Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:12231


This item is only available as the following downloads:


Full Text
ana
ANNO XLVI. NUMERO 227.
onu
t'\ ..t
t n\\-*)
/

/

Por tros mews irnant**.......,......... 6j)800
Por ieis ditos idaa............. m 121000
PorwaannoideuA.. ~.-.;...........'.'... 24,1000
Caa mumeio avulw............*? I'V ''"'
e de MaBasI
.. .

..i.
j

Os Sr*. Geranio Aatooio Alta 4 Fhos, no Part ; Oihw Pialo, do Maraca ; Joaqun- Jo#t de ONMra. BONCnrit;
Pereira d'AIneid, em Msraangoape ; Artoofo Ateitidrlno de Lima, oa Parabala ; Aatoaio Jtoetf,
i; Pr*n*w< Tacare da CotU, em Ahg*a; Dr. Jos M
>'

PARTE
tfrK ,
tioeno da
EXPEDIENTE ASIGNADO PKLOltt.' A. tCamMAj*
DOU FRANCISCO DI ASffS KRkA BOCHA, YlEn-Hld.
S.'DENTE DA PROVINCIA, t ll'>B VAW DI l70j
i' ***$>.,.
N. 3,16Dito ao Extn. at. aeunr! conunan-t
liante das armas.Manda Y. Etc. p6> era |l|ep
dado o recruu Jos VieentP Ferreira, po Espirito-
Sin:, visto ter ddhjultialo i4apttz do servico d"
exerciio era in-peccao do san, oraa* tantia de
termo anoexn ao mu olllcio de 10 do corrale st
n. 217. ........... .
N. 337.Dito .10 mssrao.Fteara expeUflns1 a
convenientes ordons aoa agentes da cempa"ohi(
Brisiieira de paquetee, para darem transporte
.para as Alagoas ao vapor Ariuos aos tres reaoU'
que dalli vieram para serem aqui vaeensdo*, e
de que trata o mu offlrio desia data sob a. 290.
E. 338.Difo ao mesmo.Rxpeca V. Exc. ai
suas orden, ;ilim de que a fortaleza do Brum di!
as salvas do esiyio por oceasio de o vapor Afi-
nos da coaipaniia Brasileira demandar amanha
a barra, conduzndo a seu berdo o Exm. presiden-
te do Para Dr. Joao Alfredo Correia de Oliveira,
que segu araanhia para a curte i tomar aaetnto
na cmara temporaria.
N. 339.Dito ao mesmo.Passo por copia s
roaos de V. Exc. o incuso auto que se lavrou
ni cath-.- Ira! de Olioda, por ocasiio de ser alli re-
cibida a banleira do abtalho d. 30 de volunta-
rios da patria.
Ti. 310.Dito ao director do arsenal de guerra.
Em vista do qoe soliciten o presidente do Cea-
r em offlcio de 21 de abril ultimo sob n. 3, mao-
de Vmc. satisfazer eom a possivel brevidade os
objeclos constantes dos dous pedidos inclusas por
copia.
N. 341.Dito ao inspector do arsenal de mari-
nlia.Mande V. S. postar amanha s tres e meia
horas da larde no caes do Campo da) Princezas a
galeota, aQm de eonduzir para bordo do vapor
Arinos, o Exm. presidente do Para Dr. Joao Alfre-
do Correia de Oliveira Andrade, que segu n'a-
queMe vapor para a corte.
N. 342.Dito ao capillo do porto.Pode Vmc
fazer seguir para a corte no vapor Arinot, para o
que flcati expodidas as convenientes ordeni, o
rccruta Angelo Jos dos Santos, deixando de se-
guir nesta oceasio o de nome Lniz Francisco de
Medeiros, por ter requerimento pendente de deei-
sao final desta presidencia, e devendo Vmc. man-
aar por em liberdade, por ter sido jolgado inca-
paz, Laurentino Jos Vieira, como consta do ter-
mo annexo ao seu offl;io de 10 do correpte sob
n. 45.
N. 343.Dito ao mesmo.Mande Vmc. por em
liberdade os recrutas Balbiao Benjamn de Mello e
Francisco Mendes da Rodha, visto terem sido jnl-
;sii consta do termo de inspeccao annexo o seu offl-
co de 7 de abril ultimo sob n. 37, devendo fazer
seguir para a corte, para o que cam expedidas
a> necessarias oidens, o da nome Manoel Caval-
cante Macambira, que foi julgado apta.
N. 344.Dito ao mesmo.Mande Vmc. por era
liberdade o recruta Loureneo de Souza Oliveira,
visto ter provado isenco legal.
N. 315.Dilo ao mesmo.Mande Vmc. por em
liberdade o recruta Martinho Carlos Francisco da
Costa, visto ter provado seero legal.
2." seccao.
N. 317.Dito ao commanlnte superior da guar-
da nacional do municipio do Kecife.Expega V.
S. as suas ordens, afim de que amanbaa s tres
horas e meia da tarde, seja postada no Campo
das Princezas >im guarda de honra para assislir
ao embarque do .Exm. presidente da provincia do
Para, Dr. Joao Aifred > Correia de Oliveira Andra-
de, que deve seguir para a corte no vapor Ari-
nos, tomar assento na cmara temporaria.
ti. 318.Dito ao jniz municipal da primeira
vara.Transmiti a Vmc. para que substiluam
as irregulares que se schar no presidio de Fernan-
do de Noronha, as guias inclusas de sentenciados
qu-: alli esto cumprindo semenra, as quaes mo
f>ram enviadas pelo presidente da provincia de
H sai Geraes, em offteio de :<0 de abril ultimo.
3" seccao
X. 3i9.=Portaria ao inspector da thesourana
de laienda.Cominunico a V. 5. para os devidos
litis, que segundo participou o promotor publico
da comarca de Caruar, bactiarel Manoel Jos
Ferreira Esteves Juior, emofflcio de 1 do cor-
rente, nessa data reassumio elle o exercicio do
do cargo, renunciando o resto da licenca que lhe
fora concelida.
N. 350.Dita ao me-imo.Transmiti a V. S.
3> duas inclusas urdens, thsiouro nacional sob n. 76 e nutra do ministerio
da guerra datada de 30 de abril ultimo.
N. 351.Dila ao m'smo. Tomando em conside-
rarlo o que expoz no incluso reqnerimen'.o o co-
ronel Francisco Joaquim Pereira Lobo, bein como
o que a este respeito informou o brigadeiro com-
mandanle das armas, no officio junto por copia, da-
tado de hontem sob n. 213, tendo alm disto em
>;sta do ministerio da guerra de 13 de Janeiro
deate anno e a applicacao que delle fez essa the-
i urana, nao s a favor do tenente secretario do
presidio de Fernando de Noronha, Clemente Fran-
relio Tavares, qne reclamou contra a doutrina do
a.i-o de 27 de jnlho de 1869, mas tarabem de ou-
ttos ofliciaes que baviara sido obrigados como
aquello a reposicao da quinta parte de seos venc-
mentos e estando o supplicante em circumstancias
idnticas sem haver ontra differenca seno quao-
lo a calhegoria de emprego, recommenda a V. S.
que a respeito desse coronel proceda como tem
feito acerca dos outros, applicando-se a quanlia
que se liquidar a seu favor para a amorsacao do
seu debito, fleando para isso r-vogado qualquer
despacho em contrario desta presidencia, certo de
que vou levar ao conhecimento do Exm. Sr. minis-
tro daguerra esta minha deliberaco.
N. 355 !>ito ao mesmo.Mande V. S. pagar
O gerente da companbia Pernambucana, que as-
sira o solicita no incluso requerimento documen-
tado, a quantia de 1:509*152 ris.ou* que se de-
ver de fretes e passagens dadas por eonta do mi-
nisterio da guerra bordo do vapor Parahyba,
na viagem qne fez ao presidio de Fernando.
N. 353.Dito ao mesmo.Envi V. S. para
tenha o conteniente destino, as inclusas re-
!.! i \' t .
rpaj A
a:
;es do i
a Tr de in.fPc
ooncernentes ao
fr%
*>:,
forar
abrH.
. 3j7.--Dito ao inspector da thasouraria p>o*
inotaAaonind ao qne Hx-iioo o chefe d
eta olljcio de hontem, sob n. 721, rdco-
10 a V. S. que mande pagar a VicntAlvps
i a quantia de 9*100 ris provenirte d
dods mezKs e mpio vencidos, a contar da 18 At
ulaaro A tono prximo passtd* a M 4e janotre
Uimo, do alugu-V da casa que serve de qoartel
ao desiacamanto no govoadi de S. Jos da Extre
ma razio de 7*700 ris raensaes.
N. 358 Dito ao mesmo.Depois de liquidada
vista da eonta junta em duplcala, a oespeza
ila boa mazos de dezemnio do anno proxim pas-
"o a abril ultimo, eom o fornecimento de luz e
a para o qaartel do destacamento do Pao do
Mo, rasad* v. S. pegar a sos importancia a An-
tonio Genes de Santa Aooa, conforme solicita o
chafe da polica, em offlcio de hontem, eob n. 719.
N. 339.Dito ao mesmo.Tomando e;u consi-
derafio o qne expozeram os segundos escripto-
rarios deesa rhasoararia, Bernardo Oarnelro Mon-
teiro da Silva Santos e Joao Carneiro Monteiro da
Silva Santos, no requerimento qne incluso devol-
vo, e a qne se refere a sua informacao de 19 de
Janeiro oJtimo, sob n. 29, recommendo V. S.
qoe cumpra o disposio no an. 61 da lei do orca-
Mienio vigente, na parte relativa ao* supplicaoies,
mandando pagar-Ibes a dilferen^a que se deu en-
tre o* seus vencimentos e os de primeiros escrip-
tnrarios, durante o* deas annos que presente-
mente se refere o artigo citado.
4.* scelo.
que -
lacSes de pagamento e alteracoes occorndas nos
mezes de marco e abril, eom o imperial marinheiro
Jos Francisco de Almeida, que no* presidio de
Fernando se acha cumprindo sentenga.
N. 354.Dite ao mesmo.Transmiti a V. S.
tiara os flns convenientes os inclusos pedidos" de
artigos de fardamsnto vencidos pelas pravas da li-
nha, guardas nacienaes e voluntarios da patria,
destacados no presidio de Fernando no primeiro
quarteldo corrente anno, inclusive o de um impe-
rial marinheiro, que est alli cumprindo sentenca,
* que nio deve eorrer por coma do ministerio da
gnerra.
N. 365.Dito ao mesmo.Commomco a V. fe.
para sen conhecimento que, attendendo ao que
raquereram os professores pblicos Martinho Jos
de Jess, Olympio Francisco Honorato e a profes-
sora Anna Claudina de Aguiar Wanderley, e beir ,
como o conservador do m.nseu do gymnasio, Frv ,.
cisco Pinto de Carvalho, expego nesta data as fle.
cessarias oriens a thesourria provincial par f.
zer cessar, a contar do corrente mez, o oV ,conto
de 5 por cento, que es snpplicantes offer ceram
para as deapezas o> gnerra.
N. 360.Offlcio ao Exm. Sr. presidente da pro-
vincia do Para.Nesta dala transiuit'.o aos minis-
tros brasileiros em Pars e firoxellas os d.us ofH-
ciot qoe, para terem esse destino, V. Exc. me re-
metteu eom o seu de 27 de abril prximo lindo.
N. 361 Dito ao Exm. Sr. presidente da pro-
vincia da Baha.Declarndome o Dr. ebefede
polica em offlcio n. 681 de 3 do corrente, haver,
como foi recommenda Jo por aviso do ministerio
da justica de 9 de abril prximo lindo, expedido
as neesssarias providencias para a capinra dos
criminosos qae em numero de 15, bem armados e
municiados, accommelteram no da 5 de marco
ultimo a povoacao de Piraobas da provincia das
Alagoas, e depois de se apoderarem do subdelega-
do de polica, assassinaram a Manoel Vctor de
Sonza Ferrera, rlirando-se para o termo do Por-
to da Folha na provincia de Sergipe ; assim o
commnnico a V. Exc. para sea eonheciraenlo e
fins convenientes. %
N. 361Dito ao Exm. Sr. presidente da pro-
vincia de Sergipe.Declarando-me o Dr. chefe de
polica em offlcio n. 681 da 3 d.> corrente haver,
como recommendou o aviso do ministerio da jusr
in;a de 9 de abril prximo fiado, expedido as ne-
cessarias providencias para a captura dos crimi-
nosos, que no da 5 de marco ultimo, accommelte-
ram a povoacao de Piranhas da provincia das Ala-
goas, e depois de se apoderarem do subdelegado
de polica, assassinaram Manoel Vctor de Souza
Ferreira, retirando se para o termo do Porto da
Folha nessa provincia : assim o communico V.
Exc. para seu conbecmenio e fins convenientes.
N. 363.Dito ao Exm. Sr. presidente da pro-
vincia das Alagoas.Declarndome o Di. chefe
de polica em offlcio n. 681 de 3 do corrente, ter
expeJido, como recommendou o aviso de 9 de
abril prpxiiuo lindo, as necessarias providencias
para seren capiurados os criminosos que em nu-
mero de 15 bem armades e muuieiados, accOifl-
metterain no da 5 de maroi uiiiino a povoacao de
Piranhas dessa provincia, e depois de se apodera-
rem do subdelegado de polica, assassinaram
Manoel Vctor Ferreira, retirando se para o termo
do Porto da Folha na proviucia de Sergipe ; assim
o communico a V. Exc. para seu cone;menio e
fins convenanles.
N. 364.-Dito ao Exm. Sr. provedor da Santa
Casa de Misericordia.Em vista do que V. Exc.
expoz em gen offlcio de & do crrante, sob n. 263,
concedo t autorisacao que pede para despender,
at o lim de jnnho vndouro a quantia de 90|932
ris, eom as verbas ordenadas dos regeutes do
hospital dos lazaros e hospicio de alieuados, por-
eeniagem do cobrador das rendas dos dous patri-
monios a cargo dessa Santa Casa, e de annos lin-
dos do patrimonio dos orphos, visto acharem-se
esgotadas as primeiras e nao ter sido a ultima
comprehendida no respectivo crcamenlo.
N. 365.Dita a cmara municipal de Agua Pre
la.=Para satisfazer c disposto no aviso da repar-
tilo da agricultura comuiercio e obra, publicas
de 21 de marco ultimo, sob n. 1, informe a cma-
ra municipal *da villa de Agua Preta, se convm
vender alguus lotes e sobra< de trras devolutas
existentes nesse municipio, demarcadas eom desti-
no a canalisacao americana, os quaes pretendem
por compra, Manoel Jos da Costa Guimaraes, Pe-
dro Francisco ds Mello, Jos Ja.ii.ues da Costa
Guimaraes, Christovao Rodrigues Teixeira e Anna
Eufrosina Candida Ferreira.
N. 366.Dita ao juiz commissario de raediclo
de trras publicas do municipio de Agua Preta.
Para satisfazer o disposto no aviso da reparticln
da agricultura ciramercio e obras publicas de 21
de mareo ultimo, sob n. 1, informe Vmc. qual a
qualidade das ierras devoluias existentes nesse
municipio, demarcadas eom destino a canalsaclo
americana, cujos lotes e sobras j>retendem por
compra Manoel Jos da Cista Guimaraes, Jos
Jacques da Costa Gjimaraes, Pedro Francisco de
Mello, Christovao Rodrigues, Teixeira e Anna Eu-
frosina Candida Ferreira, bem como quaes as cir-
cumstancias que podem influir sobre o preco
deltas e se convm vende las.
.N. 367.Dita aos agen'es da crmpantua brasi-
lera de paquetes a vapor.Podem Vincs. fazer
seguir para os portes do sul c, vapor Armo* ama-
nbaa a hora indicada em seu offlcio de hoje.
N. 368.Dita aos mesnv,s.Os Srs. agentes da
companbia brasilera de r.ajueles, mandem trans-
portar para a corte p/ ,] eonta do ministerio da
marinha no vapor A',-nos, aos recrutas Angelo
Jos dos Sontos e 3a>.noel Cavalcante Masambira,
fleando sem effeit) a portara de 9 de abril lindo,
relativamente anteltimo, por nao ter seguido
no TocantiiM.
N. 369.Dir x ao3 mesraos.Oj Srs. agentes da
companbia ? .rasileira de paquetes a vapor, man-
dem dar ttf .nsporie para as Alagoas por eonta do
ministerio ja gUerra no vapor Annos, aos 3 re-
erntas ir que||a provincla Antonio Correa de Mello,
Anteo Ferreira da Silva, e Manoel Vicente Fer
rHirA jue vieram para essa provincia afim de se-
r** aqu vaccinados..
? ,. 370.Dita ao gerente da companbia pernam-
' cana.O Sr. gerenta da companha Pernambu-
' cana, mande pr a desposiclo de Mana Januana
de Sena Montenegro, at o porto de Macu, urna
passagem d'estado a r;, e duas proa.
N. 371.Dita ao mesmo.O Sr. gerente dacom-
panhie Pernambucana, mandem dar transporte
para o Cear, por coala do ministerio da guerra
no 1.* vapor que para,alli seguir zo major de vo-
luntarios da palria Amono Lonrenco da Silva
Castro.
favaMifc MstavAMi pilo tm. tm. bmo fn-
dkrtA g AiWQWMWtnt, swmmm ao
attmm, w dh siaio M 1S7:
i'saejlai
* TJ.^JUlo' ao r. Dr. ehefe de
O Exm. Sr. o/satoente di pwvineia, ntaad eVi-
vfr. V:lea rasaonu m seos oIBeiw d
anaww sob .-. 7a 71, qoe a HiesMrirt pro-
vinctel tem ordem pwa pafnr a Aotsn Gesne
aeat^mM a^anmla de 30*W a Vfce* Al-
vos. Carrea a de 19*40") rs. consuntos o cHa-
N. 373.Dilo ao hacharel Maaoel Estuve Cte-
meote Jinior. O Exm. Sr. vice-presidoni da
provincia, manda deolarar, qae Ucou iaieirado
rio sau offlcio de 1 do corrate, de ter V. Si naasa
La reassumido o exercieio do earg > de promotor
publico da comarea de Caruar, rounciando a
resto da ueenca qoe lhe foi concedida peto- sea
antecessor.
4' seccao <
-N. 371.Offlcio ao Dr. Francisco Teixeira- de
S, 1 secretario da assemlbea legislativa provio-
cial.N. 96.De ordem de S. Exc. o Sr. vice-
presidente da provincia, tran-roitio a V. S. para
ser presente assemblu provincial o incluso pro-
jacto de posturas addicionaes que, para ter este
destino, foi remettido pela cmara municipal da
villa do Bonito, cora offlcio de 4 do corrente.
' N. 373.Dito ao mesmo.N. 97.De ordera-do
S. Exc. o Sr. vicepresidente da provincia, trans-
muto por copia a V. S., em resposla ao offlcio de
4 do corrente, sob n. 41, a inclusa informacao mi-
nistrada pelo engenbeiro chefe da repariicao das
obras em 9 d'este mez, sob n. 125, bem como a
orcamento a planta relativamente ao leude da
villa de S. Bento, que se refere o seu citado
offlcio.
N. 376.Dito ao mesmo.N. 98.De ordem de
S. Exc. o Sr. vicepresidente da provincia, trans
millo por copia a V. S., eom a informacao da the-
sourria provincial, datado de 25 de abril prximo
lindo, para ser presenta asserablea legislativa
provincial, aQm de tomar em consideradlo o in-
cluso offlcio do Dr. chefe de polica, de i daquelle
mez, sob n. 456, aeompanbado de outro do dele-
gado do termo de Sarinblera, pedindo o augmento
da diaria de 200 rs., destinada para alimeniacao
das presos pobres da respectiva cadeia.
SEXTA FE1RA 7 DE OUTUBRO DE 1870
PAKA RITI I FORA DA PBOVIICIA.
Por tres mezes adiantados.................
Por aeU ditos ideln.....................
Por nova ditos dem...................
Por um anno dem ..............
tfft*
3JMO
17|00#
eiri de Fara & Filhos.
toDio de lemos Braga, do Aracatj ; Jo3o Mara Julio Chava, do Ass ; Arrton Marques da Silva, no Jfatal; Jw
oa THIa (a Peuha ; Belaraino dof Santos Bnicao, em Santo Ant3o; Domingos Jos da Costa Braga,
ves, oa Bta; e Jos Ribeiro Gasptfinbo no Rio de Janeiro.
Ar
KXPEDIRNTK ASSIGNADO PELO EXM. SR. DESEMBABGA-
DOR FRANCISCO DE ASSIS PBREIRA ROCHA, VICE-
PRESIDENTE DA PROVINCIA, EM 12 DE MAIO.
i.* seccao.
N. 378.Dito ao capillo do porto.Para cum-
primento do aviso circular da repartilo de ma-
rraba de 16 de abril ultimo, expeca Vmc. as snas
ordens para qne por essa capitana se organise
eom a possivel brevidade, e pelo modelo j eonne-
cido, mappas exactos dos navios mercantes naeio-
naes sugeitos a sua jursdiccao. Depois de exa-
mina-los e fazer-lhes additar quaesqu-r esclareci-
mentos. que parecam convenientes ao registro
(feral qne deve acumpanhar o codino criminal de
signaes raarilraos iniernacionaes, Vmc. os remet-
iera esta presidencia, para terem o convenidme
destino.
2" seccao.
N. 383 Offlcio ao Sr. juiz municipal do Cabo.
Para satisfazer a resoluclo da assembla legis-
lativa provincial constante do offlcio do respectivo'
Io secretario, de 11 do torrente, sob n. 47, preste
Vmc. as seguidles informacoes: quanto pagaran,
de imposto de siza Manoel Uendes Caminlia pela
compra de dnas partes do eogenho Buranhm
d'esse termo, feta em 1844 a Flix Jos da Silva
Barroso; Mara Francisca da Rocha Guedes pela
compra de urna parte do engenho Aranba do Pi-
mentid, feita em 184>> a Jos Franeico da Rocha
Guedes ; Antonio Baptista Pereira, pela compra
de una parle do engenho Ptirab, feita em 1845
a Antonio Ferreira de Barros Cainpallo ; Francis-
co Paes Barreto, pela compra de urna parte do
engenho Molinote, feiis em 1845 a Antonio Luiz
Gonsalves Ferreira Flix Jos Cambra de An
drade, pela compra de urna parte do engenho
Arimb, feita em 1815 a Pedro Barbosa de Moura;
Antonio Jos Vai Salgado, pela compra de urna
casa feta em 1845 a Lino Jos Mnniz ; Joaquim
Aurelio Pereira de Carvalho, pela compra de urna
parte da propriedade Barra das Jangadas, feita em
1845 a Luiz Francisco de As.-s ; Francisco Fer-
reira de Brito, pela compra do engenno Sacamb,
feita em 1845 a Manoel Pereira de Souza Barros;
Jeronyrao Barbosa da Silva, pela compra da pro-
priedade e silh denominado..........feita em
1845 a Jos Fernandes Lins e sua mulher Joaqui-
na da Silva Costa, pela compra feita ao lente-
coronel Jo iquim Pedro d) Reg Barreto das partes
que lhe houvesse de ticar no inventario dos bens
de Antonio Leocadio Paes Brrelo, em 1845.
N. 384.Portara.O vice-presidente da pro
voeia, conforraanJo-se eom a proposta do ehefe
de polica, em offlcio n. 724, de 11 do crreme,
resolve notnear para o cargj de Io supplente do
subdelegado do 1 distrkto da tarmo de Santo
Antao o capitao Hermogenes Gonsalves Lima.
3.* scelo.
N. 385.Portara ao inspector da thesourria
de fazenda. Para satisfaz** a resotucao da as-
sembla legislativa provincial, coutida em offlcio
do respectivo 1" secretario de 11 iy corrente sob,
n. 47, informe V. S. se foi recolhida ao cofre dessa
thesourria a importancia do3 mposlos de siza a.
que estavam sugeitos os contratos entre partes.
Manoel Mendes Caminba pela compra de duas.
partes do engenho Buranhem termo do Cabo, fei-
ta em 1844, Flix Jos da Silva Barroso. Ma-
ra Francisca da Rpcha Guedes pela compra, de
urna parte do engenho Araribr. do Pinuntcl, feita.
em 1843, Jos Francisco da Rocha Guedes.
Antonio Baplisia Teixeira pela compra de urna
parte do engenho Pitimb feita em 1845, Anto-
nio Ferreira de Barros CampelloFrancisca Paes
Barreto pela compra de urna parte do engenho Mo-
linote feita. om 1845, Antonio Lu? Goncalves
Ferreira. Flix Jos Coimbra de Andrade pela
compra de urna parte do engenho Arimoe Feila
em 1845, Pedre Barbosa de Moura. Antonio I
Jos Vaz Salgado pela compra de urna casa feita
em 1S45, Lino Jos Muniz. Joaquim Aurelio
Pereira de Carvalho pela compra de urna parte da
propriedade Barra d Luix Francisco de Assis. Francisco Ferreira de
Brito pela compra da engenho Sactonm feita em
1845, Manoel Pereira de Souza Barros. Jero-
nymo Barbosa da Silva pela compra da propriedi-
d e sitio denominado Jardim feita em 1845, i
Jos Fernandes Luiz e sua mulher Joaquina da
Silva Costa pela compra feita ao tenente-coronel
Joaquim Pedro do Reg Barreto das partes que
lhe houvesse de tocar no inventario dos bens de
Antonio Leocadio Paes Barreto em 1845, e no caso
negativo qual o procedimento havido at hoje para
se fazer effectivo o recebimento deasas quantias e
a responsabilidade dos agentes llscaes que os re-
ceberam.delaranito-se quem exercia nessa poca o
cargo de collector e escrivn do mencionado ter-
mo do Cabo.
N. 386.Dito ac mesmo.Se nao Imuver incon-
venientes, mande V. S. pig.ir ao pralici da barra
do porto desta cdade Adolpho Fernandes da Suva
Manta, que assim solcita no incluso requerimento
documantado a quantia dn 19X000, proveniente
des servicos por elle prestados na entrada e amar-
rado do trapiche de guerra Itapicur.
S. 387.Dito ao mestno.Expela V. S. as suas
ordens para que por essa thesourria sej pago o
pret e olhas do batolhao n. 42 de voluntarlos da
patria desta provincia, o qual foi nesta data ex-
tincto do mesmq rpod.0 que tem sido pagos os dous
meiroj bntalhoes e sob minha responsabliiade
Jr necejsalo.
t. 38&ftb jo mesmo.Em vista das tres io-
*as coatas era dopticala que rae renwtteu o ili-
'o* interino do arsenal de guerra eom- offlcio
9 do correte sob a. 70, mande V. S. pagar a
prensarfoJoirisa/'dV/feD/'ira quantia d* 18*880*,
* qae se dBier proveniente de annnncros que |
pubftear qutlle arsenal nos mezes
marco deste anao:
jfr 389\Dito a inspector da thesourar; pro-
mciaj.Inteiradode quaoto V. S. expOz era seu
rasposta que -sto ser insofficiente a qnanila
resia do creditc votado- pe*> art. t da tei do
amento vigente >ara o Asyro de Mendicidade,
' dfl fazer-se effeitiva a entreg ao ihesoormro
d Santa Casa de Mtericordia o 400*000, para
a| despezas o mesrm-asylo-nesie mea, comode-
ininei por portaria te 27-de abril ultimo, e san
urgente essa despea, pode V. S. mandar qpe
renda dos .%*/0 de oae trata o art. 1* da lei n
W7 de II de jalho de)S8f, sej tirada a quantia
de 1:590*000 pie fall para omptetar a de....
4000*000 de que acirt* se-trata, at qne a as-
sambla legislativa pr^octal resolv delinin-
rimente acerca da coteolta que h no citad
dfcVio.
b 4.* se^ae. -
Ji. 391.Dito a* Exm. Sr. presideaio da pro-
vjycia das Alagas. Por so ter aproveitado em
fi puz vaccinieo como V. Vite. vra do offlcio do
sDiaral commandanle das mas mi por copia,
sffoem hoje no vapor ArittM para esso provincia
of 3 recrutas Antonio- Cort do Mels Antonio
Pvreira da Silva e Manoel ''cenla- Ferretra, que
y. Bxc. para aqu reraetteu linvde seren vacci-
nados e depois transroittirem le Uraco a braco aos
compaoneiros o mesnw paz vtecinie.
KSPETMRNTB ASSIGNADO-PBU) SR DR. ILIAS- FBEDERI-
CO DE ALMEIDA E Al W)0fER*'E, SECR8TAR DO
SOVRRIto INTERINO, EM 12 DE MA SE WW.
1." seiclo.
K. 392.Offlcio ao Exm-. Sr. general convnan-
dnte das armas.De ordem de*S. Ehc. o Sr. viee-
prnsideote da provincia, declaro t Y. Isr. en res-
posta ao sen offlcio de SI do coirent son- n. 251,
qoe nesta data se mandn satishzere- pedso do
eommandante do deposito especial o> mstreecao
qoe veio annexo ao citado ofleio.
ti. 393.Dito ao director do arsenal de guerra.
St Exc. o Sr. vice-presidente da provincia, res-
pondeodo ao offlcio de V. Sr datado de- do eor-
rente e sob n. 70, manda deelarar que a- tbeou-
rtrla de fazenda tem ordem para pagara peantia
de W*880 constante do ettacfe oficio.
2' seccao.
N; 394.Offlcio ao Sr. Dr. chefe- de novicia.
De ordem do Exm. Sr. viee presidente dh provin-
cia transmuto a V. S. o ttulo jante- de nomeaclo
do capitao Hermogens Gonoalve Kimn-, para o
cargo de 1* supplente do sobdelegado do- r dis-
trida do termo de Santo Ante, de crmfcmMade
eom a ana proposta em offlcio n. 7*4 d>- *t do-eor-
renle. .
>f. 395.Dito ao juiz mnnieipal e-do orpnes do-
termo de Aguapreta.tSoa Exc: c-8r. viee-presi-
dente da provincia manda deehtrar'a V. S., que
nesta data snbmatie ao conheermento do feverno
impenal o offlcio eom a datode lde abruproxi-
mo findo em que V. S. solicita a- ewnerarao do-
cargo de juiz municipal e de erphos desse
termo.
4" seccao
N. 396.Offlcio a cmara mnnieipal da. viMa do
Granito.De orden de S. Bxc. o St. vica-presiden-
te da provincia, declajo a cmara mnweipal da
villa do Granito, que nesta data f"i sobmetUdo ao
conhecimento da assembla legislativa provincial
o offitio da mesma cmara d 25':de- fvereiro ulti-
mo, relativamente a falta de qne se rscente o seu
munietpio de nma casa idnea que sirva para a
celebracSo de snas sessoe e das precisa* aeom-
modaedes para Drsao.
N. 3*1Dito'ao Sr. Dr. Francisco Teixeira d*'
S secretario da assembla legislativa provin-
cial.N. 99.-De ordem de S. Exc. o Sr. viee-presr-
cao das obras publicas; para fazer as obras de
qne se trata.
Arsenio Antonio Carneiro da Cnnha Miranda-
Jo est prvido.
Adolplio Astolpho Lins de Ainoquerque. A
thesourana provintnal ter ordem para pagar ao-
supolieante a fpaniia de opn se irosa.
Ccxnpanhia Pernambucane.f>irip-se theson-
de Janeiro | raria de fazenda.
rdera.Dirija-se ihesotararia provincial.'
dem.Dirija-se thesourria- de fazenda.
Bacuarel Fruvttwso Los Gvakaote de Albu-
que.Paese portara eoncedoado as passagens pe
didai.
Siavo
rior do fado de norte, preeedb Mr sido post
por algum- malfazejo. A s promptat nMdae lo-
madas peib- Sr. Dr. snbdMegM>9 da fregoarin -
Santo Antonio, ajeriado por di retn pessoae --
aecudiram, se deve o pequano danrao one miren
a ponte. Coraparnceram a:-logar En. Sr. ge-
neral eommandante das armas, tesen
Decio de Aqiino e director da* otras
Prestaran) grande anxiho algnraas canoas e bar-
cacas, sobretodo roa daqnellas em qae se acia-
cha va o Sr. tenente-coronel Dorio de Atada*.
AJRY DO IICIFK-F.i hontem uWii a
! julgamenlo Joao Annes Ferreira da
Ferreira Catao.-Infarme o Sr. inspector f osado de haver awassinadn a Manoel itad-
denie da provincia transmiti por copia a V. Sv
em resposta ao seu offlcio de 3 do correata sob n,
39, ainclnsa inforraagio minisfrada peto enge-
nhro chefe da reparticlo das obras pubhcas etr
10 daste mes sob n. 126 relativamente as dou*
quesitos mencionados no sen citodo naWo cora re
ferencia ao novo encanataemto que es assentanr
do a Companbia de Beberibe.
Ni 398.Dilo ao mesmo -NL KX. S. E: o-
Sr. vice-presidente da provincia mande transmi-
tir por cojjia a V. S para ser presente a assem-
bla legislativa provincial afim de tomar era censi-
deraeao o incluso offlcio de-25- de fevoreiro ultimo
em que a cmara municipal da villa do Granito,
exp-nido a neeessidade de umediSeio para a cele-
brado de Mas sessoes eom a precisa acommoda-
tes para priso propria-a compra de um. predio
perlencente ao vigario Jos Modesto Pereira de
Brito, que o pretende vender pela quantia. do...
8:000.
N. 399.Dito ao mesmo.N. 191. ^ Exc. o
Sr. viee-presdente da. provincia manda transmit-
lir por copia a V. S. alim de ser levado ao co-
nhecimento dessa assembla, para resolver defini-
tivamente acerca da consulta que faz o, inspector
da thesonraria provincial, nao so o offlti do mes-
mo inspector datado de 7 do corrente sob n. 272.
mas tambem a resposta dada a este oficio a res-
peito da insufflciencia da quanlia que resta do>
crdito vatado pelo art. 29 da lei do orcamento
vigente para a despeza eom o asylo de mendici-
dad .
despachos da presidencia do da 27 de setembro
de 1870.
Caetano Carlos da Penha Silva.Certifique.
Djuiingos Alvos de Souza. Informe o Sr. ins-
pector da thesourria provincial, ouvindo o collec-
tor accosado, e providenciando para que-, quanto
antes, seja averiguado o faulo, argido ao mesmo
collector.
Tenente Joao Deoclecio da Silva Paul. D-se
a informaclo por cerlilo ao supplicaate, se qui-
zer.
Dr. Joaquim d'Aquno Fonceca.Informe o Sp.
Dr. inspector da saude publica.
osepba Mara do Espirito Santo.Prove o qoe
allega at o da 6 de outubro vndouro.
Joao Augusto de Lemos Duarle.Ja est prvi-
do o lugar que requer.
Joao Nepomucenn AWes.^Ioforme o Sr. tenen-
te-coronel eommandante do corno da polieia.
Leovigilda Maria da Silva Cordeiro. Nao tem
tugar o qoe raque? vista da informacao.
D. Maria Benta de Jess Gonveia. A* vista da
informacao, requeira ao governo imperial.
Odilon Austrikliano Brayner. Informe o Sr.
presidente da cmara municipal da vuMa do Bonito
se ao supplicante f >i deferido juramento, como
esta presidencia mandou por offlcio de 22 de jn-
lho, se o mesmo supplicante est ou nao no exer
cicio do offlcio de depositario geral.
Olympio Francisco Honorato, J est provida
a cadeira que alinde.
18, 29 e 30
Antonio Aquilino da Costa Cabra!. Nao ha que
deferir, visto que j est prvido o lugar que t>
supplicante pretende.
Apolinaro Luiz de Carvalho. Em vista da in-
formacao, nao tem lugar o que requer o suppli-
eaqle.
Abaixo assignados, moradores desta fregnezia
de Nossa Senhora da Graca da Capnnga. Expe-
dlo-se. pnjem ao Sr. engenheiro cljefo da reparti-
da thesonraria prwineial.
Dr. Franeisco Pinto- Pssoa. CoBoeda-se a li-
cent riqoerida sea veoeiraentas.'
Francisco-Correia de Mallos. Em vista da in-
formaclo, nao ten lugar o qne-raqua* o- sappli-
cante.
Padre Joao Jos da Costa Ribeiro.Era viesa d
informacao de-inspector da thesourria provjaeial
junta por copia* nao leming ar o qae pede o s&p-
plicante.
Jos Antonio-Gesar Jo Lima.Rilorme- o-9r. di-
rector otariHo do arseaat de guerra.
, Luiz M6reir/de Carialao.Mande-se dar a gaia
requerida.
Manual.-da Costa-Praasres.Satisfaea o- suppli-
cante as disposi jpss doearts. 12S e iJtl da> lei pro-
vincial-o. 389e 68 de regolamento do gpnnesto
provincia^.
Manoel Alvas da Silva Caldas.Satisfaga o sap-
plicaute as-dispasiopes dos arls. 128-o 131 datoi
a. :it9 de L4.de ramo de 185a e 63 do regimeato
interno do-gymnaeio provincial.
Martinho Jes-da-Jsu.tadeferida.
Manoel "v-euaiieio Alvo* da Fonceca.Ju esta
prvido.
Bacharai Manoel' Jos de Oliveira Miranda.-
Mae.
Ouvidio Pergentiao dr Souza. J4' est pno-
vfaJo.
Sobastlo Jas-do Reg Barreto. Satisfaca o
sapplicanla as dispasQ5* dcw arts. 128 e 131 da
lei provincial.n. 3(J>'e 6$ do regimeato inlemo d
gjjnnasio.
Tertuliano Brnesin de Soraes Cw.'alho.Paseo
penara noaseaodo o-supptieante para reger inte-
ria.%mente a 2* cadeira da dade da G.yannar
tediante a gratificaopo awaai de bHOfOdO.
3
Sarao do Livraniento.Informe direetsria da
cempanhia de Beberibe.
Gompanhia inglesa de- Segaros.Como wqaer.
Mara Magdalena da Conceieao.Jantt conidio-
de-idade do-menor, oerteado de ter elle sido
vaoeinado, e n/eve uto ter meios para eduea-lo.
Manoel Jbeqon de Oliveira.Indefsrido i vista
da informa o.
Porfirio e Albaqperqtae Magaibias:J esu
daovido o lagar que- requer.
Vio va de 3.i(}uio de IHala LopaaInforme-o-
Sn*. inspector da tnesonrnma proviccal.
Gomp;:nni J'ernambucaaa.-Diriia^se a. thesoe-
raria de fazenda.
Alferes Ja^Lousenoo da Silva SiSanez.A vista
da informadlo coaceda-se.
Companlua Pernambucana.Dirija-se u- thesou-
r.-.ria provincial.
A mesma.companbia.fcrija-se a thesourria
de- fazenda.
Anna Bezerra-Caxalcaati da 3Iva- Cbsta.Ao
Sr. director geral interino da inst.-occo publica,
para informar se >enacto o que allega a suppli-
ante eom. a brevidade possivel.
Pocas &rCIabnneoSr. Dr. chafe de polieia.
Amelia Deolioda> Guedes Alcoforada.A sop-
plicante nao es.eontemplada n?pj-oposta.
Anna Joaquina Peres Campello de Mello. J-
esta provida a cadeira qoe requor.
Benedicta Maria da CooceiQo. Nlo podando
o fllho da sopplicanU' seradraitdo no eollegic-doa
orpbaos, pode todava sei-o na oompaabia de me-
nores do arsenal de gnerra.
Padre Gamillo de'Moodonca Furtado.A vista
da informacao comparec o supplicaate na ssspee-
liva pagadoria para receber a cengraa quo liver
vencido.
Catharipa Felicia de Gouwia.Snformo- o S*.
tenante coronel commandantado eorpo do-polica
sobre o destino-que teve o filJie ca supplicante.
Francisco Antonia Vieira Caldas.Indeterido-.
Firmino de Oliveira Mello.Informe o Sr. ias-
pecior da thesourria de faaenda.
Jacintha Adelina da Crua A supplicante nao
foi proDosta.
Joao Jo^ Barrosa da Silva. Juivenis.Concda-
se cora ordenado smente,
lente Jos Magalhos da Silva orux.Na
priioeira opporlunidade ser.o sapocanle aviado
para o lugar da culpa.
Josepha Clemaatina Pixoto.O filho da snppli-
cante tem idade superora exigida para, ser admit
tido no collagio dos orpbaos.
Jos Honorio de Sousa,Maciel. lalorme o Sr.
Dr. juiz iruMicipal da prmewa vara.
Joaquina Jos de Almeida OliveiraPrave que a
easa commercial em <}ne serve nao lem. oatro cai-
xeiro despeosado do servico da guarda nacional.
Luiz Francisco de PauJa de Albuquerque.-
Nao ha que diferir a vista da informacao.
goes de Carvallo,, coaaeeido por Bertitm. tm de-
zarabr de 18d9 cama da Concordia. .Til fi>
advocad, foi-lhe dad cono Mtmar Sr. Dr
Laonard de Almeida. Em vista das resposta *
conselbo da julgamcnto, tai o reo aaaaaaaaaaaa 14
annos- de priso s.mple, grao nsdio do art. 19::
do cdigo criminal.
TrTESOCBARIA PROVI.IClAL. 5o bcrarae.
qne se dea nos cofrts dexa repantalD, naaMa
da seiemhro. verifleoa-se istir o sal de___....
6U:;3*W8, sendo:
Em- acedes itft-.aalfeV
Em apoliees 75 OC***'
Em laura\ a vencer 27S:aQp77
Em dinhairs ltV1.249*M
A' ?flOPOm-l!"n^tu-avnos o segasnat:
alendo V. S. noli rindo aferimeLt grave d>
Jos Francisco dos SaniiV, apresso-me eaa lagar
se digne dar Pobiicidade a aoMcia scjnrl* mte
a verdica: Rtando Jos Prnaaisco con as
lores Jfes Francisco Xarier e Sirapei i
Campet; era- companbia de Lonrenjn Rodrigue-
Campdlo, Ebediao de tale IWuiar latease e
Res, no terreiro da easa de nos desses rajpeetoau
Manoei' Jaciniftc- de Sant Anna antor de alias en-
mes) desfechoa contra o rafear Jos Fraariici.
nm tiro eom nma pistola, son coaipankain qaati
dianiaoa ; nao pedendo este -Icanca lo, M era-
pregar- e na- portada da cara ea cujo tarreira te
ach.ivarr. : sendo, porm. sagnaes- ambeo-para qpe
nao hoovesse raator desorlara, pide Mano** Jan
tho sulur-se das raaos de- qoena o tinha safara >
deu em Jos-Praaeiseo uraa sasrada, quw M cea
siderada grave pelo exame medico, procedida
auloridadn; nao contante arada eem aa
va de pratkar, eatendeu liv/naet Jaetotno
de matar a Jos* Francisca, atoraatiende o .
quando em companbia dos mesaos
Xavier e Simplicio, e em prosean de nejar J-
Martiniaxo-da Suva e Agoetinuo ntonto de f
ia para easa desaa re-idancia.
O offentor nao evadw-se sarao per-
tal vez, fosse V S. raformado-1 pelo coatraria paa-
sea sao e salvo petos arradare d logan' ara aa>*
rommattea o erme. Prwlataaalii aaitaw ao
3r. Dr. chefe de polieia. >
GAMBKL&IKA. Pedeoa desta 'arakdaaV
%o lem breaos, i quera fir de ssreito, 4*a: casrar
o abusiva eos turne do maetiatatavao tren da bwtf-
de apilar dse raais mnalas cada ves ijaa peta
raanha tem de amar oa traaaHuaowi pan o
servico; locommodando os moradoras aaasa e4aV>
FESTIVTDADE RELIGS3**.Os eaalint da
estacao do Varadoaro, em OJaarth, fetlejpaa a4-
mingo (Sn ana padroeira ^oas* Pintora d B
rio, eom o brilnantismo do cosMaat, pan pr
nada tem- poupad.
Amanha nonle ser basando o- estaodarde
da excelsa Sennora, eom a devi dtctaeii.
A festa comprar no rtomiago aslt>aanaaa
manlia, occnpaodn a tribuna sagrada a I
Francisco Verissiroo Randeira Duran: al
a banda de mnsie do 9* bttalaao de iafafHii da
guarda nacional tocar diversas trechos dn rae-
Ihores ajlores, execntando o artista BallanJa Ca-
valcante algens exercicio na corda beaba
A's 7 horas da noote eomecar o O-Onara, c
qnal orarlo Rvm. Verissiao Bandeira.
Na noute de egunda-nUra ser qstimaio nm
lindo logo de artificio.
POP. ro K>0 CEARA. SU) este trtato pianana
em Londres o Sr, engenoeiro 7. izimo Barroso om
opsculo sobre o melhonmeato do porto do Cae-
r, aisompanhado de urna danta da ciade e 4.
porto, no qual se acha tracado o plano da referid
melhoranento.
Agradecemos a offor'a de nm exanplar, ipie
nos foi obsequiosamente entregue hoalni tarde
LOTERA. A qae se acha venda a M4'
a beneficio da nova igreja de Santo Amara >
Soriahiiem. a qnal corre ao dia l.
PASSAGEtRO.Veio aa barca portngueza, Brt-
mu do Rio Grande da Sal:
lente honorario do exercito Domingo-1 jaaeira
Catira.
..I
PEHJAMBUCO.
REVISTA DIARIA.
da
GYMNASIO PROVINCIAL. Por portara
presidencia da provincia, de 5 do corrente :
Foram nomeadas: Antonia austina de Barros,
prnfe?sora publica da cadeira do Olho d'Agua dos
Bredos, na villa de Cimbres ; Liliosa SiWina de
Oliveira e Silva, pwfes3ora publica da cadeira da
villa do Salgueiro.
Foi removido o professor- publico Marcelino An-
tonio Xavier, da cadeira da villa de lagazelra
para a de S. JosA da mesa villa.
DIRECTOR PARCIAL K INDIOS.Tendo sido
exonerado, seu pedido, por portara da presi-
dencia da provincia, de 5 do corrento, de director
parcial do aldeiamento- de indios de Panema, na
freguezia da Aguas-Bellas, Francisco Vaz Cabl-
eante ; foi nomeado, na mesma dala, para o subs-
tituir o capitao Antonio Victor Correa.
TROPA DE L1NHA.Cora destino provincia
do Para acha so em nosso porto o tranporte de
guerra brasilero Werneck, conduzindo o 11 ba-
lalbno da infartara de linha, composto de 360 pra-
vas o 26 offlciaes, sob o commando do Sr. tenente-
coronel Manoel Jos do Menezes.
NOTICIA* DO SUL DO IMPERIO. -O vapor
ITrrnecfc sanio du Rio de Janeiro no da 26 do
passado.
Nasossao dosenfdo, do dia 24, foram appro-
vados em 3* discusso, paca subir sanelo, os
projact s revogando o art. 3a do decreto u. 1591
de, 30 de junho de 1869, e approvando o previiegio
concedido aos engmheiros Joaquim Piros Carnei-
ro Monteiro e Paulo Jos de Oliveira ; prosegua-
do a 2* discusso do que autorisa o governo a
contrabr um omprestiino de 33,000:000.
Nada encontramos raais nos jornaes recebidos,
que meftea mimlo.
INCRSDIO.Aote-uortem s 10 horas da nou-
te descobno-se um principio de incendio no ma-
deirarmrato da ponte da Boavista, pela parte nfe-
PUBLICACOS A PEWiO.
negocios do Ayl de codk-i
dadr-
(10.* offici,/
Tendo eu drw, em meuargo paMieatlo DU-
rio de 20 de julbo, que no Asylo s se poda e-
tabelecer a enfermara de ya prarira, depois *.
reconstruc^u dcoutro raio- do edificio, o Exm. Sr.
provedor da Santa Casa da- Misericordia, contsta-
me a.--sim :
t Nao pens dsta meneira o actnal dire.-fc*
que est cuidando em. faxer preparar mu en
ferraaria provisoria, como se v- do tre-.'ho *
sea relatorio.de 27 de jolbo ultimo, qoe por sapu
n. 1 tenho a honra de enviar a V. Exc.
Nao pens anda hoje de modo diverso o ir
pensava quando era director do Asylo. nao ea-
lante o cometido des! trecho da enVio do Sr. nr.-
vedor.
Fazer despezas cwa urna enfermara provuara
e depois.repetir essas despezas eom a lastallac*
da effectiva, me parecen seaspre nma idea ant-
econoraica, e nao comida nos principios e rig>i
rosa economa que prega o Sr. provedor.
O meio, por Unto, de salisiazer a naeessulaje i
que se allude, ra dar prarapta exeeoca a da reconstruccao do ontro rai do edncio, coa
o ped por duas vezes a presidencia, e o estaruu
nou a assembla provincial.
Alem de que na parte do edificio qne est ee
funecoes, nao lera lugar capaz pan se estte!
cer a enfermara provisoria, e a prora est, en tn-
o meu successor aproveitando para isto aas ap>
sentos, qae en destinara para as onents nw -
deveriain eslabelecer ; depois de fritos os prep-
rns nacessarios, reconbe^eu o medico ana falta
alli condiedes para fu accionar a injarcatrii. man
nuanio at hoje a seren tratados n statrs a
hospital Pedro II
V -e, pois, que eu nao andei errado era a*
crear a enfermarla provisoria, o qoe al irn-.
como irouxe, o inconveoient? de mal
tardar e prejudcar o estabeJeeiroeet
de que traa o regulamento de 21
1869.
Quanto a remetsa dos meadtgos para an,
tal, nao entrarei as raracitiidadBi aqaed scerv
o Sr. provfdor, oem me inieretta, ao "flan
em quanto, saber cono n procede aa tospilal PV
dro II. Disse apenas o qne se pasen.
Nao havendo enfermara ao Asylo,
qoe a Santa Casa te recusara a i~
raos mandados pelo Sr. neta e pt
miiii?sem os mendigos por eonta do pairtnni
(
l imam



mm
I*


HJTUO l Aflm AIA&*
'Mii ; n.
Ai^o, sempre que d'afli fossea maneados .gafeo
hospital.
Por nrdwtiJo Sr. conego Rophael e depois do
Sr. Pf-^tffftTyeve^, o hospital nio recusou mala
ftra*<*44aikiM|iM o Asylo teria so a pagar
tepnWOTKi despea taita, e nao urna diaria
4e 1*080. Assim cono os oatros estabelecimen-
tos de earidade indeimisam, como di o Sr. pro-
vedor, o patrimonmo nospilafcfrt wo oV des-
pere qae acarretam, era Justo quo o AsyK qne
aranera estabefedmento sujeito a Santa Casa,
tro uato fteessn; as engrar-se-lnn fBaona su-
perior a despezarle ocoastonara, fanhf-ie agiota
Ca en prejoia d'elle, foi de certo o OXe nunca
me persuad 49 acn lacease i
JSo contova qofi a i ni Bisada do Sf. trovador ao
Asylo fosse lie loiige.
Entre laate o Asylo qae mandava o tea medico
reeeiter os seas daemes rocoInMo ao hospital Pe
droILe pagava UOOO-por cada nm, nao podia
contar qot alera de francamente alimentados, nem
on leite se de reponsava n'um eolxio atirado ao chao!
J*eis ram aisim tratados o asylados ho hospi-
tal, dorante 0 lempo em fai director do asylo. Se
isla nio urna prova da m vontade do Sr. prove-
dor aquelle eitabelecimealo, gor quando menos
da falta de earidade com qae eram tratados os
asytado- ; pelo que pagava-se somma superior
deapeza qae faziaio.
Diz ainJa o Sr. proedor que a irmi superiora
do hospital fora que, de arbitrio seu, tirara a dia-
ria de JOUO, o que a junta apnrovou I
Creio que o negaoio nao se pasin assim com
tanta iuoooencia, par que rae consta qne S. Exe.
diste ama w em junta, que aquella diaria era
omito diminua, a, por -Uta, devera ser elevada a
11500 ; mas aio farei disto argumento.
Quero tmente extraahar que o Sr. prevador
aeeitasse lio deecaidosanaente a resolucao da ir
di superiora, e nem ao menos ubiectasse a essa
diaria excessi va, e com ella se cooforraasse intei-
ramale I
Feto isto, aada mais direi sobre este assumpto.
Recife, 6 de oolubro de 1870.
. P. Barreto di Mello Reg.
. AppaHante, Manoel Jos Correa.
Ar.pellado, Maooel Jos de Oliveira Mello._
Apartantes, Francisco Xavier
Panto Oenoalves de Oliveira.
Appellado, Antoaio Goncalves de Oliveira,
Appellante, Joio de Monra Florencio.
Aupellados, Antonio Fernandes Peijoto Rqsal, e
,Appenaanes ntobaagantoi, BnUnvir Lope le
Lona etta, munar.
ppeHnnos emiarhatM, Francisco Cordeiro da
Cnn e sua raumar.
Appellanles, tenente-coronel Jos Vi aira de
Araujo Petxoto e toa muiher.
Appellados, Maneel da Costa Pinhairo, raa mu-
Iher e outres.
Appellaat?, bario de Mari beca
Appellado?, Francisco Careado da Fonseca e sua
raulber.
Appellantes, D. Anna Josepha
Santos.
Appellado, Domingos da Silva Campos.
Ao que sob a epigraphe de Gymnatio Provin-
cial, se tem ltimamente publicado no Liberal,
e so continua a publicar., veubo hoje .respoader,
trazendo ao eofineciraenio do publico as verda-
deirss eauaat da deraissio d'aquelle empregado,
que est servindo de anleparo a alguem qae
furto procura doestar-ine u'aquellu jornal.
Da representado, abaixo transcripta, qne acom-
paahou o oflietoqje dtrtgi aoKxtn. 6r. presiden-
te, solicitando a demasi daquelle eropregado,
consternes verdadeiros motivos de sua exone-
racao, nao qaereodo eu fallar da oatros que por
si sos seriam sutBcientes para justifica 4o, e
vista delles decidan) todos se me era licito deixir
de representar contra a eentinoacao de mn tal
fimccionario,era am estabeleeimento de edaeacao,
como o Gymnasio.
Tranecripcio.
, aa despedir-perg
a algma de sj"
Hecifa, tle ouWBro do IfJB. -----
ttertstava mais e&peranca alna de sal-
vafSo.
UUCAO DOS rnocssos PRTINCENTCS ao CABTOfUO
DO RSCMVAO DE APPgLLACOES fTW CAMPELLO,
O! SE ACRAM PASADOS POR FALTA DE PAOAMEMTO
BC SBLMS E A69tGNATRAS DE EMBARGOS.
Appellante embargante, Flix Jas do Reg.
Appellado embargado, Jos do Reg Granja.
Appellante embargada, a rete -Silveria.
Appellado embargante, Maooel Felippe Vander-
ley Los.
Appellante embargante, D. Josepha Joaquina da
Appellado embargado, a parda Virginia.
Appellante embargante, Joaquim Juveock da
Silva.
Appellado embargado, hachare! Cicero Odn Pe-
regrino da Silva.
Appellantes embargados, Joao Miguel Teixeira
Lima e ouiros.
Appellado embargante, Paulino da Silva Min-
dello. *
Appellantes embargados, Manoel Francisco Viei-
ra e outros.
Appellado embargante Manoel Odorico Caval-
cante de Albuquerque.
Appellante embargante, Goncalo Francisco de
Oliveira.
Appell'do embarga lo. Galdino Tavares da Silva.
Appellanle embargante, a preta Jovina.
Appellado embargado, Joao Teixeira da Rocha
Appellante embargante, Aprigio da Silva Pinto.
Appellado embargapo, Jas Pereira de Oliveira
Ramos.
Apoollantp embargante, Jos Ignacio de Brille.
Appellados embargados, Jos Alexandre Seabra
de Mello e outros.
Appellantes embargantes, Francisco Gomas da
Luz Freir e sua muiher.
Appellado embargado, Jos Francisco de Vas-
, CQBceUog.
Appellante embargante, Manoel Cavalcante da
Cosa.
Appellado embargada, Joaquim Marques da
Cesta Soares.
Appellante embargante, D. Theotonia Leite Mon-
teiro.
Appellados embargados Felippe Nery de Olivei-
ra e sua muiher.
Appellante embargado, Antonio Lins Alves Pe-
qoeoe Jnior.
Appellado embargante, Antonio Francisco de
Brillo.
Appellante embargado, Joao Cleofaz de Lomos
e fliascimenlos.
Appellado embargante, tenente-coronel Jos Ma-
ra dos Santos Cavalcante.
Appe'lanles embargantes, Silva Leao A C.
Appellados embargados, a viuva e herdeiros de
Alexandre Jos da Silva.
Apjieante embargante, Antonio Pedro do Rosa-
rio.
Appellado embargado, Joaquim Bento de Mello.
Apprthnles embargantes, D Anna rsula da
Oliveira e D. Felisarda Joaquina ds Azevedo.
Appellados embargados, as mesmas.
AppeMaato embargada,. Thereza Carneiro Lins
de Miranda.
Appellado embargante, Hermenegildo Eduardo
do Reg Monteiro.
Appellante embargado, Joaquim Salvador Pessoa
de Siqueira Cavalcante.
Appellado embargante, Jos Domingues Maia.
Appellante embargante, a irma Maria Foi
Melly Lezat.
Appellado embargado, oDr.Henrique Krause.
AppeiUnw embargante, Rozendo Francisco de
Oliveira.
AppeUadoembargado, o curador dos libertos
Manoel, Antonio e Francisco.
Appellante embargado, ojuizo ex-ofcio.
Appellante emoargante, Andr Umbeline de
Aimeida.
Appellantes embargados, erculano Fraacalino
Cavalcante de Albuquerque e outros.
Appellado embrgame, Manoel Elias de Moura.
Appellantes embargados, Maria e seus Qlbos.
Appelladoa embargantes, tenente-coronel Joao
uesado Filgueira e outros.
Appellante, Martinho Borges.
Appeliado, Miguel Antonio dos Sanios e sua
muiher.
Appellantes, .'us Xogueira de Barros e sua
raulber.
Appellados, Joaquim da Costa Aranjo e outros.
Appellante, Man >el Colho Pinbeiro.
Appellado, Manoel Doarte Rodrigues.
Appellante, Carolina Francisca Cavalcante
de Albuquerque.
Appellado, Ladislao Rodolpho de Araujo Cesar.
Appellante, Francisco d'Assis Athelano e Souza.
Appellado, Jos Serapio Bezerra de Mello.
Appollanles, Eruestu Augusto de Manguaba e
sua mulfeer.
Appel ados, Antonio da Rocba Accb Wander-
ley e outws.
Appellaste, Jos Francisco Saraiva.
Appellado, Jos J aqaiaa Leite.
.-ppellaate embargante, Jos Jeronymo de Albu-
querque.
Appellado embargado, Francisco de Oliveira
Lima. ,
Appellante, Joaquim de Azevedo Maia.
Appellada, t. Isabel Carolina da Albuquerque
Lins.
Appellante, Aatonio Maria do Sacramento.
Appellado, Dr. Antonio Borges Leal.
Appellante Fraacisco Pires dos Santos daval-
ante.
Appellado, Manoel de Souza Lima.
Appellante, Praneieo Xavier Lopes.
Appellados, Jes do Reg Barros Wanderley e
seos Albos.
Appellante embargado, Sesesnando Sergio dos
Santos. .
Appellado embargante, Vieente Ferreira Padilha
Calumby. '
Appellante embargante, tenente-coronel Ameri-
eo Nel! Ftrtmano de Moraes.
Appellado pmbar^do, Manuel Machado da Silva.
Appe lant;- Jos Paulino Malveiros e outros.
Appellado, Frineiseo Aires Bezerra.
Appllante, Jo* Francisco Pinheiro Caj
Appellado?, Framysco Manoel de Urna e sua
muiher.
Appellanle, Marianno Marinho da Rocha Wan-
derley.
Appellado Man -el Jos de Lima.
Appellante, Jlo Victoriano Pereira.
Appellados, Joao Francisco de Miranda e sua
HNMMf
Appellante, Antonio Francisco Pereira*da Cu-
uua.
Jo= Francisco Pedros e sua mn-
O fcacharel Alvaro Oeha Cavalcante, pede a V.
Exc qae Hie mande dar por cerlidao a represen
cao qne acompanhon o offlcio que o supolicaate,
quando regador do Gymnasio' Provincial, endere-
coa a V. Exc, solicitando a demisso do porteiro
do mesmo estabelecimento; assim como o theor
da portara com que aprouve a essa presidencia
demlttir aquelle empregado.
O supplieante lera de responder as injustas ac-
cusoces que Ihe estao sendo diariamente frites
em um dos jornaes desta cidade, e a bem de sua
defeza pede igualmente a V. Exc. permissio para
dar publicidade as supraditas certidS^s.Nestes
termos pede a V. Rxc. deferlmento.E. R. M
Recife 4 de outubro de 1870.
Alvaro Ucha Cavalcante.
Illm. Sr.Anda pela segunda vez son forcado
a trazer ao conhecimento de V S. minhas recia-
macoes acerca do comportamento para comigo
guardado palo porteiro d'este estabelecimento, An-
tonio Joaquim de Oliveira, o qual me recebe sem-
pre com despreso provocador, quando eu, como
professor, n'esle instituto, teoho alguma vez occa-
siao de dirigir-me a elle para entregar-lhe as
notas semanaes sobre o aooroveitamento dos alom-
aos de minha aula, e que por seu intermedio pro-
curo faier chegar as raaos de V. S. E mais
ainda succede, que o mesmo porteiro, perante os i
alumnos em minbas costas procuri sempre re-
dicularisar-rae, empregando epithetos afrootosos,
desmoralisando o ensino d arte de que d m li-
CSes. Semelhanie procedimento tao reprovado,
pede terminantes provldenrias, que sao de espe-
rar da recta jutica de V. S. at porque deve a
taes descommedimentos ser posto devido termo,
em jirdem a evitar qualquer conflicto on provo
cacao, que ser taeil em commetter aquelle em-
pregado. Aguardo de V. S. as nstenles provi-
dencias que o caso urge.
Deus guarde por muilos annos. Gvmnaslo, 10
de setembro de WO.Illm. Sr. Dr. Alvaro Ucha
Cavalcante, dignissimo regedor do Gymnasio Pro-
vincial. O professor, Joaquim Jos de Carcalho
Siqueira Varejiio.*
Procedendo as9tm como acabo de o fazer, no
tenho em vista entreter polmica com a pessoa
que tem assignado aquellas publicac&es, nem com
o autor deltas.
Inspiradas pelo odio, e a maledicencia, nao me
cabe, por certo, aquilatar o merecimento de se-
melhantes aecusacos : entretanto, ellas trabem
a sua origem que ihes imprime o conceito em
que ge ramente tida
Dando por este modo satisfaco de mim ao pu-
blico, protesto nao voliar mais a imprensa para
explicar-me sobre tees argnic3es.
Recife 5 de outubro de 1870.
Alvaro Ucha Cavalcante.
W: 0H3l*rJR Mil ORM
ttUUate, nem como confereiti, atoll
2BU qae vi' toi na nW de 7 de
1 deste anoo, vepera i* norte do te-
la ftraipca> t^W>ljael Joio de S e flBtiqatfuae.
Dr hagum iqttjno fonceca.
Tributo de gratula.
Nam-eo metijoraclo se?rvaratn t3o
lodelMs inprenBes de rccoheciinento
por awres de subido leiticarecebido da
ingenua e extremosa amizade, feo que amel-
las, que actaahnente, sobrfccedendo a
os impulsos-d'alraa, mewtlade coo-
tiMo avivando 1 moooria i Iieqai?ocas
provas da solicitude. desvelb e affanoza
assirjTjjdade, qae o Illm. Sr. Janoel Fran-
cisco Marques e sua Exm fanilta tomanm
por timbre de nobresa dos afectuosos sen-
timentos, que mito ns distingue e cararte-
risa, para consagra-las no ewrdo lraU-
mento com que assistiram longa enfermi-
dade, de que fei victima e Iwou fialmeate
i sepultura a nimba presadsima e nuoc
asss pranteada esposa.
No regaco da bospitalidaje. no zelo e
dedicaco prasaoteira e nuniyaeai genero-
aside lio respeitavel familia reeebeu aqael-
i\ companheira do meu peregrinar as mais
mimosas caricias e iofatigaveis cuidados,
que-humanamente be poswi-el dispensarse
e favor da creatura, que se acba prostra.
da no leito da dr e na terrivel Inta das an-
gnstias da morte 1
E havera palavras, qi pjssam exprimir
como mister, as effusoes de grato reco-
nbecimento, que por sfrvicos de t5o alta
mportaocia cumpre trillotar magoanimi-
dade de queu se oroi com a excelleocta
de taes dotes I N3o o creio : e se por ven-
tora as h, n5o as atinge, por certo, a in-
sulficiecia da minba comprehensSo, que
apenas sabe resumir todo o expaisivo de
meus puros sentimmtos na singelesa da
phrase=Gr MOVIMEMTO DO PORTA:
"* o na.1------------.
Navios entrado no itm. 1
R de Janoro pela Babia10 qiaa 4a*rimelro e
SJo- legando, transporte naeionar Wmuck,
eMmandante capillo de fragaw Cutrin. Tfa
de pasaagem para o Para o 11- batalhSo de
infwrtv de linha- am m raras *-
. ciaes. ^ "
lio CflMdo do Snl-32 dias, tarca pon
titimm, de 290 tonelada, ea; itio Joao _
de Santa, equipagem |1, carga 10:880 arrobas
de carne ; David Ferraba Botar
Baha8 dias, barca portugaen Vooo Elisio, de
331 toneladas, capfcao Luix Palippe da Cuna,
equi|ein 13, carga 1161 saceos com farinha
de mandioca e outros genero*; a Aninm Ir-
mao C
Trieste73 dias^ lagar ingle Emblyn, de 193 to-
neladas, capitao Ciittinghaa, equipagem car-
ga 1:355 irrica.i c< m (arinha de trigo :
ordem.
Navios sahiios no mesmo Ha.
GoyannaVapor brasileiro Parahyba, comman-
dama OMvaira, em lastro.
S. Matheus Sumaca brasileira Bella Carolina,
eapilao RJnardo Garvaaio da Sant'Anna, m
lastro.
1 1 1^^

EDITAES.
Perante a cmara muicipal desta cidada es-
tar am praca nos dias 4,5, 6, 7 a 8 do correte,
para ser arrematado por qui:i maior proco oflere-
cer o imposto de 110 res, por carga de farinha e
legamos vendidos nos mercados pblicos desta ci-
dade na importancia de 3:000*0o0.
Os pretndante* a tal arremauco eomparecam
nos das indicados no paco municipal, munidos de
suas Saneas na forma da tal
Paco da cmara municipal do Recife 3 de outu-
bro de 1870.Ignacio Joaquim de Seaza Leao, pr-
presidente.Lourenco Bezerra Carneiro da Ca-
nha, secretario.________, _________________
O inspector interino da alfandega faz publico
que existindo nos armazens da mesma reparlicao
os volumes abaixo declarados no caso de seren
arrematados para consamo, eomprehendidos as
disposiedes do capitulo 6.*-titule 3.* do regulamen-
to de 10 de setembro da 1860, os seus denos ou
consignatarios devero despchalos no praso de
30 dias, sob pena de Ando elle serem vendidos
por sua coate, sem qae Ihe fique eompetiudo alle-
gar contra os- efleitos deste venda.
Annazem n. 1.
signados na dita relelo.
Secreteria da thaeooraria da faienda dePernam-
bueo 3 de ontubro de .1870.-Servindo da offlciai-
maior, Manoel Jos Pinte.
hRelacao.dos terreuos de marinha em ?ora d Por-
ta*, a que se refere o anonado- cima.
N. 11.Antonio Jos Coelho.
N. M.JosggJnaome TaaanJanier.
?' ? A^^10^ Car4"0 a**'eia. '
N. 28.^DoHingoenrii|na Mafra,nemotanir de
seu limo ieodato.
N. 31 B.ajara Se vario* da Rocha. Lina.
N. 33 B.Jos JoaqoJm de Castro Moura-
N. 33. aDr. Manoel Francisco Teixeira.
N, 41.Antonio Aires Barbosa.
N. 48,-Joj* Fernaades daSMva.
N. 55.Joanuim Lopes de Aimeida.
N. 168 CDr. Frederico Miguel de Sonza.
N. 168 aO mesmo.
ftd9~Padre Jo5 LBaPlista de Albuquerque.
H Tof fr-0 mesmo.
N. 168 G.Manoel da Silva Lopes.
N. 168 H.Francisco Jos dos Passos Guimaraes.
N. 168 I._Thomaz Teixeira Bastos.
N. 309. Joai|uim Lopes de Aimeida.
" ij}2-~to*> Maques Cortan.
s. 313.Josa Fernandos da Silva.
. 318.O mesmo.
N. 319.Manoel Estanislao da Costa.
N. 32Q.-Domingos da Silva Mofla.
W. 324.Domingos Henrique afra, como tutor
de seu ntho Deodato.
N. 326.CatuJioo Goncalves Lessa, Mara de Bar-
ro? Correia Lessa.
N. 336 A.Manoel Jos do Nascimento e Silva,
H. 336 B.-O mesmo.
N. 338.-Jos Fernandes da Silva
N. 340.O mesmo.
N. 341 A.Antonio Rodrigues de Oliveira.
I*. 341 B.Jos Fernandas da Silva Manta.
N. 342 A..Autopio Henrique Nafra
N. 344 A Jos Joaquim Bezeraa Cavalcante.
N. 345. -Joaquim da Silva Lopes.
X. 345 A.Alexandre Joaquim Satyro.
Marea F D.ff. 143.1 eaixa vinda do Havre
E j que, ueste siap'es e por demais hu-1na barc fraoceza CoUgny entrada em 4 de feve-
milde tributo, vai wdo o valor da minha nora-se
cordea1 offerenda, g'ja-me permittido tam-
Trllhos
urbanos do
a Apfpueos
Reelfe
Nesles ltimos das tem sido demittidos a maio-
ria dos conductores de 2* classes, e outros teem
sido suspensos do exercicio de suas func,3es.
O Sr. liawlson embora circumspecto, e bem in-
tencionado como deque Ihefazemos jsiifa, nos
permittir dzer-lbe que algumas dessas demiss5es,
e suspensoes, foram injustas, resultando dellas
grave prejuizo a algumas familias, cajos ehefes,
ou protectores tiravam o meio de subsistencia
do ordenado que tinhara como empregados da
companbia.
A intriga que inseparavsl dessas corporaedes,
maxime^nesta trra, persegue ao homem honesto
at reduzi-lo a essa demisso deponente de seu
crdito, lirando-lbe portento'o pao : pois mister
que aquelle aquem incumbe a direccaotinha ranite
prudencia, e esernpalo na aequisicao de empre-
gados, e urna voz feita este, deve duplicar o es-
crpulo para a exonerado, o Sr. Rawlson digno
gerente da companhia, com e.Teito dolado de
boas qualidades, qne o recomendara ao geral res-
peito, mas sua prudencia, sua boa f etelvez cla-
queada eclipsou, quando algnns empregados sin-
ceras soffreram castigo de demisso, e suspensao.
D'entre algumas victimas talvel da calumnia, se
conta o Sr. Figueiredo que acaba de ser suspenso
por 15 das. Ora, o Sr. Figueiredo um dos em-
pregados mais antigos da companhia, que sem
pre tem com respeito a dignidade cumprido seus
deveres, pai de familia pobre, com effeito in-
justa sua suspensao, principalmente tendo esta
sido decretada, sera elle ser ouvido para jnstiQ-
car-se.
Estamos certo qne o Sr. Rawlson foi levado
pelo desojo que tem de fazer m*Inorar oservico,
acreditando sem dnvida que houve alguma falla
da parte do Sr. Figueiredo, mas tambem acredita
mos qne o 5r. Rawlson.'melhor informado, far
jostica restituindo o exercicio de suas funecoes
ao Sr. Figneiredo. Assim espera
O amigo da verdade.
bem fazer coopartfrpantes delta os Illms.
Sr. comendador Francisco Jlo de Barros,
JoSo Licio Marquei, Dr. Leopoldino Antonio
da Fonceca, Rv. padre Antonio Albuquer-
que Mello e Salvjdor Leite Vedigal, que no
aflictivo transe por que hei passado, se
deram a revelar como soem ser os amigos
sinceros e verdadeiramente devotados.
Recife. 4 de outubro de 1870.
Manoel Joaquim da Silva Leao.
N. 517 MODESTIAS DEVORADORAS DAS
CARNES.De das ellas, o cancro urna das
niais horriveis. Logo que hija a menor snspeita
da sua presenca. recorrei inmediatamente sal-
saparnlha da Bnstol. Muilo inbora que as ap-
paraocias extar-ias que lovam a su-yeiur-se, seja
cancro ou oo, comludo nao deixara de clara-
mente mostrar no seu aspecto a presenca de ma-
teria viciada no sangue e este incomparavel
depurativo a desarraiga e expulsa promptamente,
extirpando as suas causas existentes na circulacao.
Qualquer molestia d'om carcter tumuroso, ery-
sipelloso, canceroso, e ulceroso, assim como toda a
especie de erup^oes eserofoosas, escorbticas, e
laperosas sao segura e perfeitamente subjugadas
mediana este maravilloso detergente. Pode-se
quasi chamar um remedio seguro e que nao fa I ha;
j o mesmo nao se pode dizer de nenhura outro
agen.e medico coobacido. Usando-se das pilulas
assucaradas de Bristol, coojunctamente com a
salsaparrilha, aprossar-se-ha muito a coja.
N. 318. ERPGES INFLAMMATORIAS'. -
Beta poucas sao as inolsslias da pella, qne nao sao
distinguidas por svraotaraa constitucionaes, que
sejam la > pengosas como as erysipellas. 0 seu
assenlo e na epldarme ou palle exterior, e durante
a sua existencia os vasos superciaes achum-sa
subearregados d'um virus infectante. No en tanto
ella cede com urna rapidez e promptidao quasi in-
crivel s qu.ilicades depurativas e contrairritanles
da salsaparrilha de Bristol. Todas as erupcoes
exteriores, taes como herpes, empollas, bortmlnas,
espinhas, empigens hmidas e seccas, rubor in-
flammatorio, cobreiro ou herpes miliares, lupus
prurido, linha ascamosa ou furfuria, rupia, etc.,
ate., todas estas enfermidades sao promptamente
extirpadas mediante o uso deste incomparavel es-
pecifico vegetal. O venira de ver conservar-se
livre e dssembaragado, para cujo fim use-se das
pilulas assucaradas de Bristol, pois o melhor a o
mais seguro de todos os purgantes at hoje conbe-
cidos e nada ha que com ellas se possa com-
parar.
idem,
COMMERCIO.
Appellados,
lher.
AppeHaotes, a viova e herdeiros de Francisco
das Chagas Cavalcante.
Appelhdo, Chrislovio Xavier Lopes.
Appellaales, Joao Lopes Ferreira e oatros.
Appellados, Antonio Jos Maria e sua mulber.
Appellante, Victeriaoo Lopes da Cosa
Respondo a noticia qne deo o Liberal de
hontera, acerca do conflicto er.tre Manoel
Jaointtio de Sant' Anna e Jos Francisco dos
Santos, declarando qn faho que o refe-
rido Manoe! Jaciotbo passeie impone, depois
de ter praticado o facto, que se refere o
Liberal.
Nio estando eo actualmente em exercicio
das foncc5es policiaes por doente, todava,
se soaber onde se acba homisiado o lefdrido
Manoel Jacintho, empregarei todos os meio3
para sua captara; e agradecerei ao Liberal,
se indicar o lugar onde diz que elle transita
livre e soHo.
Magdalena, 7 da outubro de 1870.
Bearmno do Reg Barros.
Mote.
Por minhas alias facanbas
Eu pretendo um barooato.
GLOZA.
Alto em corpo, grande em mantos,
Com o chapeo de sol ao hombro,
A todos j causo as ombro
Por minhas altas facanhas.
J ni. sao ellas estranhas,
Nem ao men r clo, < n gato ;
E como a liba do Rato
Inda n3o tem om barao,
Aproveito 3 occasiSo :
Eu pretendo um baronato.
O Phunlatma.
PrtAQA U RECIFE 6 DE OUTUBRO
DE 1870.
AS 3 i/2 HORAS DA TABDI
Sarabio sobre Londres 90 d|v 22 3(8 a 22 ii2
oor U0O0.
Cambio sobre Lisboa 90 drv 140 0(0 de pre-
mio (hontem).
Goncallo Jos Alfonso,
Presidente.
Pelo secretario,
A. P. de Lomos.
ENGLISH BANK
Of Rio de Janeiro Limited
Descoata lettras da pra?a taia a con
'encionar.
Piecebe dinbeiro em conta correte ni;
I raso fixo.
Saca vista on a praso sobre as cidadei
jrincipaes da Europa, tem correspondente!
aa Bahia, buenos-Ayres, Montevideo, e^
i New-Orleaus, e emitte cartas de crdito
jara os mesmos lagares.
RA DO COMMERCIO N. 36-
ALFANDEGA.
ttanttimentodo.l.ala .
dem do dia 6 .
131:1774142
35:381*723
166:538*867
Descarregam hoje 7 de outubro
Bngue norte-allemo.4nn Helene farinha de
trigo.
Escuna norie-sllemaoBeinhardidem.
Brigua inglez-tTo#rX Comminsdiversos g-
neros.
Barca glezaPatriotidem.
Barca ingiera Roderich Dkuierro.
Barca ingiewSea Quemidem.
Hiale nacionalJoven Ar/Aurdem.
No vapor ingtez Amazon, para Liverpool car
regaram : Saunders Brothers 4 C, 294 saccas
com 22,780 kilos de algodao; Manoel Fernandes
da Coste & L.. 232 saccas cora 17JW0 kilos de al-
godio ; Joio Fernandes Lopes, 553 conros uta.
dos com 6.66 kilos. ^
Na barca franceza Coiipnj, pana o Havre
earregaram : Tisset freres 81 saccas com 877
kilos de algodao.
fCBBKDORlA DE RENDAS INTERNAS h-
RAE3 DB PERNAMBUCO.
tandimento o a 1 a 5 6:8234657
4D do da 6. -.. 5:136*864
8:9604521
AO PUBUCO.
.I? E ai e(Jaivocs. qe se procura
entreter, declaro qUf, nao tom i parte al-
guma no tralamento do nnado Dr. Victoria
no deS e Albuquerque, nem como medico
CONSULADO PROVINCAL
ven.vimocto do da I a o 7:2074531
Mam 4o da 6. ....... 7714199
7:979*690
reiro de 1870 consignada a Dubarry;
cometido.
dem quadrado H L.N. 72.1 dita idem
idem, consignada a Henry Lagar : idem.
dem F D.Ns. 141 e 1112 ditas idem idem,
idem; ignora-se a consignacao e cometido.
dem J A A & C N. 227.1 dte idem idem,
consignada a Joaquim Antonio de Araujo & C.:
idem.
dem J A A & CN. 7330.1 dita idem idem,
idem: Idem.
dem C F.N. 7330.1 dita idem, idem idem,
consignada a Dubarry: idem.
dem CMC P.Ns. 291 bis e 292bis2 ditas
idem Idem, entradas em 8 do mesmo mez, consig-
nadas a Francisco Gomes de Oliveira Sebrinho :
dem.
dem diamante R A C. N. 6 a 15. 10 ditas
Wem, dem idem, consignadas a Antonio Luiz Oli-
veira Azevedo & C.
Armazem n. 6.
Marca F P.N. 313.1 caixa vinda do Havre,
no bngue francez Paiestro, entrado em 4 de mareo
de 1870 : ignora-se o contedo e a consignacao.
dem F RNs. 312 e 315.2 ditas idem idem,
entradas em 5 do dito mez : idem idem.
dem F PNs. 319 e 310.2 ditas idem idem,
idem, idem : idem.
Wem F. 314.1 dita idem idem, entrada em 7
idem : idem idem.
dem T. J.Sem numero.27 saceos vindos de
New York no patacho inglez Mary Crowel entra-
dos em 8 idem : idem idem,
dem T J.Sem numero.3 saceos idem dem,
entrados em 11 idem : dem idem.
Armazem n 8.
1 eaixa sem marea e sera numero, vinda de
Lisboa no navio portngnez Relmpago, entrada
em 30 de junho de 1869 : consignada a Joao E. da
Silveira.
Marca diamante F.N. 8753.1 barrica vinda
de Liverpool no navio inglez Mary Field, entrada
era 9 de dezembro de 1869; ignora-se o cometido
e consignacao.
dem J M P.Sem numero.50 caixas viudas
de Hamburgo no navio dinamarqnez Wtl hhnine,
entradas no !. de fevereiro de 1870; consignadas
a Jos Mara Palraeira : ignora se o contetido.
dem M J.Sem numero.98 ditas idem idem,
idem; consignada a Francisco A. Monteiro Jnior:
ignora-se o cometido.
dem H W B 4 C dem. 200 ditr.s viadas
do Havre, no navio francez Fgaro, entradas em 26
idem, consignadas a H. Wilraer: ignora-se o con-
tedo.
dem A & C CNs 804 a 823.20 firdos viu-
dos do Havre no navio francez TVoi Freres eo-
trados era 17 de marco de 1870; ignorase a con-
signacao e conletido.
dem A L R L B CNs. 129 a 138.-10 aixas,
idem, idem, idem, idem, consignadas Antonio
Lopes Rodrigues : ignora-se o contetido.
dem A L R L B C N. 17.1 dita, idem, idem,
idem ; ordem ; ignora-se o contedo.
Mera R S & C. N. 408 a 409. 2 barricas
vindas do Havre no navio francez Mousse de Non
tes, entradas em 4 de abril de 1870: ignorase o
contetido e a consignacao.
dem H 4 A. Sem numero. 1 barril vindo
de Liverpool no navio ingles Pascal, entrado em
26 de maio de 1870, consignado Henrique 4
Azevedo: ignora-se o contedo.
Armazem n. 9.
Marca A G. Ns. 1 a 4. 4 caixas vindas do
Porto na barca portugaeza Despique II, ntrala
em 11 de fevereiro de 1869, consignadas Albn?
Jos da Silva: lgnora-se o contetido.
dem J. R. N. Sem numero.1 dita viuda do
Porto m brigue portuguez Triumphe, entrada em
29 de maio de 1869, consignada a Jos Francisco:
ignora-se o contetido.
dem Manoel Furtado.Sem numero 1 eaixa
vinda da ilha de S. Miguel na escuna portugueza
Dias, entrada em 26 de novembro de 1869, con-
signada Manoel Furtado : idem.
dem Pedro Jos da Coste Mello. Sem nu-
mero1 gigo, idem, idem, idem, consignado Pe-
dro Jos da Costa Mello : idem.
dem J P S Sem numero. 1 barrica, idem,
idem. entrada em 27 de novembro, consignada
Jos Pinto de Sonza: idera.
dem lettreiro.Sera numero.1 eaixa vinda de
New-York no patacho americano Iza, entrada em
13 de dezembro de 1869, consignada H. Forster
4 C. : idem.
dem C B Sera numero.1 dita, vinda de Li-
verpool no vapor inglez Olinda, entrada em 22 de
dezembro de 1869, consignada Thomaz de Aqui-
no Foneeoa 4 C. : idem.
dem J. Sera numero. 1 dita (despachada).
dem J P H.-Sem numero. 1 volume, vindo
do Porto no navio portuguez Seguranca, entrado
am 29 da dezembro de 1869; ordem : dem.
Sem marca e sem numero. 1 eaixa vinda do
Porto no navio portnguez Unida, entrada em 4 de
marco de 1870, consignada Francisco Moreira
Pinto Barboza : idem.
Sem marca e sem numero. 1 grade de ferro,
vinda de Liverpool na barca ingleza Imogene, en-
trada em 26 de marco de 1870, consignada H.
Wiison,
Marca J H 4 CSem numero. -1 caia vinda
de Livorpool no vapor inglez Sapphire, entrado em
30 de maio de 1870, com amostras : gnara-se a
consignacao.
Alfandega de Pernambuco, 5 de oulubro de
1870.
O inspector interino,
Luiz de Carvalko Paes de Andrade.
0 abeiio assignado haveodo effeotuado
ao Illm. Sr. tenente-coronel Jos Joaquim
do Reg Barros, ultimo administrador do
margado da Sanio Amaro nesta cidade, a
compra de todo o terreno qae eal Fra de
Portas era pertencente ao mesmo morgado
a saberas roas do Pharol n. 2 at a
casa o. 68, e d'ahi seguiodo pelo corredor
da casa n. 63 da raa do Pilar, becco da
Molefa boje travessa da Fundic5o, raa dos
Gnararapes, pelo lado que olba para o po-
ente,ate a ultima casa fronteira a forta-
leza do Brum sempre do mesmo lado, pre-
vine a quem estiver de posse desses solos
qne no prazo de 30 das, contados desta
data, venba com elle eniender-se na ra do
Imperador n. 21, para reconhecer o seu
dominio directo e sat'rsfazer-lhe opportnna-
menteo laudemioe os foros que estiver a
dever.
Recife, 5 outnbro de 4870.
Joaquim Lopes de Aimeida.
Sala das'sesBes do conselho de eon^ras
6 de ootnbro 4 1870.
Osecrattho,
__________Alexandre RoirUjai *
IBEA1B0
SANTO AfftMO.
Companhia-r-franceza
8a RIOTA M A88KNATUHA.
Sabbdo 8 de outubro.
Ouvertara pela orchemra.
O espectculo dividido em qoatro partes.
PRIMEIRA PARTE.
Representar-se-ha pela segunda vez, a opera
cmica em 1 acto
Un amour d'epicier
Personagens. Antnftn.
Vorraieelle........ Mr Macis
Regliae-.......... Mr. Cara*
Br''........... Mlle. Marietle.
SEGUNDA PARTE.
Mme. de Val-monea, cantar o lindianirao ROR-
DEAU da opera
&a 5>aw ?a<9CT
TERC8JRA PAUTE.
Subir acea a muilo linda e anpinndida nt-
rete am nm acto
LA CANNB DTN GR AND HOMME.
Personagens. Actores
Langlume........ Mr. Carn.
Bandrillarn...... Mr. Rayuau
Seraphiue........ Mlie. Cboiberl.
Nanette......... HV. Marietle.
QARTA PARTE.
Represen terse ha pete prisaira vez a
seena da declaracao na opera
LA GRANDE DUCHESSE
Personagens .ictirtt
La grande daeheese___ Mme Val-nww
*>................ Mr. Maris.
Os bilheles acham-se a venda no eaerintorw do
ihealro das 9 da manhaa em (nansa.
Principiara as B horas.
AVISO
Pelo cartorio do escrivao ds ornlos, Guima-
raes, a roa do Imperador n. 12, sao convidados
os cidados que abaixo vio mencionados, para
dirigirera-se no mesmo cartorio atlm de recebe-
rera as carias de alferna das menores do sexo
feminino. qne foram libertadas no dia 7 de se-
tembro em virtude da respectiva lei provincial, e
assignarem o competente termo de tutella.
Tenente Horacio Pires Galvao.
Jos Lucio Lins.
Maturino Barroso de Mello.
JoSo Hermenegildo Barges Diniz.
Thomaz Jos da Silva Gnsmao.
Alfredo Garca.
Joao da Silva Paria.
Dr. Jos Cardoso de Qneirez Poneeea.
Simplicio Jos de Mello.
Jos Al Ves de Lima.
Teneote-csronel Antonio Francisco de Souza Ma-
galhaes.
Cypriano Bruno de Oliveira.
Francisco X. Carneiro da Cunha Miranda.
Dr. Jos Austregesilo Rodrigues Lima.
Eustregio Australiano da Brita Macado.
Jos Candido da Silva Braga Jnior.
Dr. Miguel Figueiroa de Faria.
Joao Tiburcio da Silva Guimaraes.
Dr. Bento Jos da Coste.
Jos Hygino Xavier da Fonceca.
Joaquim Jorge de Mello.
Pelo mesmo cartorio sao igualmente convidadas
as pessoas abaixo declaradas, deotre as que de-
rara liberdade a menores em virtude da lei pro-
vincial do anno passado, e que pela respectiva
commissao ieram indicados como tutores, afim
de virem assignar o competente termo de tabel-
las, para qne j urna vez foram convidados, e re-
ceberem as cartas de liberdade que ainda restam,
D8m como para darem o esclarecimento preciso
acerca d'algumas das ditas menores para que nao
foram indicad w tutores afim de se peder provi-
denciar a semelhanie respeito.
Luiz Bernardo Castello Branco da Rocha.
Manoel Cyrilo de Oliveira.
Francisco Soares Pacheco.
Dr. Antonio Herculano de Santa Bandelra.
D. Joanna Angusta de C. Pagele.
Antonio de Albuquerque Mello.
AVISOS MARTIMOS.
ARACAJ
Para o referido porto seguo nesies qoatro das
o patacho brasileiro Novo Costo, e por i*o nana
Jnizer aproveilar embarcar carga a frote comma-
o pode en tender-se com o consignatario Joaquia
Jos Goncalves Beltrao, roa do Commercio no-
mero 17._______
Cea a' e Acacaty
A escuna Georgiana segu em poneos dias, ten.
a maior parte do seu carregamonio prometo : a
tratar com Tasso lrmos 4 C.
COMPANHIA
JUIZO MUNICIPAL DA 1' VARA.
No dia 11 do correte vai praca de venda a
casa terrea sita na travessa de S. Jos n. 13 em
chaos proprios, por execucao de Josepha Mara da
Conceico contra Anselmo de Souza Teixeira a sua
mulber, avahada por i:100.
De ordem do Illm. Sr. conselheiro inspector
da thasouraria de fazeuda desta provincia sao con-
vidados osofOciaes abaixo declarados que penen-
ceram aos extractos corpos ns. 30, 42 e 53 de vo-
luntarios da patria, para que at o um do corren-
te mez venham indemnisar a fazenda das qnantias
por que Ihe sao responsaveis segando as gnias qae
es acempanharam da corte, sob pena de se proce-
der execntivamente a cobranca das dividas daquel-
les que as nio satisnzarem no praso marcado.
Secretara da thesouraria de fazenda de Pernam-
buco 3 de outubro de 1870.
Servindo de offlcial-maior,
Manoel Jos Pinto.
Relacio a qne so refere o annuncio cima.
Corpo n. 30.
Tenente-coronel Apolinario Florentino de
Albuquerque Maranbao Sobrinho 1714214
Tenente-ajudante Antonio Jos da Silva 95*684
Corpo n. 42.
Major Joio Cap ist rano de Aguiar Montar-
royos 172*387
Capitao Porfirio Hygino da Costa 27*200
Felizardo do Reg Toscano de
Brito 34*900
Ttente Jos Carlos Vital (as despezas de
sua nomeaco do posto de tenente).
Corpo n. 53.
Coronel Alexandre de Barros Albuquer-
que 184*044
Tenente-ajudante Francisco Climaco de
Salles Barbosa
Alferes Joaquim Nunes do Valle
Elpidlio Josfda Silva e Azevedo
Joao Gaslberto Correia
Jos Francisco de Sorna Leite
Prudencio Pessoa da Veiga
Fraacisco dos Passos Baplista
Joao Baptista de Vaaeoncellos
99*059
7*200
7*200
7*200
7*200
7*200
7*200
7*200
DECLARACOES.
Tendo sido decidido por accordio do tribunal
da relacao de 30 de julho do corrente anuo, que
diverses terrenos de marinha era Fora de Portas do
Barro do Recife deste cidade, que baviam sido afo-
" J^azenda na de lte pertencerera, sao de.
rupriadade de Joaquim Lopes da Aimeida; o Illm.
r. consaioeiro inspector desta thesouraria de fa-
zenda manda deeiarjr ai pessoas constantes da
relajo infra qae devem oto s recolher imme-
diatemeale a esta theaoutana os ttulos qne de
ofteito, eomo reconhecer o dominio directo do mes- damasco de seda encarnado
Conselho de compras navaes
O conselho ne dia 10 de corrente mez viste de
propostas receidas at as 11 horas da manhaa
promeve sob as condiedes d' estjrlo, a compra dos
objeclos do material da armada seguales :
60 barras de ferro inglez propria para grelhas 24
livrosimpressas para soccorros, sendo de 150 100
e 50 rolhas,2 oculos de alcance,16 paos de ginipaoo
de 12 polegadas de comprimonto,400 libras de ore-
gadura de tinco, 100 folhas de papel pactado ara
m3ppas,50 covados de grosdenaple branco 6 ver-
gonleas de pinho para paos de cutello, tndo de
oomprimento 33 ps e grossura no mel 7 polega-
das de dimetro, 6 veraonteas de pinho para mis-
tros de escaleres, tendo de eoraprimento 25 ps e
grossura no meio 6 1)2 poleadas de qiamelroSO
Techospedreze,. 20 fechaduras de broa parapor
las, 50 pecas de ,na larga. Upares de conhas
de f.-lha para bnUnea*. 50 rae.os de sola da trra.
180 lampedes de f.ilh.a para illuminacao, 20 cova-
dos de damasco de seda verde e 20covados de
DAS
Mes^ageries imperiales.
At o dia 10 do correle mez esperase da En-
rona o vapor francez Amazont, o qual depon da
demora do costume seguir para Baenos-Ayres,
locando ua Baha, Rio de Janeiro e Montevideo.
Para conducoes, freas a passsgens, trate-se
na agencia, ra do Commercio n. 9.
No dia 12 do corrente mee espera-se dos par-
tos do sul o vapor francez Gironde, commandanle
de Somr, o qual depois da demora do costme
seguir para Brdeos, tocando em Dakar (Garda) e
Lisboa.
Para condiedes, freas e passagens, trate-se na
agencia, ra do Commercio o. 9.
G0IPA11A B1ASILE1KA
Paquetes a vapor.
Dos portes do sol esperado
at o da 8 do correte nm dos
vapores di companhia o qual
depois da demore do costme
seguir para os portes do norte.
ja recebem-se passageiros e engaja-se a
arga qne o vapor poder eonduzir, a anal deven.
ser embarcada no da de snachegada. ncommeB-
ias e dinbeiro a frote at as 2 horas do dia datan
unida.
Nio se recebera como eitcommendas seaio ojk-
jectos de pequeo valor e que nao excedam a dom
arrobas de peso ou 8 paira cbicos de medjeio.
Indo que passar destes limites deveri ser embar-
cado como carga.
Previoe-se aos senhorea passageiros que anas
passagens so se recebem na agencia, roa da Cnu
n, 57 primeiro andar, escriptoro de Antonio Luiz
de Oliveira Azevedo 6 C.
"COMPAiraiA BMMM
DE
Paquetes a vapor.
Dos portes do norte esperado
at o dia 26 do correte o vapor
Paran, commandante J. da Sil-
va Moraes, o qual depois da de-
mora do costume seguir pare os portes do soL
Desde j recebem-se passageiros e engaja-s. a
iarga que o vapor poder eonduzir, a qoal devore
ter embarcada no da de sua chegada. Encommen-
das e dinheiro a frete at as duas horas do dia da
sua sabida.
Nio se recebem eomo encommendas senio on-
lectos de pequeo valor e qne nio excedam a 2
arrobas de peso ou 8 palmos eubicos de medi-
r/10.
Tudo qae passar destes limites deveri ser
embarcado como carga.
Pre vine-se aos Srs. passageiros qne suas passa-
gens so se recebem na agencia roa da Croz n. 57,
(* andar, escriptoro da Antonio Luiz de Oliveira
azevedo 4 C.
COMPANHIA PERNAMBUGANA
os
Navega-So costeira por vapnr.
Porto de Galliohas, Rio Formoso e
Tamandar.
0 vapor ParaAyoa seguir
para os portos cima no din
10 do co/rente i meia noite.
Recebe carga, encommen-
das, passageiros e dinbeiro n
frete no escriptoro do Forte
.r-.
A
i#:
do Mattos n. 11
COMP.\NHU PERNAMBCANA
nn
%aTcga?5o costeara por rapor.
Parahyba, Natal, Maco, Mossor, Ara-
caty, Cear, Maodah, Acarac e
Granja.
O vapor Ipsjnca comann-
dante, Monra segnira pare ns
portos aci mano dial 5 do correan
s 5 horas da tarde. Recabe car-
ga a o dia 14, encommendas
passageiros e drabeiro a (rete at as t horas dfe
tarde do dia da sabida : escriptoro no Porto do
Mallos n. 12.
PAPA 0 RIO GRANDE DO SUL
segu com brevkUde para o porte acuna rifne
nacional Amelia, para o reato da carga qae Ihe
falte, trata se com os consignatarios Antonio Lnir
de Oliveira Aaevndo 4 CL, ra da Croz n. 57, i*
andan.
BAHA.
Para o referido porto pretenda segur n an-
cos das o patacho nacional Colado, por tora
maior parte da sea carregamento "gtjridl. n onra
o resto qae Ihe falte trau-ae 000 o coi "
Joaquim Jos Goncalves Beltrao roa
mercio n. 17.
4-
l



/
COMPANl

Diari (i. PeMualwoB -. Serta., fait dv, QuUn, ,d* Wft
y
tf.
w
Navegar costeara por vapor
Sacei, estala*, Banedoe Aracai.
^|^lfMM>.M|fa4|ln,>fs portos aci-
mano da 15 do carrete as 5 horas
Heeebe.cajM pasaageiro* e eacommaiHU, al
opte 14a tkraa da tarde 4o dia da nM no
MertptortodoPortado Mattasn. 11
lUOSlV* BH1TH81L DE U|r
tDALH* 01 ll> CLassc
b$ na da Senzalla Yema o. tlft.
M de choque e- ds am aprseiTsl tsr-
e bem cercado: a tratar no*
22.
Aim
wmi
i
.
Maranhao
fcgt eoratrevldsde para o pono cima o pa-
lhabote oacioaal Joven Artkur, para o reHo da
arga que lhe falta trata-se eom cu consignatarios
Aatonio Loiz de .QUtaft azevege dtL, roa da
Cruz o. 57. ,
Maranhao
A barca portagueza Famosa seguir para o
Maralo em poneos das, recebe canga a frete
mdico : trata-se eom Oliveira, Flhoe 4 C, ao
toFtB de Coreo Saoo a. 19.
PARA'
Preiede seguir para o referido porto em poneos
das o palnabote Rosta por ter a maior parte da
carga, e para a pooca que lhe falta, trata-se eom o
consignatario Joaqnim Jos Goncalves Beltro,
roa do Commercio n. 17.
Ko de Janeiro
Para o porte cima segu cora brevidade o bri-
fue nacional Isabel, tara parte do sen earregamea-
le- engajado : para o resto que lhe falta trata-se
etHB o* consignatarios Antonia Lniz de Oliveira
Asevedo 4 C, na da Cmz n. 57,1* andar.
PORTO ALEGRE.
QO bngoe nacional S. Maaoel vai seguir con bre-
vidade para Porto Alegre, e recebe carga a frete:
trata-se 09a Oliveira Filhos 4 C. ao largo do Cor-
o Samo n. 19, en eom o oapitao oa praea.


BARRAME
AfPIIOVADO PELA ACADEMIA O 1ED.CHU U PARIZ
**

LILOES.
DE
MOVIS
quadros. madeira, varaes e rodas para
carros, nm cabriolet em armaco, om
dito velho, galoes e venezianas promptas,
madeira preparada para as mesmas, fer-
raraenu, e raaitos antros objectos per-
tencentes ao espolio do finado Poirier
HOJE
7 do corrente, as 10 horas em ponto.
O agente Pinto, autorisado pelo Sr. cnsul de
tranca; levar leilo os objectos cima mencio-
nados, pertencentes ao espolio do finado subdito
francez Poiner, e existentes na casa do pateo do
Paraize n. 10, s 10 horas do dia cima dito, na
referida oflieina de carros.
LEILAO
DE
cabos de Iinbo novos, ditos de laborar eom
pouco uso, ditos de couro, espa e vira-
dor, diversas velas e toldas, montos
etc., e cerca de 3,000 portas novas de
pinbo almofadada de differentes tama-
nhos, assim nomo farinha avariada
a 7 do corrente.
0 agente Oliveira far leilo por conta de di-
versos e por conta e risco de quem pertencer, dos
artigos upramencionad w
HOJE
s 10 horas da manhaa
no armaiem do Baro do Livramento, caes do
Apollo.
O Qulnliira abarraque, um
?inho eminentemente tnico e lelwinigo que deve
str puefiarido i todas as outras preparacSes de
quina. ,
Os vinhos de quina ordinariamente emprega-
dos na medicina preparam-se eom cascas de
quina cuja riqueza em principios activos extre-
mamente variavel; parte disso, em razo de seu
modo de preparacao, estes vinhos contem ape-
nas vestigios de principios activos, e em propor-
cees sempre variaveis.
*
0 Quiuium abarraque, approvado
pela Academia de medicina, constitue pelo con-
trario um medicamento de composico deter-
minada, rica em principios activos, e eom o
i qual os mdicos e os doentes podem sempre
coaUr.
0 Qulnlnm Labarraquc prescripto
eom grande xito s pessoas fracas, delibitadas,
seja por diversa* cansas d'esgflitamento, seja por
antigs molestias; aos adultos Artigados por un
rpida crescenca, s meninas qni tera difficuldade
em se formar e desenvolver; s mulheres depois
dos partos; aos vemos enfraquecidos pela idade
ou doenca.
No cazo de cWorosis, anemia, cSres plidas,
este vinho um poderoso auxiliar dos ferrogi-
nosos. Tomado junto, por exemplo, eom as pil-
las de Vallet, produz effeitos maravilhosos, pela
sua rpida aeco.
Deposito om Paris, L. FRERE, ru Jacob, 19
I
sobrado de qnutro andares e
sotao da ra do Torres n.
14, edificado m chaos pro-
prios,
Tenja-feira 11 do corrente.
O agente Pinto levar leilo, precedida a
competente antorisacao, a casa da esquina da ra
do Torres n. 14, a qual torna-se recoraraendavel
pola sua boa construcyio, e por ser edificada em
roa de commercio. O leilo se effectuar s 11
horas do dia acimj dito, no esenptono do referido
agente.
Rio Janeiro, Dapoachelle; Chevolot.
Pernambuco, P. Manrer y C*.
Baha, Hasae y C".
Ouro-Preto, Candido Wellersoa.
lllll^ 9MHI
MAO DE ORO
*V
Nova loja de joias
RA DO CABUGA' N.9 A.
DI
Manoel da Cunha Saldanha & C.
^*;;
AVISOS DIVERSOS.
ATTENCAO
Li eom oastanle sorpreza uro?onuncio no Dm-
r.o de hoje, em qne aiguns feliies irmos da ir-
raandaJe da Santa Gru se dignaran) apresentar
aignnj irmaos para cargos da irraaodade.
Como procedo aerapre eom ranqueza, rogo aos
aiguns irnacsqm assigoarara a tal apresen-
ucao, o favor de explicarem as doa* ultimas li-
ntias, v^to oomi acho-me envolvido ; declarando
que se nao comprehenderem sna posicao, chma-
los- hei a responsabilidade.
Recife, 6 de eutubro de 1870.
________ Cetario Aureltano Ventura.
a perto de .10 anuos v3io da Babia para esta
provracia de Pernambuw ama senhora de nome
podido obter at hoje 24 de seterabro de 1870 no-
ticia alguma. Essaaeobora. por allecimento de
sna mal D. Clara Mana da,Souza Lobo Bata tera
direito a ama heranea j liquidada, a de al imporuncia. na mesina previocia, na capiul da
U til III.
A pessoa qae da referida D. Mana Elias dar no-
ticia, ou do lagar em qne ella sepalton-se, (no caso
de ter morr Jo) reeeber ao Sr. Antonio Joaqaim
de Vasconcellos, negociate desta praca ama gra-
tificacao de S0, ao apresentar-lhe a certldSo de
bito.
No caso de ser viva a mesma senhora, bastar
dar noticia certa do lugar em qne ella reside para
^9r procurada, afira de voltar para a capital da
Bahia, e procurar a casa Jo testamenteiro de sna
nnada mai, o qual mor>'*Ba roa Direita da Ponte
os Padres, propriedtdo a..... ^ andar, onde tem
esenptono a compankia t> Seguros laritiraos Bom
Jjonceito, que ah aetur o dito testamenteiro para
me aar as rasiruc$oes precisas, aflro de receber o
"?0^?6 Ihe Pertence pela morte da diu sua
d.?" P^u1 Maria de S01* Lobo *** Bania
2*de setembro de 1870.
Acaba de abri-se este estabelecimento de joias, o qaal tem grande sorti- &
ment de todas as joias de ultimo gosto, as quaes vender o mais barato pos- 13
aivel. ^ --^
Todas as joias serlo garantidas onrodclei, pois os sens donos tendo em ^*
vista so adquirir fregnezia n5o oIvidar5o, vender bom e por precos os mais |$
razoaveis possiveis. *#
Convida-se o publico a vir a este estabelecimento, certo de qae ficar ^
satisfeito. *
a; mo de ouro ra do cabug n. 9 a ^

ALGATRAO DE fiOTOI
LIC6> COMENTMDO E TITULADO
Maranhao, Ferreira y O*.
Pelotas, Antoiro Leivaa.
Maceio, Falco Dis.
Porte Alegre, Francisco Joa Bello.
GASA DA FORTUNA
Aos 5:000|
Bilhetes garantidos.
j A ra Primeiro de Marco (outr'ora ra do
Crespo) n. 23 e casas do costume.
O abaixo assignaao, tendo vendido um meio n.
887 cora 9005. um meio n. 1536 eom 400, e oa-
tras muitas series da lotera que se acabou de
extrahir (163*), convida aos pos-uidores virera
receber na conformidade do costme sem descon-
t algum.
Aclum-se a venda os fefees bilhetes garan
! tidos da 2' parte das loteras, beneficio da igre-
ja d^ Santo Amaro de Serinhaem (16i'), qne sp
exrJiira terca-feira H do corrente raez.
PREgos.
Bilhete inteiro 6*000
Meio bilhete 3*000
Qnarto ijsoo
Rui porcao de 100*000 para cima.
Bilhete inteiro 5*400
Meio bilhete 2*700
Qnarto 1*350
. Manoel Martins Pin.
Ama.
O Sflr Guyot ebegou a tirar ao alcafrio a
sna acrimonia e eseu amargor insupportaveis,
o que o torna mais soluvel. Aproveitando essa
felia descoberta, elle prepara um licor con-
centrado de alcatro, o qual, sob um pequeo
volunte, contam urna grande proporcio de
procipiw activos.
0 ai 4e gmjmt /Goudron de
Guyot) possue por consequencia todas as van-
tagens da agua de alcatifo ordinaria, sem ter
os inconvenientes. Basta deitar d'elle urna
colher de caf n'mn copo d'tgua para obter
logo um copo de excelkrate agua de alcatrlo
sera gosto desagradavei. Cada qual pode
d'essa maneira preparar a sua agua de al-
catrao quando d'ella precisa, o que offerece
economa de tempo, facilidade de transporte
e evita o manejo 12o desagradavei do alcatrSo.
0 Ale.irAo de Gwji snistitue eom
yantagem muitas tisanas mais ou menos
inertes, nos casos de definios, bronchites
tosses, catarrhos.
Precisa-se de urna ama : na ra de Horlas a
50, Io andar.
m ADVOGADOS. c=a"w""
K" Elseo Martins.
Antonio Siqneira.
Escriptorio ra estrella do Roario
numero i.
O bacharel E. Martins propoe-se a ex-
ercer a proflssao de procurador de causa,
K e pode ser procurado no sen escriptorio
" das 9 s 3 horas da Urde.
COMPANHIA
______ DOS
TRILHOSiDRBANOS
DO
RECIFE A9 OIM\i> i.
De 5 do corrente em'diante ter um trem
a noite partinlo as 8 horas do Recife e as
9 de volta de Olinda, no domingo 9 do cor-
rente terSo trens pela mneira seguinte :
MANHAA
IDAAs 6, 7, 8, 9 e 10 horas.
VOLTAAs 7.8, 9, 10 e II horas.
TARDE
IDA-i, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8 e 9 horas.
VOLTA-2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9 e 10 h.
Sendo preciso, cootioaar5o os trens em
qnanto boa ver passageiros em Olinda. em
vista da grande festa de N. S. do Rosario,
que muito concorrida no Varadouro.
Recife, 4 de outebro de 1870.
0 supreintendente.
A. de Abren Porto.
AVISO
Aula particular.
cadeiwd? Sf"' 1? MX0 "ealtao da prlmeira
Santo AJrS^0 primaria da fr 0 aktta*a Cayos empregado eom o maior xito as molestias segnintes:
EM BEBIDA. Uma colher de caf para m copo d'agua cu ditas colkere de
topa para unta garafa :
BRONCHITES
CATARRHO DE BEXIG* '
DEFLUXOS
TOSSE PERNITA2
IRRITAfO DE PEITO
TOSSE CONVULSA
El F0MERT4(0ES. Licor puro ou eom um pouco d'agua:
AFFECCES DA PELLE
COMICH6ES
MOLESTIAS DO COURO CABELLUDO
SI HJEGCOES. Una parle dt licor equatro d'agua (mcmoi*imt*rummf^^,l.)
FLUXOS ANTIGOS OU RECENTES
CATARRHO OA BEXIGA
O Alcatrfto prmapau kospitaes de Franca, da Blgica e da Espanha. Foi reconhecido
fie, para os terr.'pon de calor, elle constitue a bebida a mais Ujgienica, e so-
eretudo durante m lempos de epidemia. Urna intruccao accompanha cada vidro.
Vende-se na pharmacia e drogara de P, Mau-j
rer&comp., ra Barao da Victoria n, J7
Antonio Jos Leal Res, declara ao corpo
do eommercio e quem Interessar possa,
que nada deve por meio de tettras qter
como sacador, acceitante ou endossante.
Recife, 30 de setembro de 4870.

O Rvm. Leonardo Jo3o Grego pretende
celebrar na segunda feira (10 do co#rta)
s 8 horas do dia, na matriz da Sauto An-
tonio, urna missa pelo descanco eterno do
Exm. Sr. conde da BoavU, e pira este
acto convida ao amigo desse Ilustre finado
0 Sr. commendadpr Manoel Loi? Vlr3es.
Jos Rodrigues da Silva Rocha manda resaral-
gumas missas pelo repouso eterno de sua extremo-
sa mi, fallecida ltimamente em Portugal, e, de-
vendo este acto ter lugar no dia 7 do corrente
pelas 7 1|J lloras da mantilla na matriz de Santo
Antonio, epavida a cus prenles e amigos o cari-
lrau
tde urna ama jara cozinhar: um
jalbador pan padariz.
Grande do Norte precisa-se da ue
_ ltimos cheftdo das linas, aiosa
pratica : a tratar eom Taseo Irmioe A
Amorim n. 31._______9
..jisa-se de urna ama.de leite, sen filao:
ir na rm do Gabng, Ipja n. 6.__________
AMA
H*fJ*a-se de urna ama para cozinhar : a
8* iya da Independencia ^s. 37-39._________
Moleqe
Precisa-se de nm moleque para criado 4a 14 a
tt.amos, Bel e mleUigonrt : a tcatm na roa Non.
u. 19, le andar.
Precisa-se de um biac pan am peaono aina.
no Gonador d BiaaoT 31, +*l __
mh no a
Eua do Bai'lo da
Victoria n. 83
(Outr'ora ra Nova. )
Esta feliz casa venden nos seos muito M'nn
bilhetes a sorte de 4004 em am meio de n. I53S,
a sorte de 100* em um inteiro de n. 24, ooK
de 1004 em nm meio de n. 1076, e outra da MOA
em dens qnartos de n. 631, alem de ontroa pca-
mioi menores ; podando os seus donos virea ra-
eber, qoe promptament serio pagos.
O abaixo assignaao az ver ao respeitael pa-
blieo para virem ao sen estabelecimento coaapra-
rem oa feliaes bilhetes, que nao deixarao de Urar
qaakner premio, como prova pelos mesmoa aa-
nunciof.
Aclum-se venda os muito felizes bilhetea ga-
rantidos em beneficio da igreja de Santa Amaro
de Serinhaem, qne corre no dia 11 do cerret-
e uiez.
PRECOS.
Inteiro 6*000
Meio 3*000
Qnarto 1*900
De 1004000 para cima.
Inteiro 5*400
Meio *700
Qnarto 1*350
Joao Joaqnim da Costa Leite.
AVISO
Os abaixe assignados, inenmbidos pela commis-
sa) de seoboras que promovem nm concert e lei-
lo em beneficio das familias desvalidas dos solda-
dos de linba de Pernambaco, fallecidos oa anu-
dados na guerra do Paraguay, de distribuir do
mode que Ibes pareeesse mais acertado o preacto
d'essa subscripcao, pelo presente avisan s va-
ras, pas mais e Minos dos offlciaes e toldadm do
exercito nataraes d'esta provincia, oa que aaMa
tenham assntado praca, assim como a qualqoer
trente d'estes, que fazendo parte de suas fami
las vivesse s snas expensa;, e que se achar em
estado de pobreza, e finalmente aos proprios oB-
ciaes e soldados, eom excluso dos primeiro*, aso
estejam as referidas cundi^oesque dentro do
praio de sessenta das, aoentar d'asta datadeve-
rao provar eom documentos anlhenticos sna idaa-
lidade e cirenmstancias de fortuna, aflm da pede-
rem perceber este auxilio.
Os interessados de ve rao encaminnar seos docn
meatos casa do directorio do partido liberal,
ra do Qaeimado n. 8 primeiro andar, em todos
os das uteis dorante aquelle periodo, das 9 horas
da manhaa s 3 da tarde, e onde, depois de alteo-
didas snas reclamacoes, reeebero a qnantia qoe
Ibes tocar.
Para que o presente avise chegue ao eonhad-
mento de todos, ser publicado diariamente aos
jornaes mais lidos d'esta cidade.
Recife, 6 deoutobro de 1870.
Baro de Bemfiea
Lniz Jos IVreira Simoes.
Abilio Jos Tavares da Silva.
AMA.
Precisa se de nma ama que seja cozinheira: ao
Caminho Novo junto a esisco dos trilhos urbanos.
Precisa-se de um caixeiro brasileiro de li a
16 annos, que tenha pratica de taberna : a tratar
na ra Imperial n. 27.
Severiano de Siqueira Cavalcaate fez a sna
tansferencia de sen escriptorio para a ra do Im-
perador n. 77, 1* andar, onde poder ser procu-
rado das 9 boras da inah;ia as 4 da tarde.
Precisa-se de nma ama qne se presta ao
servico de cosinha e compras, e que saiba lavar
e engummar, para casa do um moco solteiro :
que se achar gestas eondirdes dirija- -e a roa da
CrHi n. 81,1 andar.
0 abaixo assignado tem coutraiado a com-
pra da armaco e gen-iros da casa n. 28, da raa
do Commercio pertencente ao Sr. Bibiano da Cu-
nha Chaves & C, se algnem se julgar eom direo
queira c nnpareeer na mesma casa at o dia 10 do
corrente.
Recife, 5 de outubro de 1870.
Manoel Francisco de Souza.
AIA
Precisa-se de urna ama que compre e cosmhe
para duas pessoas : no largo da matriz de San-
to Antonio n. 12.
Ama
Na ra da C&deia do Recife n. 24, 2 andar,
precisa-se de urna ama u paga-as bem.
Ama
Precisa-se de nma ama para o servico interno
de urna casa, ra da Senzalla Velha n. 110, 2*
andar.
ramio PALHAltES.
INTERESSINT COUPOSiglO LITTERARIA.
C0NTEND0 :
A noite do xtasis.
O sorriso.
A noite do assombro.
A lagrima
A noute do delirio.
0 mysterio.
, ^T ^ S,rttic* erigida ao autor pelo
Dr. T. B. Rigueira Coste.
, *'oame brochado 2*000.
AS CENTELflAS
nA
LIVRARIA F8ANCEZA.
i MUDANCA.
0 Dr. Caroline Francisco de Lima San-
tos muden sus residencia e consultorio
para a na do Imperador n. 57, 2* andar
Mudanza
KellBindloss & C. mudaram sen armazem da
ra da Cruz n. 23, para a mesma n. 11.
para a na oo mpuraaor n. 07, t anaar g
do sobrado cajo aunazem conserva ain- |
g da hoie o nome ,VAlianca, tendo a S
9 entrada, qne pelo lado da ponte Sete 55
de Setembro, o mesmo numero 57, da flj
frente. Ahi contfnnando o dito Dr. no 2
exercicio de sua proflssao de medico e J"
de operador, pode ser procurado a qual- I
i quer hora do dia e da noute.
i^mmi mwumummm*
Ajardmamento da praca do
conde d'Eu.
Pede-se encarecidamente a todos os Srs.,
qae foram nomeados em coamissao para
obterem donativos, afirn de se poder effec-
tuar este melhoramento pablico, o obse-
quio defarerem todos os esforcos, afim de
darem conta dos resultados obtidos na re-
uniio, que tem de ti a ver qoarta-feira f 12
do corrente), as 7 horas da noite, em asa
do Dr. Moscoao, me do Vtsconde de Al-
bogaargae.
' tratar aanuKou n. 38 loja. ^
Alnga-se urna boa casa coa t -alas,4 qoar-
tos, cosinhii fura, bom quintal, na cidade da OMa-
da, Ladeira da Misericordia n. 2 : tratar aa
mesma alada, na ra Jogo da Bola n. 11.
PRECISASE--
De um bomem, livre oo cqpiito, para distri-
buir pao: e igualmente de urna ama qoe saiba en-
grmmar bem cosinhar; trata *e raa do Vi-
gario n. 10,1' andar.
Precisa-se de urna ama aara comprar a ao-
zinbar : no sobrado n. 28 sito no largo do Terc
Precisa se alugar um moleqne de M a 42
annos : na ra Direita n. 7'.), loja de onrivea.
0 CHAO DEMA
Frederico Maya
Tem a honra de scientificar ao respeto*
vei pablico em geral, e aes sens raHaa
em particular que elle mudou o sen fa*
oete de consultes da roa Direita n. 42 pan
a do Qaeimado n. 31 primeiro andar, can
a entrada pelo pateo de Pedro H, onde po-
de ser procurado para ce misteres da na
proflssao, todos os dit> leu das ft boraa
da manhaa s 3 da Urde.
Tarabem previne, que continua a
se a vontade dos clientes nlo s na
como nos seus suburbios, para onde a*
idas serio precedidas de ajuste. EUe pa-
rante o bom desempeo o e a perfaiejb m
seos trabalbos, o que j bem conhedo,
assim como as commodidadas dos pwfp.
Na roa da Cadeia do Hecte n. 2i,l*aB<
veade-se um mappa geograpak por nmttmt
aodo.


}
t
Este aatiiro estabetocimento, acha-se hoje montad*-Mmaa,*jgSBStmim
0 i scala de poder servir vtttajosamente os seus reguezes, atten- M0
to o grande sortimento de joias d'ouro, prata e brilhantes, que
sempre tem e recebem mensalmente das principaes fabricas da
Europa- cujos prepos sao em competiveis e s obras garantidas
de li.
jJIOKISIRA DITAiri .
!J cnfrinr
MANUEL
vista
ser-lhes mais commodo,
Tew a satisfago de participar aos seos numerosos frepoezes, que em
estateleoKio uaa nova fabrica deCapeos de sol, na ra da Cadeia do *ec,fe, n.9,.Jcje roa do ^ ^des e no p -
onde actorao os prelendentes, muito avoludo sortimento de obapeos *> so de ^^"f^*HS
oos mas commodos do que comporta o nosso mercado : convidara especialmente aos Srs ^mgadores por aucaao |g
0 dareuUndo possrvel sus encommendas, pois poderlo assim serem mcis bem servidos, usto poderenx escollier as ar- wff
2 maces-as tazendas que a demora da fabricacSo 6 bem diminuta,________________________________________, fflk
S-----------------------------------------"""
NA
BEM CONHECIDA FABRICA
DE SOL
DA
Ra do Barao da Vietoria. esquina da Gamboa do Carmo.
(Antiga Ra Nova)
seda, meriD, alpaca, bretanha de Hubo branco e par-
algoao e brim,
Ha sempre om grande sortimento de chapeos da sol de seda, merm,
a? do e de atgodSo os todos os 'lamanboe e feitioe, alm da immesa porco de seda mermo
armacoes de todas as quaiidades pa^a sastaer qualqoar encommenda. A modictdade de *eus presos e tao connecioa
que escusa de mencionar.
. pife: mMmlm
liguas com aamiracao pe
jresso que ltimamente tem tide a phor grapuia,
i iw oatros com alegra, por vwem a provincia
dotada com um estabeleeimento digno d ella, e in-
cales vel mente o primeiro que nesse genero
boje possue : tambem nao nos poupamos em consa
alguma para monte-lo no pe em qoe se acbs, es-
perando que o publico de Pernambuco saber
r nossos eaiiie^evecoBHteiuar nosso sa-
bidos.
Convidamos a tedta nnnellu pessoas, naciooaes
estraugeiras que poetara da rtes, oa tiverem
ecessidade de traoatMs de photographia a visi-
tare m o nossa estabeleeimento, ene estar sempre
iberio e su disposicao todos os das desde as 7
horas da maata at as 6 da urde.
Para os traoalhos de photographia possnimos -ip
versas machinas dos melhores autores francotes,
II JLwebours el
I, Vofgtiander el
recebemos tres novas
macbiasi sendo urna dellas propria para tomar
aobre o tnesmo vidro 4 ou 8 imagens diversas e
soladas, e outra de 6 a 12 imagens diversas 9
igualmente isoladas. de sorte que no caso de
gran* concurrencia poderemos retratar sobre
urna anica chapa at 8 pesoas diversas e isola-
das nara cartoes de visite, e assim em menas de
um tfaarto de hora despacbarmos 8 differenies
pescas que pecara cada urna, umaduzia de candes
mais ou menos, coro, os seus retrates smente, ou
em gflpo oom ontrte. '1J1 '
Encar regamos-nos exclusivamente da oireccao
e feiinra aos trabalbos de photographia dei-
xando pericia e talentos do dislincto pintor
allomao, o Sr.
Jorge A. Roth
os trbateos da pintura, a aquareta, a olee, e a
pastel.
O Sr. Roth acha-se ligado a nossa empresa por
ama escriotura publica, e at o presente tera-se
Jesvellado na execucae de seus trabalhos.
No nosso estabeleeimento acham-se expostes ou-
tros trabalhos imanantes do Sr. Boih, tanto em
miniaturas aquarella como oleo, re ratos
oleo, quadros sacros e diversos outros trabalhos.
Tomamos encommendas de retratos oleo at o
lamnho natural, assim como de quadros sacros
para ornamentaco de igrejas ou capellas. Tam-
bem aceitamos encommendas de quadros histor-
eos.
Asseguramos que os procos dos diversos tra-
balbos da nossa casa sao mu rasoaveis.
CARTEES de visita nao COLORIDOS A 10$00 A
DOZIA
CARTES DE VISITA COM O COLORIDO AO NATU-
RAL A 16)5000 A DCZIA
Retrates em miniatura oleo ou aquarella de
16 20000 cada um, indo convenientemente en-
:aixrlhado em moldura donrada e regulando o
busto da pessoa retratada de 3 i pollegadas e
todo o quadro palmo e meio de tamanho
Julgamos que bastarao os precos cima para
larmos idea da baratesa dos trabalhos do nosso
astablecimento, quanto sua psrfeicao cada um
enha julgar por seus proprios olhos.
As melhores horas para se tirarem retratos^ no
nosso estabeleeimento sao das 8 horas da manhaa
I da tarde; entretanto de urna hora as 5 da tarde
itn casos especiaes pde-se tambem i ti atar qual-
juer pessoa.
Nos dias de chuva, ou por lempo sombro po-
lemos retratar, e asseguramos que esses dias 9o
ds mais favoraveis aos trabalbos de photographia
pela docura e persistencia da luz, e pi r termos o
nosso terraQO construido com taes proporedes e
melhoraroentos, que aiada ehovendo ,orros ne
Qhum inconveniente ha para tazer-se bellos re-
mtoii
J.F-r reir Vil lela
de VaieaMl1i
-Safiff Civaloantl ta A1T
(Pombal).
exoino Augoto do* Saatoyl
?irtsimo Corre) de Lyr (C
Jos Hermlno Pbnioal Fernando Barata da 9tlva (enj|eo1
Antonio Gomes Cordeiro de Mello.
Eduardo de Paula Santo.
Francisco da Silva Porto. ,
Thom J*aqum> do R Barr*.
Hotel Flor da Bo
Roa da Matriz da Boa-Vis
Neste hotel encontrar o respeitavel'pnblico com
asseio e proraptido, nao s a refeica diaria, por
menor preco que em outra qualquer parte, como
tambem forueee-se comedorias maDdlaado se levar
as casas im pessoas a lempo e hora convenientes.
Nos domingo- e dias santo havera mis de vacca
excellenle e outras iguarias.
Precisa-se de urna ama livre on siqeita, porm
de boa conducta, que tenha bom leite e com abun-
dancia, sem fllho a roamentar : a tratar na ra da
Praia, armazem ns. 13 e 15._______vj_______
0!j
RO
Roga-se ao Illm. Sr. Ignacio V.eira del
criva.i na cidade de Nazareth desta provincia, o
favor da vlr a ra do Imperador n. 18 a rondar
aqnelle negocio que V. S. se comprometteu reaB-
sar, pela terceira chamada deste jornal, em fias
de dezembro prximo passado, e epois para Ja-
neiro, passou a- tsvareiro e abril, nada cumprio,
e por este motivo de novo chamado paca djto
fim ; pois V. S. se deve lembrar qoe esta negoBo
de mais de oito annos, e quanao o enbor
lbo se acbava no estudo nesu cidade.
MUDANfjA.
Jos Marques de Airosa Braga taz scienie a i
fregtiezes, que mudou sua fabrica de calcado i
tinlia na loja do sobrado n. Si do largo do Curpo-
Santo, para o andar do mesmo sobrado, onde
ptle ser procurado a qualqner hora.__________
41 RA m MRiO DA VICTORIA 41
Metilo novo armazem tem um
variado sortimento de fazendis
francesas, iugiezas, altralas e to-
las tola:; S3 vendQ por precos
v;>. yfini de acreditar a esta
...o ariLat:em.
Casemiras inglezas,
fraacezas, de 'das as
qualida-ies, brins de
-.Ores e brancos, colie-
tes moderaos, chapeos
ii s\ de .seda, 6dos.
DE
grande
VRRDA IRMM
Assim como tem urna
clILina de alfaiate, montada com
todos os preparos que ha de melhor,
dirigida por habis artistas, que
pela sua promptido e perfeifo
nada deixam a desejar.
Roupa de todos os
tamanhos para homens
e meninos.
Por todos os paque-
tes recebem-se as me-
lhores e mais moder-
nas casemiras qce ha
na Europa.
Cariada Vicie ra
RA
M
Baro da victoria
aaliijii ra
NOVA
N. 41.
Este estabeleeimento acaba de soffrer urna reforma radical em acceio, artistas e commodos, e em pontualidade as encom-
mendas, finalmente em tudo afim de melhor servir os seus numerosos freguezes deixa-se de annunciar todas as fazendas, para
rio se tornar massante.________________
Ama.
Precisa-se de urna ama para cosinhar e com-
prar : tratar no largo d'Aifandega n. 4.
AO PUBLICO
O abaixo assignado, constando-lbe que fe
tem procurado descontar lettra de sea acceite,
nesta praca, previne a todos, e especialmente ao
carpo commercial, que nao descontem lettra ai-
gama, porque o abaixo assignado nao tem nenhu-
madesea acceite na cireuia^ao, e protesta con-
tra o portador e mais signatarios da taes lettra.
Recite, 1* de ontabro de 1870.
______O Viseonde de Suassana.
Precisa se de urna ama que saiba cosinhar
e engomntar para ca.sa de poaea familia : tra-
tar na roa do Cabus n. 1 loja.
TIIEATRO SJWfTD AMOMO
titlAIUE SUCCESSO
DOMINOS, DIAS SANTOS EDIAS UTEIS
GRANDE CAF CANTANTE
05
Alagam-se o i* e andares da casa n. 1 na
ra Augusta, com commodos para grande familia '
a tratar na ra da Cadeia n. 61 (botica)
Alagam-se as casas ns. i e 3 na travessa da
ladeira em Apipncos : qaem as pretender dirja-
se ilba dos Ratos, casa n. 8, defronte dos trilhos
^eOlinda.
Aluga-se o andar do sobrado n. 1 da raa
Jmperisl : a trar no andar terreo.
Oaixe
ro.
Preeia-se de um caixeiro cora pratica de taber-
a : na rna estreita do Rosario n. 18.
Na roa das Crazes n. 38, andar, ha qoem
precise de um bom bolieiro que tenha boro com'
portarnt'nto, pagase bem : a tratar das 10 horas
o da as 2 da tarde.
Attenpao.
Per'leuse hontem, pelas S horas da manhla,
ama irgola de ferro com tres chavas, desde a roa
do Raari i da Boa-vista at a ra Velha, passando
pela raa da Matriz : qaem a aehou, pede entre-
ga-lai na hoti:a do Sr. Rrbeiro na praca do Conde
d*Eaf n spr.i recompensado.
Ama de eit
Ppesis.'. la ama livre ou sujeita, qce te-
Dba i 'Uva mamentar : a tratar na
Joo Francisco da Silva Braga, participa ao publico desta capital, que n'esie theatro havera para
conearrenes o segainie :
Sorvetes de diversas qualidades
Vinhos. Licores.
Champagne. Imperador Tbeodoro.
Bordeaux. Aya-Pana.
Porto lino. Labellamor.
Rheno. Coraco.
Chateau Laflte. Sempre viva.
Cognac martell. Amor eterno.
CERVEJA
BASS E NACIONAL
Guiada e nao gelada
CAF CHOCOLATE E CHA
Refrescos gelados de todas a qualidades
Dcos.
Pastis de nata
Bom bocado.
Empada decamarc.
Dita de carne.
Bollo de amendoas.
Fao de 16.
Fructas.
Macaa
Uva.
Rosa.
Piunga.
Grosella.
Limac.
Cidn.
Laranja.
Lima.
Queijos.
Flamengos.
Londrinos.
Ama de leite,
Precisa-se de urna ama de leite, paga-se bem
na ra Augusta n. 2, 2o andar. _____
Aluga-se um sitio com boa casa de vivenda
e grande quantidade de arvoredos de fructo, en
Ir os quaes boas laranjas de umbigo, sapotis,
eoiaba. etc.no largo do chafariz da Passagem da
Magdalena : a tratar com o sen proprielario no
sobrado da esquina que volta para os Remedios
n. 29.
Ama
Na ra do Vigario n. 5, 2o andar, precisa-se de
urna ama livre ou essrava para coziohar, em cajo
desempenho se quer assf lo e perfeicao.
Atten Ignacio da Silva Deir, em viagera provincia
de Pernambuco, avisa a seus fregueies que con-
duz excellene-tropa de burro?, que passar n3
villa do Pillar, Porto Calvo, Castanha Grande,
Barreiros e Rio Formoso, e dalli ir om seguimen
lo para a Escada: quem pois precisar, pede man-
dar encontra-lo.
AVISO AOS FUMANTES.
Cachimbos e ponteiras de espuma verda-
deira.
O mais completo sortimento, e muitas qualida
des novas que ainda nao vieram a esie mercado:
NA L1VRARIA FRANCEZA
AMA.
Preeisa-se de urna ama para o servico interno
de urna casa de familia de duas pessoas: a tratar
na ra do Imperador n. 79._______________
Precisa se de nm menino para caixeiro de
taberna: na praca da Boa vista n. 32_______
Gabinete Portuguez
de Leitura.
A direccio do Gabinete Portuguez de Lei'nra
precisando proceder a um balance em sua biblio-
tbeca, pede aos seas associados se dignem at o
18 de oulubro, fazer recolber os livros que tidia
rem em sea poder. ve-
Secreurla do Gabinete Portuguez de Leituraam
Pernambuco aos 27 de setembro de 1870.
Antonio de Albnquerque Mello,
i* secretario.
O Sr. Victorino Luiz dos Santos, nao mais
caixeiro do abaixo assignado.
Recife, 3 de oulubro 1870.
P. I. Lavme.
Lava-se e engorara a se cora perfeicao e preco
conmodo : na ra do Jardim n. 1.
Ama de leite.
n. 7 ba para alagar urna
Ka ra da Mangneira
ama de leite sem cria.
0 1' andar do Campo das Prioceas ond
focionou o ex-club pernambacano, aluga-se pare
bailes, soirs, jamares, almocos, sociedades, rea-
m'5es e concertos, por preco jnuito raioavel : a
tratar na mesma casa com o abaixo assignado.
P. I. Layme.
Cozinheiro
.
ra 'I
_4^6BeiT.'
onnfra porto do
Minas. wPf"f:
Pilt0 Abacachif. '
Suisso f:tc; ete- ,.
O mesmo participa, que, alera das bebidas cima notadas haverao ouiras de diversas qnalidades
qae muito agradarao pelo preco e boa qnalidade, e desde j participa tambem que haverao mezas,
cadeiras e bancos pura que os concurrentes estejara a ta\ vontade,-assim com,havera urna banda de
msica marcial, que tocar durante a tarde no jardim do mesmo theairr. ,
O mesmo, encarregado pelo proprietario, avisa que den'ro em pouco lempo havera nm ouraais
buhares e jgo de domin para entr-teriimenio do publico qu1 ffeaaautar este estabelcimento, aqnero
dosde j convida, e qin;r da alta sr ciedade, quer da democracia.
PRECO DA ESTRADA ** >-
O da da abertnr.i ser iflBIfir^P6'03 cr"'^s > n>ABiHnoente u abrir no
-J'jmingo 2" do ,
Precisa se de ama eosinheira forra ou escreva:
ra da Cadeia do Recife n. 18, 2 audar.___
Os devertiraenir s do
H^pe
da-a Jo. Gaaamta- '<

m i in;ra:Jade.
Precisase de urna ama forra ou captiva para o
servido interno e externo de ama casa de poaca
familia :'na ra Velha n. 66.______________
Precisa-se de urna ama que osinhe ti faga
ooWB pequeos servico para casa le Jua3 pes-
joas: a na da Trempe sbralo, n. J. ______
-> Em c^sa de iHCtuv0 i'.ii lli
i.NSt, na dt^crdr n; 8, enconti-aai-s
;flec-avH||gite todasa3 cpiaiidade da vioa-
li-Riia Estreita do Rosario-i7!
Compra e vende roupia feita
nova e usada, objectos de
cosinha e de mesa, e
tudo que perten-
ce ao uso do-
mestico.
A commis^io administradora da irmandade
de Nessa Senhora do Rosario do bairro de San-
to Antonio, faz scicnte ao respeitavel publico que
para maior comraodidade transfera a testado
sua padroeira para o dia 30 de outnbro, deven
do ter principio as novenas no dia 20 do mesmo
mez.
Consistorio da jrmandade, 30 de setembro de
1870.
0 secretario,
Libanio Luiz da Cunha.
O salo ie pianos e de
msicas
mudou-se da ra Nova n. 58, 1 andar, para a
ra da
[Diperatfiz n. 2, loja,
onde contina recomraendando-se ao Illm. pu-
blico.
G. Wertheitr.er.
4TTENCA0
a
Raphael Granados, professor.de msicas e maes
tro da companhia de opera hespanbola (Zarzuela),
que acaba de chegar a e>t cidade, offerece-ae para
dar licoes de canto e piano, assim cmo afina estes.
tudo por precos couvencionados. Tambem com-
p5s tangoj, habaneros, romanzas, cancoes hespa-
olilas para piano e canlo, por preco mdico :
quem de sens servidos quiter utilisar-se podara
dirigir-se ao hotel Central, ra larga do Rosario n.
37, onde reside.
Precisa-se de urna ama forra a escrava
p3ra o servico interno de pequea familia : na
ra da Araizade n. 21. Capunga._____________
Precisa-se de urna ama para todo o servico
na roa de Hartas n. 30, sobrado.
AMA
Pr cisa-se de urna ama portugueza para casa
esirangeira : a tratar na eslaclo dos irilhos ur-
banos no porto do capim.
Ao Illm. Sr. Albn i .lnaquun L'ipe, que veio do
Rio de Janeiro para esta provincia no vapor ame-
ricano Menimack, entrado no dia Io de setembro
prximo passado, pede-se o favor de apparecer
no escriptvro da eoin;)anhia Prirnarebucana, ou
annunciar sua residencia, que se Ihe deseja fallar.
Aluga-se una excellenle casa na ra do
Carmo em Olinda, acabada de nov >. ou pelo tempo
de testa para os banhos salgados ou por anno :
no corredor Jo Rispo n. 33 se dir qaem aluga; na
mesma casa troca-se urna imagera de Christo cora
todos os pertences de prat, e vende-se urna ma-
china de costura muito boa.
lmaiidade do enhor dos
Passos na Matriz doCor-
po Santo.
Pelo presente sao convidados todos os irmaos
desta irmandade, para teunidos em miza geral
no dia 7 do cornmle mez as 4 horas da tarde, pro-
cedr-se a eeico dos fonecionarios para o futuro
anno.
O escrivao,
/. J. L. Bairao.
D, W. B0WIH4N
ENGEMHEIRO
Com fundiqao.
A RA DO BRM N. 52.
Passando o chafariz
Machinas a vapor systema memorado.
Rodas'" d'agoa.
Formas de ferro para purgar assucar.
Moendas de canoa.
Xaixas de ferro batido e fundido.
Rodas denudas para moer com agoa, va-
por e animaos.
E outros objectos proprios d'agricaltnra.
Tudo por preco muito reduzido.
J. Ferreira Vlela
PIIOTOUK1PHI i I vi PE RIA r,
18-----RA DO CABUG18
A entrada pelo pateo da matriz.
Os trabalhos da reedificacao desta photographia,
e que se prolongaram por tanto tempo, achara-*
felizmente terminados e ella aborta ao servico do
publico desde 7 de abril passado.
O predio em qne est collocada esta photoBrs-
phia cha-se muito augmentado, e s a parte desti-
nada, ao estabeleeimento conta cinco salas, inclu-
sive as do laboratorio. Todo os concert e aug-
raentos tendo sido eitos expressamente pan m
montar convenientemente a photographia, e oa& se
podendo melhor modelo eacolher do que a Photo-
grafiia Imperial do Sr. Iosley Pacheco do Rio de
Janeiro, o primeiro nhotographo do Brasil, e om dos
primeiros do mundo, segnndo a opiniio dos mais
abalisados mestres, a nossa photographia acba-se
dlsposta e reedificada pelo mesmo plano da do Sr
I. Pacheco, a qual fof montada sob todas as regras
recommendadas pele* mais desiinctos professort3
de accordo coro as modieardes necesurias a-j
clima do Brasil, reconnecidas e'estudadat-felo na-
bilissimo e pratico Sr. I. Pacheco.
Todo o interior do predio em qne est nossa
photographia foi mudado desde a soleira da porta ca
ra al a coberla, tendo-te demolido todas as pa-
redes interiores para se frzerem as novas safas,
edificando-se om novo terraco envidracado ttui
espacoso e elegante.
Como sabido, fizemos urna viagem expressa-
mente corte para examinarraos as melhores pl, -
tographias all, e fei a do Sr. I. Pacheco, a qce
melhor corresponden pos nossos desejos e aspira-
{5es, e da qual trooxemos os planos depois es
all estarmos todo nm mez estndando e apr -
veitando as Iic5es de tao dtstincto roestre. Pen-
samos qne juntando os nossos estados e longa
pratica de 15 annos de photographia s utilissiroa*
licoes ultiman ente recebidas do Sr. I. Pacheco,
tendo montado a nossa pholocraphia como e
a ha, podemos cf."crecer ao illustrado publico
d'esta cidade e aos nossos uau.erosis fregaezes
trabalhos de phot gr.iphia lio perfeifcs, como
poder desejar, e disto convencidos, esprateos
que contiuaem a dispensar-nos a mema pr -
teccao com que ha 13 annos nos tem hoarade e
ajudado.
ATTENCAO
Os abaixo assignados
pessoas que tem dado obras
loja e ofcina do largo do Collegio, qne tenham i
bondade de vr procurar ditas obras e pagar a*
respectivas endadernac^es, visto que algunas ja
tem decorrido mais de 6 annos, sem que sens di -
nos as tenham reclamado ; pelo que, passados 10
dias da data deste. erao vendidas para pgamete
das despezas da encadernacao. todas aq>-i
que nesse praso na-) forem procuradas e pagx.-.
Becife 21 de setembro de 1870.
G/maraes A Oliveira
_______________ Em liqnidacao_____\^
Monte pi portuguez
A direc:oria convida todos os senhures ioci
a reunirera-se era asserabla geral domingo 9 d
crreme, as II hora; da manhaa, no Gabinete Por-
tuguez de Leitura, nSo s para apreciarem o rela-
torio da mesma directora e parecer da commi.-s.i"
de contas, como p;-.ra em seguida se proceder a
eleicio da nova directoria, conselho fiscai e cotc-
nbsad de comas, qne teem de funecionar no pr-
ximo anno social.
Para o fms convenientes vai em sguida trar.:-
cripto o art. 27 dos estautos :
' Os soci >s pre-entes vota rao laucando em tres
urnas outras tantas cednlas, indicando a primeira
a os nomes dos memhros () e substitutos (3) a
directora pela seguinte forma :
< S sero votad >sTom designaco de earge o
thesoureiro e os tres substitutos, deste, do t* -
cretario e vice-presidete ; os outros memores
( a directora (presidente, vice-presidente, e i*
a secretarios) sero os qnatro mais votados, e dw-
tes se enviar nma lista ao governo da provincia
para a escolba do presidente, nomeando depon
o mosmo presidenta dentro os tres membros n
<( tantes o viro -presidente, 1* e 3* secrtenos.
< A segunda cdula contera os nomes dos vinie
e cinco membros do conselho fiscal (presidente,
1 e 2 secretarios e vinte e deus ccnselheiiwi,
e a terceira os dos membros da conimis-ao de
a contas.
Secretaria do Monte Po Portuguez em Pernam-
buco 3 de oulubro de 1870.
Jos da Silva Loyo,
Presidente.'
Joaquim Gerardo de Bastos,
Secretario.
PilMEIBO E ANTIGO CONSULTOBIO
HOMEOPATHrX
Dirigido pelo Dr.
SANTOS MELLO
Os habitantes do interior podem-no
consultar pur escriplo, no que serao sa-
tisfeltos com promptido.
Presia-se tambem a chamados para o
interior, a preco mdico.
Consultas, no consultorio das 10 horas
ao meio dia.
Chamades, a qualquer hora.
Aos pobres gratis.
43Ra do Barc da Victoria43
(Antiga rua Nova).
precisa-se di?
para
fazfm scicnte a todas l-
encadernar em sua
aJ
A yerdadeira farinha peitoral de
S. Bento.
Esta farinha Usada com vantajoeo resolta-
dos nos padecmentos dos orgaoe do pello,
como asthma oa puchamento le catbarre,
inflamacao de bote, plenrzes e na pthjrsiea; re
commendando-se con igual proveito as peesoaa
convalecentes
nico deposito na phirmacia e drogaria.
DE
Bartholomeu 4 C
_____ 34Boa larga do Botario34
inia.
Raa do
ama ama
1
Torre; a. 16, 2 andar,
o^coiah?, ce tjlr
Na praca da Independena n. 33 te da di-
aheiro sobre penhores de ouro, prata e peiras
preciosas, seja qual for a quantia ; e na ranea
usa se compra e vende objectos de ooro e prata,
a igualmente se faz toda e qualquer obra de ea-
jommenda, e todo e qualquer concert tendea
> mesma arte._____________________
Precisa-se de urna ama qoe saina cantonar
para casa de ponea familia : a tratar na roa da
Palma n. 34. ^________
1TTENCA0
De sabbado 31 do correte em diante havera
todo- os sabbados um omnibu* para (lazareto,
devendo partir do Recife as 3 horas fia madruga-
da, e votar as segundas-f iras as 3 horas da
tarde, ccnduzindoo na rero de 10, pess^s: a
tratar na rna de Pedro Aflouco (ai'n na da'
Pr ia n 41.).com o sju propr-et rio Jos Piolo
Tavar-s Jnior. ^_______
) Precfsa-se de um ernk fvre on uscravo : t
trr no ahnazem de junto a estatv
graphi
C
Ala)?a-se para wrvh* em casa de fenMh ama
oa ejerava ; as Chico Pootas n 141.


Diario de Pernambuco Sexta feira 7 de Outubro de 1870.
AO ARMAZEM
VAPORFRANCEZ
Este conhecido estabelecimento acha-se constantemente bem sonido, em virtude du
facturas qne recebe por todos os vaporas e navios franeexes, do3 artigos abaixo menciona-
dos, precos os mas resumidos que possivel.
AJL^AOO FRAUXEZ
Botinas para enfloras e meninas.
Bolinas pretas, tanteas e de rauitas outras cores, sordas e bonitas, do ultimo gos-
io da moda, a precos mais baratas do que em outras partes.
Botinas para horneas e meninos.
Botinas de bizerro, cordavao, lustro e pellica, das melhores fabricas e escelbidas.
Botas e pernelras rnsstanas.
Botas e pernelras para mantaria, das melbores qualidades, de couro da Russia, lus-
tro e bizerro.
Zapatos de borracha para horneis e senhoras
Tendo ebegado grande porcaode sapatos de borracha vendase pelo cuito afim de
desempatar o dinheiro nelles empregado, sao baratissimos.
Sapatos de lustro para homens.
Sapatos de entrada baixa de couro de lastro cora salto, de muito boa quatidade.
Abotinados para meninos e meninas
Sapatos abotinado; de diferentes modelos, de rauito boas qualidades e fortes, tanto
para meninos como para meninas, muito baratos.
Sapatos de tpete.
Sapatos de tapete avelndado, de casemira, de charlte e de tranca franeexes e por-
tuguezes para homens, para senioras e para meninos.
PERFUMARAS
Excellentes extractos, banhas, leos, agua de cologue, florida, divina, lavande, den-
triflee, de toilette, sabenetes, tintara para cabellos, pomada angroise para bigodes, pos de
arroz etc., tudoislo deprimeira qualidade, dos afamados fabricantes, Coadray, Piver e Lubra.
Quinquilharias

Luvas de pellica do conhecido fabricante Jouvin, espelhos para sallas, quartos e ga-
binetes, mocadores de diversos taraanhos, leques para senhoras e para meninas, abridores
de luvas, brincos, pulceiras, botos, crrenos e chaves de reWgios e trancelins, ludo de
oaro de le, correntes e brincos de plaqu, a imitaeao e de mais gosto do que as de ouro,
caixinhas de costura ricamente guareecidas e ornadas com lindas pessas de msica, albans
e caixilhos dourados para retratos, caixinhas com vidro de augmento para distinctamente
ver-se a perfeicao dos retratos, objectos de phantasia para toilettes, bolsinhas e cestinhas
de seda, de velludo e de vimes para braco de meninas e senhoras, ditas para costuras, pe-
queos registros muito finos e delicados, bouqaets de flores de porceSna, jarros proprios
para gabinetes e santuarios, quadros promptos para collocar-se vistas, molduras douradas
para quadros, estampas finas de paysagens, cidades, figuras e de santos, vidros para cos-
morama, malas, saceos e bolsas de viagens, esporas, chicotes, bengalas, oculos, lunetas ou
pensipez de prata dourados, gravatas pretas e de cores, abotoaduras de collete e de punhos, S
carteirinhas para notas, thesonnnhas e caivetes finos, pentes, eseovas, ponteiras de espuma '"
para^harutos e para cigarros, joros de domin, rodetes, bEgatelas eoutros ditferentes, ve-
neziafcas modernas muito conveniente para portas e janellas, cosmoramas, lanternas mgi-
cas, esteriocopos com interessantes vistas de figuras e das mais bonitas ras, boulcvards,
pravas e passeios de Paris.photographias e caixinhas mgicas, reverberos para candieiros,
tapetes de vidrilho e de lia de cores para ps de lanternas, reatejos grandes e pequeo?, _
harmnicos, acordions de todos os Umanhos, bercos de vimes para enancas, sapatinhos e %
toucas de laa, carrinhos de 3 e i rodas maito elegantes para conlusir enancas passeio ; e f
outras umitas quinquilharias de phantasia, francezas e allemaes, precos muito em conta.
[ 3BI) W3S>(D3 5>ft2:\ ma-aisiD^
Para este artigo nao ha espago nern tempo para a mascante leitura da infinidade de
generes de brinqued03 fabricados em diversos paizes da Europa.
TI
.151.
O dono deste estabelecimento pode ao [publico em geral que continu a visita-lo
verificando a qualidades e os precos baratos t'e ditos objectos por serem vindof em di- ]
reitura e de conta propria. t
MW%mm
KNflEHtO
Com fundipo
RA DO BRUM 52
Passando o chafariz.
Charca a a?tenf3o dos Srs. de engscho para seus acreditados machinismos e
:cm -:pecialid,Hie para seus vapores que ainda urna vez tem melhorado.
Os vapores fornetidos por elle ej funeciooando Ihe ho de fazer melhor r.pre-
cac5o do que tfial mer dito proprio.
Desej ambem mencionar que tem feio uma redneco em eos presos; e que
em prometo tola a especie de machinismo e outros objectos para a agricultura.

/
w
zn
P
P
P-
P
3
p
|
P
o
PEPSII
PHC. 2 Ru 6astiguon
P>AR I S
Iooouto : P. MALI'.Ul H C", Pernambuco: JOS BELLO, em Porto AUart
SILVA LOPES, em Bikia; FERR IR A el O, em Mam/u.
RESTAIIANT DE fiMT^^
4-Ba das Larangtras i
MR. MICHANDON propietario deste estabelecimento, recebe assigna-
turas para almoco e jantar, por proco o mais mdico que possivel. Bem
como fbrnece tambera almeno e jaoter avolso.
----------------L,;'--------------___.
SENDO
ALMOCO
1,1000
JANTAR .
moo
3 pratos a escolha
Vinho
Caf ou cha.
pratos a escolha
Vioho.
Sobre-mesa.
Caf ou cha.
toNtl
11/
0 MAMVILHOSO REMEDIO
DO
Dr. Chas, de Grath
OLEO BLETRICO
KING OF PAIN
0 RE DADOR
Para o uso interno e externo.
NOSSO SENHOR JRJUS CHRISTO,
MARA SANTISS1MA
E c
VARIOS SA3MS.
A saber:
Setenario do Senhor Rom Jesos dos Passos
fflcio do Senhor dos Passos
Novena do Menino Deus.
Novena de N.Senhora da Cinclelo.
Setenarlo das Dores de Maria.
Offlcio das Sete Dores de Maria Santiago.
Novena de N. Seiitiora do Carmo.
Offlcio de N. Senhora do Carmo.
Novena de N. Senhora da Penha.
Cantitos de N. Senhora da Penha.
Novena do B. S. Joo Bapti ta.
Novena da Senhora Sant'Anna.
Trezena de Santo Antonio.
Novena do B. S. Jos.
Um bonito volurae eucadernado.
2I0OO.
Companhia
DE
Cholera e cholera-morbus, diarrha,
floxo de saugue, em um dia.
Dr de cabera e dores de ouvido,
em tres minutos.
Dr de denles, em um minuto.
Neuralgia, em cinco minutos.
DesIoca?es, em vinte minutos.
Gargantas indiadas, em dez minu-
CURA:
os
tos.
Clica e convulses, em cinco minu-
Rheumatismo em um dia.
Febre e febre intermitiente, em um dia.
Dr as costas e nos lados, em dez
minutos.
Tosses perigosas e refriados, em um
dia.
Pleuresa, em om dia.
Surdez e asthma.
Hemorrboidas e bronchites.
Inflammagao nos rins.
Dyspepsia e erysipelas.
Molestia de figado.
Palpitado de coraco.
Eeserve sempre este remedio na sua familia.
AS DOENQAS SE APRESENTAM QUANDO MENOS SE ESPERAM.
Oleo eletrico0 King ofPain(o rei da dr) aquieta e positivamente dissipa mais
de differentes molestias e dores, e allivia mais os soffrimentos e produz um mais perfeito
equilibrio nosystema humano, o que nao se pode effectuar no mesmo tempo, com qual-
quer outro remedio medicinal.
Este muito popular remedio est agora usndose geralmenle, pela razo que mi
Ihares de pessoas se tem curado gratis com o dito remedio Del > Dr. de Grath e outros
mais.
Esle importante remedio nao se offerece para curar todas as doencas, porm tao
somente para aquellas estipuladas das nossas direcces.
Est operando nos principios da chimica e da electricidade, e por isso est appli-
cavel para o curamento e para a restaurado da acejo natural dos orgos que soffrem da
irregular circularlo dos fluxos d >$ principaes ervos. O oleo eletricoo King ofPain
opera directamente nos absorventes, fazendo desapparecer as inchaces das glndulas
etc. em um tempo incrivel, breve, sera perigo do seo uso debaixo de qualquer circuns-
tancia.
O remedio, uma medicina para o uso externo o interno, composto dos elementos
curativos, raizes, hervas e cascas, taes como se tem usado dos nossos antepassados, e
ilas quaes tem grandes existencias no mirado, para curar todas as molestias, sabendo-se
quaes ellas s3o.
Foi om grande e especial desejo da faculdade de medicina durante muitos annos
de experiencia para aprender os melli >res modos que ^e devijjm adoptar para curar as
seguintes doencas, que proporces de medicina se devia usar.
nico dr psito em Pernambuco
NA PHARMACIA E DROGARA
DE
Bartholomeu & C.
N. 34-RUA LARGA DO ROSARIO-N. 31.
GRANDE
HOTEL
37Sna 11 ds Dezembro37
(Outr'ora Larg i do Rosario)
No muito conhecido HOTEL CENTRAL econtraro sempre os nossos innumero
freguezes notaveis m'iluoramentos, indispensaveis para commodidade dos Ilustres re-
quemadores.
No HOTEL CENTRAL encontra-se-ha constantemente tudo que de confortativo
deleitavel se pd' encontrar em um estabelecimento desta ordem.
Assim aclia-sj a!li orna excellente casa para banhos, um salo todo alcatifado e
guarnecido de divans, piano, j-irnaes nacionaes e estrangeiras el;., ele
dulce mmm
CHARUTOS
Imperiaes
Amadores
Londrinos
Leaes
E de outros fabricantes, que seria ocioso innumerar.
As familias que nos quizerem obsequiar, tanto nacionaes como estrangeiros, en
contrarao os commodos Decessarios.
A moralidade e boa ordem a norma do
Normas da Havana.
Suspiros.
Napolees
Havanas.
Hotel Central
Falla-seo hespanbol, francez, inglez e italiano.
PRECIOSA DESCOBERTA
(IKAS HARATIIiHOSAS
TNICO DELSC
Nec plus ultra
Tirando immediatamente todas as caspas e coceiras dos cabellos.
Deposito
lmente em casa do autor, Andr Delsoc cabelleireiro de Paris.
Ra 1 de Varqo (antiga Crepo) n. 7 A Io andar
., PA1A AGUA.
Canos do ferro galvanisaJos por barato preco.
Torneira, e curvas para os mesm,s! No n da ravessa do Corp.
Santo n. 2o.
Moinhos par;; h p;*ra milho
Os melhores moinhos para -caf i que tem vindo a este mercado
se encontrara no annazem i pg santo a. 25
Santa Thereza.
De conformidade com e disposto no art. 13 dos
estatutos, sao pelo presente convidadas os Srs. ac-
cionistas para reunirem-se etn assemb'a pera! no
dia 15 do cerrente ao meio dia, no andar 'do
edilicio n. 14, na ra da Coropannia Pernambu-
cana, afim de ser insultada a companhia, e pro-
cader-se as respectivas eleigoes.
Recife, 3 de ootnbro de 1870.
____________Justina Jote (le Souza Campos.
Uommodida^e publica.
As pessoas que piesisarem de amas, criados,
coiinheiros, jardineiros, feiteres, amas de leite,
escravos para o servjijo domestico, caixeiros, tan-
to para a praca como para o mato, casas sitios,
podero desta data em diante mandar seas pedi-
dos por escripto ra do Torres n. 32, 2o andar,
casa amarella.
- O Restaurante Santa Izabel, a ra da
Florentina n. 2, d pens3o por mez a 30$
sem vinho, e a 455 com meia garrafa de
vinho por dia; as pessoas que se dignarem
querer, ahi acbaro sempre prompto e com
asseio, e poderao tratar na mesma casa.
Aluga-se um sitio no lugar do Galdeireiro
junto ao sitio do Sr. Dr. Alcoforado, com casa,
frncteiras, tendo nos fundos do sitio banho : quera
pretenderdirija-se aomesms sitio, oq no pateo.do
Collegio, escnplorio do Sr. Dr. Fornica, prffere-se
alagar a pessoa soiteira. e jend) casado quetenha
poaca familia.
ASSOCIACAO lOMMERCIAL AGRIPLA.
De ordem do presidente sao convidados O sr-
nhores associad is a coraparecerem no dia L7 do
corrente a3 11 horas da manhaA, o'i salao da pes
ma associacao, para em assemb'a geral elegerem
os membros" da nova directora.
Secretaria da A^snciao Commercial Agrcola 7
de outubro de 1870.
loa) Maria dos Santos Alraeida,
___ Secretario.
^B3BiaE3^irsatL3tt5r.EaBaB22B
<..
I
A condessa da Bja-vista c trrida a lodos os pa-
rantes e amigos do sea sempre chorado marido o
Conde da Boa-vista, a qivirefl) ama misaa que
tem de ser celebrada palo rep)-j-'<> eterno ci sua
alma, na matriz da Boa-fifta, a 10 do corrente
mez, pelas 8 huras da mannaa, stimo dia do seu
fallecimento.
|
A$fA DE FLORIDA,
HtRRAY I-AX1W.
He mp teapo^maie estar*! de todos os per-
fumes, e encerra, ei no sea mtior augs
de excellenda, o propno ardma das ?erria-
deiras flores, qando ainda na sua flores-
cencia e fragancia natural. Como om meio
seguro e rpido albvio contra as dores e
cabera, nervosidade, debidade, desmaios.
flatos, assim como contra todas as formas
ordinarias de accidentes histricos; de
summa eficacia e nao tem oolro queo
iguale. Igualmente, quand destemperat'a
cora agua, toma-seum dentifricio o oais
agrada ve I eexeel lente, dando aos deotes,
aquella alvinae aperolada apparencia lio
altamente apreciada e desejada pelas Se-
nhoras.
Como um remedio contra o man hlito
da boca, depois de diluida em agu?,
summamente excellente, faz remover neu-
tralizar todas as materias impuras que se
criam roda dos dentes e das gengivas,
tornando-as duras, sadias e d'uma linda cor
encarnada, i Quanto a delicadeza, riqtwja
e permanencia do seu fragrant aroma, e a
por curto nao tem igual :.e a sua supe-
riordade sem rival. Ella igualmente tor-
na-se um meio mui excellente, para fazer
remover de sobre a pelle do rosto, toda a
qualidade de brotoejns, ebulicoes, sardas,
pannos, manchas, ijnpigens e espinhag.
Quando se queira senir .delta como reme-
dio para fazer desaparecer qualquer na
destes disguramentos, e qne tanto desei-
amas-lindas feifes do bello sexo; devera-
se usal-a n'mn estado de dilluivo, desteic-
perando-a nuraa pouca d'agua ; porm t.o
ratamento de qualquer espinba, usar-se-La
della pura em toda a sua torca, fin
mente como um admiravel meio de rom-
municar as feices trigueiras e pailitbs,
uma pelle macia e d'mna transparente a-
fora, dando-lhe uma linda cor de rosa :
para um tal fim, ella leva a palma a todr.s
os perfumes que se teem inventado Mi bo-
je, e existe em plena soberana sem n
Bem entendido tudo isto se refere nica-
mente a Agua he Florida de Miray ir
Lanman.
As imitaces que se tem feito na Franca,
Allemanha, assim como em outras partes;
sao inteiramente inuuiis e invaliosas ; p('.-
tanto recommenda-st aui esperialmen.e
s senhoras, que tciiham toda a precau'
e cuidado, de quando comprarem, estejam
certas que corapram.
A Gemina
AGUA DE FLORIDA
DE
MURRAY & LANMAN,
A qual preparada somente pelos unc< s
Propietarios,
LANMANN & KEMP, DE OVA YORK.
Aclia-se a venda nos sttbelccimentos e
A. Caors, J. da C. BfMo, & C. P. Ma -
rer & C. A. A. Rarboza Ba-tholomeu. A C.
Aitencdo.
Tinge-se e lava-se cora perfei;a), e mai: barato
do qne em outra qaaqoer parte: na ra do Ge-
neral Victorino n. 33.
Lom muito Kaior vantayem compram-se
ouro, prata e pedras preciosas a 1-, obras velhas; na
loja de joias do Coracio de Ouro n. 2 1), ra o
Gabug.
Compra-se dia earroca em meio uso p.ira
cavillo, e um trepador de VM\a'ro e ilpridezpiro :
na loja do calcado n. 2, rqa lana da Rosario.
ttenco
Comprase nesta lypogiapbia uma colleccao de
ei provincial do aunj de 1866.
NOVIDDE.
O Costa, pioprietario do ?.rmazem da Pedra
Marmore roa das Cruzej n. 'i2, offerece por di-
nheiro contado o que de mellnr ha no mercado,
por ter recebido maitos dos gneros descriptos
pelo ultimo vapor.
i fHortalices para sopas denominadas Julienne, que
substitue perfeitarr.t nte as mais frescas erva.
Queijos fUmengos o qne de meluor se pode de-
sejar a 3000.
Caixdes de doce de goiabr. a 800, 1, 1200 e a
1*800, dito em latas a 2 e 2*500.
A verdadeira farinha americana vinda de conta
propria a 320 rs. o maco de uma libra.
Velas stearinas a 640 o maco.
Bolachinhas de todas as qualidades e dos me-
lhores fabricantes.
Ervilhas francezas e portogueas.
Uvas a II a libra.
Vinbo de todas as qualidades.
Farelo de Lisboa desembarcado hontem, em
saceos grandes, a 5*.
Carne do sertao muito nova e gerda.
Queijos de qaalba, etc., e te.
Restauran! de Paris
4_Rua das Larangeiras_4
Neste estabelecimento precisa-se de um copeiro
que esteja bem versado no servico.
FARELO
A 30500.
Vende-se farello em saceos grandes a 3*300 :
nos armazens de Tasso irmos & C, na praca do
caes de Apollo, '
Vende-se per barato preg a propriedade na
camoda dos Remedios, qne foi le Joao Anastacio
Camello Pessoa, com uma grande olaria de pedra e
cal, que lastra 16,000 ojotos, 4 fornoqne c nipona
25,000, com excellente barro pan toda e qualquer
obra, cora dons excellentes viveiros e um grande
acode d'agua doce, tendo uma casa de sobrado de
um andar e soto : as pessoas que pretanderem,
dirijam-sea referida propriedade i entender-fe com
o capito Deilioo Lins Cavalcnnli 'essoa, consenher
da mesma nronriedade.
Yend^-so
20 Ra la Imiieraiz JO
Acaba de chegar para a i a de fura
dencminada La vle de Paiis, nin grande rti-
mento de fazendas Dnas, eui io sejain : cortes de
poil de ciievre com iisras cfcoeeias de orna e dai?
-.lias o qne ha de mais alia m viJ.i.Je, reaa oor- -
linas de seda, granadinas, lats escoceza, !
bareges, etc., .-'., a um cui.-pleto k rtiiseato -
'hitas, madapoldes, cambraa- branc.is e de en
crgandys o cambrea impera riz, a nutras mn -
f.izenas, lado do que ha Ce melhor ne.-te ii"
do, que tudo se vender o r.iais barate
Chamamos a attpnejfodd bello sexo que <\.
andar na moda, o ao mes
sua prote?- Mnda-f< nt im eaaa
Fxmas. faui lias I idas a: i.
direm.
20-r.LA DA i" !W
S*"atrla) a- Lcwia.
1)J
l)I1
il-E BARATO
Itun. do Creso n. 20.
Vendj-se ehita* rsenra^ a Va) o SU r-. o .
do, claras miadas a 200" HO r-.o envado, a!g"
eselado, 4 palmos de !;Tvuia, a 201) rs. o cov.-
do, peca de algod.i da 20 jardas a 3 madapolao a -"S.cambraia lisa 8 !|2 varas a 3*800 a
pega, cambr&ia victoria fina n. li a i*800, ai ..- ,
hado 2 larguras a. 25100 a vara, lencos de -
da India a i 280 : na loja do (inilherrac._______
Doc:s, iructas e flores
Ra da Cruz n. 13.
Sor vete todos os das, das II horas em dianto. t
todos os sahbados haver de creme.
Ol^o de ricii o
Vende se oleo de ricino : na ra da Cadeia-ve-
Iba do Recife n. 1, 2 andar. ,
Potassa nova da Rassia a 200 rs. a libra.
Cal de Lisboa.
Cera em velas.
Dita em grume.
Vinho do Porto superior engarrafado.
Dito de dito bom dem.
Dito moscatel de diversas marcas dem.
Dito tinto l'almelia superior dem.
Dito dito Vermoeira dem.
Dito dito lavradio idera.
Dito branco Carcavellos idem.
Dito dito Bucellos idem.
Caldeiras de ferro fundido para engenbos.
No escriptorio de Oliveira Filbjos & C ao largo
do Corpo Santo ti. 19.
tiet retara de frrro
Vende-se e est vista em casa dos importado-
res Shaw Hawkes & C, r.ia da Croa n. 4.
Vtnde-se a taberua sita na roa da Sanu
Crui o. I, bem afreguezada para a Ierra ; a ca-
sa lera bons commodos para familia morar iode-
pendenle por ser de esquina : a tratar na roa do
Rosario da Boa-vista n. 56
VeLde-se um cabriolet anuricanocom p<
uso para 2 e 4 assentos, tendo 4 redas de sotre:
oellente, langa e varoes para 1 e I eavallae : a
traiar na ra do Imperador, oocheir.i n. 15.
uma urna do Jacaranda para deposito de ossos: na
ra ila Imparatr 1
Ve a7.en i -aro-
bucana. lar nh
por p,
1 o mi lind i
domno e o jj.


Diario de Pe-Bambuco Sexta eira 7 de Qutubrp de 1870



GRANDE

J MU Mi
BAZAR DO PAVAO
60-HA DA BffEMTW-60
PEREIB4 DA S1L1A Id
Neste importante estabelecimetrto encontrar o respeitavel pnblteo, na' grwie* variado sortimento de fazendas do mais
aparada gosto e todas de primeira necossdade, qne se vendern mais baratas do qo ea* ootra qaalqar1 part, vhto tos socios desta firma, adoptaran o systema de s veoderem a DINHEIRO ; pira peder vender pelo costo, lfmKaodo-se apenas
a ganbarem o descomo ; as pessoas que nefociam em pequea esea'a, oesta toja eartaMem poderlo fateroa'seus sortimeotos
pelos mesmos procos qoe cspram as casas inglezas, (importadoras) e para maior cttMBdidade das Bxmas. fmilas se darao
amostras de todas as rateadas, oo Ibes levam em suas casas para escooerem. ^
pechin:ha bm casemiras a ejooo. cortes de la esgocezes eioooi
No Bazar do Patito fet-s ama graode Vndese bonitos cortee de lla-eaeoeaiaa,
compra em um Imito, das mais fin viudo cada om em sea papel, pelo barato
casemiras inglezas que tem rindo i es- i proco de 60000 cada om; no Bazar do Pa-
l mercado, tendo cores claras e osearas, j tilo.
todas com padrttos serios, wopriot para! ORGANDYS BRAPCO E DE COR
caigas, palitos e eolletes; vende-se a 40000 No Bazar do Patito ende-se os mais
o covado, o qoe em oatra qualqaer parte bonitos e muito fiaos orgaodys eom listas
nto se vende por menos de 60; grande largas e miadas 1*000 a vara, dita lisas,
vantagem. { fazenda de moita pbantasia 800 rs. a vara,
ditos d cores.
L Nova
nna Dnqwc
i J
Jotran
granujo
BRINS DE U.VHO DE COR A 1*200
No Bazar d Pavlo, fez-se ama grande
compra de paros brins de linho, maito en-
cordados, proprios para caifas, palitos, eol-
letes e roapas para meninos, por serena de
padr5es miudiobos ; garante-se qoe nlo ba
barrella qoe lbe tire a edr, e vende-se a
1*200 o metro desta excedente fazenda.
MADAPOLO FINO A 6*400 A PECA.
No Bazar do Pavto veodem-se pecas de
maadapolSo fino de maito boa qualidade,
tendo 22 metros ou 20 varas cada peca,
pelo barato preco de 6*000, por se terem
comprado om pooco enxovalbadas; pe-
cbincba.
CHITAS ADAMASCADAS A 240 RS. O
COVADO
O Bazar do Pavto vende maito boas chi-
tas inglezas incaroadas adamaccadas, pro-
pras para cobertas e cortinas, sendo fazen-
da qne emqaalqaer toja se vende a 320 rs.
e liquida-se a 240 rs. o covado; s o Pa-
vto.
TOALHAS A 7*500
No Bazar do Pavto fez-se ama grande
compra de toalbas alcochoadas, propinas
para rosto, bastante encorpadas e grandes,
qne sempre se venderam a \12*000, e li-
quidam-se a 7500 a duziaou a 640 rs.
cada ama, boa pe -hincha.
CHAPEOS PARA MENINOS A 2*000
O Pavto vende urna grande porcto dos
mais bonitis chaposiobos de palba da Ita-
lia proprios para meninos de todas as Ida-
des, sendo cbapos que valem 5*000 e ven-
dem-se a 25000 cada om, mnito barato.
CHITAS E RISCADINHOS MIUDINHOS
200 RS.
O Pavto vende chitas ou riscadinhos miu-
dinhos cor de rosa e rxinhos, proprios
pira vestidos e roapas de cranlas a 200
rs. o covado. Sto mnito baratos.
LASINHAS COM PALMAS E SEDA
Chegou para o Pavto o mais bello sorti
ment das mais brillantes lasinhas claras
com bonitas palminhas, de seda; tendo lar-
gura de chita franceza e vende-se a 1*000
o covado grande pechindia.
ALPAGAS MATISADAS A OJO RS. 0COVADO.
Vendem-se as mais modernas e bonitas
alpacas mat sadas com palmiohas, maito
proprias para vestidos de seobora e di me-
ninas pelo barado preco de 610 rs. o cova-
do ; sao mnito em conta.
PARA NOIVADOS CORTINADOS, COLCHAS.
Cbegou para o Bazar do Povao om gran-
de sortimento dos mais bonitos cortinados
bordados, proprios para camas e jaaellas,
qoe se vendem de 10*000 al 20*900 o
par, assim como o melbor damasco cem 8
palmos de largara a imitacto de damasco
de seda, proprias para colcha1', e propria-
mente colchas de damasco, send os melbo-
res e mais bonitas que '.em vindo ao mer-
cado.
SEDAS DE LISTRAS.
No Bazar do Pavto vende-se ama grande
qaanii lade das mais elegantes sedas com
listrinhas, tendo de todas as cores e at
farta-cr ; fazenda qne ninguem vende por
menos de204OO,_e liquida-se a 2*000 cada
covado; sto maito baratas.
SETINSDE CORES E GROSDENAPLES.
No Bazar do Pavto vende-se om sortimen-
to completo dos melhores setins e grosde-
nap'es de todas as cores, qoe se vendem
muit' em conta.
POPELINAS DE LA A 400 RS. O CO-
VADO
No Bazar do Pavo vende-se nm elegan.
te. sortimento das mais bonitas poapelinas
de la com lista-; roiadintias, sendo todas
qnasi de orna s cor, 400 rs. o cavado
9 baratsimo.
GRANDE PEGHINCBA E.VI LAASINHA
A 640 RS.
Nj Rizar do Pavo fez-se ama grande
compra de lasinba para vestidos, sendo de
maito b>a qualidade, ornas com listas e oa-
tras com mezclas, e muitos largas, qoe com
poneos covados se faz vestiio e liqmda-se
440 rs. fazenda qoe sempre se venden a 1*.
ALPACAS PARA VESTIDOS FRTA
CORES A360RS.
Vale se am bonito sortimento das mais
bnlbaites alpacas escaras furta cores,
sendo muito encordadas e tendo am bnlho
cono seda, liqaida-se pelo barato proco de
380 n. o eovado por se ter feito ama gran-
de compra.
POPELINAS A 400 RS.
No Bazar d Pavto vende-se am elegante
sort monto das mais lindas poujelmas de
la com os gostos m'odiohos sendo quasi
orna cor e con maito brilbo, pichin-
cha b 40n. rs. para acbar.
CH TAS A 2* RS. O CORTE.
No Bazar do Pavto vndese cortes de
chita anadiabas, sendo rocha e cor de rosa,
tendo 10 covados cada corte a2j vende-se
a re'a'ho a 200 rs. o c vad^, pechincha.
CASSAS A 200 R 3.
No Baiar do Pavo liqaida-se ama por-
Cao le cassas francezas miadas e graadas,
cotos finas, qoe se vendem pelo baralissim
pre?. de SOU rs. o covado- para acabir.
flnissimos padroes, inteira-
mente novos 800 rs. vara; pechincha.
GROSDENAPLES PRETOS
Cbegon para o Bazar do Pavto um gran-
de sortimento dos melhores grosdenaples
pretos qne tem vindo ao mercado, qoe se
vendem de 1*600 ate 5*000 o covado
89o todoa mnito em conta.
CAMBRAIAS TRANPARNTES
No Bazar do Pavto vende-se om grande
sortimento das melhores cambraias brancas
transparentes, tem de 3*500 at 10*000
peca, ditas soissas finissiraas com 8 pal-
pobttcoi
e [ Qoando a AGUIA BRRNCA, mak preefaja scientiflear ao respeitavel
so f*tl, e em particular a saa boa fceguti, da iamenaidade de objectos qne ni
perioridade deseas objectos nto com vi* teftm recebido, jasiamentefqnndo eHa menos o pode fazer e porque essa fsJti i
tas d*a*ralr a attenoito de ama grande fre- lantaria ella confia e espera na benevolencia de todoa que lh'a attenderfo e rel
guezia, como a de que actualmente despe coalinoando portanto a dirgirem-ae a bem conhecida leja da AGUIA BRANCA i roa
e sim para scientiflear (a interese de todo) Qieimado n. 8, onde sempre acbarto abundancia em sortimento de superioridade
qaalidade de seos objectos os quaes sao Vialidades, modicidade em pracoa e o ten nunca detmeattido AGRADO E SlNCERIp/
CAMISAS DE -BftAMBKAS' A 31500.
No Bazar do PavlO'veide-M um bonito
sortimento coact** r* tamalbtoi daK-oo-
lbores camisas, dV fliuelhr de 15a, com
mangas, tanto proprias para borneas como
para senhoras e vende-se a 3*000 cada
urna, e qoem comprar de meia dnzia para
cima ter om abatimento, Sio de nwita
otilidade.
GranDe pelln* om cnrisati|ljus t 4*41500
No Bazar doPavio fec-ae ama grande com-
pra em lei!3o, d finissiraas camisas ingle-
tas com peitos e ponbeft de lian, sendo
com collariahos e de todos- os nomeros a
4*000 cada urna, ditos sem co laaiahos,
porm fazenda finisima a 4*500; gran-
de pechincha.
CAMISAS BARATAS a 2*800,3*000 e 2*600
No Bazar do Pavto vende-se urna gran-
de porcto de casemiras mscladas, muito
encorpadas a 2*800, ditas finissimas com
msela de seda a 3*200, ditas modernas
de quadros, fazenda de muito gosto a
sempre de aparado gosto eperficto; tor*
nana-se qoasi iadispcnsavl para aquetlt
apreciadores (do bom) frequenlarem a NO-
vaBaperaoga, pois que ella caprcha em re
cebfeT" constantemente, o qne ba de melbor1
relativamente a saa repartico: o que se p
der verificar qaando em qualquer reuna
de pessoas (amantes do zique) v-se nm
bonito enfeite em om bonito vestido, um
aroma agradavel escapar d'am alvo lenco*
am moderno e linde toco,umbilicado ra*
mo de finas flores, ete, etc, todos olbam-se
reciprocamente e dizem com sigo ( e as ve*
zes nos aos ontros) estet sto objectos
comprados a NOYA^ESPERANCA: realmen-
te IIII procurar descrever em an&oacios os
artigos que contem dha loia, seria trabattro
ineano e onnea e fariamos com aquella
jnafa e perfecto com qee sto lies fabrica-
dos, assimi pois a NOVA-ESPERANCA coo-
tenta-se em convidar a todos ge raimen te,
visitarem-na para entto ficaram iptei-
rados*do que ha exposto na mesma toja.
tRua Buque de Caxlajsi
Cal de Lisboa.
Vesle-se cal de Lisbo, a oMnn obegada ao
merea, por pn$o rumml: no armazem de
Manoel TVixmra B*io\ roa do Commercio n. 13.
Do que cima flea dito se conheee que o tempo de que a AGUIA BRANCA ]
dlspor, empregado apozar de seos custos no desempenno de bem servir a aqnellet
hoaram procurando prover-se em dita toja do qoe necessitam, entretanto sem
rar os fefectet que por ena natureza sto mais conheeidoe ali, ella reaumid
cari aqieHes coja importaacia, elegancia e novidade oa tornam nomamt
btm sej :
f
mos de largura a 2*000, 2*500 e 3*000 3*600 o covado; aproveitem.
vara, ditas victorias e tapadas da mais infe-
rior at amis fina qne vem ao mercado;
todo islo se vende maito em conta.
MANTELLETES DE FILO
No Bazir do Pavto vende-se modernissi-
mos mantelletes on basquinas de fil preto,
:om laco, pelo barato preco de 10*000 ca-
da nm, barato.
PANNOS PARA SAIAS A 1*000, 1*280 E
1*600 O METRO
No Bazar do Pavto vende-se bonita fazen-
da branca tncorpada para saias, sendo com
babados e pregas de um lado; dando a lar-
gura da fazenda o comprimento da saia, a
qaal se pode fazer com 3 on 3 1|2 metros,
e oende-se 1*000 e 1*280 e 1600; assim
como tambem no mesmo estabellecimento
se vende bonitas saias brancas bordadas ten-
do 4 palmos cada orna, ditas de lia de
cores j promptas amas com barras dlffe-
rentes, da mesma fazenda 4*^00 e oatras
com barras bordadas 6*000 e 7*000,
todo isto moderno e barato.
ALGODO ENFESTADO PARA LENCES.
No Bazar do Pavto vend-se o melbor al-
godo-inho americano enfestado para len-
ces, tendo liso e eotrancado por preco
muito barato.
ESPARTILHO.
No Bazar do Pavto recebea-se um elegan-
te sortimeoto dos mais moderos e melho-
res espartilbos, que se vendem por prego
mnito em conta.
PANNOS DE CROCH PARA CADEIRAS
O Bazar do Pavto recebeu am grande
sortimento dos melbores pannos de croch,
proprios para cadeiras de bataneo sofs,
pianos, tamboretes e at proprios para cu-
brir almofadas e pratos; vendendo-se por
meos do que em qualquer parte.
Lasinhas tranrparentes a 500 rs. covado
O ?av3o recebeu am bonito sortimento
das mais elegantes lasinhas transparentes
proprias para vestidos, qae vende a 500 rs.
o covado; maito barato.
PARA LENCOES
No Bazar do Pavto vende-se soierior
bramante d'algodo com 10 palmos de lar-
gura a 1*800 o metro, dito de linho com a
mesma largura a 2*800 cada metro, pannos
ds liohodo portocom 3 1/2 palmos delargura
de "Oat 1* a vara, assim como umg ande
sortimento de H-mburgo ou creguellas de
todos os nmeros, pregas ou quaiidades,
que se vendem mais barato do qoe em oa-
tra qolqoer parta; aproveitem-
ATOALHADOS
No Razar do Pavto vende-se snperior
atoalhadr) trancado, com 8 palmos de larga-
ra a 1*600 o metro, dito de linho adamas-
cado o melhor que tem vindo ao mercado a
30500 o metro ; tudo isto maito barato.
Baldes reguladores a 40000 4*i00 e 55000
Cbegaram ao Bazar do Pavto o mais bem
feitos baloas reguladores, sendo de fustu
a 4*000, ditos de masselioa a 4*500, di-
tos de 15asioha de todas as cores a 5*000,
todos elles sto mntto baratos.
Panno preto mnito barato a 35600
O Bazar d) Pavo recebeu n:ca grande
porcto de pecas de panno preto fino, com-
pradas em leilo, qae sempre se vendeu a
5*000 o covado e pode liquidar a 3*600,
por ser ama excellente compra,
BAREGES A360RS.
No Bazar do Pavto veode-se am booito
sortimeoto dos mais liados bareges lista-
dos para vestidos, qae valem muito mais
dinheiro e liquidi-se a 360 rs, o cova-
do, ditos muito mais finos com listas a 400
rs, estes bareges sempre se venderam a
640 e 800 re., grande pechincha.
GURGROA640RS.
No Bazar do Pavto vende-se am bonito
sortimento dos melhores gurgaroes de la
para vestidos sendo umi liada fazenda,
maito leve, meia transparente e muito lar-
ga com furta cores e liqaida-se a 640 rs.
o covado por se ter feito graode pechincha
na compra.
COBERTAS A 3*
Vende-se cobertas de chita encarnada
adamascada a 3* cada ama, pechincha.
CORTES INDIANOS A 45500.
No Bazar do Pavo vende-e bonitos cor-
les manos com daas saias p3'o bara-
tsimo preco de 455 X) cada um, pe-
chincha.
TAPETES
Chegou para o Bazar do Pavto o mais
elegante sortimento de tapetes grandes, pa-
ra sofs, com 4 cadeiras, ditos mais pege-
nos, para daas cadeiras, ditos para
pianos, camas, portas ; ets. vende-se por
menos do que em oatra qualquer parte.
COLCHAS BRANCAS A 3*200,3*500 E 7*
Para o Bazar do Pavto chegou um grao-
de sortimeoto das melhores colchas de fos-
to, s-ndo das melbores e mais e corpadas
qae tem viudo, a 7*00,', ditas um ponco
mais abaixo a 55500, e ditas a 30000;
tambem no mesmo estabelecimento se ven-
de um grande sortimenu da cretones e chi-
t.s, proprias para colchas, que se vendem
muit em conta.
GORGUBESO POPELINAS DE SEDA
2*000 CADA COVADO.
Chegou para o Bazar do Pavo om ele-
gante sortimeoto das verdadeiras poopelinas
de linho e seda, com os mais modernos
gostos, qae se vendem a 2*090 cada covado,
o qae em oatra q alquer parte nao se ven-
de por menos de 25500, previne-?e que nao
sao algodo e seda, como ba muitos; mas
sim puro linho e seda; sao mnito baratas.
ROPAS PARA HOMENS
No accreditado Bazar do Pavo encontra-
r o respeitavel publico om grande sorti-
meoto de roapas para borneas tanto bran-
cas como de cores, a saber:
Camisas com peitos d'algodo e de linho,
para todos os precos e quaiidades.
Ceronlas de linho e algodo.
Heias cartas francezas e inglezas.
Palitos sobrecasacos de panno preto e
casemira.
Caigas de brim branco e de cores
Ditas de casemiras pretas e de cores, com
eolletes iguaes
De todas estas roapas ha para todos os
oreos e quaiidades, e tem de mais mais
um perito
ALFAIATE .
Por quem se manda fazer com prestesa
e aceio qualquer peca de obra a capricho
ou gosto do freguez, tendo n'este importan-
te estabelecimento todas as quaiidades de
panno fino, as melhores e mais moder-
nas casemiras, assim como os melhores brins,
qur brancos, qur de cor; e qnando qual-
quer obra uo fiear inteiramente ao gosto
dos fregnezes flea por conta do estabeleci-
mento.
CHALES DE MERINO
Chegou para o Bazar do Pavo nm elegan-
te sottimento de chales de merino de cores
muito bons com padrBes maito decentes
para qoalqoer urna senhora osar, ditos de
crpon com listas de seda o mais fino e
moderno que tem vindo ao mercado, e ven-
de-se por proco mnito em conta.
BABADINH )S
PORCOS
Fariiha de trigo om poneo avariada para por-
cos, bots, galtatras, etc., etc., iSf-a barrica com
O arrobas, assim como tambem 9erve para pada-
ria por nao estar muito estragada : na roa do Li-
vramento n. 36, armazem Baliza.
Corptoios de cambraia, primorosamente
enfcitadofl co Uta* de setim e obras essas
cuja novidade desmolde e perfeicjlo de ador-
no* os tornam apreciados.
Fitas mni larga! de diversas cores e qua-
iidades para cintos.
Leques uesse objecto meato se poderia
diaer querendo descreve-los minuciosamente
rr suas quaiidades, coree e desechos, tal
o grande e variado sortimento que acaba
de chegar, mas para nlo masar o preteo-
deote se lbe apresenUr o que poder de
melbor.
Entremeios em pecas de 12 tiras.
Gulpnre branco e preto de diversas qua-
iidades e desenhos.
Ditos de algodo com flores e lisos.
Veos de seda para cbapelinas e monta-
ra.
Meias de seda para noivas.
Ditas abortas de fio de Escossia.
Costumes ou uniformes para meninos.
Enxovaes completos para baptisados.
Touquinhas de fil, sapatinhos bordados
e meis para ditos.
Camisinhas bordadas para ditos.
I
CapeBas braacae para memas..
Granees- sortimento de tires Ibas.
Fil de-veoa, owto. r
Grand 1 *
sempre
Lindo
Caira
Bonito
para circular o ,,:
Bonito.brincos de piaque<.
Adereces e brincos demadrepercx
Caivetes finos para abrir latas.
Thesotras para frisar babadinbes.
Aspas para balae.
Novos stereoscopos com 48 vistas,,
quaes sto movidas por na Buchmisac
urnas sttbstitoem as outras.
Vistas para stereoscopos.
Bonitas caixinbas de vidro enfeitados
podras.
Ditas de madeira envernisada com
ras e com dminos,
Bollas de borracha para brinquedo l
eriaBces. ^
Diversos objectos de porcelana, proprie
para enfeites de mesa e de lapinbu.
A
A rua do Duque de Casias n21.
(ARTIGA RA DO QUEMADO)
Receben segninte :
Espeibos grandes dourados, moldes bonitos.
Carteiras, charuteiras e port-cigarros de muita
qnalidades.
Bonitas pastas para papis, simples e matisadas.
Boas caixas vasias para costura com sna compe-
tente cbave.
Delicadas caetas de marfim con o booal de
prata.
Modernos pentes de tartaruga, sobressbindo en-
tre elles os mimosos telegraphistas.
Commodos toucadores com daas gavetas e bom
espelho.
Port bonqaet, o qne de melbor tem appare-
cido.
Port relogios de muitas qnalidades.
Bons talhere para criancas.
Yostnarios, cbapozinbos, toncas, sapatos e metas
para baptisados.
Toalbas e fronhas de labyrintbo.
Chapeos e cbapelinas para senhora, moldes novos
e bonitos.
Cbapozinhos gorros e bonets para meninos
meninas.
Centra as convulsoes as
criancas
Vende-se os verdadeiros collares na Nova Espe-
ranca, rna do Duque de Caxias n. 21.
PARA TTNGIR CABELLOS
para pretos ou castanhos, recebeu a Nova Espe
ranea a verdadeira tinta inpleza.
PARA ACABAR COM AS SARDAS
oa pannos, tem a Nova Espera tica o verdadeiro
leite de rosas brancas.
AGUA DE FLOR DE LARANIA.
Vende-se na Nova Esperanca, rua do Duque de
Caxias n. 21.
PAPEL PARA ENFETTAR-SE BOLOS
recebeu-os muito lindos a Nova Esperanza, n
do Duque de Caxiss n. 21.
PARA AMAC1AR E A FORMSE AR A PELLE
tem a Nova Esperanca es sabonetes de pos de
arroz.
Calcados estrangeiras
Grande sortimento de calcados de todas as qua-
iidades para homens, senhoras, meninos e meninas
pelo pre\jo mais razoavel do que em outraqaal-
quer parte : na loja de calcados da sobrado ima-
rello da rua da Cruz n. 21.
No Bazar do PavSO vende-se nm grande
sortimento dos mais finos babadinhos borda-
dos tapados e transparentes, assim como
urna grande porcjfo de entremeios largos e
estreitos, que para acabar se vende mnito
em conta e mais barato do qae em oatra
qualquer parte.
FAZENOAS PARA LUTO
No Bazar do Pav5o vende-se constante-
mente o melbor sortimeoto de fazendas
pretas para lato, como sejam :
Liasinhas pretas lisas.
Cassas pretas de lia.
Cassas pretas, francezas e inglezas, lisas
e com salpicos.
Chitas pretas de todas as qnalidades.
Alpacas pretas lisas.
Ditas lavradas com branco.
Merinos, cantos, bombaziais. que se
vendem mais barat j do qae em oatra qual-
quer parte.
CHITAS PHETAS A SOO RS. O COVADO
No Bazar do Pav3o vende-ae ehitas pre-
tas inglesas com salpicos 200 rs. ocovado,
ditas tsJas pretas. por estarem om pooco
rassas, 120 o covado; pechincha
Os proprietarios d este importante esta-
bellecimento rogam ao respeitavel publico e
particolarmeote s Exmas. familias o favor
de se darem sempre ao trabalho do lerem
os seas annancios, pela razJo de muitos
d'elles serem modados amiudadas vezas
CACHS-NEZ A 6J000.
No Bazar do Pavio vendem.se bonitos e
grandes cachi-nez de pura Ha, pelo bara-
to preco de 6/5000 cada om.
5ti
l OWABiODM
IN. 3 A RIJA BO C MI G13.A. f
I ACDSTIIO 4 KH10S i
Com este titulo acna-se aberto e inteiramente transformado este antigo
estabelecimento de joias, onde os freguezes e amigos encontrarlo todo quanto
a moda e o bom gosto tem inventado na arte de ourivesaria, o Collar de Ouro
observar delicadeza no trato e senciridade e modecidade nos precos.
Espera que o respeitavel publico venha ver o que existe de melbor em
aderecos de brilhantes, esmeraldas, robins e perolas, meios adereces, pul-
ceiras, brincos, alfinetes e anneis de todas as qnalidades, prata de lei faquei-
ros, colheres, palileiros salvas e ontros muitos objectos que seria enfadonbo
mencionar.
Compra-se onro, prata, brilhantes e pedras finas, pormaior preco do
qu em outra qualquer parte, troca-se e concerta-se todo e qualquer objecto
pertencente a esta arte.
annininnnnw nummunii
cun uuuAur
Lourenpo F. Mendes Gnimarss
BA DA IMPERATRIZN. 72
Tendo resolvido o seu proprietario liquidar todas as fazendas existeotes as loja
Garibaldi e Arara, convida ao respeitavel pblico, amaote da ecooomia, visiUrem a
loja da roa da Iraperatriz a. 72, pois s deseja apurar o dinheiro.
Arara vende madapolSo enfestado a 305001 Para liquidar vende bramante de 1-
a peca, ditas de 21 jardas a 5#000, 65JO0,'nho e algodo a 10800 o metro, dito de
BJBOO, 7^000, 80000, 90000, e 100000. linho paro a 20800, esta fazenda pro-
. r ra exames.
TRADUCgO INGLEZA
DOS
TRECHOS CLASSICOS
*OR
C. PALMER,
R.-~4J0S0.
_________LIVRAR1A FRANCEZA._________
Libras sterlinas.
Vende Joaqun Jos Hamos : oa rua da Cruz
o. 8. 1* andar.
0 Bizar do Pavo sit i a rua da Imperatriz n. 60, esta' constantemente abert o
das 6 horas da mantilla as 9 di ninte,
Muita attenpo
O Campos da rua do Imperador n. 28 acaba
de receber em se armazem, urna partida de se-
mentas de horui^a que passa a mencionar as
quaiidades e precos,
A saber :
De salsa, a 60 reis a oitava.
De coentro, dem..
De repolbo, dem.
De ervilhas brancas, a 600 reis a libra,
De ditas tortas rouxas, a 800 reis a libra.
De bracolas, a 60 reis a oiUva.
De pepinos, dem.
De feijio ervilha papo de rola, a 400 a libra.
De dito amarello, dem.
De dito meia-cara, dem.
De dito cor de ganga, dem.
De tomates grandes,/ 60 reis a oitava.
De eijao de 7 anuos para grifo, a iOO rs. a libra.
De 'dito de 7 annoarxo, idera.
De espnaifres, a 60 rs. a citoTa.
Lisboa
: rua da Cru: n.
Veode-se cortes de casemiras de cores
para calcas a 40000, 50000.
Para liqaidacjo vende-se algodo de lis-
tras propro para calcas, camisas e saias
para escravos a 160 rs, o covado.
Na roa da Imperatriz vende-se chailes de
merino estampados e de barra a 20000,
20500 e 30UOO.
Arara vende cortes de casemira preta
para calca a 30500, 40000. 50100, 60000,
70000, e 80000.
Para liqaidacao vende-se brim pardo liso
bom a 500 rs, o metro, dito transado a
720, 900, e 10000 o metro.
Para a cabar vende-se duzias de lencos
brancos de cassa a 20000, e 30600, ditos
de linho a 50000, 60000.
Na rua da Imperatriz vende-se cobertores
de algodo a 10400 e corbertas de chita a
10500.
Para liqaidacao vende-se cortes de casto-
res para calcas de homem a 500 rs.
A Arara vende chitas largas para vestido
a 240, 280, 320, e 360, rs. o covado.
O barateiro vende percalas finas para1
vestido a 440, rs, o covado.
Em liquidaco vende-se alpacas para ves-
tidos de Sras. a 500, rs, o covado.
A Arara vende lazinhas para vestidos de
Sras. a 320, 400 e 500, rs, o covado.
OGuimares vende morsulina de edr
para vestido de Sras. a 440 rs. o covado,
dita branca a 500 rs.
O Mentes vende fusto da core3 par-
vestidos de senhoras a 360, o covado.
O Loureoco veude cassas finas para ves-
tidos 240, 360, 400 e 440 rs. o covado.
Arara veude alpacas de lista para vesti-
dos de senhoras a 500 rs. o covado, ditas
lisas a 500 e 640 rs. ocovado, ditasjmatisa-
das a 640 rs.
pa
pria para lenc3es e toalhas por ter 10 pal-
mos largura.
Vende-se cortinados para cama frncaxj
a 10400 o cortinado para liquidar.
Arara vende cortes de chitas para vesfc-
dos a 20500,20800 e 30200 o corte pan
liquidar.
Vendeo-se cortes de cassa a 20500 o
corte s na liqaidacao a da imperatriz.
Vende-se cortinados para janellas a 6|
a peca para liquidar.
ECONOMA
Vende-se duzias de collarinhos de
pe a 240 rs. para acabar.
Arara vende lasinhas transparentes para
vestidos a 500 rs. o covado.
Liqaidacao, vende-se parapeito Uso a
20200, 20500, 30. 30500, 40, e 5, pro-
prio para calsas e palitos por ser bea fa-
zenda e barato.
Arara vende cortes de brim para cal-
sas de' homem 10500.
Veode-se cortes de pscalas de duas saiai
para senhoras pelo barato preco de a 60.
cadaum.
Grande liqaidacao de roapa feita.
Vende-se palitos de alparca e de core
a 20.
Vende-se ditos de ganga para homem
a 20.
Vende-se ditos de brim de algodo bra-
cos a 20.
Vende-se ditos de meia casemira a 24
Vende-se coletes de brim de cores a 10
Vende-se ditos de meia casemira a 24600
Vende-se calcas de algodo azul a 500 rs.
Vende-se dita de algodo de listras a 800n
Vende-se ditas de brim pardo 20,10000
e 20500.
Vende-se calcas de casemira de core
a 6080.
Farinha da trra
muito snperior, depositada em barricas, no arma-
tem do Sr. Angelo Baptista do Na?cimento, ao p
do caes dos vapores no forte do Mattos ; vende-se
aos alqneires, a tratar com Bernardo Jos de
Araujo oo armazem do Sr. Annes defronte da al-
fandega. _____
Cal nova de
Vende Joaqnim Jos4 Rimo
}, i* andar
CHEGARAM
GAZ GAZ GAZ
Chegon ao antigo deposito de Henry ForHW
, roa do Imperador, nm carragamento
de primeira qualidade; o qaal se vende n p
a retal no por menos pre^o do qne am oatr*4
Tuer earte.
Especialidades.
Continuaos a achar-se a venda na rna Direita
Prwvia incitantmpn'4 anprfuion- boiica n- os mui conhecidos e acreditada rt-
roqos mstaui*n.eos apeneiqo- j n^^ d9 Telame e mtm ^^ tndknm
ados por preco muito commo- !** felt?? em Pa"*. **
do: na rua Nova n. 28, loja de
Antonio Pedro de Souia Soares.
Bombas completas para ca-
cimba, por diminuto prec,o, na
mesma casa.
Cigarros da imperial
fabrica de S. Joao
de Nictheroy.
nieo deposito em Penumeaco ates da alfaa-
iefa wlua n. S, 1* ada.
n como os xaropes d eo-
deina de Bertb, de rbano iolado, de iodurete de
ferro de Blancard e as pillas do meso, peitonl
de cereja, pos de Rog, depurativo de ChaMe,
digital de Labellony, pillas ou cooleitc de U-
mutho de Chevrier, e ontros medicamato cofa
proflcinn'ia quanda empregados as d vias respiratorias as dores rtenmaliea, m
amareilidio, na falta completa oo irregnlaridaj
de menstruo, as diarrtai, doeocas 4> eoMfe
e do eftoroago, tem sido e iueouteslavel, ea
vista dos benficos resultados das eipertmeata+te
on oso e.ne diversas pessoas daUaa taeaaJaMo, aa-
simeomo om eilaM
cooMararais em taa eBeaota i
toe febric oa asedes ; existi*)
cosa, alm de soflaieate i
om oio peooeno sor*bmMo de daua, olao de i-
nbae* o pinois, qoe te veadem par amas do eje
i emanara paita.
.


>"8 si ovinlu *b 7
I
I
i
I
Diario de Peruamimco
;ti
nwi*!
Sahiram loe
^s rpcs em cojitra^nfq.
.MJ POP-COI ftU,
rior da Boa-vista, valsa: a venda no grande ar-
ma de planos e e msica de Azevedo, ro*
Nora n. boje ra do Bario da Viciar,
K.-B. IWfa-j awt Srs, uufMates da manda-
JS^^MScar as pe$as de suas assi^aturas.
ultimas publicares da imprensa nacional
de mu?ica.
SmL'*i*eoo- AQDe,ta' *,0,ka urilhan'e, PorT
iL J" Piano- Minerva, polka brittiawe, por Olas
Jos de Souza Soares & C.
RUJL DO BAKAO DA %' ITOlfcl*
. ( GUTh'ORA NOVA)
,J$K*%'i*~*i m% rpbozead(>,(;qne pode haver de raais bello e agradavel ai fa-
zenuag nnas para Senfaorasartigos de alta moda em Pars tanto para senhoras como
para horneas e mamos.
MilWeMs afaraadas, perfornafia* especies, variedade de lindos objectos para me-
jqus e briqquedes para enancas. J w
_ J GRANDE SORTIMENTO
conttwiataeaie recelado por todos os paqoetes vindo da Europa aonde tem ha-
bis correspondentes.
Jm ^J?^!*^0110 ?"*?*** wd,*se Por em pregad 4fta8tobelecimento fazendas
em casada Eme. farodtafita de^empr escolh'rem que desejareav
LOJA DO PAPAGAIO
OE FIZENDAS E ROUPiS FEITAS
MT i' Mliif-
Rua (1
a Iinperatriz n. 40, esquina do becco dos Ferraros
DE
NOVHIADES
FTt-
,500.
Pno. Chico Diabo, polka brhaute, por
N.'4. Pleno. Urna ligrima, Mazurka, por Ma-
ntee B. lacehi. 1IT. V
* f/*00' M0rt ^^pas,, polka WMCW, por
N..T Piano, La Grande Duchess, polka por Lu-
den LamBert, U.
N. 7. Piano. Carmen, Aila, La Playera, 3 pol-
ka? dos oavalmho, i*. ,?
N. 8. Piaa Le Souveuir, valse de saJop, po
E. Casamore, 1.
N. *. Piano. Sanlinba, Marcea, 2 valsas dos ea-
aJBahos, 4*000..
N", 10. Pianr. Gban D'Oeaux, polka, pur E.
Casajbora, la.
. J,-u.Pi5ne- A Boa-vista, valsa, por
Jos Cealho da S. A., 10.
N. II. Lagrimas d'Aurora, Mazorka, por i. J.
> iX-
N, 13. A estrada de ferro, quadrilba, or Han-
nque Alberlaizi, l|.
N. t4. Gamo. Sania Lucia, barcarola'napoli-
taaa, por G>uaro Arnand, 1*.
N. 15. Canto. Marta-Aria, para M. S. M' aqq&ri
tctf amor, de Flotow.
N. 16. As-rnas era contradanca, quadrllha, or
"'a? Filho, l.
7 Boa do Queimado 7
dpsia ch,? PrPril*rf> tate.OTVo estabalecimento commonica ao reapeiUvel publico
!!ir.aade' e especialmente as Ejtmss. fimilits que est liquidando por precos bara-
lewmento, alm das que abaixo
altencfo do respeitavel publico que nao
.*r
>
gara
35ri SJn* ^U*,s fc"1* qe-#tiam cene estatoWiMnto, lm das que abaixo
ijmT ^^ Pflo:n*rwm toda a attenc5o do respeitavel publico que n3o
cise Pr! Cm Pf*ut^rLquantia refazer-aie de qualquer qualidadede fazendas que pre-
n Z-IM'"l,,^n *!* im(*m!l loJa tom feiio sorlimento de fazendas
har! 1 nui,' wr,K"'*d.a8'd0 mais "P""110 e escolbido gosto, que
Darato que qnalqaer ostra loja. t fl
moder-
vender mais
DE

I
bello sortimooto de fazendas
Vende-se,
A taberna sita no becco das Caminas n. 1. ei-
aina di ra da Assmnpco, bcm afreguezada :
tratar na mesm.i. O motivo da venda se dir ao
pratemoafc e a cas* tem cmmnodos para (amia
AccOes da estrad de frrro
^ de Oiinda,
na ra da Cruz n. 26, ar-
Veoe-se 25 a^es
mazem.'
CAL H1 LIMA
E' cbegado a este novo estabelecimento o maia
Inn, sendo sua especialidade enxovaes para noivado.
Vestidos de blond de ,sda ricamente bordados.
Gorgur5o de seda branco para vestido.
Colchas de seda pora, para cama com ricos desenbos.
Ditas de 13a e seda, id>m idem.
Ditas de crox, idem idem.
Cortinados rieamnt bordados para cama e ianellas.
Croxs p*ra cadeiras e sofs.
Vestidos de canabraia branca bordados.
Popelines de lindos gostos.
Laas de diversas qoalidades, lindos gostos e modernas.
Kicos b urnas para passeio, com listras de setim.
Sabidas de baile o que ha de mais rico.
Crotones para vestidos com lindas desenbos.
Carnizas bordadas e sem bordados para senhoras.
Camisas bordadas nraito finas para homens.
D tas inglezas para bomens e meninos.
^rmeScionarah' 6 ^ ^^ 6ortimenl0 de pasfetas e de fazenda:
Algod5osinho com 8 jardas a 2^00 a
peca.
Madipoio waiUfo. com 12 jardas a u
e 35300 a peca
Dito de 24 jardas a &SQ00 para cima.
Atoalhados de linho, e de algod5o tran-
cados, e adama8ead^ por precos commo-
aos.
Chitas escoras e claras de 240 rt. o co-
vado para cima.
Cambraias de cores miudinhas a 240 rs.
covado.
Ditas mais finas a 860 rs. o metro.
Baloes de mussulina a 4$ e 5|00i)
Guardanapos de linbo a 3500 a du-
zia.
. Bramante de linho a 20500 e 3O00 com
10 palmos.
Dito de algodao a 10800 o metro.
Meias para senhoras de 40000 a duzia
para cima.
Ditas para bomens de 30000 a dozia
para cima.
Ditas para meninos e meninas de todos
os tamanhos.
Colchas de fuslao branco de 30200 para
cima.
enfadonbo
Luvas frescas de Joiwin
)etes para gnarnicdes de salas, alcatifas
meditadas e verdadeiras
Esteiras da India
rrandf SS *2fil!?" #**$** de sa,as- '* P^a forro de sala,
rrande sorlimento das acreditadas e verdadeiras
e o
CASA CAUYIN a. harihier.
Vende Joaqun Jos Ramos:
n. 8, andar
na roa da Crur
CANDIDO ALBERTO SOBR* DA MOTTA & C.
com escriptorio e armezem da gneros de estiva
iravassa da Madre de Den* n. 14, tero para vender
o seguate eui conserva ptimamente preparado
Ervilhas (Pettt.% pois).
Ebiiao vbrdb (Haricots ttrtt).
Dito im grao (dem flageolletf).
EsPABGOs (Asperges).
Miscellanea ok legumes (Macedoine leaumc).
Senolras (Carones).
Tomates (Tomates).
Covb db Bruxellas (CKous de Brvxelles).
Alcachofras (Fonds d'artichants).
Espinafres (Epinurds)
Cogmbllos (Champignons).
(Cpes).
Pastis com truffas (Pts rvffs).
SEM TRUFFAS ( SUHS truffs)
Atum-com azf.ite (Ton a l'huile).
Trffas simples (Tniffes au naturel).
Sabdinha em tomates (Sardine etc.)
Galantina com trukfas (Galantins avec trufee)
Franco (Puulet). '
Pombo com ervilhas (Pigcon atec pois).
Gallinholas (Bcaisones).
Pkrdiz com azbitonas (Perdiz atec olives).
assaoa ( reli^l.
Anorinha (AUouette).
Codorniz (Gaille).
Lamprea (Lamproie).
Picado (AndouUUttes t.)
Salxicha (Saucitsono t.)
Jarne guadk (Friacandeau 0.)
Recebeu-se mais
Um completo e variado sortimento de papis
pintados e doirados de dilTerentes qualidades e es-
jutaitos. desenlia, proprios para forro e gnarnicao
de salas, gabinetes, escriptorios etc. Na remessa
sene artefacto tm havido o maior gosto e capri-
cho da parte do nosso correspondente de Pars.
Cotn nroa mdica commissio sobre o custo da
rabriea vendemos e>te papel, pois deseiamos ter
enectivamente um deporto dcssa especialidade.
no armazem de Candido Alberto Sodr da Molla &
U, a travessa da Maire de Deus n. 14.
Pumo e papel
Completo sortimento de fumo, tanto para char-
ros como para charutos, viudo do Rio de Janeiro,
!l$?'aG?rde d SuL Pi<*1 de seda. nho
1 hS'Ae ai(Terenles q"lidades, proprios pira
o fabrico de cigarros. Vende-se consntementc
no armazem de Candido Alberto Sodr da Molla
a travessa da Madre de Deus n. 14.
Pharmaceutico prlvil^iado
Ruooeesor
Boulevaid Sebastopol, C5 PARS. "
NOVAS ESPECIALIDADES A. ttARINIER
Aprtsentadas a Academia de S.iencUs e to IiMitate it Pw.fi,
IM JECCO Sb J '0',mAe, P"lil"- ieri%<: dose^i para
nwbbunu faser de oauent um lcelo
Fretentivi e curctlvi das K0LE8TIA8 C05TAGI0SAS
I II I lid l'B'ITIIO c SER1XCA n os
iiii.inutr,m MceaMi.4ui d< Irafilidade.
ESTOJOS
Com a forna, e de voluae de m Pnr(a.Mnaa>
COTESDO TODO 1R:\T\SenT0
COLLYBIO Contra as afleccois das palpebras,
preparado fob a mesoa forma. *^ ^ '
Ditas de cor de 30000 para cima.
Toalhas de rosto de 500 rs. para cima.
Cobertores de laa finos, a 80 e 100000.
Ditos encarnados a 40500.
Ditos de algodao a 10500.
Cambraia tapada muito larga com pre-
gas e bordado, propria para saas de senho-
ras prefo barato.
Laazinbas Irences trancadas, com listras
largas proprias para saias de baixo, (azenda
inteiramente nova a 590 rs. o covado,
Cambraias brancas transparentes e tapa-
das de todas as qualidades e precos.
LSazinhas tapadas e transparentes de
muitas diversidades de cores de 320 rs.
o covado para cima.
Alpacas lisas e de furta cores a 500 rs.
o covado.
Cortes de percala de 2 saias a 40000.
Ditos de organdy de dito dko a 80000.
Cortes de laa da Escocia a 60000.
Ditas em peca a 500 rs. o covado.
Chales de merino lisos a 20500.
Ditos estampados de 40500 para cima.
Camisinhas de cambraia branca transpa-
rente, bordadas com enfeiles brancos e de
cores a 30000.
Brilbantinas brancas de 500 rs. o covado,
Ditas de cores a 500 rs, o covado.
Lencos de cambraia de linho, e de es-
guio at o mais lino.
Lencos chineies a 30500 a duzia.
Ditos brancos de algodao a 20500, mui-
to finos.
Fil hranco e preto, liso e de salpico.
Cortes de cambraia, brancacom salpico de
flor.
Ditos de fil liso a 50000
Tarlatanas brancas, e de cores.
Peitos de linho bordados e lisos de es-
guio.
Camisas bordadas finissimas, proprias
para noivos com a competente gravata.
Punbos de linbo para bomem a 10 o
par.
Cularinbos de linbo lisos e bordados.
Grvalas pretase de cores, tamo em se-
tim como em seda, ha de todos os gostos e
feitios.
BARTHOLOHEO % i? DTsiUri.0S 6eral para e bras e pobt^al
unillUUUUiaijU a li 34, ra larga do Rosario. PERJSTAMBTJCXX
ROUPA FEITA E POR MEDIDA NA LOJA
DO PAPAGAIO.
Sor.imento de roupas feilas de todas as
qualidades, e feitios, nara precos comino-
dos, e quem comprar porco para negociar
ter um abatimeuto raioavel, grande sorti-
mento de casemiras de cores com quadtos
e listras, casemras pretas, e pannos pretos,
azues e cor de caf, brins brancos, pretos
de cores e pardos, e manda-se fazer
qualquer obra a vontade dos freguezes,
quer para bomens ou meninos, e por me-
nos preco que qualquer outra ofcioa, e
para issoa LOJA DO PAPAGAIO acba-se mu-
nida de um bom mestre alfaiate para bem
desempenbar qualquer obra da sua arte,
recahindo a responsabilidade sobre o pro-
prietario da loja.
Dam-se as amostras de todas as fazend
a quem as exibir, ou mandam-se levar
loscaixeiros.
A loja do Papagaio achase aberta d
horas da manhia s 9 horas da noute."
Francisco Teixeira Mendes.
3 'portas n. 53, ra Direita, 3 partas n. 53,,;ya|
[hja do Braga
diversos pomos da Europa o! melbores m^St%^f^2r^ fSSS^.
um;
mais conheeidos; pelo que convida ao resneiiavel nubiH-o p
a virem se evir dos obyectos de sna carene,.,! ^oe eXtrarao dc r Z1T ST*'
em outra quabraer parte, um sortimeulo cotoplelo de malE K.T2J? ,0 idoilue
do bem conhecido fabricante Cotiorr Giu & C dUas naTa cnstnr/ m,,d^earofar a,godao'
2! EfL^i J-2L-" i?_^ de todos oi-^^r^S^ KK BS
dous canos
versa, ASfi ^S^^^^J^f^r^^
hmalha de .ferro, ac, e agulha para foguete.ro : "n.^J?0,Tf> PaPel e
assim como encontraro
-^^m^^^^^f^
Jn u- a i ,' i, que se'ornara entadonlio uu
os, loja de Lenidas Tito Loureiro, antiga loja do Braga.
CASA CAUVIN AumEi
4C.
Attenpao
Vende-se. e juntamente os poneos gneros que
anda tem a uberna denominada Pedra Marmoce
sita a roa Direita D. 4 a mesma est collocada
n um optm local, e tem bastante freguezia : ira-
ta-se na rna da Madre de Dos n 34
Grande pechincha.
Ricos crt. s de eambraia bordados com 10 varas
a 7/, alpacas e laas de cores a 400 e 800 rs o
cevado : vende-se na ra do Duque deCaxiasn.
19, loja de Leite, Pontes 4 C.
A 8^000.
Vende-se borzeguins fraBcezes, obra gaspiada e
muito boa, pelo diminuto preco de 8| ; venbam a
alies, antes que se acaben : na ra da Cadeia n.
50 A, loja de oiiadrcas.
A ESMERALDA.
A antiga loja de modas fraqcezas ES-
MERALDA, ra da Imperatriz n. 5, av-
'a as filustres famHia que a teem honra-
do rom a sua coofianea, que espera um ;J|
bonjto sortimento de enfeiles das ullimas -.
modas, man lado vir da Franga, e que, *
era virtude da guprra que aswla actual- gg
nwite aquHle paiz, lem retardado a sna 2M
wsm. Entre lano em qoanto nao chega
,. sorumenti, recebem-se encommen- m
sPara "rfParar ve, tiius vestuarios pa- 9
tPn,^?^ bW'"o tudo quefor
a ", ?.*,!orno do bello sexo,
ri'l'r deste esubaleciraento ei-
hornraq|oec0omeS?e,,a'e, ^Wico c
PbarsiaociuUco prirlegiacto
successor
Boulevurd Sebastopol, S. SA.RI
N0\h$ ,fSPECIALIDADES A. MARINIER
Aprejenladas a Academia de Scieaeias e ao hstato de Franca.
III.1F fi A 1 Sob fcrau de Pwiin, deredida doeeada
jsp fcUUrlU momento ama soluccJo PRVEHTIVA r c
MOLESTIAS CO-NTAGIOSAS
fragiUaade.
i para faser de
UBATIVA das
Graves inconvenientes de
ESTOJOS ^ 4 f0rm, e TO^TBAnMNTOe4,0eda "**
COLLYRIO Contra as affeccoia das palpebras, preparado sob a mesma forma.
BARTHOIiiMPl f DePsi,a,i08 B6' Para o MUSBL e P4MKTL6JJL
am^liUUiUiaijU a h 34, ra larga do Rosario. PBKN"AIktBUCK).
Pechincha
Doces, fruetas e flores
Ra da Cruz n. 13. S** e a con barra de cor a MoaUM -d4
Haranoqua esu provincia pedia urna casa i!^*-1/800' algoduzmho com i palmT lar
que bem sat.sllzesse as pessoas sabem r" ^rra ** a T Cora Jarda?' ^ius propria,!
car o qqe cima se v nesse distico. wm$ P^Jfa a covado, laa escura a S40rV
0 covao : na ra do Livramento n. Wl
. RAPI
PananPreHL8boa d5 8UPerior qualidade, assim,
1 aulo Corde.ro viajado e commum, rojao france?
'uro da Baha ^rosso
r4ga aa IndeDendenci n k
estabelecimento que se encontram os melhoel
doces de todas as fruetas, seceos e de calda, doces
d ovos de todas as especies de maesas, gelas de
goiaba, de araca, de pitanga e mao de vaoca, ven-
de-se a retalbo e em grosso para qualqoer parle.
Apromptam-se bandejas c.im bolinos os mais de-
licados e com ricos enfeiles, do que se encentra
grande sortimento, presuntos em Oarobre e oulros
pratosque nao se podem dispensar era qualquer
fasta, xaropes de grozella, Umarino, lima e ouiras
fruetas Junto a este estabelecimento est ligado
um bello sitio que nelle nunca faltam flores a val-
sas e em boquetes ; apromptam-se boquetes pava
noivos ricamente enfeilados de cravos brancos
com toda a perfeicao e delicadeza, muitas varie-
dades de plantas para se preparar um jardrai e
plantar um sitio. A' vista das encommendas fei-
las se verificar o qtie cima fioa dito. '
7jSeNto~"
w.HVe!t nro PrMatd S se vende na roa da
gasse grosso e fino,
uno : vendase na prana
soja de violas.
dependencia n. 8,,
A lgfOO.
Vende-se sapatos d. tranca, obra boa, pelo di-
Sl'mLP-W tt52 : na baD oohedda
de miudwzas da ra da Cadeia n. 50 A.
Milho.
Vende-se em saceos grandes, de superior raai-
dade e mue nove, por hmoos prec* que outra
qualquer parte : na rna do Vigario n. 14, escric-
torio de Jos Lopes G.
.. TAIMA
Vende-se
Dooes, fruetas e
Ra da Cruz n. 13.
onde est
ova a. 4.
"es
Eival sem segundo,
RA DI 41 JE lJE CAXIAM K. 4
(Anfiga raa de Oueimado)
Contina a vender tudo muito bom e
muito barato a saber:
Libras de areia pela muito boo. .
Tesouras finas para unbas e cot tu-
ra a.......,
Papis de agulhas francezas a ba-
lo a........ .
Caixas com seis saboneies de fruta
Libras de 13a para bordar de todas
as cores a.......
Carriteis de- linba Alexaudre a. .
Frascos com azeite para machinas
Gravatas de cores muito finas a .
Grozas de botoes madepersla fi-
nissimos a.......
Novello de linba de 400 jardas a.
Caixas com 100 envelopes muito
superiores a ... .
Pentes volteados para meninas a.
Tinteiros com tinta preta a 80 rs. e
Pecas de fita elstica muito fina a
Lata com superior banha a 100 e.
Frascos de oleo Pbilocomo muito
fino a.........
Frascos de macaca perola a. .
Frascos de extracto muito bonitos a
Duzia de sabonetes muito finos a.
Sabonetes inglezes a 600 rs. e. .
Frasco com agua de colcnia Pivera
Dito de oleo babeza a.....
Caixas de lamparinas a. .
Sabonetes a forma menino muito
superiores a.......
Cartilhas da doctrina fazenda nova a
Libras de linba sorlidas de todos os
nmeros a.......10800
Capachos muito bonitos e grandes a 700
Carriteis de retroz preto, com 2
oitavas a........ 640
Agulheiros de osso enfeiudos a, 240
Libra de linba franceza superior
qualidade a.......20420,
Caixas de palito do gaz a. 00
500
60
10000
61T000
100
300
500
500
60
600
240
100
200
200
500
240,
5001
720
10200
500
500
40
24C
400*
Attenc&o
Vende-se a armajao e perlences da uberna n.
11 do largo do Terco, muito propria para qualquer
principiante : a tratar no sobrado por cima da
mesma.
Rob-ante-rheumjitico.
Remedio efflcacissime contra as done rheuma-
ticas at boje o nui conhecido pelos seos mara-
villosos resaltados.
XAROPE DE AGRIAO.- um dos medicamen-
tos que sua eficacia as enfermidades, tosse e
sangue pela bocea, bronebites, dores e fraqneza
no peito, escrobuto e molestias de figado, ase me-
Ihor tem aprovado.
TINTURA DE MARAPUAMA.- A celebre raz
de marapuama, cuja energa e effleacia as para-
lysias, intorpecimenlo, etc. etc. muito se'iecom-
menda.
Todos estes preparados se enoauaoi, na pbar-
macia e drogan de Bartholomeu & C, anico de-
posito na ra larga do Rosario n. 34.
Rival sem segundo
RA DO DUQUE DE CAXIAS N. 49
Estou disposto a continuar a vender todas
as miudezas pelos baratissimos pregos abai-
xo declarados, garantindo tudo bom e pre-
?os admirados.
120 Dozias de palitos seguranca a____
Duzia de palitos seguranca caixa
grande a...................
Frascos com nleobaboza muito fino.
Pacote* com p.is de arroz o me-
lhor que ba a...............
Navalbas muito finas para fazer
barba a....................
Caixa de linba bran do gaz a..
Vara de franjas de lidho para toa-
lhas .......................
Caixas com peonas d'aco de Perry
superiores................
Lencos da cassa brancos e pinti-
dosa......................
Caixas com 20 quadernos de papel
pautado .......
Caixas com 50 no vellos de linba
do gaz a....., .
Ouzias de meias cruas superior
qualidade a.......30600
Pecas de babadinhos com 10 va-
ras a. .. .....
Pecas de tiras bordadascom 12
metros cada p Pecas de fitas para cs de qual-
quer largura com 10 varas a.
Escovas para unbas fazenda fina a
Ditas para dentes -a 240, 320,
400 rs. e....., .
Pecas de tranca lisas, brancas e
de cores a.......
Duzia de liaba frxa para borda-
dos a 400 rs. e.....
Pares de meias cruas para m '
nos diversos tamanhos a. > .
Duzias de meias brancas muito
finas para senhora a. .
Pares de sapatos de tranca do
Porto........
Pares de sapatos de tapete a. .
Duzias de baralhos para vultarete
Sylabarios portuguezes a. .
Cart5es com colxetes carreras a
Abotoaduras para collete diversas
qualidades.......
Caixas com penna de ac muito
boa de 320 a......
Caixas com superiores obreiis a.
Duzia de agulha para macnina a.
Libras de pregos francezes todos
os tamaitos a......
Pacote de papel com 20 quader-
nos ...........
Re; ma de papel pautado superior
Resma de papel liso muito supe-
rior a...........
Ti
>rra:
Rna do Creupa %
0* propnetark* dente beni ruMMi
cimenta. aMm do ramios obj'tru q*
i posto* a apreciarao d< n
dararn vir e acanam > re
da Europa um nwk !|> "'
linas e mni deiicaila- !*<'-*.
lio resolvidos a feo e .*
Sor precos muito baratalM
os, com tanto que o Gallo....
Muito suprriwp lora de peluca, rese, brav-
eas e de raui lineas cores. *
Mu boas e bonitas gollinta e puztidM
nhora, neste genero o qne ha de mat
Superiores pean* de tartaraga pm
Lindos e riqnissimos enfeiles para
Exmas. senhoras.
Superiores traocas pretas e de con ca
inos e sem elles; esta fazenda o que xde
de melhor e mais basrto.
Superiores e boaitos ieqaat de
marfim, sndalo e osso, seado a
com lindos desanos, e este l_
Muito superiores meias no s Eacossii par se-
nhoras, as qnaes sempre se venders per Mftm
a duzia, entretanto que nos as vendssMrt mr #,
aim destas, temos umhesn grasson mlisasilu 4
outras qualidades, entre as qnaes ataa bssm
finas.
Roas bengalas de superior cana da lntfc *
casiao de martlm com licita c encantacaras Oxav
ras do mesmo, ner-te genero o que de
pode desejar ; alm desip.s leuu*
quantidade de outras qualidades,
ueira, baleia, osso, borr.'.cha, etc.
Finos, bonitos e airosos cbicobakos de adra e
de outras qualidades.
Lindas e superiores ligas de 'eaa e borrarla
para segurar as meias.
Boas meias de seda para seahora e pan set>
nas de 1 a 1S amos de idade.
Navalhas cabo d mma a tartaraga pan aner
barba; sao omito boas, e de ma.s a asis si ga-
rantidas pelo fabricante, e nos por nossa fes tast-
bem asseguram-s sua qualidade e delieadsca.
Lindas e bellas capellas pan noiva.
Superiores agulhas pan madama e para errxc
Lmha muito boa de paso, fronxa, para acaer
labynntho.
Bons baralhos de carta pan venante, aasis
como os tentos pan o mesmo ftm.
Grande e variado sortimento das melhcre par-
fumarias a dos maUnws e mais coahaciti-s par-
tumi stas.
COI .ARES DE ROER.
Elctricos magnticos conm as cooraSscas,
facilitara a dentfc2o das innocentes rriaaeas. Sa-
raos desdo muito recebedores det> pri iUmim
collares, e conrinuamos a recebe-k por todas n
vajiore.i, lira de que nanea faitem > vrcaar,
toi'io ja ie o aiiratecido, assimpois pude/i, aqaei-
lt;;. .;;? de! .- (ireL-isarem, vir ao deposito do gaBc
vigilante, aoede sempn eucontnro >>tet vetk-
deiros i-oivs, t qnaes aitendendo- para que t:io applicados. se vendern cora ja m
diminuto tuero.
Ro(fnrao, pois, avut. ijecbjeetos que d-yxanr
declaraa.i. r-.os nosso .'rc?aexe e amigos a vireai
coniur.-r ..r precos muito r:.zoaveis Na 4--, gx.io
vigilcn'e. r:.n d.. Cresp, n 7.
Ocordero previdenti
Lanches todo- oe dias, fruetas, pastis hnm k-
eadu, foliados, doce e impadas. m "^
ASSWOT
Vende-se botinas pretas e de core obra
boa, pelo diminuto preco de Sj : vanhami s
inhenda loja de miudezas da roa da Cadeia 3?
Antes que seacabem.
Medalhas de oral mac: Gr: 30 : vende-se na
ra larga do Rosario n. 34
120
320
320
320
10000
500
160
800
100
700
400
50(i
20000
500
500
500
40
500
320
40500
20000
10500
30000
400
20
400
50C
40
20000
400
40000
Ooobeira.
Vende-se a cocheira da ra da Paz n. IA bem
l%aft2H:"a 4. T1"1*' Ma,l de abrir e fe-
u L t?. i e *ber,' e ** oavxtloa -gordos,
todos de parelha, tinto pava o malo oso para a
praca ; se dir a razan d se vender p com-
prador.
. Ti r^f-Dma cocneir na roa dolroperador
o. 17; a trattriUBieicna.
30600
que admira!!!
Tarlatana de cores a 400 rs. o metro, madapolao
francei a 6| a pe?a, cortes de laa com 14 povados
a 3a, eassas de cores a 940 rs. o covado, chitas
escuras a 220, 340 o t6 rs. o covado meias pan
senhora a 3j a dula, alpacas de cores a 400 rs o
covado, lencos brancos embanhados a U a duzia
cretone proprm para leocae a 1*200 o metro de
todas estas fazendas se dio amostras : na ru do
Duque de Caxias, amiga do Qoelraado. n. .
Rna t Qucia&ado n. 1C-.
Novo e variado sortimento de peruaiai
finas, e ootros objectos.
Alm do completo sortimento de per!:
marias, de que enectivamente est? p-iTida
loja do Cordeiro Prevideole, ella atiba -,
receber um outro sortimento <; u- tor.
notavel pela variedade de tfcgaafc, ua rricr
dade, qualidades e C(tmm(Miiilav
eos; assim, pois, o Cordeiro Previd--
e espera continuar a merecer a ;* ?-3
do respeitavel publico em ger^-. e i-
boa freguezia em particElar, rito
tando elle de sna bem conheciez m n
e barateza. Em dita !oa ipreciadores do bem:
Agua divina de E. Couray.
Dita verdadeira de Murray 4 Lamx-ii.
Dita de Cologne ingleza, americaaa. frat
ceza, todas dos melbores e nHtiatretVtadc
fabricantes.
Dita de flor de larangeiaa.
Dita dos Alpes, e vilete para toile.
Elixir odontalgico para ^nservaejo 6-
selo da boca.
Cosmetiques de superior qua'dade e cfcs
ros agradaveis.
Copos e latas, maiores e menores, eos
pomada fina para cabello.
Frascos com dita japoueza, transpsreat:
e ostras qualidades.
Finos extractos inglezes, americaecs
francezes em frascos simples e enfeitade*.
Essencia imperial do fino eagradavel ciw
ro de violeta.
Outras concentradas e de cbeiroi ignaj
mente finas e agradaveis.
Oleo philocome verdadeiro.
Extracto d'oleo de superior quafidia*
com escomidos cheiros, em frascos da lSi
rentes tamanhos.
Sabonetes em barras, maiores e menor
para mos.
Ditos transparentes, redondos e em Sb
ras de meninos.
Ditos muito finos em caixinba para barita
Caixinhas com bonitos sabonetes icita
fruetas.
Ditas de madeira invernisada contando I
as perfumaras, muito proprias para prt
lentes.
Ditas de papelao igualmente bonitai, tas
bem de perfumariaa finas.
Bonitos vasos de metal coloridos, a 4
moldes novos e elegantes, com p de am
e boneca.
Opiata ingleza e franceza para deniu.
Pos de campaora e antras iTiilgajanjaa.il
qualidades taanbem para dentes.
Tnico oriental de Kemp.
Alada taala eqae.
Um ootro sortimento de coques i
vos e bonitos moldes com filete de vid.- .it.-
e alguns d'eUes ornados de llores e 2tu-
estio todos expostos apreciaclo de qon
os pretenda comprar.
GOLLINHAS EPNHOS BORDADOS.
Obras de muito gosto e perfeicSo.
FiTcIIaa e fitas para clntor.
Bello e variado sortimento de taea ojjta
toa, ficando a boa escolha ao oato to eos
prador.
Fogaa de patente.
Joaquim Rodrigues Ta-j
vaies de Mello,
TEM PARA VENDER
era sen escriptorio, pnca do Corno Santo
Fumo em folha
de 1' e qualidade, e vende usa nu mais
fardos a vontade dos compradores.
Cal de Lisboa
ultima chafada.
Potassa da Russia.
Farlaka de BMimdieea.
Vinho Bordeaux.
de 1* qualidade. Jado de vende

I
i
barato do que em outra qualquer parte, qj^
mr.i-
Vendem-se partea de um sobrado da ra d
SKiVrM~' ^jr^is^r ^^ "^ toi-


Diario de Pernambuco Sexta fera 7 de Outubro de 187q

~r~
Cerra.
ESTCIWS ASTHONOMICOS.
En quanto o bomem frustou-se
A' 1er na sabia tur;
Da torra a grande sciencia
Conservou-se.sempre escora,
D'abi vem que errnea idea
Se fazia ulicamente
Quer da formagao da trra
yuer d seu todo apparente.
Era e/it3o desconhecUa
A sciencia Geologa,
1 beai poucos se apraiiam
No estudo da astronoma.
Por isso notaveis sabios
Grandes erros commettiara
Quaodo dar explicacea
Sobre a trra preleodiam.
Dizia Homero : qoe a ierra
Era om disco < ircular
Banbado completamente
Pelo oncean ico mar ;
Qoe cobria esse seo disco
Um firmamento azotado,
Onde dos astros as nuvens
Holava o carro dourado ;
Que do co era.a abobada
Por columnas sustentadas,
Sendo estas com pericia
Pelo Deas Athlas guardadas ;
Que snb a trra exista
Ootro co abobadado,
Onde da luz e dos ventos
Era o ingreso vedado ;
Qoe n'esle co finalmente,
Por elle Trtaro cbamado,
Viviam os Tites, poder
Contra os deoses rebelado.
Depois d'elle Anaximandro
E outros sabios de valor
Suppozeram ser a trra
Algum cilindro ou tambor.
Militas ouiras parvoices
De tai qoilate e jaez
Tiveram voga no mundo
Cada qoal por soa vez.
T qoe emfim foi necessario
Render-se preito sciencia,
E prestar culto verdade
Dos fados em evidencia.
Observou-se que a sombra
Pela trra projectada
as occasies de eclipse
Sobre a loa eclipsada,
Era redonda e cabria
Todo o disco circular
Da princeza qoe poetiza
Nossas noates de toar.
Vio-se que os outros pianolas
Qoe da ierra sao rvaes
Tem completamente esphericos
Os seos coros desiguaes.
Tambera foi observado
Que da trra sao os montes
Os primeiros pontos vistos
Pelas naos oos horisontes..
E qoe d'estas sao de trra
As primeiras partes vistas
As pontas dos grandes mastros
E depois as vellas mixtas.
D'ahi logo seduzio-se
Coro mu sabia precisan
Que a trra era urna espbera
Suspensa na immensido.
E essa crela em seguida
Foi logo corroborada
Pelas viageos em torno
Da nossa esphera adorada.
Firmada que foi da Terra
A crenga do isolamento
No seio do espado immenso
Cercada do firmamento ;
Muitos sabios pretenderam
Formar a sua tbeoria,
Posicoes Ibe prescrevendo
Na geral cosmographia.
De todas a mais notavel
Foi a qoe soppoz a trra
O maior globo qoe o mondo
No seu corceo encerra.
Segando ella era a ierra
O centro do movimento
Qo'em seo torno executava
Todo o vasto firmamento.
Smente o orgulbo humano
Pela insciencia guiado
Poda to falsa idea
Do grande Deus ter formado.
Era lamanha dos homens
A ignorancia e vida de
Que julgavam ser a Terra
O centro da immensidade t
E antes criam qoe o co
Gyrava de leste oeste
Do que que a trra n'um eixo
Rodava de oeste leste.
Essa escola o chefe teve
No sabio Ptolomo ;
Ticho-Brabe e copia d'outros
A ella coito renden.
Ella teve fama e gloria
T Copernico e Galilo,
Cada um dos qoaes om golpe
Profundo e mortal lhe dc.
Estes doos sabios poderam
Espancar a ignorancia,
Firmando o solar systerna
E da trra a importancia.
E, como entilo era crenga
Da trra a fixidade,
O fanatismo dos padres
Cortou-lbes a liberdade.
Ambos foram perseguidos
Pela santa inquisigSo,
E soffreram mil tormentos
Ante os qoaes geme a razio.
Mas a forc* da verdade
Triomphoo da ignorancia,
A loz espancon as trvas
Da fallas intolerancia.
*j
Da ciencia radiosa
O facbo
Accezo nal
A trra foi
Desde o tem0oprimJUvo,
Um planeta volteando
Em torno do sol" festivo.
Foi indo a astronoma r
Desde ento em progressSo,
At que N-wtoo ornoa-a
Com a geral gravitacio.
E ento pode explicar-se
Com perfeila idenlidade
O movi.aento dos astros
Que gyram na immensidade.
N'outro escrpto j dissemos
Do que consta a le geral
Que por Newton foi chamada
Gravitado universa!.
Em virtode d'essa torga
E do impulso primitivo
Dissemos que a Ierra gvra
Em torno do sol festino.
Esse grande movmento
Cbamado de lranslag3o
A tetra faz em um tempo
De pequea doragSo.
Tresentos sessenta e cinco
Das uleis e mcorruptos
E mais cinco longas horas
Quareola e nov minutos ;
Tal o tempo que a trra
Gasta para execuiar
A completa transanlo
Em tomo do astro solar.
por torga e por virtude
D'esse grande movimento
Que ha estages e dias
De desigual comprimento.
Alera d'esse movimento
Tem ella o de rotagao
Que faz em torno d'am eixo
Que lhe passa ao coragao.
E este tal movimento
por ella execotado
Em vihte qaatro horas justas
De tempo uniformizado.
Chaniam-se polos da ierra
Os pontos que sao marcados
Na superficie do astro
Pelo eixo dos doos lados.
Se pelo centro da t* rra
Imaginamos qoe passa
Um plano que ngulos rectos
Com a linha dos polos faga ;
Obteremos na espbera
Um circulo de moi valor,
Que muito conbecido
Pelo plano do equador.
Se pelos polos da trra
Fizcrmos passar om plano,
Teremos o que se chama
Um circulo meridiano.
D'ahi se ve claramente
Que esse circulo trivial
F?z ngulos iguaes e rectos
Com o plano equatorial.
E como pelos dous polos
Se pode fazer passar
Tantos planos qnantos pontos
O equador pode contar ;
V-se que cada lugar
Da superficie da Ierra
Um circulo ireridiano
Com toda razao encerra.
Se por um ponto qualquer
De ara circulo meridiano,
Para lelo ao eqoador,
Fizemos passar um plano ;
Toremos o que se chama
Um parallelo da espbera,
Que com o eixo da trra
ngulos rectos sempre gra.
D'ahi se v claramente
Que ha tantos parallelos
Quantos n'um meridiano
Se ;cham pontos dilectos.
Concebamos urna esphera
Infinita e transparente
Envolvendo o nosso globo
Completa e inteiramente.
Teremos um lodo enorme
Celeste esphera chamado,
E sobre ella qualquer astro
Nos parecer tixado.
Essa esphera contera
Polos e meridianos,
Equador e parallelos,
E os mais terrestres planos.
Uns e outros se observa
Que sao bem correspondentes,
Pois que sao correlativas
As espheras resplendentes.
De vertical d-se o nome
Da ierra em qualquer lugar
A liaba que sobre as aguas
E' bem perpendicular.
Essa linha se obtem
Do prumo na direcgSo, .
E no plano meridiano
Ella occapa posigSo.
A vertical de om logar
Prolongada dos doos lados
Encontra a celeste espbera
Em dous pontos mni notados.
O que a esphera celeste
Nos nossos pos vai ferir
Na astronmica sciencia
E' chamado deNadir.
O ontro que lhe opposto
E que Zenith chamado,
cima de nos se acha
No firmamento azulado.
Esses dous pontos que ficam
Da vertical nos extremos,
Sao os polos do horissnte,
De que depois trataremos.
Se ao olho observador
Por varias linha* ligar-se
Os pontos em que parecen)
O co e atrra encontrar-te;
Taramos o
[oe cbamado
igual
aorta
Vfi-se, pois. qae el d'ora cene
Tem i'forma irregular,
E qoe muda quaodo o olho
Muda tambera lie lagar.
Se suppoiirmos qoe o olho
Se abate verticalmente
At tocar do planeta
Na planicie resistente;
O cne se modar
N'um grande plano tangente
Que tem nome de horisonte
Sensivel ou apparente.
E d'ahi logo dedoz-se
Que a vertical do lugar
Sobre esse planoborisonte
E' justa perpendicular.
Se um plano parallelo
Ao borisonte apparente
Pastando ao centro da trra
Suppozermos mentalmente;
Teremos o qoe a sciencia
Com criterio sem rival
Deo o nome especioso
De horisonte racional.
Sao tres, pois, os horisontes
Mu bem caractensado?.
Todos teodo como polos
Os pontos j mencionados.
V-se mnito claramente
Qoe o horisonte racional
Corla segando urna linha
O plano eqoatorial.
Essa linha na sciencia
Tem mui grande applicago,
Pois da linha Leste-Oeste
Marca a real posigao.
A linha dita Sul-Norte
Tambem determinada
Do horisonte o meridiano
Pela intercepgSo forgada.
Todo o plano que contm
A vertical de um lugar.
De vertical tem o nome,
Sem mais por e nem tirar.
Conclue-se que do lugar
E' o proorio meridiano
Sem coosa que o contrari
Um vertical grande plano.
O vertical que tem a linha
Leste-Oeste horisontal,
E' chamado na sciencia
De primeiro vertical.
A linha dos polos terreos
Divide o meridiano
Em doas partes iguaes
Em simetra seu plano.
A porgao qoe o Zenith guarda
E chamada superior,
A oqtra, que o Nadir tem,
Tem nome de inferior.
Fallamos dos parallelos
E dos grandes meridianos.
Resta dizer p'ra que servem
Uns e outros desses planos.
Os parallelos nos servem
Para marcar latitudes,
E os circuios meridianos
P'ra limitar longitudes.
De um lugar latitude
O ngulo que a vertical
Faz com a soa projeegao
No plano eqoatorial.
D'abi se v que esse ngulo
E' plano e tem por medida
A porgao do meridiano
Eotr'os lados compr'bendida.
A latitude se avaha
Com mui exacto valor
De zero noventa graos
Comegando no equador.
E dir-se-ha que ella norte
Quando estiver desse lado,
Ao equador referindo
O ponto considerado.
E vice-versa qne sol
Quando nessa posigao
Estiver em referencia
O ponto em reparago,
A longitude um angolo
Que nos pfos vio formar
Doos quaesquer meridianos
Sendo um o do logar.
Esse meo superior,
O oulro o notavel plano
Chamado pelos astrnomos
Primeiro meridiano.
i
D'ahi se v qne esse ngulo
E' espberico aumente,
E tem por medida o plaoo
Qne Ibe correspondente.
E, como este se contm
Todo inteiro no equador,
Ter por medida aquello
A que este dr valor.
Isto : ser a medida
Dos ngulos de iongitode
O arco que no equador
Lhe abranger a amplitude.
At cento e oitenta graos
Desde zero s3o contados
Para Leste e para Oeste
Os angolos assim formados.
Para medir esses arcos,
De partida serve o plano,
Dito sempre na sciencia
Primeiro meridiano.
Qaalqoer local pode ter
Esse primo plano horario.
Visto como elle sempre
Convencional e arbitrario.
Os de Paris e de Gfeenwich
S5o boje os mais preferidos,
Visto que s3o pelos povos
Mais geralmente sabidos.
Quando vemos d'uma estrella
N'uma luneta mural
Varas passagens seguidas
No plano meridional;
Logo notamos que o tempo

nstante.
A' ase tempo cbamou-se
Da terreo sideral,
Tempo que despende a trra
P'ra dar um gyro total.
Se orna estrella se observa
No occub equatorial,
Medindo os seas movimentos
Com os do pendub sideral;
V-se que em lempos iguaes,
SSo iguaes em comprimento,
Os arcos que ella descreve
No azulado firmamento.
E d'abi logo conclue-se
Com mui grande precisan,
Que constante e uniforme
A terrestre rotago.
A trra j nos dissemos
Que nos polos achatada,
E que no plano equador,
muito mais dilatada.
Medio-se o arco de um grao
Do terrestre meridiano,
Na visinhanga dos polos
E jomo ao equador plano ;
E eolio verificou-se
Que um do oulro differia
De. mais de seiscentas bragas
Como o calculo predizia.
E vio-se que era da trra
O polar achatamento,
De nove leguas e meia
Era seo total comprimento.
Achatamento se chama
A differenga em valor
No comprimenio dos raios
Dos polos e do equador.
Da trra a circumferencia
Medianaem comprimento
Conta leguas nove mil
Em seu desenvolvimento.
O seu raio do eqoador,
A' sua extenso attenta,
Conta leguas duas mil
Oi tocen tas e setenta.
A densidade da agua
Sendo um, como j vimos,
A densidade da Terra
Ser cinco e seis cntimos.
O achatamento nos diz
Que da trra os meridianos
Tem elipses oblongas
Por limites de seus planos.
E por tanto que do globo
As diversas verlicaes
So v3o convergir no centro
Em casos especiaos.
E d'ahi vem distinguir-se
Duas terreas latitudes,
Tendo diversos valores
Para as suas amplitudes.
A primeira, que da trra
E pelo raio formada,
Latitude geocntrica
na sciencia chamada.
A segunda, que formada
Com a vertical do lugar,
Latitude geographica
Se combinou nomear.
A difierenga entre as duas
o ngulo especial
Que faz em qualquer lugar
O raio com a vertical.
Acham
*- ???
{Conlinuar-se-ha).
ASSEHBLEA GERAL
CMARA DOS DEPUTADOS.
PARECER DA C0MMISS0 E VOTO EM SEPARADO
SOBRE IIEF0RMA DO ACTO AUDICIN AL, APRE-
SENTADO NA SESSO DE 4 i DE SETEMBRO
ULTIMO.
(Continuago)
c O acto addicional estabelece como re-
gra a intervenglo dos presidentes na forma-
gao das leis pelo exercicio do direito da
sanego e da suspens3o ; e, por xcepgo,
isenta desta intervengo aquellas que ver-
sam sobre cortos e determinados objectos.
Ora, se a disposigo, cujo motivo orna
xcepgo do principio geral, deve ser res-
tricta ao caso especialmente mencionado
(exceplio firmal regulam in casibus non ex-
ceptis; exceptio est strictissima interpreta-
tionis), segue-se qoe a disposigSo da 2*
parte do citado art. 13 comprehende so-
mente as leis cujas disposiges se circums-
crevem inteiramente aos assumptos especifi-
cados, e deixa, portanto, de ser applicavel
aquellas que contm, de envolta com estas
disposiges, outras de'natureza diversa, que
necessilam da sanego, e que nao perdera a
sua natureza por se acharem aellas inseri-
das.
t Sahindo, pois, por este facto do caso
da excepgSo, despem-se taes leis do seu
carcter especial, e, entrando na regra ge-
ral, o presidente da provincia assume o
seu direito de dar-lbe3 ou negar-lhes a
sancgSo, e de suspender-lhes a publicagao,
nos termos dos arts. Me 16, como s, leis
ordinarias, a cuja cathegria ficaram perten-
cendo.
< Alera disto a inteligencia contraria nao
s autorisaria o aboso de annnllarem as
assemblas por aquello meto orna impor-
tante attribuigo dos presidentes de provin-
cias, legislando prprio jure sobre assump-
tos em que a sanego condig5o essencial
da formagao da'lei, mas ainda admittiria
um absurdo. As disposiges estranhas, in-
seridas as leis de que se trata, podem es-
tar em algum dos casos do dito art. 16 ; e
se, uestes casos, o acto addicional nao con-
seute que se executem as leis ordinarias,
apezar de serein sujeitas sanego e nova
votag5o das assemblas por dous tergos,
como poderia ter o pensamento de parrait-
tir que, inquinadas destes mesmos vicios,
tivessem effeilo aquellas disposig5es, adop-
tadas por urna simples votagio, e sem im-
pugnagao do presidente da provincia? Fra
tolerar a infrtccjto de om principio impor-
tante, e males de consequencias gravissimas
para se respeitar um abuso, e talvez orna
fraude.
zoes
da a se
18 do projecto
Incumbe aopresiden fl provincia pn-
c blicar as leis a resolog&es de qne trata a
c 2* parte do art. 13 do acto addicional,
c salvo sempre o remedio estabelecido no
i final do 10.
Abrangendo, porm, essas leis e reso-
logrjes, objectos n3o comprehendidos na
t excepg3odo art. 13, proceder o presi-
t dente nos termos dos arts. 15 e 16.
Art. 19 do projecto.
Teem muitas vezes os presidentes de
provincia exercido em casos n3o permiiti-
dos e por modo improprio a attribuig3o que
Ibes conferida pelo art. 24 3o do acto
addicional, de suspender a pnblicagSo das
leis provinciaes.
< Sem attenderem s palavras do mes-
mo artigo, nos casos e pela forma marcados
nos arts. 15 e 16, as quaes limitara aquella
attribuig3o, teem-se julgado autorisados a
suspender lea j sanecionadas e as publica-
dae odependnteinente de saocc5o. nos ter-
mos do art. 13.
< A improcedencia de tal intelligencia
resolta da combioag3o destes doos artigos
com aquel le.
Refere-se o art. 15 ao caso em qne,
negando o presidente sanego ao projecto
que lhe apresentado, por entender que
nao convm aos interesses da provincia, vol-
ta este assembla para ser submettido
nova discussSo.
f Ha, portanto*, em consequencia deste
facto, suspens3o de sua publicagao, at que
seja reenviado ao presidente, adoptado tal
qual, ou modificado no sentido das razoes
que tiver allegado.
t O art. 16 trata do caso em que, ten-
do sido negada a sanego, por aigum dos
motivos especificados no mesmo artigo,
o projecto reenviado ao presidente sem
modificago. como cabe entao a e te o
direito de leva lo ao conhecimento do go-
verno e da assembla geraes, ba suspeu-
sao de soa publieauo al deciso destes
poderes.
c Eis os dos casos aos quaes o citado
art. 24 3, limita a aitribuigo dos pre-
sidentes de provincia de suspenderem leis.
* Este artigo refere-se, portanto, aos pro-
jectos de lei sujeitos a sanego, ou por sua
natureza, ou por conlerem accidentalmente
disposiges que carecera della, no princi-
pio de sua elaborago: em caso|nenhum s
leis acabadas, j seccionadas c em execu-
g3o. A suspengo de leis nestas coudiges
aitribuigo de natureza diversa : nao p
de competir autoridade executiva sem ti-
rar-se-fhes o seo carcter essencial; pre
rogativa do poder que as faz.
A interpertag3o qoe, de accordo com
as razSes expendidas, d o art. 19 do pro-
jecto disposicio do art. 24 3o do acto
addicional, entendem, pois, as commissSes
ser a verdadeira.
Art. 20do projecto.
Em um projecto de lei podem adiar-
se reoHidas as disposiges que o presiden-
te julgoe convenientes provincia, ootras
que se acbem comprehendidas em algnns
dos casos especificados no art. 16 do acto
addicional. Se, negada a sancf3o ao pro-
jecto por causa das ultimas disposiges,
fr pela assembla provincial reenviado tal
qoal ao presidente, pde'elle'exercer, qoan-
to a estas smenle, o direito, que lhe d o
% 3o do art. 24 do acto addicional, de sus-
pender a publicag3o, mandaado ao mesmo
lempo executar o projecto as outras
partes ?
Diversos presidentes de provincia teem-
se jolgido autorisados a proceder por este
modo, fundando-se no citado do art. 24.
Entendem as oramisses que nio
admissivel esta intelligencia.
As palavras do mencionado paragra-
pho, bem como, quanto a sancg3o, as dos
aris. 14, 15 e 16, refere-se a lei em sua
integridade e n5o a disposiges separadas.
Ellas n3o admit'.em, portanto, a distincg3o
em qne se basa aquella intelligencia.
E se entrar-se na apreciagao da raz3o
da lei v-se que tal distincg3o injustifi
cavel.
Ao presidente de provincia foi dado o
direito de suspender em casos determina-
dos a publicagao das leis, como meto s
de impedir os abusos e excessns das assem-
blas em prejuizo dos in'eresses geraes. O
exercicio desta attribuigo iria porm muito
alera do seu fira, se ao presidente tosse da-
do separar as disposiges de urna raesma
lei, e dar execug3 a urnas e n3o a outras
Desligando assim suas partes componentes,
poderia transforma-la, e dar-lhe novo carac
ter; o qoe equivale a legislar. Seria um
direito p'erigoso pelos abusos que no seu
exercicio fcilmente se praticariam, e dos
quaes resdltariam a conf >so entre as duas
differentes autoridades provinciaes e o fal-
seamento do systema do acto addicional.
* O inconveniente que pode trazer a sus-
pensSo da lei toda, por pri ar a provincia
de medidas uteis que por ventura nella se
contenbam, alera de ser de muito menor
importancia que aquellos, pode ser reme-
diado, reproduzindo se se essas medidas em
nova lei.
As commisses s3o, portanto, de pa-
recer que fundada na letra e no espirito
da lei a interpretago dada ao art. 20 do
projecto.
f A attribuigo que pelo art. 24 3o do
acto addicional compete ao presidente da
provincia nio pode ser exercida sobre
parte smente n* projecto de lei.
dft. 21 do projecto
t O art, 21 do projecto. referindo-se s
seguintes palavras do art. 19 do acto addi-
cional : O presidente dar ou negar a
sanego no prazo de dez dias, e nao o fa-
zendo, ficar entendido que a deu Neste
caso.... a assembla provincial a mandar
publicar----- declara que, s depois de
decorrido o prazo do dito art. 19, pode
esta assembla ordenar a publicagao da
lei.
Pode parecer desnecessaria esta decla-
rago vista do sentido claro que offere-
cem aquellas palavras. Cora effeito, sem
manifesta violago do preceto que ellas rav
pem, nao pode a assembla, durante a
sess3o, mandar fazer a publicagao de que
se trata, antes de estar findo o prazo qoe
se referem. Mas tem-se levantado a duvi-
da : se, no acto de nao se achar ainda aca-
bado o prazo, quando encerrar-se a ses-
sSo, pode a assembla ordeaar que, logo
que elle se completar, se nao tiver'sido dada
ou negada a sanceo ao projecto, seja este
publicado pelo seo presidente. E efectiva-
mente assim tm praticado algumas assem-
blas.
< Entendem as commisses, do mesmo
xaisaaapnr
modo que o projeeto, qo
ca nao admissivel. Ai
do art 19 acto a Idiej
o prelidei
o seu dever, acbando-se
bla, e di eoOfe a esta
dar publicar a le, ai|
vo presidente. E'um
pria deve praticar, verificad!]
nSo autorisar por prevec
pecie de delegago ao *
na seasao prxima cabe
bypothese figurada osar do seo rreito.
A intelligencia extensiva em qwse tem
fundado a pratica referida portaate, re
peluda peto sentido natural da dispongo
da lei.
Art. 22 do projecto.
t No art. 22 ultimo o projecto estabe-
lece doas disposiges com o fim de preve-
nir graves inconvenientes praticos a que da-
ra lugar a execagio rigorosa de seas dispo-
siges.
i Pela primeira, que j (era adoptada
no art. 8o da lei de 12 de malo de 1840,
determina que as leis provinciaes opfostas
interpretago dada em seos artigos lio se
entendero revogadas pela promolgaclo da
lei, sem qoe expressameote o sejam por
actos do poder legislativo geral.
c A necessidade desta di posigao ob-
via, e as commisses jolgam-se dispensadas
de a justiicarem.
c Pela segunda nao s se mantea os
impostos estabelocidos as leis de orgaaseolo
provincial e municipal, contrarios i doutr-
na do art. 3o do projeeto, como tambe se
permitte que sejam repelidos emqaamo ama
le geral nSo fixar definitivamente qoaes os
impostos pertencentes renda geral do im-
perio.
c Assim, estabelecendo no dito art. 3* o
verdadeiro principio acerca do importante
assumplo a que se refere, e obstando a ag-
gravac.au dos males provenientes de soa
fracgSo, evita ao mesmo tempo o profondo
abalo e confusoqoe no systema finaacevo
das provincias prodozira a soa appcagio
aos impostos existentes, grande parta dos
quaes teria de ser supprimida. A' lei ge-
ral, que deve regular definitivamente a ma-
teria, cabe estabelecer disposiges comple-
tas. As commisses j tiveram occaso de
tratar deste objecio, quando se occaparasa
com o mencionado art. 3o do projecto.

Limitando-se as commisses eoasi-
derages expendidas, a cujo desenvolviomn-
to dar logar a discussSo, concloem qoe o
projeetc deve ser convertido em lei do es-
tado Fausto Augusto de Aguiar.L. A.
da Silva NunesJoo Mendes de Almeida
M. F. CorreaJ. J. Teixeira Jumor.F.
Belisario S. de Souza. >
c A assembla geral decreta:
c Art. Io A attribuigo qoe compele s
assemblas provinciaes pelo art. 10 f V
do acto addicional refere-se fixagao das
circumscripges territoriaes segando as
condieges. estabelecidas as leis geraes de
orgaoisagSo civil, judiciaria e ecclesiastk
dofimperio.
Art. 2o Para o exercicio da atiriboic*.
conferida s assemblas provinciaes pelo
art. 10 1* do acto addicional, necessaria
a audiencia do prelado diocesano no qoe
perlence creagio, suppressSo e alleraga
das divisas das parochias.
Art. 3o As palavras do art 10 f 9* do
acto addicional comanlo que estes (imposto*)
nao prejudiquem as imposicoes geraes i
estado, imporlam a prohibigao de crearem-
se impostos provinciaes ou municipaes, qne
recahiam sobre materia j tributada por lei
geral.
Art. 4o A attribuigo conferida s as-
semblas provinciaes pelo art. 10 % V do
acto addicional envolve o direito de desig-
naren! por qual dos juizes, o commum ou
privativo dos feitos da fazenda nacional, de-
asa ser processadas executiv-mente e de-
cidas as causas da fazenda provincial, guar-
dadas, porm, as formalidades esubelecidas
peias leis geraes.
f Art. 5" Na aitribuigo conferida s as-
semblas provinciaes de legislar sobre os
assumptos mencionados nos ? 2, 5*, 6*
7", 8o e 11 do aru 10 do acto addiciooal
comprehende-se a facnldade;
c 1 De coraminar penas administrati-
vas em relago aos ditos assumptos:
t 2o De estabelecer o processo e a
campetencia dos funcionarios provinciaes
para conhecimento e decisao das qoestes
administrativas,salvo sempre o recurso para
o presidente da provincia.
c Art. 6o A attribuigo cootida no art.
10 7 e 11 do acto addicional nio m-
prenende quanto aosempregos. cojas foo-
ges s3o relativas a objectos sobre es qoaes
as assemblas provinciaes nio pdem legis-
lar, o direito;
i Io De alterar-fhes o numero, quan-
do fr este esseocial organisagoi;
c 2* De annexar os que forem separados
por lei geral ou vice-versa:
< 3a De tornar privativos os oficios de
justiga.
Art. /. No exercicio da attribuicSo que
Ibes perlence pelo art. 10 % 9.' do acto
addicional, devem as assemblas provin-
ciaes guardar as disposiges das leis geraes
conceroenies s especies de priso, natoreza
das penas e modo do seu comprimento.
Art. 8 Em virtude da attribuicio con-
ferida pelo'art. 11 8.* do acto addiciooal,
podem as assemblas provinciaes :
< 1. Legislar sobre a orgaobaclo, dis-
tinctivos e disciplina da torga policial;
c 2." Determinar o modo de
cher o numero tixado de progas. respailado
o preceito do art. 36 da conslituicio.
Art. 9. O processo para dentale e
susponso dos magistrados pelas assemblas
provinciaes nos termos do art. 11 f 7.* do
acto addicional e arts. 4 f, 5. e da lei
de 12 de maio de 1810, deve ser estabele-
cido par lei geral.
t Art. 10. as aUriboico.-s das lisia
blas provinciaes, fixadas nos arts. 10 a II
do acto addicional, nio se inclue o direite ;
1. De legislar sobre assumptos espe-
cialmente conceroentes industria, salva a
concesso de favores tendentes i soa pro-
mog3o e aesenvolvimento ;
c 2.a De conceder privilegios qoe ala
se refiram estrictamente aos objectos espe-
cificados co 8 do mencionado art.* l a
sera prejuizo de quaesquer obras ou amai-
zas que pertencerem a admimstracio feral
do estado.
< Art. U. A palavra importamo do i
12 do acto addicional comprehende
dos pases estrangeirm como a de
para outras provincia do imperio.
(CnaifcHiar ie aa) |
TYP. IX) DlArtKt-KOA oo DUQUE MiU


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E3Q97581P_W00LK6 INGEST_TIME 2013-09-14T03:48:25Z PACKAGE AA00011611_12231
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES