Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:12205


This item is only available as the following downloads:


Full Text
H !
7
4fW0 XLV. NUMERO 201
1
PARA A CAPITAl LUGARES OSDE IAO SE PAGA PORTE.
?or tres metes * J^or seis ditks idem.............
Por iim anno idfni..... ......*
Cada maero vals........ .....
65000'
{moa
24*000
320
TCHC FEIM 6 DE SETEMBRO DE 1870
U BERBO E FOBA DA PROVINCIA.
Por tres ezes adan........... W70
Por seis ditos dem. ........... 130800
Por nove ditos dem................... 20*250
un Mino dem................... 270COO
DIARIO DE P
Propriedade de Manoel Figneira de Faria & FilLos.
O AtKVTK:
Os Srs. Gerardo Antonio Alves Filhos, no Para ; Goncalves & Pinto, no Maranhao-; Joaqnim Jos de Oliveim no Cear ; Antonio de Lemos Brag, ne Aracaty ,- JoSo Maria
Pereira d'Almeida, em Mamangaape; Antonio Alexandrino de Lima, na Parahyba ; Antonio Jos Gomes, na Villa da Penha; Belarminodos Santos Bolcao-, em Seato Anto; Domingas Jos da Ccela Braga,
em Nazareth ; Francisco Tavares da Costa, em Alagoas; Dr. Jos Martina Alves, na Babia ; e Jos R*eiro;asparinho no Rio dB Janeiro.
Julio Gnaves, no Ass ; Anin Marques a Silva, no Natal; Jos Jnstiw
PAJffi omciAL
* o.erno la provlucla.
.xpKniENTB awiwn pelo pxm. sr skiador fre-
UKRICO E ALllilDA E AMIUQOKRQUE, PRESIDENTE
OA MOVIKCIA, EM 5 DK ABRIL DE 1870.
Ia sacra".
N. 101.Dito ao general" commandante das ar-
anas.Cemmuniro a V. Ese. para sea coohect-
renlo, qoe em vista de sua informarlo de 2 do
cormas, gob n. 169, expego nesta dala as neces
=*>rias rMens a tuesouraria de fazenda, para alu-
jar por jireco rase avrt ao Asylo de Mendicidade o
*dtlieio que servia de quartel a cavallaria em
Santa Amaro, sendo, porm, entregue logo que as-
*jw a determine o governo imperial.
. 102.Dito ao mesmo.Km vista do aviso do
mteisterin da guerra de 7 dn mez lindo junto por
Mia, informe V. Exc. se o 1* cirnrgiao do eorpo
de ada do exereito, Dr. Joo H )norio Bezerra
d Menetes, se acha imposibilitado de seguir pa-
ra o pro- idio do Fernn lo, indicando em caso af-
tirsnativo algum eirurgfad reformado (|ue qneira
pretfar-se i esse servido.
T. 101.Dito ao capitao do porto.Transmiti
.vV. s. para seu conheeimento, e para fazer cons-
tar a assoeiago da praticagem da barra e porto
desta pnrvincia, para que tenha a devida execu-
<;an o aviso do ministerio da marinha de 17 de
(are* prximo (Indo, junto por cotia, elevando a
OfQO os 304000 uien-aes que percebe o escri-
va 4a nesraa assocuco, abonando-se-lhe seme-
ntante augmento desde 8 de novembro ultimo pe-
ta renda da sobredi! praticagem.
ft. 103.Dito ao commandante do presidio de
Fernando.Envi Vine, na primeira occasio que
ttver e om a precisa s'-guranga para esta oapital
a *r aareseniado ao Ur. chele de pjlicia, o sen-
reoeiado Sabino de Oliveira Faria, que pelo juiz
inoaripal da primeira vara requisitado em olJi
cm.de I do crrente.
. 106.Deliberacio 0 presidente da provin-
cia attendendo ao que requereu Francisco Joo
le Barros Jnior, resol ve conceder Ihe licenca pa-
ra embarcar para o presidio de Fernando, no pri-
meiro vapor da companhia Pernambucana, que
Otra la seguir, us gneros constantes da relarao
I unto, assignada pelo secretario interino da presi-
tenri, So podendn, porm, effectuar o desem-
barque dos referidos genero?, sem que por parte
locemiHandaote do mencionado presidio se veri-
fique se ha agurdente ou outra qualquer bebida
2a secgao.
M. 108.Portara a i chefe de polica.Nao po-
drido ger Tecolhiflo ao hospicio de alienados por
falta, de accommodages a de que trata o seu offl
o n. S51 de 1 do crrente, tenho a dizer-lheque
couve.'n indagar a que familia pertence, alim de
dos trilhos da vh fenea do Recie a S. Francisco,
* perianto do pehgo em que se acha de ser esma-
jado pelos trens
KW.Dita ao mesmo.Approvo a delibera-
;i) lonada por V. S. de enviar ao subltlegado do
ibSUieto de Boa-Viagem os oito rrfles, que para o
Jo 1 da freguezia da BaVisla forara fornecidos
pelo arsenal de guerra, sendo que nesia data te
^xpedio ordem para pelo mesmo arsenal serem
'jrner.ido os oito terrado* que pelo dito subdelega-
lo do districlo da Boa-Vista sao pedidos, paga
a sa importancia pelos cofres provinciaes.
V 110.-Dita ao mesmo.Gom o olBcio junto
wr ripia ao inspector da thesouraria provincial
le 17 lo mez Ondo, respondo ao do V. S. n. 262
'!. 23 de fe ver i ro ultimo, quanto ao pagamento
I-i aluguel da casa que serve de cadeia em Papa-
caca.
MI.Dita ao commandante superior do Ue-
ee.Mande V. S. dar guia de qne trata o art.
i." do oVcreio n. 1,130 de 12 de raarp de 1853, ao
ten^nie, do batalho n. 2o da guarda nacional do
municipio de Santo Antao, aggregao ao 2o de in-
filtran* deste, Antonio Maria de Araujo para o de
Agua. Preta, ondo lixon sua residencia.
(1 iDita ao n.esmo. Por deliberarlo desta
data e em vista do que infirmou V. S. em offlcio
a. irt de 26 do mez linio, resolve transferir para
a MV*ijo da reserva, lirando agregado ao res-
v i* batalho o alferes do 4" batalbao de
incautara deste municipio, Silvino Antonio Bodri-
eu<->, visto ter sido julgado incapaz de conti-
uar no exercicio activo pela junta de sade.
X. (13 Dita ao do Bonito. Gommunico a V.
S. pira qne o faga constar ao majoi Joo Mu noel
Pantaal Jnior, q je na secretaria desta presiden-
ta sflaena a patente imperial que o nomea com-
ritaudante do 4 equadro de cavallaria, convin-
< qneo solicite no prazoda lei, depois desatisfei-
t'fc* 09 direilos e smolamentos.
r. lli.Dita ao de Cabrob. Communico a
V. S. paraos devidosfins.que por deliberaco desta
d.flj desiguei o capilo da I* companhia dp bata-
la-n. 48 de infantaria da guarda nacional do
municipio de Cabfdb. Jos Soares de Mello Ave-
lim, para exercer as funcQes de major do referi-
do batalho.
lio.-Dita ao juiz municipal do termo do Li-
ra.Transmiti por copia a Vmc. para o? de-
s ns o decreto de 16 de marro prximo Qn-
do, piHo qual Sua Magestade o Imperador houve
por bem commutara pena de morie imposta ao reo
Hernar.io, escravo dos herdeiros de Josepha Ma-
na de Arrnda, ondemnado no jury des*e termo,
na de gal< perpetuas, rjue ser cumprida no pre-
sidio de Fernando de Noronha.
rv'- Mi.Dita ao commandante do corpo provi-
%rii Hiic seja substituido por outro offJcial no somraan-
n. da destacameato da Villa Bella o capilo Pauli-
no Teiteira de Garvalho.
TL 117.Dita ao mesmoMande Vmc. engajar
ni corpo soh seu commando os cabos de esqna-
r* di extinwo batalho n. 53 d- voluntarios da
paria Deodato Correa de Araujo, Laurentmo Lo-
p. da Sflv.i, Joaquim Francisco Ramos e Man el
Bautista da Silva, que perteocendo ao corpo de po-
liria "esto provincia, vieram da campanha do Pa-
fttjuay conservando as referidas gradnaqoes, fl-
a4a asfim respondidos os seus officios de ns.
M, U9, 150 e 151 de 1 deste me'..
tM. 118.Deliberat&o.0 presidente da provin-
cia, aueaJcn Jo ao i|ue Ihe requereu o alferes do
V' hatalhio deVnfantana da guarda naiional do
moaicipio do Recie, Silvino Antonio Rodrigues, e
em vtsta do que informou o commandante supe-
rior respectivo em ofllcio n. 69 de 26 do mez fln-
t, resolve transferir para o servlco da res3rva,
ticando ifgregado ao 1 batalbao do mesmo ser-
va;o.
119.Dfla O presidente da provincia, era
i dn que re i aerea o teaejte da 7* oo-jipanhia
hatalhio n. 23 de infiotaria da guarda nacional
o 6 suoplentes de subdelegado do 1." districlo do
termo de Itamb oscidadaos seguintes : Virginio
Velloso Freir, Jos Faustino Gavalcanti de Albu-
querqne, Joaquim Velloso Freir, Tiburtino Manoel
Gonva Menezes.
N. 122.Dita. O presidente da provincia, con-
formando se com a propesta do chefe de polica
em ofllcio H. 452 de 2 do crrreme, resolve nomear
para os cargos de Io, 4, 5 e 6supplenles de sub-
delegado do l distrir.to do termo de Itamb os ci-
dados seguinte*, na ordem de sua eollococao :
los Henrique de Mendonca, Manoel Correa de
Araujo Lima. Joo Baptsta de Arruda, Jos Fran-
cisco de Almeida.
N. 123.Dita.O presidente da provincia, em
vista do ofllcio do chefe de polica n. 443 de 30 do
mez Ando,- resolve exonerar do cargo de 4 sup-
plente do delegado do termo de Limoeiro-x) cida-
dm Victorino Arckuns do Reg Faria.
N. 124.Dita.O presidente da provincia, con
formando-se com a proposta do chefe de polica em
ofllcio n. 443 de 30 do mez lindo, resolve nomear
para os cargos de 2* e 4" supplentes du delegado
do tarn) de Limoeiro, os cidados segointes, na
ordem em que vo coHoCados : tenente Nicolao
Antonio Duarte, Francisco Mauricio da Malta Bi-
beiro.
M. 12o.Dita. O presidente da provincia, em
vista do ofllaio do chefe de polica n. 443 de 30 do
mez lindo, resofve exonerar do cargo de 4o sup-
liente do subdelegad) do 1. di*tricto da freguezia
do Bom Jardira, o eldado Jos Antonio Doarte.
N. 126.Dita.O presidente, da provincia, de
conformidade com a proposta do cheie de polica
em ofllcio n. 443 de 30 do mez Ando, resolve no-
mear para o cargo de 4." supplente do subdelega-
do do_l districto da freguezia do Bom Jardim, o
ciJado Taurino^auriano de Rczende Bangel.
N. 127.Dita.O presidente da provincia, em
vista do olilcio do chefe de polica n. 443 de 30 do
mez lindo, resolve exonerar do cargo de 3.a sup-
plente do subdelegado do districto de Queimadas
do termo do Limoeiro, o cidado Joaquim Cabral
de Araujo.
2f. 128.Dita.O p-esidente da provincia, con-
firmando-s com a propona do chefe de polica
em ofllcio n. 443 de 30 do mez Ando, resolve no-
mear para o cargo de subdelegado do districto de
Queimadas da freguezia do Bom Jardira do termo
de Limoeiro, o actual 1. supplente capitao Jos
Francisco Cordeiro de Arruda, e para os de 1., 2*
e 3." supplentes do mesmo subdelegado os cidados
seguimos, na ordem era que vo Indicados : Fran-
cisco Mauricio da Malta Ribeiro, tenente Severino
Barbosa da Silva N, Francisco de Souza Leal.
N. 129.Dita.O presidente da provincia, em
vista da ofllcio do chefa de polica n. 452 de 2 do
crrente, resolve exonerar dos cargos de 4o e 6o
supplentes do subdelegado do 2o districto do ter-
mo de Iiamb, os cidados Jos Feliciano Cabral
de Vasconcellos e Manoel Antonio da Rocha Ucha.
N. 130.Dita.O presidente da provincia, con-
formando-se com a proposta do chefe d- polica
era ofllcio n. 452 de 2 di cerreote, resolve nomear
para os cargos de 4'e 6o supplentes de subdele-
gado do 2. districto dj termo de Itamb os cida-
dos seguintes, na ordem de sua collocaco : Jos
Barbosa Martins de Queiroz, Ludorico Francisco
Rodrigues.
N. 131.Dita.O presidente da provincia, con-
formando-se com a proposta do chefe de polica
em ofllcio n. 452 de 2 do corrente, resolve nomear
para o cargo de subdlegado do districto de S. Vi-
cente, do termo de Itamb, o actual 3" supplente
Fr.mcisco Cabral de Mello Cavalcanti.
N. 132.Portara ao inspector da thesouraria
de fazenda.Autoriso V. S. a mandar pagar de
conformidade com o parecer da contadoria dessa
thesouraria, a que se refere a sua informacao de
28 oe marco ultimo sob n. 209, a gratificado de
300000 a que tem direito, nos termos do art. 2
do decreto n. 3371 de 7 de Janeiro da 186o, Joa-
quim Jos Gonr-alves de Macedo como sargento
quartel-mestre do corpo m. 33 de voluntarios da
patria segundo consta do requerimento e rtlestado
que incluso devolvo.
N. 133.Dila |ao mesme A Moreira c Braga,
mande V. S. pag;.r depois de liquidados, em vista
do pret e relaco nominal, juntos cm duplcala,
que me remelteu o commandante superior do
municipio do Bonito, c >m ofllcio de 12 de marr,o
ultimo, os veneimentos relativos ao mez de feve-
reiro deste anno dos guardas nacionae* destaca-
dos na rdado de Caruar.
N. 131.Dita ao mesmo. Communico a V. S.
para os devidos flns, qne segundo participon
Magno Bruno Marques Bacalho, em ofllcio de 30
do mez lindo, nessa dala' prestou juramento e as-
sumi o exercicio interino do cargo de promotor
publico da comarca do Pao d'Alho, para o que.foi
nomeado no impedmenio do efleetlvo pelo respec-
tivo juiz de direito.
N. 133.Dita ao mesmo.Communico a V. S
para os devidos (los, que segundo parlicipou o ba-
charel Manoel Joaquim Ferrera Esteves Jnior,
em ofllcio desta data entrou elle no goso da licenca
que Ihe fr concedida por deliberarlo do Io do
mez prximo lindo.
N. 136.Dita ao mesmo. Communico a V. S.
para os devidos fina, que segundo perticipou o ba-
charel Augusto Garlos Vaz de Oliveira, em ofllcio
de 2 do corrente, nessa data assumio elle o exer-
cicio interino do cargo de promotor pablico desta
comarca, para t qual foi nomeado pelo respectivo
juiz de direito da I* vara.
N. 137.Dita ao mesmo.Em vista do que ex-
poz o commandante das armas no ofllcio junto por
copia de 2 do corrente sob n. 166, e de sua infor-
inaco de 26 de marco ultimo n. 200, convm que
V. S. alugue ao Asylo de Mendicidade o edilicio
que servia de quartel cavallaria em Santo Ama-
ro, sendo porm entregue o mesmo edificio lo-
go que assim o determinar o governo impe-
rial
N. 138.Dita ao inspector da thesouraria pro-
vincial.Declaro a V. S. para seu conheeimento
e lins convenientes, que acabo de approvar a de-
liberaco que segundo o ofllcio junto por copia,
tomou o chefe da repanico das obras publicas,
de nao so incumbir-o arrematante dos reparos da
ponte do Gyndahy, de um accresetmo de trabalho
na importancia de 66000 mas tambera conceder-
Ule para isso 40 dias de prorogaeo para a con-
cluso das obras do seu contrato.
N. 139.Dita ao mesmo.lando o chefe de po-
lica mandado para o subdelegado do districto de
Boa-Viagera, oito relies que forara mandados foi-
aicer pelo arsenal de guerra pora o Io districto
da freguezia da Boa-vista, desta cidade, nesta data
ordeno ao mesmo arsenal1 que forneca a este ulti-
mo subdelegado 8 toreados cuja importancia ser
pago pelos cofres provinciaes.
i N. 140.Dila ae mesmo. Recommeodo a V.
| S. que se nao houver inconveniente, mande eotre-
sar ao thesoureiro da Santa Casa de Misericordia
N. 142.Dita ao mesmo. Participando fi di-
rector geral da n*truceo publica em oflucio de 31
de marco ultimo, sob n. 109, ter o Dr. Au-
gusto Carnero Monteiro da Silva Santos, fciio en-
trega a fuella directori dos mil exemplare* da
obraCompendio de Syslema mtrico decimal de
que trata a inclusa portara de 29 do mea de
margo, recommendo V. S. que mande effectuar
o p igamento da quantia de 300$, porque foram
offerecidos os mi exeroplrres de que cima se
trata.
N. 143.Dita ao chefe da Tepartico das obras
publicas.Approvo a deliberarlo que segundo o
seu ofllcio de hontem sob n. 86, tomn Vmc. de
nao s incumbir o arrematante dos reparos da
ponte do Gindahy, de um accrescimo de trabalho
na importancia de 66J, mas tambem concederlhe
para isso 40 dias de prorogaeo para* conclusao
das obras do seu contrato. Assim flea respondido o
seu citado ofllcio,
N. 144.Dito ao mesmo. Providencie Vmc.
para que seja exeeutada por administrag) a obra
do altero da Varzea do engenho Rosario, visto que
tendo ido a praga 4 vezas, nao appareceu licitan-
tes a ella, segundo consta do ofllcio do inspector
da thesHuraria provincial, datado do Io do corren-
te sob n. 210.
N. Ii3.=lta ao mesmo. Mande Vmc. orgar
conforme indica em sua informacao de 8 de mar-
go ultimo, sob n. 65, os reparos de que necessita
o edi3;io que serve de cadeia e casa da cmara na
villa de Pao d'Alho remeta-me esse orgamento
para os los convenientes.
4. -secgao.
N. 146.Portara ao Exm. Sr. desembargador
provedor da Santa Casa de Misericordia.Em
vista do que V. Exc. expoz em seu ofllcio de 26 de
margo prximo lindo, sob n. 253o. autoriso a junta
administrativa da Santa Casa a fazer as despetas
que forera necessarias ao Asylo do Mendicidade at
o fim do corrente aaercicio.
N. 147.Dita ao formarlo de 26 de margo prxima lindo, sob n.
2346, mande V. Exc. eBtregar a Diaria Francisca
de Senna o educando do colleglo dos rphos Ma-
noel Jos da Paz, visto ter j completado all a sda
educacao.
N. 148.Dita ao director do archivo publico do
imperio.Cora os tres exemplares -inclusos, sen-
do dous dos relatnos do presidente d'esia pro
vincia do anno de 1868 e um dos actos legislati-
vos da mesma provincia daqaell* anno, satisfago
a requisigo da V. Exc comida em seu ofllcio de
5 de margo prximo tindo.
N. 149.Dehberago.O presidente da provin-
cia, attendendo ao que requereu a professora pu-
blica da cadeira de Pesqueira Mar Leopoldina, e
tendo em vista a intormago do director geral da
insiruccao publica, de 2 do corrente, sob n. 111,
resolve conceder-lhe, nos termos do art. 23 da lei
n. 598, da 13 de roaio de 1864, a remogio que
pedio daquella cadeira para a da povoago de
Crrenles.
EXPEDIENTE ASSIGNADO PELO SR. DR. EUAS FREDER1-
C0 BB ALMEIDA E ALBUQfjBRQtJE, SECBBTABIO IN-
TERINO DO GOVERNO, BU 3 DE ABBH. DE 1870.
2.' secgao.
N". 130.Ofllcio ao Dr. chefe de polica.De
ordem do Exm. Sr. presdeme da provincia trans-
muto a V. S. os ttulos junios de nomeacao de 1.,
4., 5." e 6." supplentes do subdelegado do i" dis-
tricto do termo de Itamb, os dos 4o e 6o do sub-
delegado do 2o districto do dilo termo e finalmente
0 de subdelegado de S. Vicente, de conformidade
com a proposla de V. S. em oflkio n. 432, de 2 do
corrente.
N. 151.Dito ao mesmo.De ordem do Exm.
Sr. presdeme da provincia transmuto a V. S. os
ttulos juntos de nomeacao dos 2o e 4o supplentes
do delegado do termo d Limoeiro, o de subdele-
gado do districto de Queimadas e dos respectivos
1., 2. e 3." e o do 4o supplente do subdelegado
do 1 districto da freguezia do Bom Jardim do re-
ferido termo de Limoeiro, de conformidade com a
proposta de V. S., em ofllcio n. 443, de 30 do mez
Ando.
N. 152.Diti ao mesmo.O Exm. Sr. presi-
dente da provincia manda declarar a V. S. que
nesta dala se expedo ordem ao commandante do
presidio de Fernando de Noronha para enviar
para esta capital a' ser presentado a V. t. o sen-
tenciado Sabino de Oliveira Faria que pelo-juiz
municipal da Ia vara foi requisitado em officio de
1 do corrente.
N 133.Dito ao commandante superior do Bo-
nito.O Exm. Sr. presidente da provincia manda
declarar a V. S., em resposta ao seu ofllcio, de
12 do corrente, que a thesouraria de fazenda tem
ordem para pagar os vencimenlos* constantes do
citado olilcio.
N. 154.Dito ao juiz municipal da Ia vara.O
Exm. Sr. presidente da provincia manda declarar
a V. S., em resposta ao seu oflkio de 1 do cor-
rente, que nesta dato se expedo ordem ao com-
mandante do presidio de Fernando de Noronha
para enviar, para esta capital a' ser apresenlado
ao Dr. chefe de polica o sentenciado Sabino de
Oliveira Faria, de que trata o referido ofllcio.
N. 155.-Dito ao bacharel Augusto Carlos Vaz
de Oliveira.O Exm. Sr. presidente da provincia
manda aecusar o recebimeato do ofllcio de 2 do
correle, em quo V. S. participon ter nessa data
assumido o exercicio interino do cargo de promo-
tor publico des'a comarca, o qual tbi nomeado
pelo juiz de dirsito da Ia vara.
N. 136.Dito ao Hachare! ManoeL Joaqnim Fer-
rera Esteves Jnior.O Exm. Sr. presidente da
provuu-ia manda acensar o recebuaento do ofllcio.
de V. S. de 1 deste mez, em que parlicipou lar
i.) oatainao n. 25 ae
do Municipio de Sanjo Antao, aggregado ao 1. de I Vicente da Paulo de Oliveira Villas Boas, conforme
inlanuria d'est municipio, Antonio Maria do sollicitou o respectivo provedor em offlcio do 1 do
arauje, e dp jue in/ormou o respectivj comman
5.*Tle sajador interino era offleio n. f>8 de 26 do
tn;zfiaia, resolve >iue Ihe seja dada *a gota de que
trata o art. 4$ do decreto n. 1130 da 12 de mareo
Je 1853 para o municipio de Agu'a Preta, onde a-
\,3 asna residencia.
120.-Dito.0 presidente da provincia resol-
ir para exerct as fr^toes de major do
ho n. 48 do municipio (je Cabrobo, o capitao
. do dito batalho Jo* soares de Mello Avel-
121.Dita.0 pr esideote da provincia, em
da Dffleio do rlwr d de (, -^j ae 2 do
-nte, resolve ex aerar ,j0, cargos d
corrento sob n. 2,350, a quanlia de 970*300,-pro-
veniente da alimentago e vestuario fornecidos aos
filhos dos voluntarios da patria, recolhidos aos
collegios de orphos, dorante o trimestre de ja-
I neiro a marco desto anno, como se v da inclusa,
'rslacao nominal.
.N. 141.Dito ao mesmo.Inteirado pelo ?'eu of-
icio do 1 do corrente sob 0. 21fJ* de.tor id'., a pra-
ga qnatro vetes a obra do atterro. da v.,rzea so
que apparejesse licitantes a ellal"acar,j de reoom-
mendar ao chefe da reparticao das tibras poaMcas
que mande executar esta, abra pp^- admipjurafao.
O que declaro a V. S, par
em resposta ao citado offi
nessa data entrado no gozo da iicenga que Ihe foi
concedida por deliberarlo de 1 do mez lindo.
N. 157.Dito ao Sr. Magno Bruno Marques Ba-
calho.O Exm. Sr. presidente da provincia man-
da aecusar o recebimemo do ofllcio de 30 do mez
Ando, em que coaMBunieou ter nessa data prestado
juramento e assumido o exercicio interino do
cargo- de promotor publico da comarca de Pao
d'AIno.
3" secgao.
N. 138.OlBcio ao inspector da thesonra ria *tr ,.
viudal.O Exm. Sr. presidente da provin-cia naf',n.
da declarar a V. S. para os devidos lijis que a jta
data foi mandado substituir por outro eflky | ,j0
eorpo provisorio de polica no commaftdo 4 ,je8.
tacamento de Villa bella o capitao do dar corpo
Paulino Teixeira de Carvalho.
4* seceo.
N. 139.Ofllcio ao Exm. Sr. de&r nbargador
provedor da Santa Casa de Misericood' ,j gxc
o Sr. presideaie da provincia manda comrr.nicar
a V. Exc. para seu conheeimento. i( ie em ysla d0
que expoz director do Asylo dn-y ltnaicidaae em
ofllcio de 21 de margo prximo. J(lo ex d|0 ne9.
la dala as necessarias orden* a- inesouraria de
fazenda para aluar por pn*r ,. razoave, ue,|a
estabelecimepto o qnartel qv ,-8ervia a- cava||arja
em Santo Amaro, devenita. pormi ser entregue
logo que assim o deterrouar 0 goven,o imperial.
N. '.0O.-DU0 aj mesmr t _q Exm gr iden.
te, da provincia mand aec|arar a v. Exc, em
resposta ao seu oincw Jo 4. do correQtei ^b n.
2330, que a thesou' aria provincial tera ordem
para pagar a qua*r a de 970*800, constante do
citado ofllcio.
N. 161.DUo "ao director geral da insirnogo
publica.S. Ex.B o Sr. presidente da provincia
manda declarar a v. S., em resposta ao sen citado
fllcio de 31 de margo ultimo, sob o. 109, que a
thesouraria provincial loan ordem para pagar a
quantia da '300*000 p*r que foram offerecidos mil
iplaif s da obra, de que trato o citado ofllcio.
N. 161Dito ao mesmo.9 Exc. o Sr. presi-
dente da provincia, tendo per deliberarn desto
dato, e ero vista da sua informacao, de t do cor-
rente, sob n. m, resol vi do coueeder nos tormos
do art. 23 da lei n. 398. de lde maio de 1864,
a remocio que pedio a professora publica Maria
Leoptddin da cadeira de iostroegao primaria de
Pesqueira para a da povoago de torrentes, assim
0 manda commnnicar a V. S. para seu coohaci-
1 nento.
N. 163.Dito ao director do Asylo de Mendici-
dade,S. Exc. o Sr. presidente da provincia man-
da declarar a V. S. em resposta ao seu 0IB00 de
-1 do corrente, que nesta dato expeda as conve-
nientes ordeos a' thesouraria de fazenda para alu-
gar por prego raraavel ao Asylo de Mendicidade
o edificio que servia de quartel a" companhia de
cavallaria em Santo Amaro, dizendo, porm, ser
entregue logo que a sim o determine o governo
imperial.
N. 164.Dilo cmara municipal do Pao d'Alho.
Pela secretaria d governo se communica a'
cmara municipal do Pao d'Alho em resposta ao
seu offlcio do 1 de fevereiro ultimo, que nesia
data fecommendonse ao chefe da reparticao das
obra publicas que mande orgar os reparos, e
que necessita o edificio qne serve de cadeia e de
paco ds me*ma cmara
N. 165.Dito ao Dr. Francisco Teixeira de S
!. secretario da assembla legislativa provincial:
N. 25.De ordem de S. Exc. o Sr. presidente
da provincia, transmuto a V. S. para serem repre-
sentes assembla legislativa provincial, as inclu-
sas comas da raceita e despaza do exercicio de An-
do para o de 1870 a 1871, |iie romett-u acunara
municipal da villa do Bonito, com o sen-relatorio
de 16 demarca prximo lindo aqu jumo.
W. itf.Dito ao mesmo.N. 26.De ordem de
S. Exc.. o Sr. presidente da provincia, passo as
mo de V. S. para serem presentes a assembla
legislativa provincial, a inclusa tabella execniiva, e
orea ment do exercicio de 1889 1870,' bam como
um projecto de regulamento para n ceraiteno pu-
blico, os quaes para terem esse destino me foram
transmitidos pela cmara municipal da villa de
Agua Preta, cora o offlcio de 4 de fevereiro do
corrente anno.
N. 167. Dito ao mesmo.N. 27.t-Dc ordem
de S. Exc. o Sr. presidente da provincia, passo a-*
mos de V.S. par. ser presente a assembla legisla-
tiva provincial, a inclusa copia do contracto cele-
brado era 19 de margo ultimo com Jos Henrique
Trindade para o estabeleciment de um systema
de carrs de ferro que ligue a capital com os seus
suburbios.
, N 168.Dito ao mesmo.N. 28.De ordam de
S. Exc. o Sr. presidente da provincia, passo s
mos de V. S. para serem presentes a assembla
legislativa provincial, as contas e batneos das re-
ceitas e despezas do exercicio decorrido do r* de
outubro de 1867 ao ultimo de setembro de 1869,
bem cont os ornamentos para o de 1870 a 2871,
que parrterom essa destino foram enviados pela
camarawflieipl deOoruar com offleio de 30-
de dezerobro do anno passado.
N. 169.Dito ao mesmo.N. 29.De ordem do
Exm. Sr. presidente da provincia, transmiti a V.
S. para que seja presente a assembla legislativa
provincial, o olilcio junto por copia do chaf de po-
lica n. 16 de 4 de Janeiro ultimo, e o do inspector
da ihesourarn provincial, de 26 do dte mez, oom
as informaros? a que se refere, quanto ao paga-
mento do cirurgio enc-irregado do ira tomento
dos pre*os pobres da cadea da cidade de Goyanna.
N. 170.Dito ao mes.noN. 30*. Exc. o.Sr.
presidente da provincia, manda remettor por co-
pia a V. S. para ser presente a assembla legisla-
tiva provincial, alim de tomar em cmsideracao, o
incluso oflkio de 29 de Janeiro ultimo em qne a
ornara municipal da villa do Bom Conselho es-
poe as necessidades e melhoramentos de que pre-
cisa o seu municipio.
N. 171.Dito ao mesmo.?L 31.8e ordem de
S. Exc. o Sr. presidente provincia, transmiti a V.
S. para serem presentes a assembla legislativa
provincial, os indnsosoalancos, orcaraentos e emi-
tas da receita e despeza do exercicio d 1868 a
1869, bem como o orgamento para o de 1870 a
1871, os quaes para terem esse destino fr*am en-
viados pela cmara municipal da cidade da Victo-
ria, com o officio de 10 de fevereiro ultimo.
N. 172Dito ao mesmo.N. 32.-De ordem de
o Sr. presidente da provincia, transmiti
a V. S. para serem presentes a assembla legis-
lativa provincial o incluso balango da receita e
despeza do exercicio de 868 a 1869, orgamento
para o de 1870 a 1871 que para terem esse destino
remelteu a cmara municipal da cidade do Rio
Formoso eom o offici* junto por copia datado de
19 de Janeiro ultimo.
N. 173.Dito ao mesmo. N. 33.De ordem
de S. Exc. o Sr. presidente da provincia, trans-
muto por copia a V. S. para ser prsenle a assem
bla legislativa provincial, afira de tomar era con--
sderaeo, o incluso offleio de 29 de Janeiro ullii
1110 em qne a cmara municipal da villa do Bom
Cnnsslho solicita da mesma assembla a designa-
gao de urna qupta para a continuago da igraja
matriz da sua freguezia.
N. 174Dito ao mesmo.N. 34De ordem de S.
Exa. o Sr. presidente da provincia, transmiti a V.
S. para ser pre.'.enta a assembla|legislativa provin-
cial o incluso aoaixo assignado de diversos mora-
dores do lagar Papagaio da freguezia e termo do
S. Benlo, que para ter esse deslino foi rereettido
oela cmara municipal da villa do Cimbres com
o fflcia jiiMto por copia datado de II de Janeiro ul-
timo.
N. a73V-Dto ao mesmoN. 33.O Exm. sr.
prestente, da provincia manda transmiltir por c-
commandaate das armas para resolver come- for
justo.
Antonio Machado Pereira Tiawna Filno.A'"vis-
ta das informaeoes conceda-,
Bacharel Amonio Mfaria-de Paria Neves.J
est prvido e logar a qoe alinde.
Anselmo Jos dos Santos.Infirme o Sr. coronel
commandante superior uterino d guarda nacio-
nal do municipio-do Reciffe, onvindW o eomman->
danto lio !, batalho de artilhario
sentado 1 masa nm projpcto > regolamento, t
nomaada r.ma commiiso, eomposla dos Srs. Adol-
phn Wanderiey, Augusto Pintwirado e Maaori
Jos* da Cos, pora dar parecer soWe elle.
Depois de alnamas paiavras da Sr. CoimV.-w
Filno, Rego-lletto e Codeceira, sobre os lin* las^-
ciedade, a os meto de leva-lee- a elfeHo, levanten-
se a aessao.
MIaNDADE' ACADMICA QWarta-feira (9>
desta cidade para declarar quanlo ten cobradon,n?n*se^f
tanto d? primeira.como na segunda Iw^ihese do J,^je aln.nUs da Faculdade-de Direito, p'ira
de NOssa
paaVoeira da io*en- n
Senhora di-
asperancosa
artigo Kl do regnlamento n> 2dejunho-e 1854.
Caetano Jos de Jesns.Pisse do qo-)nstar.
Companhia Pernamtmcaaa.Dirija-^a-o thesou
raria de fazenda.
Horajcio Wallredo Peregrino d SllvavJa est
provide o lugar qae reqtier.
Irmandade do Senhor Bom-Jsu* dos Paiww da
igreja do Corpo Sanio.DJrija-se a< thesooraria
provincial.
Joaquim Ignacio da Fonreea. informe o Sr.
coronel eommandante superior interine iln-jivirda
nacional deste meniripin, tende- em. vista o-diepos-
lo no a t. 54 da lei .-602 a>-19 da setentn de
1830.
Jos oaquim da Monte.Passe dn-qne cornear.
Joo
Carnero Monteiro da Silva Santoe*^Nao
est vaco o lugar a que alktde.
Jos I
Dr. jniz
pectivo.
Mano
'"anstino Mhriho Plao.Ifcferroe- o> Sr.
de direito, oovindo o juiz iwanieipali res-
Antonio d Jess-informe--) '9f:
pector da thes nrarta provinenl.
Sebastlo Jos do Bego Bwrreto.informe-o Sr.
director geral da mstruegao publica, oavindo o
regedorldo Gymna.
Vital Prudencio da Silva.ladeferidaa vieto'da
informa ;5es.
Manoel Figueir de Menean?.Coneeda-se-douo
asezes c >m ordenad e um sem elle.
Commando das armas.
JARTEL-liKNKRAt DO COW.IASiUO DAS AHW.S.NA
PROTINaA DE PefINAMBtX, 5--BB SK.T8aiBRO
DE 1IJ7Q.
Ortim do d*>* 400.
O brif adeiro commandante das amas, envocm-
priroenlo s ordena em vigor e das ;pae Ihe aram
expedidas pela presidencia em offlcio de 29*de A-
gost) ullimo, determina qne-ama brigada ao man-
do do 8r. coronel Joo do Rege aurros Sileao,
composta dos aatolnoes da guarda nacional do
nauoieipJG do RBcie, 1 te artilharia, Io, s? e 3'
de infantaria, e do 9 batalho da mesma arma do
exercito, solemniae o pronimo anniversario-da in-
dependepcia do imperio. Para este fim daver a
brigada, s 4 oras da tanle do da 7'do corrente,
aenar-se postada na praga.fftdro II, era seguida
revista do costume manchar para o campo da.*-
Prroeezas, onde temar posico aonveniaote en
erdem dar, s-5 horas,, as salva, e fazer as
continencias qoa-sic de estri.
O Sr., commandante da brigada escoltar os-
ses emoregados d'entre- os Srs. otlteiaes dos cop-
os qne
Confo
fim, ten
deralhe.
ficam mencionados.
AssignadoJumquim Jb& Gonptives Ftmlea,
mbBmiono- Ernesto de Mello- Tmbs-
nte ajudante & ordens encarregado do
PERNAMBCO.
3. Exc.
REVISTA DIASIA.
INSTRLT.rlAO PUMUCA.Por portara da pre-
sidencia da "provinciavde 3 do corTente, J>i nomea-
do Lourango Lanren*no Cesai de Menezes; para
regar interinamente a cadeira. de instruego pri-
maria oxt povoado do Porto de Galinhas, creada
pela lei j.rorincial a. 947 de ft de julhcmltirao.
AUTOR1DADE TOLICIAIi. Por portara da
presidencia da psovinca, ou do corrente, foi no-
meado 01 rapito honorario do exeic.lo Joaquim
Agripinij Furtodo de Meodenea, 4o snpplente do
subdelegjido da freguezia de S. Frei Pedro Son
calvas.
VAPOh PAR Ai FERNANDO. P01 pnrtarin da
presidencia, de a do corrente, foi transferida para
o da & 1 sahida do vapor Mandato, da compa-
nhia Pernambacana, para Fernando de Noronha
ARRIBADO.O patacho portuuuez Restauvacao
que de osso aoajp sahio no domingo para a Cos-
to d'frica, arribou hontera com agua aberla do
lugar Zilimbi.
SETE
DK SETEMBRO.Amanhaa,. 4Je anni-
versaric da ecancipago poltica do Brasil, haver
parada 110 Campo das Princeaas, arrumando urna
brigada ao mando do Sr. coronel Joo do Reg
Barros Fako, cemposta dos hatolhoes 1* de ar-
tilharia, 1% 2 e 3 de raf.mtaria da guarda nacio-
| nal do tecife- e do 9a batalho de infantaria de
linha, e s 5 horas da tarde cortejo a' effigie de
S. M. o Imperador.
A' noute haveru', no theatro de Santo Antonio,
espectculo gala, sendo cantado o hvmno da inde-
pendencie. A companhia Iranceza* representara'
em seguida s duas lindas e chistosas operetlas
Le Ym^eur a CMcnrd el Bebk, as quaes algn*
dos artistas, executaro agradaveis dansados. A
empieza nada tem poupado para que mando com-
pletamentao eslylo e o gusto dos irabalbos d'assa
compac hia, e espera ver coroados o seus esor-
cos.
pia a V. S. para ser presente a assembla legisla
tiva provincial, o relatoria incluso da cmara mu-
akipa) da cidade de Goyanna, datado de lo de Ja-
neiro ullimo, acompanhado de balango de sua re-
ceira e despeza do exercicio de 1868 a 1869, e or-
ea'ment para o de 1870 a 1871.
^ 176.Dito ao mesmo.N. 37.De ordem de
S Exc. o Sr. presidente da provincia, transmuto
V S para serem presentes a aisembla legislativa
provincial, os inclusos balangos e orgaraentos que
para terem esse destino foram remettidos pelas
cmaras municipae3 de Cimbres, Buiqa, Itamb
Villa-Bella, com officio de 30 de outubro, 26 de
novembro e 4 de dezembro do anno passado.
^j 177.Dilo ao me>mo.N. 38.De ordem "de
S Exc. o Sr. presidente da provincia, transmiti a
V. S. para seren presentes a assembla legislativa
provincial, as inclusas contas, balango a orgamen-
to da receita e despeza do exercicio de 1868 a 1869
os quaes para terem.esse destino foram remetti-
dos pela cmara municipal da villa da Boavtsia.
. 178.Dito ao mesmo.M. 39De ordem de
S. Exc. o Sr. presidente da provincia, transmuto
a V. S. para ser presente a assembla legislativa
provincial, o incluso balango do anno fluaneeiro
de 1868 a 1869, bem como o balanceto que deve
regular o exercicio de 1870 a 1871 que fgram
enviados pela cmara municipal da villa do PQ
d'Alho com o olBcio do 1 de fevereiro ultimo.
N. 179.Dito ao mesmo.N. 40.S. Exc. o Sr.
presidente da provincia manda transmiuir a V. S.
para serem prsenles a assembla l-gislativa, pro-
vincial, o incluso balango e contas do exercicio di
1868 a 1869 bem como o orgamento para o, da
1870 a 1871, que para esse flra foram remolido
pela cmara municipal da villa de Ign^ra^s'iA 000
o offlcio incluso por copia.
i
OKSPACHOS DA PRRSIDNCIA D mqvNCIA 00 DI\
DB AGOSTO DB 17Q
Antonio Machado Re,voredo __ "A9 sr. geqwMll Tdndo Oj oco insiallador
FES'JVIDADE.Ante-hootem os religiosos oa-
puchin ios, do convento de Nossa Senhora da Po-
nha ceeoraram com, a pompa e brilhautisrao.cus-
tumeir js a sua excelsa padroeira, erapregaatlo o
llvra. frei Seraphm de Catania, prefeito da ordem
nesta provincia, todos os sens esforgos em tornar
o acto idigno do objecia que era dedicado, e na
alturaldas pompas do Recife.
A igjreja eslava ornada com magnificencia e es-
plendor, e era tal a profuso de luzes, qae deslum-
bravaa vista ao transppr se o limiar do templo.
Externamente o pateo foi adornado eom bandeiras
e flores, e noute illuminou-se gallardamente.
Cantou a missa o Rvm. vigario capitular da dio-
cese, fez a oracao o Rvd. fre Venancio, e regeu
a orchastra o professor Jos Miguel, sendo a m-
sica do maestro Bellini. O orador incuinbio-se em
urna parto do seu discurso da apologa da Rainha
dos Alijos, e em outra parto da influencia da reli-
go sobre os eosiumes sociaes e da influencia da
Mi di; Deus sobre a familia, e de suas relagoes
com d Senhor dos mundos e cpm as creativas. O
auditorio ouvio-o com religioso recolhimeqto.
O templo estove todo o dia cheio de fleis era
crescio numero, e i (esta assistiram multas pes-
soas na destineco, entre as quaes as primeiras
autoridades da provincia, toes como o Exm. presi
dente e o Dr. chefe de poli'a.
Fez a guarda de honra nm contingente do eorpo
de pofUii,
1UVENTUDE MBERTADORA.-Esta sociedad
reunise no domingo (4) em sessao ordinaria. Fo-
ram Spprovados sccios : effectivos os Srs. Antonio
Lui de Mello Vieira, Augusto de Souza Figueiredo,
Antonio de Souza Pinto, Cassemiro d;s Res e Suva,
Elididas de Aquino Fonceca, Francisco Isidoro Ko-
drifwea Costa, Henrique da Cunha Porto padre
los de Couto AjparaleSiWa, Manoel Jos da Cos-
to e Serapiao da Mello Carneiro ; e socio suhs-
criplor o Si;, padre Joau de Souza Lyra.
T*ndo o JO,-io installador o Sr. Udeceira apre-
cojo briJhantismo inda lem poupaoV a esa aitou-
nw-trariva.
As novenas teem-sido fetas conriode-o esplen-
dor, e- ellas tem asistido grande concw?eicia de
Er nana das uUfrn.'w reuniofs da- mesa admi-
ni-trativa foram Demeadas as eommisss se-
guintn :
Pura cearites e recebinaento de fo:a e hnativos ,
dos mamlteo da roesaj os .-rs. acadeinioe Meira
Sotrtnho, e Liberato.
Para traa da mo*:ea. e ornamente d apella
os Sr* Bt. Pereira do Rejo e PTgaetredb, o
acadmico Gamillo Daota.
Para obter a guarda de honra suma mnsira
marcir.l os Srs. Dr. farqiiKO e acadevmco> Br.ir
Floreaiino.-
Para- obter asmlas ta Faeuldade os-S#.r Al-
buquerqne Rirros e Marsilliae, no 1.* anno; Jnvi
no Antro e Augusto Plcao, no 2.** ffividi>
Aguiaro-Marqoes Mara; no 3v*; Leil a Caetano
Lima, no 4. ; Gonealo Pnro e Brae'ForeiKino.
no 5.'.
CONKBBTO INTERNAGBXXAL. Com o pro-
grarama publicado em ojtra parte, rralira se-Rrje
o concento.dadpela banda, d* msica alterna, na
fabrica de cervaja da reo do Baro dn Sr Borja,
om beneiio des feridos des dons exepoRos na-ac-
tual guerra franso-prussiana ; ad qual devem en
correr iadastinetamente ixv s- os subditos das a-
goes conetantes, como tambem os de todas a oa-
tras do nundoxpji residente?, porquante idea
em nada olfeade os bros das duas graadns m&n,
e de elevado atenace peosen fim altamente' Hu-
manitario! RecMMModamo-lo, pois, ao3-uossos ni-
tores.
PRONUN8IA.Pelo sufedalofado dn iregaeia
de S. Jos'foram pronunciados, como istsursos na->
penas do art. 28S do cdigo rriminaj,.pelos feri-
mentos graves, feitos em Jbs- de Caia-ans Bezerra
na noute do 2i de julho ultimo. Candido Ftoreaeio
do Nascimento e Manoel Paulo do Naschueiit->
ALFORRfcADE ESCRAVA&.A comraissoen-
rarregada pelo Exm. Sr. presidente dv provincia
para promover a alforria de-ertangas de -sexo-te-
menino, avisa, s pessas qoe eoncordaram nos
preros offerecidos por ditas hbertagoe*, qne dr-
vem boje comparecer, das 19* baras da inaanaaao
meio dia, afim de assignarem as cartae-i!- li'aei -
dade, e rocetterem as guias rom que- se ha de
apreseniar na thesouraria provincial pava a pr-
cepgo do-valor da aJforria..
CIRCUtAR SENATORIAL.Damos em seguida
a circular que o Sr. Dr. tgnacto Joaqnim de Sou-
za Leo dirige ao corpo eteitoral da provincia, so-
licitando ser incluido na Isla trplice para a*>co-
Iha de um senador por ppvnambuc*. O 6r. Dr.
Sonza Lea tambera membro prestknoso do par-
tido conservador, e seuo- serviros relevantes re-
eommendam-o aos seus oomprovinoianos. Bis a
circular r
c Esco'hido pelo gremio do partido eonsenvador
para fazer parte da lista sxtupla qoe ltimamen-
te foi levada ieseolha imperial; fui honrade pelo
corpo eleiloral desta provincia, fazmdo-mo ocen-
par o quarto lugar daqnalla lista.
c Sobr?maneira penhnrado por toV> sgoideativi
prova de oonsiderago e apreco, animo me a de
novo appellar para o mesmo corpo eleoral na
prxima eleigao que al proceder^
E pesio qiie eu reconbega a impossilulidxle
que ha em substituir ce saber e meroi>imente o
grande vulto, que baixaado a cimpa, deixou. no
enado a cadeira, queproenro oempar, resta-roe
a satisfaga de que em firmeza >!e carcter e- n >
animo deliberado de fater o bem possivsl.ao sieu
paiz, ninguem me levan vantageas.
f Se nao ten lio os valiosos servigos, neje repu-
tados rxli.spen.-aveis, de ocenpar urna exdoita na
cmara dos deputades, me parece nao deven ser
isso motivo para ni ser attendido : n-i' reputo
necessario esse post% para accemi.
< lleu passale abi esta : as posigoes em
que mo tenho achato, nao me diz a oons^jencia
haver tallado o cumprimento de meus deveie-, a
sido indiCerente aee interesses da yrovineia e do
paiz,. tenho sempra-sabido ppor resistencia ao1*
accomraeJlimentos. aos cofres- publioos, e. manler-
me de modo a respeitar e fazer rcSpeitar a le.
-Gomo politicoy np preciso encaroctr ininha
firmeza de principios.
. Os dignos eteilorcs da provincia qoe me jul-
guera ; nao me sinto pobue nem de mhtvicos neo
da garantas ao paiz.
* Recife, 3 cte setembro de ISTOiIgnacio b>a-
ijuim de Souza LeSo.
ESTAMP1L3AS DO SELLO ADMESIV.l.i-
tormam-nos que a falta de estempMhi.s tk> sello
adhesivo de 200 rs., oue servara para toda a qu.v
lidade de reeibo, documento etc. sugeito ao aetfo
Ro, lem desenvolvido a espacculacao, ja" Tend-n-
do-as alguna particulares com o hiero de 40 e 8U
rs. em cada urna.
Nao sabemos ate que ponto exacta essa infor-
macao, porquanti eremos que na repanico ron..
ptente deve ha ver quantidadn sufllcienie d'e-
genero, quasi que de primeira neceasioide, em,
da obrieago em que esto todas de empregar a*.
estampilhas em qualqner redbo superior a.....
SjOOi, alm de urna inqnidade d ontros \>zv. i*
que devem leva-las.
Sendo de- grave estorvo ao cnmmerco a h\l\
desse genero, esperamos do Exm. Sr. confetti-
inspector da thesooraria de fazenda providon
no sentido de ser emittida a porcao dessas etj
pilhas indispensavol aos usos ordinarios, para quo
eesse. alm de, ontros malos, a extorsao dn loe-
de 40 a 80 rs. em cada urna eslampilha. de 20U
ris.
PRIMAZ DO BRASIL.Devendo vir da Europa
de 8 a 12 do correite, o Exm. e Rvm. Sr. Cor. le
de S. Salvador, areebispo da Bahia, om noss3 a*.,
signante nos enva o segrate plano de recepta: .
que acharaos multo razoavel :
i No vapor francez Gironde, que se espera d*
Europa no dia 9 do corrente, segundo eommtu-
cagoes, deve passar por esta provincia com desti-
no da Bahia o Exm. Sr. areebispo, Conde te S.
Salvador e primaz do Brasil.
t Como sabido, o nssso charo e estimado
tropolita volta de Roma, aonde foi tomar pan
trabalhos do concilio do Vaticano, para onda par-
ti mu adoentado, e do onde volta, grucas a Deus,
quasi inteiramente restabelecido de sens incotu-
modos.
Quando S. Exc. Rvma passou para a Eurona.
achava-se em deploravel estado de sailde,, iulio.
ambas as pernas paralytlcas, em consequenCia i!i-to
nao pode vir trra ; agora, porem, que
mente se acba.restabelecido, suppomos que
deixar de desembarcar para estar algamas h
no meio desta importante porgo de seu rebanh >.
qne em todos os tempos serapre se mostrou a
dcil e fervorosa do seu aprisco.
< Ora, dao 9 WSQ de S. E^c de-
i. ..


t
w.
.ifebu =~ terqa feira 6 de Setembro de 180

nnmn ser reeebiJ n tatmi
t>r pnve.i ,a l^H
A' ou ,B1'
fR ^ro dosU
ousadia
respertasel clero da cidado da
nensou filias m M (reparo -
r^reetaspo urna PW**'-^
vi,, apreciadas'uta ierra a; sua gnu^ei vrrra
4es,o o son profundo saber. nlPneh0a las
. eanam-se .* qaairo digno" PjJJVao
freguesas da cidade, eonvidem t
de convidar lo
Reeife, i
convcnie^^H
dirijam se aoBxm. br. vig.uio eapuuni
<.e,.,l.r,o>.orio> ''' '"''^Xtar ao S. aren-
TSS5S5S o m-o querido metropolita
iBimirVirrr*" Bxpontmwls de amor, de esnetN
de i(i>a:acao o nada mais.
c Tomamos ainda h osada de lembrar, que
sena de mxima importancia e conveniencia tra-
ttr-.e algruti] dos peqoenos vapore* que ha no por-
to |tara dtrigir-se -A'Gironilf, apenan csie fuiuliar
e h.mver certeza de que > Sr. areebispo se acha
seu bordo. .
% Nessc vapor seguirao a eumpnmentar a .
I&c.4uiloa os sacerdotes e mais pessoas que qui-
lerem com ellos participar de-se prazer e felietdade.
* E* de cror qne S. Esc. Rvma, un lo de des-
embarcar, aceite a convite IM se Ihe liaer para
servirse do mesmo vapor, alim de vira ierra.
Ao chegar &, Exc. a trra, ser recebido con-
erine ueliDerareni os mais habilitados, do que
aquelle que esereve estas bubas.
Se por qualquer circunstancia S. Exc. nao
peder desem arcar, parece que o faci le terera
i ta-lopor iiu volta, u deixai mu p.mhorado, vis-
te ser uro acio slJeraewe do'aaiur i|ue o cloro e e povo da Per-
njmhueo Ihe voja.
t tjra tirmiuar, apenas nos resta dizer algumas
palarras ; eilai :
A loco iiiile-na e ns aingelta* costumes do
esM respeilavel metropolita dispensam pompase
fausto, e lodos aquellos que leem a fortuna de o
cuaaowr, altretaro que elle aprecia muilo e mul-
to, i; sobre toda s intimas e simples manifestarles
de amor e aaiaaJe que se Ihe tributa.F. V^
MM ESTADSTICOS.-Dos mappasremetlidos 1
pela diversas autoridades da provincia ao Sr. Dr.
cfc-rfo de polica, atibemos os seguioles dados esta-
ti-tK-os ubre a pouulacau de cada frejueiia :
Bufiaiw df S-tnlo Antonio. H.701 pussoas.
itit.i o.viuna.s 8,279 e eslWBgelraa :,43 ; o!-
iciras .S'k casaas 2..*91 e viuvas 2,297; lio-
mhm cravas 99a
Fregneva de .S. Jos 12,2ii peesea, sendo na-
MMtH 11.233 e esiraagpiras089 ; solieiras 6,8iG,
rasadas i.SSi fl viuvas Mi ; hodaflis *i,277 e mu-
Hwwa Dio ; livies H,6'.)'i e aKfftaea o28.
Pnfmiia d 1.7. peanas, send-i, naciouaes 13,041 e e-tran-
jwtras 1.232 ; solteiras 3.SI0, ca.-artas 9,984 e vio-
v,w 679;h 13,198 e aacrava 1.073.
nHOi d > Poro da PiiiuUa. ^,602 pessoas,
*mi<> nacin-i-s 2,494 estraniliraa IOS ; solt;
h*. ras 1,478. H 1.271 o (uuik. res 1,331; livre* 3.4W e cscrava-
1.
Fregueza dos Afoijados. (Primeiro distripto,
>-,wsa Seahflra da Paz) 2,0j4 pessoas, aeodoha-
Bwnaes 1,986 e elra:i{?iras W: sulieiras 1,18,
casas t:2 e viuvas 214 ; homens 934 e mnlheres
1.10: livres 1,797 e >-scrava VS7-
dem ( SegOOd rt-siricio, Magdalena ). SjM
peasea, w>n 11 nacionacs 2.063 a e-tranjieiras .8a;
Viras 1,580, casada 723 e riavaa I4S; liomeus
l.tfl e muHieies 1,285; livres 1,651 e escravas
3J-4.
dem (Tej-ceiro distrloto. Peres) 2,814 pessoas,
ende uciraes 2.731 e estrangeiras 63 ; solieiras
1,65i. rasadas 806 a vmvas l54; homens l,2-0,
e nnilheres 1,364 ; livres 2,471 e escravas 343.
dem (Quarto dwlriclo.B-*- Viagem).-l,90i pes-
-saas. sendo naciona-s I.8J4, e esiraugeuas t:
s.eiras 1,473. easwlas :S8I e viavasa: homens
817 e iiitilher.s 1037 ; livres 1.867 e .scrayas .17.
Twme dePd> dWiho. 15,188 pessoas, sondo
naWdmea ,603,estranfiefraa 380; solteiras...
.0.919, casadas 13.066 e viuvas 1.180; homens
19,640 e mnlheres 25,539 ; livros 42,646, e escra-
vas 2,533.
Termo de Otilia.HXll pe-soas, sendo nacio-
naes 41,067 e estrang-iras 203 ; solwrts 3,68o,
casadas 1,352 e ainvas 483 ; wiimjik 3,108 e mu-
Jberes 6,16; livres 10,820e*ervM 732.
Termo de Ig*artm.-li,W2 pessoas. sendo na-
cioaaes 14,742 e e-tiauphiras 90; solteiras I0,4i0,
rasadas ."t.^l o viuvas 811; homens 7,018 e mu-
I.Vres 7,814; livres 13,092 e escravas 1,740.
Iri-mo de Nazarelh.-MM pessoas, seado na-
* Hwm. 33,603 eestrangeiras 1,221 ; solteiras...
-V ..?>l, casajas 8,078 o viuvas 4,197; homen-
- (7,197 e mulhores 1'.'409 ; livr vxS374.
Termo de S r.ma 28,340 e estrangeiras 304 ; solteiras.....
47, casadas 10,43) e viuvas 4,847; homens
13316, mulbert 13,128 ; livres -24,630 e escravas
Crrm de Caraark.18380 pessoas, sendo m-
.,.,> 18,319-e esirangeiras 31 solteiras 11.480,
4**6,834 e viuvas-240; Borneas 8,430, mulhe-
i<* 10,130 ; ivres 17,030, escravas 1,330.
tumo ile Salgueiro. 4,944 pessoas, sendo na-
c waes 4.934, estrangeiras 10 ; st.lteiras 3.063,
Otaadfts 1.617. viuva, J39; honvns 2,348. raulhe-
res 2<396 ; livres 4,776, escravas 168.
Termo de Cabrolw.n,8i4 pessoas, sendo nacio-
naos 5,837 o estrangeiras 7 : s .lleiras 4,017, ca-
fada* 1613 e viuvas 212 ; homens 3,027 e mulne-
Ma 2,817; livres 3038 e eiarava 806.
PCBi.lCACOES MUSIGAES.-Acabaru Dejahir
Ion, da lypi'grapliia d Sr. Antonio Jos de Azeve
, ra do Sarao da Victoria n. 11 dnas novas
cmiposir;'? musicies. sol og ttulos deAs ritas
em contradanza e a Flor da Ba-vitta, esta do
Sr. praaVl->or ile niano Jos Goelho da Silva Arau-
jd, c aquella do Sr. profesaor Colas Filhe. Sao dig-
nos de aprimoesses dous trabalhos, especialmenle
pela rnestria porque se asham escripias.
OL s DA.Ainda nada se fes nessa idade, para
WMaro abuso e escndalo que diariamente ;e d
no eainio do edificio novo do paco municipcl, co
- uo declaracao formal do que as familias inralo
-ras no Varadouro devem viver concentradas no
mterior das casas, alim de nao presenciarem as
. i nnioralidades que all se praticam. Nao ter a
cmara municipal respectiva meios de mandar fe-
char com perlas oo lijlos as porUi desse edificio,
oa ter deliberado quo sirva elle de despejo pu-
<>!ic rmpete.
1.0TEIA.A qne fe acha a venda a 139* a
beneficio do collegi dos orphaos, a qual corre no
fia 10.
HOSPITAL PEDRO I!.O moviraento desse es-
-falrtecimeato de 29 lie aunMo 4 de setembro, e
27. falleeeram 8,exist m 249, sendo 165-bomens,
e 98 ni o (hers.
Advertencia,
l'oram visitadas as enaVawrias uestes dias as
. 7 1/2, 7, 8,7 12, 6 11, fi i/2, pelo Dr. Ra-
~jwh; m 12,^12 ; 2, 12, 12 1/2, 12,1, pelo Dr.
Sarmen'o.
Fallecido5.
Jes* da Crui ; tubarenlos pulmmare-.
Oa?par ; bestgas confluentes.
tfcfdiea Maria Mafia; fehre maligna.
dSermam da Trindde I'jrcs ; iaiieaft purulento.
jVm.To Jiis da Silva; nextgas eoniluentes.
Minel Dias; tubrculos nesenteri
Viiirianode Souza tuimaraes hepalite ebro-
ni<-a.
l.EILAo Hoje eiYectaa o agenle Martina, o lai-
le urna taberna a' raa do Gaararapes n. 10 as
1 li'iras do da.
f
cuRomcA JUMnRui.
L'R.HIIIBUCV.
I EM 3 DE SETEMBRO DE 1870.
II30 f!\RTA0
8rs .
iuc. o ..: r.',;-; -n'.- ri--
9roiogufl|-
la Silva e. Lacre jdenle.
correle, e *jtMeo; recorrido, Manool Perreira da
Silva. lielar Sr. des-mbargador Akneida Al
buquerqn v sorteadoa os Se. desembargadores Gi-
rana, V,^eira Costa e Sonti Lea .Improce-
dente. Heeerronle, q juizo; recorrida, Maria
'."Wjrtae* sani'Anna Relator Sr. desembar-,
K:utor ReRaeira Coala, sorteados os Srs. doseebar-
gadores Airneida Albuquero/io. LouranQp Santiago
e Doria.Impriteedente. RocorreMe, .juiao; at-
corrido, Gnnetlo Cueles da Silva.Relator o Sr.
desem'rtrgador Soza Lean, sorteados os Srs. d*s- j-
embargadores Almeida Albuquorque, Loareneo e
Gitirana.Improcedente.
AeSHAVos or Hc,Tig.\o.Atgravanto, ioa Tlw-
mai d'Aguiar; aggravado, o juizo.Relator o Sr.
desembafgador Lourenco Santiago, sorteados os
Srs. desembargadores Doria e Doiningues da Sil-
va. Xpgaram provimenlo. Aggravarte, ArialMes
Duarte daCanha Gana; aggravado, juiu.Re-
lator o Sr. d--embargirtoc Almeida Alhnqaepafi-,
sorteados os Srs. desembargadores DoijHugu.es da
Silva e Lonrentjo Santiago.' Negaram nrosi
monto.
AppellaqSks crimes.Appellante, Beoto Alves
1a Silva; appellada, a justica -Reformada a sea-
teafi. Appellante, Manoel Antonio Bezerra ; ap-
pellada, a justica. Nao tumarant conhecimeu-
lo. Appellante, o promotor; appelUdo, Francelino
Severo d'Aiinuncia^ao.Improcedente. Appellan-
te, Manuel Joaquim da Silva; ampollada, a jusli-
ca.Nullo da pronuncia etn diante.
Deugkncia crime.Ao Sr. deseabargad>r pro-
motor da justica: appellante, Amia CU** da San
ta Cruz; appellada, a tustica. Appellante, Mara
Francisca do Espirilo-Sauto; iippeUada, a justi-
ca. Appellante, o juizo; appellado. Juo Raymun-
do da Silva. Apoedante, o juizo f appellado, Ma-
noel de Mello Cmlcante. Appellante, Antonio
Jissde Sani'Anaa; appellada, a justica. Appel
iwiie, o escravoClandiiK porM senbor; appella-
da, a justica. Appellante, o juizo; appellado, Ma
noel Rodrigues Lupes. Appellanie, Manuel Morei
ra de Souza. appellada, a justica.
Dkuckncia civbl.Ao Sr. curador geral ap-
pelUnie, Jo- de Suqaa Mues Braga; appellado,
Francisca GjnQalves Se.rviao e outros.
l'ASSAGEIIS.
O Sr. desembargador Gitirana passou jo Sr.
desetnbargador Lourenco Santiago os feguiates
feitos :
21 notas do valor
!0 diC-v
K5 ditas
Res.
EWPvSTIl.VgAO DA oos

(le
de
de
2005000
100*000
OiOOO
Ris. .
4:80030!
2:(KJ600!)
tOOi
7:600/000
S. E. e O.
O guarda livros
ftvMMiaco Joagntm Ptmra Pinto
APPKl.LAfJOKS CHIMES.
Appellaeiio crime do jury d'juea.Apaellaa-
te. Candido Rodrigues Bezerra; appellado, o
juizo.
Appellacao crime do jury do Crato.Appollan-
te, o Dr. juiz de direilu ; appellado, Manoel Donato
de Souza.
Appellacao orime do jury do CoitAppellante,
o Dr. jui' de direilo; appeilaJo, Antonio Joaipiim
da Silva.
O Sr. desembargador Lourenco passau ao Sr.
d'-embargador Almeida Albuquerque os seguales
teitos :
APPSLLAgES ClllMKS.
Appellada.) crin do jury da lni,eratrii.Appel-
lanle, o Dr. juz de diretto; appellado, Jos Car-
neiro de Souu.
Appellacao crime do iqry da Iraperairiz.Ap-
pellante, Ciernen'e Rodrigues de Sobral; appella-
do, Casimiro de Merfeiros Cafetea*
APPELLACAO CIVEL.
Appella?.lo civel desta cidad--.AppellaBte, Jos
Alves Barbosa; appellado, Elias Emiliano lla-
mos.
Do Srs. d-cnibargador Almeida Albnqiwnjue
ao Sr. desembargador Motta os seguioles feitos:
APPELLACAO CRIME.
Appellacao crime do jury.Appellante, Francis-
co Jos de Oliveira ; appellada, a justiQ*.
- APFBLL\C.AO CIVKL.
Appellacao civel.Appellante, Antonio Moreira
dos Riis; appellada, Feliciana Maria Olympia.
Do Sr. desembargador Doria ao Sr. desembar-
gador Domingues da Silva. AppeliacSes crimes:
appellante, o iuo; aypellado, Jos Vieira Peixo-
lo. Appellante, Jos Fraucisco da Silva ; appella-
da, a ja->tica.
)o Sr. desembargador Domingues da Silva ao
Sr. desembargador Rcguuira Costa.Appollacoe.-
civeis: appellante?, o commendador Antonio de
Seqoeira Cavalcaute; appellado, Automo Carlos
Per eir de Burgos. Appellante, Jos Francisco
Xavier Cruvello; appellado, oo Francisco Xavier
de Azevedo.
Do Sr. dcembargador Regueira Costa ao Sr.
desembargador Souza Leao.Appellacoes civeis:
appellante,Vicente Ferreira Padiiha Caiumby ; ap-
pcllad >, Jos Mariano de Araujo. Appellante, Car-
los Holens; appellados, padre Joaquim Jos de
Faria e outro. Appell3c,5es erimes : appellante,
Raymundo Gomes da Cunha; appellada,_ a pisti
ca. Appellante, o juizo; appellado, Juao Vieira
Dantas.
Do Sr. desembargador Souza Lejo ao Sr. des-
imbargador Gitirana. Appellacao civel: appel-
laue, branca, co da i'.osta Villar; appellada, Esrai-
ra Rolim Accioli Villar.
Assignou-se dia para julgamento dos seguintes
feitos:
Appellaqes crimes.Appellante, Benlo Alves
da Siva ; ajipellada, a justica. Appellante. o
juizo; appellado, Joaquim Ignacio Teixeira Men
des.
A' urna hora depois do meio-dia encerrou-se a
sessao.
PO
EXM
Haaanau.
trio Dr. Viri;.
na forma di
;. (lesem
no-se
Buglihs Bank of Hio de Ja-
neiro Limited.
Capital do Banco etn
o0.000accoesde29
cada urna...... 1,000.000
Capital realisado .... .jOO.000
Fundo de reserva. O.oO.'i
Balanco da caixa filial em Pernambuco, cm
31 de agosto de 1870.
Activo.
Letras descontadas. 1,(71:861#840
Emprestimos e contas
caucionadas..... 29:913^380
Letras receber. 74:2565330
Garantas e valores de-
positados....... 511^66)9630
Mobilia etc. do Banco. 17:0495100
Diversas contas..... 216:0070200
Caixa.......... i,105:i>J4d50
3,426:6485990
PUBLMMR A PEBW8.
XcgocloM Ir Asylo de Hendlei-
datfe.
Santa Casa da Mi?ertcardia do Reeife. 18 de
agosl.. de 1870. N. 2945 lllm. e Exin. Sr.-
E' para admirar que o cx-dirsvttr d Asylo aflir-
me em seu artigo 6o puoiTrado m Otario de 23
dejullw proxuuj paseado, n 165, que fui inexac-
to quaudw dfese quo a quanua de i:00f) era in-
suffleieute para a despe a d i estaoetifchiieoto, e
apenas chegava para o cusiei", nao deixandy bas-
tantea sobras paran pagamento dos empregad
para indemnizar as despeas do trata men lo dos
mendigos remetlidos para o hospital Pedro II.
Em id de marco utlinm recebeu a Santa Casa
a quantia de 'i:0i)5 da thsourana provincial e
etirregou ao ex-dtrector 3:509J ; pagou am abril
de ordenados relativos alguns das de imrrp
19737CJ e licou em caia a quanlia de 3">25237.
Receben a Santa Casa da ihesourana em 2 de
maJo prximo liado a quantia de 4:000J, a qual
C mi o-salJo domez aeterluT prefaza de/i:;iftfi237;
entregou ao ex-direclor 3:900225 e ne.......
3:900250 como ulle dlsse ; pagou de ordenados
4934321, soinnwndo tnd.i 4:3933i6 vindo ap-
parev'er um deti itade 91 309 9em lerar-se em
cmia a uantia de 4903, qne reslava pagar do tra-
lamento Ana mendigos no hospital.
Em 20 de junho receben a Saata Casa da thesou-
raria a quantia de 4:000 ; enlregou ao ex-direc-
t >r 3:607il83 e niio 3:i6i83, como elle disse,
l>agou os or aunados do mez de maio na importan-
cia de 3914163. A quantia entregue a ex-itiree-
tor, a importaveia dos ordenaos que vento de
ivferir-nie com o -ielicitde 9B309 do mez anterior
sommain 4:0.03i.'7, o havendo recelado a
Saota Casa os 4:O0O cima mdieidos, passou pa-
ra O mez sepilite um delicit d-? 90S4'i7. seto Con-
lar-se anda cora o iratamenlo dos mendigos no
hospital durante o mez de malo, que importou em
363*1.
fe dia 28 de junhe receben da tliesnur.-.ria a
Santa Casa, requisieo da junta a quanlia de
1:0004; receben nais Ja cmara municipal a
quanlia de 2005, honorario do seruio pregado
pelo Rvm. padre Dr. Luir. Sobro Pelinca no dia 21
de abril prximo pretrito, e em S de julhj rece-
beu ainda da thesourar'a 4-.00Oj, ommand) tud*
o:200J. Entregou ao ex-director 3:3*:iW30 e
nao 3:387*030, como Hle disse; pagou ae orde-
nados relativos a junl 399970; itidemnisoa o
cofre da caridade dos dmis mezes de abril o nuio
de trataiiienti dus inVatlgrjs no'hospital, importan-
do em 1:033.3 ; p.ig, n delHt que viera do mez
passario e |iie era de 903437 ludo na Imdorfaneb
de 4:9183477 e re>tm a fnvor do cofre un saldo
de 2833323, qno nao chegon para pngir a quan-
tia do 3'J9, proveniente do ira la men te dos mendi-
go.' do Asy!<\ isfthtes iu hospital Pedro II, rela-
tivamente .'. esse mez de jr.nho.
Desta demonstrarlo, iusttllej'la peia cer-
dao junta do escrivao da S-'nta Casa, se eviden-
cia ehftrarrenta que, nao havendo sobras e sirn d-
ficits lodos os mezes, eu nao profer i.iexaeiidaoal-
gnma quando asseverei primeiramenle a V. Exc.
e depois no relatorio do Io de jnlho que os 4:00J
arbitrados nao eram sulflcientes para a dospeta
rnensal do Asylo.
E assim lea" patente que o ex-director ou nao
destinguia bem a verdadw dos fados, ou enio nos
trva.ignnranclado negocios deque devia ler
l<"rfei: conhicimento, sendo que at as cifras das
quantias, que tile diz ler receido, nao combinam
:om h qu1 consta da se Tetarla da Santa Casa, se-
gundo o que ,-ieima ficou ponderado.
Deus guarde V. Exclllm. e Exm. Sr des-
embar?.Jor Francisco de Assis Pereira Rocha,
vice presidente da provincia.
O provpd-r da Santa Casa
Anselmo Francisco Peielli.
Ceriiflco que em 26 de marco receben o lhe*on-
reiro da Saota' Rau a osantia de 4:0003000 da
Ihesduraria provine al; eotregorj ao rx-director do
Asvlo d.i MendiciJai'e JoBqnnn Pedro Brrelo de
Mello Reg 3. "00,->0CO,- pagoa em abril de or-
denados de empreados relativos aoi d;as de mar-
oo 1977t3, ficando na csixa a quantia de.......
302 237.
Cerldica mais que em 2 de maio receben da
tli-- inraria 4-.0003C00 que com o saldo do mez an-
teri ir prefez 4:3u23227 ; qne entregou ao ex-di-
rector 3:90O223, pagou de ordenados 493*321,
imanandn indo 4:3935348 apparecendo um deli-
cit do 91*309 so-.n con ar con a quanlia de 4903
que restava pagar do traramento dos mendigos no
hospi:al Pedro II.
Certifico miis que em 20 d* junho recebeu da
mesma tnesouraTia 4:0003000 : entregou ao ex-
director ;:0073i(13 e nao 3:396*483, como disse
elle, pagon de i rdenados do mez de maio 391*665
que com o dficit de 91*309 do mez anterior faz
4.0003439, nassando para o mez seguinle um de
icit de 903347 sem cantar ainda com o tratamentn
dos mendi.'os no hospital, que em maio importou
em 563*C0O.
Certifico tiualmento qne em 28 de jnnlv rece-
ben a quantia de 1:000*000, reqoisicio da jun-
ta administrativa, recebeu mais da cmara muni-
cipal 200*000 do sermo quo pregou o conego Dr.
Pelinca no Te-Deum que leve lugar pelo aeaba-
menlo da guerra e em 5d? jnlho ainda da theson-
raria provincial 4:000*000 somonndo todo 3:200*;
entregou ao ex-director 3:373*050 e nao.........
3:383*050, como elle diz ; nue pagou de orden i-
dos relativos a junho 399*970, inderonisou ao co-
fre da caridade dos dous metes de abril e maio do
iratamenlo dos mendigos no hospital na importan-
cia de 1:033*000 ; que pagon o dflcit vindo do
mez passado na de 90*457 lado na importancia de
4:916*477 e que fie >n na caixa uro saldo da quan-
tia de 283*323 nao nao chegon para pagar a quan-
lia de 1:184*000 em qne importou o tratamento
dos mendigos nos mezes de junho e julho no refe-
rido hospital Pedro II.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do Re-
eife, 18 de agosto de 1870.
O escrivao,
Pedro-Rodrigues de Souza.
s de t|ae a icacao se compuoha,
^rave,a de u;
.oelle juiz na pessa de
abilidade que me foi
blicacio do artigo,
publicar no Diario de Pernambuco
icio, muia attencaoKe
npanliadodeuma represeam^ao da
ronniripal de Olinda contra o juiz mm-
Blcipal daquello termo, bacbarel Rtiflno Coelfco
da Silva. Reeife, 19 de agosto de 1870.Ma
f noel ila Suva locme Pessa. Reconbeco a flr-
ma supra: dou f. Reeife, 31 da agosto de
t 1870 Luiz da Cosa Porto Carreiro.
Este naAQi, que assigrfou esta responsabilidade
acaba da redeber fenineotns morlaes.em lata, que
travou com nm nutro hoiuam na noute de sabba-
do, ple mnito bem ser que osta hora nao
exisla mais (I).
J portaoto com verdadein constraagimento,
qae trazemos pubeidade ala doenmeato, que
contra elle depoe, pois talvez ? venha encontrar
a sna memoria.
Os direfcos da defeza, porm, sao por sua vez
tambero sagrado?, e e-tes nos impellem a vir dizer
ao publico, qM aquella assignutara a satisfacao
mais romjj^^^H o jniz municipal de Olinda
pojeria dar, a prova evidente da falsidade da
imputaca"1, <|ue Ihe foi fetta ; a conllssao so-
lemne feita por sens peop.-ioe ioimigos de que o
qoe cootra ello dlsseram urna calumnia.
Que os inimigos do bacltarel Rufino nao assu-
I miriam a responsabilidade do que mandaram pu-
blicar.eu ja o sabia, pirque nha conscieociada
calumnia, qua eiles levant.\ram.
Quiz leva-Ios a emergencia de pelas proprias
Tiaoscobrirem-so com o manto despresivel do ca-
lamniador; consegui-o, fugindo elles responsabi-
lidad!) da aecusacao, que produziram.
Estoa satifeiUi.
M Cotabr.
cumprir soas ordens,
condoza.
V-
0
Raphael And
.heiro
cot
rptile bu
Eieitflo do Senhor Bom Je-
ss dos Pobres Adictos,
que se venera na portara
do convent > de Nossa Se-
nhora do Carmo da oida-
d* do Reeife em 23 de
agosto de 18 O a 1871.
frnveder por eleifao.
r. Francisco Leopoldino de Gusmo
Passivo.
Contas correntes sim-
ples. 756:75W310
Depsitos praso fixo,
com aviso e por le-
tras i,719:522520
Titalos em cauco e de-
posito .......
Diversas contas.....
2,47<:28!083O
511:86Q(W30
438:5003530
3,42:G4W990
S. E. 0.
Pernambuco, 5 de setembto de 4870.
St. (le Pottere, Pro Accountant.
NOVO BANCO DE PERNAMBUCO
BALAXCETK DO NOVO BANCO DE PKHMAM1IUCO EM Jt)h-
DAfJAO, EM 31 0K AGOSTO DB 1870.
Activo.
Letras protestadas........
ritulos depositados.......
Despczas. genes.........
Caixa,Pelos seguintes valores :
Emouroaraoedado. 904*660
Em notas do thesouro
e da Caixa Filial do
Banco do Brasil 33:0194000
Cmpratae cobre. 158*583
34K>8ajii3
liis.
808:4*04364
Santa Casa de Misericordia do Reeife, 18 de
agosto de 2946-N. 2944.lllm. e Exm. Sr.Diz
o ex-dirrct'ir no final do sea artigo sexto publica-
do oo DUo o de 36 de jnlho prximo paseado, qna
tao dedicado aoa caridade, qne sirvo, ha lan-
nos, o cargo d provedof.
Tenho servido, verdade, dorante todo/este
lempo, em parte por deferencia diveraos presi-
dentes, e o poderia provar com doeumentns exis-
leotes ao arbivo da secretaria da Santa Casa, e
no roen poder, que silo por de mais honrosos para
qne eo' ipe resdl.i a publica-los.
Son o pTimeiro a reconhe er qne nao tenho os
netessarios predicados para o cargo qae exerco ;
mas eplo qncixa-se.o ex-director da benevolencia
do presidente, que pela primeir vez nomeon-me
provedar, e dos que depois rae tem reeonduzido.
E |'-qne sta reeondoccao se ba verificado per
qnaire nezes com sacrificio do mou desean?, irei
acompanhando os raeos collegas nos bons de-ejos
qae os animam prol da Santa Casa, e nos e-for-
c-is, que estao fazsndo, para o pagamento da di vi
da qae nao foi por ns contrabida, e cuja extioeco
ta'vet nao ae b?a mbito esperar. No fim do bio-
nk>, oo mesmo ames d'isso, teremos multa sal-
faeao em deixar os logares de mordomos e de pro-
vedar. (nrmente por que nao teremos por saceos-
surea algsos dVsies bomens fatalmente ulhados
para e como onirora aconieceu com oa da misericordia
de O4 iOda.
Deus guarde i V. Bic-RIm. e Exm. Sr. des-
embargador Franciaco da Assis Pereira Roeha,
tice-^Beidenie da provmcia.
O provedor da.gaata Caca,
AfUehmo Francisto Peretti.
(ConttJ.
fegadm <\b Oiada.
Chamei rrep'>osabi!idade o antor da poblieaco
no Otario i* Permmbuta-e 20 de agosto, contra
o joii aawMeipal de Olipda, porqna deotre as im-
lllm. Sr.
Lobo.
Provedora por eleicjio.
lllras. e Exma. Sra. D. Malina de"Souza Moutinho.
Provedor por devoco.
lllm. Sr. Caetano da Silva Azevedo.
Provedora por devocao.
tilma, e Exma. Sra. D. Emilia das Mercez Muniz.
Protector do altar,
lllm. Sr. Flix das Mercez Muniz.
Protectora do altar,
lllma. e Exma. Sra. Jeronyma Maria Bannda.
Vice-provedor por eleieao.
lllm. Sr. Manoel Mirtins Fiuza.
Vice-provedora por eleieao.
Illma. e Exma. Sra. D. Elisia Catharina di Mer-
cez Muniz.
, Vice-provedor |ior devoco.
[!lm. Sr. Caetaiio Jos .Mendes.
Vice-provelora por devoco.
Illma. e Exma. Sra. D. Francisca Olindina de Si-
oueira.
Thesoureiro.
film. Sr. Francisco do Panul e Silva.
Dilnidores.
Rvds. padres mestr s :
Fre Jorge de S'int'Anna Locio.
Lino do Monte Carmello.
Antonio de Mello e Albuquerquo.
films. Srs.:
Dr. Fcljx Hibeiro de Carvalho.
Major Kirmuio Jos de Oliveira.
Capitn Hermino Ferreira da Silva.
Jos Di'jiam Vieira de Amorim.
Tito Francisco de Mello.
Jos Rulino Climaco da Silva.
Florencio Tertulian do riego Cosa.
Antonio da Silva Hamos.
Jos Francisco da Suva Chaves.
Es-srivan pt>r ele-;?",
lllm. Sr. capiao Jeronvmo Emiliano de Miranda
Castro.
Escrivaa por eleieao.
Illma. e Exma. Sra. D. Maria do Nascimento Cor-
deiro.
Ejcrivao por devoco.
lllm. Sr. Paulino Rodrigues de Oiveira.
Escrivaa por devoco.
Illma. e Exma. Sra. D. Claudina Duelas da Silva
Maia. I
Mm domos.
IHitu. Srs. :
Majar Luiz da Costa Porto Carreiro.
Dr. Miguel Lucio de .Vbuqnerri'te e Mello.
Capitao Francieo Faustino de Britto.
Capito Jos Gandido de Souza Castro.
Dr. Jos dos Aojos Vieira de Amorim.
Tenente Hemeterio Maciel da Silva.
Alferes Francisco da Rocn Passos Lin*.
Dr. Antero Manoel de Hedeiroa Portado.
Francisco Izidoro Ribeiro de Carvalho.
Francisco Trajano de Almeida Bastos.
Virgilio da Costa Oliveira.
Manoel Estanislao da Costa.
Joaquim de Almeida e Silva.
Antonio Carlos de Almeida.
Joao Alves do Quintal.
Mor domas.
Iflmas. e Etmas. Sras.;
D. Militina dos Santos Jorge.
I). Joanna Prudencia dos Santos Lias.
D. rcala do Reg0 Costa Muniz.
D. Frncelioa Augusta da Cosa Ribeiro.
D. Remigia Helena do Reg Costa.
D. Carolina Ribeiro de Carvalho.
D. RKta de Cassia Cordeiro.
D. Emilia Clara da Silvi.
D. Raymonda Maria da Conceicao.
D. Ritta da Natividade de Souza Magalhaes.
D. Marcellina da Conceicao Muniz Moraes.
D. Maria Magdalena da ijonceicao Mello.
D Joaquina Mana de Oliveira Mello
D. Maria Izabel de Magalhaes Fonsuca.
D. Autholiana dos Santos Lages.
Procuradores.
Illma. Srs.:
Joaquim Paulino Niceiaa Muniz.
Lniz Jos da Silveira.
Joaquim Euzebm da Silva.
Jos dos Santos Lages.
Tenente Manoel Antonio Viegas Jnior.
Convento do Carmo da eidlde do Reeife, 28 de
agosto de 1870.
Fre Jor^e de Sat'.4MMi Lodo
Ex-provincial e preaidonle.
correspondencia desta pro-
vincia para a Helor ma.
Reforma de 10
hnqndencia de*a"",W"viua* eafl quo.atrSJMMi'a
morle dos irmaos; S e Aftoqneniaie e ae pro-
limra lani-a-la em coola ao Sr. teiwnle-COfOticl
Cispar Ucba. E ne-la ineama eajrMspoqdeacia
se attribti ao citado tenenle coronel Oajfar a
morte de Francisco de Maco*), de parceria com
Manoel Tavaes, e a de cinco cigaaa, ci^ju as-
sissinatos fora-i praticados nesle towao pelos an-
nds de 1844 1846. E em prova do primewo he-
lo se publicou o despacho de pronuncia proferido
!uor mira contta aquelle leenl-eorooel refor-
mando, como supplenti: do juiz municidat, a aeci-
su i da aulo*tdade,processanie. ,
Era eu. delegado de polica deste termo n aquel-
las epoclias, e por is-o devo urna explicarlo ao
pUublico por aawf-d* vfda No brbaro atlentado que ueste termo loi pra-
u'cado contra cinco infelizes iganos, o Sr. tenente-
coronel Gaspj. Uchoa nao int3rveio, nem o sen
noroe foi comprebendido no procesw por mim ins-
taurado. Os autores de to nefauda carnificina es-
tij hoje dandoconta lVit, onde nSo-zoinbarao,
como fizeraro na trra da justica dos homens.
Prouunciei, porm, o Sr. tenente coronel Gas-
par pela morte de Macedo, por ue eatandi. qae dos
autos resultavam iudicios que autorisavam o meu
juizo respailo da sua nterveucao nenia morte.
Vato e qualro anuos slo passados, e n'este lon-
go espaco de lempo olnive pravas e coavead-mo
di imarocedencia de taes inditirs. A miaba de-
cisao foi em vista da declarar.o de Manoel Tava-
rw, que, para innocentar-se, e a Francisco Raa,
naics autores de semelhaoie assassinalo, procu-
rara atlribui-lo quem nao teve a menor inier-
O Sr. tenenie-coronel Gaspar clwa foi despro-
niunciado em recurso; e, se eu fra o juiz, seria
o pruprio reformar aquella minha deeisao : tal
6 a minha uouviccao semeihante respeito.
Nao venho e nem quero cortejar ao Sr. tenente-
coronel Gaapar Uaba, e muito menos sua fami-
lia. Arredado da" poltica, contino ser o quo
siempre fuiliberal da* antigs eras, de convic-
coes sinceras, que sacnikou toda a l'oriuna na
causa desse partido, e que nao transigi com ad-
versarios ; e o Sr. tenente-cor.incl Gaspar Ucba
i conservador, meu adversario; eaire mim e
elle nao pode haver ponto de contrato. Se veaho
esclarecer ao publico, s por amor verdade,
* para que se nao attribuaoi, uo0 manifesta injus-
ica, faetos de tanta graviJad-j quem nao lem
iraticado.
Sennhaem, 2 d setembre dp 1870.
Casiano Francisco de Barros Wanderlsg.
oa t praso sobre as
principan da Europa. Um tairwfipomleDUie
aa Baha, Baonos-Ayres, Montevideo, V/tm-
a Nw-0r!i!aoi, a emit afta* de crdito.
wra os rnesmos logas.
RA DOCOHHEROO N. 36-
\"oto bauca de Pernaaahiico em
liqnldaea. de agosto de
tsto.
Oe Sr. acciooistas podem reeeber o V
dividendo de um yor ceolo do capital as
qaartas feiras e sabbados.
A' ra do Coromercio a. .14, 2* an-
dar, faz-se, s qaartas-feiras e abbados o
3 o tillitao dividendo de 2,99 "i. sobre
passivo da concordata do Sr. Jos Antonio
Bastos '
Reeife, 26 de agosto de 187u.
ALPANEOa
Asndlmentododial a 3 118:339^541
dem do dia 5...... 37:i>9S|5M
155:035,0*5
KOVlSlliflTO A ALPAM1GA
'oluroca onira.ius cim fazendas
dem ide:.! com genero
'olume; sahidos com fazcdas
tdam idem cora genero
SO
m
- 2Mr
119
90
------S09
Descarriara hoje 6 de seiembro
Barca francezaFig'iro meroadorias.
Barca portngoezaAmelia dem.
Barca ingli-zaTalismnfarinha de trigo.
Despachos de exportacao no dia 5 di
setembro
>'o brigue inglez Meduza, para Liverpool,
carregaram : Ferreira & Loureiro. 34 saccas com
4374 kilos de algodao ; Carneiro & Nogueira, 47
saccas com 8676 kilos de algodn.
Na escuna bcspanhula Gesina, para o Hio 4a
Prata, carregarajB : Perreia, Oaraeiro 4 C, 435
barricas com 17,511 kilos de assucar.
IF-CEBEOOTUA OE RENDAS INTERNAS (B-
AES DE PERNAMBUCO.
dendunooto do dia 1 a 3 3 8734157
damdodiaS..... S:633*444
ii-:oic.4DO
AO ILLM. SR. iOSK MIGUEL E LTR.V.
ubiloso em ti se occnlta
omais nobre coraio,
>aelar somente a virtnde
rq'le s quer por brazao. .
aiga de pobre as dores.
ncensa os males com flores,
Hera no bem s procura:
~ni-lo ao peil i amoroso,
slle busca pressnroso
riwaKo da desventura.
O-
Mi
r-embrado sempre o ten nomo
Qgjflte ser por mira :
=Jgo a Deus pelos lena das.
>h I quem dera elles aera fia I
Reeife, 3 de setembro de 1S7A.
Agradecimento.
O abaixo asignado faltarra ao mais sagrado dos
devereso da graMao e reconbecimento, ae nao
viesae patentear ao publico o qnanto se acha pe-
nherado pelas bondades, attenedes e deainteresse
do Sr. Antonio Josa Diurtt Gotmbra, proprietario
do theatro de Santo Antonio, j prestando a casa
para nella dar minha niha o eu (timo eonoerlo,
j ceasentindo que a cempanbia franceu preeo-
chesse algnns intervalos, e j finalmente dispeo-
sando-o de certas daspezas no ainslede contas.
Grato em extremo por tanto eavalheirism > e aboe-
gaco, o abaixo assigaadb asaagara ao Sr. Dnar-
A* sentida mor e da Exuia. ra.
I>. .diaria .Magdalena Caraelro
Itos Vilella.
Quando n trra perde um justo
Canta um anjo a qAi itemais. ,
tGoNj.M.VKs Das).
Hontem, as 10 donas da n%ie, depois de
ongos so'rtmentos, renden a alma a<> Gredor a
Exm. Sra. D. aria Magdalena Caroeiro Ros Vi-
lella, virtuosa emaotte do fallecido Dr. Joamntn
Vilella de Castro Tavares, o ,>riu filha do resp^i-
ivel ancian o I'lin. Sr. tenonii--culona! Francisco
Carneiro Machado lii *.
Todas as virtudes que eoncarrem para fazor da
mulher o ente sublime da rreacao, constiiuian o
thesouro inexg>lavel une eareiraecia o coracao
nohra e gnaairueo da Ilustre llnaikt.
Filha caiinhosa e oftodieal, raposa estremecida
dedicada, e mai toda teriMM e desvaios, a
Exma. Sra. D. Mana UpbdaiKi Carneiro Rios Vi-
lella, por seus dotes pessoaes, por sous elevados
sealimentos eapttva o raaptiio, a eslima e a vene-
racao de todo- que ;i conherianx
Compenelr.-ui i de -na verdiidi'iro niissao oeste
mundo, procuroii, sempre qne poude, derrainnr
> balsama da eonaamma sobre a dr e o soffri-
mento alhei'i, o para os se^:; proprios buscava
nos cons.sllxs da religio, es.-a corsgem o Mmgt-
nacao, que a tornava mais santa na dor, mais
sublime no marlvrio.
Aioda, ooucas dias antes de morrer. s pjasoas
que se mosuavam sentidas tos seus padecimen-
tos, mgava ella om espirito todo comrieto e
religioso,ijue por sui alma na> deixassern de ou-
vir urna inissa no dia (m qae v,vio a fallece') n*
fesla de Nosa Senhora da Pean, quem dedi-
ca va esnecialmente sua- lar?irosas oragSes.
O solfrimonto, o traOalho laboriosa e incessante
foi todo o se.i viver deste manto, depois que a
morte cortn em raeio a sin o sama*, oonver
tendo as alegras da esposa, no praato longo e
saudoso di viuvez.
Nesla lucia, em que o espirite sempre resisti,
O corpo leve tlnalmonte m eeda a su proprla
f raqueza.
Desde 1858, isto depois da morle de seu ex-
tremoso marido, diz o Ur. Pereira to Carmo, seu
medico assisient, datam os padecimeutos que a
levaram ao tmulo.
Redimida por toas proprias virtudes, e beatifi-
cada pelotestetniniho insuspeito qieacompanha o
justo, a Exma. Sra. D. Maria 'vMclla deve terj
recebido no co a reoomoanaa dos escolhidos de
Deus.
Admirador das eminente- qualidadaa da illnstro
finada amigo dedicado de seu marido, de >eus
pus, irmios, c de seu filho o iacharcl J.iquim
Maria Carneiro Vilella, depomo* sentidos urna co
roa de saudade sobre a seu tmulo, e acomitanha-
mita, na dr profunda de qne^e acha pjsanida,
sua incontestavel familia, a quem damos nossos
sinceros psames.
Reeife 5 de setembro de 1870.
MM
IllalWIWldaMIIi KW l'T "li
Agua de Florida de Murroy e
Lanmttn.
Em consequencta da ina grande e vasta popo-
laridade e jasta celebridnde em todos oe merca
dos da America do Sul e das Antilias, para o uso
de cujos paizos, ella foi excluaivamejaM manul^c
turada, ha mais de vinte aawe ; a mesma tem
sido extensivamente iulada _e, contrafeila neste
paiz. Porm preseatem;mtc o artigo original foi
introduzco, e cm virtudo do mesaao apresentar a
dislineliva marca cniumercial des proprietarics.
pode fcilmente s r distiuguiua pela sua apparen-
cia exterior dessas oulras awmiUdas e traudulen-
tas composiges. Os signaes liarnos de per feita
genuidade sao muito menos beil de engao, por
quanto a .lana de Florida <* Mun-ag e Lanman,
tem e desenvoite o aroma pruprio as frescas e
floresceotes flores e plantas lo trpico, das quaes
ella deriva a sua bella e exqui-a composicao, e a
exposicao ao ar, em lugar de diminuir, augmenta
a delicadeza de seu fino aroma, em tugar de pro-
duzir urna emanacao acre ou una certa effluvia
desagradavel, como acontece,-com esse perfumes
e aguas de cheiro as quaea sao preparadas e com-
posta com leos baratos e ortissimos de caira
cas.
:5081571
MGVMENTO DO PORTO.
Marios entrados no da 5.
Rio Grande do Sul19 dias, patacu* ^ortugae .
GuiUiei mina, de 247 toneladas, capitao Manoel
Gonealvcs foranos, equipagera 9, cargaj3,72H
arrobas de carne ; a J. J G. Deliran.
Trie.-te.68 dias, patacho norte-allemio Hercuks,
de 180 toneladas, capito Schwarting, e-juipa-
geni 7, carga 2380 barricas com farinha de Hi-
go ; a Jobnsion Paler & C.
Hiinburgo 50 dias, brigue nortcallemao John A
Jalius. le 290 toneladas, capito Gullscb, eqai-
pagem 'J, carga differenles gneros ; a Prente
Viauna < C
Saito sakido no mesmo dia.
Liverpool -Ligar inglez Rlwidal Quetn, capito J.
llugh*. carga algodao.
iOITAES.
Erratas.
No coaamunicado de envenenanienlo, que hontem publicamos, en-
tre outros errostypograpuicos t-se o seguin-
le r a linbas 49 etwvnewmento para
substancia toxica de veneno vegetal, quando
deve ler-se envenamento for substancia
toxica ds reino vegetal.
No | li nha peBUiiima. eva vez de To-
xicogapho~-m^6 Ttocicopkwp.
No j O Ia linha, era vtj2, de juraram
leia-sej'azevam.
PUAGA DO RBC1TB DK SETKMBRO
DE 1870.
as 3 1/2 obas da tabdi.
Cambio sobre Londres 90 t/v *9 \fl por 1*000
do banco.
Dito si.bre dito 90 drr 10 7|8 por I#000.
Descome de letras t o 10 tvif ao anno.
Gonean j;1e Atlonso,
ate
A. f. de Letnos.
P?k so.ret.rio,
ENGLISH UM
t>f Ri
Descoata Isttrss da j axa a con- {de agosto c
0 Dr. Antonio Baptista Gitirana, ofBcial da impe-
rial oidem da Rosa, e de-embargador do tribu-
ua! da relaco de Pernarqbuco, por S. M. o Im-
perador que Deus guarde etc.
Fago saber aos que a presente carta de edilns
virem e della noticia tiverem, que nos autos de
appellacao civil entre narles como appellaules o
herdeiros do fallecido Francisco Antonio Duro e
,sua mulher, e appellada a junta admini-trativa
da Santa Ca.-a de Misericordia do Reeife, roe for
pela mesma junta administrativa dirigida por es-
cripia a ppticfio do theor seguinle:
lllm. e Exm. Sr. desembargador juiz relator.
Diz a junta i.lministrativada Santa Casa de Mise-
ricordia do Reeife, que raovendo aeco ordinaria
pe i juizo municipal da primeira vara escrivao
Baptista, contra os herdeiros de Francisco Antonia
Duro e sua mulher D. Joanna Mathilde da Na;i-
vidade para haver o sobrado outr'ora n. 17 e pre^
senlemente 3o, sito a ra da Cruz, freguezia do
Reeife, como legado deixado pelo fallecido Jos
Rento Fernaodes, ao hospital dos pobres, boje Pe-
dro If, teve a snpplicante entenca a favor e ap-
peilando os reos, une vierora a juizo, foi a mesma
sentenca contlrraada.
Embargado os reos, ora appellantes, o veneran-
do accordao, que confirmou a sentenca, da dis-
cnssao dos embargos sonbe a supplicantc, qne a>
ro Joao Antonio Pinheiro f.illecera em 22 de ou-
tubro do 1866, como coasta a fl. 286 dos autos, a
tendo tambem fallecido o reo appellante Jos Epi-
phanio Duro em 3 de maio do correte anno, e
querendo a snpplicante proseguir comes termos c
julgamento Qnal da dita appellacao, quer para isto
tazer habilitar a D. Ermelinda Jospbina Carolina-
Pereira Duro o os menores Joaquim e Idalina,
aquella como vinva e e-tes como filhos do refe-
rido Joao Antonio Pinheiro; quer tambem habili-
tar a Francisco Antonio Duro, Ignacio Eustaquio
Duro, D. Henriqueta Mathilde Duro, D. Delfioa
Candida Duro. Joan Jannario Duro. Tiago l'elfi-
no Duran e Josephina Adelaide Duro como
irmaos do fallecido Jos Ephiphanio Duro, a D.
Ermelinda Josephina Carolina Pereira Duro e
Francisco Antonio Duro como sobrinbo d ete
fallecido, para o que quer fazer citar aos suppliea-
dos para na primeira audiencia d'este superior tri-
bunal da r'lacio fallaren) aos termos dos artigos
de habilitarlo com os quaes a supplicante pre-
tende habilitar aos sapplicados para com tiles
continuar a mesma appellacao at final deciso
e execnclo como legtimos soccessorea dos so-
bredimos .fallecido?, como)melhor expressarem
ditos artigos, sendo igualmente citado o ultima
supplicado como tutor dos menores e o Dr. cura-
dor geral, todos com pena de revelia.
E porqu-, os supplicados Francisco Antonio Du-
ro, Ignacio Eustaquio Duro, D. Deltina Candida,
Duro. D. Henriqueta Mathille Duro, Joo Ja-
nuario Duro, Tiago Dellino Duro, e D. Josephina.
Adelaide Duro esto ausentes em logar incerto e
nao sabido como conta de Os. 22 verso a Os. 34 He
ils. 7 a fls. 9, de fls. 11 a lis. 16, de Os. 22 a fls. 31,
de lis. 87 a fls. 91 o de fls Uo a fls, 120 requer a
supplicante a V. Exc. que se digne mandar pae-
sar carta de eJilos com o praso seasenta dias para
seteai estea snpplicadoa citadis por todo o eon-
theudo n'esta. Pede a V. Exc Ihe defira-
E-crivao FereiraE. R. M.
Eslava sellada com a eslarapilha de 200 rs.Re-
eife i de agosto de 1870.Jos Theodoro Goaes,
procurador.
Nada mais se continha em dita peticio em a
qual profer o despacho do theer seguale: eitem-
se na forma requerida. Reeife 6 de agosto 4&
1870.Gitirana.
E nada mais se continlia em dito despacio, e
em virtudo do qual depois de terem sido citados
os suppicados presentes e o Dr. cnjrador geral, fOr
jas citacdes foram acensadas na aadiencia d ess
tribunal de 20 e 7 do corrate mez, o eacrlriUi.do
feito, por quem esu vai sobsenpu, te passar. a
presente carta de edictos com o praso do GO das,
pelo theor da qual cbaoio, cito ebei por rilados ym
suppliciidos ausentes francisco Antonio- Dnro,
Ignacio Eustaquio Duro, D. Delfina Candida, .Pb-
ro, D. lliiiiuueta Mathilde Dnrao, Joo Jannario
Dnro, Tiage elflno Duro e D. Joaepmn Adelai-
de Duro para responderem perante este tribunal
ao-; termo.- dos artigos de habUlta$ao, tostantes
da pelico supra transcripta-
Pelo que toda e qoalquerpesioa prenles, ami-
gos e conhecilos dos ditos supplicados auseeie
Francisco Antonio Dnro, Ignacio Enata^oio Du-
ra D. Deltina Candida Duro, Joo Janaa/ie
Duran, D. HenriqoeU Mathilde Dnrao, TTa|p DVl-
fmo Duro e D. Josephina Adelaide Duro, lates
pudtro fazer sriealdo qne cima flea expo^ki,
para qoe por -i ou por sena procuradores se'apra-
o o na I eom a defeza quo ti terem,
lem iplicad)
ntmv
atfijfa
breo.
Reeife ao? 19
.1


!)(
P^rnimAdco
wrs 6 lt
?11*

I
- r
Uh,
riv;i
Ha 30 de gesto de iW.
riv, Ferreira de Carvalbo.
.4Mf P<*r ordeni do Sr. Dr. Clauino de Araujo
Gninsare, cnsul da nacao portugueza neste pro-
vucue Perritmbuco, sao chamados os oradores
* espolies do> subditos portuguezes Antonio de
Aaevedo Maia, Joaquim Antonio, o de Manoel de
Azevedo Santos para apresentarem seas crditos
seta chancellara do consolado, dentro do praso
de cito das da presente data, para depois de ve-
rirleados aeren) pagos at onde obegar o producto
o* mesmo espolias. Fiado o praso marcado nao
federa >er m?l? admiltido*.
Confiado de Portugal em Pernambnce Ia de
wtmbrode I87.
O chancoller,
Arthur Aureiiano Ferreira Braga.
Tribunal do commercio.
Papis pertencentes ao exerdcio ftodo, os quaes
tendo sido annunriados Dio foram procurados pe
tai paites, e vio ser remetttdos thesnuram de
azenda no da do crrante como delibereu o
meretissimo tribunal em sessio de hoje, aflffi >de
seren cobrados executivamente, como determina
a segunda parte do arl 9* do decreto n. 4338 de
i de abril de 1869. _.
Certldio pedido de Francisco de Lyra iOjOOO
Dita de Feliciano de Lyra 10*000
Dita de Alfonso Moreira Temporal If 500
Bita de Antonio Joaquim Fernandes 10|00
OIt:i de Manoel Daarte Vleira 5*0
tras nomea5es ae eaixeiriis de Anto-
eio Hermelinlo Miranda, loja de cigarras
a travessa de S. Pedro o. 1 3*180
D.u do caiaeiro de Francisco Teixeira
Bistos, loja de funilsiro raa larga do
Rosario n. 20 i 1740
Dita do caixeiro de Ferreira & Irmao,
taberna a ra do Rangel n. 3 11500
Distrato de sociedade de Manoel Joa-
qmm Hamos e Silva & genio 2/520
Notas a requerimento de Francisco Go-
mes da Silva Saraiva 3*000
Ditas de Manoel Lcao de Castro 3*900
Custa>, sello e contagem do processo
indurado pelo triounal contra o ex-
asente do leudes Barnardino de Senna
4a Silvo Guimaraes llOO
Seeretaria do tribunal do commercio de Per-
Bambuco, 3 de setembro de 1870.
O oITlcial-maior
Julio Gaimaraes.
De ordoni 4 > lllm. Sr. conselheiro inspector
da thesonraria de fazenda desta provincia se faz
publleo que no dia 8 de oulubro prximo vindou-
ro, as 2 horas da tarde, perante a jauta da mesma
thrsmiraria se deverao arrematar por quem maio-
res quantias offereeer, 9 casas, 1 barrado, 1 te-
Hietri sobre estivas, 1 forno de olaria, 3 frentes e
2 oitfs de lijlo em alicerce, 1 relogio de s I e
ojectos de mobilia pertenceates extincta colo-
nia militar dePimenteira. *
Q pr tenientes deverao dirigir suas propostas
em cartas fechadas ao mesmo lllm. Sr. conselheiro
inspector at o meio dia do referido dia 8 de outu-
bro, ou ao colleclor do Bonito at o dia 4 do mes-
mo raez. Nesta secretaria ou na collectoria se
mostrar a quem rtesejar ver o inventario desses
bens.
Seeretaria da thesouraria de fizenda de Pernam-
buco 3 de setembro de 1870.
Servindo de offlcial-maior,
Manoel Jos Pinto.
|l
Pelo consulado provincial avisase aos difieren-
tes contritraintts da renda provincial no anno An-
do de (869-70, que com o presente mez se encer-
ra o recebimento por tsta reparlicao das rejpec-
tivas quotas, passanrto dahi por diante a ser o
tnesmo effectuado judicialmente.
Consulado provincial de setembro de 1870.
O administrador,
Antonio Carnpjro Machado Rios.
O administrador da recebedoria de rendas
iuternas gemes avisa aos contribuintes do imposto
sobre industria a profissOes do exercieio de 1870-
71, que neste mez e no ultimo de outnbro pr-
ximo fulnro que ellos leem de pagar o 1" semestre
do referido exercieio, livre do mulla ; e que findo
o mencionado praso ser cobrado com a malta de
6 0|0.
Reeebedoria Je Pernambuco 1 de setembro de
1870.
Manoel Carneiro de Souza Lacerda.
Correio geral.
Relarao das cartas registradas, procedentes
do sul o norte do imperio, existentes na
repaitigD ~> correio etn Io de setem-
bro d- 1870.
Andr Alves fiama, Bernardo Gomes de Abren,
llrtmeterio Jos Velloso da Silveira, Jos Antonio
Gomes Guimaraes, Lnix de Almeida Araujo Caval-
cante, Luiz Jos Fragoso, Maria Eulalia Cavalean
te Navarro, Manoel Accioly de Moura Godim.
Welaeao das cartas, que registradas nesta repar-
tir e dirigidas s provincias do sul e norte do
imperio, foram devolvidas em consequencia dos
seus destinatarios as nao terem procorado no tem-
po ixado ; queiram, portento, os proprio3 destina-
tarios, que se acharem nesta provincia, ou as pes-
aoas remetientes vir reclama-las, munidas dos res-
pectivos ce rti Hondos :
Aiexandrc, Jos da Costa Valente, certificado nu-
mero 5008.
Emiliano Manoel da Cosa n. 354.
Elisi^rio Antonio dos Santos n. .4460.
Francisco Jos da Rocn Pinto n. 4014.
Francisco Antonio da Fonseca u. 3*10.
Francisco Henrique de Noranba n. 3737.
Franc:9C3 Joaquim de Almeida n. 3953.
Jos Rodrigues de Carvalho Jnior n. 4316.
J<*s (JeSonza Marioho Jnniur n. 1167.
Marqaet de Olinda n. 3913.
Tbomaz Ferreira de Otiveira 2293.
Venceslao Jos da Silva Machado n. 3809.
O encarregado do registro,
Manoel dos Passos Miranda
vida
nann
Lorl
Hivertura da SemiramideRossini.
8. Potporirri de Marrha Ffbtoro.
7. i le Emaui Verdl.
8. A PostaSihafer.
TERCE1RA PARTE.
9." Onvartora de tFigaro Mozart.
10. Potpourri datLucia Donizetti
11. Fnate do 3o acto do Belizario.
11 Polka com solo de trompaLepiner.
Principiar as 8 horas.
A companhia tas trilhos nrbanot do Baclfe.
Appipucos offereceu generosamente um trem gra-
tuito para Apipocos, o quai partir da estacao da
Soledade depois da concert.
THETRO
santo mm.
EIPKEZA-COlUtRA
COMPANHtA-FRANCEZA.
Espeetacnlo en grande gala, pa-
ra festejar o fltz AnnlTersa-
rlo da Independencia
do Brasil, honrad com
a presenca do Ksm.
Sr. vlce-presidente da pro-
vincia.
Onarta-feira 7 de setembro.
Logo que S. Bxc. o Sr. vice-presidente, se dig-
nar ehegar ao seo camarote, a orchestra tocar
O hymno nacional.
Em seguida, a companhia cantar
O hymno da independencia.
Depois seguir o espectculo dividido em tres
partes. /
PRHEIRA PARTE._____
Bellissima opera boaffe.em um acto, escripia por
Mrs. Nuitter e Beaumont, mnsica de I. E. Lecouix
Personagens. Actores.
Elvira............ Mlle. Choiberl.
Cotignac.......... Mr. Carn.
Mosquito......... Mr. Raynaud.
Gonzlez.......... Mr. Maris.
A scena p^sia-se em Paris no reinado de Laiz
XIII.
Esta opera fbi representada em Paris, ;mais de
cem vezes com geral agrado do publico pari-
siense.
O empresario previne que todo o vestuario e
mais accesorios desta opera, sao ricos e completa-
mente novos.
SEGUNDA PARTE.
A' pedido de muitas pessoas, frequentadoras
deste ihealro, o insigne artista caricato Mr. Ca-
rn cantar a sua predilecta
Canconela
LA MANDOLINES' DOREO.
2." Coneoneta
LE TRO de LA HAIiMITE.
executada por Mlle. Thierry.
3." Romance
RAPPELLE--TOI
cantado pelo insigne artista Mr. Raynaud.
TERCEIRA PARTE!
Chicar et Beb
Scenas do carnaval.
Opereta cmica em um acto por Mr. Ch Rosen-
quest, representada em Pars, com geral applau-
so no alczar dos Porcherons.
Personagens. Adores.
Chicard............ Mlle. Brescia.
Bebe............... Mr. Maris.
Le Garcon......... Mr. Raynaud.
Termina esta opereta com nm CANCN dan-
sado por Miles. Brescia e Mariette e Mrs. Maris e
Carn.
A empreza nao se lem poupado despezas,
aflm de que as operas que d'ora avante tenham
de sabir scena|vao bem preparadas, quer em
vestuarios quer em scenario e rados os mais ac-
cesorios ; assim come previne igualmente que
os artistas estao empenhados em bem sallsfazer
ao respeitavel publico.
0 resto dos bilhetes acha-se venda no es-
criptorie do theatro das 9 horas da inanhaa em
diante.
Os Srs. assigaantes teem a preferencia at ao
meio dia.
Previne-se aos Srs. que encommendaram bi-
lhetes para este espectculo, que tenham a bon-
dade de os mandar buscar at terca-fera 6 di cor-
rente.
Principiar s 8 da noute.
N. B 0 theatro achar-se-ha ornado com todo
o gosto e elegancia quer interior, quer exterior-
mente.
PRECOS.
Camarote del." ordem..."
2,* ordem desde n. 1 at 10..
Os nmeros 11,12,13 e 14..
Cadeiras de 1* classe.......
Cadeiras...................
DADO PFXA
MITO APPLAUDIDA
103000
12*000
191000
3000
2 000
CIRCO
NO
Amanha.
VeZ Di
jfemem voador.
Ao pal
8 d tr*#
AVISOS MARTIMOS.
COMPANHIA PERTiAMBUCAJU
DE
Navegando costea por vapor,
Goyanna.
0 vapor Parahyba- sefuir pa-
ra o porto acuna no dia 6 do
eorrente as 9 boras da oate.
Recebe, carga enconmeotas,
passageirds e dinheiro a frote at
as 2 horas da tarde no escriptorlo do
Mattos n. 12. T
Qj^^
Forte do
COMP AMALIA
DAS
Jtfessageries imperiales.
At o dia 9 do correte mez espera-se da Eu-
ropa o vapor frnncez Gironie, o qual depois da
demora do costume seguir para Bnenos-Ayres,
tocando n Baha, Rio de Janeiro e Montevideo.
Para conduces, fretes e pas-agens, trata-se
na agencia, rtta to Commercio n. 9.
At o dia 11 do eorrente mez espera-se dos por-
tos do sul o vapor francez Sindh, commandante
Massenet, o quai depois da demora do costume
seguir para Brdeos,tocando em Dakar fGcra) e
Lisboa.
Para condi^pes, fretes e passagens, trata-se na
agencia, rna do Commercio n. 9^_______________
no armazem
horas.
HOJE
do Imperador n.
ra
Limo
DE
100 barricas' com cement
Romn marca M dia-
mante
Hoje i
6 do eorrente, a 11 hora? da manhL
O agente Pestaa rara leilao por canta e risco de
quem pertencer. de 100 barricas marca aciia
declarada com cement Boman vindas de Liver-
pool no navio Edith Mary, entrado neste porto eih
6 de agosto prximo passado, e sero vendidas no
armazem do baro do Livramento, no caes do
Apollo junto fundicio do ir. Dutra, s It horas
----------------'.
C0MPA11A BRASILEIRA .
DE
Paquetes a vapor.
Dos portos do norte espera-
do at o dia 8 do~ eorrente o va-
por Cruzeiro do Sul, comman-
dante capit) tenenie Pedro Hy-
polilo Duarle, o qual depois -a
demr~do costume segniri pare os portos do sul.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
jarga que o vapor poder conduzr, a qual dev
ier embarcada no dia de sua chegada. Encommen
das e dinheiro a frete at as duas horas do dia d;
sua sahida.
Nao se reecbem como encommendas senao ob-
lectos de pequeo valor e que co excedam a :
arrobas aepeso ou 8 palmos cbicos de med-
ca
Tudo que psssar destes limites dever se-
embarcado como carga.
Previne-se aos Srs. passageiros que suas passa
gens s se recebem na agencia ra da Cruz n. 57
l andar, escripiorio de Antonio Luiz de Oliveir;
Azevedo & C.
Aracaty.
Segu para o indicado portu o palhabote So
bralenu, capitao Pereira ; ainda recebe alguma
carga a frete : tratar cora S Leito Irmos, a
roa da Midre de Deus n. 1.________________1_
RIO DE JANEIRO
Para o porto cima segu com brevidade o bri-
gue nacional Isabel, tem parte do sen carregamen-
to engajado : para o resta que ihe falla tratase
com os consignatarios Antonio Luiz de Oliveira
Azevedo 4 C, ra da Crui n. 7, lc andar.
armac/io, gneros e pertencesda
tabefna da puados Guarara-
pes n. 10.
O agente Martins far leilao da taberna cima,
em um ou mais lotes, pois se acha bem localizada
e afreguezada, garantindo-se a casa ao comprador
do estabelecimento : os pretenderes pdem exa-
minar o balance na mesma taberna
Terca-feira 6 do eorrente
a* 11 horas do di, y-. -
uo wu
E
AntH
UDARA>
Rosario fi^
Has
freir
rt> ten' raa estrei
laber-
0 "8ACMREL
Elisio Martis
COM escriptolio de advocaeia 1 rna *riii*fo
Rosario n. 4, profcS-se Ignalrtrtte a SOUCITAR
quaesquer cati perante Wbftms deste cida-
de, e pode ser procorado iai 9 m da manhaa
flttISIMl M mmMMmmm
-se de urna esflta oa f rra, qa sao
e lavar, para ama pequea familia es-
na praca do Cnde d'Eu n. 30, prime!-
Leal d Irmao a ra do larqnez de
Oeda b. .8 precisara de um Nitor pan o
ngentio Botito cfflmaTca de Nlareth e of-
ferecem yaolagens.___________
i-se de Orna,ama de^H
loja.
na ruadoCa-
CASA DA FOMTUNA
Aos 5:0(T0|
Bilhetes garantidos.
A rut Primeiro de Marco (oulr'ora roa do
Crespo) n. 23 e casas do costme.
Acham-se a venda os felizes bilhetes garan
tidos da 5" parte da lotera, beneficio do colle-
gio dos orpbos (159*) que se extrahir sabbado
10 do eorrente.
PRECOS.
Bilnete inteiro 6*000
Meio bilhete 3*000
Quarto 1*500
Em porcao de 100*000 para cima.
Biihteint^ro 8*400 -
MeifMhete 9*708
Quarto 1*330
Manoel Martins Fiuw.
nm terreno na estra-
da do Mangumho
O agente Ponmal, competentemente autorisado,
vender em leilao nm magnilico terreno (limitando
com o sitio do Sr. Jeronymo Joaquim Fiaza de Oli-
veira na estrada do Maiigninho eom 337 e meio
palmos 'de frente e 800 e tantos de fundo at o rio,
todo murado de frente e de um lado, tendo j en-
canada agua da companhia de Beberibe (45 baldes
diarios) e pagando 30 ananaes, sendo o terreno
ropriu .
HOJE
no armazem da ra do Imperador n. 16, s 11
boras.
W
Preiende seguir para o referido parto em poneos
das o palliabote Rosita por ter a maior parte da
carga, e para a pouca que Ihe falta, trata-se com o
consignatario Joaquim Jos Goocalves Beltro,
ra do Commercio n. 17.______________________
COMPANHIA BRASILEIRA
DE
Paquetes a vapor.
Dos porto? do sul esperado
al i dia 8 do eorrente o vapor
Paran, o qual depois da demo-
ra do costme seguir para os
portos do norie.
Desdo J rcebcin-se pasageiros e engaja-se i
:arga que o vapor poder conduzir, a qual dever;
ier emba cada no dia de soachegada. Encommt
las e dinheiro a freto at as 2 hora* do dia da sus
(anida.
Nao*e recebem como encommendas seno ob
jectos de pequeo valor e que nao excedam a dua-
arrobas de peso ou 8 palmos cbicos de medica*.
Tudo que passar destes limites dever ser embar
;ado como carga.
Psevine-se aos senhores passageiros que sua^
passagens s se recebem na agencia, ra da Cru
n, 57 primeiro andar, escriptorio do Antonio Luiz
de Oliveira Azevedo A C._____________________
MARAMAO'
um sitio com casa de tjollo na
estrada Nova de Beberibe,
junto primeira bomba.
O agente Martins far leilao
tradn nova de Beberibe eom 8(
e 1,100 de fundo_com grande bixa para capim
lendo urna caa de"tljoilo, e muilo perto da este-
cao da Encmzilhada, Ujrren'o foreiro.
Quarta-feira 7 do eorrente
em sen escriptorio rna da Cadeia n. 9, s 11
horas do dia.
de nm sitio na es- g()ros
800 pnlmos de frente *:._ .
Ama
Precisa-se de nma ama para comprar e cozi-
uhar em casa de pouca familia : na ra Imperial
n. 130.____________________________________
Na ra estreite do Rosario n. 38, 2o andar,
cozinha-se para fra.
TTENCO
Aluga-se a sala exlerier do sobrado sito roa
larga do Rosario numero 21 : a tratar na loja do
mesmo.
ALMANAK
PARA O
AMTC BE 1871,
o
envidamos aos Srs. advocados, negoci-
antes, mdicos, artistas, endnstriaes etc. etc.
para que remettam ra do Imperador n.
54> os.seos nomes ou firmas.com indicado
da ra e n. da casa em que teem os seus
estabelecimentos oa residencias, alim de
seren contemplados no Almanak futuro.
Igual convite fazemos as companhias de se-
bancos, agencias, associacoes lutera-
nas, scientificas, hunanitarias, corporales
religiosas etc. etc.
Para o fim supracitado s pder5 ser
acceitas as informaces fornecidas at o ul-
timo do eorrente mez.
^^ Gomes Villar retirase para o Rio
ianpiro, e precisa declarar que
f de ve atesta praca, uem lio pouco fra
defla, porm se algrjem se julgar seo cre-
^Hb^dera nestes 8 das aprewalar
I loas contas, na ra Primeiro de Maree
17, a Antunei Gaimaraes A C, de
J}a firma o mesmo faz parte como so-
o eommanditaric, e serao/-nagas as
referidas contas, caso apparecam.
Apreveite a occasiaode pedir aos seas
fBvedores desta praca mandar saldar
j suas contas antigs, pors rouito justo
que retirando-so para o Rio de Janeiro
t-i seus devedores satrJein seas dbitos
rouito breve.
= Precisa-se contratar un
Rvd, sacerdote para urna ca-
pellana, n'uma cidade populo-
sa e perto do Recife: tratar
nesta typographia.
CLUB POPULAR
De ordem do lllm. Sr. presidente, e de acoordo
com o art. 23 dos estatuios convMo a toda es
soeios do Club Popular para se reuniris em as-
sembla geral no dia 9 de setembro, s 7 horas
da noote, na ra de Sania Rila Nova n. 1, an-
dar, afim de tomar conhecinieato dos trabahoe da
junta e do conselho deliberativo ; todo dd eoa-
formidade com o disposto n. Io do art. 14 do
citados estatutos.
Secretaria do Club Popular, 31 de agosto 4a-
1870.
0 1" secretario,
Misael da Silveira Aimral.
Offlcial de barbeiro
Precisa-se d um bem official de barbeiro:
ra do de Mar?o n. 7 A, andar.
Precisa-se de urna ama forra ou captiva para.
servico interno e externo jle urna casa de pouca
familia : na ra Velha n. 66.
/ *1
Alega se a casa terrea n. 22 da roa dos Pra-
zcres, freguezia da Boa-vista : a tratar no 3* aa-
l?r do sobrado n. 3fi da rna das Croan.______
sedad*-
pedro
Na praca da Independencia u. 33
heiro' sobre penhores de ouro, prate e
preciosas, seja qual for a quantia; e na
:asa se compra e v.-nde objectos do ouro e prate,
s igualmente so faz toda e qualquer obra m -
sommenda, c todo e qualquer coneerio tesdrat*
i mesma arte.
Aluga-se a casa de dous andares o solio d*
ra da Aurora: na mesma ra n. 38.
Na ra de Hartas n. 86
feilor porluguez para sil o.
precisa-se de era
NO
GRANDE JAP.DIM
DA
FABRICA DE CERVEJA
Rar do General Victorino n. 3
EM BENEFICIO DOS FERIDOS
Francezes e allemes
Dando exeeneo a urna idea sobremodo huma-
nitaria o director da orchestra allemaa e seus
companhelros oUereeerara aos Srs cnsul da con-
ideracao Norte Allema e cnsul de Franfa dar
arainhaa nm concert na fabrica de serveja do
Sr. H. Leiden, ra do general Victorino n. 35,
rn favor dos feridos francezes e allemes.
Urna commissao de d">s sermoras, urna all maa
e outra franceza estarao por da entrada do
jardim para recebet' as esm las que cada conror-
tente qninr dar, sendo coadjovadas neste servi-
do por seis cavalheiros, senio um bra.'ileiro e os
utros nm de cada urna das principies nacionali-
dades qne exlstem nesta provincia.
O jardimestar onveuieuteinente preparado e
illuminac
Tnde quanto se receber ser em favor dos fe-
riaos ha despea alguma,a fazer-se,
o trabalbo para esta accao humanitaria
v'ratnitemente feffe.
^^^^^MmteMl da teste e e fim cari-
/ esperar que os bra-
r Baeiooalidade
ham mais v-intajoso

PAVILHIO DES. ISABEL
COMPANHIA
EQUESTRE GYM1STICA E ACROBTICA
SOB A DIRECgO
D. Marcos Casali.
EXTRAORDINARIA E VARIApA FUNCCAO.
Quara-feira 9 do corrate,
As 8 ifi horas da noute
EM BENEFICIO
DE
Urna soeledade beaefleente
devta cldae
Como a beneficencia para nos urna das pri-
meiras virtudes do homem, e como os nossos sen-
timentos de philantropia e caridade nao nos per-
mitlem que sejamos indiferentes a solicitacSes que
tenham por fim minorar a sorte dos infelfzes e
e como sabemos que aquelles que por sua des-
dita e vecm obrigados a ir bater s portas da
socieade anima alludida sao sempre soccorridos,
e bem acolhidos, de boa vontade nos promptifl-
camos a traba'.har neta noute em seu favor, e
muito desejareraos que este respeitavel publico
nos acompanbe em la o justo e nobre empenho.
PROGRAMMA.
I PARTE.
1. Urna linda symphooia dirigida pelo maestro
Martins.
!. O salto da vaqueta, sobre um cavallo em
oss>, por Vicente.
3.* A saia balao, pelos palhacos Cesar e Al-
daba.
4.* Murillo, cavallo amestrado em novas posi-
{Ses.
i.* Trinta aino? ou a vida de um jogador, por
Lula.
7." Sorprehendentes des!ocag5es", pelos meninos
Juanin e Juanita.
1. 0 salto do despenhdftifTj, sobre 4 mesas e
1 eadeira, pelo artista Aktabo.
Inlervalio de 30 minutos.
II PARTE.
8. Syraphonia.
9 A percha perigosa, pelos artistas Tesari e
Vicente.
10. A jardineira florista, pela menina Juanita,
sobre um cavallo.
11. 0 triple trapesio, por Cesar, Aldabo e Vi.
cente.
11 Finalisar com a pantomima de combate
patritico intitulado: O defensor da bandeira bra-
a, eiteodo a cargo de Luiz o principal papel.
reeos
Camarotes com 6 entradas........ 12*000
^^^Kvulsas para sen 2*000
1*00C
' camarotes, cadeiras e ^^M
rendera-se no mesii
A barca Jlfnra, chegada do Rio de Janeiro, se-
gu para o Maranhao em poucos das com a carga
que tiver, e por Isso quem quizer aproveitar tao
boa occasio de cr.rregar, dirija-se ao consignata-
rio Joaquim Jos Goncalves Seltrao ra do Com-
mercio n. 17.
Rio de Janeiro
Preiende seguir para o referido porto cora >
possivel brevidade o patacho Mon{eiro por ter por
cao da carga engajada ; e para a que Ihe falta e
escravos a frete, trata-se com o consignatario Joa
quim Jos Goncalves Beltro a ra do Commercn
o. 17.___________________________,
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Savegacao costeira por vapor
Parahyba, Nata', Maco, Mossor, Ara-
caty, Cear, Mandah, Acarac e
Granja.
O vapor Ipojuca comman-
dante Moura seguir para os
portos cima no dia 15 do crreme
as 5 horas da tarde. Recebe car-
ga at o dia 14, encommendas
ageiros e dinheiro a frete at as 1
E2M OAIRDA .
A companhia dos trilhos urbanos do Recife
Olinda faz leilao, por intervencao do agente'Pon-
tual,de algumas portas, janellas, vidracas e madei-
ras ainda em bom estado, da casa d molida no Va-
radouro, onde se esta consiruiudo a e-iaco
Quarta-feira 7 de setembro, s 0 horas da ma-
nhaa.
" LEILAO "
DE
PREDIOS
a saber:
Sete p?rtes do sobrado de 3 andares o sotao da
rua.da Cadeia n. 27.
Metade do sobrado de dona andares no largo do
armo n. 7.
SEXTA-FEIRA
9 do eorrente.
O agen'e Martins far leilao a requerimento de
D. Antonia Francisca da Coneeicao C.ldas e por
mandado do lllm. Sr. Dr. juiz municipal da se-
gunda vara, dos predios cima, p irte dos bens
deixados pelo finadJ Manoel Pereira Caldas. O lei-
lao ter lugar em seu escripiorio ra da Cadeia
n. 9, hoje Mrquez da Olinda s 11 horas do dia
cima. ________.
COMPANHIA
DOS
TRILHOS URBAlfOS
DO
RECIFE A9 OMtfDAe
Alterafo da tatwla para tis ilias otis :
MANHA
Para Olinda? 6, 7. 8 e 9 horas.
De Olinda para o Recifes 7, 8, 9 e 10
taras.
TARDE
Do Recifes 3, 4. 5, 6 e 7 horas.
De Oliudas 4. 5. 6, 7 e 8 horas.
Somente ter5o 10 minutos de demora os
tmns em Olinda. em quanto tomam agua e
falem a moda dos carros.
Recifo, 4 de setembro de 4870.
O superintendente.
A. d'Abreu Porto.
i Haver toda> as quintas-feiras um mnibus
para Santo Antao, devendo partir as 3 horas em
pouto da rtia da Praia n. 41, e voltando para o Re-
cifb na sexta-feira as mesrnas horas; tambera
aluga-se outro qualquer da para alguna familia ;
levando dez pessoas. Tambera vendeme cavallo-
l>ara cabriolet: a tratar na ra de Pedio Alfonso
(antiga ra da Praia), com o Sr. Jos Pinto Tava-
re Jnior.
MUDANCA. ..
O Dr. Carolino Francisco de Lima San-
tos mudou sua residencia e consultorio
para a ra do Imperador n. 57, 2 andar
do sobrado enjo armazem conserva ajo-
da hoje o nome de Alanca, tendo a
| eutrada, que pelo lado da ponte Set
| de Setembro, o mesmo numero 57, da,
frente. Ah continuando o dito Dr. no
l exereicio de sua prolissn de medico e
: de operador, pode ser pn-curado a qual-
quer hora do dia e da noute
i..;..
Precisase de urna ama que compre e cozinhe
para casa do rapaz sclteiro : na ra do Quairaadn
n. 12, loja.
Precisa-se de urna
ra doQneimado n. 17.
ama para compras :
Precisa-se de urna ama que compre o coiinne
para duas pessoa* : no lrrgo da Matriz de Santo
Antonio n. 12.

AMA
Precisa se alugar urna mulher forra ou escrava,
para cozinbar comprar e engommar, para nma
casa de pequea familia : na ra da Cadeia u-
inero 8.
Ama
tarde do dia da sahida
Mattos n. 12.
escriptorio no Forte do
COMPANHIA PERNAMBUGANA
DI
tfavegaco costeira por vapor
Maman-juape.
O vapor nacional Coruripe, commandante Sil-
va, seguir para Mamanguape no dia 12 do cor-.
rente as 6 horas da tarde. Recebe carga, encom-
mendas, passageiros e dinheiro a frete at as 3
horas da tarde do dia 12, no escriptorio da com-
panhia. Forte do Mattos n. 12.
COMPANHIA'PERNAMBUCANA
DE
Xavegacao costeira por vapor
Porto de Gallabas, Rio Formoso e
Tamandar.
O vapor Parahyba seguir
para os portos acuna no dia
10 do eorrente raeia noe.
Recebe carga, encommen-
das, passageiros e dinheiro a
frete no escriptorio do Forte
do Mattos n. 12.
mobilias, 1 carro, I cavallo e um completo
sortimento de necesarios para dentista,
e urna rica cadetra p-ra opsrac5es decti-
fleas, I carro e cavallo
Sexta-feaa 9 do corrate
s 11 boras da manhaa.
Ra do Vigarie, armazem n. 7.
O asente Peslana far leilao por contae risco de
quem pertencer, de 1 mobilia do Jacaranda cons-
tando de 12 cadeiras de guarnigo, 2 ditas de
bracos, 2 de bataneo, 1 sof, 1 par de consolos
com pedra e 2 pernos, urna mesa com pedra, 3
consolos de amarado, 24 cadeiras de dito, 2 Jilas
de bracos, 1 mesa redonda, 1 mesa de amarillo
para toilette, cabldes, cama franceza, guardas-ves-
tidos, fileiros, 1 toilette de Jacaranda, quadro-, 1
mobilia de oaadeira preta, lanternas, quidros, ta-
petes, 1 mobilia de palha de excsente gosto, con-
teodo 12 cadeiras lisas, 2 de bracos, 1 sof, 1 la-
vatorio e perlences, 1 espelho, 1 sof, 6 cadeiras
do guarniso,2 ditas de Dragos, 1 relogio de pare-
de e 1 machina de costuras, 1 guardi-roupa, 1
commoda, diversas camas pequeas, marquezes,
apparadors, marquezas, sofs, cadeiras. louca de
jantar e almoco e mais ou'.ros objeclos, 1 carro e
1 cavallo bem conhecido que pertencta ao finado
dentista Osorio, e assim rrais um completo lorti-
mento de todos os pertences para dentista e 1 rica
eadeira para operares detitificas. SerSo vendidos
todos es U horas, no armazem ra do Vigario n. 7.
* ......
~~VSOS DIVERSOS?
LEILOES.
.LEILAO
DE
Divinii /
O agente Pontual, competentemente autorisado,
Attenpo
No dia Io do crreme mez desappareceu do si-
tio do Sr. Jlo Manoel da Veiga e Seixas, no Cal-
deireiro, um cavallo russo pombo : quera o achar
e levar ao sitio do mesmo Sr. Seixas, ou na rna
Direita n. 32 A, ser generosamente gratificado.
- Precisa-se alugar urna preta para o servico
de uma casa de pequea familia : na rna estreite
do Rosarlo n. 38, 2 andar.___________________
Precisa-se de um bom cozinhero para casa
de estrangeiros, o qual deva tambera fazer as com-
pras : na visintunca da Passagem da Magdalena.
|Francisco Luiz dos Santos, D. Francisca There-
zados Santos, Manoel Lniz dos Santos, D. Phila-
dlpha Francisca dos Santos, Antonio Jezuino
Marques, feridos na mais extensa dor pelo passa-
irenio de sua mui prezada esposa, mi e irma D.
Candida Francisca Marques dos Santos vera pelo
presente agradecer cordialmente a todas as pessoas
de soa entzale o especial obsequio que se digna-
ran] de prestar, assislind > os suffragios que se fez
por sua alma e acompaahar es restos mortaes ao
cemiterio publico ; e de novo os convida para as-
sistirem a mtssa de rquiem que ha de ser cele-
brada as 7 horas da manhaa do dia 9 do crranle,
na matriz do Corpo Santo ; pelo que desde j Ihes
prestara sua eterna gratido._________
O devotos encarregados da festa d Nossa
Senhera da Coneeicao da Escada na igreja dos
Miltteres, resolveram festejar a sua excelsa pa-
droeira no dia 8 do eorrente, do segrate modo :
Na vespera noute haver o levanlamento da
bandeira. Na madrugada do da 8 haver mls-
sas, annunciandop dia da festividade diversas gi-
rndolas de foguetes. As 11 horas do da hayora
missa cantada com toda a solemnidad,; possive
e ser pregador do evangelho o Rvra. padre Mello
A' tarde a banda de mnsica do Io batalnai de in-
fantera da guarda nacional tocar lindas e vana-
das pecas. A' noute haver ladainha, sendo pre-
gador o mesmo do Evangelho. Sera encerrado o
festejo com um lindo fogo de vista._____________
Precisa-se de uma ama para cozinhar em casa
de homem solteiro, prefere-se poriugoezn.
r^ara pasar a festa
Traspassa-se o resto do arrendaraento de nm
sitio na Torre, perto da ponte, estando elle um
bem tratado e plantado, e a casa com bastantes
comraodos : a tratar na loj i n 8 ra do Do/jne
de Caxias, oulr'ora do Q ennaiio.______________
Roga-se ao Sr. J. D. A. C que queira ter a
bondade de realisar contas com seu ex-caixeiro.
F. M. B., tanto de ordenada como de dinheiro de
omprestimo, julgando eu j s^r o lempo sofflciente.
Precisa-se de um caixeiro que lenha prabea.
de padaria : na ra do Rangel n. 9.____________
Em casa de TUEODORO CHRIST*
ANSEN, na da Cruz n. 18, encontraawa
Cectivamente todai as quadades de viafe*
lordeaox, Bourffosm edo Bheno.
Bartholomeu & C5

IT:n_
Sobrado
Aluga-se o 2o andar na ra Nova n. 40 :
Urna leja n. 38.
atra-
AMA
Prec--a-se de uma ama para o servico interno
re uma casa dft pequea familia : na ra estrena^
do Rosario n. 31, 3 andar.__________________'
Offirece-se uma moca para casa de familia,
para cosinhar : quera precisar dirjase a rna Im-
perial n. 9 *
- Na ra da Mairiz da Boa-viste n. 13, preci-
sn-se de um prelo forro on oaptito para o serrkjo
de cata.
VlNHO, PlLULAS, XAROPE B TlVPllU.
DE JUHUBEBA illlUG!WJfO ;
LBO, POMADAE EMPLASTRO DA MIS**
PLANTA PREPAIIADOS POR
8ARTH0L0SEG & C*
Pharmaceutics-Droquistaa
P1ES5.\'ASIE"".'0 '
A Jurubeb. : wu plU t hoje recmteekk,
comn o mais pederos mo o tlhan
desobslrusnte.ecomoul pplicxl nos ptdcawMaft
do Dgaoe bi^ heputiie, dnresa, turnares irM-
aos e especilmenw do otero, hjdropeiis, erjs-
poltu, tic; e issocud io f(
cores, chlorose*e filia de menitniasao, da
jo do eatomigo, le., % que diaenm
iDnamara* caras imporlaoles obutas ooa
preuindM ji bem conhecido* t nudo* peto ai
di tinelos medicoi do pait e Portugal. Ea teta
aouoi depoiilos distribnimoi grilia foUtakw
nalhor fatem conhecer Jambtb* MM TMWMDaV
applioaeao.


n
tabaco Terca feira 6 de Setonibro de 1876
'
,1
.,
A.

15
z5
fe
te
=3
-O
3
S
JO
fe
PEDIDO
A' roa d sa-se fallar com os
segrate* Albor
Maaoel Homem de Carvalho guardal ivros.
Julio Adolpho Ribas (acadmico).
Querino Candido de Vasconcelos.
Joaqwm Cavalcanti de Albuqnerque Mello Filbo
(Pomtwt).
Jenino Augasto dos Santos Fragoso.
Vfri--simo Correia de Lyra (Cruangi ou Vicencia.
ies Hermino. Poutual (engenho Preferenca).
Fernando Barata da Silva (engenho Morojo).
Manuel Polearpodo Azevedj.
Antonio Gomes Cordeiro de Mello.
Eduardo de Paula Santos.
Francisco da Silva Porto.
Juvenal Torre.
Thom Joaquim do Rgo Barros. ____
A verdad eir arinha pei toral de
S. Beato.
sta farinha ussda con vantajoso
dos nos padecimeetos dos orgos do peilo.
como asthma ou pachamente de calharros,1
inflamacao de bote, 9learfees e na pthysica ; re-
eommendaodo-se com igual proveito as pessoas
convalecentes.
nico deposito na phrmacia e drogara.
DE
Barfuolomeu & C
34Ba larga do Rosario34
Acaba de sahir luz
MOFINA
Este antigo estabelecimento, acha-se hoje montado n'uma
escala de poder servir vantajosamente os seas freguezes, atten-
to o grande sortimento de joias d'onro, prata 8 brillantes, que
sempre tem e recebem mensalmente das principaes fabricas da
Europa- cujos prepos sao em competiveis e as obras garantidas
de lei.
HOREIKA HITARTE .
Roga-se ao Ilion. Sr. Ignacio V.eira de Mello, es-
cribi na cidade de Nazareth desta provincia, a
favor de vir a rea do Imperador n. 18 a < oncluir
aqoelle negocio que V. S. se compromettea reali-j
sar, pela terceif chamada deste jornal, em fina;
de deiembro prximo passado, e 'depois para Ja-
neiro passon a fevereiro e abril, e nada cumpno,
e por este motivo de novo chamado para dito
fim pois V. S. se deve lembrar que este negocio
de' mais de oito annos, e quanao o senhor sq
fllho se acfca-w no estado nesta cidade._________I
55$

<,-<
MANUEL C.
m
m
tem
Tem a saiisacIo de participar aos-seas Dumerosos fregnezes, qae em vista de ser-lhes mais commodo,
\ab* estabelecido tima nova-fabrica de chapeos de sol, na roa da Cadeia do Recite n. 9, boje ra do Mrquez de Olinda, ,
/*:'.$ on % *os ni3S commo<1,f (' Que comporta o nosso mercado : convidam -especialmente aos Srs. compradores por atacado |*
^JrRj&' darem, sendo potsivel suas encommendas, pois poderlo assm serem mais bem servidos, visto poderem escoJher as ar- ****'
**? macoes as lazeodas que a demora da fabricKo bem dinsnota,
Sy

ge
m
DE
?l

NA ANTIGA E BEM CONHECIDA FABRICA
DE SOL
DA
Ba do Baro da Victoria, esquina da Camba do Carmo.
Ha sempre nui grande sortmnto de chapeos de sol de seda, merm, alpaca, bretaoba de liaho branco e par- @)j
do o de aigodfio os todos os lmannos e* eitios, alm -da immesa porco de stda, mer.n, algodo e brim,
armacops de todas as qualidades para satisazer qualquer encommenda. A modicidade de seus precos to conhecida
(SS&.
2* que escusa de mencionar.
Ali 801
DTVETOT
RA ESTRE1TA DO ROSARIO N. 14.
tina qoalidade de comoercio fatuta nesta popu-
rulado um estabeleHMnta em que se compre
renda toda a qualidade de roupas feitas novas
" reinas, nm liasr que te denomina em Paris
Bric e Brac. E* esie u -stabclucimcnto que se
.liiiu rna estcaKa do ftosario n. II. Assim,
todas as p --nas que iiuizerem vender, ou com-
prar opas novas ou veteas e todos os mais
objeetos do servioo domestico, inclusive trem de
--irili:i. [mi.!-ra i diri|ir->e ao indicado eslabeleci-
eoto para contratar, e offerece-se para jr em
casa dos pretendentes para effceluar as compras
Mdat.
P1IME1KO K ANTIGO CONSULTORIO M
H0ME0PATHP.0 B
pelo r. S
santos mello
Os liabitsntei do interior nodera-no ^
eoosoi'.ar por e^cripto, no que serio a- ^J
lisfeito' com promplidao.
Presia-se tamben a chamados para o 8
interior, a pre^o mdico. -u.
Consliaa, no con>ultorio das 10 horas S
ao meiti dia. j&
Chamados a qualquf r hora.
Aos pobres gratis.
43Ra do Rnro da Victoria43
(Amiga ra Nova).
. tffiksffiHHl


mm
3it
iQjC'- f ;


RESTAURANT DE PARS
4 Ba das Larangeiras4
O proprietario deste estabelecimento, avisa ao respeitavel publico deta
cidade, te as pessos qae o honrar cora sna soniasca, que acaba de estabele-
cer a segtiint tabJI.
3 pratos a escolher.
Dirigido
Vinho.
Pao
Caf ou cha.
15000 .
Sopa.
3 pratos a escolher.
Vinho
Sobre mesa.
Caf ou cha.
1500
DA* 7 HORAS A MEIA NOITE CEA SEGUNDA TABELLA
JANT1R
6USTAVE
GABELLEIREIRO FRANCEZ
nriaTii'n m? ahmu ^"^ua ^a ^a^a ^ Eecife51
illlmll l UliiilDA. Cbama a attencao^os saos innmeros freguezes, e do respeitavel publico ei
x direccao da s-ocieoade TbeatraJ oiindene, eral, para a seg'iinto tabella dos precos de 6ua casa, os quaes sao vate por cent-
::uais barato do que em ootra quaJquer parte:
lendo de proceder a eieieo ao conselno admiois-
traliv, no dia 8 do torrente, na casa do theatro,
pelas nove horas da manhia, na forma dos no-
vos estatutos, convida a, lodos os Srs. socios, a
<|uo se sirvara comparecer, previnindo que a falta
de coraparecimentd do socio ser entendida por
voto de anprovacao uo quo se lizer.
Olinda, i" de Miembro de 1870.
Bellarmino P. de CHWeira,
! secretario.
Senhores cocheiros,
carreiros etc.
Farello.
Novo, desembarcando no caes do Apollo-e reco-
lhenJo se no araazen de farinha de trigo de Tas-
so irmaos & C a prepi C.mmodo : a tratar no
mesmo, ou na fua to Amorim n. .!7.____________
Precisa-r4 urna ama que saina eogommar
prelenndo-s.) eserava: na ra da Penlia n. 23
> andar. _____________________.
Os abaiX" assignados avisain ao respeitavel
carpe do comineroio que o Sr. Frederick Janie>
Corbfflt retiroa-M por mutuo accordo. desde u ras# e a0B cavalheiros que ha nmimas. i' P-WEZA para enegrecer os cabellos e baf
ZSS&XTtm Rfi W& % I taio para tintura dos cabellos e barta, as- b. nni? admira na Exposico Untver^
n uahia. ,0^ c3o Drejodicial sade, por ser vo
.i. o. Byder. i v.m como uta empregado somente occapa- iatjr aoalysada e approvada pelas acad
C. W. yd.r. 0 negse jg^o. mag de scieocias de PARS E LONDRES
Cabelleiras para seahoras a 2o,
305, 35* e......
Ditas para hornera a 35$, 40* e
Coques a 12,1, 15,5, 8 805,
55, 305 e .....
Crescentes a l5,155,185,205,
-55, 305 e.....
Caobos ou crespos a 35, 45, 55,
Gfc 75, 85, M e. .
TrancA de cabello para annel
500 e.......
Tranca para braceletes a 105,
135, 305, 25 e.....
ASIGNATURAS
Espeeialidade de penteados para casamento
Bailes e torees
0 doDo do estabelecimento previne s i Recommeoda-se a superior TINTURA JA
Cadeias para relogio a 55, ^5,
405000 75, 85, 505000,
Corte de cabello," .
505000! .
Corte de cabello com fnecao. ..
325000 i Corte te cabello com lavagem a
ebampou. .......
10SOOO'^rie ^ ca^el'0Co,D liapez da
I cabeca pela machina olectri-
15000: ca un'ca em Pernambuco. .
Frisado ingieza ou fraoceza.
WJOO'Barba. ,......
155001
501
50
15001
450W
50t
251
MENSAES
F. 1. Corhett.
Precisa-so le utn smeiro para a igreja de
S. Francisco : mem livor haliilitacoes, dinja-se
ao padre guardia',.
HOTEL CENTRAL
EM
ant Amaro dejaboato
O don) neleelmento avi-a aos senhores
viajantes, e assim aos senhores que all f >rem a
passeio, que nelle cnccntraro as comrnodidades
e alimentos deijas iremos modorados.
O bonieeomrnodfi hanl all se encontra, pots
distancia petos fun-
do< iia n
FEITOR
AU
41 : a U
le ora
. andar com can
i_________ -______^_^
ALUGA-SE
Aluga-se o primeiro andar do sobrado da rua da Cdeia do
muito fresco e cora eommodos para familia ou escriptorio. t'jrnando-'-o
pela i>>a localidade, a tractar no armazem do mesmo.
Recife o. O,
recommendavel
Vendas on permutas
Vende-se a propriedade Guarapos no Rioi
Grande do Norte, com trras casas e armazew
de ara e ontro lado do rio, lunar betr. conhecido
pela sea imporUn:ia commercijl, cojo porto offe-j
rece muila acilidade pata embarque e desembar-
que de gneros. ,J
Igualmente se vende o engenno Jundihaby (na;
mesma provincia) moente e corrente, com cinc
leguas de trras de maltas virgens, oito escravos,
bois, besU9 e alambique ( ou somente o empenta)
com as trras que convier ao comprador). Estas
propriedades vendem-se por baratissimos presos
e tamben' se permutam por engenbos nesta pro
vincia. Parahvba e AlagOas, ou por casas as ca
pitaes das raesmas : tratar com o proprieUri
major Fabncio Gomes Pedroa ra da Cadeiii
n. K, ou com os seus procuradores no Rio-Gran-
de do Norte.
E
Vende-se
NA
VMvraria franoeca.
GUIA Mi
. 0
COLLECCIO DE \OVfiiAS B 0FFIC10S
DE
NOSSO SENHOR JESS CHR1ST0,
MARA SANTISSIMA
E
VARIOS SANTOS.
A saber:
Setenario do Senhor Boro Jess dos Pasaos.
OfBcio do Senhor dos Passos.
Novena do Menino Deas.
Novena de N. Senhora da Conceicao.
Setenario das Dores de Maria.
Offlcio das Sete Dores de Maria Santsima.
Novena de N. Senhora do Carmo.
Offlcio de N. Senhora do Carmo.
Novena de N. Senhora da Penba.
Cnticos de N. Senhora da Penba.
Novena do B. S. Joao Baptista.
Novena da Senhora Sant'Anna.
Trezena de Santo Antonio.
Novena do B. S. Jos.
Um bonito volume encadernado.
D, W. MUAN
ENGENHEIRO
Com fundijao.
A RA DO BRUM N. 52.#
Passnndo o ihaf^riz
Machinas vapor systcma memorado.
Rodas d'agoa.
Moendas de canna.
Taixas de ferro batido e fundido.
Rodas dentadas para moer com agoa
por e animaes.
E outros muitos objectos proprios d'agri-
cul'.ura.
Tudo por preco muitj^rednzido.
m advogagia.
l. O DR. JOAQUIM CORREA DE ARAUJO
R tem o sen escriptorio roa do Imperador
n. 67, onde pode ser procurado das 9 ho-
ras da manhaa s 3 da tarde.
va
2$000.
Na travessa da rna
das Crnzes n, 2, pri-
meiro andar, da-se di-
nhelro sobre penhores 1
de ooro, prata e brilhan- |
tes, seja qnal for a qnan- i
tia. Na mesma casa com- f
pram-se os mesmos me- 1
taes e pedras.
J Ferreira Vilt
PHOTOCRAPHI i ndPHBIAaV
A entrada pelopateo da,mtrv&.
Os trabathos da reedMca^sf desta ^kotoirrapfcia,
e que se prolongaran por tanto tempe, *****
felizmente terminados e ella aberta ao seirfp
publico desd'e,7 de abril passado.
O predio em qae est col locada esto pfcoWfr*-
phia acha-se muito augmentado, e s6 parto 4a*-
nada ao estabelecimento conta cinto satos, iMta-
sive ae do laboratorio. Todes os conoertos ade-
memos tendo sido fetos ex0resumenl fUt
montar ccnvenienlemente a photographia, mieae-
podendo melhor modelo escolher do que, a Piato-
yro/lio Imperial do Sr. Insley Pacheco do Bie <
Janeiro, o primeiro photographo do Brasil, Mi tM-
primeiros do mundo, segundo a opiniao dos wa
aUlisados mestres, a nossa photograpnta aete-a
disposta e reedificada pelo momo piase da Aa Sr
I. Pacheco, a qual foi mentada sob leda* asregra*
recemmendadas pelos mais destinetqs profesaores
de accordo cora as modiftcacOes necesuria ae
clima do Brasil, reconhecidas e esludada* pelo ta-
bilissimo e pratico Sr. I. Pacheco.
Todo o interior do predio em que est i noss*
photographia foi mudado desde a soleira da porta di
ra at a coberta, tendo-se demolido todas as pa-
redes interiores para se fzerem as aovas salas,
edificndose um novo terraco envidracademu
espacoso e elegante.
Como sabido, (izemos ama viagem eipressa-
mente corte para examinarmos as mentores .pb-
tographias all, e foi a do Sr. I. Pacheco, a que
melhor correspondeu aos nossius dtsejos e aspira-
coes, e de qual tronxemos os planos dees d
all estartnos todo um uiez estudando e asre>
veitando as lieoes de to dlstincto mestre. ra-
samos que juntando os nossos estados e loes
rauca de 15 annos de photographia s utilissima
coes ultiman ente recibidas do Sr. I. Pacheco,
tendo montado a nossa photographia tomo s
acha, podemos olTerecer ao Ilustrado pnbbetv
d'esta cidade e aos nossos non erosos fregoews
trabalhos de photographia to perfeitos, cemo s
poder desejar, e disto convencidos, esparaao
que contlunem a dispensronos a mesma pr*-
teccao com que ha 15 annos nos tem hnrate
ajudado.
O DR. JACINTHO SOARES REBELLO,
ANTIGO MEDICO HOMEOPA-
THA,
recenlemente estabelecido nesta eidade,
^ mudou a sua residencia da praca do Coa-
^ de d'Eu n. 32 para a rna do Imperador
tt n. 26, e abri consultorio junto ao labora- .
7? torio homeopathico dos Srs. F. de P. Car-
9 doso Juni r & C na mesma ra n. 41,
onde todos os das dar consultas do me
iSt dia s 2 horas da tarde, reservando para
>gm' as visites domiciliares os intervallos, qui
?S decorrem das 9 horas da manhaa ao me
dia e das 2 1 horas da lardo. A qual^
qoer hora atlendera chimados, qae lie
3> sejam dirigidos, quer casa, quer ao cod-
3S sultorio.
VS"0
O Campos com armazenfc
de m'ilhados na na do Im-
perador n. 28, vende eom<
no trapiche, caixas com bal
tat s novas de Lisboa a oito
mil reis cada urna.
, A ellas que estilo se ac
b ndo.
Cura rpida e infalkivel dos cal-
los, pela pomada
Galopean.
Deposito especial na pharmacia de Bartholomeu
&C,
31Ra larga do Rosario31
Rot-: nte-rheum* tico.
Remedio efflcacissimo contra as dures rheuma-
ticas at hoje o mais conhecido pelos seus mara-
villosos resultados.
The Liverpool & Lor
don & Globe Insu-
rance Company.
Companhia inglcza de seguros contra-fogo
estabelecida em 183ti.
Capital e faa tos de reserva
Rs. 3,806:190.
Os agentes desta companhia tomam segaros o
bre propriedades, geueros e fazendas armaz:-cadas
mobilias, etc., etc., e estao igualmente aotorisado
a saldarem aqu quaesquer reclamacoes.
Saunders Brothers 4 C,
Praca do Corpo Santo n. 11.
Grandes armazens!
Alugaia-'-e.
Aincam-se os grandes armazens da ra da Prai;
de Santa Rita Nova, onde foi a fobrica de sabao di
Sr. coronel Franca, e ltimamente oceupados pea
companhia de esgato, os quaes tem porto de em
barque e todas as proporcoes para se montar umj
abrica oo qualquer estabeleamento grande.
As casas de morada que fazem frente para
rna tambera se alugam condicionalmente, assirr l.anos.
como a casa grande, que foi morada do mesmd Covilhas.
senhor coronel, tem muito bons eommodos e bonj Vasca.1 Valpasso).
quintal separado, grande nysterna que fornecq Mirandella.
agaa potavel, melhor do qu a do enoanamenio, Ceja,
por ser fluvial e livre de partculas farraginosas, [ Barcellos.
como aquella : a tratar com o commendador J. J.. jKH-B|MIH3- WiSSi Jfl^tVl
Ama
Na ra do Vigario n. 5, 3o andar, precisa-se
de urna ama para cosinhar, cuj servico faca com
nerfeiQao e q'ie seja de boa conducta.
ATTENCAO

Na roa estreita do Rosario n. 3o, 1 andar, casa
particular de familia, contiaua-se a fornecer co
medorias para fra pela tabella abaixo :
ALMOCO.
1 prato de solido.
1 dito de farota.
2 paes, cha on caf.
Preco 20000 mensaes.
JANTAR.
.'i pratos com carne.
Piran.
Arroz.
Sopa.
Sobre-mesa.
Preco 30^009 men?aes.
F..z-se algnm abate, seudo para mais de urna
pessoa reunida.
Joaquim Jos Gon ves Beltro
Ra fio Trapeh. n. 47, \" andar.
Sacca por todos os paquetes sobre o banco de
!inho, era Braga, e sobre os seguintes lugares em
Portugal :
Lisbaa.
Porto.
Valnca.
Goimares.
Coimbra.
Chaves.
Viseo.
Villa do Conde.
Arcos de Val de Vez.
Vnoha do Castello.
Ponte do Lima.
Villa Rral.
Villa-Nova de Famelicao.
Lamego.
Tasso, era seu escriptorio
mero 37.
ra do Amorim nu-
AVISO
Anda est para alugar-e a padaria llemaa da
ra do Lima, e taoibem a casa de junto : a tratar
com o Sr. Maternus Lenz, ra d;; Guia n. Sti.
Precisa-se de ama ama para o servico de
opeira : no hotel franca, ra das Larangeiras
n. 10.________
Preciia-se de urna ama que aiba bem eoz-
ohar, preferindoseescrava : na ra do Sebo nu-
mero 29.
SITIOS PAR SE ALUGAK
ATTENCAO
Vende-se um caixao de casa com 3'J palmos de
frente e *1 de fundo sito a r*a do Gaz, tem as
portas, janellas, rotulas e eaxiiios, tudo de ama-
relio, tem mais 20 a 30 alqueres de -a!, :> mi-
Ibeiros de tijullos, porcac grande de areia, 3 tra-
vs para cobrir a cosinha ; estando esU j le-
vantada e so falta cobrir, Mo caijo j est
embucado : quem pretender dirija-se a ra da
Cadeia do Recife o. 27, andar.
Na ra da Cadeia do Recife n. 66, loja pre-.
cisa-se de nma ama que cosinh? bem. para i
pefntM.
TINTURARA franceza
55-Rua (la lioperatt iz-55
Tinge, lava, lmpa, lustra e acharaalo-
ta-se, com a maior perfeicao, fazendas em
0 pecas e em obras de todas as qualidades;
5| como sejam : seda, la, algodo. linbo,
m chapeos do feltro e de pxlba etc. etc.
2 Tira-s noioas o limpa-se a seccosm
1 molhar os tecidos, conservando assim to-
g& do o brilbo da lazenda.
Tintura preta as tercas e sextas fei-
ras.
I
CASA DA FORTUNA
AOS 20:0005COO
BA 1 DE U ABAJO N. 23.
O abaixo assignado avisa ao publico, que coa
quanto a nova lei do orcamento tive>se elevado
muito o imposto sobre os bilhetes de loteras de
Bio de Janeiro, continua a vende-ks oom as for-
malidades da lei, e pelos mesmos preces ibaiic
publicados, pagando todos os premies rom o dis-
conto somente da lei, e com a promptido o co-
tume.
PRECOS.
Bilhte inteiro... 2SJ00O
Meios bilbetes... 12-5000
Quartos........ 6*000
Em quantidade maier de 100*000 na rszo i
22*000.
Manoel Martins Finas.
O CIRWAO DENTISTA
Frederico Maya
Tem a honra de scientificar ao respeila-
vei publico eta geral, e aos seus cuentos
em particular que elle mudou o seu gah
netede consultas da ra Direia n. 12 para
a do Queimado n. 31 primeiro andar, coc
a entrada pelo pateo de Pedro II, onde po-
de ser procurado para os misteres de sua
profisso, todos os dia- uteis das 9 hora
ja manhaa s 3 da tarde.
Tambem previne, que contina a prestar-
se a vontade dos clientes nao s na eidade
:omo nos seus suburbios, para ende s
idas serlo precedidas de ajuste. Elie ga-
rante o bom desempenho e a pereicio *s
seus trabalhos, o que j bem conbecido,
assim como as commodidades dos oreos..
20:000400.
A casa Ieliz do arco da Conceicao venden
seus felizes bilhetes, os premius seguintes :
M. 4345 2:000*100
N. 2P6C 100*000
O. 4436 100*000
B Iheles a 23*000.
Precisa se alugar um pelo pata servio de
padana : na roa ireiti n. 129.
Agencia em Pernambuco
Do Dr. Aver
Peitoral de Cereja
Cura a pbthysica e todas as molestias do peta.
ms* parrllha
Cura ulceras e chagas antigs, impigeis e daj-
Ifos,
Tnico
Cozscrra e limpa os cabellos.
. Plluias calbartieas.
Rna do Ba'o
Victoria
da
Por ter de partir para Europa seo proprietario Um na Xsrzea no corredor
em lugar muito bem situado, casa com commodo para familia, sitio bastante
grande, com excellente banbo Apge no fundo do sitio ; cutro na ra .Je S. Migue nos
Aiogados, muito nerl" da estacSoda via-ferr^a :asa com commodo para familia sitio
murado, bga cacimba dons tauquea, um gra:da coiia i da casa,, estribara di-,
") fructo e bem a instantemente para sos- 'T'Z'!. t coantiar,
V- a trrtir con iMi do Recife n. Spr
i b- oras, e d< .tarde das i as
AnBNCAO
Ja ra do Mondego d 18, cafa de hoioi so-
1 de urna ama qu-' rai.irxlli
t* ae
( Ouur'ora ra Nava. )
O abaixo assignado acaba de vender nos sen.
muito felizes bilhetes da lotera qne se extrahkt ene
Beneficio da Santa Casa da Misericordia (158/ a
sortes seguintes :
N. 410, biibete inteiro, 5:000*00d ; dous qoar-
tcs de n. 86 com a sorte de 400*000 ; e o bilbeie
inteiro n. 2108 com OOJOOO, alem de outro> pre-
mios menores; podendo os possnidores Ivirera re-
ceber, que promptamente serio pagos.
Acham-se venda os felizes bilhetes garantid.
em beneficio do collegio dos orphaos.
PRECO :
Inteiros 6*000.
Meios 3*000.'
Quartos 1*500.
De lOOfSOOOpara cima.
Inteiros 5*400,
Meios 2*700.
Quartos 1*350.
Joao Joaqmro da Co-
ngenho, engenho.
Aviso vantajoso para os teobores d engeob.
N. B. Pratica,paci>ncia, e adiantameato on pon-
eos lempos. Um estrangeiro com praira-h* oui
.de dez annos de ter j ensillado em algns enjK-
nhos desta provincia, ?e lferece a qnalqiM-r se-
nhor de engenho para cnsioar nao s as pi inwiri,-
Pede se ao raoc i qae por engao lavolo Bazar letras antes de um anno, como o frasee; com per-
Acadmico um chapeo de sol de seda e de cabo dejeicfo e em peoeos nem'
marSm, que o mande Juvar ao mesmo estabeieci pretender dija carta fechada i residen-
mebto, sob pena de ver u seu nanw publicado por ficto, na roa-tas Trin -m t%
extenso nete jornat. i dniciaes B. A. B..
A!uga>-se o 2* aadar te aobrado :'.. i\) a
com ommoJQS para a
n*lojA o mesras
patente
americanos, os mais acetados e econmicos que se
podem desejar, com linha on carvao se faz nma
economa superior a 50 0f9 dos usnaes : no arma-
zem de Tassn Irmaos & C-, no caes do Apollo.
Precisa se de um carseiro de 11 a 17 annos
que tenha alguma pratica de taberna e qne d
fiador a sua conducta : no pateo do Terco nume-
ro 32.
Urgenci
-.


Viio de Pemambuco Ter^a eira 6 de Setembro de 18
AO ARMAZEM
DO
VAPORFRANCEZ
1,7-MUITH. 1
y Este conhecido estabelecimento acha-se constantemente bem sonido, em virtude das
factura que recebe por todos os vapore e navios francezes, dos artigo abaixo menciona-
dos, precos os mais resumidos que possivel.
CAIi^ADO FHAICEK
Botinas para enhoras e meninas.
Botinas pretas, brancas e de umitas outras cores, sortidas e bonitas, do ultimo gos-
to da moda, e precos mais barates do que etn outras partes.
Botinas para bonicos e meninos.
Botinas de bizerro, cordavlo, lustro e pellica. Jas meibores fabricas e escoltadas.
Botas e pernelras rnsslanas.
Bota e peraeiras para mantaria, das melhorcs qualidade, de couro da Russia, lus-
1 tro e bizerro.
Sapatos de borracha para hmense senhoras
Tendo chegado grande porcao de sapatos de borracha vende-se pelo custo afim .de
! desempatar o dioheiro nelles empregado, sao baratsimo?.
Zapatos de lustro para horneas.
Sapatos de entrada baixa de couro de lustro com salto, de muito boa qualidade.
Abotinados para meninos e meninas
Sapatos abotinados de differentes modelos, de muito boas qualidade* e fortes, unto
para meninos como para meninas, muito baratos.
Sapatos de tpete.
Sapatos de tapete aveiudado, de casemira, de charlte e de tranca framezes e por-
tugueses para humen?, para senhoras e para meninos.
PERFUMARAS
Excellentes extractos, banhas, leos, agua de cologne, florida, divisa, lavande, den-
trifice, de toilette, sabonetes, tintura para cabellos, pomaJa angroise para bigodes, pos de
arroz etc., tudo isto de primeira qualidade, dos afamados fabricantes, Condray, Piver e Lubin.
Quinquilharias
Luvas de pellica do conhecido fabricante Jinvin, espelhos para sallas, qnartos e ga-
binetes, toucadore- de diversos tamanhos, leques para senhoras e para meninas, abridores
de luvas, brincos, pulceiras, botoes, correntJs e chaves de relegios e trancelins, tuda de
curo de lei, correntes e brincos de plaqu, a imitacao e de mais gosto do que as de ouro,
caixinhas de costura ricamente guarnecidas e ornadas com lindas pessas de msica, albnns
e caixilhos dourados para retrato, caixinhas com vidro de augmento para distinctamente
ver-se a perfeicio dos retratos, objeclos de ph80tasia para toilettes, holsinhas e cesiinhas
de seda, de velludo e de vimes para braco de meninas e senhoras, ditas para costuras, pe-'
quenos registros muito finos e delicados, bouquels de flores de porcelana, jarros proprios
para gabinetes e santuarios, quadros promptns para collocar-se vistas, molduras douradas
para quadros, estampas finas de paysagens, cidades, figuras e de santos, vidros para eos-
morama, majas, saceos e bolsas de v'iagens, esporas, chicotes, bengala?, oculos, lunetas cu
pensraez de prata domados, grvalas pretas e de cures, abotoaduras de collete e de punhos,
carteirinhas para notas, thesounnhas e caivetes finos, pentes, cscovas, ponteiras de espuma
para charutos e para cigarros, joeos de domin, rodetes, bagatelas e outros differentes, vo-
nezianas modernas muito conveniente para portas e janellas, cosmorama?, lanternas mgi-
cas, esteriocopos com interessantes vistas de figuras e das maie bonitas mas, boulevards,
pracas e passeios de Paris, phototraphias e caixinhas mgicas, reverberos para candieiros,
tapetes de vidrilho e de la de cores para ps de lanternas, realejos grandes e pequeos,
harmnicos, acordions de todos os tamanhos, berros de vimes para ciiancas, sapatinhos e
toucas de laa, carrinhos de 3 e 4 rodas muito elegantes para con Ju;ir enancas passeio ; e
outras muitas quinquilharias de phantasia, francezas e allemes, precos muito em conta.
aa3a^35)(D3 paaa saturaos
Para este artigo nao ha espaco nem tempo para a mas-ante leitura da nfinidade de
gneros de brinquedos fabricados em diversos paizes da Europa.
ATTENCAO
O dono deste estabelecimento pedo ao publico em geral que continu a visita-lo
[ verificando as qualidaes e os precos baratos de ditos objeclos por serem viadas era di-
reitura e de conta propria.
!H
ta p
o
2
o *o
g+3
m p
*rw^
p a
0
8
o
m
*
.o p frtGi
i3* se #
o y
1 fr
.,,.,
?5 -n
S CE
m
O
>"*
e--
P
P
er*-
fe
o
c*r-

es cu
&> 10
en
<&*&
O
O
Ca
Cu-
ts O
E3
O

O
*
<
P

i
p ^
1-8
f
ea
re m
M
SS
STp
*" 3


g* _
<3

P

a


-
O


P

P
P-
P
3
p

p
O
P
O
xn

P

P



B

FALSIFICACOES
dasPILULASoeBLANOARO
CAVE DOLM)
A nossa coiTf-'portilfln ia do Uraril nos faz
saber que d*este paiz acho-sc
^^^mcntr'.n lutadas por tuna muUido de
Yon textual.
Para % ara ni ir-i; contra -'stas composifos
mais oii meaos txri^os.-.- .jho escondem-sa
marcas
i. robamos
foinniercio, Btes honrados tnRracd i
nao se moslron) dignos Aa ionaiwiidos -
freguezes; nao de dutsdar iguahiw
repudiando toda
cadores e os soscum|
cao un dever i' isle de procurar
as VERDADORAS I'll.Ll.lS UK BlaNCUID
origens" certas, enderecando-sc. quer a nCv \*
ate u.s t
M
Fotojrr. nperial
GALERA BE PIXTl'RA
/. Ferrara Filela
Desde o dia 7 de abril n4sadn acha-se abarlo o
aovo estabelecimento phQtographico sito roa do
Saboga o. 18, esquina do pateo 'la matriz. Oslraba-
Ihos que desde entao, tem sabido de nossa offleina
.em geralmente agradado, sendo recebidos por
ilguns com adniracao pelo extraordiuari > pro-
jresso que altimamenle lem tido a phou grapbia:
3 por oulros com alegra, por verera a provincia
Jotada com uin estabelecimento digno d ella, e in-
:ontestavelmente o prineiro que nesse genero
hoje pcssue : tambera nao pos poupamos em cousa
ilguma para monta-lo no p em que se achs, es-
perando que o publico de Pernambuco sabera
apreciar nossos esfor^os e recompensar nossos sa-
:rificios.
Convidamos a todas aquellas, pessoas, nacionaes
i estrangeiras que gustara das artes, oo tiverem
jecessidade de traba.'ho de pbotographia a visi-
larem o nosso estabelecimento, que estar sempre
iberto e sua disposicao todo os dias desde as 7
lloras da manhaa ate as 6 da Urde.
Para es trabalhos de pbotograpbia possuimos di-
versas machinas dosraelhores autores rancezes,
;nglezes e allmemes, como sejam : Lerebours el
Secretan, Hermagis, Thomaz Kos, Voigtlander el
5onh Wulf. ltimamente recebemos tres novas
mchinasi sendo urna dellas propria para tomar
>obre o mesmo vidw 4 ou 8 imagens diversas e
isoladas, e ontra de 6 a 12 imagens diversas e
igualmente soladas, de sorte que no caso de
grande concurrencia poderemos retratar sobre
ama nica chapa at 8 pessoas diversas e isola-
das para cartn de visita, eassim em menas de
am quarto de hora despacharmos 8 differemes
pessoas que pecam cada urna, urna duzia de candes
3ia3 ou menos, cora os seos retratos somonte, ou
;m grupo com outras.
Encarregamos-nos exclusivamente da direccao
i fritura dos trabalhos de photographia dei-
tando pericia e talentos do distinelo pintor
llemao, o Sr.
Jorge A. Roth
js trabalhos de pintura, a aquarela, a oleo, e a
pastel.
O Sr. Roth acha-se ligado a nossa empresa por
ama escriplura publica, e at o presente tena s
jesvellado na exeeucao de seus trabalhos.
No nossoestabelecimentoachara-e expostos ou-
tros trabalhos imponantes do Sr. Roth, tanto em
miniaturas aquarella como oleo, reratos
oleo, quadros sacros e diversos outros trabalhos.
Tomamos encommendas de retratos oleo at o
(amnho natural, assira como de quadros sacros
Sara ornamentaco de igrejas ou capellas. Tam-
em aceitamos encommendas de quadros histori-
aos.
Assegnraraos que os precos dos diversos tra-
balhos da nossa casa sao mui rasoaveis.
q&m6es de visita nao COLORIDOS A IOiJOO A
DUZIA
CARTES DE VISITA COM O OOLORDO AO NATU-
RAL A 16^000 A DUZIA
Retrates em miniatura oleo ou aquarella de
16 20*000 cada um, indo convenientemente en-
:aixi!hado era moldura dourada e regulando o
busto da pessoa retratada de 3 l pollegadas e
todo o quadro palmo e meio de tamanho
Julgamos que bastarao os presos cima para
Jarraos idea da barates a dos trabalhos do nosso
jstablecimento, quanlo sua perfeieao cada ura
?enha julgar por seus proprios olhos.
As melhores horas para se tirarem retratos no
aosso estabelecimento sao das 8 horas da manbaa
I da tarde; entretanto de urna hora s 5 da tarde
;m casos espccir.es pde-se tambera retratar qual-
juer pessoa.
Nos dias de chuva, ou por tompo sombro po-
jemos retratar, e asseguramos que esses dias sao
3S mais favoraveis aos trabalhos de photographia
pela dogura o persistencia da luz, epir termos o
aosso terraco construido cora taes propon;oes e
aielhoramentos, que ainda chovendo ,orros ne-
ahum Inconveniente ha para fazer-se bellos re-
alos.
J. F- rrra Vlela.
Ama
E; alidades.
Precisa-se de a
casa de
Casias n. 6
ra
lo.
oo jjiiijue ut
Cope ro.
No coliegio da Cenceicao precisa-se de um cria-
do copelrc
Precisa-se de nra ucravo ou escrava, que
entenda de cozinha e que sirva para todo o servi
co interno e externo de urna casa : na roa da
Saudade n. 35. ______________
Precisa-se d urna ama para casa de pouca
familia : na ra Direita n. 38.
Para o Ceara o padre Jos Gregorio da Silva
Carvalho comprou da luteria 159 os bilhetes inlei-
ros n. 2529 para D. Francisca Maria da Conceicio,
mulhei de Semiao Gomes Barbosa, e n. 544 para
sua lilha Helena, moradoras na povoacao do Giqui
no Cear.
Oozinheira
"Para caa de familia precisa-se de urna cozi-
nheira forra ou captiva : a tratar no 2 andar da
ra da Cadeia do Recife n. 18._____________
Perdeu se nina polseira de mosaico, do tira
da ra do Mrquez -de Olinda at o principio da
ra da Imperatriz ; se alguem achou-a e qoizer
restilui-la seu dono, tenia a bondade de diri-
girse i ra do Mrquez de Olinda n. 64, que ser
recompensado.
Ao publico
Antonio Jos de Carvalho faz sciente ao respei-
tavel publico, especialmente ao corpo do eommer-
cio, que jolga nada dever nesla praca nem fura
della, porm se alguem julgar-se credor, apresen-
te-se no praso de tres dias, a eonlar de hoje 6 do
correte, na ra da Bica n. i, e depois desta data
nao se attender reclamarlo alguma. Olinda 3
de setembro de 1870.
A o com memo
Temos honra de participar ao respeitavel com-
raercio desta praca, que o Sr G. Riedtmann deixa
desde boje de ser caixelro da firma H. Oettli & C.
Recife 6 de setembro de 1870.
Convite
Tendo a mesa regedora da irmandade do Senhor
Bom Jezus oas Dores em S. Goncalo, de mandar
celebrar oo dia 9 do crreme, pelas 7 horas da
manhaa, missas e memento pelo repouso eterno de
sna sempre lembrada irmaa Argemira de Me-
oezes Ferreira, fallecida em Pars no dia 8 de
agosto provimo passado, esposa do seu cbarissimo
irmo bemfeitor Antonio da Suva Ferreira Jnior,
convida aos pareles e amigos da finada e de sen
inconsolavel consorte assistirem as referidas exe-
quias.
O escrivao,
Liberato Merenciano de Souza.
medio
tos feitus em Pim, bein i
deioa de H
ferro de I!
de eereja, p de I
inedicamen-
de co-
iudurete de
no, peitoral
depurativo de Ch.ible,
digital de
rantho de Chevrier. nto cuja
prolicieneia quando emp
vas resniratoria-, as dores riieumaticas, na
amarellioao, na falta completa uu irregulandade
de menstruo, as diarrhas, doenca< di eoraco
e do estomago, lera sido e liicootestavel, em
vista dos benficos resoltadV)s das experiinentaciies
ou oso que diversas pessoas deiles leera feito, as-
sira como da Diluas denominada3 bravinas in-
comparaveis em sua eflicacia nos acomraellimen-
los febris ou sezd.es ; existindo tambera na niesma
casa, alm de sufficienie qnantidade de drogas,
um nao pequeo sortiraeuto de tintas, oleo de li-
nhaca e pilleis, que se vendera por menos do que
em outra parte. ______
AGORA SLf
No Bazar da Moda
RA DO BARO DA VICTORIA
(Outr'ora Noval
VNDESE
Lindas fazendas para vestidos.
Da alta moda de Pars I
De superior'qualidadfl !
De bellisimos padfde* !
/ De delicadissima cOres!
A saber :
Gases florentinas, novidade !
Poupeliuas lavradas.
Grosdenaples de cores e preto.
Salim raaeau de core?.
Cortes para vestidos de grande novidade t
Cassas do ultimo gosto.
FusUTes de eres.
Percaleas de melhor qualidade.
Berejes com listras.
Laazrahas de diversa precas.
Alpacas de cores lavradas e li^a-.
Chitas escora' muito superiores.
Fil de sedahranco e preto, liso e com salpicos.
Dito de algido.
Guipuz de linho e algodao pretu e branco.
E muitas outras fazendas, como sejam :
Atoalhados para mesa e guardanapo*.
Toalhas para rosto, colxas e cobertores para
cama.
Brelanhas, madapoloes francezes, etc. ele.
Tudo se vende muito barato.
Ama
-r
Precsa-se de urna araa que saiba eozinhar : na
ra do Duque de Caxias, cutr'ora do Qoeimado,
n. 46, toja. _____________^_
Ama
Precisa-se de orna ama que saiba eozinhar
ru do Codorniz n. 8.
na
- Vende-se a taberna bem afreguezada e com
poucos fundos, na ra dos Assoguinbos n, 20 : a
tratar na mesma.
COMPRAS.
O muzeo de joias
Na roa do Cabug n. 4 compra-se ooro, prata
pedras preciosas por precos mais vantajosos do
\n* em outra q jalqner parte.________________
lNTEIttSSAXTE COIPOSIC.tO LiTTSRlRM.
CONTENDO :
A noite do xtasis.
. O sorriso.
A noite do assorabro.
A lagrima
A ::oute do delirio.
0 mysteno.
Com urna carta critica dirigida ao autor pelo
Dr. T. B. Rigueira Cos.-.
1 volume b:o-hado20U0.
AS CENTELHA8
Poe.-ias patriticas sobre a guerra do Paraguay.
[ volume brorhdo iOOO
NA
________LIVRARIA FRANCFNZA
INDISPNSAVEL PAllA O C0MMEBC10 DE FA-
ZE.NDAS. !
Tabella comparativa dos prefo do qual quer fa-
zaada.
pilo metro nos precos pelo covado d$- -70 res
Pel- i-ovad i nos precos pelo metro desde 30 ruis
at 3*478.
1 foilianitidaineiiieiiiipressa 2.
bivr>ria franeeza.
Com muito maior vantagem compram-se
ouro, prata e pedras preciosas e n obras velhas: oa
loja de joias do Coracao de Ouro o. 5 D, roa do
i'.abug. _______^
Compra-se urna taberna qoe lenha ooucos
fundos : a tratar no pateo de S. Pedro n. 17.
120
500
1*000
011008
500
500
500
,60
(00
240
400
' 200
200
500
240
300
720
1*200
300
JjOO
40
240
400
JoaquimlMriuesTa- |
vare< de Mello,
TEM PARA VENDE?. 2
em seu escriptorio, praca do Corpo Santo SK
o. 17 : ^
Fumo em folha 0
de l* e I' qualidade, e vende um ou mais J8C
fardos a vontade dos compradores. ^
Cal de Lisboa
ultima chocada. W
Potassa da Russia. R
Farfoha de maotUoea.
Vinho Bordeaux. x
de 1J qualidade. Tudo de vende mai^ W
barato do que em outra qualqner parte. C
Officina de alfaiate
VINDAS.
LOJA FLOR
NA
DA
DE
ROA-VISTA
Anna Alexandrma de Avellar Chave-, Mana
A. S. Chaves J M. S. de Avellar, M. J. S. de
Avi llar e bacharel J. T. S. de Avellar. Heridos i
mais intensa dr pelo passamento de sen mui
presado wposo, fiirm o cunhado Dr. Wenceslao
Garca Chaves, vem pelo presente agradecer cor-
dialmente a todas as pessoas de sua amisade, e
as que honraran) aos dito tinado cora sua esinna
e consideraipo, o o-pecal obsequio qaa se die-
narain de prestar-liie?, assistindo os sulfragios
feiios por sua alma, e acompanliando seus res-
tos mortaes al o cemltrio publico e de novo a<
ccnviiiam a .".sislireiii as missas do stimo dia,
asquaes sera celebrada a tido copeiitp, pelas
7 hora da nanbi, na igreja da Sinta Cruz ; e
pelo que desde ja loes protestan! soa eterna gra
tiiao.
n
Vende-se a casa terrea n. 11, sita em Oiinda,
ra do largo do Amparo, com excellemes com-
modos o grande quintal, solo proprio : a tratar ne
Itecife. ra da i adeia n. 10
CONVITE
0 Costa ra Duque de Caxias n. 42,
toma pelo presente a lioerdade de convidar
aos amigos e freguezes que sempre o hon-
raram e continuam a faze-io com concur-
so (1h sua fregoezia, virem visitar o seu
1 s-siabeleciraento, certo de quen'o deixarao
de agradar-se, nao s de s os gneros,
como d> tratamento e limpeza qae a todo?
despensa.
GNEROS DE IMPORTACO
Uvas tio Setuinbal
AORixas.
!Jer.is.
Mafias.
Vinlv do Porto de diversas qualidades
entre ellas a especial qualidadeg!on do
Brasillito em pipas e barris, que cre-
commendavel tara mesa por ser <> veda-
deirurinho de pasto, dito verde da me-
p.T qualidade,
Oneijos llamengos empellicado o melhor
que tm \indo a este mercado.
Enilhas novas pira sopa.
Chocolate de especial qualidade.
Buhchinhas de todas as marcas e qua-
lidades conhecidas.
Alantega ingleza franeeza de l* sorle.
GNEROS DE EKPORTACO
Doce de goiab em latas
Ouijos de iMinas muito frescos.
Carne do sertSo superior.
Oueijos do sertSo.
Paulo F. de M. finiraares.
Nesta officiua se mandara tjMT roupas feitas por
medida, tendo ura completo sortimeDl de fazen-
das propria a mesma, assira como u:n perito mes-
tro. Garaot8-se ser presos mais em coma do i|ue
em outra qualquer parte : na ra da Imperalrir.
n 48 junto a padarta franreza.
Pechinchas novas
NA
Lo ja Flor da Bon via
DE
Paulo F. le II. ;;loia!)Ties.
toda novas, ov.
acabar, co-
R
Ll
Novo hotel Flor da Boa-vista, ra da Ma-
triz da Boa-vista n. 8.
Este bo*o estabelecimento olTerece ao respjita-
vel publico gr;uidH vantagem n> seu forrAcipsesto
de comedor i a para fra com primipiidao e etn
por menos pre<;o do que em outra qualquer parte,
assim eximo oos domingos e dias santos ;eia sem-
pre mao de vaeca e muras guara*, tudo com
prumptidao eesisero : a^sim, poi-, o proprielario
espera-do respeiiavel publico toda prowccio*
acolbiraento do mesmo.
Alnga-se osegnndo andar do sobrado
n. 46 a ra da Aurora ; gueni o preten
der, dirija se ra Forraosa n. 6
AMA
Precisa-se de urna ama pira
solteiro : a roa da Prata n. .'8.
sa de moco
imo
Precisase de urna ama nicamente para
ar na roa dos Guarn'rapes n. i.
uar
= Pre*:. um iraixeiru me lenha pr
de oJbados.preferimio-se p'irinjiii'z, de li
anv de i
doP'
Je M
A loja de Antunes Guimaraes & C, notrora
de Villar, na roa Primeiro de Marco, amiga do
Crespo n. 17, ataban) de receber pelo ultimo
limo vapor de conta propria, reqoii>am chapel
linas de palha e. de blonde, o lindos gorros d;1
velludo e chapos de palha ricamente enfeitados
da ultima novidade que se usa em Pars; a elles
antes que se acabem I
Bichas hamburgnezas
Seste novo deposito recebe-se por todos os pa
quutes translanlicos bichas de qualidade superior
e vendem se em caixa ou porco mais pequea
e mais barato do que em outra qoalqner parte :
na ra da Cadeia do Herifi' n. 51. ( andar.
Laas para vestido, fazendas
do 200 a 300 rs.
Cainbraias de ores francetas para
vado 200 a JJO rs.
Cimas escuras e claras core lixas, c.ivado 210
a 366 t<.
Lii Amelia, fa:enda nova, eovade DO*
Brim pardo trancado, boa fazeuda, oiclru o(K)
a :M0 rs.
I'i'.-i de a(g 'ilit i a madapeJSo, cainbrai n trans-
pareotei e victorias, pn-cts moito ratos: in
ru.i d r,;: u. 18. junl a pa la ra francesa
Eival em segundo,
V DUQUE DE CAXU X. 4
(Anliga roa do Qoeimado)
muito barato a sab
Libras de areia pi
Tesooras finas par
ra a......
Papis de agulhas fiancez;.s a ba-
15o a.......,
Caixas com seis sabonetes de fruta
Libras de la para bordar t todi'S
as cores a.......
Caniteis de lir.ha AleaiMro a. .
Frascos com aieite pura mackjinas
Grvalas de cores muito tinas a .
rozas de botes madefcrsla li-
oissimos a.......
Novello de rinha de 400 jai das a.
Caixas com 100 envelopes iJ.uilo
superiores a......
Pentes volteados para meninas a.
Tinteiros com Mita prela a 80 rs. e
Pegas de lita elstica muito fina a
Lala com superior banha a 00 e.
Frascos de oleoPhilocomo muito
fino a.........
Frascos de macaca perola a. .
Frascos de extracto meito b nitos a
Duzia de sabonetes muito fino a.
Sabonetes infilezes a 600 rs. -e. .
Frasco com agua de Colonia Piver a
Dito de oleo baboza a.....
Caixas de lamparillas a. .
Sabonetes a ferma menino umilo
superiores a.......
tertulias da doutrina foseada nova a
Libras de linha surtida* de todos js
nmeros a.......1^800
Caparnos mnilo bonitos e grandes a 700
Carriteis de retruz preto, cofn i
oitavas a........ 640
Agulheiros de osso enfciiados a. 240
Libra de liirtia ftanceza superior
qualidade a.......W0
Caixas ili' ra1itr do gaz a. 20
1M IJPpiii
A ra do Duque de Caxias 11 21.
(ANTIGA RA DO QUEMADO)
Receheu sejnlrrte :
E-peMlos grandes dourado^ molde* boni-is.
Carteira?, cbaruteiras e poit-cigarros de moiB*
qualidade?.
Ilnni(as pastas para papis, simple* e matisadas.
Boas caitas vacias para costura com sua cempe-
tente chave. ,
Delicadas canelas de marfim com o bocal d
prata.
Modernos peste d-' tartaruga, sobiesshindo en-
tre elles os lurnosos tcieraphisi;:-.
Comnodos touoaderta com dual gavetas e bom
espelho.
Port banquet, o que de melh.r tcm appare-
cido.
Port relogios do muitas qualidade.
Bons talhere's para crian(at.
Vostuarios, cLapuzinhos, toucas, sapatos e meia
para baptisados.
Toalhas e lionhas de labyriniho.
(Chapeos c chapelinas para senhora, moldes novo
e bonitos.
Chapozinuo gorros e bonet para meninos
meninas.
G'Dtr:i hs convulsorS Das
v (t;hcis
Vende-se os ( f collares r. Nova Espe-
ranc.a, ra do RiiqiM de <'..>xr< u. 2.
PABA TING1I OAKi.
para pretos ou castanfai a, receben N'ova Espe-
ranea a verdadeira tinta ingleza.
PAllA ACAi;U CHAI AS ?AtlDAS
ni [mnnos, lem a Nova-spcrjuc^ o verdadeire
leite do rosr>> braneas.
AGUA l>H: FLOR DBLARA5IA.
Vende-se naju'nva Esperance il do Duque de
Caias n. 21.
PAPEL PARA I-.\'n-lTA!!-SK BOLOS
reerbeu-os louio Linios a Nova ^speran^a, rea
do Duque de C,axi"s n. SI.
PARA AMACIAlt E AFORMOSEAP. A PELLE
lem a Nova E^poiaoca a siboete de pos de
arroz.
BSaSBi. :^a; 5>?5SeB!SHSSBiEJH
SE -ii ciJop* epoRi'a 0,1 ni : uwn a^s *,
pue ouio.i s.oq-;"(iui -loorj u#t\\$ ;o iuaui Sgf
ij.i>s!.' ii|o|duiu.i c [WijjjiU is'iif p|ddsjs f^!
SSOIfg pUB S$QOg
:.-:.J
:;,-::
:_
Doce fino.
De guiaba, arjuja, liman e banana-;. vndt-e
eoatlankmtjule i raa de Marsilio Das, outi'ura
Direita. tatxwiM -1'1 Hora**.
Farinha de miibo.
Ha para venJt-r farinha de millio muiio nova e
superior era saceos, chegada ltimamente de Porto
Alegre. A todo ntenlo dos compradores, erta
farinha consta v trew qualidade ; RUANCA,
AMAR.ELLA li ri,!',A' ; seud i esta ultima mnilo
mil para alimento de anionai <. e ao me-mo tempo
de grane vantagem a s compradores em f^ce dos
piveo* ini*ontesta\'''lmente muito mdicos : a tra-
tar na roa da Crnz a. '3, escriptorio de Amoro),
Irmaoj i- c.
Cal nova de Lis!r-i.
Cbegad rccememeOlo no vapor i Malar, lem
para vender Joaqnim l seu escriptorie, ra do Cunmercio n. J7.
'$ O .:.i- i i pal iu->".:
Ag .i-i-ijii::!!.! i 'tp.'tUQ '/'|" M|rfd
, ..-/ll^ SOIIMIHIM -'I'
^3 ;!iiii'jd ".-"i
9R n .i.iqijjj .ip cqmc ofi! i. i ind oa a
^ gojuii -iMs k -.-i j led '.' Bpldejg
". '-I1 O
~s oc "s viaoi.\'- u oviiv.i m v.m
piaawp ai.ua.>\ioq Q g

NOVA lJ\D>RIA AMLRICANA
:j dos Pire n. .1<
Conlin La a tazer pSo e Bolaxa de farinJia espe-
cial db primeira porte, para melhor agradar aos
sr-n- ft+jn*f9.
XAo (exemdeier
'No Rosarinho u. 1S, veodern-s lies viera-pa
ridas.por pre^ i raz vet, das 6 as 9 horas da ma-
ahaa arde em diante.
HOJE.
No Bazar da
RA
Braus da iii
Brancas e de cores, de 4, > e 6 palmos de I.
ra ; vende-se de urna peca para rima, leudo
urna 40 jardas : no .irmazcm de Tasso Irmo i
G., no caes do Apollo.
Farinha de mandioca
Vende-se farinha do mandioca, nova, de Santa[
Calharma, chegada n> patacho p.nuguez L't"-
fundeado ilefronie do trapiche do Sr. Baro do
vramenio : a tratar no escriptdrib dp loa
ion^lves Beltro, ra do Commercio n. i",
on bordo do referido navio.
Ca! dt l,isl


iatad
lends: a tratar oa roa I
raa do

GNEROS BARATOS.
2Gamboa d Caruo2
Man: a, libra a IJ. IjSOO e J
tyanteiga fraufez*. libra a Sfr.
Gaz, garrafa a 36fl rs. /
GORHN de raho, libra a 320.
Ceti lita a :ii) re.
Vela de .-permatf!e, dita a 620 rs.
l-insoa .do Bi.i Grande) um) tfiO r*.
Lagostinhoa e ostras, lata a 700 rs..
Queijos do reino (ultimo vapor) 3000.
Ditodo Setld, libra a 1*100.
DiWS Je Mina-, nm 2.
Vinbu B.>rdeaux. garrafa (S. Julien; 000 rs.
lita 900 rs.
Vinb :''t) dita oOO rs.
^rnt:, libra t-0 rs.
- gneros ipie se vendem mais
n outn qoalqner par.'_________
LiqmdaQo.
Vende e por todo pre^o para siabar as f..?.vi-
na loja do Nabuco & C na ra do
Barao da Vicioril n. 1 (outr'ora X"va)-_________
Para cigarros
i mnilo pi
4 :... ra
i terrea n
DO HARAO DA VICTORIA
(Outr'ora Nova)
Artigo de alia nu.ila em Part rbegados pe!
ultimo paquete rjnda da Eoroea.
Para senh
Chapelinas de palha, de lialia rom lieos e ele-
gantes eafoitcs a ultima iru
Veos de cores o pretos para montarla e pas-
mo.
Griualdas e capellas de flores de. larangeims
para noivas.
Corpinboi de cawbraia ballameBle enfeitados.
Enfeilea muito liodos para eat
Sairs brincas bordadas e de <"
Gacbins de lia de bonitas cores.
Sintos de diversas qualidaile-.
Salidas de baile n nue ha de mflhor.
: mi i! .- C.f renda th^olc
nhos de serim para -ol.
Balde do cores e orancos para senhoras e
ninas.
Lagos, gi ivatinhas, dsparn'bo, lecgos, ni
etc. etc.
Para homom.
Manta< 3 gravis do ultimo l
C ferinh s de linho bordad.-
Serpula.- i!e Imle;.
Camisas de meia.
M-das de superior qnalWade.
Lencos de linho e algodao.
Ciiapi rom cabo de mariim, inglezes.
Para manios.
Costu-res OFientjes de fu^lao de cores muito
li'in fnfeii.T'cs.
Chap sinbix de sotiiu e
Sapatinhos de setim, merino >
Tuncas de todas as quai
Vende-se tildo por baratos pn
Agua de Vichy
o da ra
Vi-ii.-m-s t-rre
treita do Rosario n.


6
Diario de Femambuco- Tenja feira 6 e
bi-o de 1870.
fi.
1%
1
BAZAR DO
60-RA DA MPERATRIZ-60
fi \.i'
U'
uu
A
No Bazar do Pav3o fez-se ama grande
compra em um leilSo, das mais finas
casemiras inglesas que tem vindo a es-
te mercado, tendo cores claras e escuras,
todas com padrees serios, proprios para
calcas, palitos e colletes; vende-se a 40000
o covado o qoe em outra qualquer parte
nao se vende por menos de 65; grande
vantagem.
BRINS DE LINHO DE COR A 1,5200
No Bazar do Pavo, fez-se ama grande
compra de poros brins de linho, muito en-
corpados, proprios para calcas, palitos, col-
letes e roupas para meninos, por serem de
padroes miudinhos; garante-se que nao ba
barreUa qne lhe tire a cor, e vende-se a
4(5200 o metro desta excellente fazenda.
MADAPOLO FINO A 60MK) A PEQA.
No Bazar do Pavlo vendem-se pegas de
ma .dapolo fino de muito boa qoatidade,
tendo 22 metros ou 20 varas cada peca,
pelo barato prego de 60000, por se teretn
comprado om poaco enxovalbadas; pe-
chincha.
CHITAS ADAMASCADAS A 240 RS. O
CUVADO
O Bazar do Pavo vende muito boas chi-
tas inglezas incarnadas adamac:adas, pro-
pilas para cobertas e cortioas, sendo fazen
da que emqaalqoer loja se venda a 320 rs.
e liquida-se a 240 rs. o covado; s o Pa-
vo.
TOALHAS A 7,5500
No Bazar do Pavo fez se urna grande
vara, ditas victorias e tapr;as damaisinf*
rior at amis fina que vej ao meicado;
tudo isto se vende moii > etn conta.
MANrELLETES DE FIL
N) Bazv do Povo vende-se modernissi-
mos maotelletes ou basquina* de fil preto,
om lago, pelo barato prego da 10)9000 ca-
da om, barato.
PANNOS PARA SAIAS A 10000, 1(5280 E
f600 O METRO
No Bazar do Pavo vende-se bonita fawn-
compra de toalhas alcochoadas, propriasjda branca ncorpada para saias, sen 1o rom
para rosto, bastite encorpadas e grandes,
que sempre se venderam a 1125000, e li-
quidam-se a 7500 a duziar.ou a 640 rs.
cada urna, boa pechincba.
CHAPEOS PARA MENINOS A 2(5000
O Pavio vende um< grande porgo dos
mais bonitos cbaposinbos de palba da Ita-
lia proprios psra meninos de todas as Ida-
des, sendo chapeos que valem 5(9(000 e ven-
dem-se a 25000 cada om, muito barato.
CHITAS E RISCADINHOS MIUDINHOS
200 RS.
O Pavo vende chitas cu rbeadinhos miu-
dinhos cor de rosa e rxinhos, proprios
babadose pregas de um lado; dan lo a lar
gura da fazenda o comprimento (la siia, a
qual se pode fazer com 3 ni 3 l|2 metros,
e oende-se 15000 e 15-80 e 1600; assim
como tambero no mesmo cst'ibeileclmento
se vende bonitas saias bramas bordadas ten
do 4 palmos cada urna, dtsa de laa de
cores ja prompts urnas com ban*s defe-
rentes, da mesar, fazenda a 45^)0 e outras
com barras bordaaas 6500) e 750U0,
todo isto moderno e barato.
ALGODO ENFE5TAD0 PARA LENCES.
No Bazar do Pavo vend-se o rnIhor al-
para vestidos e roupas de cranos a 200 godo-inbo amfricano e'festaio
rs. o covado. Sao mni'o baratos.
LASINHAS COM PALMAS US SEDA
Cbe#ou para o Pv31 o mais bello sorli
molo das mais brillantes lasinuas clara i
com bonitas palmiohas, dsseda; ten lo lar-
gura do chita francesa e veade-se a 10OCO
o covado grande pechincba.
ALPACAS IATISADAS A 640 RS. O COVADO.
Vendem-se as oais moderna i e bonitas
ga*, tendr liso e entraado
muito barato.
ESPARTILHO.
p-ra len-
por prego
No Bazar do Pavo receben-se um elepan-
te sortment'' dos mais modrno; e melho-
res espirtilhos. que se vendeuu por prego
raoiio em conta. \
PANNOS DE CROCH PARA CADEIRAS
O Bazar do. Pavo receben um grande
;sortirficfito ds meibores pannos de croch,
de balango tofs,
alpacas matsadas com palmintus, moito1
proprias para vestidos de seobora e di me-; Pa)]P;ra*
PARANOIVADOS CORTINADOS, COICHAS. bnr lo f.dss e pratos; vendenoese por
^ menos dn que em qualquer Darte.
Lasinhas tranrpirenfes a 500 rs. o covado
-O -"avo neebau um bonito sortiuieoto
das mais elegantes lasinhas transparentes
proprias para vestidos, qoe vende a 500 rs.
de sortimeoto dos mais bonitos cortinados
bordados, proprios para camas e janellas,
que se vendem de 105 00 al 205 >'0 o
par, assim como o memor damasco com 9 [wadorTmoito barato!
palmos 'e largura a imitago de damasco
de seda, proprias para colchas, e propria- PARA LENQOES
mente colchas de damasco, send os melbo-j No Bazar do Pav5 veude-se so)ericr
res emais bonitas que tem vindo o roer-1 bramante d'algodo com 10 palmos de lar-
cado. Sora a *08Ou o metro, dito ue linho com a
SEDAS PE LISTRAS {raesm3 largura a 25800 cada metro, pannos
No Bazar do Pavo vende-se urna grande ^i:nhodopnrtocom3 1/2 palmos de largura
qoantMadedas mais elegantes sedas com de/SOatelJa vara asaim como long^ ande
strinhas, tendo de tolas as cores e at l;or^to de H .amargo ou creguelas de
fora-(6r; fazenda que ningneo. vende por,odos os ****"*> JrW qualidades,
qua se vendem mais barato do que en ou-
tra qn-lqner parte ; aproveitem-
ATOALHADOS
No Bazar do Pav3o vende-se superior
atoalbada trangado, com 8 palmos de larga-
ra a 15G00 o metro, dito ue linho adamas-
cado o melbor que tem viod i ao mercado a
135500 o metro ; tudo isto moito barato.
Baloes regaladores a 450)0 i&W) e 5500H
ais bonitas popelinas!, Chegaram ao Bazar do Paxoo ma.sbeni
iudinaas, sendo todas [e,tAvS ?, r-eDladores;. *ead(^ J. fj>l?'
a 45000, ditos de musseiiaa a 45500, di-
menos de 25400, e liquiua-se a 25000 cada
covaio; s5o moito baratas.
SE1INSDE CORES E GROSDENAPLES.
No Bazar do PavSo vende-se um sortimen-
to completo dos melhcres setins e grosde-
nap'es de todas as cores, que se vendem
muito em conta.
POPELINAS DE LA A 400 RS. O CO-
VADO
No Bazar do Pavo vende-se um elegan. j
te sortimeoto das ma
da la com lista miu
qnasi de urna s cor, 4U0 rs. o covado : I.
a baritisimo .tos de lasioha de todas as cris a 55000,
GRANDE PCHINCHA EM LASINHA todos elles sS' mit0 baratos'
A 640 RS. Pann preto muilo barato a 35600
Nj Bizar do Pavo fez-se orna grande O Bazar d) Pavo recebeu urna grande
compra de iasinba para vestidos, ssndo de porgo de pecas de paDno preto fino, coa-
muito boa qoatidade, ornas com listas e oa- pradas em leilo, qus simare sg vendu a
tras con mselas, e moilos largas, qoe com 55000 o covado e pode liquidar a 35000,
pucos covados se faz vest lo e liquida-se por ser urna excellente compra,
440 rs. fazenda qoe sempre se vendeo a 15. BAREGES A 360 RS
No Bi.iar do P^vo vende-se ua bonito
sortimeoto dos mais lindos ba eges lista-
dos para vestidos, que valem muito mais
buha tes -alpacas escuras f-irta cores, dinheir0 e liquidl.se a 30 0 cova.
sendo mu.toencrjpadas e tendo um hnlho d dUos mui mais nos COa n%l. m
como seda, hqa.dase pelo barato prego de estfiS bare es sem se venderaai
0rs.o covad3PorseterfehO ama gran- 640 e 800 rs., grande pecbincha.'
GURGUROA640RS.
DE
SILVA, FIGDEllEtlaG.
Neste irnacranle estabelecimento enconlrar o respeitavel pnb'ico, um graodee variado sortimeoto da.faxet.das, do mai
aporado goato e todas de primeira neessidade, que se vendem m* i.artas do que m odtra qnalquer part-, \is qoe oa ne-
vos socios desta firma, adoptaran o sysfema do s veoderem D1NHE1RO ; para po.iertm vendrmelo costo, limitando-fe apenas
a ganbarem o descont ; as pessoas qoe nepociam em oequ^na es'.i nesti loja >e Irfiwm poderu tazer^s ?ews sortim^atos
pelos mesmos pregos qoe aimpram as casas inglezas, (im|/oriadoras) e para matorj commorl.dnle oas Exoas. familias sedar
amostras de todas as fazendas, ou Ihes levam em soas casas para escnlhcem.
PCHINCHA EMCASEMIRAS A 45000. CORTES DE LA ESCOCIESES A 65000'CAMISAS DE ERANELL.VS A 35.")00.
Vende se dobios cortes de la e?cocezas,! No Bazar do Pavo veode-se om bonito
vindo cada om em seo -papel, pelo barato sortimeoto com todos ns tamanbes dss me-
prego de 65000 cada um; no Bazar do Pa- Inores camisas, -de fljnetra de 15a, com
vo. I mangas tanto proprias para harreas como
ORGANDYS BRANCO E DE COR | para seoboras e vende-se a 360&) cada
No Bazar do Pavo veode-se os mais urna, eqnem comprar de mtia dnzia para
bonitos e muito fiaos organdys com listas cima ter um ^batimento, Sao d-j muit-i
largas e miudas 15000 a vara, ditas lisas, middade.
fazenda de muiia pbantasia a 800 r. a vara, Granne peeblndu om caais iaghm a 4f4-j500
ditos d cores, finissimrs padrOes, ioteira- NoBaz^r uoPavao fez-jeMinagwrtdtcom-
mente novos 80 ) rs. vara: pe:hincba. pra em leilo, de rtats^ima camisas ingle-
GROSDENAPLES PIIETOS zas com peitos e.paobos de lin o, seado
Chegoa para o Bazar rio Pavo um gran- com collarinhos e de todos os miroews a
de sortimento dos. meibores trosdenaples 4000 cada orna, ditas som ootlarinbns,
pretos qoe t^m viudo ao mercado, qob ?e porm faze da. ani'.sima a 45590; gran-
veodem de 15600 at 5-5^00 o covado ; de pechincba.
sao todoa muito em conta. CAMISAS BARATAS a 25800.350f 0 e 25600
CAMBRAIAS TRANPARNTES i No Bazar do Pavo vende-se urna gran-
No Bazar do Pavo vwide-sa um grande de porco de casemiras mescladas. 'muito
sortimento das melbore^ cam rnias bra cas encorpadas a 25800, ditas nissimas com
transparentes, tem de .355 W at 4' 5000 msela de seda a 35200, ditas modernas
pega, ditas soissas fioissirova eom 8 pal- de qaadros, fazenda de moito gosto a
mos de largura a 25000. 21500 e 3iOn 35600 o covado; aproveitem.
TAPETES
Chegou para o Bazar dn Pavo o mais
"legante sortiment' de tapetes, grandes, pa-
ra Sfs, com 4 cadeirf s, ditos mais peque-
nos, para doas cadeiras, dkos para
pianos, camas, portas; eti. sende-se por
menos do que em nva q iai er parte.
COLCHAS BRANCAS A 352 >0,35500 E 7
Para o Basr do Pavo eaegu um gran-
de sortiment > das melriores colchas do fus-
tsp. s odo nas melhores e mai>e cordada*
qiie tem vindo, a 73:0 dias om poaco
nvtis abaix' a 5;>c0). c ditas a 35000;
umbem no mesmo estabelecimento se ven-
de ut granle sortiment. d) cret mes e chi-
t s. proprias para colebas, que se verideui
mnit em ^oijta.
GORGUIOlS OU POPELINAS DE SEDA
50C0 CADA COLADO.
Cheg u riara o Bazar do P.iv > um e'e-
game sortmeito das verdaderas poopelraas
de linbo e sfii. cornos mais modernos
gostos, que se vendem a 250)j cada < ovado,
o qoe em ontra q alqver parte nao se ven-
de por meoo? de 25500, prevne->e que n2o
sao a'godao e seda, como ha muitos; mas
>im puro fiaba e seda; sao muitu baratas.
ROUPAS PARA HOMENS
No acertdirado Ba ardo Pava encontra-
r o respeitavel peblico um grande sorti-
meoto de roupas para homens tanto bran-
cas como de cores, a saber :
Camisas corr peitos d'algodo e de linho,
para toos os pregos e qaa'idades.
Cerollas de linoo e algodSo.
Meias enrtts francezas e inglezas.
. Palitos sobrecasacos de panno preso e
casemira.
Galgas de brim branco e ce cores
Ditas de cs.^emiras preta.s e de cores, com
colletes iguacs
De todas estas roupas ha para todc3 os
jregos e qoalidades, e tem de mais a mais
um perito
ALFAIATE
Por quem pe manda fazer com prestes a
e aceio qaiqner peg de obra a capricho
ou go^to do freguez, tendo n'este importan-
te estabelecimento todas as qualididesce
penuo fino, as meibores e mais moder-
nas casemiras, assirr enmo os melhores brins,
qur brancos, quer de cor; e qoano qai-
qner obra n) ficar io'.eirameote ao gosto
dos fiegnezes G a por conta do estabeleci-
meato.
CHALES DE MERINO
Chegou para o Bazar do Pava 1 nm elegan-
te sottimenti de chales de merino de cores
muito bons om padroes muito decantes
para qnalquer urna senhora usar, ditos de
crfepon com listas de seda o mais fino e
moderno que tem viado ao mercado, e ven-
de-se por prego muito em Mota.
BABADIMIDS
No Bazar do Pavo vende-se om grande
sortimento dvsmais finos babadinbos borda-
dos tapados e transparentes, assim como
urna grande porgo de entr^m-jios largos e
estreitos, qne para acabar se vend8 moito
em conta e mais barato do que em oara
qualqoer parte.
FAZSNDAS PARA LUTO
No Bazar do Pavo veade-se consUnte-
-mente o mtfbor sortime .to de fazendas
p.-etas .para luto, como sejam :
Lasinhas cretas lisas.
Cassas pretas de la.
Cassaspretis, fraocezas e inglezis, lisas
e com salpico?.
Chitas pretas de todas as qaalidades.
Alpacas pretas lisas.
Ditis lavradas com brano.
Merinos, canto .s, bombazinas, qoe se
vendem maisbarat) do que em ootra qnal-
quer parte.
CHITAS PRETAS A 200 RS. O COVADO
No Bazar do Pavo vende-se chitas pre-
tas inglezas com salpicos 200 rs. ocovado,
ditas todas pretas, por estar em om poaco
rossas, 12) o covado; pechincba.
Os propnetarios d este importante esta-
bellecimento rogam ao respeitavel pubbco e
particularmente ? Exma^t. familias o favor
de se d;rem sempre ao trabalbo de lerem
os seos annuncios, pela raziovde muitos
d'elles serem modados amiodadas vezes.
CACHE-NEZ A 65000.
No Bazar do Pavo vendem.se bonitos e
grandes cachi-nez de pura la, pelo bara-
to prego de 65000 cada om,
BMGO DE (JURO,
Ra do Imperador n. 26
O respeitavel publico encontrar nut
estabelecimento diariamente om complete
sortimento ^de pastelaria, bollos inglezei
podins, pds-dol, prgsentos dos ultimo"
chegados ao mercado, salame de lion, bo
linhos finos de todas as qualidades para cha
amendoas onfeitadas, confeitos, bomboins
pastilbas, chocolata francez em libras, paa
tilbas do mesmo .cartuxos e carteiras coa
seis charutos de chocolate cada urna, est<
sortimento de chscolate do mais acredita'
do fabricante de Paria e o melbor que at
hoje tem vindo ao mercado.
Vinhos portoguezes, figueira mnito supe
rior. Os mais genuinos e superiores vinhoi
do Porto, moscatel e Setubal, o illaslradt
publico encontrar neste estabelecimenti
porcommodos pregos, fazendo-seabatimen
to a quem comprar em porgo.
Os dooos deste estabelecimecto nao
tem poupado a despezas para rnelhor me-
recerem a acoadjuvago "do Ilustrado pe-
blico.__________________________________
A Nova speraiHja
91Raa Duque de Cavias 2i
Quando a NOVA-ESPERANQA faz os seus
anuncios expondo aos seos freguezes e a
lodos em geral o grande sortimento e su-
periondade de seus objectos nao com vis-
tas de ateair a atu-ngo de nina grande fre-
guezia, como a de qne actualmente despee,
e sim para scientificar (a interese de todos)
a qoalidade de seus objectos os qnaes sao
sempre de apurado gosto e perfeigo; tor-
aando-se quasi indispensavl para aquelles
preciadores (do bom) frequentarera a No-
va Esperanca, pois qoe ella oapricha em re
ceber constantemente, o qne ha de melhor
relativamente a saa repartigo :o que se po-
der verificar quando em qualquer reunio
de pessoas (amantes do xique ) v-se um
bonito enfeite em um bonito vestido, um
aroma agradavel escapar d'um alvo lengo,
um moderno e linde lago, um dilicado ra-
mo de finas flores, ete, etc, todos olham-se
reciprocamente e dizem com sigo (o as ve-
zes uns aos outros) estes sao objectos
comprados a NOVA-ESPERANCA: realmen-
te III! procurar descrever em annuncios os
arligos que contem dita loja, seria trabalho
insano e nunca o fariamos com aquella
raga e perfeigo com que sao elles fabrica-
dos, assim pois aNOVAESPERANCA con-
tenta-se em convidar a todos geralmente,
visitarem-na para ento ficaram intei-
rados do que ha exposto na mesma loja.
Si Roa Dnqne de Caxlas81
Laa para ordar a
5jrj500 a libra
O Cysne, ra da lrsperstriz n. 64, acaba de
recebe''- grande e variado wtrlinunto o !S, a qu^l
vende pelo baratissimo preco de 5oC0 a libra,
cores sortidas.
Quando a AGUIA BRBNCA, mais precisa scientificar ao respeitavel pabhl
geral, e em particular tur
te tem recebdo, i
Imitaria ella confia e espera na benevolencia de todos que lh'a attenderu
coutinuando portante a dirigirem-se a bem conhecida Ir ja da AGUIA I^^^H
Queimado n. 8, onde sempre acharo abundancia em sortimento de su^H
qualidades, modicidade em pregos e o sea aunea desmenttido AGRADO E SI
Do que cima fica dito se conbeee que o tempo de qoe a AGUIA BRa
dispdi', euipregado apezar de seus cusios no desempenho de bem servir a aquel W
bouram procurando prover-se em dita loja do que necessitam, t

ate ai-
ra' os objectos qoe por sua natureza sao mais conhecidos ali, ella resumidamente
cara aquelles cuja importancia, elegancia e novidade os tornara recommendireig, como
bem seja
Corpinho3 de cambraia, primorosamente
en eitados com fitas de setim e obras essas
cuja novidade de molde e perfeigo de ador-
nos os tornam apreciados.
Fitas mni largas de diversas cores e qua-
lidades para ciatos.
Leques aesse objecto muito se poderia
dizer querendo descreve-los minuciosamente
por soas qualidades, coree e desenhos, tal
< grande e variado sortimento que acaba
de chegar, mas para nao massar o preten-
dente se lhe apresentar o que poder de
melhor.
Entremetes em pecas de 12 trras.
Guipare branco e preto de diversas qua-
lidades e desenhos.
Ditos de algodo com flores e lisos.
Veos de seda para chapenas e monta-
ra.
Meias de seda para noivas.
Ditas abertas de fio de Escossia.
Costumes ou uniformes para meninos.
Enxovaes completos para bptisados.
Capellas brancas pira meninas.
Grandes sortimento de florea finaa.
F de seda, ,preto.
PERFUMARA
Grande e constante sortimento de fita,
sempre melbor quajidade.
Liados vasos com p de arroz e pintel,
Caixinbas com ditos aromticos.
Bonitos e modernos pentes donrido*
para circular o coque.
Bonitos brincos de plaquee.
Adereces e trincos de madreperoh*.
Caivetes finos para abrir latas.
Tbesouras para frisar babadinhos.
Aspas pera balao.
Novos stereoseopos com 48 vistas, ai
quaes sao movidas por om machinJamo
urnas substituem as ou-as.
Vistas para tereoscopos.
Bonitas caixinhas de vidro enfeitados com
podras.
Ditas de madeira envernisada com vispo-
ras e com dminos,
Bollas de borracha -para brinqedo de
Touquinhas de fil, sapatinhos bordados mangas
e rais para ditos.
Camisinbas bordadas para ditos.
Diverros objectos de porcelana, proprioa
para enfeites de mesa e de lapinhas.
ESCOLA PHAKMACETICA DE PARS
Hedalha de Vrata 1860
yOEUR
EXTRACTO DE ALCATRAO.
nico medicamento approrado por todos 05 ]
Hospitaes de Franca, Belpica e Eapanha como a"
melhor preparacao instantnea e regulada em
oses a AGUA DE Al.CATUAO.
_ (Duateolheradat grandes de liquida por cada \
litro de a%tu<, ou urna eollierada pequea por
cada copo grande.)
O modificador mah rneritlev da* mo-
b0*** ioinao, dos broseblos e da
Exigir a firma do inventor. /? ,
Befosito Geral ^f^.
Bnc d^s Fraar^-Boo rgeois, 17
Em pakis.
Deposito : na Rio ie Janeiro, Diiponehellc; na
Baha, Silr l.a.iesf na Pernambueo, P. Maurer
el C"; na VaranhaU, Fcrreir.i ct C"
Mmm
BoD^GIBERf
MEMBRO DAAGADD114DEMEDICINA
Preparado por deslauriers.ph.
Suc de BOUTIGNY-DUHAMEL
51 Ra de Olpy Papis
ALPACAS PARA VESTIDOS FUBTA
CORES A360RS.
Vea1e:se am bonito sortimento das mais
furia
da compra.
POPELINAS A 400 RS.
No Bazar do Pavo vende-se um elegante
No Bazar do Pavo vndese um bonito
sort memo das mais'lindas poupelmas de'sortimeoto dos melhores gur;uroes de la
la com os gostos miodihos sendo qoasi pa-i vestidos sendo ami linda fazenda,
ama ^ cor e conmuite bnlho, pichin- mnito leve,.roca transparente e muito lar-
cha b 400. rs. wra acabar. ga com furta cores e liquida-?o a 640 rs.
t2H TAS A 2(5 RS. O CORTE. o covado por se ter feito grande pechincha
N.i Bazar do Pato vende-se cortes de oa compr.
chita miudinhas, sendo rocha e cor de rosa, COBERTAS A 3|
ttodp 10 covados cada corte a 2|vende-sa' Vende-se 'coberta' de chita encarnada
a realho a 200 rs. o covad, pecbincha. adamascaita a 3fi cada ama Dechincua
CASSAS A 20 R5. CORTES INDIANOS A 4i5C0.
NoBa^ar do Pavo quida-se urna por- No Bazar do Pavo vende-se bnitos cor-
gao de cassas francezas miodas e graudas, tes inlianos com daas saias peo bara-
'cores finas, que fe vendem pelo baratissim tissimo prego de 4^5)0 cada am pe-
prego de 2J0 rs. o covado para acabar, chincha.
'0 Bazar do Pavo sito a ra da Imperatriz n. 60, esta' constantemente aberto
das 6 horas da manhaa as 9 da noute.
O Xarope depurativo ioiiurado do Dou-
tor Gibert offerece, no seu emprego, um
resultado boro, certo e constante na cura
disimi)igens, escrfulas, molestiasdapelle,
vicio do snngue, obstr acedes lymphatica.:,
molestias contagiosas ($~yfj//iliicas), leves
iu inveteradas, e de todos os accidentes que
aellas dependan.
A receita deste Xarope foi approvada
pela Academia imperial de Medicina de
Paris.
Deposito as principaes pbarmacias do
em Pernambuco: Maubeb e C; Joaooim
MARTiNHodaCRuz Ck)BBEiA; Joao da Cok-
CEigAO Bravo e C*; Augusto Caors ;
Bartholomeo e Cu; Alexandre Bibeiro;
Abreu Ribero ; Joao da S* Faru e Irmao.
i K. 3 4 RIA BO C4BIGA N. 34.
mimi ios

Com este titulo acha-se aberto e inteinamente transformado este antigo
estabelecimento de joias, onde os freguezes e amigos encontraro tudo quanto
a moda e o bom gosto tem inventado na arte de ourivesaria, o Collar de Ouro
observar delicadeza no trato e senciridade e modecidade nos pregos.
Espera que o respeitavel publico venha ver o que existe de melhor em
aderegos de brilhantes, esmeraldas, robins e perolas, meios aderegos, pul-
ceiras, brincos, alinetes e anneis de todas as qualidades, prata de le faquei-
ros, colheres, paliteiros salvas e outros muitos objectos que seria enfadonho
mencionar.
Compra-se ouro, prata, brilhantes e pedras finas, pormaior prego do
qu em outra qualquer parte, troca-se e concerta-se todo e qualquer objecto
pertencente a esta arte.
Lourenco P. Mendes Guimares
RUADA IMPEBATBIZN. 72
Tendo resolvido o seu proprietario liquidar todas as fazendas existentes as loja
Giribaldi e Arara, envida ao respeitavel publico, amante da economa, vistorem a
loja da rus da Imperatriz n. 72, pois s de>eja apurar o dinheiro.
Arara vende madapolo enfestado a 3&5001 Para lipiidar vende bramante de 1-
a pega, ditas de 24 jardas a 55000, 65-'00,'nho e agodo a 1$800 metro, dito de
O500, 7,5000, 8/5000, 9,5000. e I0=?000.
Vende-se cortes de casemiras de cores
p>n caigas a 4(5000, 85000.
Pira liqoidago vende-se algodo de lis-
tras proprio para. caigas, camisas e saias
rara essravos a 160 rs, o covado.
Na ruada Imperairiz vende se chailes de
merino estampados e de barra a 2/5000,
linho puro a 20800, esta fazenda pro-
pria para lengSes e toalhas por ter 10 pal-
mos largura.
Vande-se cortinados para cama fr>pcftza
a 1400 o cortinado para liquidar.
Arara vende cortes de chitas para veta-
dos a 2,5500,2^800 e 30200 o corte pai-n
liquidar.
Vendeo se cortes de cassa a 20500 o
.0500 e 30i 00.
Arara vende cortes de casemira preta corte s na liquidago a da imperatriz.
piara caiga a 30500, 40OUO. 50i 00, 60000,! "Vende-se cortinados para jaoellas a
60
Vende-se urna bonita rasa nova a moderna,
cora 2 salas, corredor ao lado, 5 quartns, solao
mano fresco, dispensa, coiinha com bom forno,
grande copiar com gxtdeamento na frente, gali
nhi-iro lambem com graaAimenlo de ferro para
grande porcao do criaco privada para despejos,
lelbeiro para lenha, carvo, ele, cacimba com
bomba de Japi, tanqne coberlo qne serve para
banho, e suio, tem 100 pahnes de fwnte e 500 de
fundo, lodo morado de novo com graleamento na
frente e porlao de ferro, lindo jardim para re-
creo. plantnco de arveredos nov-os, passa-lbe o
no tapibanbe perto para esbanhos, no lupar de-
nominado Cbacao n. 1, junto da elacao da Casa
fone : os pretendemos poder-se-bao dirigir para
tratar a ra de Tbom de Son, outr'ora roa da
Lingoefa, n. 4.
/0OOO, e 80000.
Para liquidago vende-se brim pardo liso
bom a 500 rs, o metro, dito transado a
TiO, 900, e 10000 o metro.
Para a cabar vende-se duzias de lengos
brancos de cassa a 20000, e 30600, ditos
linho a 50OO, 60)00.
Na ra da Imperatriz vende-se cobertores
de algodo a 10400 e corberlas de chita a
1J80O.
Para liquidago vende-se cortes de easto-
ros para caigas de homem a 500 rs.
A Arara vsnde chitas largas para vestido
a 240, 280, 340, e 360, rs. o covado.
O barateiro vende percalas finas para
vestido, a 440, rs, o covado.
Em liquidago vende-se alpacas para ves-
tidos de Sras. a 500, rs, o covado.
A Arara vende lazinhas para vestidos de
Sras. a 320. 400 500, rs, o .-ovado.
O Guimares vende mnrsulina de cor
p;ira vestido da Sras. a 440 rs. o covado,
dita branca a 500 rs.
O Meo es vende fustS) de cores par-
vestidos de senhora- a 360, o covado.
O Lourengo vende cassas Soas* para ves-
tios 240, 360, 400 e 440 rs. o covado.
Arara vende alpacas de lista para vesti-
dos de senhoras a 500 rs. o cwado, ditas
lisas a 500 e640 rs. ocovado, ditas malisa-
da!s a 640 rs.
a pega para liquidar.
ECONOMA
Vende-se duzias de collarinhs de pa-
pel a 240 rs. para acatar.
Arara vende lasinhas transparentes para
vestidos a 500 rs. o covado.
Liquidago, vende-se parapeito Uso a
202O, 20500, 30. 30500, 40. e 50, pro-
prio para calsas e palitos j.or ser Pea fa-
zenda e barato.
Arara vende cortes de brim para cal-
sas de homem 10500.
Vende-se cortes de pcalas de duas saias
para senhoras pelo Darato prego de a 60.
cadanm.
Granda liquidago de roopa f Vende-se palitos de alparca e de crea
a 20.
Vende-se ditos de ganga para homem
a 20.
Vende-se ditos de brim de algodo bran-
cos a 20.
Venie-se ditos de meia casemira a 20.
Vende-se coletes dedjrim de cores a 10-
, Vende-se ditos de meia esemira a 20500
Vende-se calcas de algodo azul a 5lH)rs.
Vende-se dita da algodo de listras a 800 rs
Vende -se ditas de brim .pardo 20,10600
e 20500.
Vende-se caigas da casemira da core
a 6080.
PA1A AGUA.
' Canos de ferro galvanisados por barato prego.
Torneiras, e curvas para os mesraos 1 No armazem da travessa do Corpo
Santo n. 25.
Moinhos para caf e para milho
Os melhores moinhos para caf e para milho que tem vindo a este mercado
se encontram no armazem da travessa do Corpo Santo n 25.
Formas de ferro
para purgar assncar
jo 4.
na ra da Cadea nume-
Farinha de mandioca.
Vende-fe superior fariuha de mandioca, vinda
do sertao do Ceara, em saccas da 2 1|2 e 3 al-
queires cada sacca, por preco mdico : ra do
Vigano o. ti, escriptorlo de Jos Lopes Davim.
o CEMENTO .
Overdadeiro portland. .-wlenaruada
Madre de Dos d. 22, armazem de Joao Martins de
Barre
XAROPE SEDATIVO
de cascas de Laranjas amargas So t
BROMURETE DE POTASSIM
De J.-P. I AROZI ra dea LtaBf*-Fm, Pava.
Todo* os Mdicos concordo em que o Bromuro de Polassinm puro tenso
sistema nervoso, urna accao .edaU. lm.nt,. Reunido lo lampe han
Uranja amarga, cuja accSo regenera as fardes do estomago e dos i
univcrsalmente appreciado. Sem receio d'ar jdenie se pode dar aspe laa.
quando soffrem de moletii do oracao, t******' *'"" "
assim que para as molctU doto* /- &*** I*" at creaoca, pmw uku
Deposito m Rio de Janeiro, *. Ohrolot; em Perrumbtico, 9. e C,
em t.acato, r.loo B..; em Pttjtae, Atero S*.*** em Baha, ailate; m
Porte Alegre, *o.aUo; emRarankSo, Tme-h* C; em Ouro Preto, W!.


Diario de Peruanibuce Tert;a ira de Seteiubro de 18-70.
*
v
i
i
I
Eival sem segundo
Eatou dsposiu h upiUmumv- &vwtl(M> toda
as o d>; zas. polos tatalissimos precos abai-
xo (I :;ido ludo boro e pre-
l0
MC
420
320
K'

i'.iiloiio.
p 's du nrnvz o mr-
,1...............
inu.it:> Das [)a,,i 'azer
barita'"a....................
Catxa de linlw bran do gaz a..
Vara de franjas de lidho parauua-
Ihas.......................
Caixas com peonas d'aco do erry
superiores ..........
Lencos i eassa broncos e pinti-
dosa....................
Caixas com 20 quadernos de papel
paulado .......
Cuixas com 50 novlos de liuha
do gaz a........
Duzias de meias cruas superior
qualidadoa...... .
Peras de babadinhos com 10 va-
ras a.........
Pecas de l^ras bordadascom i2
metros cada p <;a a 13500 e.
Pecas de litas para cs de qoal-
quer largura com 10 varas a.
Escovas para unhasfazenda fina a
Ditas p3ra denles a 240, 320,
400 rs. e....., .
Pecas da tranca lisas, brancas e
de cores a.......
Duzia de linha irosa para borda-
dos a 400 rs. e.....
Pares de meias ciua para me-
os diversos tamaitos a. .
Duzias de meias brancas omito
finas para senhora a. .
Pares da sapatos de trancado
Porto........
Pares ('a sapatos de tapete a. .
Duzias de baralhos para voltaretu
Silabarios portognezes a. .
Cartoes comcolxetes icarrerasu
Aootoaduras para col 11 te diversas
qualidades.......
Caitas com p^nita de ac mullo
boa de 3-J0 a. .
Caixas com superiores obrejas a.
Dozia de agulAa para maco tita a.
Libras de pcegos francezes todos
os tamanhos a......
Pacota de papel coru >'0 qoader-
nos ...........
Re.ma de papel pautado super or
Resma de papel liso multo supe-
rior a ...........
! 3000
500
160
SOO
i 00
70o
400
30000
500
2000
500
500
500
40
500
320
450G
2,3000
1,5500
33000
400
20
400
50C
40
2000
240
400
45000
n^fioo
mu
Vil
Jos de Souza Seares & C.
WBA. D0
WA YITOWTJl
I OUTRORA NOVA ) '
AJMsenu- mIu a>) <\ne p6 la tasar tlw miis haito a a-jrndavel- Ra Pr-
iendas inas para Seuliuras attigos de alta moda em Paris tanto para senhoras eom<>
Mn boraens e au-tanua.
IfiQOttM ;.fariia(Hs, pe fumarias especi e*, vaiiedada da budos orijirctus para me-
amos e brinquedes para enancas.
CHANDE SOItTIItfBNTO
Continuamente recebido por todos os paquetes viudo da Europa aonde tem ha-
bis correspondentes.
. Vendo-so muilo amoointt e manda-re p iticasa das Esuis. familias afirn de melhor escolherem a que desojaren.
MMDADES
DO
7 Ra doQiitmado 7
m m m
hegou ao antigo deposito de Heury Porster *
ti, rna do Imperador, um carregamento de asi
do ptimeiri qunlidadc; o qiial se yendo em partidas
e a retal ho por menos preco do que un outr* qna
quer Dae.
u mu
20 Rui da Imperntriz20
Farla .\ Lessa.
Acaba de chegar a osla no/t. nova loja de fa
zondas finas nm variad- sortimento de fuyendas de
lia e seda, como sajan : pranadines do ultimo
gosto, pcpelioas de urna s cor, aipacas e laazi-
nbas do cores, o que ha ik inais rr^ Jerno, ludo
por baratissiniQS prego?, brliasuina* de core?, te-
cidos da< india?, fazenda Duva :> mitacio de per-
eaKa.baloeide dina tinerdo saia de cor com lin-
das barra?, fustoes propiios para vustitio e nmpa?
de meninos ; agora graoiles e admiraveis pechin-
cha?, sai.is brancas com lindos Trisado? a S-S, ri-
cos corpi.nhos bordados tnnito linos a S, baloe-
modernos i!e reos a 25. rica* colchas para cama'
alcochoadas, sendo brancas o de cores, a *>, 6 e
74, cambraia victoria lina a .*!, ditas transparen-
tes a-'y. fi e 75,cht,is ftnissiroas escuras e claras
a 280, :00, "O e 360 o covado, cassas de cores a
240, lencos brancos de casi-a a 200, ditos chi
nezes a 7]'M) a dnzia. madanolao fine a 64 e
t500, e rnnit? :-upcri( r a 7?, "ROO e 8|, algo-
daozinbn largo proprio para leoees a t>, panno
de aLodao branco trancada pruprio para toafha?
de mesa a 14600 a vara, uramante para leneM a
2*000 o :500, o qoe ha de ntelhor, esguiio fi-
nissimo a 24200 e 2o00 a vara. Mndanos na?
casas das Exnuis. familias para melhor poderem
escoJher. Tambera temos completo sojtimento dej
perfumaras dos primeirns fabricantes francezes e
inglezes ;.is pessoas que se uignarem vir a esta
loja tero occasiao de reconbecer a realidade do
ne annnnciamos para nos justificar.
LIVROS A" VENDA
NA
Ra do Imperador n. 15.
Bergier, diccionario em 6 voluntes.
Orlolan em 3 vols.
Masillon em 3 vols.
Feliz, direito internacional i vols.
Belime, philosophia de direito 2 vols.
Martinj, guia diplomaban i vol.
Ventura, o poder publieo 1 vol.
L'oDele Tom, a cabana 1 vol.
Menil, eorpo d'estiUo deplomatico 2 vols.
Pooeart. direito publico 3 v.ils.
Barros, direito nanceiro 1 vol.
Veir a, diccionario tnglez e vlce-versa 2 vol?.
Waldeek, instrnceois de direito civil 1 vol.
M. breos, direito natural 1 vol
Brncknpx, origem dos direitos 1 vol.
Fenolon, a autoridade do pontfice 1 vol.
Ortolan, i egras internacionaes 2 vols.
rtolan, iusiuicao de Justiniaco 2 vols.
De>forges, a dignidad do bomem i vol.
Theodoto e Luiz, por Theopbilo Meunar 1 vol.
jMquitn Honriqaes da Silva, mannal do esludo
Ai latim i val.
Emilio Monte-verde, grammat ca franceza i vol.
Oiaiz Rturd, tratado da articulatura 1 vol.
-*iel, diccionario Itno francez i vol.
Oatbecismo dos Parochos 1 voL
Banauld. cdigo penal 1 vol.
Trllbo urbanos do Meelfe
Ollada
Na esttco provisoria da rita da Aurora vnde-
se porcc e a relalho carvao de pedn para
ferretro.________________________
Bros 'Angola* legi-
tinios
ach'jju-se noarma/em
Dfi
T. Je/1'ertts & C.
Bna do Traoiche n, 46
Ftpara saecus e foyueteiro*
Lona verdadeiara da Escossia
No armazam de T. Jefferies A C.
Bna io Trapiohe n. 46
Cigarros da imperiqJ
abrica de S. Joo
de Nictheroy.
ft deposit em Pernarabuco caes da altan
iea velha n. 2. t anda.
ofV-ei!T2?2Ba. roIah e araareHo em bom
eanoa. u camMa do Carmo n. 1&
E' chegado a este novo estabeleetnjent) o mais bello sortimento de azendas
toas, seudo sua especialidade eiNovaes para ooivado.
vestidos de blond de jstta ricamentt bordados.
Gormarlo de seda branco para vestido.
Colchas de seda pura, para cama com ricos desenhos.
-Hitas ile la c seda, id tn dem.
Ditas de crox, dem ideiu. ,
Cortinados lieam tito bordados para/cama e jaaellas.
focxs p-ra cadeiras e sofs.
Vestidos de c-tnibraia branca bordados.
Popelines ile lindos gastos.
LSaa de diversas quad*des, lindos gosios e mnderoas.
Ilicos b uni'js para passeio. com listras de setiax
Sabidas de Itac o (pie ha de mais rico.
Cretout'S para vestidos com lidos desenbos.
Omizas bordadas a sem bordados para senlioras.
Camisas bordadas raotto linas para homens.
tas oglezas para homens e meninos.
Novo estal
, iie mmme-aopis feitas
.la da Ittipem.riz'n. 40, esqtirua do be co filmo Tf IIM 'UM.
0 novo |in:fi, !,-tri i desta estabeltciineitlo, lontmuiiica ao respeiiavel publico
de&ta cidaile, e especijloeob s Ewia. fatn::'i-..i, qiin v-\.\ liquidando por prefos bar-
li>siir:o.s, as ulicas fazrida> i|uo exUliaia uoste u-i ::..1. intento, alm das que abaiso
va relacionadas, rnjos prtcas mereooin toda a ; respeifc|vel publico, que olio
.i-'ixu .i Q(j ,! i) )Mj,, u quaniid ivfazct-f.i! de qt :tli;ni:i' qualio>de do fazenda qoe pre-
s-Sn attibsnt que a raesma loja tan kilo si-tiiti't.-nto de fazoudas moder-
na-, e i-.out ta a sortir-s'e d> do mais aiwnajo e escolJ gusio, que \tnder mais
barato qitr qtta|q;je, onlra leja.
A LOJA uu iViPA-AiG alffl de ter mn
mn bototo MiNhjicn'n de djsemiras l ;;io>/.a, i;
de; nos, a as-im como pannos prcUtf, cutmira
e mais i.'bciio, bens bi;:no.s a d-j < .", fustoe^ branxs. e
e brin- pardos de todas as qaadadas.
A L0J\ DO PAKAGtlQ tt-m cuntraladn
sen cilicio para xeniar ipialqrter obra da art-t i )n a toaini petfeicSo e esmeso, e qnsl-
qner ulna que nao l'nmi a vonlade dos frage pata a loja, e- mauda-se
fazer nu ra.
pmle tlepowto de ronpas feitas, tem
Jt'/;:s ; :''t!ias dos patliO'.'S mais 030-
i! patiwi lino cor oe pinmVi, azol claro
de cotes, gangas de linbo
i [i'itr.:i mostr alfaiale petito no
A'oa'.iu-I i !- linbo liu,>,
e do algddftn ;, 5.
Alirod^uibo latfo, para
Ibas a im
Alpacas preta?, >k cores,
coras, .: de listras.
UaiTres. c<;m iistrinlias de difTorentes co- satjjico.
a :: o m.-irn, E|fgu3o de linlio da l6fX) a :5,-5 a vara.
Ch'i.s do marin pelos muilo grandes
eticot.s e loa- a
:.,. slampados do .iOO para
lisas, de furia ejfl
Fi de lirdw Uranos e preto liso, o de
Serouias de linlio, e ura grande sortimento da roopas feitas e de azendas que ,aol
ros i :j-jo r.s. ociivadi).
Bols pde Uple ividudadas. para \3gem,
o pregle c nfoiine o i.manlio.
Romnasinas prelits. lisas, c trancadas.
Brariiaotcs de liuho, francez o Lnicz .1
mb.
B.-Vfien de nra^selDa, brancos o m til -s.
e o lilis ii'iin:- i!f patato .-, tit o IViiii dos!
ile ithts, para s^ttu>rai* e meninas.
Hasquinas da }(r< eroas e da crWti mnio erirrHada.
Bivtanbas de linbo. o de ;.L'o<>'.
\> os (jti liuho liaugados broncos o t!<"
cores.
Urina de ^odJo Irangado^ brancos o de o cvtiji -
cores. I i| : .... (! 13,1 com lislras'faxeniUln-
Combraias braoaa lap'-l;.-; e lransr>.' r. ;..,:n- :.-in nava no mercado 8U r-. o
rentas, Mudo i;.lezas o stussaa de. 8 pai-/:uvdo.
.! ;s ii! M'da pntas e de cores, da.
rn.iK n-, i-:1-.s ne lem mJo ao mercado.
- 4e un1'" brandal c pardo*.
wlenaj'le praf de lUfferantcs pr eos.
Laasiiii.as co\; 'o pa' 1 .
BiHiv 'r/as o tl< lisias trausparetiles a ta-
ita.;,-i ib !!';' retiles pii-e--S.
tfi ;:.: i'.. I. 0 ";> al 0 a pr'ea.
;. coi da a!,-o', braucos <.'c Stfa3^l
i itjiziu.
IJUos decatubraia da 'inlto de 6la l^s
[jiloa lia escruto de C.3 a 85.
Skis ii'u.,:is itlicas o de i ore
s a 500 rs.
i,e
anfadonho mencionar.
Luvas foscas de Jouvin
tea para gnamicoes de salas, alcatifes
^editadas e verdadeiras
Esteiras da India
Sitiimento de tapetes para gnamicoes de salas, alcatifas para forro de sala, a o
{randa sortimento das acreditadas e verdadeiras
ROB LAFFECTEUR
Approvado em Francia. Russia, Austria e Blgica. O arrobe vegetal Laffectenr sa auto-
rizado, he mu superior aos xaropes de cuisinier, de Larrey e de selseparrima. De fcil
digestao, adagraved ao paladar, e ao alalo, elle cura radicalmente em Mercurio, as
affeces da pile, Implgona. alporcaa. tumores, ulceras, sarna dege- I
nerada. escorbuto, e os accidentes provendos dos partos, da idale critica, e da acri-
monia hereditaria dos humores.
0 arrobe he especialmente recommendada contra as doencas sypbihcM receates, inTete-
radas ou rebeldes ao mercurio e ao ioduro de potassia.
o .?Eosito ?eral do Terdadeiro ROB L\FFECTEUR, em casa do doutor GIRADEAU DE
SALNT-GERVA1S, ra Richer, 12, Pars.
, v. -*i^l*SiS -,'^U
&
3 portas n. 53, ra Direita, 3 partas n. 53. anliga
luja do Braga
un;
m
O abaixo ss.-igoado. dono (!'-!c antipo -estabelecimenlo, teDdo etn vista apre-enlar
ato ortiiaentt as torrsgeaa, minii e cotiloria, tetu resolvido mandar buscar em
disersos QOBjaa da Europa o uiflbores objeclos de sen esUibelecimento dos fabricantes
mais conhecidos ; pelo que convida ao respeiiavel publico paseas namerosos freguis,
virem se servir dos bjectoH de sna carencia, auiV encontrarao por menos 10 00 d) que
5 eu onlra iinalijopr parte, um rtimeuto complpt.i ile machmM para destrocar aljodan,
OTI do l.'M.i coobecido iabncsnle Crdtarr Gin & C. ditas para enslura, motor*fs pa'ra animan.
S ditos para foco, moiohos p.-.ra i-j ue lodos os taiiuiilds. da fabrica do .jnpi, espingardas de
g dona canoa < Ae nm, tanto oglezas como (ranchas, looc de porcelana, (acas e Barios
^ de diversa? qaaiidsdes preces, bandejas chinezis, Mlitre, oren, barbante, enxofre, papel e
|5 limaa do ferro, r.e,o, e agnllta para fogoeteiro ; assim como encomraro constante-
BS mente grando porcia de fngo Jo ar, o recebe-fe ene. rameada de fagos de vista, alem-da oni
8B cera numero de objeclos, que se i uara enfadonlm nuutera-los : venbam ra Direita o.
B 3, loja do Leonda Tito Loureiro, antiga loja dn Braga. v
y,
C/tmtsas o; meta, de Qaneila, branca, e
de al^oiifii.
CamUia'ias brancas do cambra a e.oin di-
licados bcrdaidoi, e c.il'ei'.aiUs ti cor para
oras.
Ctubraias de cores a 400, rs. o metro a
a 80o rs. vara.
Camisas {(plazas, n fraoc^zas de linho. e
de nijiuino do nregas, lisas e bordadas.
Chapeos d- sol *> seda, marin o aipar-
Mf.iins rvelo, Irarcado e de cordo.
> |ord*5os e lisos, tar:i, de lindo
,'itilo para canosas de bomem.
^it-'!a.s n'etas de differonies preces.
raa li!..:tc. upada inuito lar^-a cotn
,,.,.> e b ntado, liada tres finalidades
prcfpiii para satas do Sras., o pieco ba-
ratp.
Sedas prctaa lavradaa para vestido a
.. ..i o n cuvado,
Saigelitu franceze ingles de teda ao co-
ca (te diflerante^ at>as, e itinito baraten.
Cintas pata vesn-los, fanceas, de 240
li 468 rs.
Chitas para cor-fras res.
rralhas da aigodaoa'do linbo de dif-
: ieti'iii.1 s.;.;i;.iid; des e laoiardluS.
i'ii,:.ti> >e, liaba paja bomem mudo Ib
C ntinadis da cambraia.e de. lil Oord-;n"S- .
dos para camas ajnalas de M para cima. \ -^-" **"parajras..apara naomos
CoLbas de ustao brancas a 38BO. n *mmb*. de fUOare-dea qtr.l.dades
e de todos c* mmatiuos.
Para sjOSS) ediiprar pet;a on' dozia da
cualqtier tazt tula seu prtCO o cust ; para
Ditas de cures a 2jkS00.
Cotorinhos rfe linhos, i.-ielezes, e ;.lcmes.
lisos t bordado4.
Damasco dei. encarnado, a znl e ama-diminuir o reU'ho.
escomilba preta.
l>p'trii!bos de linbo branco para Sras.,
de dtfferentes precos.
Danesa as amostras de quilqner fazttnda.
A loja do Rapa^aio acba-se. aberta todos
os dls. at ;i< l boras di nauta.
Francisco Teixeira Menries
CASA CAUVIN 4-JBHR
Pliarmaceutico privilegiado
eucceseor
Hoalfvaiil Subnstopol, SS PARS.
NOVAS ESPECIALIDADES A. MARINIER
ApreseaUdas a Academia Ue Seiencias e ao Instituto d* Franfa,
I S ICPPAA Suh J ,ima de Pasl'lla- deredida e doseada fin
lillICbuMU fa*f de momento urna soturno
Preventiva e curativa das MOLESTIAS CONTAGIOSAS.
Ii\JECTflR-PHlLTRC:.HiS?
E3TOJOS Com
servindo d*
sem os
fraiilidade.
i forma, e de vnlnme de nm Porte-Xoeda
COIBSDO TODO IATAHENTO.
COLLYBIO Contra as affeccois das palpebras,
preparado sob a mesan forma.
BARTHOLOMEO C
CASA CAUVIN aubisieb.
^'^**'i^* S*-^ Ra,.|l>vard !S<1
Depositarios geral para e BRASIL e PORTLS.AL,
34, ra larga do Rosario. PERNAMBUCO.
Pbarmaceutlco privileaiado
successor
extraccao dos lentes e operaqaes dentarias sem dores, torios os
das uteis. das 10 horas at meio dia
PELO EMPREGO DO
PROTOXYDE D'AZOTE
ao gabinete do cirurgio dentista FREDERICO GALTJEtt
19Ba Hova19
O qua!, acbando-se relacionado com os mais celebres deatintas deParis, adquiri
com alies, na ultima viagem Fnme.i, o modo de preparar e empregar este esceente
anestbsico le que se pode seropre usar sem inconveniente algum, e prqdoz iasensibili-
dade completa.
O mesmo aproveita .afoccas3o para lembrar ao respeitavel publico que no
sea gabinete continua-se a azer l-das as operacSes da sua arte e collocar dentes por
todos os systeii>ns: cem-ouro, platina ou vnioanite, segundo os casos.
Especialidade de obturages eom nuro puro,
flbVf HWffi
ib u m 11.
Arante de ferro galvaoiaado em rede para crea?, gaiolas, fallmheiros ete.
Ctwpas Ue ferro gatvaaisado par cobrir c9as.
Tachos de ferro etanharto para en^enhos.
QaflJM de, ferro de Mitoer e ouiros autores.
Chumbo em caso.
Dito etn leocol.
Dito em barras.
Dito em enxadas.
Eslanho em barra e vergoiBba.
Polba do Fiandre*.
Arad americana para ladeira e vanea,
l'arriuhos da oo.
VeDeirarias para janella?.
Mac-hinas de descarofar aigodio*de faci.
Ditas de serra.
Ditas para cortar fumo.
Dil r de (brea de 3~*arallos e motores para S cavallos, para aovar as:
achinas de algodao.
Cadeiras de ierre.
Cama* do ferro.
Preisai para eaftiar carta.
Balances para pesar.
Oleo de liuhaca era Utas de f?rro.
Trilhos de ferro para eceoisp
Bombv amaricadas.
Macacos de astivar.
^il o decimales e ou-aa.
Fgoe de patente.
fre.
Salitre.
larga afe boa qo-,;
Ptcaretas para MDinbos de rerro.
Um graade mnimm da farrgeiu a cutiiana.
Houlevurd Sebastopol, SB. PARS.
NOVAS ESPECIALIDADES A. MARINIER
Apreeeau4w a Academia de Scieuciis e ao lustitalo de Fraaca.
III ICPPA Sob forma de Pastilla, demuda e doseada
INll CuwAII nonenlo una tolucclo PUTUTIVA I 00
MOLESTIAS CONTAGIOSAS
ira faser de
ATI?i das
Gravas
do volume de nm relogio, servindo
de Philto e Seringa sem os
inconvenientes de fragiliaade.
Coa a torma, e do otnmf de um Porte-Moeda contendo
TOBO TBATAMENTO.
COLLYRIO
BARTHOLOMEO 4 C
ESTOJOS
Contra as affeccois das palpebras, preparado sob a mesma forma.
i Depositarios geral para o BRASIL e PORTUGAL
34, roa larga do Rosario. PBRNA MTVUCO."
mmmim 'm
Com fund pao
Mk DO B
Passando o Chama a aitetirao dos Srs. ile engeobo para seos acreditados inathinisraos e
com especialidade p;(ra seus \3p0rcs que anda nina vez lem melhorado.
Os vapores orneeidos por elle c ja uacciuaando he bao de fa;-.er melhor apre-
ciacao do qoe qtial jner dito proprio.
Deseja taabem mencionar que tpm falto rima redoccao em seus precos ; e que
tem prompio to>U a especia ds machmismo e outros cri ocios para a agricultura.
;
Nova lqja de joias
RA CABUCLV N.O A.
M&noel da Ctinha Saldanha & C.
Acaba de atu-j-sa este eslabeleciui'.-uto de joias, o qnal L5m:rande sorti-
_.-; manto de tudas asjcias de ultimo gosio. as quaes wsudei o njais buafto pos
' sivel.
i!

Tr i;is seaogarantidas ooro-de le,
vis.la so 1 quijr u^tuzia no<-Ividarj, \Wlw



is lendo cm '
i per p.-tct os msis
erra
m
0 RL
\ a
.i^^y*v^^
GALLO VlGlLilNTE
BOA o (mao n. 1
O propnetai: 1 esubele-
cienlo, aliti dos n
posros a arociacao do r
darao vir e acauam di recebe
da Kiiropa ,||eil-, e vanado sortimento de
linas e mu delicada especialidades, aa quaes e/-
o resolvidos a vaadar. eonw 1 costoa,
or prcoos itnto barstinhoa e coramodos para to-
dos, cotli tanto que o Oalte...
Multo superior** Invas le pellica, pretas, bras-
cas e de mu lindas cores.
Mu bo;us e bonitr.s goluhas e punhos para se-
nhora, nesle genero o i-uc ba do mais materno.
Supsriores pontos dn Urtaraga pay coques.
Liitdo* e riqui8sirnos '.owtes para, cabocas (Us
Exmas. senlioras.
Superiures trancas ptetts e de cores com vidri-
Ihos c sem elles; esta fazeuda o que pode haver
de melbor e mate bonito.
Superiores e bonitos loques de madreperola.
narlltn, sndalo o os^o, sendo aquellas brancos
com lindos desonhos, e estes pretos.
Multo superiores meias Ho de Ksoossia para se-
nhoras, as quaes sempre se trenderarn por "{00OO
a duzia, entretanto qe nos as vendemos por 20,
ajtu destas, temos tambetn grande sortimento de
oclraa qnaLdadas, catre as quaes aljamas muitu
finas.
Boas bengalas de superar canna da India e
easta Ati mflrQan com IMu e enearJiadoras flgu-
rasdo amaino, oeste eenera o !(;<) de melhor s>
pode desojar ; aJin destas temoa taraban grande
rmantidade de oatrasqialidadas, como sejant, ma-
deira, lia!ei;i, osso, borracha.na. etc.. etc.
Finos, bonitos airoses cbiratinbos de cadeia e
de outnt=>,:iuiidadcs.
L;n(ias e superiores ligas de seda e borracha
para segar.tr tts meias.
Bo.-.s "Betas (|e seda para "enhora e para meni-
nas de 1 a 12 ncW9 de :d::d.i.
Navalhas cabo de niatiim e urtaruwa para hser
barba ; sao amito boas.e de mais a mais san na-
rantida pelo fabricante, e nos por uossa vez tam-
bca asseguram.s sua qmtdado e delicadeza.
I.indas c bellas capel ias para nafra.
Superiores a^ullias para maeltina e para crox.
Linha muito boa do peso, rouxa, para eneber
labyrinlho.
f;t;ns baralhos de cartas para volurete, astm
como os testos para o tesmo lim.
Grande e variado ertiSMBto das roolhores per-
rmaariai e dos memores e mais conltecidos per-
fumistas.
COLARES DE HOER.
Elctricos mapretieos contra 'as eonvulsoes, e
fvilitam a donti.ao das innoconles criancas. So-
moa desde mnito reccliedoros destes prudigios>
collares, os a rect.be-Ios por lodasos
vapor.' i nanea faltem no Bureado,
com:" lo, assim pois poderiio r.qwl-
. vir ao deposito do callo
vig:,.;.. ;''-.monlrarao destes v; rda
leiri s atteudaudo-s" aojin
l jraquu m ... 'endorao com um mu
ito Nicroi
R<;;. 1 rhjnem que deix:;mos
deeiat.ii..-. sip> ;..;.,>-,. eamigos a virem
comprar < r.mu tot ..>'is aloja do gatlo
vigilante. n> 1 n. 7
J eorc.
.
revflent
lina Xo ..-..oio. ft.
fovo e variado soiumeoto do perfumara:
Snas, e oulros objeclos.
A!m do completo sortimento de ptrfs
marias, de pe effeclivamente esUbprwi
oja do Cordoiro Pravidanta, ella 1
raceber um outro sosiimanto quo -
ootavel pola variedade de objectos, utai
lade, qualidades ecemmodadat
ios; assim, pois, o Cordoiro Fre vidente
a espera -coatinuar a merecer a apren-
do respeiiavel publico em geral e dv
boa fregueiia em particalar, nao se .
lando eie de sua tem conbaciUamni
e baraloza. Em dita loja encontrarlo
apreciadores do bom:
Agua divina de ErCoudray.
Dita verdadeira de Murray & Lamma:.
Dita de Cologne inglezj, aj0.erir.2n:; !-:i
cez'a, todas dos molhores a maisacredii
fabricantes.
Dita de flor de larsngeiraa.
Dita dos Alpes, e vilete para toilet.
Elixir odontalgico para coservaciso i.
asseio da bocea;
Cosmequcs de superior qnalidado 9 o
res agradavei3.
Copos e latas, maiores e menores, c
pomada fina para cabello.
Frascc3 com dita japonesa, transparent
e ontrz3 qualiciades.
Flno3 estrados inglezes, americanos
francezes em frascos simples e eueitados.
Essencia imperial do fino a agrada val ca*
ro de violeta.
Outras concentradas e de cheiros igra,
mente finas a agradareis.
Oleo philocome verdadeiro..
Extracto d'oleo de superior qualidsd.
:om escolbidos ebeiros, em frascos de diS*
rentes tamanhos.
Sabonetes em barras, maiores e menora
para nios.
Ditos transparentes, redondos e em gt
ras de meninos.
Ditos muito finos em caixinha para barb
Caixinh?s com bonitos sabonetes Mitin'
ructas.
Ditas de madeira invernisada contendo $
aas perfumarias, muito proprias para p:c
lentes.
Ditas de ppenlo igualmente benitas, ta
bom de perfumarias finas.
Bonitos vasos de metal coloridos, a
moldes novos e elegantes, com p de arro
e boneca.
Opiata ingleza e franceza para dentes.
Pos de camphora e ouras diffcrot;
qualidades tambera para dentes.
' Tnico oriental de Kamp.
Airad mala coque*.
Um ootro sortimento de coques da n*.
vos e bonitos moldes com filots de wdffibt'-
e aigons d'ellas ornados da floras e fita
esto todos expostos apreciacSo da qoas-
os pretenda comprar.
GOLUNHAS E PUNHOS BORDADOS.
Obras de muito gosto e perfeicao.
Firella fl Bello e variado sortimento de taes-obju-
tos, ficando a boa escolas ao gosto do ett
prador.
Cabellos
Veodeoiee cabellos de toda* as cores, qualqner
comprotento, qnalidade superior, em caba on
porcao mais peqoena : na rna da Cadeia do fie-
cife n. SI, 1. andar.
Vende Joaqun Jos Ramos: na ra da Cror.
n. 8. i' andar.
A 2,000.
Liados e rtw de percales a 2^000 rs. : ra
drr Crespo n. J5, loja da esquina.
' Vende-se farinha moito boa vlnda da r
taceos de lgodo : nos armaren?' da Comp
Pernambucana e trapiche do Cup.ba : a tratar
roesmoa.


as logo | boje
CMARA DOS DEPUTADOS.
Discurso do Sr.
Freir ,
de agosto, ub
de dezembro de 1*41.
(Gminuatfii).
Nisso, porm, lia engao ou ind^vdo es-
crpulo. A pnnunva nao uma senMioa
i significado jurdica ri termo e portm-
to poilia competir polica. Na forjo
da culpa nao ha propiciamente controversia,
nem ha diseussJo sob^e a qual devi iiawv
julgamento : no proprio interragatoria do
reo, d si'-lbe alloma liberdade-para ju-'i-
tcar-se. nao Ihe permitiido discutir e jus-
tificar; nao ha necessidade de pravas, lis-
ta indicias para a proauncia ; e al sua
improcedeocia nao obsta a que se instau-
re novo process, nSo po fim causa.
Portanto, a pronuncia um simples des-
pacho sem carcter de sentenca ; e s^ Ihe
retirassem os elFeitos de pris3o a que pode
obrigar, alm de nao ser acto de julgainen
lo e 13o smente a maoifestac3o do jnizo
da autoridade processante, nenhum perigo
acarretaria liberdade individual.
(Ha um aparte.)
K um falso supposto acreditar que a pro-
nuncia equivale a senienci. repito ; e s<- as
autoridades policiaes contmuam a forma
culpa, enlo o que natural, e que de-
diiccao rasoavel e lgica dessa faculdade
que ellas emittam pela pronuncia o seo
juizo sobre a existencia docrime e de i|nem
seja o criminoso, em vez de remetterem os
processos aos juizes, para que estes pro-
nuncien), sem o ponto de apoio eo e>cla
recimento qne Ihes daria o sm joizo.
'ue preciso que se retire da pronon-
ciao eleito rantia eflicaz.
Do qoe procede, j v V.Exc. Sr. presi-
dente, que a tal separarlo da polica e da
justii;a urna burla ; e as nobres commis-
aies nao a effectnaram, nem o poda faaor.
Quer V. Exc. que eu Ihe diga o qoe na
minha humilde opmio d mais seguranca-
liberdade civ- e poltica dos cidados d
que essa pretendida separag? a p>
hihicao ou cessacio do procedimento ex-
officio, faculdide que actualmente tem as
autoridades policiaes e o projecto Ihes quer
retirar por justos motivos. D'ora em diante
ressando a sin iniciativa, fieando inariivos
os seos poderes em qnanto o ofiknddo ou
o promotor os o3o provoca, diminue-se o
risco de que abusem delles, como abusa ni
autoridades florantes nd mal intencionadas.
Os f rmadores da culpa, sendo parte juiz nos processos que por s instaurara, ou
o fazera por odio, ou, erabora sem este
sentimento. apaix- nam-se no empenho di
descobrir pravas, ou por ignorancia oiga-
nisam proiessos mal feitos e sem pravas.
pOrBiUt j i''"'
Perdcm
demorei at g>ra; e Ihes
"leco a b om que ouviram-
me. (Mudo bem, i m).
(O orad orimentar
tae processos desacreditados ho de camr
no jury. Eu nao posso agora demonstrar
om dados estatisticos o seguinte Io, que
:io hnendo no paiz Iniciativa indivjinal
:em espirito publico, nulla a acc3o par-
icular na perseguigo dos crimes; 2o, qn*
i incompleta organisagao dos promotores
'iros a acfo publica tambem nulla ;
:". que o procedimento ex officio pela acti-
vidade das autoridades policiaes aosorv.u e
snppre a falta daquelles dous meios de ac
cao : i, que desta absorpgo resulla o des-
crdito e a m orgamsarjo dos processos,
./ esproporgo das abSolvices compara-
das con) as condemnacoes.
! r.n a cessacio do procedimento ex o/fi-
cio, limitados e restrictos os poderes das
autoridades policiaes peas garantas das
is provisorias e cautelas acerca da pri-
so preventiva, assumptos de que agn
>'\o posso tratar, realisa-se aquella descon-
'agrio de poderes, sobre coja convenidn-
r.ia eu tanto insist na prineira parte deste
discurso, e protege-se ituis seriamente a li-
barte civil e poltica do que por meto da
ora impissivel separago da polica e
j'isiga.
verdade que no projecto das Ilustres
i'ommissoes ha timidez no desenvolvimento
da idea de que me oceupo, propondo ellas
somonte um adjunto de promotor para .cada
termo e com insignificantes vncimentos.
Mas em summa, como urna experiencia
aue se vai fazer, n3o censuro a timidez.
Discurso -onunciado na sessrio de 8 de
d'josto, pelo Sr. desembargador Ikhon
Cavalante, sobre o projecto de reforma
da lei de 8 de dezembro de 1S4.
O Su. Ucha Cavalcvnne (attencSo):
9r. presidente, tendo pouoa faci'idade de
ifxpnmir-me.e rj'tando-me os hbitos da
tribuna, que ha mutos annos n3o oceupo,
com muito acanliarnento e constraogida -
mente que tomo parlona presente discussSo
para ilar os motivos pelos qaaes siuto di-
vergir das nobres commissas dejustica ci-
vil e criminal, e eston resolvido a volar
contra o projecto qne ellas organisaram,
como votei o anuo passado contra outros
prajectos de reforma policial, que se apre-
sentaram aqui em primeira e segunda dis-
cuss3o.
Peco cmara que, attenta inhabilita-
cao que onfesso para prender a sua alien-
c.ij, teriha*cniiigo toda a |indulgencw que
r:* necess-na ; e espero qne as nobres
commissoes, d.' cojo parecer divirjo, loJe-
rerp a livee e franca raanifestaco das ideas
quo tenho a respuito do seu trabalho.
Sr. presidente, o cdigo do processo cri-
minal fo feitove ox-cutad) pouco depois da
ab.liiwcao do primeiro imperador, quando
as ideas lber es estavam ?va grand- iles-
envdivimento e faziam esigencias muio
vaneadas, indo muito alm do que era
compitivel com o esiado do paiz. A orga-
uis;v5i> judicial e policial, que ento se fez,
parece 'uj leve por fim antes oesarmar a
autoridade que dar-lhe a forra necessaria, e
collocar o poder jndiciario na psito de
mde )endtncia de que elle n3o pode pres-
cindir.
A pratica. os factos que am-se repetindo
e estendendo por todo o paiz. mostraram
logo qoe estavamos mal sob o regirmn de
nina |t gislacao, que acerncoava ou, pelo
menos, n reprima a aaarchia, pondo tm
coostante risco a tr.inquillidade publica e a
segursnea iodjvidosl do cidado. Os pro-
pi ios autores do cdigo, as pessoas qui-
mais cone"rrernm para a adopgo delle, pe-
diam a sua reforma. A reaccSo op rou-se
luz dos factos, em todos os espiritos; os
partidos acharain-se de accordo sobre a ne-
cessidade de reformar-se tima lei que des-
acn'dilou >e em sua execuco, e tratou-se,
n stas ciicumsianc.ias, do remedio que era
(feralmente pedido: eio a lei de 3 de de-
zembro de 1841.
Eu perfso, Sr. presidente, que com essa
lei, a cajos autores nao imputo m intincSo,
satiio-so de um exces-o para enhir-se no
nomeou para repn
da reforma, e pedir a sta re
J v V. Exc, Sr pr
coherente proaune^^^B
tenho feito contra a lei
pvin-
moled
(a a execucSo
"(ac3o.
que eu sou
lo porque
i^zembro,
De todo IstO/ resu'ta a impnnidade, porque excesso opposto; em lugar da autoridade
X
FOLHETIM
i ill DEPOIS DE 10ITA
POK
Xavier de Montpin.
O HORSCOPO
(Gontinnago do n. 200J.
XXII
l'-aa-se de *imoa Raymundo.
Todas as manhas o marquez dava com-
pridos passeios cavallo, sozinho, ou pelo
menos nicamente acompanhado por Lazara
que o segua certa distancia, porque j
dissemos que o conde de Rahon nao se
tirava de ao p de sua esposa.
Absorto Saint-Maixent as sua.s mediia-
coes, raras vezes diriga a palavra ao cria-
do, Lzaro admirava-se n3o pouco d'a-
quelle ar taciturno, que nunca vira em seu
amo.
Certa manha sopeou o marquez um
pouco o seo cavallo, e voltande-se para o
rapaz, fez-lbe om aceno. Lzaro apressou
a alimaa e foi pr-se ao lado de seo amo.
Se a memoria me nao falha, disse o
marquez, creio que me contaste qoe na
occasio de fogires tfe Paris lionas gra-.id-
intimidade com certa mulher que exercia
urna singular profissio.
Lembra-se perfeit mente, senhor mar-
quez. verdade que fui amante d'essa
loulber, pessoa nluito perfeita, por nome
Sircoa Raymcndo.
Que fazia entSo a Simoa Raymundo ?
Deitava cartas, adeviabava pelas li-
abas da mao e lia as sinas. Alm disso
tinha estudado, e possuia om diploma em
regra.
Um diploma 9
Sim, senhor marquez, era partera
approva
E tinha habilidade ?
Ah bradou Lzaro, desencabtaodo
un suspiro li do fuodo do peito. Tinha
fraca creou se a autoridade demasiadamente
forte : aos agentes policiaes desligados ons
dos oiitros, lilhos das opinies locaes e por
ellas dirigidos, sem nexo entre si. e nde-
pen entes de urna direcc3o superior, qne
assegnr s?e a undade de acgo e a forca
consequente indispcnsavel, succederam se
os delegados subdelegados em condigoes
inl."iramenle dd-rentes, formando essa es-
pecie de milicia que o governo tem sua
disposigao. em coi.inb-ta dependencia, e que
muda e dirige a seu talante; crearam-se
juizes temporarios; crearam-se juizes de
commissao...
O Sn. Fehiikika Via.wa :Apoiado.
O Sn. Uciia Cavac.c\.\tk : ... ferio-se
a consiUuicSo em alguns dos seus artigos...
O Sr.. FwiBEinA Via.wa :Apoiado.
O Sn. UchAa Cava loante: ... reslrin-
giram se as garantas dos dreitos polticos
e iodi'.iduae-i do cidado ; fez-e mais do
<\"<' era preciso, fez-s o que nao devia ser
foi o ; e lodo es
herdade, que foi julgado necessario ma-
nutengSo da ordem publica, nao pode pro-
dnzir os seus effeilos antes de urna revolu-
c3o, acon'.eceado assim que o remedio na
occi.-io do ser appcado produzisse gran-
de repugnanci?. e motivasse resistencia e aba-
lo perigoso d.< parto do enfermo.
Eu nao tinha assento nesla casa quando
foi.volada d lei de 3 de dezembro. embora
estvesse eleito deputado.
NSo pude, pois, negar-Ihe o meu voto,
e nao posso deixar de continuar as mes
mas ideas, quando vejo confirmados e reali
sados os mos resultados que eu fui feliz
em prever, apezar da pouca idade e da
pouca expartencia que tinha quando formei
a opiniao que manifestei em 4842.
Keordarei os (actos d'ahi em diante.
Pouco tempo depois da execug3o da nova
lei, foi dissolvida a cmara dos deputados
eleita sob os auspicios do primeiro ministe-
rio da maioridade, e composta a maior par-
te de liberaes. Os saqnaremas chamados
ao poder, pouco se dmoraram nelle;
creou-se segunda situacSo liberal, dissolven-
do-se a cmara saquarema. Nestas mudan-
gas a lei de 3 de dezembro foi um grande
instrumento de trimpto successivamente
para os seus autoras e para os liberaos que
a linhara combatido com todo o esforgo no
parlamento e al no campo com as armas
na mSo, dando a ultima batalba em Santa
Luzia.
O Sr. Feurkiha Vianna :E na Venda-
Grande.
O Sn. Ucha CaVai cante : Poderam
ambos os partidos verificar que aqnelle qce
esiivfsse no poder, dispondo dos meios de
influencia e compresso qoe a lei da refor-
ma creou. n3o podia sur vencido. Os libe-
raes, nao s aproveitaram-se desses meios,
quando I "es tocou a sua vez, mas recorre-
ram anda contra os poneos adversarios,
que vieram eleitos. ao meio at ento nun-
ci usado das depurages, com a/quaes
completa rara tiesta casa a victoria da poli-
ca, a candada as urnas eleiloraes. (Apoia-
dos).
Eu fiz parle da caman, qne assim foi
comp sta, e fui lestemunba e quasi victima
dos excessos que ella coaametten. Digo
quasi victima, porque a depuragio dos de-
putados de Pernambuco fez-me descer para
primeiro supplente, e nesta quaiidade tomei
assento...
O Su. Alencar Araiiipk :Escapou do
naufragib.
O Sr. Ucha Cavalcante : Escapei ;
nao qne fosse dirigida contra mm a depn-
babilidade at de mais I Foi isso que a
diitcu a perder Pobre Smoa, coitada I
Tinha habilidade, e foi isso o que a
perdeu, dizes t ? obtemperau Saint-Mai-
xent. Explica te, homem
Venbo dizer na minha que leve a
imprudencia da por o seu saber e a sua
Irebilidade ao servigo de certas senaoras e
donzellas da nobreza e do povo, cujos ere-
ditos de virlnde corrlam grandes perigos
sem a caritativa iotei vencao da minha aman-
te. Quando instavam muito com ella e es
pecialmeule quando Ihe offereciam urna bolsa
bem recheada, n3o tinha valor para residir.
Varias pessoas de m condicao denunciaram
Simoa ao senhor tenente da polica, que
fulmmou urna ordem da priso para aquel-
la pobre infeliz, s culpada pelo seu exces
so de candare.
Entao quo succeden ?
Succeden que sorprend por acaso
n'uma taberna a palestra de dous beleguins.
Soube que iam prender Simoa na sua toca
da ra da Lariterna ; corri a avisa-la do
caso, obriguei-a a sallar por urna janella,
porque a polica j. tinha posto sentinellas
as outras saludas, e lomamos ambos ?sde
Villa Dlogo, passando para esla provincia,
onde vim juntar-me com o senhor mar-
quez.
E que fizeste de Simoa 1
Depois de me ter acompanhado at s
immediago?s de Puy, ficou-se na aldeia de
Guambias, que a sua Ierra natal, e onde
s a conhecem pelo seu verdadeiro nome
de Francisca Aryac. Ao separar-se de mira
disse que, salisfeita por ler livrado a pelle
das garras da jusliga, renunciava d'ahi em
diente a empenhar-se n'uma Iota que ter-
mina quasi sempre no patbulo, que dse
java ir Mver honradamente do seu officio
de partera, eexhortou-me tambem qwe
deixasse de correr aventuras, que despisse
a libr do senhor marquez e me fizesse
homem honrado e pacii
Excellentes conselhos, palavra de
honra bradou Saint-Maixent desprendendo
urna gargalhada. Porque n3o seguifte ?
Porque falla mais alto o apego que
tenho ao senhor marquei: de modo que se
eu algum da viera morrer enforcado, ser
por Ihe obedecer.
Por conseguate, conthuou Saint-
ragJo, porque en vinha com os liberaes,
unido ao seu partido; mas, para descarta-
retn-se de adversarios, era preciso que an-
nullass."m cerlos colegios que tinham sido
favoraveis a elles e a mm ; isto fez-se, e
en achei-me envolvido ni borrasca, da qual
s pude escapar tomando assento em lugar
de om deputado que uso veio.
Parecia-m que o partido para quem a
lei de 3 de dezembro tinha sido um motivo
de revolucSo nao poda faltar ao sea com-
promisso, t3o solemnemente contrahido, de
revogala, ou pelo menos de fazer algumas
reformas : mas adantavs-se a primeira ses-
so da legislatura, e eu esperava debalde
que oeste sentido se apresentasse algum
trabalho...
O Sr. Ferreira Vianna :Foi tambem a
minha illos3u I
O Sn. Ucha Cavalcante: ... per-
guntei aos chefes liberaes porque nao apro-
veitavara a opportunidade quando tinhamos
a faca e o queijo, como se costuma dizer,
e elles responderam-me: Voc muito
crianca (risadas); preciso (palavras que
ouvi) agoutar os saquaremas com o mesmo
bacalho com que elles nos agoularam.
(Risadas).
Passados cinco annos, mudaram-se as
scenas; trocaram-se os papis: os surrado-
res, esquecidos do passado e descuidosos
do que Ihes podia acontecer anda, torna-
ram posicao de surrados, sendo dissolvi-
da a cmara, como V. Exc. sabe, Sr. presi-
dente, porque creio que tambem nella se
achava.
(O Sr. presidente faz sigoal negativo).
Voltaram os conservadores ao poder, e
apezar da experiencia que j tinham, con-
servaran! o acoute (hilaridade), e n3o Ibes
doeu o braco no emprego que delle fizeram
contra os liberaes.
Uma Voz:Era a desforra.
O Sr. Ucha Cavalcante :E de des-
forra em desforra temos ido at qoe, afina!,
\ de que a
refoima-la.
Alguus dizera
sraquanto na
Maixen', sem tofrar serio os singulares vo-
tos do criado, por consegointe a Simoa Ray-
mundo ou Francisca Aryac est completa-
mente decidida a ser pessoa de bem ?
Em ella dizendo uma cousa, ha de
faze-la, accrescentou Lzaro. Com todos
os diabos I Nunca vi mulher mais teimosa !
Quando chega a resolver alguraa cousa, n3o
ha demonio que a faga mudar de pro-
posito.
Nos veremos, disse o marquez por
entre dentes.
Ha uma circumstaucia muito curiosa e
que eu nunca refer ao senhor marqoez,
proseguo Lzaro. Quer saber o qoe ?
Dize l. -
Pois ent3o, olhe que o senhor mar-
quez, salvo o respeito qua Ihe tenho,. nun-
ca seria capaz de adevinhar quem a pes-
soa que foi consoltar Simoa Raymundo, na
sua qual dade de adevinha, exactamente uma
hora antes de chegar a polica roa da
Lantern.
Nem mesmo desejo adevinhar Dize
depressa quem essa. pessoa, se tal cousa
rae" pode iuteressar.
Foi a senhora condessa de Rabn.
A condessa bradou Saint-Maixent es-
tremecendo rudemeote.
Em pessoa.
Ora vamos, ou ests sonhando ou
endoudeceste.
Qual carapuga A propria Auastacia
Gaudin, uma criada quarenlona e anda por
cima picada das bexigas, que me destingue
com a sua amizade, que me informou do
caso.
T nSo ests zombando ?
O senhor marquez offende me I Se
duvida da minha palavra, n3o tem mais que
interrogar Anastaua Gaudin, que Ibe dir a
pura verdade.
. Mas que quera a senhora de Rahon
da broxa ?
Pedir-lbe a expcacSo de um sonho
que ti vera, e que, segando parece, a preoc-
cupava muito.
E Simoa den-lbe a explicago ?
Logo all beirinha I Consultou os
baralhos e prophetisou que a senhora con-
dessa chegaria a estar grvida e que daria
luz om phanlasma, nma illusao, ou cousa
assim : finalmente, urna creatura que nSo
que t
se trata da retorna-la.
i. Andraoe Figeira : O qn
certo qoe a ella temos devido a ordem
publii
O Sr. Ferreiba Vianna :Temos rjfldo
a ordem publica ao carcter do povo brasi-
teiro.
O Sr. LiaiA Cavalcante. Naoatlribo
exclos*ameme lei de "3 de dezembro o
falseamento do syilema representativo, mas
reconheg.o a grande influencia que teve para
que o fado se ds>e. ajndada pela lei do re-
cretamento e pela le da guarda nacional,
que militarUou o imperio : o cidado ficou
cercado por todos m lados, so escapa do
sargento, cahe as mos do recrutador, e
nao ha evitar o inspector de qnaiteirlo :
estas tres entidades constitairam-se arbitros
da eleig3o.
Eu me cingirei materia em discuss3o,
moslrare os defeitos da li, de cuja refor-
ma se trata. Pego V. Exc, Sr. presiden-
te, que tenba a bondade de mandar-me a
constituic3o.
(O orador satisfeito).
A lei de 3 de dezembro inconstitucio-
nal em muitas partes; o seudefeito rtpilal
ferir a constuc3o, que todos devemos
.espeitar, e oa qual est3o os verdadeiros e
melbores meios de garantir a liberdade.
(Apoados). Diz a constiliigao,. art. 151 :
O poder judicial indepedente. A le
de 3 de dezembro tornou-o o mais depen-
dente quo era possivel, creando juizes tem-
porarios, os muiiicipaes, creando- juz^s
ammveis ad ntttum, os delegados e sub-
delegadr.s.
O Sn. Ferreira Vianna d um aparte.
O Sk. Ucha Cavalcante : A constitu-
gao diz. art. 153 : Os juizes de direito
ser3o perpetuos. Mas a lei de 3 de de-
zembro creou para decises de direito, de-
finitivas al, dentro, de um cerlo limite, os
juizes temporarios e de simples confianga
do governo, que eu j indiquei.
0. Sn. Coeliio Rodrigues : O cidado
tem na sua casa um asylo inviolavel-
0 Sr. Ucha Cavalcante:Isso ainda
existe, mas lettra morta.
Di o art. 158 da eohstituieio :
Para julgar as causas em segunda e ul-
tima instancia haver as provincias as re-
laces que forem necessanas.
N3o temos ainda as relagoes que as ne-
cessidades publicas exfgera, e temos uma
segunda instancia inconstitucional, compos-
ta, nao de desembargadores, mas de juizes
de direito (apoiados), aos qnaes a lei de 3
de dezembro deu a attrihuiclo de julgar as
appellages que em muitos casos sao para
elles interpostas.
Tambem prohibe acpnstioig5>, no art.
179 17 as commissOes especiaes para
julgamento das causas cireis om criminaes,
e esta disposigao me parece contrariada pe a
aculdade sem restriegues que o governo
tem de nomear e demittir delegados e sub-
delegados, o que importa a possbilidade de
fazer juizes commissarios para certas e de-
terminadas causas criminaes quando quizer,
quando for de seu interesse que a deciso
seja em certo sentido pro ou contra um ci-
dado qualquer.
Ora, tratndose de uma reforma da lei
de 3 de dezembro, parecia-mo que deveria
ter por primeiro empenno limpa-la das in-
fraeges da constituigo de accordo com a
lei fundamental do estado. (Apoiados).
N3o me proponho discutir em todas as
suas partos o pr jecto sugeit) apreciacSo
desta augusta camira, dizendo o que pens
sobre todos o pontos em que alterada a
legislago vigente : vou oceupar-me resum
damente do qu9 entend com a doutrina
constitucional, e acta mais directamente
sobre os direit s polticos e individuaes dos
cidados, e do que influe sobre a liberdade
do voto e regenerago do systema repre-
sentativo. minha convieco. desde j o
digo, que o projecto nao satisfar deside-
rtum manifestado pelas lobres commisses
de instiga civil e crimina
b'oi primeirament; proposto por um hon-
ado deputado, de accordo com o governo,
pens eu, um projecto que tinha passado
em 2.a discusso em 18IH.
Esse projecto tem para mm o defeito de
pouca ordem ; mistura differentes materias
qoe pedem outra classificaco, que devem
existira. As palavras talvez nao sejam as
mesmas, mas o sentido este-----e a
cousa n5o pecca l muito por clara de mais.
Simoa Raymundo acreditava nos seus
prognoslicos ? perguntou Saint-Maixent mui-
to pensativo.
Como quem acredita no Evangelho ; e
at mais ainda. Euperlia miseravelmente
o meu tempo e a minha paciencia a querer
provar-lhe que tudo aquillo careca de
senso commom.
Singular cousa. realmente I raurmu-
rou o marquez. E de crer, accrescentou
ao cabo de um instante, que a senhora con-
dessa fosse disfargada casa da bruxa.
Disfargada em mulher do povo, e com
veo muito fechado que Ihe tapava o sem
blante.
Vio a cara de Simoa ?
N3o vio, senhor marquez. Quando a
minha amasia dava consultas, vesta um
habito encarnado com seu capuz, e esse ca
puz, que tinha tres buracos maneira das
caragas, cobm-lhe perfeitameote o rosto
A tal vestimenta dava-lhe um ar diablico,
e fazia sempre algum effeito nos fregaezes.
Saint-Maixent j sabia de certo oque es-
perava saber, porque nao continoou o dia-
logo, e fez signal ao criado para ficar mais
atraz.
Durante o resto do dia andou o fidalgo
preoceopado e absorto como quem medita
um plano importante, e noute disse ao
conde de Rahon que na manha seguinte
deixaria o castello por tres das.
Perguntado mu delicadamente pelo
conde Annibal acerca do motivo de tamanha
aosencia, respondru que desejando offerecer
alguma lembranga sua prima no dia se
guinte ao parto, quera ir Puy comprar
uma joia muito simples e sem outra valor
mais do que Ihe fosse dado pela amizade,
e especialmente pelas circumstancias.
O senhor de Rabn n3o pode deixar de
approvar semelhante idea, e apenando af-
fectnosamente a mo do marquez, recom-
mendon-lhe que nao prolongasse muito a
sua ausencia.
Ao amanhecer montou Saint-Maixent, se-
guido por Lzaro, que na garupa da sua
alimaria levava uma pequea mala.
Onossohere nSo tinha pressa ; foi ca-
minhando passo, e ebegon Puy ao nou-
. ero
ipae*
deixa am de jnlgar definitivamente toda e
qualquel causa, fleaodo redolidos ameras
preparadores, e comquanto nao seja isto o
que qoer a constitnicao, nem en desconhe
ca nma certa influencia que os juizes pre-
paradores podem ter sobre o resultado das
causas (apoados), todava confesso que
deste modo coartavam-se os abusos, dimi-
nua se o poder dos juizes tSrop >raros, dos
juizes que nao sao da constituido.
Em segundo logar, niera pequea van-
tagem tirar s autoridades policiaes tolas
as attribuicoes ju licianas, qie hoje teem,
como o fazia o projecto a que aliado.
Em terceiro logar, tirava-se s mesmas
autoridades policiaes o direito de prender
sem colpa formada, attribuicSo de que .se
tem abusado la garaecte, e contra a qudl
intil na maioria dos casos o remedio de
habeos-corpus, difficil por causa das distan
tancias no interior do paiz, nos termos em
qae n3o reside o juiz de diroilo, e quafi in-
possivel de ser tentaf perante as relagoes
nesses extenssimos disirictos que temos...
O S. Ferreira Viannv : Em Mitto
Grosso, por exempla! Qu!m ha de pe-
dir de l orna ordem de habeas-corpm
relago do Rio de Janeiro, quando fr preso
injustamente pelo chefe de polica ?
O Sr. Ucha Cavalcanti : O que fica
entra a priso Ilegal, que pode durar
muito e causar grande soffrimento ao paci-
ente at que se decida o recurso de habeos
corpus, se elle fr interpost, ou at quan-
do a autoridad) que ordenou a prU3>
quizer? A responsailidade effectiva, que
dillicil para o rico, e'quasi impossivei para
o homem pobre e fraeo, que d gragas a
Deus auanda se v livre Para raim fra
de duvida que os males provenientes dessa
erigosa attribuicSo nao tem remedio eflicaz
fcil ao alcance de iodos. necesario,
os, que as autoridades policiaes deixem
e t-la, e isto acontecera sendo Ihes tiradas
s attribuicoes jadiciarias, na-ques 3ecom-
rehende o direito de prender sem culpa
formada : ficaria em p a clsposico do art.
1/9 10, prohibindo qoe se faga priso
sem ordem escripia da autoridade legitima ;
se a ordem fr arbitraria mandando res-
ponsabilisar O juiz que a tiver dado.
A constituigo, pois, den smente aos
juizes o direito de mandar prender. Ella
filia do juiz e de sua rospoQsabilidade ; nao
falla de outros funecionarios ou agentes po-
liches. E eu, senhores, entendo que se
djeve ser um juiz quem possa mandar pren-
der qualquer cidado, com maioria de rallo
dave competir aos juizet, aos juizes inde-
pendeutes, que de^em garantas de justga
a)S juizes da constituigo, essa faculdadc de
ordenar prses antes de culpa formada,
porque, pira apreciar a necessidada medida que ataca a liberdade individual,
preciso um certo habito de julgar, de pesar
oji indicios e circumstancias oceurrentes, e
sobretudo rectido, inteireza e imparciali-
dide, que difficilmente se enconlraro nos
agentes policiaes.
Com essa arma dada pela lei de 3 de de
zembro polica, que mais abusos se teem
commettido : com ella que mais se tem
a agido a liberdade de voto.
Um Sr. Deputado : E fizeram um addi-
tamento lei: prendem para averiguages!
O Sr. Ucha Cavalcanti : verdade ;
abusa-e sempre de um poder que nao tem
c rreciivo, ou que muito rara o difllcilmen-
te o tea. Com o direito da priso sem
eulp formada, nos crimes inalangaveis, as
autoridades policiaes cada dia ampliam mais
o seu poder, prendem a torto e a direito,
prendem para averiguages, por desobedi
enca, para correceo, etc.
, O Sr Cambra Cgrqueira : Os abusos
no so autorisados pela legisl>go.
O Sa. Ucha Ca valgan n : A hgisla-
g o nao os aulorisa, mas d occasio a que
e les sejam commettidos, deixa um certo ar-
fa tro de qu3 todos os das vam apparecea-
d) novos exemplos, vovos pretextos, formas
Ditvas. L para Mraas j se prenieu por
crime de alevantadu ; fago idea do que ap-
parecer quando esliver em vigor a dispo-
sigao nova do projecto que se discute,
dando polica o direito vago e indefinido
de prender malfeitores
O proj icto que as nobres' commissoes to-
raarara como base de seu trabalho, tinha
tcer. Eatrou as lojas de ourives, esco-
II eu a joia de que fallara ao senhor de Ra-
b)n, e volton finalmente hospedara do
Sol de Prata, onde tinha deixado Lazara
com os cavallos.
No dia seguinte pela manha tirou da ma-
um falo mu.to simples, vesto-se com elle,
disse Lazara que apparelhasse um ca-
nil > so.
Ento nao vou cora o senhor mar-
iez ? Perguntou o criado muilo admi-
rado.
Nao.
E que quer que faga ?
Que almoces tua vontade, que Ihe
bebas Dem, e especialmente que nao saias
d aqui. Posso.voltar de um instante para
o Uro.
Assim promelteu Lazara, e Saint-Maixent
montou a cavallo e desappareceu. Ao vol-
tar uma esquina, perguntou por onde se ta
p*ra Chamblas e quanto era de camioho at
l
A distancia foi calculada em tres leguas
pfquenas e o caminho ficava direito,
pjssando por um valle pouco profundo, co-
rnado de grandes bosques de pioneiros e
castanheiros; nao tinha que errar.
Depois de andar duas horas, chegou o
marquez s primeiras casas da aldeia.
Compunha-se ella de cento e cincuenta
duzentas cabanas, separadas uma das outras
pqr jardins e hortas, de modo que encham
grande espago as abas de nma collina de
pitoresco aspecto.
O campanario da igreja erguia-se no meo
de um grupo de arvores seculares que n'a-
qeelle tempo estavam sem folha.
Por baixo da aldeia, no pequeo valle,
ce rria um rpido arroio, saltando bolgoso
quando bata n'algumas pedras, fazendo
grande esporaarada e dndose ares de rio
caudaloso.
Mas o marquez nao. ti.iha ido Guambias
para admirar a paysagem, e parando o ca-
vallo diante da primeira porta que achou
abarla, perguntou uma velha aldeas:
O' ti?zinha, qoer fazer o favor de me
indicar onde mora a partera Francisca
Aryac ?
Olhe, mea filho, responden a campo-
o, v por ah fra tudo direito, e quan-
do chegar ao fim do povoado, tome sua
^^as "ot^^H^^^Kr mu
's e
aspiracoes do paiz res-
ceniamentos pelat mesmas fei
los nao o memoMm; pelo contrario torna-
ram-o peior, como nao- ser difficil verificar.
Quando eu li no parecer qoe se discute
as segniotes palavras : As commissoes
consignando varias indicacoes da proposta
e emendas em nova forma e disposigao, as
aceita no intuito de conseguir tre? grandes
melhoramentos na administragao da justica,
resumidos nos segnintes pontos: i. resti-
tuigo aos magistrados perpetuos do direito
de ju'gar... Disse eu :"bem 2. ser
paragSo da polica e da justga... > Disse :
melhor. 3, ampliac3o das garantas indi-
viduaes. Oplimo I
Contente com este annuncio das nobres
commissoes, vendo indicado quanto en po-
dia desejar, contraoei a teitnra e logo de
pois. poucas linhas mais abaixo, dssiparaot-
se as minhas illosas.
Com effeito, ah se l o seguinte: Para
se obter o primeiro desidertum confere-se
ao juiz de direito a faculdale de julgar no
crime e civel, restriage-se a facudide de
decidir as causas civeis at aqui concedida
aos juizes municipaes. >
Mas isto, senhores, restituir aos joizes
perpetuos o direito de julgar ? Nao conti-
nuara a julgar tambem todos os outros
juizes que n3o 3o perpetuos, os juizes mu-
nicipaes, delegados e subdelegados ?
N3o se restitue, de certo, ao magistrado
perpetuo o direito de julgar, quando apenas
se tira aos juizes municipaes o julgamento
das causas civeis, que excedam a 50O5OOO.
Nao se satisfaz deste modo o preceito cons-
titucional que quer a perpetuidade dos juizes
que juigam de direito, nem o meu espirito
alcanca a garanta que dahi pronr ao cida-
do. Alm de que, ninguem ignora qoe a
maioria das cansas do Brasil, a excepc3o
das captaes e cidades, de 5005000 para
baixo (apoiados). significmdo isto a conti-
noacSo, com mu leve differenca, da juris-
diego qne exeieem os juizes municipaes.
A qne fica, pois, reduzdo o favor qu9 nos
fazem as nobres commissoes ?
O qne ellas fazem, Sr. presidente, nma
nova ferida na constituigo, porque esla no
art. 158 creou as relagoes para o julgamen-
to das causas em segunda instan va, e o
projecto d esse julgamento aos juizes de
direito, juizes de l.1 instancia, convertidos
em juizes de 2.a as appellages que tive-
rem logar no juizo municipal. Aqui temos
pois. duas segundas instancias differeote-
mente organisadas, e juizes que ora sao de
I.', ora de 2.* instancia.
Dizem as nobres commissoes: Para
obter o segundo desidertum (a separaco
da jusliga e da polica) privam-se as auto-
ridades policiaes do direito de proferir
pronuncia na formago da culpa. Eu
duvido que baja quem se contente com
isto. E' uma perfeita burla. Hoje, i l a
legislago vigente, as pronuncias dos dele-
gados e subdelegados n3o prodnzem effeito
antes do despacho de sustentaco do3 jui-
zes municipaes; o projecto altera o que
existe, deixando que as mesmas autoridades
policiaes tormera, a colpa trando-lhes s-
mente o despacho da pronuncia que passa a
ser dos'juizes municipaes.
Onde e;t a dilferenga ? Onde est o me-
Ihoramento ? Supprime-se um despacho, re-
duzdo a trabalho material e intil pela de-
pendencia em que est de ontro despacho,
para produzr effeito, mas ahi ficam as au-
toridades policiaes com o mesmo direito de
instaurar processos, e o cidado sujeito s
mesmas perseguices, de lonpa?, inqnieti-
goes e injustigas que podem ler logat du-
rantea formago da culpa presidida e diri-
gida por juizes mos, ineptos, dependentes
e apaixonados.
Passemos ao terceiro desid ratum. Para
obtel-o dizem as commissoes que restrnge-
se a priso preventiva e facilita-se a llanca.
Mas a nica restriego que eu encontr no
projecto que o mandado de priso fuoda-se
na declarago de duas teslemunbas que ju-
rem e deponham de sciencia propria.
(Continuar-se-ha)
esquerda, pelo atalho que sobe entre pe-
nhascos. Encontra logo tres castanheiros
mais velhos que eu, e por traz d'elles uma
casinha : ahi que mora Francisca Aryac.
Ah I Que boa pessoa que ella I Aqllo
tem mais esludos que os mdicos de Puy t
Podera I se ella esteve em Paris f O qie eu
Ihe afiango que da Francisca ninguem
capaz d dizer mal.
Saint-Maixent atravessou a povoaco, to-
mou esquerda pelo atalho escabroso, e
vio afinal os tres castanheiros seculares ao
p de uma cabana com tecto de palba,
diante :a qual bata nma pequea horta
rodeada por um muro de pedra sem cal
nem areia.
Saint-Maixent apeiou, entrn na horta por
uma cancella de raadera, e bateu porta
da cabana, que uma mulher abri immedia-
tamente.
O leitor conhece j essa mulher, que a
bruxa da ra da Linterna; mas desde qne
respirava os ares poros da sua trra natal,
desde que viva honrada e tranquillamente,
vestindo o pittoresco trajo das campez:nas
da Auvernia, tinham Ihe desapparecido do
semblante as rugas do cansaco e a singular
ex res-ao que a caracterisava quando pela
primeira a pozemos em scena ; agora mos-
trava ter apenas vinte cinco annos, e o mar-
quez ficou extasiado ante a belleza d'ella.
Conheceo-a todava 'pela abundancia da
cabelleira, de um lomo tirante vermelbo,
que n3o caba dentro da alvissima touc*.
Bem biraila mulher, palavra de honral
disse o marquez entre si. Abotoou-se bem,
o palife lo Lzaro I
Quem procura ? disse a ex adevinha.
Francisca Aryac, respondeu Saint-Mai-
xent.
Sou eu, que me quer ?
Di-lo-hei, se coosente que en entre
em sua casa.
Pode entrar.
E Simoa Raymundo affastou-se para dei-
xar passar a sua visita.
(Continuar-se-ha.)
YP. DO DIAKtu KA UUB DE CAX1A8


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E9S5XWBAV_W1ECDX INGEST_TIME 2013-09-13T22:42:00Z PACKAGE AA00011611_12205
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES