Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:12206


This item is only available as the following downloads:


Full Text
MitO XLVI. NUME80 1
't
PARA A CAPITAL E LUGARES WDE IAO PAGA POITE.
Por U-e mezes adiantados..... vm
i*or seis ditos itiio...............
Por *y anno dom....... ........
Cdl BMBro IVQSO .......... 2wX>
................... 320
DIARIO D
QUMTA FEIRA 7 DE SETEMBftO DE 1870
PABA DEITBO E PORA DA PBOVIICIA.
Por (res mies adiantados
Por seis ditos idem. .
Por nove ditos dem .
Por ara amo dem


'-


W7B
131000
201250
271000
Propriedade de Bfonoel Figneira de Faria Filhos.
OAO AGKVTEH.
Os So. Gerardo ntonio Alves A Filbo, no Para ; Goofalves d- Pioto. no Mannbao ; Joaqun) Jos do Olivara, no t>ar ; Antonio d Lomos Braga, no Aracaty ; Jlo
Pereira d'Almeida, em Mamangoapo; Antonio Alexandrino de Lima, na Parahyba ; Antonio Jos Gantes, na Villa da Perita; Belannino dos Santt,
__________*______________________________em Nazareth ; Francisco Tavare da Costa, em AJagoas; Dr. Jos Martias' Arvw, na Babia ; e Jos Bibeiro Gasparinbo

Mara- Julio Chave, no Ass ; Antonio Marqnee da Silva, bo Natal; Jos Jojtino
utos Mcio, em Santo AnLSo; Domingos Jos da Costa Braga,
no Rio de Janeiro.
PARTE OmCIAL.
'rao da provincia.
xrzaixjiZK assgsado pexo exm. sb secador fre-
eIt E AUlEIDA K 'ALBUQUEHQUK, PIUSIDBNTK
DA mWIXCIA, EM 15 DK ABOIL Dg 1870.
* ,1" seccao.
N. 183. tVrt>ris no Exm Sr. general eomman-
oasieda* arma.Constando me terehegado ago-
ra e inesperadamente o vapnr Itapicur, condu-
"ziaismo bataihao * de suppr seja o 30 ; sirva-se V. Exc. de expe-
Aras-oNen* que forera neeessarias oara o seu
ataiameot Aoje as 4 hiras da tarde no quarter
da* Cinco Poeue, eerto de que a director do ar-
>*-**,*** gueWa, recommendo que mande abuste-
*xr Tagua o mesmo quartel e se emenda coro V.
Eic. 0*rt o que ma- fr preciso.
*J- H6.Dita ao director do ar titas! aa do-me ter chegado agn inesperada-
rutila **< aoasi.ro' d'agua o quartel das Cinco Pon-
IV, oodedeve ser hoje alojado pelas quatro horas
da Carde, e prove-lo do que for mistar para o alo-
jaaeniodo sobredito bataihao, eniendeado-se para
esae iti cuoj o.general eo/n mandan te das armas.
N. 1S7.Dita ao capillo do porto. Communico
a V. Sl par seu conhecimenlo, /me per despacho
deta ifc.; conced qoinze das de praio para pro-
car wafio legal ki rc-crot Lourenco de Souza
Hiwii,
9f. 188. Dita ao- mesmo. Constando-me ter
*egdo agora e inesperadamente o vapor lapi-
nrra, eoaduiindo um bataihao de voluntarios da
P**ri, providencie V. S. para que hoje as 4 horas
da tarde tetina o mesmo bataihao os meios de con-
duran para o seu desembarque, mandando prestar
paraos- lirn as embarcarles de que V. S. dispde.
igual an inspector do arsenal de marinha.
V ttktiii ao conselho de compras do arse-
nal le puerra.Autoriso o conselho de compras
da amsaal de pnerra a promover a compra dos
ihjeetas preciaos para provimento do almoxartfa-
d do tftesmo arsenal, couslaates dos pedidos iun-
fi>, sol> ns. 8 e 9.
2." seeco.
K, K)3.Portaria ao coi mandante superior do
Hecrfe.Mande V.-S. aggreaar ao 3 bataihao de
^afamara da guarda naeioaal do servico activo
t^ste unicipio o tenenie cirurgio do bataihao n.
'< de tpojuca, Angelo da Cesta Mello Rosal, o que
Minie o seu oflkio n. 74 de 2 do correle.
V *4. Dila.ao aiesmo. Chegando agora e
^gund.t me consta n-spe admente o vapor Ha-
fsKv:k cora ucn bata4hn de voluntarios da patria,
{u de supitr seja o 30, providencie V. S. com
rfenc pan qw urna guarda de honra o v re-
cebermje as 4 horas da tarde.
9L lit.Dita ao jure municipal da primeira va-
ra. Com o olcioyjunto por copia do juiz muoi-
cipal 4v termo de himoeiro, do 30 do mez fiado,
re'paa4o aode Vmc. de 11 do dita mez, qnanto ao
MMteaeiadt) Bernardo escravo de Manuel Ignacio
da Luz.
X. 19C. Dita ao commandante de polica.
Mande Vme. addir ao corpo de polica sob o seu
<*'nnnndo o V sargento do extinelo bataihao n.
o de ^unanos da patria, Matheus Pereira do
nyga.qae pertencendo ao corpo de polica desta
{TBviaria f-z a campanba do Parasuay.
N fS*7.Dita ao mesmo.Pode Vmc. engajar
i corpo sob o seu coinmando os voluntarios da
;ria .\' SUtMel M.ithias do Mjnte e o paisano Guilhermi-
M r'abricio de Paula, dos quaes trata o seu olli-
ei* a. 158 de 5 do corrente, se tiverera a idoneida-
d> necdssaria.
>". li*8.Dita ao me-mo. Pode Vine, engajar
sorjw sob o seu commando os paisanos Manoel
iiouc.ilvtfs da Silva, Manoel Jos de Araujo, Anto-
nio Pedro Seabra, Manoel Luiz da Cesta, Sabino
J'i Ciitnaro da Cruz e os voluntarios da patria
llerculano Januario de Luna, Joaquim Soares da
Si)-.a, los Francisco Ribeiro, Candido Francisco
tic ,ia:iu Francisco de Olveira, Alexandre Jo3
Cardle a Jos Giidi.io Canleal, de que tratara os
- >;- llicios hs. 146, 152 e 153 de 1, 2, e 4 do cr-
ente *e tverem a neces?aria idoneidade.
V iy).eliberacao.O presidente da provin
c:.\ atieodeodo ao que llie reqoereu o lente Ci-
rus-po do bataihao n. 40 de infanlaria da guarda
uacfxtal de Ipojuca, Angelo da Costa Mello Rosal,
eii-xgue inlormou o commandante >uperior inte-
riau desie municipio, em ollicio n. 74 de 2 do cor-
reiilft, reeolve que seja elle aggregado ao 3o bata-
Ihao de infanlaria do servico activo, visto j ter
dncorriio o prazo marcado no art. 45 do decreto
n. 1130 de 12 de marco de 1853. depois que oble-
veaamgem,
S SOil.Bita.0 presi lente da provipcia at-
temi-ado ao que Ihe requereu o tenente-coronel
4aio Vieira de Mello e S Civalcante, do bataihao
n 27 la guarda nacional dj munieipio de Carua-
r. risalve conceder-lhe seis mezes de licencia pa
t*. ira Europa tratar de sua sade.
3.* seccao.
N. 201.Portara ao in'pector da thesouraria, de
fdzenda.Commiinico a V. S. para os dividos lins
tfaif epaodo participou o bacbarel Antonio Pauli-
na nraleante de Alouquerque, em offljio de 12
* >ei Sudo, ne;sa data assumio elle o exorcicio
.rgo de joiz municipal e de orphos do termo
dn liintne.
K. 201Dita at mesmo.Tendo nesta data au-
tetitm o conselho Je compras do arsenal de
y ierra a promover a compra dos objectes prec
sas para provimento do almoxarifado do mesmo
ar.uaal constante dos pedidos juntos por copia
Mi n-. 8 e 9, assim o cominunico a V. S. para seu
<-*fcaaieato.
K 203.Dita ao m6 juaueoiduplicata, que me reiietteu o director do
aifa Je guerra com o ollicio de honlem sob
n. W, ounde V. S. pagar a quanta de 27* prove-
a-iitcdo transporte dos objectes, que foram rece
bidiS no quartel 'do Hospicio e recolhidos ao mes-
n>j arsenal.
K. 204.Dita ao inspector da thesouraria pro-
vincial.Mande abonar ao alferes do corpo pro-
vibrio > polica Pargenini de Miranda Pimonlel
r.iuf irme soltcitou o respeitvo commandante inte-
nHes effieio de hontem sob n. 157, a quanta de
-tr)A como ajada de costo de ida e volta a villa do
1.iiw*m onde vai em deligencia.
K. 205. Dita o ebefe da repartico das obras
pablicas.Remeti por copia a Vmc. para seu
<**oVmento e fias convenientes a inclusa delibe-
rci esta data pela qual resolv designar os lu-
jrareaeaique a companhia Recife Drainage deve
zabalecer as freguetias de S. Fre Pedro G.in-
lv8 do Recife e da B ja-Vista as edificacSes
para as bombas de esgoto que tem de fazer.
4* seccao.
N. 201OBBeo ao Exm. Sr. ministro do impe
..S. 31.Em cumprlmento do aviso de 8 de
ouljbro ultimo, passo as mos de V. "Exc. a rafor-
maeao ministrada pela cmara municipal desta
Cafe em 23 do mareo prximo (lodo, sob n. 17,
iMiafirameote a porcao de terreno perteBcenie ao
quintal do quartel denominado do Hospicio.
207.Portara ao deaambargador provedor
*.S*bU Casa da Misericordia.Sendo o legado
4 e orpbas gue se casassem anterior ao casa-
"*< d Antonio Fraaciaco de Souza eam a edu-
^..^MMrna Iabel Soares, evidente que
> "a direito a ana anota, na razio di vigsima
***- ao neiaao Jegt .0 &} podendo a circums-
taneia rnteiramente accidental do ter jns outro
legado infirmar o direito qne adqnerfo ao segun-
do; cumprc?, pois, que, a junta administrativa
dessa Santa Casa maode satisfazer a importancia
da quota do 1,-gado do que se tr.ua, a que lem di-
relio a predita Alexandrina Isabel Soares.
N. 208Dita ao Dr. Angusto Prederico n>Ol-
veira. Recommendo a V. Exe. qae mande-entre
gar ao director parcial dos ndios a afoVia do
Brejo dos Padres, Manoel Franewo Bote, 6
saceos feijo e 10 eom milho pwa serem destritwi-
dos pelos referidos radios que se achara erar estado
de penuria.
N. 209.Dita a cmara municipal do Reci-
te.Remello por copia .'cmara rannieiDal desta
cidale para se a conhecimenlo e iros canvenrentes
a inclusa deliberarlo desta data pela qual resolv
designar os lugares em que a cempanhia Recifa
rainage deve estabelecer as freguezias de S.
Frp Pedro Goo;alves do Recife e da Boa-Vista os
edificios para as bombas de esgote que tem de
fazer.
N. 210.Dita ao presidente da cmara munici-
pal de Cimbres.Para poder resolver sobre a ma-
teria do offlco que Vmc. me dirigi em 17 de-
marco prximo lindo, maudei por despacho de
hoje onvir o 6o supplente do juiz municipal desse
termo marcando Ihe para esse fim o araso de 15;
das.
N 211.Dita ao director geral interino dos in-
dios. Lommunio a V. S. para sen coobecimento
3ue nesta data em vista do que me represeutou o
irector parcial dos indios da aldeia do Brejo dos
Padres, Manoel Francisco Botelho mandei entregar
b saceos com feijo e 10 com mifho para soccorrer
com iaes gneros os indios daquella aldeia que se
achato era estado de penuria.
N. 212.Diu ao director parcial dos indos da
aldeia do Brejo dos Padres. -Alieodendo m que
Vmc. represenlou, reomraendo nesta data ao Dr.
Augusto Frederico de CMiveira que maode entre-
gar-lhe 6 saceos com feijo e 10 com mbo para
serem destribuidos taes gneros pelos indios dessa
aldeia que so aebam em estado de penuria: o que
Ihe communico para sua scieocia.
N. 213.Dita ao gereote da companhia Pernam-
bucana.O Sr. gerente da companhia Pernambu-
cana mande dar passagera proa do primeiro va-
por que seguir para a Parahyba aos sentenciados
Lourenco Francisco de Otiveira e Jesuno Bezerra
de Menezes Batalha que para all devem seguir
acompaohados porA pravas do corpo provisorio
de polica, conform Ihe fo j requsitado pelo Dr.
chefe de polica correndo a despeza por eonta dos
cofres da dita provincia.
N. 214. Di la ao nusmo.0 Sr. gerente da
companhia Pernambucana. mande dar passagem
proa no primeiro vapor qne seguir para Alagas
ao sentenciado Ignacio Veira da Silva e as 2 pra-
cas do corpo provisorio de polica que o vo escol
lando, conforme j lh fo requisitado pelo Dr.
chefe de polica, correado as despezas por conta
dos cofres daquella provincia.
_ N. 215.Deliberacao.O presidente da provin-
cia, em vista do que requereu o gerente da com-
panhia Recife Drainag'e do que informou a cama^
ra municipal desta cidade em 2 da marco prximo
lindo sob n. 14, resolve designar o lugar da forta-
leza do Brum na fregoeza de S. Fre Pedro Gon-
calves do Recife e o de Santo Amaro na Boa-Vis-
ta entre a casa qne fo do finado Francisco Joa-
quim e a primeira parte da estrada de Olnda para
serem nelles construidos as mesraas condicoes
das Cinco-Pontas os edificios para as bombas de
esgeto que a referida companhia tem de fazer.
EXPEOIENTE ASSIGXADOPELO BXM. SR. DR. ELIAS FRE-
DERICO DE ALMKIDA E ALBUQUERQUE, SECRETARIO
DO GOVERXO EM 6 DE ABRIL DE 1870.
i'scelo.
N. 216.Offlco ao director do arsenal guer-
ra.S. Exc. o Sr. presidente da provincia, manda
declarar a-V. S. em resposta ao seu offlco de hon-
tem sob n 50, que a thesouraria de fazenda tem
ordem para pagar a qaantia da 27 constante do
citado offlco.
2." seccao.
N. 216 bis.Offlco ao chefe de polica.0 Exm.
Sr. presidente da provincia manda declarar a V.
S., que nistadata se recommendou ao gerente da
companhia Pernambucana fizesse dar passagem,
para Alagoas e Parahyba aos sentenciados e escol-
tas do que trata o seu offlco n. 1733 de 31 do mez
tlodo.
N. 217.Dito ao coronel Coriolano Velloso da
Siiveira.O Exm. Sr. presidente da provincia man-
da acensar o recebimento do offlco de V. S. de 2
desle mez, em que participa ter nessa data reas-
sumido o coraraando superior da guarda nacional
do municipio de Serinhaem.
N. 218.Dito ao bacharel Christovao d)s Santos
Cavalcanle.0 Exm. Sr. presidente da provincia
maoda de larar-lhe que tieu inteirado pelo seu
offlco de 25 do mez findo/d ter nessa data V. S.
assumdo o exercicio do cargo de juiz municipal e
de orphaos do termo de Pao d'Alho como sea pri-
meiro sabsltnto.
N. 219.--Dito ao bacharel Antonio Paulino ca-
valcanle de Albuquerque.0 Exm. Sr. presidente
da provincia mandaaecusar o recebimento do offl-
co de V. S. de 12 do mez fiado, em que commu-
oica ter nessa dala assumdo o exercicio das fuac-
c3es do cargo de juiz municipal e de orphaos do
termo de Buique.
N. 220.Do ao bacharel Manoel Joaquim Fer
reir Estevas Jnior.0 Exm. Sr. presidente da
provincia manda declarar a V. S, que ficou intei-
rado pelo seu offlco de 1 do corrente, de ter nessa
data dexado o exercicio do cargo de pr;' utor pu-
blc i da comarca de Caruar, para entrar no goso
da licenca que Ihe fo concedida por deliberacao de
1 de marco ultimo.
N. 221.Dito ao commandante do cerpo provi-
sorio de polica.O Exm. Sr. presidente da provin
ca manda declarar a V. S., em resposta ao seu
offlco de hontem, sob n. 157, que a thesouraria
provincial tem ordem para abonar ao alferes lVr
gentioo de Miranda Pimente1, e ajada de cusi de
que trata o citado offlco.
4.* seccao.
N. 222.Offlco ao Dr. Francisco Teixera de S,
primeiro secretario da assembla legislativa pro-
vincial, n. 41.S. Exc. o Sr. presidente da provin-
cia manda remeiter a V. S_aflm de ser Submet
t da a consideracio da assembla legislativa pro-
vincial a inclusa copia do offleio do inspector da
thesouraria provincial do 1." do corrente, sob n.
211, e as demonstrabas a'que elle se Merlo pe-
diodo um crdito sapplementar na importancia de
41:529^216, para continuar) das despezas de que
tralam os artigos 3." 2., 4." 2., 5> g 2.',
19 2.a, 21 .e 46 da le do orcamento vgent;
o qual deixoa de ser concedido, allanto o disooslo
oo artigo 4. da le n. 575 de 5 de abril de 1864.
EXPED1ENTS ASSIGiNADO PELO EXM. SR. SENADOR FRE-
DERICO DE ALMEI0A R ALBUQUERQUB PBKSIDENTK
DA PROVINCIA, EM 7 DE ABRIL.
! seccao.
N. 224Portara ao Exm. Sr. general eomroan-
dante das armas.Inteirado do que V. Exc. acaba
de eommunicar-me em efflcio n. 176 d'esta data,
relativamente ae balalbao 30 de voluulirioj*da pa-
tria, tenhoa dizer-lhe que espeja saas oidens para
que o mesrao bataihao seja dissolvido com a oes-
sivei brevdade, como determina o aviso, do minis-
terio da guerra de 30 de marco ultimo, junto por
copia. Coovem, porem, previnir a V. Exc. de que
o pagamento que se bouver de fazer as pracas do
referido bataihao deve eflectuar-se b-o dia anterior
ao emque ventilar-se a sna dissolo ci
N. 225.Dlio ao mesmo.fctandf, V. Exc. pre-
sentar ao inspector, do arsenal rurinha, afim de
ser alistidb na companhia de aprmdlzes marfchei-
ros o rerruti Ovidio Valerio dos Santos.
N. 22o,Dito ao inspector do arsenal de bja-
rhht.Por patte'db brigadeirt commandante da'
ama Ibe ser niandido apresentar, afim de ter
alistado na eompanbia de aprendizes raarinheirc
o reerota Ovidio Valerio dos Santos.
M 22T.Dito ao capito do porto.Commnnico
a V. 8. para se c raheeimento. que por despacho
de hontem datado, coneedi lo dias de razo pira
provar isencao legal ao recrota Antonia Ignacio de
Medeiros.
2"seecao.
N. 2?".8Portara ao commandante sopennr do
Brejo e Cimbres.Mande T. S. dar a pu*a de que
trata o art. 45 do decreto-* M30 de 12 de marco
de 1853'ao lente da o1 companhia do batalbao
n. 36 do municipio do Brej Antonio da Silva
Barros para o municipio de Caruar oode ffxuu a
saa resideoeia.
N. 221).Dita ao commandanle superior do
municipio de Olroda e Ignarassd'. Expec* V. S.
as convenientes ordena para que no daJOdo
corrente as i horas da tarde o 9* bataihao e in-
fantina da guarda naeioaal do munieipio de CMin-
da se aprseme em frente da groja de S. Jbao
Baplista da eidafc d'aquelle norae afim de aaoro-
panhar a imagem do Sr. Bom Jeius dos Martwioe-
que em solemne procisso tem oVapresentar ve-
neragao dos deis a respectiva rmandbde.
N. 230.Dita ao juiz da] direito da 1" vara*
envo a V. Si oeoselho oajulgameoto do soldado
do corpo provisorio de pokea Firmtno Apoliaa-
rio da Slla Ramos que tero de ser jalgado em
ultima instancia pela junta da qual tero V. S. de
fozer parte como relator, se- deve rennir a 26
desie mez ao meio-dia, oeste palacio..
IC 231.Diia ao promole* publico- da comarca*
da capital.Remeti por copia a Vioc. o reqo
rmenlo em que o crioulo francellno Jostiniano'
Carneii o da CurnV allega set livre e le sido ve-
dido como escravo por Francisco Xavier Carneim
Los bem como copia da nl5rraacao qne acere-
de semelhaDte aseompto mnistron o Dr. chefe de-
polica em 4 do oorrente sob n. 460 am de que
Vmc. tomando com toda a urgencia canhecimento-
do facto procedi na forma da le e como de di-
reito for contra ojoem se achar em culpa do cas
de ser o supplicante livre.
N. 232.Dita ao de Tacarat.Em resposta ao
seu offleio de 16 do ipez (Indo, tenho a dizer-lhe-
que tendo.Vme. em offleio de il do dito mez par
ticpado ter nessa data asumido o exercicio das
funceSes de seu cargo nessa conformdade foram
feitas as eommumeaees, nada ha retificar.
N. 233.-Deliberacao.O pansidente- da pro-
vincia attendend ao que Ihe roquereu Antonio da
Silva Barros, lente da 5" companhia do bataihao
n. 36 do municipio do Brejo resolve que se Ihe d
a guia de que trata o art. 45 do decreto n. 1130
de 12 de marco de 1853 para o municipio dn Ca-
ruar onde tem fixado |a sua residencia,
N. 234.Dita.O presidente da provincia em
vista do offleio do Dr. chefe de polica o. 463' de
provincia parte dos trabados por V. S. eon.rata-
dos, qua.'a remelierme com a.maior urgencia
que lr &oss.'(el urna copra do mesmo reeencea-
mento, afim (t ser remettida para a corte no pri-
meiro vaaor que para all seguir, em eamprimeoto
de orden impeme.
-N. 243Dita aos agente da companhia Brasi-
lea de paquetes a vapor.Os Srs agentes da
companhia Branleira de paquetes a vapor man-
dem dar transporte para a provincia do Cear,
por eovita do ministerio da gusrra, no vapor Cru-
zJt dv Sul que acaba de ehegar da corte, as a
pracas do extincto baulhao o. 53 de voluntarios
d patria, cabos da esquadra Manoel Raymondo
Gomes, Carlos Ferreira Gomes e sua malher.
-,- 246.Dita ao mesmo.Os Srs. agentes da
companbM Brasilera de paquetes mandem dar
transporte para o Cear por conta do ministerio
da guerra, do vapor Cntftro do Sul, e-praca
do exmelo bataihao n. 53 de voluntarios da patria,
Antonio-IbOmaz do Naseiracmto.
N. 41RDita a mesmo.Os Srs. agentes da
companhia Brasiletra de paquetes-a vapor man-
dem daroransporie para a provincia- do Maranho,
por cont d<> roinistsno da guerra, no vopor Cru-
zeiro do> St/,' -cx-praca do extiseto bataihao n.
53 de voltinMfios da patria. Jlo Rayranndo- db
Nascineiie
N. 248LDtt ao mesrao.Os Srs. agentes da<
companhia- Brasilera de piquetes mandem dar
Irn-porte pnra o Ceara, por eonta do ministerio
da guerra, nc- vapor trivzeiro do S*i; i ex"pr?a
do extincto bataihao & 53 de voluntarios da pa-
r, Joaquim Goi^alvesde Araojo.
N. 249.4elibera5ao.O presidente da provin-
cia, attendendo ao que exooz o direetor geral da
instruc^o publica em offleio do 1.-do corrente,.
resolve despenar e menbro do consett director
cooselheiro Francisco de Ptala Biptisla, para
exercer aqoelle cargo durante o impedinaeolo do
respectivo proprietanio, qne- se aeha doente e ten>
de ir para a -Arte cuno depotado assembla ge-
ral legislativa.
X 250.Dita.> presidente da provincia, at-
tendendo ao que requereu. o bacharel Paliciano.
Placido Pontua, repetidor do- gymnasio prviiieial
e ero vsu do- que informoo o respectivo regador
emofflrio de V do-orrente, sob n. Itt, resolve
conceder nm mez V licenca cora ordenado se-
ment para tratar de-sna saaVle.
raniWErrrK asswnab pelo sr. dr. Iuas frkberi -
Odoriea Angosta Cabral, brane, PernamBnc,
20 annos1, casada, Becife -f hemorragia.
Francisca Basllia da Roea, branca, Pernambnco,
76 anoos, viova, S: Jos; diarrha.
RnUno Angelino de Oliveira, pardo, Pernam-
ooco, 10 asnos, Santo Antonio ; febrr cerebra*.
2
Candida Mam de Oliveira, branca, Pernambu-
ro, 45 annos, casada, S. Jos;. bronchR.
aria Lniza de Sauza, parda, Pemamboco, 42
innos. viava, Boavista; molestia de peito.
Adeiaide, branca, Pernambac, 20 meaes, Boa-
ista ; convBJsaes.
PUBLICACOES k PEDIDO.
- ^-|TOI e cantas por
Manoel Das, bra^, Prnaraboco, n*^\ZV^^%SS^***&
(jasado, Boavista: tBt>ercnlo im interinr HAni. I. ^ _. ^Z^88" eraGD' e a Prvn mz ^-
XegoetM do Asylo db Sendlc!
me.
8anta Casa da Misericordia do- Reeife, 18 d>
agasto defSTO. N. 27.-Illm. e Exm. Sr.-
Dl o ex-dVeelor ao Af*o de MemWeidade no ar-
npo-que publcoo no Diario de tff de jnlho pr-
ximo- passade n 168, qne demasiada a minha.
coragam, quaado me reflra papis
Boavist; tobercnlos no interior. Hospi-
SOTBRNO IN-WEINO, El TK ABRIL DE 1870.
i" seotao..
Jt. 251.OH510 ao director do arsenal-de guer-
ra.S. Exe. o Sr. paesldente da prormchi manda
declarar Vi, em- resposta ao seu efflcio de 29
de marco ultimo, sob n. 45-r que a thesouraria de
Cizenda lera crdem para pagar a quaatia de
3?jf500 res constante da conta que em duplcala
veio ann*xa ao seu citado oMno.
H. 552Oflfcio ao-Dr. befede poliei*.Nesta
data autorisan-sa-a- taesouraria proviaoinl a pagar
a Jerouymo ftreira M:trio ou Eyaristo Mendes
o do com me reso ve exonerar a bes- do. serv* j* tonbA ^ quanUa de 66* enlistante de-
do cargo de subdelegado do nistricto de Beberibe
do termo de Olinde o bacharel Francisco Bredero-
des de Andrade e do de 2o supplente do mesmo
subdelegado o cidado Manoel Mara de (Jaldas
Braodo.
3' secejio.
S. 235. Portara ao inspector da thesauraria
de fazenda Em vista do que sollcitou o secre-
tario da capitana do porto Decio de Aqnino Pon-
seca em 6 do corrente, o descont- de 25- jo que
do seu ordenado offereceu para as despezas da
guerra Jeve cessar do Io de marco ultimo como
determinei em portara de 4 deste mez, a V. S.
enderecado.
N. 236.Dita ao mesmo. Participando o en-
geahero fiscal da estrada de farro em offlco de
o do corrente, sob n. 84, haver o Dr. Joo da
Gunha Beltraode Araujo Pereira entrado n'aquella
data no exercicio interino do cargo de ajudante
do referido engeuheiro fiscal, assim o cammunico
a V. S. para seu conhecimenlo e lirjs convenientes.
N. 237.Dita ao mesmo.Segundo participon-
me o brigadeiro commandante das arma* em offl-
co de 6 do corrente sob n. 173, despedio-se do
lugar de enfermeiro da enfermara militar desta
cidade, Cassemiro Lucio de Figueiredo, e fo
substituido pelo respectivo ajudante Jos Mon-
leiro Salgado, o que declaro a V. S. para seu
cooherimento e flns convenientes.
N, 238.Dita ao mesrao. Recommendo a V.
S. que em vista da conta junta em duplicata, qne
me reraetteu o director do arsenal de guerra, em
offleio de 29 de inarc> ultimo, sob n. 45, manda
pagar a quanta de 375-500 proveniente do trans-
porte do armamento e eqaipamento do extincto
corpo n. 53 de voluntarios da patria, do quartel
das Cinco Ponas para aquello arsenal.
N. 239.Dita ao inspector da thesoararia pro-
viucial.Dapois de liquidada em vhta das conlas
e relacoes juntas, a despeza feita com o sustento
dos presos pobres da eadea do termo *do Brejo
durante os mezes de dezembro do anno prximo
passado Janeiro ultimo, mande V, S. pagar a sua
importancia a Jeronyrao Pereira Marius ou a
Evaristo Mendes da Cuoha^ Azevedo, conforme
sollcitou o Dr. chefe de polica em offleio de 5 do
correte sob n. 471.
N. 240.Dita ao mesmo.Sagando se v da in-
forraacao jun a por copia do chefe da repartico
das obras publicas, datada de 29 de mareo ultimo,
e sob n. 82, a ora do primeiro ianeo da estrada
de Una a Riachaozinho, de que era contratante a
bacharel Pedro Alfonso Ferreira, ra recebida
provisoriamente no lempo devido em viola das pro-
rogacoes que obtivera o mencionado bacharel, es
consequeneia do que fra recenda definitivamente
depois do prazo legal, e nao ostante V. S. decla-
rar em sua informaejio de 19 do citado mez de
mar^o n. 173, nao ter sciencia do altlmo recebi-
mento, nao pode esta cireumstancia prejudicar ao
contrtame, e por isso deve se considerar como re-
gular esse recebimento definitivo. Alero do que
tica exp isto, acontece qne para poder a estrada
prestarse ao necessano transito, preciso-que
sejaarada, comoproooa o caefe daquella rapar-
lico no offlco n. 69 de II tambera de marco.
Assim. pas, recommendo V. S. que mande por
em hasta publica esse aramento, servtndo de base
o orcamento constante da copia junta, na impor-
tancia de 2:420Jj.
N. 241.Bita ao chefe da repartico das obras
publicas.Declaro Vme. para sen coobecimento
e flns convenientes, que acabo- de reeommendar
ao inspector da thesouraria provincial, que mande
por em arrematacao o orcamento do primeira lau-
co da estrada de Una ao Riachaozinho, servan de
fiase essa arreraalasao o orcamento qoa veio
annexo ao sen offleio da lid? marco ultimo, sob
n. 69, o qual oca assim respondido.
4* seccao.
N. 242. Portara ao director geral da iostruc
ca publica.Attendendo ao que expo* V. S. em
seu offlco do 1. do corrente, acabo de designar o
merabro do conselho director conselbeiro Francisco
de Paula Baphsia, para o substituir interinamente
em quaoio durar o seu impedimento.
N. 243. Dita ao mesmo.Attendendo ao que
requeren Ignez Barbalho Uchoa Cavalcanti, e ero
vista de sua inlormaclo de 4 do corrente, sob n.
112, recommendo V. S. que mande admittir a
supplicante a exame de habilitadlo, afim de poder
ella entrar no concurso que se vai proceder por
essa directora para preenchiraeuto das eadeiras
vagas do sexo femenino.
N. 244Dita ao Dr. Joaqnhn Jos TararesBel-
fort.Fazeado o recenceaiueato da popula?50 da
wfBwio de V. S-. datadio'de Sdocorreote sob n. 471,
qdal fiea assim respondido de ordem-do Exm.
Sr. presidente da provincia.
N. 253 Ditoao raesmo.O Exm. S;-. presiden-
te da provincia manda declarar Y.' S que, por
deliberacao d'esta dala, foram exonerados ben>
doservifo pnWicj o bacharef Francisoo Bredero-
des de Andrade- do-cargo de subdelegado do dif-
irilo de Beberibe, eocidadao Manoel Mara de-
Caldas Brandao do de 2.* supplente do mesmo
subdelegado, em vista do sen offleio- n. 463 de 13i
do correle.
3i"seeao.
N. 254. -Offllo aiViospector da theouraria pro-
vincial. -S. Exc. o Sr. prasidente da provincia ten*
do por deliberacao desta dta resolvido assignar,
em vista o que expoa director paral da ns-
truccao puolkaem offleio do Io do corraate e mera-
bro do conselho director cooselheiro-Dr. Francisoo
de Paula Baplista para exercer ao.aelle cargo,
durante o impedimento^do respectivo, proprietario,
que se acha deente e lem de seguir para a cete
comodeputado aseuuVa peral legislativa; as-
sim o manda commuoicar V. S. para seu conhe-
cimenlo e fins contenientes.
4* seec;ao.
N. 255.Offlco ao engenheiro- fiscal da estrada
de ferro.S. Exc. o Sr. presidente- da provincia
manda dielarar V. S. para saa eonheclmento,
que, pe < seu offi<;o de 5 do correnU sob n. 84, fi-
cou inteirado de tnver Dr. Joo da Cuoha Bal-
trao de Araujo Pereira, entrada- naquella data bo
exercieio do cargo do ajudante do engenbeiro fis-
cal dessa eslrada.
ul Pedro II.
Amaro Jos da Silva, pardo. Per nambueo, 33
ainnos, roltero, learsto; bexigas. Hospital Pe-
dlro t. >t
Regina, parda,'Prnatbuco, 1 aneo, Recife:
bexigas.
Praneisca, escrava,. prrta, Pernanibaxn, 30 an-
nos, soiteirav Boavists.; henalite chroaaeo.
3
Rana, pwda, Pernambuco, 5 mezas, Santo An-
tonio; eonvalsoes.
Valeriano de Souza Ghimares, pardo. Parahy-
ba, 4*6- annos, casado, Etoavista; hepattte coronice
Hospital Pedro II.
LeeniHa parda, Pernambaco-, 1 anno, 8aato An-
tonio ;. denticao.
Joauaio, escravo, pret. Alma, 45 ano, sol-
tairoi Saino Antonio ; aleuris-.
Jos-Gandido da Silvav pardnr Pernamboca, 38
annos, viuvo, Boavista ; diarrha,
, Mara, parda, escrava, Pemamfcnco, 6 das, S.
Jos -r tethaae.
Luiza, parda, Peroarobneo, 1t dias, S\ Jas
convulsoes.
Ann Jaciaiha de Castro, branca, Pernamaatco,
53 anoos, sofcwra, Santo Antonio-; erysipela.
Candida Flrancisca Maripies dea Santos, branca,
Ptiruamnuco* 40 annos, casada, Avfbgados ; moles-
tia uterina.
_ 4. _
Maooel (recen oaseido), Dranco-, PernaraBueo,
Bea-vista ;. parto premalan.
Mara, branca, Pernambuco, 2annsrSanlo Anto-
nio ; convutees.
JM Palix. de Miranda, pardo, Fereaanbnco; 3*
annos, casada &. Jos.; rrydropesifc
eo de almeioa g AtBUQirRoetn, secretario do- Mara, escrava, preta, Pernambacoi 4 mezes-,. S.
Jes > convawies.
Jos, brancoj Pernambuco, 14 annos. solieiroy
Santo- Antonio ; febre permeiosa
Josepha. branca, Peraambueo, 6 mese. Recife ;
febre.
Bsavenwra daRocba, pardo, Pernambaco, 8> ai-
nos, easado, Albgados ; hvdropesia..
6
mbelina- Esmeralda da Silva Limai. branca, Ba-
bia, 2* anno, sofcetra. Boa-vista ; bexigas.
Eslevo, escravo, pardo, 2 dias, 9i Jos; es-
I ssmo.
Mara Magdalena- Garaeiro VilMa, braoea-, Pernaa>
bneo, 4*annos, viova. Boa-vista ; anerota.
Anlonio da Silva. Moetetro, parde, Pernarabnco, 5i
annos> casad; Si Jos; abeasso.
Luca, escrava, prea- Afnca, 40 aono, solteira,.
Boa-vista.; ga>trottepatite.
Daniel, escravo, pardo, Pernambuco,. 8 mezas-,.
Santo- Aptonio ; gastro joler.
Manoel, esoravo, pardo, Peroarbuo, mezesy
Santo Antonio ; marasmo.
Brgida Mara dn GweeieifcVpretA, Pernambuco,
26 annos, catada, Recife ; lobereulos pnlmt-
uares..
Fraoeisco Bonifacio. Carolina,. preto,. 5 anooa,
viuvo,- phtyaica polroonar; Asyle de Meodi'
cidade.' %
Custodio-Ferreira Baplista, Portugal;.38 annos,
si Iteino,. Boa^vista, soffrimealo do eoraoao ; hoe-
pttal portugus.
PERNAMBUCO.

REVISTA DIARIA.
ARCBBISPO DA BAHA Apena- Tundear no
laroarao o vapor francez Qirmde. procedente da
Europa, larga rio da rampa do arsenal de marinha
diversos esealeres para conduzir bordo aquellas
pessoas qne destjarem ceraprimentar ao Exm. e?
Rvm.- Sr^ conde de S. Salvador, e qua- se acharen
nessa,occasio ah reunidas.
FESTIVIDADES BEUIilOSAS.-Amaabaa cele-
bram os devotos de N. S. da Escada, qne se vena-
ra na igreja de N. S. da.Conceiijao dos Militares^a
fest de saa padroeira^com obrilhantismo do cos-
tme, orando ao evangelho e ao Te-Detm o Rvm.
Antonio de Mello e Aftuquerque.
Airroaodade do.Divino Espirito Santo fetej
tarabem amanhaa X. S. do Cenculo, orando ao
Evangelhoo Rvm. Leonardo Grego, e no Te-Beum-
o Rvm. R>teves Viaona.
PASSAMENTO.-Bou honteaalma ao Creador
o estudante fio i> aono da Paeuldade de Direito,
Pedro Amanes Barroso do Sacramento. Para o
sen enterro, que deve ter lugar aoje s 8- horas
da manbia na igreja do Carmo, sao convidados os
seobores acadmicos.
MtCROSCOMOtHoje s 10 horas do dia baver
sessao ordinaria desta sociedade, na j-na do gene-
ral Suassuna.
NOVO ATHKitEO.No lugar do costume deve
hoje funceionar, s 11 horas da maoaiae3U so-
ciedade.
RA DA SANTA CRUZMoradores desta ra
pedera-nos que lembremes a conveniencia de ser
ella logo aleada para evitar se a quantidade ira-
mansa de- p que penetra as casa quando ba
maktr nwtimeoio na ra do que o usual.
LOTERA.A que se acha a venda a 159* a
beneficio do collegip dos orphaos, a qual corre no
dia ._
LJSILAO.Hoje effec ua o agente Marlins o lei-
lao de ura sitio com casa de iijollo na estrada or
va de Beberibe junto a 1' bomba e perto da esta-
ca/) da Enerusilbada: emaao. escriptorio a ra da
Gadeia n 9, as 11 horas.
CEMITEibO PBLICa-Obitaarlo do dia de
setembro.
Joanna Jacques da Conceicio, pr.rda, Pernam-
buco, 80 anoos, soltaira, S. Jos; congastSo cere-
bral.
Joaqaioa Mara da Conceloao, parda, Pernam-
buco, 49 annos, viuva, S. Jos; motrite.
Josephina, branca, Pernambuco, 18 raezfls, S.
Jos inflinjina^io nos intestinos.'
CIROSIf.l Jl !l WRIl.
TRBSD&M.-ll, DA RELA* *. |>B
IIIIV AT1ECI ( <.
i SESSO EM 6 DE SETEUBRDDE 4870.
PREJilBWICI.. DO EXM. SR. CONSELHEIRO CAETA.70
SANTIA30..
Stcrlaeto Dr. Vift/Uio Coilho.
As 10 horas damaohaa, presentes os Srs. desero-
barjadores Gi ti rana, Lourenco Santiagos Almeida
Albaqueraue, Doraingues da Sava, Regueira Costa
e louta Leao, fallando coro causa os Srs. desem-
bargadores Guera procucador da corda, Motta e
Doiia, abrio-se a sessao.
Apresentados- os fetos, deraro-se os seguiate*
jujaneatos :
APPELLAg'lKi COIMES.
Do jary da Imperatriz Appellant*, o jmzo;
appellado, Jos Carneiro de Souza. A' novo
jurf.
1 o jury do leo.AppaWante, o juzo; appettao,
Joainiai Igoaeio Teixera Mandes. A' novo
jury.
I* jury db- Crato.Appellaate, o juzo; appel-
lado, Maaael Donato d Souza A' novo
jary.
po jury, de Bauaceiras.Appellante. o
jntzo ;
appallado, Antonio Joaquim de Souza.X novo
jurtf.
Do jury da Ara^Appellante, Candido Rodri-
gos Bezarra; appefiada, a juslca.Absolveram
o r^o.
K'JfiK.NCU CRIMX.
Ao Sr.'desemnargador promotor da Justina.Ap~
pe ante,"Amancio.Lopes Rodrigues; appellada, a
jastica.
I o jury de Pao d'Amo.Appellantes Claudino
Fragoso da Silva ; appellada, a justica.
PASSACBNS.
OiSr. desembargador Gitirana ao Sr.. desembar-
ga! ior Guerra :
i ppellaca-t civel da villa de Souza ^-Appellan-
tes, Bento Nones da Silva e.sua mulher ; appella-
das, Dr. Olintho Jos Meira e outros.
Ao Sr. desembargador Lourenco Santiago:
AppeHacSes crimes.
Do jury da Imperatriz.Appellaate, o promo-
tor ; appellado, Manoel Francisco da Silva.
Dojurjida Ara.Appellante, o juzo; appella-
do.Maooei Joaquim da Silva.
l)o Sr. desembargador Lourencp Santiago ao Sr.
desembargador Almeida Albuquerque:
Appetlacao civel da Imperatriz.Appellante,
Manoel Henriques Pimenlel; appellado, Thomaz
d'Aquino Camello.
Do Sr. desembargador Almeida Albuquerque ao
Sr. desembargador Motta.Appellacao civel: ap
peHante, Jacintho Luir da Silva; appellado, Fran-
cisco de Salles Thado. AppellacSo erime: appel-
lante, Vicente Ferreira de Araujo lima; appellado,
Joaquim Profiri de Farias.
Do Sr. desembargador Domingues da Silva ao
Sr. desembargador Regaeira Costa. Appellacao
civel; appellante, D. Cesara Nobre de Gusmo ;
appellaij, major Antonio da Silva Gusnto.
Appellacao erime do jury de Bananeiras.Ap-
pellante, Joo Francisco da Silva; appellada, a
justca.
Do" Sr. desembargador Souza Leao ao Sr. des-
ambargador Gitiraoa. Appellacae civel: appel-
lante, o Dr. Pedro Jorge dos Santos; appellada, a
fazenda. Appellacoes crimes: Appellaate, o jui-
to; appellado, Joo Vieira Dantas. Appellante,
Raymuodo Gomes da Luz; appellada, a justca.
A' urna hora depois, do meio-dia encerrou-se a
t sessao.
que esfa no segarme
Ote de 23 de marco a 30 de abrtfiod* a des-
peza do Asylo fol de 3:574#8, no me de mal,.
mnntou a 3!71l*7il e no de jnnho a 2:947*161'.
Km primeiro hipar tenho a honra de ftzer ver a
v. tsx qne estas cifras nao esto exacta : a qoan-
na despendida no mea de maio foi de 3:803*470
t3* "S?81* da OTn,a *l!ise me* e nSo de ......
' *! confnnea>9'e o ex-'director. e no me?
ae jooho a quanta despendida di de de 2"7l74460
e nao de 2^47*16., dHferenra esta dUim provr-
nienft-de erros de somma contra o cofre e-eo fa-
vor do ex-director. O qne se moetra com a>ewli-
dao iDclasa.
Digne-se V. Exc. ero egondo rogar atteoder
eircumstaocia de lersm sido offerciriios pelo bar..
do Livramenio a farinba, feijo e came secca. d*
queja tenho trauda : rano nni pela qoal se
explica a diminuicao qaebwive nadespeu do-par-
le do mez de maio e dte joobo.
E' verdade, camo dr o ei-direcr, qne o-Asy-
lo um estabeleciraeoto novo, quedevia ser pre-
parado com tudo o- que fesse neceasario para qae
produzrssd o effeito que era de esperar de soavrtin-
daeao, e code tera>de ser croadas diversas ofiri-
naa para serem aproveraidw braco ocoso ; reas
,s?Iava n (,a8 *in i*80 kxiem preciaos appa-
reibas de porcelana, copes- e clices de ervslal, al-
catifas, guarda louca, mabilte de jaoarnnil, cro-
chets, certinados, eto;
Urna vez que o ex^dlrector deseja eonheeer a
despeza de hbspicio de altanados e a* db nospital
Pedro H, afim de estteeleoer eamparaoaa com ;*do
Asyl, direi qne no anno,. qoe nodou n> 30 oe-Jq-
nho prximo passado, a despera lotal radies*
hospicio foi de 17:29T3| montando, par meta
despea 1:441 443; e a io.sebrediii- lispital i
de 59433*746, mportanoVpor mez toda a desne*
em 4:952*811.
Sirva-se agora V. Exc. comparar essa desoe com a qne tem faite e Asjlo de 23 de-morco aai
de julhw na importaooia db *ft033*MT, inclusive
a de :.:373|O50 >adlaatada para a despeza deste
ultimo mez, nao fallando da- qaantia de 482*589.
em que at 30*de joaho se aenava a*aocaao o
ex-direetor, e nem a do trata mela dos- mendiges
no hospital em os metes do iunao e juina oa im-
porianaia de 1:184* e verafse- houve- de. miaba
parte deslealdade e aiaivosia.
Nao e- exacto qae o patriroonie dos- *stabeee>-
mentos de earidade, como aventaron i>-esHlireetor
do Asylo, tenha a rendo de- 298tO0O* a soa re-
eeita no anno da 1888 a 18*9 foi apenas de......
122:1858758. oclusivo a quanta de 3410*11*
importancia do saldo da-anno anterior,a parte qae
a esses eslabelecimentos perteaee nasabwnciode
40:000*,.prestada pela assembla provincial-, lega-
dos, donativos, beneficios o productos de loteras.
como o prova a eertida inemsa n. 2, e-se-'Oo pro-
enrasse a junta observar amis rigorosa econo-
ma, e naifes segmr exomplo do Aaylo at-22
de julho prximo passado, nao ebegaria por certo
semelhanie recertapara manter quatro e-tabeleci-
mentos, como sao o hospital Pedro II, casa dos ex
postes, hospicio de alienados- ehospital dos-lazaros:
sendo que hoje a Sania Gas est apenas era divi-
da de poaco mais de 6-000 para cero Bartiwlo-
meu & ti, fornecedores de medicamentos e poro-
so espera estar Hvre deste eomproimss* si o fim
do anno econmico corrente o no prronpio da s-
guinte.
Den guarde V. Em.11 ka. e Et. Sr. des-
embargador Francisco de Asis Pereira Racha,
vce presidente da provincia.
O provedor d Ansetoto Frnnct*> Ptittih
t(. I.
Certifico qoa tenda o ei-director do A^J de
Mendieidade Joaqun Pedro Brrelo de M li Re-
g, reeebido da thesoureiro desta Santa Caca em
28 de marco, a quantia de 3:500*.para iceorrer
as despezas do mesrao Asylo de 23 de maroo a 3"
de abril e tendo despendido, segundo as- cenia qup
apresentou, a quanha de3:574*2*8. fleo um sil-
do seu favor da quantia de 74*218, que oo dia
14 de maio receben elle 3:900*225 e tendo des-
ppndido 3:803*470=. que reunida ao saldo, do nj
anterior fez 3:877*688, fteou contra si ura saldo
da quantia de 22*533; qne em 4- de junl reee-
beu 3:607*483, que reunida ao saldo do mM pas-
sado fez 3:630*020, e qoe tendo despendido na
2:947*i6f>corao diz na sua conta e skd 2*..747*410
diderenca proveniente de erros de somma, resolta
a favor de cofre do Asylo um-saldo da qcianlia de
8^2*380 verillcado at 30 de junho eaatra aqu. !!.-
ex director.
Secretara da Santa Casa de Misericordia do Ka-
si fe, 18 do agosto de 1870.
i O escrivo,
Pedro Rodrigue* fc Smiza.
N. 2..
Certilico-qae a receita dos estabelecmente* de
candade no exercicio de 1868 a 869 foi de......
122:185*738 inclusive o saldo que passou do au-
no anterior da quantia de 5:610*112, a sac-ven-
cao de 37:000*, legados, donativos e benpficios d<
loteras.
Secretarla da Santa Casa de Misericordia do H<-
c'rfe 16 de agosto de 1870.
O eserivao.
Pedro. Rodrigue* de Souza
Santa Casa de Misericordia do Reeife, 18 de
aposto de 1870 N. 2948. Ilion, e Exm. Sr.
Respondendo o ex-dreemr do Asylo ao periodic-
Liberal no Diario da 4 do corrente diz i me
elle qoem dea publicidad ao trecho- do mcu r.--
latoro coneernente es Asylo, qne nesse t > -
cho nao se artenlam factos contra elle e nao se
Iheargaem (aftas, falla- se de uro. modova,?
qae o mesmo trecho nao offereeia base para a nu
demisso. > /
Por essas palavras do ex-director est jastlflca-
do o qne eu disse na ultima parte do meu ofli.-i
n. 2926
Diz o ex-direetor em seo 8* artigo publcado
Diario de 28 de julho ultimo n. 168, que est cer-
to de que nao foi por inimizade elle que lu a
parte do relalorio, que tersoa sobre o Asylo. Di?
urna pura verdade; nunc tive, nem lenh..
mizade ao ex-director, apeiar de ter sido por e>
lo desabridamente hosiilisado e sem motivo, ron-
forma se depreheode de sea proprio artigo de 4
do andante, as palavras copiadas no principio di.
presente offleio e tanto mais que as iosinoaedes
de que falla o ex-director, s poderlo ser enxtr-
gadas oo trecho em qaestio por qne estiver com
o animo prevenido.
Mas tambera nao foi, como diz o ex-director,
por inimizade ao asylo. que respelto fall
moda porque o flz n) trecho, qae allade. >ir
gnem pude ser tido por infenso um estabelec -
melo quando pugna pela economa em sna
d'-spezas, pois assim mostra desejar a sua prospe-
ridade.
I
UKM


1
i'ernamlmco s* Quarla felfa ? de Setembro de 1870

Se I
;yki, n phrase d
tmulos de 21
un; i a paflldo'nao
fosse ner si
n>iiu>iracao d jama, que alias
lo peroe*. n*da 6:'
(xv uirto nao foi das "miabas par -i i-
ijarrss d03 meus c llegasex;
0>Rca(ta< por dua* vete i
tor em Puh'jP^^^^^^^|
redor que fugio at sbelOJB*aMr,-lje atrinco
hwv,- do despeit.i jm *rdeu
a posicao quando mais Italia Bf*ar-se
nella."
Por ora nada mais (Re.1
TVndo recbidu QQ aara
do 5 do crrenlo, exiziUdo informa^Bcerca de
saber so o ex-di rector ja tinlu tafoalsuas
malas, nnmeej urna commissao par* rrcxanx' d^las,
toado d.pois de ser convidado o ex-lirmor aJIm
de vir prstala.*, a commissao, que aliado, re-
qui'itou que l|y> fosen) remeitidos pelo actunl di-
rector u inventario de todos os objectos, que elle
actor* no afylo, a re'acao do tudo quanlo para
stira comprado pela repar icao das obras pu-
blican e o pequen livro de dinheiros pelo empre-
ado comprador m moidomn interno do asylo Cle-
mente Jos Ferrt.ra da Costa Jnior rtcebidos,
no* termo* do ofticio om-tanie da c;'ia n. 1.
O referido officio de V. Exc. foi api asentado por
mim jun'.a em sua sessao do II do corrente, e
Basta inesma sessao foi-me entregue o offlcio por
rupia inclusa, n. 2, do ex director, nao o enviara
m dia 3 ao Dr. Antonio Miri 'lo Parla Noves.
Ulo o assayorou.
-Tw+o i fcunrn ile chamar 3 de V. Exc.
pira este offlcio do ex Jireclof, o qual, trazendo a
dat de 23 J i iulbd prximo pssado, foi remolido
*^r>f>. Paria Neves'mi dia 3 do presente mez, 11
das depois de sua dais supposu ou real, parecen-
o que, s o ex-dir,ector liaba lauta pressa em
ac-ilaT suaj comas, dvia ter dado as convenien-
tes providencias para u gue coa urnauna demora. I
D> resultado da prasucao das costas do ex-di-
rector darei apBortuoauento partea V. Bxo. a le
, re a honra de comniuaicar ao roes.no lempo V.
E-r. tu i i o qac reten'** tor as comas do asyle di?
parte ao moz de julho, as quaas frratn no dia H
do corrala apreseotodas com aquello oficie do
misino ex-direcior.
0>os guardo a V. Exclllro. Exm. Sr. desem-
h.ugador Francisco de Assis Peroira Rocha, vice-
presidente da provincia.
O provedor da Santa Gasa,
Anialmo FVonoieco Peretti.
N. 4.
Copia.Sania Casa de Misericordia do Recif\
t i' agosto do 1MO. Illm. Sr.Em vista do me
Twoiveu a juala administrativa ora sessao de hon-
tein, digne->e V. S. remoller com a possivel hre-
vidade ama copia da re la rao dos < injertos compra-
dos pela repartir i >.las obras pithlieas para o ser-
v o des* atyln," ouira dos que forana por ? S.
encontrados no astabelecimento quundn doli to-
mn coala a n su estado ; assini como urna nota
d > que ve despendeu no dia da installa^o do ies-
iii'i asylo.
W.-iis puarde a V. S.Illm Sr. Dr. Jok: Joa-
ija.in ne Oliwira Ponceca, director interino do
Aylo de Mendi.-idade.
O irovedor da Sama r.asa,
Anselmo Francisco Perelti.
Coa.Sania Casa de Mi.-erioerdia do Recif,',
13 de agosto d<: 1870. Illm. Sr.Conforme resol-
veu a junta administrativa desta Santa Casa em
sesso de heutein, digue-se V. S. ordenar que a
merdomo interno dense esiabt48lmenio a presente
ha secrattria da Sama Casa o livro em que lanrava
as ifuaiilias recebidos do ox-director o as desperas
que faca diariamente.
Dos guarde a V. S.Illm. Sr. Dr. losi Joa-
imm do Oliveira Fuceca, director do Asylo de
eidicida>te. 11 provedor da Santa "asa, Anselmo
Fiu:iscPeretii.
Conforme,
IVdVo Jtodrguet t Sonta.
N.2.
Copia.Rwife 33 dejuthi de 1870.Illm. E*m.
Sr.Junto lenbo a hinra da passar as inaos de V.
*xc, as cnntag da despea feita com o Asylo de
Mndicdade J t a ii do eorrent, em que lar-
minea o meaetercicio de director, rogando a V.
xc. que so sirva mandar ajustar com a possivel
t>reviilade as referida* cunts, para que va c-
Ina sem demora o saldo por que estou obrigado,
e que naa sel ao cerlw sua importancia por me tia-
ver dito a martelo da Sania Caa que, em mezes
ante lores, haviam engaos contra mim.
E'do iea dever. ja que fiz aatmfa do Asylo,
omaankar V. Exc. o que ja commnniquei a
uem suecessor e que do ordenado mensal da en-
renneira, mulher v\\m o de pouco vigor, irava
13* para auxiliar o pagamento de um criado que
^'i-via na easa da direeloria e nao entrava em fo-
llia, do que liuba s iencia o mordomo do ostabele-
rimeiito.
ir "ii que se di'spedio no Btn de um mor, pelo qno
pi-tei outro que apenas compareceu no Asylo um
o<*. e w. retiran lo para voltar nao o fez. Cmser-
i au obstaate na faltar o sea nom*, fieuodo o
:tr accamalando as fu acedes desse empreo,
o n que nutro fosse admiltido.
S-odo iodispoosavd haver no Asylo um horlel&o
je..- servisse tarabem de jardineiro nio devra sor
;i vfba do ordenado suporimida, para depois ser
""i -.da.e ptir isto mantive-a at ioe um mendi-
i que irabalhava s b as ordens do feitor se mos-
rapaz de tomar conta da horta.
No primeira do corrente mande abonar- Ihe urna
.ratiflr irn e supprimir da folha a quanlia desti-
nada para esse empregi.
A quanlia que prodaziramos dous meces tirado
as folnas, foi npple* la a urna gratirteaco men-
sal de (15*) ao feitor pelo servico que facia na
borla, a compra de sement de mandioca, horlali-
ces c de nin milheiro de lijlos, par eaateiros e
cwneo do jardim. _,
Por ronu dessa qaantia dei tambem algamas
yratifica?oes mendigos, como permute o regula-
-.nento mtern), e tratei de orna crean?a de dons
meces que comsigo cooduzia urna mendiga em es
lado de grave enfermidade.
A erianea ehegou ao Asylo qaasi a morrer de
ime, e parecendo deshamanidade deixa-la mor-
rer, tomei-lhe ama, mandei-a bsptisar e dar rou-
ja, entregando-a aftnal a erioula Benedicta residen-
le em Iguarass, para amamenta-la e cra-la me-
diante Si mensaes, teado j sido feitas as desperas
de tres meces.
as miabas coutas nao entravam essas despezas,
Mus por coala la qaantia a qne me retiro, e por
cerera por mim feitas directamente e nio pelo mor-
domo, faro disto seieate a V. Exc.
Deus guarde a V. Exc film e Exm. Sr. des-
mbnrgador Anselmo Fraocisco Peretti, digno pro-
vedor da Sania Casa de Misericordia.
O ex-director,
Joaquim P, B. de Mello fteye.
Confere.Pedro t\oirigne$ te .Soxr-i
arda 'o *
la i
OMMERCIO.
'po/i
traga as pro
no roneo ,
n fenedlisf
bagjlentb Wia 4Hd uMb? I
ce 0 n<
preci- lar [nudo
faxor
Ira ili < a os f
pool ir
ser exhibidos I Que cynisnw, raen Dons
- E' aseim que querem provar a boaJe eoMp^ '"'
polo dos homeiis de Gnararapes? 1 Cl>
Nos primeiros das de jnlbo foi apre-ntaltraoT-
Cliefe.de poli:ia o preto Eduardo, ausjeiliverajUfi:
so na casa de detencao, para ser embarcado, e
que fra depois para o engenlio Guararapes, de
onde veio para a po i;ia, em e3tado de inspirar
comparxo. Ah, na praisna rainaz anOria.
ne seus senhorj?, c ml se p.odcndo ter em p?,
fez as dettctfcs qs cnUfce. O pobferprrto
stfoira as oseadas da repanicao da polica seguro
por dnas pe-scas quo o slnnlia para na catar,
o o soapjiclo un soTrra em Gijiprapes fra lao
alror, que per u^i exame medico, qm se prow-
Jju cerca de qaareaWl e vinco das depci disso,
vcio ?Mi a eoetrar ao sen corpo vestigios de
ivvia?-d. clarando os mediros que o preki esti-
vera i livueo em horcel juaico por espado de
dias, tema os dous ps u urna dad mos fallidos
em um mwmo furo da tronco e com a a-senlo
(que a inda fui achado erido na parte interna das
nadegas) pousado em um platto curio, resisten'.:
e asperu I ( L ^ "..
aicreicenlaram qu.1, par* compleJd rest*peic-
cimento d escravo, anda eran pfBOBOS dm%us
o* quinze deas!
Abaixo transrrevemos o ulo daxame alludi-
do, aoqiial e proedfu em pro>eaca do advogado
dos Srs> Sis.
Para elle chamamos a attencao da publico o
dos homons qne anda pretan a verdado.
Por elle se odera avahar os iratos que aofireu
o misero escravo, tiisle victima inmolada para
lns sinisiro?.
E pod o mentiroso correspondente da Refuma
fallar da ponlaweidVid da coalssao de Eduardo,
torturado brbaramente uo celebre tronco de Gua-
rarapes.
Por buje contena mo-nos cem isto ; voltaramos
para responder aos oqtros pontos em qae toca o
i ni "oigo da verdade.
Recfp, de setembro de 1870. ~
as
raS:o sobre
aor l*uO0.
6 DE
!")R 1870.
3 1/2 ROBAS DA
I ondres 90
SETEMBI10
Bfflt'i
o,
'<* Ser a gua
m |j
3*3 nrnrfassr; o
atos.para roa do Dis-
o, porque o nome do Phan-
A < BEFORMA I BO TBNRlTfE-OBOKSL OASfAU CA-|
VALCANTI, O HUJTO EDUARDO E 0 TRONCO
06 < CUARABAPBS .
En seu n. 178 publica a Reforma, orgao dos li-
-t.eraes na corte, nina estirada te rrespoodencia, re-
u-ttida desla cidade por nm malsita, qne se vai
ornando celebra pela maneira por que trata de
tlliar a repulacao a'hia, recbeiando suas
iissiva> das mais torpes calumnia?.
Agora surge o correponu"eate (me j aqui
nuito conhoeido e que deve pedir Osas que nao
isijiut o capte em quo se occulla, (lcaudo
i iescoberto o sen lodo asqueroso) com certidies
-falsas, e um labyrintho de acctisaoes aleivo.-as ;
-.mo escreveu i para a corte, onde nao podo ter
respisia imawdiata. eslende-se sua vDntade so-
:tos que phaniasia, garantindo-os sob sua
a 1a palavra, e publica documentos exlrahidos
,l-itieadas I
i eerrespondencia comeea por tomar
rio de Guararapes, que diz ser typo
inradez, estimaio at pplos ,|ue o na conue-
le querer mal alguem. e muito]
de calumniar sea nico immigo (6anto ho-
Titean !). Milito contra a soa vuiade.,e s ins-
un iiservadores ilincos (diz altada
) foi que elle ntron en peiqui;as,
escrpulo b boa
lembrasse
qtjaliilcad
es procuraram o gr.'nde l)ar
para fazpryn-ihe Mllsiradas
itra leu mo inim
> advgai ov Al
:ia-se lembrado de f.
'' importa:
deve ser sea
OUEZITOS
1. O preto Eduardo .aprsenla em seu corpo
veuigins do sevicias ?
3,* Em que d-voiu alias tor coksistid ?
Ia De taes vestigios se poda coubocer a posico
que Eduardo oceupota no tronco?
4.* Essa posicao era capaz de praduair dor ou
mal estar iusuppuriavol coiistuiud castigo afcm
do ordinario ?
o. De qu>' nalur<>za >ao as lezwas nue o pteto
mostr* ter soffi ido ?
6. Aprowiiu.i ..lio aiuda e om que mambes,ou
par,ies do corpo. eouiuas, pisaduras o cba-ias
resultonies de ferimento ou de qualqaer offeasa
physica 1
Eslava a eslampilba de du/entos reis. Uocifc,
13 de agosto de 1870.
O advogado,
Antonio Pedro Ferreira Lima.
ACTO DE EXAME FKITU NA PKSSOA DO l>RETO ESCUA-
VO UE NOME EDU.UinO.
Aos 13 dias do me/, de afrosiodoaaao do nasoi-
niento de .\ussu Snlior Josus Christo, da 1870,
n'esta cidade do llocil'e de Peraaoibuco, era a se-
crelaria do polica oeranto o r. Cnefe do polici i
Luiz Antonio Fernaiiaes Pialiwro, coiuigo escrivao
abaixo, foi vindo o Dr. promotor publico Joau Tbo-
uwi da Silva, o procurador bstanlo do peticiona-
rio Jos Ribeiro da Silva, o Dr. Antonio Pedro
Perreira Luna, <> advagado da viuva e herdeiros
do prato Eduardo, o ooBselheiro Joao Silveira d>'
Souza, os peritos Qomealos os Des. J#s S. rian i
de Souza, e Adrio Lins Pereira da Silva, e as
lesteinauhas abaixo assignadas que preseatas es-
uvam, o masillo juiz disse aos referidos peritos
que em virlude de seus juramentos j prestados,
enearregou Ibes que procedessem a exame na
pes*oa do preto eseravn, presente, de itoiue E-Juar
do, da viuva o herduiros do uado lenenle^cero
nei Joao de S e Aibuquorque, e que respodessem
aos quezitos seguales:
Em conseijuencia passaram es peritos fl| fa-
cer os exarnes e 40vesligacde< ordenadas, e as que
jnlgaram necessarias,' concluidas as quaes docla-
rarara, que passando a examinar com effeito a
pessoa do prelo Eduardo, encontraran) o seguate:
Daas pollegadas cima de cada uiallee externo
encontraran urna cicatriz um pnuco expessa bran-
ca coberto de escarnas epidrmicas de forma trian-
gular pouco mais ou meno e cem urna poltegatla
de exieneao; na parto superior, e externa da bor-
da externa da man, encntraraui uina terida cir-
cular com meia polegada de dimetro com as
bordas j cicatrizada.-, e oberta, no centro, de
urna crosta escara, a qaal tendo sido levantada
deixou ver os tectdos subjacentes coberto* de gra
raelacoes e pus; em cada uadega ao nivel da tu
berozidade eschiatica, notaram urna cicatriz oblon
ga de meia pollegada de extensa/), estando a do
lado direito completamente formada, e a esquer-
da qaa- i formada ; ao nivel da regulo lombal da
columna vertebral, Eduardo acensa, dr por oc-
casio da marcha, e que se exacerba pela pres-
sao, mas os tecidos oeste ponto nao apresmtam o
menor signa! de violencia externa ; avista do que
respoudeai aos quatitoc apreseolados pelo modo
seguinte :
Em quanto ao primeiro queso que sim, se con-
siderarem o tronco em que o preto diz tor estado,
coraoevicia; ao segundo j fica resp*)oddj pela
declaradlo feta, ao lerceiro que Eduardo biveado
declarado que esiivera no tronco sentado tenda
mo ireila canjunctamente presa com os ps, p
de essa posicj explicar a oalureza das lazik-s ;
ao quarto que sim, alienta a immobilidade que >
paciente fu obrigado amantar e a curvatura do
trunco para adianto por achar-se a mo presa
conjanctamenle com os ps, e que repulam este
castigo alm do ordiuario, porque deve ter estado
nesla Iwrrivl posigao por alguns Has ; sem o une
nao se teriam produzdo as lezoes diserlptas; ao
quinto, que as feridas primitivas devia.n ser con-
tasas ; |ao sexto flea prejudicado pela deelaragao
feita.
A requariroento -do Dr. promotor publico, foi
perguntauo, so o paciente a vista do estado em
qae se acha conforme a discripca feita, esf ha
bilitado a prestar servidos, ese nao quantosdias
mais ou meos sao. precisos para peder fase lo ?
Pie3pond,aram que sim, se o servico for demesti-
bo e leve, mas para todo e qualquar servijo exi-
ge anda de leis a guinze dia. <
A reqnerimento do advogado do) berdeirps, foi
perguntado aos pefitos se prescindindo da deca-
rao feita pelo preto Eduardo acerca da posieao
em que esiivera no tronco, podiam os me;mos pe-
ritos nicamente pelos vestigio* das lezoes que
observaran) concluir qaal a posicio em que o
mesmo Eduardc ali eslevo, e se oalra qaalqaer
posicao quo nao, por-illa declarada poda jyd-
car as ditas lezoes ran) ? i
Respenderam que pelos vestigios existentes po-
den responder que s a posicio e ussenlado fixa-
mente sobre um plano aspeio e reftente tmdoo
tronco um tanto indinado pura itante de, sorft a
ter as tuberozidades esckiatteas empre em atrito
sobre a polle em nm espaco limitado e mouimentos
curtos era, capaz de produztr as.lesees .eseriplat.
Perguntado anda, se esta posijSo a,que se re-
fercm etn sua ultima respsla supra, e que julgam
suBciente para proJuzir as lezoes ou eocoaunodos
cujas vestigios observaran) podia ser ainla consi
derado como castigo a'm do ordinario I
Hespooderara que sim ; a pasinao de ostentoio
as eircumstanciat discriptas, por dias cune de-
vera sor para poder-.-a viriflcar as lesoes, iiscrip-
ta?, e castigo mais que aniiuaria pelas dures con-
tinuadas que u pctente deterja soffrer, c sao estas
as declarares que team a azer e debaixp d seus
juramentos prostadosjteem a tazer, em vitude dos
ripios pela parle requerenle, os qaaes
firam rubricado* pelo juiz; e por nada mais hi-
verassigna o jaic, paitos,promotor, advogados e
testemunbas
En Antonio Carlas d'Almeida, esefijo da poli
revi.Luiz Antonio Feruandes p,
-Dr. Jo; Soriano de fianza.Dr. Adido Lins
Pereira da Silva.-Dr. Jaio thani da Silva.Di.
Joao Silveira d- Amonio Pedro FesrreiraJ
Lima.Joao Agripjo da Cunha, -i'arloa Craz da
Prieasio.---Antonia Carlos d'Almeida.
caros
da lUia
do
naoToi aiieaai
ttasma serS
na memoria
Portanlo
it tinf^ipti ilirf^r-te estas o'scas mhi-\
** w$%m pin cjmfymr$ -fi^ tew.
occotiqo (lesae que rleixei oe escrevr-fe,
potrda-tS par tifc liguas tict!ntaijrtintr
j qaa ao passo dizar ludo, vi*to sr^j^
flrrucras ticelebridaHes do iratficio< -,'fh.
Antea de tudo, pVsjo sabir ^ ^eBt vi8l0
cqm-. Q Phanlatfna teto sido. swwKto pela.
impren$a Teaho udo r^ja d"e!t jl Por
menos d:si0, copu^sp-'^ 'J4 eria^ne alis-
tado as leiraa pi^saianas o fraoceua !
Enlao o pouco ton^r.se todos' ns ia^uma
fuete fittia i^U mpreosa ? jo Jrjfjs 1
Que tal? E' eiiieqho taaibePQ.flojr>do
multo embra mo oomieca esse Ph/miasma,
apexar da (c para ni'iue rtir^jera nos
ouvt) ter qjiyido e u'ivir fallar consiante-
meo'-e i^\\, ctamaWlo-se-lbe. hroe pelas
sua fafahas, oiiiro* epatiala* queme entreUnbara quardo
eu estava de mojo.
A pc/posilo da frilios, vou tiansmittir-
'ha iauilo baixiaho o que ouvi do nosso
coltega o corm4a qo ajjpi do <;ia 12 do agosto psoximo
passad" fez4B merreo de 235 moldados e
30 cabos, entretanto que desaquarteloo o
batalhae.ao nia ?6 corn 175 baioaetas, en-
tre Cubos e soHados. bavendo porttil o 90
pragas de (iifforenca Bi-me bastante qoan-
do isie uvi, e anda mais qoando o cur-
nela accresceoiou : lito s^r grillo oa nao ?
N5o com raz3o que se appellida o 'Phan-
t imma de che fe dos grillos f
Eu e tnuos comoanheiros nao sou hemos
como responder snlo djndo estrepitosas
gargalhaas.
listou pbitJo de contente ao dar-te a
agradare! noticia de que j foi eleito Ibesou-
reiro pan o meu oatalhfo, porm isto,
preciso qus notis. te ve lugar por ordem
superar, segoo/lo cuiksta. e d'eata sorle j
temos quem paffr lf galmente as nossas
raensalidadw quando qunermos fl tutear. J
'en
Rocebe dinhei.<]
de Janeiro
lettras fa pn^a. a
em cont
Limneo
txa a con-
currente bi;
ac*>viSTitnr4praWT:rore as cfflader
*^ >s pewwp (tugares.
SUA DO COMMERQO N. 36-
\Wo J>Ritco de peruambaeu en.
ISquiducan. tC de agosto de
Oa 8c. oeiorjistes itodem^reoeoer o 7"
'.livideodo 'le um ror cento 'do capital s
quartqs reirs e.sajjbados.
aU'AADSa.
AajuBffteatododialao. 155:935*065
em do da 6 36;U8*U3
192:373*208
a{DVWETO DA AWAKDSGA
fornmas entrados cana facendas i3
I daza idem eun. eneros 178
ves. meu colega, que os maos escripias
proiluziram o elfeito desojado.
Com) sabes boje o dia 7 de setembro,
pelo que leremos tarde de marchar e ver
o Phuniasiua frente,do seu beta discipli-
nado regiment. E to Dem disciplinado
que, segundo j corre, haver nm desafio
entre esse regiment e o 9. de lioha, es-
forean ;o-se o Plianiasma por sabir (victo-
rioso, como provavel, porque evar o
chap lie mi em lugar da espada,
Adeos, al ootra vez.
O guarda do 3o bautlho.
Mote
Qoci me v -foge depressa
Temeodo o chap) de sol.
GLOSA
Na roa, becco ou travessa,
Se ie aprsenlo garboso,
Ou com ar de furioso,
Quem me v foge depressa.
Inda me lembro da peca
Que com ares o'hespanhol
Represente! bem meu rol;
Tanto que na Boa*vsta
J ninguerfi levanta a crista,
Temendo o chapeo de sol.
Phantasma.
Agraecimento.
Faltara eu, poz sem davida, a um dever sagra-
do, se nao aprovaitasso o icio da imprensa para
nublicamenie agradecer a i Illm. Sr. Dr. Carolino
Francisco de Lima Santos, o imme.oso servido que
acaba de prestar-mo e aos uieus innocentes filhi-
limi Silaanii da jawtn daaarta aautaa roui-
to preszda aspaw. yo fii acoommetlida de gravrs
e complicados encommodis na sen estada1 inleres-
sante de gravidez, nonseguiado o distiocto medico
qne orla tives?p, anda qne prematuramente, o
parto, e conaervando-e viva a enanca durante o
espaco de 27 horas.
Grato consegnmfemenle, aos e^oroos do Ilus-
trado a (alentoso facultativo, a as soaa delicadas
maneira?, eu o reoommando, chelo do jubilo, a hu-
manidade soffreiora : e rogo ao mesmo Illm. Sr.
r. que, deculpando en offaader a sita reeonheci-
da modestia, se digne aceeUar os proteatos de mi-
nha admirarlo, e da minia aincera e terna grali-
dao.
Aproveito a opporiuoiaaddpara ootro sim agra-
decer aos meus digaos cellegas o ebsaquio que ti-
veram a bondade de prestar-me acompanhando
o cprpo do mea filbiobo ao cemiteno pu-
blico.
Recife C de setembro de 1870.
trt'sfi Cejar de Almeiia.
cwn ,|enaro>
/oame sabidos com f aseada
dem iiam eam ganaros
------ 31J
108
"6
-----377
Descarregam boje 9 de setembro
Barca francezaFiguro laercadorias.
Patacho americanoCarona=taboado.
Brigue \ag\ezAdeletediversos gneros.
Barca ingk-zaTalismnfarinha do trigo.
Despachos de exportaco no dia 6 d
setembro
'Na-escona hespanhola Gesina, para o Rio da
Prato, carregaram : Ferreira, Caraelro A C, 898
barricas co-n 21,834 kilos de assncar ; Amorim
Irmios A- C 375 barricas com 36,664 kilos de
aasaear.
No brigue inglez Edilh Manj, para Liverpool,
carregaram : Carvalho* & Nogneira, ISO saceos
com 10,500 kilos de assacar.
Ne brigne ponuguez Realidade, para o Para'
carregju : Francisco Jos da Costa Guimaraes,
50 vulumes com 3,750 kilos de carne secca.
= No hiate brasileiro Nora Ksperanca, para o
Aracaty, carregaratn : Vianna & Guimaraes, 1 bar
rica com 470 kilos de ferragops.
KEKePORJA DE RENDAS INTERNAS GE-
RAES DE PEIiNAMBCO.
\enilniento de dia 1 a 5 6:5085571
dem o dia 6........ 1:591*133
Jus^Qgto do arseiml de
marinha.
r j^6 Pn^co QQ oxa-
^Manoo na forma nento
knnexoao-deoreto n. l:t*4 de 5 de feverelro de
1834, o cjscas, machinas, oaldairaa, appafelbos,
mastfeavOe?. velames, amarras e ancoras dos va-
pore ManWqhi e Paraubax da pjIPriJI^I| p*r-
CtatribucaiWaMKp tmagibe
c^ses objaos en *'LVlB'111 aatapore
continuara serviQoom qaa se aauregia.
lnspee^odo arsenal de uannha.de Paniambu-
co 6 de-setemro da 170.
O inspeclar,
_______. H. A. Barbos de Alraalil.
Comi jeral.
Relaoao das cartas registradas, procedentes
.JMlt e norte do imperio, existentes na
repaSfo do crrelo em l" de se tim-
bro deJWTD.
Andr Alves Gama, Bernardo Gomes de Abren,
liemeterio Jos Velloso da Silveira, Jos Antonio
Gomes Guimaraes, Luiz de Almeida Acaujo Caval-
-aanta, Luix'Ja-Fragoso, Mara;Elhvalcan-
lo Navarro, Manoel Acciolv do Moura Godim.
alicao das cartas, i|ue registradas Beato repar-
Ijcao c dirigidas As provincias do sul e norte do
imperio, foram devoltldas e) nsequencia dos
seus destinatarios as nj terein procurado no tein-
lo fixado ; qnriram, pirtanto, os proprios destina-
tarios, ijue ge, acharaunecta provincia, au as pes-
soas reinettenies vir reola:ua-las, munidas doa res-
jKclivos certificados :
Alexandrc hi da Costa Valente, certiQcado nu-
mero 5008.
Emiliano Manoel da C.iata n. 354r
Eiisiario Antonio dos Santos n. 4460.
Fraocisco Jus da Rocha Pinto n. 4014.
Francisco Antonio da Fonseca u. 3510.
Francisco Heni que de Noranha u. 3787.
Francisco Joaqun) de Almeida n. 3955.
Jos Rodrigues de Carvalho Jnior n. 4316.
Jos de Souza Mariano Jnior n. 1167.
Marques de Olinda n. 3913.
Thomaz Ferreira de Oliv.-ira 2293.
Venceslao Jos da Silva Machado u. 3809.
O encarregado do registro,
Manoel dos Passos Miranda
8:099*703
C)N?L.lrX) PROVINCAL
Reudiraeuto do dia 1 a o .
dem 'do dia 6
41:139*47
1:197*427
42:356*905
MOVIMIENTO DO PORTO.
A'flt'io saludo no dia 6.
Cabo-Verdebrigue italiano Scipioue, carolao Pie-
tro Vecuheni, em I istro.
Qbstrvacao.
Nao hnve entradas.
ESITAES.
O Dr. Francisco de Carvalho Soares Brandao.Jjuiz
de orphos e auzentes da cidade do Recife e seu
termo, por sua magestaile o imperador, qae Deus
guarde etc.
Luiz a Mara,da Conceicao meeira e in ventaran -
te dos bens qaa licaram por Fallecimento de seu
maride Luiz Fianeisco de Paula, requereu-rae
liara vender em lsia publica Franeisca, criouh, do li annos de iJade, do ser-
vico dome-tico, sadia e que, tendo sido avahada
por 500*000 na oecasiao em que a supplieante
procedeu a inventario os bens de seu casal, foi
aqninhoada a ella e seusfilbos menores.
E, pois, que acqaiesci a semelhante pretencao,
pelo presente, e fundado no que dispde o decreto
n. 1695 de 1869, convido a todos quanios quizerem
lancar sobre a mencionada escrava apresenta-
rem suas proposlas em cartas feichadas as casas
dos auditorios de primeira instancia desla cidade,
nos dias em que coslumo dar audiencia aos feitos
e partes. O prazo para semelhante apresenlacao
de 30 dias a contar de hoje.
Os licitantes querendo poderao ver a precitada
escrava oa casa de residencia de Manoel Thomaz
dos Santos, tuior dos menores cima mencionados,
a ra de Sania Thereza n. 28.
E para constar mandei passar o presente que
ser atusado nos lugares do cosiutue e publicado
pela i m prensa.
Dado e passado nesta cidade do Recife.de Per-
nambuco aos 5 de setembro de 1870.
Eu Floriano Correa de Brito, escrivao, o fiz es-
crevi e subserevo.
Francisco de Carvalho Soares Brandao.
DE
ide benefice
a a*
eficcote
Como a b*efleTAT ttotdas ph-
meiras vinales do boai< ssos sea-
tiraenios de phlantfo^^^qpaUaio Moa. per-
miuem que* srja ada qne
techam por m minorar b a
adorno sclkMH qu^V^^H ror toa dea-
I e veeaBrigaJTa MBkr s portas da
soeied-de acioa ilMla aggmpre soceorridos,
bam acolhtW, 0oa Hie nos promptih-
aaot a trabaitar esta noola em sen favor, e
mnlto desejararoos aoe este respeitavel publico
nos aconipaobe roo to justo a nobre empenbo.
PROGRAlAfA.
I PARTE.
1. Urna liada svmpboia'erigida pelo maestra
nrtiu.
i.* O salto da vaqueta, sobre um eavallo em
osso. por Vicente.
3." A si a balao, pelos palhagos Cesar a Al-
dabo. v
4." ituiillo, cavailo amertrade- n norts -cei-
c6e?.
5. Triol annos eu a vida de um jogador, par
Luiz.
1* Sorf rebaodenies dealocacdJ, pelos- meninos
Juanin e Juanita.
w O sallo do despenhadetro, sobre 4 mesas e
1 cadaira, pelo artista Aldabo.
Intervallo de 30 mlnut j.
II PARTE.
8. Symphonia.
9* Apertba.i>arr)ea, peto 4rfsjjs''Iteirie
Vicente.
10. A jardmefra florista, pela menitra Juanita,
sobre um cavailo.
li. O triple Jrapaaio, por (Jesax, Alikbo e Vi.
cante.
12. Finalizar com a pantomima de combata
patritico intitulado: O defensor da bandeira bra-
silea, estando a cargo de Luiz o principal papel.
Presos '
Camarotes com 6 entradas........ > 34086
Cadetras....................... 2#Ot
Cadeiras avulsas para senhora..... 34068
Geraes.......................... 1*000
Os bhetes de camarotes, cadeiras a platea.*
vendem-se no mesmo circo.
Olea puro medicinal de li-
gado de bacalhao de Lan-
man & Kemp,
Tanto o figado como os patatos aenam-se ax-
potos a sujeitoa a' sersm msondos por ama
enformida je, e. ambos estas orgaos podam er cu-
rados mediante o mesmo trataraento.
Os jorpaes d; medicina nos asMveram qne nada
hs coa 0 olto de gado de bacaltaao para a mo
lestias do gado.
Porm dado mesmo que a autoridade medica
ooBssrvasse muda, os factoe Miaran par si
toasmos.
Dentro do espaco de raui pooco teoao muitos
casos de con-tnraic i do igado, assim cualificados
pelos prlocipaas medieoa, foram corada com o
oleo paro medicinal de figado de bacalho de
Lanman & Kemp.
Nao cabe a nds o decidir se nos casos mencio-
nado o figado achava-se ou nao ulcerado: o eerto
qae es adieos aisim o certlHcaram, e tarobam
que foaaios-sa puzera bons. Coaitnde a*o-
selbariBmos a todos quo nao deixaasem para a
uMiaM hora o lamarenresta remedio, em eonside-
racao das suas grandes virtudes aedciaass; aem-
pre, e lanas as vezas que se aareseatom os.synap-
tomas de deearranjos pulmonares oa hepticos,
deve0;immdiauaient facer asa dalle.'
JjWaidpassim pode-aeafBaacar asaI?aeio do
doente, e a cura sera' rpida.
O oleo puro medicinal de figado de bacalho
de Lanman A Kemp encontra-se a' venda em to
das as laja de drogas as mais acreditada? a nio
se deteriora debate de clima algum.
OECUKACOES.
De ordem do film. Sr. eonselhelro inspector
da th-isouraria de fazenda desta provincia se faz
publico que no dia 8 de oulubro prximo vindou-
ro, as 2 horas da urde, perante a junta da mesma
thesouraria se deverao arrematar por qaem maio-
res quanlias offereeer, 9 casas, 1 barraeao, 1 le-
Ihetro sobre estivas, 1 forno de olaria, 3 frentes e
2 oitea de lijlo em alicerce, 1 relogio de I e
objectos de mnbilia pertencenies extiocta colo-
nia militar de Pimemera.
O pretenaeotes deverao dirigir suas proposlas
em cartas fechadas ao mesmo Illm. Sr. eonselberro
inspector ateo meio Ha do referido dia 8 de outu-
bro, ou ao collector do Bonito at o dia 4 do mes-
mo mez. Nestt secretaria on aa coHectoria se
pasar a quem deejar ver o iovenurio desses
bens.
Secretona da thesouraria de fazenda de Peruam-
buco 3 de setembro de 1870.
SerWndo de official-maior,
Maaoel Jas Pinto.
Consulado provincial
Pelo consulado provincial avisa-se aos difieren-
fc oontnbuiDtes da renda provincial no auno la-
do da I86V-78, que com o presente mez se encer-
ra o recebiraento por esta repartida das rejpec-
uvas qnptas, passando dabi por diante a ser o
mesmo effeciaado judicialmente.
Consolado provincial Io de setembro d-o 1870.
O i*dmni*Uadr,
__________Antonio Carneiro Machado Ro.
santo mmt
ESPREZ4-C0H1BRA
COMPAttHI A-FRANCEZA.
llspcclaeiilo eia grande gala, pa-
ra festejar o feliz :mulversa-
rle da ladependettcia
do Brasil, iionrado cora
a presenea do Exm.
9r. Tice-presidente da pro-
vincia.
Oflarta-fcira 7 de setembro.
.Logo que S. Exc. a Sr. vi ce-presidente, sedig-
n:ir chegar ao seu r-amarole, a orchestra tocar
O hyaino nacional.
En segaida, a cempanliu cantar
O bymiio da independencia.
Depois seguir o espectculo dividido eu tres
partos.
PRIMIP.A PAUTE.
j Bellissiuia ojera boutre,em um acto, escripia por
Mrs. NaitKT o P.eaumont, msica de I. E. Lecouix
Persona gens. Actores.
Elvira............ Mlle. Cholberi.
>tignac.......... Mr. Carn.
*fo.sqnito......... Hr-Kaynaud.
ioncalez.......... Mr. Maris.
A scena passa-se em Pars no reinado de Luiz
KIII.
Esta opera foi representada cm Paris, .mais de
tem vezes com geral sgrdu do publico pari-
siense.
0 empresario previne que todo o vestuario e
mais accesorios desta opera, sao ricos e completa-
mente novos.
SEGUNDA PAUTE.
A' pedido de muita* pessoas, frequeotadoras
desta rheatro, o insigne artista caricato Mr. Ca-
rn catatar a sua predilecto
i Canconeta
LA MANDOLISETA' DOREO.
3." Conconeta
LE TliOi: de LA HAKMITE.
execntada por Mlle. Tterry.
3. Romance
RAPPELLE-TOI
cantado pelo insigne artista Mr. Raynaud.
TERCEIRA PARTE.
Chicar et Beb
Scenas do carnaval.
Opereta cmica em Dtn a;to por Mr. Ch Rosen-
quest, representada em Pris, eom geral applau-
s^o no alczar dos Porcborons.
Persooagens. Actores.
Chicard............ Mlle. Brescia.
Bebe............... Mr. Maris.
Le Garcon......... Mr. Raynaud.
Termina esta opereta com nm CANCN dan-
sado por Ml|e9. Brescia e Marietle e Mrs. Maris e
Carn.
A empreza nao re twn poupado despezas,
afim de que as operas que d'ora avante teabam
de subir scenajvo era preparadas, qner em
vestuarios qner em scenario e todos os mais ac-
cesorios ; assim como previne igualmente que
os artistas esto empentados em bem satisfazer
ao respeitavel pnblico.
O resto dos bilhetes acha-se venda no es-
critorio do theatro das 9 he ras da manhaa em
danto.
Os Srs. assigBantes teem a preferencia at ao
meio dia.
Previne-se aos Sr. qne encommendaram bi-
lhetes para este espectculo, qne tenham a bon-
dade de os mandar bascar at torja-feraC do cor-
rente.
Principiar s 8 da noute.
N. B.0 theatro acuar-se-ha ornado com todo
o gosto e elegancia quer interior, qner extenor-
reente.
'PRRCOS.
Camarote de 1.* ordem.............
S,r ordem desde n. 1 al W........
Os nmeros 11, 12, 13 e 14.........
Cadeiras de 1J classe..............
Cadeiras.........................
Ao pnblico
Amanhaa, 8 do corrente, havera espectculo
maito variado, no qaal se exibiri pela tereeir*
vez nesto elrco, o maito admirado e applaudid
Homem voador.
1 irnimn r la
AMANHa
Qninta-ieira 8d- corrente
A's 8 l|2 horas da ooute.
A companhia, nao podeudo solemoisar a inde-
pendencia deste 111 rscente imperio no dia pro-
pino, em consequeucia de ter de dar o beneficio
que j ha va annunriado para esse'dia, d ma-
nhaa um espectculo em couuitemaracao de lia
glorioso dia nacin!, e espara que nacianaes e
extrangeiros se dignsm ir abrilbaatar esta oante
do fes la.
PROGRAMMA.
PRIMEIRA PARTE.
I.' Symphonia.
t Novo vultoio a todo escarpe, pelo menino
Joannin.
3 Nevos saltos mortaes por Vicente, sabr nm
cavsllo.
4." Um jocoso entremez, pelos clowrs ou pa-
Ihaeos.
o. O systema Baucher, Manilo em berdade,
apresenlado por D. Marcos.
6. O trapesio pelo applaudido artista gyanas-
lico Aldabo.
intervallo de 20 minutos.
SEGUNDA PARTE.
7. Symphonia.
8 Os dons applaulidos athletas, por Lun e
Cesar.
9." O pao voador, pelo applaudido Vsenle Ca-
saii.
10. A menina Juanita, sobra um cavailo.
Intervallo de 15 minutos.
III PARTE.
0 HOMEM VOADOR f I
DiBlcll o arriscadsimo trabalba, pelo applau-
dido Cesar Casali.
Aviso.
Se o vapor Giromlr que se espera da Europa
chegar no dia 9, os artistas novos que esperamos
tomaro parle nos espectculos de sabbado e do-
mingo.
AVISOS MARTIMOS.
COflPASHIA
DAS
Mes^ageries imperiales.
At o dia 9 do corrente mez esperarse da Bu-
ropa o vapor francez Cironde, equal depon da
demora do costume seguir para Boenos-Ayres,
tocando na Baha, Rio de Janeiro e Montevideo.
Para conduedes, fretes e passagens, trata-se
na agencia, ra do Commereio n. 9.
At o dia 11 do correte mez esaera-se dos par-
tos do sul o vapor franeez Sindh, eommandaMe
Masscnel, o qual depois da demora do costaste
seguir para Brdeos, tocando em Dakar (Garda) e
Lisboa.
Para condipoes, fretes e passageus, trata-se sa
agencia, ra do Commereio n. 9.
104000
128000
163000
3*000
2000
O administrador da recebedoria de readas
internas geraes avisa aos contribolntes do imposto
sobre industria e profissees do astercicio de 1870-
71, que oeste mete no allimo de oatabro pr-
ximo futuro qne elles (eemde pagaio l' semestre
do referido exeroiflo, lirre d malta ; e que Undo
o mencionado praso ser cobrado com a molla de
o vfi.
Reeebedoria de Pemambaco 1
1870.
Manoel
de setembro de
Caroeiro de Souza Lacerda.
THEATRO
SANTO ANTONIO.
EMPim-COfMBRA
Companhiafranceza
ulata-felra m le setembro.
Repetir-fe-ha o mesmo ejpe:tacnlo de hoje
de setembro, exceptuando o bymno nacional.
As pessoas liae encoaomendaram bilhetes,para
este espectculo tenham- a bondade de os mandar
buscar al amanhaa ao meia da.
Prtaopiar.as 8 besas.
COMPANHIA BrASILlii
NO
Pala sobdalejaeia da fregnezia de S Fr. Pe-
dro Goncalves do Recife se faz publico que acba-
se reeolhido casa de deienoo o pretoj Joaquim
por fgido, e que dit str escravo de Joao de tal
Araujo : quem for sea senhor eompareca nesta
^Bbdelegacia munido de seus documentos, que lhe
ser entregue.
Subdelegam do R-oe 5 de setambro de 1870.
Joaquim Agripino Parlado de Mendonca,
Subdelegado sapplente.
PAVILHAO DES. ISABEL
COMPANHIA
IQGKTii mmu E ACROBTICA
30B A BIRECCAO
DE
D. Marcos asali.
EXTRAORDINARIA E VARIADA FUNCCAO.
Qaarta-felra 9 do corrate,
As 8 f ]2 horas dr, qoqU
EM BENEFICIO
DE
Paquetes a vapor.
Dos portos do nerte espera-
do al o dia 8 do corrente o va-
por Cruzeiro do Sul, comman-
danto capitao lente Pedro Hy-
polilo Lnarte, o qaal depois 'la
demora do costume seguir para os portos do snl.
Desde j recebem-se passaieiros e engaja-se a
carga que o vapor poder eondurir, a qual devera
ser embarcada no dia de saachegada. Enoamneav
las e dinheiro a frete at as duas horas do da t
sua_sahida.
Jiao se recebern como encommendas sesio eb-
lectos de pequeo valor e que nio excedan a s
arrobas de peso ou 8 palmos cbicos de aeV
cao.
Tudo que passar destes limites evar ser
embarcado como carga.
Previne-se aos Srs. sassageiros que anas paasa-
gens s se recebern na agencia roa da finu a. 87,
1* andar, escriptork de Antonio Luiz de Oiveara
AievadoA C._________________________^^
COIPAlVHlA.BRXSILEffil
DE
Paquetes a vapor.
Dos portos do snl aspandr-
al -i dia 8 do corrate o viafar
Paran, o quaj depois da qsk>-
ra do costoroe afaira rjnr os
portos do aorta
ja recebem-se paasageiroe e asgaja se a
carga que o vapor poder conanzir, a qaal amen
ser embarcada no Oia de sua chegada. Eaoamsjw-
iasedinheiru a frote al as.2 horas douadaaa
sabida.
N2o se rscebem como eacommendas aenao -
jectos de pequeo valor e que nao excedam a duas
arrobas de peso ou 8,palmos cubiooa de. aaicao.
ludo que passar destes, limites desM ser emba -
ado como carga.
Previne-se aos senhores paasageiro |Ua sus
paasagens s se recebern na agencia, rsa a Crsi
n, 37 orimeiro andar, escriptom 4o onMpisfali
de Oliveira Azeei)o 4 C.
MU'
Preiene segair pare o referida perloem'pavees
diaa o palbabote Rau'ia por lar a maior erts Oa
carga, e para a pouea OMisne faka, tratt-e eaca o
consignatario Joaquim Jos
roa do Commereio n. 17.
<
r
(
J
i
i
GC**es ieHrta,


V
Diawx *r*m*&Krr- { QmP &*mbn*'e.lSWu
X
bralfu, capito
carga a fi
ras da M JH
rs
tratar coi Si l
recebe alguma
I.eiUe Irraos, a
BIODfi
'
<"*H^M
Para e wrto cima efi^a tea fcravWa4a>o hrt\
gue nacional Isabel, tern'parte do>sen carregatoen-'
w Mttado : para o restt que Ihe taita trat-ae
copos consignatarios Antonio Lnlz de* fatm
Azeved At" ru da Crut n. 87, < nuar.
_ck lftr-T, ehegad do Rio de Janeiro, se-
gaeaaanfo Miranhl em pdeos das oom1 a carga
qoe Ufen, e BoT isso qaetn qaiter aprov8ltarta'
tea oocasio He carregar, dirija-se ao eoo18iiata-
noJaaqaio Jo** fioncaWes Bettrao roa do Cm-
amelo n. 17. ^^____
PBEDiOS
"Sela parles do sobrado de 3 andaras e aotao da
rua.da Cadeu n. 27.
Ileade do sobrado de dous andares ao largo do
Carmo n. 7.
SEXTA-FEIRA
9 do corrale.
O agente Martins tara leilo a requerimen to do
D. ABfb Francisca da Cjocw<;oClaaa por
MOtSr&tilllrtt. Sr. Dr. j1efndPB**iftal a-*-
moda vara, dos predios cima, parte dos bens
izados pelo uado Meooel Pereira Caldas. O lei-
lo ter logar em sea escriptorio ra da Cadeia
19, boje Mrquez de Otinda, s 11 horas do dia
Rio de Janeiro
Pretende seguir par o referido porto cohv
peniI. brevidade o patacho Mcmtriro por ter por
ci 4a carca engajada ; e para a qne Ihe falta e
Biafwaa a frete, iraU se com .o c asignatario Joa
tjaiin Jos Goncalve* Beltrp a ra do Coninierc)
,-.
GOJfl>ANHIA PERfvAMBUCANA
DI
NaTegaco costelra por vapor
Parahyba, Nata', Maco, Mossor, Ara-
aty, Cear, MaDdah, Acarac e
Granja.
O vapor Ipojvca com man-
dante Moora seguir para os
porlos cima no dia 15 do corrate
as 5 horas da tarde. Recebe car-
ga at o dia 14, encommendas
passageiros dtnneiro a frete at as 2 horas da
tardedo dia da saluda '- escriptorio no Forte do
Mallos n 12._________________
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DI
WaTega^o costelra por vapor
Mamauguape.
O vapor nacional Covwipe, commaodante Sil-
va, seguir para Mamanguapc no dia 12 do cr-
ranle as 6 boras da larde. Recebe carga, enoom-
in4ti. passageiros e dinheiro a frete al as 3
lloras da larde do dia 12, no escriptorio da com-
paohia, Forte do alatlis n. 12.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DR
^avegaco resfeir por vapor.
PortO'de Calimbas, Rio Eormoso a
Tamandar.
O vapor Parahyba seguir
para os porios aoma no dia
10 do corrente meia nolte.
Recebe carga, encommen-
das, passageiros e dinheiro a
freie no eseriptorio do Forte
da Matt.'S n. 12.
LEILOES.
um sitio com casa de tijollo na
estrada Nova de Beberibe,
junto primeira bomba.
O agente Mariins far leilo de nm sitio na es-
trada nova de Beberibe cora 800 palmos de frente
e 1,100 de fondo com grande baixa para capim.
tendo urna casa de lijado, e muito perto da est-
cao da Eacruzilhada, terreno foreiro.
em sen escriptorio ra da Cadeia n. 9, s H
horas do dia.
cima.
A^WEMfJS
i
As&OCaQo Comtltercial Bere-
Por ordem da direccao convido todos os senho-
res socios a reunirom-se xiraordiaarianwDfc em
assembla geral tarea-feira 18 do crreme, ao meio
dia, na ?ala das sessoes. afim de se tratar de as-
sumpto ce grande importaneia ommercial.
Associaco Cemmer ial Benefieente 6 de setem-
bro de 1870.
Joaquifl) Gerardo de Bastos,
Secretario.
OS ADVOCADOS
Eiseo Martins
Antonio de Siaueira
HUDARAM o seu escriptorio para a ra estreita
do Rosario n. 4.
0 SACHAREL
Elseo Martin
COM escriptorio de advocada ra estreita do
Rosario n. 4, propoe-se igualmente a SOLICITAR
Suaesquer cautas porante os tribunaes desta cida-
e, o pode ser procurado das 9 horas da manha
s 3 da tarde.
Precisa-se de ama. escrava-ou f rra, que saiba
oozinhar e lavar, para urna pequea familia es-
trangeira : na praca do Conde d-'Eu n. 30, primei-
ro andar.
Leal de Irmn a ra do Mrquez de
Olinda n. 56 precisam de um Mtor para o
engenho BodIo commarea de Naiarelli e of-
ferecem vantageas. ______*
CASA DA FHTOitt
Aos 5:000Sa<
Bilhetes garantidos.
A ra Primeiro de Mar^o (outr'ora roa do
Crespo) n. ?.3 e casas do costume.
Acham-se a veada os feiizes bilhetes ?aran
tidos a 8* parte da lotera, benefici do colle-
gio dos orpaos (139a) que no esiraira sabbado
10 do corrente.
PREgOS.
Bilhete inteiro 6JO00
Meio bilbete 3^000
Quarto 1*300
Em porcao de 100*000 para cima.
Bilhete int.iro 5*400
Meio bilhete 2*700
Quarto 1*330
Manoel Martins Finia.
Ama
Precisa-se de urna ama para
ubar em casa de pouca familia :
n. 130.
comprar e coz-
na ra Imperial
prepara-
ciiancas
Rui d
Xaropc de lactucari'
ibery dacio d;A))bad^ r,
como calmante para os caies
nSo pode osar de opio e de seu*
dos, mni eoivmieBte pan
nos espascao? econvuls5s.
i*
DOR N. 39.
Preparados d'ak^tf Jo em capsulas, licor
e xarope ferruginoso.
AMA 'M
ri
*RAU UJA
Pillas de Vi
Pillas de B
Pillas de _
Xarope rarrogftoso de Wapcard.
Coofeites de lcUo de ferro.
Pilalaa.de carbonato de-ferro, laclado de
ierro, iodureto de ferro com magnezia
Ferro de Qpevenne.
Assucar, ferruginoso.
L B1TA DO IMPERA-
DOtVN. '38.
Vinno e xar^e de pepiioa. eidwlhare,
excdleaie imta, ipara. aoxiliar as digers
difljeeis nos casos de debidade do esto-.
mrgo.
Upa n
Jos Gomes Villar retira-M par o
de Janeiro, e prec||fi^cclarar que 1
por"
ella, porm se algon se jalgar
dor poden nesl)p;8 das apri
suas cenias, najraa, Primeiro
n. 17, aAntunej Gaimares e
eoja firma o raesjna-JZ parte coi
eio eommanditario,_e sero pau^
referidas contas, caso apparecam.
Apreveila a occasSo de pedir aos s
devdores desta pwca mandar saldar
suss contas antigs, pois mnito justo
que retirando-se paja o Rio de Janeiro
os seus devdores aaldem seus dbitos
muito breve.
Dr. has. d
0 RE I D
R|W (h wo int
=: Precisa-e* contratar um\
RVd, sacerdote para urna ca-
fpfiUwa^n'ur^avcalaAie .j^ftulo.-,
sT-e perto do freVafc : tratar
ireata typoo^aplaia.
cu
CLuep^utft
PHARMACIA CENTRAL T\UA DO IMPERA
nos n ft '
1 .l i L 11 formidade com o disoslo n.
Agua hemosuiaUca de Leunelle, mmre-. cuados estatuto?.,
Da.ordem o lita. &r. presidenje, e de.accordo
coqwi "WKAi jaiftjfc. '*
socios do.Club Popular para se rennireip em as-
eapfcW. geral no jn, de seienbco. a 7 ho da rJrfUte, na ra de-aja Rii-lwvl. *. l'w
Bar, afio de tomar conhecimeoto dos trabalhos da
unta e do conselho deliberativo ; ludo de con-
1 do art 14 dos
^efafr-O'ceflvotoees fciwy>hni-
} Rh#MMiamo em
commeodada em qualquer caso de hemor-
rhagia, e principalmente na tbjska. palmo
nar, e as hemorrhagias uterinas.
PHARMACIA DENTRAL RA DO 1MPBRA
DOR 38.
Xarope de rabane iodado exceente com-
binacSo do iodo com o sueco de plantas
an-scorbnticaa.
Este xarope emprefado com grande
soccorro contra as raofetias*da- pefie, os
engorgitamentos escrofoltosos, o rachitismo-
cacbloroso.
0 vinho iodado de jly, e oleo iodado de
Personoe, s3o recommendados para os.mes-
mos casos, e encontram-se nesta |ihrma-
cia.
Secretaria do Club Popular, 31 de agosto
1870.
O lc secretario,
Misael da Silveira Amoral.
de
Offlcial ae ba
Precisa-se d um bem offlcial d*
ra do de Marco n. 7 A, 1* andar.
s, diarrbJij
a.
s de ouvift,
era e cbolei
sangue, em
je cabeca e linutos.
de dentes, em um minuto.
Neuralgia, em cinco minutos.
Des^ca^es, en>vinte miou^.
Gjygaiafl incoadas, em e.externo.
re e febre intermitiente, em um dia.
as costas e nos lados, em dea
sses perigosas e refriados, em um
Pleuresa, em nm dia.
Surdez e asthma.
Hemorrnojdas e bronchites.
lnflammaco nps rins.
Dyspepsia e erysipelas.
Molestia, de flgado.
PaloktcSo de corceo.
Precisa-se de urna ama uira on captiva para'c
servicoilerni f.'XterRodc nria casa de pone
familia : na rn* Vplfta n. fifc ______ '
Aloga-se a casa de dob andaros e solio da
fu da Aurora : na mesma na n. 38.
Na ra de Hurtas n. 8 precisa-se de um
feitor portuguez piara slm
Na ra estreita do Rosario B. 38, 2 andar,
eozinha-se para fra.
\TTEMGA0
El OIIUD
A companhia dos trilhos urbanos do Recite
Olinda faz leilao, por intorvenco do agente Pon-
tual, de aljumas portas, janellas, vidraoas e madei-
ras anda em born estado, da casa demolida no Va-
radonro, onde se esta construiudo a estago
HOJE.
Quarta-feira 7 de setembro, s 10 horas da ma-
nha.
mobilias, 1 carro, ica\*llo e um completo
sortimento de neceisarios para dentista,
e urna rica cadeira para operacss denti-
ficas, 1 carro e cavallo
Sexta-feaa 9 do corrate
s 11 horas da manha.
Ra do Vigario, armazem n. 7.
O agente Pestaa far leilo por contae risco de
quem perlencer, de l mobilia de Jacaranda cons-
tando de 12 cadeiras de goarnioao, 2 ditas de
bracos, 2 de balando, 1 sof, 1 par de consolos
com pedra e 2 espelhos, urna mesa com pedra, 3
consolos de amarello, 24 caeiras de dito, 2 ditas
de bracos, 1 mesa redonda, 1 mesa de amarello
para toilette, cabides, cama franceza, guardas-ves-
tidos, flteiros, 1 toilette de Jacaranda, quadro 1
mobilia de madeira preta, lanternas, qmdros, ta-
petes, 1 mobilia de palha de excellento gosto, con-
tendo 12 ea'.eiras lisas, 2 de bra^s, 1 sof, 1 la-
vatorio eperteuces, 1 espelh), 1 sof, 6 cadeiras
de guaruicii, 2 ditas de bracos, 1 relogio de pare-
de e 1 machina do costuras, 1 guarde-ronpa, 1
commoda, (Hienas camas peqr.enas, marquez5es,
apparadores, roarquezas, sofs, cadeiras, looca de
jafliar e almwj-. e mais outrosobjeclos, 1 carro e
I cavallo bem conhecido que partencia ao finado
dentista Osorio, e assim rrais um completo sorti-
mento de todos os pertences para dentista e 1 rica
cadeira para operaroes dentificas. Sarao vendidos
todos es-es obj,ctos sexta-feira 9 do corrente, s
II horas, no srraaiem da ra do Vigario n. 7.
ai IMlV
Aluga-se a sala exterier do sobrado sito
larga do Rosario numero 21
memo.
roa
a tratar na toja do
ALMANAK
PARA O
DE 1871.
'.onvidamos aos Srs. advogados, negoci-
antes, mdicos, artistas, endustriaes etc. etc.
para que remettam ra do Imperador n.
5i, os seus nomes ou firmas, com indicac3o
da ra e n. da casa em que teem os seus
estabelecimentos ou residencias, afim de
serem contemplados no Almamk futuro.
Igual convite fazemos as companhias de se-
guros, bancos, agencias, associaces lutera-
nas, scienlificas, humanitarias, corporales
religiosas etc. etc.
Para o fim sopracitado s podero ser
acceitas as ififurmaces fornecidas at o ul-
timo do corrente mez.
PHARMACIA CENTRAL RA DO IMPERA-
DOR N. 3>.
Variado sortimento de chocolate de ban-
nilha, salepo ararnta, ferro, e de sade, da
acreditada officina de Menir.
Sabonetes d'alcatro, d'acido phenico, en-
xofre e campbora recommendados para as
molestias de pel. como sarna, panos, em-
pingens etc., sendo o ultimo de muita uiili-
dade para o uzo do toilette, por preservar
a pelle, de ser manchada das maculas, que
costumam accomettel-a.
PHARMACA CENTRAL RA DO IMPERA-
DOR N. 38.
Os melbores vermfugos para criapcas,
Pastilaas de sanctonina.
Di'.as de Kemp.
Oleo vernifugo.
_Judo de melbor qnalid .de.
PHARMACA CENTRAL "RA DO IMPERA-
DOR N. 38.
Variadissimo sortimento de fundas de
excedente qualidado.
FABIACIA CENTML
Roa do Imperador n. 38.
Lamploughs Pyretic Saline.
A preparation of weli known utelity to tbe En-
glish Facultv, as a cooling and refreshiog beverage
in all cases "of fever. The frequent use'cf cNs sa
hne preserves foieigners from many distises to
which ey are leable before becouung acclima-
tised. May be obtained at th Pharmacea Central,
jua do Imperador n. 38.
A CENTRAL BIJA
N. 38.
Pastilbas de balsamo de tohi e de seiva
de pinho martimo, para as affeccSes chro-
nieas dos pulmes.
Pastilbas de therydocio e louro cerejn
para as tosses agudas, e de carcter nervo-
so, e para os vmitos durante o periodo da
gravidez, e qualquer affecco nervosa.
Pastilhas de bypophospheto de cal mni
uteis na Ihysica pulmonar.
Pastilbas de angico naf, e de Regnauit,
de hortela, pimenta, e de Viccley, de pe-
cacuanha e de Rermes.
PHARMACIA CENTRAL RA DO IMPERA-
DOR N. 38.
Cha purgativo de Chambard. excellente
laxativo, e refigerante, que se pode usar
repetidas vezes sem irritar os intestinos^
m
MDANCA.
O Dr. Carolina Francisco de Lima San-
an tos tnndou soa residencia e consultorio
* para a ra do Imperador n. 57, 2o andar
SE do sobrado cujo .roiazem conserva ain-
a da luje o nome de Alianca, tendo a
5 entrada, qne pelo lado da ponte Sete
3 de Setembro, o mesnio numero 57, da
frente. Al continuando o dito Dr. no
exercicio e sua prosso de medico e
de operador, pode ser procurado a qual-
quer hura do da e da noute.

m
AMA
Jea^rti s^n^i^ Q|te remedio na sua familia.
AS, DOENCAS SE PR'ESETAM QUANDO MENOS SE ESPERAM.
Oj^q eielricoO Kng of-Paj(o ret d;dr) aqoiela e positivanente dissipa mai*
de differentes molestias e dores, e aliva mais os soflrimentos e produz um mas perfeiio
equilibrio nosystema homan, o que n3o se pode effecluar no mesnao lempo, com qua-
quer outro remedio medicinal.
I Ejte* aiUo popular remedio est agora osaado-se geralmente, pela razio que roi-
Ihares de pessoas se tem curado gratis com o dito remedio pelo Dr. de Grato, e outros
mais.
Este importante remedio nao se offerece para corar todas as doencas, porm tao
>nte para aquella espulaiias d? nossas director.
Est operapp nos principios da' cbimica e da etectricidade, epor isso est appt-
para o cufcaento e para a restauraco da accSo natural dosorgcs que soffremda
lar circulacSo dos flaxos dus priucipaes ervos. O oleo eielricoo King of Pai
opri directameate nos absorventes, fazeodo desappacecer as ncoacoes das glndulas
etc. em um tempo ncrivel, breve, sem perigo do seu uso dcbaxo de qualquer crcucq*-
tancia.
O remedio, urna medicina para o oso exlerno e interno, composto dos elementos
curativos, raizes, hervas e cascas, taes como se tem usado dos nossos antepassados, e
da* qnaes tem grandes existencias no mrndo, para curar todas as molestias, sabendo-s
qua6 las sao.
Foi nm grande e especial desejo da faculdade de medicina durante muitos amaos
de experiencia, para aprender os melbores modos que se dpviam adoptar para turar ai
seguntes doeosas, e que proporcoes de medicina se deva usar.
nico deposito em Ptrnambuco
NA PHARMACIA E DROGARA
DE
Bartholomeu & C.
N. 34RA LARGA DO R0SARIO-N.*34.
UI
Precisase de nota a/na qq,e compre e coilnhe
para casa de rapaz sofleiro : na ra do Qnoimado
n. 12, loja.
Precisa-se de urna ama
ra do Qneimado n. 17.
para compras : na
Ama
= ^ S.? B
"* w _
rj ES ^,
" 5E ri 3 a
9 *o o
rrO C
c? B o |-"S 3 I o
ass-Jg
,'"

Precisa-se de urna ama que compre e cozinhe
para duas pessoas : no lrrgo da Matriz de Santo
Antonio n. 12.
AMA
DE
todas as mercadorias existentes
na loja de modas sita ra
da Imperatriz n. 31.
Ao correr do martello.
Fitas de sarja de diversas larguras e cor, ditas
de la para debrom, ditas de seda, trancas de
dial, cordfies, bicos, chapos para senhoras e me-
ninas, todos os vestuarios para menina, ricos ca-
sacos de gorguro, para senhora (ultima moda),
chambres para homem, S3hidas de baile, poupeli-
na, veos e capellas para noivas, excellentes espar-
tilhos, lavas de peliea brancas e pretas, botoes de
seda, diversos ntremelos bordados, gollinhas para
seahora, canSes de camisas para homem, sintos
para senhora, setins de edres de excellentes qna-
lidades, peleuriaas ds Wond brancas e pretas, fil
de linho e seda hranc miudezas, garanlinde-se aos Srs. licitantes que to-
das essas mercadorias se acbam em estado per-
feilo, caje leilo ter lugar
SEXTA-FEIRA
do eorrent
a roa da Imperatriz n. 31 loja,
s 11 horas da manha
por intmaoco do agente Pontual.
COMPANHIA
DOS
TRILHOS RBAWOS
DO
KE IFE A* OIIWDA.
\lterac5o da tabella para os das uteis:
MANHV
Para Olindas 6, 1, 8 e 9 boras.
De Olinda para o Recifes 7, 8, 9 e 10
boras.
TARDE
Do Recifes 3, 4, 5, 6 e 7 horas.
De Olidas 4, 5. 6, 7e8 horas.
Somente tero 10 minutos de demora os
trens em Olinda. em quanto tomam agua e
fazem a muda dos carros.
Recife, 4 de setembro de 1870.
O superintendente,
A. d'Abreu Porto.
Precisa-se de um boin tosnheiro para casa
de estrangeirof, na visinbanga da passagem da
Magdalena, devendo o nes,mo fuer as compras :
dirija-se roa do Commercio a. 36.__________
Irmandade do J)ivino Espiri-
to Sant^.
Tendo lugar quiuta-feira 8 do corrente, a festi-
vidade marcada, pelo do rt. 34 do nosso com-
promisso, convido a todos os nossos irmos a com-
parecer em nossa igreja para assistir a reierida
esta, cujo programma o seguinte :
A# 8 horas da raanbaa ter lugar a missa rosa-
da, e as 10 dar principio a festa, sendo a orebes
tra dirigida pelo .professor Colas Filho, orando
no Evangelho o Rvm. Sr. padre Leonardo Joo
de Grego. A' noute ter lugar a Iaainha oran-
do o Rvm. Sr. Padre los Estoves Vianna, tocan-
do antes e depois dos actos urna banda de msica
marcial.
Secretaria da Irmandade, 6 de setembro de
1870.
O escrivao,
Francisco Jos dos Passos Galmrfs.
XaRPE HYPNOTICO DE CHLORAL.
O cbloral um agente therapeulico recen-
temente experimentado, mas cujos benefi-
cios v) sendu largamente aprovaitados pe-
los praticos em.quasi todas asafieccoes ner-
vosas, calmante e somnfero poderoso, elle
sompre empregado com vantagera nos
casos de dores nervosas intensas, e as de
insomnia, em que elle produz um somno
cslmo e profondo.
Elle rec mmendado as c licas, na cho-
rea, no ttano, nos partos laijoriosos, na
clampria, as queimaduras extensas, nos
accessos agudos de gotta, na asthma, na
tosse convulsa, e em muitos outros casos,
DOSE. Daas a oito colheres de sopa
por da, conforme o effeito que e medico
quer obter.
Encontra-se na Pharmacia CENTRAL ra
do Imperador n. 38.
VWHO DD QUNINNO DE LARARRAQUE
Poderoso tnico hoje to aconselbado nos
gozos de* debilidade geral, e mui usado
como antifebril.
PHARMACIA-CENTRAL RA DO IMPERADOR
N. 38.
i
. Precisa se alugar urna molher forra ou escrava,
para cozinhar ci'mpr.r e eng^mmar, para nma
casa de pequea familia : na ra da Cadeia nu-
mer- 8._______________________________
Ama
Precisa-se do nma ama para cozinhar em casa
de homem solteiro, prefrrt-se p.iriugueza.______
tapa pasar a ftsla
Traspassp-se o resto do arrendamenlo de um
silio na Torre, prto d:i pante, estando elle mui
bem tratado e plantado, e a casa com bastantes
commodos : a tratar na loja n 8 ra do Duque
de Caxias, outr'ora do Queimado. ________
Koga-se ao Sr. J. D. A. C. que qoeira ter a
bondade de realisar contas com seu ex-caixeiro
F. M. B., Unto de ordenado como de dinheiro de
empreslimo, julgando eu j ser o tempo sufficiente.
Precisa-se de um caiaeiro qne t-nha pratica
de padaria : na ra do liante! n. 9.
AOlmico
Joaqnim Dias de Almeida Cosa, deparando
i-om um annnocio do Sr. Francisco de Medeiros
Barbosa, publicad.) no Diario de hontem, lem a
responder-Ihe qne s Ihe paga seus ordenados,
quando este Sr. no juiz > competente Ihe prestar
conta3 do dinheiro apur.do em seu estabelecimen-
lo desde 9 de junho al 12 de agosto prximo
pastado. '._____________________
__ Precisa-se de urna ama que saiba bem co-
sinhar, preferindo se eaerav : a ra do Sebo n.
29.______________________________
__Precisa-se de urna ama para engommar. co-
zinhar, lavar comprar, sendo f rra : na traves-
sa da Matriz de Santo Antonio n. 10.
Aviso ao respeiravol pub:icg|
C Heppplmann, director da companhia musical
allema, que tantos applausos tem recebido dos
deletantes desta cidade, avisa ao respeiuvel publi-
co aos amantes c!a msica e as corporaedes reli-
giosas, que se acha prompto e habilitado para to-
car em qualquer baile, sarao ou festas de igrejas,
quer com instrumento- de orebestra, quer com
msica marcial. A mesma directora roga, pois,
aquellas pessoas que quizerem milisar-se do pres-
umo da companhia, e desejam ter urna festa pem-
noa ou urna noite de excellente goso, podem di-
rigir-se ra do Pilar n. 20, aonde se far o
ajuste mais razoavei.
.B
- *. S. 2. B g o-1

CB ce
03
3
8'
2 o S.L
'S "S O "
9 S H-3
B-.Z-s So.
'o S ~ o -
2 ^ *
c-.S.S SJ o T w c
c OM CX.S
a vi _
>2 2.5 21
^P < Co 9
2. 2: o' 3
iaST^ a vr
37
GRANDE
L CENTRAL
11 de Dezembro37
Justino Jos Tavares, subdito portuuez,
Poringal irattr de sua saude.
vai
Domingo, 28 di agosto, desappareceu da ra
do Commercio, um burro pequeo, cor nidada,
cauda comprida, dinas coatadas curia, eom can-
galha, sendo a cangalba de ferro : quem o pegar
9u quem delle der noticia dirija-se- a ra da
Matriz da Boa-vista, sobrado n. 18, que se recom-
pensa-________________________'________
Rufino Bezerra Cavaicao, no seu engenho
Serra, faz sciente ao publico que flea recendido o
contrato que havia feito cora a companhia de se-
gure de vidas denominada Protectora' das Fami-
lias, para o que entendeu-se com o.seu respectivo
agente Sr. D. Nsreiso F., ficando assim, pois, de
nenbnm effeito, qualquer recibo ou ordm proca-
denta desse contrato. .
Precisa-se de ma ama de teite : a tratar na
roa da Hoeda n. 35.
Attemjo.
De ordem do irmao presidente da sociedade
Bemfeitora Pernambucana, convido aos irmos so-
cios da referida sociedade a compareoerem cem
urgencia qulnta-feira 8 do correrte, pelas 1G> ho-
ras da m*Bhaa, em casa do noaso irraSo socio Joo
Amaro Vianna da Paz, na ra tle gaula Cecilia n.
5 afim de tralar-se dos inuressas da mesma.
OSeeretario1,
Cosme Jfcmoel do Nasclroento.
"_- TherezaEmiKa deSouza Gomes, professora
publica de instruccao primaria, do sexo femenme,
tndo sido removida da cadeira de N. S. do,O'de
Ipojuca, por portara de 22 de julho do corrente
anno, para a cadeira de Cruz das Almas, perten-
oenteao 2 disUrifto da fresu.(7.ia da Boa-vista,
previne aos senhaffeaaais de familias que abri o
sen curso no dia 1* do crranle mez, pelo que
convida os rnesmos a mandarem suas fllhas fre-
qoeneja do curso no magisterio que adoptou, e
nao pouparesforepspara b'm desempenhalo
contento do publico e instruccao de sen se,xo.
Sta attenpao
A pessua que tiver 5.00OIO0O e quier dar a
preroio, dando-e bom endossante e bom premia.
qr.era ter a bondade de deixar nes|a typographia
carta com as iniciaos K. M.
(Outr'ora Larg i do Rosario)
No mnito conhecido HOTEL CENTRAL encontrarn sempre os nossos innmeros
freinezes nolaveis melhoramentos, indispensaveis para commodidade dos illostres re-
No HOTEL CENTRAL encontra-se-ha constantemente tudo que de confortativo e
deletavel se pode encontrar em um estabelecimento desta ordem.
Assim acba-se all urna excellente casa para banhos, um sal5o tod j alcatifado a
guarnecido de diwns, pino, j >rnaes nacionaes e estrangeiras etc., efe
1 dulce tama
CHARUTOS
Imperiaes
, Amadores
Londrinos
P3P*^
E de outros fabricariTes, que sera ocioso innumarar.
As familias que nos quizerem obsequiar, tanto nacionaes cerno estraageiros, etv
coqtraro os commodos necessanos.
A moralidade e boa ordem a norma do
Hotel Central
Falla-se o hespanhol. francez, inglez e italiano.
Normas da Havana.
Suspiros.
Napoleoes
Havanas.
FALSIFICARES
dasPILULASoeBLANCABD
(GAVE
A nossa correspondencia do Brazil nos faz
saber que as pracas d'este paiz acho-se
actualmente inundadas por urna muUtdo de
falcificafes vis dos nossos productos (textual.
. Paragarantir-se contra estas composicos
mais on menos perigosas, que escondem-se
d'eua maneira per detrda das Bossas marcas
de fabrioa e mesmo da nossa firma, rogamos
aqui com instancia aos mdicos e aos do-
entes de assegurar-se sempre a origem das
Pilllasque iiazerao nosso nomo,appellando,
entre outios meios jradico^ pela boa f dos
nossos collegas, os pharmaceuticos. Nao de
duvWar que n'uma questafl que intressa Uo
teriamente a saude publica e a moralidade do
DOLUJH)
commercio, estes honrados intermediarios
nao" se mostrem dignos da confianca dos sens
freguezes; nao de duvidar igualmente que
repudiando toda solaridade com os falcia-
cadores e os seus cumplioes, elles nao seta-
cao um dever d'or* em dianle de procurar
as VEBDA0E1RAS PlWU M Bl.
origens certas, enderecando-se, quer a M*
memos em Pars, qaer "^"*""*"
nosswprincipaes correspondentes, ouertft
s casas as mais recom- sfS
mendaveis da Franca AJ&
ou do seu paix, *5
Z?7
Pharmacrj^ rua ,Bl)Mparie) en
Pttrix.


<

I
i
aife de Pmamkuc* ^ uaria ^ f
A' roa do Jar j-rr. a. 45 piecisa-se .'aliar com os.
juiote he
Janoel Homem e Carvalho goardal Wros.
Julio Adolpho fl'.bas (acadmico).
QaeriDO Candido de Vasconcelos.
Joaqoim Cavalcactl de Albuquerque Mello Pilbo
(Porobal).
Jezuino Augusto dos Sanios Fragoso.
Virisiwo Gomia le Lyra (Cruangi ou Vicencia.
ioiflerniao Poutoal (engenho Preferente).
Fernando Barata da Silva (engenho Morojo).
Manoel Poiicarpo de Azeedo.
Antonio Gomes Cordeiro de Mello.
Eduardo de Paula Smtos.
Franciseo da Suva Porto.
Juveual Torre.
Tbor Joaqun! do B>go Barro.
A verdadeira fcrinha peitoral de
lsU farinha
nos padecinwntos dos orgaos do peito,
90 asthma oa poehamenio de catbarros,
amacao de bote, picariles e na pthysica ; re-
rommeudaodo-se com igual proveito as pessoas
convalecentes.
nico deposito na phtrmacia e drogara.
DE
Bartholomeu & C.
34Ba larga do Rosario34
MOFINA
Este antigo estabelecimfcnto, acha-se hoje montado n'nma;
escala de poder Servir vantajosamente os seas freguezes, atten-
to o gran le sortimento de joias d'ouro, prata 6 brilhantes, que
sempre tem e recebem mensalmente das principaes fabricas da
Europa- cojos presos sao em competiris e as obras garantidas
de le.
3IOREIKA 1IUARTE .
Roga-e ao Illra. Sr. Ignacio V.eira de Mello, es-
crio na cidade de Nazaretu desta provincia, o
favor de vir a roa do Imperador n. 18 a > oncluir
aquolle negocio que V. S. se comprometteu reali-
sar, pela terceira chamada diste jornal, em 8ns
He dezembro prximo passado, e depois' para Ja-
neiro, passon a fevereiro e abril, e nela cumprio,
e por este motivo de aovo enamado para dito
fina; pois V. S. se deve lembrar que este negocio
de raais de oito anuos, e quando o senhor
fllho se acbava no estado nesta cidade.
Acaba de sahir luz
E
Vende-se
NA
Livraria franceza.
A
J. Fe reir ViH*
MANUEL & C.

m

Tem a satisfecho de participar aos seus numerosos fregoezes, que em vista de ser-Ibes mais coarmodo, tem
leiido urna nova fabrica de chapeos de sol, na rua.da Cadeia do Rectfe n. 9, boje ra do Marquee de Olinda,
acharo es pretendentes, muito avuUado sortimento de chapeos de sol de todos os precos, qoalidades e pt r pre- &
as commodcs do que comporta odosso mercado: cenvidam especialmente aos Srs. compradores por atacado jf*
darem, sendo possivel suas encommeodas, pois podero assim serena mais bem servidos, visto poderem escolher as ar- Ste
Efe
macoes as tazendas que a demora da fabricacao bem diminuta,
NA ANTIGA E BEM CONHECIDA FABRICA
CHAPEOS DE SOL
DA
Eua do Barao da Victoria^ esquina da Gamboa do Carme.
36?
m

Mi empre um grande sortimeato de chapeos de sol de seda, merino, alpaca, bretanba de lioho branco e par
3Z l0 e de algodo os todos os tamanhos o feitios, am da immesa porco de seda, mer.n, algodao e brim,
*g arauews de todas as qualidades para satisfazer qualquer encommeoda. A modicidade de seus precos 15o corjbecida '!
jKs que escusa de mencionar.
5-
Al RO
D'YVETOT
RUA ESTElTA DO ROSARIO N. 14.
! na qualnl.nle de cummercio faltava nesta popa-
i'n-a. cidade nmeslabeieoinento em que so compre
e venda toda a qualidsde de roopas feilas novas
-ias. imi basar qoe se denomina em PariH-
iie e Brac E* este u e-tabelecimento que se
briu a roa estrellado Rotarlo & 1*. Assim,
itilas as ptv-oas (|ue iiuizerem vender, ou com-
prar roupas novas on vdhas e todos os mais
ihjecv do servico domestico, inclasive trem de
u~inha, pndero lrrjir-se ao indicado estabeieci-
meuio para contratar, e offerece-se para ir em
casa '?os pretendentes para effectuar as compras
e veoda.
PRtMEIRO E AMIGO CONSULTORIO
B0M90PATHIC0
Di' Igido pelo Dr.
SANTOS MELLO
Os JwbHantea do inierior p^vlem-no 3
JH eoiHnltar -por-eseriptn, no que serao ?a- ^g
** lisfeiioxoin promptido.
Pre^ta-se tambem a chamados para o Jgjl
interior, a precu mdico. SM
Con^ulia*, no consultorio das 10 Ii iras sSS
ao meio da. H
Chamados, a (aalqu-.r hora.
Aos potore gratis.
43Rui do Bato da Victoria43 K
' (Amiga ra Non).
i ^gin?jB!SaiMaiaMBBgi9Biggi

Q' 9
RESTAURANT DE PARS
Ra das Larangeiras4
0 proprietario des-te etabeiecimeoto, avisa ao respeitavel pobco desta
ciade, e as pessoas qoe o honrar com-sita confianza, que acaba de estabele-
oer aeegninte tabi-lla.
I pnrtos a escolber.
Vwbo.
Pao
Caf ou cha.
14000
Sipa.
3 pratos a escolher.
Vhho
Sobre mesa.
Caf u cha.
1000o
DAS 7 HORAS A MEIA NOITE CEA SEGUNDA TABELLA
ALMoqo
JA^TAB
THUTKO DE 01UDA.
A direcmi da ociedade Theatral Oliodense,
tend de proceder a eleieo ao conreino aJminis-
traiivo, no da 8 do crrenle, na casa do iheatro,
pelas nove hirras da manha, na forma dos no-
val estatutos, convida a lodos es Srs. socios,
que se irvam comparecer, previnindo que a falla
voto de approvario ao Oltada, i de -letembro de 1870:
Bellarmino P. de Oliveii ,i,
Io ecretario,
Senhores eocheiros,
carreiros etc.
Farello.
fbms, desembarcando no caes do Apollo e reco-
Ib^ndose no arraazeo de arioba de trigo de Tas-
so frrnns 4 C, a preco commodo : a tratar no
rnesmo, ou na na rio Amorup n. '{7.
Psecisa->edo urna ama que >aiba engomiiiar
prefenndose escrava: na raa d Penha n. i'i
i* andar.
GUSTAVE
GABELLEIREIR FRANCE2
51^Eua da Cadeia do Recife-----6^
Chama a attenco dos seos innmeros fregueses, e do respeitavel pubco e
gera, para a seguate tabella eos precos de sua casa, os qnaes sao vinte por cent
sais barato do que em outra qualquer parte:
:abelleiras para seaboras a 2o& Cadeies para .relogio a 4, 65,
305,355 e. .. 40000, 14,85, 95, iU e. .5001
Ditas para homem a 355, 405 e 305000 >
Coques a 125, 15& 185, 205, Corte de cabello,..... 5M
2S5, 305 e.....505000.!. \
Oresceotes a W, 455,185, 205, Corte de cabello com Inccao. 501
255, 305 e.....325000 i Corte de cabello com lavagem a
Cachos oa crespos a 35, 45,, 55, ; _. a champoi:.
san
Vendas on permutas
Vende-se a propriedade Guarapes no Rio-
Grande do Norte, com trras casas e armaien;
de um patio lado do rio, lugar betr. conbecido
pela sua importancia commercial, cujo porto offe-
rece muita Tacilidade para embarque e desembar-
que da gneros.
Igualmente se vende o engenho Jundihaby (na
mesma provincia) moente e corrente, com cinco
leguas se trras de mattas virgens, oito eseravos,
bois, bostas e alambique ( oa somente o emgenho
com as trras que convier ao comprador). Estas
propriedades vendem-se por baratsimos precos,
e tamben se permutara por engenbos nesta pro
vinera, Parahyba e Alagdas, ou por casas as ca-
pitaes das mesmas: i tratar cem o proprietario
major Fabricio Gomes Pedrosa ra da Cadeia
d. i$, oa com os seas procaradores no Rio-Gran-
de do Norte.
D. W. BOWMAN
ENGENHEIRO
Com' fundigao.
A RA DO BRUM N. 52.
Passano o chafriz
Machinas vapor systema melhorado.
Rodas d'agoa.
Moendas de canoa.
Taixas de ferro batido e fundido.
Rodas dentadas para moer com agoa, va-
por e animaes.
E outros muitos objectos proprios d'agri-
culiura.
Tudo por preco BSHito, rednzido.
NOSSO SENHOR JESS CHRISTO,
MAMA SANTISSIMA
E
VARIOS SANTOS.
A saber:
Setenario do Senhor Boro Jess dos Passos.
Offlcio do Senhor dos Passos.
Novena do Menino Deas.
Novena de N. Senhora da Conceicao.
Setenarlo das Dores de Mara.
Offlcio das Sete Dores de Mara Saas^ma.
Novena de N. Senhora do Carino.
Offlcio de N. Senhora do Carmo.
Novena de N. Senhora da Penha.
Cnticos de N. Senhora da Penha.
Novena do B. S. Joao Baptista.
Novena da Senhora Sant'Anna.
Trezena de Santo Antonio.
Novena do B. S. Jos.
Um bonito volnmo encadernado.
20000.
ADVOGClA.
O DR. JOAQUn CORREA DE ARAUJO
tem o sea escriptorio raa do Imperador
.,67, onde pede ser procurado das 9 ho-
ras da manhaa s 3 da tarde.
0 Campos com armazem
de moldados na na do Im-
perador n. 28, vende como
no trapiche, caixas com ba-
tat s novas de Lisboa a otol
mil reis cada urna.
A ellas que estao se aca-
b ndo.
Pa travessa da roa
das Cruzes n, % pri-
meira andar, da-se di-
nhelro sobre penhores
de ouro, prata e brilhan- *
tesv seja qual for a qnan- 1
^ lia. Na mesma casa coa- |
pram-se os mesmos me-
| taes e pedras.
Cura rpida Infalilvel dos cal-
los, pela pomada
Galopean.
Deposito especial na pharmacia de Bartholomeu
4 C,
3iRoa larga do Rosario34
Roi -hnte-rheum>> tico.
Remedio efflcacissimo centra as dores rheuma-
ticas at hoje o mait conhecido pelos seus mara-
vilhosos resaltados.
Ama
PUOT9GRAI
{gra DO CAB6A*
A entrada pelo pateo da mttriz.
Os trabatnos da reediicaQaa desU phomi^aw
e que se prolongaran) por Unto temnav **,i^
felizmente terminados e ella abarla, a seros
publico desde 7 de abril pastado. .
0 predio em qoe est eollocad eata >**B9fr
phia acha-se muito angmeoudo, e s a parla to-
nada ao esubeleoimenlo conta cinco u|as, #"^,
sive as do laboratorio. Todoa os eooeertoe *' jg*.
montos tendo sido eitos expreisamenlo p- Z\
montar ccnvenientemenle a pholograpbia, J3L %0
podendo melhor modelo escolber do qoe ^
grafiia Imperial do Sr. Insley Pacber > d Bao 4
Janeiro, o primeiro patographo do r-*. mwmt*
primeiros do mando, segundos fJ^AjAmm -w
abalisados mestres, a nossa p^ ^2*--Kh *rh.sm
dlsposta e reedificada pelo r J5*mff ia 5 .
I. Pacheco, a qual foi Sor ,^{2!! ^ '
recommeodadas pelos r .^S^fiSE
de accordocom as J^J^^tjSSSZ
b S o iSL p60^-
.i'ir photograph. a toj mu(kd d(J8(]e % ^n d, p^ai ^
a*1 i **)ei*ta. tndo-se demeiido todas a* o-
re" .**Sriores para se faierem as bows sala*,
eainr>Bto.se um novo terraco envUfesoado
e9r\Ao etegaoto.
0 W*te i corte para examinarmos a melhore pbe-
tygraphixs all, e foi a do Sr. I. Facheee, a que
melhor corresponden aos nossos deseju t aspira-
edes, e da qual trouxemos os planos depuis 4o
alli estarmos todo um mea estufando e apro-
veilando ai lindes de lo dtstincto mestre. Pen-
samos que juntando os nossos estados o lotfa
pratica de 15 annos de pUtographia asBtifitn'aas
Iic8es ultiman ente recebidas do Sr. I. Pacnoco,
tendo montado a nossa plictographla oom* se
acha, podemos offerecer ao illuswad* pnbr.
desta cidade e aos nossos nun.eroses fresnoaae-
irabalhos de pbotographia lo psrfeitos croo a
poderi desejar, e disto convencidos, esporo*
que contluuem a dispensar-nos a mesma aro-
tecrao com qoe ha 15 annos nos tem nonrado -
ajudsdo.
O DR. JACINTHO SOARES tSBH.0/
ANTIGO MEDICO HOSaEORA-
THA,
tt reeentemente esubelccido nesta. cidade. |
JS mudou a sua residencia da praca do Con-
W de o'Eu n. 32 para a roa do Irrptrador
jQL n. 2o, e abri consultorio junio ao tesar*-
^ torio bomeopathico dos Srs. F. de P. Car-
^ doso Juni r & C. na mesma roa n. 41,
onde todos os dias dar consullas do aieio X;
%!> dia s 2 horas da tarde, reservando para flr
>& as visitas do:i.ciliares os intervallos, que jtL
K decorrtm das 9 horas da manhaa ao meio ^
dia e das 2 s 4 horas da Urde. A qnal-
quer hora attender a* cheroados, que Ibe
sejam dirigidos, quer casa, quer ao con-
sultorio.
CASA DA FOETNA
AOS 20:0003000
RA DE MAR(0 -V.- 2?.
O abaixo assignado avisa ao publico, qne cosa
quanto a nova loi do orcamento tivesse elevado
muito o imposto sobre os bilhetes de loteras do
Rio de Janeiro, continua a vende-los ern as for-
malidades da lei, e pelos aiesmss preges tacto
publicados, pagando todos os premios com o dis-
cooto somente da lei, e com a promptido do
turne.
PRECOS.
Bilhete inteiro... 24*000
Meios bilhetes... 1200f>
Quartos........ 600O-
Em quantidade maior de 100*000 oa rz da>
22*5000.
^^^^^^ Manoei Martins Raza.
Te Liverpool & Lon-
don & Globe Insu-
rance Company.
Gompanhia ingleza de seguros contia-fogo,
establecida em 1836.
Capital e fundos de reserva
Rs. 3G.N06:170.
Os agentes desta companhia tomam seguros so-
bre propriedades, gneros e fazendas armaK-nndas,
mobilias, etc., etc., e estao igualmente autorisados
a saldarem aqui quaesquer reclama$6es.
Sannders Brothers & C.,
Praca do Corpo Santo n. 11.
Na ra do Vigario o. 5, 3o andar, precisa-se
de urna ama para cosinhar, cujo servico faga com
perfeicao e que seja de boa conducta, t
ATTENCO
Na ra estreita do Rosario n. 35, 1 andar, casa
particular de familia, contigua-se a fornecer co-
medorias para fra pela tabella abaixo :
ALMOCO.
1 pr.ito de solido.
1 dito de farota.
2 pes, cha ou af.
Prego 20*000 mensaes
JANTAR.
3 pratos com carne.
Piro.
Arroz.
&'ipa.
Sobre-mesa.
Prego 30*000 mensaes.
Faz-se algnm abale, sendo para mais de urna
pessoa reunida.
AVISO
Anda esta para alugar-se a padaria allemaa da
ra do Lima, e tambem a casa de junto : a tratar
com o Sr. Maternos Leoz, ra da Guia n. 56.
Precisa se de urna ama para o -ervigo de
copeira : no hotel france, raa das Larangeiras
n. 10.
Precisa-sede urna ama que aiba bem cozi-
nhar, preferindose escrava : na raa do Sebo nu-
mero 29.
6, 70, 86, U e. 40*000
Tranca de abeilo para annel
$00 e....... 1,0000
franca para braceletes a 100,
!, 05, 2S .30^900
C6rte de cabetocom limpez da
cabeca pea machina elctri-
ca, nica em Pernambaco. .
pisado ingieza on franceza.
Barba. .....
.4001
tioot
30
381
HOTEL CENTRAL
anto Amaro dejaboato
O dono de-ie estabelecimento avisa aos,senhores
vujxntes, e asim aos senbore- que alli f >rem a
pa^seio, que nelle encontraro as commodidades
e alimentos desejsveis e por pregos modorados.
O borne commodo banho all se encontra, pois
que o rio passa a curiissima distancia pelos fun-
dos oa cafa.
ASSIGNATURAS MENSAES
; Aluga-se o 2" andar do sobrado D, 10 da na
do V|sconde de Pelota, cjnhecida pela ra do
ragao, com commodos para familia, e bastante
' : na loja do mesmo se dir quera alnga.

FE1T0R
Precisa-so para nm sitio iierto da cidade ntn
eitor que eaicnda perfeitameute da piantagao de
hurtalica e qne umbem saiba andar com .-irroga ;
paga se bem : na roa da Croz do Rec:fe n.'ii,
primeiro and.r_______________'
Alaga 'e a caa terrea o. ii da ra dos Pra-
zeres, fregu^zia da Boa-vista : a tratar no 3* an
lar d<> st.br.nlf> n. 36 da ra das Ouzes.
Aluga->
tar n
Sobrado
Son n. W
a tra-
i
M
a para
Especialidade de penteados para casamento
Bailes e soires
O dno do estabeleimento previne s i Recommenda-se a superior TINTURA JA
Sras. e aos cavalheir(* qoe ha umxmas. 13: PONEZA para enegrecer os cabellos e bar
Sopara tintara dos cabellos e barba, as- ba> anica admittida na Exposicaoniveria
como nlo prejudicial sade, pr ser ve
um come um empregado somente oecnpa- iati|t aasgada e approvada pelss acade
o nesse servico. mias de setencias de PARS E LONDRES
ALUGA-SE
Aluga-se o primeiro and>r do_sobrado da roa da Cadeia. do Recite a. 60.
muito fresco e cotn commodos para familia ou escriptorio. tornando-se recommeadavel
pela boa localidade, a traclar no armazem do mesmo.
SITIOS PARA SE AUJfiAl
Francisco Luiz dos Santos, D. Francisca There-
"* dantos, Manoel Luiz dns Santos, D. Pbila-
oeipha Francisca dos Santos, .ftjatoio Jezuino
Marques, fendos na mais extoo^a dw pelo passa-
mentode sua mui prezada eposa, mai e irmaa D.
.andida Francisca Marques do* Santos vera pelo
pre*eote agradecer cordialmente a twjas as pessoas
ae sua^miza-'e o especial obsequio que se digna-
ran de restar, assislindo os suffragios que se fez
por siualma e acompanhar e< restos mortaes ao
ceinitene publico; e de novo os convida para as-
sist.rem_amis8a de requiera que ha de ser cete
Draaa as 7 horas da manha do dia 9 do crreme,
L. ir'do Corpo Saoto Pe|o Qie desde j Ibes
presura soa eterna gratido.
cI?* devotos encarregados da tota d Nossa
wfiifr Gpneai^io da Eseada na reja dos
ttlllares, resolvern) festejar a sua excelsa pa-
iTllr ** 8 d0 WM> lo seguinte modo :
baadeira.
Joaquim Job Gonpal-
ves Bltro
Ra do Trap'cbe n, 17, 1 andar.
Sacca por todos es paquetes sobre o banco de
Minho, em Rraga, e sobre os seguintes lugares em
Portugal :
Lisboa.
Porto.
Va lenca.
r.uimarae?.
Coimbra.
Chaves.
Viseo.
Villa do Conde.
Arcos de Val de Vez.
Vianna do Castello.
Ponte do Lima.
Villa Real.
Villa-Nova do Famelicio.
Lamogo.
La nos.
Covilha.
Vascal (Vilpasso).
Mirandella.
Beja.
BarcellaK
o cirl'agiao mmm
Frederico Maya
Tem a bonra de scienlificar ao respeita-
vei publico em geral, e aos seus cliente
em particular que elle mudou o sea gabf
aetede consultas da ra Direila n. 12 par
a do Queimado n. 31 primeiro andar, con
a entrada pelo pateo de Pedro JI, onde po-
de ser procurado para oa misteres de su*
proflsso, todos os dias uteis d3s 9 han
da manha s 3 da tarde.
Tambem previne, que contina a prestar-
se a vontade dos clientes nao s na cidads
jomo nos seus suburbios, para onde *b
idas serio precedidas de ajuste. Elle ga-
rante o bom desempenbo e a perfeigo d*
seus trabalbos, o que j bem conhectcy
assim como as commodidades dos Dr$*
20;OC0400.
A casa Ieliz do aren da Conceicao venden &.
seus felizes bilhetes. os premios sfguinies -
M. 'o 2:000(00
N. 2966 10O400O
0.4436 1O*O
D Ihele a 2J000.
Precisa-se alugar um preto para servico V
padaria: na ra Direin n. 129.
Agencia eni Femambuco""
Do Dr. Ayer
Peitoral de Cereja
Cura a phthysica e todas as molestias do pea.
watsa parrilha
Cura ulceras e chagas antigs, impiteos dar-
Tos.
Tnico
Coeserva e limpa os cabello?.
r Puntas catbartica.
Attenclo
Precisa-se de um pouco de milheiros de lijlo de
ladrilbo para a matriz do Cabo : quem quizer con-
trata-lo dirija so villa do mesmo nome a en-
tender se com o respectivo parocho, levando a
mostra.
Coz-nhei'o,
Precisa-se de nm eozinheiro qne seja perfeito ;
t"tar rua < Mrquez de Olinda, armazem
Precisa-se alujar um
moleque d- 12 a 14
annos, para servico de easa : tratar na rua No-
va n. 36.
Por ter de partir para Europa fea proprietario : Um na Varzea no corredor
deS. Joo em lugar moKo bem situado, casa com commodo para artilia, sitio bastante
grande, com excelleote banbo logo no fundo do sitio : o otro na rua de S. Miguel nos
Affogados, muito perl- da estacSoda via-errea :asa oom commodo para familia sitio
murado, boa cacimba dona tanques, ora grande copiar ao lado da casa, estribara di-
n vmos arvoredos, dando fructo e bem assim eu-eliente capira constantemente para so>
ir ora a ;''3o de Londr
noote baver o ievantamento a
aa niadrogada do dia 8 havera rais-
!"*anu,DC'and0 dia da festividade diversas gi-
Li tlili*i"guetes As !1 "oras do dia fcavera
mi?ea cantada com toda a saenmidade possivel
l'ZII't^J0 evMel^ R Dadre Mello
i .ITh baBda,de msica do 1 bacalnS* de in-
fantam da goarda nacional tocar lindas e varia-
das pecas, a ooute havera ladainha, endo mce-
fi eeroo ,.d0, Evao^elho. Sen encerrado o
festejo com nm liado fog0 je vista.
Attenqo
iJa, ? Ld,Jrreats mez desappareo do si-
tio do sr. JaiallanoeJ da Veiga e Seixas, no Cal-
S^H"^'01"^ P*o: quera oacbar
KS 5?V "f68"0 .'Seia, ou na roa,
n- a, sera ifnerosameate gratificado
patente
americanos, os mais acetados e econmicos que se
podem desejar, com l ecMiomia superior a 0 0|0 dos usuaes : no arma-
zem de Tasso Irmos A d, no caes do Apollo.
Precisa se de um caixeiro de 14 a i7 aunes
que tenba algnma pratica d taberna e qued
fiador a sna conducta : no
ro .38.
teo do Ter$o miflie-
- Precr?a-e alranr nnia preta rtara o ssrvico
do Itosarl n. -38, J* andar.
r !*? "??*"." 1u'tasfeira3 um omndMis
para Santo Antan, devendo partir as 3 horas em
ponto da rua dPraia n. 41, e votando para e Re-
citoi na sexta-feira as meeroas horas; umbem
iev,\ndo der pessoas. Tambera veadem-se cavallos
par.-i cabnatet : a tratar na rua de Pedro Affonso
(aMea rua da Praw;, cem o Sr. Jos Pinto Tava-
res iamor.
- Na ft% da Matriz da Boa-vista1 n, 13, preci-
sa de un jire'o forro ou captivo para o servio
En a do Barao da
Victoria
(Ouur'ora rua Nava. )
O abaixo assignado -acaba de vender nos s*o
muito felizes bilhetes da lotera que se extrahio e
beneficio da Santa Casa da Misericordia (13S. as
sortes seguintes :
N. 410, bilhete inteiro, S.OOOiOOO ; dons qnar-
tcs de n. 86 com a sorto de 400*000 ; e o bilnti".
inteiro n. 2108 com 1005000, alem de ootros pe-
rnios menores ; podando os possuidres (vires re-
ceber, que promptamente serio pagos.
Aenim-se venda os felizes bilhetes garantido
era beneficio do collegio dos orphos.
PRECO:
Inteiros 6/000.
Meio 3000.
Quartos 1J300-
De teodOOO para orna.
Inteiros 5i00,
Meios 2*700.
Quartos 1*350.
Joao Joaquhn da Costa Leitev
ngenbo, engenho*
Aviso vantajoso para os senhores do tnjenfco..
N. B. Pratica,paciincia, e adiantamento ea ps-
eos tempos. Um estraogeiro com pratica ha mais
de dtz annos, da ter j ensinado em alguna eoge-
nhos desta provincia, se ofiferece a qualqntr se-
nhor de engenho para encinar nao s as priowi
letras antes de um annor como o franeet com per-
fecao e em poucos temos (ora anuo) : qaf k>
pretender dirija carta fechada com a sua rtsidao-
cia, na rua das Trincheiras n. 30, loja. tom as
iniciaes B. A. B^ ou na rua Diraiu n. tlfe Botica.
Deseja fe existe o portogeaK
Joaquim Domingues, ou oessoa d sua f.uni a.
tegocio de seu interesse : na rua.
das 6 as 10 horas da aauba.
[
s
i


I lirio d Periiambuco Quarta (eir 7 de Setembro de 1870.

AO ARMAZEM
VAPOR FRANCEZ
,HIfflH7
Este conhecido estabelecimento acha-se constantemente bem sortido, em virtode das
facturas que recebe por todos os vapores e navios francezes, dos artigos abaixo menciona-
dos, precos os mais resumidos que possivel.
CAIi^AUO FIt ASCEZ
Botinas para i. en hora e meninas.
Botinas pretas, brancas e de muitas outras cores, sortidas e bonitas, do ultimo gos-
lo da moda, e precos mais baratas do que em outras partes.
Botinas para homens e meninos.
Botinas de bizerrq, cordavao, lustro e pellica, das melhores fabricas e escolhidas.
Botas e pernelras t-usslanas.
Botas e peraeiras para mantaria, das melhores qualidades, de couro da Russia, lus-
tro e bizerro.
Sapatos de borracha para homens e senhoras
Tendo chegado grande porcao de sapatos de borracha vende-se pelo costo am de
desempatar o dinheiro nelles empregado, sao baratissimos.
Sapatos de lustro para homens.
Sapatos de entrada baixa de couro de lustro com salto, de muito boa qualidade.
Abotinados para meninos e meninas
Sapatos abotinados de differentes modelos, de muito boas qualidades e fortes, tanto
para meninos como para meninas, muito baratos.
Sapatos de tpete.
Sapatos de tapete aveludado, de casemira, de charlte e de tranca fran:ezes e por-
tuguezes para homens, para senioras e para meninos.
PERFUMARAS
Esceentes extractos, banbas, leos, agna de cologne, florida, divina* lavande, den-
trice, de toilette, sabenetes, tintura para cabellos, pomada aogroiss para bigodes, pos de
arroz etc., tudo isto de primeira qualidade, dos afamados fabricantes, Gocdray, Piver e Lubin.
Quinquilharias
Luvas de pellica do conhecido fabricante Jcnvin, espetaos para sallas, quartos e ga-
binetes, toucadorc- de diversos tamanbos, leqnes para seoboras e para menina?, abridores
da luvas, brincos, pulceiras, boioes, correntes e chaves de relogios e tranceln?, tud de
oaro de lei, correles e brincos de plaqu, a imitacao e de mais gosto do que as de ouro,
caixinhas de costura ricamente guarecidas e ornadas com lindas pescas do msica, albuns
e caixilhos dourados para retratos, caixinhas com vidro de augmento para distinclamente
ver-se a perfeicao dos retratos, objectos de phtratasia para toilettes, fcolsinhas e cesiinhas
de seda, de velludo e de vimes para braco de meninas 8 senhoras, ditas para costuras, pe-
queos registros muito finos e delicados, bouquets de flores de porcelana, jarro? proprios
para gabinetes e santuarios, qnadros promptns para enllocar-se vistas, molduras douradas
para quadros, estampas finas de paysagens, cidades, figuras e de santos, vidros para ees-
morama, malas, saceos e bolsas de viagens, esporas, chicotes, bengalas, oculos, lunetas on
pensinez de prata doorados, grvalas pretas e de rres, abotoaduras de collete e de punhos,
carteirinhas para notas, thtsourrar-as e caivetes finos, pentes, escovas, ponteiras de espuma
para charutos e para cigarros, jogos do domin, rodetes, bagatelas e outros differeutes, ve-
nezian.is modernas muito conveniente para portas e janellas, cosmoramas, lanternas mgi-
cas, esteriocopos com nteressaotes vistas de figuras c das mais bonitas ras, boulevards,
praijas e passeios de Paris, phntozraphias e caixinhas mgicas, reverberos para candieiros,
tapetes de vidrilho e de laa de cores para ps de lanternas, realejos grandes e pequeos,
harmnicos, acordions de todos os tamaitos, brreos de vimes para ciancas, sapatinhos e
toucas de lia, carrinhos de 3 e 4 rodas muito elegantes para conJutir crianzas passeio : e
outras muitas quinquilharias de pbantasia, francesas e allemaes precos muito em conta.
Para este artigo nao ha espaco nem tempo para a massante leitnra da inflnidade de
gneros de brinquedos fabricados em diversos paizes da Europa.
ATTENCAO
O dono deste estabelecimento pede ao publico em geral que continu a visita-lo
verificando as qualidades e os precos baratos de ditos objectos por serem vindos em di-
reitura e de conta propria.


O
0
o
ta
r

y.
2
S.iB
o o-
O P- CU
** &
S g S
CU O
13 P **
9 o
T3
-
P &
e*

MJCJW,

DE
Fotegnpbia imperial 1
calera de pintura
J. Ferretra ftllelq,
Desde o dia 7 de abril passado acha-se aberto c
iovo estabelecimento photographieo sito 4 rna de
2abug n. 18, esquinado pateo da matriz. Oslraba-
Ihoa que desde eotao, tem sabido de nossa oficina
tem geralmenie agri-dado, sendo reeebidos por
guns com admirad-So pelo extraordinari) pro
gresso que ltimamente tem lido a phof grapha
e pof outros cora alegra, por verern a provincia
dotada com um estabelecimento digno d ella, e in-
contestavelmente o primeiro que nesse gener
boje possue : tambera nSo nos poupamns em cousa
ilguma para monta-lo no p em que se acha, es-
perando que o publico de Pernambuco saber
preciar nossos esforc,os e recompensar nossos sa-
crificios.
Convidamos a todas aquellas pessoas, nacionaes
estrangeiras que gostam das artes, ou tiverem
oeeessidade de traba.'hos de photographia a visi-
taren! o nosso estabelecimento, que estar sempre
iberio e sua-disposicao todos os das desde as 7
horas da cnanbaa at as 6 da trde.
Para es trabalhos de pbotographia possuimos di
rersas machinas dos melhores autores francezes,
nglezes e allmeoics, como seiara : Lerebours et
Secretan, Hermagis, Thomaz Ross, Voigtlander el
Jonh eWulf. ltimamente recebemos tres novas
aachinasi sendo urna dellas propria para tomar
>obre o mesmo vidro i ou 8 imagens diversas t
.soladas, e outra de 6 a 12 imagens diversas e
gualmente soladas, de sorte que no caso de
grande concurrencia poderemos retratar sobre
ama nica chapa at 8 pessoas. diversas e sola-
das para carUm de visita, eassim em men-s de
am quarto de hora despacharmos 8 differenies
pessoas que pecam cada urna, umadnzia de cartees
nais ou menos, com os seos retratos smente, on
'rn grupo com outras.
Encarregamos-nos exclusivamente da irecto
i feiiura dos trabalhos de pbotographia dei-
cando a pericia e talentos do distincto pintor
illemao, o Sr.
Jorge A. Roth
5s trabalhos de pintura, a aquarela, a olee, e a
pastel.
O Sr. luth acha-se ligado a nossa empresa por
ama escriptura publica, e at o presente tero se
iesvellr.do na execucao de seus trabalhos.
No nosso estabelecimento achara-se expostos ou-
tros trabalhos imj>onantes do Sr. Roth, tanto em
aiiniaturas aquarella como oleo, re;ratos
leo, ouadros sacros e diversos outros trabalhos.
Tomamos encommeudas de retratos oleo at o
:amnho natural, assim como de quadros sacros
para ornamentatao de igrejas ou capellas. Tam-
Sem aceitamos enconimendas de quadros histori-
aos.
Asseguramos que os preces dos diversos tra-
balhos da nossa casa sao mu rasoaveis.
CARTOES DE VISITA NAO COLORIDOS A 10^00 A
DUZIA
i^rtes de visita com o colordo ao natc-
ralAIG^OOOadlzi.v
Retrates era miniatura oleo ou aquarella de
16 205000 cada um, indo convenientemente en-
saixilhado em moldura dourada e regulando o
busto da nessoa retratada de 3 4 pollegadas e
lodo o quaJro palmo e meio de tamanho
Julgamos que bsstarao os precos cima para
larmos idea da baratesa dos trabalhos do nosso
jstablecimento, quanlo sua perfeicao cada um
venha julgar por seus proprios olhos.
As melhores horas para se tirarem retratos^ no
aosso estabelecimento sao das 8 horas da raanhaa
1 da tarde; entretanto de urna hora s 5 da tarde
jm casos especiaes pde-se tambera retratar qual-
juer pessoa.
Nos dias de chuva, ou por tempo sombro po-
jemos retratar, e asseguramos que esses dias sao
)s mais favoraveis aos trabalhos de photographia
pela docura e persistencia da luz, e p< r termos o
aosso te'rracD construido cora taes proporedes e
nelhoramentos, que anda chovendo ,orros ne-
ahura Inconveniente ba para fazer-se bellos re-
tratos.
/. F rreira Vlela.
1U
' LMERESSAME COHPOSldO LITTERUtlI.
COMI-ND :
A noite do xtasis.
O sorriso. ,
A noite do assombro.
A lacrima
A noute do delirio.
O n.ysteno.
I", ni urna carta critica dirigida ao autor pelo
Dr. T. B. Rigueira Cosa.
i volume b ichado 2>0l)0.
AS CENTELHAS
Poesas patriticas st bre a guerra Jo Paraguay.
1 volme broch.-do 2O0O
NA
_________LIVRARIA FRANCEZA ___.
INDISPENSaVEI PARA O COMMERCiO E F-
ZENDAS.'
Tabella comparativa dos presos de qi.al |uer fa-
zenda.
Pr!-i metro nos precos pelo cevado d>-- 10 ris
at i^iTo.
Pel^ (ovado nos precos pelo metro desde "Oris
at 3**75.
fulha ntidamente impressa 2JI.
LivrMia fn.nceza.
II?
-----rj---------
Ama
Precisa-se de ama ama torra on escrav
casa de famila : tratar na rna do Duque de
Caxias n. 69, >ntigi 4o Qoeimad
Cope ro.
No collegio da' Cenceicio precisa-se de um aria-
do copelr.
ecialidades.
Precisa-se de um escravo ou escrava, que
entenda de cozinha e que sirva para todo o serv<-
co interno e externo de nina casa : na rna da
Saudade n. 35.
Precisa-se familia f na rna Direita n. 38.__________________
Ooziiiheir.i
^ Para casa de familia precisa-se de urna cozi*
nheira forra ou captiva : a tratar no 2* andar da
ra da Cadeia do Recite n. 18.__________________
Perdeu se urna pulseira de mosaico, do flm
da ra du Mrquez -de Ollnda at o principio da
ra da Imperatriz; se alguem achou-a e qnixer
restilui-la sea dono, tenha a bondade de dirl-
gir-se a rna do Mrquez de Olinda n. 64, que ser
recompensado.
Ao publico
Antonio Jos de Carvalho faz sciente ao respei-
tivel publico, especialmente ao corno do commer-
cio que julga nada deve nesta praca nem fra
della, porm se alguem julgar-se credor, apresen-
tese no praso de tres dias, a contar de hoje 6 do
corrente, na ra da Bica n. 1, e depois desta data
nao se attender reclamacao alguma. Olinda 5
de setembro de 1870.
i
A o comraercio.
Temos honra de participar ao respeitavel com-
mercie desta praca, que o Sr. G. Riedtmann deixa
desde hoie de ser caixelro da firma H. Oettli & C.
Recife 6 de setembro de 1870.
Convite
Tendo a mesa regedora da irmandade do Senhor
Bom Jezus das Dores em S. Goncalo, de mandar
celebrar no dia 9 do corrente, pelas 7 horas da
manhaa, missas e memento pelo repouso eterno de
sua sempre lembrada irmaa D. Argemira de Me
nezes Ferreira, fallecida em Paris no di 8 de
agosto provimo passado, esposa do sea charissimo
irraao ben.feitor Antonio da Suva Ferreira Jnior,
convida aos prenles e amigos da finada e de seu
inconsolavel consorte assistirem as referidas exe-
quias.
0 escrivSo,
Liberato Merenciano de Sonza.
Ama
Precsa-se de urna ama que saiba eoziohsr
ra do Duque de Caxias, cutr'ora do Queimado,
n. 46, loja. _________
na
Ama
Precisa-se de urna ama que saiba coznhar : na
ru do Codorniz n. 8.__________________________
ATTNCO
Comprara se Diarios a 180 rs. a libra : na fa
brica de cigarros de Joao Goncalves Hespanhol,
ra larga di Rosario n. 8. __________^^___
O abaixo assignado participa ao respeitavel
publico que se acha de novo aborta a. loja de mar-
more na ra da Imperatriz, e pede aos senhores
que tenhara feito encoinmendas de se entender na
mesma lija, ou na rna da Cadeia do Recife n. 2,
assira c n*o se manda preparar qualquer obra re-
lativa ao estabelecimento, como sejam : degros,
soleiras, peitoris, pedias para sepulturas cora es
competentes d-ticos, raauzulos, etc., etc.
OtIerece-e urna mullier para ama de casa
de pouca famila, preferindo--e para tratar de me-
ninos : a tratar na ra das Trincheiras n. 43, fa-
brica de cigarros.
CoBUinmm .. arl
botica n. 88.
misdios'da veame,
ferro de i;
^a nn Direila
dos e
diversos medicamen-
turete de
i, peitoral
de eereia, pos de R' do r.h.-.ble,
digital de Labeltony, pilulas ou confe (03 de bis-
mniba de Chevrier, e outros mediainieni<
proflciencia quando empregados as dixi"
vias respiratorias, as dores rnemnatiras, na
aroarellidao, na falla eompleta ou irregulandade
de menstrno, as dtarrWas, doen;a< co corafo
e do estomago, tem sido e incontestavcl, em
vibta dos benficos resultados das experimenuroes
na aso qae diversas pessoas delles teera feito,' as-
sim como das Diluas denominada* bravnas in-
comparaveis em sua efficacia nos acommeuimen-
to fbris ou sezoes; existindo tarohem na mesm3
casa, alm de sufflcienle qnantidade de drogas,
um nao pequeo sortimento de limas, oleo de li-
bala e pincis, que se veodein por menos do que
em outra parte._____________________________
AGORA SM.
No Bazar da Moda
RA DO BARO DA VICTORIA
(Ontr'ora Nova}
VENDE SE
Lindas fazendas para venidos.
Da alta moda de Paris t
Do superior qaaudfdo I
De bellissimos padiSes !
De dclicadissimas cOres!
A saber :
Gases florentinas, nevidade !
Ponpelioas lavradas.
Grosdenaples de cores e preto. ,
Setim macau de cores.
Cortes para vestidos de grande novidade!
Cassas do ultimo gosto.
Fastdes de rres.
Percaleas de melhor qualidade.
Berejes com lislras.
Lazmhas de diversos proc/i?.
Alpacas de cores lavradas e lisa*.
Chitas escura mulo superiores.
Fil de seda branca e preto, liso 3 com silpico?.
Dito de alcsd.o..
Guipuz de linho e algodao pros e branco.
E muitas outras fazendas, como sojam :
Atoalhados para mesa e gunrdanapcs.
Toa Ibas para rosto, colxas e cobertores para
cama.
Brelanbas, madapoloes francezes, etc. etc.
Tudo se vende muito barato.
Joaquim Rodrigues la-
varos de Mello,
TEM PARA VENDER
em seu escriptoiio, praca doCorpo Santo
n. 17 :
Fumo em folh.i
de Ia e 2* qualidade, e vende um cu mais
fardos a vontade dos compradores.
Cal de Lisboa
ultima chegada.
Potassa da Russia.
Parlaba de ttiandioea.
Vinho Bordeaux.
de 1' qualidade. Tudo de vende mais
barato do que era outra qnalquer parte.
0

$

Eival sem segundo
RA Dl'ai'KDECAII.w W. 49
(Antiga roa do Qieimade)
muito barato a s;-
as de areia preta
uras finas para tirillas e costu-
ra a.....
Papis de agulhas francozas a ba-
13o a.........
Caixas com seis sabonetes de I rula
Libras de la para bordar as cores a .......6T0OO
> bom e
120
500
60
16000
100
508
300
SITIO
Precisa-se alugar um sitio perlo da praca, que
tenha boa casa para iamilia, as proximidades
Jas estrada do Apipocos ou de Olinda : a tratar
na ra da Cadeia do Recife o. 21, lija.
AMA
Precisase de urna ama para o servlco de urna
casa de pouca familia : na ra da Cadeia n. I.
loja de miuJezas
COMPRAS.
0 muzeo de joias
Na rna do Cabug n. \ corapra-se ouro, pra'.a
i pedras preciosas por precos mais vantajosos o
a ostra qjalquer parte._______________^_
Lom muio maior vamagem compram-se
ouro, prata e pedras preciosas e u obras rabas: na
loja de joias do Co -acao de Curo n. 2 O, ra do
Cabug._________________^___
Compra-se urna liberna que tenha ooucos
fundo : a tratar no pateo de S. Pedro n. 17.
Compra ,-e una carroca do vender agna :
em Santo Amaro, no sobrado junto Jo cemiterio
Novo hotel Flor da Bo -MSta, ra da Ma-
triz da Boa-\ista n. 8.
E.>te nov.i e vel publico grande vantagem no seu fornecimenu
de comedona para fura .com promptiJao c asseio,
por menos pre^o do que em ontra qualquer parte,
assim como nos domingo? e dias santos '.era sem-
ir nfiu da vacea e ouiras igaarias, ludo com
piompiido e esmero : assim, poi'>, o proprietario
espera do re-peiiavel publico toda proieecao e
acolhmenlo do mesmo.
Aluga se o segundo andar do sobrado
n. '16 ra da Aurora : auem o preten
der, dirija sa ra Foruxisa n. 6
= Precisase de um eaixetM r|ue tenha prtict
de molhados, preferindose portuguez, de li a20
annos de idsde, para nm estabelecimento na vi.la
do Porto Calvo : a tratar na ra de Domingues
Jote Martin n. 8^______________________
Precisa se de um caixeiro de ti a 16 airaos,
ou mesmo de urna pessi a que queira entrar de
sociedade, enirando com algum capital, e tambera
ie vend- : a tratar na ra Imperial n. 47.
Alug.vse o segundo audar da ra Sova n.
: a tratar na mesma.
Nova loja de joias
RA DO ^BUGA" N.9 A.
DE
Manoel da Ounha Saldanha & C.
Acaba de abri-se este estibe lee meato de jiias, o quai. tem sirande snrt:-
to de todas asjoius -le ultimo gosto, as qras V6ier o mais barato pos-
Todas as joias sefo xaraifidas ouro de lei, pois r, seus dooos lendo em
o adquirir fregutzia n5o orVidario, vender bom e> pftr prei;>s os mais
razoaveis possiveis.
ivida-se o publico a \r a este esabeleimnto^ oexto deque ficar
DE OBO KA DO CABIC* .N. 5* A
Ufferece-se una senhura c.unpeti-iiiemcn;
habilitada para eosinar era algum ngeoho pri
ineiras letras, grammaiica nacional, analyse da
mesma, msica e piano : na ra de Santa Isabel
aamero -i.
A fuga
se
urna escrava, a q.ial cozinba, e engoirma cim per-
feica : a tratar na rna da Alcjjrra n. 46.
Caixeiro
Pretfsa-se de ura menino com pratija Je taber-
na : ra das Calcadas o. 2.
Pede-se
ao Sr. D. Marcos Cassali, director t,i circo, no pa,
vilhao de ama Isabel, paca que leve a scena na
sua Suocqio de domingo I i do corrente, o salto da
bataifca pelo syrapaihico .^4abo, e qne tamben)
leve a pantomima intitulaJi termal ponto da
meia norte.
AlgoBs esneetadores.
pwici-a-se artigar urna ra>a cmn bens cmn-
modoe e .io .irboti"*lo, na entrad* de Joao de
Barros, .Jfiliclo*,, fioaarraho, .ou Arraa I : tratar
na rna da Caeawio ffprte, armamn n. I.
Aluga-se una casa na povoaco de Apipn-
cos Dar pepena familia, ou rapa?
tratar eonj o Sr. Ramo?B m egtaeao.
VENDAS.
__Vende-se a casa terrea n. 11, -ita m Olinda,
ra do Urgo do Amparo, com escellente? com-
modos e grande quinta!, solo proprio : a tratar nc
Recife. roa da t adeia n. 40
CONVITE
O Costa da ru Duque ne Caxias u. 42,
toma pelo presente a lioerdade de convidar
aos amigos e freguzes que sempre o hon-
raram e ccnliituam a faze-iocom concur-
so da sua fnguezia, virem visitar o sen
estabelecimento, certo de que no deixarao
de ag'radar-se, nao s de s us gneros.
como d'> tratamento e limpeza que a todos
despensa.
GNEROS DE IMPORTACAO
Uvas ne Setutubal
Ameixas.
Peras.
MacSas.
Vinh'- do Porto de diversas' qualidades
entre ellas a especial qualidadeloria do
Brasildito em pipas e barris, que re-
eommendavel nara mesa por s-ry deirorinho de pasto, dito verde da me-
por qualidade,
Oui'ijos flamengos empelHcado o merbor
que tm \iado a este mercado.
Erviihs novas p.-ra sopa.
Chocolate do especial qualidade.
Bol-chindas de todas as marcas e ui-
li-lades conhecidas.
Mantega ingle/.a e franceza de i-1 s.rte.
QENEHOS DE EXPORTA;AO
Doce degoiab'4 em latas
Quijos de Alinas muito frescos.
Carne do sert3o superior.
Queijoj do setto.
Offlcina de alfaiate
LOJA FLOR
NA
DA
DE
BOA-VISTA
m
dais
tro.
ei
o
Paulo F. de M. Granles.
Nesta i fficna se mandsm fazer roupas fetas por
idida, tend um completo sortimento Je faxen-
proprias mesma, assim como un perito mes-
Garaut3-se ser piejos mais em roma do que
outra qualquer parte : r.a ra d3 Imperatriz
48 junto a pad.iri.i r>iM"*J.
Fechiiichas novas
NA
Lnj Flor da Boa PiitH
DE
Panlo F. Laas para vestido, Lzeudas todas novas, eov
do 200 a oiW) rs.
Cambraias de cores francer.is p: ra acabar, co-
vado 200 a -O rs.
Chitas escuras e duras cores lixas, revado 3*0
a 380 rs.
Lia Armna,fa enda njva, coado CQfl a tf
Br .n pardo tranrado, toa faienda. .
a 300 r.
Peca le algndUo e madapolao. cimbran ir.-.'i--
parentes e victorias, pri h ra : ni
ra da ImperalriZ n. 48. junto a na i
Carriteis de litha Alf xandre a. .
Frascos com azeite para narhiiis
Sravatas de cores muito linas f .
Grozas de boioes madepersla -
nissimos a ........ 500
Novello de linha de 400 jardas a. 60
Caixas com 100 envelopes muito
superiores a...... C00
Pentes volteados para meninas a. 40
Tinteiros com Inla preta a80rs.>e 100
Pe?as de fita elstica muito fina a 200
L^ta com superior banha a IDO 200
Frascos de oleo Pbilocomo murto
fino a. ........ 500
Frascos de macaca perola a. 940
Frascos de exlracto mnito b nifos a r00
Duzia de sabonetes mnito finos a. 740
Sabonetes inglezes a 600 rs. -o. I'5200
Frasco com agua de colonia Pivcr a 500
Dito de oleo babfza a..... 500
Caixas de lamparillas a. 40
Sabonetes a forma menino milito
superiores a....... 210
t.arlilhas da doctrina fazenda nova a 400
Libras de linha sortidas de todos i>s
nomeros a....... 1(5800
Capachos muito bonitos e grnndes a TOO
Carriteis de rctroz preto, com i
oitavas a.'....... 640
Agulheiros de osso enfeibdos s. 240
Libra de linha ftanceza superior
qualidade i. r..... 2400
Caixas de oa'ito do gaz a. 20
i. ii tmm '-
A ra to Duque Je Caxi- s n 21.
(ANTIGA RA DO QUEIMADO)
Receben soeninte :
Bspelhos grandes di lirados. RK.Mi-stn-.nito?.
Carttrras, charuteiras e port-cigarros de muita
qualidades.
Bonitas pastas para papis, simples e matisadas
- Boas caixas va.-ias para costura con sua compe-
tente chave.'
Delicadas canelas de marfim com o bocal de
prata.
M'-demos pentes de tariarnga, sJuesahindo en-
tre elles os mimosos tclegraphisir.s.
Commodos toucad. rea cni iluas gavetas e bon
espelho.
Port b-mqiiei, o que de melb.r tem appare-
ddo.
PoM relogios demuitrs qaalidadis.
Bons lalheies para enancas.
Vosluario?, chapozinhos,*touea?, sapatos e meias
para baptisados.
Toalhas e fronhas de lahyrinlho.
rjbapos e chapelinaspara senho:a, moldes nove*
e benitos.
Cli.ip'-ozinhos gorres c b'^nets pira meninos
meninas.
OuDtr as convulsas ras
Vende-se o> crrseir s eoMro na Non E
ranea, na do Duque de C*xis O. 21.
'AHA TiNf.IH CABE1A08
pura pretor ou {AManhus, rceebeB : Nova V.
ranea a verUrdcira tinta Injiera.
PARA ACABAS COM A*S SARIrAS
on pannos, tem a Nova lspcrai'-a o vn\l:,d"::-
[cite de rosas branrw.
A6DA DE FLOR DELARANJA.
Tende-se na Sova Espernca, ra .i'. Ducjue de
Caxias n. Si. .
PAPEl PARA ENFEITAR-FB TOLOS
r.ic. beu-ns n uito lindos a N' va i>:n'r;nca, ra
do Diinue de Caxb> n. 21.
PARA AMACIAR E AFORMOSEAR A PELt
lera a Nova Ecperanca 'S Mboatetea de pos de
arr-.
i:.'.(\Tcnj epn?'rjc \%
'& -n cu>|.i;\ cnoej'}[ op ani : \o.\ .us
SB PU'I ,'U .1 S.ii.i.|< 'U-: <"l'| ". l'J JUI !j
I:;]'.) C pdAl.t.'.J i-::f --dil

3I13
1
Cal pova le Lisboa.
Cbepada rccen'e;nente no v;ipor Gl
para vend r Jcijuim Jo> Gonijalve Belrio, no
seu escriptorio, 4 ra do C-mmercio n. 17.
NOVA PAL) RA AMERICANA-
Risa dos Pire n. 5
Continua a fizer pao e Bolaxa de farinha espe-
cial de primeira si re, para mellior agr lar ao>
seus freguez- S.
Nao de xem (ie 1er
No Rosanoho n. I8: vendem-se tres vadeas pa
ridaspor prego r;/i;\\vl, das 6 as 'J horas da nMt-
nhaa e das 4 da '.ardo em dlantf:
Edward Fenton, na ra doCommerco, armazem
n. i), tem para vender presuntos, toucinho em
manas, conservas, quedos londrinos e beoots
linos._________________________________
L4GEOOS FARA CALCADAS.
Vendem Juio do Apollo n. 4.
VINHO DO PORTO.
Vinhn do Porto tino, d? diversas mar:
para vender Lia do Uepo Lima & Flh", no
esfytorfo ra do Apello n. 4
Liquida^o.
Vende se por l >lo proco para a b ir a*
das existentes na loja de Nafeuc na ra do
Barao da Victoria n. 2 (ontr'ora ." ..).
luz s^coa;


Ll
-. I "I lU -.'->!) SISOB
o j.1' i l |3avpuaaiiiu>.i' i > .i "ii-'jp
os- ipui : i '.-, i :-v iqad
. .i laing sajue^! -i- iipjil
l.iud '-o;ir,'i| -g op M|d l .1
uiitt wowiai .>p en'fflt ttii vi'U n a
SOdpHU -O i> -: '. '..! i:: I i: ." .' p o;iId.]?
; ; i' i .' 'J p 0
w. '.\ vr.itm'j'ia vil h-, ;i\ j oa \ -Rl
upiMiiop urTi&&fq 0
Para cigarros
Excel lente pap-l de linho innilo proprio par*
agarros : no armazem de fasse Irmaos & <'.., na
do A-uoiim n. '7.
A It-j. de Antones Guimarae 4 C,
de Villar, na ra Primeiro de Marco, ,;iijt'a de
Crespn. 1", i caara do rewiber pelo ultimo
: r de c !.! palh-i o do bteflde, e Rndu turros de
ellndo c cha|i-us do palha ricamente en
la nl'inia w vldade une se usa tm Pars a sile
aptas ine se aftbeni !
lichas hamburgnezas
Neste novo deposito recete-se por ledos os.pa
uetes irauboticM bichas de qualidade -n."rior
e vendem Se em caixs on porcao na
e nuis baratq do que era outra qualquer parte :
i a ra da Cadeia do Recife n. Si, l* andar.
!
Branca e de cores de 4. 3 e 6 palmos de largu-
i ; vende-se de urna peca para cima, tend oda
n: i i* jardas fnn armazem de,Ta--j Ir:.
.. 00 caes d>i Apolle.
Aitenpao
Vjmle-se a fabrica de cigarros, n* rea Direila
r|- 98, propria paranua'iuer negocio : a tratar na
mesma. ___________________________
i Cil do Lisboa
a 33000
-i na rin da Cruz n. 8, 1" andnr._____
"JTARIA DE USW
Soleiras, I e espitis : i
aimazern da travcs?a do Corpo Sauto n. -2i.
lo Bazar da Moda
RCA DO BARO D.N VTCTORLi .
(Ootr'ori N' v )
Artigos de alta moda em Paria rbegados pc-l
ultimo paquete vfndo 'n Enrr^pa.
Cara senlMras.
Cbapellnas de pama de Italia com ricos e ele-
g.-nies enfeites a ultima inwla.
Vaos de cores e pretos para montaras e i --
seios.
Grinaldas e capellas de flores de larangi..
para uoiv.is.
CornkibOi de cambnii bjUameuta eufeitados.
Eiifeiles mnito lin.kis ; ara \ I
3air.s brancas bordadas e de cores.
Carhins de laa de nonas cores.
Sinios de diversas ^validades.
Sal) das-de baile o qne ha de me h r.
. (.Vinh- s de renda rhMUly pn
Ol.-.; .',. inhos de setioi o: r -ol.
BaliMs de cores e branc >- para senhoras o me-
ninas,
l.j itinhas, crparii' meia.,
i te. rtc.
Pnrn hornero.
i- grvalas do ulumo g
i/leiinliis de linho bordaJ-is e N
Ser. iiUs 'e lioh'i. ,
0 ini-as de :mia.
Mi ias le superior qnalidade.
.ene .e inhn o alg dao.
Obayns ile s-d rom cabo de marfim, nglezes.
Para menino-'.
Coslurrcs orienUes de fnsto de cores multo
itfedados.
inri .lo diversas qn -rn b plisa
CU-"! i:'-
Sapatinhos de setim, merino e laa.
T iicas de todas as quali le.
Vende-se tudo por baratos pre
Agna de Vicfty
Vende-se nua de V
Cal n * A 5^'iOO o I
Na ra io Jririu n. 8t'.
H'tUl
ntra quatquir
wa

-*
Ufi
**E*&';3E



GRANDE
BAZAR DO PAYAO
60-RA DA IMPEMTRIZ-60
DE
SILVA, F1G U EIR E D 0 & .
Neste imprtante estabelechaento encontrar o respeitavel publico, am grandee variado sortimentode fazeonUs domis
aparado gosto e todas de primeira necssidade,.qoe se vendem mais baratas da que em oalra quaiquer part, viato queoen--
tos socios desta firma, adoptaran o systema de so veoderem DINBEttO ; para poderMn-veader- peto rosto, limitando-w apenas
a ganbarem o descont ; as pessoas qoe negociam etn peqBena eseate neslv loja e armazn poderlo fazer os seos srtHtwntos
pelos mesmos presos qoe compram as casas inglezas, (importadoras) a. par maioT commodidade ua Broas, familias ^e dar5o
amostras de todas as fareedas, oa Ibes lewm em suas casas para escelbefera.
PECHNCHA EM CASEMIRAS A 44000. CORTES DE LAA ESCOCEZES A 65000
No Bazar do Pavao fes-ae nma grande
compra em um leilao, das mais finas
casemiras, inglezas qne tem vindo a es-
te mercado, tendo cores claras e escaras,
todas con padrees serios, Droprios para
calcas, palitos e colletes; vende-se a 4000
o covado, o qoe em outn qnalqoer parte
nSo se vende por menos de65; grande
rantagem.
BRINS DE LINHO DE COR A 1*200
No Bazar dn Pavao, fez-se orna grande
compra de paros brins de linbo, muito en-
corpados, proprios para calcas, palitos, col-
letes e roupas para meninos, por serem de
padroes miudinbes; garante-se qoe nao ba
barreHa qoe lbe tire a cor, e vende-se a
i (J200 o metro desta excellente fazenda.
MADAPOLO FINO A 60400 A PEQA.
No Bazar do Pavao veodem-se pegas de
ma tdapolSo fino de muko boa qoalidade,
tendo 22 metros oa 20 raras cada peca,
pelo barato preco de 60000, por se terem
comprado om poaco enxovalbadas; pe-
chincha.
CHITAS ADAMASCADAS A 240 RS. O
COVADO
O Bazar do Pavao vende omito boas chi-
tas inglezas incarnadas adamacradas, pro-
prias para cobertas e cortinas, sendo fazen
da que em qaalqoer loja se vende a 320 rs.
e liquida-se a 240 rs. o covado; s o Pa-
vao.
TOALHAS A 70500
No Bazar do Pava fez se urna grande
compra de toalbas alcocooadas, proprias
para rosto, bastante encorpadas e grandes,
qne sempre se venderam a}il23000, e li-
qaidam-se a 7 500 a duzia'.ou a 640 rs.
cada urna, boa pecbincba.^
CHAPEOS PARA MENINOS A 20000
O Pavao vende urna grande porfo dos
mais bonitos chaposinhos de palba da Ita-
lia proprios para meninos de todas as Ida-
des, sendo cbapos que valem 50000 e ven-
dem-se a 25000 cada um, muito barato.
CHITAS E RISCADINHOS MiUDINHOS
Vende se bonitos cortes de 13a escocezas,
vindo cada om em seo papel, pelo barato
prego de 60000 cada om; no Bazar do Pa-
vao.
ORGANDYS BRANCO E DE COR
camisas de eranellas a wr>oo.
No Batar do Pavao veode-w ora- bonito
sortimento ccm todos as tamanhos das- me-
lbores camisas, de flaoella de Ua, com
mangas Unto proprias, pan ba na cerno
para sen horas e vende-so a 30000 cada

\ BRACO, DE OURO,
Ruado Imperador n. 26
O respeitavel publico encontrar nest
estabekcimento diariamente um-compiett
sorthnento de-pastelaria, bollos ingtoao
podins, pds-det. prgsentos dos ultimo
cbegados ao mercado, salame de lion, bo
linboo fiaos de todas as qoalidade para coi
amenioas confekadas, confoitos, bomboins
pastilhas, chocolate fraocez em libras, pai
tilhas do mesmo .cartoxos e cartejras coa
sais charutos do chocolate cada orna, esU
sortimenlo do irwcoiate do mais acredita-
do fabricante de Paris e o melbor que at<
boje tem.vindo ao mercado.
Vinhos-portuguezes, figueira muito sopo
rtor. Os mais genoinos o soperiores vinhos
do Porto, moscatel e Setobal, o Ilustrad*
publico encontrar oeste estabeleciment*
porcoQunodos precos, fazendo-se abatimeo
to a qoem comprar em poroBo.
Os donos deste estabelecimecto nao n
tem poupade a despezas para melbor me-
reeerem a acoadjava?ao do Ilustrado ae-
Mico.____
No Bazar do Pavao vende-se os mais urna, e qnem comprsr de meia dnzia para
bonitos e muito finos organdys com listas cima ter om abatimeoto, S3o de muita
largas e miudas 10000 a var, ditas lisas, utilidade.
fazenda de muita pbantasia 800 rs. a vara, Grato peobiacba camisa inglatas a 4e4&>00
ditos d cores, finissimos padroes, ioteira- No Bazar ooPaviofez-se urna grande om-
nente novos 80;) rs. vara; pecbtncba. pra'em lei'ao, de dois>imas camisas ingle-
GROSDENAPLES PRETOS zas com peito o ponhea de limo, sendo
Chegou para o Bazar do Pavao um grao- com coltanuhos e de todos os nmeros a
de sortimento dos melhores grosdenapes 40000 cada urna, ditas sem collaritihos,
pretos que tjm vindo ao mercado, qoe se porm faze da Uni'siraa a 40500; gran-
veodem de 10600 at 55000 o covado ; de pecbincba.
sao todoa muito em coota. CAM ISAS BARATAS a 20800.3 #0C0 e 20600
CAMBRAIAS TRANPARNTES No Bazar do Pavo vende-se ama gran-
No Bazar do Pavlo ven ie-se- om grande de porcso de casemiras mescladas, muito
sortimento das melhores cambraias brancas encorpadas a 20800, ditas finsimas com
transparentes, tem de 30500 at iPOOO msela de seda a 30200, ditas modernas
i aQMO A6UIA BRRNCA, mais precisa scienficar el publico
ift *$** a Sna boa *"* da immensidade de objectos que oltima
10 wm receomo, jostamente?qaando olla menos o pode fazer porque essa falta i
ontana ella confia e espera na benevolencia de todo* qu< ttenderao e releva
coatmoando portante a dirigirem-se a bem conhecMa kja da AGUIA BRANCA a roa
de superioridade el
(realidades modtc.dade em precos e o seoaoaca desmenttido AGRADO E SINCERIDAD*
t o que acuna tica dito se conheco qoe o tempo de qne a AGUIA BRANC V^H
fflspOi-, empregado apezar de seus costos no desempeuho de bem servir a aquellos (tom
benram procurando prover-se em dita loja do que necessitam, entretanto sem enon*
rar os objectos qoe por soa natoreza sSo mais conhecidos ali, ella resomidamente ioX
can aquellos coja importancia, elegancia e ovidado os tornara rocommendattis coa
bem seja :
Corpinhos de cambra, primorosamente
eaeitados com fitas de sea e obras ossas
peca, ditas snissas nissi.ias com 8 pal-
mos de largura a 20000. 20500 e 30OUO
vara, ditas victorias e tapadas da mais infe-
rior at a mais fina que vea ao mercado;
todo isto se vende moito em coma.
MANTELLETES DE FIL
N) Bazar do Pav5o vende-se modernissi-
mos maotelletes ou basquinas de fil preto,
om lago, pelo barato preco de 100000 ca-
da om, barato.
PANNOS PARA SAIAS A 10000, 10280 E
10600 O METRO
No Bazar do Pavao vende-se bonita fazen-
da branca tncorpada para saias, sendo com
babados e pregas de om lado; dando a lar-
gura da fazenda o comprimento da sata, a
qual se pode fazer com 3 ou 3 l|2 metros,
e oende-se 10000 e 108O e 1600; asso
como tamben no mesmo est;bellecimento
se vende bonitas saias brancas bordadas ten-
do 4 palmos cada nma, ditas de Isa de
cores j promptas urnas cotn barras diffe-
rentes, da mesma fazenda 40*VX) e nutras
com barras bordadas 60OO3 e 70000,
tudo isto moderno e barato.
200 RS.
O Pavao vende chitas ou ri-cadinhos miu- ALGODO ENFESTADO PARA LENQOES.
diDhos cor de rosa e txinbos, proprios No Bazar do Pavlo vend-se o mtlhor al-
para vestidos e roopas de creaoQas a 200 god3o rs. o covado. Slo mni'o baratos. 'ces, tendo liso e eotrancado por preco
LXASINHAS COM PALMAS DE SEDA muito barato.
Chegou para o Pv3,. o mais bello sorti i ESPARTILHO.
m-'uto das mais brilb:.ntes ISasinhas claras Kn d-- a~ n..* -.Kr... m^n,
com bonitas palminhas. de seda; tendo lar- fA ^nf 1,; Irt Z ? Sn
gun do chita francesa e vende-se a 10OUO te sorl'ffifD; ds mais mod-rnos e melho-
l covado rande pecbincba. 2,partllh08; ^ se yedem Por Pre?0
rnZrafmaisn^dla'Tb^ PARA CADEIRAS
,i,? Lfc,5!. ,m Zi ?Ji O ^z^ do Pavao recebeu om grande
propnas para vestidos de senborat di me- para cadeiras de balanco cofas.
niDas pelo barado preco de 640 rs. o cova-
do ; slo muito "ni conta.
PARA NOIVADOS CORTINADOS, COLCHAS.
piaaos, t'mboretes e at proprios para cu-
brir alm fulas e pratos; vendendo-se por
meos do que em qualquer Darte.
Chegou para o Bazar do Povao um gran- Lisinhas tranrparenies 300 rs. o covad
O *avlo rscebao um bonito sortiuioto
das mais elegantes lasinbas transparentes
de sortimento dos mais bonitos cortinados
bordados, proprios para canias e janellas,
que se vendem de 100 00 at 200) 0 o proprias pa"ravesdos,""qne"vende a5 rs.
pnr, assim como o melbor damasco com 8
palmo* de seda, proprias para colcha, e propria-
mente colchas de damasco, send os melho-
res e mais bonitas qne tem vindo ao mer-
cado.
SEDAS PE LISTRAS.
o covado; i: moito barato.
PARA LENCOES
No Bazar do Pavlo veude-se su ;erior
bramsnte d'algodo com 10 palmos de lar-
gura a 10809 o metro, dito de linho cora a
mesma largura a 20800 cada metro, pannos
No Bazar do Pavlo vende-se urna grao.Je ^ lajodo pwtocom 3 1/2 palmos delargura
qnantinade das mais elegantes sedas ,, ^ ^ ate a vara, assim como umg, ande
listrinhas, tendo de todas as cores e at jumento de H-mbnrgo-ou creguelas le
furia-, 6r; fazenda que ninguem vande por|tt)d08 os nmeros, prey-s ou qual.dades,
menos de 20400, e liqnida-se a 20000 cda I se ven,1em ma,i Danl do 1Qe ea 0D*
coaio; slo moito baratas.
SE'IXSDE CORES E GROSDENAPLES.
No Bazar do Pavlo vende-se um sortimen-
to completo dos melhtres setins e grosde-
napes de todas as cores, qne se vendem
muito em conta.
POUPELINAS DE LA A 400 RS. O C0-
VADO
No Bazar do Pavlo vende-se nm elegan.,
tra qmlqner parte ; aproveitem-
ATOALHADOS
No Bazar do Pavlo veode-se snperior
atoaltradfl trancado, com 8 palmos de largu-
ra a 10300 o metro, dito de linbo adamas-
cado o melbor que tem viod i ao mercado a
30500 o metro ; tudo isto muito baraio.
Baldes reguladores a 40090 40300 e 5500 O
bonitas poopeli ias \. .Gbef "m ao Bfz" do Pav5? J*; bem
da 15a com lista* mindinnas, sendo todas fe,S'S ^ re1ul3(iores;. 5endoI tfleAnfu't5
qnasi de cma s cor, 400 rs. o covado : f *J0S' S?8 ?e ^^elioa a 40500 m-
9 baratsimo ;tos de llasioba de todas as cores a 50090,
GRANDE PCHINCHA E\I LAASINHA jtod0S e,leS S?0 mo,'t0 Daratos'
A 640 RS. pann preto moito baralo a 30600
N) Bazar do Pavlo fez-sa urna grande O Bazar do Pavao recebeu ama grande
compra de lasinba para vestidos, sendo de porclo de pe?as de panno preto fino, com-
muito b'a qoalidade, urnas com listas e ou- pra'das em leillo, que sempre s vendr>u a
tras com mselas, e muitos largas, que com, 50000 o covado e pode liquidar a 30600,
p neos covados se faz vestido e liquida-se por ser urna excellente compra,
440rs. fazenda qoe sempre se vendeu a 10. BAREGES A 160 RS
de qoadros, fazenda de muito gosto a
30600 o covado ; aproveitem.
TAPETES
Cbegoo para o Basar do Pavao o mais
legante sortimento d tapetes grandes, pa-
ra sfas, com 4 cadeirts, ditos mais peque-
nos, para doas cadeiras, ditos para
pianos, camas, portas; etc. vende-se por
menos do que em outra qualquer parte.
COLCHAS B8ANCASA 302UO,30500 E 70
Para o Bazar do Pavle chegoq om gran-
de sortimanto da6 melhores calchas do fos-
tlo, s ndo das melbores e mais e corp?das
que tem vq*!o, a 750O., ditas um pooco
mais abaixo a 50500, c ditas a 30000;
Urabem no mesmo estabelecimento se ven-
.de oa grande sorumeato da cretonas e cbi-
t s, proprias para coleOas, que se vendem
mntt em ronta.
GORGUBOESOUPOUPELINASDE SEDA
0OCO CADA COVADO.
Cbeg u para o Bazar do Pavlo nm ele-
gante sortiraaoto das verdadeiraspoepelinas
de linbe e seda, com os mais modernos
gostos, que se vendem a 20000 cada < ovado,
o que em oc-tra q aiqoer parte nao se ven-
de por menos de 20500, previne-.'e qne rao
sao algodlo e seta, coico ha muitos; mas
tira puro Ilqo e seda; sao moito baratas.
ROUPAS PARA HOMENS
No accreditado Ba;ar do Pavlo encontra-
r o respeitavel publico om grande sorti-,
meoto de roupas para bomens tanto bran-
cas como de cores, a saber:
Camisas con peitos d'algodo e do linbo,
para todos Os precos e qua'idades.
Ceroulas de linbo e algodlo.
Meias enrt 6 francezas e inglezas.
Palitos sobrecasacos de panno preto e
casemira.
Calcas de brim branco e de cores
Ditas de casemiras pretas e de cores, com
colletes igua.-s
De todas estas roupas ba para-todos os
oreos e qnalidades, e tem de mais mais
um perito
ALFAIATE
Por qoem se manda fazer com prestesa I
e aceio qualquer pec< de obra a capricho
ou gosto do freguez, tendo n'este importan-
te estabelecimento todas as quadides de
panno Uno, as melhores e mais moder-
nas casemiras, assim como os melhores brins,
qur brancos, qur de cor; e qoanio qual-
quer ebra nao fkar ioteiramente ao gosto
dos fregnezes Soa por conta do estabeleci-
mento.
CHALES DE MERINO
Chegou para o Bazar do Pavlo am elegan-
te sotiiment) de chales de merino de cores
muito bous com padroes moito decentes
para qualquer urna senhora usar, ditos de
crpon com. listas de seda o mais fino e
modsrno que tem vindo ao mercado, e ven-
de-se por preco multo em conta.
BABADl.NHS
A Nova speraiMja
91Run Duque e Caxi 1
Quando a NOVA-ESPERANCA faz os seos
anuncios expondo aos setts freguezes e a
todos em g6ral o grande sortimento e su-
perioridade de seus objectos nlo com vis-
tas de atrair a attenclo de urna grande fre-
guezia, como a de que actualmente desp8e,
e sim para scientificar fa interese de todos)
a qoalidade do seus objectos os qoaes slo
sempre de apurado gosto e perfeicao; tor-
oaodo-se qoasi iadispensavtl para aquelles
apreciadores (do bom) freqoenlarem a No-
va Esperanca, pois qoe ella caprieha em re
ceber constantemente, o que ha de melbor
relativamente a sua reparticlo: o que se pe-
der veriflear quando em qualquer reunilo
de pessoas (amantes doxiqnej v-se am
bonito enfeite em um bonito vestido, om
aroma agradavel escapar d'um alvo lenco,
um moderno e linde laco, um dilicado ra-
mo de finas flores, ete, etc, todos olham-se
reciprocamente e dizem com sigo (e as ve-
zes uns aos ontros) estes slo objectos
comprados a NOVA-ESPERANCA: realmen-
te III! procurar descrover em annuncios os
artigos qoe contem dita loja, seria trabalho
insano e nunca o fariamos com aquella
grafa e perfeicao com que slo elles fabrica-
dos, assim pois a NOVA-ESPERANCA con-
tenta-se em convidar a todos geralmente,
vieitarem-na para entlo ficaram intei-
rados do que ha exposto na mesma loja.
91 Roa Dnqne de Caxlas91
Laa para bordar a
5^500 a libra
O Cysne, ra da lmperairiz n. 64, acaba de
recebe" grande e variado sortimento de las, a qaal
vende pelo baratissimo preco de 5o00 a libra,
cores sortidas.
caja novidade de molde e perfeicao de ador-
nes os tornam apreciados.
Fitas mni largas de diversas odre e qoa.
iidades para ciutos.
Leqoes oesse objecto moito se poderia
dizer querendo descreve-los minuciosamente
por soas qualidades, coree e desenhos, tal
o grande e variado sortimento que acaba
de chegar, mas para nlo massar o pretn-
dante se lbe apresentar o qoe podar de
melbor.
| Entremeios em pecas de 12 tiras.
Guipure branco e preto de diversas qua-
lidades e desenhos.
Ditos de algodlo com flores e lisos.
Veos de seda para chapelmas e monta-
rla.
Meias de-seda para noivas.
Ditas abortas de fio de Escossia.
Costamos oa uniformes para meninos.
Enxovaes completos para bapsados.
Toaqninhas de fil, sapatinbos bordados
meis para ditos.
Camisinhas bordadas para ditos.
Capellas brancas par meninas.
Grandes sortimento de flores fias.
Fil, de seda, preto.
PERfIMABJA a
Grande e coasunte sortimento de djfc.
sempre melbor quajjdade.
Lindos vasos coro, p de arroz e pineal,
Caixiobas com ditos aromticos,
Bonito e moderno peale doorafo
par circular o coque.
- Bonitos briaoe' de plaquee.
Adereces e brlooes de madreperolr.
Caivetes finos para abrir latas.
Thesouras para frisar babadinbos.
Aspas para bailo.
Novos stereoscopos com 48 vistas,.
qoaes sao movidas por um machinisra*
ornas sobstituem as outras.
Vista para stereoscopos.
Bonitas caixinba de vidro enfeitados coa
pedias.
Ditas de madelra envernisada cora vspe-
ras e com domin,
Bollas de borracha para brinqoedo a
enancas.
Diverso objectos de porcelana, proprio
' para enfeites de mesa e de lapinhas.
mmmmmmmmmmmm mmmmmmmmmmmmi
td

ESCOLA PHARMACEUTICA DE PARS
Medalha de Prata 1860
rfOUEUR
GOBMjS
GYOT
EXTRACTO DE ALCATRAO.
Onieo medicamento approiado por todos os
Hospitae* de Franca, Belpca e Espanha como a
melhor prparaeflo instantnea e regulada etn
dota da AGUA DE AI.CATHAO.
(huu eolheraiai grandesde liquido por cada
litro de agua, ou urna colherada pequea por
cada copo grande.)
O iao4IUrrdor nal* rnerKtct da* mo-
co o niomai, dos bronchloi e d
Exigir a firma do inventor. />
DE03ITO GE3AL ^C^f^. .
Re des Franfs-lonrgeois, 17 c^yj
Em pars. -r Sif
Deposito : no Rio de Janeiro, Dupsncbelle; na
Bnkia, Slra Lapex iu Pernambueo, V. Maurer
el C"; na VaranhaA, Fsrreir.i el O'.
No Baiar do Pavao vende-se um bonito
sortimento dos mais lindos ba-eges lista-
dos para vestidos, que valem muito mais
dinheiro e liquid'.-se a 36u rs, o cova-
do, ditos muito mais nos com listas a 409
rs, estes bareges sempre se venderam a
640 e 800 rs., grande pechincha.
GURGUROAC40 RS.
7
No Bazar do Pavlo vende-se nm bonito
ALPACAS PARA VESTIDOS FRTA
CORES A360RS.
Ven'e-se nm bonito sortimento das mais
brilhartes alpacas escaras furia cores,
sendo muito enctrpadas e tendo nm bnlho
como seda, liquidase pelo barato preco de
360 rs. o covado'pcr seter feiiQ urna gran-
de compra.
POUPEUNAS A 400 RS.
No Bazar do Pavlo vende-se cm elegante i
sortimento das mais lindas poupehnaj de' sortimento dos melores gurguroes de lia
Ha com os gostes miudiahos sendo qoasi para vestidos sendo orna linda fa?enda,
nma t cftr e con moito brilbo, pichin- muito leve, meia transparente e muito lar-
cha b 40<. rs. para acabar. ga com furta cores e liqaida-se a 640 rs.
CH TAS A 2(J RS. O CORTE. o covado por se ter feito grande pechiocha
No Bazar do Pavlo vende-se cortes de na compra,
chita miadiohas, acodo rocha e cor de rosa, COBERTAS A 3&
tendo 10 covados cada cor-e a 2$ veode-ss Vende-se'cobertas de chita encarnada
a retalbo a 200 rs. o c vado, pechincha. adamascada a 35 cada nma, pechiocha.
CASSAS A 200 R5; CORTES INDIANOS A 455(0.
No Bazar do Pavlo liqod.-se urna por- No Bazar do Pavlo vende-se bi nitos cr-
elo de cassas francezas miadas e graudas, tes indianos com duas'saias pao bara-
cores finas, que se vendem pelo baratissim tissimo preco de 4,53)0 cada um, pe1
pre?o de 2G0 rs. o covado para acabar, chincha.
No Bazar do Pavlo vande-se om grande
sortimento dos mais linos babadinbos borda-
dos tapados e transparentes, assim como
urna grande porcSo de entrmeios largos e
estreitos, que para acabar se vende moito
em conta e mais barato do que em oatra
qualqner parte.
FAZENDAS PARA LUTO
No Bazar do Pavlo vende-se constante-
mente o mehor sortimento de fazendas
pretas para lato, como sejam :
Lasinbas i retas lisas.
Cassas pretas de lia.
Cassas pretas, francezas e inglezas, lisas
e com salpico?.
Chitas pretas de todas as qualidades.
Alpacas pretas lisas.
Ditas lavradas com branco.
Merinos, cantos, bombazinas. qae sa
vendem maisbarto do que em outra qual-
quer parte.
CHITAS PRETAS A 200 RS. O COVADO
No Baz;ir do Pavao" vende-se chitas pre-
tas inglezas com salpicos 200 rs. ocovado,
ditas todas preta, por estarem om pooco
russas, 120 o covado; pecbincba.
O propnetarios deste imprtame esta-
bellecimento rogam ao respeitavel publico e
particularmente s Exmas. familias o favor
de se direm sempre ao trabalho do lerem
os seos annuncios, pela razio de muitos
d'elles serem- mudadas amiudadas vezes.
CACHE-NEZ A 6.J000.
No Bazar do Pavio vendem.se bonitos e
grandes cacbi-nez de para Ha, pelo bara-
to preco de 60000 cada om.
DtesO
IMEMBRO DaACADEMIAdeMEDICINAI
Preparado por deslauriers.ph.|
Sucf< D BOUT1GNY-DUHAMEL
51 Ra de Clpy Papis
1N. 3 A1114IM GAUNUN. SA.
S ACOSTIIOi POS i
Com este titolo acha-se aberto e inteiramente transformado este antigo
estabelecimento de joias, onde os freguezes e amigos encontrarlo tudo quanto
a moda e o bom gosto tem inventado na arte de ourivesana, o Collar de Ouro
observar delicadeza no trato e senciridade e modecidade nos precos.
Espera qoe o respeitavel publico venha ver o qoe existe de melhor em
aderocos de brilhantes, esmeraldas, robins e perolas, meios aderecos, pul-
ceiras, brincos, alfioetes e anneis de todas as qualidades, prata de le faquei-
ros, colheres, paliteiros salvas e ontros muitos objectos que seria enfldonho
mencionar.
Compra-se onro, prata, brilhantes e pedras finas, pormaior preco do
que em outra qualquer parte, troca-se e concerta-se todo e qualquer objecto
pertenecnte a esta arte.
Lonrenco F. Mendes Guimares
'RUADA DaTERATRIZN. 72
Tendo resolvido o sen proprietario liquidar todas as fazendas existentes as loja
Garibaldi e Arara, convida ao respeitavel publico, amaoto da economa, visi'jrem a
loja da ra da Imperatriz n. 72, pois s de'seja apurar o dinheiro.
Arara vende madapolo enfestado a 3500
a peca, ditas de 24 jardas a 55000, 63':00,
60500, 7(5000, 80000, 90000, e 100000.
Vende-se cortes do casemiras de cores
para calcas" a 40000, 50000.
Para quidaclo vende-se algodlo de lis-
tras proprio para calcas, camisas e saias
para escravos a 160 rs, o covado.
. Na ra da Imperatriz. vende se chailes de
merino estampados e de barra a 20000,
20500 e 30000.
.Para lijuidr vende bramante de li-
nho e algodlo a 10800 o metro, dito de
lioho puro a 20SOO, esta fazenda pro-
pria para tencuas e toalbas por ter 10 pal-
mos largura.
Vande-se cortinados para cama fran>za
a 10400 o cortinado para liquidar.
Arara vende cortes de chitas para vett..
dos a 20500,20800 e 30200 o corte para
liqniiar.
Vendeo se cortes de cassa a 20500 o
Arara vende cortes de casemira preta; corte s na quidaclo a da imperatriz.
O Xarope depurativo iodu rado do Dou-
tor Gibert ofTerece, no seu emprego, um
resultado bom, certo e constante na cura
d&Btmpigens,escrfulas, molestiasdapelle,
vicio ao sangue, obstr uceves lymphatica.i,
molestias contagiosas {sijpliililicas), leves
bu inveteradas, e de todos os accidentes que
a"ellas depender.
A receita deste Xarope foi approvada
pela Academia imperial de Medicina de
Paris.
Deposito as principaes pharmacias do
Brasil.
em Pernambueo: Macreb e C; Joaqdim
Martinho da Cruz Correia ; Joo da Cok-
ceicao Bravo e Cta; Augusto Caors ;
Bartholomeo e C1*; Alexandre R ibeiro;
Abreu Ribeiro ; Joao da S* Faria e Irmao.
Vndese nma bonita casa nova a moderna,
com 2 salas, corredor ao lado, 5 qnartos, sotao
muito fresco, dispensa, coiinha com boro torno,
grande copiar com pradeamento na frente, gali
nhciro tambera com graoeamenlo de ferro para
grande, porejie de criacao privada para despejos,
telbeiro para lenha, carvo, etc., cacimba com
bomba de Jaoi, tanque coberto que serve para
banho, e sirio, tem 100 palmos de frente e 300 de
fundo, todo murado de novo com graieamento na
frente e portao de ferro, lindo jardim par re-
creio. plantadlo de arvnredos novos, passa-ltae o
rio Capibaribe perto para os banhos, no lugar de-
nominado Chacao n. 1, junto da estacao da Casa
Forte : os pretndeme poder-9e-hao dirigir para
tratar ra ds Ttaom de Souza, outr'ora ma da
Lingoeta, n. 4.
para calca a 30500, 40000. 50100, 6000,
70000, e 80000.
Para quidaclo vende-se brim pardo liso
bom a 500 rs, o metro, dito transado a
720, 900, e 10000 o metro.
Para a cabar vende-so duzias de lencos
brancos de cassa a 20000, e 30609, ditos
de linho a 50000, 6000'.
Na ra da Imperatriz veode-se cobertores
de algodlo a 10400 e corberlas de chita a
105O.
Para quidaclo vende-se cortes de casto-
res para calcas de homem a 500 rs.
A Arara vende chitas largas para vestido
a 240, 280, 320, e 360, rs. o covado.
O barateiro vende percalas finas para
vestido a 440, rs, o covado.
Em quidaclo vende-se alpacas para ves-
tidos de Sras. a 500, rs, o covado.
A Arara vende lazinhas para vestidos de
Sras. a 320, 400 e 500, rs, o covado.
O Guimares vende mursuna de cor
para vestido de Sras. a 440 rs. o covado,
dita branca a 500 rs.
OMenios vende fustao de core? par-
vestidos de senhoras a 360, n covado.
O Lourenco vende cassas finas para ves-
tidos 240, 360, 400 e 440 rs. o covado.
Arara vende alpacas de lista para vesti-
dos de senhoras a 500 rs. o covado, ditas
lisas a 500 e 640 rs. ocovado, ditas matisa-
das a 640 rs.
pa-
Vende-se cortinados para janellas a 60
a peca para liquidar.
ECONOMA
Vende-se duzias de collarinhos de
pe a 240 rs. para acabar.
Arara vende llasinhas transparentes para
vestidas a 500 rs. o covado.
Liquidaclo, vende-se parapeito liso a
20200, 20500, 30. 30500, 40, e 50, pro-
prio para calsas e palitos por ser bea fa-
zenda e barato.
Arara vende cortes de brim para cal-
sas de bomem 10500.
Vende-se cortes de pcalas de duas saias
para senhoras pelo barato preco do a 60.
cadaum.
Grande quidaclo de roupa feita.
Veode-se palitos de alparca e de cores
a 20.
Vende-se ditos -de ganga para homem
a 20.
Vende-se ditos de brim de algodlo bran-
cos a 20.
Vende-se ditos de meia casemira a 20.
Vende-se coletos de brim de cores a !
Vende-se ditos de meia c~semira a 205rjO
Vende-se calcas de algodlo azul a 500 rs.
Vende-Se dita da algoilo de stras a 800/8
Vende-se ditas de brim pardo 20,10500
e 20500.
Vende-se calcas de casemira de core
a 6080.
PAIA AGUA.
0 Bazar do Pavao sito a ra da Imperatriz n. 60, esta* constantemente aberto
das 6 horas damanha as 9 da noute.
Cal de Lisboa.
Vende-se cal de Lisboa, a ultima chegada ao
mercado, por prego rasoavel : no armazera de
Manoel Teixeira Bastos, ra do Commercio n. 13.
Farinha de mandioca.
Vende-se superior fariuha de mandioca, vinda
do sertao do Cear, em saccas de 2 1|2 e 3 al-
queires cada sacca. por prego mdico : a ra do
Vigario n. 14, escritorio de Jos Lopes Davim.
CEMENTO
O verdadeiro portland. 0 se vende tfa roa da
Madre de Dos n. 22, armazera de Jlo Martras de
Barrot
Canos de ferro galvanisados por barato preco.
Torneiras, e curvas para os mesmos I No armazem da travessa do Corpo
Santo n. 25.
Moinhos para caf e para millio
Os melbores moinhos para caf e para, railho que tem vindo a este mercado
se encontram no armazem da travessa do Corno Santo n 25.
XAROPE SEDATIVO
de cascas de Laranjas amargas So
BROMURETE DE POTASSIOM
De J.-P. IiARZE, ma de UMN4fta*-PMd, Pars.
Todos os Mdicos concorato em qoe o Bromnrefi de Polassium puro tem sobre o
sistema nervoso, urna aeco .dati. nlnuN. Reunido So Xarope Laroze de
Urania amarga, cuja a'cao regenera as fnB.6ea do estomago e dos intestinos,
umversalmente appreciado. Sem receio 'ubidente se pode dar as pessoas adultas,
quando soffrem de bmImUm d *eraao, ** **, *"" assim que para aa ole..i mtvmm ** pr**- P* creancas, par. nbmi
agitarlo, aaoanaa, toie dorante r deatieao.
Deposito m Rio de Janeiro, Cbarolot; em Pernambueo, *. Ihm O;
em Maceio, TmUo Mmj.ib'NUh, **'uem B^ o*h; em

.-ai'


biario de Pemambco Quarta fetra 7 e Seteiubro. de 1870.
' nin nnmanam

\
i
'
I
)'
(v
IMval sem seg* ando
RCAD- ASrVW
**ou aisflQ&u ircaiter-toda*
aa. OMpdu(W.p9ls1baalwimoftlpreO< abal
declarados, gsr-aaltqdo lat o-4o: u o pre^
<*os admirados.
Dias de ftaWt^ t-traaija
Oam de.paWtQs 'sRtT*r,< ,
rauda a...........^.......
Frascosco;n )<( b.iijoriitiahotino.
Pajote* oh p -s da. arroz o me-
ato que hi -a...............
*taa*' eito fj8 para fnrer
<*ai\. a....................
C*ax< de linha bnan do gaza..
Vana de fraio de iidbo para- tOa-
lhtIS ..,....................
Caixas'oom peirtus'Ndiaco de terry
uperiones ..............
-Lencos d3 oasia bntncus -u{iioU-
dosa....................
Caixas com 0 ^aderos de papel
paulado .......
Cata cota 50 aovemos de linha
do gaz a. ....... .
Duzias de raeias croas superior
qualidadea...... .
Pecas debbadinhoa cem 40 va-
ras a.........
Pecas de tiras hordadascomi 18
metros rada poca a I^BOO e.
Pecas ile lilas para eos de qur Ur^nra com 10 varas a.
Escovas para uabafaaenda lioa.a
Ditas para denles a 240, 320,
400 rs. e....., .
Pecas de liiaoca Jiaai. brancas e
da eres a.......
Dozia de linha fr.xa para borda-
dos a 400 rs. e.....
Pares de meias crua< para me-
nos diversos tanatihos a. .
Duaias de rueias brancas muito
fitas pasa senbora a. .
Pares de sapalos de tranca do
Porto........2000
Pares i'e napatos de apele a. 45500
Duzias do baralhos para vnkarete 3-000
Sylabarios pertugijezos a. .
Cartes com colttis i carreras a
Abotoaduias para collete diversas
qualidades...... .
Gaixas com pcr.na de aflp multo
boa de 320 a......
Caixas cora supci 01 es obroias a.
Duzia 0-' agulha para macaia a.
Libras de pregos raflcezes ledos
os larnanlius a......
Pacote de papel com 20 quader-
nos...........
Rema de papel paulado super or
Resma de papel liso muito supe-
rior a ...........
I2P
3
S2D
920
I AtQDO
seO
460
soo
400
7oe
400
'24600
500
20000
500
500
500
40
500
320
46500
Jc de Souza Soares & .
* ( OUTROrU NOVA) J
Aoreaeoia-se mi-tiro rtr>hoae;lo ao que pde haver do tnaiHjello a agradavei'ieai fa-
jeadas Uaa para Seriaras artijos de alta moda era Taris lento para stuioras como
aara hoinens e ratoin
MfamlM ramudas, pe fumarias especi ^e-, vaiiedada de lindosbjecuisfwia nw-
aiiiL-s e brinquedos para enancas.
GRANDE SORTIMENTO
Coatinuamente recebtdo pur iodos os paquetes-vimlo da Europa aonde tcm ha-
eeis cartespondeates.
Vende-se muito memiu e manda-se i>>r em pragad's do esabelecmenU fazenda s
an casa-das Esms. familias Hm de mtlnor osculb^rem u que desejarem.

DO
eeimeito
JLOJFA
Kua doQuimao 7
DE
A & BASTOS'
20
400
500
40
2000
240
400
4000
3660
GAZ CI1Z GAZ
Chugoa ao antigo deposito de Henry Porstar *
C, roa do Imperador, am carregamento de sai
de priraoira >iu.-.lidade; o qual se vende em partda
& retaibo por menos preco do que em outr* qual-
uner sane.
20lian da Imperatriz20
Farl & Lessa.
Acaba de chibar a esta noss nova faja de fa
zondas finas am variad soriiniento de fazendas de
lia e seda, cflmo^spjfim : rr.".n.idines do ultimo
jro-rto, popelinas de urna p cor, alpacas c laazi-
nua de cores. o-(|ue ha de mais moderno, ludo
jior baratisiios presos, brilhanlina* de core?, te-
cidos das india?, fazenda nova a imitaeao de per-
calis.balGeMie dina tmprdo sais de cor com lin-
das barra?, fuMes proprios para ve-tiflo e roapa?
de meninos ; agora fraudas e admiraveis pechm-
chas, saias brancas com lindos frisados a 3. ri-
co? corpinbos bordados muilo finos a 5J, baioe!
modernos de srcos a ti, ricas colchas para cama
alcochoadas. sendo brancas e de cores, a ."5J, 62 e
7f, cambraia victoria lina a .">*, ditas transparen-
tes a3, 6# e 7.chitas finisimus escaras e clara
a 280, :J00, ?,20 e 3(50 o covado, cass.is de cores a
240, lencos hrancos de casa a 2500, ditos chi
oezes a 3a00 a duzia, madapoln tino a 6 e
6300, e muit superior a 7, 7600 e 8, atgo-
daozinho largo propri para ienctws a 6, panno
de al^odo braneo trancada proprlo para toalha?
de mesa a l600a vara, Bramante pata lenqcs'a
2(KM) e 3S00. o qne ha de melhor, esguiao fi-
nissimo a 25200 e 2500 a vara. Mandamos as
asas d3s Exnia?. familias para melhor pode.'em
escolber. Tninbem temos completo sojtimento de
perfumaras des phmeiros fabricantes franeczes c
inglezes; as pessoas qne se dignarem vir a esta
foja tero oecasio de reconhecer a realidade do
que annnnciamo* para jios justificar.
Trho* urbano So i&eelfe
Ollnda
Na estaco provisoria da ra da Aurora vnde-
se em porco e a retalho carvo de pedra para
ferreiro.
Brins d'Angolas leg-
timos
achiin-se noarraazem
DE
T. Jeffenes & C.
Ba do TraDiche n. 46
Ftopara saceos e foyaeteiros
Lona verdadeiara da Escossia
No armazem de T. Jeffeiies & C.
Ba lo-Trapiche n. 46
Cigarros da imperial
fabrica de S. Joo
de Nictlieroy.
nico deposito em Pernambaco caes da alfan-
dem-velha n. 2. f anda._________
Vende-se urna rotula de amarello em bom
eelido na cambfta dn Carato n. 16.
CEREROS BARATOS.
2Camba do Carino2
Maoteiga ingleza, libra a M, um e-lS00.
Manteiga franceza, libra a 800 rs.
Gaz, garrafa a 360 rs.
Gomma de mimo, libra a 320.
Caf mocka, dita a 320 rs.
yla 4e espermaMte, diu a 630 rs.
Lmgoa (do Rio Grande) urna i fio rs.
Ltgostinhos e ostras, lata a 700 rs.
Queijos do reino (altiino vapor) 3|000.
Ihtos do Serid, libra a ijMO.
Ditos de Misas, am %.
Vjoho Bordeaux, garrafa (S. Julieny 6G rs.
Cprvej Bas<, dIU 900 rs.
Vjnho Figofira (Boi)dilk 300rs.
Arroz, libra 120 rs.
B antros uiuitos gneros qie se venden) mais
barat do qne em outra qual>|iier parte.
iFarinria de mand*oca
ide-se farina de mandioca, aova, de Santa
i, ebegada no patacho porlnsnez Ullissa,
fondeado 'lefronte do, trapiche do Sr."Bario do Li-
vnmenio : a tratar no e Jos Goneaives Betrao, ra do Commereio n. 17,
om a bordo do referido navio,
_ JT. y?'!*:'* a taberna bam afregtieada 4 cam
ff*** Wft*M- "* ra de Ass^gaiohos n. 0 : a
tratar na mesma.s
E' cliegndo a este nov eslabeleciraeulo o maia bello sormeno de lazeodas
loas, sendo roa especialtfade enxovaes para noivado.
Vcsiiiios de bbnd de,seda ricamente bardados.
Gorfluro de da braneo para resiido.
Colchas de s'a pura, para cama com ricos desenlios.
Dias tle 15a c seda, id m idetn.
Ditas de crox, idem idem.
Cortinsdos ticam-nte bordados para camae janellus.
Crcxsp'ra cideiras e solas.
Vestidos de cambraia branca bordados.
Popelines de lindos gnstos.
I.as de di tersas qualidailes, lindos goslos e modernas.
Ricos b urnus para passeio, com listras de setim.
Sabidas de baile o que ha de mais rico.
Cretones para vestidos com lindos desenhos.
Carnizas bordadas e sem bordados para senhoras.
Camisas bordadas moito finas para hoaicns.
D tas inglezis para homens e meninos.
Seronlas de linho, e uro. grande surtimento de roupas feitas e de fateadas que
* eufadoobo mencionar.
Luvas frescas de Jouvia
Sortimeiit) de tapetes para guarnieres de salas, alcatifas para forro de sala, e o
jrande Bortimeolo das acreditadas e verdadeiras
Esteiras da India
ROB LAFFEGTER
Approvado em Francia. Russia, Austria e Blgica. O arrobe vegetal Laffeeteur sa autbo-1
rizado, he mui superior aos xaropes de cuisinier, de Larrev e de salseparrilha. De fcil 1
dwestao, adagraved ao paladar, e ao alfato, elle cura radicalmente aem mercarlo, as
afleces dapelle, Implsena. alporcaa. tumores, ulceras, anrna dr(r-
* eacorliuu, e os accidentes provendos des partos, da dale critica, da acri-
momi hereditaria dos humores.
O arrobe he especialmente recommendada contra as doencas sypbililicas recentes, invete-
radas ou rebeldes ao mercurio e ao ioduro de potassio.
Deposito aeral do verdadeiro ROB LAPFECT L em casa do dontor GIRAUDEAU DB'I
Novo
O 13ZERDAS tOWAS FEITAS
Raa-r3a Itupemriz n. 40, esquina rj
DE
be co dos i Ferreiros.
0 novo proprielniio deste estabolecimeuio, commtintca ao respeitavel publico
'fiesta cidade, e especialmente as Cxmas. fnniitu*, (]tie>er6 liquidando por precos barc-
tissimos, as antigs fazendas que existiam neste e>/ialwk'-hBiento, alm das que abaixo
v5o relacionadas, cujns precos merecem toda a aitenco do respeitavel publico, que o5o
deixara de com poqqaia qnnlia cfazet-se de qaalqiier qalidade de fazenda que pre-
nse. Previne-so tambem que a mestoa [oja tem Pilo oiiimerrto d fazendas moder-
nas, e continua a sorUr-se das do mais jpuraJo e cscoThldo goslo, que vender mais
barato que Coi(qrrer outra loja.
A LOJA DO PAPA)A10 alm de ter utn gratule deposito de roupas feitas, tem
um benito sofiimento de casemiras franctzas, fujezas e atlpnias dos padrees mais mo-
deifios, e assim como panbos pratos, 'ase mi ras e tattto fino cor oe pinhao, azul claro
e mais escoro, brins brancos e de cores, fusISes 'bramos, e de cores, gangas de linho
'e brins pardos de todas as qualidades.
A LOJA DO PAPAGMO lem contratado tnn opiimo mestre alfaiate perito no
S8d Offififo para execatar qualquer^bra da arte com a mainr perfeicao e esmero, e qual
quer ubra-qae nao fiqao vonlade dos fteguezes, licar para a v loja, e manda-se
(azer oura.
Atoalbado de-liuho fino, a.35 o metro,] Esguto delir.ho de 45GCG a 35 a vara,
e de algodSo a 20. Chiles de merino pretos muito grandes
Algodbsinho raigo, para lences e loa-a -5.
lhas a I)$CCKJ. Dito ditos, estampados de 4,500 para
Alpacas pretas, do cores, 1S3S, de fjrtaicima.
cores, e de listras. F do linho braneo e preto liso, e de
Barepes enm listrnltas de differentes co- salpico.
res a 320 rs, o covado. UftavtaS de seda pretas e de cores, da.
Bolssde tapete aveludadas, para viagem, mais modernas que tem viodo ao mercado,
o preco e conforme o tamanho. Guardaoapf*s de iinho brancos e pardos.
Bombasraas pretas. lisas, e-trancadas. Grosdcnaple pelo do dirTerentes pr eos.
Bramantes de linho, fraacez e inglcz a j Laasinhas em cortes com pslmas com 14
2*^00- covado por-t^.
Deposito eeral do verdadek-o ROB LAFFECTEUR,
SAINT-GERVA1S, ra Richer, it, a Paria.
WM
mmm^
liatfies de mrjssnliDa, trancos com fit*s,
e oulwts todos de panno com o feilio dos
de litas, pata senhoras e" meninas.
Basquinas de grosi'eRaples preto mo-
dernas e de croch muito rtifeitadas.
Lrctanhas de linho. e algodo.
Bins de linho trancados brancos e de i
cores.
Brins de algodo trancados brancos e de
cores.
Combraias brancas tapadas e transpa-
rentes, sendo .in^lezas e suissas de 8 pal-
mes de largura.
Camisas de meia, de Gancila, branca, e
de'algoif5o.
Camisinbas brancas de cambraia com di-
licados bordados, e enfeiiadas do cor para
Sras.
Gambraias de cores a 400, rs. o metro e
a 800 rs. a vara.
Camisas rogtwas. e francf zas de linho. e
de algodo de pregas, lisas e bordabas.
Chapeos de sol de seda, merino e alpar-
ca oV dil*reates cores, e muilo baratos.
Chitas para vestidos, francesas, de 40
ato. 400 rs.
Gaitas para cerhertas de 320 at 640 rs,
(Cortinados de camraia, e de fil borda-
dos para camas e janelas de IQ;$ para cima-
Colchas de fusto truncas a 5o00.
Ditas do cores a 2800.
Colarinbos de linhos, ioglezes, e alemes.
lisos e bordados.
Damasco de la. eacarnado. a zul e a ma-
pello, escomilba pwta.
Lsparttlhos de Uao braneo para Seas.,
| de diffrentes prec-os.

3 portas n. 53, ra Direita, 3 pitias n. 53, antiga
loja do Braga
O abaixo assignado, dao m completo sortimento de ferragens. miudzas e colileria, icm resolvido mandar buscar em '
diversos pontos da Europa os ipelhoreu objectos do aen esUibelecimento do fabricantes
P mais conliecidos ; pelo qae convida no respeitavel publico e a seus numerosos fregnezes,
g virem se servir dos objectos de sna carencia, o-nde eneontrarao por menos 40 0;0 d'o que
1 em ontra qoalquer parte, um si.rtimento compet de madntras para des'arocar alpodao, i
M do brm conhecido fabricante Cottorr Gin 4 C, ditas para costura, motores pa'ra animaes, ]
2 ditos para fago, mninho p.*ra caf de todos os tamanbos, Ja fabrica do J;.p, espingardas de |
gg doos canos e do utu, unto inglezas como franceias, rouca de porcelana, facas e garfos I
| de diversas qualidades e precos. bandejas chinezas, salitre, mu, barbante, nxofre, papel e \
S limalha de ftrro, .-qo, e agulha para fogueteiro ; assim como eneontrarao constante-
?3 mente grande pdrcao de fogo do ar, e recebe-ae.enccmnv'Bda de fufos da vista, alem de um |
^ cera numero de objetos, que se tornara enfadnho numora-Ios : venLatn ra Direila n. J
3, loja de Lenidas Tito Loureiro, amiga loja do Braga.
Hi
Ditas tts e d,listas transparentes e ta-
padas tle rifferentcs precos.
McUpcio inplez de 58 at 105 a ucea.
Lencos de algodo, brancos de 2$ a 30*1
a dii.ia.
Ditos de cambraia de linho de C& a 12&
Ditos tle esg MttSuraas brancas e de cores a 500 rs.
o covadir,
Gorgu.es tle. la com listras, fazenda ln-
t:kaii'.Ci;:e nova no mercado a 800 r?. o
covado.
Merinos preto, trancado e de cordo.
Pejti.s bordados e lisos, tant" de linho
como de algudlo para ermisas de homem.
Princetas pretas de differer.ics precos.
Gatlu aia branca tapada muito larga com
pregas e bordado, ba de tres qualidades
propria para saias de Sras., o p/cco ba-
rato.
Sedas pretas lavradas para vestido a
2$S0O o covado.
Sargelim francez o inglez de toda ao co-
res.
Toalhas de algodSo e de linho de dif-
ferentes qualidades e tamanhos.
PooIkjs de linha para homem muito fi-
nos.
Saeias ing'ezas para Sras., e para meninos
o para horneas, de differentes qualidades
e de todos os lamaohos.
Para quera comprar peca-on duzia d8
oarifaer hitada seu preco o custo ; para
diminuir o retalho.
Baru-se as amostras de qulquer fazenda.
A toja do Papagaio acha-se aberta todos
os dias, al s 9 boras da noute.
Francisco Teixetra Menes

i!
Hiia d Cmsoa. 9
Os popnetafloii tkm ktti*cmi\*cic\ estabele-
ciniente, al;o dos muitos nham exv
posto? a aprecincao do respefcavel publico, man-
daram vir e acabara de receber pe apor
da Europa um completo e variado sorirento de
flnas e mui delicadas espiH-iadades. as qnaes es-
to resolvidos a vender, itr.o de sen -costme,
ir prCcos muito baiatfnlw** commoilos pajra 10-
is, com tanto que O U!l"....
Muito superiores lavas de. pellica, pretas, bran-
cas e de n.ui Jindas cores.
Mui boas e bonitas -goHohas e pnrmos para se-
ul>jra, nesto genero o- Superiprcaieates dp tartaruga para coques.
Lindos e riqusimos eaeitca para cabecas das
Exnias. senhoras.
Superiores traneas' pret? de cores com vidn-
Ihos o un attawtttta tunada 4 que pode naver
de melhor entais bonito.
Superiores e bonitos loques de madreparola,
marim, sndalo e osso, sendo aquelles brancos
com lindos (ioscnUos, e- esfes- pretas.
Muito anperiaros nniias Uo de Escossia para se-
nhoras, aoiqu*oj5,siiinpro se vtndram pur 30*000
a duzia, entretanto |ue nos as vendemos por SOS,
atm dstas, temes tambein grande sortimento de
outras quaildad-is, entro a ;,!gumas muito
finas.
Boas bengalar- do sapiitior canna dn India e
castao de marfio com Itndaa e encantadoras figu-
ras do uiosno, nesto pene: e de melhor s*
pode desejar ; alm destas temas tambem granVi
quanlidado BeaMtraaqaHAades, como sejam, raa-
deira, baleia, u>so, bfiCBntta,tato ote. etc.
Finos, bonitos e airosos eiyeotinhos de cadei e
de outras cualidades.
Lindas e snporiores ligas de seda e borracha
par- segurar as amias.
Boss meias de, Batarpir^ sonoara e para meni-
nas de 1 a lannos de ittade.
Navalhas.cabo de mrrra e. tartaruga para.fazfr
barba; sao muito boas.e de mais a mais sao pa-
rar.lidas pelo fabricante, e nos por nono ve^ tam-
bem assegurami.s sua qnaliilade a delicadeaa.
.Lindas e bellas capelias para naiva.
Superiores a;rulhas para 'achina epara crox.
Li&tra muito-boa- peso, froaxa, para encher
labvrintho.
Done. barallH de cartas para, vol trele, assim
como os lentos para o cesmo tira.
Grande e vanado sortimento das raelhores per-
fumarias e dos mclhores e mais cunaocidos per-
fumistas.
COLAHES DE I10EH.
Elctricos mapituicos eottia as coavnlsoes, e
f/litaiti a. deatiee das innocentes enancas. So-
mos desde rflio -ecebedorts destes prodigiosi.-
collares, e 1.......kmhisos a reeehe-los por taoM
vapore-, :H; ... nunca faltem no mercado,
ton.< .. 1. assim pois (toderao Wpt-
vir ao deposita do gallo
vijjih 'ontrarn lestes verda-
deiros : .-s atlendendo-se a.' 5m
Puraque.:.a.. ,;, .. enderao com um mu;
dimmto hura.
Rogaiu, piia, r;:.- I ((.tos que deixaroc-
declarae i?. ssos li ..- e amigos a vreo
compr3i' poi :;"-ii< ( vhs loja do galio
vigilante, r, -. 7.
'v
CASA CAVIi h
Phar'moceiuico pi-i'vilegiQdo
RUfwswr
Bouir.taiit rxl...toi>ol, Sf> PARS.
NOVAS ESPECIALIDADES A. IV1ARIN1ER
TV lETP^n """'' '' fc''-''' *' I*--"''-. dc>o!.''':! do '..1I1 par
f!*cBtfv e ccrativa das MOLESTIAS COITitrUSiS.
t 1 \o!ump <> ma telciio, .. rviiHu d
I ll.TItO c SBH1NCA sui os
fraves iacnpnlc.i.2s o Yn-idci.
pata i/\n Com a turma, e de volme de ura Porte-.Moedt
tO I UJUd COTICNDO TODO 7RITAUBXTO.
COLLYKIO Contra as afleccois das palpebras,
prc|urado sob a mesma forma.
exlracjao dos dentes e operarles dentarias sem dores, todos os
dias uteis, das 10 horas at meio dia
PELO EMPREGO DO
PROTOXYDE D'AZOTE
oo gabinete do cirurgiao dentista FREDERICO GAbTIER
19Ena Nova19
0 qual. acbando-se relacionado com os mais celebres deotintas de Paris, adquiri
com filies, na ultima viagem Frat.-ra, o modo de preparar e empregar este excellente
anesihesico de que se pode sempre usar sem inconveniente algum, e prodoz iesengibili-
dade completa.
O mesmo aproveila agoecasiio para lembrar ao respeitavel publico que oo
seu gabinete curiiinua-so a azer tudas as etperacoes da sua arte e qollocar denles por
todos os systemas: com ouro, platina ou voicanite, egoado escasos.
Especialidad^ de obturages com ouro puro.
mi iras.
ui 11 m 11.
rame de ferro gaivanisado em rede para cercas, gaioks, galiinheiros etc.
Chapas de ferro gaivanisado para cobrir casa:.
Tachos de ferro estanhado para eogenhos.
Cofres de ferro de Milner e onlros autores.
Chumbo em cano.
Dito em lencol.
Dito em barras.
Dito em enxadas.
Estanto em barra e verguiatta.
FoWia de Flandres.
Arados americanos para ladeira e vanea.
Carrinhos de no.
Venezianas para janettes.
Machinas de desearo^ar f laodao'de fasaa
Ditas de serra.
Ditas para cortar fumo.
Ditr.s a vapor de forga da SJeavaltos e motores para teavlls, para nx-rer as
tiacriinss de algodo.
Cadeiras de ferro.
Camas do ferro.
Prensas para cepiar cartas.
Bataneas pr^ra pesar.
Oleo de Imhaca em latas de ferro.
Triiosde ferro para engenh.
Bombas amerieaoas. i
Macacos de estivar.
Bal.-incas e pe Foges de patente.
Eoxore.
Salitre.
Estopa larga e de boa quairaade. *
Picaretas para carainhos de ferro.
Um grande sortimento de ferragens 9 catuana.
BABTHOLOMEO l C
CASA CAUVIN A MABIH1ER
^* '**? a^ *T *V^ W lli,ulvar.l .
Depositario frtil para e BttA.MiL e PORTlCAaL
3, ma larga do Bosario. PERNAMBTJOO.
PhBi-maeouttco privilegiado
auceossor .
Houliivard Sebastopol, OS. PARS.
NOVAS ESPECIALIDADES A. MARINIER
Apreeatadas a Academia de ScieaeM e ao luslitulo de Franca.
JK>b (trina de patulla, rievrdjita e doseada para faser de
Sii
INuCuCAU Hoioenio una snlur..io PHEVHTIV4 ODttATITA das
MOLESTIAS CONTAGIOSAS
1EPTAB DU 1TUA dn v0,ume de um relo^io, servindo
nUfit 111UTfl LI Kv de Philtbo e Seung* sem os
GraTea inoonvenientes de fragiinade.
E3TGJOS
{-'*<"">7"_J]r.J"'.":CyO Cfira ffecrois das (jilpebrts, preparado sob a mesma forma.
( imb a forma, e do volame de um Porle-Moeda coitendo
iOBO TKATAME.NTO.
.bvpuMiai.os geral para o UUvSflaL, e PORTL't-AL
3i, ra larga do Rosario. PERNAMBOO.'
BAMH0L0IE04G
DAVID \\. BOWIHM
E1WEMHB0
Com fnndi^o
RA 00 BRUM 52
Passando o chafariz.
Chama a atteo$3o dos Srs. de eDgeaho para seus acreditados machintsmos e
noom especialidade para seus vapores qoe anda urna vez tem BJelborado.
Os -vapores fornecidos por elle e j fiunecionando Ihe bao de fazer aaelbor apre-
qa$So do qae qualgoer dito proprio.
Desejatambem mencioDar que ten feto una xedocco era seos procos; e floe
ten proBsptolorla a especie de maemismoe ontrosobjectos para a agrieultara.
Rraa i Enaid* n. 1.
Novo e \ariadc s.v i'.;iito de yerfnmari)
finas, e cutros objectos.
Alai do completo sortiniento de per!5.,
diarias, de que efectivamente est provid*
loja do Cordeiro PtefideBle, fla acaba
receber rjm ot!*-:i s.-rmenio qne Betn?,
aotavl pel; v;ri.il dade, qualidades ocoaniomdaM e p
eos; assim, pola, o Cordero inevidente p
9 espera continuar a merecer a aprec
do respeitavel publico em gerai e de
boa tranmia empartrcKlri', tn sa
taedo elle de sua bem coahecnia mar-sio.*
a baraiesa. Em dita teia MoontrarSi' :
ipreciaderes do bom:
Agoa divina <3e E. Coudray.
Dita verdadeira de Mnrray 4 Lamman.
Dita'de Cologne iglez, americana, .
ceza, todas dos melhores e mais acreditad;
fabricantes.
Dita de flor de iarangeiraa.
Dita dos Alpes, e vilete para toilet.
Elixir odontalgico para cc^Eerva';ao 4
isseio da bocea.
Cosmeriques de superior qnalidade e c.
ros agradaveis.
Copos e latas, msiores e noawes, cc-
pomada fina para cabello.
Frascos com dita japoueza, transparen.
e ostras qualidades. /
Finos extractos inglezes, itiNriaftoi
francezes em frascos simples eenfeit
Essencia imperial do fino e agradare! c
ro de violeta.
Outras concentradas e de cheiros ignii
mente finas e agradaveis.
Oleo philocome verdadeiro.
Extracto d'oleo de superior quididad;
:om escolhidos cheiros, em frascos dodiL'v
rentes tamanhos.
Sabonetes em barras, maioreu e mencr-,
para maos.
Ditos transparentes, redondos e 6m Sgr; -
ras de meninos.
Ditos muito finos em caixinha para barb:
Caixinhas com bonitos sabonetes imiUac >
fructas.
Ditas de madeira invernisada conten fie I
oas perfumarias, muHc proprias para pr
lentes.
Ditas de papelao iguanente bonitas, tea
bem de perfumarias finas.
Bonitos vasos de raejal coloridos, e A
moldes novos e elegantes, com p de x?>
e boneca.
Opiata ingleza e fraaceza para dentos.
Pos de camphora e outras diflercat ,
qualidades tambem para dentes.
Tnico oriental de Kemp.
Alada .aaats ocjae*.
Ura outro sortiraento de eoquos vos e bonitos moldes com fiiats de vidrilL
e algunsd'elles ornados de kires e'fit
esto todos Texpostos -apreciacao de (roe,
os pretenda comprar.
GOLLINHAS E PNHOS BORDADOS.
Obras de muito gasto e perfeicao.
Flvellaa e Utas para etaaba*.
Bello e vanado sortimento de-taes obji4
las, ficando a boa escolhaao posto do coi
prador.
Cabellos
Vendaia-Be cabellos de todas as cwes, qaalmwr
comgrimento, qnabdade superior, em aixa t
porcao mais pequea : na roa 4a Cade o Re-
ate n. SI, Pandar.
Vende Joaqnim Jos 1 Ranos: na roa da CrtK
n. 8. andar.
Lindos e rtes de percales a 18*600 rs. a ra
do Crespo n. 25, loja da esquina.
Vende-se farinha amito boa vtnda da B2hia em
saocoa de lgodao : nos arnfezens da Cotnnar
Pernambucana e trapiche do Coaha : a tratar nos
ruesmos.


le Pernambuco Quarta feira 7 de Setembro de !870


AS

i GERAL
-~
CMARA DOS DEP
Discurso pronunciado na sesto
agosto, pelo Sr. desembargador
Cavalcartte* sobre o projecto de re/
da lei de 3 de dezembro de 1841.
( Concluso,)
Esla provideuca, Si. presidente, e
a considero in bem, aies me parece que
ella presta-se a maores abusos e escla-
los. Vira\) as testemonlns falsas, *>&.
ceis de se em encontradas, tirar a re>;> m-
sabilidade do funecioaario que ordenar a
priso injj.^ta. Ao men^s aclualineute a au-
toridade que ordena a prisio sem culpa for-
mada, tm a responsabilidade moral, e pode
ser responsabilisada legalmente ; mas q lan
do o seu acto tiver por escodo os dous
depoimentos falsos, a immoralidade Mri
maior e a responsabilidade nunca se far
effectiva ha de cess- No nos Iludamos, senhores. Emquanlo
nao se arrancar das raaos da polica essa
arma perigosa da piis3o sem culpa formada
para da I-a a juizes, que offerecaro basisnte
'garanta de ind*pendHnca e irxparcialidade,
nada teremos feiio para que cessem os: bn-
sos contra a liberdade individual.
tlh di\ersos apartes.)
Assegurem-me que n3o ha abusos, e eo
ante- quero a lei de 3 de dezembro.
Estando o projecto 15o deficiente nos pon-
tos que, quanto a mira, sao,os mais impor
lantes, e reclamam prompto remedio, ne-
go-lhe rodandainente o meu voto.
N3o entro, Sr. presidente, na aprechiQao
de algumas disposicoes, que em meu con-
ceito trazern algum melhoramento legi-la
Cao actual, porque as considero de impor-
tancia secundaria, e como que destinadas a
encobrir o que ha de vasio e m o no pro-
ject i, em seus pontos essenciaes. Eu nao
desejo nem heide concorrer de m"do algum
para refirma i que, tendo vso< de attender
s queixas do paiz acabarlo por deixal-o
no mes, mosn5o em peior estado.
Sinto exprrair-m3 nestes termos a res-
peito da um trabalho feito pelos met, il-
lustres collegas, t5o superiores em talento
e conhecimentos. e aquem tributo a maior
no estado
tronxe a Tt0 me obriga-
r a tomar a segunda vez para sup-
pr.r as lacunas do meu primairo discuto.
Vozs/Multo beir.
O Sk. Fehreiba Vianna :Fallou como
um magistrado quo conheca a materia pra
camente.
avenl
do p<
TEXTO DO DECRETO PUBLICANDO A
INFALLIB1LIDADE DO PAPA.
Pi Bispo, servo dos servos de Deus.
O eterno pastor, b'spo de nossas almas,
para perpetuar a saudavel obra de sua re-
dempgUo resolveu edificar a santa.igreja,
dentro da qual, como na casa de Deus vivo,
todos os fiis permanecessem unidos pelo
vinculo da m^sma f e da mesma caridade.
Pelo qual motivo antes de ser glorificado,
rogou a seu pai, n5o s pelos apostlos,
mas tambera por aquellos qne, pela p:>ga-
Co (lestes,, deviam crer nelle, para qne lo
dos f sstm um, como saj tambera dcj oFi-
Iho e o Pai. Da mesma maneira, pois, que
Elle envin os seus apostlos qne havia
elegido no mundo e foi enviado por seu Pai,
considerado. Mas emendo que devo, an-
tes de tudo, ser sincero na manifestad) de
minbas opin5c3, sem que baja de minha
parle o menor desejo de oTeoder a quera
quer que seja.
Nao me occupare lambem das emendas
que so acham sobre a mesa, porque ellas
escapara ao pout) de vista sob o qual eoca-
roi o projecto. Direi apenas, i respeito
de urna della, que dar-lbe-hia o raeu voto
se n3o tivesse de fazer parte de um odo,
que eu condemno em seus pontos essen-
ciaes. Essa emenda a que se refere
orgaDisacJb da magistratura, pr-pondose
assegura-lhe a independencia, e regular as
pro.nocoas, aposentares e incompatibili-
dades
Nao justifiearei as diversas ideas que
apoio cuntidas era tal emenda, nao s poi-
que nao houve impugnado a que eu de-
vesse responder, corao tambem porque se.
ria antepr-me ao abalisado jurisconsulto e
ao douto magis'rado que as pronuzeram
Liraio-me. Sr. presidente, a declarar que
estou de perfeito acardo cora elles, e nao
novo.em raim este modo de pensar. J
lia muitos annos, quando nasla casa se pro-
poz a incompatibilidade absoluta da magisj
tratan pe primein vez, apezar de reco-
-hecer a conveniencia de trazerem para
aqoi as suas luzes e experiencia alguns ma-
gistrado, nSo hesitei em sacrificar esta
conveniencia outra quejulgo muito maior:
a completa independencia dos juizes. Vo
i eolio pela incompatibilidada, eu o ni-
co juiz que Ibedou o seu voto .
O Sr. Ferreira Vianna e outros Srs
imputados :Isto faz-lhemuita honra.
O Sr. choa Cavalcante :Contin jo
as mesmas ideas, manterei o meu voto ara
todas as occasioes que houv-r de m 'iiifes-
lar-me.
Sr. presidente, j l v3o dous annos q ie
nos tra raos de fazer raformas. Esta se-
gunda sess3o est quasi a acabar, e apenas
estamos cora est* projecto que. se passar
como est, mehor seria qne nao passasse.
Outros projectos teem sido apresent dos,
tendo em vista reformar diversos ramos
da adraioistracai; mas n) sei porque nao
teem sido adiantados, e nada est feito.
Entretanto urge que se fagam essas refor-
mas, pelas quaes todo o paiz boj-) clama.
necessario que, quando sahirmos desta ca-
assim tambem quiz que bouvesse pastores
e doutores na sua igreja'at a consummaclo
dos seculos. Porm,5' para que o episco-
pado fosse um e indivisivel, e a universali-
dade dos fiis se conservasse na onidade da
f e da communlio por sacerdotes unidos
entre si, collocando o bem ^enturando Pe-
dro superior aos dema3 apostlos, Deus
mstiiu o em sua cabeca o principio perpe-
tuo e o fundamento visivel desta dupla
unidade atira de que sobre sua solidez fosse
levantado o templo eterno, esobre a firme
za inquebiantavel de sua f fosse erguid o.o
sublime edificio da igreja que deve chegar
at ao co. E como as portas do inferno se
abrern em todas as parles com furia todo?
"S d ;s inaii augmentada, contra o funda-
mento da igreja, divnamele estabelecido.
para destrui-lo se poder, nos jnlgamos, e o
sagrado concilio approra, que indispensa-
vel para guarda. salvac3o e accrescentamen-
to do rebanho catliolico, propr crenca e
conserva,Su de todos os liis, e conforme a
aulig e constante f da igreja. universa!, a
doutrina sobre a instituicSo, a perpetuidade
e a nalureza do santo primado apostlico,
no qual estriba sua forca e solidez toda a
igreja; e de proscrever e condemnar os
errj qna Ihe s5o contrarios, erros 13o pre-
judiciaes ao rebanho do Senbor.
CAPITULO I.
Dainstituico do primado apostlico em a
pessoa do beinaventurado Pedro.
Nos ensinaraos e declaramos conforme
aos testemnnhos do Evangelho que o pri-
mado de iurisdiccSo sobre toda a igreja de
Deus foi immediata e directamente promet-
lido a coiftrido por Nosso Senhor Jess
Curisto ao bemaventurado apostlo Pedro.
Com effeito, s a Sim3o disse : t T sers
chamado Copbas, depois que elle fez a
(i constitui-
pnneipe dos
a a igreja
iro nio rece-
e imraediatamente de Jasas
Nosso Senbor mais qneum primado
onflcoenlo de verdadeira e propria
jonsdicclo, seja excommungado (anathma
CAPITCLOn.
Da perpetuidade do primado de Pedro nos
pontfices romanos.
T s Christo, Filho de
FOLHETIM
i VIVA DlrOIS DI M0RT.1
POR
Xavier de Montpin.
sua confissao
Deus vivo A Simo s dirigi o Senbor
esias palavras: Bemaventurado s, Si-
m3o, filho de Joo, porque n3o foi a carne
nem o sanguc quem t'o revelou, mas mea
Pai que est nos cs: e Eu te digj que t
s Pedro a sobre esta pedra edificarei a m-
nha igreja, e as portas do inferno n3o pre-
valecern contra ell i; e Eu te darei as
chaves do reino dos cos, e tudo o que t
ligares na ierra, ligado ser tambem no
co, e tudo o que t desligares na trra,
ser desligado tambem no co Tambem
s a Simio Pedro conferio Jess depois da
sua resurreico a jurisdicc3o de pastor su-
premo e guia de todo o seu rebanbo, dizen-
do-lhe : Apascenla meus cordeiros, aps-
tenla uiinhas ovelhas. A esta doutrina
tao maaifesta das sagradas escripturas, tal
como sempre a entendeu a igreja catholica,
sao manifesiamenle contrarias as opini5os
dos que. mudando a forma de governo cs-
tabelecida na sua igreja por Christo. Sentnr
nosso, negara que s Pedro lenha sido por
Christo instituid j em verdadeiro e proprio
primado de jorisdiccao sobre todos os ou-
tros apostlos, ou separados, ou reunidps,
ou os que affirraam que este primado n5u
foi conferido iramndiata ou directamente ao
bemaventurado Pedro, masa igreja, quelh'o
transmille como a 6eu ministro.
8a alguem portanto dissr que o bem-
P.IKX." SEGUNDA.
O HORSCOPO
(ContinnaeSo do n. 201;.
XXIII
Francisca Aryac.
A casa onde ent'ou Saint-Maixent -eslava
mobiliada com simpleza quasi excessiva,
mas ao mesmo tempo com ordem eMimpe-
za admiraveis.
Aquello modesto e rustico albergue teria
formado um singular contraste se o com-
parassem com a cmara encarnada, ebeia
le trastes exquisitos e de instrumentos ca-
balsticos, onde Simoa Baymando dava as
suas consaltas e fazia os seus progoosticos
na ra da Lanterna.
Quem attendess8 n'aqjuellas branquissi-
mas p redes catadas, as cortinas de. pani-
nho cinzento com grandes ramos de flores,
na m jsa de nogueira, no sobrado cuidado-
samente lavado, e em summa na modesta
praleleira onde se mostrava o servico de
basta looca cora vivas cores, tjuem atten-
tasse em todo isto, diziamos, nem por som-
bras- coidaria que a dona d'esta casa fdsse
urna grande criminosa, cuja fama sinistra
havia de conservar-se em Pars por muitos
annos.
Dissemos que o marquez vesta um falo
muito simples e de cor escora, cuidando
que parecera assim algnm lavrador mais
remediado ; conservava, porra, e apezar
de lado o seo ar de gr3o senbor, e Simoa
tinha muita experiencia para nao conbecer
logo priraeira olhadella que eslava em
presenta de um fidalgo.
Todava, ama Vez que o fidalgo se dis-
fargava, era de cerlo para occoltar a sua
classe, e a parteira n3o deu a entender a
descoberia que fizera; offereceu-lhe um
banco, ass;ntand,)-se ella n'outro, e foi di-
zendo ao mesmo tempo:
Estou s suas ordens.
A seuliora parteira, nao verdad ?
perguntou o marqivz.
Quem loe disso o meu nome e o sitio
onde vivo, tambem o havia de informar do
meu officio.
Informaran) me, effdctivamente, ac-
crescentando os mais lisongeiros elogios
acerca da sua habilidade.
Nao mereco esses eiogios; tent cum-
prir a minha obngacao o melhor que posso
i e mais nada.
Segundo parece estudon e oble ve os
seus ttulos em Pars ?
Simoa fez cora a cabera um signal affir-
mativo.
Por consegrante, conlinuou o mar-
quez, sebe da sua arte bem fundo ; n3o
me basta, porm, isso.
Ent3o que mais precisa ?
O segredo.
essa exactamente a primein e prin-
cipal condico do officio que exerco. Pode
ter em mira a mais absoluta confian?a.
Te-la-hai, mas quera ontra caraotia
Qual ?
Vira de muito longa para tratar com-
sigo de um assumpto da maior importancia,
e pode esiar certa de que os seas servicos
ser3o largamente recompnsalos.
Saint-Maiient puxou por urna bolsa bem
replecta, e prosegu a depois :
Q'iero, porm, que me jure prmeiro
por tudo quanto ha de mais sagrado que
guardar o sygilo e que j)3o revelar
ninguera o que Ihe vou confiar. Faz esse
jurament > ?
Nao tenho inconveniente ; repito Ihe,
porm, que escusada, porque mesmo sem
jurar, sei guardar um segredo.
i- E que se trata de cousas gravissimas,
e eu vou por a minha cabeca as suas
los.
Pois bem
* ..euessario que aquiiio que o Prncipe
dos pastores, e Pastor Supremo das ovelhas,
Nosso Sanhor Jess Christo, estabeleceu na
pessoa do bemaventurado Pedro pana a
perpetua sal vacio e permanente bem da
igreja, subsista constantemente por elle tam-
bem na igreja, que fundada sobre a pedra,
permanecer firme at ao fia dos seculos.
Para ninguem duvidoso, e bem longe dis-
so um /acto notorio em todos os seculos,
que at aos nossos dias, e sempre, o santo
e bemaventurado Pedro, principe e cabeca
dos apostlos, colomna da e fandomento
da igreja catholica, que recebeu de Nosso
Senbor Jess Christo, Salvador e Bedemp
tor do genero humano, as chaves do reino,
vive, reina, e julga em seus successores os
bsposda santa s romana, estabelecida por
elle, e consagrada com seu sangu.
Por isso qualqu t que succeda a Pedro
fiesta s recebe, em virtude da instiluicio
do mesmo Josus Christo, o primado de Pe
dro sobre a igreja universal. A economa
da verdade permanece, pois, e o bemaven-
turado Pedro, conservando sempre a solidez
da pedra que recebou, n3o deixou o encar
go do governo da igreja. Por esla razSo
foi sempre necessario que toda a igreja,
isto a universalidade dos fiis espalhados
por t idas as partes, eslivesse unida igreja
romana, por causa do seu principado proe-
minente, para que, unidos como os mem-
bros, sua cabeca. nessa cadeira d'onde so-
bre lodos enisnam os direitos da veneravel
communidade, nao formassena mais que um
.- e mesmo corpo.
Portant, ss alguem dissr qua nao por
instiluicSo de Jess Christo, ou de direito
divino, que o bemaventurad i Pedro tem
successores perpeiuo>, no primado sobre
loda a igreja; ou que o pon.iflce romano
nao o successor do bemaventurado Pe-
dro no mesmo primado, seja excommun-
gado.
CAPITULO III
Da natuma e carcter do primado do
pontfice romano.
Por isso, apoados nos tesiemunhos ma-
nifestos das sagradas escripturas, e firme-
m ;nte addictos aos decretos formaes e cer-
tos, assim de nossos predecessores os pon-
tfices romanos, como dos conilios geraes,
nos renovamos a definc3o do concilio ecu-
mnico de Florenca, em forca dos quaes
todos os chrsiSos esi3o obrigados a crr
que a s rata s apostlica e o pontfice ro-
mano o successor do bemaventurado Pe-
dro, prncipe dos apostos, verdadeiro vi-
gario de Jess Christo, cabeca de toda a
igreja, pai e doutor de todos os christ3os,
a quem foi confiado por Nosso Senbor Je-
ss Christo, na pessoa do bemaventurado
Pedro, o pleno poder de apascentar, reger
e goyernar a greja universal, segundo se
cootm as actas dos concilios ecumnicos e
nos santos caones.
Ensinamos, pois, e declaramos que a
igreja romana, por instimic3o divina, tem o
principado do poder ordinario sobre todas
as demais igrejas, e que este poder da ju-
risdiccio do romano pontfice, verdadera-
mente episcopal, inmediato; que os pas-
tores e os fiis, todos e cada um. quaes
quer que sejam seu rilo e dignidade, Ihe
esto sujeilos pelo devar da subordioac3o
bierarchica e de ama verdadeira obedien-
cia, nao s as cousas que pertncem f
e aos costumes, senao tambem as que res-
peitam disciplina e ao governo da igreja
estendida por todo o.universo. de modo que,
guardando a unidade, seja de communh3o,
seja de profiss3o da mesma f, com o pon-
tfice romano, a igreja de Christo um s
rebanho com um s pastor supremo. Tal
a doutrina da verdade. catholica, da qual
ninguem pode apartarse sem perder a f e
a salvaco.
Porm longe de prejudicar este poder de
soberano pontfice o poder ordinario e im-
mediato de jurisdieejo episcopal, em caja
virtude, os bispos que, estabelecido* pJo
Espirito-Santo, succederam aos apostlos,
apascentam e regem como verdadeiros pas-
tores cada um o rebanbo particular confia-
do sua guarda, este poder est proclami-
do. confirmado e con
rao e
vras d-
a honra da icrej
^^^a^B^B^aa
. i as |
Minha
que
joro perante Deas guardar
absoluto silencio respeito de tod o
me disser e nSo o revelar ninguem !
0em. Agora estou descansado.
Diga ent3o o que deseja.
O marquez tinha o sea plano combinado,
e em lom natural, sem a menor violencia,
recitoo a seguate fbula :
Como do meu fato ba de ter inferido
sou de baixa coodicao ; possuo, porm, orna
grande fortuna. Arrastado pela mais vio-
lenta das paixes que obrigam urna pessoa
a esquece,-se de tudo, correspond mal
confianca qqe um anciao e fidalgo se dig-
nava de me conceder. Seduzi-lbe no pro-
prio castello sua filba nica, menina de de
zeseis anuos. Bem v que n3o oceulto o
meu erro e que nem se quer ouso attenuar
a villana do meo procedimento.
- Saint-Maixent, como que vergando sob o
peso da vergonba, ( tapou a cara com as
raaos e fes omgeslo'qae Ihe invejaria o me-
lhor actor.
Continu, disse Simoa.
O raeu crirae esteve oceulto por al-
guna tempo ; mas agora ebegaram as coasas
tal ponto, que a donzella quem amo,
e por quem. dara al a ultima got de
sangue, est em vesperas de perder a honra
e a vida, porque o "seu erro, que o meu,
em brew se evidenciar para toda a gen-
te...
T-llas, disse Simoa interrompendo-o,
quer-me parecer que a situac3o nio 13o
desesperada como o senbor cuida. Esse
erro pode emendar-se recorrendo ao ca-
samento.
sou honrado verdaderamente, quando a
ninguem se recasa a honra que Ihe de-
vida.
Deste poder suprera > do pontfice romano
de governar a igreja universal, resulta-lhe
o direito de commuaioar livremeote no
exercicio do seu encargo c >m os pastores e
rebanhos de toda a igreja, para que pos-
sam ser instruidos e dirigidos por elle no
caminho da salvacSo. Por isso nos con
demnamos e reprovamos as mximas dos
que dizem que esta coiaiTionicacio do Chefe
Supremo com os pastoras e os rebanbos
pode ser licitamente imped da, ou a fazem
depender do poder secular, pretendendo
que as cousas estabelecidas pela s apost-
lica ou em virtude de sua autoridade, nao
tem valor em quanto nao f irem confirmadas
pelo consentimento do poder secular.
E como o pontfice romano, pelo direito
divino do primado apostlico est estabele-
cido sobre a igreja universal. Ensinamos
igualmente, e declaramos que elle o juiz
supremo dos fiis, e que pode recorrerse
a seo juizo em todas as causas que sao da
competencia ecclesiastica; que pelo contra-
rio o juizo da s apstol xa, soore o qual
n3o ha nenhnma autoridade, no pode ser
reformado por ninguem, e a ninguem li-
cito julgar seu juizo. Apartase, pois, do
caminho re;lo da verdade, todo aquello que
affirme que se pode appellar dos juizos dn
soberano pontfice pa'a o concilio ecumni-
co como a urna autoridade soperior aopin-
tifice romano. >
Portanto, se alguem dissr que o romano
pontfice e tem a seu cargo a inspecc3o n
a direccSo, e nao o pleno e supremo po-
der da jprisdicco sobre a igreja universal,
nao s as cousas que atlingem f e ao$
costumes, como lambem as que pertncem;
disciplina e ao governo da igreja, derra
mada por todo o universo ; ou que tem uni
camento a parte principal, e n3o toda a plej
nilude desse poder supremo, ou que esse
poder n3o Ihe pertence, n3o ordinario e
immediato, assim sobre todas e cada urna
das igrejas como sobre todos e cada um)
dos pastores e dos fiis, seja excommon-l
gado.
CAPITULO IV.
Do magisterio infallivel do Soberano Ponti
fice.
Esta Santa S creou sempre, o costum>
permanente da igreja prova, e os mesmo;
Concilios ecumnicos, sobre tu lo aquella
em que o Oriente se una ao Occidente n
unio da f e da caridade, teem declarado!
que o poder supremo de magisterio est
comprebendido no primado do apostlico
que xo Pontfice Bomano possue sobre a,
igreja universal, era sua qualidade de suc-
cessor de Pedro, principe dos apostlos.!
Por isso es padres do quarto concilio de
Constantinopla, segurado as pegadas de seos
predecessores emittiram esta solemne pro-
fiss3o de f: t A salvacSo depende antes de
tudo de guardar a regra da verdadeira f.
E como a palavra de Nosso Senhor Jess
Christo, drzndo : Tu s Pedro, e sobre esta
pedra edificarei a minha igreja, nao pode
ser urna palavra van, foi comprovada pelos
fados pois sempre na Santa S couser*ou-
se immaculada a religi3o, e se ensinou a
santa doutrina. Desejando, pois, n3o sepa-
rar-nos em cousa nenhuma da sua f e sua
doutrina, esperamos ser dignos de perma
necer na nica commonh3o que prega Sa
a sostolica, na qual se acha a completa e
verdadeira sollidez da religi5o christSa.
Com a approvac3o do segundo concilio
de Lyon, os gregos professaram: Que a
Santa igreja Bomaoa tem a soberana e o
pleno primado sobre a igreja catholica uni-
versal, principado, que esta reconhece em
toda a verdade e humildade, com a pleni
lude do poder, do Senhor mesmo na pessoa
do bemaventurado Pedro, principe ou cabe-
ca dos apostlos, de quem successor o
Pontfice Bomano, e assim como el a est
obrigada, mais que nenhuma ontra, a de-
fender a verdade da f, assim tambem,
quando se susritam questoes relativas f,
devem ellas ser decididas por sea jniso.
Finalmente, o concilio de Florenca defini :
Que o Poniifice Bomano o verdadeiro
vigario de Christo, cabeca de toda a igreja,
pai e doutor de todos os christos, e que a
elle, na pessoa do bemaventurado Pedro,
foi dado por Nosso Senhor Jess Christo o
pleno-poder de apascentar, condazir e go-
vernar a igreja universal. Para desemp -
ios predea : '
ti na de Clirist di
ierra, e velaram
conserva-la pon e sem a
as parles onde foi recebida. P asSo,
os bispos de todo o oni 'erso, ora dispersos,
ora reunidos em synodos, segundo o longo
costoOie das igrejas e a forma di antiga
regra, tiyeram sempre cuidado- de signalar
a esta S apostlica os perigos qae se apre-
sentsvam, sobre tudo em pontos de f, para
que,fls damoos a esta causados encontras-
sem o seu soberao) remedio oode ella n5o
pode vacillar. Os romanos Pontfices, por
sua parte, segando aconselhava a cndilo
dos lempos e das cousas, urnas vezes con-
vocando concilios ecamen'cos, oulras con-
sultando a igreja espalbada pelo universo,
j por synodos particulares, j por outros
meios que a Previdencia Ibes subminislrava,
definiram que en necessario manter sompre
o que, mediante o auxilio de Deas, havam
reconhecido ser conforme s Sagradas Es-
cripturas e IradicSes apostlicas. Com ef
feito, nSo foi promettido o Espirito Santo
aos successores de pedro, para que pnbli-
cassem, segunde suas revelarles, urna nova
doutrina, sen3o para que, cora assistencia
do mesmo, guardassem santamente, e fiel-
mente expnzessem as revelac5es transmilti-
d.s pelos apostlos, isto o deposito da f.
Todos o venen veis padres abracaram e
todos os santos doutores orthodoxos acata-
ram e segurram sua doutrina apostlica, sa-
liendo perfeitamente que esla cadeira de
Pedro permanece sempre sonta de todo o
erro, segundo esta divina promessa feita,
pelo Senbor, nosso Salvador, ao principe
de seus discpulos: t Eu roguoi por t para
que a loa f nao falle, e tu, quando estve-
res convertido, confirma a t^us irmos.
O dom da verdade e da fe que nao des-
fal.ece, foi pois divinamente concedido a
Pedro e a seos successores nesta Se, afim
de que desempenhassem sempre o em nente
cargo da salvado de todos; afim de que
todo o rebanho de Corislo, apartado p r
elles" dos pactos venense s do erro, fosse
nutrido m doutriaa celestial; afim de que,
tirada toda a causa de scsma, se conser-
vasse toda a gaeja na unidade, e firmada
era seu fundamento, se conservasse inabal-
layel contra as portas do inferno.
Na presente epocha, pois, em que ha
mais que nunca necessidade da saudavel
eflkaeia do corpo apostlico, e em que se
acham n3o poneos homens qne lidam por
abater a sua autoridade. julgaraos ser de
loda a necessidade aflirmar solemnemente
a prerogativa que o Filho Unignito do Deus
se dignoa juntar ao supremo officio pasto-
ral.
Por
LMrom
tranquilidad*
isso, nos, adherindo fielmente tra-
dc3o que sobe at ao principio da f chris-
ta, para gloria. de Deus, Sattfador no?so,
para exaltacSo da religi3o catholica, e sal-
varlo dos povos rhrisl5os, ensinamos e de-
fliimos sacro approbante. concilio, que
um dogma divinamente revellado, qae o
romano Ponifice, quando falla ex cathedra,
isto quando prehenchendo o cargo de
pastor e doutor de todos os christos, em
virtude de sua suprema autoridade apost-
lica, define que urna doutrina sobre a f ou
os costumes deve ser professada pela igreja
universal, gosa plenamente, pela divina as-
sistencia que Jhe foi promettida na pessoa
do bemaventurado Pedro, d'aquella infalli
bilidade de que o divino Bedemptor quiz
prover a sua igreja ao definir sua doutrina
no qu8 respeila f e aos costumes: e por
consegrante que estas definirles do Pontifi
ce Bomano s3o por si mesmas irrefo mavsis,
e n3o em virtude do consentimento daigreja.
E se alguem, o que Deus nao permuta,
tiver a temeridade do cratradizer nossa de-
finirlo, seja excommungido.
Dada em Roma em sesso publica cele-
brada solemnemente na Baslica Vaticana,
dia 18. de julho do anno da Iucaruaco do
Senhor 1870, vigsimo quinto do nosso
Pontificado.
VARIEDADE
A Harselfresa.
Nem pensar n'isso I bradoa Saint-
Maixent. Esquece-se de que son plebeu,
ou n3o sabe dos preconceitos da nobreza ?
O velbo fidalgo era mais capaz de matar
elle proprio sua filba, que de consentir ex
semelbante casamento, que mistarva o fi-
lustre sangue dos -seus antepassados com o
de um vilio rico.
roubar a menina.
Isso agn acbo eu de todo em todo
impossivel. O pai tem Ilimitada influencia,
e pode dispr de toda a polica de Franca;
seremos apanbados era qualquer parte para
onde fujamos.
V-para o eslrangeiro.
A sua ira e a sua vin?anca erara ca-
pazes de nos seguir at ao fim do mundo.
Mas entao, ponderou Simoa, que pos-
so eu fazer em ludo isso Dga-me o se-
nhor. que eu em verdade n5o adevinho.
A mnba salvacao est as suas
maos.
Como ?
Impedindo qoe venha ao mundo a
crianca, redarguio Saint-Maixent erm voz
muito sumida. Sei que existem certas be-
beragens mysteriosas, cojo effeito seguro.
Venda-me o segredo de urna d'essas bebi-
das, e exija a senhora que preco exigir,
paga-lo-hei immediatamente.
Simoa levantou-se cora a ira e o despteso
pintados no semblante.
Ah I ah 1 creio que principio a enten-
der bradou ella. Veio c proporme um
crirae.'
; Um crme, redarguio o marquez com
a maior exaltac3o. Pdese dar esse nome
Dma acc5 que 13o fcilmente se justifica ?
N3o vale cem vezes mais sacrificar urna
creatura insensivel, urna creatura que nc
chegou ainda a viver, que desamparar
morte inevitavel, urna menina adorada e
cheia de perfeigoss ? Sepetimo lh'o, juro
at, seu pai n3o ter piedade, nada basta-
r para o abrandar, nem lagrimas nem
suppbcas. Salve-a, pois, da mora, em
nome do co, salve-a I
A' costa de um infanticidio! Nunca I
Eoganoose na porta. Quem cuida que
sou eu ?
C"^0 ^ae a mnlher mais caritativa
do mundo, e o qae eu peco em acto de
canlade; a ventora, o porvir dos d ras
uantes que so adoram est3o as suas
m3os, porqoe em morrendo o velho fidal-
go caso com a minha amada. Por conse-
grante, a sua recusa pode arrojar-nos ao
salva-Ios, per-
Nenhum pe-
O celebro hymno. republicano ecboa oes-
te momento d um a cairo ngulo da Fran-
ca. As legies ap'-est.im-se, e o enthusias-
mo indescriptivel, Quam sabe se a estas
horas a metralha ter j varrido as filas
fran:ezas e prussianas, composta de ho-
irapassivel e desde-
Nio me toca mim
dendo-me ea propria
Perdex-aot Que diz I
rigo [ide haver. O favor que Ihe peco
ninguem mais o saber, e eo n3o irei de
certo delata-la. Como havia de perde-la ?
Vamos, pense bem ; a senhora pobre e
eu sou rico Diga um sim, responda affir-
inativamente, e farei a sua fortuna, id
fortuna com que possa viver em posic3o
desafogada at aos ltimos das da sua ve-
inte,
Simoa conlinnava
nhosa.
Tenta em vSo seduzir-me, responden
ella. Ainda que roe offerecesse tudo quin-
to possue e muito mais, arada qoe podesse
dar-me riquezas fabulosas, e enchesse de
ouro esta cabana, eu n3o rondara de reso-
liiCSo. Urna e mil vezes me negara a fazer
o que deseja. Prefina morrer a commetter
a infamia qoo me prop5e. Betire-se, pois
e ea me esquecerei da sua vioda aqu; mas
dfi-se pressa era sahir, porque se aqui per-
manece mais tempo, lembrar-me-hei taivez
do meu dever, e esse dever impe-aie a
obrigacSo de o denunciar aos magistra-
dos.
I a sua ullima deciso ?
o parquez.
Nio, a ultima esta : saia d'aqu 1
Expulsa-me'?
Expulso-o, e tenho direito para isso ;
\.i casa minha. Sou pobre, verdade ;
le iho, porm, horror ao crime, e despreso
al ament os qua, forca de ooro, qoerera
adquirir cmplices.
Fez-se um pequ ;no silencio depois d'es
tai; palavras.
Saint-Maixent tinha-se levantado, e cru-
zado os bracos sobre o peito, poz-ie a en-
carar com modos chocarreiros a ex-bruxa
da roa da Lanterna. Entreabra-Ihe ao
mesmo tempo os labios um estranho sor-
riso.
A parteira estremecen, sem saber porque,
sob o peso d'aquelle olbar e d'aquelle sor-
riso. Prracipiava a adevnh.-r vagamente
que nSo se acabara ainda tudo enlre aquella
homem e ella, e que talvez succedesse o
quer que fosse de inesperado e terrivel.
Bravo, minha filha, bradoa de repente
nove, a diploma-
cia vai cedeodo 6 campo aojdireito de for-
ca porque Ihe impossivel manter t for-
ca do dir
E todava, nio sio de boje nem de bon-
tem estas aberracSes, esUs^rbttrariedaee,
este absolulo pqo... de mais longa dau
teem viudo at nos...
N3o fazemus um artigo de poltica exter-
na. nicamente vimos dizer ao leitor
que o n3o sabe, a origem d'aqoelle hyaM'
que todos, pelo menos, conhecem de nome,'
o que Taz anda pular de eothusiasmo todo
ocoracSo repablieaoo, quando se oave
aquello energ.co
Allons, enfantt de la patrie!
A sua origem curiosissima. Nascea
espontaneo, e brotoa enthasiastico da iau-
gioagio fecundada de um moco oficial, que
mais tarde, fugindo para o exilio, descooke-
cia a letra e a msica, qae em horas, senao
de ventura, pelo menos de
perfeita, havia creado.
Vejamos.
Eraem 1792.
Fazia parte da guarnicio de Strasbargo
um moco official de arlbera, por nome
Rauget de lisie. A natureza dotra-o ge-
nerosamente, fadando-o poeta e msico.
A alia sociedade de Strasbargo franqaeava-
Ihe as suas salas, e o moco official era
sempre bemvindo e festejado pelo sen du-
plo talento.
Era matre de Strasburgo, ha 78 annos,
um bom velbo, honrado homem, de antiga
tempera, d'aqualles caracteres rectos e in-
'eiros, dos quaes nos dizemos d ante que-
brar que torcer. Bauget aprasia-se n i con-
vivencia do bom velho, chamado Dietrick,
patriota alsaciano, 6 cuja familia se com-
punha de esposa e doas filhas, Era esti-
mado e respeitado por aqnelle e amado por
estas, com aquello amor de irm3o, desio-
teresssdo e paro, que o talento sabe cap-
tar, quando o talento se conduz nobre
mente. t*
Muias vezes o fuluro compositor da
marselheza soltava os vos imaginacao,
e deliciava as suas forroosas hospedeins
com os mimos do seu talento de artista.
O invern de 1792 ia em mais de meio.
A foace acoitava a bella cidade de Stras-
burgo, aquellos dos sens habitantes rae-
nos prvidos de meios, viam-se i bracos
com a miseria. A casa de Dietrick era po-
bre, porm a sua mesa, apesar de frugal,
sempre franca e patente a Bauget de ITsle.
E o moco official nunca falUva. Traba
um logar permanente no centro da esposa
e filhas do maire, qoe o consideravam co-
mo irm3o, e que Ihe quiriam mais do que
se o fosse. A forca irresislivel da sympa-
th i a I
N'uma /riglssima noite de dezembro, em
qoe na mesa de Dietrick bavia apenas al-
guns pedacos, de presunto e dois paes de
municio, o maire contemplou Bauget cora
urna serenidade cheia de tristeza, e disse-
Ihe emfim :
Desapareceu a abundancia das nossas
festas, Bauget I...
Por hoje; ainda n3orespondeu Ibe o
moco official.
Mas de amanh3a em diante, esta mes-
ma frugalidado que at boje tens observa-
do, ser restricta a ama economa seve-
ra. ..
Da qual nem eu mesmo poderei parti-
Iharcompletoo Bauget.
Nao isso... sentar-nos-hemos aqui a
esta mesa, craio de costme. e tu sers
o nosso conviva permanente, porque ba af-
feicSes que, depois de urna vez adquiridas,
raro se desvanecem.
Um favor!bradou a esposa do mai-
re, dirigmdo-se a Bauget.
Um deverdisse Bauget.
Perd3o...interrompeu o mairese
a abundancia desappareceo d; nossas fes-
tas, o enthusiasmo anima ainda as nossas
solemnidades cvicas, e a coragem i.ululla
no corac3o dos soldados da Franca I Te-
nho ainda urna garrafa da vioho...
Comprehendodisse o moco official
abstratamente, levando a m3o fronte.
Venha, pois, esta garrafa de vinbo, e
vamos beber a saude da patria e da liber-
dide...
E dever que facimosacrescentou
Bauget.
(Continuar-se-ha.)
perguntou
es
o fidalgo ; representou o seu papel s mil
maravilhas ; mas eu, pela minha parte, creio
que tambem nao andei mal. Ora vamos,
diga-me Cora franqueza : que tal acha tudo
isto?
Simoa, toda espavorida, n3o descerroo os
labios.
Palavra de honra, prosegoio o cosso
here, se eu nao a aconhecesse fundo, teria
sido victima da sua resistencia e das suas
pregarles de moralidade. Caspite f Com
que admiravel despreso Vmc. trata o ourol
Que pudrea indignacao I Que profundo hor-
ror ao crime f Admirei-a devoras, acredi-
te, porque sou entendido na arte, e bem
v que n3o poupo os testemnnhos do mea
sincero enthusiasmo.
Emquanto Saint-Maixent fallara, ia a in-
feliz mulher esquadrinhando com intil
obstin*c5o todos os recantos da memoria,
tentando avivar as suas recordacoes, mas
sem obter nenhum resultado satisfactorio.
Era indubitavel qoe nanea vira al entao
aquella cara, formosa de mais parase es-
quecer d'ella.
Simoa sentia-se colhida por urna especie
de terror supersticioso, e chegou at a per-
guntar si mesma se estara em presenca
do demonio revestido de formas humanas.
Entretanto, ria o marquez sgargalba-
das.
Foi especialmente admiravel quando
fez a ameaca de me denunciar aos magis-
trados, se nio me affastasse d'aqu qoanlo
antea ; sd Ihe esqueceu urna cousa, e vero.
a ser que para levar effeito essa denun-
cia, prec'sava de saber o meo nome, tal
qual como en sei o seu. Pois j agora
quero dizer-lbe esse nome, mesmo para
ficar sabendo que a minha viada esta casa
conslitue para a senhora urna grande hon-
ra : SIMOA nAYMUNDO, eu SOU 0 MRQUEZ DE
SAINT-MAIXENT I
Simoa recuou como se um raio a houve-
ra ftfrido. x
(Continuar-se-ha.)
YP. DO DIARIO RA QUE DE CAXlAS
/

.
V
t

I
a


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EOR9Q13G6_WPZH3V INGEST_TIME 2013-09-13T22:00:33Z PACKAGE AA00011611_12206
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES