Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:12203


This item is only available as the following downloads:


Full Text
kHHO XLVI. NUMERO 199 "m ",J
-------------------- --------------.----------------------------- ,____________,
.AflfjMg CAfITAL E iUGABES ODE HAO SE PACA FOITE.
tres metes tdiantados........ filnnn
&m dito.idea..... 2
..... ............ Sft
;nh mamfro tvulso. ,..........' ^
SABBADO 3 DE SETEMBRO OE 1870.
PARA DEITIO E PORA DA PBOVICIA.
Por tres* metes adiantados
Por seis dfts dem. .
Por nove ditos dem .
Por an tono dem .
W7&0
434500
20*250
27*000
*kV:

I
Propriedade de fflaaoel Kgueira de Faria & Fhos.
"w
Os *$. Gerardo Antooio Aires Filhos, no
Pereira d'Aimeida, em
lOfl ilo-
fii
AO 4ft*NTEl
-*

------

A Pinto, no Maranhao ; Joaqm'm Jos de Oiiveira, ne Cear|*Atonio de Lemos BMga, no Aracaty ; Joao Maria Julio Chaves, no Ass ; Antonio Marqnes da Sifra, no Natal; Jos Justino
3=2r:
H H,
oinciAi.
ipe; Antonio Alejandrino de Lima, na Paraoyba ; Antonio Jos
$*yH#'h*rila&o'ttnn da Cost$ m Alago; Pr. Jos M*
tovrr* da proviacia.
\O PULO EXM. SB. SgNADult, FRE-
SCO DE ALMEIDA K AIBL'QCBQUK, PRESIDENTE
~K PRVINJIA, EM 30 O MARCO Dfi 1870.
! seccao ,
N. 861. Dito ao Dr. chefe de polica. Pa-
ra que na the imnhada a cinta da despeza hita no mez de de-
zembro doanno prximo passado, com o sustento
dos presos ponre< da eadeia do termo de Santo
Anta?, faz-e preciso que V. S. exija do delegado
4*qaelle termo, a remessa di relacao de taes
nres, visto a^im o haver solicitado" o mspec-
; rdajaella thesouraria em oflL-io de 23 do cor-
rate N. 862.Dito ao mesmo. Tenlo desertado
li >nlem do vapor Gntv o recruta pertencente a
provincia do Gear, com destino ao exercito, Juio
Modesto da Silveira, como me partinpou o eonj-
mandanle daquelle vapor, ao offlcio junto por co-
pia, recommenlo a V. S. que providencie no.sen-
tido de ser capturado o mesrao recrnta.
X. 863.Portara ao commandante superior da
juarda nacional do municipio de Garantan*.
Kxpeca V. S. a1? convenientes ordens, para que se-
is di?4iiryido o destacamento, que por portara de
17 de jdbfeiro ultimo, o mandado remover de
) Ceara com destino ao exercito, desapparecea d
\rduJ?" "W ^ "a Mando.
N. 882.n *o gerente da compaabia Fej
iMUubiwna.0 Sr. reato d* cpropaolw Par-..
otmbucana mande dar passaf em d estado 4 prAr
do vapor Gtguii ata Penerto a' Joao de Sonsa *
Amaral.
N.' 883.DiU aos agentes da companhia brat-
leira de paquetes a" vapor.Podem Vmcs. fuer
seguir pura os porto* do -ul o vapor Guar nojff
a' hora indicada eai se.n offlcie de hontem.
XPBDIENTE ASSIGNAD3 PKLO:Sg.DR. KLIAS F#KR
te encarregado Ja distribaicao dos
tic iosi destinados a aoecorro dos
dos da cea no termo de. Cimbres, a
nesta^ata a Ifaniboar onreteri.
Trombetas para all, remando era i
contal lega lisa das das 4*speiM eot%|
eundiccio, para serem abonlas pola I
do fazenda : o rru eornimlBiy"
coTlflPIlBIiBlil.
N. 901.Dita ao ommanlnte ik> a
licia.
ria Villa da Pejib; Belarmino dos S*ntos Balcao, em Santo Ant3o; Domingos Jos da Costa Braga,
es, na Babia ; e Jos Ribeiro Gasparinbo no Rio de Janeiro.
de estado I
TL-ndij designpdo o alferes dettec,too Pul, para Ibeserem abonadas pela thesouraria
senda.
gemino de Miranda pirnentel para recebar da tb*r
co db AuieoA k AUBuoDBBQUfc SBCBKTAR*) oO" souraria de faenda, e eoodalr at villa do Li-
) INTBMNO, km 30 db nargo db 870V moflird e entregar al ao tenette Minoel Frai
: de Paula a qoantia do 5;000| par ooeorrf aj
despezas de condusca dos gneros allmeioiu
destinado) a saccorro do ltditUe rlageHadoe
pela secca em Plores e Villa lella ; as Jim o com-
inunico Yat. pafa sea Conhecimento e exped-
co das convenientes ordens oeste sentido Vio
feridoalfere.
2* necco.
\ 884. OfiWU aoDr. chafe de polica.Di
ordem do Exm. Sr. presidente da proviacia, (ras-
imtto a V. S. o (iluto ianto de oomeaclo do clda-
du Joaquim Daaus de Oiiveira para o cargo de
1 iipplente de subdelegado da freguezia da 9.
Beolo ao termo do mwmo nome, de copfornidade-
com a proposta d V. S., em offlcio n. 415, de 16
dele mez.
N. 883.Dito ao mefcmo.O Exm. Sr. prasl.
dente di proviucia manda accusar o recebimeSto
do oCDcio do V. S, de 29 do correte, sol n. 436,
em que eommunica tar nessa data passado o ba-
cliarel Rulino Augusto de Almeida o exercioio do
enjprego de administrador da casa de detencao ao
respectivo ajudante Jos Elias de Oiiveira, sendo
designado para exercer as funccSes d'este o guar-
da Jlo Pinheiro Catle.
N. 886.-Dito
EXPEDIE.NTK ASSIG.VADO PELO SR. DR. ELIAS FREDERI -
CO DB ALMEIDA R ALBUOtJERQtJE, SECRETARIO INTE-
RINO 90 GOVERNO; EM 31 DE MARCO
i* secQao.
N. 921.On"lcio%o director do arsenal de guer-
ra.De ordem de S. Exc. o Sr. presidente da pro-
Incia declaro a V. S. em resposla ao seu offlcio de
0 deete mu, sob n. 1WI. que (lea expedida a ron-
IV. 903Diln ao tenonte 4b corno de pocia, teniente ordem aos agentes da corapanhia Brasileira
Mauoel Franetsco de Pauta Respdndtfndo a*seo |paqmete>, para darem transporte para a corle
i do crrente, teoho a diz* -Hie que Jo vapor Cruzeiro da Sut, que se espera do norte,
jnambucana. mande dar ama pasaagem
f no vapor pojnca, al a Parahyba, a Antonio
' de Soazi Leaodro. escrivo do subdelegado
la capital da mesma provincia.
* 920.Dita a Severiano Monteiro Leile. An-
V'me. a lazer coniuzir os geoeros ilimenti-
,ue Ifie foram ootregues para soccorro dos
inoSgentes flageliados pela secca no termo de Cnu
bres, devendo rem^tier-ine em duplicata as comas
legalisadas das despezas com semelhanie condicao
de fa-
- re- ,
nesta data o alferas Pergentino de Mirania Pi-
mentel recebe da thesouraria de fazenda condut
para entregar Vmc.comosolicitou no seu citado ,
offlcio, a quantia de 5:000 para oeeorrer s des^
pezas com a conduocio dos leeros alimenticios
hinque para S. B-mto, visto haver all oulro dolj \ arP^7u'! ao niesmo.O Exm. Sr. presi-
dente da provinein mseda dfclarjr
corpp provisorio Je polica.
N. 864.Offlcio ao juiz de orphaos.=Em res-
posla au offloio de Vine, de 2s do correte, tenho
i dizer-lhe que tendo-se dado o c inflicto a que
altu.de e que nao foi aiuda decidido pelo tribunal
di relacao, quera fu sujeilo, alira de que nao
saja a juslica ioterro;noda em seu curso, convm
que Vm;. adopte o alvitre de que trata no 'inal do
se' offlcio.
If. 863.Portara ao commandahTi do corpo de
patina.Pode Vine, engajar no corpo sob o seu
commando. os paisanos tianool Severino da Silva
Vivaldo, Francisco dos Santos, Joao Caetaao Bap-
tisU e Thomaz Antonio 4a Silva, dos quaes trata
n seu otlicio n. 138, .le 2 do corrente, se tiverem
a necessaria moralidade.
K. 866.Dita ao mesmo Mande Vrac. addir
aa corpo sob o seu commanlo os altores honora
rio do exercito Apolinario Luiz de Carvalho, Fran-
cisco Per-eira Lagos e loio Francisco da Silva
Castro, que perteocendo ao corpo de polica desta
provincia, seguirain como voluntarios da patria
para a campanha do Paraguay, aos quaes rtte
rem-se os seus offhios de 26 do corrente sob ns.
132. 133 e 134. .,
N. 867.Dita ao mesmo.Mande Voac. elimi-
nar do corpo sob o sao coujrnando. o soldado Pe-
dro de Almeida, visfo ter se offerecido voluntaria-
mente para servir no exercito e ter sido julgado
apso ib mspecjao de satlde, como dwtsro o Exm.
Sr. brigadeiro commandantn das armas om oIBcio
de 29 do corrente sob n. 163.
N. 868. Oeliberaijio O presdante da pro-
vincia em vista do offlcio do Dr. cele de polica
n. 416 de 26 do correte, resol ve exrmerar a seu
pedido oscidJbaisAlexandr* Francisco dos Santos
e .Mjnoel Bezerra de Siqueira llamos dos cargos
de > e 6 supplentes do subdelegado do districto
de G-ravat do termo do Bonito.
N. 869.Dita.O presidente da provincia, em
vista do offlcio do chele do polica de 26 do cor^
rente sob n. 41o, resolve exonerar o cidado Fid3-
ralino Antonio da Silva Lemos do cargo de 1 sup-
plente do subdelgado da freguezia de S. Bento do
termo do mesmo nome.
N. 870Dita.O presidente da provincia de
conformidade com a proposta do chele de polica
em oflbio n. 413 de 26 deste mez, resolve nomear
para o cargo de 1 supplente do subdelegado da
freguezia de S. Bento do termo do uesmo nome o
cidado Joaquim Dantas de Oiiveira.
3* seceao.
N. 871. Offlcio ao Inspector da lhe%uraria
de fazenda.Pode V. S. de conforrnidade com a
sua informarlo de honlem, sob n. 213. com refe-
rencia a da contadora dessa thesouraria, lar as
convenientes ordens para que o destacan ento de
Caniar, composto de om interior e dez praea-,
seja pago de seus vencimentos, pela respsciiva
collectoria.
>'. 872.Dito ao me^mo.Gommunico a V. S.
para os devidos Qns, que nesta data se expedio
ordem ao commandarrte superior da guarda na-
cional de Garanhuns, para fazer dissolver o des-
tacamento que por penara de 17 de Janeiro ulii-
rao, se mandou remover de Buique para S. Benm.
M. 873.Dito ao inesm >.Commnico a V. S.
para o devidos dos, que >egundo articipou o ba-
charel Antonio Doniingog Pinto Jnior promotor
publico da comarca de Pao d'Alho em offlcio de
8 de cerrante, nes>T data deixou elle o exercicio
das tuuncedes do dito cargo para tomar assento
m a^emdlea provincial.
N. 874.Dilo ao mesmo.Commuoieo a V. S.
para os devidos fias, que segundo participou o
promotor publico da comarca de Palmares hacha-
re! Pedro Alfonso Fe.-reira ero offlcio de 26 do
corrente, nessa data deixou elle o exereeio do di
to argo, para vir tomar assento na assembla
provincial.
N. '875.Dito ao inspector da thesouraria pro-
vincial.Nesta data mando addir ao corpo provi-
sorio de polieia, os alteres honorarios do exercito
Apotinario Luiz de Carvalho, Francisco Pereira
Lagos e Joao Francisco da Silva Castro, que per-
luneendo ao corpo dn polieia desta proviacia, se-
guirn como voluntarios para a campanha do Pa-
raguay.
N. 876.Dito ao mesmo.Devolvendo a V. S.
as inclusas contas das despezas feitas com o sus-
tento dos presos pobres da eadeia do termo de
Santo Antao nos mezes de dezembro do anoo pr-
ximo passado e Janeiro ultimo, tenho a dizer em
resposl ao seu oicio de 23 ao corrente sdb n.
489, que nos termos do- parecer da contadoria
dessa thesouraria, mande pagar sement a quantia
de 44OO relativa ao citado mez de Janeiro, cor-
to de que vou solicitar a remessa da relacao dos
presos, recolhidos na mencionada eadeia, no pre-
dito mez de dezembro, aflm de que possa ser exa-
minada a respectiva, conta conforme indica aquel-
Je parecer.
4* seccao.
N. 878.Dito ao Exm. Sr. presidente da pro-
vncia das Alagoas.Com o offlcio por copia de
28 deste mer, do chefe de polieia desta provincia,
respondo aode V. Exe. de 16 do corrente, quan-
to as providencias dadas sobre os soccessos de
que trata dito offlcio.
N. 879.Dito ao Exm. Sr. deserabargador pro-
vedor da Santa Casa de Misericordia^Declaro a
V. Exc. que nesta data, remeti por copia a c-
mara municipal desta cidade para dar as providen-
cias que jnlgar convenientes o offlcio que V. Exc.
me dirigi era 14 de Janeiro ultimo sob n. 2381.
X. 880.Portara a' cmara municipal da cida-
de do Recite.llemetto a' cmara municipal do
Kecife/flm de qu% d as providencias que julgar
! venientes a representacio inclusa por copia do
deserabargador provedor da Santa Casa de Mise-
ricordia, de 14 de Janeiro ultimo, sob n. 2381, a'
que se refere a sua informacao de 2 do corrente,
ob n. 15.
N. 881.Dita ao commandante do vapor Guar,
Can resposta ao offlcio que Vmc. me dirigi hoje,
tenho a' dizer que fleam expedidas as convenientes
ordens ao Dr. chefe de polica para a captara do
Jeio Modesto da Silveira, que vindo do
a V. S. que
nesta data se autorisou a thesouraria de fazenda a'
contratar o fortieriment te 2772 metros de algo-
do azul para duas mudas de roupa dos prezos
da.casa de detencao, como por V. S. pedido em
j offlcio n. 317. de o do corrente.
X. 887.Dito ao mesmo.=e ordem do Exm
r. presidenta da provincia communico a V. S.
que por deliberaco desta data foram exonerados
dos cargos de 5o e 6 supplentes do subdelegado
de bravata' do termo do Bonito, os cidados Ale-
jandro Fraocisc* dos Santos e Manoel Bezerra de
siqueira Ramos, em vista do seu offljio o. 416, de
26 d'este me?.
18.Dito ao mesmo.O Exm. Sr. prev
destinados ao soccorro dos,indigentes llaaellads
pela seeca em Flores, Baixa-Ventfe e Villa Bella, e
libe recommendo o maior cuidado e vigilancia no
desempenho de sua commissao.
904.Deliberado. f> pmtdente da provincia
attendendo ao que requere promotor publico
desta comarca Dr. Joao Thom da Silva resolve
*onceder-lhe 31 mezes de liceoca com ordenado
a forma da le, para tratar de sua sade.
3.' seccao.
N. 903.Offlcio ao inspector da thesouraria
de fazenda.Em vista do quo expoz a contadtoria
dessa thesouraria no parecer a que se refere a
sua informacao de 29 do corrente,ob n. 214, ex-
pee i V. S. as convenientes ordens para que o des-
tacamento da villa de Garanhuns seja pago de
seus vencimentos pela respectiva collectoria.
N. 906.Dito ao mesmo.=-E Severiano Monteiro Leite encarregado dadistribui-
a. me rta provincia manda declarar a V. S. qoaiao dos gneros alimenticios destinados
nesta data se expedio ordem ao commanda.nte sif-
perior da guarda nacional de Garanhuns para dis-
olver o destacamento que existe em S. Bento,
hcaudo assim respondido o sea offlcio o. 419, de
2(5 do corrente.
* 889.Dito ao tnesmo.S, Exc. .
denle da provincia, rspondendo ao offlcio de V. S.
datado de 22 do crreme, sob n. 404, manda de-
clarar qne a' thesouraria
ordem para serem pagos pela collectoria: d Ca
ruar os vencimentos do destacamento existente
aaqoella eidade.
X. 890-rDito ao baeharel Pedro ATonso Per-
reir.O Exm. Sr. presidente da provincia, manda
declarar a V. S. que lleuu intiado, pelo seu offi-
zo d i c urente, de ter nessa data deixaii
o exerclcio do cargo de promotor publico da co-
marca de Palmares, por ter de tomar assento na
assembla provincial.
X. 891.Dito ao baeharel Antonio Domingos
Pinto Jnior.O Exm. Sr. presidente da provincia
manda accusar o otlicio de V. S. de 28 do cr-
reme, em que participa ter nessa data deixado o
exereicio do cargo de promotor publico da co-
marca de Pao d'Aibo para vir tomar assento na
assembla provincial.
31 seccao. i
X. 892.Offl.'io ao io>pecior da thesouraria pro-
vincial.O Exm. Sr. presidente da provincia
manda declarar a V. S. para os devidos flns que,
segundo participou o chefe de polieia, era offlcio
n. 436, de 29 do corrente. nessa data deixou o
baeharel Rufino Augusto de Almeida- o exereicio
de administrador da casa de detencao que passou
ao ajudante Jos Elias de Oiiveira, passando a'
exercer as funecoes d'este o guarda Joao Pinheiro
Catle.
i.* seccao.
X. 893.Offlcio ao 1 secretario da assembla
legislativa provincial. -N. 2.S. Exc. o Sr. presi-
dente da provincia, a' cujo conhecimento levei o
offlcio que V. S. me dirigi, sob n. 1, manda de-
clarar-lhe, aflm de que fa$a constar a' assembla
legislativa provincial, que no dia Io de abril vin-
douro a' 1 hora da tarde comparecer' uo paco
da mesma assembla para fazer a leitura do seu
relatorio.
N. 894.Dito a' William Rawlinson, gerente da
companhia Brasilian Street Railway.S. Exc. o
Sr. presidente da provincia manda declarar a V. S.
que fica inleirado, pelo offlcio que V. S. me diri-
gi em 26 do corrente, do nao haver aceitado a
soluco que "deu o mesmo excellentissimo senhor
em 19 deste mez, acerca do protesto aprcsenlado
por_V. S. relativamente ao contrato para a eolio-
ca;ao de carris de ferro dentro d'esta cidade e
seus suburbios.
EXPEDIENTE ASS1GNADO PELO EXM. SR. SENADOR FRE-
DER1CO DE ALMBIDA E ALBUQUERQUE, PRESIDENTE
DA PROVINCIA, EM 31 DE MARQO DE 1870.
1* seccao.
X. 896. -Portarla ao dieector do arsenal de
guerra.Declarando-me o general commandante
das armas no offlcio n. 161, de 29 do corrente,
junto por copia, ter havido engao na ordem que
expedi a 28, por s deverem ser recolhidos a' esse
arsenal o* objeitos existentes no quartel do Hos-
picio, e que se acbam mencionados na relacao n.
2, junto a citada ordm de 28, assim o faco cons-
tar a V. S. recommendando-lhe que faca conduzir
e recolher ira preter vel mente os referidos objectos
a' esse arsenal.
N. 897.Dita ao mesmo.Em vista d' sua
informacao n. 46, de 26 de marco autoriso o conselho de compras a' comprar o
brim, meias e camisas de meias, oecessarias ao
deposito de recrutas, e que solieitou o general
commandante das armas em offlcio n. 130, da-
quelle mez, e recomraendo a V. S. que mande sa-
lisfazer o incluso pedido n. 1 de pecas de farda-
mento para o mesmo deposito.
V seceSt).'
\ 898.Offlcio ao Dr. chefe de polica.In-
orado de quanto expoz o delegado do termo de
Garanhuns no offlcio que por copia veio annexo
ao de V. S. de 9 do corrente, sob n. 341, aeabo de
recommendar ao inspector da thesouraria de fa-
zenda a expedidlo das convenientes ordens, para
que o destacamento "aquella villa seja pago de
seus vencimentos pela respectiva collectoria. O
que declaro V. S. em resppsta ao seu citado
offlcio, e aflra de que o faca constarlo mencioua-
do delegado.
N. 899.DiU ao mesmo.Remeti V.S. para
dar as necessarias providencias, o offlcio incluso
por copia de 29 do corrente, sob n. 77, em que o;
e&genheiro fiscal da estrada de ferro coramumea
achar-se no termo de Agua Prela urna mulher
louca que, circula presentemente sobre ostrilhos
da mesma estrada.
N..900.Dito ao juiz de direito da enmarca do
Liraoeiro.Inleirado do que Vmc. me communica
era seu offlcio de 26 do correne, tenho a dizer
que taco seguir para essa comarca o alteres Mar- -
colmo de Miranda Pimental conduzindo a qaav'iia
de 5:000| para entregar ao lente Manoel fr an-
cuco de Irania, atim Veste oeeorrer as de/ pezas
com a conduccao dos gneros alimeneV,, desti-
nados a soccorro dos indigentes HaaellaoV, da sec-
ca era Fores^ Baixa,Ver4f1 e Villa-Bell-,
BreJo.-Bstaqdq o ei,..^ SeS Monteiro Le-
a soccorro
dos indigentes flagelladbs da secca no termo de
Cimbres, autorisei-o nesta data a transportar s
referidos gneros de Trombetas para all, remellen-
do em dnplieata as comas iegalisadas das despezas
de semelhanie condcelo para Ihe serem abonadas
0 Sr presl^ or essa thesouraria, o que communico V. S.
para sen conhecimento.
rt N. 907.Dito ao mesmo.Por conta do crdito
fazenda s expedio je 40:000a destinados a soccorros pblicos, man-
de V. S, pagar ao pharmaceutico Joaquim de Al-
meida flinte- a quantia de 85^280 ris proveniente
de urna ambulancia que forneceu para o tratamen-
lo dos lidigentes aceommettidos da varila no mu-
nicipio de Agua Preta. como se v da inclusa con-
ta que me ramettea o inspector da sale publica
com offlcio de 24 do corrente.
N. 908.Dito au mesmo.Transmiti V. S.
para os flns convenientes a inclusa ordem do tbe-
souro nacional, sob n. 6.
t. 909.Dito ao mesmo.==Em additamentomi-
nha portara de hoje, declaro V. S. paraos fios
convenientes, que o alferes a qaem devera ser en-
tregues os 5:000 para as despezas com a con-
duego dos gneros destinados a soccorrer os indi-
gente de Flore?, Baixa-Verde e Villa Bella chama-
se-Pergentino de Miranda Pimentel e nao Marcoli-
no de Miranda Pimeotl.
N. 910.Dito ao mesmoAttendendo ao que
expoz em offlcio de 26 do correle o tenente do
corpo de polica Manoel Francisco de Paula, en-
carregado do transporte de gneros alimenticios
destinados a soccorro dos indigentes fhgellados da
secca em Flores, Baixa-Verde e Villa-Bella, re-
commendo a V. S. que, nos termos de sua infor-
inaco em 29 d'este mez, sob n. 213, mande entre-
gar ao alferes do dito corpo Pergentino de Miranda
Pimentel mais 5:0003, aflm de serem levados ao
mesmo tenente Paula para(occorrer as despezas
da condueco de taes geoeros da villa do Limoeiro
para os pontos de seus destinos.
N. 911.Dito ao inspector da thesouraria pro-
vincial.Transmitto V. S. a conta e relacao jun-
i.'is, a n de que maude liquidar n pagar Fran-
cisco Ludgero Xunes Vianna, conforme solieitou o
bhefe de polica em offlcio de hontem, 9ob n. 240,
a despez i feita com o sustento dos presos pobres
da eadeia de Olinda, a contar do 1 a 14 de julno e
de 25 de seterabro a 21 de dezembro do anno pr-
ximo pass.do e nos mezes de Janeiro a feveretro
d'este anno, como se v das mencionadas contas e
relacoes.
N. 912.Dito ao mesmo.Mande V. S. liquidar
pagar em vista da relacSo e conta que me re-
os tres aprendizes marinheiros que V. S. tera d
hraetter para o quariel central do corpo de im-
pariaes mannlnrns.
f secrio.
N. 921.Offlcio ao Sr. Dr. chefe de polieia.--

(loa Exc. o Sr. (residente da provincia, manda
Jeclarar a V. S. e,n resposta ao sen' oificios de
118, 28 e-30do crranle sob ns.379, 427 e 440, que
1 thesouraria provincial tem ordem para pagar
9 quantias constantes dos rilados olflcios.
4* seccao.
N. 923.Offlcio ac. Dr. Francisco Teixeira de
1* secretario da assembla legislativa provin-
|a*\V. 3.Da ordem de S. Exc o Sr. presiden-
eclaro a V. S. sin resposta ao seu offlcio de
>je datado sob n. 4, e para levar ao conhecimen-
to da assembla legulava provincial, que nao
oonsia da secretarla que o 2a supplente da 1* va-
ra municipal Dr. Miguel Jns de Almeida Pernam-
baeo Filho, ostivase em ejercicio nos quatro me-
zas anteriores a eleicao de deputade3 provinciaes,
e sim que o 1 supplente Dr. Joaquim Jos de Mi-
randa entrou n i exereicio da vara em 18 de junho,
e nasta qualidade servio at 11 da novembro do
Sesmo anno, dia em que reassnmio o exereicio o
juiz municipal elTectivo baeharel Paulino Rodri-
gue Fernanies Chaves.

lo musan ilo dan armas.
ARTEL-GENERAl. DO COMMA.NDO DAS ARMAS NA
PROVINCIA DE PERNAMBUCO, Io DE SETEMBRO
' D i 870.
Ordem do dia n. 48$.
40 brigadeiro commandante das armas faz pobli-
para conhecimento da guarnicao que nesta data
f )i excluido do deposit > dos recrutas onde fazia
servido o Sr. tenente reformado do'exercito Luiz
Jeiynyow Ignacio dos S.aotos por tar sido na mes-
ma dala nomeado amanuense da enfermara mili-
tar em substituicSo do furnel do 1 batalho de
artilharia da guarda nacional do municipio do Re-
cite Trajano Cesar de Albuqperque que fka exo-
nerado desse emprego; e bem as*im determina,
que passe a servir como addido no 9 batalho de
infamara o Sr. capitao do 6o da mesma armaAn
tonio Raymundj Lins Caldas, que para esse (im
foi por portara da presideucia de 29 de agosto
find' exonerado do Ingar de ajudante interino de
director do arsenal de guerra.
AssignadoJoaquim Jos Gonqalves FotUes.
ConformeEmiliano Ernesto de
im, tenente
detalhe.
ajudante de ordens
Mello Tambo-
encarregado do
PERNAMBUCO.
metteu o cnefe de polica com oltleio de 28 do
correle, sob n. 477, a despeza com o sustento dos
presos pobres da eadeia do termo de Flores, du
ranle o mez de Janeiro ultimo.
N. 913.Dito ao mesmo.Tomando era eonsi-
deraeo o que requereu a mesa regedora da ir-
mandade do Sr. Rom Jess das Dores na igreja de
S. Concalo nesta cidade, recommendo a V. S. que
mediante flanea idnea, mande entregar a pessoa
que por isso se mostrar autorisada, o cont de
res votado na lei do orearaento vigente para as
obras daquella igreja.
N. 914.Dito ao mesmo. Autoriso V. S. nos
termos ae sua ioformacao de 29 do crreme, sob
n. 201 com referencia a da oontodoria dessa the-
souraria a mandar entregar ao thesoureiro da ir-
inandade de Xossa Senhora do Amparo na cidaiie
de Olinda, Manoel Alves de Sanl'Anna, que assim
o solicita no requerimento doeuraentado que inclu-
so devolvo, a quautia de 861J55Q qne se acha de-
positado nessa reparticap proveniente do benefi-
cio da 2a parle da lotera exlraliida a favor das
obras daquella Igreja.
X. 911Dito ao mesmo.Pode V. S. de con-
formidade com a sua informacSo de 22 do correte
sob n. 200 com referencia da contadoria dessa the
souraria mandar pagar em vista das cantas e re
lagoes que incluso devolvo o rae remetteu o chefe
de polica com offlcio de 18 deste mez, n. 379, a
quantia de 17&4O0 proveniente das despezas feitas
cora o sustento dos presos pobres da eadeia do
termo de Agua-Preta, nos mezes de novembro e
dezembro do anno prximo passado.
N. 916.Dita ao mesmo.Com a inclusa rela-
cao dos presos pobres recolnidos a eadeia do ter-
mo de Flores, no mea da novembro do anno prxi-
mo passado, satisface a requesico de V. S,cou-
da em offlcio de 2a de Janeiro ultimo, sob n. 38, o
que vea annexo a conta qne devolvo da despe-
za feita coa o sustento de taes presos naquell*
mez.
4' seccao.
N. 917.portara ao governador do bispado.
Devendo y^r archivado na secretaria da presiden-
cia o ter ,na que M lavrou na cathedral, por oc-
casao de ser alli depositada a bandeira do extinelo
batal'aao n. 83 de voluntarios da patria, reeom
me'ado a V. S. que me enve urna copia autben-
t*'ea daquelle termo para o tira, indicado.
N. 918.Dita aos agentes da Companhia Brasi-
leira de paquetes a vapor. Os Srs. agentes da
Companhia Brasileira de paquetes a vapor, man-
dem dar transporte para a corte por costa do mi-
nisterio da marinha no vapor Cruzeiro do Sul, que
se espera dos portos do norte, aes 3 aprendizes
marinheiros, qae por parte do inspeetor do arse-
nal de marinha Ihes sero apresentados.
N. 919.Dita ao gerente da Companhia Per-
nanibucana O < Sr. gerente da Companhia Per*
REVISTA DIBIA.
GYMMASIO PROVINCIAL.Por portara da
presidencia da provincia, do Io do corrente, foi
nomeado professor da liogua allemaa, do g-ymna-
sio provincial, em vista do resultado do concurso
que se sugeitou, o Sr. Antonio Carlos Ferreira
da Silva.
CORPO DE POUCIA.Por portara da presi-
dencia da provincia, de 31 de agosto, foram no-
meados para compor o conselho dajugamento do
2o sargento do corpo de polieia Miguel Archanjo
Ferreira Pinto: major Joao Francisco da Cunha'
presidente; Dr. promotor publico, auditor; len-
les Joao Deoclecio da Silva Paula e Felicissimo de
Azevedo Mello, ?lferes Jos Fraucisco da Silva
Castro. Francisco Ignacio de Moura Gondira, e
Felippe Augusto d Fras Villar, vogaes.
AUTORIDADES POLICIAES,Por portaras da
presidencia da provincia, de 31 de agosto, foram
nomeados:
Subdelegado da freguezia de Taearatti, Manoel
Cavalcaote de Albuquerque Jnior.
Delegado do termo de Tacaratii, teoente-coronel
Francisco Cavalcante de Albuqnerqae.
2 a 6o supplentes do delegado do termo de
Agua-Preta. Joao Barbosa Maciel, Joao Bezerra
Cavalcante Maciet, Jos Aotooio de Mello, Tetes-
phoro Marques da Silva, e Austrechliuo de Castro
S Brrelo.
ALFORRIA DE ESCRAVAS.A commisso no-
maada pela presidencia da provincia para promo-
ver a alforria de escravos do sexo femioino at
a quanta de 20:000*, votada na le do orcamento
do correte exereicio acaba de classificar as 67
abaixo mencionadas, s quaes devem ser entre-
gues as cartas de liberdade no da 7 do cor-
rente.
Elevndose a 20c 420*. o total do preeo das al-
ternadas, os membros da commisso deram a
quantia necessaria para o complemento, aflm de
serem todas contempladas.
Eis os Bornes :
Januaria, creoula, de 2 annos, esevava de Miguel
Germano Pereira Bastos.
Julia, crioula, de 2 annos, esorava de Jos Lucio
Lins.
Maria, crioula, de 2 annos, esorava do Dr. Joao
Jos Ferreira de Aguiar.
Eugenia, pardeada 2 anno*, escrava de Joao
Remenegldo Borges Dmii.
Maria, crioula, de 2 annos, escrava de Thomaz
Jos da Silva Gusmo.
Maria, parda, de 2 annos, escrava de Margarida
do Reg Aranjo.
Felippa, parda, de 2 annos, escrava de Joao da
Silva Faria.
Maria, crioula, de 2 annos, escrava do Dr. Jos
Carnoso de Queiroz Fonceca.
Berovinda, parda,, de 2 annos e meio, escrava
das fllhas de Simplicio Jos de Mallo.
Maria, crioula, de 3 anos, escrava de Jos AU
ves de Lima.
Simplicia, parda, de 3 annos, escrava de Mauoel
Rodrigues de Almeida.
Ralbina, cnoula. de 3 annos, escrava de Antonio
Francisco de Souza Magaihes.
Ernestina, preta, de 2 annos, esorava de Henri-
que Giuson.
Melandolina, parda, de 3 annos, escrava de Hen-
rique Gibson.
Lulza, crioula' de 3 annos, escrava de Ernesto
Conrad i da Almeida Freir. t
FranOHca. parda, de 4 annos, escrava do Dr.
Felis'jao de Meadsuoa Vascoacellos,
Emiliana,, parda, de 4 annos, escrava de Ursina
Boj/ Rodrigoe* da Silva.
Joanna. crioola, de 4 anuos, escrava de Alfonso
Peuoto da SiiV*
Mara, paray de 5 anuos, escrava da Fran-
ciset Xavier Cafneiro da Cunha Miranda.
Maria, crioula,. d* 5 anm, escrara de Ma-
na.. Fortunata Karneiro Bezerra de Mene-
zes.
Filoowna, cnoula-, de 5 annos, escrava de Maria
Adelaide do N. Feiiosa.
Lniza,. parda, de 5> aunos, escrava de Ir. Burcia
Ernestina de Brito Maredo.
Ainarinla, parda, de 5 annos, escrava de Jos
Candido da Silva Braga Jnnior.
Leonor, paida, de o aroos, escrava de Emilia
Augusta de Sonza.
Maria, parda, de 5 anuo*, escrava de Arcehno
Xavier Carneiro Rodrigues Campellr
Rosa, crioola, de 6annos, escrava de Emeren-
ciaua de Arroda Cmara de Faria.
Prxedes, preta, de 6 anoos, escrav do desera-
bargador Custodio Manoel da Silva Guioiares.
Leoniila, preta, de o aonos e meio scrava de
Thomaz Jos da Silva Gusino.
Thomazia, prela, de 6 annos, escrava de Fran-
cisca Man do Eispirito'Santo.
Eva, parda, de 6 anuos, escrava de Isa>el Au-
gusta Pires de Figueirdo Camargo.
Gerlrudes, semi-branca, de 8 annos, escrava do
Dr. Joao Capistrano Bandeira de Mello Filfce.
Norberta. crioula, de 6 annos, escrava oVLuzia
Tbeodora Correa Gomes.
Joanna, crioula, de 6 annos, escrava de Joaquim
Jorge da Mello.
Zkrastanga, parda, de 6 annos. escrava de Maria
Benta de Jesns Gouva.
Feliciana, parda, de 7 annos, escrava de Fran-
cisca Maria Theodor?.
Carlota, crioula, de 7 annos, eserava de Erroe-
tinda. Antonia, Lodevina, Blandraa, e Antonio da
Costa Araujo.
Carolina, parda, de I annos, escrava do Dr. Joa-
ium Pires Machado Portera
Josepha, parda, de 7 annos, eserava de Anna
Maria da Luz.
| Laura, parda, de 7 annos, escrava da Innocon-
pio Garca Chaves.
Rachel, crioula, de 7 annos e roeio, escraoa de
oao Alves Machado.
Mara, parda, de 8 annos, escrava de Angelo
aptista do Natcimenlo.
Esmeralda, parda, de 9 annos, eserava de Car-
los Eduardo Riedal.
I Severina, parda, de 8 aonos, eserava de Antonio
Maria Carneiro Lein.
I Prudencia, parda, de lannos, escrava deCae-
tano Cyriaco da Costa Moreira.
I Margarida, crioula, de 7 annos, eserava de A*.
Ionio Duarie Carneiro Vianna.
Merenciana, crioula, de 8 annos, eserava de Aa-
nio Duarte Carneiro Vianna.
Mariana, parda, de 10 asnos, eserava de The-
reza de Jess Coho Souza Leao.
Filomena, parda, de 10 apoe, eserava do bario
de Xazarefh.
Feliciana, semi-branoa, rln *0 annos, escrava de
Joaquim Pereira Simoe?.
Mara, crioula, de 10 annos, eserava de Joao
Martina Ribeiro.
Luiza, parda, de 10 anno e meio, escrava de
Estevao Alexandrino Coelho.
Amelia, parda, de 16 annns e meio escrava do
desumbargador Francisco Domingues da Silva.
Ernestina, parda, de 11 annos, escrava de Tbs-
reza de Jess Colho Souzlieao.
Secundina, parda, de 12 annos, escrava de Rosa
Candida Gonealves Ferreira.
Josepha, crioula de 12 annos, escrava de Anto-
nio Serdo Franco.
Mara, crioula, de 13 annos, escrava de Joao
Ferreira de Souza Lima.
Francisca, preta, de 13 annos, escrava de Ma-
noel M. de Abreu Porto.
Vietorina, parda, de 13 amos, escrava de Joa-
quim de Souza Pinto.
Maria,"parda, de 13 annos e me, eserava de
Joaquim Juvencio da Silva.
Julia, parda, de 14 anno?, escrava de Rosa Can-
dida Gonealves Ferreira.
Juveniioa, parda, de l annos, eserava de Maria
Felicia da Silva Santos.
Fortunata, parda, de 15 aonos, escrava de Ma-
ra Felicia da Silva Sanios.
Igoacia, parda, de 29aonos, escrava de-The-
reza de Jess Azevedo.
Maria. parda, de 21 annos, escrava de Cassemi-
ra L. Carneiro da Cunha.
Felippa, parda, de 22 annos, eserava de Janua-
ria da C. de Vaseoncellos Siqueira.
Raehel, parda, de 25 annos, eserava de-There-
za de Jess de Figueira Paria.
GOVERNO DO BISPAOO.-OExm. e R*m. Sr.
governador do bispado tem feto as segoiotes no-
mea coes :
Por provisao de 27-de junbo, o Rvd. Augusto
Franklin Moreira da Silva, para vigano encom-
mendado da freguezia de ossa Senhora da Gra-
ea da Ca ponga.
Por provisao de 28 do dito mez, o Rvd. Floren-
cio Xavier Das de Albnquerque, par coadjotor
da freguezia de Igoarasst.
Por provisao de 10 de agosto, o Rvd. eoego
Dr. Lnz Ferreira Nopre Pelmea, para vigark) en-
commendado da Freguezia de Xossa Senhora da
Conceieao de Xazareth.
Por provisao de 18 de a oslo, o Rvd. Hercula-
no Marques da Silva, para vigario- encoramenda-
do da freguezia de Gamelleira.
UXIO JURDICA. Fuoccioaou hontem esta
sociedade servindo como autoridades os Srs. Por-
firio Freir, joiz de direito ; Eraesto Vieira pro-
motor e Goncalo de Faro advogado.
FERIMEXTO GRAVE.No dia Io do corrente,
s 5 horas da tarde, travaram-se de raines, na
LEIlAO.Confor^ftHranmineiado deve le:
lugar segundafeintlHVde Iwos em alfema..
mglez, e-lalira, amteoW, diccionarios e livros d.-
msicas, periencentes ao Uado Carlos Sleoher
o leilao te effectuarJ s 10 1/2 horas, no escrin-
torm do atente de feies F. I. Plato : na o*
Cruz n. 3o.
CEMITEd PUBLCO.-OtHtnario db dia 31 de-
agosto.
Manoel, pardo, Prnambaeo, 2 anuos, San*
Antonio : gasTite.
Jos, braneo, Pernamftucn, 15 mezes, S. Jos :
catarrho pulmonar.
Mara, preta, frica, 66 annos, solteira, Boa-Vs-
R i,r<*f-e mnlIDa Hospaf Pedro II.
Jbaqwn Pedro, braneo, Portogal, 3 answs, sol-
teiro. Boa-Vista, hnpate.
Gernrano da Trindade Peres*, pardo, Permmbu-
cor 4# annoj, casado, Boa-Vi>ta; infeceo puru-
lenta, rfospital Pedro II.
Baeharel Wenee=4o Garca Chaves, braneo, Per-
namuco, 48 annos, easado, Avogatto ; tubrculos
pulmonares.
Elvira, parda, Per-nambneo, 3 anuos, S. Jos ,
tosse eonvntea.
Elisfaria, parda, Pr-rnambnco, lf> mezes, S. J-
se ; gasgrena?.
CBROMr.VJl'DrURT).
iltIMWI, D* C OUMKRCIU
ACTA DA SESBAO ADMINISTRATIVA DO 1. DE
SETRMitHO-DR 1870.
R1SWKNC3A DO EXM. SR. DESEMBARGADO* ANSELMO
FRAUCISCO FCRBTTI.
As 10 hpras da manha, prsenlos os Sirs. depu-
tadoe- Rssa, Basto, e supplente S Ileitlv bltand
con>'pariec^)ae3r> .> Sr. depotado MrandLeal, S.
Exc o Sr. presidente abri a sesso.
Foi lida eapprorada a aeta da sesso > 29 d.
mez fiado.
MSPACKnS-
Reqaerimentos:
De Antn Herwiqne de Araujo,. submottendo
a reawiro a nemea<-ao de seu catseiro ET?uu'l
Pompsjn da Fonsee-Registre-se.
De Francisco Jos dos Patsos Guimares, re-
queresxlo certidio d registro da noraeaco de sen
caixeiro Francisco de Paula Frnaades Moreira.
D se.
De Ffaneisce- P*tn>n*lo de Hallanda-Gavaicanie.
offereceado regism a sua nomeacao-de caixeiro
que Ih dera o seu p*i o majr Trajnno Jes* Ca-
valcante-.Registre- .
De Manoel Martins Finza, ptdindo cortidao de
se achar registrada Deste tribuial a nomeana de
seus ca.xeiro9 rirbaoo- Mamede- de Almeida Joa-
quim Antonio de Fra Barbos-hCertifique-e*.
De Tassn Iroiios di C., pediodo que so Ihes
mande registrar a nomeacao de seo caixeiro-Joan
Pinto de Mallos Leaos para despachar na alian-
dega e consuladoRegistre-se-.
De JosGuilherme & C, satasfazendo a exigen-
cia fiscal mandada outnprir por despacho de 29 do
mez tinO. Volis-ao Sr. dewB>**rgadur Hrcal.
De Manoel Geocelve* Bosvesnnra, submettend
a registr a nomeacao de seu caixeiro Joao Fran-
cisco da Silva. Segistre-se.
De Pereira Vianna AII, iguDlments submetlen-
do a registro a Bornearlo de seo aineiro Caetano
da Costa Moreira.Reaistre-se.
De Nogueira A\ fflbo, tmwm sabmetteado
registro a de sen oaixeiro Adno Jos Maitinada
Oiiveira.Regstre-.se.
De Benvenuto Givalcante Buorqae de Albnquer-
qne, replicando do despacho qoe ibe ordeno iun-
tasse ao.s- autos de sa rehattilitaoSo a ooilacao
qae obtivera de seus credoree ; per quanto dos
mesmos autos consta tal quitajio que lie Ihe fdra
dada na forma dr art. 93 do-decreto n. J,5t7 de
1 de maio de *8"&.Junte-se aos autos, e ve-
nham conclusos
De Racha e Silva & C, pedinio quaso Ihes
eerlidqu se foi registrada em o anKixproxim.i
passado a nomeacao que deram ao seo oaixeiro
Eduardo Pernandes Moreira.--Gerlifique-ee.
De Luiz Ferreira de Almsida, allegando a im-
possibilidade que ler de apreseatar o sea distrato
social com Joio Antonio Paita se ter este-recaudo a assignar os dou exempla-
res dee, nao obstante ter annnido a dt>solocac
ainigavsl da sioiedade que t vera com elle sup-
plicante na taberna site rna, do Rangel 69 co-
mo se deprehende do primes ro requerimento, que
junta, por elle assignado ; pedtndoaficat que tos-
se registrado o presente requerimento para aean-
tellar sen direito.O que o suppliosnte requer
nao pode ter lugar, urna voz, que nao veio o dis-
trato que se refere e milito menoa a dnplieata
delle, que exige a lei.
COM IKfORMAnAO DO SR. DESKMBARGAOOn FISCAL.
De Bento EJeuterio de Souza Castro, pedind
carta de matricula de coramerciante.Como re-
quer.
De Felippa Carneiro Bstrella e Aiipio Das Ma-
chado, coutrato social em que ecmmandarm o
1 snpplicante.(Adiado^
Offlcio do conservador do comaiercio da Par,.-
byna em fpe denuncia o fado de ler Fehpoe Car-
neiro Estrella, agente de leiloes d'aqueua praca
contrahido sociedade r.ommercia!.(Adiado).
. Nada mais havendo-se submetlido oVspacli ,
o Exm. Sr. presidente encerrou a sessl> pulas 11
horas e mola do dia.
cidade de Olinda, Jacintbo Borges de Medeiros e
Deoclecio Pereira da Silva Neves, ferrado o pri-
meiro ao segundo, gravemente, com una punha-
lada. Deu motivo questao, exigir Jacintbo de
Deoclecio o pagamento de urna quantia que Ihe
havia emprestado.
JUVENTUDE LIBERTADORA.Deve hoja reu-
nir-se, em sesso ordinaria, esta sociedade.
CIRCO EQUESTRE.A companhia do Sr. Mar-
cos Casali da amanbaa, tarde e noate, dous
especiacntos, no pavilho Santa Izabel. cpm varia-
das e novos exercicios gymnasticos e acrobticos.
CMARA DOS DEPUTADOS. Damos hoje lu-
jrar, em nssa 8* pagina, ao luminoo discurso do
Exm. Sr. Dr. Theodoro Machado Freir Pereira
da Silva, sobre a reforma da le de 3 do dezembro
de 1841, actualmente em discussSo na cmara dos
deputados. Chamamos para elle a attencao dos
leitores.
THEATRO DE SANTO ANTONIO.-Devendo se-
guir no prximo vapor brasileira para o nono, ac-
cedendo ao pedido de diversas familias que anda
nac liveram o prazer de ouvi la, a interesante me-
nima Egeria Antonini obteve do Sr. Durta Coira-
bra dar um espectculo no theatro de Santo Anto-
nio amanbaa noute, com o auxilio da companhia
franceza. Sendo esta a altima vez que se far oo-
vir a menina Egeria Antonini nesta cidade, aquel-
las pessoas que a detejrera ouvir devera aprovei-
lar a occasiao, podando procurar os bilhetes no
escriptorio da theatro.
LOTERAA que se acba a venda a 159* a
beneficio do collegio dos orpho, qne corre no
dia 10.
SESSO JUDICIABJA EM O 1. DE SETEMBRO
DE 1870i
PRESIDBNCIA DO KXM. SR. DESEMBAROAJOR A. r. PK
RETTL
Secretario, Julio- Guimaraes.
Ao meio dia declarou-so aberta a sesso estan-
do reunidos os Srs. desembargadores Silva Gnina-
res, Reis e Silva e Acaioli. e os Srs. deputnd. >
Rosa e Basto, e o Sr. deputado supplente Si Lei-
lo.
O Sr. Miranda Leal faltou com participacao.
Lida, foi approvada a acu da precedente sesso
com a seguinte alteraeio : Tendo- o Sr. bro de
Cruangy declarado que nao podia tomar parte nos
trabalhos deste tribunal, por se achar doente e>
relirar-ss para ra da cidade, ordenou o Exm
Sr. presidente qne se convidassoo 1. supplenu-
S Leito, aflm de tomar assento no mesmo tribu-
nal, omquanto durar o impedimento do supra dii >
deputado.
ACCORDA08 ASSIGNADOS.
Embargante Manoel Carvalho de Moura, embar-
gado Manoel Ribeiro Bastos ; embargante Domin-
gos Francisco Ramalho, embargados os adminis-
tradores da ma9sa fallida de Amorim, Fragoso,
Santos & C.; appellante Joaquim Antonio Pereira,
appellado Vicente Jos de Brito.
JULGAMBNT03.
Embargantes Jos Rodrigues Pereira e sua mu-
lher, embargado Joao Lourenco Viriato dn Vas-
concellos : sorteado o Sr. Rosa em substituido ao
Sr. barao de Ciuangy, adiouse o julganiento a
eu pedido. .. :
Appellante Manoel Pereira Magalhaes, appella-
do D. Juan Busson.Adiado a 16 e 22 do mez
lindo ; nao foi pnoposto por nao estar presea'
Sr. Miranda Leal. Z1
Appellante Paulo Guelphe, appellada D. Ljda-
na Gertrades Clara da Silveira.Esta feito est
em poder do Sr. Miranda Leal.
Embargantes Joao Evangelista de S e ontro,
embargado Jos Fernandes Gomes.Sendo su<-
peto o Sr. Rosa, e mo estando presente o Sr, Mi-
randa Leal nao pode haver sorteio.
:
.



'
5> '

Diario de Pemamb&co -

~
-**.
Appellaule Joaquim Francisco do Espirito Santo,
tmeliado Nalhao Danhci > 1
Sr. Basto e nio estando presem-
Leal oio pude baver srtete.
vO DK BU.
Embargantes J>s Francisco Ribeiro Machado e
outros, embargado Amaro los dos Pmeres.O i
liiineiro dia ulil.
rainums
Do Sr. desembargador Rei e Silva, ao Sr. de-
embsrgador Aociolt : embarcante Jos Cirios
Trix-ira. embargado* Qliv.tira Filaos de G,
Do Sr. desenabargador Accioli ao Sr. deaerabar-
g.idor Silva Gaiaaret : opnellante Jos Alves de
Ag liar, appellados os administradores da mas
Taluda, do Antonio Jos de Figueirddo.
ISTRlBCiaOKS.
Ao Sr. deserabargador Silva Guimaraes : em-
bargante o> Bautista Gomes Peona, embargada
D. Arma Joseplia P. reir dos S.nto* ; aiipellaue
Jos Alvos Barbosa, appellado Loareneo Pupgi.
Ao Sr. desnbrcador Iteis e Silva : appeHante
Frlmto Elisio de Cirvalho Gouto, apellados Sil
gado Suiza & &
Ao Sr. de<*mb;irgador Accioli : appellantes
Si nio suspeto o Evni Sr. presidente, o sr. de-
Sfmoargador Silva Guimaraes distribuio ao Sr.
desi-rubargador Iteis e Silva o faite entre parte? :
;mtellante Mgnd Arehanjo >1e PigueirdO, appet-
lado Joaquim Jorge de Mello, tutor da meuure*
Manila e Ignrz.
Nada niais houve, a toi encerrada a sessao a
ama hora da tarde.
raos defrentee orfear.
Oofcto do m< uiio que nio pode dar
o sen parecer sobre requenniento de Joo Luii
da. \raujo, no qaal pede licenca para edilkar urna
c**a o terreno da rna de Santa Rila Nov, sea
ce o supplicante jante titulo do sea terreno.
Junte-se a tilnlo.
Sabbado
3 de Setembro de 1870
Joaquim das Chagis, e sob o. 3 a do capit^^H
ves, que foi e devia ser preterida.
F.ro ludo quauH houve ueste oceasiao n
ceden a junta por affectu t nem por ioimn, e
somente mostrou-se como serapre .a pe-
itrense da Sania C
techo relacoes algumas com<
Ootro o fiscal da freguezia da Boa-vista, com- ja propasa foi preferida, e nem desairese Ma-
museando ter inoliado a Jos Alves da Silva Goi- noel Joaquim das (Miagas, quem vi das ve-
CMARA MUNICIPAL.
SESSAO EXTRAORDINARIA AOS H BE AGOSTO
DE 1870.
PRESIDENCIA 00 SU. DR. SOUtA LB\0.
Presentes, o Sr*. Gameiro, Costa Moreir. Pe*-
i-."> i da Silva e I)r. Piteoga, jhno-se a sessao e foi
lida e approvada a acta da antecedente.
Leu-se o segujnie
KXPEDIEXTR.
Um of;io do Exm. viee-presidente da provin-
cia, transmittinlo por copia urna portara pela
quil cmei'de permissao ao gerente da Brasileen
Stret Kailvoad Compagny (Limii-d) para prolon-
gar a linha dos reap-iuivjs irilhos da praca do
Cipim al ponte de 7 de setembro.Inteirada.
Outro do rae>mo, convidando a cmara par fa-
zer a-i honras a saa alloza imperial a Sra. O. Isa-
bel n seu augusto esporo o Sr. conde d:Eu, caso
qieirarn visitar e*ta cidade, quando tocar no por-
te > vapor que as conduz a Europa.Inteirada.
U.n despacho do mesmo Exm, presidente, man-
dan lo este amara informar u requenmento de
Manoel Amonio da Silva Rio, no qual queixn- de Fraocise Jos da Casta Araujo, por elle ter
dado comeco .i raed'lkarjio de um su preflio
disiente n* estrada Jo Cajueiro ; na qual tora o
upplicanle um terreno proprio para edificacio, e
j leqaeren a esta cmara licenca para i.-so, al-
iegin.lo ficar graveiuoute dodido em seus inte-
reaves, porque a reednieaejo do predio perten:en-
\e ao dito Cta Araujo. causa grande detotmida-
nhameuio ; em vista do que pede o supplicante
providencia* em ordem a ser observado o art. 13
da lei provincial a. 7J8.Mandou-se informar a
S. E lo en^enheiro, sobre o me-mo as-ump'.o, por oc-
cmsIq de iguil requerimento a cmara feito pelo
ref-rido Silva Bies.
Um parecer da commisfio de cerailerios sobre o
i lli-io do procurador, o qual participa aobar-se
quasi extincia a verb para o pagamento de pe-
ireiro, coveiros e serventes do cemiterio desta ci-
ilade. e pede autnrisaeao para se dispender a
quantia de 1:000*000.Aptirovado.Que se olli-
cie ao presidente e ao procurador.
Um officio do li-cal da freguezia do Poco da i'a
neila, communicando a reincidencia de Fraacisd)
i;irueiro Monteiro, em conservar a cerca que fez
nn oitao do urna casa, embaracande a servidio
poltica.Ao engenheirn.
Ootro .lo fiscal da freguezia de S. Jos, remet-
iendo dous termos de multa, sendo um de Frede
rico de Sonza Gomes e outro de mestre pedreiro
Silvestre Lourenio do Espirite Santo.Ao procu-
rador.
Um parecer da counnissao. de cdificacao, conce-
bido nos seguintes termos :
A co:nmis a irmaudade (Ls almas do Hecile, acerca da
des.ipmpriacao do terreno e paredes da casa io-
- eendiada da rna da Gadeia, dirigio-se ao jniz da
queila irmaudade, e em re.posta soube que es-
sa havia auiorisado a elle, ao procurador geral
e ao esenvao para enirarem em conchayo, e
que ees haviam res olvido receber a quantia de
.oO'J, valor mnimo das propostes aprsenla-
n das, urna vez que a cmara nao consinla edifi-
i-ar-se e nem aliene o terreno; fkando o direilo
mesina. irmaudade de ha ver o terreno em
qnalquer lempo que a cmara resolva permittir
edificar ou iirocure alienar o mesmo terreno,
sendo que ludo isto a mesma irmandade nao po-
de dar por sua pane por feito sera previa ap-
provarao do juiz de capellas. A commissio jal
gi bou e razoavel a proposta, e por isso no ca-
t* de ser acceita.
Pai;o da cmara municipal do Recite, 10 de
agosto de 1870Dr. Prxedes Gomes de Sorna
Pitanga e Jos Mara Freir Gameiro. Remet
ti lo ao mgeoheiro para avallar o terreno, atm de
se obter urna base para n contrato.
Um requerimenio de D. Alexandrina Mara dos
s.in'.o. viova de Jos da Foneeca e Silva, oflere- i
cendo um documento pelo qual se prava, que por
pacho do Rvm. vigano capitular ficoa sobres-
tada o despacho anterior do Rvm. Sr: administra-
dor do bispado, concedendo autorisagao ao bacha-
rel Francisco Augusto da Foneeca e Silva, para
'ile exhumar os (usos de sea finado pai, e l'undan-
do-se nesse documento pedo indefen ment da pe-
!<;o do mesmo bacharel, ama vez que est a sup-
licante promovende o sen direilo perante o Rvm.
vigario capitular.A' commissao de cemiterio.
Urna communicacao de Agr & C, os quaes,
augmentando o seu estabelecimeoto de carros fu-
uel) -es. occnparo mais a casa n. 11 da ruad)
Imperador.Inteirada.
Um parecer do engenheiro cordeaior, no qaal
observa que Francisco Ferreira Baltarnao pode
> him rvar os canos que aelualmente estao servin-
do de esgote as aunas pluviaes em suas casas ns.
14 e 16 da rna da Imperatriz. e sim canos chatos
de ferro fundido do modelo approvado, com que
smente pode dar a evacuacao necessaria. Con-
cedeu-se de conformidade com o parecer.
Outro dado no reqoerimento do Dr. Gustavo
Adolpho W.'lllinn, observando que pela planta da
cidade o jardim da fabrica de cerveja, sita sa roa
do General Victorino, cortado por duas ras, e
que, portento, para se conceder licenca para edi
ficar-se alti, preciso saber-se priraeiramente qual
o sitio do| jardim em que o supplicante quer cons-
truir as obras, e dcpis su sao provisorias. Ao.
supplicante para declarar qual o sitio do jardim
om que, pretende construir as obra?, e se sao pro-
visorias.
-Oalro dado no reqaerimento dos consenhores
do sitio denominado viveiro do Mnniz, facendo di-
versas obse vacoes, sendo unas contrarias e ou-
tras favoraveis ao supplicantes qae pretenden) al-
terar a planta da cidne no lagar oceupado pelo
dito viveiro do Munit.--A' commissao d* edtfioa-
..io.
Outro dado no reqoerimento da eompanhia de?
trunos urbanos do Recife Olinda, a qnal pede
esta cmara que em observancia ao art. 1* da lei
provincial n. 967 de i de jirttK) do correte anho,
designe o lagar em qne dovo-ser construida a es-
laco central no bairro de Santo Antonio. O en'
Zeiihetro observa qne presentemente nio v e nem
pJe designar om lagar que seja aproprado i es
tapio central no bairro de Santo Antonio.A' com-
mi Ootro do mesmo engennWro, informande favora-
velmente o reqoerimento de Antonio Botelho Pinto
de Mosquita Jnior, no qual pede licenca para
construir eaas, ooxi as dimencoes que marcam as
po.turaB, em seu sitio no lugar da Torre, fleando
Has arredadas do alinhamenlo 30 palmos Con-
ci-den-se.
Ohtrn do mesmo, informr.ndo favoravelmente o
ii'iuerimeoto de Antonio Duarte Coimbra, no qnal
pede licenca para abrir tres janellas no moro da
fronte do theatro denominado Santo Antonio.
Conceden-se.
Outro do mesmo, informando favoravehnenle o
i' querimento de Joaquim Pereira Arantes, ne qual
pede lieenc para collocar urna pedra na esquina
da casa o. 14. da rna do fiodornitCoooedeuK'e.
Outro do mesmo, infotmando favoravehnenle o
requer nento de Joap Joaquim aa Coste Leite, no
qual pede licenca para arrelar a coberla da co-
eu -iuo' no lugar da Casa-Forte, bem
i construir ura muro com 130 palmos potico
iiims ou menos estro a coxelra e o portao. Gon-
CedWHM.
maraes, por ter elje iurmaldo o art. 7. combinado1
T *juJI ** MP Wcipaes oi de
naaio de 186$ ua euifteoeio d ves casas cofEso-
* nu da conde do Bo*-?ta, assin ojmo
wultonoo u estre da abro Manoel da Costa Heoge-
nrao toado ja reeolliido as multas a coutadotia.
inteirada.
lIioaiaitJcaodeEgydte Carneir RodrifoCam-
peiio e Antonio alaria Carneirn Leio, coaaoiwres
da propriedade Ambol situada eatre osnovoadne
Ja Matris da Torrea e do Cixang, oITecendO
nma e>iraHa nova por ees aberta em dito proprie
dade mi troca da estrada velha, a qual segundo ellos
ailegam nao se presta c im igual cwnindiltde ao
transito publicoA commissao de lcaoao.
mira do diversos habitantes da ra mil "ra de-
nominada Larga do Rosario, representando con-
tra a nova deuominacae a pedindo que fique esla
sem effeifo A commissao eocarregada da mo-
Janc dos nomes das roas.
Desparliaramse aK pticftos de Antonio Macha-
do orna, Antonio Duarie Coimbra, Antouio Pinto
de Barros, Asra & G, Antonio Esteves Mnreira da
Coste, Aiidiio Botelho Pinto de Mesquita Jnior,
Ansthile- uarte Carneir da Coona Gama, An-
tonio Jos Vieira, a Compannia Pernambuoana,
Estevo de Carvalho de Miranda Varejao, Custo-
dio Alves Rodrigues da Costa. Firmino Antonio
Rodriiroes, Francisco de Assisite Oliveira Maoiei,
Jom Poreini, doio Pereira Pedreta 4 Irmao, Jos
Joaquim Pereira de Mendonca. Joaquim tonoalves
Aleixo, Joaquim da Costa Ritwiro, Joaquim Perei-
ra Arantes, Joo Luiz de Araujo. J.io ntra da
Rosa, loan Cardoso Rabello, Jo- dos Santos da
Silva Barreiroa (i), Joaipiim da Dista Itanms. Joa-
quim Rodrigues Duarte, Jo- Reranger, Joio Joa-
quim da Cost Mala, Jos Goneilvus Beltrao, Joao
Baptista da Paz, Ceopoldiao Omdiuo Martba, Loa-
renco RIMro da Canha Oliveira, Loureneo Pereira
Mendes Guimaraes, Manoel Pereira, Manoel Joa-
quim Kerretra Esleves (i). Mondes & G, Manuel
Aprigjo de Almeida Lima, Manoel da Coste Man-
sercao, Manoel Cypnano Ferreira Rabello, Mm.
Melonie Schlesser, Manoel ftenedicto do Espiril >-
Santo, Mathilde Mara d is Prazeres, Manoel Bene
dicto do< Santos, Manoel Tavares. Paala Mana do
Praga Vieira, Paulino de Carvalho de Miranda
Varejao, Rocha Lima A Guimaraes, \)r. Simphro
nio Osar CmlinhOj Toleatina Correa do fy'asa-
mento e levanto-se a sessao.
Ignacio Joaquim de Sotiw Ayrto, pro-presidente.
Dr. Pedro : Alhayde Lobe Mo$co*o.Jo$ Mttna
h reir Gametro.Caetana Cyriaeo da Costa Mo~
i eir Dr. Prxedes Gomes de Souza Pitanga.
Bent J's da Cotia Jnior
LONDON A BRASnJA>" BANK, (LIMITED.)
QanM doBanco 15.000 aecoes
de 100................. i:t,3.13:3^1|'t:i0
Aceoes emittidas 13,000...... 1 M38:SR(8tfO
Capital pago a43por aceoes. 5,206:0004000
BALANQO DA CAIZ.V KILIAI. KM l'ERNAMBUCO EM 31 DE
AGOSTO DE 1870.
Activa,
Letras descontadas..........
Crditos diversos.outros baacos
e anias liliaes...........
Caixa:
Em moeda eoiTente.........
I,ol0:777*360
1,330:7315660
43:303*190
3,084:81 J#410
Possivo.
Capital fotuecido pela caixa
matriz...................
Depsitos:
Sni ootata i-or-
rqate...... 215:618*460
Depsitos lixos
e por aviso. 1,149:036*470
Crditos diversos, outros ban-
gos e cantas liliaes........
888:888890
1,354:654*930
831:268*590'
Rs.
3,084:8li*410
S. E. & O.
,;t iiiuiiliuco, 2 de setembro de 1870.
H. Pritchard,
Actg. acecuntant.
PBLICACOES A PEDIDO.
\egrIos do Asylo de Hendici-
dad.
Santa Casa da Misericordia de Recife, 18 de
agosto de 1870. N. 2940.Illm. e Exm. Sr.
Se o ex-director do Asylo tives*e realmente dese-
jado, como d a entender, que fosse contratado o
fornecimentodos gneros precisos para a alimen-
tario dos mendigos e empregadus, nao linear i a
mo do expoliante, de qae usoa/e teria recorri-
do junta, quem compele fazer esses contratos
para os estabelecimentos, que estao a seu cargo,
nos termos do compromisso, ama vez que o mesmo
ex-director, quer so e quer com a assislenoia do
mordomi, cuja nomeaco pedir ai hoc, nao ti-
nha direilo algum de celebrar esses contratos pa-
ra o estabelecimento que governava.
Emquanto nao for alterado o art. 32 7 do cora-
promisso somente a junta do Santa Casa tera o di
reito de celebrar os contratos de que se faz men-
ean, e certamente ella composta dezenove pessas,
offereci maior garanta de acert e independencia
do que o chefe de um dos ealabelecimentos con-
fiados sua administracao.
Se a junta pode abusar,ella nao otem feito; ella
jamis consentira que algum de seus membros
pendesse para o arbitrio, e a narr jco, que fez o
ex-decior do Asylo para comprovr o contrario,
tem o defeito de ser'ioexacta. Eis como o tacto se
pas.suu :
O proprietario Benlo dos Santos Ramos, que j
l'oroecia carnes verdes aos estabelecimentos de ca-
ndade antes da insullaco da Santa Casa de Mise-
ricordia desu cidade, e que depois tem fornecido
esse genero aos mesraos estabelecimentos crdi-
to e para ser pago segundo as torgas do cofre res-
pectivo, escreveu-rae umocarta, em que deca-
rou-me que, sendo credor de taes estabeJecimon-
tos por avuada somma, nao poda continuar no
fornecimento, mas qae se a jante lbe dsse por
cont de seu debito a quantia de 5:000*000, elle
foroeceria a carne precisa aos mencionados esta-
belecimentos na razao de 4801>. o kilogramaio nos
atetes de julhe a setembro.
A junta, qual fiz presente a sobredita carta,
attendendo que no trimestre de julho a setembro,
que a carne verde costugaa estar mais barata,
esolveu qne se officiasse a.Bento, dizendo-lbe que
sua divida cava de enfooem dianla estacionaria,
e que se ia por em praca o fornecimento de car-
ne pelo tempo a qae elle se referia com pagamen-
to a vista ; neste sentido foram feitos os abnuncios
do estylo.
Da copia n. 1 conste a respota dada Bento,
qae do comparecen no dia 30 de junho prximo
paasado. dia da ultima sesse da quinte junta,
aprasadtf para a apresentacSo das proposU?.
Jfesse dia, porra, compareeeram Manoel Joa
qnim das Cnagas com urna proposta em qae se
offerecia foruecer carne todos os eMabeMe-
mentos pros a 446,ts. o kilogrammo, e Francisco
Joaquim Ferreira Esteves, portador da urna pro-
poste do capito Manoel Joaqaira Ferreira Esteves,
na quai este compromeUia-se a fornecer o mesmo
genero na razio de 400 re. o kilogrrammo.
Est vis qae o proposte preferr-se era
a do capitio Esteves, por sor mais vantajosa aos
intoresses da Santa Casa, reahsando-se urna eco-
noma de 565*580 no trimestre da arremaiacao.
Goma quer qae. porm, a proposia de Cbagas
cootivesse a Cuudcao de mandar elle levar aos es-
tebclecimtotos a carne qae fornecesse, sendo de
ossos somente a quarta parte, segudo o costume
seguido na Santa Cata, coudicao que nao tinha si-
de incluida nos annncios, que > poda ser co-
nbecida p)r Cbagas em consequencia de commu-
nicacao de algjiem, e que nao nodia deixar de ser
ignor^a pelo capitio Ferreira Estoves ; um mor-
domo requeren que fosse chamado o porurford*
propesta de Esteves, aflm de declarar se por por-
t do proponenle elle qnerla sujeitar-se fallida
eondieao, caso em qne ainda se tornara mais van-
l'jusa semelhame preposta.
Appt evado o reqoerimento fci aceito a eondi-
eao, e preferida a proposte do captao Esteve,
sendo que nao se poda adiar para a seguate se
sao a SOlnean mt* nnM .. nnrmio n .^.i.a requerimooto de Manoel Antonio da Silva Ros, no
qual pele licenca para edificar no seu terreno na
es'.rada do Cajueiro, urna caso terrea com 32 pal-
das propostas estav Avuteao, ei porque se fa-
n?. ate o da 7 de julho setolnte o' fornecimenta
_ julho segon'te 'a "forecimdnn
atro de mesmo, latormando favoraveJoaenta o em virlodrdo contrato-anterior e na razio de 480
ra.o kitegraoBmo de corno eom preiuixo de nao
menos de 92*640 para a Santa Casa
Sob o n. 2 val copiada a proposta de Mtnoel
Joaqti
m, urna na >ala das se*?oes da junta e oura em
mintia asa.
Antoideterminoro urofonte, parece-me con-
veniente diter que o prejriotari.'i Rento dos San-
io ROMOS, i quem as dnonas juntes devun-se
confosonr obrigada* pela aas maeeiras nbxqoie-
sas, ja se aoha pago de sen orescido debito.
Den guarde j, V. ExcIllm. e tx. Sr. des-
eoabc|ad:ir Kr.-.nciseo de Assii Pertira locha,
vico presidente dajrovincia.
O provederda San
Aseltm rVifnccsco' Pe'
C.;vaIllm. Sr. Bcmo dos Santos JUfioo
Fiz presente junta administrativa desta Santa
Casiem sessao de hontem, a carta tjae V 8. me
dirigi, e ella nao podendo por cama da dfticuuv
ca do cofre do patrimonio da caridade atender
ao que V. S- pede em dita carta, resolveu |qe 0-
casso estacionaria a divida de V. S. para lersa-
lisfeito de sua importancia onlorwe as fpr^as do
referido cofre, e que fosse praoa'o fomeciiiento
da carne para ser pago mensaluieuto a coulir do
i* de jullio fin dfante ; podendo V. S. conesrrer
com os domis lictente que apparocerem.
Sou com toda a considoracao de V. S., etb.
Recife, 25 de junho de 1870:
Anselmo Francisco Ptret
Conforme.P#oVo Jtodrignes de Soaso.
H. 2.
Copia. Pmposta para fornecimento de carnea
verdes para os collegios dos orphius e orahias e
hospicio da alienados e os hospitaes de caridade
cargo da Santa Gasa de Misericordia do Re -
Nte,
Eu abnixo assigeade forneoocarnee verdes aera
os collegios de orphaos e orphaas e tuspici de
alienados, e todos os eatejMlecimentos de caridade
cargo da Santa Casa de Misericordia do Recife
do 1" de julho ao ultimo de setembro de 1870, a
440 rs. o kilogrammo, dando so de ossos a qjarta
parle, e mandando as levar em seu> respecvos
estabelecimentos.
Recife, .10 de junho de 1870.
Esteva a estampilha no valor de 100 rs. e inuti-
lisadoda maneira segainte Maiurl Jwqwmdas
Ghagas.
Conforme.Pedro ftoilrgues de Souz*.
N. 3.
Copia.Proposta.O abaixo assigoado prono
nhe-se a fornecor a carne verde que for necesaria
para o consumo des estabelecimentos de caridade
nos tres metes dec urer do <. de julho a 30 de
setembro do correte anuo pelo preco de (400 re.)
o kilogntmma, sendo carne de boa qualidade.
Esteva a estampilba no valor de 200 rs., inutili-
sadx da man tira se.:uinte :
Recife 30 da julho de i870.=Manoel Joaquim
Ferreira Esteves.
Com a condieo de levar-se a quarta parte de
ossos para o hospital, devendo ser a carne entre-
?ue nos estabeleciinentKs.Por Manoel Joaquim
erreira Esleves, Franetsce Joaquim Ferreira Es
leves.
Caoforme.O escrivao.
Pedio Rodrigues di Souza.
Santa Cosa de Misericordia do Recife, 18 de
agosto de 194,1. & 2H40. Illm. e Exm. Sr.
No teroeiro artigo publicado pelo ex-diructor do
Asylo de Meudicidade em o Uiano de 31 de julho
n. 162, diz elle qae eu exerco na Santa Ca>a na
poder de-crioionario ; que ludo posso e mando ;
que posso al fazer e desfazer contratos.
Exm. Sr. ; eu nao exerco poder discricionario,
e pelo eoriirarin todos os meus actos sao pratica-
dcs em vrtude de.resoluc/ies da junta, cujo co-
nhecimeoto e auprovaco auboHlto ludo quauto
faco no intervallo das .-essoes.
.No proprio da, em qne semelhante artigo foi
incerto do Diario, a junta, sob proposta de um de
seus_ membros, mandou consignar na acta de sua
sessao a declaracao constante da copia junta, de
claracao esta em tudo verdadeira.
E com elfeito, as sessoes cada um expende o
seu pensamento com frauqueza e independencia
sobre qnalquer materia : tf ndo eu sido militas
vezes levado modificar a minha opiuio, quaudo
acho acertadas as razoes contra ella apve;entadas
por algum collcga, e o mesmo ar.ontece com ou-
tro, sem que nunca tenha entrado a desnarmoaia
no Sv-io da junta.
Est?, como V. Exc. sabf, compoe-se dos Srs
Barao do Livraraento, commendador Jos Pires
Ferreira, Dr. Manoel Ferreira da Silva, teoenie-
coronel Antonio (darlos de Pinbo Borgos, conego
Francisco Rocbael Pereira de BrRo Medeiro, D s.
Jos Antonio de Figueiredt}, Antonio Herculauo de
Sonza Bandeira, Jos Eustaquio Ferreira Jacobina,
\ntonio Mara de Faria Neves, commendador An-
tonio Jos Gomes do Correjo, Floriano Corroa de
Bnto, tenente-coronel Justino Pereira de Fara, ca-
pitn Amaro de Barros Correia, Albino Jos da
Silva, captao Vicente de Paula Oliveira Villas-
Boas, major Jos Joaqnim Antones, Antonio Ra-
mos e Bario de Cruangy.
Pessoas como as que ven|io de mencionar, silo
incapazes de se acurvar i vontade de quem quer
que seja, nao Ihes pode caber por modo algum
pecha de subserviancia, que Ihes atirou o ex-di-
reclor do Asylo, e a simples declinaco de seus
nomes o mais vivo protesto contra tio desarra-
soada arguicao.
G cx-drector, que tanto alarde faz de sna so-
brauceria, nao quer conceder que cidadaos tao
importantes e respeitoveis tenharo ao menos tanta
dignldade como elle.
Dos guarde a V. ExcIllm. Exm. Sr. desem-
bargador Francisce de Assis Pereira Rocha, vice-
presidente da provincia.
O provedor da Santa Casa,
Anselmo Francisco Peretli.
Assoeii
Trecho da acta da sessao da junta de 21 de ju-
lho de 1870 que se refere c officio stipra.
O Sr. Correia de Brito diz :
< Que grassando geralmenle a idea d qne o
Exm. Sr. provedor Impde a sua vontade aos seas
coliegas, de furnia que a jante ello ; e nio sendo
isto exacto, gn>cas a delicadeza com que o mesmo
Exm- Sr. irauaos membros da junte, e grecas a
independencia com qae estes se pronuncian) em
quaiquer occasio, o que leva muite voz o mesmo
Exm. Sr. a modificar a sua opiniao no sentido des
tes, oa no caso contrario mandar declarar o sea
voto vencido: se faca bem saliente este circuns-
tancia nos officios qne se dirgkem presidencia.
Coofere.Pero Roirigues de Souza
Santa Casa de Misericordia do Recife-, 18 de
agosto de 1870.N. 2948,-Illm. e Eiro. Sr.O
ex-direetor do Asylo no seu quarto artigo publi-
cado oo Diario n. 164, tratando da nanea, a que
este obMado o mordemo iaterno on empregado
comprador, diz que essa iaaca.deve ser prestada
perante o director, e nao pecante a junta, por que
o mesmo mordomo recebe d'aquelle as quanlias
para as despezas de esttbetaeimenio, so ello deve
prster coates todas as soroanas, e uoicamente
para com elle respoosavel.
Se o dinbeiro qae o mordomo recebe, embora
per mi do director, para as despezas do Asylo,
pettonceme ao cofre desse estabelecimento, e se
este acha-se sob a admiaislracao da Santa Caso,
perante ella qae deve ser prestada a flanea ero
queslao. Por ootro lado o mordomo ou compra-
dor fot creado pele regulrosme de 21 de ontubro
de 1869, e aomeado pela presidencia, nio em-
preado particular do director, e aira do Asylo ; e
;e quaiquer quantia, qae elle extraviasse, perde-
la-hia o cofre, o nio o dlrostor, segue-se que a
lianca, de que se trata, deve ser prestada na re-
parti^io, so cuja adramistracao tea de se achar
0 indicado cofre e nao perante o director, que ne-
ohuma disnosipto aponte qae lbe d faculdade pa-
ra tomar semelhante flanea.
1 Olex director apenas toou naqaostio relativa
i opposico que se di entre o artigo 10 do regu-
la roe nioInterno do Asylo o o artigo 97 do compro-
misso da Santa Ca*<, e por tanto s direi este
reipeo qne, 0 ter podido ser observado este ultimo
artigo, mu provavel queura guarda de Asylo
nio tivesee sido arvorado em amanaense, que o
amanuense da respectiva secretario nao estislesse
veocendo ordenado oem oecupacao algama, e qae
para o guarda Franciaco Xavier do Souza Ramos
io se Uvosse tirado venctmooios nioeetendo site
, exerceodo as obrigaedes de sea empoene, eorno ji
sao a solacao oeste negocio, j porqne o eoOted !pender atV. Exc. em. outro officio.
Sobre a materia do prenotado attigo quorto, po-
Mteado polo evdirootor, reste-me dner que se' os.
rendimentos do Asylo e vrtude de compeomisso
esoatitniaa porte do patrimonio da Saote Casa,
por este que deviam ser administudos: polo que
nio pode parecer exorbitante a pretenso d ella
quanto i dever a thesooreria provincial entboat
mensalmente o producto do imposio adlieio'ool ar-
rocadado mi mez anterwr, j paro ter a secretaria
da Santa Casada Misericordia bases para a orga-
oisacao do ercemoofe no devido loaapo. o j pan
nao se ver a joofflUigada mandor adlanter di-
nheiros dei ootro ^oirimonio. como ella fez, e o
sabe o ex director, que nao pode mvocar oque se
tem praticado com a direccio da Assoeiacio Com-
merctal Beneliceote em vuruide de u enpisnte e
a ctjtm de ansa quantia certa, a quotnao 4 rida
ptlaojaociacao, cotao diz* ox-dioostor *At.ylo,
mis entregue a Salta Caso quando recetada da
thesooraria do [azoada.
Daos guarde a V. Exc.-lia. a uro Sr. des-
embonador Francisco do osis. Pereira locha,
vice-ooesidente da provincia.
O provedor da Sonta Casa,
Anselmo Francixo Perttt.
(Contina).
gerda pelo banco Rural
e Janeiro.
oo'wpnro mutoo sobre'aWtaSi,
e Hypotbecario do Rio
i
o,

o

2
o
a
m I

1

O
i

o
1
>
>
2
-4
>
C"
se
>
Q.
o.
>
o
c
cr
T

i*
=9
C
9

-
"g
i
o-
o*
S
r>
O
O*
K
o
m
3
8

8
a
5
I 8-
Agencia
n. 19.
de Pernambnco, rna do Livramenlo
N. F. de Vidal.
(
Clnica hooicepathica
DO
Dr. Santos
DURANTE O MEZ
Mello
DE AGOSTO )
poderlo I
de certo, urna
ora pa aseeablio proeioeiet, ~^H
servlcs qne odespeft
descoohecer.
Grave e muito grave negocio
sleifao senatorial.
E sem maita calma e imparcialidade, e aoite
reflexio, nanea se ebegar fazer urna eseolha
digna dbs eleitore e dos eleilos.
Parece-nos, pois, qae os cidadaos que por suas
*irtndesVi^cos,-n1aToocia eestUMafade eroi
suas iBs aWicas- ofcrecofea man garantas
no seaan dfcari desoapenatr -o honroso man-
dato qne o povo Bes cooflar, dovem sor os pro-
feridos.
0 dooanbargador Alvaro uso dos oe tenio
t >dos soas rooaa'tos, deve ser conteninlado na
lista tripiiee.
Asaa, esperanios qne o nonre corso eleitorai
mais una vez (Sea Justina, e golarde o mrito re-
conhecido do -niagisBono- iulogro, do adiado dis-
tincto.
31 de agosto de 1870.
Alguns eleitnres.
A
Dor
irraao Marrnliao
aellas Caaiara.
Compartihiando soa dor e mais trabalhos que
agora passamos cora o passamento da nossa sera
pre lembvnda sonrmha e cunhado, vossj esposa,
le foi Deas sorvido chama-la para si, nio pos
nem deve passar desapercebtde o recordar o
seo respeiio para commig), eomo sobrinha de
cnaroar me e abracar-me depois que recebeu n
oorpe imroaculado do Senhor ; nio satfsfeita em
partir deste mundo para a morada eterna ( em
lucos e torrentes de lagrimas) sem pedir-me pe-
lo anror de Deus que lhe perdoasse todas as
qneixas e aftnvos *qoe della podesse ter.
Gb cora cao religioso que tonto soubestes
abracar a sana religmo do Senhor, nao se es-
qoeceodo um s momento de pedir a Deas por
s, seas parantes, e Analmente por todo e gene-
ro humano, e como hei de boje por dianu mea
irmao viver sem ama recordaran sus, senao imi-
te la em sen sobre-nome ao menos.
Te ndo eu em 16 de mam de 1864 mudado de
sobre-aome que tinha de Dornellas Cmara para
Coelbo da Silva por ctreumstancias de famlla,
hojo em memoria aqneMs, qne tinta"; provas deu
de amor, virtode e caridade na torra, reverto
para o meu antigo sobre norae Dornellas Cmara
de hoje por diante em todos os meus negocios,
tratos, etc. etc. ftando sem effeite o Coelho da
Silva, e sm servindo as repartieses publi-
cas don nte o cerrente exercirio de hTO a 1871,
por ter procaraenes do dito exercicio em taes re-
particoe.
Secife. 3 de setembro de 1870.
Olympie Dornellas Cmara.
COMMERCIO.
PitACA DO RECIFE 2 t)E SETEMBRO
DI 1870.
as 3 1 '2 nonas da ranos.
Cambio sobre i,(odres 90 d|v JO d, 19 7(8,10
3|4 e 19 orS oor 1 000 < hontem).
Dito sobre i90 d|v 19 3(4,19 5i8 e *9 1]2 por
MMNMO).
Portugal 60 div. 160 0^9 de
Cambio obre
premio (bojel
Dito <0 div 16o 0|0 de premio (hoje).
lioncallo Jos Affbuso,
Presidente
Mesquiu Jnior.
Secretario.
ENGLISH BANK
Rio le /jnaeiro Limiten
da pra?a taxa a
con
Molestias
1
Abcesso da face......
Aplitas...............
Rexigas codiluentes..... i
Brouchite aguda....... I
Convulooes............
Denticao..............
Febre intermitente...... 4
Febre verminosa........
Gonorrha.............
Metrite aguda..........
Metrite chrontoa.......
Occlusao da vagina.....
Scorbuto..............
Sardes................
Tubrculos.............
x

u
1
2
3
3
3
7
2
1
1

a I
*1~
14 15 25 1 3
2 de setembro de 1870.
Dos doeotes que Qcaram em tratemeato us
mazos anteriores, ourtrwn-se 22, existem em tra-
tamenlo 7, morreram 4, sendo 2 de lesao do co-
racao e 2 de torbeculos pulmonares.
Em julho deixou de ser publicado porque es-
tivo doeote.
Dr. Santos Mello.
Ra do Bario da Victoria n. 43.
Senbores redactores.Nao podendo ser inpilfe-
rento aos impulsos da gratidao, qae ora me euche
o peiio, mesmo a risco de ofiender a modestia pro-
pria das almas elevadas, venho s suas columnas,
para dosse seotimento dar urna copia publica ao
Sr. Dr. Carolino Praneiseo de. Linca Santos, pela
pericia e felis resultado com que operou-me de
urna aneurisma, que se nana formado na qoxa da
peroa dreila.
Sel qne eom esta publicacao nada adianto, quan-
to a repntaeao do mesa Sr. Dr. Carotioo, que
tem-n a sufRcieatomeote firmada ; mas com isto
compro um dever, que rae impoe o coraco com
acquiesciencia drazao, seca que tenha outcasvislas
que fazer-lbe certo o meo reooahecmento, exter-
nsndo-o desta sorte para melhor RYo fazer cons-
tar.
Isto posto, queiram dar mser?io, setiores re-
dactores, a esta* poucas palavras como tradnecio
do animo penhorado de
Joao Francisco de Sales.
A dtigfopara um semdor.
Guardaramos protundo silencio sobre a eleieo
a que se tora de proceder para preenebiaento do
vaga deada pelo nobre depatedo marques de
Olinda, se em um artigo da fundo o Gormo Per-
namicuano de 45 do correte, nio apresmosse
tres nomesos nicos, a seu ver, dignos e aptos
.para oceuparem uma cadeira no senado.
A injusiea do aruculistt ftsgraote, e odiasa.
Nie sao aquellos os aicos qne bem merecem
do corpo eleitorai Na. Qutros ba que, por seos
importantes servicos i causa publica, pelo presti-
gio e syapathias que oa eeream, e qae tem digna-
meato sonido angnrur, nao podem, nao devem ser
esauecraos.
GoOTenoidos, pois, deste verdade, arfastados
pon aasor da junlica, ousamos sahir da no.-sa
obscuridndo par iembrar ao corpo eleitorai deste
paowiciar-o uoms do Exm. Sr. desembargador
Alvaro Barbaloo Uchoa Cavalcaute.
i Pernanooeano illuetoe, carcter disjjncto, roa-
gistrado austero, ioteiligenta e indepente, poltico
de crengas firmes e inaballaveis, o desembarta-
dor Alvaro, nos momentos mais cnlicos e diffioei
para o portsdo eonaosvador nunca ttesertou do
seu posto.
! Servicos tem elle prestado ao paiz, e especial-
nva este provinoia. quer fazeudo jusja nos
tribunaes, quer ocennando a cadeira de deputado
0
Descoota ettras
'endonar.
Recebe duheiro em coota corrate h
ir98o fro.
Saca visia on a praso sobre as ctdadtf
prlncipaes da Europa, tam cornespondeniei
3i Bahia, Buenos-Ay^s, Montevideo, Nen,
a New-Orleaus. e emitte cartas de crdito
para os mesmes tugares.
IA DO COMMERCIO N. 36-
Xovo nanea de Pernambno em
HqaMaeo. de agosto de
Os Sr. accionistas podem rceber o 7*
dividendo de :ra por cento do capital s
Tartas feiras e s8bbados.
A' ra do Commercio n. 34. 2o an-
dar, a-sa, j qaartao-feiras e sabbados o
3o e ultimo dividendo de 2,99 "i,,
passivo da concordata do Sr. Jos
Basto.1*
Recife, 6 de aposto de 1870.
sobre o-
Antonio
tKlARACOt"S.
Per ordea do Sr. Dr. Cteadino de Araojo
Gaimaraes, consol da arate pootagoean nosia pro-
viuda de Pernamiiuco. sao chamados os odores
des espolio dos subditos portugueses Antonio do
Azevedo Maia. loai|oim Antonio, a de Manoel do
tevedo-tJaso pan ngfaitarem seus crditos
:a rliatatar.a m coaaado, deotro do graso
da oito diai dO pasme ana. para depoio de ve-
rificados sern nang at onde ebegar o prodneto
dos mesmoe espann. Piale o praso aarcadn nio
podero sor ai admittidos.
Consolad de Portugal om Peroaabaco i* de
setembro do 1870.
0 chancellar,
Arthnr Auretiene Ferreira Braga.
ConseUio de compras navaes
O cooselho no da 5 do crreme mez. a visto de
propostas recebidss at as 11 hora d maano,
conaata sob as eondieoes do estylo o forneciaoMo
aos navios da armada e estabelecimentos do aari-
nha, ao trimestre prximo vinouro de eutobro a
dezembro, de vveres, dietas e outros objectos de
consumo segumtes :
Arrtz do Maranhao, azeite doce do Lisboa, asei-
te doce inferior, agurdeme de 20 graos, asnear
branco refinado, aletria, ararnia, a^sucar tranco
grosso. bacalho, btalas, bolacbinha amerieaaa,
cangica on milho pilado, caf em pi, caf ani-
do, cha bysson, earne verde, cevadrona, carne seo
ca do Rio Grande do Sul, carnauba em velas, fei-
jao, farinoa de mandioca da ierra, galana, lecha,
malte man siga ingleza, manteiga tranceza, pao,
sabio masas, sal, toucinho de Lisboa, tapioca, li-
jlo de alvenaria grossa, lelha, vnbo de Lisboa,
velas stearmos de 8 em libra e vinagre do Lisboa.
Tambem o conselho no mencionado dia 5 do cor-
rente mez, por igual forma, promove a compra
dos seguintes ehjectos do material da armada :
12 baldeadeiras de forha, 20 arrobas de er, 60
barras de ferro Instes preprio para grelhas, 6 to-
les ioglezes de 8 pes de comprknenlo e 6 do largo,
100 paos de lacre encarnado. 2 oculos ce alcance.
16 paos de ginipapo de 12 palmes de eompriaen-
to, 400 libras de plegadora de ziuco, 11 tissinu
de papel malla-borran, 100 folbas de pao*kpauta-
do para mappas, 100 folbas de papel liso para
mappas, 60 grosas de peunas de ac, SveraOtea
de pinho para pao oe ciitello, tendo do ooapn-
mento 3o ps e grossuia no nielo 7 polsgoda de
dimetro, e 6 vergonteas de pinho para masaras de
escaleras, teodo de r.omprimento 25 ps e grosu-
ra no meio de 6 1|2 polegaoas de dimetro.
Sala das sessdes do conselho de compraenanraos
! de setembro de 1870.
0 secretario.
Alexaadre Kodrignos dos Aojos.
(iorreio geral.
Relaclo das cartas registradas, procoutes
do sul e norte do imperio, existentes na
reparticao do correio em 1 de setem-
bro de i 870.
Andr Alves Gama, Bernardo Gomes de> Jareo,
Hemeterio Jos Velloso da Silveira. los Antonio
Gomes Guimaraes, Luiz de Almeida Aran Vaj-
eante, Luiz Jos Fragoso, Mara Eulalia Cavaican-
te Navarro, Manoel Arcioly de Motn Godim.
RelaQio das cartas, quo registradas nesta reoai-
ticao e dirigdss a< provincias do sal o norte do
imperio, foram devolvidas em consequencia dos
seus destinatarios as nao terem procurado as tem-
po tixado ; queiram, portante, os proorioe desuna
torios, que se acharen) nesta provincia, on as pes-
soas remetientes vir reclama-las, munidas dos res-
Sectivos certificados :
lexandre los da Coste Vajete, certificad nu-
mero 51)08.
Emiliano Manoel da Costa n. 354.
Eli-iario Antonio dos Santos n. 4460.
Francisco Jos da Roeht Pinto n. 4014.
Francisco Antonio aa Fooseca n. 3510.
Praneiseo Henrique de Norenha n. 3737.
Francisco Joaquim de Almeida n. JJ95S.
Jos Rodrigues de Carvalho Jnior n. 43M.
Jos de Souza Marineo Jnior n. 1167.
Mrquez de Olinda n. 3913.
Tbomaz Ferreira de Oliveira 2293.
Venceslao Jos da Silva Machado n. 3889.
O encarregado do registro,
Manoel dos Passos Miranda
ALPANOEttA.
teodimento do dia ..... 44:6784235
(dea do dia 2....... 42:454*520
86 532a7o5
MGVlttJLNTO DA ALFAitDBGA
InmesMOidcs com faseado 225
dem idem com gneros 67
292
Descarregam boje 3 de setembro
Patacho. portuonex-ReraMrflfoomercadorias.
Bngue inglezoh/odem.
Despaches de exfortacao no dia Io d
ietembro
Ho patacho.hespanhol Fomento, para Barce-
lona, earregaram : Amorim Irmaos e &.. 72 sac-
com. 56i. ilos de algodao, e 300 barricas
i 3i,73t. kilos de assucar.
- Na asean hollande'.a Helios, para o Rig
Prau, earregaram Amorim Irmaos & C, 20fr
barricas cout 36, >33 kilos de assucar.
t Na barca 'anee:?. I>ndi'(ina,.para o Havre,
earregaram: E
cora 74i KiJev
I nrle & C., 62 coaros salgados
ftBCEBEDOrUA -'E itENDAS INTER.NAS GE-
RAE? 01 PERNAJIBDOO.
Condimento do ia :...... 1:557*771
(don do dia*........ 997*340
DA
MUITO APPLAUDfDA
OnCHE-STRA ALLEH.U
140
GRANDE JARDIM
DA
IMPERIAL
EABRICA DE CERVEJA
3S"Raa d General V1cloriss35
Principia s 7 1|2 horas da noute e fiadora
10 1|2 da noute.
Prcgrammas na entrada
Preco de entrada 1*000 por cada pessoa.
THEATRO
samo mwk
ENrUEZA-
COMPANHIA- FRANCEZa.
REQTA EXTMORDINAaU'
EM DESPEDIDA
DK JOVEN RABEOl ISTA ROMANA
2:553*111
GOJaSOLABO KIOVUfCAL
fVefldhnento do
(dem do dia
dia i
2:192*624
33:027*106
35:219*630
MOVIMEHTO DO PORTO.

Vojiies entrados no da 9,
Meotevido-2 di*, sumaca hespanhola Cron-
metros, de 10 tonadas, capito Domingos S.
Jpsn. eonipagem 10, carga 3000 quintaes he*-
panboes'de carne ; a ordem.
Batea5 Ras, hiat portugus JVoco 'Prodigio, de
i|6 toneladas, eapitao Joaquim Franco, equipa-
En 8, carga w(0 arrobas de carne; a David
rre altor.
Livorpoof52 dtas, barca norte allemaa Skelbur-
ns, de 540' toneladas, eopitao F. H. Brandes,
equpagan TI, *jir* carvte ; a ordem.
Baltimore(Odios, barca ingiera, TaZwman, de
366 toneladas, captao H. Blachford. equipagem
IX, carga 3714 barrica? com faainba de trigo;
a Phippo Brtber-! 1
NsAw* nahidos no mesmo dia.
Livrpos4-Bv*gne logle John Bagshaw, caphao
Yeoroaa carga sljodio e coaros.
HavreBbreO nOVBCMs Vendan, capitio Chaieu,
' cargo eoWJaoaocdtsns gneros.
Asa aaea-hmsnWa Flexa, eanUae Joao An-
fastpne'lanio VtoToria ; em lastro.
ttrva^o.
Appa/see ao norte ama barca.
. iNranifa paroo^ de 18 anoos, escrava de Hen-
nquete Stepok da Suva.
Domingo k setemirt.
Dedicada aos distinctos corpos coaanwcial
desta praca e acadmico da Facaldae
de Direilo do Recife.
Logo que a oraheslra teoba eaecutado ana- de
suas mais brilbantrs ouverturss dar afianipin
o espectculo que ser dividido em tros par-
teo, pela forma seguale:
PaiHElRA PARTB.
Mr. Carn cantar e aano anptaudid >
cmica
LA MANDOLINE A DOBLO.
Em seguida, a joven rabeqmsu Sgerio
tar em sen instrumente variacSe
DO SOUVlrtlR DE NAPOLBf..
Madoaoiselle Mariette exeeutar a chistosa
cansooeta
LA CANOTIRB DE SAINT CLODD
Fiada esta o distiqsteproessoar do pian o Sr.
Casalbore, que generosamente se preste a coad-
juvar a menina Kgeria, exeeutar o trocho carac-
terstico para piano intiiutedo
LA NOCE. DU VILLAGE.
Mr. Maris eaotar o be lio moonca
A L.% IMTTnT.
SEGUNDA PARTE.
Rep/eseatar-seba a muito applsadi entra
cmica em om acto
L.VCANNB D'UN GRAND HOMMB.
no qaal tomara parto os distlnctos artisao Mr.
Carn, Raynaud, mademoiselle GhoAerln Ma-
riette.
TERCEfflA PARTB.
Mr. Raynaud eaotar o lindo moMMa
LE TEMPS DES OTW.
Em seguida a menina Egoria tocara Oflu pban-
teeia sobra os motivos da enera
Mademoiselle Breccia, dWopeoBktat a mu
linda caocao
LES SABOTS DE LA anftltnTJi
Em seguida o insiga nnoslro a. Sr., Aateomi
tocara na sua rabeen o andante dnaff4rOi na
opera
NON M A .
flnaUsaodo por ama serenata de oa conposieao.
BH


' 4
Diarfo VefimfaM MM>"t &**&, # ftf
^Stm'*,,ta^can?i0 ,ypo ie m
_. A1I f NAUIEUR.
W a-T^- B*i^Ww Sra, Casal.
KmS?1 M,wu ** toc"*> raBde
TRAVT.
..*.awi!??.g^a resolveu dar mals este espee-'
"*> dddfCMRto a presente rocha as dais dis-
ammt corporales aw'm mencionadas e a todos'
TSBES^^alStio g8ral de qBem wpeira t0do
ftW* ttlUetes scham-se em mSo da be-
mmmj no escriptorio do iheatro na raa de
waa do Reg (amiga Pldreaiftur).
Principiar s 8 da nonte.
poaiiiil fcvtNMe (, paiMh, mtUma^ jio da carga engajada'. e para a que he falla e
j>raYos a frete, trata** com tuoergnatano Joa
quira Jos Goucalves Beltrao a ra d tmm^dj.
^ _______
Ao publico
preiario ten a lionra de partecipar
wapiittwl publico desta capital, que se achara
prepwtttdo para ibir scena em grande gala
*** 7 de wtembro, anBiversano da indepen-
da* da Brasil, as operetas de grande especia-
cuta-
CtljftUPASrHIA
SAS
lseageriee impemtog.
At o da 9 do correte mez espera-se da Eu-
ropa o vapor franeez Otronde, o qual depois da
demora do costume seguir para Baenos-Ayres
tocando na Balna, Rio de Janeiro e Montevideo.
Para conducoes, fretes e passagens, trata-se
na agencia, ra do Commercio n. 9.
At o dia 11 do eorrente mez espera-se dos por-
tes do sul o vaptr trances Sindk. conjtnandante
Massenet, o qual depois d demora do costume
LH
35 eaixas em vU Sufrir
Sagonda-fetra S do eorrente.
O agente Pestaa, por conta e risco de qaem
pertencer, far leUio de 3&caisaacem soperior
viabo Hadara, o qoal ser vendido em ora oo
mais lotes, vonUde dos licitantes, soganda-feira
5 do corrate, s 14 horas da maoliaa.
LA VAHGEUR, CHICAR E BEBE'
as faatw hirao preparadas a capricho, qoer pela seguir para Brdeos,tocando em Dakar (Gora
companhia qnar pela erapreza, a qual deixa de i L>sa*a.
dar vjwruculo sabbade allm de que nao naja al- Pvn eendtadea, fretes e paasageoB, trata-se na
turna falta para a boa execueao dite espectcu-
lo os vestuarios man accessorios sao eom-
ptoMent novas. Outro sia, a empreu previ-
ne qoe a epere Chioard e Beb oroado cora
a* Mno CANCN.
Avenases qoe qauerem bilhetes para este es-
pectculo tenham a bondade de dlrigir-se ao es-
enntorio do thetro.
< Srs. asignantes tera a preferrncia at ao
DOMINGO
i DO CORRERTE
LTi
agencia, roa do Commercio n 0.
COMPANtflA PKNAMBtCANA
Vavegaco cowteira por Tapar-
Fernando de Noronha.
vapor Manifhu eotamandaoie
Julio seguir para o porto aeima
_ no dia 5 do crrante ao meio dta
Recebe carga passageiros e encornmeadas, at
as 10 horas do dia da sahida no ascrmioro
do Porte do Martas n. 11
WL
DA
H1T0 APPLAUDIDA
^W^a Ai&Bis&a
EM
OLINDA
Lopes
N grande janlim do Sr. Joaquim
de Almeida, junto estarlo.
AS 3 l|2 horas da tarde.
iavcr.io tocas as commodidades precisas para
as lamillas e o jardim se achara brilhantemente
...iaado, e uolle se acharo sorvetes, comidas
a ^tidas a go.-tn dos consumidores.
O? bilhetes dao direit > passagem de ida e
vaita nos tren da companhia dos trilitos urbanos
do Bsecife Olitida, era cujas estacSes estarao a
viada os mesfuos bilhetes, a 2000 cada pessoa.
jlepjts do concert s 10 horas da noute par-
tira deOlioda para o Recife um trem, tocaBdo
xn- todas as estacoes.
CIRCO
NO
PiTILHiO DES. ISABEL
COMPANHIA
WMll GYMASTICA E ACROBTICA
SOB A DIHECCO
COMPAIIA BRASILE18
DE
Paquetes a vapor.
Dos portes do norte ospera
do at o dia 8 do eorrente o va-
por Cruzeiro do Sul, eommao-
dante capillo tenente Pedro Hy-
_____ polito Dnarte, qual depois da
demora do costume seguir para os portes do snl.
Desde j reeebem-sc passageiros e engaja-se a
arga qn* o %T^or poder condaziaf a qrm devora
itr embarcada no dia de suachegada Encomaen
das e dinheiro a frete at as dnas horas do dia di
na sahida.
Nao se recebem como encommenda seno oh
lectos de pequeo valoro qoe nao excedam a i
arrobas de peso ou 8 palmos cbicos de med-
cao.
Tado que passar destes limites dever se
embarcado como carga,
Previne-se aos Srs. passageiros que 3-ia3 ois-a
gens so se recebem na agencia roa da Gnu n. 57
I* andar, escriptorio de Antonio Luiz do Oliveirs
Azevedo & G.
um terreno na estra-
da do Manguinho
O agente Pontuel, *competemeote antorisado,
vender em lerlo um magnifico terreno (limitando
eom o sitio do 9r. Jeroavnio Joaqnim Finza de Oli-
veira na estrada do Manguiobo com 337 e meto
palmos de frente e 806 e tantos de fondo at e rio, |
udo murado de frente e de nm lade, tendo } en-
canada agua da companhia do Beberibe (45 baldes
diarios) e pagando 30 ananaes, sendo o terreno
propriu '
Terca-feira 8 de eetembro
no armazem da na do Imperador n. 16, s M
hars.
~
- v.
DE
J' Ferretm Vtllela
2jo estabelecmento Pbo1o>apWco sito ron do
IhM S. h8^ "'^l1" d0 P,M,,a matni- Oi*a-
, 22eJ,e8de ent. tm *"** ^ noss oScina
r^!?nm *d.m,raC*> P* extraordinart)
fS?J1. 9 ^"""mente ldo a ph
do^to^L03 C0ra a,eria' "Pr rer"
S3.? om ^abe'ecimento digno delh, a II
hoS mente P""*- qoe nesse glnero
rnm, : temf)emnaire8 ponpamosem eoosa
oerandr,P moa^o no p em qoe se acb>; ej-
SSt m p,,blico Peroambnco saben
j|JJ "osesforgose recompenear nossos sa-
a mu^!"0' a toda3 "V*0** ^M. naconaes
S'dade 4; traba.'bos- de
m
ra doiiondego o U, cas de houieur jof.
preoisa-se de orna u0t one entevda cara
cao do servigo deMMlfc. qual nao
| duvida pagar-se bam, agradaldb,. seo servi-
a quem coower p>ncur de laMnin das 6 as
ras. e de tarn daa i as 7 hora
jylleir^r-. a ni i ,1a l'i
Cu-S d IIIO^r>
photographia a visi-
"M.i/^invi^!!, aorasA *8ua,*p09i550 (odos os ma desde
loras aa manhai ai* -.c a a, ,,,**.
LEILAO
DE
II1VH 5N
O agente Pontual, competentemente aulorisado,
vender em leilao as dividas constantes da relacJo
em poder do dito agente, sendo em vales, letras,
documentos e cootas de livro, tudo na importancia
de 9:o2368i, pertencedW aos herdeiros do casal
do fallecido Fortunato Gardozo de Gouva.
Terca-feira 6 de setembro
no armazem ra do Imperador n. 16, s II
horas.
*fen) o nosso e^beJee'rtfcfc^Ve^S'lenipre
disposicao todos os di;
iianba at as 6 da t.rde.
Xaa & BT'So da
Victoria
Ama
nle*&.i2 ama nnleamente paraeosi-
nfaar.^JPA dos Gnararapes n. 2.
Jf*ti*nrz internes graes avisa aos contrlbointe doiom
Z?**lPf*&* ProfciOes do exereicin de 1870-
'fiflP am mez e no ultimo de outubro pro-
x"ylP&n> 1* ?,,es U;em de ftar o ienmire
coiwmwejieTti'rio, livre de multa ; e
<] mephiiw'praso ser cobrado com
6
que Hado
a multa de
I de Pernambuco de setembro da
as 7
Para
>< .l1?l,albo* de Poo'oprapra possuimos di-
SSmi.m!2! *)nM*resa0,ores franceie9
Imh w Vf0rm?g''' *"* om. VoiRtlandcr et
sonnewilf. Lltimaroute reeebriMS tres
ooaclflM, Mntf(( uim ^^
re o mesmo ridro
cemento
dia-
Aracaty.
D.
DE
Mareos Gasali.
EXTRAORDINARIAS E VARIADAS FNCGOES
AANHA
QUE TERAO LUGAR
tnasi 1|2 da tarde,
Oitra s 8 1|2 da noule, como de costume.
Mais urna fuoccio magnifica, mjis um trabalho
e?vo a que rivalisa cora o HomemfVoador !___
Perde uos o respeitavel publico que ejamos nos
Mamos quem o digamos ; mas porque j n. -
lo disse a imprensa europea.- Ainda nao esgota-
mos o nosso repertorio, e cerno este Ilustrado pu-
bltco nos tem sido tio agradavel, tao benvolo,
vamos apre>mtar-lhe, nesto da de descaece o
1 ha d> melhor em divertimentos.
PROGRAMMA.
I PARTE.
*- ) raa liada symphonia dirigida pelo maesfo
1IMI1-.
t* O artista Vicente, em trabalho de pquitacao.
3.* O P Segu para o indicado porto o palhabote So>
brtense, capitao Pereira ; anda recebe alguma
carga a frete : a tratar com S l.eito Irmaos, a
ra da M >dre de Deiis n. i.
RIO DE JANEIRO
Para o porto cima stgue com brevidade o bri-
gue nacional sabe!, tem parte do seu carregamen-
to engajado : para o resta que Ihe falta trata-se
com os consignatarios Antonio Luiz de Oliveira
Azevdo 6t C, rus da Cruz n. 57, lc andar.
DE
100 barricas com
Koman marca
manto
Terca-feira
6 do eorrente, as H hora* d;i man ha.
0 agente Pestaa far leilo por conta e risco de
quem pertencer. de 100 barricas marca aciuia
declarada cora cemento Bomau vindas da Liver-
pool no navio Editk Mary, entrado neste porto em
6 de agosto prximo passado, e serao vendidas no
armazem do- bario do Livramenio, no caes do
Apollo junto fundicao do Sr. Dutr, s 11 horas
da maullan.
retntos smente, ou
da direceo
de phctographia dei-
Preiende seguir para o referido perto em poucos
das o paldabote Rosita por ter a maior parte da
carga, e pana pouea qne Ihe falta, trata-se com o
consignatario Joaquim Jos Goucalves leltrao,
ra do Commercio o. 17.
tjacOes, pelo3
pelos artistas Tesari e
LEILOES.
ddwai Cesar e Aldarbo.
A percha perigosa,
Vicente.
8* O boubo a cavallo. pelo artista Cesar.
8 O systema Baucher, Munllo em liberdade,
presentado por D. Marcos.
" Oh dons innos Luiz e Cesar executarao os
diSoais exercicios de agilidade e for^a Os dous
Jlwcnles, grupos pvramidaes, sobre dous ca-
vados.
I atervallo de 30 minutos.
II PARTE.
H. Symphonia.
').* O desalio dos saltadores Cesar e Aldaba,
eiecutandose pela primeira vez neste circo, o
frande salto sobre seis cavallos e seis cavalleiros,
ivtlo gil artista Cesar Gasali.
10. A chuva de ouro, pela sympathia senhorita
Anua.
11. A menina Juanita, sobre um cavallo.
-i. A applaudida barra flxa, exercicios gym-
Diaticos pelos artistas Cesar, Aldabo, Vicente e
Juaooin.
A mesma funepose executar s 8 1|2 horas
di noute.
Presos
Camarotes com 6 entradas........ 12*000
Gideiras....................... 2*000
C\deiras avulsas para senhora..... 2000
Ci-eraes.......................... 1*000
bilhetes de camarotes, cadeiras e plateas
vadem-se no mesmo cireo.
Ao publico
e vendo chegar pelo vapor Gironde que se es-
pera da Europa at o dia 9 deste mez doos ar-
t^tas de primeira forrea, sendo um gymoastico e
ouro daslocador, com o nico rival do celebre
P.ctropetis, promptamente faro aqui a sua estra
<* tumaro parle nos espectculos que se derem,
>)jfcique poaecs, por termos que ir para o circo
LEILAO
AE LITROS
Segunda-feira 5 de seteTnbro, s 10 horas.
O agente Pinto far leilao. requerimento do
tesiamenteiro do fallecido Garlas Steuber, e por
mandado do Illm. Sr. Dr. juiz de orphaos de dife-
rentes livros, diccionarios, msicas ^ertencentes
ao espolio do mesmo Stenbpr, e existentes no es-
criptorio do referido1 agente, ra da Cruz n. 38,
onde se elTectuar o leilao s 10 horas do dia
cima dito.
LEILAO
17o saceos com-
conta
DE
milho para fechar
ihm i:
s 12 horas da manuaa.
O agente Pestaa fara leilao por cona e risco
de quem pertencer, de 170 saceos com milho para
fechar contas, as quaes sero vendidas em um ou
mais lotes, hoje s 12 horas do dia, no trapicho do
Dantas.
EM Ol \l 1
A companhia dos trilhos urbanos do Recife
Olinda faa lailao, per iDtervencao do agente Pon-
tual, de alguuias portas, jaoellas, vidracas emade-
ras ainria em bom estado, da casa demolida no Va-
radonro, onde se esta constroiudo a eslacJb
Terca-feira 6 de setembro, s 18 horas da ma-
nhia
n,iiir
DA
armaqo, gneros e pertences da
taberna da ra dos Guarara-
pes n. 10.
O agente Martins far leilao da taberna cima,
em um ou mais lotes, pois se acha bem localisada
e afreguezada, garantindo-se a casa ao comprador
do estabelecimento : os pretendentes pdem exa-
rainar o bataneo na mesma taberna
Terca-feira 6" do correte
as 11 horas do dh.
nova*
prepria para tomar
.-4 ou 8 imagen diversas e
3!LC ontM Ae 9 diversas e
JmSu*6 M0,ada9. de *or\e que no caso de
;i .e,)c"r'enoia podwemas retralur sobre
an Mica chapa at 8 pessoa dfwrs e isola-
oas para cartes de visita, e assim em nen*s de
l11 tara niaeharaiM 8 dSeremes
P^.^asque pe^am cada un, umaduzia de cartSes
mais ou meaos, com os seas
-m grupo com outras.
Encarregamos-nos exclusivamente
s fetun dos trabalhos
il^i a p5r,cia e cientos do distracto pintor
attemao, o Sr.
Jorge A. Roth
paai?balbS *-' pimara- a aqnansl*, a olee, e a
. ?f" J^h *cta'.s.? ,*a',6 nossa empresa por
ana escaipt,r ualica, e at o presente tera-sa
Jesrellailo na execnelo de sen? trabalhos.
m' n..ssoest;,eleeimento acbam-se expostos ou-
ms trabalhos im|rtantes do Sr. Roth, tanto em
miniaturas a aqmrella como oleo, reratoa
jipo, quadros sacr.a e diversos outros trabalho?.
minarme erreomraenda-s cfc retratos oleo at o
aramio naiurar, assim cono de quadros sacros
pan orn.amentacao de igrejas ou capellas. Tam-
oem aceitamos encommendas de quadros histori-
Asseguramos qne o p'recos dos diversos tn-
oalnos da nossa casa sao mu rasoavei*.
CARTfJES DE VISITA PIO COLORIDOS 10J00 A
DC2IA
CAirTJES DE VISITA COM O COLOnDO AO NATU-
RAL A 163000 a Di-m .
ir J2,rl'^m miniatnra a ol^ ou aquarella de
io a 205000 cada uro, nao convenientemente en-
.aixilhado em moldura donrnda e regulando o
busto da pessoa retratada ce 3 4 pollegadas e
todo o quadro palmo e meio de tamanho
Julgamos que bastarao os prec cima para
larmos idea da baratesa dos tnbalhos do nosso
istablecimcnto. quanto sua p.-rfeipo cada um
/enha julgar por seus proprios olhos.
As melhores horas para se tirarem retratos no
wsso estabelecimento sao das 8 horas da manha
I da tarje; .entretanto de urna hora s 5 da tarde
m casos especiaes pde-se tambem retratar qual-
roer pessoa.
Nos dias de chnva, ou por tempo sombrio po-
temos retratar, e asspguramos qn esses dias sao
js mais favoraveis aos trabalhos de pholographia
pela do?ura e persistencia da Inz, e pr r termos o
msso terra construido- com taes prooor?oes e
.neinorament'is, que aiada chovendo brros ne-
ahum inconveniente ha para fazer-se bellos re-
batos.
(Ouur'ora rwa JWift. )
Oftai assignado aci&a de veider nos sena
*f bilhetes da taferia qu seextrahiae^
mamm-M tanta Casa da !fcricordia f 16 **
ores seguMrtes : -
N. 410, tffcete inteiro, S:WMOOO ; dous ojoar-
tesde n. 8 com a sorte de Bojour; e o bfflnH)
108 com lOOOO, alera de outros pre-
ratos menores; podendo os possuidores Ivirem re-
ceber, que promptaraento sero pagos
-nA^S^ *" u* 5 fflies bi,be,es' "dos
m benertete do eolteRK dos orphaoe.
PRECO:
Jntefroa fjjeoo.
Meios 3TO00.
Qo*rto i^soo.
Da 004000 para oitna.
Inteifos 5*400,
Metes 2*700.
Quartos H350.
Joo Joaquim da Costa Leite.
1870.
Wanoel Carneiro de Soura Lacerta.
"2*!a l,*?Ba?> da roa DirUa n.
se o> bathedoren.
Precisa-se
22, precisa-
a "m caxelro com prauca do
22* jmbem doos offlciae. de cbaruteiros: no
agMMn do Proleg.do de 9. PWro, largo de S.
OS ADVOGADOS
E iseo Martins
Antonio de Siqneira
MUDARAM o sea' escriptorio para a ra estreita
do Rosario n. 4.
0 8ACHAREL
I Eiiseo Martins
COM escriptorio de advocada ra estreita do
Rosario n. 4, propoe-se- igualmente a SOLICITAR
quaesquer causas perante os tribanaes desia cida-
de, e fde ser procurado das 9 Iteras da manliaa
s 3 dji tarde.
_ caivierc.
Precisa-se de ora menino com pratica de laber-
na : na ma das Calcadas n. 2
nrurr
Precisa se de urna ama de leite
bug n 6, leja.
na rna do Ca-
Na ra da Cadeia do R^Ife," ca aTT"
u.na escrava para alugar-ae, a i|ual sabe cozimW
- lavar roupa.
Precisa se alugar um preto para servio d
(1.1 Pa ni fn n<*-. ,1 n aav\
ptdafia : na ru* Direii n. if).
(aixeiro
Precisa-se de um caixeiro com pratica itrktb^r
na : na ma do Brum n. 63.
v ~"0s advogados Ant-mio Durges da Puimwa
seu fllho Rento Bbry d, Fonseca. con.K^
seus escriptonos ra do Imperador n. 37 era-
faaesquerda. Podein ser pnieuraoos dta m
das uieis de 9 horas da manba s 3 da tardW
Aceitara causas para Santo Anto e termoa'm
>anciIcS ?l dferr d0 Reefoa *
Se oncupam de quaesquer appellacoes. quer des-
La provincia qoer das sujfiQ a >tDeraDdo trt-
buoat da rehteao.
J. F-rreira Villela.
LEILAO
DE
Livros noves em in-
g"lez
Segunda-feira 5 de satenbro s lo 1/2 horas
por intervencao do astenia
PINTO
em seu escriptorio ra da Cruz n. 38, em conti-
nuago ao leilo de livros Jo fallecido Carlos
S le uber.
D
um sitio com casa de tijollo na
estrada Nova de Beberibe,
junto primeira bomba.
O agente Martins far leilo de um sitio na es-
trada nova de Beberibe com 800 palmos de frente
e 1,100 de fundo com grande baixa para capim,
tendo urna casa de tijollo, e rauito perto da esta-
cao da Encrtuilhada, terreno foreiro.
Qoarta-feira 7 do eorrente
em sen escriptorio ra da Cadeia n. 9, s 11
horas do dia.
Gabinete Prtuguez de Leitura
em Pernambuco
A directora do Gabinete P. rtuguez de Leitura
suimnacnente penhorada pelos relevantes servicos
prestados por todos os Illms. Srs. membros que
compozeram as diversas commissSes nomeadas
para a festa do 19 aniversario, que teve lugar
a 21 do crrante; vem agracecer a esses Illms.
Srs. tao significativos favores e dedicacao socie-
dade e patriotismo, damo assim ara novo lustre
ao bom noree Prtuguez.
Secretaria do Gabinete Porfuguez de Leitura em
Pernambuco 3 de agosto de 1870.
Antonio de Alouqufrque Mello,
1" Secretario.
Chocando ao conhecimento do abaixo assignado
que, nao obstante a pnblicacao feita pelo mesftio
no Diarto de Pernambuto de 14 de abril do Cr-
renle auno, altjuem pretenden comprar por vinte
e seis (cornos do rls o engenho Dous Bracos, si-
to na villa de Serinhem e mais seus pertences e
accessorios so acham em letigi com nm credor
uzurario desde 9 de julho de 1844, em que se pro-
ceden tumulluariaraente a penhoraem lodosos
bens di seu tinado av Luiz Jos do Aranio, de
quera o aba ix o assignado legitimo herdeiro, co-
mo tathbem legitimo herdeiro e possuidor da pro-
onedade denomioada-Sobradinhosito ua villa do
Itontte. cojos bens importam em msis de cincoen-
ta contos de ris, constantes do engenho Dous Bra-
cos, moento e crreme, com vinte e seis esclavos,
tnnta e sete bois mancos, muitos qnartaos, qoatro'
cavallos de estiibaria, urna capella com iodos os
paramentos necesarios, mais urna safra cplhida e
outra ftreada, tud.i descripto no inventario do dito
seu avo, de cuja heran(;a, deixada em testamento,
fui oabaixo assii:ndoesbulbadorcomo em tempo
inostraira : por isso apressa-se em protestar con-
traisernelh.inle esbulho, qoe o rednxio a extrema
pobreza.
Sendo cerlo, que para pagamento do quanlias
nao verdadeiras na importancia de ireze contos de
re?, foram todos os bens do tinado seu av Luiz
Jos de Araujo penhorados, e como em breve, te-
nha de ajustar contas com csse eredor inexoravel
a usurpador, que para jso, se .iprovcitou da in-
fancia e orphandade do abaixo assignado, vem pe-
lo presente, declarar, que ningnem contrate, neni
compre o engenho Dous Bracas, nem os seus ac-
cessor^os, nem bens alguDs do finaJo Luiz Jos de
Araujo, afim de se nao chamarein a ipnorancia.
O testamento existe, em breve ser publicado,
afim de convencer ao publico, aos jaitas e aos tri-
bunaes do paiz, de que parte est a razao e a jus-
tica, se do abaixo assignado, ou de um credor
usurpador; bem condecido tiesta cidade.
Recife, 31 de agosto deH870.
Joaquim Correa de Araujo Jnior.
i Jos Gerae* Villar relira-se para o Rio
I de Janeiro, e precisa declarar que nada
I #eve nesra praca, nem Un pouro lora
, fella, porem se af~uem se Jhlgar sen er-
!| dor poder neste* 8 di,s apreM>niaF
sua contas, na roa Primeiro de Maree
. n. 17 a Antune^ Snimaries A C, -d
cuja lirm.i o mesmo hz narte eamo so- I
co commanditari-t, e >erao pagas as
[ referidas contas, caso appaivcam.
: Apreveita a oceasiiio de pedir aos seu
dovedores desta prac mandar saldar
sus contas anfipa?. pois malte justo
que retirand..-se para o Rio dv Janeiro
os seus devedores saldera seus dbitos
muito breve.
AVISOS MARTIMOS.
COMPANHIA BRASILES
DE
Paquetes a vapor.
Dos porto do sul esperado
at o dia 8 do crrante o vapor
Paran, o qual depois da demo-
ra do costume seguir para os
portes do norte.
... recebem-se passageiros e engaja-se a
carga qne o vapor poder conduzir, a qual dever
er embarcada no ala de sua chegada. ncommen-
disedinheiro a (rete ate aa 2 oras do dia da su
sabida.
Mi se recebem como eacommendaa senio ob
Jectos de pequeo valor e que nao ezcedam a duai
arrobas de peso ou 8 palmos cbicos de medico
Todo que passar destes limite deveri ser embar
cado como carga.
Previne-se aos senhoras passageiros que suas
Psateos s se recabara na agencia, ra da Crm
n, 57 primeiro andar, escriptorio de Antonio Lnli
Ohveira Azevedo A C.
DIVIDAS
que fazem parte da massa fallida de Antonio Gau-
dolph no valor de 873"20 ris
. Segunda-feira 5 do eorrente s 12 horas
da manhaa.
O agente Pestaa far leilo pelp segunda vez,
servindo de base a offerta da primeira e por des-
pacho do Illm. Sr. Dr. juiz especial do commercio,
das dividas cima, no dia segunda-feira 3 do cor-
rente, s 12 horas da fhanhaa. no largo do Corpo
Santo n. 9.
LEILAO
200
A barca Mara, chegada do Rio de Janeiro, se-
gu para o Maranho em poneos das eom a carea
que* aver, e por isso quera qnwer apYovejtar to
boa oecasio de carregar, dirija-ae ao consignata-
rio Joaqm npives Beltro raa do Con)
mercio n.
Rio de
'fOtende seguir para o
Janeiro
referido porte eom a
DE
barris eom breu e 2,000
resmas de papel de embrnlho
a 5 do eorrente.
Por mandado e carta precatoria do Illm. Sr. Dr.
juiz especial do commercio d'esta cidade, reque-
rimento de Tasso Irmaos & C. comognatarios do
patacho inglez Brisk, vindo de New-York, o agen-
te Ohveira fara leilo, precedida a competente li-
eenca e eom aaaitencia de um empregado fiscal
da alfandega, de, sob marca T. J, 200 barris cora
Dren existentes no largo da ponte nova, ao caes
d0 A%7& e mai8 ^ J (P P01- baixOr 400 pacotas
com 2,000 resmas de papel de embrulho, existen-
tes no trapiehe do atgodio da alfandega, sendo
tado por parte do carregamento de dito patacho
e o producto para pagamento dos respectivos fretes
e direitos
SEGUNDA-FEIRA
5 do correnie, do papel as i i horas da manhaa, e
do bren logo em seguida, ao meio dia, nos luga-
res supra indicados.
AVISOS DIVERSOS.
A commissao, encarregadu
pelo Exm. Sr. presidente da pro-
vincia de promover a libertaqo
de criancas dosexo feminino avi-
sa as pessoas que concordaran!
nos preqos offerecidos pela com-
missao para ditas Jibertaqdes,
que deverao comparecer na
casa da cambra sabbado 3 do
eorrente de 10 horas por dian-
te, para ahr assignarem as car-
tas de alforria, e obterem as
respectivas guia?, com que teem
de appresentaren)-se na thsou-
rara proviucial para receberem
a importancia das criancas al-
lomadas,
I.YTERESSlNTE COJIPOSILIO LITTERAIM.
CONTEMM) :
A noite do xtasis.
O sorriso. w
A noite do assombro. *
A lacrima
A noute do delirio. .
O mysteno.
Com ama carta crtica dirigida ao autor pelo
Dr. T. R. Rigueira Costa.
1 volume brochado 20li0.
AS CENTELHAS
Poesas patriticas sobre a guerra do Paraguay.
1 volume brochado 2*000
NA
LIVBARIA FRANCEZA
LNDISPENSAVEL PARA O COMMERCIO DE FA-
ZEN'DAS. I
Tabella comparativa dos precos de qcalquer fa-
zenda.
Pelo meiro nos precos pelo covado desde 50 ris
at 4*973.
Pelo covado nos precos pelo metro desde 50 ris
at 3i7.'i.
i folha ntidamente impressa 2*.
Livraria franceza.
Engenho, engenho.
Avis vantajoso para oj senhores de engenho.
N. B) Pratic;i.pacHnc:i, e alianwmento em pou-
cos lempos. Um estraugeiro com pratica ha mais
de dez annos de ter j ensinado em algnns enge-
nhos desta provincia, se (erece a qoalqaer sp
nhor deeng-nlio para ensinar nao s as primeira-
letras antes deom ailo, como o france'. com per-
feco a em poucos lempos (um anno) : quem
pretender dirija carta fechada com a sua residen-
cia, na ra das Trmcheiras n. 50, toja, com a
miciaes B. A. R, ou na roa Diraita n. 118, botica.
A pessoa qoe quer comprar wna cas t
cidade a?. Olinda, dirija se na rna da Auroran
10, se dir quem vende.
= Precisa-se contratar um
Rvd, sacerdote pra u-ma ca-
pellaniay n'uma cidade populo-
sa e perto do Recite : tratar
nsta typographia.
HMTlEtRL
EM
nato Arnnro dejaaoat
0 dono deste estabelecimento avia aos enhores
viajantes, e ansim aos sentiores que all f.rem a
patseio, que nelle enconiraro as commodidades
e alimentos desejawis e por precos modorados.
O borneeommooo bsnho all se encontra, pnh
qua o rio passa a curlissima distancia pelos rua-
dos da casa.
CjT
De ordem do Illm. Sr. presidente, e de aeonreV
com o art. 23 dos estatuios convido a todos m
socio; do Glub Popular para se rennirem em a.t-
semblea geral no dia 9 de setembro, s 7 Inra*
da noute, na ra de Santa Rila Nova n. 1.1 m<
dar. afim de lomar conhecimento dos trabalhos da
junta e do con>elhn deliberativo ; tudo de eon-
formidade com o disposto n. H do art. 14 dm
citados estatutos.
Secretaria do
1870.
O seeretario,
Misael da Silveira Amiral.
POPULAR
Club Popular, 31 de agobio d
Ama
Offertce-se urna boa ama
para casa de horaem solleiro :
de S. Jos n. 20.
e de boa conducta
a tratar na travessa
Am 1.
Precsa-se de urna escrava ou f rra, que saibs
coiinhat e lavar, para urna pequea familia es-
trangei|-a : na praca do Conde d'Eu n. 30, primei-
ro andar.
AMA
Precisa-se de urna ama que nao seja mnito moca
para casa de pouea familia : na rna do Duque de
Caxias |i. 2o (antiga ra das Cruzes).
Gabinete Prtuguez
de Leitura.
A directora do Gabinete Portagnez de Leitura
em nome da sciedade que representa, cordialmen-
te e com profunda eonsideraco agradece aos no-
bres cavalheiros que se dignaram com sua ele-
vada intelligencia abrilhantar a fesi do 19 anni-
versario, que teve logar a 21 do eorrente ; e bem
assim a todos os Illms. Srs. qoe se dignaram con-
correr com objectos para ornamento dos saldes da
MMotbao]
A todes esees dignos cavalheiros a directora
protesta um vote de reejnhecjmanto, alt estima e
con?ideraeao, por tao significativas ptovas de
adheso e amor a um estabelecimento, que tao til
e proveitoso se tem tornado neste heroica pro-
vincia.
Secretarla do Gabinete Prtuguez de Leitura em
Pernambuco aos 33 de agosto de 1870.
Antonio de Albuquerque Mello,
i* seeretario.

Anna Alexaodrina de Avellar Chaves. Mara
A. S. Chaves, J M. S. de Avellar, M. J. S. de
Avellar e bacharel J. T. de Avellar, ferios da
mais intensa dor pelo passamento de seu mu
presado esposo, filho e cimbado Dr. Wenceslao
Garca Chaves, vem pelo presente agradecer cor-
dialmente a todas as pessoas de sua amisade, e
as que heoraram aos dito finado cora sua estima
e eonsideraco, o especial obsequio que se dit-
naram de prestar-lhes, assistindo os suffragios
feitos por sua alma, e aeompanhando seus res-
tos mortaes at o cemifrio publico e de novo as
convidara a assistlrem as missas do stimo dia
as qoaes sero celebradas a 6 do crreme, pelas
7 horas da manhaa, na igreja da Santa Cruz ; e
pelo que desde j loes protestara sua eterna gra-
tido.
Precisase de nm menino para caixeiro de
taberna ; na ra da Seoaala-velha n. 80.
HOTEL.
Novo hotel Flor da Boa-vista, ra da Ma-
triz da Boa-vista n. 8.
Este novo estahelecimento ofTerece ao respaita-
vel publico grande vantagem no seo fornecimente
de comedona para fra com promptiio e asseio,
por menos preco d que em outra ualquer parte,
assim como nos domingos e diaa santos tera sem-
pre roo de vaoea e outras Ruarlas, ludo cora
promptidao e esmero : assim, pois, o proprietario
espera do respeiiavel publico toda proiecco e
acolhiraento do mesmo.
ILeal A Irrdo a raa do Mrquez de
Olinda n. 56' precisam de um f-itor para c
engentjo BodIo commarca de Nazareth e of-
ferecem vantageus.
CASA DA FORTUNA
Aos 5:000*
Bilhetes garantidos.
A ra primeiro de Marco (outr'ora ra do
Crespo) n. 23 e ca Baver todas as quintas-taras um mnibus,
para Santo Anto, devendo partil* as 3 horas em
ponto da ra da Praia n. 41, e voltando para o Re-
cife na Sfxta-feira as mesmas horas ; tambem
aluga-'e outro qualqner dia para alguma familia
levando dez pessoas. Tambem vendem- para cabriolet : a tratar na raa de Pedro Aflons
(antiga ra da Praia), com o Sr. Jos Pinto Tava-
res Jnior.
Precia-se de urna ama forra ou captiva
servico interno e externo de urna casa de
familia : na ra Velha n. 66.
Pira a
pouj.
Aluga se a casa terrea n. 2 da ra dos Pra<
zores, freguezia da Boa-vista : a tratar no 3o an-
dar do sobrado n. 3fi Aa ra das Cruzes.
A pessoa que annunciou querer, comprar
urna casa em Olinda, dirija-se a rna da Aurora n.
40, qne e dir quem vende.
Acham-se a venda os elizes bilhetes garan
tidos da 9a parte da lotera, beneficio do colle-
gio dos orphos (159*) que se exlrahir sabbado
10 do correte.
PRECOS.
Biluete inteiro 6*000
Meio bilhete 3<000
Qua rio l#3O0
Em porgo de 100000 para cima.
Bilhete Inteiro 5*400
Meio bilhete 2*700
Quarto 1*330
Manoel Martins Fiuu.
.Na praca da Independencia n. 33 se da d>
beiro sobre penhores de ouro, prata e pedrai*
preciosas, seja qual for a quantia ; e na mesma.
asa se compra e vend? objectos de onro e prata.
9 igualmente se faz toda e qualquer obra d b-
commenda, e todo e qualquer concert tendeni*
1 mesma arte.
m
Aluga se o segundo anflar do sobrado
n. 4a rna da Anrora : qnem o preten-
der, dirija se ra Formosa n. i.
Alaga se um molatinho de boa conducta
para copeiro, do que tem pratica : no caes de
Apollo n. 63, armazem.
Ama
Precisa.se de urna ama para
uhar em casa de pouea familia :
n. 130.
comprar cezi-
na ru Imperial
Ama de leit
Precisase de urna ama de leite : na ra da Ira-
peratm n. 2, 2 andar, oa na thesonraria das lo-
teras. I
Ama
Precia-se de urna ama : na rna da Cadeia do
Reeife n. 2i, 2 andar.
Consulado provincial.
Pelo consulado provincial avisase aos difieren-
les contribaintes da renda provincial no anno fia-
do de !$69-70y que com o presente mez se eneer-
ra o reoebimento por esta repartico das respec-
tivas quotas, passando dahi por diante a seco
raaemo effecinado judicialmente.
Consulado provincial 1 de setembro de 4870.
O administrador.
Antonio Carneiro Machado Bl
Aluga-se os fondos Je mu obrado da rna,
Velha n. 17 : tratar na mesma ra, na casa n.
I(L__________________^_______________
Precisa-se do urna ama que ?aiba eugomiuar
prefenndo-se eeerava: na ra da Penha n. 3B
i" andar.
Aluga-se a casa do dons andares e sotao da
ra da Aurora : na mesma roa n. 38. ______
Na roa de Hortas n. 86 precisa-se da nna
fettor prtuguez para sil o.
S MUDANCA.
O Dr. Carolina Francisco de Lima San-
j tos mndou sua residencia e consultorio
para a ra do Imperador n. 57, 2 andar
do sobrado cujo armazem conserva aln-
I da hoje o nome de Abanta, tendo a
entrada, que pelo lado da ponte Sete
de Setembro, o mesmo numero 57, da
frente. Ahi continuando o dito Dr. no
exercicio de sua profisso de medico a
de operador, pode ser procurado a qoal-
1 quer hora do dia e da noute.
CHHCOLATE VERMFUGO DE ANTN*) NE-
VES DE CASTRO.
Este acreditado preparado, que tio bo*
acceitatfio tem merecido nes)a provincia,
muito se recommenda para cura certa
efficaz das bichas ou lombrigas, tanto as
crianzas como em pessoas de maior idade.
nico deposito na pharmacia e drogara
de Bartholemeo de T3., ra larga do Rom
rio n. 34.

1


Diar
Sabbalo 3 de S
PE
M
\' rna do Jar
seauioteajenhors
Hit com o
Este antigo estabelecimento, acha-se hoje montado n'uma
escala de poder servir vntajosamente os seus freguezes, atten-
to o grande sortimento de joias d'ouro, prata e brilhantes, que
sempre tem e recebem mensalmente das principaes fabricas da
Europa- eujos presos sao em competiveis e as obras garantidas
de lei.
MOKEIRA MJA11TE C.
BRAZ1LIAN STEET
Railway Company (Limited)
AVISO
Da domingo 4 de setembroem ite, os
trens nos domingos e das sanu&cauos par-
liriJ pela- tabella segante :
MANHA
Oo RecifeAs 6, 7, 8, 9 e (O horas.
Do Apipucos-As 7/5,8/5,9/5, 10/5
I i/5 lornutos.
TARDE
Bo Recife-1, 2,3,*, 5,6, 7, 8/15 e
l/45 mininos.
Do Apipucos-2, 3, 4, o, 6, 7, 8/20 e
9/20 minutos.
As tabellas novas podem ser procuradas
lo.da 2 de setembro em dianie na estaco
do Becife. .
H, B.\s partidas dos trens nos ai as de
trajino nao soffrem alteraco alguma.
Escript rio da companbia, 31 de agosto
de 1870.
William RawltnsoN.
Gerente.
MSTAURANT DE PARS
4Ra das Larangeiras4
\4olpOo Riba* (acadmico).
Quetnb Candido d Vaseoncell
Joaquim Cavaleaotl da Alba'.raeqtte Mello Filbo
(Pombal). ,
leioino Ao|Q9to dos jantes Pragow.
Virissimo Correi e Lyra (Cruangi ou Vicencia.
Joaquim Esteves de Gouvea (rjne).
Jos Hermioo Pontoal fengenfco Preferenca).
Fern&od Barata da Silva (engenho Morojo).
Maiioel Policarpo de Azevedo.
Antonio Gomes Goreiro de Mello.
Eduardo de Paul Santos.
Francisco da Silva Porto.
Juvenal Torres.
Thom Joaqnjm do Reg Barros.
Rega-se ao Ilim. Sr. Ignae V.eira de Melto, ea-
crivao na cidade de Nazareth desta provincia, o
favor de vir a ra do Imperador n. 18 a concluir
aaoelle negocio que V. S. se eomprometteu reali-
sar pela terceira chamada deste jornal, em flns
de dexembro proximp passado, e depas para ja-
neiro, passou a tvereiro e abril, e nala cumpno,
e por este motivo de npvo chamado para dito
fim pois V. S. se deve lembrar que este negocio
de' mais de oito anooe, e quando o senhor sen
fllho se achava no estudo nesta cidade._________
Yendas on permutas
Vndese a propriedade Guarapo no Rio-
Grande do IfDrte, com trras casas e armaren*
de utn e outro lado do rio, lagar berr. conhecido
pela sua importamia commercial, cujo porto oiie-
[ rece muiu faeilidade para embarque e desembar-
que de gneros. ', i-
Igualmente se vende o engeriho ntraihany (na
mesma provincia) moente e correte, com craco
leguas de trras de roatt* virgens, oito escravos,
bois, bestas e alambiqne ( ou somente o emgenho
com as trras que convier |o comprador), bstas
propriedades vendem-se por baratissimos presos,
e lamben, se permutara por engenhos ne9ta pro
viocia Parahvba e AlagOas, ou por casas as ca-
Ditaes das me'smas : a tratar com o proprietanc
maior Fabncio Gomes Pedroa ra da Cadeia
n. 25, ou com os seus procuradores no Rio-Gran-
de do Norte. ____^________
A>*fdfcdeiraftiT
S. Bnto.
E Tarlnha usada C
dos nos padecimento do* orgao* do peito,
StahniaTou puohameoto de catharroa,
K,ao de bofe, pleam*;*nepi byj
coBimendando-se com ifual proveito as peesoaa
C0yiS deposito n. phmada e diaria.
DE
Bartboloroeq iC.
JftRa larga do Rosarrtt~34
1
Acaba de shir luz
E
Vende-se
NA
Livraria franceza.
A
O proprietario deste estabelecimento, avisa ao respeitavel publico desta
cidade, e as pessoas que o honrar com sua sonanca, que acaba da estable-
cer a seguint tabella.
ALMO90 'CL'"0*""
Pao
Caf ou cha.
IdOOO
Sopa.
3 pratos a escolber..
"Vinho
Sobre mesa.
Caf ou cb.
1,5000
DAS 7 HORAS A ME1A NOITE CEA SEGUNDA TABELLA
mm
NOSSO SENHOR JESS CHRISTO,
MARA SANTISS1MA
E
VARIOS SANTOS.
A saber:
Setenario do Senhor Bom Jess dos Passos.
OBcio do Senhor dns Passos.
Novena do Menino Deas.
Novena de N. Senbora da Conceicao.
Setenarlo das Dores de Mara.
Oficio das Sete Dore3 de Maria Santsima.
Novena de Sentiora do Carino.
Oficio de N. Senhora do Carmo.
Novena de N. Senhora da Penha.
Cnticos de N. Senhora da Penha.
Novena do B. S. Joao Baptista.
Novena da Senhora Sant'Anna.
Trezena de Santo Antonio.
Novena do B. S- Jos.
Um bonito volume encadernado.
211000.
D, IV. WI4N
Cl
;OMPftNHIA
DO?
TRILHOS URBANOS
DO
REC2FE A OJLIXJDA.
Comprase dormentes de oticica e secu-
pira, itnarello, sedro e arueira, de 10 pal-
mos de compridos e 8 polegadas de largu-
ra e :i 1/2 de gr.ossura na estacio da ra
da Auror? das G horas da manha s 6 da
...rde.
Recite, 17 de agosto de 18 i 0.
O supreintendente.
A. de Abreu Porro.
GRANDE
..._L CENTRAL
37Rna 11 de Dezembro37
(Outr'ora Larga do Rusarto)
No muito conhecido HOTEL CENTRAL encontraro sempre os nossos innmeros
freguezes notaveis melhoramenlos, ndispensaveis para commodidade dos llustres fre-
quen a ^ ^^^ ceaTryl encontra-se-ha constantemente tudo que de confortativo e
deleitavel se pode encontrar em om estabelecimento desta ordena. '
Assim acha-se all urna escellente casa para banhos, um salao todo alcatifado e
guarnecido de divn*, piano, j maes uacionaes e estrangeiras <
ENGENHEIRO
Com fundiqao.
A RA DO BRUM N. 52%
Passando o chafuriz
Machinas vapor systema memorado.
Rodas d'agoa.
Moendas de canoa.
Taixas de ferro batido e fundido.
Rodas dentadas para moer com agoa, va-
por e animaes.
E outros muitos objectos proprios d'agri-
culiura.
Tudo por preco amito reduzido.
O DB. JOAQUIM CORREA DE ARAUJO _
tem o seu escriptorio ra do Imperador n
n. 67, onde pode ser procurado das 9 Ao- |
ras da manha s 3 da tarde. ___8
: mmmm mmm
Na travessa da rna
das Crozes n, 2, pri-
nieiro andar, da-se di-
nlielro sobre penhores
de ouro, prata e brilhan-
tes, seja qnal for a qnan-
tia. Na mesma casa com- _
pram-se os mesmos me- i
taes e pedras.
I i. 1$ 1HRS
Normas da llavana.
Suspiros.
Napoltes
llavanas. .
RA ESTRElfA DO ROSARIO N. 14.
0 i. qu.-:!i.ladedeeomraerciofaltava nesUpopu-
losa eriade um esUbeteeimeoto em qne ?o compre
, venda toda a qualidade de roupas feitas novas
velha*. ara basi |ae ^e denomina em Pars
Itric e Bra.-.- E" ft-te o estabelecimento que se
feria rna estrella do Roaarlo.ri. ti. Assim,
todas as p*>soas qae quizerem vender, ou corn-
il rar roopas novas ou velhas e todos os mais
objebM <1" servido domestico, inclusive trem de
onkiba, podero dirijir-se ao indicado estabeieci-
,, para contratar, e offerece-se para ir em
rss.i dos pretendentes para effectuar as compras
; ve.nd;ir.
PRUJEIRO E ANTIGO CONSULTORIO
HOMEOPATHICO
II i rgido pelo Dr.
Santos mello m
Os habitantes do interior podem-no I
eoMltar por escrip, no que sero tisfeito? com promptido.
Presla-se tambera a ..-hamados para o. 5g5
interior, a preco mdico. 5^
Coosulias, no consullono das 10 horas
ao meio da.
Chamados, a qualquer hora.
Aos pobres gratis ...... ,., fifi
43Ra do Rar3o da Victoria43 I
S (Antiga ra Nova).
wmm, wmmmm mm
TflEATRO DE OLIRDA.
A direccao da >ociedade Theatral Olindense,
temi de proceder a eleico ao conseiho admiois-
iravi., no dia 8 do crrente^ na casa do theatro,
pela* nove hora* da manha, na forma dos no:
vos ututos, e.onvida a todos os Srs. socios, a
que se >irvam" comparecer, prevhnndo que a falla
de eoroparecimento do socio ser entendida por
voto de. approvaco do* qne se ftier.
Mioda, 1 de etembro de 1870.
Betlarmino P. de Oliveira,
1* secretario.
Sehores cocheiros,
carreiros etc.
v Farello.
Sbvo desembarcando no caes do Apollo e rece-
lhn i maiem de farioha de trigo de Tas-
ku Irrons & C, a preco commodo: a tratar no
memo, ou /la rna do Amorto n. 37.
CHARUTOS
Imperiaes
Amadores
Londrinos
PlfS
E de outros fabricantes, que seria ocioso innumerar.
As familias que nos quizerem obsequiar, tanto nacionaes como estrangeiros, en
cootrarao os commodos necessarios.
A moralidade e boa ordem a norma do i
' Hotel Central
Falla-se o hespanhol. rancez. ingltz e italiano._______________________
Cura rpida e Intaltivel dos cal
los, pela pomada
C-alopeau.
Deposito especial na pharmacia de Bartholomeu
4C,
3iRa larga do Rosario^i
Ro nte-rheum* tico.
Remedi efflcacissimo contra as dores rheuma-
ticas at hoje o mais conhecido pelos seus mara-
vilhosos resuludos. _______
6USTAVE
CABELLEIREIRO FRANGE2
51Ba da Cadeia do Recife^61
Chama a attencSo dos seus innmeros freguezes, e do respeitavel publico ei
/eral, para a segninte tabella dos pregos de sua asa, os quaes sao vinte por cent,
mais barato do que em outra qualquer parte:
0 Campos com armazem
de m^hados na na do Im-
perador n. 28, vende come
no trapiche, cuixas com ba-
tatos novas de Lisboa a oito
mil reis cada urna.
A ellas que estilo se aca-
b ndo.__________________
The Liverpool & Lon-
don & Globe Insu-
rance Company.
Companhia ingleza de seguros contra-fogo,
estabelecida-em 1836.
Capital e turnios de reserva
R. 3e,S08:190#.
Os agentes desta companhia tomam seguros so-
bre propriedades. gneros e faZendas armazenadas,
raobilias, etc., etc., e eslao igualmente autorisados
a saldaren) aqui quaesquer recIamagSes.
Saunders Brothers & C,
Praca do Corpo Santo n. 11.
Ama
Fe reir Yille
1HOTOGRAPH1 i PBHIAE
18RA DO CABGA18
A entrada pelo pateo da matriz.
Os trabathos da reedicacSo desU pholograpbJa,
e que se prolongaram por unto tempo, acn-'
felizmeate terminados e ella aberta ao servi^ &9
publico desde 7 de abril passado.
O predio ea que est collocada esta pnologra-
pbia acha-se muito augmentado, e e a parte desu-
ada ao esubelecimento onU cinco aalas, inclu-
sive as do laboratorio. Todo os cotcertos e aug-
menios tendo sido fetos xptessamente para
mnur convenientemente a photograpbia, e nao s
podendo melhor modelo escolher do que a ??**
grafiia Imperial do Sr. Insley Pacheco do R de
Janeiro, o primeiro pbotographo do Rrasil, e um dos
pnmeiroa do mondo, segundo a opimao dos roa
abalisados mestres, a nossa photographia acha-se
dlsposu e reedificad pelo mesmo plano da do br
I Pacheco, a qnal foi montada sob todas as regru
recommendadas pelos mais destnelos professom
de aceordoeom as modificarles necessanas ao
clima do Brasil, reconhecidas e estudadas pelo ha- i
bilissimo e pratico Sr. I. Pacheco. '
Todo o interior do predio em que esta a nos
pholographia foi mudado desde a soleira da parta
ra at a coberta, tendo-se demolido todas as pa-
redes interiores para se fazerem as oras salas,
edifleando-se nm novo terrado envidracado mu
espacoso e elegante.
Como 6 sabiao, Oremos orna viagem expressa-
raente corte para examinarmos as melhorerpno-
tographias all, e foi a do Sr. I. Pacheco, a que
melhor corresponda aoa bomos desejoa e aspira-
efies, e da all estarmos todo ora mea estudaudo e apro-
veitando as cOes de lo dlstinclo mestre. Pen-
samos que juntando os nassos estudos e ionga
pratica de 15 annos de pbotographia asutilissimas
lindes ultiman ente recebidas do'Sr. I. Pacheco,
tendo moudo a qossa pbotographla como sa
acha, podemos offerecer ao Ilustrado pdico
d'esta cidade e aos nosos nun.erosos freguezes
trabalhos de photrgraphla lao per'eitos, como se
poder desejar, e disto convencidos, esperamos
que cntiuuem a dispensar-nos a mesma pro-
teccao com que ha 15 anuos nos tem honrado e
ajudado.
O DRAClNTHOARRS REBELLO,"
^ ANTIGO MEDICO HOMEOPA-
0 THA,
recentemente estabelecido nesta cidade,
-^ mudou a sua residencia da praca do Con-
<$_ de d'En n. 38 para a rna do Imperador
n. 25, e abri consultorio junto ao labora- j
*~ lorio bomeopathico dos Srs. F. de P. Car-
<9 doso Juni r & C na mesma rna n. 41, ~f.
onde todos os dias dar consultas do meio cP
A dia s 2 horas da tarde, reservando para f
fiC as visitas doiniciliares os intervallos, que
S decorrtm das 9 horas da manha ao meio
$R dia e das 2 s 4 horas da tarde. A qual-
X quer hora attender a clamados, que Ihe
2* sejam dirigidos, quer casa, quer ao con-
4S sultnrio. r
CASA DA FORTUNA
AOS 20:0005000
RA DE MARCO N. !3.
O abaixo assignado avisa .io publicu, que com
quanto a nova lei do ornamento livesse elevado
muito o imposto sobre os bilhetes de loteras do
Rio de Janeiro, continua a vende-los com as for-
malidades da lei, e pelos mesmos preces abaixo
publicados, pagando todos os premios com o dis-
conto somenteda lei, e com a promptido do cos-
tume. /
PItECOS.
Bilhete inteiro... 24000
Meios bilhetes... 12*000
Quartos........ 6*000
Em quantidade maior de 1004000 na rs:ao d
224000.
Manoel Martina Fiu;a.
Na ra do Vigario n. 5, 3o andar, precisa-se
de urna ana para cosinhar, cujo servido faca com
perfeicao a que seja de boa conducto.
ATTENCAO

Na ra estreita do Rosario n. 35, Io andar, casa
particular de familia, contiauase a fornecer co-
medorias para fra pela tabella abaixo :
ALMOCO.
1 prato de solido.
1 dito de farofa. i
2 pes, cha ou caf.
Preco 204000 mensaes
JANTAR.
3 pratos com carne.
Pirao.
Arroz.
S'ipa.
Sobre-mesa.
Preco 304000 mensaes.
Faz-se algum abale, sendo para mais de urna
pessoa reunida.
40000
50^000
50*000
Cabelleiras para senhoras a ZU,
305, iU e.....
3itas para homem a 35(5, 405 e
Soques a M, 155, 185, 205,
255, *05 e .....
Crescentes a 125,155,185,205,
255, 305 e .... 325000
Cachos ou crespos a 35, *'5, 55,
65, 75, 85, 95 e. 105000
franca de cabello para annel |
500 e....... 15000;
Cadeias para felogio a
75, 85, 95, 125 e.
55, 65,
155001
SO
50
Corte de cabello......
Corte de cabello com frieco. .
Corte de cabello com lavagem a
champoa...... 15001
Corte de cabello com limpez da
cabeca pela machina electri
>;afc unia em Pernambuco.
Tranca para braceletes a 105,
155,205,25 6
Frisado ingleza ou franceza.
305000'Barba. .....
ASIGNATURAS MENSAES
1500
501
251
Especialidade de penteados para casamento
Baile e solres
0 dono do estabelecimento previne s Recommenda-se a superior TINTURA JA
PONEZA para enegrecer os cabellos e bal
ba, nica admittida na ExposicSo Universa
como nao prejudicial saude, por ser yo
lim como um empregado smnte oceupa- latil, analysada e approvada pela acad
o nesse servico. ^ias de scieucias de PARS E LONDRE
Sras. e aos cavalheiros que haumxmas. 12
ia!5o para tintara dos cabellos e barba, as-
ALGA-SE
Prec
fflcial ae barbeiro
bom ilieial de barbeiro: na
: n. 7 A, 1 andar.___________
nados avisara ao respeitavel
ir. Frederick James
uno accordo, desde o
.ado das lirmas de
de Ryder
-der.
,Jer.
.rbett.
iro para a igreja de
", dioja-se
Aluca-st o primeiro and?r do sobrado da ra da Cadeia do Becife n. 60,
muito fresco e com commodos para familia ou escriptorio. tomando-se recommendave
pela boa localidade, a tractar no armazem do mesmo^_______________ -
^iiTffi SE ALUGAR
Por ter de partir para Europa seu proprietario : Um na Vanea no corredor
deS. Joao em logar muito bem situado, casa com commodo para familia, sitio bastante
grande, com exceUente baoho logo no fundo do sitio :. outro na ra de S. Miguel nos
Al
murado, boa cacimba dous tanque*, um grande copiar ao lado da easa, estribara di-
verso* .r dando fi stantmente para sus-
tentar un 'ario, ra da Cadeia do Recife n.
60, rame
Grandes armazens!
AlugnJ-^e.
Amgam-se os grandes arroazen- da ra da Praia
de Sania Rila Nova, onde ro a fobrica de sabio do
3r. coronel Franca, e ltimamente oceupados pela
companhia de e?g.'to, os qnaes tm porto de em-
barque e todas as propore,es para se raontar ama
labrica ou qualquer esubelecimento grande.
As casas de morada que fazem frente para a
rna tambera se alugam condiaonalmente, assim
como a casa grande, <]vn foi morada do mesmo
3enbor coronel, tem muito bons commodos e bom
luintal separado, prande eviterna que fornece
agua potavel, melhor do que a. do encanamento,
por ser fluvial e livre. de partculas ferruginosas,
como aquella : a tratar com o commendador J. J.
Tasso, em. seu escriptorio a roa do Amorim nu-
mero 37.
AVISO
Anda est para alugar-se a padaria allemaa da
ra do Lima, e tambVm a casa de junto : a tratar
com o Sr. Majernus Lanz, ra da Guia n. S6.
Preoj>a-se de urna ama para o servico de
copeira : no hotel rancez, ra das Larangeiras
n. 10.
JE ser i va
Precisa-fe alugar urna pret escrava para o ser-
vico interno e externo de nma casa de peqi
famtiia : na ra do Queimado n. 12, 1 andar.
de pequea
Aiugamseduascasas cura grandes commo-
dos para familia, sendo una na rna das Pernam-
bucanas, na Caponga, defroote do chafariz. perto
da estacao ; e oua no Mangninho, principio da
estrada dos Aflictos, e esto pintadas : a tratar
com Jos Antonio Marques, no Chora meninos, ou
na roa do Marqnez do Herval n. 58 A.
Precisase de urna preta para todo o servico
de casa de pequea familia, e de um moleque de
II a 14 annos : na roa estreita do Rosario n. 14,
armazem.
ATTENJA
Vende-se nm caixao de casa com 35 palmos de
frente e 81 de fundo sito a ra do Gaz, tem as
portas, janellas, rotulas e axilios, tudo de ama-
relio, tem mais io a 30 alqueire* deca, 5 mi-
Iheiros de tjollos, porgao grande de-areia, 3 tra-
vs para cobrr a cosinba ; estando esta ja le-
vantada e so falta cobrir, todo jaixo ja esta
embucado : quem pretender d
Cadeia do Recife n. 27, L' andar.
Joaquim Jos Gonpal-
ves Beltrao
Ra do Ttapxbe n, 17, Io andar.
Sacca por todos os paquetes sobre o banco de
Minho, em Braga, e sobre os seguintes lugares em
Portugal :
Lisbaa.
Porto. *
Valenca.
Guimaraes.
Coimbra.
Chaves.
VffAtt
Villa do Conde.
Arcos de Val de Vez.
Vianna do Castello. '
Ponte do Lima.
Villa Real.
Villa-Nova de Famelico.
Laraego.
La nos.
Covilhaa.
Vascal (Valpasso).
Mirandella.
Beja.
Barcellos.
Itiimiiiiiii
tinturara franceza ^ m
55-RuadaImperatriz-55 9
Tinge, lava, limpa, lustra e achamaio- I
tase, com a maior prfeijao, fazendas em
pecas e em obras de todas as qualidades;
como sejam : seda, lia, algodo, linhb,
chapeos de feltro e de palba etc. etc.
Tira-se noioas e limpa-se a secco sem
molhar os tecidos, conservando assim to-
do o brilho da fazeuda.
Tintura preta as tercas e sextas fe-
ras. m
mmmmwwmmmmmm mm
0 CIRlMO DENTISTA
Frederico Maya
Tem a honra de scientificar ao respeita-
vei publico e-a gerai, e aos seus clientes
em particular que elle mudou o seu gabi"
netede consultas da ra Direila n. 12 para
a do Queimado n. 31 primeiro andar, com
a entrada pelo pateo de Pedro II, onde po-
de ser procurado para os misteres de sua
profiss5o, todos os dias atis das 9 horas
da manha s 3 da tarde.
Tambera previne, que contina a prestar-
se a vontade dos clientes nao s na cidade
:omo nos seus suburbios, para onde aa
idas sero precedidas de ajuste. Elle ga-
rante o bom desempenbo e a pcrfeicSo do
seus trabalhos, o queja bem conhecido,
assim como as commodidades dos precos.
20;0G(M00.
A c3sa Ieliz do arco da Conceicao venden nos
seus felizes bilhetes. os premios segoinies :
M. 4345 2:000*000
N. 2966 100*000
0.1436 ICOiOOO
Bilhetes a 23000.
!
patente
americanos, os mais aceiados e econmicos que se
podera desejar, com l*nha ou carvlo se faz urna
economa superior a 80 0|0 dos aues : no arma-
zem de Tasso Irmos A C, no caea do Apollo.
Olinda
A viava de Manoel Nunes de Mello faz publico
qne conUnila a irabalbar em doce, onde poderao
encontrar di9posicao grande quantidade de doce
de todas as frnctas nacionaes, seece e em calda,
gela de varias frnctas, cstanhas confesadas;
assim como se encarrega de apromplar com bre-
vidade qualquer encommenda unto para fra co-
mo para dentro da provincia : em Olinda ra do
Coxo n. H.____________________
Precisa- se de urna ama para cosinhar, na
rna de Hortas n. 94, sobrado.
Na rea da Cadeia do Recife n. 66, ioja pre-
dirija-se a rx* da; cisa-se de urna ama que cosinbe bem, para *
pessoa?.
Precisa se de um caixeiro Je lia 17 annos
qne tenha alguma pratica de taberna o que da-
llador a sua coaducta : no pateo dj Ter^o nnme-
ro 32.____________________________
Precisa-se de urna ama que saiba bem cozi-
nhar, preferindo se escrava : na ra do Sebo nu-
mero 29.
Agencia em Pernambuco
Do Dr. Ayer
Peitoral de Cereja
Cura a phthysica e todas as molestias do peito.
salsa parrllha
Cura ulceras e chagas antigs, impigens e dar-
troa. .
Tale*
Couserva e limpa os cabellos.
aPllalas catbartleas.
. IV*
Tendo-se de celebrar na aexta-feira 2 de setem-
bro, as 7 horas da manilla, na matriz do SS. Sa-
cramento da Boa-vista, missaS e memento por at-
ma da fallecida e sempre lembrada D. Argemira
Duarte de Menezes Ferreira, mui digna consorte
do lllm. Sr. Antonio da Silva Ferreira Jnior, qne
falleceu na cidade de Paris no dia 8 de agosto ;
pede-se respeilosamente aos amigos deste inconso-
lavel esposo e pai de familia, para se dignarem
comparecer na mesma igreja, em tributo de ami-
zade, e tornar-se mais solemne este acto observado
pela nossa religio.
Aluga-se ou arrendase um sitio com casa
ltimamente edificada, siu no laraeirSo do Moc-
teiro : a tratar na ra da Madre de Dos n. 14,
AMA
Precisa-se de nma ama para casa de peqnena
familia, para comprar e cosinhar, preferindo-se
escrava : tratar na ra do Crespo n. 7.
AVISO
Pede-se ao Sr. Jos Francisco Perrira da Silva
Jnior o favor de dirigirse rna da Cade
criptorio n. 49, a negocio de sea particular nte-
resso.
Ama
Na ra velba de Santa Rila n.
urna amasecca.
06.

y


T
Diario de Pernambuco
Sabbado 3 de
1870.
Ama
urna ama forra ou escrava para
na (
ufa do Qaeiroi
Copeiro.
No collagio da Csaeeicao precisa-ae de uro cria-
do COj;
6QMPRAS.
,,.., --------------------------
0 muzeo de joias
Ni nu do Cabug n. 4 compra-se ouro, praia
pe-as preciosas por prbcos mais vantajosos do
que em outra qualquer parte._____^_______
Lom muito maior vantagem coinprain-se
ouro, prata e pedra preciosas eu obras velbas: na
loia de joias do Coracao de Ouro u. 2 T), roa do
Cabag._________________
Casa em linda.
Compra-se urna que esteja bem conservada e
que tema bom quintal, nlo se Faiendo questio da
roa : quera tiver annuneie.
VENDAS.
Vende-se a casa terrea n. 11, sita em OHnda,
roa do Urgo do Amparo, com excellentes eom-
modos e grande quintal, solo proprie : a tratar ne
Recife. ra da Cadeia n. 40-
K ,C
CEMENTO
O verdadeiro portland. S se vende, na roa da
Madre de Dos d. 22, armazem de Joao Martina de
Barro*
Farinha de milho.
Ha para vender farinba de milho amito nova e
superior em saceos,- chegada ltimamente de Porto
Aiegre. A todo contento do3 compradores, esta
farinha consta de tres qualidades ; BRANCA,
AMARELLA E FUBA'; send) esta ultima muito
til para alimento de animaes, e ao. mesmo lempo
de grande vantagem aos compradores em face dos
prejos incontestavelroente muito mdicos : a tra-
tar aa roa da Cruz n. 3, escriptorio de Amorim,
irmfee & C.____________________________
Cigarros da imperial
fabrica de S. Joao
de Nictheroy.
nico deposito em Pernambuco caes da
dega velha n. 2,1'
alfan
anda.
ZAR DA MODA
DE
Jos de Souza Soares & C.
RA DO BARIO A TITORIA
( OUTR'ORA NOVA ) .
Apresenta-se metam rpbozeado no que pode haver do mais bello e agrauave eip la-
jeadas finas para Senhoras artigos de alta moda em Paris uoto para senooras como
para homens e meninos. .. __, ___, _.
Miunezas afarmadas, perfumaras eipeciie*. variedade de lindos objectos para me-
ninos e brinquedos para enancas.
GRANDE SORTIMENTO .
Continuamente recebido por luios os paquetes vindo da Europa aonde teem na-
"* 35? tTemconta e maeda-se par em pregados do *"---< **
NOVIDADES
DO
TRIUMPHO
7 Ba doQueimado 7
DE
HOBEIRA & BASTOS
E' chegado a este novo estabeleciraento o mais bello sortimento de fazendas
>uas, sefldo sua especialidade enxovaes para noivado.
Vestidos de blond de ,sda ricamente bordados.
Gorgurao de seda branco para vestido.
Colchas de seda pura, para cama com ricos desenhos.
Ditas de laa e seda, id m idem.
Ditas de crox, idem idem.
Cortinados licam nte bordados para caraae janellas.
Ce
Cal nova de Lisboa.
Chegada roeentemente no vapor Gladiator, tem
para vender Joaqun Jos Goncalves Beltrao, no
__, Vende so urna taberna com alguns commo-
do e com poneos fundos, na travessa das Cruzes
n. 6 : a tratar na mesma.__________________
GAZ GAZ GAZ
Cnegou ao antigo deposito de Henry Forster
C, ra do Imperador, um carregamento de gas
de primeira qualidade; o qual se vende em partida
e a retalho por menos preso do que em outr* qual*
quer parte.
U VILLE K PARS.
20Ra da Imperatriz20
lari Lessa.
Acaba de chegar a esta os i nova laja de fa
zendas finas um variada sorlimento de fazendas de
aa e sed, como sejam : granadines do ultime
costo, peplinas de urna s cor, alpacas e laazi
anas de cores, o que ha de mais moderno, tudc
ior baratsimos precos, brilhantinas de cores, te
idos das indias, fazenda nova a imitarlo de per
calia, balee* de dina fingindo saia de cor rom lin-
das barras, fustoes proprios para vestido e roupas
de meninos ; agora grandes e admiraveis pechin-
:has, saias brancas com lindos frisados a 35. ri-
cos corpinhos bordados muito finos a 8, bale
.nodernos de arcos a 23, ricas colchas para cama
alcochoadas. sendo brincas e de cores, a of, 6 e
11, cambraia victoria lina a b, ditas transparen-
tes a Si, 6 e 7,ehitas finissimas escurrs e clara?
a 280, 300, 320 e 360 o covado. cassas de cores a
210, lencos hrncos de cassa a 25300, ditos chi
nezes a 3o00 a duzia, piadapolao lino a 6 e
6#500, e muit superior a 11, 75600 e 85, algo-
uaozinho largo propri para lences a 65, panno
de al_)dao branco trancada proprio para toalbas
de mesa a 15600 a vara', Bramante para lences a
25OOO e oOO. o que ha de melhor, esguiao fi-
nissimo a 25200 e fiSOQ a vara. Mandamos as
asas das Exmas. familias para melhor poderem
scolher. Tambem temos completo sojtimento de
perfumaras dos primeiro* fabricantes francuzes e
nglezes ; as pessoas que se dignarera vir a esta
leja torio occasiao de reconbecer a realidade do
me annuii'':;:inos para nos justiftrar.
LIVIlOSA'vlM
NA
Ra do Imperador n. 15.
Bergier, dieeionarld em 'i vjiun,-.-.
Ortolan em ') v
Masillon em vols.
Kelia, direito internacional i vui-.
Belime, philosophki w. direitofl vols.
Martio-, guia diplomtica 1 vol.
Ventura, o peder puolico 1 vol.
l/onele Tom, a cabana 1 vol
Menil, carpo d'estillo deplomatico 2 ol.
Foucart. dire.ito publico vols.
Barros, direito linanceiro 1 vol.
Veira, didrionario inglez e vlce-versa 2 vols.
Waldeck, instrucco:s de direito civil 1 vol.
H Alirens, direito natural 1 vol
Bruckoex, origem dos direitos 1 vol.
Feneon, a antoridade do pontifice 1 vjl.
Ortolan, regras iiternaeionaes 2 vols. )
Ortolan, institaicao de Justiniano 2 vol.
Desforges, a dignidade do homem 1 vol.
Tneodoro e Luiz, por Tbeophiio Meunar 1 vol.
Jeaquim Henriques da Silva, manual do estudo
d latim 1 vol.
Emilio Monte-vorde, grammat ca franreza 1 vol.
Diniz tuard, tratado da articulatura 1 vol.
Noel, diccionario latino francez 1 vol.
Galhecisino dos Parocho 1 voL
BrtauM. cdigo penal 1 vol.______________
Farioha
Vende-se farinha muito boa vinda da Bahia em
saeMfl de algodu : nos armazens da Companhia
Pernambueaa e trapiche do Cunta : a tratar nos
meamos._____________________________^
Vendem-si) terrenos na estrada de Bebribe,
a margen da esirada de ferro : os pretendentes
- ntendam-se com o Sr. Joao Feitosa na ra es-
:reita do Rosario n. 23.
Trilho urbanos do liedle
OHnda
Na estacao provisoria da ra da Aurora vende-
se mr porrao e a retalho carvo de pedra para
ferreiro,
Brins d'Angolas leg-
timos
ar-hpm-se no armazem
DE
'/'. Jefferies & C.
Ba do Traoiche n. 46
TFtopara saceos efogueteiros
Lona verdadeiara da Esfossa
No armazem de T. Jeleries A C.
Ba do'Trapiche n. 46
NOVA PAO RIA AMERICANA
Ana dos Pires AO
ciad de p igradar aos
Oroxspira cadelras e sof*.
Vestidos de cambraia branca bordados.
Popelines d lindos gostos.
Las de diversas qualidades, liinios goslos e moderCS.
Hicos b urnus para passeio, com listras de setim.
Sahidas de baile o que ha de mais rico.
Cretones para vestidos com lindos desenhos.
Carnizas bordadas e sem bordados para senhoras.
Camisas bordadas muito linas para horneas.
D tas inglezas para homens e meninos. .
Seroulas de linho, e um grande sortimento de roupas feitas e de fazendas que
t enfadonho mencionar.
Liras frescas de Jouvin
Sortimento de tapetes para guarnieses de salas, alcatifas para forro de sala, e o
(rande sortimento das acreditadas e verdadeiras
Esteiras da India
LOJA DO PAPAGAW
ovo estabeiecimento
OE FAZENDAS E ROUPAS FEITAS
Ra da Impefalrifc n.
40,
i
esquiua o
D|
I!
be^co t!os' Ferreiros.
I
O novo propnetario deste estebelecimento, communica ao respeiiavel publico
desta cidade, e especialioente s Exmas. familias, que est liquidando por mecos liara-
tissimos, as antigs fazedas que existiam neste estabehicimento, alm das que- abaixn
v5o relacionadas, cujos precog merecen toda a attencJo'do respeiiavel publico, que nao
deixar de com pequea quantia refazer-se de qualquer qualidade de fazenda que pre-
cise. Previne-se tambera que a mesma loja tem feito sortimento de fazendas muder -
as, e continua a sortir-se das do mais apurado e escomido gosto, que vender mais
barato que qualquer outra loja.
A LOJA DO PAPAGAIO alm de ter um grande deposito de roupas feitas, tem
om bonito sortimento de casemiras francezas, inglezas e allemas dos padres mais mo-
dernos, e assim como pannos pretos, casemiras e panno fino cor de pinbo, azul claro
e mais escuro, brins brancos e de cores, fustoes bran^s, e de cotes, gangas de linho
e brins pardos de todas as qualidades.
A LOJA DO PAPAGAIO tem contralado om ptimo mestre alfaiate perito no
seu ofcio para ejecutar qualquer obra da arte com a maior perfeicSo e esmero, e qual
quer obra que nao fique vontade dos freguezes, ficar para a loja, e mandu-se
fazer ou'ra.
Aloalhado de linho fino, a W o metro, Esguiao de linho de ItfT^O a U a vara.
e de algodao a 20. Chales de meiin pretos muito grandes
Algodosinho largo, para lencoes e toa- a 30.
Ibas a i,J00O. I Dito ditos, estampados de 4,500 para
Alpaca pretas, de cores, lisas, de furta cima,
cores, e de listras. Fil de linho branco e preto liso, e de
Bareges com listrinhas de differentes co- salpjico.
res 320 rs, o covado. Gravatas de seda pretas e de cores, da
Botosde tapete aveludadas, para viagem, mais modernas que tem vindo ao mercado.
mo
e de
ROB LAFFECTEUR
Approvado em Francia, Russia, Austria e Blgica. O arrobe vegetal Laflecteur sa autho-
rizado, he mui superior aos xarope6 de cuisinier, de Larrey e de salseparrilha. De fcil
digestao, adagraved ao paladar, e ao alalo, elle cura radicalmente tem mercurio, as
alleces da pelle, Implgm, alporcait. lumorm. ulcera*, sarna dege-
nerada, escorbuto, e os accidentes provendos dos partos, da idale critica, e da acri-
monia hereditaria dos humores.
O arrobe he especialmente recommendada contra as doencas syphiliticas recentes, invete-
radas ou rebeldes ao mercurio e ao ioduro de potassio.
Deposito geral do verdadeiro ROB LAFFECTEUR, em casa do doutor GIRAUDEAU DE
SALNT-GERVAIS, ra Richer, 12, Paris.
o preco e conforme o tamanho.
Bomb'asioas pretas. lisas, e trancadas.
Bramantes de linho, francez e inglez a
26300.
Bal5es de mussulina, brancos com* fitas,
e outros todos de panno com o feitio dos
de fitas, para senhoras e meninas.
Basquinas de grosdenaples preto
Jernas e de croch muito enfeitadas.
Bretanhas de linho. e de algodSo.
Bins de indo trancados brancos
cores.
Brins de algodao trancados brancos e de
ores.
Combjaias brancas tapadas e transpa-
rentes, sendo inglezas e suissas de 8 pal-
mos de largura.
Camisas de meia, de flanella, branca, e
de algo(5o.
Camisinbas brancas de cambra a com di-
licados brdalos, e enfeitadas de cor para
Sras.
Cambraias de cores a 400, rs. o metro e
a 800 rs. a vara.
' Camisas inglezas, e francezas de linho. e
de algodao de pregas, lisas e bordadas.
Chapeos de sol de seda, merino e alpar-
ca de dilereates cores, e muito baratos.
Chitas -para ves idos, francezas, de 240
at 400 rs.
Chitas para cobertas de 320 at 640 rs.
Cortinados de cambraia, e de fil borda-
dos para camas ejanelas de \Q& para cima.
Cok has de fustao brancas a 3500.
Ditas de cures a 2(5800.
Colarinho de liubos.inelezes, ealem5es.
lisos f. bunlados.
Damasco de l, encartado, a znl e a ma-
pello, escomilha preta.
Espartilfios^de linho branco para Sras.,
de differentes precos.
CASA CAUVIN
pregas
3 portasn. 53, ra Direito, 3 p rtas n. h3,an(iga
loja d) Braga
O abaixo assignado. dono de^te antigo estabeiecimento, tendo em vista apresentar um
eompicio ortiinento de forragens, miudezas e cotilcria. iera resolvido mr.ndar buscar em
diversos ponuis da Europa os mfInores objectos de sen estabeiecimento dos fabricantes
mais conhecidos; pri <;w convida ao respeiiavel publico e a seus numerosos freguezo^. m
virem se .servir dos ubjecio de >i carencia, andH enccntrarSo por menos lQfi dj (pe -'
em outra quali|ner parle, um sortimento completo de machina? para descarocar algpdao, |
do ueiii coohecido fatrieante Cottorr Oin & C. dils para eostora, motores para aniniaa-,
ditos para fugo, raoinnos p .ra cafe de lodos os tamanho?, da fabrica do Japi, espingardas de 2
dou? canos e de um, tanto inglezas como rranceja?, louca de porcelana, facas e garios 8
de diversas qualidades e precos, bandejas chinezas, salitre, breu, barbante, enxofre, papel e Wi
malha de f. rro, a?o. e agulha para fogueleiro ; assim como encontraro eofltaote- g'
mente grande porcao de fogo do ar, e recebe-?e encommesda de fogos de vista, alem de un _i
cem numero de objectos. que se tornara enfadonlm numera-los -
o3, loja de Lenidas Tiu> Loureiro, antica loja do Braga.
uardanapos de i'mbo brancos e pardos,
rosdenaple preto de differentfl pr eos.
asirhas em cortes com palmas com 14
covado por 6i5.
Ditas lizas e delistas transparentes e ta-
padas de diferentes precos.
Madapolo inglez de 35 at 105 a peca.
Lencos de algodao, brancos de 25 a 35
a dnzia.
Ditos de cambraia de linho de 6 a I2&
Ditos de esguiao de 6(5 a 85.
Mussulinas brancas e de cores a 500 rs.
o covado,
Gorgures de 15a com listras, fazenda ln-
teiramente nova no mercado a 800 rs. o
covado.
erins preto, trancado e de cordno.
eitos bordados e lisos, tant" de linho
omo de algudo para camisas de homem.
Irincetas pretas de differentes precos.
Cambraia brones tapada tnnito larga com
e bordado, ha ite tres qualidades
prcjpna para saias de Sras., o preco ba-
rat>.
Sedas prctes lavradas para vestido a
25 >00 o covado.
Sargelim francez c inglez de' teda ao co-
re.
Toalh3S de a!god5o e de linho de dif
fersntes qualidades e tamanho.
'.'onhos de nho para homem muito fi-
no i.
Metas ing'czas para Sras.,e para meninos
e liara homens, de diferentes qualidades
e de lodos es lmannos.
Para quera comprar peca ou duzia da
qualquer blenda sen preco o cusi ; para
diifiuuir o retalio.
)am-se as amostras do qiulqoer fazenda.
A loja do Papacaio acha -< aberta todos
os dias, at .i< ''' tnri da noat.
l'rancisco Teixcim l$etuh!
AM|B|I|IPD Pliarmaceutico privilegiado
. lUAliniLll, successor
IJouli'vii: <1 (Sebastopol, 55 PABIS.
. NOVAS ESPECIALIDADES A. MARINIER
AprtsenUdis a Academia de Sciencias e ao Instituto de Fraila,
Sob 3 forma de Pastilla, devedida e doscada para
faser de momento urna solurcao
riMwFlil e curativa das MOLESTIS CONTAGIOSAS
IiOJTA
DO
GALLO VIGILANTE
Una oo Crco n. 9
O propnetarios doste bem eonhecido estah
cimente, alm dos muitos objectos que tinham
postos a apreeiaco do respeiuvel publico, mac-
darain vir e acabam d-i rececer pelo ntlimo y*p. r
da Europa um completo e vanado sorumento de
finas e mui delicadas especialidades, as qnaes e>-
to rfesolvidos a vender, como de seu costume.
Sor precos muito baratinhos e commodos para lo-
ras, com tanto que o Gallo....
Muito superiores luyas de pellica, pretas, bran-
cas e de mui lindas cures.
Mui boa e bonitas gollinhas e punhos para se-
nhora, aeste genero, o que ha de mais moderno.
Superiores nenies de tartaruga par coques.
Lindos e rquissimos enfeites para cabecas das
Exmas. senhoras.
Superiores tranfas pretas e de aires com vidri-
Ihos e sem elles; esta fazeuda o que pode haver
de melhor e mais bonito.
Superiores e bonitos leques de madreperola,
marlim, sndalo e osso, sendo aquelies brancos
edm lindos desenhos, e estes pretos.
Muito superiores mcias fio de Esco?sia para se-
nhoras, as quaes sempre se venderam por 301009
a duzia, entretanto que nos as vendemos por 104,
aim destas, temos tambem grande sortimento de 1
outras qualidades, entre* as quaes algumas muito I-
Unas.
Boas b<:ngaias de superior canna da India e
eastao de, marlim coro lindas e encantadoras figu-
ras do mesmo, aeste genero o que de melhor s i
pode desojar ; alm destas temos tambem granee
quantidade de outras qualidades, eomo sejam, rr.?.-
deira, baleia, osso, borracha, etc. etc. etc.
Finos, bonitos e airosos chicotinhos de cadeia e
de outras qualidades.
Lindas e superiores ligas de seda e borracha
para segurar as meias.
Boas meias de seda para senhora e para meri-
nas de 1 a 12 annos de idade.
Na.valhas cabo de marlim e tartaruga para fuer
barba ; sao muito boas.e de mais a mais sao ga-
rantidas pelo fabricante, e nos por nossa vez tam-
bem asseguramos sua qualidade o delicadeza.
Lindas e bellas capellas para noiva.
Superiores agulbis para machina e para crox.
Linha muito boa de peso, frouxa, para enebtjr
labyrintho.
Bons baralhos de cartas para voarete, assira
como os tentos para o mesmo tini.
Grande e variado sorlimento das'malhores per-
fumarias e dos melbores e mais conbecidos per-
fumistas. |
^COLARESfcfe ROBU
Elctricos magnticos contra as convu!s5es; e
facilitam a denticao das innocentes cr'.incas. So-
mos desde muiui recebedores desies prodigiosos
collares, e continuamos a reeebe-los por todos es
vapores, afim de (ue nunca faltan no mercado,
temo ja tem acontecido, assim pois poderlo aquel-
es que delles precisaren!, Vir ao deposito do gallo
vigilante, aonde sempre encontraro destes vorda-
deiros coliares, e os quaes attendeudo-se ao fim
para que s,ao appcados, se venderao com um mur
diminuto lucro.
Rogamos, pois, avista dosebjectos que deixamos
declarados, aos nossos frguczes e amigos a virera
comprar por precos muito razoaveis >oja do galla
vigilante, ra do Crespo n. 7.
IXJECTOft-PHILTRO
ESTOJpS
do volume de um relngio, senindo de
l'IIII.TRO e SKRINI.A sem ns
graves inconenientes de fragilidade.
Com a forma, e de volume de um Porte-Moed
COTBXDO TODO IRATAUENTO.
COLLYRIO Contra as affeccois das palpebras,
preparado sob a mesma forma.
venham a na Direita n.
mmi
BARTHOLOMEO & C
* CASA CAUVIN A. MARINIER,
extracqao dos tintese operaqaeslentarias senr dores, torios
dias uteis, das 10 horas at meio dia
PELO EMPREGO DO
PROTOXYDE DAZOTE
no gabinete do cirurgio dentista FREDERICO GAUT1ER
19Ra Nova19
0 qual, achando-se relacionado com os mais celebres deotintas de Paris, adquiri
com elles, na ultima viagem Franca, o moo de preparar e empregar este, excellente
anestbesi.co de que se pode sempre usar sem inconveniente algum, e produz insensibili-
dade completa.
O mesmo aproveita aJoccasiSo para lembrar ao respeitavel publico que no
seu gabinete continua-se a fazer tdas as operaCes da sua arte e collocar denles por
todos os systemas: com ouro, platina ou vuicanite, segundo os casos.
Esiiecwhiadt' fi obturaces com ouro puro.
Depositarios geral para e BRASIL e POUTUJAL
34, ra larga do Rosario. PERNAMBTJCO.
Pharmaeerutico privileeiado
successor a
Sebastopol, 55. PARS.
NOVAS ESPECIALIDADES A. MARINIER
Apresentadas a Academia de Sciencias e ao instituto de Franca.
ai irnnan SobformadePastilla, devedidaedoseada para faser de
IN JCllAU momento urna soluccJo PBEVEITIV1 E COBATITA das
MOLESTIAS CONTAGIOSAS
1NJECT0RPBILTR0
Graves
do volume de nm relogio, servindo
de Puiltbo e Seringa sem os
inconvenientes de ragiliaade.
Con a forma, e do volume de um Porte-Moeda contendo
TOBO TRATAMENTO.
OOUL.YXIIO
m ww k i;,
, II M IIJ. (.
rame de Ierro galvanisado em rede papa cercas, gaiola?, gallinheiro- -.c.
Chapas de turro galvanisadu para corir casas.
Tachos de ferro estanhado para engenhos.
"ofres de ferro de Miluer e oulros autores.
Chumbo em cano.
Dito era lencol.
Dito em barras.
Dito em enxada?.
Eslanho era barra e verguiriba. ,
Folha de Flandres.
Arados americanos para ladeira e vanea.
Carriuhos de mo.
Venezianas para janellw.
Machinas de descarocar algoilu: e faci.
Ditas de sorra.
Ditas para cortar fumo.
Ditas a vapor de forca de 3]cavallos e m -tures para 2 esvallos, para mottf dt
aetinas de algodlo.
Cadeiras de ferro.
Catnaj de ferro.
Prensas para copiar cartas.
Bataneas para posar. .
Oleo de linhaca em latas de ferro.
Trilhos de ferro para engenho*,. '
Bombas americana!).
Macacos de estivar.
Bataneas e pesos deeirnaes e outra.
Pogoes de patete.
Enxofre.
1 Salitre.
Estopa larga e de boa qualidade.
Picaretas para caminhos de ferro.
Um grande sortimento de ferragens e cati!ar*.
ESTOJOS
Contra as affeccois das palpebras, preparado sob a mesma forma.
ninliriATAMnA O #a Depositnos geral para o BRASIL PORTUGAL
BARlnULUMilU L 34, ra larga do Rosario. PERNAMBUCO.
AVIO W.
EHCEllEiRO
Com fundipo
RA DO BM 52
P.issando o chafariz.
Olanla aiiencSo dos Srs. de eogeuuo pata seas acrediidos marinismos e
^jiu lude | ara seus vapores que inda una vez tem meihorado.
vapores fornecidos por elle e j uncciouaudo \hv, bao de fazer melbur apre-
aco do ase ^oai,oer dito proprio.
Des-1: idffihem mencionar que Ubi f to utna reducco em seus pregos ; e mft
tem bcotnpto una a especie de maclimismo e
i
utros objeoios para a agricHitor.
3 cordeiro prevideau
Raa fio Qjiemado n. 16.
Novo e variado sortimento de perfumaxia:
linas, e ontros objuotos.
Alm do completo sortimento de perfi.
oiarias. de que effectiv irovidi
ioja do Cordeiro I m el i acaba dt
re'ceber ora outro ortiment i que se toru.-
QOtavel pela variedade I > Bcperioan
dade, qualidades o rymmodidades de prt
?os; assim. pois. o C.:>rlt-i; o Providente ped<
e espera continuar a merecer a spreciacS*
do respeiTvfl pblicn tn ger?l e do su
boa fresnezia .-m partiotliar, nlo se afai
taudo elle Oo soa I aansiait
i barateza. Em dita cLr.irSo o.
ipreciadoros do b ' A:;;a (vina de E. C ;
Dia verdaueira ;
Dita de Col
rabricnte&i
Dita do Qor de:.
Dita dos Alpes, evii p ra '
EUiir odontalgico para roa* ;--
sseic da bocea.
Cosm I iqrjes d z upe n
ros agr
Copfis e latas, isioroa i
aomada fbi?
Frascos com dita
a outras qualidades.
Finos extractos i /". a
(rancezes em frascos s-miifeeme.);--.. .
Esse lerii tnnei^r
ro do v
Onvr. centradaa e
' >; agradavfi
0 orne verdi
Ex- oleo de iperior qoaJMM
:om i ros, em trascol dediff*
rentestaiss '
Saboneios em barras, maicres e menoro-
{>ara nanos.
Ditos transparentes, redondos e cm bgv
ras de meninos.
Ditos naaito finos em caixinha para ba,
Caixinhas com bonitos sabonetes imiianrt-
fructas.
Ditas de madeira invernisada contendo I
oas perfumaras, muito proprias para pr
onies.
Ditas de papelSo igualmente bonitas, U* *
bem de perfumaras finas.
Bonitos vasos de metal coloridos, e
moldes novos e elegantes, com p de arr*
e boneca.
Opiata ingloza e francpza para deniel.
Pos de camphora e outras iffore.
cualidades tambem para denles.
Tnico oriental de Kemp.
Aluda mais coques.
Um outro sortimento de coques de n*
ves e bonitos moldes com filets de vidrllixi
alguns d'elletv, ornados de flores e fitas
jsto todos expostos apreeiaco de qot?....
is pretenda comprar.
GOLLINHAS E PUNHOS BORDADOS...'
Obras de muito gosto e perfeico.
Flrellas e Illas para cintos
Bello e vanado sortimento de taes ob/ts
ios, cando a boa uscolha ao gosto do co
prador.
Noya loja de joias

RA DO
CABUG.V
DE
N.9 A.
Manoel da Cunha Saldanha & (X
m
1 aiirise este estabeiecimento de joias, o qual tom grande sorti-
"&& ment de tfljas asjoias de ultimo gosto as quaes vendei o mais barato pos-
Tas asjoias serao garantidas oarolde lei, pois os seus danos tendo em
-o adquirir frpguezia nao olvidar!), vender bom e por preces os mais ^_
nssiveis.
viia-se o publico a vir a este estabeiecimento, certo de q.e Qcar .|^:-
MAO DE OURO RA DO CABUCA N. 9 A
Cabellos
Vemlem-se cabellos de todas as enres, qnalqm"
comprimenio, quaiidade superior, .;in caixa ol
porcao mais pequea : na ra da Cadeia do Ke-
cife'n. 54, t andar.
.*

>**<
4 '.-
Mantei ga a 1$.
Vndese manteiga ingleza flor a 1* a libra :
no progreso do pateo do Carino o. 9._________
Vende loaquira os Ramos :
n. 8 Io andar. ________
na roa da Crc:
mP4w
__Venderse urna rotla de amarello em I
esiidn na cambOa do Carmo n. 48.__________
A 2,000.
'^
f*i\\//i
Lindos c rtes de percales a 2^000
Ido Crespn. S5, loja da e?>viina.
i re


.
1
6
Daro de Pewiambuco Sabbado. 3 de Setembro de 1870
___
*
GRANDE
BAZAR DO PAVAO
60-RA DA IMPERATRIZ-60
DE
SILVA, FIGHEIREDO G.
Neste imocrante estabelecimento encontrar o respeitavel publico, otn gradde e variado sortimento de fazenda* do mais
aerado gosto e lodas da primaira njucessidade, qne se vendem mais baritas dd que wn ontra qualquer part, visto qoe oa do-
to aocios desta firma, adoptaran) o systema de s veDderetn DLNHEIRO ; para poderein veader pelo casto, limitaodo.se apenas
KBDbarem o descont ; as pessoas que oegociam em pequea esca'a nesti loja e armazem podero fazer o seas aertinaeatos
ka mesmos precos que c^mpram as casas inglezas, (importadoras) e para maior commodidade das Exroas. familias se daro
amostras de todas as fazendw, ou Ibes levam em suas casas para escolberem.
CAMISAS DE ERANELLAS A 3*500.
No Bazar do Pavao vende-ie ubi bonito
sortimeato com todos os lmannos das me-
lbores .camisas, de flaoela de 13a, com
mangas, tanto proprias para boa eos como
PECHNCHA EM CASEMIBAS A 40000. CORTES DE LA ESCOCKZES A 60000
No Bazar do Pavao fez-ae urna grande Vende se boaitos cortes de 13a scocezas,
caaapra em om leilSo, das oais finas yjndo cada om em seu papel, pelo barato
asemiras inglezas que tem vindo a es- preco de 6r000 cada um; no Bazar do Pa-
to mercado, tendo corea claras e escuras, 3o.
todas coco padrDes serios, oroprios para GASSASFRANCEZAS 240 RS. O COW-'para senhoras'e "vende-se a 30000 cada
alcas, palitos e colletes; vende-se a 4J000 DO. una, e qoem comprar de meia dnzia para
covado, o qoe em ootra qualqoer pane No Bazar do Pavao vende-se um graoue gima ter om sbameoto, Sao d? muita
aa se vende por menos de6?; grande sortimentode caasaa de cores* para acabar, ntilidade.
vaotagem. 240 rs. o covado, ditas finissimas francezas Graane pecbincua sin camisa ioglazas a -1 4$S8
RINS DE LINHO DE COR A 0200 padrees miudiobos e grados 560 e 640 No Bazar no Pavao fez-se urna grande com-
No Bazar d<> Pavo, fez-se orna grande rs. o metro ; s3o muito barata'. jpra.em leiio, de tioissimas camisas ingle-
ORGANDYS BRANCO E DE COR zas com peitos e puobes de lioso, seodo
No Bazar do Pavo vende-se os mais com collarishos e de todos os someros a
bonitos e muito fiaos organdyscom listas 40000 cada urna, ditas sem ceilariabos,
padroes miudmbos; garntese qoe n8o ha largas e miudas i 000 a vara, ditas lisas, porao faze.da tnissima a 405CO; gran-
brrela que lhe tire a cor, e vende-se a fazenda de muita pbantasia 800 rs. a vara, de pecbineba.
ditos d c.es, finissiinrs padroes, ioteira- CAMISAS BARATAS a 2-5800,3lOCOe 25600
mente novos 80) rs. vara; pesbincfca.! No Bazar do Pavo vende-se urna gran-
GROSDENAPLES PRET05 de porc*o de casemiras meecladas, muit
Chegou para o Bazar do Pavo um gran- encorpadas a 2)5800, ditas finissimas com
Rna do Imperador n. 26
O respeitavel publico encontrar nest-
dstabelecimento diariamente om oontc
sortimento de pastelaria, bollos inglezei
podios, pids-del, prgsentos dos ultinrot
diegados ao mercado, salame-de lion, bo
linhos finos de todas as qualidades para chi
amen loas enditada?, conferios, bomboin
pastilhas, chocolate francez em libras, pai
thas do mesmo .cartoxos e cartel/a con
seis charetos de chocolate cada ama, eau
sortimento de chscolate do mais acredita-
do fabricante de Pars e o raelhor qoe aW
boje tem vindo ao mercado.
Vinhos portuguezes^ figueira muito supe
rier. Os mais genuinos e superiores vinhoi
do Porto, moscatel e Setubaf, o illustradr
publico encontrar neste eetabeleclmentt
por commodos precos, fazendo-se abatimeD
to a quera comprar em porcao.
Os dono* deste estabelecimecto Dio a<
tem poupJo a despezas para melhor me-
recerem a acoadjovacSo do illostrado pu-
blico.

mais precia^acientitcar .10 respeitavel pnbbco m
a AGUIA KL
fral, e em particoltr a sua boa freguttia, da immensidade de objectos I___________
tem wcetWo, JstamentePqttiTSdo ella menos o podeflnere porque essa ttia mm-
raolaria ella confia e espera a benevolencia de todos que lh'a attenderao e relevarlo,
contfaaando portanto a dirigirem-se a bem coobeclda leja da AGUIA BRANCA roa d
Queimado n. 8, onde sempre achar3o abundancia em sortimento de superioridad* en
qualidades, modicidade em precos e o seu nunca desmentlido AGRADO E SCfCERlMMr.
Do qne cima fica dito se couhece que o tempo de qoe a AGUIA BRANCA pede
dispd", empregado apezar de seos custos no desempenbo de bem servir a aquellos qoe r
bonram procurando prover-se em dita loja do que necessitam, entretanto sem eonume-
rar os objectos que per sua natureza sao mais conhecidos ali, ella resumidamente indi-
car aquelles coja importancia, elegancia e novidade oa tornam recommendaveia, come
bem se a :
rompra de puros hrins de liftho, muito eu-
eorpidos, proprios para caigas, palitos, col-
tete eroupas para meninos, por seren de
f<|200 o metro desta excedente fazenda
BADAP LO FINO A 6^400 A PEQA.
No Bazar do l'avao vendem-se pecas de
1 dapolSo fino de muito boa quaiidade.
teRdo 22 metros ou 20 aras cada peca, de sortimento dos meluores grcsdena;iles msela de seda a UiOO, ditas modernas
?ek. barato preco de 6^000, por-*e terem Pretos 1ne tim vindo a0 mercado, que se de qoadroa, fazenda de muito gosto
mpoaco enxovalhadas; pe- e ttgnprado om pooco
rirtha
CHITAS ADAMASCADAS A 240 RS. 0
COVADO
O B-.zar do Pavo vende muito boas chi-
sto todoa muito em coma.
CAMBRAIAS TRANPARNTES
No Bazar do PdVo ven'le-se um grande
sortimento das me!hore* cambraias brancas
inglezas incaruadas adamscadas, pro- transparentes, tem de 3|5 at i0K)0
srias vara oibertas e cortinas, seodo fazen Peca- ditjS 8issas finissimas com 8 pal-
da que etnq.alquer loja se vende a 320 rs. mos de largura a WM, ai5 e 3^000
Hqu:da-se a 240 rs. o covado; s o Pa- vara d.llas v'"orias e tapadas da mais infa-
#a0# rior at a mais fina que ve u ao mercado;
tuJo isto se vende muito em cnn fRETONES PARA VESTIDOS A 640 RS. MANTELLETES DE FIL
Chegou para o B^zar do Pavao, um sor-, N) Bazir do Pav5 vende-se modernissi-
tim'Bio dos oais elegantes cretones fran-mos mantelletes ou basqnin.as de fil preto,
ceaes de cores Bxas, proprios para vestidos J om laco, pelo barato prego de 10)5000 ca-
eroupas de meninos, e vende-se a 6i0 rs. da um, barato,
o cofdo. PANNOS PARA SAIAS A 1500?, 1,5280 E
1(5600 0 METRO
No Bazar do PavSo vende-se boaita fazen-
TOALHAS A 75300
No Bazar do Pavo fez se urna grande
comprado toa Ibas alcochcadas, proprias da branca tncorpada, para saias, sen lo com
para Mate, bastante encorpadas e grandes, babados e pregas de um ladu; dan o a Ur-
qoe sempre se venderam a}125000." e li-|gura da fazenda o comprimento aa saia, a
qoidaras- a 7a500 a duzia<\ou a 640 rs. qual se pode fazer com 3 ou 3 Ij2 metros,
aada uu a, bna ce-hi.trba.
CHMEOS PARA MENINOS A 2^000
e oende-se 15000 e 1580 e 16H0; assim
como tamben no mesmo estubellecfmentn
O Pavao vende urna grande porrudos se vende bonitassaiasbrancas bordadasten-
mai'. bonitos cbaposinhos de palha da ita- j do 4 palmos cada urna, ditas de 15a de
? proprios para meninos de todas as I Ja- i cores ja promptas urnas com barras diffe-
des, sen o chapeos que valem 55000 e ven-, rentes, da mesmi fazenda 4tffHX) e outras
dem-se a 250OO cada om, muito barato, com barras bordajas 65003 e 75000,
CHITAS E RISCADINHOS HIUDINHOS
200 RS.
O avao venda chitas ou riscadinhos miu-
dinhos cor de rosa e rsinbos, proprios
para vestidos e roupas de cranos .a 200
rs. o c< vado. S3o mnito baratos.
KA Chegou oara o Pav3 o mais bello sorti
m''0to das mata brillantes lasinbas claras
om bonitas palminbas. de seda; ten lo lar-
guM de chita francesa e ve;ide-se a 1500
o covado grande pechincha.
ALPACAS MATISADAS i 610 RS. 0 COVADO.
V'-n !em-se as mais moderna; e bonitas
alpacas mat sadas com palminhas, muito
propias para vestidos de senhora e di me-
ainas pelo barado preco de 640 rs. o cova-
do : sau muito em conta.
PARA NOIVADOS CORTINADOS, COLCHAS.
C'ifiu-.u para o Bazar do Povao um gran-
de sur ti ment dos mais bonitos cortinados
orda.ios, proprios para camas e janellas,
que se veodem de 105 00 at 205 ).0 o
par. a>sim como o meibor .damasco cem 8
palmos de largura a imitago de damasc >
de seda, proprias para colchas, e propria-
neete colchas de damasco, send. os meloo-
res e mais b >Dtas que tem vindo ao mer-
cado.
SEDASTE LISTBAS.
No Bazar do Pav3o vende-se urna grande
ejoanti ade das mais elegantes sedas com
)istrinh;!s, tendo de todas as cores e at
fapa-iftr ; fazenda que nioguem vende por
menos de 25400, e l:quida-se a 25000 cada
envaro; sao muito baratas.
SElINSDE CORES E GROSDENAPLES.
No "Bazar d j Pav3u vende-se um sorJmeo-
to comp'eto dos mehfrei selins e grosde-
*tfflei de tudas as cores, que se vendem
site em coata.
LAANSJNHA A 30
No Ba'..^r o Pavo veode-se um elegante
sortimento das mais bonitas laasinhas imi-
ivw;a > de poupenas, com listas de seda mio-
diohas e da urna s cor 320 rs. cada cova-
do.
POPELINAS DE LA A 400 RS. O CO-
VADO
N' B.;zar do Pavao vende-se um elegan.
fe sortimeatD das mais bonitas poopelinas
de la cum lista- miudinbas, sendo todas
quasi da urna s cor, 400 rs. o covado ;
pbaratisnmo.
GRANDE PECHINCHA. GORGURES
DELAA
Pan vestidos a 400 rs.
No Bazar o PavSo fez-se urna grande com-
pra de azinhas muilo modernas de urna s-
cor. que pea sna boa qoalidade se lhe deu
0 rtu o de gorgorao de 13a, sendo fazenda
aou to larga e vende-se a 400 r. o covado,
fazenda que se venda sempre a 15GO0,
grande pechincba.
Las furta cares a 400 rs.
No Bazar do PavSo vende se om elegente
aortmeni-> de ISasinhas de furta cre3 que
'rfilbam igualmente as sedas e vendem-se
a 400 rs. o covado, fazenda que vale muito
mais dmheiro.
tudo isto moderno e barato.
ALGODO ENTESTADO PARA LENCES.
No Bazar do PavD vend-se o melhor al-
gndo-inbo americano eofestado para len-
Ces, tendo liso e entranr;ado por pre?o
muito barato.
ESPARTILHO.
No Bazar do Pav3o recebeu-se um elegan-
te sortimento dos mais modernos e melho-
res espirtilhos, que *e vendem por prefo
moiio em conta.
PANNOS DE CROCH PARA CADEIRAS
O Bazar do. Pavo recebeu um grande
sortimeato dos melhores pannos de croch,
proprios para cadeiras de balanco sofs,
pianrs, timboretes e al proprios para eu-
brir almcfadas e pratos; vendendo-se por
n.euos do qua em qnalquer parte.
MERINOS PARA VESTIDOS A ioflOO
Chegou para o Bazar do Pavao om ele-
gante ortimento de merinos, moito leves
de urna s cor e c m as mus liadas torea,
proprios para vestidos eraHpasdo meninos,
capinhas bouras etc., e vende-se pelo
bart preco de 15000o evado; bonita
fazenda.
Laasinhas tranrparenles a 500 rs. o covado
O 'avao ricebeu um bonito sortimento
das mais elegantes lasiobas transparentes
proprias para vestidos, que vende a 500 rs.
o covado; moito barate.
PARA LENCOES
No Basar do Pavo veude-ae so ;eriur
bramante d'algodo coa* 10 pelaos d* lar-
gura a 15800 o metro, dito de buho cora a
mesma largura a 25800 cada metro, pannos
ds linbodo p< rtocom 3 1/2 palmos de largura
de7Oat!5a vara, assim como umg ande
sortimento de Himburgo ou creguellas de
todos os nu eros, precos ou qualidades,
que se vendem mais barato do que eai uu-
tra qmlqoer parte ; aproveitem-
TAPETES
Chegou para o Bazar do Pavo o mais
elegante sortiment de tapetes grandes, pa-
ra sofs, com 4 cadeiras, ditos mais peque-
nos, para duas cadeiras, ditos para
pianos, camas, portas ; eto. vende-se por
menos do que em ootra qnalquer parte.
COLCHAS BRANCAS A 352;>0,35500 E 75
Para o Bazar do Pavo chegou um gran-
de sortimento das melaores colchas do fus-
t3o, s ndo das melhores e maise corpada?
que tem vindo, a 7500 nitas um ponco
mais abaixo a 5520:). e ditas a 35000;
tambera no mesmo estabelecimento se ve-
de um grande sortiment dj cretones e chi-
t s, proprias para colcoas, que se vendem
muit em '-onta
GORGUKOES OU POUPELINAS DE SEDA
A *0G0CADA CO.'ADO.
Cheg u para o Bazar do Pavo um ele-
gante sortimento das verdadeiras poopelinas
de linho e seda, com os mais modernos
gostos, que se vendem a 250fjO cada rovado,
o que em octra q alqner parte nao se ven-
de por menos de 25500, prewo**e que nao
sao algodao e seda, como ha muitos; mas
iim puro u&bo e seda ; s3o muito baratas.
ROUPAS PARA HOMENS
No accreditado Ba/ar do PavSo encontra-
r o respeiti.vel publico um grande sorti-
mento de roupas para bomens tanto bran-
cas como de cores, a saber :
Camisas con: peitos d'algod3o e de linho,
para todos os precos a qaa'idades.
Cerotdas- de linho e afgodo.
Metas curtas francezas e inglesas.
Palitos sobrecasacos de panno preto a
casimira.
Caicas de brim branco e de cores
Ditas de casemiras pretas e de cores, coa
colletes iguaes
De todas estas roupas ba para todos os
pregos e qoalk'ades, e tem de mais mais
um pero '
ALFAIATE
Por quem se maoda fazer cera- prestes a
e aceio qoalquer pecde obra a capricho
ou gObto do Traguee, teodon'eett importat-
te estabelecimento tidas as qualidades del
nanne 800, meibares- d uns mader
naacasemipaai a9rin*canr>ome*hereeBrifis,
qur brancw, qur d cor; e qaaodo ajial-
quer obra nao fica tairamant a% gosto
dos fregnezes fica por coata do eataheteci-
mento.
CHALES DE MERINO
Chegnu para o tozar d PavSo-am elegan-
te sottiment) de chales de merino de (res
muilo bons com p-idrfles muito. decetatea
para qualquer um senbora osar, ilos de
crpcji coa listas de seda o mais fino
modero que tem vindo ao marcado, e ven-
de-ae por proco muito em conta.
BABA DiNH )S
A Nova jfisperanca
VIRaa Duque de COtIo*1
Quando a NOVA-ESPEBANQA faz os seus
anuncios expondo aos seus fregueses e a
todos em geral o grande sortimento e su-
perioridade de seus objectes n3o com vis-
tas de atrair a attenc3o de uina grande fre-
goezia, como a de que actualmente despoe,
e sim para scientificar (a interese de todos)
a quaiidade de seus objectos os quaes s3o
sempre de apurado gosto e perfeico; tor-
nando-se quasi indispensavtl para aquelles
aprepiadores (do bom) frequentarem a No-
va Esperanza, pois que ella capricha em re
ceber constantemente, o que ha de melhor
relativamente a sua repariic3o: o que so po-
der verificar quando em qualquer reuniSo
de pessoas (amantes do xique ) v-se um
bonito enfeite em um bonito vestido, um
aroma agradavel escapar d'um alvo lenco,
um moderno e linde laco, um dilicado ra-
mo de finas flores, ete, etc, todos olbam-se
reciprocamente e dizem com sigo (e as ve-
zes uns aos outros) estes sSo objectos
comprados a NOVA-ESPERANCA: realmen-
te 11!! procurar descrever em annuncios os
artigos que contera dita loja, seria trabalho
insano e nunca o fariamos com aquella
graca e perfeico com que sao elles fabrica-
dos, assim pois a NOVA-ESPERANCA con-
tenta se em convidar a todos geralmente,
visitarem-na para ent3o ficaram intei-
rados do que ha exposto na mesma loja.
tiRaa Duque"de Caxlas81
Laa para bordar a
5^500 a libra
O Cysna, roa da lrapsratrii n. 64, acaba de
receber grande e variado sortimento d la, a qnal
vende pelo baratissimo preco de 5*300 a libra
cores sortidas.
Corp nhos de cambraia, primorosamente
enfeitadoa com fitas de setira e obras essas
coja novidade de molde e perfeiclo de ador-
nos os tornam apreciados.
Fitas mni largas de diversas cores e qoa-
lidades para cintos.
Leques oesse objecto muito se poderia
dizef qtierendo desereve-los minuciosamente
por suas qualidades, coree e desenhos, tal
o grande e variado sortimento que acaba
de chegar, mas para nao massar o preten-
dente se lhe apresen tara o que poder de
meibor.
Entremeios em pecas de 12 tiras.
Goipore branco e preto de diversas qua-
lidades e desenhos. '
Ditos de algdlo com flores e lisos;
Veos de seda para chapelinas e monta-
ra.
Meias de seda para noivas.
Ditas abortas de fio de Escossia.
Costomes oa uniformes para meninos.
Enxovaes completos para baptisados.
ESCOLA PHARMACETICA DE PARS
Medalha de Vrata 1660
DE
you EU R
GODDROL
GYOT
ATOALHADOS
No Bazar do PavSo vendn-e superior
toalhade trancado, com 8 palmos de largu-
ra a 1)9600 o metro, dito da linho adamas-
cado o melhor que tem vindo ao mercada a
3)5500 o metro ; tudo isto muito barato.
Baloes reguladores a 4,5000 45300 e 55003
Chegaram ao Bazar do Pavo o mas bem
feitos baloes reguladores, sendo de fusta)
a 45000, ditos de musselioa a 45300, di-
tos de lasinha de todas as cores a 55000,
todos elles sao muito baratos.
Panno preto muito barato a 35600
O Bazar do Pa?5 recebeu urna grande
porco de pecas de panno preto fino, com-
pradas em leilo, que sempre se vendeu a
55000 o covado e pode liquidar a 35800,
por ser urna excedente compra,
Laasinhas com msela a 500 rs. o covado
No Bazar do Pavo vende-se orna grande
porco de finissimas laasinhas de urna s
cor com msela, que parece moscada de
seda, e ditas moito bonitas com str; s, ten-
do quasi a largura de chitavfranceza, e li-
quidam-se a 500 rs. o covado, fazenda que
No Bazar do Pavo vende-se nm grande
sortimento dea mais finos babidinhos borda-
dos tapados e transparentes, assim como
urna gran ie porco de entremios largos e
estreitos, que para acabar se vende mnito
em conta e mais barato do que em ostra
qualquer parte.
FAZENAS PARA LUTO
No Bazar do Pavo vende-se constante-
mente o melhor sortimento de fazendas
pretas para luir-, como sejam :
Lasinbas oretas lisas.
Cassas pretas de la.
Cassas pretas, francezas e inglezas, lisas
e com salpico?.
Chitas pretas de todas as qualidades.
Alpacas pretas lisas.
Ditas lavradas com branco.
Merinos, canto s, bombazinas, que sa
vendem mais barat 1 do que em outra qual-
quer parte.
CHITAS PRETAS A 200 RS. O COVADO
No Bazar do Pavo vende-se chitas pre-
tas inglezas com saipicos 200 rs. ocovado,
ditas todas pretas, por estarem um ponco
russas, 120 o covado ; pechincha.
Os prof.riTarios d este importante esta-
bellecimento rogara ao respeitavel publico e
particularmente s Exmas. familias o favor
de se darem sempre ao trabalho de lerem
os seus annuncios, pela razo de muitos
d'alies serem mudades amiudadas vezes.
CACHE-NEZ A 65000.
No Bazar do Pavo vendem.se bonitos e
EXTRACTO DE ALCATRAO.
nico medicamento approrado por todos os
Hosp.taes de Franc, Blgica e Esnanfaa como a
melhor prporacSo instantnea e regulada em
do,a da AGUA DE AI.CATRAO.
( Uuas eolheradas grandes de liquido por cada
litro de a/;ua, 0H urna eothtrada peiuena por
cada copo grande.)
r(i..,n*lIOca.dor "' nrt 2. *, lo broscalo* e da
Exigir a firma do inventor >
Deposito Gehax. ^f^|< f
Rae des FraBcs-Bourgeo, 17 c==^TZa
Em pars. Sz"?
Dbpostto : no Rio de Janeiro, DnponcMIe; na
Bakia, Silra Upes! na Pernambueo, P. Maurer
I et O*; JHranhad, Ferreira et C".
AROPE
Depurativo
IMEMBRO DA ACADLMrADEMEDICINAl
Preparado por DCSLARtERS.PH.f
Soc" D$ BOUTIGNY-DUHAMEL
31 Ra de Clpy Pais
Capellas brancas para meoinas.
Grandes sortimento de flores finas.
Fil de seda, preto.
PERFUMARA
Grande e constante sortimento de dita,
sempre meibor qnajidade.
Lindos vasos com p de arroz e pinset,
Caixinbas com ditos aromticos.
Bonitos e modernos pontea domados
para circular o coque.
Bonitos brincos de plaquee.
Aderecos e brincos de madreperob*.
Caivetes finos para abrir latas.
Thesouras para frisar babambos.
Aspas para bafao.
Novos stereoscopos com 48 vistas, a*
quaes s3o movidas por om machinismo
urnas substituera as outras.
Vistas para stereoscopos.
Bonitas caixinhas de vidro enfeitadoa com
pedras.
Ditas de madeira envernisada com tlp-
ras e com dminos,
Bollas de borracha para' brinquedo de
Topqninbas de fil, sapatinhos bordados \ criancas.
e meis para ditos. Diversos objectos de porcelana, proprie*
Camisinhas bordadas para ditos. para eofeites de mesa e de lapinhas.
I
S3
s
m
mmmmm
M

S)
0
M
s
1 AfiOSTLMW i IRHAOS l
Com este titulo acha-se aberto e inteiramente transformado este ango
estabelecimento de joias, onde os freguezes e amigos encontrarlo tudo qnanto
a moda e o bom gosto tem inventado na arte de ourivesana, o Collar de Ouro
observar delicadeza no trato e senciridade e modecidade nos precos.
Espera que o respeitavel publico venba ver o que existe de melhor em
aderacos de brilhantes, esmeraldas, robins e perolas, meios aderecos, pnl-
ceiras, brincos, alfinetes e anneis d lodas as qualidades, prata de le faquei-
ros, colheres, paliteiros salvas e outros muitos objectos que .seria enfadonbo
mencionar. ,
Compra-se om, prata, brilhantes e pedras finas, pormaior preco do
qu em outra qnalquer parte, troca-se e concerta-se todo e qualquer objecto
pertencente a esta arte.
D COLLAR
N. S A RA DO CABtIGA N. 3IA.
AMTIIOi mos
O Xarope depurativo iodu rado do Dou-
tor Gibert offerece, no seu emprego, um
resultado bom, certo e constante na cura
a&simpigens,escrfulas, molestiasdapelle,
vicio do snngue, obstr ucedes lympfiaticaj,
molestias contagiosas {s'yphiltticas), leves
tu inveteradas, ede todos os accidentes que
d'ellas dependem.
A receita deste Xarope foi approvada
pela Academia imperial de Medicina de
Paris.
Deposito as princjpaes pharmacias do
Brasil.
em Pernambueo: Maurer e Cu; Joaquim
Martinho da Cnuz Correia ; Joo da Con-
ceicao Bravo e C"; Augusto Caors ;
Bartoolomeo e Cu; Alexandbe Ribeiro;
Abreu Ribeiro ; Joao da S* Fabja e Irhao.
HmffisMftsaoi niiiiisiinAiii
GRANDE LIQDIHACAO'
Lonrenpo P. Mendes Guimares
RUADA IMPERATRIZN. 72
Tendo resolvido o seu proprietario liquidar todas as fazendas existentes as loja
Garibaldi e Arara, convida ao respeitavel publico, amante da economa, visi'^rem a
loja da ra da Imperatriz n. 7, pois s deseja apurar o dinheiro.
Arara vende madapolao enfestado a 3$50O, Para liquidar vende bramante de li-
a peca, ditas de 24 jardas a 5?000, 6$'J00, nhd e algodao a lri800 o metro, dito de
60500, 7r000, 8^000, 9000. e 10,-5000. lirrao poro a 20800, esta fazenda pro-
Vende-se cortes de casemiras de cores pria para lencSes e toalhas por ter 10 pal-
pan calcas a 40000, 50000. mos largura.
Vende-se cortinados para cama fr9,,rza
a 10400 o cortinado para liquidar.
Arara vende cortes de chitas para voet*..
dos a 20500,20800 e 30200 o corte para
Pira liquidacio vende-se algodo de lis-
tras proprio para calcas, camisas e saias
para escravos a 160 rs, o covado.
Na ruada Imperatriz vende se chailes de
merino- estampados e de barra a 20000,' liquidar.
0500 e 30'00. i Vendeo se cortes de cassa a 20500 o
Arara vende cortes de casemira preta corle s na liquidado a da imperatriz.
para calca a 30500, 40000. 50i 00, 60000, \ Vende-se cortinados para janellas a 60
/0OOO, e 80000.
Para liquidaco vende-se brim pardo liso
bom a 500 rs, o metro, dito transado a
720, 900, e 10000 o metro.
Para a cabar vende-se duzias de lencos
brancos de cassa a 20000, e 306OO, ditos
de linho a 50OOO, 60)0.
Na ra da Imperatriz vende-se cobertores
de algodo a 10400 e corbertas de chita a
105UO.
Para liquidaco vende-se cortes de casto-
res para calcas de homem a 500 rs.
A Arara vende chitas largas para vestido
a 240, 280. 320,
a peca para liquidar.
ECONOMA
Vende-se duzias de collarinhos de pa-
pel a 240 rs. para acahar.
Arara vende laasinhas transparentes para
vestidos a 500 rs. o covado.
Liquidaco, vende-se parapeito liso a
20200, 20500, 30. 30500, 40, e 5*, pro-
prio para calsas e palitos por ser bea fa-
zenda e barato.
Arara vende cortes de brim para cal-
sas de homem 10500.
Vende-se cortes de pcalas de duas saias
para senhoras pelo barato preco de a 60.
e 360, rs. o covado.
' O barateiro vende percalas finas para cadaum.
vestido a 440, rs, o covado. Grande liquidaco dearoupa feita.
Em liquidaco vende-se alpacas para ves-' Vende-se palitos de alparca e de cores
tidos de Sras. a 500, rs, o covado. a 20.
A Arara vende lazinhas para vestidos de I Vende-se ditos de ganga para homem
Sras. a 320, 400 e 500,1 s, o covado. a U-
O Guimares vende mursulina de cor Vende-se ditos de brim de algodo bran-
para vestido de Sras. a 440 rs. o covado, eos a 20.
Vende-se nma boniu casa nova a moderna,
com 2 salas, corredor ao- lado, 5 quartos, sotao
muilo fresco, despensa, corintia com bom torno,
grande, copiar com gradeamento na frente, eali-
nheiro tambera com gradeamento de ferro para
grande porcae de criacao privada para despejos,
telheiro para lenha, carvao, etc., cacimba com
bomba de Japi, tanque coberto que serve para
banhoe sitio, tem 100 palmos de fre8te e 500 de
fundo, todo murado de novo com gradeamento na
frente e pomo de ferro, lindo jardim para re-
creo. plantacao de arvsredos novos, passa-lhe o
no Capibanbe perlo para rsbanbos, no lugar de-
nominado Lnacao n. 1, jumo da estacao da Casa
dita branca a 500 rs.
O Men les vende fusto de core5 par-
vestidos de senhoras a 360, o covado.
O Lourenco vende cassas finas para ves-
tidos 240, 360, 400 e 440 rs. o covado.
Arara vende alpacas de lista para vesti-
dos de senhoras a 500 rs. o ovado, ditas
lisas a 500 e 640 rs. ocovado, ditas matea-
das a 640 rs.
Venle-se ditos de meia casemira a 20.
. Vende-se coletes de brim de cores a 10-
Vende-se ditos de meia casemira a 205fjU
Vende-se calcas de algodo azul a 500 rs.
Vende-se dita de algodo de listras a 800rs
Vende se ditas de brim pardo 20,10600
e 2^500.
Vende-se calcas de casemira de core
a 6080.
PARA AGUA
Forte : os pretendentes' poder-se-hao" dirigir para
tratararuadeThom de Souza. outr'ora mi d*
Lingoeta, n. 4.
estacao (
"nao dirr
outr'ora ra da
sempre se vendeu a 10000 el02OJ, grande grandes cachi-nez de pura lia, pelo bara-
pecbincha a 500 rs. | t preco de 60000 Cada om.
0 Bazar do Pavfto sito a ra da Imperatriz n. 60, este' constantemente aberto
ds horas da manhaa as 9 da noute.
Grande pecciincha
Na loja d- Pereira Irmos 4 C. a ra do Duque
de Gaxias n. 9, vende-se algodo de listra pelo ba-
rito preco de 130 rs. o covado, e sendo peca ainda
se faz differenca.
Canos de ferro galvanisados por barato preco.
Torneiras, e corvas para os mesmos 1 No armazem da travessa do Corp
Santo n. 25.
Moinhos para caf e para milho
Os melhores moinhos para caf e para milho que tem vindo a este mercado
se encontram no armazem da travessa do Corpo Santo n. 25.
Formas de ferro
para purgar assucar
jo 4/
na rna da Cadea mime-
Farinha de mandioca.
Vende-se superior farinha de mandioca, vinda
do sertao do Cear, em saccas de S l| e 3 al-
queires cada sacca, por preco mdico : i ra do
Vigario n. 14, escriptorio de Jos Lopes Davim.
XAROPE SEDATIVO
de cascas de Laranjas amargas So
BROMRETE DE POTASSIOM
De J.-P. IiAROZE, ni des I***-**"*-*"1 Fwls.
Todos os Mdicos concorda em qne o Bromnr* de Potassinm puro tem sobre o
sistema nervoso, urna aeco >edat*a Miman*. Reunido ao Xarope LaroM de
Laranja amarga, caja aeco regenera as moldes do estomago e dos intestinos,
umversalmente appreciajo. Sem receio d'a/jdeniese pode dar as pessoas adoltas,
qnando soffrem de maUttita de ooracao, > ,*> &**&"** osm tn g*rl,
assim que para as ioImim mwm i* \rttm\tm Para creacas, pus
gitacao, laniM, to*M dnate dentieao.
Deposito m kio de Jtneiro, *. Charolo; em Pernambueo, F. u-nn C;
em Maceio, raleo Diat; em Pstjtas, Asura t; em BtMa, ; em
Porto A legre, Jo*l Bello; em Karanhao, en-ei C; em Ouro Prett\ Web*



Diario de Pern&mbuco
aaboatu
Le seteinbro de 1870.
7
AO ARMAZEM
Ei va 1 &em se g
RA DI Q
fAliga n
Contina a vender tildo mtirto
bom
muito barato a sal
Libras da aneia preta muito boo. .
Tesoaras flnss para notos e coi to-
ra a......., .
Papis de agulbas francezas a ba-
jo a.........
Canas com seis sabonetes de frua
Libras de lia para bordar de tedas
as cores a.....* 6I006
120
60
Ljooe
remwntdk
17-RJO 8H. 7
Este coubecido estabelecunento ach;i-se casstanMnienie bem soi lido, ero virtude das
facturas que recehe por tndovos vapores navios francezes, dos artigos abaixo ipenciona-
os, precos os mai9 resumios qne uossivel.
Botinas para enhoras e mcnlnaa.
Bolinas preta*, brancas e de maltas outras cores, sortidas e bonitas, do ultimo gos-
*o da moaa, e precos niais barates do que ein outras partes.
Botina* par rioinen e Meninos.
Botinas de biierro, cordavati, lustro e pellica, das memores fabricas e escelhidas.
Botas e peiuelia* msslanas.
Botas e paraeiras par mamaria, das moihores quabSades, de eouro da Russia, lus-
tro e buerro.
Zapatos de borracha para humeas e senhoras
Tendo chegado grande poreo de papaus de borracha vende-se pelo cusi alim de
desempatar o diuheiro oelles empreado, sao baratsimo?.
patos de lustro para horneas.
Sapatos de entrada baixa de eouro de lustru com salto, de muito boa qualdade.
Abotinado* para meninos e meninas
Sapatos abotinados de diOerentes modelos, de muito boas qualidades e fortes, tanto
[ fin meninos como para meninas, muito baratos.
napatos de tapete.
Sapatos de t.ipete aveludado, de caseruira, de charlte e de tranca francezes e por-
tugoezes para horneo, para senhoras a para meninos.
PERFUMARAS
Escolenles extractos, hachas, leos, agua de cologne, florida, divina, lavando, den-
tree, de toilette, sbesete*, tintura para cabellos, pomada augroise para bigodes, pos de
arroz etc., tudo uto de primeara qualdade, dos afamados fabricantes, Cuadray, Piver e Lubin.
Quinquilharias
Lavas de pellica do coabecido fabricante J.uivin, espelhos cara sallas, quartos e ga-
binetes, toucadore- de diversos manbos, leques para senboras e para menina, abridores
de luvas, brincos, pulceiras,notOes, corrent^s e cbaves de relogios e tranceln*, tudj de
ouro de le, correntes e brincos de plaime, a imitarlo e de m'ais goto do que as de ouro,"
caixinhas de costura ricamente gnarueeida. e oreadas com lindas pees as de, msica, albuns
e caixbcs dourados para retratos, caixiolias com vidro de augmento para distinctameute
ver-se a perfetcao dos retratos, ohjectos de pbaolasia para toilettes, holsinhas e cestinhas
de seda, de velludo e de vimes para braco de meninas e senhoras, ditas para costuras, pe-
queos registros muito finos e delicados, bouquets de flores de porcelana, jarros proprios
para gabinetes e santuarios, quadros promptos para eoUocar-se vistas, molduras douradas
para quadros, estampas finas de paysagens, cidades, figuras e de santos, vidros para eos-
Diorama, malas, saceos e notas de viagens, aspara*, cbiiilm, bengalas, oeuloe, lunetas on
pensiBez de prata doorados, grvalas pretas e de rre% anatoatsras de collete e de pnnhos,
carteirDbas pava notas, thtsounnhas e caivetes finos, parns, etcovas, pontearas de espuma
para enarceos e para cigarros, jotos de domin, rodetes, bagatelas e outros dtfferentes, ve-
nezianas modernas muito conveniente para portas e janellas, cosmoramas, lanternas mgi-
cas, esterioeopos com interessaotes vistas de figuras e das ruis bonitas ras, boulevards,
pracas e passeios de Paris.photojrraphias e caisinbas mgicas, reverberos para candieiros,
tapates de vidrho e de la de eflres para pee de lanternas, realejos grandes e peqneno?,
arneoicos, acordions de todos os tamaitos, aeros de vimes para enancas, sapatiahos e
foseas de Uta, carriohos de 3 e 4 rodas muito elegantes para eonuiir enancas passeio ; e
, outras multas quinquilhari.s de phantasia, francezas e allemae-, pre,:os umito em cdnta.
Para este artigo nao ha espado nem tempo para a mascante leitara da inflndade de
gneros de brinqnedos fabricados em diversos paiies da Europa.
Carriteis de linha Alexandre a. 100
Frascos com azeite para machinas 500
Grvalas de cores muito tinas a 500
Grozas de botSes madepersla -
nissimos- a......'. 500
Novel de Irrito de 400 jardas a. 60
Caixas cora 100 envewps maito
superiores a j. ROO
Pentes volteados para meninas a. 40
Tinteiros com bnla prefa a 80 rs. e 160
Pesas de fita elstica moilo fina'a 200
Lata com superior baDba a 100 e. 200
Frascos de oteoPbiwcome muifo
fino a......... 500
Frascos de macaca perola a. 240
Frascos de eitraeto muito bonitos a 500
Dozia de wbeueles morto finos a. 720
Sabonetes irtglezes a 600*8. e. 1200
Frasco com agua de colonlt PiTer a 500
Dito de oleo baboza a..... 500
Caixas de lamparinas a. 40
Sabonetes a forma menino muito
superiores a....... 240
Mrtilhas da doulrina fazenda nova a 400
Libras de linha sortidas de todos os
nmeros a. ..... 1,5800
700
Especialidades.
i
(blica i acredd
mmmmmmC ben
!::I. ::.' I)-.- '. !___________ _________________
ferro de Blai -csi-. cu
1 >Hey, p
mutbo de Ghevner, e outros medicamentos cuja
prouoencia quapde empregados as doencis das
respiratorias, as ddres rteunwtkas, na
amarelllao, na fafta completa oa irregularidad*
de meBstrne, Da dttrrbas, done do cenca
e o esiomago, tm jifo e 6 bicontesuvel, em
vista dos benfico; resultados das experiraentacocs
nn u?n qne diversas pessoas delles teem feito, as
sim con das punas denominadas bravina in-
00P*rave|* e soa efficacia nos aeommeUimeR-
tos febns ou ?ei5es existindo tarabem na mesm
casa, alni de snfflciente quantldade de drogas,
irm nao pequeo sortimento de tintas, oleo de II-
nbaca e pincis, que se vendem por meaos do que
m ontra parte.

mburgnezai
640
240
O dono desie estabaleeimeoto pede ao publico em peni! nw eentinue a visita-lo
veriScaodo as qoaiidades e o precos baratu* de dthM objecin por seren viudos em d-
reitura e de coma propria.
Pechixichas novas 1 Officina de alfaiate
pe
ele-
JLoj Flor da Boa vista
DE
Paulo P. de m. Snlmaraes.
Lias para vestido, fazondas todas novas, ova-
do 200 a 500 rs.
Cambraias de cores francezas para acabar, co-
lado 300 a 320 r?.
Caitas escuras e ciaras cores lisas, covado 2i0
a3G0rs.
Laa Amelia, fazenda nova, covado 600 a 600 rs.
Brim pardo trancado, boa fazenda, metro 300
a m rs. *
Paca de algodo o madapolao, cambraias trans-
parenies e victorias, precos muito baratos : na
ra da iinperatriz n. 8, unto a padaria franceza
.NA
LOJA FLOR 1>A BOA-VISTA
DE
Paulo F. de M. nimaraes.
Nesta ofneina se mandam faaer roupas feitas por
medida, tendo um completo sortimento de fazen-
das proprias a mesma, assim como um perito mes-
tre. ar.-iut -se ser precos mais em cantado que
em outra qualquer parte : na ra da Imperatriz
n. 48 junto a padaria fraaceza.
A 64000
Vende-se calcado francez tachiado, obra boa,
pelo diminuto preco de 6* : venham roa da
Cadeia u. 50 A, lo.ja'de muidezas confronte ra
da Madre de Dos.
Capadlos muito bonitos e grandes a
Carriteis de retroz preto, com 2
ottavas a........
Agtirheiros de osso enfeitados a, .
Libra de linha frauceza superior
qualdade a.......2#400
Caixas de palito do gaz a. 20
WmM.
No Bazar da Moda
RA DO BARO DA VICTORIA
(Outr'ora Noya)
Artigos de alta moda em Pars chegados
ultimo paquete vindo da Europa.
Para senhoras.
Chapelinas de palha de iulia com ricos e
gantes enfeites a ultima moda.
Veos de cures e pretoa para montaras e pas-
seios.
Grmaldas e capel las de flores de larangerras
para Coi vas.
Corpinhos de cambraia ballamenw enfeitados.
Enfeites muito lindas para caneca.
Sair.s brancas bordadas e de cores.
Caedines de fia de bonitas cores.
Sintos de diversas qualidades.
Sah das de baile o que ba de melbor.
Casaquinbos de renda ehantely preto?.
Chaposinhos de sehm para sol.
Baldes de cores e brancos para senhoras e me-
nraas.
Lacos, gravatinlias, espartlbos, lencos, meias,
ttc. etc.
Para homem.
Mantas e grvalas do ultimo goslo.
Celerinhos de linbo bordados e Uros, *.
Seroulas de Imho.
Camisas de meia.
Meias de snperior qualdade.
Lencos de Hnho e algodo.
Ubapos de sol rom cano de marfim, ingteies.
Para meoinos.
Costures orientaes de fustao de cores muito
bem enfeitados.
Vestuarios de diveras quaudades para baptizados.
Chr>*i)srhos de sena e merino.
sapnshw d.> satim, merm e lia.
" ti<\i> de tudas as qualidades etc. etc.
Vende-s tn.I > por barato* precos.
Nova loja de fazendas finas, roupas feilas
e por medida, de Pioto A- Martroiano,
roa do Bar5o da Victoria n. 9.
(arjtga roa Nova.)
s te novo estabeleermento achase prvido de
muito beas casemiras, pannos, brins. camisas bor-
dadas, novas chapelinas e chapeos para senbora
e menina, luyas de pellica, loas, pilberioas, or-
gandis, cretones, vestidos Je percale d*Et. e, em
nma palavra, toda fazenda, qusr para srahora,
qner para homem.
Saias de )Sa.
Fazenda qne sempre se venden por 10 e 15,
a leja da rurqueza vende a 5*000.
Gravatas escocezas.
Muito lindas a i 3000.
Chales.
Yen'V-se u o iiiano de mesa, intimo para ensi-
n>. |.iy.-< biirjtissnuo: aruada sspnratrii tu. 48
loi.i.
(3aI d Lisboa.
V- nile-s <~M \\f Lisboa, a uHim.i chegada ;.o
Mfi irt.'. piic jfrecd rjMiavel : ni arma^'-m -le
Ma") IVimu Basiur, ra do Gowswrcio a. 13.
De merino estampado a 4$000; na loja da Tor-
queza. de Pinto & Martiniano, a ra do Bario da
Victoria n. 9, antiga ra Nova._____________
GGRA'SBL
No Bazar da Moda
RA DO BARO DA VICTORIA
(Ootr'ora Nova;
VNDESE
Lindas fazendae para venidos.
Da alia moda da Paris!
De superior ipialidad* !
De bel I i ssi ni os padres !
De delicadissimas cC>res I
A saber :
Gases florentinas, novidade *
Poapelinas tavradas. *
Grosaenaples de cores e preto.
Setim macau de cores.
Cortes para vestidos de grande novidade!
Cassas do ultimo gosto.
Fustoes de cures.
Percaleas de melhor qualdade.
Berejes com listras.
.aazinhas de diversos precos.
Alpacas de cures tavradas e usas.
Chitas escaras muito superiores.
Fil de seda branco e preto, liso e com salpico?.
Dito de algado.
6uipnz de Imho e algodo preto e branco.
E omitas ontras fazendas, como sejam :
Amainados para mosa e ^oardanapos.
Toalhas para rosto, eolias e cobertores para
cama.
Bretanhas, madapoles francezes, etc. etc.
Tudo se vende muito barato.
Joaquim Rodrigues Ta- <
vares de Mello,
TEff PARA VENDER
em seu eaeripforio, praca do Corpo Santo
n. 17 :
Fhiio em ftrfha
de 1* e2- qualidad", e viio> rv -u mata
fardos a vontade dn< mninnstirit
Cal de Lishoj
ultima chegada.
Potasa da Rnssia.
Farlnha de mandioca
Vinho Bordeaux.
de I' qualidaile. Tudo de vm)<|e mal-
barato do que eiu outra i^iaigiejr parte.
vidar
es que sempre o hon-
rn a faie-looom contur-
il < sua fregueaia, virem visitar o seo
estabelecimento, corto de que o*9 deixarao
de agradar-se, nao so de s us gneros,
como d> tratameuto e limpeza que a todos
despensa.
GNEROS DE IMPORTACO
Uvas de SctumbaJ
Arjaeixas.
Poras.
MicSas.
Viobfi doPoitode diversas qualidades
entre, ellas a especial qualdadegloria do
Brasildito cm pipas e barris, que ere-
comweodavel para mesa por ser o verda-
deiirorinlio de pasto, dito verde da me-
lbor qualdade.
Qi cijos llamengos empellicado o melbor
que i tem vimlo a este mercado.
Eijviibas oovas para sopa.
Chocolate do especial qualdade.
Uul-xliinbas de todas as marcas e qua-
lidades conliecidas.
MjiniJga ingleza e francpza de Ia sorte.
GNEROS DE EXPORTACO
|e de goiaba em latas
Quijos de Minas muito frescos.
Calme do serto supetior.
Qmeijns do sertlo. .
quema trassianiiiMi bch
e vend
emaiabaraf
na ra da Gssta de It
(speMr
mmfMMn
5 pus ytooa saoq< pn j2nc )u ,uut ]
pus ouoa 3(iq< "pue
Uo.se ow|diuon e pa
ijngjoiuia
Awaaj jsof ajddsjs
^TTENCO
Vede-e urna taberna propria para principian-
te, por ler pouco* fondos, oa ra da Senzalla .No-
ta n. 6 : traiar na raesma ra n. 22.
Vende-se urna tarda um uoiM e.n conti
paca qualquer official, no arpo do Carmo, loja
de alfaiate. n. t8.
JF.iZE.NDAS BARATAS PARA ACABAR
Ra do Crespo n. 25.
j SEDAS DE CORES padroVs miudlotius
a | ij; o rovado.
MUSSELINAS brancas superiores a 400
rs. o covado.
COLCHAS ADAMASCADAS superiores
de cores a 'di.
COLCHAS BRANCAS superiores de i0|
por fii.
LA AS lisas de todas as cores a 100
n. o covado.
MADAPOLAO FINO superior de 4 osl-
los com toque de avaria a .'.">00 e ti j.
ALGODAOZINHO com 18 jardas a
2,(800 e U a peca.
MEIAS superiores de cores para ho-
mem ii> duiia.
CAMBRAIAS DE CORES finas a 24C,
280 e 320 o covado.
CHITAS ESCURAS, claras e miudinhas
a |200. 220, 2i0 e 280 o covado.
DAO SE AMOSTRAS cora penhor, na
ra do Crespo n. 25, loja de Manoel Das
Xavier.
T
Doce fino.
De potaba, laranja, limao e bananas, vende-se
constantemente ra de Marsilio Das, outr'ora
Direita. taberna rto Borep.
gSL,
UMA expeliente parelha de burros
bem ensillados para carro : no sitio
do commendador Tasso, na Cruz de
Almas : para yer e fratar, todos os
das al as 9 horas da manhia.
ElTEIMS DA lili
Braaeas e de cores, de 4, 5 e 6 palmos de largu-
ra ; vende-se de urna peca para cima, tendo cada
urna iO jardas : no armazem de Tasso Irraaos &
C, no caes do Apollo.
saoiig pto S^OOff !
suazfis 1
oprojaio on eacaij srem S
o jas jod |9Aepuouuuo3u siei migge I
os-opatrajoj 'ipjmo za|8n! Jod** |d |
'soipK 9 mmg fnnitMi^tj top ejuotuitd !
-wuud 'opcito )p ojiwuiijjos owiduKja S
um jaqwj ap t;qioc anb oaitqud se a
soiiue sne- e cdfauciJ fA|ivj tp 'jddvtc
5 opuenja^ utuaoifaeiaqiHsa uup ouop q
baojj enjwjo.jino
i or 'H viaorji.vfo ovhvsoo vn*
opi?jn

I 00VJ1W 5
mmmm mmm nuznam
A fn|* de Anran^s GnlmarSe & C, outrVirx
de Villar, na ra Prkneiro itp Marco, antijr 6*
Crespo n. 17, arjsawn de rrcetor \ timo vapor de conu propria, requi>*iin;is cha;
lina do palha e -le Monde, e lindo aomn s
velludo e chapeo de palha ricamente eufeitad-4
da nhima u^vidade ijue se usa cm Paru; aeli*.
antes que se aeabpm !
Agua de Vichy
Vende-se aftna de Vic,hy das fontes Hmtttrk-* *
Celrstin, mais barato do qoe em ontra quaiqer
parte: nn armazem da toa do Vigario o. it.
Gaaas
Vendem-se canoa* psra rarreira e peseatse-
a tratar em Fra de Portas, na narcaca Crustir.
lo Sul.______
a m nmuu '
A ra do Onqne tle Caxias n itl.
(AJT^A lA DO OEIMADO)
It..,-.'. ,. i ;.. :
' < irados, moldes bonitos.
>'. ...... port-cigarroe. denak.*
Mmm
I;... .. '. snnplej c mat*M,.v
Boa* wixji.vrf-1 lura coto scaccntfh-
ttjii.' rt .
Dein.iij- i*rtMa ii>..ittm com o bosti *
prnu.
Modeii '" Miiarui ooresshiB*.) en-
tre elles i..i. : > i;'i'.M,,.v
Coamedo i..... iirStii* gaveta*<.
espelho.
Port bouquii. . cido.
Port relogios d n .i<> qualidades.
Bonstalneres asta >naoc.,i.
' Vostssrios, cbapozinhos, toncas, sapatos e meiar
para ba plisados.
Toalhas e fronhas de labyrinlho.
Chapeos e chapelinas para' seuhorn, moldes no*.r
e bonitos.
Chapoznbos gorros e bonets para meninos
menina.
Contra as codvuIsops ua^
criancas
Vende-se os verdadeiros collares na Nova Eee
ranea, ra do Duque de Ctxias n. 21.
PARA TIXGIR CABELLOS
para pretos ou castanhus, receben a Nova I
ranea a verdadeira tinta imrteza.
PARA ACABAR COM AS SARDAS
ou panno, tem a Nova Esperaoca o vftiuieit
leile de rosas brancas.
AGUA DE FLOR DE LARANJA.
Vende-se na Nova Esperanza, roa du Duque e
Caxias b. 21.
PAPEL PARA ENFEITAR-SE BOLOS,
recebeu-os muito lindos a Nova Esperance, re*
do Duque de Caxias n. 31.
PARA AMAC1AR E AFORMOSEAR A PELLE
tem a Nova Esperanza es sabonetes de no- de
arroz.
tk
I


i
Para cigarros
Excellente papel de linbo muito proprio para
cigarros : no armazem de Tasso Irmaos & C, ra
do Amorira n. 37.

Farm ha de mandioca
Vende-se farinba de mandioca, nova, de Sin; _
Cathanna, ebegada no patacho portuguez Misar.*,
fundeado defronte do trapiche do Sr. Barao do Li-
vramento : a tratar no eseriptnrio de Joaqun
Jos Goncalves Beltrao, ra do Commercon. II,
ou a bordo do referido navio,
DOS PREMIOS DA
5.
PARTE DA LOTERA CONCEDIDA t>* i.'.-.i WtVWCL N. t>VJ, A BENEflCiO DA SANTA t.W DA XIsEitIGORDIA,
.SS. PBMS.
0*

iOw*
6*

2
3
i*
21
27
30
34
35
M
48
m
06
9
7
34
H
n
82
sa
ai
m
<
n
n
102
s
14
16
17
20
24
28
32
34
49
i*
4*
I
8
71 -
7ft
93 -
~
NS. PREMS.
198
903
7
10
12
13
16
22
24
29
m
38
41
41
m
34
33
62
63
67
08
7*
84
87
83
5
96
97
301
6
8
10
14
15
10
22
20
33
33
37
38-'
46
30
32
86
60
6*
40|
61
_ !
NS. PREMS.
370
71
74
78
89
83
86
87
92
94
98
401
10
u
34
36
54
38
89
69
78
73
76
02
307
N
11
21
26
27
33
34
33
36
42
44
43,
S
33
54
I
711
m
95
'602
3
6*
OOJ
6*
:000#
H*
200*

61
"NS. PREMS.
U
609
11
14
18
22
32
39
42
46
49
30
33
33
37
39
63
73
77
82
88
89
92
78
14
12
20
21
26
38
48
86
88
68
79
83
84
M
96
808
9
18
28
30
38
39
49
65
o*
m
6*
10#
10*
6*
NS. PREMS. i NS. P ::-.
NS. JM'UIS.
6*
101
6*
871
79
86
87
89
97
904
9
23
27
28
29
31
32
33
41
46
48
51
37
60
60
72
re
83
84
93
94
96
W
1084
7
9
-
17
19
2t
36
83
6
5f
63
72
87
96 -
1098
1100
7
24
27
33
36
40
46
49
51
53-
57
59
64
67
68
73
74
36
82
84
83
91
98
02
3
6
7
12
22
26
28
49
47
49
53
' 77
W
83
91
93
94
97
98
99
20*
6*

__ '

17
11
Jj
29
31
33
39
40
41
48
57
62
74
77
82
83
90
83
1402
3
6
8
13
16
32
38
36
a
40
42
SO-
SI
82
86
62
69
69
Tt
73
7*
76*
7
6*
NS. PREMS.
NS. PREMS. | NS. PBi:*>. i NS. PREMS.
_
10*
6*
90
l.-itt
8
12
16
18
25
27
29
36
37
51
33
55
56
57
58
3
60
81
64
66
78
71
78
83
8
20
97
98
1601
4
10
3
10
25
38
41
41
88
31
8
8
72
6
40*
6*
1678
80
87
04
fim
17
21
28
38
41
30
54
87
60
83
87
72-
80
82
OS
1801
4

7
19
It
17

21
28
34
38
44
43
45
53
63
69
70
86
94
1905
17
20
21
21
6* I 1936 -"I
- .,; ._
i- f | z
i::
17
33
37
1 -
67
76 -
78 -
87
89 -
98
99
40* 2603 10*
6* 15 6*
2S
; 3* -.
36 !(*
40 6*
43
48 -
106* 49 10*
6* 30 6*
10* S3 -
6* 57
60 -
66
72
77 10*
91 6*
*>* 97
* 99
w* 2108 100
9 6*
12
14 10*
17 10*
20 *
22 -
23 -
31 -
35 -
38 -
lt?
i 3
*J
48
19
30
55
57
59
62
63
65
74
78
70
85
86
88
2211
23
26
27
32
39
44
46
52
53
69
64
67
79
75
80
91
93
94
88
99
2301
2
3
8
15
21
25
6*
158.
a
EXTRAHIDA EM 2 DE SETEMRRO DE 1870.
JjS. PREMS.
20*
6*
2127
30
45
48
52
60
68
72
74
73
T9
88
82
13
88
91
i
2404
3
H
13
**
7
23
6*
NS. PREMS.
20*
6*
10*
6*
10*
6*
2516 6* 2805
20 10
21 12
39 15
43 2
48 _ 23
50 26
34 10* 27
57 6* 29
60 20* - 31
71 * 32
78 40
83 _ 46
89 . 47
98 10* 48
9 6* 50
2820 37
36 M 63
38 la 64
51 ... 66
56 67
87 _ 72
89 _ 73
72 __ 83
73 90
74 94
77 _ 96
83 --- 98
88 *, 2984
92 --- *e
98 14
2741 20
12 21
19 10* 2
21 6* 33
39 34
36 38
40 40
46 fc 43
48 51
31 53
77 _ 56
86 65
87 68*
92 __ 71
2802 _ 78
NS. PREMS.
6*
NS. PREMS. NS. PREMS
2983 6* 3203 40*
86 4 6*
87 12
89 13
92 15
98 20
3000 _ 22
5 4a, 25
6 _ 26
7 _ 32
10 44 10*
25 48 6*
28 97* 4 -
28 6* 63
29 71
34 76
3T 77
36 __ 83
43 83
44 90 _
53 98 .
88 3363 _
61 7 _J
67 13 mmmm.
76 14 _
71 16 __
77 - 18 _
81 19 ^^
80 21 ^^
3107 27 _a.
11 35 aa
15 40 ---
18 42 .
29 900* 43
31 9* 47
38 52
40 58
43 8 20*
49 63 6*
.6* - 89
69 71
78 72
88 76
88: 77
89 80
89 82
X


8
Pernambupo Sabbado 3 de Setembro de 1870
ASSEMBLEA 61
tas. ordenando I
gados i
ivl I I '
es i quem d3o con aecem. I se
______ _,i AM* iiIta.aa l-.
U
1RA- DOS DEPl
. Dr. Theodoro
ra da Silva, na tesso
,bre a reform m l
dezembro de S41.
0 Sr. Theodoro da Silva (Alieng;
presidente t era obediencia a V
ripeo js do regimen'o qm
res gno,a tomar a palera e oceu;
attengo da casa sobi e o assumpto grave o
lindro-o que so discute em hora lio
adianivla, causando sensivel desagrado .-os
. meas illustres collegas. (Nao apoiados)
O Sr. Fontes : Nos o ouviremos com
muito flrazer.
O.Sr. Thkodoro da Silva : AUen-
deodo-ee, porm, necessidade indeclna-
vel em que me acho, ou de renunciar a
vez de fallar ou de sujeitar-me aquella con
tariedade (nao apoiados)..-.
0 Sr. Pinto Lima : Contrariedade
nenhuma ; aocontrario.
0*Sr. Theodoho da Silva : ... peco
os meus ilustres collegas que m'a rele-
ven).
0 Sr,. Casado : Nos o ouviremos
com muito prazer.
O Sn. Theodoro da Silva : Tambem
pego licenga ao Ilustre deputado, meu
raigo que acaba de prender nossa att-n-
<;o com o importante discurso que proferio,
para nao entrar desde j na serie de con-
ideracoes que despe tamas que fezS. Exc.
eu o farei no correr do meu discurso.
Trata-se, Sr. presidente, da reforma da
!ei de 3 de dezembro, da lei de mai^ im-
portancia histrica e poltica de quhtas te-
mos na nossa collecgo de leis. (Apoiados.)
Ella, prendendo se ao cdigo do proces;o,
cojo rgimen altern, e sendo a origem das
tentativas de reforma qne fazem-se ha 30
anDos, at agora intilmente, resume na
minha humilde opinio a histo ia do pnu
desde os tempos que snecederam abdica-
rlo at o presente.
Realsado em 4831, no memofavel 7 de
abril, aquella notavel acontecimento pol tico
a exagerago Jas ideas liberaes triumphan-
tes e as impetuosas tendencias de federa-
lismo as provincias agitavam o paiz, e
ameacavsm a ordem publica.
Tal ra a anarchia que perturbava o im-
perio depois daquella poca que a regencia
trina vio se impellida a dirigir-se a esta au-
gusta cmara por urna celebre mensagem,
declarando que renunciava o poder pela
impossibilidade de reger o paiz, il) grande
era o seo enfraquecimento da autoridade.
Islo passava-se, senhores, a 30 de jaiba
de 1832. A 31 de iulho urna commisso
cesta casa, emittindo o seu parecer sobre
aquella mensagem, indicara, entre outras
medidas urgentes para resolver-se a crise;
que se adoptasse sem mais demora o pro-
jecto de organisago ludiciaria, que veio a
ser o cdigo do processo. Adoptado quasi
por aeclamago, a 23 de novembro do mes-
mo anno, era definitivamente promulgado
como lei do Estado.
Suas disposicoes dominantes resentiam-
se das iil s democrticas e descentralsa-
doras do mais adiantado liberalismo, sendo
caractersticos de novo rgimen estabelecido
pelo cdigo do processo a poltica electiva,
a preponderancia do elemento popular na
escolba de juizes municpaes, emsumma, a
expanso ao elemento local, sem sujeico a
algum ponto de unidade, como base da or-
ganisaco destinada a melborar e garantir a
segoranca individual e paz publica.
Infelizmente senhores, esta-organisaco,
impropria para as circumstancias, em pouco
tempo mostron os seas funestos efi'eilos.
(Apoiados.) Era um salto dado contra a
natnreza das cousa^ : na ordem moral, co-

' salto foi esse que demos passando
ao rgimen da Ord. do L. 5o para o de to
i; I.
O Su. Dique Estrada Teixeira :
iro-se os relatoriosde todos osmiuistros
desse tempo.
<> S. Theodoro da Silva: Pouco
I mpo depoia o senador Vergueiro decla-
rava que. no da seguinte quelle em que o
iigo do processo havia sido adoptado,
eiie se compenetrara da necessidada da sna
reforma. (Apoiad< s.)
Feij em 1832, Aureliano de 1833 a 1834
Alvea Braoco em 1835, ministros da justica,
todos em seus relatorios insistiam pela sa-
tisfago da urgente necessidade da reforma
do cdigo do processo, que nao garanta,
n3o poda garantir os direiios individuaes e
a ordem publica. A anarchia lavrava por
todo o paiz, os crimes succediam se n'uma
progresado espantosa e a auioridode eslava
desarmada. A polica electiva, ou acobar-
dava-se diante das paixes locaes de qne
dependa para a sua reelaigao, ou fazia
causa comraum com ellas.
Taes eram as circumstancias, Sr. presi-
dente, que Aureliano, aquelle ministro da
Justina, proeminente no partido liberal, for-
malaya suas ideas de reformas, na maior
conformidade com as que depois vieram a
ser adoptades pela lei de 3 de dezembro.
Aureliano, n'um projecio apresentado ao
poder legislativa, propunha que se organi
igasse a pelica com chefes de polica as
capitaes das provincias, de nomeaco do
governo, e tendo por seas delegados os
juizes de dreito" as comarcas, triste e
mesquinha posicSo essa a que ficava re-
dozido o poder judiciario, sendo o jniz de
dreito. o juiz perpetuo, subordinado aos
gentes do poder administrativo, isto ,
aos chefes de polica.
Os delegados, conforme elle propunha,
seriam auxiliados por subdelegados ns
dislrictos, e estes por inspectores de quar-
teirSo a qaem nomeavam. Em duas pala-
bras, a polica deixava de ser local e elec-
tiva e tornava-se cantralisada e de nomea-
co do governo, como cumpria que fosse.
Pergunto en, Sr. presidente : esta orga-
nisaco nao to conforme com a que veio
a ser adoptada pela lei de 3 de dezem-
bro ?
Entretanto, Sr. presidente, antes qaejpro-
siga na ordem de considerares que natu-
ralmente desperla o facto dessa Conformi-
dade de ideas, seguido do incomprehensi-
vel desaccordo deilas, pego liceuca cma-
ra para em tragos muito rpidos descrever
o estado de anarchia a que havia chegado
ento o paiz.
Na Baha era assassinado as roas p-
as da capital o respectivo presidente, o
onde de Camam; os assassinos ficaram
impanes, nem sequer foram descobertos.
Omesmo soccedea na provincia do Rio-
Grande do Norte, em 1838, sendo o presi-
dente Manoel Ribeiro da Silva Lisboa igaal-
leS.
O proprio actoaddicional, com qne em
1831 se procurara satisfazer as aspirages
das prm Jo pode conter desorden
Diversas provincias tinham se
'iado : a B hia com a Satinada e
o Hio Grande do Sul com a repblica d
Pirotimm ardura em guerra civil. No
.\l; tranquilhdade publica pertorbava-se e a
conflagradlo era quasi geral. CApoiados.)
Ao que era devido to assombroso es-
lado ? A autoridade da regencia, s pnr
propria natnreza era fraca para fazer frente
ao impelo de ideas seductoras de um libe-
ralismo e federalismo exaltados, achava-se
por oolro lado redozda impotencia para
garantir os direitos in viduaes e manter a
tranquilizado publica,tendo ^>or agentes
autmidades elecl'vas e locaes.
Os juizes de paz, juizes que pela consti-
luico devero s^r puramente conciliadores,
homens de piz e concordia, baviam sido
convenidos em juizes policiaes e criminaos,
p;ir; desempenho de cujas funcg.5es tanto
se fnzia preciso que nao dependessem de
clientes nem de cabalas eleitoraes. Sem
nenhuma ligago com algnm centro de
unidade, elles, s obe'dientes aos interesses
e paixoes locaes, em luta aberta com os
juizes de dreito nas comarcas e desobede-
cendo s ordens dos proprios presidentes
de ptoviacia, foram, Sr. presidente, os en-
carregados da manotengo da ordem. Bem
se v, bem se compreheodo que com tal
orgamsago electiva, e sem nexo, o gover-
no nao podia mesm ser responsavel pela
seguranza individual e publica tranquilli-
itade. cuja manutengan constitue o primeiro
duver de goveroos regulares.
Era, pois, instante e urgente a necessi
dade de que quanto antes se reformasse a
lei qne dava semelhates frocto. (Apoia-
dos.) Para isto os proprios liberaos-mais
proemiaentes, como j disse, Feij, Ver-
gueiro, AKes Branco e Aureliano, e este
desigualmente em seu projeclo, cujas dis-
posicoes capilaes j enuncei, lodos estavam
de accordo que era indispensavel a refor-
ma.
O Sn. Dique Estrada Teixeira : -Fei
j lamenlava em altos lirados a fraqueza do
governo, que nao tinha forga, que eslava
impotente e abandonado
O Su. Therdobo da Silva : Mas, senho-
re-, quando pareca que o accordo era com-
pleto^ c Tisummon-se no paiz um facto,
que na ausencia de outro lermo qualifica-
rei de memoravel, a maioridade; e, ef-
fectuado este grande acontecimento poltico,
coube a direcgo, do estado aoi partido li-
beral, da qoal direcgo com grande exacer-
bagSo sua foi dispensado em 1841, sendo
chamada ao poder a poltica adversa.
Cousa digna de memoria, to inconse-
quenh sao os uzos humanos I A pre-
tendida reforma, reputada como reclama-
co da opiniao nacional, com a mutar.o da
poltica senlio 9e logo embaragada pela in-
candescente o obstinada opposigo dos ho-
mens que haviam deixado o poder.
Desde o senado at esta augusta cmara
a discosflto e votaco da lei de 3- de de-
zembro, cujas id^as capitaes quanto or-
ganisago da polica eram aquellas j por
mim referidas, foi estorvada pelo vigor da
opposigo, aquecida com as qualicagoes
asperrimas qne davam s principaes das
suas disposicoes. Nao obstante, tal foi
tarabem a tenacidade de seus sustentadores,
o projeclo foi adoptado e convertido em
lei.
Infelizmente a opposi;o sahio das raias
nao estava h.|
orde
para
itr ora
etemplf
trra, a
i de 3 de
irao nivel at o
i.-'j na (ihysica, nao se caminba abruptamenl leg-es, como V. Exc. sabe, pois sua exa-
cerharo, cada vez mais pronunciada por
motivos sem fundamento, converteu-se no
mai-T dos desvarios qne os povos podem
commeiter, levando os nossos adversarios a
urna revolugo, que ensangueotou duas
provincias.
O Sn. Duque Estrada Teixeira : Su-
bindo depois ao poder, provaram que era
apenas um pretexto, nao era am molivo.
O Sn. Theodoro da Silva : Entre-
tanto, Sr. presidente, sao decorridos 30
anuos e a lei de 3 de dezembro, nao obs-
tante os esforgos mais ou rtenos sinceros
que al hoje tem sido feitos, anda perma-
nece quasi que em pleno vigpr ; o que, se
attesta a prudencia da marcha, embora
lenta, dos governos representativos, tambem
protesta contra aquella revolugo.
Como quer que seja, certo que, domi-
nando o partido liberal logo depois da ex-
lin cao della, urna commisso desta cmara,
n'um sensato parecer que existe nos archi-
vos da casa, decUrou em 1845 que a ex-
periencia ainda nao havia aconselhado a
conveniencia da reforma da lei.
Snccedemse os tempos ; o, se era prin-
cipo os estadistas conservadores preten-
diam mante-la em sua integridade, desde
que sobreveio a p,oea mais calma da con-
ciliaco, a opinio delles foi-se modificando
e hoje ainda mais decisiva. Se ao parti-
do conservador cabe por contraste as refor-
mas impensadas, comtudo, aproveitadas as
ligues da experiencia, parece que a provi-
dencia reserva-loe a misso de realiza-las,
quando esto amadurecidas e o espiaito pu-
blico as reclama como necessidades verda-
deramente nacionaes. f
Esta a historia do partido conservador,
nao s no Brasil, mas-tambem em outros
paizes, como a Inglaterra. All, a suppres-
so do trafico, a aboligo da escravido nas
coionias, a emancipago da Irlanda, a lei
dos cereaes, .todas estas grandes reformas
foram effectuadas pelo partido conserva-
dor. ..
O Sr. Dique Estrada Teixeira :E afi
nal a reforma eleitoral.
0 Sn. Theodoro oa Silva :... certo
que depois de urna resistencia de annos,
resistencia prudente em quanto o espirito
publico nao depuroa as exageragoes, resis-
tencia necessana e efficaz para que qual-
quer reforma assente .na experiencia. Pa
rece que somos chegados a esse estadio.
Se, pois, a calma e os interesses do paiz
nos levam a reconbecer a conveniencia da
reforma da lei de 3 de dezembro, compre,
para que ella seja satisfactoria, comparar,
ainda que ligeramente, os pontos em que
essa lei se assemelha e differe do rgimen
do cdigo do processo, para conhecer-se o
que preciso corrigir ou melhorar.
A lei de 3 de dezambro, quanto aos meios
de intentar a acgo judiciaria, estabelece os
meamos que o cdigo do processo havia es-
tabelecido, a saber: procedimonto ex-offi-
cio, acgo particular e'acgo publica. Quan-
qual ella* pr>dem chogar, o to soments fez
a alterarn concernente\ ccumulaca das
penas dos crimes, embora por si affiwga-
veis, para que deixassem de s lo, cuja
gravldade reconheco e talvez nao deva sor
mantida, pois os crimes devem ser allian-
gsves ou nao pela toa propria nture/.a, so
sao leves on graves, se causara mW ou
menor alarma, e nao pela qualidade das pe
nas, e menos pela sua accumulago
Estes sao os pontos que entendem pro-
priamente com a libordade indtlidual. e
nelles nao ha dilerencas assignaladas.
Quanto priso preventiva, que Untos cla-
mores tem levantado, em parts-cora funda-
mento, a lei de 3 de dezembro noautorisa
os abusos qne team havido :'ell/encontrou-
a permitiida pelo cdigo do processo e
manteve-a nos mesmos termos. Neste par-
ticular as disposicoes das duas leis sao
idnticas; os abusos nao safoem de suas
entranhas.
Mas verdade que a lei supprimid as
juntas de paz. o jury d-i aecnsaco. e final-
mente desenvnlveu e fortiiicou o recurso
das aopellagSfls officiaes dos juizes de d-
reito, sendo estas as mais profundas de
suas diflerengas relativamente ao cdigo do
processo ; mas eram precisas oslas altera-
ges ? Detenhamo-nos sobre estes tres pon-
tos para conhecermos a importancia de cada
um.
As juntas de paz s serviam para entor-
pecer a marcha da administrngo da justiga.
(Apoiados). Incumbidas de conhecer dos re-
cursos taterpostos das sentengas dos juizes
de paz nos crimes que Ihps cumpria julgar,
ellas, consistentes na reunan de maior ou
menor numero de juizes de. paz. qnasi nun-
ca funecionavam, a nao ser nos grandes
centros populosos onde era mais fcil o seu
ajuniamento. (Apoiados). Consegointemente
era mister, at para bem da liberdade indi-
vidual e da regularidade na administrago
da justiga, qne as juntas de pazfossem sup-
primidas para que cessasse ^ demora dos
jnlgaraentos, cousa to ndeiva aos direitos
dos reos e da socedade.
E compre assignalar qne, acerca desta
suppresso, nenhuma queixa se faz hoje,
lodos a justifican), posto qne no tempo da
elaborago da lei de 3 de dezembro nao
succedesse o mesmo e servisse ella de pre-
texto a vehementes declamag9S.
Com relago ao jury da accasago, basta
que observemos que outros paizes em'me-
Ibores condiges que o nosso, especialmente
quanto densidade de populago e cultura
dos espirtos, o tem abolido, para conven-
cermo-nos de que era conveniente a saa
suppresso. A Franga acabou com elle,
Portugal j nao o conserva, e no nosso paiz,
pelas mesmas razoes que actuaram naqael-
les. nao se poda manter, sobretudo naquel-
la poca de 1841 (apoiados); o pessoal dos
jurados era eaio, como ainda boje in
snflieiente para as funeges dos dous jurys
de aecusago e julgamenio. Se* mesmo no
presente, nao obstante o desenvolvimento
do paiz oestes ltimos 30 annos, ha quem
se lembre de alargar a espher- territorial
do jury, estabelecendo-o s nascabegas.de
comarcas, pela insutliciencia de pessoal
apto para que funecione em todos os ter-
mos judiciarios, o que nao seria em 1841,
em que necessitava se de am pessoal maito
mais numeroso para os dons jurys do ae-
cusago e julgamento ?
A suppresso, pois, desse jury era real-
mente por incontestavel necessidade. Da
nsufficiencia do pessoal, junto a outras
causa?, at resultava que o jury, n se
reunindo as duas veze< annuaes, como Ihe
cumpria, e ficando demorados os processos,
nao eram submettidos ao julgamento do se-
gundo jury. Pela lei de 3 de dezembro o
despacho de sustentago de pronuncia cor-
rigio esse grande embarago.
Alm de que o jury de aecusago conbecia
nao s defacto como de direilo, isto para
declarar se havia materia de accosago,
cousa equivalente ao despacho de sustenta-
gao de pronuncia, e dependente de certa
iHastracSo jurdica, elle nem sequer eraaju-
dado por debates, como no jury de julga-
mento. Gompostp como era de um pessoal
sem habilitagoes, e resolvendo sem discus-
so, suas decises muitas vezes eram des-
propositadas e injustas. E haver quem o
qneira resurgir ?
Resta a appellago official do jniz de di-
reilo, que levantou tantos clamores, e ainda
hoje se diz que desnaturou o tribunal do
jury. Peco licenga quelles que pensam
deste modo para divergir de sua opini3o.
Em primeiro lugar observo que este recur-
so exista j pelo cdigo do processo, ver-
dade que menos ampio : o art. 301 dizia
que o juiz de dreito pode appellar ex-offi-
cio, nos casos em que se nao conforme com
a deciso dos juizes de facto ; a lei do 3 de
dezembro estabelecen a mesma disposigo,
porm com mais lucidez e preciso. Nao
se podia ento, sendo pouco apto o pessoal
dos jurados, e lavrando a impunidad por
todo o paiz, prescindir de semelhante ap-
pellago, de que mesmo agora nao se pode
prescindir de todo.
Em segundo lugar observo que tal recur-
so nao desnatura a instituirlo do jory, cu-
jas decises sao por fim soberanas, qoando
por effeito do provimeot do dito recurso
tenba o jory de julgar do facto de novo.
Porventura nojury inglez o juiz que presi-
de o tribunal nao tem a faculdade, que a"*'
nao se considera anniqulladora da intpgri-
dade e pureza da instituig3o, de convidar os
jurados, depois da deciso, se Ihe parece
injusta, para que a reconsiderBm e refor-
men ? Porvenlura nao tem o arbitrio, que
nao teem os juizes de dreito no nosso paiz,
de suspender a execugo do julgamento, e
referi-lo ao secretario de estado com as
suas duvidas, se a deciso Ihe parece injus-
ta por contraria s provas ? O aerto que,
embora. seja rao o actual systema de re-
cursos em Inglaterra, os juizes inglezes es-
to armados de mais poder qae os nossos a
respeito das decises do jury.
Em Franga nao teem faculdade seme-
lhante os juizes da cour d'assises, isto ,
qoando se convencen, de que o jury enga-
non-se quanto ao fondo da questo, nao po-
dem sojeitar o caso a novo jay na sesso
seguinte? Em Portugal, so as respostas do
jury forem evidentemente injustas, nao p-
pll id OU Jul
Esta censura um destes entes do razio
que surgiram no pait pelas exigencias da
exacerbaco que acompanhou a discusso
da le de 3 de dezembro, e que levou es-
pirites exaltados a excessos revoluto-
narros.
Com estas,consderagoes eu tenho por fim
vindicar a reputago da lei do 3 do dezeml
bro das censuras que tenho ouvido nesta
casa, e desaguadamente a um dos meus me-
ihores amigos, o Ilustro depntado pela mi
nha-provincia.
O Su. L.aiA Cavalcayte :Mas d3o
censurei a lei neste3 pontos.
O Sr. Theodoro da Silva : certo que
a lei de 3 do dezembro, estabelecendo,
como estabeleceu, um rgimen de organisa-
co policial cenlralisado. e mais que isso
(cumpre ser justo indicando o seu principal
defeilo, na occasio em que se trata de re-
forma-la) concentrando nas mos dos agen
tes policiaes grande aomma de poderes
com esta grande concentrago de poderes
mais do que pelos effeiios daquella centrali
sago, al certo ponto indispensavel eaj
quaiquer paiz para a boa orgaaisago da po-
lica, que devqjter os bragos do governo, o
primeiro responsavel pela seguranga dos
direitos individuaes e da ordem publica ; a
lei do 3 de dezembro, dizia eu, tem dado!
lugar a grandes abusos que en deploro, so
bretudo com relago s liberdades polticas
abusos que devem cessar, como outros pro-
venientes de nossos usos sobre o recrutaJ
ment e da organisago da lei da guards
nacional. Nao ser a reforma da lei de 3
de dezembro que por si s restaurar a lij
berdade do voto, grande desidertum dq
paiz; mas com out-as reformas e melhora-
memos apropriados. o sobretudo com o
desenvolvimento e forlificago do espirito
publico, possivel que melporem os nosso
costumes polticos.
Eu nlo encobro, Sr. presidente, qn'
aquella grande concentrago de podereii
mltiplos nas autoridades policiaes merece
ser corrigida.; mas, nas circumstancias em
qne estava o imperio quando a lei foi adop
tada, nao se podia prescindir do tal orga-
nisago. (Apoiados). Em 1841, mais quo
hoje, a insufficieocia do pessoal habilitado
era um obstculo para a diviso de poderes
por agentes distinclos; e. nao obstante
aquella concentrago, muilo avulton o no-i-
mero-das autoridades creadas enlo, oqnal
sem ella seria muito maior. Demars, la-
vraqdo com audacia a anarchia, a desorden)
e a impunidade por todo o paiz, era preciso,
muito preciso constituir a autoridade com
urna certa contextura de fortaleza que nao
tinha, pois estava inteiramente enfraqueci-
da. (Apoiados).
Se os abasos posteriormente prevalece-
ram-sc daquelle defeito de organisago, como
meio de compresso para triumphos eleito-
raes, nas circumstancias em que a le foi
adoptada elle era quasi inevitavel e, por-
tante, desculpavel. (Apoiados).
Felizmente as circumstancias actuaes sao
outras. Nao concorrerei para que se des-
entralise a polica ; o governb deve teros
meios de acgo para prevengo, descoberta.
e represso do crime; agora, como no pas-
sado, como no futuro, necessario que elle
seja o supremo ponto de unidade do me-
cbanismo policial; mas a diviso ou des-
concentraglo de poderes de seus agentes
o meio mais efficaz de garantir as liberda-
des e os direitos individuaes. (Apoiados).
Com estas vistas que se ctama pela so-
parago da polica eda justiga ; repulo esta
separago somente fcil em theoria, e consi-
dero mais proficua que ella a prohibigoou
cessago do procedimonto ex-officio, como
depois demonstrarei.
Teudo assignalado, Sr. presidente, quaes
foram as vantagens resultantes do rgimen
iniciado pela lei de 3 de dezembro, bem
como os inconvenientes e abusos que della
teem provindo, e reconhecendo finalmente
a necessidade de reforma-la, eu pego per-
misso s Ilustres coramissoes de jnstica
civil e criminal para acompanba-las summq
capita, no trabalho que offereceram con
siderago da casa ; refiro-me ao seu projec
lo substitutivo que ora discutimos.
Nao o farei com os largos desenvolvimen-
tos que o assumpto comporta e exige mes-I
mo, porque em hora to adiantada da imite
isto seria abusar muito da benevolencia dos
qae esto me ouvndo. Com apprehensoJ
do incoramodo que causo (nao apoiados),
eu nao posso resistir tendencia de dizer
quanto pens com o menor numero de pa-
lavras.
Um Sr. Deputado :Falle, falle.
O Sr. Theodoro da Silva :Declaro an-
tes de tudo que comprehendo que as illus-
tres coramissoes naturalmente teriam escr-
pulos de inserir no projeclo certos raelho-
ramentos relativos organisago judiciaria,
sobre cujo acerlo ainda nao ba completo
accordo. Todava ha necessidades sobre as
quaes a opinio publica est formada, sobre
as quaes nao pode haver duvida, e que,
devendo por consegrante ser salisfeitas
promptamente, ficaram nao obstante sem
ser remediadas.
Eu nao quero demorar-me acerca das in-
conveniencias resoltantes da actual organi-
sago do supremo tribunal de justiga ; in-
conveniencias que se assignalara pelo facto
de-que, nao obstante ser elle o mais im-
portante dos tribunaes, os seus acerd js
concedendo revistas sao alterados e desatten-
didos pelas relagoes revisoras, quer jul
guem de uteritis, quer de nullidades. Desse
estado de cousas resultan) incoherencias nos
juigados, opposigo de arestos, e vacillago
e incerteza de direitos, o que tudo muito
prejudicial, quer aos interesses particulares,
quer ao decoro da justiga.
Cumpre, portento, meditar e escolber o
melhor systema que regularise o supremo
tribunal e uniformise a jurisprudencia, re-
forma muito necessaria, se fr bem pen-
sada.
dade da competa s relagoes. (Apote
sidos.)
Consegointemente, sendo a opinio paMi
ca concorde a este respeito, como \, o que
nos cumpre dar satisfaga a esta urgen-
tissima necessidade; tanto mais qos deste
modo obedecemos a disposigo constitucio-
nal que prescrete qu em cada.provincia
naja urna relago. Eu pnso qne nlo se
podem antepr a to procedentes raz5es
outras de ordem peauniaria. Nao se pre-
tende desbaratar as receitas do E>ladt com
o meihoramento da admirastraglo da justiga,
para a qual temos sido avaros: sejamos
mais econmicos a oatros respeitos. D'&maii
binrvo aqoeHes qoe oppoam-o obstculo
das dilliculdides pecuniarias que o augmen-
to do numero ds relagoes importar peque-
a despeza, ser muilo diirfnuio.se fftr bem
aproveitado o pessoal dos detembargado-
res existentes nas qaatro relagoes qae ba.
(Apoiados.)
Essas qoatro relagoes devem ter 56 des-
embargadores e anualmente funecionam 71.
Ora, alterado o respectivo regiment interno
das relagoes para que o seu processo se
torne mais simples e demandem a inlerven-
go e reviso de manor numero de deseen-
bargadortes do qne actualmente,. como se
faz precito, o que habilita a diminuir o seu
pessoal e fixar conforme esta rednecio
o
pessoal das que se crearem; pens que
com poucos desembargvloras mais alm
dos 71 existentes poder-se-ha fazer essa
creaglo em algamis provincias do Imperio,
se nao em sete, como pedem os illustres
deputad s na emenda que raandaram
mesa, ao menos em tres ou cinco. O essen-
cial atlender de aigum modo, embora li-
mitado, necessidade.
De novo pego desca pa cimara# por
e3iar Ihe lommdo o tempo..(N) apoiados.)
Quem saae se as humildes obsorvagues quo
anda preciso fazer apraveilaram s illustres
c >mmsses, se ellas quizerem rever e me.
Iherar o projeclo. como parece de necessi-
dade, attend?ndo quer aos debates lia-idos,
quer mullidlo- de emendas qae j esto
offerecidas *
Me parece que a permanencia dos tribn-
naes do commercio, taes quaes se achara
constituidos, c,om jurisdcgo contenciosa,
nao conveniente, menos acertada, alm
de inconstitucional. Basta que subsistam
com faneges administrativas. (Apoiados.)
( Continuar-se-ha).
LITTERATIM
POUCO DE TUDO.
Es-aqui s'ibstancialmente o que o Sr.
de Thile rae disse, repetindo moitas vezes
a sua primeira declarago de que nao tinha
sido o nao seria questo do principe Ho
henjollern para a cora de Hespanha. As-
signado Bcnedetli?
Depois desta prova. julgo superfino
entrar em novas considerages sob-e um
ponto que devenios considerar como defi-
nitivamente demonstrado.Grammont.
Pego licenga as nobres commissoes para
dzer-lhes que nao me parece jnstificavel a
omisso que comraetteram, deixando de pro-
pr a crearlo de mais algumas relagoes
como ojieveram ter feito. (Apoiados.)
Bu nao qoero agora estar disentindo cou-
sas quo talvez sejam ociosas, como a nsuffi-
ciencia das quatro relag5es actuaes. Obser-
vo to smente que por falla de mais rea-,
ges soffrem os direitos daquelles que desa-
nimam de faze-los valer em tribunaes lon-
ginqaos, Oca muito cara a justica para qaem,
mais abundante de meios pecuniarios, af-
fronta aquelle obstculo, confiando em advo*
"^Circular do conde de Grammont ao
agentes diplomticos francezes.Paris, 3
de agosto. Sr. embaixador.Vimos hoje
a communicaco enviada pelo conde de
Bismark ao embaixador da Prussia em
Londres denunciando a Inglaterra os pre-
tendidos segredos de que o chanceller fe-
deral se dizia depositario. O seu despa-
cho nao accrescenta facto algum .essencial
aos queja havia enviado. S encontramos
algumas inverosimilhaogas mais. NSo as
refutaremos. A opinio poltica j fez jus-
tiga s alfirmativas que nlo sa revestem de
autoridade alguma pela audacia com que se
repetem, e consideramos como irrevogavel
o fado, apezar de todas as negativas em
contrario de que nunca o imperador Napo-
lelo propoz Prassia um tratado para se
apoderar da Blgica, Esta idea pertence
ao Sr. de Bismark, sendo um dos expedien-
tes dessa poltica sem escrpulos que se-
gundo esperamos, chega ao seu termo.
Abster-me-hia portento de refutar as-
sergoes cuja falsiiade hnje patente, se o
sutor da nota prussiana, com urna falta de
tacto que pila primeira vez observo n'um
documento diplomtico, nao houvesse cita-
do parentes do imperador como portadores
de mensagens e confidencias compromette-
doras. i
Por grande que seja a repugnancia
com que rae vejo obrigado para seguir o
chanceller prussiano, a entrar n'uma senda
to contraria aos meus hbitos, fago-me su-
perior a este sent ment, porque de ver
meu repellir as prfidas insinuages que,
dirigidas contra os membros da familia im-
perial, tendem a lastimar o proprio impe-
rador.
Em Berlim foi onde tomando o Sr. de
Bismark a iniciativa que hoje nos quer at-
iribuir de ideas por elle concebidas, solici-
tava oestes termos ao principe Irancez, a
quem boje faz intervir nesta inconveniente
polmica.
Buscaes urna coasa impossivel queren-
do as provincias do Rheno que sao alle-
mas. Porque motivo nao vos annexionaes
a Blgica, bode existe um povo que lem a
mesma origem, a mesma religiloeque falla
o mesmo idioma ? J fiz dizer tudo isto ao
imperador. Se adoptasse os meus planos,
ajudal-o-hiamos a apoderar se da Blgica.
Qaanto a mim, se eu fosse o soberano, o
nao me visse compellido pela obstinaglo do
rei, j isto seria cousa feita.
Estes palavras do chanceller prussiano
foram lateralmente repetidas na corte de
Franga pelo conde Goltz. Este embaixador
occultava to pouco o seu modo de pensar,
que grande o numero de testemunhas
qae o ouviram. Accrescenterei que na
poca da exposigo universal as propostas
da Prussia foram conhecidas por mais um
blio personagem que d'ellas tomou n-ta e
'se lembra ainda. Alm d'isso, nao era
esta no conde de Bismark urna idea passa-
geira, masum projeclo elaborado, ao qual
se ligavam os seus planos ambiciosos, e pro-
segua a saa execugo com perseveranga
provada pelas suas frequentes excurses
Franga, ora Biarritz, ora a outros pontos.
Mallogrou-se ante a vontede inquebrantavel
do imperador, que recusou sempre asso-
ciar-se a urna poltica indigna da sua leal-
dade.
Dei.xo este assumpto, que toquei pela ul-
tima vez com a' firme iutenco de n i tor-
nar ao debate, e chego ao ponto verdadei-
ramente novo na nota do Sr. de Bismark.
Tenho motivos para acrediiar, diz elle,
qua se a publica gao do projeqto de tratado
pro-posta apresenteda anter
que juntos nos eocoatrassemos
um rnilho de soldados bem an
rante a Europa desarmada, isto ,
paz, antes ou depois da primeira
sobre as bases das propostas Be
expensas da Blgica. >
Nao podo- o govfrno do imperadafpto--
rar similhaoie aesergo. face da EWopa,
os ministros de sua magostado desaMn o
Sr. de Bismark a que allegem um afecto
quaiquer que pusa fazer su.ipor que baja
marfeslado1 directa ou mdneciamente, pe-
la va official ou por agestes Helos, a in-
tengo de se unir Prosda pfl| cootnm-
mar com elte sobr# Blgica" o attated
commottido com o HaojDver.
Nlo entelamos negociago alguma com
o Sr. de Bismark, nem a respeito da Bl-
gica, nem ajespeito'croutro ponto. Lon-
go de prQqurar a guerra, como nos iceu-
sam rogamos a lord Clareodon que iter-
viesse j -mto do ministro prussiano par|^ro-
vocar am desarmamodto reciproco, nlsso
importante de que se encarregoa contten-
cialmente Jord C'arendon por amisad
ranga e amor a paz. O conde Dani-toia
assim no 1. defevereiro ao nosso embai-
xador.em Londres:
E ceno que nao me envolvera aflste
assumpto, e nao pedira que se envoljesse
a Inglaterra iratando-se puramente de ama
diligencia ftil feia s para subministrar ao
Sr, do Bismark a occasio de se oppor
mais urna vez a sua negativa. um* di-
ligencia firme, formal, qae nos tratamos
-.-*
de fazer.
* O principal secretario de es-ado parece
prever que o Sr. de Bismark experimenta-
r ao principio certo descontentamente.
Isto possivel, mas nao certo. Em tal pre-
visao til prepjrar o terreno adra debi-
tar urna resposta negativa logo aojrin-
cipio.
Es'oo persuadido de que a refleilo e
o tempo faro com que o caanceller $on-
sidere gravemente na diligencia da Inglater-
ra, e se logo no primeiro dia nao a repel-
lir o nteresse da Prussia e da Alemanha
inteira, fallar muito alto para calmar as
suas resistencias. Nao querer sublevar
contra si a opinio da Europa inteira. Qua!
seria, com effito, se Ihe tirassemos o ni-
co pretexto sombra do qual pode abri-
gar-so o armamento da Franga ?
O conde de Bismark responden a princi-
pio que nao podia tomar sobre si a res-
ponsabilidade- de communicar ao rei as di-
ligencias do governo britnnico, o que co-
nbecia muito profundamente o rei para pre-
sentir as suas impressoes'. O rei Guilber-
me, dizia eile, vera no passo do gabi-
nete inglez urna mudanga nas disposicoes
da inglaterra a respeito da Prussia. Em
resumo o chanceller federal declarava ser
impossivel Prassia modificar am sys-
tema militar arraigado profundamente nas
tendencias do paiz normal, e que constitua
urna das bases da sua eonslimigo.
O conde Daru nao se detem ante esta
primeira resposta, o a 13 de fevereiro tor-
nava a escrever ao nosso embaixador.
t Espero qae lord Clarendon nao se dar
por derrotado e nao desanimar. Em bre-
ve Ihe daremos ocesio para voltar carga
e continuar, se quizer, a conversago inter-
rompida com o chanceller federal. Tencio-
naraos diminuir o nosso contingente, e re-
baia-lo-biamos mais se vessemos oblido
urna resposta favoravel do ministro prus-
siano ; mesmo sendo negativa, diminui-lo-
hemos em 10:000 homens. Assim firma-
remos a nossa poltica com actos que valem
mais que as tenges. Nove contingentes
assim diminuidos do 90:000 homens de
menos. J alguma cousa: a decima p->rte
do exercito existente. Lr.rJ CLreudon
julgar em vista da lei que apresentaraos se
Ihe parece opportuno fazer prsenle ao Sr.
Bismark que s o governo prussiano na
Europa quem nada concede ao espirito da
paz, collocando-se assim n'uma situago
grave no meio das necessidades europeas,
porque d armas contra elle a todo o mun-
do, e principalmente aos povos, esmagados
sob o peso dos encargos militares que Ibes
irapoe.
O conde de Bismark, vivamente instado,
leve de entrar em novas explcagoes com
lord Clarendon.
t Essas explcagoes, taes como as conbe-
cemos por urna carta doSr. Lavalette, da-
tada de 23 de fevereiro, estavam cheias de
reticencias.
O chanceller da legago prussiana, vol-
lando a sua primeira resolugo, tinha fal-
lado com o rei da proposta recommendada
pela Inglaterra ; mas Sua Magestade nao
tinha acceitado.
< Em apoio d'essa negativa, allegava o
chanceller o receio de urna alliang even-
tual da Austria' cora os estados do Sul da
Allemanba e as veleidades de engrandeci-
"mento que a Franga pod6ria tef. Mas alle-
gava sobretudo, o$ cuidados que Ihe ins-
pirava, segundo dizia, a poltica da Russia,
eentrava com esse motivo em consderagoes
particulares a respeito da corte de S. Pe-
tersburgo, que prefiro passar em silencio,
nao podendo resover-me' reproduzir in-
sinuages offensivas.
t Taes sao as descolpas que. o conde de
Bismark oppunha s leas e conscienciosas
instancias renovadas repentinamente por
lord Clarendon a pedido do governo do im-
perador.
Se, pois, a Europa tem continuado ar-
mada, se um rnilho de homens esto om
vesperas de pelejarno3-campos^de batalha,
nlo cabe duvida de qae a respensabilfdade
de semelhante estado de coasas toca
Prussia, porque foi ella que repellio toda a
idea de desarmamento quando Ihe fizemos
apresentar esta proposta,' e principiavamos
por Ibe dar o exemplo.
c Nao se explica alm d'isso tal conducta
pelo fado de que mesmo quando a Franca,
confiada, duniuuia o seu conlingente, orga-
nisava o gabinete de Berln nas irevas a
candidatura provocadora de um principe
prussiano ?
Quaesquer que sejam as calumnias in-
ventadas pelo chanceller federal, nenboia
receio lomos; perdeu o dreito a ser acre-
ditado A consciencia da Europa e a his-
toria diro que a Prussia procorou a guerra
actual, inflingiodo Franga, oceupada no
desenvolvimento das suas institoigoes poli-
ticas, um ultraje que nenhuma naglo altiva
e valerosa tena podido acceitac sem mere-
cer o desprezo dos povos. Grammoii,

TVP. DO DUHiO HUA UUEK CX1A
^^^^^^i^M


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E5XBW0KHQ_I2B1Y8 INGEST_TIME 2013-09-14T03:07:58Z PACKAGE AA00011611_12203
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES