Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:12227


This item is only available as the following downloads:


Full Text
/
4NN0 XLVI. NUMERO 223
inu 8i>
. \

PABA A CANTAL E IWKS OIDE AO SE PACA POKTE.
Por tres mezs ndianudos..............
"Hor seis ditos dem .............]
-l'ornraanno dora............
^ada montero niteo...... *.....' '. *T**
000
!2,J0O0

DOMINGO 2 DE OUTUBRO DE 1870.
PAJA DEIT10 E rOlADA PB07WCIA.
Por tres mezes adiantados
Por seii ditos idem. .
Por nove ditos idem .
Por nm mido idem

somo
7IOOO
Propriedade de Manoel Rgpneira de Faria & Filhos.

SAO JLCKWTES:
Os Srs. Gerardo Antonio Alves 4 Fhos, no Pari Gon?alve. d Pinto, no Maranhao ; Joaqaio, /os de Oliverra, no Ceara ; Antonio debemos Braga, ao Aracaty ; Jo*> Mari, Julio Chave,, no Asan ; Antonio Marqne. da Sita, do Natal
Pere>ra d'Alme.da, em Mamanguape; Antonio Alejandrino de Lima, na Parahyba ; Antonio Jos Gomes, na Villajda Penha ; Monteo dos Santos Bnlcao, em Santo Antio; Domingos Jos da Costa Braga,
'__________________________________em Naiareth ; Francisco lavares da Costa, em Alagoas; Dr. Jos Martins'Alvos, na Bahia; e Jos Ribeiro Gasparinhono Rio de Janeiro.
JosJoat*
PARTE OFnCIAL.
f.oTcrno da provincia.
EXPEDIENTO ASSIGYADO PKLO EXM. SK. DBSMttAMA-
DOH FRANCISCO DK ASSI* KHRIltA ROCHA, VICE-
PRESIDENTE DA PROVINCIA, EM 7 DE MAIO.
1.* eccio.
N. 10,".Offlcio ao Exm. Sr. general eomman-
dante das armas.A vista do que exp<3e V. Exc.,
em seu offlcio d* U de abril ultimo, n. 201, com
referencia ao parecer do primeiro cirurgian encar-
regado da enfermarla militar, antoriso V. Exc. a
devotver para a Arle pelo transporte lapicur,
para o que expero a precisa ordm,"os medica-
mentos coudos as dn*s ambulancias que d'alli
vieram aeompanhando o 5" corpo de voluntarios
da patria, podando a referida enfermara, Ucar coro
os instrumentos e utensilios constantes da relaro
a. i atmoxa ao spu citado ofJlcio, em substiuiao
dos que na mesma existiam, o foram por ordm
di overno, remettidos para o theatro da guerra
do Paraguay, conforme tudo. prppoe V. Exc
N. 196. Djio ao inspector do arsenal de mari-
nhi.Mande V.S. fornecer ao enmmandante do
transporte de guerra lapicur, 280 toneladas de
carvo cardiff, constante d> pedido junto.
X. 197.Dito ao eonselho de compras nsvaes.
Approvo a alterara) qne o eonselho de compras
navaes, em virtude do despacho desta presidencia
de 3 du correte, fez no contrato effeetuado em 5
de marco deste aono, com Jos Ferreira Coelho,
para fornecer farinha de mandioca aos estabeleci-
mentos de marlhha e navios da armada no trimes
fraile abril ajnnho do crreme anno. ticando as-
sim elevado a 6*7 o preco de 1*500 por que
era elle ohngado a fornscer o alqueire da farinha
que cima se trata.
2.* seccao.
N. 199.Offleio ao Sr. Dr. chefe de polica.
l>ndo desapparecido do poder da parda Maria da
Cooeeican. moradora no lugar denominado Piran-
ga frepuezia dos Afosados, segundo me declama o
lesembargador provedor da Santa Casa de Miseri-
cordia, em offleio de 6 do crreme, sob n. 2643, o
xposto Simio, tambero pardo, de 9 annos de ida-
de, o qual havia sido confiado a referida Maria,
para cralo, e nao tendo ella" dado as precisas in-
.irroaees para poder ser elle procurado, recom-
mendo # V. S. a expedicao de snas ordens a auto-
hdade policial d'aquella freguezia para interrogar
e proceder as necesarias averiguaces, zOin de a
mencionada Maria, descobnr se dito menor eser
este remettido ao estabelecimento a qne>*pertence,
S. 200. Dito ao rcesmo.Transmiti a V. S.
para sea conheci ment e exeeuco o aviso expe-
dida pelo ministerio dos negocios estrangeiros, em
11 de abril prximo findo, com referencia ao ite-
taliano de Lacas, de que trata o sea offlcio n. 231
de 15 d> fevereiro ultimo
N. 201. Dito ao commandante superior da
guarda nacional do municipio do RecifeRespon-
dendo ao sea omVio de 27 do mez findo, sob n. 89,
'eolio a di clarar a V. S., que segundo informa o
uet>. de polica, em offlcio n. 699 de 3 deste mez,
|.i foi posto em liberdade o guarda do 1." batalhao
de arttlharia desse municipio, Icio Dias dos Santos,
de quem trata o seu dito olicio
N. 202.=Dito ao mesmo. Transmiti a V. S.,
em additamento ao meu oflicio de 3 do corrente, e
para o lim n'elle declarado, copia do que dirigi-
me o general cotninandante das armas, em data
de nortean, sob n. 23o, relativamente ao procedi-
mento criminoso argido ao alferes commandante
do destacamento da fortaleza do Brum, Francisco
Sancho Ribeiro do Amaral.
N. 203. Diio ao enmmandante superior da
truarda nacional do municipio de Olinda. Defe-
nudo o requerimento, em que o tenente do bata-
lhao d. i in infantaria da guarda nacional do
iKini-ipi) de Alhandra da provincia da Par.ihyha,
Joida Cosa e Silva, declara ter fixado residencia
no m inicipio >le Olinda. recommendo a V. S., qno
envista da metan guia de madauca a patente
que exhibir o referido rnente, o admtta a fazor a
-i apresentaeio nesse commando superior, no
- do artigo Jo do decreto 1130 de 12 de mar-
jo de I8.'3 para os deviio? effoito?.
X. ''i.Uin ao commandante superior da
i if la nacional do municipio de Goyanna.Ex-
V. S. as su:is ordena para que urna guarda
itilhio de infantaria n. l\ di guirla naci-
ni! (tae muuicpio, se apre-ento a 1 de janho
vindoaro em frente da reja de Nossa Senhora do
O da povoar'n de Punta de Pedras para acom-
panhar a proclssiu que pelo encerrameoto do mez
Marianno tem de percorrer a? raas da mesma po-
vi ;.\".n na tarde desse dia.
X. SOS. Dito ao ennmandante superior da
guarda nacional do municipio de Pod'Alho.Ex-
V. as suas ordens para qui no dia 31 de
ii un Gomte se aprsente em frente da igreja do
v- i Smliora do Rosario da villa de P.rid'Alho
urna guarda Je Innra alia d? assistir a testa do
Mntisinj) Corceo de M ira e acompaohar a pro
sai i ,[n-> lem de pereorrer aj ras da mesma
. vi la.
X. 206. Din ao commanl'inte superior da
tuarda nacional do municipio de Tacarat eFlo-
re-ta.Com o parecer por copia do promotor lis-
cal da fazenda publica e a informaco do inspector
tis respectiva thesouraria respondo ao offlcio de
\. S.^de 7 de fevereiro ul'nno qninto o dever ser
ou nao pago os imposto] le matanca e consumo
de ama reis para alimentario do destacamento da
villa de Tacarat.
X. 207.Dito ao jai' de orphao3 do termo do
Kecie.Em vista do que informou o ehefe de
polica em offlcio le 16 do mez findo sob n. 512 e
lei-larmo menor Reginatdo, de quem tutor An
tonio Henriqne de Miranda Jnior mandn esta
presidencia dar-lhe o destino que recomienda o
irisa Jo ministerio da marinha de 26 de Janeiro
de 1867. '
S. 08.Di'.o ao commandante do corpo pnvi-
n rio Je polica.Mande Vine, substituir por ou-
(ros que tetrhara mais conhecimenlo das localida-
des do 3 dijtricto deste municipio as pracas que
a aeham alH destacados.
X. 209.Dito ao commandante do jorpo provi-
s> rio de'policia.Pode Vmc. alistar no corpo sol)
-eu 'lommando S3 tiverem a precisa idoneidade,
o* voluntarios da patria Antonio Jos Pereira Pin-
U\ Ernesto Pereira da Costa, Joao Jos da Silva
Eleslio Innocencio Gomes, Joaqaim Jos Leoncio
vSilveira Jonior, e Miguel Joaquim de Sant'Anna,
dos quaw trata o seu offlcio n. 218 de i do cor-
rente.
X. 210.Dito ao commandante do corpo provi-
sorio de polica.Pode Vmc. engajar no corpo sob
o sea commando os voluntarios da patria Pedro
Jos Barb>sa, Francisco Jos de Sant'Anna, Ma-
noej Balthasar Correa e Jos Lins Gome, e o pai-
sano Antonio Bezerra da Silva, dos quaes tratam
os $eus oficios ns. 215 e 220 de 3 e 5 do corrdnie
e orem julgados aptos para isso.
X. ll.Dito ao tenente Joao Deoclecio da Silva
Piula.Ioteirdo de quanto Vmc. expo8 em seu
oflicio de 4 do corrente tenho a dizer em resposta
-me acabo de recommendar ao inspector da the-
souraria de fazeoda que por intermedio da collec-
tori^ do Ri-Fonuoso mande entregar-lhe mais
1.090* para continuar a occorrer as despezas
com a condcelo dos geaeros alimenticios destina-
dos a soccorrer os indigentes flagelados pela fome
Da esmarea de Garanhuns.
N. 211Portara.O vice-presidenle da pro-
vincia ni vista do offlcio do chafe de polica
n. 691 de i do corrente, resolve exonerar a seu
pedido do carge de subdelegad do distrieto do
i
i
riacho de S. Domingos do termo de Villa-Belfa
cidado Joao Gnocalves Lima.
N. 213.Dita.O vce-presidente da provincia
attendendo ao que Jhe roquereu Pedro Jos da
Silva soldado da 2" companhia do corpo proviso-
rio de polica resolve conceder-lho 30 dias de
tcenla, com o respectivo sold para ir a cidade
da Victoria ver sua familia. '
3* seccSo.
N. 214.Offlcio ao inspector da thesouraria de
razendaAo capilao Jos Paulino Rodrigues de
Barro?, mande V. S., se uao houver inconveniente,
pagar em visia do recibo jnnto era duplcala, que
me remetteu o chefe de polica com offlcio de 28
de marco ultimo, sob n. 434, a qnanlia de 68*000
ou o que se dever do aluguel da casa que servio
de quartel ac destacamento do termo de Floresta,
a contar de etembro de 1868 a fevereiro deste
anno.
N. 215.Dita ao mesmo.Expe?a V. S. suas
ordens, para que depois de liquidados era vista da
folna relacao nominal e pret junto em duplcala,
que me rometteu n commandante superior deste
municipio com o offleio de hontem, sob n. 99, se-
jam pagos os vencimientos do offlcial e pracas da
guarda nacional destacados no Forte do Buraco,
sendo os d'aqnelle relativos ao mesmo mez de
abril ultimo, e os desta a 2' qninsena do mesmo
mez.
N. 216. Dito ao mesmo. Providencie V. S.,
para que sejam pagos depois de liquidados, em
vista do prel junto ern duplcala, queme remet-
teu o commandante suoerior de;te municipio, com
offlcio do hoje sob n. H)0, os vanciraentos das pra-
cas do 6 batalhao de infantaria oesUcados na ilha
do Pina, a contar de 20 a 30 do abril ultimo.
- X. 217.Dito ao mesmo.Tendo em vista a sua
informacao de hoje, sob n. 312, com referencia a
do contador dessa thesouraria receinmendo a V.
b. que por intermedio da colletoria do Rio Formo-
so mande entregar ao tenente do corpo provisorio
de polica Joao Deoclecio da Silva Paula, que se
acha em Una, mais um cont e noventa mil reis
por conta do crdito de 10:000* aberto para soc-
corros pblicos, aflm de que possa elle continuar
a occorrer as despezas com a conduccao de gene-
ros alimenticios destinados a soccorrer os indigen-
tes flagellados pela fome na comarca de Gara-
nhuns.
?!. 218.Dito ao mesmo.-Communico a V. S.
para os devidos fin, que segundo participou o ba-
eharel Jlo Alves Pereira de Lyra juiz municipal
do termo do Brejo, em 25 de abril ultimo, nessa
dala eBtrou elle no goso da licenca que Ihe foi con-
cedida por deliberacao de 28 de'fevereiro ultimo.
N. 219. -Dito ao mesmo.Mande V. S. entregar
a pessoa qne pelo commandante superior da guar-
da nacional dos municipios de Garanhuns e Bui-
que fr autorisado a quantia de 33*960 rs. impor-
tancia do pedido junto por copia para o expodiente
d'aqnelle commando superior .sobre o qual infor-
mou V. S. em efflcio n. 286 de 26 do mez Ando.
.N. 220.Dito ao mesror.Communico a V. S.
para os devidos flns que segundo participou o juiz
de direito da comarca do Limoelro em offleio de 2
do crranle, sob n. 6, nessa data nomeou o advo-
gado Severino Alexandre Villarim, para interina-
mente exercer o cargo de promotor publico daquel-
la comarca.
N. 221.Dito ao mesmo.Tendo ne,sta data ap-
provado a alteraco que o eonselho de compras
navaes em virtude de despacho desta presidencia
de 3 do corrente, fez no contrato effeetuado em
5 do marco d'este anno, com Jos Ferreira Cotillo
para fornecer farinha de mandioca aos eslabele-
cimentos de marinha e navios da armada no tri-
mestre de abrii a junho deste anno, ficando as-im
elevado a 6*720 rs. o preco de 4*500 rs porque
era elle obrigado a fornecer o alqueire da farinha
que cima se Iraia ; assim o communico a V. S.
para seu conhecimenlo.
X. 22!.Dito ao inspector da thesouraria pro-
vincial. intejrado de quanto V. S. participou em
offlcio de 5 do corrente, sob n. 269, acerca do
collector do municipio de Itamb Joaquim Morei-
ra de Aguar, tenho a dizer *em resposta, que em
vista do exposto no citado offlcio, e do que consta
dos documentos a elle annexoi, nao pode deixar
de considerar o mencionado collector responsavel
pelo extravio da quantia proveniente da renda ar-
rendada por aquelle collector no trimestre de
Janeiro a marco de-te anno, pela culpa de expr
essa quantia ao roubo que allega haver sido feito.
Attendendo isto e considerando que a priso admi-
nistrativa em taes casos facultativo, recommen-
do-lhe que marque a esse collector um praso ra-
soavel dentro do qual dever recolhor a essa the-
souraria a quantia extraviada, sob p;aa de se pro-
ceder ulteriormente contra elle se nao realizar a
entrega.
X. 223.-Dito ao mesmo.De conformidade com
0 que solicitou o teuente-coronel do corpo provi-
sorio de polica, em >eu offlcio de i do corrente,
sob n. 217, recomtnendo a V. S., que mande abo-
nar por adiamntenlo 3 mezes de vencimentos a
contar do Io deste mez. ao alferes Manoel Aprigio
de Moraes, que se acha em delligencia na villa de
S. Bento.
X. 221.Dito ao raosmo.Depois de liquidados,
em vista do prel nominal junto em duplicat, os
vencimentos relativos ao mez de abril ultimo dos
guardas nacionaes destacados na villa da Escada,
mande V. S. pagar a sua irapolancia ao sargento
Deomedes Francisco das chagas, conforma solici-
tou o cammandante superior do municipio de San-
to Anto, em offlcio de 4 do corrente.
N. 22o.Dito a i mesmo.Mande V. S. liquidar,
em vista da inclusa conta que me remetteu o che-
fe de polica com offlcio de 1 do corrente, sob n.
694, a despeza feita com o fornecimnto de luz e
agua para o quartel do destamento da Magdalena,
a contar de 27 de Janeiro do prximo passado a
30 de abril ulti.no, e pagar a sua importancia aos
fornecedores Gomes 4 Irmo.
N. 226.Dlo ao mesmo.Em resposta ao offl-
cio que V. S. mB dirigi em 16 de abril ultimo,
sob n. 238, acorapanhado de urna proposta feita
pelri collector de rendas provinciae no municipio
de Pao d'Ailio, de Joaquim Cavalcante de Albu-
qnerque para servir agente do mesmo collector,
tenho a dizer que approvo esta proposta.
X. 227.Dita ao mesmo.Transmiti a V. S.
as inclusas contas e relacoes, afm de que depois
do liquidada a despeza feita com o forneciraenlo
dos presos pobres da cadeia dt> termo de Villa-
Bella contar de Janeiro do anno prximo passa-
do a marco ultimo, mande que da sua importancia
;eja levada era conta a de 300*000, em virtude de
autorisai.ao da presidencia comida em offlcio de
1 de marco do mesmo aono, que foi adiantada
para essa despeza ao delegado daquelle termo, e
pago o saldo que se der a Fiavio Gon;alves Luna,
conf rrae solicitou o doutor chefe de polica, em
offlcio de hontem, sob n, 702.
4* seocio.
X. 219. Portara ao Exm. desembargador pro-
vedor da Santa Casa de Misericordia.Respon-
dendo ao offlcio de V. Exc. de t do. corrente, sob
n. 2642, tenho dizer que aoprovo a deliberacao
que toniou a junta administrativa dessa Santa Ca-
sa de mandar eutregar a Antonio Clerubino de
Azevedo a sua filha edueanda do collegio das or-
phaas de nome Maria da GonceiQao Azevedo, visto
ter mais de 21 anpas da idade e nao poder all
continuar atiento o- disposlo no respectivo regula-
ment.
N. 230.Dito a cmara municipal da cidade do
Recife.Para satisfazerse ama requisico da as-
sembla legislativa provincial, informe a cmara
municipal desta cidade com o qne se ihe offerecer
o i de partida marcado para os trilhos urbanos dosta
cidade para Olinda e Bebnribe.
X. 231.Dita aos agentes da companhia brasi-
lera de paquetes a vapor.Os senhores agentes
da companhia brasileira de paquetes mandem dar
transporte para Macei, por cont do ministerio
da guerra, no vapor que se espera do norte, ao
tenente-coronel do extracto batalhao n. 30 de vo-
luntarias da patria Apolio.irio Florentino de Albu-
querque Maranhao Sobrinho, urna ex-praca do
mesmo batalhao Thomai Bezerra de Andrade e
nm menor que acompanha o mesmo tenenie-coro-
nel de nome Jos Rivarola.
N. 232.Dita ao gerente da Companhia Pernara-
bucana de navegacao costeira por vapor.O Sr.
gerente da Companhia Pernambucana mande dar
transporte para Macei, por conta do ministerio
da guerra, no vapor que segu hoje para all, ao
alferes do extincto batalhao n. 30 de voluntarios
da patria, Manoel Antonio Camello.
BXPBDIENTB ASS10NADO PELO SR. DR. ELIAS FREDERIO
CO DE ALUEIDA E ALBUQUEBQUE, SECRETARIO DO
GOVERNO INTERINO, El 7 DE"MAJO DE 1870.
1* seccao.
X. 233.Offlcio ao Exm. gtqeral commandante
das armas.De ordem do Exm. Sr. vico-presiden-
te da provincia, declaro a V. Exc, em resposta ao
offleio de 4 do corrente sob n. 231, que nesta
data lica expedida a conveniente ordem ao arse-
nal de guerra para lornecer ao commandante de
companhia de operarios militares os artigas de
fardamento, constantes do pedido que veio annexo
ao sea citado offlcie.
2"1 secao
N. 231.Offlcio ao Sr. Dr." chefe de polica.O
Exm. Sr. vicepresidente da provincia manda de-
clarar a V. S. que por deliberacao d'esta data foi
exonerado seu pedido do cargo de subdelegado
do distrieto de Riacho de S. Domingos do termo de
Villa-Bella o cidado Joao Goncalves Lima, era
visfa do seu offlico n. 691, era 4 deste raer.
N. 235.Dito ao mesmo.De ordem do Exm.
Sr. vice-presidente da provincia, communice a V.
3. que nessa data foram mandados substituir por
outros mais conhecedores das localidades as duas
praqas do corpo provisorio de polica que eslo
destacadas no 3o distrieto d'este municipio e s
quaes alinde o seu offlcio n. 668, de 2 do cor-
rente.
N. 236.Dito ao mesmo.S. Exc. o Sr. vice-
presidente da provincia, respondendo ao offlcio de
V. 8-, datado de hontem, e sob n. 702, manda de-
clarar-lhe que traosmittio thesouraria provincial
para os flns convenientes as contas e relacoes que
vieram annexas ao citado offlcio.
N. 237.Dito ao mesmo.S. Exc. o Sr. vice-
presidente da provincia manda declarar a V. S..
em resposta ao sen offlcio de 4 do corrente, sob
n. 694, que a thesouraria provincial tem ordem
para pagar a Gomes & Irmao a quantia de......
115*160, constante doicitado offlcio.
i. 238.Dito ao commandante superior da
Suarda nacional do municipio da Santo Antio.
. Exc. o Sr. vice-presidenl da provincia manna
declarar a V. S. em resposta ao sea offlcio de 4
do corrente que a thesonraria provincial tara or-
dem para pagar ao sargento Diomedes Francisco
das Chagas os veneimentos constantes do citado
offlcio.
N. 239.Dito ao commandantas superior da
Snarda nacional do municipio de Sanio Anto
Exm. Sr. vice presidente da ^rovinca manda
declarar a V, S. em rsposta ao seu offlcio de 1
do corrente, que por deliberacao de 27 de Janei-
ro deste anno foram concedidos 6 mezas de li-
cenca ao capito Jo> Sancho Bezerra Cavbante
da 2' companhia do batalhao n. 21 de infantaria
da guarda nacional desse municipio de Santo An-
lo e 4 mezes ao da 1 companhia do mesmo ba-
talhao Joao Romarico de Azevedo Campos por
deliheraco de 4 de fevereiro ultimo.
N. 210.Dita ao commandante superior da
guarda nacional do municipio de Garanhuns.
O Exm. Sr. vice-presidente da provincia manda
declarar que a thesouraria de fazenda tem or
dem para entregar a pessoa qne por V. S. foi
autorisada para receber a qnantia de 33*960 de
que trata o seu ollleio n. 20 de 9 do mez lindo.
X. 241.Dito ao juiz de direito da comarca de
Lmoeiro.O Exm. :>r vice-presidente da pro-
vincia manda aecusar o recebimento do offlcio de
V. S. de 2 do corrente em que participa ter
nessa data nomeado o advogado Severiano Ale-
xandre Vello-o para exercer interinamente o
cargo de promotor publico dessa comarca.
X. 242.Dito ao juiz municipal do termo do
Brejo.O Exm. Sr. vice presidente da provincia
manda declarar que icou inteirado pelo seu offl-
cio de 25 do mez findo ter V. S. nessa data en-
trado no gozo da lizenca que Ihe foi concedida por
deliberacao de 28 de fevereiro ultimo.
X. 243.Dito ao commandante dj corpo pro-
visorio de polica.Xesta data autorisou-se ao
inspector da thesouraria provincial a mandar adi-
antar os vencimentos do que trata o offlcio de V.
S. datado de 4 do corrente, e sob n. 217, o qual
Tica assim respondido de ordem do Exm. Sr. vice-
presidente da provincia.
4' seQQj.
N. 241.Offlcio ao Dr. Francisco Teixeira de
S, Io secretario daassembla legislativa provin-
cial.X. 88. De rdem de S. Exc. o Sr. vice-
presidente da provincia transmiti por copia a V.
S. as racimas informacoes ministradas pelo en-
genhero chefe das obras publicas em 4 e o ao
corrente sob ns. 115 e 116 acerca do requeri-
mento de Augnto Pater Cezar e do abaixo as-
signado dos proprietarios e moradores dos arra-
baldes dasta cidade coropreheudidos desde os
Afflictos at o Arraial, que juntos devolvo. Fica
assim satisfeito a requisico constante do offlcio
que V. S. me dirigi em 2 deste mez sob n. 30.
X. 215.Dito ao mesmo.X. 89.De ordem
d S. Exc. o Sr. vice-presidente da provincia
transmiti por copia a V.S. em resposta ao seu
offlcio de 6 de abril prximo flodo sob n 8, para
ser presente a assembla legislativa provincial a
inclusa informaco ministrada pela cmara mu-
nicipal desta cidade em 5 do corrente sob n. 29
acerca do projecto n. 26 do anno passado que
acompanhou o seu citado offlcio.
IN. 246.Dito ao mesmo.X. 90.3. Exc. o Sr.
vice-presidente da provincia manda transmiti-
a V. S. para ser presente a assembla legislativa
provincial o incluso projecto da postura que para
ter esse deslino foi remettido pela cmara muni-
cipal desta cidade com o offlcio junto por copia
de 5 do corrente sob n. 30.
N. 247.Dito ao mesmo.X. 91.S. Exe. o
Sr. vice-presidente da provincia manda trans-
mitir por copia a V. S. para ser presente a ai-
sembla legislativa provincial a inclusa informa-
cao que ministrou a cmara municipal desta ci-
dade em 5 do corrente sob n. 31 relativamente
ao modo porque tem sido cumprida a postora que
prohibe o commercio exercido em larga escala
por atravesadores de gneros de primeira neces-
sidade. Fica assim salisfeita a requisico de V
S. comida em seu offlcio de 3 do corrente sob
n. 38.
C0O.VW sobre a conveoienej da estaijq e pojMoJ rido.
DESPACHOS DA PRESIDENCIA l)A PROVINCIA DO DIA
24 DE SETEMBR1 DE 1870.
Austrecliano de Castro S BarreteSaaisuca a
exigencia da thesonraria:
Basilio Jos de Araujo.Informa o Sr coronal
commandante superior intsrino da tnarda naeta,
nal do municipio do Recife.
Francisco. Ponciano da Silrain Lobo.-^oWe-
Fraijcisco Ponciano da Silveira Lobo.Passan-
do recibo entregue-se os documentos.
Francisco Borjes Leal.Remetta ao Dr. chefe
de polica pira deferir como entender.
Francisco Silverio de Faria. Passe portara,
nomeando o sopplicante profesar publico da ca-
deira do povoado de Santo Amaro de Serinhem,
Irmaudade do Senhor Bom Jesas das Dores era
s. Goncalo da rreguezia da Boa-vista.Expedio-se
ajeonveniente ordem no sentido que requer a sup-
licante. .
Engenbeir Joapum Pires Carneiro Monteiro.
h"* 'Dfoimacao conceda-se a prorogacao
Bacharel Jos Francisco de Goes Cableante.
Informe o Sr. inspector da thesouraria de fazen
da.
Joao Francisco do Reg Maia.A'| vista da n-
fonnacao como requer, pagos os dreitos que fo-
rem devidos, remettenao-se estes papis ao Sr.
inspector da thesouraria de fazenda, para os flns
convenientes.
Joao Francisco Pessoa de Vasconcellos.Infor-
me o Sr. director geral da instraccao publica, ou-
vindo o regedor do gymnasio.
Joao Baptiza Gomas Peona.Informe o Sr. di-
rector geral interino da insiruccao publica, ouvn-
do o regedor do gymnasio.
Joo Feliciano da Molla e AI buquerque.Infor-
me o Sr. director geral da insiruccao publica, ou-
vindo o regedor do gymnasio.
Luiz Carlos de Carvalbo Paes de Andrade.
Passe portara, nomeando o snpplicante para re-
ger interinamente a cadeira de Taquralinga.
Maria Magdalena da Conceicao.Informe o Sr.
inspector do arsenal de marinha.
Manoel Flrmino Ferreira.A' vista da informa-
cao como requer, pagos os dreitos flseaes, remet-
tendo-se estes papis ao Sr. inspector da thesou-
raria de fazenda para os flns conveniente.
Bacharel Manoel Jos de Oliveira Miranda.In-
deferido, visto como os vencimentos sao devidos
pelo effectivo exercicio.
Manoel Baptista Torres.Passe patente.
Abaixo assignados alumnos mestres approvado
em todo o enrso da escola normal.A' vista da
informacao os snpplicante s nao podem ser pro-
vidas.
Asociacao commercial agrcolaNesta data se
reiiarou a ordem expedida em 4 de dezembro do
anno pasiado, para o lim que a snpplicante re-
quer.
Dr. Adriao Luiz Pereira da Silva.Informe o
Sr. inspector da thesouraria provincial.
Francisco de Paula Barbosa.Nao tem logar o
pedido, em vista das ordens em vigor.
- 26-
Angelo Fraoeiso da Costa.Pasee portara no-
meando o sqppHcante para reger interinamente a
2' cadeira da villa de Floresta, com a gratifleacao
annual de 600*.
Informe o Sr. Dr.iuiz de direito da comarca
de Pi d'Albo, ouvindo o juiz municipal respec-
tivo.
Alexandre Flix dos Reis.Informe o Sr. Dr.
cuete de ir-Wia.
Canudo Moreira da CostaApresentando licen-
ca do proprietario Portado, conceda-se para o cor-
te de vintearvores, sendo esse servico a o da con-
duccao das madera feitas dentro de nm anno.
Padre Camillo de Mendonca Fuado.Infor-
me o Sr. inspector da thesouraria de fazenda.
Francisco Correia de Mallos.Informe o Sr. ge-
neral commandante das armas.
Francisco Cavalcante de Albuquerque Lacerda.
Informe o Sr. tenente-coronel commandante do
corpo de polica.
Jos de Moura Carvalho.Ao Sr. commandante
superior da guarda nacional do municipio de Pao
d'Alho para devolver o requerimealo documenta-
do do snpplicante, com o resultado da inspecco
da sade. que Ihe foi enviada com despacho de
15 de novembro de 1867, depois de satisfeil o
que foi determinado no mesmo despacho.
Tenente Joaquim Manoel de Castro Santos.
Passando recibo entregue-se.
Dr. Jos Suriano de Souza.Nao ha incompati-
bilidade no exercicio dos cargos oceupados pelo
sopplicante, o qual nao est snjeito a disposico
do art. 5 do regulamento de 21 de julho de 1866,
que diz respeito e especial aos empregados da
fazenda provincial.
J.aquim Alves da Silva Santos.Informe |o Sr.
director interino do arsenal de guerra.
Luiz Ferreira Bandeira de Mello.Se o suppli-
caute desiste da pretencao cuntida no requerimen-
to, a que alinde, entregue-se a patente mediante
recibo.
Manoel Fanas de Andrade.Encaminhese.
.Manoel Henrique de Souza.Seja posto em l-
berdade.
Porlirio de Albuquerque Magalhes. Informe
o Sr. Dr. director interino do Asylo de mendici-
dade.
Simplicio Ceciiano dos Santos.Informe o Sr.
regedor do gymnasio.
Tenente-coronel Sebastio Antonio do Reg Bar-
ros.Informe o Sr. inspector da thesouraria de
fazenda.
Tu Je Pinto Crespo.Indeferdo vista da in-
formacao.
Thomaz de Aquino Fonceca 4 CAo Sr. ins-
pector da thesouraria de fazenda para deferir, de-
p >is de apresentaeio o titulo original de alToramen-
to do terreno de marinha era que estao edifica-
dos os predios que se pretende vender nos termos
de sua informacao n. 628 de 22 do crrante e pa-
gos os dreitos nacionaes.
Coronel Alexandre de Barros e Albuquerque.
Nomeie se o eonselho.
Elyseu de Mello e Albuquerque.Informe o Sr.
conselbeiro director geral interino da instrueco
publica.
Caetano Estellita Cavalcante Pessoa.Informe o
Sr. m-peclor da thesouraria de fazenda.
. Abaixo assignado moradores desta freguezia de
Nossa Senhora da Graca da Capunga.Informe o
Sr. engenheiro chefe da reparliro das obras pu-
blicas.
barcado com alguma gente perlo da Colonia para
reunir se a Medina a Aparicio. A joma daquelle
pariioo esiabelecida em Bueooa-Ayres trabalhava
sempre coa grande actividad para remetter aos
seas geote, armas, e dnhairo.
De entre Ros apenas se noticia que o general
Gely y Obes flzera junecao coro o exereito do Pa-
ran coramandado pelo coronel Ayal, e que Upes
Jordn, esquivando-se a urna btala, se diriga
para a Paz.
DIARIO DEPERNAMBUCO
RECIFE. 2 DE OUTUBRO DE 1870.
noticias do sal do Imperio.
Hontem chegoa o vapor americano South Ami-
na trazendo jernaes da corle de 21 e 25, e da
Bahia de 27 a 29 do paspado.
BIO II\ PRATA.
Alcancam a 18 do passado as datas do Rio da
Prata.
Os blancos tinham desapparecido de dame de
Montevideo. No lim da tarde de 16 o viga do
Cerro telegraphata para a. capitana do porto qu3
nao avistava iniraigos. Apezar disso mantinha-se
na cidade extrema vigilancia e conservava-se sem-
pre guarnecidas as trincheiras. As folnas de 18
noticiara que fortes partidas blancas andavaui por
Santa Lueia.
O general Suarez, quem fo deferido o posto
de brigadeiro pelos ultimes combates, conservava-
se as iraraediacoes da capital por falta de cava-
Ihada. Annunciava-se, porm, que o general Ca-
raballo com 3,000 horneas e 5,000' cavallos gordos
para remonta, havia euegado a Mercadas, .para
abrir a campanha ao sal do Rio Negro deposita-
va-se grande oonflanca as operacoes que ella la
emprehander.
0 candaba Manco Lucas Moreno linha esem-
RIO GRAKM DO 3L.
Os jornaes do Rio Grande chegam a 18 do tor-
rente.
O resultado da volaco nos collegio* do Rio
Grande, Jaguaro, Cangussti, Piratiny e Bag para
eieicaa de um deputado assembla geral pelo 2
distrieto da provincia de S. Pedro era o seguate:
Dr. Mendonca. 87 voios
Dr. Silva Tavares. 39
No dia l4, chegara ao Rio Grande o trans-
porte Atice, procedente do Paraguay, teodo ao seo
bordo o general visconde de Pelotas. Ao seu des-
embarque assisiirem a cmara municipal, as au-
tiridades civis e militares, grande numero de
pessoas gradas e extraordinario concurso de povo.
Embandeiraram-se os navios surtos no porto e
ra Pedro II. No lugar do desembarque aehava-
se urna banda de msica.
A' noite illuminaram-se as casas dos quarteirdes
vsiohos a residencia do visconde de Pelotas, que
assistio ao espectculo dado em honra sua no
theatro, onde foi novamente victoriado com en-
ihusiasmo.
Dando conta desta festa no theatro diz o Diario
do fl Grande :
Subi o panno e apresentaram-se em scena
oito actores fardados e armadas em continencia ;
no centro ao fundo se ergua um tropho e sobre
elle eslava collocada urna eora de louros, segura
por dons anjos; no centro dessa corda lia-se :
Viva o kere de Aquidaban, tremulando sobre a
cpula uma bandeira nacional e circumdado todo
o tropho de bandeiras e o chao joncado de Odres.
Rompen entao o hynrno da victoria, cantado a solo
pela interessante menina Guilhermina Monteiro,
vestida de vivandeira; seu canto disperten geral
enthusiasmo.
Xo dia seguinte celebrou-se na igreja do Carmo
nm solemne Te-Deum pelo feliz regresso do va-
lente general.
Nesse mesmo da chegon ao Rio Grande, pro-
cedente de Pelotas, o marquez do Herval aflm de
abracar o sea companheiro de trabalbos e de glo-
ria. O visconde de Pelotas seguir no dia 16 para
a capital da provincia onde faziara-se preparativos
para sua recepeo.
A 13 chegara ao Rio Grande, desarvorado, o
brigue Imperial Marinhetro, noticiando que na
noute de 1 do corrente abalroara fortemente com
a escuna hollandeza Olio sahida do Rio Grande a
29 do passado com um carregamento de xarqae
para a Babia. O brigue soffrera grandes avarias ;
quanto escuna, suppunha-se que fura a pique.
Na occasiao do embate entre os dous navios, pas-
sararo de bordo da Orlo para o brigue aous ho-
rneas qne nio puderam dar inforraaQdes sobre o
estado do sao navio por estara noite escurissima
e reinar malte mo tempo. O capito do Imperial
Marinhetro assegurara que nm quarto de hora
depois do sinistro vira luz a bordo da Otto.
No dia 16 comecara a communicaco tele-
graphica entre a capital e a cidade do Rio Pardo.
A barca ingieza Villeta jue, como noticia-
mos, naufragara no Albardo, fra vendida em
praca por 950*000: o carregamento anda exis-
tente a bordo produzira 2:500*000.
Em Pelotas fra assas3nado na noite de 8 do
corrente o subdito portuguez Manoel Jos Barbo-
sa, raaior de 40 annos.
As 7 horas da noute, diz o Jornal do Com-
mercio teve a autoridade conhecimenlo da perpe
traco de um horrvel crirae, e dirigindo-se ao lu-
gar indicado, ah encontrou Barbosa esvaindose
em sangue, e gravemente ferido. Coudnzido o
corpo inanimado casa do Sr. Ambrosio Barbosa
Pereira, onde comparecen o Dr. Barcellos e tez os
primeiros curativos, o Sr. delegado de polica pro-
cedeu a um minucioso exarae na casa de negocio,
e tudo encontrou era desarranjo : lquidos derra-
mados, vela apagada, e um garrafo de grosso vi-
dro completamente quebrado. E nem um vestigio,
um signal seqner, que guiasse os passos da auto-
ridade. O infeliz Barbosa, apresentava nm olho
muito macerado, e na face, mo direila, braco e
pescoco, differentes e profundos golpes de peque-
as e grandes extencoes. Conclnio-se por hypo-
these que, estando, como realmente estava, Bar-
bosa embriagado, vicio a que nao era dad >, porm
aconteciraente possivel em qualquer trapecio,
cahisse, batesse com o rosto no garrafo e que
brandoo se ferisse daquella maneira, e que que-
rendo levantar-se com a dor tornasse a cahir,
inda ferindo-se na mo direita. >
A autoridade, entretanto, proceder a minucio-
sas pesqnizas, de cajo resultado d a folha citada
noticia nestes termos :
Foi preso e recolhido cada o individuo co-
nhgcido por Antonio do Telhado, filho do celebre
salteador Jes do Telhado, sobre quem pesam
graves suspeitas de autora ou de cumplcidade
no assassinato do infeliz Barbosa. Ha tres dias,
infructferamente procurava a polica esse indivi-
duo, cujos precedentes pouco recommendaveis e
certas informacOes, faziam-no alvo de sera des-
confianza, a prisao do indigitado foi effeetnada,
sem difflculdade, em casa de uma preta sua
araazia.
c Recolhido cada, o Sr. delegado nomeou
tres peritos para proeederem um exarae no cor-
po de Antonio, do qual resultou encontrarse sua
roupa manchada de sangue e em uma bota tam-
bera grande quantidade. Interrogado sobre tao
vehements indicio de culpabilidad, declarou ter
comprado e>ses objectos naquelle mesmo estad}.
Resposta eynica e inadmissivol, que era vez de
innocentar comprometi seriamente.
Antonio do telhado moco de 20 annos, ro-
busto, e dotado de presenca de espirito : responda
calma e framente. Perguutada a sua idade. disse
ter 16 annos I E' para admirar que em to tenra
creatura baja tanta esperteza ou ingenuidade.
Na casa da referida preta foi encontrada uma
faca de ponta virada. Em vista da natureza dos
feriraeolss que apcesentava Barbosa, para juigar
que fossera feilos por essa ou outra arma semelhan
te. Uma manta de pescoco encontrada no lugar do
assassinato foi pela amasia reconhecida pertncen-
te a Antonio. A' vista de taes indicios, quas nao
resta dnvida que foi Antonio do Telhado, apezar
das snas negativas, o nico autor desse brbaro
crime.
A mesma folha acrescenta posteriormente:
c Continuara a apparect r indicios que muilo
ccndemaam a Antonio do Telhado, indigitado au
tor ou cmplice do assassinate do infeliz Manotl
Rarbo/a. Hontem a amasia desse Antonio dirigi-
se cada e de fra da grade pedio-lhe dinheiro
para despezas. Elle mandn 5*000 em papel os
quaes estavam manchados de sangue. Denuncia-
da esta necurrencia ao Sr. delegado de polica,
raandou S. S. examinar a roupa de Antonio, en-
contrandose-lbe 1*500 em prata nacional, e uma
quantia de papel, tudo, e o bolso onde eslava esse
dinheiro tinto de saugue. Interrogado a respailo
declarou ter reoebido tal dinheiro do dono de uma
casa de molhados que indioou. Averiguada a al-
legacao, era completamente falsa e mentirosa.
o A' vista dos indicios que apparecera, Antonio
do Telhado est seriamente compromellido. >
PARAN'.
Sao d 19 do passado. as ujtitnas datas.
Xo dia 1 chegara eapital o prtjUam ix
provincia, voltaodo de uma digressio Mata.
Use no eztnme ie Dezembro a H -
agosio :
< Xo dia 22 do mez passado, Genaro-o A atoa .
Rodrigues, morador o Rio dos Pato, distrxtu aV
defPonta Grossa, ferio com ara tiro da patota a
um wu genro de noma Praneise as Chag.-w, qr
logo fallecen. A victima foi provocada na sa prn-
pria casa, e na luta qne entre este a sao asuma"
se travoa sabio este tambara ferido. Captura*-*
o criminoso, que est sendo processao.
III' i I>r JAMURO-
Na sessao de 23 Jo passado o senado oavi.
aos Srs. Souza Franco e Silveira da MotU *f*re..
crdito de 35,000:000* para e prafoogameote aV
estrada de forro de Pedro H.
Foi approvada, em 2 discnssao, e dispetwaca.
e intersticio para entrar logo em 3*, o projaet sa-
br o privilegio concedido aas engenhir* Paolr
Jos de Oliver e Joaquim Pires Carneiro Hoa-
teiro.
A cmara dos depotados nio fMeioaoa an*
das 23 e 24.
Por decreta de 21 da agosto oltimo .
Concederam-se as honras- do posto de corone;
do exereito em attencao ao* relevantes servico*
prestados na guerra contra o Paraguay, ao coro-
nel da guarda nacional da provincia do Rio Gran-
de do Sul, Severino Ribeiro do Alroeida.
Passoo a aggregado arma a qne pertenee, aa
conformidade das disposiodes- do art. 2 f l\ mo-
tivo 1, n. 2 do decreto n. 180 do de dezembro
de 1811, o lenenie-coronel commandante do
batalhao de infantaria, Jos Antonio de Oliveira
Botelhc.
Foi transferido para o 3.* bata hio de artilaaria
a p o capito do 5 da mesma aran, Praneisn.
Hay mundo Ewerlon Quadrost
Concederam-se as honras de diversos postas a
exereito, em attencao aos revelantes servico pres-
tado na guerra contra o govemo doParaguay, ao
individuos abaixo mencionado:
De major ao major reformado da guarda na-
cional de Pernambuco Jos Luiz Pereira. ao cani-
tao reformado do exereito Francisco Antonio Pe-
reira, ao ex-capito do 50* corpo de voluntario na
patria Manoel Joaquim Ferreira Simn.
De capito aos capites: do 23* corpo da vntaa-
tarios da patria, Manoel Eustaquio da Brito : a
30a corpo dito, Joaquim Franeisco dos Santo la-
go ; do 17* corpo de cavallarta da guaran nacio-
nal do Rio Grande do Sul, Adriao Antonio na
Abren ; ao 1* tenente reformado de engenheiro,
Luiz Francisco Monteiro de Barros.
De alferes ao 1' sargento do corpo policial a>
Rio Grande do Sul, Americo Jos Forado Tant-
borim.
De cirurgiao-ror de brigada ao eirorgiao-mr
de brigada de comraissao, Joao Pedro Jfadoro da
Fonceca.
Por portaras de 23 de setembro conceden-**:
Ao vgario collado da freguezi.i de Nossa Sa-
nhora da Luz da villa da Independencia, provincia
da Parahyba a diocese de Pernambuco, seis ma-
zas de iiceoca com o vencimento da respectiva
congrua, para tratar de son sade ; deixando sa-
cerdote que o substiiua, approvado poto reveraado
vigario capitular.
Por portara de 22 de setembro foram nomeaa*
Rodolqhe Hell e Jos Antonio Rodrigues Pereira
para conclusao dos trabalbos da planta do i
cipio nentro, recebendo o primeiro o* vene
tos marcado na (aballa que baixou com o deerrt
n. 2,922 de 10 de maio d 1862 para os aa^anaa-
ros de 2* classe, a o segando de >, tendo aman
transporte no mximo.
Por portara de 21 de setembro :
Foi nomeado o major Caetano Nones da Silva
para o lugar de thescureiro do collegio lia nal,
creado margem do rio Araguava, provincia da
Goyaz, com o vencimento annual 'de 1:200*000.
Foi exonerado o 1 tenente Joaquim de Pania
Martins, do lugar de director da colonia do Ro-
Novo, na provincia do Espirito Santo.
Por decreto de 6 do passailo foram condeco-
rados com os difiranles graos das ordens do Cru-
zeiro, de Christo, e da Rosa, ero remuneracao dos
relevantes servcos prestados na guerra contra o
Paraguaya, um numero avultado do offlcia e
pracas do exereito, da guarda nacional, de volun-
tarios da patria nao incorporados, do rjrpo e
sade. da reparti(V) eceL'siastica, e algnas a
paisanos.
Nao sendo possivel dar em ora s Diario todo a
nnmero de condecoracoes, comecamos por dar eo
["seguida Iodos os contemplados cora as ordens Cruzeiro e de Christo, e os mais graduados da oa
Rosa, reservando o restante para o nnmero sr-
guiute:
Ei los:
Ordem Imperial do Cruzeiro
Dignatarios.
Marechaes de campo, visconde de Pelotas, palas-
combates de dezembro de 1868, a das Cordilneira-
baro de S. Borja, idem.
Brigadeiro, Jos Luiz Menna Barrete, iVx
Her i-ulano Sancho da Silva Pe Ir*, idem.
Coronis, Manoel Deodoro da Fonceca, i-te.-i
H-Tines Ernesto da Fonceca, idem ; Rufino Ent-
Gustavo Galvo, de 21 Je marco a de dezembro i!
1868; coronel honorario, Fidtlis Paes da ">
de dezembro de 1868 a das Cordilhoiras.
OCficiaes.
Brigadeiro honorario bario de Itaqai, de daar^,-
bro de 1868 e Cordilheiras ; brigadeiro FreVn.
Augusto de Mesquita, de dezeml.ro le I8*8>
Coronis, Manoel da Cunha Wanderlay Lias.
idem e Cordilheiras ; Conrado Maria da Silva K-
lencoart, idem idom ; Manoel de Almeida Cama
Loso d'Eca, dem idem ; Carlos Betbes de Olivr.
ra Nery, idem idem; Jos de Miranda da Silva.
IVeis, de dezembro de 1864.
Coronis. Augusto Franei.-co Caldas, de dataa*-
bro de 1868; Severiano Marins'da Fonceca, ide u
e Cordilheiras; Franeisco Antonio Martins, idem .
tenente-coronel Antonio Joaquim Bacellar. ide-n.
Cavalleiros.
Coronis, Antonio Jacintbo Perea Jnior.
dezembro de 1868; Apolinario de Souza Trindaj*-.
idem ; lenles coronis, Alexandre Augnsto d;
Fras Villar, idem ; Jos Thomaz Goncalves, das
Cordilheiras; Manoel Lucas de Sooza, idem ; mi
Loureoco Viera Sonto, idem de dezembro de I8IM.
Majores, Antonio Jos de Moura idem; Jj >
Carlos Abada, das Cordilheiras; Frederieo Chris
tiano Buys, de dezembro de 1868 e Jas Cordilhei-
ras ; Floriano Vieira Peixoto, idem ; Felizardo An
ionio Cabral, idem; Heliodoro Francisco de Mee :-
zes, idem ; Pedro Jayme Lisboa, idem; lo Cfe -
rindo da Queiroz, de dezembro da 1868; J :
Theodoro Pereira de Mello, idem ; Adriano Xa
de Oliveira Pimental, idem ; Jos Simeo de 0-
veira, idem, das Cordiltaeiras e ltimos feito,: J -r
Gara Ferreira da Silva, das Cordilheiras.
Majores de commissao, Francisco Amor.:
Moura, das Cordilheiras; Antonio Cardoso Pereira
de Mello, idem; Antonio Eneas Gnstavs 6ai
de dezembro de 1868 Amphriso Fiallu, de 2 e 4
de maio e dezembro de 1868 e Cordilbaira.
Capites, Cali Augusto dos Santo Box\
dezembro de 1868 e das Cordilheiras; boa
Ferreira da Silva, dem idem; Manoel la Pea
ra, idem idem ; Aureliano Augusto de Aaevad.
Pedra, dem Idem; Antonio da Roen Baserr I
valcante,Wamdem; Roberto Ferroira da Usa
Sampaio, idera idem ; Manoel Bezerra de Ai-
querqna Jnior, idera idera; Jiaquim Rodrinrs
de Souza, das Cordilheiras ; Francisco de Pana
Lima, dem; Fernandas Alves de Menezes, idea ;
Uiiriqae Christiano Benedicto Ottoni, idea; ti-


Xn*





I
*ro Jo< Rodriga, de dezembro de 1868, Cordl-
JWras UKin^os; Lu Pejlreira de Maga-
LMiro,.,ta;.dezenibro de 1868; Manoel da
fetos
Sjh Rosa JiMOfe'jiJem ; Gandido Jbs'dY;SWa,
Capitie de wamtesao, Jos Pereira da Graa
JDaior, dem e Cordilbeiras ; Jos Mendes Jacqoes,
isOsrdili
,idem.
Tena^
zembro-j
maio de
detambn
heodoro Marones Ramos, idein o de-
S68; Angatn Zeidtnr, de 2 a 4 de
68; J >aqmm Amerieo de Morana, de
de 1868; Fetisbino aptist, dem ;
Francisco Engracio de Moraes, das Cordilbeiras;
Exequial Jos Rodrigues, de deatmbro de 1868 ;
Jos Joaquim Maiina Brrelo, dem o Cordiiheiras;
Marcianno Fernandos Gru, dem dem ; 2 len-
le Jos Pedro de Souu Queiroz, das Cordilhftras.
Alferes, Vielor Brrelo de Oiiveira, dem; Joo
Carneiro de Fontoura Menna Brrelo, dem; Er-
neUno Gloria da Costa, idem; Alfonso Augusto da
Sirva Pego, dem; Firmino Pires Ferreira, idem;
Antonio Bernardo de Figueiredo, idem ; Antonio
F**pe Nery, dem ; Gaspar Ribeiro de Atmeida
Barros, dem; Cesario Alvaro da Cost, idem ;
Joio Augusto de Pretal, idem de dezembro de
1848; Kloy Rodngnes de Menezes e Almeida,
idera; Joaqun Macnadb de Novaes, idem: Ma-
aoel Joaquim Gsbral da Silveira da Cunha Gudol
la. dem e Cortilheras: Antonio Mariano Teixei-
ra Brasil, idem idem ; Lydie Gomes Porto, idem
idem; 2 sargento Francisco Alves Fagundes, l-
timos faites.
Caba de esquada, Francisco Jos Machado, das
Cordilbeiras; Seraliin Rodrigues Goulart, idem;
msico Jos Francisco Celestino, idein; cirurgio-
mor dediviso Dr Polvcaipo Ceaano de Barros,
de dezembro de 1868. '
Urde* de Christo.
Commondadores.
Brigedeiro Emilio Unz Mallet, pelos combates
do dezembro de 1868 Cordilbeiras ; coronel D.
Jos Beltbazar d \ Silveira, idem de 24 de mareo e
dezembro de 18*8; dito honorario" Joe de Olivei-
ra Bueno, idocn de dezembro de 4868 ; teneaie-
eorooel Manoel Aotoaio da Cruz Brlbaale, idem ;
cirurgiao mor de brigada Dr. Domiagos Rodrigues
Seisas, idem.
Cavalleiros,
Majores, Joio Jos de Moho, palos combates de
II de margo e .ieaerabro de 48*8; Antonio dos
autos Lootra, Mam dezembro de 1868; Vasco do
Nascimenlo Lima, idem; Modesto Antonio Coiho
de Oliveira Netto, idem; Pedro Amonio Das,
idem; Maneel dos Sanus Cardoso de Meneies,
ern ; Daniel da Costa Leite, idem ; Antonio Al-
*es da Fontoura Requinto, iiom ; Duarte Jos de
Oliveira, dem.; Con^toetino de Souza, idem ;
Luiz Augasio Coiho Cintra, idem de 8 de maio e
dezembro de 1*68 ; Graciano da Costa Pacheco,
*dem dezembro de 1868 o Cordiiheiras: Jo
Jos do Bruce, idem das Cordiiheiras; Luiz de
Beaurepafre Roban, idem; Jos Mara de Almeida
Gama Lobo d*Eca, idem ; Manoel Valentina dos
Santos, idem ; Antonio Mariano Pimeuiel, expedi-
do a vla de S. Pedro:; Francisco Gomes Macha-
do, idea; Nicolao Falkeabaeh, dem do general
Portioko ; Francisco Xavier de Godoy, dem das
Cordilbeiras; fr'raaeisco Pedro Serlorio Leite,
idem.
Capitaes, Joo Lniz 6omes, idem do-8 de maio e
dezeihfero de 1868 ; Galdino Antonio d* Silva
Freir, idem de dezembro de 1868 ; Antonio Be-
zerra CabraL idem ; Francisco Gomes Patricio,
dem ; Augusto Hin- Goncalves, idem ; Sabino
Sidonio Alve< de Castro, idem; Polyearpo Jorge
de Campos, Idem; Valerio Rsdrigues de Almeida,
dem; Jos Moreira da Silva Menezes Jnior,
dem; Bernardo Garca Borla de Araujo, idem ;
Joao Carlos de Mello e Soutt, idem ; JooFrao
cisco Pereira dos Santos, idem; Silvestre Antonio
Pereira de Serra, idem ; Candido da Silva Lopes,
dem ; Pranciseo fos Pereira de Abren Hacellar,
dem : Jos Antonio Rodrigues de'Freitas, idem ;
Antonio de Freitas Saldaaha, idem ; Joao Mara
dos Santo*, dem ; Raynmdo Nonato da Silva,
idem ;* Antonio Jos de Andrade, idem ; Joo
ThoodoiRtro da Costa Moateiro, idem ; Antonio
Augusto de Moura Novaes, idem ; Jos Joaquim
de Mao-do Costa, idem : Joo Nones de Arauj
Sodr, id :n ; Manoel /aqaim Ferreira 6imes,
idem; Til orn Pires Cernir, idem ; Hermenegil-
do Gomes de Castro e Mllc, idem ; Manuel de
Paula Redrignes, dom ; Herminio da 0>sta Nu-
nes, p mos Mos ; Clemente Jos Ferreira, idem de de-
zembro de 1868 ; Gratalino de Araujo Costa,
idni; Ignacio Lwpoldian^ de Andrade, idem ;
Luiz Aagusto Mximo de Santiago, idem ; Anar
Xavier Vianna Ja lior, idora ; fistevo Joaquim
de livein Santos, idem ; Manoel Clementino Car
neiro da Cunb.i Aran'ia, idem ;' Carloj Machado
de BitteiiMurt, idem; Silverio Jos da Crn?,
idem ; Jo< Ignacio de Andrade, idem ; Felisberto
Olintlio Caideira da Fmtonra, idem ; Joo da
Costa Maia, idem ; Germano Julio da Silva, idem ;
Paulino C.i taro de Soma, idem ; Joo Soares
Neiva, iie-.ii : ('arlos Manoel de Lima, idem; Jos
Mari.i Epai inondas de Arruda, dem ; Germano
Jos da R>a, idem ; Jos da Costa Pellado, idem :
Cpal )6,v Caries de Araujo, idem ; Luiz Carlos
Barrete Pereira Pinto, dem ; Geraldioo Gomes
Pach i:;, dem ; Jos Antonio Pereira de Noronha
e Silva, idem ; Jos da Cesta Montelro, idem ; An-
tonio enren da Fouseca Lessa, idem ; JosLon-
guinh'. da Costa Leite, idem ; Joo Baptistade Al-
meida, idem; Dionysio Jos de Oliveira, idem ;
Bernardo A nenio de Quadrcs, idem ; Felisbino
Amonio Mendos, idem; Bonifacio d Oliveira Mello,
dem ; Mauricio Julio da Costa, idem ; Servulo
Haronee P.^ro-o, idem; Victor Jos Cardoso,
idem ; Laurindo Jos Ja Silveira, idem ; Antonio
Mximo da Silva, Idem; Alfonso Firmo Pereira de
Mello, idem; Joo Antonio de Oliveira, idem e
Cordilbeiras; Joaquim Jos de Mello, idem ; The-
mislocles de Orange Reis Lima, idem ; Ravmundo
Joaquim Pinheiro Homem, idem; J Gama, luera ; Jos Jorge Peroucho, idem ; Nicolao
Ignacio Carneiro da Fontoura, idem; Lino Au-
gusto de Carvalho, dem ; Luiz Psreira Duarte,
dem ; Manoel Jos FernaooVs Ribeiro, idem ; Pe-
dro Pires de Almeida, idem ; Jos da Rocha Ca
arfo, idem Antonio Joaquim da Cost Guima-
rae.-. dem ; Vasco Mara de Azevedo Freitas, |
idem ; Antonio da Cruz Piegas, idem ; Pompio
na Rocha Moreira, idem ; Francisco Candido Tei-
seira, ilem Manoel Easlaquio de Brito, idem ;
Patricio da Cost Nuoes, dem Joo Olavo Car-
neiro da Fontoura idem; FredericoSoln de Sam-
paio Ribeiro, idera; Leoncio BranciscoGongalve?,
idem ; Ismael Soares de Sonza, idem ; Orlando de
Oliveira Jacques, idem ; Joo Jos Amado, idem :
Jos Xarier Cauterio, idem ; Vidal Ferreira Pres-
tes, idem ; Jeronyra Francisco Colhs, pelos com-
bates das Cordiihbiras ; Alfredo de Escragnolle
Taunay. dem ; Jos Siraeo Torree, idem ; Cesa-
rio Alve deOlieira, dem ; Joaquim Jos Bap-
lista, idem ; Amerieo Rodrigues de Vasconcellos,
idem; Bernardo Joe Vas.iues, idem ; Jos ap-
les feflea de Menezes, idem ; Bernardina Antonio
dePaiva. ilem ; Constantino Martins Fernandes,
idem ; Francisco Victor de Mello Albuquerque,
idem ; Alberto Julio Rmetro de Barros, idem ; Jos
Braulio de Almeida, id m ; Antonio Delphino Lei-
te de Cerqueira, idem ; Jos Amonio Lopes da
Silva, idem ; Manoel Antonio Leite, idem ; Luiz
Rodrigues de Morae< Jardftn, Idem ; Gandid da
Costa Leite, idem ; Manoel Leoncio Sonto, idem ;
Francisco Ignacio de Carvalho, idem; Fernando
Scbneider, idem ; Jos Marque Ribeiro. idera ;
aiilico Ignocio de Carvalho, dem ; Jos Alexan-
rede Brito, pelos ltimos feitos; Antonio Candido
de Azambuja, idem ; Joo Pedro Nunes, idem ;
Joo Manoel de Oliveira Mello, idem de dezembro
de 1868 e Cordilbeiras ; Miguel Vieira de No-
vaos, idem ; Joaquim Luiz de Lima Filho, expeili-
cao do general Porlinho, e combale de 91 de jnlho
de 1869 ; Serapbim dos Santos Jnior, combat
de dezembro de 1968, C iriieiraa e ltimos fol-
ios ; Jesulno Antonio da Silveira, etpediieo
Mlla de S. Pedro ; Joaquim Tbomaz Cardoso de
Ueilo, dem ; Antonio Raymundo Lins Caldas,
pelvs combates de Corrientes, Riachuelo, Passa-
aera de Mercedes e Coevas, e combate de 16 de
abril de 1866 ; Antonio Lniz da Cunta, ataque de
Paysandn o combate de H de maio de 1866.
lente^, Laurentino Pereira de Vasconcellos,
combate de 8 de maio e dezatohro de 1868; Jos
Apolmano uimares, idera ; Jesnino Deoc'eciano
de Sotua Brnno, idem de 2 e 4 de maio, deiem-
bro de 1868 e Cordiiheiras ; Antonio Jorge Mo-
rara, combates de 2 e 4 de maio e dezembro *
toS; Manoel Francisco de Abreu, dezembro de
Carlos .Antonio Espinla, idem ; Antonio
,
ltri de Mi-
cisco das Ckagas Pibeiro, fdem
randa Pinheiro \ Cupha, ide/n ;' Antoaio Gald
n ; Jo ,eiie,
;dem : Honorio Clementino Marinis "ideta "Frra-
imo Centeno Botes, ilem-; Pacifico-Gularte Pin
So, idera ; .Manoel duCastro.Pinheiro, idem ; Je>
. remias de Araujo Costa, idem; Thomaz Jos Al-
! tenente Jos Faosttno de Li: yes, idem; Jos Garlos dniiirmo, idem ; Chris-
, _. ano Limp dem; Joaqtiiri' el9hiadejtrreira
Lobo, idem; Rufino ReirigSes
-, pa-
os coooaw das Cordiiheiras ; dito honorario, ba-
rao de>enalva, idert e-teembro rt 1899 ; coro-
uel Lniz los Pereira de Carvalho, pelos de do-
Torres, idem ; Manoel kQti&tJ 'raMaro da 18oS diu Maopel Cjffiaao de Urea,
Luiz Joaquim de Aimeida-AmU lieem- e Corililheiras: dte Dvninvos Rodngoee
Sodrigoes Seixas, idera ; dito Joo Francisco Jar-
dim, dem; dito Jos Ferreira da Shva Jnior,
idem ; tenenlecoronel Joo Sabino Sampaia Jp-
na Brrelo, idem e das Cordiiheiras; dito Justino
yhiao da Rocha, ueloa de dezeabro de 1868 ; dito
Antonio Tihurcio Ferreira de Souza, petos de 2, 4
e 8 de maio, dezembro de 1868 a Cordilbeiras; ;-
rnrgto mor de divio Dr. Franclsed Rodrigues
da Silva, |*elo das Cotddljeiraa; itu de brigada
Manoel Jos de Oliveira, peto de dezembro de 1868;
1 irurgio Francisca Jos Dana, idem;
--------- ,'GuljBl'iiem;
Proemio fjoiges de Mallo Fhd.idbm : francisco
Vaz Ferreira, idea ; Victoriano Jos Das Caldas,
Jnmor, petos eoabates de dezembro de 1868 ;
Tito da Conha Rodrigues, idem; Joo fcrfeno de
Jess Ptaoco, ideen ; Fraaeisco Salustlaao da Sil H
va, idamjJos Rodrigues de Freltes, idem; Fr*-
zao Gomes de Cartalho, Htm ; Ffaneisco Servulo
de Oliveira Piolo, dem ; Jlo Evangelista de
Santa Anna, idem ; Joto Pereira de Lacena, das
Cordiiheiras ; Torquato de Souza Ramalbo, idem;
Francisco Osorio
da Cunta, idem ;
saut, idem; Antonio Francisco Pessoa, idem
Emita Jayme de Figueiredo, idem ; Antonio Joa-
quim Gongalves, idem ; Joaquim Felicissirao do
Reg Barros, dem; Joaquim Ferreira Lima, idem;
Joaquii Pedro do Rogo Barros, idem ; Vicente
Ferreira de Lorena, idem ; Jos Vicente Luiz da
Silva, idein ; Doiuiegos Copdeiro Mendos, iderai;,
Jos Florencio de Toledo Ribas, ioem i Luiz dos
Santos Menezes, idem ; Anacido Mariios, d OJi-
veira, idem ; Thomaz de Aquido Teixeira, dem ;
Sevorino Goncalves da Silva, idem i Manoel de
Carvalho Paes de Aodrade Goudiotin, de 2 de
maio de 1868 ; Boaveninra Soares do Amaral, ol-'
timss [fitos ; Anacido Francieco dos Reis, idera (l
Pedro Jos do Lima, idem 5 Jos Mara Marques
Cesar, idem ; Tristao Florencio do Santos, expe
dico vilh da Conceicao ; Giariaeo Garcez e
Souz, idem ; Joaqnim Jos Avetino, idem villa
de S. Pedro.
1. lenles: Ravmundo Ribeiro do Amaral,
de dezembro de 1868; Fraaeiseo Peixoto deAbreu
e Lima, idem ; Sebasliar, Dalsio Carueiro da-Fon-
toura, idem ; Patricio Jo*e Tefaeira, idem; Anto-
nio de Vasconcellos Jardird, -iera ; Joio arreto
Picaneo da Costa, idem; Joa Jo de Toledo Ri-
bas, dem; Antonio Olvmpio da Silveira, das Cor
drliieiras; Elydio Fernando da Silveiraidera; J^
s Theophilo Cardo*., idem; Jos Beato Pereira
Tobas, de dezembro de 1868 o Cordiiheiras; Za-
ferino JosTeixeira Campos, idem idem.
Alteres, Manoel Nogueira dePaiva, idem idem ;
Jeronymo Antonio Joaquim de Araojo, idem idem;
Jos Francisco Alves DunrTe, idera idem; Poaoia-
no F.'nvira de Souza, idem idem ; Aumbal Anto
Prisco Servulo, Idem idem ; Francueo Ignacio de
Meirelles, idem idem ; Pedro Airea da Cruz, idem
dem ; Manoel Jos Elvas, dem idoin; Ignacio
Francisco de Albuqnercue Figaeiredo, idem dem ;
Liberato Pereira da Costa, idem idem ; Joaauirn
Rodrigues Pereira, idera idera Mnoel Rufloo
Cariiewo. idem idera; Jos Theodoro Pereira de
Mello, idem idem ; Carlos Maia da Silva Telles,
dem dem ; Thomaz de Aiioino Villa Nova, idem
dem; Jos Rodrigues Bemnca, idem idea ; Luiz
de Quadros, idem idem; Acacio de Faria Correa ;
dem idem ; Lupo de Almeida Heoriijue tatela* e
Mello, idem idem; Joo Baptsta de Souia, idem
idera; Lourenco da Cost Ferreira, idera idem;
Augusto Becker, idem idem ; Joo Francisco Gai-
maraes Jnior, idem dem ; Manoel da Cunha Al-
buquerque, dem ilem; Seraflm Machado da Ro-
sa, idem Idem ; Joaquim Antonio de Alencastre,
Alumno pensionista Francisco
de.detembw e>.68.
laJtha
de Parid- Berra,
Jar di m. das
l^^artentos: Elisio Francisco doCarm idem;
Joio lteme OHvetra, idem. a>
i* cadete liaphael Augusto da
abo JJesaitadtt Joo
oepecaUa Joa*Paulo
Idados Joe Brrelo,]
as, idbm ;.)|e1loFra
rim JiojflpAalooio
I Pereira^
Onlm m
Kw'nijeat-
Auto da ilva Ootmares,
'.Cornela"
Briadeir Jos
Cunha Mattos,
pj ariWo, idem.
porreia, dem,
sm) Franelscb Cae
' doa Reis, idem.
.eiisj, ioem.
i Sanios, idera.
Dsa.
Dr. ]*& Cardos<> d Costa Lobo, idem ; Dr.
^-tCM*r1B-i08>,idem Dr. Jos aria de
o rernandes. peles de dezembro d> 186$
diW de commisao Dr. Jos Theodoro da
Iva Alambuja, pelos servlcos no ho.bria1 de
obtevldo. '
Santos
Es-
Pharmaceuticos alferes: Seraflm dos
gi)uza, DfJcsde dezembro de 1868 : Antonio
leveMpcoBdj de Gouva, idem.
CifBao eoaago Seraflm Gonotltee Paseos de
-Miraada, dem.
Cafello padre Fortunato Jos de Souza, Idem.
Aqdtor de erra Dr. Melcades Augusto de
Azeveu Pedra, Idem e Cordiiheiras.
Cavalleiros.
Majores : Carlos Augusto da Cunha, pelos de
Luiz Cario Mariaaao da
dezembro de 1168
idem idem ; Victor ios de Figneiredo Neves. idem
idem; Francisco Antonio de Souza, de i e 4 de
de maio, dezembro de 1818 e Cordiiheiras ; Pedro
Antonio dos Santos, de 8 de maio, dezembro de
1868 e Cordilhemas; Antonio Julio da Boa Sorte,
de 2 e 4 de maio, dezembro de 1868 e Cordihiei-
ras ; Julio Cesar dos Reis Falco, 2 e i de maio,
dezembro de 1868 e Cordiiheiras; Marciano Au-
gusto Boteiho de Magalhes, idera idem idem;
Joao Jos Tarouco, expedico Villa-Rica ; Anto-
nio Cordeiro Cavalcante, Cordiiheiras e ltimos
latios; Rogerio Mithias do Espirito Samo. Cordi-
lbeiras ; Joaquim Cavalcante da Silva Bezerra,
dem : Joaqun Goncalves Gomde, i Ferreira da Franca Velbso, idera; Jos Francisco
Pereira, idem; Jos Daraasceno Rotado, idem ;
Joao Nuoes de Silva, idem; Epphamo de Araaj
Caldas, idem ; Iriaeo Barbaho Bezerra, idem;
Joaquim Ferreira da Cunha Barbosa, idem; Joa-
quim Alves das Neves, dem; Manoel Rodr goes
das Chagas, dem ; H iranio Vieira da Smza,
dem ; Lzaro Vieira do Amaral, idem ; Luis An-
tonio Gonzaga, idem; Silvano Praueieea Alves,
idem ; Luz Antonio Gonzaga, idera; Ciaudino Ma-
na de Oliveira Cruz, dem; Thhodoro Mauricio
Wanderley, dem ; Raymuodo Nonato Pinheiro de
Freitas, idera ; Poriirib Augusto de Almeida Por-
to, idem; Herioes Correa de Moraes, idem ; Joa-
qnim Apulinario da Costa Doria, idem; Antonio
Tertuliano de Carvalb idem ; Joaquim Cavalcan-
te de Albuqoerque Bezerra, idem; Joremins de
Lima e Almeida, idem; Gil Antonio Marques,
dem; Pedro Goncalves de Carvalho Ferraz, idem ;
Antonio Feliciano Pimenta, idem; Mathias Jos de
Souza Ribeiro. idem; Pauto Pinto Auto Rangel,
idem ; Francisco FranceliBO de Lima Peres, idem ;
Luic da Molla Ribeiro, dem; Manoel Rodrigues
Gomes de Carvalho, idem Joo Ignacio de Sou-
za Valente, idera ; Braulio de Oliveira BranUo,
idem; Quintino Francisco Guiarle, idem ; Pe-
dro Marques Nogueira, idera ; Servando Gomes
dos Santos, idem.; Candido Jos Antuoes, idem ;
Rodoipho Schneider, idem : Antonio Maria Pereira
do Lago, de dezembro de 1868; Jos Augusto da
Frota Menezes, idem; Aristides Jos Benedicto,
idem ; Antonio Leal de Miranda, idem ; Isidoro
Moreira Bsrreto, iaem; Eutchiano de Vasconcel-
los Odilon Pacheco, fdem; Luiz Porella, idem
Juvenoio Rodrigues Coutinho, idem f Francisco
Soares Neiva, idem ; Joo Rodrigues de Faria,
dem ; Joaquim Caadido de Vasconcellos, idem ;
elphiao Tavares da Silva Das, idem; Antonio
Mariins Correa, idem ; Manoel Gabriel Pereira de
Lyra, idem; Braulio Fernandos Pessoa, idera;
Goncalo do Carmo Lisboa Rocha, idem; Joo Pe-
reira Maciel Sobrinho, idem ; Firraino Lopes Reg,
dem; Angelo Jos da Silveira, idem ; Francisco de
Paula Andrade, idem; Hortencio Fortdnato dos
I Santos, dem; Joo Paulo Correa, idem ; Joo
Augusto dos Sanios Vilal, dem idem; Jacques Hen-
nques de Simons, idera ; Telesphoro Ricardo da
Silva, idera:; Alexandre Pereira Garcia, idem; Jos
Soare3 de Souza Fugo, idera ; Manoel Pintada Cos
ta Brando, idera ; Jos Lourenco de Vasconcellos
Chaves, idem; Eweraldioo Martins de Menezes,
dem ; Adeliao Rodrigues da Rocha, idem ; Luii
de Ohvmra Goytacazes, idem ; Maximino Augusio
Carneiro, dem ; Benedicto Ribeiro Datra, idem ;
Jo o Capistraao de Oliveira, idem ; Jos Quintino
Gomes, idem ; Antonio de Bastos Varella, idem ;
Joaquim Maria da Cunha Reg Lopes Ferraz, idem;
Jos de Miranda Ferreira Campello, idera ; Fran-
cisco de Aquioo Aguiar Nunes, idem; Joao da Pon-
ceca Varella, idem ; Boavenlura Senandes, idera ;
dem ; Manoel Refino de Camargo, idem ; Floren-
cio Pereira Garcia, idem ; Antonio Cesar Martins,
dem; Francisco Antonio de Azevedo Jnior, dem;
Jos ceSouza Brasil, idem ; Gerardo Franeisco
Cordeiro, idem; Graciano Amaro da Silveira, idem;
Manoel da Silva Soares, idera ; Franco da Silva
Bueno, combate das Cordilbeiras ; Alfredo, Vicen-
te Martins, idem ; Alfredo Fernandes Dias, idem ,
Silvio Barroso de Carvalbo, idem ; Hygino Martins
de Almeida, idem ; Francisco Antonio de Al varen-
ga, idem ; Raymundo Maria de Carvalha, pelo cora-
bate de 22 de ceterabro de 186 ; Alexandre F-
lix de Alvarenga Salles, pelos de 8 d maoe de-
zembro de 1868.
9. tenentes, Carlos Angosto Pinto Paeea, com-
bata de dezembro de 1868 e Cordiiheiras ; Emyg-
dio Ores les da Silva Torres, dem ; Theodoro Alves
Fernandos de Andrade, de dezembro de 1868 e
Cordiiheiras ; Joaquim Alvaro Pereir, das Cordi-
iheiras ; Tobias Carlos Coibra, idem ; Luiz Rapal
lo, idera ; Joio Rodrigues Moreira dos Santos, Ve-
rissimo Serro Boteiho, pela expedico do general
Portioho.
de
^ i -*
Rento M, oeiro Touriniio, dem ; Manoel Jos Pin-
to, dem ; Herraes Jo- Barata de Almeida, idem ;
Francisco Marques de Oliveira Brito, dem ; Jo-
Oeraldo G enes 'lom e Cordiiheiras; Cario-- Lniz
de Andrade Neves, idera ; Quintino Vieira da Sil-
va, dem ; i s Alejandre Smdes Pires, idem ;
taustino Loii da Silveira, idem ; Alexandre Fran-
cisco dai Costa; idem ; Joio Severiano Maeie! da
ti?' 'T Pfbl0 Wenceslao Gdmes de Car-
vaino, iaem ; Jos Pinto Baleos, idera : Fran-
cisca Alw* Pereira Junto, idem; Joo Thomaz
Oupertin >, dem ; Antonio da Cost Guiraaros,
dom; Roinao da Hora Silva Maciel, idem ; Fran-
Cirurgiao-mr de brigada Dr Antonio Luiz
Souza Seixas, de dezembro de 1868.
I." cirurgioes, Dr. Francisco Homem de Carva-
lho, idem ; Dr. Flix Moreno Brando, idem.
I.** cirurgioes de comraisso, Joo Antonio da
Silva Marques, idem e Cordiiheiras; Antonio Pe-
reira da Silva Guimaraes, id^m ; Dr. Joaqnim Ni-
colao Mariani, das Cordiiheiras.
1.*' cirurgioes contralados : Dr. Domingos Jas
Freir Jnior, de dezembro do 1868; Dr. Lino Jos
Pereira, idem ; Dr. Odorieo Firmo da Rocha, idem;
Dr. Augusto Cesar Torres Brrense, idem ; Jos
Porfirio da Mello Mattos, dem; 'Henriqne Thomp-
son, idem e Cordiiheiras.
2 o* eirurgiSes contratados : Dr. Arch minio Jos
Correia, dem Joaquim Estanislao da Silva' Gaa-
mo, das Cordiiheiras; Joaquim Jinuano d n San
tos Pereira, de dezembro de 1868 ; Jos Dias de
Almeida Pires, idem; Cirios Augusto Flores, idoro;
Manuel Pereira Cabra! Jnior, idem.
Pharmaceuticos alferes, Luiz Jos Ferreira de
Mello, idem ; Joaqnim Rodrigues das Cotias idem1,
Nicolao Peixoto de Oliveira, idem ; Orlando Fran-
cisco da Silva, idera ; Vhoraaz do Lemos Vianna
Filho, idem ; Joo Eduardo de Macedo, pelos lti-
mos fetos.
Commendadores.
Coronel Joio Antonio de Oliveira Valporto, pe-
los combates de dezembro d 1868 e Cordiiheiras :
o de eommisso, Antonio de Miscareniw Ca-
mello Jnior, idem ; tenenlecoronel Isidoro Fer-
nandes de Oliveira, idem; dito Augusto Cesar da
Silva, idem ; dito Jos Joaqnim de Lima e Silva,
pelos combates de 21 de marco e dezembro de
1868: dito Manoel Jos de Medezes, pslos de 2 e 4
de reare* e dezembro de 1868; dito Franeisco An-
tonio de Moraes, pelo das Cordiiheiras; dito Jos
Maria de Alenca-tro, pelos de dezembro de 1868;
oito Franeisco Bibiana de Castro, idem e nliiraos
feitos; dito Jos Gabriel de Lima, expedico do
general Porlinho, e combate de 21 de julho de
1869; dito Carlos Antonio Pereira de Macedo, pe-
los de dezembro de 1888 e Cordiiheiras; dito An-
tonio Pereira deDlivera, idem.
Majores : Antonio Pedro da Silva, petos comba-
tes de dezembro de 1868 e Cvdilheiras; Julio
Anacleto Falcio da' Frot, peto de 2 de maio de
1868; Joo Nepomnceoo de Medeiros de Mallet.
expedico sobre o Curugnayly e Iguatemy; Joo
Baptisia Brrelo Leite, pelos de dezembro de 1868;
Jos amonio Alves, pelos das Cordiiheiras ;-Eu-
doro Emiliano de Carvalho, dem ; Jos Thomaz
TheodorieoGoncalves, idem; Ertesto Augusto da
Cnnha Mattos, idem.
Canites: Sebasiiao Raymondo Ewerton, pelos
de 2 e 4 da maio de 1868 ; Franklin Tubinamb
Maribondo da Trinda'de, pelos de dezembro de
1868, e ltimos feitos : Francisco de Paula Perei-
ra. pelos de dezembro de 1868.
Tenentes: Antonio Jubo de Medeiros Mattos,
idera, e das Cordiiheiras'-, Firmino Jos Esordola,
peios de 2 e i de maio e dezembro de 1868; Ono-
fre Jos Antonio dos Sanios, pelos de dezembro de
1868 e de Cordiiheiras.
Alferes: Sebastio Malhado da Silveira, pelos
de dezembro de 1858; Jos Emiliano Claro de
Sant'Aona, idem ; cirurgio-mr de brigada Silve-
rib de Aodrade e SHva, lem ; cirurgioes : Dr.
Joao Severiano da Foneeca, idem; Pedro Gomes
de Argollo Ferru. idem ; capello padre Luis Jos
dd Oliveira Diniz, idem.
Offijiaes.
Coronel Carlos Resin Pilho, pelos combates das
Cordiiheiras.
Teaeiites-coronis: Manoel Joaqnim Garcez Ca-
Iwlleira, pelo de 3 i!e setembro de 1866 Joao
Francisco Ilha, pelos de dezembro de 1868; Israel
Ramiro da Silva Sonto, idem Roberto Adolpho
Chedasiewiez, expedico villa de S. Pedro ; A-
gosiinho Marques de S, pelos de deiorabro de
1868 e Cordilbeiras : Jos Lopes de Oliveira, pelos
iifi dezembro de 18(58 ; Joi* Cleseete Godinho,
dem ; Jos Angelo de Morae Rej(o, idem e das
Cordiiheiras.
Majores : Vasco Mara de Azevedo Frailas, idem
e ltimos feitos; Joaqnim Nones Garcia, ltimos
feios; Basilio de Amorim Bezerra, pelo combate
de 8 de maio de 1868: Joaquim Joe de Maga-
Ihaes, pelos de 2 e 4 de maio de 1868; e ltimos
fenos; Jos de Almefda Barreta, pelo de 21 de
?868 ; Domingos Alvos Brrelo Leite, pelo de de-
zembro te 1368 ; Manjel Azevedo do Nascimento,
nllimos feitos; Joo Luiz Tavares, idera) Francis-
co Borges de Lima, pelos de dezembro de 1868 e
Cordiiheiras ; Joo Neporouceoo da Silva, expedi-
co sobre o Coruguaty e Ignstemy, e combate de
118 de novmbro de 1839: Francisco de Assis Gui-
maraes, dezembro de 1868; Augusto Alvaro de
Carvalho, dem e ltimos feitos ; Solero de Castro,
dezembro di 1868; Carlos Magno da Silva, idum ;
Herculano Martins da Rocha, ilem ; Diogo Anto-
nio de Barros, idera ; Amerieo Antonio Cardoso,
idem ; Manoel Ferraz Pedreira, idera ; Fortunato
de Crapos Freir, idem, Manrel Antonio Rodri-
gues idem e Cordiiheiras; Jorge Lopes da Costa
Moreira, dezembro de 1868 ; Antonio Augusto
Sarment de Mello, dem ; Manoel Maria Ca-
miso, d?m; Jos Rodrigues, idem ; Antonio
Marques Franca, i Jem; Antonio Vieira de Ma-
eedo, idem; Francisco Correa de Mello, idem ;
Felcio Paes Ribeiro, idem ; Pedro Guilherme
Mayer, idem ; Bento Luiz da Gama, dme Cor-
diiheiras ; Joio Baptista do Reg Barros Ca-
valcante de Albuquerque, dezembro de 1868 ;
Jos Joaqura Cesar de Mello, idem ; Cvprino Jo-
s Pire* Fortuna, idem ; Manoel Jos Pereira Jn-
flior, idem ; Antonio Candido Salazar, idem: Adol-
pho Sebastio de Atahyde, idem; Sebastio Jos do
Canto, idem ; Joaquim Antonio Xavier do Valle,
dezembro de 1868 e Cordiiheiras; Israel Rodri-
gues de Almeida, idera, idem ; Pacfico de Vargas,
dem, idem ; Joaquim Antonio Ferreira da Cunba,
combale das Cordiiheiras; Francisco Villela de
Castro Tavares, idem; Joaquim da Costa Reg
Monteiro, idera ; Luiz Jos Ferreira Jnior, Idem;
Joao Gongalves Baptista de Moura. idem ; Fracis-
co de Lima e Silva, idem ; Joo Diogo dos Reis,
idem ; David Garcia de Vascencellosr idera ; Pri-
mordio Centeno de Azambuja, idem ; Jos Luiz
da Cost Jnior, idem ; Genuino Cesario Nunes,
dem ; Jos Joaquim T-?ixeira de Mello, idem e de-
zembro de 1868.
Capiles: Jos Pedro de Alcntara, pelos de 2
e i de maio de 1868 e Cordilbeiras; Nelson Jansen
Muller, idem ; Joo Lucio da Silva Mergulhio,
pelo de 21 de marco de 1868 ; Luiz dos Res
Falco, pelos de 2 e 4 de maio de 1868 ; 'Antonio
Francisco da Costa, dezembro de 1868 e ultimoa
feitos ; Bento Augusto de Almeida Bicudo, pelo do
21 de marco de 1868; Franeisco de Paulo Ar-
gollo, dem ; Firmino Jos' Correa, dezembro de
i8o ; Amaro Antonio da Silva, idem ; Luiz Ra-
mos Pereira daQneiroz, idera ; Jos Francisco da
btlva, dem e Cordiiheiras ; Jos Alexanare Nones
^e Mello, dezembro de 1868 ; Joaquim Manoel de
Mejeiros, dem ; Joao Domingos Ramos, idem ;
, S ^a Pdula P^ado. idem ; Sergio Gon-
calves de Carvalho. idem ; Joo Pereira Rebou
cas, idera ; Candido Alfredo de Amorim Caldas,
dem; Manuel Franeisco Soares, idem ; Luiz An-
tonio de Miranda Freits, idem ; Candido Jos
Coeiao de Moura, idem; Manoel Rodrignes de
Macedo dem-Jos TbOm Salgado, idem;
rio Ribe.ro de Freitas, idem e Cordilbeiras ; An-
ton.o^oes Pimentel, idem: Raphael Fenan-
!l!?l,Tm?T'm o-de Asavedo
Terrn S Juha, Gesif da Fonceca, ideal;
Rae? idm ^ <,era; Carl06 Fr^riw *
ES- iJi,'^ L088 **rd Silva, dem; dito da guarda nacional Faliciano
Teixeira de AlmeTda, pelos das Cornttheiras,
Cirurgioes mores e de brigada : esario Euge-
nio Gomes de Araujo, dezemjrf,de ftrA.
Joe Joaquim des Santos Correa, combare 'de fl
de marco, dezembro de 1868 e Cordiiheiras.
Prlmelros cirargiOej : Dr. Cyro da Sttvelra
Basto Vi^eUa^Corddheras; Dr". Jayme Alva-
res Guimaraes, dezembro de 1868; Osear Adolpho
do BulDdes Ribeiro, Cordilbeiras i Dr. Manoel
Pinto Ferreira, Idem ; Dr. Jos Xavier da Costa,
dem; Cirios Antonio Haiffeld,idem ; Dr. Sebas-
uio Jos^aMaOba da Gama, dezembro de 1868 ;
Satyro de. Olivoira Das, idatu Fraosciaco Ro-
mano de Souza, idem ; Dr. Milito Barboza LisDoa,
IQ6D3.
Segundos ditos: Manoel da Malla Leite de
Araujo, Cordilbeiras; Jos Alves de Mello, idem ,
Panialeio Jos Pinto, Cordiiheiras e dezembro de
1868 Jos Pinto da Silva, dezembro de 1868;
Jos Theodosio de Souza Dantas, idera ; Rodrigo
Antonio Barbosa de Oliveira, idem ; alumno neo-
sionisla Mariano Luiz da Silva, combates de 2 e 4
de maio e dezembro de 1868.
Pharraacentieos alferes; Joio Baptista da Silva
Freitas, cordiiheiras ; Joio Lourenco da Costa e
Silva, idem.
Pharmaceuticos alferes : Angosto Cesar Diogo.
pelos combates de dezembro de 1868 ; Dioz Au
gusto de Souza Goncalves, idem.
Reparticao ecctesiastica.Capello vigarto Joa-
qnim Lopes Rodrigues, pelos combates de 21 de
marco e eeembro de 1868.
Capellss : padre Amaro Toeot Castor Brasil,
pelos combales de dezembro de 1868 ; dito Nano
de Farias Paiva, peio das Cordiiheiras
Paisanos. Engenheiro civil Maximiliano Fre-
derico Gailherme Meyer, idem ; SegondeJ Por
celis, idem ; subdito pertagnez (vivandeiro), Tei-
xeira Pinte, pelos combates de dezembro de 1868.
O cambio regnlava sobre Londres 22 d-
(oapel bancario), e 22 I|4 a 22 1|2 d. (papel par-
Uculary.
Os soberanos (S) vendia-se de 10*980 a lij
cada um.
As apolices de 6 OK) vendam-se de 91 a
91 1|2 0|0.
O banco do Brasil flxou em 4 0(0 ao anno o
jaro dos dinbeiros recebidos, quer por letras quer
por contas correntes.
A alfandega renden de 1 a 24 do passado
1,949:4861808.
BAHA.
A _cmara municipal da capital proceden
apuracio dos votos para senador, .organlsando a
lista tnpfiee cora os Srs. desembargador Figuei-
redo Rocha, Dr. J. J. Fernandes da Cunha, e Dr,
Jos Augusto Chaves.
A alfandega renden de 1 a 28 do passado
-O c-mbio regnlava: sobre Londres 21a
21 1(2 d. sobre Psr 440, sobre Hamburgo 850,
e sobre Portugal 160 0|0.
2E VISTA DIARIA.
PROMOTOR PUBLICO.Por portara da presi-
dencia da provincia, de 30 do crrante, fei conce-
dida a exoneracao que pedio o Dr. Francisco Go-
mes Pinto de Campos, de promotor publico daco
marca da Boavista ; sendo nomeado para o subs-
tituir o Sr. Benjamim Behro de Alencar.
BARO DE ITAMARACA'.Forara hontam tras-
lados de bordo do brigue portuguez Helia Figwi-
rente para a matriz da Boa-Vista os restos mor-
taes do 2* bario de Itmarac, conseiheiro Antonio
Peregrino Maciel Montelro.
A's 7 1/2 horas da manha sahio o prestito de
bordo, dando nessa oceaslo o brigne-barca lia-
marac urna salva de 19 tiros. Quando chegou
elle a rampa da ra da Aurora, foi desembarcado
o atoiide e couduzido matriz da Boa-Vista por
ara crescido numero de pessos gradas, sendo ahi
celebrado um solemne oficio, depois do qnal o Sr.
Dr. Torres Bandeira recitou urna bella poesa, eo
Sr. Dr. Aprigio Guimaraes um eloquente dis-
curso.
INDIOS DO JAGUARIBE. Recebemos um
exemplar do 9o volme dessa obra do Dr. Franklim
Tavora, que acaba de faze-ia imprimir era 2"
edieco. Agradecemos a offerta.
BARBARIBADESabbado tarde ebegou
estco das Cioco-Pontas, vindo da villa do Cabo,
um infeliz homem de cor parda, que nos desse-
ram ser desertor do exercito e implicado em cri-
mes de furtos de cavallos. O seu estado era o
raais deploravel possivel, e raesmo assim as auto-
ridades do Cabe nao trepidaran) em manda-lo
acompanhado por dous soldados para esta ci-
dade.
Ao embarcar no Cabo o infeliz j se achava
bastante doenle, e foi preciso ir para o trem carre
gado; quando aqu chegou tarde eslava moribun-
do I Virao-lo e confrangeu-se-nes o coracao, ao
passo que nos eneberaos de ndignaco contra a
autoridade deshumana que, nao sabendo respailar
as leis inais sagradas da caridade, remetteu esse
infeliz para o Recite no deploravel estado em que
se acbava.
Provavelmente esse desgracado morera; e,
nesse caso, nao ter concurrido para essa morte
aquella autoridade ?
Nao se pode ser mais brbaro I
JOVEM AMERICA.-Segnnda-feira 3 do cor-
rente ba sesso dest sociedade as 5 horas da
tarde no lagar do costume.
PRECES PUBLICAS.-O Exm. e Rvm. Sr. cone-
go governador do bispado resolven mandar fazer
preces publicas, nos dias 3, 4 e 5 do conrente, em
todas as freguezias 1a capital, e as demais da
provincia logo que chegar a sna ordem ao respec-
tivo parocho, para pedir Deus a paz e tranquili-
dade da santa igreja catbolica apostlica romana,
e do seu augusto chofe o su ramo pontfice pi
le vaccn coavenablement cultiv et cboisi le septie-
rae jour s'est toujours menir lufl pendan! les
treize annes de son exerciee, sur les noirs crame
sur les blancs, sor les Indgenos comise sur les
eolons, avec les mmes caraeires st les mraei
vrtue prservatrices.
RECEITAS UTEIS.Offereeemos i nossas lei-
loaaa as duas seg]atas receita, que encrataaj|fa>
l'gm jornal, com as qoaes poderio eoiraw-seVao
asmo tempo qQe brmaaro as toas hutas rati-
mts com dous siborosoe pratos fulos por mao$ de
4 aunis :
Pudim, de faltas de pflo.'Unta se com manlei-
ga um pralo bastante covo que possa ir ao lome;
cortam-se tres piezinhos pequeos (ou pes de
leite) em fatias, em que ta poe manteiga, Como te
fossera para servir ao cha ; dispoem-se em carna-
das no prato; guarnece-se cada carnada com
passas de Coriniho e de Malaga, e um pooco de
picado de cascas de laranja ou de hmo c bertas
Das confeHaf m ; batem-se depois seis ovos intei-
ros coa 409 grammas de assucar pil e tres quar-
tos de um litro de leite ; deita-se ludo as fatias ;
e mette-te n'ura ferno bastante qnente o prato
que as contera, porque o pudim deve ser cozido
rpidamente. Este prato serve-se quente.
Qetta de murdo. Cortam-se em quartee boas
macas reinetas, sera se descasesrem nem lrar
nes o naolo nem a pevide ; poeni-se em bora
lume, com quantidade de agua necessaria para
as cobrir ; dexam-se cozer al qae estejam in-
teiramente molles ; passa-se tndo por nm guarda-
apo, sem espremer muito, pesa-se o liquido;
iolara'se 25 Bramats de assucar pil a cada
500 grammas de liquido ; volta depois ludo ao
lume, onde coze brandaraente at lomar consis-
tencia ; espnma-se se fr necessario ; e, depois
de tirar do lume a gela, deita-se-lhe em quanti-
dade facultativa e raspa de casca de limao, e o
sumo de limo por cada 500 grammas de assucar..
ENVENENAMENTO.-Pedem-nos a publicaco
da seguinte carta :
Rocfe, 26 de setembro de 1870.Illm. Sr.
Dr. Sarment.Ha pequea dfferenca entro oque
eu diste V. S. a respeita da molestia de Ernesio
de S e Albuquerque, e o qae se publicou no
Diario de Pernatnbuco de tabeado
Talvz eu nao xpozesse bem V. S. aqnella
molestia, ou emo a memoria de V. S. Ihe foi in-
fiel. Rero-me aos pontos segrales :
!Eu disse que os symptmas orara idnti-
cos, mas nao me atrevera a afflrmar a identidade
das molestias.
t 1 O Sr. Jos Carlos Vieira Teixeira jantou
em minha casa um dia, e o Sr. major Mathias foi
quem estove la tres ou quatro dias.
3. O telegramma que foi ao Dr. Walbaunn
foi antes de se haver manifestado o esqueci-
meuto.
4. O doente nao consenta vela no quarto.
mas ticha urna pequea lamparna, cuja luz (lea-
va encoberta.
< 5. Os vmitos cessaram desde o dia 10 ou
11, e nao depois que o Dr. Walbaunn ebegou.
De V. S. amigo obrigado, Francisco do ego Bar-
ros de Lacerda.
PROTESTO DE LETRAS.^0 eserivo dos pro-
testos Jos Mariano, est de semana; cartorio
ra Duque de Caxas, antiga rna dasCruzes, n. 39
i* andar.
LOTERA. A que se acha venda a 163',
a beneficio da nova igreja de Nossa Senhora da
Penha, que corre quarta feira (3 do correte mez).
CEMITERIO PUPLICO.-Obtuario do dia 29 de
setembro :
Percila, branca, Peruambucb, 3 mezes, Rscife ;
intente aguda.
Maria do Rosario, pret, Pernambuco, 65 annos,
solteira, Boa-vista, molestia ebromea ; hospital Pe-
dro II.
Emilia, parda, Pernambuco, 22 annos, solteira,
Boa-vista, tubrculos pulmonares ; hospital Pe-
dro II.
Joo Vida Correa, pardo, Pernerabuco, 56 an-
nos, viavo, Afogados ; febre perniciosa.
Amelia, parda, Peruarabuco, 22 mezes, S. Jos ;
eongesto cerebral.
Mara Josephina de Amorim Leo, branca, Ala-
gas, 36 annos, casada, Recie ; hemorrhagia.
30
Mana Juliana, parda, Pernambuco, 13 mezes,
S. Jos ; interite.
Hermenegilda, parda, Pernambuco, 3 annos, S.
Jos ; convul-oes.
Manoel, pardo, Pernambuco, Recife, escravo ;
fraqueza congenit.
Anglica, pret, frica, 48 annos, solteira, es-
crava; anazarca.
Helena, branca, Pernambuco, 4 mezes, S. Jos ;
convulsdes.
Emilia da Silva Guimaraes, branca, Portugal, 40
annos, solteira, Santo Antonio ; hypetrophia do co-
racao.
-----
PUBLICACOES A
XegelM de AayU
COMMUNICADOS.
DINHEIRO.O vapor americano South America
levon bontem de nossa praca para a do Para
15:000*. P v
de Seno Maduren S*'0^,!? 4 ^T
Macedo da Pontourt KlVe dem *1T
bppe de Souza Reg, idem Jo M?ria doTAos
Jwoossel Jnnior, idem; Beoiamim pLXu? 12
Altan.** Lima, HMhJft, jS vLn
Primoiros cirargides Dr. Antoni
de mareo
llanta, ilem de delembro "de io7.v *iJ^
de Matio. Tollos de Menezes, idem SU6Sr5"
r. Eofrotioo Paattwio Fraaeieeo Hwf,mm ;
LETRAS FALSAS.No exaroe que se proce-
den hentem as letras falsas encontradas na caixa
do English Bank of Rio de Janeiro, verificou-se
torera sido as firmas e mesmo o corpo da letra
falsificado por Sebastio Luiz Alves Pinheiro, cai-
xeiro que foi da casa commercial dos Srs. Jos da
Silva Loyo & Filbo.
NAUFRAGIOS.Lemos no Jornal do Commercio,
da corte :
A barca nacional Flor de Lima em vi age m da
Baha para Montevideo, foi sobre o baneo inglez
ao da 16 do crreme, s 3 e raeia horas da ma-
drugada, e perdeu-se totalmente.
O capitao e dous marioheiros da barca, ehe-
garam a Montevideo naquelia dat s 7 boras da
noite, e o resto da tripotacao salvon-se no ponto
Faro, do mesmo banco.
Nanfragon tambem 15 milbas do tul do Rio
Grande e pancho allemo Joane, em viagem d'a-
quelle porto para Montevideo.
TROPA DE LINHA.Ao Rio de Janeiro chegou,
no da 24 do pastado, o transporte Presidente, coo-
duzindo sea borde o .* batlbo de infantaria
de linha, com 32 offlciaes e 364 pragas.
PAR ANA.Este vapor da compaahia Braeileira
tahio da corte para o norte do imperio a 24 to
pastada E' provavel que amanheoa boje em
nooto porto.
GAZETTE MEDCALE DE PARIS.-De um dos
discursos pronunciados na Academia Imperial de
Medicina de Pars pelo Dr. J. Guerra, medico mu
lo instruido e eonhecid de todo o mundo scienli-
flco, a respeito da degenerescencia da vacuna,
questo mu debatida no eio dessa illutlre cor-
piracao ; discurso que tm ouvido na eaeio deea
Academia de 21 de setembro do anno passado, e
publicado na Gazelle Md-alt de 25 desse mea e
anno, extractamos o seguate
* *? "^" !? ,trmm *****& et tres-
atnrofoni de M le Docteor d'Aquiao Fonceea
'd?of1,*B5u"'C(O""s',*ireve0 a 1888. Ce mdecin distingue, don! l'Acadmie
o rafa i plusieurs reprim importante travaux,
afflrme que. toas eette latitude eemme en Europe,
Collaborapo.
IV
Eis aqui o grupo de inverostmelhancas qne se
enfileiram ao lado das primeiras declaracoes de
Eduardo: 1-, o encontr cisnal e furtnito de Ca-
marao com Ednardo na ponte da Boa-Vista : 2*.
o modo porque aquelle se dirigi a este convidan
do-o incontinenti e sem presso perpetrar um
erime de que Ednardo nao linha idea : 3-, o con-
cert assim de promplo bavido entre individuos
qne ate ento seno conbeciam : 4", a entrega ira-
mediata de nma qnantia relativamente avultda
antes da execncao do crime: 5', a habilidade a
pericia quasi profesional com que Eduardo com-
bmava e administrava as dses para produzirem
um effeito lento, e de modo Iludir a perspizaea
e a sciencia dos mdicos : 6*, a impericia cora que
esses se hnuveram no diagnosis da molestia, sera
conhecer nenhura delles (nem mesmo os mdicos
distingos que post factum opininaram pelo en-
vennameos) os symptomas da intxicacao lao
geralmente conhecidos, o que cresce de ponto se
vier verificarse que no cadver do Dr. Victo-
r ano foi encontrada nma grande quantidade de
acido ars.ntoso; e outras mnitas dest ordem
accodem de tropel a um espirito menos vnlgar, e
que omittimos porque temos pressa em chegar
ootros pontos mais importantes. Nao concluire-
mos, porm, estas observares, sem {azorraos
duas perguntas que por si sao bastantes nra
tornar inacceitavel aquella absurda imputaco.
Qne interesse tinhaoSr. tenente-coronel Gaspar
era mandar propinar veneno nos Srs. tenente-co-
ronel Joo de S e Dr. Victoriano ?
Em que fleava melhorada a sna posico respec-
tivamente a questo Aratngil?
Concedido, por hypotbese, esse interesse, seria
por intermedio de Eduardo que se lembraria elle
de commetter esse crime ? Nao leria outro meio
mais fcil, mais commodo ou mais seguro sem a
partecipaco de um cmplice extranbo em quem
nao poda absolntamente confiar para execncao de
um crime dest ordem ? Contara tambera com a
ignorancia dos mdicos, at com a do Dr. Ra-
mas fll Finalmente, conseguido o fim, cruzara o
criminoso os bracas ? Soria corollario do crime
por instrumento fra do alcance da familia S e
Albuquerque; deixaria, porventura, decorrerem
tantos dias, esperando que ja nao fosse tempo de
suffoca-lo ?
A familia S
(setuio orne).
O Exm. Sr. provodor da Santo Casa, lia rara
nunca beranie as fifaceoe a Sida; ejaar w
ao sea fia. e nao etoelhe et meioa 1
h-tU patente qne o sea la eeewnr t em
ma potieao em rebelo aat aegoeln do asj, a
r,,Va.i,!S0de,gur^*r toSaveSdia
iaz luao qaanto a nm heeaiiu a ava aeeicaa a
concedo nao fica bonito, e raa aaa^aVaveTila
S^p^vedor03 qae "^ ,Ue*m "" tB*" *
cmT' ifae' a IMI ^w),,0 zaaseaaaio ta-
vat daquelle espirito anglico qne se I* napea,
e antes do de fazer mal; est, fto almo aro da
despeno o da raiva, associado a onlro deapeito a
outra raiva uad* mais interna talvex, e para che-
gar a vinganca o ao desaggravo de toacas iraa
todos os meios sao bons..... $
Mas estou certo, que todo o eoredo, toda arena-
dilha que se roe tem feito, hade eaatr par tetra.
Em sen 7* offlcio diz o Sr. provodor -
t Posso asseverar a V. S. qne exacto toda
qaanto disse acerca destes livrot o iexBeado ac-
tual director.
E cortamente na secretaria do asyto existe o lo-
grantes livrot:
i.* Livro para registre- do offteios, a aa
e ser i pt arado at 22 de maio prximo Hado.
2.* Outro para a entrada e sabida m
estando neste toncado so ot oraos da 3a\
cripta alguma na casa das observara.
3.* Ouiro para laneamento da acto da jastotia-
cao.
4. Um jogo de diario e razio em branca.
5.* Finalmente um pequeo livro pan coala
dos pedidos de dlnbeiro feitos pelo mordomo a
comprador aemenle Jo Ferreira da Coala J-
nior. >
O Sr. provudor dizendo qae a eteriptoraco aa
eslava em dia, o qne en tmUm aocUrei esa san
relatorio, esqueceu nuur qne a do
dos mendigos eslava eta eonvemeni
dernes, pelos quaet loria de ser feite
cao do livro de entradas e sabidas.
A escripturacao do asylo nao poda ser ao
organisada antes do "tihnlnritasato dea *n
Antos dUto, o que era vteaciat, en baar-te a aa-
trada e sahida dos mendigos, o registre da corres-
pondencia offlcal, e o laneamento de toda a
peza._ Isto deixei feito. e o mea taceneor, ere*
eu, nao alleroa consa alguma, nao inasanatiin at-
cripturaco. ,
Diz anda o Sr. provedor :
< Sei que o ex-director iatreaea ao aetuaJ Dr
Oliveira Fonceca a quantia de 944*000. Nao aa-
veodo por asi-im dizer escripia alguna an asyto,
tal vez conviesse ara exame neste peques lina de
contas para se conhecer com certeza ta o x-aV
rtcior s linha em seu poder o saldo de qne ta
entrega, pois todas as pessoas estao sogeito a aa-
gano%
E era prova dos engao- em qae pjeme* ea>
bir, participo a V. S. qae as eootas de jocho at-
timo, mandadas pelo ex -director a secretaria da
Santo Casa, apparece nm alcance de 8854580, can-
forme const da cenido inclusa, [mida peto ea-
crivo da Santa Casa.
Quera ler este trecho, ha de pensar qae ao aav
dei de boa f na apresentco de miabas coalas, a
que indica a quaiificacao dealca
que eu devera recolber depois du
ubas cuntas.
Alcance da-se quande na m n aa ajaste da
contas, ou falta era algnra dcpoto. Salda a
differeoca que vai entro o receido e o desan-
dido.
Entretanto e Sr. provedor, qae sata yinUitmmm
te distinguir o qae sold e o qae ateaaee, ta
uso desta palavra e nao daqaeUa, smeate pan
dar_aos factos cores negras !
Nao polo lia ver maior prova de m fe.'
Eu direi o que ba de exato neste
;s-r ?
-se aaa-
i eorras-
aadaa-
A eacriptoracio qae existia no asylo tra i
'a applieacao das i
e Albuquerque, que pintoa o Sr.
tenente-coronel Gaspar como um homem endure-
cido no crime, nao deve snppo-lo to ingenuo e
tiraples, ou pelo menos nao exigir que o publico
acredito nessa ingennidade ou estupidez.
Agora, o verso da medalba.
Se para acreditar aa verdtde das primeiras de-
claracoes de Eduardd neceesario fazer violencia
lgica, transtor a ordem natural dos acontec-
mentos, exigir o absurdo e o inverosmil em pedes-
tal de certeza; snppor ingenuidade infantil no en
minoeo, ignorancia erassa dos mdicos, e o mais
que decorre do que temos exposto ; ao contra-
rio, coofl mada por toctos Incontestveis a verosi-
melhanca e ve'^ade das nhimat, depois da acarea-
codeCaraaro. Afora a repugnancia qne teem
os humeas de bens em aeeeitor a concepcao o exe-
cncao de um plano to hediondo, ludo mais cons-
pira para acreditar-se na confissio de Eduardo
por occasio da acareaco. Confirma a verdade
dessa cooflssao o seu estado lasthnaxel. E assim
perguntromos:
Cira que fim fra Eduardo levado para o tronco
de Guararapes t Com qne fim ra elle ahi con-
servado por tantos diasT Cora que fim fra elle
seviciado lio horrivelmenle 1 Com fim foram re-
pelidas as oniras deetoraoSes de Eduardo como
inv3rosimeis e tahas T
Cortamente que oara chegar a conessar aquillo
que fosa tgradavel a tomHia Si e Albuquer-
que.
Neahuma deseas ereumslnciae pode ser con-
testada.
Quaoto as sevicias publicaremos amanha e
documento qae ai eomprova.
(Ceatiaar-te-ha).
bastante para .-.e conhecer i
ros, perqu toda a despeza ali'feiu estova hatea-
da no livr. de contas de qae falla o Sr. provedor .
mas S. Exc. nao careca da escripturacao do aayie
para verificar qual o sold qae exestto em tan
poder; linha na sna (competente) secretaria
as contas por mim apreseotadas, seado as
raas entregues, conforme confessa em um dos
offlews, no dia 11 de agosto, 6 dias antes da dato
desle de que me ocenpo.
Todas as > miabas cootos foram sempre aare-
sentadas em lempo.
as do mez de maio Qz eo mencc de um solaa
con'.ra mim de 188(483.
No exame deslas contas achou a santo casa qae
2aialM nao era d*1ae,la qaana, e sisa de..-.
224^537, como consta da eertidio do tscrivo da
raesma Santa Casa, havendo, portento, orna dfc-
renca em prejuizo meu de mais de 150*000.
Este engaBo porque era contra mim, oaiOio-o o
br. provedor, o apenas citou o engao qae se des
no mez de juobo, de cerca de *XU cafetra o
Asylo I
Ha nisto boa f ? E de mais, eo no pode o Sr.
provedor qualificir de alcance, saldos qne n
mencionava em todas as miabas coolas f
0 publico aprecie bem estas deslealdades do Sr
provedor, para dar as soas asseveracues o a**e
que merecem.
Eu fiz entrega ao meu soceessor do salde rela-
tivo ao pez de que ainda nao bavia prestado coa-
las. Nao sendo elle competente para tomar-ae as
contas, o estonio ellas ja recolhida Saata Ca-
sa, so esta devra fazer entrega dos saldos, co-
mo o fiz, com a necessaria ponioalidade, apna
me fei communicado qae as mesraas coalas esta-
vam tomadas.
Entretanto eu, quando prestei miabas al timas
contas, fiz referencia-, aos saldos em meo podar e
ped presta na tomada das mesmas coalas oara
recome los.
No dia 23 de agosto ultimo, nao estoada aiuda
lomadss as contas, oflkiei jo Sr. provodor padaade
que expedisso ordem no sentido de ser-a* rece-
todo o saldo que eu suppunha exisr ene ra no-
der, Ocando a Irjuidaeao das differeacas pan a>
pois do ajuste de contas.
Em resposta dirigio-me o Sr. proredor esto cal-
cio :
Santa Casa de
1867.
Rjra. Sr. Em resposta ao officio por V. S.
dirigido com dat de hontera, e que ao ment dia
liz presente a junta em sna sesso, leaho a dtarr
que nao s as contas por V. S. apraecatodas mea
de sua exoneracao do cargo de director do Anta
de Mendicidade, como as que foram pos tener ocn-
te reme tudas em offlcio datado do dia 23 de jaita,
ao mordomo Dr. Antonio Maria Farias Neves, a
por este enviado raesma jnnta, em soasan da II
do correte, apezar de t-lo reeebldo no dia 3, ra-
mo declaroa, acham-se anelos urna rnsan e
nomeada naquelia occasio, a qual trato de exa-
mina-las aQm de dar o seu parecer respete,
sendo nessa occasio avisado V. S. pan laman
o saldo que se verificar existir em seo podar.
c Deus guarde V. S Illm. Sr.'irtia Padre
Brrelo do Mello Reho, ex-director do Asila de
Mendicidade.
< O arovedor da Santo Case,
_ Anselmo Erancisco Prretts.
Deste oDcio v-se qne en tratara de raesnar *
saldos que exfetiam em mea poder, o en o Sr.
provedor, reconheceado que erara saldes e aieat-
enaces, adiara o meu deseio pan o nmtt taal
de contot.
E eomo em offlcio a presidencia partiapm ana
eu estava alcanzado para com a SaateCaaaf
Este proceder do Sr. provedor d loai, d |
de tiessoa qne se respeita f
E nao tenbo razio em dizer qne S.
seus esforcos nao tem oulro fim srao i
mal; qne o seu zelo fingido, apsaa
pa a sua intenfo malfica ?
Recie, 28 te setembro de 1870.
P. BarreU de Mello
Misericordia, 26 de agoto do
l
i
be en
m
%
ALGMASPALAVHASSOBRB O ACTO
TKIOTISMO K BBffEFIrjBffCIA DK
TOO 0 LIBERAL N. B.
Nlo nos passou pela monte, a ler
Libeial, o menor peosameeto
relerencia aos actos de caridade
cados peis nobillissimas trataras,!
promovertm em favor das ftmiftot dat tal
da patria pernamtaeaaos, raortos i
Paraguay, nm coacorto e iaifl aa i
sidenria
Aeompinliamos a redaecao do
merocidos encoaios qne tn as"
tuosts Mohoras, que twinsjaai a a
cado. "^^ pnat-
0 nesso \m nicamente pratMa* em -
4* furaba dos Tilla atol ai d Mina 'aa
""aaara* a aalrn aaa^
a^ejM nisittaTaS
canos, e mira o
que le mellas ao sald dos
ifS^SLcrariA
mWnmnwumnsut.


*m
*&%. d*<$*mml>u> m *?o 2 de...Q^tpi %Jf?o.
5


i trpicos de lodos teredos aolicos, e para a qual
concorreram**pdoras da lado, decretando lo-
teras eolDfftf nP'feue ro aoido ao
' producto dtREfiv 1M f* D0 P*laci0 *
pmeieuia,# ** ao^aasoeia-
$o, cujee beneflcos effeito* oram braMMnebte1
suspensos apena aeeum o poder o partido con-
ervador, emb-ra tautaatm t|Mm Jl
Aoaaatiade 7:eO#QW que hoe ae manda
destribar cora as familias ojos soldadas deprime
ra liaba, pernamboeaoo, oq que nesta provincia
teahaa sentado preca, perteoce a caixa da as o-
I eiaeio protectora das faaulias das voluntarios da
patria, e cora estas familias deve ser. destribuida,
como determinavam os estatutos da mesma asso-
ciaeao, comprindo aos seos directoras darem con-
ta ao publico do modo por que geriram os seas
negocios, e qae amias destribuicam as centenas
de cootos que arrecadaram, e nao ex authorttate
propria, dar-lhe #stiao di vareo, querendo faeer
acreditar aos incautos, ssr ela resultado do ren-
dimento da>qtiMfapurada no leilao-concerta de
y eeJacio, recelaido ao Raneo Man, a jaros do 6 por
oente ao anao.
O producto do citada leilao de caridad* pouco
excederie. de tres oontos de rea, e rnente por
milagro igual ao dos cinc pts e eiwptiMs po-
dara em bus anejas montara deasete cantos de
res !l
i Por tanto indevidameote se mandou note destri-
buir peta (orfa.de linha o saldo da Auoaarao pro-
tectora das familias dos vluntariot dn patria per?
nambucanot.
Poi o que desojamos tonar patente, ehamande
a alinelo do publico para este acto dictatorial de
algns membros 4o directorio liberal, qae conver-
teram em associacao politica, urna sociedade pu-
ramente de caridade, para a qual concorreram to-
das as classes da nossa sociedade, sem distinecao
de cores polticas.

Pernainbuco, 28 septembre
1870.
Mes chers compatriotas.Voa connais-
sez lea nouvelles que nous a apportes le
courrier d'biar! Notre vonement doit
s'accroitre daos la mesure s douleurs et
des dangers de la patrie nous oe pourons
contriboer qu'a vec de l'argent au soulage-
ment des misres occasiones par ('invasin
de notre pays; prodigeos le. Paris forti-
fi ne se rendra pas, soyez en sors. et la
lulte n'est pas flnie. Montrer a notre ad-
mirable arme, aux citoyens qui, de toutea
parts viendront moonr seus les murs de
Parts, oo chasser l'tranger, que noussom-
mes avec eux et de tout notre cceor, c'est
les encourager, c'est produire un effet mo-
ral saprieur toute aide matrielle I La
colonie francaise du Para vient de m'envoyer
4:745,5000, celle da Cear 1:000,5000. La
. deuxieme liste de la souscription de ce con-
S'ilat s'leve a l:'i 45000 ; ajoutons encor
ceschilres. Je m'incris personnellement
pour 2003000 dans la nouvelle souscrip-
tion. Qn 5 chacun de vous dans la mesare
de ce qu'il peut, se joigue moi ? II ne
saurait y avoir parmi nous d'opinion poliii-
que. Empire, royaume. rpublique, que
nous importe ? Nous ne connaissons, nous
ue voulons connaitre que la France euvabie,
la Franee qu'il faut dlivrer la France pour
laquelle sos enfants l'tranger sont prts
;i touts les sacrifices. Apportez moi ce que
vous vondrez, si peu que voos vou'lrez,
mais apportez moi toas quelque chose et,
au nom de la France, dont je suis sur d'tre
l'interprte, je voos remercierai et vous
benirai teus I
Votre tres affectionn compatriote.Os-
nin Laport.
remN e o doente recupaaou novas forjas, nova?
carnes, o nova vida.
I-to sao factos otnprovados, bem conhecWo-
SopuWico, a asnea sa postee em davida. A
laparrilha Bristol, cura immediaU a prometa-
sute todas as molestias toleero*. e erupti-
Acha-ee a veada em todas as priucipae lejas de
dragas* boticas.
duiia T68
? ; "
4 de outnbro de
ohucDnin
bOMmcKGlU.
PHACA Da aSCIFR DS OLTUBRO
01 70.
48 3 1/2 bobas o tajtdi
uambio sobre Londres 90 djv Si 3(4 e 23 4
oor i 1000 (uoniemL ___, ,
Dito sofero to 0 djv I! I. por 1*000 (hoje).
Frete <%ljijio4i* Reino-fjSffo^-lff pOf lib. eTi *|0
Froto da algodn ao Massor pa Liverpool3|8
por hb. e$0|0
GoBoaUo Jos AfloHw,
Presideate.
Mosquita Jnior.
Secretorio.
L1SHBANK
)f Rio de /aneiro Limited
Desconta lettras da praca i taxa a con
'd&ciaaar.
Recebe dinheiro em conta corrente ai;
Irnfi fio.
Saca i vista ou a pras sobre as cidadei
jrlncipaes da Europa, tem correspondentei
ia Babia, Brjenoe-ifyres, Montevideo, New-
e New-Orleans, e emitte cartas de crdito,
para os mesmos lagares.
RA DO GOMMERCSO N.
ALFANDiiiA.
itendimentododia 1..... 32:960*701
sfVlMKNTO DA ALFANDEGA
2
457
-----488
88
39
-----125
i1 .:---------------------------------------------------:---------------------------------------
bo pu.graxa ejn rama Jt'lfl*
50la e vsqoeta ....
Tapioca. .8 .
Vassouras de carnauba
dem de piasaaxa ......
dem dii/Sfin. t ,. .
Alandega de Pernabmbneo,
t8T0.
O !. cenferentfc Mtnoel C. Barreto.
O 2.* roatjrente C. ttmi
AprTWro. Alfandga, 1 de ontnbro de 87(A -
P 4 An Irade.
Confb ,ua. Joamtim Tertuliano deMednro.
ROS .tUJORlA DB fiBNBAS 1OTEHNA5 GB-
RAE8 DB PBWf AMBOCO.
iandimeuto do da 1 t:774804
OfW30LADO PROV1CAL _____
tUodittento do da i..... 831*598
/Oioraes satrados c>faiondai
' dem dem eom gneros
/olamos sanidoo com faseadas
dem idem com generu;
eacarregam hoje 3 da oulubro
Pataebo inglezBmi/ydiversos gneros.
Barca ingleza Patriotdem.
Barca inglezaRoderich Dhu ferro.
Barca inglezaSea Qaem id< m.
Brigue inglezIrisfarinha de trigo.
Despachos de exportadlo no dia 1 d
outnbro
Na barca inglesa Barbadoes, para o Canal,
carregaram : Keller & C. 278 saccas com 18,620
kilos de aigodo.
Na barca brasileira Isabel, para o Rio da
Prata,carregon : F R.Pinto Guimaraet, 494 bar-
ricas com assucar branco, somenos e mascavado.
No palbabote portuguez Diligente, para Lis-
boa, carregaram : J.M. Palmeira 105 couros sec-
eos ; F. de Asaz Brito 2 barricas com assucar
braace.
wm>
EDITAES.
IUISO DOS FEITOS DA, FAZBDA NACIONAL
O Dr. Abllio Jos lavares da ilva, fflcial da or-
dem da Rota juizprivativo dos feitos da fazen-
da nacional por & H o Sr. D. Podro II, le.
Paco saber todos que oslo virem qae no dia
13 de outnbro futuro, m sala das audiencias pelas
11 horas da aanbia peraote este juizo se vende-
rao em praea os bons guales: penborados aos
bordeiros de JaJiao Pareira Mattoso, ex-collector
da villa do Cabo, e de sea fiador para pagamento .
da fazenda nacional : o engauho Bom Destino, no
termo de AguaPreta, sondo avahados as bemfeito-
riaa.do rnearao, consistlndo om urna casa de enge-
nlio e purgar sobre pilares, a#0 palmos de com-
primenio e 42 de largara, teado ao lado am te-
iheiro que serve de picadeiro coa 17 palmos de
largara, asaenlamento oom 5 rojos, atufa, roda
d'agua, moenda de ferro, com formas, casa de vi-
veuda, senzalla, casa de familia, lado de taipa e
em raj estado, com 162 palmos de frentes o mais
4 casas em mo estado em 8:000*000; e as Ier-
ras do mesmo ongeobo comprebeodendo o lagar
deqomiaado Roncador, com orna legua de frente,
e igual extencao de fundo pouco mais ou menos,
em 12:000*000; urna casa tarrea na villa do
Cabo de taipa com 65 palmos de frente e 6) de
fondo, 7 janellRS na frente e 2 portan, corredor no
centro, 7 guarios, cosinha, quintal com 180 palmos
de extenoao, e om terreno devolato ao sal da mes-
ma casa oom 18 palmo de fronte, sendo todo o
terreno foreiro, avaliada em 2,-000*000, e o en-
genho Solidado avaliada em 18:000*000.
E para qae chegue ao conheeimento de todos
mandei passar o presente que ser publicado pela
impreosa e aQixado no lugar do cosame.
Dado e passado nesta uidade do Recife aos 22
de setoabro de 1870.
E eu Luiz Francisco Barreto de Almeida, escri-
vo eubserevo.
Abilio Jos Tavares da Silva.
la* 4 horas
qaem mais v
a tres annon
clarados
ESTABELECIMEMTr) 9E CARID
_ Roa das Calcadas.
Casa terrea o. 36. .
Q___rx Rnartorga do Rosario.
Segundo andar do'sobrado n. 24 Jg
_ Bacco do Quiabo.
Casa terrea b. 8. > .
PATRIMQWO DOS RPBttL
_ Rna da Moeda.
Casa terrean. 47............. J|
Kua do General Tlctorino /am
Casa terrea n. 13. ~?
Ra de S. Jorge (outr'ora 'Pilar.)
Casa terrea n. 108.......M4*0OO
dem dem n. 105...... *W0
dem dem n. 99....... !H8*0fJ0
dem dem o. 96........203*000
dem dem n. 94......... 204*000
Os pretendentes Bevero apresentar no acta da
arrernatacao das -seas flaneas oa comparecapfl
acompanhados dosj-espectivos flodores.
Seeratana da Santa Casa da Misericordia 4b Re-
cire, 30 de outnbro de 1870,
O escrivao,
Pedro Rodrigues de Souza, .
^lUffi-s*
aiiflKiiiav i
56 saceos mx farinha avan
O agenta Jos Mari Pftstaoa /ara1 leilao de
caceos cotp farinha de fnandiossvavariada, vil
do Cearpor.JigBaiibe, segnoda-foira 3 do cor-
ImfMUk rente> D0 Irapiohe da eompoobia Pernambueana.
10 meio dia em ponto.
Mote.
Na botica iumai.iietk
Ha drogas envenenadas I
GLOZA.
J se icou o galhardete
Que veste a cores da morte
De l'e Ir -i Secando ao norte
Jffl b)tlCa nAMALHETK.
Ha alii de bom verdete
Xar&pes e cajuadas,
Ha ungentos e pomadas
O'arsenitos e asneirices,
Ha mitras mui'.as peqaices,
Ha drogas envenenadas I
OTRA.
P'ra jogar seu diabrete
O mais mjlerno dabo
Balanza de palba o rabo
Na botica ramalhete.
Ah de espada e florete
D elle licoes dainada?,
E prepara g aparadas
Em cuja composicao
Para aioio de um christao
la drogas envenenadas !
K ALMA DO SANTOS.
Monte pi portuguez
Pela directora e publicamente est designado o
dia 9 do corrente mez para a reunio da assem-
bla geral em virtude do que e em observancia
da literal disposicao do artigo 20 dos estatutos, de-
ver principiar na prxima lerca-feira a poblica-
ijiodos respectivos annancios convocando a mes-
ma ossembla geral, e igualmente dever ser ob-
servado o dispoto do g 21 do art. 40 dos estatutos
para com a commisao de exame de contas; pu-
blicacao essa qae vira em reliflcacao aquella quo
a directora fez inserir n^sta folha de 16 do mez
ultimo, na qaal aai existe nao s o penbor da sna
onceitaada palavra como am solemne protesto
centra os adiamentes iodeferidos.
Um socio.
TABELLA dos prbcos do3 grnbros sjeitos a di-
RBITO DE EXPORTACO. SEMANA DK 3 A 8 DE
ODTHBR0 DB 1870.
Mercadorias: Unidades. Valores.
Abanos.........duzia 300
Aigodo em caroco.....kJlog. 165
dem em rama ou em la. > 660
Carneiros vivos.......um 4*000
Porcos idem......... 2*000
Arroz com casca. .... kilog. 68
(dem descascado ou pilado > 177
Assucar branco...... 250
dem mascavado....... 140
dem refinado....... 436
Gallinhas........urna 1*000
Papagaios....... 5*000
Aaeite de amendoim oa man-
dub m.........litro
dem de coco
.... kilog.
..."
eformentadas:
.... litr.
N. 370.SEGURANCIA NOS SITIOS E LUGA-
RES INSALUBRES.O uso da Salsaparrilha de
Bristol, tem effeetnado casos adrairaveis das se-
zes tersaos, febres biliosas, calefrios, feores remit-
ientes e oulras molestias causada pelas no-
civas exhalacoes do terreno e das aguas eitagna-
das.
Referem-se casos oceorridos nos vales do Missis-
sipi o dn Ohio e em todas as partes da California,
para os quaes, depois de se haver empregado in-
fructuosam rale os talentos dos mdicos os mais
experimentados, esle_ grande restaurativo eeon-
servadorda sidn. eao s mente desalojou a-me-
lestia, como tambem regeneroa corapletaments o
doente, dando-lhe segunde disse um individuo que
se havia salvado das garras da morte, nova vida
novo vigor, e tornando-o mvulneravel contra os
pfr'ttw da malaria exposicoes e todas as mais in-
fluencias perniciosas a*um clima insalubre e doen-
lio.
Para a cura das molestias ulcerosas e erup
tiveis o mriej e dorradeiro remedio infal-
iivel.
Acha-se constantemente venda em todas as
principaes blicas i lojas de drogas do mundo lo-
teiro.
N. J71.-SALVO DE~MA MOBTE IMMINEN-
Ti:.Entre a onfermidados produiidat pelos re-
medios mineraes, as raals terriveis o as merca-
nies. Algunas vetes chagam a destruir quasi
inteiramente ocorpo humano, ineluindo ossos ru-
dala o ludo.
Um dos casos mais horriveis desta ordem, veio
narrado n'ui diario da capital, o em mullos ou-
tros poriodioosfaz alguna anaes. Este hornera
achava-se u portas da morte, qnando providen-
cialmeate loe ac elharam qae experimeutasse a
Salsaparrilba de Bristol.
Ottaado elt pnncipioa a tmala, eslava o'le
quasi reda-ido a um esqueleto, o as poucas car-
nes quo atada loe resUvam, estavam coberus de
aiqueroaaa alearas morcuriaes, desorteqae todo
o *H wrpo ora urna chaga viva, cnida de do-
Toa,
Ao cano de doas semanas do bavor osado este
rde anUd.no, p-ide j levantar-ae da cama, sen-
islo no entaato orna verdadeira resarroicao.
A= ulceras fecbaram-so para nanea mais se abri-
idem de mamona. .
C.atas alimenticias.
Baunilha ....
Bebidas espirituosas
Agurdente cachaca. ....
dem de caima......
dem genebra .....".
dem restilada......
dem alcool........
dem cerveja......;
emvinagre.......
dem vinbo de caj......
Bolacha fina, coaprehendidos os
biscoitos.........
dem ordinaria, propria para
embarque........ >
Caf bom........
dem escolha ou restolho ...
dem torrado ou moide. ... <
Cal branca........
dem prela........
Carne secca ( xarque ).
Carvao vegetal........
Cera amarmla........
dem de carnauba em bruto. >
dem idem em velas,.....
Cha..........
Cotos seceos.......cento
Colla.........kilog.
Couros de boi, seceos salgados.
dem idem espichados.... >
dem idem verdes..... >
dem de cabras cortados um
dem de onca........
Doces em calda......kilog.
dem em gela oa massa.
dem seceos.......
Estaadores de pennas grades duzia.
dem pequeos......
lem de palha........
Esteiras de carnauba .... cento
dem propria para forro ou estiva
de navio........
Estopa nacional......kilog.
Farinha de araruta.....
dem de mandioca..... >
Feijo de qualquer qualidade. >
Fumo charutos -^^.....centro
dem cigarros......
dem em folha bom
dem em folha, ordinario ou res-
tolho ........
dem em rolo e eni latas bom .
Idem, ordinario ou restolho. .
Rap..........
Gomma de mandioca, (poiviilio).
Ipecacuanha ( raiz ).....
Angico (toros). .''.
Caibros f.......
Enxams ........
Frechaes........
Jacaranda (coucoeiras) .
Lenha era achas......cento
(dem em toros.......
Linhas e esteios......um
Lour s (pranchoes).....
Pao Brasil........kilog.
dem de jangada......um
Quiris ......duzia
Vinhatico eostauiaho de 25 a 30
millimetpos de grossura. .
dem pranchoes de dous costa-
dos al 50 millimetros de gros-
sura .........
Idem taboado de menos de 25
millimetros de grossura .
Taboado diverso......
ratajuba........
Pravos......./. .
Varas para pescar.....
(dem para aguilbadas *.
dem para canoas.....ama
Cavernas de sncupira(em obra) >
Eixos di cicupira para carro. par
Milaco.........Kilog.
Bel deabelha.......
Buho.......... c
Ossos......,
Palha de carnauba.....molhos
937
675
525
102
5*450
195
300
330
300
337
600-1
300
660
kilog. 476
204
476
442
959
39
27
238
168
442
436
763
4*360
4*000
1*438
480
640
300
350
10*000
1*133
784
2*180
48*000
24*000
12*000
16*000
kilog,
12*000
136
681
92
272
3*000
320
1*090
613
681
545
2*180
170
1*703
60*000
360
1*500
5*000
95*000
3*000
12*000
0*000
10*000
103
5*000
6*000
um 16*000
duzia
um
>
duzia
duzia
kiig.
urna
dutia
. kilog.
Podras de amolar . .

dem de rebollo . >
Peonas datma, . . >
Piassava....... . DJ0499
Pontas ou clu/res de novilh OOU
vacea....... . cento
Sabio ....... . kilog.
Sal. .......
Sals'aparrilha..... ., *
Sarpatos de couro branco . . par
20*000
1441000
96*000
33
6*000
2*400
6*000
1*000
3*500
16*000
50
320
68
16
1*000
847
31
18
34
4*796
ISO
2*800
348
10
O Dr. Sebastio do Reg Barros d Lajerua, juiz
de direilo especial do commemo nesta cidade
do Reeife de Pernambuco por S. M. imperial e
(/institucional o Sr. D. Pedro II, quem Deus
guarde etc.
Faco saber aos qae o presente edital virem e
d'elle noticia tiverem qae por parte de Carlos Pin-
to de Lemos, me foi dirigida a pelicao do Iheor
segrate :
Illustrissirao Sr. Dr. juiz do comraercio Carlos
Pinto de Lemos, sendo credor de Antonio Carnei
ro de Lacerda, pela qaaatia de 800*000, princi-
pal de ama letra vencida em 28 de setembro de
1865, e querendo interromper a prescripcao, como
determina o cdigo commercial, vem requerer
V. S. se digne mandar qae distribuida o escrivao
tome por termo o seu pretexto para ser intimado
por edito, justificando o supplicante a ausencia
do supplicado, Visto acbar-se ausente em lagar
nao sabido, assim como Y. S. se digne marcar da
o hora para o supplicante dar snas testemanhas
para o um cima declarado.Pede a V. S. defe-
rmenlo.E R. M.Eslava competentemente sel-
lada.
Recife, 26 de setembro de 1870.O procurador,
Frederico Chaves.
Na qual dei o despacho segrate : Destribuida
tome-se por termo o protesto, e justiflque-se a au
senca do supplicado no dia 27 do corrente ao
meio da na sala das audiencias.
Recife, 26 de setembro de 1870.Barros de La-
cerda.
Em virtude. deste meu despacho fura a mesma
peticao destribuida ao escrivao deste juizo Manoel
Mara Rodrigues do Nascimento, o qual fez lavrar
o termo de protesto do Iheor segrate :
TVrmo de protesto. Aos 26 de setembro de
1870, na cidade do Recife, em meu cartorio ap
parecen Cirios Pinto d.i Lomos, per sea bastante
procurador, o solicitador Frederico Chaves, e dis-
se perante mim e as testemanhas supra assigna-
daf, qae se reduza a protesto o cooteado de sua
preteuco retro, a qual offerecia como parle do
presente que fica sendo, e de como asska o disse
e^protestou, lavrei este termo, no qual depois de
lido se formou cora as testemanhas.
Eu, Secundiuo Heleodoro da Cunha escrevente
juramentado o eserevi.
Eu, Manoel Mara Rodrigues do Nascimento, es-
crivao o subscrev, Frederico Chaves, Joaquim
Monteiro de Andrade Malvina e Francisco Joa-
quim Pereira.
E tendo o snpplicante prodazido saas testesmu-
nhas ; sellados e preparados os autos subiratn a
miaba conclusao e nelles dei a sentengo do theor
seguinte:
Jalgo justificada a aaseacia do supplicado, An-
tonio Carneiro de Lacerda, pelo que se Ihe inti-
me o protesto de folhas 4, por meio de editaos de
30 das, aflixades e publicados na forma do esty-
lo, pagas as castas ex-causa.
Recife, 28 de setembro de 1870.Sebastio do
Reg Barros de Lacerda.
Por forca desta minha sentenea o escrivao fez
passar o presente edital pelo qual cnamo cito
e hei por intimado Antonio Carneiro de L-icerda
para qne compareca oeste juizo dentro do indica-
do prazo aim de allegar o qae for de justica.
E para que chegue ao conheeimento de todos
mandei passar o presente que ser pnblicada pe-
a imprensa e affixados nos lugares do cusiume.
Recite, 30 de setembro de 1870.
Eu, Manoel Mara Rodrigues de Nascimento, es-
crivao e subscrevi.
Sebastio do Reg Barres de Laeerda.
DECLARACOES.
Circular a. 39.
Ministerio dos negocios da fazenda.Rio de Ja-
neiro 15 de setembro de 1870.
O Visconde de Ilaborahy, presidente do tribunal
do tbesouro nacional, ordena ar s senhores inspec-
tores das tbesourarias do fazenda que facam ces-
sar a venda de apolices da divida publica at ul-
terior daliberacao.
Visconde de ttaborahy.
N3o se tendo effectuado a arrematado
do imposto de 60 rs. por caa p de co-
qaeiro de prodocSo, por falta de numero
dos Srs. vereadores, de -novo s5o convida-
dos os pretendentes a coraparecerem em o
dia 3 de outubro vindouro.
Secretaria da cmara municipal do Recife
30 de setembro de 1870.
Lourenco Beserra Carneiro da Cunha.
, Secretario.
Conselho de compras navaes
O conselho no da 5 do corrente mez,' vista de
propostas recebidas al ai 11 horas da manhaa,
promove sob as eondicoes do estylo a compra dos
seguintes obyectos do material da armada -'
60 barras ae ferro inglez propria? para grelhas,
6 foles ingleses de 8 pes de comprmeato e 6 de
largo, 2V livros impressos para soccorros, sendo
de 150, 100 e 50 folbas, 2 oculos de alcance, 400
libras de pregadura de tinco, 50 eadernos de pa-
pel matta-borro, 100 folbas de papel panudo para
marapas, 100 folbas de .papel liso para mappas, 50
fecbjs pedrezes, 20 feehaduras de broca para
portas, 100 baadeijas ferradas, 2 pecas de tapete,
12 pares de conchas de folha para balanca,~SO
brochas de caiar, 12 podras de amolar, 50 meios
de sola da i- rra. o 50 pecas de lona larga.
Sala das essoes do conselho de compras navae
1 de outubro de 1870.
O secretario, ,
___________Alexandre RodrlgnOs dos Anjos.
SANTA G\SA DA MISERICORDIA DO
RECIFE.
A fllm.a. junta administrativa da Santa Casa de
Misericordia do Recife manila faxer publico que
na sala de suas sessoos, no da 6 de outubro, pe-
mmm
SAMO 4NTIM
CAF CAHTARTE
Domingo z de outubro.
A pedido de multas pesooas, eomecar o diver-
timento, s 6 horas da tarde e acabar as 8 da
noute
O jardim e o pavilhao, acbam-se conveniente-
mente Iluminado gaz.
Os concorrente. podera desde s 5 horas tomar
acento, tanto no salao como no jardim.
As Sras. teom lugar reservado na galera da
direita.
Em vista das despezas, o eutprozario deste. as-
labelecimeuio, resolvea elevar o precos da estra-
da para U000.
Oatro sim, o numero de^concflrWntes ser 1-
mittado.
PROfiRAMMA.
1." A orches.tra marcial dij-i^gida pelo Sr. J. Goe-
lho, tocar doas ttclhidas' pecas do sen grande
repertorio.
2* Mademoiseile Choiberl cantar a linda can-
canela
Hatte-! !
3 Intervallo pela orchestra.
4* Mr. Rayoand, cantar a canconeta
PERDE.
o Intervallo pea orchestra.
6 Mlle. Marietta, executar a canconeta
PASgA.
Seguindo por Mr. Carn, a parodia cmica
PAS DE QA.
O resto do tempo ser preenchdo pela orchestra
Principiar s 6 horas.
I
t
s 11 horda do dia 4 de oatu-
, bro n -porta da associacao
coniraereial fieneficente.
agente Enzebio vender os seguales .predios:
n casa terrea de a 23, sita roa d Cnce>
'reguezia da Bo-jista.
sobrado de n. 16, chaos proprios, da ra de
thias Ferrelra em Oltnda, cujas chaves esto na
casa coctigua para ser examinado.
As casas terreas de os. 43 e 44 sitas na ra de
Methlas Perrfira, t mais a de n. 6 sita na ladeira
da Misericordia.
r.,n, mol
re de frurio, agua encanada : pdV. fra'raaaa
urora n. 66, que achara com quero tratar.
Ama <
isa-se de orna ama qae saiba
fto Marqnez do Pijada a. 21
Attenpo
tasio da Silva Deir. em viagaa"
de Pnamboeo, arisa a seos frofnaan ojaa mm-
i-r
iJkilleote tropa
da barros, qae pasear am
villa do Pillar, Porto Calvo, Castaaha
arnlros e Hio Pormoso, e dali ir i
to para a Eseada: quem pois precisar,;
darencontra-lo. *
*- Precisa-se do urna ama para lodo o
na rna de Horlaa a. 3ft sobrado.
LEILAO
joasy ouro, prata e
brlhantes.
Mauricio Jos dos Santos Rlbeiro, estabelcido
com casa de pephores praea d Independencia
n. 33, far leilao no mesmo, por ratervenco do
agente Martins, no dia 5 de outubro, s 11 horas
do dia, de todos os objectos dados em penhor,
constantes das camellas ns. 26fi B, 279 B, 234 B,
232 B, 340 B.153 B, 349 B, 351 B, 358 B, 374 B,
fSB, 377 R 378 B. 315 B, 383 B, 386 B,
6 B, 150 B, 110 B, 302 B, 305 B, 365 B, 260 B,
i B. 387 B, 32 B, 230 B, 78 B, 375 B, 229 B.
122, 8*.*,H6r102. 129. 67,95. 131, 124, 137,
139, 133, 142, Ci, loS. 161. 147, 169, 113, 156,
141, 189, 174, 167, 5 M, 33 M. 61 M, 64 M, 68 M.
73 M, 178 M; 76 M, 91 M. 132 M 90 M, 103 M, 110
M, 112 M, 114 M, ,247 M, 122 M, 135 M, 136 M,
139 M, 144 M, 151 M, 153,M. 154 M, 156 M, 159 M,
168 M, 170 M, 175 M. 201 M, 176 M, 186 M, 187
M, 188 M, 190 M, 202 M, 205 M, 206 M, 207 M
208 M, 213 M, 288 M
Podendo seus dones resgatar os objectos ou pa-
gar os juros que esto devendo, no acto no leilao e
vista da cautella.
AVISOS MARTIMOS.
COMPVIIIIA
DAS
Messageries imperiales.
At. o da 10 do corrente mez espera-se da Eu-
ropa o vapor francez Amazone, o qual depois da.
demora do costume seguir para Buenos-Ayres,
tocando na Baha, Rio de Janeiro e Montevideo.
Para conduedes, fretes e passagens, trata-se
na agencia, ra do Commereio n. 9.
No dia 12 do corrente mez espera-se dos por-
tes do sul o vapor francez Gironde, commandante
de Somr, o qual depois da demora do costume
seguir para Brdeos, tocaudo em Dakar (Gsra) e
Lisboa.
Para eondicoes. fretes e passagens, trata-se na
agencia, ra do Comraercio n. 9.
Cea ?i'e A-acaty
A escuna Georgiana segu em poucos das, tem
a maior parte do seu carregamento prompto : a
tratar com Tasso lrmaos & C.
Maranhao
A barca porlugueza Formosa seguir para o
Maranhao em poneos das, receb carga a frete
mdico : trata-se com Oveira, Flhos A C, ao
largo do Corpo San'o n. 19.__________________
Companhia americana e brasilei-
ra de paquetes a vapor.
At o dia Io de outubro espersdo dos por-
tes do sul.o vapor americano South America,o qual
depois da demora do cosame seguir para New-
York, tocando no Para e S. Thomaz.
Para fretes e passagens trata-se com os agen-
tes Henry Forster & C, raa do Commereio n. 8.
Frete sobre dinheiro X % Pari qualquer por-
to da escala do imperio, sendo quantias maores
de 10:000/1000.
Tendo aberto seguro em Loudres sobre libra:-
esterlinas 100,000 por qualquer vapor da linha, a
companhia segura qualquer remessa de dinheiro a
1/6 % par* qualquer porto da escala do imperio.
O valor deve ser declarado em libras esterlinas
e o premio pagavel na mesma moeda ou seu equi-
valente.
COMPANHIA PERJNA.MBUCANA
DE
Navegagdo costea por vapor,
Goyanna.
O vapor Parahyba seguir pa-
ra o porto cima no -dia 6 do
corrente as 9 horas da noute.
Recebe, carga encommendas
passageiros e dinheiro a frete no
escriptoro do Forte do Mattos n. 12.
PARA.
Segu para e Para no da 1 de outubro com a
carga que poder obter a fretes rauito eommodos o
hiate americano Charles Thomson, ebegado hontem
ae New-York ; a tratar com Tas-o Irmos C.
Preiende seguir para o referido porto em poucos
das o palbabote Rosita por ter a maior parte da
carga, e par a pouca que lhe falta, trata-so com o
consignatario Joaquim Jos Gonclves Bellrao,
ra do Commereio n. 17.
LEILOES.
i
DE
LEILAO
DO
sobrado de quiltro andares e
sotao da ra do Torres n, 14
edificado em chaos proprios
Quinta-feir 6 de outubro.
O agente Pinto, le vara leilao. precedida a com-
petente autorisacao, a casa de esquina da ra do
Torres, a qual torn?.-se recommeodavel pela sna
boa construccao, e por ser edificada em ra de
commereio. O leilao se effectuar s 11 horas de
dia cima dito, no escriptoro do referido agente.
AVISOS DIVERSOS.
Tendo lido em um dos nmeros do Liberal desta
semana um acervo de calumnias e injurias, que o
Sr. Flix Ferreira da Silva fez imprimir, contra o
digno subdelegado do districto de Afogados de In-
gazeira, o Sr. Joo Jos da Silva, e conbecendo
por experiencia propria at qae ponto injusta
essa provocacao, que sem difflculdade pode ser
coatestada vautajosamente pelo provocado: apro-
veito a epportonidade de acbar-me nesta cidade ao
tempo dessa publicaco para prevenir ao publico,
que suspenda o seu juizo acerca desse esenpto, at
qae o offenddo tenha tempo de o lr, e dar-lhe
conveniente resposta.
Recife, Io de outubro de 1870.
Jordo da Cunha Franca Brillo.
GASA DA FORTUNA
Aos 5:000$
Bilhetes garantidos.
A roa Primeiro de Marco (outr'ora ra do
Crespo) o. 23 e casas do costume.
O abaixo assignado, tendo vendido alm de on-
.ras sorles, 2 quartos n. 1366 com 5:000| da lo-
tera que se acabou de extrabir a beneficio da
igreja de Nossa Senhora da Conceico dos Mi-
litares do Recife (162"). convida aos possuidores a
virem receber na conformidade do costume sem
descont algam.
Acham-se a venda os felizes bilhetes garan
tidos da 2' parte das loteras, beneficio da igre-
a de Nossa Senhora da Penha (163*), que se ex-
rahir quarta-feira 5 do corrente mez.
PRECOS.
- Blbete inteiro 6*000
Meio bilhete 3*000
Quarto 1*800
Em porean de 100*000 para cima.
Blbete inteiro 5*400
Meio bilhete 2*700
Quarto 1*350
Manoel Martins Fiuza.
145 SACCOS
COM
Farinha de mandioca
avadada
O agente Jos Mara Postena ara leilao do. 145
saceos com farinha de mandioca avariada, fiada
pelo vapor Tacants, segunda-Can 9 da corrente,
as 11 horas em ponto, no trapiche alfandegado Ba
rio do LiTraawBta,
Manoel Joaquim da Silva Leao, unlndo sua voz
repassada de angustia e pungente sentimento de
seus temos e innocente- flhos, qne saodosos pran-
toam a separacao eterna de sua prezadissima es-
posa e carinhosa mai D. Mara Josephiua de Amo-
rira Leao, que na tarde do dia 28 do mez findo
voou ao seio do Creador receber o merecido
premio das sublimes virtudes de que se exornara
o seu meigo e generoso coracao, vem pelo presen-
te dar o mais prenunciado teslemuoho de sua
sincera e profunda gratdao todas ae pessoas
que, compenetradas da situaco aflictiva e amar-
gurada em que golpe to cruel deixou mergulba
dos na dor es objectos da mais intima cordealidade
daquella, qae desde o fatal momento s anceia i
fervor das preces religiosas para guiarem sea es
ptrito ao goso da gloria celeste ; anhelo esse qae,
bem comprehendido pela benevolencia e piedade de
tantas almas generosas so dignram assistir aos
oltimos suffragios da igreja, que tiveram lugar na
matriz do Corpo Santo, edabi conduziram os res-
tos moraos ao sea ultimo jazigo ; por cujos ofi-
cios de amizade o actos de religiao grava rara pe-
nhor sagrado a um et*rno reeonheeimento, o qual
mais e mais se augmentara anda as effusoes de
sea perpetuo agradecimento, se levarem o exeesso
de sna cari losa bondade e assistirom as missas e
memento solemne, que se ha de celebrar na refe-
rida matriz do Corpo Santo, pelas 8 horas da ma-
nhaa de ferca-feira 4 do corrente mez de outnbro
ATTENCAO
Rapbaei Granados, prefessor de moaie
tro da companhia de opera hespanbou (Zara
qne acaba de ebegar a est. cidade, oJhrowat
dar licoes de eanto o piano, assim como alea i
ludo por precos cowrenciodao. Tamben i
pe tangoj, habaneros, remeta, caaedeo
oholas para piano o canto, por pree n
uero de sens servicos ojutaer abasar-so
irigir-se ao botel Central, roa larga do
37, onde reside.
Precisa-se de orna ama fcrra
para o servico interno de puqn
ra da Amizade n. Si, Capunga
Alheiro, Oliveir/i & U
declarara ao publico qae venderam ao Sr. I
Lopes de Azevedo o sen estahetecimeoto de ajoceoe
e molbados, cito roa do Imperador n. 83, Mvre
e desembaracado de qualpuir debito, tanto na pra-
ea como fra della.
Recifr, 7 de agosto de 1870.
Precisa-sf de um caxeiro que lenha ortica.
de taberna e M fiador de sua conducta : a tratar
na ra do Rangel n. 8, confronte ao boceo do
Trem.
O salao le pianos e de
msicas
raudou-se da ra Nova n. 58, 1* andar, para a
ruada
Imperatriz n. 12, loja,
reeommendando-se ao Illm. pu-
AMA
Precisa-se de urna ama que sama eoxiakar:
rna do Codorniz n. _______^^
Ama
Precisa-se de ama ama para
raa Oireila n. 26, 1* andar.
engomo :
Am*
Offerece-se urna ama portugoea para
pouca familia, cosinha e engomnar : a B
largo da Asseabla n 15.
Ao commereio
Urna pessoa habilitada enearrga-se de i
ver algumas cobrancas, nao s aqoi coa lora 4a
cidade, dando para isiu garanta ; assim eeew en-
carrega-se de escripturacao mercantil: qoea pra-
esar deixe carta feixada oesta ty^agraplia i
as iniciaos A. S.
Precisa-se de um
ra do Rangel n. 9.
e dinheiro. aa padaria da
Azevedo & Bastos, Am liqaidacio, seteotisV-
cam ao respeitavel publico e especialmeasa, m\
corpo do commereio, qae nada devera ne.-la pra-
ea ou fra dola, e se algnem se joigar cos di-
reito dita firma, qneira apresentar sna eooca om
titulo, na traves-a da Madre de Deas ns. 4 e- 6, no
praso de 3 'das, ser inmediatamente sausfeito.
Reeife. 2 de outnbro de 1870.
Aluga-se a casa terrea da roa do Pescado-
res n. 17, ba pouco concertada e pintada, com
eommodos para familia, bom quintal e porfi para
o mar : trata-se na ra nova de Santa Rita an-
mero 55.
Aluga-se o 1* andar do sobrado n. 1 da
Imperial: a tratar no andar terreo. ______
tle um preventivo secrnro e certo contr
Ela calvice,
c d e restaura forc^a e sanidade a pelte
da cabecat
Elle de prompto faz cessar a queda prema-
tura dos cabel! m.
Elle d grande riqueza de lustro aos ca-
bellos,
Elle doma e faz preservar os cabellos em
qualquer forma e pstelo que s deseje
n'um estado formoso, liso e macio,
Ele fazerescer os cabellos bastos e com-
pridos.
Elle conserva a pelle e o casco da cabeca
limpo e livre de toda a especie de caspa.
Elle previne os cabellos de se tomarem.
brancos.
Elle conserva a cabeca n'um estado de fsai
cura refrigerante e agradavel,
Elle nao demaziadamente oleoso, gonhK
rnto ou pegadico,
Elle nao deixa o menor cheiro desagr*-
davel,
Elle o melhor e o mais aprasivel artigo
para a boa conservacao e arranjo do&cav-
bellos das senhoras,
Elle o nico artigo proprio para o pea-
teado dos cabellos e barbas dos senho-
res,
Nenhum toucador de senhora se pode con-
siderar como completo sem o
O CABELLO.
Tnico Oriental
o qual preserva, limpa, fortifica e aformosea
Acha-se a venda nos estabelecimentos d
A. Caors, 1. da C. Bravo & C. P. Maurer
& C, M. Barbosa, Bartholomeu 4 C, e em
todas as principaes lojas de perfHrnaria
e boticas.

.
ende contina
blieo.
0. Wertheimer.
TERDADEIRO LE BOT
de II6XOBCT, Doctcur-MMMiB
Ru de Saino, Si, dk PARS.
Sn esdn prnTi, ni, ntN a roihi c hH
ni len o i (lete, am rUlo tatarata tmtm
relio wd t sotao Uriuu, M iotmi rama
T. I.-Re*.
\


Ditai de Pemambuco Domingo 2 ele Outttbfo de 170
A. fiSMERALD A
i3
Fotographia inperial.
PINTURA.
s

Este antigo estabelecimento, acha-se hoje montado n'uma
escala de poder servir vantajosamente os seus fregnezes, atten-
to o grande sortimento de joas d'onro, prata e brilhantes, qne
sempre tem e recebem mentalmente das principaes fabricas da
Europa- eujos prepos sao em competiveis e as obras garantidas
de lei
TOOREIK V RUARTE .
mmmm
MANUEL <5c C.

Tem a satisfac5o do participar aos seos numerosos fregnezes, qne em vista de ser-Ibes mais commodo, tem ^
-estabelectdo urna nova fabrica de chapeos de sol, na ra da Cadeia do Recife n. 9, neje ra do Mrquez ue uimaa, ge
onde adiarlo os pretendentes, muo avsltado sortimento de chapeos de sol de todos os precos, qualidades e por pro- gjg
eos mas cornmodos do que comporta o nosso mercado: convidam especialmente aos Srs. compradores por atacado |g|
darem, sendo possivel suas encommendas, pois podero assim serem mais bem servidos, visto poderem escolner as ar- i
mages as lazendas que a demora da fabricaco bem diminuta, "r-____________,___________,______
NA AffTIGA E BEM CONHECIDA FABRICA
- DE
CHAPEOS DE SOL
DA
Ena do Barao da Yictoria. esquina da Camba do Cario.
(Antiga Ra Nova) ,
Ha sempre um grande sortiroento de-chapeos de sol de seda, merino, alpaca, bretanba de llnho branco e par- <
do e de algodao os todos os tomanhos e feitios, alm da immesa porco de seda, mer.no, algodao e brim,
armacoes de todas as qualidades para satisfacer qualquer encommenda. A modicidade de seus precos e tao connecida
que escusa de mencionar.
IS
Sf
PRECIOSA DESCOBERTA
CURAS M IR AT1IIHOS\S
DO
co mu c
Wmfi^mmMm
D,W.
Nec plus ultra
Tirando immediatameate todas as caspas e coceiras dos cabellos.
Deposito
rnente em casa do autor. Andr Delsa; cabeileireiro de Pars.
Ra de .Yarco (antiga Crepo) n. 7 A Io andar
ENGENHEIRO
Com fundiqao.
A RA DO BRUM N. 52.
Passano o chafo riz
Machinas vapor systema mejorado.
Rodas d'agoa.
Formas de ferro para purgar assucar.
Moendas de canna. '
Taixas de ferro batido e fundido.
Rodas denudas para moer com agoa, va-
i por e animaes.
E outros objectos proprios d'agriculiura.
Tudo por preco muito reduzido.
GA'JLERIA de
J. Ferrara Plela
Tjesde o da 7 de abril passado acha-se iberio o
i'jto estabelecimento paotographioo lito i raa do
i .bug n. 18, eiquina do pateo >la matriz. Ostrba-
Ihos qne d*sde eutao, tem sahido de nossa offleina
tem geralmente agradado, seude' recebidos por
liguas com admirado pelo extraordinario pro-
grseo que ltimamente tem do a pholc graphia,
e por outros com alegra, por verem a prviecia
dotada com um estabelecimento digno d ella, e in-
jontestavelmente o prmeiro que nesse genero
boje possue : tambem nio nos poupamos em eoosa
alguma para monta-lo no pe em que se aclis, es-
perando qne o pobtleo de Pernanameo saber
apreciar nossos estorbos e recompensar nossos sa-
crificios. T H
Convidamos a todas aquellas pessoas, nacionaes
i estrangeiras que ostam das artes, ou tiverem
aecessidade de trabalhos de photOgraptaia a visi-
tarera e nosso estabelecimento, qne estar sempre
aborto e sua disposicao todos os dias desde as 7
horas da manhaa at as 6 da tarde.
Para os trabalbos de pbotograpbia possuimos -ip
versas machinas dosmelhores autores franeezes,
inglezes e allmemies, como sejara : Lerebonrs et
Secretan, Hermagis, Themaz Roes, Voigtlander et
Sonh eWul. ltimamente recebemos tres novas
macbinasi sendo urna deltas propria para tomar
obre o mesmo vidro 4 on 8 imageos diversas e
isoladas, e ontra de 6 a 12 imagens diversas 9
igualmente isoladas, de norte que no caso de
pande concurrencia podaremos retratar sobre
urna nica chapa at 8 pessoas diversas e sola-
das para cartOes de viita, e assim em menas de
um quarto de bora despacharmos 8 dilTeremes
pessoas qne pecara cada ama, ama doiia de candes
mais on menos, com os seos retratos somonte, on
em grupo com outras.
Encarregamos-nos exclusivamente .da direccao
a feitura dos trabalbos de photographia dei-
tapdo a penda e talentos do dislinctq pintor
illorno, o Sr.
Jorge A. Roth
os trabalhos de pintara, a aqaarela, a oleo, e a
pastel.
O Sr. Roth acha-se ligado a nossa empresa por
ama escriptura publica, e at o presente tem se
desvellado na execucaa de seas trabalbos.
No nosso estabelecimento acham-se exposlos ou-
tros trabalbos importantes do Sr. Rotb, tanto em
miniaturas aquarella como oleo, retratos
oleo, quadros sacros e diversos outros trabalhos.
Tomamos encommendas de retratos oleo at o
tamnbo natural, assim como de quadros sacros
Sara ornamentacao de igrejas on capellas. Tam-
em aceitamos encommendas de quadros histor-
eos.
Asseguramos que os precos dos diversos tra-
balbos da nossa casa sao mu rasoxveis.
cart5es de visita NAO COLORIDOS A 10)500 A
DUZIA
CARTOES DE VISITA COM O C0LORDO AO NATU-
RAL A 164IOOO A DDZIA
Retrates em miniatura oleo ou aquarella de
16 a 20*000 cada um, indo convenientemente en-
aixilhado em moldura doarada e regalando o
basto da pessoa retratada de 3 4 pollegadas e
todo o quadro palmo e meio de tamanbo.
Julgamos que bastarlo os precos cima para
Jarraos idea da baratesa dos trabalhos do nosso
itablecimento, qnanto sua perfeicao cada um
venha julgar por seas proprios olhos.
As melhores horas para se tirarem retratos no
nosso estabelecimento sao das 8 horas da manhaa
1 da tarde; entretanto $3 ama hora s 5 da tarde
sm casos especiaes pde-se tambem retratar qual-
quer pessoa.
Nos dias de chuva, ou por tempo sombro po-
demos retratar, e asseguramos que esses dias sao
3S mais favoraveis aos trabalbos de photographia
pela docura e persistencia da luz, e pe r termos o
nosso terrado construido com taes proporcoes e
melhoramentns, que ainda chovendo ;orros ne-
ahum inconveniente ba para fazer-se bellos re-
tratos.
/. Fdreira VHiela
Preeisa-se Ae ama ama -
SO, 4. andar.
a
na ra de Hortasn.
Criado Hvre ouescrava#
Precisa-se de um criado lirre ou eecravo de 10
a 12 annos de idade, para servico tanto interao
como externo de ama casa de peqnena familia : a
itmt na ra da Palma n. 34. ___________
liejimr sto 'Jtpat opunas 'jg u sajjox
op enj a : sEtue op siaamoioeiraoo ga-smjj
A' roa do lardKn n. 43 preeisa-se failu eon os
seguiste sennores :
ntlo Adolpho Ribas (aeadeBtoe).
Querino Candido de Vaseaneettai.
Joaquim Gavalcanti de Albaqnerqne Mello FUno
(Pombal).
Jeruino Augusto dos Santos Fragoso.
Virisshho Correia de Lyra (Cruao|i ou Vieeucia
Jos Hermhio Pontnal (engeoho Preferenta).
Fernando Barata da Silva (engenho Morojo).
Antonio Gomes Cordeiro de Mello.
Eduardo de Paula Santos.
Francisco da Silva Porto. <
Thom Joaquim do Ro Barres.
Jos Dativo dos Passos Bastos fax iente ao
respeitavel publico e ao seus fregoeres, qne tendo
reformado a soa offleina sita ra do Bario do
Triumpho n. 64, antisa ra do Brurn, onde encon-
trarlo sempre alambiques de diversos tamanhes,
serpentinas, cobres de roda, passadeiras, lachos de
todos os tamanbo, todo o sortimento para o fa-
brico do atascar, sinos de diversos lmannos,
broDzes para engenhos, bombas de repucho e as-
pirantes pelo nove sistema, fcbrca-se tambem
qualquer obra de ferreiro e sejrraiheiro,gradeamen-
los, portoes, tanques, fogoes, ferragens pita na-
vios, encarrega-se de encanaraentos para agua, e
tambem faz-se cortadeiras para cortar bolachas a
vapor, tnde por menos prejo que em ontra parte,
garantirlo todas as suas obras.
mnibus para a Var-
zea.
Para melbor commodidade dos Passageirot do
domingo 2 de outubro, cometa o mnibus para a
Vanea, sahindo do Recife as 7 horas da manhaa,
e da Vanea as 5 horas da tarde. Nos dias uteis
as 5 horas da tarde, e da Varzea as 7 t|2 da ma-
nhaa ; fleando o de Cachang s horas do cos-
tume.
MOFINA
Roga-se ao lila. Sr. Ignacio V*ira de Mello, es-
crivao na cidade de Nazareth desta provincia, o
favor de vir a ra do imperador n. 18 a ronclnir
aquello negocio que V. S. se coraprometteu reali-
sar, pela lerceira ebamada deste jornal, em fin*
de dezerabro prximo passado, e depois para Ja-
neiro, passou a Cevereiro e abril, e na 1a cumprio.
e por este motivo de novo chamado para dito
flm ; pois V. S. se deve lembrar qne este negocio
de mais de oito annos, e quaado o senhor seo
filho se acbava no estado nesta cidade.
CAO PERDIDO
Desapparecu da casa n. 40 ra da L'oilo, no
dia 26 do correte, nm cao grande, cor vermelha,
levando ao pescoco orna eoleira de sola : quem o
achar pode leva-lo all on ra do Mrquez de
Olinda, escriptorio de Leal & innio, que ser gra-
tificado^_______________________________
Aluga-se urna escrava para o servico Interno
de casa ; e tambem aluga-se nm andar da casa
n. 13 da ruado Araorim : a tratar na ra do lm-
perador n. 50.___________________________
Leal & Irmo ra do Mrquez de Olinda
n. 56, precisam de um feitor para o engenho Bo-
nito, comarca de Nazareth, e offerecem vantageos.
O Dr. Manoel Eoedino Reg Valenta
contina no exercicio de sua profissao de
medico ra da Camba do Carmo o. 21
1* andar.
GUSTAYE
CABELLEIREIR FRANCEZ
51Boa da Cadeia do Eecife51
Chama a attenco dos seas innmeros fregueses, e do respeitave publico et
gerd, para a logrte tabeHa dos precos de sua casa, os qaaes sao vinte por centt
aais barato do que em outra qualquer parte:
Cabelleiras para senhoras a 250, Cadeias para relogio a 56, 63,
30, 350 e......405000 70, 8$, 90, 120 e.
>itas para homem a 350, 400 e 500000
AMA .
Precisa-so de urna ama :
eO, andar.
na ra de Hortas n
Ama de leite,
Precisa-sede urna ama de leite, paga-se bem :
na ra Augusta n. 2, 2 andar.
PRMEIRO E ANTIGO CONSULTORIO
IIOMEOPATHHO
Dirigido pelo Dr.
SANTOS MELLO
Os habitantes do interior podem-no
consultar por escriptn, no que serlo sa
tisfeilos com promptido.
Presta-se tambem a chamados para o
interior, a preco mdico.
Consultas, no consultorio das 10 horas
ao meio dia.
Chamados, a qualquer hora.
Aos pobres gratis.
43Ra do Baro da Victoria43
(Amiga ra Nova).
Coques a 20, 150, i 80, 200,
250, 300 e.....500000
Crescentes a 120,150,180,200,
:i50oo*
k^ mwmmmm m
4TTENCA0
Corte de cabello, .
I Corte de cabello com friccSo.
250, 300 e 320000
'Cachos ou crespos a 30, 40, 50,
601, 70, 80, 90 e. 100000
Tranca de cabello para anne4
500 e....... I0OOO
Tranca para braceletes a 100,
150, 200, 25e.....3O0OOO
Corte de cabello com lavagem a
champou......
Corte de cabello com limpez da
cajjeca pela machina elctri-
ca, nica em Pernambuco. .
Frisado ingieza ou franceza.
Barba.......,.
10001
501
251
ASSIGNATURAS WENSAES
Especiahdade de penteados para casamento
, Batuca e olres
O dono do estabelecimento previne s | Recommenda-e a superior TINTURA JA
Sraa. e aos eavalheiros que ha umxmas. IS PONEZA para enegrecer os cabellos e bar
alio para tintara des cabellos e barba, as- ba> nmca admittida na ExpoBcio nrvena)
^_ como n2o prejodicial ande, por ser vo1
umeomonm empregado smente occepa- latIf ^f^ e a'pprovada pelas wadi
flease serico.n mias de ciencias de PARS E L0NDI&5
L
Reulha-se, vontade des compradores, alguns
i Jetes de terrenos, que restam, do sitio Aguasinha,
501 : em Beberibe, por preoos rasoaveis. A po-icao
J toppgraphica do terreno" muito o recorriraenaa. so-
501 bre ludo p3r flear prximo da estarlo projoctada
da va lerrea. Os pretendentes poderao dirigir-
so tnforraar-ae do tenente S Peixoto. no mes-
10001 nio lugar, e para qualquer negocio ra- do
Crespo n. 12, i- andar.
A verdadeira farinha peitoral de
S. Benlo.
Esta farinha nsada com vantajosos resalu-
des nos padecimenios dos orgaos do peiio-,
como asthma ou puebamento de catbarros,
inflamacao do bofe, peurizes o na pthysiea; re-
commeudando-se com igual proveito as pessoas
convalecentoa.
nico deposito na pbirmaeia e drogara, a
DE
Barthoromea 4 C.
34Raa larga do Rosario34
AVISO AOS TOMANTES.
Cachimbos e ponteiras de espuma verda-
deira.
O mais completo sortimento, e incitas qualida-
des novas que ainda nao vieram a este mercado:
NA LIVRARIA FRAJICEZA
Aluga-se um sitio com boa casa de vivenda
e grande quantidade de arvoredos de fructo, en-
tre os quaes boas laranjas de umbigo, sapotis,
goiaba. etc., no largo do cbafariz da Passagem da
Magdalena: a tratar com osea proprietario no
sobrado da esquina que volta para os Remedio?
n. 29.
mmmmmwmn
ADVOGACIA. |
0 DR. JOAQUIM CORREA DE ARAUJO M
tem o sea escriptorio ra do Imperador jjg
n. 67, onde pode ser procurado das 9 no- g
ras da manhaa s 3 da tarde.
Na ra Ausnsta,. sobrado n. 17, 1* andar,
precisa-se de urna boa ama para o servico interno
de ponca familia.
ATTENCO
Todas as pesoas que ?e julgam jom direito a
relogios, ou objectos que se acbavam em poder
do fallecido subdito portuguez Joaquim Barbosa
Cupertino, com loja na ra Nova 67, devem re-
clama-los ao abaixo assignado na ra larga do
Rosario constituido depositario pelo consulado de
Portugal, no prazo de 8 dias, contar da data
deste, e lindo o dito prazo, nao sendo reclamados
serio entregues ao referido consulado, para se-
rem vendidos em leilo publico por conta do quem
pertencer. Recife, 26 de selembro de 1870.
Joao I.uiz Vianna.
ATTENCO
Hotel Fior da Boa-vista
Ra da Matriz da Boa-Vista n. 8.
Neste hotel encontrar o respeitavel publico com
asseio e promptido, nao s a refeicao diaria, por
menor prejo que em outra qualquer parte, como
tambem fornece-se comedorias mandando se levar
s casas das pessoas a tempo e hora convenientes.
Nos domingo e dias santos havera mo de vacca
excedente e outras iguarias.
Ama
Precisa-se de ama ama escrava on forra para
comprar e cozinhar em casa de pouca familia : na
rna Nova n. 24, loja.
Aluga se para escriptorio o Io andar, sala t
alcova do sobrado n 31 da rna de Pedro Affonso :
a tratar no armazem do mesmo sobrado.
Precisa-sede urna ama para engommar
roa da Cruz n. 57, 2 aadar
na
MO DE DURO
Nova loja de joias
RA DO CABUGA' N. A.
DE
Manoel da Cmiha Saldanha & C.
Acaba de abri-se este estabelecimento de joias, o qual tem grande sorti-
mento de todas asjoiag de ultimo goste, as qaaes vender o mais barato oos-
sivel. *^
Todas as joias serSo garantidas ouro de lei, pois os Moldnos tendo em
vista so adquirir fregoezia uo olvidarSo, vender bom e por precos os mai-i
razoaveis possiwjis.
sati8(feUo*,"Se PObHC 3 Vr 8 e3le estabelecB,9nl0' C9rto de gpe ftev
Agencia em Pernambuco
Do Dr. Ayer
Peitoral de Cereja
Cnra a phthygjca e todas as molestias do peito.
Matas porrina
Cura aleara e chagas antigs, impigens e dar- i
(T06
Tnico
RM
s
I Gabinete Portuguez
COMPANHIA
DOS
TRILHOS URBANOS
DO
RECIFE A9 OlilftD.l.
-'or ordem da directora sao convidados
os Srs. accionistas que se inscreveram para
a nova emisso. realisarem at o c'a 30
do correte a Ia prestaco na razo de 10
7o; devendo ficar sem effeito as inscrip-
Ces cuja Ia prestaco nao fr realisada no
prazo supradito, as quaes sero distribui-
das pelos subscriptores que ainda nao sao
accionistas, os qaaes devero realisar a Ia
prestaco das aeces subscriptas dentro do
praso de cinco dias contados do Io de ou-
tubro vindonro.
Para esse nm ser encontrado ro Sr. the-
soureiro da companbia no respectivo es-
criptorio das 10 horas da manhaa as 2 da
tarde.
Recife, lde setembro de 1870.
Joo Joaqnim Alvps,
^^^ l8 secretario.
Preeisa-se de urna ama para casa de pone
familia : na rna Direita n. 38.______________
Precisa-se de um homem portuguez para
vender leite tratar de qnatro vacoas : quem es-
tiver habilitado dirija-sel Passagem da Magdalena
n. i, gao se^r quem .__________________
Attengdo.
Preeisa-se de urna sata e nm quarto para um
rapar solteiro : qawn tiver o quizer alagar dirija-
se a esta typograpnia que achara com quem tratar.
Ama de leite
. Precisa-se de urna ama livre ou sujeita, porm
de boa conducta, qne tenha bom leite e com abun
dancia, sem fllho a mamentar : a tratar na ra Praia, armazem ns. 13 e i 5.
Aluga se urna escrava com oitodias de pari-
da com muito e bom leite : a tratar na ra de
Aguas-verdes n. 90.
____AC
RO
DYVETOT
14-Roa EslroHa do Rosaro-14
Compra e vende roupa feita
nova e usada, objectos de
cosinha e de mesa, e
tudo que perten-
v ce ao uso do-
mestico.
Ama
Na rna do Vigario n. 5, 2 and^r, precisa-se de
urna ama livre ou escrava para eo.^rohar, em cujo
desempenho se qner asseio e perfelc^0-
Conserva e ffnips os cabellos.
Ptlia* catfaarticas.
Ama.
Precisa-se de nma ama que compre i cozinbe
para casa de rapaz solteiro : na rna do Da'Toe de
Caxias n. 11 \
- Os Srs. Amaro Gomes da Cunha Ra-
bello, Jos Estanislao Ferreira, Jos Domin-
gues de Souza, Jos de Castro Brandao Cor-
deiro, da cidade de Goyanna, qneiram
mandar esta typographia.
A commis8ao administradora da irroandade
de Nessa Senbora do Rosario do bairro de San-
to Antonio, faz sciente ao respeitavel publico que
para maior commodidade transferiu a festa de
sua padroeira para o dia 30 de outubro, deven-
do ter principio as novenas no dia 21 do mesmo
mez.
Consistorio da jrmandade, 30 de setembro de
1870.
O secretario,
Libanio Luiz da Cunha.
J. Fe reir Villela
PHOTOCRAPIH 1 IMPERIAL
18----RA DO CABUG18
A entrada e pelo pateo da matriz.
Os trabathos da reedificacaa desta photographia,
e que se prolongarira por tanto tempo, acham-se
leiizmente terminados e ella aberta ao servico do
publico desde 7 de abril passado.
O predio em qne tst collocada esta photogra-
phia acha-se muito augmentado, o s a parte desti-
nada ao estabelecimento conta cinco salas, inclu-
sive as do laboratorio. Todos os concertos e aug-
menios tendo sido fetos (yepressamente para se
montar convenientemente a photographia, e nao se
podendo melhor modelo esrolher do que a Photo-
orafiia Imperial do Sr. Insley Pacheco do Rio de
Janeiro, o prmeiro pbotographodo Brasil, e um os
primeiros do mundo, segundo a opiniao dos mais
abalisados meslres, a nosa photographia acha-se
dlsnosta e reedificada pelo mesmo piano da do Sr
I. Pacheco, a qual fi montada sob todas as regras
lecommer.dadas pelos mais deslinctos prefessores
de accordo com as modficar;des necessarias ao
clima do Brasil, reemhecidas e estudadas pelo ha-
bilissimo e pratico Sr. I. Pacheco.
Todo o interior do predio em que est nossa
photographia foi modado desde a soleira da porta da
ra at a cobertn, tendo-se demolido todas as pa-
redes interiores para se fazerem as novas safas,
edificndose um novo terraco envidrandomui
espacoso e elegante.
Coreo sabido, fizemos nma vigem expresa-
mente corte para examinarmos as melhores pbo-
lographias all, o foi a do Sr. I. Pacheco, a que
melhor corresponden aos nossos desejos e aspira-
cSes, e da qual trouxemos os planos depois de
alli estarmos todo um mez estudando e pr'"
veitando a* licSes de to dislincto mestre. Pen-
samos que juntando os nossos estudos o tonga
pratica de 15 annos de pbotograpbia sulilisssas
liedes ultiman ente recebidas do Sr. I. Pacheco,
tendo montado a nossa photographia como se
acba, podemos ofTerecer ao illustrado poblicc
d'esta cidade e aos nossos nun.erosos fregnezes
trabalhos de photographia to perfeitos, como se
poderi desejar, e disto convencidos, esperare?
que contluuem a dispensar-nos a mesma pro-
teccao com que ha 15 aunos nos tem honrado o
ajudzdo.
e n If100?' Joaquim Gomes precisa fallar 00^
Sr. Pedro de Mello Betel hn.
MO DE OURO RA DO CABUGA
N.9A
A direccao da.abioe!e Porrugoee de Leifura
precisando proceder, u baline^ em ua biblio-
theca, pede aos-sens js< fiados se digoera at o
II d.ourubro;if8zarrteoi!^er os livros que tldia
re ero seu peder. ve-
Searetaia do 6a nete Portag lez de Leitnraam
Perpamfcnco aos K di; selembro .de 1S70.
Antonio d Al.baqu-rqw Meilo,
1 leeretario.
Roubaram do andar do sobrado n. 52earo
do yuximado. um relogio de ouro n: 4513, orison-
tai, machina descobem, lavrado, e urna correnlo
lamcem de ouro. simples : previne-se aos senho-
os, ou a quem for estes ob
iectos ifferecidvs, que o? apprehemlam e lavan "1
loia de seis Portas era fronte dn Ijcpumm!.- >i
(ja de sets portas era-frente do Lirameatc. qne. porm que seja c
sera bem recompen,? essa de urgencia,
Ao curioso que no sabbado cenduzio urna
cachorrinha nret, do sitio de Jos Duarle das No-
ves, roga-se-lh o obsequio de a soltar, do contra-
no mandar-se-ba buscar pelo visinho que a vio
eoailuzir.
Tendo deliberado a mesa regedora da irman-
dade das aunas, urectana igreja matriz da fregu-
xia de Saoto Aoiodo desta cidade, mandar fazor'
no ce milano publico algamas catacumbas para
inhumadlo dos cadveres de seus irmios qoe fal-
l^wrem, pede para l qnx-rem concorrer, aflm de qne 3e nossa levara
eeiU1 **sa 0Dr* ^e to Impoitante necessidade
Trabalhador para padaria.
Para o Rio Grande do Norte precisa-se de um
trabalhador dos ltimos chegados das libas, aiuda
mesmo sem pratica : a tratar com Tasso Irmaos 4
C, ra do Amorim n. 31.
t MUDANQA i
0 escriptorio di Dr. Joaqnim Jos de 9t
Campos da Costa de Modestos e .ilbn aK
querque est ra estrerta do Rotar M
_ rio b. 24. t
0u"erece-8e um oco brasiWro que aane
bem ler, escrevere contar para eaixetro de algum
engenho perto ou mesmo distante desta prata, do
que tem bastante pratiei, e m*w* pw> eawnar
primeiras letras : quem de seu Pn^mo ** Ia*"
zer utilisar, aonunde por este Dtfno para ser
procurado.

Joaquim Leoca
O escrivao,
(lio vie
l^tecisa-se
a premio de .^-000*" a'9:000* pe
convencional1, i.'bre bypothva em be'ns'^ "ir :
quem os quizer d.' annuncie para ser ,pr'c nr.*""'
C001 P-' dan.'S.
ATTENCAiT
Os abaixo assigoadas fazera sciente a tote aa
pessoas que ten dado obras eocacnur aa sua
loja e offlciDa do largo do Collegio, que lechan a
bondade de vir procurar ditas oferas pagar as
respectivas eodadernic,"es, visto qne ahjnasas ja
lem decorrido mais de 6 annos, sem que tan da-
nos as traba reclamado : pelo que, pasate 99
ows da data deste, seo vendidas para pgiamtj
das despezas da eocadernacio, tedas nanii
que nesse praso nie forem procurada e pagas.
Recife 24 de setembro de 1870.
iiimare & Olivara
'___ Bn liquidacao
Prechasde uia servente qu* s^ja Ijrro aa
.aptivo pan todo o scivi^o : do hotel frraeei, na
das-Larangelras n. 10
BRAZ1LIAN STEET
Railway Company (Limited)
Attenco
Tendo apparecido ltimamente bilhetes
falsos recommenrta-se aos Srs. negociantes
e mais pessoas qne os costomam receber
como dinbeiro. que nao os acceitem mais se
nao as estacos, para evitar perdas e pre-
venir assim a falsificado, cojos autores a
companhia procura lazer punir pelos meios
lega es.
Escriptorio da companhia, 11 de setembro
de 1870.
William Rawlinson.
Gerente.
Os indios do Jagua-
ribe,
(Publicaqao nacional)
Acaba no sahir das ofBcinas do Jornal do Re-
cife o 1 voluroe desta hisoria \do secuto V//. se-
gundo o intitula seu autor o Sr. Dr. Pranklin
Tayora.
a secundo edicao, e acha-se consideravelmen-
te crrela e augmentada. A leitura produs inte-
resse.
Prestando-se o assumpto a vastos desenvolvi-
mentos consta todava a obra de 4 volumes, uue
para mais facilidad'! para o comprador, sero pu-
blicados com intervallos razoaveis.
O 1 velume esta exposto venda na encader-
oacao parisiense de Paula Monteiro, ra do Im-
perador n. 71, a razao de 2000 rs., onde as pes-
soas, que se dignaram assignar para a obra, po-
dem mandar buscar seu livro.
MDANCA.
Jos Marques de Airosa Braga faz sciente a seus
fregnezes, que mudou sua fabrica de calcados que
tinha na loja do sobrado n. 21 do largo do Corpo
Santo, para o andar do mesmo sobrado, onde
pode ser procurado a qualquer hora.
-



m
*
Diario de Pemambuco Domingp 2 de Outubro de 1870.
-~-
't"f rw.
-*-
AO ARMAZEM
VAPOR FRANCEZ
f-
Este conheeido estabelecimento acha-se constantemente bem sonido, etn virlude das
facturas qne recebe por todos os vapores e navios francezes, dos artigos abaixo mencioua-
dos, precos os mais resumidos que possivel.
CALCADO FR1IZ
Botinas para en horas e me a las.
Botinas pretas, brancas e de multas outras cores, sortidas e bonitas, do ultimo gos-
to da moda, e precos mais barates do que em outras partes.
Botinas para borneas e meninos.
Botinas de bfzerro, eordavio, lustro e pellica, das melhores fabricas e escolhidas.
Botas e pernelras russlanas.
Botas e perneiras para mamaria, das melhores qualidades, de coaro da Russia, lus-
tro e bizerro.
Sapatos de borracha para horneas e senhoras
Toado caegado grande porcao de sapatos de borracha vende-se pelo custo afim de
desempatar o dinhelro nelles empregado, sao baratsimo?.
Sapatos de lustro para homens.
Sapatos de entrada baixa de ccuro de lustro com salto, de muito boa qualidade.
Abotinados para meninos e meninas
Sapatos abotinados de differentes modelos, de muito boas qualidades e fortes, tanto
para meninos como para meninas, muito baratos.
Sapatos de tpete.
Sapatos de tapete aveludado, de casemira, de charlte e de tranca francezes e por-
tuguezes para horneo, para senhoras e para meninos.
nfnWIMMfnf
PERFUMARAS
Excelienles extractos, banbas, leos, agua de cologne, florida, divina, lavande, den-
triSce, de toilette, sabenetes, tintara para cabellos, pomada angroise para bigodes, pos de
arroz ete., tudo isto de primeira qualidade, dos afamados fabricantes, Condray, Piver e Lubin.
Quinquilharias
Lavas de pellica do conheeido fabricante Jouvin, espelhos para sallas, qnartos e ga-
binetes, toucadore> de diversos tamanhos, leques para senhoras e para meninas, abridores
de lavas, brincos, pulceiras, botoes, correnus e chaves de relegios e trancelins, tuda de
ouro de lei, correles e brincos de plaqu, a imitacao e de mais gosto do que as de ouro,
caixinhas de costura ricamente guarnecidas e ornadas com lindas pessas de mnsica, albuns
e caixilhos donrados para retratos, caixinhas com vidro de augmento para distinctamente
ver-se a perfeicao dos retratos, objectos de pbantasia para toilettes, bosinhas e cestinbas
de seda, de velludo e de vimes para braco de meninas e senhoras, ditas para costuras, pe-
queos registros muito finos e delicados, bouquets de flores de porcelana, jarros proprios |
para gabinetes e santuarios, quadros promptos para collocar-se vistas, molduras douradas
para quadros, estampas finas de paysagens, cidades, figuras e de sanios, vidros para eos-
morama, malas, saceos e bolsas de viagens, esporas, chicotes, bengalas, oculos, lunetas ou
pensinez de prata dourados, gravatas pretas e de cores, abotoaduras de collete e de pnnhos,
carteirinhas para notas, tbesounnbas e caivetes finos, pentes, escovas, ponteiras de espuma
para charutos e para cigarros, Jo?os de domin, rodetes, bagatelas e outros differentes, ve-
nezianas modernas muito conveniente para portas e janellas, cosmoramas, lanternas mgi-
cas, esteriocopos com interessaotes vistas de figuras e das mais bonitas ras, boulevards,
pravas e passeios de Pars, photORraphias e caixinhas mgicas, reverberos para candieiros,
tapetes de vidrilho e de laa de cores para ps de lanternas. realejos grandes e peqneno,
harmnicos, aeordions de todos os tamanhos, bercos de vimes para enancas, sapalinhos e %
toncas de lia, carrinhos de 3 e 4 rodas muito elegantes para conducir enancas passeio ; e
outras muitas quinquilharias de phantasia, francezas e allemae?, precos muito em conta.
Para este artigo nao ha espaco nem tempo para a mas-ante leitura da infinidade de
geueros de brinquedos fabricados em diversos paizes da Europa.
Na travessa da na
das Crazes e, 2, pri-
meira andar, da-se di-
nhelro sobre penhores
de onro, r prata e brilhan-
tes, seja qaal foraqnan-
lia. Na nesma casa com-
pram-se os taesmos me-
taes e pedrs.
Formas de ferro
para purgar assncar : na roa da Cadea nume-
ro^______________________________________
VIUMUi PALI
INTERESSANTB C01P0S!(;0 LITURilRM.
OONTENDO !
A ooite do xtasis.
O sorriso.
A noite do assombro.
A lagrima
A nonte do delirio.
O mysteno.
Com urna carta critica dirigida ao autor pelo
Dr. T. B. Rigueira Costa,
1 volme brochado 2*000.
AS CENTELHAS
Poesas patriticas sobre a guerra do Paraguay,
i volurae brochado 2/000
NA
LIVRARIA FRANCEZA
ATTENCAO
0 dono deste estabelecimento pede ao publico em geral que continu a visita-jo
verificando as qualidades e os precos baratos de ditos objectos por serem vindos em di-
reitura e de conta propria.
S!S^>
mm
I ^
DAVID W. BOWUi
EHCEUBO
Com fundi(?ao
RA DO BRUM 52
Passando o chafariz.
Chama a attenco dos Srs. de engenho para seus acreditados machinismos
com especialidade para seos vapores que anda urna vez tem melborado.
Os vapores fornecidos por elle e j fuuccionando Ihe ho de fazer melhor : pre-
ciaco do que qualjuer dito proprio.
Deseja tambera mencionar que tem feito urna redueco em seus precos ; e que
tem prompto toda a especie de macbnismo e outros objectos para a agricultura.
| MUDANCA.
I O Dr. Caroiino Francisco de Lima San-
| tos mudou sua residencia e consultorio
! para a ra do Imperador n. 37, 2 andar
I do sobrado cujo armazem conserva ajn-
I da hoje o nomo de Alianca, tendo a
! entrada, que pelo lado da ponte Seta
} de Setembro, o mesmo numero 57, da
I frente. Ah continuando o dito Dr. no
5 exercicio de sua proflsso de medico e
I de operador, pode ser procurado a qual-
I quer hora do dia e da noule.
*&8nr* mnm$
0 CIRLRGO DENTISTA
Frederico Maya
Tem a honra de scientificar ao respeita-
vei publico em geral, e aos seas clientes
em particular que elle mudon o sen gabi|
nete de consultas da ra Direita n. 12 para
a do Queimado n. 31 p'rimeiro andar, com
a entrada pelo pateo de Pedro II, onde po-
de ser procurado para os misteres de sua
profiss3o, todos os dias uteis das 9 horaf
da manhaa s 3 da tarde.
Tambem previne, que contina a prestar-
se a vontade dos clientes nao s na cidade
como nos seus suburbios, para onde ar
idas serSo precedidas de ajuste. E'le ga-
rante o bom desempenho e a peffeicio de
seus trabalbos, oque j bem conheeido,
jssim como as commodidades dos precos
AMA
Precisa-se de orna ama para comprar e cozi-
nhar em casa de mogos solleiros : na ra do df
Marco n. 7 A, Io andar.
Na ra das nizes n. 38, i andar, ha querr.
precise de um bom boleiio que tenha bom com
portamento, paga se bem : a tratar das 10 hora;
do dia s 2 na tarde.
Precisa-se aipgar um moleque de 12 a ti
annos para o servico e casa de pouca tasnitia :
na ra eslreita do Rosario n ti.
Acaba de sahir luz
E
Vende-se
.NA
Livraria franceza.
GIM fITA
O
M DE DfBJ
DE
NQSSO SEMIOI! JFSUS CHPJSTO,
MAKIA SANTISSIMA
E
VARIOS SANTOS.
A saber:
Setenario do Senbor Boro Jess dos Passos.
Offloio do Senhor dos Passos.
Novena do Menino Deus.
Novena de N. Senhora da Concelcao."
Selenario das Dores de Mara.
Offlcio das ete Dores de Maria SaaSi'ma.
Novena de N. Sennora do Carrao.
Offlcio de N. Senhora do Carino.
Novena de N. Senhora da Penha.
Cnticos de N. Senhora da Penha.
Novena do B. S. Joao Baptista.%
Novena da Senhora Sant'Anna.""
Trezena de Santo Antonio.
Novena do B. S. Jos.
Um bonito volume encadernado.
2$000.
Cura rpida e infaltivel dos cal-
loa, pela pomada
Galopean.
Beposito especial na pharmacia de Bartbolomeu
4 C,
34Ra larga do Rosario34
Joaquim Jos GonpaL
ves Beltrao
Ra do Trapiche n, 17, andar.
Sacca por todos os paquetes sobre o" banco dt
Mmbo, em Braga, e sobre os segnintes lugares-en
Portugal: ^
Lisboa.
Porto.
Valeoca.
Guimares.
Coimbra.
Chaves.
Visee.
Villa o Conde.
Arcos de Val de Vez.
Vianna do Castello.
Ponte d- Lima.
Villa Real.
Villa-Nova de Famelicao.
Lamego.
La nos.
Covilnaa. t-
Vascal (Valpasso).
Mirandella.
Beja.
________Barcello.
Precisa s- a rnenia
para andar vendando miudezas na roa, prefer-f
portuguez : na Cipunga, ra da Cfioulas n, 5.
^^- --
w mi oie
Ba do Baiuo da
Victoria a. 63
(Outr'ora ra Nova. )
EJte Wh casa tornou a vender pela qaarU vez
* sorie de 5:0004 em dous qnartos de n. 1366. a
sortede 4004 em um bilhete mtelro, outra de
1004 tambem inieiro de n. 3130, ootra de 100#
em tros quartos de n. 1664, alera de outros pre
mos menores ; podendo os seus donos virem re-
ceber, qne prompt .mente serao pagos.
. O abaixo assignado faz ver ao respetavel pu-
Dhco, que casa feliz como esta ponas havero,
por cuja razio convido a todos para virem com-
prar nella, que nao deixaro de rar este ou
aquelle premio, como prova pelos mesraos an-
nuncios.
Acham-se tenda os muito felixes bilhetes ga-
rantidos em beneficio da nova igreja da Penha,
qne corre quaru-feira 5 de outubro prbximo fa-
turo.
PRECOS.
Inteiro 64000
Meio 34000
Quarto 14500
De 100^000 para cima.
Inteiro 54400
Meio 24700
Quarto 14350
Joo Joaquim da Costa Leite.
1
COMPRAS.
IESTABTO HENELEQEM I83J
Precisa-se de dous Portugnezes para servia
de campo : a tratar na ra da Cadeia do Recite
n. 17, 1* andar.
Precisa-se de ama ama que saiba cozinhar t
engommar para casa de pouca familia: a tra:ar
na roa de Cabug n. 1, loja.
Igoacia Maria dos Santos faz sciente ao res-
petavel publico e principalmente ao corpo do
commercio, que comprou nesta data ao Sr. Bento
Jos Domingues a sua taberna que tinba na Casa
Forte n. 15, livre e desempedida de todo o activo
e passivo. Recife 30 de setembro de 1870.
CRIADO
Paga-se bem a um criado de 10 a 14 annos de
idade : prefere se porluguez : tratar na ra da
Aurora n 18, at s 8 horas da man> 3a.
Ama d leite.
Precisa-se de urna ama de leite (sem filho)
tratar na padaria da ra Direita n. 84.
CLUB PERNA.MBUCANO.
O abaixo assignado emprezario do club
pernambacano partecipa aos Srs. socios que
d'esta data em diante nao contina a fue
cionar mais dito club de sua conta.
Os movis e utencis existentes no andar
terreo ficam pertencendo a alguns socios
por venda feita aos mesmos senbores.
Recife 30 de setembro de 1870.
P. J. Layme.
D. Delfina Mamaba Tavares Cordeiro,
seus filios, genro e di mais prenles, con-
vidam os amigos do seu finado esposo, e
pai, Manoel Muniz Tavares Cordeiro, falle-
cido na liba de S. Miguel, a assistirem s
exequias que pelo eterno rppouso do mes-
mo mandam celebrar na igreja da Madre
de Deas,N s sete e meia boras da manba
de segunda feira 3 de ootubro vindouro ;
e d'esde j agradecem extremamente
aquelles que se dignarem comparecer a esse
acto de piedade e religio.

D. Francisca de Araujo Nogueira Santos, Joo
Martins Nogueira Santos, Francisco Martins N.
Santos, Vicente Ferrer Martins N. Santos, Deme-
trio M. N. Santos, Maria Magdalena M. N. Santos,
Rayneldes Martins N. Santos, esposa, e fllhos do
fallecido Silverio Joaquim Martins dos Santos, cor-
dialmente agradecem a todas as pessoas quo se
dignaram assistir as exequias e acompanbar ao
cemiterio publico os res'.os mortaes de seu sera-
pre lembrado esposo, e chorado pai, e de novo
rogara o caridoso obsequio de ouvirem a missa
do stimo dia que pelo descanco de sua alma de-
ve ser celebrada na Ordem Trceira do Carmo,
as 7 horas da manhaa do da .i de outubro.
AaMftWIMaKiBMdMHHH&g^iaifo^.
'* S *
i y
O Dr. Luiz de Carvalho Paes de Audrade, terx
a hv-nra de convidar os amigos do finado Antonio
Peregrino Maciel M mteiro, 2o Bario de Itamarac,
para assistinm ao desembarque dos rejtos mor-
taes de.se iliusire pernarabucano, acompanhando-
os da rampa da ra da Aurora, fronteira ca-
pella ingleza, al a matriz da Boa-vista, onde te
r lugar o deposito dos meamos restos sabbado
1 de outubro < 8 hora> da manhaa.
.\o abaixo assiguados, temos nesu data, de
commum accordo,|dissolvido a soeiedade que ti
nhamos na taberna sita ra de S. Jds n. 2, sob
a firma de Ferreira & Amorim. ficaodo o socio
Ferreira com o estabelecimento e por sua conta o
activo e passivo. Recife 30 desetembio de 1870.
Venancio Ferreira da Cruz.
Joaquim da Costa Amorim.
Attenpo.
Perdeu-se hontem, pelas 5 horas da manhaa,
urna argoh de ferro com tres chavas, desde a ra
do Rosari > da Boa-vista at a ra Velha, passando
pela ra da Matriz : quem a achon, pede entre-
Sa-las na botica do Sr. Ribeiro na pra^a do Conde
'En,e sera recompensado.______________
Agradecimnto.
Aebando-se minha mnlher j restabelecida de
urna grave pneumona aguda, de qne fra accom-
metlida, nao posso deixar de recorrer a este
meio, afim de testemonbar o sincero e profundo
reconhecimento de que me acho possnido para
com o mal distincto medico homeopstha, o Sr.
Dr. J. A. dos Santos Mello, a cuja prociencia
medica devo a vida de minha raulber.
Acceite, pois, o Sr. Dr. Santos Mello, os nosso-
mais eordeaes agradecimentos, e desculpe-nos, se
cora estas linbas offendemos sua reconhecida mo
desla.
Recife, 30 de setembro de 1870.
Jos Bernardo Correa de Barros.
AMA
Precisa-se de ama ama forra ou escraya qut
saiba engommar e fazer o frrico interno de urna
casa de familia : a tratar no Corredor do Bispo
no 23, on na ra da Cadeia do Recife, armazem
AMIA.
m moito
nar
___ vaougem eanpraol-se
ouro, prata e dedras preciosas en obras vellias: na
loja de joias do Coracao de Ouro n. i D, roa do
Cabof._______________________________'
Corapra--e urna carroc,a em meio u-
eavillo, e um trepador de co(,aero e dendeieird :
na loja de calcado n. 29, ra larga do Rosario.
------------------ Mi _L_
VIUDAS.
BrslaL
LEGITIMA E OlUGI^VJ.
EM FRASCOS

Fazendas Anas
acabar
A' rna do Crespa
para
15
Loja de Manoel Dias Xavier
BASQUINAS de gorgurio e grosdenaple
superior enfeitadas, ultim gosto a 18*.
CORTES de gaze bordados braocos e de
crea, lindos padrees, a 7*. o corte.
SEDAS de cores miudiohas a t o co-
vado.
CHALES de fil arrendados pretos a 2 J
cada uml
CORTES de laa, lindos padroes, a 3* o
corte.
ESGUIAO pardo de'duas larguras mailo
fino a lio covado.
CAMBRAIAS adamascadas para cortina-
dos cora 20 varas a 10|o00 a peca.
MADAPOLAO superior a 5J, 5/500, 6/
e 6500 a peca.
ALGODAOZINHO superior com 20 jar-
das a 34 a peca I
CAMBRAIAS novas mudinhas e de lis-
tras a 280 o covado.
CHITAS escuras matizadas e mindinhas
a 200, 340 e 280 o covado
ALGODO alvo trancado de duas largu-
ras para toalbas a 1*400 a vara.
Do-se amostras com penhor ra do
Crespn. 2o.
1 IYA ESIUIKI
A ra do Duque de Caxias n 21.
(ANTIGA BA DO QUEIMADO)
Receben seguinte :
Eepelhos grandes dourados, moldes bonitos.
Carieiras, charuteiras e port-cigarros de maitat
qualidades.
Bonitas pastas para papis, simples e matisadas
Boas caxas vasas para costura com sua compe-
tente chave.
Delicadas canelas de marfim com o bocal d*
prata.
Modernos penies de tartaruga, sobresanado en-
tre elles os mimosos lelegraphislas.
Comraodos toucadores com duas gavetas e bom
espelho.
Port bonquet, o que de melhor tem appare-
cido.
Port relogios de muitas qualidades.
Bons talheres para enancas.
Vostuarios, chapoiiuhos, toucas, sapatos e meiat
para baptizados.
Toalhas e fronhas de labyrinlho.
Chapeos e chapelinas para senhora, moldes novos
e bonitos.
Chapoziuhos gorros e bonets para meninos
meninas.
Contra as convulsos cas
cihncaa
Vende-se os verdadeiros collares, na Nova. Espe-
ranza, ra do Duque de C PARA TING1R CABELLOS
para pretos ou castanbo.^, recebeu a Nova Espe-
ranza a verdadeua tinta ingleza.
PARA ACABAR COM AS SARDAS
ou pannos, lem a Nova Esperanza o verdadeirc
leite de rosas branras.
AGUA )S FLOR DELARANJA.
Veude-se na Nyya Esperanza, ra do Duque t
Caxias n. 21.
PAPEL PARA ENFSITAR-SE BOLOS
recebeu-os milito lindo* a Nova Esperanza, ru
do Duque de Caxias n. 21.
PARA AMAC1AH E AFORMOSEAR A PELLE
tem a Nova Esperanza >s sabonetes de\ pos dt
arroz.
Cigarros da imperial
fabrica de S. t Joao
de JNictheroy.
nico deposito em Pernambuco caes da
lega velha n. 2, anda.
alfaa-
Doces, fructas e flores
Ra da Cruz n. 13.
Sorvete todos os dias, das 1.1 horas em dianto, e
todos es sabbados hawr de reme.
Calcados estrangeir s
Grande linimento de calcados de todas as qua-
lidades para homens, senhoras, meninos e meninas
pelo preco mais razoavel do que em outra qual-
quer parte : na loja de raleados da sobrado ama-
relio da roa da Cruz n. 21.
OGRANDE PURIFJCADOR DO SANGUE!
Esta excellente t admiravel medicina, e
preparada d'uma maneira a mais cientfi-
ca por Ch micos e Droguistas mui dootos e
d'uma instrucco profunda, tendo tido mui-
tos annos de experiencia ao par d'uma ton-
ga e laboriosa pratica.
A sua coraposico n5o consiste d'um sim-
ple extracto d'um s artigo; mas son.
composta d'axtractos d'um numero de rai-
zes, hervas, cascas, e folhas, possuindo to-
das ellas, sua virlude especial ou poder
em curar as molestias as quaes teem sede
ou essento, no sangue ou nos humores};
e estes differentes ex tractos vegetaes, acham-
se por urna tal forma combinados i ponto
de conservarem ero toda a sua (arca, o cu-
rativo especial de virtude, que cada mude
per si possue. A r iz da planta de Salsa-
parrillia, produzida as Honduras, a que
nos usamos nesta preparaco, sendo a qoa-
lidaue que todos os mdicos mais prezam
e estimam. Na composicao da ftalsa-
parrllha de Brlstol entra mais de 50
por cento deste concentrado extracto. Ella
o5o encerra em si cc-usa algumi, que pos-
sa por leve ser peiigosa on injuriosa
sade; e-tanto n'este, como em qnas v-
dos os mais respetos, ella inleiramenle
diversa de todas essas mais preparaces,
as quaes debaixo do nome de SalsapaiT-
lha, sao accondicionadas on poetas em gari
ralas pequeas, sendo receitada em Ws
mui diminutas d'uma colher de cha por
cada vez. Nos pelo contrario engarrafa-
mos a
SALSAPARRIRA DE BP.ISTOL
em frascos grandes, e assim por arte en ido.
dividimos com os consumidnivs. o gra
proveito e vantagem alcanzado por aqueii."
que acondicionam sua preparaco em gar-
rafas pequeas. Gada um dos frascos d<
nossa SalsaparriBba de Rr'.sia\
oonteem a messa quantidade igual |miit5<.
contida naquellas garrafas pequeas, e a!m
disso, possue ainda mnito mais tmft *.
virtude medicinal do que aaaeHt, qm \
ventura se possa adw contida dentro d
seis garrafas de pequeo tamar.ho. P"i-
lanto mui natural, que annelles. qi>- s
acham oceupados em preparar e vendor ?s
suas produccoes, em garrafas pequen;!-,
murmurem e gritem contra os mam fras-
cos grandi'S proclamando, que a nona H*l-
saparrllha de Bi-!stol nao pos>iw
menor virtude; porm quo dtmmmWM
te sao elles postos em aletteio, quando i;
oamos, ou simplesmcnte referimo-nos par i
com essas centenares de umbm t I -
temunhos authenticos, por nos recebid <
de todas as classes da soeiedade. no
plenamente attestam o wdercu.aii.o i
tudes maravilliosns da nossa.
9ALSAPARRHJLI DE BMSTOL.
A vantagem.de termos os nosso? -
prios agentes naqnelles logares aondi
rjifferentes raizes, dro t plai-
tas de que se compem as noss.is adn
sao produzidas, que nos habili'a ;i .
cer aquello consanle ruiiado > disvcilo r,a
minuciosa escollia; e o que assegura e
rante uniformidade de BUmmWmt.
Em quanto que, por ontro lado, nos n5*
aos poupamos nem dinheiro, n-m 5 >
gencias; afim de nlcancarmos o melhor
e unicamoiite o melhorde cada um artig,
ou ingridiente que entra na sua 'com:
cao; pois levados e etmponeiradi s
mais nnr.ee persuasiva conliani;u: qw -
demos a fou lamente dizer aosdoentes
das as nae5es, e de lodoa o paiz.?s. qu
*slsa!?;r*JI3a de itri;M. no**oeni
um remedio mais eficaz e ir .do qce
nenhun ontr >. que vos Un
cido al hijj.e o qual por io hade
mallograr voasas expectatv..-. n proBpta
e effectiva cura dassetruinl*' :.'l" rndadi:
Veude-so
a pregos modic:s vinho do Porto, superior quali-
dade, em caixas engarrafado, e barris de quartos
e de decimos : no escrplorio Me Soares Primos,
ra do -Vigario n. 9.
11U IlU.UfliUl
20 Ra da Imperatriz 20
Acaba de chegar para a loja de fazendas finas
dent minada La Ville de Pars, um grande sorti-
meato de fazendas linas, como sejam : corles de
poil de chevre com listras escocezas de urna e duas
saias o que ha de mais alia novidade, ricas pope-
linas de seda, granadines, litas escocezas, alpacas,
bareges, etc., etc., e um completo sonirnento de
chitas, madapoloes, cambraias brancas e de cores,
organdys e cambraia imperatriz. e outras muitas
fazendas, tudo do qne ha de melhor ueste merca-
do, que tudo se vender o mais barato possivel.
Chamamos a atiencio do bello sexo que qnlzer
andar na moda, e ao mesmo tempo esperamos a
sua proteccao. Manda-se levar em casa das
Exmas, familias todas as fazendas que aos pe-
direm.
20-RUA DA IMPEH\TRIZ-20
Fa/i dr Lessa.
Escrfulas,
Ghagas antigs,
Ulceras,
Feridas Ulcerosas,
Tmnores
Abscessos Apostemas,
Erupges,
Herpes,
Salsagem
Impigens,
j.
S\iu1!s..juM.iI Ve-
eo
liuraures Escrofu-
losos.
Irregularidades''
Sexo
Femiiiino.
Nervosidade.
Debilidade Gera!.
Febra e Malignas e
Febre e SezSes
Biliosas,
A 5^000.
Vende-se bolinas pretas e de cores, obra mimo
boa, pelo diminuto prec/> de 5f : venhara i bem
conbecida loja de miudezas da ra da Cadeia nu-
mero 30 A.
A 8^000,
Vende-se borzeguins franc-zes^ obra gaspiada e
muito boa, pelo diminuto preco de 8J ; venhara a
elles, antes que se acaben) : na rna da Cadeia n.
50 A. loja le miudezas.
Lepra, febres intermitientes e remitientes,
hydropesia e ictericia, etc., etc.
Ontro-sim, achar-se-ha, que para o bom
resultado e perfeito curativo de todas aquel-
las enfermidades cima apontadas o adian-
tamento da cura, grandemente promovi-
do e apressurado; usando s ao mesa
tempo das nossas mui valiosa pilota
vegetaes azucaradas de MrUtml.
tomadas em doses moderadas em connec-
c3o ou conjunctamente com a Salsaparrflka;
ellas fazem remover e expelo- grandes
ijuantidades de materias morbficas e hu-
mores viciados que se desprendem e livre-
mente circulam espalhados pelo systema,
isto causado pelo uso da Salsaparrilha;
por esta forma facilita a volta e o exercic->
normal das operacces funcckmaes,
Acha-se a venda nos estabelecimento da
A. Caors, J. da C. Bravo A C., P. Maam
C., B M ,A A.arbosa, Bart.olonwi 6 C
Cabriolet.
Precisa-se de nmn arha que saiba cozinhar : a
iraUrSna praca da Independencia p. 38.
Lei le Pinto & G. avisa o respetavel corpo
do commercio qne desde c< dia- 24 do mez prximo
pa Gomes Melgalco.
AVISO
Antonio Jos L-al Rris declara ao corp
mercio e a qn-m icteivss.ir posea, que r
por me'o d.-leiras, qnr como sacidor, aceilau'.e
ou eedessante.
Vende-se dous cabriolet?, um americano com 4
rodas e i assehtos, e ontro francez de 2 rodas, am-
bo1: com seus arrios ; este na da Matriz da
Boa-vista n. 28. loja, e arjull- n ver na cocheira
rua dil'azn. 1,-e a tratar na travessa do P( ai-
nho n. 26 ; avd* tambem se vende com algum
dos cabriolea on separadaraonte, um cavallo pra-
prio para'cabriolet.
A7M50O
Vendes' sapatos de tranca, obra boa, pelo di-
minut.i preco de 1^50) : na b>m enhecida loja
i A.
Libras ste^iSasT
m
.
. Vende Ji
i, 8, i- andar.
na rna da Gnu
Muita attenpo
O Campos da roa do Imperador a. 28;
de rebeber em sea armazeo, orna P1'**'* *"
mentes de hortalica qae pass a roeawoaar a?
qcMidades e precos
A abw :
De salsa, a 60 reis a oitava.
He coentro,' ideoi..
De repolho, dem.
De ervilhas brancas, a 600 res a llhr,
as-tortas ronxss, a 800 reis a Boca.
Do brs 8 reis a oitava.
Do B .
> de rola, a 400 a libra.
i .
lem.
'||h,liOrH.lMI -
tawkiaa*
, a 6o i ? a (.Cava.
.'
X



6
Diario de Pewambuco Domingo 2 de Oulubro de 1870.
a


___i
,:

BAZAR DO
60-RUA DA IMPERATRIZ-60
D
PEREIRA A SILVA & C.
Neate imDcrtante estabelecimento encontrar o reapeitavel publico, nm groada* wriado sortiaaento foseadas do mais
aparado gosto e todas de primeira necssidade, que se vendem mais baratas do qoe em otra qualquer parta, visto que os no-
Tos socios desta firma, adoptaran o systema da vender DMHEHtO ; par poderem vender pelo costo, limittndo-se apenas
a ganbarem o descont ; as pessoas que negociam em pequea esca'a, nesta loja e armazem poderao fazer os seos sortimento*
pelos mesmos precos qoe compram oas casas inglezas, (importadoras) e para mator commodidade das Exmas. femilas se dar3o
amostras de todas as fazendas, ou Ibes levam em suas campara escolberem.
PECHINCHA EM CASEMIRAS A
No Bazar do Pavao fez-se urna i Vende-se bonitos cortes de 13a escocezas,
vindo cada om em sea papel, pel barato
prego de 63000 cada um; no Bazar do Pa-
vao.
ORGANDYS BRANCO E DE COR
No Bazar do Pavao vende-se os mais
bonitos 6 muito finos orgaodys com listas
por menos de6#; grande largas e miadas 1,5000 a vara, ditas lisas,
44000.'CORTES
grande
compra em um Ieilao, das mais finas
casemiras inglezas que tem vindo a es-
te mercado, tendo cores claras e escaras,
tedas com padrees serios, Droprios para
calcas, palitos e colletes; vende-se a 4#000
o covado, o qoe em outra qualqoer parte
nao se vende
vantagem.
BRINS DE LINHO DE COR A 10200
No Bazar do Pavao, fez-se ama grande
compra de poros brins de linbo, muito en-
corpados, propros para caigas, palitos, col-
letes e roupas para meninos, por serem de
padroes miadinbes; garante-se que n3o ba
barrel'a que lbe tire a cor, e vende-se a
l2O0 o metro desta excelente fazenda.
MADAPOLO FINO A 60400 A PECA.
No Bazar do Pavao vendem-se pecas de
maadapoto fino de muito boa qualidade,
tendo 22 metros ou 20 varas cada pega,
pelo barato prego de 60000, por se terem
comprado nm pouco enxovalbadas; pe-
chincba.
CHITAS ADAMASCADAS A 240 RS. O
COVADO
O Bazar do Pavao vende muito boas chi-
tas inglezas incarnadas adamaccadas, pro-
prias para cobertas e cortinas, sendo fazen-
da que emqaalquer loja se vende a 320 rs.
e liquida-se a 240 rs. o covado; s o Pa-
vao.
TOALHAS A 70300
No Bazar do Pavao fez-se ama grande
compra de toalbas alcochoadas, proprias
para rosto, bastante encorpadas e grandes,
que sempre se venderam a\120OOO, e Ii-
quidam-se a 7500 a duziafjou a 640 rs.
cada urna, boa pecbiocba.
CHAPEOS PARA MENINOS A 20000
0 Pavo vende urna grande porgo dos
mais bonitos cbaposiohos de palba da Ita-
lia proprios para meninos de todas as Ida-
des, sendo chapeos que valem 50000 e ven-
dem-se a 25000 cada um, muito barato.
CHITAS E RISCADINHOS MIUDINHOS
200 RS.
O Pavao vende chitas ou riscadinhos miu-
dinhos cor de rosa e rxinhos, proprios
para vestidos e roupas de creangas a 200
rs. o ce vado. Sao muito baratos.
LASINHAS COM PALMAS DE SEDA
Chegou para o Pavao o mais bello sorti
monto das mais brilbantes lasinbas claras
com bonitas palmiobas, de seda; tendo lar-
gura de chita franceza e vende-se a 10000
o covado grande pechincba.
ALPAGAS 11 ATI SIDAS A 640 RS. 0 COVADO.
Vendem-se as mais modernas e bonitas
alpacas mat sadas com palmiobas, muito
proprias para vestidos de senbora e di me-
ninas pelo barado prego de 640 rs. o cova-
do ; sao muito em conta.
PARA NOIVADOS CORTINADOS, COLCHAS.
Cbegou para o Bazar do Povao um gran-
de sortimento dos mais bonitos cortinados
bordados, proprios para camas e janellas,
qae se vendem de 100' 00 al 2O03OO o
par, a?sim como o melbor damasco cem 8
palmos de largura a imitaga'o de damasco
de seda, proprias para colchas, e propria-
mente colchas de damasco, send os melho-
res e mais bonitas qae tem vindo ao mer-
cado.
SEDAS DE LISTRAS.
No Bazar do Pavao vende-se urna grande
quantiade das mais elegantes sedas com
listrinbas, tendo de todas as cores e at
farta-cr ; fazenda que ninguem vende por
menos de 20400, e liquida-se a 20000 cada
covado; s5o moito baratas.
SETINSDE CORES E GROSDENAPLES.
No Bazar do Pavao vende-se um sortimen-
to completo dos meltirres setins e grosde-
napies de todas as cores, que se vendem
muito em conta.
POPEUNAS DE LA A 400 RS. O CO-
VADO
No Bazar do Pavo vende-se um elegan.
;e sortimento das mais bonitas poupelinas
de la com lista* miudinbas, sendo todas
qaasi de orna s cor, 400 rs. o covado ;
j'baratsimo.
GRANDE PECHINCHA EM LASINHA
A 640 RS.
Nj Bazar do Pavo fez-se urna grande
compra de lasinha para vestidos, sendo de
muito boa qualidade, urnas com listas e ou-
tras colmeselas, e muitos largas, que com
poneos covados se faz vestiio e liquida-se
440 rs, fazeoda qae sempre se vendea a 10.
ALPACAS PARA VESTIDOS FRTA
CORES A360RS.
Veade se am bonito sortimento das mais
brilbaites alpacas escaras furia cores,
sendo muito encorpadas e tendo nm brilbo
como seda, liqaidase pelo barato prego de
360 rs. o covado por se ter feito ama grao-
de compra.
POUPELINAS A 400 RS.
No Bazar do Pavlo vende-se um elegante
sort memo das mais lindas poupelinas de
lia com os gostos miodinhos sendo qaasi
ama > cor e con muito brilbo, pichin-
cha n 40'. rs. para acabar.
CH.TAS A 20 RS. O CORTE.
N.i Bazar do Pavao vende-se cortes de
cbit-t miadinhas, sendo rocha e cor de rosa,
temi t() covados cada corte a 20 vende-se
a realo a 200 rs. o c vado, pechincha.
CASSAS A 200 RS.
No Baiar do Pavlo liqaida-se urna por-
gSo le cassas francezas miadas e graudas,
cores firus. que se vendem palo baratissim
fazenda de malta phantasia 800 rs. a vara,
ditos d cores, finissimos padrSet, inteira-
mente novos 800 rs. vara; pechincba.
GROSDENAPLES PRETOS
Cbegou para o Bazar do Pavo um gran-
de sortimento dos melbores grosdeniples
pretos qoe tem vindo ao mercado, que se
vendem de 10600 at 50000 o covado ;
sao todoa muito em conta.
CAMBRAIAS TRANPARNTES
No Bazar do Pavo vende-se nm grande
sortimento das melhores cambraias brancas
transparentes, tem de 30500 at 100000
peca, ditas soissas finissimas com 8 pal-
mos de largura a 20000, 20500 e 30000
vara, ditas victorias e tapadas da mais infe-
rior at amis fina qoe vem ao mercado;
todo isto se vende moito em conta.
MANTELLETES DE FIL
No Bazar do Pavao vende-se modernissi-
mos mantelletes ou basqainas de fil preto,
om lago, pelo barato prego de 100000 ca-
da nm, barato.
PANNOS PARA SAIAS A 10000, 10280 E
10600 O METRO
No Bazar do Pavao vende-se bonita fazen-
da branca tncorpada para saias, sendo gom
babados e pregas de um lado; dando a lar-
gara da fazenda o comprimento da saia, a
qual se pode fazer com 3 oa 3 li2 metros,
e aende-se 10000 e 10280 e 1600; assim
como tambero no mesmo estabellecimento
se vende bonitas saias brancas bordadas ten-
do 4 palmos cada ama, ditas de la de
corea j promptas urnas com barras diffe-
rentes, da mesma fazenda 40 com barras bordadas 60000 e 70000,
todo isto moderno e barato.
ALGODO ENFESTADO PARA LENgES.
No Bazar do Pavo vend-se o melbor al-
godosinho americano entestado para len-
ge?, tendo liso e entrangado por prego
muito barato.
ESPARTILHO.
No Bazar do Pavo recebea-se am elegan-
te sortimento dos mais modernos e melho-
res espartilbos, qae se vendem por prego
moito em conta.
PANNOS DE CROCH PARA CADEIRAS
O Bazar do Pavo receben um grande
sortimento dos melbores paonos de croch,
proprios para cadeiras de balanco sofs,
pianos, tamboretes e at proprios para cu-
brir a 1 me f i das e pratos; vendendo-se por
menos do que em qualquer parte.
Lasinbas tranrparenlfs a 500 rs. corado
O ^avo receben um bonito sortimento
das mais elegantes lasinbas transparentes
proprias para vestidos, qoe vende aiOO rs.
o covado; moito barato.
PARA LENgOES
No Bazar do Pavo vende-se sooerior
bramante d'algodo com 10 palmos de lar-
gara a 10800 o metro, dito de linbo cora a
mesma largura a 20800 cada metro, pannos
ds linbodo porto com 3 1/2 palmos de largura
de 720 at 10 a vara, assim como umg ande
sortimento de Himbargo ou creguellas de
todos os nmeros, pregos ou qualidades,
que se vendem mais barato do qoe em ou-
tra qnalqoer parta; aproveitem-
ATOALHADOS
No Bazar do Pavo vende-se snperior
atoalhado trangado, com 8 palmos de larga-
ra a 10600 o metro, dito de linho adamas-
cado o melhor que tem vindo ao mercado a
30500 o metro ; ludo isto muito barato.
Balees reguladores a 40030 40*00 e 50000
Cbegaram ao Bazar do Pavo o mais bem
feitos bales reguladores, sendo de fasta
a 40000, ditos de musselina a 40500, di-
tos de lasinha de todas as cores a 50000,
todos etles sao mut'to baratos.
CAMISAS DE
No Bazar do
ERANELLAS
Pavo vende-se
A 30500.
nm bonito
Panno preto muito barato a 30600
O Bazar d) Pavo recebeu urna grande
porgo de pegas de panno preto Bao, com-
pradas em leilo, qae sempre se vendea a
50000 o covado e pode liquidar a 30600,
por ser ama escolente compra,
BAREGES A360RS.
No Bazar do P<*vo vande-se nm bonito
sortimento dos mais lindos bareges lista-
dos para vestidos, que valem muito mais
dinheiro e liquidi-se a 300 rs, o cova-
do, di ios muito mais finos com listas a 400
t, estes bareges sempre se venderam a
640 e 800 rs., grande pechincha.
GRGUHOA 640 RS.
mangas tanto proprias para hoaens como
para senhoras e vende-se a 30000 cada
urna, e qoem comprar de meia dnzia para
cima tari om abatimeoto, Sao de muita
utilidade. !$3&$@
6ranoe ptcbiieba m camisa ingtaas a 4e 45300
No Bazar do Pavo fez-se urna grande com-
pra em leilao, de finissimas camisas ingle-
zas cem peitos e poobos de lindo, seodo
com collarinhos e de todos os nmeros a
40000 cada urna, ditas sem collarinhos,
porm fazeoda nisaima a 40500; grao-
de pechincha.
CAMISAS BARATAS a 20800.30OCO e 20600
No Bazar do Pavao vende-se orna gran-
de porgo de casemiras mescladas, muito
encorpadas a 20800, ditas finissimas com
msela de seda a 30200, ditas modernas
de qaadros, fazenda de muito gosto a
30600 o covado; aproveitem.
TAPETES
Cbegou para o Bazar do Pavo o mais
elegante sortimento de tapetes grandes, pa-
ra sofs, com 4 cadeiras, ditos mais peque-
nos, para duas cadeiras, ditos para
pianos, camas, portas ; etc. vende-se por
menos do que em outra qualqoer parte.
COLCHAS BRANCAS A 30200,30500 E 70
Para o Bazar do Pavo chegou um gran-
de sortimento das melhores colchas de fus-
to, scndo das melbores e mais e corpadas'
qae tem vindo, a 70000, ditas nm poaco
mais abaixo a 50500, e ditas a 30000;
tambem no mesmo estanelecimento se ven-
de am grande sortimento de crotones e chi-
tis, proprias para colchas, que se vendem
muit. em conta.
GORGUROES OU POUPELINAS DE SEDA
A 20000 CADA COVADO.
Cheg u para o Bazar do Pavo um ele-
gante sortimento das verdadeiras poupelinas
de linbo e seda, com os mais modernos
gostos, que se venlem a 20000 cada covado,
o qoe em outra q alquer parte nao se ven-
de por menos de 20500, previne-se que nao
sao algodo e seda, como ba muitos; mas
sim puro linho e seda; sao moito baratas.
ROUPAS PARA HOMENS
No accreditado Bazar do Pavao encontra-
r o respeitavel publico om grande sorti-
mento de roupas para homens tanto bran-
cas como de cores, a saber:
Camisas con peitos d'algodo e de linho,
para todos os precos e qnalidades.
Ceroulas de linbo e algodo.
Meias cortas francezas e inglezas.
Palitos sobrecasacos de panno preto e
casemira.
Caigas de brim branco e de cores
Ditas de casemiras pretas e de cores, com
colletes iguaes
De todas estas roupas ha para todos os
oreos e qualidades, e tem de mais mais
m perito
ALFAIATE
Por quem se manda fazer com prestesa
e aceio qaalqaer pega de obra a capricho
ou gosto do freguez, tendo n'este importan-
te estabelecimento todas as qualidades de
panno fino, as melhores e mais moder-
nas casemiras, assim como os melhores brins,
qur brancos, qur de cor ; e quando qual-
3uer obra nao ficar inteiramente ao gosto
os fregnezes fica por conta do estabeleci-
mento.
CHALES DE MERINO
Cbegou para o Bazar do Pavo nm elegan-
te sottiment i de chales de merio de cores
muito bons com padroes muito decentes
para qaalqaer urna senbora usar, ditos de
crpon com listas de seda o mais fino e
moderno que tem vindo ao mercado, e ven-
de-se por prego muito em conta.
BABAD1NH3S

LL_________
A Nova Esperanza
tiHa Duque ie Caita1
Q*da NDVA-ESPEBANCA-** oateus
ajuncfcs fapowfc aos seas *>i#M* e a
tfdos em geral o grande* sorimeo, ir>
fefioripalB de sau*Qbjectos n|o .com vis-
ta de atralr a attenro de urna grande fre-
guwa, como a de qoe actualmente despe,
e sim para scientificar (a interese de todos)
a qualidade de leus objectos os quaes sao
sempre de apurado gosto e perfeigo; tor-
nando-se qoasi iadispensavtl para aquellos
apreciadores (do bom) frequanlarem a No-
va Esperanga* pois qoe ella caprieba em re-
cebar constantemente, o que ba de melbor
relativamente a sua repartido: o qae se po-
dar verificar quando em qualquer reunio
de pessoas (amantes do xique ) v-se um
bonito enfeite em om bonito vestido, nm
aroma agradavel escapar d"um alvo lengo,
am moderno e- linde lago, um dilicado ra-
mo de finas flores, ele, etc, lodos olbam-se
reciprocamente e dizem com sigo (e as ve-
zas uns aos ontros) estes sao objectos
comprados aNOVA-ESPERANCA: realmen-
te !!t f procurar descreyeren annoacios os
artigos que contem dita loja, seria trabalbo
- insano e nunca o fariamos com aquella
sortimento com todos os tamanhosdas me- graga e perfeigo com qaesoelles fabrica-
dores camisas, de flaoella de la, com
dos, assim pors a NOVA-ESPERANCA con-
tenta-se~ em convidar a todos geralmente,
visitaren>na para ento ficaram intei-
rados do que ba exposto na mesma loja.
1 -Ra Duque de Caria1
Cal de Lisboa.
Vende-se cal de Lisboa, a ultima ehegada ao
mercado, por preco rasoavel : ao armazem de
Manoel Teixeira Bastos, ra do Commercio n. 13.
Bichas hamburgnezas
Neate doto deposito recebe-so por todos os pa-
quetes traDslanticos bichas de qualidade snperior
e vendem-se em caixa ou por ao mais pequea,
e mais barato do que em outra qaalqaer parte :
na ra da Cadea do Reeife n. *J1, 4* andar.
Armapo.
com
Vende-seuma armacio de amarello
balcoes: na ra do Baro da Victoria n. 2,
tr'ora ra Nova).
dous
(ou-
Farinha de milho
Cbegou ltimamente nova farinha de milho em
saceos, cujos preeos sao mdicos, como os de ou-
tr'ora: a tratar com os consignatarios Amorim
Irmaos & C, ra da Crnz n. 3.
PARA OS RAMIOS
DE
OLINDA
Lindos costumes de la enfeitados pro-
prios para banbos, chegados pelo ultimo va-
por, vendem-se na loja do Barateiro a ra
da Imperatriz n. 32, pelo baratissimo prego
de 155000III
Ohapelinas e chapeos
para senhoras, loja da Turqueza acaba de t&-
ceber exeellente sortimento.
Basqi
jumas
muito novas e de bom grs de aples : na loja
da Turqueza.
Cintos
de velado e de seda, variado sortimento : na lo-
ja da Turqueza.
Camisas bordadas
variado sortimento : na loja da Turqueza ra do
Barao da Victoria n. 9, (antiga ra Nova).
Punhos e gollas
de veludo para senbora : na loja da Turqueza.
PORCOS
Farinha de trigo nm pouco avariada para por-
cos, bois, galinhas, etc., etc., a 5 a barrica com
6 arrobas, assim como tambem serve para pada-
ria por nao estar mnito estragada : na ra do Li-
vramento n. 3, armazem Baliza.
No Bazar do Pavo vende-se nm bonito
sortimento dos mel Dores gurgaroes de 19a
para vestidos seodo omi linda fazenda,
muito leve, meia transparente e muito lar-
ga com furta cores e liqaida-se a 640 r.
o covado por se ter feito grande pechincba
na compra.
COBERTAS A 3,5
Vende-se cooert.s de chita encarnada
adamascada a 35 cada ama, peenjucoa.
CORTES INDIANOS A 445tG.
No Baz*r do Pa o vende-ae bonitos cor
tes indianos com duas saias pe imo prego de 455 O cada om, pe-
No Bazar do Pavao vende-se nm grande
sortimente dos mais Anos Labadinhos borda-
dos tapados e transparentes, assim como
urna grande porgo de entremeios largos e
estreitos, que para acabar se vende mnito
em conta e mais barato do qoe em ootra
qaalqaer parte.
FAZENDAS PARA LUTO
No Bazar do Pavo vende-se constante-
mente o melhor sortimeoto de fazendas
pretas para lato, como sejam :
Lasinhas uretas lisas.
Cassas pretas de la.
Cassas pretas, francezas e inglezas lisas
e com salpico?.
Chitas pretas de todas as qualidades.
Alpacas pretas lisas.
Ditas lavradas com branco.
Merinos, caotOas, bombazinas, aoe so
vendem maisbarat, do qae em ootra qual-
quer parte. H
CHITAS PRETAS A 200 RS. O COVADO
No Bazar do Pavo vende-se chitas pre-
tas inglezas com salpicos 200 rs. ocovado
ditas tsdas pretas, por estar'em um pouc
russas, 12) o covado; pechincha.
Os proletarios d este importante esta-
bellecimento rogaoa ao respeitavel publico e
particularmente s Exmas. familias o favor
de se darem sempre ao trabalbo de lerem
os seas annancios, pela razio de mnitos
d'elles serem mudad s amistadas veza
CACH6-NEZ A 65000.
No Bazar do Pavao vendem.se bonitos p
randes cachi-nez de pura la, pelo bara-
to prego de 61000 cada om.
CHUMBO VELHO.
Vende-se chumbo velho : no armazem da bola
amarella no oitae da secretaria de polica.
ATTENCA
o
Vende-se nm boi afuma earoca de quatro ro-
das, e mais tres rodas de sobrecelente, tudo mui-
to em conta : no caes do Ramos, junto r tenda
de Ferreiro.
Milho.
Vende se em saceos grandes, de superior quali-
dade e muito novo, por menos preco que em outra
qualquer parte : na ra do Vigario n. 14, escrip-
torio de Jos Lopes G.
Carne do sertao
ehegada pelo ultimo vapor, por preco razoavel :
vendem Cunha Irmaos 4 C, ra da Madre de
Dos n. 34.
GRANDE
Quando a AGUIA BRRNCA, mais precisa scientificar ao respeitavel .
geral, e em particular a sua boa freguezia, da immensidade de objectos qoe
te tem recebido, justamentefqoandc* ella menos o pode fazer e porque essa (alta >
luntaria ella confia e espera na benevolencia de todoa que lb'a attendero e rek
continuando portante a dirigirem-se a bem conhecida leja da AGUIA BRANCA na
Queimado n. 8, onde sempre acharo abundancia em sortimento de superioridatl i
qualidades, modicidade em pregos e o sea nanea desmenttido AGRADO E S1NCERDBHDE.
Do que cima fica dito se conhece que o tempo de que a AGUIA BRANCipda
dispi', empregado apezardeseas custos no desempenho de bem servir a aquellea qae a
honram procurando prover-se em dita loja do que necessitam, entretanto sem mm-
rar os objectos que por sua natureza sao mais conbecidos ali, ella resumidamente fedi-
car aquelles coja importancia, elegancia e novidde os tornam recommendaveii, "
bem seja
Corpinhos de cambraia, primorosamente
enfeitados com fitas de setim e obras essaa
cuja novidde de molde e perfeigo de ador-
nos os tornam apreciados.
Fitas mni largas de diversas corea e qna-
lidades para cintos.
Lequei uesse objecto moito se poderia
dizer querendo descreve-los minuciosamente
por suas qualidades, coree e desenhos, tal
o grande e variado sortimento que acaba
de chegar, mas para nao massar o pretn-
deme se lhe apresentar o que poder de
melhor.
Entremeios em pegas de 12 tiras.
Guipare branco e preto de divereaa qua-
lidades e desenhos.
Ditos de algodo com flores e lisos.
Veos de seda para chapelinas e monta-
ra.
Meias de seda para noivas.
Ditas abortas de fio de Escossia.
Costumes on uniformes para meninos.
Enxovaes completos para baptisados.
Touquinhas de fil, sapatinhos bordados
e meis para ditos.
Camisinhas bordadas para ditos.
dt 4tt,
Capailas branca* para menina*.
Grandes sortimaoto de flora*
Fil de seda, preto.
PERFUMARA
Grande e constante sortimento
sempre melhor quajkbde.
Lindos vasos com p de arroz e
Caixinhas com ditos aromtico*.
Bonitos e modernos pestes
para circular o coque.
Bonitos brincos de plaquee.
Aderegos e brincos de madreperob*.
Caivetes finos para abrir late*.
Thesouras para frisar babadinho*.
Aspas para balao.
Novos stereoscopos com 48
quaes sao movidas por nm
urnas substitnem as outras.
Vistas para stereoscopos.
Bonitas caixinhas de vidro enfeitados i
pedrss.
Ditas de raadeira envernisada com vispo-
ras e com dminos,
Bollas de borracha para brinqu*do 4*
criangas.
Diversos objectos de porcelana, propio*
para enfeites de mesa e de lapmbs.
mmmmmmwmmmmm mmmwmmmmm

il
s
-
J
o
N.3AMJAD0CABDGAN.U
mmuk irmaos
m
0
?
Com este titulo acha-se aberto e inteiramente transformado este antigo
estabelecimento de joias, onde os fregnezes e amigos encontrarlo tudo quanto
a moda e o bom gosto tem inventado na arte de onrivesaria, o Collar de Ouro
observar delicadeza no trato e senciridade e modecidade nos precos.
Espera que o respeitavel publico venba ver o que existe de melhor en
aderegos de brilhantes, esmeraldas, robins e perolas, meios aderegos, pal-
ceiras, brincos, alfinetes e anneis de todas as qualidades, prata de le faqoei-
ros, colberes, paliteiros salvas e ootros muitos objectos que seria enfadonho
mencionar.
Compra-se ouro, prata, brilhantes e pedras finas, pormaior prego do
que em outra qnalquer parte, troca-se e concerta-se todo e qaalqaer objecto
pertencent a esta arte.
GRANDE UIIDACir
Lonrenpo P. Mondes Guimares
RUADA IMPERATRIZ 72
Tendo resolvido o sen proprietario liquidar todas as fazendas existentes as loja
Garibaldi e Arara, convida ao respeitavel publico, amante da economa, vistorem a
loja da roa da Imperatriz n. 72, pois s deseja apurar o dinheiro.
Arara vende madapolo enfestado a 353001 Para liquidar vende bramante de li-
a pega, ditas de 24 jardas a 55000, 65JOO, nho e algodo a 15800 o metro, dito de
65500, 75000, 85000, 95000, e 105000. linho paro a 25800, esta fazenda pro-
Vende-se cortes da casemiras de cores pria para lenges e toalhas por ter 10 pal-
para caigas a 45000, 55000. mos largura.
Para liquidago vende-se algodo de lis- Vende-se cortinados para cama fr?i>caza
Vende-se urna bonita urna de amarello para
deposito de ossos: na sachristia da matriz do Cor-
po Santo.
Secretaria de ferro
Vende-se e est vista em casa dos importado-
res Shaw Hawkes & C, raa da Cruz n. 4.
bom e brato
Ra do Cresao n. 20.
Venda-se chitas escuras a 200 e 240 rs. o cova-
do, claras raiudas a 200 e 240 rs.o covado, algoda
teselado, 4 palmos de largura, a 200 rs. o cova-
do, pega de algodo de 20 jardas a 3j, peca de
madapolo a 5j,cambraialsa 8 Ii2 varas a 3*800 a
pega, cambraia victoria fina n. U a 4*800, atoa-
Ihadd 2 larguras a 2400 a vara, lencos de seda
da India a U280: na loja doGmlberma_______
Grande pechincha.
Ricos cortes de cambraia bordados com 10 varas
a 7*, alpacas e lias de cores a 400 e 500 rs. o
cevado : rndese na ra do Duque de Caxias n.
19, loja de Leite, Pontos fc C.
tras proprio para caigas, camisas e saias
para escravos a 160 rs, o covado.
Na roa da Imperatriz vende-se chailes de
merio estampados e de barra a 25000,
25500 e 34U00.
Arara vende cortes de casemira preta
para caiga a 35500, 45000. 55iOO, 65000,
75000, e 85000.
Para liquidago vende-se brim pardo liso
bom a 500 rs, o metro, dito transado a
720, 900, e 15000 o metro.
Para a cabar vende-se duzias de lengos
brancos de cassa a 25000, e 35600, ditos
de linho a 55000, 65000.
Na raa da Imperatriz vende-se cobertores
de algodo a 15400 e oorbertas de chita a
15500.
Para liquidago vende-se cortes de casto-
res para caigas de homem a 500 rs.
A Arara vende chitas largas para vestido
a 240, 280, 320, e 360, rs. o covado.
O barateiro vende percalas linas para'
vestido a 440, rs, o covado.
Em liquidago vende-se alpacas para ves-
tidos de Sras. a 500, rs, o covado.
A Arara vende lazinhas para vestidos de
Sras. a 320, 400 e 500, rs, o covado.
O Guimares vende mursulina de edr
para vestido de Sras. a 440 rs. o covado,
dita branca a 500 rs.
O Men les vende fusto de cores par-
vestidos de senhoras a 360, o covado.
O Lourengo vende cassas finas para ves-
tidos 240, 360, 400 e 440 rs. o covado.
Arara vende alpacas de lista para vesti-
dos de senboras a 500 rs. o covado, ditas
lisas a 500 e 640 rs. ocovado, ditas matisa-
das a 640 rs.
pan
a 15400 o cortinado para liquidar.
Arara vende cortes de chitas para
dos a 25500,25800 e 35200 o corte
liquidar.
Vende o-se cortes de cassa a 25500 o
corte s na liquidago a da imperatriz.
Vende-se cortinados para janellas a 6d
a pega para liquidar.
ECONOMA
Vende-se duzias de collarinhos de pa-
pel a 240 rs. para acabar.
Arara vende lasinhas transparentes para
vestidos a 500 rs. o covado.
Liquidago, vende-se parapeito liso a
25200, 25500, 35. 35500, 44 e 55, pro-
prio para calsas e palitos por ser bea fa-
zenda e barato.
Arara vende cortes de brim para cal
sas de homem 15500.
Vende-se cortes de peealas de deas sais*
para senhoras pelo barato prego de a 6#.
cadaum.
Grande liquidago de roopa feita.
Vende-se palitos de alparca e de core*
a 25.
Vende-se ditos de ganga para hornea
a 2.
Vende-se ditos de brim de algodo bran-
cos a 25.
Vende-se ditos de meia casemira a 2|.
Vende -se coletes de brim de core* a !*
Vende-se ditos de meia casemira a 25500
Vende-se caigas dealgodo azul a 100 rs.
Vende-se dita de algodo de listras a 800 n
Vende-se ditas de brim pardo 2J, 1^800
e25500.
Vende-se caigas de casemira de cor*
a 6585.
Doces, fructas e fl -res
Ra da Cruz n. 13.
Lanches todos os dias, fructas, pastis, bom bo-
cado, folhados, doces e impadas.
preg te t K) rs. o covado para acabar, j chincha.'
0 B izar do Pavao sito a na da Imperatriz a. 60, esta' coastantemente abert o
das 6 horas da mantea as 9 da noute.
Ol^o de licito
Vndese oleo de ricino : na raa da Cadeia-ve-
|ha no Reeife, n. 1, 2 andar. ________
TIJOLLOS.
Farinha da trra
muito snperior, depositada em barricas, no arma-
zem do Sr. Angelo Baptista do Nascimonto, ao p
do caes dos vapores no forte do Hattos; vende-se
aos alqueires, a tratar com Bernardo Josa de
Araujo no armazem do Sr. Annes defronte da al-
fandega.
Vende-se a casa torrea n. 11, sita em Olinda,
na do largo do Amparo, com excellentes com-
raodos e grande quintal, solo proprio : a tratar no
Reeife, roa da Cadeia n. 40.
GAZ GAZGAZ
_ Che*ou ao antigo deposito de Henry Fa
d, raa do Imperador, um earregamenio 4* p
ie primeira qualidade; o qual se vende ptrHts
t a retaJho por menos prego do que n omr* ajal
per parte.
Especialidades.
Vende-se urna porgo de alvenaria groga de
marca regular e bom barro : contrata-se a por-
go que quiterem. tanto destej, como Uparaento,
telbas Ldriiho ; para velos-e tratar ra Im-
penal n. 130. casa com porfi de ferr ao lado.
lia de cana.
Vende-se 13a de cana a 320 a libra on 680 rs. o
kilo : no largo do Carmo, esauina da raa de Bor-
las n. 2.
Contlnuam a achar-se a venda na raa DireiU
botica c. 88, os mu conheeMos e acreditado re-
medios de veame, e ontros diversos roedkame-
tos feito em Pars, bem como o jaropes de en-
deina de Berth, de rbano iodado, de wdurete ie
ferro de Blancard e as pilote* do mesmo, patoral
de cereja, pos de Roe, depurativo de QiaWe,
digital de Labellony, plalas ou confeitos de bte-
mutho de Chevrier, e ontros medicamentos coja
proflcieneia quande empregados nae doeacu das
respiratorias as dores rbeumaoe n
lareJIidao. toltt Antonio Pedro de SouzaSoarea. t temen as diarrheas, doenca* do confio
edo entomago, tem W? iiiecateittvel, cea
rita dos benficos resnludos das experma!i(Mi
ou uso que diversas pessoas delles iota hita, as-
sim como das Dilulas deconanauaj bravian >
cninMraveis ow ma eficacia mi comnettnm
J febris ou seaCes ; existindo umbem na tnesm
asa, alea *e suffleiente qautidade do drope,
am nio pequeo sortimento do natas, oleo 4* 1>
nhac e piocts, que se venden) por meaos do fia
em outra parte.
CHEGAMM
Poc.08 instanUneus aperfeiqo-
ados por prego muito commo-l
do: na roa Nova n. 28, loja de vias
a ir i i ** 'amor
Bombas completas para ca-
cimba, por diminuto prego, na
mesma casa.
Cal nova de Lisboa
A 55000 o barril.
Na roa do Bram n. 80.
>


~ I.
fi

-fa.
Diario de Pernambuco Domingo 2 ZAR DA
por I.
po
Sahiram luz
As ru s em oonlradaiiqa.
Linda quadrilli* para piano por Cola ftlho,
Mor da Boa- visu, valsa : a venda no arele ar-
maaem de pianos e e mu.-icas de Azevedo, a ra
J-ova n. 11, Ih.je ra do arao da Victoria,
N. B. Rogase aos Srs. asslgnantes de msnda-
rem busccr as pega* de suas assignatura*.
Ultimas publicarles da imprensa nacional
de msica.
N. 1. Piano. Annctta, polka brilhinte,
Smollz, 2*000.
N. 2. Piano. Minerva, polka brilhante, por Colas
Filho, l.
N. 3. Piano. Chico Diabo, polka brilhante, por
.-.500. ^
N. 4. Piano. Urna, lagrima. Mazurka, cor Ma-
tllee B. Zuecci. IT.
5. 5. Piano. Morte de Lepes, polka marcial, por
N. 6. Piano, La Grande Duchess, polka por Lu-
cien LamBert, 1*.
I. 7. Piano. Carmen, Anita, La Playera, 3 pol-
kas dos cavallinhos, 15.
N. 8. Piano. Le Souvenir, valse de saln.
E. Casalbore, 1.
N. 9. Piano. Sanlich3, Maraca, 2 valsas dos ca-
vallinhos, 1000.
N. 10. Pianr. Chant D'Orseaux, polka, por E.
Casalbor, ti
N. II. Piano. A flor da Boa-vista, valsa, por
Jos Coelho da S. A., i.
N. 12. Lagrimas d'Aurora, Mazurka, por J. J.
P-, 1.
N. 13. A estrada de f.-t ro, quadrilha, por Hen-
rique Alberta??i, i i.
N. li. Canto. Santa Lucia, barcarola napoli-
tana, por Gennaro Aroaud, l.
N. 15. Canto. Marta Aria, para M. S. M' aqqari
tutt' amor, de Flotow.
N. 16. As mas em eoniradanea, quadrilba. nnr
Colas Filho, ij._____________' v
NOVSDDL
O Costa, proprietario do armazem da Pedra
Marmore ra das Cruze3 n. 42, offerece por di-
nheiro contado o que de melhor ha no mercado,
por ter recebido mallos dos gneros descriptos
pelo ultime vapor.
(Jueijos fhmengos o que de mollior se pode de-
sejar a 3J0OO. v
Caixoes de doce de goiaba a 800, U, 1*200 e a
15800; dito em latas a 2 e 255O0.
A verdadeira farinha americana vinda de conta
propria a 320 rs. o maco de urna libra.
Velas sieariuas a 640 o mago.
Bolachinhas de todas as qualidades e dos me-
mores fabricantes.
Ervilbas francezas e portuguezas.
Uvas a U a libra.
Vinho de todas as qualidades.
Farelo de Lisboa desembarcado hontem. em'
sarcos grandes, a 55.
tJarna do sertao muito nova e gorda.
Q'ieijos de qualna, etc., ete.
DE
Jos de Souza Soares Se C.
RITA DO KA KA O IIA VITOHIA
(OUTR'ORA NOVA)
,JS^m'^ meom^rpb0Z6*d0 D0 qoe pde haTer *mais Le" radawl em fa-
tendas naas parsT Senhoras artigos de alta moda em Paris Ululo para senhoras como
para homens e meninos.
Miudesas afamadas, per/umarias especi es, variedad de lindos obiectos para me-
ninos e bnnqaedos para crianzas.
GRANDE SORTIMENTO
Continuamente recebido por todos os paquetes vindo da Europa aonde tem ha-
cis correspondentes.
. J60^86nmaitoemcon,a e rnaada-se p >r em pregados do eslabeleci ment fazendas
aro casa das Eims. familias alim demeloor escolherem o que desejarem.
NOVIMDES
DO
PAPAG
ttE HZEHD1S E huliPAS FEITAS
Kua da Imperatriz n. 40, esquina do becco dos Ferreiros.
un tiim hb
O proprietario deste boto estabeleciaieato. fommunina ao respeitavel publico
desia cidade, e especialmente as Exmss. famiis que est liquidando por precos bara-
tsimos as antigs fazendas que existiam neie estabelecimeato, alera das qae abaixo
vao relacionadas, cujos preces ruerecera toda a atunco do speitavel publico qae n3o
aeixara de com pequea quantia refaaer-se de qualqaer qualidade de fazendas que pre-
cise. Previne-se tambern que a mesraa toja tem feito sortimento de fazendas moder-
nas, e continua a sortir-se das do mais apurado e escolbido gosto, que vender
barato qae qualqeer ootra loja.
IiO.fl
mais
Ba doQueimado
DE

E* chegado a este novo estabelecimento o mais bello sortimento de fazendas
loas, sendo.sua especiaiidade enxovaes para noivado.
Vestidos de blond de,seda ricamente bordados.
Gorgurao de seda branco para vestido.
Colchas de seda para, para cama com ricos desenhos.
Ditas de la e seda, id-m idem.
Ditas de crox, idem idem.
Cortinados ricamente bordadbs para cama e janellas.
Croxs p-.ra cadeiras e sofs:
Vestidos de cambraia branca bordados.
Popelines de lindos gostos.
L5as de diversas qualidades, lindos gostos e modernas.
Ricos b urnas para passeio, com listras de setim.
Sabidas de baile o qoe ha de mais rico.
Cretones para vestidos cora lindos desenhos.
Carnizas bordadas e sem bordados para senhoras.
Camisas bordadas muito finas para homens.
D tas inglezas para homens e meninos.
enfadonhSormanSciodnarnh0' ^ ^^ Srtffienl de rouPas feilas e d ***** AlgodosinUo cam 18 jardas a 24800 a
peca.
Madapolo enfcsUdo com ljardas a W
e 35500 a peca.
Dito de 24 jardas a 50000 para cima.
Atoalhados de linho, e de algodo tran-
cados, e adamascadas por prefos commo-
dos.
Chitas escuras e claras do 240 is. o co-
vado para cima.
Cambraias de cores miudinbas a 240 rs.
o covado.
Ditas mais finas a 560 rs. o metro.
Raloes de mussulina a 4;> e 500i>
Guardanapos de linbo a 30500 a du-
zia.
Bramante de linho a 20500 e 30000 com
10 palmos.
Dito de algodo a 10800 o metro.
Meias para senhoras de 40000 a duzia
para cima.
Ditas para homens de 30000 a duzia
para cima.
Ditas para meninos e meninas de todos
os tamarhos.
Ditos estampados de 40500 para cima.
Camisinbas de cambraia branca transpa-
rente, bordadas com enfeites brancos e de
cores a 30000.
Brilbanlinas brancas de 500 rs. o covado,
Ditas de cores a 500 rs. o covado.
Lencos de cambraia de linbo, e de es-
guio at o mais fino.
Lencos chinezes a 30500 a duzia.
Ditos brancos de algodJo a 20500, mui
to finos.
Fil branco e preto, liso e de salpico.
Cortes de cambraia, brancacom salpico de
flor.
Ditos de fil liso a 50000
Tsrlatanas brancas, e de cores.
Peitos de linho bordados e lisos de es-
guio.
Camisas bordadas fihissimas, proprias
para noivos cam a competente gravata.
Punbos de linho para homem a 10 o
par.
Colariubos de linbo lisos e bordados.
Gravatas pretas e de cores, tanto em se-
Colchas de fustao branco de 30200 para }J^J100 etB8eda' ha de lodo308 goslos e
Luvas frescas de Jouvin
.anH Sr!-men! de lapete/ pfa Sfiaraicoes ]e salas, alcatifas para forro de sala, e o
Esteiras da India
CASA CAUVIiy a. iJiwraEa.ph-^"s^^fc^
Boulevard Sebastopol, 5S PARS.
NOVAS ESPECIALIDADES A. MARINO
Aprescjttdas a Academia de Scieodu c ao Instituto de Franca,
INJE^CO Sob ,or,ml d1 PMtl"' de'pji'1 "o"" P-r
HiUtwUhU fascr de momento ama ,oliifcao
rwentiva e imratlra das MOLESTIAS CONTAGIOSAS.
CANDIDO ALBERTO SODR0 DA MOTTA & C.
com escriptorio e armerem de ^eneros de estiva
travessa da Madre de Den* n. 14, tem para vender
o seRuinte em cjnserva ptimamente preparado
em Paris :
Ehvtlhas (Petas pois).
Fbijao vkrde {Uancols verts).
Dito eh grao (dem flageotlets).
E^parcos (Asperges).
MlSCELLAMKA DE LEfiUMES (JKmMM leOUmes).
6KN0I-RAS (CarotUit).
Tomates (Tomates).
Covb de Brxkllas (Chotis de Bruxelles).
Alcachofras (Fonds d'artickants).
Espin'.frks (Epinards)
Cogcmellos (Chumpignons).
(Cpes).
Pastis com truffas (Pa/ rr^e5i).
sem truffas ( xans truffisy
Atum com azeitb (Ton a l'kuile).
Truffas simples (Truffes au naturel).
Saro.'nha em tomates (Sardine etc.)
Galantina com truffas (Galantins avec trnfee)
Franco (Poulet). '
Pombo com ervilhas (Pigcon avec pois).
Gallinholas (Bcaisones).
Perdiz com azeitonas (Perdix avec olives).
assada ( > rofie).
Andorinha (Allouette).
Codorniz (Gailtc).
Lamprea (Lamproie).
Picado (Andoullettes t.)
Sal\icha (Saucissono l.)
Carne guizade (Fiincanieau O.)
Recebsn-se mais
Ura compleio e variado sorraeBto de papis
piolados e doirados de dillerenles qualidades e es-
paitos d^seolios, proprios para forro e goarnicao
ae salas, gabinetes, escriptorio*, etc. Na remessa
desse artefacto tem havido o maior gosto e capri-
cho da i arte d nosso correspoodenle de Pars.
Lom urna mdica commissao sobre o custo da
labnca vendemos este papel, pois desejamos ter
efectivamente nm deposito dessa especialidade.
vo armazem de Candido Alberto Sodr da Motta &
c, a travessa da Madre de Deus n. 14.
Fumo e papel
Completo sortimenU) de fumo, tanto para cigar-
ros como para charutos, vindo do Rio de Janeiro,
Babia e Rio Grande do Sal. Papel de seda, linho
e algodo, de diCferenles qualidades, proprios pura
o fabrico de cigarros. Vnde-se constantemente
bo armazem de Candido Alberto Sodr da Motta
C- : a travessa da Madre de Dens n. 14.
Ii\JECTOR-PIHLTROdo S8$ sttP *
iivuuai/11 1 lllliillVgraves iacoareoie.'es i fragilidad*.
ESTOJOS ^ 'c&TjJo %$>a7x.?er^T*'**
COLLYBIO Contra as affecco das palpebraa,
preparado sob a mesnia forma.
BARTHOLOKEO & C
Depositarios geral para e BBASIL e PORTUGAL
34, ma larga do fcosario. PKRNAMBTJCa
mkwwum
cima.
Ditas de cor de 3i5OO0 para cima.
Toalhas de rosto de 500 rs. para cima.
Cobertores de la finos, a 84 e 40)0000.
Ditos encarnados a 4503.
Ditos dealgodSo a 1)5300.
Cambraia tapada muito larga com pre-
gas e bordado, propria para saas de senho-
ras preco barato.
LSazinbas Irences trancadas, com listras
largas proprias para saias de baixo, fazenda
inteiramente neva a 590 rs. o covado,
Cambraias brancas transparentes e tapa-
das de todas as qualidades e precos.
Lazinhas tapadas e transparentes de
militas diversidades de cores de 30 rs.
ocevado para cima.
Alpacas lisas e de furta cores a 500 rs.
o covado.
Cortes de percala de 2.saias a 40000.
Ditos de organdy de dito dito a 80000.
Cortes de I3a da Escocia a 60000.
Ditas em pepa a 500 rs. o covado.
Cuales de merino lisos a 25300.
ROUPA FEITA E POR MEDIDA NA LOJA
DO PAPAGAIO.
Sortnento fle roupas feitasde todas as
qoaiidades, e feitios, para pregos commo-
dos, e queni comprar porcao para negociar
ter um abatimeuto razoavel, grande sorli-
raento de casemiras de cores com quadtos
e listras, casemras pretas, e pannos pretos,
azues e cor de caf, brins brancos, pretos
de cores e pardos, e manda-se fazer
qnalqner obra a vontade dos fregnezes,
quer para homens ou meninos, e por me-
nos pnco que qualquer ootra oficina, e
para issoa LOJA 00 PAPAGAIO acha-semu-
nida de um bom mestre altaiate para bem
desempenhar qualquer obra da sua arte,
recabindo a responsabilidade sobre o pro-
prietario da loja.
Dam-se as amostras de todas as fazend
a quemas exibir, ou mandam-se levar
loscaixeiros.
A loja do Papagaio acha-se aberta d
horas da manh5a s 9 boras da noute.^
Francisdo Teixeira Mendes.
Rival sem segundo,
RA DUQUE DE CAXIAW n. 49
(Antga raa do Oueimatlo)
moito
3 portas n. 53, ra Direita, 3 p rtas
foja dxt Braga
O abaixo assignado, dono deste antigo
n. 53, antiya
Fogto de patente.
Vende-se em casa dos importadores Sbaw
HawkesA C., ra da Cruz n. 4.
mpleto amento de ferrageos; SiSe.^^^^
^1?^' dElDrPao-e Ritieres objectos de sn ^XSSSIJPT* f&'
na sconhec.dos; pelo que convida ao respeitavel publico e a seos numerosos Sez^
a virem se erar dos objectos de sua carencia, aei.de enconiraro por mZ\i Jo OOT m.t'
m outra qualqnor parte, umsortimento eoioplelo de machinas para descarocar aodlo
.b.e.m..C0hec,do.flbr,CnU CofT G? 4 C, ditas para costura? motores X ,'
Contina a vender tudo
muito barato a saber:
Libras de areia preta muito boo. .
Tesouras finas para onhas e coto-
ra a......., .
Papis de agulhas francezas a ba-
ao a.........
Caixas com seis sabonetes de frota
Libras de la para bordar de todas
as cores a........66*000
em
do
2S a^"SSy^5 XfmmmFSS& SSSSSSl
francezas, louca de
dous canos e de um, Unto inglezas como irancezas, louca de pora
tST? ,iualldades e Presos, bandejas cbinezas, salitre, reu, haTate ei K
ESSJira 8i % a^lha para H"* ; assim cmo encontrarn L<\Z-
raente grande porcao de fogo do ar, e recebe-se encommenda de fogos de vista alem d nm
......-MiL-
CASA CAUVIN A awhkr. Pharm ^^sr-r
Bonlevord Sebastopol, SS. PARS.
NOVAS ESPECIALIDADES A. MARINIER
Apremiadas a Academia de Seiencias e ao kstitato de Franea.
500
60
10000
m.lPfAn Sob forma de Pstilla, devedida e doseada p
I H LttbRU momento urna soincelo PBETUTIVA E COI
MOLESTIAS CONTAGIOSAS
ira faser de
ITITA da*
UT0R-PH1L1H0
Q'raives
do volume de um retogio, servindo
de Philtro le Seringa sem oa
inconvenientes de fragiliaade.
Com a forma, e do tolnme de am Porte-Mteda cootendo
TOBO TRATAHERTO. <"<
ESTOJOS
COLLYRIO Conira as affeccois das palpebraa, preparado sob a meama forma.
BARTHOLIEO & !
DeposiUrios geral para o BR.4SI3, e PORTLGAL
34, ra larga do Rosario. PEJANAMBTJOO. '
Vende-se
CAL M\ i LISBOA
Vende Joaquina Jos Ramos :
o- 8, i andar
na ra da Cruz
Potaba nova da Rnasia a 200 rs. a libra
*~A1 de Lisboa.
Cera em *elas.
flila em grume.
vinho do Porto superior engarrafado.
Dito de dito bom dem.
J3ito mus atel de dtvereaa marcas idem.
JWi unto PalmeH*. superior idem.
Mito diio Verinoeira idem.
Bilodito lavradin idem
wtobranc Carcavellos idea.
to dito Bucellos itfrm
2r,.! d' err fundido nara engente*.
ps de arvoredos, todos em cestos, e mnitos en-
cheriados, muito baratos, pois a pessoa qoer dei-
xar o negocio : na travessa do Padre Inglez n. 7
lugar do Caminho Nova.
Pehineha
reos a f800, algodaozmbo com 4 palmos de lar-
gara a Ss a peca com 90 jardas, chitas nronriL
para casa a 240 rs. o covado, la' escura Zn
na rna do Livramento n 10.
o covado
VE1#E-SE
p* de rozeiras de varias qualidades, anrareot
desapotis.abacate, figneira, laranja eravo e ii-
nheira, por preci razoavel : a tratar na Boa-vista
ra do Vijeonde de oyanna, outr'ora Mondego
Doces, fructas e flores
Ra da Cruz n. 13.
Ha muito qne ettt provincia pedia urna casa
qie bem salisflzesse as peatoas que sabem apre
ciar o que cima se v nesse dstico. Er nesso
esubelecimento qn se eneontram os melhores
doces de todas as fractas, seceos e de calda, -doce*
d'ovos de todas as especies de maesas, gelas de
goiaba, de arac, de piUoga e mo de vacca, ven-
dse a retaiho e em grosso para qualquer parte.
Apromptam-se bandeja? com bolinaos os mais de- RaPe ^ Lisboa de superior qualidade awim
licados e com ricos enfeites, do que se encontra Paul Cordeiro viajado e commnm rolao franonz
grande sorllmento, presuntos em Hambre e ontros |,se grosso ------
RAPE.
Jarg.
r*~u e da Baha
i i. v'f*n* nono n. 16 i andar
pratosque nao se podem dispensar em qnalqner
haiSi xar ipes de grozeila, (amarino, liioa o ooirai
fructa<. Junu a este ostabelecimeuto est ligado
um bello sitio que nelle nunca fallam Dores a val-
sas e em boquetes : apromptam-se boquete* para
noivos ricamouto (afeitados de eravos branes
com toia a perfeico e doliaideza, militas varie-
dades de planta.* para se preparar um jardim e
plantar am sitio. A' vista das encoromentias fei-
tas se verificar o que cima lira dito.
,i______ i .
no : vend se tl~-,~ean -da- B
litja de violas.
na praca da Independencia n. 5,
TAHA
Vende se a taberna da rn
W : a tratar na mssrna.
di 8enula-nov n
O verddeiro pfrtiand. S se vende na ni da
Madre dePeps q, 2, rinazem de Joao Mariin de
nam
,%n -iiii ______-
olma, er* saceos grande*, mmto- iw i -_______-
- i rnambBcanal Veoae.^ u m ^ Rang6l ^ | fa rf> .
*>n, c a Jujo a l*m.
Vende-se
Na roa dos Qnartms n. I un armsrSn nMMr.
para >al4Dflr esttlla)em?. E "
querr quizar pAle ira.arna.mrnaX" n a' '
, fundo do tfooT^lgi
j caminho para o lhm ehtoi projrto? Irttaf I
'qnartos, cozinba fra, de pedra e cal m Am
estado, qointal cere#4Q ^ Wl' em *-
Carriteis de linha Alexandre a.
Frascos com azeite para machinas
Gravata de cores muito finas a .
Grozas de botes mcdepersla fi-
nissimos a.......
Kovello de linha de 400 jardas a.
Caixas com 100 envelopes muito
superiores a......
Pentes volteados para meninas a.
Tioteiros com tinta preta a 80 rs. e
Pecas de fita elstica muito fina a
Lata com superior banba a 100 e.
Frascos de oleo Philocomo muito
fino a.........
Frascos de macaca perola a. .
Frascos de extracto muito bonitos a
Duzia de sabonetes muito finos a.
Sabonetes inglezes a 600 rs. e. .
Frasco com agua de colonia Pivera
Dito de oJeo babaza a.....
Caixas de lamparinas a. .
Sabonetes a forma menino muito
superiores a.......
t-artilbas da doutrina fazenda nova a
Libras de liaba sortidas de todos os
nmeros a.......1)5800
Capachos muito bonitos e grandes a ,700
Carriteis de retroz preto, com 1
oitavas a........ 640
Agulheiros de osso enfeitados a, 240
Libra de linha francesa superior
qualidade a.......2,01420
Caixas de palito do gaz a. 00
100
500
500
500
60
600
240
100
200
200
500
240
500
720
1)5200
500
500
40
240
400
Attencao
Vende-se a armacao e pertence? da taberna n.
li do largo do Terco, moito propria para qnalqner
principiante : a tratar no sobrado por cima da
rnesma.
Madapolo francez com 20
varas,
proprio para saias e camisas de senbora, pelo ba-
ratsimo prego de 6J500 a pega, garanle-se ser
fazenda de I0 em qualquer parte. Tambem ha
grande poreao de chitas francezas escuras e cla-
ma pelo nunca visto preco de 00 ra. o covado :
isto s na loja das seis portas em frente do Livra-
mento.
Rot-ante-rheumtjtico.
Remedio efflcacissimo contra ai dores rbeuma-
ticaa at hoja o mai eonhecido pelos seo mar-
vilhosos resuMadoa.
XAROPB OB AGRIA0.- um dos medicaran-
toa que sna effleaea as enCannidados, tosse e
sangue pela bocea, bronchites, dorea e fraqneza
no peito, eserobuto e molestias de flgade, qne me-
Hior tem aprovaio. "
TWTORA DB HARAPUAMA- A celebre raz
da marapaama, euja energa e efBcacia as para-
lysiis, mlerpecimenio, etc. etc. muito se reeom-
DlCfitm.
jTodoswespreparadosae eneoairaoi napnar-
imame toajaria de Birtnelomea h G, qm de-
peaitonari larga A> RaJ^g 34. ^
Aacet que seacabem.
roa larga do Rosara n. 34
Eival sem segundo
RA DO DUQUE DE CAXIAS N. 59
Esto disposto a continuar a vender todas
as minlezas pelos baratissimos precos abai-
bom e xo declarados, garantindo tudo bom e pre-
cos admirados.
120 Dozias de palitos seguranca a....
Duzia de palitos segaranfa caixa
grande a...................
Frascos com oleobaboza muito fino.
Pacote* com p.is de arroz o me-
lhor que ha a...............
Navalbas muito finas para fazer
barba a....................
Caix;i de linha bram do gaz a..
Vara de franjas de lidho para toa-
lhas .......................
Caixas com pennas d'aco de Perry
superiores................
Lencos da cassa brancos e pinta-
dosa......................
Caixas com 20 quadernos de papel
pautado .......
Caixas com 50 novellos de linha
do gaz a....., .
Duzias de meias croas superior
qualidade a.......3^00
Pegas de babadinhos com 10 va-
ras a.........
Pecas de tiras bordadascom 12
metros cada pega a 1(5500 e.
Pegas de fitas para cs de qoal-
quer largura com 10 varas a.
Escovas para unhas fazenda fina a
Ditas para dentes a 240, 320,
400 rs. e....., .
Pegas de tranca lisas, brancas e
de cores a.......
Duzia de linha frxa para borda-
dos a 400 rs. e.....
Pares de meias croas para me '
nos diversos tamanhos a. v .
Duzias de meias brancas moito
finas para senbora a. .
Pares de sapatos de tranca do
Porto........
Pares de sapatos de tapete a. .
Duzias de baratos para vultarete
Sylabarios portugoezes a. .
Cartees com colxetes carreras a
Abotoadoras para collete diversas
qualidades.......
Caixas com penna de ac moito
boa de 320 a. .
Cautas com superiores brelas a.
Duzia de agulba para machina a.
Libras de pregos francezes todos
os tamanhos a......
Pacote de papel com 20 quader-
nos ...........
Re: ma de papel pautado superior
Resma de papel liso muito supe-
rior a...........
Rata do crespo n.
Os proprietarios deste bem oonheWKaatjeie-
cimente, alm dos mnitos objectos que~Dltoan ekv
postos a apreciacao do respeitavel publ'"-, mj*v
aaram vir e acabam de receber pelo nltiuo vapor
da Europa ura completo e vanado sortiinento de
Snas e mu delicadas especialidades, aa qoa^s eo-
lio resolvios a vender, como de aea costiu*,
Sor precos muito baratinhos e eommodoa para am-
os, com tanto qne o Gallo....
Muito superiores luvas de pellica, pretas, brav-
eas e de mui lindas cores.
Mui boas e bonitas golnha* e purmos para sav
nhora, neste genero o que ha de mais moderno.
Superiores pentes de tartaruga para cocees.
Lindos e riquissimos en fui tea par* canecas da*
Bxmas. senhoras.
Superiores trancas pretas e do cores com vidrt-
inos e sem elles; -esta fazenda o que pode ha*
de melhor e mais bonito.
Superiores e bonitos leques de raadrnrjerote,
marflm, sndalo e osso, sendo aqueHea iiranco
com lindes desenhos, e,estes pretos.
Muito superiores meias fo de Escossia para t&-
nhoras, as quaes sempre se venderam por JO#ori
a duzia, entretanto que nos as vendemos p>r I0#,
aim destas, temos tambem grande sortimeato da
outras qualidades, entre as quaes alguna.'-. assL.it>
finas.
Roas bengalas de superior eanna da India e
castao de marfim cora lindas e encantadoras Afo-
ras do mesmo, neste genero o que de melhor n
pde desejar ; alm destas temos tambem r.-and.
quantidade de outras qualidades, cerno seja ji, nv-
deira, baleia, osso, borracha, etc. etc. etc.
Finos, bonitos e airosos chicotinnos de erolea e
de outras qualidades.
Lindas e superiores ligas de seda e borraca
para segurar as meias.
Roas mpias de seda para senhora e para mari-
nas de 1 a 12 annos de idade.
Navalhaa cabo de marflm e tartaruga para facer
barba; sao muito boas, e de mais a mais sao ga-
rantidas pelo fabricante, e nos por nossa vez tain-
bem asseguramss sua qualidade e delicadeza.
Lunas e bellas capellas para noiva.
Superiores agulhas para nucojua e para crea-.
Linha muito boa de peso, frouxa, para e*.cbt-r
labyrintho.
R'ons baralho; de cartas para vollarete, asan
como os tentos para o mesmo Uro.
Grande e variado sorlimento das melhores per-
fumaras e dos memores e mais conhecidos per
fumistas.
C0I.ARES DE ROER.
Elctricos magnticos contra as convots3e,
fa/'ilitarn a denticao das innocentes criancas. Ba
mos desde nato recehedores deste.-. proiiioan?
collares, e conti::uamoa a recebe-los por toaos oa
vapore?, :: qae nunca faltem no mercado,
tomo;; ; r 1 nc.i! incido, assim pois podurio aqu* .-
les i|i relles aren, virao deposito do (a. R
vigii;,!.; le : [ni -<: ericonlraro des'es varda-
deiros colla:-;.-, ; attendendo-ea to tr
paraquo tlio *ppl -.-.-.! .. si -r-ndero com nx aa
diminu" lucro.
Rogamos, [ois, a\' .:-.-. bjeeaM que deixaz&ea .
declarados, ao- nossca n-rnv/.cs e-amigos a viren:
comprar por pr ro moito raioa-veia loja do gaiit
vigilante, ra .-; Ci^i. n. 7.
corcier-
120
320
320
320
I 000
500
160
S00
100
700
400
500
2,5000
500
500
500
40
500
320
40500
2*000
1*500
3*000
400
20
400
50C
40
2*000
240
400
4*000
i
3)600
Ba do Vigario n. 11
Vinho Bordeaux, de C. Margaox e I. 0. Medoc.
Ervimas francezas em manteiga.
Papel para cigarros Duc
Phosphoros de seguranca.
Agas de Vechy.
Haut Soe.
Celestine.
^Mercurio doce, caixas de meia libra.
Papel de peso, grande sortimento.
Na ra do Vitarla, armazem n. 11
Rna do ^tiviaMdal a. 16.
Novo e variado sov-iaiento deperfuirT'
finas, e outros objectos.
Alm do completo sortimento de per
marias, de que effectivamente est prorid;
loja do Cordeiro Providente, ella ac?i:;-
receber um outro sortimento que re i
notavel pela variedade de otrfeetos
dade, qualidades e commodidades ti
gos; assim, pois, o Cordeiro Previden
e espera continuar a merecer a an*-
do respeitavel publico em gera' e d
boa freguezia em particular, no s^ arl
tando elle de sua bem eoobfldtmain;
e barateza. Em dita loja cpeoatryS
apreciadores do bom:
Agua divina de E. Coudray.
Dita verdadeira de Murray Lanimao.
Dita de Cologne ingleza, americana, ira
ceza, todas dos melhores e mais acre*?itr;:*'
fabricantes.
Dita de flor de larangeiraa.
Dita dos Alpes, e vilele para tc:'!et.
Eiir odontalgico para conservaglo
tsseio da bocea.
Cosmetiques*de superior qualidade e ci
ros agradareis.
Copos e latas, maiores e menores, ce:
pomada fina para cabello.
Frascos com dita japoneza, transparec-
e outras qualidades.
Finos extractos inglezes, americanos
francezes em frascos simples eenfeitdos.
Essencia imperial do fino e agradavel ct
ro de violeta.
Outras concentradas e de cheiros igu
mente finas e agradaveis.
Oleo philocome verdadeiro.
Extracto d'oleo de superior qualidac;
com escomidos cheiros, em frascos de di=
rentes tamanhos.
Sabonetes em barras, maiores e menor
para mos.
Ditos transparentes, redondos e em flj:
ras de meninos.
Ditos muito finos em caixinha para bar
Ca sin has com benitos sabonetes imitan i
(rectas.
Ditas de madeira invernisada coatondo l
as perfumaras, muito propria* para pr*
entes.
Ditas de papelio igualmente bonitas, tu
bem de perfumaras finas.
Bonitos vasos de metal coloridos,
moldes no vos e elegantes, com p de arre
a boneca.
Opiata ingleza e franceza para dentes.
Pos de camphora outras differem.
qualidades tambem para dentes.
Tnico oriental de Kemp.
linda nal* corves.
Um outro sortimento de coques de c
vos e bonitos moldes com fllets de vidrifc,
e alguna d'elles ornados de flores e fta*
8st5o todos expostos i apreciadlo de qne-.
os pretenda comprar.
GOLLINHAS E PNHOS BORDADOS
Obras de moito gosto e perfeicio.
FlTcllas e Otas para ciato*.
Bello e variado sortimento de taes obja
tos, fleando a boa escolha ao gosto do i
prador.
Joaquim Rodriffaes Xa-
vares de mello.
TEM PARA VBNOER
em seo escriptorio, praca doCorpo Saalo
Fumo era folha
de 1* e 2* qualidade, vende nm oa i
fardos a vontade dos compradores.
Cal de Lisboa
ultima ebegada.
PotessadaRnssia.
Farlaha de aaaallea.
Vinho Bordeaux.
de 1* qualidade. Todo de vende mais
barato do que em outra qnalqner parta.
'1


Diario de Pcrnambnco Domingo 2 de Ouiubro e 1870
.--?:
-.......'
-
mmm gerl
CAMMU DOS DEPUTADOS.
PARECER SA GOflMlSSO E VOTO EM SEPARADO
S08BE nEJ*MA DQ ACTO ADDICIONAL, AI-HE
SENTADO. N SESSO DE It DEfSETKUBR0
ULTIMO. f/jf
As coramusoes de assembleas provi n-
ciaes e de constituicb e poderos incuu.bi-
das de examinar o projecio de le nlerpr'
tativa de diversos arlaos do acto addi.-io-
nal, presentado pelo Sr. depntado Paulino
Jos Soares de Souza, min'Stro do imperio,
vera, dar o sen parecer.
O estudojjo ac addicional, princ'pal
mete em seos resultados pi ticos, (temos
:ra a necessidade imperiosa de Hxar-se,. por
Dterpreta() legislativa, o verdadeiro senti-
do de afumas de suas mais importantes
disposicSes.
t Como geralmente se recoDbece, a obs-
curidade e ouiros defeitos que em militas
parles desta lei se apresentam'originaran),
desde que ella se poz em execocSo, duvi
das ftquestoes serias, j sobre os limites de
diferentes attribuices conferidas s assem-
blai legislativa! provmciaes, j em relaco
ao modo de seo exercicio j finalmente
quauto exienso da competencia dos pre-
sidentes de provincia para intervirem na
foruoacao das leis pela sancco e pelo di-
reito de suspender-Ibes a publicarlo.
As d'ftooldades que naturalmenio oc-
correm sempre que, por defeitos da exprs-
alo on lettra da lei, se torna necessario.
para omprehende la eapplica-la, descobr.r-
>he o. \erdadeiro pensameoto, nSo p diana
deixar de avuitar, tratando se do acto addi-
cionat.4 vista de sua natureza particular e
da transcendencia do seu assumpto. Daoi
a opposicao permanente dos conceitos na
intelligencia (lesnas disposices, a luta cons-
tante das opinies adversas, os conflictos
ioterminaveis e a coosequente desharmonia
e perlurbaco no jugo das differentes insti-
tuicoes: nem a pratica dos negocios n.>
largo periodo de-'orrido desde a promulga-
cao daqneila lei, nem os gra.es e multip i-
cados estados do conseibo de estado, nem
a manifestacaVf sobre alies fundada do per.-
^amento do governo imperial, tem conse-
guido, appoximando as eppinies, estabele-
cer e firmar urna jurisprudencia, ou inter
pretacao usual, geralmente acceda.
t A discordancia que se observa em pon-
tos essenciaes entre as legislares das dife-
rentes provincias, e a falia de coherencia
ainda entre as proprias leis de cada urna,
asss o demonstra m.
Com effeito, destinado a realisar a grande
idea contida no art. 71 da eoirstitacao,a
descentralisacSo administrativa as .provin-
cias, o KV> addicional n3o-poda ser uni-
frmeme^ entendido em suas disposices
dtiviiias* por pesscas que tinham opimoes
ffcroles quantc extenso e desenvolv-
meato pratica dado pelo-mesmo eete addi-
cionai queila idea, visto que, sendo o mo-
tivo ou mao da lei, isto o seu principio
o seu fim e intcnc3o, o elemente pelo qual
as questts tinham de ser resolvidas, e ha-
vendo divergencia neste ponto, divergencias
deviam ser necessaramente as deduces
Algumas das mais graves qoeatoes fo
ram definitiva e sabiamente resolvas pela
lei interpretativa de 12. de maio de 1840
Outras. porm, continuaram a subsistir
dando lagar a ponderosos inconvenientes
praZs naos abanto gestio.doj nego-
cios provinciaes. sen5o tambera em relajo a
administrado e interesses geraes. B este
o mal que o projecto se prepoe remediar,
snS5!t!indo.clo livre da rntell-genca
caso pela vanedade
lureza provinciat, jsto que se referen
especia mente s provincias e s Bellas po-
dem ser contenittemente tratados, dos
nacionaes que, sendo ommuns a todos os
individuos que compoem a naci,'competem
aos poderes geraes. De conformidade com
esle principio instituio, para regularem n-
vremente os primeiros ('especificados oos
aris. 10 e II). $ assemblas legislativas
peovinciae*, coja acfiio encontra ticamente
u veto dos presidentes de provincia,'o'qoal
pode ser annullado por nova volaco de
dois tercos dos membros das assemblas ;
e deu para resguardar os segundos, nos
:asos que determinou, aos ditos presiden-
tes o direito de suspender e assembla
geral o de revogar os actos daquellas as-
semblas que os offendessem.
(Continuar-9-ha)-
VARIEDADE
A LETRA DE CAMBIO DE BISMARK.
Um jornal francez a presentou o facsmile
de urna lettra de cambio, que se figura sa-
cada par Bismark sobre o ex-imperador
Na pololo.
Um Berlinense leve a idea de figurar
esta letra de cambi. quem?i)doe estampar,
o da qUa! destribuio milhes do exem-
plares.
Aqui teem os leitores reprodcelo da
tal lettra, que o fac-simrte era cnstoso de
reproduzir ; s em gravura .'
Acceito
POR LUIZ NAPOLEAO
PAJ.IKO
2.
C
s
00
I i-
2
O
'2
te
o
a
3
so
a

s
5
a
a
2.
Ce
8-

O
%
O
5*
o
a
a
1 -
2.. ~. w
a.
es
S
a



das
toridade da interpretaC5o aothent ca, nos
tPrmos do art. 25 do acto addicional.
' Escusando a illustncao desta angosta
cmara o desenvolvimento de que sao sus-
ceptiveil as considerarles que as commis-
ses acabam de expender no mtuiio de tor-
naren! sensivel a necessidade da le pro-
nosta, passam a interpor seu ju.zo sobre as
dispusieses contidas no projecto
Em todas esias disposices parece as
commisses que se acha traduzido era carac-
teres claros precisos o verdade.ro penia-
mento da lei. tendo sido apenas rectificados
os defeitos e imperfeices de sua lettra ou
expresso. sem ultrapassar-se, em caso ai-
Kom, o limite que separa as funches, es-
encialmente disiinctas, de interpretar e de
iegf Considerado acto addicional em seus
elementos, lgico e histrico, *gjg
principio que presidio ao seu systema foi o
separar os interesses que sao por sua na-

O
re
3
O
a 5
a
9
m
m
3
i
a
n
Be
-
'as
o
o
o
a
o"
2
a
a
2.
2
o
"a
|
s
3
o
00
a
2.
B
3
9
P
O
a
a
8-
00
3
O papel un*, pois, em lettras d'agua os
seguintes nome:
Bolonha, qce tteora a conspirafo de
Lmi NapoleSo cq|lr tun Felippe;
Ham, o nome da fortaleza onde este ve
preso, e da qual se evadi ;
Mxico, lembra a dssgra^ada e odiosa
expedidlo contra a repblica mexicana, e o
imperio de Maximiliano, qefe acabou pelo
fusilamento desse infeliz principe, victima
da tresloucada poltica do ex-fmpedor;
Crimea, a expedicao contra a Russia;
Luxemburqo, o pri'meiro pretexto para a
guerra, que fui substituido pela1 candidatura
do prmciue BoheMollern ;
Cayenna, a colonia para onde foram
degradados os patriotas franceze, qo; se
oppozeram usurpado do ex-imperador ;
Sanfa Helena, a i Iba onde Napoleao I,
lio de Luiz NapoleSo, expiou a shu d^s-
marcada ambico e os seus attentados con-
tra os povos.
A lettra tem o seu endosso as costas,- que
assim :
Paguen ordew de Gwlherme; de
Berlim.
Bismark. >
Foi engenbooo o pensaraento do Berlins::
orna satyra, e ao mesmo' lempo querer-
talvez significar a indemnisacao que a Pros-
sia pedir Franca, pelas despezas da
guerra, se a vencer afina! ;^-si 180 mil
contos.
O que fr soar.
a
2
S'
I
2
a
8-
2
2
O"
5'
a.
3]
a
a
t
8-
A lettra toda allegorica.
l dejtilho, dati do saque, a- data da
declarado da guerra.
2 de dezembro, o (lia em que o es-im-
perador usurpou o poder, por um* embos-
cada, fazendo correr o sangue dos cidadlos
que pretenderam defender as leis.
1852, n. da letra, o anno, em que se
consummou o attentado napolenico.
Acceita Paiiko, porque Luiz Napoleao j
estava como annullado, e Paiiko como que
assumira a dictadura.
A casa de Pi, em Halla, aUude ao des-
amparo do Papa, que poder abrigar-se em
Malta em companhia do ex-imperadoram-
bos desthronados.
Na nossa reprodcelo faltara as lettras
d'agua, que sao uns nomes tambera allego-
ricos e muito expressivos.
ULTIMS BATALHAS ENTKE: A FRANQA
E A PRUSSIA
A EpomT de Madrid, publica- a- seguinte
correspondencia, relatando os aesonteci-
mentos de 30 31 dj, agosu>, lei ite se-
tembro:
i Resumamos agora os acontecaentos
que se teera oado as fronteiras-da F'raoca.
Cliegcu felizmente inioha casa esta
noute, um destnelo general hespanhol' que'
no outro dia f6ra Namur e que presen-
ciou a imuiensa catastropbe. Principia- o
dia 130 pelafsorpreza de Fail^f qoe- tio
30: 000 homef. e que a vaoguant. do
exercito de Bftc-Malion. Os soldados-es-
tao comendo como em Wisseabergo- o o*
cavallos foram beber. A artheria est*
sena as palamentas. Cincoent m' mko-
nios e bavaros destroem estas tropas qua-
si sem resistencia. Urna graade parte
perseguida ateo Meuse,.carado as suas
aguas, sete mil caem pnsioneires dos-alie-
raes, outros buscam refugio n neutralida-
de belga. Failly ac de ao campo qaando
j tarde e morre n'elle, se^sndo uos
atravessado por urna bata de artilheria no
veutre, tendo procurado elle mesmo a mar-
te; segundo outros, receoendo a dos seus
proprios soldado*: As onze feoras sabe
Mac-Mation toda a extenso do desastre.
Tinba 110:000 homens. e-asta derro-
ta deixa-o reduaido a 90:000; mas resu.
Ihe o rea valor berjico, que algamas veaes
tera supprido a sua falta de capaddade es-
tratgica para dirigir massas tao-enormes*
Pelejou toda a tarde do dia 30, e a-noute de-
pois de heroicos esforcos pode reenar sobre
Sedan. N'essa norte houve coneelho de ge-
neraos. A maiorta iostou com alie para se
retirar por Mizires,. Soissons e-Laon para
cobrir Parize salvar o seo exercito. que ia
ser corlado por massas immensas de alle-
mes. Mas elle disse que tinba offerecid-i
Bazaine o bater-se no dia 31 para ver se
podia marchar en>sea auxilio, 9 que, mer-
lo ou vivo, caropriria a sua paayra. EL-
fectivamente. o moviraenlo nlo devia ser an-
tes de 31, dia em que, como j saUam,
tambem Bazaine se bata heroicamente em
Metz, Vinoy devia ebegar fftzires- com
os 50:000 horneas ebegados de Paris para
esta luta. Mas os prassianos qoe tudo sa-
bem, tendo interceptado correios e emissa-
rios secretos, e notad a sigoaes, que ramo
incendio de certos bosques, cairam ao d
antecedente sobre Failly destroeando-o ; ti-
raran assim urna das suas alas ao exercito
do duque de M&Renta e preveniram
principe Frederico Carlos do projeetsdo ata-
que do Bazaine.
Moltke, que estava com o rei diante jfr
de Mac-Mahon, deixoo 50:000 homens pa
ra se baterem oom este durante todo o dia
31 de agosto, e com outros 200t00? ho-
mens. rodeou agrande distaocia a praca de
Sedan at pelo estreito territorio que a se-
para da fronteira belga. Sahia perfeitamen-
te que estas pracas teem os principaes- fo-
gos para o lado da Blgica, e que- pela in-
curia da admioistraQo fraoceza eslo mal
abastecidas de viveres. Mac Mahen formoi
o seu plano de batalha e combaten heroi-
camente no dia 31. Como nao tem torcas
temiveis, chega quasi at Carignan, cami-
FOLHETIM
\ W\ diMS al MORTi
POR
Xavier de Montpin.
PAHfE SKCJUXDA.
. O HORSCOPO
rConlinuacao do n. 222j.
XXXII
O ae se dase no pavllho eo-
re 4s olio e dotc da monte.
O dia seguinte ao nocturno drama, cujas
peripecias to singulares nos referimos,
passouse em profundosocego.
A senhora de Rahon, tranquilla de cor-
po", j que nao do espirito, permaneca
n'uma continua somnolencia.
Annibal admirava se ao ver que nao se
repiiam as violentas dores da vespera, e
revelou parteira o seu assombro. Mas
a scieocia medica d'aquelles tempos nao
tinha ainda conseguido libertar-se de certas
supersticiosas preoccopa$es, que seriam
agora motivo de riso e que ninguem punha
era duvida no seculo XVII.
Simoa respondeu que a influencia da la
nova se oppozera de certa ao parto (1), e
que d'isso deviam felicitar-se, porque urna
vez entrada em loa cheia via a enanca
luz com toda a facilidade.
O conde n3o teve rplica para tal afflr-
mativa. .' .
Simoa accrescenton qoe ja vira urna
aldea apresentar durante doos dias segui-
dos todos os symptomas de um parto prxi-
mo, o qual, todava, s se venficoo seis
semanas depois.
A senhora de Chavigny tambem affirraou
que oavira contar muilos casos idnticos, e
citan at alguns exemplos, de modo qoe
abo de Montmedy, mas encontra aqu o in-
menso circulo da ferro formado px
OOOQQ bavaro<, saaomos 'frurtembergue'
zea e prossianos com o rei, Moltk, Bismarb,
Roon, o principe real, o prncipe da Sixo-
oit e o priacipe Alberto. Tambem all es-
tava Leopoldo de Hohenzoflern. N'esto su-
premo combate da Urde e ainda ooite de
3, Mac-Mahon leve duas feridas, mas con-
linvou commandando e a cavalto, depois de
as pensar irgeiramente.
Afinal, meia noute, retira-se para
Sedan. Novas supplicas para que marche
sobre Mezieres, onde estava Yinoy, que nao
pode chegar ao combate, ainda que sacrifi-
que parte das suas tropas ao romper o
cerco prossiano do lado de Lille, Laon e
Solssonsr d'onde pode communicar-se com
Paris, e nswa resistencia do heroico soldado,
que n3o quer fugir aute o inimigo, mas
que, como general, sacrifica o exererto;
Anoutese o dia f de setembro, e fe-
rido, monta a cavallo i tem 70,000 homens
desalentados- e os allera&es 250,000, ebrios-
de trimphos-. s duas horas a febre e a
dr das feridas- derribam-no do cavallo, e o
general Wimpfen. que ebegon no mesmo
dia para tomar o comroaodo do corpo de
exercito de FaiHjr, completamente destroca-
do, encarrega sr do commendo do que nlo
j batalha, mas sim derrota espantosa.
Alguns regioentos, fiis ao seu glorio-
so passado da Italra e da Crimea sacrificam-
se com herosmo ecausam ao loimigo gran-
de? perdas ; mas a grande maioria formada
de regnenlos de marcha en Chalos e
PariSi pe nao sabem ^ara ende os condu-
zem, nm conhecem o terreno, e que por
todos os lados s eacontram o terrivel ca-
nho piussiano ou a sua admiravel cavalla-
ria, P>gemi ous para a Blgica-, em numero
de 15,000, depois do* 2.000 qne cora 70)
prussiawo* entraram antes do lado deSamur,
outros entregam-se p^sioneiros aos prus-
ianos, enMjuento 40- a 50^)00 recua
sobre a praca de Sedan, onde j nao havia
provises.
Na.aante do 1. d- setembro, eterna-
mente raeraorawel nos fustes da Franca, de-
pois de terrivefe sonas em Sedaa^ e quaodo
se v que -o-exento) quer capitular, o im-
perador, $ae aodava enfermo de corpo e
de espirito desde o terrivel desastre de
WGertz, que-soobeem Sftto, maedou aore
da Prussia, opa estava s portas-de Sedan,
orna carta cajp texto diz aesim, pouco mais
ou meos.
Nao teadb eonwnand no exercito-, e
havendo resignadlo os raeos poderes as
mos da imperatri regente-, .entrego a1 mi-
aba espada aoret Pruso.
Guilherme r rJerolveu-lke a espada^ dV
aeodo-lhe, boseado o sua carta, qpe no
podia tratar oom< elte e s ttaar a capitula-
'c3o> cora o general ojue comoaendasse o ex-
ercito francs: Wmapffen assim teve de
feer, e assignou urna capituiaeo para o
seus 40,000 oomeno em Se3in. e todos os
demais desucamestoe s sua ordenes Mae-
.Mahoo estava entretanto em grande perigo-
no leito da d?r.
No dia 2 de setembro, o imperador na
soa carroagera,' e escoltado por holanoe>
passoo para a cas de campo onde estava o
oyiartel general.' Tio- all a pessaa que
me- d todas estas noticias.
Profundamente abatido, estava assen-
tado n'oma cadeira-n'a andar-terreo^ guar-
dado por douoeouraceiros da guarda, real.
A noticia da sua chegada espalheu-se como
mi relmpago no acampamento alMaAOw
assim como da caoHotacao e tode-o ei-
ercito francei.
< Foram immensos oshurrahs a alegra
e a aJgazarra- das tropas.
Mas estava all< o principe real,.qpe logo
mandou os seus anudantes impor. silencio,
dizendo ao exaroho vencedor qpe- o seo
dever supremo era respeitar at-a desgraea
dos vencidos. Depois. e em presenta de
lodo o quartel general fez um grande elogio
do herosmo eom qoe em Metz e Seda se
bateram os soldados- de Bazaine e Mac-Ma-
hon^ arrasando-se-toe os olhos-de lagrimas.
O rei esereveu entretanto um telegrara
ma attouDciaado rainha angosta a grande
victoria obtida -pelas suas tropas, a capito-
lac3o assignada por Wimpfiten da todo o
exercito francez, a chegada do imperador,
com quem, diaia terei immediatamente urna
entrevista para fixar o ponto da sua resi-
dencia.
Em seguida, e acompanhado por todos
os pripcipes, passou revista 4s tropas que
estavam formadas no campo de batalha,
ainda cheia-de morios e de sangue, porque
s tinha bavido lempo para-levaotar os fe-
rios.
i As acelamaces eram. frenticas, e o
exercito aHeraflo apreseatava-se depois da
dias to terriv.'is como n'oma parada Bis-
mark. que cacompanhavarecebun tambem
felicitacoes; mas voltando-se para o estado
maior e para os soldados, disse-lbes:
Todo fizeram o nosso rei, o principe
reale Moltke.
Para alies as felicitacoes do exercito e
da A'.lemanha toda. Porque, accrescenton,
este tnumpho nSo se deve s aos prossia-
nos. As tropas da Saxonia, da Baviera,
do Wurlemberg, que nol-o deram. e
mim s me cabe em parte a gloria de ter
fundido n'um s povo germnico estes pe-
vos d'antes rao divididos. >
Efectivamente, ha qoatro annos, sa-
Xjios, bavaros ewurtemberguezes, batiam-
se contra os prossianos em Sadowa.
Depois da revista, o rei Guilherme vi-
siloo Napolelo, e consoloo-o.
Mas n3o poda tratar com elle, t s
com o governo da Franca.
Resolveu-se aHi que ir para Mogn-
ca.
Consta-se que Napoleo III fez esfor-
gos em favor de se filbo; mas que o r
Gurmerme nSo quiz acceitar compromisso
algn*. Retirados elle, .Moltke e Bismark,
consagraran) a noite de bontera a redigir
as coodices de paz que kope Franca e
qne dwido possam ser accertas por esta.
. Bismark, depois de fixar a indemnisa-
53o de guerra, e a unidade do imperio ger-
mnico, estendeu diante de Mollke o map-
pa da Franca para que nelle tracasse as
novas fronteiras entre as dos nacoes. |
Nada se sabe a este resoeito ; mas
provavel qne reelamem a Alsaeia e a Lore-
na. O'ret disse que enviara estas condi-
f5es para Pars, que daria vinte e quatro
horas para a sua acceitaco, e qoe epois,
nao sendo acceitas, mandara marchar os
seus 300,060 homens sobro a eapital da
Fran?a.
No quartel general allemio acredita-
va-se que Bazaine, devendo onsumir esta
semai as uliimas provis5es de Meta, e es-
tando rodeado-por um circulo da ferro, com
20,000- f'ridos-nos hospiUes, ter de capi-
tular ou de procurar urna morte gloriosa
em nova e heroica sorda.
O principe real despedio-se das pes-
soas entre quem> estava o nosso' amigo e
muitosjornalistas-de Paris, dizeado-lbes que
todos estavam fcvre, que elle nlo tinba que-
rido a guerra, qne- a Allemanha fra pro-
Tocada, e que issessera Franca que os
atlem3es n3o s3) seus inimigos, aem s3o tab
pouco barbaron destento XIX.
ffESPANHA
Damos em seguida um bando publicado
pelo capiaie general deJNavarra e-provincias
vascongadas sobre a ultima insurreioao oar-
Itsta :
Vasoongado* e-navarros.Desde que
rae foi confiado o encargo deste districto
militar tedecorrido prximamente deis
aonos; e guando ji notr a illusa de que
ao chegar dia de retirarme para os meus
lares, macaberia-a satIa53o de se-no ha-
ver alterado, nesse espaeo de tempfl a pea,
nem perturbado a felieidade que desfruta
este paiz, cujos costomes morigerados e
amor ao trabalbo s3o proverbiaes, vi des-
gracadataente desvanecidas as michas ospe-
rancas. qoando menos o tema.
Fresca ainda a tinba eom une se es-
na tetra, tem sido aqov agente activo
excitar os nimos rebdHao alagar
slo de sangue, eatoo resolvido a usar do
mais severo rigor contra oe qoe t*> cnaj-
noso oso tem feito da infloeoma qoe laaa da
sobre o povo simples, a sen carcter sacer-
dotal, da que lab indignamente lea*
do, destmgnindo se entre ted mafo
D. Vicente Manterola. Proceden des
modo, n5o faco mais do que levantar a
que se arro>a ao governo da naci, fXmMr
do na impnnidade. _
Nada ba mais covarde e viBo. goo
de desprezo e de execracab, como o proce-
der desses homens, qoe, exaltando a-pm-
xes e exasperando os nimos, alelan o
facho da discordia, e nao se apresentam a
compartir a sorte das armas, com os qoe
seduziram. Se infame este procedimento
nos directores e collaboradores dos peri-
dicos carlistas q?e procedem desta maneira,
que epitbeto ser suflicientemeote expressi-
vo para applicar aos ministros do altar qoe
de tal modo ultrajaos a Dos ?
Honrados balitantes das provincias
Vascongadas e de Navarra, peco-vos no
vosso proprio intrease que nao deixeis de
ouvtr a minha voz de amigo, e qne me avi-
lis o pezar de por em pratica o seguinte
bando.
c Repelli instantneamente os invasores
que vierem perturbar a vossa Iranqolida-
de, empobrecer a vossa trra, e o que
ainda mais doloroso, comprometter os vos-
sos foros t... Que se nio onam senao
esses degradados entes que pode baver nos
poros, para qne ao atravessarem para alea
dos Pyrineus, fiqnem estas provincias livres
de gente perdida e de hendidos.
r Banih.Em virtude da facnldade de
que me acho revestido, ftea declarado em
estado de guerra o territorio que compre-
bende as quatro provincias deste districto
do meu commando.
. c Todo o faccioso qoe fbr apprehendido
com as armas na m3o, ser immediatamente
fusilado. S"-k>ba igualmente o qoe fogin-
do as-lancar fra on as occeltar.
c O'que fer preso com ellas, on sem
ellas ieoladamente, sera deportado para
servir no ultramar, urna vez que nao com-
prove qne vinba apresent3r-se.
As povoaces qoe tiverem maoeebos
na- faccao satisfarn 4,00 reales por cada
um, se n3o se apresentarem no praio im-
prorogavel de oito dias, depois de pnblica-
do este bando.
< Os alcaides, on os qoa fizerem as snas
veaes, dar3o parte, qaando menos, de qoa-
tro em qaatro Iteras, aos chafes das eo on>-
na de operaces a respeite da sitnacb qoe
oceupam os rebeldes, e da direccao qoe
tenham tomado. Da falta de cumprimento
do qne Oca prevenido, se exigir a mais
strrota responsaNlidade, naos aos alcaides,
mas tambem a todos os membros da mu-
nicipalfdade e aos parochoa das povoaces-
i As povoaces, por caa immediacao
passarem o revoltosos darao immadiata-
mente noticia disso.
t S a facefo pernoitar em qoalqoer dea-
sas povoaces, on as suas immediacoes a
se D3o dr disso parte competente, aleo da
respeoaabilidade em qce iocorrera toda a
municipalidad* e o clero, satisfarSo es ha-
bitantes urna contribuico, qoe ser regala-
da pela sua importancia e riqueza.
Sendo es mais forte do qoe os rebel-
creve'u, edeu nao3o por parte do gover-
no de S A. o regente, a ampia e-geral.am-
nista, qne pond termo a tangas boraa de mafei qoe coasadaTSaaliaaoa pofl afronip-
des e estando resolvido a osar de todos os
Annibal, de todo socegado, resolveu esperar
com paciencia.
Lzaro tinha conseguido fallar sos com
o mordomo, desempenhando-se da incum-
bencia que seu amo Ihe dra.
Diga ao senbor marquez que terei a
honra de obedecer s suas ordens, volveu o
mordorno. A's oito em ponto baterei de-
vagarinbo com a mao na porta do pavilblo
para annunciar a minha
Lzaro foi-se embora,
de nquietaco, ficou dizendo entre si :
Porque motivo querer elle fallar-me
n'esse lugar ?. Palavra de honra que o
julgo capaz de tudo. Quem sabe s que-
rer arrancar-me forca a lettra de cin-
cuenta mil que hontem mo assignou
angustias passadas em sotoestrangetro, res-
litoio a sua familia e lares a quaatos tonge
delles gemiam, parece bcrivel que baja- en-
tes, que, despossuidos de todo o nobre sen-
timentcy n3o agradeQam a generosidade de
que se nsa para com elles.
O homens qe boje provocara-a gnerra
civil atlrahindo comalia sobre a patria todo
o genero de calamidades ; s3o os mesmos
homens da Rpita, e comislo est-dita-todo.
Bepelram o ramo de oliveira qpe Ihe offe-
recia ogoverno; e a espada da ju^tica ba
de cabir sobro as snas criminosas cbe-
Cas.
A experiencia tem demonstrado com re-
petidos exemplos qne nao pode manter-se
faeco algura as provincias vascongadas
e de Navarra, sem contar com a sympsthia
dos habitan1 es. Penetrado desta verdade,
douqninze dias de- espacoao paiz-para que,
auxiliado petos tropas, arroje do seu seio
as faeces viudas de Franca, e aos que se
Ihestenhamainido; findo estopraso impro-
rogavel, o 8r.ercito se mantera casta dos
povos destefdistricto,por tanto temao qnanto
durar a insorreicSo carlista.
' t Sendo- evidwite que p,arte. do, clero,
'esquecendD'SO da sua sante-missab de paz
presenca
e Lactanco, cheio
A prudencia
decidamente
aconselha-me
nao irei.
que nao va, e
(1) Histrico textual.
Nao ir, bom de dizer; mas isso o
mesmo que denunciar algara medo ; o pro-
var que desconfio, e arranjo deste modo
um inimigo irreconciliavel no senhor mar-
quez de Saint-Maixent, o que para mim
pode acarretar pessimas conseqnencias.
Nada me prova qoe o senhor marquez n5o
tenha de me dizer cousas importantes ;
escclheu talvez o pavilblo como ponto mais
segoro para estar coberto de qualquer
importuna curiosidade. Eu no seu caso
teria feito o mesmo. Irei, roas tomare as
minhas precauees para maior seguranca.
Lactanco metteu a lettra do marquez n um
sobrescrito, perfeitamente lacrado e foi en-
trega lo Marineta, com ordem de o en-
tregar s elle mordomo, o que a rapariga]
promelteu.
Davam oito horas oo relogio do castello,
3uando. o mordomo, levando a pontuali-
ade at ao escrpulo, deu tres discretas
palmadinhas na porta do pavilbb.
Lzaro abri immediatamente.
O criado recebeu o mordomo com cara
prasenteira, e levou-o para o gabinete onde
Saint-Maixent o estava esperando. Apre-
sentava aquella casa um ar tab risoono e
alegre, que os receios de Lactanco logo
desappareceram...
Dous candelabros de bronze sastinbam
oito vellas accesas ; brilhava- nofogSoum
grande lume, cujas chammas se reflec-
tiam as jarras esmaltadas, que adoroavam
os consolos, e at as proprias figuras da
antiga tapessaria flamenga pareciam sorrir.
O semblante de Saint-Maixent estava em
harmona com aquelle placido qoadro.
O mordomo dobron-se n'uma grande
mesura at *ao hab, segundo o sen costti-
me inalteravel, dizendo ao mesmo tempo :
Espero que n3o comraettesse a invo-
luntaria falta de fazer esperar o senhor
marquez.
Descance, tio Lactanco, respondeu
Saint-Maixent; chegou ainda mais cedo que
tarde. Assente-se, pois, e conversemos.
Como I Concede-mo a honra, senhi
marquez ?...
De o convidar a sentar se ; a com
toda a raz3o, cuido eu, de mais a mais es-
tando o senhor em soa casa. Ahi tem essa
poltrona que Ihe estende os bracos e agora,
continuou o fidalgo, diga-me c3 maneira
como se desem[ enhou da minha delicada
incumbencia.
Cumpri religiosamente as ordens do
senhor marquez.
Tim tim por tim tira ? Sem nenhuma
alteracSo ?
Eston convencido de que o senhor
marquez nao dovidar do qne digo. ,
Nem por sombras ; mas que o s-
nhor podia ter modificado alguma cousa o
programma, o que eu n5o censurara.
Nada modifiquei.
De modo que o rapaz...
Bepoosa l no fundo do tanque, s-
lidamente amarrado i urna pedra muito
pesada.
E acredita qne nao se encontrar
nunca o sea cadver ?
Para o encontrar, seria preciso des-
secar o tanque e remecher o lodacal : e
com que fim se empreoderiam Uto enor-
pode conceber
raes irabalhos, se ninguem
nem a mais leve suspeita ?.
Sabe, tio Lactancio, que urna felU
cidade para um hornera oosado e empre-
bendedor como eu, encontrar um ajudante
ass-m to dcil e inialligeale como o se-
nhor ?
Eaco o qoe posso para satisfazer os
desejos do senhor marquez.
E consegue admiravelmente esse in-
tuito. E' tala coofianca qno o senhor me
inspira, que mesmo se o visse aecusar de
traicoeiro, en nSo daria crdito semejan-
te cousa.
Ah I por esse lado tenho eu a cons-
ciencia iranquilla. Ninguem me pode ac-
ensar. Soa como a mulber de Cesar, de
quem falla certa alfarrabio qne j li.
Pois, tio Lactancio, exactamente n'isso
que est o seu erro.
O intendente, devoras assustade abri os
olhoa desmedidamente.
C^lumniam-me ? balbociou elle.
Ha quem tanto se atreva, respon-
den Saint-Maixent. EntSo que quer ?
te mundo misrrimo nada se respeita, nem
sequer a innocencia mais pura.
O tom ambiguo e quasi irnico em que
foi pronunciada esta ultima parase, fez cor-
rer um estremeciraento por baixo da epi-
derme do mordomo.
Perturbado, confundido, varillante e cheio
de anciedade, perguntoa :
Dignar-se ha o senhor marquez de
me repetir o que se atrevern a dizer de
mira ?
Para que Urnas calumnias taes n3o
podem molesla-lo, pois n3o verdade ?
Peco ao senhor marquez qne me tire
da minha ignorancia.
Pois bem, j que tanto empenho faz,
dir-lbe-bei todo com franqueza ; ba quem
affiance que o senhor, longe de execntar as
minhas ordens e de supprimir a cianea que
N5o. acha
indigna
ta termina? dos latro-faeciosos, prevmo
disse- os povos para seo governo.
Nio podem chamar-se ignorancia.
Repetidas vezes 'tenho dirigido a minha voz
amiga a este paiz, para qne se nZo deixe
seduzir, pelos que tem interesse en faxer-
lhe abracar urna cansa completamente es-
tranha. aos seos interesses, e qne r>? coui-
promelte de urna maneira lastimosa.
Tambem tenho levado ao seu eonheci-
mento qoe rebenUradoa rebelliabi serei se-
vero em reprimi-la. Cnlpe-se, pois, da
rainha severidade os qne provocaren a guer-
ra e os que a sustentaren).
Victoria, 27 de agosto de 1870.O
cajitao genera! Jos- Attendesalaem:
*
GARGANTAS ABENgftADAS.
Frederico Leraaitre ganba 600 libras por
mez; Melingne 360.
Mademoisolle Schnider 4:000 libras por
auno.
Adelina Pati. marqueza de- Cau\ impedi-
da de ir para Hamburgo por causa da guer-
ra, pedio 200 libras por noute para ir ao
ftheatro de Birmiogbam.
o2o deveria ter nascido, a deixoo viver e
foi por em logar seguro, do certa para
d'ella. se. servir como de arma contra mim,
na occasio opportuna.
urna aecusaco assim ?
Ah I- senhor marquez r redarguio o
mordomo* fazendo todas as diligencias por
se mostrar bem tranquillo, apezar de ter
a testa alagada em soor. Esses ditos pro-
duzem em mim "t5o profundo abalo, que
desejava ter agora aqui o misero autor de
semelhante calumnia para ver se ousaria
repetir-la na minha presenca e para o es-
trangular, se recusasse faze-lo.
N3o recusar, esteja descancado ;
disse a voz zombeteira de Lzaro, que aca-
bava de se introdnzir no gabinete com toda
a sera-ceremonia. .
Lactancio, espavorido, humilhado, ainda
tentn levantar-se; cabio, porm, sem
tarcas na poltrona, balbuciando essas pala-
vras apenas intelgiveis :
Como!... Vmc. que... que
me acensa ?
E' verdade, son eu, nem mais nem
menos que eu ; e para o5o Ihe restar a me-
nor duvida, vou repetir as miabas asser-
e veremos se depois rae estrangula.
Lzaro contou eflectivamente, palavra
por palavra, o que o marquez j Ibe dis-
sera. .
Que tem a responder? perguntou
Saint-Maixent mal o criado acabou.
Emquanto o rapaz fallara, teve Lactancio
tempo de dominar a sua commoc5o, de
vencer o medo, e de refle.ctir sobre a ma-
neira de tirar o melhor partido possivel de
urna sitnac3o que pareca desesperada. De
modo que, chegado o caso de responder,
fe-lo com bastante firmeza.
Que tenho a responder I disse e'le.
Nao tenho nada positivamente, urna vez quo
s posso oppr negativas s affirmativas de
Lzaro, e j que nem ora era outro temos
provas maieriaes. Aqui preciso que o
senhor marquez escolha entre a palfvra
d'elle e a minha.
Isso j eu flz, volveu Saint-Maixent
desatando qma garga;naoa sardnica, e olhe
N'es- coes,
que nao foi favorecido na minha escolha,
tio Lactancio.
J o esperava I exclamou o mord
com ares enfatuados. Vtb-se alguma
neste mnndo triomphar a verdade da meo-
tira e prevalecer a luz sobre as trovas ?
Manola! gritou Saint-Maixent anco-loen
do os hombros ; mereca que Ihe mandasse
os milos pelos ares agora mesmo, encar-
lenando Lauro oe levar o cadver para
o tal tanque. Talvez Ihe perdoe, no enton-
to, porque depende ainda de voc o res-
gatar a pelle.
E de que modo ? pergnaton Lactan-
cio com entonaco quasi provocante.
Acabava de Ibe occorref urna idea, e j
se jolgava fra do perigo.
De que modo 1 repetio Saint-Maixent.
Voc bem sabe.
Nao sei, realmente.
Dgame o que faz do menino. Apete
o lagar para onde o levou, entregue-o)*o,
e fica perdoado.
O senhor marqsai a propria son-
dado em carne e osso, disse Lactancio sa
ar de mofa ; e se por acaso recusasse ?
Oh I no recusar ?
Mas porque t
Porque dentro de cinco minlos, esj
o ponleiro d'este relogio ebegando ao di
ro IX $e Vmc. nao tiver dito oque ds
saber, mando-lne pelos ares a boca.
E o marquez, tirando da algibeira
pistolas, engali'.'nou-as moi tranquillamoal
O senhor marquex ha de permit
Nao tenha nenhom medo das suas
retorquio Lactancio sem pestanejar.
Qne diz ? bradou o marquez.
que nao o matare ?
Qnal historia !
-r- Seriamente ?
Nio ma matar, com toda a
Entio porque motivo ?
Eu j m'o cont, senhor
(Coninmr-i
:
' *,
'i-Yp; 00 PIa6-koa ip;"W.tua: o*


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ESIWP1EWC_22J4AO INGEST_TIME 2013-09-14T01:03:32Z PACKAGE AA00011611_12227
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES