Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:12220


This item is only available as the following downloads:


Full Text

AMO XLV. NUMERO 216.
urai
iaii'

PA
r4L E LCABIS MUiM M t*A POSTE.
Por tres
at ntoioio nal
!
24#0OO
320
SABMDO 24 DE- SETEMBRO OE 1870.
MtlA DT10 rOEA DA PE07HCIA.
Por tres mezas itiantado ................. 6#750
Por m jilos dem.............*......
Por nove ditos Rem..................'. 204230
Por nm mo idon..............'...... 271000
Propriedade de Manoel

de Faria & Filhos.
-,- i un i i ,........
A A
0$ <5rs. Geriido AMonio Alvoj|^fiHwo, io Para ; Gemjalves Pinto, no Maranbao ; Joaqaim Jos* de Oliveir*; no-GMr* ;
Perein fl'AImeida, en Mamangoape; Aatonio Alexaodrino de Lima, na Parahtba ; Antonio Jos Gomes,
49) ^Maret; Fraaco lavares da Costa, em Alagoas ; Dr. Jos Martins
------
1."
--------

U
rrr^
1
'fiTE 0FEWIA1.
Ja
;;; tu
. :;k,
fio de Lomos Braga, ao Aracaty ; Jo3o Mara Jdjio Chaves, no 'Ass ; Antonio Marque da Silva, do Natal; Jos Justino
Villa da Penba; Betermino dos Santos Boleto, em Santo Antlo; DwBingos Jos do Costa Braga,
w Bahi; e Jos BJbeiro Gasparinho no Rio de Janeiro.
-*r
-r
,\A
ioverao da proriucia.
:f. *ssi6K#.Do ran ixi. se. defembabga-
IMCUSCU OJ AS-I- PtSREBU BOOHA. VICK-HKK-
1 NTK DA PRUTUCIA. M 3 M I.VIO OB 1879.
1' seccl'
N. 4i Dito ao Exm. Sr. general commandante
das araras. Transmiti a V. Rxc. p.nr.i seu coohe-
ino e direecao, copla doaildo que nesta data
i xpeeo ao coronel commandante superior interino
daguirda Baduttol desl municipio acerca do des-
('amento da fortaleza do Hrum.
X. 46 bis.Dito ao commandante do presidio
de Fernando.Secundo parlicipou o chfe de po-
liflia m ofllcio n. 563 de 30 d-> abril ultimo, rlei-
xou d* seguir nar ese presidio o sentenciado Ma-
noel Ferrpira Luna, ex-praea da eorpo provisorio
de polica por jar de liquidar snas comas nes-e
-.wao; o que rae communico para seu e-JOlieci-
mento.
X 47.Portara.O 1e* presidente, da provln-
ci > aitendanrio ai que requereu o capitae do exer-
i:i'o em eommlsslo Luiz" Frafleiseo de Paula da
Albuquerque Maranho, e lendo em vista a infor-
inco do brigaileiro commandanie das arma* e
23 de abril ultimo, ob n. 203 e parecer da junta
de >sde, resotVe de conformidade com o art *"
i' do decreto 3,379 de 3 de Janeiro de 186o" e
nos termos dos arts. 1 f 1 e 4o J 2o do mesoio
decreto, conceder Ihe tres mezes de licenca para
tratar de sua sade nasta provincia.
2a seccao.
N. 50.Dito aoDr. che fe de polica.Inteirado
do rnntelo do seu offleid de 2 do correte, sob
a. 670, tenhu a dizer-lbe que em vista da conta
que apresentou o pharmaceutico Joo Baplista de
oot Honteiro, encarregado do furnecimento dos
remedios de que se refere a delegado do termo do
Boni Geuselho, resolver como for dejustict.
X. 31Dita ao commandaut.e swparior interino
la guarda na^tooal do munidiiio lo Itecife.Por
deliberadlo desta data resolv que seja aggregado
ai i" balbao de tnfantafia da guarda nacional
muaiaoio, alferes secretario do batalbo
n. 4 d municipie do Ru Formoso Frederlco Co-
omliiaro de Souza Guimaraej i,e que trata o su
(ftlcio n. 48 d 5'de marco ultima.
N. 32Dito ao commindaule superior interino
i;i guarda naciomrl do municipio do Recife.Em
vista do incluso offlcio do general commandarte
d.14 armas ti. 226 de 2 do correte e mais papis
juntos por copia, nao convm que coolinoe o des-
tacamento que m ada na fortaiea do Brom pe-
> (|ue expeca V. 3. com urgencia a* suas orden
afiu de aue seja elle quanto sotes substituido, e
emquanto nao o fr providencie ja para que dia-
- miente v urna giwrda da forca aquartelada
..iposta de oito pracas e um inferior para lazer
gaarnicSo na mesma fortaleza. Outro sim re-
Miuoieaio V. S. a expedieao de ardeos pefa
H'.ie s proceda na forma da lei contra o 'alferes
< miman Jante Francisco Sancho ltibeiro do Amt-
, -auo de eeqaadra Jos Ignacio dot Praieres e
man praca* do mesmo Oeatacamenlo que estive-
rem em culpa, pelo que consta do officio e papis
por copia Bcitia citados.
."'. 31 Dito ao commandante superior interino
Ja Kuarda'nacional do municipio de Sennbem.
Toado por deliberacaa de de com a proposta do respectivo commandante,
informada por V". S. em offlcio de 31 de marco ul-
timo, -jnmeado para a seccao de reserva n. 15 da
guarda nacional soft seu commando superior, os
3M constantes da inclusa, relami; ?tOi o
inmuuico a V. S. para seo cenlieciraente, callen-
ne accreseeotar que deixei de nomearocida-,
, o nropn^to para alteres porta-baodeira, par nao
liaver semelbante posta na referida seccao em vis-
. do artigo da lei de 19 de setembro'de 1830, e
nm assim oj dous cidados indicados para alfe-
res da 2* companhia, por se acharem ambos os
los do mesmo preenmidns, enlose declarar
.iinnilmente na referida proposta, como convi-
n'.ia (l)via faz-ioaquelle commandante, qual dos
i 'eres faMeceu e i|ua, obteve, e em que data e
oassagem para o Recife.
X. Si Dito ao commandante superior interino
I. s".arda nacional do municipio de Serinhaera.
3'eado nesta data considerado de nenhum effeito
i oes feitas por deliberaco de 18 Je mar-
i; de i8'7 de Xis Ayres de Mello Velloso a de
P muo Maneel de Souza Oliveira, aquellepara al-
ia 1'e este para tenente da 3" companhia
.o e reserva n. 13, visto nio terem' soli-
! HpecoVaJ patentes no pra- .>romunici a V. S. para seu oonheei-
mento.
X. 53.Dito aojuiz de direito da comarca ,dp
Transmiti a Vine, para su conhecimen-
execucio, inclusa copia da le n. 908 de 29
"i: dsse anno,;revogando o de n. 713 d 17
e 1870.-jlgue,aos, juizes municipaes
dos termos do Cabo e Ipoju'ca.
iti Dito ao juiz municipal da primeir^a va-a
a Vine, a goia do sentenciado
s de Souza Travisso, deque trata o
11 dt. marco ulmo, a qual fi re-
uiz iiwnicip il de Villa Bella.
ao ^delegado do termo do llonito.
me. a cohta em (Tuplicata, que velo
i aq seu offlcio de 21 de fevereiro uUimo, re-
s iesnaj|fjla com q sustento dos pre-
- pimres da cadeu desse termo, nos mezes tle'
a dszetoCrr dn anno prximo pasadc',
de que depois de completamente legalisada.
0 resto do respectiva juiz de direito e acom-
paabadada relacao dos presos recolbidos mes-
.deia. durante aquelies mezes, a qual devs
ser assignada por essa delegada, seja apreseotada
llectoria desse municipio para ser paga ; c--r-
11 de que nesta data se recommenda ao inspec-
>,- da thesouraria provmjial expedicao da suas
nesse sentido.
.. 96. Dito ao commandante do carpo provi.
le ooiicia.Pode V'mc. engajar como pra^ja
n i eorpo sob seu commando e de conformidade
. sua informacao em offlcio n. 1201 de 29, de
mimo, o sargento reformado de volunta-
ra patria Manoel Monleiro de Siqueira.
39.Poatarifl.O presidente da provincia
em vista a pEPDpjta do raajor commandante
de reselfeo 18 da guarda nacional doi
ripio de S Tiohaem, e o que a respeito infor-
) commandante superior interino em offlcio
1 de marco ultimo e altendndo> que a refe-
rida recri nao se acha effectivamenle organisada,
re nomear para ella os offlciaes seguin-
1 companhia.Alferes Basilio fciie Paaaira
Irignes e Floriano Pereira Rocha.
2* companhia.Tenente, o alferes Manoel dA-
Barbosa. ..-'
mpaahia.Capilao Miguel Alexaodrino da
ca Gal vio, tenente o alferes da mesma. An-
Joaqnim da F.mceca Garvalho, alferes. Se-
.o Mendes Bandeia Gahnarae-
N. 60.Dita.0 vicepresidente da provincia
r^-olve que fique de nenhum effeilo as nomea-
feitas por deliberacao de 18 de marco-de
1*67, de ios Avres de Mello Velloso e de Pauli-
aooel de Souza Oliveira, aquelle para alfa-
da i* e este para tenente da 3" companhia da
e reserva n. 13 da guarda nacional ^do
io de Serinhaera,.visto nao terem soliciu-
specvas patentes no praso da lai.
N 61.Dita.0 vice-presidente da provincia
retariq do
batalhao n. 44 do municipio d Rio Formosa 'o
em vista do que iaformou o commandante snpe-
rior interino da guarda nacional deste municipio
em offlcio n. 48 de 3 de marco ukimo, resol ve
que seja elle aggregado aoi t batalhao de infama-
ra da referida bsida naoioaal, vWo ler feto
sua apresentaeao t passado o praso da le.
3" seftlo
N. 62. offlcio ao inspector da thesouraria
de fazenda.Em vista da conta junta qne me fe-
metteu o commandante snperior 4a guarda na-
cional deste municipio com offlew de hontem sob
n. 96, mande V. S. pagar a qnantia de 43*400
ou o que justamente se estirer dever, proveni-
ente d'agua fornecida durante o met de mareo nl-
timo, para as1 pracas do l" batalhao de artilhana
quando aquartellado no Hospicio. '
N. 63.-Dito ao mesmo.Communio V. S.
para seu conbecimento, qe em'-visu do que re
quereu a profesaora publica da villa de Flores,
Candida Hermoget de Mello Mascarenhas, expe-
co nesta dat as necessanas ordens thesouraria
provincial para tezer cessar o descont de cinGO
por ceato que da us vencimentos offereceu a re-
ferida prul'essof jiara a despezas da B"rri
N. 6. Dito ao mesmo.De conformidade com
o que solicitas o1 presfdeate da provincia da I'a-
rahyba em oflcio de r do crrante sob n. 1308,
faca V. S. antrogar ao.. commadaiite do im-
mediato do primeiro vapor da companhia Bra-
sileira de paquetes que seguir para o norte a im-
partancia dus direitos daquella provincia arreca-
daiflos ao mee prximo.fi'pio. v
N, 05.Dito ao mesmo.Autorisw V. S. ara vis
ta do parecer da conladoria dessa thesouraria
que se refere a sua informacao de 28 de abril ul-
timo sob a. 292, mandar que se- coainue a abo
naij ao eapito reformado do axerrito HemeWio
Jos Velloso da Sveira-a ejape de mil ris dia-
rios, aue percebia em virluae do decreto n. 1254
de 8 de julhode 1863, e foi suspensa por delibe-
racao da junta deesa thesobraria.
Y 66. Duoao inspector d thesouraria.pro-
vincial. Remmnaando a V. S. que nos termos de
sa informarlo de ii ds oaloroultimo sOfcm.
657, mande pagar, em vOi$- das duas ioariusas
coutas, a quantia de 36i|440 am que impor-
taran) os instrumentos comprados para as aula
physica e ciumicas da escola normal, segundos
consta de offlcio do repectivo director de .6 do ci-
tado raez de outubro.
N. 07.Dito ao mesmp.7-Mande V. S. pagar
com preferencia a Manoel de Figueira Faria e
Filhos, con'forme-solicitou no Incluso requerimen-
to, a quantia a que tlverem direito por haverem
satisfeito os seas compromissos no njez de abril
ultimo, como contraanos da publicacao dos de-
bates da assembla legislativa provincial
N. '88.Dito ao mesmo.Recomraendo a V. S.
que mande entregar, ao secretarlo do gymnasio
provincial bacharel Antonio d'Assnmpcio Cabral,
conforme sollcitou o respectivo reigodor era offlcio
de 29 de abril ultimo, a quantia de 1:231/000,
proveniente das mensalidades relativas ao trimes-
tre de abril junho deste ann, dos alumnos in-
ternos pensionistas da provincia,, como s v da
inclusa relacao.
N. 69.Dito ao mesmo.Prbvidenpie V. S. pa-
ra qoo depois de liquidada, em vista da -conta e
relacao junta, despeza feita com o sustento dos
presos pobre* da cadeia do termo do Bonito, du-
rante o mezes de novembro do anno prximo
passado a Janeiro ultimo, Seja a sua importancia
levada em conta dos 2004000 que para occorrer
a essa desaeza, foram adiantatas por essa thesou-
raria ao delegado daquella termo, visto assim ha-
ver solicitado o chefe de polica em offlcio de 30
de abril prximo findo sob n. 564.
N. 70Dito ao mesmo.Expeca V. S. as suas
ordens, para que pela collectona do municipio de
Barreiros sejara pagas as despezas feitas com o sus-
tento dos presos pobres da cadeia d'aquelle termo
nos mezes de agosto e dezembro do anno prximo
passado, em vista da conta e relacao competente-
mente legalisadas, conlorme indica em sua infor-
macao de bontem, sob 0. 262.
.v 71.Dito ao befe da reparticao das obras
publicas,No i termos de sua informacao d 9 de
abril ultimo, sob n. 94, acabo de conceder a. per-
misso que solicitou Antonio Augusto dos Sontos
Porto para mandar construir um cano que d sa-
bida e aguas pluviaes d Sa casa sita ra lar-
ga do Rosario n. 22, urna vez que elle se sugeite
por um termo assigoado nessa reparico s mes-
mas condicoes estabelecidas a outros em idnticas
circunstancias. Oque declaro Vmc para seo
conhecimeutos e tins caveaienles,
4. se sais
N. 72.Officio ao presidente da provincia da Para-
laba.Nesta data e.do conformid de com o offlcio
de V. Eic. de 2 do crrente n. 1308 fica expedida a
conveniente ordent afnn de que o commandante
ou immediato do,"l. vapor da companhia Brasilei-
ra que segu para os porAs- di norte receba da
thasiiraria da faseada das'provincia e conduza
para a dessa s respectivas direitos arrecadados no
mez provimo findo. jf
N.Z3-Dito ao governadorJdo bispado para
ser aalisfeilo a deliberado da assibla legislativa
provincial constante do oflteio Oiwspeclivo I
crelario de 30 .de abril paoximoJlndo sob n. 33,
informe V. S. com o sea parecer cerca do incluso
profecto n. 23 do crrente anno.
N. 74.-Dito ao mesmo.Transmiti V. S.
para seu conoeciinento a inclusa copia da lei n.
9k> de. 29 de-abril nrpxlm firto, ravogando os
ara. !: e2. de sens paragraphos'da le n. 600 de
Lmam de 18iil.
N. 75.Bito cmara municipal d Recife.
Tendo esta presidencia dado algnmas providen-
cias no sentido de minorar o elevado prego da far-
nha, pude a cmara municipal do Recife fazer o
uso que julgar conveniente da antorisacao que
nesta dala e a seu pedido conced, para despender
a quantta de 4:0004 com a compra d aquelle ge-
nero, alim de ser revendido populacao.
X. 76.Dito a mesma.Em vista do que expde
a cmara municipal do Recife em seu offlcio desta
data, sob n. 26, em referencia difflcaldade con
ue est lutando a populaoao com a caresta dos
gneros alimenticios, concedo a autorisacao que
pede a mesma cmara, para dispor da quantia de
4:000*, afin de >er empregada na compra de fa-
milia, para rovende-la sem lucro algum, acudindo
assim as oecessidades do povo>.
X. 77.Dito ao mesnro.Transrailto cmara
municipal do Recife uara seu conhedmetito e exe-
cucao as'inclsai copias das leis ns. 909 e 910 de
29 de abril do correte arnio, mugando a primeira
o art. 1j da de n. 793 de* 2 de maio de 1868, e a
segunda p,arJs_i."> e2. e seus paragraphos da
de a. 600 V3 fe maio de 1864.
N. 78.Dito ao juiz de patinis votado do pri-
meiro districto da fregnezia a Vareea.Trans-
railto Vmc. para sea conheciraenlo e execucao a
inclusa copia da lei n. 910 de 29 de abril prximo
Ando, revogando os arts. l. e 2.0 e seuS paragra-
phos da de.u. 600 de 13 de maio de 1864.
X. 79.Dito ao mesmo.Transmiti V. S.
para seu coiihecimenlo a execucao a inclusa copia
da lei n. 909 de 29 de abril prximo findj, revo-
gando o aru-l." da de n. 793 de 2 de maio de 1868.
N. 80.Dito ao juiz de paz mais votado do pri-
meiro districto da freguezia de S. Lourenco da
solic/tou o presidenta da Paraayba em offlcio de 2
do correte sob n. 1508, expeeam Vmcs. as ne-
cessarias ordena, Tfim de que o coaamaadanl oo
imnaediato do primeiro vapor que ?egur para o
norte, receba da thesouraria de fasenda a condona
para aquella provincia a importancia dos respecti-
vos direitos arrecadados no msz prximo findo.
EXPEOIBNTK ASSIGNADO PELO 8B. Dft. SUAS F#10BRI-
CO DE ALMEIDA E ALBUQUERQfE, SECRETARIO IN-
"TERII DO GOVERTO, ESI K DE MAO DH lS?0.
O ieoio.
X. 82.Offlcio a* Exm. Sr. gaera*leommandan.
te das armas.O Exm. Sr. vice-presidente da pro-
vincia manda coramumear V. Exc. para os fins
convenientes, que nesta data sabraette ao conheci-
mento do goveroo imperial a materia do officio de
V. Etc. n. 185 de 14 de abril prximo findo, rela-
tivamente s 4 pracas do extracto corpo n. 30 de
voluntarios da patria, que deixaram de recebar a
-ratificacio do deerrto n. 3371 de 7 de jaaairo de
1865.
i" seecao.
N. 83.Offlcio ao Sr. Dr. ebefe de polica.O
Exm. Sr. vicepresidenle da provincia manda de-
clarar V. S., em resposta ao seu officio de 30 de
abril ultimo, sob n. 564, que transmitiio a thesou-
raria provincial para 'o tim indicado no citado
offlcio, a conta e relacao a que ella se retere.
X. 84.Dito ao mesmo .-O Exm. S". vice pre-
sidente da provincia manda aecusar o recebimeulo | deten
ffSr,^'Jo** fiame,"> ^ FfcjHieire*. e os pai
sanaf Maaoel Pereira Vieira a Maooaf Francisco
w*yc'Q> dos qoaes tratara as seus offieios n. 209
e Lde aorreate, se para isso Overeas a ide-
neiiape aeeessaria. /
3." seccao.
l^=OBcio ao inspector d thesooraria de
Annnindo ao qne soliciti>a- o tenante-co-
Xuaea de Magallfaes. no incluso raque-
auasantad, reecmmendo aV.S. que,
3 liquidados, nunde pagar oe vencimentos
aos aseses ae feverenro e marco esle
aono^dos guardas naciooaes destacados em Tilia
Bsliaiy^
Dito pyunaa,. iJte conformidade cora
solicitou ao ineJhvdr requerimeoto doca-
o, o delegado d*o termo de Villa. Bella aw-
qun Pereira da Silva Tmlao, reoommendo
a expedicao de suas ordens para-que, de-
liquidados os ve-icimentos relativos aos
novembro e^dezeaobru do anno prximo
e Janeiro ultimo, dos guardas naciunaes-
i uaquelle teruK), saj descontado- de sua
ca o cont de ria q*te receben o meo-
major para occorrer aessadespeza>a pag
do ijue se dr a seu favor.
04. Dito ao mesmo.Tendo nes data
lo substitu por outro o destacamento da
Apolioa#ii) Games da Silva, ou a Julio Cezar Gon-
caives da. Silva os vancimeatos constantes do rilado
offlcio.
N. 120.Dito aojuiz de direilo da comarca de
Pao d'Albo.*-0 Ekib, Sr. viea^presidente da Bra-
viada manda declarar que Scou inleirado pelo
seu officio de 28 do raez lindo de ter V. S. nessa
dala entrad no gozo da licenea da lo das que
cedida por deliberaeao de 27 do dito
Ihe foi con
mea.
4" seccao.
X. 121.03ieif> ao Dr. Franewco Teixeira e
S, secr jtario da assemblea legislativa arovip-
cial.X. 82.O* ordera de S. Bc. u Sr. viefe-
pre^idenie da proviacia, pa>so as mi de V. Exc.
para ser proseo a assemOla legwiativa provin-
cial, o incluso qoadro das dividas de exerrieios
findo liquidadas at o uftimo do mez pro*iino>
passado a requeriinento do respectivos crederes,
o qual paraiter essa destioo serenaatteu a thesoura-
ria provincial convofficio de i do crreme sca-n.
261.
X. 122.Dito ao aseamo.8. 83^0* orden, de
S-Exc. o Sr. vice-presidenie da provincia, traae-
miuo por ct|ipia a V. S. em resposta a- offlcio de
sen anteeesiwr de ift'-tte maio do anou- proxirae
passado sob n. 21. para ser presenta a assemblea
legislativa provincial a inclusa ioformaeao rainis


do cflBcio de V. S. de 30 de abril nltime, snb n.
503, em que participa ter deixado de seguir para
o presidio de Fernando de Xoronha o sentenciado
Manoai Ferreira Lima, ex praca do corpo'provi-
sorio de polieia, por ter deixado de liquidar suas
cenias nsse corpo.
X 85.Dito ao juiz municipal da primeira vara.
O Exm. Sr. vice presidente da provincia manda
declarar V. S. que, segnudo parlicipou o, chefe
de polica em offlcio n. 563 d 30 de abril ultimo,
deis- n de seguir para o presidio de Fernando de
Neronha o sentenciado Manoel Ferreira Lima, ex-
praca do corpo provisorio de polica, por ter
de liquidar suas contas nesse corpo.
3.' seecao.
X. 86.Offlcio ao inspector d thesouraria pro-
vincial.De ordera de S. Exc. o Sr. vice-presidente
da provincia communico V. S. para sen conhe
cimento que, segudo consta de offlcio do regedor
do gymnasie provincial, de 26 abril prximo findo,
foi admitiid em 23 desse mez naquelle esiabeleci-
ment, como alumnj interno gratuito, e era vista
da portarla da presidencia de 19 de maio do anno
passado, o. menor Joaquina Graciliano Pena Forte,
filue de D. Joaquina Carneiro Pona Forte.
4" seccao.
N. 87.Offlcio ao Dr. Francisco Teixeira de
S 1' secretario da assemblea legislativa provin-
cial, n.i 37.- Sua Exc. o Sr. viee-presdente da
provincia manda transmittir a V. S. para terem o
conveniente destino os inclusos aotoaraabas das
resoluces sob ns. 908 a 912 do correte aoao.
. N. 88.Dito ao mesmo, n. 78.De ordim deS.
Exc. o Sr. vice-presidente da proviucia transmiti
por copia a V. S. era resposia ao seu onVcio de
26 para ser presente a assemblea legislativa pro-
vincial a inclusa inormeao ministrada pelo ins-
pector da thesouraria provincial em 30-daquelie
mez relativamente aos quesitos mencionados no
sen citado offlcio.
T. 89.Dito ao mesmo n. 79.De ordena de S.
Exc..o Sr. vice-presidente da provincia transmuto
por copia a V. S. em resposta ao seu offlcio de 20
de abril prximo findo sob n. 22 para ser presante
a assemblea legislativa provincial a inclusa in-
formacao .^ministrada pelo chefe da reparticao
das obras publicas em 29 daquelle mez sob n.
106 acerca do requerimento que junto devolvo
de Joo Hiplito de Meira Lima, arrematante que
foi de 1067 bracas correles de empedramento
em diversos leos da estrada da Victoria
X. 90.Dito ao mesmo, n. 80.De ordem de
S. Exc. o Sr. vice-presidente da provincia trans-
miti por copia a V. S. em resposta ao seu officio
de 6 de abril prximo findo sob n. 11 a inclusa
informacao ministrada pelo director geral inte-
rino da instrueco publica era 29 daquelle mez
acerca doprojecto n. 25 do anno passado.
X. 91.Dito ao mesmo, n. 81.S. Exc. a Sr.
vice-presidente da provincia manda transmittir
por copia a V. Si para ser presente a assemblea
legislativa provincial alim de lomar em conside-
rapao o incluso offlcio do governador do bispado
datado de 28 de abril prximo fiado sob n. 188
acompanhado de urna exposicao feita pelo Rvd.
reitor do seminario de Olinda acerca dos reparos
de que necessita o mesmo seminario.
X. 92.=Dto .ao governador do bispado.S.
Exc o Sr. vice-presidente da provincia manda
communicar a V. S. que nesta dala submetteu ao
conhecimenU) da assemblea le,gislaliva provincial
o seu officio de 28 de abril prximo lindo sob n.
188. relativamente aos reparos de que necessita
o seminario de Olinda.
N. 93.Dito ao regedor do gymnasio provinciaL
Sua Exc. u Sr. vice-prestdanie da provincia
manda declarar a V. S. em resposta ao seu offlcio
de 29 de abril ultimo que a ihesourana provincial
tem ordem para entregar a quantia de 1:231 000
con-tante do citado offlcio.
N. 94.Dito ao director da escola normal.
Sua Exc. o Sr. vice-presidente da provincia man-
da declarar a V. Rma. em re&post. ao 'seat officio
de 6 de outubro do aano prximo passado que
nesfa data autorisou-sa a thesouraria provincial
pagar a importancia das objeclos comprados para
as aulas de physica e chiraica desse eetabeieci-
mpnto.
KXPSWENTE ASSIGNADO PILO EXM. SR. DESEMBARGA -
DOK FRANCISCO DE ASS PEREIRA ROCHA, VICE-PRK-
SIDENTE DA PROVINCIA, EM 4 DE MAIO DE 1870.
i1 seccao.
X. 93.Offlcio ao sapito do porto.Quejra Vmc
declarar-me se o recruia Jp Viaturino de Lima,
qua Ihe foi apreseutado em 28 de-abril ultimo, pa-
rante o Dr. chefe de polieia.foi ialgadn apto para
o servicu da armada.
2'seccao.
N. 98.Dito ao commandante superior interino
da guarda nacional do municipio do Recife.Em
additamento ao meu offlcio de hontem^ e para o
m nelle declarado, transmito a V. S copia do
que acaba e dirigir-me o general commandante
das armas com aquella daU, sob n. 228, relativa-
mente aos actos criminosos pnaticados pelo desta-
camento da fortaleza do-Brume seu respectivo
commandante alferes Francisco Sancho Ribeiro do
Ama ral.
N. 99.Dito ao Sr. bacharel Al/redo Alonto
Ferreira, juiz municipal do termo da Escada.In-
tegrado palo offlcio de Vmc. de 2 deste mez; de ter
Httssa data prestado juramenta e entrado em exur-
cid i do cargo de juiz municipal e de orphans des-
sa-terroo, tenho a dizer-dbe que de, copfornidade
rom'o art. 10 do decreta n. 'i,302 de 23 de d_zem-
'.rede 1868,leve nessa-dala o Cnvenienterdasti-
no, a certidao do do exerdeio que Vmc. en-
rvou.
X. 100.Dito ao rommandaale rio corpa provi-
sorio de polica.Pode Vmc. eliminar do corpo
pob o seu commando,. oa soldados Andr Gomes
dqs Santos, os Joaquun de Menaces, M-.niel Ce-
imente Pereira de Lyra, Antonio Gomes Cesar de
MBIff, Joaquim Alves-Davia e Chtu^WTTerelra'da
Malta.Transmiti Vmc para seu eunhecimeoto Silva, aosquaee allndem os sevw offleos n. 114 e
e execucao a inclusa copia da lei n. 910 de 29 de 210 de 2 e do corran*, visto tarara sido julga-
- dos incapates de continuar a servir.
iOt.s-Dito ao commandante do oorpo provi-
sorio de polica.Pode iVme. engajar no eorpo ob
i_ nacional que saaola na fortaleza do Brum,, irado pe juiz de dimita da eomajea de Santo
abril prximo findo, revogando os arts. !. e 2.' a
seus paragraphos da de o. 600 de 13 de maio de
1864.
N_ 81.Dito aos agentes da cempaabja Braslera
de paquetes a vaporDe conformidade coni.pqt*fi
9ju commando, 09 voluntarias da patria Maree*
ll(W Parara godrigupe do ^ascirneuio, Mwool Jo

Pando ao comnaodante superior deste
po, que emq'ianto-nao realisar a substitu-
nde diariamente guarnecer aquella foataleza
soldados e 1 inferior da guarda naoional
Jada; assim e communico V. S. para
[elligencia.
""Dito ao mesmo.CooBthnnico V. S.
u coohecimento que, segando consta do
o cooselheiro Dr. Redro Autraa da iaita
er.jue, em 25 de abril prximo andoy.as-
sumioielle nessa data o cargo de director interino
da Faduldade de Direito d'esta ddade, por ter de
seguir para a corte a tomar aasjnlo no senado o
respeciivv prapnetario.
. 106.Dito ao mesmo.Reconimendo V.'S.
que. em vista da conta junta em duplcala qua me
remetteu o enganheiro encarregado das obras- mi-
litares com offlcio de 2 do correte, mande pagar
Jos Wfsira de Alcntara do O'a quantia de........
49*320 ris, proveniente do concert urgente, que
em virtude de autorisacao da.presidencia, fez no
telhado da casa da residencia do director do arse-
nal de guerra.
N.,107 Dlio ao mesmo.Communico TJ.&.
para os devidos fins. qne, serrado parlicipou o
juiz da direilo de Pao d'Alho, bacharel Vicente
Ferreira Gomes, em virtude de 28 do raez fiado,
nessa data entrn no goso da licenca que por esta
presidencia Ihe foi concedida por portara de da
anterior.
X. fl08.Dito ao mesmo.Communico V S.
para os devidos tlns qua. segando parlicipou
juiz municipal a de orphaos do termo da Escada,
bachata! Alfredo Alfonso Ferreira, em officio de 2'
do corrente, nessa data prestou juramento e entrou
em exerdeio do referido cargo.
X. 109.Dito ao mesmo.Transmiti V. S.a
conta em duplcala, e mais documentos juntos,
afim dn que, conforme solicitou o engenhetro en-
carregado das obras militaros ero oftteie de hon-
tem, seja paga ihoraaz de Carvalho Soarcs Bran-
do Sobnaho, a quantia de 2:9901, por qne con-
tralou fazer os concertos da que precisava o quar-
lel, das Cinco Ponas, os quaes-j se achamooa-
cluidos. t
X. 110.Dito ao inspector da thesonraria pror
vincial.Devolvendo V. S. competentemente
autliencado o prel junto em duplcala, a que se
refere a .sua informacao de l-de marco ultimo,
sob n. 161, tirando vencimentos a contar de 17a 2ft
de outnbro do anno prximo passado, para ama es-
colla da guarda naciohaes que seguio em dili-
gencia de Taeart a Flores-para captura de cri-
minosos, tenho a dizer que mande pagar a impor-
tancia desses vencimentos ao sargento Apolnario
G imes da Silva, ou a Julio Cesar Goncalws Le-
mos, conforme solicitou o chefe de polica em ofi-
cio de 21 de fevereiro prximo lindo, sob n. 249.
X. 111.Dita ao mesmo.Comas indusas re-
lacSes qne me remetteu o Dr. chefe de polica
cora offlcio de 2 da corrente sob n. 699> do pre-
sos pobres recolhidos a eadea ;do tewio de S.
Beolo uos mezes de dezembro do anuo prximo
passado Janeiro ultimo, satisfaco a requisigao
de V. S. cootida em offlcio de 11 de abril deste
aano n. 227 a que vieram annexa as-oontas que
inclusos devolvo das despetas feitas comtaes pre-
sos naque I les mezes.
X. 112.Dita ao mesraor-Tendo-se- por engao,
segundo consta do offirio do Sr. secretario da as-
semblea legislativa provincial de a do torrente
sob n. 37. declarado na aelacao nominal des Srs.
deputados que comparecern! a sesso ordinaria
do mez de abril prximo findo, haaar o Sr. depu-
tado Joo Fraocitco do- Amara) comparecido no
da 3 em vez do Io do predlto mez-,. assim o com-
munico a V. S. para seo conheclmento e fins con-
venientes.
4*- eeccao.
N- 4l3.=0fficio ao Dr. Pedro Antran da Matta
a AlbnqaerquePelo seu offlcio de 27 de abril
prximo fiado fiquei inteirado de baver V. Exe.
assumido no da 23 desse mez o cargo de director
interino oVPaculdade de Direito desta cidade,
visto ter de seguir para a corte a tomar assento
no senado o respectivo proprietario.
N. 114.Dita ao engenheiro fiscal da iHnmina-
eo gi desta cidade. Reeommendo a \mq.
quemadde proesder com argencia os concertos
necessarios nos tubos^da Hlnminaco a gaz da in-
terinara militar, que se achara estragados, como
dadarou-me o hrigadeiro coanandame das armas
em offlcio de i do crvenle ob n. 227.
N. 113Dito ao gerenta da companhia Par-
nambucana.O. Sr. gerente da companhia Per-
nambucana ande dar uansporle at Penado por
conta do ministerio da guerra no primeiro vapor
quo para aHi seguir as pracas dos extinctos bata-
Ihes ns. 30 a 53 de voluntarios da patria Ignacio
Gomes da Silva e Manoel Pereira de Almeida.
N. 116.Portarta.O vice-presidenie da pro-
vincia em vista da proposta do governador do bis-
pado de 3 do crrante, resolve nomear o padre
Francisco Lniz.de Carvalho para o lugar de ca-
pello do cemiterio publico desta cidade.
EXPEDIENTE; ASSIGNADO PELO SR. DR. ELIAS FREDERI-
CO DE MEIDA E ALBVO/jKROUE, SBCRETAttIO DO
G0VRNO INTERINO, EM 4 DE MAIO DK 1870.
!.* secfo.
N. H7.Offlcio ao Exm. Sr. general.De ordem
de S. Exc. o Sr. vicepresidente da provincia de-
claro a V. Exc. em resposta ao seu officio de 3
'do corrente sb n. 227 que nesta dala expedio-se
as ordena neies3arias ao engenheiro fiscal da illu-
rrtlnacjo i gaz desta cidade para mandar proceder
c.nn urgeOoia o concertos precisos nos tubos des
caodeiros da interinarla militar como V. Exc. so-
licitou no citado officio.
N. 118.Dito ao engenheiro militar.O Exm.
Sr. vice-presideute da provincia \manda declarar
a V. S. em resposta aos seos officiosde 2 a 3.do
.correte que a thesouraria de fuenda tem ordem
para pagar a Jos Pedro de Alcntara do O' a
qoamia da 49*320, e a Thomaz de Itarvalbo Soa-
res Braado Sobrinho a de 2:930* constantes do
citado offlcio.
2* seccao.
N. 119.Offlcio ao Sr. Dr. chefe de policia.=
Sua Exc. oSr. vice-presidente da provincia, manda
declarar .V. S. em respoiu ao seu offlcio de Jl
de tevereiTonliimo^ob n. 249, que a thesouraria
fCHtincial tem ordera para pagar ao sargento
Aotao em 30 de abril prximo fiado, acerca
aequerimenlo que junte devolvo de Bibiano Fran-
dsco Pereira de Mesqnka-
N. 123.Dito ao mosnvxX. 84. D ordem de
S. Exc. o Sr. vice -presidente da' proviucia iraos-
miuo por copia a V. S. am resposto' ao sen- offlcio
da 28- de abril prximo fio*, sob av 31< para ser
presente- a assemblea legislativa provincial a-inclu-
sa in/oruMcSo roinsirada pelo eufenbeiro chefe
* repartalo das obras publicas, am,3do corren-
Se sob n. 112, relativamente a estrada de Itaptssu-
ina deque trata os dous quisos inenaioaados no
sen citado offlcio.
X. **kDito ao mesraa.X. 83.8. Exe; o Sr.
vice-presidente da prdviuda, manda- transmitir
por copia a V. S. para sor presente a assenbla
tegislativa proviBCial, afira^de tomar era cousidera-
cao o officio incluso da 27 de abril prxima Ikjdo,
am quo o regedor do gymaasio pro\inoial expde
a falta de movis e de algone resposteiros de que
se resceate a respectisa secrataria, e- as salas
dos profosspras e esluda daquelle estabeHsci-
awuto.
X. 123.Dito ao raesmax^-X86.Da ordem
de-S. Bxc.o|Sr. vice-presidente da provincia, pas-
so por copia,as mos de V. 3.-para ser prsente a
aesembla legislativa provincial a uclaaa informa-
>aao ministrada pelo conselfea director geral inte-
rino da. insiijneco publica em 29 de abril prxi-
mo' fiado son a 136, acerca do projecto- n. 6S do
anno de 186K. Fica assim satisfeito a requislcaa
ae V. S. constante do seu offlcio de 8 datiaelle mez
a. 14.
X. 42&.Dito ao desembargador proador da
Santa Casa de Misericordia.Si Exc o Sr. Vice-
presidente di. provincia manda declarar a V. Etc.
que pelo san officio de 4 do crrenle sob n. 2' e
27 fica inteirado de haver o eommer.Aador Jos
Pire* ferreira reassumi do nessa data o cargo de
mesonreiro dessa Santa Casa.
X. 127.Dito aojuiz de paamais votado do 1*
districto da freguezia de Agua-preta, 5,-Exc. o 3r.
vice-presidente da provincia manda declarar a.V. \
S. qne pela seu officio de 8 de abril prximo findo,
ficou inteirado de seachar V. S.< ainda. soffreado
da saude e por isso privado de presidir a junta-de
qualilicacao dessa freguezia.
X. 128.Dito a cmara municipal de Recite
S.Exc. o Sr ,presidente da provincia manda com-
municar a cmara municipal do Recife para seu
conheCimeato que por deliberacao desta data, e
em vista da broposta do governador do bispado de
3 do corrate, resolveu nomear o padre Francisco
Loiz de Carvalho, para o lugar de capallao do ce-
miterio publico dessa cidade.
X 129.Dtoao governador do bispado.S. Exc.
o Sr. viee-pn -idete da provincia manda commu-
nicar a V. S. em resposta ao seu officio de 3- do
corrente, que nesta dala nomeou o padre Francis-
co Luia de Cirvalho para o lugar de capelln do
cemiterio pulilico desta cidade.
X. 130. I lito ai i rewredor do gymnasio provin-
cial.S Exc.o Sr. vice-presidentri da pravincia
manda deca car a V. S. para seu canhecmenlo,
que nesta dala submetteu ao. conhedmento
da assemblt legislativa provincial o offlcio que V.
S. Ihe dirigi em 27 de abril prximo findo, relati-
vamente a falta de movis de que se resceute a
secretaria e salas desse eslabelecimento.
AMBUCO.
EV1STA DIARIA.
GARDAlXAClOXAL.Por portara da presi-
dencia, de 16 e 22 do orrente, foram nomeado :
-'. corpa de rav aliar a (Brtpi.
Tenente quartei-raestre, o alteres da 4." compa-
nhia Antonio de Araujo e Albuquerque.
lente drurgiio, Jos de Albuquerque Hollan-
da Cavalcante.
Alteres secretario, Manoel Jcaqnim Al ves dos
Santos.
Alferes porta estandarte do S. esquadro, Anto-
nio Ferreira Botelho.
t.' companhia.Alteres, Luiz Alves Macial.
, 2. diteH-Tenente, o alferes da 3.* Elias Fran-
cisco Bastos!.
3.' dita.-"-Capillo, > tenente aggregado Rufino
Demetrio di Pessoa e Silva ; alteres, Jos Leopol-
dino de Pwjites.
4.* dita.-]-Capto, o lente da mesma Jos Fer-
reira de Mello; tenente, o alteres porta estandarte
do 2.a esquadro Antonio da Silva e Albuquerque;
alteres, Alvaro Tolentino de Almeida Catando.
2f>. btitalheto de infantaria (Nazareth)..
Alferes secretario, Manoel Bezerra de Medeiros-
1." eompunha.Tenente, o alferes secretario An-
tonio Tavaies de Araujo Jnior.
2,' dila.-i-Alferes, Manoel Francisco Vieira de
Mello.
3 dita.--Capito, o aggregado Lourenco Bezer-
ra Marinhiii Falcao ; alteres, Joo Albino Caval-
eante.
6." dita.Tenente, o alteres da mesma Antonio
Tavares do Araujo Snior, alteres, Manoel Tavares
de Mello.
?. dita.--Capito, o tenente da mesma Ignacio
Frandsoo Cavalcante Wacderley ; tenente. o alfe-
res da Lrancisco Saturnino Cvale-ante wander-
lev.
" Mandou-se dar guia de passagem para o ba
talhao n. ?9 de infantaria ao eanitao da '. com-
panhia do 20. batalhao,
Aievedo.
INSTBU
sidencia da
Foi rem
rnhem p
ineneglldo
f9 de infantaria ao capilao da 7.* com-
i 20. batalhao, Antonio Vicente da Costa
:CAO PUBLICA.Por portara da pre-
provincia, de 21 do corrente :
ivdo da cadeira de Sanio Amaro do Se-
ira a do Caxaog, o professor Joo Her-
Xavier d^ Salles.
Fui nomieado para regar interinamente a oadeira
de instrueco primaria de Taquaretinga, o alumno
mestreLuifi Carlos de Carvalho Paes de Andrade.
ASYLO DE MENDICIDADEPor poruria da
presidencia da provincia, de 21 do corrente, foi
exonerado Joo Manoel de Siqueira, de amanuense
do Asylo de Mendicidade.
PROFESISORES PBLICOSInformam-nos que
Jja dous mei3 que os protessores pblicos de iqs
rrncQi primaria ao recebem a qnantia que Ibe-
marcada para aJogoei de casa-e esto arriscacUi-
a nao receberem a tereeiro mez.
Se tal aconiecer ser urna calacridade, vistooom<>
essa luoecionarios, qiw alias dispSem de pone..*
recarsos, por qne sao mal retribuidos, terc >~
ver-se seriamente compmmettides para com o*
proprietario dos predios oade funeelonam.
Notician* o fado para que sejar dadas as ne-
cessa>ia* providencias, aflm de que cesse o mal ana
alie acarreta ao professorea ; e do 3r inspector
da theeonrark provincial, aperamos- e> rcmedi,.
promptoe efBcaa.
GYMXA6IOt Ba uns der *as dissera*-oos qae
os lugares de censor a de meiAro do GyRinosio Pro-
vincial estiva vagM, havra mais de utn mez, <-
que se oa nao tratava de p?over. Nada teraos dito
esperand^osse provhnento ;.maev como elle larda,
faz- e preciso que notemos que a'um estabelpei
aselo d'essa urdem sao iudispeneaveis a consiaa-
te assistenciade medico e de-con r, e qne-per tan-
to compre que s?jam prvidas-essas lugares quau-
to antes.
ClitCO EllESTRE.Hoja Uv ignalmenla-bane-
iicie- n'esse salo do especiacalas emiminado pa-
vilbao de Santa Isabel, a sociedad emancipadora
Jovm Amerita; sendo e espeaiaou* mu vanado.
Nos nos dspensmoa de duer ucaa patavp so-
bre tal benefieio, vielo ermo o qne elle di-ln as-
ss dararaenia-o titulo da sociedade a ajnem Ocen-
cedhla como auxilio
A* sociedades emancipadoras de elemento servil
sao redoras de todas ao gracas, atteaedes, distioc-
coes a svmpataias ; ieto Ibes basta para que o pu-
blico compra o seu dever no caso srerleate.
SOCEDADE WMANCIP\DORA>-Esta socieda
de, como hontem dis#eroos, celebraamMahia, as-ld
horas do da, nee-saldes da Clubv Pernambucaoo,
sua primeira swsso magna anniversara. O* nn-
mero de craancas quero por es occaaio sera.
entregues cartas da liberdade. na farioa dos- rea
peetivoeesututossxcado de 25, ssguodo somos -
formados.
CONCERT.^-Amanba baver concert, cama
ducostome, na fabrica de cerveja, dado- pela Ba-
stea alterna.
PKSTA RELIGaQSA.Termina baje a. nmte o se-
tenario do Senhor Dora- Jasas das Dar, na igra-
ja de Si Goncalo, tendo sido muito concorrido des-
do o principio, agradando as boas vezas- a a bella
msica.
Araaoha tem lugar a testa, oraado ao Evange-
Iho o Rarm. Antonio de-Mello e Albuanera-ae, a a
T<*-Deiun o Rvm. Amara! e Silva, sainda a orctv.--
tra regida pelo professor ^bagas; cantando os
solos os melhores professores coaheoido.
O largo da igreja- acha-se elegantemen orna-
do, e ser noiie de amaaba illuninad de for-
ma a agradar. Durante-a larde e asile-sotur-sa-
hx> dwersos baiSea- aereotasticos, tocando varia-
dos trechos msicas-alguroas das bandas de ata-
sica mames desta-ddade. A' noito-sor qaoiina-
do am lindo fogo de artificio.
MSNCAO DE 1MAGBXS.Amanha as horas
do da ter lugar] na igreja da Santa. Crin, a ben-
co das imaaens do Senhor no Horto, do Senhor
Preso, e do Senhor Atado Columna: manda-
di eocarnar pela, mesa regedor. f&riar ao
acto-o Rvm. Sr. eouego Tranqnifloo tabral de Vas-
concelos, secretario do bispado.
A mesa regedoradeseja e pede, s confrarias
desta cidade, que manden, dar um repique quan-
do ouvirem subir ao ar girndolas de 'tbgaeies.
GREMIO DRAMTICO.No the?.tro de Santo
Antonio celebra-se amanba, s 10>hoFae- do din, a
sesso puhlica do currante mez, para a ietura da
composico dramtica de um de seus socios. A
entrada franca lodos as pessoaa decentemente
vestidas.
MONTE PI EECLESASTICO. Deixau de fonc-
cionar bontem e3ta sodedade, por falta, de nun> r..
sefficiente de seas marabros. Foi designada o da
29: para a nova reuno.
DIARIO DE PERXA1HJUCO.Se civsgar boje o
vapor brasilairo do sul, daremos amanha naeso
numero de segaada-fhra.
VAPOR DO-SUL.Esperando-se aoje nm. dos
vapores da companhia brasileira ; vado dos- por-
t>s d sol, pedmrD a que lembrmosao Ex. Sr.
presidente da provincia a inconveniencia de sahir
alie no mesmo da para os Dones do norte do im-
perio, alera de ser a repetico de'uro abuso a sop-
pressode algnmas horas de demora no nosso por-
to, com prejuizo do commercio.
AXXIVERSARK). Completam-se hoje "fiannos
que fallecen-S. MI o Sr. D. Pedro 1, fundador do
imperio. Durante o da estar em funeral as
armas e os estandartes, dando a fortaleza do Rrnra
um tiro dodez em dez minutos,, alm de urna salva
pala manha e outra larde.
LOTERA. A que se acha. venda a Kil
a beneficio da Santa Casa, da Misericordia, quo -
corre hoje.
CIDADE DE GOYAXXA,Damos em seguida o
discurso pronunciado pelo Sr. Manoel Polycarpo
Moreira de Azevedo, na inaugaraco dos trabalhos
do casal de Goyanna :
e Exms. Srs presidente da provincia,-Rvdm.
vigario capitular, co.nmisso da lllma. cmara mu-
nicipal, presidente e memoras da commisso fiscal
e illustrissmos representantes de corporacoes.
Senhores ISoou pan Goyanna urna das lv>-
ras mais solemnes da.sua existenda civil o poli-
tica.
O que era a sua aspiraco d tantos asnos, o-
qoe era o supremo (testerorui de seu connnerci.
ede sua agricultura, tornou-se urna realidade.
Bem vinda e mil vezes abencoada seja, pote,
esta hera que IraZ' ddade orna nova epocha de
real prosperidada para o seu oornmercio e agr
cultura.
A importancia dos canaes geralmenle reao-
nbecida; para Goyanna era urna necossidade; o
gracas Providencia essa aacessidade vai ser sa-
tsteila.
t Os canaas, como se exprime um jurisconsulto
filustre, do urna vida nova s manufacturas estv
belecidas em qualquer paii e aniroam o eslabele-
cimento de outras pela tacilidade de transportar
os provimenios e materiaas d'ellas : dahi vero o ver-
se povaadas margeos de canaes, antes condemna-
das esterildade e solido.
c Os cana s invigorisam, e creara em muitos.
lugare?, o commercio interno, que muitos re-
pellos de muto maior valor que o externo: por
elles.e com elles, se igualam os procos, se derrama
com igual dado a lar tura, e as heneaos da Provi-
dencia sao com mais uniformidade distribuidas.
c Os cauaes sao estradas de nso publico-, e fa-
zem essencialmonte parte dos bens pblicos.
c Sem estradas nao ba communicago : sem
possibilidade de commonicacao nao ha commercio.
I-Sera commercio, isto sera permutacao de gene-
ros e fazendas nem ha agricultura nem raduslna ;
sen todas ou alguma d'estas cousis nao ha ri-
quezas.
Felizmente Goyanna vai ser dotada com um
melhoramenlo de tal importancia.
O que foi a esperanca de tantos annos, o qu
foi o erapenho de tantas pessoas recebe nesta hora
o seu baptistno de realidade.
Daqut a poneos annos Goyanna e o Recite,
estas emporios commerciaes dePernarabuco dar >
as mos atravez do Atlntico, e permutaro com
facilidade os effeitos da industria e da agricultura.
A este dVaVoum tenho consagrado teda a s
citude de que sou capaz,
\
IB
ILim 1L


Oiario d Pernambuco -- Sabbado 24 d Seteinbro de 1870 g| QR3MUK .IVJX OKMft
-;
Se por ventara eu men
tanu dodieacio, ua me dara poi
solemne, no convertida em realidad* a te e
o empenho, qae algn- deixaram por lhes'pa
Mm, enviudo isio eu fai o uUimo
dos operarlos, e um instrumento de P?"Q0 p,ro
timo. A's dignas assemblas de 1869 e ian
cabe a mxima glora d'este momoutoso acontec
ment.
A vos. portan, digno prndente da assenv
bta provincial, safa* dadas os devidos agrados
memos, que para vt dewr > ter um JM m-
rito por que o beneficio da canalisacao ao liowan-
na um beneficio i vos* trra natal esie pene;
flcio c" em grande parte dvido ao emnaaoo, 0-?*1
pessoal, que tomista na sua realisacao.' E a vos
exeelientitsimu adniaistrador da herolea provincia
de Pernambnco, ao vossj aerysoUdo patriotismo e
i essa forulez* de v ratada e ilkwracan, que to
nobreraente vos>caracierisa, divido em grande
parte este grande beneficio, qae vai dotar o com-
mercio de Goyanna e a saa agricultura.
t Ea vos frtlicfto, cxceHenvisstmo senhor, pjr
ordos sido o mstrmnento da Providencia na roa
iis^cio deste bcaeflcio.
O vosso ciraco patriota deve esta hora
star satisfeito especialmente ao recordar vos que
o canal de Goyanna vai aproveitar ao recndito
seno da ossa proviucia natal, da nao menos he-
roica Parahyba, que se deve orgulhar de ter filhos
benemritos, como vos sois.
A v<, xcellentissimo presidente da commis-
so fiscal desu empresa, a v.13, prestimoso cidadi
d'este municipio, cabe plmente grande gloria
de baver-se realisado este notavel beneficio.
< O nobre ejemplo com que concorrestes na
iascripco dos e .1 pitaes, fui generosamente segu
do, e em breves das o total do quaotilativo foi
coborto.
Nao fleon al o vosso patriotismo, todos nos
abemos da influencia moral e pessoal que Lavis
imprimido esta empresa.
A' v-, pois, excellentissimo senhor, e lodo?
o subscriptores que vos acempanbarara, manifes-
t nesta hora solemne o meu mais cordeal reco
nbecmento.
1 Tambem vos, dignas coinmissoes da Uu<-
trianina cantara municipal, do Club Liberal, do
Gabinete de Leitura e do Instituto Histrico, nm
voto de respeit.iso agradecimento por virdes aob-
litar este acto que esencialmente goyannense.
t O mea irltiin 1 e mais respeilon voto de agra-
decimento i vs virtuosa e exemniar sacerdote,
em qaem Uoje e>! representad* a primeira au-
tondadeecie*iastica da vasta dieoese lie Pernam-
bnco.
A vossa presenta oeste acto tem nm duplo
mrito.
t Ao par d henean sagrada,' qae des 1 anear
esta emprea, a > par das beocaes que iles mv-
car do co para que se eonelnam os trnbalhos
sem o menor sinistro, eu vejo em v3 am digno e
illastre filho da provincia do Rio Grande do Norte,
cojo sertio tambem beneficiado pela realisaco
d'este canal.
A vossa presenca aqui, virtuoso ministro do
Senhor, quer dizer qn* a refigiao nao opposta
ao verda I *iro e real progresso dos povos, antes
ao contrario a primeira vtr ahencoar todos os
legtimos progressos da humanidade.
1 Km aome, pois, da religao nossa e de nossos
pas, abencoai eata ebra que, ao inesaw tempo que
para proveito do povo, tambem para gloria de
Oaus. >
SOCIEDAD!: MICROCOSMO.-Rene se hojeem
sessao extraordinaria esta sociedade, s 4 horas
da tarde, na ra dos Martyrios n. i
RA DE HORTAS Remettem-nos as seguintes
linhas:
o Senhores redactores da Revista DiariaRo-
ganos Vs. Ss. o especial obsquio de publisarem
no sen eonceitaado jornal o facto segulnte, cha-
mando para elle a attencie das autoridades com
pleme-.
o Existe na roa de Hortas nma casa, em qae
vive u:ni mulher d^ idade avanzada, e urna meni-
na de ''2 nanos, onde se eommettsm as raaiores
immoralidades, n dao-se seenas escandolosas de
devaarida* e prosliluico.
A casa frequeBtada por mocos de 15 16
anuos i< mico mais ou menos, que, inexperientes,
< mu sis, e levados pelas earistas da verba tazeio
destetas horriveis, que uo podem, resultando
dah c.nnnietterem actos reprovados, como tirarem
dinheir de seus pas e pairoes, como succedeu
un un nobre moco, caixeiro de um estabeleci-
menta toMNRIMM d'es!:i cdade.
' A velha faz da menina instrumento para ha-
ver dos flequen (adores de saa casa o dinheiro,
como nos aitestara morador^ da ineema roa.
(^0:1-ti nos que o fjelo j chegou ao conheci-
OMHta do subdelegado de S. Jos, qae nada fez,
e por isso esperamos que us Srs. Drs. ebefe de po-
lica e juiz de orphos toaiem em coosideracao o
facto, e que dem as providencias necessarias
para se evitarem a scenas escandalosas, que ah
se dio, e livrarem a infae menina do futuro des-
gracad 1 i|ue Ihe prepara a sua desnaturada mi>
PROXUNT.IAPelo delegado de S. Bento foram
PfMudados, como incorsos as penae do an.
296 do cdigo eriminal, Antonio Eduardo da Silva
e Joan Damaseeno.
CAPTURA.-Foi capturado e recomido cadeia
de S. Bento, o escravo Bernardo, criminoso de
niorte.
PONTE DA BOA-VISTA.Informam-nos que os
cnmraerciantes da ra do Barao da Victoria en-
erf ssarara ao exceJIentissimo senhor presidente
da provincia um requerimeato, pedindo ser fran-
.neada ao tramito de carros a ponte que d com-
nunicacao d'tsta para a rna da Imperatriz, alle-
gando o ter elle sido permittido no domingo pas-
sado ao carros, mnibus etc. que foram ao hos-
pital portngaez. Adiamos rasoavel o pedido, e
esperamos qne se nao pooham embaracos ao fa-
voravel despacho.
TOMARCA DE TACARATO'! Recebemos hon-
tem carta de ao*so correspondente, nesta comarca,
escrinta de Floresta em 14 do correte, a qnal
nos diz:
Por proposita do dmtor juiz de direito da co-
marca e approvacao dos juizes de facto, foi proro
gada por tres das a sessao do jury deste termo,
sendo julgadoi 3 processos comprehondendo 7
reos, qne sao : Licini 1 Barbosa de Jess e Manoei
Francisco dos Santos, condemnados n'nm processe
a 8 aunes de gales e multa de 300/0, e no outro a
8 mezes de galos e multa de 5 0/0; Luiz Genzaga
11 Espirito Santo e Joa uim LnizGonzaga do Es-
pirito Santo, aquella abaolvido, e este conemaado
a 2 mezes e 10 dias de prisao e multa de 5 0,0 do
valor faado ; Pedro Mara Bandera Paz (conhe-
cido por Pedro Marcelino), condemnado a gales
perpetuas pelo assassinato do soldado de polica,
Manoei Antonio, protestando o sen advogado por
n. Foi preso oeste termo, e vai ser remettido
para a provincia das Alagas, Jos Barbosa, cri-
minoso de morte no lugar Vargem do Pico, ne.-sa
p.oviuca.
1 A cmara municipal d'esu villa nomeou urna
comms>ao uo llecile, para felicitar o gov.-rno im-
perial na pessOa do excellentissimo presidente da
provinci i.pela honrosa terminacao da guerra.
NAVIOS ENCONTRADOS. O brtgue ingtei
Pride. vinio de CariilT, falln : a 14 do corrente,
na Ist. N. .V e long. O. de Greenwicb tO*, com a
Ratera in?leza Salmt, indo dn Londres para ledo,
com 28 ai de viagem ; e IR, a lat. N: 2* e
Ion?. O. 21, com a barca ingleza eclipse, indo
d-j Liverpool para o Rio de Janeiro. Tud ia bem
bordo.
JOTEN AMERICA. O espectculo amanhla,
no cirro do pavilho Santa Isabel, em beneficio
da sociedade manumissora Jmen America, toman-
dj nelle parte o hbil deslocador bTjsileiro Vi-
rsoH do Reg. Beconrmendamos esse espeetai-
culo ao'nbsu prmlieo.
CEMITERIO PPLICO.-Obtusrio do dia 2! d%
setenibro.
Francisco Berrier, branco, franeez, 63 annos,
cssa i 1. Sinto Antonio ; congesto cerebral.
Joanna Clattdiot de Jesns, branca, Pernambnco,
-'19 annos, S. aV : thysfea.
tonia Mara Cavalcinte, parda, Pernambuco,
40 annos, olttira, B>a-Vista ; boxiga: hospital
t* drn ir.
nnrda, Pernarnbueo, 2 annos, Santo An-
tonio ; thysica : cata dos exposto?.
Miqueliea, preta, frica, 60 annos, vinta, Ca
punga ; ataque repentino.
Jnaquiru Kodrijues, preto, frica, 70 asnos,
; entente : hospital Pedro II
Joaq-iim BnrtK>zs Cvpflrtio, branco. portugoez,
mn!>, esado, &rato Antonio ; bydropercar-
22
Mara, branca, Pernambuco, 15 mezes, Boa-Vis-
1 nvnls6>a.
Miria da CnnseielO, preta, Pernambnco, 20 an-
ra, Bia- vlst ; molestia de peito,
.gorio, preto, Pernaabneo, 21 annos, soltei-
n, B.-a-Vista; intente : hospital Pedro II.
im*.
(Hauiina, parda, eicrava, P^aaAuco,
Manoei, preto. escravo, Pernambuco, b di
Capubga> hipante.
Candida Ihri* Florencia, parda, PeraaMItM
39 anius, catada, Boa Vista ; lesao organlBfcw
COMMUNJCADOS.
ci.la:ioruo
QK8TO DE ENVNCNAMENTO.
Ligttras contidericdti sobre cirios fottos e ^ue
se biseam os que $uste*tam a existencia do en-
venenamento.
A impreMa oppoaieionista, e o advogado- 4a fa-
milia Sa e Albnqaerque j comeearam a anwaiar
ante o grande tribunal da opinio publica os (actos
e cireumstancias que se deram as molestias dos
dous irmaos, e o resultado das pesquisa* folfcfef
no sentjdo de verificar se a morte daq'wMiaVlil
daos 01 o resoltado de um crime: assim nao te
meraos a quatn^aclo de i-nprndentB ou de prect-
pitado expoudo cora franqueza as duvidas em que
labora o nosso espirito ao meditar sobre os (actos
0 circunstancias narradas pelos contendores, e re-
sultantes das investigares policiaes.
Parece que boje nao deve uavor mais duvidas
sobre a natureza do toxico que se diz Tora eropr-
gado para arrancar a rio* ao duas irmaos li-
diado
e va
inVul
i o di
o viess
doente
yl**LPara o fazer I anear ; q
artente mez estivera qnasl
que
ega-


Patajlro inglezEmily den.
PaUcjhpla|laLeid Bud
V^mxHarbovWKKeT
B,rca iWB.~Roder,ck Dhu~rarso iajateroi.
^aVEBkWRlA DE SENDA INTMaS Uft
RAES DE PERNAaBOCor^
tendimamo do da 1 a 21 34:609*831
iVt do dia 23. 2:031M54
para
nados.
Fi o ar?meo, dizem todos que opiniam pela depois caajs^^naw de-febres ty(>bm|4s, oraau
existencia do envenenamento, a substancia empre
gada, porque do exame rhimico legal, qae se est
procedendo na Baha as visceras de um dos fina-
d'.s. resulta a prova dessa proposic,ao.
O apparelho de Marsh, empread I de prfeferea-
ta. nesse exame, tem demnstralo constantemente
a existencia do arsnico em todas as experiencias.
Nao contestaremos este (acto, qne se diz attesta-
do por pessoas respettaveis da Babia, inclusive o
eonseiheiro Dantas advugado da familiaS.
Nao entraremos na importante questao de me-
dicina legal, qual a de poder ter ootra origem,
que nSo um envenenamento, a substancia vene-
nosa encontrada no cadver.
As pessoas que tem algnma leitura de questes
da medicina legal sabem, independente de um de-
ploma medico, qne nao basta encontrar a subs-
tancia venenosa as visceras extrahidas de um
cadver, que se supooe envenenado; preciso
provar-sa pela sciencia, ou por outro genero de
prova, como foi all ter aquella substancia, ese
ella produz os syraptomas observados na molestia
do finado.
Na questao vertente nos parece diffleilimo, seno
qnasi impossivel aos eocarregados do exame chi-
mico na Baha affirmar, se o veneno encontrado
foi all ter quando vivo Dr. Victoriano, so depois
Je mono; na primeira hypolhese. se era conse-
quencia de um erime, ou se resultado das appli-
caede do arsnico como medicamento, resultado
este que algumas vezas tem sido observado por
grandes praUcos, como O'llla, Divergie, Tardin
e outros: na segunda bypothese, se foi injertado
no cadver, ou lancado as visceras na oeeasiSo
de serem exhumadas, ou snbmettidas a exame.
Sao hypjtheses Agoradas pelos grandes mes-
tres da sciencia, en. seos tratados do toxocologia,
e qae devem ser destruidas completaaiente.
Os medios da Baha proeederam a autopsia no
cadver j em estado tao adiantalo de putrefacao,
qne impossivel era observar os traeos qne sobre"
organismo vivo deixa o arsnico ou oatra'sntH
tancia venenosa.
Os dados qne para este iim fornec a patholo-
gia de nada se Ihes servia.
Impossivel talbbem era verificaren! elles se da
niassa informe e putrefacta qne estavam redo-
ndas as visceras extrahidas do cadver, se tinha
lancado o arsnico depois da morte, o no acto
do exame!.
Apenas Ihes restava o servco ehranco, de veri-
ficar ?e naquellas materias exista substancia ve-
neno?a do reino mineral, e nada mais.
Cumpre agora aos mdicos asslstentcs e confa-
rentes dos eatermos provarem com os dades da
sciencia (e nao com argumeolacoes alhetas qoes
to, e at com insultos) qae os symptomas obser-
vados nos doenls sio os que produr o arsnico
que nao houve apnlicacao de medicamento em qae
entrasse o arsnico em de capat de oroduzir a
morte.
Ainda mais, 6 preciso para afsstar toda e qual-
quer duvida no animo dos julgadores, que sejara
explicados, certos fados que parecem contradicto-
rios, ou mverosimeis.
Entre outros lembramo-nos de um. i]ue nos
causou seria impressio, e que desejamos ver ex-
plicado.
Aflrma-se qae nao resta duvida qae o escravo
Eduardo empregou o arsnico para matar sens
senhores : qae urna vez o propinara por engao
um de seus senhores mocos, que escapou, por-
que nao pJe beber o caf em que fdra lancado o
veneno por ter gosto hoirivel, detettarel.
Que qualidade de arsemeo seria esta que lae
mo gosto da va ao caf ?
Porque os dous ftuados irmaos, que tambem o
tornaran) oo caf, nao sentiram mao gosio, nem
mesmo quando propinado em agua pora ?
O arsnico conhecido as pharmacias e osado
para varios misteres da vida i o p que resulta da
combinacao do oxygeneo com o arsnico roetta-
lico (metal de eflr preta) conhecido na chimica
pelo nome de oxyin branco de arsnico, ou acido
ursenioso. Tem sabor adocicado, confundindo-se
muitas vezes com substancias alimenticia, pelo
quefrecoramenda-se toda a cautella com seme-
Iha.ite veneno, muito usad-1 as artes, e especial-
mente para a destruirlo de animaes danmintaos.
Alguns povos da Eor*>p:i o misturam nos alimen-
tos dos animaes, e at alguns habitantes da baixa
Austria o comem sem a menor repugnancia.
Cuno pois torneo insnportavel o caf, como de-
clarou o Sr. Lourenco de S, liiho do finado coro-
nel Joan de Sa ?
Pelas declara edes do moleque Eduardo receben
elle dous frascos, um de tres ou qtiatro ticas, e
ootro de orna oilava, ambos ontendo ro que pa-
rece a mesma prepara rao ; nao recebeu insinua-
go para combinar os lquidos eontido* noe fraa-
cos: usou do que cootinha <> .mais pequeo para
dar a morte ao coronel Jlo de S, e do maior
apenas lancou urna colherinha das de cha no caf
ministrado ao Dr. Victoriano.
Se era arsnico, cono acaba de se verificar,
que preparacao seria esta? Qual a razo de terem
sido fornecidos dous fraseos tio dlfjrentea em ta-
manho, quando o liqaido do maior bastara para
dar a morte vinle pessoas ? SiO qfiestoes estas
qne devem ser explicadas"e discutidas para esela-
recimento da verdade.
>WUa4, e que desda o da 12 at o lia IS-tivara. Patacho inglei-Gwtwru-idem.
as pernas levemente inchadn;; que ella infor
i vista desta expesi~*~
FranUseo 4- Hego
confereneia eita tfTdo
S e Albuqoarqee ; qae ah n attrvf;
lysia mcipieote das pamas e^oa braco*; labre de
media iutenitdade, diVr pel preaslo s,.bre algumas
vertebrae dflrsas e sobre asparnos: te o Dr.
Ramos disaera que no principio fobre.tora inter-
mitiente eem obtenein do fitad%e o Di. Walboun
qte a liana observado renitente, e que porttn-
W os symptomas, qua elle raenbecau pessoal-
fakato aquelles qae Ihe-foram-relitao*, -een-
sistiram em urna ebre intermitiente iniciadora do
somnolencia, e na (ebre que entao assistia ; qu"
diagtwstiion ma das -febre de mao carc-
ter, malignas, latentes, traicoeiras, qua um rei-
nado na provincia sob a influencia "da onsti-
c.anim grande parte da populi.cau, ora.*guU
rirairreijttlare*, 'e aijrtmaS'VBze KnTcWaaW
|> us fsbrea gastria-hepaltcas
faram L-rsne rtnnwrn 'ir viet
erno, ne:
que a*-
"ares.
de-
cjsje cei-
arnVo
xicas, ora adynamicas, e. ltimamente casos de
tabre aaiareita beno caraeterisxdbs tnairVaes; que
a molestia a Ernesto da S e Albuquertue era,
eomo todas as man, que tioam nwaunnajias, produ-
nda por intoaicacaa miasmatna; qne a conferen-
cia houve, parabem dizer, unanimidan>4eojrine
acerca da diagnosis, pois que todos concordaran)
qkia era um caso de intoxicar mlasmatic, mas
que o assistente, Dr. Waibuan. admittia-it-ewMBa
ca de um caso de herJben, o que elle infirmante
havia conirariado, ponderando ana.ao era evi-
dentemente beribTi agodo com sua firma de ana-
zarca mortal em pouets horas ou mu joucos (fias ;
qae embors no estado mrbido oo" donte encon-
trassera alguns dos symptomas da firma pafaly-
rica a lenta do beriberl, exista fcbr, o qtre elle
no obsenrou nos asos d qne fallou na primeira
coiferencia feita o fallecido Jiao de S e Albu-
querque, e o que nao tem sido igaalment obser-
vado pelos autores ; que fflra par iso que elle
declarante diagnosticara na doenea de Joan de S
e Albnquerqne nma fenre typhiea latente, gertda
pela constitnifin mlica reinanle, e nao un caso
de berihrr, e fl lilimente que as mesmsls raz"s
o levaram a ter a m->sma convicco respeit da
molestia de Ernesto de S e Alonquerqae ; que
na falta de autopsias, que tornem inenntestaveis
as les5fes orgnicas, a qu correspondfram os
syptomas dorante a vida, s pela identidade dos
symptoraas se pode t'ormrjdlze seguro esse
resuelto, e que para a solacio desta qaestio de-
vem servir de guia o faetns seguintes : que o
fallecido j-rjo oe S e Albaqnerqne, tev 'cmm
prirneiro indicio do se'estado mrbido, ama fe-
bre intermitente ; qne o oente3sobTi iho daqffelle
leve s como prodomi do seu presente e'ado
mrbido, nina febre Intermitente j qit olib 'pade-
c'eu do flgado, e' sobre rile applicou b Dr. Aqtri-
na um caustico; que o sobrlno padeceu do ftga
do, e sobre elle appllou um caustico 6 Dr. Ra-
mos ; que o tio teve vmitos em periodos irrgli-
laresj mais ou raends,{frbximos'; qae o'sobrinho
tve voAbRos em peribd6s-"irregutares e rtiais ou
menos proxira >s ; que o tio tilma setaecimntos';
qde o sobrintm tinha nntaveis csqnecimijatos; qu
o fi teve uma paralysia das pernas e do' brajos ;
que o sdbrinho tinhi hma paraly>ia incijiii-n
bem caractensad das perHa? e "dos orrjos; que
o to teve leve edema das pernas ; qne o'sobrinho
teve leve edema dos ps: qne b rio teve ae
di faibYe int>rmrtento febre remtente e por tin
continua ; que: o ^brrmSo teve dp'oi* da'febr
iotermitnte febre remitiente, e se chava cim
bastante no momento da ennfernca, pareerndo-
Irn que derla ser continua'; qu1 'deste brifllo
conclua elle informante,', qne as molestias do
to e do sobrinb'o, salva a menor intensdade. en-
lao observada na morasti* do sobrinho. eram
exactamente as mesmas, tantri mais quatito alm
da identidade dos symptomas existo para elle ia
firmante identidade la cirte, pois due smpre
attrlbuio as molestias dos fallecidos loao e Victo-
riano de S e Alhnquerrfae constrdirSi rttedf-
ea reinante, o que o mesmo do que anribui los
a inmieadi paludosa, ou infeceo miasmtica,
como nmito ue;p Iba parece ter -Se decidido na
eonfarenciu feti Ernesto de S e fbuqU'erque
no dra 16 do corTente.



INTERROCATOBIO FKITO PELO DR. CEFE DE POLICA
AO DR. JOS JOAQUIM DE MORAES SARMENT. ()
Pergnntado se aseistio urna conferencia feita
Ernesto de S e Albuquerque, quaes os sympto-
mas que observou ou de que teve noticia, qnal o
diagnostico que formou vista distes symalmas,
qnal o que furmaram .os mdicos em conferencia,
e se pelo que observou poda affirmar a seme-
llwnca ou identidade da molestia de Ernesto de S
e Albuquerque com as de seus tios Joao de S e
Dr. Victoriano de S Albuquerque f
Responden, que no seu gabinete comparecen o
Dr. Francisco do Reg Barros Lacerda, convidn-
dolo para comparecer essa conferencia, no in-
tuito principal de verificar, se, como Ihe pareca,
a molestia daquelle doente era a roeema de que
haviam fallecidw seus cunhados, e tios do enfermo
Joo de S e Dr. Victoriano de S e Albuquer-
que : que principie elle informante recusara o
seu comparecimenlo na conf-rencia, ponderando
que em questoes patbologicas, qae lera sido objec-
to de tantas e tao iegiti nas aTiccoea, e tambera
de paixoes. inleresses e pretencoes scientificas,ao
era prwvavel que se cliegasse ao conhecimento
da verdade : que ento Ihe dissera a Dr. Fran-
cisco do Reg Barros de Lacerda, qne para ello
nao era duvidosa a identidade da molestia de sena
fallecidos cunhados i a de sea sobrinho, porque,
tundo observado as molestias de seas cachados, e
assistido de seu s brinho na casa do seu eoge-
oo S. Francisco pide comparar o que vira em
todos tres, chegando total uonvicca > da identidade
He todas ellos; que em seguida Ihe disaera que o
Sr. S e Albuquerque tivera vmitos frequeotea o
toOtte"es, que se esquecia dos fados recentes, nao
se reror.landi de ler ido no carro com urna se
ahora, que p r esp .c. i de tres annos havia sido saa
meslra, nem de terem e-tado por das no ongenho
os sus amigos Malinas de Albuquerque lellb e
Jo Carlos Telxeira, nem o facto de ter do a S.
Francisco o caixeiro do engenho Guararapes, nao
t ter CMivei' :a de seus servicos : qne, aterrado por
syinptouias, dateos aos que presenciara
em sen contu.!.^, miniara um telegramma-aa
-eu medico, o Dr. Wilboun, que se achava em
I pajuna, expondo Ihe o que bavia oceorrMo, a ^*-
PBUCACOES A PEDIDO.
------.-------------------------u_---------------,-------_-----___-------
ESPETA CULO EM RNEFIGIO Da SO CI
DADE I0VEM AMERICA.
Sabbado 24 do corrente o dia designa-
do para ler lugar o beneficio offerecido
sooiedafle Manumissora Jovm America
pelos (iliilantropicos emprezarios do circo
equestre auxiliados peto distincto artista
brasileiro Visenfa do Bego, conhecido pelo
jt'vem pernambncano, o qaai possuido do
fgo sanie da lioerdade, e desejano con-
correr tambem com sea obi'lo para om fim
to hamaniario, se offerecea espontanea e
gratuitamente tomar parte no espetaculu,
onde ter de desempenbar as mais dlficeis
e surprelfcndentes posic5es e perigostssimas
deslocacSes.'trabalho torio novo e especial.
Os empizanos de commum accordo com
a sociedade nao tttem poopado estoicos e
despezas para a decoraco interna do circo,
'a por isso a mesma sociedade espera con
correncia de todos quantos desejaqdo ver
por trra os grilboes da escravido, nao se
recusarlo concorrer a aqrjelle beneficio,
laucando o sea obulo na bolsa da caridade.
* Co ladrador de Ilamarac.
Senhores redactores.O Cao ladrador deste lu-
gar sob a capa do Cabo Agostinho, mal vio as
quatro linhas do Oitiseiro, ficou quasi hydropho-
be ; tem dado saltos, que parece ser antes Cabrito
do que Cao ; porm felizmente nao causa modo,
por* estar acamado ; le em resposla urna outra
estirada no Liberal n. 23i 'le 22 do crrante, que
faz rir As podras, desenterrou morios, promelteu
dar muita peada, esporadas, e etc. etc.; s nao
falln em querer merder, porque sabe qne nao
pode ; cuitado do pobre cao I Dem-lbe por cari-
dade um bocado do erva de rato, antes qae elle
morra daranado, porque, como dizia o cabcolo
antes morrer de succassa do que de desgrana.
Q Oitiseiro.
Itfam idem com geaeraa *8i
Descarregam boje 24 da afAmbra
Vapor inglezAmazon-diversos ge
^^d inglez -River Queni
Barra inglezaSea Qaem dem
Correa. Sette.
Confiado provinjcial.
Pujo consolado provincial avisase aos difieren
tes contribuintes da renda provincial no anno fin
do de 1869-70,
Tra o recebii
Uvas qooija* P**JaW I porBtefaer
metano effaaimdci JoaVialMBte.
ConsulaWlr | l'jseteaabro de 18
AntoBk) CMMfro HjflH^B
l:701*M5
lendimento do
(dera do dia 23
CONSTADO PRCVIJCAL
dia i a
fr
alt eb
83:019117 "
711*044
MOVIMENTO DO PORTO.
,Yizno entrado no da 22.
fhKia-Barca Ihglez' Metior, capitn Wliam Jo-
nes, carea- parta da que trooxe-de Terra Nova.
Nati ta entrados 'n o dia 23.
flio Ftrmoso- 6 horas, vapor brasitefro Parahyba.
de 104 toneladas, commandante Oiiveira, equipa-
gem 14, em lastro ; compablna Perhatrrou
cana.
Nevr-York50 dias, ttolbbote americano Charles
Thompson, de 137 toneladas, capillo Hamffeld,
equlpagem 8. corga farinha de trigo e ontros
gaaero; a Taseo Irma & C
ObtenacSo.
NaVbeuteram sahidas.
EDITAES.
ATTENCM
lerca-feira 27 do corrente, depois da audiencia
Ja^f.JfJC|]uiz municipal da 1' vara civel tem de
aer|aWbia\ada por venda urna casa de sobrado de
um andar com solio e varias casas terreas por
execncio-da legrtrora heidelra dn finado" tnlz An-
tonio Viera contra Bernardo Jos "Rodrigues Pi
oheiro e sua mulher ; a ultima praca.
Hoje 2a da carrate mea, depois 4a audien-
cia do Dr. juiz municipal da 2* vara, sera arrema-
tado oaluguel do aeguodo-andar do sobrado n. 31,
sito a ra larga do Rosario.
TUaiWrty \+VJtfv>rdtfeu^cheii
WiaiiP.n i^-M'^.i'na.wKii*
, ABRECHXSGh.
Gepammeltduri* das con>
itulal in Feruarabuoo.. i:
InMaeei...........,..'
Halber Ertrag des conoer-
(os aaa 6 september...

difflcoia e sorprendentes
postooas e slacafloaa, trabalbo
todo aovo e esi
11' Finalisar; combate
patritico intitulado: O defensor da bandera bra-
sileira. estando a oargo da imtc^naeipi) pjpeL
Preeos
121000
2*000
2*000
1*000
plateas
<
cadiiras e
_ jinetes de ca:
*enem-se no1 mesma teco.
N. B.No intervailo tina oommissao de senho-
raa,' ir rece#er as asportulaa.
Ao publico
Esta joven sociedade trata-de neata noote apre-
sentar o circo vistosamente ornado, e que urna
banda marcial tocar escolhidas pecas na frente
do pavilbo, proporcao que as ilustres familias
forem chegando.
Aviso.
Domingo 28 do corrente ser definitivamente
ultima funeco dasta cojpanhia,. cajo program-
ma ser opportunamente^nnuDciado ; e desde"j
sa convjdaiB os amantes dos eavallinho? a vrem
ao circo fazer a sua despedida.
360*800
733*93* i .1 su
- 5:6*8*980
--
i


Perante a cmara municipal desta cidade es-
tar em praca nos das 24, 26,57 e 38 de crren-
te para ser arrematado por' quem maior preco
offereoer o impisto de 60 rs. or caira p de co-
qoelro que j d fructo, exceptuados dez ps para
o no do propietario pela qdaotia annual de
348*300.
A arrematacao ser Caita por tres annos; aquel-
los que pretenderem eoneorrer a ella, devem ha-
bilitar-so na forma da Itei.
Paco da cmara municipal do Retire 21 de Sb:
tembro de 1870.
Ignacio Joaqufm de Spnza Leao,
Pro-presidente.
Lourenco Bezerra Carneiro d Caoba,
Secretario.
x- -' m--------------------
Parante a cmara rauniciaal desta oidade asta-
rao era hasta publica nos dia* 24, 27 e 29 do cor-
reaje raez para serem arrematados por quem mais
offercer os mpoitos do capim de planta por
623*000; coquairos de prodcelo exceptuado 10
ps para o nso do propretario 801* ; 300 rs. pw
caheca de gado yaceum 248*.; alugueis das ca-
sinhas da ribeira 70*600 ;: roasicaies e boceteiras
69*114 ; 1-0 rs. por carga de Uaba a legumes
20*100: 100 n. por oabeca de gado recoihido, ao>
carral 27*580, repeso do acougua 6*600 ; e 200
rs. por caneca de gado auiao, ovelbum e cabrinn
9*400. Assim como o aluguel da casa sita no
Vr'adoaro pela quantia :e 6*fJ00.
Os prelendentes deverio comparecer nos refe-
ridos dias com seus fiadores habilitados.
Paco da cmara municipal de, lioda 22 de se-
tembro de 1870. mun lc
uanoel Antonio dos Passos e Silva,
Pfo^reiideni^,
Marcolino Dias de Aratijo,
Secretario. ., ,
Acamara municipal da cidade d*1 Olinda
faz sciente abs sena eauncipes, qae convindo ser
substituidoo actaal'svseeaan de pegos e'meidas
pelo mtrico fraocez, segando ordens do governo,
tem mareado, o prasa de iras mezes, contados do
1J de outubro prximo vindwro aura s por ea)
pratica ditosystenu raetrioo; pelo que todos os
aegociantas estabelecidos neste niumaipfo se de-
verlo prevenir dos eoaaanaies peuos e medidas
conforaae a aatarea da seu oegw, dentro da
prso marcadopara dito fim.
Pago da cmara municpat de Olinda 22 de se-
tembro a 1870.
Manoei Antonio dos Passo e Silva,
rro'praBidante
Marcolino Dial do Araojo.
:8eerario
C0MMERC10.
3f
() Por tar sah. guns erros essenciaos,
rep tunos o presente trabalbo.
A reaccao.
ENGLISH BANX
Rio de Janeiro Limited
Descoma lettrart da praoa i Uta a con
ancionar.
Recebe dinheiro esa corita, corrate bis
I raso fixo.
Saca vista oo a praso sobre aa cidade
jflncipaes da Europa. Wni coTrespOndentei
ia Bahia, Baeuos-Ayres, Montevideo, Ne^*-
) New-Orleaos, e emilte cartas de crdito
jara ea meamos logares.
RA DO COMMERGIO N. 36-
Smwo banca de Pernambnei en
llsaidaia>. ttt ale agt* de
Oa Sr. accionistas podem rcebef 6- 7
dividendo de um por cento do capital s
qaartas feiras e abbados.
alkandboa
rtnutnasnto odia 1 a 21 WS-.im&n
dem do dia 23...... 36:**08
669:733*105
MOVEHNfO DA A LP AM DMA
raiaaaaa entrados faienda sfei
Idaaa idea com genero 89!
foi
sabido* com fasandu
MI
0 inspector interino da alfaodega faz pnMied que
eKistado na nw&ma oft volnmes abalxo declara-
dos no caso de serem arrematados para con-
sumo, compreh'Bdidos nas dfsposiefes do capi-
tulo-6* titulo 3. do regurmenia' de I de se-
wmoro de 1850, os sens donos on consignatari-
os deverio desaachal-os ao praso de 30 dia,
sob pena de fiado elles serem vendidos por soa
oonta, sem qae ihes fique ompetiodo allegar
contra os etfeitos desta vea'da.
Armazenrn. 1.
Marea C. J. hC.t. 138.urna catea rinda do
Havre na barca franceaa Sotifo, entrada em 10
de novembro da 1869 consignada a Costa Irmaos
4C.
dem MoHtetre & Irrao. N. W. Uaia dita
vinda de Liverpool no vapor inglez Saladm entra
da em 12 de fevereiro de 1S7&; lgnora-se a coa-
signa^o.
dem J. 1. B. S. A. F.-Ns. 2396 e 2397.-Duas
ditas vindas do Havre aa barea franceza Adele,
entrada em 19 io predito mez ; a ordem.
dem J. J B.. A.T.N. 2398, Utoa dita da
mesma procedencia e navio, entrada a 21 dem;
consignada a Jos Joaquim Barbosa da Silva,
dem J. W. M. *- Ns. 2, 3, e 4. Tres caixas,
dem, idem. idem, dem ; consignada a Joo Wl-
fndo de Medeiros.
Mem J. J. B. S. N. 13W. ma dita dem,
idem, idem, entrada em 23 idem ; consignada a
Jos Joaqnim Barbosa da Silva Seqoair*
dem J. J. B. S.N. 77.Urna dita vinda do
Havre na barca flaneara Fgaro, entrada em 26
dem ; consignada a Jos Joaqnim Barbosa d
Sirva.
Idem triangulo S. M. J. T. V. A CN. 5*53/77.
tlm embruiho vfnoo de Trieste na barca ingleza
Aftry Cae*, idem, idem ; a ordem.
Armazem n. 5.
dem 0. A. NI. ma taixa vinda de Li-
verpool no patacho inglez Louise, entrada em
II de fevereiro de 1870; consignada a Antonio
Lua de OHveira Azevede A C.
Armazem n. 6.
Marca J. M. C. L N. 318. Urna caia vinda
do Havre no navio franeez Palesiro. entrad a 3
de mareo de 1870, coosignaadoa Joo M. Corleiro^
Lima,
dem B.WB.4 CN. 20. Duzentas ditas
idem idem, entradas em 7 idem; consignadas a
H. Wild.
dem T. J. P.Sem nnaiero.Dnas ditas vindas
de New York no vapor inglez Olinda, entradas
em U de abril de 1870; a ordem.
dem T. J. P.-Idem. Oilo dita, idem idem,
entradas em 12 idem ; a ordem.
dem T. J. P.dem.ma dita idem, entrada
em 18 idem ; a ordem.
dem T. J. P.Idem.-Uma grade, idem dem;
a ordem.
dem T. J. P.-Ideas.aaa barrica, idem idem;
a ordem.
dem T. J. P.Idem.<-ma eaixa Idem idem,
entrada ero 19 idem ; a ordem.
Mera A. L R. L. B. C-N. 70/74, 77/7.Oto
ditas vindas do Havre no navio franeez lean Bas-
tiste, entradas era 29 idea ; ignora-se a eensi-
naco.
dem C. Z. & C-N. 1 a 200. Dnzatrtas ditas
idem idem idem, ignora-se a coosignaeo.
dem J. M. C. L.-N. Kl/ISB.-Tres ditas, idem
idem, entradas em 30 idem ; ignora-se a cansa;-
naci.
Iaen A. L. R. L. B. C V. 7.-fflt dita idem
idem dem, ignora-se a consignar-o.
Ida A. L, R. L. B. C-N. 75-Dma dHa idem
dem, entrada m 2 de raaio de 1870 ; ipwra-se a
a coosignaeo.
Alfandega de PeTBambtfW 22 de setenbro de
70.
O inapector interino,
Dnit de Caraotte Pan de Awirade.
Ri|nesse an den Veraia
|Sr Yerpagung er-
wundeter uud arkrank -
Jar Krieger per Bouro
ngl Bk of Rio auf.
tinao, Bar en her Gos-
ster & G. 3T. S. baa-
ea inglez 4,000a 930
lis................. 3:780*000
Per Oneida Engl Bk of
Rio aoi London Joint
Suei Bk 90 T. S.
459 1/7 d. a 20 d..... 1:908*950
----------------*:628*930

H. Ladtbowr.
GoasBlals-Verweser.
5*-
Sociedad!
7
H al
M
As
0" emprezario
COMtANHIA.
ACROBTICA
SOB A DIRfX^OAO
'ufe
D. Mr30s
abbado 4 do corrente
Etf'la>FICIO
DA
adoradosescratos intitulada
ktmmtm
Troras 4a noote
e 4.afr,eetpr da companbia acoe-
dedb ap pedido qalu'uierairi os membros des-
ta, philatropicA e altamente, humanitaria socieda-
de insultada nesta cidade sob flus os ras ku-
vaveis, da Welhjil' bea vonUde se jprestaraui a
eoneorrer com o, sen rac4,.ms sincero contin-
gente a favor de tjo oven quao nobxe nstitu^eao,
por meio de seus trabamos artsticos.
Assim, pois, i sendo a causa da sociedade Jo
ron America to justa e acceltavel aos oboajlei
todas as ncSeS livres, cremas c|ue o concurso,
leste respeitavel. publico n desoatir dos seus,
nobres sntirenlos
PROGRAMMA.
I-ARTE.
1. ma anda symprioaia dirigida peto maestro
Martias. > i
1 %f 0 pequeo Juanin, sobre um pequeo ca-
laa.
3.* Saltos mortaeg, por Vicente, sobre um ca-
valla.
4. Um jocoso entromej, pelos clovas ou pa-
Uiacos,
6., 0 marinheiro, scena dancante e sentimea-
ttl, executada por Luiz, sobre um eavailo.
7." Murillo, cavallo amestrado em novas posi-
7,# O duplo trapesto, pelo artista Cesar e V-
sente.
Intervailo de 30 minutos.
II PARTE.
8.' Svmphonia.
, 9. Os dous alcides, grupos pyrao)idaesa cava!
Id, por Luiz e Cesar.
10. As posturas do cbaile, pela menina Juaa
Bita.
11. O distincto artista Vicente do Reg, eonhe- j
eido pelo Joven Pernambucano, a pedido da so-
c edade se presta a tomar parte nesse especta-'
ii

KHPREZA--COIMBRA
COMPfiNHU-FRUNCEZi.
Uecila eilm. rtllaaria
Amanhaa
Domingo 25 do crrente
As $ horas da note
Logo que a orchestra tenba executado a ou-
vertura dar principio,o espectculo .
DIVIDIDO EM yLATIlO PAUTES
PRIMEHIA PARTE.
Renreeeotar-se-ba a muito linda opereta boule
em um acto, escripia por Mes. Nuiter e BeaumoBt.
msica do maestro I. E. Lecouix. .
A aeco passa-se no remaeVdnLniz 13.
Actores.
Me. Cblberi.
Persouaens.
to......... Mr. Bayaanjd.
!SB(r.\M
BcftE
'rS
Qoaca;
***** m.
exbida por Mlle Thyerri,
2.a'Haaaoce.
PERDUE.
dasempeniado par Mf. Ravuaud.
.'!. Canebnei* '' "
LES 8AB0TS DE LA MARQUI7E.
exhibido 'por Hile. Bresea.
i. Romance ; i
Mon Rve.
dietdpenhado "por Cflq. Chviberl.
fERCEipA parte.
Representaa-se-na pela segunda vez oeste (tea-
tro a muilo linda opertla cmica em um acto es-
crfpta por Mr.'Jufes. M^inau, musiaa, do maes-
tro Offembach ,,',
LS \mi AvEUGLES.
*\Mraaagens. Actores.
Paiachon....... Mr. Mariz.
Giratfler....... Mr. Carn.
Os buhlo* acbaoHsa a venda ao escriptorki do
lueatro daa 9 da naaabaa en diaate.
Principiar as 8 horas.
Bt B. Os biibetes paasados pelo actor Plavian
Coeiho, ucam pai quando se anaanciar o sen es-
pecUcalo.
-|'M

DA i
HUITO APPLA13DIDA
.

NO
GRAKDE.JARDIM
DA
IMPERIAL
FABRICA DE CERVEJA
Una do General Victorino n.
ALTA N0V1DADE.
Se o vapor que chegar do sul trouxer o Sr. ge-
neral Vicitoriou. haver concert em todas as
noutes que se festejar a dita chegada ; assim
como
liomingo 25 do corrente.
PrcgTammas na entrada.
Preco de entrada .oOO rs. por cada pessoa.
GRANDE NOVIDDE
ABERTJRA PROVISORIA
KCURACOES.
Pera sntxleiegacia da Boa-vista s faz puti-
eo tjtaraa aeha recoihido casa da tfMkafori, o
preto Fottnaato, por estar rpido, como dwclaroo
a a soMalefMfa; qnea trcr ao ateame dfrHo
apparaca.
A9IJlMHAJl
Domingo 25 de setembro d 1870.
Das 4 s 6 horas da tarde.
O empresario daste theatro acaba de organisar no jarana do mesmo, om Caf Cantante que
estar aberto aos domingos, das santos, e algon? dias olis (previamente annunciados) aoatrataaae
para eaae fim nma tanda 4 mnnea marcial, e preparando o botequim qne ticar a cargo e soba di-
roccao dos Srs. Silva Braaa, e Joo Viegas.
fiati preparado um pavilbo ao fasto Turco, no mesmo jardim, pana que os artiatasda eua
compannia, cantem alguns romaneas, eauconetas, e dancem para maior entreteniffltato do publico qne
com a sua presenca honrar este estabelecimento.
O propretario d'este theatro, nao se tem poupado a fadhjas e despezas, para apreseatar ao pn-
blieo pernambucano, divertiraentoe como se usam nas grandes capitaes da Eorojia, achaado-ae lado
muito bem preparado, can mezas, cadeiras, baos etc., etc.
O propretario garante aoa Srs. Yraqnantadores, boa orden, assim como, qne ser aani bata sar-
ridoB em bebidas, relaseos, sorvetes e tudo mais que se aena annunciado por procos eammodsa.
mO mesmo convida todas as familias em geral 'requemaren estes divertimeotos qne eoaaeca-
rio a 4 oras da lardee ftodario s 6, depois do que tere lugar o espectculo e 8 horas.
Frogramma do ivertimento
!. Cancoota.
cantada por madmoiselle Cholberle.
1 Canconw
j RAPPEI.LE-TOJ
exhibida por Mr. Rayoaud.
3.- Cancoota
| La canotiere de Saint Claud
cantada por madmoiselle Thyerri.
4.* Cancoota
desempenhada por Mr. Carn.
5.* Romanee
canuda por raadmoiselles Brescia.
6.* Romance
Les Djinns
Vendue
exhibido por Mr. Mariz. ___
A msica do acompanbamento ser pela erebestra, e os tatervallos serio preencainas-naM an-
da marcial.
PRECO DA ENTRADA 600 RS.


wo maimhut +* XkM. 24 teJkkm** de 1*K
MMT

Todoa os domiqtfos, i da Santos e \
dusWwi.
S A InUWCGAU .
DE
Joao M. Viegas.
Sorvetes de diversas qutlrdades, como sejam
e chocolate. De. abacaxi.
DecTeme. Demaracuj.
Caf. Cha. Chocolate
ElftfCHE.
Presunto de Hambre.
Salame de Haioburgo.
Salsichoo de Hambnrgo
Lingua de Pranja.
Petxe de eoncrvas e diversas qnalidades.
Salchiws de Hambargo.
Vtnhos boot.
Champante. -Bordean*.
Porto flno. Figueira.
Madera. Gberez.
Vermooth.
Gervpja Bass e Nacional
gelada e nao gefada
e toda rrualidade de refresco de licores Anos.
Era conscqneocia de nao se acharem comple-
tos os trabamos de carapina e pdreiro e pintor
o empresario a pedido de muirs pesseas rlren
abrir provisoriamente o estabelecfmente domingo
JS de setembro de I70.
tr Tapo
UMMMfw
Mi** ptmina*
Recebe carga,; ,tMBM-
MwpMsapif JUeiro a
freas no escriptorio do Forte
de Mattos n. 11
Jos
_j. Di L A
Tfavegugto costeira poY vapor,
, O vapor Parahyba seguir pa-
rftk ra o porto cima odia 26 do
corrate as 0 hort da nonte.
^_ Recebe, carga encommendas
P.pafg8ros a djishe^ro a frete as
J horas! 0| %3i* no- #scri|tofio-, do Forte do
NHIA" IfeRNdbbfekNA
DI
*i^^ Basar
*a*-r
AMASHAa
DomiBgo ? de setembro
QUE TBRO LUGAR
As i l| da larde e as 8 1{2 da aoute.
DESPEDIDA.
A compaahia annuuciando o seu ultimo espec-
tculo ietleirt>, despede-se do .reueitavel pu-
blico desta capital, e agradecida palo tora acolbi-
mento, pelos honrosos applauoa, e pelas nao
equivoca* pro va- de sympathia com que sempre
foi honrada todas as vezes que exibia o seos tra-
balhos artsticos, dirige a todcs os. habitantes ties-
ta praca'um vot> de sincera gratidao
E aando inmensas a* saudades que est, familia
artstica leva deste querido e mimoso Pernambu-
co. ano o seu itinerario s provincias do norte,
voltara a eta briosa cidade, e anda jiais urna
vez sorprender este respeitavel publico com ura
(rabalho que ser a coroaco de todos os outros
queja apresentou, e que tem por titulo aAseen-
cao.
PROGRAMMA.
PRIMERIA PARTE.
i.' Symphonia.
2. Volteio rpido,
3. O artista Luir. CasaH executan sorprenden-
tes exercicios eqa^tres.
i." Os das anios agigantado?, divertido ntre-
me?..
o.' O syslema Baucber, MuriHo epi liberdade,
presentado por D. Marcos.
6. O pao voadir, pelo applauddo Vicente Ca-
sal i.
7. Mr. e madama Diniz, por Luiz, Cesar e Al-
nabo.
Intervallo de 30 minutos.
SECUNDA PARTE.
8. Symphonia.
9. Novos exercicios equestres sobre um caval-
lo era d* 10. O alto do despenhadeiro, sobre 4 mesas e
i cadeira, palo artista Aldabo.
11. O duplo trapesio, pelo? artistas Gesar, e Vi-
cente.
12. Dar lira ao espectculo una divertida pan-
tomima patritica : o defensor da baodeira brasi-
lera.
A mesma fuocRaoso executar s 8 1(2 horas
da noute.
PRECOS.
Camarote cora 6 entradas 11*000
Cadeiras avuzas para Sras. 2*000
Cadeiras 25000
Platea 1*000
P vapor-pacto! oruript,
commandante Silva, seguir
Sara Matnanguape do dia 28
o crrante as 6 horas da
larde.
Recebe carga, eucom man-
das, passagiros'e dinheiro a frete at as i Mo-
ras da tarde do dia &, no escriptorio da com-
panhia, Eerte do Mattos n. 12._______

Preende seguir par o referido porto em poneos
das o palnabote Atuta por ter a tnaior parte da
carga, e para a pouca que iba falta, trata-se com o
consignatario Joaqun los Gooealvee Beltro,
ra do Commercio n. 17.
LEILSES.
TV
5
Adeu cidade do Recife,
Adens pov i peroambucano,
As saudades que de ti levamos,
falvez nos facam c vir p'ro anno.
IIO JE
ii do crreme, s 11 horas da manilla.
O agente Pestaa far Ieilao por conta e risco
de quem pertencer,"de nmaa linda mobilia de (aia
propria para o campo, guarda-louQa, guarda-rou-
pa, armarios, cadeiras, lavatorios, espelhos, camas
fraaceza* de ama relio para meninos e de Jacaran-
da, lencas, vidros, catangas de porcelana e muitos
outros objectos de mobilia, que se acbarao paten-
tes no dia cima mencionado, sabbado 24 do cor-
rente, s 11 horas da manha, na ra do Yigario
n. 7.
r
duas canoas afrentas para o ser-
vido de tijollo8 e ara.
O agente Pontual, cooipstMitwnte autorisado,
vender em Ieilao duas grandes canoas abenas
para e servico de ara, lijollos, etc., as quaes fo-
ram reconstruidas de novo, podendo os Srs. lici-
tantes oxamina-la?, no da 26 e 27, junto aponte
dos trilbos urbanos.
TERC-A-FEIRA
27 do corrente
na praca do Capim, junto a ponte dos trilhos urba-
nos, s 11 horas. ____
AVISOS MARTIMOS.
COMPANHIA PERNA.MBUCANA
DE
Hav^gaSo costelra por vapor
Parahyba, Natal, Maco, Massor, Ara-
caty, Cdar, Mandah, Acarac e
Granja.
O vapor Pirapama, cemman-
dante Azevedo, seguir para os
portos acimano dia 30 do corrente
as 5 horas da tarde. Recebe car-
ga at o da 29, encemmendas
passageiros e dinheiro a frete at as 2 horas da
tarde do dia da sabida : escriptorio no Forte da
Mattos n. 12.
COMHIA BRASILES
DE
Paquetes a vapor.
Dos portos do norte esperado
al o dia. 26 do cerrente o vapor
Toeantins, commandante J. M.
F. Franco, o qual depois da de-
mora do costurae sgniri para os portos do sal-
Desde j racabara.se passageiros 8 engaja-se a
carga que o vapor podar conduzir, a qual dever
ser embarcada oo da d&suachegada. Eneommen-
das o dinheiro a fruto t as duas horas do dia di
toa sabida.
>uo se receben como encommendas .seno ob-
jectos de pequeo valor e que nao excedam a ?
arrobas de peso oti 8 palmos cbicos de me-
cao.
T;ido \tu passar oestes limites dsnra sei
embarcado coa oarg.
Previnerse aos Srs,,passageiros que suas passa
ens s se recebara ha agencia raa da Cruz n, 57.
andar, escripiorio de Antonia Loii de Oliveirt
Azevedo &C.
-------
DO
sobrado de quatro andares e
sotao da ra do Torres n....,
edificado em chaos proprios
Qointa-feira 29 do corrente
O agente Pinto .levar Ieilao. precedida a com-
petente autorisacao, a nasa e esquina da ra do
Torres, a qual torna-se recommeodavel pela sua
boa con9truccao, e por ser edfleada em ra de
commercio. O Ieilao se effectuar s 11 horas do
da cima dito, no escriptorio do referido agente.
Mama
17.

Domingos Jos Ant
ras, ros ft'W'K'
procurador de WOS os seas neselos a
WS^mlgo o BT.' Dr. Ffwwipeo de-ftw
Penna.
Precsa-se de
50, 1* andar.
urna ama : na roa de Hortas n.
j annuociou a venda, uio le ealsn cora o de Joa-
qun) Barbosaifc flonza, na escuta do becco das
Cortezias e cm fre MKa'Ueira da Miseri-
-eepia.
CASA DA FORTN
Aos 5:0001
Bilhetes garantidos.
A roa Prtaje.iro deMarpo (ootr'ora cua do
.Graspo) a. 23 e casas do costume.
Acham-se a venda, o felizes bdhetes garan
tidos Caa de Miselfcardia do Recife (llf), que se
ejtraMr. aabUde 14 do orren*.
Em porcS de 100*000 para Cima.
Bilhele lilciro 8*W0
Manas! MarUm Fitwa.
PROGRAMMA
lia fesl de >VMsa Scahera do
Rosario rag da cidade de
Goyanna.
No dia 1* de outubro as cinco horas da ma-
nha, frente da igreja matriz, uraa salva de 21
tiros seguida de algumas gyrandolas, e urna banda
de msica marcial, exectitando variadas pec,as an-
nunciaro o amanhecsr do dia, era cuja noute se
lera de celebrar as vesperas da festa de nossa pa-
droeira:
Ap lirio dia e 3 hora da tarde ka vera msica
na porta da meioa matriz, e muitas gyandolas de
fogo,
As 7 horas da noute principiarlo as vesperas de
psalmos, sendo orador o Rvm. padre Manoel Ca>
valcante Assis.Bezerra de Menezes, e nalsando
o acto urna salva de 21 tiros, um balo e algumas
gyrandolas subiro aos ares.
No da 2 ao araanhecer ama salva de 21 Uros e
algumas gyrandolas subiro ao ar, e a mesma mu-
sica executar diversas pecas annunciando .que
chegado o dia da nossa padroera.
As 10 horas do dia, entrar a festa cem toda
pompa possivel, orando ao Evangelbo o Rvm. pre-
gador da capella imperial frei Joao de Santa The-
reza, e Qnalisando a festa snbiro aos ares muitas
gyrandolas de fogo.
As 3 horas da tarde sahir em procissao percor-
rando as ras da cidade a excelsa padroera,
qual procissao sahir com toda desoeneia e bri-
Jbantisojo, taado de subir ao ar antes de sua sa-
bida um grande hallo, e ao recolher-re urna salva
de 21 tiros e varias gyrandolas defogos faro an-
nnnciar o Anal deste acto.
As 7 boras da noute entrar o Te-Dium com
toda a pampa e brilhaniismo, sendo orador.o Rvm.
Manoel Vicente dos Saotcs, e flnalisando urna sal*
va de 21 tiros, um balao e muitas gyrandolas de
fogos annunciaro o final de toda festividade neste
dia.
No dia 3 pelas 8 horas da noute queimar-se-ha
um lindo fogo de vista, terminando cora um balo
e urna salva de 21 tiros. O fogo feito pelo dis-
tincto artista Tito Francisco de MjIIo.
N s dias 4, 5 e 6 a tarde na ra Direita, em fren-
te a matriz, baver grandes cavalhadas como final
de toda a fe>tividade.
Cidade de Gsyanna, 22 de setembro de 1870.
Os procuradores
Belmiro Jos GongaWes
Theodoro A Ivs de Vasconcellos.
Francisco Marques da Rocha.
Sociedade Emancipadora.
Sao convidados todos os socios da sociedade
Emancipadora para se reunirem em asscmbla
ge ral no dia Ia do outubro, as 6 horas da tarde,
nos saloes do Club Pernambucano, aim de ouvi-
rem o relatorio dos trabamos durante o anno (i-
nanceiro indo, eieger nova dreccao, e resolver
todas as quest5es que forera propostas como de-
termina o artigo 28 dos estatutos.
Recife 22 de setembro de 1870.
O 1* secretario,
Gervasio Campello.
DE
um caixo de casa raa do Gaz, e um ter-
reno com 120 palmos de frente e 130
de fundo, sito travessa da ra da Con-
cordia.
O agente Pontual, competentemente autorisado,
vender em Ieilao um caixao de casa ra do
Gaz, em respaldo para subir empennas, cora canos
j collocados as frentes, com 35 palmos de fren -
te e 81 de fundo, quintal j murado, com 19 pal-
mos de fundo, coznha com 8 palmo de largura e
19 de fundo, faltando smeote a coberta, estando
tanto o oaixao da. casa como da cozinha embuda-
dos ; 20 a 30 alqueire de cal preta, 5 milheiros
de tijollos de alvenaria, 3 travs grandes, porcao
de ara, 4 portas-de amarello, 2 jnellas, 2 caixi-
lhos com ba'ndeira, 9 forras o 3 contra-vergas, tudo
feito de amarello, 1 terreno sito travessa da
Concordia cem 120 palmos de frente e 130 de fun-
do, tendo as frentes muradas p meacao dos oitSes
das casas que estao edificadas aos lados, sendo
tantoeste como o da casa em respaldo foreiros
Quarta-eira 28 do corrente
no armazem da ra do Imperador n. 16. s 11
horas.
ADVOCACIA.
O advogado Dr. Joao Thom contina
em seu escriptorio ra do Queimado n.
31, Io andar, entrada pela praca do Pedro
II. Em casos urgentes pode sar procura-
do em sua residencia no Chacn ou Casa
Forte.
a ou Casa i
taS
ier q
perWco, preferindo-se escrava : a tra
da Aurora n. 41
Ama 4e leite
Precisa-se de orna atpa livre en si
de boa eonducta, quecktnha bom leite
dancia, sem filho a mamentar : a tri'
Praia. armazem os. Ito 15
Pr^fessor.
Urna pessoa habliutta propde-se
metras letras, Unguas-nacional, ingl
fora.desta pra?a : na raa Drelta, loj
achara com quem tratar.
'--
1E0DR0
ea
CosHiheira.
Precisa-se de oma-nSalher para casa de famili]
que seja soffrivel cozinbeira, preferindo-se escrav
a traur no ^ andar 11a" ra da Cadeia do Re
n. 15.
I
tle um preventivo seguro e c>rto cantr
Qi calvi^BTBI
f> d e restaura forca e sanidade a pelle
da cabecjit
Elle de prompto faz cessar a queda prema-
tura dos cabellos.
Elle d grande riqueza de lustro aos ca-
bellos,
Elle doma e faz preservar os cabellos em
qualquer forma e posiojb' que se desejV
n'um estado formoso, Uso e-macio,
Ele faz crescer os cabemos bastos e cobb-
pridos,
Elle conserva a pelle'e" o Casco da cabeca
limpo e livre de toda a especie de caspa,
Elle previne os cabellos de se tornarem
brancos.
Elle conserva a cabeca n'um estado de fs&i
cura refrigerante e agradavel,
Elle nlo demaziadamente oleoso, gordo-
rento ou pegadico,
Elle nao deisa o menor cheiro desagra-
davel,
Elle o melhor e o mais aprasivel artigo
para a boa conservadlo e arranjo dos ca-
bellos das senhoras,
Elle o nico artigo proprio para o pen-
teado dos cabellos e barbas dos senho-
res,
Nenhum toucador de senhora se pode con-
siderar como completo sem o
O CABELLO.
Tnico Oriental
o qual preserva, limpa, fortifica e aformosea
Acha-se a venda nos estabelecimentos de
L Caors, I. da C. Bravo 4 C. P. Maurer
4 C, M. Barbosa, Bartholomeu de C, e em
todas as principaes lojas de perfumaras
e boticas.
Precisa se de urna ama que cozinbe bem :
na ra do Duque de Caxias n. 51.
Ofifcrece-se urna ama Je leite : quem preci-
sar dirija-se ao pateo do Paraizo no sobrado n. 8,
2 andar, que se dir quem .
Precisa-so de urna ama para cozinhaf em
casa de homem solteiro : a tratar na ra Imperial
o. 47, taberna.
SFoto lja 4 joias
BA DO CAMGA* S.9 A.
Manoel da Cunha Saldanha & C.
Asaba de abri-se esta stabelecimeato de joias, o qaal tam grande sorti-
mentade todas as joias de ultimo gosto, a qoaes vender o mais barato pos-
sivel. #
Totas as joias serq garantidas oorodelei, pois os seos donos tendo em
vista so adquirir reguezia n3o olvidarSo, vender bom e por preces os mais
razoaveis possiveis.
Gonvida-se o publico a vir a este tfttabelecimento, certo de qee ficar
X' MO DE ORO*OA DO CABUC M. 9 A
TiS S4N3 mm
GBAIDE SUCCESSO
BOfflGOS, DAS SANTOS DUS UTEIS
GRANDE CAFE CANTANTE
Joao Francisco da Silva Braga, participa ao publico desta capital, que n'este theatro haver pan
os concurrentes o segrate :
Sorvetes de diversas quaHdades
Vlnhos. t
Champagne.
Bordeaux.
Porto flno.
Rbeno.
Cbateau Ufite. jw
Cognac marieli.
CERVEZA
BASS E NAOONAL
Gelada e nao gelada
CAF CHOCOLATE E CHA
Refrescos gelados de todas asqualidades
Rosa. Doces.
Pitanga. Pastis de uta.
Grosella. Bom bocado.
Limao. Empada deearaarao.
Cidra. Dita de carne.
Laranja. Bollo de amendoas.
Lima. Pao de l.
Queijos. Frncus.
Fnmengos. Ma^as.
Londrinos. Uvas.
s Minas. Peras.
Prato. Abacachis.
Sui8So etc. etc.
O mesmo participa, qae.alm das bebidas cima notadas havero outras de diversas qualidades
que muito agradaro pelo prego e boa qualidade, e desde j participa tambera que havero mezas,
'.ideiras e bancos para que os concorrentes estejam a sua vontade. assim como, haver urna banda de
msica marcial, que tocar durante a tarde no jardim do mesmo theatro.
0 mesmo, encarregado pelo proprietario, avisa que dentro em pouco tempo haver um ou mais
buhares e jdgo de domin para entretenimento do publico que frequentar este estabelecimento, a quem
desde j convida, e quer da alta sociedade, qu.-r da democracia.
PREgO DA ENTRADA 500 RS,
0 dia da abertura ser em breve annunciado pelos jornaes; mas provisoriamente se abrir no
domiugo 23 do corrente mez de setembro.
Os devertimentos duraro duas horas, das 4 s 6 da tarde. Garante-s toda ordem e moralidad*.
Lieflres.
Imperador Theodoro.
Aya-Pasa.
La bell amor.
Coradlo.
Sempre viva.
Amor eterno.
Precisa-se de
Novembro n. 34.
costureiras : no Caes 22 de
AVISO AOS FUMANTES.
Cachimbos e ponteiras de espuma verda-
deira.
O mais completo sortiraento, e muitas qualida-
des novas que anda nao vieram a este mercado:
_______NA LIVfURIA FRANCEZA________
Precisa-se de urna ama para casa de pouca
familia : na ra da Roda n. 32.
CIIILE(ill)
RIO DE JANEIRO
Para o porto cima segu cora brevidade o bri-
gae nacional Isabel, tem parte do seu carregamen-
to engajado : para o resta que Ihe falta trata-se
com os consignatarios Antonio Luiz de Oliveira
Azevedo 4 COMPANfflA PERNAMBd\NA
Di
\avesapSo costelra por vapor.
Macei escalas e Penedo.
t^fjyw O vapor Maniaku commandante
AXL Julio seguir para os portes cima
tM ao da 30 de correnta as 3 oras
da urde.
Picaba carga at o dia 29, encQmmeQdas, pas-
sageiros e dinheiro a frete at .as, % horas dater-
de de sua sabida, no escriptorio do Forte do
Mattos n. -
Para Lisboa.
Sahira nestes seis nas mpreterivel mente o pa-
Ihabole portuguez M t mpitao Trindade, re-
ceba a frete a carg; r: trata-se com
Marques, Barros & C, no largo do Corpo Santo n.
6, 2* andar, on com o capitao no pavimento terreo
deste-edifi
AVISOS DIVERSOS.1


/ Aloga-se o exceJlente sitio na estrada que vai
do Monteiro ao Arraiai, denominado Ladeira dos
Mudos, o qual tem casa com.6 quartos, J salas
com copiar, cocheira, quartos para criados, agu.
de beber, muitos arvpredos de fructos a tratar
no meimo.
PROGRAMMA
DA
Festa de .V 9. das Dores, no
con ven I o de 8. Francisco.
No sabbado 24 do corrente, ao meio dia, toca-
rao as msicas do 1 batalhao de infantaria e os
menores doarsenai de guerra, ubndo ao ar di-
versas gyrandolas de fogo.
No domingo 2o haver missa as4 horase raeia
da manha, tocando nesta occasio o primeiro de
infantaria, era seguida urna salva real annunciar
ser chegado o faustoso dia da Divina Padroera.
Pelas 11 horas da manha aforrar-se-ha urna
cria com as expensas dos rmaos, depois princi-
piar a festa com a missa do maestra Santos Pin-
to, sendo regente o distincto professor Jos Ceelho
Barbosa, orando no Evangelho o Rvm. pregador
da ordem saraphica Fr. Joao de Santa Thereza.
A tarde tocar ambas as msicas, e a note ba-
ver ladainha cantada solemnemente, pregando
Rvm. padre Antonio de Albnqnerque Mello, nao
haveo4o sacramento exposlo por estar a capella-
mr em obra.
O escrivo,
Samuel Xavier de Souza Fonceca.
BSTRADA DE FERRO DO RECIFB A
OLINDA E BEBERIBE.
As ebegadas dos vapore serlo annunciados
pelas bandeiras das na?5es a que pertencerem ;
sendo brasileiro ter, vindo do sul urna bandera
com a letraS-^e do norteNdo Io de outubro
ere diante.
0 superintendente,
" J A. de Abren Porto.
DE
N. S. DA GLORIA
DIRIGIDO
PELOS 'RESBYTEROS
loio .entonto Pinto de Rezende,
hachare! formado em direito,
e Franrfseo Ceme* uartc Pe
reir Coentro, bacaarel for-
mado em tveologia.
Em Portugal, na cidade do Porto, na airosa ra
de Cedofeita ns. 230 a 236, vai abrir se no prxi-
mo outubro, este novo estabelecimento aonde se
ensillar) os principios de religio, as materias que
con-tituem o curso geral dos lyceoa, escripturagao
commercial segundo os melhores systemas e bel-
las artes.
Admittem-se alumnos internos, simi-nternos e
externos.
As pessoas que desejarem approveitar-se desta
casa de educaco, podem dirigir se desde | ra
da Cadeia n. 6, aos Sis. Rolrignes Irmao, que
daro as informagoes necesarias, e ministrarlr
programmas. ^
! GRANDE
HOTEL CENTRAL
37Ra 11 de Dezembro37
(Outr'ora Larg i do Rosario) *
No muito cenhecido HOTEL CENTRAL encontraro sempre os nossos innomeros
freguezes notaveis mellioramentjs, indispensaveis para commodidade dos illustres fre-
quentadores.
No HOTEL CENTRAL enconlra-se-ha constantemeote todo que de confortativo e
deleilavel se podo encontrar em um estabelecimento desta ordem.
Assim acha-se all urna encllente casa para banhos, um sali todo alcatifado e
guarnecido de divans, piano, jornaes nacionaes e estrangeiras etc., etc
DULCE FARNIENTE
Normas da Havana.
Suspiros.
Napole&es
Havanas.
Bartholomeu & C,

AMA
Precisa-se de
q0, 1* andar.
urna ama : na ra de Hortas n
Retalha-se, vontade dos compradores, alguns
lotes de terrenos, que restam,' do sitio Aguasinha,
em Bebaribe, por preeo rasoaveis. A posicao
topograpbica do terreno muito o recomraenda. so-
bre tudo p ir fler proxim i dA estcao projectada
da via terrea. Os pretenderles podero dirigir-
se Informar-se do tenente S Peixoto, no mes-
mo lagar, e para qualquer negocio ra do
Crespo n. 12, 1 andar.
Uio de Janeiro
, darte do seu carregamea-
\xe Ihe falte trata-se
<>natarios Antoni Lniz de Oliveira
Aewdi) A C, roa da Cruz n. 57,1 andar.
to eSj^^l
I
Precisa-se de ama ama forra ou captiva que
saiba engommar e eosinhar : em Oliada, por ci-
ma da nadara do Varadonro ; paga-se bem e
trata-se na mesma, on a roa do Vigarfo n. 16,1*
andar.
Para coziahar em urna casa de fa-
milia de duas pessoas : a tratar no
jllargfl jo Corpo Santo n. 4, andar.
Joaqim Antonio Pereira declara que do dia
20 do cimente p diante detxon de ser seu oaixei-
ro o Sr. Df)omedonte de Almeida Magalhe.
TWULLOS.
- Vende h urna porcao de alvenaria groan de
marca regular e bom narro : contratase a por-
cao que quizerem, tanto destes, como taparaeuto,
telhas e Ldrilho ; para vetos e tratera ra Im-
perial p. 130. casa com portao de ferro ao lado.
Previno Sra. D Margarida e Harta da Con-
ceicko, moradoras em Beberibe, que o quarto de
bilbete n. 622 da lotera 161 que tiobamis socie-
dade. por engao vend, e estar! prompto para
restituir o dinheiro que recebl das socias, e desde
j nao nos pertence o dito quarto de bilhete. Re-
cife *3 de setembro de 4670.
Jonqnim dos Reis Gomes Silverio.
CHARUTOS
Imperiaes
Amadores
Londrinos
Leaes
E de outros fabricantes, que seria ocioso innnmerar.
As familias que nos quizerem obsequiar, tanto nacionaes como estraageiros, en-
contrarlo os commodos necessarios.
A moralidade e boa ordem a norma do
Hotel Central
Falla-se o bespanhol, francez, inglez e italiano.
PA1A AGUA.
Canos de ferro galvanisailos por barato preco.
Torneiras, e curvas para os mesm >s! No armazem da travessa do Corpc
Sanio n. 25.
Moinhos para caf e para milho
Os melhores moinhos para caf e para milho que tem vindo a este mercado
se eacontram no armazem da travessa do Corpo Santo n. 25
Vinho, PiMJt . DB JURUBEBA SIMPLES E FERRUGINOSO
LBO, POMADAE EMPLASTRO DA MKSMi
PLANTA PREPARADOS POR
8ARTH0L0ME0 & CA
pHARMACEUTrCOS-DROaurSTAJ
PERliAMBlJeo
A Jarnbeb : su planta boje reconhecid
coma o na r*fMM tooico, pao mtlkat
jesobsiruente,e cqqmi mi applicaa ou padecitaantoi
io flgdoe ba?o, bepatile,fresas, lamwej iuUt-
nos e especialments do tuero, hTdrapesias, enai-
pellas, etc.; associada o forro" til ns ptluii
coraa, cbloroass t ff.lt 4a mcoatnafio, aawliu-
joa do estomago, etc., o qne diatmoa attealio
Baimeras caras imprtanles obtidas oom noaaoa
praparados j aam coobtcjdot a naada peiaa aiaia
ditUDCtu oudiooa do paiz a Poniiad. Ka tsdba
nossoa depsitos distribnimos ralis folhete ota
melhor fasem conhacar a JondMba aaoa raaaluoo*
Formas de ferro
para porgar assucar : na roa da Cadeia nrfme-
ro 4.
- Em cas* de THEODORO (WST[
4NSEN, ra da Cruz q. 18, encontram-s
flectivamente todas as qualidades de vinhi
Bordeara, Bourgogne edo Rheno.

VEGETAL AMERICANO
E SAUDADE
BART HOLO MIO&C:
tari
certa das tonel intiu e reeentet, caUrrkas pulmonar, ulhai; Uiw onriki,
^niMi. o em garal eeitn todas m loffrimtntoj das via reipinlorit.
DEPOSITO ERAL
S3 0TICi% IB DHOGARIA
14, ROA URSA DO R0ZARI0, 34
PERNAMBCO
A Uteraptalica das difama taolaatiaa do paito,daade
\ pbaryngite n mal da prganu at a tubercnlaclo
^alsaOBar, aado pala* di versas broaebites eaurritaaa
v o amplijsaaja acaba da ler.airaquecida eom mais
sta medicamento, que teaaara a primarra ordem eatra
'odoa ate hoje aonhecidos. 0 xaropa Vegeul Americao,
araotindo par arrele legelal, Uo eontm em sua
mmpesiiiao mo ao aloma e opto, a tim someme sb-
cos da (jautas iodigonas, cujas propriedades benefleas
la cara da moisas qna perteaeam aoa orgaos de rea-
.-.irafAo (oram por nos abearvaataa por longo tempo,
:om apKis raenlladas cada ataMM ereseenles; pelo
|ia ua jajgtmoa aaioriaadoa a campar o xaropa qna
igora apraaeglamoa, a a ofieraca ao mi mdicos e ao
publico, Provamos com os attestados abaixo o qna le-
amos dito, e contamos qna o cenceo da ajie ja gasa
) itfope Vegetal Americano crescara de dia a dia,
sanando muito pos da ti tadoe aa paiKiraes m vaga.
IUs*. Sr. Brthalameo ft C,-0 tarop Vegetal Ame-
ncaa. preparado aa su coacaitaadiasima pharmacia,
o til reaaadio pan abalar I termal asthma.
Sofra aa amella molestia ha taatro atetas, tem aindt
lar ataba lado 01 alaqnts ajanaaat qaa tinha; este ti timo
qit Uva foi fortutinto qaa me prostoa por dias, atai,
jorma toa
Mttl, a at o
,H, (rae i
tea milagroto xaropa, torneado apenai tret
ita ato (di da boto atacado. Pran
mubtlealde par eai vtj.
Iba, pois et meos agrdeeimtntos par ma lar tltvUaW a*.
Uo horritel mtl. Gom i mtis tgniBctlivt gnlidA*
tnbscnsro-me deVmct. tffeclnoto a recocheeido criad.
Sewrine Dwrit.Snt Cata 14 deUtneiraiaiS*
lllmr Srs Bartbalomeo C Depois da aaari tata.
meta* da toffrioaento com urna testa incessaate. tuja
extraordinario, eipectoraclo da nm ctttrrho tteueUa
da, a parda letal das torcas, qna o maatr paaaeM
ma fatigtTt completamente, canudo a tomar nata aa
troremedio* tem resollado rite t felieidade detab
Vmcti prepararsm a tarop Vegetal Americana, a eatc.
Ila. grieta i Dea, me aobo rastabeleeido ha aataat,
doit metes, a robotlo como aa nada liteate saaTrida. Ai
EttidAo ma (orea a tela deca racto, que podarla tata,
lar o aso cae qaiterem. Son oom estima da tata,
eitador a criado. Aatoato Jo natal *
Recife S da fevareira da IMs.
muitos respeiudoi
Catira t Suv*. 1
Atiesto qna atei do xtrope Vegeul Amarictaa; k
eompotitlo dot Srs Bartholomto t C para can da s
forte dtfloxo qat me trouit una routtido, qae ata va
(atia adtender, inOtmmtclo a dor na garganta, U
grande (alta de respirado, a Baaei ecmpleumaala
tabelecido com nm t tidro do i
do oom na to tidro do metmo xtropa; p
le protetlo tierna gratidio. Reeia It da |
da 1868. iaatatat farttta a>itlii^aaaat>
qne Ibes
aeiro da
gttia reconhactaas.
t


de Pemambuco +. Sabbado 24 dte Setembro de 1*70
10
fcO
53
-O
C5
W
'O
g
-. ra
Ribas (acadmico).
Guarno Candidu de Vascoocc
' Ja*
(Pombal).
Jetaino Angosto dt Sanios Fngoao.
W>i>simo Correa de Lyra 4MPsJsi Vteeoala
Jos Hermino Poj|ninjenho Preferenca).
Fernando BarataJk Rra^ngenho Morojo).
Antonio Gomes .firHflI Mello.
Eduardo de Paula Santos.
Francisco fl Silva Porto.
Thom Joaquim do R ao Barros.
.---.------

K
Este antigo estabelecimento, acha-se hoje montado numa
escala de poder servir vantajosamente os seas fregueses, atten
to o grande sortimento de joias d'ouro, prata e brillantes, qne
sempre tem e recebem mensalmente das principaes fabricas da
Europa- cojos presos sao em competiveis e as obras garantidas
de leL
MOKEIRA DIARTE C.
MWMkW
MOFINA

;:; i
.eitoral d
SBeirto.
SU firinh? | tfaujbsilftSalUr
dos nn padectatfntos '4 orgaos do peito,
tm oa poeamento de catharrot.
nko dtfOdM m pktrnjMk e dro.
BB :
Bartholomeu & C.

Roga-se ao Illm. Sr. Ignacio V.eira de Mello; es-
crivSo a ektade deia*aneU toja provincia, o
favor de vira fu w Imperador 8 a ronclnir
aquelle negocio, qne Y. S. se compromettea reali-
sar, pela tereeira chamada deste jornal, em flns
de dezerabro prximo passado, e depois para jai
neiro, passou a fevereiro abril, e na 1a cumpro.
e por este motivo de novo chamado para dte
flm ; pote Y. S. se deve'lembrar que este negdci
de mais d oito annos, e qoando o srrhor so
8lho se acbava ne estado esta cidade..
J.

filela
MANUEL & C.
Tem a saiisfac5o de participar aos seos numerosos freguezes, qae em vista de ser-Ibes mais commodo, tem
estabeleoido urna nova fabrica de chapeos de so), Da ra da Cadeia do Recife n. 9, boje ra do Mrquez de Olwda,
onde acharao os pretendentes, muito avullado sortimento de chapeos de sol de todos os precos, qualidades e por pro-
cos mas commodos do que comporta o nosso mercado: convidam especialmente aes Srs. compradores por atacado ?|
darem, sendo possivel suas encommendas, pois poderlo assim serem mais bem servidos, visto poderem escolher as ar- |
mar oes as tazendas que a demora da fabricacao 6 bem diminuta, '
NA ANTIGA E BEM CONHECIDA FABRICA
DE
CHAPEOS DE SOL
Eua do Sarao da Victoria, esquina da Camba do Carmo.
(Antiga Ra Nova)
Ha sempre trm grande sortimento de cbapos de sol de seda, merino, alpaca, bretanha de lnho branco e par-
II, M WKM
ENGEMHETRO
Oom fundiqo.
A RA DO BRUM N. 52%
Passndo o chitfariz
Machinas vapor syslema melhorado.
Rodas, d'agea., -. rt ftT? f
Formas de ferro para purgar asiucar.
Meando* de canna.
Taixas deferro batidoe fundido..-! ert
Rodas dentadas para moer com agea, va-
por e animaes. *;
E ootros objectos proprios d'agricultura
Tudo por preco omito reduzido.
nmm mummmm
DE
NOSSO SENHOR JESS CHBJSTO,
MAMA, SA.NTISSIMA
VARIOS SANTOS.
Asatfr:
Setenario do Senhor Boi(n Jess dos Passos.
"/Bcio do Senhof dos Pasos.
..ovena do Menino Deus.
Novena de N. Senhora da Conceiclo.
Setenario das Dore de* Mara.
Officio das Sete Daes |ej|M*ria Santsima.
Novena de N. Seniora rif Carmo.
Offlcio de N. Sentbra 4o Carmo.
Novena da N. Sentiora da Penha.
Cnticos de N. Senhora da Peona.
Novena do B. S. Joan Baptsta.
Novena da Senhora Sant Anna.
Trezena de Santo Antonio.
Novena da B. s '"^
m bonito volume, encade,
H---------------

m
9*
do e de algodo os todos os lmannos e' feitios, am da immesa porfo de seda, merino, algodao e brim,
armacoes de todas as qualidades para satisazer qualquer encommenda. A modicidade de seus,pree.os 15o coohecida
que escusa de mencionar.-
M
m
m>-
AVJ:,
PRECIOSA DESGOBERTA
CVAS lfURUlLHOSA
DO
CO 3ELSUC
Nec plus ultra
Tirando imtriediatamento todas as caspas e coceiras dos cabellos.
Deposito
aAeaae t.,i casa doauor, Andr Delsuc cabelieireiro de Paris.
Ra Io de V2arqo (antigaCrepo) n 7 A Io andar
GUSTAVE
Precisa-se de nma ama para casa de pouca
familia : na ra Direita n. 38.
Preeisa-se de nm bomem portuguez para
[vender leile e tratar de qnatro vacca* : qnem es-
j 'ver habilitado dirija-se Passagem da Magdalena
i n. i, que se dir quem .
| Frecisa-se
alagar nm moleque para todo servico de hotel,
assim como .na ru- da Matriz da Boavi*ta n. 8.
>. MMMm'wmwm mmmm
ADVOGAOlA. i
O DR. JOAQUIM CORREA DE ARAJO |
tem o sea e9criptorio ra, dn Imperador ^j
n. 67, onde pode ser procurado das 9 no- S
ras da manbaa s 3 da tarde.
&&MK sin
CRIADO
No collegio da Conceicaa
peiro habilitado.
precisa-se de um eo-
1 >.
D]
LLEIREIR FRANCEZ
51--Ra da Cadeia do Recife51
Chama a attencao dos seus innmeros freguezes, e do respeitavel pnblico et
, para a .seguinle tabella dos precos de sua casa, os quaes sao vinte por centt
nais barato do que em outra qualquer parte:
Oabelleiras para senhoras a "0$,
305, 33,3 e......405000
Ditas para bomem a 35, 40 e 50$000
Coques a !:#, i5^, 18^, "20$,
26, 30^ e.....505000
Crescentes a 4i5,135, 85, 205, '
255, 305 e.....325000
Cachos ou crespos a 35, 5 55,
65, 75, 85, 9J e. 105000
Tranca de cabello para annel
500 e....... 15000
Tranca para braceletes a 105,
155, 205, 25 e.....305000
Cadeias para relogio a 55, 65,
75, 85, 95, 125 e. .
Corte de cabello,.....
Cort de cabello com frieco. .
Corte de cabello com lavagem a
champou. ; .
Corte de cabello com limpez da
cabera pela machina elctri-
ca, nica em Pernambuco. .
Frisado ingleza ou franceza.
Barba. ,......
:i55oot
50t
501
15004
1500C
504
251
ASIGNATURAS MENSAES
Especialidade de penteados para casamento
Halles e solrcs
O dono do estabelecimento previne s
Srat. e alas para tintura dos cabellos e barba, as-
Recommenda-se a superior TINTURA JA r
POEZA para negrecer os cabellos e bar
ba, nica admittida na Exposicao Umvenaf
como n5o prejudicial sade, por ser voi
iim como am empregado smente occapa-;iatil, analysada e approvada pelas acad
netse serico.n i mas de sciendas de PARS E LONDRES
COMPANHIA
DOS
TBILHOS URBAlfOS
DO
RECIFE A* OIIMDA.
Por ordem da directora s5o convidados
os Srs. accionistas que se inscreveram para
a nova emissao. reahsarem at o dia 30
Vio corrente a l" prestado na razo de 10
7a devendo ficar sem effeito as inscrip-
ooes cujj Ia prestacao no'fr realieada no
prazo supradtfo, as quaes sero distribui-
das pelos subscriptores que anda nao sao
accionistas, os quaes devero realzar a Ia
prestado das accSes subscriptas dentro do
praso de cinco das coutados do Io de ou-
tubro vindonro.
Para esse fim ser encontrado "o Sr. the-
soureiro da companhia no respectivo es-
riptorio das 10 horas da manhaa as 2 da
tarde.
Recife, 2de setembro de, 1870.
Joo Joaqun Alves,
Io secretario.
U RO
D'YVETOT
RA ESTRE1TA DO ROSARIO N. 14.
Urna qualidade de commercio falva nestapopu
losa, cidade nm estabelecimento em qae se compre
e venda toda a qualidade de roopas feitas novas
e velbas, um basar qne se denomina em Pars--
Bric e Brac E' este o estabelecimento qne sie
abria rna estreita do Rosario n. 14. Assim
todas as pessoas que quizerern vender, on com!'
prar roupas novas on velhas e todos os mais
objectos do semen domestico, inclusive trem z
eosinh'a, poderao dirijir-se ao Indicado estabeleci-
mento para contratar, e offerece-se para ir en
:asa dos pretendentes para effecluar as compra
e vendas.
0 010000 00O&00-0
0 O bacharel Joaquim Goncalves
g Lima tem escriptorio de advogadp
Si roa do Imperador n. 35.
1

Precisa-se de urna ama forra ou captiva
servico interno e externo de ama casa de.
ramilla : na rna.Velha d. 66.
pirac
ponc


WISO
No pono em frente do sobrado do Sr. Vlenos
ao norte da fabrica do gaz existe urna canoa e ca-
noeiro que se euiprega a atravesar da freguezia
de S. Jes a da Boa-vista, e desta para aqaella,
as pessoas que, nao querendo dar a grando volta,
queiram drila se aproveitar : paga 160 rs. po
pessoa : todos os das das 9 horas em diante.
FORNEIRO
de a
Para o Rio Grande do Norte precisa-se
bom forniro ; a tratar com Tasso Irmaos 4
na rna- do Amorim, n. 37.
e
PP.IMEJRO E ANTIGO CONSULTORIO
HOMEOPATHr.0
Dirigido pelo Jr.
SANTOS MELLO
Os habitantes do interior podera-no
BB consaltar por escripto, no que serao S tisfeitos com promptidao.
BB Presta-se tambem a chamados para o
| interior, a prego mdico.
Consultas, no consultorio das 10 horas
1 ao meio dia.
8 Chamados, a qualquer hora.
Aos pobres gratis.
13Ra do Baro da Victoria43
Hj (Antiga ra Nova).
mmm mmmwmmm mm
AMA.
Precisa-sede urna ama que engomme com'peri
feicao, indifferenle qae seja nacional oa estran
geira: a tratar na ra Nova, casa n. ii.
Alagara--e dua n Varzea, lugar Ambol, com sitio e commodo
para grande familia : a tratar com o reverenda
padre Parnaso, on na ra do Crespo n. 7.
Alugi-se o Io andar do sobrado n. 1 da ruj
Imperial : a tratar no andar terreo._________

Ama
Precisa-se de urna ama de lejte sem filho :Jna
rna do Apollo n. 35, andar._____________
Oo xaropl/e; tJ americana especialidade de Barthoomeo&C
34.RA LARCA 00 RDSARI0.34.
o* eonmBio procurar tlMUdoa di aerediur
-mm preparados, e deiamoi qoa tu applieafio o*
Hado* obtidos petai peuoasqne se dignaran) acceita-
9m. Ibes (toen endite e tog*; perqM sAo MBpre m
MMUdoe considerados gratnitM, e delles aa* laaca
Ao ehirlatan isaoo; mas ni qaereodo ofender u pei-
UlieeponUneamente mm offerecerm, 01 qie abano
"tnntcriptos, os (uemos pnblicar maiifuluxto-lie*
MtM (ralidlo pela etteoco, sperando qae Techan
les corroborar o conceiio. e accaiutao que tea anere-
*> Bosto iarope. Uankalonto C.
tOMIM
nas. Srs. Birtholomeo t C t con mais sabida
muXaee qae declaro ser o isrope Asserieeno de orna
i eiiraoNiurie, pois qae soflrendo ha diss de
i nao poaV.r dormir a noite a
qae lomava, a elle
i:!a, e de todo me
te de qossi
manifest a
o, it-
Vegeul Americano, de ana ooaapes:cAo, qaanda sm
sebera bastante doente de ama caostipafAo, m m*
tornon completamente roneo e qne trono nata tarta
tosse, e me impossibiliton de emnprir os meas i
de cantar da empreu lyrioa, too aaradecer-lsM atea
completo reslebeieciUjeoto, qne oblire cam a* s liin
do mesmo xarepe. depois de harer recorrido aaitoe
tratamentos. Desejarei que ootros como asi
so sen xaropa pan m rea .Im.dos de Uo
incomnodo, tAe fatal neato mx. Con malar |
raejo continuo a ser de V. Ss. atiento, Twriiir a
d*rla5B0' ~ UZ CrM>0M- ~ B*d* ** **tatV*
. Illas Srs BartboloaM *C-0 xarope Vegetal iaa-
ncsio qae V?. Se. t*m eiposto A nada de toda efi-
cacia pan a caratrto aVasthaa, canforme obsenai aa-
phesado-o a men lllio Joaqaim, aaenor' da l
anuos; rictima d'esM nagelle. qoa aU entsopar i
sicilente a doas annos bata nsistide a iros il
de grande nomeada. Qoeiraa pois V. Ss. aaeator
nenie sincera da aeo "ttrnhsriaiaiw asi
iw prasuraa com o iodicaaV
aa r*n,saapra da Vt. s*. tiasa.
- Amerieo """% Mninti '
da (SM. m -*w%
D. Anna Simplicia Ferreira Tasso, Marianna E-
i milia Braga, coramendador Jos Jacorae Tasso,
Jorge Jaeomo Taaeo e mais prente do Aado Do-
I mingos Antunes Ferreira Tass>, eordialmeate agr
decem a todos aqaelles qae compareceram s exe
I qnias e acompanbaran ao cemiterio publico os
i restos moraos de sea prrtado Filho, to e primo ;
i e de novo raes pede o caridoso obsequio de assis-
tirera as missas qae serio resadas na capefla do
cemiterio no da Si do correle, pelas 6 1|2 horas
da maoMa.
Alog se nm sitio no Cataeireiro junto ao
sitie do Sr. Dr. Alcoforado, com casa, fracteiras,
nanho naa fundos : qnem o pretender diriia-se ao
mesmo sitio, ou no eseripioiio do Sr. Dr. Pi
no pateo do Collegio.
Livros classicos
Proscriptos pelo decreto de Io de fevereiro
de 1870.
EUTROPIIBreviarium Historiae Romanae,
vol. em 8o encad. oaTOOO.
FIU)NNooaglles Narrations francaises, i vol
em 12- encad, 44.
LACERDANovo diccionario geral dad linguas
l?.g'SS.e P"Qaeza, etc., i val. em fel. encad.
25*080.
MARTINS BASTOS Interpretaeao dos cinco
pnmeiros livros da historia romana de Tilo Livio
fVrES;etc^ *vo1-em ,8enead-3*-
MIDOSIPueeias selectas nos diversos gneros
l cotnposices poticas, etc., 1 vel. em 8* eBcad.
4/gOOO.
OUVEIRA MAYAManual de estylo, 1 vol. em
8 encad. 3.
OLrVEIRA MATA5oc3es de potica, 1 Vol. em
encad. if. ^
ROQUETTEOrnamentos da memoria exerci-
cros selectos, i vol. em l* encad, U-
LrVRARiA FRANCHBA._________
~ Offerece-se um homem para aixelro de en-
genho, do qae tem bastante pratica : a Valar na
ra do Padre Floriaoo a. 18.

rn 1
lili > '

Cara rpida o iuiahivcl dos cal-
lo, pela pomada
i alo pea u.
Deposito eipecial Jia pharmaciavdo Birtholomen
&C,
34Ra larga, doRosario34
Roh-ante-rlieugihtico.
Remedio efflcacsiDjo*oatra as dores rheuma-
ticas at hoje o mu co'nheeido-pelos seus mara-
vilhosos resultados.
Ama
Na roa. do Imperador n. 14, andar, precisa-se
de ama ama para counhar para pouca familia.
Trabalhador parapa-
daria
Para o Rio Grande do IWte, precisa-se de nm
trabalhador dos ltimos chegados das Ilhas, an-
da mesmo ?em ur-ajica, a tratar com Tasso Irmaos
& C, ra qO Amorim 1L S7.
Aluia da com muJto( e*m leita-: a tratar na ra de
Aguas-veriles n. !
------------------------------i < i> <1-
Para urna familia alie-
maa de duas pessoas pre-
ci-sa-se de nfna arria mo-
ca para comprar e fazer
o mais servido de casa
no largo da matriz de
Santo Antonio n. 4, 2 andar.
TIIVTRAIUA FRANCEZA
55-Kua 4 Irap^eratriz-55
Tinge, lava, limpa, lastra e achamalo-
ta-se, com a maior perfei?Io, fazendas em
pecas e em obras de todas as qualidades ;
com sejatn : seda, Ua, algodao, linbo,
chapeos de feltro e de pama etc. etc.
Tira-se.nodoas e limpa-se a seccosem 1
molhar os lecidos, conservando assim to- [
do o bruno da fezenda. I
Tintara preta as ter ras.
8
Joaquim Jos Goncal-
ves Beltrao
Roa Sacca por todos os paquetes sobre o banco do
Mmho, em Braga, e sobre os seguinle lugares em
Portugal :
Lisbea.
Porto.
Valenca.
Guimafie
Coimbra.
Chave*.
Viseo.
Villa do Conde.
, Arcos dn Val de Vez.
, Viannado Castello.
Ponte do Lima.
Villa Real. *"
Villa-Nova de Famelicao.
Lamego.
Laoos.
Covilbaa.
Vascl fValpasso).
Mlrandella.
Beja.
Barcellos.
A entrada pelapateo da matriz.
Os trabamos da reedmeacie desta photographia,
e que se prolongaram' por umrr lempo, acham-s*
felizmente terminados e ella aberta ao senico do
vt%m!3t sausn Ws
phia acha-se; muito augmeutado, e s a. parte, desu-
ada ao estabelecimento cont cinco salas, inclu-
sive'as djlauoratprtQ. Todos os cpcertbs e ang-
mentos ;endo sido fetos expresamente fra se
montar convenientemente a Bhotographia, nao se
portendo melhor model escolher de que a PKoto-
do Rio de
enmdos
_ dos mais
abalizados mstres, a nossa photographia acha-se
dlsposla e reedificada pelo mesmo plano da do Sr
I. Pacheco, a qa! foi montada sob lodas as regras
recoromenaadas pelos mais destnelos professores
de aecrdo com as modificacjks necessarias ao
clima do Brasil, recouhecdas e estudadas pelo ba-
bilissimo e pratico Sr. I. Pacheco.
Todo o interior do predio em qae est nossa
photographia fei modado desde a soleira da porta da
ra at a coberta, tendo-te demolido todas as pa-
redes interiores para se fazerem as novas salas.
ediBcando-s cm novo terraco envidracado mui
espacoso e eleganto.
Cobo sabido, lizemos urna viagem^pressa-
mente corte para examinamos as melhbres pbo-
lographias all, e foi a do Sr. I. Pacheco, a qne
raelhor. corresponden aos nossos deseips a aspira-
Qes, e da qual trouxemos os planos djepfis de
aju alarmo *od nm mez iudarido:o apro-
veita|ido a lifJBefjBe tao detnto.'meslr(. Pen-
samos qae juntando os nossos estudes e longa
pratica de 15 annos d p.otographia s utilissimas-
I5es ultiman ente recebidas do r. I. Pacheco,
tenap Montado a nossa photogrsphia bmo se
acha, podemos offerecer ao iflrjstrado^TJublico
d'esta cidade e aos nossos numerosos freguezes
trabalhos de photographia tao per/eiloa, como- se
podr desejar, e disto cenvencidos, esperamos
que contluuem a ;flispeniar-no8 a esma pro-
teccao com qae ha 1S annos nos tem honrado e
Jada do.
II
IM'EKESSAME GOMPOSICJO LllERJR1A.
C0.VTEND0 :
A noite do xtasis.
O sorriso.
A noite do assombro.
A lagrima
A noute do delirio.
O mysterto.
Com urna carta critica dirigida ao autor pelo
Dr. T. B. Rigueira Costa.
i volume brochado 2*000.
AS CENTELRAS
Poesas patriticas sobre a guerra do Paraguay.
1 volume brochado 2#0C0
.NA
LIVRAMA FRANCEZA
MUDANCA.
0 Dr. Carolno Francisco de Lima San-
tos mudou sua residencia e consultorio
para a ra do Imperador n. 57, 2 andar
do sobrado cu jo armazem conserva an-
da hoje o nonie de Alianca, tendo a
entrada, qae pelo lado da ponte Sete
de Setembro, o mesmo numero 37, da
frente. Ahi continnando o dito Dr. no
exercicio de sua profissao de medico e
de operador, pode ser procurado a qual-
quer hora do dia e da noute.
0 CIRURGIAO BEVTISTA
Frederico Maya
Tem a honra de scientificar ao respeiu-
vei publico ea geral, e aos seus clientes
em particular qua elle mudou o seu gabij
nete de consultas da ra Direita n. 12 para
a do Queimado n. 31 primeiro andar, coa
a entrada pelo pateo de Pedro II, onde po-
de ser procurado para os raisteres de sua
proflss5o, todos os dias uteis das 9 horaa
da manba s 3 da tarde.
Tambem previne, que contina a prestar-
se a vQiaSe dos clientes nao s na cidade
como nos seus suburbios, para onde aa
idas serlo precedidas de ajuste. Elle ga-
rante o bom desempenho e a perfei?o de
seus trabalhos, q que j bem conhecido,
assim como as commodidades dos nrecs
GIRALDES (IW.NJ
O Papa-rei e o Concilio
1 vol. em 8o encad. "feOOO. '
Acaba de'sahir a luz esta excellente publicacao
devida penna do lente da direita da universidade
de Coimbra o Dr. Manoel Nones Giraldes.
LIVRARIA FRANCEZA.
Ami
Precisa-se de um'ama para Cozinfar em casa
de rapar solteiro : na ra larga do Rosario nu-
mero 31.
Jorge tlemetfle de Borba Cavaicaute e seus cu-
nhados,, mandam celebrar duas missas no dia se-
gunda feira'Se do corrente, as 7 horas da ma-
nba, na igreja matriz do Corpo Santo, pela al-
ma de seu sempre lembrado sogro e pai Jos Ca-
valcante de Alnnqaerque, por sar o primeiro an-
iversario do seu passaraenio, e para isto convi-
dam a todos os seus parentes e amigos a ass;sti-
rem a esse acto religioso a memoria do fallecido
e desde j fe antecipam gratos a todos qae com
parecerem.
ronseca,
Commodidade publica
A |>essoas que precisaren! de amas, criados,
cDzinheiros, jardineiros, felores, amas de leit, es-
cravas para o servico domestico, caixeiro3, tanto
para a puca nomo para o mato, casas e sitios,
poderib dista data em diante mandar seus ped-
aos pi es,eript3 a sai do Torre m. 32, 2 andar.
Ama de leite,
PreeiM-ade una ama de leite, paga-se bem :
na roa Angosta n. 2, 2* andar.
j Terra n. 32, a* andar, preeisa-se
eanstantemente oe amas; tanto forras como escra-
Confraria de JX..B. do
Livramento
Domingo 25 do corrente, s 10 horas do dia,
ter lugar a reuniao da mesa-geral, para o flm de
se proceder a elaico do aovo jtiz, que tem le re-
ger a mesma cotpfraria ne Tseate anno a ter-
minar em 187!, cotoo prperro 7rt. 17 ttulo
4.5* do compromisso, para cujo fim Convido ata-
dos os irmoa da mesma comparecerm em o
referido consistorio para dito flmT
&A antiga padaria sita no Varadouro em Oiinda
vai reabrir-se no sabbado 25 do correte met A
falta qae ella fazia era geralmeale reconhecida e
o sea actual dono, achando se resolvido a s em-
pregar farinhas novas e das melhores martas tan
to parf o fabrico do nao, como gara o de bolacha
e bisedhtos de diversas qualidades, nao obstante
aehar-se aqaelle genero por elevado prej), e ten-
de tambem contratado erapregados habis, deseja
e espera a prqtecQo, tanto dos seas amigos em
particular, como de todos os consummidores e
bons pagadores cm geral, protestando que nao
terio motivo 'de quei
O senhores donos de vendas, hotes e qnaes-
qaer ootros estabelecimentos, bem como todas as
pessoas particulares sao convidadas a verificar e
experimentar o que fica cima dito.
Agencia em Pernambuco
Do Dr. Aver
Peitoral de Cereja
Cara a phthysica e todas as molestias do peilo.
Salsa parrllha
Cara ulceras c chagas antigs, impgens e ar-
ros.
Tnico
Cocserva e limpa os cabellos.
Pllnlas catbartlcas.
)08rj8[ Q i &&& $rJ9ft 0 ftfir
I MUDANZA I
0 escriptorio do Dr. Joaquim Jos de ^
jfX Campos da Costa de Medeiros e .ilbu- A
X querque est ra estreita do Rosario *
W rio n. 24. 0
Club do Monteiro
Assigna-se para o Club do Monteiro por seis
mezes, a principiar em ontobro at 31 de mareo
prximo futuro sob as sngnintes condcoes :
Os senhorw assgnantes do anno prximo passa:
do sao dispensados das formalidades da approva-
fio, licaodo sujeitos a deliberacao da directora oh
que se propozerem este anno.
llavera duas partidas, send'o urna na abertura
e outra no. encerramento, reuniao familiares aos
sabbados, havtado umeameote convites para che-
fes de familia.
Presos da assignatura.
Seis mezes 304000.
Tres mezes 304000.
Um mea 10*000.
Os senhores que desejarem assignar terao a boc-
dadede se dirigirem ao emprezario, abaixo assig-
nado, no Club Pernamtmeaoo, at o flm db' cor-
rete mez; e dessa data em diante roa da Auro-
ra o. 66, das 10 s 3 horas da urde.
P. J. Layme.
Ama
Acftaae
am q
e pag a
juesr
mdu,-que mitro em
o, dando os signaos
alregue o mes;
AtteQo.
Pede-se ao Sr. K.. d.'tVl.-; qae
. por especial
'aver mar m da ra que nao
lem cade. ,jue tirou da gaveta
ie para amos-
tra; a 4Qereno la a sau dono, esto Ruar-
taijtedo, do contrario aera seo n-ms decli-
0 amigo j
Precisa-se de ama ama
Apollo n. 28, andar.
de Jeit
de reite
na ra do
"Amonio de Paula Melle e sua muih
Joaquina Tasso de Mello, pungidos do maior sen-
timeolo, convida as pessoas de sua arnisade a
ouvireui uo Carmo de. Oiinda, no du 24
rente, algunsas missis por alma do seu sempre
ra Tasso
de cuja a Icario et-rn
M^T
2- andar
ra d. as eommodi
-o acolado, tem

i


Diado de Peraambuco Sabbalo 24 de Setembro de 1.870.
CP^


Este eoobecido estabeleciiuento acha-*e constaMemente bem sonido, em virtade das
facturas que recebe por lodos pa vaporee e navios franceies, dos artigos abaixo menciona -
[. dos, precos os mais resumidos que possiveL
CAJEADO FRAWCEZ
Botinas par enhora e nienluas.
BolUus pretas, brancas e de umitas outras cores, sortidas bonitas, do ultimo gos-
to da moda, e i precos tnais barates'do que em outras partes.
Botinas para horneas e Meninos.
Botinas de bizerro, eordavao, lustro e pellica, das melhores fbricas e eseoHiidas.
Botas pernelras rnsslanas.
Botas e perneras pan alaria, das melhores cualidades, de couro da Rus&ia, lus-
tro e buerro.
Zapatos do borracha para h Tendo chegado grande porco de sapatos de borracha vende-se pelo custo aflm Jde*
\ desempatar o dinheiro uelles empregado, sao baratissimos.
Sapatos de lastro para horneas.
Sapatos de entrada aaixa de eoro de lustro com salto, ae maito boa qualidade.
Abotinados para meninos e meninas
Sapatos abotinados de derentes modelos, Ae rauito boas quaiidades e fortes, unto
para meninos como para meninas, nimio baratos.
Sapatos de tpete.
' Sapatos de tapete aveludado, de casemira, de charlte e de tranca francezes e por-
tes para homens, para senhoras e para meninos.
tugoezes
PERFUMARAS
Excedentes extractos, banhas, leos, agua de colme, florida, divina, lavande, den-
ttiflce, de toilette, sjfcouetes, tintura para cabellos, pomada angreise par bigodes, pos de
I -arroz etc., tudo isto de primeira qaaJade, dos afamados fabricantes, Condrtr, Piver e Lubin.
Quinquilharias
Lavas de pellica do conhecido fabricante Jouvin, esperaos para sallas, quartos e ga-
binetes, toucadore? de diversos taraanhos, leques para senhoras e para meninas, abridores
de luvas, trincos, pulceras, boioes, con-entes e ctaavfc d.rel9gios e trancelins, tedo de
ouro de lei, correales e brincos de plaqu, a imitacio e de mais gosto do qne as de curo,
.caixinhas de costara ricamente faartiecidas e ornadas com liadas pcssas de msica, albuns
caixilhos flourados para retratos, caixinhas com vidro de *aflgmento p3ra distintamente
ver-se a perfeicao dos retratos, objectos de phaotasia para toilettes, bolsiohas e cestinh?s
de seda, de velludo e-de vimes pera braflo de meninas e senhorai, ditas para costura*, pe-
queos registros mnito" tinos e delicados, bouqoets de Sores, de porcelana, jarros ivropris
para gabinetes e santuarios, qoadros promptos para collocar-se vistas, molduras doeadas
para qnadros, estampas finas de paysagens, cidades, figuras 3e santos, vidros pata eos-
morama, malas, saceos bolsas-de viagens, esporas, chicote, bengalas, oculos, lunetas ou
pensinez de prata doorados, grvalas pret3s e de cores, abotoiduras de collete e de punhos,
carteirinhas para notas=? thesounnhas e caivetes finos, pentes, escovas, ponteiras de espuma
para ofArntos e para c*garros, ogos de domin, rodtos, bagatelas e ontros differentes, ve-
nezianas modernas muio conveniente para portas e janellas, cosmoramas, lanternas mgi-
cas, esteriocopos cora interessaotes vistas de figuras e das mais bonitas ras, boultvards,
praeas e passeios de Paris, paotograpbias e caixinhas mgicas, reverberos' pata candieiros,
tapetes de vidrflho e do 15a de cores-para ps de Ianternas, realejos grandes e peqneno?,
harmnicos, aeordioos do todos os temanhos, berros de vimes para crianc.is, sapanhos e
toacas de laa, carrinhes de 3e 4 rodas rauito elegantes para condujir enancas pas9eio ; e
outras muitas quinquilharias de phantasia, francezas e allemes, precos muilo em conta.
Para este artigo nao ba espaco nem tempo para a massante leitura da infinidade de
gneros de brinqoedos fabricados em diversos paizes da Europa.
ATTENCI
O dono dcste estabsiecimeoto pede ao publico em geral que contiaue a visita-lo
| verificando as quaiidades e os precos baratos de ditos objectos por serem viudos em di-
reitura e de conta propria.
bavd i. umm
mmsM
Com fundipc
RA DO BRUWI 52
Passando o chafariz.
Chama a atienco dos Srs. de epgenho para seus acreditados machiaismos com epecialidade para seus vapores que ainda urna vez tem raelhorac'o.
Os vapores foroecidos por filie e j inccionando Ihe ho de fazer nielhor apre-
ciaco do que qualqruer dito proprio.
Desejatambem.mencionarquetea feito urna redcelo em seus precos.; e que
tem prompt toda a .-,spae dfi rnacbmismo e outros objectos para a agricultura.
Fotograpliia imperial
GALKRIA BsE PINTIHA
J, Ferrara Filela
Desda o da, 7 da abril pastada aeba-se berto o
aovo embelecimento photographico, sito a ra o
Sabug n. 18, esquina do pateo ta matrfc. Ostraba-
!hos qne desde Hi, tem sahido de noss offlema
terii geralmente agradado, sendo receidos por
ilguns com adatiracao pelo extraordinario pro-
gresso que ulUmaraente tem do a photc graphia,
3 por outros com alegra, porverem provincia
otada.cora nm estabelecimento dignodella, e in-
coBtetavelmente o primeiro que jpwse genero
aojepossue : tambemnio nos poupamosem oousa
alguma para monta-lo no pe em que se acha, es-
perando que o publico de Pernambuco sabera
ipreeiar nossosi esforcos o recompensar nossos sa-
crificios.
Convidamos a todas aquellas pefsoas, nacionaes
a estrangeiras que gostam das artes, ou tiverem
oecessidade de trabahos de photographra a visi-
tarm o nosso estabelecimento, que estar sempre
abrto e *ua dispoeicio todos os dias desde as 7
horas da manhaa at as 6 da urde.
Para os trabalhos de photographia possuimos -ip
versas mehmas dos melhores autores francezes,
inglezes e allmemes, eomo se)am : Lerebours et
Secretan, Herraagi, Thomai Roes, Voigtlander et
>onn e Wulf. ltimamente reeebemos tres novas
machinas! sendo urna, deltas propria para tomar
sobre o mesmo vidro 4 on 8 imagens diversas e
isoladas, e oatra de 6 a t imagens diversas e
igualmente isoladas, de sorte que ne caso de
grande concurrencia podereraos retratar sobre
ama nica cbapa at 8pessoas diversas e isola-
das part cartOes de visita, eassim em men^s de
um qnarto de hora (espaeharmos 8 differemes
pessoas que pecatn cada urna, urna duzia de cartoes
mais ou menos, com os seas retratos smente, on
sm grupo com outras.
Encarregaraos-nos exclusivamante da direecao
s feitura dos trabamos de photographia dei-
xando penda e talentos do distincto pintor
allomad, o Sr.
Jorge A. Ruth
os trabalhos de pinlnra, a aquarela, a oleo, e a
pastel.
O Sr. Roth acha-se ligado a nossa empresa por
ama escriptura publica, e at o presente tem-se
desvellado na execucao de seus trabalbos.
No nossoestabelecimentoacham-seexposlos ou-
tros trabalhos im|K>rtantes do Sr. Roth, tanto em
miniaturas aquarella como oleo, reiratos
oleo, quadros sacros e diversos outros trabalhos.
Temamos encommendas de retratos oleo at o
tamnho 'natural, assim como de quadros sacros
para ornamenta gao de igrejas'on capillas. Tam-
bera aceitamos encommendas de quadros histri-
cos.
Assegnramos que os precos dos diversos tra-
balhos da noesa casa sao mui rasoaveis.
CAftTfJES DE VISITA NAO COLOBIDOS 10|3-00 A
DUZIA
CARTOES DE VISITA COM O COLORDO AO NATC-
RA.A 160000 A DUZIA
Barates em miniatura a oleo ou aquarella de
K5 20000*'cada nm, fndo conveoientemene eD-
jaixilhado eto moldura dourada % regalando o
insto da penca retratada de 8 k pollegadas e
todo o quadro palmo e meio de taraauao.
' Julgamos quo baatarao os precos cima para
larmos idea da barate-a do trabalhos do aosso
aetablecinjecJo. quaato sua perfeicao cada um
ienha jujgar por seus proprios olhos.
A8 mii'.dres horas para se tirarem retratas no
osso estabelecimento, sao das 8 horas da manha
I da tardf; entretanto de urna hora s oda tarde
so\ casos especiaes pode-se tambem retratar qaal-
JD.6T pesBoa;,
Nos dkis de chnva, ou por tonipo sombro po-
temos retratar, easeguramos que esses dias-sao
n mais favoraveis aos trabalbos de photograabit
tela doQora e persistencia da luz, e p< r termo| o
aosso terraco construido com taes proporcoas e
nelhoramentits, que ainda. chovendo jorros'ne-
inum inconveniente ha para fazer-se bellos re-
ratos.
J. F>rreira Villela
---------- i -------------.-----1 f -------- i '----------;;----------------~
Precijase alucar uma casa as visinbaaca
das offiinas dos trilbos uTbanos de Apipncos, pre-
fere-se goe tenha agua ejgaz dentro a tratar na
estagao do Recite. j


4

o
m
9
AMA

. ITecisa-e de uma ama forra ou es.-rava que
saiba encommnr e fzer o erviro interno de uma
casa de familia : a tratar no Corredor do Bpo
no t.-onna ruada Cadeia do Reci, ariuaiam
n. 1.
Jos Marqo^s de .Virusa Brn;;a f.vz sciente a sus
freguezes, que muduu sua fabrica de calcados que
tinha na lja do sobrado c. 21 do largo do Corpo
Santos pira o 1* andar do .mesmo sobrado, onde
ssr procurado a qoalqoer hora.__________
Oflerece-se urna senhora habilitada para cui-
dar da educacao primaria de lgnmas mani', en
algum engenbo perto desta prac> : no 3" andar
rado n. 36 oa na das Cretas.
-vi-
Oi
AVISO

wU
qu?
de^mbr-,d fkada e_-----
ente ^MtiAe 9t* daP*.
Recife 2 de'setembro de 1670.
Antonio Jos de
apre-
miar de hoje.
Cjrva
Iho.
Precisa-se de nma ama para strvkjo de casi
e ra, sendo forra : na travessa da matriz de San-
to Antonio n. 10.
Pingajo -
Desappareceu na noile de .42 do corrente, da
casa da ra do Imperador n.-'JfS, 2 andar, um
papagaio com os signaes segaidtes : ama argola
de lati era forma de clchete no p esqnerdo, as
asas aparadas falla muilo e est sempre a cantar
a caocao valgarQarca o pai, etc.sto com
clareza, entras veie a eslumar caes gritando
Bota a baixo caoocolo velho: qnem o aohoa
ou delle der noticia ter unuw grande recom -
pensa.
------------------------------------------1-------------------------------------------------------.
Ama deleite.
f Preeisa-se d uma ama de leite : na ra da lm-
peratrian. j,2 andar.
rp| mi ^p.n?
HQI^flaV JUJ **
pot amoo saoqs pnc joog sjozns |o mam
uossi faiddaj^j
sa(H|g ptite tjooa
ZlS
I KU1
ui mis je |
t^aa |3d'
sbp
-idoi^d 'sopeieo on oiuauiijos ojajduioo
tun jaqaoaj op eqaac enb osnqnd oe a
6o8iuie snos e edioued caps ip 9|dda
opueoje.q oiu;imr3d|oqjA eiap cuop
e.\ojj ena aio.Jino
oe ?to viaoiaiA v(| ovava oa vni
op'BJiiop tnmSesJoq o
OQV31V3

COMPRAS.



G muzeo de joias
Ni roa doCabug ni compra-se ouro, prata
1 podras preciosas por precos mais varntajoao* ,do
Toe em outr aualquer parte.
Lom muito maior vantagem comprm-se
ouro, prata e pedras preciosas e n obras velbas:
loja de joias do Coracad de Ouro n. 2 D, ra
Cahug;
VNDAS.

-------
CONVITE
0 Costa raa Duque ae Calas n. 42,
toma pelo presente a liberdade de convidar
aos amigos e freguezes que sempre o hon-
raran e contmuam a faze-lo com o concur-
so de sua fregaezia, v^rem visitar o seu
estabelecimento, certo de que nao deixarao
de agradar-se, naos de seus gneros,
como do traiamento e limpeza qne a todos
despensa.
GNEROS DE IMPORTACO
Uvas verdadeira Feral
Ameixas secas.
Peras.
Maceas.
Vinhn do Porto de diversas quaiidades
entre ellas a especial qualid3degloria do
Brasildito em pipas e barris, que re-
commendcvel pira mesa por ser o verda-
deiro vinho de pasto, dito verde da me-
nor qualidade possivel-
Queijos flamengos empellicados e pratoo
melhor que tm vindo a este mercado.
ErvHhas novas em conserva
Chocolate de especial qualidade.
BoUchinhas de especial qualidadede to-
das as marcas conhecidas.
Manteiga ingleza e franceza de Ia sorte.
GNEROS DO PAIZ
Doce de goiab 1 em latas
Quijos de Minas muito frescos e de boa
qualidade.
DO DISTINITO
Corpo patritico de lanceiros
BAZAR DA MODA tem recebid ultima-
mente um grande e especial sortirneuto de
todos os objectos proprios para este fim
Gaze,s florentinas de.lindas cores, o co-
vado 2#000, e outras mui las fazeodas pro-
prias, e de bprn gosto.
As mais ricas sabidas de baile a 40 e
455000.
Os mais bellos e. elegantes bourous d
grande Rovidade a 165000.
Mantas de laa o seda em ponto, de ma-
Iha, e muitos adornos da moda, de 65 a
i:5O00.
, Delicadissimos siutos de fil com lindos
enfeites de bellissima phantasia a 800.'.
Goltinbas e punhos de grande varie-
dade.
Corpiabos de cambraia, enfeitados de 65
a 135000.
Luvas de pellica muito fresca, grande sor-
tmenlo, e muitos outros artigos proprio
ao fim, tanto em fazendas como em miude-
zas e perfumaras.
PARACAVALHEHtOS
Gravatas brancas, no que ba de melhor,
com laco e para dar laro.
Camisas de linho'muito finas, simplemen-
te bordadas de multo gosto 7;$00,
Collarinhos bordados e tizos.
Luvas fresquissimas e grande sortimento,
tudo se vende o mais commodo possi-
vel.
Jos ite So/iza Soares (ft C.
Farinh de Mag
Ra da Pra'a, travessa do Carioca n. 5, vnde-
se sBperior farinha de mandioca em saccog gran-
des, a preeo de 6000 a 600 para acabar.
CANTARA DE LISBOA.
Soleiras, hombreiras e capiteis : a tratar no
armazem da travessa do Corpo Sauto n. 23.
Na travessa da roa
as Cfazes n, 2, pri-
meiro andar, da-sc di-
nheid sobre penhores
S de ouro, prata e brhaa-
1 tes, seja qaal for a qoan-
| lia. Na mesma casa com-
m pram-se os mesmos me-
taes e pedras.
eBsnvaniii mbiih mesm,mti
WiulgroalW wBwtwm wffmlmi
Vende-se uma machina de costura, urna ca-
ma de Casal em mel uso : no Corredor do Bispo
n. 33. Na mesm casa troca-se uma linda ima-
gem ae Christo.
Muita attenpao
0 Campos da ra do Imperador n. 28 acaba
de receber em sen armazem, uma partida de se-
ment* de hortalica qne passa' a mencionar as
quaiidades e precos.
A saber :
e salsa, a 60 res a oitava.
ne coentro, idem..
Do repolbo, idem.
De ervilhas brancas, a 600 re* a libra,
De ditas tortas rouxas, a 800 res a libra.
De bracolas, a 60 res a oitava.
De pepinos, dem.
De f^ijao ervilha papo de ro|a, a 100 a libra.
De dito amarello, idem.
De dito mela-cara, idem.
De dito cor de ganga, idem.
De tomates grandes, a 60 res a oitava.
D<* "ijao de 7 annos para grao, a 100 rs.a libra.
De fdit.i de 7 annosrdxo, idem.
De espnaifres, a 66 rs. a oitava.
Sal do Ass
A bordo do palhabole Garibaldl, ancorado em
frente ao Caes do Ramos : a tratar com Tas*o fr-
maos & C, rna do Amonm n. 37.
BRAZILIAN STEET
Railway Company (Limited)
^--- ^tten^fio
Tendo apparecido ltimamente bilbetes
falsos racommenda-se aos Srs. negociantes
e mais pe*soas qne oseostumam receber
como dSnheiro que nSo os acceitem rxais se
nao as e6tace8, para evitar perdas e pre-
venir assim a falsificafao, c|jng autores a
companhia procura fazer pdoir pelos meios
lejpes.
Escriptorio da companhia,' 22 de setembro
de 1870.
William fatcUnson.
Gerente.
PORCOS
tannha de trigo nm pouco avahada para por-
cos, bois, galinha, etc., etc., a 5> a barrica com
6 arrobas, assim como tambem serve para pada-
ria por nao estar muito estragada : na ra do Li-
vramenlo n. 36, armazem Baliza
Vende-so pennasde ema, cera de carnauba,
farinba e feijo em saceos : na ra da Madre de
Dos n. 5,1 andar.
Para a Testa do general.
800 duasias
de foguetes do ar por menos preco do q.ue era
qoalquer parte, garante-se a qualidade : na ra
Direitan. 53.
Calpados estrangeiros
Grande sortimento de calcados de todas as qua-
iidades para homes, senhoras, meninos e meninas
pelo preco mais razoarel do que em onira qual-
quer parte : na loja de calcados de sobrado ama-
reUo da.rna da Cruz n. 21. ____________
Secretaria de faro
Vndese e est vista em casa do^ importado-
res Shaw Hawkes & C, ra da Crn-, n. i.
Vende-se a taberna sua ra e S. Jw n.
61, com commodos para familia, e com. poneos
fundo9, propria para algum principiante.
Fogao de patente.
Vende-se em ca*a dos importadores SHaw
Hawkesi C, ra da Cru n. 4.
Aluga-se-am sitio cora boa casa >!e vwcuda
e grande quantidaile de arvoredos de fructo, en-
tre os quaes boas laranjas de nmbigo, sapotis,
gniaba>. etc., mi largo do chatariz da Pot Magdalena : a tratar cora o seu proprietarioup
sobrado da esquina que volla par es Remeoio*
n. 29. ^
r- Precis>? de nm caixtii i 16 aonos
de idade para laavrna : a tratar oi roa da Gloria
___.
ado ioSo Tp
rtraes-
Yeude-so
- o ad
>to para
3 da tari
a preces mdicos vinho do Porto, superior qnali
dade, em caixas engarrafado, e barris da quartos
e de decimos : no eseriptorin d Soar*s Primo?,
ruado Viga rio n. 9.
urgente a
Preei ns ann p?ra c '^m
prar ; na roa da Cadeu doBocJfe n. 37, Io r
f'oqo^ instantneos aperfeiqo-
ade por preqo muito commo-
do : na rna Nova n. 28, loja de
Antonio Pedro de Suuza Soares.
Bombas completas pira
cimba, por diminuto prec,o. na
mesma casa.
JoaquimRodrigues Ta-1
vares de Mello,
TEM PARA VENDER 5
era seu escrip'.orio, prac,a do Corpo Santo 56R
n. 17 : .$*
Fumo em folha
de Ia e 2* cjuadade, e vende um ou mais >g
fardos a vontade dos compradores. *
Cal de Lisboa
W ultima chocada.
g PotassadaEussia. 1
Vinho Bordeuux.
9. de Ia qualidade. Tudo de vende qaai
XS barato da que era outra ijcalquer parte.
tival sem segundo,
(Anliga ra do Queiiuado)
me
iras finas par; I coftu-
. .
Papdii de agulhas francezas a ba-
WQ ~ 60
Caixas com seis sabonetes de fruta 10000
Libras de 12a para bordar de todas
as cores a......- SffOOO
Carriteile liaba Alexandre a, .
Fraacosciom areite para machinas 900
Grvalas4e cores mnto finas a 50
Grozas de boioes, madepersia fi-
nissimos a....... 300
Novello de linha de 400 jardas a. 60
Caixas com 100 envelopes muito
superiores a...... 600
Pentes volteados para meninas a. 240
Tinteiros com tinta preta a 80 rs. e 100
Pecas de fita elstica muito fina a 200
Lata com superior banha a 100 e. 200
Frascos de oleo Philococio mnito
fino a......... 300
Frascos de macaf perola a. 240
Frascos ,fle extracto muito bonitos a 300
Duzia d' sabonetes muto finos a. 720
Sabonetes nptezes a 600 rs. e. 1*200
Frasco com agua de colonia Piver a 500
Dito de oleo babaza a..... 300
Caixas de lamparillas a. 40
Sabonetes a forma menino muito
superiores a....... 240
Lartilbas da doutrina fazenda nova a 400
Libras de linha sortidas de todos os
nmeros a.......10800
Capachos mnito bonitos e grandes a 700
Carriteis d retroz preto, com 2
oitavas a........
Agufheiros o'e osso enfeitados a, 40
Libra de linha franceza superior
qualidade a...... 20400
Caixas de aio do gaz a. .
A ra do Duque de Casias n 21.
CANTIGA RA DO QUEMADO)
Receb'-n ?epuin'.e :
Espetaos grandes dourados, moldes bonito?.
Carteiras, charuteiras e port-cigarros de muilas
quaiidades. /
Bonitas pastas para papis, simples e matisadas-
Boas aixas vasas para costura com sua cempe-
tente chave.
Delicadas caetas de marfim com o bocal
prata.
Modernos pentes.de tartaruga, sobresahindo en-
tre.elles es mimosos tslepraphistas.
Cwnmodoi loucadores com duas paveas e b>rj
espelho.
Porl bouquet, o que de melhor teta appare-
cido.
Porl r>'!iif;i(is de mutas <;iialid.idc?.
Ilnns talbeni para enancas.
Vostuarios, cbapuzinhos, toucas, sapalosenieisj
para baptisados.
Toalhas e fronha de labyrfntho.
Chapeos echai'li!ias para senhora, mo'.des notos
e bonito?.
Chapozinbts gorros e bonete para menino
menina-.
Cuutrii as convulsos nas
cri::ncas
Vende-se os verdoddras.collares, na Nova,E
ranea, rna dn Duque oe r,.,V.i; u. 21.
'PAKA V
para pretos ou caataWlos, recbea a Nova 1
ranea a verdadeira tinta tibieza.
PARA ACABAR COM AS SARDAS
ou-par.nos, tem a Nova Esperanca o verdad
(rite de rO hnn.v
> )l-; PLOH DELABAKJA. '
Vende-si' na .\ i>a i..-; r' ;a, ra do Duque de
Ca*ias n. Si.
PAPEL PARA EJPEITARSE BOLOS
rerebeu-ns > mio Hnflos a Nbva Eseeraoea, ra
do Duque de ('.axis- n. Jl.
PARA AMACIAi: E AFORMOSEAJt A PELLE
tem a Xjva Espoianga as safeooote de pos de
arroz.
Potassa nova da Russia a 200 rs.. a libra.
i de Lisboa.
Cera em velas.
Dita era grame.
Vinho do Porto superior engarrafado.
Dito de dito bora ulero.
Dito muscatcl de diversas marcas idem.
Dito tinto Palmellu superior idem.
Dito dito Vermoeira idem. / '
Dudito lavradio idem.
Dito branca Carcavellos dem.
Dito dito Rucellos idem.
Caldeira? de ierro fundido para arginhoa.
Kd escriptorio a Olivei.ra Filbus t C M largo
do (>>rpo Santo ii.;l(.______________
Ninguem contesta
Qne o Campos da roa do Imperador, n. 28, po-
de bem servir aos amantes do bi-in, pois que o seu
armazem se acha bem prvido do? melhores e mais
bem escolhidos generes alimenticios.
O "Campos limitase a mencionar o seguinto :
Premunios inglezes e^ortugnezes
[iscoitos, bblacbinbas e bolinbos.
Conservas inglexas e francezas.
Salchichas e >alchichoes com lubara^.
Diversas conservas alimenticias.
Salmn e lagostas em latas.
LicOr estomachjco e digestivo aya-pana.
Toncinho inglez para lunch.
ErvHhas francezas e portuguezas.
Camarijes seceos do Maranhao.
Doces linos, ralados e em caldas, e goiaba.
etc., etc.-
Champanha dos melhores fabricante?.
Vinhosmaduro ao Porto, titos da Figueira,
verde e palheto, pelo* ltimos vapores
frar.cez e brasileiro.
Queijos de Minas, de prato e flamengos.
Ivas de Alicantesao um torro a'assucar.
O Campos girante a snpenoridade drs genero?
cima de^eriptos
E qnem dnvtdar vetehs ver.
LAGEDOS PARA CALCADAS.
Vendem Joo do Reg Lima & Filb > : ra
do Apollo n. i.
Val nova de Lsbua
\ 35000 o barril.
Xa na do Brum n. 8".
Attenqao
Vende se uma canoa j velha de carrejar lijo-
Ios : a tratar na ra Direita u. 101.___
Pechincha

Saias de laa com barra de cor a it, balos da
arcos a I800, algodaoznhi) cora 4 palmos de lar-
gura a 5 a peca com 20 jarda?, chitas propria?
para casa a 2i0 rs. o covado, laa escora a 240 rs.
o covado : na rna do Livramenlo n 10.
VINHO DO PORTO.
Vinho do Porto fino, de diversas marcas, tem
para vender Joo do Bego Lima & Filho, no seo
es;ript.ino a ra do Apollo n. 4
Ultimo gosto paife
as senhoras.
Chapeo? de palha para as senhora, da ultima
moda, -egundu oa gurinos
ultimo.
Ra flitva u. 56.
...CHUMBO YELHO.
Vende-se chumbo velho : no armazem di bala
t no oit) da secretaria de polica.
IKil u
Sahiram luz
As ras em contra*'anr;a.
Linda quadrilha para piano por Colas !ilh'.\
Fli r da Boa-vista, valsa : a venda no grande ar-
mazem de pianos e e msicas de Azevelo, rus
Nova n. lt, hoje ra rio Bario da Victoria,
H> B. Roga-se aos Sis. assignaates de m.nda-
rem buscar as pegas de suas assignaiura?.
Ultimas pnblicacoLS da imprenta nacional
de msica.
M. t. Piano. Annetla, polka biilbanle, porl.
Smoliz, 2*000.
N. 5. Piano. Minerva, polka brilbante, por Colas
Filho, 1J.
N, .'! Piano. Chico Diabo, polka brllhanie. por
., 500.
W. 4. Piano. Uma lagrima, Mazurka, por Ma-
tileeB. Zucchi. Iff.
5. 3. Piano. Morte de Lopes, polka marcial, por
"*, *.
N. 6. Piaoo, La Grande Ducbess, polka per Lu-
cien LamBert, 1.
N. 7. Piano. Carmen, Anita, La Playera, "I pol-
kas dos cavallinhos, l.
N. 8. Piano. Le Souvenir, yalse de saln, po
E. Casalbore, 1*.
N. !>. Piano. Sanlinha, Maroca, 2 valsas dos ea-
vallinhos, 1<000.
N. 10. mu. Chant D'Oifoaux, polka, por K.
Casalbora, 15.
Iri II. I'iane. A flor da Boa-vista, valsa, por
Jos Coeliio da S. A., i. .
K. 12. Lagrimas d'Aurora, Mazurka, por J. J.
P., U.
N. lt. A entrada de ferro, quadrilba, por Hen-
rique Albartazti, lj.
N. 14. Canto. SanU Lucia, barcarola napoli-
tana, p>>r Gennam Arnanri, 1|.
N. 15. Canto. Marta Aria, para M. S. M' aqqari
tutt' amor, doFlotow.
N. 16 As ras em contradanca, quadrilha, por
Cola? Filho, 1J.__________________________
As mopas do Recife.
Avlsa-se as Exmas. Sras desta capital qu
ra do Vigario n. !6. 1 andar. eseri| uno, h
nm variadissimo sortimento de rendas e bicos d
Aracaiy '|u> se. vendem pelo prego m>
d'aguele lugar, man
sas para mais gosto e a conten.i
__________
Farinha de mho
: a tratar
Irmiios & C.,rua da Cruz o. 3.


6
Diario de Petnambuco Sabbailo 24 Je Selembro de 1870
i
GRANDE
BAZAR DO
60-RA DA MPERATRIZ-O
DE
PEREIRA DA SUYA
Neste impc rante estabelecimento encontrar o respeitavel pabjico, um grandee Tarrago sortimento de (a^endai (fo mais
aparado goato e todas de primeira necssidade, qqe se ferien nas baratas do que em outra qaUjwer parta, Visto que osnc-
tos socios desta firma, adoptaram o systema de s venderem DINHEIRO ; para poderem vender.pelo casto, limitandose apenas
a ganbarem o descont ; as pessoas qoe negoeiam em pequea esea'a, nesta loja e armaaira poder-So taleros teus aortimeat'is
pelos mesooos pregos qoe compram na casas inglezas, (importadores) para maior eommudae das Exooas. fmilas se daro
amostras de todas as fazendas, oa Ibes levam em soas casas para escolherem. q4 jf o !\ kffT A
PECH'NCHA EM CASEMIRAS A 40000. CORTES DE LA ESCOCEZRS 61000
No Razar do Pavo fez-ae urna grande Vende se bonitos cortas de la escpcezas,
campra em um leilSo, das mais finas rindo cada om em sea papel, pelo barato
casemiras inglezas que tem vindo a es- prego de 60000 cada um; no Bazar do Pa-
te mercado, tendo cores claras e escara, vo.
todas com padroes serios, proprios para 0RGANDYS BRANCO E DE QOR
caigas, palitos e Golletes; vende-se a 40000 No Bazar
o covado, o qoe em outra qoalqner parte bonitos e maito finos organdys com fistas
n3o se vende por menos de60; grande largas e miadas 15000 a van, ditas lisas,
vantagem. fazendade muila pbantasia SOO rs. a vara,
BRINS DE LINHO DE COR A 10200 ditos d cores, flnissimrs padf5e, ioteira-
No Bazar d" Pavo, fez-se ama grande mente novos 800 rs. vara; pechincba.
compra de paros brins de linho, muito en- GROSDENAPLES PRETOS
CAMISAS DE EftANELUS A..30OO.
No Bazar do Pavo vender om bonito
wlimaalo rom lodos flg.himnhng dmae-
.'i ai JD*la*
Quando a NOVA-MSPRANCA faz os seas
ananrioi experto x* swtaiaagiaua e a
todos em geral o grande sortimento e su-
perioridad de feos Qbiectat na com vis
tas de iralKa a\t(t$roWiJma grande fre
gowia, como a de que actualmente despde
e sjm para scientiPcar (a interese'de Mftos]
a qualidade de seus objects os quaas s5o
erapre de apurado goste e peifeiifio; tor-
nando-se qoasi iadispeosavft para aquelles
fpreciadoi-es (dobrira) frequentarem No-
va Eperaqca, pola qoe ella capacha em re-
cebtr constantemente, o que ba de melhor
relativamente a sua repanicao: o qoe se po-
.der verificar apando em' qualquer reaniSe
.de pessoas (amantes doxiquej v-se am
bonito eofeite em um bonito vestido, am
aroma agradavel eseapar d'am alvo tengo,
am inod^riu) e linde lago, um dilicado ra-
mo d Boas Acres, le, .ele, todos olbam-se
reciprocamente e dizem com sigo (e as ve-
zes uns aos ontros) estes alo objects
comprados a NOVA,ESPERANtA: realmen-
te II! 1 procurar descrever em annuacios os
artigo que conten dita loja, seria trabalho
insano e nanea o fariamos com aquella
***#-& 1 graga e perfeigo com que s5o elles fabrica-
lhores camiaas, de actti* de lia, cem dos, ,aSsw pois a.lOVA-ESP.RANCA con-
corpados, proprios para caigas, palitos, col-
leles e roupas para meninos, por serem de
padroes miudichos; garante-se que nao ha
barrel!a que lhe tire a cor, e vende-se a
10200 o metro desta excellente fazenda.
MADAPOLO FINO A 60400 A PECA.
No Bazar do Pavo vendem-se pegas de
ma.dapolSo fino de maito boa qualidade,
tendo 22 metros oa 20 varas cada pega,
pelo barato prego de 60000, por se terem
comprado om pooco enxovalbadis; pe-
chincha.
CHITAS ADAMASCADAS A 240 RS. O
COVADO
O Bszar do Pavo vende maito boas chi-
tas inglezas incaroadas adamaccadas, pro-
prias para cobertas e cortinas, sendo fazen-
da que em qaalquer loja se vende a 320 rs.
e liquida-se a 240 rs. o covado; s o Pa-
vo.
TOALHAS A 70500
No Bazar do Pavo fez se urna grande
compra de toalbas alcochoadas, proprias
para rosto, bastante encorpadas e grandes,
que sempre se venderam a \120000, e li-
quidam-se a 7<&500 a duziarjou a 640 rs.
cada urra, boa pecbincha.
CHAPEOS PARA MENINOS A 20000
O Pavo vende um grande porgo doi
mais bonitos cbaposinbos de palha da Ita-
lia proprios p.ra meninos de todas as Ida-
des, sendo chapeos que valem 50000 e ven-
dem-se a 25000 cada om, muito barato.
CHITAS E RISCADINHOS M1UDINH0S
200 RS.
O Pavo vende chitas cu rircadinhos miu-
dichos cor de rosa e rxinbos, proprios
para vestidos e roupas de creangis a 200
rs. o cf vado. Sao moi'o baratos.
LASINHAS COM PALMAS E SEDA
Che-.ou para o Pavo o mais bello sorti
ment das mais brilhantes laainbas claras
com booitas palminhas. de seda; tendo lar-
gura de chita franceTa e vende-se a 10OCO
o covado grande pecbincha.
ALPACAS MUSIDAS A 640 RS. 0 COVADO.
Vendem-se as mais modernas e bonitas
alpacas matsadas com palmiahas, muito
proprias para vestidos de seohora e di me-
ninas pelo barado prego de 640 rs. o cova-
do ; sao muito em conta.
pa:a noivados cortinados, colchas.
Chi-'i'u para o Bazar do Povao am gran-
de sortimento dos mais bonitos cortinados
bordados, proprios para camas e janellas,
que se vendem de 100 00 at 200 JO o
par. assim como o melbor damasco cam 8
palmo- de largura a imitagao de damasco
de seria, proprias para colcha?, e propria-
mente colchas de damasco, send. os melho-
res e mais bonitas qae tem vindo ao mer-
cado.
SEDAS PE LISTBAS.
No Bazar do Pavo vende-se urna grande
qaanti lade das mais elegantes sedas com
lislrinhas, tendo de todas as cores e at
fcrta-cr; fazenda qoe ninguem vende por
menos le 20400, e liquida-se a 20000 cada
covado; sao maito baratas.
SE1INSDE COBES E GROSDENAPLES.
No Bazar do Pavo vende-se am sortimen-
to coiopieto dos melbcres setins e grosde-
napies de todas as cores, qae se vendem
mait" em conta.
POPELINAS DE LA A 4C0 RS. O CO
VADO
N1* Bizar do Pavo vende-se am elegan.
e sortimento das mais bonitas poapelinas
de lia com lista1; miadinuas, sendo todas
qoa> i orna s cor, 400 rs. o covado;
9 baratsimo.
GRANDE PECHINCHA EM LASINHA
A 640 RS.
N Bizar do PavSo fez-se ama grande,
com ra de lasinba para vestidos, smio de
mnito b a qualidade, urnas com listas e ou-
tras con mselas, e muitos largas, que com
poneos rovados se faz vestiio e liquida-se
440 rs. fazenda que sempre se vendeo a 10.
ALPACAS PARA VESTIDOS FURIA
CORES NA 360 RS.
Vende-se om bonito sortimento das mais
brilha'-tes alpacas escuras farta cores,
sendo muito encerradas e tendo um hnlbo
cern seda, liqaida-se pelo barato prego de
360 ra. o covado por se ter feito ama gran-
de compra.
POPELINAS A 400 RS.
No Bazar do Pavo vende-se um elegante
sort ment das mais lindas poupt.lmas de
mangas, tanto-proa ras para boaens como
para senboras e vende-se a 3(5000 cada
do Pavo vende-.se os mr& urna, e qqem comprar-de ala idnzia para
cima ter om abatimflcio, Sao de muta
ulicUde. #c^
Granoe pecbincha a eaiaisa injbns a i'4SO0
No Bazar ooPavio fez-se ama grande com-
pra em leilSo, de finissimas camisas ingle-
zas com peitos e puchos de linho, iendo
mm aBafiahae^' Ae tedos es nnaaoms a
40000 cada na, ditas sem coitarianos,
pora fazeida floi?sima a 40500; 4 gran-
de pecbincha. v r j
CAMISAS atflATAS a 2#$#0.3 JOCO e 20600
No Bazar do Pa^o veade-se urna gran-
de porgao de casimiras mescladas, auito
encorpadas a 20800, ditas finissimas coa
msela de seda a 30200, ditas modernas
gosto a
Chegoa para o Bazar do PavSo am gran-
de sortimento dos melhores grosdenaples
pretos qoe tem vindo ao mercado, que fe
vendem de 40600 at 50000 o covado ;
sao todo a muito em conta.
CAMBRAIAS TRANPARNTES
No Bazar do Pavo vende-se nm grande
sortimento das melhores camoraias braceas
transparentes, tem de 30500 at 100000
peca, ditas suissas finissimas com 8 pal- de qoadros, fazenda de auito
mos de largura a 20000, 20500 e 30000 130600 o covado; aproveitem.
tenia se 4 em convidar a todos geralmente,
visitarem-na para en)8o acarara iotei-
rados do qae ba exposto qa mesma loja.
91 Ra Duque de CaixlJUi
vara, ditas victorias e tapadas da mais infe-
rior at a mais fina qae vem ao mercado;
tado isto se vende muito em conta.
MANI"ELLETES DE FIL
No Bazir do Pavo vende-se modernissi-
mos mantelletes oa basquinas de fil preto,
om lago, pelo barato prego de 100000 ca-
da am, barato.
PANNOS PABA SATAS A 10000, 10280 E
10600 0 METRO
No Bazar do Pavo vende-se bonita fazen-
da branca tncorpada para saias, sendo gom
babados e pregas de nm lado; dando a lar-
gura da fazenda o comprimeoto a saia, a
qual se pode fazer com 3 < u 3 1(2 metros,
e oende-se 10000 e 10-280 e 1600; assim
como tambera no mesmo estabeliecimento
se vende bonitas saias brancas bordadas tea-
do 4 palmos cada ama, ditas de la de
corea j promptas ornas com barras dtffe-
rentes, da mesma fazenda 40^)0 e outras
com barras bordadas 60003 e 70000,
todo isto moderno e barato.
ALGODO ENFESTADO PARA LENCES.
No Razar do Pavn vend-se o mtlhor al-
godo^inho americano erfestado para len-
ges, tendo liso e eotrangado por prego
muito barato.
ESPARTILHO.
No Bazar do Pavo recebeu-se am elegan-
te sortimento dos mais modernos e melho-
res espartilbos, que se vendem por prego
mnito em conta.
PANNOS DE CROCH PARA CADEIRAS
O Bazar do Pavo recebeu am grande
sortimento dos melbores pannos de croch,
proprios para cadeiras da balanco fofas,
pianos, timboretes e al proprios para cu-
brir almcfadas e pratos; vendendo-se por
menos do que em qualquer parte.
Iiasinhas tranrparenles a 500 rs. o covado
O Javo r9ceb8a um bonito sortimento
das mais elegantes lasinhas transparentes
proprias para vestidos, que vende a 500 rs.
o covado; moito barato.
PABA LENCOES
No Razar do Pavo vende-se suierior
bramante d'algodo com 10 palmos de lar-
gura a 10800 o metro, dito de linho com a
mesma largura a 20800 cada metro, pannos
ds linhodo p.rtocom 3 1/2 palmos de largura
de 7z0ai 10 a vara, assim como umg aode
sortimento de Hunburgo ou creguellas de
todos os nmeros, pregos ou qualidades,
que se vendem mais barato do qoe em ou-
tra qnalqner parle ; aproveitem-
i
ATOALHADOS
No Razar do Pavo vende-se superior
atoalhada trangado, com 8 palmos-de largu-
ra a 10600 o metro, dita de linho adamas-
cado o melhor que tem vindo ao mercado a
30500 o metro ; tudo isto maito barato.
Bales reguladores a 40000 40'iOD e 50001)
Chegaram ao Bazar do Pavo o mais bem
feitos baloes regaladores, sendo de fustau
a 40000, ditos de musseiiua a 40500, di-
tos de lasioha de todas as cores a 50000,
todos elles sao muito baratos.
Panno preto maito barato a 30600
O Bazar d) Pava i recebao. ama grande
porgo de pegas de panno preto fina, com-
pradas em leilo, que sempre se venden a
50000 o covado e pode liquidar a 30600,
por ser urna expeliente compra,
BABEGES A360BS.
No Bizar do P.ivo vjode-se um bon'to
sortimento il>s nuis lindis ba eges lista-
dos para vestidos, que valem muito mais
dinieiro e liquid -e a 300 rs, o cova-
do, ditos mnito mais finos com listas a 400
rs, estes .barones sempre se venderam a
640 e 800 rs., grande pecbincha.
GURGUKOA640RS.
No Bazar do PavSo vende-se um bonito
sortimento dos mejores gurgaroes de la
la rom os gostos miodinhos sendo qnasi pan vestiios -endo umi liada fazenda,
ama ^ cor e con muito brilho, pichin- muito leve, mcia transparente e muito lar-
cha b 40. rs. para acabar. ga com furia core< e liquida-se a 640 r.
CH TAS A 20 RS. O CORTE. o covado por se ter o*to grande pecbincha
Ni'Bazar do Pavo vender cortes de ^compra,
chita miudinbas, sendo rocha e cor de rosa, CORE H\S A 30
tendo O eovadoa cada corte a 2} veade-ee! Vfnde-se co^u s te chita encarnada
aretalhda 200 rs. o c vad^, pachincha.! adamascada a 35 cali urna, pechiocaa.
CASSAS A 200 RS. CORTES INSANOS A 455r0,
NoBa7ar do Pavo liquida-se ug>a or- No Baz^r do Pa o veode-e benitos cor -'
gao de cseas fran^zas miudas e graudas, tes injiaaos com >ims saias peo an-
cores finas, qae se veadempelo haratiss m tissimo prego de 4*5-<0 cada um, pe-i
prego de 2U0 rs. o covado para aeab-.r. chincha.
TAPETES
Chegoa para o. Bazar do Pavo o mais
elegante sortimento de tapetes grandes, pa-
ra aefas, com 4 cadeiras, ditos mais peque-
os, para duas cadeiras, ditos para
pianos, camas, portas ; etc. vende-se por
menos do que em outra qaalquer -parte.
COLCHAS BRANCAS A 30200,305OQ.E 70
Para o Bazar do Pavo chegoa. um gran-
de sortimento das memores colchas do, fus-
to, s-ndo das melhores e maise corptda-
que tem viudo, a 70'uO.\ citas om .pooco
mais abaixo a 30500, e di^as a 30000;
tambem >oo mesmo estabeleoimento se sen-
de um grande sortimento de cretonas e cbi-
t. s. proprias para colchas, que se vendem
muit.em conta.
GORGUB OES O POPELINAS DE SEDA
A JOCO CADA COVADO.
Cheg u para o Bazar do Pavo om ele-
gante sortimento das verdadeiras poopelinas
de linho e seda, com os mais modernos
gostos, que se vendem a 20000 cada < ovado,
o qae em outra q alqoer parte nao se ven-
de por menos de 20500, previne-fe que rao
sao algod5o e seda, como ha muitos; mas
sim puro lkbo e seda ; sao muito baratas.
ROUPAS PARA HOMENS
No acoreditado Bazar do Pavo encontra-
r o respeitavel publico am grande sorti-
mento de roupas para borneas tanto bran-
cas como de cores, a saber:
Camisas coa: peitos d'algodo edeliaho,
para todos os pregos e qua'idades.
Cerollas de linho e algodSo.
Meias cortas francezas e inglezas.
Palitos sobrecasacos de panno preto e
casemira.
Calces de brim branco e de cores
Ditas de casemiras pretas e de cores, com
colletes iguaes
De todas estas roupas ha para todos os
pregos e qualidades, e tem de mais mais
um perito
ALFAIATE
Por quem se manda fazer com prestesa
e aceio qualquer pega de obra a capricho
ou gosto do fregaez, tendo n'este importan-
te estabelecimento todas as qualidades de
panno fino, as melhores e mais moder-
nas casemiras, assim como os melbores brins,
qur brancos, qur de cor; e quando qual-
qaer obra nao ficar integramente ao gosto
dos freguezes fica por conta do estabeleci-
mento.
CHALES DE MERINO
Chegoa para o Bazar do Pavo am elegan-
te solumento de chales de merino de cores
muito bons com padroes maito decantes
para qaalquer ama seohora usar, ditos de
crpon com listas de seda o mais fino e
moderno que tem vindo ao mercado, e ven-
de-se por prego maito em anta.
BABADhNH )S
No Bazar do Pavo vende-se m-gfande
sortimento dos mais Anos babadinhos borda-
dos tapados e transparentes, a s un como
urna grande porgo de entrmalos largos e
estreitos, que para acabar se vende mnito
em conta e mais barato do que em oatra
qualquer parte.
FAZENDAS PARA LUTO
No Bazar do Pavo vende-se cebstantf-
mente o melhor sortimeoto de fazendas
pretas para luto, como sejam :
Lasinhas retas lisas.
Cassas pretas de lia.
Cassas pretas, francezas e inglezas, lisas
e com salpico?.
Chitas pretas de todas as qualidades.
Alpacas pretas lisas.
Ditis lavradas com braceo.
Merinos, eaotOes, bombazinas, qae (S9
vendem maisbaratj do que em outra qual-
quer parte.
CHIPAS PRETAS A 200 RS. O COVADO
No Bazar do Pavo vende-se chitas pre-
tas inglezas com aalpicos i200 rs. ocovado,
ditas todas pretas, por estarem um pouco
russas, 12 > o covado; pecbioeha.
O* propietarios d este importante esta-
bellecimento rogam ao respetlavel publico e
particoiarmenie s Exmas. familias o favor
de se darem sepre ao trabado de lerem
os lees annuacios, pela razade muitos
d'allesserem mudad's amuiadas vezes.
CACHB-NEZ A 60000.
No Bazar do Pavio vendem se honitoB e
?rande< cachi-nez de pura la, pelo bara-
to prego de 60000 cada om.
VJE3TUE-SE
um ptimo terreno morado, pe- tr
dras, soleiras, vergas, cepos, etc., ^
para edileaco de, urnas quatro
casas.
A viava do finado Henriqne Jorge ten-
do reeebido em parlha pelo juizo de ur-
phos bens para o integral pasamento
das dividas restantes de iea casal, vende
oeteelteotaterreoo (oreiro, murado, na
iravessa.da Concordia catre o sobrado do
Dr. Beltrio e a carrtir oe casas terreas
do lado do sul, compxeheodendo ua venda
as mea$oes dos dous oite?, entre es
5 qoaestsituado o,terreno ; e bem as-
sim urna porcao de peoras de varios ta-
manhose qnalidades.iproprias para editi-
cacoe* : o que tudo pode ser visto e exa-
minado pelos pretendentes no lugar indi-
cado, qaalquer hora, nos das uteis :
a tratar na ra do Q'jeiniido, ou Duque
| de Caxias n 28, 1 andar, das 10 horas
S da ma.nhaa s 2 da tarde.
Qoando a AGUIA BRR1HCA, m* pM0" scientificar ao respeitavel .
al, e em particular a sua boa ^^^ da inmensidade de objects qoe ultii
reeebido, justaraentefquando eHa meos o pode fazer e porque essa falta
ia ella coafia e espera na benevolenc los que lh'a attendero e rel'
mtinoando portanto a dirigSro-ae a bem eoohecida kja da AGUIA BRANCA i
imado n. 8, onde sempre acharSo abundancia em sortimento de superiorii
idades, modicidade em pteos eesan ooaca desmenttida AGRM)0 E SINCERID
Do que cima fica dito se conbeca qoe o tempo de qoe a AGUIA BRANCl
dispflr, empregade apeaar deseos custosnodsempeobo de bem servir a aquellos I
hoaram procuraado prover-se em diU loja do qoe aecessitam, eatretaato sem eom
rar OAobjectos qqe por soa aatorezasao mais coahecidos ali, ella resumid
cara ftjoefes cuj importancia, elegancia e novidadt
btm aeja :
Cyriinhos de cambraia, primorosamente
enfeados con fitas do setim a obras eaaas
oja novidade^e molda e perfaiglo de ador-
aos os tornamvapreciados.
Fitas mni lasas de diversas cores e qua-
lidades para ciatos.
Loques oesse objecto moito se poderia
dizer querendo descreve-los minuciosamente
rr soas qualidades, coree e desenhos, tal
o grande e variado sortimento qoe atfba
de chegar, mas para nao massar o pretn-
deme se lhe apresentar o que poder de
melhpr.
Entremeios em pegas dB 12 tiras.
Gwlpore branco e preto de diversas qoa-
[lidades e desenhos.
Ditos de algdo com flores e lisos.
Veos de sada P4iahapaoas e oaa-,
toa.
. Meias de seda para noivas.
Ditas asertas de fio de Escossia.
Costumes ou uniformes para meninos.
Enxovaes completos para baptisados.
Touquinhas de fil, sapatinhos bordados
e meis para ditos.
Camisinhas bordadas para ditos.
Capailas brancas paaa meamas.
Grandes sortimenio. da fiores finas.
Fil de seda, ateto.
P
Graadf e constate stimanto da Ha
sempr* nelhor quijidada.
Lindos vasos com p de arroz e pnel,
Caixinhas com ditos aromticos.
Bonitos e modernos pestes douraoe
para circular o coque.
Bonitos brincos d plaquee.
Aerecos e brincos de madreperolr.
Caivetes finos para abrir latas.
Thesouras para frisar babadinhos.
Aspas para balo. .
Novoa atereoscopos com 48 vistas, as
quaes sio movidas por om machiniiao
urnas substituem as outras.
VSstaspara stereoseopos.
Bonitas caixihhas. da vidro enfeiudoscam
Ditaa de nwdeira eaverniaada com viapo-
ras e com domras.
Bollas de borracha para brinqued. da
criancaS'
Diversos objects de porcelana, profriot
para en fe i tes de mesa e de lapinhas.
*
VERDADEIRO LE ROY
de nentftEI, DocUnr-M4dli
N.3WJ
AGOSTIiO
%

Em cada garrafa, val, entre a rolhae o papel azul
aue lea o meu linete, um rotulo impresw em ama-
relio com o Sello Imfbul do 6oteno ikhcez.
N. B. I'.emet-
tendo-seumaleUra
de 500 francos to-
breParis.aceilarel
a 60 das de visLa,
ao mailmo,goza-se
do abaMmento e do
Bator deiconto.
Cal de Lisboa.
Vende-se cal de Lisboa, a ultima chegada ao
mercado, por pre;o rasoavel : no armazem de
Manoel Teixuira Bts'.o<. ra do Gommercio n. 13.
Farinha de mandioca.
Veode-se superior fariuha de mandioca, yinda
do sertao do Cear, em saigas de 2 i|2 e 3 al-
queires cada sacca, por prego mdico : ra do
Vigario n. 11, escriptorio de Jos Lopes Davim.
C3
>4
Com este titulo acha-se aberto e inteiramente transformado este antigo
estabelecimento de joias, onde os freguezes e amigos encontraro tudo quanto
a moda e o bom gosto tem inventado na arte de ourivesaria, o Collar lie Ouro
observar delicadeza no trato e senciridade e modecidade nos pregos.
Espera qoe o respeitavel publico venba ver o que existe de melhor em
aderagos de brilhantes, esmeraldas, robins e parolas, meios adoregos, pul-
ceiras, brincos, alfinetes e anneis de todas as qualidades, prata de lei faquei-
ros, colberes, paliteiros salvas e outros muitos objects qae seria enfadonbo
mencionar.
Compra-se ouro, prata, brilhantes e pedras finas, pqrmaior prego do
que em outra qualquer parte, troca-se e concerta-se todo e qualquer objecto
pertencente a esta arte. .
CIAIII LIQIBACAfl'
Lourenco P. Mendes Guimares
BA DA IMPERATRIZN. 72
Tendo resolvido o seu proprietario liquidar todas as fazendas existentes as loja
Garibaldi e Arara, convida ao respeitavel publico, amante da economa, visiarem a
loja da ra da Imperatriz n. 72, pois s deseja apurar o dinbeiro.
Arara vende madapolo enfestado a 34oOO[ Para liquidar vende bramante de li-
a pega, ditas de 24 jardas a o^OOO, 6^000, nho e algodo a 15800 o metro, dito de
605)00, 70000, 80000, 9)5000, e 10 Vende-se cortes de casemiras de cores pria para lenges e toalhas por ter 10 pal-
para caigas a 40000, 50000. mos largura.
Fechinchas novas
NA
Loj Flor da Boa vista
DE
Paulo F. de II. Guimares.
Lias para vestido, fazendas todas novas, cova-
do 200 a 500 rs.
Cambraias de cores francezas para acabar, co-
vado 200 a 320 rs.
Chitas escuras e claras core3 flxas, covado 240
a 360 rs.
Laa Amelia, faxenda nova, covado 600 a 600 rs.
Brim pardo trancado, boa fazenda, metro 500
aSOOrs.
Peca de algodao e madapolo, cambraias trans-
parentes e victorias, presos muito baratos : na
ra da Imperatriz n. 48. junto a padaria franceza.
Bichas hamburgnezas
Nesie novo deposit recebe-se por todos os pa-
quetes traaslanticos bichas de qualidade superior
e vendem se em caixi on porco mais peqaena
e mais barato do que em outra' qualquer parte :
na roa da Cadea do Recife n. 51, 1* andar.
Armapo.
Vende-se urna armacao de amarello com dous
balces: na ra do Barao da Victoria n. 2, (ou-
tr'ora ra Nova).
de-se no
andar.
Velas.
todo
eatJBtorio
De carnauba todo pre^o, para liquidar : en-
odi roa
do Vigario n. 26, Io
0 Bazar do Pavao sit > a ra da Imperat iz n. 60, esta' constantemente aberto
das 6 horas da manii&i as 9 da noute.
PARA 08 BACHOS
DE
OLINDA
Lindos costantes de 15a enfeitados pro-
prios par* bachos, chegados pelo ultimo va-
por, vendem-se na loja do Barateirb-, a ra
da Imperatriz n. 32, pelo baratissimo prego
de 150 00 III ______________
ATTENfiO
Vende-M a armacao e periettes da taberna do
I ara liquidago vende-se aleod5o de lis-
tras proprio para caigas, emisas e saias
par escravos a 160 rs, o covado.
N,a ra da Imperatriz vndese cbailes de
merino estampados e de barra a 20000,
20300 e 30000.
Arara vende cortes de casemira preta
para caiga a 30500, 40000. 50iOO, 60000,
70000, e 80000.
Para liquidadlo vende-se brim pardo liso
bom a 500 rs, o metro, dito transado a
To, 900, e 10000 o metro.
Para a cabar vende-se duzias de lengos
brancos de cassa a 20000, e 30609. ditos
de linho a 50000, 60000.
Na ra da Imperatriz vende-se cobertores
de lgodo a 10403 e corbertas de chita a
105)O.
Para liquidago vsnde-se cortes de casto-
res para calcas de homem a 500 rs.
A Arara ve'nde chitas largas para vestido
a 240, 280, 320, e 360, rs. o covado.
O barateiro vende percalas linas para
vestjdo a 440, rs, o covado.
Em liquidago vende-se alpacas para ves-
tidos de Sras. a 500, rs, o covado.
A Arara vende laazirmas para vestidos de
Sras. a 320, 400 e 500, rs, o covado.
O Gormarles ver/de morsujina de cor
para vestido de Sras. a lio rs. o covado,
dita branca a 500 rs.
Q Mentes vende fusto de cores par-
vestidos de senhoras a 360, o covado.
O L"urengo vende cassas finas para ves-
tidos 240, 360, 400 e 440 rs. o covado.
Arara vende alpacas de lista para vesti-
dos de senhoras a 500 rs. o covado, ditas
lisai a 500 e 640 rs. ocoyado, ditas matisa-
dasl a 640 rs.
Vende-se cortinados para cama fcmceza
a 10400 o cortinado para liquidar.
Arara vende cortes de chitas para veste-
dos a 20500,20800 e 30200 o corte para
liquidar.
Vendeose cortes' de cassa a 20500 o
corte s na liquidago a da imperatriz.
Vende-se cortinados para janellas a 60
a pega para liquidar.
ECONOMA
Vende-se duzias de collarinhos de pa-
pel a 240 rs. para acabar.
Arara vende lasinhas transparentes para
vestidos a 500 rs. o covado.
Liquidago, vende-se parapeito liso a
20200, 20500, 30. 30500, 40, e 50, pro-
prio para calsas e palitos por ser bea fa-
zenda e barato.
Arara vende cortes de brim para cal-
sas de bomem 10500.
Vende-se cortes de pecalas de dual saias
para senhoras pelo barato prego de a 60.
cadaum.
Grande liquidago de roupa feita.
Vende-se palitos de alparca e de cores
a 20.
Vende-se ditos de ganga para homem
a 20.
Vende-se dit03 de brim de algodo "brin-
cos a 20.
Venderse ditos de meia casemira a 20.
Vende-se coletos de brim de cores a-.0-
Vende-se ditos de meia casemira a 205oO
Vende-se caigas' de algodSo azul a 500 rs.
Vende-se dita d algodo de listras a 80Qrs
Vende-se ditas.de tifita pardo 20, lf~
e 20500.
Vende-se calcas- de casemira de
6080.
largo do T>rco n.
uer principiante
[a mesma.
, mnito propria para qual-,
tratar no sobrado por cima
ATTENCXO
Vende-se, com os poucos fundos que tem, a ta-
berna denominada Pedra Marmoto sita ra Di-
p'ita n. 4 ; a mesma est colocada n'um bom lo-
cal e tem muita freguzia : frata-ge na ra da Ma-
dre de Dos a. 3 i.


Diario de Peruamhuco. Sabbado .SLA. de Setenibro da 1870.

)

H
\
7
I dfmimfi |Ht8lOTli4(^i

^crt
,i.i i si.:;',i 'u rr.i ,.;n l

-*&.;" 'i^in
Farinha da tena
llffciffl!,' lar cora ft-ruardo Jos de
iMir-li(r!Miniaior:.-Attmv nn*1ayia,ninnna anraaa^ tynaaBB ajiarta.
modosa gran
Ref. re Ha r
Deposito de charutos
finos.
da raima k nr> nio.
Na ra do Marque* 4e Otlsda iu 15-, ?gerii*r,-
r de Caoba A M.ma,,,r9n(Je-s#.ij|B,f r.
guiis, marcas:
Regaba Britanc?.
Regala imperial.
Regala Londres.
Eaposiifao do Simas.
tKcos.
Cinchas.
I*
^--------,
ii)iTitti.)rqiitepifia*jr*sr.de palha : n rua du
Crespn. 2o,,lfla da e,fon.w- ,___: : ...

m aa m
Caagou.aoantigo depcsUct da Heary Foraler
o., ra do imperador, euu carregamento de g)
de yriraeira quafidade; o quai ievende em partid*
a retalfco por menee preeo do qae am outraena1.
qner parte.
J WJADf BAKAO IKt ^'IVttKC't
1 OTk'RA NOVA)
Apresent.a-se.o/li o roborado no que pode havar de mais bollo o ag^ailav.d em fo
iends lina; ,para Seohoras artigos de alia moda en Pars lano para seni ciras'conio
para horneas e meninos.
liuaezas afaroladas, perfumaras espoci es viedade de.luidos objectos para me-
oinoi e brinquedos para enancas.
GRANDE S0BT1MENT0
QiatiqpaBaeate recebido. por .todos os paquetes yiu4 da EaY-opa aonde. tem ha-
bis cprespocdeates.
Vendse muito emcooU e maflda-se. p r em pregad is do esla^eltcimenl fazendas
em casa das Exms. familias am de melbor i;sco!Berem i< que datsefirem.
' l---------:Z"~^TZTZL


DO

.9'.


engenho Caroocim na frepuezia de Taqoar da
previae-ia da Paraliyla. o qual oUsroca as seguin-
tes vantagens: encllente porto do embarque,
atra* do eO'geitin, grande tarread onde sj pode
sonare engordar W> cianea* de terreno-umi tina rica de iistaaen* e que dispen^
sa aera) muito boa* trra* para caaua aorapostas
somante d9 barro-mraape!. milito productivo de
roya, feijao, mllWo e arroz, cum grande pprjaa do
coqoelros ej ilooi pontos diverstos, part do litoral
treqiarts de lego*, a cinco leguas dacidade 44
Goyanaa : qun pret n toreomurar este onpenho,
dirijarse rua do Vigario.n. li, ou ao proprio
nrijarse.
nagenho.
m

i j
Na rae larga V Roarln- n. 44, i- andir, vende-
so orna grande estante .le amar^Ji \ e a* obrto-de
dimild e dliti4aiura dos -ngoiMos escriptor* :
Donoso-Cortw, Aadr, K.-uto, QoBSBet, 1'. Buen i,
Guisot, Tbfers, t^grang'-, Mjckelijey WaUtk, C.
Autraa, A. Herra'lann. GaT?!t. C. Bastos, J. de
AleOcar, P. da Silva, Maned^. Kftaes de Atevedo,
G. Das. Casimiro de Abreu, \T. Hng, Pelean,
Magalhes, T. Ribeiro, .- Vicira. Gaslilho, M. i
Marica, Varella, A. Pumas RessAQ, P. Alegrii.
(]. C. B'ranco, e muitas- entras obras em perfeita
esU'io e por preeo mediec..
7
Ba do Qu&Miado
DE

Wfk do PAPA&ye
OE FAZEKDAS E ROUPAS FEITAS
Ruada imperatiz n. 40, esquina do 0 be^co dos Ferreiros.
O phjprieiario desie novoestabefer.intento commonica ao respeitavel pnblco
dcstocidaie, e especialmente as Extossr fami s que est liquidando por precos bara-
tisJimoB as antigs, fazendis rpre existram necte ^raljelecirrtmto, alm das que abaixo
v-ao rdlacianadiB, 6oj*)- preces'nafcem' tofla a'lrtt'JfiCao dh repeavel publico qas n3o
deixa de coiftiipiequena'q^nria fefazer-se de qnaqaer qnalidade de fazendas que pre-
efee. Prervinef>e tattibem que a msma-'loja tem r-ito .-oiiimeoto de azendas moder-
nas, e continua a sortir-se das do mais apurado'e escolhMo gosto, que vender mais
bartto que q.talqw otitra loja. /
. Algqdosjaho co".jardas a 280 a
PWa-


B|
P
ir
- Ait,teuoa

Vea4e-se a armado e oertenees da taberna n.
41 do largo do furco, muilo proprva para (lualquer
principiante : a tratar no sobrado por cima da
mesma.
T!------*
irr

Gh^pelinas e obapos
para seuhr.is, loja Ja T.irouwa acaba '
cefcor excelente sortimento.
',*
mollh novas e de bom gr do Naooles : Da toja
da Turqaeza.
Cintos
de vetado e de seda, varfanq 'oni-rfento : na lo-
ja da Tarqueza.
Camisas loriadas
variado sortimento : na leja da Tnr |iieia ra do
Baria da Victoria n. y, antiga ra Nova).
Pankos e gollas
de v|odo para senhora : na- laja da Tnrqiie-.a.
GANDIDO ALBERTO SODR" C \ MOTTA C.
com escripfcirio e armeem de seeros de eqIiva
travesea da Madre n)ni n. 44-, t^m par vender
o tegalnte em conseja op'.ima^mt preparado
<;m Pars :
Frviuus (PeM* poik
PniAO verde (Hnri:7)l<; crrfi).
Dua em ttXo {dem faigeollttt).
Kpaboos (Asperge).
MlSCBLLA.NEf 0 LEGUJIES [MPMliiii' U'^UlHC:...
SBNOtlRAS (tarotles).
Toiates (Tnmatea).
GoevBDR Brcxrllas Chott* de Btur'lie*).
AucvoHOPRA^ (FonaV; d'aric/wn.).
Espinafrbs (Eptnards)
Gogcmellos (Cft'ii/ipoaons).
(C^pif).
Pastis com troffas (Pti* tnifl
srm TUiFrAS < tae trufes)',
AlPM c.im az:its {Tun u iiiutie).
Tuoffas simples {Tni'< au mturrll
Sardi^ha fou&TKs t&vtmhe rtt.)
Galantwagojtrofhas(Gntanti< >"
Fban-go (Pmilel).
POMBO COM KRVILHAS (PigCOH CeC /. .
Galllmiolas (Bmisones).
Perdiz com azsitoxas iJ'irdix avec
ASSADA i ntftj.
AsBORI.tHA [Allouttte).
'4>D0RMZ (I(tillo.
Lamprea (Lamjuoit).
Picado (ndoailUtts /.)
Ramha' (Saacitsono .i
Garxe ot'zade (R-kjowoii O.)
Re-ebeu-se mais
Um completo e variado 'sortimento de
pintados e doirados de diflerentes qnaliflades e es-
n'loa deeenbos, proprioa para torra e guarnieao
Ja, gabinete*, escriptonos etc. Na ramessa
desse artefacto tem havido o tnaiwr goito e capri-
cho da arte donosso corr?poniete de Pars.
Com nma mdica commissio sobre o Casto da
fabrica vendemos este papel, poi lesejantos er
effectivameniB a:n epoilo dossa eapeealidade.
No arraazem de Candido Alberto odre da Molla &
C, itravessa da Madre de Dc'us n. l.
Fumo e papel
" Completo sertfmento de ftmo, tamo para cigar-
ros como para chantos, -rindo do Rio de Janeiro,
Babia e Rw Grande do Sal. Papel de seda, liubo
e algodio, de diflerentes qnadadespropriB pra
o fabrico de cigarros. Vende-se cons'aOTemente
no armazem de Gaolido Alberto Sodr da'Motta
A C. : a travesea da Madre de Deus n. I i.
papis
eis

E'chegado a.ste novo estabe'lecimimto o m^is h.''o sorilainto de' l'azendar'
las, seudo soa especialidade enxovaes para nervado.
Vsit-tos de bl.nd de,sfl ricamente!'liirfl:i(hs. '
GorpurSo de seda branco pira veslirio.
Cblebas de da pora, para balda c ni nrm dosenb^?.
Ditas de 13a e seda, id m idem.
Ditas de crox, idem i'lem.
Cortinados ricatn'nte bordados para comae jaiiella*.
Croxs para, Cadeirs e sof?.
Vestidos de eambraia branca bordados.
Popelines de lindos pnstos.
Lias de diversas qojffidtdes, Irn'dos posto? e moderns>.
Ricos b urnas para passeio. com listras de setim.
Sabidas de baile o que ha >de mais rico.
Crtones para testidos com lindos desenlies
Carnizas bordadas e sera bardados para senboras.
Camisas bordadas inoito finas para liomep?.
I) tos \nglezas para homens e meninos
'Seroulas de lihho, e um grande sortiactito de roupas Coilas e de fazendas que
Luvas .frfscas de Jouviu
Sortimeolo do tapetes para guaniicoesdwieata*; Jliuilfai lHTJBU'tf _P MIS1, 6
rrande sortiaieQto das acreditadas e verdadei:is



< nfadnfio
---------
Esteiras da India
-r

CASACAUVIN
A.
_
>-

-

rtriTr

Pliarmaoatiiiep privilegiado
Boulevaixl Sebastopol/iC--J I^ATIIK.
NOVAS ESPECIALIDADES-A MARfNlCff '
Apmclidas a Academia da^MetAtt-V ao ItiKilutcraf'Pnnff.

1H tCf f^P s1' a form.i -U' Pastilla, deredida e doseadi para
IRuCuUHU fasfr-.:,' MMneattraiBs
Friveniiva e'cuitin das KOLESTXAS CeK.ASiOSi
i!o vn!iim> > nu rvjHilo de
lilll.TUO b.'KEIUIO* -l.4
3vrs iuconvenieaics de fragilidade,
PHMItO:
CCTA ir\C c"m '*"" dtiMdiiiaM un'Pait CO I UJUO COT.WU WiMJ lltXTAiiLWTQ.
COLLYBIO' Contra as affeccois das pafpebras,.
reptlo sos a mesma fe. ia.
: owa. .
..nadapol^tDfciUKlftGo iijardas a U
Diio de,34, jardas, a S4000 para cima.
Atoalbadoa.de liubo, d de algodpo tran-
cados, a adamascados por precos commo-
dofif
Cbitas escoras e caras do 210 ts. o co-
vado p^ra cima.
Cambraias de cores miudiabas a 240 rs.
uco vado.
Ditas mais boas a 500 rs. o metro.
BilDos de mn.-suna a 4 e a^oOO
Gqardanapos. de iinbo a 3^oOO a du-
zia.
Reamante de Iinbo a 200 e 3 jOOO com
10 palmoe. n
Dio de algoda> a 14600 o nvtr..
Metas para setioi;as de 4 para cima. ,.
Ditas para boiaeos de-3?j000,-* duzia
para cima.
Ditas para meninos e meninas de todos
os lmannos.
Gjlclias.de fusto branco -do 3?200.p3ra
cima.
Ditas-de cor de 35000 para' cimv
Toabas de mato de 500 rs. para cima.
Cobertores de la flnis. a W e 10)5000.
Hilos encarnados a 4r(o0.
Ditos de algwlifo a 4-^500,
Citnbra'a tapada mnitoferga com pre-
sas o bordado, propia para sa'as de senho-
ras preco barato. '
Laaairtbss trences trancadas, comli-tras
largas proprias -para salas de baito, fazenda
trteiranwno nova a :90 ra. ocovado,
Cambraias brancas transparentes e tapa-
das'de todas gqoalladesc precos. %
Lazinhas tapadas e transparentes de
mnitas diversidades decores da 320 rs.
o cavado para ejma.
Alpacas lisas e de furia (jres a 500 rs.
o covado.
Cortes de percala de 2 salas a #}00.
pifos de organdy de dito dito a 83000.
Corles de' 13a da" Escocia a 6JGO0.
Ditas em pera a.'500 rs. o covada.
Cbles de merie lisos a 2-5."i0'\
BARTHOLOMEO i C
Depositarios geYal para e Bit Vil. e POlKTtJCAIa
3 i, ra larga do Rosario. PERNAMBtJOO.
mmmmmmm
3 portas n. 53, ra Direita, 3 p ras n. 53, antiga
foja do trdga

O abaixo assignado. dono deste anbgo estabcterimeaio, i?n.io em vista apreseutar um
completo sortimento de ferragons, miadezae e eotilria, tem resolvido mandar buscar era
diversos pon:o< da Europa os molhores objectos de sen <'~tabolcctmento dos fabricantes
mais conhecidos; pelo que* convida ao respeitavel pttntico e a sen* numerosos freguezes,
lrem se ervir dos ohjecto? de sm earencia, anefnirar3<) por menos tO Oi# cto que
era outra qnalquer parte, um aortimeato cotnptii de machina'para descarocar atgo^o,
do bem contiendo fabricante Cottorr Gin & C, ditas para cosuira, motores para anima*-
ditos para fogo, moinbos p.-.racaf de todos os lamant.os, da rabtica do Japi, espingardas de
doua canos e de um, tanto inglezas como Iranc?. l-'-.-n d(- uAVcelana. facas e parfos
de diversas qualidsdes e precos, bandejas eninezas, salirrv. bren; barftaaw, enxofre, paoc e
limalha de ferro, ac, e agolha para fbgactero ; assiia .uno encontrarao constante-
mente grande poroao de fogu do ar, e recebe-se eivcomutenda ile fogos de vista, aln de uui
cem numero de objectos, que se tornara enfado;,lio nnxra-'os : venhm ra Direaa n.
53, loja de Lenidas Tito Loureiro, antiga toja do Braga.
___-
itos stampados de 4^500 para cima.
Gamisinias de cambrata branca transpa-
liordadas com enfeites brancos e de
con.- a 3f>000.
Brilnaiwioas brancas de 500 rs. ocovado,
(jolas de cores a 500 rs, o covado.
. I .eacos de oambraia de Iinbo, e de es-
guiiio at o mais fino.
Barcos (hian a 3$i00 a dazia.
Ditos blancos de algodSo a 23500,moi
to linos.
Fil branco o preto, liso e de salpico
(fortes de cambraia, brancacom salpico de
iW
ijtitas de fit liso a 55000
, tiirlaianas brancas, e de cores.
Feitoe d Iinbo bordados e lisos de es-
Maoi
Camisas bordadas ftnissimas, proprias
par noivuscim a compelente gravati-
PwiboB 4inbo para bomem a tf o.
par.
Qiarinbos de Iinbo lisos e bordados.
tiratatas pnetas e de cores, tanto em c-
lim como emseda, ha de todos os gostos e
ra
ROltA 1T.1TA E POR MEDIDA NA LOJA
DO PAPAGAIO.
Sjr;imento -ie roupas feitasde todas as
qaaJidados, o fejtios, para precos commo-
dos e.quem comprar porgao para negociar
ter um abatimeuto razoavel, grande sorti-
mer to de casen.iras de cores com quadtos
e liitras, cas^mras prelas, e pannos pretos,
azuns e cor de caf, brins brancos, preios
da cores e, pardos, e maoda-se fazer
qoa quer obra a vontade dos freguezes,
que para nomens ou meninos, e por me-
nos proco qoe qualquer outra offici ia, e
par is^oa LOJA 00 PAPAGO acha-semu-
nida d tun uom mestre alfaiate para bem
dse tapen liar qualquer obra da sua arte,
reqhindj a responsabiiidade sobre o pro-
prittario da loja.
E am-se as amostras de todas as fazend
a quem as exibir, oq maodam-se levar
lostaixeiros.
A loja do Papagaio acha-se aberta d
horas da maaba s 9 horas da noute.^
Francisco Teixeira Mendes.
20
Ra da Imperatriz20
Farl A ff.essa.
Acaba de chegar a esta m*sa-novn loja dfcfo-
:endas finas um rwiadv M.ptmea'.o de fazendas de n
laa e seda, como sejaoi ; granadina* do ullioao t>u^aS de pa:lt0S seguraba .,...
o-to, popelinas de uma so co.-, alpacas er laazi- Duzja de palitos seguranca caixa
ohas de cores, o qrn* ha de mais moderno, tudo
Sival sem segunde
RA DO DUQUE DE CAXIAS N. 49
Estou disposto a continuar a vender todas
as miutfezas pelos barassimos precos abai-
xo declarados, garantindo todo bom e pre-
cos admirados.
L20

w une ic
MWIil I.
por baratissmea preO. brilhantina^ de corc,'te-
i'idos da< indias fazeada nova a imitacao de per-
L-alu,.baloe.- de cliua fingindo sa de cor con* lia-
das barras,'fastoes propn's para vestido e roupas
;ie mdninos>; agora grtW?s e admtraveis pechin-
chas. satas branca enm lindos frisados *'3, ri-
ces corpinaoR bordados muito linos a 6|, baJoe?
moderno de arcos a ti, ricas colchas para cama
ileoehoadas, sendo branca^ e de cores, a o/ 6 e
"#. canibraia victoria fina a :?, dit?s transparen-
tes &5J, % e ?#,ehitas linissmtas escars e dars
60, 300, 320 e 3o0 o .ovad;-, caas dacore a
240. lencos Uraucos de, cas^j a 2*>00, ditos chi
bezas a 3J500 a duzia, ma^aporao fino a 6< e
5o00, e muita superior a 11, 7*600' e 8, algo-
daoiinh largo proprio para tencties a $, panno
ll -a|Hodo branen.trarcadi proprio para toabas
de mesa a. tfiOOa vara, nramante pata lence a
lOOO e 3J500, o qiie ha n melhor, esguiao fi-
aissimo a 2J00 e-SSO a rara. Mandamos as
tasas das EJxmaN. fbnilias pan melttor poderem
scoliier. Tamtiem temos compiti sojtimento df
perfumaras dcs.primeiro fabri^aates fraacezes t
nglezes; as pessoas que s^digrtarem vir a esta
luja teraowt'asSo de rsconbecT a'' Tealiade J
jne annuiiciaiaos para u:s jnalificar.

'
.
'

Especialidades.
Ctmfinnam a achar se a venda na Tda Dreiu
botica n. 88. o owi oanhecidos e asredttades re-
ineaton de veame, e otros, diseos medaBaaen-
tos feito em Par, beta cerno e .xarqps de co-
deina de Berth, da rbano Odado. da .darete de
ferro de Blancard cas pillas do tn^smo, peitora!
de eeraja, pe da Rot, deparatrvo de Chable,
digital de Lab'llony, pilulas ofeita da bis-
rewrtu, da Curiar, e-auro ow4iaien'.oa cuja
proQcieneia quade empregdog as deencas das
via respiratiiria*. as dores rheTjwatipas, na
amarellida*, a tat entnafett ou irreirafaridade
de menqtfq'v an drrh#ai, dowcas- do cornean
e do e*lotnago, tam sido e incontesavel, em
vn dos begefjcos reanlados das experimentacoes
o n*i que tttversas' peswas deder teem fefto, as
ira como das plalas det.ominada bravioa ifl-
raw(a. ei fa eiieacta nos *cajetiimen-
r au aeuVs.: axi^ndo larabem n tnesn
UM meleot quamidade de drogas,
ura nao pegMB sortimento de tinta, ofto de It-
e panem, qan t wodam por menos do qne
em oolra parte.
Auto fu* staeqbttm.
,f5"!Ldeprt!f "lc: Gr: 30 vndese na
na larga 4c Untarte n. 34
rame de ferro galvansado em rede para cercas, gaiulas, gauinairos, ate.
Chapas de ferro galvanisado para cubrir casas.
Taehos de ferro estanhado par-a engelios.'
Cifres de ferro de Mitner e ootros autora-.
Chumbo eaj caao.
Dito em lencol.
Dito em barras. s
Dito m enxadas.
Eaianho em barra e verguiab, .1
Folha de Flandr.-s.
Arados americanos para ladeira e varza .'
Carrlflhos de mao.
Ventianas para janellas.
Machinas da aescarocar algodac'de faca*. -
Ditas de serra.
Ditas para cortar fumo.
Ditas a vapor de forca de 3Jcavallo.- e, motores para i cavallos, na/a movar ?
r.otiinas de algodSo. "
Caderas de ferro.
Camas de ferro.
Prensas para copiar cartas.
Ral ancas para pes.T.
Oleo de I inhala em latas de ferro.
T/ilhos de ferro para engenho Jj
Bombas americanas.
Macacos de estivar.
Bajancas e pesos deciuiaase outraa.
FogSes de patente.
Enicofre.
aWre.
Estopa larga e de boa qnalidade.
Pjcaretas para caminhos de ferro.
Da ttande sortimen'o de torrar m >.ntil.
...................-------------
Farm ha de mandioca
Vende-se farinha de mandioca, nova, dlteanja
Catharina, ehegada no patacho nortagnm uilhta,
tundeadodehonte do trapiche da Sr. Barao do Li-
vramento : a tratar no escrpiotio de Joaquim
Jos Goncalves Beltrao^ ra do Cummercon. 17,
oo a bordo do referido-navio.
*





----------------1
...............------~

CASA CAUVIN AJun
' \3t>^
PharmaeonUco privileeiado
suooewsor m
loulevard Sebastopol, BS. PAJBIS.
NOVAS ESPECIALIDADES A. MAFUNIER
Apresestadas a Academia de Seienciaiew histitilo de Franca.
'' ?/}
COLLYBIO 5tra.*aaffeq
IM ICf*PAD Sob a forma de Pastina, OetMida e *wada parittsarde
rl t AU raoof itfl uiaa wlUf(i rMTMIIVi < QVUWA 1*M
MOLESTIAS CONTAGIOSAS
Ora'. 'Wt< de rUfiJicWda,
r-n-r"V iAA Com a bnna, e do tcIu de na "tflajllu
ESTCJOS TQU I*AUW0.
palpebras, prep^aadft sab. a naMQa,ror AI1H0L0HE04C-
Dapostariaa getal par a BUML e
3', ra larga do Roaarip. PERNAMBUOO.
do
Cigarros da imperial
fabrica de S. Jcao
de NiclLeioy.
Usko deposio em PemaiabQco caes da alfas-
J-va veha, n..a, i'anda.
i i i -..a*-,--------i*-;-.-.. ..... -,if ,
1 vend"-se farinha mnito boa:ehegada hontem,
em saceos grandes e panno da fabrica da Babia,
as armaaens da Ctcopanaia Penambneana c a
jratar ao mesma e na ra da-Cadeia, caja n. 1,
eom os Goncales Torres.
FavtBlaa ato naaaadia>cai ato Msrav-
nho e da tatela
Vende-se no escriplorio da Joaqwm Garardo de
Basto ra do Vifiario lenorio a. 16,1 andar,
exceilente farinha de mandioca tina do Mara-
otao e da Bahia, em saceos grandes, roano flni,
tare turrad* : rs nretendentes poden examina-
U nos trapithea da- Companhia Peroambucan*
Dantas e Fonte
Vende-se
A cana filial do banca do Brasil am limtacao,
vende por commodo preco a casa, terrea sua ra
Imperial n, W : a tratar na mesma caira filial
ua* GonHnei*to a. 34.
grande a................... 320
Frascos com f-Ico baboza muito fino. 320
Pachte; am p s de arroz o me-
lhor que ha a...............
Navalhas muito finas para fazer
biraa a....................
Clisa de linha braat do gaza..
Vara do franjas de lidho.para toa-
bas .......................
Caixas com peonas d'aco de eny
superiores...............
Leos di cassa brancos e pinti-
dpsa.......................
Caisas com 20 quadernos de papel
piulado .......
Caisas com 50 do vellos de linha
do gaz a....., .
Ouzias de meias cruas superior
qUaiidadea.......3e?600
Pecis de babadinhos com 10 va-
ras a.........
Pecas de tiras bordadascom 12
metros cada peca a 14500 e.
Pecas de fitas para os de qual-
quer largura com 10 varas a.
Escpvas para unbas fazeoda fina a
Ditas para denles a 240, 320,
400 rs. e....., .
Pecas de tranca lisas, brancas e
ele cores a.......
Dozia de linha frxa para borda-
, dos a 400 rs. e.....
Paros de meias cruas para m
?08 diversos tamanbos a. .
Dozias de meias braacas muito
finas para senbora a. .
Pares de sapatos da tranca do
Porto........
Pares de sapatos de tapete a. .
Dtiaias de barattios para voHarete
Sylabarios portugoezes a. .
Cartdes eom colxetes carrerasa
Abotoadaras- para coHtte diversas
cualidades.......
Caixas com peana de ac muito
, boa de 320 a......
Caixas com superiores obreias a.
Dircia de agulba para macnina a.
Libras de pregos francezes todos
os tamanbos a......
Paqote de papel com 20 quader-
nos -...........
Re?a de papel pautado soperior
a^nw >o> papel liso muito supe-
rior a ...........
1ttl-%aa*toNaVaa fQf (>e *. JOrf (Pflr)
ettfSra^i Pias o. 60, cora *Wsa#aB,
dous quartos, ctsinba fra, sotao coa 4ous
quart,*patotal-, itrarir masni rua
t|i^apdir,
'a^ Vtta-se ufrm ttitnia hB'^roareflD em*om
^tado na cambia do Carmo a;'tft
m'-"AMefttofirla*0otirtfaairdn d
Ilotlas: a pessoa upe pretender comprar dirija-s
, i roa Imperte! n. 11
320
1^(000
500
160
soo
100
700
4O0
500
2*000
500
500
500
40
500
320
4^500
24000
14500
34000
400
20
400
50C
40
24000
240
400
44000
34600
-------
Eua 4o Vigario n. 11
Viaho BarVanx, de C. Margan* I. O. Medoc.
Ervilhas francezes em mantnga.
Pape' para cigarrosDuc
Phoebhuras de seguranca.
Agdas de Vecliy.
Haut fine.
Celestne.
Weretirio doce, eaixa de meia libra.
Papel *b eso, Brande sortimento.
i Na rua do Vigario, armazem n. II.
Panno de algodo.
Vende-se soprior panno d-'algo da Babia :
escriptoro d Antonio Luiz d'Oiiveira Azevedi
C roa da Cruz n. 57,1* andar.
no
Azevedo &
JLO.
i- Vj.
aiieav
GALL0H6E
Rna do Crespo a. s
O proprietarids d.
cimenta, alm dos mu
pastos a apreciaeao do respeitavel puhi
Jaram vir e aeakam de recebar pelo ultinm vapar
da Europa ura completo e variado sojctiDwnte >
linas e mu delicadas especialidades s ty~
tio resoWidos a vender, como de seo costn*,
por precos mnito baratrbes e com modos ppra to-
dos, eom tanto que o Galio....
Muito superiores luvas de pellica, prelas, braa-
cas e de mui lindas c
Mni boas e bonitas golfinhas e pnjiuos para s-
nhora, neste genero o que ha de mais tnoer
Superiores pentes de tartaruga para coquea
Lindos e riquiasimos entoit para abecas das
Exraas. senhoras.
Superiores trancas pretas e'de cores com vidi-
Ihos e sem elles-; esta rereuoa o qne podehfwr
de raeror e mais bonito.
Superiores e bonitos leques de. madreparola,
marfim, sndalo e osso, sendo aqueUes arae*
com lindos deserihos, e est
Muito superiores meias 60 d Escossia para se-
nhoras, as asaes aempne se vender por 301000
a duzia, entretanto que nos as vendemos por SO/,
aim destas, temos tambem granie sortimento oe
outras qualidades, entre as aunes alguma.-; muito
finas.
Boas bengalas de superior canna da India e
castao de marfim com linda t encantadoras Saja-
ras do mesmo, neste Ranero o que, de moilior sa
pode desojar ; alm destas temos tamL>;
qnamidade de outras qualldades, corno sejai.ma-
deira,baleia.osso, borracha,etc. etc.eu.
Finos, bonitos e airosos cria tobo de cadete e
de outras qnalidade*.
Lindas e superiores ligas d<> seca e borracha,
para segrrrar a? meias.
Bos meias de seda para senbora e para meni-
nas de 1 a ii annos de dada.
Navalhas cabo de marfim e tartaruga na/a faatr
barba; sao muito boas.e de mais a mais sao ga-
rantidas pelo fabricante, e nos por fissa v,;i tam-
bem asseguramos sua qualidade e delicadeza
Lindas a bellas capellas para coiva.
Saperiore agulba para machina epira croj<':.
Linha muito boa de peso, frouxa, para enea, r
labyrintho.
B'ons baraJho? de cartas para voltarete, aarira
como os tantos para o mesmo fim.
Grande e variado sortimeni-j da melhores per-
fumaras e dos melhoras e mais cuuhecidos per-
fumistas.
COIAItES DE ROER.
Electrico3 magne-ticos corira as c.onvnludes, e
facilitam a denticao da innocentes ecianQas. So-
mos desde m-jltu rceebedore. desti
collares, e c inriruamos a recebe-los por I
vapores. .': r_f!w aunea faltem n mrcar.
tomo assira poi podero acje- f-
' vir ao deposito du
conlrarao datte v.v.".i--
deir. s attendondo-
paraque -rnderSo rom tmi m-n
dimiuuto 'ici .
Mogauof. riois. .,i -i -1 i jneta que tntoasaea
declar.. e amig
compra,- aloja o 1
vigilante, r : ^^^^
Dcoi, evideni
-j:
Una to mu i uHq a. I.
Novo e variado ftotibnentp de perratta*
finas, eoulros objectos.
Alm do completo sortimento de usri.
marias, de qne effectivamen'.; e?t p'r
loja doCordeiro Provideni. -la a<
receber nm outro sorraaeti
ootavel pela variedade de c)
les'ecommoi
eos; assim, pots. o Cordeirn
dade, qualidades eco m
e espera continuar a, merecer
do respeitavel publico
boa freguezia em particu!
tando ede e sua bm c
9 barateza. Em d!a toja
apreciadores do bom:
Agua divina de F,. Coudray
Dita verdadeira de Murray & L
Dita de Cologne ingleza, imeri:
ceza, todas dos melhores e maissere::.
fabricantes.
Dita de flor de larangeiraa.
Dita dos Alpes, e vilete .para taifa
Elixir odontalgico para conscrvaco
sseio da bocea.
Cosmetiques de superior qualidado
ros agradaveis.
Copos e latas, maiores e menores, ees.
pomada f na para cabello.
Frascos com dita japoneza, tr,ansparea;
e outras qualidades.
Finos extractos inglezes, americano
francezes em frascos simples e enfeitadoi,
Essencia imperial do fino eagradava] ele
ro de violeta.
Outras concentradas e de cheiros igu
mente finas e agradaveis.
Oleo philocome verdadeiro.
Extracto d'oleo de superior qualidad
com escolhidos cheiros, em fraseos de diX-
rentes tamanbos.
Sabonetes em barras, maiores e menors
para mos.
Ditos transparentes, redondos e om g"
ras de meninos.
Ditos muito finos em caixinha para bar'tv
Caixinhas com bonitos sabonetes imitand
fructas. -
Ditas de madeira invernisada cooteslo
as perfumaras, muito propriat para prt
lentes.
Ditas de papelo igualmente bonitas, ta?
bem de perfumarias finas.
Bonitos vasos de metal coloridoa, e i
moldes novo e elegantes, com p e vr
e boneca.
Opiata ingleza franceza para de.,
Pos de camphora e outras dTeieat-
qualidades tambem para dentes.
Tnico oriental de Kemp.
'Alado niiU wiyj'n.
Um outro sortimento de coques do
vos o bonitos moldes com filete de vidn
e algn d'elles ornados de flores e fiv
est5o todos expostos apreciaeao de o pretenda comprar.
GOLLINHAS E PNHOS BOBDAQ0C
Obra de mnito gosto e pereico.
Flvellaa e fita* para cln -u
Bello e vanado sortimento de taes obji
tos, ficando a boa escolha ao gotto do cas
orador. _______.______
Cabellos
Venden-se cabellos da tedas as cores, qua/quec
comprimento, qnalidade snperidr, em catea o,
porcao mais pequea : na rua da Cadeia de
crfen. 51,'! andar.
CA, mi i inm
Vende Joaquim Jos fiamos : na m.. da Crut
n. 8, Io andar.
Lindos c- res de peroale a 1J800' r.-. ; it.
do Crespo n. S3, toja da esquina.

O verdadeiro portlaad. S se ven* 1
Madre de Dos n. 22, armazem de J?ao Martin* o<
jBanros
*


K*-
>JT
8
Diario de Pernambnco Sabbado 24 de Selembro de 1370
A6BICETDBA.
0 SABUGO DE MILHO CONSIDERADO
COMO ALIMENTO DE ANIMAES.
Para comp lar o meu relatorio sobre o
valor relativo do sabogo de milho,
cenlo aqai as analyses da cinza, do ole
albmina e gomma, cootidos no gal
espigas de milito. A quantidade 'I
que o sabugo prodnz, muito p
10i) libras delle dio apenas 1 libi
cinza.
A analyse quatativ dessa cinza rf-yefa
urna grande quantidade de acido carb
de silica, de acido sulfrico, de acido plios-
phorico, de coloro, de peroxydo ferro,
cal, de* magnoaia, de potassa e de
soda.
A analyse qnantitativa foi feita polo me
thodo das analyses de cinzas de plantas que
contm mais acido pbospborico do que o
necessano para formar sai com o peroxydo
de Ierro.
Sobre 11,602 gr. da cinza inteiramente
branca dentro de urna capsula de porcelana
toberta com um funil de vidro. a6m de nao
se perder partcula solida acarralada pelo
'esprendimento do acido carbnico, lanr.ou-
se acido chlnrhydrico para decompor a craza
- dissolver os ses soluveis que ella con-
lm. Lavado o funil com agua destiHara,
e junta ella com a di solacio chlorby Irica.
foi tudo evaporado em baobo Maria para a
transformado da tilica dissolvida na modi- abonos,
bracio insoluvel. O precipitado, prin i-
|;io ama/ello, foi se'co da mesraa forma em
Danho Maria e mechido at flcar branco.
Depois langou-se sobre elle acido clilorhy-
drico forte e agua destillada fervendo, toda
a quantdade de silica em residuo foi sepa-
rada pela liltrago, lavada com agua destilla-
da e Analmente pesada.
0 liquido filtrado foi diluido com agu
destilada at completar 1/2 litro ou 5l0 c. c.
e determinara-se a quantidade dos diversos
corpas na propongo de 100 c. c, como ja
por vezes expliquei em trabalhos de analy-
ses cbiraicas que remetti.
Para determinarlo do oleo, empreguei
'.7,126 gr. de sabugo de milbo pulverisa jo
e secco 100 C. Extrabi-o com etber sul-
frico no apparelho de extracto, continoan-
do at que ora pouco de ether sulfrico
evaporado n'um vidro pequeo nio deixas-
se mais residuo oleoso.
A quantidade achada de oleo pesou 0,045
gr. on 0.282 /0.
Pira determinagio da albmina foram pe-
sados 27,094 gr. de sabugo pulverizado, e
misturados com agua contendo 270 de acido
-: t'urico; depois de urna hora separou-se
u sabugo pela filtrcio e aquecou-se a so-
lacio at 70 C. para precipitar a alb-
mina.
O precipitado lavado com eter sulfrico.
dpois com alcool e finalmente com agua
destillada, pesado e calculado dea 0,10(5%
da albmina.
Pela analyse anteriormente feita achei que
a quantidade total d"S corpos nitrogenados
ou azotados elevava-se a 4,6 %: snbtra-
hindo a quantidade de 0,106 % de albmi-
na, ficam para gluten, colla vegetal, muci-
na, etc. 3,954 %
Eu sou de opinio qae o valor relativo
dos alimentos t depende da somma das
materias de proteina, que o mesmo que
materias azotadas, porque a transformado
de urna em outra, muitas vezes depende de
urna simples fermentado.
Por exemplo no processo vegetal das
plantas, na germinaran do trigo, urna parte
do gluten transforma-se em albmina, como
mostron o chimico Saussure as suas analy
ses da farinha de trigo, que contm 11,75
1,4; naturalme-.te nao a me>
dos os animai
lieoes, s me r#fj
balho.
No sabugo de ilbo a proporcio i
pressa como 1,2, por isso, alm de i
lose, o sabugo contm menos porfo i
limemos respiratorios; estes devem, pois,
ser suppridds por qualtuer outra maoeira ;
no caso contrario, o animal alimentado tena
de perder urna parte do alimento plstico
pela xcremeutacio, o que nao s gfflta
p;rta de sua foro*, mas lambem perde-se
urna parle o alimento plstico pira/) ani-
mal, ou o que seria ainda peior, o animal
sume este excesso do alimento plstico.
O processo da aliraentaco por isso per-
turbado, ou, o que o mesmo, o animal
adoece.
O valor nutritivo do'gr5o de milho se-
gundo a tbeoria, sais vezes maior do que o
do sabugo, porm na pralica o valor do sa-
bugo ser ainda diminuido; um exemplo
pro vara.
Supponbamos que um animal recebe em
24 horas, alm do capim. 3 libras de graos
de milho, e que se queira substituir esta
rafSo pelo sjbugo.
Ora, 44 sabugos de milho pesam, termo
medio. 1 libra ou 3M0 (r.. por isso equiva-
le) ('> Ib.) 3x44=132 sabugos.
O va lo- de sabogo a 6a parte da dos
graos, por isso sk> precisos para substituir
3 libras de grao* de milho 132x6=7!)^
O volme destes 7!t sabugos ,
em proporcio aos graos de milho, muito
grande e cresce :iada depois de moido e
misturado com agua.
Se a proporc5o entre o capim e o milho
fr exacta, o animal'mo ser capaz de co-
mer um voluice tio consderavel de sabu-
gos junto com a quantidade de capim ; nao
poilendo, pois, o animal comer a quantidade
de sabugo equivaleule r cao de milho,
evidente que a aliraentagio ser incompleta
0 e le de ver emmagrecer, e perder as
forras.
Em lugares onde se almentam os ani-
maes com materias que contm grande por-
gan de substancias nutritivas sob pequeo
volme, pode urna parte desses alimentos
ser substituida com vantagem pelo sabugo.
Na Allemanha, por exemplo, onde os cabal-
los recebem urna rag5o de feno, de ava e
de palha cortada, urna parte do primeiro e
da ultima podiam ser substituidas pelo sa-
bugo de roi'bn.
Os corpos fixos da cinza do sabugo nao
deixam ma a desejar naqaalidade, porque
contm phosphato de cu, sal commum
(chlorureto do siidio), qoe sSo precisos para
a formacSo dos ossos. da carne, do sangue,
mas na quantidade temos as mesmas pro-
p.ircois que em igual volume de sabugo,
porque 100 libras de sabugo ainda nio dio
1 libra de cinza on s O.019 %
A determinarlo da gomma foi feita pelo
mthodo de 'oland : achei 6,540 '/ de
gomma.
De todo isso segue-se que o sabugo de
milho um verdadeiro alimento plstico,
porm n3o pertence aos alimentos muito
nutritivos pelos motivos expostos.
(os, como.por exemplo
jras, otilo;
[mam-:-
ja mi
n chimicas de*
t de suas diffe-
reiiMjs especies.
A propria vegetaco inlervqj no to da
fornicio dos terrenos; assim qUe sobre
os mais ridos, rohedos instaSa-se algnns
lichens imperceptiveis* rudimentos da vida
vegetal, os quaes absorvenr a hamidade,
reagem contra a rocha e contribuem com as
% de gluten e sl,43% de albmina.
[Clrimica orgnica de Liebig. pag. 730).
O celebre chimico allema"o Fresenius fez
tabellas sobre o valor absoluto de diversos
alimentos; elle tambem destinguia a somma
de alimentos plsticos e respiratorios, e as
proporces era que esto para cim os ses.
Que o sabugo de milho am alimento
plstico, claramente o demonstra a analyse,
porque a differenca entre alimento plstico
c respiratorio, est em ser aqaelle azotado
e este nio.
Nao direi que o sabugo de milho por si
s, sem ontros alimentos, possa servir para
.' alimentagio dos animaes, pelos motivos
segnintes :
1. A somma dos alimentos tanto plasti-
oes, como respiratorios, e ses fixo:\ est
em diminuta proporgio para com a cellulose,
sedo somente de 12,57 %
2. A proporfao entre o alimento plstico
e respiratorio n3o aqnella que se soppn
nha at agora pelos ensaios praticos, isto .
FOLHETIM
VIVA DinTs Jl 10KT.1
POK
Xavier de Montpin.
MHTE SEiOD.l.
O HORSCOPO
(Contimiacao do n. 212).
XXX
Ab despertar.
O mordomo deu um assobio prolongado
e suave.
Abrio-se immediatamente a porta da ca-
bana, eapparecea nella urna raulher que
disse com voz guttural :
Esperava-te.
Bem v qoe foi pontual, Margarida ;
espondeu Lactancio, apeiando e atanco o
avallo orna argola de ferro pregada na
parede da cabana.
Entra, e bem viudo sejas, proseguio
a mulher, quem Laclando tinha chamado
-Margarida.
, A cho?a titma por dentro uro aspecto mi-
srrimo.
Das vigas, apenas desbastadas, que sasr
trabara o tecto, pendiam algnns indescripti-
veis farrapos, junto bastantes teias de
atanha. O blo era de torracalcaria. Con-
sista toda a mobilia n'uma mesa coxa, um
banco descoojuntado e um enxergao posto
em cima de urna tarimba de quatro taboas.
Sobre a mesa eslava urna cesta de jun-
heia de pedacos de la dos qoe largara
.arneiros ao atravessar os soitos.
N'aquelle berco, mais que primitivo,
dorma um formoso menino de um mez.
Dous objectos contrastavam singular-
mente com taraanha e tao atllictiva miseria.
Pendarada de am prego viam-se urnas
oastaabolas de bano e ama pandereta en-
DO SOLO AGRCOLA.
0 SOLO, SUAS PilOPRfSDADES li A DIVERSA NA-
TUREZA DOS TERRENOS.
O abe de qualquer estudo em agricultu-
ra o saber conbecer as qualiades do solo,
conhecimento importante e urna das mais
diliceis questoes, de quantas encerra a
sciencia agrcola ; porqne estas qualidades
variam com a natureza e a comiwsicao dos
terrenos, com os seus caracteres physicos,
com a influencia que exerce a carnada infe-
rior, e finalmente com o seu grao de ferti-
lidi-de.
Nenhuma questo a respeito do solo po-
dei ser lormulada. sem a indicacao dos
meios de apreciarse snas qualidades, jul-
gada por s?u aspecto, on propriedades phy-
sicas; peas plantas que nelte se desenvol-
vem naturalmente, ou finalmente pela apf-^
lyse chimica.
I
Da formaeo dos solos.
O sloaravd, isto a carnada terrosa
c-nvenienie vegetaco, e que forma a su
perficie do globo, excepto nos lugares oceu-
pados pelas aguas e pelos rochedo3, com
posto de grande numero de elementos di-
versos. Este slo varii no mesmo grao
que as carnadas geolgicas que cooperan)
para forma-lo por sua dcomposigo mais
ou menos rpida, completa ou incompleta;
a natureza idntica, porm o sen estado
oifferente.
As rochas, emseu primitivo estado, apre-
sentam-se oebaixo da forma de macissos
intemperies e as variafTtes atnjosphericas
iiecompo-Ia pooco pooco. Esta primeira
decomposic3o junta-se aos residuos da pri-
meira vegetac) e lrma urna tenue cama-
da de trra tegetal; entao que oascem
ontra$ plantas successivamente mais robus-
tas, outros liebens, musgos, fetos (sambam-
baias, gramneas, broraeliaceas, orchideas e
outras especies mais corpulentas, cuja ve-
getago mais possante accelera por seus de-
tritos mais voluruos'-s a formacSo da cama-
da de ierra, e acabam por faz-la um slo
aravel
Tal o processo seguido pela natureza e
deque somos testemunhas: tal de vera r
provavelmente, ter sido a origem da forma-
cao de grande numero de terrenos. Se
ainda hoje observamos alguns rochedos des-
calvados, despidos de vegetarlo, porque,
por sua situar) abrupta, impedan a ins-
tallacjio das sementes dos vegetaes, ou por-
que o producto da decomposirlo das rochas
e da vegetaQao das plantas foi acarretarto
pelas chuvas para os logares mais baixos.
por esse motivo que o slo dos vaRes
sempre mais profimdo. de esoessura des-
igual e de composrr/ao moi variavel, ao pas-
so que o dos eimos dos morros oo das
montanhas apresenta menos profundidad*,
maior uniformidade em ana espesara e
composicie.
Certas carnadas geolgicas apresentam-se
em tal estado de nggregac3o que facilita a
disjuncco de suas partculas e posterior-
mente a sua mistura mutua. Essas cama-
das podem ser referidas tres especies ;
d'onde resuita semejantemente a di visito
das trras araveis as tres classes seguin-
tes : f, trras argibsas. mais ou menos
compactas ; 2o, trra arenosas, mais ou
menos soltas ; 3o, trras calcreas, mais
ou menos puras.
O grao de fertiiidade destas especies de
trras depende da mistura operada em seu
seio pela natureza ou pela mo do homem ;
nenhuma deltas, considerada isoladamente.
possue outras propriedades vegetativas se-
no as mesmas dos rochedos de onde pro-
vieram ; entretanto sua mistura eonstitue o
estado mais geral dos diversos terrenos,
desde os mais mediocres at os mais ricos,
em virtude do predominio desta ou daquel-
la especie de trra, ou entio porque todas
ellas >e acham associadas as proporces
mais favoraveis ao desenvolvimento das
pLntas.
II.
que dilacerara as raizes e fa-las sofrer, es-
o-as em parte
aberver, conter b determina-
das circomstancias, o ar atmospheric e oa
gazes oa vapores dos estrames.
4.* Apresentar, pelo menos em sua parte'
superficial, a cor amarellada, loura ou par-
dacenta, asss escura para aqoecer-se aos
raios solares, e fornecer s plantas ara
ce'rto grao de calor hurmdo (ar e gazes im-
pregnados em temperatura branda de vapor
d'agua). circumstanrias que excitara favora-
velmente a vegetaco.
5." Conter humo ou humus (detritos or
ganicos ou restos de vegetaes ou de anima-
es morios, mais ou menos apodrecidos),
suscaptivel, em "virtuda de decomposices
espontaneas, de forneer s plantas aliraen
tos soluveis on volatis.
Conter argila, arna (argilosa, sili-
cosa ou calcrea), e carbonato de aai, em
proporces taes. que as qualidades cima
mencionadas possam coexistir, e sobretodo
bastante da ultima substancia (calcreo),
afim de n3o se manter o terreno no estado
de acidez.
7. Apresentar as propriedades prece-
dentes at urna profundtdade igual pelo
menos s que devem attingir as raizes das
plantas cultivadas, especialmente d'aquellas
que s5o designadas pelo nome de plantas,
raizes (taes como os inbames, os nabos, as
nabicas, s rabaos, as beterraba*, as bata-
las, etc.). Cada uma destas especies dilata
suas raizes em tuberculm n'uma profundi-
dade determinada; comprebende-se, pois,
que um solo compacto, on obstruido de
fragmentos de pedras ou de massas endu-
recidas, dever contrariar o livre desenvol
vimento das raizes tuberoides ; assim, por
exemplo, orna variedade de beterrabas cul-
tivadas (Beta majo-), exige urna profundi-
dade de 45 centmetros (i pernos) de ierra
fofa, por qu soas raizes carnudas, fusifor
Unes, attingem Fcilmente esta distancia, e
por acaso o sub-slo. mui saibroso ou for-
mado de argila compacta, p ,uco permeavel.
se acha mais prximo da superficie, os tu
berculos bifrcar-se-ho era numerosas ra-
fdcellas sem valor alguna.
Outros tubrculos exigem ainda urna zona
de nuior possanf; assim esta condiclo
altamente importante para a cultura destes
vernisada com vivas cores e enfeitada com
muitas fitas de seda encarnada e amarella.
A dona de.:to exquisito- albergue podia
ter de tinte e quatro vinte e emeo annos.
A cintura delgada, e lexivel. os cabellos
corapridos, luzidos de um preto azulado,
a tez bronzeada.Jos olbos rasgados e de pro
digiosa mobilidade, as feices formosas,
que lembravam primeira vista os typos
onentaes, o fato pittoresco e o collar de
moedas de cobre o.xydado que ihe rodeava
o pescoco, bastante eomprido, mas de for-
ma graciosa e pura, tudo, emim, denotava
ella pertencer estranha raga dos egyp-
cios, bohemios ou cigaaos.
EB'ectivamepie as miseras choupanas es
palhadas pela colima cooslituiam orna aldeia
de ciganos, alli acampados bavia terapo,
grabas tolerancia do conde de Rabn, ou
para, raelbor dizar, do seo mordomo, por
que Annibal jgnorava oiapletamente como
elies se tinham apossado de um terreno
que Ine pertencia, mas que era de lodo es
leril.
D'alli trazia Lactancio as taes ciganas,
quem dava a honra de admitlir as suas
siturnaes no pavjino do parque.
Trazes o menino ? pergontou Mar-
garida.
Ei-lo aqu. .
E Lactancio apresentava cigana a po-
bre creaiurmba, que soltava debis quei-
xumes.
A mulher deitou para elle a vista cem-
passiva, e afastando com gesto soberbo o
corpete que Ibe cobrii o '+obtlsto peito,
offereceo-o ao herdeiro do conde, qoe
logo o acceiton.
Coitadito mnrmorou a cigana. D'a-
qui urna hora estar morto f
Lactancio tirou da algibeira um pnnhadoi
de moedas de ouro, que poz sobre a mesa.
Bem vs : compro o que prometti,
disse elle. Agora nao te esquejas do que
tambem prometleste.
Nunca me squeco da micha palavra,
tomoa Margarida. Ningpem. entra em mi-
Composicao, qualidades dbs diversos solos.
Os differentes terrenos proprios cultura
apreseotam variaces numeroslssimas m
sai natureza, composigo e qualidades;
porm cada um deve ter reunidas as con-
dices jjeraes que passamos nomear.
1. Ser asss subdividido on movel, de
sorte que as raizes possam penetrar sem
esforco, e os germens das semeotes os'
rompam fcilmente ; asss pesados entr-
tanto para darera aos caules ou troncos dos
vegetaes, abalados pelos venios, urna re-
sistencia sulliciente contra estes agentes.
Esta c Hidiclo de estabilidade nao ser
certameote satisfeita nos solos mu leves,
onde a adherencia das partculas nao asss
intima, j porque abunda o humo, j porque
as proporces de calcreo magoesiano, por
exemplo, sao elevadas: entao algumas ra-
jadas de vento rijo podero arrancar urna
plantaco n'.eira de milho, ou de qualquer
outra especie, que como esta tebain o
colmo asss alto relativamente s raizes.
A possibilidade de arrancar mo esses
vegetaes, ou outros quaesquer, pode forne-
cer indicius sobre a natureza do slo, prin-
cipalmente respeito de sui tenacidade, de
sua penetrabilidade pelas raizes, e de sea,
coherencia que favorece o desenvolvimento
destas.
2. Ser asss permeavel s aguas pluvia-
es, e reter este liquido de modo a censer-
var a homanidade at profundidade de al-
gumas polegadas, sera todava format depois
das chuvas, e por longo tempo, ama espe-
cie de pasta que impeca a circulado do ar,
e sem apresentar, pelo contrario, durante
o tempo queote e secco, essas largas fendas
vegetaes.
8. Abaixo desta profundidade o solo nao
dece serjmpermawi, porque, do contrario,
as aguas se acumulariara e proiuziriam fu-
nestos effeitos contra as plantas.
________________(Continuar-ahse)
VARIEDADE
CABRAS DE CACHEMIRA E DE ANGORA,
ALPACA E SEUS CONGENERES.
(Contra uacao)
Kilogrammos a 5> fran-
cos, os 100 kilogram-
mos............... 1.414
Salarios, 20 francos por
cabeca............ 480
Lucros lquidos, francos 4.032
Isto quer dizer qoe o Sr. Martegonte ob-
eve um lucro da 42 francos e meio por
cabefa.
Em presenca de um resultado to bri-
Ihante, o Sr. Sansn disse qae este animal
n5o est sufficienieraente estudado, e con-
vida aos qae podem-oecupar se inteiramente
de sua cnagao a fa^erem-tto em beneficio do
progresso da industria pastoril.
Em nossos pnmeiros ensaios oblivemos
736 cabecas de augmento, producto de 46
cabras de ventre e 2 casticos angoras bes-
panbes, e de cuja deraonstraco nos oceu-
pareraos no lugar correspondente.
, Em presenca de tao grand resultado
concebemos a idea de estudar attentamente
este gado, e ver at' que ponto pode ser
fcil a sua propagagao, aproveitando para
tal fim o cruzamento com as angoras, e por
esse modo alterando as condices de um
animal, de que nenhum proveito at agora
se tem tirado nem no Prata, era em regio
alguma da America.
As denominacoes que se d3o s cabras,
segundo as suas idades, sao : cabritos al a
idade de 3 mezes; desta idade em diante,
chibos e chibas, e quando chegam de re-
produzirem-se, tomam as femeas o nome de
cabras e os machos de reieelos e semen-
tats.'
Desprezamos por inverosimeis muitas
historietas qoe sobre estes animaesencon-
tramos em alguns livros, entre os quaes
torna-se notavel a da existencia, geralmente
admittida, de um passaro, a que os Hespa-
nhes denorainam chotacabras, e os Fran-
cezes llle-chvre, que, dizem, tem a pro-
priedad de procurar as cabras parida, e
mariwr-lbes o leite cora a liQyel rapidez,
o que, accrMceulam. produzlH^H le-
*, 4Wueira do animal.
Ha effectivameote am pastara nseetivoro,
que 809 seguir as cabras?* foaoilo esUs
st5o no carral, bicar Ibes as peroas, mas
isto se explica pela quantidade de carrapa-i
to e ouiras sevandijas qoe no pasto, du-
rante o da se agarram a ellas, e servem de
alimento a esse passaro, qoe o famoso
caprimulgo dos escriptores' latinos.
Capitulo III
Cmzameotos, mesticagem e seleccao.
A applicacao dos cruzamentos contimros
tem por fimvmplantar urna ra;a na outra,
e os principios pelos qoaes se regnlam s3o
claros e absolutos. Independente de qual-
quer coosideraco, a applicaco do metbodo
continuo n3o outra consa mais do qoe o
eorarego perseverante de sementaes puros,
qae acabam pela completa absorpcSo das
rapas com que se cruzam.
Algumas vezes a absorpc5o se verifica no
qUarto cruzamento ; n'outros caeos, porm,
qdando ha mais distancia entre s dous ele-
.mentos a absorpcao se faz no sexto cruza-
mento. ,
,A pratica dos cruzamentos mais impor-
tante, e requer maior somma de eonheci-
mentos, do que geralmente se pens-a.
Nao basta, diz o Sr. Sansn, boscar as
semelbacas das especies, necessario ir
aliB, e qoe as disposicss physiologicas
guerdero alguma harmona entre si, alguma
relaco para que as juneges dem fruc-
los.
Sempre qae taes disposices estejam
mui distantes, se as copulas teem logar,
(lejas- s resultaro animaes que se chamam
bybridosisto incapazes para a pro-
creacao.
O Sr. Aimeida, distincto nataralista por-
tuguez, nos diz em seu Tratada de anaP-
miu, physioftffia, zoologa e botnica, que
as fecundaces em todas as especies de ani-
maes- resultara da presenca de larvas no li-
cor prolifico, e que estas laucadas no mo-
mento da> ejacalacao e fecundadas-por seas
smiles macho e fe me a no claustro materno,
s3q o modo da concepeo.
Ora, quando teem lugar unies entre es-
pecies, em que-a semelbanca aperas appa-
rente, as- fecundaces veem a produzir um
hybridbt animal estril, porque era macao nao entrou a sement, que se chama
larva, e de que depende inconlestavelmen-
te a aptidSo para reproduzir-se em todas
especies-de animaes, de cuja ausencia pro-
vm a sua esterHidade.
de grande atUidade para p estaacieiro
prestar muita attencio a este ponto.
s vezes nao se pratica o cruzamento
completo,, porque s se deseja a correceo
de algum defeito% ou um augmento de vo-
lume nos animaes, ou finalmente urna'alte-
rarn parcial no vello oo la; entao estes
cruzamentos toraamo nome de meslicagens;
conseguintemente mestico o sea resul-
tado.
A selecedo daVse quando sem o concurso
de elementos eslrannos no gado, qoe se
posse, cuidamos de oraeraorar, e realmen-
te o roelhoramos, apartando com aesrto as
femeas maiores e de formas mais perfitas
para ionta-las a reilexos da mesma ospecie
igualmente notavsn pelo seu desenvolv-,
ment e pelo attractivo de sua perfecto ty-
pica.
A stlecco bem e jodiciusamente feita por
si $ basta piara* methorar em todos ajs sen-
tidos as especies mais defetuosas e des-
piezada, sendo qne pode realisar-se as
mejsmas especies sem necessidade de recor-
rer a cruzmentos heterogneos, de-resol-
tado dnvidoso, e que qoasi sempre oostu-
mam tentar-se irrefleetidamente.
Por ultimo o criador intelligents- deve
aber que, esclhendo entre os reproducto-
res os mais gerfeilos. na de chegar neces-
sarjamente a bom resoltado.
lem-se observado na pratica des cruza-
mentos que as crias tirara mais aos machos
do que s femeas, e- isto basta para ter-se
emimaior apreco os sementaes, tanto mais
qua|oto um s delles capaz de modificar
to Ja urna casta, e o modo de ser de um nu-
meroso rebanho.
Capitulo IV,
La e cabello.
Da-se vulgarmente o nome de pello i
viest
nha casa, ninguem saber que veste aqu
e que tenho dous filhos para alimentar.
Bem, dinheiro nio te faltar!, prose-
gnio o mordomo : mas assim como a re-
compensa ha de ser grande, assim o casti-
go sera terrivel se venderes o meu segre-
do. N3o ignoras que tudO posso as tr-
ras de meu amo ; mandava-te acontar pu-
blicaam*tft e raettia-te nacadeia ; brava-te
o filho (fbe tens, e expulsa va d'estes sitios
os leus companheiros, se Bao preferisse
antes entrega-Ios ao governador civil, aecn-
sando-os de pilhagem e maleficio,
Mas se ellos sao innocentes I bradou
Margarida.
Isso nao impedira que osmandasse
para as galos. Basta a miaba cteelarac5o
para attriahir sobre lles todo o "peso da
j us tica.
A cigana fez-se muito paluda e estreme-
ceu desde os bicos dos ps at cabeca-
Porque tremes ? Pergunton Lactancio.
Guarda o segredo, que ndateos a -recelar,
nem por ti nem.pelos teas.
Saberei guardado.
Virei d'aqui tres dias saber
cas dn menino.
Has de encontra-lo bom sadio. Vou
estimado tanto como se fra meu Droprio
Gibo.
Vamos, ecna a porta, o a tornes
a abrir, nem mesmo para os^la tua tribu.
Joro qoe n3o a abfirei.
' Lactancio montn outra vez cavallo, e
muito satsfeitoda maneir como tinha ar-
ranjado as cousas, tomou galope ocami-
nho do aslello.
1 SigamiMb.on antes, pislemoslhe adjunte.
Decoa-esa ama hirl,fpBncd- iiaft on
menoM desde qae vimos r$injo*pr Q me-
nino nos bracos de Marioeta para ser entre-
gue ao mordomo.
parisira, com rapidez e habiudade ex-
traordinarias, conseguir apagar todos os
vestigios que tinba deixadQ. o parte da
senhora de Rhon>
Esta ultima, continuando no seu, stano,
ou para melhor dizer no seu lethargo, esta-
va ainda immovel e respirava tranquilla-
mente.
Simoa Raymundo passeiou roda de si
um olhar investigador, para ter a certeza de
que nenbum vestigio denunciador escapara
a sua vigilancia.
Senhora marqoeza, disse ella depois,
parace-me que chegou a occasiao de dar o
golpe decisivo.
A formosa Otympia respondeu com um
gesto afirmativo.
Simoa approximou-se do leito. Tirou
do seio um vidrinno de crystal, cheio de
liquido incolor e transparente como a agua
clarificada. Deitou na palma da mo al
gumas gotas do liquido e esfregou com
elle as fontes da condessa.
Quasi no mesmo instante, agitou ocorpo
da fidalga um ligeiro estremecimento, e as
palpebras pestanejaram, como para se abr
rem.
I Senhora marqueza, disse entao Simoa,
teoba a bondade de partecipar ao senbor
de Rabn que a senhora condessa va i acor-
noti- dar.
Olympia sahio do quarto, ^atravessoo o
toucador, e foi bater porta do aposento
do conde.
Pobre senhora murmurou a ade-
vinha, litando em Maria de Rahon o olhar
commovido. J se principioa a comprir o
seu horscopo, fl MVtffi
Tinba apenas pronunciado estas palavras,
qoando^appareceu o conde, acompanbado
pela whon de Chavigny e seguido por
Saint-Maixent, que prou no gabinete do
tducador. ,
Pareee-lhe qae a parto nao lardera ?
perguntou Anniftl com viveza.
Creio qaesim, e al atterescentaria qne
stoH cert d'isso, se a natureza nao esti-
.vesse burlando desde bontem as minbas
previses todas.
M.as perigoso o estado da condessa?
Pirgonta Annibal aSsastado.
IWa' d'istQ oihe para ella, e ees-
pro iucco vegetaiiva que recobre esterior-
meiite i palle de todos oo da mor parte dos
maniferos,. c a que os naturalistas costu-
man classificar de dous modos-, denomi-
nados a o mais fino iaa por sua sirailhanca
com o vello, e ao outro cabello por ser as-
pero e moi sem.elb.ante com em soas con-
dices s-cerdas.
--------1-----------------------------------------
sarjo os. seus receios. Exactamente o que
rae espanta, o que nao acert a comprehen-
der, essa pronda calma, esse inalteravel
bem estar.
+- Qud diz? pois a sua experiencia...
~ A minha experif.ncia de nada serve
neste caso, senbor conde ;-assim ocon-
fesso humildemente.
Neste momento, abri a condessa os
olhos-; levantou-se, passeiaedo em torno a
vista incerta.
Era evidente qe o corpo tinba desper-
tado primeiro que o pensamento ; revela-
va-se-lhe no semblante urna cerU lata para
aclarar a memoria e fixar nella as recorda-
Ce$ confusas on mero apagadas.
Annibal dobrou-se papa ella, beijouana
testa e pergunlou-lhe:
Como te sentes, querida ?
A condessa lancou um grito em vez de
responder, Esclareeera-selbe o espirito,
e vendo a mudanga radical que nella se ti-
nha l operado em qonto dormir, pergun-
tou com ar de supptica:
E meo filho ? onde' est meu filho ?
Annibal virou-se para Simoa Raimundo,
que na compostura e na physkmpdiia deno-
tava a mais viva sorpreza.
A formosa Olympia ficou aawmbrada.
Para que me tiraram men filho ?
conlinuou a condessa com exaltago. Que
fizeram delle ? Oh o3o queiram privar-
me de qae o veja ... DeeoHn'o'c '..:-.
Deixem-rae. cobri-lo de bijo#, deixem-me
aperta-lo contra o cra#o i Receiam tai-
vez que seja violenta de mais a mioba com-
moco ? Encaoara-se... tenho mais forga
do que suppem... e depois, a alegra
naimata ninguem. Deem-m'o, pois, pe-
co-lh'o eu, guando mais n3o seja por al-
guns minutos, e prometto depois mostrar-
me dcil e tranquilla, efazer tndo oque
seja preciso para me restabelecer quanto
antes.
Annibal, Simoa e Olympia, oihavam es
pautados ons para os outros, sem descer-
raron) os labios.
As appcacoes zootsetaiste, quando ha
bilmente- dirigidas, modikam as p-odages
naturaes, awoldando-as necessfd;ides
industria comnterdo. A zooteteht
nome de vellos raassa geral dos produc
tos ovinos e caprioos. Cbama-se pois Vil-
lono em espantoi; e Dumt em Fra^caz
aquella parte mui fina do pallo, especie de
pennogem, que serve- de abrigo e proteecao
immediata pelle de muitos aniraaBS, e
qae,se desenvolve como sabido i entra-
da do invern sortretado as regies fras ou
temperadas, sendo mais commom boa tir-
sos, coelhos, lebres, cabras martas, vicu-
nbas. alpacas, cbiocbilla, e mesmo nos gua-
nacos das regies, mais altas dos Andes, e
extremidades da Patagonia.
Esceptowdo-se a 13a das cabras cache-*
miras, angoras, e viconha, que enmpri-
da e elstica, a dos outros animaes eitaV's
faltam essas dus importantes qualidades,
sem as quaes n9o pode ser fiada e teefda,
tornando-se assim intil para a indus-
tria.
ras cabras cachemiras e angoras predo-
mina a laa comprida, fina e elstica, o qae
justamente motiva a sua procura no mer-
cado, e o alto preco, qoe obtem, como ma-
teria prima propria para lanificios maravi-
Ihosos. Aqu Importa dolar que ba algu-
mas nuancas entre a 13a aogora e cache-
mira, como adianto mostraremos
Cabello (cerdon) qoe o rauceze cha-
nm jarre aquella oatra parte do pello
que recobre exteriormente es-animaes, e
que mais oo menee comprida e grossa.
conforme a especie e qaalidade a que per-
tense ; geralmente spero, doro, resis^
tente, e sem-elaaticidade.
Os pellos corapridos e groseos, que- se*
encontram entre a 13a merina, nao mais
lo qae a propria cedra, que os aotigos na-
turalistas suspekaram predominar ua ove-
iba e seu estado primitivo, como predo-
mina no mouflon oo ovelba selvagem.
O grande naturalista Covier, que nesta
materra aprsenla argumeatos de eiperiea-
cia propria, n3o divida seguir aquella as-
serto, affirmando qne o vello das ovelhas
merinae; e cabras cachemiras e angoras
de vi a ter sido primitivameate orna especie
de abrigo, que existia debati do cabello.
e que depois, per eauaas deseoolucidas.
foi crescendo, e tornaodo-se na ovelba me-
rina hespanhola parte principal o pello.
O grande Cuviar esqueceu-se sem duvi-
da de qne ha causas conheeidas, qne fa-
zem suspettar o motivo deseas variaces.
orno sejam a differeaca de clima, a ali-
mentago, e condkao dos terrenos.
Nio o preciso aloogarma-nos mais para
explicar a frmica- da imcoraparave espe-
cie merina de Hespaoba, cuja procedencia
essasada procurar na Mauritania ou em
qualquer o or a paute do mondo, porque
esse animal, tal como boje o conbecemos,
eacontraram-no alli os romanos.
Se nio *aborrige das rieas campias
do-iberia, ah modcos-se era lempas mui
remotos.
O mesmo diremos acerca da patria das
caehemiras, o Thibet'; das viconbas o alpa-
cas, dos Andes, com excepcio unios das
aagoras, que ao que parece, proviersm de v
cruzamentos, e cajo-vatio os- torcos- deno-
minan) mottmr.
Se bem qoe n5o se ipossa contrariar a
natureza sem expor-se a abaetardameartos,
em compensaco ella promove-em bamonia
cem a regan escoltada, o aparfeicoamanto
de suas produecas em todas as citases.
CapiiHh V.
I>a cabra do Thibet.
A cabra Tbibet oriunda da Tartaria,
onde vivera> em rebanaos domesticados, pro-
duzindo o celebre vello, qoe os fraocezes
chamara dnwt, qu* a materia prima desses
maravilbosos teridos. que sa fabricam no
valle de Cachemira. Os chales- desta nome
coraecaram a ser coobecidos era Franca
desde a celebre campanha da Egipto, nos.
fina do secuto passado ; pois- antea, dassa
expedigao nao havia noticia dille* a aio ser
por alguna que possuia o re da Fraoca,
dadiva de soberanos asiticas.
Os primeiros chales da qoe usarara as
damas francezas eram, diz o Sr. Polancean.
verdaderos trophos de guerra, porque a
maior parte estava salpicada de sangue ma-
meluco. Como era natura),, a belleza desses
tecidos despertou enthusiasmo, a foram som-
brados por precos fabulosos. Depoij n3o
s so a precia rara os chales de cachemira
como objecto de luxo e muito em moda,
como tambera se recommendaram, e ainda
boje se recommendam, por offorecer,. como
nenhum outro tecido. garanta perfeita e se-
gura contra a accao do ar e do fro.
f Lontinuavse-h),
O semblante da condessa tomou urna ex-
pressao de terrivel anciedade e angustia.
Ah I gritou ella com voz' afflictiwi ;
calam-se... nio se atrevem responder...
voltam a cara... ah enteudo. -- Desgra-
Cada, desgracada de mira !... Men filho
morreu.. v morrea I.,. morrea !...
E o lgubre ciaraur terminpn em pro-
longado solnco.
Engana-se, senbora coodessa. diss
entao Simoa ; dtssipe essa olorosa illusao.
Seu filbo nao podia morrer, porque nao o
deu luz.
Nao acredito I redarguio a fidalga
com vehemencia. Combinaram-se lodos
para me oceultarem essa funesta nova, por
que duvidam de meu valor. Mas digam,
(iiaam a verdade, pego-ib'o, suppco-lb'o
era nome do co I... Nao veem que asta
espantosa incerteza me est matando ?
Prefiro sim, pretiro anes saber teda a
extensio da minha infelicidade...
Senhora condessa, juro-me...
Mente !... Cale-se^.. edatnou in-
terrompendo-a a senhora de Rahoo que j
nao era senhora de si.
Pois bem, calar-me-bei. vaivn Simoa
com ar de digoidade offendida, calai>me-bei
j qne m'o ordenam, ji'qoe me acensara
de falsidade : mas a senhora marqoeza, que
d3o sabio d'este quarto, afflrmar a verda-
de, e talvez a senhora condessa tenha por.
bem dar Ihe crdito...
Maria de Rabn poz em Otympia os
olhos supplicantes.
Querida prima, disse a marqueza, nin-
guem a qner engaar : mostraba por con-
segrante injusta com urna pobre mulher
cujos bons servigos n5o merecan) essa
compensa.
A condessa deixou-sa cahir sobre xnm?x
ilmofada.e brotaram-lhe dos olhos torrentijS

de lagrimas.
(Ctmtmuairso6&
TYP, DO iOAKO-ftllA D tfcotJ .tf


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E7VK7P2EW_O9FBAJ INGEST_TIME 2013-09-13T23:21:54Z PACKAGE AA00011611_12220
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES