Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:12200


This item is only available as the following downloads:


Full Text
ANNO XLVI. NUMERO 24
1


PAB A CAPITAL E LUGARES OIDE IAO SE PAGA PORTE.
l'or tres raezes^dianlados................. fi^OOO
............ -OOO
.................. 2M000
.................. 3*0
l'or seis ditos irem
Porum anno idem..
ada mqpiero avulso
SEGUNDA FEIRA 31 DE JANEIRO DE 1870.
PARA DEITROE PORA DA PROVIICIA.
Por tres mezes adiantados
Por seis ditos dem. '
Por nove ditos idem .
Por om anno idem .
760
434800
20*250
27j>000
DIARIO DE PEMAMBIM
Fropredade de Manoel Figneira de Faria & Filhos.
SAO ACJENTE&:
Os Srs. Gerardo Antonio Alves & Filhos, no Para ; Goncalves Me Pinto, no Maranhao ; Joaquina Jos de Oveira, no Cear ; Antonio de Lemos Braga, no Aracaty ; Joo Maria Julio Chaves, no Ass ; Antonio Marques da Silva, no Natal; Jos Justino
Pereira d'AImeida, em Mamanguape; Antonio Alexandrino de Lima, na Parahyba ; Antonio Jos Gomes, na Villa da Penlia; BelarmiQO dos Santos Bulco, em Santo Antao; Domingos Jos da Costa Braga,
e Jos Ribeiro Gasparinho no Rio de Janeiro.
em Nazareth ; Francisco Tavares da Costa, em Alagoas ; Dr. Jos Martins Alves, na Baha
-/
PARTE OFnCIAL.
%i0 ?* v QR "^"?^flffr'
KII'CDIENTE ASSIGNADO PK1.0 EXM. Sil. SENADOR ME-
KBICO DE ALMEIDA E ALBUQUEUQUK, PRESIDENTE
da raovixciA, bm 3 de dkzgbko de 18r>0.
1" seccao.
N. 46.Porlaria ao director do arsenal de guer-
ra.Transmiti a V. S. por copia o aviso do mi-
uistrlo da guerra de 13 de novembro ultimo, alim
de que faga cumprir o que nelle se aeha determi-
nado eom relacSo as notas organisadas pela repar-
tilo do quartel-mestrc-general, as quaes me serio
devolvidas para terem o conveniente destino.
N. 47. Dita ao inspector do arsenal de mari-
nha.Transmiti a V. S. para seu conhecimento
e oxecuclo, copia do aviso expedido pelo minis-
terio d marinha em 24 de novembro prximo
lindo, mandando observar a regra cstabelocida na
corte para os descoritas de vencimentos dos opera-
rios e serventes, quando nao comparecerem por
molestia confirmada em attesudos medico.
~2. seccao.
N. 48.Portara ao Dr. chefe de polica.Nesta
data Corara expedidas as convenientes ordens para
ser reduzidos a um interior e dez pracas cada um
dos destacamentos da guarda nacional que se
achara na cidade de Caruar. e villas do Bonito e
Bom-Conselho, e a um offlcal, utn inferior e vinte
e cinco pracas o existente na de Ouricury,e bera
assim a elevar a cincoenta pracas o de Granito, o
que communico a V. S. para o seu conhecimento
recominendando-lhe que determine ao delegad >
do Ex que do destacamento- daquelle municipio
faca destacar vinte c cinco pracas no 2 districto
de subdelegada do dito termo.
N. 49.Dita ao commandanto superior da guar-
da nacional de Olinda.Expeca V. S. as suas or-
dens para que seja reduzido a um inferior c cinco
pracas o destacamento de guardas oacionacs que
ojciste na villa de Iguarassii.
N. SO. Dita ao commandante superior da guar-
da nacional do Cabo.Expeca V. S. as suas ordens
para que seja reduzido a dez pracas da guarda
nacional sob o seu commando o destacamento que
se acha no municipio do Cabo.
Iguaes ios commandantos superiores, do Hio
Formoso quanto ao dessa cidade, de Palmares
quanto ao da villa de Agua-Prota, de Limoeiro
quanto ao da villa do rr.esmo nome, de Seriohaem
idem, c de Santo Antao quanto ao da villa da Es-
cada.
II. 81.Dita ao commandante superior da guar-
da nacional do Bonito.Expeca V. S. as conve-
nientes orden* para que sejam reduzidos a um
inferior e dez pracas (cada um) os destacamentos
da guarda nacional que existen) na villa de Bonito
o na cidade de Cania ni.
igual ao commandanto superior de Garanhuns,
qaaoio ao da villa do Bora -Coasclh o.
N. 52.Dita ao commandante superior da guar-
da nacional da Roa-Vista.Expeca V. S. suas
ordens para que o destacamento da villa de Ouri-
cury se compoiria de um offlcial, um inferior e
vinte o cinco pracas da guarda nacional sob o seu
commando superior.
N. 53.Dita ao commandante superior da guar-
da nacional de Cabr ib Expeca V. S. as suas
ordens para que seja elevado a cincuenta pracas
o destacamento da guarda nacional sob- o seu
commando, que se acha na villa do Granito.
N. 51 Dita ao commandante do corpo proviso-
rio de polica.Mande Vmc. apresentar ao juiz de
direito da vara e presidente da sessao do jury
que esl funecionando, diariamente emquanto ella
durar, um inferior o seis pracas do corpo sob seu
commando, para guarda do mesmo tribunal.
. 55.Deliberacao.O presidente da provincia
atlendendo ao que Itie requereu o bacharel Fran-
cisco Goncalves da Bocha, juiz de direito da co-
marca de'Goyanna, resove conceder-lhe dous
metes de licenca com vencimentos na forma da
lei para tratar de sua sade.
N. 6".Dito ao mesmo.O Exm. Sr. presiden-
te da provincia manda declarar a V. S. para os
lins convenientes, que por portara desta data fo-
ram mandados reduzir a dez pracas (cada uini 81
destacamentos de guarda nacional existentes na
cidale do Hio Formoso, e villas do Cabo, Escada,
SerrahSem, Agua Preta e Limoeiro.
N. 66.Dito ao juiz de direito da primeira vara
desta cidade.O Exm. Sr. presidente da provin-
cia manda declarar a V. S. em resposla ao seu of
ficio de 1 do corrente, que nesta dala se expedo
ordem commandante do corpo provisorio de po-
lica para fazer diariamente apresentar a V. S.
emquanto durar a ses*ao do jury que est fune-
cionando a guarda que pede em dito offlcio.
N. 07.Dito ao mesmo. Sendo inlispensaveis
a esta reprtelo os servicos do chefe da seccao
Francisco de Lemos Duarte ; rogo a V. S. que se
digne dspensa-lo de servir na presente sessao do
jury.
3" seccao.
N. 68 Offlcio ao inspector da thesouraria de
fazenda.O Exm. Sr. presidente da provincia man-
da transiniltir a V. S. as sete inclusas ordens do
ministerio dos negocios da fazenda, sendo seis sub
n. 220 a 22o e 227, e urna reservada, datada de
16 de novembro ultimo.
N. 63.Dito ao mesmo.De ordem de S. Exc.
o Sr. presidente da provincia communico a V. S.
que por deliberacao desta data, foram feitas as al-
teracoc< constantes da nota junta, nos destacamen-
tos da guarda nacional nella mencionados, o que
sao pagos por essa thesouraria.
N. 70.Dito ao inspector da thesouraria pro-
vineial.O Exm. Sr. presidente da provincia man
da declarar a V. S. para os fias convenientes, que
por portara desta data, so mandou reduzir a um
inferior e cinco pracas o destacamento da guarda
nacional que existe em Iguarassii.
N. 71.Dito ao mesmo.O Exm. Sr. presidente
da provincia manda declarar a V. S. para os de-
vidos flns que, por portara desta data foram re-
duzidos a dez pracas da guarda nacional cada um
dos destacamentos existentes as segumos loca-
lidades, Rio Formozo, Cabo, Escada, Limoeiro, Se-
rinhaem c Agua Preta.
DESPACHOS DA PRESIDENCIA DA PROVINCIA DO DA
27 DR JANEIRO.
Augusto Ribeiro Lima Chalaca Informe o Sr.
capillo do porto.
Antonio Jacintho Borges.Informe o Sr. inspec-
tor da thesouraria de fazenda.
Dr. padre Antonio da Cunha e Fignelredo.In-
forme o Se. Inspector da thesoararia de fazenda,
ouvindo o Dr. procurador fiscal.
Cosme Thomaz de Aquino.Informe o Sr. com-
mandante do brigue-barca Itamrac.
Eladio Cesar de Vjsconcello?.Informe o Sr.
conselheiro director eral interino da instruccao
publica.
Francisco de Miranda Leal Sov.Passe-so por-
tara, r
Joao Antonio da Cunha Ferreira.Selle o re-
querimento na forma do decreto n. 4354 de 17 de
abril de 1869.
Joaquim Francisco de Gusmlo.Passe-se por-
tara na forma do respectivo rogulamento.
Joaquim Jos de Sant'Anna.Constando de in-
formado do subdelegado do districto do Peres que
o supplicante nao vive com sua mulher, nao tem
lugar o que requer
Padro Jos Porfirio Gomes.Junto este ao re-
quermento em que foi lanzado o despacho de :
do corrente, volte ao Sr. inspector da thesouraria
de fazenda provincial para intormar.
Bcharcl Luiz Antonio Pires.Conceda-so a li-
cenca requerida com ordenado, na forma da
lei.
Maria Candida Theodora Alves.Informe o Sr.
conselheiro director geral da instruccao publica.
Maria Rita da ruz Noves.Satisfaca a exigen-
cia da contadoria da thesouraria de fazenda para
ser altendida.
Mariana da Conccirao Pereira.Junto este ao
requerimer.to em que foi lancado o despacho de 7
da thesouraria
3a seccao.
N. 66.Portara ao inspector da thesouraria de do'corrente, volte ao Sr. inspector
azenda.Envi a V. S. para os lins convenientes de fazenda para informar.
as inclusas contas documentadas da receila e des Manoel Simplicio Correa Leal.Encaminhe-se.
l>eza da enfermara militar do presidio de Fernn- i Manoel Silvino de Barros Falcao.Nao (crido
Jo de Noronha relativas aos mesas de setembro e sido devolvida, corno suppoe, a policio e docu-
outubro ltimos, c bem assim o parecer da junta
de sade que as cxaniiuou e achou-as conformes
e regulares.
N. 57.Dita ao mesmo.Mande V. S. por em
hasta publica o fornecimento e collocacao do mas-
tro para signaos de que precisa o lelcgrapho.
N. 58.Dita ao mesmo.Transmiti a V. S. para
seu conhecimento e execurao, copia do aviso ex-
pedido pelo ministerio da martina em M de no-
vembro prximo lindo, mandando observara reg a
cstabelccida na corte para os dosconlos de vcaci-
melos, dos operarios c srvenles, quando nao
compareccm por molestia confirmada em atlcslado
medico.
N. 59.Dita ao inspector da thesouraria provin-
cial. Declaro a V. S. em resposla ao seu ollicio
de 30 de novembro ultimo sob n. 711, que devem
aer entregues nessa thesouraria as 8 biographias
dos Pernanibucanos iliustres, que pelo seu con-
trato obrigou-sc a fornerer o commendader Anto-
nio Joaquim de Mello.
N. 60.Diti ao mesmo.Atlendendo ao que
expz a professera publica de Nossa Senhora do
O' de Goyauna, Henedina Floresta dos Santos Cor-
deiro, no incluso requerimenlo documentado, sob
que informou o director geral da iustrueclo publi-
ca em uiTicio n. 368 de 30 de novembro ultimo,
resolv, considerar abonadas as faltas que por
(lente, deu a mencionada professora, a contar de
7 a 21 de ootnbro desie aDno. O que declaro a
V. S. para seu cauhecimento c lins convenientes.
4* seccao.
N. 61.Deliberacao.O presidente da provincia
atlendendo ao que requeren a sociodade denomi-
nada Liberal I'niao Benelicente, instituida nesta
cidade, e em vista do que dispoe o 5 do art. 29
do decreto n. 2,711 de 19 de dezembro de 1860,
resol ve noniear a Carlos Eduardo Mulhert, presi-
dente da mesma socedade.
ICXPBDIENTg A88I0NADO PELO SR. DR. JOAQUIM COR-
SEA DE ARAIJO, SECRETARIO DO GOVERNO, EM 3
DE DEZEMBRO DE 1869
i* seccao.
N. 68.Offlcio ao Exm. Sr. general eoraman-
dandanle das armas.De ordem de S. Exc. o Sr.
presiJente da provincia declaro a V. Exc. em res-
posta aos seus offlcios do do corrente sob ns. 706
o 706, que nesta data mandou-se satisfazeros dous
pedidos do commandante da fortaleza do lirum,
que vieratn annexos aos seus citados offlcios.
K. 63.Dita ao mesmo.De ordem de S. Exc.
o Sr. presidite da provincia declaro a V. Exc.
om resposla aosea ofiVio do 13 do novembro ulti
rao sen n. 674, que nao hateodo crdito para ser
(vado a effoito o pagamento da despeza feita com
os reparos de que precisan) a capeila e tres gua-
ntas do forte do Buraco, como declarou o inspec-
tor da thosenraria de faxenda, solicilou-se ao go-
verno imperial providencias, afim de que a mes-
rariaseja habilitada coma quantia e-
ra a realisacao de tees concertos.
2* eceo.
Icio ao Dr. chefe do polica.Do or-
Sr. prndente da provincia com-
munico a V. S. que por portara desta data se or-
detrnu ao commamlonte superior da guarda na-
cional ite Olinda e Iguarassii, reduxisse a um ra-
leo pracas o destacamento da guarda
io segundo dos referidos mu-
rarntos que_ o supplicante enderecou ao governo
Imperial, nao tem lugar o que requer.
Capitao Miguel Ferreira Velloso.Passando re-
cibo, sejam entregues os documentos que pede.
Terluliano Ernesto de Moracs Carvalho.J:i foi
interinamente prvida a cadeira de que irala.
28
Padre Augusto I'ranklin Moreira da Silva.In-
forme o Sr. inspector da thesoararia provin-
cial.
Antonio Francisco Ignacio de Jess.Informe o
Sr. inspector do arsenal de marinha.
Alfredo Cardoso Pereira.Informe com urgen-
cia o Sr. Dr. juiz municipal do termo de Bar-
re i ros.
Bacharel llernardno de Sena Dias Jnior.In-
formo o Sr. Dr. juiz de direito especial do com-
mercio.
Demetilla Rosa de Lima.Informe o Sr. doscro-
bargador provedor da Sania Casa de Miseri-
cordia.
Francclino Ferreira Crespo.Informe o Sr. ins-
pector da thesouraria provincial.
Guilhormina da Silva o Cunha.Conceda-sc
dous mezes com ordenado somonte.
Joaquim BorgesCarueiro.Conceda-sc um mez
com ordenado somonte.
Jeronymo Tueotonio da Silva Loureiro.Conce-
da-so dous mezes com ordenado somento.
Joao DonnelU/.Requeira ao gc-verno imperial,
a quem competo deliberar a respeito do jue
requer.
Manoel Ferreira do Nascirncnto Cruz.Informe
o Sr. cortmandanle do presidio de Fernando de
Noronha. -
Mara Florentina Serapbico de Assis Carvalho.
Conceda-sc a licenca requerida, c na forma da lei
citada.
Maria Rita da Cruz Neve3.Junto este ao re-
querimenlo em que foi lancado o despacho de 27
do corrente, volte ao Sr'. inspestor da thesouraria
Je fazenda para informar.
Pedro Alexandrino Gomes do Oveira.Expe-
ga-so ordem para sobr'estar a remessa do suppli-
cante at ulterior deliberacao desta presidencia.
Dr. Pedro do Athayde Lobo Moscoso.Recorra
o supplicante para o tribunal do thesouro que o
competente para decidir na tiypolhese de que se
trata.
Victorino Jos Ferreira.Informe o Sr. regedor
do Gymnasio.
Commando das armas.
QUAnTEL-JENEItAI. DO COMMANDO DAS ARMAS NA
PROVINCIA DE PERNAMBUCO, 9 DE .JANEIRO
DE 1870.
Ordem do dian. '456.
O brigadeiro commandante das armas faz pu-
blico para conhecimento da guarnicao o devdo*
flns:
i." Que a 7 do corrente passou a doenlc em
seu quartel o Sr. 1 cirurgio do corpo de sade
do oxercito Dr. Ji ao Honorio Bezerra de Mene-
zes.
2. Que apresentaram-se n^sb- quartel gener I
vindos ua corte, n<> vapor Guoia a 9, ns Sr-. ca-
pillo de infantaria Joan Domingos Ramo, e l-
enle Joo Dttielecio da Silva Paula, o no Tocan-
tina a 1J, ludo do correte, os Srs., capitao ein
commissao do 4o corpo provisorio de artilharia
Antonio Bezerra Teixeira Cavalctnte, tetiente An-
tonio Francisco de Mello e alferes Luiz Jos de
Sotua. ambas da 3 halalhio. de iafaalaria do asar-
cito : o Sr. lente Dooclecio, cam licenei para
residir nesta provincia : o Sr. tenente Mello, com
licenca para tratar de negocios de sen "part
cular intcesse, e os raais com licenca para trata-
mento de sua sadc; devendo ser descontada pela
5* parle do sold aos Srs. capitao Texeira e alie-
res Souza a importancia da passagem que pelo
ministerio da guerra Ibes foi dada da corte para
esta provincia, como consta de offlcios de S. Exc.
o Sr. conselheiro tenente general ajudanle gene-
ral do exercito, de 10 o i:j do corrente.
3o Que apresentaram-se tambem vindos da cor-
te, a 18, o sr. Io tenente do corpo de engenheiros
J i> Tiburcio Pereira MagalhaVs, que por aviso
da repartirn da guerra de 31 de dezembro do
anno prximo lindo foi posto disposcao da pre-
sidencia desta provincia para ser empregado como
convier ao sorvico; e a 22, tudo do corrente, o
Sr. capitao do estado-maior de artilharia Tiburcio
Hyiarin da Silva Tavares, que por portara de 18
de dezembro referido, e aviso da mesraa reparticao
de 13 dcsto mez foi noraeado para o lagar de aju-
danle do director do arsenal de guerra desta pro-
vincia, ticando dispensado desse lugar o Sr. capi-
tao reformado do extercito Jos Ignaci i de Me-
deiros Rtgo Monteiro que o exercia interinamente.
4.a Que lendo sido, por offlcio da presidencia de
10, mineado o Sr. capitao reformado do exercito
Manee! Alexandrino do Albuquerque Pitia, para
o substituir no commando do destacamento de. 1*
linha, do presidio de Fernando, ao Sr. capiJao do
6 batalhao de infantaria Antonio Haymundo Lins
Caldas, que por docnte pedio exoneracao daquelle
commando, entrou em exercicio a 19 tudo do cr-
rante mez, como como consta de offlcio do com-
mandante do presidio, da mesma data.
5." Que o Sr. capitao Antonio Raymundo Lins
Galds recolbeu-se a esta capital a 24 do crran-
le, e ficou disposcao da presidencia como se
achava, em cumprimento do disposto em aviso do
ministerio da guerra, de 12 de dezembro de 1867.
6. Que foram desligados do destacamento do !
linha do presidio dj Fernando, em que eram ad-
didas para fazer servico, a 18 deste mez, o Sr.
alferes reformado Emigdio Vieira de Lemos, que
obteve do governo .imperial licenca para residir
na provincia da Babia, e a 20, o Sr. alferes tam-
bera reformado Joaquim dos Santos Nevos, por
assim o haver pedido, em consequencia de seu
mo estado de sade e avanzada idade.
7.* Que nao tendo podido o Sr. 1* cirurgio re-
formado Dr. Francisco Goncalves de Moraes, por
doente, visitar a enfermara dos menores do arse-
nal de guerra de JO a 24 do corrente, substiluio-o
durante esse impedimento o Sr. 2 cirurgio tam
bem reformado Dr. Ernesto Feliciano da Silva Ta-
vares.
8. Que approvou o engajamenlo quo em 17 de
abril do anno prximo pascado contrahio o ans-
perada do exmelo corpo de ruarnicao desta pro-
vincia, destacado no presidio de Fernando Panza-
leao Ncry da Trindade, para servir por tnai* seis
annos na forma da lei.
Outrosim, determina o mosmo brigadeiro que
na manha do dia 1" de levereiro vindouro. se
passe revista de raostra era seus respectivos quar-
teis a companhia de operarios militares do arsenal
de guerra e deposito existentes nesta provincia,
pela ordem segrate, a saber :
A's 6 horas a companhia de operarios, s C I 2
ao deposito ospecial d'instruccao, i 7 ao de re-
cratas, e s 7 1,2 ao de prisioneiros de guerra
paraguayos.
AssignadoJoaquim Jos Gonr.ahes Fonles.
ConformeEmiliano Ernesto de Mello Tambo-
rim, tenente ajudantc de ordens cncarregado do
delalhe.
Repartl^o da polica.
2* seccao.Secretaria da polica de Pernambu-
:o, 29 de Janeiro de 1870.
N. l'il.Illm. c Exm. Sr.Levo ao conheci
ment de V. Exc. que, segundo consta das pai li-
{pacocs recebidas hoje nesta reparticao, foram
recolhidos bouiem casa de delencao, os seguin-
tes individuos :
A' minha ordem, Severno Hodriguos Texeira e
Antonio Vicente do Souza, vindos do tormo de
Itainb, o primeira como suspeito de ser crimi-
noso de morte, t segundo pan recruta.
A' ordem do subdelegado do Santo Antonio, Ma-
noel, escravo de Francisco Maia Cortes, por an-
dar ftirrido.
A' ordem do da Boa-Vieta. Joao Francisco das
Chapas, Uno Cavaleanti de Albuquerque e Car-
lota Canuda da l'icdade, por briga.
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------,------------------------------------------------------------------------------
sendoi aggreddo por dous indios, lancou ralo de
pa taca, matando nm e ferindo outro, resultando
elcar tam,ien1 ferido, sendo recolhido preso
tanufiRrafR, eemo o- indio que ficorrferido.
No d 23 de novembro foi apresentado ao
sabdcHegado de Teff o cadavor do hespanhol An-
toB*0 Silva, operario da offleina do Jos Raymundo
da Souza l*acca; depois das pesquisa?, recenhe-
ceuse ter sido assas oscravo de Gregorio Guerreiro ; sendo o reo logo
preso para ser proeessado.
No dia 16 do mesmo mez, e no mesmo dis-
tricio de Teff, fui lerido Victorino Ramos de Oii-
veua, por seu irmao Joaquim de Oveira, logran-
do evadir-sc.
PARA.
O Exm. presidente da provincia volton, no
dia 16 do corrent?, da viagem que fez Obidos,
afim de por si mesmo apreciar os melhoramentos
mais urgentes a sorem executados.
O gremio conservador organisou assim a lis-
ta dos candidatos issemblca provincial :
Dr. Anlonio'Goncalves Nunes.
Dr. Joaquim Pedro Carrea de Freitas.
Dr. Joao Lourenco PaS do Souza.
Dr. Jos Ferreira Canto.
Dr. Marcello Lobato de Castro.
Dr. Francisco Carlos Mariann".
Dr. Raymundo Clementiao do Castro Valenle.
Dr. Antonio JoaqniTJ Goraes do Amaral.
Dr. Raymundo Antonio de Almcida.
Dr. Francisco Mendes Pereira Jnior.
Dr. Guilherme Francisco Cruz.
Dr. Augusto Thiago Pinto.
Dr. Antonio Manoel Goncahes Tocanlins.
Dr. Francisco Pereira de'Souta Jnior.
Manoel Antonio Rodrigues.
..Manoel Roque Jorge Ribeiro.
Antonio Gentil Augusto e Silva. "
llaymondo Pereira Lima.
Jos do O' de Almeida.
Luiz Maximino do Miranda.
Custodio de Mello Freir Barata.
Padre Benedicto Thom da Cuuba e Mello.
Hildebraudo Augusto Nuoes Lisboa.
Padre Joao Simplicio das Neves Pinto e Souza.
Padre Luiz Goncalves de Aragao.
Jos Juqmra da Gama e Silva.
Joao Evangelista Correa Chaves.
Francisco Xavier Pereira de Mello.
Antonio Pimenta do Magalhes.
Jos Caetan) Pinheiro.
falieceu, a 12, o antigo negociante Domingos
Francisco Moreira.
8o dia 20 de dezembro prestou juramento e
tomoaposso do cargo de juiz de direito de Santa-
rem, o Dr. Abel Graca.
fara reitor interino do collegio Paraense foi
nomegjo o Dr. Joaquim- CoiTa do Oveira An-
dradeT.
A directora do Banco Commercial flcou as-
sim oaansada :
Mesa.da asscmbla geral.
Pr'esf3eT(5?sembargador Ambrosio Leilaoda
Conba,
Io secretarioPedro Antonio Machado.
2 ditoAntonio Jos Antones Sobrinbo.
Directores do Banco.
PresidenteAugusK Eduardo da Costa.
Vice-presidenleElias Jos Nunes da Silva.
SecretarioAntonio Dionizio Pereira de Carva-
lho.
DirectorBcnto Rabello de Andradc.
DitoGualter Jos Ribeiro.
Commissao de exame de contas.
Fortunato Alves de Sooza.
Diniz Cullcre.
Miguel Carlos de Souza Falcao.
Lemos no Diario de Belcm :
No dia 6 do corrente o nosso estimavel amigo
o Exm. Sr. coneg Siqucira Mendes acompanhado
de alguns cavalbeiros de sua amisade, a quem para
isso convidou, foi fazenda Pcrnambuco, com o
lira nao so de all passar aquello da de fesla, mas
tambem tomar algnmas providencias relativas
mesma fazenda, cuja administracao assim como a
d2 lodosos bens pcrtcncenlcs ao convento do Car-
ino desla provincia, llie est conada,'como c sa-
bido.
Depois de S. Exc. haver celebrado o santo sa-
crificio da missa, leve de administrar o sacramento
do baptismo 10 innocentes, 5 vres, filhos de
aggregados e visinhos da fazenda, e os outros cin-
co filhos de escravas do convento, um dos quaes
foi nessa occasiao libertado pelo padrinho.
t Enlao por lembranra e proposta de um dos
convivas, unanimcmcnle acceila.com prazer, abri-
ram entre si uma subseripeo os cavalheros que
acompanbaram o Sr. conego Siqucira, e com o
pr ulucto della libertaram mais (res dos cinoo inno
A' ordem do da Magdalena, Francisco Anasta- cenes escravos, sendo o quinlo libertado somonte
co da Cruz, como incurso as penas do arl. 199
do cdigo criminal.
Em data de 2i deste mez, participou-mc o de-
legado de Itamb que-em dias deste mesmo mez,
na povoacao de S. Vicente daquelle termo, Joa-
quim de Andrade Vasconcellos ferio morlalraentc
a nm menor, o qual fallceeu poneos momentos
depois; que o criminoso foi logo preso e recolhi-
do respectiva cadeia, c est sendo proeessado.
Por offlcio desta data communicou-me o subde-
legado de Sanio Antonio, que hontem s 11 horas
da noiie fra encontrado na ra do Imperador
um individuo com dous grandes fdrimentos, sen-
do um no alio da cabera e julro no rosto, que,
apenas soubc do fado, dirigise ao lugar indica-
do e fez conduzir o ferido para o corpo de polica,
onie Ihe foram applicados os soccorros precisos
pelo pharmaceulico Jos Gomes Monteiro, que a
rsto se prestou de muito boa vontade ; que o refe-
rido individuo, pela natureza dos feriraentos e es-
tado da^embriaguez em que se acbava, declarou
rnente' chamar-se Maaiel Baymnndo e ser inva-
lido : que proseguc as precisas diligencia*, para
verificar se semelhanie fado foi o resultado de nm
crirac, afim de proceder na forma da lei contra o
delnqueme.
Dcus guarde a V. ExcIllm. o Exm. Sr. se-
dador Frederico de Almeida e Albuquerque, pr-
ndente da provincia. O chefe do polica, Lvii
intonio Fernandes Pinheiro.
DIARIO DE PERNAMBUCO
RECIFE, 31 DE JANEIRO DE 1870.
Noticias do norte do Imperio.
Chegoo hontem pela manha o vapor Guar,
trazando datas : Amazonas 0, Para 19. Maranhao
2i, Cear 26, Natal 28 e Parahyba 29 do cr-
renle.
AMAZONAS.
No dia 9 chegou a capital, do vnlta de sua
viagem ao territorio venezuolanc, anmte linha ido
em exploracocs mineralgicas, o capitao Jo> C.
Ferreira Martins, djndo noticias da existencia de
prala e outros metaos.
Nb rio Negro estavam iavrando, com inton-
sidade, as febeos intermitiente'.
Consta que os indios Uamerys, do rio Jana-
pury, teera ltimamente apparecidu as margens
do rio Branco urn dia de viagem da sua fz.
Essa apparcao tero amedrontado aos IwbiUntes
daquelles lugares; buje, pnrm, dovido a enchente
do rio, Ocaran raais socegados dos assalios (tese*
ferozes gemios.
No da 21 de novembro, no lagar denomina-
do Surar, disirieto de Cudajs. Jos i. C Braga
pjlo Sr. tenente coronel Raymundo Brito Gomes
c*c Souza, o qual declarou quo tendo depositada em
sua mao uma quantia destinada algura acto de
beneficencia, entenda que me'.bor nao poda ap-
plica la do que quelle fim. '
Ciemos, porra, qae esta dcclaracao nao foi
sendo por mode.-lia, pondo o Sr. (Jomes de Souza
mais uma vez em pralica o proceito evanglico :
de oceultar a mao esqurda o beneficio feto pela
direita, o quo ainda mais meritorio torna o seu
acto.
t Do tarde foram baptisadas mais duas crian-
cas do sexo femenino, escravas do convento, e
dous dos referidos cavalheros comprometleram se
a agenciar a quantia necessana para a liberdade
dellas, por meio de uma suB9cripcao entre suas
familias o as de seus conhecmentos.
Na mesma occasiao o Sr. conego Siqueira deu
carta e manuraissao ao seu escravo de nome Ma-
noel Raymundo, pelos bons servicos que lhc tem
prestado.
t Oito inlezes, pois, foram naquollo da arran-
cados s garras da escravdo, e restituidos ao
gozo da oerdade quo por Deus foi dada ao ho-
rnera.
Feliz foi a iemferanea do Sr. conego Siqueira
em convidar os cavalheros quo levou era sua
companhia ; e digno de todo o louvor se tornou,
nao s pelo procedimento que tevo cora o seu es-
cravo, como pela grande nquidade com que arbi-
Irou o valor dos innocentes escravos do convento,
para cuja liberdade tambem concorreu cora quota
igual dos outros.
c Eis os nomes dos innocentes:
i Lucia, liiba de Damilia linertada por son
padrinho Lucio Antonio Mendes.
a Marcolna, filha de Maria Cyriaea; Virgolino,
fillio de Rila; e Euzebio, fillio de Leocadia, liber-
tados com o producto da subscripclo.
Hyppolit, filho de Maria d'Assumpcao, liber-
tado polo Sr. tenente coronel Gomes de Souza.
a As outras duas charaam-se Persiliana e
Mara.
t Os cavalheros seus bemfeitores sao os Srs. :
o Inspector de marinha Luiz da Cunha Moreira,
Dr. chefe de polica, Dr. Esmerino Gomes Prente,
conego Manoel Jos de Siqueira Mendes, coronel
Antonio Pimenta de Migahes, lenente-coronel
Ravmunlo Gome* do Sooza, Manoel Roqne Jorge
Rilieir Dr. Joaquim Pedro drra de Freitas, Dr.
Jos Ferrara Canto. Dr. Join Guilherme da Cruz,
librnardino de Sena Lameira, J- Joaquim Pimen-
ta de Magalhaes. e Joao Goncalves Ledo Jnior. *
A alfandega rendeu de 1 a 18 do corrente
255:fi39*'20 rs.
O cambio regulara : sobro Londres 20 3/4 a
20 5/8 d., sobre Pars 445 rs., e sobre Portugal
150 /?
O dcconto rognlava de 10 a l / ao nno.
Sania Cruz e Cumie Roger para Liverpool ; Josse
Carll para New-York.
MABANHAa
Harta Jesbarmonia entre o gr.^mo conser-
vador c o presidente da provincia, como se v do
seguinte trecho do Publicado)- Mamllense :
_0 apparecmfento na imprensa de uma deca-
racao assignada pelos Srs. deputados harao de
Anajatuba, Dr. Heraclito de A. P. da Graca e Dr.
Augusto 0. Gomes de Castro, protestando firme
adhesaoao Sr. Dr. Jos da Silva Maia, a quem re-
conhecem como chefe do partido conservador da
provincia, provocou o apparecimento de outra dc-
claracao assignada por trlnta conservadores, entre
elles alguns dos mais proemraentcs do partido, re-
cusando-so a reconhecer o Dr. Maia como chefe, e
manifestando o mais completo apoio actual admi-
nistracao, de quem aquello doutor est separado,
mas que elles reeonhecem ser proveitosa e til ao
partido conservador.
Isto tem dado bigar a uma longa c porfiada
discussao poltica, e Deus queira que se possa evi-
tar ainda a divisao do partido conservador do Ma-
ranhlo.
_ Tendo se provado competentemente ser cida-
dao bvaro, e nao se ter ainda naturalisado brasi
leiro, o commandante do corpo de polica Joao
Pedro Ziegler, foi exonerado desso cargo, e priva-
do do de capitao da guarda nacional ; sendo
substituido naquelle nmprego pelo major reforma-
do do exercito Jos Thiago da Silva.
Por acto da presidencia da provincia, de 5
do corrente, considerando quo exista nos cofres
do thesouro provincial um saldo de 113.6305857,
e que nao podendo a provincia por emquanto era-
prehender melhnramenlo algura que dsse appli-
cacao esse dinheiro, e ao mesmo lempo que li-
cava elle inactivo no thesoun pagava este eleva-
dissimo juros, mandou que desse saldo fossem ti-
rados 60:000* para pagar 300 apoliecs de 200*,
de juros de 8 por cento.
A divida da provincia eleva-se 407:2001, da
qual deve ser abatida aquella somraa.
Falleceram : o official-maior da secretaria
da governo, Augusto Cesar dos Reis Raiol ; o ca-
pitla reformad) do exercito Antonio Caetano Tra-
vassos, o antigo pratico Joaquim Duarte de Souza
Aguiar e o vigario da freguezia de Nossa Sjpihora
da Victoria do Mearim padre Jos Lourenco
Bogea.
No anno findo do 1869, foram exportados
desta provincia 559 escravos.
Durante o mesmo anno tiveram sepultura no
ceraiterio da Santa Casa 1,035 cadveres, 6S4 de
pessoas livres e 381 de escravos. Daquelles eram
do sexo masculino 308 e do femenino 346 ; desses
177 do sexo mascono e 204 do femenino.
No dito periodo transitaran! pela reparticao
d > correin desta provincia 4,996 malas, sendo re-
cebidas 2,505, contendo o s*guinte : correspon-
dencia offlcial 14,480, particular 177,775, e expe-
didas 2,491, contendo o seguinte : corresponden-
cia offlcial 13,613, particular 143,825 ; alm disto,
transitaran) 5,820 cartas registradas contendo a
quantia de 43:916*.
No. correr do anno de 18C9 entraran) cm
nosso porto 198 navios, e saturara 190. Sendo
nacionaes entre os prraeiros 88 e entre os segun-
dos igual numero. Dos navios entrados erara mo-
vidos vapor 88 c dos sabidos o mesmo numero.
Na capital havia escassez de carne verdo.
A alfandega rendeu no anno do 1869 a som-
raa do 2,721:042*803, sendo:
Janeiro. 176:849^100
Fevereiro. 238:0943206
Marco. j89:429*805
Abril. 238:441720
Maio. 225:7585939
Jabo. 243:689*104
Julbo. 188:692*007
Agosto. 201:6871748
Setembro. 220:252*607
Outubro. 220:892*342
Novembro. 267:377 [108
Dezembro. 309:8773867
No dia 12 procedeu-se eleicao de 3 membros
que falta vara para completar a commissao directo
ra da praea do commercio, sendo eleilos os Srs. :
Franklin Jansen Serra Lima, Domingos Goncalves
liranco e Joaquim Lopes Anjo.
Do l a 21 do corrento rendeu a alfandega
183:799*437 re.
Estavam carga os navios Europa, Clara,
II. (lerdes, Secre e ezesele de Maio para Liver-
pool ; Formosa c Nova Fama II para o Porto.
IMA1HV.
Temos dalas al 31 do pas-ado.
O Dr. Luiz Antonio vai administrando con-
tento de ambos os partidos.
A secca contina a fazer gYandcs males em
Jaicoz, Oeiras, Valen^a e S. Joao do Piauliy.
Fallceeu na Parnahyba a 3 de dezembro o
coronel Livo Lopes Castello Brauco e Silva, muito
conhecido naquella c nesta provincia, cm que foi
uma figura importante nos lempos da rebelda
CUBA.
O presidente da provincia linha seguido
passeo para Maranguape.
Segundo noticias de Maria Pereira, lavrava
cora intensidade a febre amarella.
O diztno do sal o pescado do municipio de
Parcnr foi arrendado por 1:262.5000.
Sobre a comarca da Imperatriz caliiram co-
piosas chovas, que niuilo animaran! os criadores.
Carlas de Caxas dizem ser falsa a noticia
do apparecimento all de sedulas falsas.
A companhia lluvial Maranhense comprou,
em Liverpool, aos Srs. Miller Sons & C. um novo
vapor, que so chamar Maranhao, com 160 ps
do comprimento, 26 de bocea, 7 o moio de calado
d'agua, com uma machina da forcri de 130 caval-
los, e cora 544 toneladas.
No dia 13 fez-se experiencia do vapor (ua-
xemduba, dessa companhia, verificando-se andar
elle 6 e mcia militas por hora.
Durante o semestre de julbo a dezembro de
1869 sahiram da capital nos vapores da companhia
Brasileira para differentes portos do imperio as se-
guintes quantias :
Do governo para o thesouro na-
cional 1,262:309057
De particulares para diversas
provincias 64:211*020
co Sao cinco horas da tarde.
Ecrevo-lho apressadamente.
A cmara municipal desla cidade acate do
nclir os trabalhos da apuracao dos votos para
um senador por esta provincia.
A li presenca de S. M. o Imperador, ficou assim com-
posta :
Conselheiro Torres' Hornera 373
Dr. Jeronymo Cmara 35C
Dr. Tarquioo 315
t O presidente da cmara o Sr. major Antonio
Renevdes, abriodo a sessao, apreseutou sete an-
tbenlicas dos coHegios da capital S. Jos, Papar}'.
Maco, A*s, SantAnna do MaUos o Imperatriz.
nos quaes a opposielo figurou cler oes duplica-
das.
A jamara, porm, em sua maiora, decidi
tomar em separado a votacao figurada nessasefti-
coes.
O seu resultado foi seguinte :
Dr. Moreira Brandao 180
Dr. Amaro |8D
Vigario Thomaz 178
Dr. Jeronymo t
A oppoiicao ha dias quo se preparava para
ura conflicto no paco da cmara municipal.
c E com effeito tendo hontem chegado esta
capital o Sr. Dr. Amaro, esto com o Dr. Brandao
e outros frente de pessoas escolhidas adrdo pa-
ra qualquer desordem tentaram invadir o recinto
da cmara, onde funecionava aquella corporacao.
afim de realisarcm seus malvolos intentos.
a Mas requisclo do respectivo presidente, o
Sr. major iJenevdes, derara-se providencias acer-
tadas de modo a comer os desordeiros com toda
a prudencia, deixando-se, entretanto, livre o in-
gresso no edificio .es elcitores presentes e todas
as pessoas qualificadas entre as quaes o Sr. Dr.
Amaro, escrivlo Sant'Anna Macaco, Dr. Moreira,
Cysnein>9, Miguel Lobo, MirabeU, Manoel Onofre
e outros.
< E' verdade que se nao fosse a prudencia do
digno chefe de polica Espuheira, que all compa-
recen para manter a ordem publica ameacada,
friamos por certo a lamentar hoje o resultado d
algnma cena triste e desagradar!.
< o Sr. Dr. Amaro suppunha estar na cidade.
de S Jos de Mipib, onde por ocsasilo da eleicao
primaria, como louco, commetteu o maiores ex-
cessos e desacatos no moio de quatrocentos ho-
mtns arimdos, insultando e injuriando a todos
at ao propno chefe de polica de enlao o Sr. Dr.
Estellita.
Nio devo omittir aqui urna circurastancia
que se dera ao ultimarapwe os trabilhos da c-
mara rauncpal.
c A minora daquella corporacao, representada
pelos vereadores Joaquim Soares, Jos Thomaz,
Ludgero de Bastos e Jos Gomes, desapontados
com o triumpho dos conservadores, apresentaram
nm protesto qjie dizlamhorrores sobre factos,
que ailis so nao doram ; e que nenhuma relaclo
tnhara com o processo da apuracao; e havendo- a
cmara rejeitado seroelhante protesto, recorso
dos que se vem perdidos tevanlaram-so e sabi-
rara precipitadamente, negando-se a assignarem
a actao a lista, que j estavam lavradas.
< Nao obstante, tirando a cmara com cinco
vereadores, numero legal para os seus trabalhos,
continuou nestes, encerrando-se a sessao com toda
a regularidad.
t Dizem que os protestantes dirigiramse para
a casa do seu subehefe Dr. Brandao e all foram
proceder uma outra apuracao.
Creio que assim acontecer, porque de tal
gente tal proceder.
PARABTftL
A presidencia da provincia eontralou, com
o capitao Saluslino Ephigenio Carneiro da Cunha,-
o encanamento d'agua potavel para abastecimento
da cidade de Mamanguape, com um privilegio por
30 annos.
A alfandega rendeu no mez do dezembro
C2:65i ,005.
Estavam carga os navios : Mrquez de I dente :
1,326:520*077
Por provislo do 19 do corrente, loi cannica-
mente instituida a nova freguezia de Jess Maria
e Jos do Quixad, desmembrada da de Quxera-
mobim ; sendo noraeado vigario encorameodado o
Rvm. Claudio Pereira de Parias.
No pnmciro semestre do exercicio de 1869
a 1870 rendeu a alfandega 1,468:776*037 rs.
Foi capturado o celebre criminoso Damiao
Correa da Silva.
Foram alforrlados : na villa do Par-cur,
uma escravinha de 2 annos, r. expensas do Rvm.
vigario, do major Barroso, e da Sra. D. Josepha
Braga ; em Quixeramobim, 10 esrrav)s sendo 5
custa da provincia, 1 pelo juiz de direito, 1 por
subscripcio,. 1 pelo tenente-corooel Antonio J.
Castro, 1 por D. Maria do Espirito Santo, e 1 pela
familia do tenente coronel Joao Paulino ; na cara-
tal1 pela seciedado Fraternidad.^ Cearense com
o productode um espectculo, 1 mulata de 25 an-
nos pla Sra. D. Anua Triste de Araripe, e urna
mulata de 13 annos pela commissao representante
da soeiedade Dezesete de Janeiro^ no dia do pri-
meiro anniversario de sna installaeao.
R10-ORASDP.
Escreve-nos1 da capital o nosso corrospen-
PERNAMBUCO.
16:800*C00
2:200*000
1:000*000
400*000
132*00
esse vapor:
REVISTA DIARIA.
FF.STA DE NOSSA SENHORA DA SADE DO
li ii 11.Tem continuado as novenas de Nossa Se-
nhora da Sado do Poco cora toda a bizarra,
agradando gei alente, nao s a msica, mas tam-
bem as votes das cantoras des versos, que se tem
esforcado por mclhorarem de dia para dia as har-
monas que desprendem.
A festividade deve ter lugar quarta-feira 2 do
prximo vindouro mez, pregando ao Evangelho i
Rvd. Joo (reg, o ao Te-Dcum o Rvd. fre Joa-
quim do Espirito Santo.
No da da festa tarde haverao corridas ca-
vallo (cavalhadas), msicas marciaos, baloes, ete.
etc., e 3 note queimar-se-ha um pequen jingo dt
artificio. No dia snbsequente ter lugar noitec
fogo de artificio final, o qual ser grande e es-
plendido.
DINHEIROO vapor Otar, troxc hontem as
segrales sommas para os Srs.:
Johnston Palor & C. *
Joaquim Jos Goncalves Bcltrao.
Veras & Barbedo,
Lehmam frres.
Cyro P. da Silva Ferraz.
Para o Sul do imperio trouxe
Babia. 378*00X1
Ro do Janeiro. 109:873*000
CADVERFoi tirado hontem pela manhla do
rio Capibaribe, junto ao arco da Conceicao, o ca-
dver de ura bomembranco,.qae pareca raglezoo
alinalo, tendo o crneo partido n'um dos lados
Segundo se suppoe, estando ebrio, poz-se a dormir
sobre o caes, e d'ah cabio ao rio, partindo a ca-
b^cana queda.
Encontrou-se Ihe no boleo 1* em dinheiro, t
dous bilhetes dos trilhos urbanos de Apipucos.
LOTERAS DA PROVINCIA.-Pela presidencia
acaba de ser approvado ura novo plana para as
extraccoe3 das lotera^ da provincia, sendo o maioi
premio 5:000*. Vai elle publicado no lugar com-
petente.
GUAR.As malas que este vapor deve levar
para o sul do imperio fechara-se no correio boje
as 3 horas da tarde.
FACL'LDADE DE DIREITO.Encerrase, no dia
7 de fevereiro prximo, a inscripcao dos concur-
rentes ao lugar vago de substituto d'esta Faeul-
dade.
FSTA DE S. BRAZ.No dia 3 do fevereirc-
ser celebrada, na matriz de S. Jos, a festa de S
Braz; ficando a imagem em exposicao at o
dia 11.
ASSOGIAgO COMMERCI4L BENEFICENTE.
Nao se tendo reunido numero legal de accio-
nistas para haver a assembla geral, acham-se
de novo convocados para o dia 3 de fevereiro.
PMUPAMA.Sahio do porto da Fortaleza para
o da Granja e intermedios, no dia 22 do corren,
o vapor PirapatHa, da companhia Pernambucaoa
FERIMENTOS GRAVES E MORTE.-Na poro*-
cio de S. Vicente, do termo de Itamb, em das
do correte mez, Joaquim da Andrade Vasoni
cellos ferio gravemente um menor, que este w-
lecou poucos momentos depais. OxnminoaoB
preso.
ACCIDENTE.Sexta-feira, s 11 horas d*
ooite, estando o invalido Manoel Raymundo dof-
I
***,


2
S
Diario de Peraambuoo Segunda (eir 3t de Janeiro de lft?0.
ntido no caes 22 de novcmbro, bastante embria-
gado, cahio d'ahi ao rio, fracturando a eaeeca, e
feriado tolo o lado esqucrdo. Do exarae a que
prucedeu a autoridado, reconheceu-se ter sido o
teto occ.isioHido pela embriaguez.
THKATBO DE OLIXDA.-Em cnseqeeneia do
passameBto do cpilio Joso Joaqnim Lopes de
. AtmeiJa, quo faxia parte da commissao promotora
da fcbf'ilade de nina crianza do sexo foiin-nino,
deix-m do ter lugar sabbado o espectculo drama-
' tica, quo era dado com aquello flm; fleaodo trans-
ferido para quaado se annunciar.
TNH.IIOS URBANOS DE APIPUCOS.-No da 2
defovereiro (depois d'araanhaa) havoro trena ex-
presos de hora em hora, dusdo as 10 da manliia
al mcia unto, ilo Heeifo pira o Caldeirciro, e vi-
ee-versa. Os Matates para es-es treBs serio espe-
eiaes ; dovendo as. pessoas, que tiveren dos on-
ires tiillictes, troca-los om qualquer das'fstacdes.
Alm desses trens, liaverao outros ordinarios,
locaado rm todos os pontos do hora em hora, de
1 da laido meia noite, das offleinas para o Cal-
deireirrt, nos quaes torio ngresso os pas'sagciros
mnaid dea billietos eommuns. -
exi'ohtai;aode fazendas de algodao
Durant<' o anuo lindo em 16.de dezembro de 1869
foram exportado?, para o* portas abaixo mencio-
nados, dos'de Liverpool, Londres o Southampton,
as seguimos fazendas de algodao :
Maranho 9,524:300 jardaa
t'crnatnbuco 47,6 i 1:300
Itahia 32,187:400
Kiu do Janeiro 85,513:700 >
Rio da Prata 34,140:400
No semestre de 16 de junhn a 16 de dezero-
l>ro de 1869 fora.ro exportados para :
Mra*hao 4,513:000 jards
IVrnambnco 24,515:520
Ifcriiia 32,187:400
Rio do Janeiro 49,236:210
Rio da Prn'.a 18,918:180
No auno lindo em l de dezembro de 1868 a
exportarlo fini
Maranhao
IVrnambuco
Itahia
Rio do Janeiro
lli-i d.i Tata
Ny auno itido cm
foi

foi
Maranlo
Pernamboco
Rabia
Itiodo Janeiro
llio da Prata
No anno Iludo em
MaraohAo
Pernainhueo
li-.liia
Itio de Janeiro
Rio da Prata
6,325:300 jardas
23,467:000
28,046:500
56,662:500 .
42,758:080
10 de dezembro de 1867
5.003:200
h 543:600
23:173:090 -'
65.666:500
77,036:660
16 de dezembro de 1866
4,308:100 jardas
38,824:600
i 659:600
65 038:300
66,612:700- >
REPBLICA ARGENTINA.O presjdente desla
TepilUiea dirigi a segrale proclamaciio aos guar-
das nacunaea ni bilisados e aos soldados do exer-
cito, ai reculhereni-se seu paiz, dos campos do
Paraguay :
Cimaradat IRepresentando vossos .rompa-
nheiJi'S que aiuda em cantpanba 'Stao cmeluindo
a pacilicaco do Paraguay ; i'ommem >rau lo os
hroes que nos campos da balalha pagaran) o da-
vilo Irib&to da vida patria ; honrando nos-os
digaos alliados iiHCjiarnvi'is as fa liga-, as glorias
e im final iriumpho, ,is ciJados onde desembarcis
preparavam vos merecidas uraeSs.
A) cexnaasardes a vossosJares,apoi einco an-
nos dc i.Is combates e de ladigas superiores i
forea humana, o pipsiilcnto da repblica a.-soeia
se ao regosijo que re" pintado em lodos os rostbs
e as benraos que vos aguardam no seio da fa-
milit.
Tidis voltais cobertos de gloria, do mu hon-
rosas ccatrizes, e raros representantes dos brio-
sos balales que presurosos (flereceram seu? pe-
tos para conler a onda da barbaria ero quo ara
horriu'l ij ramio procurara sepuluir-nos.
' A guerra do Paraguay, que fuos amistados
pela uisaaa unbiciu d um possesao o abysm
mareado pelos fados cm que sepultou-se com es-
ln pil i > qne anda restara m America do goveroQ
dai> p ir Felipe II s llespanhas, e inxerado no
Parasua; i:o:n as tradicoSos coloniaes. A ros con
bel iciar aos maioios horrores da guerra.
Atjeulj aio Id se nao tininm enfrentado dua d-
vi I isa {/).; ..telas : o despotismo antigo e a cJvi
Jisar moderno. Deiisnao nos lude pedir coalas
ilo sangnfl derramado na mais legitima deeza. A
lii.-t.iiia lamben] por .-i ha de ver de menos, a cor-
rcnit que dotiiiha o progresso humano as boceas
d rio Paraguay, qus os ajilados di-struirau.
< Cnoi i aoiorcs na magna tragedia, que os cim
pos nb a m i do ahsoluti-rao, < cul-
tiva; i lucia, ; pnidQZifam eiiiiOaii-
n w c m tria e tnai r ignorancia para o
pivn v i.
IC i; 'i i.-,i volvis patria em occasiSo do
io.. i |ue buje setein alcanzado; e es-
M :.: ,uhl|j pan vossas familias tambem o e
paia j
i: -: -m?, esta recepeao, em cada cidade,
l8n :i ;u -- ;u dos sentimentos do publico que M
rxpaii igria.
I u de vos a miseria, a dcstruieao
o i-ji-i '.. I.tga quo culrasios no territorio ir-
f iia .',--.-.!.~t.'s ondo principia o imperio das
-i. Ib nlidq o da ritWjnylit; porque o ar
vj 'aiiicos da alegiia" e rta victoria vos
k*.-. < :: i as pe fumadas brisas das verdejautes
la iiprnas rergadu pelas messes.
A e.id.a passo y"s saudaram centenares de
navios de nossa banVira, pu as das naQuea du mun
il > que nos reconh^eem como um povo justo, livre
e industrioso, quo s procura a gloria de defender
f';us dircitos ap< a provocac;io. Reeoiihecereis
^> cidodos donosso desembarque, porque a natu-
rtw'a mesma tendo duplicado o numero de
icu ha luanles durante a vossa auseneia. Volta-
rei< om ''-:radis de Ierro a vossas rasas, onde vos
rtjwia o !i r.ioso traualb,o procurado c remune-
-'.'li.
So ves moslrastcs como s^ litados dignos de
s;i i nsiderados ln ns, regrossando vossa patria,
pala imntii j porque o povo vos recebe, pelos pro-
fp-ssiis realizados, e o porvir risonho que o pr-
senle adevinha, podercis desvanecer-vos de t-la
para in,"i, c dar por bam fei'o o sacrificio que vos
tn>!ni.
No physieo c no moral, poierais cora orgulho
dizervus argentinos, c sem o menor escrpulo.
Sor vos-ho pagas as soldadas que se vos dc-
veui, athn de que volveuo ao seio da familia, le
v.'i- couivoseo o consolo, o remedio aos passados
soaTrmcnl o.
K-te acto, e as rccompen>as votadas pelo con
P.re-so, vos impoe nova gralidao para cora vossos
wmbalrioCas.
Cada cidadao qoe nao contribuio com seo san-
l. trabalhoa um anno mais para manter a hon-
ra mcional illesa'cm todo o territorio argentino.
VluoiTa tao dispendiO'ia fui muitas vezes supe-
ri-r aos rceursM.ordinarios, e o erario exhausto
iii-m cmpre pMe attender-vjs cotnodevia. Po-
rn<, anda restavam dous tiu-souros mcxgoia7eis :
a. v.miuJo e a jnstica do povo argentino, e o cre-
estenio Ino grangearam.
- Appellamos' para cssas duas fbntes pira que
no So .'ni que chegardes a vossas casas, possais
iics-ar a vossos Whos que a patria nao urna ma-
flra-la.
fJ'Ongresso vntoo para vos uma modalha, e
rtei aliaos de sencin do servido da guarda nacio-
nal. A isenrao que levis e a rhedalha seio, em
til.i a parte rele vigorera t leis da naci, salva-
guarda e pasaporto.
fftfeei *ob a protec^o das leis nacionaes.
t A K-gidatura de Buenos-Ayres. e Gqdova de;
ra.n" un fjEempln, que desejava ver imitado pidas
uiras, dolinando terrenos para serera di'tribui-
loa aos guarda* nacionaes que eumpriram (lel-
io :il*! o -en dawr para com a patria ; o quero
|T<-v. de quo os banooj.e casas de sorenr
ao ItHate guardaiH as economas do hr
meai lboiioso, ah c-tao para ajudar-vos a esta
i .-.;-, [,Toe^raad,o para vossai viuvaa e vus:
o repouo, que a !ei do coogresso vo6
i i o soldado argentino so pare-
f*mnvmo,: .(Buetondy>so sempre
suslaalajoc da irn (
a nacpaal
o, 1806.-
i sita infancia o
: O oT-
sal o da Justina ; parra basta que a esperanza
seja lisongeira.
< Antes de nos rnogHem ainda se quor sonhou
este bem ; o.se tornarmos a encontrar um aggres
sor estranho, que as armas qoe deixardos nos
campos sejam o ultimo tropho da guerra.
Nao ser a espada quem assignalar de ora
avante o eaminho que teremos de seguir para ser
fezes e grandes. Sa algaom quizor- engimar-vos
podareis dizer-lhe : < Eu percorri o> campos dp.
Paraguay o vi com os meas proprios olhos todo
o< males que t ranero a violencia e a arbitrarie-
dade. o
O jniz e o eogenheiro, a vara da juslica e o
teodolito, eis d'aqui em dianto o arbitro soberano
e o Instrumento da felicidade para cada cidadao.
0 devor de todo o cidadao, que t>mha empuntado
as armas da naci, manter successivamenle a
trauqnilliJado, emquanto se constroem as encolas
publicas que devem de servir para a educacao de
vossos Olhos, emquanto se cstende a redo de tele-
graphos que ha de por todos em rclacao uns com
outros, desde a casa particular de cada um : e
emqnanto linalmento se compjetam as vias forreas
que ja oxistem e que concluirn por lomar acci-
dentes de terreno os Andes e o Prata, o Chaco e
a Patagonia.
< Soldados da guarda nacional :
Ides repetir em ponto pequeo o que o mun-
do contemplen com assombro- ha poneos annos.
Eu mesmo vi destilar, como boj o dnzenlo* mil
soldados, diante do presidente dos Estados Unidos,
e rollar um* ni^io a seu* lugares, sem quo no
da seguinte ao ae sua chegada houvesse outro
accidento mais do que maior movimento do pas-
sageiros nos trens da estrada de ferro, maior ale
gra entre as familias, e, um anno depois, maio-
res colheitas nos campos.
Ido, pois, satisfoilos do vos mosmo e Jo vos-
so paiz.
Guardas nacionaes moblis.idov
Em nome do povo argentino c em presenga
do nossos exercitos vieluriuses, proclame do feliz
seguro para a repblica o anuo do 1870, que co-
raeca com urna guerra exterior virtualmentc con-
cluida ; segura a paz no interior; nossos cellei-
ros chaos;'nossos productos procurados nos mer-
cados da mundo; nosso crdito alto como jamis;
a m nigraeo cm escala rr-sccnle ; pequeas as
cidaita para conler a poonlacao : prxima a innu-
gtiracao do caminho de ferro central ; tres outros
em va de execucao ; os letegraphos servindo de
meto vida domestica; a oxposicao de nossos
productos com seguranza de bm xito: convoca
do o povo em luda a repblica para renovar a
elcicaa do congresso, o resolvido a fazer-se repre-
sentar por cidadao que delxando de parte as tra-
dices de combate o pequeos inleresses, compre-
hendam scus deveres, o levem por diante o carro
triumphante du progresso, da or lem c ia liberda-
de. que d'aqui ha cinco annos far da repblica
argeutina o thcatro da maior felioidado para o
maior numero de homens, realisando a*sim o ob-
jeclo e o (m de onsaas iu>tituie.s.
Viva a repblica Argentina I'
* Vivan] os defensores da honra, das inslilui-
toes a do territorio argentino !
Vivara as Bagos alnadas l
i Bn .: s- A y res 31 de dezembro do 1S69.
Domingo* Sarmiento.
PAR.vGL'AY.Relar,ao das paraguayas salvas
di brutal perseguicao de Lapez e.n Espadn, pelas
armas brasileiau :
Martina Aeosta, Dolores Gil de Dentella, Ma-
nuela Gil de Millares, Nelasa Utilere, Isabel Mu-
leros, E-nilia GspedCj Susana Cespeilaa d Cs
pedes, Juan Cspedes, l'etrona Gspeles, llosa-
liaGspede-, Carolina Cspedes, Pablo Cspedos,
Susana Cspedes, Dorolhea Cspodcs y una sltr
vienta. Susana Florentina, Felipa Atalas, Josefa
Alalos, uano Abajos, Dolores Abalo o una sir-
vienta. Oba G rttalan de Garca, Delfin Gireia,
Tomasa Garda, Posaria Alvajfeoga, Odores L'rda-
pilleta, Lui-a CrJapilleta, l/uisa Urla;nlleta, Gre-
goi io Portille, Mercedes l'ortiilu, 'frifuua Porlill,
loseTa Esperaly y soDrino-, Casuna Abales, Dolo-
res l.'ibiela de G'uaoes, Juma Val 1' vinos de Beni-
tos, Crmen Benitos de Madrea, llosa Batano] de
Cuadros, Gregaria Rojas, Manuela Goanes, Encar-
nacin Benitos, Juan Cuadro, Bella Rosa Chirife
de Vasconcelos Anlonia Vascuncellos Isabel F^-
laslicade Orlellado, Mirtina Vallovino, Benita Be-
dowa, Encarnacin Bedoya, Rosa Caballcrn, Lucia
Villa Iba, Assuncion Villalba, Victoria Villalba,
Franrisea Villalba, Rosa lluiz, Dolores l'nlapillela
de Juvellaaos, Lucia Jovellauos, Leopoldina ioreJ
ranos, Florentina Carsimo, Hara Paula Mulina,
M.iria Josefa Molina, Clemencia Ferreira, Ana
il illa Paez, Bvangelista Snchez, Antonia Snchez.
Francisca Arguyo, Mara Rosajrju Villar. Rom Cla-
ra Villar, Mara Roque1 Villar, Anatdacia id, Igna-
ca iJ, Felipa Id, Cecilia Villar, Gernimo Villar,
Victoria Goiizalt'z, Celodonie Villar, Esteran Gon-
Lilet, Luisa Gonjales Manuela Gonzales, Ha
faela Villar, Marcelina Villar, Dominga Villar, Era-
risla Villar, Mana Nicacia Villar, Francisca Mar-
tines, Thcodoro Martnez, Ruducindo Posoa, Rosa
lia Porlillo, Rraulia Portillo, Epifana Portillo, Ro
berra Ramona, Mana An^ma Ramona, Josepba
Ur.lapilli ta, Cesara Rodrguez, Franoisca Abalos,
Mana Madruga, i-'elicana Madruga, Ana Portillo,
Juana Abalos, Regalado' Villar, Rosala Snchez,
Constancia Urdapiflqta, Julia Dentella, Escolstica
Dentella, Carmen Urdapilleta lncarnacion Gon-
zalles.
LOTERA.A que so aclja venda a 136", *
benefleio da ordem terceira do Carino, para funda-
cao de uin hospital, que corre no dia 10 pelo plano
novo.
PASSAGEIROS. O vapor fiwr-, entrado do
norte, tmiue os seguinlps : Joao Antonio Roln
pues, Joiquim da Cusa, ernardo Norat, I). Fran-
ciCO, Maria d Suoza Garcia, Adoipho Eugenio
Soares, Domingos Soriano do Azevelo, Nicoli,
lurga Botelho, Antonio da Cosa Lima, Manoel
Beroardino dos Santos, Manoel Rodrigues de Pai-
va, Amaro de Barros Correia. Francisco de Al-
enla Braga, Joao Baplista de Magalhaes f I filln
Miguel Antonio do Na-cirnento, Pedro Untarme,
Miguel Cometi, Bernardo de Castro, Eroetto Pin-
to da Costa, Libanio da Costa Pinhciro, Joao Duar-
le Piracntel, Manoel ioaquim BapUsla, Alfredo
Garca, sua senh mi, 3 lilhos e 3 criados, Pedro
da Co-ta S: I va. Antonio Pmbeiro Lobo de Menezos,
Ur. Guilhenne <>>rdAiro Cyntra o 1 oscravo, alfre-
do Charles Garca, D. Mara do Carino Nascimen-
to, 1 escravo a entregar a Joao Pereira do Reg,
Jos Das
Seguom para osul: Henrique Cesar de
Sampaio, Firmino Herculano da Silva, Carlos Ri-
beiro Pessoa do lcenla, Manuel Francisco Rogo
Barros, Geovano Mazegnano, Braz Brando, Jos
Augusto da Veiga e 1 escravo, Francisco Lui de
Maalhos, Jos Albertino, Joao Carneiro da Silva
Reg, sua sentara, 1 filbo o 4 irmaas, Manoel Ce-
mentino Carneiro da l^uoha Aranta, Manoel Jos
Duirte, alfere.s Antonio Firmo de Soasa, Hunry
Altart D. Maria do Carino, D. Rilta Alexaodrna.
segundo lente Jos Leoncio da Silva Rosa, Paulo
Cavalcanle Pessoa de Lacerda, 3 cadetes, !3pracas
e 50 escravos a entregar. -
Sabidos para Fernando de Noronha no vapor
CoruripA: Augusto Pereira da Silva, 3 senten-
cia Jos o .8 pracas.
CHR0MC1 JLDlI ARIA.
1 ItUM \ %l. DO COMHERC'IO
VCTA DA SESS.iO ADiHNISTRATIVA DE 7 DE
JANEIRO DE 1870.
BESIDEXCIA DO EXM. SH. DESEJlBAG^Oft. 4NSRUI.
rnAfasco PEnCTTi.
As 10 horas da raanhaa, reunidos os Srs. dopu
tados Rosa,. Basto, Miranda Leal o bario do
iruangy, S. Exc. o Sr..presidente declarou aberta
a sessao.
Foi lida o approvada a acta da sessao de 20.
EXrKDIENTK.
Offlcio do presidente e secretario da junta du>
cairetores de 22 do andante, enviando o ultimo
boletim eommerrhl.*rrnire-se.
uflliio do l. secretario da coPipanhia dos tri-J
Ibos urbanos do lente i Ounda, declarando, em
satisfacao reipiisic|o que se Ino flzera. ser o ca-
pital d dita coinpantua'de 30O:000Q00.do qual
se M'ha rewlhid) 55 por % em 6 pre-ta5es que
estanda anda em construccioa ra frrea, nw se
ha recolhido ren^iinenti) algum. pelo.qu/: noobnm
dividendo se lem dado, o que.lualmnDtft'as acgSfij
della lem sido vendidas ao par,A'.'secretaria'pk
ra a-* flus ironveiiient
OlBclo la dirocolo da.cerap3nhi. de Benerib,
duendo que com a nota, quo junta, tora, sasfeitii
franeee&s satisazendo, con os cdarociraentos
Iue miniftram, o quinto se Ihos exigi por offlcio
b 20 di frrenle.A" secretaria".
Oficio da companhia da estrada da ferro do Re
cite a S. Erancifco, igualmerle ministrando os es-
clarecimentos exigidos. por offlcio tambem de 20
do crreme.A' secretaria.
Offlcio do ofllcial da secretaria Dinamcrico Au-
gusto do liego Rangel no exereieio de oflictal-
raaior, eommunicando seu estado informo desde o
dia 21 do crrenle, o que sobremanuira o havia
contrariado nao s por saber achar-se muito redu-
sido o pessoal da secretaria motivando isso o atra-
so do servico quo ^e tem dado, como por quo a
redurcao que soffiia nos seus minguad is venci-
mentos llie era muito sensivi I nesla poca de io-
suportavol cares:ia dos gneros indispensaveis
vida. Inteirado.
JuRil Oficial de n. 6 12 Ji corrente anuo.
Ao archivo.
Aos Srs. doput.id,os fora.m distribuidos 03 segum-
tos livrns :Dbrio o Copiador de Albeiro, Olivei-
ra A C, Copiador de Shan Hirvkes A C, Diario
de Henrv Leidgn A C, Copiador de Joao da.Silv
Paria Armao, Diario de Henry Forster A C, di-
to de Manoel Vctor de Jess da Matla. Copiador
,e Diario do Jos Lopes Davim, Diario e Copiador
de Robt Lighiboum A (1
Protestos de letras. 0 oscrivao Albuquerque
encerro-i a su.\ semana com o protesto que lavra-
ra sol n. 1.D88 em data de 18 d corrente, o o
eserivo Alvos ile Brilo, com o de n. 1,954 na de
24.
DESPACHOS
Requerimcnto
Leal, Jua mitn .Moreira Reis o Bento Augusto da
Silva, socios da exlincta firma de Rento, Beis A
C., oll'eiecenda registro o respectivo distrato
social.Vista ao Sr. deaembargador fiscal.
De Moreira Reis A C, successores do Betrto
Rois A C, nprosentando os livros diario e copia-
dor qne servan) a extincia firma, afim de serem
transfori los a firma upplicante.Lawa-so termo
de transfi'rencia.
Da bacharel Joaqnim Ayres do Alraeida Freitas.
requerendo por oertidio o tbcor do canlrato so-
cial celebrado cutre Manoel Joaqnim ferreira J-
nior o Jaquii Francisco Ferreira. Sim.
Do Veriato Conteio Lopes, successer no estabe-
lecimenlo cornmereial quo pertencoa a firmado
qne fez parte, do Veriato A Delfim, pedindo |ier-
missao para fazer sua escripia nos.'ivros quo per-
lenceni a dita tirina.Como reqoe
De Fortunato Reniaroim Lins do Vasconccllos,
apresenlando a ecrtidaode seu biplismo, exigida
por despacho de 11 de novembre do anno prxi-
mo passado", alim de so I be conceder o titulo que
requer, de agento do Iciloos dafraca de, Macei.
Prestado o juramenta, passe-so titulo.
Matadouro publico, os Srs. Dr." Mosco3o e Sonsa
Magalhaes,
GanUerio la ciJade, Dr. Moseoso o Dr. Pitanga.
Arboris.v;o, os Srs. Pessoa da SiUra Maga-
lhaes.
CamHerlo do fra, os Srs. Gameiro o Igna;io
Pessoa.
Despirharam-se as petiedes do Alexandre Segis-
mnado do Carmo, Antonio da Costa Reg, Beroar-
dino Pereira Ramos, Horatines James Camn, Jo*a
Ignacio Ferreira Rabello, D. Joanna do Rosar
Guimaracs, Machado, Joao Velloso Soares, Luoio
Candido Pereira de Carvalho, Manoel Aires Guer-
ra, Manoel Luiz do Barros, Sabino Ferreira de MeJ-
lo, Thomaz de Carvalho Soares Brandao Sobrinho,
e levantou-se a sessao.
Eu, Franciico Canuto da Doaviagem, secretario,
a escrevi.
Manoel de Barros Rmelo, pr-presidente.Dr_
Joao aria Sece.Fclix Francisco de Sema Ma-
Jas Maria. Freirt Gmeiro.r. Pedro de Al ha y
de Lobo Moseoso.
PUBLICACOES A PEDIDO.
Estrada de ferro do Recite a *.
Francisco.
O Sr. Antonio Evaristo da Rocha, contestando a
nolieia quo den o Diario de Pernui.ibuc do ar.ci-
dente haviJo na quarta seccao d'esla estrada de
le Amonio Gomes do Miranda ferr0> e ,0 qaa| relu|wlx a 1U0rt0 dc um seu es.
cravo, diz o segrate :
t Achava-se sentado a dormir, croio quo cm-
briagido, o dito escravo, tendo o corpo lora dos
trilhus e as pernas sobro elle em um lugar da
via frrea, defronto d'cste engenho, o onde, lindan-
do-se orna grando curva, que faz a ostrada nos
limites do engenho Riacho das Pedras com este, en-
tra em urna recta qne, sendo medida, achou-se 676
passoa de extehsao at o poni do'succosso;
quindo, vindo o trem de carga da estacao de Ga-
ndiera para a de Una por volla das 10 horas do
dia, foi u preto lobrigado nessa distancia peloma-
clunisla e o conductor, como dcalarou esto porantc
diversas pessoa.
fmmediatamente apita'ram ; mas, nao se mo-
vendo o preto, porque dorma a somno pesado,
nao sedignon omachinista de malar com tempo a
carreira do vapor, como lhe cumpria ; o deixan-
do-o pelo contrario correr com a nusma torca,
s o parau depois de feita a victima. As rod'as
consoqnentcmento esmagaram ambas as pomas
do luleiiz ojeravo, o qnal apenas dnrou poslorior-
mente duas horas, pouco mais ira raen
P.ir estas palavras, c peln mais que refero o Sr.
De MelioAGirio, aprcentasdo para ser regs- R#eha, v se quo S. S. julga qne o S3U escravo
foi esmagalo por culpa do machinla quo diriga
o trem.
Cambio sobre Londres 90 drr. 10 I[8 o 20 l|i
por 1*000 (hontem).
Goncallo Josn Anonso,
. Presidente.
Mesquila Junior,
Sec/etario,
Sociedade bancma
em com in and it*
Theodoro Simo fy C,
Compra e vender por ooota pro-
pria raetaes, moedas nacionaes, e estran-
geiras, letras de cambio, scdulas do go-
erno e do banco do Bsasil.
Descontara letras da trra e outros ti
lulos commerciaes.
Encarregam-se por conta albeia das ms-
alas transaeces, da cobranfa de letras da
terFfr-e-de-outros ttulos commerciaes.
Recebem quaerquer qnanas em depo-
sito, em conta corrente, e a prazo xo.
Largo do Pelourinho n. 7
ENGLISHBANK
Of Rio de Janeiro Limited
Doscoata leltras da praca taxa a con-
encionar.
Recebe dinboiro em conta corrente e a
praso xo.
Saca vista ou a praso sobro as cidades
prlncipaes da Europa, tem correspondentes
ia Baha, Buenos-Ayres, Montevideo, New
i New-Orleans, e emitte cartas de crdito,
Dar os mesmos lugares.
HUA DO COMMERCIO N. 36-

O 2. dito./- L Ca,
Approvo. AKandega d* ftiaambuco, 19 dv
janejro Je 1870.Pac ie And:
l'.''iifoi-ino. JouffitM- TerlMtiaM 4 Mol
HECEBEOUBIA DE 11 E.N DAS AAb E-
RARSHr'MinNA
-\\
teadimento do dia 3 a 38.
dmele dia VL
C(J>StILADft PBO
(endiraento do dia d a &.
Mem do dia 9. .
13"
Vi7ii
M:TX\iMm
1 ITilY
3:06841177
i'-.my,1,!
ALFANDEGa
tendimento do d ia 3 a 28.
'dem do dia 29 .
1,165:016*96*
20:379*249
1,185:396*211
MOVIMENTO DA ALFANDEGA
irado o seu contrato' social.Sellada a_ duplcala
do contrato, com sello xo, vulto a policio.
De Manoel b'raneisc- do Carvalho o S ntos e
Ment llndngues do Souza, apresentando para o
mesmo fin o de sua sociedado com-nercial. Sel-
lada a duplcala do eontraU, com/ello fixo vollt a
peticao.
D Itamalho A Guimaracs, tambem submelten-
d a registro o seu contrato sucia!.Vista do Sr.
dcsemhaigador fis.ral.
De Joaquim Gon^alrM Coellio, apresentando
para ser registrada a immcacao de son caixeiro
Francisco Autopie do Couto.Gomo requer.
De Amaral, Hreira A G., para se Ibes certificar
se Francisco do "tula Lima e^l inserip-o como
caixeiro de sni anna?em do gneros ao caos da
AKandega, o desde nuulo.-r-Gortifique-.i.
De Febx de Gmtahce da Silva Lobo, submelten-
Jo registro a sua unmoacao, que junta, do cai-
xeiro dospachauto dc J. JefforiosAC.Hegislre-so.
Do Jos Lopes Albeiro, Antonio Lopes do Azo-
vedu c Hanoi I de Oliveira Jnior, tambem sijhi
metiendo registre o sao contrata s -.al.Vista
ao Sr. descnibargador riscal.
De Manoel da Gusta Campos, J.ie. luiui Jesoa
Silva Axeredo, submetteodo igualmcuie registro
o ten contrato social.Vista a Sr. descnibarga-
dor Bucal.
De Manoel da Costa Campos o Lino Varitas Ze-
ferino, tambem subaieltendu ;i ragisiro o seu coa-
trato social.Vi^ta ao Sr. desembargador fiscal.
D Joiii, Fernand s Lupos, Manoel Jos da Silva
liau, Hu-arJo Barbosa Uooteiro e Joao Franeisoo
Maia, pedindo u registro do papel qne unta.10, de
seu distrato social.Vista ao Sr. deseiubargador.
fiscal.
Do Antonio Aires da Silva, Joao Corroa l i/ir-
ralbo e Jos Antonio Franco 1 .- ibrvalb", p'ff-
do tambem para ser regtradn o papel, quc'jua--
ta, rom > quol altoraram o contrado do sua so-
ciedade registrada em S de m.m'o do anno prn-
xiino passado.Dorem declarar a quantia qln
recol i",i o s icio Franco, qio so relirou d-i socio-
Este facto nao do ve ser jolgado pelo Sr.
Rocha, que, nao se adiando no lugar e nao sendo
profesional, nao pude saber se o machimsta poda
ou nao parar o trem.
Tendo infrmalo ao Exm. Sr. presidente da pro-
vincia de todo o occorriito, pedi lhe que manJasso
o Sr. Dr. chcfo do polica examinar as circums-
tancas do aceidgnle. sendo para isso acompanba-
do de peritos. Se d'essas ilgeocias reconhecer-
so cul| da parto do machiui-ta, cu serei o pri-
nieiro a pedir a sua punicao.
Ninguora acredita, quo haja um s macliinsta
di estrada de forro que pudendo evitar um acci
ilenl". nao o eviie, subroludoquando de sua negli-
gencia oj perrursdad ple resultar ser elle a
prn eir rietfem
Ouanlo necusacao que faz o Sr. Rocha aos ma-
chiu'istas d'e-ta estrada de ferro, que eq.uparam a
existenJla do um ser humano a de nm ciio, ella
iBfiiatL'ula. Quandoo meu lesteimuih) om contra-
rio nao tenlu valor para o Sr. (irha. So seu ju-
7.0 opporai o ;l i Eacm. Sr. Dr. Araraj, a di e
delegados. (i'e-t:i capital o dos cngsiilifiros que
asss::ram as exp-ricncias l'olas poi acci denle-
emelhautei : e todos reconheceram que os machi-
listas acetuados ni-nhuma culpa tiveram por tacs
desastres.
O Sr. Rocha na tarrativa do r,ccid>^nle esquecc
que o seu aaata o eslava envolvido em irna badil
ver Je, circumst.incia que, em distancia, faziasiip-
pr ijuo nao ora urna creativa humana quo ?e
acjiava sobro oj Iritiios.
AdmiUiJas as circumstaucias r. f ri las pelo Sr.
Rucha, as quaes sero verificadas as experien-
cias que'se vo fazur, ainda asiiD, na tniulia opi
itiao, o tram nao.pV>ia parar antes de alcanear a
victima.
Em nenhuma estrada de forro para um trem ou
mesma diminne so a sua marcha, ao avislar-se
enl'pior pessoa sobre a linba ; se assim aconte-
! cesse, s era 24 horas fariamos o trajelo de Cin-
, | co untas Un3. O que. para taes casos, os re
dade, p>isde!ia teuiii pagar usellq Pi'Jpomoua., < ^^ pxj em todas ellas, que so d
B nao liso orno consta do documento que os sup-
plicanles r.presontam.
lie Juao llar! i-a ile- Lima, li.iuidatari.i da ex-
tincta firma de' Silva RarbosaA (.., diijual Ozera
partalo ;)1 do dv. mitro de I69, pedindo que
um. dous e tees nv-ns antes de se diminuir a
mataba ; s Jopois do assim proceler-se que so
prpenra parar.
E' s a regra, que pJe variar
i distancia em iiue se achar oob-lacu!o(|UQ esliver
se lhe tramara o Brro diario que pertenec a o i subrp a |jn,u Nl i,^,,,,!,.,^. q(M hjg^ra o Sr. R
cha, o objoclo eslava a wfi passo*. iiuando foi
conforroo a
llrma.-
Como requer.
com iNronMAfun nsr.Ai..
De Pereira A Regula--, registr do seu contra-
to racial.Registre se*.
Do Haccr-Jitw Pedro do Scoaa Draga e Jos Braz
da Silva contrato social.Satisfajam o parecer
fiscal.
De Mii-', Rodrigues da Silva, Manoel Rodri-
gues da Silva Kho e Joao Darbosa do Lima, dis-
trato social.IWgis.tc-o.
De Luz Gonealve* da Silva, Francisco Vieira
Perdigij o l'Viisberl) Ferreira de Oveira, con-
trato social.--Regi tre-so.
De Joao Luir Ferreira Ribeiro, Joao Luiz da Costa
Riboiro e Manoel Ludovicu^le Araujo Leao, con-
trato.llegjstre-sc.
De Jn- Ferreira Bailar Junior, matricula de
coinmerciante.Como requer.
De Francisco Ferreira Daltar Jnior, matricula
tambem de commeretaote.Gimo requer.
Dc Domingos Teixeira Bastos, contrato socat.
Salisfagam o parecer sral.
De Antonio Viri Fana Machado, contrato social.Registre-so.
De Antonio Ferreira Praga e Bnurdino da Sil-
va Costa, distrato.Juntem as leltras de que tra-
ta o dislrato, visto quo este s lem sello de do-
cumento.-(0 Sr. Miranda Leal votou pelo deferi-
niontu.)
De Jos Rom, Silva A C. contrato.Regstrese
De Antonio Gomes de Miranda Leal, Joaquin
Moreira Reis o Bento Augusto da Silva, dislrato
social.Registre-sj.
Adiado da sessao prxima passada.
Do George Jacob Brunuchuveiier, carta dc ma-
tricula de coin'iierciante.Como requer.
Fmdo o expediente, S. Exc o Sr. presidente en-
cerroii a sessao 1 hora e '/i depois do meio dia.
da
rque assim cnib a
lbemni3.nj|3rsetis
' bareri-gnerra. .
peranca o reinado da par anirer-
igenera deste tribunal .em,offlcb.de 2D.^o cjr.
rente.A' secretaria.
D.OIBflP dos agentp .da..companhi*..de s^uros.
Ifideli Rio de Janeiro, dijeodo..imasajisf;
CWdoqunn:) so Ihj-s requ/sibiun ln 20
u^a^JiU r,
^ dc laneiry, a pespec!
'rar os esclarecjrpenli's pedida?.,A' oci
na para os convenientes fins.
Olllcio do agento da companhia Brasiieu" Je
a vapor, no niemw j,ealido do a
madn.A' *seerptaria.
Ofllcio dos agentes da companhia de paquetes
CMARA MUNICIPAL
5.- SESSAO ORDINARIA AOS 2 DE JANEIR0
DE 1870.
rRKlDRNClA DO SA. DU. SOC2A LEAO.
Presentes es Srs. Dr. Barros Brrelo, Dr. Hos-
coso, Dr. PiUngae Souza Magalhaes faltando com
cansa os mais senhores, abrio-so a sessao, e foi
lida e approvada- a acta da antecedente.
Leu-so o seguinte
EXPEDIENTE :
Um offlcio do nngenheiro cordeador, informando o
requenmeiito deThom lbdrigues daCunba o ou-
tros berdeiros do Nicolao Rodrigues da Cunha,|eiu
a dizee quo, pelo titulo que aprese.ntajn os suppli-
eautes, v-.so (jiio em lo de dezembro de 1847, so
deu por-*foramenUi a Ni olo Rodrigues da Cunh.a
o torrono de marinea a. 25 sito a entrada d.i
rua da Fioreuti ia cora qu;ireiiia o seis palmos de
frente nesta rua, cont e dezeseis la couipruiient"
e quaienta o d >us do largura no fundo. Este ter-
reno pola .planta acia so oo lugar destinado para
a rua de Santa Isabel, Dlo que parocelbe quo es
Mipplieanteso.slaii.fto caso Jo serem ationdidos no
que requerein. A' coinrajssao comp.osla dos Srs.
Dr. Pitanga e Dr. Moseoso.
Outro do mesmo, informando o requer mrito
do Bento Joaquim Gomes, declara quo cerlo o
que allega o suppjieaute ; no orcainento.do repa-
ro* da ponte d) Lea foram on-id-radas somonte
tro- lineas, que deviam sor snbstitmdas por no-
vas, porqqaato, mi examo queipro-aidea, nar& u-
lliu quo se poiifia aproveilar a qurla, qne.'xie-
rioi monte, wta.va om bom estado mas no.desinan.-
cbar a ponte, vrificou-se qoa as puntas, estavafl*
podres. 0 arremaUotu para nao p.araJiif,a obr,
vislo. 1,'m nico -aviso qu dase <> macliinsta an-
tes de tentar parar, imiuuiria consideraveliuonle.
a inela duslancia, quo ja u".> era domaU para fa-
zer parar urna machina .de grande forja o que
marcha urna velicidado inedia de cinco ou seis
legnas or hri.
E' obvio, pnrtanto, que mesmo com os dados que
fornece o Sr Rocha, o maLhinista nao pedera
evitar o areideuie.
Entrclanti), ludo islo a policia verilieai jv e cu
-erei o primeiro a dar raza* ao Sr. Rocha su rae
tiver engaad.
Notara un incidentexom que concluirei. 0Sr.
Rocha dirigio-so ao superintentcnte da companhia
pedindo-lhe para quo o nJemnsasse do escravo,
e dizendolhe que o procurava smento para esto
fim, o nao para proceder criminalmente contra n
iiuchinista. 0 snperintendonte observou lhe quo
nada podia fazer sem ourir-me.
Pela minha parto declarei, que me oppunha
ea indeinnisac, que alm de vir a recahir so-
bro o thesouro oacionai, era unaonfissaotacita
de que pelo menos linba luvido negligencia da
parte do rnacbinisia.
S depois d'e quo o proprio delegado do termo onde se den o
accidente, veio reclamar contra a noticia do Dia-
rio, que no. fot dada por mim.
Rccife, id d.janeiro de 1870.'
Buarqne de Macado.
Ilha de Fernando.
O senlmella do governo sent profundamente,
nao poder seguir para a capital Jieste vapor, para
cumprir sna promessa, de provar os factos que-cm
seu artigo eomprometteuse a provar.
Se bem qun o Sr. Uehoa, nao so prevalecen do
din-ito de no juizo comp.-101110, chamar o artiguis-
ta a responsabiMdade : corre-me porm o dever
sagrado de satisfacer aquillo a que me propuz:
ainda mais quando consta, qne esse cavalteiro de
arcordo com o almoxarifo do presidio, deram ao
Exm. Sr. presidente da provincia, urna denuncia
contra o sentioella do governo. Oxala. assim sf ja,
porque entao sabero esses senhores pira quanto
O eentinelia do governo no presidio de Fernando.
presto.
/olurnes entrados com fazendas
dem dem com gneros
/olnmes sabidos com fazendas
dem dem com gneros
43
194
------2i7
SO
180
------MO
Descarregam hoje HI de janein.
Rrgae ingtezSolt/caemercaderas.
Polaca hespanholaMarestanjchai qn \
Marca ingleza Coy.norant solipas.
TABELLA dos tbecos dos OBUtBOS scjeitos a i i
nr>T0 DE lAI'oirlAi; o. SEMA."'A DE lil Dli JA-
N :i!l ) \ S DS FEVKKE.'KO DE 1870.
Mercaduras: Unidades.
utna
litro
i
9
kilfg.
Valores.
:!00
238
!>:i0
Hoou
2*000
68
177
320
208
I3D
15000
o 3000
O.TJ
67.a
SU
102
33i50
Doenpas Cutneas dos
Trpicos.
Nos-paizes qoeni^s a pei;so ada estimuUda
urna accao xeessiva, o d'ahi resulta urna infini-
dade de molestias cutneas. Prm.ido, ou lima
roostanle comichao exle na, ^eln grande inuam-
inagao apparente, orupc,>s escaiMxas, espinha-
pustulosas, bocbulhas d'agna, brtoejas.ro.-eola.ou
sarampo f.ds, enipcdes salsuginosa-, herpes, em
uigons ozajgro e ebuilicoas eiu pigenusas de quasi
laidas as especies o cores, desde o rusado desmaia-
do, at ao uiais curo carlne^illlJ pxlem ser men-
cionadas nesie numero. T..das esta enfermida-
des, assim como todas as orupcoes exteriores cau-
sadas pelo clw, sao prorap.U e seguramente re~
moMOas mediante o uso doSaJsaparrilba de Bris-
M,..o mais.abjtifero o precioso de todos os deter
geac! ve/j^Ufl.; o venije >ver conservar-se li-
r yra desembaracado usando se das pilulas assu-
s'e-u esperar pa oiiira iitha nova : parece-Ihu de eqaia^i* qus
Plgodeisa accresjjaio de obrxMaoilau-s**
iiagar, yutaotip contra os Srs proMdent e Soza
Maflalbaas.
'iram uomeads novas commmissSesqae Ijc*-
ompoaias da seguinte maneira :
Polica, os Srs. Dr. Barros Rarrete o Dr. Ms-
eos,-
Peticoi, os Srs. Carneiro e Dr. Sove.
Ediicacoe's, os ir. Dr. Barros Barrcto o Dr
iga.
Saude, os Srs. Dp. Pitanga o Dr. Seve.
pjtrrilha.
_-------_
COMMERCIO.
^MASA DO R8C1K8 29 DE JANEIRO
DE 1870.
AS 3 1/t ROBAS DA TABDR
Algodap i1 sorlo 997 rs. par kil. (hontm
hoja).
dem dem993 rs por kil. (hoje).
Abanos.........duzia
Algodao cm carocp.....Uilog.
dem em rama ou Cra la.
ivirneiros vivos.......um
Porcos dem.......
Arroz com <-.>m:x. ...'.. klog.
[dem descascado ou pilado
Assucar branco......
dem mascavado......
dem refinado.......
(Jalliiilias........
''aparaios.....: .
Azeit de aniomloim ou "1011-
dibim.........
dem de coco. ....'.
dem de mamona......
Batatas alimenticias.....
Baumlna.......
Bebidas espirituosas e f?nnentadas:
Vfnardento caoluija. ....
en de eanna......
Me;:i genebfS......
dem restilada......
dem alconl........
dem cerveja .... .
blenivinagra -......
dem vinho de caj......
Ilolacha fina, comprehendidos o*
biseoit 3.........
'dem ordinaria, propria para
embarque......". .
Caf bom.......
dem escolha ou rn*tolho .
Idera torrado o;i moide. .
Cal branca........
dem preta........
Carne secca ( xarqne ). .
Carvao vegetal.......
Cora amarella.......
dem de carnauba em bruto. .
dem dem em velas, ....
Cha..........
Cocos seceos.......
Colla..........
Couros de boi, seceos salgados,
dem idem espichados....
dem dem verdes.....
dem de cabras cortidos .
dem de onca.......
Doces em calda......
dem en gsMi ou mama. .
dem seceos.......
Espanadores de pennas grades .
dem pequeos......
lem do palha.......
Esleirs de carnauba ....
dem propria para forroou estiva
de navio........
Estopa nacional......
Parraba dc araruta.....
Ido ni de mandioca.....
Fcijao de qualquer qualidade. .
Fumo charutos......
dem cigarros......
dem cm folha bom
dem em follia, ordinario on res-
lolho.........
dem em rolo e en latas bom .
dem, ordinarioou restolho. .
Kap .........
lomma de mandioca, (potvilho).
Ipecacuanha ( raz ).....
nngico (toros)......
Caibros........
Enxams .......
Prechaes........
Jacaranda (coueoeiras) .
Lenha em adas......
dem om toros......
Lianas e esteio3......
l*mr s (pranchdes).....
Pao Brasil........
dem do jangada......
Ouiris ,........
Viuhatico costdinbo de 25' a 30
millimelros de grossura. .
dem pranchdes de dons costa-
dos al SO millinetros de gros-
. sura.........
dem taboado de menos de 2o
inillimetros de grossura .
rabuado divorso......
falajuba........kilog.
Travs.........urna
Varas para pescar. ., dutia
dem para aguiihadas ...
dem para canoas.....
tfavernas de sucupira(orn obra)
liaos dcicupira para carro. .
M-laco.........
Mei de abeiha.......
Milho. :......
Os Paiha de carnauba ...... molhos
Pf-hnry......... kjlog.
Pedras de amolar
dem de filtrar......
dem de rebollo
Pennas-ie ama. ...*..
Piassava..........momos
Pontas ou chifres de noviiho ou
vacca. ^......cento,
Sabao.........kiloe.
Sal. .........
Salsapamlha....... <
Sapalos de couro branco, par
Sebo 011 graja cm rama kilog.
dem em velas. .".... >
Sola e vaqueta.......
Tapioca. .......
nlias de boi.......cento
Vassouras- de carnauba duzia
dem de piassava......
dem de tunb...... 1 *
AJfandega de Pernambuco, 9 de janoiro de
1870.
0 i. conferente, ;. A Wanderley.
PRACA DO RECIFE
CM 29 DK JANEI1W DE 1870, S 3 HORAS D.V TABD
:% ht\ %t:nwil.
Cambio.Sobre Lofedres elTecliiaram-sc de 0 .1
20 1/1 d. por 13. Sendo o Ln Plata- o portante
das iransacoes c-ffectuadas durante a semana dr
150,000.
Algodao. O dc Pemanibuco, escolhido o regu-
lar vendeu-so do li600 a 14*80 por arttba n
15 kilogrammas.
Assi'cab.Vtndeu-so o masca vado purgado d>-
300 a :)6o0. o bruto da 3.3100 a 3AI50,.c u.
Canal a 23900 por arroba.
AcrARD.MF.Vendeu-se de 9i| a 963 pe*
pipa.
Abroz.O pilado Ala India vondeu-sa uo 33 1
33100 por arroba.
AzEiTG-Docfi.Voudeu-so o de Lisbeft' a i3 o
galao.
Bacai.iio.Em atacado vendeo-se a.!93U00
a retal lio da 18 ;i00 a i!3 por barrica, l'icaiidn
er d pos i 10 cerca de 16,000 barricas.
Barra de porco.dem a 640 rs. por libra.
Batatas.Vendeu-sc a 23 por arroba.
BoLACiiiNHAS.Venderara-se a 43300 a Lairi-
quinba.
Caf.dem dc 5*200 a 63300 a arroba*
Cha.dem do 23200 a 23900 a libra.
.Cerveja.dem de 63OOO a 73500 a duzia do
garrafas ou botijas.
Fkijao.dem a 16* o sacro pesando deph
arrobas.
Krrosenk. Vendeu-so a 83200 a lata dc emeo
gales.
Lovca A ingleza vendeu-sc a 436 por cen-
de premio sobro a factura.
Ma.nteua.A ingleza veudeu-e dc l.iOOO a
IjirOO por libra e a fwnccza a 840 rs.
Massas.Vemicram-se a 7*500 a caxn.
Olio na urraca. Idam a 23400 ppr galao.
Passas- dem a I0*3GD a cixa.
Pbesu.vtos.dem a 185 por arroba. .
Quawos.Os flamengos vonderam-se 2.i80tK
cada um
Sabao.O inclez ven.leu-se a 170 rs, por Ubra
c o do Mediterrneo a 30O-rs.
Toiimxiio.Vendeu-so o dc Lisboa novo, u
113600 per amaba.
ViHAOBjt.0 de Portugal vendeu-so a DOS a
pipa.
Viniios___Os de Portugal veoderam-se a 2:j0/- "
e o de oolros paizes a 2003 a pipa.
Velas.O pavule de 6 velas de composieiVo
vendeu-so a 650 rs.
Descont.O robalo de letras osrikni de I lo.
12 u/o ao anno.
Pbites.De algod, carrogando desto para '
porto de Livr rpool, a vapor, a 3/8 d. e o ,.'o ;i
vela, 3/8 d. sem capa ; da Parahyba o Maceta, a
:, i
/
a v. la. Do assucar, d'aqui para n
Iitr. 19b
t 390
::n
> :i00
337
9 600
300
660
kilog. 476
> 20!
176
442
< !'59
39
27
258
168
442
> 436
763
a 43360
cento 43000
kilog- 1 ?438
566
640
340
um 350
> 104000
kilog. 15133
> 784
* 9*180
duzia. 48*000
* 243000
1 125000
eetilo 16*000
I23OOO
kilo. 136
> 681
92
272
centro :iooo
320
kilog, 13090
613
> 681
545
> 23180
170
> 13703
duzia 60*000
um 360
13300
1 33000
duzia 95*000
cento :i000
1 liSOOO
um 6 000
1 103000
kilog. 102
um 55000
duzia 63000
um 16 3000
mesmo junto a E7/Q e 3 %; para o Canal a 2S/II-
e 3 % ; car: orando em Macei, i.lem iJem ; e na
Paratrvba a 85/o 3%
MOVIMENTO DO PORTO.
Safios entraa no dia 29.
Babia- 7 das ;tuc agut I>uo, de 3&Q
loiiehnJas, i ajutao R. Suailn, equipgM
l, emUstru; i Joiinslon Pitar A C.
Navios sahidos no mesmo din.
Rio da Prata-Escuna iiorit-ullt'maa Berthx,
capito AckemMuo ; c;irga assuetir.
LiverpoolEscuna norte-ulletiiin Lmtizr,
capno R. B. Lammcrs; carga algodao.
Philadelphial'otactio iuglez Ida, capilar
llardiog, carga assucar.
ParPatacho ingoz America, capito Jo-
nes, cm lastro.
HavreBarca franceza Sphere, enpiio Bou
gaulb, carga cotiros o algodao.
Liverpool- -Bregue inglez Queco ofihe Heil,
capitjo Balmanro, carga assucarc algo-
dao.
LisboaPatacho p irluguez Mariauaa ]/,
capital Antonio l". da Silva, Caiga assucar.
Rio da PrataPatacho liespanhol l'/ihilhi,
capito Goardiola, carga assucar.
Ilha do Fernando Vapvr brasiloi o Garur
rie, commar.dante J. II. da Silva, carg*
dilTerentes gneros.
Obscrvapo.
Suspeudeu dolamariofan West Indi9y,
o brigue inglez TermiUtris, capilo VV.
Johnson, com o mesmo lastro que trouxu
ila Babia.
Navios entrados no dia 30k
Para e porto.* intermedios8 das vapor
bmsileiro Guar, de 999 toneladas, cotn-
mandanie Io leoso R. Greenhalgh.
equip gein 57, carga dilferenles gunu-
ros: Antonio L. de 0. Azevedo
.New-Yotk38 dias barca americana Ma-
zar, lo U37 toneladas, capito Kars-
tens, cqnipagem-l I, carga 4000 barWeaa
com farinha de trigo e oulros gneros ;
Henry Foster fe ;.
Rio de Janeiro3o dias, brigue sueco TU
garson, de tid toneladas, capito O. A.
Lindotron, equipagein 9, carga cafo; ao
mesmo capiUo, win refrescai.
Observafo.
At moio dia nao bou ve sabidas.
DECLARACOES.
duzia
urna
1
20*000
144*000
963000
33
63000
2*400
6*000
13000
33500
165000
50
320
68
16
ioeo
817
31
18
34^
43796.
160
2*800
348
10
2*043
800
340
476
1*200
204
380
768
1*20"
960
Pola recobedoria do rendas interna* gerae-
se faz publico quo nele mee o uo de evereir
prximo fnturorfiuo tem lugar n pagamenln, sen
imilla, bocea d* cofre da laxa de escravos dr>
exereieio corrente do 1868 a i70, cojos donos on
administrador?. morem nas freguzias desta cida-
de e Das do fra, a sabor-: Affogados, S. Amar >
fanoalao. Poco da Panelb, Varzea S. LoHreac'
da Malta o Munbeea; o que Onde o referido prns>
era cobrada com a malta de 6 /=
Reeebcdoria de Penuunbco, 7 de Janeiro do
1870.
O administradori
_______ Manoel Carneiro de Sanea />fcon:
Pela secretaria da cmara iniiaicipal desta
cidade se faz publico, de ordem da me-ma cma-
ra, c para o tiin de serem: observados, os artigas
de postura abaixo transcriptos.
Secretara da cmara municipal do Reci^ 2
do janoiro {de 1870.
Francisco Canuto daoa-viageo.
Secretario.
POSTURA DE 30 DE Jl'.N'HO DE |Si9.
Titulo 6
Art. 7. Picana prohibidos o toijues o dobre-s. dos
sinos desde as 7 hiras da avilo > da.ma-.
nhaa, excepto nas uiairizs p >r:i adiujiiiitraijit) do-.
Sacramentos, autw da mis-a du NaiaLeaier ca
de incendtiDU rebato : ns .saeliristiuis eu ch
que rafrugicem esta ar-
lo corpprac&s rejigi
tigo pagarao 1*"
Art. 8. Neni
quea de cad
dade ee
huras da
nm dorar oa;
dar mais de..:res ropi..
~ da (juaiijuer sukiia-
ao meio dia, a < tre
-inaria* na^dev.
minulos : os anchristSos
e'rbefc da co^raio.* rel'ii..'s.as r,
e>to artif), taQU* neiqe da respailo-. ao m-aaer
dos repiques,como. tempo que deven di
serio multados em-10*..
Art. 9. Nenhuma reja dar mu
brea de cada vez por cada fiel 1
dobres serio dados aofe'
e na occasid do enterro, os' qnaes dur
mente dez minlos: os sacbnslao
corporacoes religiosns quo infringir
i,oes deste artigo i erad multados em 10*.

t;
k
I
'I

\
Mam


Diario de Pernambuc Segunda feira 31 de Jautro de
1870:
.
1$



ornara
es '
Arl. I
re nutre
itresewto e

1 A.^ 1&B09I
erao reduaflo*
N I HIBtU
nqw'VresripV), poTrend" mesn.
i te ss na visinhinca |,i grej *
MHtofejB ti^m g*i
hfaftt* oarpoft<^s igiossl
rWtestad* Wf*|ii i autoridade policial do lugar i
os Hfi*BTffif*y raukado* em ^
Tilulo 9*
. t. 6s aJmooreves nao podento entraron
'*SBMtwaa> MMe Motados nos oavailos quoliverom
f'*rgt, c deverao conduzi los pelos cabrestos : os
Sofraetore* sera multados em J#.
POSTCBAS ADICtO.VAES BE IS'DE
JHUWBE'IMB.
Arl. 9. E' prohibido a todo e qualquor eochelro
^conductor de carroca, piaadasua, tc,makra-
^aar os anitoacJ cota isjo "biiros e amode-
V9J**aos. ,
Titulo 10.
Art. 2. A.aeaaaw iMrtidoo Itere ou eserava
i> perniittido andar as roas da cdadc e povoa-
<*. do municijao gao catea e eansa por dentro
da calca ; a? ostrava< s podero saftlr a rna es-*
ando honestamente vestida o* frasteros paga-
litt a multa de iatado a dos eseraros pagas
-falos seus seoboros.
Art. 3 Toda a Seoa que Tte da for adiada
.^loa em beira de jinda, ou tomando banho eom o
orpo descob'erto fe a devida decencia, ser
multada pin 2, sendo pata a des esvevos pdos
oes scuhores. sr^rw
teHte-r"- utas treaavios, 8 irro-1
u Itrga, 10din-'a
legadas, 10 du-
: dunas du limatCes de 3
a 5(8, 10 peMes de marrjqnim encarnado. 8 arrt-
ts de merlim, 8 arroba* do imalhar, 10 libras ve
owelat franoeas, SO oculos e alcance, 0,0Q0
pregos de ferro de batel pequeo. 10 arrobas de
ferro de 4' uolegada^ S Tobas de pro
Jije de 4 potugadas, atO-librajrde pisga-
ofcrt,t3 resmas deasjjpf afcnaco liso,
*e*s"Meiiiapel alm^*palna "* powas de
amolar di 3.ps da dimetro e 6 a f-pSlegadaside
grotsara, 80 duzias de ripas de flmbsrlU. 2 terri-
nas de ferro estauhado, 1,009 .lijlos de fogo, .16
dozias de taboas de assoalho de pu carga, e 10
duzias de uboas de pao carga d 3 peinadas.
Tameem o conseibom- meneioataidia 8 de fe-
vereiro, de igual forma, contrata o wrneclmeaio
de sapatces nos navios da armada e estbeleci-
mentos de marinha no eorrente trimestre.
Sala daa seseos do conselko do
vaes 29 de Janeiro de 1870.
O seererio,
Alejandre Rodrigues dos Anjos.
De ordem do lllm. Sr. eenselheiro inspector
daaresouraria do. fazenda desta provincia se faz
pblico, que fica transferida para, o da 3 de feve-
reiro prximo vindonro, a arremataijao das obras
ponte do trapiche- do algodao desta capital e
fachada sobre o largo-da issembla.
Secretaria da thesouraria de faaenda de Per-
nambuco 29 de Janeiro de 1B70:
-Servtoda d* ollleiaMnaior,
___________ Manoel Jo*. Pisto.
Para Perl
a barca Ffor de $, Sfmiio unir brewtelte, por-
-,0 .^" |qtH*v^omparle.da carga enjateda : am o rorto
oto ae^j e passa^ns, trata ?o cora os coijsiguaarios Car-
yalho A Noiaetra, na ra do Apollo n. 2.
Para o Rio fltnde ^o ST
pretend sabir com a nuior brevidade peesivel o
btigue porluguez HecUiadt, de Ia claate e mar-
cha, por ja ter parte do carregamento engajado :
para o rolante trata-re com os consignatarios
Paitar, Oliveira & C. ra do Vigario n. 1.
Para o Porto
La' rni bomba!!
Pedwcjao Sf*J;C. P. lo f.K orador em fc-
M^yW, coottotiaK-vtniTiaiar a rlpuiato' de quena coai
ene se nao impon, quarendu botar em cima dbs
oais aqdillo que so elle (em eat olma de i, o
coatrario ver sen nome por extenso neste Diario,
),ra orno patentes toda as suas (mabdades e cos-
tames ; distolhe avisara o
AlftMie e seo amigo.
eampras na-
pretende seguir com a maior brevidade possiveI
a barca portugneza Claudina, de primeira mar-
ha, por j ter grande parte do caTregamem'o en-
gajado : para o resto e passageiros,- aos quaes
fferece ricos e escellentes commodos, trata-se
com os consignatarios Cunha Iraios c C, ra
da Madre de Dos n. 34, ou com o capito a ordo.
Consulado provincial
Por '6/*a reparticao faz-se scionte aos contri-
l*lnilflt?s de Impostos provinciacs, portenceotes ao
nao^lnsatwro correte de 186970, que do da
de fevereiro prximo, comeca a correr o praso
*te'88,tlb)rtrteispata o recebimen^ a'boca do &-
*(1te *dae legnlnias imposrdes: 20 e 4 % "obre
-ilwrse9*seneleeiments coinmerciaes e mdus-
riac; 8^% sobre aMisa|toria, eseriptorias e car-
inos: 3 % sobro 'venda deeapim; consumo
ito agit irdenle (Irsemestre); 400 per casas de
*i ancanas, companhias anonymas e
igenciis ; W0 j-per otas de nambio e depeelio-
- ou obras d> InarcMlaTi.i OTrangeteas; 1W por
asate estrangeiro: 180* per corrector cora-
reiaJ, agento do teileos e casas do compra e
_ Wrila do cscravos; 50* por corrector ou incul
'WoT*d?e.*cwvi.s; "10 por casa de moeJa; 30J
rpor -casa de> bittMr; "304 por ecraro rmpregado
ni servico de alvarengas c canoas; M por b-to ;
I* por lonnlad3 de alv.irenga e canoas abenas;
&5 porcMlrTseravona rid*dsdo Recife ;"18# por
'ntrro- pamcnlarde i rodas; 10 por dito de 2
'odas; 40,fMar-earft> de aluguel; iii p.r omni-
t>ua|p dnrrHhetre^ $ por carroea, e-104 por
calo AlfHeflefW.wconlrlbuiotes i|ue artfiaBslteerem
twoe prasu a quota da aua conlribuico, incorrem
-na mulla de C'insjIaito'yretHifinl.-Ift'du j.nw.lro te'M70.
Servindod; administrador,
i-_^h'i'P'nlo1^i1nra'AwitHilemte9tw.lloi.
aata Casa Ha Misericordia do
Recite.
A lllma. junta administrativa da 'Santa Gasa da
Viscrirordia do Rocifo manda fazer publico que na
sala do siias sessoes, nojdia 3 de fevereiro, pelas
(juatro horas da tarde, tem de ser arrematadas
luim mais vantagens offerecer, pelo tempo de nm
* tres anno?, as rendas dos predios cm seguida de-
clarados :
ESTABEliEOMEXTO DE CARIDADE.
Itua ao (lalabouro
Ra das unco Pontos.
Cata t.n-rea n. 112.....
Aoa do Pudre FlOriauo.
tdein n. 43.......
PATRIMONIO DOS ORPHAOS.
Ra do Vigario.
Pnnwiro andar do sobrado n. 27. .
lina do Hhr.
-a terrea n.lO, p ir auno .
Sitio n. 8 noForno da Gal...........
Os prefinientes doverao apresent.nr
arreaiatacao as suas llancas, ou comparecercm
acompanhados dos respoetivos fiadores.
Secretariada Santa Casa-da Misericordia do Re-
rife, 27 de Janeiro do 1870.
O oscriTOo,
Pedio Rodriaues de- Snuza
242*000
300000
1885000
240*000
1465000
180*000
no acto da
dos crrelos de
SI de Janeiro de
t*f.
Mala, petes vapores Potengi e Ipojtua da pompa-
nhia Pereambacana.
A correspondelicia que tem de ser expedida
boje pelos vapores cima mencionados para os
portos do sul at Penedo, e para os portes do non
at a Granja, ser recibida pela irms eftiate :
Macos de jornaes, impressos de qualqucr natu-
reza o carias, a registrar at duas? hoitas'da tarde,
cartas ordinarias at as tres horas, e estas at as
tres e meia pagando porte duplo.
O administrador!
Aflonso do Reg Barros.
Admiaisiraco .do cerotr)"(fe Pertrambaco,
31 dejn'ro Mala pelo vapor Guar da Compaahia Brasileira.
A correspondencia que tem de ser expedida hoje
peto vapor cima mencionado para os portos do
sol, ser recebida pela maneira segrate :
Macos de jornaes, impressos de qoakjuer nalu-
reza, cartas a registrar at 2 horas da tarde, car-
tas ordinarias at 3 horas e otas al.3 e meia, pa-
gando o porto duplo.
O administrador,
Affbneo de Reg Baos.
M*
luspccco do arseaal de
mariuha.
Faz-sc publico que a eomnissaj de peritos,
Mmioando na forma determinada no reculamente
;iunoxo ao decreto n. 1324 de 5 do fevereiro de
*&i, os cascos, mic.'iina;, caldeiras, apparelhos,
uustrcsfoes, veamos, amarra c ancoras dbs va-
yorcj Camiwae c Molequt da companhia Vigi-
ianl de rebowe, achou lodos osses objectos em
Ojiado de poderem.os vapores continuar no ser-
i er, que se erapregam.
Inspeccao do arsenal do marinha do Pernambu-
co 27 de Janeiro de 1870.
O inspector,
______________H. A. Barbosa deAlmeida
Facaldade de direito.
De ordem do Exm. Sr. director, c em cumpri-
> dos artigos lli e 119 do rcgnlamento com-
n! ir dos estatuios da Faculdados de Direito-I
do imperio, so faz publico por es'.a secretaria, que-
no dia segunda-f-eira 7 de fevereiro prximo vin-
douro, s duas li iras da tardo ser encerrada e
pram marcado para os qae pretenderen! concor-
rer ao lujar vago de substituto desta Fcirldado,
'informe foi annunciado em 2 de julho do anno
r>as-ado p)r edita! que vai abaixo rcproduzido :
Lm ordem do Exm. Sr. director interino con-
MlMro br Pedro Autran da Malta e Albuqucr-
>pte la-^i publico qne-fiea marcad t o praso de seis
meces, contados da data deste, para a ioscripcap
djs que pretH.nterein concorrer ao lugar de lente
substitu-) da I-acuidad! de Direito d) Recife, va-
so pelo acesso do substituto Dr. Joo Capristrano
Randoira de Mello Piltio, cadeira de quo era
proprietario o fallecido Dr. eronvmo Villol de
Castro Tavares. P.li que todos "os prctendentes
ao dito Llgar.se poderopresentar desde ja na
secretaria deoa l'acaldade para inscrever seus
lomes-no livro competente, e que lhos permet-
rilo fazer pjr prr/Miradjr, se estiveram mais de
20 toguas desla eMadc, otMivcrem jus:o impedi-
mento.
Sao, pariR, obgados a apre^anUr docuracn-
''- qae lostrem su.i qualidade de oda lo brasi-
'ir-sde que cstao no goje do seus diritos cive?
e poliUcos, certld*) de haptiano, fblha corrida d >
lugar seuaoj.'iiiailios, e- diploma de Dr. por
q;na das Paculihiles de Wreito do Titiperio, a pu-
fuma, juslilicjnioa impossibilidade da apre-
sentaco do original e na mesma occasio podo
rao entregar qune?quer documoato* que julgarom
convenientes, ou cono titulo de habditaco, on
'orno pravas de servicos prestados an estado, a
inniamdailc ou a scineia, dos uuaes se lhos pas-
car recibo : fulo de conformidade com os arti-
aos.36 o 37 do decreto n. 1281 de 28 da abril de
l8oi, o 111 e seguintes do de n. 136S de 24 de fe-
vereiro de 1835. '
< K para qne eheguo ao eonhecitjento de lodos
maadoo o me*mKun. Sr. director interino afta
car o presenta Ole sajpttblieado as folnaadeft-
J.de o as da Corte.Secretaria da Fa*iMa-
de de Direit) doeciU, 2 de julho de 18.0
secretario.fos Heaorio B. de Menees.
Secretaria da fcaeoldade da-Diroita do -Rjjcife,
;t> de Janeiro de 1970.
O aecratario,
lose nonorlo B. de Menazes.
RneUficaca). No prograrama publicado hontcm
*trvoee,..ter no*poato. de^aotoriaApiava oval)
flHHrimiMtaaiiro- a^Draal, c nao Juros admi
stratteo, cooaoaiiiaoBhtteao. ^
O secretorio,
Jos Honorio
IHEATBJ L
CAPNGA.
Gniode e wriado
ESPECTCULO fASTORIL
Sb a dlreeeo
DO
Artista dramtico
PEDRO BAPTISTA DE SAJTTA ROSA
Ter?a-feira l. de fevereiro de 1870.
Ia RECITA DA ASSIGNATl RA.
I.oge que a rchestra (dirigida (lo asga: dis-
tmeto professor Francisco Libante Cnls PUho)
tiver executado urna do suas mais brilhantes or-
vetaras so abrir a scena com o toque de alvora-
da desempsnhada pela mesma orcheMra, no fim
da qual subir a scena o VAl.'DEVILLE PASTORIL
do grande espectculo, ornado de arias, coros e
danjas em dous actos o o mesmo quo foi i scena
no tbe tro de Santa Isabel em 1863, que tantas
applausos mereceu,
Neste vaudeville tomam parto todas as pacoras
Com a maior-brevidode vai sabir para o? refe-
ridos portos a barca portugaoza Claudia, de.pri
melra marcha e primeira classe, por ter a maior
parte da carga prompta, e para o resto qne Ihe
falta e passageiros, trata-se eom os consigna-
tarios Veras-A Baitedu, ao caes da alfandeoa ve-
llia n. 2.
COMPANHIA PfifiNAlttJCADU
ra
Varegaeio costelra por rapor.
Parahyba, Nala', Macio, Mossor, Ara-
caty, Coar, Mandah, Acarac e
Granja.
O vapor Ipojaca, eommandanfe
Moura, seguir para os porto*
_ cima no dia I do correte as a hora
la tarde. Recebe carga at o dia 29, com-
nendas, e passageiros e dinhero a freteat as
I horas da tarde do dia da sabida no escripte-
rio no Forte do Mattaan. 11
IiaSi.lfe'uel''
Ntistas poneos das segne a cana uorlugoeza
Sr-mro-: para carga e eaconmendas trata-re com
o sen eonsigntarfo Jlo dottego Lfma, ra do
Apollo n. 4.
rto.
Vai sabir breve a barca Laura ; para carga e
passageiros, trata-se com os consignatarios Carva
Iho A Nogueira, aa raa de Apello a. K>.________'
Pretenda seguir viagem,-eom mater -bretidade
poeatvel, para o dito porto o patacho portuguez
Pos/tiro, capifio JoSo Ferrlra bastos, Teeelie al-
guma carga a frete a tratar oom Marques Barros
L. no largo do Carpo Saeto-n. 6, 2 andar.
u^Ti.5" ceMf'u d Santa tedwrcva, a roa do
?^,>* 24<>reeha^e de un eriado de
a conducta o diligente.
Precis?i-se
tica de taberna e d flanea Ma cmaneta :n
trejuM^o^Afogados._rBa de S. jgael n. 68.
Ao commerdoT
O abaixo assigaado declara ao respeitavel carpo
o commereio, ene por antorisaeao dos Srs. loa-1
qnlm-dos Santos Lema e Joan do Reg Lima Ju
nwr, membros da wtinea firma Lima, Lesea
-, vendea aos Srs. Jos Fnncisco oreira A
i* ment0 de ftlie"d. lo roa Nova
i*, o que autorisado alada pelo* mesan seahoi
e o annuncianie o nnico encarregado da liauida
C*odo dito eslahlecimeito. ^
Recife 28 de Janeiro de 1S70.
______ Joio do Ii"go Lima.
?!W^8gaeg86ftges98eg
tinturara
Aluga-se o segundo-anear do sobrado sito rna
imperial, junto a aatiga tebrico de aabo, can
*oos cominod.)!, muilo fresca, jkjj do esaaina,
e lem qaatro jannila* de Srente: a tratar na raa
do Imperador n. 83. andar.
25-bTA DAS HORK-25
O dono deste estabeJecnuDto tinge, ljmpa e achamalota-som a maio,
perfeicio possiveltodo e qirtlrjaer okjecto e seda, laa,. algoso, em perJ
oq em obras,jnpaas de feltro. palta e un|ha etc., iaiafo das fazen,.
das e Taz todo o mais concernento stu profisslo.-tado coro brevidade, vitj";
como se agea protWo dos necessarios macbinismaa a-pataos
Otto Sthnuder.
lu pretoganhador no Berife, eniregou no
pateo da Penlia n. 6. um cixao com
quem der as signa** certos e asando
a*, se lite entrenars.
gneros,
as despe-
jes parenfcs c .muges do Uado
Aiexanare Jos da Bnsa, a assistir urna missa no
da 31 do eorrente s 6 ty,-horas da maabia na
greja do convento do Carino, 30 dia de seo Tal-
ieciraento, qae por saa-akaa manda celebrar ura
amigo.
Porto por Lisboa
COMPANHIA PEUNAMBUCANA
si
Navegando costeirapor vapor.
Porto de Gallinhas, Bio Foraioso e Tornan-
dar.
O vapor Parahyba, seguir para os portos ci-
ma no dia 31 do correte meia noite. Recebe
carga, encommendas, passageiros, e dinhero a fro-
te no escriptorio do Forte do Mal tos n. 12
e cada urna canta a
PKRSOX.UIgNS.
Raquel, pastora....
I'.utii, idem........
Judit, idem.......
Aleina, idem.......
Tirse, idem.......
Cecilia, idem......
Dalina, idem.......
Ismene. dem......
Flora, idem.........
Laura, idem......
Esthcr, velha.....
Boa, pastor.......
Ura anjo..........
sua ana.
J0YEKS.
D. Bosa Emilia.
D. Lourenca Justina.
D. Annuneada.
D. Antonia Elisa.
D. Laura da. Nares.
D. Maria dos Res.
D. Maria Carolina.
D. Francisca de Paul:,.
D. Joaquina Pe seto.
D. Ignez Maria.
Sr. Santa Bosa Filbo.
Sr. Guilherme Ferreira
COMPANHIA PEONAMIiCANA
DS
Navegando costea por vapor
Mdcei Pcalas, Penado eAramj.
O vapor Pote>ujt_ eommandanfe Mello, se-
uir para os portos cima no dia 31 do crtente
as o horas da tarde. Recobo carga al o dia 29,
encommendas, passageiros c dinlieiro-a frete at
as 2 h .ras da tard do dia daxahida no eserinlo-
rio do Forte do Mallos n. 12.
Preeisi'-scalugaruma asta escrata?para cci
nbar e comprar : na rna da Guia n. 7.
Preciase do us ama sata oasiobar era a
de hoswwsoUeirD;-wa rurdo Crespo n. i.
O Sr. Antonio Pereira de Souia, digne-se
V. Sv-eossaurecer aa leja do Passo, roa do Dres-
po n. 7, a negocie que loe diz respeHo, isto com
urgencia
Quinta-feira 3 da fevereiro de 1870 i<
l/< horas do Urdo, assetobica geral a
reqneriiaento de diversos Sis. gpcius p:ir
tratar-se de segoclos argemes.
Recife, 29 do Janeiro de 70.
O sscrtark.
J. GuHmiriirs.
Precisa-sede ama ama quo compre e
jtrefere-se escr.a : na ra do Crespo
co7.rahe,
n.20A,
Alugam-ac aj casas sT 8 e 16 da ra do
Jasmini ; a tratar, no sobcadoji.-50 da-ruaula Au
rora.
Despedida.
Manoel Roano de Olivetra Uraga, tomn seguido
para a Europa, cjo-podando dt*|M)(ir.go.pessoal
mente do seus amibos. virtndo doscu astado
dowide, ofazpelo pwscnl-, offerecendu seus
prestimos cm qnalquer lugar ijuo se ade.
liiigua portugueza.
O abafxo asslgnado declara aos senhores estu-
daiurs que anda se ao matricularan! para o s-
lalo da liogua portugueza, quo podem dirigir-te
para esto fim ao collegio do Sr. Alfonso Jos de
!,!rT!^/n* ""*v*' es boa do'Carmo, onde pretende o mesmo aoaixo
assjgnado dar.prineipio ao referido ensino, do dia
3 de fevereiro em diaate.
Salvador Henrique de Albuquerque.
_ se ana eaa ntTua do Ageas-verdes
n. 28 : qttem a pretender d*rija-se ra do Ara-
gao n. 18, que aehara eom qoem tratar.
O advogado Manoel Joaquim Silvcira pode
ser procurado para os mistere de sua proliso
n *sn eeeriptorio ra de Cispo n. 12, an-
dar, das 10 horas da manha as 3 da tarde. Beside
i ra da Conquista iSoledaei o. 4.
Ama de leite.
Prceia-se do nma ama qoe teaha bopt oaSua
danto le e : na ra do Sebo n. Vt.
Ama.

\
Rio Grande Para o eferid j porto vai sahir com toda a
presteza a barca portutriieza Hedmar por ter a
fu.ior parto da carga prompta : para a que Ihe
falta, pode tra!ar-so cora David A Bailar, ra do
llriiin ii. 92.
LEILOES.
D. Glieeria F. Pasehoa.
_Em ura dos intervallos todas as pastoras dansa
rao urna linda onUadanca campestre ensaiada
caprichosamente pelo Sr. Manoel Baplisla de
Suata.
Terminar o espectculo com o coro da despe-
dida.
PREGO DOS BILHETES.
Camarotes de 1* erdem.. BjtOOO
Ditos do 2" ordem....... 8*000
Cadeiras.............. 21000
Platea................. ijOOO
Os bilhetes acham-se d^sde j venda n;t casa
do Santa Rosa, ra de Santa Isabel n. 13 e^no dia
do cspcclaculo no thoitro.
Principiar as 8 horas.
AVISOS MARTIMOS.
1,1
De um rctogkj do onro, 1 eorrente do dito, 4 bo-
loes depunho, urna casaca nova, urna sobre ca-
saca, calcas srsssv, camisas, scroulas, nteias,
toalhas, colctes, i chapeo de manilha, \ pecas
do cabo do liuho c manilhas, 1 balm do couro
ainda novo, 1 malla de viageni c niuitos outros
objectos miudos.
.HOJE
O agente Martin?, far leilao por autorisacao do
lllm. Sr. D. Juan Buson, vice-consul de llospanha,
dos objoctos cima pertenecntos ao i-spolio do sub-
dito hespanhol Antonio de M.mscrrat : as 11 ho-
ras d> dia cima, a porta do consulado a ra da
Gruz n. 6'.
LEILAO
da 'on-
ConslBxo de compras
Companhia americana e brasi
letra de paquetes a vapor.
naques.
O consellio
.imo
; -
da armada
00 agulhl
aove.il din 5 SSilevereir pro
' i at
_Ht
i-SSSQSarial
vinha de 2 palegadas, 5 pe^as de (
^: V llegadas. 29 raroas de cobro de
cabo de Indio de
_j3|4, S
jMvardede cobre de&8, 800
4 do dubradicas de
oriude4 a 7 soiegadas, 40 garrafas do espirito
de estopa de algodio, 40 fia-
iual He C47DrP
Ilha de S. Miguel
E' esperada nestos poneos dtis a barca portu-
gueza Amizade, tem aqui pouca demora ; e para
passageiros, paraos quaes ten bellos commodos,
trata -te com Joo do Reg Lima, roa do Apollo
numero 4.
OTABA ftAttlII
DE
Paquetes a vapor.
Dos portos do sul etporado
at o da 7 de fevereiro o vapor
Arimos, commosdanto o'primei-
ro-tenente J G. Duarle, o qual
depois da demora do cosame
seguinv-para os portos do norte.
Desdo j recebem-se passageiros e engaja-se a
arga que o vapor poder conduzir, a qual dever
lasedjalw-o a frete al as 2 horas do dia da sua'
sabida
Nao se recebem como encommendas sonad ob
leotosde pequeo valor equonaoexcedam a dua;
trrobas de peso ou 8 palmos cbicos de medie^
redo que passar dostes limites dever ser emsir
a to como carga.
Previne-so aos Srs. passageiros, quo suas pas-
lagens s se recebem na agencia rna da Cruz
*. 57 prtmeiro andar, escriptorio de Anfceio Lutz
lo Olijira Axcvpdo & C.
UiJi2ejia j)3o se recebem cartas so
interessaoV levem leva-las ao cowto.
-t----------------------- .. i
S; taberna sita na rna
Vei^ao n. 11.
HOJE.
Antonia Agoslinbo S-ixas da Fonseca antori-
sado por seus credores far leilao por interven-
faodo agento Pestaa, da armacae, giz, gneros
c mais utencilios existentes na taberna sita na
ra da Conceioao n. II, oslo estabeleciment tem
eommodos para familia e garante-so a chaves,
acha-se bem afregaezado e muito proprio para
um. principiante e seri vutldidor'em um ou mais
lotos segunda feira .'tldo-caragnto as 11 horas da
manha no mesmo estaaileifnto.
De um buhar ora todos os pertences,
de palinha. vc^^a-wsadtiraa-de amarello "eem
assento de patinha. moKondajmarcllo, adeiras
de pao, grandes-mozas de jaatar, bancas para
quartos, um armario de^amaMHo para guar-.
dar louca, cabMcs, toraeiras, tma oseada, um
rclogMM&parede, 1 mesa^odnnda do amitrelio,
um cama franceza com colxao- para casal, di-
versos espclhos, lavatorios de-madeiras dVfrr- janeira-de 1870.
- rerm marqneuu de-amarerlo.'Trma qnartinbet-
ra, quadros, urna pipa arqueada de ierro, latas
com peixe em calda, um lteiro para charutos,
louca de jantar, dita de alrao^o, \ idres e Irem
de cosinha.
Terca-fcira i de fevereiro.
O ajante Martina faca leilih dos objecioi-acjois
na roa eetreita do Rosario n. 11 (hotel qae foi)
as II (toras do dia.
Antonio .(lomes Mari&ho teudn ido a roa da
Praia um armazuiu do carne fazer compras
aconteceu que entregando ao Sr. Bernardino do
Norte, morador no l*oeo, o sen cvallo para deitar
sentido em quanto elle eomprasse carne, e vol
tando para nlirnr-so n.) encontrn mais o i.ito
cavallo, ncm o Sr. Bernardino, p-jf isso roga as
pessoas que sooberem do cavallo, o aprebendam
e leve o ao engenho Gurjaii de Cima ao subdele-
gado ; o cavado ion os si so podrez, ardij;.j, anda de tarta-pso, tem duas
marcas de ferro alcm de urna outra do cercado
docnenho dojllm. Sr. Manoel do Soiizi Le'io.
Pedido a poieia.
Pede se ao lllm. Sr. Dr. chelo do polica, que
lance sus vistas para uns mogos moradores na
ra Nova dos Pires, os quaes encommodam a vi
sinkr.nca alia noulc com contaro'las e toques de
Sandros pelas portas; de maneira que algnmas
noutes nao se pe de'dormir, e de dia reunem se
na casa n. 22 da-mesma ra a patearen) as pes-
soas que por all passatn. a ionio de maltrataren!
com patarras obecnas nao s os que por all pas-
ean) como as familias que morara naqueiia ra;
esperamos de V. S. as providencias que o, ca-o
urge allin de e\lnr consequencias funestas.
Casa no Apipucos
Alugs-so urna das boas casas no Apipucos per-
tn da povoacao, muito fresca, cora mutas com-
modidades e porto do banho ; quem pretender di-
rija-se a roa da Cruz n. f. das !l as i da tarde.
resta tic m. 'liraz ua luatrzde
A*. ilOM'.
A irinandade de N. S. do terco erecla na matriz
de S. Jos festeja o glorioso S. Braz no dia 3 de
fevereiro com missa cantada as 8 horas do raanha
eladainhaas 7 horas da non te, linda a qual es-
tar o glorioso marlxr a r.xposico dos deis por
espaco de 8 dias, tenJo tambon ben^o da gar-
ganta a todos os liis que se apiosonlirem.
Subdelegada do poieia da Ireguezia de
Saulo^AnlODio.
Foi apprehendidoum cavallo vagando pelas ras
dcte bairro coin urna carga : quem for seu dono
aprsenle ueste juizo suas rovas para Ihe ser
cnlregue.
Sonta Fonseca.
ilaii' para as evtr;us I s
loteras, approvado pelo Lvm-
r. presideaic da provincia
3600 bilhetes a S000 .... 18:000000
lmi>st.i, sello, benelicio. SSSMSs-
es,etc......... 5:760000
Liquido...... 12:2105000
1 premio de........5:0005000
1 dito de........900*000
1 dito de........4005000
1 dito de........2OO50OO
2 ditos de 100*000.....200*000
5 ditos de 40.S000......2005000
H ditos de 20.......2205000
23 ditos de P'4000.....23OWO0
815 de 6*000.......4.8904000
CAMA Dt FE.
Aos 20:000^000.
roa do Cabug n. 2,
Bilhetes de Bio venda
onde Vieira & Rodrigues
0 advogado Francisco de Paula Penna conti-
na no exercio de sua prossao, ra do Quei-
mado n. 29, onde pode ser procurado de 9 hora;
da manual as 4 da larde.
Precisa-sc'do una ama para cozinhar para pou-
ca f;niilia.> outra para andar cora mancas : na
roa Nova n. 22.
MADjUETE"
de leite: na roa %
Precisa-p de um ama
Vigario n. 20.1" andar.
Urna senhora viuva honesta com urna fla
solleira, ontrndendo bastante do costuras, desoja
adiar compaahia de alguma familia para estar,
sujeitando-sc taraban) a fazer algum engommado :
quem quizer annuncie que ser procurado.
Precisase do urna ama quo .
na roa das Larangeiras n. 12,1
AssociaqAo Commercial limurfi-
ce 11 te.
NIoscJendo reunido sob primeira 'segttnd*
convoca^ao numero suflicienle para 41M Seas.-)
conshtuidi a atseroblva geral, sao BovaawntSeon-
vidados os senhores socios para o dia 3 de feverei-
ro. prximo, ao meio dia, de confonnidadosom c
art. 21 dos estatutos, a assembla funccionar com
o n. de socios presentes, tuna hora dapnis daiueila
para que sao convidados.
Associacao 'Commercial Bencficente 31 do la-
neiro de 1870. (.t *
Daniel llamos,
___ Secretario.
ALIGA-SE
o segundo andar e sotan do sobrado da ra da
Cadeia do Bec fe n. 60, com bastantes commodos
para familia, tornndole rccommendatet por ser
boa a localidade e maito fresco : a tratar no ar
mazem do mesmo.
CAXEIRO
Precisa-so do nm caixeim eom praticade arma-
aera do carne secca, nu mesmo que tenhi p mea
pralica : a tratar na roa da Piaia, arniazcm nu-
mero 4'J.
tml
Precisa-so de una ama que saiba cozinhar c
diario de urna casa, prefere-se eserava : a tratar
na rna do Imperador n. 12, escriptorio.
HEL06IOS AMEalCAfiS
49Ra da Cadeia do Recife*9 -
RELOJOEIKO
acaba de roceber ura grande sorliraento do relo-
gios americanos para paredes e cima do mesas,
de corda deoitodi as por procos raaoaveis.
Ama
Precisase de urna ama para entrabar e comprar
para urna pessoa : na esquina di la Je Santa
Theroza. sobrado novo.
ATTENtfO
As lenhoras qne tiverem aiguma n>enina en
cria, querendo mandar ensinar a toda qiudadr
de costura e bordado?, marca e toda qualidade de
flores, por barato preco de 35000 por inri, vind
ellas almocadas e ir jantar cm suas casas ; na roa
estreita do Bosario n. 33, iJ andar.
Engommadfira
Na ra de S. Francisco n. 72 prc.'if.i so de nmA
mulher forra ou eserava, que engommc bem,
para urna familia de tres pessoas. pagase bem
agradando.
Antonio Jos Bodrigucs do Souza precisa
alugar orna mulher forra ou eserava que saiba
bem cozinhar : a tratar na thesouraria das loteras-
eu em seu sitia, no Monteiro. (unto a isrri.
Paga-se bem
2 Santos
12:2405000
N. B. 0.premio<4aAa|OO est sujeilo ao
dVconto de 20 OW por le> geYal e provincial, e os
dMIOOiS o'4TO3e0vao de-HJ|0 por lei provincial,
oT)uaes esTaTrsnjfitaayttmfcii--por lei provincial
ao imposto-dJiciuaal 1 de 3 0i0 sobre o descont
de 50|0
Thesourarivtlas loteras -doPcrnambuco 31 de
At^iia ldo fevereiro d^psakio dos portos
do sal orfupor snericssn Nortk Amtrica, o qual
depois da demora do costume sagsir para New
?Ifork tecandi no Par*S. Taastajupara fretes o
passagen*trata-se comsgentes-tenrv Forster
fft C, roa doXkxnmesrto s. 8.
---------*
BkHtmm&To.
AsresMinirssm a* brevidade possivel--a
Mj ^!3 "* '**" *fn^ H carga
lhos A C, no Largo doCoi n. 19, ou ai
tapitao napjaca dqcatsswcio.
PARAUSBO."
Vai sabir at o dia 6 da fevereiro a escuna por-
tngneza Agma : pira carga e passageiros, trata-
se oom E. B. Rabelfo 4 C, ra do Gotnicercia na-
mero 48,-
os eneros, armacSu, gaz o raais tensi-
lios existentes -na taberna sita t ra da
a, so Qcvino -Novo
3a feira 1 de fevereiro.
O agente Pestaa far leilao requerimento dos
curadores Ciscaos da irnssa fallida de Bozendo da
Rocha Carvalho e por despacho do lllm. Sr. Dr.
juiz especial do commereio dos gneros, armacao,
gaz e mais utensilios existentes na taberna sita
roa da Esperanza, em um ou mais lotes, 3* feira
1 de fevereiro de 1870, s 12 horas da raanbaa no
Msesmo nsjhiUiimpnto
AVISOS II
GfiBiro
Preciaa-sedaam-oiixeSTode I
4-tesla algsma.psMiei
WPeiwarso " mente, com toja, ebrif
>MSSMSMSMism-
er os conccrlos quo preeaa, sito roa da Ale*
gria, o qual nm bom sobradioho : a tratar com
o Sr. Marcelino Jos Lopes, ra do Mctjeg,
ou Gloria n. IX
firo,
Antmio Jos Bodrigucs de Souza.
advertencia.
o prsenlo se realisad1) a
A.ttenqao e
Nao tendo ainda at
captura do eserava Ubaldo pertcneente ao conven-
to do Carmo de Olinda, o mesmo annunciado l-
timamente neste Diario de 13 do regoste a 19, sob
Of. 11 a 14, temus de fazer publico que nos refe-
ridos aBnunciostendu-sodado ; engao r.as duas
parcella* nelles transcriptos, repetimos- ter sido a
qnanlia de 105000 a paga do eseravp c\- cinco
dias do seu traballio no armazem-do Sr. commen-
1ador Jos da Silva Loyos bem como ser gratifi-
cado com 505 quem ojMorar ou em qnalquer
destes serviros, ou no logar de seu botnisiamento,
eagora-n'tnos informados ktar o referido eseravo
no tiabalho de nedress. o Gaminho^mvo.
_________Fr. Joao de Amor Divino Mascarenhas.
Precisase de um cozinheiro ou cezinbeira'
a ra do Imperador n. 73,2* andar.
oaixoaisIgBadr), ra do Imperador n. 48, conti
oa-se a nceber eseaavos por ominissaa, tanti
do matocqmo dapraca para setem vendidos, 1
faraoflae.ee emprega idos c esforcosBm di
OJisfsfSr S^iaSSassaasoaa qua.o faufn bon-
m com. aos estfaaca. Nesia-acasa Sa^empr.
anuos, ^se. sra sadasasomoide ambos os saxos^atlhos
ferindovfsv asaen^assIswsoisoJttvt da smfM****w ter.
o. 31, (a- Antonio lese 1. de Sema.
TRILHOS URBANOS
BO
Recife a Apipucos.
No dia 2 de fevereiro prximo (dia da
fesla de N. S. da Sade do p.ifo da Panel-
la ) bavwao doas treos sxpressos, umde
primeira e outro de segunda classe de hora
em liora das dez dj manba at a meia
noute do Recife ao Galdereiro, o das dez
e meia da manha at meia hora depois de
meia noute do Caldereiro para o Recife.
Os bilhetes para os treos s serviro para
0 dia da festa. Os possuidores dos bilhetes
ordinarios querendo va;:p nestes trena de-
vem troca-los as estag^o por especiaes.
Rogarse aos senhores passageiros o favor
de comprarem seas bilhetes antes de eri-
itiremnos trens.
Alm destes trens haver am das oflici-
nasso Caldereiro parando em todos os
pontos intermediarios, tle lioraem hora, de
ama da tarde at meia nouto para o qual
servem os bilhetes ordinarios.
Os passageiros com destino ao Montei
e Apipucos tero de passar-se no Calder
ro para outro treai gue atii haver para
conduzir.
Escriptorio da emure, 20 .de isacin
de 1870.
H. Htmijtison,
1 Gexsnte.
Precisa-se de urna ama forra ou eserava quo
saiba engomar bem : ra do Crespo n. t\
I
Est por alu^ar-se o novo sobrado da ra das
Cruzes, freguezia de Santo Antonio o qual tem
commodos bastantes, contendo" dous andares e
sota) e armazn, sendo que dos andares superio-
res traz toda a eidade debaixo de vista : a tratar
no Coracio de ouro.
Ama de leite.
Precisa-se de una ama de leite forra ou escra-
va. proferese sera filho : na ra do Pilar n att.
DECLARACAO.
Passoa com peten temen t habilitada, propos-se a
leccioaar priraeiras letras, lingua nacional e ai-
guns preparatorios .cesta capital 00 nos suburbios,
que tenham transporte pelas vas-forreas, median-
te razoavel honorario : a tratar no pateo do Pa-
raizo n. 16, na travessa da rna Bolla n 10, e na
roa das Cruzes n. 37, li,ja. ______^ _______
Precisa-se denm eamedro para-toinar coa-
la de bois e carro para o traalo do cesducco da
lenha de Beberibe para o Recife todos *s dias : a
fallar no escriptorio deste Diario.
mmmmmm-wiMMmmmw
M Praga do Corpo Santo" a. T7" priroeiro I
5 andar escriptorio de Joaquim Bodrigue".
I Tavares de Mello, tem para vender
superior qualidade.
superior qualidade:
rinttess S Bea em grande por-
cao e boa muidsd.
Cal de.UsstasMi'0 nova.
Potassa-da Bassa.
s
m
!
11 Billiler Square.Mftdres f da Janeiro de
t'1870.Temos a honra de participar a nossos ami-
| if os quo nesta data admitlimos como aocio-datkissa
asa o Sr. Carlos Eduardo Melchcrs.
Bosiog Bnitoers & C.
2?>
Precisa-se alugar por mez urna preu que
mgomme bem : na ra Nova, sobrado n. 39.
Casa de commissao de escravos. I rgarida.Candida da Cunha Almeida,
[acasa do ommissfc.dB escravos, d> Jcaaeaia OHda-da Cunha Ataeida, Joaqaim
JJuem; iwemr de san moco habilita-
do em escrpUfaco a corresjipndencia mer-
cantil quer para tstar effe.clNo qoor.nio,
presaHnaVse a Uaduzir quaesquer missivas
que vmhara do eslrangsiro em lingua qne
^jnanTriT'i nrt-t, qnnn inuinriir porsjlr
Mao.
IMPERIAL
Chegca am completo sortimento de canarios de
Allcmanba cantadores de primeira classojjaranti-
dos, ra do Imperador n. 4*, artrarom Kdclidtde.
o ra sajjiperstrko. 31
dfna
DE
O sasbarel Antonio Colambano Seraphico dSr
sis CarvaB boje o proprietario e director
asese isailoto. Ptslesdendo dsftiar-se exetaet-
samesta, n eom toda o soliciisSf aos traseitx*
sapprios deen pisissao espera asa os pasa asa
aotuaft) coUege* onoararao esm soa coofianaa,
e sea assinasua colnera') o sea sstabeleckaaBS
ssaidl 1 ss< 9waitswa de coUegto para cdneasls
de souj flhos ou protegido*, cortos de qae o ae-
convidam aos amigns do fallecido a assisli- mal directoras-iwbrf>r nao s ^ra manioc %
rem s.missas do soltmo dia, qae mandam bom5J^,a^t'J^d^^!C4^ggggggB
elbrar no-di l. de bverairo. sShoras *^*^^***n-m***-
da Buabia, m ignia de. S. Sebastiia em ^4^ j.4 i^sswa *> sno visoaro (w& ln-
Oftodu. earaabertora de todas a? idas 4o ia!troee|s
^PPP|pHp0^BBBBBBBBjBBBBjBBBjBaBBBBB| primaria e oatuJaru.
Lopes (le Altaeida, Rita Maria Firmina" de
Alaasida.-e Joaquim Lopes de Almeida Ju-
Bioxagradeccai cordealmeate todas as pes
sost^ qs60l|ignaram assistir aos. qllimos
sufragios oaracompanbar aocoater) pu-
WkaiOS'aastas-moraos de seu samare cbo-
atda* rjgasj) ajjii>so. pai, Gibo e inaao, ea
piBiflosff'Juss^iim Lopes do Almeida : o
X


Diario de Pernambuco Segn la feira 31 de Janeiro de 1870
A ESMERALDA
/ IIUtlA DE JOIAS
DE
&
Este antigo estabelecimento, completa-
mente reformado de novo, est as condi-
$8es de servir vantajosaraente os seus fre-
g&ezes, visto que a cha-se prvido oom um
tzplendido sortimento de obras de ouro e
t>rata de le, assim como brilhantes e ou-
tras pedras preciosas, eujos preqos sao os
mais mdicos qne se pode encontrar.
As joias compradas nesta casa recebem-
e em troca on compram-se 'com pequeo
bate.
N. 5 RIJA DO CADUfiA N. 5
[INSTANTNEOS
Travessa do Corpo Santo n.25
ARMAZEM
Ra Nova n. 38, loja. P
Bandcira, Machado St C avisam ao respeitavel
publiro que no. lagares cima encontrar no mes-
mo seraprc grande qnantidado de ditos pocos, e
qne se acbam habilitados para vender por menos
qne ootro qualquer, por isso que os recebem di-
rectamente do fabricante Norton, de Londres.
As vantagens que oftereeem os pocos instant-
neos sao : primeiro, poderem sor collocados den-
tro de casa ou fura, com o trabaluo de urna a duas
horas; segundo, forneenrem os mesmos agua pu-
ra e abundante, podeudo serem removidos de um
para outro lugar, quando assim convier.
Os annunciantes s rceebcrao a importancia dos
referidos pocos depois de collocados, satistazendo
ospectativa do comprador. _____
II
ees
t
3 S
' "^
B o
i
3$
rr, 3

BIS.
I' <-+-
Cu -c*
ao
s
s
s* s -*
tzi
S
o
OQ
b

ao
- s
So

Nao mais cabellos brancos.
A tintara japoneza para tingia os cabellos
da cabeca e da barba, fei a nica admiltida
Exposicao Uftiverspl, por ter sido reco-
nbecida superior todas as preparacoes at
boje existentes, sem alterar a sade.
Vende-se a 14000 cada frasco na
Bna da Cada n. 51,
- 1. andar.
Joaquim Jos Gon-
qalves Beltro
RA DO TRAPK1E N. 17, 1. ANDAE*
Sacca por todos os paquetes sobre o Ban-
co do Minbo, em Braga, e sobre os seRuk.
les logares em Portugal:
Lisboa.
Porto:
Valenca.
Guimares.
Goimbra.
Chaves.
Viseo.
Villa do Conde-
Arcos de Val de Vex,
Viarma do Cwtello.
ponte do Urna. #
Villa Real.
Villa-Nova de]FamalicIo.
Lamego.
Lagos. ^f%w
Covilhaa.
Vassal (Valpassos).
Mirandella.
Beja.
GUSTAVE
CABELLEIREIRO FRANCEZ
51Ba da Cadeia do Recife51
Chama a attencao dos seus innmeros fregueses, e do respeitavel publico es
geral, para a seg'iinle tabella dos precos de sua casa, os quaes sao tinte por cento
mais barato do que em outra qualquer parte:
CASA FELIZ
Aos 20:000^000
%o Recife arco da Coaeclcio n. 1
Os abaixo assignados tendo-se habilitado na
lorma das leis, tem exposto a venda os seos feli-
ces bilhetes das loteras do Rio de Janeiro, na casa
icima, aonde se pagano as sortw qne sabJrrr
qos mesmos bheles, com o descont somenu
la lei.
PRESOS.
Bilhete inteiro JiJOOO
Meios 124000
Quartos 6*000
Ede 100* para cima a 22* o bilhete.
Figneiredn & Leite._______
Em casa de THEODORO CHR1STJ-
\NSEN, ra da Cni2 n. 18, encdntram-
iflectivamente todas as qualidades de vinbi
Bordeacx, Bour^ogne e do Rheno.
SEGUROS
MARTIMOS
COSTRA FOCO.
A Companhia Indemnisadora, estabelecid;
testa praca, toma seguros martimos sobrt
aavios seos carregaraentos e contra fogt
em edificios, mercadorias e mobilias: i
na do Vigarion. 4, pavimento ter eo.
Cabelleiras para senhoras a 230,
30(5, 350 e......
Ditas para bomem a 350, 400 e
Coques a 1*0, 150, 180, 200,
250, 300 e .....
Crescentes a W, 150, 180,200,
500000
Cadeias para relogio a 50, 60,
70,80, 90, 120 e. .
150001
10 DE S.UT0 AIRO
Ba do Commercio n.
Jos Francisco Ribeiro de Soiwa, direc-
tor d'esse instituto de educacao e iostruc-
(,'o, faz siente ao respeitavel publico e
particularmente aos pas de seus alumnos,
que a reabertura das aulas de nstruccSo
primaria e secundaria ter lugar em o da
10 do andante.
O programma do ensino ser de confor-
midade com o decreto n. 4430 de 30 de
outubro de 1869.
Admitle alumnos pensionistas, rneio-pen-
sionistas e externos.
Precisase deniiia ama para rozinhar e com-
prar : no pateo do Terca n. 63, padria. ^_
AMA
comprar e eojiohar para duas -pessoas
meiro andar do sobrado defronte da
l'aralzo, esquina.
no pri-
igreja do
Alug-a-se
O secundo c tere.ru andar do sobraJo a roa
di> Amoriin n. 3!' cnn inuins ennmudo^ para fa-
milia : a tratar na arniHzem do me^mo.
repa-sodo despachar ; dar anjan.em ais irq
encar-
ii'ue-
proc
da Concordia n. di.
!"
Precsa->e de um cria lo
lerno o externo de una casa :
Jur n 73, 2 andar.
para o servieo m-
ra do Impera -
O mi'C/i sninr.i que por este Diario se lem
offeraeido para feit'>r de engenho, se lem pralica
(leste servien e eom abono de sua conducta, quizer
em vez de feitor de engenho ser de um sitio, que a .
xcepcao da canna de asquear, tem todos os la- da, onde ha pequeo numero bellas.
Preciosa ublicapo
jurdica,
ComfaeHtario do Codiyo Commercial Portu'
guez e Brasileiro.
Vende-se na loja da ra do Crespo n.
25 A esquina da do Queimado. a impor-
tante p moderna obra sob o titulo de on-
notaQes ao cdigo do commercio portuguez
em 6 voluntes pelo Exm. Sr. couselheiro
Dr. Diogo Pereira Forjaz de Sampaio Pi-
aentel, lente cathedralico na universidade
de Coimbra. Os subidos crditos de que
goza muito merecidamente aquelle eximio
commercialista por si s bastaran! para re-
commendar to importante obra, quando
n5o concorresse mais para isso a grande
vantngem de ser um ptimo commnlario
ao cdigo commercial brasileiro (na falta
absoluta que ha de qua queroutro) pelamo-
xima homoueneidade de entre muitas das
suas disposi^es, e as do mencionado cdi-
go portiifiuez, que lhe servio de texto.
* o rei pressnrosos. distinrta moridade
do 4. anno da Farnldade de Direito desta
cidade e notaveis jurisconsultos, a prover-
vos desse poderoso auxiliar para vossos
li aba'hos da sciencia, e pelo preco commodo
de 205. toda a obra em 6 vol.
SiiMiciie iuli icavo Iliteraria
sob o titulo le lleinoi-i do
Bou le.sii* do Monte, em
Brasa.
Acba-ne venda na loja da ra do Cres-
po n. 25 A,"esquina da do Queimado a pri-
' morosa Memoria do tiom Jess do Monte em
j Braga, ornada de grautras linas, segunde
ediejio, obra ila penna de ouro do mui illus-
tradn lente da universidade de Coimbra.o
Lxm. Sr. consnheiro Dr. Uiogo Pereira
l'*injaz de Sampaio Pimetilel. Quem tiver
noticia da extraordinaria devogo que exis-
com aquella milagro-
uindo ^empre para o
po em rom na o nume-
roso povo de todas as parte> desse reino;
quem souber avnliar as brilhantes desenp-
<;oes, e o bello estudo daquelle consumma-
dojurisconsiiltn e eximo liilerario portuguez
nao deixaf de piocinar, quanlo arles pro
ver-s- de um excmplar da dila memoria,
pelo diminuto preco de '>$, na loja indica-
405000
50^000
Corte de cabello...... ;oi
| Corte de cabello com frieco. 501
25^ 30* ijL*!r*."T" 320OOO.Cortdec*DO,,ocom lavagen a
Cachos ou crespos a 35, h, U, \^Lf!^SS{^' .- i i m 1W01
61. 7*. 8*. Ue.',,. 101000 Cort de cabello com mpezi da
cabeca pela machina electri-
15000! ca' unica em Pernambuco. IjOOl
Frisado ingleza ou a franceza. 50f
.... 30*000 Barba......... 25f
miGHATURAS MENSAES
Especiahdade e penteados para casamento
Bailes e sotres
0 dr no do |estabelecmento previne s i Recommenda-se a superior TINTURA JA
Exmas. Sras. e ;'aos cavalheiros que ha um PONEZA para enegrecer os cabellos e bar
salJo para tintara dos cabellos e barba, as- oni" admitda na Exposicao Universa
*^ Tmo n5o prejudicial a saude, por ser vo
sim como um empregado smente oceupa- iaf.il, analysada e approvada pelas acade.
do nesse servico. .i mas de sciencias de PARS E LONDRES
Tranca de 'cabello para annel a
500 e...... .
Tranca para braceletes a 10,
150, 20*, 25 e.....
briadc engenho, procure no esciiplono de-te
Diario saber (|uem dolle precisa.
Vicente Alve< Si ir eir ag>uciador d venda
de escravns continua a residir na ra da P.iz n.
% ond seus fregueses o poileran procurar p3ra
a incsma eccupaca', recebe c-cravos sem dbrar
despezas de cumedorias o proraette proaipta a
vendas doa mesmos.
DAVID WILLIAM BOWMAN
Partecipa aos senhores propretarios de engenhos, que acootecendo faltar-lhe
tgoa ou animaes pira a moagem durante a presente safra, elle tem vapores promptoa
ra assentar, sem precisar de obra nova ou demolic3o de obras existentes, e qoa
pode botar taes engenhos a moer oito das depois de estarem as pecas do vapor nt
ingenho, garantindo-se o trabalho.
Fundiq&o, roa do Bram n. 52, passando o chafariz.
TEZOURA DE OURO
DO
ol%YME:
A' ra do Queimado n. 6 prim-ir> andar
8 pessoas para o servico e o maior .teceio nos trabalhos de barbeamento.
O salo estar aherto, nos dias uteis das G horas da manhSa s 9 da nou-
e, e nos dias santifleados das 7 a 1 hora da tarde.
O. r>
PEIIIIIi
Na travessa da ra |
das Cruzcs n, 2, pri- I
meiro andar, da-se di- |
nhelro sobre penhores I
de ouro, prata e brilhan- |
tes, soja qual for a quan- K
(ia. Na mesilla casa com-
prani-se os mesmos me- I
taes e pedras.

CASA
DE 1MP0RTAQA0 E EXPORTACAO
.1. CiKRKRE
Csoriptorio, ra do Vigario n. 5,
l> ANDAR.
Na mesma lojr acma ha ontras estampa,
mnilo perfeilas c grandes do dito Senhor
fom Jess de Braga, por preco comm odo
i Casa Traspassa-se a da ra da Lapa n. 11 por sea
. dono, fallo de saude, nao node'- "'"aislra-Ia.
FUMO CAPORAL.
Chegado pdo ultimo paquete.
Marca Civctle
Livraria i'rancaza,
Alugam-so os segundo andares das c
ns. )'> e 39 ra do Imperador : a tratar '?c*t
I.uiz de Moraes (lomes ferreira.



CARROS
BOA
GARROS

DE LUCHO PARA
Sre. Delayo, Nevn A C, (de Pars) fabricantes especiaes do cairos para roia* tero a honr i de annunciar ao publico do Pernambuco, que se acha acjualmjnte nesta capital, porflponos dias, e que receber encommeodas para manda*
direclimenied.i Kuropa quaiqurr canua^em qne lhe seja encommendada, offerecendo a mais completa collocco do modelos coloridos para escoiha do gosto.
Tambem recebe eucommendas de buhares, ele, eic.
P?r mais aB&pia toiormfi podera dirjjgir-se ao annonoirite, (Innocencio Alvaros) no

El


Diario de Peraambuco Segunda eira 31 de Janeiro de 1870.
i

E-l fny
O escrayo F
mnos de dan rpo ram
um penco careando, trai ora rnia, p lodo parece pouco acisado, snpoese' c?tar para
M lados da pas?.igem da Magdalena, ou Torre ;
qnem o aprehender e levar a nadarla da ra Di
fttU n. 8V, erl gratifica do; ______
Precisa se de urna ama que compre e cozi-
ene para nma easa de ponca hmilia : na ra
nova de Santa Rita n. 41.
COMPRAS.
Comprara se moedas de ouro e prata de to-
do* o valores, ouro e praia em obrai inutilisadas,
brithantes e mus pedras preciosas: o leja de
oqw do arco da Goncaicao, no Recife._______
O muzeo de joias
Na rna do Gabug n. 4 eompra-se ouro, prata
pedras preciosas por precos mais Tantajoao do
que em ontra qualqner parte.
(jom muito mawr vantagem compram-se
moedas de ouro e prata: na toja de joias do Co-
racao de Onro n. 2 D, ruado Cabug.
ranuM i vnDn-a
ESCRAYOS
Compram-se e vendem-se diariamtjnte para fura
dentro da provincia escravos de todas as idades,
lores e sexos, cora tanto que sejam sadios: no
tereeiro andar do sobrado n. 36, ra das Criizes,
frefneiia de Santo Antonio.________________
Na roa da Crnx n. 36 compram se escravos
de bonitas figuras e mulatas de 18 a 20 annos,
prendadas paga-o melhor do que em outra qual-
Cabellos
Na rna do Queimado n. 6, I* andar, sali do
caMIelrdro, compra-se continuadamente cabellos
/nnpridos.
(Jasa terrea.
Compra-se una caa terrea peqnena, em chao
proprio, can quintal e cacimba, < dous qnartos :
a tratar na rna da Madre de Dos n. 16, luja.
Compram -se armacoes e chapeos de sol j
risadas: na rna Direita n. 43, fabrica de chapeo?
de sol.
MILHEME AITOO MMNIS SETlE
CASA I*E O0MMI5SES E CONSIGNARES,
M*IIOl
lina do amparo .
Compra e venda de JenTos, encommendas, p
papis de crcdlto, movimento de fundos, exnodi-
;ao do telegrammas, cobranca-:, li 4ui>1coes, etc.
Vr;NDAS.
MILHO
Vendc-se no trapiche Barao do Livramonto sac
eos com milh", boa -arcana o por menos do qut
mi outra qnalqucr parte.
11
Especial para limas*
Em porc.i) e a ielalhn, vende c no armazcm
do pianos o msicas do Azevedo, ra Nova nu-
nwrn H.
TASSO'IRMASfrC
Vendem em si-us annazens, no caes do Apollt-
n. 7. E-carimba n. 1 o ra dq Amoripi n- :t~, *
seguintes eneros:
Ac > de Milo.
Milho em racnaa granito.
FaraHo ei sacras de 00 libras.
Chumbo de mnnicao surtido.
Metal amarell i para Curro da navi i?.
Machina? para desear car algudao do li, It e !>
sorras.
Kerosene em latas ri- > ralSes.
Okaaapairne d) afamado fabricante Krug.
Hormouth.
Vinho Coac do abroado fahri santa (lanlier Frres.
Piifii da China, nixinha?, 10 cartas a. i. Extra.
Genebra ina
Cimento Rumano.
Cimento Huirn
Ciiiiriito Pnrtlaud.
Gesfo para e>iaipi( s.
CaiMM de barm pan : l .
Gradeamcntiis de tem para jarritas, calcadas etc.
Carros de mi para sorvieos de srmazens.
Garrafoes com o galos de" vinagre tinto.
dem cora 3 calos de vinagra tinto.
Chumbo em barra.
COliiNAC.
De superior qualidade da mui accredite
da fabrica de Risquit Dubonch A C, en
cognac urna das que mais agurdente di
cognac, fornecem para o consummo di
Reino da Inglaterra.
Vende-so em casa de Th. Just. ra di
oommercio n. 32.
VENDE SE ou arrenda-se o engentn
S. Ga:par, silo na freguezia de SerinhaVm
comarca do Rio Fmmoso, proxiu o do em
barque, cora grandes partidos de pal i
massap i roca da tnoenda, maitos mangue?
para madeira necssaria, bom pasto, ele.:
a tratar na ra d'Aurora n. 26, ou na de
Imperador n. 0.
Loja do pnsso
O* requisimos corles do bl.ado da seda eom
manta o capilla para casamento, sendo neste ar
tigia o quo se podo desojar Je melhor e mais mo
derno. tamb na rhegiran os curtes de soda de eo-
re* novidade, o outras nanitas faz^ndas de ?o-p
qoe fhegarmn peio ultimo v>por franeez, s par:>
a loja do Passo a rao Jo Oiespo n. 7 .V_______
Farinlii de mandioca
Vcnde-se aiinha da mandioca nova c muito su-
perior, chegada ltimamente de Santa Cathaini.
a bordo do loare itorgariJii, ('ondeado enfronte di.
trapicha do Exm, Barao do Livramento ; e para
tratar a rs.a Joaqnim Jnwe fi mcalves Boltro.
VENDE SE OU vHKENDA-SE a pro
priedade donomi iada Barra de SerinhSem
no liltoral da refioetia dr> mesmo norm
coa grande re;i h da torra a recocer o mui-
tos eoqneiro* -n desfrGctar ; tendo, a!m
disto, a exceJfento. o rara posicao beira-mat
e beira-rio, inlei .Tnfote apropn'ada par
nwnter-se i ; :jl^uer stabeleciment'
commercia! luolhados: a tra-
tar na ; : 'orarL^6, ou na do Jmpe
rad" ;
Para costura
Vei i'ar a
mao. lo a.'rijtnl-i autor, WVder& Wil*on, nova
e em perfeito etada na rna da Imperatm, !>-
p 44._______________________________
Mho e arroz d c i ca
Vene-se milho e arroz do casca cm sarcos, no
irajHce da Companina : a tratar no mesmo Hm
o eaixeirn, u na rna da Cadeta, casa n. i, segan-
do ailar..
A DINHEIRO NA LOJA E ARMAZEM
DO
DE
FEIilX PEREIR1 DA SILVA.
0 proprietario d'este grande estabelacimento, vendo que te est aproximando o fin'
lo anno, e tendo em ser um grande deposito deposito de fazendas; nao fallando em
tvultadas encommendas que Ibes esto obrigado todos os diaa, tem resolvido liquida-
as por prega muito mais baratos do que em outra qualquer parte ; s com o fim
le diminuir o deposito e aparar dinheiro. Encontrase neste estabetecimento do
'AV, avultado sortfmento de iaz^ndas de luxo e modas; assim como de primeira
tecessidade. As pessoas que negociam em pequea escala n'esta laja poderao sortir-
te vendendo-se-lhes petos precos que compram, nis casas inglezas; assim como as ex-
ellentissimas familias poderlo mandar uscar as amostras de todas as faiendas, ou man-
lar-se-ba levar pelos caixeiros da mesma toja em suas casas; o estabelecimento se
'Cha constantemente aborto das 6 horas di manhaa s 9 da noite.
Crochs nara cadeiras e sofs
fkplendido sortimento de
roupas feitas
NA LOA W PAVO A RA DA
1MPKRATR1Z N. 60
Acha-se este grande estabelecimento com-
tletamonte sertklo das melores roupas,
endo calcas pautte e coletos de casemira,
le panno, de brim, de alpaca, e de todas
18 mais faaendas que os compradores pos-
tara desojar, assim como na mesma loja
para caneiras e
O P?vo tem um glande sortimento dos
mais bonitos crochs proprios para cadei-
ras sofs, mesas, almefadas etc etc., assim
como proprios para cobrir presentes, e ven-
de-se mais barato do que em outra qual-
quer parte,
GLACE' A 1:200 PARA VESTIDOS
O Pavao tora esta nova fazenda lisa pro-
pria para vestidos, com as mais delicadas
cores e com mais lustre do que a propria
em umbeHosortimento de pannos casemt- sedacom 4 palmos de largura quefacilita
as, brins, etc. etc. para se mandar fazer fazer-se qualqner vestido com 10 covados
rualquerpeca de obra, oom a maiorpromp- e vende s pelo baratissimo preco do 1:200
ideo vontade do freguez, e nao sendo rs. 0 oovado, pechincha.
ibrigados a acceita-las, tjuando ro stejam ALGODAO ENFESTADO
ompletamente ao seu contento, assim cerno Vende-se urna grande porcio de algodio-
i'este vasto esUbelecimento encontrar o snb0 americano com 8 palmos de largura
espeitavel publico tira bello sortimento de proprio para lences e toalhas tendo liso e
amisas francezas e inglezas, ceroulas de trrncado que se vende por preco muito em
i -' ^g1* W"-
4
\
ft
^
* ** qilttMABfl
mm NOVIMDE
Qoaado a AGU1A RRRNCA, mais precisa scientificar ao respeitavel publico em
geral, e em particular a sua boa freguezia, da immensidade de objectos que ltimamen-
te tem recebido. justamentequando ella menos o pode fazer e porque essa falla invo-
luntaria ella confia e espera na benevolencia de todos que lh"a attenderao e relevaro.
continuando portento a dirigirem-se a bem conbecida Ir ja da AGUIA BRANCA roa do
Queimado n. 8, onde sempre acharSo abundancia cm sortimento de sonerioridade em
qualidades. modicidade em precos e o seu nunca desmenltido AGRADO E SINCERIDADE
Do que cima fica dito so conhece que o tempo io quf a AGUIA BRANC v pode
dispr, empregado apezardeseuscustosnodesempenbo de bem servir a aquellos que a
honrm procurando prover-se em dita loja do que necessitam. entretanto sem ennume-
rar os objectos que por sua natureza sao mais conhecidos ali, ella resumidamente indi-
car aqueHes cuja importancia, elegncia e novidado os tornam recommendaveis, como
b> m seja
inho e algodo e outros muitos artigos
>roprios para homens e senboras promet-
endo-se-lhe vender mais barato do que em
>utraqualquer parte. Na ra da Impera-
r n. 60, loja e armazem de Flix Perei-
da Silva.
Pechincha a 2^000
J'ari lenc/Ses.
Na loja do Pavao vende-se supf rior bramante
.-om 10 palmos de largura, dando a largura o cora-
prai3ntu do lencl, sendo apenas preciso para
cada lencol um e'meio, ou uti e um quarto me-
tros ; alm desta anliracao tem outras muitas
para arranjos de familias e vende se pelo barato
preco de 2*000 o metro ."a loja do Pavao, ra
la Impcratnz n. GO. De Felrx Pereira da Silva.
d-augas de iinho
Vende-se gangas de linlio com qua lrinhos
muito boa fazenda, para roupa de homens
f meninos e vende-se pelo barato preco de
.'iOO rs o' novado:
PECHINCHA EM PANTO PRETO A 2:409.
O Pavao vende superior panno prelo lino,
para palhlots, calcas, coetes, etc., pelo ba-
ratissimo preco do 2:400j o cuvado, gran-
de pe hn. ha.
(oresde t-Uhcmirapretaa -ISOO
o PoVJo vende os supriores cortes de
casimiras protas nfVstydas, polo barato
preijo de :o'0, is pechincha.
PARA 0 CARNAVAL
Verhatiua aitO rs.
O Pavo vendo bonitas verbunas de co-
res para dnuunos o nutros tragos ile ms-
caras pelo bar uissimo preco Ue 6i0 rs. o
ovailo.
PECHINCHA, ALGODAOSIN110 A ;000,
O Pavao c>l vendeiido pecas do algo-
dosmho franeez, temi \ paunos. de largu-
ra com 11 metros Cdda peca, pelo barato
preco de IdQDO.
Peeas de madapolo a 3:500.
O Pavo vende pecas de muit bom ma-
dapoiao tendo 12 jardas cada urna pelo ba-
rato prego de :t:5U0.
GROSDENAPLES PRETOS.
Chpgou pa.a a loja do Pavo um grande
sortimento de grosdenaples prctos, tendo
de IdOOal li^OOO o cuvado ne.-to genero
os raelbors e mas largos que tem vindo ao
mercado, assim como bonitas sedas' pretas
lavradas, noireanliquesetc, todas esias fa-
wndas. vendem-se mais batato do qne em
outra qualquer parte, por ha ver grande
porco.
PERCALLAS E CHITAS RARATAS.
0 Pavo vende um grande sortimento
das mais bonitas chitas claras e escuras, mais
barato do que em outra qualquer parle.
asaas a iO rs.
Vende-se na loja do Pavao benitas cas-
sas de cores lisas a 240, 80 o 300 rs. o
cuvado.
Cambraias brancas a 1:000 a peat.
^'o Pa*3o vende pecas de cambraia
branca transparente, tendo mais de vara de
largura, com 10 jardas cada peca, fazenda
que stmpre so vendeu a 7000 e SfiOOO,
liqu da-sc pelo batato preco de 4(5000
Alpacas brllhantes a I .*. o *<00.
O Pavo tem o mais bello sortimento de
alpacas lavradas com as cores mais delica-
das que tem viudo ao merca Jo e lendo bas-
tante latguaa, vendem-se pelo barato preco
de 16U00, eSOO rs. o co>ado.
tlorino de eordo
Vindo-so merino prelo do cnrd.a pro-
prio para calcas, palit l o Golletes, pelo
barati.-simo proco de l,;000, o'covado,
AS POUPELIN\S DO PAVO A .iOOIS.
Chegaram as mais liadas poupclinas de
13a com imitaco das poupclinas de seda,
um fazenda muito leve com as mais lin-
das cores, sendo: verde Rismark, roxa, azul
yrio, cnsento, perolla etc, etc. o vende-se
pelo baratissimo preco de filtO rs.
BONITAS LAASINHAS
Oil ANADINAS A110000 RS. O GOVADO.
Chegou para o Psvo, um grande e va-
cado sortimento desta nova fazenda de la
e seda propria para vestidos, com os mais
delicados desenhos emais modernas cores-,
lo bastante largura que facilita fazer-se
nin vestidjaom poucos covados, pelo
tissimo pfipVe 1*>00 o covado, por
larem m\M prximos'da festa.
Na loja fl^^BBCm grar.j,
o de colcl^HH I^BP''" brancas
litas de ermFfBii.tmo a ootTa, ateto namt
lommdaraaiDBae.il-praen>fha3.
conte.
*aaos de linhu
Chegou um grande sortimento de pecas
de panno de Iinho do Porto que se vendem
de 700 rs. at 10000 a vara, garantindo-se
que em fazenda de linbo ao ha nada me-
lhor, nem mais proprio para lences e toa-
lhas.
PECHICHA EM CHAPEOS DE SOL
Chegou um graede sortimento dos me-
jores chapeos de sol de seda, inglezes ten-
do nesle artgo o melhor que tem vmdo ao
mercado assim como urna grande porco de
ditos de alpacas de todas as cores e todos
se vendem por preco muito mais barato do
que em outra qualquer parte, por haver
grande percao.
i eocos braucos
Vende-se um grande sortimento de len-
cos brancos para homem, sendo a duzia a
1-600, 20000 e 30000, ditos abanhados
muito finos a 40 e 60000 a duzia, ditos de
fl?ffui3o fazenda muito superior a 50, 60 e
70000,
Os baldes do Pavao a 2$000,
Cheg u um grande sortimento de baloes
ou crenolinas do feitio mais moderno muito
proprias para vestidos onnesgados que se
vende pelo baratissimo preco de 20000 ca
ila um grande pechincha
Fustes brancos para vestidos
Chegou um lindo sortimento dos mais ba-
ratos e bonitos fustes brancos com listras
e cordes, sendo fazenda bastante larga e
llexivel, muito propria para vestidos e mil-
pas de meninos c vendem-se a 650 o co-
vado.
CRETONES MATSADOS PARA VESTIDOS
A640E 800 RS.
Para a loja do Pavaa chegaram os mais
bonitos cretones escuros matisados. pro-
prios para vestidos, roupo chambres etc.
que se vendem 800 rs. o covado, assim
como a mesma fazenda em padrees claros
proprios para vestidos e roupas de meni-
nos a 640 o covado, sendo os padrn mais
moderuos que tem vinpo ao mercado.
aos n MIL m1IIIIS Di
LASINHAS LUSTROSAS A 400 RS. 0 CO-
VADO.
S o Pavao
Vende-so um grande sortimento das
mais modernas e 'legantes lasintias para
vestidos, com as cores mais novas que tem
indo a este mercado, sendo comlislrinhas
ffliudinbas que parecer de urna s >:r e
:orn tanto lustro que imitam perfoitamente
is poupelinas de seda, e vendem-so pelo
jarato preco de 400 rs.
Os setiiis do Pavo
Vende-se os mais bonitos sotins de cores
i mais encorpados proprios para vestidos
iendo de diversas cores.
AOS PALITOTS DO PAVO A 180 e
205000.
Vende-se um bonito sortimento de palito-
is francezes sendo, sobrecasacados e pro-
piamente sobro-casacos, que se vendem
forrados de alpaca a 180000 e forrados de
leda a 205000, pechincha.
FAZENDAS PARA LUTO
Na loja do Pavo.
Encentra o ro?peitavd publico neste cstaboleeir
nento um grande sortimento de fazenda* pretas,
orno sejam, cassas francezas e ingleza, chitas
irelas de todas as q-aalidades, fazenda de lia de
edas quo tem \indo, proprias para luto, como
lejam, laaainbas, alpacas lavradas o lisas, oantao.
jombazinaa, morin, etc., que tudo se- vende por
>re<;o barato.
Vladapolao franeez a 7 000 rs*
Vende-se pecas de madapolo franeez
ora 22 metros pelo baratissimo preco de
70000 a peca, pechincha.
Altas novidades em sedas
Chegou um grande sortimento das mais
noderaas poupelinas ou gorgures de seda
i Iinho coto os mais elegan-es padres que
em viudo a este mercado sendo, miodo&e
{raudos, tanto em cortes para vestidos como
jara vender em covado, assim como iim
>onito -sortimento dr rrnns bonitas::
inte
Corpinbos de cambraia, primorcsmente
enfeitados com fitas de setim e obras essas
cuja novidade de molde e perfeico de ador-
nos < s tornam apreciados.
FRas mni largas de diversas cores e qua-
lidades para cintos.
Leqoes uesse objecto muito se poderia
dizer querendo descreve-los minuciosamente
por suas qualidades, coree e desenhos, tal
o grande e variado sortimento quo acaba
de chegar, mas para nao massar o pretn-
deme se lbe apresentar o que poder de
melhor.
En treme ios em pecas de 12 tiras.
Guipare branco e preto de diversas qua-
lidades e desenhos.
Ditos de algodao com flores e lisos.
Veos de seda para chapelinas e monta-
ra.
Meias de seda para noivas.
Ditas abenas de fio de Escossia.
Costumes oo uniformes para meninos.
Enxovaes completos para baptisados.
Capellas brancas para meninas.
Grandes sortimento -de flores finas.
Fil de seda, preto.
PERFUMARA
Grande o constante sortimento do dita,
sempre melhor quajidade.
Lindos vasos com p de arroz c pinsol,
Caixnhas com ditos aromticos.
Ronitos e modernos pentes donrados
para circular o coque.
Ronitos brincos de plaquee.
Aderecos o brincos de madreperolr.
Caivetes finos para abrir latas.
Thesouras para frisarbabadmhos.
Aspas para balan.
Novos stereo.scopos com 48 vistas, as
quaes sao movidas por um machinismo
urnas substituem as outras.
Vistas para stereoscopos.
Ronitas caixinhas do vidro enfeitados com
pedras.
Ditas de madeira envernisada com vispo-
ras e com dminos.
Rollas de borracha para brinquedo de
Touquinhas de fil, sapatinhos bordados enancas,
e meis para ditos. Diversos objectos de porcelana, proprios
Camisinbas bordadas para ditos. para emeites de mesa o de lapinbas.
SORTIMENTO PARA A FESTA"
Vende-se por menos de 10, O e 30 [e
SO' NO
ARMAZEM CONSERVATIVO
N. 23Largo doTenjo N, 23.
DE
inuul
O Campos da ra do Imperador n. 28
no intuito de servir Satlsfaton mente aos
seos innumeraveis amigos e freguezes. em
particular e cm geral ao respeitavel publico,
desta cidade : avisa aos que esliverom pas-
sando o tempo calmoso, nos. delt-itavefe
arrabaldes desta capital, que tem resolvido
vender, de de superior qualidade, a procos
razoaveis. os seguintes gneros a saber:
PARA CIMA DE APARADORES'
Latas com doce em calda de diversas
qualidades nacionaes o estrangeiros.
Ditas com peixe a saber; salmn, ostras
e lagostas.
Ditas com ervilhas francezas e portug-
zas.
Ditas com gcla franceza.
Cerveja franceza verdadeira fube.
Presunto para fiambre e afiarnbrados.
PARA DISPENSAS
Lates com cbouricas novas sendo de 80.
cada urna.
Presuntos de Lamego para tompeiro.
Cuias do Para (pintadas pelos indgenas
daquelia provincia.
Copos de vidro com dobradjea e tampii
para diversos misteres.
PARA OS QARJOS DE DORMIDA
Porte-pliosphoros cheios de phosphoro
de segnr<>n?a.
PARA SALA
Granitos do S. Flix do afamado fabri-
cante Costa.
Fumo picado do Daniel de S. JoSo V;
Rio de Novo.
Alm desses gneros, o Campos tem con-
vioco de que o seu estabelecimento e um
dos que podem satisfazer com garantas as
exigencias bem entendidas, dos Ilustrados
|iiabitantes desta lieroica provincia, porquao-
to s acha ello bem prvido de gneros su-
periores, de maneita a n3o desmentir
0 Campos.
BRACO
STMAO DOS SANTOS 8' C.
Os proprietarios deste bem sortido armazcm de secco c molhados esto rc-
solvidos.a fazere urna grande diminui xima a festa o sempre se fazem avultadas comprSs para o centro c praca, por
isso previnem ao respitavel publico em geral. que mande fazer suas despencase cer-
los de que vero a grande diflerenca em precos mais do que cm outra qualquer parte
e garantindo-se as superiores qualidades.
GAZ AMERICANO 96300 a lata, e ii
rs. a garrafa e 660 rs. o litro.
VINHO VERDADEIRO FlGUEIRA 560
a garrafa, e 40500 a caada e 800 rs o ti-
tro.
DEM DE LISROA das melhores marcas,
a 400, 440 e 500 rs. a garrafa, a 20800 e
30200 a caada, 660 e 72< rs. o litro.
DEM RRANCO DE LISROA a 40000.
a caada e 560 a garrafa, e 840 rs. o litro.
VINAGRE VERDADEIRO DE LISBOA
200, 240 o 320 rs. a garrafa, 10400,
1,4800 o 25200 a caada,
AZEITE DOCE DE LISBOA 900 rs. a
girrafa, e a 70 a caada, e 10340 o litro.
MANTEIGA INGLEZA FLOR 10400 o
10280 a libra, 30060 o 25780 o kilo-
grammo.
DITA FRANCEZA 960, 900 e 850 rs.
a libra, e 20100, 10980 e 16860 o kilo-
graramo.
DITA PARA TEMPERO 560 rs. a li
bra, 10220 o kilogrammo,
far abatimento.
Ra do Imperador n. 26
Neste novo estabelecimento encotiiia-se
diariamente um variado sortimento de bo
linhos para cha, pastis, podins, bollos in-
glezes, p3es do l. presuntos, dilosm fiam-
bre, superior cha Hysson, pelo, e mitidi-
nho. Vinhos finos de todas as qualidadt-*
conage, licores, conservas, champagne?cer-
veja ingleza, fructas muito boas, poi-
tuguezas e francezas.
j'm completo e variado sortimento de
caixinhas de todas os gostos e precos para
mimosear senboras. estas csiniias reenn-
temente chegadas de Paris sao de prtmnra-
do gosto, ofleresse-mo-las aosgalaotlidoies
do bello sexo pois nellas acharo nm digno
e serio presente para as donas dps seos
pe.nsamentos. Tambera os apreciadores da
ha fumaca encontrarlo charutos dos me-
lhores fabricantes da Baha c de (lavaos
sganos do llio de Janeiro etc. etc.
Doces d'ovos seceos, chrisl.i.-ados e de
cald3. ditos de caj ede outras qualidades.
Neslacasa recebem-sc encoinmendas para
bailes, casamintose baptisados eqttalqaer
encommendas avulss, como seja pao d to"
o bollos enfeitados e outros muitas toujas
que enfadonhn menriontir.
511
Li
SEVADIXIIA E iAGU 280 rs. a libra e
620 rs. o kilogrammo.
FARINI1 \ DEARARLTA VERDADEIRA
0';0 a libra e 16400 o kilogrammo.
BOLAXINHA INGLEZA AIUJTO NOVA a ^^mognoeamaTeflo,Ibri tucional eeetrai,
100 rs. a libra e 8t)0 rs. n kilogrsmmo. S^i.^JgS^S f^Ll poJ %? !
VELLA DE tPARMALETL a 720 rs. o; sa fatem-sc ,-cm perfeico todos os tnbalfaos r
f '
Lil!JlYUlll/l
Resta a venda um eseolhido ortimanto do c*
toctos de marcineria, como sejam, mobHiu de jr.-
raasso, em catxa ha abatimento.
PHOSPIIOROS DO GAZ E DE SEGU-
RANZA. 280, 400o560 rs. o masso,
36200 o 66500 a groza.
AME1XAS EM LATAS E CACMNHAh
DE MUITOS TAMANHOS 10280, 26500
36500. 40500, 50600 a lata e a retalho.e 16
a libra.
GOMMA DE MILHO AMERICANA a 400 rs
o masso. e em caixa ha abatimento.
RATA TAS NOVAS DE LISROA 60 rs.
a libra, cm caixa faz-se abatimenlo.
SERVEJA INGLEZA MARCA U 80600
a duzia o 500 re. a garrafa.
DEM OASS, VERDADEIRA IHLERS A
em porc5o se BELL, 800 rs. a garrafa o 90 a duzia.
VINHO DO PORTO ENGARRAFADO DE
BANHA DE PORCO DE RALTIMOOR DIVERSAS MARCAS 16500, 16200, 10 e
720 rs. a libra, t 10560 o kilogrammo, em 800 rs. a garrafa.
por^So se far abatimento.
ARROZ DO MARANHO E DA INDIA
120 e rs. a libra, 260 rs. o kilogrammo c
30400 a arroba.
ALPISTA 200 rs. a libra o 440 rs. o
kilogrammo, e 65<>00 a arroba.
CAF EM GRAO 60 e 60500 a arroba,
200.240 e 260 rs. a libra. 440 e 520 rs. o
kilogrammo em sacca se far abatimento.
SABO MAS3A 240 200 rs. a libra,
520 e 440 rs o kilogrammo, om caixa, se
laz abatimento.
MASSAS PARA SOPA, MACARRAO, TA-
LHARIN E ALETRIA, 560 rs. a librare
16220 o kilogrammo.
OOLACHINHAS EM LATAS DE DIVER-
SAS QUALIDADES, bem como pcVola bri-
Ihante.eombination, Francy-cracyncl, mixed
Britania. Mdium, Fancy-nionac, a, b, c, e
soda a 16000 e I01OO, cada urna lata.
Assim como ba outros muitos
GENEBRA DE HOLANDA E HAMBUR-
GUEZA 76 o 00 a frasquera, c 500 rs. o
frasco.
DEM DE LARANJA DOCE AROMTICA.
110 a frasquoira e 10 o irasco.
QUE1J0S DE DIVERSOS VAPORES,
30tiOO, 26800 o 20400 em caixa ba abati-
mento.
TOUCINHO DE LISBOA MUITO ALTO
400 rs. a libra, e 880 rs. o kilogrammo,
e 116500 a arroba.
L1NGUICAS FINAS PROMPTAS EM LA-
TAS 10000 rs. a lata.
LOMRO DE PORCO ASSADO JA PROMP
TO al0000rs. a late.
CHA FINO. GRAUDO E M1UDINH0 i
30200 o 2|6Q0 a libra, o 66100 o kilo-
grammo.
DEM PROPRIO PARA NEGOCIO 20000.
25200 e 10800, rs.a libra,
gneros, vinho cm ancoretas, azeitonas,
muito novas, passae e figos novos, charutos de diversas marcas, marroelada, feita pelos
melhores conserveiroe em Lisboa, gela de marmello, pcego, ervilbas, em lates, por-
tuguHzas o francezas, vinho verde engarrafado rotalho, pcixe cm latas, bem como
pescada, teinha, pargo. goraz, lula, corvina, vezugo, cavalia, sarda e sardinhas dolan-
tes. Canella, cravo, ervadoce, cominho, pimenta, graodesmnlhos do sobolla 16-iOO.
Finalmente muito* outros gneros que enfandonho menciona-losl
da roa du
ello
alasfe a arrosco da tiborna
K
*erfW^|.^jBLgj
Na loja e armazem doPavio vn da Iinperairiz n. 60.
PAKA A FESTA
3 portas, loja de fer ty$m
53~Rua Direita-53
Neto firanac c.-labelrrimcnto, lia para'vaiider
.nm eomph^a-sortimMito deJprrapnn, e-miudt-zas
c grAsy ^W|| 'iffI ""deja* cliinezas
fiuac!; CrStTds de I a bo-
Ves, balance ntoiro o I 2'balando; pancllas, cha-
Iheiran, caearr.Ha?, friuidoird, 'a??adirafl tonto
ife forro como de pcrcHan. ffl
djwrsos Umanbo*-do fatiraht "Ja|>y, peds kHo-
gra imo3, Lalo do ferro como do latn, metros
para medir fazoida tajrto d forr coma de latao,
salitre, breo, barbaak!. oaMtttf ktapel marca via-
do, do verdadeiro Picardo, ^ebioas. para Uea-
fpcar algodao; alm do outros artigo*, do lerra-
gem, miudezas cuiliri.i- fina?, qiio sicm a vis.
i ta m veriOca; ua ra direita u. 153 Iota da 3 por- nos. I
ItaseMaooel Beoio de CHiveira Braga* C & 34.
CEMENTO
POfiTLAND.
Vwdp-SQ nq armazcm. araareJJo do Vic
roira d^ Co=ta i Filho, defronto do arco di
coieio, cm barraos grandes
CIMENTO
I>a melhor qualidade e por mr-nor prc;o
qne em oufra qualquer parte, veadem Ama-
ral, Moreira & C. em seaarmaeemdo Caes
da Alandi*ja n. 7.
'flll eSrTWSl dir^rJi
cotinl!
palhinha, como yejam. cmpalhamciito <)< lastrfl
jara camas, eadeiras e sophs.
Gal de Lisboa
chegada no ultimo navio, lem papa vendar Joa-
quim Jos Godeatves Betrrao, iw :cu escrintorio j
ra do Ci>moip'rcn n. \1.
.NA I'IMIMCIADOI'LMO RA I UtlrUKj
OSARIO N. 10 JUNTO AO OIJAB-
TEL DE POLICA.
Acham-se constantemente promptas 2
er'ra salisfeitas, as prest ripcoes dos Sr.
facultativos, e as necessidades dos enferiru
s especialidades da mesma pharmaci?,
composta do medicamentos, tanio indge-
nas, como estrangeiros.
To.-ses e molestias to peito.
Xaropcs de fedegoso, raba do taii.
AffrSo, pao Cai;doso, juca, mtilung, iuC-
amlia, etc, etc.
Rheumatismo e moles-
tias syphiliticas.
Arrobe vegetal, xarope'de salsaiarril'r,
do Pai, plulas o xaroM de veame, tin-
tara e xarope do sicujiira.
Dopiu'is do libada e ba^o, ane*
ma, onilai'o, ele.
Emplasto, oleo, pommada tintura, pi-
llas, xarope c vinho da milagrosa Jort-
beba.
SezSes ou fehres inlermitenles
As pillas anti-periodcas de Pinto.
nico deposito destes .medicamentos z>
pharmacia do seu autor rna torga do, Ro-
sario n. 10, junto ao quartel do corp
polica.______ ., *________
Liquidaco.
O prcpriourlo da loja, denominada Gariba,.
faz ver au repeilav^l publkoa seui lreginze.*, qu>
lendn :< lluido sen I :daaa^c^nft d|^osUUa<
d.ir-sr no flm da c.ida ann
prioiario feito diverso? abtoentaS-1 >/eft
das p;.ra L-rvir en* fregad*, como sejam awl-
ina> aty.V) nienrin; ; niadap
i a, cjtw fra
$>> a 280 a rovulo, i cu
di) o las Tzffl.i* i na
por falla -ar
faz-nda .,
ja dn^nribaldi lia
iv-i om teltra grii
Chegem
ps de
! Ols i iO, deroote da botica nova.


Diario de Pemambuco SegundaJfeira 31 Je Janeiro de 1070.

MM\
OUA VIGILANTE
Osp>
eknCflte, sttni
i ruiLiii 111
A RUI DA HffPEK 1TRS/ U
Esquina d:i rita da Aurora, em frente do caf Iroperatriz.
N'este novo e sumptuoso estabelecimento do fazendas er.cotarae as Eslas,
fatuias tildo quanto (wssaradesejar.lanto em artigos do m*is rigoroso luto, cemoemtodas
. -uiais qualidades de fazendas,
Alera do se torea prvidos do que de melher se neos esta arcedo,
m todos os paquetes da Europa, recetam directamente -o qpe*m artif*^e atte
inais apurado J*<*t se efcaalra en, I'aris, o que vem c^a ditfaogaE as pi^LJ^SSSP! JRS"SSSSo.
* de que dapue c RW doticuM a. 9
jnetaftos dosta UMktlilo estabele-
dos mutbJTOjpfcti|ao linham ex-
piWrt- a iprwaaa jo respeitav publico, maa-
r na'Europa um completo c vanado sorlimento le
fhus-e miideteM- to resWdos M*r, eomo de sen costade,
preces mmio1m*mm? c ciimiodos para te-
, com tanto qne-e iMto....
M*ito tmpcrlojws atas de pellica, pretas, brau-
#-aemuiHat** cores.
JfcMxis e
40k
AlgodSo largo paj:t lences o toalhas de
'Mas as quididades que cosluma vif aomer-
m>.
lpicas le todos o; padroes e qualfda-
des tu variadas que le nao peder descrever.
Albuns com maslras para col locar retratos,
delicado presente para quafq er pessoa de
es mu.
Atoalhado detinbo e alpodSo, bnmeo e
4a cores proprios para toalhas.
GE3
Bas juinas de seda pretas e muilo moder-
aos, bem como de crochet, tu lo de aparado
oslo e fVitio.
Bal)es do mu-selna, madapolSO, brancos
a de edres, para seohora c meninas,
Barege* de edrt s cariado sortimento.
Babadinhus ou (iras bordadas em todas as
argas.
I! Ihulina de todas as rere*.
Bolsas de tapete para viagem. grande
riadade de tamanhos e gostos.
Bumbazina preta de todas as qualidades.
Bramante de Imito de 11 palmos de lar-
jara, o todas .s mais qualidades.
Bretanhas do tinho e algodio, grande sor-
limento.
Brins de liuho brinco e de cores, do mais
mmodo ao mais caro em qualidade, aflian-
ndo o que ha do melhor na especie.
Brins d*alged completo sorlimento e
wiedadu de ar?;os.
OS
Cassas de cores, o matar sorlimento, pri-
mando pelo bom gosto e batateza, atientas
#S qualidades. %
Calbralas brancas, lapadas, c trar.sparen-
Btt de todas as qualidades e precos.
Caafsiahas de cambraia de linho e cassa
bordadas ricamente enfeitados para Sras.
Camisas para tarrens e meninos, tiio va-
ciado sortimento quo vai do sais ordinario
madapoln ao mais perfeilo bordado de li-
lio e cambraia.
Camisas de meia, do flanclla, braneasc
do cores para hornera.
Casemiras pretas e de cores, o melnor
-jue se pode imaginar, sendo d'isso a me-
yor prova o grande consummo dellas na
llicina da casa.
Capellas de flores, para noivas e bailes.
Jesde a mais candida flor de larangeira at
a mais interessante griaalda.
Chapelmbas no melhor gosto, de todas as
ores boje preferidas pelas senhoras de
m3is apurado rigor na moda.
Chapeos prvtos de velludo, para senhoras,
uilimo gosto de Paris.
Chapeos de sol, para senhoras o homeus,
de todos os pre;os e variados gostos.
Chaly cora ricos padroes para vestidos.
Chales do todas as qualidades, anillado
numero e nao tenos variedade de gostos.
Chitas, irapossivel descrever o sorlimen-
to o variedade de padroes e novos gustos,
ha peale artigo tudo quanto se pode desejar.
Cintos pata senhoras o que se pode ima-
ginar de raelh.'T.
Coques, o melhor no gosto c nos enrei-
tcs, varios tamaitos.
Colchas de seda com borlas, o mais apu-
rado g.sto elavor.
Ditas de fustiio branca e de cOrcs por
precos rommodo?.
Corpii!n>s de cambraia, ricamente borda-
dos [tara senhoras.
Cortinados de cambraia bordados c de
fil.o que de mrlhor se pode desejar.
Colarinhos de tinho bordados c lisos, o
maior sortimentr*.
O-*
Damasco de la de !) palmos de largura
BndaS cores e ricos padroes.
OI
Esparlilhos brancos e de cores, para se-
aboras e meninas., o melhor nesio genero ;
nenhoma Sra. delxar por cerlo de muir
Bf> de tao precioso auxiliar perfeifo de
am corpo delicado.
Entremcios 'bordados.
E^comiia preta.
Eiileit" paraeabeca, .ultima moda de
Paris, recebida no ultimo paquete.
Esguiao de finb?, completo sortimento de
iodos os* nmeros.
Fitas largas escocesas para cintos, varic-
"adn de costos Hnds padroes,
Fi hs de crocbt, modernos com cintos
9 capas, o qae ha de melhor.
Fil de seda, linho c algodo, de todos
os goslos e padroes.
Fnsto de todas as cores
grande sortimeolo.
Case com listras de seda c flores, (agen-
da inleiramente novo f>aia vetidoart iaic.
Grvalas p^ra set*a#e hens, i
completo sortiraeote tjnu se {d* deejar.
Guipure preto e bratico, diversas largu-
ras e diferentes gostos.
Gollas e punhos bordados para senlo'as.
ire%pHIBs d Tartaruga para coques,
e riqusimos enfeites para caberas das
ExmaV senhoras.
Saperioros trancas pretas e de cores com vidrl-
II* IM& fazencL o quo pode hafer
"SI.
'* W*** t'^qnes de madreperola,
4 jkntffo H 9o, sondo aqneKes brancos
con lindos esenlws, o estes pretos.
iluito superiores molas fio de F-scossia para Jc-
nhma.", as quae? jcmpre-so venderam por :WW09
I a iiriy. ejretanio-qoe nos as VendemoB por Mi,
uardanapos de tao pequeos e gran- lw^esus, lomoslamb-ui ^ando- sortimonto de
des. i .jutr.is qualidades, entre as. quies alpinias muito
Gorgurlode seda prctoedo cores. *!" ..' .. ______M.
Grodennles nreln *A* rAr*>< h-\t>n Boas'bengalas > superior eartm Indtae
:-^:Pi".:?r2 a8.Cy,U' ,!, ras do mesrao, nesto genero oqao de melhor se
pode -desejar ; akui dess temos Umbem graade
Suantidade de ontras qualidades, como sejam, ma-
eira, baleia, osso, "borracha, etc. te. te.
Finos, boaios e airosos ctiieotiflbor de caiei* e
de ontras qualidades.
Lindas e superiores ligas de seda e bofreha
para segurar as metas.
Boas metas de soda para anbora e para meni-
nas de 1 a 13 annos de idade.
Navalhas tabo do marfim o tartaruga -para fazer
, t M4S SEDAS
11--T1UA DO QUEIMADO-11
Siegiram da Europa palo oitmo ?por i toja de Augusto Porto & C. ricos
cortes das ffiais Tndi sedas do mimosas cores para vestidos proprios para bailes o casi-
mcnlos. -
Grande variedade de sedas de listras de diversos procos todas de lindas cores,
gorgwio de seda pela, o groodenaple de varias qualidades o goirlo de seda ia de.
dUwentes edres.
Novos vestidos brancas fleTSlooU fJ9ra noivas, lindas cotias do seda pare camas,
ditas de laa e seda, cprtinaios baldados para camas o janellas, fronhas e loalhas de
cambraia do linho bohlada^
Luvs nova? de Jovin.eelegsntcs sombrinhas de s das-de edr paf*seinoras.
Espartiltas e ">$ at Jo<>, lindos bournous de catbemira de cor para sahida
de bailo, basques do renda preta. e ditos de croch braco e pUto para senhoras.
GraniflPnaKdo d camisas Enfadas e usas para IiomAs e meninos.
Sortimento de muitas fazendas do laa, linho e alirodo todas por precos muKo
mdico. ,u
Tpeles grandes para sof, piano e camas, pecas de tapetes o de alcatifa para
forrar salos ludo em quantida.de; e vendem sempre^por menos que em oatra qualquer
Esteiras da India de 4.5 e6palmosde largo.
do diversas qualidades e gostos.
djr
Japonezes para soa.'i iras, o mellior gos-
to, e fazenda propria para as feslas os ar-
rabaldas c passeies a tarde.
*
Laazinhas de todas as qualidades, cores
o gostos, nao ficando nada a desejar, tal 6
o sorlimento que existe para escolher.
Lencos, tudo quanto pode baver desdo
esguiao ao algodito commura.
Leques de madreperola e osso, o mais va-
riado sortimento.
Ligas d seda, bordadas, para senhora.
Luvas de Jouvin, chegadas por lodosos va-
pores, smpre novo sorlimento, quer em
pellica para horaens e senhoras, quer em fio
d "Escocia, brancas e de cores.
Madapol5o; 6 indeset iplivel o grande sor-
timento que ha neste genero, desde o mais
elevado preco ao menor, quo se vende om
pega e rctalho por menos do que em ou-
tra qualquer parte.
Mantas de blonde para noivas: o aparado
gosto dos nossos correspondentes cm Paris
habilita-nos a dizer que temos cm nosso
estabelecimenlo o que de melhor se dse-
ja para vestir e ornar urna noiva.
Mantas pretas de blond.
Mantas para carros, com lindas pinturas.
Merinos pretos, trancados c lisos.
Mnsselina branca e do cores, lindos c va-
riados padrSes.
O
Pannos pretos e de core?, desde oniais
barato ao mais superior, por preco omito
c.mmodo.
Pannos de crochel, para cadeiras e lola.
Ditas de casemira muito finos pata
mesa.
Peitos bordados de liuho, lisos e de al-
godo para camisa.
Princetas pretas e de rics.
Popelioa do seda c linho, com lisCrtt e
flores; fazenda lindissima.
Pellierinas para senhoras, do v'mo
0stO.
Perfumaras ; os mais finos extractos o
que de melhor c mais agradavol se pude
encontrar ueste genero, e de mais fragJI!
e suave no olphato, lem o PAV1LHO l>.\
AURORA, desde a verdadeira agua Flori-
da at o mais fino Donquet d'Amour, final-
mente ludo quanto -deve oceupar o tonca-
dor de urna senhora de gosto.
Saias bordadas, branca?, lisas c do cores
com follios c sem ellos, o melhor possivel,
Sabidas de baile, de todas a con.
Sedas pretas, de qoadros, lavradas. lisas,
de listras de todas as cores e qualidades o
o mais barato possivel.
Sarcelim de todas as cores e qualid.idcs.
"OP
Tapetes grandes, lindas pinturas para 8
cadeiras, mais pequeos e de lodos os ta-
manhos desejaveis, e em peca para co-
vados.
Toalhas de labyrintln, do maior c mais
fino ti ibalho ao mais barato.
Toalhas de linho e algodo de todos os
tamanhos, li as e felpudas.
Tarlatana branca com palmas c de cures,
fasenda muito nova, e gostos delicados pro-
pria para baile.
III Lili)
Grande arnazeu de hzendas e roepas feitas i ni da Iinperatrz
. 52, parla larga, de Paredes Parto.
Neste estabelecimenta encontrara o respeltavel publico ora bonito sortimenU)
de roupas de todas as qualidades, palitots de alpaca a BA, 3*500 at 60. Ditos df
merm, ditos de casemira de cores bonitos gostos a-Itf, 64, 8r) e tO, de panno preto
sacos e sobrecasacos. Ditos de brim pardo finos o ordinarios. Ditos de alpaca branca
o de cores do 3*500 a 6i$000. Calcas de brim de cor finas e ordinarias, ditas
; sio amito boas.c de nuis a ma& sio ga-' bran. de todas as qualidades, ditas de brim pardo fino e oudinario, dttas de casemira
m restan- de cor a preta de 4#, 5*, 6* a V&. Colletes de todas as qualidades e preco muito
rantidas pelo fabricante, nos por nossa
bem assegunm?: sna qaaHdsde delicadeza.
Lindas e bellas capellas para noiva.
SnjKTiorcs a*rnliias para machina c para rrox.
Linha muito boa de peso, rcuxa, pitra cncher
labyrintho.
Bous baralhos de cartas ptm voltaTctc, assim
eoiio-os tefitos^ara o nMMMrtitn.
Crando variado sortimauto das- meltoores per-
fumarias e dos moltaores mais onhecidos per-
fumistas.
COLARES DE ROER.
Elctricos magnticos coirtra as onvolsiJe?, e
fa-iiiJain a denticao das innocentes criancas. So-
mos desde muito recbedoros destes prodigiosos
collares, e continuamos a rercTie-^os por todos os
vapores, afim <> qno nunca faltem no mercado,
orno ja ten acontecido, assim pois podoiio aquel-
los que delles precisarcm,' vir ao deposito do gallo
vigilante, aonde sempro encontraro destes verda-
deiros eollares, e s qtttes attendendo-se ao fim
para quo sao appiicados, se Tenderlo com uin mui
diminuto lucro.
Rogamos, poi?, arista -dos cbjectos que dof xamos
declarados, aos nossos freguezes e amigos a virem
comprar por procus muito ruoaveis loja do gallo
vigilante, roa do Crespo n. 7.
Machinas vapor de
forpa de 3 e 4ca-
vallos.
Motores para 2 cavalios.
Arados americanos.
.Machinas do faco e serrles para dcsca-
r>:.1r algodo.
Balanzas para armazom o balco.
Gamas de ferro.
Cofres de (erro de Milnez o de Uhit-
field.
Prencas para copiar carcas.
Fogao americano patent
Vistuarios bordados de fuslao brancos e
de cores para meninos, de cambraia para
baptii-ados, o que de melhor tem rindo a
este mercado.
Vestidos de 19a escocoza de 2 saias,
novidade pelo padro, gosto c forma; ditos
de linho com barras do cines, e de cam-
braia de cores com 2 saias, tudo inteira
novidade, trazem os modollos jticitos para
mostrar a forma de os fazer.
Veos de blond para noivas c proto? para
Into.
Vestidos do blond para noivas: podemos
j asseverar as nossas Exmas. freguesas, que
c qualidades somos os nicos era Pernambuco que pode-
mos offerecer ao Ilustrado publiec, o mais
Flanella bnaea e de cores. apuradogosto em semelbante materia, gra-
Flores, 6 o t|*e ha de mais rio. quer cas, ao bom gosto do noss fornecodw em
Mitas, quer 4m *ramos, tora o PAVILHaO Paris, podemos'garantir qoc ninguem neste
u \ AURORA. permanente jardim a genero o possue melhor, ncm mais om
disposico das t]tanas, familias. conta.
E' disjwndo d tao grande o variado hortimento que o proprietarios do PA-
V1LHAO DA aliKOilA se apresentam ao publico declarando desde j que a sincci ida-
de e o bom -gostoo movel nico de seus negocios.
Prwdc-s de tudo o promptos sempre a prover-se do que por ventura Ibe
saja nwessarto, os proprietarios desto sumptuoso estabelecimento recommendau;-so
em recoia do efcm contradictos e proteslam esforcar-se por continuar a merecer
protecaV) qno aeltes tem dispensado ; cortos do quo do sen estabelecimento tic sahira
o freguez descontente.
Contina sempre a oflicina do alfa ate dirigida por um dos mais habis artis-
tas, prompto Kocntar com promptido c bom gosto qualquer trabalho que Ibe seja
condado. Urna modista especialmente oceupada nos trabalbos do PAVILHAO I) 1 A-
RORA, dirgeos ijao Ihe sao concornentcs, garante porscu apurado gosto e promptido
na execofio o a mais completa perfeirao nos seus Irabalhos.
A numerosa fregnezia qae nos honra urna prova de que merecemos o con-
^eitocrae s t l4||Bsa ao xsso eslabelecimento, conceito que procuraremos firmar cada
vez mais. Acuitar ainda a concocucio do fim quo nos propomos, temos no nosso
?8tahe!earH0|*'trftnos Bgurioos do Paris, quo recebemos por todos os paquete?, os
tutes enviarwasjiara scrom visto as familias nossas freguezas, afim de escolherem,
;ora o padrao tt fazenda o gosfo na forma.
"ileioa de atfalfte, jooto ao estabelecimenlo, ha igualmento os figcrinos
lra twmeos truc ir todos os vapores se recebem.
KO modo pesque as apresentamos pedindo a protecro doiflostrado
mt)\iM o com ais profoado neapeilo convidamos s xceUcntiasimas Srss. a visi-
larem o n<*!so >B^I*elecimento, certas de encontrarem nollc pelo menor proco possivo-
d3 que paMfleftejar. V -w
' Maofiamnos causaros levar as fazendas earaoatras onde forera pedidas,
*5o podena Joo Luiz, Sobrtnho C.
Cal nova de Lisboa
clicgada no nllimo navio ; vendo Joaqun)
Ramos, na ra da Cruz n. 8. I- andar.
Jos
PO BAZAR DA MODA
DE
JOSfc DE SOMA SOARES k C,
Ba Nova
VENDE-SE MUITO BARATO PARA LIQUI-
DAR A DINHEIRO.
Luvaa.
De pelica branca muito frescas, chegadas
por este nltiino vapor para homens, senho-
ras e de cores e pretas para meninoso
par 2*000.
Minhas festas!!
Lindosobjectos para mhaos, como sejam:
Estojse caisinhas de msica, bolcinhas e
sestinhas, vasos e balainhos de porcelana
dourada, figuras, tinteiros, port-bouquet,
caixinhas para f jas, interesantes conchinhas
com frascos para excencias, ricos quadros
para retratos, apparelhos de plaqu, cama-
feo e madreperola, lindos vasos cora perfu-
maras etc. ate, e mudos outros objectos
para este fim.
Chapo de sol oh Hombrinhas
de setitn ricamente enfeitados e mais mo-
dernos quo pode havor para sonhoras a
IA, !(,.> o 18000.
GUIPURE OU CROCH
preto on branco que o pode baver de mais
bonito cm padrees e superior em qualidades
para casacos, capinhas, corpinbos, meias
saias etc. e vende-se muito barato.*
LINDAS CAMELIAS
brancas o cor de rosa de dous tamanhos
cada rosa a 1*200 e 4*500.
Chapeo para senhoras,
de palna fina de Italia elegantemente enfei-
tados o gostos muito modernos de 15*000,
vende-se para liquidar a 10*000. E' pe-
chincha.
qaalidades e preco
barato. Completo sortimento de camisas francezas de algodio e de linho de 2* at 5*
urna. Sortimento do seroulas francezas de algodo, de linho e bramante a 2* e 2*500.
Gravatas (mantas) novissimo gosto a tolos os precos. Meias sortimento completo a 3*.
4* at 7* a duzi...
ROUPAS PARA MENINOS.
Enca rega-sc de quaesquer obras do encommenda tanto para bomom, como
para meninos, c com brevidade, por isso qoe tem om bonito sortimento de fazendas de
todas as qualidades tanto cm casemiras como brins, pannos finos e ontras mttitai la-
zondas.
FAZENDAS
Bramantes de 41 palmos de largura a 1*800 o metro.
Cambraias de cor e branca.
Alpacas do todas as cores a G40 rs. o covado.
Poil-de-chvre com lista de seda fazenda de gosto a 1*200.
Basquines de guipure enfeitadas a 18*000.
Sortimento de chitas escuras e claras a 280, 300 e 360 rs.
Madapolfio fino a WaOO, 7*, 8* e 9*000.
Algodio peca com 20 jardas a 4*500, 5*500 e 6*000.
Pega de algodSo largo a 7*500.
E oulras muitas fazendas que ser enfadonho mencionar Chegucm roupa
feita que se est liquidando na loja ra da Impcratriz n. 52 Q'unlo loja de ouiives) do
LEAO DA PORTA LARGA
DE
Paredes Porto.
achroma-|OV
Mikroskope
Stisehcn. Objeliv Lin-
seu.

Barmetro e termo*.
metro.
e reuumeuro.
Centgrado
Hemos PERISCPICOS
E crystal de rocha do Brasil.
F. J. Ccrmann. recommenda no publico, seus vidros periscpicos apcrfei'coa
dos; porque, com estes ridros, a vista descanta, fortifica-sc e nao a canea como, com
os vidros ordinarios. Urna vez escollado um vidro, pode durar dez annos, emquanto
que, com os vidros ordinarios se est obrigado a mudados todos os annos e os ter
cada vez mais grossos, o que altera o cryslalino do lho e determina quasi sempre do-
res docabeca. O alcance ordinario da vista c perto de 30 cenlimetros do lho, e,
todas as vezes que o objecto est mais peito ou mais longe, os raios que expolie so
mui convergentes ou mui divergentes e a vislo nao pereita. Um grande numero de
pessoas tem o defeito de fazer convergir muito de sorte que a viso nao 6 dislincta.
Com a applicacao de meus vidros pde-so vencer estas difficuldades. Para os que tem
a vista curta e cujo crystalino mui convexo (o quo faz ver bem, de perto, e mal de
longe), o quo so chama rayopo, por meio de um vidro concavo afiasta-se o ponto de
vista, o qoe faz divergir os objectos c deixa ver to longe como as outras vistas. Quan-
do o crystalino muito chato, o que succode aos que tem chegado a urna certa idade,
o que se chama presbyta, vem melhor de longe que de perto, e nao enxergam seno
ora nevoeiro na distancia ordinaria da vista; com um vidro convexo, estes enxergaro
tac distinctamente como na idade de 15 annos. Servindo-se destes vidros qaando e
vista principia eufraqueccr, previne-se o mal.
P. i. Germano encarrega-se pela sua exporiencia, tendente aos olhos, a c s
colher, a primeira vista, seja qual for a idade c grao de vista, oculos proprios para
qualquer pessoa,
Para que sao fabricados estes vidros ? ?
Oeordeiro previdente
lina do quinado a. i*.
Novo e v; e perfuman*
fina tos.
Alm do diarias, de q^ dffect i vanante esta prvida
loja do Cordelo Providente, ella adta'o*
receber m otftro sortimnt que se
eoiavel f>ela variedao doob
dade, qualidades e cofflmodidades de pr*-
jos; assim,pois,oCordeiroPrevidento p#d
6 espera continuar a merecer a apreciae>
do respeitavel publico om geral e dfc so
boa freguezji n pm*tl, nao so afa
lando olio de sua bem coohocida mantuda
e barateza. Em dita loja eocontrtrio m
apreciaderea do bom: t
Agua divina de E. Coodray.
Dita verdadeira de Murray d LanflUao.
Dita -de Cologne ingina, americana, fraa
ceza, todas dos melhores e mais acreditado
fabricantes.
Dita de flor dohnafoiraa.
Dita dos Alpes, e vilete para toile'L
Elixir odontalgieo para coBsorvaoia 4
asseioda bocea.
Cosme tiques de superior fndMMoe ca
rol agradavels.
Copos o latas, maiores e menores, coa
pomada fina para cabello.
Frascos com dita japoneza, traaspareni
a outras qualidades.
Finos extractos ingleses, americano
francezes em frasco? simples e enlatadas.
Esseneia imperial do finoeagraotvlrt*'
'o de violeta.
Outras concentradas e de ebeiros tgtai-
mente finas e agradaveis.
Oleo philocome verdadeiro.
Extracto d'oleo de superior qaadad*
com escolhidos cheiros, em frascos de dtfi#
rentes tamanhos.
Sabonetos em barras, maiores e menor
para mos.
Ditos transparentes, redondos e em flg&
ras de meninos.
Ditos muito finas em caixinha pars barba
Caixinhas com bonitos sabonotes imand*
fructas.
Ditas de madeira invernisada contendo a
Qas perfumafias, muito proprias para pr
entes.
Ditas de ppelo igoakne&te bonitas, taa>
bem de perfumaras finas.
Bonitos "vasos de metal coloridos, t
moldes novos e elegantes, com pd de arro-
a boneca.
Opiata ingloza o franceza para denle*.
Pos de camphora e outras difTerento
qualidades tarabem para dentes.
Tnico oriental de Kemp.
Alada atis eoqaes.
Um outro sortimento do coques de nu
vos o benitos moldes com filis de vidriliu
a alguns d'elles ornados de flores o fitas
istao todos expostos apreciaco de qus
)8 pretenda comprar.
GOLLINHAS E PUNHOS BORDADOS.
Obras de muito gesto e perfeicao.
Flvellas e fitas para ciatos.
Bello e variado sortimento de taes cbjo
tos, ficando a boa escolha ao gosto do coa
prador.
IMP POPtLAM
DA
Hiiifa umw u nm
DE
Texeira Uldurico $ C.
Acha-sc venda este ptimo ray, unict' qa
pdc suppnr falla do princeza de Lisboa, par 'm
de mu agrada.rd perfume, viajado, e a prc^o o
mais modko possivel ; e por isso tem sido assju
acoluldo as praeas da Bahia, do Rio de Jenrira
cm ontras do imperio : no escriptorio do-ioa^uio
Jos Gonralvus Boltrao, ra do Conmwrcio nu-
mero 17.
MILHII
ABABA
F novidade.
Para a vista myope, (vista curta).
Para vista que se cobre de nuvens.
Para a vista que por momentos, ve es-
voacar pequeos pontos negros.
Para a vista quo as palpcbras tromem
de fraqueza.
Para a vista quo os olhos so desigoaes.
Para a vista que se turva com o Iraba-
Ibo c a leitura.
Para a vista presbyta (vstagalon).
Para a vista que nao supporta os raios
solares nem grande claridade.
Para a vista operada da catarata.
Para a vista que as palpebras esto cer
cadas do sangue.
Para a vista que um dos olhos myop
c o ouiro presbyto.
Para evitar finalmente quo o crystalino
do olho so cobra de catarata.
O proprleurio da loja da Arara, tem a honra de
declarar ao respeitavel publico, que receben um
completo sortimento de fazendas de todas as quali-
dades e vai expor a venda pelo preco mais barato
que possivel, cono seja madapolao de todas as
qualidades, aifrodaosinhos, chitas e cassas, panno
tiaoi pretos, cachemiras pretas o de cures, grosde
aples pretos e outras umitas fazendas que a vista
dos seas freguezes veri* a saa qualidade de preco
como barato : roa da Imparatriz, loja da Arara
n. 71.
aaaop.
Em pequeas poreocs a 8*600 j em nuier
a 8*000, milho novo, saceos grandes, na ma m
Vipario n. 16, 1 andar escriptorio de Joaqun
Guido de Bastos. Na mesma casa ha para vrn
der escolente farinha de mandioca, arroz, fom-
ma, tapioca, ararnta em barriquinhas, alfazema.
viudo do Porto em ancoretas o arris de quiat
tudo' precos razoaveis. .
Candido Alberto Sodr da Molta & C., Ton
escriptorioe armazem na travesa da Madre dt
Ueos n. 14 tem para vender o segninte :
Cemento l'ortland de qualidade o melhor am
tem vindo ao metcado,barricas do 12a ti arrola
por 10*000.
Vinho Bordcaux das segnintes qualidades:
St Julin.
Fronsac.
Lormant.
St. Emilion.
Margans.
Chateau de [kiychcrellc.
St. Lamben.
Inloirt)ere.
Duplessis.
Cauor.
Dearsesai.
Vinho do Porto qualidade muito espedal.
Azeito doce refinado em caixas de 12 garrafa.
Vinagre superior ero garrafoes pequeos.
Farefo hambnrguez, sacco3 do 80 libras,
Farinba de trigo de superior qualidade.
Darris com alcatrao, de arcos de (erro.
Fumes de todas as qualidades, se eoeenlrart
esto estabelei'imento em latas, rolos a faWos.
Papel de todas as qualidades, proprio* para ci-
garros.
I*
'Aslo
Aberta das 6 s 9 horas da noite.
caz mm
Ckegos ao aatig deposito de fleary Porster
O., ra 4o Iapakior, am camgaanto de ga>
do jrinaelfa sjsanide; essal m vende em partwat
areulaapQraaiiawQftdosaeeoioaipiqtaJ-
aMraura._____________
Iiokcbmlia inglez a 4$
soarrfea, tsHOn. *4*ra: no ermswtn 4 es-
Ra,tano de Mrako a. ti.
Sorlimento de binculos
para tliealro, e oculos do
alcance para o campo e ma-
rrana.
Lunetas, p'nce-nez e
ace--maia, ouro, prata,
tartaruga, blalo, ac,
etc., etc.
ma^IltamI.Cm^an.-e,sorliroentodo to8osPra parede, que dSo horas epara
ama do mesa dos mais kndos modelo Rologios para algibeira, de ouro Drall arata
dourada efoleada, ingtezes, soissos o orisontaes dos melhoi P
cantes.
Vendas em grosso e a rolalbo. Em Peraambuco.
N.21=Rua Nova. 21.
INJECTION BROl

Leque do madreperola com seda, e todos do
madreperola, muito proprio para ni as, ebega-
rnni aloja do Passo a ra do Crespo n. 7 A,, as-
sim como requissimos chales de touquim de lo-
das as cores, vestuarios bordados de cambraia
para baptizados, meias de escocia (novidade) mm-
to bonitas para as Exmas. Sras. que gaslam andar
de sapatlnho raso c outros muitos artigos de go<-
to que os proprietarios desto estabelecimento teem
receido.
CEMITO
O verdadeiro portiand. S se vende oa
roa da Madre do Dous n. 22, armazem de
Joao Martinsdfl Barros.
Nova fiicitea de balawsjT
Cestas, borona, coaseu, roupeiro e eostorra
de todos os tamanhos : a ra Oireita n. 2^ va-
de-se por menos do que em oatra qnalqtipr parto.
lo fa-
Caixa Filial do
sil eai Peraaaiaaeo, eai IImbI-
aeio a e Jaaelro le 181 .
A Caria filial vende o grande e eicellen-
to sobrado .sito ma lanera I n. 64, com
accomodaccoes para grande familia, o tam-
bera venda a casa terree contigua n.fitt:
tratar na mesma caixa a .ra do Conu8cr-
cio n. 34.
Voade-K o enoaabo Wa, JaM/a pU o>
Porto-Calvo, em Atag6as com obra de fodra e ea*
ootowo e tolhas, hoas ierras e eom #
* aaa uwu Thomal Cavrtoaate da ~
aior, im o Apotlo o. v
comprar barros mansos para cana..


t
a=5c

Diario de Pernambtico Segunda eira 31 de Janeiro de 1870.
7
BENTO MACHADO 8: C,
A AGUJA NEGRA: animada cora o bom accolhiraento que t-jvc em.scus annun
cid?, veril novo participar a seus freguezes quo. acaba de receber um variado sorti-
meiiti) de objectos do gosto os qaaes ser3o vendidos por presos muito razoaveis, pois
?l-i ido rezos seos priiucirs annucios, foi o que assegorou, e sera mdo de errar,
porqjm como ja t)isse'o=l interesses ligada a urna casa importatloradcU praca, e
por isso poder ter lado especial e vender por precos adrairaveis.Chama pois a alten-
.T) de seus freguezes para os arltgos poesa duscrever:
T.ivros com o tampo do marfim, madre- Um variado sortimonts de cbarutpras e
erla e tartaruga, proprios para missa. palliteiros de porcoJana,
iarafinhas vazias propnas para presentes T t voltaret.
'H( Indispensaveis de palinha e de couro pro- Bugallas com marfim, consa especial.
prias para senhoras a meninas trazer nos Sabonetes de alcatrao.
*racos. n Cofres do folhas para dinhoiro.
Ilinocaloj de madreperla, marm c tar- Unte caixas para costura,
ru^a todos esmaltados. L- ,cl0 sorlmenlo do luvas & pe.
Calos largos de sctini, cousa intciramen- p
M nova. l,ca'
Fitas de sana de todas as cores e largu- Ta,aBro parabordar.
ras para lacos. Um completo sortimenlo de enfeitcs de
Toncas, sapatinhos metas de seda e mais seda para vestido.
oertees para baptisados. Perfumaras de todos os autores os mais
Mas enm inscripcoe proprias para bou- acreditados ein oxtractes, pomadas o leos
foet de noiva, ^ e finalmente oulros moitos objectos que lato
liicos vasos com p do irroz. possivel mencionar ; mas com a vista se
Uru variado sortimente de jarros de por- certificarao do sortimenlo desto estabelc-
ct-Uia.' cimento.
Aguia Negra, ra do Cabug n. 8.
LO JA DAS MACHINAS
Acabam de chVgar grande quantidade das verdadeiras machinas americana^
j*i* descaragarjilgodSo do todos os systemas o tamanhos seguintes:
12 sorras 12 sorras
i\ ditas 14 ditas
13 ditas lo ditas
16 ditas 16 ditas
18 ditas 18 ditas
20 ditas 20 ditas
22 ditas 22 ditas
2o ditas 25 ditas
:10 ditas :0 ditas
33 ditas 35 ditas
40 ditas 40 ditas
a ; I3&9 se vendem por procos commodos e roga-seas pessoas que dolas fizeram ei>
- ;niernijs de algnns taraanhos, obsequio de. as mandarem busca-las ,-mais braveros.
iftea de nao baverem faltas.
RU DA CAMA N. 56 A
Lindas o superiores bareges de cor, do quadro o de listras, para vestidos fin-
I seda, po;" baralissimo preco de 500 e 640 rs. o covado.
Asairo como superiores cassas francezas de cor padres do muilo gosto 40<
e UOO rs. o metro, na Ioja das Collumnas ra do Crespo n. 13, de Antonio Corroa di
.-aedlos.
Si*"
&.*

'Hl*
5"g*8T
.
to
O
T3
-s1
a- b o ?? *? c*
53
Q, V)
I
a
la 0*8 a-"
os.Bgo-3
ro' 3. S
5.5=3
2xi STp B =.
agir ?.b
S.|3^

<3>

!33
wcfS
s

o ai g
3 5
a cr -i o, o
gftBS'
>3s.Sgg
,2 g 2 r
o a .,
?B35"
U*N A) U A &>

s
o
H
P o
S 6
9
9
9
9
o.

FABRICA DE PUOS
v.
DE
J. Rhigass, successor
55Ra do Imperador55
Nesta anuga e bemeonhecida casa, encontrar-se-ha como'outr'ora grande sor-
meno do pianos construidos espressamente para o clima deste pai, o Mr. J. Rhrgass
endo trabalhad muitos annos na construccao de pianos cm Pai is, acha-se habilitado
i preparar os pianos que ende com lodos os accessorios indispensaveis nao so sua
oliJez, como sua.dura<;3o. Todos os pianos sao garantidos.
Tambem ha neste estabelecimento, grande variedadn do msicas novas e dos
nelhores autores, tanto vindas de Paris como do ftio do Janeiro, que se vende mais
iarato do que em outra qualquer parte; assim como ha igualmente venda todos o>
bjectos necessarios conlrucco de pianos. Os concertos o afinacoes de pianos ser3o
tos enjo n mainr zelo e ruidado.
55Eua da Imperatriz55
F. Gaulicr, propiieUuio dcsto.importante estabelecimento tcm a. honra,
de participar ao ro>peitavcl publico que acaba de clegar da Europa para on-
de tinha ido especialmente para contratar peritos officias e que conseguio
contrata-Ios na pr/meira asa lo Paris, por sto julga que todos fleario satis-
feitos dos traballios do seu eslabolecimcnto cujo escolente material ainda
foi augmentado rom novas machinas que ja receben e tambem militas drogas
novas com as quaes se oblem estas maravilhosas cores modernas to apreci-
das em Franca o em lodo o mundo,
Tinge,, taya, impa, (ustra, acbamalota com awior perforo fazendas
em poras e eni obaa de todas as qualidades como s^Sfi": seda, liJ, algodo,
liiihas, chapeos de feltro edepailia etc., etc.
Tira nodoas e limpa scgQg icna uioihar os tecidos, conservando assim
todo o bnlho da fazenda. -
Impressoes sobre tecidos
ecm este novo sys>iema, os vestidos do seda e oulras fazendas que at agora so
podiam tiugir-se de crs lisas, podem receber um bonito desenbo de cor
divor&i, a escolha, o que realca a fazenda o Ihe da mais merocimento:
Tintura preta, terqas c settas-feiras
As pessoas dns provincias limitrophes que qui'.crcni utilisar se do sen
estabelecimeito pudero mandar o que tiverem, na certeza de srera tao bem
servidas como no Rio do Janeiro cu na Europa, o com mais presitsa por
causa da distanr.
A VERADE
5oRuado Queimado5t
A VERDADE tondo om deposito grand'
quantidade demiudezas e perfumaras, e sejando apurar..dinliciro e adquerir boa frt
guezia est ssolvida a vender muitissim'
barato, ; por essa raza convida ao respe)
tavcl pubtco a vir competentemente muni
do a soi lir-se do bom e barato. Pois quao
do a Vcrrfade appareco, ludo mais des
appareeo....
Grande sorlimcto de bonecos de cera
massa 36 mais lindas possiveis vestidas a c?-
racter.
Abotoaduras moderuas para col
letea.......x 32t
Espelhos donrados pepnenos. 26t
Agulhas de osso para crox a 20*
Pontos p?ra regag com esntas a 32(
Ricos globos para candieiro de gaz 1 80i
Chamincs a ...... 32<
Grande sortimenlo de objetos de
louca para brinquedo de menino lOt
Garrafa com tinta a..... 80i
Dita com agua florida veidadeiia a 1*30
Dila com Oita dita a if>0*
Frasco com oleo de babosa a 500 e 72<
Dito com agua de Colonia a 300 o 50t
Gairafa com agua divina a. 150<
Frasco com extractos finos a 1600
Latas pequeas com banha muito
fina a I2ic...... 16i
Sabonetes de diversas qnali lades.a
80, 160, 240 e..... 32.
Finas escovas para dentes de 120 a 60t
Lindos coques modernos a. 2<>00(
Pavios para gaz, duzia a 2i0 o 32t
Escovas para fado a 5uO, 600 e 70*
Ditas para cabello a. .' 50l
Pontos para tirar piolho a 160 e. 24(
Brincos de coros, bonitos a 160 e 20(
Poras do tranca de la com 8
varas por....... 8(
Oleo para machina do costura,
frasco a........ 60t
Pnnas d'a(o finas caixas a 800 o 14001
Dita d'a^o Perry, caixa a. 1440
Galo de algodao peca .... 40(
Lindos babadinhos e cntremeios
peca de 500 a...... 1..J50
Ditos de louca muito fino a 120 e 20t
Ditos pira caifa a 160 e. 24<
Caixa com papel amizade a. 70(
Ditas com envelopes a. 48(
Ditas cora obreas a..... 4(
Caixa com agulhas fundo dourado 28(
Ditas He ditas ditas ..... 16(
Thesoura para cosluia a 240 e 501
Caixa com linha de marca a 28<
Linha de cores om novellos (li-
bra) a........ 50(
Carrcteis de linha Alexandre de 70
at 200........ lOt
Grampos muito linos com passa-
ros, duzia a ..... 2<*
Cartas portuguezas, duzia a 15-lO
Ditas francezas a 24200 e 300(
Pa)elalmaco e Je peso, resma a
340O, 34500 o 14501
3 muilo fina para bordar, libra 6450<
Fita de algodao para debrum de
sapatos, peca a .... 16i
Ditas de laa para debrum de ves- -
tido, peca a...... 48
Penles finos para segurar ca-
bello a....... 32<
Ditos ditos de bfalo para alisar
a 240, 320 e. .... 50
Ditos para aparar peona a ICk
Rosetas pretas, par a lO*
Tranca de laa dr caracol peca a 40 e lOt
Fila de coz peca a 480 e 36(
Alfinctes de lato a .... 10(
Sapatos de la para crianfa a 400e 80(
Gravata de sedas de cores a 20
Calcadeirasa....... 8'
Xa Verdade rna do Queliuad^'
n. 55.
Cemento.
O verdadeiro cemento pcrtlthd ; venda-s*
I iravessa da Hadre do Dmw n. ii, arroazcift n
I Camli.1 Alta-rio Bodr ilalloUa & i
VcndoiB-o vac<-a nuviilu. e velao.dutM
to, boa criaeo o boa carao para o pralo, ai*
j numero de 20 raberas : a ver tudas as larda* i-
sitio da Sapuraia. em Beberibe.
AtteiKjo.
Vendom-so duas ejrro?as cm boui e?tads-e
j lamente dous b<>* para as mesmas : a trata i
i ra Direita n. 10!.
ESCRAVOS FGIDOS.
Aviso s autoridades policial
e a qiit'iii coeipelir
Nodia29.de maio do coi rente 0NA
fugio o escravo Fziqnicl. erioclode30 .;:
' annos do idado, estatura regular, reforcMl*.
j cor l)tm preta. cabeca redonda, trajavu
; mi.-a azul o calca de cassetnira cinien
i durante o dia eos turna andar gai.hando n
ras, ou en armaztns d SsSucar cu as t.-
j berras a conversar e a beber ; di rauta *
noile reco|lte- a telhcircs Uiio;, ou j*
1 netraveis, a cosas em ronstrucfTni e a oulr. i
iquaesquer lanares, onde se possa abrir
; qut-m o appri'bcnder icnia a bondadedt
conduzia a tua da Aurora n. .26, on na %
'Imperador u, 80, imde ser raticndo.
AV1SII
Fujio no dia 24 da frrenlo mrz d.- desocaitn
ido sitio da Ponte de l'cliiia; o escravo Yictoriw
' filho do ?erlao do le.j, preto fula, "batxo. rdat t!
| a 18 annos, vestido com alfa, branca, blata k
I nlpodaozintw cuita, chapeo do chyle de aba lar?4.
bastacte Inlino, cpstuma a embreagar-fe. W.\,
!com humildade : pede-se, portnnto, s 'aniork
dM p'lifiaes o aos capitaes de PMipo a Ido referid') .cravo, e de intreijar no sio daPo.-
I le de Uchoa, de Jo.- Morcira Lope?, quo tccqlwta
tOO de raliP.cacao. '.________
ATiSO
Fugio no dia 18 do contte mor a f ;rrava ?-
berift, crmola, cor fu a, do idade de anni-s, i
(atura i< guiar, ecca do corpo, ojiando anda p.,-
cha por um quarlo, falla mansa, bfljns crr< -
srntura delgada, raga-so priant.i s autorida
e capilaes de campo a sna captura o quem a ;
tar deve leva-la na ra id Aaintiin n. 64, oa #i
Soledadp n. SO indo *crpraliliciiin,
Fugio no da 27 do dCKcitiro prximo fo-
sado, a cscrava Heuriqucta, pitta cri,uiaj id;
20 ann?, cheia do curpo, altura icgular, wb.
cajapinhos, testa larga, pello rossa, o espinln |
licicos grocra, bocea anmcte^-dciris largas c ;
frks, olho3 e mos grandes, com uma i ie.Hr ;
cid cima de urna dels o |) chat..s, c m ofar*
de bixiga e chiecte pelas costas o coMuroa uhi
o nome.paTa Maria, a qual est gitlvida/esla ('
era va tcm por cestume alugar-se como liv-p, pi
testo a quem topa occullaiia : roga-se as auto).-
dades pociaes a quem coavviqr, a cantor* q
se gratificar satisfactoriameato em casa do
senhor roa do Henriques Hias n. 20
Fugio do egeuho Jcaro da comarca do .V.
zarelh. no dia 23 do totnrote, um mulato de m
Bernardo, escravo, com 20 annos de idade, pm
ou nenhuma barba, estatura regalar, cabello u
po, l)i-m di-poslo, go-la d> agurdente, julga.. y
ter ido i ara o Reclje-, incHleaudo-se rorro : po*
>e muito a toda o qualquer aatorttfaae, Mj'St,
capilaes do campo, o mesmo a qualquer part*
lar, a appreliejiso do dito esoivva ( ni lod
g urania,
me-mo
eife, ra
recompensado.
AcTia-se fgido o escravo Fhnicisc
idade 20 antros, mais ou menos, cota deleito t
urna tierna e braco ; este, eserav velo t^a pe
de Sobral, muito ladino, aculea-so p.irionf.
dscnfla-se estar ac miado ; qao desd-vj1-
protesta contra quom o tiver l'eilo : gi"atifiea-i
quem o levar ou delle der noticia na ra do Qo
loado n. l.'l. Io andar.
Fugi a preta cnoula Ueucdicta, de 6 ann
do idade pouco mais ou uicucs, leudo os sim*i
seguintis : baixa, cheia do corprt com "urna tn;
ca de ferida na parte superior do braco dlr
testa muilo cuta, naris chalo, bcieds siy;o '
pos apalhetadc'3: quem a pegar lvela toa O
reila o. i padaria, ou ao Ui 2? anilsr |Qe
recompensado.

-*
LISTA GERAL
loo.
DOS PREMIOS DA
14.
PARTE DA LOTERA CONCEDIDA POR LE PROVINCIAL N. 745, A BENEFICIO DO PATHIMOMO DOS ORPIIAOS, E.ttUIHDA EM 2!) DE JANEIRO DE 1870.
8
i-'
II
U
n;
17
i
M-'<
39
5?
00
l

m
50
70
71
77 ,
79
88"
roo
8

W
11)
21
' .10
38
U
88
87
-38
61
t>i
66 .
68
71
88 '
93
200
4
6
36
27
i 4
'OS
44
U
84
-*4
8A
44
84
44
-"5
228
:io
34
47
Si
Bk
07
39
64
80
98
99
301
7
8
11
17
20
4
fi
43
47
3
Si
67
83
83
8i
87
96.
97
9
401
4
9
11
13
16
26-
3
41
60
66
44
44 72
483
Mi
500
l>
6
8
11
14
16
21
23
24
3i
37
41
43
44
4S
49
50
53
58
57
64
68
74
87
90
93
B3
611
17
34
35
;3i \
44
48
48
53
56
-5(1
58
-' 59
- 63
63
-! 76
84, 78
84> .81
44
683
89
94
96
703
9
10
13
15
19
23
45-
62
64
79
81
95
97
98
no
12
23
37
40
41
42
44
51
57
59
64
66
68
71
86
88
94
988
5
13
33
24
26
30
32
40
42
46
58
44
84
M
84
w
20*
44
84
44
304
20*
969
71
7
84
91
97
99
1002
15
18
23
25
30
35
37
38
40
48
43
49
54
62
65
8
90
93
1104
c
to
H8
38
26
33
39
44
48
53
61
64
4* 72
78-
74
78
99
1380
M
14
17
19
44
84
44
84
4*
84
44
1229
31
33
II
49
51
59
66
75
79
81
91
1305
13
18
81
28
30
31
33
4
52
53
39
66
67
8
82
85
91
9a
99
1400
1
13.
16
17
20
21
38:
38
30
43
62
6%
64
70
72
83
84
84
44
84
4
4J.1488
89
94
1500
3
4
C
8
15
20
24
28
29-
30
39
41
49.
57
59
61
64
65
66
71
77
78
88
87
91
9S
97
1606
13
18
30
25.
38.
37
47>
48
86
88
.88,
69
74
77
484 -78
4* 82
- 97
204
44
1706
8
13
13
23
25
30
41
53
62
70
72
73
74
73
77
79
91
92
98
1809
16 4
21
22
37
40
45
48
52
53
86
65
69
71
74
87
98
WP9.
;3.
18
17
21
36
39
38
88
38
41
0004
44
47
50
54
56
57
66
9
70
74
73
77
78
79
88
2000
2
21
24
30
36
42
44
47
50
53
54
62
68
86
91
96
2103.
8
11
12
17
18
19
P
35
31
44
50
51
54
56
77
83
44
84
44
84
44
2183
2201
8
9
15
33
37
39
41
53
54
58
67
68
70
72
73
73
80
83
86
90
95
96
2303
8
9
ti
13
19
20
21
23
25
35
38
.40
8
63
64
68
78
83
94 -
2408
4041 6
i-3
44
8#
*4
as. y KEMS. 5. J'tl fc-Mh. as. y 1BMS. JNS. PI LEMS. ISS. F KEM. s. v 1KMS. NS. Pl 1EMS. NS. Pl tfc'MS. NS. PR f.'MS. NS. PU AIS.
2407 44 2607 44 2834 4J 30i 55 3262 44 3512 4* 3786 44 4011 44 .i 44 4485 44
11 --- 8 38 49 64 - 15 91 14 204 37 . 86
17 --- 13 39 53 67 18 93 mm 18 44 41 M 90
18 --- 20 45 55 68 25 i 95 20 43 4311
22 mmm 35 46 59 75 29 3807 27 30 m~ 13
24 41 48 60 78 35 8 29 56 __ 14
25 _ 45 49 63 80 37 9 32 59 1 25
41 ' 46 30 .66 84 -^ 39 19 _ 36 60 mm 31
43 , 49 51 73 83 . 42 20 38 70 ^B 40
44 ^_ 50 53 76 . 9i __ 44 28 _ 52 74 ^ 47
48 _!. 61 i 57 77 95 __ 64 -r- 38 .... 56 80 ^_ 48
56 8i 70 59 87 90 ^^ 65 43 -_ 60 83 ^. 51
58 44 72 . 61 90 3310 67 47 61 86 64 ;
59 75 64 96 11 71 --- 50 64 ~r 92 1 * 88- .
62 ^^ 76 84 67 - 97 13 - 74 53 77 95 84 71 84
3 ^ 77 44 68 7004 3101 _ 14 80 60 81 97 44 74 4
65 79 76 A4 10 ~ 32, 33 90 63 82 99 ' 4 77 r
70 ^ 80 85 19 93 63 83 4305 82.
72 H 81 97 21 _ 38 _ 96 20* 65 85 11 1^m 84 "
74 M* 83 39:11 22 40 _ 99 44 71 88 MM 1-1 85
75 --- 88 4 26 48 . 3680 88 92 35 ... 86
76 93 5 30 55 a. 10 91 -^ 4W7 48 l --- w r
78 2700 __ 15 38 60 __ 21 3984 _. 8 41 93
83 --- 1 _ 34 43 64 i_______ 3 12 ^._ 18 M 45 U- 94
83 4* 37 45 " 67 _ 36 14 21 48 96
84 _ 10 _ 42 51 72 ^ .10- 22 __ 22 59 4604
91 _-- 11 _ 46 __ 56 76 i^i 53 24 ^_ 28 60 84 4<
94 13 _ 31 _ 61 86 __ 75 28 J_ 28 62 44 18 84
95 14 56 __ 62 99 100* TI 84 26 jL 27 71 * 44
97 22 60 __ 65 ^ 3404 44 80 44 31 _ 32 ,8 -L 20 +-
98 . 28 61 __ 72 ,. 9 90 41 _ 44 78 23
2519 29 63 84 87 _ 14 ^_ 91 43 ^ 68 8* 7 '32
20 --- 40 70 4J 92 -^ 15 _ 95 44 61 4* 80 38 *
21 41 72 99 16 *8 48 68 204 86 41 1
25 45 81 3304 22 4_ 370* 87 09 44 80 42
37 --- 48 88 82 ... 5 ' 23 __ 3 67 78 M 48
.30 --- 58 44 83 _ 8 , 28 __ 4 ____i 78 _ 76 -~ 91 81
43 60 85 _ 10 , .__ 3T _ 8 81 79 93 U>
44 ,66 % ,^i> . 40 _ 32 _ 88 81 *** 446 84- M.
46. --- 73 , 98 13 1 41 _ 33 90 ti 8 - 88- *-
48 ,74 - 99 18 . 43 *'. 92 91 17 68 *b
4* 86 3006 17 384 46 - 96 98 95 26 88
60 -' 93 - 7 _ 25- 44 47 46 .97 *~ ' 69 *
69 9 , 36 8/ 49 55 4000 97 39 79
71 97 23 , ,. 42 44 * 80 --- 64 1 4301 44 ' 83 "~
98 2806 __ 27 404 K47 58 --- 68 - 3 3 47 88 ^^
99 - 10 ... 29 44 . 49 _ 80 8*' 76. r~ 4 13 - '88 * i 93 *^
2603 - 12 m^ 39 54 __ 3503 8#t '81' " 7 15 ' 98 ^""
5 28 40 61 5 44 1 83 10 26 80 *" 4700


8
Diario de Pernambuco Se
gUIM
31 de Janeiro de 1870.
^k
}
JURISPRUDENCIA
lalgaMento le Troppwaa.
TttlfU NAI. CIHMI.NU DO8KNA
Presidencia de l. Tkvenin.
Audiencia de teres-feira 28 do dfzembro ;
(Carttinitaro)
Ac.-usH(io. *o inexacto. Se meu
iriijiiu o con!ni, nao .tisse a verdade.
I. Em decomhro do 1808. su pai
mmdoo-o a Pars p;ira assentar machinas.
Encontrn ali o seu compatriota Gaspar.
\i..|ou-se com eile peno do CheininWv '
prximo du campo, uiule inais tarde devia
enterrar as suas_ victimas. Ali, como em
Gemay, eslava q'iasi sempre s. e as pou-
cas conversas que tcvecom Gaspar o com
od lalAron, sempre Ihes fallavados seus
projectus do fortuna. Depois seu pai, que
o tmha mandado a Pantin para assentar
ma hijas, m ndou-o para o mesmo flm a
Koubaix, pirque o acensado era muito h-
bil. Qnanto Ihe dva seu pai ?
A. N<> tmha salario. Um correspon-
dente dava-me o dinheiro que tnc era pre-
ciso
P. Em Roubaix ainda fallou muitas
vezes com paixo no desejo de fazer for
tuna ;ora rapidez. Ahi disse um;i ve
criada da hospedara, onde estava alojado.
que tinha o mats ardente desejo de a Iqoirir ri
queza, ainda que fosse por meis illicilos, at
f|fsmo fazendo moeda falsa, embora de-
w nvi-sse de partir para a Ame ica.
A.- possivel que dissesse isso a ma
demoisHle- Sophia, mas referia rae a miaba
inveucao.
P.Em Roubaix havia urna desgranada
familia, hijje extincta, a familia Kinck. O
caVfc J>3o Kmck era natural da Alsacia, e
liutia conservado urna affecluosa Icmbraiica
dasuapatrii. onde tinha urna propriedae
na qual desejava ir morrer. O acensado
f>i confidente dos pr-Jectos de Jo3oKmck.
Este hornera ara um excellente exemplo
para todos os operarios. Pelo seu traba-
Iho e excellente comportamento chegou a
sor eraprezario; conseguio juntar urna
certa fortina, tinba tres casas em Roubaii
e crdito aborto na caixa commercial I As
Hsteiuunhas avaiiam a sua fortuna de...
80:000 a 100:000 francos (14:4005000
a l$:O0d.) Sua muiher era urna boa es-
p -sa, e urna boa mi, e veio urna mo ho-
micida ani jvila-la e at o filho que trzia
d sen suio. Como tomou conhecimeuto
com Joo Kiii'-k i
A.Eucontrei o muitas vezes na taberna.
P. Essa loja estava estabelecida era
ama casi de Joo Kinck. O acensado fal-
Iva sempre com elle em particular oom
allemao ?
A.Fallavamos sempre do meu invento
-e dos fundos que erara necessarios para
armaras machinas.
P.Essa explicado de hoje. No pro-
cesso preparatorio disse: c Se nos seisa-
vamos sos no banco da taberna, era p.ir
que Kmck quera ir para a America fazer
n-gocio com tira novo invento, porque es-
tova descontante com os bastardos que sua
muiher Ihe dava.
A.Nao disse ento a verdade. A mi-
nha rateuciu era persuadido que fosse para
a Alsacia para me ajudar a tirar partido do
m-iii coramercio. O projecto foi resolvido
entre nos.
P.Para esso fim saio de Roubaix em
agosto, e chegou a Cernay a 19. Ento
achou sua familia nos embaracos pecunia-
rios que a affligiam. Pouco depois, escre-
veu a Kmck urna carta pouco explcita e
cheia de mysterios, persuadindo-o que
viesse para a Alsacia o mais depressa pos-
sivel.
A.Fui obrigado a escrever assim para
oceultar o projecto de fabr cacao de moeda
falsa. Era este o fim que ambos tinhamos
em vista.
P.No entretanto, fado averiguado
que Joo Kinck foi a Alsacia para levantar
um andar na sua casa. O acensado nao
consegu.' calumniar este desgranado.
A.Nao assim. Joo Kinck era mui-
to avaao para ter tal projecto. Fez a jor-
nada por causa da moeda falsa.
P.Vinalmfiite Joo Kinck. levando dois
cheques, urna somm: coosideravel de di-
nh-mo, urna nula, t un cbapeleira,partii.
para a Alsacia, e o acensado foi espera-lo
a e-aaco de Rolwiller.
A.E' verdade.
p.Official, distribua aos Srs jurados
o mappa do canlo de Cernay, Joo Kinck
chegou a 25 de agosto a Rolwil er. O que
fez ento ?
A.Entramos em nm mnibus,- e ebega-
mos a SouUz depois do meio dia.
P.Falle mais alio, assim 6 necessa-
rio, para ser ouvidr. Onde almocou?
A.Na estalagem da senhora Mougo
oet.
P.E' verdade que esta muiher reco-
nheeeu o aecusado, e igualmente Joo Kinck,
cuja photographia Ihe foi apresentada. Onde
foram depois 1
X. At Wdttwiller estalagem do Ca-
vallo Brauco.
P._No processo preparatorio o aecusado
deu diferentes itinerarios, mas por ultimo
declarou que se tinha dirigido para Herrn-
fltf e que ahi Ihe haviam deitado ve-
nrni.
AE' verdade.
P.E quem deitou o veneno ?
A Quem deitou ? o cmplice...
P.Qual cmplice?
A.Qaal? o cmplice... que estava
comigo.
p._No dia 23 de ootubro o aecusado
declarou ao juiz do processo preparatorio
que em Saultz perdeu de vista Joo
Kn.ck.
Aquelle magistrado observou-lhe que tal
assercio era inverosmil porque se bavia
encontrado em seo poder dois cheques, o
relogio e a cadeia. Quanto aos cheques
disse que Ihe liuham sido' confiados por
Kinck. e que se um destes cheques tinha a
na assignatura era poique J5o Kinck lQe
podio que o assignasse para engaar a sua
t'aruiha.
Em 13 de novembro fez outra declara
ci. que conforme verdade; disse que
depois de ter conduzido Joo Kinck a Her-
tlg, den-lhe a beber ama garrafa de
' que trouxe da estalagem do Gavallo
Bi anco, e q mi fulminado.
- Enlio
ou o'lugar ondeen
u ra-
ra 24
eatava em
rui-
mt.>s r anbe^ram-no. Os
peritos examinaram-n o no dia *8 de novem-
bro, c dissoram que o estado do corpo nSo
apresuntav* > lo morte alguma
lenta. Pur u iccusado disse ao juiz
que tinha encontrado ladrCe^e que eHes o
linham obrigado a ser sen cmplice.
A. No da 18 de agosto, andando a
passear, encontrei tres individuos que es-
calaran um muro para ronbar, ameact-
ram-me se dissesse alguma consa, e em se
piihia formaram o projecto de matar Joo
Kmck.
1\Conhece-os ?
A.Nao senhor, re.'idem em Mulbouse.
P.O juiz do iiroceso preparatorio per-
uuntou-llio os nomes, e o aecusado respon-
den que os nao queria comprometter, e
que um dos tres cmplices teria 40 annos,
o outro 30, e o terceiro 25. O acensado
nao o nico criminoso que para altenuar
) horror do seu crime declara ter cm-
plices.
A.Mas tenho-os realmente.
P.Diga ao menos os lugares onde os
vio, visto que diz que fallou muitas vezes
com elle?.
A.Nao posso dizel-o... (movimentode
incredulidade.)
P.Hei de provar-lho logo que o acen-
sado nao tinha cmplices. Mas supponha-
raos que os tinha, como oque se apoderou
do ludo que posnia Joo Kinck V Que parte
tiveram ento os sens cmplices''
A.Deviam repartir comigo os :"00
francos (990,S000.)
P.-Ea primeira vez que diz 'uso.
APeco perdo, mas j o disse. Agora
tenho a accrescentar que havia urna carteira,
que foi enterrada a 1.10 passos na msta
prxima de Cernay, a 15 centmetros de
prolundidade, junto de omi pequea arvore.
N'esta carteira est a prova que Joo Kinck
vinha a Alsacia para fabricar moeda falsa.
N'esta ca teira esto os nomes dos meus
cumplices.
P. Rorque nao diz agora os seos nomes,
nao precisa para isso da carteira ?
A.Se qoizer procurar ha de encontrar.
(Sensaro prolongada.)
P. Isso um subterfugio. J se fr/eram
investigaces, e segundo consta do auto do
juiz de paz de Cernay, foram infructuosas.
Foi o aecusado quem invenenou Joo Kinck
e o enterrou depois.
A.Nao fui, foram os meus cmplices.
P. Viu-os algoem na sua companhra?
A. Foram vistos comigo cm Pars e em
Cernay.
P. Quem os vio ?
A. Em Paris e criado do hotel do Norte.
P. Elle deve depr, e ooviremos o que
diz. At agora ninguem viu Kinck com
pessoa alguma seno com o aecusado. So
o foi esperar estaco de Bblwyller; s
com elle se dirigi estalagem e depois
Cernay. Sempre foi visto s cor* elle. Os
nomes dos seus suppostos cumplices nao
figuraram em nenhuma correspondencia,
nem tiveram parte alguma no producto do
roubo.
A. Isso nao obsta que fossem elles
quem commetten o crime.
P. Diga ento os seus nomes.
A. Ssto na carteira.
P. O acruado trabalhou em piroeessos
chimicos era Cernay. Comprou um. globo
tubular e retortas. DestiHoa alcooK i luz,
e disse a alguem: Com estes instrumentos
podem fazer-se coisas que postas na l'mgua
de um cao matara-no de repente.
A. verdade que trabalhei em pro-
cessos chimicos, o quo fiz por obter aaeido
prussico.
P. Mr. Roussin fez experiencias que
faz^m honra sciencia; achou no duodenura
urna materia que forma um precipitado azul,
q;te nao pode provir seno do acido prussico.
evidente que o aecusado, sem auxilio de
pesso algnraa, envenenou Joo Kinck com
os agentes chimicos que preparou.
O aecusado nao respondeu nada.
Presidente.^- O aecusado s foi qnem en-
venenou Joo Kinck. Foi ento que com-
binou os primeiros actos do seu infernal
projecto. Tomou o nome da sua victima,
tratou de emitar a sua assignatura, e cor-
respondeu-se com a muiher e com os filhos
dola. O aecusado fez a assigatora de
Joo Kinck no cheque de 5:500 francos ?
Aecusado. Fiz.
P. assiimou por delibera;o ptopria?
A.Estavamos todos jur.tos, os meus
cmplices e eu.
P.Nos primeiros interrogatorios disse
que um dos seus cmplices o tinha mandado
assignar f
A. verdade.
P.Escreveu ento a madame Kinck, as-
signando com o nome de seu marido para
ella Ihe m:ind ir a importancia do cheque ?
A.Sim, senhor.
P.E em regosta receben um telegrara-
ma?
A.Nao senhor.
P.O telegramma foi encontrado no cor-
reio. Receban urna carta com data de 28
de agosto, participando-iho a remessa dos
5:500 franco* para ocorreiode Guebwiller,
onde effectivamente chegou a 29.
jiuu tu a i mu, f\ Li\, ucU'itJC
as r is para re
que viessa pjra Paris o mais breve" pos-
sivel. Foi por lembraoca sua que escre-
veu ?
A Tinha todo o interesse en} qu a
muiher dewppttecesse, tendo sido* ni
o marido. Queria que a familia Kinck
viesse a* Paris, onde sabia qne haviam ser
assassinados. (Sensafao).
P. No priineiro interrogatorio disse
qne projectava assassinar os Kncks.
Voltoo para Paris e fez tima proeuraco
em nome de Joo Kinck, que remet'eu
para Roubaix com urna carta, em que di-
zia (|ue Gustavo, depois de receber os
5:500 francos, de va vir ter com seu pai.
Todo cam nhava medida dos seus de-
sejos para recebar os 5:500 francos'; vol-
tou ao hotel do caminbo de ferro do
norte para conseguir dous fins: 1. rece-
ber de Gustavo os 5:500 francos e trazlos
para Paris; 2'. fazer com que toda a fa-
milia Kinck viesse para Paris, arranjando
as cousas de modo que Gustavo chegasse
primeiro que sua rai; convinha-lhe nao os
reunir ?
A. verdade.
P. Para fazer acreditar jue Joo Kinck
estava vivo -em Paris, escreveu a madame
Kinck em nome do marido, fallando Ihe da
doenca de um dos -seus filhos.
Gustavo parti de Roubaix, chegou a
Guebwiller no mesmo dia, o pagador re-
cusou enlregar-lhe os 5:500 francos sem
procurarlo. utavo pcdio-lhe pelo tele-
grapho que Ihe mandasse urna proeuraco?
A. E verdade.
P. Foi ento que o acensado, tendo
gasto todo o dinheiro que Ihe feslava, ven-
den a Durand, ourives de Paris, o rclofio
^^^^B lA/IJJ
que se api
dos
recebed o preeo d'tlle
A.-Dirigi-rae ao correia para receber
essa somma, dizendo que era Joo Kink,
a[resentando documentos que recebi de
um dos meus cumplices. O pagador hesi-
tou e nao quiz pagar. DisseIhe entilo que
era ti ho de Joo Kinck. E como o pagador
exiga proeuraco, fiz urna proeuraco. 0
pagador ainda nao quiz pagar por nao estar
a assignatura reconhecida.
P.Reconuecida a assignatura, o aecu-
sado voltou ao correio, o pagador teve des-
confianzas e chamou a senhora Loew, de
Roubaix, prenla de Kimdc, que disse que
o aecusado nao era filho de Joo Kinck ; o
paga lor nao s se recusou a pagar o che-
que, mas ame cou o aecusado de o mandar
prender?
A. verdade.
P.O qne fez depois ?
A.Parti para Pars no di 3 de setem-
bro s 9 horas da manhV
P.Quanto dinheiro tinha ?
A._ 160 francos.
P.A que horas chegou a Paris ?
X. As 10 horas da nonte alojei-me no
hotel do Chcmin Veri do norte
H. Escreveu urna carta para Roubaix
a madame Kinck, assignada com o nome
de Jo) Kmck. dizendo-lhe que vie3Se
para Paris com toda a familia, e mandando
nina procurado a Gustavo para receber
4inbeiro em Giiebwiiler, accrescentaodo
que o aecusado dara todas as explicares
e qne Ihe tinha dado a ganhar meio mi-
Ibao?
A. En proprio entreguei essa carta a
madame Km k em Roud iix.
de Joo Kinck
. Recebi.
P.- Gustavo cscrevcu-lbe, perguntando-
Ihe se loe devia mandar o dinheiro para
Paris ou traze-Io. O acensado respondeo-
Ihe no dia G de setembro, que viesse logo
que recebesse o dinheiro, pelo tren que
parta de Molhonse s 9 horas e 3 qmrtos
da manba ; que o ira esperar estacl.,
e qne Ihe mandasse orna parte telcgraphica
antes de partir.
Ao mesmo lempo o aecusado dispunta
todo para a viuda de madame Kinck e de
seus filhos, escwvendo-lbe no dia 8 e
nome de seu marido p*ra que trouxesse
todos os papis, recommendando-ihe que
viesse no- trem que ebegav a Paris s 10
horas da noute, porque elfia tinha de ir a
FontaineMeaa e s volteva s-9da nonte.
A esta carta respondeu Emilio em nome
desuamaf, qne esta Ihe daw cuidado o
escrever Jsoo Kinck per rao da pessoa
estranha. O acensado-escreveu outra carta,
insisllndo na partida, e como esperata
Gustavo recommendava: de novo que vies-
semmo trem das duas horas para chega-
rem' noute.
A\ verdade.
P:No di* Vdi nao tendo Gustavo po-
dido receber o dinheiro, o aecusado man-
do dous teiegrammas, um a Gustavo,
outro a madana Kinck. No- mesmo dia
escreveu a Gustavo em nono de sen pai,
dizendo-lhe qua- nao viesse s*nv receber o
dioherro ; que Ihe ia mandar a procKraco;
e qne sua mi nao viria sem elle estar em
Pars; que Ihe nandasse uro telegramma
antes de partir, mes que nao failasse nan-
ea no nome do- seo amigo. Tambem no
mosrao dia escreveu a madame Kinck-em
nome do seu marido, dizerdo-lhe que fos-
se rocoohecer a procura?ao ao maire ; e
qne3' mandasse a-Guebwiller a Gustavo;
qne nao viesse no dia 11 i noute, mas- s
qnando elle Ihe dissesse para se renorem
todos?
A.E" verdad^.
f:No dia *15 reeebea e acensado ama
carta: de Emilio dirigida a se pai, em que
li/ia : < Mam -est muito inquieta, nao
quer ir a Paris.- No dia t escreveu o
aecusado a madame Kinck urna carta, esa
nome de seu marido com o fim de a tran-
quitlsar. dizendo-lhe qne tinha eaido sobre
a mo e por isso 5o podia escrever ; mas
que os seus negocies iambem, e que *
essa no dia 16.no trem da tarde para che-
gar noute. Gustavo devia chegar no di*
1 'i e sua ni3i no dia !'* O aecusad.
depois de formar o sen infernal plano, para
descancar foi no dia 13 ao-baiSe de Saiat-
Cloud com o seu camara No dia 15 o aecusado receben urna carta
qae o desconcertou um pouco. Gustavo
participava-lhe que nao tinha ainda rec-
balo a proeuraco. 0> aecusado respon-
den-lhe pelo tolegnpho que a proeuraco
estava ha*ia muito tempo em Roubaix.
Os seus prefectos flcavam assim translor-
nados. Gustavo nao havia recebido o
dinheiro, nao chegava a Paris no di i 14,
c a familia Kinck vinha. no dia 16 ; era
preciso itar contra ordom partida ; o
aecusado escreveu a madame Kinck em
nome de seu marido para "que dissesse a
Gustavo para onde tinha mandado a, pro-
euraco e para quo ella demorasse a sua
viuda al novo aviso,
No dia <6, Gustavo mandou tm tele-
gramma annuncian'lQ que chegava no dia
seguintc as 5 horas e 20 minutos, da
raanha. Por urna coincidencia fatal, Gus-
tavo nao foi a horas ao coraboio, e s
chegou a Pars noute. Que fez ento ?
A.Fui a estaco do caminho de ferro
do norte. Gustavo chegou, acompaobei-o
ao hotel, dissc-lhe que escrevesse a sua
mi para que viesse no dia 49 de setem-
bro ; .depois levei-o at Pantin ; os meus
cmplices eslavam na estaco ; um d'elles
o mais velho, ferio Gustavo e matou-o.
P.Esse cmplice foi o mesmo que
matou Joo Kinck ?
A.Nao, senhor, aquello Gcou em Mu-
thoose.
P.No dia 23 o aecusado disse ao joiz
instructor do proces_so, que tinha ferido
Gustavo no peito com urna faca de mesa,
comprada na ves pera, e que depois de
o ver cado Ihe deu seis facadas as costas
deixando Ihe a faca no corpo ?
A.E' certo que o disse.
P.E depois de o ter morlo tirou-lhe o
qne elle trazia corasigo ?
-A.NSo senhor.
P.No primeiro interrogatorio dissnqne
ihe havia tirada um rvlogio de ouru e um
ponte do tartaruga dentro de um estojo
-to estiva tres semanas em Parh
sem ter um pehle.
P.- acensado apoderou-M dos papis
de Gustavo. Comprou urna pi n'om fer-
rageiro da ra B>urdaluu, e um alwSo a
Da val na Vil ette.
A.I' e, ooraprei es otos,
iplicos, que os le-
lacer a seus mysterio-
i que fez aquellas compras e
iou do relogio de Gustavo e
objectos qus Ihe pertencam.
neiro interrogatorio sse qne
; Ih'os tinha dado, e que este
havia matado s-m filho.
A.E' verdade qne disse.
P.Ento faltava verdade ?
A.Faltava.
P.0 corpo de Gustavo, desenterrado
no dia 20 de setembro estava om com-
pleta decomposico, devendo a morte ser
e 0 ou 8 dia. Tinha umi ferida na
nuca, outra aas costas, outra no hombro
direito, duas no esquordo, e duas no peito,
penetrando urna at ao coraco, na outra
tinha-se quebrado a faca com a fonja do
golpe. A faca foi a que o aecusado com-
prou na vespera ?
A.Nao compre faca alguma.
P.De qnem era ento a faca ?
A.De um dos meus cmplices.
P.No dia da chegada de Gustavo fez-
Ihe a cova ?
A.NSo senhor ; foi o moa cmplice.
Nao sabia o que se passava ; tinba voltado
para Paris.
P.Nio assistio ao assassinato de Gus-
tavo ?
A.Estava presente, mas nao fiz nada.
P."Quem Ihe deu o relogio ?
A.O cmplice que matou Gustavo.
P.E' extraordinario. No dia seguinle
o aecusado escreveu sua familia, dizen-
do-lhe : Os meus negocios vo muito
bem.>
No dia 17, o aecusado antes de ir malar
Gustavo fez que elle escrevesse a sua mi,
dizende-lhe que viesse de Roubaix no dia
19, no coraboio das 2 horas e que trou-
xesse todos os papis.
Madame Kinck, era consequencia desla
carta, preparoo-se para partir, e o acensa-
do tratou de se fornecer do necessario para
realisar os seus projecto. Os instrumen-
tos que serviram para o ssassinalo de Gus-
tavo oran muito fracos, nao podiam servir
para a nova empreza. Comprou por iss >
urna p e um alvio mais fortes n'um ser-
ralheiro da> roa de AMemaniw,
A.Compre por ordem de ara dos meas
cmplices.
P.A's 8 horas foi esconder estes ins -
trunientos em Pantin, levou a p e o al-
vio?
A.Nao senhor, comprei-os, mas en-
treguei-os aos meus cmplices.
F.E sabia para que erara destinados
estes instrumentos ?
AsSabia, sim senhor.
P.Madame Kinek tinha frazido ttulos,
ordene de pagamento, papis e 500 a>600
francos (20 a 24 libras). Chegou a Paris
s 10 horas da noite. Foi ao hotel do ca-
minho dfe ferro e pergontou por seu mari-
do Joo Krck. Disseram-lhe que nao es,
lava l, o'qae nao ie causou admiraco.
tendo-Ihe ehe escrpto que passava odia
em FohtaineWeau. Fot esperare para a
estaco. S^aecusado chegou s-Hhoras~
A:E' verdade.
P.Vio-a* all com seos filhos ?
A.Vi e dfese-lhe qne a ia coodnzir ao^
sitie onde estava sen marido, e entramos
entuma car.tiaj.-em.
9:Conhece Pantin?
Aonheeo, porque morei n Cami-
nho Verde.
PrDBse a madame Hiuck que sen ma-
rido tinha comprado unta casa cu-Pantin
e que a ia levar all. B depois?
A.Chegoey'aos Quatro Caminhos,- a car-
ruagem parou, apeei-me, e conduzi primei-
ro madame Kinck-e os dois pequeos ao
lugar onde estawam os meus cmplices. O
mais alto ferio eom a faoa a muiher, e os
outros seguravam as cranlas. Depois fe-
riram-n'as tambem com a raesma taca. Eu
nao queria que os raatassem, e querendo
tirara faca a ura dos cmplices quebrei-lhe
a folha e cortei-me. Depois fui buscar os
outros pequeos, trouxe-cs ao mesmo sitio
e mataram-n'os.
Es! narraro, qne o publico escuta quasi
sem tomar a respiraco, apenas se percebe
por cansa da pronuncia defeiluosa do aecu-
sado- e de tom pouco elevado da sua voz.
Apezar disto, Troppman fallou com firmeza,
com as-costas quasi voitaas para o publi-
co, e fixando a vista na parte inferior do es-
trado dos juizes, cruzando as compridas
mo* na balaustrada que tem diaxte de si,
com a cabeca racimada- para tra attitude selvagem e um tanto provoca-
dora.
O presidente leu as declaraces quo
Troppman fez em 25 de novemitro, attri*-
buiodo os ass;sinatos aos seos tres cora?
pliees, com a diftereaca que ento disse,
que o cmplice mais- velho quia. impedir a
morte das creancaseque elle accusao o
awilien. Tambem declarou que no dia
seguate, sabendo que o crime eslava disco-
bario, e estando ello, no hotel com o nome
de Kinck, nao tinha outro recurso seno fu-
gir. 0 complico mais moco e o mais velho
partiramnessa noite paraMulhonsc. Ornis
moco devia procurar seus papis e o dinhei-
ro que Ihe fosse possivel asranjar; o mais
velho devia fice*- com a muiher e os filhos,
porque nao havia sido visto por pessoa al-
guma; o outro devia partir coa o acensa
do pa-a o Havre.
P.Todos os sous anteriores interrogato-
rios esto em contradicho cora esta verso
inverosmil. Primeiro aecusava Joo Kinck
e Gustavo de sereno, seus cmplices, e as
declaraces de 13 de novembro confessoo
ter assassinado madame Kinek o seus
filhos.
O presidente mandou distribuir aos jura-
dos o plano das campos de Pamin.
A's 2 horas e meia sospende-se a audien-
cia, quH contina s 3 horas.
Troppmann, condolido peles guardas,
parece mais desembarazado de que quando
chegou ao tribunal, apenas entrou a porta
foi cora a mator presteza assentar-se no seu
lagar.
P. Fallavamos do sxtuplo assassioato
da noite de 19 para 20 do setembro.
Diz o aecusado que s foi um instrumento
e urna testemnnha quasi passiva. as suas
declarares de 25.e de 28 de novembro fez
urna contrsso completa, disse: qne fez
ipear a mi e os dois tiluos mais pequeos,
Morte ca e Alfredo ; que a mi ia a seu
lado, levando a filha
A.E' verdade que fiz essa declara-
cao. -
P.Mas verdadera?
. A.-E ,
P Os outro3 tres pequeos ficaram na
carruagera, O aecusado conduzo a mli e
s^.^^rs^a^lijsr?*'Li>-- ** .- *-
ferio a mi com o e que Ihe deu 25
ou 30 facadaajywnesvjn que Alfredo fui
mono com a mesma faca. Era a nica
creanca que tinba as maos vestigios de ci-
catrizes e pareca ter-se querido proteger
por um movimento instinclivo de defeza. 0
aecusado feria sera descanso at qne a folha
da faca-se parti. Com o alvio comprado
a Rellanger, o aecusado parti a cabera a
Hortencia. E' isto verdade.
A.N5o .
1'.Como possivel acredital-o depois
de tantas mentiras e tantas vanantes ? As
suas primeiras declaracoes foram esponta-
neas, e n'ellas nao fallou dos aulhores prin-
cipis d'eslas atrocidades.
A.Em 25 de novembro escrevi a mr.
Lachaud, dizendo-lhe quo tinha cumplices.
P.Foram precisos 20 minutos para ma-
tar as tres primaras victimas. O aecusado
voltou ao sitio onde ficou a carruagem. O
cocheiro Rardot nao vio mais ninguem se-
no o aecusado. Levou 03 outros tres pe-
queos ao p do cad iver de sua me e ahi
os mala.
A.N5o. podia malal-os. Tinham j edade
para poderem correr...
P.Ento, o aecusado..
A.(Levantando a cabeca com as duas
mos sobre a balaustrada e accentuando for-
temente as palavras). O que hei de en
dizer, se querem por forca que seja culpado?
nu querem ouvir as minhas explicarcs.
Como possivel que um s horaem fizesse
aquillo ludo? Nao ; se lancei ao princi-
pio todas as culpas sobra mira, foi porque
nao tinha ento meio algum de me defender.
Depois fiz descobrir ocadaver de Joo Kinck,
c podi'in tambem encontrar a carteira que
ha de explicar tudo. Dlzem-uie qne faco
mal em nao denunciar os meus cmplices.
Pode ser, mas tenho rases para nto o fazer.
Antes quero a morte do que revelar quem
elles sao. Nao o posso dizer, nao posso.
A justica pode descobril-os.
A physionoraia placida e timida de Trop-
pman muda de expresso medida que falla.
Nao abre murta-os olhos, conserva-os baisos,
mas o olhar vivo e violento. As vezes.
deixando a sna attitude ordinaria, eslende
o braco e faz um* gesto para dar mais fora.
s suas palavras.
P'.Depois da morte das tres ultimas
criancas, deu-lhe muitas pancadas com- o-
alvio, em seguida fez a cova com as fer-
raraeatas que eslavam escondidas. Quem
fez a cova, o mesmo- hornera, o mesmo des-
conhecido ?
A.Sim senhor.
P:O mesmo que etwenenon Joo-Kinck?'
A.Sim senhor.
P.Primero enterrou a me, depois a
filha, depois Emilio, depois os outros tres;
deitoudhe a trra por cima, bateu-a eom os
pos, e refez os sulcos' que tinha antes.
Ninguem' acreditar as suas negativas de-
pois das explcitas confisses que fez.
A.-Pod dizer oque-qoizer; mas tenho
poderosos motivos para nao declarar toda
a verdade. Se >s soobesse havia de ap-
provar o meu comportamento.
O aecusado repete com- viveza as suas-ex-
plicaces a-respeito da earteira.
P.Oaesado acabou a sna lgubre
tarefa s 4 horas da manh. Vuu 1er cque
o a xmade escreveu ao sr. procurador ge-
Tal. orna narrago horrivel, mas dfcs-
gragadamente Indo confirma a sinceridade
d'ella.
Recelacots de Troppttxtn no dia 15-
de novembro.
Madame nck chegou eflectivamente a
f,'aris com seus filhos no dfa 19 de setem
oro noite. s 10 horas, fui encontral-a
estaco e disse-lhe que ia acompanhal-a
residencia de seu marido.
Tomamos urna carruagem at aos Quatro
Caminhos. Ahi disse-lhe que se apeasse o
que deixasse os seus filbos na carruagem,
zendo-lbe qne talvez seu marido quizesse
voltar para tris, c que ento levaramos
as crianfas. Mas os dbus-filhos mais pe-
qaenos quizoram acompinhar sua mae, e
todos juntos seguimos o caminho que atra-
vessa os campos.
Madame f-inck ia adiane, levando ao eolio
a pequea c ao p de si o peqneno.
Chegados a urna certa distancia feri-a por
detraz, com ma faca de mesa qne levava.
Nao deu era um grito. Nao me record
se caiu logo, s me le-raoro pie Um dei
muitas facailas, sem poifer dizer quonias.
Matei depsts as criancas, primeiro a pe-
iiuona, depois o pequaao, que nao deram
nem um s. grito.
Depois fui buscar os-outros tres filos de
Kinck',
Antes do chegar ao 3itio onde i4iaam os
cadveres, fiz esperar as criancas, c levei
urna por eada vez.
Ao primeiro disso que puzesse um lenco
roda do pescoco, sob nm pretexto qual-
qoer, e com este lenco o afoguei quando
chegmos ao pado corpo de sua me. A
creanca nao den um-, grito seqner.
Fui buscar o segando, depois o terceiro
e afognei-os do mesmo modo que o pri-
meiro. Cairam tambem sem dar um grito.
S depeis de morios os tres peqaonos,
Ihe dei muitas pancadas com o alvio para
os desfigurar.
Nao me lemhro se fiz o mosmo nSe, e
aos doie que acompanhatam.
Nao Ihes revistei as algibeiras, e em se-
guida fie urna- cova ond* enterrei os cada-
veres, servindo-me de ama outra p e de
outro alvio que tinha comprado, e escondi-
do no campo.
Seriara 4 horas da manh, quaado acabei
Matei Kinck pac para me apoderar do
dinheiro, que ello me disse quo tinha em
casa do seu banqnein> o sua ordera. Pro-
jectava fazer as ordens de pagamento, imi-
tando a letra e a assignatura de l Ao Kinck.
Assassinado este era da algum modo para
mira urna nooessidade matar os raembros
da sna familia, poisnenhum deltas ignoraba
que Joo Kinck tinha viudo para a minhi
casa na minba trra natal. Agora conhece
toda a verdade.
segundo i H^^^^Btram quo to-
dos 03 ferawmtos foraai las com nrna
rapidez horrivel; tudo confirma que ido
houve resistencia, nem luta, tanto.o estado
dos corpos, como do terreno, excepto as
ftidas na mo de Alfredo.
A.Isso urna prova que nao fui ens.
Como poderia ompto ?
Plira guarda de nina oflicina prxi-
ma, ouvio a rai'ia nonte om grito; MamS
mam!
A. falso, ninguemgritou. Quem dis-
se qne ouvio chamar mam ora men-
tiroso. (Sensaco). Had houve tambem
quem dissesse que 60 j tirrtia sido cbn-
demnado pelo tribunal de Colmar a 6 me-
zes de priso por furto ? Tenho que sof-
frer a mentira dos miseraveis. Essa teste-
ra unha jura falso,
Troppman prferio estas palavras com a
voz reprimida, e aperlando com as duas
mos divisan do banco dos aecusado.
P.As creaners nio gritaram ?
A.Nao, senhor.
P. Ento estava l?
A.Eslava, nunca disse o contrario.
O presidente leu os exames feitos nos
corpos das victimes.
A.(mostrando os ins Hmenlos sobre
a mesa do trilmnal). Desejava ter um
homem que manejasso este alvio com
tanta facilidade. E fui eu que fiz ludo
assim I
P.Os peritos que examinaran) o aecu-
sado reconheceram qne, sendo pouco eor-
pu'ento e de tima apparencia dbil, era cora-
todo dotado de urna dexlrei o de urna
agilidad notaveis. e que t-nlia a mo vigo>
rosa rapaz do um vigor extraordinario
n'urna occasiao dada. N'u envoltorio de-
licado esconde orna verdadera' forca ner-
vosa e muscular.
O aecusado retira a confissSo feifa em 13
de novembro ?
A.Retiro, nao disse ento* a* verdade.
Dissea quando liz a;har Kinck pai. Tra-
balharam nsito para ac'nar provae contra
mim, e fui en que a forneci. Sem mira
o que faria a justica ? At procurararapro-
vas com somnmbulos para saberem- onde
estava Kinck pai; Nunca rae persuad que
houvesse gente to tola em Paris, qw ena-
pregasse estes meios.
P.Esse facto alheioao processo.
Mr. Lachaud.Peco perdo. O eom>-
missario de policra servia<-s do um sotn-
twmbolo.
9.Deixemos isso.
A.Noqnero deixar.
P'.Entao quo mus tem- a- dizer ?
AIfada mais se nio que digo a ver-
dade. A justica teve infnrmaroes a mee
respeto) dadas por nra> miseravel de Cer-
nay, que queria mandar prender mea pai,
um homem honrado, mais honrad no sen
dedo mnimo, do que elle em lodo o cor-
po esse commissario de policia I
Dizem que eu Oz tudo. Se en qaizesM
matar toda a familia Kinek devia telo faite
na su.rpfopria casa e com mais seguranca
para mim. Em Roubaix. era-mc muito f-
cil, neo Hoba preciso de fazer- com qne
viesse a Paris.
P.Depois do assassinato de madame
Kinck e de seus filhos, o acensado entrou
na hospedara de manba: Estava escor-
re ido em sangue a ponto-qne a manga da
camisa.do braco direito ora urna posta de
sangue coaHudo desdo o punho at o col-
leirinho.-
A. verdade, era porm o meu pro-
prio sangue. (Murmurios).
P:Nio, eram os signaes do,crime.
A*(Com frieza). Tinha tambem a al-
gioeira das calcas cheia de sangue, nica-
mente por ter all mettid a mo.
P.O cesto de madame Kinck foi en-
contrado no seu quarto^ o aecusado apos-
sou-se del le?
A.Sim senhor.
P.Quanto dinheiro eonlinha.'
A450 francos.
P.Tambera Ihe foram encontrados pa*
peis de madame Kinck, principalmente
billieles a ordem, comovieram ao-scu po-
der ?
A.Estavam n3 c&sto, e agoderei-rae
delles.
t:Nio foram os sens cmplices que
Ih'os deram?
AwNao senhor, apossei-rae delles no ca-
minho, linJiam cado no chao.
1'.Quando saio de paris ?
A Era 0 do setembro as 4 horas da
tarde.
(Gtilinuw-w-ha)
LITTEllATlA.
mitia ?
A.Nao assim, nSo era necessario
matar as creancas. Sa estivesse s, nao
teria isso acontecido. Dei xa va-as na es-
trada e nada mais. Qne podiam fazer mn
os don peqoenos f (auimando-se cada vez
mais). Nao pode sur, eslavam oo>
nao fossem elles, ira para a mioli
arranjarit os meus papis e pasear
AensiaaAa.
De que me serve amar ?... Se dentro d'alma
Nao teiho urna esperanca ?...
mmha vida como a branca espuma
Nos mares scaa. bonaoca 1...
De que me secve amar ?.. as lindas noates.
De minha mocidade
Wo vejo um astro s que em mim derrame
A luz da f hadado !...
i) quo rao serve amar?.. as minhas folhas
Do l.vio do passado
Tudo revea urna legenda triste
De quando apaixonado !...
De quo me servo amar?... Dos meas amores
O que rstame agora
Um coracS >, que chora, qoando ri-se;
E ri-se quando cbra !
De que nio afervearaar ?... A vida humana
I. toda urna illas;
Tudo raenfira, iffcos doin os ^onhos....
tudo sbnho vo l .
A leitura deste documento produzio De qao
profunda impresso. O acensado ou-
vio-a tranquillo, sem fazer um movimento Que
sequer.
P.0 aecusado disse que morto Kiock
era urna necessidade exterminar a sua fa- De que me serve amar ?... Hoje ea descrea
At do nr-orio amorl...
me serve amar... V experiencia
Ensinado nw tem
desjjraca no mnndo I
Que parece-nosjJ
bem f

Al do proprio
O que ello dita pelo ar se bsooa...
fumo de vapor l
Dezembro.28de.t869.
Godofredo Avlmn.
flT. W> PlAlWRt A A8 liMT
kf


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E90W8AN0G_ZYYVJ6 INGEST_TIME 2013-09-14T04:44:48Z PACKAGE AA00011611_12200
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES