deslocamento
Que tem esses pontos socios,
E' chamado na sciencia
Precesso dos equinoxios.
Foi Hipparco de Nica
Quem notou sua existencia,
E que logo a comprovoo
Com a sua experiencia.
A linba dos equinoxios
Ao eixo terreo polar
Devendo ser em rigor
Sempre perpendicular;
O grande Hipparco mostrou
Qu'esse seu deslocamento
S podia ser provindo
De um terrestre movimento.
E com effeito, estudando
Dos astros as posigoes,
Elle vio que o eixo terreo
Sonra deslocages;
E que estas se faziam t
Em torno da linha tpica,
Parallela 3 urna normal
Ao centr da nossa eclptica;
Qne portanto desse eixo
Os movimentos completos,
Pelos vrtices ligados
Gera va dous cnes rectos.
Der rulando
Cent Ai grande precislo
Desse sobtil movimento
O lempo de duragao ;
Acbou qoe continha ao todo
Annos vinte e cinco mil
Oitocentos e sessenta
E oito, sem mais ceitil.
Depois dello o grande Bradley,
Estodando a precesso.
Descubri outro phenomeno
A' qoe chamon nutaco.
Este phenomeno consiste
Em um certo movimento.
Que tem o eixo terrestre
No geral deslocamento.
Nesse mover o eixo terreo
Descreve dous cnes rectos
Em dezoito annos justos
Mais oito mezes completos.
Esses cnes pelos vrtices
Sao justamente ligados,
E tem por bases elipses
De eixos pouco alongados.
O eixo destes dous cnes,
* Que a media posigao
Do eixo da nossa terra
Nessa sua rotago;
E a linha que descreve
Os dous cnes circulares,
De qae se occopou Hipparco
Em estudos regulares.
Segundo observa Bradley
E' devida a precesso
Aos edeitos combinados
Desta dupla rotago:
Do eixo da terra em torno
Da sua posigao tpica,
E desta em torno do eixo
Normal ao entro da eclptica.
Se a terra fosse urna esphera
Regularmente formada,
E nao fosse nos seus polos
Um tanto ou jjuanto achatada ;
Do sol e da nossa la
As constantes attracgoes,
Ao seu eixo n3o trariam
Continuas oscilagoes.
As attracgoes aeste caso
Nullos valores teriam,
Visto como pelo centro
Do planeta passariam.
E da terra o grande eixo
No mover em translago,
No espago guardara
Sempre a mesma posigao.
Mas sendo os raios da trra
Mu desiguaes em valor,
E tendo ella mais massa
Na direcgo do equador;
E de mais tendo o sea eixo
Urna certa inelinago
Sobre o plano da eliptica
Onde faz a evolugo ;
V-se bem que a resultante
Da grandee dupla attraegao,
N3o tem no centro da terra
Seu ponto de applicagao.
Mas como s nesse ponto
Tem toda a concentragao
A forga que determina
Da terra a revolugo;
Conclue-se qne as duas forras
Um binario vao formar,
Tendo por effeitos uteis
Os dous phenomenos gerar.
Em resumo v-se, pois,
Qoe a precesso e nutaco
Tem por causa o achatamento
E do eixo a inclinago.
cepcio do art. 13, proceder o presidente
nos termos dos arls. 45 e 46.
Art. 19. A facaldade conferida ao pre-
sidente di provincia no art. 24$3 do acto
addicional nao applicavel a leis e resop-
ges j sanecionadas, nem s mencionadas
na excepgao do art. 43.
* Art 20. A attribuigao, que pelo art. 24
3. do acto addicional, compete ao presi-
dente" da provincia, nao pode ser exercida
sobre parte smente do projecto de lei.
Art. 21. S depois de decorrido o prazo
do art. 49 do acto addicional pode a assem-
bla provincial ordenar a publicaco da lei,
como dispe o final do mesmo artigo.
Art. 22. As leis provinciaes existentes,
oppostas intrpretagio dada nos artigos
precedentes, nao se entendem revogadas
pela promuigagao desta lei, sem que exprs
smente osejam por actos do poder legisla
tivo gerai.
Esta disposigo. no que se ref re ao
art. 8. destalei, extensiva s leis de or
camento provincial e municipal, as quaes
podero ser repetidos os impostos j exis-
tentes contra a doutrioa do mesmo artigo,
emquanto urna lei geral nao fixar definiti-
vamente quaes os pertoncemes renda
geral do imperio.
< Paco da cmara dos deputados, 45 de
julho de 4870. Paulino Jos Soares de
Souza. .
fff
(Continuar-se-ha).
ASSEMBLEA GERAL
CMARA DOS DEPUTADOS.
PARECER DA C0MMISS0 E VOTO EM SEPARADO
SOBRE REFORMA DO ACTO ADDICIONAL, APRE-
SENTADO NA SESSO DE 4 4 DE SETEMBRO
ULTIMO.
(CoDclusoJ
f Art. 42. Iocluem-se na prohibigSo do
art. 42 do acto addicional, para os effeitos
declarados no art. 46, osprojectos que im-
portaren derogagab de lei geral (art. 7.
da lei de 42 de maio de 4840).
Art. 43. A palavra sanecionar do art.
45 do acto addicional significa que o pro-
jecto de lei, reenviado ao presidente em
qualquer das duas hypolheses no mesmo
artigo figuradas, deve ser publicado e man-
dado execotar nos termos do art. 48.
Art. 44. As palavras nova discusso
do art. 45 do acto addicional querem dizer
que a assembla provincial deliberar de
novo sobre o objecto em urna s discusso.
Art 45. A clausula do art. 45 do acto
addicienal, se for adoptado tal qual, ou
rectificado no sentido das razdes pelo presi-
dente allegadas, obsta a que a assembla
provincial modifique o projecto, a nao ser
para conforma-lo em todo com as razes
do presidente da provincia.
Se, porm, o presidente negar a sane-
gao, fundando-se ao mesmo tempo no art.
45 e no art. 46 do acto addicional, pode
a assembla provincial, modificando o pro-
jecto no sentido das razes deduzidas do
art. 16, reenvia-lo ao presidente na forma
e para os effeitos do art. 45.
Art. 46. Denegada a sanego no caso
do art. 45 do acto addicional, n3o pode o
presidente da provincia reconsiderar o pro-
jecto, quando Ihe fr reenviado, para recu-
zar-!he a saneco por motivos dedozidos do
art. 46.
Art. 47. Os dous tercos de que trata
o art. 45 do acto addicional sao dos mem-
bros presentes na assembla.
Art. 48. Incumbe ao presidente da pro-
vincia publicar as leis e resoluces de que
trata a 2.a parte do art. 43 do acto addicio-
nal, salvo sempre o remedio estabelecido
no final do art.. 19.
< Abrangendo, porm, essas leis e reso-
lages objectog ojo comprebeididos na ex-
Parecer da commisso respectiva sobre o
projecto de reforma eleitorvl apresen-
TADO A 22 DE JCLHO PELO Sr. MINISTRO
DO IMPERIO.
A commssao especial encarregada de
dar parecer sobre o projecto de reforma da
lei de eleiges apresentado pelo Sr. dipu-
tado Paulino Jos Soares de Souza, minis-
tro do imperio, e qual foram igualmente
presentes varios projectos de outros Srs.
deputados, vem cumprir seu dever.
e Ardua a tarefa pela gravidade da ma-
teria, base da representago nacional, e a
que mais p61e influir no desenvolvimento
moral e material de um paiz hvre, no gozo
das vantagens do sy3tema representativo.
Em these todo o systema eleitoral, di-
recto ou indirecto, por soffragio universal
on voto censitario pode ser aceitavel e pro-
duzir bons resultados; sua applicaglo po-
rm depende de muitas circumstancias e
essencialmente de sua exeengo. A maior
ou menor illustrago dos povos, a maior ag-
glomeraglo dos habitantes em gran-
des centros ou em territorio limitado,
a disperso delles por vastas ge longinqnas
extensoes, a acgo mais ou, menos di-
recta da autoridade podem influir efli-
cazmente para que qualquer systema
traga mais genuina manifestago da von-
tade nacional na|escolba de seus repre-
sentantes.
< Pode ser bom era um paiz o que nao
seja em ootro, e inepcia fra procurar trans-
plantar instituiges estrannas sem criterio
e aprofundado exame das circumstancias.
Se a liberdade poltica, diz Pontalis, est
indistioctamedte ao alcance de todo os po
vos, que passaram o tempo de menoridade
e de tutella, a legislago eleitoral est pelo
contrario subordinada, em cada estado, di
versidade das condignos do, estado social,
de que elle at certo ponto a iraagem.
O suflragio universal, que mais se ap-
proxima do ideal da sciencia poltica, eque
primeira vista parace dever ser o desi-
dertum das sociedades livres, pois impor-
ta o concurso de todos para a construeco,
conservagao ou progresso do grande edifi-
cio social poder, ser no futuro o melhor
dos systemas, mas as actuaos circumstan-
cias, nao diremos do Brasil, mas do mundo
difllcil ser affirmar que seja o que apresen-
ta melhores resultados. O suffragio univer-
sal pode satisfazer as velleidades da demo-
cracia pura, mas nao consulta os verda-
deros interesses da liberdade. Lancem-se
os olbos para a Franga, urna das nages
mais Ilustradas e adiantadas em civilisago
e ver-se-ba qoe all o suffragio universal
nao tem sido seno um instrumento de
destruigao ou de decepgo: de destruigo
quando pela agitago collocava o poder po-
ltico as maos da multido, de decepgSo
quando tem servido a annullar os direit s
polticos em proveito do poder ab-
soluto, maniendo por urna intervengao il-
lusoria da mnltdao, urna falsa apparencia
de direito eleitoral.
A assembla constituinte de Franga
nao admiilio o suffragio universal. Napo-
leo III appella para elle afim de conservar
o poder pessoal.
Um escripto modernissimo do Sr.
Aubry Vitet, tratando do suffragio univer-
sal, diz: Crjose rmarquable, c'est la gau-
che, c'est le parti avanc, c'est dir la
portion deselecteus qui devrait plus que
tonte autre se teir par stisfaite de la sim-
ples universalit du vote, qui a pris Pinicia-
tive du monvement de reforme. C'est que
l'experience triomphe de toutes les illusi-
ons; c'est qn'en presence des resultis du
systhrae actuel. il est impossible de nepas
reconnaitre qui l'application trabit le prin-
cipe, etqoe la forme lgale du suffrage d-
nature dans sa source mme la represenla-
tion nationale.
Apresentando estas consderacoes of-
fre o suffragio universal, e referindose es-
pecialmente Franga, nico paiz onde elle
est admittido pela legislago, a commisso
leva em vista mostrar que ainda o systema
que parace mais perfeits e completo, pode
deixar de satisfazer s aspirages de urna
nagao. E porque ? O mesmo Sr. Aubry
Vitet incumbe-se de mostra-lo. Porque
apresso administrativa, directa ou disfarga-
da, nulliflca a liderdade do voto : a admi-
nistragao faz votar a seu capricho todos os
que esto sob saa dependeacia ; a adminis-
tragao corrompe ou violenta as consciencias
a administragao determinando arbitraria-
mente as circumscrpges territoriaes. viola
os interesses os mais legtimos, pea a li-
berdade do eleitor e mata as aspiragSes dos
candidatos.
Estas guerras que fazem-se em Franga,
s3o as que fazem-se entre nos ; s3o as quei-
xas de todos os partidos; s3o as queixas de
todos os dias. Ser porque, comquanto
indirecta, a nossa eleigao tera, por Base n0
primeiro grao quasi o suffragio universal?
Na Prussia a legislago estabeleceu em
principio o voto de todos, mas na pratica
modifica essencialmente pela divisao por
classes dos qne pago impostos. Nos mais
importantes estados da grande confederagao
norte-americano, e no maior numero dos
cantes suissos ha restneges. Na Dina-
marca nao ha censo determinado, mas exi-
ge-se que tenha posigo independente e do-
micilio certo.
O voto censitario est aceito pela In
glaterra, a mui patria do constitucionalismo
:em sba apolicaco pratica epor asna, te
,m suafencarnagao, pela Blgica, conside-
rado desde m f^lj W NO. otijo
modelo do eetjdo eoottochwil. peta;*-
landa, pela Austria, IttGa, a" P*J"**
puna e Portugal, aoei tam vmus
ravolaeoes. .
. O fado de tantas nacoea, S"*"?"*
mais oa menos liberdade, adaiHiresijii
suas Jegislages o voto censitario deaQM-
tra claramente qoe nelle eoxergni ****
gens;. e na vida pratica de grande pew *
o exemplo de maitos, seno de qoasi to-
dos.
* A Inglaterra teve sempre o voto
sitario: a Franga, qoando em 4791 fax
plantar o systema representativo, soa pri-
meira idea, em materia de eleitoes, toi
estabelecer condigOes para o eleitorado. A
primeira commisso da assembla consti-
tuinte incumbida de apresentar o projecto
de lei eleitoral, al de outras condices
para poder ser votante, exigi o pagamento
de contribuigo igual a tres dias de traba-
Iho. Nomeada segunda commisso em nada
altern este principio. At eolio, dh Do-
vergier d'Haurame, nenhum publicista de
Franca considerava como direito pessoal,
nascendo com o hornera, o de eleger oo ser
eleito. Sieys distingua entre direitos ci-
vis, que chamava passivos, e direitos poli-
ticos, a que donominava activos. Coodor-
cet, coilocando entre os direitos do hotie
o direito de voto, declarava qoe este direi-
to, muito meos importante que outros,
perde suas vantagens, quando exercido pela
ignorancia ou pelo prejuizo.
O proprio Camilla Desmoulins, cujas ideas
eram conbecidas por extremadas em todos
os assomptos, qoe podiam interessar a voo-
tade da multido, cnegou a protestar,
verdade que para desdizer-se depois, cos-
tra a soberana do numero, e pareca temer
a influencia dos menos expelientes indepeo-
tes nos comicios qoe tinham de eleger os
legisladores.
t Comquanto grande opposigio se des-
envolvesse, quer na assembla, quer na im-
prenso e nos clubs, o parecer da commis-
so foi aceito e foi lei. S mais tarde eem
o desencadeamento das paixes dessa po-
ca de tantos desastres qoe deixoa de
eiisr a exigencia da contribuigo para sar-
gir o voto universal real ou apparente. Em
1817 reappareceu o censo a eleigao a coa di-
recta,para ainda em 1848 ser sobslitaido em
nome da revolugSo pelo suffragio universal.
Sob a restauragao de 1815 a 1830,
no reinado de Luiz Felippe a Franca le-
vo u ao parlamento todas as suas illustra-
ges de todos os matizes polticos. E nao
se deixava de gritar contra a intervengao do
governo, e contra a aristocracia da voto dado
s classes medias.
Guizot escrevendo a respeito diz: Se
o systema eleitoral de 1817, desappareeea
na tempestado de 1848, deu Franga mats
de trinta annos de um governo regalar e E-
vre, e dorante todo este tempo, atravs das
mudangas de dominaco dos partidos e do
abalo profundo do urna revolugSo, este sys-
tema bastn para maootengab da paz, para
o desenvolvimento da prosperidade publica
e para o respeito de todos os direitos l-
gaos. >
O Sr. conselbeiro Pimenta Bueno, boje
visconde de S. Vicente, em sua obra de Di-
reito Publico Brasileiro, depois de estabe-
lecer que, ao menos em tbese, a eleicSo di-
recta offerece mais vantagens e garants,
por vario systema que d mats forga moral,
maior independencia aos deputados, bsjssv
do-os mais estreitamente aos povos,dizque,
alera destas vantagens, de clara intoigio
que ella concorre poderosamente para tor-
nar as eleiges mais livres, e neutraltsar oa
demover toda a influencia ministerial. E
accrescenta: Desde que o systema da
eleigao directa adoptado, desde qo-? o n-
mer> e nao as condigesdos votantes quem
tirando por si escolberam representantes da
nago, fez-se necessario que esses votantes,
que sao verdadeiros eleitores, ofleregam
maior somma de garanta, atirn de qoe a
simples circumstancia da multido, sem pre-
priedade e sem lugar nao prevaleca sobre
as fortunas que compe a riqueza do estado
e sobre a otelligencia, que quem tem o
direito de govema-la, mesmo para o bem e
interesse de todos.
E' desde enlo necessario que o vo-
tante ministre sociedade urna maior sega-
ranga ou ao menos fundada presumpgao de
moralidade, inteligencia e interesse pela
causa publica; desde entao necessario
combinar cora maior reOexo o direito do
individuo com o da ordem social, para qoe
este e a liberdade nao sejam sacrificados i
titulo de dilatar o voto.
Estas sao as coosideraces que deram
nascimento, nos paizes em qoe a eleigao di-
rectaprevalece, ao principio ou regolamento
do ce'nso eleitoral.
A eleigao indirecta ou por graos existe
boje no Brasil e na Noruega. A Franca,
Hespanha e Portugal j a tiveram, mas aban-
donaran!, como foi dito.
c Este quasi isolamento em que se acha
o Brasil, tendo a eleigao por graos, deve
por si s determinar orna reforma em ordem
a fazl-a desapparecer ?
A eleigao indirecta serve especialmente
para os paizes, em qua a educago dos po-
vos ainda nao est feita, o falta-Ibes a illus-
trago necessaria para bem comprehender
os deveres que tem a cumprir, quando se
os faz concorrer para a escolha dos legis-
ladores.
No Brasil ootro nao podia ser o syste-
ma, quando em 1822 foi decretada a cee-
vocago da constituinte, para coja eleico
foram promulgadas as instroeces de IP
de junbo do mesmo anno. Estas netrec-
ges sao bastantss para mostrar qual o es-
tado de nosso paiz nessa poca: s em
poucas palavras o modo da eleigao: Cade
parochia dava um eleitor por cada cem ib-
gos, que tivesse ; o parocho delerminava o
numero dos fogos. Votava todo o cidadao
casado, e o solteiro maior de SO asaos,
que nao fosse filho familia, coratauto eme
tivesse um anno de residencia oa parnrme.
(Contitmar-H-ka).
Errata
Na parte da 'poesa a
publicada, o primeiro verso da
quadra : Em qua*to o homem fmtm-te,
a nao frustou-se, como sabio.
Ttp. do DiAtuy-HUA oj WJQuk Mcexug

~~:

I


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E5OE32VN7_O0L5SZ INGEST_TIME 2013-09-13T22:34:54Z PACKAGE AA00011611_12232
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES