Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:12217


This item is only available as the following downloads:


Full Text
UNO XLVI. NUMERO 213
Qtl/MtTA FEIM 21 P SETEIWWO DE 1870
f
PARA
[TAI E L6A1M OIBI AO SE FACA POSTE.

-Cada mamero avalso.
t *
WfOO
amo
320
DIARIO
PABA BEITBO E TORA DA PB07UCIA.
Por tres mezes adianUdos
Por seis ditos idam. .
Por nove ditos dem .
Por um anno dem .


a
6J7O
131500
20*350
371000
Fropredade de Manoel Figneira de Fara & Filiaos.
SAO AGESTES:
O* .Srs. Gerardo Amonio Alves 4 Filos, no Para ; Gonplves & Pinto, do Maranhao ; Joaqnim Jos de Oliveira, no Caar ; Anfcnio de lemos Braga, no Aracaty ; Joao Mara Jolio Chayes, no Ass ; Antonio Marques da Silva, no Natal; Jos Justino
Pereira d'Almeda, em Mamanguape; Antonio Alexandrino de Lima, na Parahyba'; Antonio Jos Gomes, na Villa da Penba; Belarmino dos Santos Bnlcao, en> Santo Anta; Dominga Jos da Costa Braga,
em Nazareth ; Francisco Tavares da Costa, em Alagoas; Dr. Jos Martins Alyes, na Baha ; e Jos Ribeiro Gasparinbo no Rio de Janeiro.
parte ornciAi.
Governe da provincia.
EKPEWEWrE ASSIONAOO PELO EXM SR. DESEMBARCA-
I10R FHANCISCo DK ASSIS 1>RIIEIKA ROGH V. VICE-
PRESIDENTE BA PBOVI.NCIA, EM 6 DE ABRIL DE
t i 870.
i* sereno.
N. 776.Dito ao Exi. Sr. general commandante
d:u armas.-Manie V. Etc. por em liberdade os
reerutaj Pedro Ferreira da Cruz e Jlo de Olivei-
ra Cavalrante, visto terem >do julgados in-
capaces do serrino do x**rcilo, como cogs-
ta do terina de iospeeca que veio annexo ao seu
offl :io de 19 do crreme sob o. 193.
N. 777.D.toao mesmo.Mands V. Exc. por
em librdade os recruta* Jnap Jo- Pereira, J la-
guna Francisco Soares de Barros e Ajio^tioho Va-
lorio dos Sanios, visto terem sido jugados incapa-
zef p3ra o servico do cxereito, como consta dos
seu offleios d.- ti de marco uliimo e 26 do cr-
reme Sob na. 164 e 809.
X. 778.Du> ao mesmo.Tendo nesta data re-
ommendado ao director do arsenal de guerra e
ao eogenh tro encarregado das obras militares,
para preparar cora urgencia o quartel da* Ginco
( Pontas, para aelle ser alojado o corpo n. 42 de vo-
luntarios da patria desrn provincia, que nestesdia-
se espera da corle ; assim o coramonico V. Exc.
para seu conbecimento e flus convenientes.
f. 779.Diio ao mjsmoDeclaro V. Exc.
em additamento ao meu oficio de hontem, que o
-vapor que tem de ir para o presidio de Fernando
o vPiu-ahyba o qual deve para all seguir ama-
uh.ia as 3 horas da larde.Igual ao directa do
arsenal ds guerra, nntatit mtandit.
V: 780.Dilo director do arsenal de guerra.
a ia Je V. S. preparar com urgencia o qoartel das
.rao Ponus. para nelle ser alojado o 42 corpo de
voluntario da patria di-sta provincia'que se espe-
ra da corte nestes das.
X. 781.Dito ao mesmo.Mande V. S. torne-
ar ao presidio de Fernando os objectos constan-
te do Inclnso pedido n. 2, e bem assim urna ba-
il ra imperial de flele de 6 pannos, e nao duas,
'->mo exige o pedido n. 1, que tica incluso, tam-
bera assim redundo.
N. 781-fDilo ao mesmo. Mande V. S. torno-
cer o cartoxame qne tor necessario para o fune-
ral do aliares secretario do 6* baialhio da guarda
nacional deste municipio Antonio Alves da Fon-
ceca Janior.
X. 783.Dito ao earritao do porto.Srbr'esteja
V 1 n"">essa para a corte no vapor Cruzeiro
Stf do recruto Lourengo de Sonta e Oliveira,
que Tu jolgado apto para o servico da armada,
visto que tem requerimento pendente de decisao
/ nal desta presMeneia.
N. 781.Dito ao mesmo.Pode V. S. fazer se-
guir para a corte no vapor Cmziiro do Sul, para
a que fi.;am expedida as ordens necesarias os I
rerrutas Lmreogo de Sonta OIrmra e Antonio
J i=o Goncahres e pondo em liberdade os de nomes
Ant-mo Ferreira das Neves e Manoel Lonrengo
, dos santos, visto terem sido julgados incapazes do
serviao da armada, como se v do termo de ins-
peccao aooexo a > seu offlcio da 20 do corrente
sob a 38.
K. 78o.Dito ao coraraandante do presidio de
Kornando.Tendo npsta data ordenado a satisfa-
{5o dos pedidos ns. i e 2 de bandeiras, si;naes e
euros objectos de qne precisa esse presidio resol-
vi, -ra vista do que r.xpSe o general coramandan-
te tas armas no final do seu offlcio n. 197 de
19 do corrente, incluso por copia, mandar forne-
( t >omente urna bandeira imperial, e nao duas,
( rv:;i exiga o pedido n. 2. O que communico
\ S. para seu conheeimento.
N. 786.Ditoao mesmo.- Respondo ao offlcio de
V. S.'de 16 do correte sob n. 323, declarando-lhe
-'iianhaa.iegue para esse|pn;idio o vapor Pa-
vahaba da'companhia Pernarabucini e nelle vao os
gneros destinados ao abaslecimento do meimo
pr,,:!dio.
; 787.-Dito ao engenheiro militar.Mande
Vate, cora urgencia caiar e preparar o quartel
da< Cinco Puntas, para nelle ser alojado o 42 cor-
po de voluntarios da patria de dve ebegar da corte nestes dias.
2* secc3o
: 789.Offlcio ao Dr. chefe de polica.De-
claro a V. S. em additamento ai meu offlcio de
hiotetn, que o vapor da companhia Pernarabuca-
na que tem de ir para o presidio de Fernando
o Parahyba. o qual deve fazer all seguir amanba
* 3 horas da tard'.
N. 790.Igual ao juiz municipal da primeira
ara.
N. 791. Dito ao commaodante superior da
suarda nacional do municipio do Kecife.Expeca
V. 3. as suas ordens para que no dia de maio
viadonro, pelas 7 horas da manhaa, se apre-
sente em frenta da igreja matriz da freguezia de
S. Jos, urna guarda de honra dos batalhoes sob
seu pommando superior, para acorapanhar o SS.
Vutieo, que em procisso tem de ser levado aos
enfermos.
X. 792.Dito ao commandonte superior da
. guarda nacional do municipio do Recife.Expeca
V. S. as suas ordens para que. por occasiao da
v -taro da cova do finado alferes secretario do
hatalho tu 6 da infaoura da guarda nacional
a municipio, Antonio Alves da Fonceca Jnior,
s^jamlhe feitas as devidas honras fnebres, deven-
d a visitacao ter_ lugar no dia 28 do correte s
7 liras da manhaa, na igreja do convento de S.
K.aasisco d'eta cidade.
N. 793Dito ao commandaate snpVior da
(ruirda naeional do municipio de Oiinda.Expega
V. S. as suas ordens, para que o 9. batalhao de
inmtarla da guarda nacional desse municipio se
aprsenle .no dia Io d/ maio vindouro, era frente da
i mr.triz da freguezia de S. Pedro Martyr de
' Oiiada, para acorapanhar o Santissimo Viatico, que
ie da tem de ser levado aos enfermos d'aquella
i:o?uezia.
N. 794.Dito ao commandaote do corpo provi-
i de polica.Transmiti Vine, para a devi-
di e::ecucao a decisao da junta que em u.tima ins-
tinna toraou conheeimento do incluso conselho de
l'ilamentodo soldado desse corpo, Firmino Apoli-
o da Silva Ramos.
N. 793.Portara.O vce presidente da pro-
vincia, attendendo ao que Jhe requereu o bacharel
A' terliaao Correa de Crasto. promotor publico da
comarca de Tacarat, resolve couceder-lhe tres
d i licenca sera vencimentos, na forma da
re, para tratar &>>, sua satide onde Ih convier.
796.Dita.O vice presidente da provincia,
confirmndose coma proposta do Dr. chefe de
ia em offlcio n.Slt de 16 do crrante, resolve
noraear para o lugar vago de subdelegado do pri-
ro districto da freguezia do Limoeiro, o actual
-upplente alferes Pantaleao de Araujo Pessoa
da Costa, e para este ultimo lugar o cidaflo Joa-
m Francisco Pimentel.
j 3.* secgo.
N. 797.OfBcio ao inspector da thesourana de
ndn.Em resposta ao offleie que V. S. me di-
rigi em 16 do eorrenie, sob o. 288, tentio a dizer
r ) designei os professorea Miguel Archanjo Min-
i e Flix Pae> da Silva Pereira, bem como o
' ipturario dessa thesouraria, Jos Francisco de
s Baviera, para examinarem no concurso que
* vai proeaiar para preeochimeato dos lugares
va^os de priOeames d'etaa nparticao da alfandega
* recebedona de rendas, seado o primeiro em iet-
tura e analyse gramrauical -e o segundo em or-
,.raphia, e o terceifo flnalmeote em aritbmeti-
lea, etc. ete. Convm, pois, que V. S. se emenda
cora os referidos examinadores acerca do dia em
que deve ter lugar esse concurso.
N. 798.Dito ao mesmo.Communico V. S.
para seu conheeimento, que nesta data dispensei
o vapor Paran, da companhia Pernambucana, de
dar as viagens de boje noite para Goyanna e no
dia 30 do corrente para o Rio Pormoso, alien de
poder seguir amanhaa s 3 horas da tarde para o
presidio de Fernando de Xoronha, como se faz ne-
ceosario, em substiiuicao do Mandali, que para
alli tinha de ir no dir de maio vindouro, na for-
ma do respectivo contrato.
N. 799.Dita ao mesmo.Em resposta ao seu
offlcio n. 282, de hontem datado, tenso a dizer-ihe
que amanhaa vai seguir para o presidio de Fer-
nando o vapor Parahyba, da companhia Pernam-
bucana, e que por elle devem ser remettidos os
gneros alimenticios destinados ao abastecimento
do referido presidio.
N 800.Dito ao mesmo.Declaro V. S., em
additamento ao meu offlcio de hontem, que o vapor
qne tem de seguir para e presidio de Fernando,
o Parahf/ba, o qual deve para alli seguir ama-
nhaa, s 3 horas da tarde
N. 801.Dito ao inspector d thesouraria pro-
vincial.=Tendo a assemblea legislativa provincial
resolvido ero sesso de hoatem, segunda consta de
offlcio do respectivo secretario de 25 do corren-
te, que V. S. comparega s 11 horas do da de
hoje e nos seguimos se fr preciso, na sala da
commissao de fazenda e orcamento, para prestar
as informaces e explicaco;s de que amesma com-
missao necassiii, assim Ih'o communico para seu
conheeimento e flus convenientes.
4.* seccao
N. 803.Dito ao Exm. Sr. provedor da Santa
Casa de Misericordia.Em vista de sua informa
gao de 19 do crreme, sob n. 2398, autoriso V.
bxc. a mandar entregar a Joao Pedre Blanchen,
a sua ilha Luiza Mara Blanchen, que se acna re-
colhda ao cillegio das orphaas, como pensionista.
N. 804 Dito ao conselheiro director geral In-
terino da instruegao publica.Tendo designado o?
professores Miguel Archanjo Mindello e Flix Paes
da Silva Pereira para examinarem no concurso
que se vai proceder para preenchlraemo dos Inga-
res vagos de praticantes da thesouraria de fazen-
da, da alfandega e da recebedoria de rendas, sen-
do o primeiro era leitura e analyse grammatical, e
o segundo em orthographia, assim o declare V.
Exc. para sen conbecimento, e afim de que o faga
constar aos mencionado professores, que deverao
entenderse com o inspector d'aquella thesouraria,
acerca do lia em que dever ter lugar o referido
co ocurso.
X. 803.Dito ao administrador do correio.
Communico a V.|S. para seu conheeimento e flns
convenientes, que nesta data dispensei o vapor
Parahyba, da companhia Pernambucana, de dar
as viagens de boje noile para Goyaana, e no dia
30 do corrente para o Rio Formoso', alim de poder
seguir amanba s 3 horas da tarde para o presi-
die de Fernando de Noronha, como sa faz necessa-
rio, em substitoicao do Mandah, que para alli
tinha de ir no da 4 de maio vindouro, na forma
do respectivo contrato.
N. 806.Dita ao commissario ivaccinador pro-
vincial.Fornega Vmc. ao director geral interino
da instruego publica com a possivel brevidade al-
gn? tubos de laminas de puz vaccinieo que os
sclicitou em offl;io de 23 do corrente sob n. 128
para serem enviados ao delegado litterario da
freguezia da luz.
. 807.Dita ao gerente da companhia Per-
nambucana.Er resposta ao seu offlcio d'esta
data teoho a dizei que fica o vapor Parahyba,
despensado de dar as viagens de hoje a noute
para Goyanna e no dia 30 do corrente para o
Rio Formoso. alim de poder seguir amanba e
as 3 horas da tarde o presidio de Fernando de
Noronha como se faz necessario em substituigao
do Mandah que para alli tinha de ir no dia 4
do corrente na forma do r-spectivo contrato.
N. 808.Dita ao he3oureiro das loteras.Res-
pondendo a consulta que Vmc, fez em seu offlcio
de 2 .1o correute acerca da exlraccao de urna parte
de lotera, que segundo a tabella das preferencias
annexas a lei do orcamento vigente devia correr
a favor da igreja Santa Cruz do Reeife. tenho a
dizer que sendo esta lotera a mesma de que trata
a lei provincial n. 472 de 5 de maio de 1959, pois
que nesta cidada nao xiste outra igreja com essa
denominago, faga Vmc. extrahir cora brevidade
essa parte de lotera, observando-se assim a prefe-
rencia estabelecida na mencionada tabell?.
N. 809.Dita aos agentes da companhia brasi-
leira de paquetes. Podem Vmcs. fazer seguir
para os portos do sul o vapor Cruseiro do Sul
amanhaa a hora indicada em seu offlcio de hoje.
N. 810.Dita aos mesmos.Os Srs. agentes da
companhia brasileira de paquetes maniera dar
transporte para a corle por conta do ministerio
da guerra no vapor Cruseiro do Sul, a praga do
extincto batalhao n. 30 de voluntarios da patria
Jos Benedicto de Souza.
X. 811.Dita aos mesmos.Os Srs. agentes da
companhia brasileira de paquetes mandem dar
transporte at Alagas por conta do ministerio da
guerra no vapor Cruseiro do Sul a praga do ex-
tincto batalhao o. 30 de voluntario da patria M-
ximo Rodrigues de Souza.
N. 812.Dita aos mesmos.Os Srs. agentes da
companhia brasileira de paqnetes mandem dar
transporte para a corte por conta do ministerio
da marraba no vapor Crusseiro do Sul aos re-
cruias de nomes Lourengo de Souza Oliveira, e
Antonio Jos Gongalves.
N. 813.Poriaria.O vice-presidente da provin-
cia attendendo ao que requereu a professora pu-
blica dacadeira de instruego primaria da povoago
de Nossa Seobora do O' de Ipojaca Tbereza Emilia
de Souza Gomes, e tendo era vista a informago
do director geral interino da instruego publica
\de 20 do correte sob n. 120 resolve conceder-lhe
3 mezes de licenga com ordenado somante para
tratar de sua sade.
EXr-KDlEXTE ASS1GNAD0 PELO SB. DR. ELIAS FREDERI-
CO DE ALJIEIDA E ALBUQUEBQUK, SECBETARIO IN-
TERINO DO GOVEKXO, EM 26 DE ABRIL DE 1870.
1.* secgo.
N. 814.Offlcio ao Exm. Sr. general coraraan-
dante das armas.O Exm. Sr. vice-presidente da
provincia tendo mandado satisfazer os cedidos que
vieram annexos ao seu offlcio n. 197 de 19 do
correte, de objecios para o presidio de Fernan-
do com reduelo para urna das suas bandeiras
imperiaes, constantes do pedido n. 1 ; assim o
manda comrnunicar a V. Exc. em resposta ao ci-
tado offlcio.
2a secgo.
N. 815.Offlcio ao chefe de polica.De ordem
do Exm. Sr. vice-presidente da provincia trans
raitlo a V. S. os ttulos juntos de nomeago do
subdelegado do primeiro districto da freguezia de
Limoeiro, e do respectivo sexto supplente de con-
formidade cora a proposta de V. S. em offlcio n.
311 de 16 do corrente.
4* secgo.
X. 816.Offlcio ao Dr. Francisco Teixeira de
S, 1 secretario da assemblea legislativa provin
clal.N. 68.S. Exc. o Sr. vice-presidente da
provincia manda remetter a V. S., afim de ser
submettido considerago da assemblea legislati-
va provincial, o offlcio incluso por copia, do ins-
pector da thesouraria provincial de 23 do corren-
te, sob n. 248, e as demonstrares que elle se
refere, pedindo um crdito supplementar na im-
portancia de 948*756 para contlnuacao das des
peas at o fim do corrente axercicio, decretadas
pejes, arts. 6 2' e 40 g 5- da lei do orgamento
i vigente, o qual deixou de ser concedido atiento o
disposto no art. 4o da lei n. 573 de S de abril de
X 817 Dito ao mesmo.X. 69.Da rdem de
S. Exc. o Sr. vi ce-presidente da provincia, trans-
miti por copia a V. S. para ser presente a assera-
bia legislativa provincial, afim de tomar na con-
siderago que mei*eer o incluso offliio de 4 de
margo prximo lindo^m que a cmara munici-
paj da villa de Cimbres, solicita da mesma assem-
blea providencias para que os plantadores de al-
godo de seu municipio nao continuem a soffrer
os prejuizos mencionados no citado offlcio.
X. 818.Dito ao director geral da insirnego
publica.S. Exc. o Sr vice-presidente da provin-
cia manda comrnunicar a V. S. que nesta data
providenciou no sentido de llie serem fornecido o
puz vaccinieo que V. Exc. sohcltou em seu offlcio
da 23 do corrente, sb n. 128
Expediente assionaoo pelo exm. sr. desembab-
gadur francisco de assis pereira bocha, vice-
presidente da provincia, em 27 de abril de
1870.
i" secgo.
X. 823.Portara ao Exm. Sr. general comman-
daote das armaseMando V. Exc. por em liber-
dade o recruta Nasario Felippo da Penha. visto ter
sido julgado incapaz do servico do exercito como
consta do termo annexo ao seu offlcio de 26 do
corrente, sob n. 210.
X. 824 Dita ao mesmo.Expega V. Exc. or-
dem para que sejara dadas as salvas do estylo, bo-
je a tarde por occasiao de demandar a barra o va-
por Cruzeiro do Sul, que conduz para a corle o
Exm. presidente desta provincia, senador Frederi-
co de Aimeda e Albuquerque.
N 823.Dita ao mesmo. Communico a V.
Exc. para seu conheeimento. que a sahida do va-
por Parahyba para o presidio de Fernando, fica
tran:ferida para o dia 29 do corrente.Igual mu-
tatis mulandis, ao director do arsenal de guerra.
X. 826.Dita ao director do arsenal de guerra.
Mande V. Vmc. receber e recolher aos rmateos
desse arsenal, o armamento e equipameatoque se
acha no quartel da Cinco Pontas pertencencente ao
extincto batalhao n. 30 de voluntarios da patria,
constantes da nota junta, devendo Vmc. apresen-
lar a conta da despeza que fiter com a cooducao
de taes objectos para ser indemnisado pela the-
souraria de fazenda.
N. 827.Deliberarlo.O vice-presidente da pro-
vincia, attendendo ao que requereu Jos Ribeiro
da Fonseca, resolve conceder-lhe lieenga para em
barcar para o presidio de Fernaodo no vaporda
companhia Pernambucana, os gneros constantes
da relagao junta, assignada pelo secretario interi-
no da presidencia, nao podando, porm, effectuar
o desemoarque, sera que por parte do commao-
dante do referido presidio se verifique se ha agur-
dente pu outra qualqer bebida espirituosa.Igual
concessao a Antonio Augu-to Pereira da Silva.
j,~~Dita.O vice-presidente da provincia,
attendendo ao que requereu Bernardino da Silva
Costa Campos, licenga para embarcar a remetter
para o presidio de Fernando no vapor da compa-
nhia Pernambucana, afim de ser entregue ao seu
senhor, o tenente-coronel Sebastiao do Reg Bar-
ros, o escravo Eustaquio.
te se estiver a dever. proveoiente do gaz consnm-
>ido com t mesma iliuroinaco nos mezes de Ja-
neiro e fevereiro deste anno.
4.* sccao.
N. 846.Portaria ao governador do bispado.
Para sahsfazer a debe.acao da assemblea legis-
taiiva provincial, comida em offlcio do raspaelivo
lrimeiro secretario, datado de hoje, sob n. 29, in-
firme V., S. c m o sen parecer sobre os inclusos
TOjeclos ns. 7 e 14 do corrente anno.
N. 847.ta ao mesmo.Para satisfazer a de-
eragoda assemblea legislativa provincial, cons-
to Qo tflcio do respectivo primeiro secrotario
26 do (orrente, sob n. 27, informa- V. S. com o
seu pareier sobre o incluso projecto n." 8, do cor-
feote anno.
X. 848.Dita ao administrador do correio.
Communico a V. S. para seu conheeimento e em
admtamento ib meu offlcio d 26 do crreme, que
a sabida do v^por Parahyba para o presidio de Fer-
nando de -Wcnha, Oca transferida para o dia 29
do corrente.
X. 849.Diu ao gerente da companhia Pernara-
micana.0 Sr. jerente da companhia Pernambu-
cana, mande dar urna passagem de estado a r at
a Parahyba a Manoal Correa Lima, empregado da
secretaria de polica d'aquella provincia.
X. 850. Dita ac mesmo.O Sr. gerente da com
panbia Peruambuena, mande dar transporte para
o Rio Grande do Xtrte, por conta do ministerio da
guerra no primeiro vapnr que para alli seguir a
praga do extiocto batalhao n. 30 de voluntarios da
patria Manoel Feliciodos Sanios.
N. 831.Dita ao mismo.O Sr. gerente da com
panhla Pernambucana, mande dar duas passagens
de estado a r a duas i proa at a Parahyba ao ca-
pillo Salusiino Epbygenio Carneiro da Cunba.
X. 832.Mita ao mesino.O Sr. gerente da com-
panhia Pernainbicana, mande dar transporte para
Mamanguape por conta do ministerio da guerra no
primeiro vapor, que pari alli seguir ao sargento
extincto batalhao n. 30 da voluntarios da patria,
uro Ferreira da Costa Lima.
X. 833.Dita ao mesm.Tonio resolvido que
sahida do vapor Paruhjba para o presidio de
mando de Xoronha, fique transferida para o dia
29 do correle, assim ili o communico para seu
conheeimento e lias conveniente*.
X. 834.Dita aos agentes da companhia Brasi-
leira de paquetes.Os Srs. agentes da companhia
Brasileira de paquetes a vapor, mandem dar pas-
sagem para'Macei no vapor Cruzeiro do Sul, par
conta do ministerio da guerra, a ex-praca do ex-
tincto 30 corpo de voluntarios da patria, Antonio
Pedro Barbosa Segundo.
2" secgo.
X. 833.Offlcio ao ebefe de polica.Commu-
nico a V. S. para seu conheeimento que a sahida
do vapor Parahyba para o presidio de Fernando
de Xoronha, fica transferida para o da 29 do cor-
renJe-Igual ao juiz municipal da primeiranrara.
X. 834 Dito ao commandante superior da guar-
da nacional do municipio do Recito.Expega V.
S. ordem para que hoje s 4 horas da larde esteja
postada no campo das Princezas, a torga da guar-
da nacional, que tor neeessaria para fazer as hon-
ras devidas, por occasiao de embarcar para a cor-
te o Exm. presidente desta provincia, sanador Fre-
derieo de Alraeida e Albuquerque.
X. 833.Dito ao juiz municipal e de orpblos do
termo ce Oiinda.Em additamento ao meu offleie
de 13 do correle, enve Vmc. com urgencia at o
1." de maio vindouro, copia o edital pelo qual toi
posto emeonenrso a serventa vitalicia do offlcio
de eserivo de orpblos e annexos desse termo, para
ser reproduzido nesta capital, de conformidade
com o disposlo no artigo 11 do decreto 817 de 30
de agosto de 1851.
X. 836.Dito ao commandante do corpo provi-
sorio de polica.Pode Vmc. engajarno corpo sob
o seu commando os voluntarios da patria Paulo
Jeronymo do Xascimento, Manoel Joao do N'asci-
meulo, Jos Pereira Claro, Antonio Bernardo Fer-
reira, e os paisanos Joaquim Jos da Santa Anna e
Joo Felippe de Souza, de que trata o seu offlcio
n. 192 de 23 do corrente, cas? teoham a precisa
idoneidade. \
X. 837.Dito ao mesmo.Pode Vmc. eliminar
do corpo sob o seu comraando os soldados Joo Al-
ves Piulo e Antonio Ferreira da Luz, de que trata
o seu offlcio n. 197 de 26 do eorronte, visto terem
sido julgado incapazes de continuar no servigo, re-
raetteu-se segunda va desta portara no dia 30
de abril de 1870.
X. 838.Portara-.O vice-presidente da provin-
cia attendendo ao que llie requereu o oacharel Vi-
cente Ferreira Gomes, juiz de direito da comarca
de Po d'Alho, resolve conceder-lhe 15 dias de li-
cenga, cora ordenado na forma da lei, para tratar
de sua saude nesta cidade.
3." secgo.
X. 839.Portara ao inspector da Hie-muraria de
fazenda.--=Communco a V. S. para seu conheei-
mento que a sahida do vapor Parahyba para o
prosidio de Fernando de Xoronha, fica transferida
para o dia 29 do corrente.
X. 810.Dita.ao mesmo.Concedo a autorisa-
glo que V. S. solieitou em offlcio de hoje, sob- n.
290, para remetter ao almoxarifado do presidio de
Farnando pelo vapor Parahyba os 39:500*000,
que se tornam necessarios para occorrer as des-
pezas do mesmo presidio at o fim de junho pr-
ximo vindouro, segundo consta do citado offlcio,
que fica assim resDondido.
X. 841.Dita o mesmo.Transmiti a V. S.
para seu conheeimento e bus convenientes as 11
inclusas ordens, sendo 8 do tribunal do thesouro
nacional datadas de 9, II, 12 e 13 do corrente, de
ns. 61 a 68, o 3 do ministerio da guerra de 9, 11,
12 lambfm deste mez.
X. 842.Dita ao mesmo.Expega V. S. suas
ordens para que, em vista da relagao nominal e
pret juntos em duplcala, sejara liquidados os ven-
cimentos relativos ao mez de marco ultimo, dos
guardas nacionaes destacados na villa de S. Bento,
e paga a sua importancia a Manoel Xunes da Fon-
ceca, conforme solieitou o commandante superior
do municipio de Garanbuns, em oflkio de 16 do
corrente, sob u. 21.
X. 843. Dita ao mesmo.Transmiti a V. S.
para os iras convenientes as inclusas comas docu-
mentadas da receila e despeza da enfermara mili-
lar desta cidade, sob administrago do conselho
econmico do deposito de recrutas, relativos ao
mez de margo prximo fiado, e bem assim o pare-
cer da junta de saude, quo examinou taes comas,
achou-as confrmese regulares.
X. 844.Dita ao inspector da thesouraria pro-
vincial.Annundo ao que solieitou o director do
asyJo de meodicidade, em offlcio de 21 do corre-
le, recommendo a V. S. que mande entregar ao
tbesoureiro da Santa Casa de Misericordia mais
4:0001000, para as despezas do mesmo asylo, no
mez de maio prximo vindouro.
X. 843.Dita ao. mesmo.Mande V. S. pagar a
ampreza daillmnioagsje pubea desta cidade, que
assim o solicita no incluso requerimento dpownea-
EXPEDIENTE ASSfGNADO PELO SR. DR. ELIAS FREDERI-
CO DE ALMBIDA E ALBUQUERQUE, SECRBTAR10 BO
G0VERN0 INTERINO, EM 27 DE ABRIL DE 1870.
2.* scelo.
N. 833.Offlcio ao commandante suporior da
guarda nacional do municipio de Garanhuns.O
Exm. Sr. vice presidente da provincia manda de-
clarar a V. S., era resposta ao seu oflkio de 16 do
canjete, sob n. 21, que a thesouraria de fazenda
tem ordem para pagar a Manoel Xuaes da Fonceca
os vencimeutos constantes do citado offlcio.
3* seccao.
X. 856.Offlcio ao inspector da thesouraria pro-
vincialDe ordem de S. Exc. o Sr. vice-presi-
dente da provincia, communico a V. S. para seu
conheeimento que, segundo consta do offlcio do 1*
secretario da assemblea legislativa provincial de
2'i do crreme, sob n. 28, torara aoraeados Fran-
cisco de Borja e Oliveira para o lugar de 2 offl
cial da secretaria da mesma assemblea, vago por
fallecimento de Francisco Paes Barreto de Lame-
nha Los, e para collaborador Sebastiao Manoel do
Reg Barros com 600 t. de gratificago, os quaes
entraram era exercicio e tomarara posse naquella
data.
4" secgo.
X. 857.Offlcio ao Dr.' Francisco Teixeira de
S, Io secretario da assemblea legislativa provin-
cial.X. 70.S. Exc. o Sr. vice-presidente da
provincia, quem toi presente o offlcio que V. S.
dirigi em data de hoje, sob n. 31, manda declarar
a V. S., afim de fazer constar a assemblea legis-
lativa provincial que nu dia 29 deste mez 1 hora
da larue recebera no paUcio do governo a com-
missao da mesma assemblea, que tem de apresen-
tar aluns actos legislativos sanegao de S. Exc.
X. 838.Dito ao director do Asylo de Meodici-
dade.S. Exc. o Sr. vce-presideoie da provincia
raauda declar?r a V. S., em resposta ao seu offlcio
de 21 do corrente, que a thesouraria provincial
tem ordem para entregar os 4:000000 couslantes
do citado offlcio.
Expediente assignado pelo exm. sr. dssembar-
gador francisco de assis tereira ronha em 28
de abril de 1870,
Ia secr,ao.
X. 861.Poriaria ao Exm. Sr. general.Sirva
se V, Exc. de provideociar para que por parle da
fortaleza do Brom, seja cumprido a que se acha
disposto no programma iucluso por copia que or-
ganisei para ser observado por occasiao da che-
gada a esla provincia do 42' corpo de voluntarios
da patria.
X. 862.Dita ao director do arsenal de guerra.
Mande V. S. abastecer d'agua o quartei_ das
Cinco Pontas onde tem de alojar-se o batalhao n.
42 de voluntarios da patria que se espera do sul,
entendendo-se com o geneial commandante das
armas para o que raais tor necessario.
X. 863.Dita ao couimaodante de Fernando
Seguera para esse presidio em companhia do sen-
tenciado Sebastilo Gomes Barboza, a mulher deste
Joaquina Mara da Couceicao e a irma Mara
Francisca da Conceigao, c que Ihe communico
paaa seu oonhecimento.
X. 864.Dita ao mesmo. Transmuto a Vme.
as guias dos sentenciados, constantes das relacoes
juntas por copia, sendo que as da (fe numero 1
seguem agora1 para esse presidio, e os da de a. 2
j abi se achara cumpriado seateaga.
X. 865.Dita ao mesmo.Xo vapor Parahttba
que amanhaa deve sabir para esse presidio, seguir
o sentenciado Sebastiao Gomes Barbosa que-vai ah
cumprir sentenga, segundo offlcio do juiz munici-
pal de boje datado, indo sem guia a qual oppor-
tunamente Ihe ser enviada.
2' secgo.
X. 866.Offlcio ao Dr. chefe de poticia.Deto-
rindo o que requereu Sebastiao Gomes Barbosa,
que vai cumprir sentenga uo presidio de Fernando
de Xoronha conced que o acompanaassera para
aquelle presidio sua mulher Joaquina Mara da
Conceigao e sua irma Mara Francisca da Coa-
ceglo, o que Ihe commuoico para o seu coaUe-
omento.
N. 867.Dito ao commaudanle- superior da
guarda nacional do municipio da Recife.Sirva-se
V. S. de expedir as sua? orden para que no dia
da chegada do 42' corpo de voluntarios da patria
que esperado da corle, se ade postado no ar-
senal de marioha um dos. oorpos da guarda na-
cional sob seu commando superior, alim de fazer
as hooras militares ao referido corpo.
X. 868.Dito ao bacharel Miguel dos Aojos
arros.Constando do Diario Oficial n. 90 de
19 do corrente ter sido Vine, noraeado por de-
creta de 9 deste mez juiz municipal e da orphaos
do termo de Ingaseira, assim ih'o communico
para o sea eoabeeiroemo e ans convenientes de
conformidade com o decreto n. 4302 de 23 de de-
zembro a> 1868.
X. 868Dito ao bacharel Jos Ricardo Gomes
de Camino,Segundo consta do Diario Oficial
u. 90 de 19 do corrate, houve par bem &. M. o
aperador reccntaiir Vmc. por decreto de 9
do termo de Santo Antao, o que Ibe commanico
par o seu conheeimento e fins convenientes.
X. 870. Dito ao jsiz municipal da vara.Ti-
veram-o competente destino as guias de que traa
o offlcio-de V. S. de hoja datado, sendo que nio
vierao as dos sentenciados Francisco Antonio
Campos e Manoel Joaqutn CavalcaMe menciona-
dos na relagao de a. f.
It. 87f.Portara.O viw-presidBte da pro-
vincia conformando-fe enm a proposta do chele
de polica em offlcio n. 5*7, de 27 do crranle,
re^olveu nomear para os cargos de 2, 3, 4', 3
6f supplentes co subdelegado do 3o distrielo do
termo da Eseada os cidadaos sfguiutes na ordem
era que vio eollocados : teen*) coronel Amonio
Gongalves Correa, cap lio Henrique Marques da
Silveira Lina, Romancio Antonio de Ramos e Sil
va, capillo Jo- Gimes da Silva Curaar, Joo
Florentino da Fonceca Mallo.
X. 872Di.O vice-presidente da provincia
em vista do oSBcio do chefe de poticia n. 547 de
27 do crreme resolveo exonerar dos crgos de
2", 3, 4% 5" e 6* supplemes do subdelegado do
3 districto da Escada os cidados segainies : co-
ronel Jos Lelo Pereira de Mello. Joo Gragalves
da Silva, alferes Felippe Paes de Sena, Henrique
Gomes de Barros e Silva e alferes Alexandre da
Monta Canto.
3" secgo.
X. 873.Dita aoiospector ta tbesouraria de
fazenda.Expegi V. S. as suas ordens para qne
no lia 2 de maio vindouro sa paase ravisla ao 2?
batalhao de infamara da guarda naeional que se
acha aqnartellado.
XI 874.Dita ao mesmo.Segundo consta do
Diafio Official n. 90 de 19 do corrente, foi no-
meado por decreto de 9 deste raes o juiz muni-
cipal e de orpaos do termo de Ingaaeira, o bacha-
rel Miguel dos Aojos Barros e reconduzido pr
decreto do igual data e em idnticos cargos id
termo de Santo Antio o. bacharel Jas Ricardo
Gomes de Carvalho, o que communieo a V. S. para
os devdos fins.
XI 873.Dita ao mesmo.Commanico a V. S.
para os devdos flus que segundo perticipou o ba-
charel Angelo Caetano de Siuza Cousseiro em
offlcio de 11 do corrente, nesta data assumio o
exercicio do cargo de Juiz municipal- e de orphaos
do termo de Villa Bella para o qual toi recondu-
zido por decreto de 16 de outubro ultimo.
N, 876. Dita ao mesmo. A Dinamerico do
Reg Rangel, maisde V! S. pagar depois, de li-
quidados em vista da tolba e pret juntos em du-
plcala, que me remetteu o commandante s'ipe
rior do municipio de Cabrob, cora offi'io de 2
do corrente, os vencimentos de official, pragas da
guarda nacional destacadas naquella villa, duran-
te o mea da margo ultimo.
X. 877.Dita ao mesmo.Tendo nesta data e
em vista do que me requereram os- professores
pblicos Miguel Archanjo Pimentel, Manoel Fran-
cisco do Reg e Liberato Tbnrtino de Alraeida
Maciel, expedido as convenientes ordens thosou-
raria para fazer cessar o descont dos respectivos
/encimemos offerecdo pelos rereridoa- professores
para as despezas da guerra ; assim o communieo
a VI. S. para seu conbecimento.
a. 878.Dito ao mesmo.Tendo o capillo do
Porto desta cidade de contratar com o- pratico da
costa Felippe Francisco Pereira para levar ao
Cear e trazer a esta provincia o transporte ce
guerra Leopoldina pela quanta de 4504000 ; as-
sim io communico a V. S. para sou conhocimento
e fins conveniente.
X. 879. Dita ao mesmo. De conformidade
com o art. 6 do regulamento approvado pelo de-
creto n. 4356 de 24 de abril do anno passado,
transmiti a V. S. a inclusa portarla que para ter
essa destino me toi remettida pelo director geral
dos correios com offlcio de 16 do corrente, sob'n.
347i noraeando Jos Florentino da Fonceca Lelo
para o lugar de agente do correio da villa da
Escada.
X. 880.Dito ao masmo. Providencie V. S.
para que depois de liquidadas, ero vista das to-
ldas e pret juntos em duplcata os vencimentos
do offlcial e pragas da guarda nacional destaca-
das na villa da Boa-vista, sendo os daquelle re-
lativos aos irezes de Janeiro e fevereiro deste an-
no, e os deslas ao ultimo de taes mezes seja paga
a ra importancia a Andr AveHno Pereira e
Silva, conforme solieitou o respectivo comman-
ddR e superior em offlcio de 15 de margo prxi-
mo Indo.
tado, a quaotia.de 15:7q7900, otj, o que justaraen- 4wte mez, oo c*/go de juiz municipal ede.orphaos
Indo.
XI 881.Dita ao inspector da thesouraria pro-
vincial.Em vista do que requereram os profes-
sores pblicos Miguel Archanjo Pimentel, Manoel
Francisco do Reg e Liberato Tiburtino de Miran-
da Maciel, recommendo a V. S. faga cessar o des-
cont da parte dos repectivos vencimentos offere-
cidqs pelos referidos professores para as despezas
da guerra.
XI 882.Dita ao mesmo.Autoriso V. S. o pro-
ceder de conformidade cora o parecer da conta-
dura dessa thesouraria, e a que se refere a sua
inforraaejto de 18 do corrente, sob. n. 237, acerca
do pagamento que no reqnerimeuto qne incluso
devllvo, solicita Manoel Raynero de Barros, da
graiiflcacao que nos termos da lei a. 611, vencen,
a contar de julho de 1868 13 de margo uliimo,
como !. sargento do corpo eftoetivo de polica,
que> faz parte di exercito em operagSes na rep-
blica do Paraguay.
X. 883.Dita o mesmo DeVolvendo a V. S.
o uclu30 requerimento de- Thoraaz Pompea Lins
WanJerley, o autoriso a mandar pagar-lhe de con-
formidade cora o parecer da contadoria dessa the-
souraria a que se refere a sua informarlo de
honjtem, sob n. 232, a qoantia do 68*670 prove-
niente do aluguel vencido dade24 de outubro do
anno prximo passado at 10 de margo uliimo, da
casi que servio de quartel do destacamento do
corpo provisorio de polica no 1* districto de Afo-
gados.
X. 884.Dita ao mesmo.Depois de liquidados
em vista do pret nominal, junto em duplcata os
vencimentos relativos ao mei de marco ultimo, dos
guardas nacionaes destacados na villa da Escada
mande V. S. pagar a sua importancia ao sargento
Diomedes Francisco das Chagas, conforme sobei-
lou o commandante superior do municipio de
Santo Antlo. em offlcio de 19 do corrente.
4.' secgo.
X. 883.Portera ao director geral dos correios.
X'esia data e de conformidade com o art. 6 do
reanlaraenlo approvado pelo decreto n. 4356 de
MJd abril do anno passado transmit! a thesoura-
ria do fazenda a.portaria que para ter esse desti-
noj acornpanhou o offlcio de V. S. de 16 do cor-
rente sob a. 347.
H. 886.=Dila ao gerente da companhia Per-
nambucana.O Sr. gerente da companhia Per-
uainbuca manda dar transporte al Penedo, por
coiMa do ministerio da guerra, no primeiro vapor
que para alli seguir, a praga do extincto batalhao
n. 30 de voluntarios da patria, liburcio Cahsto da
Iva
" K 887. Dita ao mesmo. 0 Sr. gerente da
companhia Pernambucana mande dar transporte
at a Rio Granda do Xorte por coata do ministerio
da guerra, no primeiro vapor que para alli seguir
aslpragas do extincto batalhlo a. 30 de volunta-
rias da patria, Francisco Justino dos Santos Leal,
e Evaristo de S Beserra Cavaleanti.
X, 888. Dita ao mesmo. O Sr. gerente da
companhia Pernambucana- mande dar passagem
da estado a proa ao vapor Parahyba, que sega*
para o presidio de Feraando de Xoronha, a. Joa-
quina Maria da Conceigao e Maria Francisca da
Cqaioe^ao, mulher e irraaa do sentenciado, Sebas-
tian Gomes Barbosa, que- val all cumprir sen -
tenja.
I*, 88!) Dita ao mesmo: O Sr gerente da
comtaabia Pernambucana mande dar passagem
para o presidio de Fernando* de Noronha por con
la do ministerio da guerra a-vapor Parahyba.
sentenciado militar Lanrentioe Jos de Almiid.
Lia!, e bem assim- transportar para o mesmo pre-
sidio a ser entregue ao respectivo commandam
'uin caixab- eontendb artgos de rardamento pan
as pragas all destacadas.
N. 890Deliberaba..Ovce-presiilenlejd.- pr
vincia attendendo aoque- requerenJbaqeim Ribir
daAguiar !Iontarroye,praiieantedaserretaria da
presidencia, resolve cenceder-lhe ma*s 3 mezas
de licenga com a respectiva gratificante-para tra-
tar de sua saude.
EXPTOiarrTE 99K!NADf> PELO SR. DR. EUA9 FREDERI
CO DE ALMEUM E ALBWJUBRQCB, SECMtTAWO IMTK
RIO DO OOVEBNO, EVt 28 VE ABRIL C 1850.
1- sece.
X. 881Offlcio ao Exm. Sr. general commandan-
te das armas.& Exc. Sr. vicepresidente da
provincia, tendo providenciado' nao s acerca da
passagem para o-presidie-da-Fernando, dfe senten-
ciado Lauremino Jos de AJroeida Leal, mas lam-
beta do caij.o cm fardaroeMo para as- praga*
all destacadas ; aosim o manda eommnoicar a V.
Exc. em resposta ao seu officr desta tta, sob
n. 215.
X. 892=efiitT>'ao mesmo.Bo eremde 8.Etc. o
Sr. vice presidente da provincia, declaro a Vi Exr.
em resposta- ao-seu offlcio testa data, sobn. 218,
que fica expedida a conveniente- ordem ao arsenal
de guerra, para fornecer cora urgencia o rnalo
de qne trata o pedido que veio anaeio ao sea oita-
do offloio. .
X. 893Dito aoiospector oV arsenal de manaba
S. Exc. o Sr. vce-presidente da provincia, man-
da transmittir a V. S. para ter a devida oxee uri-
na parle que Ihe toca, copia do programma que
deve ser observado na reoepgto do- 42 corpo da-
voluntarios da patria qne se espera da corte.
2* saegao.
X. 894 Offlcio ao chefe de polica De ontem
do Exm. Sr.vice-presidente da provincia, transmu-
to a V. S. os ttulos de nomeagac- dos 2, 3a, 4\ ;>
e 6" supplentes do subdelegado do 3* distrielo d>
termo da Escada da conformidade com a sua pro-
posta era offlcio n. 547 de 27 do corrente.
X. 895. Dito ao commandaate superior da
guarda nacional do municipio do Recite.O E-m
Sr. vice-presidente da provincia manda declarar a
V. S. que nesta data se expedio as convenieuic-
ordens, para que se passe revista de mosira>d
batalhlo de infamara da guarda nacional qu m
acha aquartelado, Ikando assim respondido o seu
offlcio n. 90 de 27 do corrente.
X. 896.Dito ao commandante superior d.
guarda nacional do municipio da Boa-Vista.\.
Exm. Sr. vice-presidente da provincia manda de
clarar a V. S. em resposta ao sea offlcio de 15 d-
margo ultimo, qua a thesouraria de fazenda tem
ordem para pagar a.Andr- Avclno Pereira e Sil-
va, os vencimentos constantes do citado aflelo.
X. 897.Dito ao commandante superior do mu-
nicipio de Santo Antio.S Exc: a Sr. vice-presi-
dente da provincia, respondendo ao- offlcio de V.
S., dotado de 19 do correte,manda declarar qu*
a thesouraria provincial tem ordem para pagar
ao sargento Diomedes Francisco das Chagas, os
vencimentos constantes do citado offlcio.
X. 898.Dito ao commandante superior da guar-
da nacional do municipio de Cabrob. Xesta da-
la autoriou-se a thesouraria de fazenda a pa-
gar a Dinamerico Augusto do Reg Rangel, os
vencimentos constantes do offloio de V. S. data-
do de 2 do correle, o qual fica assim res-
pondido de ordem do Exm. Sr. vice-presidente da
provincia.
X. 899.Dito ao juiz de direito da comarca de
Flores.De ordem de S. Exc. o Sr. vice presiden-
te da provincia, communice a V. S. qne, segundo
consta do diario official n. 90 de 19 do corrente.
toi noraeado por decreto de 9 deste mez juiz mu-
nicipal e de orphaos do termo de' Ingaaeira, o ba-
charel Miguel dos Anjos Barros, a quera nesta da-
la se fez a devida execugao.
X. 900.Dito ao juu de direito da eomarca de
Santo Antao.De ordem do BXm. Sr. vicepresi-
dente da provincia, communico a V. S. que, se-
gundo consta do diario offlcial n. 90de 19 do cor-
rente, por decreto de 9 deste mez, fot reconduzido
no lugar de juiz municipal o de orphaos do ter-
mo de Santo Antio, o bacharel Jos- Ricardo Go-
mes de Carvalho.
X. 901.Dito ao >uiz de direito da comarca fl-
Cabrob.De ordem do Exm. Sr. vice-presidente
da provincia, acenso o recebimente- do Offlcio de
V. S de 22 do mez findo, em que participa ter
convocado para o dia 25 de abril do corrente, a
Ia sessao judicaria do jury do termo "de Graaito
-. X. 902.Dito ao iuiz municipal do termo u>
Villa Bella.Da ordem do Exm. Sr. vice-presden
te da provincia, aecuso o reeebimeuto do offlcio d>
V. S. de 11 do corrente, em que participa ter nes-
ga data assumido o exersicio doeargo de juiz mu
oicipal e de orptos do termo de-Villa Bella, para
o qual foi reconduzido por decreto de 16 de outu
bro ultimo.
4*- secgo
X. 903 Offlcio ao/ Exm. Sr. desembargadx
provedor da Santa Casa de Misericordia.-O Exra
Sr.'vke-presidente da provincia, manda declara.
a V. Exc. para os fina convementas, que om da?;,
de aootein aucorisou thesouraria entregar m>
Ihesoureiro dessa Santa Casa a quanta de 4:0tW
para occorrer as despezas do Asylo de Menlicida-
d'no mez de maio prximo vindouro,
X. 904.Dito ao administrador do correio.S.
Exc. o Sr. vico-presideole da provincia, mami.
communiear V. S. qu nesta data e nos terrao>
do art. 6>do regolamento approvado pelo decreto
n. 4336 de 24 de abril do anno passado, traosmit
to thesouraria de fazenda urna portara qne
Ihe foi remettida pelo director geral dos coramos,
com oficio de 2f>do cef rente. Horneando a Josi
Florentino da Fonceca Lelo, agente do correio d;.
villa da Escada.
N. 905.Dito ao Dr. Francisco Teixeira da Sa,
! secretario da assemblea legislativa provincial. -
X. 71.De ordem de S. Exc. o Sr. vice-presiden-
te da provincia, transmiti p resposta aa seu offlcio de 23 do correte sob a. 25.
afim de ser presentes assemblea legislativa pro
vncial, os inclusos contratos celebrados com a
companhia Pernambucana de navegagao costis
em 16 de Janeiro de 1855 e 17 de juiho de 1868,
nos quaes encontrara a mesma assemblea os es-
clarecimenlos constantes do seu citado offlcio.
X. 906.Dito ao roesmo.-N. 72De ordem do S.
Exc. o Sr. vice-presidente da proviaca, transmito-
por copla V. S. para ser presente a asssemblu
provincial oincluso contrato celebrado comJuslini
Jos de Souza Campos, em 20 de outubro do anno
passado, para o encan ment d'agua potavel para
o abastecimento da cidade de Oiinda seus subur-
bios, nos termos da le n. 888 de de junhi d
mesmo ann.
DESPACHOS D.\ PRBSIDBKCIA DO BU 14 DE SETEMBR
DE 1870.
Constancio Jos da Silva Manta Jnior.Defe-
rido.
Jos Euzebio Alves da Silva.Jolte ao Sr. ins-
pector da tbesonraria de fazenda.
Jos da Silva Lovo.D-se.
Joo Jos Henfiques.Informe o Sr. inspector
a thosquraria de fazenda,,
L**"
I
&\


A
tNijrp de Vernanaimoo C, (eir 21 d eie
2E

de-c
cantil
Ufa.
Dr. Manoel d
s turara jtrnvin
Uotilm Tetentiiio
mi 5;'
Mtscticoria eih
lr proWrtbr da San Casa
Kli^resp'^iiva juott.
Augusto Francklta M,mra 'cam urgencia oSr la uesiararia pro-
vincia.
Antonio Carta da l.)mv Daan.*-lnforma o
Sr. inspector la tnewararia aronactal.
Hwdiet lana Ja or.(Vc*-l*rra o Sr.
ale. "Wbafgador provedor da Sama Ca-a de Miseri-
*y>rt..i.
'Ce-ano Cvrt.-ieo da Cosa Meara.Dirija-se a
r.-p nii-Vt das Jaras publica*.
II nt^l Mvrj de Queiros Unta.-RemetHdo >
"Si-, cinsemefa diraekir neral interiao da instruc-
tu jiub'.ica >>ara attender ao uitplicinte nos tor-
ia>N de saa informarlo de 6 d> crrante sol o.
asi.
i; itestO Al ve Pache-.Dinjvse a thesouraria
de btala. ,
Francisco IWentim de Fipe;rJo Lima.nter-
vn ii r.i*MWr 4a fhe.oarara de fazenda.
IV.ni.11 Jj Olivla Mel.xluorme o Se. ios-
V'or da laesooraria de Nienli.
tYaHi*n Manel U-wrca do Vasconcelos,
<-, espadi Ia a cony-nienio rdein.
! m teli-ari) Mariana Falca..Dirija-ae a ihe-
vonraria provincial.
Jiiaquini Upas da . tasfMaf di ilujiautatu de lanada para o m ro-
,r""i'11'- -.
i....Hio Alesaadre da GmeeicM.Blrija-se a
ihiH'uvrara J-- azenda.
Mua du lias a me Piaaairo.Fca espedida a
conveniente orden.
I):-. SilMTaiquiaio Villas-Boas.Informe vSr.
iu-nin-.irtr da *sjrria nrnvineial
rj.iii'-/. .1) Aijuin i F.msoca A CInformo o
'Sr. ni-|i!.-!iir da Hm*jarana Ai fazenda.
1'r i: |iiitao Agoeilo Possa Dutra,Pascando
Musa >. seja entrama.
TaJinaz Anastasio da Cela PimentalInJeferi-
aa a vista as MtfWgSan.
olto l\igjaira Osla. I oer, quaoto lecuaontos pora a historia f peante
aria. Manoel
Di arruinada capaila de S
H^^^HI aaaaaaaB10 Bbavista, trasladada
:n o a^^^^^^^l
" -Sepu; imo Camba*
Alt>uq*irqne, Uinlgo savaJUiw da cafa de SmH"-,
gettade tulelissima, e d.: sa mttlher D. Cath*
de Va- s1694
>' 'dut malino,
elle urna commissao para eaatninar ai _
dar secparecer, o dbttc a aoasessaj delta i
sadatnde.
itHa Gasa de-fili
da reipecava jimia administra-
a-so a
ike
fifnairolo Lima.inta-l1'
-i
H?artivUo ti* polica.
2' secto.-Sef.rotaria da*oiiciB *e Peraambu- c"'
1. 15^1.il'.lm. e Exm Sr.lid* ao coaneci-
m.iati de V. Exr. '[ue, segando coasia das oart*-
.n -<. recubidaj. hi* sta ifjiarticao, foram
linr. ii *. lihiJjs caa de detenco, o segua-
les ..liividutw :
.V oriVrn tJoDr. niz es#j.-ial itocoinrareo,Ro-
r.'.:i!.til4 B*Coa CrUn,av>r se aclvir uiMnaacia-
tli uate iiiiarij aasp^aaiAo ari. "23 do caaig.i
OituIHll!.
A* urdev da stibiliiegado do ttecif*, Faustino,
e.-:av.. du iuuavii L Farudid-j Xendauca le-
>l'i -liii'it.) daslA
A' i'4hi do se Saata Antonia, Mannel da Pai-
x.i'. 9 >r hri'ijio .|. r.-5u!amea: poUflial.
A' *rdio d l-j S. m. Catfwrin i Baria do R i
aaniia Saaual I laiaim Ao Xav-jimonu, por crime
l< "irle.
A' ordera dofla Etoa Tista, Hsria, africana Ifrpr,,
por latwlto*, e. PnruuMrtu. escravo do Dr. loajuim
Klfiro nie Maraes GarvaHia, por aalar Tu-
gid\
A' -ttmd> daCapaaga. Venancio, escravo d.
laffi fss Uodrigaes Uaods, rejaerimenm
este.
A' erl'in Jo dos AH'gados, Antonio Bereira de
1 i-j, (ir ocuma de eslapro,u Vanool Mariano dos
Soviet) ;> ir i-lime de furto.
la iMdtaa di-.iaroum o uhdlegado
< ir arnanaeiaMavDfinet.Tietara
JmmI Sariaiw din Sa:iw> cmn !
iwnaa di arL -27 do cdigo >:ri-
K.n l.i
* l'l ".'..:
K.lr.i ll.i-
mi'i...
ii ii:' ile :il de agosto ultimo commuoicon-
MAieiegado dnonjio de Floresta, qae Una
eaputMr b cecolaar a respetiva eofeia a Manoel
'.< i i'..: i di' Sjuia, xeataniaCa appellado porcrime
i i.iiiic,:ii i,o Fruncsw Caadido l Soqfc. In-
disiadq i i me do leolatrra t'.e ajmi-
r.idi...
Por itSii :i |e*le alAX, participao-mo o de-
i < da S4ga>ro que alifara cawraao e rec-i-
i ii.i .i .i iv.yeciia cadela o-celebre eriaiaso do
t!iv.'i--,i< ii jiniciiios eroano Marcolino Uodrigaes
- <
ri '.< gaarde iT. Etc.film. Exm.Sr.de-
s-iu.'jaltr Francisco de Assis Perelra Kocha,
vieajtre'idaiUa da provincia. O riefe de po-
li i.i. ImU Umo Fernanda Piaheifo.
FliORE^v.VI eorrente as no-
tiews q w recebemos d'esla tanno.
Em a noilo do ~J) de abasta havia sida raliada
por urna illigmiia de l'io.-aea-i, a atgmn.is legas-
da viji, a pri.-;ii daerimiaaao da mofle ilanaei
Can lid i de Sanza, que tira earpraaenid.i a der-
iBir. i.i.nl, sea ladi um r.lnvinate r.arregWa^-
'i jury '."ontinuava a fnaeeioaar rejalarment
seiii incidenie diguo de meaco.
Gon'tava por citranaunicacin policial de S4ge-
ri> '|ue lora captnrado u cnleare cri.nin.iso Mnrco-
liivi !t idri^iiH. il.i Silv.i, ij ie tinha f'ilo nta-
te! pela maw a-iste Ci-lebriiule, log raudo por
tnnilo lampa frutar todas a^ diligej;ias enipre-
gadas em sua persagat^ao.
r.ILO. Hoja efecta o agente Pinto,
h d ni esenptone do r.ferido aguate, raa da
Cruz n.CS.
'i leil i de fazenda no armazem in> Srs.
Siun.ers, llrla*s A C., por intarvauuto *o agazu
11 Pialo, lie transferido para amaaoi, do
cirrente.
LOEPilA. A que ie acha vaiiila a A%1'
a benaflpio da Saata Ci.-a de Mi- r corre no uta k
PASSAiafiBOS.lindos 4e Goiaaaa, no apor
Pnraiiikn :
Jj.an" evangelista dos Santos 7raarien firrel-
ra, lieaHo Jos Machado, Aiu.mi Pedrinkn de
Melle a \ osrravn, Aatnaio da Oa* Leuo. tau-
iJencht Marques da Tnridade, Antonio Hartitlh
Alve'.
CSIIITK'UO PfiPLiaO.-Obtiurio do da i7 de
selembro.
loao, aran;o, ternambuco, I mez, S. iJes; ab-
ClSSO.
Francisco, braneo, Pernambaco, 'i5 dias, Santo
ABtnaie; crinwilcoe^.
Mura Dr'ita, preta, Pdraaaibnco, 22 annos,
slieim, S. J< ; phtysica pulawnar.
Jo 49 aniiss, casado, S. I*> phirstca pnluio-
nar.
Antonio leronyrao dos Santas, preto, Peraaiabn-
co, 45 annts, solleifo, Boa-vista-; setesi
Manoel Antonio Permra ftaAo% brancj, Portu-
gal 76 aaaos, viuvo, Pi-co, letauo.
Mana da Peana, parda, Peruamtonco, 60 anuos,
solteira. Roa-vista; euteriie chraaico, (hospital
Pedro II),
Cmdi.u, parda, Parnamaaco, 2-aanos, Boa-vista:;
ntenl*.
(ierirndes Mara da Livramento, parda, Pernam
buco, 74 annos, viuva, llja-visia:; gaairreaa
Isabel Mara de Mello, parda, PernaHibueo, 16
annoo, s^lceira, Boa-vista; febre maligna.
Emilia d'Assuaipeio lavares da Gesta, braaea,
Rk de Janeiro. 40 aanos; viuva, tubrculos paj-
ino nares.
t8
liaai Patricio Ja Silva, preta, Pernambnca, kf)
annos, siliniro. Boa-vista; coageslau cerebral.
MaKoel, pardo, PeraaiobiKO, 15 mezes, Boa-vista;
enteaite.
Igaja m Francisco aldino, pardo. Pernambaco 78
annos, casado, Boavvlatl; beoatue.
Domingos, pardo, Peinaaabuco, 54 anaes; *A-
taifai lioa-vista, bronenite.
Mara, parda, P^rnmibuco, (I niezes; Baa-ri>ta.;
couvul^de*.
Baaadtata. preto, Pernambuco. 46inaos,ftoileiro,
Boa-v-u ; gastro aaiorite, (hospiul Pedro II).
iBrasikna, parda, Peraainbuco, 19 mezes, Boa-
VUU! denlica.

CKROXH AJtlMlARIA.
PEEIAIBUCO.
SEVISTAUIARIA.
PB9NCKCIA- Pelo subdelegado da trguzia
tas doart 257 du cdigo croiinal. Manoel Vn;
t*f du CjaeaicJM e Manoel Mariano das San-
tws.
SOrSEDADE MICROCOSMO.-Haver hoje ses-
san or linaria desta sodedad, as horas da tarde,
na raa dos Mariyrios n. 2
lUfWBAS DS CRIMIS0605. Pelo drlega-io
da i trno de Flores 1*rvia preaos Man iel Candido
'.o Suata, seutnciado apellado por crime de bo-
mi-.id >, o Francisco bandido deSaaza, indiciado em
Usrlafa de tuiaioidia. v
Jein delegado do termo-de Salgueiro W\ cap-
tralo Marcelino Bodriuaes >ra Silva, celebre cri-
iiniiosode diver*as mortes e Toubo.
rUAMMO DE SAUfO ASTONIO.Vmiaha o
Sr. Doarta Ctimhra di umespectajnlo em seu be-
n':i :io no q jal tomar i jiarte. alm da compaahia
'traneau por alie contratada, i'guns artistas resi-
lemes entre nos, seado um delies inademoiselle
M wm, i|ae cantn no Monteiro Snbiro a scena
as "I iri'tias Detix Acettglt.t e Le VMan**x
(Ti i 'X,;-.n). O programma completo sanir no Dia-
rio d'auianbaa.
MOXHL-PK) ECCLE-slASTICi.Arnanbaa, as o
?vora* o meia do da, devem reanr-se os membros
testa oeiedede, am de tratarem da approvarao
das respectivos estatat'je.
MITOIQNROSO. Temos a satisfa^ao emvde-
larar. q:w moito antes de ter caegado da Babia
a n li.:ia de ter-se encoaarado arsemeo no cadver
i i r. Vietoriabo de Sa e Albuquerque, j o Sr.
I)r. i^aroliao Francisco de Lima Saulos, um dos
ian lieos qutf aqu procedefam autopsia ao cada-
ver do teaeate-coronel Joo de diua-.nos, assiia
-' <-.\ ollega o Sr. Dr. EstevaoCavaleeute, e
rtrai pwaaii allli qnr a ouconlrar-se veneno,
no elle sempre acreditaa, outro nao seria se-
na i o arsnica; e i-to o fet, pelo que coliigir.i de
iKia exposteo qua be tizara o Sr, bario de Gua-
rarapes, sobre os poffrimeu;as dea pacientes, d
lie referir quaata ..i, uir:ia. da* molestias e
^a* syaiplanaas, o i7 seu cliega o Dr. Ele-
vio i e aioda pula leiiura do ornurio depoiraealo
de um dos mdicos asssieates, dado polica.
A LARGA 00 ROSARIO.-Os moradores des-
: raa mandaram hootem cantar nina ladainba
Hainna dos Anjos, om aecn Je gracaa pela nova
resotacio da cmara municipal do Itecifo, de con-
r" essa dcnoni?co, em ve* da aOnze de
iifzca >. de &fS : riiandaado .'es Iluminar a
i ua dorante tres nooles.
ENC.Jo DE IMAEM.-Sabbada /24l, s 4 ho-
ra- da tarje, proeeder se-ba i bencao da iiuagem
mbon Ja Soledad?, na igreja de S.
alo.
U3EBDADE E CRC2. Agradecemos a ofleru
<1.--4.a:uphlatn assim depoaainado, contendo o de-
meto lente da Faculdade de Direito
Dr. Aprigio Guimares. pronuaciado na
ffsta aaniversaria-do Gabiaete Porluguez de Lei-
, e maadad editar pelos alumnos do 3" auno
ide.
I BABAO DE S. BOPJA.--V eom.nUsao
da dos festejos nesta ru, por ceasiao
negada do Era. general Victorino, roga aos
moradores respectivos o favor de embandeirarem
iumioarem a frente de suas casas, as tres
quintes da cliegada dos..' travo Per.
ira maior brfhantismo dos festejos
VNNA.Temos jornaes at 15
istallada ama sociedade sob a
ara*** Portugus: do Uilwa
rom o fin de estabelecer urna bi
Hvro* e ostras pubficaeoe?.
lindada outra sociedade, sob a
denDmiuejLo de instituto Mstorkt de Goyamna, e
iGfA DA SEoS.U ADHfXISTBATIVA 1>E l DE
SET-MttnO DE 1870.
SiSIOENCIA. l>0 tXU. a, lSBMBABAOOa a.wselmo
KBA.NC16C l'EKE l'Tl.
As 10 horas da maehfu, estando rcuuidos os
r>. deputtdus Basto, Miranda Leal e supplente S
Liio, faltando com pavcipaco o r. deputado
11 isa, secretario, paia u e\ercico de cujas fanc-
Qaes l'.H inlerioamenle uomealo o Sr. Miranda
Leal, S. Esc o Sr. presiJeute uedarou abena a
50SSIO.
Foi ida e approvada a acta da sessao de ti.
EMED1E.STE.
O.Ujo do presidente e secretario da Junia dos
corretores, firma 1 de 17 do corrate, apieseatau-
do o betim commercial da semana prxima pas-
.-ad i.Ao arraivo.
islrbuiram-se os seguinies livros:- Copiador
ds Antouio Luiz de Oliveira Azevfde c C, dito de
3 Leiio Ir:n;ios, Diario de Garios Jos de Medei-
ras- k C.
DESPACHOS
Requerimento de Marcoliuo GcmcaWes Rosaj,
pediado que se liie passe por certid se ou nao
commercianle natal i.alo. nuulisada legalmen-
te a e-tampdna. volte a p'jao.
De Domingos Jos Avila pedia lo que s he re-
gistre a nomeacao de seu eateira Joaquim Garca
dos Santos.Registre-sc.
De Flix Pereira e Souza. pedilo que se Ibe
ceriiiique se a nomea ao de seu caixero Cust.idio
Furtado da Mendonca esia regisirada e se' Ibe d
poderes para de.-pachar na alfandega. Gertili-
que-se.
8e Antonio dx Suva Ptates Guimares (tediado
HIM se he de por carlidao se se acba registrada a
de sea caixero Zeterino Domingues Moreira J-
nior.D-sa a cen Jai requerida.
Da lueaai), pa/a que >e Ib registre a nomeacao
de seu caixero Aquilino Fernaiies.Volte a pe
tic>o depois de sellada."3 Sr. Sa Leilao ssignou-
se voucido.)
De Francisco Maa Cortes, no raesmo sentido
quanta a de sea caixero liernardno da Rocha
Wanderley. Com tede.
De Manoel Ferreira dos Santos, pedlndo certi-
dao de estar ou naa regstrala a n>meaiio de sea
caixero Jos Forreara Jos Sanios.Sim.
De Agastinbo kmos, igual certido relativa
mente ao seu caixero Claudico F Treica dos San-
tos.Xa forma pedida.
De A meneo & Irraaj, dem, quauto ao son cai-
xero Rastaquio Manuel GarminoaUas.Gomo re-
querem.
De Francisco Antonio deBrito & Flho, submet-
teudo registro a nomeacao de seu caixero Ma-
noel da Silva Fialho.Seja registrada a noraaacao.
De Patn Xash & C, sutmettendo tambam re-
gistro a que deram a Camillo Lees da Silva para
ejixeiro de sua casa commercial encarregado dos
desembirques.Registre-se.
con i.vFoiuugao do sr. dessmjurgador fiscal.
Da compaahia AlliaD.;a da segaros martimos,
registro de seus ejututos.Diga a secretaria.
Autos de rehabilitarlo de Jos Antonio Soares
de Azevdo.Adiados por iwo estar completo o
trihuuaJ.
Nada raais havendose submeilido i despacho,
9 Exm. Sr. oresidente encerrou a sessao pelas 11
aeras e neia do lia.
Sr.
ands a
Xesoelos
i Silva :>:iv3i.. ( nairtap- deiraa, e nai evasivas.
; dava aos rae
divi-
at ros e s t a batccinwutos cargo
dinte, e na
t do que pjdia conr satisfactorla-
:iate.
LO creio que uuiilo bera,que o irauoieaU
lados, ao menos em principio, advera aar
tal que laes creasse agudo pela casa, que oa -
zwse aceitar de boni grado a coadicSo a que fo-
ram trazidos, e so prestassera con soliciiude ao
tral'ilhoqaed'ciles se exiga.
Euteadi, a creio que malta bem. que nao devia
aerificar a son de uata instaaicao nova ecoao-
mias de oequena monta.
Tratava-se de tima creacao importante e da
maior utilidade, bascada aos sendroentoa de cari
dade o principios de civilisa$ao ; era prcefso nao
impopular isa-la,^ desagradando os que cabissem
>,t Ma protecyio ; era preciso nao altrabir sobre
II* -a indlsposi^ao geral qnc se tem wanifestadn
centra as rntaas de caridade.
O Asvlo niio foi instituido para aumentar ociosos,
i- cain vtap asa'exdusivameulc de caridade: O seu
digno instituidor den Ibe fias mais proveltosos,
quiz qpc losse lamba um.eatoboli-cimento de
trabafbo e capaz Je prodozir rf nda.
I Nt'sias oudifloes o tratamenie que marquei aos
asyiH'ios, r;-a de imprescindivel oecessidade.
.l'\n. por nieat dalle que consegu, sem grande
dffllcaldad, sciplna e nrdem no estabelecimea-
, a affei^ao dos asytados, e a boa vontade d'elles
ao irabaibo.
Peila-; estas consideracoes que caliram a ponto,
referlM a esnsa das desrimunaes taes, que o
Sr. provedor quer que te admire.
O mordomt representon-me que os mendigos
(principalBieiiie os applicados ao trabalbode la-
vuara o sitio) reclaniavam contra a alimentacao
de bacaiao, que Ihes tirava o vigor para o serv-
eo ^ue estavam applicad*, e ao qaal aioda nao
eetavain habituados.
Sendo o mea desejo tudo obter por raeio de
concessoes p ssvis, ao asylados, consent que a
aJjimeutaco de baeaKvo fosse substituida pela de
carne, salvo um oa oatro da.
D'a^ui se v qnn a coota da despeza feta nos
dias d preceito, s poda >er organisada de modo
a representar o custo da alimentacao de carne.
Sendo esta mais cara, fura de davida que aquel-
la cunta devra ser mais avultada do que se effec-
tivamente a alimentacao dada tivesse sido de ba-
ealho.
Admira, porm, que o Sr. provedor que tanto se
demorou em ininnadeneias para demonstrar que a
de Hendlcl- rocao era descomunal, nao completasse como pe-
dia a imparcialidade, a sua rigorosa diseceacao
das cenias do Asylo, confessando que, se por um
lado a racao aogmenlta, por outrt a despeza ge-
ral de Asylo diminua, na parte da alimentacao.
Mas oSr. proceder, alm de nao disentir lili-
mente, leva nos negocios do Asyto nm proposito
iuvaravel, que nao derivado do zelo nem da
imparcialidade, e ;im do despeito que o atenta
contra mira; sao qnr servir ao Asylo,quer fa-
zer-me cama I
Recife, 19 de setembro de 1870.
J. P. Brrelo de Melle Reg.
a a resta a i-i
.taellado I
Aoa\oos a p*
0 Sr. ilosaatharga.1
sedesigar da e desino
julgamento do ffis entra pan-
iqnim FraBdco do Epirit t 3au
fiack; atidoj conlieci
Basto, ale *e nod'- ir sort:io p
ores.-nleoSr. llosa.
Xo sa acli.iril,tu casa o Sr. Resa, nao foram
p ir sso prop.isios os tiv* Adlartis na .se^lo pas-
sila. entre parte?, ppolu.ntc JBjrjulm -PrauBun
do Eipirito Santo, Ppda los Lelnaam Frre; ; ap-
' **! BetlajOe A oto dio da ATfeved* ^ive^^f,-ijft i^q.
mJ. lo load de Maoedo Pocas ; appelUats 'J. Rtkm aii-
pellado Jos Al ves Barbjaa.
Sr. di-.semtrargaihr Sirva Gurarraes avorbrfn
impedimcnio e aptosantou mesa PCJjala^WKvi-
deacia para o audameato legal, visto ter^JHb'in
avarbado impoilimeoth o Sr, desembarjador B.-is
e Silva, o feito entre, partes, apprtlrmieSacob Ca-
ta, appellada D. M,.
nozas.
Kxm. Sr. vtrvsiicnteofioii m E\n.
conseRieiro pnr-irten;-'. da felar'So rVij*
designafiM dr) aas jaiz revista-:
rasMAtm.
Do Sr. dasembargador Silva Uuitaites, *t. Sr.
desembargador RwsoBilva: apiellnis Ttsso
Irroaos, apellado Antonia Morair* Hei*.
Da Sr.desembargador Hew e Silv;- Sr. des-
embargador AccicHI : asp-liante MiuH >chanjo
de FigiMtrodo, appellado Joaqaim Jorga 4o Mello,
ntor das raonares Mn.|la e fgnez ; appellanies
Felintho Bii lados Salgado 9onz C.
Da Sr. desembarpailor Acciuli ao Sr. 'Irsembar-
?adar SHva Guimares-. awiellanta os Mara
Palmoira. appellad* Antonio Laiz deOtiveira Aas"
vedo A C.; apoellwtte Joaqaim Fraocisen do Espi-
rito Sintn, app(uJo Jos, Felieiaao e .Na-
aretb.
Encerrou se a sessao a urna hora e meia da
tarde.
PUBLiCftCQES A PEDIDO.
do isylo
dade.
com o flm de colleccionar, metbodisar e esciara-J gado Jos Antonio de Altneida Gaimaries;
SESSAO JDCIAB1A EM ii DE SETEMBRO
DE 1870.
rBKSIQKNCIA DO EXM. SR. DESEBARGADOB A. F. Pl-
BETTI.
Sentari, Julio Gmmataes.
Ae meio da declareu-se aberta a sessao estando
reunidas os Srs. desembargadores Silva Guinia.
raes, Res e Silva, Aecioli, deputadoe Basto, Miran-
da Leal e supplentes S Leitao e barao da aia-
eih, faltando com partieipaco o Sr^Rosa.
Lida, foi approvada a acta da sessao p*ssada.
O eserivjrf Albuquerque registrooo ultimo pro-
testa de letra a l'f do corrate sob o numero 3094,
eo escrivo Al ves de Brito a 17 do raesmo mez
sob o n. 20(52.
JLfiAMBNTOS.
Joizo especia! do commercio : embargantes ap-
pellado* au sons 6c. He, embargado ap-
pellante reo Bernardo Jos Rodrigues Pialieiros;
jnizes os Srs. Silva Guimares, Keis e Silva, Mi-|
raads? Leal e Basto.
Foram receidos os embargos com o voto do
Exm. Sr. presi lo votos vencidos es
Silva Guimares e Ha-
Jo. zo especial do commercio : appeiieate reo
Maaoel Pereira Magainies, por si e tomo tasor de
seus filhos, appellad Joan Basion ; jai-
xe* oe Srs. Silva Guimares, Accioli, bariadeNa-
zaratb a Miranda Leal.
Foi confirmada a senienea appellada.
Erobargaite Joaqaim de Azevedo Maia, egabar*
If1
i i" ofOciit)
Cmecarei 5ioj ?. visto nao e ter sido pnssivel
aates, a aprenaco dos toes tvbseqnenles oficios,
que, conrease, sao d"entre tolos qne escreven o
Exm. Sr. provedor da Sania Casa de Misericordia
auuelles qne mais impressao podera causar.
O contpteKu das aprectgSes e as minuciosida-
des que-abrangem, podem pkez induztr juizos
errados; e foi certameote contando com isto que
o Sr. provedor procumn, o mais possivel, compli-
car c renmstancias sen fin foi tirar proveile do
alordoamento as apre-iaces d3s swas minuciosi-
dades.
Isto posto, darei aos fados a explicaijao natural
o verdadeira, par* que juizo co pubrico se for-
me com a precisa exactiiao.
0 Sr. provedor corae^ja o sea officio nesles ter-
mos :
Gastaram-se n.. Asylo de Mendicidade era fine-
tas e verduras 1615'JO no mez de abril, 198*600
no mez de maio, e 197J000 era junlio. D'aqui se
v que a despeza j crescida nos dnua primeiros
moies augmentot! no terceiro. e nesla progressa^
ascendente vira em ara anno a consumir verba
mailo importante. >
Esta observ.-ic.vi do 5r. provedor, qe'nie pass
de mais um insinuacao maliciosa tara Ce.f riar
prevencow, teria cabimento, se. o pessoal do AJ4o
fosse m maio o mesan de abril, e em jaaho o
inesmo de maio.
Mas, desde que este pessoal erescea refalar-
otate de um toat para oau, nada mais aatural
do que o augmento qoo se UM as verbas da
de-poza citada, augmento que inteiramente pro
pardonat o que teva passavl.
.No regalamento muran dn Asylo est autorisa-
da a despeza tiari de to rs. coa Iructae e ver-
duras para ada meudigu.
Uenlru de>ta autnrisa-ao po4ia-*e dispeadet de,
2d de marco M) d-> a.'inl. vm dt itessoas, termo
mlio, a qnan:ia .1- 436:800 ; rtispandeu se, se-
gundo uiz o?>v. provedor, 161"00; em maio com
W9 pessnt;, tomn maio, tiodia-se despender..
3861190, despenlHii-s.: 180*50U; era juaho, com
91 nessoas, termo medio, poda despeader-s'!..
3073OO, d.*pendea-se (99fM0.
A' visu di^ti, a detpeca d* ]ae trata o Sr. pra*
vedor ejc.in todo e quilquer reparo podoilo
apenas aervir de prova, jue as verbas relativas
fructas t verdinas nao se proceden com lar-
gueza.
Como a 8m do Sr. provedor era faxer avahar as
verbas de despeza do Aylo, pena ioi que nao al
diciuaasse a de frotas e'verduras outra qaalqner,
para assim fazer racncao de quantias que dssem
mais em vista.
D-tmonstrad i, como lici, a sem-razi do reparo
bit* pelo Sr. provedor, devo oslar dispensado de
m nores caostderaces soure este ponto, passando
adianto.
Em continnacao dj sen oiftci'i, o Sr. provedor
deu--e ao trabalho de calcular a qnanlidade de ba-
cillio foniaoida e divi li-la em ra^oes, para mos-
trar quauto o tnsumia diariamente cada asylado.
Fez mais, verificou a. preco por qae se cootprou
ama eerla porco daquelle geaero, comparou-a
com o custo da outra, para assim chegar de-
monsiracao da economa que se poda ter feito I
Todas estas minuciosidades podera ter evitado,
se o seu nm fosse expor os 'actos com boa f e
lisura.
As contas do Asylo coasijTnaa duas barricas
de baeamao ao tnm de maio pelo preo de 48*000,
e urna ao mez de julbo pelo preco de I0|.
Aproveiloa isto ao Dr. prjveder, totnou a s
dar o peso de eada barrica, embora da conta do
fornesedor nao o conste; esm averiguar, se a qua-
hdado do bacalhao que cantinha era igual a do com-
prado por maior preco, conclnio qae se todo fosse
comprado ao i,jviduo que fornecei as referidas
harnoas, se lena econoinisado essa eiacoenu e
UaioHnl res!
Xo attendeu que .a qaalilade do genere oon-
di>.So ssseocial para a questo, desde que se que-
ra dar aos asylados .arimentacao perfeitameote
saa e boa.
Alm de que, se o fim do Sr. provedor chamar
desar sobre ratm, errou no todo o alvo, porque
nao era eu o comprador.
Entretanto para notar que, sendo regularmen-
te prestadas as contas a Santa Casa, nunca livesse
o Sr. provedor, que sobre o Asyto tinha inspec?ao
suprema, procura Jo redozir as eonsas ao p de
economa que hoje declara se pedera ter feite ;
que no seu relatorio nao tivesse assim especifica-
do oe factos ; qae nem ao menos ama vez que
abaadonou o.Asylo sua sorte, tivesse reclamado
da presidencia as providencias neeessarias I
Nao abonam mmto ao sea zelo estas argnicoes,
q uando j nao aprovesm.
Foi pracso que eu fosse demiui*), por factos
estraahosiaos negoeios da Asylo, para que S. Ext
se-apreseatasse a depr d'estes negocios e aaao-
misse o carcter da inqaisidor seerennde ewmri
Ihador de mi f, sem qae a *lo o leva o zelo pelo
estabelecunento i seu cargo, nem enraarimeate de
dever, mas pela inlencao reprovada de urdir ira
mas, em desabafo i raiv e satisracao de des-
peito I
W4a qaero, porm, arrastrado por astas conside-
raedes, ir alm do raeu proposito, nem rae alongar
em aesom jto pie o proprio Sr. provedor qaali -
tka da laaigniOcaates economias, exprimmdo-se
assim :
Mas, prescindndo d'esta insignificante eeono-
raia, o que cumpre ter em consideracad a ex-
traordinaria racao de ama libra de bacalbao para
rada mendigo no referido mez do malo. Deuo isto
i apreciao de V. Bxc, qne sem duvida fleari
admirado se souber que esta descomnnai racao foi
uitrapassada em junho.
En podara oppor a esta admiracao qae o Sr.
provedor procara inlltrir no animo da presiden-
cia, esta coasideraeao :
O Sr. provedor, porqao razio nao tratou de co
h-.hir cssa eaageracaa de despeaa, logo qne i*
suas mios chegaram as prmeiras contas, a as que
se segoiram f
Nao poda o aas allnelo Mr sido considerad
uata approvacio ae que se fazia 1
Sa hoje qae o sea zelo e amor i economa *a
manrfeU, a pana de chamar a admiracao sabr
aqoiUa que & Hxc. nio admiran ara occasiao op-
portonat
Se o director do Asyto tem raumnatailidada nal
Mote
O Manuel do calca mcui
Achou Ierras devalutas.
' GLOSA
Km um certo aj&otamento
Julgorj se por veidadeiro.
Q'u mui perito engunheifo
O Manoel do calcamerdo.
Protatuto de pensamento
Baluu nfio' as lostitntas,
Vupou iiuiriiitm enchutas
Bulos para banda a caipora
Em ceru rna'd'Awrora
Achou ttrrs devolotas.
Marco Pulo
*. 394.-OLEO PURO MEDICINAL DE FIGADO
[)E BACLtiAO DE LA5MAN & KP.-Parece
realmente que a phttrisica eslava predestinada
su;-cumbir as qnalidades balsmicas e curativas
da seerescio do fijado' de bacalbao.
O oleo t>nro medicinal de Ufado de bacalhao de
Lanman A Kemp, o qnal, em virtude da sua reco-
uhecida pureza e excellencia, obtes*e a primazia
em todos os mercados do mundo ; produz resul-
tedos sera precedentes.
Os seus autores tra em sen poder ama multi-
dao de altestados mdicos em seu favor (alm das
infinitas cartas dos covalesientes), o que tudo for-
mara nm grosso volume.
Esses altestados foram receidos de quasi todas
as parjes do mundo civilsado.
Alguns dos casos acham-e extensamente es-
criptos em forma de diario, cora os progressos da
cura de da em da.
As asseri,oes authenticas, sio sem davida alga
ma, mu extraordinarias, e provam de un modo o
mais incontestavel qae as peiores molestias dos
orgaos da respiracSo sio susceptivas de cura.
p1 oleo paro medicinal de figado de bacalbao de
Lanman & Kemp nao contm nenhnma substancia
estranha, e sim, absolutamente puro e conserva-
se frescal em todos os climas, crcumstancias estas
que se devem ter sempre presentes.
Acha-se i veDda em todas as principaes tojas de
drogas.
Acud
dam
lenhnento d.
dem do dalo.
JLADO PROV1RCAL
IUUtAO
i'BP'TO
WU988
7i:987#072
MOVIMENTO DO PORTO.
Navios entrados no da 20.
to Grande do Sol14 dias, patacho braailciro
Satsipuedes, de 224 toneladas, capio Jos Pe-
dro de Al.eida, equipagem 15, carga 13.700
arroba de carne ; a Rezando & G.
Terra-Notfa58 dias, patacho inglez l/idy Bird,
de 110 toneladas, capillo I. C. Rawsseaii, equi-
pagem 7, carga 2132 barricas com bacalhao ;
i Saunders Brothers & C.
06ii'arao.
Nio houveram sabidas.
DECURACOES.
De ordam ii Illm. Sr. "conselheiro inspector
da tb-isoiiraria de fazeaJa desta provincia se faz
publico que no dia 8 de outubro prximo viadou-
ro, as 2 horas da tarde, perante a junta da mesma
thesouraria se deverao arrematar por quem maio-
res qnantias offerecer, 9 casas, 1 barraco, 1 te-
ihelro sobre estivas, I forno de olaria, 3 frentes e
2 oitoes de lijlo em acerce, 1 relogio de s. I e
nbjectos de raobilia perlenceates i extracta colo-
nia militar dePiraenieira.
Os pretendentes deverao dirigir suas propostas
em cartas fechadas ao mesmo Illa. Sr. cnaselheiro
inspector al o raeio dia do referido dia 8 de oaiu-
bro, ou ao eollector do Bonito at o dia 4 do mes-
mo mez. Nesla secretaria ou na collectoria se
mostrar a quem desejar ver o inventario desses
beas.
Secretaria da tbesouraria de fazeuda de Peroam-
buco 3 de setembro de 1870.
Servindo de offical-maor,
_______ Manoel Jua Pinto.
Tribunal do commercio.
Por esta secretaria se faz publico que fiea re-
gistrada a escriptura de d*tt por adiaoUmeota de
lezjtima, no valor de seis conloa de reis era di-
oheiro, escravo o jolas. ,jUl! fjze!n juse Joaijaim
joncalves- de Barros e sua :nuller, a sua liba D.
Anna Jaa Goncav,*g de Barros, ronralada em
casamento com Jos.i Aojoni i da Silva Machado,
om a clausula de nao uuirarem o dote e Itens
Bne adquerir a noiva ua consuncia do piatrimn-
o, em commnnhio.
Secrataria do tribunal lt cimmarcode Per-
narabuco, 17 de seteaibrj de 1870.
0 uffJcal-maior
_______________________Julip (nmaran.
Hoje 11 do eorrenta mez, depoi* da audien-
cia do Dr. juii nwnieipal da 2- vara, sera arrema-
tado o ainguel do segundo andar do sobrado n. 31.
sim roa lama do Rosario.
Paquetes a vapor*
Dos portos dotwite
i.al o di>M do arrate o vapor
iTVcanaaai, comimmlante J. n.
f. Fratco, o qoal depohv da de-
oira para os portos do sal.
Desde ja racobem-se passaaeiros e eafapk-se a
osrgh tue o vapor poder condorir, a qaal davar
embarcada no da do sua chafada. Encomrocn-
das e dfDhoiro a frete at as duas horas do da da
Kio se recebara como enconuoendas senao ob-
lectos de pequeo valor e yue nio exeedam a i
arrobas de peso fu 8 palmos cbicos de medi-
co.
Tudo que passar destes limites dever. s
embarcado como carga.
Prere-seaos Srs. oassageiros quasoaa, aasiiu-
rfl s se recebem na agencia ra da Crai n. E?.
andar, escriptorio de Antonio Luiz de Otivetn
Azevedo A C.
PARA O HIO GRANDE DO SUL.
0 brigue Princeza sahir em pencos dias; para
o resto da carga trata-se com Pereira Vianaa A C,
na ra do Viga rio n. 11, sobrado.
aSSU'
Para o A'Sti segu nestes seis Sha o Diada An-
tonio, e pode receber para n referido posto carpa
a frete barato ; quem quiter aproveilur. dirijae
ao consignatario Joaquim Jo^ Goncaivs Beitric
ra dn Commercio n. 17.
"lAHKT"
Para o referido porto segu em poneos das- o
patacho Haciera por ter a maior parte da carga
prompta ; e para a pouca que toe falta tratase
com u consignatario Joaqaim Jos 6oucalves Bi-
trio. i ra Jo Commercio n. 17.
Preiende seguir para o referido porto em penen:
dias o paltiaboie Rosita per ter a maior pane da
carga, e para a pouca que Ihe falta, lrata-e con o
consignatario Joaquina n Goncahes Bellrao, a
ra do Commercio n. 17.
Consulado provincial.
Pelo consalado provincial aviase aos differeo
tes contribuntes da renda provincial ao anno fw
(io de 1869-70, que com c presente mez se encer-
ra o reeebimcnto por esta repanicaa das respec-
tivas qnotas, passaudo dalii p;r diante a ser o
inesmo effeciuadn judicial mente
Consulado prjviocia! 1 de setembro de 1870.
0 administrador,
Antonio Carceiro Maeludo Ros.
^
COMMERCIO.
PAAgA DO ftECIFE 20 DE SETEMBRO
DE 1870.
*8 3 1/2 HORAS Di TARDE.
Cambio sobre Londres 90 d/v 20 1|2 por 1#000
Goncallo Jos Alfonso,
Presidente.
. Mosquita Jnior.
Secretario.
ENGLISH BANK
0[ Rio de /aneiro Limited
Descoota lettras da pra$a i taxa a cod-
'encionar.
Recebe dinheiro em conta eorrente hi
i raso fixo.
Saca vista ou a praso sobre as eidadei
?rlncipaes da Europa, tem correspondentei
aa Babia, Buenos-Ayres, Montevideo, New-
a New-Grleans, e emitte cartas de crdito
para os mesaos lugares. -
KUA DO COMMERaO N. 36*
Moto basteo de Persuuaboeo en
liquidare. 90 de ageste de
1HJO.
Os Sr. accionistas podem rceber o 7
dividendo de um por cento do capital s
quartas feiras e sabbades.
Os Srs, accionistas desta companhia que
quizerem munir-se de Tbflietos contendo os
t-abalbos da mesma ; decorridos no anuo
flnanceiro do 1 de maio de 1869 30 de
abril do crreme anno, podem dirigir-se ao
jscriptorio da referida companbia ra do
(aboga n. 16, que lhes serSo fornecidos
gratis..
Escriptorio da companhu do Beberibe
15 de setembro de 1870.
O secretario,
Dr. Prxedes G. de Sottza Pilonga.
"santa Casa da mkericordia do
REOFE.
A Illm.a. junta administrativa da Santa Casa de
Misericordia do Recife manda fazer publico qae
na sala de suas sessoes.no da 2 de selembro, pe-
las & horas da tarde, tem de er arrematadas a
quem mais vanlagens ofltrecer. pelo lempo de nm
a tres annos, as rendas dos predios em seguida de-
clarados :
ESTABELECIMEMTO DE CARIDADE.
IIua das Oleadas.
Casa terrea a. 36.......193*000
Raa dos Pescadoras.
C,asaterean. 11.......219*000
Ra larga do Rosario.
Segundo andar do sobrado n. 24 303*000
Ra da Roda.
Cusa terrea a 3.................... 99*000
dem idciu B.8.......103*000
Becco do Oaiabo.
Casa terrea n. 8.......Ii7*000
Ra do Azeile de Paise.
Sobrado de dous andares n. 1. 1:100*000
Ra da Gloria.
Casa terrea n. 55........ 146*000
PATRIMONIO DOS ORPHAOS.
Ra da Moeda.
Casa terrea n. i7................... 36O0O0
Os pretendentes deverao apreseiuar no acto.da
arrematacao das suas Gangas ou compareceris
acompannados dos respectivos fiadores.
Se*rataria da Santa Casa da Misericordia do Be
cite, 17 de selembro de 1870.
O escrivo,
Pedro Rodrigues de Souza,
HIO DE JAHEIRO
.Para o torio cima sepne com brevidade o iri-
gue nacional Isabel, em parte do seu earregamea-
to engajado : para u resta ifne Ihe falta tratare
cora os i- asignatarios Antonio Ltiii de Oliveira
Azevedo A C, rui da Cruz n. 57, t' andar.
A barca Maria, dhegada do Rio de Janeiro, se-
gu para o Maranbao em pateos dias com a carga
que tiver, e por aso quem quizer aproveitar ta
boa occaslo de carregar, dirija-se ao consignata-
rio Joaquim Jo- Gongalva Beltro ra do Com-
mercio n. 17.
COMFASBIA BRASILES
DE
Paquetes a vapor.
D al o da 22 do correte o vapor
Paran, o qnal depois 4a deao-
la do noturne soguir para ris-
pnos do nene.
Ie~ja rucebcin-se pasaageiros e engaja-st a
wga que o vapor poder eonduzir, a qoal devra
ter embarcada no dia de suachegada. Knconuwa-
lase dinheiro a frete at as 2 bata* do diada sea
lahida.
Nao se receLem como encommendas senao ot>
jectos de pequeo valor e que nao exeedam a doaa
arrobas de peso oa 8 palmos cbicos de medica;
ludo que passar destes limites dever ser embar-
cado como carga.
Previne-se aos seaUores passageiros que seas
passagens s se recebem na agencia* roa da Croi
n, 57 prmeiro andar, escriptorio do Antonio Luix
de Oliveira Azevedo C.
LEILOES.
LEILO
DE
lAZIIHS
a*
Hoje
0 agente Fa G. de (Hivei-
ra far laido (transferido vara
hojequarta feira 21 em attenco
aos senhores Linden Heydmann
em o
ARMAZEM
DE
* ^ ALKANDBGA.
deBdlmaniododiala49. .
(4em ao dia 20. .
545:678*957
89:507*530
575:186*487
MOVIMBNTO DA ALFANDEGA
#olnmes entrados eo>n faaendaa 314
dem idem com goteros 417
/olnmessahidoseom fazendaa 83
dem idem com generas 378
Descarregam boje 21 de setembro
BTigae norte-allemac Miranda-mercadorlas.
Vapor inglez-Awazoa-ldem.
Brigue norte aflemioJoan Juliosdem.
Brlgoe norte-aHemiofercato-farinha de trigo
Barca iBfteza-flaoVneA Dhnmercadorias-
Barca iageza-Sm 0m-idem.
Patacho mgieiCmhu-u-idem.
Patacho latfei-Emilii-itere.
Patacbo iorteaftaw- fj^n.iden,.
Brigue iDilei-ai^^iden,.
Paueho sueeoCarolinaiaem.
Na baa fraoeeza Cslin. para o Havre, car-
VSunt'-i 1T,,1F"' 338 saccas com
2aa? ai?- ** altW*b' ,l1 CMI06 seccos *><*
2,644 kilos.
\ rZl$> fcuw NmWi Ckrlstina, para o Re
da Prata, rretaram Aroorim Irmias C. 80
aseuiaTbrant>C''
como o prmeiro scal. 1 ___ '
AVISOS MARTIMOS.
companhia pehnambcana
DE
.Varega^o costelra por raper
Parahyba, Nata'. Maco, Messor, Ara-
caty, Ccar, Mandaba, A tarac e
Granja.
O vapor Pirapavta, cemman-
dante Azevedo, seguir para os
portos cima no dia 30 do eorrente
as 5 horas da tarde. Recebe car-
ga at o *a 29, enconnnendas
passageiros e dinheiro a frete at as 2. horas da
tarde do dia da sahida : escriptorio no Parte do
Mattos n. 12. ________________'
COMPANHIA FEHNAMtUCANA
M
MaTcga^Se eoatelra por rapor
Mamanguape.
O vaper nacional Coruripe,
commandanie Silva, seguir
Sara Mamanguape no dia 28
o eorrente as 6 horas da
tarde.
Recebe carga, eneommen
das, passageiros e dinheiro a frete at as 2 ho-
ras da'tarde do dia 28, no escriptorio da com
panhia. Forte do Mattos n. 12.
Rio de Janeiro
Pretende seguir para o referido porto cora i
posvel brevidade o patacho Monteiro par ter por
co da carga engajada ; e para a que Ihe falta t
esclavos a frete, traa se com o coasignatario Joa
iniij Jo> Goncalves Beltro. ra do Commercb
a. 17.
Para Lisboa.
0 brigae portaguez Adelaidt seguir para Lis-
boa.com brevidade, recebe carga e passageiros eo
coMigoes mdicas : trala-fe com Marques. Barros
A G, no largo do Corpo Santo n. 6, 2 andar, on
con o capitao Henrique dos Santos Fernaadeg.
THOMAZ JEFFERIES & C
46 roa do Coniiuercto 6
DE
Grande e variado sortimento de
fazendas inglezaa, rancezas,
alleraaa e suissas, as maia
proprias do mercado, e tac
conhecidas dos entendedo-
res, que nao precisam ser
aqu classificadas maia do
que aiTirraar, que em quan-
to a
madapoloes
chitas finas
brins e cassas etc.
Nada pode haver de mtiher
em qualidades e gostos, pora mt-
trahir a concurrencia.
Principiar s 11 horas da
manhda.
DE
DIVIDAS
i
t
,
s 10 horas em ponto
O agente Pinto levar tlaoTa requarimaata
dos administradores da masa fallida dTKKJX


BitfK
l*fe r/MMo h<
Ooai

1870
.1
do referido agei
deade J ex
10 hora iu daC
^^Htrao os preteodetes 1
BBborrerem so leilao s
lito, uo escrtptorio da ra
LEILAO
Ama
IHGLEZAS
Qanti-feira 22 do corrente
BaoBier Brothers A-C farao Idilio, par iwer-
lelp de afente Piato, de otn completo a as-
ptndt 4o mtrotdc, existentes era sea armaiam roa
do Vifart. 1. odo se elfectuar o loikaw a 11
wras dodia aointa dito.
DE MOVIS
t) sgeme Pomml tender em leilSo, por man-
dada do Ulan. Sr. Dr. jaiz do commercio, e re
nueriraento do carador fiscal da nu Fforenlo Teriu'iano do Reg Costa, urna mobflia de
Jacaranda, uin piano dito (amigo), 3 guardas-louca
d arnarelloe mm objeclos mindo-;
Quinta-Tdra 13 do corrente
tu priaieiro andar do sobral n. 86 sito no pateo
4a T.ire., s btra*. ^__
le uraa ama de leite sera Gibo
roa do Apollo n. 53, 2* indar.

Martiniano Jos Feraeodes, tendo de mandar
celebrar algumas missas por alma de sea prezado
irmao, alferes Porfirio lose Fernandos, pede a seas
amiges o obsequio do comparecerem na igreja
matriz de Santo Antonio, sexta-feira 23 do cor-
rente, as 7 horas da- mwhaa, para sssistirem a
esse acto de piedade ; cora o qoe desde j se con-
fessa etesnaraeit* reeoabtcido.
O advocado Joo Teiteira pode ser procura-
do para txereieio e sua ptolsio, oa ra es-
trella do Rosarte d\ 18, das 9 norw da mwWs is
3 da tarde, e em caso argente a qualquer hora do
dia.
O
An)a de leit
Precisa-se de urna ama
Apollo n. 25, l* andar.
de leite : na ra do
arraaqo da loja de charntos travesa de S. Pedro n. 1.
O agente Martins far leilao, por conta e risco de
juem pertencer, tu annacan aoima, pintada e pre-
parada ha pooeo. e.rauito,propri8 sara qualquer
estabelecimenlo, com especialidad^ para charutos
oa cif airos, em razio da localidade ser a inelhor
possivel
' Quieta-fera 22 do correis
i' (i horas do dia. na mmma lna.____________
LEILAO
DE
25 barris com m^nteiga ingle-
%&, lotes de 25 barris, nura ra-
<*o a seguir.
Quinta feira 22 do corrente.
) a.gt*me Fe*an fara leilo, por conta e risco
ingleza, vindo no ultimo v por e serao vendidos
*ra lotes de 5 barris numeracSo a seguir, ou em
ii o so lote, ao dia qumta-feira 2i do corrente,
as 11 horas da manha, no armamn do Annes,
if froite da alfandega.
LEILAO
DE
aprestos para navio
a 23 do corrente.
O agente Oiiveira fara leilao, por conta de quem
perteacer, de 5 agulha- de marear. 9 pecas de
fon, 4 velas grandes e 2 pequeas existentes no
ariaaiem do Bario do Livramento, ao caes do
Apollo, -e de t mnstaro, verga grande 70 ps de
comprimento, e 't versas ue diversos uraanho.-,
existentes ao diquo do dito Barij, eui Fra de
Purta ^ Sexu-feira
nos indicados lurares, iepois do meio dia, ou logo
que concluido Inla do tingue ingW. Sling Law
Ooziiiiieiro
Precisa-se deum bom cozioheiro para casa de
mocos solteiros : a tratar na roa da Boia n. i.
Precisa-se de urna ama para cozinhar ecom-
prar : na ra da Cadeta do Recife o. 57, t* andar.
Precisa-se ue.uina ama para cozinhar em
casa de bomem soteiro : a tratar na ra Impe-
rial n.47, taberna.
Attengdo.
Precisa se de ama ama par fazer o servico de
urna casa de pouca familia, garante-se o servico
ser muito pouco '. quem quizer dirija-se ra
Velha n. 39.________________________________
Ao commercio.
0 abaixo assignado convida todos os sens ere-
dores a ter a bondade de comparecer hoje 21 ao
meio dia, no sen estabeleeimento ra dos Gua-
rarapes o. 10, para deliberar acerca de negocio
urgente. Hecife 20 de setembro de 1870.
Manuel Antonio de Carvalhi.
ESTtWA DE FERRO
DO
Recife ao S. Franciseo
AVISO
De conformilade oom o regulamento se-
rio uostos em hasta publica na estaejio das
Cinco Postas no dia 23 do corrente mez ao
meio dia oito saccas com assucar abando-
nadas ao fete e armszenagem.
Villa do Cido 20 de setembro de 1870.
O superintendente iaterino,
Hettry Spence.
AMA
Precisa-se de ama ama que compre e cozinhc
para casa de poaca familia : na praga da Inde-
pendencia ns. 27 e 29.________________________
Ama
No collcgio da Conceicio preci?a-s de urna ama
boa engommadeira ; o engommado soraente para
tres pessoas.
CRIADO
No colegio da Conceiqao
peiro habilitado.
precisa-se de ara co-
Ama.
Precisa-se de ama ama que compre e cozinhe
para duas pessoas : no largo da matriz de Santo
Antonio n. 12.
DE
Nova loja de joias
^ DE
Manoel da Ctanha Saldan! & 0,
Acaba de abri-se este estabeleeimento de joias, e quaTtm grande sorli-
mento do todas-asjoias de ultimo gosito, as quaes vewleri o mas barato pos-
stve!.
Toiaijwis sertogaraotidas oarode lei, pois os seusdoaos lendo em
vista so tdqBirir regaaria nio olvidar3o, vender bom e por prec os mais
razoartis possiveis.
Conviia-se e publico a vir a este estabelecwaenio, eerto de qae ficar
satisfeilo.
A' MO DE OaORA DO CABC N.A
tatio sro"'
Dr. Chas. Sb Grath
8110 ELETRICO
KINGOFPAIN
OBEIDiDOB
Para o uso interno e externo.
CRAMDE
msms, dussa
GRMDE CAF
fe MAS UTEIS
CWTHTE
Cholera- e GholotHDorbos, diarrba,
fluj.0 de sangoe. e tm dia.
^6r de eabeci' dores de oivido,
eaj^es minutos.
Dr de dertes, em um miooto.
Neuralgia, em cinco miootos.
Deslocacfte, era viole minutos.
Gargantas inehadaj, em dez miuu-
CRA:
o*:
MS.
Codea' e convalses. Mil cinc minu-
feheumatismo em um dia.
Febre e febre intermittenle, em um dia.
Dr as castas e nos lado, em dei
autos.
Tosses perigosas e refriados, em um
dia.
Pleuresa, em um dia.
Surdez e astbma.
Hemortboids e broncbiles.
inflaminicio nos ti.
Dyspepsia e erysipelae.
lioleslta de 8gdo.
Palpitacao de coracao.
Joao Francisco da Silva Braga, participa ao puDlco dest apHa, jue'n'este tnealh ha veri para
os concBrreotes o seguiote :
Sorvete de diversas qualidaclea
Vinhos.
Champagne.
" Bordean*.
Porto uno.
Bheoo.
Chaieau Lalite.
Cognac uiarle.
Lief.res.
Imperaiior Tbcodoro.
Ava-Pan.
La b>li 'oc.
Cora^ao.
Sempre viva.
Amor eterno.
CERVEJA
MSS E NACIONAL
Gelada e nao ge ada
CAF CHOCOLATE E CHa
Refrescos guiados de todas as-qmlidadts
Rosa. Du.es.
Pilanga. Pastis de nata
Grosella. Bom hocado.
Limao. Kmpada de caraaro.
Cidra. Da de carn^
Laranja. Bollo iie-amendoas.
I.ima. Pu de l.
Queijos. Prfctas.
Flamengo?. Raria.
Londrioos. I'v.is.'
Minas. Pura*.
Prato. Aliacacliif.
Suisso etc.. etc.
O mesrao participa, que.alm das bebidas cima notadas havero ontras d^- diversas qnalidides
qne muito agradarao pelo preco e boa qaalidade, e desde j participa lambem que haverao mezas,
cadeiras e bancas para que os concorrentes estejam a sua vuntade. assiip como, haver urna banda de
.Binsica marcial, que tocar dorante a tarde no jardim do mesi m<'
O raesmo, encarregado pelo proprielario, avisa que dentro em pouco tempo haver rnn onmai?
buhares e jugo de domin para ntrelameato do pnbhco que frequentar e-ie estsbeleciiMento, a quem
desde j convida, e qner da alta sociedad?, quer da democraci...
* PRECO DA ENTRADA 300 RS.
O dia da abertura ser em breve nnounciadii pelos jornae?; mas provisoriarn^sdp se abrir no
domingo 25" do corrente mez de setembro.
Os devertimentos dnraro duas hora.-, das i s 6 da ta- de.
Reserve seiupre este remedio m sua familia.
AS DOENCAS- SE APRESENTAM QUAMMJ MSROS SE ESPEBAM.
CNeo eletnco0>Kiog of!*ain(o reida dftr) aquieta e po$iti%amete diss^a tois
de differentes molestias e dores, e allivia-mais os soflVimentos eproduz om> mais peifei
t-imilibrio nosystema humano, o que cao se pode effectuar no mesroo tempo, eoiu qa;t!-
fucr outro remedio medicinal.
Este muito popular remedio est agora asndose gerabaente, pela razao que mi-
Ihares de pessoas se lem corado gratis eam o dito remedio pelo Dr. de Gratb e outro.s
ma. 9
Este iropofUote remedio mo se offeretse para cafar tollas as doencas-, porm lka
rnente para yqneliae estipuladas das nossas diieccea.
Est operaudo nos priueipioe da cutbc;i e da clectricidatte, e por isso- est .ippli-
ciajl para o c :imentoepf* a restauragao-da acci5o aatural des igaos que soffre da
jw*gu!ar irttlMgio dos fi'two dos principaes oervos. O oleo eletncoo King ol'Pain
opera directamente nos absorverrfes. faeendo d*sappareer as chaces das- glano!*
'te. em ani tempo incrivel, breve, sem periyt lo seu vm> debati e qualquei>cimitus-
t sucia.
O remedio, nraa medicina para o nso externo e interno, omposto dos elmeulos
corstivos, raizes, horvas e casca*, taes como se lem usado- dos BOsiw antepassadus, t
iias quaes tem grandes existencias no mrndo^para corar todas as molestias, sabedo-se
o>iaes ellas sao.
' .Foi um grande e especial tosejo d.i faouidade de medicina torante muitos anuos
res modos que se deviam adoptar [flr* ttirar as
segiuintes doenca, e que prupopoes de medicMa so devia- usar.
nico deposito em P.-rnambuco
NA- WURMACIA E DROGARA
DE
Bartholome&'n.
N. 34RA LARGA DO ROSARIO N. 3i.
i
i
3 D--Q &>
&e
o 3
Sor
tu
S
(3 5
|!nl.l
> S S 3 O <
a. co
JI
5-3
brigue 'u\g\e' Sling Law.
A
- 93 do correte
David Evans, capillo do brigue ingler. slin9
h'in, far leilao em um > lote, por intervenco do
afete Oliveira, e por conta e risco de quem per-
ttflcer, em presenta do Sr. cnsul de S. M. Brit-
nica nesta cidade. pre.-wlia a competente autori-
i da alfandega e com assistencia de um seu
^'pregado fecal do dito brigue com loda mastrea-
<;ao, cordoa ha, vellame. apparelhos completos e
mais pertences excl^vamente mantimentos, e
'.ancha e boie segundo o inventario respectivo, e
til qual se acha Aindiado neste porto, onde apor-
touparforca maior com agua aberla, e foi legal-
u-nte condemnado, na actual viagem que faiia
procedente de Gardiff com deslino a Montevideo:
Sexta-feira 23
.no meio dia em ponto, a entrada do grande salao
da Associaran P/immercial desla prac.a.
AVISOS DIVERSOS.
Joaquim JosjGonpal-
ves Bltro
Ra do Trap;cb3 n, 17, 1" andar.
Sacca por todos os paquetes sobre o banco do
Minho, em Braga, e sobre os seguales lugares em
Portugal :
Lisbaa.
Porto.
Valen^a.
Guimares.
Coimbra.
Chaves.
Viseo.
7iHa io Conde.
reos de Val de Vez.
Viannado Castello.
Ponte do Lima.
Villa Real.
Villa-Nova de Famelicao.
Lamego.
Lanos.
Covilhaa.
Vaseal (Valpasso).
Sfirandella.
Beja.
Barcellos.
Precisa-se
ji. 5.
de um forneiro : na ra da Guia
Monte Fio Eclesis-
tico.
Por ordem da directora provisoria do Monto
Pi > E-elo-ia^tico, em Pernanobnco, sao convidados
todos os socios, e os que afnda o nao sao, para
..mparecerem no eoriitorio da aatriz de :>anto
Antonio, sexta-'eir 23 d-i Current-*, pelas 9 1|2
t da tnaohaa, iftir de assi rovic! dos estatutos, que tem de reger o-
Pin.
Secretaria do Monte Po Eeclesiastico, 19 de se-
tembro 870.
O secretario,
Padre Thomaz Coellft Estima.
. 2. 3 3 o* g
5S' K
B fio ET. rr
gp CO OS
iirlf
^g-3s?r
O.'
S
o, 5_
Manoel AI ves Perreira t C. tem para vender
-criptorio na ra da Moeda n. 5, i" an-
viulio do Porlo pm caixas de duzia e ancore-
las, de diversas qo^'irtade. __________
mu DA FORTUNA
Aos 5:0001
Bilhetes garantidos.
A ra Primeiro- de Marco (ontr'ora ra de
Crespo) n. 23 e casas d costume. fc
Achnj-96 a venda os fellzes bilhetes garan
da 6* parte da lotera, lwn?l-ioda Santa
i de Misericordia do Recife (161'), que se
estrahira sabbado 14 do corrente.
PRBCOS.
Bilbete ioteiro 6>000
Meio bilbele 3*000
Quarto 1/500
Em porco de IQOiSOOO para cima.
Bilbete fnt iro 5*00
Meio bil. 2*700
Quarto 1*330
Manoel Martins Fiun.
M Iravessa da roa
das Crozes d, 2, pri-
meiro andar, da-se di-
nhelro sobre peohores
de oiro, praia e brilhan-
tes, sejaqnal for aquan-
a. Na mesma casa com-
pram-se os mesnios me-
taes e pedras.
TJ-5 O o a
g 5" o ? g.
c- ^ o a
a o 05.0
o ,. 3 a
2 2 a
ir. a.
a
a
c ~ 2 -
o B 3 3
O 2.3 8 O
H x o.
2 M g c/.
imm*mmum
GRANDE
37Rna 11 de Dezembro37
(Ou*r'ora Larg i do Resano)
No muito conhecido HOTEL CENTRAL eaconirru sempre 03 mssos innmero;
fregoezes notaveis melbojamenlos, indispeasaveis para comoDodidad dos illusirts fre-
No HOTEL CENTRAL encontra-se-ha constantemente tuda que de confortativo e
deleitavel se pd encentrar em um estabeleeimento desta ordem.
Assim acha,-se alli ama excellente casa para baoboi, um saI3u todj alcatifado e
guarnecido de dians, piano, j^rnaes nacionaes e estrangeiras etc., etc
Prec ua criada pera todo o servi-
na roa da Madre d^ Dos o. 3.
alHa-se

na ra Direita
Jabonetes d'alcatro.
De Antonio Neves de Castro.
Este acreditado preparado, que to boa
icceitagao tem merecido nesta provincia,
muito se recommenda paja cura certa das
impigens, sarnas, castas, coceiras, e todas
as molestias de pello, sendo ainda preferi-
vel para a barba, outro qualquer 6abo-
aete.
nico deposito do verdadeiro, na pbar-
nacia edrogaria de Bartholomeo & C,
ra larga do Rosario n. 31.
GHHCOLATE VERMFUGO DE ANTONIO NE-
VES DE CASTRO.
Este acreditado preparado, que tio boa
aoceitacao tem merecido nesta provincia,
muito se recommenda para cura certa e
az das biehas ou lombrigas, tanto as
?ii;as como em pessoas de maior idade.
a pbarmacia. e drogara
de i C, ra larga do Rosa-
34.
DULCE
iV
Nofmas da Havana.
Suspiros.
NapoltSes
Hntanas.
CHARUTOS
Imperiaes
Amadores
Londrinos
E de outros fabricantes, que seria ocioso innmera-.
As familias que nos quizerem obsequiar, tanto oaj:iontes como estraageires, en
contrarios comraodos neeessarios.
A moralidade e boa ordem a norma di
Hotel Central
Falla-se o hespanhol. francez, ieglez e italiano.
l>- ii7..i *rfmmim*'$i 4
FALSIFICA^OfS
qasPILULAS.deBLANGARD.
(CAVE DOLDM)
A nossa correspondencia do lnizil nos fea I coinmereio, csic< honndos intermedanos
saber n,ue as pocas d'esT'
actu'diiiente inundadas por
(akijkwyci t dos nossosproductos (tortas!.
I';u-aaimtir-se contra esUis compositoOs
90 menos perigosas, q:ic escondcni-se
d'easa naneint por aetraz das nossas marcas
de fabrica e mesii'O da nossa Cnua, regamos
a|iii coin instancia aos mdicos e aos do-
i.'tt-s de nssegurar-se senprc! origemdas
Pu.L'U\sqii'itr:izcmouosso nonie.appelbnd i,
entre oun s meos practicos, pela boa
%zs, os puanBaceutees. Nao de
na questaO que inlre
tente a saude publica e a moralidade do,
ir que d'este pajz achao-sena seuiosireiudi,
a? por tima niuttido de. freguezes; nAo i
! os scus rumplce-, cli
llover 'o ein diaute de procurar
iDEttUs Plelas Hl.vncald em r
pttsat im( : qner a nos- H?
.ucjuu, ....u .. ^........... igiialinente que .,
repudiando toda solaridade i
cadores e
co um de
as YLUDADEIIU
ergeos certas. cnderecan.,t>-sft1 qner a
mesmos em Pars, qu cuenteros
, ou cutio
as casasas libis recom- '"/' /-)
mendaveis da Franii j^wa/
ou u scu parz.
rharmace>itico, rv re, em Porii
VERDADEIRAS
arrr
3:em sa do Corp<
Canos de ferro galvanisados p
Torneiras, e curvas para os m
Santo n. 25.
Moinhos para cafe e para-mimo
Os melhores moinhos para caf e para mho que tem viudo a este nwcado
se encontram no armazem da travessa do Corpo Sanio n 23
PILULAS de BUNCARD
OOM IODDRCTO DO FERRO IHALTRAVEL
fAPPrWTADAS PELA ACADEMIA DE MEDICINA DE PARS, ETC
- Poasuindo a* propriedadesdo ledo el Bo ferro, convem pectaUentenailAfl
Fawam cor, AMiRowtmu,em que precisareaoir *l*S^$JX2SSr
** sua tiquea e abundencla norma, ou para provocare regular o seu curso peridico.
X, t. oMiTlodeferoiilwro jrriun*. 0ow> prora i poma de ^^^*~TE^,J/ia*M
IrBi,_________________________
qi reprodnzida, I*. Dero-te deaconflr das fiUiflcaco.
PJUnwaowrtlB. m
.


-
I'

__
ferra
___B0
AO
id
=5
C3
O
H_
ir5
lar com os
R
_
3
03
S_
S-.
-5
QjSjtttofiwlm' deA$3i Mello Filho
Jezuioo Aogisto dos Sanios Fragoso.
Virifsimo Correia de Lyra (Cruaogi ou Vicencia
Jos Hermino Pootual (engento Preferente).
Fernando BaraU da Silva (engento Morojo).
Manoel PoUcupo te Axeved..
Antonio Gome/ CortJeiro de Mello.
Eduardo de Paula Santos.
Francisco da Silva Porte.
Thoni Joaquira do R eo Barros.
de catba
inflamaca
eommendamlo-se com igual proveiio as pessoas
convalecentes.
nico deposito na ptnrmacia e drogara.
DE
Bartiioloroen A C.
34Ba larga do Rosario34
M0F1NA
Este antigo estabelecimento, acha-se hoje montado n'uma
escala de poder servir vantajesamente os seus freguezes, attenr
to o grande sortimento de joias d'ouro, prata e brillantes, qne
sempre tem e recebem. mensalxnente das principaes fabricas da
Europa- enjos prepos sao em competiveis e as obras garantidas
de lei.
jflOREIRJL RUARTE .
Roga-se ao Illm. Sr. Ignacio V.eira de Mello, es-
crivao na cidade de Nazareth desla provincia, o
favor de vir a roa do Imperador n. 18 a i oncluir
aquelle negocio que V. S. se comprometteu reali-
sar, pela terceira chamada deste jornal, em fios
de detembro prximo passado, e depois para Ja-
neiro, passou a fevereiro e abril, e nala cumprio,
Spor este motivo de novo cbamado para dito
m ; pois V. S. se deve lerabrar que este negocio
de mais de oito annos, e quanao o senhor su
filho se achara no estudo nesta cidade.
m
GOL
MANUEL & C. m
Tem a satisfacao de participar aos seus numerosos freguezes, que em vista de ser-Ibes mais commodo, tem ^
establecido urna nova fabrica de chapeos de so), na- ra da Cadeia do Recife n. 9, boje roa do Mrquez de Olinda, _^
ODde acharo os preteodentes, muito avultado sortimento de cbapos de sol de todos os precos, qoaltdades e por pre- jg
eos mas commodos do que comporta o nosso mercado: convidara especialmente aos Srs. compradeyes por atacado .|g
darem, sendo possivel suas encommeodas, pois poderao assim serem mais bem servidos, visto poderem escomer as ar- vjg
macoes as fazendas que a demora da fabricarn e bem diminu,______________________________^S
Vendas on permutas
Vndese a propriedade Guarapes po Rio-
Grande do Norte, com trras casas e arrnazens
de um e outro lado 6b rio, topar berr. conhecido
pela sua importosla comraercial, cujo porto offe-
rece muita facilidade para embarque e desembar-
que de gneros.
Igualmente se vende o engento Jtmihahy (na
mesma provincia) moente e corrente, com cinco
leguas de trras de maltas virgens, oito escravos
bois, bestas e alambique ( ou somente o emgenhc
com as trras que convier ao comprador). Estas
propriedades vendem-se por baratissimos precos
e tambem se permutara por ngenhos nesta pro
vincia. Parahyba e Alagdas, ou por casas as ca
pitaes das mesmas: i tratar com o proprietarii
major Fabricw Gomes Pedrosa ra da Cadei;
n. 25, on com os seas procuradores no Rio-Gran
de do Norte.
NA
ANTIGA E BEM CONHECIDA FABRICA
DE
CHAPEOS DE SOL
DA
Eua do Barao da Victoria, esquina da Camba do Carmo
(Antiga Ra Nova)
m
81
C-f

grande sortimento de chapeos ^de sol de seda, merino, alpaca, bretanba de linho branco e par-
s rodos os lmannos e eitios, alm da immesa porco de seda, mer.no, algodio ebrim,
Ha sempre um
do e de afgodo os
**jjg armares de todas as qaalidades para satisfazer qualquer encommenda.
i ^ue escusa de mencionar.
r- ^?
A modicidade de seus precos 15o conhecida
*
fti
PRECIOSA DESCOiJERTA
CUHAS WARiVILlOSlS
DO
Nec plus ultra
Tirando mmediatameate todas as cas pase coceiras dos cabellos.
Deposito
tmente era casa do autor, Andr Uelsu*. cabelleireiro de Paria.
Ra Io de Varqo (antiga Crepo) n. 7 A Io andar
ivtr
LLEIREffiO FRANCE2
51Ra da Cadeia do Recife51
COMPANHIA
DOS
TRILHOS UBBAOS
DO
RECIFE A* 0_-__DA
Tendo a directora de emittir novas ac-
ces at o valor de _G0:C004000 segundo
foi autorisada pelo decreto n. 4363 de 10
de agosto do corrente anno, sio convidados
os Srs. accionistas, em cumprimento ao que
dispoe o art. 4o dos estatutos, a inscreve-
rem-se at o d'a 14 do corrente declarando
o numero de accoes que pretendem.
Avisa-se que a nova emissio tera de ser
feita por prestacoes na razio de 10 %
com intet vatios de 30 dias; e que do dia
15 em diante serio emittidasas ac$oes que
forem subscriptas pelos accionistas ac-
tuaos.
Recife, 6 de setembro de 1870.
Joao Joaqnim Alves,
Io secretario.
Chama a attencio dos seas innmeros freguezes, e do respeitavel publico e_
eral, para a seguate tabella dos precos de sua casa, os quaes sao vinte por cent*
mais barato do que em outra qualquer parte:
AMA
Cabelleiras para seohoras a 250,
30)5, 350 e. 405000
Ditas para hornern a 350, 400 e
Coquee a 120, 150, 180, 200,
-50, 300 e .....
Otscentes a 120,150,180,200,
250, 300 e .....
Cenos ou crespos a 30, 40, 50,
C0, 70, 80, 90 e. .
Tranca de cabello para annel
500 e.......
Tranca para braceletes a 100,
150, 200, 25 e.....
500000
500000
320000
100000
10000
300000
Cadeias para relogio a 50, 60
70, 80, 90, 120 e. .
Corte de cabello, ....
Corte de cabello ^om fric{5o.
Corte de cabello com lavagem
cbampou.....
Corte de cabello com limpez da
cabeca pela machina eiectri
ca, nica om Pernambuco.
Frisado ingieza ou franceza
Barba. ,.....
Precisase da urna ama que cozinhe e ensaboe
para casa de familia : tratar na praga da Inde
pendencia n. S. _________
'J50OOI
501
50
10006
1000*
501
251
Pruuisa-st de urna ama para casa de puuca
famiha : na ra Direita n. 38.
AMA
ASIGNATURAS MENSAES
Precis.i-se de una ama para casa de poaca fa
milia : na ra da Cadeia do ltecife n. il, loja de
m rudezas.
mudam;a.
Joao da Silva Paria tnio es;a> con sen ir-
maiem e escriptorio na ra do Vigario, casa nu-
mero 20.
Precisa-se de um h'jwem portuguez p.ra
vender leite e tratar de quatro vacca? : quem es-
tiver habilitado dirjase a Passagero da Magdalena
n. 4, qne se dir quem .
! A luga se
um sobrado em Olinda, na ra de Mathias Ferrei-
ra, pintado de novo, e tambem se vende : a tratar
na roa da Matriz, sobrado n. 4 i.
Especialidade de penteados para casamento
Bailes e solres
0 dono do estabelecimeoto previne s j Recommenda-se a superior TINTURA JA [
Sras. e aos cavalheiros que ha umxmas. 15, PONEZA para enegrecer os cabellos e bar
lio para tintura dos cabellos e barba, as- ba> adn?i"'.da ,na ExposicSo Umversil I
como n5o prejudicial saude, por ser vw -
3- latil analraHa a annrr.varla nnlaR ar.ari _|_|j__B__ __8M__ jB ___-
Frecisa-se
alugar um moleque para todo servico de hotel,
assim como de um bom cozinheiro, paga-se bem :
na ra da Matriz da Boa-vista n. 8.
d, w. mw
ENGENHEIRO
Com fundiqSo.
A RA DO BRUM N. 52.
Passando o chafariz
Machinas vapor systema melhorado.
Rodas d'agoa.
Formas de ferro para purgar assucar.
Moendas de canna.
Taixas de ferro batido e fundido.
Rodas denudas para moer com agoa, va-
por e animaes.
E oatros objectos proprios d'agrculiura.
Tudo por preco muito reduzido.
Acaba de sahir luz
*_.- p
Vende-se
NA
Livraria franceza.
GUIA DEVOTA
OU
COLLECCAO DE X0VE\AS B 0FFMS10S
NOSSO SENHOR JESS CHRISTO,
MARA SANTISS1MA
E
VARIOS SANTOS.
A saber:
Setenario do Senbor Bom Jess dos Passos.
Offlcio ao Senhor dos Passos.
Novena do Menino Deus.
Novena de N. Senhora da Conceice.
Setenario das Dores de Mara.
Offlcio das Sele Dores de Maria Santsima.
Novena de N. Sennora do Carmo.
Offlcio de N. Senhora do Carmo.
Novena de N. Senhora da Peina.
Cnticos de N. Senhora da Penha.
Novena do B. S. Joao Baptista.
Novena da Senhora Sant'Aona.
Trezena de Santo Antonio.
Novena do B. S. Jos.
Um bonito volume encadernado.
__________2H0OO.
Cura rpida iutahivel _o cal-
los, pela pomada
Galopean.
Deposito especial na pharmacia de Bartholomeu
&C,
31Ra larga do Rosario34
Ro b-a nte-rheunt j'tico.
Remedio efflcacissimo contra as dores rheuma-
ticas at hoje o mai: conhecido pelos seus raara-
vilhosos resnl lados.
J. Fereira Yillela
PIIOTOHKA1MII i IMPERIAL
ItJRA DO cXBUG18
A entrada pelo pateo da matriz.
Os trabathos da reediflcaeia desta photographia,
e que se prolongaran! por tanto tempo, acham-s
felizmente teMiiMdos e ella berta ao servido v
publico desdar7 de abril passado.
O predio eib qne ts ada esta photogra
phia acha-se muito augmentado, e so a parte desti-
nada ao esubelecimento conu cinco. salas, inclu-
sive as do laboratorio. Todos es acert* e aug-
mento* tendo sido eitos cxfreMnnte para s
montar convenientemente t photogTaphia, e nao se-
podendo melhor modelo eseoiher do que a Pheto-
p-afiia Imperial do Sr. lusley Pachaco do Rio de-
Janeiro, o primeiro photgrapho do Brasil, e um d^s-
pnmeiros do arando, segundo a opiniao dos mais-
abalisados mestres, a nossa photographia acha-s-a
dlsposu e reedificada pelo mesmo plan da do Sr
I. Pacheco, a qnal foi montada a_ todas as regras
recommendadas petos mais de?tinctos professores
de accordo eom aa modileaffiUs oecessarias ao
ciimado Brasil, raconheeidas estudldas pelo ha-
bilissimo e pracu Sr. I. Paehaeo.
Todo o interior do predio em que est nossa
photographia foi modado desde a soleira da porta da
ra at a coberia, tendo-se demolido todas as pa-
redes interiores para se farerem as novas salas,
edificando-se cm novo terraco envidracado mus.
espa^oso e elegante.
Como sabido, lizemos urna viagem expressa-
raeute corte para examiaarmos as melhores pbo-
tograptas all, e foi a do Sr. I. Pacheco, a que
melhor correspondeu aos nossos dselos e aspira-
Qoes, e da qual trouxemos os planos depois de
all estarmos todo um mei esiudando e apro-
veitando as lic5 de tao dlstincto mestre. Pen-
samos que juntando os nossos esludos e tanga
pratica de 15 annos de photographia s utilissinas
lices ultiman ente recebidas do Sr. I. Pacheco,
tendo montado a nossa photographia como se
acha, podemos offereeer ao ilustrado publico
d'esta cidade e aos nossos minerosos tregeles
trabalhos de photographia tao perfeitos, como se
poder desejar, e disto vencidos, esperamwi
quejnlluaem a dispensar-nos a mesma pro-
teccio com qne ha 15 annos nos tem honrado e
ajudsdo.
Ama
Prewsa-se de urna ama para casa de hemerr
solteiro : na rna do Amprim n. 56.
AU RO
D'YVETOT
RA ESTRE1TA DO ROSARIO N. Ai.
Urna qualidade de commercio faltava nesta popu-
losa, cidade um cstabelecimento em que se compre
e venda toda a qualidade de roupas feitas novas
8 velbas, um basar que se denomina era Paris
Bric e Brac. E' este o estabelecimento que se
:ibriu ra estreita do Rosario n. li. Assim,
todas as pessoas que i^uizerem vender, ou com-
prar roupas novas ou velhas e todos os mais
objectos do servico domestico, inclusive irem de
costaba, pedern dirijir-se ao indicado estabcieci-
ment para contratar, e offerece-se para ir em
casa dos pretendentes para effectuar as compras
e vendas.
& &M$&&&&. ^jr3t-^
^ O bacbarei Joaquim Goocalves g Lima tem escriptorio de advogado w
2 ra do Imperador n. 33. S5
Precisa-se de urna ama forra ou captiva pira o
servico interno e rxterno de urna casa de pou^a
familia : na rna Velha n. 66.
Ama
Na ra do Vigario n. 5, 3o andar, precisa-se
de urna ama para cesinbar, cujo servico faija eom
pprfe'i'fi.i e qnn seja de boa conducta.
AMA
Precisa se alugar urna mulher forra ou escrava.
para cozinhar comprar e engommar, para um
casa de pequea familia : na ra da Cadeia nu-
mero 8.________________________________
Precisa-se de um perito offlcial de chapellei-
ro : a tratar ua praca da Independencia n. 22.
Ama
Na ra do Imperador n. 14, Io andar, precisa-se
de urna ama para cozinhar parapouca familia.
Trabalhador pa rapa-
dara
Para o Rio Grande do Norte, precisa-se de um
trabalhador dos ltimos chegados das libas, an-
da mesmo era pratica, a tratar com Tasso Irmos
& C, ra do Amorim n. 37.
Aluga s urna etxrava com oito das de pari-
da com muito e bom leite : a* tratar na ra de
Aguas-verdes n. 90.
Precisa-se de um pequeo nacional para cai-
xeiro de urna taberna, eom pralica ou sem ella :
na ra da Santa Cruz n. 74.
AVISO
No porto em frente do sobrado do Sr. Valenca
ao norte da fabrica do gaz existe urna canoa e ca-
noeiro que se emprega a atravesar da freguezia
de S. Jos a da Boa-vista, e desta para aquella,
as pessoas que, nao querendo dar a grandw volta,
queirara dola se aproveitar: paga ItO rs. por
pessoa ; todos os dias das 9 horas em diante.
FORNEIRO
Para o Rio Grande du Norte precisa se d um
bom forneiro ; a tratar com Tas-o Irmaos Je C.
na ra do Amorim, n. 37.
I
O abaixo assignado, curador da neranca ja-
cente que outr'ora pertenceu ao casal do finado
tenento Jos Joaquim Lopes de Almeida, faz scieo
te a quern interessar pos.-a, o,ue D. Margarida
Candida da Cunha Almeida, viuva do mesmo fina-
do e inveniariante, que fui dos beus que consli-
toem a dita heranca, nao pode fazer leilao dos re-
feridos bens por estar pendente queslao per ente
o superior tribunal da relacao, era virtude de ha-
ver o Dr. juiz de erdbaos em exereicio denega
do Ihe vista dos auto para embargos de nullidade
patente dos autos : protesta, pois, o mesmo abaixo
assignado, por bei do interesse dos credores e de
qnem mais direo tiver mosma heranca contra o
referid.) leilao ; assim como, se contra direito for
levado a effeito, de rehaver os bens arrematados,
se por ventura dita D. Margarida perder a accao.
Reci;e li drf setembro de 1870.
Manoel Joaqnim de Miranda Lobo.
Para urna familia ille-
maa de duas pessoas pre-
cisa-se de urna ama mo-
fa para comprar e fazer
o mais servico de casa :
no largo da matriz de
Santo Antonio n. 4, 2 andar.
AMA
ii
INTERESSANTE (MPOSICjO LITTERJRIA.
CONTENDO :
A noite do xtasis.
O sorriso.
A noite do assombro.
A lagrima
A noute do delirio.
O mysieno.
Com urna carta critica dirigida ao autor peto
Dr. T. B. Rigueira Costa.
i volume brochado 2*000.
AS CENTELflAS
Poesas patriticas sobre a guerra do Parag^r\.
1 volume brochado 2JU0O
NA
LIVRARIA FRANCEZA
MUDANCA.
O Dr. Carolino Francisco de Lima San-
tos mudou sua residencia e consultorio
para a roa do Imperador n. 57, 2o andar
do sobrado cujo armazem conserva an-
da hoje o nome d Aliaoca, tendo a
entrada, que pelo lado da ponte Sete
de Setembro, o mesmo numero 57, da
frente. Ah continuando o dito Dr. no j
exereicio de sua prosso de medico e
de operador, pode ser procurado a qual- |
quer hora do dia e da noute
|
PRIMEIRO E ANTIGO CONSULTORIO
HOMEOPATHr.0
Dirigido pelo Dr.
SANTOS MELLO
Os habitantes do ioterior podem-no
consullar por eseripo, no que seru >a-
tisfeitos com proniptido.
Presta-se tambem n chamados para o
interior, a preco mdico.
Consultas, no consultorio das 10 horas
ao meio dia.
Chamados, a qualquer hora.
Aos pobres gratis.
43Ra do Bario da Victoria
(Antiga ra Nova).
_m como um erupregado smente oceupa-: iaf.il, analysada e approvada pelas acade
oegse serico.n niias de sciencias de PARS E LONDRES
34 RWA U.RCA BO R11SAI_I0.34
1 omuiiul.o prornrar itteiudos ptra crediUr
*i itrepararfo, dtiiiimot qn* uu >pplic*c*o o
>___> Kido pln pusoitqoa te *, ibes deen crdito e >oca ; purqm lo empre 01
___!_ _nii _ci_rljHui_o; ata ni qnereado ofender p_>
.__MjaoespouUn_mf me nos oflereewuD.et qoe abaiio
4lrncnpt(n. oj faienii publicar manifetundo-lh_
M gra_Me pela aUf.n;ao. esptrando qne tnh_
1f corroborar o conecito, e Kceiuclo qoa lem mere-
k_imc tarop. Barhtlomto A C.
ATT_T.
lito- meo 4 C. E coa a -ais obida
_iwl3: -arope Aorlcauo de urna
ilfici oOrendo ha das de
r.n a nnle a
Vegetal Americano, de toa composiclo, q___i _a
acheta baelante doeole de ama constipacao, qne _
tornoa compleumenie ronco e qne tronie nnm ferie
tosse, e me impossibiliton de cnmpriroi mena de
de cantor da empresa lyrica, toa agradecer-lhee met
completo reslabelecimeDto, qae obtin coa m a Tidr
do mesmo xarope. depois de hawr recorrido a mnitec
trtamenos. Desejarei que oatros como en recorra-
ao sen sarape pan se verem alinadoe de tio erriTet
incommodo, Uo fatal oeste pas. Com malcr conaids-
recio ceatisdo s ser de Vt. _. ltenlo, Tenerador <
brisad*. Lnn Crema na. Recife 85 de setembre
lllme Srs Baribolomee 4C.-0 xarope VeUl Ama-
ncano que Vt. Se. te_ posto t Tea_ teda e_-
-9tiro d'asihma, eaawros ebsenei ap-
nniuim, menor de ejMtfe
!ue ate else or osmos
ADVOGaCLA.
O DR. JOAQUIM CORREA DE ARAJO
lem o sea escriptorio ra do Imperador
n. 67, onde pode ser procurado das 9 ho-
ras da manba s 3 da tarde.
SITIO.
Aluga-se urna boa casa e sitio na travessa de
Ponte de Ucha, janto a ponte do Sr. Justino Pe-
reira de Paria : tratar na mesma casa com o
Romao, ou no caes da Alfandega n. 3.
AMA.
Quem precisar de urna ama para cozinhar e en-
gommar em casa de familia ou casa de hornern sol-
teiro, dinja-se ra das Trincheiras n. 16.
Aluga-se o 1* andar do sobrado n. i da ra
Imperial: a tratar no andar terreo._______
O agrimensor
Joao Das Pinto Aleixo arado pa-
teres de sua p iea cidade
raa do Rangel caga n. 2, (deposito de charutos),
ovoacSo de Trorabeu
Sr. Manoel
ocia
AMA.
Prccisa-se de ama ama que engomme com per-
feicao, indifTerente que seja nacional ou e>tran-
geira : a tratar na rus Nova, casa n. _
Alugam se auas-casas por resta ou por airao
na Vanea, lugar Ambol, com sitio e coinmodo?
para grande familia : a tratar com o reverendo
padre Dmaso, eu na ra do Crespo n. 7.
ATTENCAO
Tendo me despedido de erapregado da estrada
de ferro do Recife a Apipaco, por me ter de re-
tirar para o Rio de Janeiro, faltara .-.o mais sa-
grado dever da gratido se ueste momento solem-
ne nao testemnnhasse os mens protestos do es-
tima e gratido aos Exms. Sr. Barao do Livra-
ment, Antonio Luiz dos Santos e Dr. Jos Ber-
nardo Galvo Alcoforado. propietarios, ao Sr.
Rawlison, director da conipanhia, ao Sr. Gouveia,
conductor chefe e aos mai3 empregados pelas raa-
neiras cavalheirosas e sempre attenci^a* que
me dispensaran).
Aproveito a occasiao para offereeer a cada um
dos Srs. mencionados os raeus fracos "relimo*
em qualquer parte em que me a
Recife, 19 de setembro de 1870.
Fr;i:
Rna do Barao da
Victoria n. 63
(Outr'ora ra Nova. )
O abaixo assigoado acaba de vender nos seus
muito felizes bilhetes da loteria que se extrahiu
em benellcio da nova igreja da Penha, um meio de
n. 1314 com a sorte de 2004000, um quarto de n
3256 com a sorte de 00000, 1 quarto de n. 1366
cora a de 100?, e um meio de n. 2373 com 100J,
alem de outros premios menores; podendo os pos
suidores virera reaeber, que promptamente serio
pagos.
Aoham-so venda os felizes Dtlhetes garantidos
em beneficio da Santa Casa da Misericordia.
JPRECOS.
Inteiros 6*000.
Meios 34000.
Quartos 14300.
De iOOtOOO para ama.
Inteiros 54*00,
.i] Meios 24700.
Quartos 14350.
Joao Joaquim da Costa Lcite.
tinturara franceza r m
55-RuadaImperatii_-55 j
Tinge, lava, limpa, lustra e achntalo-
tase, com a maier perfeicao, fazendas em
pecas e em obras de todas as qnalidades;
como sejam : seda, la, algodio, linho,
chapeos de fe'tro e de palha etc. etc.
Tira-se noioas e limpa-se a secco sem
| raolhar os tecidos, conservando assim to-
do o brilho da fazenda.
Tintura preta as tercas e sextas fei-
ras.
0 C1RIRG1A0 DENTISTA
Frederico Maya
Tem a honra de scientificar ao respeua-
vei publico e/a gcral, e aos seus clfei
em particular que elle mudou o seu gabij
nete de consultas da ra Direita n. 12 para
a do Queimado n. 31 primeiro andar, com
a entrada pelo pateo de Pedro II, onde po-
de ser procurado para os misteres de sua
profisso, todos os dia* uteis das 9 hora
da manh'a s 3 da tarde.
Tambem previne, que contina a prestar-
se a vontade dos clientes n5o s na cidade
como nos seus suburbios, para onde a
idas serSo precedidas de ajuste. Elle ga-
rante o bom desempenho e a perfeicao de
seus trabalhos, o que j bem conhecido,
3ssim como as commodidades dos nrecos.
Agencia em Peraarabuce
Do Dr. Ayer
Petoral de Cereja
Cura a phihysica e todas as molestias do peit*.
sta'sa parrllha
Cura ulceras e ehagas antigs, impigens e dar-
Tos.
Tnico
Cocserva e limpa os cabellos.
Plalas cathartlcas.
I MUDANQA i
V? O escriptorio d) Dr. Joaquim Jos de >j
X Campos da Costa de Medeiros e Albu fL
25 querque est ra estreita do Rosario *
jRrion. 24. ^
Pre.
14 a i6 am
mesma casa pre
com urna enanca e f
na
No domingo 18 do corrente, pplas 8 horas da
manhaa, perdeu-se urna pulseira ae ouro e coral
nropria* de menino de eolio. Julga-se que foi per-
dida no espaca que raedeia da ra da Uoiao al a
.i'> do caminho de ferro de Olinda, na ra d.t
Aurora. Se alpnem a aebou e qalzer fazer o favor
de entregar, dirija-se ou ra do Hospicio o. 43,
ou rna do Amorim n. 43, no Recite, qne recebe-
r t alviqaras.
Club do Itonteiro
Assjgna-se para o Club .do Monteiro por seis
mezes, a principiar em outobro at 31 de inario-
prximo futuro sob as segrales condicoe- :
Os senhores assignantes do anno prximo piafa-
do sao dispensados das formalidades da approva-
fo, licando sujeitos a deliberadlo da directora i
que se propozerem este anno.
Haver duas partidas, send'o urna na abertura
e outra no encerramenlo, reunio familiares sus
sabbados, havendo nicamente convites para che-
fes de familia.
Precos da assignatnra.
Seis mezes 304000.
Tres mezes 304000.
Uui mez 104000.
Os senhores que desejaram assignar tero a boi;-
dade de se dirigirem ao empreiario, abaixo assig-
nado, no Club Pernambucano, at o lim dp cor-
reme mez ; e dessa dala em diante ra da A
ra n. 68, das 10 s 3 horas da tarde.
P. J. Layrae.
Ama
Precisa-se de nma ama que saiba cozinhar
ra do Codorniz n. 8.
na
Precisa-se
ai um menino de 12 a li anuos
i i> Livr
em bastante pn
18.

Aluga-se mu sitio com boa casa de viveoda
e grande quantidade de arvoredqs de fructo.
tre os quaes boas laranjas de umbigo. >ap
goiabas etc. no largo do chafariz da Passagern
da Magdalena : a tratar com o seu proprietan >
no sobrado, da esquina que volta para os R.
dios n. 29*.
A' ru
ama perita c
Pi
nhe pa:


/


Diario de Pman>buco QuarU eira 21 .de Setembro de 18
AO ARMAZEM
!>
DO
/
VAPOR FRANCEZ
iUHMHMAHI.7...
Este conhecido estabelecimento acha-se constantemente bem sortido, em viaderas
facturas que recebe por todos os vapores e Davios fraocezes, d.os art.gos abauo menciona-
dos, a precos os mais resumidos qne possivel.
CALCADO FRAICEZ
Botinas para *eohra e menfcas.
Botinas pretas, brancas e de mnitas outras cores, sorlidas e bonitas, do ultimo gos-
! to da moda, e precos mais baratos do que em outras partes.
Botinas para borneas e meninos.
Botinas de bizerro, cordavao, lustro e pellica, das melheres fabr.cas e escoltadas.
Botas e pernelras rnssianas.
1 Botas e pernelras pan mamaria, das melbores qualidades, de couro da Russia, las-
tro e bizerro. _.__.
Sapatos de borracha para hornease senhoras
Tendo chegado grande poreao de sapatos de borracha vende-se pelo custo aiim de
lesempatar o dinheiro nelles empregado, sao baratissimos.
Sapatos de lastro para bomens.
Sapatos de entrada baixa de couro de lusfro com salto, de muito boa qualidade
Abotinados para meninos e oieainas
Sapatos abotinados de differentes modelos, de muito boas qualidades e fortes, tanto
para meninos como para meninas, muito baratos.
Sapatos de tpete.
Sapatos de tapete aveludado, de casemira, de charlte e de tranca francezes e por-
tuguezes para homens, para senhoras e para meninos.
' PERFUMARAS
ExceUentes extractos, banhas, oieos, agua de cologne, florida, divina lavande, den-
trifice, de toilette, sabanales, tintara para cabellos, pomada angroise para bigodes, pos fle
arroz etc., tudoisto deprimeira qualidade, dos afamados fabricantes, Condray, Piver e Lubio.
Quinquilharias
Lavas de pellica do conhecido fabricante lonv'in, espelbos para sallas, quartos e ga-
binetes toacadorer de diversos tamanhos, leques para senhoras e para menina?, abridores
>4e luvas, brincos, pulceiras, botoes, crrenos js chaves de relagios e tranceln*,tudD de
ouro de lei, correntes e brincos de plaqu, a imitaco e de mais gosto do qae as de ouro,
caixinhas de costura ricamente guarnecidas e ornadas com lindas pessas de msica, albuns
e eaixilhos dourados para retratos, caixinhas com vidro de augmento para distractamerite
ver-se a perfeicao dos retratos, objectos de phantasia para toilettes, tolsinhas e cestinhas
de seda, de velludo e de vimes para braco de meninas e senhoras. ditas para costuras, pe-
queos registros muito finos e delicados, bouquets de Arres de porcelana, jarros proprios
para gabinetes e santuarios, quadros promptos para colloear-se vistas, molduras douradas
para quadros, estampas linas de paysagens, cidades, figuras e de santos, vidros para eos-
morama, malas, saceos e bolsas de viagens, esporas, chicotes, bengalas, oculos, lunetas ou
pensinez de prata dourados, gravatas pretas e de cores, abotoaduras de collete e de pnnhos,
carteirinhas para notas, thsourinhas e caivetes finos, pentes, escova?, ponteiras de espuma
para charutos e para cigarros, Jogos de domin, rodetes, bagatelas e outros differentes, ve-
nezianas modernas muito conveniente para porus e janellas, cosmoramas, lanternas mgi-
cas, esteriocopos com interessaotes vistas de figuras e das mais bonitas ras, boulevards,
pracas e passeios de Paris, photoBxaphias e caixinhas mgicas, reverberos para candieiros,
tapetes de vidrilho e de laa de cores para ps de lanternas, realejos grandes e pequeo?,
harmnicos, acordions de todos os tamanhos, bercs de vimes para ciancas, sapatmhos e
toucas de laa, carrinhos de 3 e 4 rodas muito elegantes para coudunr cnaucas a passeio ; e
cutras muitas quinquilharias de phantasia, francezas e allemaes, a precos muito em conta.
Para este artigo nao ha espaco nem tempo para a massante leitura da
gneros de brinquedos fabricados era diversos paizes da Europa.
l VlV&li
al
GALERA
AMA
infinidade de
ATTENCAO
O dono deste estabelecimeuto pede ao pubTico em geral que continu a visita-lo
[ verificando as qualidades e os precos baratos de ditos objectos por serem vmdos em di-
reitura e de cunta propria.
vm m. wmm
msmm
Com fundipao
RA DO BRU 52
Paseando o chefariz.
Chama a attew;ao Jos Srs. da engnho para seus acreditados marinismos e
com especiadade para seus vapores que anda urna vez tem melhorado.
Os vapores forneciJos por elle e j lnccwnaado !he nao de fazer nfcibcr apre-
ciado do qae qaalquer dito proprio.
Dsela tambera mencionar que tem feilo urna reducto em seus precos, e que
lem prompio to DE PINTURA
J. Ferrara VleUi
Desde o dia 7 de abril passado acha-se abertoo
iovo estabeleciroenio pbotographico sito a roa do
3aug n. 18, esquina do pateo .ta matriz. Ostraba-
ihos qae desde entio, tem sahido de nossi offlcina
.em geralmente agradado, sendo recebidos por
iiguns com admlracio pelo extraordinari i pro-
zresso que ltimamente tem tido a phot graptaa.
e por outros com alegra, por verera a provincia
Jotada com um estabeleeimento digoo d ella, in-
soatestavelmente o primeiro que nesse genero
aoje possue : tambera nao nos poupamos em cousa
alguroa para monta-lo no p em que se acha, es-
perando qae o publico de Pernambuco sabera
ipreciar nossos*esforcos e recompensar nossos sa-
crificios.
Convidamos a todas aquellas pessoas, nacionaes
i estrangeiras que gostain das artes, ou tiverem
aecessidade de trabalhos de photographia a visl-
tarem o nosso estabelecimento, qoe estar sempre
iberio e sua disposico todos os das desde as 7
horas da manha al as 6 da urde.
Para os ttabalhos de photograpbia possuimos -ip
versas machmas dosmeIKores autores francezes,
nglezea e alknemies, como sefjam : Lerebours el
secretan, Hermagis, ThomazKosa, Voigtlander el
Sonh eWulf. ltimamente recebemos tres novas
nachinasi sendo urna, dellas propria para tomar
sobre o mesmo vidro 4 ou 8 imagens diversas e
isoladas, e outra de 6 a 1S imagqus diversas e
guaimente isoladas, de orle flue o caso de
grande concurrencia poderemoa retratar sobre
ama nica chapa at 8 pessoas diversas e sola-
das para cartSes de visita, easslm em men^s de
am quarto de hora despaeharmos 8 differentes
pessoas que pecam cada urna, ama duzia de cartoes.
aais ou menos, cora os seas retratos gmente, ou
jai grupo com outras.
Enearregamos-uos exclusivamente da direccao
j feitura dos trabalhos de pbotographia dei-
undo pencia e talentos do distncto pintor
llomo, o Sr.
Jorge A. Roth
js trabalhos de pintura, a aquarela, a olee, e a
pastel.
O Sr. Roth acha-se ligado a nossa empresa por
ama escriptura publica, e al o presente tera-se
iesvellado na execucjie de seus trabalhos.
No nosso estabelecimento acham- se exposlos ou-
tros trabalhos imjioriantes do Sr. Rotb, tanlo em
miniaturas aquarella como oleo, reiratos a
jleo, quadros sacros e diversos outros trabalhos.
Tomamos encommendas de retratos oleo at o
tamnho natural, assim como de quadros sacros
para ornamentac.ao de igrejas ou capellas. Tam-
bera aceitamos encorameedas de quadros histori-
as.
Asseguramos que os precos dos diversos tra-
balhos da nossa casa sao mui rasoaveis.
2ART0ES DE VISITA NAO COLORIDOS A 10)500 A
DUZIA
CARTOES DE VISITA COM O C0L0RD0 AO NATO-
RAL A 16*)00 A DUZIA
R trates ?m miaiatura oleo ou aquarella de
16 i SO/000 cada rim, indo convenientemente en-
:aixilhado em moldura dourada regulando o
busto da pessoa retratada de 3 4 pollegadas e
todo o quadro palmo e meio de tamanho.
Jnlgamos (jue bastaro os precos cima para
Jarraos idea da baratera .dos trabalhos do nosso
istafelecimento, quanlo. sua perfeico cada urn
/enfca julgar por seus proprios olhos.
A molhores horaa para se tirarem retratos_ no
qos(o estabelecimento sao das 8 horas da mauna
I da tarie; entretanto de urna hora s S da tarde
3m casos especiaes pde-se tambem retratar qual-
quer pessoa.
Nos dias de chuva, eu por tempo sombro po-
jemos retratar, e asseguramos que esses dias sao
js mais favoraveis aos trabalhos de phetographia
pela doenra e persistencia da luz, e per termos o
aosso terracD construido cora taes proporcoes e
melhorameuMs. que aioda chovendo jorros ne-
ilium inconveniente ha para fazer-se bellos re-
r atos.
/. F*rreir VHiela
Precisa-se de ama ama tor
saiba engommar e fazer o
casa de fau>: !ar Do
no 3, obb:
n. 1.
Csture'as
Nafahriea de chapeos raa itdeDezembro
(aniiga larga do Rosario) n. 24 A, 1* andar, se
precisa de costureiras.___________
Ama.
Precisase de ama ama para casa de rapaz sol-
teira : na roa do Dnqae de Caxias n. 12, loja.
. ~GAPITaES DE CAMPO. .
Precisa-se fallar com ates seihores a negocio
de seus interesses : na roa dos Pires n. 23. .
COMPRAS.
O muzeo de joias
Na roa do Cabuga n. 4 compra-se oaro, prau
i pedras preciosas por precos mais vantajosos di
iae em outra qnalqqer parte.
Lom muito maior vantagem compram-se
ouro, prata e pedras preciosas en obras velhas: na
loja de joias do Coracao de Onro n. 2 roa do
Cabnga. _
Compram-se diarios para embralho : na raa
do Barao da Victoria b. 3.
VENDAS.
CONVITE
O Costa da raa Duque de Caxias n. 42,
toma pejo presente a lioerdade de convidar
aos amigos e freguezes que sempre o hon-
raram e connuam a faze-o com o concur-
so de sua fregoezia, virem visitar o seu
esUbelecimemo, certo de que nao deixarao
de agradar-se, nlo s de seos gneros,
como do iratamento e limpeza qae a todos
despensa.
GNEROS DE IMPORTACAO
Uvas verdadeir Feral
Ameixas secas.
Peras.
Maclas.
Vinho do Porto oe diversas qualidades
entre ellas a especial qualidadegloria do
Brasildito em pipas e barris, que re-
commendavel para mesa por ser o \erda-
deiro vinho de pasto, dito verde da me-
nor qualidade possivel-
Qaeijos flamengos empellicados e pratoo
tnelbor que -tm vindo i este mercado.
Ervilbas novas em conserva
Cbocolale de especial qualidade.
Bolacbinbas de especial qualidadede to-
das as marcas conhecidas.
Manteiga ingleza e franceza de Ia sorte.
GNEROS DO PAIZ
Doce de goiaba em latas
Quijos de Minas meito frescos e de boa
qualidade.
como se
Gazes
woiKrpOT s}ooa
SH3Z11S
opeDJOlU 00 03S0JJ SjBUl
o ja? joI laatpuai m*i uiis
| ;>aEujoi 'tpituo '/JjSai jotu opd
I ''StIIIW 9 Jozn$ seiueauqi-j s'op oraaoifed
|juiid 'nop5|KO op oiuauiuus oia|
um jaqaoai ap eqeas' anb oanqnd oe 9
so3|uib snas t ediaued baus vp 3|ddaic
opasiuij oaampaiaqinse ewp oaop o
A0)j nj jolino
oc M viuoioia va ovuvs oa vna
I OQV31V3
DO DISTIN TO
Corri patritico d lanceiros
O BAZAR DA MODA tem receb do ultima-
mente uto grande e especial sortimenlo de
todos os objecto" proprios para este fim
am:
PARA SENHORAS
florentinas de liadas cores, o co-
rado 2(j|0OO, e outras muitas fazendas pro-
prias, e de bom gosto.
As mais ricas sahidas de baile a 40 e
455000.
1 Os mjiis bellos e elegantes bournus de
grande fiovid;dea 165000.
Mantajs de 15a o seda em ponto de ma-
Iba, e muitos adornos da moda, de 05 a
155O00.
Delicadsimos sintos de fil com, lindos
enfeites de bellissima phantasia a 8500!'.
Gollinhas e ponhos de grande varie-
dade.
Corp'mbos de cambraia, enfeitados de 65
a 155000.
Luvas de pellica muito fresca, grande sor-
timentOi e mnitos outros artigos proprio
ao fim, tanto em fazendas como em miude-
zas e perfumaras.
PARACAVALHEIROS
Gravatas brancas, no que ha de melhor,
com laco e para dar laco.
Camisas de linho^muito finas, simplemen-
te bordadas de muito gosto 75500,
Collaiinbos bordados e lizos.
Luvas fresquissimas e grande sortimenio,
tudo se vende o mais commodo possi-
vel.
Jos ile Snuza Soares & C.
Nutrimento
EDICINA!
r B
Farinlu de Mag
Ra da Pra:a, traves-a do Carioca n. 2, vnde-
se superior farinha de mandioca em saceos gran
des, a pr;go de 6f 200 e 6*300 para acabar.
PUEPAHADO POR
Lanmtin & Kemj,
TARA
Tsica e toda a
qualidade de do-
encas, quer seja
Coa garganta, peir
lo ou bofes.
Express r-
mente escomido
dos melhores li-
gados dos quaes
se extrahe o
oleo, no banco
da Terra Nova,
parificado chi-
micalmente, e
suas
p ropriedades
conservadas
com todo o cui-
dado, em todo o
frasco, se garan-
te perfeitamen-
te puro.
Este oleo tem
sido submettido
a um exame
muitosevero, pelos chirnicosde mais tale-n
ot, do governo hespanhol em Cuba.foi de-
vulcado por elle e contera
MAIOR PORCAO DT0D1NA
do que oulro qualquer oleo, que elle tem
exam;iat!o
IOD1NO E'LM PODER SALVADOR
Em todo o oleo de figado de bacalho:
e naquelle no qual contm a maior porcSo
d'esta invaluavel propriedade o nico
meio para curar todas as doencas de
GARGANTA, PEITO, BOFES.FIGADO,
Tsica, bronchites, asma, catarrho, tosse.
resfriamentos.etc.
Uns poucos frascos d 'carnes ao muito
magro que seja, clarea a vista,e d vigor a
todo o corpo. Nenhum outro artigo co-
nhecido na medicina ou sciencia, d tanto
nutrimento ao systema e encommodando
quasj nada o estomago
As pessoas cuja organisaco tem sido
destruida pelas affecces das
ESCRFULAS OU RHEUMATISMO
s todas aquellas'cujadigesto se acha com-
pletamente desarranjada.devem tomar
0 OLEO DE FIGADO.DE BACALHAO
DE
Lanman A Kenp,
Se que desejam ver-selivres t exepasm
de enfermidades
Irmandade acadmica
DE
N. S. do Bom Conselho.
De conformidade com o nosso eomptojjsso c l-
vido nao s a actual mesa aamini>irativa, croo
tambem a eleita para o anno de 18/1 para, >' ;
22, quin.a-feira.as 10 horado dia, comparecerm
na faculdade de direito alim de ter lugar a pos.e
da nova mesa. i%^_ in ,.
Consistorio da Irmandade Acadmica aos ao o>
setembro de 1870.
secretaria
Camillo Correia Dar,
CANTARA DE LISBOA.
Soleiras, hombreiras e capiteis : a tratar no
armazem da travessa do Corpo Sauto n. 25.
ATTENQ&O
Vende-se a arma^ao e pertences da taberna do
largo do Terco n. ti, muito propria para qual-
quer principiante : tratar no sobrado por cima
da mesma.
Panno de algodo.
Veode-se superior panno d'algio da Bahia : no
escriptorio de Antonio Luiz d'Oiveira Azevedo 4
C. ra da Cruz n. 57, Io andar.
Eua do Vigario n. 11
Vinho Bordeaux, de C. Marganx e L O. Medoc.
Ervilhas francezas em mankga.
Papel para cigarros Duc
Piosphoros de seguranca.
Agas de Vechy.
Haut Qne.
Celestine.
Mercurio doce, caxas de meia libra.
Papel de peso, grande sortimento.
Na ra do Vigario. armazem n. II.
Antes que se acabem.
Medalhas de prr.ta mac: Gr: 30 : vende se na
ra larga do Rosario, n. 3i.________________^
Vendem se algumas casas terreas as fre-
geas de S.Jos e Boa-visu : a tratar na estra-
da ile Jlo de Barros, primeiro s'.io com grade e
porto de ferro, ao lado direito logj ao entrar da
Snli'dade, das 5 hora? da tade em diante.
JdaquimRodrigues Ta-1
vares de Mello, f
TEM PARA VENDER <
em sen escriptorio, praea do Corpo Santo *>*
i. 17: fi
Fumo era folha a
de I e 2" qualidade, e vende um "u mais <
fardos a vontade dos compradores.
Cal de Lisboa
^ al ti na cheeada. ^
jf Potassa da Russia. g
Farinha de ixaaziHoea. ^,
Vinho Ilorde.iux. 3*
* de qualidade. Tudo do vende' mais
barato niiiihi
Vendfl-se um giaode sino perto da praca o la
via-terr>a ao Apipncos, com grande casa, tend 1 i
salas, 8 quartos, o'.a;), cozmba, cocbera, estriba-
ra, quart" para pretos, tanques, boa agua de be-
ber, mu to fresco, bem arbortsado, e grande ierre-
no para plaiiU;Oes, leudo mais independentu um-.
pequea casa cui comroedM : a tratar na ra i!a
Carteia 1. 10, 2* anclar, das 10 ln>ri- as 3 da tarde.
Vende-se urna machina de costura, urna ca-
ma de casal em meio uso : no Corredor do Bispo
n. 3a. Na mesma casa troca-se urna linda ima-
gem de Christo.____________
Farinha de milho
Cbegou ltimamente nova farinha de milho em
saceos, cujos precos sao mdico*, como os de ou-
tr'ora: a tratar com os consignatarios Amorim
Irniaos & C, na da Crnz n. 3.
Cera
Vinh
Dito 4
Eival sem segundo
\VA DUQUE DE r.ixi.i% M. if>
liga ra do Oneimado)
a e
Libr.i ia preta 1 120
Tesouras ilsas para un tu-
ra 500
Papis de agulhas francezas ba-
ilo a. ..... 60
Caixas com seis sbemeles de fruta 1^000
Libras de 13a para bordar lie todas
as cores a....... 6DO00
Carriieis de lirjha Alexandre a. 100
Fiascos com azeite para machinas s 500
Gravatas de cores muito linas a 500
Grozas de boloes madepersla fi-
oissiraos a....... 500
Novello de linha de 400 jardas a. rj
Caixas com 100 envelopes muito
superiores a...... (00
Pentes volteados pata meninas a. 40
Tioteiros com tinta prea a80rs. e IGO
Pegas de uta elstica muito lina a 200
Lata com superior banha a 100 e. 200
Frascos de oleo Pbilocomo muito
fino a.......-. 500
Frascos de macaca perola a. 240
Frascos de extracto muito b oitos a 500
Duzia de sabonetes muito finos a. 720
Sabnnetes inferes a 600 rs. e. 1(5200
Frasco com agua de colonia Piver a 500
Dito deolco baboza a..... 500
Caixas de lampariDas a. 40
Sabonetes a forma menino muito
superiores a....... 240
Larlilhas da doutrina fazenda nova a 400
Libras de linha sorlidas de todos os
nmeros a....... I 800
Capachos muito bonitos r grandes a 700
Carriteis de retroz -preto, com 2
oitavas a........ 640
Agulheiros de osso enioitados a, .' 240
Libra de linha franceza superior
qujlidade a....... 2400
Caixas de paulo do gaz a. 20
A ra do Duque de Caxias n 21.
(AKTIGA RA DO QBEIMADO)
Receben patata :
Espelho* grandes dourados, moldes bonit. s.
Carteiras, cliaruteiras e port-cigarros -de muita
qualidades.
Bonitas pastas para papis, simples e mateadas.
Boas caixas varita para costura dum sua cempe-
tent chave.
Delicadas caetas de marfim com o bocal d
prata.
Modernos pentes de tartaruga, sebresahindo en-
tre elles os mimosos telegraphlM
Cinmodos (oocadoret com duas gavetas e b-m
espi-lho.
Port bonquet, o que de melhor tem ppare-
cido.
Port relogios de mnitas qnalidades.
Bons talheres |>ara crianzas.
Vostuaros, cliapuzmliastou.-as, sapatos e mea
para'baplisados.
Toalhas e ronhas de labyrinthn.
r.liapus echapcnaspaiasenhora, mcldes novos
e boeiioe.
Cbapptinboa gorros e bonets para meninos
mcnlmis.
Contra as convulso's as
crbficas
vefiladeir cortare* na Nova Eipe-
. na <]" Biiqtte rte Cxb< n. 2'.
I'AHA tlSGlB CABE1 LO
para pretos ou eaftaiiho, recebes a Nova E-pe-
ranca a verdadena lin inal p.
PARA ACABIS C,0:i AS S?.\rtDAS
mi pa.1 nos, lom a Nova El o verdad
leite de rosa- bnmra.
AGCA DE Fl-'.'C HKI.AANIA.
Vende-M- na Nova Esperanca, 10a iki Buijae e
Caxias n. *'..
PAPEL PARA ENFETTAR-SE BOLOS
recebeu-cs nuiM lindo* a Nova Esp'eranca, ra
do Duque de Caxias n. i{.
PAISA AMACIAR V. A FORMSE AR A PELLE
lera a Nova Esperanea -s aabonetes di' pos da
arroi.
Vende-se o
ran^a
Pota*a nova ii Russia a 2C0 r?. a libro.
Cal d em velas.
;ta ira gn
engarrafado.
Precisa-se do una ama pan
C35H de tres pessoas : na roa de i
_________________
^^^^^^BgTgar una >
urbanos de Api
1 agua e gil dentro : a tratar na
Vfiil'Dfi-NEl
um bonito e elegante checheo muito manso e can-
tador : nesta typographia se dir quem vende.
ATTENCAO
Vende-se, com os poucos fundos que tem, a ta
berna denominada Pedra Marmore, sita ra Di-
r. ta n. 4 ; a mesma est collocada n'um bom lo
cal e tem umita regnezia : trati-se na ra da Ma-
dre de Dos n. 3i._____________________^^
ATTENCAO
Na ru larga do Rosario r^ ii, t andar, vende-
se urna grande estante de amarello, e as obras de
direito e de liiteralura dos segoiutes escriptores :
Donoso-t'orlez, Anrt., Monte, Gousset, P. Bueno.
Guisot, Tbiers, Lagrange, Mackeldey Waldek, C.
Autran, A. Herculano, Garren, C. Bastas, J. de
Alencar, P. da Silva, Macedo, Alvares de Aievedo,
G. Das. Casimiro de Abreu. V. Hugo, Peletan,
Magalhes, T. Ribeiro, .^. Vieira, Castilh, M. de
Marica, Varella, A. Dumas, Bessan, P. Alegre.
C. C. Branco, e muitas cutras obras em perleilo
estado e por preco modioc.
Vende-se um carallo de sella bom andador.
e serve tambem para carro por ser grande e niu.v
novo : a tratar na ra estreita do Uosaiio, ja de
relijoeiro n. 4, das 10 da manhaa s 3 horas da
arde._________
Muita attenpao
0 Campos da roa do Imperador n. 28 acaba
de reoeber em seu armatein, urna partida de se-
ment* de hortalica que passa a meucionjr a->
quulidades e precos.
A -aber :
Pe salsa, a 60 reis a oitava.
fie coentro, dem..
De re pono, dem.
[De ervilhas brancas, a 600 reis a libra,
De ditas tortas reuxas, a 800 reis a libra.
De bracolas, a 60 reis 3 oitiv3.
De pepinos, dem.
De fnjo ervilha papo de rola, a iOO
De dito amarello, dem.
De dito meia-eara, idem.
De dito cor de ganga, 1
De tomates ;ra:
De fejlo de 7 annos para graa, libra.
De dito de 7 ann om.
do Porto superior
. eCito bom dem.
Dito moscatel de diversas marcas idem.
DiU> tinto Palmella superar idem.
Jilo Vermoeira idem.
Dito Cito lavradio idem.
Dito branco Carcavellos idem.
Dito {lito Bucellos idem.
Caldiras de ferro fundido para engenhos.
No eicriptorio de Oiiveira Filies A C. ao
do Corno Santo D. 19. .
Ninguem. contesta
Que o Campos dama do Imperador,o. 28, po-
de bem servir aos amantes do bom, poli que o seu
armazem se acha bem prvido dos mulhon-a e mais
bem escoltados gneros alimenUcio*.
O Campos limita se a mencionar o seguiutu .
Pr;suntos inglezes e portugnezes
lii:icoitos, bolachinhas e bolinhos. _
Conservas inglezas e francezas
Salchichas e >aleliichoes com lubara?.
Diversas conservas alimenlicias.
Sa moa e lagostas em latas..
Li r estomachico e digestivo aya-pana.
Tiincinho Bglez para lunch.
Eivilhas francezas e portuguezas.
Cinaroe* seceos do Maranhao.
Doces finos, ralados e em caldas, de goiaba.
etc., etc. ,
Champanha los meHiores fabricau.es.
V nhos-maurd do Porto, ditos da Rgoera,
verde e palheto, pelos ltimos vapores
francez e brasihiro.
Qjwijfla de Minas, de urato e Bameogw.
kas de Alicatue-sin um torrio ri'as-ucar. v..1|l|(l._ l000.
Sahiram luz
As ras em contrac1 an(;a.
Linda quadrillu para piano p<.r Colas nlho,
Flor da !5i a vista, valsa : a vtnda no grande r-
tnazem de pfano^ e e msicas de Azt-vedo, ra
Noa n. 11, h' je roa du Bario da Vicl-na,
N. Rogaso ai Srs. asfignantes de mnJa-
rem bascaras pegas de suas assignatnraf.
L'liimas publioaroes da impitiua nacional
de msica.
S. I. Piano. Annetta, polka brilhante, por I.
Sniolu. I/BQO.
N. 2. Piano. Minerva, polka brilhante, por D/las
Fimo, l. ...
N. :j. Piano. Chico Diabo, poika billhante, por
300.
>'. \. Piano. Cma lagrima, Mazuika, por Ma-
tileeB. Zucchi. IIT.
."i. .. Piauo. Morte de Lopes, polka marcial, por
N. 6. Piano, La Grande Duchess, polka por Lu-
den Lan.Bert, U. .
N. 7. Ptapo. Carmen, Aila, La PUja, pol-
kas ri.i i-avalliiihos, i i.
N. 8. Piano. Lo Souvenir, valse de saln, po
E. Ca-nlhore, i3. '
N 9, Piano. Santinha, Manca, i valsas dos ca-
li ampos garante a suptnoridade d.s ecen -
cima de-crptos
mieni Juvltlar venho ver.
Dal nova de Lisboa.
Chesada recentemente m vapor Gladiator, lem
para Pender JoaqUm Jo? Gonyalves Belfrio, he
sen-e(crii>torio. rn do C 'mmercio n. 17.
l\gedos Para calcadas.
Vendem Joo do Reg Lima de Pillw : a ra
do Arlollo n. 't- '____________,------
Na
Cal
nova de L sboa
\ 3*000 o barril.
roa do Rrum o. 80._______________
AttexiQao
Veode se urna canoa j velha de carregar lij-
lo? : a tratar na ra D:reita n. 101.____________
Pechincha
o bnra de cor a SI, |...
:ia ru do Livrament n 10.

oja n. o.
N. 10. Pianr. Chant D'Oi.-caux, polka, per E.
Ca-albera. I &.
J. II. Piano. A flor da Boa-tK, valsa, por
Jor Coelho da S a., 15. ,
N. 12. Lagrimas d'Aorora, Mazuika, por 1. i-
N. 13. A estrada de ferro, qoadrilha, por Hen-
riqne Albertazii, U-
N. ti. i"-anto. Santa Lncia, barcarola na.
taa, por G-nnaro Arnaud, 1|.
N. |S Cauto. Mara Ana, p;'.ra M. S. M aqqan
tntt' amor, eFlotcw.
N. 16 As i'ias em contradanca, quadnlha, por
Cojas Filho, t._______________
s mopas do Recife,
-Wisa-se as Kxinas. Sras desia capital que na
ra do Vigario 11. 26. 1 andar, escritorio, ha
um variadsimo sortimento de rendase bu-
Aracaiv que so vendem p
ueile logar, mandando-se
-. _____' ____
VINHO O
V i' rto lin", jL
Vende
Ao : ua ra do Rangel o. 9.
1'OUiO.
i


6
A* PL.in.k.i.
21 de
ubro de 1870

GRANDE
BAZAR DO
60-RUA DA IMPERATR-60 ~^
, DE
PEREIBA DA SILVA id
Nestc imD: rtante estabelecimento encontrar o respeitavel pabco, am grande e variado sortioento le Eradas do mais
apurado gosto e todas de primara necessidade, que se vendan mais haratas do que tm outra quafcroer parta, Ufo qw M m_
vos socios desta firma, adoptaram o systema de s vendaren DINHETOO ; para potferem vender pelo costo. liDando a gsnbarem-o descont ; as cessoas que negociam em pequea esca'a nesta loja esrmazem podero fazer os ras -801110161103
pelos mesnios precos qoe compram oas casas inginas, (importadoras) e para maior coromedidade -as Extuas. famllas se darSo
amostras de todas as fazendas, ou Ibes levam em suas casas para escolnorem.
PECH'iNCHA EM CASEMIRAS A 45000. CORTES DE LAA ESCOCBZES 61000
No Bazar do Pavao fese urna grande Vende se bonitos cortes de 15a esceeezas.
compra em. um leilao, das mais finas vindo cada um em seu papel, pelo barato
casemiras inglezas que tera vindo a es- preco de6,J000 cada um ; te mercado, tendo cdres claras e escuras, vj0.
todas cotn padroes serios, proprios para ORGANDYS BRANCO E DE COR
calcas, palitos e cohetes; vende-se a 4*000 No Bazar do Pavao vendse os mais -
o covado, o qne em outra qualquer parte bonitos e moito fios organdys com lista* cima ter cm
nio se vende por menos de64; grande largas e miudas 45000 a vara, dita* Usas, miiidade.
Sf^ff i imiia m? ^n fa*enda de maita P^* 8C0 rs. a vara, Granne pe rbiicfa n earam inflatas J e 4&00
o a 7 A W800 ditos de cores, flnissimos padrSei. ioteira- No Bazar iwavaa te-fe aoinnde com-
no Bazar do Pavao. ez-se urna grande! mente novos 80J rs. vara: pe;hincfca.! pra em leiln, de Snrssfmasc.ciis.is mel,
compra de puros brins de imbo, muito at- GROSDENAPLES PRET03 | zas com pettos e ponbos de Bdqd ando
corpados, proprios para calcas, palitos, col- Cbegoo para o Bazar do Pavio um grao- com corTariobos e de todos os nomems a
letes roupas para meninos, porseremde de sormento dos melhores firosdecaples idOOO cada urna, ditas sera roiiariam*
; garante-seque n5o ba pretos qoe tem vindo ao mercado, que selporui fazei-da flnhsima a 4*300; grai<-
veodem de 1*600 at 55000 o covado ;' de pechmcba.
CAMISAS DE ERANELUS A 3-5500.
No Bazar do PavSo vende-se um bonito,
scrtimento ccm todos os taannos das me-
lhores camisas, de flaneila de Ua, cnn
mangas, tanto propinas para non ens' eomo
para sanaoras e venderse ifm cada
urna, e quero comprar de meia dnzia para
abaTiraento, Sao de muita
brrela que lhe tire a cor, e >ende-se a
1*200 o metro desta excellente fazenda.
MADAPOLO FINO A 6*100 A PEQA.
No Bazar do Pavao ?endem-se pecas de
majdapolSo fino de muito boa qualidade,
tendo 22 metros ou 20 pelo barato preco de 6*000, por se terem
comprado om pouco enxovalbadas ; pe-
chincha.
CHITAS ADAMASCADAS A 240 RS. O
COVADO
O Bazar do Pavo vend9 muito boas chi-
tas inglezas acamadas adamacadas, pro-
prias para cobertas e cortinas, sendo fazen
da que emqaalquer loja se veode a 320 rs.
e liquida-se a 240 rs. o covado; s o Pa-
tio.
TOALFIAS A 7*500
No Bazar do Pa\3o fez se urna grande
compra de toalbas aicochcadas, proprias
para rosto, bastante encorpadas e grandes,
que sempre se \enderam a Jl2*000. e li-
quidam-se a 7500 a dazia^ou a 640 rs.
cada una, b^a pecbiocna."
CHAPEOS PARA MENINOS A 2*000
O Pavao vende urna grande DorcSo dos
ipais bonitos caaposinbos de patba da ita-
lia proprios p;ra meninos de todas as Ida-
des, sendo chapeos que valera 5# 00 e ven-
dem-se a 2A0OO cada um, muito barato.
CHITAS E RISCADINHOS MiUDINHOS
200 RS.
O Pavao vende chitas ou ri-cadichos miu-
diDbos cor de rosa e rsinhos, propric
para vestidcs e roup3s de cranos a 200
rs. o covado. S5o moi'o baratos.
LASINHAS COM PALMAS DE SEDA
Cbe.'0u para o Pava > o mais bello sorti
m-nto das mais brilbntes latinbas claras
com bonitas palminiia3, de seda; tea o lar-
gura da chita france'a.e vende-se a I*OCO
0 covado ande pechincba.
ALPACAS MAT1SADAS A 640 RS. O COVADO.
Vendem-se as mais m derna< e boDitas
alpacas matsadas com palrnir.b'S, muito
proprias para vestidos de senhora e dj me-
ninas pelo barado preco de 640 rs. o cova-
do ; sao muito em conta.
PARA NOTADOS CORTINADOS, COLCHAS.
Cbegou para o Bazar do Pov3o um gran-
1 scrtimento d'S nais hnnitos cortinaJ-.s
'r'i'o-, proprios para camas e janellas,
qm se veodem de 10* "0 o
P'r. U'$irri romo o meiti'ir damasco c-im H
largora imitaffo de 'lmase"
:ie -arta, r*ropriM para eotefftw, o propria-
tt-eote C"lciias de .damisco, send os melho-
res e mais bonitas que tem vindo ao mer-
cado.
SEDAS DE LISTRAS.
No Bazar do Pavo vende-se orna gran-e
q-ianidade das mais elefantes sedas com
lislriobas, tendo de todas as cores e at
fura-: r ; fazenda qae ninguara vende p<3r
meno3 de 2*400, e lqalda-Si a 2*000 cada
oo aio; o moito baratas.
SElINSDE CORES E GROSDENAPLES.
No Bazar do Pavao veDde-se um sortimeo-
to completo dos melw res seiins e grosda-
es de todas as cores, que se veodem
muito em conia.
POPEUNAS DE LA A i O RS. O CO-
VADO
No Bizar do Pav5o ven ie^se um elegao.
te sortimeeio das mais bonitas poopeiioas
lila com lista* miudiobas, sendo todas
sSo todoa muito em ronta.
CAMBRAIAS TRANPARNTES
No Bazar do Pavio vende-se om grande
CAMBAS BARATAS a 2*800. J*OCO e 2*600
No Bazar do Pavao vend-se nma gran-
de por?ao de casemiras roes;cladas, auito
sortimento das melhores cambraias brai cas; encorpadas a 2*800. ditas finissimas com
transparentes, tem de 3*3 )0 at i' *000. msela de seda a 3*200, ditas modernas
peca, ditas suissas ficis-i.ras com 8 pal- de quadros, fazenda d muito gosto a
nos de largura a 2*000. 2*500 e 3*0( O 3*600 o covado ; aproveitem.
vara, ditas victorias e tai)a"as da mais infe-
rior at amis fina qoe vea ao mercado;
tudo isto se veode mnito em conta.
MANTELLETES DE FIL
N) Bazar do PavSo vende-se moderoissi-
mos manlelletas ou basqoinas de lil preto,
om lacp, pelo barato preco de 10*000 ca-
da om, barato.
PANNOS PARA SAIAS A 1*000, 1*280 E
1*600 O METRO
No Bazar do Pavao vende-se bonita 'agen-
da branca ncorpada para anal, sendo ccm
babadqse pregas de um lado; deudo a l:r
gnra da fazenda o comprimesto da sais, a
qual se pode fazer com 3 'u 3 l|2 metros,
e oende-se 1*000 e 1*^80 e 1600; assim
como tambem no mesm.> esta bel'ecf ment
so vende bonitas .aias brancas bordadas ten-
do 4 palmos cada orna, dins de 13a de
corea j premptas amas com barr,-s diffe-
rentes, da mesma fazenda 4*fKX> e outras
com barras bordadas 6*000 e 7*000,
tudo isto moderno e barato.
ALGODO ENFESTADO PARA LENQ^S.
No Bazar do PavSo veod-so o m lhor al-
godSoinho amtricano erfestaio phra leo-
Ce, temi liso e eotraocado por pre?o
muito barato.
ESPARTILHO.
No Bazar do PavSo recebeo-se um elegan-
te sortimento (ios mais modernos e nielhf-
res espmilhos, que se vendem por preco
mnito em conta.
PANNOS DE CROCH PARA CADEIRAS
O Bazar i?q Pavio rt-cebeu um praode
sortii(.f;to dos meibores pannos de croch,
proprios para cadeiras da balaaro rofs,
pi-*o( s, Umboretes e at proprios para cu-
brir atmofadas e pratos; vendendo-se por
menos do qoe em qualquer paite.
Llasiahas tranrparenies a 500 rs. o covado
O avj racebau um bonito SfrtDOoto
das mais elegantes lasinhas tra aspa rentes-
proprias para vestidos, que vende a 500 rs.
o covado; a moito barato.
PARA LENCOES
No Bazar do Pavio vaijda-se su )erior
bramante d'algodo com 10 pilaos de lar-
gura a l*80u o metro, dito de Imbo com i
mesma largura a 2*800 caja metro, pannos
ds Ijnhodo p' rtocom 3 1/2 palmos de'argura
ile70atl* a vara, assim comoiimg ande
sortimeoto de H mburgo ou creguellas ie
tods 03 n-eros, pre^s ou quslidades,
que sa vendem mais barato do que em ou-
tra qnslqner parte; aproveitom-
de
qotsj da i ma s cor, iOO rs. o covado ;
a baratisfiroo.
GRINM ^CHINCHA EVl LA.VSINHA
A 640 RS.
Ni B zar do Pavi.i fez-se nma gnnde
ra ila llasioha para vestidos, sendo de
Pililo b a qua;idad?, urnas com listas e ou-
t as cQT.me'clas, e moitos la-gas, que com
p ucos covades ^e bi vestkt a liquida-sa
iO rs. fazenda qo serap'e se venden a 1*.
ALPACAS PARA VESTIDOS FltTA
CORES A360RS.
"eje se ora b>
br
ATOALHADOS
No Bazar do PavI. vende-se seperior
atoalbad fincado, com8 palmos dulargu-
Ta a 1*1500 o metro, dito da linho adamas-
cado o inelhor que tejn tiado ao mercado a
35500 o metro ; tudo isto multo barato.
Baloes regulalores a 4000 !*o03e3*00;
Cbegaram a;. B-zir Ao Pava bam
feitos balrs reguladores, -endo de fa>l
a 45000, dibs de maseliua a 4*"00. ui-
tos da llasioha de todas as cftws a 5*000,
todos elles sao muito earatus.
TAPETES
Chegou para o Bazar do Pavao o mais
elegante sortimeDt> de tapetes grandes, pa-
ra sefs. com 4 cadeiKS, ditos mais peque-
os, para deas cadeiras, ditos para
pianos, camas, portas ; etc. veno*e-se por
menos do rrua em outra qoalger parte.
COLCHAS BRANCAS A 3*2()0,3*500 E 7*
Para o Bazar do Pavio chegou am gran-
de sortimeoto das nelhrrres colchas de f;s
t5o, s ndo quo tem viodo, a 7*00., oitas om pomo
mais abaixr> a o*50'\ e ditas a 3*000;
tambera no mesoo estabelecimento se ven-
de aai grande sortrmeit) d? cretjoes e chi-
t-s. proprias para ccltbas, que se veodem
muit em ronta.
GORGU^S O POUPELIXAS DE SEDA
A ?*0C0 CADA COVADO.
Cheg o para o Bazar do PavSo um e'e
gante sortimeoto das verdadeiras poopelinas
de liobo e seda, com os mais modernos
gestos, que se endem a 2*0U) cada ovado,
o qoe em ontra q ialqter parte nao se ven-J
de p .r menos de 2*500, previne-, e que i ao
sao algodao e seda, como ha muitos; ma-
sim puro litho e seda; sao moito baratas.
ROL'PAS PARA HOMENS
No accrtdirado Barar do PavSo encootra-
r o respeitivel publico um grande sorii-
mento de roupas para borneas tanto bran-
cas como de ceses, a saber :
Camisas cea peitos d'algodlo e do linho,
para todos os precos e qoa'idades.
Cerui.las de lindo e algodlo.
Meias curtas francesas e inglezas.
Palitos sebrecasacos de paODO preto e
casemira.
Ciiqs de brim branco e de cores
Dilas de casemiras pretas e de cores, com
colletes iguaes
De todas estas roupa3 ha para todos os
jrecos e qoalidades, e tem de mais I mais
um peri;o
A Nova i3speranca
Qoai. va :SPERANCA faz os seus
anoaeio iptMV a sew 'ftegoeis -e a
todos em geral o grande sortimeoto e so-
perioridada de setos-objectos nio com vis-
tas de atrair a altenclo de orna grande fre-
gpezia, como a de qoe actualmente despee,
[e sim para scientificar (a interese de todos)
a qualidade d seus obyectos os qoaes sao
sempre de acurado goeto e perfeicao; tor-
nando-te qoasi fcnJr?penml para aqoelles
apreciadores (do bom) fiequentarem a No-
va Esperanza, poia que ella caprioba em re-
ceber constantemente, o que ha de melhor
relatrvamente a sua reprtelo: o qoe se pe-
der verificar qiaodo em qualquer reuailo
de DSsoas (anwuites do xique ; v-se om
bonito enfeite em um bonito vestido, um
aroma agradavel escapar d'om alvo (en?0,
um moderno e linde laco, um dilicado ra-
mo de finas flores ete, ele, todos olham-se
reciprocamente e dizem com sigo (e as ve-
zes uns aos outros) estes slo objeetns'
comprados a NOVA-ESPERAN^A: realmen-
te l I procurar descrever em anauacios os
^rligos que contem dita loja, seria trabaihrv
insano e nunca o faramos com aquella
graga e perfeigao com que sao elles fabrica-
dos, aseim pois aNOVA-ESPERANCV cen-
tentase em convidar a todos geratmente,
visilarem-na para entl ficaram intei-
rados do que ba exposto na mesma loja.
91lisia Hinque de C-ulas31
f VfirDE-Sl.
M om ptimo terreno murado, pe-
q dras. soleiras. vergas, cepos, etc.,
5 para edificado de ornas qoatro
^ casas.
9 A viava do finido Henririu htrg* ten-
tK do recibido em pariilh pplo jni/.o de ur-
S l'hlM hens para o iotegral pagamento
Sr das dividas retantes de eu casal, vende
^X a<*Tcellmite iprrea> f.reiro, morado, na
S travessB dn Cneor(lia>nm> o obrado do
jS( Or. fl^llro e carrr-ir dn cnsas ti-rrea-t
A d> lado do sui, &impreh8n*'ndn m venda
55 as meiares dos dtin? oiiS-;. entre os
K qnaesetitttadn o terreno ; e liem aa-
gK sn ma perfo 4a peiins de varios ta-
S manhos e qaalidailes, proprias para odili-
cagSes : o que tudo podo ser visto e exs-
W6 minado pelos pret^dontes no logar indi-
S cada, qualquer hora, nos dias otei* .
9 a tratar na ru do Q.irtimadn. ou Buque
W de Caxias n 28. 1 andar, das 10 horas
L da inanba > 2 Ja tardo.

' Qaando a AGUIA BRRNCA, mas precisa scientificar ao respeitavel L
Dlm,
te tem recebido, jostamenteqoando ell menos o pode fazer e porqoeessa falta _
Itottaria ella confia e espera na benevolencia de todos que Ih'a atindelo e releva,^
cofitinoando portanto a dirigirem-se a bem conhecid frja da AGUIA BRANCA rnS
Qoeimado n. 8, onde sempre acbarlo abondancia em sortimentn de superioridade
qwlidades, modicidade em precos e o sea nanea desmentido AGRADO E SINCEREN
Do qu cima fica dito se eonheoe que o tempo de qoe a-|jGUIA BRANCA |
dBpoi-, empregado apezardeseus cusios no desempenho de bem servir a aqoelles q,
nonram procurando prover-se em dita loja do que necessitam, entretanto sem ennom-
rar os objectos qoe por sua natureza sio mais conbecides ali, ella resamidaaM||k]^H
cara aqueles coja importancia, elegancia e novidade os tornam recommendafeifc
bem seja :
Corpnhos de cambraia, primorosamente
anfeitados com fitas de setim e obras essas
caja novidade de molde e perfeiclo de ador-
os os tornam apreciados.
Fitas mni larga? de diversas cores e qoa-
lidades para cintos.
Leqoes oesse objecto moito se poderia
diter querendo descreve-los minuciosamente
por suas qualidades, coree e desenhos, tal
o grande e variado sortimeoto ou acaba
de chegar, mas para nio massar o pretn-
deme se lbe apresentar o qne poder de
melhor.
Entremeios em pecas de 42 tiras.
Guipnre branco e preto de drveFsas qoa-
lidades e desenhos.
Ditos de algodlo com flores e lisos.
. veos de seda para cbapelinas a moata-'UInas ubstituem as outras.
ra.
de dke.
Capellas brancas para nmfeas. ,
Craadea sortimrnto de ieres fcas.
Fil de seda, paato.
PERFUMAMA
Grande e constante sortimento
sempre melhor qua/klade.
Lindos vasos com p de arroz e pinaal,
Caixinhas com ditos aromticos.
Bonitos e modernos pentes donraa*
para circular o coque.
Bonitos brincos de plaquee.
Aderegos e brincos de madreperolr.
Caivetes finos para abrir latas.
Thesonras para frisar babadinhos.
Aspas pera bailo.
Novos stereoseopos com 48 vistas, as
qnaes sao movidas por om machinisae
Meias de seda para noivas.
Ditas abortas de fio de Escossia.
Costomes ou uniformes para meninos.
Enxovaes completos para baptisados.
Vistas para stereoseopos.
Bonitas caixinhas de vidro enfeitadoa
Ditas de madeira envernlsada c'om vimo-
i ras e com dminos,
Bollas de borracha para brinqoedo #
Touquinhas de fil, sapatinhos bordados enancas.
e meis para ditos. Diversos objectos de porcelana, propia
Lamisinhas bordadas para ditos. para enfeites de mesa e de lapinhas.
ALFAIATE
Por quem se manda fazer com prestesa
e aceio qualquer peg de obra a capricho
ou go;to do freguez, tendo n'este importan-
te estabeledmento todas as qualid*cies r;e
panno fino, as meibores e mais moder-
nas casemiras, as?im como os meibores brins,
qor brancos, qur de cor; e qoanio quil-
qaei tbra nao Mear ioteiramente ao gosto
dos fregeezes fica por conta do estabeleci-
mento.
CHALES DE MERINO
Chegou para o Bazar do Pavio am elegan-
te sotumento de cba'es de merino de cores
muito boas c;;ra pidroes muito decentes
para qualquer urna senbora usar, ditos de
crpen com listas de seda o mais fino e
moderno que tem viudo ao mercado, e ven-
de-se por proco muito em conta.
BABADINH3S
TERDADEIRO LE ROY
de fieiftBET, Dotteur-Mfdedn
Ru de Seine, 61, A PARS.
Km cada garnft, val, entre a rolha e o papel azul
que lera o neu inete, um rotulo Impresso em ama-
reuocom o Silo Ihpmui do Cotrho FaaKCEx.
ff. B. fttncl-
* r sZ.~A*J ^"lo-wumalettra
<^*%0^~^ 500 francoj -
'/--------^^^ breParfa.aeelUTel
a 60 mas de rista,
aomaxlmo,goza-se
do ibatlmento e do
ator dateoato.
p.3ARl]AD0CAIH]GAN.a
1 mm i ramos i
Com este titolo acha-se aborto e inteiramente transformado este antipo
estabelecimento de jotas, onde os fregoezes e amigos encontrarlo tudo quanlo
a moda e o bom gosto tem inventado na arte de ourivesaria, o Collar deOuro
observar delicadeza no trato e senclridade e modecidade nos precos.
Espera que o respeitavel publico venha ver o qoe existe de -melbor em
aderecos de bnlhantes, esmeraldas, robins e perolas, meios aderecos, pol-
ceiras, brincos, alQnetes e anneis de todas as qoalidades, prata de lei faqoei-
ros, colberes, paliteiros salvas e ootros mnitos objectos que seria enfadonho
mencionar.
Compra-se ouro, prata, brilhantes e pedras Boas, pormaior preco do
que em outra qualquer parte, treca-se e concerta-se todo e qualquer objecto
pertencente a esta arte.
de Lisboa.
Vende-se cal de Listan, a ultimu chupada ao
mercado, pnr pmp) nt*al : ou arrnaimn -le
Manuel Teixjra Bisio*. rea d rek n. t.t.
Fariuha de maitdiooH.
Veode-fH superior farijh.i ie nwadJtt, viada
do sertao d') i.ear, om accas He 2 J|2 e 3 al-
queires cada sacca. por oreco mdico : i ra do
Vicario n. ti. e'criptorin 1^ '-,i> Lopes4>avioi.
Panno preto mui.'o bara'o a 35600
O Bizar d* Pavo ree i grande
porclo de pecas rJeparmopTeto lino,"com-
pradas em leilao, quo s.imri se .ven-la a
53OC0 o colado e pode liqidar a 3^4
por ser orna excellente cor;i
BAREGES A 360 US.
No Bizar do Pivlo vende-.-e un bonto
maoto dos mus lind>s breges list'.-
!u;:
COva-
1 nm b) i: sortimento das mais Z' ZZ Bro 1IUU,"' Dl eKe3
alni,:.s escuras f.ma corr-s, '??hfra J'ef-1"!j' que val^m iDaito
motoaiiftr.ada8eieii4ambrdr^i^^l^t:Mfc! 30" r3, "
.no seda, liquidase pele barMo pceeode' d?3 "la,t0 ma,S &nos Mca h,U" 40
rs.o covado por ter feto agrao- V0 fSn T^ setn/re MJe,flr* a
b 640 e 800 rs., e grande pechmcba.
POUPENAS A iOO RS.
Ba'ar d i Pava i v. nde-se bm eleg nle
ment das mais lindas
GURGUROA640 RS.
No Bazar do Pavio vende-se om
bonito
um- lin-la f?zend;i
ptcbtn- muito leve, iceia trnsparenio e ib mo tar-
ta
ped
m.i:s linda poa^rlinas de Srtiraeuto dos melhores K.ruroes Je I
os Rostos miodiibos sendo quasi para vesti 'os sendo
i ma .- cor a con 'iuit< bmho,
h:1 b!S?'Jk Km^S^ corn ,urU cor8 eliqaida-.--oa
CU TAS A U RS. 0 CORTE. [o covado por se ter foit-j gran
i na compn.
"r,; rn C08ERTAS A 3^
o 10 cowdos cida cowoai reo^w V-nde-se cobert*a "do eaita
vsd.'.o pii adamascaiia a laida ou, 4 pechio
])^. CORTES INDIANOS A i ,ot 0.
No Bazar do Paa
. tes indianos .
s u tis.'imo preco de 43
o para acabar, chincha.
bafa-
No B'zir do Pavio vende-se Dm grande
sonimepto d s mais finos babadioh^s borda-
dos Upados e traasoarentes, assim como
urna gran !e porcao de entremeios largos e
etreitis. qoe para acabar se vende mnito
em coata e mais barato do que em outra
qualquer parte.
FAZBNOAS PARA LUTO
No Bazar do Pa^ao veode-se eonstinte-
aiebl-i r. raedor sortiaieiti de fazendas
pretas par htf>, como sejam :
Lstsiabas retas lisas.
Cis.as pretas rj l^a.
Cassasprcts, fraucezas e inglezis, lisas
e coa salpico*
Chitas pretas de todas as qualidades.
Alpacas gretas lisas.
D'tis vradas com branco.
Merinos, caoto-s, bombazinas, qoe sa
veodem maisbarat; d)que em outra qual-
quer p-irte.
CHITAS PRETAS A 200 RS. 0 COVADO
No Baz.r do Pavio vende-se chitas pre-
tas nlr7as cora salpicos 200 rs. osovado,
ditas todaa pretas, por estarem um pouco
rossas, a 12) o covado; pecbiocha.
> propietarios d este importante esta-
betieeionepto rogam ao respeitave' publico e
panicnlarraente s Exmas. familias, o faver
de se darem sempre ao trabdlbo do lerem
"S seos annuncios, peU razio de muitos
surera modadas amiuiiadas vezes.
CACHE-NEZ A 00000.
No I ao vendem.se bonitos e
randei cacr>nez de pura Ha, pelo bara-
to preco de 6iO00 caa om.;
Vende-se
Caiiilbos para janaHas. portas e ripas.
Vendein-.-o 37 eaixiliw para {Mellas, comple-
tos, assim como portas para o inleri ir da Tialqusr
casa, tudo em bom estado e por preco commodo,
bem corno 700 ripas de emberin : a tratar na
roa do Imperador n 55, 2" ailar, ou no CalJei-
rtiro na eaaa em concert junt-.i a estaco do ca-
rainho de ferro de Apipae *.
Pechinchas novas
NA
Loja Flor da Boi vista
DE
Paalo F. de H. nisiares.
Las para resudo, bttofes todas novas, cova-
do 200 a S00 rs.
Cambraias de cores francezas para acabar, co-
vado 200 a 320 rs.
Chitas escuras e claras core= flxas, covado 240
a 360 rs.
Lai Amelia, toreada nova, coado 600 a 000 rs.
Brim pari trancado, boa fazenda, metro 500
a aOO rs.
Pe?a -Je algodao e madarj .ao. cambraias trans-
parentes e victorias, f.-egos rntUto baratos : na
roa da Imperatriz n. 48. jnt; .i padaria franceza
pa-
Bichas hamburgnezas
Neste novo deposito racebe-se por todos os pa
quetes translaoticos bichas de qoalidado snperior
e vendem se ern caixa on porcao mais pe
e mais barato do que em outra qualqaet parte
na rita da Cadea do Hneife n. "I. I* andar.
Lourencjo P. Mendes Gnimaraes
RA DA IMPERATRIZ N. 72
Tendo resolvido o seu proprietario liquidar todas as fazendas existentes as loja
uanbaldi e Arara, convida no respeitavel publico, ama te da economa, visitarem a
loja da ra da Imperatriz n. 72, pois s de^eja apurar o rnheiro.
Arara vende madapolo entestado a 3-55001 Para liinidir vende bramante de li-
f-S' T^n*oiJS^J*000' 6:00> Dh0 a!0,l,) a U00 metr. dito de
liobo puro a ^CO, esta fazenda pro-
pria para leocoes e toalhas por ter 10 pal-
mos largura.
Vende-se cortinados para cama lr"eez
a ij54O0 o cortinado para liquidar.
Arara vende cortes de chitas para vesti-
dos a 2500,2^800 e 30200 o corte p*ra
liquidar.
Vendeo se cortes de cassa a 2^300 o
corte s na liquidarlo a da imperatriz.
Vende-se cortinados para janellas a 64
a pega para liguidar.
ECONOMA
Vfinde-se dtzias de collarinhos de
pe a 240 rs. para acabar.
Arara vende lasinhas transparentes para
vestidos a 500 rs. o covado.
Liquidaco, vende-se parapeito liso a
25200, 25500, 3$. 3^500, 4,5, e 55, pro-
prio para calsas e patitos r,or ser boa a-
zeada e barato.
Arara vende cortes de brim para cal-
sas de bomem 1,5300.
Vende-se cortes de pcalas de duas saias
'para senhoras polo farato preco de a W.
cadaom.
Granda liquidarjo de roupa frita.
Vende-se palitos de alparca e de cores
a 26.
Vende-se ditos de ganga para homem
a 25.
Vende-se dito3 de brim de algodlo brac-
eos a 25.
Ven le-se ditos de meia casemira a 25-
Vende-se colotes de brim de cores a 1-
Vende-sft ditos de meia casemira a 255q
Vende-se calcas do algodlo azul a 5t!0 rs.
Vende-se dita de.ilgoolo de listras a 8Ors
V.mdeseditas de brim pardo 25,45400
e 25600.
Vende-se caigas do casa-aira de cor
a 6585.
65800, .75000, 85000, 95000, e 105000.
Vende-se cortes do casemiras de cores
pan calcas a 45000, 55000.
Para liquidago vende-se algodao de lis-
tras proprio para caigas, camisas e saias
para escravos a 160 rs, o covado.
Na ra da Imperaiz vpnde sa chailes de
merino es'3tnoados e de- barra a 25000.
5500 e 35' 01).
Arara vendo cortes de casemira preta
para caiga a 35500, 45000. 5k 00, 65000,
75000, e 85000.
Para liqnidag3o vende-se brim pardo liso
bom a 500 rs, o metro, dito transado a
720, 900, e 15000 o metro.
Pan a cabar vende-se duzias de lengos
brancos de cassa a 2-5000, e 36O0, ditos
de linho a 55000, 65)00.
Na ra da Imperatriz vende-se cobertores
de algodao a 1540) e corbertas de chita a
15500.
Para quidago vndww cortes de casto-
res para caigas de homem a 500 rs.
A Arara vend chitas largas para vestido
a 240, 280, 320, e 360, rs. o covado.
para
O barateiro vende percalas finas
vest do a 440, rs, o covado.
Em Bqoidaglo vende-se alpacas para ves-
tidos de Sras. a 500, rs, o covado.
A Ansra. vendo lazinhas para vestidos de
Sras. a 320, 400 e 500, rs, o covado.
Guimar5>?s vende mursulina de cor
pata vestido d Sras. a 4lo rs. o covado,
dita branca a 500 rs.
O Meo es vol fusto decores par-
vestidos de seohoras a 330, o covado.
0 L'iirengo vende cassas finas para ves-
tidos 240, 3G0, 400 e 440 n. o covado.
Arara vende alpacas de jta para vesti-
dos d^ senhoras a 500 rs. o civa'do, ditas
i?as a 500 e 640 rs. ocovado, itas 'raitisa-
as a 640 rs.
Vos^uurasde pnssaba.
Venjam-fe vassouras de piafaba arqnlada dt
ferro e muito brlti fei; pefadoT
n. 8t, arin.izm.
Armaeo.
dous
fun-
Vende-se urna arma?5o c amnrelb enm
balcoes: ua roa do Br5o ua Viricria n. 2,
tr'ora ra Nova).______________
SITIO
D05
MlLES
\onde-se metads do sitio
de Olinda urna legoa. com bas ra er) i
?ao de gado e plan'.scoes,
queiros : "a tratar em Olir.da ,Uim,.
Silva, ra do Port-> Spgan : o prel
zer portera comprar o sitio into
FIGACO : BACAUHAUIfIGDOk BACALHAU
^e^^,J*<3$^
su) a i*ua da Iraperatviz n. 60,
s 6 lloras da manhi m i?
esf iistantemente aberto
aoui
Velas.
De earnaba todo
de-se no e
andar.
i6, 1
BRANCO E ESCURO
Desinfectando o Oleo de Figdo de Btealhle,
o Senhor Chetrier deo a esta preciosa prepara-
ba* tlierpeutic am cheiro e sabor agradareis
que nenbumi de sus virtudes lhe tiram.
Esla importante descoberts, qne grangeon
sen autor una Medallia de honra, vulgarison o
modo Oleo deFigado deBacalhio desinfectado.
Os mdicos o receitim preferifelmentea todos
es oatros, em todas as molestias onde se em-
preg o Oleo de Pigado de Bacalhio.
Ver por mais pormenores os relatnos medi-
Mtt que contem a aoeia qoe accompanhi caa
irasco.
mneia HK9HHSH, S,r
natta achio-se o VINHO EilXlB- d
[tea pan a
OLOS .leBISMOTH eoipMNMMrss
Depositario, em Rio de Jmmf, Dcponcbixi
Ptnuxmueo, P. Maurm et (7*.
P" tem Bati. Frlotas, Amtfno l.ntt.
FERRUGIXEO DE COETRIEK
O SejJhor ChcTrier completoa a sua Ataca-
berta sjnntaa-do a iodura de ferro ao Oleo de
Bacalhio desinfe* lado. Este Oleo de PIgado de
BacsJhin ferrugineo tem todas as propriedades
do oleo e do ferro, digere-se fcilmente e nanea
cansa prisao de ventre. Portanto preferitei
ii mais prepararles ftrrugineas (Pihuas en Xa-
rape), convem em tndss as doeneas onde se
emprega o ferro. Tisiea pulmonar, breuekttes,
rachitisiBO, escrofulu, impigeus, gota, rheu-
matismo.chronico, catarrbes amigo*, dyapea>
tas, conTalescenciu difficeis a Ruaesas de
eoBstitu*-*


^PK
biirio de Peroaiubuco Quarla ieira 21 de &eteiiibro de 1870.

)
.<
J
|
\ '
'
muito <
MR) 4o
. aJ<
roa do 1 modos e pra.
loante Jos ((,"
i* lionv
'.'ilar ni
Dap
osito de charutos
nos.
DA BAIIJ A K l)(t 10.
N 1 d* Marque;. ile Oim.l* ,.. W, es:ni;.to-
nu da Lunba ; Mmia, vQadt.su ew urusu ai &e-
guales marra*:
Regala Brttanirr.
llegalia Unportet.
Regala Londres.
Expesicao da Simas.
Ojeras.
Trabuco?.
Ctttetas.
Deposito de chocolate
Benier.
f- Na ra dn Mrquez ;! Otinda n. U>. eocriptavio
de Cunba 6t Maiu, lein sempre para vender por
"Ml**i 'l'ltl 01U 4 para Jims, a* egiiirtfes marcas;
.Santa: Qaafiti Une.
fin*cnp'Tifiirf.
surllif.
. p'ir eJceellence.
Vaoilje line.
Jos de Souza Soares & C.
BOJ A 15 BBAO DA YITGHIA
A
terina
( OITKOIU NOVA)
> m
artigas
11 ii DphoMado no q.ie poda liaver id oais helio e agraria*-*! fi las linas pjra Seitharas ortrgos de alta moda Sta Paria Unto liara si
para lioiaeos e menju
paga scuuoras cuino
Minuezas afaunadas.
nios e brirj.'iueds [jai a
perfumara* especi es vaiiedk de 1-uos objecb'spara n-
crangas.
GBANDE SOIi'Cllir.M
Continuamente recebi lo por toos os paletas viudo da Europa acude teai ha-
beis correspondentes.
Vendo-so muito amcof'a e maiida-se p r esspivgad >. do establecmenta fasetidas
.ni casa das Exms. familias aiiui de meliioi eseolu';r;u u que desejareai.
. LOJA DO PAPABA
DE FAZEKDItS E ROMPAS FEITAS
Kua da Imperatriz n. 4), esquina do be^eo dos Ferreiros.
JLIMA
GALLO
esquina
NOVIDADE
A I'-UOO
Os nwlh.iPM espsitaitures lo palha : na rna dj
Crespo n. ?8, I ija da esquina.
m m m
^ CUegoa ao antgodeiwsiw de Henry Forster *
L, ra do imperador, ath carrcganienio de gai
te primeara qu.-.)i Jade; u qnal se vende em partida
a retalbo por meaos preco do que em ontr qna-
qner parta.
enfeudo Qamneint, na repufizia do Taqoat a da
provincia da Paraliyha, o q.ul uftugea a- seguin-
12S vantage-is: excedente p.irto de embajqne.
atrat do eogeobo, prasde lorreno onde se pie
soltare eagordar iOtl eabecis -le gado, sendo e*e
tereno urna illia rica do partaef' t que dispen-
sa crea, muitj bou ierra* para caatu ompn.sias
sotuente de ttarnt-.niss>.-. inujl.) prodqetljro de
roja, feijao, imiliu e arroz, e >m grande porreo i i
Mqaeirus em ditas p mi.>s rtimrso^ periu do litoral
res quarts Jj leg.ia, e in:< leguas da eidade de
Goyanna : qaem pret nder c tnvirar eate im^cnho,
dinja-se raa do Kosario i. i, ou ao proprio
en?ei*o.
Chart.ios <\ superior quadade, de iOC em ca-
xa : ama d> CrmiM n i.", loja da esqnim.
Attencao
Vene-w a armaeio e r^rieaces da uberna n.
il do largo do Terco, muK.i propriapara qualquer
praeipiaut-' : a iraiar im .>oorado por cima da
mpsma.
,-------------.----------------------,
Olmpelinas e chapeos
para seohoraa, luja -da l'urqneza acaba da re-
ceber exeellente goriimcnm.
Basquinas
mnito iotm e d- bnrn grs e aples : na loja
da Torqueca.
Gilvos
de velndo e rte seda, varia jo sortiruento : na lo-
ja da turqnera.
Oainisiis bordadas
variado sortiinento : na jn da Turquexa ra do
Bartio da Victoria n. !), (anjia ra Nova).
Punhos e gollas
de velnao para -enlinpa : na ij da Turqneta.
TRIU
DO
O propietario deste novo estabeiecinictito c miinnfija ao respeitavel publico
ikia ciSarJe, e especialtnenta as Exmss farni iis ipw est \i<\ idaQ'io por presos bara-
lisbiuios as amigas fazendas que existiam le-'tej Mtabebfcroento, alm das que abaixo
\Ho relacionadas, enjos presos Bceem trnla a aun^So do rospeitavel publico qu nao
'cixar do com pequea qoantia refazerse doiqualquer qualidadede fazendas que pre-
cse. Prevlnc-se tambem que a raesma loja lena Viro iortiraento d fazendas moder-
nas, e couiinua a sortir-.se da? do mais apnradi' e escolliido gosto, que vender mais
barato qg.. qnalqucr outra loja.
Rna dG&ueix&do 7
E' cbfpado a este novo estabafecimun! > o mais beo sortimenfo de fazendas
nj>, sendo sna espocialidade onxftvaes para noivado.
Vesti'os de blond deluda riuament1 b'dados.
Gorpui5o de soda brinco para vestido.
C.oMias de seda pura, par;; cama enm ricos desenims.
!>itns do l5a e seda, id'm idem.
Ditas de croxc, idem idem.
fjQtl'mnot ri.am'ntc borrlados para cainae janellas. ,
Cro\spra cadeinas e sofs.
Vestidos de eambraia branca bonlados.
Popelines de lindns-pnsiw.
Las de diversas qnalidades, lindos eolios e m<*tmt.
Bien b amas para passeio. com listras de sclim.
;liidas de baile o que ha demais rico.
Oetones para vestidos com lind >s desenhos.
Carnizas bordadas e sera bordados para ser.ioras.
(/-misas bordadas nitrito finas para hnreos.
D tas ingieras para homense meninos.
Soroulas de linho, tira grande sorliuirnto de ronpasfeitis e de arendas que
enfadonha mencionar.
Luvas frescas de Jonviu
Soitimenio de peles para gnarnicoes de salas, alcatifas para forro de sala, e o
rando sortiaiento das acreditadas e verdadeiras
Esteiras da India
CASA CAUVIN
L MiRIRKR,
H oul e v arel
NOVAS ESPECIALIDAD!
--------
PUarmaceutio privilegiado
:-s.'-l>:i-.lciPol. r>.T PARS.
A. KARIN1EH
Atnmir.nhi i ACteatl (le SferiJ tn l;-,*itn tt Fraila,
18! lEPPfcSi s:'a ^'P1 *l l*it',a- iewiW' rt iKtfuUFdU hatt l'rcveilivi curatira s MOIESTMS COaTACIOSiS.
a 28G0 a
a3J
lo
Algoasshiiio com 16 jardas
peca.
Madapolo eucitado. cota i ~2 jai das
e3#00ape,.;:.
I>iio de ^4 jardas a r>000 para cima.
AloaUados de liaho, e de ai'goiio irn-
(.'idos, e adamascadas por prei.-is corumo-
us.
Chitas escoras e claras de 2'i
vado para cima.
Camnalas de cures miudiohas a 2i0 rs.
ocovado.
Dtias uiais finas a 360 rs. o metro.
Uilas de inusuiiiiia a $ a ii^Oii \.\)
Guardanapos de linbo a 3;J5J a du-
zia.
Bramante de nho a 25300 e 3;>000 Com
O palmo-.
Dito de Ii:ogj a l800 o metro.
M :ias pau senboras de 4500D a duzia
para cima.
Ditas para liomens de 3,>K) a duzia
para cuta.
Ditas para meninos e meninas de todos
os tamaitos.
k
:os estampado* de 4500 para cima.
C'uiisinhas de eambraia branca transpa-
rente, bordadas com enfeites braacos e de
C -es a UQ0.
Kriloair.inas brancas^de 500 rs. ocovado,
pilas de ctr.is a 500 rs. o covado.
Lencos de eambraia de linho, a de'es-
guio al o mai uno.
Ecnros clii uzes a ;{f>500 a duzia.
Utot bricen de aigOfeliQ a j!5U0,mui
linos.
il Inanco e prelo, liso e de salpico
yutes de eambraia, brancacom salpico de
IHEM-FIULIIO
ESTOJOS cu*
o vniunic '" mil M'ln-io. sertinilo de
l'-lllliTRl) f Sl.lilMiA ti
eraws UcoavfnUaies te ragUisd.,
a rorm, e p valtini.- Af um Pnr-e-Xoitlt
CQTB/SUtO UU'J -JXTAME.VTU.
COLLYRIO (i)nlra as affecrois das palpebras,
preparado ob a oiesnia (arma.
BARTHOLOMEO i C
Depositarios geral para e BRASIL e POITI Vil,
34, ra larga do Rosario. PERN^JSiCBTJOO.
CANDIDO ALBERTO SODR^DA MOTTA & C.
com ejcriplorin e armitem de seeros de estiva
iraves>a da Muir.) de Den* n. 14, tei.i paia vender
9 seguiute em conserva opiinainente preparado
id Par :
F.rviuias (Petils pois).
Feuao vbboi (Hancols vertt).
Orro ii grao (dem ftaffeolleis).
Eabco8 (.Upa-grs).
Misckllaxka DE LEGUMES Oiacedvine leyume).
Sbnolras (Carottes).
r Tomates (Tomates).
Cocvedb DanxBLLAs (Gkoutde Brvxettes).
Alcachokra (FotuLi a>1ichantit).
Espi.\afih> (Epumrdt)
CoG'JMELto* (Champigitoas).
(Cpt*).
Pastbis coa TntnrrA* (Patfs truffi).
s';m TRiitTA ( mu trttfts)-',
Atumco.m azf.ite (Ton n Puuie).
TCBFASjStMi'i.ES (Tiuffet ou natural).
SARDIN.1A F..M TOMATES (Sil/dille etC.)
Gawntika os tri.kkas (GtUanUm uitc tntffte).
Franco (Poultl).
Poubo com EnviLH.vs (PigcoH acK pois).
Galunholas (caitoues).
Perdiz com azeitonas (Perdix nrec olives).
assada ( rotlf).
AtraoftiNM (AUouette).
lDOBMZ (Gaillc).
Lamprea (Lamproie).
Picado (AndoutUeltes t.)
Salxicha (Saucissono t.)
Carne ooizade (Prineanitau 0.)
Reeebeu-se mais
Um completo e variado sortimento de papis
pintados e doirados de diferentes qualiades e es-
quisiws desenos, proprio? para forro e guarnicao
de salai, gabinetes, escrptorin, etc. Na remessa
dease artefacto tem luvido o uiaior gotlo e capri-
cho da parte do nosso correspondente de Pars.
Com ama mdica commissao ?obre o eusto da
ftbrica vendemos este papel, pois desojamos ter
efleclivamente um deposito deesa especialidade.
No armaiera de Candido Alberto Sodr da Motta A
C, travessa da \fadre de Deus n. li.
Fumo e papel
' Completo sortimentii de fumo, tanto para cigar-
ros como para enaruios, vindo do Rio de Janeiro,
Babia Rio Grande do Sai. Papel de seda, linbo
e algodo, de ditliareaten qualidades, proprio*.para
o fabrico de cigarros. Vende-se constantemente
no arraazem de Candido Alberto Sodr la Motta
* C : travesea da Madre de Dens n. I i.
Especialidades.
Cominoam a adiarse a venda na ra Direiu
botica b. 88, os rani conhecidos e acreditados re-
medios da veame, e ontros diversos medicamen-
tos f.'itos em Par, bem como o xaropes de eo-
deioa de Bertto, de rbano iodado, de iodurete de
ferro de Blancard e punas do mesmo, peitoral
le cereja, p* de Roe, depurativo de Chable,
digital de f*a-ueHoy, pilotes ou confeitos de bis-
taoifao deChevrier", e oatros medicamentos cute
proliciensia quando emprefi;ad3 as doencas das
vas respiri' ;;; .. as dores rheumaticas, na
MMaUiOp, na falta completa m irregulardade
de meastrao. oas arrhas, doon;?.< do corsean
e do ettor iiiceatesiave!, em
^JW* aos xperimeDtaces
o use r, a fejto) a9.
^Ba^^^^^^Domiiuida- bravinas. in-
^^K(imen-
Irogas,
ieo de li-
^M
'i portas n.SS, ra Direita. Z p rtas
hja do Braejn
lu:
Sgg O abaixo assigDado, dono deste anigo estabelecimeoto, leudo rm vista apresemar
S completo sortiinento de ferragens, miudezas o cotlU'ria, lera rqaovido mandar hus.'ar eia
S drvenos pmtw da Europa ns mrlhores objeeto^ de seo estabbeimeato dos fabricamos
%~-.mais conhecidos; pelo que convida ao respei [ave! panlkw < ^ seus nui.ierosos !'regnez-s,
jg virem se .servir dos tjente) do sna carencia, -;n eanoMCarad pur n>en8 JOOO Ai que'
@t ca outra qnalquer parte, um sortiinento conqJct. de iacJuM para desearooac aleada,
E do bem couhecido faiiricanto Cottorr Gin.4 C, ditas pa>a cuajara, motores para aairnaes,
ff% ditos para fogo, moinhos p .ra caf de todos os tsnrannos, da Mrica do .(api, espingarias de
'i Aous canos e de um, tanto inglezas como (ranelas, tonca da porcelana, lacas e garios
9 de diversas qualidades e precos, bandejas chineza, salitre, ren, barbante. enxofr<; papel e
iimalia de ferro, ac, e agullia para {acnsteiro ; assun imo encoutrarao cauaamc-
mente grande porco" de fogo do ar, e recebe-sc -., mienJa de fog^s de visu,iiie; de um 2
cem numero de objectos, que se. tornara enfadonho nnmera-lps : venham ra iJireita n. i
6o, loja de Lenidas Tilo Loureiro, antiga loja do Braga.
ftH\ BA CBEZ.S. -1. V
rame de ferro galvanisado em rede para cercas, w5-i:'3s ^-ubtiros te,
Ctiapas de ferro galvanisado para cobrir casas.
Tachos de ferro esiauhado para engeiihos.
Cafres i-umbo em cano.
Dito em leocpl.
Dito em barras.
Dito em enxadas.
Estanto em barra e verguicia.!
Polba de Flandrus.
Arados americanos para ladeira e ar-?."
Carrlnhos de mSo.
Venerianas para janellas. '
Machinas de descarucar algodio de facao.
Ditas de serra.
Ditas para cortar fumo.
Ditas a vapor de forca de 3'eavallos e motores para -cvalios, para awr
ir.shraas de algodo.
Cadeiras de ferro.
Camas de ferro.
Pravas para copiar cartas.
Balancas para pesar.
Oleo fe linhaga em tatas de ferro.
Trilhiwde ferro para eogenbof>lj
Bombas americanas.
Macacas de eslivar.
Bal ansas e pesos decn,aese oatras.
Pogoes de patente.
Enxofre.
Satre. /
Estopa larga e de boa qualidade.
Picaretas para caminbos de ferro.
Um rande sorthnento de ferracrns e eatflarta.
CASA CAVIN tJK5R
PbrnMicutloo pri vil t&ndo
successor .
Boulevwd Sebastopol, 55. F.-VIUS.
NOVAS ESPECIALIDADES A. MARIN1ER
Aprtsentadas a Academia de Sciencia e ao histitulo deraiKa.
III IC P P A Sob a ,om* ie Pi"H dedid doieada para fasar de
IHdCbuAU momento urna solucelo P1ETUT1VA S COBATI?* d
MOLESTIAS CONTAGIOSAS
MM-PMTItO
Gravea
do volurae de um relegio, aendado
de Philtlo c Seringa sera o
inconvenientes de iragijaulc.
Com a forma, e do nlaw de im PorUrMoet^
lUllO TKATAMPIO
jndk
COLLYRIO
aTBOLCBEGU
WA-U
ESTOJOS
palpeba, preparado soh a mesaa L
arios geral para o- BBaf.IL e PkYPtMiAL
li, ra larga do Rosaiio. PEEXAMBGO. '
C.lclwis da fuslao b.'jnco de 2)-U0 para
cim.
Ditas de c6r da 30d^ para rima.
Toalbas de rosto de 300 rs. para cima.
Cobertores ie la tinos, a 8tJ e iO^OOO.
Ditos encarnados a 4c)S00.
Ditos de algodio a I:>o00.
(Irabraa tapada milito larga com pre-
das e bordado, propina para sa'as de senho-
rss preen barato.
Llaiitbas Ireqces tnancadas. com listras
larvas proprias para saias de Baito, fazenda
imtirameiite nova a i90 rs. ocovado,
Cambraias brancas transparentes e tapa-
das de todas- as qualidades e precos.
LSazinhas tapadas, e transparentes de
umitas dmrsidades de cores do 310 rs.
o covado paiacima.
Alpacas lisas e de furta cris a 500 rs.
o covado.
Cortes de percala de 2 saias a 4:5000.
Ditos de organdy de dito dito a 8(3000.
Cortes de 13a da Escoca a rj<5000.
Ditas em peca a S00 rs. o covado.
Chales de merino lisos a 23500.
pa
>itos de liso a 3*100
Fiilatanas brancas, ede Cee*.
'eitos de nho bordados e lisos de es-
guao.
Camisas bordadas finissimas, proprias
i noiv.is c m a Kimpttente gravati.
Bbos de linbo para b.omera a 1(5 o
>ar.
/.lariiibos de linbo lisos e bordados.
ramas pretase de cores, tanto em c-
cumo einseda, ha de tolos os gostos e
un
ftl ios.
ROllIPA 1 !IT V E POR MEDIDA NA LOJA
DO PAPAGAIO.
Por'imento e ropas folias de todas as
q:ia.idadi'S. do i, e quein comprar porgao para negociar
ter um .".batimento razoavel, grande sorti-
mnto de caseudras de cores om quadtos
e I su as, casemras pretas, e pannos pretos,
azi ese cor de caf, brins brancos, pretos
d( cores e pardos, e manda-se lazer
quiltruer obra a vontale dos freguezes,
qujr para homens ou mininos, e por me-
nos preco qoe qualquer outra oflici ;a, e
paia issoa LOJA DO PAPAGAlO acha-semn-
nida da tira bom mestre alfaiate para bem
desempenhar qoalquer obra da sua arte,
reflaUind a rcsponsab:idade sobre o pro-
prietario da loja.
j)am-se as amo&B'as de todas as faien I
quemas exibir, ou mandam-se levar
loslcaixeiros.
JL loja do Papagaio acha-se aberta d
horas da manhSa s !) horas da noule."
Francisco Teixeira Mandes.
[{IILANTE
luisa do ti'rcspo ft. 7
Os propnoiar. ,,alf"
redado do i '"^
darn' .'a1 receber pelo ultimo vapor
da Europa um oimpleto e vanado sor;
finas e nmi delicadas eupeciallctode, as qria<'
uto rosolvidos a vender, cunio de sen inaunie,
por precos muilo baratinnae e commodos para k -
dos. con tanto que o (jallo....
Maito superiores ta*as de pellica, pretas, brin-
cas e do mui lflidas r
Mni boas e.bonitas f.oinhas e pannos para se-
nhora, neste-enern o uo ha de mai moderno.
Superiores r.onlos de tartaruga para coques.
Lindu> o riquls i"eitcs para cabeeaa das
Exmas. senhor:
Superiores traueas pretas e de cures rom vi
llios o sem elies a esta fazanda o que pode bavtr
de melhor e mais bonito.
Sujieriores e bonito-' loques de madreperla,
marlim, sndalo e osso, uees brincos
com liados desenhos, e esie< pretos.
Muito superiores ntoas Uo de Kscossia para se-
nhoraa, as quae> ftMlDre re rewdaram por 30(M)
a dnzia, entretanto que nos as vendemos por 20*.
atm des'as, tamos tambem grande sortiiueu:
outrns qnalidades, errtre a< qivjes algnmas mni'.o
finas.
Boas bengalas de superior canna da India c
caso dn m -.:>'.adoras fl
ras do mesmo, neste fteneru n uno de biellior .-
pode desojar ; aKtn ocata* (rauts tambem gram'.'
uuAntidade de eolraf cono sejam,ma-
deira, baleia, eei efe etc.
Finos, b.'iiilos e airosos i ha'otinhos de cadeis e
de ootras qualidades.
Lindas e snpenor>'S Hgas de seda e borracha
para segurar a* meias.
Boas meias de sca para naBoM e para meni-
nas de 1 a 12 anno. de itlade.
XavaJhas uno de marfim e tartaruga para fazer
barba ; sao muito bow,e de mais a mais sao pa-
raudas pelo fabricante, e nos por nossa vez un-
bem asseguracivs sua qualidade e deJicadeza.
Lim!?se bellas caii'llas para rmiva.
Superiores aguluas para machJn e para crox.
Linha muito boa de j>-so, frouxa, para er.,
labyrintho.
Boas baratar? de artas par3 voltarele, aesin
como os tontos pira o mesmo lim.
Grande e variado sortiinento das mehorc per-
fumarias e dos r.-.elhores e mais conhecidos per-
fumistas.
COLARES OE ROEN.
Elctricos magntico^ contra as convulsoes. e
bdliUun a denbcao das innocente* enanca*, io-
nios desde meito recebedores destes prodigiosos
collares, e fcrn:!inn;me a recebo-Ios por toilesos
vapores, atoo jae nunca Mtem no mercado,
eniT-. i ida), assim pois podero ao^iel-
.-. vir ao dejiosito do galic
vigila : r.cimtrarao destes vcrY
dei.- '-n| .j atiendendo-se ao fin
f-.:r; <;; -.-renderao com um mni
diminu'' lor.o.
Uoaj:( is, .. -i ;c;os que debtaatvs
declara.'lr-.....# ,ir e amigos a virein
comprar |. : 'Ms loja do galio
vigilaiiio, i ii i J
Eival sem segundo
RA DO DUQUE DE CAX1AS N. 49
fcstou disposto a continuar a vender todas
as miudezas pelos baratissimos precos abai-
xo declarados, garantindo ludo bom e pre-
cos! admirados.
120
20Ra da Imperatriz20
Fari A- ILe.vsa.
Acaba de clocar a asta nossa nova luja ae (a-
zendU finas uui vanada) sortimento de fazendas de ,.
a e soda, como sejara : gransdines do Blimo Llaias de pa'itos seguranca a
gosto, ppelinas de ama s cor, alpacas e laazi-
obat de cures, o que ha de' msis moflerno, ludo
a<>r baratissimos precos, brimantinns de cores, te-
cidos das indias, faienda nova a imitarao de per-
iialia, bales de dina fiogiade sala Je cor com lin-
das barras, fustSes proprios para vestido e roupa*
de menines ; acora grandas e anWasais pechin-
ii.ia. saias brancas com liados frisados a i. ri-
cos corpinh.ts bordados muito finos a >f, balde?
modernos de reos a 2S, ricas colchas p;ira cama
ileochoadas, sendo brancas e de cores, a S, 6A e
7, eambraia vieioria lina a 54, ditas iransparen-
t?i-a 5. 6 e 7J.-Lita> linissimas escuras e clara
a 280, 300, 390 e 360 o covado, cassas de cores a
-i>. lencos hrantos de casia > 2J5O0. ditos ciii
a .'!5o00 a duzia, madapdan fino a t e
'.oOO, e milita s upen ir a "3, 74&U0 e 8x, a-!go-
.'lio larga proprio para lencoes s i:. panno
.le al.'lian btanco traiic-id proprio para toalhas
le me.-;', a 6()0a vara, nramanie para lunees a
?000 e ISOO. o qne ha de melhor, esgutto fi-
no a 28200 e2*5 casas das Exmas. familias pan melhor poderem
escoltier. Janibem temas cmnpieio soiiiraento de
perfurairiaj dcspriin. iiv fabricantes francezes t
mgiezes; as pessoa's que se dignarem vir a esta
teja k'rao ocano de rwoohecr a realidade de
jne asnu:miamos p.irt nos jostiticar.
Cigarros da imperial
fabrica de S Joo
de Nictheroy.
Cuco deposo em Pernarabuco caes da alfan-
lga veiha n.2. < anda. _____________
Fariiba de mandioca
Vene-se farinha de mandioca, nova, de Santa
athanna, chegada na patcho partuguez Ollissa,
tundeado defronte do u/apiebe do Sr. Baca do Li-
vramento : a tratar no escriptorio de JoaqniRi
Jos Goocalves Beltrao, ra do Coramercion. 17,
on a bordo do referido navio,
"Vende-se farinha mnito boa ehepada homem,
em saceos grandes e panno da fabrica da Babia,
nos armautns da Ci-nipauhia Peroambueana : a
tratar no mesmo e na ra da Cadeia, ca?a n. 1,
com Jos Goncaives Torres.
Parlaba de nanulaaeu alo Mara-
nhio e da Babia
Vende-se no eseripiorio de Joaquim Gerardo de
Basto ra do Vigario Tenorio n. 16, i* andar,
excellente farinha de mandioca vinda do Ma-
ubao e fia Bibia, em saceos grandes, mnito fina,
aira e torrada : os pretendeates podem examna-
la nos trapiches da Compaahia Pernambucana
Dantas e Fonles
Doifia de palitos seguranca caisa
rande a...................
Francos com oleobaboza muito tino.
Padote-- cjm p.!s de arroz o me-
or que ha a...............
vivjalhas muito finas para fczer
rjarna a....................
Caixa de linha bran do gaz a..
Vara de franjas de lidho para loa-
ihas.......................
Caixas com peonas d'aco de Ferry
superiores ..............
Lencos d1. cassa brancos e pinta-
rJ osa.............. .. .,.
Cai:;as com 20 quadernos de papel
pautado .......
Caas com 50 novellos de linha
Co gaza........
Ouiias de meias cruas superioi
qualidade a.......
Pe?is de babadinhos com 10 va-
ras a.........
Pecas de liras bordadascom ii
dtetros cada p.-ca a 15500 e.
Pecas de fitas para eos de qaal-
ipier largura com 10 varas a.
Escotas para unbasfazenda Una a
Ditas para denles a 240, 320,
400 rs. e....., .
Pecas de tranca lisas, brancas e
da cores a.......
Duzia de linha frxa para borda-
dos a 400 rs. e.....
Pares de meias croas para m
nos diversos tamanhos a. .
Duzias de meias- brancas muito
finas para senbora a. .
Pares de sapa tos de tranca do
Porto........
Pares de sapatos de tapete a. .
Duzias de baralbos para vultarete
Sytybarios portuguezes a. .
Car
oes com colxetes 2 carreras a
Vende-se
A caixa final de banca do Brasil em liquidacao,
vende por commodo prego a casa terrea sita ra
Imperial n, 64 : a tratar na niasuia caira filial
rna do Coromertio n. 31.
urna casa tarrea, na ra de S. Jorga (Pilar)
en Fra de Portas a. 60, com duas salas,,
daua qoartos, ti suba lora, soto com dous
uartos. e quintal; tratar na mesma ra
23 l8andan.
i
Vatidi-si oma, dula de-amarello em bom
wasia- naeantoa Gain>c n. id___________
Vendem-se partes de um sobrado da roa d
Hortas : a pessoa qne pretender comprar dirija-s
roa Imperial n. 12.
Abe toadur:as para collete diversas
qualidades.......
Caixas com penna de ac muito
boa de 30 a......
Caixas com superiores obreias a.
Duzia de agoiba para machina a.
Libras de pregos francezes todos
os tamanhos a......
Pacpte de papel com 20 quader-
nos ...........
Refjaa de papel pautado super or.
Rstala de papel liso mnito supe-
rior a...........
320
320
320
1 ,-$000
OO
30
soo
100
700
400
30300
500
2,5000
500
500
500
40
500
320
441300
2*000
1,5800
3*000^
400
20
400
50C
40
20000
240
4O0
4*000
para principiante.
Vende-se a fabrica de sabao da roa Imperial
travassa do Freitas, muito bem montada tinto para
fabricar pequea como grande quantidade de sa-
bibw A cas* alen de ser de nra mdico aluguel,
'lem grandes accommodacoes na s para deposito
das mataras primas e sabio manufacturado, como
offeiece espaco independente para morada, iodos
os edcIarecimento3, finalmente, se daro pessoa
qoeseriamente qnixer tratar esse negocio, e se
explicara a causa porque o actual dono nao pode
continuar com este, na roa Direita, armazem de
moltudos do viado braaco.
3 core- ; denu
Koa do Movo evariado siiimientd h^fttktsaXm
finas,, e otaros etijactos.
A'.em do completo soi-mento de
tnarias. de qne emei!vanwnlc
loja do Coriifiiro Providente. ; <
receber tan c;u:i' *.'tmfnai <:;;=
3o;a;.!;! pote vi
!ade. cualidad ?-.
jos; sate, pois, e Cordero ftt<
eesper3 eonftmB a merecer a ;"
do respeitavel pn ra fl '.
boa fiex.iC'/.!.
lando elle de sua bfcru rwtlrficilJ rt i;
barate:!.":. I
ipreciadores d b
Agua divina de E. Cpadray,
Dita verdadeira de Murray baos
Dita de Cologne inglesa, mericaci, frs;.
ceza, todas dos meibores e maisacredit?dc
fabricantes.
Dita de flor de iarangeiraa.
Dita dos Alpes, e vilele para to.
Elixir odonls'p'co para coDservacSo d
tsseio da bocea.
Cosmetiqnes de superior qualidade e di
ros agradaveis.
Copos e atas, minores e menores, e
pomada fina para cmIo.
Frasco? com fflta jbpowtta, tramparsat
e oatras (fualidadea.
Finos extractos ingleses, smerfcaaor '
francezes em frnscos simples o enfeitr*
Essencia imparia i do fino eagradave! ch*
ro de violeta.
Outras tonceutrads e de cheiroa igni
mente 6nas e agradaveis.
Oleo philocomc verdadeiro.
Extracto d'oiec de nuperior qnalidadi
som escolhidos cheiros, ea frascos de d;ff*
rentes tamanhos.
Sabonetes em barras, maiores e toenort.
para mos.
Ditos transparentes, redondos e em ag
ras de meninos.
Ditos moito finos em caixinha para bsi
Caixinbas com bonitos sabonetes imitarte;
fractas.
Ditas de madeira invernisada ctrateodo I
cas perfumaras, muito proprias para pr*
lentes.
Ditas de papelo igualmente bonitas, tan
bem de perfumaras finas.
Bonitos vasos de metal coloridos, e
moldes novos e elegantes, com p de ro
9 boneca.
Opiata inglezae francezapara dente.
Pos de campaora e onuas difieres;
qualidades tambem para denles.
Tnico oriental de Kemp.
Abs mata coqrates.
Um ontro sortimento de coques de iu
Vos e bonitos moldes com filis de viriiiu
e algnns d'elles ornados de flores e fit
eslo todos expostos a apreciaco de quv:
os pretenda comprar-
GOLLINHAS E PNHOS BOBDADQ&
Obras de mnito gosto e perfeiclo.
Fiveliaa e filas para ciatos.
Bello e variado sortimento de taes obj.
tos, cando a boa escolha ao gosto do cas
prador. ______ _______^^^
Cabellos
Venem-se cabellos de todas as corea, aaalqoer
comprimeoto, qnahdade superior, em caixa ot
porco mais pequea : na rna da Cadeia do Re-
cite n. 51, i andar.
3600 --------.:-----------------------------------------------------
r-ttl NOVA 1IMU
Vende Joaquim Jos Ramos : na rna da Gru
n. 8, 1 andar.
A 2,000.
Lindos c rtes de percales a 5*000 rs. :irua
do Crespo n. 25, loja da esquina.
CEMENTO
0 verdadeiro portland. S se vende na ru
Madre de Dos n. H, armazem de Joo Uartina Bnra
r


Mario de Pernambuco Quarta /eir 21 de Setembro de 1870
VABIEDADE
nerra.
Guerr guerra !
E. de Gwmmww.
I
Mori<" morte !
V. 11
I
Chama-se gotrh ao as;assinato U-gl.
A maior parle d >s que se matam na gue
morrena coaa gloria ; ina: uo sabein |Mr
que!
Sio escolllos pira a guerra rapases l
18 23 annos, isio aque-lles que csi-o
na flor da vida.
, po, com Aires da vida que le i'j-
bricam os dardos da morte !
Se diz serapre que a guerra mu lgi-
ca, honrosa e necessaria. Sua missi u e
matar i Matemos, pois, aos presentes, pre-
tritos e futuros.
A cierra .mu lgica e talentosa. Ella
diz asmis: d-rae teus filhos. enio trollas
cuidado ; cora minhas invences serio in-
venciveis. Tenh um canhio que antes que
os nimbos possara divisa-lo os ter feito
saltar em pedaco; pelo ar. Tenho unas
nrotralhadra? que fie um s tiro destrem,
como por engato, iodo um regiment de
cavilarla. Tenho uns torpedos que f./'m
us navios voar de improviso. Tenlio urna*
balas explosiveis que envenenam mesmo ;'i
grande distancia o ar que o inimigo respi-
ra. Tenho fuzs que ferem cincuenta ho-
mens por minuto, c balas que matain ou
tros tantos de um tiro. D-ine, pois. teus
6*09, fl n3o tenhas cuiJado ; minhas ope-
rares ^o agora mu rpidas: o diretto
das gentes me impz neste seGulo a obriza-
clo de economisar bomens, e a scieocia
moderna me tem subministrado elemenios
de victoria, que a barbaria antiga desco-
nhecia.
As m5is ouvrfm este discurso boqui-aber-
tas, rompem em pranto, abracam seus filhos
e desfallecen!.
Pobres estupidas !...
A guerra urna qoestio de honra, e
militas vezes necessaria para equilibrio das
naces.
jNSo importe que a honra de hoje se con-
verta em vnganca amanhia : nem que o
equilibrio de hontera, esteja hoje mais forte
desequilibrando continuamente.
De qualquer maneira. a honra e equili-
brio exigem urna guerra cada anno, at que
urna e outra fiquem assentadas sobre bases
solidas, definidas e reguladas com jos-
tica.
Tudo na guerra pissageiro. Os cam-
p s, cuja colbeita destruida, podero se.
mear-se amanhia, com proveilo do estru ue
de sangue derramado. As propriedades
incendiadas, serio amanha reedificada*.
cora me hor arte econdicoesbygienicas. -
trilbos de ferro que se arraneam, os tele-
grapha que se inutilisarn, os portos que se
obstruera, as poutes que se abatem, as pa-
redes que desabam, tu lo pode ser desas-
troso no momento; porm todo se conce.-la
finalmente se a felicidade e dinheiro nao
' faltara. At a ferocidade que se desperta em
urna juventude antes morigerada : at a
violagio da vida, honra e propriedade : at
u veneno semeado as comarcas e familias :
ludo se remedia pela morte de uns, esque-
cimento de outros, e fadiga de todos.
Nao chores, pois, mulheres ignorantes,
temendo que o filbo honrado se faca ban-
dolero, e o trabalhador preguicso ; nem
que volte sem pernas ou" sem bracos: es-
perai antes ver um here coberto de luuros,
pelo muito que matoti.
A guerra assim talentosa : sua missiio
matar!
Um homem de 20 a 30 annos, vale mais
que tres velos e tres meninos: vale por
seis: e vale por doze, se matando este h' -
mera, a guerra o impede de casar e gerar
seis filhos.
.Morte, pois, aos ioimigos.
O
Nao choris mulheres estupidas. Qum
senio vossos filhos ba de sustentar as guer-
ras de honra e o equilibrio das naces ?
Honra I Equilibrio! Sio duas palavras
mgicas, que despertara a coragem no co-
racio do homem mais fleugmatico e sizudo.
Como digno e nobre morrer por ellas ? !
Honra e honra insigne foi para Francezes,
Inglezes, Italianos e Turcos, a morlandade
de Russos em 1855, que evitou a des-ma-
bometisacSo do Oriente, e com ella o perigo
de qua a Europa fosse dos europeus!
Ainda hoje esta questo n5o est resol-
vida ; e se custou a vida mais de nm m-
lbio de crealuras, e o suor de um seculo
quatro imperios, em compensaco a Turqua
FOLHETIM
A VIVA DBPOTS DE MORT i
POR
Xavier de Montpin.
I
PAKTK SEOUNDA.
O HORSCOPO
(Continuacio do n. 211;.
XXIX
Peripecia.
Voltemos ao quarto da condessa.
Os movimentos convulsivos que a se-
nhora de Rabn sentir no seu lethargo,
eram os symptomas irrecusaveis do parto
prximo.
D'alli pouco, effectivamente, a con-
dessa, insensivel e inanimada, deu luz,
sem o saber, um menino bem consti-
tuido.
Simoa envolved a tenra creaturinba n'uns
pannos que tinha preparados.
A marqneza de Cbavigny, de certo en-
vergonhada do papel abominavel que re-
presentava para com a sua mais immedita
prenla e melhor amiga, estava de p,
imraovel, ilharga da janella, depois de
ter sabido do toucador, mal ouvio a voz
de Saint-Maixent fallando com Annibal.
Olympia finga nio ver o que se estava
fazendo, mas nao tirava realmente a vista
de Simoa.
Esta ultima poz o menino nos bracos de
Marineta, dizendo-lbe baixinho ao ouvido .:
Leve-o nessoa que est esperando
no quarto contiguo.
A senhora de Cbavigny, obedecendo
um impulso indefinivel e que nem sequer
tentaremos explicar, voltou-se para as
duas mulheres, balbuciando:
i daquella seq^^^^^^H
um passo nos campos do Ceut
tolerando aos Inglezes a pacifica posse de
Gihraltar.
11 una pi, e mais Urde bonra insigne, a
>dic>i de Inglezes e Francezes sobre
Pel n. com sua hecatombe de creaturas e
indio civilisador do palacio de verio,
cujas facanhas se de ve a directa influencia
ilos c-oropeus na China, como prova a r-
cenle degolacio de Tien-Tsin.
Honra foi. e honra insigne, a liga de
Francezes, Inglezes e II -spaalies sobre o
Mr-xico ; as sepultura* de Paso-Ancho e de
Puebla, a loncura de Carlota, o c*lvario de
Qiieretaro, o reembarque de Francia, e a
apiilheose de S tares.
Honra insigne se chamou tambem, quando
s Francezes Italianos ven:eram a Austria
era Solferino, improvisando um rio de san-
gue de sete leguas e produzindo crneos
para construir mais tarde o ediflcio de r-
bitas sem olhos que ueste momento se
inaugura, em quanto a Prussia se engrande-
ca sem rabe-to. e os prnprios Italianos,
gradeados, j-.-ravara guerra de morts con-
ira Roma e a chrislamlade.
Chamou-se honra alliancade Austracos
e Pnissianos contra os Dinaraarque/.es, para
apoderar-se em commum de urnas trras
que d3o eram suas ; e logo se chama honra
.jue Prussianos e Italianos acabem de que-
brantar a Austria,- sol) o pretexto de nio
repartir bem a presa da anterior campanha
fratrecida.
Cierra honrosa se chamou a da Inglater-
ra ba Abyssinia ; porque um formoso ne-
gro, 13o brbaro como heroico, se propoz
reqaestar a rainha Vjctoria, tendo antes en-
carcerado aiguns Inglezes, que para isso
deram motivo.
Mas onde est o honroso da guerra ?
Que tribunal de justica julgarara esses plei-
tos de hnnra ?
Boje honra para um Francez pelejar
cora um Hespanhol contra pm Mexicano ;
amunha honra para um Hespanbol pele-
jar eom ura Prussiano contra um Francez;
e no da seguiuie honra para um Pros
siano pelejar com um Austraco contra um
inamarqnez. Depois ser honra alliarse
o italiano C'-m o Francez para pelejar con-
ra o Allemo. Amanhai ser honra o que
o despeilo, a ambicio, a ira e o interesse
de um homem dictar aos pobres povos, mis-
turando manhosamente as palavras de pa-
iriotismo e gloria cora o sangue do agricul-
tor, do artista e do.commerciante, dofilbo,
do esposo e do irmao.
Tregua, pois. s palavras sem sentido,
s ideas lals;:s, s glorias fitu-js, s heca-
loiubcs imitis, aus ossarios esteris, s
grandezas engaosas, s preponderancias
impossiveis. s ambires do momento, que
njscem hoje entre o sangue da juventude,
e morrem amanha em olvido ou desprezo
da viuvez. Prafa s recordar;5es da histo-
ria, nao da historia antiga que bastante po-
llera ensinar-nos, mas da historia contem-
pornea, da historia do seculo actual.
Recordares estas que nos apresentam a
viva imagem do grao-conquistador que
poneos das avassalla a Europa, fundando
na Hespantia um reino para seu irmo. na
Italia outro reino para ontro rmio, e a Hol-
landa para ontro : nomeando re de Roma
sen fh i, apoderando-se d'Allemaoha, as-
sustando a Russa, bloqueando a Inglaterra,
e, para tudo islo fazer, marchando quasi
sempre acompanhado do enthusiasmo da
Franca, da admiracao da Europa e Ameri-
ca, das torrentes de ouro e de sangue que o
mundo inteiro lanzara pela presso fascina-
dora q e exircia o gro-capilo !
Passados das a Hespanba torna a ser dos
Hespanhes, a liaba dos Italianos, a H-l-
landa tos IIoilandezes, a Allemanha dos Al-
lemies. O papa torna a sentar-se em sua
cadeira de Roma ; a Russa se engrandece
ponto nconcebivel; a Inglaterra com mais
torca do que non;a domina os mares ; a
Franca volia seos anligos limites geo-
graphicos, tal vez cerceados; e de toda aquel-
la grandeza deslumbradora, de todos os en-
tusiasmos heroicos, de todos aqueHes rios
de sangue e riqueza s ficar por fim urna
biographa e um sobrinho : biographia glo-
riosa e legendaria incrivel para aiguns vin-
douros : sobrinho de altas e poderosas qua-
lidades que em um momento salva a pa-
tria ; porm biographia e homem que, uao
sendo novos na historia do mundo, se pre-
cipitam fatalmente em um obscuro insonda-
vel pelo que te ve de falso e Ilusorio a glo-
ria do conquistador.
Nio vio matar esse menino, pois,
nao ?
Simoa Raymundo deu ao3 hombros, e
encarando em ebeio na marqueza, que bai-
xou os oihos corando, replicou r
Vi pergunta-lo ao senhor de Saint-
Maixent rainha senhora. Fiz o que me
ordenaram : do mais nao quero saber. Le-
ve o, accrescentou, vo.tando-se para Ma
rinla e acompanhando estas palavras com
um gesto mp-rioso.
A formosa Olympia nao insisti mais, e
voltot para ao p da janella.
Marnela entrou no gabinete do toucador,
fechando a porta apssi.
Por misera e depravada que fosse aquel-
la rapariga, nao era cruel, apezar dos seus
vicios. Assim, pois, apertou a creancinha
nos bracos, bejoo-a com os olhos arrasa-
dos de lagrimas, e fez um movimento de
horror ao ver Lactancio estender as mios
para ella.
De que tens tu medo, perguntou o
mordomo rodemente.
que s9i demais qual e fim que vai
ter este menino, responien ella ; mas se
tem de morrer, que nio seja diante de
mim.
A cara macilenta do mordomo dilatou-se
n'uma singular expressio, quemis pareca
um sorriso.
Se tem de morrer proseguio. Quem
falln em semelhante cousa ?
Acaso me engao ?
Talvez...
Ah I Proovera Deas ?
menino ? perguntou Lactancio.
E\
Ajnda melhor.
Entio porque ?
C me emendo. Sabes guardar um
segredo, Marnela ?
Parece-me que j t'o prove mais de
urna vez, desde que nos conhecemos.
E' verda.de. e creio que me posso
fiar em ti... de mais a mais quando vai
B
otbusias-
Prara
1 vamos assistir
uma formidavel
lual a geracio fu-
origem,
longe de allncmar-nos com o falso brilho de
orna victoria, luoge de nos apaxonarmos
com a esperanza de urna vantagem passa-
geira, gritemos com for?a e mais resolucao
e convieco do que nBnca, ante o horroroso
ospectacolo de dous imperios que se des-
irem, para que sejamos ouvidos as cinco
partes do mundo :
Guerra guerra!
Morte morte I
'(Traduzido do Hespanhol.)
MEMORIA CEHCA DA INDUSTRIA DE EXTOACTUM
CARNIS FABRICADO .NA PROVINCIA-DO RIO
GLANDE DOSUL APRESENTADA AO ILLM. EXM.
SR. DIOGO VELHO C. DE AI.BQUERQE, CON-
SELHEIRO E MINISTRO SECRETARIO DOS NEC.O
CIOS DE AGRICULTURA ETC., ETC. PELO DR.
MANOEL PERE1IIA DA SILVA UBATUBA.
(Continuaco)
por isso, que a industria do paiz se li-
mita ao tosco beneficio de algoma materia
prima, quando a inanipoacio sendo mais
nobre mais productiva fia abandonada,
lanc mdo se fra valiosos elementos de ri
queza, que sio (vergonha nossas) importa-
das e pagas a ouro.
Nao s porque a industria nio receba
a consideracio e animaejio que neceasita..
que fogm delta miihares do bracos que
lio se acotovellar as estadas dos padri-
nhos atraz de um pequen i emprego publi-
co, que quando nio ha moralidade qualquer,
serve, a verdadeira impo?sibilidade pela
falta de organisaco em que se acba o paiz
econmica e politicamente fallando, que aug-
rnenlam as difficuldades proprias do traba-
Iho com as que sao possiveis de arreda-
rem-se
Nada se v porque qoer administracio
sem estatistica, quererse enxergar, sem
olhos, falta que o menor mal que faz tor-
nar duridouros muitos males.
* A crenca de que nio ha perfeicio na pro-
ducto nacional, que ebega a confundir-se
com a falta de patriotismo, crenca que in-
felizmente tem muito fundamento, nio pro-
vena as mais das vezes da incapacidade do
productor, mas sim das circunstancias que
orodeiam.
Quasi sempre o comprador em pouco tem
a qualidade, qier a barateza, nao se d ao
irabalbo de examinar o producto, inquerin
do smente o preco ; a perfeicio do pro-
ducto custaodo mais esforco, dimnuindo a
quantidade, nao achando compensaci, de-
sapparece, e por essa razio nio se desen-
volve o espirito de aperfeicoamenlo lio ne-
cessario.
O trabalho, qoer escravo, quer livre,
raperfeito, aquelle machinal, e este um
pouco mais intelligente ; nio pie o pro-
ductor exigir nada, sb pena de Dcar sem
um trabalhador, porque o agulhio da ne-
cessidade nio o forca ao trabalho e nem a
polica faz o seu dever; vivendo ocioso,
elle vemvao servco por favor, vivendo co-
berto de dividas e de andrajos, pouco se
importa, tendo como tem para a sua ali-
mentara! muito gado no campo, e o abi-
geato, esse flagello dilficil dd ser castigado,
e as mais das vezes acorocoado pela im -
punidade, empeioram as circamstancias em
que se acha a provincia.
Para se ter idea do mal que faz o ladrio
de gado, basta dizer que elle faz sobrecar-
regar o custo da prodcelo com as avulta-
das despezaa, que se fazem com a vigilancia,
sempre, serapre improficua, quando par-
ticular; que destre valores productivos,
escolbendo sempre a melhor novilha, e es-
tragando para oceultar o crime grande parte
de productos, o que os obriga a repetir o
crime mais vezes do que commetteriara se
os aproveitassem bem. A sequencia de
males que dahi nasce sendo o principal o
vadacio, nao pode deixar de merecer mu
seria attencio da parte do governo, que
quer satisfazer os seus deveres, e nio so-
monte gozar das*vantagens da soa posi-
Cao.
Districtos ha que a cracio nio progride,
ha fazendeiros que tendo invernado oito,
dez mil ris, no fim de anno tiveram ne-
cessidade de retirar o gado para outro i
districtos, achando entio menos de metide !
A triste, porm real verdade que s-
mente as cidades se encontra seguranca,
sem a intervencio da forca individual, e o
que determina o nosso tio preconisado adi-
n'isto a minba fortuna... e a tua, por con-
sequeacia... j que prometti casar com-
tigo.
Marnela abri muito os olhos.
Jura-me pela tua vida nio dizer nada
ninguem do que vou fazer, proseguio
Lactancio ?
Juro. .
Bom. E lembra-te do teu juramento,
porque se desgracadamente o esquecesses,
torcia-te eu o pescoco como se faz urna
gallinba...
Escusas de ameacar, que nio dir
nada.
Cont com isso.
Segundo o costume immemorial das al-
deis da Auvernia, costme que se conser
va anda, leva va Marnela ao pescoco urna
cruzinha de ouro, pendente de orna fita de
velodo preto.
D c essa cruz, disse o mordomo.
Para que a queres ?
Vais ver.
Marineta tirou a fila do pescoco e deu a
cruz Lactancio, que a poz cbamma da
/ella ; quando ella estava j bem quente,
descobrio o mordomo o braco esqoerdo da
criaoca e disse para a soa amante :
Poe-lhe a mi na bocea para nio
gritar, mas v i nio o suffoqo.es...
Marineta, que j entrava a comprehender,
apressou-se a cumprir a ordem.
O mordomo poz a cruz em brasa no
braco do recemnascido. de modo que ficasse
na carne um signal bem percepiivel ; pe-
gn em seguida n'uma toalba marcada com
as lettras e corda de Rabn, envolveu n'ella
o menino, por cima dos pannos que Ihe
pozera Simoa, e occaltaodo por baixo do
gibo.aquelle pequeo vulto, sanio do tou-
cador, depois de dizer outra vez Mari
neta :
Lembra-te do juramento 1
Desceu depois a escada, abri a porta
que deitava para o jardim e sumio-se na
esenridio.
antamento, o que a maior parte dos bo-
mens )is qie d'ou-
tra a'. e estado dos-
gracado em que permanecemos, porque Dio
se deve de acreditar, que baja um s brasi-
lero, que relcente o conbeca ; situacio
tanto mais precaria vista da tendencia,
que se desenvolve por sem duvida humani-
taria, mesmo necessaria de acabar se con-
venientemente o elemento servil, e nio pro-
niova os raeios di serem dsle j aprovei-
tadosos innmeros bracos de seus patricios,
que vivem occlosos, e que assim vivem por-
que nunca se cuidoa de dirigil-os, e antes
foram dirigidos para o servco de guerra,
onde gastaram a sua mocidade, tomaram h-
bitos que transmittiram a seus filhos, que
por isso permanecen) como os vemos com
desproveito para elles, para o paiz e para
os seus concidadios.
Esta situacio anie-economica, deshuma-
na e muito perigosa: pira nao alongar este
irabalbo, corto muito que j estava escripto,
considerarles que farei subir presenc< de
V. Exc. se o determinar.
Como j disse durante seis annos com
o maior empenho e dodicaco por todos
reconhecido, tratei de experimentar todos
os processos indicados para a conservado
das carnes, modificando uns, ensaiando ou
tros novos, e sem poder dizer que perd
o meu tempo, pois que ha alguma cousa,
que necessta de novas hdagaces e es n-
dos; posso lodavii affirmar qiid por ora
ser o eslr aos mercados, senio a carne, ao menos os
seus principaes elementos. Uns processos
por inexequiveis em grandes preparaces,
outros por muito dispendiosos, todos elles
incapazes de fazeremchegaracame por um
preco conveniente por causa dos elevados
fretes, excessivas exigencias do commercio
a- do fisco, que. sem proveito para elle, faz
todava gastar muito dinheiro e tempo ; nao
se pode contar cora elles.
Sendo mallogradas as tentativas, quesefi-
zeram para introdcelo do charque nosmer
cados europeos, nio s porque repugna
va o aspecto que tem esse producto, como
ainda mais porque essa manipulado, sen-
do summamente defeituosa por que faz a
carne perder os elementos soluveis, que
ella contm, nio poda satisfazer as condi-
coes dessa boa almentacao, bxavamos sem
meios de poder aproveitar os consumido-
res que haviam; por tudo isto, repito, se-
r o extractum carns que dever por agora
e por muito tempo dar consumo grande
parte do nosso g*do, satisfaz ndo as neces-
sidades des consumidores europeus.
Nio rigorosamente necessario o prazer
de mastigir urna porro de carne, mas
rigorosamente preciso que o povo tenha
por preco conveciente os elementos ani-
maos que necessila para satisfazer aos re-
clamos de sua organisaci >, afim de gozr
saude e vigor, e essa preparado completa-
mente satisfaz a todas as exigencias.
O extractum carns tem todos os princi-
paes elementos da carne fresca, nao se al-
tera, nem causa as enfermidades que pro-
duzem as substancias que entram na prepa-
rado das carnes conservadas, e contm es-
ses principios debaixo de um pequeo pe-
so e volume, que urna das condices bem
apreciaveis, tem um preco commodo, que
ser reduzido a pouco mais de metade
quando se augmentar o consumo, e cessa-
rem as despezas que actualmente se fazem
com a introdcelo.
O seu aspecto nio repugnante, o gos-
to mui agradavel, sendo necessario para
a almentacao commum, indispensavel em
diversas condices da vida assaz frequentes,
prestando mui valiosos recursos medici
na, serve do modo o mais completo a alj-
mentacio diettica. .
Reunindo todas estas condices custa a
crer, que se tenha passado tanto tempo,
sem que se tenha tornado geral o con-
sumo.
Mutas cousas tem concorrido para isso.
Sendo eu obrigado ser productor e
negociante, sem precisas, visto que o commercio nio assu-
rae a posicio que he compete, nio posso
fazer qaanto preciso para tornar conhe
cido nm producto tio vantajoso e necesa-
rio, sendo preciso vencer e estabelecer ha-
bito.
Os consumidores, escarmentados com o
logro que soffreram comprando o bouilon
concentr, ficaram prevenidos contra o ver-
dadeiro extractum.
Outros, perqu o extractum que traz o
nome do respeitavel professor bario de
Liebig que os autores recommeniam, s
o procuram, cuslanda 69 % mais, o que
circumscreve a demanda, nio podendo por
isso chegar a todas as classes.
I preco que tem o producto oaoooal mar
cido- para attr^hir e favor onsuroo,
talvez tenha a < inferior,
entretanto as analyses clumicas tem dado
o segrate resultado:
Extractum de Liebig.
Anal usado pelo Dr. Wimtnsl.
ra................. 15.2!
Agua.
orgnicas.
56,6(5
I8.2
Substancias
Cmzis. .
Extractum do Dr. Ubatnba.
Analice do Dr. Wemmel. Analysedo Dr, Peckalt
Agua.......... (4,1 15,5
jSabsl. orgnicas 0S,7 71.5
Gimas......... 17,2 li,0
Moiio tem estorvado os meus es torcos a
nio ter resolvido o senado sobre a con-
cessi i feita pela cmara dos Srs. deputa-
dos, dando o privilegio companhia, que
pedio o monopolio desta industria t Esta
falta tem produzdo muito desanimo, sendo
um cons ante ameago e estorvo para o seu
desenvolvimenti, que nio pode ficar sacri-
ficado -aos diminutos recursos qoe posso
4-pr, quando tio promptamente (o que
agradeco) o governo indeferio e pedido que
f z de privilegio.
Se certo que a fiorina e a gelatina tem
tiio pouca forca nutritiva, como denolio as
experiencias deMtgendi, se real qoe no
caldo da carne reside a forca alimenticia da
carne, como geralmente se pens (o que
Malagute nega dizendo que nem na carne,
nem no .caldo est alia !!) obvio que o
extractum carns, que nio contm a gela-
tina, e nem a fibrina pouco perde da pri-
i itiva forca alimenticia da carne, o que vem
confirmar os factos e^ experiencias feilas,
aiguns narrados no impresso junto, entre
elles o do pardo Claudino, que durante 23
das tomn smente o extractara carns.
Porm quer sejam s os elementos solu-
veis da carne, que leobam a principal tor-
ga nutritiva, ou descendo a ultima analyse,
estej ella na quantidade de azoto e car-
rilano, que possam produzir as substancias
empregadas na almentacao, o certo que
sio as substancias anmaes, que os fo ne-
cem em maior quantidade, indicando as ex-
periencias serem necessarias para cada in-
dividuo diariamente 20 grammas de azoto,
ij 318 grammos de carbono.
Nio ser tio depressa, que o extractum
co nosso paiz seja empregado como alimen-
to geral, porque ha ranitos recursos ali-
menticios, e os hbitos nio se vencem f-
cilmente, porm tio depressa seja conhe-
Cdo, ter grande consumo as diversas
-jpplicaces especiaos, que o tornam indis-
pensavel, como acontece nesta provincia,
qu-i ba>endo grandes facindades na acqui-
;ici das diversas carnes, tem o consumo
subido espantosamente.
Nio s a mirinha, que o nio pode dis-
>ensar, nem os habitantes de f a dos po-
Voados, nem os valetudinarios, nem os
hospitaes, que deram consumo, ser o em-
prego na alimentacio das cranos, qoando
esliver no dominio de todos os beneficios,
que elle prodoz. Eu cont, que elle pro-
duza, a reforma, que se ha de operar as
casas de caridade ( rodas de engeitados)
que dio a criar fra das immediatas vista-
das administraces os pobres orphios, co-
jo infortunio do abandono de seus pais
augmentado militas vezes pelos mios tra-
tos, que a avidez do ganho as faz soffrer.
Agora mesmo estou observando urna
criaoca de 20 das de idade, filho do mes-
Ire de fumleiro da fabrica (Joo Marrue )
ue soffrendo de aphlas nio poda segurar
peito para mamar, mande que se Ihe
desse o extractum diluido em sufficiente
agua e assucar, indo ptimamente, nio
cnora senio para indicar, que necessiia de
alimentar-se.
Ni i menos notavel este producto pela
aclidade e promptidio com que se prepa-
a urna refeir;io, o que de muta utilida-
jle para as pessoas, que nio podem gastar
muito tempo, e neii muito combustivel.
Como meio diettico superior a quai-
(jaer outro, a dieta de galinha, alm de ser
nuito cara, necessta. de cuidados que nem
Sempre se pode ter e nem sempre se en-
ontram nos mercados aves cm boas dispo-
Ces.qaasi sempre por nio serem alimen-
adas convenientement tem a carne um
Shero desagradavel. que repugna ao doenle,
or isso mesmo que nio pode usar de con
imentos repugnan). tomando com prazer
a dieta de extractum, que sendo preparada
no momento que se quer nio tem os incon-
venientes de agarrar fumaca, de recuzer-se,
de apodrecer, etc.
Ha de baver relutanca para ser acceito
o extractum nos hospitaes, apezar de sua
Superioridade, e economa ; ioteresses que
ge oceultam supradita administracio delles,
triados com gravissimos prejoizos edamnos
para os doentes, se hio de oppr porm
Lactancio julgava-se completamente s,
e tio s, que leria apostado a cabeca em
como ninguem o segua nem o vira sabir.
Engaaava-se, todava, porque mal prnci-
piou a andar; destacou-se urna sombra
da parede do castello e seguio-o certa
distancia.
Aquella sombra era nem mais nem
menos que Lzaro, encarregado pelo mar-
quez de ver se Lactancio cumpria fielmente
a sua horrenda incumbencia.
Lzaro seguio, pois, o mordomo sem o
perde/ de vista.
Agora esta criancinha I dizia Lactan-
cio comsigo. Supprimir para sempre
um visconde peqoenino! O senhor mar-
que faz de mim um grande parvo t Por
meio d'esta crianga tornou minba a sita
Ci, porque ao mesmo tempo que arranjo
urna fortuna, asseguro tambem a minla
impunidade. O marqnez convencido de
que executei as snas ordena, ba de julgar-se
completamente livre de mim, porque nio
o poda denunciar sem me eu perder tam-
bem. Mas um da vira, talvez nio muito
longe, em que lbe provarei que se engaa,
revelando-lhe a existencia do herdeiro do
conde, e ameacando-o com a apre-entaci >
d'esse herdeiro, se nio arranjar as cousas
de modo que a marqueza me entregue du-
zentas mil '. Por este lado estou eu se-
nhor da situagio. O mesmo succede pelo
que respeita ao conde, meu amo ; se infe-
lizmente viesse a descobrr se este medo-
nbo trama, fico en cora direito nio s a
obter o perdi, mas at urna boa recom-
pensa, gracas restitoicio do menino, que
sem o meu auxilio ningnem poder encon-
trar. Por conseguinte, tudo vai bem ; sou
extremamente feliz, e de certo bei de mor-
rer bem rico.
Lactancio dizia tudo isto l com os seus
botos, continuando ao mesmo tempo com
passo rpido, e na sua profunda satisfago
dos acontecimentos e de si mesmo, teri;
at esfregado as mios, se urna d'ellas nio
Aera raais ou jrde que
ser ve
Esta fbrica, eslabelecida m fregnezia de
Pedras Brancas (Porto Ale^- ocia do
Rio Grande do Sol, oceupa diariamente 1
a 46 trabajadores, todos livres, as po-
cas de matan?ay 40 a 50 pessoas livres,
grande numero de mulheres e enancas.
Est montada para fabricar mil libras por
mez, podendo em das prepaar-se para
produzir muito mTor quantidade, segundo
as necessidades do consumo.
Os apparelhos sio incompletos e imper-
fetos, e s com grande cuidado produzeui
o-producto perfeito. Alm desse trabalho.
fabri:a-se o leile condensado.
Junto a ella esli as fabricas de colla e
sabio, pertencentes a meos dons filhos, cojos
productos sio excellentes, coosumindo as
materias primas da fabrica e omras qoe sio
compradas.
Sem tempo para fazer um trabalho me-
lhor, julgo ter dado os esclarecimentos mais
precisos, estando disposto a prestar todos
os que V. Exc. desejar, e agradecendo a V.
Exc. a boa vontade que revela em sua carta
ollicial, me permittir qoe ueste trabalho
me record com gratidio dos bons desejos
que tem manifestado sua alteza real o se-
rensimo conde d'Eu, e o Exra. Sr, bario
de Cotigipe em favorecer esta nova indns-
tria, proraovendo o estado e exame da effi-
cacia do produelo, tornando-se notaveis por
serem os nicos de qnem tenho recebido
animacio.
Pudras Brancas, 13 de jinho de 1870.
Dr Manoel Pcrtira da Silva Ubatuba.
Extractum cornis. um producto que
se obtem da carne do gado vaceum, da
qual se tira todas as pelles, tendes, ossos
etc. Elle tera todos os principios nutritivos
da carne sera conter gelatina, ou fibrina,
gordura. Nura pequeo volume epeso dado
contm 32 vezes mais substancia alimenticia
que ontro igual de carne despida de ossos,
pelles etc., por isso por pouco que se tome
delle se obtem urna forte a'uraentagao, que
inmediatamente produz effeito, como tem
sido observado em pessoas dabeis, por
qualquer causa ou exanges como succedeu
a um homem ferido que dous outros tron-
xerara pharmacia do Sr. Firmiano Antonio
de Araujo (Porto Alegre), onde recebeo o
primero curativo, estando tio fraco que
nio podia voltar para casa ; mas logo qoe
tomou duas oitavas de extraetnm pode ca,-
minhar sem adjutorio.
Tal a torca alimenticia que anda mais
se revela com o que succedeu no escravo
do Sr. capillo Joio Cesar de Oliveira acom-
mettMo de thetanus tio forte qne nio foi
possivel erapregar-se medicacio interna, po-
dendo o doente lomar, introduzindo-se com
muita difculdade pela abertura qoe bavia
pela falta de um dente, 6/8 de extractum
carns por da, cessando os symptomas ner-
vosos no fim de 22 das, achava-se o doen-
te em bom estado de vigor, restabelecendo-
se logo. Qje um alimento qne nao cansa
os orgios proprios da digestio, se coobece
pelo que aconteceu ao Sr. commendador
Antonio Falcio, que soffrendo de urna gastro
intente nio tolerava nem a agua de frango
ou de arroz.
Homem de mais de 70 annos, com per-
das tio abundantes como tinha, e sem ali-
mentar-se estava condemnado; sendo im-
proficuo todos os meios intentados: o Exm.
Dr. Flores empregou o extractum que o
doente tomou com repugnancia, porm que
desde logo seoto um bem star qoe nio
tinha, e pouco a pouco mais vigor, ficando
restabelecido em poucos das, obrigando-o
a sua gratidio a dirigir ao Dr. Ubatuba
ura attestado desse beneficio (diz elle) para
qne outros pudessem gozal-o, e a falta de
conhecimento nio obstasse a vulgarisacio
que era conveniente que tivesse um pro-
ducto tio necessario.
Nos casos que preciso diminuir a pro-
ducto excremenciaanus artificial, fistolas
anaes, ataques hemorrhoidarios etc um
valenle recurso O Sr. I. 0. Castro n'um in-
tensissmo ataque hemorrboidal que o Ievoi:
cama durante mezes s obteve cura ali-
mentndole com o extractum. Urna fami-
lia, (do Sr. Joaquim Mara) dbil e nervosa.
soffria horrivelraente, comecou a usar do
extractum e logo restabeleceu-se, e o Sr.
Joaquim Mara agradecendo o Dr. Ubatu-
ba disse-lbe : Dr., V. correu-me com as
doencas de casa. Taes tem sido os resul-
tados de seu emprego que s principaes
mdicos o aconselham, e o consumo tem qua-
drupcado em toda a parte. Nio smente
applicado como dieta aos enfermos, mas
como meio alimenticio e mesmo como pro-
prio para vigorar os alimentos, e dar-lhes
sabor mais agradavel.
(Qonlinuar-ahs)
jtivesse de amparar o menino, no qual fun-
dava tio gratas esperancas.
Lzaro sabia, por sen amo, que o mor-
domo devia encaminhar-se para o tanque.
Admirou-se, pois, quando vio que ao sabir
do jardim tomava urna direegio inteirarnen-
te opposta. Suppoz nio obstante qoe o
receio de algum encontr inopportuno faria
dar urna volta larga.
Subi, porm, de ponto o son espanto
guando Lactancio entrou no arvoredo, vol-
itando as costas ao tanque. Occorreu-lhe a
idea de revelar a sua presenca, gritando :
Para'onde vai ?
Mas logo reflectio que recebera a in-
cumbencia de vigiar e nio de intervir, e
resolveu executar ao p da letra as ordens
que tinha.
E d'ahi. Lactancio inspirava-lhe muito
poucas sympathias e nio lbe, desagrada va
apanha-lo em flagrante delicio de desobe-
diencia.
Devemos accrescentar que, segundo pa-
reca ao honradissimo 'criado, nao havia
i'ienhum perigo a temer, urna vez que se-
gua passo passo o mordomo, e ainda
qoe tivesse de andar toda a noute, contavt
nao o perder de vista. Afora isto, impor-
tava conbecer os planos do astuto mariola,
para os deitar por trra.
Lactancio ia sempre andando sem parar
nem mudar de direccio, de modo que logo
chegou ao muro do parqne. Seguio arri-
mado elle durante um quarto de hora,
at chegar urna cancella, que abri com
chave que tirou do bolso.
Ah com todos os diabos 1 excamon
o criado do marquez de Saiot-Maixent. O
patife toma decididamente as de Villa Dio-
go Ha com toda a certeza urna traicio.
a parece que tempo de agarrar o meu
homem.
STomada esta resolucio, apressou Lzaro
o passo para a por por obra. Ma-s j era
tarde. Quando elle ebegava i cancella
que fcra aberta, ouvio um relincho e vio
Lactancio montar n'um cavallo, qoe o espe-
rava aparelhado e. partir por all fra
toda a brida.
Seguir p, no meio das trvas, um
homem cavallo, era pouco menos que im-
possivel, e Lzaro nem sequer o tentou.
O rapaz esteve ponto de arrancar os
cabellos, ao pensar que Lactancio zombira
com elle, e especialmente ao lembrar-s*
da' ira de seu amo quando soubesse o gran-
de perigo em que estavam os- seas planos.
Deita as culpas minba parte, com
certeza, disse Lzaro comsigo, e nio obs-
tante cumpri risca as ordens que me deu ;
mas quera nio acorta sempre culpado, e
tenho provado esta verdade mais de ama
vez minba costa.
E Lzaro, cabisbaixo e meditabundo, en-
trou a andar muito devagarinbo para o
castello.
Lactancio continuou galopando, com as
rodeas na mi direita, o amparando com a
esquerda o tenro herdeiro de um dos mais.
illustres nomes e das maiores riquezas da
Franca.
Percorreu em meia bora perte de doas--
legoas. e s entio refreiou um pouco o
animal.
Estava ao p de urna collioa pouco ele-
vada e coberta de matto ; tomou por um
atalho anguloso e mal tracado, e ebegou
plataforma d'oode se avistavam urnas caba-
nis 'ou chocas, grosseiramente construi-
das. ,
Havia n'aquellas misrrimas vivendas um
profundo silencio, interrompido s pelo fu-
rioso ladrar de aiguns cies amarrados.
S uma cabana tinha luz, a julgar pela
tenue claridade que se escoava pelas gretas
da porta, e diante d'ella parou Lactancio o
cavallo.
(Continuarse-ha).
TYP. DO DIAK10-RIM oj DUQOE DKCAXIAS
I


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EZOAV41FK_ILM6VX INGEST_TIME 2013-09-14T00:38:45Z PACKAGE AA00011611_12217
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES