Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:12214


This item is only available as the following downloads:


Full Text
MNO XLVI. NUMERO 210

*
PABA A CAMTA1 E ICABES OIOE IAO SE FACA POMT.
tado* ...... i
000
494000
844000
320
O 17 DE SETERIBRO DE 1870
ABA DEITBO E FORA 9A PBOVIHCIA,
Par tre me adantados
Por seis ditos ictem. .
Per nove ditos idm .
Por om armo idera .
6|7te
13*500
204280
27|00O

\^F
PERMMBUCO.

______
Prqi#dade de Manoel Hgneirtl de Faria & Pilhos.
AO ACBMTHri
Os 8rs. Gerardo Aotonic Filhos, no Para ; Goncalves & Pinto, oo Maranhlo ; Joaqnim Jos de Oliveira, no Cetra ; Antonio dtleinos Braga, no Araeatj ; Joao Mana Jobo Chavos, no Ass ; Antonio Marques da Silva, no Natal; Jos Justino
Pwdrvd'AjBioda, en Manangnape; Antonio Alejandrino de Lima, na Parahyba ; Antonio Jos Gomos, na VH la.Penha; Belarmino dos Santos Buloo, em Santo Anto; Domingos Jos da Costa Braga,
em Nazaretn ; Francisco Tavares da Costa, em Alagoas; Dr. Jos Martins Alves, na Baha ; Jos Ribeiro Gasparinho no Ri|o de Janeiro.
PARTE OmCIAL
=
Goverao da provincia.
EXPEDIENTE AWIOXADJ PftQ RXM. 51. DKSKJIHARC.V
DOrt FRANCISCO DK ASSIS pereira rocha, vicr-
PaESIDENTE DA FBVIIfCIA, EM 26 DE ABRIL DE
lo/O.
! seccin.
N. 516.Portarte o Exm. Sr. seneral eom-
tnaadante das arma*.Povidencie V. Exc. para
que se deem as salvas do estylo, pelas 8 horas da
rnaaba dj dia 18 d> crreme, por occasiao de
demandar a barra o vapor Paraki/bti compa-
a Peroarabucana. que conduz a seu bordo o
Exm. senador Frederico de Almeida e Albuquer-
quelj>rffiidenm desta provincia.
X. 5i7.Diu ai n'-Tio. O Exm. Sr. se-"
nuior Frederico de AlmeiJa e Albuquerque
muito ai.ino prudente de?te provincia, estn-
da pirtid para totaar assento na cmara-
vitalicia, acaba da p.war-me a administracao, a
qaJ assnm na qualidade^ de vice-presidente.
Fazendo e-ta c miiunicacao V. Exc, espero que
'-'tinuara prestar esta presidencia a neeessa-
ra e valioia coadjuvacao que sempre (he tem
DrestoJo.Iguae* aos Srs. caoUaO de porto, ins-
pector do arsenal de marinha, director do arsenal
de guerra, engenheiro das obras militares, com-
mandante do brlgue barca Ilamarac, mutalis
mulandis.
X. 318.Dita ao director do arsenal de guerra.
Expega V*. Exj. as ordens, alia de que por esse
aal -ejam l'ornecidas a) presidente do Rio-
irande do Norte, 1 arrobas de ost opa de embira
para tacos, duas mil capsulas fulminantes como
*iiicitou o niesrao presidente em offlcio de 30 de
narco ultimo.
N. 519. -Dita ao inspector do arsenal de toari-
nna.Mande V. S. postar na rampa do caes do
iteopo das Princetas pelas 6 horas da manhaa do
da 18 i> correnle, a galeota e erabarcages ne-
cesarias ao embarque do Exm. senador Frederi-
co it AlmeiJa e Albuqaerque, presidente desta
provincia.
\. So').Dita ao capitao do porto.Mande V. S.
por ara librdade o recruta Antonio Ignacio de
Medeiros, visto ter provado isencao legal
N. Sol.Dita ao engenheiro militar.Mande
Vtne. com toda a presteza, reparar as goteira
qae existem no telhado da casa da administracao
do arsenal de guerra.
X. 532. Dita ao cnsul de Portugal. Commu-
nico ao Sr. conul de Portugal, que por ter o
Exm. senador Frederico de Almeida e Albuqaer-
que pre-idenie desta provincia de ir tonar assen-
W na cmara vitalicia, assumi liojo na qualidade
de i' viee-presidente a aJministragao da meama
provincia. Aproveito a occasiao para apresentar
ao rnesuio Sr. cnsul os protestos de estima e des-
tnela consideraco.Igual todos os deinais con-
sul >i, mutatii muJunAis.
3*seccio.
N. 554.Circular ao Exm. Sr. presidente do
tribunal da relago.O E-m. Sr. contraendador
Frederico de Almeida e Albuquerque, muito digno
presidente desta provincia, estando de partida
para tomar assento na cmara vitalicia, acaba de
nassar-me a adrainistracao, qual assumi na qua
odade de i vice-presidente. Fazendo esta com-
municacao a V Exc. espero que continuar a pres-
tar i esta presidencia a necessaria e valiosa coad-
juvacio.Iguaes ao presidente do tribunal do
omraercio, ao Dr. chefe de polica, aos juizes de
direito da provincia aos commandantes superio-
res, aos juizes manicipaes, aos promotores pbli-
cos e ao commandante do corpo provisorio da po-
lica.
N. 5oo.Portara ao Dr. chefa de polica.Era
re-posta ao offlcio de V. S. de 28 do mez liado sob
n.. 431tenhoadizer-lhe que opportunaraente at-
teader esta presidencia ao que pede o delegado
do municipio de Agua Preta, quaoto ao destaca-
mento dos Montes.
.*'. oot. Dita ao commandante superior da
guarda nacional do municipio do Recife.Expega
V. S. ordena para que urna forca da guarda na-
cional sob o seu conmando superior, esteja pos-
uda em frente do palacio da presidencia pelas 6
lloras da manhaa ) dia 18 do correte, aim de
r as honras devidas ao Exm. presidente da
provincia o senador Frederico de Almeida e Albu-
querque, por occasiao do seu embarque.
X. 557,Oda ao mesrao.Expeca V. S. suas
ordens. afim de que no dia 21 do correte, em
frente da igreja matriz da freguezia de Santo An-
tonio desta cidade, seja postada urna brigada com-
posta dos batalbdes ra guarda nacional sob seu
ominando superior, para asistir ao Te-Deum
hnidainus que tera de ser celebrado era accao d
jrac ao Todo Poderoso pela feliz lermincio da
guerra do Paraguay.
X. 58. Dita ao commandante superior da
guarda nacional do municipio do Recife. Nesta
lata mando dar a guia de que tratao arl. 43 do de-
creto 1130 de 12 de margo de 1833, para este mu-
nicipo ao capitao da 3* companbia do batalbo n.
11 do servco da reserva do de Limoeiro.Firmino
Oorrei Pessoa de Mello, visto ter elle flxado aqui
a sua residencia, oque I he commnnico para sue
intotligencia.
X. ob9. Dita ao commandante superior da
guarda nacional do Lirooeiro.Mande V. S. d a
guia de que trato o art. 43 do decreto n. 1130 de
12 de marco de 1853, ao capitao da 3' companhia
do batalbo n. 11 do servco da reserva da guar-
da nacional desse municipio Firmino Correa Pes-
soa de Mello, para o destacamento aonde tera fl-
xado a sua residencia.
X. 360.Deliberacao.O presidente da provin-
cia resolve conceder ao tenente-coron-d comman-
dante do batalhao 31 de infamara da guarda na-
c.onal do municipio de Pao d'Alho, baeharel Joao
Svi'rano Carneiro da Cunha, seis mezes de li-
.vni-.a para tratar de sua satide.
X. 561.Dita. O presidente da provincia de
cooformidade com a proposta do chele de polica
em ofllcio n. 306 de 13 do crreme, resolve no-
mear para os cargos de 1 e 2 supplentes do sub
delegado do i* districto da freguezia dos Afosados
nesta cidade, os actuaes 2 e 3o aupplemes, Tristao
Jacomo de Araujo e Jos Lacio Lins, e para o do
> que assim tica vago, o cidadao Manoel Gomes
Ferrara Guerra. ,
X. 562.Dita.O presidente da provincia em
vista do offlcio do chefe de polica n. 506 de 13 do
rorrente, resolve onerar do cargo de priraeiro
-uppient do subdelegado do primeiro distrlcto da
freguezia dos Afogados, por se ter modado para
fra do di-tricto, o cidadao Manoel Osmundo da
i;amara Pianolei.
X. 563.Dito.O presidente da provincia at-
tendendo ao que Ibe reqoereu o capitao da 3* com-
panhia do batalbo n. 11 do servir da reserva da
guarda nacional do municipio de Limoero, Firmi-
no Correa Pessoa de Mello e era visto do qae io-
forrooa o respectivo commandante superior em
oificio de 20 de dezetnbro ultimo, resolve qae se
a gua de qae trato o art. 45 do decreto n.
1130 de 12 de marco de 1853 para este munici-
pio aonde ten nxadosaa residencia.
. m 3' seccao.
.Y OTO.Portoria ao inspector da theseuraria de
azenda. Atteitdo ao qae expoz o Dr. Luiz
Antonio Fernandos Pinheiro, no requer ment do-
cumentado que incluso devolvo, e sobre que versa
a soa infornuco do auno prximo passado n. 893,
re^i^!i. V,S" 1w eo visu 'ola pasuda
pelathesonrariade atenda do Espirito Santo,
' do supplicame como presiden-
te daqffelra prdvincla da data de sua nomeacao de
obefe de polio para Santa Catharina, e de sua
remoco para igual cargo nesta capital, mande pa-
gar-lhe o ordooado a que tem direito come juiz
de direito desde o dia 16 desetembro daqnelle an-
no at 10 de nevemhro, era em que entrou em
exercicio do meneionado cargo de chefe de polica
desta provincia.
N. 567.Dit ao mesmo.De conformidade com
o parecer da contadura dessa repartico, o que se
remelle V S. qzn saainformacao de 13 do corren-
le, sob n. 162, autdriso o engenheiro das obras
mili'.-, res a mandar reparar as goteiras existentes
no telhado da casa da adminisiracao do arsenal de
guerra ; assira o eommuuico a V. S. para seu co-
nhecimenlo e diraccao.
N. 568.Dita ao mesmoDevolvendo a V. S.
cohertos com o parecer do .agrimensor dos terre-
nos de marraba, os requenmentos do padre Anto-
nio da Cnha Figueiredo, Jo> Soares Mnoteiro.e
Jos Joaqnim Ferreira de Sbuz, acerca do afora
memo do torreno do marinha, qde, na ra Impe-
rial esteva aforado ao finado. Jos Mara Placido
de Magalbies, tenho a dizer-lhe que a respeito de
taes pretencoes proceda de conformidade com o
Anal de sua informacio de 17 da mxerabro do an-
no prximo passado, sol n. 793, concedendo-se ao
mencionado Cunha Figueiredo, se bem que por
equidade por nao Ihe assistir direito o terreno de
que se trata com excepcao das partes que estive-
rem oceupadas pelas casas dos outros dons pre-
tendentes e das quaes se Ihe passar os compe-
tentes ttulos.
N. 569.Dito ao mesmo.Coramanico a V. S.
para os devidos flns, que deferinde a pelicao do
baeharel Paulo Martins de Almeida, juiz de direito
da comarca de Flores, conced ao raesmo gozar do
resto da hcenga de tres mezes que pelo governo
imperml Ihe foi concedida no anno prximo pas-
sado, a qual por ordena de um dos meas anteces-
sores foi mandado interromper.
N. 570.Dita ao mesmoommanico a V. S.
para os devidos flns, que secando partiCQou o
Dr. Tnsrao de Alencar Araripe em offlcio de 13
do crreme, nessa data denou o exercicio do car-
go de juiz de direito especial do eomlhercio, por
ter sido por decreto de 23 de margo proxime An-
do, nomea do para om dos lagares da relacao da
Babia.
N. 371.Dita ao mesmo. Communico a V. S.
para os devidos flns qae, segundo partlcipon o juiz
de direito da comarca de Palmares em offlcio de
3 do crreme, nessa data reassumio o exercicio
do respectivo cargo o juiz municipal e de orphos
do termo de Agua Preta, baeharel Pedro Gaudia-
no de Hlese Silva.
N. 572.Dita ao mesmo.- Commanico a V. S. pa-
ra os devidos flns que, segundo participlo juiz de
direito da primeira vara Dr. Francisco de Assis
de liveira Maciel, nessa data assumio elle o exer
cicio do cargo de juiz de direito especial do com-
mercio desta capital.
X. 573.Dito ao mesmo. Attendendo ao que
expoz no requeriraenio sobre que versa a sua in-
formacio de 13 do eorrente n. 64, o teoente refor-
mado do exercitc, Carlos Martins de Almeida. au-
torso V. S. nos termos do parecer da conudoria
dessa thesourana, a mandar que se continu a
abonar ao supplicante a etape de mil ris diarios
que percebia em virtade do decreto n. 1254 de 8
dejulho de 1865, e foi suspenso por deliberacio
da junta dessa thesouraria.
X. 574.Dita ao mesmo.Pode V. S. conforme
indica em sua informacao de 12 do crreme, sob
o. 260, com referencia a da contadoria dessa the-
souraria acerca do requerimento, que incluso de-
volvo, mandar pagar ao cirurgiao Jo' Antonio
de Leo, por coma do crdito de 40:000* aberto
para soccorros pblicos a quantia de 140*, a que
lera direito, proveniente da gratificaco de 3000
diarios que venceu em todo o raez de" fevereiro ul-
timo, como encarregado da iuoculago da vacina e
do curativo de varila no termo do Pio Formoso.
X. 575.Dita ao mesmo.Autoriso V. S.a man
dar pagar ao Dr. Augusto Frederico de Olivelra,
ou ao baro do Livraraeoto, a quantia de 376*600
proveniente dos gneros alimenticios e instrumen-
tos agrcolas, que de ordem desta presidencia, fo-
ram fornecidos com destino aos indios da aldea do
Brejo dos Padres, Como se v da conta e mais do-
cumentos juntos, devendo esse pagamento correr
por coma do credilo de 40:000*000 aberto para
soccorros pblicos.
N. 576 Dita ao raesmo.Tendo nesta data ex-
pedido as necessaras- ordens a thesouraria provin-
cial, para que em vista da conta junta por copia,
seja a repartico da guerra indemnisada da quan-
tia de 347*077, proveniente de fornecimentos fei-
tos pelo arsenal de guerra desta provincia ao cor-
po provisorio de polica, como foi determinado em
aviso de 6 do eorrente, tambera por copia ; assim
o communico para seu coohecimento e flns con-
venientes.
X.577 Dla ao mesmo.De cenformidade com
o que solictou o brigadeiro commandante das ar-
mas, em offlcio de hoje, sob n. 194, recommendo a
V. S. a eopedigio de suas ordens para que em vis-
ta dos competentes prets, sejam pagos os veoci-
mentos o que tem direito por ajuste de contas at
o dia 13 do cernate as pracas do extincto corpo
de voluntarios da patria.
X. 578. Dita ao mesmo. O Exm Sr. sena-
dor Frederico de Almeida e Albuquerque muito
digno presidente desta provincia estando a partir
para tomar assento na cmara vitalicia, acaba de
passar-rae a administracao a que assumi na quali-
dade de 1 vice-presidente. Fazendo esta commu-
caco a V. S. eu espero que continala a prestar a
esta presidencia a necessaria coadjuvacao, que
sempre Ihe tem prestado. Igual a thesouraria pro-
vincial, a recebedoria de rendas internas, ao di-
rector das obras publicas, ao inspector da alfande-
ga, ao administrador do consulado provincial, e
a AMOciaeao Commercial Beneficente.
X. 579.Dita ao inspector da thesouraria pro-
vincial Expega V. S. as necessaras ordens para
que vista da conta junta por copla seja a repar-
tico do governo indemnisada da quantia de
547*077, proveniente de fornecimentos feitos pelo
arsenal de guerra desta provincia, ao corpo provi-
sorio de polica, como foi determinado em aviso
daquella repartigo de 6 do eorrente tambera por
copia.
N. 580.Dita ao raesmo.Recommendo a V. S.
que depois de liquidados, em vista do pret jnnlo
em duplcate os vencimentos de 50 pragas da guar-
da nacional requisitadas pelo delegado do termo
de Granito, seja psgo a sua importancia ao Dr.
Tristao de Alencar Araripe, conforme solioitou o
commandante superior do municipio de Cabrob,
em olicio do de fevereiro ultimo, pois que essa
forga foi empregada era urna deligencia policial
para a captura do criminoso Antonio Pereira de
Carvalhe e seu squito, em virtnde da anlorisago
anterior da presidencia.
m kdk 4"secgo.
N. 585.Dito ao desembargador Francisco de
Assis Pereira Rocha, 1 vice-presi'dente da provin-
cia.Tondo a honra de passar a administracao
desta provincia a V. Exc. na qpalidade de seu Io
vice-presidente visto eu ter de seguir para a corte
afim de tomar parte nos trabalhos do senado, con-
forme j comrauniquei a V. Exc. em meu offlcio
de 12 do crrante, fago votos para que V. Exc. se-
ja mui feliz em sua administrago. Em curapri-
raento do aviso circular do ministerio do imperio
datado de H de margo de 1848, reporto-me intei-
ramente ao relatorio que em dato do 1 deste mez.
aprejentei a assembla legislativa provincial. Nao
havendo occorrido daquella data at hoje circuras-
tancia alguraa digna de mengo seno a segointe,
No dia 6 deste mesmo raez, ehegou ao porto desta
cidade o transporte fapicur, traiendo a seu bar-
co o corpo n. 30 da voluntarios da patria, o qual
desembarcou s 4 horas da tarde desse dia, e ten-
do recebfdo as manifestages enthn*ia gosijo de toda a populaco, aquartelou as Cinco
Pontos. Em de 14 do correnle foi o corpo disswl-
vido. Expedi as necessaras ordens afim de que
a bamleira qbe nertenc a ao dito corpo fnsse de-
positada na cathedral, amanhaa.
N. 386 Circular aos presidentes das provincias
do sul e norte.Tendo nessa data, na qualidade
do 1J vice-presidente da provincia, por ter de se-
guir para acorte o Exm. presidente Sr.senador Fre-
derico de Almeida e Albuquerque, assim o com-
munico a V. Exc. assegnrando-lhe que encontrar
sempre prompto a cumpnr suas ordens com a
maior solicitude.
N. 587.Portara a samara municipal de Cim-
bres.Concedo a autorisagao que p"ide a cmara
municipal da villa de Cimbres, para mandar fazer
os reparos de que precisa a casa dessobradada do
que trato o seu offlcio de 14 de Janeiro ultimo, na
importancia de 300*. devendo semelhante despeza
correr pela verba do 8 do art. 14 da lei do or-
gamenio municipal vigent?.
X.588Dita ao saperiotendeute da estrada de
ferro.Remeti por copia ao Sr. superintendente
da estrada de ferro do Recife S. Francisco o in-
cluso requerimento do baro de Palmares, alim de
que mande fazer os guarda-pedo? de que trata o
tupplieante no citado requerimento.
d. 589.Dita aos agentes da companhia brasi-
lera de paquetes.Os Srs. agentes da companhia
brasileira, mandem dar transporte para a corle
por conta do ministerio da agricultura coramercio
e obras publicas, no vapor Cruzeiro do Sul, ao
engenheiro era coramisso Rapbael Araujo Galvo
e a 6 caxoes contendo instmmentos e roais objec-
tos pertencentes ao referido ministerio.
N. 590.Dito ao Dr. Augusto Frederico d'Oli-
veira eo baro do Livramento.Xesta data auto-
riso a thesoararia de fazanda, a pagar ja quantia
de 376* de qua trato o offlcio de Vs. Ss. datado
de 13 do crrante e proveniente de gneros ali-
menticios, e de Instrumentos agrcolas fornecidos
cora destino aos indios da Aldea do Brejo dos Pa-
dres.
Resta-rae, pois, agradecer a Vs. Ss. era norae
do governo de S. M. o Imperador o grande inte-
resse qae tomaram na remess dos genero desti-
nados a soccorrer a populaco indigente, e qae
eslava sendo llagellada pela secca no alto sertao
de-ta provincia assim como a proraplido e zelo
cora que desempenhou a coramisso de que os
incumb e de to boa vonlade aceitaram, e os au-
toriso a agradecerem era nome do mesmo gover-
no, aos negociantes que nisso os anxiharam.
N. 591.Dita ao desembargador provedor da
Santa Casa de Misericordia.Tendo nesta data e
na qualidade de sea vice-preidente, assnraidn
a administracao desta provincia, por ter d> seguir
para a corte o Exm. presidende senador Frederi-
co de Almeida e Albuquenaue ; aaaira o communi-
co a V. Exc. para seu eonneclmento e fins con-
venientes.
N. 592.Igual mutatis mutandis ao director da
Faculdade de Direito do Recife, da instrugo pu-
blica, da Escola Normal, de Asylo de Mendicidade,
dos Indios, ao gevernador do bispado, presidente do
Instituto Imperial Agrcola, aos agentes da com-
panhia Brasileira de paquetas a vapor, ao geren-
te da companhia Pernarabucana, ao regedor do
Gymnasio, ao administrador do correio, ao cora-
missario vaccinador provincial, ao engenheiro fis-
cal da estrada de ferro, ao superintendente da
mesma estrada, ao engenheiro a obras geraes, e
aos inspectores da sade publica e a do porto.
X. 593.Circular a cmara municipal do Red-1
fe-Tendo nesta data, e na qualidade de seu pri- i
meiro vice-presidente, assumido a administracao
desta provincia por ter de seguir para corte o
Exm. presidente senador Frederico d'Almeida e
Albuquerque, assm communico acamara muni-
cipal do Recife pira seu conheciraento, esperando
que continuar a prestar a esta presidencia a mes-
ma coadjuvacao que sempre ha prestado.
N. 594.Igual as dereais cmaras municipaes
da provi cta.
EXPEDIENTE ASSIGXADO PELO SR. DR. ELIAS FREBERt
CO DE ALMEIDA E ALBUQUERQUE, SECRETARIO DO
gover.no Dirnum, E 16 DB ABRIL DB 1870.
1.' secgo.
X. 39o.Offieio ao Exm. Sr. general comman-
dante das armas.O Exm. Sr. presidente da pro-
vincia manda declarar a V. Exc em resposta ao
seu offlcio de hoje, sob n. 191, que a thesouraria
de fazenda tem ordem para pagar os vencimentos
constantes do citado offlcio.
N. 596.Dito ao director do arsenal de guerra.
S. Exc. o Sr. vice-presidente da provincia, tendo
providenciado para que sem demora sejam repa-
radaj as goleiras existentes no telhado da casa da
administracao d'esse arsenal; assim o manda
communicar a V. S. em resposta ao seu offlcio de
4 do crreme sob n. 49.
i- secgio.
N. 597.Offlcio ao chefe de polica.De ordem
do Exm. Sr vice-presidente da provincia, trns-
raitto a V. S os ttulos de noraeagao dos 1, 2 e
3" supplentes do subdelegado do Io districto dos
Afogados, de conformidade com a proposto de V.
S. em offl ;io n. 506 de 13 do crreme.
N 598.Dito ao raesmo.De ordem de S. Exc.
o Sr. vice-presidente da provincia declaro a V. S.
que nesto data se ordenou ao engenheiro chefe da
repartigo das obras publicas, para que com ur-
gencia mande fazer o exame dos concertos que
carecem a casa que serve de prisao e aquella do
destacamento na cjdade de Olinda, apresentando o
orgamente da despeza para isso precisa, ficando
assim respondido o seu offlcio n. 507 de 13 do cor-
rente.
X. 599.Dito ao commandante snperior do mu-
nicipio do Recife.De ordem do Exm. Sr. vice-
presidente da provincia, declaro a V. S. em res-
posta ao seu offlcio n. 80 de 12 do corrale que
leve o conveniente destino a leliago do tambor
Angelo Araaral de Fretos, que veio annexa a dito
offlcio.
N. 600.Dito ao commandante superior do mu-
nicipio de Cabrcbo.S. Exc. o Sr. vice-presidente
da provincia, manda declarar a V. S. em resposta
ao seu offlcio de Io de fevereiro ultimo, que a the-
soararia provincial tem ordem para pagar ao des-
embargador Tristao de Alencar Araripe os venci-
mentos das 50 pragas da guarda nacional de que
trata o citado offlcio.
N. 601Dito ao desembargador Tristao de Alen-
car Araripe.-^De ordem do Exm. Sr. presidente
da provincia, aecuso o recebimento do offlcio de
V. S. de 13 do crreme, era que participa ter
nessa dato deixado o exercicio do cargo de Juiz de
direito especial du commercio d'esta capital, por
ter sido nomeado desembargador da relago da
Baha, por decreto de 23 de margo prximo
Ando.
N 602.Dito ao juiz de direito da primeira
varaO Exm. Sr. presidente da provincia manda
declarar, que 6cou inteirado, por seu offlcio de 13
do crreme, de ter V. S. nessa data assumido o
exercicio do cargo de juiz de direito especial do
commercio, por ter sido nomeado para um dos
lugares da relago da Baha o- desembargador
Tristao de Alencar Araripe.
N. 603.Dte ao juiz de direito da comarca de
Palmares.O Exm. Sr. presidente da provincia
manda declarar, que fieou inteirado pelo offlcio de
V. S. de 5 do eorrente, de ter nessa data reassu-
If. 604.
Plores.Be
vincia eo
data Ihe foi
tres mezes a
nicipal do Ujfmo de Agua Preta, baeharel Pedro
Gaudraoo de %uis e Slva.
ao juiz de direito da comarca de
lera da Exm. Sr. presidente da pre-
iiao" y. S., que por despacho desta
-nlttido gosar do resto da licenga de
tores,
^, 4!( secgio.
iWl-fflcio ao Dr. Francisco Teixeira da
s, secrtalo da a-^erobla legislativa provin-
cial, a. o&HB ordem le S. Exc. o Sr. vine-presi-
dente da provilcia, transmiti por copia a V. S.
para ser presente a assembla legislativa provin-
cial as inclusa* infrmateos da theouraria pro-
vincial de 7 diutubro de 1368 e de 3 de roarto
ullimo sob ns.100 e 136, bem como do director
geral da instrttao publica de 18 de-julho d'aquelle
auno e 31 de Jdfho di 4869 sob n. 199, 235 rela-
tivamente a aacumuhcao das duas gratillcagfies
dos profesional pblicos p>r naaia de 13 e 2>
annos de servtop adm de que a mesma assembla
se julgar coavaflente interprete as dispusieses da
leis ns. 598 di*13 de margo de 1864 e 399 de 14
de maio de 186i.
X. 606.-D*|*o masito n. 69. S. Exc. o Sr.
vice-presidenta*'- da provincia o desembargador
Froncisco de Aasis Pereira Rocha, manda partici-
par a V. S. pan o fjzer constar a assembla le-
gislativa provieial que nesti data assumio a adrai-
nistrago da mesma provincia por ter de seguir
para a corte o Bem. presidente senador Frederico
de Almeida Alobuerqae.
N. 607.Dito'>o mesmo n.40.S. Exc. p Sr.
vicepresidente da provincia msnda remetter a V.
S. afim de ser nbmettldo a censideraco da as-
sembla legislativa provincial inclusa copia do
ofllcio do inspector da thesoararia provincial de
13 do correte sob n. 234 e os d>cumemos a que
elle se refere pedindo diversos crditos supple-
menlares e um extraordinario na importancia de
101:705*007. acuelles pama emnaagao al o
lira do exercicio eorrente, das diipezas de que
tratara os art. K 16 f 1 e 2,39 1 e 47 9
este para pagamento da 1' presticao das obras
das pontos da Magdalena e Caxangas quaes dei-
xarara de ser looiicedidas atiento o desposta no
art. 4 da lei n. 573 de 5 da abril de 1870.
X. 608.Dito a cmara municipal io Recife.-
S. Exc. o Sr. viee-presidente da provincia manda
communicar a cmara municipal do F'eeife qae
nesta data licava expedidas as convenientes or-
dens no sentido solicitado em sea offlcio de 13
do crreme sob a. 21,
N. 609Dita a Panlo de Albuquerque Gama
amanuense da secretaria do Governo.Era res-
posta arf seu oflWo de 14 do eorrente, tenho a de-
clarar que S. Etc. o Sr. presidente da provincia
resolveu nesta dato desanoja-lo oque Ihe commu-
nico psra seu coohecimento.
EXPEDHfTE ASSHSNAUO PELO EXM. SR. DESEMBAR-
GADOR FRAPICISCO.DK ASSfS PEREIRA ROCHA, VICE-
PRESIDENTE DA PBMTINCU, EM 18 DE ABRIL DE
1870.
1* soccab.
N. ffll.Offloio ao-tjOrisnl de Portugal.Com
o incluso offleio em eriginal que ao jiz muni-
cipal do termo de Flore* dirigi ao negocianie
i. Duarte Pinto da Silva, ex-soeio do finado subdito
portuguez Damio Pinto de Oliveira, respondo ao|
afficio de 17 de fevereiro ultimo no que o Sr. Dr.
Claudino de Araujo Guimares, cnsul de S. M.
Fidelissiraa, solicita esclarecimentos sobre o estado
de arreeadago do espolio-d'aquelle finado. Renov
ao raesmo Sr. cnsul os protestos de minha estima
e alta eonsiderago.
X. 612.Portara.O vice-presidente da pro-
vincia attendendo ao que requereu Jos Pinto da
Cunba, resolve conceder-lhe licenga para poder
embarcar para o presidio de Fernando de No-
ronha no primeiro vapor da companhia Pernara-
bucana que pata all seguir, as gneros constan-
tes da relago junto assignada pelo secretario in-
terino da presidencia, nao podendo, porem, effectu-
ar o desembarque dos referidos gneros sem que
por parte do commandante do mesmo presidio
se proceda a exame, alim de se verificar se ha
agurdente ou outra qnalquer bebida espirituosa.
2' secgo.
N. 613.Offleio ao juiz municipal da vara.
Transmiti a Vme. para que substifa a irregular
que se acha no presidio de Fernando de Xoronha
a guia junta do sentenciado Manoel Bernardo de
Araujo que all se acha cumprindo senlenca e que
me foi remettidn cora offlcio de 13 do eorrente pela
presidencia de Alagoas.
N. 614.Dito o promotor publico da comarca
de Santo Anto. Transmiti por copia a Vmc, nao
s o offlcio que rae dirigi o inspector da thesou-
raria provincial em 29 de novemhro do anno pas-
sado, sob n. 720, mas tambera das pagas que
elle se refere, relativamente ao desappareeimento
dos livros da collectoria das rendas provineiaes da
villa da Escada e ao desfalque que se deu as
rendas arrecadadas pela mesma collectoria, afim
de que, era vista desta occorrencia, proceda contra
quem for de direito.
N. 615.Portara.O viee-presidente da pro-
vincia, attendendo ao que Ihe requereu o baeha-
rel Manoel Franco Fernandos Vieira, juiz de di-
reito da comarca de Cabrob, resolve conceder-lhe
tres mezes de licenga com ordeoado para tratar de
sua saude.
3* secgo.
N. 616.Offlcio ao inspector da thesouraria de
fazenda.Transmiti a V. S. a conta junta em
duplcala, que me foi apresentada pelo inspector
do arsenal de marinha, com offlcio de 13 do cor-
rente, sob n. 1940, afim de que seja indemnisada
o miniterio da marinha da quantia de 12:600*000
proveniente de 560 toneladas de earvo cardiff,
foroecido ao vapor transporte de guerra tapi
cur.
N. 617.Dito ao mesmo.Depois de liquidado?,
em visto da folha e relagoes nominaes e prets jan-
tos em duplcala, os vencimentos do offlciai e pra-
gas destacados na villa de Flores, sendo os d'estos
relativos aos mezes de Janeiro e fevereiro d'esta
anno, e os daquelle contar do 1 a 23 do citado
mez de Janeiro, mande V. S. pagar a sua irapor-
tancia a Maeoel de Azevedo Andrade, conforme
solicitou o commandante superior daquelle muni
cipio, em offlcio sem data.
N. 618.Dito ao mesmo. Providencie V. S.
para qae seja paga a ajuda de casto que tive-
rem direito os deputados assembla geral legis-
lativa por esta provincia, constantes da inclusa
relago assignada pelo secretario desta presiden-
cia, podendo esse pagamento ser effectuado sob
minha responsabiliJade, nos termos do decreto n.
2884 do de fevereiro de 1862, se para isso nao
houver crdito.
Relaqao dos deputados.Baro de Aracagy, Dr.
Alvaro Barbalho Ucha Cavalcante, Dr. Francisco
do Reg Barros Barreto, Dr. Antonio Joaquina de
Moraes e. Silva, Dr. Manoel Clementino Carneiro
da Cunha, Dr Jlo Juvencio Ferreira de Aguar,
Dr. Joaquina Pires Machado Portella, Dr. Augusto
Frederico de Oliveira, raajor Francisco Raphael de
Melle Reg.
N. 619.Dito ao raesmo.Recommendo a V. S.
que, em vista do pret junto em duplicata, que me
remelteu o commandante das armas com offleio de
16 do correte, sob ns. 187 e 188, mande liquidar
e pagar os vencimentos relativos 1* qaiozeoa
deste raez das pracas empregadas no deposito de
recruias e dos prisioneiros de guerra paraguavos.
N. 620.Dito ao mesmo.TransoMtto a V." S.,
para san conheciraento, as duas inclusas ordens
do dia era duplicata, datados de 40 e 12 de feve-
X. 621.Dito an mesmo.Expega V. S. u suas
ordens para que, depois de liquidados era vista do
pret jumo era duplicata que ma remenea o com-
mandan:e superior deste municipio com offlcio de
16 do corrate, sob n. 83, sejam pagos os venci-
mentos relativos 1* qulnzena d'este mez, dos
guardas nacionaes do 6* batalbo de infamara,
destacados na fortaleza do Brum.
N. 621Dito ao raesmo.Mande V. S. liquidar
^ pagar era vista do incluso pret em duplicata,
que veio annoxo ao offlcio do commandante supe-
rior de Olinda. os vencimentos do corneta do 8o
batalhao de inaotoria, Francisco Xavier da Silva,
aos mezes de Janeiro e margo d'este
relativos
anno.
N. 62$.-Dito
portara
rente, re
ao mesmo.Em addlamento
de meu antecessor, datado de 16 do cor-
ommendo a V. S. que mande pagar sob
minha responsaDilidade a diaria de 300 rs. que
tm direito as pragss do extincto 30' corpo de
voluntarios da patria, como ja se praticou com os
do jorpoj 53 tambera de voluntarios.
X. 6i|.Dito ao mesrao.Transmiti a V. S. o
pret juotjo em duplicata, que me remelteu o cora-
mandant|a superior deste muaicpio, com offlcio de
16 do correute, sob n. 82, aflm de que mande li-
quidar e pagar es vencimentos relativos primei-
ra qmozena deste mez dos guardas nacionaes do
i' batalhao de infamara aquartellados no Hos-
picio.
N. 623.Dito ao inspector da thesouraria pro-
vincial.Providencio Vf S. para que, depois de
liquidados, em vista da folha, relago nominal e
pret, juntos em duplicata, que me remetlea o
commandante superior do muncipio de Flores, com
ollieio sera data, sejam pagos Manoel de Azevedo
Andrade os vencimentos existentes de urna escolta
de guardas naoionaes que condozio criminosos
d'alli para esto capital.
N. 625.Dito ao mesmo.Approvo as condigoes
qae por copia acompanharara a sua informagio
de 13 do correte sob n. 232 para o contrato que,
em virtude da lei n. 900 de 25 de junho do anno
passado, se tem de celebrar eom o corameadador
Antonio Joaqaim de Mello, para coleccionar as
obras iliterarias do Ilustre finauo Fr. Joaqaim
do Amor Divino Caneca, sea processo, auto, a
commisso militar c sua defesa cora urna ras-
truc.o biographica,
N. 26.Dito ao mesmo.Em vista do pret jun-
to era duplica, qae me remelteu o commandante
superior de Olinda, com offlcio de 15 do cerrante,
mande V. S. pagar, depois de liquidados, os ven-
cimentos das pragas da guarda nacional que esti-
veram destacadas em Iguarass, a contar do 1
11 de fevereiro ultimo. .
X. 627 laita ao mesmo. Inteirado do quanto
V. S. expde era sea offlcio de 29 de noverabro do
anno prximo passado, sob n. 7 20, acerca do de
sapparecimento dos livros da collectoria da villa
da Escada, e do desfalque que se dea as rendas
arrecadadas pela mesma collectoria, tenho a diier
era resposta que acabo de recommendar ao pro- .
motor nnalico da comarca de Santo Antoo, nn oargador_ provedor da Santa Casa de jiiser.cordia.
era vista dessa oceurrencia proceda contra queW ^7Z.?*_ G/espftInformro ir. inspector da
fr de direito.
X. 628. Dita ao mesmo. Em vista do pret
junto em duplcala, que roe remetlea o comman-
dante superior do municipio de Aizua-Preta, com
offlcio de 8 do eorrente, mande V. S. liquidar e
seus dons offlcios sem data que as thesonraria--
gerul e provincial tem ordem para pagar a Manoel
de Azevedo Andrade, os vencimentos constantes do*
citados offlcios.
N. 640.Dito ao juiz de direito da comarca aV
FloresO Exra. Sr. vicepresidente da provino*
manda declarar que licou inteirado pelo sen offl-
cio de 21 do mez Ando, de ter V. S. nessa dala no-
misado Jos Balsabino Gongalves Lima, para xer-
cr interinamente o cargo de escriv do iary e
execugoescrimidinae do termo de Villa-Bella.
X. 641.Dito ao commandante do corpo provi-
sorio de polica.O Exm. Sr. vce-presidenio da.
provincia, respondendo ao offlcio de V. S. dato*,
de hoje e sob o. 179. manda declarar quo a lh*-
souraria provincial tem ordem para adiantar aoal-
feres Pergentino de Miranda Pimentel, os veno,
raemos e ajuda de costo, constantes do citado ofll-
cio.
4.' secgio.
X 612.-Offlcio ao Dr. Francisco Teixeira de S
primeiro secretarlo da assembla legislativa provin-
cial n. 61.-De ordem de S. Exc. o Sr. vice-presi-
denta da provincia, transmiti a V. S. para ser
presente a assembla legislativa provincial o in-
cluso balanco da receita e despeza do exerciem
oroxirao (Indo, bem como o orcamento para'o de
1870 a 1871, que remetteu a cmara municipal da.
cidade de Xazareih, com efflcio de 12 de feverei
ultimo.
N. 613.Dito ao mesmo n. 62.Da ordena de S.
Exc. o Sr. presidente da provincia, transmiti a V.
S. para ser presente a assembla legislativa pra-
viana! o incluso prnjecto do posturas additiva?,
que eoDfeccionou e remelteu a cmara municipal
da villa de Ipojuca, com offlcio de 6 de seiembro
ultimo'; Janto por copia.
oespachos na presidencia da provincia dos das
12 e 13 de sETBMBn de 1870.
Associacao Commercial Beneficente de Pernam-
buco.Informe o Sr. inspector da thesoararia
provincial, ouvindo o Dr. procurador fiscal.
Antonio Duarte de Oliveira Reg Neito.R#-
mettido ao Sr. desembargador provedor da Sania
Casa de Misericordia, para deferir como julgar
conveniente.
Baro da Soledade.Em vista da resposta do
gerente da empreza dos trillaos para Apipucoe, e
do parecer do Dr. procarador fiscal da fazenda
provincial, nao pode o ramal dos mesmos trilhos
para Caxang trazer prejuizo ao supplicante, o
qual deve todava entender-se com aquella em-
preza.
Leovegilda Mara da Silva Cordeiro.Declare a
supplicame qual a cadeira qne pretende, visto es-
tarem providas as do termo do Recife.
Baeharel Miguel Bernardo Vieira de Araorim.=
Dse.
Manoel Xunes de Medeiros.Informe o Sr. ins-
pector da thesouraria provincial.
Rosa Mara de Barros.Informe o Sr. desem-
pagar ao capitao Mauricio Jos de Torres Tempo
ral os vencimentos relativos ao mez de margo ul-
timo des guardas nacionaes destacados n'squella
villa.
N. 629 Dito ao mesrao.Ao delegado do ter-
mo do Limoeiro ou ao seu procurador mande
V. S. pagar, depois de liquidados em vista do jirel
juato em duplicata, que me remelteu o chefe de
polica com offlcio de 16 do correnle sob n. 508,
os vencimentos de urna escolta de guardas nacio-
naes, que conduzio daquelle termo para esta capi-
tal os criminosos Jos Ferreira, conhecjdo por Jos
Panarc. e Jos Alexandre da Luz. os quaes a-
cham-se recolhidos casa de detengo, segundo
consta do citado offlcio.
X. 630. Dita ao njesmo. Annuindo ao que
sollicilou o tenente-coroneI, commandante do cor-
po provisorio de polica, em offlcio de- hoje sob u.
17!", recommendo V. S. que mande abonar, por
adiantaraento, 3 mezes de vencimantos ao alteres
Pergentino de Miranda Pimentel, a contor do 1
do correte, e eniregar-lhe a quantia de 110*000,
como ajuda de cusi de ida e velta de Villa Bella,
onda vai em commisso render ao capitao Pau-
lino Teixeira de Carvalho.
X. 631.Dita ao mesmo.Expeca V. S as suas
ordens, para que, ara viste das folhas e pret no-
minal juntos em duplicata, que se refere o offl-
cio do commandante superior de Olinda de 15 do
correte, sejam liquidados e pagos os vencimentos
relativos Uo mez de margo ullimo, do offlciai e pra-
gas da guarda nacional destacados n'aquella ci-
dade, e tera assim a despeza feto no predito mez
com o fomecimenlo de luz e agua para o quartel
do mesm) destacamento.
i" secgo.
N. 632. Offleio cmara municinal de Cim-
bres.Declaro cmara municipal da villa de Cim-
bres, em resposta ao seu offlcio de 26 de margo
prximo podo, qae nessa data j foram dadas as
necessaras providencias no sentido de ser soccor-
rida a populago desse municipio, llagellada pela
secca.
N. 633J Dito cmara municipal da Victoria.
Remeti cmara municipal da cidade da Victo-
ria o incluso envoluero contendo puz vaccinieo,
que a raesma cmara sollicilou em seu offlcio de
21 de fevereiro ullimo.
X. 634. Dito ao gerente da companhia Per-
nambucaia. O Sr. gerente da companhia Per-
nambucaaa mnde por disposico do Dr. Fran-
cisco Corfleiro da Rocha Campello at o Cear
duas passagens d'estado r e duas proa do
vapor, que lera de seguir para o norte no Gm do
eorrente mez.
expediente assignado pelo sr. dr. EUAS rREDERI-
C0 DE AILMEIDA E ALBUQUER.QUE, SECRETARIO IN-
TERINO DO GOVERNO, EM 18 DE ABRH, DE 1870.
1.* secgo.
X. 635Offlcio ao Exm. Sr. general comman-
dante das armas.De erdem de S. xc. o Sr. pre-
sidente da provincia, declaro a V. Exc., em res-
posta ao seu offlcio de 16 do correnle, sob n. 181,
que nesta data se mandou satisfazer os dous pedi-
dos da enfermara militar, js quaes vieram anne-
xos ao sea citado offlcio.
2.a secgo.
N. 636.Offlcio ao chefe de polica.Xesta dato
autorisou-se a thesouraria provincial a pagar ao
delegado do termo do Limoeiro ou ao seo proca-
rador, os vencimentos constantes do offlcio de V.
S. datado de 16 do correte, e sob n. 598, o qual
fica assira respondido, de ordem do Exm. Sr. vice-
presidente da provincia.
X. 637.Dito ao commandante snperior do mu-
nicipio de OlindaNesta dato transmittio-se as
thesourarias geral e provincial para os fins con-i
venientes, as folhas e prets, qae vieram annexos
ao offlcio de V. S. datado de 15 do eorrente, o qual
fica assim respondido, de erdem do Exm. Sr. vice-
presidente da provincia.
X. 638.Dito ao commandante superior do mu-
nicipio de Agua-Preta.O Exm. Sr. vice-presiden-
te da proviacia manda declarar a V. S., em res-
posta ao sea offlcio de 8 do correte, que i the-
soararia provincial tem ordena para pagar ao ca-
pitao Mauricio Jos de Torres Temporal, o ven-
cimentos consumes do citado offleio.
639.Dito ao commandante superior do mu-
tnesouraria de fazenda.
Candido Moreira da Costa.Informe o Sr. ins-
pector do arsenal de marinha.
^ Irmandade da ordem terceira de S. Francisco.
Fica expedida a conveniente ordem no sentido que
requer a supplicante.
Jos Joaquira da Silva Barreto.Em vista da
inforraago da thesouraria provincial, nao pode
ser aceito o olfereciraento do supplicante.
Joaquira Jos Bello.Informe o Sr. inspector da
thesouraria provincial, ouvindo o parecer do Dr.
procurador fiscal.
Jos Segismundo de Albnquorque Maranhao.
Requeira ao governo impenal.
Justino Jos de Souza Campos.Informe o Sr.
engenheiro chefe da repartigo das obras pu-
blicas.
raido o exercieic do respectivo cargo de juiz ma- repartico do ajudante general
reiro ultimo, sob ns. 711 e,712j expedidas pela nieipio de Flores.S. Bxc. o Sr. presidente dapro-
L tiricia manda declara/ a V- S-, em resposta aos
PERNAMBUCO.
HEV1STA DIARIA.
IXSTRUCCAO PUBLICA.-Por portara da pre-
sidencia da provincia, de 16 do eorrente, foram re-
movidos, seu pedid i : o regedor do Gymnasio
Provincial, Dr. Alvaro choa Cavalcante, para di-
rectur da Escola Normal ; e o director ca Esrola
Normal, conego Francisco Rochael Pereira Briio
de Medeiros, para regedor do Gymnasio Provin-
cial.
Noticiando esta permuta entre doas funeciona-
rios importantes da instruego publica superior da
provincia, nao podemos furtarmos ao rigoroso de-
ver de louvar esse laclo do Exm. Sr. vice-presi-
dente da proviacia, que dea cada om dos no-
meados os meios de patentearem suas habilitagoes
no? novos erapregosque vo exercer, estimulndo-
os a proseguirem na vereda at hoje trilhada.
O Gyinnosio Provincial muito deve ganhar com
a acquisigo do Rvro. Sr. conego Rochael, j pe >
seu tino e conheclmentos na direcgo de estable-
cimentos desse genero, e j pela vantagera de ser
um sacerdote Ilustrado, zeloso, e capaz de ergne-
lo do quasi marasmo em que ha alguos annos tem
vivido, e do qual apenas comecava a livrar-se eom
a direcgo do Sr. Dr. Alvaro choa.
Felicitamos aos nomeados pelas cansecugoes dos
seus desejos.
ARSENAL DE GUERRA.Por portoria d pre-
sidencia da provincia, de 14 do correte, foi no-
meado para servir interinamente o lugar de aju-
dante do director do arsenal de guerra, o Sr. ca-
pito-reformado do exercito Manoel de Mello Al-
buqnerqua.
ASYLO DE MENDICIDADE.Por portaras da
presidencia da provincia, de 14 e 13 do eorrente :
foi exonerado, seu pedido, o Sr. Dr. Jos Joaquira
de ltveira Fonceca, de director interino do A-:
de Mendicidade ; sendo nomeado para o substi-
tuir, tambera raterinaraente, o Sr. Dr. Jos Mari;*
Moscoso da Veiga Pessoa.
QUARDA NACIONAL.Por portarte da presi-
dencia da provincia, de 12 do eorrente, em vista
de proposta do respectivo commandante, e atten-
dendo que o batalhao n. 37 de intentarte do mu -
nieipio de Caruar ainda se acha em organisago,
foram para elle nomeados :
Tenente quartel-naestre, Antonio Joaquira do
Siquera.
Tenenie-cirugio.Francisco Cordeiro da Fon-
corapanbia.=Tenente Jos Cordeiro dos San-
7.* companhia.Capitao Jos Domingues do Car -
rao e Silva, tenente Salustiano Pereira Quaresraa,
alferes Cesario Benevides FalcO.
8* companhia.Capitao Jos Matheusde Olivei-
ra Guimares, tenente Caeteno Jos da Coste Bas-
tos, alferes Antonio Cordeiro do Santos,
CONVENTO DA PENH A.- Amanhaa serao trans-
feridas as imagens do convento da Penha para a
capella, construida no quintal ao lado esquerdo d.v
igreja, para servir durante tempo era que se pro
ceder reedifleagao da actual igieja.
SETENARIO.Conaeca amanhia noite na igre-
ja de S. Gqnealo, o setenario do Senhor Bona Jesua
daCOLLKGIO DE S. FRANCISCO XAVIER. 0
padres t.esuites celebrara oo dia 25, na eapella do
seo coJ.legio na ra do Hospicio, a feste do Pa
cinio de Jos, com a soleaidade o brilhantism>
do oostume; comecando amaBbia o respectivo sete-
nar io de preparagao.
ceca.
2.'
tos.
f
i

i


ywAnk'
Sabbado 17 de Setembro de 1870
U
1
1
li


JUVRN-tUDE LIBERTADLA. i
sociedad* amauli a* 11 horas U
-xlraordinaria r da swmno du p.
Hrrwula.rte.^aie^ntxfl pote Sr. Udece.ra,
-e de o ios assumpliw.
DOUS DK JfcHa-A uaiedade desta denomi-
naci 4 que celera hoje, na ru do Barao da Vlc-
Viro n. 43 priraeiro andar, sesso rd.narik, as 6
3a tarde, e nao a W de- SetmHrv como
homeei por engao not .
GENERAL \1CTOR1-0 ara. wroriol Ale.
Xaudre de Barros e AIM^rqo* MeotMoronol
Frnetti Machado Fre.re Pereira da silva, a raajor
K Aagasio Coalho Cintra, tejando coneorrer
t.n,.a"U)P'^'VHl parae mrfebri!hanttMtflo
Sr^ueralB,,-^. de 8. H*ia, convidara a lo-
do* os seas corapanheiro* nao lides da ultima guei-
i Cluo Prirnambacaao, logo que
i dt t*to de 1870.
J. P. Barreta de Mello Reg.
rudtieaao a reg
Remigio *
Antoni o Peroira M"
certido de seter'mecda Or-
ina da nom
> Dalunojeaj-: ;bmajtenia,tan-
bem i ragluro a da sena caixeiros Jola Alvs da
Silva e Antonio Garfia Chive*.Reg>tre-so.
De Affoino Honorato Basto, no mean tentido
qaanto ao sen caixeira Ignacio Javentino da Silva.
Registrase.
De Basto* & Monteiro, tarrro*m no maerao sen-
tido quant'i ao s'u eaixeiro Jos Augusto Rriw
Monteiro.Registre-so.
De Antonio Praneisoo das "toras, uara eeriA*
ar-se-lhe se na exorcicio de 1868 a 4809 tora m-
niara o
tBrMH
xnr*id11
ojferecidu
qnerem r *,*,. contrato -A(| procurador.
Provoco solemnemente ao Sr. Dr. Este
' vio Calateante de Albuquerque, para que
\ declare, com quem se refere suas ex-
Ug* *>' 4*- i-M-irtice^lpTe^^^,,,, pa^epatefiuwl-'"no"'Jornal do teetfe de-hon* *h' mas ifS?1
E tenr^uaoea diz que, oafttMdq iMtici
_* fiLttnwnr qae seja
* f* su dene entre a roatno
fie** correr {rllela em'fre
s denaroina do Viveiro ter
r arcuMiie;n->e, no
H'craphA '^i* Srn,7B1?"n oT i?,ra1* & de sea ctedra e qual seja .,
muelle general, afim daencocorados de tremo, fe se oomeComo requer.
licuar ao desembarque.
vibre o *orvcos reae des*e detracto Pemam
baeaao, lemus nw Rio Grndense do Snl de 26 de
HMIii
Su i mage-ta le o imperador acaba de conJec->-
rai o Sr. marechal de campo Victorino Jos Car-
ne r* Menteiro, com o titulo de barao de S. Borja.
O nohre general nanea medio seus servido?
pela escala das r-orapensas, mas seas compatrio-
us itplaudem a distiarca > juia que o governo Sea
ao bravo solda.l-i de i e i\ de maio, e ao director
d ultima campaiiba.
N.'u er.i jrecisn juio do .>xereito e lo paiz
una ilistincjSo qneile que em cinco auno; de lon-
gos nervicos canqnisioa o re*peto e a admiraoo
je Indos ; piKm. grato ver que o gaverao im-
perial soube, em nouie da p'ttru qjra4eida, dar-
Ihe unta parte das di>tiuc(5ei, que Ine sao devi
das.
Para a historia e para o exercito o novo bario
de S. Borja sei seinpre o valeule Victoiine de 2
e 3i da mal, e das ( toriu de agoXo de 1870.
Entre unto, se ha malares no imperio, qo
pissun pirjf*ftaf-ie lo jeus bra-*5es, sio es sida-
4.i Jo Par^uiy, qae nos seus escudos a lado da
o-pada victoriosa podera com orguine escrever :
valor e aonra. >
HOSPITAL PiRTn&UEZ.-A junU administra-
tivde 15.* aaniversario d i rospacliv installana com
fmssa solemne as 10 horas do dia, exposicao do
etilicio e depsil-ncias, eeom o leila das prendas
off.trulas em baiiegciu Jessa importante e til tal-
tu ij", nada t". I> pmpSd > de esforsos e de des-
pt%'t para que a (arta esteja na altura das dos an-
ini- anlertores.
GOkRECCO IXDISPENSAVBL. No artigo sob
nveaenamnto, publicado no noso numero 208,
vriineira linhi, onde se l aci.bt nr*e*ico, por en-
gaada rfpographia, deve lr se (icio trtenioso.
. lkm DK PERNAM3UC0.5e chegar boje o
vapor ingles .ImnaaiK, procedente da Enropa des
inbniremos antanhaa o no^so namero de seganda-
feira.
FLORESTA.Temos noticias d'este termo, qae
alcancam ao do torrente :
Hara chegado, no oa 22, sem novidade o des-
tacamento do corpo de polica, que condutira des-
ta eidade nove sentenciados, reeebendo inais tres
en Taearat que deviam, uns e outros, responJer
*> jury convocado em Floresta.
O tribunal comejiri l'unccionar no da 29 de
ac*to, nab a preideneia do Sr. Dr. juii de^direito
Kanoe da Silva Reg que, tu abrir a sesso, fez
l'-mbrar aos juizes de tacto a importancia d mis-
sa > que rain chamados em nome da lei e a
grande res.iousahilidade que conlrahiam pelos seos
retos peraoie a socieJade, de que se devam jul-
gar os oaturaes deeasures.
Tinha-se v^rifleado o primeiro julgamento, sen-
do o reo, Maooel li tmaalJo Pereira anior, cen-
demnad". por temtica ue morte, 4 aunjs e 8
meies de prisao com irabatho.
Serve de aecusadr publico, no impedimento do
HTeetivo, o Sr. Muioel Francisco Roteiho.
O Sr. e&pllSd Gusmo Lobo, tendo narrado no
exercieio do cargo de delegad de polica, havia
conseguid i a captura de uiu crimiuoso.
SANTA CASA DE MISERICORDIA DO REGJFE.
> pessoal dos e>taboti;cimentos cargo d'este
saana casa no mez do agosto, fot o se;uinte :
Hospital Pedro II. Enfermos nacionales I'Ji, es-
frangeiros 27, mendigos Jo hospital 20, ditos en-
vi.id.is do asro 20. lillios de enfermos 6, em-
pregados 7, ii.niasdecaidade 9, servontcs e lava-
deiras 15total 298.
Hospicio de alienado*.Enfermos 7'i, oinprega-
dos 10, servente 1total 85.
Hospital dos Lazaros.Enfermos 27, emprega-
Casa das expostos.Edasandas no estabeleci-
Tiento 81, meninos era creacao 8i, amas externas
81. iMi-m interna 1, irmaas de c.iiulade 8, empre-
gaJ >s:;, servente 1total 2t>o.
Coliejii) dosorplutos Educandos81, emprega-
da< II, sm-v.-ntes 3total 96.
CoUejit das orphaas.Educandas 131, irnas
docaridode9,empreados3, serventes 4total 147.
\s <3>s (i, guarda e enferraeiros 4, barueiro e cozi-
ii-k. 2intal 83.
Sccrctwiu Empregados 6, advogados2, solki-
:. I ires -.', t-nradores 2total 12.
Total gen.l-1019.
D'e;;.; pessoal 694 pertencem ao patrimonio dos
estibelc.-imeniis decaridade, 22 ao na'.rmionio
o.is i n liaos 83 aoasylo do mendteidade.
LOTERA.-A que se cha a venda a ICO'
benelii'iu da nova igreja de Nossa Senhora da Pe-
mita, a (iual corre boje.
Saludos para os partos do sul no vapor Ja-
gimribe:
Antonio Jos d'Azevedo, R. Fernandes Porto, Ma-
noel Jos4 de Lima, Joaqnim Soares da Coste, Fa-
brico G. Pedrosa e 1 criado, Manoei Vieira de An-
drade, Justino Mariins Soares, capitio Pedro Anto-
nio di Silva, Antonio Jos de Ca-tro, AntonirxJos
deOlireira, Franciso ie Almeida. rhemistoeles
Goaealves de Andrade, Antonio B. Pereira, B. Ma-
noei Firmino de MeHo, Laiza C. da ConCBicao, An-
tonio Cliatiaeo M. Temporal e 1 criado, relizardo
Goncalves de Mello, Manoei C. d'Araujo Lima,
Francisco Firmiuo da Silva Jatob, Podro Antonio
Silveitre, Vicente de Paala Cascas Telles, 1 escra-
vo, a entregar.
GEMfTERIO PUBLICO.-Obitaario do dia 14 de
etembro de 1870.
Man Rosa do Nasclmento, branca, Pernambnco,
68 annos, solteira, Boa-vista ; interite.
Manoei, pardo; 19 mezes, S. Jos ; vermes.
Tlicolo Bruao, branco, Italia, 57 annos, casado,
Recife ; antras.
Joaj Baptista de Almeida Penha, pardo, Pernam-
baco, 33 anaos, solleiro, Santo Antonio ; phiy-
sica pulmonar.
O.ati". pardo, Pernambnco, 2 meze?, S. Jos; con-
vuloes.
Mara Magdalena do Espirito Santo, parda, Per-
nambuco, 35 annos, Boa-vista, apoplexia ; hos-
pitai Pedro II. (
Francisso Pacheco, branro, Portugal. 25 annos,
oltelro, Boa-vista, febre amarella ; hospital Pe-
dro II.
Vana Francisca da Penha, preta, Peraambnaa,JJ
annos, jolteira, Boa-vista, interite ; hospiul Pe-
dro 11.
Rosa Maria, parda, Pernainbaisp", 15 dias, Santo
Antonio, desynteria; casa dos expostos.
Jaciotno, pardo, Pernambnco, 1 1/2 roez, Santo
Antonio, tumor ; casa dos expostos.
Antonia, pardo, Pern mbuco, 6 antws, Recife ;
interite.
CHRflXlCA JlDriARIA.
FRIiU -VAI, DO CONHBRCIO
"ACTA DA SESSkO ADMINISTRATIVA DE 15 DE
. SETKMKKO DE 1870.
7SISIDEBCU DO' EXM. SR. DB8B.HBAMAD0R A5SK.S*
nLOCISCO PBRKTTL
As 10 horas da rrtanhaa, estaodo reanldo' os'
Sr^. depuudos R isa > tasto, faltando com parttei-
pa^ao os Srs. depotado Miranda Leal esupplent
Si Leit", S. Exe. o'gr. presidente deelarda abor-
ta sessio.
Foi lid e approtada a acta da sesso de 12.
EXPEotEjrrK snbmettido a daspacbo:
R*inerimealo de Antonio Jos Aires da Ponse-
a, para se Ihe certificar a inscripcao'de sea cal-
r Antonio Alves Pereira da Fonseca.Come
uer
De Antonio Victorino daRojha, para se lhe ad
mil: ro a nameacjto de en eaiieiro Leo-
s da Mallo.Registra-
nio da Silva Machado, subraettendo
i o 1.* traslado da eseritnra do dle fei-
mnlher D. Anaa Julia Goncalves de fiar-
se,
arles & Ouvera,.em liqnidaco, Ta-
rando certido de se achar registrada a Bo-
la seas caixeires Urbano Nunes Machado
Antones e Gervasio Protasia Simoes.Gom re-
gnerern.
De Antonio Pedro Gomes, sabatetteodo regis-
Da Jos Ljp.-s Das, igual certido.G-rtiH- -
que-se.
De Jos Pires de Carvalho, idem, nos ex.reicios
de 1858 a I87f).-Snn.
De Jos Francisco do Raga Mello, don. Gomo
pede. .
De Antonio Robera & Filtios, dem com reiaei
ao exereien de 1868 i 1869.Certifique-?*.
De Luii Eloy de Miranda Duro, i.lem relativa-
mente aos exerei-Mos do 1868 1870.Ceriiti-
qne-se.
De Seraflm Aires Rodrignes e Domingos de Sou-
za Rodrigues, tianferencia do tivro Diario pre-
sente na prxima pausada sesso.Como raque-
tera.
Da Altrl) Mariins de Barros, registro de urna
proctirar.i) as .ante.R*;istre-se.
Da Fianoiso Ignacio Pinto, idem d0|conhec1-
mento do ter pago a importe de 3en offlcio de
agente de lotloes relativo ao 1." semestre de 1870
1871.Registrado soja entregue ao snpplicnte.
Da compiuhia de trlhos urbanas do Hecife a
Olioda, siAmettenio registro a carta imperial
qne a autora a elevar a 300:0091000 o capital
lixado no art. 4 de seas osiatiitos.Vista ao Sr.
desemkargador fiscal.
COM IHFOBUAgV) 00 St. KSRMBXnG.VDOa FISCAL.
Da Cwlos Roberto Tott e Jvencio de Souza
Lins, contrato social.Registre-".
De Flix Pereira da silva, Luii Abranctus de
Figuoirdo e Jos Maria de Carvaino, distrato
sociai.Regstr-se.
D< Jos Guilherme & C, distrato sncral e titulo
de unihce deFelisborw FrreiM deOiveira.
Deferido.*
De Jos de Almeida Raballi, Antonio de Suiza
Almeida e Victorino rte Almeida Rabello, contrato
ds -oeiedade.Registre-so.
Autos de rehabilitae) de Jos Antonio Sonres
de Azvvedo.Adiados por nao estar completo o
tnbuaal.
Nada ralis liavendo se sabmattido despacho,
a Exm. Sr. pre^idenT encerou a sesso pelas 11
horas e meia do dia.
do eai it'rao
e a que lhe1
sobrad" que
^ea prolongi-
. mente de abrai^nr ediflea** ja 0shelir-
das: se o quarteirio itrer a0Opk;mns, licar
< destrona raa do sobrado quejd- valor a pro-
priedade, e > demolindo podefaer a ra aber-
ta se ao contrario liver K3 \n\mi* como que
t>m os consenhores, abranger em sea proloii-
gamenU) edificjicdes i existales e qae sao
c umbea de rator sabido.
* A commissio entfinde qae* d terreno por ora
pode ser aberto no sentido pfrpeoilicular a ra
Imperial, licuado suprimida i que. vein sob're o
< sobrado que nao for considerado na planta, e
que a ra passa parallela ailmperfil ou tnba
urna existeada diversa' npiano d* otdede, ou
que seja abierto quando os coseniores de aeor-
(f do enraacantara procuran'deinoRr o snbredo
que dea no centro da roa que a isto se op-
p*o. | .
Paco da cmara municipal do Recife, 9 de
seten.bro de 1870 Dr. Prxedes Gomes de
Souza Pitenga e Jos Maria Freir Gamei-
t ro.Approvado.
Despacharam-se aspeticOes! de Antonio Luiz
dos Santos (2), Areeltoi Xavier' Rodrigues Cam'-
pello, Alvaro *erera de S, Anfenib da Silva Cara-
pos", bacharl Alvaro Caminha da Silva Tavaras,
Antonio Pinto de B.irros, Cliristorao deAraujo
fentigo, Domingos da Silva P^to, Francisco Jos
Lmz, baeli.irel Francisco Atiistu da Funseca e
Sriva, Francisco da Silva R>gy;, a irmandade das
Alinas erecta na nutriz de Sbntn Antonio, Jos
Joaquim da Costa Leite, Jos Raymundo da Nacti-
vidade Saldauha, Jo- Anlon^i Pereira Joao Francisco Paredes Porio, Joaquim Luiz Viei-
raf Join -Erangeli-ta de S, loio Botelho de Vivei-
ro, bacharl L"OTenco Bezafra Carneire da Cma-
ra, D. Maria Carolina de Figueiredo, P. Be I lev,
Stiro Jos ds Maraes, Sii'vestre Lonrenfo do Es
pirito Santo, e levantou-se a Ssso.
Ignacio Joaquim de. Souza Uao, pr-presidente.
Dr. Pedro de Athayie lobo MtsCoso.Jot Mura
freir Gameim.Dr. Prxedis Gomes de Souza
Pitanga.Caetano C. da Coia Moreira.
CMARA MUNICIPAL.
SESSO EXTRAORDINARIA AOS 9 DE SETEM-
BRO DE 1870.
PRBSOMNCIA DO SR. UH. SOliZA LBAOi
Presentes os Srs. Dr. Moscoso, Gameir, PeBsoa
da Silva, Dr. Pitanga e Costa Jnior, abro-se a
sesso e foi lida e npprorada a acta da antece-
dente.
Leu-se o segaiBte
EXFRDieNTi:.
Um ollkio do Exm. vice-presidenle da provin-
cia de 3 do corre.ite, coneedendo aperraisso que
pede a enmara municipal em seu cilicio de 17 de
agosto prximo lido, par* despender pela verba
eventuaes, com o excesso da despcia menciona-
da no citado ofOcio, a quantia de 3603, comtanto
3ue esta se comprehenda no crdito de um cont
e res aberto para a mesma verba por olcio da
mesma presidencia de 23 de julbo ultimo.Ao
procurador.
Urna inlbrraagao do procurador fi?a, com des-
pacho da presidencia de 2 do correle, mandando
onvir o parecer do .vtvogado sobre a rescisiio do
contrato de arborisago, celebrado por Manoei Al-
ves Guerra.Ao adrugado.
Um oillcio do subdelegado snpplente da fregu-
zia do S. Fre Pedia &jnc.alves, Jaaquim Aprigio
Fuado de Meodonca, c.nimimicando acaar-se em
exercicio dom Outro do procurador, dando os esclareumeutos
que pede o barao do Ourieury sobre a primeira e
eguoda parte do arl. 21 do regulamento do cemi-
terio.Offlciie-se ao presidente, em cumplimento
a seu despacho.
Outro do eugenheiro cordeador, informando de
intuir.)- aecurdo com o parecer do engeoheiro che-
fe das obras publicas, dado no requerimento da
Companhia Drainage, que faz observagdes ao pre-
sidenta da provincia, quauto ao lugar que fo! mor-
cado para o esguto das materias ecaes ni bairro
do Recife.Que se officie ao presidente, informan
do com o mesmo accordo.
Outro do mesmo, informando a pelieao de Sil-
vestre Lourenco do Espirito Santo, na qual pede
lieenca para fazer um telheiro no seu terreno da
Cabanga, obrigaodo-se a demolir quando frde-
terminado pela cmara.Indeferiose.
Outro do mesmo, informando favwravelmeule o
requerimento de Joaqnim Alves da Silva, no qual
pede lieenca para murar a frente de >eu sitio n.
3 B. na ra de Paulino Cmara.Mandou ee cor-
dear.
Outro do mesmo, informando favoravelmente o
requerimento de Antonio da Silva Campos, noqual
pede lieenca para construir um porteo na frente
do seu sitio no Arraial.Concedu-se.
Outro do mesmo, informando favoravelmente o
requerimento do bacharl Alvaro Caminha Tarares
da Silva, no qual pede licen^ para edificar urna
casa em Santa Anna, freguena do Poco da l'anella,
arredado 30 a 100 palmos da estrada.Conce-
deu-se.
Outro do mesmo, informando favoravelmente o
requerimento de Jos Antonio Pereira da Cunha.
no qual pede lieenca para augmentar a parle pos-
terior da soa casa na povoaro de Apipocos, para
dar raais commodo mesma casa.Concedeu-se.
Outro do mesmo, informando favoravelmente o
requerimento de Candido Alfonso Moreira, no qual
pede lieenca para demolir a casa n. 25 da ma da
Soledade e constrnir um novo pradio com 130
palmos de frente e 90 de fundo,com grade e por-
tan de ferro na frente.Concedeu-se.
Outro do mesmo, raforawmdo favoravelmente o
requerimeafo docapito Jos Carlos M*n?o da Cos-
ta Res, no qual pede lieenca para murar as tren-
tes do sen terreno entre a ma do Hospicio e a de
Site deSetembro, asslra como consumir um telhei-
ro para guardar os materiaes. Coneeded-se,
assignando o requerente um termo para demolir
o mesmo telheiro quando a obra estiver prompta.
Oulro do mesmo, informando o requerimento de
Francisco da Silva Rege, no qual pede lieenca pare
constrnir 5 casas de 22 palmas com 65 a-70 de
fundo na rea do Mrquez do Herral em frnte do
Gasmetro.Indeferio-se.
Outro do mesmo. informando favoravelmente o
reqaerirnento de Antonio Luiz dos Santos, no qual
pede lieenca para levantar um andar na casa o. 1
da ra do Caldeiro, fregaezu do'Poeo da Panl-
la.Cooeeden-se.
Outro do mesmo, informando'crinlr'a o requeri-
mento de Antonio Luiz dos Santos, ao qual pede
lieenca para chegar o seu muro para o alinha-
meato dos outros que se segueta na mesma ra do
Caldeiro, visto qne tem de recta/is ouffas casas',
a rujo muro quer o stipplfcante'untr o seo, foi o
sen requerimento indeferido.
Outro do mesmo, informando o requeriment W
Joaquim Lopes de Almeida, qo qual pede lieenca
para mandar levantar a parede em seglraento ao
consistorio da igreja do Pilar em consequeoeia d
naver desabado a existente arliga/Jante o titulo
de senhorio.
Outro do fiscal da freguezia do Paco da Panella,
remetiendo o conhcimento d quanfia "de 34200
qua reclhea ao cofre da Santa Casa da Miseri-'
eordia, importancia lquida da arrematcao de
cabras ecarneiros apprehendifls ni fregdzia.Ao
archivo.
Oulro do a.lministrador do ceititeri da fregue-
zia da Varzea, trazando ao conhcimento d cama
ra a reclamarn do servvente de mesmo cemiterio
pedindo augmento do seu salario, e declarando,
que se acha despedido da oulubro em dianle, se
nao lhe for eoncedido esse augmento.A' com-
misso dos cemiterios de fra
Urna petico do gerente da companhia Dfina-
ge, pedindo a cmara qae se marque' os lugares
em qae se deve collocar 4 latrinas e herinatorios
pblicos- em rada urna das freguezias desla cia
de1.Ao engeuh'
Outra d Joaqnim P
Monteiro, pedi ito da ultima pfesta-
<}o da obra i ia Cabanga. Ao enge-
nhiro.
Or -amento, reclaman-
do pi de assuear da
rila de M ente a Joao da Silva'
Ferreira, com a qoal maito soffre o tupalieants -e
COMMUNICADOS.
COI. 1^ A A ^ AO.
0 UBEn.lL E 0 V.NIFICO DOS IRMAOS S E AL-
BUQUCRQUB.
Urna serie de artigos tem o Liberal publicado e
prometa publicar par? justificar que os irooos
S e Albuquerque rarrerara envenenados, ora,
trans.Tevecdo o que a semelUanto respeito foi dito
pekw jornaes diwios, na parte que lhe conve-
uiente, ora tirando conclu>oes sea geito, ora
finalmente doclamano contra aquelles quem at-
ttribue to iastimo-o acoaUcimento e coHtra
o pouco zelo e abandono da autoridade policial
que se ada frente das i esquius a averiguarle-
doi crimes.
Nao dos tem feit> reparo a lioguagem da reda -
C-o do Uberdl, relativamente a morte dos imaias
S e Albuquerque e antes o que nos t m admira-
do foi o sileuc;o bar taato terapo guardado tai
respeito.
Nao nos sorp/"hendeu que o chefo de polica
fesse maliraiad/i pelo articulista, o que nos ten)
admirado fei ver que a redacejio do Liberal, que
bu--.d. ou quer buscar ter ps foros da honesta,
consentisse sem motivos e semrazao, que se. nju-
riassn um a.'to funeconario publico que tem na-
bido desempmhar u seus deveres sem condes-
cender com amigos e nem perseguir aos adve-
sarios, esqucendo se anda do-bam merecido elo-
gio que mspeiio d'este magistrado fez eslampar
nais celumna* dese mesmo jornail!
Nao nos caasou espanto que para se mostrar
que o fallado c-nvenenameoto foi urna realidade
se tranjrevesse o elogio publicado na Uni), pe-
riodicownservadirr-i respoito do "finado uoose-
Iheiro S e Albuquerque, qu;ndo numeado presi-
denta de Alagoas, porque felizmente, aem por em
duviaa eemelbanta jmzo, i-alieuios e sabe udo o
pnbli.'fo d'e.sta'cjdade ser o elogio partido da penua
do esciiptor subvencionado pelo partido conserva-
dor para escrever enio aquelle jornal.
O.que nos eansou reparo, porm, foi a redar,
cao i!o Liberal nao publicar o que n'aquella ep >-
ca (oii mpresso respeito do Sr. conselheiro Sa e
Albuquerque e s:ia familia nos peridicos do sen
^proprio partid', e al com a. responsabilidade de
um nome rospeitavel, dito no pretorio das Justinas
do paiz.
Muito ionge liamos se quizessemo; desde j
responder ao Liberal, libamos porm aqu, aguar-
dando que se conclua a publcacao da serie do
arligos. sob a epigrapheO Venificio, para dar-se
a convenieute resputa, da qual se ha de concluir
qae esse tecido de embustez, nao poda e nom ha
de prevalecer ?.n!e s luzes da verdade.
Acceitamos a lava que nos foi atirada pela re-
dacc,o do Liberal, a aconselhamo?, porm, que
modela a sua linguagem e que esteja de accordo
com a grvida 1e da questao o a posico d'aquelles
quem se dirige. O que deve esperar o publico
de am Jornal que tratando de apreciar urna ques
to grave, como a do envenenamento, em seu pri-
meiro anigo qualiflea desde logo um alto funeco-
nario publico de idiota e imbcil ?
Urna discussao d'esta ordem necessariamente
trar inconveniencias as qnaes ho de vser lanza-
das em eoota snmente da redacc.ao do Libral,
VIS VI REPFLLITl'n.
E' verdade que as injurias do Liberal nao che-
gara ao Sr. Fernr.ndes Pinheiro de quem j fez
e pnblicou o segu ote juizo :
a Grabas aki a a firmeza inabalavel do Sr. Dr..
Luiz Antonio Fernandas Pinheiro actual ebefe de
polica d'este provincia, o qual soube resistir a
lude.
. < S. S. elevan se tanto quanto elevada a sita
misso de magistrado, cumprir o seu dever serena
e desassouibradamente, mostrou at a evidencia,
que um homem ioeorrnptivel, integro, que obe-
diceo aos dictamos da le e aos principios de jns-
ti$ai
< Maites lhe envtjam hoje a aureola de gloria
qae lhe circunda a fronte, a
E hoje o Sr. Frnande* Pinheiro lornou-se im-
bcil e idiota!!
Que differenca de lingnafem l Que cynismo!
Que direitos credalidade tem quem assmi pro-
cede?
Despreze o Sr. Fernandes Pinheiro todas estas
invectivas convencido de que cima do juizo
parcial dos homens do antigo proresto esta
o da provincia intoa que nao cessa de en-
comia-le pelo seu irreprebansivet proceder na
direccao dos negocios policiaes, pela maneira
itnparcial porque s tem havido n'esse mesmo ne-
g*.
, Opportunampote voRtreraos a impreasa.'

PimiCACOES A PEWPO.
Xng<**** o Asylov de Me*lc!-
(3 -orrWio.)
O Exm. Sr. proredor da Santa Ca9a de Miseri-
cordia, referinao-see-donUvo de carne secca,fa-
ridha e fetjao que fez o Sr. barao do Livraraeoto
ao Ayto dVf Mtm'di'cra''ae,' eod'sfgtia' em eu offlcio
estt plvr :, LeeoBrr esto eodsideravel do-
aatirp para' qf' V. S. tenh era vita' e sirra-se
vaSa'f >e ta*m*tl&o snp'rim'eito de erne e'farinha
diminuio n devida propor^o a coopta desses
ganaros" pata" o cotosarho desse estbeeimerito,
pois nos subsequentes offleios ron tratar das des-
pozas feitas rom os gneros consumidos na al i-
mSdtaead dos 'as-ytados e erabregiaos
Quando tratar dos tees suoSequentos offlci#s,
mostrarei raais detalhadamente a exferacao deste
aceito; hoje dir'e'i, inJile' em enlesupb que
em lodo' o mez d maio e junho nao figurara as
contas do Asylo despzas fehs com fannRa para'
os asylados. A farinha que nesses don meces
conlprou se, em pequea quanlidde, a consta de
taes contas, foi unicarhnfe pira gasto dos empre-
gados.
E visto, po% qtfetaft pft"hab h xactidao
no qu assdrera o Sr. proredor.
Das mesmas contas veriflea-se' tambm qt a
despeza do mea d malo foi msnor que a dos os-
tros e a de jutb airida inferior, a de' abrir jalho.
isto ainda m provade qa i ohativ
qne se tr uno reduelo as despzas d'a-
quelle estebelecimei.
Esse donativo ai teite em 9 de maio, por/isto
os seui effeitos foram ma seasiveis aeate mez.
pres8< contidas em nma corresponden-
{ia dizendo) <}e a Sra. D. Candida seria hoje
objecto do luto de urna familia estremecida,
da comjp'nnc-l dos admiradores de saas vir-
tudes, da desolaba > de. seos Quimbos e do-
msticos I
iie ioreneoamentos accressenta em Milico
outros lalvez tenham mais pratica de tnve-
ndrmmenlo.
E, cuino, n5o s oSr. Dr. Estevao
qtwm teta feho taes aluses, ainda qoe ou
tros pelas tquinas, mal que, se no ani
ara fallar claro e positivo ; a reaM
porque autorisado pela respeitavel pessoa
de eo> niimtt 6 servem pafa-caltittfciafdin
o mea irrrrJo o Dr. Joiqtfim de Aqrjfrro
Fonceca, dirjo eala- solemne- provocacao..
Eston disi-oblo a nao tolerar jamis os
continuados insultos, calumnias e amea-
oas, que t>e tem dirigido met irmao seaj
responder convenientemente ; e talvez q*-e
paP meltior ser considerado atgftm que
prima em taes insultos, lenha de referir
certos factos, que sendo sabido por pou-
cos, nao devem Itcar na obsotridade, pa
ra bem saliente'tornar o c~reter de quem
se quer jactar de verdadeiro e campar d
galinho de campia.
Sinto ter de dirigir-ine ao Sr. Dr. Este-
va > Cavalcanti de AWiuqaerqae, de qoe^ra
me presva ser1 amigo, e qiiemf defo ob-
sequios qoe nrffftia os hei de descooTiecer ;
mas, o mea dever de irmfo isso me
obriga.
Recife 17 de agosto de 1870.
Dedo de. Aquino Fonseca.
MAPPA comparativo da receita do cemiterio publi'
co da cidade do Recife, do de selembro de
1868 ao ultimo de agosto de 1869, e do 1 de
selembro de 1860 31 de agosto de 1870.
>srra:> acas-
os =.S *j2S
-"" ^ 5 -

v.aiocaxsii
scoaaocu
Un
w
V)
caso -

uuo
(Su v>t6 o
5 OQO 588

M
be

5@{*
00 ^J
8888
go
88SS
h tw i V
rt = = o
88S
CIi*OS
83
3c *.- ir. oo zc ov oo oo
?so
X
C
S
;;
OJOOOt*
O. >- *- B.
588
o
fe
:: ^ u. v; i i
~l O- -i L4. -: C. C
oo -> a .. ~ o oo co
tt. O; t 1 l>< Sosa=588
o
iuuu
oa. uu
i; ^- 1-- :j 1* M w
l h- X I*
u a ; -1 x i --1*
iiissiis
1* i* 1* 5-
o; ri IJI?*-*-
;- :^1C^I *-*
C?a-JCpOtp=-9 00
SB22
55555
88;
o^i So
OC -K -kj *J
SS8
00
Su ^i u- it U- l*t
c^ -4 i> 3a r *-i c-e
"& fcft i> t> tM t) tiu b'
sSsggSsg
oooooooo
15S158
o c
oixmoc
i>, o tw e-, >
u o v. -'. .-.
88888
^1 lo
O c
9 ^>
*s
C3
00 i.
o r
o 1 o
1M
?
ta
a
Si*
ta 1 Ci

wawMi co
Qccocooogocpo---
S i fi 2 5?
^c
^=555
BP^Cpoii
H1CXS-XCOI*
e t e. t &. a. tt.
^ -^ rT 00 ^i t -~i
SS88888
bu a: Ojo i^i-i t. ly. l> iS 10 00 J^ ssss I 00
~J Q-I 400CCO .er.eoe SSSS %
>
r
o
O
-n
-B
2
O administrador,
Antonio Augusto da Fonseca.
Illms. amigos e Srs. Manoet Figneiroa de Faria
& Filhos.Rogo Vv. Ss. que se dignem de res-
ponder-me ao segninle :
!. Se inte'rvim por quaiqaer modo na pnWlea-
co, feita no Diario de Pernambuco-de horttem,
do artigo Questao de envenenamento;
2." Se o autographo desse artigo era de letra
ra'nha ;
3. Se eoTigi a prora typegraphica do referido
artigo.
Espero qde me farao o favor de prestar-se a
meu pedido. _
S*a com toda a consiareSof'de Vr. Ss. amigo
c criado 'orVriado.
16 dXsetetribTb de 1870.
Illm. Sr. Dr. Joaquim d'Aquino Fonceca.Res-
pondendo carta supra-de V. S., temos a dizer-
Ihe : qde nao nos consta ter V. S. intervindo na
poblie{ao de que trata qe* letrado autogra-
pho nio de V. S.; o qde uS vio nem tem vin-
dd V! S. revef- proras n typo|fafphMr.:
Cremes- a*>lra cumprir' seo* de3e}oS. Somos,
cora estima e consideraco, de V. S. amigos e cria-
dos obligados.
Manat Fupuh-a de Faria lik LAOWMA
SOBflE A CAMPA DE D. CANfltDA FRANCISCA
MAROOS DOS SANTOS, ESPOS.l DO SH. PRAN-
cisao tvn nosr- saltos.
A vida rpida.
* *
Na madregda de 3 do crrante des-
prenden-se da consideraces terrena, e
Tda-at o seio daDivindade urna alma ge-
nerdSa f
Ab I Nada a bumanidade I Obra prima
da creacao, a bumanidade n3o pode1 ser
comprehendida*!
i Mjrsteiof'
Qoera diria qae a Sra. D. Candida Fran-
cisca Manqaes dos Sanios, ainda ba pouco
.80 cheia de vida, consolando e animando
caros filbidHos, dirigihdo enrgica e
Ifudentemnte sua familia, mitigando o
soffrknento dos infelizes que a ella recor-
riam, affagando aos amigos e conterrneos,
dando o exemplo do retiro, e de tantas ou-
Crois padefcimfctos "Hlverara- lermo, e
COmsigo derara termo a um;i to preciosa
eiistencia, de alam tempo a eata parte
contristadbra, e para ella inspida.
Nos que aprtcia*ies de perto as bellas e
eminentes qoalidades qoe ortiavam t5o boa
creatura, qne ti vemos a dita de conmoni-
ca-la frequentemente, nos sentimos summa-
mente commovidos pelo acerbo golpe qae
sefl/eu sua-incousoiavel familia, e na mais
am>p1a eipreesao de nossa sincera d6r, da-
mos-lhe os pezames, ac-nselbando-lhe pa-
ciencia e resignaco, e diendo lbe que
quando a trra perde um justo] tonta um
anjo o co de mais.
L;i, onde ella se acha, orar pela felicida-
de de sua prole, a todos os respeos digna
da nossa respertosa consideraco e es-
tima.
ASo-rads, 16 de setembro de 1870.
MAPPA comparativo da desbezas feitas com o
cemiterio puhlico dn cidade do Recife desde o
1 de setembro d? 1868 31 de agosto de 1869,
e do Io de setembro de 1869 31 de agosto de
1870.
> !r K > 3;:? 5"
?
3'/OJ I
-oca
f^ -1 '
p o r I
M
is
ra
IlfiiVEl
*- Ciiii*Ci4i
i (m e 1. o c
r 222222
SiS5S855
1 t^ M- #-
1* O it '4. it 1 o
to a K e. rfi a

e.
%
>2> i
M, 1*1* *

2
o
- l
'M I L-
8

1 t>e
i X
:5
-JOii-l^-SCXGt
e e e f>> e e. eo
IOO-.3X"
-1
c
o a -j s 2 5 5
-- -1 ^ c :
~. U ?
3 i si
Va
S5
i:
O0l*KH
- -.

65 fc
s 5
tx, I o
o o>
SS*-
SS5
2
s
B
-
u> o>5 ota 4r 3*-
e B. t?. &. e- u c
S z.: i? m -i --1
oci?w a
1* u ot
i- O -- 1*
w -
5. I uw#i ei
i,. 1 t-.-^t
I O w O ~o
o5co
a* k_ 1 l CO 1 l* 1 w as
TI ^1 ^j
1 ru 1
'o
II
ts 1


L
-1
--o
?'
B-
-"S
88

e
*
s
-" I
-. I
* T
I c
00
OS!
m s
te
*
8
00 o a -1 00 oc i t.
".-icvioi-O^
ea o e- e s. 9i & a
oc 4.- no 1* -* a: C
OOC3C--,-<*,*i
2*88
os ^4 c;
55-
o*o I ...
-ouaairs^
O 00 tO CO 1^- 14. O --
-J-ig
: J i C
f C co 00 c? C -p Co i ^ -' i: 2 *
1* iO-t-!>-g| 'i' 01

i
o
ra
gi3t'>
2 2 !i
2 ft ** t
o asiio ~<
n, = -< 3"
-1 2 _-s .s
" 3 S"3
12 1 *
< w
y.
5. o
O O v =*
n Q. '^o "
o o 5.
a r, 3 -
3-|t||
0 = =
o; n 3 "
< 3 7T ~* Q.
Ti 5 WU
5." 2 g-J 5
t> z> yz> 5 c
Si^S" o.-
a, a, OQ a*
ag:-l3J,
c -> r'a.tiq CJ3--3 s 3 ^ J
9 3.o v -_ a^3ST_="* j^ j
3 od'S =-."
si" o"
'-* o 3

^" = 8
:rB-S2
j> -i o-ar-
g .-..
f^'-sSi
' a 2. ~a
r*ft
W =3
2. 8 -3
3*11-^
ais
>c a.
* M 3 -*
5-o 5 '

3 5
2.-3 B -1 '
oMg-5S-"3
aoinW#*rad*ri
Antonio Aujusfo da Fornica.
Hospital portugutz de Benefi-
cen*ia.
A junta administrativa tendo de celebrar o uhh-'
versado da InstallacSo do Hospital, domingo 18
do corrate, com festa regioa 00 oratorio do es-
tabelecimento com missa solemne pelas 10 taras
da mauhaa, cuja execucao em mnziea era regida
pele exeraio professor Pernridibueano e dislinclo
artista o Sr. Fraueelino Domingo? de Mourj Pes-
soa, o qual, em considerf gao s sympathias qw
lhe vi ta a sociedade mantennclira do hospital,
ixecular em rtolino am slo di> feu escolhido
a/6at muzical, i entrada do sermie.
ii Depols da festa ter lugar, e:,i acto solemne, o
balar aos enfermos, servido pelos memores da
.una, sob a presidencia do Sr. provedor e doRvd
apellao.
Asi horas da tarde dar-se-ha cemeco feira
de earidade, chando-so era plena exposicao tod
as prendas offertadas aos pobres para auxilio de
sua manutenan e tratar..
Finalisar a festividade com urna laainha can-
tad ante a veneranda ma,-" de S. Joode Deus
patrono d'esta pia inslitu
No decurso do dia, duas bandas de rauzca
naarciaj, das mais apreciaveis, desempenharao es-
colhldas peas para recreio des concurrentes.
As enfermaras e mais partes do edificio serao
11 tu a? A lf
ras da mad
"raca
terna sla
P^ ser
contemplada ielo- amante* 4#etto e-elegancia.
Assim, pois, da experar que o publico, simpre
dedcala solemaMaes des> ordwo, tffluir a
esta ttm de sua*pSticular-" e uonca desmenda
devocio.
Sew*iado Hospital oflogow de Beneficen-
cia, 1 de setembro 4o m
O secretario,
Alfte Corleto Pereira.
Aviso ao publico
O abaixo assignado faz patenta ao publico, qae,
reeebendo na estarlo de GameHeira por oecasiao
da chegada do trem no dia 9 do torrente, urna
carta do Sr. advogado Antonio dos Santo? Vital,
casualmente a abri em presenca de alginas pes-
soas enm quem conversava; e achando dentro
delta nma'e meia folha de papel pardo, proprio
para envoltorios, em lugar de um recibo Armado
pelo subdito portugaez Joaquim de YascooeeHoe
Pinto em 13 de inarQo deat* mesmo aano. decla-
rando haver recebado a importancia das letras do
Sr. Francisco de Paula Cavalcanti Lins, enji eo-
bracca, lhe fora incumbido; e una procurac.o do
proprio puobo do Sr. Vital, qne dix elle na dita
carta, me enviava, encarregando-me de em seu
notne n-querer ao jntz de crpbao? deste termo de
Serinbaem para fazer entrega das leitras saccadas
pelo finado'Vs.scineello Pfclo, e acceitas pelos
Srs. Joaquim Verissfma do Reg-Barros, e Felip-
pe Paes Brrelo, os nnicos que, segundo diz, est^o
em seu puder; licou sorprehendido por tal esra-
motagem, e > mesma, com qnem cmiversa a, 10-
mou por testemunha dVte faci maravilhoso,
moslrando-lhes o papel de enVetterio limpo de
qualquer escripturaao e lando-lhea a ler a cele^
bre carta, que acensa a remessa da raeUmorpbo-
seada procuraao, e recibo.
Para qiw, pois, nenhuma respoBabilldade lhe
possa ser attribcida, e por bam de soa eepuucao
leva ao dominio do publico o facto, qne vem de
referir.
Gamelleira 10-de setembro do 1870.
Pedro Gaudiano de Ratis e Silva.
Aaniversario da fastaUapSo do
Hospital Portugus ue Bene-
ficencia em Pernambnco.
Em todo? os tpmpo?, e entre tfldos os povoj. se
ba mantldo com in.Htervel permanencia o loova-
vel Oasss apraxivel costnme de fazer recordar as
gerars* que se vo succi-ilendo, os feitos glorio-
sos, e as aceces de inexeedivel merilo prancadas
por genios de eminente reputacao, qurr em honra
do solo eornmum a que ^e prende o sen nasci-
mento, qner i-m nem de 'una parle singular de
seus concidadaos, quer, enrtfim, em prel de toda a
humanidnde.
Muilos san os me ios de que se st-rvem as na-
i;oes, qde povram o universo, para perpetuara
memoria de sen hroes, on dos factos mais trans-
cendentes por que ellas se nobilitam.
Estatuas, oblisenp, e outros monumentos ein-
zelados no marmore ou rm brtrazo, ahi se ergnem
sobertios e magesfesos para atlestar posfridade,
ou a grandeza do feito, ou o lustre do nome do as-
signalado varao que elles symbolisam.
A tradi^Io, yravatla nos pergaminos'da historia
con a severa cnlica dos contemporneos, tomona
lega perdurare! aos vindcaro< a verdade im-ontes-
tavel do objecto, que attinge admirrao, ou pro-
voca o respeito e a homenagera para com os seus
magnnimos fautorev.
A relqiio, mesma, tem- por en maior esplendor
o celebrar annnalreenle a festa comroemorativa
dos seus venerandos innrtyre,ite seus nclitos san-
tos, para reviver' no espirito dos fiis as resplen-
dentes yirtirias aleanhdas da verdsde sobre o
frivo brilhn do smitr dn prximoa elevacao
da humildide a pureza da conscienciao ex
se'sodas virtudesa nmlo da criatura ao proprio
Creador, san'icando se.
Contemplativos era to edificantes exemplos, re-
veladores de sincera e justa gntidSo, tribntada a
memoria dnqu*>lles, que snnberam distinguir 3
por sobreexcedentes no e<*dcio e pratica dos
devere? moraes, eivis, socaes en religiosos, os
Portngnees residente* nesta parle mais encanta-
dora do'raagnifiro imperio da Santa Cruz, educa-
dos ou estimulados pelo espirito homnnitaj> e so-
beranamente generoso, qu innato no coraoae-
de todos os ttlhos dste abeneOado paiz, rumna-
vim de ha iriuito em seu pensamento 0 desejo de
erguer bem alto um padrfra de immorredonra re-
conlac,3o. significativo de sens bros, da nobresa
de seus sentimentos e da exeellencta da reHgiao
que profesara, e entre os diversos modelos qne se
Ihe-antolbavam para es-a obra monumental, in-
piraran--se na preferencia dada fundaran de nm
asyto para a humanidnde enferma e desvalida, no
qual f.isse encontrado agasalho, conforto, allivio
saude e vida para aquelles de sens compatriotas,
qnew a desventura henvese feito sentir os hor-
rores-da penuria, da indigencia, das dores e de to-
da a sorte de padecimentoe.
Eslava concebido o plano ; mas, para que nada
faltasse belleza e solidez de soa exeenco, fir-
mou-e como en trajo magistral, sebre auspi-
ciosa deicat.iria ao nome do excelo monareba, o
immortal joven rei, o Sr. I). Pedro V; escolhecdo-
se al, para por em maior relevo o caracterstico
da earidade, representada nesse novo templo, com
as mais preeminentes virtudes congenitas ao bon-
doso corarlo d magnnimo principe, o dia de
sua gloriosa elevaran ao throno de seus progenito-
res, aquelle em que tivesse logar a inauguracao rfo
piednso asylo que de ento e licou denominando
Hospital Prhignez de Beneficencia.
Salve t pols, dia 16 de setemhro de 185*51 dia
de grata recordaco todos os Porfugneze?, qne
amantes da patria, da ordem e da liberdadp, tive-
raro a ventura de ufanarse, vendo preshlir a-:>s
destinos da uarSn o soberano (Ilustradoo rei ci-
dadaoo verdadeiro cultor das artes e das scien-
ciasn >- ,;go do sen povoo prototypO de todas
as virt j Je-^ I
Salve I ainda, dia 16 de selembro de 1833 que
viste surgir, como por encanto, nesSa hospitalera
provincia do Brasil, mais nm benfico refugio,'des-
tinado a suavisar os infortunios e a miseria,
que se v de continuo exposta a natnfeza huma-
na, no embate dos mais piritosos pareis, entre
os qUaes se faz vetVjar a existencia I
Salve I finalmente dia 16 de setembro de ltl
qne H'este rimeTorar aos fimos da rllgiSo, da
crr.citlearto o modf porque sonbe grorifiear-se a
pobrea,-e a hnmlldade com'que se ornamentava
um servo do SfnHot1. para exer^er ados da mais
acrisolada virtude, em favor de pobre, d-> doente,
de infeliz, e do desamparado 1
Sao porfantn trr os motivos da festividade, qne
e soleumisa domingo 18 do eorrente no edificio 1-
tuai'no Ingar derforainado- CajeiteTributo de
veneraeie sandos'a memoria do preetaro e mais
amado rei, o immortav'Sr. 1). Pedrb V, renovaran
de votos pela prosperWM-e eograntfeeimenlb d
Hospital Portuguez de Beneficencia eitr'Pernambn-
co. Celebraje dnsdlzimtes ofBoies emtionra e
louvoraebemavenldrado'S.Joio deDetts, patrih
essaf casa d evng*lk cafiOadtf.
Aspessoss 'qiie aHi'teneori'etim' ne*9e dia 'de
enthnsiastico e ed:-teante refesljo, encontrara em
ostentosa exposicao aseHWrmrTi.*etddos oscoht-
partimentos de' ediSeio",' a -pedWrdih ser: visned,
gnardado o devidtf deeort, deWMal-'e Mft"or-
dem.
PoderSo assistir pelas 10 hora* da mami^a>
missa soleffine'cefebradain eraterio- do eatuMte*
cimeotO( e que ser cania#a>em musiea s#cra, pT
urna escomida oreWestlfc-regida pela efltifne pre-
feesor o Sr. Francolino Domingos de Meara Pea-'
sea, e ao sermae-reuilada pw oro' dos ondaVes
maisnolaveis do clero da no** Mace*.
Ser-lhes-ba permtWMe'fraawia|owu no re-
feitorio para testemunnareft o cartitte acia d
bodo aos pobres convalescenes<.etfWo pelos bt>
nemerito otemros da juntadmiaiatrativa.
Tomarlo parte activa bem pronnahaa esperamos) na tetrada beneSeeoeia: qn ter ru-
ga rpelas quatro horasda Urd, offereeia gtne-
rosidade, pliitentropiaedevocSn dos caaartbakues
e raais e mrurrentes pelo infatigavel bemfeitar
Sr. Jos Maria Pestaa
Finalmente ainda patas 7 barts danoote, onn-
rao entoar cnticos e hymnos de gracas e de leu-
veres aate o altar sagrada d beatifico ar
droeiro I
Ditas bandas de musiea marcial toeara na ta-
lervallos de todos os acto*.O exterior do estabe-
|ecimento estar galhardamente ornado cora bla-
deiras e outros enfeites festis.. Profusau de ha-
zas Iluminar noute o edificio, tanto mtefM. co-
mo externaaenle.
Eis a festa anniversarw.-que no presente an
actual junu regidora do Hospital Portuguez ofie-
rece oontemplacSo do publico benelcenta, espe-
rando sua vaiiosi.-sima moperaoao, spueteltoente
na oflerta de snas prendas para obasar de eari-
dade, ao qual como dadivas celestes, se mulu-
;
*
* 1
,


Diario de &mm** SfefctJi
fO.
i

'^i
mi*
e
'OS
I Oj senhoTes :
Conmendador Jos da Silva I
Francisco Jos dos Passos Guimares.
Joaqnim Ferreira do Sntos Coimbra Gwmiraes.
/ Manuel da Cunha Porto.
Commendidor Francisco Joao de Barros.
loo Pereira Montinho.
Joao Garlos Bastos de Oliveira.
Bairro de Santo Antonio.
' O senbores:
Jas de. Axevedo Andrade.
Jos Joiquim d Costa Maia.
AntontofDiarte GnweiroiViannn.
Joaquina Antodio Pereira.
Antonio desonza Reg.
a Balrre de 8. Jos.
Os seobores: ___
Commeaidador J* JoonmmUma Bairao.
*ia da 8Wa Parrara.
I/wreoeo Ribeiro da Ctmha Oliveira.
Pedro Jos da Costa Castello-Branco.
J Theolou4 Pehx ile Mello.
' Bairro da Boa-Yuta.
Os Wnore: .
Coawnendador Joao Luiz Ferreira Ribeiro.
ftoaatogos Antonio Silva Beiriz.
Jos Alvos de Una.
PeMx Pereira da Silva.
Francisco Carlos Braodio.
Passagem.
O seobores :
Caodido Alberto Sodr da MotU.
Migoer Jos Barbosa Guimares.
JosMortejro de Siqueira.
i Marcelino Jo Goncalves de Ponte.
Francisco Jos da Costa Arauj".
Cororoeodador David Ferreira Baltar.
' Ayres, escrivao
COMMERCIO.
PjUGADO BICCIFB 16 DE SETEMBRO
DE 1870.
K 3 i/1 HORAS DA TABOK.
Frete de^algodio daqoi para o Canal 1|2 por
lib. sem capa.
Pelo presidente,
Mesquita Jnior.
Pelo secretarle,
A. P. de Lenws.
ALRANDBQA
Hacdimeatododial a 15. 463:459*955
!d-ra do dia 16 : 32:3031007
495:701*962
MOV1MESSTO DA ALFANDEGA
folimes entrados con fazendas 34
dem idjOJ com gneros 541
titiras* saoidos cora fazendas
Muro idTD cora generos 528
CG JWII.J.
o escrevi.
Aagtlo C'tnun.9 ae sauza i-misstxr.
iOmmiti fl escrivao Joaqaa GOCiives de
LrmMAjnrtr______________________.
" 2.a Seccao. Secretaria da presidencia de
Peraamboco 13,de Miembro de 4870.
Por esta secretaria se faz puDlwo, para
cohedmeoto de quem interessar pos a o
edital abaixo transcripto do juix munieipal
e d'orphios do terq&o de Bom CoDseibo,
pondo" ero cwcurso a serventa vitalicia dos
flick e pfJBadro ubelliio e semao de
orphos e mais annexos do dito termo,
creados em vjrUide /do disposto no decreto
de 30 de Janeiro de 1834.
Os preeoeotes daverio apresentar os
seus reqaerimenlos instruidos na forma da
lei nc praso dtesentai djias, contar 'esta
data.
Antonio Annet Jaeojne Pires,
Official mawr sarvindo de secretario.
|tOtaetba aroael Manoei Silvestre de Al-
buquerque vMaranbJo, l. opplente do
jaiz municipal e de orpbSos em exerci-
cio do termo do Bom Conselho em vtrtu
Pelo presente faz publico a qoem con
vier, que por portara de 4 de (everelro do
crreme anuo, expedida pela secretaria do
ministerio da justica, fot declarado vago o
ofL-io del.* tabeilioe ewrivao deorplos,
residuos e capetias, que exercia o atieres
Jos Segismundo d'Abuquerque Maranhlo,
por nao haver este tirado em tempo o com-
petente titulo ; pelo que se convida por
meio d'esto prosete edital, a todos 406
pretenderem o referido officio, para qae
apresentem seus requerimeoios e doctmeo-
tes no praso desessenta das, a contar d'esti
data, tendo em vista o deereto do l.de
iolho de 1830 e n. 817 de 30 de agosto de
1851 e mais disposic5es em vigor.
O presente ser afinado nos Tugares mais
pblicos d'esta villa, e reproduzido na ca-
pital da provincia, como determina o de-
creto n. 483 de 25 de ootuoro de 18tH.
Eu tuiz Elias da Silva e Albuquerque, ia-
bellio do publico e escrivao do civel e
crime o flz escrever e subscrevi em jneu
car lorio n'esla villa do Bom Conselho aos
19 dias do mez de agosto do 1870. 49.
da Independencia do Imperio. Manoei
Silvestre d'.\.lbojufirqne Maranho.
mastr
por
nave
estado

o
0 ancoras do va
Peramoc de
_JJavjgar.
aal do uwniua de J?*naibo-
16 de setembro de 18%).
iaapeoior,
H. A. /Barbosa de Abnwd*
[ oeopf
as 9f
COlffANffiA
Os Srs. aeeioMstas desta eompaobiaqoe
quizerem munir-scTTolhetos contendo os
trabalbos-d esma ; iearridos no auno
flnanceir;d*}** d*'jjiioe 1S69 30 de
abril do corrale anno, podem dirigirse ao
eaeriptorio da referida ownpaorHa ruado
Gabog n. '10, que loes ro fornecidoa.
Escriptorio da companbia do Beberibe
de setembro de 1870.
O secretario,
Dr. PraxedetG.de Soft Pilonga.
-r- Hpje 17 do crreme .inez, depws da. auflien-
cia do Dr. iaix mnoicipal da segunda vara sera
arrematado o aluguel do segmodo. andar e solio
do aobrado o. 31 silo ra larga, do Rosario.
573
801
rvseirregvn hojel7de setembro
Brgoe norte-allemaoJJi'randa-mercadorias.
Bafea fiaiinizitFgaromercadorias.
Patacho american ->Carolina idem.
PatacQo inglez -River Quenidem.
Rrigue norte al lema jJo/in Juliosidem.
Brigoe norte-allemao/rcufarinha de trigo
nECE3ED01\lA DE RENDAS NTKKNAS .i-
RAES DE PERNAMBUCO.
Read.mento do dia 1 a 15. 25:4024773
ld?:adooja 16. ...... 1:384*173
26:7889i6
GOSSirLAD) PROVNCAI.
r.endimento do dia i a 15.
Mera do dia 16.....
o'.):328*730
1:057*191
60:383921
MOVIMEMTO DO PORTO.
Navios entrados no da 16.
Ri.i Grande do Sal16 dias, patacho brasileiro
h'rancolim, de 250 tonelada?, capitn Carlos E.
Menv, equipagem 12, carga 14,520 arrobas de
carne ; Aooriin Irmao &C.
Ass 17 dia-t, palhabote brasileiro Ganbaldi, de
109 toneladas, capitao Cnslodio Jo?c Via.i-
na. eqaip:iacm 8, carga sal; a TassoIrmao
* c
Aracaty8 dias, palhabote nacional Oeus te Giar-
4e, de 96 toneladas, capillo Manoei CaeUno da
ta, cquipagem 8, carga 6-i> ssccos. com
alg.ido, e ootros gneros; a Barlholomeu Lon-
rasco,
/Vario sahiin no mesmo Ha.
Rio da PraUEs-una holUndez.i Gesina & Janeje
capitao II. Brawen, carga assucar. e agur-
dente.
i. Um
Marti i:-.
him
<*juia dirigida 0* *i-
i." O peqaeno Jaania, acore um Hp ca"
Ha. ^
*.
valle.
3. A JanHneira dos Alpes, pela ooefliw Juan-
4." O appIaodW^intefnwtho. salu4i* **,
por Cesar e AMftbo.
5." A voltead**, pHr jenliorltjna.
6 O carnavar..ile Ven a, nrifi Caaali.
7. A percha aaoel, pelos eaamK*sw5m*Y o
Vicente Casali.
Intervallo de XLminntos.
. H PARTE. '
8.' Symphonia.
9." Saltos dos arcos, por Vicente, sobre un ea
vallo.
iportosiaaal esperi*
lia 21 doeorrente o-vapun
tal desos da deuiir-
^^^^Bpme segoir paraos
rti>s d'<
e
Jar Mdaiir, a q*al"
de asacbefaa. Ecoi
at as J oras dadla
Nao ie yrl^tmwi). aacniaendas
^tos % peqwao-valor e qveao exeedant
arrobasW,pae oa 8 palmos cabieo de i
rudo qdtf-paassr.destos miaadever ser
cado cobio eetrgai.
Prerina*ee aos aeokores pajBafeiros quo sor
40. A chuva daonro, pela sympathia senhontaij p^sagens s^se-Mebew uaagencia, imJA>ui
ii a,i.nji, v, -^ ^^Wprimeir^ao*a>f-e!jptorio o> AatootoLol
11. A aplaudida bsrra uxa, exerciciosgfpNRKoiivei'a Axettda fT
nasticos pelos aCHitas Caiar, Aldabo, ViifllT-
Juannin.
11 Dar fim ao spectaculo nma diverta pan
tomima.
Camarotes com 6 entradas___
Caderas....................... **
Cadeiaas avubas ,m seilwra..... 1*WJ
Qeraes.......................... 4*fl
Os hillietas de. camarotes, eadeiras e plateas
veodea-ieoo tawmo oirco.
12*000
Aniflo.
A comnanhia brevemente
adMi.
retirar-se-ha desta
EDITAES.
Francisco de Carvalho Soares Brando,
juiz de orphos eansenies nsta cidade
do Recfe e seu termo por S. M. o I. que
Dos guarde &.
Faco saber aos que o presente edital vi-
ren, qae. fenlo parte da heranca, qtw
se arrecada miste juizo por fallecimento da
Cirlota Maria ao Oliveira Salgado a-
metade do valor da padaria da roa do Ro-
sario -estteita n. 13, onde ella tmha socie
dade com Bernardino Goosaives Salgado,
pertencendo-lhe pela liquidado as bem-
feitorias, e utencilios 2 : 43950 >0, no valor
dos escravos 1 :050 J0O, e em dividas
r: OOJMOO, na terceira praca deste juizo,
que dfive succeder no dia 22 do correnle
mez finda a audiencia se proceder a ar-
rematarlo por venda dos beos cima men-
cionados, devendo os qui pretenderem os
escravos a apresentarem as suas propos-
fcis em cartas fechadas at aquello dia,
em que torio abertas preferindo-se as
que liverfim maior offerta sobre o valor
d'elljs. E para que chegue ao conheci-
mento d3 todos se passou o presente que
ser publicado tres vezes pela imprensa e a
xado no logar do costume. Dado e pas-
sado nesla cidade do Recife de Pernambu-
co em 12 de Setembro de 1870. En Gal-
ano Temistocles Cabral de Vasconcellos o
escrivi.Francisco de Carvalho Soares
Brando,__________________________
f secc1*.Secretarla da pre.-iduucia de Ver-
nambuco 13 de setembro de 1870.
Por esta secretaria se faz publico para conheci-
mento de queiD inleressar possa, o edital abaixo
transcripto do jaiz municipal e de orphos do ter-
ru,i de Villa Bella, pondo era concurso a serventa
vitalicia dos offlcios de tabelllo e escrivao do ci-
vel e mais annexos do termo de Villa Be'Ja, crea-
dos peU decreto de 30 de Janeiro de 1831.
Os preteoJentes devero apreseatar os seus re-
quorimentos instruidos na forma da lei no praso
de sessenta dias contar desta data.
Antooio Annes Jaeome Pires.
OfQcial-maior, servindo de secretario.
EDITAL.
O Dr. Angelo Caetano de Souzi Cousseiro, juiz
municipal e de orphos do termo de Villa Bel
la comarca de Flores, proviaeia de Pernamba-
co, por saa magestade imperial e constitacional
iuem Deas guarde etc.
Faco saber aos que o presente edital virem,
que aehaodo-se vaga a serventa vitalicia dos offl-
>gando tabelliie do publico judicial e
nota?, escrivi de orphos, crime e do civel, an-
te termo, por morte
exercia, ponho em concur
m o praso de sessenta dias
iformidade da lei, aura de
^^^^^^^^^H| qae qnizer
ieotro
promptas
Peraote a cmara municipal desta cidade
estar de novo pela terceira vez em praca nos dias
16,17,19, SO e 31 do crrame para *er arremata-
do por quem maior precu olTerecer o imposto de
afericao de pesos e medidas pela quanlia de
-2:800*.
A arrematacao ser feila por um auno : aqal-
les que pretenderem con:orrer ella, devem ha-
btlitar-se ni forma da.lei e apre?entarem doas
dias antes as suas habilitaross para serem jal-
dadas.
As candicoes do contrato sero declaradas an-
tes da entrar a praca.
Paco da cmara municipal do llecife, 14 de
setembro de 1870.
Ignacio Joaquim de Souza Leao.
Pro- presidente.
Louremjo Bezerra Carneiro da Cnnha
Serrelario.
Perante a cmara municipal desta cidade
estar em praca nos dias 16, 17, 19, 20 e 21 dj
correnle para ser arrematado por qnem maior
proc i offerecer o importo de 60 rs. por cada p de
coii'jeiro qne j d fpucto, exceptuados dez ps
parn o uso do proprietario pela quantia annual de
:{08*o00.
A arrematacao sera, feita por (res annis; aqapl-
les que pretenderem concorrer a ella, devem ha-
bibtar-se na forma da lei.
Paco da cmara municipal do Recife ii de se-
tembro de 1870.
Ignacio Joaquim de Souza Leao,
Pro-presidente.
Loorn$o Bezerra Carneiro da Cnnha,
Secretario.
O Dr. Manoei Antuuin dos Passos e Silva Jnior'
jniz municipal e de orphao?, 1 supplente em
exercicio do termo de Olinda, por S. M. I. e C.
o Sr. D. Pedro II, quem Deus guarde, el..
Faco saber aos que o prsenle edital virem, e
dalle noticia tiverem. que dentro de 30 dias recebe
este juiz propostas em cartas fechadas para a ar-
rematacao por venda, quem mais offerecer, do
oscravu Manoei, com o.annos de idale ponen mais
ou menos, de cor cabra, avaliado por 200*000, o
qual tem de ser arrematado requerimento da
inventorianie dos bens do finado lente Joao Joa-
quim Lopes de Alraeida. para pagamento dos ere-
dores desle; sendo que ser dita arremataQi ef-
fectuada de conformidade com o que determina o
art. do decreto u, 1,695 de 15 de setembro de
1869.
E para que ebegue ao conhecimento de todos,
mandei passar o presenta, que ser afflxado no lu-
gar do costme, e publicado pela imprensa.
Dado e passadn oesta cidade de Olinda, aos 10
de setembro de 1870.
Eu Joaquim Hermillo Candido das Chagas, es-
crivao dof orphos interino, o snbscrevi.
Manoei Aatonio dos Pasos e Silva Jnior.
Ao sello 300 rs. Valia sem sello ex causa.
Passos Jnior. '
K-tava ama estampilhi de 200 rs. inulilisaa
na forma da lei.
Olinda, 10 de setembro de 1870.O escYivao de
orphos interino, Joaquim Hermillo Candido das
Chagas.
Recita extraordloaria
EMPREZA-COIMBR/V
COIHPANHIAFRANCEZA.
ALTA NOYDADE.
Grande e variado espectculo,
lbico e dramtico.
Sabbadol7 doeorrente
DIVIDIDO EM QL'ATtlO PAUTES
PRIMEIBA PAUTE.
Les Meces de feannete
opereta cmica, em 1 aclo
Personagens. Actores.
ean............... Mr. Maris
Jeannette.......... Mlle. firescia.
Petit Pierre........ Mlle. Marielte.
A aecao passa-se em'Hm do depailamentos de
Pars.
SEGUNDA PARTE.
O grande hymno francez
A Harselheza
cantado por toda a cornpanhia, tendo sua fren-
te o
ESTANDARTE FRANCEZ.
TERCEIRA PaRTE.
O actor dramatizo Flaviano Coelhn represeptar
pela primeira vez nesle thealro a muito linda scena
cmica parodia Cerracao no Mar
Cerraco no CSolso
esrripta pelo muito distinelo acadmico o lilis. Sr.
Celso de Magalhaes e eflorecida ao seu dislincto
culleca o Illm. Sr. Joao Baplista Guimares.
Em seguida o mesmo autor representar pela
segunda vez a muitissima pplaudida sceua c-
mica
O MATUTO APARVALHADO.
QARTA karts.
Os muito aplaudidos artistas rascezes cantaro
o seguirte ;
Mlle. Ifariftti
LES TROU DE LA MARMITE.
Mr. Carn
AH! MALHER
(CRBACAO).
Mlle. Chobferl
GRAND AIR DE GALATHEA.
Mrs. Carn e Raynaad o muito e muito desejade
dueto
LES JJEUX CIIANTERS SANS PLACE.
Priueipisr s 8 horas.
DA
MUITO APPM8WDA
\ 'AIMLU
^o
GRAKBE JJ*DiM
INOEKUL
FABRICA DE CEBVEJA
Una do General Victorino a. 3S
Programraas na entrtda.
Preco de eatnda 1*000 p'.r cada pessoa.
Seguijja-feira 19 doeorrente
As 7 ii2 huras da nonie.
Ha ver concert no mesmo jardim.
tHLOES.
Bilhetes garantidos.
A roa Primerro de Marco (optr'ora rea do
Crespo) o. 28 casas do costme.
abaixo assignado, tendo vendido alea 4 en
sorles,J quartpa o. 140 com 5:000 Ovio-
e se acaban de extranir a beaeiwo *
l dos orphos (IS9>), convida aof possoi-
i virem raaifcer na cooformidada de cm-
descontxialgam.s
se a Teosa, os felizes bilbetes gan-
! parte das lolerias, beneficio da ov*
Nossa 8aa*ora d* Penba (160"),
r sabbado 47 do eorrenle.
CPREG06:
BKOete iateiro 6*000
Meio biliMte 3*000
OjMrto U560
Em porcao de lOOiOOO para cima.
Rilhete intiiro 5*400 ,
Meio bilbete 2*700
Quarlo l*J50
Manoei brtins Fiura.
aivetsou bjectos de obilia e looc* e d-
vstsqs. objecins para dentista, i relogio
de oiiro (patente iogle) e correte, no
avmaseu da rat do Vigario n. 7.
HOJE
'47 do carrete.
0 agente Pestaa, legalmente antorsado, far
leilao por corta e risco de qoem pertencer, de di-
versos obiectos de mobilia, louca, vidros, appare
4hoi para jantar, dito para alrooc, rologio de ouro
patente ioglez e correrte, 4 ait'ncte do onro com
brilhanles, rica cama de Jacaranda, 4 dita de ama-
relio, e mnitos outros objsclos qoo se acbarao pa-
tentes no acto do leilao, qne tera lugar sabbado
17 do conrate, .pelas. 11.horas damauhaa, na ra
do Vigario armazem n. 7.
AVISOS MARTIMOS.
Rto di .limKiro
Pretende seguir, para refedo porto com j
possivel brevidade o patacho Monteiro por ler por
cao da rea engajada ; i para a que Ihe falla e
escravos a fele, traa se om o consignatario Joa
quim Jos Gonjalves BeltrSo rna do Commerci
n. 17.
ASSlf
FAZENDAS
egnnde-feira 19 de setembro
Lindeu Weydman & C. farao leilao por inter-
vencao do agente Pibto. d'um completo e variado
sortimento de fazendas fraocezas, inglezas, suissas
e allemjes existentes em seu arnmem, largo do
Corpo Sanio u. 13, onde effecluara o leilao
s 10 horas em ponto
do dia cima dito.
Alaga-se para passar a festa a casa n 21 da ras
do Jogo da Bolla, ernn 4 quartos, 2 salas, 9 gaai-
nele, cozinna e grasde quintal : qnem a pretuor
dirija-se rua do Duqioe de Caxias n. 41,
doair.
AMA
Para casa da familia precisa-se ao i
para coainba e ims afWf.. frehrivdo-sa esara-
va : na roa do Hospicio n. 38.
Preetsa-so'de urna criada para todo o savi-
co : na roa da Madre de Deo* n. 3.
wmwm wmmmmmm
1 ADVOGAM.
I O DR. JOAQUIM CORREA DE ARAUJO
I tem o sen escriptorio roa do Imiienador
5 n. W, onde pode ser procurado das > bo- a
I ras da manbaa s 3 da tarde.
fk%tmf3s wtasaRwfflHE SfflHMi
Ama
Predsa-se de im ama par engommar : na roa
Dtreita n. i6,1* andar,
Santuario.
Troca-se nm santuario- novo com
gens: na roa da Penha n. 8.
bellas ima-
Eiigenho Angicos
Constando ao abaixo assignado qne o Sr. Maxi-
mianoda Rocha Wanderley, senbor do engenUo
Aagteas, simado na fregnez'ia do Mo Forrooso, ven-
der o referido engenh. achando-^eeste hypoiho-
cado e estando a hypothwa no poder do mesmo
abaixo assignad, vem i He pelo i-resente protesiar
contra semelhairte iransaeca > prta nulhdde qna
encerra. Recite 14 de ptembm de 4870.
Herculano Antonio Jos Marmjuim.
Alutiase o sitio da travessa do Caldeireiro
n. 4, com casa para grande familia, umitas arvo-
res de frnctn, e bem plantado : a nralar na *roa
do Conde d'Ea n. 19.
Para o A;s segu nestes seis dias o hiate An-
tonio, e pode receher para o referido porto carga
a frete barato : quem quiaer apreveitar, dirba-se
ao consignatario Joaquim Josa Goncalves Belrao,
ra do Commercio n. 17. i ____
DEGLARACOES.
De ordena do Illm. Sr. conselheiro inspector
da thesonraria de fazenda desta provincia se faz
publico qne no dia 8 de outubro prximo viudon-
ro, as 2 horas da tarde, perante 'a junta da mesma
thesouraria se deverao arrematar porqaem maio-
res quantias offerecer, 9 casas, 1 barraco, 1 te-
Ihetro sobre estivas, 1 lomo de otaria, afrentes e
oitfies de lijlo em alicLive, 1 relogio/da s:l e
flbjectos de mobilla psrtencertes extincta colo-
nia militar dePimenieira.
Os pretenderte- deverao dirigir suas proposta9
era cartas fechadas ao mesmo Illm. Sr. conselheiro
inspector at o meio dia do referido dia 8 de.ouiu-
bro, ou. ao collector do Bonito at o dia 4 do mes-
rao mez. Nesla secretaria oa na eollecto'ria se
mostrar a quem desejar ver o inventario desses
bens.
Secretaria da thesonraria de fazenda de Pernam-
baco 3 de setembro de 1870.
Servindo de ofBcial-maior,
Manoei Jos Pinto.
No dia 19 do correrte ser arrematada quero
mais dr era praca publica ao Illm. Sr. Dr. juiz de
orphos, depNS da audiencia do mosmo Sr., a
casa terrea n. 44 da roa das Carrocas na fregu-
zia de S. Jos, avahada por 1:500*000 no inven-
tario dos bens do tinado Antonio Francisco de Car-
valho, a qual vai a praca a requerimento da viuva
inventarame do mesmo iioaJo. Qoem pretender
pode ver e examinar dita casa, e compare era
arreaaatacao, cajo eseripto se acba em poder do
porteiro dos auditorios. _______^____
THEiTRO
ESPEB/VN(A.PRNaINIGAIA
(Caminho Novo)
Kabbado 17 de setembro
Depos que a orehestra tiver executado urna
linda symphonia, principiar u espectculo do
modo seguirte :
Io acto
A linda scena cmica intitulada
ANGLO BRASILEIRO
pelo artista Venancio da Silva
8 acto
PRIMEIRA PAUTE.
Grande exercicio no trapezio pelos artistas Vi-
cente do Reg, Santos, lose Francisco e Costa.
SEGUNDA PARTE:.
A linda scena jo:osa intitulada
JOS' DOS COLETES
trabalho feito em pernas de pao pelos artistas Jos
Francisco e Cnnha.
3 aeto
PRIMEIRA PARTE.
Lindas lisuras de desbcaQoe pelo joven per-
nambucano
VICENTE DO REG.
SEGUNDA PARTE.
Lindos volidos na corda b.inba pelos artistas
Vicente do Reg, Cunha, Jos Francisco, Sanios, e
Costa.
4o aeto
ULTIMA PaRTE.
A burlesca palhacada pelos artistas Jos Fran-
cisco e Cunha, intitulada
O HOMEM EMBARRICADO.
O director e mais artistas que compara a com-
panhia que vai fazer a sua estra neste pequeo
theatro recentemente inslallado p>ide_ ;ao respeita-
vel publico e especialmente sclasss commercial
e acadmica a sua coJjuvacao, antecipaudo desde
j o seu reconbecimento.
Precos:
Galeria 2SO0O
Cadeiras 25000.
Platea 1*000
Os bilbete. desde j estn venda no pateo do
Paraso n. 18 1 andar, no dia do espectculo no
mesmo theatro.
Principiar s 8 horas.
CffiCO
NO-
PAVLHiO DES. ISABEL
COMPANHIA
EQESTRE GYMMSTICA E ACROBTICA
SOB A DIRECCAO
DE
D. Marcos Oasali
1 JI'UXXI
Para o referido porto segu em poucos dias o
patacho Maciera por ter a maior parte da carga
prompta ; e para a pouca que lhe falta tratase
com o consignatario Joaquim Jos Goncalves Bel-
iro.rua do Coramerci o. 17. __________
Para Lisboa.
O britne pnrtnguez Adelaida seguir para Lis-
boa com brevidade, recebe carga e passageiros aro
condroes raodieas : traa je com Marques. Barros
& O, no largo do Corp > Santo n. 6, 2o andar, ou
com o capitn Heorique dos Santos Fernandas.
DE
MOTIS
loupa e vidros.
Urna .ajobilla de Jacaranda a Luiz 15. composta
d 10 cadeiras de guarnico, 2 de bracos, nm so-
f, 2 consollos e Ijardmeira com pedra, 1 mesa
illaslica, 1 santuario de Jacaranda, 1 par de bao-
cas de Jacaranda para jogo, 1 gnarda louca, 1
guarda roupa de mogno, comporta de espelho,
1 dito de araarello, 1 mesa cora estante, 1 cmoda
de amarello, 1 meta dita, 2 cimas francezas de
amarello, diversas cadeiras de Jacaranda avnlsas,
1 mesa com estante, 3 pares de consollos de ama-
rello, 30 cadeiras cm bom estado. 4 marquMas, 3
mesas redondas de amarello e jaracand, 5 mar-
quesasj 1 apparelho para jantar, copos, clices,
compoeiras, e mnitos oulroi objectos que estarao
vista'dos compradores
i Tcrca-feira 20 do corrente.
Augusto Seixas far leilao por ordem de urna
pessoalque mndon de residencia di objeetus cima
mencionados, no armazem da ra do Imperador n.
16 s 3
ti horas do da
por int|inoedio do agente Pontual._____________
COMPANHIA. PEHNAMBUCANA
Kavegaco eosleira por vapor.
Furto d Gaiiinlias, liio Formoso e
Tamaudar.
O vapor Parahyba seguir
pura os portes ac.ma no dia
20 do correte meia noite.
Kei-^Le carga, encommen-
das, passageiros e dinheiro a
rete no escriptorio do Forte
do Matt'-s n. 15._________________________
GOxMPAlNHlA PEKiNAMBUGAN
DE
Navegagdo coseir por papoi,
Goyanna.
O vapor Parahyba seiruir pa-
ra o porto cima no dia 16 do
correrte as 9 horas da noute.
Recebe, carga encommendas
passageiros e dinheiro a frete as
2 horas da larde no escriptorio do Forte do
Matlos n. 12.
bri
I
Preiende seguir para o referido porto em poucos
dias o palbabote Rosna por ter a maior parte da
carga, e para a pouca que lhe falta, trata-se com o
consignatario Joaquim Jos Goncalves Beltrao,
rna do C immercio n. 17.
igue inglez Shng Larv.
A
91 do eorrente
David ftvans, capitao do brigue inglez ling
Laai. f ir leilao em um t lote, por intervencao do
astete Oliveira, e por corta e risco de quem per-
tencer, em presenca do Sr. cnsul de S. M. Brit-
nica Dista cidade, precedida a competente autori-
saco Ja alfandega e com assistenoia de um son
eni'prepdofiseal do dito brigue com toda mastrea-
co, cjrdoa'ha, Jvellame, apparelbos completos e
ma ifrtences excln*ivamente raartimentos, e
lanchaj e bote segundo o inventario respectivo, e
tal qual se acha funiliado nesle porto, onde apor-
lou po^ forja maior com agua aberta, e W legal-
m*rteicondemnado, na actual viagem que fazia
procedente de Cardiff com^lestino a Montevideo:
Quarta-feira 21
ao me o dia em ponto, a entrada do grande salao
da Asociaco Commercial desta praca.
PRIMEIRO E ANTIGO r,ONSLTORIO
HOMEOPATHI :0
Dirigido pelo l>r.
santos mello
Os habitantes do Interior podem-no
consultar por escriplo, no que serio sa
tisfeitos eom promptido
Prosta-se lambem a chamados par o
interior, a preco mdico.
Consullas, no consulloiio das 40 horas
ao meio dia.
Chumados, a qualqtu-r hora.
1 Aos pobres gratis.
! 43Ra do Bar3o fa Victoria43
(Artiga ra Nova).
m
na*
Precisa-se de urna ama que saiba enzinhar e
engommar para ca*a de, Lmuiia de dnas p^s^a :
i tr .tar na rna do Viscontie de Itapanca n. 31, t"
andar, (outi'ora ra do Apollo).
Consulado provincial.
Pelo consulado provincial avisa-se aos^iBeren-
tea coatriouinies da renda provincial no anuo fia-
do de 4869-70, qne com c presente mez se encer-
ra o recebimanlo por esta repartiQo das re3pec-
(ivas quotas, passando dahi por diante a ser o
mesmo effectuado jadicialmente.
Consalado provincia! 4* de setembro de 1870.
O administrador,
Antonio Carneiro Machado Rios.*
RIO DE JANEIRO
Para o porto cima segu com brevidade o bri-
gue nacional Isabel, tera parte do seu carregamen-
lo engajado : para o resta que lhe falta tratarse
com os consignatarios Autopio Luiz de Oliveira
Azevedo & C, roa da Cnii n. 57. 1 andar.
AVISOS DIVERSOS.1
____ | i>------------------------------------------------------------------------------------------------
\luga-se o 1* andar do sobrado n. 4 da ra
Imperial: a tratar no andar terree.
Precisa-se de nma ama que engomme com per-
feicao, 6 indifferente que spja nacional ou esiraa-
geira : a tratar na ra Nova, casan. 22.
O Sr. Antonio Mana de Carvalho tem urna,
carta vinda de Portugal pelo paquete tritimo, Ba
loja de ferragens a ra do Daque de Caxias nn-
mero 83.___________________________________
IRMANDADE
\osso Scnhora do Rosaalo do
Corpo Kaato.
Sao convidados os irmaos desta respeitavel ir-
mandarte a se reunirera domingo 48 do correla
as 10 horas da manhaa, no consistorio da mesma
irmaodade, afina de se proceder a eleieao da mesa.
que tem de reger no futuro anno._
O escrivio.
I ,- Antonio Femandes Frediqi>e
A qnem interessar
Precisa-se para um lopar, importante nesu ci-
dade de urna pessoa habilitada no servico deguar-
da-livros, perita em todas as materias do contabi-
lidade, e de conducta afianzada : a dirigir-se a
ra da Cruz no Recife n. 7, 1 andar, para infor-
maCOVs._________________. _______________
Precisase de urna ann livre ou#scrava pa-
ra coiinhar e comprar para casa de pouca fami-
lia : na ra nova de Santa Rita n. 63, primeiro
andar.
1
oapeeeo do arsenal de
marlnlia.
Faz-se publico qae a commlssao de 'peritos
examinando na forma determinada no rcgulmenlo
annexo ao decreto n. 1324
tina, caldsira. apparelho,
1 U UUUVUIIII/.K Mi
Sabbado 19 do corrente
EM BENEFICIO
DA
Soeiedade Liberal Unido Be-
nefteeote.
As 8 1|2 horas da noute
O director remiendo homenagera a caridade,
BP,ntimento dominante no povo pernambucano, de
onde filba a Soeiedade Liberal Uno Benecen
le, resolveu conceder-lhe nm beneficio, concor-
redo assim com nm fraco coalingente para que
esta soeiedade de fins tao nobres e humanitarios,
po-sa attingi-los e espera, bem como, a Soeiedade
Liberal Unio Beneflcente, que o respeitavel
blieo desta capital, sempre generoso ecari^H
concorra com seos esforcos para o brilhant
desta Asta, porporcionando con asna conen
cia mais animar) aos artistas, e.maior auxilio a
lTlilLllIALTlli
A barca Maria, chegada do Rio de Janeiro, se-
gu para o Maranhio em poueos dias cora a carga
que tiver, e por isso quem qnizer aproveitar tao
boa occasio de carregar, dirija-se ao consignau-
rio Joaquim Jos Goncalves Beitrao ra do Com-
mercio n. 17. __________^_____
PARA O RIO GRANDE DO SJJL.
O brigue Princeza sahir em poucos dias ; para
o resto da carga trata-se com Pereira Vianna & C,
na ra do Vigario n. 11. sobrado.
Hermenegildo de Faria
Ta vares.
Luiz Pereira Raposo, D. Josepha de Faria Ra-
poso, Manoei Josi- da Suva Guimarae3. D. Jovma
de Faria Guimares, Clementino de F. Tavares,
D. Hermina de F. Tavares, D. Hercnlana de F.
Tavares, D. Ioedia de F. Amorim, Antonio de F.
AmoTini, convidam pelo presente aos parentes^e
amigos de seu presado snbrinho, cunhadd e irmao
Hermenegildo de Faria Tavares, Mecido no Rio-
Grande do Norte, era 24 de agosto prximo pas-
sadoia assistirem a um memento e missas qne
mandam celebrar por sua alma na igreja da
Santa Cruz, segunda-feira 19 dopsrrente peias 6
horas da- manhai, stimo dia do reeebimerto de
tao infausta, noticia : por cujas provas de amisa-
de si confe'sarao mu grato* e reconhecidos.
CUIPM1A R1S1LE1RA
DE
Paquetes a vapor.
Dos ortos do norte esperado
at o da 26 do correrte o vapor
Tocantin*, corcmandante J. M.
F. Franco, o (ual depois da de-
mora do costme seguir, para os portos dosnl.
Desde j reeebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder condoor, a qnai dever
jer embarcada no dia do s.na. chegada. Eocommec
das e dinheiro a frote at as doas horas do dia d;
aa sahida.
Nao se reeebem como encommendas senao ob-
yectos deaeipieno valore que nao excedam a 5
irrobas oe peso ou 8 palmos cbicos de m
-
embarcado tomo carga.
Previne-se aos. Srs. passageiros qne sua
r> so se reeebem aa atenuara* d.
andar, escriptorio do Aatenio Lsiz
FAzevedo & C.
Precisa-se alugar
na ra formosa n.
Criado
rapiz otr ou scraTO
um
29.
Precisa se alugar orna
nhar, ou de urna ama forra
doi
escrava para coli-
na ra do Impera-
for n. 83, 3J andar.
Ama.
Precisase de nma ama forra, para tratar de
meninos, na loja de livtos ao pe do arco de Santo
Antonio. "______________
Para podara
Precisa-se de um bom forneiro e de amassaoV
res para ama padaria, e igualmente se precisa da
um escravo on forro, para servico externo : a
tratar na ra do Vigario n. 16, Io andar.
Irmaidade acadmica
DE
|N. S. doBom Consellio.
B conformidade com os nossos estatutos convi-
do nao s a actual mesa aJministrativa, como a
eleiti para o anno de 1871, para que oomparecam
wdia 18 (domingo) as 10 horas do dia, na facul-
dade de direito, afim de ter lugar a posse.
Cc-nsistorio da Irmandade Acadmica aos 46 de
setembro de 4870.
O secretario,
' __________Cantillo Corraia Dantas.
*~^ O abaixo assignado declara que nao Ueve
quantia algutna nesla praca 'proveniente de tran-
saeoSes commerciaes representadas por letras ou
ouItm qoaesquer ttulos de crditos, nem. vencidos
e nem a vencer, e por*cfjn.3guinte sao inex
qoalquer que poisa apparecer na eir
comiaaercio : com tad por ventura ae ji
m direito so assignado qai
[qner quantia, aprem .>raso de tres ctaj
ix rna Rov )m si
ctala leg:
Rjcife 18 de setembro de-4870.
^^^piro Vianna.
Francisco de Oliveira Frauc retira s< p4r*
Europa, deixando incamb do de transaesoes do
seus negocios aos Srs. Jos Joaquim da Cunha e
Joao do Amaral Raposo, declarando que nada deve-
oesta praca nem fra dell.i, mis sealgnem se jnJ-
gar seu credotTpoder ateo fim do corrate apo-
sentar suas cuntas para serem p;igas. na ruaAi
Livramento n. 4. Aproveita a occasio para padtr
aos seus devedjres 1 i: Idarem seus debito para.
se evitarem de cobranga judicial.
Am >
Precisa-se de nma ama que saiba mgommar a
tamhem emenda de sozinba. paga-se bem ; trata-
se na ra do Vigario n. 16, 1* andar.
T15TtRiMA
55-Rua da Imperat:iz-55
Tiofie, lava, limpa, acbamato-j
i-ses com a maior.perfeicao, fazendas em [
tbras de todas as qualidades;
Fseda, laa, algodao. linbo^j
se a secco8iBl
I molbar os tecidos, conservando >ssim to-
do o brilho da fazenda
Tintura preta as tercas e sextas fei-
m

. i
:
K*


i
II


t

1/
M:
o
a
S
aO
*)
60
C3
i
10
> do Jardim n. 45 pi
seguinte seohons
o Adolpho Ribas (acadmico].
Qoeriao Candido de Vaseeneellos.
Joaauim CavalcanU de Albuquerque Mello Filho
(Pomfcall.
Jezutno Angosto dos Sanios Fragoso.
Vrissimo Correiade Lyra (Cruaogi ou Vieencia
Jos Hermrao Powuai (eagaobo Piewaaca).
Fernando Barata da Silva (engenho MorcT).
Manoel Policarpo de Aievedo.
Antonio Gome Gordeiro de Mello.
Eduardo de Pao la Santo*.
Francisco da Silva Porto.
Tbom Joaqun) do >o Barros.
Este antigo estabelecimento, acha-se hoje montado n'uma
escala, de poder servir vantajosamente os seas freguezes, atten
to o gran le sortimento de joias d'ouro, prata e brilhantes, qne
sempre tem e recebem mensalmente das principaes fabricas da
Europa- cujos presos sao em competiveis e as obras garantidas
de lei. v
MOREIKA MIARTE .
MANUEL C.

*m
Tem a saiisfacao de participar aos seos numerosos frepoezes, que em vista de ser-Ibes mais corntiudo,
sjcq estabelecido urna nova fabrica de chapeos de sol, na ra da Cadeia do Recife n. 9, tacje roa do Mrquez de Olinda, S
jj^ onde acharao os pretendentes, muio avultado sortimento de chapeos de sol de lodos os preces, qualidades e por pre- (g|
eos mas commodos do que comporia o nosso mercado : convidan) especialmente aos Srs. compradores or atacado jS*
darem, Sendo possivel suas encommendas, pois podero assim serem mais bem servidos, visto poderem escolher as ar- <&
roac5es as tazendas que a demora da fabrirncao bem diminota, $
NA ANTIGA E BEM CONHECIDA FABRICA
CHAPEOS DE SOL
DA
Ba do Baro da Victoria, esquina da Camba do Carmo. j^g
(Autiga Ra Nova)
Ha sempre nm grande sortimento de chapeos de sol de seda,
merino, alpaca, bretanba Je lioho branco e par- 3S&
porcSo de seda, merino, algodao e brim, 3$|
do e_de algodao os todos os tamanbos e' feitios, alm da immesa
armacoes de todas as qualidades para satisfazer qualquer encommenda. A modicidade de seuspregos to conbecida
que escusa de mencionar.

1RILH0S URBANOS DO RECIFE A' OLINDA.
Tabella das horas de partida e chegada dos trens provisorios.
ida.
ESTA CUES.
Ra d'Aurora.................
Pire?.........................
Principe......................
Joao de Barros................
Espinheiros...................
Encruzilhada..................
Belra........................
lampo-Grande................
Salgadinho....................
Arrombados...................
Minda........................
Volta.
ESTAQUES DE MAXHAA. DE TARDE.
Horas. [Horas. Horas. 9. 9. 3' 9. r 9.12" 9.15 9.20' 9.24' 0,90,' Horas. Horas. 4. 4. 3' 4. .7' 4.12' 4.15' 4 20* 4.24' A9Q' Horas. Horas. Horas. T~ 7. 3' 7. 7' 7.12' 7.15' 7.20' 7.24' 7.29' 7.32' 7.37' 7 40' Horas.
Olinda................... 7. 7. 3*1 7.7'! 7.12* 7.15' 7.20' 7.24' 7.29* 7.32', 737' 7 iO'l 8. 8. 3' 8. 7* 8.12' 8.1.T 8.20' 8.24' 8 29' 8.32' 8.37* 8.40' 10. 1Q. 3' 10. 7' 10.12' 10.15' 10.20' 10.24' 10.9.9' R 8
K X R .r 8 3'
Belm........................ Eoerozilhada.................\ Espinheiro.................... 5. 7 512' 515' 5.20* 5.24* 5.29' 532' 5.37' 5.40' 6. 7 6.12' 6.15' 6.20' 6 24' TJ.29* 6.32' 637' 6.40' 8. 7 8.12' 8.15' 8.20' 8.24' 8 29
9.32'. 10.32' 4.32' Q37' 10 37' 2T 8 32'
837'
9.40*1 10.40' 440' 8,40'
C0MPANH1A
DOS
TRILHOS URBANOS
DO
RECITE A9 Olil^OA.
Tendo a directora de emittir novas ac-
ces at o valor de 200:000^000 segundo
foi autorisada pelo decreto n. 4563 de 10
de agosto do correte anno, sao convidados
os Srs. accionistas, em cumprimento ao que
dispe o art. 4o dos estatutos, a inscreve-
rem-se at o da 14 do correte declarando
o numero de acc5s quelpretendem.
Avisa-se que a nova emissao tera de ser
feita por prestages na raz3o de 10 % e
com intei vallos de 30 das; c que do dia
15 em diante serao emitiidasas actes que
forem subscriptas pelos accionistas ac-
tuaes.
Recife, 6 de setembro de 1870.
Joao Joaqnim Alves,
Io secretario.
MOFINA
Roga-se ao lllm. Sr. Ignacio V.eira de Mto, es-
crivio na cidade de Nazareih desta provincia, o
favor de vir a roa do Imperador n. 18 a oncluir
aquelle negocio que V. S. ae comprometan reali-
sar, pela terecira chamada deste jornal, em flus
de dezembro prximo passado, e depois para Ja-
neiro, passou a tevereiro e abril, e nala eamprio,
e por esto motivo de novo chamado para dito
flm ; pois V. S. se deve lembrar que este negocio
de mais de oito annos, e quanao o senhor su
fllho se achava no estado nesta edafle.
Vendas on permutas
Vende-se a propriedade Guarapes no Rio-
Grande do Norte, cora trras casas e armazens
de um e ontro lado do rio, lagar bem conhecido
pela sua importancia coramereial, cujo porto ofte-
rece muita facilidade para embarae e desembar-
que de gneros.
Igualmente se vende o engenho Jondihahv (na
mesma provincia) moente e corrente, com cinco
leguas de trras de maltas vrgens, oito escravos,
bois, bestas e alambique ( ou somente o emgenho
com as trras que convier ao comprador). Estas
propriedades vendem-se por baratsimos precos,
a tamben) se permatam por engenbos nesta pro
viacia, Parabyba e Alagoas, ou por-casas as ca-
pitaes das mesmas : tratar com o propietario
major Fabncio Gomes Pedrosa ra da Gadeia
n. 25, ou com os seas procuradores no Rio-Gran-
de do Norte.
0, W. MWMN
ENGENHEIRO
Com fundiejao.
A RA DO BRUM N. 52.
Passando o thafuriz
Machinas vapor systema meihorado.
Rodas d'agoa.
Formas de ferro para purgar assecar.
Moendas de canna.
Taixas de ferro batido e fundido.
Rodas dentadas para moer com agpa, va-
por e animaes.
E outros objectos proprios d'agric jltura.
Tudo por prego muito rednzido.
Ama
Precisa-se de urna ama para casa de hemem
solteiro : na ra do Amorim n. '-ti.
^ngom-
Aurora
Paecisa->e de urna mulher que saiba
mar e coser com perfeicao : na ra da
n. 40.
AMA
Precisase de urna ama que coziohe e ensaboe
para casa de familia : tratar na prga da Indo
pendencia n. 5.
Al' RO
D'YVETOT
RA ESTREITA DO ROSARIO N.14.
Urna qualidadedecommerciofaltava nest) popu-
losa, cidade um estabelecimento em que se compre
e venda toda a qualidade de roupas feltas novas
3 yelhas. um basar que se denomina em Paris
Bric e Brac. E' este o estabelecimento que se
abriu ra estreita do Rosario n. 14. Assim,
todas as pessoas que quierem vender, oa com-
prar roupas novas ou velhas e todos os mais
objectos do servico domestico, inclusive tirem de
cosinha, podero dirijir-se ao indicado estjbeieci-
ment para contratar, e offerece-se para ir em
casa dos pretendentes para effectuar as compras
e vendas.
0 O bacharel Joaquim Gongalves ^
0 Lima tem escriptorio de advogado *&
Si ra do Imperador n. 35.
Ave
S. Beato.
Esta farinha nuda com vaotajosos f
dos nos padecimenlos dos orgi
como asihma oa poenamenu -,rro
IntUmacSo de bofe, pleortzes e na pi
commeodando-se com igual proveilo Das ;
convalecentes.
nico deposito na phwmacia e drotaria.
DE
Bartiiolomeo & C.
_______34Ba larga do Rosario34
Acaba de sahir luz
E
Veade-se
Kk
Livraria franceza.
A
ou
DE
NOSSO SENHOR JESS CHRISTO,
MARA SANTISSIIA
E
VARIOS SANTOS.
A saber:
Setenario do Senhor Bom Jess dos Passos.
Offlcio do Senhor dos Passos.
Novena do Menino Deus.
Novena de N. Senhora da Conceicio.
Setenario das Dores de Mara.
Officio das Sete Dores de Mara Santist'ma.
Novena de N. Sennora do Carmo.
Offlcio de N. Senhora do Carmo.
Novena de N. Senhora da Penha.
Cnticos de N. Senhora da Penha.
Novena do B. S. Joao Baptista.
Novena da Senhora Sant'Anna.
Trezena de Santo Antonio.
Novena do B. S. Jos.
Um bonito volume encadermtdo.
2000.
Cura rpida e inaltivel do cal-
los, pela pomada
Galopean.
Deposito especial na pharmacia de Bartbolomea
& C,
34Ra larga do Rosario34
Rob-Hnte-rheums-tico.
Remedio emeacissimo centra as dores rheuma-
ticas at hoje o sai: conhecido pelos seus mar-
vilhosos resultados.
s
s
Ama
Na ra do Vigario n. 5, 3o andar, precisa-se
de urna ama para cesinhar, cujn servico faga com
perfeicao e (\ac seja de bna conducta, t
Alugase o 2 e 3 andar do sobijado n. 32,
sitopra^a do Conde d'Eu, ambos tendo commo-
dos para grande familia : a tratar na roa do Ale-
erim n. 30.
Precisa-se alugar urna ana para cozinhar e
engommar par.i urna s pessoa : na ra estrella
do Rosario n. 2o, 1 andar, paga-se bem.
Ama de leite.
Precisa-se de nma ama de leite em lho : na
ra da Cruz do Recife n. 45, 2o andar.
1II1I
Preciso-se alugar nma ama pserava ou livre
para o servico interno de casa de familia, devendo
saber engommar e cosir : na ra do Mrquez do
Herval (antiga ra do Sol), sobrado n 21.
AMA
Precisa se alagar urna mulher forra ou e-scrava.
para cozinhar comprar o engommar, para urna
casa de pequea familia : na ra da Cadeia nu-
mero 8.
Correspondencia de Portugal J
O encarregado da dbtribaicao da correspon-
dencia de Portugal, declara que d'ora em diante
ser entregue na ra do Vigario n. 11, paimelro
andar.
Precisase de um perito ofllcial de chapellei-
ro : a tratar ua praca da Independencia n. 22.
Precisa-se de ama ama forra oa captiva
servico interno e externo de urna casa de
familia : na ra Velha n. 66.
pira c
pouca
AVISO
ATTENGAO
Reia!ha-se, i vontade dos compradores, alguns
lotes de terreno que restain do sitio Aguasioha,
em Beheribe, por precos razoaveis. A posico to-
pographica do terreno muito o recommenda, so-
bretodo por ficar prximo da estacao prnjectada
da va-ferrea. Os pretendentes podero dirigir-
se ainformar-se do tenente S Peixoto, no mesmo
lugar, e para qualquer negecio, ra do Crespo
n. 12, andar.
INTERESS.4XTE COHI'OSHIO LITTEiURIA.
CO!
A noite do exUste.
O sorriso. .
A noite do assombro.
A ragrinia
A noute do delirio.
0 mysteno.
Com nma carta critica dirigida ao anlor pelo
Dr. T. B. Rigueira Costa.
1 volurae brochado 20U0.
A8CENTELHAS
Poesas patriticas sobre a guerra do Paraguay.
1 volume brochado 2JO00
NA
LIVRARIA FRANCEZA
SMBMBM lili!
g MUDANCA.
O Dr. Carolina Francisco de Lima Saa-
tos mudou sua residencia e consultorio
_ para a ra do Imperador n. 57, 2" andar
1 do sobrado cajo armatem conserva ain-
da hoje o nome de Alianca, tendo a
entrada, que pelo lado da ponte Sete
| de Setembro, o mesmo numero 57, da
frente. Ahi continuando o dito Dr. no
m exercicio de sua proflssio de medico e
i de operador, pode ser procurado a qual-
quer hora do dia e da noute
&mmmw mmmmtmmM
0 CIRMO DEimSTA
Frederico Maya
Tem a honra de scientiear ao respeita-
vei publico em geral, e aos seus clie&tes
em particular que elle mudou o seu gab
oetede consultas da ruaDireita n. 12 para
a do Queimado n. 3 i primeiro andar, com
a entrada pelo pateo de Pedro II, onde po-
de ser procurado para os misteres de sua
profissao, todos os dia.s uteis das 9 boras-
da manba s 3 da tarde.
Tambem previne, que contina a prestar-
se a vontade dos clientes nSo s na cidade
como nos seus suburbios, para onde as
idas sero precedidas de ajuste. Elle ga-
rante o bom desempenho e a perfeicao de
seus trabalhos, o que j bem conhecido,
assim como as commodidades dos oreos.
Agencia em Pernambueo
Do Dr. Ayer
Peitoral de Cereja
Cura a phtbysica e todas as molestias do peito.
Salsa parrilha
Cura ulceras e chagas antigs, impigens e dar-
Tos.
Tnico
Cocserva e limpa os cabellos.
Pillas cathartlcas.
1 MUDANZA I
jSfc O escriptorio d) Dr. Joaquim Jos de
Q Campos da Costa de Medeiros e .ilbu fy
X querque est ra -estreita do Rosario *
JR.rion. .__
^
Criada.
No Caes 22 de Xovembro n. 57, 3 andar, pre-
cisa-se de urna criada livre ou escrava. para ser-
vir a urna familia estrangeira de doas pessoas
que saiba cozinhar c engommar.
Precisa-se da praga do Conde d'Eu n. 19 :
mesma.
a plia macia
a tratar na
Domingos e das santificados.
Do Recife s 6, 7, 8,9 e 10 horas da manha; 2, 3. 4. 5. 6, 7 e 8 da tarde.
De Olinda s 7. 8,9,10 e 11 horas da manha; 3, 4, 5,6, 7, 8 e 9 da larde.
O SUPERINTENDENTE,
A. d'Abrm Port-1
Aluga se e vende-se o jardim botanice, sitio
com excellenle casa, alem de oulras para escravos,
estribara, tres cacimbas com muito boa agua de
beber, umitos arwedos fructferos, e terreno pro-
uno para verduras, captn, etc. Tambem aluga
se o palacete ao lado da igreja do Senhor do Bom-
Fim, a melhor casa de Olinda, tendo jardim, agua,
casa para banho, e vanas fructas ; assim como
cozinha, e casa para escravos independen** : a
tratar na na do Bom Fim com o Dr. Paes Brre-
lo, ou com Cnistovo da Cnnha Soutomaior.
Ama
GUSTAVE
CABELLEIREIRO FRANCEZ
51-Ra da Cadeia do Recife51
Chama a attenc3o dos seus innmeros freguezes, e do respeiUvel publico et
ftral, para a seguinte tabella dos precos de sna casa, os qnaes sao vinte por cent
, Precisa-se de urna ama que saiba cozinhar : na
ru do Codorniz n. 8
Precisa-se de urna ama para casa de pouca
familia : na roa Direita n. 38.
AMA
ais barato do que em outra qualquer parte:
Cabelleiras para senhoras a 250,
306, m e......
Ditas para homem a 350, 40(5 e
Coques a W, 15, 180, 204,
m, 30* e.....
resceotes a m, iU, W> 200,
iS*, W e.....
Cachos oa crespos a 3,5, 4<5, 5/5,
Traeca de cabello para annel
seo e.......
frutea para braceletes a 10)5,
IU, m, 25 e......
50,5000
50*000
32*000
10*000
1*000
30*000
Cadeias para relogio a 5*, 6*.
7*, 8*. 9*, 12* e. .
Corte de cabello,.....
Corte de cabello com frcelo. .
Corte de cabello com lavagem a
cbamppa. .
Corte de cabello com limpez da
cabeca pela machina elctri-
ca, nica em Pernambuco. .
Frisado ingieza ou franceza.
Barba........
:15*00|
501
501
1*001
1*001
501
2B
Precisa-se de Urna ama para casa de poaca fa-
milia : na ra da Cadeia do Recife n. 21, loja de
mfudezas.
Frandisco Marinh) de Albuquerque vende
diversos terrenos no Arraial; pode ser procurado
na povoaco do Monteiro
Precisa-se comprar ou alugar urna escrava
para cozinhar em casa de um homem solteiro : a
tratar na ra do Amorim n. 48, armazem.______
MUDANgA.
Joao da Silva Paria A Irma esli com seu ar-
mazem e escriptorio na roa do Vigario, casa nu-
mero 20.
Precisa-se de um homem portuguez para
vender leite e tratar de qualro vaccas : quem es-
liver habilitado dirija-se a Passagem da Magdalena
n. 4, qne se dir qoem _
Calfero.
Precisa-se de um caixeiro do 13 a 14 annos,
com pratica de molhados : na praca da Santa
Cruz n. 2.
No porlo em frente do sobrado do Sr. Valenca
ao norte da fabrica do gaz existe urna canoa-e ca-
noeiro que se emprega a atravessar da freguezia
de S. Jos a da Boa-vista, e desta para aquella,
as pessoas que, nao querendo dar a grands volta,
queiram dalla se aproveiUr : paga 160 rs. por
pessoa ; tolos os dias das 9 horas em dianle.
Costu reiras
Na roa 1 de Marco n. 6, precisa-se de costa-
reirs. .
Offerece se um homem para caixeiro de en-
genho, do que tem bastante pratica : a tratar na
ra do Padre Floriane n. 18.
Uetira-se para Europa Jos da Silva Nelto
tratar de sua saude, deixando por seus procralo-
r-s, em Io lugar Antonio Augusto de Vasconcellos
e 2* Thomsz Antonio Oimhra.
Ama
Ni ra do Imperador n. 14, Io andar, precisa-se
de urna ama para cozinhar para pouca familia.
Costurt iras.
Na fabrica de chapeos roa larga do Rosario
n. 24, Io andar; se precisa de costureiras.
FURTO
Previnese aos senhores ourives e as pessoas
que cosiumam a dar dinheiro sob penhores, que
uio fagam negocio con um annel com urna pedra
de brilhante no valor de 430J qne foi furtado em
das do mez prximo passado. E' provavel que
elle j lenha sido vendido oa dado em penhor ;
porm se assim succedeu, a pessoa que houver
feito a transaeco far o favor annunciar pelos
jornaes, que ser entregue da quantia desembol
sada. Quem lurtou nao foi escravo, mas s
guem que nao inspira desconfianca.
FORNEIRO
Para o Rio Grande do Norte precisa-se de um
bom forneiro ; a tratar com Tasso Irmos 4 C,
na raa do Amorim, o. 37.
m al-
Jos Dias Guimares, pelo presente, avisa a
quem interessar possa, que um sobradinho sito
no largo da reir do povoado dos Montes, perten-
cente ao Dr. Joao Ferreira de Almei a Gulmaraes.
na qualidade de herdeiro do finado Jos da Rocha
Paranhos, acha-se litigioso e nao pode "ser valida-
mente alienado, assim como os mais bns perten
cenes a heranca do mesmo finado.
-.s'-'KLl
SIGNATURAS MENSAES
Especialidade de penteados para casamento
Palles e
O dono do estabelecimento previne s
Sras. e aos cavalneiros ijue ha umxmas.13
alio para tintura dos cabellos e b
um como nm empregado s-
ti fctrvico.
olOres
Recommenda-se a superior TIN3TURA JA
PONEZA p r os cabellos e bal
aLEirwsicao Universa
de, por ser vo
ada pelas acad*'
RE8
iatil,
mas
nao
Aluga se
um sobrado em Olinda, na roa de Mathias Ferrei
ra, pintado de novo, e tambem se vende : a tratar
aa ra da Matriz, sobrado n. 44.
=i Manoel Alves Perreira k C. tem para vender
em seu escriptorio na ra da Moeda n. 3, 2* an
dar, vinno do Porto em caixas de dazia e ancore-
tas, de diversas qualidades.
Alugam-se dua; cajas por festa ou por auno
na Vanea, lugar Ambol, cora sitio e commodos
para grande familia: a tratar com o reverendo
padre Dmaso, ou na roa do Crespo n. 7.
Ama
Precisa-ss de ama ama para coiinhar e comprar
em cass da pouca femitia : a tratar na rea do
Crespo u. 18, 2o andar.
AMA
Precisa-se de urna ama escrava que saiba com-
prar e tratar do servico de urna casa de familia :
na Boa-vista, pateo da Santa Cruz, sobrade, nu-
mero 24.
AVISO
Ao Sr. Dr. Francisco Joo Carneiro da Cuaba,
ida a S. S, e Iherogo de a mandar n-
>r no mesmo lugar
sim procedo por t cidade,
e ignorar a residencia de S. S.
Furto e cavallo.
Na noite de 12 do corrente, das 7 para as 8 ho-
ras, furtaram do sitio da casa amarella, no Arraial,
nm "y*" pedre, inteiro, bastante grande e car-
nudo, de 9 annos, pouco mais ou menos, tendo
urna grossura vlsivel na mo direila, e urna ferida
da colleira ; roga-se s autoridades policiaes ou'a
quem quer que se queira mteressar por nm nego-
cio qae todos taca, qae n> caso de tal an
ser offorecido venda, embarguero tal vencia, e
eomniuniquera a sea dono na ra do Imperador n.
15, para elle apresentar-se com e titulo e d
memos precisos para a reivindicacao do dito
animal.
Trabalhador parapa-
darla
. Para o Rio Grande do Norte, precisase de um
trabalhador dos ltimos chegados das Ilhas, ain-
da mesmo sera pratica, a tratar com Tasso Irmaos
a L., rpa do Amorim n. 37
Vicente Licinio da Costa Campello, tendo d*
mandar celebrar, s 7 horas da maohaa do dia 17
ao corrente, anniversario do passaraento de sna
cara mil, algumas missas por sna alma, na igreia
de Santa Thereza, ordem terceira do Carmo, pe
presenle-o commuoica aos seus prenles e convi-
da aos seus amigos, que poderem e qoizerera as-
sistir esse acto de caridade.
Recife, 15 de setembro de 1S70.
H73CTBP
Antonio Francisco dos Santos agradece cordial-
mente a todas as pessoas que se dignaran) assi
as exequias e cundnziram ao camiterio publico os
restos morlaes de sua mui prezada mulher Leo-
cadia Leopoldiua Garca Santos ; e de nevo roga-
Ihes o car iluso obsequio de as'istjrem alguuias
missas, que manda celebrar na igreja do Divino
Espirito Santo, as 6 horas da manha do uia 17 do
correte, stimo dia do seu faliecimenio ; pelo que
se confessa desde eternamente grato._____
Candido Quintino Rodrigues Lima e Seraphina
Alexandrina de OMveira Lima e a demais familia
(ausente) convidara a seus prenles e amigos para
assistirem missa, qae se celebrar por alma de
sea prezado sogro e pai, Alexandre Manoel dos
Passos. na segunda fera 19 do corrente, na igre- gado, aceite
ja do Livrameoto, s 7 horas da manha, pelo qne protestes do
se coifessara eternamente grat
Francisco Candido do Amaral manda resar urna
missa pelo repoi > fe 11 z amigo
Albino do I Carmo,
no dia i
os parentes e amigos para ajaMtreai A este H
de caridade e retiinio.
Joaquina Mara da Silva Pinte e seus innocentes
fllhos, se bem enlata o coracao, nao podem deixar desde ja de
dar o mais solemne testemunho de sea profundo
e eterno reconhecimento a todas as pessoas, qne
se dignaran), no dia 11 do correte, assistir na
matriz do uorpo Sinto aos ltimos snffragios, e
acompanhar sepultura o cadver do seu presa-
dissimo esposo e pai, Guilherme Ferreira Pinto.
E se, oeste expansivo de ingenua manffestacao,
Ibes dado fazer resallar o nome d'aquelle, qae
em lio doloroso transe soube por sua proverbial
generosidade, constituir se, credor perpetua gra-
lidju> da viuva e orphos de seu honrado empre-
o Exm. Sr. baro du. Llvrmento os
mais vivo agradeciraente, pelo muilo
que, de espontaneo voto, se dispoz a prodigalisar-
Ines.
Ontro sim, rogam anda a seus par
todos os amigos do charo ,,
pranteam, o caridoso obsi
missas, qoe pe ;l3
mandam celebr ,.a.'
pella do cemiter 'oe
sabbado 17
religio e a
penhor sua n
1
\
Hospital portuguez.
Pan o leilo de prendas que haverno domin-
go vindouro no hospital portuguez, tem a nova e>-
peran?a, ra Duque de Caxias n. 21, delicados e
mimosos objectos que bem servem para o mesmo
leilo.
Club do Monteiro
ssifna-se para o Club do Monteiro por
mezes, a principiar em outubro at 31 de marp
prximo futuro sob as segointes condicSes :
Ossenhores assigoaotes do anno prximo passa-
do sao dispensados das formalidades da approv.
cao, (cando sujeitos a deliberaco da directora l*
que so propozereni este anno.
Haver dua< partidas, send'o ama na aben
e outra no encerramento, reunio familiares a s
sabbados, havendo unic*mente convites para che-
fes de familia.
Precos da assignalura.
SHs mezes SOaOOO.
Tres mezes .lOiOOO.
l'm mez 10*000.
Os senhores que dsejarm assignar tero a boc-
dade de se dirigirem ao emprezario, abaixo assig-
nado, no Club Pernambucano,- ata o Um do cor-
rele mez ; e dessa data em dianle ra da Auro-
ra n. 68, das 10 s 3 horas da larde.
P. J. Layme.
Precisa-se de um criado para o hotel ce
Una, prefere-se de 16 a 18 annos ; na ra Diret-
ta n. 16.
Precisa-se de a
roa do Codorniz o. 8.


de Pernambn<
7 de .Setembro de
AO ARMAZEM
DO
VAPOR FRANCEZ
Este eoobecdo eslabeleclmento acba-se constantemente bem sonido, em virtude das
facturas que recebe por todos os vapores e navios franceses, dos rticos abaixo menciona-
dos, a precos os mais resumidos que possivel.
CAJEADO FR1ICEZ
Botinas para enbras e meninas.
Botinas pretas, brancas e de mutas outras cores, sortidas e bonitas, do ultimo gos-
to da moda, e a precos mais barates do que em outras partes.
Botinas para bornean e meninos.
Botinas de bixerro, cordavao, lustro e pellica, das melhores fabricas e escelhidas.
Botas e perneiras rnsslanas.
Botas e perneiras para mantaria, das melhores qualidades, de couro da Russia. lus-
tro e bizerro.
palos de borracha para hnmens e senhoras
Tendo chegado grande porcao de sapatos de borracha vndese pelo custo afim "de
desempatar o dinheiro nelles empregado, sao baratsimo?.
Sapatos de lustro para horneas.
Sapatos de entrada baixa de couro de lustro com salto, de muito boa qualidade.
Abotinados para meninos e meninas
Sapatos abotinados de differentes modelos, de muito boas qualidades e fortes. Unto
para meninos como para meninas, muito baratos.
Sapatos de tpete.
Sapatos de tapete aveludado, de casemira, de charlte e de tranca franceses e por-
tuguezes para homens, para senhoras e para meninos.
PERFUMARAS
... Excelientes extractos, banbas, leos, agua de cologne, florida, divina, lavande, den-
tndce, de toilette, sabonetes, tintura para cabellos, pomada angroise para bigodes, pos de
arroi etc., tudo isto de primeira qualidade, dos afamados fabricantes, Gondray, Piver e Lubm.
Quinquilharias
Lavas de pellica do conhecido fabricante Jouvin, espelbos Dar sallas, quartos e ea-
bmetes, toncadorc, de diversos tamaitos, leques para senhoras e para meninas, abridores
!?k bnnC0S', Pulce'ras>bpl^, crrenos e chaves de reU-gfos e tranceln*, tudj de
oTinL'e'cor"ntes e bnn?os de P'aqa, a imitacao e de mais gosto do que as de onro,
eaiziohas de costura ricamente guarnecidas e ornadas com lindas pessas de msica, albnos
Vr nJr- P* ? T.elr3U>$ calxinnas cra v dsedall! ,ldpHel^' bjeCJS dePh8Dt?sia P"* leles, bolsinhas e cestinhas
Lnn '. e de vimes para braco de meninas e senhoras. ditas para costura?, pe-
2? WP0S mn,.t0 nDS e de\lcad09' b01ues de flores de porcelana, jarros proprios
U* ftftes e fDtaano.a- ^uadros promptos para nllocar-se mas, molduras douradas A
paraquadros, estampas linas de paysagens, cidades, figuras e de santos, vidros para eos- fl
rama'mal;is-saccose bolsas de viagens, esporas, chicotes, bengalas, oculos, lunetas ou i
ctrflfrTJl prala d0,aradr> ravatas pretas e de cores, abotoaduras de collete e de punhos, S
carteinnhas para notas, ihesourmbas e caivetes finos, pentes, escovas, ponteiras de espuma I
?,??atA e para ngarros' Jo?os de domino- Toa6tes< bagatelas e outros diflerentes, ve- \{.
nenanas modernas muito conveniente para porus e janellas, cosmorama?, lanternas magi- k
^'n l0C0p3 f n inl8rf9aDtes vistas de figuras edas mais bonitas ras, boulevards, II
E Pa3fs de Pans, photoraphias e caixinhas mgicas, reverberos para candieiros $
Kfn V"lr'"!? e de, laaJde c0res para Ps de lanternas, realejos grandes e pequeo.' i
S= a i-' acord,onKs de 'odo? os tamanhos, bercos de vimes para enancas, sapatinhos %
toncas de laa, carnnhos de 3 e 4 rodas muito elegantes para condurir enancas passeio ; e
outras muitas quinquilharias de phantasia, franeczas e allemes, precos muito em cont.
gneros ^Kqfflfi Sr&ffS S^fi' da Kp? ^ '^^ *
ATTENCAO
O dono deste estabelecimento pede ao publico em geral que continu a visita-lo ^
verineando as qualidades e os precos baratos de ditos objectos por serem viudos em di
reitura e de conta propria.
\Mummnm mms,
THE4TB0 m,,
(ilUMDE SCCCESSO
DOMINGOS, DAS SANTOS EDIAS UTEIS
GRANDE CAF CANTA
\\i
lidades
Licores.
Imperador Theodero.
Ava-Pana.
La bell amor.
Corsean.
Sernpr \
A mor eterno.

Joao Francisco da Silva Braga, participa ao publico desta capital, que n'ete theatro haver oara
os concurrentes o seguinte :
Sorvele; de diversas qu
Vinhos.
Champagne.
Lordeaux.
Porto fino.
Rheno. '
Chateau L-ifite.
Cognac marteli.
CHIYEJ.4
BASS E NACIONAL
Gelada e nao ge
CAF CHOCOLATE E CHA
{{frescos Halados de todas es qualidades
I'.i.-.nga.
'(rnseil.:.
Linif. i.
Odta.
L aran ja.
1,
Doces.
Pastis de nata
Bnm bocado.
Empada de carnario.
Da de carne
Bollo de amendoas.
_ .. '-iina- Pao de l.
J 1P'JS- Frucus
Fiamen.^- ugsr
Londrinos. Cvag#"
Mina'". Pi'-ras
Pr10- Abacaciii?.
Suisso etc. eic
O mesmo participa, que,alem das bebidas cima notadas Inverso outras de diversas qualidade?
que muito agradaro pelo preco e boa qualidade, e desde j participa lambem que baverao meza
cadeiras e bancos para que os concorrentes estejam a raa vontade, assim como, haver urna banda de
msica marcial, que tocara durante a tarde no jardim do BtesGK) iheaiiv.
.... raes.m". enea regado pelo propnetario, avisa que dentro em ponco lempo haver um oumais
buhares e jogo de domino para entretemment do publico que frequentar este estabelecimento, a auem
desde ja convida, e quer da alta sociedad*, quer da democracia
PBEtjO DA ENTRADA 300 RS,
O da da abertura sera em breve annunciado pelos jornaes; mas provisoriamente se abrir no
lomingo !> do correte mez de setembro.
Os devertimenios dararao dua? hon?, das ? 6 da tarde. Garanle-se toda ordem e moralidade
PRECIOSA DESCOBERTA
CUBAS ARAT1LIIOSAS
DO
J.Fei reir Villela
PHOTOORAPHI 1 IMPERIAL.
18RA DO CABUG>18
A entra fia pelo pateo da matriz.
Os trabatbos da reedifleacia desta photographia,
e que se prolongaran) por tanto tempo, acham-se
felizmente terminados e ella aberta ao servico do
publico desde 7 de abril passado.
O predio em qne esta collocada esta photogra-
phia acba-se muito augmentado, e so a parte desti-
nada ao estabelecimento conta cinco salas, inclu-
sive as do laboratorio. Todos os concertos e aug-
mentos tendo sido fetos expressamenle para se
montar convenientemente a photographia, e nao se
podendo melhor modelo escolher do que a Photo-
grafiia Imperial do Sr. Insley Pacheco do Rio di
Janeiro, o primeiro phatographo do Brasil, e um dos
primeiros do mundo, segundo a opinio dos mais
abalisados mestres, a nossa photographia acba-se
dlsposta e reedificada pelo mesmo plano da do Sr
I. Pacheco, a qual foi montada sob todas as regras
recommendadas pelos mais destinctos professores
de accordo com as raotlificacSes necessarias ao
clima do Brasil, reconhecidas e estudadas pelo ha-
bilissimo e pratico Sr. I. Pacheco.
Todo o interior do predio em qne est nossa
photographia foi mudado desde a soleira da porta da
ra at a coberta, teudo-se demolido todas as pa-
redes interiores para se fazerem as novas salae,
ediQcando-se um nove terraco envidracado mu
espagoso e elegante.
Como sabido, flzemos nma viagem expressa-
mente corte para examinamos as melhores pho-
lographias all, o foi a do Sr. f. Pacheco, a que
melhor corresponden aos nossos desejos e aspira
Jes, e da qual trouxemos os planos depois de
all estarmos todo um mez estudando e apro-
veitanao ai lines de tao dlstincto mestre. Pen-
samos que juntando os nossos estudos e longa
pratica de 15 annos de photographia s utilissimas
licdes ultiman ente recebidas do Sr. I. Pacheco,
tende montado a nos^a photographia como se
acha, podemos offerecer ao Ilustrado publico
desta cidade e aos nossos nuu.erosos freguezes
trabalhos de photographia to per.'eltos, como se
podera desejar,
que contiuuem
teerao com que
ajudado.
Nngnem contc Especialidades.
_
de bem servir aos amantes d
armazsm se acha bem iores e mais
bem escomidos generes aliment
O Campos limita se a mencionar o seguiuto :
Presuntos ingleses e portogneses
- Biscoitos, bolachinbas e bolinhos.
Conservas inglesas e frabcezas
Salchichas e salchichSes com tubaras.
Diversas conservas alimenticias.
Salmn e lagostas em latas.
Licor estomacbico e digestivo aya-pana.
Toncinho inglez para lunch.
Ervilhas francesas e portugueza?.
Camaree- seceos do Maranhao.
Doces linos, ralados e em caldas, de goiaba.
etc., etc.
Champanha dos melhores fabricantes.
Vinhosmaduro do Porto, ditos da Figoeira,
verde e palheto, pelos ltimos vapores
francez e brasilero.
Queijos de Ulnas, de prate e llamengos.
Uvas de Alicantesao um torrao d'assocar.
O Campos garante a supenoridade dos gneros
cima descriptos
E qicm darldar venh ver.
Officina de alfaiate
~wj o. w, os mu conhecidos e acreditados re-
medios de veame, e outros diversos raedicamen-
fcltos em Pars, bem como os xaropes de co-
, a ?eS*rth' de rbano ftdado, de lodurete de
erro de Blaneard e as pilulas do rnesmo, peitoral
Jf .ce.r^a> &* de flos. depurativo da Chable,
fflgital de Labellony, pilulasjbu confeiloa de bis-
mutho de Chevrler, e outros medicamentos ruja
prociencia quando empregados as doeness das
TO i respiratorias, as dores rneumaticas, na
amarellidao, na falta completa ou irreguliridade
e do etomago, tem sido e i.icoRitst.ivel, em
vista dos benficos resultados das experimentales
ou uso qne diversas pessoas dellcs teem fcito, as-
sim como das pitlas denominadas bravinr.s in-
comparaveis em sua eficacia nos acommettimen-
tos febns ou sezSes ; existindo tambero na mesnia
casa,_aim de suficiente um nao pequeo sortimento de tinta?, o'eo de li-'
ahaca e pincis, que se vendem por menos do ane
em outra parte. M .
LOJA FLOR
NA
DA
DE
BOA-VISTA
e disto convencidos, esperamos
a dispensar-nos a mesma pro-
15 annos nos tem honrado e
ha
Aluga se urna escrava com oitodias de pari-
da cem muito e bom lene : a tratar na ra de
Aguas-verdes n. 90.
Ama
Na ra da Cruz n. ii, 1 andar, precisase de
urna ama para servir a um homem s, que saiba
lavar, engommar e cozinhar.
3 Alnga-se a casa da ra do Progresso, acaba-
da de novo : no Forte do Mallos n. 23, arraazem.
Paulo F. de I. Guiniares.
Nesta officina se mandam fazer roupas feitas por
medida, tendo um completo sortimento de fazn-
das proprias mesma, assim como om perito mis-
tre. Garant3-se ser precos mais em dnta do que
em outra qualquer parte : na ra da Imperatriz
n 48 junto a nadara fraaceza._________
Attencdo.
Vende-se um cavallo de sella de bons andares,
coro arreios, gordo : no pateo da Ribeira n. 13.
Cal nova de Lisboa.
Chegada recentemente no vapor Gladiator, tena
para vender Joaquim Jos Goncalves Beltro, no
sen escriptorio, rna do Commercio n. 17.
LAGEDOS PARA CALgADAS. I"
do Reg Lima & Filno : rea
Vendem Joo
do Apollo n. 4.
V1NH0 DO PORTO.
Vinho do Porto fino, de diversas marcas, tem
para vender Joo do Reg Lima & Filho, no seo
escriptorio ra do Apollo n. 4
O abaixo assignado, curador da heranca ja-
cente qne outr'ora perrencen ao casal do finado
lenento Jos Joaquim Lopes de Almeida, faz scieo-
t a quern inteRssar possa, que D. Margarida
Candida da Cunha Almeida, viuva do mesmo fina-
do e inveatarianle, que foi dos beus que constl-
tuem a dita heranca, nao pode azer leilo dos re-
feridos bens por estar pendente questao perente
o superior Iribunal da relacao, em virtude de ha-
ver o Dr. juiz de erphaos em exerci'cio denega-
da. Ihe vista dos auios para embargos de nullldade
patente dus autos : protesta, poi?, o mesmo abaixo
assignado, por bem do interesse aos credores e de
queiu mais direito tiver mosma heranca contra o
referid) leilao ; assim como, se contra direito for
levado a effeito, de rehaver os bens arrematados,
se por ventura dita D. Margarida perder a aeco.
Recite I i de setembro de 1870.
Manoel Joaquim de Miranda Lobo.
Attenpo
Vndese urna canoa j velha de carregar tijo-
los : a tratar na ra Direila n. 101.
Vende-se doce de goiaba muito fino por pre-
co mujto commodo : na ra do Rangel n. 9.
VENDE-SE
um casa terrea, na ra de S. Jorge (Pilar)
em Fra de Portas n. 60, com daas salas,
dous quartos, csinba fra.soto com dous
quartos-, e quintal; tratar na mesma ra
n. 23 Io andar.
uao nj eiiue 'oe fiwi
u aojal ep ogjg op tnj : uiein a^s SL
pue amoo saoqs puu sjoofl sjazns |o juam |
uosse 9j9|dmoo e pa.v'aoaj jsnf 3|ddais
saoqg pu sjoo
SH3Z1S
opeojam ou oasajj siera
o jas jod |9Aspuauiui03j srcui tuisst
as-opueujoj 'tpiauo Z9|8u| jdcA opd
'saii'n a jazng saiuEjnqKj sop aiusmisd
lauud 'sope5|eD ep o-uaujtjjos ojaidmoo
mn jaqaaaj op qe^c anb oanqnd oo o
so8!uic snas b ed3tJed a[is p iddoic
opueujaj oaampiaqeisa oi^p oucp o
aojj nj kjo.jwo
ot: 'M viaoiDiA va ovava oa vna i
op^anop uuiUfcsjoq q i
OQV5l?3 i
Farinlis de Mag
Ilua da Pra'a, travessa do Carioca n. vende-
se superior farinha de mandioca em saceos gran-
des, a preco de 6J200 e 6o00 para acabar.
COMPRAS.
0 muzeo de joias
Na ra do Cabug n. 4 compra-se onro, prata
i pedras preciosas por precos mais vantajosos do
ine em outra qqalqner parte.
Com muito siaior vantagem compram-se
ouro, prata e pedras preciosas e a obras velhas: na
loja de joias do Co.-acao de Ouro n. 2 D, roa do
CaDuga.
VENDAS.
CONVITE
0 Costa-di ra Duque oe Caxia3 n. 4,
toma peio presente a lioerdade de convidar
aos amigos e freguezes que sempre o' hon-
raran) e continuam a faze-locom e concur-
so da sua freguezia, virem visitar o seu
estaboiecimenio, certo de que n5o detxario
de agradar-se, nao s de seos gneros,
como do tralamento e limpeza que a todos
despensa.
GNEROS DE IMPORTACAO
Uvas verdadeira Feral
Am 'ixas secas.
Poras.
Macis.
Vittlw do Porto de diversas qualidades
entre ellas a especial qualidadegloria do
Brasildito em pipas e barris, que re-
commendavel para mesa por ser o verda-
deiro vinho de pasto, dilo verde da me-
nor quadade possivel-
Queijos flamengos empeilicados e pratoo
melhor que tm vindo este mercado.
Ervilhas novas em conserva
Chocolate de especial qualidade.
Bol chinhas de especia) qualidadede to-
das as marcas conhecidas.
Manteiga ingleza e franceza de i* sorte
GNEROS DO PAIZ
Doce degoiab em latas
Quijos de Minas muito frescos e de boa
qualidade.
.Fariiia da trra
muito superior, depositada em barrica?, no arma-
zem do Sr. Angelo Baptista do Nascimento, ao p
do caes d vapores no forte do Mattos ; vende-se
aos alqueires, a tratar com Bernardo Jos de
Araujo no armazem do Sr. Annes defronte da al-
fandega.
CANDIDO ALBERTO SODRDA MOTTA 4 C.
com escriptorio e armezem de gneros de estiva
travessa da Madre de Dens n. 14, tem para vender
o seguinte em conserva ptimamente preparado
em Pars :
Ervilhas (Prfifs pois).
Feiiao verde (Haricols vert).
Dito em grao (dem fiageollets).
Espargos (Asperg'S).
MiscKtLANEA DE legumes (Macedoine legiones).
Senouras (Carottes).
Tomates (Tomates). >
Couve de Brxellas (Chous de Bruxelles).
-Alcacbofbas (Fonds d'artichants).
ESPwfres (Epmards)
Cogumellos (Champgnons).
(Cpes).
Pastis com trdffas (Pals tniffs).
sem truffas ( sans truffs).
Atm com azeite (Ton a l'huile).
Truffas simples (Truffes au naturel).
Sardinha em tomates (Sardine etc.)
Galantina com truffas (Galantins avec IrufTee).
Franco (Poulet).
Pombo com ERviLHAS.(P/0con avec pois).
Gauinholas (Bcaisones).
Perdiz com azeitonas (Perdis avec olives).
assada ( rotie).
Andorinha (Allouette).
Codorniz (Gaillc).
Lamprea (Lamproie).
Picado (Andouilleltes t.)
Salxicha (Saucissono f.)
Carne guizade (Frincanieau O.)
Reeebeu-se mais
Um completo e variado sortimento de papis
pintados e doirados de dilTereiiles qualidades e es-
qnisitos desenhos, proprios para forro e guarnicao
desalas, gabinetes, escriptorio1, etc. Na remessa
desse artefacto tem havido o maior gosto e capri-
cho da parte do nosso correspondente de Pars.
Com urna mdica comniisso sobre o custo da
fabrica vendemos este papel, pois desojamos ter
eftectivamenr.fi um deposito dessa especialidade.
No armazem de Candido Alberto Sodr da Motta &
C, travessa da Madre de Deus n. 14.
Joaquim Rodrigues Ta-1
vares de Mello, |
TEM PARA VENOFR X
em seu escriptorio, praca do Corpo Santo ^
n. 17 :
Fumo em foi ha $
de e 2' qualidade, e vende um nu mais )<
fardos a vontade dos compradores.
Cal de Lisboa j
ultima chegada. *
Potassa da Russia.
Farinha de mandioca.
Vinho Bordeaux.
de Ia qualidade. Tudo de vende mais S
barato do que em outra qualquer parte. ^
BllSICi
Sahiram luz
As rus em coii1raari(-a."
Linda quadrilha para piano por 014- ika,
flor da Boa-visu, valsa: a venda no grande ar-
mazem de pianos e e msicas de Azve1o, ra
vau '"'J6 rD* d" ,,"r5u dl Victor,
>. B. Rogase aos Srs. assignaates de miuda-
rem bnscar as pecas de sua? assignatnras.
Uliimas publicarSes da iri'prensa nactorjjfi
de musk.
sii um. Anneua' po,ka bri,hsnte-^1-
Fil'l [i""10" M""3rva' p!lika brhMe, Por Col
'\ Piano- Chico ,-"'bo> P,)!ka brllhaute, P r
, 500. ^^H
. 4. Piano. Una
UleeB. Zucchi. 1IT.
Fumo e papel
Completo sortimento de fumo, tanto para cigar-
ros como para charutos, vindo do Rio de Janeiro,
Baha e Rio Grande do Sul. Papel de seda; linho
e algodo, de nirTerentes qualidades, proprios pm
o fanrico de cigarros. Vende-se constantemente
no armazem de Candido Alberto Sodr da Molla
& C : travessa da Madre de Deus n. 14.
A 1,5000
Os melhores espanadores de palha : na ra do
Crespon..?Oj loja da esquina.
do
Vende-se a fabrica de cigarros na ra larga
i osario n. 11.
DO DISTIN TO
Corpo patritico d lanceiros
O BAZAR DA.MOD\ tem receb'do Diurna-
mente um grande e especial sortimento de
tudos os objectos proprias para este fim
como sejam:
PARA SENHORAS
Gazes lorenlinas de lindas cores, o co-
vado 2,5000, e oulra.s mui'.as fazendas pro-
prias, e de bom gosto.
As mais ricas sahidas de baile a 40 e
45^000.
Os mais bellos e elegantes bournus de
grande novid.dea I6J0OO.
Mantas dB ISa e sikla em ponto de rra-
Iha, e muitos adornos da moda, de 6 a
164000.
Delicadissimos sintos de fil com lindos
enfeites de bellissima phantasia a 8500'.
Goliinnas e punnos de grande vaiL-
dade.
Gorpinhos de cambraia, enfeitados de G$
a 15OOO.
Luvas de pellica muito fresca, grande sor-
timento, e muitos outros arligos proprio
ao fim, tanto em fazendas como em miudf-
zas e perfumaras.
I'AHACAVALHEIROS
Gravatas brancas, no que ha de itclhot-,
com laco e para dar lapo.
Camisas de lnho'!muilo finas, simplemen-
te bordadas de muito gosto a 7??o:0,
Coliarinhos bordados e lizos.
Luvas fresquissimas e grande sortimento,
tudo se vende o mais commodo possi-
vel.
Jas de Souza Soares & C.
Nec plus ultra
Tif.inJo mmeJiatameole l.l.s as caspas e cocui ras dos cabellos.
Deposito
sroente e.n Ma do autor, AnJi L)el-u-. eabelluireiro de Pri.
Rh ) de Vfar<;-> (antiga Crcpo) n. 7 A Io aii'lar
Vende->e a casa terrea n.H, sita em Olinda,
a ra do Urgo do Amparo, com excelientes com-
modos e grande quintal, solo proprio : a tratar ne
Reeife. ra da i a.leia n. 40.
Velas.
De carnauba a todo prec/>, para liquidar : ven-
de-se no escriptorio da ra do Vigario n. 26 Io
andar.
Casa terrea
Vende-se a cava terrea sita rna do Areal n.
16, era Fra de Portas : tratar na ra de Pedro
Alfonso (outr'era da Praja) n. 43, taberna, das 7
as 10 horas da' manhaa, ou de 3 s 6 da tarde.
ama a
DAY W. MWUN
ENGENHEIRO
Com fundicao
RA 00 BRUM 52
Fassaudo o chfaiz.
KaG os Srs. de pnppnho n."1
Deposito de charutos
finos.
DA BAHA E DO RIO.
Na rna do Mrquez de Olinda n. 40, escripto-
rio de Cunha & Manta, vende-se em grosso as se-
guintes marcas:
Regala Britnica.
5 Regala imperial.
Regala Londres.
Exposicao de Simas.
Operas.
Trabuco?.
Conchs*.
Vende-se farinha muito boa chegada hontem,
em saceos grandes e panno da fabrica da Babia
nos armasen* da Companhia Pernamhuean
iratar no mesmo e na ra da CaJeia, casa n t
com Jos GonciUes Torres.
Furia na de
nho
Para a fesU do hospital por-
tugaez.
Recebeu a loja do Passo os mais modernos cha-
leos den Minados Frof, gosto inteirareente nuvo
jem Pars, assim como ricos sintos de ril de seda,
jentremiadj com setm de cor ; e outros muitos
objectos de gosto, como seiam : chapeos do velluda
ipreio, cbapelnas de palha de [(alia, sahidas d.
baile, sedas de cores, novidade. corles de seda.
Igosto escocez, especialidade ; colimados de crox
para camas, ricas basquinas de gorgurao pret,
'te, etc. : na loja do Passo ra Io de Marc-
n. 7 A. S
lagrima, .Mazurka, por Ma-
8. o. P.ano. Morte de Lopes, polka marcial, por
N. 6. Piano, La Grande Daetf*. polka por Lu-
cien LamBert, ii. ... -i;
N. 7. Piano. Carmen, Anit, La Playera, 3 pol-
kas dos ravallinho-, i, r
N. 8. Piano. Le Souvenir, valse de saloD, por
E. Casalhore, i i. *^
N. 9. Piano. Santinba, Maroca, i valsas dos vallinhrs, JfOOO.
N. 10. Pianr. Chant D'O.eiux, p.,ka, por E.
Lasalbora, 14. *
1 J'v^?"*; A n'"'r ,la Boa-vista, valsa, por
Jos Coellio da S. A., 15.
K. O. LHgrimas d'Aurora, Mazaika, por J. L
N: 13. A estrada de ferro, quadrilha, por lien-
nque Albertazii, 1*.
N. 14. Canto. Santa Lucia, barcarola napj-
tma. pir Gennarn Arnau-l; 13.
N. t."i. Cju, Marta Alia, para M. S. ii' aqaari
tott' amor, de Floti.w.
X. 16 As roas em contradanca, -quadrilha, per
Colas Filho, 13.
Rival sem segundo^
RUI BiI-|rKS8: CAXIA< .V. 4
(Amiga ra do Qocimado)
Contina a vender tudo muito bem
muito barato a saber:
(libras de treta preta muito bno. .
Tesouras finas para trabas e cesu-
ra a......., .
Papis de aguibas rantt^as a ba-
lo a.........
Caisas com seis sabouetes. de fruta
Libras de la para bordar de todas
as cores a.......
Carrileis de liaba Akxandre a. .
Frascos com azeite para machinas
Gravatas de cores muilo finas a .
Grozas de botoes madepersla li-
nissimor. a.......
Nuvello de linba tie 400 jardas a.
Caixas com 00 envetepes nuito
superiores a......
Pentes volteados para meninas a.
Tintemos com Lnla prela a 80rs. e.
Pecas do fila elasttM muito ir..i a
Lata coa superior banda a 100 e.
Fiascos de oleoPbilucoiuo muito
lino a..........
Frascos de raacac pereb a. .
Frascos de extracto muilo b Ditos a
Duzia do saboneles muito linos a.
Sabonetes iugltzts a 000 rs. e. .
Frasco com agua de colonia Piver a
Dito de oleo babozi a.....
Caixas do bmparinas a. .
Saboneles a forma menino muito
superiores a.......
L-artbas da dootrioa fazeoda nova a
Libras de linba surtidas de todos os
nmeros a.......1,5800
Papacbos multo bonitos e grandes a 700
Carrileis de robvz prejo. coa
oitavas a........ 049
Agulbeiros :le osso enfeitados a. 240
Libra de l.nba franceza superior
qualidade a....... 2
Caixas de oali'o do g;i/. a. 20
Ai
50
w
60000
i
-500
720
2W)
409
Vende se-una taberna com alpnns eomiBo-
dos na travessa dr. ra das Cruzes n. 6 : a tratar
na mesma com o djno, abaixo assignado.
Jos de S Lopes Fernn jis.
landloca do Mra-
e da Babia
Deposito de chocolate
Menier.
-Na ra d
de Cunha A
la n. W,
ler por
le dez killos
Vende-se no escriptorio de Joaquim Gerardo de
Bato a ra do Vicario Tenorio n. 6. andar
excellente farinha de mandioca vinda do Mara-
nhao e da Baha, em saecus grandes, muito fina,
alvae torrada : ,s pretenderes podem examina-
la nos trapiches da Companhia Pernambucana
Dantas e Pontes
Vende-se
A caixa filial do banco do Brasil em liquidacio,
vende por commodo preco a casa terrea sita ra
Imperial u, tii : iralar na mesma caixa filial
rna do (A>mmercin n. 3i.
Vende-se um graode sitio perto da praca e da
Va-terrea do Apipucos, com grande casa, tendo 4
alas, 8 quartos, sotao, cozmha, cocheira, estriba-
ra, quartos para pretos, tanques, boa agua de be,-
ber, muito fresco, bem arborisado, e grande terre-
no para plantacoes, tendo mais ndepeodente urna
pequea casa com commodos : a tratar na rna da
tadea n. 10, 2 andar, das 10 horas s 3 da tarde.
CASA
vende-se urna parte de urna casa de tres anda-
res da ra do Trapiche : a iratar na ra Nova,
loja n. 36.
As moQas do tecife
ltal que na
as Ex desta
Potassa nova da Russia a 200 rs. a libra.
Cal de Lisboa.
Cera em velas.
Dita em grume.
Vinho do Porto superior engarrafado.
Dito de dito bom dem.
Dito mus-atel de diversas marcas dem.
Dito tinto Palinella superior dem.
Dito dito Veruioeira idem.
Dito dito lavradio idem.
Ditohrance Carcavellos idem.
Dito dito Bucellos dem.
Caldeiras de ferro fundido para engenbos.
No escriptorio de Oliveira Filhcs 4 C ao
do Corpo Sanio 11. 19.
largo
nuroor
a acric
lie lugar,
nados.
ir em

rado com coinirodos pare
o valor, ero Olinda, ra
n. ti : a tratar no mesmo a
no n
1 bem ai
a ma ;pl
A ra do Duque ile (Jaxias n 21.
(ANTIGA RA LO QUEIMADO)
Recebeu seguinte :
Espelho* grandes dourados, moldes bonitos.
Carteras, charuteiras e port-cigarros de incitas
qualidades.
Bonitas pastas para papis, simples? raatsadas.
Boas caixas vacias para costura com sua ccmpe-
tente chave.
Delicadas canelas de marfim com o bocal de
prata.
Modernos pontos de tartaruga, sobres:.hindo. en-
tre elles os mimosos telegrafistas.
Commodos toucadores com duas gavetas e "boa
espelbo.
Pon b'juquet, o que do melhor tem appare-
cido.
l'irt relogios demutas qualidades.
Bons lalheres para crianzas.
Vosluaros. chapjzinhos, toueas, sapatos emeia*
para baplisados.
Toalhas e fronhas de labyrintho.
Chapeos echapelnasparsenhora, moldes noves
s boaftoa.
Chapoimhos gorros e bonels para nea nos
meninas.
Centra as couvu!s5es cas
enancas
Vende-se os vordadeiros collares na Nova Esp-
ranos, ra do Duque de Cxas n. 21.
PARA TINGIH CABRLLOS
para pretot on castanhos, receben a Nova Espe-
ranza a verdadeira lima nirlea. i
PARA ACABAR COM AS SARDAS
ou pannos, tem a Nova Espcranca o verdadeiro
leite do rosas brancas.
AGUA DE FLOR DE LARANIA.
Vende-se na Nova Esperanca, ra do Buque d
Caxas n. 21.
PAPEL PARA ENFEITARSE BOLOS
reeebeu-os muito lindos a Nova Esperanca) roa
do Duque de Caxivs n. 21.
PARA AMAC1AR E AFORMOSEAR A PELLE
tem a Nova Esperanza *s sabonetes de pos de
arroz.
Para baile
Lindas bareges de ,1a muito
propria para baile : na loja da Turquesa
ra do Barao da Victoria a 9 (antiga
1 de Lr&b

t
!
I
/


6
.rio ue
ado 17

N
I
I
GR AIS DE
A Uova
BAZAR DO
O-RUA DA MPERATRIZt60
DE
l'EREIRi DA SIMA 4 C.
Neste imer rante estabelecimento encontrar o pespeitavel puMeo, ai grande e tari*}* aortimento de fazendas do mais
apurado gosto e todas de primeara necessidade, qae se vendem mais baratas *o qne em outra qoalqner part, visto qne os no-
vos socios desta firma, adoptaram o systema de so vendeiem DINHEIRO ; para ,poierem vender pelo costo, limitando-se apenas
a ganbarem o descont ; as nestoas qae negociam em Dequena esca'a nesta toja e aranera poderlo lser s *eos sortimeotos
pelos mesmos presos qoe compram as casas inglezas, (importadoras) e para roaior comtnodidaae das Exroas. faralrus se daro
amostras de todas as fazendas, ou lhes levam em suas casas para escoberem.
PECHlNCHA EM CASEMIRAS A 40000. CORTES DE LA ESCOCEZES-. 60000
No Bazar do Pavao fez-se orna grande Vende-se bonitos cortes de 13a escoeeias,
compra em um leilo, das mais finas yindo cada om em sen papel, pelo barato
casemiras inglezas qne tem vindo a es- preco de 60000 cada um; no Bazar do Pa-
l mercado, tendo cores claras e escnras, \5o.
todas com padrees serios, oroprios para ORGANDYS BRANCO E DE COR
calcas, palitos e colletes; vende-se a 4*000 No Bazar do Pavo vende-se os mais
o covado, o qne em outrt qualqner parte bonitos e mnio finos organdys com listas cima ter om
nao se vende por menos de 6-3; grande largas e miudas 1*000 a vara, ditas lisas, miiidade.
CAMISAS DE RANILLAS A 35500.
No Bazar do -Pava vender um bonito
sortimento com todos os tamanbes das me
Ihores camisas, de flanwla de lia, com
mangas, tantoproprlas pata hotrens como
para senhoras e vende-se a 3d00 cada
urna, e qoem comprar de meia dnzia para
abatimeoto, SIo de muita
antaeem.
BRINS DE LINHO DE COR A 1200
No Bazar d Pavao. fez-se urna grande
compra de paros brins de linbo, mnito en-
corpados, proprios para calcas, palitos, col-
letes e roupas para meninos, por serem de
padroes miadinbos; garante-se qae n3o h>
barrel'a qae lhe tire a cor, e vende-se a
1*200 o metro desta excedente fazenda.
MADAPOLAO FINO A 6*400 A PEQA.
No Bazar do Pavo vendem-se pecas de
maadapolio fino de mnito boa qualidade,
tendo 22 metros oa 20 'aras cada peca,
pelo barato preco de 6*000, por se terem
comprado om poaco enxovalbadas; pe-
chincha.
CHITAS ADAMASCADAS A 240 RS. O
COVADO
O Bazar do Pavo vende mnito boas chi-
tas inglezas incarnadas adamacradas, pro-
prias para cobertas e cortinas, sendo fazen
da que ero qualquer loja se venda a 320 rs.
e liquida-se a 240 rs. o covado; s o Pa-
v3o.
TOALHAS A 7*500
No Bazar do Pavao fez-se orna grande
compra de toalbas alcocboadas, proprias
para rosto, bastirte encorpadas e grandes,
que sempre se venderara a M 2*000. e li-
quidam-se a 7500 a duzia^ou a 640 rs.
cada urna, bna pe^hincha.
CHAPEOS PARA MENINOS A 2*000
O Pavao vende umi grande uorco dos
mais bonitas cbaposiohos de palba da Ita-
lia proprios para menioos de todas as Ida-
des, sen.1o chapeos qoe valem 5*000 e ven-
dem-se a 25000 cada om, mnito barato.
CHITAS E RISCADINHOS MIUDINHOS
200 RS.
O Pav3o vende chitas ou riscadinhos miu-
diuhos cor de rosa e rxinhos, proprios
para vestidos e roupas de cranos a 200
rs. o covado. Sao mnito baratos.
LASINHAS CQM PALMAS E SEDA
Cbe.'ou para o PavSo o mais bello sorti
m'nto das mais brilbantes lasinhas claras
cora bonitas palminhas, de seda; ten lo lar-
gura de cbita francesa e vende-se a 4*000
o covado grande pechincha.
ALPACAS HATISADAS A 640. RS. 0 COVADO.
Vendem-se as mais m'derna; e bonitas
alpacas matsadas com palminhus mnito
proprias para vestidos de senhora e da me-
ninas pelo barado preco de 640 rs. o cova-
do ; sao mnito f m corta.
PARA NOIVADOS CORTINADOS, COLCHAS.
ChPiou para o Bazar do Pov3o um gran-
de sortimento dos mais bonitos csrtinados
bordados, proprios para camas e janellas,
qoe se veodem de 105 00 at 2003^0 o
psr, assim como o meibnr damasco csm 8
palmo- de largura a imitac5o de damasco
de seda, proprias para colcta, e propria-
mente colchas de damasco, send os melbo-
res e mais bonitas qae tem vindo ao mer-
cado.
SEDAS PE LISTRAS.
No Bazar do Pav3o vende-se urna grande
qaantilade das mais elegantes sedas com
lislrinhas, tendo de todas as cores e at
furta-cr ; fazenda que ninguem vende por
menos de 2-3400, e liquida-se a 2*000 cada
colado; sao moito baratas.
SET1NSDE CORES E GROSDENAPLES.
No Bazar do Pav3o vende-se um sortimen-
to1 completo dos melbcres setins e grosda-
naples de todas as cores, qae se vendem
mnito em corta.
POUPELINAS DE LA A 400 RS. O CO-
VADO
No Bazar do Pav5o vende-se nm elegan.
te sortimento das mais bonitas ponpelinas
de 13a com lista* miudinbas, sendo todas
qoasi da orna s cor, 400 rs. o covado ;
9 baratissimo.
GRANDE PECHINCHA E\I LASINHA
A 640 RS.
Na Bazar do Pavio fez-se nma grande
compra de lasinha para vestidas, sendo de
muito bla qualidade, ornas com listas e ou-
traa com mesetas, e muitos largas, qoe com
p neos covados se jz vestiio e liquida-se
440 rs. fazenda qoe sempre se venden a I*.
ALPACAS PARA VESTIDOS FURTA
CORES A360RS.
eile se am bor.iio sortimento das mais
hrilbaiiies alpacas escuras firta cores,
sando muito ene riadas e tendo om brilbo
como seda, liqoida-se pelo barato preco de
. 3K0 rs. o covado per se ter feifo ama gran-
de compra.
POUPELINAS A 400 RS.
No Bazar do Pavo vende-se om elegante
sortimento das mais lindas pouuelinas de
laa com os gostos miodinbos sendo qnasi
ama s c6r e co n moito brilbo, piebin-
ch3 b 400. rs. para acabar.
CHTAS A2*RS. O CORTE.
No Bazar do Pa?5o vende-se cortes de
ita miudinbas, sendo rocha e cor de rosa,
tendo 10 covados cada corte a2J vende-se
a retalho a. 200rs. o ovad), pechincha.
NoBa7ar do Pavo liqaida-se urna por-
as francezas miadas e graadas,
ido para acabar.
fazenda de maita phantasia 800 rs. a vara, Granoe peebineha om camisa lngtazas a 4e45S00
ditos d cores, finissimos padreas, inteira-j No Bazar iioPavao fez-se ama grande com-
mente novos 800 rs. i vara: peihincna.' pra em leilSo, de tinissimas camisas ioRle-
GROSDENAPLES PRETOS zas com peitos punhos de Hdm, sendo
Chegou pira o Bazar do PavSo um gran- j com collarinhos e de todos os nmeros a
de sortimento dos melliores in-osdenaples 4*000 cada orna, ditas sem collarinhos,
pretos qoe tam vindo ao mercado, que se
veodem de 4*600 at 56000 o covado ;
s3o todoa moito em corta.
CAMBRAIAS TRANPARNTES
No Bazar do Pav3o vende-se um grande
sortimento das melhores cambraias bra cas
transparentes, tem de 3*5 M) at 10*000
peca, ditas snissas finissirnas com 8 pal-
porm faze.'da hnksima a 4*500; gran-
de pechincha.
CAMISASBARATAS a 2*800.3*0C0 e 2*600
No Bazar do PavSo vende-se urna gran-
de porpo de casemiras mescladas, mnito
encorpadas a 2*800. ditas* finissirnas com
msela de seda a 3*200, ditas modernas
de qnadros, fazenda de mnito gosto a
mos de largura a 2*000, 2*500 e 3*000 3*600 o covado ; aproveitem.
vara, ditas victorias e tapadas da-mai infe-
rior at a mais fina qne vem an mercado;
todo isto se vende moito em conta.
MANOLETES DE FIL
Nj Bazir do Pavo vende-se modernissi-
mos mantelletes ou basquinas de fil preto,
om laco, pel barato prego de 10*000 ca-
da om, barato.
PANNOS PARA SAIAS A 1*000, 1*280 E
' 1*600 O METRO
No Bazar do Pav3o vende-se bonita fazen-
da branca cncorpada para saias, sendo com
babados e pregas de nm lado; dando a lar-
gara da fazenda o comprimento Oa saia. a
qual se pode fazercomS -m 3 lr2 metros,
e oende-se 1*000 e l*i80 e 1600; assim
como tambetn no mesmo estabellecimento
se vende bonitas saias brancas bordadas ten-
do 4 palmos cada nma, ditas de 15a de
cores j promptas amas com barras diffe-
rentes, da mesma fazenda 4*^00 e ootras
com barras bordadas 6*000 e 7*000,
todo isto c moderno e barato.
ALGODO ENFESTADO PARA LENQFS.
No Bazar do Pavao vend-se o nWhor al-
godSoiinho amricano enfesta'io p-ra leo-
cas, tendo liso e entrancado por prego
mnito barato.
ESPARTILHO.
No Bazar do Pav3o receben -se nm elefan-
te sortimento dos mais modernos e melho-
res espartilhos. qne se vendem por prego
moito em conta.
PANNOS DE CROCH PARA CADEIRAS
O Bazar do PavSo recebeu om grande
sortimento dos melbores paonos de croch,
proprios para cadeiras de balanco sofas,
pianos, t*mboretes e at proprios para cu-
brir almcfddas e pratos; vendendo-se por
menos do que em qualquer parte.
Lasinlias tranrparenlts a SOO rs. a ovado
O Javo recebeu um bonito sortimento
das mais elegantes lasinhas transparentes
proprias para vestidos, qoe vende a 500 rs.
o covado; moito barato.
PARA LENQOES
No Bazar do Pav3o vende-se suprior
bramante d'algodo com 10 palmos de lar-
gara a 1*800 o metro, dito de lioho com a
mesma largura a 2*800 cada metro, pannos
ds liohodo portocom 3 1/2 palmos de largura
de720al 1* a vara, assim comonmg ande
sortimento de H todos os nmeros, pregog ou qaalidades,
que se vendem mais barato do que en oo-
tra qnalqner prte ; aproveitem
ATOALHADOS
No Bazar do PavSo vende-se superior
atoalhada trancado, com 8 palmos de larga-
ra a 1*600 o metro, dito de linbo adamas-
cado o melhor que tem fiado ao mercado a
3*500 o metro ; tudo isto mnito barato.
Baloes regaladores a 4*000 4*:>0 e 5*000
Cbegaram ao Bazar do Pavo o BM bem
feitos bales reguladores, edo de fa?to
a 4*000, ditos de musselina a 4*500, di-
tos de ISasioba de todas as cores a 5*000,
todos el les sao mutto baratos.
Panao preto moito barato a 3*600
O Bazar do PavSo recebeu urna grande
porcSo de pecas de panno preto* fino, com-
pradas em leilo, qae sempre se venden a
5*000 o covado e pode liquidar a 3*600,
por ser ama excellente compra.
BAREGES A360RS.
No Bazar do PavSo vende-se om bonito
sortimento dos mais lindas ba^eges lista-
dos para vestidos, qoe valem muito mais
dinheiro e liquidi-se a 360 rs, o cola-
do, ditos mnito mais finos com listas a 400
rs, estes bareges sempre se vender^ a
640 e 800 rs., grande pecbincba.
GURGUROA 640 RS.
No Bazar do PavSo vende-se um bonito
sortimento dos melbores gurgorpes de laa
para vestidos sendo ama lioda fazenda,
muito leve, meia transparente e muito lar-
ga com furta cores e liquida-ye a 640 rs.
o covado por se ter foito grande pecbiocba
na compra.
COBERTAS A 3*
Vende-se coberUs de cbita encarnada
adamascada a 3* cada orna, pechincia.
CORTES INDIANOS A 455i'0.
No Bazar do Pa^So vende-se Dcnioscor-
tes indianos com duas saiis peio bara-
tissimo preco de ,4*500, cada um, pe-
chincha.
TAPETES
Cbegon para o Bazar do Pavo o mais
elegante sortimento de tapetes grandes, pa-
ra sofs, com 4 eadeirss, ditos maispeqae-
nos, para doas cadeiras, ditos para
pianos, eamas, portas ; etc. vende-se por
menos da que em outra qaalqopr parte.
COLCHAS BRANCAS A 3*20,3*500 E 7*
Para o Bazar do Panao chegoo nm gran-
de sortimento das melhores co lebas do fns
to, s-ndo das melbores e mais e eorpada.-
que tem vindo, a 75i-0 ditas om pooco
mais abaixo a 5-5S00, e ditas a 3*000
Urabem no mesmo estabelecimento se ven-
de om grande sortiment 3 cret mes e cbi-
ts, proprias para eolebas, qne se vendem
muit em <*onta.
GORGUBSS OU POUPELINAS DE SEDA
A ?A0C0 CADA COVADO.
Cheg u para o Bazar do Pavo um e'e-
ganle sortimento das verdadeiras ponpelinas
de linbo e seda, com es mais modernos
gostos, que se vendem a 2*000 cada rovado,
o que em outra q alqoer parte nao se vn-
de por menos de 2*500, previne-te que cao
s3o algodao e seda, como ba muitos; mas
sim puro licho e seda; sao moito baratas.
ROUPAS PARA HOMENS
No accreditado Baar do Pav3i> encontra-
r o re.speit.ivel, publico nm grande orti-
mento de roupas para horneas tanto bran-
cas como de cores, a saber:
Camisas con; peitos d'algodo e de linbo,
para todos os precos e qaalidades.
Ceudas de linbo e atgodSo.
Meias- cortas francezas e inglezas.
Palitos sobrecasacos de panno preto e
casemira.
Caigas de brim branco e de cores
Ditas de casemiras pretas e de cores, com
colletes iguacs
De todas estas roupas ha para todos os
pregos e qaalidades, e tem de mais mais
um perito
ALFAIATE
Por qaem se manda fazer com prestesa
e aceio qaalquer peg de obra a capricho
ou goto do fregnez, tendo n'este importan-
te estabelecimento todas as qaalidades de
panno fino, as melhores e mais moder-
nas casemiras, assim como os melbores bros,
qur brancos, qnr de cor; e qoando qual-
quer obra n3o tiear ioteirameote ao gosto
dos freguezes fi.a por conta do estabeleci-
mento.
CHALES DE MERINO
Cbegon para o Bazar do Pavo nm elegan-
te sotument de chales de merio de cores
muito boas om pidrSes maito decentes
para qualquer urna Senhora usar, ditos de
er pon com listas de seda o.mais fino e
moderno que tem vindo ao mercado, e ven
de-se por prego maito em corta.
BABAD1NHDS
StRii; t!e Caxias*'f
Qoando a ESPERANCA fazos leas
anuncios expondo aos sees freguezes e a
lodos em geral o grande sortimento e su-
periortkra> de seos bjectos n5o com vis-
las de atrair a Wmc3o do Wna gnhte fre-
geezia, como a deque- aetoamwrte dspoe,
e sim para s'cientiflcar (a interese de todos)
a qualidade de seos objeclos os qaaes sSo
sempre de apurado gosto e perfeigSo; tor-
oando-so qnasi indispensav para aqoolles
spreciadores (do bom) fioquartarem a No-
va Esperanga, pois que ella capricha em re
ceber c^nstautpmente, o qne hn do melhor
relativamente a stfa repariicSo: o qae se po-
der.iveriflcar qnando em qualquer reuniSo
de pssoas (amantes doxiqoej v-se om
bonito enfeite em um bonito vestido, nm
aroma agradavel escapar d'nm alvo lenco,
um moderno e linde lago, um dlicado ra-
mo de finas flores, ete, etc, todos olhanvse
reciprocamente e dizera com sigo (e as ve-
les bns aos ootrost este? sSo objectos
comprados a NOVA-ESPERANCA: realmen-
te !!!! procurar descrever ete annoncios os
rtigos qoe contem dita loja, seria trabalho
insano e nunca o fariamos com aqoeHa
graga e perfeifo com que SSo elles fabrica-
dos, assim pois a NOVA-ESPERANCA con-
tenta-se em convidar a todos geralmente,
visftarem-na para ent3o ficaram intei-
rsdos do qae ha exposto na mesma loja.
flRaa Duque de Caxt* 1
5 dras. soleiras. rgy, copos, etc..
J para edifiuacj de ornas quatro ^
fA viuva do finarto Honrique Jorgf ten-
di recPbido em parlilha pelo joiw Ae or- >
_, phaos ben para o integral pagamento X
1tt daa dividas restantes de eu casa, vende xX
u excellenic terreno foreiro, murado, na 0
travesa da CdtlCopHa entre o sobrado du ^
Dr. Bnltrao e a carreira de casas terrea flR
do lado do sul, cuuiprehendendo na venda ^
-- as meiacoes dos dous oit5e>. entre es
qiiaes est situado o terreno ; e bem as-
smti nma porcio de pera3 de varios U-
~, manhof e qaalidades, proprias para edifl-
jR caces : o que ttWo pode ser visto e exa-
" minado pelo* pretndeme no lugar indi-
cado, qaalquer hora, nos dias nteis:
a tratar na ra do Qneionado, ou Duque
de Casias n 28, t" andar, das 10 horas
da manhaa s 2 da tarde.
Quando a AGUIA BRRNCA.mais precisa scientificar ao respeitave! pobl
geral, e em particular a sna boa freguesa, da immensidade de objectos que ulti
te tem receido, jostamentefqondo ella menos o pode fazer e porque essa fal
ternaria ella confia e espera na benevolencia de todos que lh'a attender3o e rei
continnando portante a dirigirem-se a bem conhecida leja da AGUIA BRANCA 1
Quoimado n. 8, onde sempre ach.irSo abnndancia em sortimento de superioridMe^ein
qaalidades, raoflicidade em precos e o seo nunca desmerttido AGRADO E SlNCEriBADE-
Do qae cima fica dito se conheceqoe o tempo de que a AGUIA BRANCA pode
dispi, empregado apezar de sens cusios no desempenho de bem servir a aquellas que a
honram procurando prover-se em dita loja do qne necessitam, entretanto sem aliime-
rar os objectos que por sua natureza sao mais conhecidos ali, ella resaadaaente indi-
cara aquelles caja importancia, elegancia e novidade os tornam recommiveii,^ como
bem seja
(>)rpirihos-de cambraia, .primorosamente
enfeitados com fitas de setim e obras estas
cuja novidade de molde e perfeiep de ador-
nos os tornam apreciados.
Fitas mn bargas de diversas cores e qaa-
lidades para cintos.
Leqaes uesse objecto mnito se poderia
dizer querendo descreve-los minuciosamente
por suas qaalidades, coree e desenbos, tal
o grande e variado sortimento que acaba
de chegar, mas para nao massar o preten-
derte se lhe apresentar o qne poder de
melhor.
Entremetes em pegas de 12 tiras.
ultoipore branco e preto de diversas qua-
lidades e desenbos.
Ditos de algodSo com flores e lisos.
Veos de seda para chapelinas e monta-
ra-
Meias de seda para noivas.
Ditas abertas de fio de Escossia.
Costumes ou uniformes para menteos.
Capellas branca* para meninas.
Grande sortimento de flores finta.
Fil de seda, preto.
PERFUMARA
Grande e cotstante sortimento de dita,
sempre melhor quajidade.
Lindos vasos com p de arroz e .pinael,
Caixinbas com ditos aromticos.
Bonitos e modernos pontea dotradoa
para circular o coque.
Bonitos brincos de plaquee.
Aderegos e brincos de madreperolr.
Caivetes finos para abrir latas.
Thesouras para frisar babadinhos.
Aspas para bailo.
Novos stereoscopos com 48 vistas, aa
quaes s3o movidas por um macbmismo
amas substituem as outras.
Vistas para stereoscopos.
Bonitas caixinbas de vidro enfeitadoa coa
pedras.
Ditas de raadeira envernisada com vispo-
ras e com dminos,
Bollas de borracha para brinquado de
Enxovaes compfetos para baptisados.
Tonquinhas de fil, sapatinhos bordados criangas.
e meis para ditos. Diversos objectos de porcelana, pwpnoa
Camisinhas bordadas para ditos. para enfeites de mesa e de lapinbas.'
#>& <*^0te^^ w*
VERDADEIRO LE ROT
de aieiaBET, Docteur-Hededn
Ru de Seine, 51, d. PARS.
Em cada sarrafa. Tal. entre a rollii e o papel anil
que lera o ineu sinete, um rotulo impresso em ama-
rillo com o Sano Impkrul o cotfrno raAHCEz.
N.B. Kemet-'
tendosfiimalettr
dr 500 francos ao-
breParis,aceIavel
a 60 dias de vista,
aomiimo,goza-sc
do abatimeoto e do
maior descont.
No Bazar do Pavio vende-se. om grande
sortimento das mais finos babadinhos borda-
dos tapados e transparentes, assim como
urna grande porgo de entremetes largos e
estreitos, que para acabar se vende mnito
em .corta e mais barato do que em ootra
qualquer parte.
FAZENDAS PARA LUTO
No Bazar do Pavo vende-se constante-
mente o melbor sortimento de fazendas
pretas para teto, como sejam : v
Laasiabas pretas lisas.
Cassas pretas de la.
Cassas pretas, francezas e inglezas, lisas
e com salpico?.
Chitas pretas de todas as qaalidades.
Alpacas pretas lisas.
Ditis lavradas com branco.
Merinos, cart5as, bombazteas, qae se
vendem mais barat > do que em outra qual-
qner parte.
CHITAS PRETAS A 200 RS. O COVADO
No Bazar do Pavao vende-se chitas pre-
tas inglezas com salpicos 200 rs. ocovado,
ditas todas pretas, por estarem om poaco
rassas, a 120 o covado ; 6 pecbiocba.
O propietarios d este importarte esta-
bellecimento rogam ao respeitavel publico e
pariicularmente s Exmas. familias o favor
de se darem sempre ao trabalho do lerem
os seos annancios, pela razio de muitos
d'elles serem mndadns amiudadas vezes.
CACHE-NEZ A mOO.
No Bazar do Pa*5o vendem.se bonitos e
grandes cacbi-nez de pura laa, pelo tiara*
to preco de 6 O Bazar do Pavo sito a na da Imperatriz 60, esta' constantemente abe?to
das 6 horas da manhaa as 9 da noute.
Gal de Lisboa.
Vonde-se cal de Lisboa, a nllima chapada ao
mercado, por preco rawavel : no armaseai 'le
Manoel Teixeira Bhsiq-, na d" Commercio n. <3.
Farinha de mandioca.
Vende-se. superior farinha de mandioca, vinda
do 9erto do (iear, em saccas. de 2 lj2 e 3 al-
qneires cada sacca, por preco mdico : a ra do
Vigario n. ti, escriptorio de Jos Lopes Davim.
CEMENTO
O verdadeiro portland. S6 se vende na ra ds
Madre de Dos n. 22, armazem de Joao Martiu* de
burro
Vende-se
Caixilhos para janellas. portas o ripas.
Vendem-se 27 caixilhos para janellas, comple-
tos, assim como portas para o interior de qualquer
casa, tudo em bom estado e por preco commodo,
bem como 700 ripas de emberiba : a tratar na
ra do Imperador n 5o, 2o andar, ou no Caliei-
reiro na casa em concert junto a estacao do ca-
minho de ferro de Apipucos.
Peehinchas novas
NA
Loj Flor da Boa vista
DE
Paulo F. de II. Cintmares.
Laas para vestido, fazendas todas novas, cova-
do 200 a 500 rs.
Cambraias de coros francezas para acabar, co-
vado 200 a 320 rs.
Chitas escuras e claras cores xas, covado 240
a 360 rs.
La* Amelia, fazenda nova, covado 600 a 600 rs.
Brim pardo trancado, boa fazenda, metro 500
aSOO-rs.
Pega e algodao e madapolao, cambraias trans-
parentes e victorias, precos muito baratos : na
ma da Imperatriz n. 48. junto a padaria franceza.
Bichas hamburgnezas
Neste novo deposito recebe-se por todos os pa-
quetes translanticos bichas de qualidade superior
e vendem se em caixa ou porcao mais pequea,
e mais barato do que em outra qaalquer parte :
na ra da Cadea do Recife n. 5, f andar.
CHARUTOS
da Babia
do acreditado fabricante Joaquira Jo? dos Reis,
exportadores Basto & Sohrinho, vendem-se pelos
segamtes preces, na ra Direita n. 31 :
Exposicao a 5J600 a caixa do 100.
Riachuelos a 45600 a caixa.
Lyricos a 4*200 a caixa.
Havana a 4*200 a caixa.
Regala d'EfaRei a 5*600 a caixa. .
Dita imperial a 2,8600 a caixa.
CANTARA E LISBOA.
Soleiras, hombreiras e capiteis : a. tratar bo
irmazem da travetsa do Corpo Sauto n. 25.
Para cigarros
Excellente papel de Mnho mnilo proprio para
cigarros : no armazem de Tasso Irmaos 4 C. ra
do Amorira n. 37.
lN.3ABl]4uOC4BIJGAN.a
| ACOSTIIOI llttK l
Com este titnlo acha-se aberto e inteiramente transformado este antigo
estabelecimento de joias, onde os freguezes e amigos encontrado tudo quanto
a moda e o bom gosto tem inventado na arte de ourivesaria, o Collar de Ouro
observar delicadeza no trato e senciridade e modecidade nos precos.
Espera qne o respeitavel publico venha ve* o que existe de melhor em
aderaos de brilhantes, esmeraldas, robins e perolas, meios aderecos, pul-
coiras, brincos,'alrinetes e anneis de todas as qaalidades, prata de lei faquei-
ros, colberes, paliteiros salvas e outros moitos objectos quo seria enfadonho
mencionar.
Compra-se ouro, prata, brilbantes e pedras finas, pormaior prefo do
que em ontra qualqner parte, treca-se e concerta-se todo e qualquer objecto
pertencente a esta arte.
Lonrenco P. Mendes Guimares
RA DA IMPERATRIZ N. 72
Tendo resolvido o sea propietario liquidar todas as fazendas existentes as loja
Garibaldi e Arara, convida ao respeitavel publico, amante da economa, vistorem a
loja da ra da Imperatriz n. 7:2, pois s deseja apurar o dinheiro. r
Arara vende madapolao enfestado a 3a00; Para liquidar vende bramante de li-
a peca, ditas de 24 jardas a 55000, 6#j00, nho e algodao a 13800 o metro, dito de
(5,5500, 7*000, 85000, 960OO, e lOSOOO.
Vende-se cortes de casemiras de cores
pan caifas a 40000, 5500J.
Pira liquidado vende-se afgodo de lis-
tras proprio para calcas, camisas e saias
para escravos a 160 rs, o covado.
Na ruada Imperatriz vende se cbailesdel
merino esiamoados e de barra a 25000,'
05OO e 30-jOO.
Arara vende cortes de casemira preta
para calca a 30500, 40000. 55' 00, 60300,
70000, e 80000.
Para liquidado vende-se brim pardo liso
bom a 500 rs, o metro, dito transado a
720, 900, e 10000 o metro.
Para a cabar vende-se duzias de lencos
brancos de cassa a 25000, e 35609, ditos
de linho a 55000, 60)00.
Na ra da Imperatriz vende-se cobertores
de algodao a 15400 e corberias de cbita a
10500.
Para liquidaco vende-se cortes de casto-
res para calcas de hornera a 500 rs.
A Arara vende chitas largas para vestido
a 240, 280, 320, e 360, rs. o covado.
O barateiro vende percalas Unas para
vestido a 440, rs, o covado.
Emliqaidacao vende-se alpacas para ves-
tidos de Sras. a 500, rs, o covado.
A Arara vende ISazinhas para vestidos de
Sras. a 320. 400 e 500, rs, o covado.
O Guimares vende morsuna de c6r
para vestido dJ. Sras. a 440 rs. o covado,
dita branca a 5 )0 rs.
O Men es vende fustal de cores par-
vestidos de seahoras a 360, o covado.
O L'iu renco vende cassas unas para ves-
tidos 240, 360, 400 e 440 rs. o covado. ,
Arara vende alpacas de lista para vesti-
dos de senboras a 500 rs. o civado, ditas
lisas a 500 e 640 rs. ocovado, ditasjmatisa-
das a 640 rs.
linho paro a 25800, esta fazenda pro-
pria para lences e toalhas por ter 10 pal-
mos largura.
Vende-se cortinados para cama franraza
a 10400 o cortinado para liquidar.
Arara vende cortes de chitas para veta-
dos a 25500,20800 e 35200 o corte pau
liquidar.
Vendeo se cortes de cassa a 20500 o
corte s na liqnidacao a da imperatriz.
Veade-se cortinados para janellas a 60
a peca para liquidar.
ECONOMA
Vende-se duzias de collarinhos de pa-
pel a 240 rs. para acabar.
Arara vende lasinhas transparentes para
vestidos a 500 rs. o covado.
Liquidaco, vende-se paraoeito liso a
20200, 20500, 30. 30500, 40, e 50, pro-
prio para calsas e palitos por ser bea fa-
zenda e barato.
Arara vende cortes de brim para cal-
sas de homem 10500.
Vende-se cortes de pca'as de duas saias
para senboras pelo barato preco de a 60.
cadaum.
Grande liquidaco de ronpa feita.
Vende-se palitos de alparca e de corea
a 20.
Vende-se ditos de ganga para bomem
a 20.
Vende-se ditos d-i brim de algodao brin-
cos a 20.
Vende-se ditos de meia casemira a 20.
Vende-se coletes de brim de cores a 10-
Vende-s"ditosde meia osemira a205()O
Vende-se calcas de algodao azul-a 500 rs.
Vende-se dita de algooo de listras a 800ra
Vende se ditas de brim pardo 20,10600
e 20500.
Vende-se calcas di casemira da core
a 6580.
F"TC
11EDALHA
oC0 o7
v ^
FJGADOde BACALHAUlFIGDOof BCLHAU
^B^'
HONRA.
BRANCO E ESCURO
De*n fecundo o Oleo de Figado de Baealhio,
o Senhor CheTrier deo a esta precios prepara-
Ci therapemic nm cheiro a sabor agradareis
que nenhuma de suas virtudes lhe tiram.
Esta importante descoberta, que grangeon a
seu autor urna Medalha de honra, rulgariso o
u;odo Oleo de Figado deBatalhio desinfectado.
Os mdicos o receitam prefemelmentee todos
os outros, em todas as molestias onde s* em-
prega o Oleo de Figado de Baealhio.
Ver por mais pormenores os rotatorios medi-
caes que conten a noticia que accompanha cada
frasco.
PHarmnrin tEVMnn, *
Una phi
O TAFFBIA!
FERRUGINK DE CHETRIER
0 Senhor Chetriw eomptetou a sna doteo-
bert .juntaa-do a iodura d'"_* *
Baealhio desiofecMdo.*ste Oleo *
Kuiihio ferrugineo tem todw a* propnedades
dooleoe do ferro, digerwe facilojeoto mea
M,a pristo de rentr.. Porunto t>rfcriel
, maj preparaC6es ferrugineas (Ptlnfas ou X-
rope), eonrem em
o ferro. Tsica pulmonar, bronchltes,
escrfula*, impigens, gota, rhen-
emprog
rachitismo, -
mstismo chromeo, et*frtos ano
ias, contaloseoneia difBeoia e
ctituic|o. _
, nte fw Fm%ib. Mfmntmartre
tos,*d;spep-
raquezas de
- -- rmZTmtkZ? R da COCA, excellente preparaces tnicas.
Ra mesma pharnuea aehio-MoTU 10 BW*" YT"? jj (JJLmT-
O TAFFEAVDIJIERARIOeomABilICA p eB"X^JSffi*2fSS23
O 6RAHDL0S deBISMTH oompos*OBtr ARHcA p rw ? **** 'S^V eoMMOoi.
*f"-----
Dbposiiaiuo, om Rio de"Janeiro, Doporcsbub et C*. Bahia, HounuJM
Pernambuco, P. aUomn-et &. Maratkao, FniROA *t C.
F* Jos Beilo. Pelotas, AiirtRO Urv*-

s


1
Diario de Pernajubuco SuLbu to 17 de Setembro de 1870-.
=5=
i
I)
sem segundo
49
lerleds}
as anadezas palos-biM-.-itissimus preco abai
xo *MMrads,raDih(l'iDd bom a pre-
sos admirad
Duriar-drifki'it.w sPO'i-iCJ a----- 1-0
Duaia >d*>'paWo* siyuran<;a eaixa
graada *................... 310
Fraseoacom ili i-tiahor. miitofina. .i'O
P.icotc c*i p-'S de arroz o me-
laor qn* ha a............... 3t'.
v albas moho as par*1 (atar
bat* a.................... I .-J000
Ca'SB de liaba bran do gaza.. 300
Vari dr franjas de-lkllH> para toa-
Iha*....................... IM
Caiuf-coai penaas d'aco de erry
soperiores .............. SOO
Lencdsda cassa^ brancos e piotn
dosa................... 100
Caira com 20 quedarnos de papel
pactado ........ 7(K
Caixw com 50 noveilos de linba ,
do gas o. 400
Duzi te meias cruas superior
crnalidadea.......30GOO
Pepa* de bibadinhos cuan 10 va
nU........ 800'
Pecas de tiras bordartascoro i
metros cada pea a I $500-a-. 000
Pecas de fitas para cs de qual-
quer largura com 10 varas a. 300
Escovas para unhasfazenda ma a 500
Ditas para denles a 240, *J20,
100 rs. e....., 300
Pepa* de tranca lisas, brancas e
de cores a....... 40
Duzia de linha-froxa para borda-
dos' a 400 rs. e..... 500
Parea de meias croas para me
nos diversos tamaitos a. 320
Duzias de meias bra.i.-as muito
finas- pira seotiora a. 4eS500
Pares da sapatos do tranca do
Porto....... 25000
Parea desapatos de tapete a. 1^300
Duzfas de baralhos para vnltarte 3-5000
SylabariS portuginzus a. 400
Cart&ea com colxetes 2 carreras a 20
Aootoadoras para colletc diversas
qualidades....... 400
CaixSs com penna de ac Mita
boa de 320 3...... 30C
Catxas com superiores obrehs a. 40
Duzia oe agnlha para maoiiina a. 2W0G
Libras de prtgto fraaMezM todos
os tamaiihos a...... 240
Pacote de papel com 20 qoader-
nos........... 400
Reema de papel pautado -sopar or 4#000
Resma de papel liso moito eupe-
riora........... 3*600
Jos de Sonsa Soarefe & C.
( OU-TH'RA NOVA)
Aurasentfrasa nvti n rphoz>Atf no 1- oara Sen.'ioras 11 ti os de, alt-fin-ida eaj P tanto para Minoras culi!"
[.u; borneas mi-nii! >s.
iw^t.a* afarm^ilas, perfumariaa especi es variedad* de iui.ios bjaCt* para me-'
iiims e bniomodoa pata enancas.
GRANDE SOMMENW
Cflripuamate receblo por todos os paquetes viudo da Europa aonde lem ha-
bis ci .-n espnjenles.
Vendf -se muito ementa e manda-se p>r e pr^gadis do eslabel^oiment fazendas
em casa das Exm*. familias afnu de meibor escorierem .- que dusejaieiu.
Sua do Queimado
de fazendas
E' ch'g.ido a esie novo estabelecimento o mais bello sortimento
toae, sendo s'in espociali.l.ide enxrvaes para noivado.
Vestas de bl'.nd de ,sda ricamente Inrdadjs.
GtttjniiSo de seda brar.co para xesdo.
<":{--Iis de t-da pura, para cama com ricos desenlios.
!>ttts Ao lf:a e seda, id m dem.
:i'\i\ ideiu idem.
(TiirfinadasMiatn nte bordados para camae janellas.
Oo.xs p--inf endeiras e solas.
Vosti'lns de cambraia branca bordados.
IVqyeline de lindos gostos".
I.as de diversas qualidades, lindos poslos e modernas.
Furos b urnus para passeio, com lislras de setim.
Sabidas de baile o que ha de mais rico.
Cretonas para vestidos com liados desenhos.
<:nmi7.:?s bordadas e sem bofados para ser.lioras.
Cimisas bordadas mnilo finas para homens.
I>'as inglrtas para hmense meninos.
Si-noiLis de linho, e 11 tn graude sortimento de roupas feilas e de fazeodas que
eofadonbo mencionar.
Luvas frfscs de Jonvin
Soitimenio il.; tapates para gnarnicesde sals, alcatifas para forro de sala, e o
Ssteiras da India
OE FAZENDAS E ROUPAS FEITAS
lua da -Imperalriz n. 40, esquina do be;co dos Ferreiros.
ue
IMil TIIIIM IIS.
0 proprietario deste novo eslabelociraento communica ao fespeitavel publico
desia cidade, e especiaUnente as Exmss fami-iis que sl;i liquidando por pref-os bara-
issiraos as amigas fazendas qua existiam ne-te eslabeletim nto, alm das que abaixo
vTio relacionadas, enjo< pre?os me-ecem toda a atkncio do respeitavel publico que n3o
deixar de com pequea quantia refuzer-se dcqoaliiuer psalidadede fazendas que pre-
cise. Previne-se tambem que mesmn luja lem falo soriimento de fazondaa moder-
nas, e continua a sorti-'-se das do mais apurado e escolhido gosio que vender mais
barato que qoalqaer olra loja.
Ditos estampados de 4500 para cima.
Gaiuisintias de cambraia branca transpa-
Madapolrio enfestado com i2 jardas a 3f5fren:e, bordadas com enfeites brancos e de
3(5500 a peca. cores a 35000.
-
m m m
Chipn a angodep(Wi:o de Henry Forstar *
\lf txm do Imperador, am carregamoato de rji
ae prmeira qaaiaade; o qaal se vende em partida
a retalho por menos preco do que em outr* qu*'
cner parte.___________________________________
20^Roa da Imperatriz
Fairf A Cssai
Aeab de chegar a -'sia nossn nw/t laja de fa-
zendas final nm variad" soriimtnio de fazendas de
'aa e seda, como sejam : pranadiiies do ultimo'
gosto, popelinas de urna so cor, alpacas e liaxf-
nhas de cores, o que lia dp mais moderno, trit
uor batalissimos procos, brilhanlina^ de cores, te-
cido das indias^ fMenda neva a mitaoao de per-
alia.baloesde cuna Bogr.do saia de cor com lia-
das barras, fustoes proprios para vertido e rAupa
de meninos ; agora grandes e'admirareis' peehin-
chas, saiae brancas com lindos frisados a 3*, ri-
cos corpinhoa bordado* muito linos a 55, baloe*
modernos de arcos a ricas colchas para cama
alcochoada9, sendo brancas e de corps, a aj, ti t
~l, cambraia victoria lina j 5J.'ditas tratisparen-
les a S, 6J e 7ychiuu linissimas escuras e clara?
a 280, 300, 320 e 360 o covado, eassas de cores a
2i0, lencos brancos de cassa a 2{aO0, ditos chi
ccies a :ii500 a duzia, ma_ptao tino a 6 e
6300, e maits superior a 71, 75600 e 8*, algo-
daoztnbo largo proprio para lencites a 6, panno
de al^odo branco trancad proprio para I >a!ha*
de mesa a 1*600 a vara, nramante para lences a
5*000 e .'JOO. o que ha de mclhor, esguio 6-
nissimo a2fi!0Oe<2S50O a vara. Mandamos na?
'asas das Exma*. familias para melhor poderera
escolher. Tambem temos completo soitimento df
perfumaras dos primeiros fabricantes francezes t
inglezes ; as pessoas que se diRnarem vir a esta
'oja terao oceasiSo de reconheeer a realidade do
que annunctamos par* nos justificar.___________
Brins d* Angolas leg-
timos
achara-se no armazem
DE
T. Jeffcrm & O.
Ra do TraDiehe n. 46
Fiu para saceos e fogueteiros
Lona verdadeiara da Espossia
No armzem de T. Jefferies de C.
Ra io'Trapiche n. 46
CASA GAOV
A.
Pharmaoeutieo privilegiado
JJoalovorxt Sl>:i-.lopol, G> I*A.IIS.
NOVAS ESPEC1A3A3ES
A. ^ARINIEB
ii> ue Fraofa,
811 ICf^PAO Sob ^ fortn ile Pjstla, def-diiU r .nacida para
IRtJCibuHiJ Cisi-r ,! .. -M.:iA
Pretcotita e euntivi dr.s KLST!AS C0KT,iC0S.i3.
IXJECTOR-PHILTR);
ESTOJOS Com
IHItVRO i- SKIIM.A
rzitt DCOEveniecus da frajilidade.
uai n-Hvpo. s.;rvimip da
a forma, e de volmnff dr nm Portp.^ltda
COJEADO iOlii UlATAilESTO;
COLLYRIO Contra as afTeci.ois das palpebras,
preparado bob a nicstta iafHfl
BARTHOLOMEO C
5 ilIlilSi
SI
Depositarios geral para e BKASII^ e I'tiISTB'iASj
34, ra larga do Kosario. PERNAMBUCO.
iMal
1
'.l portas n.S.rur Direita, 3 p rtas n. 5',anliya
foja do Braga v 'M
O abai.xo assignado. dono deste antigo eslabelecimente, ten do em visia apre cmplelo (>v:imi'ii!u le ferragens, miudezas e cotileria, tea iv?olvido mandar biiscw em SE
diversofl v< nuw lia Europa os melhores objectos de seu csuibelecimeato dus fabricantes gjj
mais conlieciilo*; pMo que convida ao reppeilavel publico e a seus numerosos lieguezes, s
vire* w !rtr dos rrfijeeto9 d6 sun carencia, arttiie etictrntrario por vnm 10 0| d.-> cpn ^
t butra i|iial iiit artf, um s ^.tVi betn iMUiheei faiiricante Cultor fon 4C, ditas pata costura, motores p>ra animao*, J3
!*; ditos para foso, m.jiuhn< p-.ra cafe de tAoa os tamanlios, la fabrica do Japi, espingardas de 2E
'> duus canos o d un. tanto inglezas como francetas. louca de porcelana, facas e garios ggj
f de diversa' i|itaHH9> e prevs, bandejas chlnttta, salitre, treu, iiarbante, enxufre, papel e f.;f\
Unulba il" iVrro, ai;o. e agiJlia para (nfoatviri ; *>si cuino eccontrarao cur.stanie- g
monte grande pund* de fogo do ar, e recebe-sf otici \Wtntut de fogos de vista, alem de um fj)i
cem numero de. objectos, que se tornara eafedonaa uumera-!os : venham iu;t Direita n. B
Braga.
m

e #0LHj a peca
Dito de 24 jardas a 50C0 para cima.
Atoafhadiis de linho, e de algodo tran-
oados, e adamascadas por precos commo-
los.
Chitas escuras e claras de 240 rs. o co-
vafla para cima.
Cambraiaa de cores mindiobas a 240 rs.
o covado.
Ditas mais finas a 560 rs. o metro.
Balita de mussiilina a 4/} e 3iJ0ii
Guardanapos de linho a 3:5500 a du-
zia.
Bramante de linho a 25500 e 3iJOO0 com
Dito de lgodSo a 800 o m*tr->.
.Meias para senhoras de 4000 a duzia
para tima.
Ditas para liomcns de 34000 a duzia
para tinta.
Ditas para meninos e meninas de lodos
os tamaitos.
Gr lebas de fnsto branco de 3-)00 para
cima.
Ditas de cor da 3A000 para dan.
Toalhas de roito de 500 rs. jjara cimn.
Cobertores de 15a finos, a H e iO^OOO.
Ditos encarnados a 43500.
Ditos de algodo a l:>500.
' Cimbraia tapad milito larga com pre-
gas e bordado, propria para sa-as de seniu-
ras prego barato.
Laazinbas Irences trangadas, com stras
largas proprias para saias de balso, fazenda
intfiramente nova a 590 rs. o covado,
Cambraias brancas transparentes e tapa-
das de todas as quafidades e precos.
Lizinhas lapadas e transparentes de
militas diversidades decores de 320 rs.
o cuvado para cima.
Alpacas lisas e de fnrta cores a 500 rs.
o covado.
Cortes de percala de 2 satas a 4.5000.
Ditos de organdy de dito dito a 8K)00.
Cortes d? 15a da" Escocia a 6)5000.
Ditas em peca a 500 rs. o covado.
Chales de merino lisos a 9300.
Brilbaiuinas brancas de 500 rs. o covado,
Ditas de cores a 500 rs. o covado.
Lencos de cambraia de linho, e de es-
juifio ate o mais fino.
engQ; clii <-zes a 3&500 a duzia.
ilos biMtieos de algodo a 26500, mui
to finos.
hranco o preo, liso e de salpico,
borles do cambraia, brancacom salpico de
fit.ii
l|)itns de fil liso a 5-5000
t*rlatanas Orticas, edo cora*.
vitos de linho bordados e lisos de es-
5i>.
zflatsaa bordadas fmissiraas,..proprias
i noivo e >m a tom|Mente grvala,
unhos de linho para hotnein a \& o
ar.
.'.arinbos de linho lisos e bordados.
atas pretas e de cores, tanto em m-
tim como em seda, ha de todos os gostos e
feitios.
R01IPA l'EITA E POR MEDIDA NA LOJA
DO PAPAGAI.
Sor '.ment -o roupas fetas de todas as
idades, e feitios, para pregos commo-
e qutm vitnprar porgo para negociar
um abafitueuto razoavel, grande sorli-
raeto de easaoiiras de cores com quadtos
t as. casemras pretas, e pannos pretos.
e cor de caf, brins brancos, pretos
cores e pardos, e mauda-se fazer
quajlquer obra a vontade dos freguezes,
qoer para homens ou meninos, e por me-
prego q'ie qualquer ouira ofilcia, e
gm
l
par
i
f
qoa
a ter
e ii
azu
de
nos
f'OJTA
00
do
panissoa LOJ v 00 PAPAGAIO acha-semu-
nida de um bom mestre aljate para bem
despoipenhar q lalquer obra da soa arte,
r cihindo aresponsabiiidade sobre o pro-
pri rtatfo da leja.
Dam-se as ;,mostras de todas as fazendas
a quem as exibir, ou mandam-se levar pe-
los Iaixeiros.
A loja do Papagaio acha-se aberta das 6
horas, da manlia s !) horas da noute.
francisco Teixeira Mendes.
oravidentt
oj, loja r. Lenidas Tito' Lourelfo, aotiga loj*
mi
uiui
m DA OlliZ i L
Cigarros da imperial
fabrica de S. Joo
dl Niotheroy.
nico deposito em Pefnaabnce enes da alfaa*-
de Fakttba de mandioca1
Vende-se farinha de mandioca, nova, de Santa
Gatnanna, chegSda nd patacno portngner VWssn,
taneado'delrDnte 'Li-
vramento'! a tratar no escrptorlo' de Joanni^i
Jos GoBOalves Beltro, ra-do Coomercien. 17,
on a bordo do referido navio,
Arma Vende-se urna armagao de amarello com A aloees: na rnado I3ae*? da Victoria n; 3, (o-
tr'owrnaNoara>.
- rame de ferro galvanisade era rede para ccru,. gaioias, galnbeiros etc.
: is; as de ferro palvanisado para cubrir casas.
Taimes de feTro etntnbatki para eugenhos.
MfM Ai: ferro de Miluer e outros autores.
-lalio etu cr.no.
BtD liMaSOl.
Dito i-m barras.
Dito em enSaaft
Kstau.So eul liaira e vergaioha.1
Kulha \le. Kiamires.
Arad.is americanos para ladeira e varu>."
Carrinhos de mao.
Veaviana? para janeilas.
Macl i-as de descaivigsr ulgode de fanio.
[Utas, de serra.
Ottas pan cortar fumo.
Ditas vapor de fortja de 3 cavaos e motores pare Scavahos, para movar C
.ch'r.s de algodo.
Oatleiras de ferro.
Canal de-forro. !
Vre^-as para 4-opi?.Pcar:.s.
fi3lancas para pesar. ,
Oleo de I m haca em latas de fefro.
TrKisde ferro'para engenboc
B'itibos ameriosteas.
Macacos de estibar.
Balanzas e pesos deeuase mitras.
Popes de patente.
Knx*tr.
itre.
Brtitpa larga e de boa.^alidae.
Picaretas para c.Tninbos de ferr'.
m grande sortimento de fBrragf n entilar^.
/v
ALUTRA8 IISDTOT
LICOB CONCENTRADO K TITULADO
para principiante. .
Vnde-se fabrica de sabo da rna Imperial
ravessa do Freitai, nfnito bemrodnlada tanto para I
fabricar pequea como grande quantidade de si- \
bao. A casa-alemaser de nm mdico aluguel.
tem grandes accaojmoJsQdes nao s para deposito \
das materias primft e sabao niannfactnrado, cumo j
offerece espaco indepeodente para morada. Tt dff
os esdarecimintos, lioslmente, se dariope^sK'
qua seriamente qn'uer tratar ease negocio, e se
explicar a causa porque o actual dono nao pede
continuar com eate, na ra Direita, armaiem df
molhaift* do viaao branco.
r- Vendan urna rotnla de" amarello em bom
estn .
Farinha de mandioca
u eseuptorio a ra do Vigario n, 31, aullo au-
pertor farinha de mandic
VERDADEIRAS
0 Sflr Gnvot chegou a tirar ao alcatrio a
sua acrimonia e o seu amargor insupportaveis,
o que o torna mab sohirel. A^proreitando ess
feliz descobarta, elle prepara um licor con-
centrado de alcatrio, o qual, sob um pequeo
vokiaae, contem urna grande preporcao de
principios activos.
0, aitaaa alo ta^et IGoudron de
Guyot) possue por consequencia todas as van-
tagens da agua de alcatrio ordinaria, sem ter
os inconvenientes. Basta dsitar d'elle urea
coiner de cafe n'um copo d'agua para obter
logo um copo de excellente agua de alcatrio
sen gosto desagradavel. Cada qual pode
d'ess* maneira preparar a sua agua de al-
catrao quando d'ella precisa, o que offerece
eeonomia de tempo, facilidade de transporte
e evita o manejo lo desagradavel do alcalrao.
0 ilawfa ale Caajiaa substihie com
vantagera muitas tisanas mais on menos
inertes, nos casos de deflnxos, bronebites,
testes, catan-los.
0 *lawrta) to Smyt empregado com o maior xito as molestias seguintes :
m BEBlDi.
tan copo d'agua ou dmu colheret de
DE
COM IOOWETO 00 FMRO INALTttAVEL
APPROVADAS PEU ACADEMIA, DE MEWGBA Dfi.PAMS, ETC.
' Possuindo aa proprieades do lodo el do tTtm, conwmesparaUMMBBaa Aj
sceoftjlosas, a TtsiCA no principio, a fraqwtad* -mPSfmeTtl^^S^ff!l
|a nai
a-j
N. B. p-toflureto de ferro impuro oa aitertdo.i JV
imum*. Como pror de purru de solhananJade du ym*m*mrmmm-
"la 'e/
^b raat, aqoi reprodntida, qe aeha aparte wfenor da aa
i naaaH ortaw Dewsa deaconfiar da mlaificacom
^ < flaiiTiiioaw PharmactrttU, fM Bonifrl*, 40, Parft^
W
Urna colher de caf para
topo para urna garufa :
BRONCJftlTJES
CATARBMO DE BEXIOA
OCrtUMQ
TOSSE PERNITAZ
IRRITACAO BE PEITO
TOSSE CONVULSA
El nJSnfTiJOES. licoVjwcro-oit'cowiiainoiMwd'ajiia:
AFFECCES DA PELUE
COHTCHOES
MOLESTIAS DO COURO CABELLUDO
El Q^OES. Uinapcn-Ude licorequatred'aguaUttuc*Mir*ma,*?***.)
FLBXOS AMfIGO* OU RECEtiTES
CATAJWtMO-D* 3EJHA
O Alcntrm liaijo /Vi etptr'meMado com ttn verdadetro xito no
fncifaes kospitos de Franca*, *. IWfioa c da Espanha. Fot reconUepta-
que, poraw temVot de caler, eUe-emtiim a bebida a mais hyutenua, e so-
orttado durante os temposde tpidawa, &Wi inlrxwao accompauha cada vtdro.
Yende-se na pharaaeia e diogaria de P. Mau-
wt & oomp^ roa Sito da-Victoria n, 17
GALLO VIGILANTE
Rna do Crespo n. 9
Os propnetarios deste estabele-
cimente, alm dos muitos objectos que.tinhtm ev
postos a apreciacSo do respoiUvcl publico, man-
daram vir e acabara, de receber pelo ultimo upor.
daEnropa um completo e vamdo sorannntode
finas e mui delicadas especialidades, as es es-
tao resolvidos a vender, como de seu dOtmte,
ir presos muito baratiiiba coraraodoe para to-
is, com Unto que o Galio....
Muito superiores luvas do peluca, pretas, bran-
cas e de mui lindas cores.
Mui boaa e bonitas gollinhas e pnnhos para se-
nuura, neste genero o nue baMo mais^no4erno.
Superiores pontea do tartaruga para coques.
Lindos e riquissirnos enfeites para caneca das
Exma?. senhoras.
Superiores trancas pretas e de edres com Tidr.1-
Ihos e sem elle*; esta fazenaa o qae pode haver
de melhor e mais bonito.
Superiores e bonitos leques de madreperola,
raarlim, sndalo e osso, sendo aquelis brancos
com lindos desenbos, e estes preto*.
Muio superiores meias o de Escossia para se-
nhoras, as quaes sempre se vendorain por 3OTO0O
a duzia, entretanto que nos as vendemos por 50f,
aim dostas, temos tambem grande sortimento de
outr.-.s qualidades, entro as quaes algnmas moito
finas.
Boas bengalas de superior canna da India a
casto de martita cun lindas e encantadoras figu-
ras to mesmo, nesie genero o que de melhor so
pode desejar ; alm demias temos tambem grando
quantidale daoutrasqalifiados, como sejam.uu-
deira, balcia, oseo, bormottR, etc. etc. etc.
Finos, bonitos e airosos c.'i.'cotinhos de cadeia e
de otaras qualidades.
Lincas e superiores ligas de seda e borracha
para segurar as Matan
Boas meias de seda para senhora e para meni-
nas de 1 a 12 ancos de idaue.
Navalhas cabo de marfim e tartaruga parafarer
barba; sao muito boas, e de mais a mais sao ga-
rantidas pelo fabricante, e nos por nussa vea tam-
bem asseguramus sua qiialidade o deiicadea.
Lindas e bellas capellas para noiva.
Superiores agtlhas para machina e para crox.
Linha muito boa de peso, frouxa, para encher
labyrintho.
Dons baralhos de cartas para vottarete, assim
come os tectos para e mesmo tira.
Grande e variado sortimento das memores per-
fumarias e dos melhores c mais conhecidos per-
fumistas.
COI.ARES DE ROER.
Elctricos magnticos contra as convulsoes, e
farilitam a denticao das innocentes criancas. So-
mos desde muito recebodores destes prodigiosos
collares, e cor.tinuamos a recebe-los por todos os
vapores atim ti^ que nunca faltem no mercado,
i acfif locido, assim pots podero aqxtel-
Ics '|i'i ;-iei'iMarem, vir ao deposito do gallo
viril; uie, pre encoatraro destes verda-
ddros i-r ..:.-. .' i< quaes attendendo-se ao fim
|;;iraque :an applirados, se venderio com um mui
diminuto lucro.
HOgaJuos, pnis, ansia .!- olqsctos que deixamos
declarados. :>- rto compiar nr inv^.t muitu i ai.* veis aloja do gallo
vigilante, i. a n. 7.
3 eorder
Haa a (tuiBtaal0 u. f t.
Novo e variado soriinienlo de perfumaXi
finas, e outros ohif ctos.
Aleta do completo sorttmeoo da pert;
marias, de qie ettectivameote est pruvuV
loja do Cordeiro Providont*. ella aexba c-
receber un ontro sormento que ae \fitb
aotavel pela variedade de ol>jectos, sapo:
4ade, qualidades ecoiuodidadiS de pi-
os ; assim. pois. CordeiroPrevideDte pea
a espera continuar a merecer a aprecia?"-
do respeitavel publico em geral e de ap
boa freguezta em particular, nao ae ai
tando elle do sua (mu cmiiiecida raansioi-
) barateza. Em dita loja oncontt .o \
ipreciadores do bom:
Agna divina do E. Condray.
Dita verdadeira de Murray & Laaiaae-v
Dita de Cologne ingloza, americana, fru
ceza, todas dos melhores e mais acreditado
fabricantes.
Dita de flor de larangeiraa.
Dita dos Alpes, e vilete para toilet.
Elixir odontalgico para conservacao t.
isseio da bocea, k
Cosmetiques de superior qualidadc e chai
ros agradaveis.
Copos e latas, maiores e menores, co
pomada fina para cabello.
Frascos com dita japoneza, transparect-
e outras qualidades.
Finos extractos inglezes, americanos
francezes em fiascos simples e eneitados.
Essencia imperial do fino aagradavel cae!
ro de violeta.
Outras concentradas e de cheiros iguaj
mente finas e agradaveis.
Oleo philocome verdadeiro.
Extracto d'oleo de superior qualidadt
com escolhidos cheiros, em frascos do difi>
rentes tamanbos.
Sabonetas em barras, maiores a mecoir
para mos.
Ditos transparentes, redondos e em ga
ras de meninos.
Ditos muito finos em caixinha para barba
Caixinhs com bonitos sabonetas iniiunc
(r actas.
Ditas de madeira invernisada costeado t
aas perfomarias, muito proprias para pri
lentes.
Ditas de papello igualmente bonitas, ti
bem de perfomarias finas.
Bonitos vasos de metal coloridos, e a
moldes novos e elegantes, com p de airo
e noneca. .
Opiata inglcza e franceza para dentes.
Pos de camphora e outras dreafe-
qualidades tambem par fiantes.
Torneo oriental de-Keam.
Abada aate corves.
Um ontro sortimeato de coquea de ar
vos e bonitos molde* com filW da vidrilli-
e alfuns d'eljes ornados de flores a fita;.
esto todos expostos apreciatio d qaii-
os pretenda comprar.
GOLLINHAS B PNH0S BfMffiADOS
Obras de muito gosto e perfakio.
Ftreilaw e fita para cinto*
Bailo e variado sortimento de taes obja:
tos, ficando a boa escoma ao goato do eos
prador.
Cabellos
Veodem-se cabellos de todas .ae cores, qualquer
comprimento, qnalidade snperior, en caria ou
porcao mais peqieafe : na'ra- da Cadeia 'do Ha*
cife n. 51, iandK.
Vende Joaquim Jos Ramos : na rna da Crui
n. 8, andar;
Liados crtes de percales a S*000 ra.: rna
do Creapo n. 26, loja da eaqaina.,______________
i- Vendem-se partes de um sobrado da ra d
Hortas : a pessoa que pretender comprar drrija-se
4 roa Imperial n. 12.___________
Vende-ge urna cas terrea d a
Gonceicao da Boa-vista : a tratar
Euzebio oa roa da Aurora B- 31 A.
arkl


Diario de Pernambuco Sabbado 1T de Setembro de 1870
I
t'*

iSSEMBLEA GER4L
SOBRE A REFOUM'
M*4h&>
CMARA DOS DEPUTADOS.
USGCmO DO SU. DEPUTAD ANT0.NI0 Jo
J* MBitS E 8II.VA
/CIAUIAi
Discurso pronuwcfk m
w^MOkvks SN.\A.Sr. presidenta
^Tu*^0^ dL' l)rov ,lcia (*< '"i"'3-
w j baldo de recqrsis oratorios
apoma*), tendo at perdido.os habita de
mrar na-tribuna ju Iiciaria, oiu. sem t-x-
iremo eraharaco qoe me-propooho a femar
jwrie aesia discuasaa, depois do se Krnv
ieito oyvir *" eu cooscieacia de qua ponca oane'j'w-
Jia foz pojso traz*- a materia. (Nao apofa-
Maa desr-jando concorrer parar ama
w*i# uHa magtrtuJe, corao a priMen-
imer-
iarit;mo. Esta materia eiig<
e profundos esludos; "So em 1
n?ra em 2 que umjniz se pode tornar for-
a e bastantemente versado no direito com
I e martimo de inaneira que possa
u-oher com acert e seguranga as hypo-
eco reniei.
i:n o resultado ne:essario de termos
un juiz exerceodo a vara do commarcio em
utn ano, em outro a d feitos da fazen-
J.i etc., ser que bavemos de ter sempre
juizes unos, a ardor pit das vezes hos-
pedes n-!< mile-ias de saas jurisdieges
(acotados ) e todos c awotes que d-tai se segoem; e quantas ve-
zes aerificada ajusliga eos legtimos in-
teresses das partes.
A nussa legislago actual tanto recoobe-
ceu j verdade deste principio, que nao so
:ie Ibes dava
aioa
o cdigo do
- Nao eram
reforma"/irdiciaria qae se discjte, refr- estaoelaeeu diversos juizes especiaos, como
* qae o p.iiz a tanto't mpo ancioso espe-fat creou para ocommercio uro tribunal su-
a, oranbo tambera Irazer o meu bolo, (perbr especial.
entufo na benevolencia e indulgencia dos
meas Ilustres salegas.
b-r. [residente, em lempos que aindi nao
b muito Manes, tendo o paiz atravesa-
do crise* mui erjas e pausado poromi es
pede de tr.insfomMga politi;j tudo par*.
ta .tender para enflaquecer e afrodxar o<
js.sociaes: talo, pareca como que c ins-
pirar para urna dissolugo.gerah
Restas crcumst-meias fui mister dar toda
^forcae vigor ao principio da-autortide.
ai aner restar e fortalecer esses tacos
jue.sj qn-braram, e o meio para isso <-m-
p'fegdV tria confeceo da lei de 3 de de-
zembro da 18il, que, como sabe a .ca lia-
ra, reormou militas disposicoes do cdigo
o processo criminal.
Tendo o principio da auloridade adquiri-
do demasiada selva, forga demasiada, cjme-
fon a extedar-se, a exorbitac e a invadir.
e, as.suas.mais notaveis, aranosas nvasoes
finara as prolicadas na esphera da hberdade
indi iiiual. Euto tornou-senecessario me-
Iborar a lei de-3de dezembro,.manifestou-
se a neeessidade de urna reforma ju!i-
Ciaria^
.Wm desse- peosamenlo geral em qac
Ddos os partidos estavao unsonos, um Ion.
go ejercicio de minha profissSo me demom-
troa pralicaraente que a le de 3de dezem-
bro precisava de reformas. Algumas-des-
tas reformas'forarn devidamente attendidas
pelas illrretradas c^mmissas redactores do
proje(;tr> sobstitutivo que e discote; em
ouiras, porra, me parecem. segando mi-
nha humild* opiniSo. qqe as illustradas
; omenissoes nao seguirain o metnor al-
vitre.
De entre estas me oocuparci apenas das
jue me parectra menos justas, tanto por
ue nao dwsejo roubar mnito tempo casa
em bora to adiantada, come porque o meu
jtado de saude nao o permitte.
ik vi- pois a cmaro que nio tenlio a
pretenifo de fazer um discurso ; limitar-
rae-bei apenas a breves consideraQes, so-
bre alguns dos artigos do projecto qje se
discute.
JYincipiarei. Sr. presidente, pelo art. Io
g I'. que diz o seguinte : <-Ficam extinc-
I os logres d* juizes municipaes e de
rpMM taa cilades, etc. As varas priva-
t vu abi existentes, incluidas as aodiiorias
de guerra e nwrinha, sero annual e suc-
MssivoMQta exercidas pelos juizes de di-
reito Da **rdem em que for estaoelecid
em rigu!amento, etc.
Pela simples leitura deste artigo, cia^a-
menta ve-se que ficam extinctos os logares
oizes especiaes> e que as varas dts fa-
'>, nrphiaa, ommercio, etc., passam
* -:! exeivida successivamente pelos diver
uizes de direito, etc.
&r. pre.-idente, eu n5e sei se porque
estoa na primavera da velbice, como disse
per dico de opposic5o de mioba pro-
i i a, intitulado Liberal, e os velhos al i
nados as cousas do seu lempo, a que
se habtuaram, n5o sei se peressa ratlo,
rpiU>i que nao posso annuir idea da ex-
tmcflj d s juizes especiaes ;.mas, indepen-
att distn, algumas consderaces acluam
em meu espirito para qqe eu assjm pensa.
Assim como na medicina, na engenharia,
na physica, na chimica, e oulras sciencias
mais fcil en(joutrar-se um homem gran-
demente versado e profundo em alguma es
pecialidade, em algum dos ramos destas
sciencias, do qne em toda a sua esphera,
em todos os seus ramos, da mesma sorte na
sciencia do direiio mais fcil encontrar-
se um homem profundo em algum des
perior especia
Sr- presjdeote, eu poderia anda co
prebender qqe as Ilustradas commisses
conservando ds jotzffo especiaes do com-
msrci'i tivessem txt'agnido os triboMes do
coaamercio, porem conservar estes e sup-
primindo os juizes especiaes, certameute
o n cofnpMvado ; porquanto os juizes da
Ia instancia, .- tendo a sua disposicio os
>eas- proprios recursos, eve faz.?r sobre as
materias de snas jurisuiGtfSo um serie e
apurado estado sem ser distrahido para
outras materias ; entretato que os tnua-
naes superiores julgando1 collectivameiite,
as inteligencias de seus membros se ajo-
dam o auxiam reciprocamente ; e portairto
estes poderiam deixar de ser especiaes, s-
t') aVde ter urna jurisdiccio especial e limi-
tada a um so dos ramos dfr direito; aque*-
les nao.
Parece-me que a nica razao que se po-
NSo estavam
paDgjud08 para exercer essas fooc^es. Os
juizes de paz sendo ordinariamente pessoaa
legas estranbaa s leis crimtoaes e do
processo, naoiinham as precisas-habilita-
?5es para apreciar o tfecto e toda as saas
circumsiancias; n5o podiam aquilatar os
depoimentos das testemunfias; nao erim
certameute os horneo mais proprios para
exercer actos de judicatura.
Estas razoes fizeram eom que se tiras-
sem aos juizes de paz essas allribuices,
asquaes foram entSo dadas aos delegados e
subdelegados; h)je se procura tirar a estes-
para restitui-la qnelles r
crimes, entio pode-se dizer qoe a
dade completa.
O 9. Ferrura Vianna :Apoiado.
O Sr. Moraes e Silva :E sert possivel
que se estabeleca orna medida destaordem,
quando gera mente se diz qoe a mprensa
abosando do seu mandato, aberrando da
sua sublime misso, se tem tornado o pos-
te, o pelonrobo onde sao* acontadas lodos
os das as mais illibadas reputares ?
O Sr. PEnDiftoMALHEiRo:Com a im-
panidade vira a vindicta particular.
(Ha outros apartes).
OSr. Moraes r. Silva: Mas ser uro
mal amda mais grave.
Portaoto, entendo que o art. W deve ser
eliminado.
O Sn, Ferreira Vka^ya :Apoiado.
O Sr. Mobaes e S*iva :Diz art. 8o *"
Perganto : oa juizes de p*z hojesSo por- 9": Anda assim nao lera logar a pris5o
ventura pessoasmais habilitadas do qoe os
de onlr'ora?
O Sr. Candido .Vendes : Sao goaes aos
subdelegados.
O Sn. Moraes eSicta :Entendo que os
juizes de paz actualmente, como disse bon-
lem o meu nobre amigo depotado pelo
Cear, sao polticos, pois que ordiaarianaente
s se procura boje para joiz de p o indi-
viduo qoe teotia asqoabdades preeisaspara
vencer eleices ; procura-se no aw de pez
um agen) eleitoral.
E era se diga que os- juizes de paz por
serem de elec5o popular iospiram roaiscoo-
iarx;a do que os delegados e subdelegado
que 3o creaturas do governo.
Sr. presidente, primeiranierle eu entendo
qoe a qnestao de capacntade (apoiados)i
e se os delegados e subdelegados, que alia
seudc-escolbidos pe! governo, devianHer
mais capacidade. nao a teemv o mesmo-de-'-j
ve necvssariamenie acontecer co os juizes nao paV saber,
de paz r em segando tagar, digo que, seadolpfescripc' para
preventiva,, se j bouver decorrido o tempo
da prescripeao, contado da data do erime.
A proscripto, Sr. presidente, V. Exc. e
a cmara perfeitamente sabem, urna ex-
cepcio qoe deve ser allegada pelo o, e
at o art. 280* do reglanoslo de 31 de Ja-
neiro de 184&'estabelece a-aaareba do- pro-
cesso, qoi toda particolar e especial-.
O Sr. Alenca Araripe rMas o projec-
to na> eiclue essa disposicab-.
O Sk Moraes- b Silva : NSo, senhor ;
nem eu digo isso.
A pvescripcSo depende da- oalureza do
delicio, do tempe-e essencialraerrte do lugar
da residencia do denqoente, arts. 32 e se-
gointes da lei de 3-de dezem&re. (Apoia*-
dos). A oatorez do delicio e- o lempo po-
dem sereoobecidasdaaotoridade criminal;
porm, so o delinqoente esteve- do terro-4
o na comarca peto'tempo qne morca a leK
e sem Dternjpgor a autorldade criminal
Mo estando provada a
a-autoridade criminal, t4
impooi-1 (Risadas). O Sr. tachygrapuo- fac> o favor
de declarar liberal i
Anda urna observacSo, e-a segomte :
A disposicao deste paragrapbo ou mu-
id ou ioiqua. Se o reo est denilva-
mente condemnado, e oenbum reeorso mais
Ihe resta, o juiz de direito n3o te arbitrio;
deve mandar prndelo, e entao a-disposi-
co iuotil; se o reo ainda pode recorrer
da senteoca, que o condemnou, se ainda
pode ser julgado innocente e absolvido,
certamente orna iniquidade mandar recolher
prisSO aqnelle que para nao ser preso
prestoo urna Danca regular, satisfez a eon-
dico de garanta, qne a lei exige.
Isso tanto mais para se admirar, quan-
lo o pr ijecto qoe se discate, presta tama-
nho respeito liberdade individual, que att
admitte a banca provisoria f Tanto favor no
19o e tanto rigor no 10.
Tratare agora, Sr. presidente, do ar'.. H
t 1." Os recorsos de prenuncia segoi-
rSo senipre nos proprios aotos.
(Contmuar-s&ha:)
os joizas de pa* elcitoe por individuos do{;iater escol'ber entfe- d'oos in^xmvenientes,
seo d'saricto. osles em regra se abario di
deria apresentar para a extnct;o dos juze:vididos em don campes; oosa aqueHes-
espcia*. era a igualdade dos iateresses[que consorreraai para asoa eleifio, e Se-
nas dilTerentcs varas, porque, por exemplo. j,.seus amigos, oo aquellas qne- o bosiilsa-
as varas do comm^rcio, e dos feitos da fa-! ram, e ento sao seua- adversa-ros poli-]
zonda tendera muilo mais do qste as entras: Laicos.
E, pergonto i*da '' um-honaenaeollocaB
entie amigos e adrersaries porveatora o
ais habilitado p*ra bem adrainistirar a jus-i
tita entre estes ? Entendo-qqe no: elle to-
ra para wns o sentiinerlto degratidSo, e par
oulros o da viogaoca; sto- que natural.
A consjderaco de ser o juii de pat de-
eleicio popnlar e nio creatora do> governo,
m parece qoe nio se-[)de- allegar seria-
mente; porque, senhores, co o sjrstem
de-eleig5oque acaalmenle lemoo, possi-
velique um juiz Ite paz &*] eteito sem a
intervencaos ou pete menos- sen>- *phcet do
governo ?
Onde que n3o- ebega, onde qoe n3o
penetra o dedo impertinente- da governo f
(Risadas).
OSn. GA.vbiDO MnoES :Logev.esi3o em
igual posicao.
O Siu Moraes s Silva ^Seobores, nao
se enchergue em minbas palavras o mai*
leve proposito de irrogar aind a menor
censara ao gabinete actual;, coaposto do
distinctos cavalheiros, alguos dos qnaes ma
honram com- a sua amizade..
OSn. Arajo Lkha.:A\ eleigao actual-
fui muito bem feita, porque at alo bouW
Iota,
O' Sr. Msraes e Silva.:.Falto do go-
verno em geral, do nosso meobanismo, da
nossa organisagao, falseada- coaio se acba-,.
nao refiro-me aos nobres- ministros (apoia>
dos), porque realmente, ba muito tempo*
creio, nao ha governo que mais se tivesse
abstido de mtervir no pleito eleitoral. (A-
poiados).
O Sn. Canoido Mendbs :^iem havia ti-
llo ; nao houve Iota.
O Sr. Moraes e Suva :Tratarei agora
do art. 6o que diz: Todos os crimes de
liberdade de iraprensa sero julgados-pelo
jury, ainda que o crime tenha menor pena
que a de seis mezes de priso, etc.
Sr. presidente, a mxima parte dos cri-
raes de abuso de liberdade' da imprensa,
ainda os mais graves, ficam ordinariamente
impunes, porque os offendidos receiam fa-
zer enormes despezas com os processos, ser
novamente insultados e maltratados nos tri-
bunaes, e afinal ver mallogradas todas as
snas esperanzas pela bonomia ordinaria do
jury.
O Sr. Ferreira Vianna :Essa e qne e
a verdade.
O Sr. Moraes e Silva :Se se dr ao
jury a attriboicSo de julgar estes pequeos
mas entendo que por esta razo- nao se
deve sacrificar a justifa, e o direito das
partes ; procure-se igualar esses interesse?-
por qualquer outro meio, qoe nao traga
to graves consequencias.
O Sr. Ferreira Vianna : A razio
a dilliculdade de definir as competencias.
O Sr. Mobaes Silva : Parecia-me que
se a razo era o nteresse, se devia procu-
rar outro meio de o igualar, que nao sacri-
ficando a justica.
D^rei apenas algumas palavras sobre
o i O'.
Neste paragrapho se diz:
Sao reduzidoi-Ja ires os sopplenies dos
juizes municipaes, delegados e subdelega-
dos om cada termo ou districto.
S -nitores, sa actualmente havendo seis
suppldntes, umitas e muitas vezes tenbo
visto na minha provincia, de que melhor
posso fallar, estarem em exercicio o 4o, 5*
e al d 6o supplente, a que ficaro reduzi-
dos esses lugares sendo smente tres os
snpplenles ? (Apoiados.) Qoe raz5o po-
den i ter io luzido as Ilustradas commissoes
a redu/Jrem a tres o numero dos supplen-
tes ? Seria por ser o n. 3]um numero
imp r. um numero- trino ? Nio conheco
razo alguma que possa justificar semelhante
reduccao.
Sr. presidente, as capitaes onde mais
fcilmente se pode* recorrer ao governo,
para noinear supplentes, quando estiver es-
gotada a lista dos tres anda o inconvenien-
te nao ser muito grave ; porm nos luga-
res mais remotos onde a aeco do governo
chega mus tarde, succeder ainda em
maior escala oque militas vezes j actual-
mente acontece ; os logares de delegados,
subdelegados e mesmo de juizes munici-
pal (icario por muito tempo sem termes
soa que os exerca, com manifest prejuizo
do justica e do publico.
Tratarei agora das attribqcas concedi-
das aos juizes de paz. Diz o art. 2o :
Art. 2 Aos juizes de paz alm das
suas actuaes attribuicoss, compete :
1" O processo e julgamento dos cri-
mes, emque o reo se livra solt, e das in-
fracoes das posturas municipaes.
O art. 12 do cdigo do processo crimi-
nal confera aos juizes de paz diversas at-
iribuicoes, e o "V* Ihes dava aquellas que
agora Ihes sao restituidas.
Senhores, orna longa e triste experiencia
nos convenceu de que os juizes de paz nao
estavam devidamonte habilitados para exer-
FOLHETIM
i \'l DEPOS DI SORIA
POR
Xavier de Moiitpin.
P.IKTE ECUKDA.
O HORSCOPO
(Continnac5o do n. 209;.
XXVII
Principia o drama.
Tinham-se passado cinco das desde a
installagao de Simoa e de Marneta no cas-
tello.
N'esse intervallo nenhum incidente digno
de especial menco bavia ioterrompido a
montona existencia dos nossos persona-
gens.
O marqoez evitava sem affeclaco o en-
contrar-se com a parteira ; oas todas -as
noutes, a ama hora ajustada, passava ao
p d'ella n'om dos corredores, e Ihe dizia
sem parar estas palavras :
Qoe ha de novo ?...
Nada, responda Simoa.
Na quinta feira, 11 de abril de 1846,
eaconlrou-a, como de costume, e ella res-
ponden 4 pergunta sacramental :
Amanha.
Nem e marquez de Saint-Maixent nem a
formosa Olympia poferam pregar olho oa
seguinte no a te.
E de mais a mais, Simoa n5o se tinha
engaado. Na manha do dia immediato
espalhou-se pelo castalio a noticia de qoe a
aenhora de Rabn j sentir as primeiras
dores.
Os aposentos da condessa compunbam-se
de ama saleta, sala, vasto qoarto de cama,
m toacador muito grande, om oratorio e
am gabinete.
A saleta dava para o corredor, qoe aira-
TOsavao andar principal do castello.
eatre done males o m<;iw>r.
Pergunto eu: qoai s-r raaior mal; que
o-irulividao,- sobre cuja cabeca pesa a impo-
ta?ao de ar trime grava, de um crime
IJTTERATURA.
NOTICRA BIOGRAPHICA DO PINADO BI9 DE
PEHWiMBUCO D-. FRANCISCO CARD060' AVRES
EXTR1VHIDA DK VARIOS D0CMENTW& PELO
EXM E RVM. SU D. ANTONIO DA COSTA,
BISPb DO PAR.
(fondwso)i
>
A caridade, IhaneaaPe bomiMade que o dis-
tingua quando padre, nelle brilhavam* com
maioret^lendor orna vez por OeuSjelevado
dignidad episcopal. Cada dia elle-as-
sistia $ reonioes, apesar de frequentes in-
commodoe- que padecia, escutava ce a
raaior allenjo tudoqnanto se dizia ; toma-
va notas eom extremo cuidado-, comprehen-
dra o a
dos os
ppcacia
canee de cada quest3o< e pesara- to-
argomentos oo extraordinaria pers-
Faziam-me-HQpresso- suas vrtu-
todas as occorrencias,. e admirav
eaorme. tendo-se por qaaiquer c:rcustan-|de9 em
ca posto ao alcance di justica, sejs desper-soa profunda erudieao e recto-joizo. Sa
lado pelo processo rjae-se Ihe vai-instaurar, hunaildade, porm, enc^ria estes raros do
O gabinete, o oratorio e o toncador erara
dependencias do qnarto de cama.
Urna porta aberta no gabinete e occulla
por traz das tapessarias era a communica-
Co reservada com os quartos do conde.
Partia do toucador urna escada de ser-
vico, que no andar baixo se bifurcava : de
um lado ia ter s cozinhas e cocheiras, e
do outro ia dar urna portinha qoasi sem-
pre fechada, que deitava para o iardim.
Estes pormenores topographicos 5o in-
dispensaveis para a melhor intelligencia das
scenas que vio passar-se nos aposentos da
condessa.
Eram no e horas da manha.
A senhora de Rabn, deitada, mas nao
adormecida, estava s com Simoa e Mari-
neta, quando sentio pela primeira vez urna
dessas dores agudissimas qoe fazem correr
pelo corpo om fri glacial, qoe levara o as-
sombro ao mais esforgade animo, e que
sao os precursores da materoidade desde
que Dos disse Eva, expulsa do Paraso :
Parirs com dr.
A condessa empallidecen muito e solton
um grito ; mas aquelle desfallec ment da
natureza durou s algons segundos, suc
cedendo-lhe logo ama tranquillidade rela-
tiva.
Simoa debrucoo-se sobre o leto e disse
baixinbo, com a sua voz mais suave 6 affec-
tuosa :
Animo, senhora condessa, animo e
esperanca: approxima-se o instante decisi-
vo ; Deas ba de Ihe dar a forga necessaria,
e eu farei todo o que estiver ao meu al-
cance.
Oh I n5o tenho medo, respondes a se-
nhora de Rabn com um sorriso, gritei
porque a dr me sorprenden ; sinto-me,
porm, com animo para sopportar os maio-
res tormentos, e at se fosse preciso dara
a vida com tanto qoe ouvisse o primeiro
choro de meu filho.
Desenbou-se um irnico sorriso nos la
bios de Simoa.
Pobre mulber I disse ella baixinbo.
Porque ba de ser a fatalidade quem manda?
Nao, nao conheceri seo filho. A sua ma-
para o qual'elle deve ser necessariamente
citado, e se aasente, se ponha tora do al-
cance da jaatica; ou qpe elle seje-recolhido
priso, o era pouco dios allegue a pres-
cripeao se a tiver era seu favor, e par esse
meio consiga a sua liberdade ? aareee-me
que o primeieo mal maioo maifrr,. >-muito
roais grave.
Senhores,.o favor caacedido -Ii-berdade
deve ter bailes, elle nao deve exseder
soa esphera de maneira qoe penetre na es-
phera da segaraoca irjdWdual, da- seguran-
za publica (apoiados), que nao degenere em
impunidad. Portante- entendo qne tam
bem deve ser- eliminad o 3*,' e que a
prisio presentir deve ter lugar aioa mes-
mo qne teaba decorridb-e tempo ^da pres-
oripeao.
Passo aeparagrapho seguint*-,. que o
W:
Quandb o jury condfemnar algam reo
amaneado o juiz de direito o podar desda
logo mandar prender se-lbe poseer que ba
suspeita de-fuga.
O Sr. Aicncar AR.jRa7E:As commis-
soes nao pee duvida na suppoessao deste-l
artigo.
O Sr. Moraes Silvav:Rem.
O Sr. Keraema Viakxa :Mas V. Eac.
deve dar as suas razes ; l a ccmmissae
estar pramptaa supprimir, naquer der
nada.
O Su Moraes Silva-.:Sr. presidentei
en vou satisfazer o nobre deputaido. Por-
qoe se ha d conceder ao joiz/este poder
discricionario de mandar reeolber priso
um homem que est affiancado ? O- que
quer dizer: o juiz mandar prender se Ihe
parecer que ha suspeita de fuga? (jhque
quer dizer isto ?
O Sr. Alentar Araripe;Entretanto
disposico. de legisiacoes roaito liberaos.
OSr. Moraes Silva:A lei de 3; de
dezembro, arts. 40 e 41, e o regularaento-
respectivo, arts. 308 e segaintes, concede-
ram aos- fiadores meios de- se acautelaren e
prevenirem que os reos affiancados fojam e
os prejndiquem ; o fiador pode requerer
qoe o reo por elle affianeado preste nova
nanga dentro de nm certo lempo, sob pena
de prisao, ele. Portante, parece-me que
isto sofficieoJe, e as illostres eommisses
neste ponto focara meaos liberaes do que
a lei de 3 de dezembro, do que o seu re-
glamento e do que sou en, qae nao tenho
pretenc5es de ser liberal, liberal da moda.
I;
temida le nao ha de passar de nm soobo.
O destino assim o qoer, e oingoem pode
lutar contra o destino.
Avisem o senhor conde, prosegoio a
fidalga; elle qoe venba qnanto antes; ba
de amparar-me a sna presenca. A minha
alma forte ; mas como nao estou costo-
made a padecer, tal vez a carne fraque je.
Marineta sabio immediatamente do quarto
para obedecer aquella ordem, e Simoa des-
atando os compridos cabellos da condessa,
entrancou os e earolou-os por traz da nuca,
segundo se costumava fazer naqueila poca
s mulberes prximas a dar loz, qae por
moito trapo nao tornavam a ser ponteadas.
N'este cmenos entrou Annibal.
O conde vinha ainda mais paludo e mais
agitado que soa esposa.
Approximon-se do leto, agarrn entre as
soas tremolas muios a dextra qae a condessa
Ihe estendia, aperlon-a contra o peito, e
em voz apenas perceptvel balbncion :
Chegou, pois, a occasio, minha ama-
da...
Nada mais conseguio dizer, porque se
Ihe apagn a voz da garganta.
verdade, meu amigo, chegou a
occasio, redarguio a condessa com urna
especie de orgnlho involuntario, perqne
ainda se senta mais forte e valorosa do
qoe o proprio com quem contava para a ani-
mar. A minha alma e a minha vida esto
as mos de Deas, e ea espero qae a sna
divina bondade me conservar para ti ; se
ontra consa estivesse decidida, se este dia
fosse o ultimo da minha vida, quero dizer-
te e repetir-te que, em toda a minha exis-
tencia, nao Uve nem nm s pensamento
nem ama s pnlsaco do meu peito que nao
te pertencesse. Nao me parece qne te of-
fendesse algoma vez, e creio qne se fiz cons
tantemente ditoso, segundo me impunhara
os meas deveres de mulher christSa e es-
posa fiel, de veres que me nao foram diffi
ceis de comprir, amando-te en, como te
amei sempre, com todas as veras da mioba
alma. Todava, se me engao, se algoma
vez te offendi sem querer nem saber, pe-
go-te perdo, e rogo te qae o esqoecas...
Offender-me, t, Mara exclamoa o
senhor de Rahon, deixano-se cahir de
joelhos ao p do leito. T. a roais perfeita
e tambe a mais amada esposa cerno nunca
vi outra assim 1 Oh I nanea, nunca Des-
de que a bencao do co fez de ti a minha
suave companbeira, s me tens dado feli-
cidades I
Obrigado !... balbuciou a condessa,
respondendo com ama dbil presso das
peqoeninas mos ao ardente aporto de An-
nibal ; agora, pode o Senhor dispr de
mim... Estoa socegada, e sintomo fe-
liz.
Aquella scena commovedora foi inter-
rompida pela ebegada da senhora de Cha
vigny, que foi correndo abracar sua prma
com todos os transportes da mais viva
ternura, declarando qne nao se afastaria das
cabeceira da sna cama sem a crianga ter
vindo loz.
Appareceu d'alli pouco Marineta, di
zendo qae o marquez de Saint-Maxent es-
perava na saleta, e que pedia o obsequio
de o deixarem apresentar condessa a ex
presso do sen profundo e sincero affecto.
O conde mandn logo entrar o marqnez,
e falln elle com taraanho ardor e tanta
eloquencia, qae Annibal e sua esposa se
sentiram fundamente commovidos por t.
requintadas provas de carinho.
Ao cabo de ama hora de socego, prin-
cipiarn) novamente as dores, e o coode,
cheio de mqaietacao, encostou a fronte ar-
dente aos vidros de ama das janellas.
Augmentaram os soffrimentos sem resul-
tado algum, e Simoa, chegando-se ao con-
de di Rabeo, disse-lhe baixinho qoe o
parto seria difficile qae de om instante
para ontro poda vir a ser perigoso o esta-
do da condessa.
Assim se passou qoasi o dia todo : snc-
cedia-se urna crise outra crise; gastavam-
se as forcas da parturiente ; nem ella j
fallava i fazia-se no vasto quarto da cama
um silencio lerrivef, cortado nicamente por
lgubres gemidos e gritos qne despedaca-
vam o coraco.
Annibal apertava a cabeca entre i? daas
tes a lodosos que nao-conheciam to inti-
mamente como eu, antes e durante o con
crlio. |Ea admirava-o como omtbisto saato,
sabio e extremamente prudente ;: amava-o
oorao nm irmo qae sempre foi^bom, sem-
pre roeigo eaasuas nwoeiras. sempre proaip-
qne pedia sua as-
toa servir a todos es
sietonch. Ora venero- sua memoria coma
a de um saato prelado e choro-e como um
amigo querido que deixou-rae..
Tinha Deas resol vid o- terminar dorante o
gloriosos tratelhbs do- concilio- ecumnico
da Vaticano o curto espiscopadode D. Fran-
cisco Cardos -Arres,, o nao parece duvidose
qae oSenhopassimo dispozesse-ea atteneio-
s fervt-ntes snpplicas de sea servo. Micha
firme o pinico,, diz laoosenhor Gastaldi,
que aquella alma para e toda eotevada e
Dos, temeado bastante nao peder susten-
tar aqnelle peso enorme sem yabiremalgu-
ma fall, pedio afervoradamente ao Senhor
o livrasse. por issa> soa murtie prematura
foioelleito-das suasoraces, merecendo ser
observado qwe no se ftiarin do Io de-Ja-
neiro dpste anno esenavra : Paraso, fa-
rais. Paraso*
No dia 8 de maio-pela noile receben nm
mago de cartas a a responder at 4. horas da manha, quan-
do sentjindR) os priraeiros syiaptomas da- ta-
bre se dfciiou no leito donde oo devia mais
levantar-so.- Inda a enferroi-dade necbam
carcter grave tinha-assoraide^ e j el e, con-
vencido por um toque secreto que era. che
gado o termo de seos das, pedio que que-
ra recoociliar-se oom Oeus>efez com gran-
de sereaidade de-espirito todas as saas dis-
posice. Tres diaa depois lomo u afebre
carcter sobremodo assustador e na vespe-
ra de sa morte teve o aoguslo enfermo a
consolado de receber co perfeita presen-
ca de espirito e adrairavel- fervor o sagrado
Viatico, e a Exlrema-Uucc-jo com assisienca
de varios bisos e todos os bons sacerdotes
do oratorio que mal continham s lagrimas
em presenca de scena lio commovente. No
momento era qoe Ihe anaunciaram, o perigo
extremo que corra, elle sorrio, e disse que
offerecijt Deus de muito boa vootade o sa-
crificio le soa vida. Antes de rpceber a di-
vina Eucarista recommendon a servo que
odexa$se s, para ajarelhar-se a receber
o seu amavel Salvador-, e depofe de com-
mungat pedio que por tres quartos d'hora
lbe nio fallassem. Toda.a noile que pre-
cedeu a sea transito, se unto Deus com
freqaentes e fervorosas oraces jaculatorias
conservado-ae dffliravelmeiito
e como o erri chorando Ihe pedisaa qoe
fizesse ama oraen Deas afia de recupe-
rar a sade, depois de estar recolhido om
nstame; < NSo, disse, nio lbe pecamos
esta graca : sna vootade, qae ea me vi
agora.
Emfim, sabbado, dia delicado a Mara San-
tissima de qnem foi sempre devotisaimo, de-
pois de ter muitas vezes- recommendado sa
alma a Deusv e beijad e tornado a beijar
affectuosomente o croxifixo, munida com a
absalvi^o papal eco a beDcio especial
que lbe mandara Po IX. e depois de ter
dito muitas vezes : Jess-, meu amor, minha
delicia, vos que- nascestes- e morreslev por
mim, "perdoai-me-. tu1 vosamo, a 1 hora da
tarde expirou suavemente n'um oselo do
Senhor, como urna creanca qoe adormece
no regaeo materoo. Tinha completos 48
annos de idade, dbs qoaes 41 de vida reli-
giosa, 18" de sacerdocio, % de episcopado.
Foram-lhe rendidas as ultimas honras no
dia 16, na Igreja-Nora dos Pbilippinos, com
grande concurso de prelados de todas as
nacoes, entre os qoaes se distiogoiam os
Exras. arcebispos de Bnenos-Ayrw, de S.
Francisco da-California, de Iconio, de Va-
lencia, varios btspoi d Amenca, da Franca,
da Inglaterra, da Irlanda, da Oeeaniav d fri-
ca, e os bispos brasileiros presentes em
Roma, tendo a-sua frente o Exm. Sr. D.
Monot'l Joaquim da Silvetra, primaz do Bra-
sil.
Estevamtambem preseates aosfbneraes o
Exm. Sr. cavalbeiro Jos Bernardo de Fi-
gueiredo, actual ministro de & ages-
tado o Imperador do Brasil junte san-
ta s; o Exm. consol geral de Brasil
na Hespanha, o Revds, padres do ins-
tituto da caridade residentes em- Roma,
os padres de oratorio de S. Felippe
Nery, os- alumnos do Collegio Latino Ame-
ricano e nm numero consideravel de
ecclesiasticos e seculares, qae vieram mis-
tarar suas oracoes s dos nemerosos-aaaigos
do Ilustre finado.
Coubcme a mim^-no impedimento -do nos-
so dign> metropolitano, o piedoso dfever de
cantar a nais-a pontifical; o qae fi com-
profunda emoco, sendo o esplendor do-acto
realcado pelos toca3tos acceotos- da msica
da capella pontifica I que encbva a alma de
solemne e religiosa tristeza. Depois de ter
assistido a santo sacrificio, fez as asper-
eos da liturgia e dea a ultima beneo ao
fretro sua eminencia o Sr. earieal Corsi
arcebispe-o prunas de Pisa revestido dos
hbitos e insignias pootificaes-, com o- que
se termiaea a fnebre ceremonia.
No mesmo dia >noite foi- o venerando
corpo trasladado capaila des padres da
caridade na ra Alejandrina, e no dia se-
guinte pela manha encerrad no tomlo
subterrneo que fica por tras do a tar, e
all esperar a final nesarreica dos pastores
fiis, se acaso a dioeese de Pernambuco nao
reclamar estes despotos sagrados come orna
reliquia preciosa qoe por tantos titolos Ihe
pertence.-
Tal foi em resumo, e qoaoto prfe co-
Iber, a vida santa ea morte preciosa de D.
Francisco Cardoso Ayres, bispo da dioeese
de Pernambuco, varao cuja memoria ser
abengoada e de qnem se jtode dizer que
consumonado em breve, preencheu larga
carreira : Consummatus in brevi, eotplevii
tmpora multa. Elle nao fez mais qae
passar entre nos, mas passou fazendo bem i
pertrans benefaciendo. Foi-Ihe dado
pouco tempo para o trabalao ; mas abri o
seu soleo, e no saleo ficou sement im-
mortal qoe desabrochar em sea tempo; e
se na lavoura a golta de suor do> presente
a messe do futuro, quegermens fecundos
nao tero deposto no campo de nossa igre-
ja os suores, as lagrimas, os trabalbos, as
oracoes e os sacrificios deste pastor segan-
do o corago de Deas ? Quando um santo
passa no meio de um povo, deixa em suas
virtudes e em suas obras um eor de vida
que urna inultido de almas sulfocadas na-
albmosphera morna do sensualismo respi-
rara com delicias, e u dia segundo a-or-
dem dos conselhos da Providencia, chega
o momento supremo, em que nao s essas
almas, mas gerages inteiros qne preciara
moras, se levantam ecorrem ao odor da-
quelles perfumes. Eoto a maravilbosa fe-
cundidade do espirito de Deus se manifes-
ta, e de um sepnlcbro v se surgir orna igra-
ja e de um punhado de cimas urna chrUtan-,
dade.
Roma iO de maio de IS70.
f> Antonio Bispo do Para.
mos, e fra de si pergootava se tudo arquil-
lo nao passaria de um sonho espantoso.
A formosa Olympia esfregava continua-
mente os olhos para os por encarnados,
fingiado ao mesmo tempo enxugar urnas
lagrimis que nao exisliam.
Simoa Raymundo era toda cuidados, e s
se arredava deao p da condessa para com-
pr com todo o esmero urna beberagem
feita de substancias desconhecidas, e que
obrigava a senhora de Rahon a tomar em
dses calculadas hbilmente.
Ao (lia succedeu o crepsculo, e veio
depois a noole com o seu manto de tro-
vas.
Marineta accendeu algumas velas dos
candelabros postos sobre o fojo, de modo
que projjectassem sulficiente loz, aioda que
pouco viva.
A condessa, quasi inanimada, com os
olhos filos e tsgazeados, pareca respirar
muito custo, e a lvida pallidez do sem-
blante fazia d'ella quasi um cadver.
Mea Deas balbacioo o conde, fun-
damente angustiado. Mea Deas,! acabou-
se todo I Vai morrer I
Nao, a situago por ora nao to
desesperada como julga, oblemperou Si-
moa ; confesso qae a senhora condessa est
bastante fraca ; mas esta bebida que prepa-
re^ ba de Ihe dar o vigor necessario para
fazer o ultimo e supremo esforgo.
Assim dizendo, agitava a parteira n'uma
taga de prata a bebida composta por ella.
Fez signal depois 3 Marineta para levantar
a cabega da senhora de Rahon, e com ama
colher de ooro, raetteu-lhe entre os labios
ama parte do comido na taga.
O resultado nao se fez esperar.
A jnlgar pelo brilho que tomarara sbi-
tamente os olhos da condessa, pouco a ates
envidrbaos e sem luz, dir-se-hia que se
linha operado ama verdadeira resorrei-
gSo.
A fidulga attentou em seu marido, que
seguia, ebeia de esperanga, os rpidos ef
feitos de beberagem, e estendeu-lhe a mo
sorrindo.
Ah, meu amigo, quanto padec 1 mar-
muroa em voz baixa ; antes morrer, do que
supportar outra vez uns tormentos assim t
O conde ia responder, mas nao leve
tempo.
Fecharam-se os olhos de sua esposa ;
tornon a deixar pender a cabega para cima
do travesseiro, sem Ihe desapparecer dos
labios o sorriso, e urna resprago tranquil-
la e socegada Ihe agitoa suavemente o peito.
Quer quer isto dizer ? perguntoo An-
nibal cora viveza, voltando-se para Simoa
Riy mundo.
Quer dizer que adormecen, redarguio a
parteira ; s o sorano Ihe pode restituir as
forgas perdidas, e por isso Ihe dei o somho.
Quanto tempo durar-?
A essa pergunta nao posso ea respon-
der de um modo positivo. Tal vez se pro-
longue toda a noutev mas durar pelo me-
nos tres ou quatro horas. extremamente
importante nao o interromper; seria to
perigoso o acordar de sbito a Sra. condes-
sa, que a morte Ihe poda sobrevir empc-
eos minutos. Retire se, pois, aos seus apo-
sentos, Sr. conde, e nada receie, porqoe
tambem ea nao temo nenhuma complicago
grave.
Sabir d'aqui I volveo Annibal dando
aos hombros. Nem pensar nisso!... Nao,
nao. nao me afastarei um s instante do
seo leito!
Eu c fico, mea primo, aecudio a for-
mosa Olympia, e em Maria acordando, logo
o irei chamar. Pego Ihe qae descance um
pouco, tome algum alimento e faga por con-
servar a sua energa para quando yier a
precisar dla.
O conde quiz insistir, mas a marqueta
foi to eloqoente, qae afinal o obrigoo a
ceder.
Foi-se, pois, aos seas aposentos, tomou
um caldo e om copo de vinho, e encostou-
se n'om sopb.
Simoa, Olympia e Marineta ficaram sozi-
nhas ao p da condessa adormecida.
(Continuarse^
T?, PO PtAK.O-HUA uo PVOUS OEQiAS
I
>i
rj
)


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EGD0WF012_7AYFKD INGEST_TIME 2013-09-13T22:58:03Z PACKAGE AA00011611_12214
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES