Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:12213


This item is only available as the following downloads:


Full Text
ANNO XLVI. NUMERO 209
PIBA A CAPITAL E LGalUS OSDE SAO SE PACA POETE.
untados
P VI '.tU 'l'-UUI I*
uda mumero avulso
65000
24)0000
320
SEaTA FEIBI 16 -DE SEIEHBBQ DE 1870.
ENTRO E PORA DA PSQTKCIA.
....... 670
............ *3*o
.........._........ 20|2{t0
Por am auno iclern................... 2700O

f
i
<
i
,
1
1
Propriedade de Manoel Fignera de Faria & Filhos,


---------
SAO AGSOTC: I-
jOs, Srs. Gerardo Antonio Alvos 4 Filhos, no Para ; Goncalves A Pinto, no Maranhao ; Joaqun Jos de Oliveira, lo Cear ; Antonio;4e lemos Braga, no Arataty ; Jo5o Maria Jnlio Chaves, no Ass j Antonio Marques' da Sirva, no Natal; Jos Justina
Pereira d'Almeida, em Mamanguape; Antonio Alexandrino de Lima, na Parabyba ; Antonio Jos Gomes,, na t&la Ja Peona; Belarmint) dos Santos Boleto, en Santo Antto; Domingos Jos da Costa Braga,
em Nazareth ; Francisco Tavares da Costa, em Alagoas ; Dr. Jos Martins Alves, na Baha ; e Jos Bibeiro Gasparinho no Bio de Janeiro.

PABTE OmCIAL
o-erao la provincia.
EXTEDNTE ASSiCNXDO fELO EX. Sn. SBXADOR
wiGDmco dK almeida k aibiockuquk, km 12 aE
AltBIL UE 137V.
4' scelo.
170.OfBcli ao Exn. Sr. deserabargador
Fi\3qcji:o de AU Pereira" flacha, 1" vice-yresi-
. il^ale di provincia.Tendo de 9oguir para a corte
i d- tomar parte nos trabalhos do senado, a
Oijrenjn deixar o exercicio da admidistraeio desta
provincia no dia 16 do eorrente, convido V. Exc.
para nesse dia itsumir a administracao da mesma
provincia Jna qualidadt- de seu Io viee-presidente.
i K. 471.D:to ao presidente da provincia do Rio
(rande no forte.Rogo a V. Ble. a* expelices
las eonjfoientes ordens para que sejam rerqatti
das a es! i presidencia pelo juiz respectivo, guias
raUlaxas^lo. (o* Jliuol Angelo de Luceoa e
Josepha Mara da. Cunceieao, que se acham no
presidio de Fernn*) gulares, constarlo terem sido pilgados na villa do
Principe, dessa provincia.
N. 472. Dito ao presidente da Parahyba.De
conformidade eom o que V. Exc. solicitou era sea
of.'io de 5 do torrente, expeco nesta data as ne-
iras ordens ai'nn de que o cvnnandante on
irameiliato do vapor Pi/vip'iniri que segu amanhaa
p deA provincia e condiua para essa a importan-
cia da arreo tJarV) dos respectivos direitos.
If. 471.Dito'ao presidenta jdo Cear.Intei-
ralo do flue V. Exc. expoz era seu olcio de 31
.te mire.prximo lindo, sob n. 14. tenho a dzer
qae cora elfeito liz remetter diversos gneros ali-
nentirios sob a gaardae direceo doalferes An
l mi Joaqun de Barros Lima destinados ao soe-
irro da uopulago llagellada pela secca nos ter-
iuo do algueiro, Ouricury, Granito, Gabrob e
Boa-Vis e dei aigumis providencias a semelhaate
re.speit porque como declare i ao mesuro ullietal
nij havia lempo de chegarem as ordens de V.
El& em virtode de minaa requisico constante
I > ofDcio de lo do eiado mez de margo, aquelles
lugares; entretanto rogo a V. Exc. se digne pro-
videnciar como entender conveniente, para que
taes gneros eheguera a seas destinos ou para
seren vendidos na hypothese de se tornar mpos-
nivel asna romessa.
-V. 71.Poriana ao deserabargador proyedor
d Santa Casa de Misericordia.Era vista de sua
informacio de 8 do corrente sob n. 2574, pode
S. Exc entregar a HMuvigis Miria da Conoeieao
-ou Ifiho Jos de Barros Lima, educando pen-
sionista do Collegio dos Orphios.
N. 273. Dita ao raesmo.Respondendo ao offl-
io de V. Exc. de 8 da correnle sob n. 2576 tenho
a ili;ec-lhfl que approvo a deliberacao que toraou
i junta administrativa dessa Santa Casa de reco-
Iber ao Collegio dos O.phaos sob as cendicoes
:-!iencioa*das no seu eilado offleio, a menor de
'tome Josephina, sobrinha de Joao Pereira dos
Santos Farola, de que trata o requerimeoto que
incluso devolvo.
' 476.Dita ao mesrao. Era vista de suas
informoces de 4 de marco prximo Ando e 7 do
crrente sob ns. 2301 e 2573 autoriso V. Exc. a
mandar admittir no respectivo collegio os dous
orptos Pedro e Luiz. filhos do tinado Joaqnim
Francisco Duarle, de que trata as ditas cerlidos
de idadee inclusas.
N. 477.Dita ao director geral dos correios.
Com ofllciode V.S. de 31 de marco ultimo, re-
cebi as tres portarlas pelas quaes foram no-
neados Joao Rodrigues de Miranda para o lugar
de jente do correio da Villa de Salgueiro, Dese-
derio Alves dos Rios para o de ajudant do mes-
ma agencia e Antonio Manoel de Godoy para
i#ual emprego ua de Cabrobo.
X. 478.Dita ao gerente da companhia Per-
:w..bucaaa.De conformidade com o que rae so-
lir.tou o presidente da provincia em officio de 5
iu crreme, providencie Vrac. aflra de que o com-
dante ou imraedlato do vapor Pirapama que
te araanhia para o norte, v receber da tbe-
siuraria de fazenda e conduza para aquella pro-
vincia a importancia da arrecadacao dos respecti-
i is direitos.
MSRTB ASSIGXACKIPELOEXJI. SR. DR. ELIAS FRE-
D ,11100 DE ALMEIDA E ALBUQL'KRQUE, SECRETARIO
DO GOVERNO EM e2 DE ABRIL DE 1870.
2.* scelo.
N. 479.Offlcie ao coramandanto superior do
Rio Formoso.O Exra. Sr. presidente da provin-
cia manda declarar a V. 5. em resposta ao seu ofli-
le 3 do corrente que a ihesourria provincial
tea ordem para pagar ao negociante Francisco da
i Maia, os vencimentos constantes do citado
officic
3.* seccao.
X. 480.OfBoio ao che fe da reparticlo das obras
puWicas.Xesta data autonsou-se tbesouraria
lucial entregar ao thesoureiro dessa repar-
tiCao os 5:0001, constantes do offleio de V. S. da-
lado de 28 de marc-j ultimo 3ob n. 79, o qual Rea
o respondido de ordem do Exra. Sr. presiden-
te da provincia.
4" seccao.
8 481.Offleio ao director do Asylo de Mendi-
idade.O Exm. Sr. presidente da provincia, man-
da declarar V. S., que nest data expedio-se or-
ao commandanie superior da guarda nacio-
nal dos municipios de Otinda e Iguarass para
n.-pensax da servigo activo da guara nacional,
era quanlo ahi servir como creado a prae/a do 9o
hataiiilj do municipio de Olinda innocencio da
Trindade Pessoa de que trata o seu offleio de H
do correal.
X. 481Dita ao Dr. Francisco Teixeira de S
1' -ecretario da asseuibla legislativa provincial.
X. -'j3.De ordem do Exra. o Sr. presidente da pro-
vincia, transmiti mor copia V. S-para ser pre-
-ente assembla legislativa provincial, o incluso
requerimento acompanhado de informarao da tbe-
souraria provine!, em que o bacharel Antonio
Mara de P& Ni ves sari vio da receita e des-
peza da mesa thesiuiraria, pondera a necessida-
de que ten de ser caadinvado por um emprega-
do as fu##* de sea eoipresro.
N 483.-"ilt no mesme.W. 540 Exm. Sr.
prndente da provino manda traosmittir a V. S.
para ser presente ssembla. legislativa provin-
cial, aflm de tobiar na conslderacio qae mereeer
licio incluso por copia, acompanhado de infer-
i da thewuraria provmehl em que o rge-
lo gy.nnasio peraambneaoo, pondera a necei-
lada de ser fornecido aquel le estabelecimento
am apparolho para ejercicios de gimnstica.
X. 484.Dito a cmara municipal da villa da
Kscada Pela secretarla do governo se declara a
cmara municipal da villa da Escada, em respos-
a ao sea offleio de 14 de narco ultimo que vao
xecutad is os reparos argentes de qae neces-
a a ponte de qae trata 6 citado offleio.
EDUSNTS ASSIONAD0 PLO EXM. SR. SENADOR FRE
IUCO DE ALMRIBA E ALBVQUERQUE PRESIDENTE
DA PROVINCIA, KM 13 Dg ABRIL.
i* scelo.
K. 487.Portara ao Exn. Sr. general com-
mandantadas armas.Tendo resolvido que seja
transportada no dia 17 do corrente as 6 horas da
pira a cathedral de Olinda, a bandeira
BtiUlhlo n. 30 de voluntarlos da patria, do
com a do 53, asshn Ih'o
ihecimento a aflra de que
eXpeca as ordens necessarias para que
recomida ao arsenal de guerra, onde
r entrega: ao otflcial qae se apreseutar
commandando a guar Ja de honra que para isso
mando postar naquelle arsenal no dia acuna refe-
rido.
X. 488.Dita ao inspector do arsenal de mari-
nha.=Consts de aviso do ministerio da marinha
de 17 de marco prximo lindo, que nessa mesma
data foi n orneado o engenheiro Antonio de Carva-
lho Paea de Andrade, director da; olciuas de ma-
chinas desse arsenal, e transferido desse emprego
para igaal na provincia do Para o capito-tenente
graduado Jos Maria da Cnneeiclo Jnior, conti-
nuando o nomeado, em quanto durar o Impedi
menta^ do capitao'lenente Carlos Bracounot na
direcelo interina das offleinas de machinas do ar-
senal da corte ; o qae a V. S. communico para
seu conhocimeoto e flns convenientes.
X. 489.Dita ao director do arsenal de guerra.
Mande V. S. apromptar nesse arsenal e forne
cer ao corpo provisorio de polica desta provincia,
os obje:Ds do pedido, junto por copia, qae veio
annexo ao citado oflhio do commandante do refe-
rido corpo n. 68 de 15 de fevereiro ultimo, sendo
a importancia delles paga pela thesouraria provin-
cial.
X. 490 Dita ao capitl) de mar e guerra Jo9
Manoel Picaneo da Costa.Constindo de partici-
padlo da directora geral da secretaria de estado
dos negocios da marinha de a que por decreto de
4 do corrente fol concedida a V. S. a ex neraclo
que pedio do logar de capillo do porto desta pro
vincia, e nomeado para este emprego o capillo de
fragata Ignacio Accioli de Yasconcellos ; assira
Ib'o communico para seu conhecmento e uns con-
venientes.
N. 491.Dita ao capitlo de fragata Ignacio Ac-
cioli de Vasconcellos.Constmdo de participaclo
da directora geral da secretaria de estado dos ne-
gocios da marinha de 5, que por decreto de 4 do
correute, foi Vmc. nomeado capillo do porto desta
provincia, assim Ih'o communico para seu conhe-
cmento, e afim de que, pagando os direttos devi-
dos solicite o respectivo titulo que se acha na se-
cretaria desta presidencia.
2a scelo.
N. 492.Portara ao Dr. chefe de polica.Com
a informrcao jupta por copia da contadoria da
thesouraria de fazenda, respondo ao offleio de V.
S. de 28 do mez ndo sob n. 421, quanto ao paga-
mento do destacamento e sustento de presos do
termo de Villa Bella.
N. 493.Dito ao mesmo.Exija V. S. do dele-
gado do termo de S. Bento, e remeta com a pos-
sivel brevidade, as relagoes dos presos pobres re-
colhidos a cadeia daquelle termo nos raezes de
dezembro do anno prximo passado e Janeiro ul-
timo, atina de que possam ser examinadas as cun-
tas das despezas feilas nos preditos mezes cora o
sustento de taes preso, conforme solicitou o ins-
pector da thesouraria provincial em offleio de 11
do corrente sob n. 227.
X. 494.=itoao mesmo.De conformidade com
o qae determina o governo imperial por aviso do
ministerio da imriuha de 31 da marco prximo
findn,junto por copia,informe V. S. de novo e oque
se Ih offerec^r acerca do requenmento de Fran-
celina Carolina da Silva e mais papis inclusos que
devolver relativamente ao marido da mesma, Se-
raphim Adario Madeira cabo do balalhlo naval.
X. 495.Dito ao commandante superior do Re-
cife.Mande V. S. dar a guia de que trata o art.
45 do decreto 1130 de 12 de man;) de 1853 ao al-
teres da 4* companhia do 5 batalhlo de infanta-
ra da guarda nacional deste municipio Luiz Fran-
cisco de Paula Ramos para o municipio d'Agua
Preta, onde lixou a sua residencia.
N. 496.Qita ao mesmo.Expeca V.S. as suas
ordens afim de que urna guarda de honra esteja
postada a frente do arsenal de guerra no dia 17
do corrente as 6 horas da manhaa para receber a
bandeira do batalha* n. 30 de voluntarios da pa-
tria que se acha all recolhiia e condnzi-la at a
ponto de Tacaruna, onde transmitir a outra
guarda de honra de um dos batalhoes do munici-
pio de Olinda, que a de ve levar at a cathedral
onde ficar depos taita como determnou o gover-
no imperial.
X. 497. Dita ao commandante superior de
Olinda.Expeca V. S. as suas ordens, aBra de
qne urna guarda de honra esteja postada na ponte
de Tacaruna no dia 17 Jo corrente as 7 horas da
manhaa, para receber a bandeira do balalhlo n.
30 de voluntarios da patria desta provincia, e dabi
conduzi-la para cathedral dessa cidade onde tem
de ficar depositada, segando as ordens impe-
riaes.
N. 498.Dita ao juiz municipal e de orphaos do
municipio de Olinda.Para que possam ter o con-
veniente destino as peticoes dos pretendenles aos
offlciaes de justica que se acham vagos nesse ter-
mo e dos quaes tratara os seus olncios de 28 e 29
do mez lindo, preciso se faz, que de conformidade
com o decreto n. 817 de 30 de agosto de 1851, en-
vi Vmc. copia do edital para ser reproduzido nes-
ta capital.
N. 499.Dita ao juiz municipal do municipio
de Cabrob.Enve Vmc. o edital de 24 de feve-
reiro ultimo, ponde em concurso os oficios de ta-
bellles e escrivies do termo de Salgueiro, afim de
que de conformidade cora o decreto n. 817 de 30
de agosto de 1831, seja reproduzido nesia ca-
pital.
N. 500.Dita ao commandante de polica.De-
volvo a Vmc. o conselho de julgamento do alferes
desse corpo, Bazilo Luiz Coelho, que me foi en-
viado em sea oficio de 26 do mez Ando, sob
n. 130.
!f. 501.Deliberac3o.-0 presidente da provin-
cia attendendo ao que lho requereu Luiz Francis-
co de Paula Ramos, alferes da 4* companhia do
5 batalhlo da guarda nacional do municipio do
Recife, e em vista do que informou o respectivo
commandante superior, resolve que se Ihe mande
dar a guia de que traa o art. 45 do decreto 1130
de H de margo de 1853 para o municipio de Agua
Prela onde fixou a sna residencia.
3* scelo.
N. 502.Portara ao inspector da tbesouraria
de fazenda.Communico a V. S. para os devidos
tins que, segundo participou o juiz municipal e de
orphans do termo de Ipojuca, bacharel Joao Bip-
tists de Siqueira Cavalcante, em offleio de 28 de
marco ultimo, nesta data rea?sumio elle o exer-
eieio do seu cargo, por ter cessado o seu impe-
dimento.
X. 503.Dita ko mesmo.Communico a V. S.
para seu conhecinaenlo, que nesta data e em vista
do que me requeren o professor publico da ca-
dera da villa do Cabo, Victorino Antonio de Al-
cantara, expeco as necessarias ordens a thesou-
raria provincial para fazer cessar o descont de
cinco por canto, que offereceu do seu ordenado o
referido professor para as despezas da guerra.
N. 504.Dita ao mesmo. Nio obstante a sua
informacao de 7 de marco ultimo, sob n. 163,
mande V. S. pagar ao Dr. Joaqnim Goufalves Li-
ma, em vista do recibo junto, que me reraetteu o
chefe de policia com offleio de 10 de fevereiro des-
te anno n. 198, a quantia de 36*000 proveniente
de concertos feitos as armas do destacamento da
villa do Salgueiro, pois, que essa despeza deve
correr por conta dos cofres dessa thesouraria. Pa-
ra carapnr a falta da duplica de tal documento,
convm que sesea repartilo seja tirada para isso
urna copia delle.
N. 505.Di ao mesmo. Providencie V. S.
para que, em vis das inclusas eontas, que me
remetteu o superintendente da estrada de ferro do
Recite a S. Francisco com oficio de hontam, seja
liquidadle paga a importancia da despeza, proce-
dente" de transpons,dados nos treos da mesma es-
trada por conta do ministerio da guerra durante
o mez de mareo ultimo.
X. 506.Dita ao mesmo.Constando de avisa
do ministerio da marinha de 17 de marco prxi-
mo dudo, qne nessa mesma da, foi nnroeado o
engenheiro Antonio de Garvalho P^es de Afldr.ide
director das offleiaas de machinas do arsenal de
marinha des provincia e transferido desse era
prego par* igual na provincia do Para o ca-
pillo tinento graduado Jos Maria da Con-
ceiclo Jnior, continuando o nomeado eoi-
quanto durar o impedimento do capitlo ten-
te Carlos Bra onot, na direceo interina das otli
cias de machinas do arsenal da corte; o que
V. S. communico para seu conhecmento e fins
convenientes.
N. 507.Dita ao mesmo.Attendendo ao que
expoz o lente ajudant retormado do exercito
Fernando Francisco de Aguiar Moatarroyos, e ten-
do era vista a sua informacad de bontem, sob n.
233 autoriso V. S. a mandar que se continu a
abonar aosupplicante a etapa-de 11000 diarios
que pereebia em virtude do decreto n. 1254 de 4
dejulho de 1863, e foi snspenso por deliberacao
da junta dessa tbesouraria.
X. 508 Dita ae mesan.Constando da repar-
tilo da directora geral da secretaria de estado,
dos negocios da marinha de 5, que por decreto
de 4 do corrente, foi concedido ao capitlo de mar e
guerra Jos Manoel Picaneo da Costa a exoneraclo
que pedio do lugar de capillo do porto desta pro-
vincia, e nomeado para este emprego o capitlo
de fragata Ignacio Accioli de Vasconcellos; assira
Ih'o communico para seu conhecmento e fins con-
venientes.
N. 309.Dita ao mesmo.Sirva-se V. S. de pro-
videnciar, para que o inspector da alfandega con-
sinta no despacho livre de direitos um vidra para
mostrador do relogio do arsenal de marinha, que
fdra mandado comprar na Europa pelo respectivo
inspector cora autorisaclo desta presidencia, por
intermedio da casa ceramereial de S. P. Jolinston
4 C, que coramunica ter chegado dito mostrador
no brigue Argo.
N. 510.Dita ao inspector da thesouraria pro-
vincial.Tomando em consideracao o que expoz o
bario do Llvramento no requenmento, obre que
versa a sua inforraacao de 3 de Janeiro ultimo,
sob n. 3, recommendo a V. S., em vista da citada
inforraacao, que mande exonerar o supplicante da
Sanea que presten nessa thesouraria por Willian
Graham receber a quantia de 2:500J para ir pro-
mover nos Esdos-Inidos da America a emigra-
rlo dos colonos para est provincia.
X. 311.Dita ao. raesmo.Transmiti a V.S. as
inclusas eontas erelacao, afim de que mande liqui-
dar a despeza feilacora sustento des presos pobres
da cadi do termo do Cabo, durante os mezes de
Janeiro a marco deste anno e pagar a sua importan-
cia a Andr Aveliuo do Espirito Sanio, eonforme
solicitou o chefe de policia em offleio de 11 do cr-
rante, sob n. 497.
X. 512.Dita ao mesmo.Mande V S. pagar
depois de liquidada, ent vista das inclusas romas
que me reraetteu o superintendente da estrada de
ferro do Recife ao S. Francisco cora oficio de Mon-
tera, a despeza proveniente de transportes dados
nos trens da mesma estrada, por conta da presi-
dencia durante o mez de marco ultimo.
X. 513.Di ao mesmo.Autoriso V. S. nos
termos de sua ioformaco de 11 do corrente,
sob n. 223, a mandar pagar ao arrematante
do Io lanco da estrada de Una ao Riaehlosi-
nho, bacharel Pedro Alfonso Ferreira a im-
portancia da ultima prestarlo a que tem direito,
segundo consta do certificad) que ineluso devolvo.
X. 514.Di ao mesmo.Autoriso V. S., em
vista da sua inforraacao de 11 do corrente, sob n.
226, a mandar entregar medanle flanea idnea e
a pessoa que para isso se mostrar autorisana, a
quantia de 500* votada dejo 3 do art. 32 da le
do orramento vigente, para a compra de altaas
para a igreja do recolhiraenlo de Goyanna.
N. 313.Dita ao raesmo.Recommendo a V. S.
que em vista do incluso recibo, que me remellen o
chefe de polica com o offleio de 10 de fevereiro
ultimo, sob d. 198, mande pagar ao Dr. Joaquim
Gonralves Lima, a quantia de 52900 rs. prove-
niente de plvora e mais muirlo fornecida ao
destacamento da villa de Salgueiro para debgen-
cias policiaes, pois que, nlo obstante a sua infor-
raacao de 6 do corrente, sob n. 212, deve essa
despeza correr por con dos cofres dessa thesou-
raria.
X. 316.Dita ao raesmo.Xesta dala mando
que o arsenal de guerra aprorapte e forne$a ao
corpo provisorio de policia, os objectos a que al-
lude a informaclo de V. S. em oficio n. 143 de
4 do mez fiado, send > a importancia dos mesmos
pagos por essa tlies.ararla.
4." seccao.
X. 520.Offleio ao presidente da provincia do
Cear.Para que eu possa enrapnr o qae foi de-
terminado, em aviso da repartilo da marinha de
12 de fevereiro ultimo, mandando fornecer duas
boias para a capitana do porto d'essa provincia,
faz-se preciso que V. Exc. declare as dmensoes
qne devem ter as referidos boias, como solicitou o
inspector do arsenal de marinha des provincia
no oficio de 7 do corrente, sob n. 1919, junto por
copia.
N. 821,Dito ao conselheiro Jos Carlos de Al-
meida Arcos, enviado extraordinario e ministro
plenipotenciario do Brasil em Londres.Tenho a
honra de transmittir a V' Exc. o bataneo e copia
da acta da liquidarlo a que se procedeu das cen-
ias da estrada de ferro do Recife a S. Francisco re-
lativamente ao mez de marco prximo fiada.
X. 522 Portara ao desembargador da Santa
Casa de Misericordia Era vista de sua informa-
clo de 12 do corrente, ob n. 2389, autoriso V.
Exc. a mandar entregar a Henriqueta Margarida
do Xascimento, sua filha Maria, pensionista da pro-
vincia e enteada do voluntario da patria Jlo Ma-
noel Hamos Jnior.
X. 523.Dita ao governador do bispado.Infor-
me V. S. com o que se lhe ofTerecer s bre o in-
cluso pro/ecto a 5 do torrente anno, da assem-
bla legislativa provincial.
X. 524.Dita ao mesmo.Devendo ser deposi-
tada na cathedral desta dioce3e a bandeira do ba-
lalhlo n. 30 de voluntarios da patria, do mesmo
modo que se fes eom a do 43, iavrando-se dioso o
respectivo auto, sirva-se V. S. da dar as precisas
ordens, aflra de que seja ella reoebida n'aquella
cathedral no da 17 do corrate, s 7 horas da ma-
nba. M mim
N. 525.Dita as engenheiro fiscal da estrada de
ferro do Recife a S. Francisco.Em comprmante
ao avise expedido pelo ministerio da agricultura,
commercioe obras publicas, em:3l de caarco pr-
ximo Ando, e Junto por copia, acabo de"exigir do
superitendnte dessa estrada qae d a razio do
procedimento que teve para com o ajudant do
sagentoeiro fiscal Felippe de Figueiroa Faria, por
occasilo de recusar-se a attender a redamatao re-
te por parte de Vmc. acerca da iusufflciencia de
carros da primeira elasse para passageiros na pr-
meira scelo no dia 29 de ferereiro ultimo.
X. 526.Dito ao superintendente da estrada de
ferro.Competindo ao engenheiro fiscal da estra-
da de ferro do Recre, por terca do art. 132 do re-
gulamento approvado pelo decreto 1930 de 26 de
abril de 1857, o direito de dirigir sobre as infrac-
coes dos regulamenios, instruccoes ou contratos as
necessarias advertencias e oabendo a adminUtra-
Clo da mesma estrada o dever de atiende-las, ou
xplicar-se quando nao o faca em temos conve-
nientes, cumpre que, de conformidade com o que
acab de determinar o governo imperial por. aviso T
do ministerio da agricultura, oommerelo.V obras de presidir a jan de saude dirigir a enferma
0
Coanmaii das armas.
QAOTEt-flENtetAL n COMMANDO DAS ARMAS NA
PROVINCIA DE PERNAMBUCO, 12 DE SETEM-
BRODE1870.
Orden-de dia i. 49t.
O brigadeiro commandante das armas faz publi-
co a gurnelo, que tendo levado ao conhecmen-
to da presidencia, sobre indicaclo do Sr. delegado
do eirurglao-mr do exercito n'esta provincia, a
neeessidade da ooniinnaclo dos servicos do Sr. 1
cirurgilo honorario do exercito Dr. Alexandre de
Souza Pereira do Carmo, como encarregado que
da enfermara militar, e como metnbro da junta
de sade, percebendo em quanto assim ernpregado
o sold evsntagens inherentes ao posto de qne
tem as honras, de conformidade com a doutrina do
aviso de fflinislerio da guerra de 29, de fevereiro
de 1868, pprquato o orrerecmento que fez era
1865 para servir gratuitamente durante a gaerra
do Paraguay, se devia considerar preenchido dos-
de qae o governo a declarou terminada; a mes-
roa presidencia por offleio des da assim o re-
solveu: couseguintemente e mesmo Sr. Br. Pe-
reira do Carao continuar de hoje em diante no
desempeoho do servico de que se aeba incumbido.
O mesmo brigadeiro julga proposito declarar,
Srue o referido Sr. Dr. Pereira do Carmo, se tem
silo eredor da consideraoao do governo, e pelo
saoriflcie que se Impoz por mais de cinco annos,
pobiieaajalal de mareo proxkno lindo, o Sr. su-
perinendaot; da mesma estrada d ratao do
urocedioaat qUe leve para eom o ajudante do
engenheird Isr.al Felippe de Figueiroa Pana, por
octasiao dJeeu- e*te leia-por parta dk respectivo eogenheiro iseal
le .acerca da insuficiencia de carros de 1" elasse para
- passageirosk primeira scelo do dia 25 de feve-
reiro ultimab
X. 3i7.-MHr a gerente da Companhia Per-
narabucana.O Sr.-gerente da Cimpanhia Per-,
nambucaaa mude dar ama passagem d estado
a proa do vaoor Pirapamu, at o Cear a Galdino
Americo de Tarros Bandeira.
X. 330 Ditibracao.O presidente da provin-
cia resolve coacedtr ao padre Antonio dos Santas
Oliveira, a exoneraclo que pedio do cargo de ca-
pelln do eeileriQuhlico desta cidade.
F.XPEDIENTB ASSIG.V\DO PBLO SR. Kl. ELIAS FREDE-
RICO DI ALMEIDA & ALBUOIjRUQUE, SECRETARIO DO
GOVERNO, KM 13 DB ABRIL DE 1870.
V seccao.
N. 529.OIBcio ao linspsctor do arsenal de ma-
rinha.S. Ele. o Sr. presidente da pYovincia, ten-
do expedido ordem para ser despachadora alfan-
dega livre de direitos, o mostrador que V. S. man-
dara comprar na Euiopa para o relogio desse
arsenal e qne acaba de diegar no brigues Argos ;
assim o manda coraraunbar a V. S. em resposta ao
seu oficio de hontem sob n. 1939.
2" seoclo.
N. 530.Offleio ao Sr. fir. chefe de policia.O
Exra. Sr. presidenta da protincia manda declarar
a V. S. era resposta ao seu fflcio de 10 de feverei-
ro ultim" sob n. 19, que tnasnritto as thesoura-
rias geral e provincial, os recibos que vieram an-
nexos ao citado oficio, alira le que seja pago ao
Dr. Joaqun Goncalves Lima, a importancia dos
mencionados reeibos.
X. 531.Dito ao raesmo.Sua Exc. o Sr. presi-
dente da provincia respondendo ao offleio da V.
3. datado de 11 do corrente e sel n. 497, que a
thesouraria provincial tem ordem para pagar ,a
Andr Avelino do Espirito Santo, a quantia de 28,
constante do citado offleio.
N. 532.Di ao juiz municipal do termo de
Ipojuca.O pxm. Sr. presidenteda provincia man-
da declarar a V. S. qae iieou inteirado pelo seu
offleio de 28 do mez fiado, do ter nessa dateassu-
mido o exercicio.do.respectivo cargo.
X. 533.Dito ao commandante de policia.O
Exra. Sr. presidente da provincia manda declarar
a V. S. que aesta data se mandou aprontar ns ar-
senal de guerra os bjectos constantes do pedido
que veio annexo ao seu offleio n. 68 de 18 de fe-
vereiro ultimo qae lhe serlo fornecidos, sendo a
importancia delles paga pela thesouraria de fa-
zenda.
3a seccao.
X. 534^Officio ao inspector da thesouraria pro-
vincial.Sua Exc. o Sr. presidenta da provincia
manda commdnicar a V. b. para tseu conhecmento
que por petara de 12 do corrente, e desia data
mandou entregar aos pensionistas da provincia re-
colhidos nos cellegios de orphios e orphas de no-
mes Jos de Barros Lima e Maria o Io filho da Edu-
virgein Maria da Coneeicao, e do voluntario da pa-
tria Amador Jos de Lima, e o 2 filho de Henri-
queta Margarida do Xascimento, e entiado do vo-
luntario da patria Joao Manoel Hamos Jnior.
4" scelo.
X. 533,Offleio a cmara municipal do Recife,
S. Exc. o-Sr. presidente da provincia manda
communicar a cmara municipal do Recife para
sen conhecmento que por deliberacao desta da
conceden a exoneraclo que pedio o padre Anto-
nio dos Santos Oliveira do cargo de capelllo do
ceraterio publico desta cidade.
N. 536. Dito ao governador do hispado.S.
Exc. o Sr. presidente da provincia manda commu-
nicar a V. S. para seu eonheciment que por de-
liberacao desta data conceden a exonerarlo que
pedio o padre Antonio dos Santos Oliveira do car-
go de capelllo do ceraterio publico desta cidade
N. 537.Dito ao Dr. Francisco Teixeira de S
Io secretario da assembla legislativa provincial
n. 55.Da ordem de S Exc. o Sr.- presidente da
provincia passo por copia s mos de V. S. era
resposta ao seu offleio de 6 do corrente sob n. 10
e para ser presente assernola legislativa provin-
cial, a inclusa informarlo que ministrou o chefo
da reparlicap das obras publicas em 11 deste
mez acerca do acude que se esi con-truindo as
marg;ns do rio Xatuba na cidade da Victoria.
X. 338.Dito ao meSmo n. 56.O Exm. Sr.
presidente da provincia manda iransmittir a V.
S. para ser presente a assembla legislativa pro-
vincial o incluso orcamento da receita e despeza
para o exercicio de 187'' 1871, bem como o ba-
taneo dado de 1868 1869, que remetteu a c-
mara municipal da villa da acada em o seu re-
latorio de 19 de fevereiro ultimo junto por copia.
. 539.Dito ao mesmo, n. 37.S. Exc. o Sr.
presidente da provincia manda transmittir por
copia a V. S. para ser presente a assembla legis-
lativa provincial o incluso requerimento de Hera-
clio Constantino de Paula Monteiro. com informa
coes da thesouraria provincial de 7 do correte
sob n. 214 afim de que a mesma assembla abra
um crdito supplementar na importancia de.....
407338 para pagamento de objectos fornecidos
para o expediente do regedor e aulas do gyranasio
provincial, a qual deixou de ser concedido' atiento
o desposto no art. 4 da le n. 573 de 3 de abril
de 1864.
X. 540.Dito ao padre Antonio dos Santos Oli-
veira. S. Exc. o Sr. presidente da provincia tendo
por deliberacao desta data concedido a exoneraclo
que V.'ST pedio do cargo dePcpellao* do cemiterio
publico desta cidade; asaim tho manda commu-
nicar para seu conbeoimento.
N. 541.Dito aorsupenntendente da estrada de
ferro. Pela secretaria do govorno se declara ao
superintendente da estrada de ferro do Recife a
S. Francisco em respos ao seu oficio de hontem
que remetteu-se a thesouraria geral e provincial
para os fias convenientes, as eontas qu vieram
aunexas ao cilada oficio.
ra militar com prejaizo ue seus 'eommodo* pes-
soaes e de sua clnica, patenteando durante todo
esse lempo o maier aeto. inteaceacia e assidui-
ilade. no desempeRho de sua gratuita o patritica
niissao.
AssignadoJoaqum Jote Gortr-aloa Flmtes.
Conformo miltano Ernesto de Mell* Tambn-
nm, lente ajudaote de ordens encarregado do
deteJhe.
PERNAfflBUCO.
XEVISTA DIARIA.
6lTAR*D-A NACIONAL.Por portar da presi-
dencia da provincia, de 12 do crrante, mandn-se
dai guia de passagerq para o municipio do Aszar
no,Rio Grande do Norte, ao capiiio da 5* com-
panhia do 52 batalhlo de infantana do Ex, Pe-
dro Alves de Oliveira Castro.
AUTORIDADES POLICIAES. Por 'portara da
presidencia, de 13 do correte, foram horneados :
1* supplente do delegado do termo de San An-
tao, o tanenie coronel Jos Cavalcante- Ferraz de
Azevedo.
Subdelegado, !. 3.", 4. e 5., supplentes da
fref uezia de Taquaretinga.Manoel Joaquim da
Silva Curvello, Manoel Florentino {Bezerra Caval-
cante, Joaquim Alveres Correa de Albuquerque,
Mapoel Correa Cavalcante-de Albuquerque, e Jos
Antonio ao llego Paras.
p. FRANCISCO CARDOSQAYRES.-Damos ho-
je, em nossa 8* pagina, um novo escripto bio?ra-
phico sobre o destnete e virtuoso prelado Per-
nambucano de saudosa memoria, l" elle o fructo
das locubracdes do seu collega no episcopado, o
Exra. e Rvm. Sr. D. Antonio de Macedo Costa,
blspo do Para. Para elle chamamos a attenclo
dos letores.
INSTITUTO ARCHEOLOGICO E GEOGRAPHICO.
Heunio-se hontem sob a presidencia do Exm.
cowelbeiro monsenhor Muniz Tavares, e com as-
sistencias dos Srs. Drs. Soares de Azevedo, Apri-
gio Guinaaresr Gervasio Campello, Foaceca de
Albuquerque, Ayres Gama, Baplista Rigueira, Af-
font-o de Albuquerque, Innoeencio Serfico, e Ja-
cintino de Sampaio, e dos Srs. padre Lino do
Monte Carmello e major Salvador.
E' lija e ajiprovada a acta da antecedente.
O Sr. secretario perpetuo menciona e seguinte
expediente :
Um oficio do 1* secretario do Instituto Archeo-
lgico Alagoano, agradecendo a remessa das re-
vistas deste Instituto e oflerecendo um exemplar
dos estatutos d'aquella eorporaoie. O Sr. secre-
tario perpetuo declara que nao receben aquelles
estatutos.
Outro do Sr. Manoel Jos So&res d'Avellar, of-
fertaado, em nome de sea prente o lente Jero-
oyaio Francisco dos Santos, urna dragona que
pertenceu ao ex-diclador do Paraguay, e urna me-
dalha de cobre f mandada destribuir por aqueile
dictador ao segundo regiment de artilharia ca-
vallo pelos feitos de Riachuelo.Inteirado, sendo
recebida a offerta com especial agrado.
O mesmo Sr. .secretario perpetuo d con das
seguintes offcrtas : Varios ns. do Diario de Per-
nambuco pelo consocio Dr. Figueira alguns ns.
da Unido Liberal de Alagos e Americano, pelas
respectivas redacc5es ; um quadro demnstrate
dos cidadlo?, qae funecionaram como deputados
e supplentes na assembla provincial de Pernam-
buco, desde sua iostallaclo em 1836 at o anno
de 1867 e dos membros da mesa da tnesraa assem-
bla n'esse periodo, offertado pelo Sr. Dr. Manoel
de Figueirta; quatro retratos dos seguintes Srs.
conde da Roa-Vista, bario de Ipojuca, conselheiro
J. T. Xabuco de Araujo, e monsenhor J., Pinto de
Campos, pelo mesmo Sr.; urna vista phetogra-
phica da cachoeira de Paulo Affonso, tirada Jpelo
Sr. Stahl, e pelo mesmo offertado. Todas estas
offertas slo recebidas com agrado e mandam-se
archivar.
E' ldo e va a commssao de fundos e orcamen-
tos o seguinte balanco de receita e despeza verifi-
cado no 1* trimestre de abril a junho.
Receita.
Mensaldades 361000
Beneficio da lotera em deposito 2:016,3120
Subvenclo 3000O0
2:352*130
Despesa.
Expediente 14:460
Ordenada do amanuense -75000
Dito do continuo 30*000
Porcentagem do mesmo de 36 7200
Saldo em deposite 2:0164120
Saldo contra a caixa em 31 de marco 157*95'*
Saldo em caixa 51*385
2:3523120
K ldo e addiade um parocer da commssao de
adrasslo de socios.
O Sr. major Salvador Henrique de Albuquerque
l um projecto de respos ao officio da Illraa. c-
mara municipal sobre a estrada de Joao de Barros.
Q Sr. Dr. Baptis Rigueira requer ^diamanto
di discussao sobre aconcluslo do projecto, o que
approvado.
O Sr. Dr. Fonceca de Albuquerque fundamenta
um requerimento, pediodo que se nomeie urna
commssao compostado tres membros para emittir
o eu juizo sobre o facto em qaestao.
E' approvado, sendo nomeados membros da
commssao os Srs. Drs. Aprigio Guimaraes, lao-
cenco Seraphico, e Baptista Rigueira.
Nao havendo nada mais a tratar levanta-se a
TflEATRO DE S.\XTO ANTOXIO.-Correu com
geral agrado o espectculo de quarta-feira, sobre-
tudo o hymno patritico dos voluntarios de 1792,
que obtve phreneticos enthusiasmos.
Amanilla ha repetir^o dese espectacnlo, sendo
substituido aqueile hymno pela Marselheza can-
tada por toda a companhia, pedido de diversas
pessoas; e executada pelo artista Peroambu-
canji o- Sr. Flavano Coelho, a linda e chistosa pa-
rodia cerracSo no bolso, do alumno da Faculdade
Direito o Sr. Celso de Magalhles.
GUERRA FfiANCO-PRUSSIANA.Erri seguida
uWicamos a tradcelo de urna carta escripia de
aris um nosso amigo nesta cidade do Recife,
sobte a guerra actual:
Paris. 39 de agosto de 1810.Charo M Nao
tive animo de escrever-te pelo ultimo correio : a
situaclo, porm, tem-se modificado com vantagem
nossa, a, posto que anda chea de perigos e de
doldrosas provacoes. nos a encararnos. Cora mais
cala e mais resignados, e estou mesmo inclinado
a cier que nossos primeiros revezes fbram um be-
neficio da Providencia. Se tivessemos principiado
obtendo victoria, nos nos teriamoa precipitado r-
refleetidamente as garras do tobo.
A infelicidade nos abri os omos sobre a gra-
vidade da sluaco, sobre a iooapacidade e inepcia
do Bomem que nos goveroava, e que se tinha em
con de um grande general, pelo simples facto de
cbamar-se Napoleao.
Nanea me esqueoerei do grito de renrovacao
que Pars ergueu contra elle, assim que teve noti-
cia de nossos desastres, e nesse dia foi a queda do
imperador moralmente proclamada. Elle deixou
o mando para ser mandado.
< Os marcenaos obrigaratr-o a largar o com-
raando em chefe. Os jornaes inglezes espalharam
o boato qae elle tinha eoloaquecido; talvez seu es-
tado seja. raelhor, Um oficial que tu cpnoeceste
qoi, o que tem aeompanhado o imperador de*dr*
o coioeco da campan! dh que o tem visto mai
tas veze fallar comsigo, repetindo as seguintes pi-
lavras: Fui tronido.
Depois qne Bazame tomou o commando em
chele e que o ministerio Ollivier cahio, as eou*a-
tomaram outro aspecto, e creon-se amexeWiii-
ero pouco? das. De-de o dia 14 tdm havMo*di-
versos combates sanguinolentos nos qoaes aemprv
satinaos victoriosos, apezar dos telegrama* bel-
gas, prusslaaos e inglezes em aentido contrario-
Bazante prepara-se para dar am golpe decisivo
cojo resultado saliremos em poneos dias.
Se tormos batidos, o exercito se retirar par*
Ptris, e abi os Prusianos encontrarlo a roorte.
A Franca est possuida de nm tal ardor e enOin-
siasmo qoo os deve fazer reflertir. Elies coota-
vam cor urna revolocao que Ibes devia abrir a.<
portas de Paris, e niaguem pode calcular a somata
qe elle: tm espalando e espide que tm por
toda parte. Hoje, porn, > ha un partido o
da Franga, e om so gritomorte aos Prussianos.
Todos estes acontecimentos me impedfram de ir '
M..., pois nao quero desertar no momento do
perigo. Afirmo todos os nossos patricios qne.
daqm tres mezes s pasarlo o sfs- da Franca
Francezes, e qae lodos os Prnssianos estarlo mor-
ios, ou ensotados para o oatro lado do Rheno.
FESTA DAS CHAGAS VR S. FRANCWCOv-Os
terceiras franciscanos celebran amantis, con i>
esplendor do coslnme, a fe-ta do seu pairiarcba.
fiara o que nada tem poupad, havendo vesparas,.
esta e T Dewm ; seodo execoteda teda a msica
das vesperaa, o que se nlo faz ha doze aonos, de
composiclo do raaesiro portugnez Santos Pinto.
Na festa- cantarlo os solos e duelos do ftoria os
Srs. RQes, Tobas, Jos Coelbo e o menino Jovi-
no,entoando o quoniam os Srs. amadores Lydio
Marianno de Alfcuquerqne e Manoel Silvioo de
Barros Falcan. Occoparao a tribuna sagrada os
Rvms. pregadores da capella imperial Fr. Jaio de
Santa Thereza, ao Evaogelho, e Fr. Joaquim do
Espirito Santo ao He Dewn. Antes do sermaoda
festa o Sr. Abrabo tocar nm lindo slo de ra-
beca ; e nos intervallos e durante a larde e noute,
no claustro, far-se ha osvir a banda de raosica
do 1 batalhlo de infantera da guarda nacional.
A' nonte haver espesielo da Igreja, hospa i
consistorio,
EVASiO DE PRESOSvDa cada da villa de
Barreiros evadiraro>se, na noute de 8* do corrente,
tres individuos qne esvam sendo procesados
como ladrees de ovados.
SOCIEDADE DOZE DE SETEMBRO.-Es eor-
poraclo celebra amanilla sessao ordioaria, na roa
do Bario da Victoria n. 45 primeiro andar, s 6
horas da tarde.
UN AO JURDICA. Funccionou aontera es
sociedade, servindo: de juii de direito Ernesto
Vieira; de promotor publico Serra; ode advoga-
do Guiherrae Campos. O reo, ocurso na pri-
meira parte do ari. 116 do cdigo criminal, foi
condemnade no grao mnimo.
INSTITUTO HISTRICO E PHILOSPHICO.
Esta sociedade traballiou hontem, sob a presiden-
cia do Sr. Slvera Garca, tomando assento o Sr.
Adrilo Francisco das Neve3, como socio effectivo.
Foram aprovados socios os;Srs.Dr.JAntonio Carnei-
ro Antones Guimaraes, honorario Manoel Antero
de Medeiros Furtad >, Jos Ribeiro do Amara!, e
Severino dos Santos Vieira, effoctivos. Deixou de
haver discussao das theses, por nlo terem com-
parecido os socios sorteados. Procedenao-se
eleclo de orador fol escolhdo o Sr. Xilderico
Araripe de Faria, seodo paca substitui-lo no logar
de adjunto escolbido o Sr. Mathias Joaquim da
Silva.
GENERAL VICTORINO. O espeetaculo gala
que o Sr. Duarte Coim7ra, proprietario do theatro
volta do bravo Pernambucano, o Exm.-* Sr. Bario
de S. Borja, deve realisar-se na quar noule acs
seu desembarque, visto terem de ser preenchidas
as tres prmeiras com illuminacSes o festejos na
ra do Birlo do S. Borja.
Cumpre que o povo Pernambucano procure por
todvis os meios vietoriar o bravo general, filho
desta heroica provincia, nao ficando quem da
BaUia qne to enthusiastica e solicita se mostroa
em saudar a obra do general visconde de Itapa-
rica.
O general Victorino um hroe desta guerra
sanguinolenta tao gloriosamente terminada; ali
de.'tinguio-se elle pela bravura, dedleacao e pa-
triotismo, e sobretudo, pelo amor a inleresse que
eempre mostrou pelos soldados pernambucano-,
as vicisitudes da caropanha. Isto por si s bas-
tara para recommendar a nessa gralidao, o nome
do general Victorino.
De nm jornal da cidade de Rio Grande do Sul .
transcrevemos o seguinte soneto, comraemorativiu
do famoso combate de 2 de maia de 1866, e dedi-
cado ao bravo general:
Mais urna vez a gnarany sorpresa
Ousou desafiar os nossos bravos ;
Velo testa e feroz-turba de escravos
Nossas linhas romper com affoutesa.
Que esforcj) pertinazna la accesa
Trazem-nos esses mulos ignavos I
Tentam co' a sede de augmentar aggravos.
Na peleja abater nossa altivesa.
Mas brilha o sol de maio, a nos faguairo.
E a sexta divisao guapa avancando
Salva a honra do nome brasileiro 1
E soldados novis sob teu mando,
Filho heroico da trra do Cruzeiro,
Gloriavam-se, a victoria conquistando ?
Rosario, 2 de maio de 1870.
Luiz Jos Pereira ie Carvatho.
LOTERA.A que se acha a wnda a 160* k
beneficio da nova igreja de Nossa Senbora da Pt-
nha, a qual corre ao dia 17.
PASSAGE1RO&Sahidee para o norte no va-
por Ipojuca :
Joao Baplis de Magalhaee, S. Eugenio C. Cu-
aba e 3 filhos, Aana Benvinda d'Araujo, Julio C.
P. Barrete.sua senbora 2 filhos menores o 3 cria-
dos, Manoel Joaquim de Oliveira, Theodoro Edelf-
sen, Victorino S. Lima, Loarencp Antonio d Aze-
vedo, Mathias T. da Almeida, Beruard Natal, Aron,
Cah, Jos Francisco da Silva e 3 criados, Manoel
Costa Vasconcellos, Venceslao Machado de S.
Siiva, Jos Martins de Areias, Jos S. e Silva.
Joaqun Luiz Goncalves Pereira. Francisco de Al -
meida Braga e 1 escravo, Domingos Prot, padre
Frederico d'Almeida a Albuquerque e 1 escravo,
Vicente Sancho Ferrefra Gomes e 1 criado, San-
cho Ferreira Gomes, Jaoiniho P. de Oliveira Gon-
calves Jos Ferreira Gomes 1 criado, R. Pinto
Pinto Cavalcanti e 2 criados, Jos B.. da Ost,
R. Quiatiliano Grangeiro, Joaqnim Rodnp
Pinto, Jos Groga, Antonio Ferreira da Rocha.
Gustavo Amsmck, Manoel da Coe Fernandes,
Miguel Goncalves Bastos, Henrique Cesar Simval.
CEMITERIO PUBLICa-Obitaario do dia 12 de
setembrd'de 1870.
Maria do Rosario do Bomflm, preta, Pernam-
buco, 25 annos, casada, S. Jos ; molestia ate-
Severino, preto, eseravo, Parahyba, 46 anno5,
solteiro, Sahto Antonio: delirio tremeri
Maria, branca, Pernanjbuco, 5 roezes, S. Jos \
espasmo.
14




namtoeo,
imb

Sexta feira 16 d Setembro de 1870
Thomax, pardo, PernamtoKO,
Boa-Vista; apoplelia. Hoapttal
Mara, parda, eserava, Pera
S LeH..Uopotdna Grela ^^r^g,!;
imbaeo, 33 annos, casada, S. Jos, paraiysi
ira re*
npleto sub
narabaeo
- 43 -
Mara LuUa parda, Pernmbu=o, ^
to Aoionio; febre oarabral. ^^p^ZL^.
-, Paroambue,
+>'+*!
i*r
3mM>/S.Joe;

Manoel, pardo, Pernaro' wm
espumo. ^aw, 3 awee, S.
Joao, preto, Afr<*
intente. .*, 12 fiaos, satleiro, Recite ;
Jasta Mas
i 29 annos das Vlrgena, parta, Pernaai
hora, I InD' ,, wileira, Por; pul moni..
ft jdwtto Xatfer Vianna, branco.Pernarabueo,
_ -- -***, solteiro, Recife ; cancro.
AU?ANDEr
1
co, 33 anuos, ...
Mara, eserava, Prga,
Samo Antonio; teteno.
TMELLADO ^WM^NTO DA M ^S KNAMBOCO BO MEZ DE AGOSTO DO
ANNOS t l-'' J|
Imprtate
jro mi
V.

Dfrcitosdecitoaino....
Dito do augmento de 40
IWnde dito df 30/*..-
Ditos-addicionaes de 5 %.................
Expediente de 5 /. dos gneros livres de di-
rellos de consumo.....................
.Arnmensgem...........................
Despacho martimo
Ancoragem.............................
Exportar o
Dtreitos de 15 % do pao brasil.............
Ditos de 9 /, de exportacao
Ditos de 2 1/2 "'
/ dem.
Bitas de 1 1/2 /do ouro em barra.
Ditas de l % dos diamantes..
Expediento das capaiazias................
interior
Renda da typographia nacional............
Sello adhesivo..........................
Dito do papel flxo.......................
Dito de'pape I proporcional................
Krnal amentos...........................
Imposto de trau&misaau de propriedade de 3
V* da venda de embarcares..........
Bita t */ da arrematacio de bens movis..
Extraordinaria
Receta eventual (multas)...............
554:5U>*873
28:606J317
3:830988
98:300*956
3:672*665
10:808*838
2:85I*300
65:025*747
1:139*318
1700U
1:223*800
20*000
500*140
618*900
916*914
Depsitos
Depositas de diversas origen?.............
,Ovimo da provincia das Alagoas..........
"llilo da provincia da Parahyba............
Dito da provincia do Rio Grande do Norte.
Contribuirio de earidade..................
'Jo 1.1583956
1:972*201
606*917
4:128*080
1:683*217
S99 im
535:279*470
72:096*676
909*780
2:1045800
123:287*680
1:113*220
800*790
f968 1S69
107*010

1:166*451
959:549*371
Alfandega de Pcrnambwo, 1 de setembro de 1870.
737:126*112
1:312*025
13:680*730
588*550
57*r*64
51:565*542
852*806
1:842*720
71:853*326
873*740
70o*400
135*000
69*800
253*000
9985928
^l e absoe
^p perico-
^^Br-so pre-
752:707*417
501:967*863
41*154
1: 6*033
10*000
212**75
303:3573327
Aviso ao publico
O abaixo assignado fax oatenUao publico, que,
recbenlo na estacao de Gamella por occa;io
da enejada do irera lo fia 0 tto crreme, urna
carta do Sr. advogndd Antonio ios Santo* Vila!,
casualmente a abri em pmeoc^de aigninas pes-
soas cora quem conversara; e achaudo dentro
della urna e meia folha de papel pardo, proprio
para envoltorios, em lugar de un retino firmado
peto subdito portugnez Joaaolm le VaseoBeellos
Pinto em 15 de mareo desta mesho anno, decla-
rando haver recebido a imponanm das lateas do
8r. Prancisco de Paula Oavalcaoii Llns, enji co-
branca, lhe fura incumbido; e nota procurasao do
proprio ponho do Sr. Vital, que djs.Bo na dita
carta, me enviava, enearragande-nw de en sau
nome reqaerer ao juiz de orph? deste termo de
Seriuhaem para fazer entrega dts rettm caceadas
pelo (toado Vascmcellos Pinto, e acceitas pelos
Srs. Joaqum Verissimo do Reg Barros, e Pelip-
pe Paes Barreto. os nnicos que, segundo diz, esli
em seo poder; flcou sorprheudhta por tal esea-
motagem, e* mesoia?, coro.quan aonversava, to-
mn por testemnohas d'et farw iharavilhoso,
mostrando-Ibes o papel de enalteci Umpo de
qualqner escriptnracSo e dando-fces a ler a cele-
bre carta, que acensa a remesaa 4a msinmorplio-
seada proenracao, e recibo.
Para que, pora, nenhuma respcwnblhlade Ihe
posta ser atiribaida, e por bem *mi repatacao
leva ao dominio do publico o tacty te vem de
referir.
Garaelleira 10 de setembro de 1
Pedro Guudiano de Rttit e Silva.
O chefe da 2* seccao,
Luiz Francisco de Mello Cacalcante.
PUBUCACOES A PEDIDO. Hospital portugus de Beiieii-
]%e5ocs do Asylo de Meodlel-
dade.
<* utcio.)
O Exm. Sr. provedor da Santa. Casa de Miseri-
cordia, nao podeido, com vantagein, contestar
jianto asjeviTii tu s artigos c eu relatorio, socoorreu-se mita tctica que, me
liersaado, nao Ihe-ser proveites.
Ks.a tctica consisti em deslocar a qnostao do
aerreuo em que fura posta, tiara, assim enredar os
Tactos, e mysttficar os incautos.
Masen dar-me-bei ao tr.'.baltw de repor a ques-
xao no ponto em que Coi enclala.
6 Sr. provedor, em seu relatorio, nao tratou das
-despeas do estabeloeimeuto do Asylo, nao se oc-
oupou de outros factis que agora aprecia ; nao,
iodo o seu empenho ciinsisti m demonstrar a io-
-couveoiencia da creadlo do uteemn Asylo pelo mo-
connraias; em mostrar que, em quanto outros
>:stabilecmientos fjrnecidos yor contratos lavra-
dus na competente secretaria ( a da Santa Casa)
di-pendiam pequeas xommas diariamente, ali
jfartase )07 rs., termo medio; em mostrar fi-
nalmente receio de qt*e, o augmento progressivo
das despezas. viessem a ser superiores do hos-
-pitol Pedro II.
fi' isto o q-ie consta do referido relatorio, publi-
cado no Diario de l'erumnlntro de 19de jnlho ul-
timo.
Uostrei em meas ar cenca.
A junta administrativa tendo de celebrar o anni-
versara da installacao do Hospital, domingo 18
do eorrente, com festa religiosa no oratorio do es-
tabdeeimenta com raissa solemue pela3 10 horas
da maanaa, cuja exeeneao em muzca ser regida
pelo cerni professor Pernambncano e distincto
artista o Sr. Francelino Domingos deMoura Pes-
soa, e^ual.em consideracSo as syrapathias que
lhe v>u a sociedade manteoodera* do hospital,
sxecntar em nislino ata slo de sen escolhido
aibum muxicat, entrada do sermn.
Depots da fasta tara lugar, em aeto solemne, o
janlar aos.enfermos, servido pelos membros da
junta, sob a presidencia do Sr. prevedor e doRvd.
capeMao.
A's 4 horas da'tarda dar-se-ha cometo & feira
da caridade, achando-se em plena exposcao loifas
as prendas olTertadas aos pobres para auxili) de
sua manuteocao e tratamento.
Finalizar a featividade com urna laiainha can-
tada ante a veneranda Imagem de S. Joode Deus
patrono desta pia instltuicao.
No deeurso do da, duas bandas de marica
marcial, das mais apreciaveis, desempenharo es-
colhidas pecas.para reerelo dos concarrenies.
As enfermaras e mais partes do aditicio seo
francas a freqnencia dos visitantes desde as 9 ho-
ras da manhaa s 8 horas da noulo.
A decoracSo da casa, quer interna, qoer ex-
ternamente, preparada com esmerado gusta pela
respectiva comrotiso, provoca o desejo de ser
duvi la, que tudo era ao contrario detaes dizeres:' contemplad a pelo amantes do aceio e elegancia.
Assim, pois, de experar que o publico, smpre
dedicado a soiemnidades desta ordem, altlu.r a
esta fe>f.i de sua particular e nunca desment da
devoco.
Secretaria do Hospital Pnrtuguez de Beneficen-
cia, 15 de setembro do 1870.
O secretaria,
Alfredo fordozo Per eir.
Monte Pi Portuguez
A directora provisoria do Monta Pi Portuguez,
em sua mu alta sapiencia e por um rasgo da mais
elevada magntnde, houve por bem de, em um s
jorro de eloquencta e no Diario de houlem, dar de
ferimeaio a todas as peticos, antigs e modernas
3ne por este mesmo Diario lhe haviam sido dirig-
as.
Para obras de tao elevado mrito, nao ha analyse
ou critica possivel; ellas formam por si s, a
gloria de quem as redice e subscreve.
Dominados anda pelo arroubamenl que nos
causn tao importante deferimento, nao podemos
resistir ao desejo de, do alto da imprensa. vr tri-
butar a Ilustre directora, o nosso sincero reeo-
nbecimeato por, tao a proposito, nos ter prodigali-
sado urna fresta de iuc, pelo qual lobrigamos o
futuro eagrandecimento da sociedado Monte Po
Portuguec
0 nosso maor empenho pois, ser para que a
Ilustre directora provisoria obtenha"as prximas
eJeiges, a perpetuidade dos cargos, visto que, de
entre' a seciedade, ella a mais habilitada e que
mais se compenetra dos seus deveres, tendo anda
a sublime virtude de, apesar de fatigada, nao se
lisongear dos incontestaveis servicos presta-
dos a 60ciedade, depois da sua installacao.
Pedimos, portento, aos outros peticionarios e &
todos os associados, que nos coadjuvem em tao
louvavel empenho.
Recie, 16 de setembro de 1870.
AIumus socios installadore.
O Monte-Po Pwrtu-
Eez
Pi Portuguez conbece
perfeitawente as cazos, que a de vem determinar
a proceder eleieao de oulra que tem do a sobs-
(ituir.
Os motivos por qne anda nio pide faze-lo se-
rio manifestados m assembia eral, que deve ter
lugar no dia 9 de outabre .prximo, {ara o que
precederlo os competentes avisos, e nesea sotenme
occasio ( em que oxal comprela a seciedade
inteira, oua grande maioria dos socios) seu pro-
ced ment ser (Heridamente aquilatado.
Com estes poueas linbas tem apenas em viste a
directora certificar os associados de que nao ba,
como nio poda haver, o mnimo proposito de ad-
diar indefinidamente a convocado oa assembla
geral para proceder eleicSo da nova directora,
Sue, talvez meios fatigada e provavelmopte mais
adicada e mais feliz, conseguir aem dovida al-
guma, elevar a sociedade ao mais prospero estado,
o que a dual nao se lisoogeia de haver conse-
guido.
Recife, U de setembro de 1*70.
Jos da Silva Loyo,
Presidente.
Joaqum Gerardo Bastos,
Secretario.
e o Sr. provedor, nao podeado i por isto manter a
dscussa* nos termos em que a ievantou em seu
f'.vorio deseamba fara ;> rainudencias, reduz
U't questao de pesos e meo i das, a economas
Hif >n ftediam ter foit, erros de sommas, je-
;.> d* jiitlavas, e em guardar a lealdade da ex-
lUrtaja-l
i: uw a Iversario ora qnem -se nao pode dis-
eattCl Cola a ta argnaienlacao-resenle-se de
um fe. r, de venenoso -siinuiacao. i
CiiiwJwse, o Sr.frovedor nao tratou em seu
ret.iio-ia dis meveis, e preoravos para a instal-1
>lkqi e & il\r. tomou agora si o encarga de disentir
te asaubjpto, para mostrar que oeste parte se
poda ler feito economas, e consegu'mtemente
lie na i aventurou iaxactido, quando disse que
ii' Aislo ni hava aaecesearia economa.
Or, djscula-se ODi quem assm desvia as ques-
te< !
Faz se grande avallo de batalha de cortos mo-
vis o/ieoram coiuiiraitos para a casa da direc-
tora, movis que naa foram comprades por mira.
Hi parecem naa esquinharia estes pretendi-
das economas de meveis.
A case da directora de boa edikacao, vasta
e de mnites accemmodaoes. Ao cargo de direc-
tor den-se cathegoria e importancia, e _n5o era
muito que os movis estivessem em relacao a ca-
an, tundo e em attenco a poaico do empregado.
Isto que se fez no Aeylo nao urna nevidade,
i que se faz com todos as funecionarios que teem
asa ffieial de residencia.
Acerca das despetas (sitas com a instaUaeao da-
qadle estabelecimento, tambera nao vejo motivo
para estranheza, e s o desejo de criticar e fazer
.arguicoes levouo Sr. provedor a tratar deste as-
sumpto.
O Asylo de Meadicidade, um estabelecimento
novo no imperio, de grande utilidade e destinado a
lar um futuro importante ; quie-se por este ra-
zio fazer-se-lh- urna iastellago solemne. Ae des-
pezas para este lira Qzeramse como pareceu mais
conveniente para abrillantar o acto. A este assis-
tio o Sr. provedor da Santa Casa e o Sr. presiden-
te da provincia : nem um nem outro fez 6b-
servaco alguoia acerca do qne vio e do que
se fez,' e s hoje emenda o mesmo Sr. proseior
que deve criticar !
S hoje'S. Esc. falla na illuminaeao que se fez,
as alcatifas e cortinados da sala, as msicas,
*tc., etc.!
O A; vio, no dia de sua installacao estove franco
a visitas, e pariste a lumiaaeao tornou-se ne-
essana.
A deeoracio decente da sala, em que devera ser
eita a recepco offlcial. nao roe pareceu fra de
proposito. E de mais foi despeza por urna s vez.
A lonca qne se cemprou, era era grande parte
-eecessana para o qaodos.e.npregados, e o que de
mais lino consta da conte publicada, comprou-se
para o servido do atmoco que se deu, ao qual o
Sr. provedor assistio, embora nao se servisee de
eousa alffnma.
a mesma casa esn qae comprei a loo?a preci-
sa, tomei emprestado diverios objectos nao so para
i almo^o, cono para ea/eite e decorado da casa,
os que i estragaram e quebraran no sarvico,
r. na ida e vaUa, nao podiam deixar de entrar na
contae serem pagos.
juanto aos crystae?. labe-te que aqu censa
rara, de alto preeo; ao i^te se chama geral-
menta rystal nao pastado vidr:> mais eumenos
ioo.
Perianto, qual quer comroentario neste sentido,,
s se pode tomar sobo jogo de espirito.
O Sr. provedor sem perder o sen babito.de to-
sinua^Oes maliciosas, diz que foi informado de
<|iw as deapezaa da inatallagao do Asylo eheganup
a 1:217*000. Nio sei em que parto foi S. Exe. be-
ber esta informaeao, deveude aceitar tomo certa
nica verdadeira- a qna existe as comas qne
> acham na Sarta Casa.
Fot tambero maliciosamente que o Sr. provedor,
-tintando de despezaa da installacio do Asylo, faz
mengao de.dws varbat, urna de 76^000 e oulra
<20), que dizera xaspeilo a desperas diversas
des!;
Km lutra occasio, e a proposito tratarei destas.
patas, aaodo patento a malicia com qne
Sr. provedor,
je Ikon estas linhas.
Itoeilr, 15 de atembra de 1870.
P. Barrito de hilo Reg.
Parante a cmara municipal deste cidade
estar de novo pela terceira vex em praca no?
16, 17, 19, 20 o rente para ser arremata-
do por quem maior proco offeiecer o imposto de
afericao de pesos e medidas pela quantia de
22:800$.
A arrematado ser feita por um anno : aquel-
es que pretanderem coacorrer ella, de vem ha-
bilitarle na forma da lei e apreseotarem dous
das antes as suas habilitabas para serem jc.l-
gadat.
As eondices do contrato serio dedaraaa an-
tes de entrar a praca.
Paco da cmara municipal do Recife, 14 de
setembro de 1870.
Ignacio loaquim de Sonta Lee.
Pro-presidente.
Lonrenoo Bezerra Garneiro i Canha
Soaratario.
iccao
Perante a cmara mmicipal desta cidade
estar em praca nos das ti, 17, 19, 20 e 21 do
corrale para ser arrematado por quem maior
preco otterecer o Impasto de 60 rs. por cada p de
coqueiro que j d (rudo, exceptuados dez pe
para o uso d3 proprietario pela quantia anaual de
308J960.
A arremataco sera feita por tres annos; aquel-
las que pretanderem ooneorrfer a ella, devem ha-
bilitar-se na frma da lei. .
Pago da cmara municipal do Recife 14 de se-
tembro de 1870.
Ignacio Joaqnim de Sonta Leao,
Pro^presidente.
Looreoco Bezerra Cameiro da Cnnha,
Secretario.
COMMERUO.
PRAGA DO RKCIFE 18 DESETF.MB1IO
DK1870. i
AS 3 1/2 HORAS Di TtlDl.
Cambio sobre Londres 9HI/t 20 lii d. por
UOOO (hontera).
GoncaL'o Josa Anonso,
Presidente.
P. J. Pinto,
Pelo socretarie,
ENGLISH BANK
Of Rio de Janeiro Limited
DescoaU lettras ia pra?a taxa a con
vencionar.
Recebe dinheiro em conta corrento hii
I raso fixo.
Saca vista oa a praso sobte as cidadat
arincipaes da Europa, tem correspondentei
a Bahia, Baenos-Ayres, Montevideo, New-
j New-Orleans, e emitte cartas de crdito
para os meamos lugares.
RA DO GOMMERQO N. 36-
Xovo bance de lrernambueo en
liqudalo. *e de agosto de
i 8 JO.
Os Sr. accionistas podem rceber o 7o
dividendo de um por cento do capal s
quartas feiras e sabbados.
ALFAITOBGA. .
.tanamentod dem do dia 15. .... 2V.4&U726
"463:45C)o
MOVTMENTO DA ALFAIfDEGA
'oiemes entrados edm farendas
Idam dem com gneros
/olorses sabidos eom fazendaa
dem dem cora gneros
paasa-M emumd titoeou de
SEGUNDA PAP^s, .
0 grande bymho franeei
cantado por toda a c'ppnla ^^ saa ^^
to o J
EP,4'ANDARTE FRANCEZ.
TERC8HVA-PARTB.
O s.otor draaauffo Fltvlano Goeiho representar
PeU primoira vea nest cmica parodia Oit*{*> no Mar
Cerrae^o no Bola*
oscripai felo ranito distincto acadmico o Ulm. Sr.
Celso lavMagalhaes e offerecida ao sen distincto
ceilega o Mira. Sr. Joao Baptista Gnlmaraes.
Era soguida o mesme antor representara pela
segunda vez a muitissima applandida scena c-
mica
O MATTO APARVALHADO.
QARTA PARTE.
Os mnilo aplaudidos artistas franeezes cantarao
o seguinte:
Mlle. Martetti ___
LES TROU DE LA MARMITE.
Mr. Carn
AH MALHEUR
(cntAcIo).
Mlle. Choblerl
GRAXD AIR DE GALATHEA.
Mrs. Carn e Raynxud o muito e muito desejade
dueto
LES DEUX CHANTERS SANS PLACE.
Principiar s 8 horas.
0 Dr. Manoel Antonia dos Pasaos e Silva Jnior.
juiz municipal e de orphaos, 1 sopplente em
exercigio do termo de 01 inda, por S. M. I. e C
o Sr. D. Pedro II. quem Dens guarde, etc.
Paco saber aos qu o presente editil virem, e
delle noticia tiverem. que dentro de 30 das recebe
este juiza propostas em cartas fechadas para a ar
ramatacao por venda, quem mais otterecer, do
escrvo Manoel, com 5 annos de idade pouco mais
eu menos, de cor cabra, avahado por 20OJ00O, o
qual tem de ser arrematado requerimento da
inventarame dos bens do finado tenente Joao Joa-
qun) Lopes de Almelda, para pagamento dos ere-
dores deste ; sendo qna ser dita arrematadlo ef-
fectuada de cooformidade com o que determina o
art. do decreto n. 1,695 de 15 de setembro de
1869.
E para que chegue ao conhecimento de todos,
mandei passar o presente, que ser aflixado no lu-
gar do costume, e publicado pela imprensa.
Dado e i passado nesta cidade de Olinda, aos 10
de setembro de 1870.
En Joaqnim Hertnillo Candido das Chagas, es-
crivo dos orphaos interino, o snbscrevi.
Manoel Antonio des Passoe e Silva Jnior.
Ao sallo 300 rs. Valia sem sello ex causa.
Passos Jnior.
Estova urna estampilha de 200 rs. inutilisada
na forma da lei.
Olinda, 10 de setembro de 1870.O ocrivao de
orphaos interino, Joaqnim Hermillo Candido das
Chagas.
48
47
342
567
-,- 909
Descarregira ho|el6 4e setembro
Brigue norte-allemoMiranda- mercadoria?.
Barca francezaFinarartereadoTtes.
Patacho americanoCaroI Patacho inglez- -River Qaendem.
Brigue norteallemSoJohn Jnlmiem.
Brigue norte-allemaoHercules farinha de trigo.
Despachos de exportafSo no dia 14 d
setembro
Na barca ingleza Mimosa, para Liverpool,
carregaram : James Ryder i C, 22 saccas com
3,996 kilos de algodo.
Na barca hespanhola Christina, para o Rio
da Prata, carregaram : Amorim Irmos fi C, 700
barricas com 72,402 kilos de assucar branco.
HECEBEDORIA DE RENDAS INTERNAS GB
RAES DE PERNAMBCO.
endiraonto n^ dia 1 a 14. 22:7104097
dem do dia 15........ 2:691*676
25:401*773
CONSULADO PROV1NCAL
Rendimento dn dia 1 a 14.
dem do dia 13. .
58:804*408
522*321
59:326*729
MOVIMIENTO DO PORTO.
Navios entrados no da 15.
Rio de Janeiro10 dias, barca po'rtugaeza Grati-
doo.de 358 toneladas, capitio A. P. Borges, eqni-
pagero 12, carga farinha de mandioca e ontros
gneros ; a Euzebio Raphael Rabello & C.
Ass17 dias, palhabote brasileiro Amoio, de 313
toneladas, capto Luiz da Costa Amaro, equipa-
gem 13, carga sal ; ao bario do Livramento.
Cbristiansondie51 dias, brigue norueguense Ta-
lismonen, de 221 toneladas, capitao I. Augusto
Pelyott, equinagero %\ carga 2130 caixas com
bacalho : a Tasso Irmao i C.
Navin taidos no mesmo dio.
Granja e partos intermediosvapor brasileiro Ipo-
juca, commandante Moura, carga dWferentes g-
neros.
Aracaj o portas intermedios vapor brasileiro Ja -
guante, commandante Guilberme, carga dife-
rentes gneros.
Liverpool barca ingleza Frank Wtlson, oapitao
Dowell, targa algodae.
DEGLARAGOES.
De ordem do Ulm. Sr. conselheiro inspector
da thesouraria de fazenda desta provincia se faje
puBllco que no dia 8 de outubro prximo vindoul-
ro, as 2 horas da tarde, perante a jonte da mesroii
ihesoilrara se deverao a-rematar por quem raaioj-
res qoantias offerecer, 9 casas, l barraco, l le|-
Ihetro sobre a 2 oitiies de lijlo em alicoree, 1 relogio de s I
nbjectos de mobilia pertencentes extracte col
nia militar dePimenteira.
Os prcte'ndentes deverao dirigir suas propostai<
em cartas fechadas ao mesmo ntm. Sr. conselheiro
inspectur at o meio dia do referido dia 8 de outu
bro, ou ao collector do Bonito at o dia 4 do mes
mo mez. Nesta secretaria ou na coectoria Be
mostrar a quem desejar ver o inventario desse
bens.
Secretaria da thesouraria d fazenda de Pernam
buco 3 de setembro de 1870.
Servindo de offlcial-maior,
Minoel Jos Pinto.
No dia 19 do corrento ser arrematada queni
mais dr era praca publica ao IIIm. Sr. Dr. juiz d
orphaos, depiis da audiencia do mesmo Sr., a
casa terrean. 14 da ra das barrocas na fregu
zia de S. Jos, avallada por 15:000*000 no inven
torio dos bens do tinado Antonio Francisco de Car
valho, a qual vai a praca a requerimento da viuva
inventariante do mesmo fina lo. Quem pretendei
pode ver e examinar dita easa, e compare :er
arramatacao, cujo escripto se acha em poder do
porteiro dos auditorios.
Consulado pmincial.
Pelo consolada provincial avsa-se aos difieren-
es contribnintes du renda provincial no anno fin
do de 1869-70, que com o presente mez se enoer-
ra o recebimento por esta repartilo das respec-
tivas quotes, passando dahi por diante a ser a
raesmo effeetoado judicialmente.
Consulado prjvineal Io de setembro de 1870.
O administrador,
Antonio Carneiro Machado Rios.
COMPANHiX
EDITAES.
fcN. 44.-A PRAfiA UNVERSAL-Emtedas*
regioes, a entre as pessoas de lodae ae ooeoaanoes
e profisadoa, provalecea as enfermidades palmo
nares.
Portante, o grande e admiravol remedio ontra
ellas e que prodMZ a sua eompleta anmqnilacao
peitoral de anacahuite, o qual as deve perseguir,J
e em seu devido lempo as perseguir indefeeuvel-
mente al aos mais remotos eonfins do mudo.
O soldado nos acampamentos, o mineiro as
minas de euro, o colemno as fronteiras, o lavra-
dor, o via|ante por mar e por torra, e especial-
mente t das as pessoas su jeitos padeeerem de
toase, constipaedea, rosfriaraentos, calharros, bron-
ohites, asibma a outras affaeces nao menos aflic-
tivas, da garganta e dos orgiosda resplraoo, e
que tao fcilmente se deienvolvero e propagam-s ,
nos lugares hmidos, inclemencia da atmospne-
ra; acharad eom a mais rata satisfaco no pete-
() Por ter sahido com erros hnpoTtantes, de
novo feita esta publicacae.
Frtnerco de Gartalho Soares Brando,
joiz de orpuos e ausenies nesta cidade
do Recife e seo termo por S. M. o I. qne
Dos guarde A.
Fac6 saber aos que t> pregerJte etlita! ti-
rem, qne, f.izendo parte da beranca, que
se arrecada neste juizo aar faMecrmento d
Carlota Marta de Oliveira Salgado a-
metade do talw da padaria da-roa -do Ro-
sario estreita n. 13, onde Ha tioba oci
dade com Bernardro Goasalves Salgado,
perteneeodo-lhe pela Ikroidaco o bem-
feitofas, e ntencirios 2: 439^000, no valor
dos escravos 1: OiOQOO, e em dividas
o : O00O0O, m terceira prac^i deste jaizo,
qne deve sacceder no dn ti do eorrente
mez finda a audiencia ge procederi a ar-
remataf3o por venda dos bens cima men-
cionados, devendo os que pretenderen! os
escravos a apresentarem as anas propos-
tas em cartas fechadas at acroelle dia,
em que serSo abertas prefenndo-se as
qne tiverem -maior Serla sobre o valor
d'ehVs. E para goe ebegrje ao coafaeei-
mento de ttwos se passon o presente qne]
Os Srs, accionistas desta companhia^que
quizerem munir-se. d^jlhetos conteodo os
trabalbos da mesma ; decorridos no anno
flaanceiro do 4 de mato de 1869 30 de
abril do correnre anoo, podem dirigtr-se ao
escriptorio da referida companhia ra do
Cabuga n. 1G, que Ibes serSo forneddos.
Escriptorio da companhia do Beberibe
de setembro de 1870.
0 secretario,
.. Dr.J'raxedes G. de Stmza Pitonga.
(lorreio geral.
RelaoSo das cartas registradas, procedentes
o sul e norte do imperio, existentes na
reparticao do correio em 13 de setem-
bro de 870.
Antonio Jos de Araujo Braga, Antonio Joaqnim
Ferreira Monteir, Alfredo Excelso de Oliveira,
Bernardo Gomes de Abren, Eduardo da Coste Oli-
vaira, Francisco Moniz fla Silva Ferraz, Francisco
A. de Souza Araujo, Gollherme Dowsleys, Jacin-
tho Soares do Manezas, Jovino Fernandos da Crnz,
Jos Carneh-e da Rocha, Joao Luiz Cavaljanti de
Albuqnerque, Lniz Jos da Coste e Silva, Luiz Jos
Pragbae, Manoel Gomes de Mello, Marcomiro Pan-
erado P. dos Santos.
O encarregado do registro,
Manoel dos Passos Miranda.
! ii i
ser publicado tres vezes pela imprensa e
ifitedo no legar do costume. Dado e pas-
aado nesta cidade o Recife de Pernambu-
m t de fttembro de i$fO. En Cal-
Amo Temistocl Cbral de Vasconcelos o
#BOiW.Frmw de Cortalho Stares
Brandao,
Rrcltat extraerdfnaria
COMPWHU-FRAMCEZA.
ALTA NOVIDADE.
firande e variado especlacalo,
lrico e dramtico.
SaWbadoI7 do eorrente
DIVIDIBO EM QUATRO PARTES
PRHIERA PARTE.
tm NMei de fonetr
opereta cmica em 1 acto
Personaens. Actores.
*............... Mr. Maris.
W*"te.......... Wle-Brescla.
Petit Pierre........ Mlle. Mariette.
THEATRO
ESPERABA PERJiAlBllCAN*
(Caminho Novo)
*a b bar o lf le setembro
Depois qne a orchestra tiver executado urna
linda symphonia, principiar o espectculo do
modo seguinte:
1 aeto
A linda scena cmica intitulada
ANGLO BRASILEIRO
pelo artista Venancio da Silva
"aeto
PRIMEIRA PARTE.
Grande ejercicio no trapezio pelos artistas Vi-
cente do Reg, Santos, Jos Francisco e Costa.
SEGUNDA PARTE.
A linda scena jocosa intitulada
JOS' DOS GOLBTES
trabalho feito em pernas de pao pelos artistas Jos
Francisco e Cunha.
3aeto
PRIMEIRA PARTE.
Linda figuras de deslocacoes pelo joven per-
nambncano
VICBHTB 00 RF.CO.
SEGUNDA PARTE.
Lindos voltetas na corda bamba pelos artistas
Vicente do Reg, Cunha, Jos Francisco, Santos, e
Costa.
4o aeto
ULTIMA PARTE.
A burles-a palhagada pelos artistas Jos Fran-
cisco e Cunha. intitulada
OHOMEM EMBARRICABO.
O direetor e mais artistas que compoem a com-
panhia que vai fazer a soa estra neste pequeo
theatro recentemente installado pede ;ao respeita-
vei publico e especialmente s classes commercial
e acedemica a %ua codjuvacao, anlecipando desde
j o seu reconheiimento.
Precos:
Galera 2000
Cadeiras ^ 23000
Platea laooo
Os blhetes desde ji estao venda no pateo do
Paraso n. 18 andar, no dia do espectculo no
mesmo tiieatr".
Principiar s 8 horas.
CIRCO
-NO
PAViLHAO DES. ISABEL
Sabbado (17) haver funecao era benelicio da
sociedade Liberal Unlo Beneftcente. cojo program-
la ser publicado amanhaa.
MP.HIIIA BRASILEIRO
D
Paquetes a v^pon
fNveHns'4tf'anl. esperado
at o dia 22 do correte o vapor
mal depois da derao-
ra4k editme segni para os-
portes ddorte.
ja raeebetn-ae paeeegeiros e engaja-ea a
earga que o vapor poder eondnzir, a qual devera
ser ambareada no dude snachegada. Encommen-
4as dinheiro a (Tete at aa i horas do dia da ssa
sabida.
Nio se reeobem como encomrondas sead ob-
jectosde pequeo valor equenaoexcedam a dnai
arrobas de peso ou 8 palmos cbicos de raedtaao.
rudo que passar destas limites dever ser embar-
cado como carga.
Previne-se aos senhores passageiros que suae
passagens s se recebem na agencia, ra da Crn
n, 57 primeiro andar, escriptorio do Antonio Lniz
de llveira Azevedo 4 C.
PARA O RIO GRANDE DO SUL.
0 brigue Princeza sabir em poneos dias; para
o resto da carga trata-se om Pereira Vianna & C,
na ra do -Vigario n. II, sobrado.
BMSILE1RA
DE
C0MPAJE1A
Paquetes a vapor.
Dos portas donerte esperado
al o dia 20 do eorrente o vapor
'focanlint, commandinte J. M.
F. Franco, o qual depois da de-
mora do costume seguir para os portas do sul.
Desde J recebem-se passageiros a engaja-se a
carga que o vapor poder eondnzir, a quaj dever
ser embarcada no dia de sua chegada. Encommen-
das e dinheiro a frete at as duas horas do dia da
sua sahida.
Nao se recebem como encommendas senao co-
lectes de pequeo valor e que nao ezeedam a 2
arrobas de peso ou 8 palmos cbicos de awdi-
cao.
Tudo qne passar destas limites dever ser
ambareado como carga.
Previne-se aos Srs. passageiros que suas passa-
ens s se recebem na agencia ra da Cruz n. 57,
' andar, escriptorio de Antonio Luiz de Olraaira
Azevedo & C.
LEILOES.
DE FAZENDAS
PRFEITAS
A 16 do corrate
O agente Oliveira far leiliio por conta de diver-
sos, e para fechar contas, de bello sortimen de
fazendas, consistindo em variedade de ehitas e ris-
cadinhos, madapoloes, algoddes erus, Hamburgos,
brins, toalhas e guardanapos de linho, cambraias,
estopas e diversas outras, todas proprias do mer-
cado
AVISOS MARiTIW&S.
Rio de Janeiro
Pretende seguir para o referido porta com a
possivel brevidade o patacho Monteir per ter por
cao da carga engajada ; o para a que lhe faite e
escravos a frete, irate-se cora o-eonsigna'arlo Joa
quim Jos Goncalves Beltro a rna do Commerj
n. 17.
ASSU
Para o Ass segu nestss seis dias o hiate An-
tonio, e pode receber para o referido porto carga
a frete barato : qnem quizer aproveilar, dirija-so
ao consignatario Joaqnim Jos Goncalves Beltro,
ra do Commercio n. 17.
j.AAJLJLiJa\.e
Para o referido porto segne em poucos dias o
patacho Maciera por ter a maior parte da -carga
prompta ; e para a pouca que Ine falla trata-se
con o consignatario Joaqnim Jos Goncalves Bel
trao. ra do Commercio n. 17.
Para Lisboa.
0 brigue portnguez Adelaide seguir para Lis-
boa com brevidade, recebe carga e passageiros ero
coBdicoes mdicas: trate- e om Marques, Barros
& C., no largo do Corpo Santo n. 6, 2 andar, ou
cora o capitio Henrique dos Santos Pernandes.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
SR
XaTegaeo eosteira por rapor.
Porto de Calimbas, Rio Formoso e
Tarnaadar.
O -vapor Parahyba seguir
para os porto cima no da
20 do eorrente meia noite.
Recebe carga, encommen-
das, passageiros e dinheiro a
frete no escriptorio do Forte
de Mattos n. 12.
COMPANHIA PERNAMBUGANA
DE
Navegando eosteira por vapor,
Goyanna.
O vapor Parahyba seguir pa
ra o porto cima -no dia 46 do
correnta as 9 horas da non te.
Recebe, earga encommendas
passageiros e dinheiro a frete as
2 ^oT&TTla^ tarde no escriptorio do Forte dn
Mattos n. 1.
Preiende seguir para o referido porto em poneos
das o palnabota Rosita por ter a matar-parte da
carga, e para a pooca que lhe falta, trata-se com o
consignatario Joaqnim Jos Goncalves ReRrSo,
ruado Ootnmeroio n. 17. '
RIO DE JASEIBO
Para o porto cima segu com brevidade o bri-
gue nacional Isabel, tem parte do seu carregaraen-
ta engajado : para o reste que lhe falla trata-se
com os consignatarios Antonio Luiz de Oliveira
Azevedo A C, ra da Crm n. 57, lc andar.
Abarca Mara, chegda do "Rio de Janeiro, se-
le para o Maranbio em poucos dias eoiB a carga
.. je tiver, e por tsso quem naier aprowiter tao
boa occasio de carregar, dlrjia-ge olatoiata-
rio loaquim Jos Goncalves BeJtrao i roa do Com-
mercio D. J7.
s 10
em seu escriptorio
andar.
HOJE
lloras da manhaa,
rna da Cruz n. 53, primeiro
LEILAO
DE
diversos objectos de mobilia e loopa e- di-
versos objectos para, dentista, 1 relogio
de ooro (patente inglez) e eorrente, no
armazem da ra do Vigario n. 7.
SARBADO
17 do crreme.
O agente Pestaa, legalmente autorhado, far
lelao por conte e risco de quem pertencer, de di-
versos objectos do mobilia, louca, vidros, appare-
lho para jantar, dito para almoco, 1 relogio de euro
patente inglez e eorrente, 1 alnete de ouro eom
brilbantes, rica cama de Jacaranda, 1 dita de ama-
relio, e militas outros objectos qne se acharo pa-
tentes no acto do lelao, que tara lugar sabbado
17 do eorrente, pelas 11 horas da manhaa, na ra
do Vigario armazem n. 7.
DE
FAZENDAS
Negiiada-feira 1 de setembro
Linden Weydman 4 C. farad leiliio por inler-
vencao do agente Pinto, d'um completo e variado
sortimento de fazendas francezas, inglezas, snissas
e aliemes existentes em seu armazem, largo do
Corpo Santo n. 13, onde effectuar o lelao
as 10 horas em ponto
do dia cima dito.
DE
MOVIS
loupa e viros.
t'ma mobilia de Jacaranda a Lniz 15, eomposta
de 10 cadeiras de gnarnicao, 2 de brames, um so-
f, -2 consollos e 1 jardmeira eom podra, 1 mesa
Mastica, 1 santuario de Jacaranda, 1 par de ten-
cas de jaearand para jogo, I gnarda lonca, 1
guarda roupa de mogno, com porta de espelho,
1 dita de amaraMo, 1 mesa com estante, 1 cmoda
de amarello, 1 meia dita, 2 camas francezas do
amarello, diversas cadeiras de Jacaranda avnlsas,
1 mesa com estante, 3 pares de consollos de ama-
relio, 30 cadeiras em bom estado. 4 roarquezas, 3
ilesas redondas de amarello e jaracand, 5 mar-
quesas, 1 apparaiho para jantar, copas, cauces,
compoteiras, e mnitos ontros objectos qne estao
a vista des compradores
Ter?a-(eira 20 do eorrente.
Augusta Seixas far Jeilo por ordem de mea
pessoa que mudou de residencia dos objectos cima
mencionados, no armazem da rna do Imperador n.
16 s 5
11 horas do la
por intermedio do agente Pontual. ^_______
IBII
DO '
brigue inglez "SUty LaK;-
4 tio eorreote
David Evans, eapRao do brigne nglea ;gfentf
Lam, far-Wloem-omso totear intarveoflard
agenta Olfvelra; e f^^'9J^^JW%^T-
teneer, em pfesenca do-Sr. eonso Jfc^at-*nia-
nreanstecMide, preeelda a compteme autori-
saro da aHaodefa e com assiitenda 'do Um Sen
emw*eadofcva! dedito brigne com toda nnsirea-
cao;oordoa ha. fveHame^appareihos eomptetos e
mais pertences etlBrvattedte manttaioniee, o
lancha e bota segando o inventario respeetrvt, e
tal qual se aeha n*lado-nee-perta,-oiadO'-por-
tou porforca matar'Oom an*-WH,'e mente condemnado, na acmal viagem boa laaia
procedente de GardWf com destrao t Montevideo:
Quarta-feira 21
ao meio dia em ponto, entrada do-grand* aaiao
AVISOS
Aluga-se o 1- anor do sobrado n. 1 da ra
j Imperial: a tratar no andar terree.







B f
Diartb de
8e*U eii 16 d^ Setembro rk i87**
2
oMMronuu
Klhetes aremtidofi,
A roaPrimero de Marco (outr'ora ra do
Crespo) o; 23 e casas do tostn.
O aaaixo assignado, temi vendido alm do ou-
tas sorles, 2 qaartos n. 1401 com 5:000| da lo-
ten que se acaboa de extrahir a beneficio do
collefio dos orphos (153"), oottWa aot ponsui-
dorea virem receber na conformidad* o cos-
ame sen descont algam.
Aeham-se a venda os felizes bilheta garan
tido* da 4* parte das lotera, banoAeis da aova
igreja de Nossa Senhora da Penoa (166*), que
se extrabir sabbado 17 do eorrentei
PRBC08.
Ritoete muir *O00
Meio biltMte 3*000
Quarto 1*800
m porcao de 100*600 para cima.
Bilhete ioteire 6*460
Meio bilhete 2*700
Quarto 1*350
Manoel Martins Pin.
Associaqo Commereial Benefi-
cente.
Nao se tendo reunid boje, 13 de setembro, o
numero legal de associados exigido pelo art. 20
do estatutos, de novo convocada extraordinaria-
mente a assembla geral para sexta-eira 16 do
corrente, ao meio da, eonsiderande-se legalmente
caaatituida raeia hera.depoi coa o numero de
socios que se apreseatar, seguado .preceiluado
o* segunda parle do referido arL 96 dos estatutos.
Soereuria da Associacao Commereial Beneflcen-
v 13 de setembro de 1870.
Joaqun Gerardo de Bastos.
Secretario.__________
i Atuga-se para passar a festa a casa n l da ra
do logo da Bolla, com 4 quartos, 2 sala*, 1 gabi-
nete, cozinha e grande quintal : quem a pretender
dirija ?e roa do Duqme de Caxias n. 41, segua-
do andar.
^Ote
Em tompos modernos nenhum descubr-
ment operou raaior revoluco no modo de
curar anteriormente em voga do que o
niTOIVL DE ANACAHlilTA
TANTO NO TRATAMENTO DA
TOSE, CHOPO,
ASTHMA, THISICA,
BOt'QUmO, RESFRIAMENTOS.
BRONCH1TES,
TOSSE CONVULSA,
DORES DE PEITO,
EXPICTUBACO DE SANCHE.
Como em toda a grande serie de enfermi-
dades da gafiganta, do peito e dos orgaos
da respiracAo, que tanto atormentara e fa-
zemsofrer'a humanidade. A maneira an-
tiga de curar consista geralmente na appli-
cacab de vesicatorios, sangrias,sarjar ou ap-
plicar exteriormente ungentos fortissimos
compostos de substancias vesicantes, alm
de produzir empalias; cujos differentes mo-
dos de curar, nao faziam sead enfraque-
cer e diminuir as forjas do pobre doente,
contribuindo por esta forma d'uma maneira
niais fcil e certa para a enfermidade a des
truiejo inevitavel de sua victima Quem dif-
ireme pois e effeito admiravel do
PEITORAL DE ANACAHlTA !
VM E F.Z DE IRRITAR, MORTIFICAR E CAL'ZAB
INAUDITOS SOFFRIMENTOS AO DOENTE,
CALMA, MODIFICA E SUAVIZA ADOR.
ALLIVIA A IRRITACO
DESEMVOLVE 8 EXTENDIMENTO,
FORTIFICA O CORPO
e faz com que o systema
Desaloje d'uma maneira prompta e rpida
at o ukimo vestigio da enfermidade. Os
memores votos em medicina da Europa (os
Lentes dos Collegios de Medicina de Berlim)
testiicam serem exactas e verdadeiras estas
relaces analgicas, ou alm disso^a experi-
encia de milhares de pessoas da America
Hespanhola, as quaes foram curadas com
este maravilhoso remedio, sao mais que
suficientes para sustentarem a opinio do
PEITORAL DE ANACAHUITA!
Deve-se notar que este remedio se acha
inteiramente izento de venenos, tanto mine-
raes. como vegetaes, em quanto que porm,
alguns d'estes ltimos, e particularmente
aquelles que sao dados sob a forma de Opio
e Acido Hydrocianico, formam a base da
maior parte dosXaropes, cornos quaes to
fcilmente se engaa a credulidade do pu-
bliGo. A Composicao de Anacabuita Peito-
a acha-se linda e curiosamente engarrafadas
m frascos da medida de cerca de meios
quarlho cada um, e como a dose que se to-
ma s d'uma colher pequea: basta ge-
ralmente a applicacab d'um ou dous frascos
para aeffectuaco de qualquer cura.
Acha-se venda nos estabelecimentos de
P. Maurer & C, i. C Bravo & C. A.
Caora, B. M. Barboza e Bartholomeo & C.
\^cen!eTTnio^a^3osta(Smpello, tendo de
mandar celebrar, as 7 horas da nianhpa do dia 17
do corrente, aniversario do passamento de sua
cara mi, algumas missas por sua alma, na igreja
de Santa Toereza, ordem terceira do Garmo, pelo
presente o comrauntca aos seus prenles e convi-
da aosseus amigos, que poderem e quizerero as-
sistir esse acto de caridade.
Recite, 15 de setembro de 1S70.
Mognpifii inperiah
GALERA DE PIXTIR.4
VE
J. Ferretra Filela
Desde o da 7 de abril panado acha-se aberto o
aovo estabelecimento photographico sito roa do
Cabng n. 18, etquina do pateo da matriz. Ostraba-
Ihos qne desde entao, tem sahido de nossa offleina
lem geralmente agradado, sendo reeebidos por
alguna com admiracJo pelo extraordinario pro-
gresan que ltimamente lem tido a pbo* grapbi,
e por oatros com alegra, por verem a provineh
dotada com nm estabelecimento digno d ella, e in-
sontestavelmente o primeiro que Desee genero
boje possne : tambem nao nos poupamos em cousa
ajguma para monta-lo no p em que se acha, ea-
perando que o poWie de Pertambuce gabera
apreciar nossos esforcos e recompensar nossos sa-
crificios.
Convidamos a todas aquellas pessoas, nacionaes
e estrangeira qge costara das artes, ou tiverem
oecessidade de traaho da photographa a visi-
tarem o nosso estabelecimento, que estara sempre
aberto e sua diapogicao todos os diae desde as 7
aoras da manhaa al as 6 da urde.
Par os tratadme de photograpbJa possaimo -ip
versas machinas dosmelhores autores francezes,
ioglezes e allroeroaes, como sejam : Lerebours et
Secretan, Hermagia, Tbomai Ross, Voigtlander et
3onh eWulf. ltimamente recebemos tres novas
machinasi sendo urna dallas propria para tomar
bre o mesmo vidro 4 ou 8 Imagens diversas e
iaolada, e outra de 6 a 12 iinagens diversa e
igualmente soladas, de orle que no caso de
grande concurrencia poderemos retratar sobre
umr. nica chapa at 8 pessoas diversas e sola-
das para cartdss de vuila, e aasira em mena de
am quarto de bora despacbarmos 8 difterenies
pessoas que pecam cada urna, umaduzia de candes
mais ou menos, com os seas retratos somonte, on
sm grupo com outras.
Encarregamos-nos exclusivamente da direcelo
s feitura dos trabalhos de pbotograpbia dei-
lando a pericia e talentos do distinelo pintor
illomao, o Sr.
Jorge A. Roth
os trabalhos de pintura, a aquarela, a olee, e a
pastel.
O Sr. Roth acha-se ligado a nossa empresa por
ama escriptura publica, e at o presente tera-se
lesvellado na execucao de sens trabalhos.
No nessoestabelecimento aeham-se exposlos ou-
iros trabalhos imiiortantes do Sr. Roth, tanto em
miniaturas aquarella como oleo, re ratos
oleo, quadros sacros e diversos outros trabalhos.
Tomamos encommendas de retratos oleo at o
tamnho natural, assira como de quadros sacros
Eara ornamentacao de igrejas ou capellas. Tam-
em aceitamos encommendas de quadros histri-
cos.
Asseguramos que os precos dos diversos tra-
balhos da nossa casa sao mm rasoaveis.
CARTOES DE VISITA NAO COLORIDOS A 10)500 A
DZIA
CART5ES DE VISITA COM O COLOBDO AO NATU-
RAL 16)5000 A DUZIA
Retrates em miniatura oleo ou aquarella de
16 iOOOO cada um, indo convenientemente en-
jaixilhado em moldura donrada e regulando o
busto da pessoa retratada de 3 4 pollegadas e
lodo o quadro palmo e meio de tamanbo.
Julgamos que bastarlo os precos cima para
darmos idea da barat'esa dos trabalhos do nosso
jstablecimento, quanto sua perfeicao cada um
renha julgar por seus proprios olhos.
As melhores horas para se tirarem retratos_ no
nosso estabelecimento sao das 8 horas da manbaa
} da tarde; entretanto de urna hora s S da tarde
sm casos especiaes pde-se tambem retratar qual-
quer pessoa.
Nos das de chuva, ou por tempo sombro po-
demos retratar, e asseguramos que esses dias sao
os mais favoraveis aos trabalhos de photographia
pela docura e persistencia da luz, e per termos o
nosso terraco construido com taes proporces e
melhoramentns, que ainda chovendo jorros ne-
nhum Inconveniente ha para fazer-se bellos re-
tratos. ,
J. F'rreira Vtlltla
Pillas assnfaradas de Bristol.
ITAO CONTEM NEM CALOMELANOS NEM WBNHDir
ODTUfrlIIWtRAL.
A grande hecessidade e falta d um ca-
trtico ou de ana medicina purgativa, ba
auito que tem sido sentidty Unto pelo po-
vo, como mesmo. por mel da faculdade
medica; e por isso, infinito o gosto e
prazer qo senlimo, em pdennos com
toda a confian?a e segarrade, reeommendaT
as pilulas vegetaes assucaradas de Bristol,
como urna excellente medicina purgativa, a
qual encerra era si tedas as partes e mais
ingredientes essenciaes, tornasdo-se era um
perfeito, seguro e agradavel cabartico de
familia. Este remedie nao cmaoste
dessas drogas ordinariamente usadas na
composicao dessas pululas, que por abi se
vendem, mas son, sao preparadas com as
mais finas e superiores quaiidades de raizes
medicinaos, hervas e plantas, depois de se
haver chimicamente extrahido e separado.,
os principios ^activos, ou aquellas partes
que contem o verdadeiro valor medicinal,
daquellas porcSes fibrosas inertes e agres-
tes inteiramente destituidas da menor virtu-
de. Entre esses agentes 'activos ou ingre-
dientes especficos, podemos noraear a po-
dophgtiin, a qual segundo a experiencia
mm demonstrado, possue um poder o mais
"jaravilhoso possivel sobre as regies do
pgado, assira como sobre todas as secre-
fes biliosas. Isto de combinafo com o
leptcuidn, e mais alguns extractos vege-
taes e drogas altamente valiosas, consti-
tuem e formam ama pilula purgativa, tor-
nande-se por isso muitissimo superior,
qualquer urna outra medicina da mesma
natureza, que jamis fora apresentado ao
publico. As pulas vegetaes assucaradas
de Bristol, adiar-se-ho sempre um reme-
dio prompto, seguro e eminentemente effi-
caz, para a cura de molestias, taes como
sejam as seguintes.
Hydropesia dosmem-
bros ou do corpo,
Affecces do ligado,
Ictericia,
Hemorrodias,
Mau hlito, e irregu-
laridades do sexo
femenino,
Dores de cabeca.
Irmandade
de Nossa Senhora do Rosario do Cor-
po Santo.
Sao convidados todos os irmaos da respeitavel
irmandade se reuoirem domingo 18 do corrente,
no consistorio da mesma irmandade, aflm de se
proceder a eleicao que tem de r'eger no futuro
anno.
O esenvao,
Jos Anlonio Fernandes F.
Dspepsia, ou indi-
ge sto,
dAstringencia, ou..
prisao do ventre
habitual,
Azia do estomago e
flatulencia,
Perda do apetite,
Edtomago sujo,
gran
Ule, c
Este xaropa
soccorro contra
epgorfiimeri
O vinho iodado de joly, e' t ibd*?d# de
Personne, s3o recommendidos pata o nmtel
tnos casos, e encontram-se nesta pb
da.
PHArLM.\raroTRArRA
DOR'N. 38.
Variado sortimente-de chocolate de bao-,
nilha, salepo-araruta, ferro, e de tai**, da
acreditada officina dHenir.
Sabonetes d'alcatrao, d'acido phenicf> 6B"
xofre e camphora rfcommendados para as
.molestias de peK como sarna, panos, em-
pingens etc., sendo o ultimo de muita otili-
dade para o uzo dcteilette, por preservar
a pelle de ser manchada das maculas, que
costumam accomeltel-a
VMmWN WfUKm
ERfiElfHQRO
mm BMM 52
Pojando o ehafwkt.
Chm* 3 ittiOfSo dos Sfs. de engenho ptri.sens acreditados machinismos
com especlalida* jmw aeos vapores qne ainda umvez tem melhorado.
Os vpares fornecido por elle e j funcfi}ffando Ibe bao de fazer melbor apre-
ciacab do que quiJijaer ditopreprio.
Deseja tanbenuneBcionarquetan eHo urna reducfloem seas preeos; e q0
tem prompto toda a espacie de machiommee outros objectos para a agricultura.

PHARMACIA CENTRAL RA DO IMPERA-
DOR N. 38.
Os melhores vermfugos para eriancas,
Pastilbas de sancteaina.
Ditas de lernp.
Otee Teh*fug.
Todo de melbor qoalklade.
PIARff a CENTRAL RA DO IMPERA^
DOR N. 38.
Variadsimo sortimento de rondes de
excefieatefualidade.
FARMACIA im\l
Ra do Imiperadr n. 39.
Laraploughs Pjretic Satine.
A prepararon of ell known ntelitv to the En-
glisb Facnlry. as a cooling and refresmne beveMge
m all cases of fever. The freqne&t use\f is sa
line preserves oreigners from many dise3es-to
which tliey are hable before becomran acclina-
tised. May be obtained at tbe PSarmaeea Central,
jua do Imperador n. 38.
PHARMACIA CENTRAL^
N. 3L-
Pastilhas de balsamo de tel e de seiva
de pinho maritimo, para as aSectes chro-
nicas dos pulmes.
Pastilhas de therydocio e lour eerejo
para as tosses agudas, e de carcter nervo-
so, e para os vmitos durante o periodo da
gravidez, e qualquer ifeecao nervosa.
Pastilhas de bypophogpheto de cal moi
otis na thysica pulmonar.
Pastilhas de angico naf, e de Regeault,
de hortela, pimenta, e de Viceley, de pe-
cacuanha e de Rermes.
Em todas "as molestias que derivam i
sua origem da massa do sangue: a salsa
parrilha de Bristol esse melbor de todof
os purificadores deve ser tomado conjun
tmente com as pilulas, pois que estas
suas medicinas, tendo sido expressamente
preparadas para ebrarem de harmona urna
com a outra, quando fielmente assim se faz,
nao nos resta a menor duvida em dizer,
que no maior numero dos casos, podemos
alfiancar nao s um grande alivio, como
tambem urna cura prompt e radical, isto
est bem visto, quando o doente n3o se
ache n'um estado muito alm dos recursos
humanos.
ADVOGACIA.
O DR. JOAQUIM CORREA DE ARAUJO
tem o seu escriptorio ra do Imperador
n. 67, onde pode ser procurado das 9 ho-
ras da manhaa s 3 da tarde.
Ama
Precisase de urna ama para engommar : na ra
Direita n. 26,1 andar,
Santuario.
Troca-se um santuario novo com bellas ima-
gens : na roa da Penha n. 8.
Antonio Francisco dos Santos agradece cordial-
mente a todas as pessoas que se dignaran) assistir
as exequias e conduiiram ao comiterio publico os
restos mortaes de sua mui prezada muiher Leo-
cadia Leopoldina Garcia Santos; e de nevo roga-
ihes o caridoso obsequio de aslstirem algumas
missas, qne manda celebrar na igreja do Divino
Espirito Santo, as 6 horas da manhaa'do aia 17 do
corrente, stimo dia do seu aliecimento ; pelo que
se coofessa desde j eternamente irrato.
PHARMACIA CENTRAL RA DO IMPERA-
DOR N. 38.
Cha purgativo de Chambard, excellente
laxativo, e refigerante, que se pode usar
repetidas vez^s sem irritar os intestinos.
x! rope "hypnotico de'chloral.
Ochloral um agente tberapeutico recen-
temenle experimentado, mas cujos benefi-
cios vo sendo largamente aproveitados pe-
los praticos em quasi todas as affecces ner-
vosas, calmante e somnfero poderoso, elle
sempre empregado com vantagem nos
casos de dores nervosas intensas, e as de
insomnia, em que elle produz um somno
calmo e profundo.
Elle recommendado as clicas, na cho-
rea, no ttano, nos partos laboriosos, na
clampria, as queimaduras extensas, nos
accessos agudos de gotta, na asthms, na-
tosse convulsa, e em muos outros casos,
por dia, conforme o effeito que o medico
quer obter.
Encontra-se na Pharmacia CENTRAL ra
do Imperador n. 38.
VINHO DD QUININNO PE LABARRAQUE
Poderoso tnico hoje tao act.nselhado nos
gozos de debilidade geral, e mui usado
como antifebril.__________

PHARMACIA CENTRAL
Ra do Imperador n. 38
Xarope de lactucario d'Aubergier, e de
ihery decio d'Abbadie recommendados,
como calmantes para os casos, em que se
nao pode usar do opio e de seus prepara-
dos, e mui convenientes para as eriancas
nos espasmos e convulses.
Joaquina Jos Gonpal-
ves Bitro
Ra do Trap'cb n. 47, i" andar.
Sacca por todos os paquetes sobre o banco do
Miao, em Draga, e sobre os seguintes lugares em
Portugal :
Lisbaa.
Porto.
Valenca.
Guimaraes.
Coimbra.
Chaves.
Viseo.
Villa do Conde.
Arcos de Val de Vez.
Vianna do Castello.
Ponte do Lima.
Villa Real.
Villa-Nova de Famelicao.
Lamego.
La nos.
Covilhaa.
Vascal (Valpasso).
Hirandella..
Beja.
Barcenos.
MO DE OUR
Nova loja de joias
RA DO CABUGA' N.9 A.
DE
Manoel da Cnnha Saldante & C.
Acaba de abri-se este estabelecimento de joias, o qual tem grande sorti-
mento de todas as joias de ultimo gosto, as quaes vendar o mais barato pos-
sivel.
Todas as joias serao garantidas ouro de lei, pois os seus donos tendo em
vista so adquirir freguezia nao olvidarlo, vender boa e por precos os mais
razoaveis possiveis.
Convida-se o publico a vir a este estabelecimento, certo de que ficar
satisfeilo.
A' MO DE OURO RA DO CABUC. N- 9 A
Canudo Qulotino Rodrigues Lima e Serapbina
Alexandrina de OKveira Lima e a demais familia
(ausente) convidara seus prenles e amigos para
assUrein mise, que se celebrara por alma de
seu prezado ogro e pat, Alexandre Manoel dos
Passos, na segunda feira 19 do corrente, na igre-
ja do Livramento, s 7 horas da manbaa, pelo que
se confessam eternamente gratos.
Francisco Candido 60 Amaral manda resar urna
mise pelo repooso eterno de seu infeliz amigo
Albina do Befo Machada so convento do Carmo,
no dia W do corrente s S.hora* \ convida a todos
os parantes e amigos para assistirem este acto
de caridade e religio.
AMA
Para casa de familia precisa-se de urna ama
para eoziana e mais servido, preferindo-se escra-
va : na roa do Hospicio n, 38.
Precisa-se de tuna criada para todo o serv

Joaquina Maria da Silva Pinto e seus innocentes
6lhos, se bem gueopprimidos pela dr, qne Ihes
enluta o coracao, nao podem deixar desde ja de
dar o mais solemne testemunho de seu profondo
e eterno reconhecimento a todas as pessoas, qne
so dignaram, no dia 11 do corrent?, assistir na
matriz do orpo Santo aos ltimos suffragios, e
acompanhar sepultura o cadver do seu presa-
dissimo esposo e pai, Guilherme Ferreira Pinto. _
E se, neste expansivo de ingenua manifestaco,
Ihes nado fazer resaltar o nome d'aquelle, que
em to doloroso transe soube por sua proverbial
generosidade, constiluir-se, credor perpetua gra-
Udo da viuva e orphos de seu honrado empre-
gado, aceite o Exm. Sr. bario do Livramento os
protestos do mais vivo agradecimento* pelo muito
que, de espontaneo voto, se dispoz a prodigalisar-
hes.
Ootro sim. rogam ainda a seus prenles e a
todos os amigos do charo objecto, que saudosos
praoteam, o caridoso obsequio de assistirem s
missas, que pelo deseanco eterno de sua alma,
mandam celebrar no convento do Carmo e na ca-
pella do cemiterio pelas 7 horas da manhaa de
sabbado 17 do presente raez; por cujo servico
religio e a memoria do flaado, gravaro mais um
penhor sua mais intima e cordial consideracao.
flH LHH8la!^Baf9aV9BBV'^VSRbaHHHaH>Sl'--
Eogenho Angicos
Constando ao abaixo assignado que o Sr. Maxi-
roiauo da Rocha Wanderley, senhor do engenho
Angicos, situado na freguezia do Rio Formoso, ven-
der o referido engenho, achando-se este hypothe-
cado e estando a hypotheca no poder do mesmo
abaixo assignado, vera elle palo presenta protestar
contra temaihanie transaeco pela nullidade qna
encerra. Recire 14 de seembro de 1870.
Hercnlano Antonio Jos Marroqum.
Alugam-se duas casas por festa ou por aano
na Varzea, lngar Ambol, com sitio e commodos
para grande tamilia: a tratar com o reverendo
padre Daase, ou na ra do Crespa 0. 7.
PHAJKMAGlX CENTRAL RA DO IMPERA-
DOR N. 38.
Preparados d'alcatrao em capsulas, licor,
e xarope ferruginoso.
KWaL
PHARMACIA
NTRAl RA to
COR N. 38.
Pillas d# Valle*.
Plalas de Blancard.
Pilulas de Bland.
Xarope furrnginoso de Blancard.
Confeites de lactato de ferro.
Pilulas de carbonato de ferro, laclado de
ferro, iodureto de ferro com magnezia.
Ferro de Qoevenne.
Assucar ferruginoso
PHAR
Na Iravessa da roa
das Cnizes n, 2, pri-
meiro andar, da-se di-
nhelro sobre penhores
de ooro, prata e brilhan-
les, seja qoal for a cnan-
ta. Na mesma casa eom-
pram-se os mesmos me-
taes e pedras.
ITRL RA D
DOR N. 38.
Vinbo e xarope de pepsina e Jdiarthare,
excellente tnico para auxiliar as digestes
difficeis nos casos de debilidade do esto-
CENTRAL RA DO IMPERA-
DOR N. 38.
Agua bemostbalica de Lecbelle, mu re-
commendada em qualquer caso de bemor-
rbagia, e principalmente na tbysica polmo-
nar, e as hemorragias oterinas.
Aluga-se o sitio da travessa do Caldeireiro
n. 4, con casa para grande familia, mmtas arvo-
rs de tracto, e bem plantado : a tratar na ra
oo Conde d'Eu n. 19.
PllARMAOA DENTAL HUA DO
DOR N. 38.
Xarope de rabana, iodado excellente coms
binado do iodo em a teco de planta-
anti-scorboticas.
TINTURARA fmieza
55-Rua.da Imperatriz-55
Tinge,' lava, limpa, lastra e achamab-
la-se, com a maier perfeieao, fazendas em
pecas e em obras de todas as quahdades ;
como sajara : seda, la, algodao, linho,
chapeos de feltro e de palba etc. etc.
Tira-se nodoas e llmpa-se a sacco sem
moikar os teeidos, conservando assim to-
do o brilho da fazenda.
Tintura pieta as tercas a sexta let-
ras
. probUma resalvido por Mr Rigollot com o mais feliz resultado a cnmpo>ic*^crte
papel foi onservar mostarda todas as suas propnedades, obtendo em r-oaoos mstanws,
e com fatilidade um effeito decisivo com a menor quantidao* possivel Jt^Mr0
I de medicamentos. (A Bow hcritvt Aiww*rt de th^rapmhqte-' de iSb J~ftC5pWf
Exigir 1 asMoatnra no lado, por qne ha fclciflcaaor^ Q\^f
PAMS, fi Vteill#-to-Templ, 26-


Diario de Perna
|.
=s
O
feo
9
-8

?,
25
"S
5

com os
A verd-adeira feriaba pe toral de
S. Bei
o
SZ5
A' roa do J
geguintes
IqIo A*
Ouerino C;
Joaquim Cavalcanu de Albaqaerqae J5fl|0 pilbo
(Pombal).
jeraino Aiigarto dw*ntos Fragoao.
Viri?8mo Correi de Lyra (Cruangi ott Vicencia
Jos Hermia Fontaal (engeaho Preferenca).
Fernando Barat da Silva |engeoho Boro]).
Manoel Policarpo de Azevedo.
Antonio Gomes Cordeiro de Mello.
Eduardo de Paola Stntos.
Francisco da Silva Porto.
Tbom Joaquim do R s Esta farinha asada coi va
dos tos padecimer.ios dos o
como a^thraa oa pueharaento
de
WIOFINA
rjarros,
; re-
comiaendando-se com igual proveilo nal pessoas
convalecantes.
nico deposito na phtrmacia e drogara.
Bartolomeu 4 C.
34Ra larga do Rosario34.
Acaba de sahir luz
E
Vende-se
NA
Livraria franceza.
A
xmm nmm
Este antigo
escala de poder
n'uma
atten-

m
estabelecimaatif; cha-se hoje montado
________r.__servir vantajosamnte os sus freguezes
to o grnete sortimento de joias d'ouro, prata e brilhantes, que
sempre tem e recebem mentalmente das principaes fabricas da
Enropa- cujos presos sao em cmpetiveis e as obras garantidas
de lei. -v
MOKEIItA DI) AR1U C.
',?&
^n
^
*?1(
MANUEL <5c C.
ftoga.se ao Illm. Sr. Ignacio V.eira de Mello, es-
erlvao na cidade deNarareth desta provincia, o
favor de vir a roa do imperador n. 18 a ronclnir
aqoelle negocio que V. S. se coinpromettan reali-
sar, pela terceira chamada deste jornal, em nos
de dezembro prximo passado, e depois para Ja-
neiro, passou a tevereiro e abril, e na 1a eumprio,
e por este motivo de nave chamado para dito
flra ; |wi V. S. sedeve lembrar que este negocio
de mais de oito annos, e qoanao o senhor sea
fllho se achava oo estado nesta cidade.
"Tedas on permutas
Vende-se a propriedade Gnarapes no Rio-
Grande do Norte, com trras casas e armazens
de um e oulio lado do rio, lugar betr. conbecido
pela soa importancia commercial, cojo porto offe-
rece maita facilidade para embarque e desembar-
que de gneros.
Igualmente se vende o engenho Jundihaby (na
mesma provincia) moente e corrente, com cinco
legoas de trras de maltas virgens, oito escravos,
bois, bestas e alambique ( on somente o emgenho
com as trras que convier ao comprador). Estas
propriedades vendem-se por baratissimos presos,
e tambe) se permutara por engenhos nesta pro
viacla, Parahyba e Alagoas, ou por casas as ca-
pitaes das mesmas : tratar cem o proprietario
major Fabncio Gomes Pedrosa ra da Cadeia
n. 25, ou com os sens procuradores no Rio-Gran-
de do Norte.
mttBsiMS coHPoaciounw
CONTENDO :
A norte do xtasis.
O sorriso.
A noite do assombro.
'A lagrima
A noute do delirio.
O mysterw.
Com urna earla critica dirigida ao autor pelo
Dr. T. B. Rigueira Gesta.
1 vorwne brochado 2*000.
ASCENTELflAS
Poesas patriticas sobre a guerra do Paraguay,
i volme brochado 3*000
KA
LIVRARIA FRANCEZA
OU
Ama
Precisa se de urna ama nicamente para coxi-
nbar : na na dos Gnararapes n. 2.
m
&$& Terra a satisfizo de participar aos seos numerosos fregoezes,
commodo, tem
Ottnda,
que em vista de ser-lhes mais
3g eslapeiec'io'tma ova fabrirja"Chapeos de so!, na ra da 'Cadeia do Recijen 9, boje roa do Manque? do
1 ondTacharao os pretendentes, raui imitado sortimento de chapeos de sol-de ^^re^r2^ iortaSS) fi
( CosmaScommod8do que comporia o nesso mercado: convidara especialmente aos Srs^V^^J^^m
darem,sendo possivel suas encommendas, pois poderao assim serem mais bem servidos, visto poderem escolher as ar- g**
da abriracao bem diminota,_______________--------------_2i

'Sf'te roaQes as lazendas que a demora
-------
NA
miM E BEM COMEADA FABRICA
CHAPEOS DE SOL
DA
Hua do Bara^ ca Victoria, esquina da Gamboa do Carmo
(Antiga "Ra Nova)
D. W. BOWNAN
ENGENHEIRO
Com fundQ3o.
A RA DO BRUM N. 52.^
Passando o chafnriz
Machinas vapor systema melhorado.
Rodas d'agoa.
Formas de ferro para purgar assucar.
Moendas de canoa.
Tarxas de ferro batido e fundido.
Rodas dentudas para moer com agoa, va-
por e animaes.
E oulros objectos proprios d'agricultura.
Tudo por preco muito reduzido. ____
DE
NOSSO SENHOR JESS CHRISTO,
MAH1A SANTISS1MA
E
VARIOS SANTOS.
A saber:
Setenario do Senhor Boro Jess dos Pasaos.
Oeio do S?nhor dos Paseos.
Novena do Menino Dens.
Novena de N. Senhora da Conceicao.
Setenario das Doras de Mara.
Oflicio das Sete Dores de Mara Santist.;ma.
Novena de N. Sennora do Carmo.
Oflicio de N. Senhora do Carmo.
Novena de N. Senhora da Penha.
Caticos de N. Senhora da Penha.
Novena do B. S. Joo Baptista.
Nivena da Senhora Sant'Anna.
f rezena de Santo Antonio.
Novena do B. S. Jos.
Um bonito volume encadernado.
2$000._______
Cura rpida e intalilvel dos cal-
los, pela pomada
Galopean.
Deposito especial na pharmacia de Bartbolomeu
MC,
3iRoa larga do, Rosario34
fiob-bnte-rheum.M tico.
Remedio efBcamsimo contra as dores rhenma-
ticas at hoje o mais conhecido pelos Geus mar-
v Ihosos resultados.
A 1JO00
Os melhores espanadores de palba : na ra do
Crespo n. 25, loja da esquina.
Ama
Na ra do Vigario n. 5, 3o andar, precisa-se
de urna ama para cosinhar, cujo servico lac^a com
perfei^ao eque seja d boa conducta.__________
MUDANCA.
O Dr. Caroline Francisco de Lima San-
tos mudou sua residencia e consultorio
para a ra do Impeaador n. 57, 2 andar
do sobrado cujo armazem conserva an-
da boje o nome de Alianca, tendo a
entrada, que pelo lado da ponte Sete
de Setembro, o mesmo numero 57, da
frente. Ani continuando o dito Dr.' no
exercicio de sua proftsso de medico e
de operador, pode ser procurado a qnal-
qner hora do dia e da noute.
Ha sempre um grande sorliraento do chapeos c l de seda, merino, alf ca,
do e de algodao os todos os Umanhos e
armagoes de todas as qualidades para satisfazer qualquer encommenda.
que escusa de mencionar.
bretanha de liobo branco e par-
, "porcft de feda, merino, algodo e^brim,
A modicidade de seuspregos lo conhecida
ifi>5>*g
:^IWW
1RILH0S URBANOS DO RBCUFE A' OLINDA,
Tabella das horas de partida e chegada dos treus provisorios
Ra d'Aurora.................
Pires.........................
Principe......................
Joao de Barros................
BspMbeiros....................
Encruiilhada............-------.
Belm.........................
t^mpe^rande..............-
Salgadinho....................
Arrombados...................
Olinda........................
ESTACOES
Olinda........................ 7.
Arrombados................... 7. 3'
Saladinhn.................... 7. T
Campo-Orande................ 7.12'
Belm........................
Eoeruzilhada..................
Espinheiro..........____......
Joao de Barros................
Principe......................
Pires....................u...
Ra d'Aurora.................
10.
In. 3-
10. T
10.12'
10.15'
10.20',
10.24';
10.29*
10.32*;
10. W i
4.
4. 3'
4. r
4.12'
415'
4 20'
4.24'
4.29'
4.32'
4.37'
4.40'
5.
5. 3'
5. 7'
6.
6. 3'
6. 7'
512' 0.12"
515* 6.15'
5.20' 6.20'
5.24' 6 24'
5.29' 6.29'
3.32' 6.32'
5.37' 6.37'
o.40' 6.40'
/.
7. 3'
7. 7'
7.12'
7.15'
7.20'
7.24'
7.29'
7.32*
7.37*
7 40'
COMPANHIA
DOS
TBJLHOS DRBAROS
DO
RECIFE A' OIiFDA.
Tendo a directora de emittir novas ac-
<;5es at o valor de 200:0005000 segundo
7}t]ifoi autorisada pelo decreto n. 4563 de 10
de agosto do corrente anno, sao convidados
os Srs. accionistas, em cumprimento ao que
dispe o art. 4o dos estatutos, a inscreve-
rem-se at o d'a 14 do corrente declarando
o numero de accs que'preteudem.
Avisa-se que a nova emiss3o tem de ser
feita por prestacoes na razo de 10 % e
com intervallos de 30 dias; c que do dia
15 em diante ser2o emittidasas accoes que
forem subscriptas pelos accionistas ac-
tuaes.
Recife, 6 de setembro de 1870.
Joo Joaquim Alves,
Io secretario.
8.
8. 3*
8. T
8.12'
8.1ff
8.20'
8.24'
8.29'
8.32'
8.37'
8,40'
AMA
Precisase de urna ama que coiinhe e ensaboe
para casa de familia : tratar na prQa da Inde-
pendencia n. 5. *__ ______
e dfas saalfleados.
Ilomingos
To Recife s 6,7, 8,9 e 10 bora^da manhaa ; 2, 3. 4. 5. 6, 7 e 8 da tarde.
De. Olinda s 7. 8,9,10 e 11 horas 4a manhaa; 3, 4, S, 6, 7, 8 e 9 da tarde.
O SUPERINTENDENTE,
A. ctAb'tu Porta.
Aluga se e vende-se o jardira boianiee, sitio
com encllente casa, alem deoutras para escravos,
estribarla, tres cacimbas com muito boa agua de
beber, amitos arvoredos frucliferos, e terreno pro-
pno para verduras, capin, etc. Tambera aluga-
se o palacete ao lado da igreja do Senhor do Bom-
Fim, a melhor casa'de Olinda, tendo jardim, agua,
casa para banho, e vanas frnctas ; assim como
cozinha, e casa para escravos indepeodente : a
tratar Da ra do Bonn Fim com o Dr. Paes Barre-
to, ou com Cristovao da Cunha Soutomaior.
Ama
Precisa-se, de uir.a ama para casa
solteiro : na ra do Araorim n. 56.
de homem
Pecisa-se de una raulher que saiba engom-
mar e coser cora perfeicao : na ra da Aurora
n. 40.
AU RO
D'YVETOT
RA ESTREITA DO ROSARIO N. 14.
Urna qualidade de cornmercio faltava nesta popu-
losa, cidade nm estabelecimento em que se compre
-; venda toda a qualidade de roupas feitas novas
e velhas. um basar que se denomina em Paris
Bric e Brac. E' este o e?tabetecimento que se
abriu ra estreita do Rosario n. 14. Assim,
iuuas as pessoas que qfflzerem, vender, ou com-
prar roupas novas ou velhas e todos os mais
objectos do servico domestico, inclusive trem de
cosinha, podero dirijir-se ao indicado estabeleci-
mento para contratar, e offerece-se, para ir em
casa dos pretendentes para effectuar as compras
e rendas.
0 8 mmm **&&$*-$
0 O bacbarel Joaquim Goncalves &
& Lima tem escriptorio de advogado w
Si ra do Imperador n. 35.
Aluga-se o 2 e 3 andar do sobrado n. 32,
silo praga do Conde d'Eu, ambos tendo commo-
dos para grande familia : a tratar na ra do Ale-
crim n. 30.
Troca.se cobre voltio em meeda e vende-se
chumbo e caixoes vasios de todc s oa tamanuos :
na ra da Imperairz n. 13, loja de charutos.
Aluga-se ou vende-se a primeira casa do
l^do esquerdo da ra da Mangueira, indo-se da
S>lrada o Cldeireiro para o povoado do Poco da
aaella, cora 2 salas espa;osas, 5 quartos, c-.iinha
despensa fra, copiar posleror, poco d'agua po-
ivel cora bomba, jardim cem porlao de ferro ao
liado direito da casa, etc. f trata-se na roa do Hos-
pigio n. 28. ou ra do Duque de Caxias (outr'ora
o Queimado) n. 28, Ia andar, das 10 horas da
anhaa s 3 da tarde._______________________
^luga-se
lima escrava boa engemmadeira e cozinheira : a
ratar na roa da Alegra n. 46.
0 CIRURGIO DENTISTA
Frederico Maya
Tem a honra de scientificar ao respeita-
vei publico em geral, e aos seus clientes
em particular que elle mudou o seu gabij
nete de consultas da rna Direita n. 12 para
a do Queimado n. 31 primeiro andar, com
a entrada pelo pateo de Pedro II, onde po-
de ser procurado para os misteres de sua
profiss3o, todos os dias uteis das 9 horas
da manhaa s 3 da tarde. -
Tambem previne, que contina a prestar--
se a vontade dos clientes nao s na cidade
como nos seus suburbios, para onde a
idas sero precedidas de ajuste. Elle ga-
rante o bom desempenho e a perfeicao de
seus trabalhos, o que j boro conhecido,
assim como as commodidades dos oreos.
Agencia em Pernambueo
Do Dr. Ayer
Petoral de Cereja
Cura a phthysica e todas as molestias do peito.
atoa parrllha
Cura ulceras e chagas antigs, impig?ns e dar-
Tos.
Tonteo
Cocserva e limpa os cabellos.
Plalas catbarticas.
ma escrava moca para o servico diario de urna
t asa : quem pretender dirija-se a praca do Conde
(,'Eu n. 12.
i
Precisa-se alugar urna ama para cozinhar e
ngommar para urna s pessoa : na ra estraia
do Rosario n. 25, 1" andar, paga-se bem.
Aluag-se
Ama de leite.
Precisa-se de urna ama de lete sem filho
ua da Cruz do Recife n. 45, 2o andar.
?a
Joaquim da Silva Carvalbo vai Europa.
- Precisa-se de um menino de 12 a liannos
ille idade para caixeiro da taberna da ra Augusta
116.
GUSTAYE
CABELLEIREIRO FRANCEZ
51Ba da Cadeia do Recife51
Chama a attenc2o dos seus innmeros freguezes. e do respeitavel publico e*
jera], para a seguinte tabella dos preces de sua casa, os quaes sao vinte por cent
ais barato do que em outra qualqner parte:
CRIADA
Precisa-se de urna ama forra ou captiva para c
servico interno e externo de urna casa de pouca
familia : na ma Velha n. 66.__________________
ATTENCAO
o
Joao Rodrigues Lopes, Portuguez, filho da cida-
de do Porto, freguezia de Magaro, perguuta por
este jornal se existe nesta provincia Manoel Ro-
drigues Lopes, ao qnal pede que annnncie por
este jornal a sua morada, oa no caso que nao
queira annnnciar, dirija-se ra Imperial nume-
ro 213.
Ama
Precisa-se de urna ama que saiba engommar ;
t a ra do Imperador n. 57, entrada peto caes 22
le Novembro.
MUDANCA
O escriptorio di Dr. Joaquim Jos de
Campos da Costa de Medeiros e nlbu
_ nnp.rnnp.
querqne esta
rio n. 24.
ra estreita do Rosario
Criado
Precisa-se de um criado para compras e mais
servico : na ra do Imperador n. 57, entrada
pelo caes 22 de Novembro.
Formas de ferro
para purgar assucar : na ra da Cadeia nume-
jo 4.
Criada.
Preciso-se alugar urna ama escrava ou livre
piara o servico interno de casa de familia, devende
iber engommar e costr : na raa do Mrquez de
te mi (antiga ra do Sol), sobrado n 21.
AVISO
Na cidade de Olinda precisa-se de urna criada
para easa de pouca familia: tratas no Recife.
ra de S. Francisco n. 72.
Ama
Precisa-se de urna ama que saiba cozinhar : na
ru do-Codorniz n. 8
Precisa-se, de urna ama para casa de ponca
familia : na roa Direita n. 38.
Cabelleiras para senhoras a 25&
30, ZH e......40*000
Ditas para homem a 350, 400 e SOiJOOO
Coques a m, 15, 180, 200,
250, 300 e / 500000
Crescentes a*120,150,180,200,
250, 300 e.....320000
Cacaos oottespos a 30, 40, 50,
0, 70, 80, 90 e. '. 100000
Tranca de cabello para annel
500 e....... 10000
Tranca para braceletes a 100,
150, 200, 25 e.....300000
Cadeias para relogio a 50, 60,
70,80, .90, 120 e. _150OO|
Corte de cabello,..... 501
Corte de cabello com fricc3o. 501
Corte de cabello com lavagem a
champon...... 10001
Corte de cabello com limpez da
cabeca pela mashina elctri-
ca, nica em Pernambnco. 10001
Frisado ingieza oa franceza. 501
Barba. ,....... 251
AMA
Precisa-se de urna ama para casa de pooca fa-
milia : na ra da Cadeia do Recife n. 21, loja de
mfudezas._________________________________
Frandisco Marinb > de Albuquerque vende
diver.-os terrenos no Arraial; pode ser procurado
na povoacio do Monteiro
Precisa-se comprar ou alugar urna escrava
para cozinhar m easa de um homem solteiro : a
tratar na ra do Amorim o. 48, arma cero.
MUDANCA.
Joao da Silva Faria & Irroao estas cora sen ar-
mazem e escriptorio na ra do Vigario, casa nu-
mero 20.
ASIGNATURAS MENSAES
Especialidade de penteados para casamento
Bailes e soires
0 dono do, estabelecimento previne s Recommenda-se a superior TIINTUBA J
Sna. e aos cavaiheiros que ha umxmas. 12 PONEZA para enegrecer os cabellos e bal
ora doa cabelle* e barba, as-! ba- aDca, admittida na ^posiejo Uoivero
alio para
fim como am
empegado srante oocopa-
PT VICO.
como nao prejudict
de, por ser voi
'Precisn-se de um hsmem portuguez para
vender leite e tratar'de qoalro vaccas : quem es-
tiver habilitado dirija-se a Passagem da Magdalena
n. 4, que se dir quem .____________________
CaUlero.
Precisa-se de um caixeiro do 13 a 14 annos,
com pratica de molhados : na prvea da Santa
Cruz n. 1
No porto em frente do sobrado do Sr. Valenca
ao norte da fabrica do gaz existe urna canoa e ca-
noeiro que se emprega a atravessar da freguezia
de S. Jes a da Boa-vista, e desla para aquella,
as pessoas que, nao quereado dar a grando volta,
queiram dola se aproveitir : paga 160 rs. por
pessoa : todos os dias das 9 horas em diante.
Costureiras
Na ra 1* de Marco n. 6, precisa-se de costu-
reiras.
OBerece se um hornera para caixeiro de en-
genho, do que tem bastante pratica : a tratar na
ra do Padre Floriano n. 18.
AMA
Precisa se alugar urna mulher forra ou escrava.
p ira cozinhar comprar e engommar, para urna
casa de pequea familia : na ra da Cadeia nu-
mero 8.
Correspondencia de Portugal [
O encarregado da distribuicao da correspon-
dencia de Portugal, declara que d'ora em diante
ser entregue na ra do Vigario n. 11, paimelro
andar.
Precisa-se de urna ama para casa de homem
solteiro : na rna Direita n. 33.
Aluga-se um excellente soto muito fresco
eim algnns movis, com urna boa sala, um bom
qi tarto, cozinh coraraoda : na ra Nova n. 40 : a
tratar no 2" andar da mesma casa.
Precisa-se de um perito oficial de chapellei-
re : a tratar ua praca da Independencia n. 22.
Ama.
Na padaria do pateo do Terco n. 40 precisa-se
de orna ;.ma para cozinhar.
%----------------
FURTO
Previne-se aos senhores ourives e as pessoas
que costumam a dar dinheiro sob penhores, que
nao fagam negocio com um annel com ama pedra
de brilhante no valor de 450* que foi fartado em
das do mez prximo passado. E' prevavel que
elle j tenha sido vendido ou dado em penhor ;
porm se assim succedeu, a pessoa que houver
feito a transaccao far o favor annnnciar pelos
jornaes, que ser entregue da quantia desembol-
sada. Quem furton nao foi escravo, mas sim al-
guem que nao Inspira descondapca.
Aluga se
um sobrado em Olinda, na' ra de Mathias Ferrei-
ra, pialado de novo, e tambem se vende : a tratar
na ra da Matriz, sobrado n. 44.
Ama
cisA-se de ama ama que saiba cozinhar
lo Codorniz n. 8.
na
em
latil; analYsada e approvada pelas aadc | ,jaL
mias de s PAiUS E LONDRES
Manoel Alves Kerreira A C tem para vender
na ra da Moeda n. 5, 2 a-
ero caitas de dazia e ancore -
, FORNEIRO
Para o Rio Grande do Norte precisa-se de um
bom forneiro ; a tratar com Tasso Irmos 4 C,
na ra do Amorim. n. 37.
Precisa-se de um criado para o hotel de
Uoa, prefere-se de 16 a 18 annos ; na ra Direi.
la n. 16.
ATTENCAO
Reta:ha-se, a vontade dos compradores, alguns
lotes de terrena que restara do sitio Aguasinha,
em Beberibe, por precos razoaveis. A posicao to-
pograpbica do terreno muito o recomraenda, so-
bretodo por Gcar prximo da estaco projectada
da via-ferrea. Os pretendentes poderao dirigir-
se! informar-se do tenente S Peixote, no mesmo
lugar, e para qnalquer negocio, ra do Crespo
d. 1% andar. _______ _______
~ Retira-se para Europa Jos da Silva Netto
tratar de sua saude, deixando por seus procurado-
r, em Io lugar Antonio Augusto de Vasconcellos
e 2* Thomaz Antonio Coimbra.
No Caes 22 de Novembro n. 57, 3 andar, pre-
cisa-se de urna criada livre ou escrava, para ser-
vir a urna familia estrangeira de duas pess*a,
qpp saiba cozinhar e engommar.
PRECIOSA .DESCOBERTA'
Turas maravilhosas
DO
Tnico Delsnc
NEC PLUS ULTRA
Tirando ira mediatamente todas as caspas e o-
cetras dos cabellos.
DEfOSITO
Somente em casa do autor, Andr Delsuc, ea-
belleireiro de Paris.
Ra 1 de Marco (antiga do Crespo) n. 7 A,
________ 1 andar. ________
Hospital portuguez.
Para o leilao de prendas que ha ver no domin-
go vindouro no hospital portuguez, tem a nova es-
peranza, ra Duque de Caxias n. 21, delicados e
mimosos objectos que bem servem para o mesmo
leilao.
Prejisa-se de ura criado
da praca do Conde d'Eu n.
mesma.
para
19 :
a phatmacia
a tratar na
Ama
Na ra do Imperador n. 14, Io andar, precisa-se
urna ama para cozinhar para pouca familia.
Costure iras.
Na fabrica de chapeos roa larga do Rosario
n. 24, andar, se precisa de costureiras.
Ama
Precisa-ss de ama ama para cozinhar e comprar
em casi da pouca femitia : a tratar na ra do
Crespo a. 18, 2* andar.
AMA
Precisa-se de ana ama escrava que saiba com-
prar e testar .do servico de ama teasa de familia :
na Boa-tjsta, pateo da Santa Cruz, sobrado nu-
mero 24,
Jos Dias Guimaraes, pelo presente, avisa a
qaem interessar possa, que ura sobradinbo sito
no largo da feira do povoado dos Montes, perten-
cente ao Dr. Joo Ferreira de Almei la Guimaraes,
na qualidade de berdeiro do finado Jos da Rocha
Paraobos, aeba-se litigioso e nao pode ser valida-
mente alienado, assim como os mais bens penen-
centes a heranga do mesmo finado.
Trabalhador parapa-
daria
Para o Rio Grande do Norte, ,precisa-se de
trabalhador dos nltimos chegados das Ilb;
da mesmo sem pratica, a tratar com Tasso Irmao
4 G, roa tto Amorim n. 37.
Club do Monteiro
Assigna-se para o Club do Monteiro por i
mezes, a principiar em outubro at 31 da marco
prximo futuro sob as segnintes condiedes :
Os senhores assignantet do anno prximo passa-
do sao dispensados das formalidades da approva-
;Io, licando snjeitos a deliberacao da directora os
que se propozerem este anno.
llavera duas pirtidas, send'o ama na abertura
e outra no eneerramento. reunio familiares aos
sabbados, havendo unicameate convites para che-
fes de familia.
Precos da assignatnra.
Seis mezes 50*000.
Tres mezes 30|000.
Um mez 10*000.
Os senhores que desejarra assiguar tero a boc-
dade de se dirigirem ao einprezario, abaixo assig-
nado, no Club Pernambueano, at o fim do cor-
rente mez; e dessa data em diante ra da Auro-
ra n. 68, das 10 s 3 horas da tarde.
P. J. Layme.
Furto ce cavalio.
Na noite de 12 do corrente, das 7 para as 8 ho-
ras, furtaram do sitio da casa amarella, no Arraial,
nm cavallo pedret, inteiro,.bastante grande e car-
nudo, de 9 annos, ponco maja ou menos, tendo
fuma gressura visivel na mo direita, e una ferida
da cofieira : roga-se s autoridades poloiaes oa a
quera quer que se queira interessar por um nego-
cio qae todos toca, qae nj caso de tal animal
ser offerecido venda, embarguen) tal venda, e
eommuniqaera a seu dono na raa do Imperador o.
18, para elle apresentar-se com o titulo e docu-
mentos precisos para a reivindicacio do dito
animal.
Ao Sr. Dr. Francisco J
que no correio da cid
carta dirigida a S. S
ceber e entregar no mes
posta : assim proceda
e ignorar a residencia
AVISO
11 Recife, ei
I lugar a'

[
/


Diari
o ue
Pemambuco
AO ARMAZEM
DO
VAPOR FRANCEZ
S,HfllHWH,7
E9te eonbecido eslabeleetannto acha-se constantemente bera sonido, em virtude das
facturas que recebe por todo o vapores e navios fraocezes, dos arligus abaixo menciona-
dos, precos os mais resumidos que possivel.
Botinas para enhoras e meninas.
Botinas preias, brancas e de muitas outras cores, sortidas e bonitas, do ultimo gos-
lo da moda, e precos mais barates do que em outras partes. #
Botinas para horneas e meninos.
Botinas de bizerre, cordavao, lastro e pellica, das melhores fabricas e ecelhidas.
Botas e pernelras russlanas.
11 Botas e penetras para mamaria, das melhores qualidades, de couro da Russia, las-
tro e bizerro.
palos de borracha para h.nnens e senhoras
Tendo chegado grande porcao de sapatos de borracha vende se pelo costo afina Jde
"desempatar o dinhelro nelles eropregado, sao baratissimos.
Sapatos de lastro para horneas.
Sapatos de entrada baixa de couro de lustro com salto, de tnuito boa qaalidade.
Abotinados para meninos e meniuas
Sapatos abotinados de differentes modelos, de muito boas qualidades e fortes, tanto
para meninos comd para meninas, muito baratos.
Sapatos de tpete.
Sapatos de tapete aveludado, de casemira, de charlte e de tranca fraocezes e por-
taguezes para homens, para senhoras e para meninos.
PERFUMARAS
Excelientes extractos, banbas, leos, agua de colopne, florida, divina, lavando, den-
[ triSee, de toilette, sabonetes, Untara para cabellos, pomada angroise para bigodes, pos de
arroi etc., tudo isto de primeira qualidade, dos afamados fabricantes, Condray, Piver e Lubm.
Quinquilharas
Luvas de pellica do conhecido fabricante Jouvin, espelhos para sallas, quartos e ga-
binetes, toncadore: de diversos taraanbos, leques para senhoras e para meninas, abridores.
de lavas, brincos, puleeiras, botoes, correal' e chaves de relugios e trancelins, tuda de
ourq de lei, correntes e brincos de plaqu, a imitac&o e de mais gosto do qne as de onro,
> eaixinbas de costura ricamente guarnecidas e ornadas com lindas possas de msica, albuns
e caixhos donrados para rtratos? eaixinbas com vidro de augmento para distinctamente
; ver-se a perfeicao dos retratos, objecloa de phantasia para toilettes, bolsinhas e cestinhaa
I ie seda, de velludo e de vimes para braco de meninas e senhoras, ditas para costuras, p-
ncenos registros muito ffnos e delicados, bonquets de flores de porcelana, jarros uroprios
para gabinetes e santuarios, quadros promptos para callocar-se vistas, molduras douradas
^ara quadros, estampas Boas de paysagens, cidades, figuras e de santos, vidros para eos-
morama, malas, saceos e bolsas de viagens, esporas, chicotes, beng.-.las, ocolos, lunetas ou
pensioez de prata donrados, grvalas pretas e de cores, abotoaduras de collete e de punhos, .
carteirinbas para notas, thesounobas e caivetes finos, pentes, esoovas, ponteiras de espuma %
para charutos e paracigarros,"Jozos de domin, rodetes, bagatelas e outro9 differentes, ve-
nezianas modernas muito conveniente para portas e janellas, cosroorama?, lanternas mgi-
cas, esteriocopos com interessautes vistas de figuras e das mais bonitas ras, bonlcvards,
pracas e passeios de Paris.photographias e caixinhas mgicas, reverberos para candieiros,
tapetes de vidrilho e de laa de cores para ps de lantemas, realejos grandes a peqneno?,
harmnicos, acordions de todos os tamanhos, bercos de vimes para crianzas, sapatinhos e
toucas de laa, carrinhos de 3 e 4 rodas muito elegantes para condmir enancas passeio ; e
entras muitas quinqailbarias de phantasia, francezas e allemaes, precos muilo em conta.
32303335)3)8 P&B& GaBEHOSS
Para este artigo nao ha espaco nem tempo para a mascante leitura da inflnidade de
! gneros de brinquedos fabricados em diversos paizes da Europa.
ATTENCAO
O dono deste estabelecimento pede ao publico em geral que continu a
verificando as qualidades e os precos baratos de ditos objectos por serem viudos
reitura e de conta propria.
visita-lo
em di-
1
GRANDE
i
HOTEL CENTRAL
37Ra 11 de Dezembro37
(Outr'ora Larg i do Rosario)
No muito conhecido HOTEL CENTRAL encontrarlo semnre os nossos innmeros
fregaezes notaveis melhoramentos, indispensaveis para commodidade dos Ilustres fre-
quentadores.
No HOTEL CENTRAL encontra-se-ha constantemente tudo que de confortativo e
deleitavel so pode encontrar em um estabelecimento desta oidein.
A? i-aw aili uina excellente casa para baaos, um sulo todo alcatifado e
guarnecido de divans, piano, j rnaes nacionaes e estr^ngeiras etc., eic
dulc; farmte.'
CHARUTOS
;
Normas da Havana.
Suspiros.
Napoleoes
Havanas.

I
Imperi
Amadores
Londrinos
Leaes
E de outros fabricantes, que seria ocioso innomerar.
As familias que nos quizevem obsequiar, tanto nacionaes como estrangeiros, en-
contrarlo os commodos necessanos.
A moralidade e boa ordem a norma do
Hotel Central
Falla-se o hespanhol. francez, inglez e italiano.

PA1A AGUA.
Canos de ferro galvanisados por barato preco.
Torn liras, e curvas para os mismos 1 No armazem da travessa do Corpo
Santo n. 25.
Moinhos para caf e para milho
Os melhores moinhos para caf e para milho que tem vindo a este mercado
se encontram no armazem da travessa do Corpo Santo n. 25
ROB LAFFECTEUR |
Approrado em Fraacla, Russia, Austria e Blgica. O arrobe vegetal Laffecteur sa antho-
rizado, he mni superior aos zarapes de cuisinier, de Larrey e de salseparrilha. De fcil
digestao, adagraved ao paladar, e ao alfato, elle cura radicalmente em mercurio, as
affecoes dapee, Un pife**, lporeaau tumores, ulcero, tana detre-
mtrmsu escorbuto, e os accidentes provendos dos partos, da idale critica, e da acri-
monia hereditaria dos humores.
O arrobe he especialmente recommendada contra as doenca syphilitica recentes, invete-
rada ou rebeldes ao mercurio e ao ioduro de potassio.
Deposito geral do verdadeiro ROB LAFFECTEUR, em casa do douter GDIADEAU DE
SAIT-GERVA1S, roa Richer, U, Paria.
XAROPE SEDATIVO
de cascas de toronjas amargas to
BROMRETE DE POTASSIOM
9o J.-P. LABOZE, na *m Lieoo ftoint Pou!, Porix.
Todos os Mdicos coneordlo em iae o BromureCe de Potassium puro tem sobre o
ssma nervoso, ama aecao m4mv Reunido So Xarope Laroze de
Lanoja marga, cuja aceito regenera as fuo^oes do estomago e dos intestinos, *
umversalmente appreciaJo. Sem receio d'arjtdente te pode dar as pencas adultas,
i* SOffrem de -r-'tttio? ara %t aolt..i MfMMVi proakw. Para aa creancat, p. !,
miii, torn doravu .laotijao
^H !L.fih,wolct; em Pemambuco, *. Kaarr c;
!'retO, Waknon.
J. Ferreira Tllela
PHOTORAPHI 1 IMPERIAL
18RA DO CABG18
A entraba pelo patea da matriz.
s trabamos da reedifieaca desta photographla,
e que se prolongaran) por tanto tempo, euam-se
felizmente terminados e ella aberta ao servico de
publico desde 7 de abril passado.
O predio em qne est coltocada esta photogra-
phia acha-se muito augmentado, e so a parte desti-
nada ao estabelecimeato conta cinco salas, inclu-
sive as do laboratorio. Todos os concertos e aug-
mento tendo sido fetos expressamente para se
montar convenientemente a photograpbia, e nSo se
podendo melhor modelo escolner do qne a Photo-
grafua Imperial do Sr. lusley Pacheco do Rio de
ianeiro, q primeiro pbotographo do Brasil, e um dos
pnmeiros do mundo, segundo a opiniao dos mais
abalisados mestres, a nossa pbotographia acha-se
dlsposta e reedificada pelo raetmo plano da do Sr
I. Pacheco, a qual foi montada sob todas as regras
recommendadas pelos mais desuncios professore;
de accordo com as modifica<;oes necessarias ao
clima do Brasil, reconhecida9 e estudada* pelo ha-
bilissimo e pratico Sr. f. Pacheco.
Todo o interior do predio m que est nossa
photographia foi mudado desde a soleira da parta da
roa at a coberta, tendo-se demolido todas as pa-
redes interiores para se fazerem as novas salas,
edificaDdo-se um novo terraco envidracado mu
espacoso e eleganto.
Como sabido, fizemos urna viagem ezpressa-
mente corte para examinarmos as melhores pho-
tographias all, e foi a do Sr. I. Pacheco, a que
melhor corresponden aos nossos desejos e aspira
edes, e da qual troaxemos os plauos depois de
alli estarmos todo nn> mez estudando e apro-
veitando as ligSes de tao distincto mestre. Pen-
samos que juntando os nossos estudos e longa
pratica de 15 anuos de photographia s utilis9imas
Kcoes ultiman ente recebidas do Sr. L Pacheco,
tendo montado a nossa photographia como se
acha, podemos offerecer ao lustrado publico
d'esta cidade e aos nossos nuierosos fregueres
trabalhos de photographia lio per'eitos, como se
poder desejar, e disto convencidos, esperamos
que contluuem a dispensar-nos a mesma pro-
teccao com qne ha 15 annos nos tem honrado e
ajndado.
.Ninguem contesta
fte o Campos da ra, do Imper
f aervir aos amantes do bom,
em |fi|ajr| dos
-JWehdaa com lubaras.
Diversas conservas alimenlieias.
Salmn e lagostas em latas.
Licor eslomachico e digestivo aya-pana.
Toucmho inglez para lunch.
Ervilhas francezas e portuguezas.
CamareeA seceos do Maranhao.
Doces finos, ralados e em caldas, de goiaba.
ele., etc.
Champanha dos melhores fabricantes.
Vinhosmaduro do Potto, diu da Figneira,
verde e palheto, pelos ltimos vapores
francez e brasiltiro.
Queijos de Minas, de prate e flamengos.
Uvas de Alicantesao nm torro d'assncar.
O Campos garante a supenoridade dos gneros
cima deicriptos
B qaeH dnvldar veohs rer.
ac^r-
i o. 88
df aa da Berm
fer. d_BIat>'"^
iWLabe'
i d Che
pniflciencia quai
es.
de co-
lad" de (odureta de
n%o Chable,
Hj^Bos de bis-
as doencas das
ra,or' rheao\a<'
*> Da >n fragilaridade
io; as, dtarrbw, doenr rac(,
e do/estomago, tm sido e incootestavel, em
vista dos benficos resultados das experimenlcoes
ou uso que diversas pessoas delles teem feito as-
%m como das Dilulas denominada i bravinas'in-
complravels em sua efflcacia nos acommettimen-
los efcris on sez5es ; existinda tambera na mesma
casa, alen de suflcienie quantldade de drogas
um nao pequeo sortimento de tintas, oleo de H-
nuica e pincis, que se vendem por menos do que
fui ouira parte.
AMA.
Precisa-se de urna ama que engomme com per-
feicao, indiffrente qne soja nacional ou estran-
geira : a tratar na ra Nova, casan. 21
A luga se urna escrava cora oito dias de pari-
da cem muito e bom leile : a tratar na ra de
Aguas-verdes n. 90.
Ama
Na ra 4.a Cruz n. 2i, Io andar, precisa-se de
una a:iu para servir a um homem so, qne saiba
lavar, engommar e cozinhar.
Officina de alfaiate
NA
LOJA FLOR DA BOA-VISTA
DE
Patrio F. de M. Gnimares.
Netta officina se mandam Cazer roupas feitas por
medida, tendo nm completo sortimento de fazen-
das proprias i mesma; as9im como nm perito mes-
tre. Garut-se ser precos mais em conta do qne
em ootra qualquer parte : na ra da Imperairiz
n. i& junto a padaria. fraoceza.
Attengdo.
Vende-Be nm eavallo de sella de bons andares,
com arrejos, gordo : no pateo da Ribeira n. 43.
Cal nova de Lisboa.
Chegada recentemente no vapor Gladiator, tem
para vender Joaquim Jos Goncalves Bellrio, no
sen eseriptorio, ra do Cimmercio n. 17.
*oj4 nj iiut 'o
n euoj3|\'Bp oejsa op enj : ui'dtn aas
pne amoo saoqs pue Rioog sjszns jo mam
Ijosse ejaiduioo e poAraoaj i6nf aiddaig
sdoys puB s!|iooa
saazas
opeojam ou oosajj siem
o jas jod |OABpuau)iuooaj s^sm vi\at
: 8S-0PUEUJ0| 'l/W0 Zd|9f JdA \9
'saiijH 9 jazng sajuBOUqu; sop aiuouijed
-isuud 'sope5)'j3 ep oinamnjos ojaidmoo
ln jaqao9j ep eqnoe enb oauqnd os a
soiuic snes t duiued vajis vp 3|ddai?
opntujdj oinamisdiaqeisa aiap ouop o
eao *na Bjo.jjno
r os "N viaoioiA va ovuva oa vnii
opwnop TnLrtSJoq q i
Edward Feotn, na ra do Commercio, armazem
n. 22, tem para vender presuntos, toucinho emj
mantas, conservas, qneijos londrinos e bisconlos
finos.
O Se Antonio Maria de Carvalho tem urna
carta vinda 4e Portugal pelo paquete ultimo, na
loja da ferragens a ra do Duque de Caxias nu-
mero 63.' .. *.
O abaixo assignado, curador da heranca ja-
cente que outr'ora perteneeu ao casal do finado
lente, Jos Joaquim Lopes de Alraeida, faz scien-
te a quem interessar possa, que D. Margarida
Candida da Cunba Almeida, viuva do mesmo fina-
do e inventariante, que foi dos bens que consti-
tuem a dita heranca, nao pode fazer leilao dos re-
feridosbens por estar pendente questo ptente
o superior tribunal da relacao, em virtude de ha-
ver o Dr. juiz de orphaos em exercicio denega-
dj-lhe vista dos autos para embargos de nullidade
patente dos autos : protesta, pois, o mesmo abaixo
assignado, por bem do interesse dos credores e de
quem mai- direito liver mosma heranga contra o
referido leilao ; assim corqo, se contra direito for
levado a effeito, de rebaver os bens arrematados,
se por ventura dita D. Margarida perder a accao.
Recite i'i de setembro de 1870.
Manoel Joaquim de Miranda Lobo.
P1MVEIR0 E ANTIGO CONSULTORIO
HOMEOPATIH'IO
Dirigido
SANTOS
pelo Dr.
MELLO
Os habitantes do interior podera-no
consnl'.ar por escripto, no qne serio sa-
lisfeitos com promplido.
Presta-se tambem a chamados para o
interior, a preco mdico.
Consullas, no consultorio das 10 horas
ao meio dia.
Chimado?, a qoalquer hora.
Aos pobres gratis.
43Ra do Bario da Victoria43
(Antiga ra Nova).
AMA.
Precisa-se de urna ama que saiba cozinhar e
engommar para casa de familia de duas pessnas :
a tratar na ra do Viseonde de Itaparica n. 51, Io
andar, (outr'ora ra do Apollo).
COMPRAS.
O inuzeo de joias
Na ra do Gabug n. i compra-se ouro, prata
i pedras preciosas por preces mais vantajosos do
jue- em outra qualquer parte.
Lom muito Riior vaniagem compram-se
onro, prata e pedras preciosas eu obras velbas: na
loja de joias do Coracao de Onro n. i D, roa do
Cabngi-
Vr:NDAS.
VJ,
O Costa d1 ra Duqoe ae Casias n. k%
torna pelo presente a liberdade de convidar
aos amigos e fregaezes que sempre o hon-
raram e conlinuam a faze-io com o concur-
se de sua freguezia,- virem visitar o seu
estabelecimerjlo, certo de que nSo deixarSo
de agradar-se, nao s de seos gneros,
como do tratamento e limpeza que a todos
despensa.
GNEROS DE IMPORTACO
Uvas verdadeira Feral
Araeixas secas.
Peras.
Mataos.
Vinh'' do Porto de diversas qualidades
entre ellas a especial qnahdadegloria do
Brasildito em pipas e barris, que re-
commendavel para mesa por ser o verda-
deiro vinbo de pasto, dito verde da me-
nor qualidade possivel-
Queijos flamengos empellicados epratoo
melhor que tm vindo a este mercado.
Ervilhas novas em conserva
Chocolate de especial qualidade.
Bol.fchinlias de especia! qualidadede to-
das as marcas conbecidas.
Mantiga iogleza e franceza de 1* sorte.
GNEROS DO PAIZ
D'jce degoiabt em latas
Quijos de Minas muito frescos e de boa
qualidade.
LAGEDOS PARA. CALCADAS.
Vendem Joo do Rege Lima & Filho : roa
do Apollo n. .__________________________
V1NH0 DO PORTO.
Vinho do Porto fino, de diversas marcas, tem
para vender Joao do Reg l>ma,& Filho, no sen
eseripterio rna do Apollo n. 4
Attencao
Vende-se urna canoa j velha de carregar fij-
los : a tratar na rna Direita n. MI.
Vndem-se partes de um sobrado da rna de
Bortas : a pessoa que pretender comprar dirija-se
a roa Imperial n. 12.________________^^
Vende-se doce de guiaba muito fino por pre-
co mnito commodo : na ra do Rangel n. 9.
Vcnde-se urna caa terrea n. 23 na ra da
Cmceicao da Boa-vista : a tratar com o agente
Euzebio ua rna da Aurora n. 32 A.
Farmhi de Mag
Ra da Pra;a, travessa do Carioca n. 2, vende-
se superior farinba de mandioca em saceos gran-
des, a preco de 6x200 e 6*500 para acabar.
VENDE-SE
urna casa terrea, na ra de S. Jorge (Pilar)
em Fra de Portas n. 60, com duas salas,
dous quartos, cisinha fra, soto com dous
quartos, a quintal; tratar na mesma ra
ji. 23 iafe Vende-s urna casa em Olinda, na rna da
Bica de $. Pedro Martyr : a tratar na ra do Co-
lovell > n. 17.
Farinha da trra,
muilo superior, depositada em barricas, no arma-
zem do Sr. Angelo Bautista do Nascimeato, ao p
do caes dos vapores no forte do M^ttos ; vende-se
aos alqueires, a tratar eon Bernardo Jos de
Araujo no armazem do Sr. Aunes defronte da al-
famkga.

ra do Urgo do Amparo, com exeeJIerr
modos e grande quintal, solo proprie : a tratar n
Recife, rna da Cadeia n. 40.
, CANDIDO ALBERTO SODRDA MOTTA & C.
com eseriptorio e armezem de gneros de estiva
travessa da Madre de Den* n. 14, tem para vender
o segulnte em conserva ptimamente preparado
era Par :
Ervilhas (Pelits pois).
Feijao vkbde (Haiicots veris).
Dito ex grao (dem flageollets).
Esparcos (Asperg s).
Miscellanka de LEOOMEs (Ifacedoiiu legumes).
Sbnouras (Carottes).
Tomates (Tomates).
Catres db Brixellas (Chons de Bruxelles).
Alcachofras (Fonds d artichants).
Esn.VAFRES (Eptnards)
Cgl'SIellos (Champighons).
t (Cpes).
Pastis com truffas (Pals tru/fs).
> SEM TRUFFAS ( tOMS truffis).
Atum c ti azkitb (Ton a Chuile).
Truffas simples (Truffes au naturel).
Sabdinha em tomates (Sarditu etc.)
Galantina com triffa (nlantins avec truffee).
Frango (Poulel).
Pombo com ervilhas (Pigcon avec pois).
Gallinholas (Bcaisones).
Perdiz com azeitonas (Perdix avec olives).
ASSADA ( rol'lt).
Andorinha (Allouette).
Codorniz (Gaitta.
Lamprea (Lamproie).
Picado (Andouillettes t.)
Salxicha (Saucissono t.)
Carne ooizade (Fiincandeaa O.)
Eecebeu-se mais
Um completo e variado sortimento de papis
pintados e doirados de differentes qualidades e es-
qmsitos desenbos, proprios para forro e guarnico
de salas, gabinetes, escriptorio;, etc. Na remessa
desse artefacto tem havido o maior gosto e capri-
cho da parte do nosso correspondente de Parla.
Com urna mdica commissao sobre o custo da
fabrica vendemos este papel, pois desejamos ter
effectivaraente um deposito dessa especialidade.
No armazem de Candido Alberto Sodr da Molla &
C, travessa da Madre de Deus n. 14.
Fumo e papel
Completo sortimento de fumo, tanto para cigar-
ros como para charutos, vindo do Rio de Janeiro,
Bahia e Rio Grande do Snl. Papel de seda, linho
e algodao, de differentes qualidades, proprios p* ra
o fabrico de cigarros. Vende-se constantemente
no armazem de Candido Alberto Sodr da Molla
& C : travessa da Madre de Deus n. 14.
ESCOLA PHARMACEUTICA DE PARS
Medalha de Prata 1860
DE'
LIOUEUR
DROnoncEIVI
GUYOT
EXTRACTO DE ALCATRAO.
nico medicamento npprorado por lodos os
Hospitaes de Tranc, BelRiea e Espanhi como a
melbor prparafao imlanlanc e regulada em
doies da AGUA DE Al.CATRAO.
(Duaicotlicradas grandes de hquid por cada
litro de agua, ou urna collarada pequea, por
cada copo grande.) *
O odliicidor mal* enerKev a* ai-
f-^ eaiouMg, Jroscmo e a
Matara.
Exigir a firma da inventor. > ,
Deposito Gnu CStJ... r ^
Ittia Frud-Boirget, 17
e pars.
Dbpobto : a JNo de Janeiro, Diipoaclicllc; na
Babia, Silv* Lopfs; aa Vernamkuco, P. JfiaMr
x Maranhao, Femir o
r^r
NOVA PADaRIA AMERICANA
Ra dos Pires n. 50
Contina a fazer pao e Bolaxa de farinha espe-
cial de primeira sorte, para melhor agradar aos
seus fregnezes.
Joaquim Rodrigues Ta-
vares de Mello,
TE.M PARA VENDER
em seu escrjplorio, praja do Corpo Santo
n. 17:
Fumo em foi ha
de 1* e 2" qualidade, e vende um ou mais
fardos a vontade dos compradores.
Cal de Lisboa
ultima chegada.
Potassa da Russia.
Farinha de mandloea.
Vinho Bordeaux.
de 1* qualidade. Tudo de vende mais
barato do que em outra qualquer parte.
500
1 m&& a paaviaa
DO DISTIN TO
(porpo patritico de lanceiros
BAZAR DA MODA tem receb'rto ultma-
le nm grande e especial sortimento de
is os objectos proprios para este fim
como sejam:
PARA SENHORAS
Gazes florentinas de lindas c&res, o co-
vado 20000, e outras muitas fazendas pro-
priis, e de bom gosto.
As mais ricas sahidas de baile a 40$ e
45*000.
Os mais bellos e elegantes bournus de
grando Bovid-ide a 165000.
Mantas de la c seda em ponto do ma-
IbaJ e muitos aciorno3 da moda, de 60 a
150C0.
Deticadissimos sintos de fil com lindos
enfi tes de bellissima phantasia a 8000!.
(ollinhas e punhos de grande varie-
dad 9.
(orpinhos de cambraia, enfeitados de 60
a 1 50000.
Luvas de pellica muito fresca, grande sor-
timitoto, e mnitos outros artigos proprio
ao im, tanto em fazendas como em miudc-
zas e perfumarlas."
- PARACAVaLHEIROS
Gravatas brancas, no que ha de taelhor,
com laco e para dar lar;o.
Camisas deli.iho'muito finas, simplemen-
te bordadas de muito gost 705OO;
Gollarirmos bordados e lizos. *
Luvas fresquisimas e grande sortimento,
tudo se vende o mais commodo possi-
vel.
Jos de Souza Soares & C.
Para a fesU do hospital por-
tugnez.
Recebeu a loja do Passo os mais modernos cha-
peos denominados Frof, gosto inteiramenie. novo
em Paris, assim como ricos sintos de fil de seda,
eotremiado com setim de or ; e outros mnitos
objectos de gosto, c;>mo sejam : chapeos de velludo
preio, chapelinas de palha de Italia, saludas de
baile, sedas de cores, novidade, cortes de seda,
gosto escocez, especial'.dade ; cortinados de crox
para camas, ricas basqninas de gorgurao preto,
etc.. etc. : na loja do Passo ra Io de Maree
n. 7 A.
Vendo se u:ua taberna com alguna comino-
dos na travessa ds roa das Cruze* n. 6 : a traiai
na mesma com o dono, abaixo assignado.
J ti de S Lopes Fernand.s.
I
Vende-se um giandn sitio perto da pra^a e da
via-ferrea do Apipucus, com grande casa, tendo 4
salas, 8 quartos, so'.aa, cozmha, cocheira, estriba-
ra, quartos para pretos, tanques, boa agna de be-
ber, mnito fresco, bem arborisado, e grande terre-
no para plantacdes, tendo mais independen!" urna
peqoena casa com commodos : a tratar na ra da
Cadeia n. 10, 2 andar, das 10 horas as 3 da tarde.
Potassa di Russia a 200 rs. a librav
Cal de Lisboa.
Cera em vela?.
Di ta em grume.
V nho do Porto superior engarrafado.
' de dito bom dem.
Dito musatel de diversas marcas dem.
D|tn tinto Palmella superior idem.
D io dito Vermoeira idem.
Dito dito lavradio idem.
Dito branca Carcavellos idem.
.D:to dito Bucellos idem.
dldeiras de ferro fundido para engenhos.
No eseriptorio de Oliveira Filbos & C. ao larg
do Corpo Santo u. i9.
-3 Vend se um sobrado com commodos par
osa familia, mnito frese?, chSos preprios, e
poder dar o valor, em Olinda, ra
tro Cantos n. 14 : a tratar no rn
qualjuer hora.
ira lar c
do largo do Cirmo n
d, e tem pouws fun-
i ra Direita n. 31,
BUSICA.
Sahiram luz
As ras em contra !an(;a.
Linda quadrilha para .piano por Colas bino,
Flor da Boa-vista, valsa: a venda no grande ar-
mazem de pianos e e msicas de Azevedo, rn
Ni va n. H, hoje rna do Baro da Victoria,
N. B. Roga-se aos Srs. assignantes de rainda-
rem buscar as pecas de-suas assignatura
Ultimas publicacoes da imprenta naciocal
de msica. ^fcs'"
N. 1. Piano. Annetia, polka brilbante. por I.
Smoltz, 2J000.
N. 5. Puno. Minerva, polka brilhante, por Colas
FilhO, 1J.
N. 3. Piano. Chico Biabo, poikirbrlhante/pcr
, 300.
N. 4. Piano. Uina lagrima, Mazurka, por Ma-
tlleeB. Zui-chj. Iff.
S. 8. Piano. Morte de Lopes, polka marcial, por
N. 6. Piano, La Grande Duehess, polka por Lu-
cien LaniBert, 1.
N. 7. Piano. Carmen, Ahita, La Playera, 3 pol-
kas dos cavalhnhos, {.
N. 8. Piano. Le Suuvenir, valse de saln, per
E. Casalbore, i*.
N. 9. Piano. Santioba, Marera. 2 valsas dos ca-
vallinhos, 15000.
N. 10. Pianr. Chant D\)i>e;,ux, polka, por E.
Casalbora, 1*. x
N. II. Piano. A flor da Loa-vi-;, valsa, por
Jos Coelho da S. A., 15.
N. 12. Lygrimas d'Aurora, Mazurka, or. J.
P., U.
N. 13. A c-trada de ferro, qoadnlha, por Hf-
riqne Albertaz?i, l.
N. i\. Canto. Saula Lucia, bare>rula m\
tina, por Guanaro Arnand. Ijt.
N. lo. Canto, Marta Aria, para M. S. M' aqqari
tuti' amor, de Fluiow.
N. 16 As mas em eontradsnea, qcadiilha, per
Colas Filh ., I.__________________________
Rival sem segundo,
(Antiga roa do Queimadoj
Contina a vender tudo muito bom e
muito barato a saber :
Libras de areia preta muilo boo. 120
Tesouras finas para cobas e costu-
ra a......., .
Papis de agulhas francezas a ba-
lao a......... 60
Caixas com seis saborees de fruta I000
Libras de la para bordar de todas
as cores a.......6T000
Carriteis de lidia Alexandre a. i
Frascos com azeite pura machines1 500
Gravatas de cores muito finas a 50
Grozas de bolbes madepersla li-
nissimo? a....... 300
Nove.llo de linha de 400 jardas a.
Caixas com 100 envelopes iar.iio
superiores 'a......
Pentes volteados para meninas a.
Tinteiios com t'nta prel.i a SOrs. e
Pegas (le fita elstica muito lina i
Lata com superior banba a uO e. 200
Frascos de oleo Pliilocomo maito
fino a.........
Frascos de macaca perola a. .
Frascos de extracto muitd b Ditos a
Duzia do saboneles rnnio finos a. '
Sabonetes inglezes a G00 rs. e. 1(5200
Frasco com agua de colonia Piver a 500
Dito de oleo bah ,zn a..... BOO
Caixas de lamparillas a. 40
Sabonetes a forma menino ntoito
. superiores a....... 240
L.artilhas da doutrina fazenda nova a 4O0
Libras de linha surtidas de todos os
nmeros a.......800
Capachos mnito bonitos e grandes a 700
Carriteis de retroz ir- to, com 2
oitavas a........ 640
AgUlheiros de osso etif 240
Libra de linha franceza supe;ior
qoalidade a.......24400
Caixas de paiiio di Ra a. 20
A ruado Duque de Caxias n 21.
(ANTIGA R DO QUEMADO)
Recebeu seguirte.:
E-pelhos grandes dourados, moldes bonitos.
Carteiras, chacuteiras e port-cigarros de muita>
qualidades.
Bonitas pastas para papis, simples e matisadas
Boas caixas va?ias para costura cun sua compe-
tente chave.
Delicadas caetas de marQm com o bocal ds
prata.
Modernos pentes de tartanign, sobresahindo en-
tre elles os mimosos telegrauhistas.
Commodos toucadores com duas gavetas e bm
espelho.
Porl bouquet, o que de melhor tem appare-
cido.
Port rekigis de muitas qualidades.
Bons talhere para crianzas.
Vostuarios, cbapoziuhos, toucas, sapalos e meia
para baptisados.
Toalhas e fronha de labyrintho.
Chapeos e chapelinas para senhora, molbs nov
e bonitos.
Chapozinhos gorros e bonete para meninos
meninas.
Contra as convulsas cas
crianzas
Vende-sp os verladeiros collares na Nova Espe-
ranr.a, ra do Duque de Ctxias n. ti.
PARA TLN'GIU CABELLOS
para prelos nu castanhus, reenoeu a Nova Espe-
ranca a verdadeira tinta inideza.
PARA ACABAR COM AS SARDAS
ou pannos, ie:n a Nova Esperanca' o Verdadeirc
leile de rosas'branea-
AGA DE FLOR DELABANJA.
Vende-se na Nova Esperanza, ra do Buque de
Caxias n. 21.
PAPEL PARA ENFEITAR-SB BOLOS
recebeu-os muito lindos a Nova Esperanza, roa
do Buque d>' Cax3- n. ii.
PARA AMACIAB E A FORMSE AR A PELLE
tem a Nova E-peranca es sabonetes de pos de
arroz.
A
Para baile
Lindas bareges de seda, fazenda muito
propria para baile : na loja da Turqueas
ra do BarJa da Victoria n. 9 (antiga
2
Cal nova de Lisboa
A 50000 o barr
1 Wnim n. 8'1.
tratar sa
.:m.-


6
Uiaru
Pemambuco
CJ.
a Hj
fi.
X
GRANDE
BAZAR DO
m-Mk DA
DE
PEREIRA DA SILVA i C.
Neste imDcrtanle estabeiecimento encontrar o respeitavel pnbHco, na gnradee variado*orthflento de fazendas do mus
aparado gosto e todas de primeira necssidade, que se vendem mais baratas do qne em onlra qualquer part, valo qae o* do-
tos socios desta firma, adoptaram o systema de svenderem DINHEIRO ; pira .poderem vender pelo costo, limitando-se apenas
a-gaobarem o descont ; as pessoas qoe negociam em pequea esca'a nesti loja e amazem. pedero fazer os seas sottimentos
petos mesmos procos que compram as casas inglezas, (importadoras) e para maior cowaodtdade das Exmas. familias e daro
amostras de todas as (aseadas, ou Ibes levam em suas catas para escolberem.
PICHINCHA EM CASEMIRAS A 4000. CORTES DE LA ESCOCEZES A 60000 CAMISAS DE ERAPffiLLAS A 35500.

No Bazar do Pivio vendimie nm boDiio
sortimento com todos os lmannos das me-
maogas, taolo proprias para homBns Como
para seDhoras e veode-se a 35000 cada
No Bazar do Pavo fez-se orna grande Vndese booitos cortes de 15a escocers.
compra em um leilSo, das mais finas vindo cada om em sea papel, pelo barato
easemiras inglezas qae tem vindo a es- preco de60000 cada um; no Bazar do Pa-
te mercado, tendo cores claras e escaras, vao.
todas coaa padrees serios, oroprios para ORGANDYS BRANCO E DE COR
calcas, palitos e colletes; vende-se a 4*000 No Bazar do PavSo vende-se os mais urna, eqoem comprar de meta dmia para
eovado, o qae em oatra qaalqner parte bonitos e mnito finos organdys com listas cima ter om abatimeoto, Slo de maita
ao se vende por menos de6$; grande largas e miadas 13000 a vara, ditas lilas, otihdade.
vantagem. faienda demoita pbantasia 800 rs. a vara, raooe pcbucha oa canto iaglaias a -U430O
BRINS DE LINHO DE COR A 1*200 ditos d cores, finissimos padr8, ioteira- No Bazar no Pavo fcz*se urna grande com-
No Bazardn Pavo, fez-se ama grande mente novos 80J rs. vara: pechincba. pra era leilio, de finsimascamisas iogle-
rompra de puros brins de linho, maito en- GROSDENAPLES PRETOS zas ccm pettos e panbos de Imoo, sendo
Chegon para o Bazar do Pavo am gran- com collariobos e de todos o nomeros a
de sortimento dos melbores gmsderuples 4*000 cada urna, ditas sem cotlarinhos,
pretos qoe t^m vindo ao mercado, qae se porm fazeuda ni&sima a 4**00; grao-
veodem de 1*600 at 53000 o eovado ; de pechincba.
A Nova Esperanza
iRa lana^^^KaxIas91
Qoando a N0VA-E9WIANCA faz os seos
ara freguezes e,a,
todos em geral: agrande sortimintoTe su-"
periondade de seas objertos nao com vis-
tas de atrair a attencao de ama grande fre-
guezia, como a de qoe actualmente-despoe,
e sim pana seientifkar (a interese de todos)
a qaalidade de seus objeetos os qnaes so
sempre d< aparado gostoe perfeicao; tor-
aando-se qnsi iadispensavtl para aqoelles
apreciadores (do bom) freqtenlafem a No-
va Esperanca, pois qneella capricha em re
ceber constantemente, o qoe ba de melteor
relativamente a sna reparticSo: o qoe se po-
der verificar quand em qualquer rooniao.
de pessoas (amaatea do xiqae) v-ae om
bonito enfeite em um botaito vestido- ora
aroma agradavel escapar d'am alvo lenco,
um moderno e linde toco, um dilicado ra-
mo de finas flores, ete. *>tc, lodos olbam-se
reciprocamente e dizem com sigo (e as ve-
zes ans aos mitros) estes slo objeetos
comprados a NOVA-ESPERANCA: realmen-
te IIII procurar descrever em aBacios os
artigo* qae contera dita loja, seria trabalho
insano e nunca o fariamos com aquella
graca e perfeicao com que sao ells fabrica-
G
nlfft
Quando a AGUIA BRRNCA, mais precisa aeientiflcar ap respeitavel publico
geral, e em particular a soa boa fregota, da immeMidade de objeetos que ultimam
tetera recebido, justamentefrjnando-elU menos o pode fazere porque, essa falta invo-
mntiria ella confia e espera na benevolencia de todos que lh'a attenderfo e ratanrfe?
codtauando portanto a dirigirem-se a bem coobecida leja da AGUIA BRANCA roa do
Queimado n. 8, onde sempre acharo abundancia em sortimento de superioridade ea
qaaldades, modicidade em precos e o seu nunca deamenttido AGRADO E SINCERIDADES
Do qne cima flea dito se eonhece que o lempo de que a AGUIA BRANCA podo
dwpor, empregado apezar de seo cusios nodesempenho de bem servir a aquellos qoe *
horattm procurando prover-se em dita loja do qae necessitam, entretanto sem enrase*
rar os objeetos que por soa natureza sao mais conhecidos ali, ella resumidamente indi-
car aquellas cuja importancia, elegancia e novidade os tornam reeommendaveia,
bem seja
eorpados, proprios para calcas, palitos, Gol-
letes e roupas para meninos, por serem de
padres miudiohos ; garante-se que nao ba
brrela que lhe tire a' cor, e vende-se a
f*2O0 o metro desta excellente /azenda.
MADAPOLO FINO A 6*400 A PECA.
No Bazar do Pavao veodem-se pecas de
maadapolSo fino de maito boa qualidade,
tendo 22 metros u 20 -aras. cada peca,
pelo barato prego de 6*000, por se terem
comprado am poaco enxovalbadas; pe-
sbincba.
CHITAS ADAMASCADAS A 240 RS. O
COVADO
O Bazar do Pavo veode omito boas chi-
tas inglezas incarnadas adamaccadas, pro-
prias para cobertas e cortinas, sendo fazen
da que em qualquer loja se vende a 320 rs.
e lquida-se a 240 rs. o eovado; s o Pa-
tio.
TOALHAS A 7*500
No Bazar do Pavo fez-se ama grande
compra de toalhas alcochoadas, proprias
para rosto, bastante encorpadas e grandes,
que sempre se venderam a ^12*000. e li-
quidam-se a 7500 a duzaou a 640 rs.
cada urna, boa pechincba.
CHAPEOS PARA MENINOS A 2*000
O Pavo vende utm grande porco dos
mais bonitos chaposinhos de palba da ta-
ha proprt'os para meninos de todas as Ida-
des, sendo chapeos que valem 5*000 e ven-
dem-se a 2*000 cada um, muito barato.
CHITASE RISCADINHOS MIUDINHOS
200 RS.
O Pavo vende chitas ou ri.-cadinhos miu-
d>nhos c6r de rosa e rxinhos, proprios
para vestidos e roupas de cranos a 200
rs. o eovado. S5o muito baratos.
LASINHAS COM PALMAS E SEDA
CheKOU para o Pavo o mais bello sorti
m"Uto das mais brillantes laasinbas claras
com bonitas palminhas, de seda; ten o lar-
gura de chita francea e vende-se a 1*000
o eovado grande pechincba.
ALPACAS MATISADAS A 640 RS. 0 COVADO.
Vondem-se as mais mnderna; e bonitas
alpacas matsada* com palminhas, muito
proprias para vestidos de senbora e da me-
ninas pelo barado preco de 640 rs. o eova-
do ; sao mnito em conta.
PARA NOIVADOS CORTINADOS, COLCHAS.
Chegou para o Bazar do Povo um gran-
,1a sortimento dos mais bonitos cartinados
bordados, proprios para camas e janellas,
qoe se vendem de 10* 00 al 20*)?0 o
par. a?sim como o melbnr damasco com 8
palmo- ile largura a imitaco de damasco
de seda, proprias para colcha, e propria-
mente colchas de damasco, send os melho-
res e mais bonitas que tem vindo ao mer-
cado.
SEDAS DE LISTRAS.
No Bazar do Pavo vende-se urna grande
qnan'liade das mais elegantes sedas com
Aistrinhas, tendo de todas as cores e at
furta-cr ; fazenda que ningueai vende por
menos de 2*400, e liquida-se a 2*000 cada
cjalo; sao maito baratas.
SEINSDE CORES E GROSDENAPLES.
No Bazar do Pavo vende-se nm sortimen-
to completo dos melncres setins e grosde-
naples de todas as cores, qoe se vendem
muito em conta.
POUPELINAS DE LA A 400 RS. O CO-
VADO
No Bazar do Pavo vende-se um elegan.
le sortimento das mais bonitas poupelinas
de la com lista1: miudinnas, sendo todas
qoasi de ama s cor, 400 rs. o eovado ;
o baratsimo..
GR\NDE PECHINCHA EM LASINHA
A 640 RS.
N) Bazar do Pavo fez-se urna grande
compra de lasinha par,a vestidos, sendo de
muito b'* qualidade, amas com listas e ou-
t<-as com mselas, e muitos largas, qoe com
p neos covados se fiz vestiio e liqaida-se
440 rs. fazenda qne sempre se venden a !*.
ALPACAS PARA VESTIDOS FURTA
CORES A360RS.
i !e se nm bonito sortimento das mais
brillarles alpacas escuras furta cores,
sendo maito encordadas e tendo um brilbo
como seda, liqaida-se pelo barato preco de
30 rs. o eovado por se ter feito ama gran-
de compra.
POUPELINAS A 400- RS.
No Bazar do Pavo vende-se um elegante
sort melo das mais lindas poupelmas de
13a com os gostos miodinhos sendo quasi
ama s cor e co h muito brilbo, pictiin-
cha b 400. rs. para acabar.
CHiTAS A 2* RS, O CORTE.
No Bazar do Pavo vende-se cortes de
cb'rta miudinhas, sendo rocha e cor de rosa,
tendo 10 covados cada corte a 2* vende-se
a retalho a 200 re. o ovado, pechincha.
CASSAS A 200 RS.
Ihores oamiani le flaneila de 13a, nm dos, assimpoi a NOVA-ESPERANCA con-
tenta se em convidar a todos geralmente,
visitarem-na para ento icaram intei-
rados do que ha exposto na mesma loja.
tiRa Duque de Caxiaa ti
so rntrn*
VEME-SE
0 ora ptimo terreno murado, pe- flfr
A dran. so!eiras> vergas, cpo9 etc., MK
X para edifleaco de ornas quatro ^
0 A viuva do finado Henriqne Jors ten- >
CAMISAS BARATAS a 2*800.3*000 e 2*600
No Bazar do Pavo ven dase urna gran-
de porco de easemiras moscladaa, maito
sao todoa muito em conta.
CAMBRAIAS TRANPARNTES
No Bazar do PavSo vende-se um grande
sortimento das melhores cambraias bra cas'encorpadas a 2*800, ditas fioissimas com
transparentes, tem de 3*5JO at 10*000.msela de seda a 3*200, ditas modernas
peca, ditas saissas finissiiaas com 8 pal- de quadros, fazenda de moho gosto a
mos de largura a 2*000, 2*500 e 3*000 3*600 o eovado ; aproveitem.
No Bazar do Pavo liqaida-se urna por-
cSo de cassas francezas miadas e graudas,
i cores fins, qae se vendem pelo baraiissim tissimo preco de 4*5 J cada um,
preco de 200 rs. o eovado para acabar.! chincha.
vara, ditas victoriaa e tapadas da mata-infe-
rior at a mais fina qae vem ao mercado;
tudo isto se vende moito em conta.
MANTELLETES DE FIL
Na Bazir do Pavo vemle-se modernissi-
mos mantelletes ou basqninas de fil preto,
om laco, pelo barato preco' de 10*000 ca-
da om, barato.
PANNOS PARA SAIAS A 1*000, 1*280 E
1*600 O METRO
No Bazar do Pavo vende-se bonita fazen-
da branca cncorpada para saias, sen Jo com
babados e pregas de nm lado; dando a lar-
gara da fazenda o comprimeoto- a saia, a
qual se pode fazer com 3 u 3 1)2 metros,
e oende-se 1*000 e l*i80 e 1600; assioi
como tambem no mesmo estabetlecimento
se vende bonitas saias brancas bordadas ten-
do 4 palmos cada urna, ditas de la de
cores j promptas urnas com barras dille-
rentes, da mesma fazenda 4*<\X) e orftras
com barras bordadas 6*000 e 7*000,
todo isto moderno e barato.
ALGODO ENFESTADO PARA LENQES.
No Bazar do Pavo veod-se o m?Ihor al-
gododnho americano enfestalo para len-
Ces, tendo liso e eotrancado por preco
mnito barato.
ESPARTILHO.
No Bazar do Pavo recebeo-se am elegan-
te sortimento dos mais moderos e melho-
res espartifnos, que se vendem por preco
muito em conta.
PANNOS DE CROCH PARA CADEIRAS
O Bazar do Pavo recebeu am grande
sortimento dos melbores pannos de croch,
proprios para cadeiras de balanco fofas,
pianos, tamboretes e al proprios para cu-
brir almofadas e pratos; vendeado-se por
ffienos do que em qualquer parte.
Lasinhas tranrparenles i SOO rs. o eovado
O Jav3o r9cebeu um bonito sortimento
das mais elegantes lasinhas transparentes
proprias para vestidos, qoe vende a 500 rs.
o eovado; maito barato.
PARA LENQOES
No Bazar do Pavo veode-se soerior
bramante d'algodo com 10 palmos de lar-
gura a 1*800 o metro, dito de linho coro a
mesma largura a 2*800 cada metro, pannos
ds linho do porto com 3 1/2 palmos de largura
de 720 at 1* a vara, assim como umgiande
sortimento de H mborgo ou creguella> de
todos os nmeros, precos ou qualidaies,
que se vendem mais barato do qne em ou-
tra qnalqner pirte ; aproveitem-
ATOALHADOS
No Bazar do Pavo vende-se snperior
atoalbado trancado, cora 8 palmos de larga-
ra a 1*600 o metro, dito de linho adamas-
cado o melhor que tem vindo ao mercado a
3*500 o metro ; tudo isto muito barato.
Baloes reguladores a 4*000 4*500 e 5*000
Cnegaram ao Bazar do Pavo o mais bem
feitos baloes reguladores, sendo de fusta-j
a 4*000, ditos de musselioa a 4*500, di-
tos de lasioba de todas as cores a 5*000,
todos el les sao mutto baratos.
Panno preto mnito barato a 3*600
O Bazar d) Pavo recebeu urna grande
porco de pecas de panno preto fino, com-
pradas em leilo, qoe sampre se ven leu a
5*000 o eovado e pode liquidar a 3*600,
por ser urna excellente compra,
BAREGES A360RS.
No Bazar do Pavo vende-se um bonito
sortimento dos mais lindos ba-eges lista-
dos para vestidos, qae yalein maito mais
dinheiro e liquidi-&e a 30 rs, o eova-
do, ditos maito mais fiaos com listas a 400
rs, estes bareges sempre se venders a
640 e 800 rs., grande pechincha.
GUKGUROA640 RS.
No Bazar do Pavo vende-se um bonito
sortimento dos melhores gurgurdes de la
para vestidos sendo ama linda fazenda,
muito leve, meia transparente e muito lar-
ga com furta cores e liqaida-se a 640 r.s.
o eovado por se ter feito grande pecbincba
oa compra.
COBERTAS A 3*
Vende-se cobertas de chita encarnada
adamascada a 3* cada urna, pechincha.
CORTES INDIANOS A 49500.
No Bazar do Pa^o vende-se benitos cor-
tes indianos com duas saias peso bara-
pe-
0
TAPETES
Chegou para o Bazar do Pavo o mais
elegante sortiment' de tapetes grandes, pa-
ra sofs, com 4 cadeins, ditos mais peque-
os, para duas cadeiras, ditos para
pianos, camas, porta ; etc. vende-se por
menos do que em. outra qualquer parte.
COLCHAS BKANCASA 3*200,3*500 E 7*
Para o Bazar do Pavo chegou um gran-
de sortiment) das nelbores colchas de ftis-
to, s ndo das melhores e maise corpidas
que tem vindo, a 7*00 ditas um poaco
mais abaix a 3*800, o ditas a 3*000;
tambem no mesmo estabeiecimento se ven-
de um grande sortiment > da crotones e chi-
t s, proprias para colchas, que se vendem
muit. em conta-
GORGUBES OU POUPELINAS DE SEDA
2*000 CADA COVADO.
Cheg u para o Bazar do Pavo um ele-
gante sortimento das verdadeiras poopelinas
de linho e seda, com os mais modernos
gostos, que se vendem a 2*000 cada eovado,
o que em oatra q jalquer parto nao se ven-
de por menos de 2*500, previne-se que nao
sao algodao e seda, como ba muitos; mas
sim puro liobo e seda ; sao muito baratas.
ROUPAS PARA HOMENS
No accreditado Bazar do Pavao encontra-
r o respeitavel publico om grande sorti-
mento de roupas /para bomens tanta bran-
cas como de cores, a saber :
Camisas con* peitos d'algodo e de liobo,
para todos os precos e qoadades.
Ceroulas de linho e algodo.
Meias cartas francezas e inglezas.
Palitos sobrecasacos de panno preto e
casemira.
Calcas de brim branco e de cores
Ditas de easemiras pretas e de cores, com
cohetes iguaes
De todas estas roupas ba para todos os
jrecos e qaaldades, e tem de mais mais
um perito
ALFAIATE
Por qnem se manda fazer com preslesa
e aceio qualquer peca de obra a capricho
ou gosto do freguez, tendo n'este importan-
te estabeiecimento todas as qualidades de
panno fino, as melhores e mais moder-
nas easemiras, assim como os melhores brins,
qur brancos, qnr de cor; e qaando qual-
quer obra nao ficar ioteirameote ao gosto
dos freguezes fica por conta do estabeieci-
mento.
CHALES DE MERINO
Chegou para o Bazar do Pavo nm elegan-
te sotment) de chales de merino de cores
muito bons com padres maito decentes
para qualquer urna senhora usar, ditos de
crpon com listas de seda o mais fino e
moderno que tem vindo ao mercado, e ven-
de-se por preco muito em conta.
BABAD1NHS
No Bazar do PavSo vende-se om grande
sortimento dos mais finos babadinhos borda-
dos tapados e transparentes, assim como
ama grande porco de.entramaios largos e
estreitos, que para acabar te vende mnito
em conta e mais barato do que em oatra
qualquer parte.
FAZENDAS PARA LUTO
No Bazar do Pavo veode-se constante-
mente o melhor sortimento de fazendas
pretas para loto, como sejam :
Laasinbas nretas lisas.
Cassas pretas de la.
Cassas pretas, fraoeezas e inglezas, lisas
e com salpicas.
Chitas pretas de todas as qaaldades.
Alpacas pretas lisas.
Ditis lavradas com branco.
Merinos, cantos, bombazinas, qae so
vendem mais barata do qne em oatra qaal-
qner parte.
CHITAS PRETAS A 200 RS. O COVADO
No Bazar do Pavo vende-se chitas pre-
tas inglezas com salpicos 200 rs. ocovado,
ditas todas pretas, por estarem am pouco
russas, 12 J o eovado; pechincba.
O proprietarios d este importante esta-
bel'.ecmento rogam ao respeitavel publico e
particularmente s Eimas. familias o favor
de se darem sempre ao trabalho do lerem
os seas annuncios, pela raz3o.de muitos
d'alies screm modados amiudadas vezes.
CACHE-NEZ A 6*000.
No Bazar do Pavo vendein.se bonitos e
grandes cachi-nez de pura la, pelo bara-
to preco de 6*000 cada om.
do recebido em pariUha pelo juizo de or-
m phaos ben para o integral pagairenio
jS das dividas restantes de seu casal, vende
o exeellenie ten-eoo foreire, maradt, da
ft travessa da Concordia entre o sobrado do
J& Dr. Beltro e a carrc-ir de casas terreas
do lado do snl, comprehendendo ua venda jft
~ as roeiac.06s dos dous oil5es, entre os ^
X fluaes ept situado o terreno ; e bem as-
sim urna poroio de peoras de varios U-
~ manhos e qualidades, proprias para edin-
5| eacoes : o que todo pode ser visto e exa-
minad" pelos pretendeotes do lagar indi- Ify
^ cado, qualqoer hora, nos dia uleis : .
a tratar na ra do Queimado, ou Duque ?
S de Caxias n 28, t andar, das 10 horas &
*E da manhia s 2 da tarde.
Corpinhos de cambraia, primorosamente
enfeitados cora fitas de setim e obras essas
cuja novidade de molde e perfeico de ador-
nos os tornam apreciados.
Fitas mni largas de diversas cores efqaa-
lidades para cintos.
Loques oesse objecto maito se pedera
dizer qoerendo deseme-losminucwsaraente
por suas qualidades, coree e desenbos, tal
o grande e variado sortimento que acaba
de chegar, mas para nao massar o preten-
denlte se lhe apresentar o que poder de
mentor.
Entremeios em pecas de 12 titas.
Goipure branco e preto de diversas qua-
lidades e desenhos.
Ditos de algodo com flores e lisos.
Veos de seda para chapelinas e monta-
ra.
Metas de seda para noivas.
Ditas abortas de fio de Escossia.
Costantes ou uniformes para meninos.
I'nxovaes completos para baptisados.
Touquinhas de fil, sapatinhos bordados
e meis para ditos.
Camisinhas bordadas para ditos.
Capailas brancas para Menina.
Glandes sortimento de florea final.
Fil de seda, preto.
PERFUMARA,
Grande e constante sortimento de ditas
sempre melbor quajidade.
Lindos vasos com p de arroz e pinse,
Caixinbas com ditos aromticos.
Bonitos e modernos perrtes dourao
para circular o coque.
Bonitos brincos de plaquee.
Aderecos e brincos de madreperolr.
Caivetes finos para abrir latas.
Thesouras para frisar babadinhos.
Aspas para bailo.
Notos stereoscopos com 48 vistas, as
quaes sao movidas por um machinisma
urnas substituem as outras.
Vistas para stereoscopos.
Bonitas caixinbas de vidro enfeitados com
pedras.
Ditas de madeira envernisada com vispo-
ras e com dminos,
Bollas de borradla para brinquedo de
enancas.
Diversos objeetos de porcelana, proprioa-
para enfeites de mesa e de lapinhas-
VERDADEIRO LE BOT
de lldltlET, Doctenr-Hedcdn
Ruede Saine, 51, A. PARS.
Em cada garrafa, val. entre a rolna e o papel azul
qoe leva o oicu sinete, um rotulo impre&so em ama-
relio com o Sello Imperial do coverno francez.
N.B. Bemet-
tendoseumaleltra
de 500 francos so-
bre Pars, aceilavel
a 60 das de vista.
ao miximo,goza-se
do abat ment e de
maier detconto.
0 Bazar do FavSto sito a ra da Imperatriz n. 60, esta' oonstaaitenieiite aberto
das 6 horas da maalifta as 9 da noute.
Cal de Lisboa.
Vende-se cal do Lisboa, a ultima chegada ao
mercado, por preco rasoavel : no armazera de
Manocl Teixeira Basta*, ra do Commercio n. 13.
Farinha de matidioca.
Vende-se superior farinha de mandioca, vinda
do sertao do Cear^, em saccas de 2 l|2,e 3 al-
queires cada sacca. por preco mdico : ra do
V'igario n. li, escriptorio de Jos Lopes Davim.
CEMENTO
O verdadeiro portland. S se veode na ra ds
Madre de Dos n. 22, armazem de Joao Martina de
barro
Vende-se
Caixilhos para janellas, portas e npas.
Vendem-se 27 calxilnos para janellas, comple-
tos, assim como portas para o inferior de qualquer
casa, tudj em bom estado e por preco commodo,
bem como 700 ripas de emberiba : a tratar na
roa do Imperador n 53, 2 andar, ou no Caldei-
reiro na casa em concert junto a estacao do ca-
minho de ferro de Apipucos._______^__
Pechinchas novas
NA
Loj Flor da Boa vista
DE
Paulo F de 11. Guimares.
Lias para vestido, fazendas todas novas, eova-
do 200 a 500 rs.
Cambraias de cores francezas para acabar, eo-
vado 200 a 320 rs.
Chitas escuras e claras cores Oxas, eovado 240
a360rs.
Laa Amelia, fazenda nova, eovado 600 a 600 rs.
Brim pardo trancado, boa fazenda, metro 500
a 500 rs.
Peca de algodao *e madapolo, cambraias trans-
parentes e victorias, pregos mnito baratos : na
rna da Imperatriz n. 48. junto a padaria franceza.
Bichas hamburgnezas
Neste novo deposito recebe-se por todos os pa-
quetes translancos bichas de qaalidade superior
e vendem se em caixa oa porco mais pequea,
e mais barato do que em ontra qualquer parte :
na roa da Cadea do Recife n. 51, f andar.
CHARUTOS
da Baha
do acreditado fabricante Joaquina Jos dos Reis,
exportadores Basto & Sobrinho, vendem-se pelos
segamtes precos, na rna Direita n. 31 :
Exposicao a 5J6Q0 a caixa de -100.
Riachuelos a 4460 a caixa.
Lyricos a 4<200 a caixa.
Havana a 4*206 a caixa.
Regala d'EI Rei a 5*600 a caixa.
Dita imperial a 2k600 a caixa.
CANTARA DE LISROA.
Soleiras, hombreiras e capiteis : tratar no
armazem da travesea do Corpo Santo n. 25.
Para cigarros
Excellente papel de linho muito proprio pra
cigarro* : no armazem de Tasso Irruios & C. ra
do Amerim a. 37.
0 COLLAR
I
N.HRMDOGMaPi.a
O
S-
05
0
Com este titulo acha-se aberto 6 ioteirameote transformado este antigo
estabeiecimento de joias, onde os freguezes e amigos encontrarlo tudo quanto
a moda e o bom gosto tem inventado na arte de ourivesaria, o Collar de Ouro
observar delicadeza no trato e senciridade e modecidade nos precos.
Espera que o respeitavel publico venha ver o que existe de melhor em
aderocs de brilhantes, esmeraldas, robins e perolas, meios aderecos, pul-
ceiras, brincos, alflnetes e anneis de todas as qualidades, prata de le faquei-
ros, colberes, paliteiros salvas e outros muitos objeetos que seria enfadonho
mencionar.
Compra-se ouro, prata, brilhantes e pedras finas, pormaior preco do
que em outra qualqoer parte, troca-se e concerta-se todo e qualquer objecto
pertencente a esta arte.
GMffl LIQDIBAAO'
Lonrenco P. Mendes Guimares
RUADA IMPERATRIZ N. 72
Tendo resolvido o seo propietario liquidar todas as fazendas existentes as loja
aribaldi e Arara, convida mo respeitavel publico, amaote da economa, visi'jrem a
hja da ra da Imperatriz n. 72, pois s deseja apurar o dinheiro.
Arara vende madapoiao eafestado a 355001 Para liquidar vende bramante de li-
peca, ditas de 24 jardas a 55000, 05jOO, nho e algodlo a 1^800 o metro, dito de
r}05OO, 7$000. 85000, 95000. e 105000. linho puro a 25800, esta fazenda pro-
Vende-se cortes de easemiras d'i cores pria para leuces e toalhas por ter 10 pal-
para calcas a 45000, 55000. mos largura.
Para liquidacao vende-se algodao de lis- Vende-se cortinados para cama r*ne&za
t*as proprio para calcas, camisas e saias
para escravos a 460 rs, o eovado.
Na ra da Imperatriz vende-se chailes de
Qierin estampados e de barra a 25000,' liquidar.
5500 e 35UO. Vendeo-se
Arara veode cortes de casemira preta
ppra calca a 3550O, 45000. 55> 00, 65000,
75000, e 85000.
Para liquidacao vende-se brim pardo liso
bpm a 500 rs, o metro, dito transado a
720, 900, e 15000 o metro.
Para a cabar vende-se duzias de lencos
b-ancos de cassa a 25000, e 356O0, ditos
dfe linho a 55000, 65'>00. ,-
Na ra da Imperatriz vende-se cobertores
de algodo a 15100 e corbertas de chita a
15500.
Para liquidacao vende-se cortes de casto-
ras para calcas de bomem a 500 rs.
I A Arar vende chitas largas para vestido
a 240, 280, 320, e 360, rs. o eovado.
O barateiro vende percalas finas para
vestido a 440, rs,.o eovado.
Em liquidacao vende-se alpacas para ves-
tidos de Sras. a 500, rs, o eovado.
A Arara vende laaz'mhas para vestidos de
Sras. a 320. 400 e 500, rs, o eovado.
O Guimares vende raorsulina de cir
para vestido de Sras. a 440 rs. o eovado,
dita branca a 5D0 rs.
' O Men les vende CustSo de cores par-
vestidos de seahoras a 360, o eovado.
O Lourenco vende cassas finas para ves-
tidos 240, 360, 400 e 440 rs. o eovado.
Arara vende alpacas de lista para vesti-
dos de senhoras a 500 rs. o eovado, ditas
lisas a 500 e 640 rs. ocovado, ditasjtaatisa-
das a 640 rs.
a 15400 o cortinado para liquidar.
Arara vende cortes de chitas para vetlt*
dos a 25500,25800 e 35200 o corte para
cortes de cassa a 25500 o
corte s na liquidacao a da imperatriz.
Veode-se cortinados para janellas a 6
a peca para liquidar.
ECONOMA
Vende-se duzias de collarinhos de pa-
pel a 240 rs. para acabar.
Arara vende laasinbas transparentes para
vestidos a 500 rs. o eovado.
Liquidacao, vndese parapeito Uso a
25200, 25500, 35- 35500, 45, e 55, pro-
prio para calsas e palitos por ser bea fa-
zenda e barato.
Arara vende cortes de brim para cal-
sas de bomem 15500.
Vende-se cortes de pcalas de duas saias
para senhoras pelo barato preco de a 64.
cadaum.
Grande liquidacao de roupa feita.
Veode-se paUts de alparca e de corea
a 25.
Vende-se ditos de ganga para homem
a 25.
Vende-se ditos da brim de algodo bran-
cos a 25.
Vende-se ditos de meia casemira a 25-
Vende-se coletes de brim de cores a 15"
Vende-se ditos de meia sentir a 255oO
Vende-se calcas de algodo azul a 500 rs.
Vende-se dita de algono de listras a 8C0re
Vndese ditas de rim pardo 25,15600
e 25500.
Vende-se caigas d3 casemin d) core
a 6585.
u
BRANCO E ESCURO
DMinfoemdo o Oleo de l'igado de
Senhor Chetrier eo eU precio prepera
co Ihtmpeali am (Mnt ebor gndebi
que nenlumadeeuMvirtudeslhetiram.
Esta importarte de.soberti.'qu* gr0|e s
eu autor ama Bedalhe de- haarty tuI|mo
[o de Oleo deFigado deBacalbo wfeetado.
Os mdicos o receium nrteriielmentea todot
i ontros, em todas as motratw* m i am-
iga o Oleo t Figado de Bacalhio.
Vefpor mah pormenoYes os reratoriot Mdi*
nnxmm-vmiun'
bTZimo dotMww)*- smmmiB rMH
dooled>rej^*jjre*n. ^
pTcoVeVem todas as doeneas onde se I
iscrofu
irnico. eatn*o Sr
rachitiso
matlsno
gias, coBtaleieenea. dinlcei e
es quocontem a noticia que accompanha cada
isto.
, HkaewajbarmteiiMM^MoTINW*Um** lffi'*S2iVi2SiSoMuS
OTltre/WlMtn,w,miMlttDmcawacteg^
O GSAXBUtS de BISMDTH MMWiiitW t*tUi*MWtJIIMn,,* w%t*
Pemambco, P. ftUtmn et C-. ufar-**., P" Jim Bjm-o. Pelotas, AwtoaAgv is.



Diario de PernOibuco Sexta reir 16 de Setembro de
I
I
' v
I
190
326
. m
020
uooo
500
460
SOG
100
7(*
Rival sem segundo
Estoudisix .itler totlat
.MiRtisdeas ptiios baratissimos presos abai-
so declarados, .gafautindo ludo bom e pre-
$es admirados.
Doiias d pm'Us Si'sutvaoea a-----
Duna de palitos .'guranca caixa
graade a...................
Fraseos coro fii u babean motto ivo.
Pacota om p s de airoz o me-
ihor que ha a...............
sv aleas rooito r.as para fewr
barba a....................
Ca xa de buha bran do gaz a..
Ve de franja de lidbo para ta-
lo**............... ......
Caixas com peonas d'aoo de terry
superiores ..............
Lencos de caesa brancos e pintt-
desa....................
Caicas com 20 quadernos de papel
pautado .......
Caixas com 50 novados de liaba
do faz a. 400
Dunas de meias cruas superior
quaiidadea.......3^600
Pegas de bibadinhos com-10 va*
rasa.........
Peoas de tiras bordadascora 12
metros cada p-ca a 10500 e.
Pecas de fitas para eos de q'ial-
quer largura com 10 varas a.
Estovas para unhas fazenda fina a
tas para dentes a 240, 320,
400 rs. e....., .
Pecas de tranca lisas, brancas e
de cores a.......
Duzia de boba frxa para borda-
dos a 400 rs. e. .
Pares de meias croas para mt>
nos diversos tamanhos a. .
Duzias de meias brancas muito
finas parasenbora a. 4500
Pares de sapato3 de tranca do
Porto........
Pares e sapatos de tapete a. .
szias de baralbos para vnltarete
Sylabarios portuguuzes a. .
Gartoes com cotXetes carreras a
Abotoaduras para colltte diversas
qualidades.......
Caixas com penna de ac muito
boa de 320 a......
Caixas com superiores obreias a.
Ouzia de agu ta para macDino a.
Libras de pregos francezes todos
os tamanhos a......
Pacote de papel com 20 qu ader-
os ...........
Rerma de papel pautado super or
Resma de papel liso muito supe-
rior a...........
Joi de Souza Soares & C.
HCA 32 BIBAO HA VITOREA
(OTR'ORA NOVA )
\presenta-so metim rpbozeado no que podo haver de inaisallo e agradavel em fa-
llidas fiaa^ para Senhoras ai tigos de alta moda eui-Pars tanto para senuoras como
par:: liomens e meninos.
Miucuzas sfarmadas, pe fumarias especi es variedade da lindos objectos para me-
ainu.s e brinquedcs para criancas.
GRANDE SORTIMENTO
Continuamente recebido por todos os paquetes vindo da Europa aonde tem ha-
bis correspondentes.
Vndese raoito emconia e mandarse pop cmoivcados ero casa das Exms. familias afim de melnor escolberein o que desejarem.
DO
500
2,5000
500
500
500
40
500
320
2,5000
16500
3000
400
20
400
m.
40
20000
240
400
4000
Sua de Queimado !
DE
& BASTOS
3,5600
gaz m m
Chegoa ao amigo deposito de flenry Forster *
i* cu do imperador, um carregameuto de sai
de primeira qualidade; o qual se vende em partin
e a retalho por menos precotlo que em nutra qna
mar parte.
20Ru.i da Iaiperatriz20
Farf d- t.essa.
Acaba de chrgar a esta nossii nova ioja de [a-
zendas finas um variad* sortimenlo de fazendas de
fia e seda, como sej.vn : granatiines do ultime
gosto, popelinas de urna r cor, alpacas e lazi-
anas de cores, o que ha de mais moderno, ludo
por baratissimos precos, brilhanlina* de cores te-
cidos das indias, fazenda nova a imitaclie de per-
calta, baloes de dina finando saia da cor com lin-
das barras, fus'.Sea proprios para vestido e roupa?
de meninos; agora grandes e admiraveis pechin-
cbas, saia? raneas com liados frisados a i, ri-
cos corpinhes bordados muito finos a oi, balde?
modernos de arcos a i, ricas colchas para cama
aleochoadas, sendo brancas de cores, a oX, 61 e
74, cambraia victoria tina a '>&, ditas transparen-
tes a Si, 6 J e 7,chitas finissiraas escuras e clara -
a 280, 300, 320 e 360 o covado, cassas de cores a
240, lencos brancos de cas-a a 24300, ditos chi
nezes a 34509 a duzia, madapolao fino a 64 e
64500, e multa superior a 74, 74600 e 84, lgo-
daozinho largo proprio para lences a 64, panno
de alj,odo branco trancado proprio pora toalhas
de mesa a 14600a vara, nranante pata lences a
, 24000 e 34500. o que ha de nielhor, esguiao fl-
nissimo a 24200 e 25500 a vara. Mandamos as
casas das Ex mas. familias para melhor poderem
escoiher. Tambem temos completo oihmento de
perfumaras dos primeiros fabricantes francezes e
ingleses ; as pessoas que se dignarem vir a esta
ioja tero occasiao de recoohecer a realidade de
que annuncramos para nos justificar.
Brins d'Angolas leg-
timos
acham-se noarmazem
DE
T. Jeffenes & C.
Ruado TraDiche n. 46
Fio para saceos e f'ogueteiros
Lona verdacleiara da Esrossia
No armazem de T. Jefferies 4 C.
Ra io:Trapiche n. 43
E' chegado'a este novo estabeiecimento o mais bello sortimento de fazendas
tna, seudo sua especialidade enxovaes para noivado.
Vegti'ios de blond de.sda ricamente bardados.
GorpurOo do seda branco para xestido.
QbMms de seda pura, para cima cum-ricos desenhos.
Ditas de la e 9eda, id m idem.
Ditas de crox, dem idem. ,
Cortinados ricam-nte bordados para camae janellas.
Croxs p^ra cadeiras e sofs.
Vestidos'de cambraia branca bordados.
Popelines de lindos postos.
L5as Bicos b urnus para passeio, com listras de selim.
S.-hidas de baile o que ha de mais rico.
Crotones para vertidos com lidos desenhos.
Cwuzas bordadas e sem bordados para seohoras.
Camisas bordadas muito finas para homeos.
D fas mglpzfls para honwns e meninos.
Seroulas de linbo, e nm grande sortimento de roupas feitas e de fazeodas * nfadonho mencionar.
Lavas frescas de Jouvin
Sortimento de tpeles para guamices de salas, alcatifas para torro de sal?, e o
rande sortimenlo das acreditadas e verdaderas
Esteiras da India
DO PAPAGAIO
Nevo estabeiecimento
0 FftZflOiSI ROUPAS FEITAS
Ra da Imperatriz n. 40, esquiua 4o be^co dos Ferreiros.
_J11IS,
O novo proprietario deste estabelecimenio, rommunica ao respeitavel publico
desta cioade, e especialmente s Exmas. familias, que est liquidando por precos bara-
tissimos, as antipas faiendas que existiam oeste e>tabelecimento, alm das que abaixo
v5o relacionadas, cujos precos merecem toda a attenco do respeftavel publico, que n5o
deixar de cem pequea qoanlia refazer-se de qualquer qaalidade de faseeda que pre-
cise. Previne-se tambem que a mesma Ioja tem feito sortimento de fazeodas moder-
nas, e conimoa a sortir-se das do mais apurado e escomido gosto, que vender mais
barato qne qoalqoer entra Joja.
A LOJA DO PAPAi5A10 alm de ter um grande deposito de roupas feitas, tem
um benito sortimento de casemiras francezas, inglezas e allemSas dos padroes mais mo-
deinos, e assim como pannos pretos, casemiras e panno uno cor de pinb3o, azul claro
e mais esonro, brins brancos e de cAres, fustoee brau;os, e de cores, gangas de linhe
e brins pardos de todas as qualidades.
A LOJA DO PAPAGMO tem contratadlo* nm opiimo mestre alfaiate perito no
sen officio para executar qualquer obra da arle cora a mainr perfeic3o e esmero, e qual-
quer obra que nao fique vontade dos fregluezes, fioar para a loja, e manda-se
iazer ob ra.
Atoalhado de linho fino, a 3<5 o metro,
e de algodSo a 2d.
Algodosinho largo, para lences e loa-
Ibas a 4^000.
Alpacas pretas, da cores, lisas, de furia
cores, e de listras.
Bareges com lislrinhas de differentes co-
res a 30 rs, o covado.
Bolsv-sde tapete averudadas, para viagem,
o preco e conforme o tamauho.
Bomba6ioas pretas. lisas, e trancadas.
Bramantes de linho, francez e inglez a
Baloes de mussulina, brancos com fitas,
e outres todos de panno com o feilio dos
de fitas, para senhoras e meninas.
Basquinas de grosdenaples preto mo-
lemas e de croch muito enfeitadas. -
Bretatjhas de linho, e de alpodo.
Biins de linho trancados brancos e de
core?.
Brins de algodSo trancados brancos e de o
cores.
Gombraias brancas tapadas e transpa-; t* ramete nova no mercado a 800 rs. o
rentes, seudo ingiezas e suissas Je 8 pal- covado.
mos de largura.
Esguiao de linho de 456CO a 35 a vara.
Chales de merino pretos muito grandes
ai 3*.
; Dito ditos, estampados de 4,500 para
cima.
Fil de linho branco e preto liso, e de
slpico.
Grvalas de seda pretas e de cores, da.
mais modernas que tem vindo ao mercado.
Guardanapos de iinbo brancos e pardos.
Grosdenaple preto de differentes prreos.
L5asinhas em cortes com palmas com 14
covado por 6$.
Ditas lias e delistas transparentes e ta-
padas de differentes precos.
Madapolao inglez de H at 105 a peca.
Le eos de algodo, brancos de 2i5a3i5
duzia.
Ditos de cambraia de liuho de 60 a 12#s
Ditos de es.i5o de 65 a 85.
Mus'ulioas brancas e do cores a 500 rs.
covado,
Gorgores de 15a com listras, fazenda ln-
Camisas de meia, de flanella, branca, e
de algodao.
Camisinbas brancas de cambraia cora di-
licados bordados, e enfeiladas de cor para!
Merinos preto, trancado e de cordao.
Pellos bordados e lisos, tant^ de linho
cor.o de algudao para camisas de homem.
t'rincetas pretas de differentes precos.
Cambraia branca tapada muito larga com
CASA CAUVIN *:Jinn
_-------.-------------------------
Piwrmaceuen privilegiad*
succosi?or
Iioultnri NOVAS ESPECIALIDADES A. KARIWIER
Apn-scnUds a Acaiieniia U Srieaci* e lo l:.siiliio il* Fran^
Sob a Corma de '..siillj, dcvi'iliila e oifjda pata,
astT (Ir iiKinieulo lima nlurran
IMJEOCAO
Fravcntiva t curativa im MOLESTi.iS CONTAClOiiS
INJFCTOR-PIHI TROd0 ^ "Jasfessar*-
11WL.L.1UII I mili 1W gravas ioconvcniaf.ei de fragiade.
ESTOJOS
Can a
tora, e dr volume de nm I'jrte-Moed
COTBiXDO 1V miTAJEXrO.
COLLYRIO Contra as affecrois das palpebr,
preparado sob mesau roroia.
BARTHOLOfflEO C
Depositarios geral para e BR.4KIL e POKTIaL
34, ra larga do fiouario. PERNAMHUCO.
nfBtiIlWliflMfyilw.i IMIMimUIIIIHI
Sras. jprjegas e boidado, hade tres qualidades
Catsbr.aias de cores a 400, rs. o auiro e PmPria Para saas de Sras" Prec ba'
860 rs. a vara.
Cawtsas ingiezas, e francezas de linho, e
ralo.
i Sedas
pretas lavradas para vestido a
ovado.
Sargelim francez e inglez de, toda ao co-
de dif-
Toalhas de algodSo e de linbo
entes qualidjdos e tamanhos.
Punbos de linbo para homem muito fi-
de algodo d pregas, lisas e bordadas. -^
Clupos de sol de seda, merm e alpar-
ca de diferentes aires, e muito baratos.
Chitas para \^esiidos, francesas, de 240
at 400 rs.
Chitas para oobertas de 320 at C40 rs.
Cortinados de cambraia, e de fil borda- i nHf; .
dos para camas e janelas de 105 pora cima.! Meiasu mg-ezas para Sras., e para meninos
Colchas de fusto brancas a 35300. e ?ara hmens, Je d.fferentes qualidades
Ditas de cores a 25800. Ie je lodos 0* tamatihos.
Colarinhosde linhosjnslezes, ealemes. f Para quem comprar peca ou duzia de
lisos e bordados. qualquer fazeoda seo preco o costo; para
Damasco de l, encarnado, a zul e ama- diminuir o retalho.
3 portas n. 53, ra Direita, 3 p Has n. 53, atiti.ya
hja do Braga
w O abaixo assigDado, dono deste autqro etabeleeinienio, tando em visia aproentar omj
S5 completo sortimento de ferragens, miudezas e colileria, icra resolvido mandjr buscar em '
^ diversos pf nios da Europa os melhores objectos de sea abeleeimeBto dos abricanics
?& niais cormecidos; pe que convida ao respeitavel publico e a sem nomerosos Fregaezes,
S a virem se .tervir dos objecto de sna carencia, ai-tidp enconlraiio por menas 0 0|0 do^oe
B en> outra quaiqoer |>arte, um sortimento completo BB do bem iiorilieeido fabricanlg Cottorr Giu A C, diuis para cintura, motores para auimae^'
5 ditos para foso, moinhos pira caf de todos os umantvo?, da fabricado Japi, espingardas de
5 dons canos e d um> tanto iCRlezas como franetzn?. Muca de porcelana, -facas e garfos
i de diversas qualidades e precos. bandejas chinezas, saUtr-'. ureu, liai*ante, enxofre, ppel e*
I limaina de ferro, ac. e agulha para foguetar ; tnm como eneontrajrao coBstante-
.Sb mente grande porejw de fugo do ar, e recebe-se encorameMla de fogos de vis;a, alera de um
esm numero e objectos, que se tornara eofadonho nmnera-los : vendara ra Direila n.
53. loja de Lenidas Tito Loureiro, amiga loja do Orap>.
Cigarros da imperial
fabrica de S. Joo
de Nictheroy.
Dmo deposito em Pernambuto caes da aifaa-
dega yelha p. 2. i anda.
Farinba de mandioca
Vende-se farinha de mandioca, nova, b> Sania
Camarina, cbegaa no patacho portognez UUta,
fondeado defronie do trapiche do 8r. Beeio do Li-
vramento : a tratar no escriptorio de Joaqun
Jos Goncalves Beltro, a ra do Coramercio n. 17,
a 'bordo do referido avio,
Armapo.
Veade-ie urna armacoda amarello oorn deas
kalcoes: na roa do Bao da Vieiaria n. i, (ou-
tr'ora roa Nova).
W Uffii G,
III H IHi l i
rame de ferro galvanizado era rede para cercas, gaiolaf, gallinbeiros etc.
Qta{a de ferro galvanwado para cobrir casas.
Tachos de ferro estarrhado para engenbo9.
Cofres de ferro de Milner e oulros autores,
(butubo em cano.
Dito em lenc.d.
Dito em barras.
Dito em enxadas.
, Estauio era barra e verguiaaaj
Falha de Klaudrt-s.
Arados americanos para ladeira e vanead
Garrihos de mao.
Veuezianas para janellae.
Machioas de descaruoar algodao"de.facao.
Ditas de garra.
Ditas para cortar fumo.
Ditas a vapor de forca de 3Javatlos e motores para t cavaljos, para mow at"
o .binas de algodo.
Cadeiras de ferro.
Camas de ferro.
Prensas para copiar cartea.
Balancas para pesar.
Oleo de linhaca em latas de ferro.
' Trilitos de farro para enfrentse
bombas americanas.
Macacos de estivar.
'Balancas e pesos deciiuaefjje oolras.
Fogoes 4e patente.
Enxofre. ,
Salitre.
Estopa larga e de ica^ooalidade.
Picaretas para carniDlos de Tenr.
tn grande sortimento de ferragng e entila' a.
pello, escomilba preta.
Espartilhos de linho branco para Sras.,
de differentes precos.
Dam-se as amostras de qualquer fazenda.
A ioja do Papagaio acha-se aberta todos
os das, at s 9 horas da non te.
Ft aasco Teixetra Alendes
LOJA
GALLO VIGILANTE
Roa do < refifio n. V
Os propnetarios deste lecido cimente, alm do maoa objectos roe tmham ev
postos a apreciacio do respeitavel pnhliao, nue-
daram vir e acabim de receber pelo ultime apar
da Enropa nm completo e vanado soritoento de
finas e mai delicadas espenWIIMeB, a* quaes es-
tao resolvido* a vender, oosno da seu coeftime.
por precos muito baratinhes e commodot -para to-
dos, com tanto que o Gallo....
Mnito superiores luyas de pellica, pretas, br-
cas e de mu lindas cores.
Mni boas e bonitas gollinnas e punhos par **-
nhora, nesla genero o que ha de ra/is. moderno.
Superiores pentes de tartaruga para coques.
Lindos e riquissimos enfeites para cabecas oas
Exmas. senhoras.
Superiores trancas pretas e de efirea com vidri-
Ihos e sem elles; esta fazeuda o que pode havar
de melnor e mais bouito.
Supericres e bonitos lequcs de raadreperola,
marfim. sndalo e osso, sendo aqueHes brancas
com lindos desenhos, e estes pretos.
Muito superiores meias lio de Eccossia tara se-
nhoras, as quaes semprc se vanderam por 30jG08
a dnzia, entretanto (rfe nos as vfertdemos por 20X
aim destas, temos tambem {rraede sortimento de
outras qualidades, entre as quaes algunas oao
Anas.
Boas bengalas de superior caana da India-e
castao de marfim com lindas e oucaniadoras figH-
ras do mesmo, nesie genero o que de melnor so
pode desejar ; alm destas temes tambem grande/
quantidade de ostras qualidades como sejain,BU-
deira, baleia, osso, borracha, ele. etc. etc.
Finos, bonitos e airosos ehicetinhos de cadeta c
de outras qualidades.
Lindas e superiores ligas de seda e borrscfc
para segurar as meiaa.
Boas meias de seda para ennora e para meni-
nas de 1 a 12 anuos de idade.
Navalhas cabo de marm e tartaruga para faser
barba; sao muito boas, 3 de mais a mais sao ga-
rantidas pelo fabricante, e nos per noss vet tam-
bem assegurames sua quaKdade e delicadeza.
Lindas e bellas capellas para noira.
Superiores agulbas para machina e para croi.
Linha muito boa de peso, Trouia, para eacher
labyiintfao.
Bons baralhos de cartas para voltarete, aesB
como os tentos para o mesmo nin.
Grande e variado sortimento das melhore per-
fumarias e dos melbores e mais conhecidos per-
fumistas.
C0I.ARES DE ROBR.
Elctricos magnticos contra as convoisdes, e
fa;ilitam a denticao das innocentes criancas. So-
mos desde muito recebedores destes prodidesoe
collares, e continuamos a recebe-los por todas os
vapores, ariui de que nunca faltem no mercadu,
tome :i tem ; riTido, assim pois poderlo aquel-
los i|i' delles :..'is;uv;ii, vir ao deposito do galle
vigila;.i ::.vc s.;.-;i.re encontrarao destes verda-
deiros cidlares, >< os .|>. .-s attendedo-4e ao fim
para que lo ;jpfail>!<, seTenderao com um kkb
diminulo lucro.
Rogamos, pois, a\i,-:a d;.- chjeetos que deisames
declarados, .!'- ossos i.....>' > e amigos a virem
comprar pr \ v~y- muitu i;'. .ivms i leja do galle
vigilante, mn '>" n. 7.
FALSIFICA^OS
dasPILULASdeBLANCARO
DOLCM
(CAVE
A nossa correspondencia do lrazd no<: faz
siber que as prcas deste paiz acho-te
actualautUe inundadas por tuna imllidao de
fclcifioafes vi: dosnostosproductos (testa;.!.
Para garantir-se contra estas composicoes
mais ou menos perigosas, (|ue escondem-se
d'essa maneira por detraz das nossas marcas
de iabrica e Biesmo da nossa liruia, rogamos
aqui com instancia aos medicus e aos do-
entes de assegurar-se sempre ha oiigem das
Pu.ULAs que traxem o nosso nuiue, appellando,
entre ostros meios prcticos, la boa f dos
mendaveis da l'ranca^*
iwssos collegas, s pliarmaceuUcos. Nad de ou do seu paiz. i/'/c
duvidar que n'uma questa que inlressa tao
que n urna questao que
se:ianienteasaudepublica c amoralidadedo]
commercio, esles lionrados iutennedianos
nao se moslrein dignos da conlianca dos seus
fregueses; nao de duvidar igualmuute que
repiwliando toda solaridade cora os falcifi-
cadores e os seus cuniplices, elles nao se fa-
i;o nm dever 'or em diante de procurar
as vjui.\nEiKA> 1'iLULAS DE Blancabd em
origens certas, enderecando-se, quer a ns-
mesmos cm Paris, quer indirectamente aos
nosses prir.cipaes correspondentes, ou ento
s casas as mais recom-
PharmaceHtien, ra Bonaparie, em Paris.
Aftito-sp as nossas Plalas as principacs Fharoiacias.

/v
para principiante.
Vende-se a fabrica de sabao da ra Imperial
travessa do FVeitas, mnlto bem montada tanto parai
abriar peqnena eemo grande quantidade oe sa-
bo. A casa alem desef de ura mdico aloguH,
tem grandes aacommolaeoes nao sipara deposito
das puteras primas e sabo manufacturado, como
fferece espaco independeWe para morada, ledos
oa esclarecinwoto, -lioalmsote, se tario pessoa
peseriamente qniaer tratar-esse negocio, e se
eapkcar a cansa porque o pernal dono nao pode
continuar com es le, na roa Direila, aromen) de
meHtados do Tlado crneo. ______
Vende-se urna rotula de amarello em bom
estado : na milla do Carmo n. <&__________
Tariolja de mandioca
DouihageaAlves Mthens tem para vender em
sen esciiptorio A roa do Vigario n. 21, mnito sa-
perwr brinha de manaioca em gacces grandes.
COH IODUHETO 00 FERRO JNALTCRAVEL
APPR0VADA5 PELA ACADEMIA DE MEDICINA DE FARIS..JRC
Posauindo as prapriedades do lod el do ferro, convem especialmente as AfrccoS
escrofulosas, a Tsica no principio.a [roquezade temperamento etamkemsos caaos4
PaXta m c6k, ahenomihea,, em que precisa *eoir-soiiw o s/tugue seia para restituir
Ote a suariqueaa e abundancia normaos, au para irovoqarettgtilap powewsopsflwl.se.
N. B. 0 iodareto de ferro injporo oa ttaao an ssedkaniesiU) ioo,
Irritante. Come prora d> pureza e de amihencidade Au nr+i*t**a JES- j
t, Bl>.,.rtl, dere-se exigir uso en >,* resswtiTavieil
Q qqi wpronzida, qme se arha.na.fatf
nossa
i infetiwr *e jhs
Wi jreprodazida, qme se :>cba>iiMssail
L Dew-se aetccnJiax da fili|hyas*i-
UATBAO DE fiOYOI
LICOR CONCEIITBDO E TITULADO
0 Sr Gojot chegou a tirar ao alcatrao a
sna acrmenn e o seo amargor insupportaveis,
o qne e lerna mais soluvel. AproTeitando esta
alii descoberta, eUe prepara um licor con-
centrado de alcatrao, e qual, sob um pequeo
volume, coRtem urna grande proporcio.de
principios activos.
0 Aicsursto t> tSayo* (Goudron de
Gujot) possue por coosequencia todas as van-
tagens da agua de alcatrao ordinaria, sem ter
oe convenientes. Basta deitar d'efle nnsa
colher de caf n'ura copo d'agua para obter
logo um copo de eicellente agua de alcatrao
son gosto desagradare!. Cada qual pode
d'essa raaneira preparar a sus agua de al-
catrao quamlo d'ella precisa, o que offerece
econsmia de tempo,. facilidade de transporte
e evita o manejo tao desagradavel do alcatrao.
O alan* te asayat substitue cora
vantagem multas, tisanas mais ou menos
inertes, nos casos de definios, bronchites,
tosses, catarrhos.
0
? empregado com o maior eiito as molestias sfguinlps:
H IEB91. Urna colher de caf para um copo d'agua ou duat colher a de
u/papara urna garufa:
(CHIVES
CRTARRHO DE IEXIGA
OCFLUXOS
TOSSE PERS.ITAZ
IRRITAfAO It PEITO
TOSSE CONVULSA
1 FQMLHTQOES. Licor puroou com umpco (Tagua:
AFFECCAfiS DA PELLE
COMKH&ES
MOLESTIAS DO COURO CABELLUDO
EMDECeDS.
ilce
Umaparlede licorequatroctagua umcacUicteiram.au es*aai)
FLUJtat MTrMS OH RECENTES
CATARRWO OA BEXIGA
te Gwyut /si cperimcTitao com um veraileiro cito o*
prinpaes nospiUus e Franca, a Blgica da Espanha. Foi rcconkexo
qneipwa os tmpos de calor, elle tonttitue a bebida a mais hyaienica, e so-
vrttudo durante os lempos de cpjcsnta. Urna intruceo accompanha cada tdro.
ImA^m na pkaniifrcia e drogara de P, Mau-
wr&w^.,FuaBar8o daVic*oria n, 17
Ocordciiv ^revident.
Roa do uj situado n. IB.
Novo e variado surtiniCDto de perfumarii;
finas, e outros objectos.
Alm do completo sortimento de perfi
alarias, de qce efectivamente est provida i
loja do Gordeiro Previdette, ella acabs-ti.
receber nm (NAro soriimenro, que fie tora
aotave! pela variedade de objectos, superior
dade, qualidades e cnmmodJdadcs de pr:
eos; assim,pois,o^ordeifoBrevideete ped
e espera continaar a merecer a apreciar;*'
do respeitaval publico em geral e de ve
boa freguezia em particular, nao se afa
tando elle de sua bem conhecidamansrdi
e baratera. Em d:ta_ loja eeconVaraj i
prociadores do bom:"
Agua divina de E. 'Gondray.
Dita verdadeira de Murra'y & Lamman,
Dita de Gologne ingleza, americana, frai
ceza, todas dos melbores e mais acreditada
fabricantes.
Dita de flor de larangeiraa.
Dita dos Alpes, e violeto para toilet.
Exir odontalgicn para conservaclo 4v
isseio da bocea.
Cosmetiques de superior qnalidado o che
ros agradaveis.
Copos e latas, maiores menores, eos.
pomada fina para cabello.
Frascos com dito japoneza, transparent-
e outras qualidades.
Finos extractos ingleses, americanos i
francezes em frascos simples e enfeitados.
Essencia imperial do fino e agradavel cb;
ro de violeta.
Outras concentradas e de cheiroa igatt
mente finas e agradaveis.
Oleo pbilocome verdadeiro.
Extracto d'oleo de superior qualidadt
com escomidos cheiros, em frascos dedifii
rentes tamanhos.
Sabonetes em barras, maiores e menon
para mos.
Ditos transparentes, redondos e em fifn
ras de meninos.
Ditos muito finos em caixmha para barh.-
Caixinhas com bonitos sabonetes imitant
fructas.
Ditas de madeira invernisada contando I
uas perfnmarias, muito propras para pr
entes.
Ditas de papelao igualmente bonitas, tas-
bem de perfumaras finas.
Bonitos vasos de metal coloridos, e i
moldes no vos e elegantes, com p de arro
e boneca.
Opiata ingleza e franceza para dentei.
Pos de camphora e entras differeato
quabdades tambem para dentea.
Tnico oriental de Kemp.
Alada tato *)tws.
Um outro Rortimeato de coques de r.
vos e bonitos moldes com filete de vidrilbe
e alguns d'alles ornados de flores e fita.-,
esto todos expostos i apreciacio de ques-
os pretende ooBsprtr.
GOLLLNHAS E PUNHOS BORDADOS.
Obras de muito gosto e perfeico.
FlTellau e fitas para ciatos.
Bello e variado sortimento de taes objet
uw, ficando abo* escolba ao gosto do coa
prsder.
Cabellos
Vendaavse cabeLW d* tod a cores, qualiraer
comgruneoto, quahdade aoparior, em eaixa oc
porcio mais pequea : na, rn da Cadeia do Re-
fe n. SI, l* andar.
Vende JoMuim JostS ama :
n. 8, -.instar.
a na da Gnu
Liados ortes de percales a 2V000 rs.
do Crespo n. 28, loja da esquina.
aru*
Vende- urna casa aova, aiada ^ior acabar,
n'uma das memores localidades da Casa Forte
com prapoteSas para m srasie setao, siabela-
cimento e moradia, terreno protrio, e tam cacim-
ba : tratar com Hvppolito Martina 0 >.na de
Pinito oa mesma.


8
Diario de Pernambuco Sexta era 16 de Setembro de 1870

iL
K
K
N
i -
ASSEMBLA GERAL
PARECER E TOT EM SEPARADO DA COJl>r
RESPECTIVA SOBRE O HUMECTO DE REFOR-
MA JIDICURIA, PARA ENTRA EM TI
RA DISCCSfiO.
(Conclusao.)
TITUI.0 T DISPOSIC0ES PEN.VES.
Art. 60. Os criroes dos arts. 257, JK,
260, 264 e 265 do cdigo criminal sero
ponidos coro prisao simples por t meT
es e multa correspondente" metade do
lempo qoando o valor dv coa-a furtada on
do estelionato n5o exceder de lOQ nu
oand o furto fr de animaes de qualquer
especie.
Art. l. 0 mximo da pena de priso
estabelecido no art. 201 do cdigo criminal
rednzido seis mezes.
t Art. 62, Nos crimes de qne tratara os
dous arligos antecedentes ter lugar a ac-
'.'3o publica.
Art. 53. A pena de morte s poder
ser imposta se a deciso sobre o fado prin-
cipal e sobre qualquer das circomstar.cias
exiijid'S para sua appcaco fr por unani-
midade de votos : ha vendo smente maio-
ria impor se-ha a pena de gaos perpetuas.
TITULO VI BISPOSICOES GF.RAE3.
* Art. 51. O governo expedir os regula-
mentes uecessarios para execuco desta lei.
pudendo cooimioar punas at 30 das e
multa at 2(*W)00.
Art. 55. Revogatu-se as disposic.s em
contrario.
Sala das oommisses, 8 de agosto de
9870.Joaqun de Souza neis.
inTERATURA,
_______ __^_______________
Noticia biocrapnica do finado btspo dh
pernambuco d. francisco caroso tres
x!bahtda de varios documentos pelo
exm. e rvm. sr. d. antonio da costa.
WbPO DO PAR.
E*t descansando nesta trra dos mar-
'; res, neste chao amassado de cinzas e la-
grimas de tantos santos, o nosso santo e
saudoso amigo D. Francisco Cardoso Ayres,
bispo, que foi, da diocese de Permambuco !
Ainda ha pouco, alavel e risonlio conversava
elle comnosco em om salo amigo ; penco
depois, advertido da doenca corr a ve-to,
e achei-o j cadver, repousando em seu
leito fnebre, como o athleta adormecido
depois da luta, a fronte serena, o crucitixo
sobre o peito.
Lagrimas, e bem do coraco, nos tem fei-
to derramar aqui esti morte to inesperada
como desastrosa : inesperada e desastrosa,
digo, n3o para elle que aparelhado eslava
e a recebea contente como o effeito de
urna oraclo fervorosa e bem ouvida ; mas
Dar nos que ainda c tcamos debaixo do
peso do da e da calma com um excellente
operario dmenos; mas para a nossa po-
dre groja do Brasil j to duramente po
vada; mas para aquella desditosa diocese
de Pernainbpco em to curto espaco de
terapa viuva tres vezes e tres vezes na or-
phandade! Ai I quem podera prever taes
calamidades e to repetidas I Duas luzes
accesas, postas um instante sobre o cande-
labro, e d? repente apagadas no meio do
longo gemido de sorpresa de uro po 'O cons
temado Duas grandes almas, puras, in
(laminadas no santo amor de Deus, humil-
des e corajosas, pondo mo resoluta
grande obra da reforma, e logo arrebata-
das para o co no primero fervor de seo
telo, ao primeiro desabrochar de suas san-
tsperaocai I Tremendos juizos de
Deus Nao opponhamos aos seus cami-
qSm, as vezes incompreheosiveis, mas sem-
re misericordiosos, a louca ingratdo de
nossos murmurios. Adorar corvos a si-
ondosos o que nos compre fazer peranle
jeiis. Parante a igreja. po.m, penante
asninas que o nosso tinado bispo lauto
kmou, temos misso sagrada que cumprir :
e revelar o theseuro de virtudes com que
Deus o enriquecer ; mostrar aos que nao
.tiveram lempo de bem conhece-lo e-apre-
i-o : que o bispo D. Francisco Cardoso
Ayres, cuja morte lamentamos, foi homem
de virtudes nao vulgares, de urna perfei-
ro cima do commum. Eu mesmo que
em muitissima conta sempre o Uve, con
fesso nao have-le aquilatado pelo seu justo
valor; foi preciso presenciar as provas ex-
traordinarias de terna amizade e subida
estima que deram aqui, por occasio de
sua morte, vares preclaros em virtudes e
letras; foi preciso ver prelados veneraveis,
como um .rcebispo de Iconio orador elo
quentissimo do concilio do Vaticano, um
bispo de Salozzo, brilhante luz do mesmo
concilio, e tantos outros homens eminentes
com os olhos arrasados de lagrimas fazendo
do nosso Qnado, que conheciam a fundo, os
mais extraordinarios elogios, para que eu
di com
que sabiam do
se publicasse para gloria do Brasil, para
edificaco do nosso clero e povofiel
cipa mente dos joveos alumnos dos semina-
ras, aos quaes esta grande exemplo nao
dcixar da m nin poderoso estimulo para
avaficarem na gloriosa carreira das virtudes
i3CejJot3SS.
O meu empenho se limitar a trasladar
singellamente o que me foi transoittido 60-
bre esta bella vida, que, tendo-se em gran-
de parte es.'.oayJu aqui na Europa, nao
milito (Hie mais de estranhos que de natu-
raes sja confiedla. Desses documentos
importantissimos, dos quaes o principal
urna-elegante carta con que me honrou S.
Exe. monsenhor Gastaldi bispo de Saluzzo.
e que o mesmo distincto prelado acaba de
puolicir aqu em Roma com geral edifica-
gao, procurarei fazer um todo harmnico
que ser lido porventura com algum inte-
rs se e proveito.
Do nascimento, infancia e prkneira juven-
tutle do nosso 6nado bispo ponca cousa co-
nopeo e posso aqui notar. Ser que nasceu
na fumosa cidade do Recife. capital da pro-
vincia dePerDambu;o, em 18 de dezembro
de i8f, de familia booestissira e geni-
mente eslimad, e que al percorreu com
rara distioccao o primeiro estadio dos esta-
dos luteranos.. Um dos seus coropanbei-
ro, levado df-peis s mais altas posi\5es
do estado, xiie /aliara com admiracao. em
urna de miabas vtgens corte, do bello
talento que desde eatao transperecia atravz
da sumira cwdestra do joven Cardoso Ay-
res, e teve a boni&de de dar-me, como
prova, urna comp'sic3o delle de*se tenpo,
digna, com elfeilo, de ser notada pela pu -
reza de estylo e elevaco dos sefttiments .-
Aos 21 annos. seotmdo o chamado de
Deus, deixou saudoso a patria para vir per--
fazer seus estudos ua capital do nwndo ca-
tbolico. A utegridade de seus costume.*,
e especialmente aquella pureza e ^M
r'ginal, que formaram sempre ^H
J enlre-
gar-se ao esi." ^pois de $6|l
juelk? campo, que a Providencia ia tornan-
loplo, venao as raras
Calidades do Cardoso, o quij levar com-
ido, a grande cnsto, do pa-
Ve Rosmini, que. cono fundador, era en-
para a Gra-Bretanha era 1850, entre as la-
grimas dos irraos e padres, que nao sabiam
quaodo Ihes pria Dos diante dos olhos m
exemplo to acabado de virtudes religiosas.
Alli, terminado o noviciado e ligado Dos
mezes de cooftwas oracSes para bem superior geral, parti o santo joven
dheeer a vooade de Deus, resolveo abra-
Car-o instituto da carrdade, approvado por
saa sanfidade o papa Gregorio XV! de im-
mortal memoria.
Estava enlo em Roma (184849) o ce-
lebre D. Antonio Rosmini Serbati, fundador
do dito inslitoto, var5o de egregia piedade,
autor preclaro d varias obras de pbiloso-
phia e sciencias scciae; e as relacoes que
providencialmeme travou o dosso Ayres
com este grande sabio e servo de Den, fo-
ranga causa occasional da determinacoqne
tomou o mesmo Ayres de entrar de prefe-
rencia no instituto da caridade.
Ao partir para o noviciado de Strezza no
Lago-Maior, reino do Pimosle, deu-lbe
monsenhor Passavalli urna carta em que o
recoraraeudava calorosamente av'tea irmao
D. Francisco Puecher Passavalli, ento rei-
tor e mestre do noviciado de Strezza, di-
zendo-lbe que Ibe enviava um aojo, e com
outras expresse enibusiasticas Ibe encare-
ca as virtudes e dotes do /ovea Cardoso, ao
qoe lhe responden o dito irmo que.de bom
grado recebia e provaria o seo joven recom-
meadado, naas que achava exagerados os
loovores que lhe liberalisava. Nio se pas-
saram, porm. quatro ou cinco semanas que
chegoo a monsenhor Passavalli nova carta
do ira5o, na una I nao besiiava em asseve-
rar qo tinba acbado (fe fado iaferiores-
verdade os encomios queelle havia tributa*
do ao Cardoso.
EutraVa, pois, o nosso piedoso joven no
estado da abnega^o e do sacrificio, e com
to boa; preparaco e de lio resoluto animo
entrara, que a todos pareca, nao jnexpe-
ridnte novico, sen> vario- j provecto na
camas dt espirito ; nao soldado novel, que
anto vadre de dizer-lbe a pa'avra de-
deda
obediencia dev* ao vip; i 'sos Cbm-
1 acceitaase o. I ida me
lembro das lagrimas' silenciosas que corre-
ram dos olhos do meu amigo, qoando per-
lando-rae vivamente a mi me disse com
om tomde voz que nunca mais esqoeterei:
t Tmha d de mitn f Tenha d de mim
Levou todo o dia em oracio fervorosa.
Qoando le^anton-se, era outro fiomem. Urna
por votos perpetuos, ,se applicoo aos esto- sublime reignaco, orna suave alegra es-
tros theologieos, e depois foi promovido s
sagradas ordeos e ao presbrterato em 5 de
joobo de 1852 pelo Exra. e Rvm. Sr. D.
Uernardo Ullatorn, bispo de Birmingham.
Alli que tive a coosolacio, escreve o
Exm. brspo de Saluzzo, de viver com elle
por algoas anno, e ser testeroanha ocular
la vam pintadas no seu semblante, c Ainda
que eu soubesse, dizia, ir ao encontr de
urna morte certa, nao hesitara em obedecer
ao santo padre. E foi urna coasa de ad-
mirar, diz monsenhor Passavalli, qne es-
tando o Cardoso antes da ordem do papa,
lateralmente doente de mfrgoa e de angos-
do
regras da perfeic^o christa, e das gracas
nao commoos com qpeDeos recompensava
a piedade deste seo servo. Via-se elaro
que elle ticha feito de si mesmo on pleno
sacrificio a Deus, que seu continuo empe-
nho era crescer as virtudes e corrigir os
defeitos que con attento exame luz da f
podeSse encontrar em si. Constante e exac-,
to at o escrpulo em observar as regras do
instituto e submetter-se obediencia, anra-
te d< mortificacio, amigo fcrverosissimoda
humildade, e portaato desejoso de oceupar
o ultimo logar, e por-se debaixo dos pesa
todos, proraptissimo a qualqwer servico que
prestar podsse a seus irmSos, semprej
igual a si mesmo. pacJentissimo as contra-
diccSes e affliccoes, brando, aQ^vel e at
alegre com todos, era a edificaco da casa, .foi esse um dia da singular ategria para-
e tornado-vice-mestre denovicos, folgavam.'iBiio eedesiasticos e seculares-que o co-
i,ff!m.^,' !eniPre pautado pelas tia, passando noites inteiras desveladas em
oracSes e lagrimas na esperanza que o 9e-
nbor lhe tirara dos hombros aquella pesada
cruz, logo depois appareceu tranquillo, con-
tente, como se nada absolutamente o eon-
somisse.
Saa sagrario episcopal teve lugar na
Chiesa Nuotx em 15 de marco de 1868,
pooco lempo depois de ter emitlido os su-
premos votos de seu institato. Foi o con-
sagrante sua eminencia o cardeal principe
de Hobenlobe, assistido de Ss. Excs. Rvms.
monsenhor Poeeber Passavalli, arcebispo de
Iconio, e monsenhor Francbi, arcebispo de
Thessalooica ; besse a plenitude do sacerdocio naqoella
mesma igreja, onde comecra a carreira da
piedade como irm-o externo do-oratorio. E
estes de ter nelle um modelo da perfeico
religiosa 3* que deviam aspirar. -
N5o, escreve mooseDhor Mc-Cabe,
nunca encoatrei om homam to noiavel por
oa evanglica simplicidada e prndeneia.
Foram estas virtuiies-remuneradas com
mal sabe raeneiar a arms, roas gueireirolo- dora preciosissim > da anio cora Deus
veterano, avesado aos cmbales e cenhe- que o nosso Cardoso logo adquiri em grao
ceodo a fondo a estrategia do-ioimigo. Al
a docura de ua radole, o-ardor desea pie- '.foi o esclareeer-se-lho mais e mais a inielli-
dade, attrat>jram-Ibe aqui gera.1 estima, e encia con aquelies lumes sobrenaturaes
< em quanto seapplicava cota grande aCQnco que antes no commercio do erncifixo, do
as sciencias ecclesiastica* e nellae fazia
consideraveis progressos, gracas ao nao me-
diocre ingeabo de que era dotado, atoslra-
va-se mais que nunca inclinado aos exerc-
cios da piedade christa, e tioba uro proce-
der lao morigerado que o destingui entre
os outros jov.ms e fazia conceber delle as
mais lisongfiras esperanfas.
Foi oese u;mpj (117) que o insigne re-
ligioso Passavalli, act-ial arcebispo de Iconio, dan-
do uns c-sercios espirituae na oniversida-
de da Sapiencia, conbeceu pela prisaeira
vez o joven Cardoso Avres* qne Ibe foi
apreseitado pelo doutissimo professor D.
Joo Baptista Muzzani, e depois, mais em
paiti.iirar, pelo Rev. padte Fr. Flix de
Lip t, procurador geral da ordem dos ca-
puchinbos, ao qoal viera o nosso Ayres mui
recommendado do Brasil, e por isso pedio
esie bom religioso ao dito raoosenhor Pas-
savalli, secretario, que era ento, da procu-
ra e especialmente addicto- aos negocios das
missdes estrangeiras, tomasse o Ayres de-
baixo de sua espiritual dineeeo. Eu o
liz de bom animo, escreve o supramencio-
nado prelado, porque desde a-priajeiravez
que o vi fiqnei irapressionado pela anglica
iuoiI siia o suavidade de, trato que em si
apresentava ; e unido com elle em amizade,
pude conbec-lo mais pelo intimo, at em
ordem consciencia, e nao duvido asseve-
rar que aos 23 annos de idade, rico e no
meio do mundo, conservara elle intacta a
grafa de sea baptismo. Fon de seus es-
tudos a que indefessamente- se applicava,
seus pensamentos e delicias eram Deus e as
cousas da religio. as noesas commoni-
cac6es familiares e frequentes Uve muitas
vezas de admirar as luzes extraordinarias
de que era enriquecida aquella alma esco-
llada. As mesiaas perguatas que me fazia-
sobre assumptos de espiritualidade mostra-
vam o elevado de sua intelligencia. Do mo-
mento era que o tomei sob minba direccSo
sua obediencia era tal, que eu achava con-
veniente abster-me de exprimir-lhe muitas
vezes qualquer desejo relativo sua sim-
plos instrueco ou norma, porque ello atado
custo o punha-logo por obra.
t Para mais afervorar a sua piedade ag-
gregou-se aos seculares que frequentatn
oratorio dirigido pelos padres Phippinosna
igreja que foi dita, e se chama ainda, Igreja
Nova, desde que erigida foi por S. Felippe
Nery; e alli vioba todos os dias colher no-
vas gracas na oraco, na assistencia ao santo
sacrificio da missa, na recepgo frequente
dos Sacramentos, ouvind com toda at'en-
co s conselhos daquelles bons padres; e
ass;m, nao s conserveva, como augmeota-
va em si mesmo. aquella modestia e suavi-
dade de espirito, aqoella caridade e pacien-
3
FOLHETIM
VIVA DEPOIS DE MORA
POR
Xavier de Montpin.
PlBTFi SECiUNDA.
0 HORSCOPO
(Continuaco do n. 207).
XXVI
Redes armadas
Ora esta! bradou Lzaro cheio de
assombro. Que isso ? Que demonio
tens t T
Simoa nem sequer onvio as pergontas.
A' condessa Maria de Rahon f repeli
ella. A dama que me consultoo acerca
de um sonho e cojo futuro ea propbe-
tisei t
Essa mesma, respoadeu Lzaro.
0 sonho significava que a condessa
dara luz urna cbimera, um ente que
nao existira, eiclamou Simoa com vehe-
mencia. Oh I lembro-me perfeitamente do
singular futuro que as liabas da mo indi-
cavam. Mora e viva ao mesmo tempo,
dizia o horscopo, infallivel, viva depois
de mora I De nada me esqueci, e prova
isto que a sciencia, cojos mysterios inter-
pretei, nao via nem falsa. Vai-se rea-
iisar a primeira parte do orculo, e em
ebegaodo o dia marcado, em soando a hora
no relogio da fatalidade, ha de cumpnr-se
tambem a segunda parle.
Com que ento, cu.,aaas acredi-
tar aas toas prophecias ? disse .Lzaro
meio irnico e meio admirado.
que no dos livros e doe bornea, se adqni-
ren; alli foi- o crescepem-lhe os impulsos
generosos do eoraco por cootinoas eleva-
odes a Deus na pratica da oraco ; all o
desenvolver-so-lbe a energa intiaja da von-
tade oa luta soobme travada conra ospra-
pnos defeitos e paixoes; allli emfim, o
wocer, o prostrar, o destruir, o naiquil*-
lar o velho homem sensoal. e o revestir-s*
do novo, formado segundo Jess Gbriston
esplendor da justica, da santidad e da ver
dade. Retirado as aliuras serenas da vid
religiosa, naquetle monte dos perfumes,
longe das baixezas da trra, sentiodo, com
Bernardo, na sua feliz solido o armis1
puro e Deus mais familiar; baobmjdo-sa-
deliciosamente naquella chova vokmtaria*
qne os cos estilam sobre a aeraoca da-
Dos em o deserlo ; todoembebido ao des-
velado cultivo' daquellas floreainbas qua-
brotam oceulta* ao p da cruz: a bamikla-
tras virtudes miosas dos santos ; soaalma.
toda levantada as coasa* celestraes, aa-
vr-se emfim exclusivanente consagrada ao
servido de Deas se desfazia emgosoa e ex-
clamava com o propbeta-: O pasearo achou
o seu abrigo, e a rola ara-Biabo onde depr
ea- filbinbos: teos altares, Deus das vir-
tudes, meu re e Deus- raen ten aliares ^
eis onde acbei meu descaaso, meu confor-
to, meu paraizo para sempre I Mal compre-f
hendem os homens que andam envottos na
cerragio e eseuridade do mundo o grande,,
nobre, real e divino deste trabalhn'ioterno
da graca.euvuma alma qne a Deus se coo-
sagrou na perfeico da vida religiosa. Ha
aqui um mundo de luzes, de grandezas, de
formosuras, de gosos- e felicidades da ordee
lo elevada e to pura, qoe escapara
apreciaco grosseira do seculo* e est es-
cripto que o nom%m animal nao-percebe as
coQsas que sao do espirito de Deas.
Com que tornou-se logo oaosso Gardoeo
a admiraco nao s de todos- os seus
companheiros, aos quaes pareciaflbes ter no
meio delles um Luis de Gonzaga, senao
tambera de todos os sacerdotes e irmos da
casa: e- era para todos cousa commum o
dizer que o irmo Francisco nada viera
aprender no noviciado, consummado, como
j era, na pratica da virtude ; e tinhaoipara
si que elle nunca manchado havia a estola
baptismal; to pura, to candida, lao arre-
batada do amor de Jess e de Maria, to
prompta em obedecer e sofirer mostrava-se
constantemente e em qualquer circumstan-
cia a sua alma.
No 'ntanto vindo da Inglaterra, onde
era superior provincial de varias casas do
instituto, o elabre padre Pagaoi, distincto
mestre e escriptor de asctica, com. o intuito
de levar da Italia alguns operarios para
Se acredito I redarguio Simoa.
E ao cabo de um instante accrescentou
em voz baixa:
Fura, pois, cora os meus escrpulos I
0 que tem de succeder est escripto as
paginas inlexiveis do livro do destino, e o
homem nada pode andar. Para qoe hei
de tentar urna insensata resistencia contra a
forca desconhecida que me impelle ? O
crime deixa de existir desde que desappa-
rece o motu proprio. Sejam quaes forem
asrdeos que eu receba, posso obedecer
lhes. O ponhal que fere innocente. S
a vonlade criminosa, e eu soo apenas o
instrumento passivo 'da fatalidade.
Era caso decidido I Aquello ceg fata-
lismo, mnio urna superstico nao menos
cega, acabavam de triumphar da irresolu-
Cio de Simoa.
A sorte da condessa de Rshon ficava ja
decretada, e s por milagre se poderia
salvar a creatura qoe tinha no seio.
Quando o marquez de Saint-Maenl foi
de noote ao pavilbo, para'fallar coma sua
cmplice, achoa-a submissa e sinceramente
prompta para tudo.
No dia seguinte ordenou-se Lzaro qoe
fosse Puy, com a iacambeocia d desen
cantar a parteira coja habilidade fazia pro-
digios, e de a trazer comsigo, ainda que
para a decidir fosse preciso offerecer-lhe
montes de ouro.
0 criado voltou ao terceiro dia, trazendo
Sim a na garupa do cava lio.
Francisca Aryac obteve um xito com-
pleto.
nao commum. J D3s tongas medltac&es
que fazia sem falta toda* as manhas, j
as- visitas ao SS-. Sacramento, repetidas to-
dos- os dias, j'' nos outros exercicios de
piedade, e particularmente na-celebracab do
saato sacrificio, a-qoe fazia sempre prece-
der uon dilatada* preparaco- e seguir orna
tonga aeco de gracas, sa via manifesta-
mente qme aquella abeocoad alma entrava
em estreita comimaicaco com-Jess Cons-
to, tanto mostrava-se elle recomido em si
mesrao e quasi hnmovel, cota o semblante
todo acceso e abrasado. Muitas vezes Ibe
fiquer vizibo em-quaoto se entretinha corajganbar todos a-Jess Christov
Jess Sacramentado, o medtava sobre a
paixo do Redemptor, e via-ae as lagrimas
como brtvamente a lae correrero a fio dos
olhos, ficaad ello-firiae e tranquillo na sua
homiloVe modest* postara daoracio, sem
mostrar por outre'modo a inlaroa conwao-
c2o do seo animo.-..
Qoando elle sabereava assiro a paz sere-
na do religioso remeneo em que jalgav ter
abrigado para sempre seus olbar de aogasto Imperador do Brasi, D.
Pedro W se fixon sobre elle para eleva-loa
urna das sedes vagas- do isaperio. 0<
sentimento, pora, de profunda bumildade
que o digno sacerdote tinha no> eoraco- re-
pognava inmensamente a tudo o que tena'
coi- de honra e drgnklade a o olhos do
mondo ; pelo que enpregoo> as mawres
diligencias para que o santo- padre o nao
obrigasse a accekar to alta dignidade, e o)
mesmo Imperador, vendo a repugnancia
que eHe tinha de deixar seu piedoso retiro,
consentio em dilatar o eoraprimento do de-
sejo ardenle que tmha de arovr er uca
bispado do Brasil vario de to eminentes
virtudes.
A Providencia,, qoe em *860 tinbavpra-
servado o nosso Grdoso Ayres do onus-tre-
mendo do episcopado, determioou em. 1861
t exaltaro que tanto se hutailhava, fazendo
qoe, nova instancia do Imperador,
summo pontfice nao cedesse mais nem s
lagrimas, nem s sopphcas do modestissimo
Cardoso. Consomido e afilelo chegoq
elle em Roma n'om estado de fazer com-
paixao peta dr que senta de assumir ta
ra^nho cargo, a-ponto de dizer aoseu an+
tigo director que antes qnereria qne Ibe an-
nuBciassem a morte. Pedio-lhe varias ve-
zes, todo deboihado em lagrimas, interpu-
zesse o seu valimento pente soasantidade^
para que o nao obrigasse a acceitar aqoella
ooraeacao, o que tendo feito monsenhor
Passavalli bem a contragsto e s movido
das continuas, instancias do angustiado Car-
doso, nada pode conseguir, porque o santo
padre exhortou vivamente a este que dei-
xasse todas as dovidas e acceitasse a misso
que a Providencia lhe destinava no Brasil.
Eu mesmo presente emborna, por occasio
da testa do Centenario, fui testemunha di
afflicco e amargura do nosso servo de|
Deus, e tive a honra de ser encarregadq
reservado, que harmonisava peritamente
com a rara belleza das suas feices. Con-
versn com elle um bom pedaco, e sentio
augmentar a saa confianza ao ver qoe reo-
oia a mais candida simplicidada tos conhe-
cimentos e experiencia de om cirocgio
consummado.
As maneiras commedidas. e a voz suave
que ellajiiuha, seduzram a condessa, e em
summa, logo desde o primeiro dia, e quasi
desde a primeiro instante, capturou Fran-
cisca Aryac ( qoera iremos chamando Si-
moa Raymundo) as sympathias dos criados,
provaodo-lhes com seo porte e agrada-
vel trato, que nao tentara valer-se da
grande importancia que lhe da va a. soapo-
sico excepcional no castello.
Qoaato ao mordomo- Lactancio, teve a
fraqueza de se namorar perdidamente dos
louros cabellos e dos rasgados olhos de
Simoa, e nao vio outra cousa d'alli-em
diante.
A seuaora de Coavigny felicoo Saint-
Maixent por ter escoibido orna mulber cojo
aspecto seductor e habilidosa hypocrisia
havia da afastar toda a sombra de sus-
peita.
Em resumo, as infames e tenebrosas ma-
chinaces do marquez iam oblendo o mais
favoravel resultado, e o Deus da justica
pareca vendar os olhos 'para nao ver o
crime que estava ponto de se realisar. ,
Restava anda nm obstculo, o ultimo.
Anastacia Gaudin, aquella camarista da
condessa que dava Lzaro a sua particular
predileccio, era de certo muito reprehen-
sivel sob o ponto de vista da moralidade,*
mas nao soccedia o mesmo pelo que res*'
peita 4 adheso profunda a sincera que ti-
nha pela sua patra.
O criado do marquez, depois de a ter
Agradou ao conde o seu ar modesto e experimentado mui dissimuladamente n'ai
qoelle ponto, avisou seu amo de que se-
riaminuteis e arriscadas todas as tentativas
de corrapcan.
nhora de Babn urna pessoa inteiramente
affecta aos criminosos planos cuja realisa
Cao nao podia tardar.
Nao sendo possivel corromper Anasta-?
ciar, trataramde afasta-la e para isso langa-
ram mo de om meio infallivel.
Ha de lembrar-se o leitor qoe nos bons
tempos da ra da Lnterna, se dedicavs
Simoa com bastante predilecco chimica
compondo filtrse beberagens de mui vari;
applieaco.
Lzaro deitou algomas gotas de um li-
cor por ella preparado no caf de Anasta-j
ca, e d'alli i pouco sentio a camarista urna
violenta febre, depois da qual veio a mais
absoluta prostraco e orna singular fraque-
za, que, apezar de nao lhe porem a vid
em perigo, a inulilisavam por um certo
espaco de tempo, cuja duraco era diQci
prever.
Nada mais inoportuno do que a repentina
doenca da camarista, exactamente quande
os seus servicos eram mais precisos.
As outras criadas eram ainda moita mais,
novas, e careciam da necessaria experiencia
para aoxiliarem a parteira.
Tornava-$e, portaato, iadispensavel o
substituir Anastacia, e nao havia lempo a
perder.
Mas onde se encontrara urna pessoa
digna todos os respitos de ter junto da,
condessa um encargo de tanta confianca ?
J a dfllcuTdade pareca nsuperave;
qoando Lactancio, o exemplar mordomo,
tirou infelizmente' seus amos de tamanho
aporo.
Foi ter com Annibal, e depois das sna&
costumadas mesaras, disse-lhe, pedindo
perdi para tamanho atrevimento, que sabia
de uma honrada rapariga, moradora n'um
abeciam ; alegra que se prolongou na visita
quo depois fez a varia* casas do instituto na
Italia, em Franca e na-Inglaterra, onde seas
antigos condiscpulos de noviciado exulta-
ran de velo ornado da mitra episcopal,
parecendo Ibes ver sella como a aureola
merecida de lo e^roias virtudes.
Emfim, depois de saudar de passagem
os monumentos religiosos do velbo Portu-
gal, atravesseo o Ocano, com dous sacer-
dotes de seu instituto, e, tendo conservado
sempre a bordo, qne um celebre autor
chama cora razio utn cadmbo moral; toda
a sua ardente piedade e nunca desmentida
paciencia, eatroo no da 29 de junoo de
1868>no esplendido porto- do Recife, onde
foi racebido cora as mais vivas demooatra-
coes de jbilo por toda a- popolacio da ci-
dade.. Comeos sob os mai felizes auspi-
cios os trabalbos administrativos de- sua
vasta diocese,. azendo-se tud a todos para
Animado de
sentineotos verdaderamente paternaes^ a
todo acolhia e dava audiencia com a maior
aff-bilidade e paciencia, a qualquer hora do
dia, amando e fazendo o beurqne poda a
cada ura, sera distinece de partidos. Es-
tamos- promp a todo sacrifiwo qne reque-
rer 0"bem estar de nosso paz, escrevia
elle era uma de suas cartas postoraes, mas
a imetitar partidos, nao. No vo-lo dia
ramos francamente na conseteocia de nos
sentimos imcwne de ter jamis pratica Jo
acto algum era o nosso epise >pal ministerio,
tendente a servir a um partido, e na firme
resoJfceao estacaos de perseverar em noesoe
prioipios para o futuro, era. qnanto esliver
em nos e nos- auxiliar a graca divina >
Estre os diversos actos de seu carto
episcopado, merece particular raenco a sa-
lutar re forma, do seminario, qual se ap-
plicoo logo desde os prime ros dias eom
zlo especia!, como a objecto que mais deve
desafiar a soticitude de ura bispo. Com-ef-
feito da boa direcc dada aos jovens alum-
nos-do santuario depende a felicidade dos
povos con&ados guarda dos pastores.
Para ser feliz um pavo raisier que elle
respeite a&leis e a moralidade; para res-
petar as leis e a moralhade, e necessario
que elle teoha a cwsciencia formada pelos
principios religiosos ; para ter a consciencia
formada por estes saadareis principios,
preciso qae he seiam estes de continua- in
coleados pela palavra e pelo exemplo de
sacerdotes instruidos e piedoso* ; como,
porra, ter taes sacerdotes, re o seminario,
qoe o viveiro eade elles se preparara nao
fr uma escola, mas nmaeseoa seria* uma
escola verdadeica, de lettras e virtudes sa-
cerdotes ? Donde vi rao as luzes. do-mundo
se o foco mesi'i onde ellas se accendem
estiver apagado ? E como corrern pelo
mar morlo da-Sodoraa essas correntes de
agua filara e sadia, de que falla o propbeta,
se o manancial donde ellas broiam ficar
sceo? E como podar a arvore crescer,
florear, dar fructos saborosos ero seu tempo,
se as raizes,. donde vem a seiva, se acharem
mirradas e podres ?' Logo evidente que
do estado intellectuai e moral dos semina-
rios depende o bem dos povos confiados
solicitude de um bispo. Ao nosso nao es-
capoa to imporlan'e verdade, e por isso
nada omitto elle para consummar as refor-
Ora, fcilmente se percebe quanto ao nossesses do senhor conde, mulher j
marqaez interessava o ter aolado dase-lwwrtaidad.e, muito sabida o'estas cousai;
de partos, apta devras para desempenhar
internamente o lugar de Anastacia, e por
quem elle responda como de si mesmo.
Aquella rapariga, to calorosamente re-
commendada por Lactancio, chamava-se
Marnela, e os leitores j sabem pelas in-
formaces de Lzaro dadas Saint-Maixent
que era essa a amanle do velho bypocrjta.
Bem se comprehende que o oferecimnlo
do mordomo era por instigaco de Saint-
Maixent.
O senhor de Rahon contmuava a confiar
cegamente no seu mordomo, e tiaba a re-
commendaco de Lactancio pela mais se-
gura garanta.
Traga-me quanto antes a sda prote-
gida, disse o conde, e se o aspecto d'ella
nao desagradar senhora condessa, pode
estar certo de que sero acoeitos os seas
servicos.
Duas horas depois, entrava Marineta no
castello, com ama trouxinha na mo, e
mais encarnada que uma roma.
Era mulber de seus triata annos, baixa
do corpo, algnma cousa gordanchuda, mais
bonita qne feia, e qoe primeira vista nao
desagradara.
Era preciso observa-la attentamente para
notar aexpressao iacerta dos seus olbares,
nos quaes transluzia boa dse de astucia.
Diahte no conde nao se atreven a levantir
a vista, e naturalmente aqelle suspeitoso
acanhamento passou por timilez.
Na sua jutentade estivera Marineta ao
sertfeo d.e uma rica dama de Clermdnt
mas os seus mos costnmes e a sua falta
de probidade qne foram o motivo de a
despedirem.
Ninguem ah pelo sitio, alm de Lactan
ci, sabia d'estes pormenores. Ak
Notera-se todava as razes qae o mor'
Bnunario1
.j
ma* eomrrai'i
tndos deste i tatwiBellBBio, j,
sobretodo, animando e afervaramkr entre
os alomaos aqaelle oqpritQ de modaatia
dsaapgo e sacrificio; aqoelle ardentieiimo
amor de Deus e- do prximo; aquella af-
fecto dedicido santa igreja, qoe sao, por
assjm dizer, a parte forma!, eoostttalllva e
ess'encial desses pos asylos to altamente
recommendados ao zlo do pretadoe peto
sacrosanto concilio Tridentino. Prs aos
cos qoe f s esforcos do nosso bispo, to
cedo, ai de nos I interrompidos, sejam con-
tinuados pelo digno pastor qne a Providen-
cia destina diocese de Pemamboeby e que
oesta, como as mais do imperio, ae prosi-
ga eom ralo branda e vigorosa nadando
obra da reformaco do clero, obra vital,
obra importantissMna, que encerra precio-
so germen da regenerado moral, religiosa
e social de nosso bello paiz.
Procarando o novo pastor por balsamo
sobre as chagas, e remediar a moita des-
ordem. natural qne o inimigo de todo
bem exeitasse centra elle algumas pertur-
bares na intuito de faz-lo desistir de todo
esforco tendente ao restabelecim nto da
disciplina ecclesiastica e reforma dos eos-
tomes no elero-e nos fiis. Mas nao logrou
faz-lo perder a serenidade do espirito, e
essa paz interior de que gozava e qoe ex-
cede todo sentimento. Porque*! como diz
monsenhor Gastaldi, o bispo Cardos^ Ayres,
aeostumado desde joven a encarar as sonsas
com os olhos da f, s- temia offen^er" a
Deas, s desejava soffrer por Jess Chriett;
e tendo na sua consagrado episcopal o<>
recido a si mesmo em oblacao por sao
cese, nao se deixava aterrar por conride-
racn de nenliura damno qne lhe podesse
acontecer, quando via claro qoe se tratua
de seu dever. Bem sabia^ elle que o vr-
dadeiro amador de Deus forte e constan-
te, era por consolaces se alevanta, nem
por deseousolaces desmaia; como diz am
pi autor, sabendo que quando o Senhor o
visita. So por merec ment seu, e qoan-
do lh'as- tira, era por isso o desampara.
c AfiaV de obter de Deus luzes e forra
para levar o peso que lhe fra imposto, con-
serva va-se uaido a- Nosso Senhor e ora va
muito. Todas asmanhs moito irlo levan-
tava-se e se applicava meditaoao: todos
os das celebrava com grande recolbimento
santa mise, e depois assistia a ostra mis-
sa em aecao de gracas; todos os dias re-
citeva convos domsticos o Rosario de Nssa
Senhora, fazra ieituras esperitaaes-, examina-
va saa consciencia; orna vez por semana
se ebegava penitencia sacramenta*, e ta-
njanbo era o amor qae tinha 4 oraco que
mnitas vezes dupois de ter gasto-o dia nos
negocios de diocese e em dar arteoco aos
diocesanos, passava grande parte1 Vaoote
era seas cos'.uraados exercicios de-piedade a
que nao tinha podido dar-se durante odia.
Fa de orna consciencia delicadhsrma at
o excesso, dMtingaindo, como por om ras-
tracto seguro, o bem do mal, mai compa-
decido das aiLcces alheias. reoonnecido
por qualquer mais tenoe servioo qpe lhe
prestassem. afta ve I no tracto e nasphvras,
de modo que captiva va a qaantos o viam,
pois a bondade da alma e do eoraco lhe
estava resumbrando no semblante, no olhar
e era todo o porte. Maguera jamis o vio
alterado, o que qoer que lhe soecedesse, e.
era claro que-isto nao derivava deinsensi-
bilidade e apathia, mas- de virtude mascla
e solida.
Ao chamado do grande pontifico Pi IX,
veio tomar parte, cora alguns outros seus
venerareis "collegas do episcopado brasileiro.
nos trabalbos do concibo ecumnico. Na
casa dos Philippioos, onde se hospedara ao
chegar em Roma, continuou o teor pprfpi'^
de vida sacerdotal que sempre at a morte
fielmente observou. Varios bispos venera-
veis me fizeram parte da impressSo profun-
da que lhe causara nos actos religiosos a
que assistia o episcopado o fervor e o reco-
lbimento extraordinarios do bispo de Per-
nambuco, que dorante to langas ceremo-
nias nunca ss distrahia, antes tinha o esp#
eito sempre levantado a Dos com grande
rdifteacao dos que Ibe ficavara visinhos.
tto era menos edificante seu procedi-
mento no concilio. Coube-me o prazer,
esoreve-me o Exm. bispo de Ardasch. de es-
tar jauto delle na sala conciliar at qae ap-
prouve a Deus chaoal-o eterna felicida-
de; Portanto desde o dia 8- de dezembro
de 1869 at os primeiros dias de ntaio de
i"870, tive amiudadas occasio de conbe-
cer o bispo do Pernambuco. Aflirmo sera,
hesitaco qe a opino que delle formarr,
quando era elle ainda simples sacerdote
conflrraou-se quaodo o conbeci bispo.
(Continuar-se-ha.)
domo tinha para inculcar uma rppmig
honrada e apta devras.
A protegida de Lactancio nao desagraden
senhora de Rahon, e logo entrau no
exerekio das suas fonecoes,
Por cooseguinte, fra completo o xito
do marquez, e a condessa estava no seu
proprio castello rodeada pelos apaniguados
de Saint-Maixent. Via-se o anjo entre os
demonios.
la principiar o drama tanto mais terrivel,
quanto mais binis^o, por ter de se repre-
sentar sem ruido e as trvas.
Aind sob pena de cancar os nossos lei-
tores, parece-nos indispensavel insistir
n*uma affirmativa, qae j fizemos n'oajro
sitio.
Chesmos.i um ponto da nossa historia
em que vamos narrar factos to inauditos o
to impossiveis primeira vista, qoe sen-
timos a imperiosa necessidade de repetir
qoe sao totalmente historeos, e que apenas
copiamos on qbando muito coordeeamos as
notas autbenticas de um processo bem ce-
lebre.
Um romancista que desejassa fazer uma
obra capricho, nao inventara nada seme-
Ibante ao que vamos referir, e reparando
primeiro que tudo na verosemelhaoca, afas-
tar-se-hia da verdade.
A incrivel audacia de certos malvados
substituira de certo engenhosas combina-
ces, e tena talvez moita razio.
Nos, porm, nao estamos n'esse caso.
Isto nao ara romance inventivo, ama
relacla de casos terdadeiros.
(Continuar-se-ha.)
T\"P. DO DIARl- RUADj DUQUE PRCAXlA


2j
1
i


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E28NYYSDV_JYPMKS INGEST_TIME 2013-09-13T23:46:55Z PACKAGE AA00011611_12213
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES