<%BANNER%>

Diario de Pernambuco ( Thursday, January 20, 1870 )

Permanent Link: http://ufdc.ufl.edu/AA00011611/12191

Material Information

Title: Diario de Pernambuco
Physical Description: Newspaper
Language: Portuguese
Publication Date: Thursday, January 20, 1870

Subjects

Genre: newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage: Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract: The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding: Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation: Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities: Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution: University of Florida
Holding Location: UF Latin American Collections
Rights Management: Applicable rights reserved.
Resource Identifier: aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID: AA00011611:12191

Permanent Link: http://ufdc.ufl.edu/AA00011611/12191

Material Information

Title: Diario de Pernambuco
Physical Description: Newspaper
Language: Portuguese
Publication Date: Thursday, January 20, 1870

Subjects

Genre: newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage: Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract: The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding: Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation: Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities: Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution: University of Florida
Holding Location: UF Latin American Collections
Rights Management: Applicable rights reserved.
Resource Identifier: aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID: AA00011611:12191

Full Text
MU
V I
A


1
ANNO XLVI. NUMERO 15.
---'---------------:-----------------,-----r----.----4.
PARA A CAPITAL E LGABES OHDE SAO SE PA6A' PORTE.
J'or tres metes adiaotados ................ 6000
1 'or seis ditos idem ................... U4000
'or titn aono idam..................... 24*Ki
Oada mumero avalso................... 330
QUINTA FEIRA 20 DE JANEIRO DE 1870.
---------------------------------------------,----------------:-----------------,--------r-,------------------
PARA DEBTRO E FOR A DA PROYOCIA.
Por tres mezes achantados ;................ 64750
l'or 6eis ditos idem................... 4340BO
Por nove ditos idem...................
Por um armo idem.................. 27|0Q0
Rgueira
j
SAO AGENTE:
Os Srs. Gerardo Antonio Alves Filbos. no Para ; Gonces 4 Pinto, no MaranhSo ; Joaejaim Jrt de Oliveira, noiCwr ; Antonio de tetnos Braga, no Aracaty ; Jo2o Mara Jolk) Oa*, no Ass ; Antonio Marqnes da Silva, no Natal; Jos Justino
Pereira d'Ataeida, em Mamanguape; Antonio Alexandrioo.de Lima, na Pirahj*a ; Antonio los Gomes, na Villa di Penba; Belarmino dos Saptos Bule*), en Santo AnOto; Domingos Jos da Costa Braga,
em Naxareth ; Francisco Tavares da Cost, m Aragoas ; Dr. Jos Marttas Alves, na Baha ; e Jos Ribeiro Gasparinno do iode Jroeino.
PARTE OFFHJIAL.
Qmmermo da p

KXPEOIK5TE ASSICNADO PP.LO EXM. SB. SENADOR FRS-
OEBICft DB ALME1DA E AMOQVIRtOM, WgtSIBKNTE
A PROVINCIA, KM 20 DE XOVEMBRO DE 1868.
1.* seccao.
N. 333.Portara ao capitao do porto.Fica V.
S aotorisado a mandar enradcroar as collecgoes
de (es geraes, rtatenos, offleios desta presilencia
< do Exm. Sr. miniare- da maana, dirigidos a
rusa capitana, comj solieitoa em seu offieio de 18
do crtente sob n. 138, a que respondo.
f seccao.
N. 3'i'.Portara ao commandante superior in-
terino da guarda nacunal do Recite.Expeca V.
S. oriera para que,% guarda nacional sob seu
commando superior forme em grande parada no
i '.ampo das Princesa* pelas 5 huras da tarde de 2
tu decembro vindmro, anniversario natalicio de
Sua Mngestade o Imperador.
X 887.Dita ao oiesmo.Em vista das infor-
:nacees ministrada* pe' inspector da tliesouraria
declaro* V. S. em reposta ao sea offlek) n. 819
mentido tawcca as convenientes ordens, que a im-
portancia da'despcza com o fornecimeolo de espa-
da* cun bambas mandado fazer a msica do 1*
talhiiode ariilharia deste municipio deve ser
^aga pula caixa d > mesmo batalhao.
y sijj, Din a i commandairte superior da
uaar la nacional de Olinda.Mande V. S. dar urna
: .11 ot honra do balalhao n. 9 de infantera da
:-minia nacional sob seu commando superior para
(Ssistir a toilos os actos da fusta de No>s* Senhora
W Amparo dessa cidade, que se lera de fazer no
da 31 d.i corrente, e' acompanhar a precissad da
mesina Seobora.
X. .'id'J. Dita .\o cominandante superior da
guarda nacional do Bonito.Recommendo a V. S.
' us ordens, que seja dissolvida a torca da guar
da nacional do balalhao n. 26, sob seu commando
superior qie se acha destacado na villa de Sao
I MlO.
_\ gflg, Deliberaba. O presidente da pro
viaeia atiendemlu m quo requereu o jniz de
dircilo da comarca do Rio Formoso, bacharel Mar-
,-. Gomia da Cunara Tamarindo, re-olve conce-
1er-l!ie :'.(! dir.s de liceuea com vencimeotos na
.-. da le, para tratar de sua sade lora da-
quHIa comarca.
X. 561.Dita.O presidenio da provinciaatten-
(lendn ao que requereu o.liacbarcl Luiz Rodrigues
>'iliaivs. amannenso interprete da secretaria do
tribunal dn commercio, resolve conceder-lho tres
- do licenca sem vencinwntos.
3." seccao.
X. ";;i2"orlara ao inspector da thesouraria
lie fazemla.Em vista de sua informacio de 18
irrente ib k. 796coni referencia a da conlado-
iessa tiesuuraria escripia no verso do reque-
: ment que incluso devoU-o, mande V. S. pagar
Miancl (Jomes de Mello, marido de Manoela Ce'-
lezerra de Andrade,o que se esliver a daver
iiiente da quantia do vinte nyi ris men-
qne a esta consignon il respectivo sold, seu
ilio, o alteres do 1" batalliao 4e intanttria Ma-
biat I.uiz Cezar de Mello, que so acha em servi-
ni guerra contra o governo da repblica do
aragnay.
Jf. 563.Dita no inesmo.-Transmitio a \. S.
para os llns convenientes as inclusas notas do gaz
-muido com a illr.minarao dos quarleisdos de-
H is especial da instrnccao e de recrutas do ba-
tilia-.) destacado e enfermarla militarnos mezes
Ve setembrr e outubro ullimos.
K. 964.Dita ao inspector da thesouraria pro-
vincia!. I'ode V. S. de conformidade com a sua
rmasao de 18 do corrente sob n. 706, mandar
<-atregar an vigario da Ireguezia de Gamelleira, pa-
rir Augusto Franklm Moreira da Silva, mediaute
Sanca idnea e logo que for recolbido a essa llie-
sourari;1, o beneficio da lotera extrahida ultirna-
aenlo a favor das obras Ja igreja matriz daquella
reruetia.
X. 565.Dita ao mesmoExpela V. S. suas oi--
para que em vista da inclusa coat que me
. ci.^tleu o chefe de polica com officio de 18 di
corrente sub n. 1636 sej* paga ao subdelegado do
'anella ou ao sou procurador a quantia de
OJlOO on o que justamente se dever do aluguel
N'eocido no mez de juibo a outubro deste auno da
ara que servo de quartel ao destacamento da-
II;. rcLuezia.
N 506.Dita ao mesmo.Autoriso V. S. nos
rmos de sua informacio de 18 do corrente sob
n. 707, com referencia a da conladoria dessa the-
sanraria a mandar pagar a Joaquina Antonio de
Cao'alho a quantia de 3:5001 proveniente como
da inclusa conta de 200 fardamentos de pan-
no azul e 400 de brun brnnco que por conta de
:.trac lo forneceu ao corpo provisorio de
(Hjl.
4a sea^o.
N. rjl'M.Portara ao Exm. Sr. desembargador
inovndor da Santa Casa de Misericordia.Em vista
V. Esc. mandar inscrever no respectivoqua
oro para ser admittido no collego das orphaas
idn hnnver vaga a menor Adelina lilha legiti-
ma de Joao da Cruz Ferreira Guedes e Anna Mar-
s de Albuquerque ja lalledos, e a que se re-
farc a inelusa certido de idade.
KUEMSXTB ASSIliXADO PELO SR. DI!. JOAQUN COU-
', D AUAUIJ, SECr.ETAniO DO GOVBRNO, EM 20 DE
neno db 1369. *
2* scegao.
589.OlTicio ao commandante superior da
la nacional do Cabo e Ipojuoa.S. Exc. o Sr.
presidente da provincia, manda communicar a V.
|uc tica inleirado por seu oflicio de 16 do cor-
te, de liaver V. S. reassuraido naquella data o
do commando superior deests manici-
N. J70.Dito ao commandante superior da
I a nacional de Tacarat. S. Exc. o Sr. pre-
;.'.e da provincia, manda declarar a V. S. em
i csii.*la ao sen oflicio de 29 de outubro ultimo,
que iransmiltio a thesouraria de fazenda para os
':as convenientes as relaedes nomintes, que vie-
ran* anncxis ao citado offieio, das pravas que esti-
< r"'i! destcalas nessa villa, a contar de 16 de
i unho a 3U de setembro desle anno.
N. 571.Dito ao juiz municipal e interino de
diroito da comarca de Goyanaa.S. Esc. o Sr.
presidente da provincia, rand commuoiear a V.
.. cruo tica inleirado por seu oHieio de 8 do cor-
cnie. de haver V. S. naquella data entrado no
t xercicio da vara de direito dessa comarca.
N. 872 Dito ao juiz de direito interino da co-
marca de Tacarat.S. Esc o Sr. presidente da
1 rovincia, manda communicar a V. S., que tica
Mleirado sor seu oflicio de 29 de outubro ultimo,
juramento para exereer o cargo de promotor pu-
blico interino dessa comarca, o capitao Jos Pau
1-nc Rodrigues de Barr
X. 573Dito ao I*'de direito da comarca de
r,aranhuns.-De oraWdo Esm. Sr. presidente da
nrovincia, acenso o recebimento do officio de 23
deoulubro ottimq. em^ue V: 8. paaticipa ter co-
l ?o capillo Aatonfo Viitor .'Correa para
exercer intriaumente o1 cargo de pr*no|lr publi-
co dessa cemarea.
X. 574.Dato ao promotor publico interino d
TVcanttu, Jos Paulino Rodrigues de Barros.De
,r.tem de S. Exc. o ?r. presidonie da provincia,
so o recebimento. de oficio de V. S. de 8* de
oqiuIho ultimo participando ter sido nomeado pro-
motor publico interino dessa marea, e que na-
quella data prestou juramento e entrou no exsrci-
cio do seu cargo.
X. 575.Dito ao commandante do corpo provi
sorio de polica.S. Exc. o Sr. presidente da pro-
vincia, manda declarar a T. S. em resposta ao seu
oflicio de hoje sob n. 533, que a thesouraria pro:
uncial tem ordem para adiantar os vencimentos e
ajuda de cusi de que trata o citado oflicio.
3.' seccao.
N. 376. Officio ao insaetor d thesouraria de
taaenda.O Exm. Sr. presidente da provincia,
manda transmittir a V. S. para os flosconveaien-
tes competentemente-despachado, o incluso reque
rmenlo documentado da D. Isabel Mara Baptista
de'Castro a que se refere a sna informacao de 17
do corrate sob n. 790.
N. 877.Dito ao mesmo.O Esm. Sr. presiden-
te da provincia, manda declarar a V. S. para os
devido-i fins, que segundo parlicipou o juiz de or-
pha'is desta capital bacharel Franciseo de Carva-
Iho Soares Brandao em offi rio de hontem datsdo,
nessa data deisaa elle por incommados de sade.
o exercicio das funcedes do dito cargo.
N. 578.Dito.ao mesmo.O Exm. Sr. presiden-
te da provioei% manda declarar a Y. S. para os
devidos fir.s, que segundo o officio da promotor
publico da comarca de Pao d'Alho bacharel Anto-
nio Domingos Plato Jnior de 18do corrente, nessa
data entrou elle no goso da licenca de 15 das que
Ihe foi concedida.
K. 579.ilo ao mesmo.O Exm. Sr. presiden-
te da provincia, manda declarar a V. S. para os
devidos fins, que por deliberacao de-ta data foi
nomeado o bacharel Austriliano Correa de Crasis
para o cargo de promotor pubbco da comarca,de
Tacarat, sendo declarado sem effeilo a de 18 de
outubro ultimo, que o nomeou para o de, Boa-Vista
e exonerado a seu pedido e bacbarel Jos da Costa
Camino Gaimaries que exerceu aquelle cargo.
N. 580.Dito ao mesmo.O Exm. Sr. presiden-
te da provincia, manda declarar a V. a. para os
lins convenientes, que por deliberacao desta data
foi nomeado o bacbarel Francisco Gomes Pinto de
Campos para o lugar de promotor publico da
comarca da boa-Vis|a.
KXPKIIIENTE ASSICNADO PEU> EXM. SR. SKNAD3U FRE-
DEI'.ICO DE AI.MIC1DA E ALBDQUERQDB, PRKSIIIRNTE
DA i'ROVINCIA, EM 23 DE NOVEMBRO DE 1869.
1' seccao, >
N. 382.Portara aoEsm. Sr. general comman-
dante das armas.Mande V. Exc. por ein liborda-
de o rocruta Candido Jos Duarle vislo quo provou
isctif ao legal.
N. 583.DU ao mesmo. -Mande V. Exc. por
em liberdade, isto ter provado isenQao legal o
recruta Joao Jos Gomas.
N. 584.Dita ao mesmo.Para cumprimeoto
do aviso de H do corrente junto por copia, mande
V. Exc. inspeccionar o tenenie aggregadi) a arma
de infamarla Francisco Antonio de S Brrelo J-
nior, remetiendo o resultado da inspeceo para os
fins convenientes.
N. 588 Dita ao director do arsenal de guer-
ra.Mande V. S. alistar na compinhia deaoren-
dizes menoros desse arsenal o orphaos Francisco,
que Ihe ser apresentado da parle do juiz de or-
phaos desta capital.
X. 586 Dita a.) inspector do arsenal de mari
nba.Approvo o contrato feito com o gerente da
companhia Vigilante, para o reboque dos batel&es
de areia extrahida pela barra de escavarao pelo
preco de 5 cada um, flcaalo assira respondido o
officio de V. S n. 1834 de 29 do mez prximo
Ando.
2." seccao.
X. 588.Portara ao Exm. Sr. presidente da
relacao. Informe V. Exc. se j foi decidido por
esse irihun.il o aggravo mterposto pelo subdito
suis-iO Leonardo Schuller nos autos de inventario
iniciado pelo juizo de orphaos do (ormo desta ca-
pital, remetiendo-me no caso allirmativo capia da
deeiso proferida pelo mesmo tribunal.
N. 58.1.Dita ao commandante superior interi-
no da gmrda nacional do municipio do Reci
fe.Expeca V. S. ordem para que pela guarda
nacional sob seu commando supjrior sejam feitas
as honras de vidas ao presidente nomeado para a
provincia do Para, Dr. Joao Alfredo Correa de Oli-
v
.eir por occasiao do embarque, pelas 4 horas da
arde do dia de amanhaa no campo das Prin-
cesa?.
X. 590.Dita ao commandante superior da
guarda nacional de Xasarelh.Ao captao crur-
eiao-mr desse commando superior Dr. Ermiro
Cesar Coutinho mande V. S. passar a guia de que
traa o art. 43 do decreto n. 1130 de 12 4e marco
de 1833, visto ter transferido o seu domicilio para
esta capital, conforme allega no requer meato
sobre o qual versa a informaban de V. S. de 2 do
corrente. i
X. 591.Dita ao juiz de direito bacharel v ieenleJ
Ferreira Gomes.Ha ja Vine, de responder a por-
tara junta do conselheiro presidente do supremo
tribunal de justica, relativa a reclamaciio de anti-
guidade do juiz ae direito Caetano Eslellita Caval-
cante Pesada,
N. 592.Dita ao juiz municipal da 1" vara desta
cidade.Transmiti a Vine, as inrormacOes juntas
por opia que acerca dt> sentenciados Matheus
Femandes Pereira e AgOftinho, e^cravo. deu o
juiz de direito de Vassouras e vieram annexas ao
oflicio do prt. Jente do Rio de Janeiro de 10 deste
mez. aflm de que Vmc. faga c irrigir as faltas que
se notam as guias que es acompanharam.
X. 53.-Dita ao mesmo.Transmuto a Vmc. as
guias juntas dos sentenciados existentes no presidio
de Fernando de Xor.-.nba, Vicente Ferreira, e Do-
mingos Barbo-a de Santiago Luna, que foram
remettidas pelo Exm. presidente da provincia das
Alagoas em offleios de 17 e 18 do corrente.
N. 594. Deliberago.O presidente da provin-
cia, attendndo ao ijue requereu o capito cirur-
gio-mr do commanQo superior da guarda'na-
cional do municipio de Nazareth Dr. Ermiro Ce-
saj Coutinho, e tendo em vi-ta a informacao do
re>pectivo commandante superior de 2 do corren-
te, resolve que se Ihe passe a guia de que traa o
art. 45 do decreto n. 1130 de 12 de mar^o de 1851,
visto ter Osado o seu domicilio nesta capital.
3a seccao.
X. 595.Polaria ao inspector da thesouraria
de fazenda.Em aviso de 13 desle mez, commu-
nicou-nie o Exm. Sr. ministro da juslic,, que so-
licitou ao da fazenda, tnbilitar-se essa thesoura
na com a quantia de 503000 para occorrer ao
pagamento da ajula de costo arbitrada ao juiz de
direilo Geryaik Pires Campello, para se transpor
lar da provincia Jo Para onde servio como chefe
de polica at a comarca de Therezina na do Piau-
h.y, que Ihe fu designada para o seu exercicio.
N. 596.Dita ao mesmo.Xesta data approvei
o contrato feito pelo inspector do arsenal de ma-
riaka com o grente da companhia Vigilante para
o reboque-dos baleles de ai a extrahida pela bar-
ca de eseavacao por preco de 5 cada um.
N. 467.- Dita ao mesmo.De cooformidade com
o art. 6 do regulamento, approvado pelo decreto
n. 4,39$ de 24 de abril ultimo, transmiti a V. S.
a iteiasa portara, que para ter esse destino me
foi rnmettida pelo director geral dos coneios em
ficio de 12 do corrente, Horneando Praacisco de
Paca Vieira de Castro para agente do correio de
Onricury nssia proancia.
l 598.Dita ao Dr. pr^enrador nacal da ihe-
socraria provincial.Tomando em consideracao o
qne Vmc. espdz em seu officio de 18 do corrente
sob n. 83 tenho a dizer em resposta, que concedo
a aulorisacao soliciiada em dito offloio. para de
eooformidde com o art. 2* ida lei n. 142 de 28 de
novembro de 181L delegar podern ena aeissas
idneas para as diligencias oecessaria a bem da
fazenda as comarcas em que os ajudantes d^ssa
proenrafloria fiscal deixaremde tiraros competen-
tes l i tu I os.
N. 599.Dita ao inspector da thesoararia pro-
vincial.Declaro a V. S. para seu onhecjmento
e fins convenientes, que tomando em coosideraoio
o que expoz o procurador fiscal dess*.lesoura-
rii em ollcio de 18 do.eorreate sob n. 83, acabo
de conceder a autorisac) por ell solicitlia, para
de conformidade com o art.' 16 2 da lehi. 2i2
de 28 de novembro de 1841, delegar poderes em
pessoas idneas para as diligencias necessarlas a
bem da fazenda nos e-unarcas em qne deisaSem
delirar os compelentee ttulos os ajudantes do
mesmo procurador fiscal.
X. 600.Dita ao msmo.lotelrado do conteni-
do do officio que V. S. me dirigi em 19 do cr-
ranle sob n. 709,tsnbo a dizer em resposta, que
convenbo em que seja eotrague ao Dr. Joaquim
Antonia Carnero da Couha Miranda, a quantia de
3003 como indemnisacao do terreno a elle perten-
cene fi d'onde se tem'extrahido o lerreno neces-
sario aos reparos da estrada do Casanga.
X. 691.Deiiberacao.O presidente da provin-
cia attendndo ao que requereu o arrematante da
pintura das pontes de Santa Isabel e Sol de Se-
temoro. Antonio Jaeintho Borges, e tondb em vista
as informacoes das estagoes competentes e pare-
cer fiscal; resolve proregar por qaaffata dias o
prazo que Ihe foi marcado para a conclusa) d^ssa
pintura, a contar da data em que se finJou o refe-
rido praso. Esla ser apresentada as mesmai es
taooes. afim de ter a devida execnoaij.
X. 602. Dita.U presidente da provincia, ten
do em vista o que requereu o colleclor de rea lis
geraes do municipio de Cirua- Aotonio de Bar
ros Reg, e o que a este respeito informou o ins-
pector da thesouraria de fazenda em officio de 16
d.; corrente sob n. 787, resolve conceder-lbe quin-
ze dias de licenca sem rermenlos para tratar de
negocios de seu particular ioteresse.
4" seccao.
N. 603.Officic ao Exm. Sr. presidente da pro-
vincia do Cear.Rogo a V. Exc. se digne provi
denciar, para que seja entregue o officio junto ao
bacharel Manoel Franco Fernandes Vieira, que se-
gunda coiisia.se acha ne^sa provincia.
X. 604.Dito ao Exm. Sr. presidente da pro-
vincia do Espirito Santo.Receb com o oflicio de
V. Exc. de 26 de outubro ultimo, d ms ejempla-
res da eollceeao de leis e da assembta legis'ativa
proviniMal dessa provincia na sessao ordinaria do
anno prximo passado.
N. 605.Dito ao Dr. Diogo Teixera de Macedo,
presidente da provincia do Rio de Janeiro. Qain
officio de V. Exc. de 30 de outubro ultimD, fiqaei
inteirado de haver V. Exc. ne ramento do cargo de presidente dessa provincia.
iara o qual foi nomeado por caria imperial de 2U
daquelle mez. Aproveito a occasiao para apresen-
ur a V. Exc. os meus protestos Je estima e dis-
tineta conideracoes.
EXPEDIENTE ASSICNADO PELO SR. DR. JOAQUIM COB-
HF;A OH ARAUJO, SECRETARIO 1 O GOVEIINO, EM 2
DB KOVEMUUO DE 1869.
2- seccao.
N. 606.-^)ilic9 ao Dr. chefe de polica.D&ms-
dem de S. Exc. o Sr. presidente da provincia re-
mello a V. S. os mappasque a este acompanhara,
os qaaes foram sem duvida por engao enviados a
presidencia polo subdelegado da freguezia de San-
to Antonio desla cidade em oflirio de 12 de outu-
bro ultimo.
X 6D7.Dito ao tenenle-coronel Severino Ale
xandre Villarim.O Exm. Sr. presidente da pro-
vincia manda declarar a V. S. que licou inteirad >
pelo -cu officio de 17 do corrente, de haver nessa
data assumido o commando superior interino da
guarda nacional dj municipio de Limoeiro.
X. 698.Di'o ao juiz de orphaos do termo do
Recife.O Exm. Sr. presidente da provincia man-
da declarar a V. S. que cesta data se expeli or
dem ao director do arsenal de guerra, pira in- i
cluir na companhia de, apreodizes menores d) mes-,
mo arsenal, o orpho Francisco, de que trata o seu'
officio de 20 do crranle.
X. 609.Dito ao Sr. Manoel Jos Pinto de Sou-
za Xeves.Xi podendo -er concedida a exonera-
cao por V. S. pedida em officio de 17 de outubro
ltimo, do cargo de primeiro suppleule do subd"-
legado do Io dislricto da freguezia de Nazareth,
em vista do que informou o Dr. chefe de polica
em oflicio n. 1,639 de 19 do corrente ; assun o
manda o Exm. Sr. presidente da provincia com-
municar-lhe, esperando que continuara a exercer
o dito cargo.
N. 610Dito ao bacharel Manoel Franco Fer-
nandes Vieira.Pela secretaria do governo se
communica ao Sr. Manoel Franco FernanJes Viei-
mr, que nella se acha o decreto de 3 deste mez, que
o jionaeou para o cargo de juiz de direito da co-
marca de Cabrob, afim de que o solicite e entre
em exercicio depois de haver prestado o devio
juarmeuto.
3' seccao.
X. 66!.Officio ao inspector da thesouraria d,
fazenda.O Exm. Sr. presidente da provincia man-
da irausmitUr a V. S. o incluso officio da di reato-
ra geral das rendas publicas datad > de 13 do cor-
rento, accisandp a remessa de 2 caixJtes conten-
do um 30:0901 e outro 10:000,3 de estampilhas
de sello adhesivo.
N. 612.Dito ao mesmo.De ordem de S. Exc.
o Sr. presidente da provincia coramunico a V. S.
que, segundo consta de offirio do administrador
aposentado do correio Domingos dos Pasos Mi-
randa, de 23 do correnle, passou elle nessa data a
adininistracao essa repariijao a seu substituto, o
contador Eduardo Finaino da Silva.
X. 613.ilo ao mesmoDe ordem.de S. Ex>-.
o Sr. presidente da provincia-communieo a V. S.
que, segundo consta de officio de 24 do corrente,
do contador do correio desta capital Eduardo Fir-
minoda Silva, entrou elle naquella data oo exer-
cicio de administrador ioieriuo do mesmo cor-
reio.
4* seccao.
N. eti.r-Officio aj desembargador provedor da
Sania Casa de Misericordia.O Esm. Sr. ministro
da fazenda participou-me em aviso de 13 do cor-
rente, haver ordenado a tnesourara de fazenda
desta provincia, que a$a iademnisar a junta ad-
ministrativa dessa Santa Casa o excesso do impor-
to de 8 pir cento sobre krterias que foi cobrado
da que se extrahw em 23 de ootunro de 1867. O
que declaro a V. Exc. para- seu conhecimento e
fias convenientes.
X 615.Dito ao administrador do correio.l)e
ordem de S Exc. o Sr. presidente^ provincia
communico V. S. para seu eoobecimento que
nesia data foi transmillido a thesouraria de faz.-n
da nos termos do art. 6 do regulamento, appro-
vado pelo decreto n. 4,356 de 24 de abril ultimo,
urna portara nomeando a Francisco de Paula \ iei-,
ra de Castro, para o lugar de agente do correio
do Ouricarv nesta provincia.
ESPEDIEKTS; ASSIONAOO MXO CXH. SR. SEMADOR FRB-
DEBIDO D* ALBIBOA B ALBCOBRO"^ P*E*2^NTt
BA PBOTOttIA, KM 13 DR NOVBMBHO DB W0.
1* seccao,
N. 618.Poctari* ao Esm. general commandan-
te das armas.Espeea V.-Bxc ordem afim deque
sejam dadas as salvas devidas, na oecasin que o
vapor IbrattfM* demandar a barra* conduzido a
seu bordo o Exm. presideite nomeado para a pro-
vincia do tara, Dr Joo Alfredo Correa de (Hi-
veira.
2* seccao.
I terino da guardk nacinil do municipio do Recife.
Approvo o (iftrino quo veioannexo ao seu offi-
cio n. 238 de l^do corrente. par* por elle ser fei-
to o uniforme da msica do 1 batalhi* de artilha-
ria da guarda racional desle municipio.
X. 620 Dita ao juiz de direito 4b comarca de
Cabrob, Pedro Caetano da Cuaba.Segundoeon*-
ta do Diario (jjiclal a> 267 de 10 do corrente, foi
Ymc. reawrid* por decreto de 3 deste mez dessa
comarca para a de Monte Santo na proviaoia da
Babia, seodo-lhe marcado o prazo de tres mezes
para entrar em exercicio.
X. 621.Deliberacao.O presidente da provin-
cia confarraando-se com a proposta do Dr. chefe
de polica em offlera n. 1,647 de 20 deste mez, re-
solve exonerar dm cargos de 2o, 3o, 4o, 5 e 6"
supplentes do suhdIegado do ! districto do termo
de Goyanna, Luoovico Francisco Cavalcante,
Joao Alve< Pragana Guabiraba, Bartholomeu Go-
mes de Albuquerque Francisco de Paula Rodri-
goes e Franeelmo Ferreira Crespo.
X. 822.Dita.Q presidente da proviocia de
conformidade com a piopesta do Dr. chefe de po-
lica em dfficio n. 1,947 de 20 deste mes, resolve
nomear para o cargo 8 subdelegado do 1" dis-
tricto do termo de Goyanna, vago por ter sido ni-
meado^iara o corpo de polteia Joa.juim da Silva
Motta, que o exercia. o actual 1" supplente Fran-
cisco de Paula Cabral
X 623.Dita.f> presidente da provincia de
conformidade comH p.-npcnta do Dr. chefe de po-
lica em officio n. 1,617 de 20 do corrente, resolve
nomear para os cargo* le 1*. 2'. 3", 4, 8 e 6"
suppienta do subdeteaado do i" disiriclo do tormo
de Goyanna, os cidajis se^uintes, na ordem cm '
que vao collocalvs : canilao" Luiz Cavalcante de
Albuquerque e Sonta, Jninim Jorg* gnira da
Silva, Jos Antonio de Albuqerqne, Hermino Pi-
nbeiro de Mendonca e Matiiis. Jos Baptista de
Araujo Magalhaes Caric, e Francisco de Paula
Casiilbo Curado.
X. 624Dita. presidente da provinciacon-
formando-se con a proposta do Dp. chefe de peii-
cia em oficie a. 1.047 de 20 di corrente, resolve
exonerar os ciaadSos Antonio Puheiro de Mendon-
ca e J(.-s Csrrea de Alba>(uerqi-. dos higare de
8 e 6" supplenlus do delegadi do l 8 vanna. .
. 623. DitaO presidente da provincia con-
tormando-se com a proposta do Dr. ctefe de (Trrli -
eia em offieio n. 1.647 de 20 do corrente, resolve
nomear para os lugares de 5" e li1 supplenles do
d-li-'ad) do tormo" de Goyanna, os cidadioa se
gnintes, na ordf m em que vao collocajoa : Ludo-
vico Franiisnoatale,inte, e l.eodegario Correa de
Oliveira Anlrade.
X. 62G. Uit.O presidente da provincia con-
Inrman lo-se com a proposta ib Dr. chefe de poli-
ca e.m oficio n. 1.64.6 de 20 do corrente, resolve
Minear para os cargos de > e li' supplentes do
delegado de Itamb, os cidaaads siguiles, na or-
dem em (|ue ie collocadus: Luiz da Veiga Pes-
Sia Cesar, e Luir Alvares de Carvalho Cesar.
X. 627.DitL presidente-da provincia con-
lormaodo-se com a proposta do Dr. chefe t poli
eia em oflkio n. 1,646 de 20 do corren.e, resolve
nn-ar Cosme Ignacio de Araaio Lima e Virgi-
nio Jluracio dR.Freit.is dos cargos de S" e 6o sap-
pleates do delegado do t -imio de liamb. ___
lt' secQao.
X. 028 Portara ao inspector da thesouraria de
fazeoda.Recwnmendo a V. S. que eiu vista da
inclusa conta documentada mande pagar o que
juilainen'e s; dever, proveniente de fretes e passa-
gens dadas por conta 'dn ministerio da guerro. a
bordo do vapor Ctnuripe da co:npanliia Pernara-
bucana, na ultima viagem que fe ao presidio de
Fernando.
X. 629. Dita ao mesmo.Em vista do prot no-
mina! junto em duplcala, que me remetteu o cora-
m-tndault superior deste municipio com offiejo de
20 do corrente sob n. 240, mande V. S. liquidar e
imposto? de que trata o termo que por copia
acompanbou o seu citado oflicio,. e autoriso a mes-
ma cmara a mandar p&r novamente em nraca
com o abato da 5* parte o imposto de ffericao de
pesos e medidas, que por falla de licitantes deixa-
ram do ser arrematados, dando parte do resoltado
para resolver como for conveniente.
X. 640.Dita ao commissario vaccinador pro-
vincial.Envi Vmc. a esta presidencia, com ur-
gencia, algnns tubos e laminas com fluido vaccini-
eo, para sercm remettidas ao delegado do Limoei-
ro, onde est grassando a varila.
X. 641 Dita ao Dr. Pedro de Athayde Lobo
Moscoso.Qusira Vmc. fornecer urna carieira
confuido 12 vdros com medicamentos homeopa-
tilicos em tintura, apropriados ao tratamenlo da
varila, que seganlo officio do chefe de polica n.
1,630 de 20 do corrente, est grassando no termo
do Limoeiro.
EXPEDIENTE ASSIGXADO PELO DR. JOAQUN CORREA DF.
ARAUJO, SECRETARIO DO 0OVERNO, EM 23 DE NO-
VEMBRO DE 1869.
1* seccao.
X. 612.Officio ao Sr. Jos Camello do Reg
Barros.Para iwxler ser tomada em consideracao
a petieao em que V. S. na qualidade de av e
tutor, pede urna pensad para o menor Joao, lilho
do fallecido capitao de commissao Joao Xavier do
Bego Barros, faz-se preciso juntar a cerlidao das
secretarias de eslado do imperio e da guerra de-
clarando asmerecs que hoiver tilo, ou que ne-
ahuma ha recebido, como foi declarado em aviso
da reparlicao da guerra de 9 do correle; o que
Ihe cummunico de ordem do Exm. Sr. presidente
da provincia. ,
2* seccao.
X. 643. Officio ao Dr. chefe de polica. De or-
dem do Exm. Sr. presidente da provincia^ trans-
muto a V. S. os ttulos juntos de nomeacao do >
e 6" supplente do delegado do termo de Goyanna,
e do subdelegado e supplentes do 1" districto de
da subdelegada do mesmo termo de conformidade
com a proposta de V. S. em officio n. 1647 de 20
do corrente.
X. 644.Dilo ao mesmo.O Exm. Sr. presiden-
le da provincia muida transmittir a V. S.. os t-
tulos junios de nomeacao de Luiz da Veiga Possa
Cesar e Luiz Alvares de Carvalho Ce ar .para os
lugares de 5 e 6"suppleule do delegado do ter-
mo de Itamb, de conformidade com a sua pro-
posta om officio n. 1646, de 20 do corrate.
X. 045.Dito ao commandante superior interi-
no da guarda nacional do Recife.O Esm. Sr. pre-
sidente da provincia manda declarar a V. S.. que
nesta data foram remettdos para a thesouraria de
fazenda as guias de soccorriiiieiiios das pracas de
que ir,ila o seu officio n. 141 do 20 do correute.
3* seccao.
X. 646.Officio ao inspector da thesouraria de
fazenda.S. Exc. n-Sr. presidente da provincia,
manda transmittir a V. S., as 8 inclusas ordens,
sendo ? do tribunal do thesouro nacional, sob ns.
184, 214 a 219, e 1 do ministerio jda guerra data-
da de 8 do corrente, e bem assun os z'offit'ios de
3 e 8 deste mez da directora geral de conlabli-
dade do thesouro nacional e da de rendas publicas
n. 11.
pagar os vencimentos, a contar de 7 a 15 des!
mez. dos guardas aacionaes do ' batalhao do in-
fantera aqii.irtellad.is na fortalezi do Jlrum.
X. i;:J0. Dita ao mesmo.Transmuto a \. S.
para os devidos fins as guias de soccorrimento das
piara* d- 1' balalhao de artilharia, 1, 2o e 3 de
infamara da guarda nacional deste municipio, que
estavam destacados no presidio de Fernando, e
d'.-.lli vieram no vapor Cumripe.
X. 631.Dita ao mfcnoo.Remello per copia a
V. S. para seu conheciraento o incluso aviso cir-
cular espedido pelo ministerio do imperio em 8 do
corrente, ni qual se declara que para occorrer as
despezas que se tem de fizer no-ta provincia no
ex ircicio de 1869-70, por con'.a daquelle minis-
terio, se deve observar a destribiiicao do crdito
feito pelo aviso de 14 de maio de 186S.
X. 632.DU ao inspector da thesouraria pro
vncial.Attendndo ao que. soliciten o provedor
da irmandade do Senhor Bom Jess das Dores na
igreja de S. Goncalo desta cjdade, Pedro Paulo dos
Santos, no requermento sobre que versou a sna
intoramanad de 20 do corrente n. 710, autoriso \ .
S. a maridar entregar ao thesour, tro da mesma ir-
mandade. mediante liaoca idnea, a importancia
que se acba recolhida ao cofre des thesouraria,
proveniente do beneficio da 3J liarte da lotera ex-
trahida a favor das obras daque la igreja..
X. 633.Dita ao mesmo.Attendndo ao que
requereu o commendador Amonio Joaquim de
Mello, recommendo a V. S. que, de cinformidade
com o contrato com elle celebrado, mande pagar
era prestacoes de 300*000 succe-svamente, os des
contos de ris pjr que se obrigou o mesmo com-
mendador a fornecer oilo biographa de pornam-
bucanos Ilustres, com os respectivos dijcumentos.
X 634.Dita ao mesmq,Informe V. S. iat
quando est paga a lu;iiiiiaeao publica desla ci-
dade. ,'.
X. (3S Dita ao mesmo.Providencie V. S. para
que a arreraatecao. da illuminaQo da cidade de
Olinda seja feta por um auno somente, visto tra-
lar-se de contratar a illuminacao a gaz para a
mesma cidade.
X 636.Dita ao chefe da reparticao das obras
publicas.Tenda resolv lo conce ler, de conformi-
dade com a sua informacao do hoje sob n. 393, a
permisso que solieitoa Otto Schneider, para cons-
truir um cano de esgto que d sahida para o
cano geral s aguas pluvaes do quintal de sua
casa sita ra "das Flores n. 25, urna vez que o
supplieante se snjeite por um tormo s eondieoes
(-suputadas a ontros em idnticas circumslancias ;
assim o declare a Vmc. para seu canhecimanto e
devidos effeitos.
4.* seccao.
N. 637.Oflicio ao Exm. presidente da provin-
cia do Cesr.Rogo a V. Exc. qne faca constar ao
bacharel Manoel Franco Fernandes Vieira, nave"
lo S. M. o Imperador nomeado por decreto de 3 do
corrente, juiz de direito oa comarca de Cabrob
nesta provincia, afim de qne dentro do prazo da
lei solicite elle o seo titoj o entre em exer-
cicie _
X. 638.Dito ao Exm. presdeme da provincia
do Itio de Janeiro.Constando da informacio row
nistrada pelo commandante do presidio de Fer-
nando em 9 do corrente sob n. 98 e junto por co-
pia, que os sentenciados Joao Alberto Vieka, Ma-
noel Ferreira do Nawiimeoto e Mara Josepba Lo-
pes, de qne traa o oficio de V. Exc. de 21 de on-
tbro praxin findo, foram jalgad09 nessa provio-
cia, devolvo.as nelaeoe* em que elle* sao contem-
plados pawo fira solicitado b o offi do do mea an-
tecesser. de 12 do mesmo mez de outubro.
N. 6.(9.Portara a cmara municipal da villa
de-tpojuca.llespondendo ao officio da cmara
municipal da villa de Ipoinca de 15 do corrente,
N. 619.rortaria ao comm'andanta sopetior in-! tente a dizer-lhe que api** a arrematara* dos
EXPEDIENTE ASSICNADO fEU) EXM. SR. SENADOR FRE-
UKRICO DE ALMEIDA E ALBUQUERQUE, l'UEs|DE.NTE
DA PROVINCIA, EM 24 DE NOVESBIO DE 1869.
Ia seccao.
X. 649.Portera ao Esm. Sr. general comman-
dante das armas.Declaraudo o governo imperial
por aviso circular do nfinislero da guerra de 11
do corrente, junto por copia que a publica^ao dos
nomes dus pracas do exercito nas ordeos do dia de
que trata o mesmo aviso, te ve por lim dar lugar a
reclamacao dos respectivos titules, e guias, os
quaes anda nao foram solicitados: assim o com -
o,nico a V. Exc. para os fins convenientes.
X. 630Dita ao mesmo.-*PdeV. Esc. rcan-
iduir no deposite de recrutas, afim de faz-r
o servico que Ihe competir, ao alteres reformado
t-Vliciauo de Lyra, em subslituicao do alferes lam-
bem reformado Alvaro Conrado Ferreira d'Aguiar,
que por doente foi exonerado de lal servico como
v. Exc. declarou em seu officio de 23 do corren-
te, sob n. 689.
X. 6jLDita ao director do arsenal de guerra.
Espeja V. S. as convenientes ordens, para quo
seja forecido o cartuxaifie necessaro para o fu-
neral domajor da guarda nieioual Claudiao Be-
n i co Machado.
X. 632.Dita ao iuspector do arsenal de mari-
nha.Declaro a V. S. para seu conhecimento e
devidos effeitos, que conf rmaodo-rae com a sua
proposta, contda em oficio de hoje, re>olv no-
mear o padre Jos Gregorio da Silva Carvalho,
pau exercer interinamente o lugar de capello
d'esse arsenal.
X. 633.Dita ao mesmo.Tendose partido o
masito do telegrapho da admioistracao do correio
segundo declarou em officio de boje o respectivo
aduiiislradur, reaommendo a V. S., que o man-
de examinar, e se 'estiver em estado de desaliar
faca collocar um outro para servir provisoria-
mente at que aquelle seja substituido.
X. 634.Deliberago.O presidente da provin-
cia, conformando-se com a proposta do inspector
do arsenal de marinha, contda em oflkio de hoje,
sob n. 1863, resolve nomear o padre Jos regi-
rlo da Silva Carvalho para exereer interinamente
o lugar do capellaq do mesmo arsenal, vago por
fallccimentu do serventuario padre Pruno Feliciano
lavares.
2' seccao.
X. 655.Portara ao eommandaute superior iu-
terino da guarda oacioual do Beiife.Expera V.
S. as convenientes ordens, para que pelo batalhao
que designar sejam feitas as honras fnebres ao
cadver do major Clan lino Benicio Machado, que
se acha depositado na igreja do convento do Car-
mo, em caja freote dever poslar-se a forea ama-
nhaa as 8 horas da maohaa ; sendo que nesta dala
se expedio ordem ao arsenal de guerra para ser
forecido o carluxame.
N. 656.Circulara todos os juizes de direito e
mnnicipaes da provincia.Devendo d'ora em dian-
le e em observancia do aviso circular do ministe-
rio dajnstica de 12 do corrente, ser levado ao co-
nhecimento do governo imperial os casos de fuga
de criminosos desta provincia para fra do impe-
rio, afim de evitar-se qoe os agentes consulares
brasiieiros por falto dos yecessanos esclarecimen-
tos coocedam certificados de nacionaliade a cri-
minosos evadidos do mesmo imperio, e se poder
resolver sobre a exlradicao dos mesmos, recom-
mendo a Vmc. que sempre que se derem taes
casos partieipe a esta presidencia declarando o
lugar do homisio, se for eonhecido.
X. 657.Portara ao comBaandante do corpo
provisorio de polica.Designo o alferes Joao Ri-
beiro Monterrey >s para substituir o alferes Marco-
lino da Costa llapso no cooselho de inlgamenlo
ao qual tem de ser submettido o soldado Jos
Francisco da Reg.
X. 638.Dita ao mesmo.Pode Vmc. engajr.r
no corpo sob seo commondo, os paisaaiw Manoel
Joaquim Vieira da S*a e Sabini Jos Trigueiro,
de que trata o seo oficio n. 539 de 22 do cor-
rete, caso tenham elles a precisa naoralidade.
X. 639.-Detiberacao.-0 presidente da provin-
cia, alten 'endo ao jo We rejuereu o b.-charol
joaquim Guedes Correa Gondin promotor puolieo
da comarca de Itamb, resolve coneeder Ihe vale
dias de licenca sem veoeimentos para traiar de
sna sadle nesta capital.
3.a seccao.
X. 660.Portan. ao inspector da thesouraria
de fazeoda.Sefjilio aviso do ministerio da or-
tica, db 4 deste mez, teado a lei de n. 1750, do >
do mez lindo mandado vigorar no actual exerci
ci a de n. 1507, de 26 de setemDro de 1867. q-
rege o* exeseictos de 1867 a 1868 e 1868 a 18M.
assim Iho eommonico, para seo cnnlieciuK'ato
devidos fins, preveniodo-o na forma do BMnaNj
aviso junto por de que contina igualoMiMt
e tem vigor do referido exercicio a tabeMa, qoe
veio abnesa ao aviso de 6 de julho deste anno, dV
quutas destinadas para os differentes serrinos fot
aqu correen por conta do dilo ministerio. *
X. 661.Dita ao mesmo.Tendo nesta data an-
torisado ao Exm. Sr. brigadefro commandante da-
armas a mandar admiUir ao servir 4o deposito
dos recrutas o alferes reformado-Feliciano de Lvra
em substituic*. do alferes umbem retormad Al-
varo Conrado Ferreira de Agniar, que por doeotr
foi exonerado daquelle servico, assim o roramunio
a V. S. para sou conheeunenlo.
X. 662.Dita ao mesa.Traosmitto a V. S.
para os lins convenientes, copia do aviso circular
expedido pelo ministerio da guerra, em 11 do cr-
reme, sobre pr.cas do exercito escasas, reforma-
das ou pensionadas, que nao solicitaran! anda *>
guias e ttulos respectivos.
X. 663.Dita ao mesmo.Attendndo ao (|oe
requereram os prafessores pblicos da villa do
Limoeiro Joaquim Tlu-odoro de Vasconcelos Ara-
go e Mana do Rosario de Oliveira Mello, expeco
nesta data as convenientes ordens a tliesoiiraria
provincial afim de quo, a conlar do do corrente.
faca suspender o descont de 5 0/0 que offereee-
ram os referidos professores, dos seus venciuien-
tos, para as despezas da guerra, visto terem ces-
sado semelhantes offiTerimentos, o que commusteo
a V. S. para seu conbeciniento.
X. 661Dita ao inspector da theronraria pro-
vincial. Attendndo ao que requereram os pro-
fessores pblicos da villa do Limoeiro, Joaquim
Theotonio de Vasconcello Arago e Mara dj Ko-
s:u io do Oliveira Mello, recommendo a V. S. que,
a contar do 1" do corrente, faca suspender o des-
cont do 3 0/0 que offerecerain os referidos pro-
fessores, de seus vencimentos, para as despezas da
guerra, visto terem cessado seinelhanles offcreci-
nientos.
X. 65.Dita ao mesmoExpeca V. S. soas
ordens, para que seja liquidada em vista (las in-
clusas cuntas e reUcoes, a despeza feila durante
os mezes de agosto e setembro deste anuo, com o
sustento dos prezos pobres da cadeia do termo do
Bonico e pnga a sua importancia a Manoel Moreira
de Souza, conforme solieitoa o chefe de polica, eiu
officio de. 22 do corren'e. sb n. 1631.
4a seccao.
X. 666.Officio ao Exm" Sr. presidente da pro-
vincia do Cear.Passo s inaos de V. Exc. o in-
cluso officio uom destino ao Incharel Manuel Fran-
co Fernandes Vieira, que dexou de acompanhar
ao que dirig a V. Exc. em data de 22 do cor-
rele.
N. 667.Portara ao Exm Sr desembargador
provedor da Santa Casa de Misericordia.Para
poder resolver^aobre a materia do offisio de V.
Exc, n. 2270, de 22 do corrente. faz-se necessaro
que me envi orna copia do contracto celebrado
eom M.moel Antonio de Jesus.
X. 68.Dita ao cercote da Companhia Per-
nanibucana.Pode Vuic. fazer segar para os
por tos do norte e sul os nnons Ipoja-M-M-iagun-
ribe no dia 30 do corrento, hora indicada em teu
officio de hontem.
X. 669.Dita ao director geral da iswlrncfM
publica.Dnvolvendo a V. S. as provas .-scripUs
que aeompanbaram o seu jfflcio de 2;i do corren-
te, sob n. 364, lenlio a dizer que approvo os exo-
rnes de habilitacao para o magisterio do seso lemi-
nino, a que se'procedeu oo dia l( ciimpriodo qoe se conliram os ttulos de r.i|iaciil.i-
de s 18 concurrentes approvadas pelos parecere>
dos examinadores que acompanhara n o tan cita-
do ollici i.
X. 670.Deliberacao.O presidente da provin-
cia, attendndo ao que requeren Silvestri* Aiikmmu
ue Souza, professor publico de inslructi" primar
ra da villa de S. Beato, e em vista da informacao
do director geral da im-trnecao publica de 18'do
orrente, sub n. 3."8, resolve conceder-lhe um me/,
de licenqa com ordenado smente, a contar de 7
deste mor, para tratar de sua sade.
EXPEDIENTE ASSICNADO PELO SU. DR. JOAQUIM CORREA
DE AIUUJO, SECRETARIO DO GOVERNO, EM 24 DE
NOVEMBRO DE 1869.
2.' seccao.
X. 671.Officio ao r. chefe de polica.Xesla
data autorisou-se thesouraria provincial pagar
a Manoel Moreira de Souza, a quantia de 2H44800.
constante do oficio de V. S. datado de 22 do cor-
rente, sob n. 1631, o qual tica assim respondido de
ordem do Exm. Sr. presidente da provincia.
4.* seccao.
X. 672.Oflicio ao Exm. Sr. desembargador
provedor da Santa Casa de Misericordia.S. Exc.
o Sr. presidente da provincia manda declarar a
V. Exc. que, pelo seu oficio de 19 do correute,
sob n. 2,275, ficou inteirado de haver a junta ad-
ministrativa dessa Santa Casa nomeado o niordomo
Vicente de Paula de Oliveira Villas-Boas, para
substituir an respectivo thesoureiro, commendador
Jos Pires Ferreira, que se retira para seu enge-
nbo. ,
X. 673.Dito a Eduardo Firmmo da Silva.S.
Exc. o Sr. presidente da provincia manda declarar
a V. S. que, pelo seu officio desla d:la, ficou intei-
rado de haver V. S. entrado hontem no exercicio
interino do cargo de administrador do correio
desta cidade.
X. 674.Dilo ao mesmo.S. Exc. o Sr. presi-
dente da provincia manda communicar a V. S., em
resposta ao seu oficio de hoje, que nesla data ex-
pedio as convenientes ordens ao inspector do ar-
senal de marinha, afim de que seja exammado o
mastro do telegrapho dessa reparticao que se par-
ti hontem. e, se estiver cm eslado de de-abar
mandar collocar nm outro para servir provisoria-
mente at que seja definitivamente substituido.
X. 675.Dito ao administrador do cemileri
publico.Sirva-se V. S. de eoviar-me com ur-
gencia urna relacao das pessoas que foram sepul-
tadas nesse cemiterio, no p.-riodo decorrido de 11
de abril ultimo a 5 dojsorrente, com declaraeaa
do estado, idade, cindicao, cor, sexo e nacionaii-
dade
t.



a
DESPACHOS DA PRESIDENCIA DA PROVINCIA DO WA,
17 DE JANEIRO.
Capitao Antonio Candido le Oliveira.Em vista
da informacao, mande-se dar a guia reqoenda.
Amaral A Filbos.Passando recibo sejam en-
tregues.
Feliciano Rodrigues da Silva.Informe o Sr.
engenheiro chefe da reparticao das obras publicas
Francisco de Carvalho- de Aodrade Brand:u>.
Informo o Sr. inspector da ihesourarii dte fczenda.
Francisco XaWer Cavalcaote LiOs.Informe o
Sr. iospector da thesouraria provincial.
Joo Carlos de Souza Santiago.loforme o sr.
corooel commandante superior ioterioo da guarda
naotoual do municipio do Recife.
Jos Izidoro Pereira dos Res.Informe o Sr. ins-
pector da thesouraria de fazenda.
Jos Cordeiro dos Santos.Indeferido arista da.
informacao.
Joaquim Jos do Mello.Inleerido.
Luiz Pires Ferreira.Junta esla a petieao ante-
rior, e a que o sopplioaoto indorassa ao governo
imperial, informe o Sr. cemmaodante superior o
guarda nacional do Cabo.
1



2
Ditrio de Pernambuco Quinta eira ^0 d Janeiro de
1870.

Repartido da polica.
2" eecao.Secretaria da polica de Pomarabu-
co, 19 de Janeiro de 1870.
N. 67. Illm. e ^xra,,Sr. Leve ao cenheci
meato de V.' Exc. que, seguiido consta das parti-
oipacdes recebidas n'esta reparlicao, forainAontem
recolhdo casa da detenco, os segualos indivi-
ordem do delegado desta capital, Domiciaaa,
sema de Joaquim da Corta, por se aehar ferida
na regio da cabeca em consequencia de castigo
que loe den sua senbora.
A ordem do subdelegado do Recife, Mara, es-
crava de Antonia Bernarda de Sotua, por distur-
M, o subdito portugaez Gaspar Das e o sulxlit >
hollando H. Brautn a requisicao dis 'respectivos
cnsules.
A.ordem de de Santo Antonio, Manoel, escravj
de Junoel da Silva Cimpas, a requerimento deste.
A ordem do de S. Jos, Eugenia Mara da Con-
ceico e Maria, escrava do major Luiz Jos Perei-
ra Simoes por desordem.
k prdem do da Boa-vista, Francisco, escravo do
D. Anali. de M iraes Chabi, Bento Antonio e lien
ti 2a escravos de loo da Cunba Neves, o primei-
n por insultos e os dernais a requerimento do
respectivo senhor.
Por olllcio datado de hontem, parlicipou-me o
subdelegado de . Jos que, s 6 horas da tardo
do mesmo dia na travessa do Monteiro daquella
fregaezia, Alfonso Jos Rodrigues e Manoel Igua-
ci Candoso travaram entre si urna lucia da qual
resultou sahirem ambos levemente feridoi, o pri-
melro com dita* pequeas estocadas e o segundo
cora urna caeetada na cabera ; nao tendo sido os
delinqnentes presas em flagrante.
Etn olllcio desta data communicou-meo Dr. de
legado desta capital que constando-lbe que pelas
3 horas da madrugada de hoje se dera um prin
cipio de incendio na laja de fazendas do subdito
porluguez Gaspar Antouio Vieira Guimaraes, sita
ra do Qneimado da freguezia de Santo Anto-
nio, para all so dirigir e procedendo as necesa-
rias iodagacoes, soube ser verdadaro o faci, po-
rtal que, em quanto um dos caixeiro* fra a res-
pectiva matriz pedir que dessem signaes de fogo
(ao que se neguu o respectivo guarda, por Ihe nao
ser apresentada ordem da polica) a visnhaoca
acudi e conseguio extingir o incendio, que nao
obstante occasionou o prejirlzo de 2:000i miis ou
menos. Que segundo declarou o mesmo Guima-
raes este presume que o fogo Tora (aneado de pro-
posito, nao so porque se manifestara elle em orna
mesa collocada no centro da luja, sobre a qual es
lava anu por;!-) de fazenda?, como porque quan-
do os caixeiro* que perootam no 3o andar do
mesmo predio presenliram o foge e acudiram para
extingui-lo encontraram aberla urna das portas da
inesma loja, que, como as dentis, liava ficado fe-
chada, nao podendo porm, saber a quem deva al-
tribuir a autora de semelhame attentado.
Em officio tambera desu data, Boraraunicou-me
o subdelegado do Poco da PanellaXque as S 1(2
horas da urde de hontem na povoacBo do Montei-
ro daquella freguezia, suicidara-S) com um tiro
de pistola o cil.idao Joao Antonia Pimenta, bran-
ca, soiteiro, natural da provjam do Rio Grande
do Sul, caixeiro da casa coram;rcial de Joao Al-
fonso Torres nesta cidadAjondo sido encontrado
no boleo do pilitoLcora qwse acha va vestido, urna
carta dirigida a Trajano de tal, na qual deca-
rava que a isto tora levado a praiicar seme-
lhante acto por nao poder fazer a feluidade da-
quella a quem amava, e pedia que isto mesmo
Trajano communicasse a sita av D. Jaeintha Bi-
beiro da Silva, residente na Bahia ; sendo igual-
mente encontrados no boleo do mesmo palito! ama
caixa de espoleta, urna pequea porcao do plvo-
ra, dous brinetes dos Trilhos Urbanos no valor de
00 rs. e C0 rs. em cobre, que apenas te ve scien-
' ta do fado dirigi se ao lugar indicado e proce-
den a compet.-nte visloria.
Filialmente, que, s 6 horas da manilla de neje
no lugar de Apipucos, aftogara-se casualmento no
rio Capibaribu o subdito portuauez Augusto Jos
Ferreira, creado de Joaquim Jos da Cosa Pinhei-
ro, all residente, que, logo que soube do faci
pirigio-se ao lugar do sinistro e deu as providen-
cias que o caso exigi.
Oeus guarde a V. ExcIllm. o Exm. Sr. se
nador Frederico de Almeida e Albuquerque, pre-
sidente da provincia. O chefe de polica, Luiz
Antonio Fernandes Pinheiro.
bla geral os.-accionistas deste esubelecimenio,
I
atlm de discutirem um requerimento assignado
por 20 delles, no qual peem a nullidade daseler-
edes feitas domingo passado.
FESTA NO CXBQ.Celebra-se domingo,: do
corrente, na villa do Cabe, a Testa do padroeiro S.
Sebastio, com toda a magnificencia do costme.
Sero oradores o Rmv. vigario de Ro Formo, e
ao Te-Ueam. a Rvm. Antonio de Mello e Albuquer-
que.
A' noute ser queimado ara lindo togo de art-
llelos.
LOTERA.A que se acha venda a 13a",
beneficio da igreja de Nossa Senbora do Amparo
de Olnda, que corre no dia SI.
PUBLICACOES A PEPIM.
Commlsso encarregada da tes-
ta da Virgen Sen'iora <1a Con-
celco. no futuro anuo de
1 11 aa apella da estrada de
*oo de Barros.
Presidente.
0 Illm. Sr. Dr. Cantono Maria de Farias Neves.
Vicepresidente,
O Illm. Sr. Jos Francisco de Paula Ramos.
Secretario.
O Illm. Sr. Ludyero Joaquim de Farias Neves.
Thesoureiro.
O Illm. Sr. Manoel Antonio Ferreira Gomes.
Procuradores.
Os Illms. Srs.:
Dr. Antonio Jos de Almeida Pernambuco.
Antonio Leonardo Rodrigues.
Fablo de Albuquerque uama.
Capito Jos Ferreira Gomes da Silva.
Manoel Jos Marques Baealho.
Joaquim de Oliveira Mello.
Thomaz Ferreira de Ca/valho.
Joao Francisco Ferreira Jnior.
PERNAMBUCO.
HEVISTA DIARIA.
ACTOS OFFICIAE3.Por deliberaces da pre
sidencia di provincia, de 18 do corrente, foram
nomeailos:
Benrique de Miranda Henrques, para reger in-
Mtaaraeote a eadeira de instsuccao publica da
Passagem di Magdalena, com a gralitieacao an-
uual de 6003000 ;
. Ignez Felieaa Pereira de Lyra, para reger
interinamente a eadeira de instruceo publica da
povoaco do Barro;
Os Dr.-. Prxedes Gomes de Souza Pitanga, Sil-
vio Tarquinio Villas-Boas e Pedro de Atliayde Lo-
to Moscoso, para veriHcarera o e-tado de incapa-
cidad* phvsica que allega o professor publico de
Baila-Verde, Jeronymo Theotonio da Silva Lou-
reiro.
ILLUMINACA A GAZ. SrExc. o Sr. presi-
dente da provincia procedeu hontem, perante os
eonconentts, abertura das propostas para o
contrato de illuminacao gaz das cidade* de Oln-
da, Goyanua e Rio Frmoso ; reservando a realisa-
rao do contrato para quando tiver estudado o con-
tedo de todas ellas.
INCENDIO.--Hmtem s 2 horas da madrugada
os eaixoiro" do Sr. Gaspar Antonio Vieira Guima-
raes, proprintano da loja de fazendas ra do
Queimado n. I, aeordaram sobresaltados com a
grande quantidade do fumaca que suba pela esca-
da da loja paraos andares superiores; e, nao po-
dendo ellas descer loja, passaram, pela parte pos-
terior do s ibrado, para o mais-prximo da raa do
Crespo, de onde ganharam a ra alim de arromba-
rem a porta da loja e acndirem o incendio. Tendo
encontrado urna das portas do e^tabelecimento a-
berta, ah peiietraram e poderam, com a ajuda de
;guns vUinlios, suUoca-lo com a perda apenas de
qoitra lotes do fazendas que se achavam sobre a
mesa da centro da loja, onde o fogo se ateira.
as quaes foram estimadas em cerca de 2:000-5000.
Ignoram-seas causas que elle deram lugar. A-
pezar de achai -se aberla urna das portas, nao se
encontrn falla de objecto algum nem mesmo de
dinheiro.
SH.IBIO.Ante-Uontem s 3 e 1(2 horas di
tarde na povoaco do Monteiro, boira da'levada,
junto ao sitio do conmeadador. Antonio Jos Go-
mes.do Correio, suicidou se dando um tiro de pis-
tola no crneo, Joao Antonio Pmenta, moco bran-
co, soiteiro, natural do Rio Grande do Sul, caixei-
ro do Sr. Joao Alfonso Torres, desta cdale.
Comparecendo a autordade competente, effectu-
ou a v.'ston.i e accessorias, encontrando-se em um
boleo do inleliz mancebo urna carta dirigida um
ir. Trajano Correa LeaL alm de 60 ris em co-
bre, dous jinetes da ria fcrr?a de Apipucos, ama
eaherana de espoletas e um papel com um resto de
plvora.
Do conteni da carta, que publicamos abaixo,
se videncia ler sido o desgranado Pmenta levado
a csse acto de desespero por motivos de coracao e
de nma uelicidade de que amargamente se
queixa.
Eis a caria.
Trajano. Peco-te que, quando souberes do
que me aconteeeu, participa-o minha av D. Ja-
cintila Ribeiro da Silva, na provincia da Bahia, e
ao mesmo tempo nao deixes alguem dirigir gracejas
sobre os meus ailtepassado*; e neste momento
que le escrevo verlo ama lagrima porque amo I
e nao posso fazer a felicidadu daquella quem eu
amo, e para nao a precipitar no abysmo concluo
com os meus desventurados das, porque o multo
qiw soffro, sem poder abar unitivo para as mi-
litas magoas juntamente com o meu caiporismo,
porque estou rente qug ha urna mao secreta que
destroe todos os meus projectos, e como nao quero
vi ver na indigencia coberto de andrajos, adeus, fi-
cando todos erantes que sdu catholico, apostlico,
romano. Son leu cantarada, Joao Antonio Pmen-
ta. 18 de Janeiro de 1870. >
AFOGAMENTO.Hontem por volta das 6 horas
da manhaa falleceu asphixiado por submersao no
Capibaribe, no povoado de Apipucos, Augusto Jos
Frreira, creado do Sr. Joaquim Jos da Costa Pi-
nheiro. residente; oaquelle local. A respectiva au-
tordade comparecen ao lugar do accidente e pro
eedea na forma da lei.
la-se igualmente afogando nq mesmo ro, no
lugar do i^aldeireiro, nos fundos do sitio do Sr. Dr.
Jos Bernardo G. Alcoforado, urna mulber que se
Lanbava alii por volta das 7 e 1|2 hora da non te
de anld-hontom. Felizmente pondo ella ser salva,
por varias pessoas que aos seus gritos aecudiram
em soecorro.
GABINETE PORTUGEZ DE LEITRA.-D0-
mingn, 23, do correte, devm reunir-seem assem-
Elar.Ho das pessoas que teem de concorrer para a
(esta da metma Senhora.
Juiz por eleico.
O Iflm. Sr. Dr. Antonio Maria de Farias Neves.
Juiza por eleicao.
A Illma. e Exma Sra. D. Maria Jos de Macedo
Aecioly.
Escrivao por eleicao.
0 Ulm. Sr. Albino Jjis Ferreira da Cunha.
Escrivaa por devocao.
A IHraa. e Exma. Sra. D. Maria Barbara Ferreta
Lobo.
Juizes por devocao.
Os fllms. Srs. :
Dr. Cosme de S Pereira
Dr. Antonio Annes Jacome Pires.
Jeronymo Gomes da Fonseca.
Feliciano Jos Gomes.
Jos Al ves de Lima.
Commendador Joaquim Monteiro da Cruz.
Commandante Antonio Rodrigues de Moura.
Juizas por devocao.
As Illmas. e Exmas. Sras.:
D. Maria Emilia Jorge Goncalves.
D. Mara ..sephina Lobo Neves.
D. Maria Amelia de Souza Leo.
D. Maria Carolina de Almeida Burity.
D. Francisca Leopoldina Jorge Goncalves.
D. Anna Cavalcanle.
D. Laura Maria Pessoa Braga.
D. Olympla Afra de Mendonca.
E Os Illms. Srs.:
Dr. Silvio Tarquinio Villas-boas.
Dr. Adolpho Lamenha Lins.
Jos Odilon Annes Jacaine Pires.
Joaquim Moreira Res.
Escrivaas por devocao.
As Illmas. e Exmas. Sras.:
D. Ignez Emilii de Farias Neves.
D. Anna Thereza Correa de Araujo.
D. Anna dos Santos Viegas.
D. Hermilla Candida Lins de Souza.
Juizes protectores.
Os Exms Srs.:
Brigadeiro Joaquim Bernardo de Figueiredo.
Baro do Livramento.
Os Illm-. Srs.:
Dr. padre Lui? Ferreira Nobre Hellnca.
Dr. Miguel Jos do Almeida Pernambuco.
Rvd. Fre Joaquim do Espirito Santo.
Gregorio Paos do Amaral
Fiaasco Cavaleante de Albuquerque Lins.
Andr de Abreu Porto.
Juizas protectoras.
As Illmas. e Exmas. Sras.:
D. Maria Emilia de Albuquerque Gama.
D. Maria Felismina Ferreira Gomes.
II. Maria da Pnracao Pereira Gusmp.
D. Untes de Albuquerque Gama Lins.
D. Giycena de Oliveira Mello.
D. Rita, esposa de Jos Joaquim da Cunha.
1). Anna Joaquina Pereira das Santos.
D. Maria Carlota Pernambuco Falcio.
Mordomos e raordomas.
Todos s moradores da estrada de Joao de
Barros.
Capella de Nossa Senhora da Conceicao na es-
trada de Joao de Barros, 16 de Janeiro de 1870.
. O vigario,
Manoel Joaquim Xavier Sobrara.
Programma da esplendida
festa em louvor de S. Se-
bastio, 11a vil do Cabo.
, Com toda a solemndade e apparato, domingo
23 do corrente, teralugar.a esplendida festa de S.
Sebastio, erecta naquella matriz.
O templo do Senhor, ainda urna vez, ostentando
lodo o explendor do culto divino, regurgitara de
(eis que, pressuroso?. correrao enviar frventes
prece* ao Glorioso Martyr Soldado que, em Drol
das verdades regadas no Gorgotha com o sangue
de um Justo, foi sacrificado as torpezas dos impos
e vou, circuindado de archanjos elhrea e divi-
na mansao.
Os etica rregados da festa teem envidado todos
os meos para corresponder raagestade de to
solemne dia para aquelles que tem inteira devo-
cao e religiosidade com o divino martyr.
Alm das novenas que tem concorrido grande
numero de devotos, no sabbado', haver vesperas
solemnes; segundo-se alguns divertimentos que o
caso suggerir.
Ao alvorecer soar urna salva real, acompanha-
da de innmeras gyrandolas.
As 11 horas, entrar a festa, cuja estante e or-
chestra nada deixaro desejar; orando ao Evan-
gelno o eximio pregador Rvmo. vigario do Rio For-
mse, que, com seu verbo sempre inspirado das
cousas divinas, dissertar em assumpto anlogo ao
dia.
Terminada a festa, nova salva troar; e mais
tarde, a procisso do Glorioso Martyr percorrer a
villa; sempre com a mesma magestade e reve-
rencia inherente ao culto externo.
s 7 horas da" larde principiar o Te-Deum lau-
damus, com o hrilhantismo correspondente ao da
festa; e, por essa occasio, far ouvir sua elegan-
te palavra o Rvmo. Sr. padre Mello, distiuclo pre-
gador muito conhecido entre nos.
Concluir o acto a descida da bandeira, seguin-
do-se um deslumbrante fogo de artificio, de gosto
superior e muito variado em que se distingue um
magnifico painel, novidade entre nos e obra do h-
bil pyrotechnico o Sr. Tito.
Myriadas de foguetes e mallos baldes subiro
alteriadamente ao ar, em regosijo religioso; e
com urna salva, dario remate festividade.
A msica marcial, dirigida pelo insigne maestro
Daniel, executar opportunaraente as brilnantes
pecas de seu importante repertorio.
A ruada matriz estar embandeiradaIlumina-
da gosto e para ter mais realce to primorosa
festiyidade, no sabbado bavef cavalbadas; e, no
domingo, dansa de corda, e corridas pares por
alguns cavaileiros.
Os habitantes de-(a cidade, encontrando all to-
das as commodidades, nao devem perder o en-
sejo para urna romaria to agradavel como pie-
dosa.
Pnrgaco. fortaleelmento
E* alcancado mediante o uso das pululas asso*
caradas de Bristol, estes dous processos sao inse-
paravelmente reduzidos a um s, e o mesmo j
nao se pode dlzer de nenhum_ outro cathartco
existente. Por esta mesma raao ellas sao indu-
biiavel mente o remedio alterativo o mais efficaz e
precioso que jamis foi receitado para as curas
da paralysia, fraqueza ervos:, debilidade geral,
vertigens e tonturas de cabeca. Estas enfermi-
dades acham-se geralmente l'gadas, quer j como
efeito ou causas, com urna certa condicao mor-
bosa do estomago, do ligado, ou dos intestinos.
Sobre estes o rgos as pjhilas operamde urna
maneira directa e com urna tal promptidao e tor-
ca curativa, que verdaderamente faz admirar,
emquanto que por ouiro lado ellas dio vigor a
todo o systema. A Salsaparrilha de Bristol, sendo
de todos os agentes o mais notavel para a reno-
vacao da' vitalidade do singue, torna-se portante
em taes casos indispensavel. Asjbilulas vilo den-
tro de vdrinhos e por iso a sua boa conservaco
duradoura em todos es climas.

EDITAES.
A. cmara municipal desta cidade faz prj
ass> iacSo, tem conseguido crear um effiivl ca-
pital que est convertido em apoliees da divida
publica, pondo assim a associac ao abagn de
alRuma futura infelieidade, torsaoio-se por C*a-
seguinte digna de louvor c confinca. ,
Segundo nos iafcrma pessoa habiiftia So tar- o\M para connecimeoto de seus municipes
dar sito qae a di^ectria ter de convocar a o regulamento abaixo transcripto, que se
SSdeSS at ;^$ffS SieTSf cha.en^or im obra. I do imposto
ella at mais de quaatts r.-conheee esse urgente
dever para crw os aatoeiados, esse'o seu conti-
nuo cuidado, tanto qae trata de satisfazer o mais
bem possivel que ao seu alcance estiver, e todo
os leva a crer se n nao tera feito at agora,
por eerto devido a multiplicados afazeres c immer-
ciaes de que esla*-muito subearregados todos os*
membros da directora, nao Ibes sobrando o tem-
po precioso que demanda os iiteresses da asso-
ciacao, todava a Justina e os arcanos da nossa
conscinea manda que digamos que os verdadei-
ros neiessitados nada,. tem soffrldo cora a falta
desta formahdade, em abono disto o atiestam esse
numero avalado fin diversos ssccorros por de-
mais conhecidos como em occasi breve os a?so-
ciados verlo do relatarlo da diretoria, e presente-
mente nao menos de vinle associados e viuvas in-
digentes estao ao abrigo da assuciacXo com pen-
S064 measaes. Bemdizendo do tnomento em que
nella se inscreveram rogando 1 Deas qae lance
sua bencao a aquellos que de coracao concorrem
para sustentar e crevendo estas liabas temos s por tira lembrar
como til aos interesses da associacao para que
n'um futuro prximo possa ella satisfazer todas as
necessidades, de que todos unidos pelo laco divino
da caridade, nao devera prescindir de cncorrer
para sua prosperidade, este ddve ser o interesse
das futuras administraeoes e de todo os associa-
dos, de que todos podem preciar, porque pn-
guem sabe aonde o vento irado da adversidade ha
de arroja-lo'no diaem que se desencadear, levan-
do de vencida a estrella bonaneosa da felicidade.
1 M. F. V.
COMMERCIO.
PACA DO BECIFE 19 DE JANEIRO
DE 1870.
AS 3 1/2 HORAS DA TARDB
Assucar Druto amencano 3*0C0 'e 35160 rs.
por 15 kil. (hontem).
Cambio sobre Londres 90 d|v. 201|4 por UOOO
Cambio sonre Paris3 d|v. 480 rs. por franco.
Frete de assucar para Marseille 30 francos por
tonelada iugleza sem capa.
Goni;allo Jos Affonso,
Presidente.
Mesquita Jnior,
Secretario.
Monte Pi Portugus.
Esta istituico de grandiosa e recoohecida uti-
lidade j comprovado por numerosos soccorros de
beneficencia, a sombra de ama directora com-
posta por distinctos cavalheiros, vai de dia para
dia tomando ara lizongeiro incremento. A recti-
do e imparcialidade com que Jio resolvido todas
as peticoes implorando soccorros para verdadeiros
neiessitados, nao s tem concorrido para que os
assoeiados estojara defectivamente convencidos da
utilidado o necessidade da associacao, como eu
quadro social tem attingido ura/espeilavel nume-
ro do socios. 1
Essa mesma directora prestfM a todos* seus
actos a mais severa e ircontesiavel eonomia, de-
vida a pratica e meslria cao que tem dirigido a

ENGLTSH BANK
Of Rio de Janeiro Limited
Descurta lettras da praca taxa a con-
vencionar.
Recebe dinheiro em conta corrente e a
praso ixo.
Saca vista ou a praso sobre as cidades
prlncipaes da Europa, tem correspondentes
na Bahia, Buenos-Ayres, Montevideo, New-
e New-Orleans, e emitte cartas do crdito,
para os mesmos lugares.
RA DO COMMERCIO $. 36-
Sociedade bancaria
era commandita
Theodoro Simn fy C,
Compram e vender por conta pro-
iria metaes, moedas nacionaes, e estran-
eiras, letras de cambio, seduias do go-
verno e do banco do Bsasil.
Descontam letras da trra e outros ti
tulos commerciaes.
Encarregam-se por conta alheia das mes-
oas transaccoes, da cobranga de letras da
ierra e de outros ttulos commerciaes.
Recebara quaerquer quantias em depo-
rto, em conta corrente, e a prazo fixo.
Largo do Pelourinho 11. 7
Caixa Filial do Banco do Brasil
A caixa filial do Banco do Brasil em Per-
aambuco em Nquidacao paga o 32 dividen-
do das accSes po banco do Brasil inscriptas
resta caixa, a razao de 9-5000, por accao.
ALKANDRliA.
tendimento de dia 3 a 18 797:826*767
(dem do dia 19...... 32:602*803
8.")0:i2!U570
MOVIMENTO DA ALFANDEGA
/oiurnes entrados com fazendas
dem idem com gneros
'olnraes sahidos com fazendas
dem idem com gneros
2i7
:121
-----368
200
iOO
-----600
Descarregam hoje 20 de Janeiro.
Eseuna inglezaHunsemercadoria-.
Barca francezaAunustinnidem.
Patacho inglezHaiderhacalhao.
Patacho portagnezPositivo~mercadorias.
Hiate inglezFredonidem.
Patacho americano SenoWafarinha de trigo.
HECEBEDOFUA DE RENDAS INTERNAS RAES DE PERNAMBUCO.
tendimento do dia 3 a 18. 21:988*333
Idem do dia 19 ...... 1:340*932
de fer^ie.
Paco da cmara manicipal do Recife, 12
de Janeiro de 1870.
Ignacio Joaquim de Souza Leo.
Pro-presidente.
Francisco Canuto da Boa-viagem,
Secretario.
ReguUmeuto para as afericOes de bataneas,
pesot e medidas do municipio do Recife,
pelo novo systema mtrico decimal.
Todo os arnuzetss, psitos, casas de
negocio, estabelecirflentos li Industria de
qalquer oatureza que sejam, fixos ou vo-
lantes, onde se compre e renda em grosso
e a retamo, mercadorias ou gneros solidos
ou lquidos, qae seja necessario pesar oa
medir, seo o rigados a ter collecc5es
completas de pesos e medidas, segundo a
natureza de seu commercio, na forma do
pado do imperio.
Todas as pessoas assim obligadas a ter
balancas, pgsos e medidas, pagano a afe-
ri(9o da maneira seguiute :
Art. l.e Por cada metro pagano os lo-
gistas 23, os nascates e boceteiras lt$.
Art. 2.* Por cada temo de peso, come-
Cando de 20 kilogromraos at o menor peso
4l, por terap; comecando d 10 kilogram-
mos, 2560 por terno; comecando de 5
kilogrammos 1>.
Os que excederera a 20 kilogrammos pa-
gar3o 40 rs. por kilogrammo,
Pesos avulsos pagarlo 80 rs. por kilo-
grammo ; menos de 20 kilogrammos para
cima que pagano 40 rs.
Art. 3. Cada marco que nao exceder de
meio kilogrammo pagar 80 rs., os que ex-
cederem pagano 40 rs. v
Balancas portuguezas, que n3a excede-
rem a 8 kilogrammos, pagano 500 rs. ; s
que fsrem de maior capacidade e menor de
20 kilogrammos pagatio 10, e as que exce-
derem de 20 kilogrammos pagarlo 2$.
Balancas para marcos e granitaros paga-
rao 320 rs.
As romanas e decimaes com pesos at
300 kilogramnaos pagano 6$, e as que ex-
cederem pagano 10.
Art, 4.o A colleco de medidas para sec-
eos, com oito vasilhas, comecando pele de-
calitro meio deci-litro, pagano 1&600.
Por collecclo de cinco vasilhas, cometan-
do pelo duplo-litro at meio deci-Uro pa-
gano 401-00.
Art. 5.a A collecclo de medidas, conten-
do seis vasilhas para lquidos, principiando
pe 1 double-litro at meio deci-litro pagar
1^500.
P r um terno de quatro vasilhas, come-
cando de meio litro at meio decilitro
10*00.
Art. 6.9 As vendas e armazens sao obri-
gados a ter tantos temos, quantas forem as
qualidades de lquidos que venderem.
Ai t. 7. As medidas avolsas, quer para
liquido, quer para secco, pagano 200 rs.
Art, 8. Os que venderem pelas ras fa-
sendas ou seceos, como azeile, mel, leite,
feijo milho, arroz etc.: pagano de afenco
por cada medida 32o rs e mesmo paga-
o os canoeiros, barcaceiros e navi s que
venderem cal, sal, farinha e outros g-
neros.
Art. 9. Os que venderem lquidos em
barris oa an ;oras, sao obrigados a aferi-los
marcando ao texto de cada um o que pode
con ter, e pagano por cada par de barris
ou ancoras o que est estipulado por urna
s vez ao anno i$, at a prxima arrema-
tado, ficando livre da reviso para nova
arrematacao,
Art. 10. Por cada regra de dous meos
pagano 500 rs. e sao obrigados a mi
parte dellas os mestres do obras, carapi-
nas, pedreros, cnteos, vendedores de ma-
deiras e todos os que por sua profisso
della possam precisar.
Art. 11. As estacoes publicas continua-
rlo a pagar as aferices, bem como as es
acoes da estrada de ferro, e matadouro
publico as balancas de arrDbaclo.
Art. 12. As medidas e pesos sao sujei-
tos s revisos, que custar metade: todos
os pesos e medidas atiendas pela primeira
vez Gcam sujeitos mais da- metade da alie
rielo prescripta.
Art. 13 As afferices teo comeco em
outubro a dezembro, e a revislo de abril
junho ficando porm os acougues obriga-
dos a reverem de tres em tres metes.
Paco da cmara municipal do Recife, 15
de juiho de 1888.Ldiz Jos Pereira Si-
moes. pro-presidente.Feliciano Joaq'irm
dos Santos.Thomaz de Aquino Fonceca
Dr. Joaquim Jos de Miranda.Gustavo
Jos do Rego;Dr. Prxedes Gomes d
Souza Pitanga. Antonio Jos Silva do
Brasil.
Approvo.Palacio do governo de Per-
nambuco, 17 de agosto de 1868.Assis.
Conforme.Antonio Annes Jacome Pires.
2:1:529*267
CONSULADO PROVINCAL
tendimento do dia 3 a 18.
dem do dia 19 .
132:006*916
3:798*041
i.-.-80MW7
MOVIMENTO DO PORTO.
A'octos entrados no dia 19.
Terra Nova31 das, patacho inglez John B. Camp-
bell, de 199 toneladas, capito James Jewer,
equipagem 11, carga 2,730 barrica com baea-
lho ; a Sawnders Brothers & C.
Trieste72 das, patacho norte-allemao Anna, de
196 toneladas, capito H. Larraann, equipagem
8, carga 1860 barricas com iarinha de trigo ;
ordem.
Rio de Janeiro20 das,- polaca hespanbola Provi-
dencia, de 150 toneladas, capito Lourcoco Roig,
equipagem 10, em lastro ; a ordem.
Rio de Janeiro23 das, barca portugneza Clau-
dina, de 391 toneladas, capillo Joaquim de Sou-
za Amelas, equipagem 13, carga caf, barricas
vazias e outros geoeros ; a Cunha & Irmao.
Liverpool42 das, brigue inglez Soiway, de 177
toneladas, capito Henry Wrake, equipagem 8.
carga differentes generes ; a Jocoston fa-
ter & G.
Atoio sahidos no memo dia.
BarcelonaSumaca bespanhola Ignacila, capito
Fruth, carga algodo.
Bio Grande do SaJPatacho hrasileiro AW/fca^
capillo Sf. V. da* Neves, carga assucar e a war
dente
4* seccao.Secretara do governo de Pernam-
buco, 24 de dezembro de 1869.
Pela secretara do governo se faz publico, que
o Exm. Sr. presidente da provincia nao acceitou
as propostas apresentadas pelo engenheiro Manoel
Buarque de Macedo e o bacharel Bento Jos da
Costa Jnior para a construccao de urna estrada
de ferro desta cidade a villa do Limoeiro com
ramaes para Nazareth e Victoria, por exgirem os
proponentes garantas de juros, e nao permittirem
os cofres provinciaes um compromisso dessa or-
dem, nao obstante a autorisacao para esse II m
concedida pela lei provincial n. 806 de 6 de ju-
nho do anno prximo passado; e por isso nova-
mente se convida as pessoas que qulzerem con-
traciar a construccao da referida estrada a apre-
sentarem ao mesmo Exm. Sr. no dia 24 de Janeiro
vindouro ao meio dia sua propostas em carta fe-
chada, sob as bases e condicoes declaradas na lei
abaixo transcripta:
LEI N. 8S6.
O barao de Villa-Bella, presidente da provincia
de Pernambuco. Paco saber a todos os seus ha-
bitantes que a assembla legislativa provincial
decreten e eu sanecionei a resolacao seguinte :
Art. 1.a Fica o presidente da provincia autori-
sado a contractar com o Bario do Livramento, ou
com quem mettoirs garantas offerecer, a cons-
truccao de urna estrada de ferro desta cidade a
villa do Limoeiro, com dous ramaes para Naza-
reth e Victoria, pausando pelos povoados Caxan-
g, S. Lourenco da Malta, villa do Pao d'Alho,
Povoaco de Tracunhero, sobre as condicoes se-
gniotes :
1." O contratante obrigar-se-ha a apresentar
planos e estados da estrada no praso de dous an-
nos, a cootar da data e asignatura do contracto.
.' O presidente poder lazer nos planos e es-
tuoos as alteracoes que julgar convenientes efixar
a bitola e peso dostrilh , as dimensdea daaobras
dartee todas as condicoes para segnranca e boa
execnco darestrada e ramaes.
$ 3.* O presidente peder fiscalisar a construc-
cao e servico da estrada e ramaes.
4. A estrada o ramaes seaio condtidas a i'
nn praso de 4 annos, a contar do comeco das
obras, as segundas al 3 annos tepes de conclui-
da aquella.
Aa multas por nfracco desu clausula e a proal
.regaceo dos prasos nclla estlpulailos por caseit
serio determinados pelo presidente
da provincia.
Art. 2.a Fica o presidente da provincia igual-
mente autorisado vfmxiliar a constrnecio da II-
nha e ramaes com ooia subvenco kilomtrica de
um quarto do valor das obras oreadas, ou a con-
ceder a garanta de joros at 4 *' sobre o ca-
pital empregado.
Art. 3.- Ser concedido ao contratante um pre-
vilegio por 90 annot para oso a goso da estrada
e ramaes oontando-se da eonclu-o das obras au
podendo peana algnma construir estradas seme
hantes nasse praso para os mesmos pontos, n>m
na direceo dos ramaes e na zona de 3 leguas
para cada lado das estradas.
Art. 4.a A estrada e ramaes e todo o material
empregade .ficain isenlos dos impostes provinciaes
e municipaes
Art. 5.a Ficain revogadas as disposicoes em con-
traro.
Mando por tanto a todas as autoridades a quem
o conbeciraento e execufe da presente resolucao
pertencer, que a cumpram e facam cumprir to
inteiramente como nella se contera.
O secretario d<> governo' desta provincia a faca
imprimir, publicare correr.
Palacio do governo de Pernambuco, aos 5 de
junho de 1868, quadrageswmo stimo da inde-
pendencia e do imperio.
L.S. '
Barao de Villa-Bella.
Sellada e publicada a presente resolucao nesta
secretaria do governo de Pernambuco, aos 5 de
junho de 1868.
O secretario
Dr. Francisco de Paula Salles.
Registrada a folha do livro de leis provinciaes.
Secretara do governo de Pernambuco, aos 5
de junho de 1868.
0 e Theodoro Jos Tarares.
O secretario
____________Dr. Joaquim Correa de Araujo.
!. seccao.Secretaria do governo de Pernam-
buco, 14 de Janeiro de 1870.
EDITAL.
Por esta reparlicao se coramunica a Sra. D. Ma-
ria Francisca Ferreira de Azevedo, vinva do alfa-
res reformado do exercito, Francisco Ferreira de
Alcntara Barros, qae para ser tomado em consi-
deracao o sdu requerimento em que pedio urna
pensao ao governo imperial, faz-se necessario que
a sopplcante remella a secretaria de estado dos
negocios da guerra, para seren juntos ao mesmo
requerimento' os seguinte.- documentos em origi-
nal, folha corrida, certidoes das secretaria* de es-
tado do imperio e da guerra, declarando quaes as
mercs que tem lido, 00 que nenhuma ha rece-
ido.
O secretario interino,
Elias Frederico de Almeida e Albuquerque.
DECLARACOES.
Santa Casa da Misericordia do
Itcclfe.
A Illma junta administrativa da Santa Casa da
Misericordia do Recife manda fazer publico que na
sala de suas sesses, no|dia 20 de Janeiro, pelas
pa tro horas da tr.rde, tem de ser arrematadas
quem mais vantagens offerecer, pelo lempo de nm
a tres annos, as rendas dos predios em seguida de-
claradas :
ESTABELECIMENTO DE CARIDADE.
Roa ao Calabouco
Casa terrea n. 20, por anno 242^000
Ra das Cinco Pontas.
Casa terrea n. 112......3005000
dem n. 114........ 360*000
PATRIMONW DOS ORPHAOS.
Ra do Vigario.
Pnmeiro andar do sobrado n. 27. 240000
Ra do Pilar.
Casa terrea n. 10o, por anno 1464000
Sitio n. 5 no Forno da Cal........... 150000
Os pretendentes devero apresentar no acto da
arrematacao as suas flaneas, ou comparecerem
acompanhados dos respectivos fiadores.
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do Re
cife, 18 de Janeiro de 1870.
O escrivao.
Pedro Bodrioues derSmiza
Aviso ao navegantes.
De orden de S. Exc. o Sr. presidente da pro-
vincia fa^o publico que a barca Pharol que se
achava collocada nos baixos de Braganca, foi re-
tirada do ponto de sua amarracao, porque esta
iniprestavel, tendo corrido risco de perder-se : e
que al fazerem-se os reparos, de que ella neces-
sita, estar naquelle ponto o hiate Biachuello, o
qual de da crusar as proximidades dos baixos
e denoitj ancorar, tendo um lampeao. que possa
ser visto dos navios, que se aproximaren! em de-
manda da entrada para o porto desta cidade.
Secretaria do governo do Para, em 20 de dezem-
bro de 1869.
Antonio dos Pasaos Miranda,
Servndo de secretario.
Est conforme,Capitana do porte de Pernam-
buco, lo de Janeiro de 1875.
O secretarlo,
Decio de Aquino Fonseca.
COMPANH1A PERNAMBUCAiNA
M
Navegando t costeara por vapor.
Porto de Gallnbas, Rio Formse e Tamau-
dar.
0 vapor Parahyba, segolr para oa .portes ci-
ma no dia 20 do corrente meta noite. Recebe
carga, encomraendas, passageiros, e dinheiro a fre-
le no escripiorio do Forte do Mattos n. 12.
TlMlA IIAflURi
DE
Paquetes a vapor.
Dos portos do norte esperado
t o dia 28 de Janeiro o vapor
Onard, commandante interino o
1 lenle Gremhalgh, o qual de-
pois da demora do costme se-
guir para os portos do sol.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-?e a
carga que o vapor poder eonduzrr, a qual dever
r embarcada oo dia desoachegada. Encommen-
ias e dinheiro a frete at as duas horas do dia da
*ua sahida.
Nao se recebem como encommendas senao ob-
lectos de pequen valor e que nao excedam a S
arrobas de peso ou 8 palmos cbicos de medi-
cao.
Todo que passar destes limites dever ser
embarcado eomo carga.
Previne-se aos Srs. passageiros que suas passa-
gens so se recebem na agencia ra da Croz n. 57,
Ia andar, escriptorio de Antonio Luiz de Oliveira
\zevedo & C.
COMPANHIA PERNAMBUCANa
M
VaTegacSo costeira por vapor.
Parahyba, Nata', Maco, Mossor, Ara-
caty, Cear, Mandaba, Acarac e
Granja.
O vapor pojuca, commandante
Moura, seguir para os portes
cima no dia 31 do corrente as 5 horas
la tarde. Recebe carga at o dia 29, encom-
iendas, e passageiros e dinheiro a frete at as
J horas da tarde do dia da sahida no escripto-
rio no Forte do Maltes n. 12.
fltr
JL
m.
SantJiOasa de Misericordia
do Recife.
A Illm. junta administra da Sania Casa da Mi-
sericordia do Recife, pelas 4 horas da tarde do (lia
20 do corronte, na saia de suas sessoes, recebe
propostas para o fornecimento de carne verde aos
estabelecimentos pos seu cargo nos mezes de
fevereiro e marco prximos.
Secretaria da santa Casa de Misericordia do Re-
cit 24 de janoiro de 1870.
O escrivao,
_______ Pedro Rodrigues de Souza
Santa Casa de Misericordia
do Recife
Pela secretara da Santa Casa de Misericordia
do Recife se faz Dublico que no da 24 do corren-
te, pelas 9 horas da monha, no salao da casa dos
expostos o Illm. Sr. thesoureiro interino Vicente
de" Paula Oliveira Villasboas far pogamento da
mensalidades relativas ao trimestre de outubro a
dezembro do anno prximo Ando s amas que se
aprcsenlarem com as crianzas que Ihes foram
confiadas.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do
Recife, 17 de Janeiro de 1870.
O escrivao,
___^________Ped^p Rodrigues de Souza.
- t inspector interino da alfandega faz publico
que no dia 24 do corrente, depois do meio da, e
porta da mesma reparlicao, sero levados a hasta
publicas livre de direites, os voluntes abaixo de-
clarados :
Trapiche Dantas WS tres caxas vindas do Rio
de Janeiro no brigue portuguez Acaso, entrado
neste porto em 30 de marco do anno prximo pas-
sado, pertencentes a Tasso Irmos, conleodo ves-
timentas velhas de laa e algodao para cmico, no
valor de 20/000.
Armazem n. 1 (alfandega) AF urna caixa n.
127/135, vinda de Liverpool uo logar inglez Ann
Wheaton, entrado em 24 de abril do dito anno,
contendo cinco copos de vidro n. 1, pesando um
kilogrammo no valor de 600 rs.
Alfandega de Pernambuco 19 de Janeiro de
1870.
O inspector interino,
Luiz de Carvalho Paes'e Andrade.
COMPANHIA PERNAMBCANa
DE
Savegacao costeira por vapor.
Macei em direitura e Penedo.
O vapor Uiquia, commandante Cos-
ta, seguir para os portos cima no
dia 22 do corrente as 4 horas d.'.
tarde. Recebe carga at o dia 21, encommendas,
passagens e dinheiro a frete at as i horas do
da da sahida : no escriptorio do Forte do Mattos
n. 12._________________________________
COMPANHIA PERNAMBUCANA
I DR
tfavegaco costeira por vapor.
Goianna. ,
O vapi r Parahyba, seguir para o
porte cima no dia 26 do corrente,
as 9 horas da noite.
R cebe carga, encommendas, pa;sageiras e di-
nheiro a frete no eseriptorio do Forte do Mattos
n. 12.__________________________________
COMPANHIA PERNAAMBUCANA
DE
Xaregaco costeira por vapor.
Mamangnape.
O vapor Mandah, commandante Julio, seguir
para o porto cima no dia 28 do corrente as 6
horas da tarde. Recebe carga, encommendas,
passageiros edinheiro a frete al as 3 horas da
tarde do dia da sahida, escriptorio no Forte do
Maitos n. 12.____________________________
Pede-se atten^ao.
Vende-se.
O lindo e muito veleiro patacho inglez J. Bow-
ley, lotaco de 143 toneladas e carrega 220, calla-
do de 10 ps carregado, com 94 ps de quilha, 31
de boca e 11 de pontal, tendo sidt construido em
1*07 na liba Britnica Prince Edward, e classiti-
cado A I. com mastro novo de proa de picho de
Riga, andaina inteira de panno novo, recenlemen-
te apparelhadoa rame, com sens pertences com-
pletos, e mais sobrecelentes constantes do inventa-
rio. Declara-sc haver sido diio patacho pronipti-
ficado antes de sahir de Inglaterra com roasslros,
massaine de rame, e andaina completa de panno
inteiramente novo ; e qne para memores informa-
coes, podem os pretenentes exaraina-lo no anco-
radooro da descarga neste porto, e entenderem-se
cora os Sr*. Simpson Duder & C, ra do Com-
mercio n. 16.
PARA LISBOA^
O Brigue porluguez Laia 1., segu r com
toda a brevidade visto j ter prompta quasi tod;;
sua carga : para o que lite falta, passageiros diri-
jo-se aos consignatarios, Oliveira Flhos e C, nu
largo do Corpo Santo, n. 19, ou ao capito na pra-
ca do Commercio.
PARA LISBOA
Prelende seguir viagem, com maior brevidade
possivel, para o dito porto o patacho portugus
Positivo, capito Joao Ferreira Bastos, recebe a-
guma carga a frete a tratar com Marques Barros.
& C. no largo do Corpo Santo n. 6, 2" andar.
PABA O PORTO.
Dever seguir com a brevdade possivel a
Barca porlugueza A'oro Silencio, para carga e
passageiros dirijo-se aos consignatario?, Oliveira
lhos A C, no Largo do Corpo Santo n. 19, ou ao
capito na Praca do commercio.
Para o Porto
a barca F7or de S, Simo sahir brevmenle, por-
que j tem parle da carga engajada : para o reste
e passagens, trata se com os consiguatarios Car-
valho & Nogueira, na ra do Apollo n. 20.
Para Lisboa.
Segu com toda a brevidade a barca porlugueza
Pereira Borges, por ter quasi toda a mi carga
prompta : para a restante e passageiros trata-so
com os consignatarios Oliveira, Filhos 4 C, no
largo do Corpo Santo n. 19, ou com o capito na
praca do Commercio. ___________ '
Porto por Lisboa
Com a maior brevidodc vai sahir para os refe-
ridos portos a barca porlugueza Claudia, de pri-
meira marcha e primeira classe, por ter a maior
parte da carga prompta, e para o resto que Ibe
falta e passageiros, trata-se com os consigna-
tarios Veras & Barbedu, ao caes da alfandega ve-
Iha n. 2.
AVISOS MARTIMOS,
C0MPA1IA BRASILES
DE
Paquetes a vapor.
Dos portos do sul esperado
at o dia 21 do corrente o vapor
Tocantins, commandante J. M. F.
Franco, o qual depois da demo-
ra do costume seguir para os
portos do norte.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ter embarcada no da de soachegada. Encommen
las e dinheiro a frete al as 2 horas do dia da soa
sabida.
Nao se recebem como eneoramendas senao ob
(ectosde peqsenr valor e que alo excedam a dua?
arrobas de peso ou 8 palmos cubico? de medicao
lodo que passar destes limites dever ser embar
ca lo conw carga
Previne-se aos Srs. passageiros, que suas pas-
sagens s ae recebem na agencia roa da Cruz
o. 57 primeiro andar, eseripiorio de Antonio Luiz
de Oliveira Aaevedo 1C
PORTO
Segu com brevdade para o porto cima a bar-
ca porlugueza Iris, capilho Mathias de Souza Ma-
ciel, receb carga por frete commodo : tratar
com os consignatarios Antonio Luiz le Oliveira
Azevedo & C. roa da Cruz n. 57, Ia andar.
PARA LISBOA.
A barca porluguez* Gratido dever seguir com
a menor demora possivel: para carga e passagei-
ros trata-se com os consignatarios Oliveira, Filnor
.4 C, no largo do Corpe-Santo n. 19, oa cora o ca-
pito na praca do Commercio.
Para.
O brigue dinamarqus Katir seguir para o Pa
r impreterivelmente no dia 20 do corrente; re-
cebe carga a fretes commodoi, trata-se rom Tasso
Irmao & C.
Porto.
Val sahir breve a barca Looru para carga e
passageiros, trata-se com os consignatarios Carva,
moSt.Nogueira, na ra de Apollon. 20.
LEItOES.
*
LEILAO
Dos gneros
e
na la-
t. 32,
armario existentes
berna sita a praca da Boa-Vista
intitulada Bom Demonio.
O agente Pontual competentemente autorisado
vender em leilao a requerimento do depositario
i
i "i
II
.
i




Diario de Pernambneo Qtrinla feira- 20 de Janeiro de 1870:

da massa fallida de Miguel Gomes da Silva, per
mandado do Exm. Sr. Dr. juiz de djreito especial
lo commorcio/a armario e gneros existentes na
taberna aeima n'um oiveiu mais Jetes a vontade
dos licitantes.
HOJE.
Dever ter lugar o leilo na mesma taberna,
as 11 horas.
Da arraacao, gneros, gaz etc., do arma-
zera de molhados na ra da taperatriz
n. 39.
HOJE.
O agente Pestaa far leilo por conta e risco
da quera pertencer da excedente armacao de ama-
relio envidracada e dos gneros, gaz t mais uten-
cilios existentes no armazem n. 39 ra da Im-
peratriz, garante-se a casa, o estabelecimento
acha-se em bom lugar e bem afreguezado e ser
vendido em um ou mais lotes, achando-ie o pa-
lanco em mi do agente e ser effecioado o lei-
lo no da de quinta-feira 10 do corrente as 11
horas da manhaa no mesmo estabelecimento.
LEILftO
geraes.
De fazendas
A 20 do crreme.
Henry Willmer far leilo por intervencao do
agente Oliveira, de completo sortiraeoto de fa-
zendas inglezas, francezas e alleme* de algodao,
linho, la e de seda as mais proprias do mercado,
assim como para liquidaco, de papel almace e de
nsso e superiores esleirs da India para salas.
HOJE.
as 10 bofas'da manhaa, em seu armazem sito a
ra da Cruz n. 62
Gollegio de S.Francicso Xa-
Vfc.
Aos 3 de fevereiro se abrjrao as aulas no eolle-
{ch> de S. Francisco Xaviep (ra do Hospicio n
No intuito de fornecer aos alumnos as commo-
ddade* segundo a eondico de snas familias, o
director d'este collegio nio recuou ante o grande
augmento de aluguel pelo aecrescimo eonsidera-
vel do edificio, alentado da esperanca de nm mais
risonho porvir. .
Alm de mais anlas, espaepsas e bem arejedas,
ha um salo para o estudo particular dos alum-
nos, onde cada um delles tem a sua banca com
gaveta para guardar livros e papis;um ampio
quintal com. pateo e jardira para o recrelo e os jo-
gos gymnasticos. O dormilorio acha-se no sobrado
sob as raelhores condirSes hygienicas, e cabera
nelle commodamente urnas cem camas; e o con-
tiguo terraco contribue a tornar mais asseado o
servico. Dezeseis casinhas de banho com banhei-
ros fixos, para onde corre a agua por canos e tor-
neiras, satisfazem as exigencias assim da limpeza
e hygiene, como da decencia. Muitos quartosi-
nhos de retrete, casa de porteiro, coslnha com
fcoes modernos, enfermara e offleinas de mar-
craeiro e altaiale completam o servico material.
Ha para os alumnos urna conveniente bibliotheca
cominum. A capella tem as dimensoes de urna
assaz grande igreja, a qual accessivel ao publi-
co, sem communicacao com o resto do collegio.
Emlim a situacao solada do edificio contribue ja
Sara o iivre curso do ar, j para a boa disciplina
o collegiu. ^___________
ESTRADA DE FERRO
DO
Recife a S. Francisco.
Do Cabo e Boa-Tiagem
Domingo 23 de janeir de I&70, alero,
dos trens ordinarios de passageiro* bavera
os seguintes especiaes:
IDA
Manhaa,
Horas, min.
Cinco Pontas, partida 10 O
10 5
10 20
10
10
chegada 11
VOLTA
Afogados.
Boa-viagem.
Prazeres,
liba,
Cabo.


<
Urna mobilia de Jacaranda com 1 sof, 1 mesa
oval 2 conselos. 2 cadeiras de bracas e 12 de
Kuarmcao, 4 casticaes e mangas, 2 jarros, 2 es-
rarradeiras, 1 candieiro gaz, 1 tpete, 1 cama
traaceza, com colxao e cortinado, 1 toylet, 1 ca
bid, 1 meza de jantar, I marqueza, 12 cadeiras,
louca para jantar, dita para cha, compoteras, co-
pos, cauces, garrafas, taboa dei engomar 1 lava-
torio e muitos oatros objectos de casa de familia,
existentes no sobrado do pateo da Santa Lruz nu-
mero 2. .
Sexta-feira 21 de Janeiro.
O agente Pinto legal mente authonsado ara lev
15o dos movis, louca, vidros e mais objectofc ci-
ma deseriptos existentes no sobrado do pateo da
Santa Cruz n. 2.
Principiar as 10 1|2 horas.________________
" LEILO
de 6 queijos flamengos, 6 caixoes com doce
de goiaba, 30 pecas de chita e 10 pecas
d'algodSo.
Neita-feira 1 de Janeiro
A's 10 horas em ponto.
O agente Pinto far leilo a requeriraento do de-
positario geral e por mandado do Illm. Sr. Dr. juiz
pecial do commercio, dos objectos cima men-
cionados arrestados a Joaquim Manoel de Sonza, a
requorimento de Bernardino Jos da Silva Maia e
musientes no mesmo deposito geral; a leilo sera
cfeciuado as 10 horas do dia cima dito.
No sobrado do pateo da Santa Cruz n. 1
TRILHOS URBANOS
DO
RECIPE A9 APIPUCOS.
Para maior accoramodacao d que assistem as novenas de Nossa Senhora
da Sande no Poco da Panella do dia 2.1
feira 24 de Janeiro at o dia 1. de feve-
reiro haver am trem qne partir de Calde-
rero para o Recife as 9 horas e 40 minutos
da noite.
Rscriptorio daempreza, 19 dejaneiro de
1870.
A empreza tendo resolvido alterar o sys
tema da venda dos bilhetes para passagem
em Irens, por meio do presente avisa ao
respeitavel publico que do dia 25 de feve-
reiro prximo em diante nao resgatar os
qne se acham em gyro, e os que por ventu-
ra flearem s poder5o servir para pagameu-
to de passagem nos trens.
Que do dia 1. de marco prximo em
diante nao serSo vendidos bilhetes nos trens,
os quaes devem ser comprados em qual-
qaer das estaces.
Que nesta mesma data comecar a correr
em carro de bagagem com o trem de pas-
sageiros conforme a tabella abaixo, devendo
os objectos destinados a seguir nelle ser
entregues 15 minutos antes da partida, nao
excedendo cada um de 60 kilogrammas de
pezo, e pagarSo o frete conforme o art. 23
e a tabella annesa ao do regulamento do 1."
de abril de 1869".
William Rawlinson.
Gerente.
AVISOS DIVERSOS.
30
55
15
Ama
Precisa-se de ama ama que saiba comprar e
.'osinhrfr para- ca de hornera 9olteiro : a traa
na prnea da lndeperwtenci n. 4 e6."
Luiz Pereira de Camino
tar de suajnaud.
vai Europa tra-
I
Precisaoe de uro criado |ara cempras e re-
cades : "na ra fcrga do Rosario n. 26, 3 andar.
D-se 2 OOlOOOa juros de 1 1|2 por cento
ao mez, por tempo de nm anuo, com- hypotheca
em nma casa tema livre e desembaracada : nes-
ta typograpbia se dir a pessoa que da dita quan-
tia.
Canarios.
Chegou um completo sortimento de canarios da
Alemanha cantadores de primeira classe garanti-
dos : ra do Imperador n. 10, armazem Fidali-
dade e no hotel d'Surcpa ra do Commercio
n. ti .________________________
Ama
Precisa-se de urna ama, preferindo idosa, para
comprar e cosjnhar para duas pessoas : no pateo
do Carmo n. 39, defronte do poriao de Santa Ine-
rcia, sobrado. ________^
Cabo.
liba.
Prazeres.
Boa-viagem.
Afogodos.
Horas,
partida 8
c 8
. 8
c 8
c 9
Noite.
min. horas, min.
0
20
45
55
10
15
H
11
12
12
12
12
30
50
15
25
40
45
Cinco Pontas, chegada 9
Os bilhetes dos tres para o Cabo e Boa-
viagem poderSo ser comprados no sabbado
22 do correte das 10 horas da manhaa s
4 da tarde na estac5o das Cinco Pontas.
Escriptorio da superintendencia, villa do
Cabo, 19 de Janeiro de 1870.
G. O. Man.
Superintendente.
Ao publico.
Foi despediio da botica da ra da Imperatrin.
77 o Sr. Joo E. Gedao tins da Silva, qualquer
transaeco fefta com elle relativo
-
MOALHA A EXPQSIQAO UNIVERSAL DE 1867
Para a SuperioricisB d'a
PERFUMERA OhIZA
Ineotada por LE GR AND, Perfnmiiti di lojcfldor
PARS, tul. Roa Snlat-Honer, toa.
OJERIZA
I
CRME ORIZA
DB N1NON K LENaOS
Para iar frtmra 4 i*IU, inlruir tu rv| da eom,"
murcir tfmamtnU a bcllna da j*c$*Mdi.
dos Frueoet.
PARS.
LAOT
LEU ANTEPIlEI-ieO
Para rafrnear, ruuqntar t adufer s piB$,
dtuppnnctr a$ uVhi < m sardas.
SABAO OPIZA....... D'uma massa eicfivaofote inaTe e d'um perfmae dos mais delicado*.
ORIZA-ClEAMaesMnac Hassa ejpreialinente preparada para os banliiv e barba.
OHIZA-FLU1D........ Pomada fortificanteenutottr para conservaroscahelkuecmp.xlilosdc qu
OHIZA PHILOCME.. Tturo de boi e oleo deavel com base dt quina para os cabellos.
OniZA-OIL.......... Olt linissimo perfumado para lustrar os cabello* euipedc* de quebrai
ORIZA-BBIH.ANTINB CriaUUisado com violeta, pra dar brilho aos cabotUw e a barba.
ORIZA-FLOWERS.
a casa nullo.
. o r~ r~-
2 2 tO
5. S O a.
__ o 0> B>
2 r Z
S
(O
nnuncio.
Nao tendo-$e realisado a reuniao geral dos con-
senhores da propriedade comraum Apipucos con-
vocada para 9 do corrente, por falta de numero,
o respectivo administrador de novo convoca aos
Senhores herdeiro da dita propriedade para se
reunirem no dia 23 deste mez pelas 10 horas aa
manilla na casa de sua residencia para se tratar
dos negocios seguintes: leitura do relatono, ap-
provacao de comas, do contrato do capelao da c-
pela, e do augmento do ordenado do sacristao.
Esta reuniao se far com o numero de consenho-
res que comparecerem na conformidade do art
18 dos estatutos.
Apipucos, 10 de Janeiro de 1870.
F v O administrador,
Joao Francisco do Reg Maia.
a.... Anua incomparavcl de um perfume suate e delicado^ para forlificardo ti |
ORIZA-ACIOULINE^. Vinagre do loucador, arom e antephilieo.
E.S.SKNCE-ORIZA.....Perfumo conccnlradc -
,... para lencos producto muito delicado.
ORIZA-LYS.......... Perfume do bom tom e da alta so-;iedade para sleseos.
ORIZA-POWDF.BS____Fltr de arroi da Carolina para a cara e a belleaa Jo pelle.
ORIZA-DENTIFRICK.. Para alvejar os denles e conservar as (rongixas.
OIUZA-DENTAIRE___ Nb*a massa para alvejar et dente scao destruir o esmalte.
AGUA TNICA DE QUINA E POMADA DE BALSAMO DE TANNINO
Para liatsu i ulitridiie ii tsWji, fortifieinda ii ukt'l*s, si tniiititi fe takir m tuatit efunr r"
DEPOSITO GERAL na Caza de
E em Caza de todos Perfumista* do Brazil.
o s i'O
INSTITUTO ARCHEOLOGICO E GE0GRAPH1C0
PEMAMBLCANO.
Tendo o Instituto Archeologico e Geographico
Pernambucano e celebrar o oitavo anniversario
da sua fundaco no dia 27 do corrente Janeiro,
pela 1 hora da Urde, no sali da bibliotheca pu-
blica provincial, no convento de Nossa Senhora
do Carmo, sao convidado? para semelhante etteito
i-m assembla geral todos es socios que se acha-
rem no Recife, efTectivos, honorarios e correspon-
dentes. ,. ,._
Nao conhecendo o Instituto a sede das ameren
les associacSes litterarias, scientifleas, artsticas e
de beneficencia que existem nesta cidade, tem a
honra de convidar pelo presente edital a cada
urna de taes associacSes a assistir solemnidade
do da 27, ou a fazer-se ah representar.
E para conhecimento das corporacSes ou pes-
soas que tiverem de ornar a sesso com a sua
palavra authorisada, aqui se transcreve a ultima
parte de artigo 28 do regiment do Instituto :
c Se na sala existem socios on pessoas outras
eme desejam 1er algumas memorias interessantes,
partecinam-no ao secretario perpetuo, para este
prevenir o presidente, o qual d a palavra ao9 au-
tores das memoria?; a leitura de cada nma das
quaes nao pode estender-se alm de meia hora.
Forera nenhuraa memoria ou trabalho pode ser
appresentado e lido em sessao publica, sem que
antes seia submettido a urna jommissao de exame
para isso nomeada. a qual tem voto decisivo sobre
a conveniencia ou inconveniencia da leitura.
Secretaria do Instituto, 17 de Janeiro de 1870.
Jos Soares de Azevedo,
Secretario perpetpo^______
TABELLA DOS CARROS DE BAGAGESS
Do Recife ,0 h. da roanh. e 23 53 da Urde
De Apipucos 7 e 11 horas e 33 da tarde.
TABELLA dos precos de transporte de mer-
cadorias e bagagens, nos trens de carga
da empreza dos trilhos urbanos do Reci-
fe Apipucos.
I t
res
os a
a.F o
lilis
cao.
tu O 9 g*
F8S
B 3-
o. 2
Na
?.
Ama de leite.
Precisa-se de urna ama de leite: na ra do Hos-
picio n. 38.___________ .___________
Feitordtengenho
Um moco solteiro offerece-se para feitor de en-
gento) : q'uem pretender annnncie por esto )ornai
Ama.
Precisa-se de nma ama para casa de pouca fa-
milia : ra das Cruzes n. 25\
Oaixeiro
Precisa-se t um catxeiro de
portuguez ou b rasileino
16 annos
na ra dos Pires n. 50.
SE

c
1
t -
a coi
ET
O ____
istat
m
HAS
PARA 1810.
Vende-se nesta typographia
i\ 160 rs. o exemplar da de porta.
I (MHMW19MI r
O advogado Dr. Antonio de Vis-
concellos Menezes de Drummond,
rnudou o seu escriptorio para a ra
do Imperador n. 20, onde pode
ser procurado para o esercicio de
sua protisso em todos os dias
uteis das 10 horas da manhaa at
as 4 horas da tarde. Fra dessas
horas, e para qualquer occorrencia
urgente, ser encontrado no seu
domicilio, ra da Aurora n. 26.
2. *- j* co < 2.
5
a
33
cc 9w
r.
2 ! iu t -" z.-. ai 2.
2.CC = C *
O ____
K
o
>s z ii- v; e qj 2
2. "'
o,
5'
5S8SgSS8l
Attenqao
Joao Nepomoceno Coelho, director da sociedade
Esperanca Pernambuca.na avisa aos socios a se
rcuuirrm no dia 91 do correnta pe\x* 6 horas da
tarde (na ra da Esperanca) onde funcciona a
me?ma sociedade, para se tratar de negocios im-
portantes. ,_
Recife, 19 de Janeiro de 1870.
O director,
Joao Nepomoceno Coelho.
Fugirara na noite de 1* do correte, da
casa de seu senhor, na povoacao do Monteiro, as
pardal segrales : . .
Marta, de 25 annos de idade, baixa e grossa do
carpo, narli chato, cara larga, testa estrena, bei-
cos finos e cabellos cortados rentes, do mesmo da,
pelo que suppe-se que teBha amarrado algum
lenco na cabeca.
Anna, de 16 annos de idade, de estatura regu-
lar, tem os cabellos cachiados e nao muito com-
pridos, nariz chato, cara larga, testa estrella, olha
um pouco de esguelha quando responde, um
tanto surda do ouvido direito, e est alguma cousa
plida. v
Levaram ambas vestidos blancos, e a mais bai-
xa urna saia com fnndo branco e palminhas en-
carnadas defbotadas, com um garibaldi da mesma
fazenda, um chale de fundo azul com flores ; am-
bas levaram calcados, a mais alta sapatos de cou-
ro de luslre, e a mais baixa botinas de couro preto
de enfiar. Desconfla-se que cstejam acouUdas,
e protesu-se proceder com lodo o rigor da le a
quem as houver homisiado : quem as apprehen-
der ou der noticia no largo do Corpo Santo n. 19,
ser bem recompensado.
55Ba da Imperatriz55
F. Gautier, propietario deste importante estabelecimento tem a honra
de participar ao respeitavel publico que acaba de chegar da Europa para on-
de tinha ido especialmente para contratar peritos offlciaes e que conseguio
contrata-Ios na primeira rasa de Pars, por isto julga que todos ficaro satis-
feitos dos trabalhos do seu estabelecimento cojo excellente material anda
foi augmentado com novas machinas que ja recebeu e tambem-muitas drogas
novas com as quaes se obtem estas maravilhosas cores modernas 13o aprec-
elas era Franca e em todo o mundo.
Tinge, lava, limpa, lustra, achamalola- com a maior perfeifo fazendas
em pecase em obras de todas as qualidades como sejam: seda, 13a, algodio,
linhas, chapeos de feltro e depaiha etc., etc.
Tira nodoas e limpa secco sem molhar os teciJos, conservando assim
todo o brilho da fazenda.
Impressoes sobre tecidos
com este novo systema, os vestidos de seda e outras fazendas que at agora s
podiam tiagir-sede cores lisas, podem receber um bonito desenlio de cor
diversa, a escolha, o que realza a fazenda e Ihe d mais merecimento.
Tintura' preta, terqas e sextas-feims
As pessoas das provincias limitrophes que quiterem utilisar se do seo
estabelecimento poderSo mandar o que tiverem, na certeza de srem to bem
servidas como no Rio de Janeiro ou na Enropa, e com mais prestesa por
cansa da distancia.
I
IMEITMI \ DOS AM1ZES
Ra da Cruz
para noivado o que
Grupos de alfinim
b de melhor.
Caj secco e chrystalisados,
Dito em calda.
Abacaxi em calda e outras qualidades.
HA DIUUAMBNTE BOLTOHOS PARA CHA'
n. 16
Xaropes
Recebe-se encommenda&de bandejas, com
armaclo de assocar.
Bolos e pao de l enfeitados.
Neste estabelecimento prepara-se grande
var iedade de objectos para mesa,
"O^Dr. Ignacio "Firmo Xavier medico
tem o seu consultorio na ra das Trinxei-
ras n. 50, ! andar.
Gabinete Portuguez de Leitura
EM
Pernambuco.
De ordem do Illm. Sr. presidente do conselho
deliberativo, convido os senhores socios efectivos
a reunirem-se em assembla geral, Jlomrago 23
do corrente, pelas 11 horas da manhaa, na salla
das sesses, a fim de ser discutid um reqneri-
mento de 20 socios, no qual pedem a nullidade
das eleicoes feitas a 16 do corrente.
Secretaria do conselho deliberativo do Gabinete
Portuguez oe Leitura em Pernambuco 19 deja-
neiro de 1870. y
J. R. Fonseca,
2 Secrertarto.
Palacio po governo de Rernambuco, 1.
de abril de 18G9.
Conde de Baependy
Precisa-se de urna ama que cozinbe bem
para casa de homem solteiro : a tratar na ra
Imperial n. 47.
A cciedad beneficente Segredo e Amor da Or-
dem manda celebrar no dia 22 do corrente as 7
horas da manhaa na Ordem Terceira do Carmo,
(Santa Thereza) mi-sas pelo repouso eterno de
Francisco Geraldo Moreira Temporal, pai dos con-
socios Clementino Moreira Temporal Francisco
Xavier Temporal e Affonso Moreira Temporal e
tambem pela sogra do consocio Justino Martyr
Correa de Mello, e pela irmaa do consocio Jos
Antonio Soares de Azevedo e convida os prenles,
amieos e socios comparecerem a hora indicada.
O secretario,
A. V. Jnior.
Sr) MunizTeixeira Gutmaraes encarre-
ca-se de dessacbar e dar andamento aos requer-
menlos dirigidos cmara.municipal, como seja
licenca de curdeacao, edifleacao, concertos e ou-
tros, tendente a municipalidade, e para isto ptKle
ser procurad iio Corredor do Bispo n. 51, ou ra
da Concordia D. 64.
D. Catharina Olinda da Cuaha Nobre Pessoa e
seus Albos Elmiro Joaquim Candido das Cbagas,
Caetano Estelita Cavalcanti Pessoa, Joao Anaslacio
Camello Pssoa, Jos Thomaz cavalcanti Pessoa e
Delfim Lins UTalcanti Pessoa. sposa, fllto, gen-
ro e irraaos do Uado capitao Francisco das Cha-
gas Cavalcanti Pessoa, possuidos do mais profun-
do reconhecimenlo, agrdecem cordialmente s
pessoas que acompanharam o corpo de seu muito
prezado e sempre chorado esposo, pai, sogro e ir-
mo, e aisistiram no dia seguinte as suas exe-
quias, prote:-tando a todos por mais esse lestmu
nho de estima e amizade raui sincera gratidao ; e
convidam as mesmas pessoas, a l dos os seus pa-
rentes e amigos para assistirera aos suffragios do
stimo dia que mandam celebrar na ordem tercei-
ra do convento de S. Francisco^ no dia 22 do cor-
rente mez. as 7 horas da manhaa._____________
Associaqao Commercial Benefi-
cente.
Nao se tendo reunido noje numero suficiente
de socios da Associasao Commercial Beneficente
oara que ticasse constituida em assembla geral,
pelo presente sao novamente convidados os senho-
res socios para o dia 21 do corrente ao meio da.
Assoeiacao Commercial Beneficente 19 do Ja-
neiro de 1870. "-.
Daniel Ramos,
Secretaro.i______
" O abaixo assignado ignora o nome da pessoa
que ha tres dias tratou e foi distribmr e pagar a
risa de 1:6005000, por quanto compra as casinhas
na alelada; enao tendo apparecido a concluir
eJte neg-icio, s a espera hoje por todo o da, e de
amanhaa em diante passare a tratar com outros
nretendenies, sem responsabilisar-me em lempo
algum por qualquer despeza que essa primeira
pessoa houver feito
MERQO DE HONRA
Vende-se em frasco
DE FIGADS FRESCOS DI BACALfiAO ** *****
lares, pharmacia Hoce,
2, ra de Castiglione,
em Parla.
As eonlrfnptr, os olroa pardo, d'um clieiro fonc, o m-is cutnposicoes feitas com olr-w ,
de lKi^es rommona, laes como o tgualn, a arrala, o jJtnca, a liza, o olens dos amtailoret peradortt,
e in"Smo olro* vegetar*, foram imapinados para substituir os verdadriroa oros de ligado
(r'i'iKos de Bacnlhjw de Terra-Koa. Estes oleo communs ou seos aaeoedane 5o .S
olrtldoa na indiistrii pnrpn:?os,mui baixos.cm quanto que os vrdadeiros leos de fijado de uacalh,^, !
. - - ..,;, mw uitA mto nvn aMiI.a fretrut o sem tristura nimnrp nvnpr*,. I
Da casa do abaixo assiguado ausentou-se no
dia 13 do corrente o seu oscravo de nome Fran-
cisco bem conbecido nesta praca, e consta que se
acha oceulto em casa de um branco mais negro do
tiue elle Pro'.e-ta, pms, o mesmo abaixo assignado,
liaver pelos meios legis nao s o escravo como a
justa paga de seus seceos de que se acha priva-
do por esse meio infame.
Antonio de Souza Rangel.
,ae o auno uu joj. ona t*- p . - ---T^- '3I
erancearatn par este precioso medicamento urna fama universal as moletitas do pttto, u afffrotx
escrofulosas e lyinphaticas, a magreut doi rneinoi,etc.,c por isso.deram lugar a nociva e doslcae
m\7a. 0 oleo de Hooa 6 mu fcil de digerir, disnguoe entre o outros oleo pela sua
rY.r de nallia, o seo clieiro suave e delicado, e seo gosto de sardinha fresca._________
O REUTOIUO faeoravel do cliefe dos trabalhos chymicos da TACULDADE.DE MEDICINA DR
p MUS conrloe como segu: 0 oleo cor de palka de U. Hogg eonUm urna terca parte de prta-
elplo n oa mol do que os oleo* pardo* e nio apretenta Ugum do* inconveniente* que m
toan n'estes, qtianto ao cheiro e tabor.
Vr-n.lr-.e em toda a pharmacia da Franca e dos palxe. e.l
1 '
re
Attenqu
Pedimos ao Sr. presidente da assembla geral
do gabinete portuguez de leitura, que haja de ave-
riguar da legalidade da eleicao, a que hontem se
procedeu nesse estabelecimento, porque a nos que
foipos votantes e presenciamos esse acto nos pa-
rece que tal eleicao deve ser nulla, por se terem,
dado nella bastantes irregularidades.
AiguHS socios.
O* Tertodebo COIXAMS BOTXB, o nnlcoa approvado peU
Academia de Medicina, tem assim como m meo* outros. produalo
ttrahido a cnpioex dos fcUificadore, lie para fcdtar soa crimioi
industria nao sepjafl, aem receiafi ammneUr veader falso*Cox*aa
com aroma. En previno a familia pira interesse de seus 61h<*
,que, para evitar Mslficaeoe, devem exigir, que meus Oouaui Ihe.
hm tendidos em caiiu de umbas de famaixe e eorredias coberta.
por ettiqueti com a minha rea e fabrica e ncorranoo na.
prospecto drcnnstaneiado, e lellaiM por na medalka com o lettratro.
COLLAR ROYEE. Rm St-Iartii. 225. Par*.
a da ra larga do
Rosario.
Este importante estabelecimento no sen genero, tem sempre nm ortmento sem ignal,
e vende por precos qne nenhnma ontra casa pode vender^, .,
A vista Saanalidade e do preco das joias cada nm pder^e-ha eonvencer daverdade
Garants-se ser todo de lei. Compra-s onro, prata e pedias finas *or precos mmto ele.
vados
JBNa estt-berta t' s 9 boras da noute.
basas asasssHS asasasae
CABGA
esquina1
dafnia largado!
Rosario.
^r



1
.....
IM...... lili ...... !. I ,......

Diario de Pernambuco Quinta feira %Q de
Janeiro
de 1870
I


19
i'uruLji u^niuinaontiij
o
Os
'a S-

o.
2
Cu
a
3

-I
O.
D
O
a
2
o.
o
2.

&
Cu
<3>
0
3
O.
o
3
s
3
a.
o
C 3
D
s
c
a
s
o
3
o
a
04
3
->
a
sr
-i
a
a.
O
3
o.
0
O
as.
CA
O
2
a
tu
en
8
3
ai
3
a>
O.
>
s
3
a>
s

CA
s
o

s
i
I

a
a
o
3
2

0
oo
I
v a"
O*
09 en
S?2
> 5 o
^3
g*s
.*
t
5"
ca
X.
(A
> 5-ri. 3
S o
rx* a? "a
cr t>
033
W ?"
Q.O.N
o a o

3
3 "
CA CA
ca a
b =
"?
S"
CA 3
O- 3
o 2-
3"
O
a>
X-. T- >
8-
C
S"
c
3
rs
O
3
3
os ;;
rt. " o
o. J=-9
e* = S
ca a L
-&
3 n a
-i.Q co
cao.
-1 CB
Bf a
2. . c
i 2"n
"SI
f f
rs ti
O 3
3 5
:/-
3 3
oq "
3 3
3
3 5
3 a
en
a
a a
M
o
si
2 3
|s
So
a
O Q.

cu _
O as
W CA
O "O
as a
as as
= "
S"
s *
^33
3'"2-
j- O-ct.
2* 3
21:3.
' 2 b*
CA
> O
p
- -i
_ TO
- -5
2 o,
SI
=;
o
a>
_ o
r-
3
O
ir


9. &
. CA
as es
3o
2 3
3 O
S2
3
c
8
5"
I
0J
3
do a
c
-i 3-
as
* >^ -..
as 3
3 o
S=l
-v
5
f
co
00
U^
o
o
o a
a r
s
_ >
"3 O
= >

3
o"
o
M
O-
3
O
si2
c
... CA
rr
O-?
a: s
CA CA
K es ^-
o
rs
9
re
3
as
H
CT3
33"
33
n
-.
O.
2. ~J
g|
CA 2
3.-
as o
as
3^
3 3
as t5
D
^
3
es
3
co
3
o
3
o
tz
3
os
I
fo||
^>
: is
'as1 33* B s- 3
5 ^ H
1 -5 c
3 = "1 O
i- a.
-
frli!
tro 2
3 a
o
o
T> -3 3
"2.3,3
5 sr a'
1 (6 i^'O 3^
as ,^
CA
as
n
as

o
S 5: as
EL3-3
n a. 2.'"
_- a o (t
as ca
-ora
iT = -9 ,c i-0 "
= 3 ~ 2 5 w
cu ce o
O O
S 3.-3 O
0 O ^
as 3. CT "n 1^
* o 2. 7*
ET 2. -SO
1 E?ET3 o S.>
C es n tj -<
0 rao , >
23E-5 I
B3Hg? O
-= c aa cyj
1 -t ce O
3=5
CT3
era
LOJA DE J0I4S
DB
&

t
Este antigo estabelecimento, completa-
'sue&te reformado de novo, est as condi-
:5es de servir vantajosaraente os seus fre-
gueses, visto que acha-se prvido com um
e^>lendido ortimento de obras de onro e
orata de lei, assim como brilhantes e ou-
, tras pedras preciosas, eujos presos sao os
mais mdicos que se pode encontrar.
As joias compradas nesta casa recebem-
os em troca cu compram-se com nequeno
bate.
15 m DO CABlilM K. s

SiUO DE PIANOS E BEISICAS
Ra Nova n. 8, primeiro nndar,
Receben pelo Itimo paqoete urna coltpct-5o owipfc*a das
Mosicas de fiOTSCHACTK, ditas de ARTHUR NAPOLEAO.
Modinhas, arias, cavatinas com palavrss italianas e franrejas, dantas, onverta-
Tj cas e a qnalro roaos ect. etc.
KHN TOlJLffi
(INSTANTNEOS..
Travessa do Gorpo Santo n. 2o
ARMAfEM
Ra Nova n. 38, leja.
Bandcin, Machado 4 G aritam ao rjpittT-l
publico qoe nos lugares cima encontrar no me9>
mo sempre grande quanlidade de ditos pocos, e
que se acham habilitades para vnJi-r por menos
qae oulro qualqcr, por isso que os receben) di-
rectamenic do fabricante Nortori, de Londres.'
As vnntagens que oncrecem os pocos instant-
neos sao : primeiro, podewm ser coilocados den-
tro de casa on tora, com o trabalho de una a ditas
horas; segundo, fornecerem os meslos agua pu-
ra e abundante, poden Jo seren removidos de um
|>ara entro Inrsr, quando assim eonvier.
Os aiinunciantes ) reeeb rao 4 importancia dos
referidos po^ns depnis de coitoeados, satistaiendo
i espectativa do comprador.

Punas assHcmadas de Bristol.
CONNO TEM NEM CALOMELANOS NEM NENH1I
0UTB0 MINERAL.
A grande Qecessiaiie e falta de um ca-
thartico ou de urna mediema purgativa, ha
muito que tem sido 'sentida, tanto pelo po-
vo, como mesmo por meip da faculdade
medica; e por isso, infinito o gosto e
prazer que sentimos, em podermos com
toda a confiarica e seguridade, recommendar
as pilulas vegetacs asittearadas de Bristol,
como urna exceUenle medicina purgativa, a
qual encerra em si todas as partes e mais
ingredientes essenciaes, tornano-se em um
perfeito, seguro c agradavcl cathartico de
familia. Este remedio nao composto
dessas drogas ordinariamente usadas na
composicSo dessas pululas, que por ah se
vedem, mas sim, s3o preparadas com as
mais linas e superiores qualidades de raizes
medicinaes, hervas e plantas, depois de se
haver chimicamente extrahido e' separado,
os principios activos, ou aquellas partes
que contem o verdadeiro N'alor medicinal,
daquellas porc&es fibrosas inertes e agres-
tes inteiramente destituidas da menor virtu-
de. Entre esses agentes activos ou ingre-
dientes espcclfl608, podemos nomear a po-
dophgtiin, a 'qm segundo a experiencia
mm demonstrado, possuc um poder o mais
^aravilhoso .pos^ivel sobre as regies do
(gado, assim ;bno sobre todas as secre-
MO mais Cabellos brailCOS. cues bjoss. Isto dermabinaclo como
lepHinanth e mais alguns extractos vege-
taes e.dwigas; ^ament valiosas, coosti-
tuem e formam una pilula purgativa, tor-
naodo-se por isso muitis&imo superior,
|- PHOCRADQRIA
3a O soHicitador Iturgos Ponce de Len,
gt encarrega-se deipjaesquerqnestofs erre,
r=3 crinies c comiaerciaes, cDinons celasias-
^ ticas das quaes tem urna longa platica de
3 qninze anuos, e se acba competeatementc
^ gruvi-iorudo peio Exni. e Rvm. 3r. Bispo.
;,.. diocesano. .
Efft Elle continuar a empregar todos seus
H eslorcos, afm de manter a mesjn con-
i fianza ()ue tem merecido de seus dignos
Sgi} coasdUiiDtes.
ma Pode ser precurado das s( is as nove
,r* horas da mautiaa e das quatro da tarde
^ em diante, ein ^ua casa, da ra dasTrin-
cliciras, junto aocartorio do Sr. escrivao
Mrt'tia, e fra dettas horas as salas das
audiencias
m
Preiisa-se de tima ama livre ou cs-
crava para o servico interno e externo de
orna casa de pouca familia, sendo de boa
conducta : na ra da Santa Cruz n. G.
GUSTAVE
Eua da Cadeia do Redrft51
Chama a altencao dos seus innumwos fregueies, e do respeitavel publica n
geral, para a seg-unle Ubella dos precos de sua casa, os quaes sao vinte por cctUt
mais barato do que em outra qualquer parte:
Cabelleiras para senhoras 43*. Cadeias para relocio a 5 66
30A 335 e......40*000 7*. SkwFme
800000-
Corte de tabello,.....
30-3000 r.. v
Corte de cabello com frkfo. .
32t$000 Corte de cabello com lavagem a
champou...... IjSKMX.
10)5000 te de Mbellcom limpez da
cabera pela machina electii-
liOOO ca> unica em Pernambuco. .. l fm
Frisado ingleza ou franceaa. BOi
30i5OOO Barba......... k
Ditas para homem a d'A, 405 e
Coques a l-i, 139, i8f?, 20^,
253, 300 e .....
Crescentes a {%&, 5&, 180,200,
250, 300 e......
Cachos ou crespos a 33, 40, 53,
60, 70, 85, 95 e. .
Tranca de 'cabello para annel a
500 e.......
Tranca para braceletes a 100,
150O*
801
SM
A tintura japn-za para tingia os cabellos
da cabeca e da barba, foi a unica admiltid
Exposico Universal, por ter sido reco-
nbecida superior todas as preparacoes afc
hoje existentes, sem alerar a sade.
Vende-se a 109yo cada frasco na
Rna da Cada n. 51.
1. andar.
Hospital Portuguez
de Beneficencia.
A jnnta adminislrativa da Hospital Portuguez de
Beneficencia, roga a qnem se julgar eredor do
mesmo hospital a iprescntar a sua conla at o
dia 15 do frrente, ao respectivo esmoler, para
ser in continente paga.
OSr. Antonio Pereira do Soma digne-se.
xrniparecr na laja do Passo,a ra dn Grtspe n. 7
i nesoeio que nao ignora : isto com urgein-ia.
CASA FELIZ
Aos 20.000^000
Vo Reclfe arco da c ouoeioo o, t
Os abaixo assignados tendo-se habilitado ns
orma das leis, tem exposto a venda os sens teli-
'.es hilhetes das loteras do Rio de Janeiro, rra casa
iciuia, aonde se Dagarao as sortes que sahirerr
ios raesmus buoeles. com o descont somentf
la lei.
PREHOS.
Bilhete iatoro 24*000
Meios iUOWi
Quartos 6#000
E de MX) pro cima a 9M o blihete.
Fieueirrdo A Leite
Dyspepsia, ou iudi-
gest',
Aiilringicia, ou..
priso do veatre
habita!,
Azia do estomago e
tlatulencia,
Pcrda do pefilri,
Esk>iaago^ujo.
Em casa de TUEODHO CUIiii;
AJVSEN, ra da Cruz n. 18, encontram-s*
jflectivamente todas as qualidades de viata
ordeaux. Ronrrosme e do Bbeno.
Sab e alcatro
pam curar as molestias de pe/le,
taes (omoempingens, darthms, sarnas, comichies
i mais molestias depeile, sem occasionar aceiden
*> ; desaz as manchas do corno, pannos, sardas,
ttttatoeloce a cor natural, qu.into a cutis, secca,
?rossa e amarel lenta, occasionado por alguma
?nfermidade, e como de*infartante e preventivo
iamolestias contagiosas,
UXIC0 DEPOSITO
3oUca do Pinto, ra larga do Rosario n. 10, junto
10 qunrtel de noiicJa.
- Na relinarao da Florentina n. 28 vende-se
um pardinho de bonita figura, robusto, exeeiiente
olcial de alfoiate. e com pratica de caixeiro.
R l ttJBtt
155, 200, 25 e .
SSIGNATURAS MENSAES
Especialidade de penteados para casamento
Bailes e soires
0 dono do estabelecimento previne s Recommenda-se a superior TINTURA K
Exmas. Sras. e aos cavalheiros qaa ha um PONEZA para enegrecer os cabelros c ba?
salo para tintara dos cabellos e barba, as- ba- UDca admittida na Exposicao tvers
como n5o prejudicial sade, por ser v >
sim como um empregado someute oceupa- ]atit. analysada e approvada pelas acs(i
do nesse servico. mias de sc'iencias de PABIS E LONDE.:-
DAVID WILLIAM BOWMAN
Parlecipa aos senhores proprietarios de engenlwjs, que acontecendo faltar-lba.-
tgoa ou animaes ptra a moagem durante a presente safra, elle tem vapores prompUje
jara assentar, sem precisar de obra nova ou demolico de obras existentes, e (pt*
wde botar taes nngenhos a moer cito das depois ^ t'm J <' ^ v-.~ t
mgenho, garantindo-se o trabalho.
Fandicao, ra do Bram n. 52,
depois de estarem as pecas do vapor ivs
passando o chafariz.
tras sortes, niu e.io ti Ltt02 com 4:0003 da
ioteria que se acaboo de exlrahir a beneficio da
igreja de N. S. da Cuncei}ao d-s Militares do
Recite (13:1"), convida aos *possiudorcs a viiem
receber ua cenlbrmidade de costme sem descon-
t aljrum.
Acham-se a venda os felaes bilhetes da "
parte da lotera beaeficio da igreja de Nossi
Senhorado Amparo da ciade de Olinda (134a)
que se extrahir na sexta-feira 21 do corrente
mez.
Precos.
Os do costume.
_________________Manoel Martins Fi!T!.
Precisa se do urna ama para casa de homem
sol leiro : na ra do Moedego n. 93.
JCABELLEREIROg
N. 82RA DA 1MPERATRIZ-N. 82^
jfi Odilon uarte. cabeileireiro, tendo se jj&
0 despedido da casa de seu cunbado o Sr. S
1 Carlos Dubois, onde trabalboo por espaco m
jai de de/, annos, acha-se estabelecido com W
n casa de cabeileireiro ra da Imperatriz m
3 n. 82, prompto a satistazer qualquer en- Si
SB eommenda tendente a Ma arte. r:
mmmm-mmmmm-mwmwm
Precisa-se de urna ama de late sem filho na
ra do Imperador n. 7o, 3 andar ou na ruado
Quetmado n. II.
Pr- cisa-se de um homem portuguez para
feitor de engenho ; a tratar na ra da Cruz n. 8,
i andar.

PRODUCTOS de J.-P. LAROZE
PHAIU1AC8UT1CO, i, ROE KS UMS-SAIRT-NVL, HVJ.
XAROPE DEPURATIVO
DK CASCAS DE LARANJAS AMARGAS
Ovat lOilBET ir POTUIIO
# lodorete de potasiio um verdadeiro alterante, un dermrader de incontestMel en-
caeia; combinad* com o zaropo de oascaa de laranjaa amarga*, e i
em aertnrbicio aifoma pelos lemperimenios oa mais rraeos, sen alterar as I
d*esl*mago. Asd*sesmathematicasqoeei1econtem permiuem ao* medioo d* r***al-*
para todas as eossplieaedes as affeccoes escrofnlosae, toberouloeas) *jbm-
rosu nos accidente* intermitientes e terceiro* alem d'isso. 4
agente auii desoa* emitra as doenga* rheumatioas.
XAROPE TNICO ANTI-NERVOSO
< Me* d* UnuU** amarma*.
35 amos de saeceasos attestio a sua 8<8-
caeia para curar: doenfat nervosas,
agudas ou rhrouwu, *> gaslnts, gattral-
fiat; e facilitar a diaettio.
No dia 5 de janeir > fugio da padaria que
fica no oitao da fundillo de Santo Amaro, o es-
cravo Izidoro, estatura regular, rara ebeia, tier-
nas finas, ha noticia que anda pela Passagem at
a Terre, fazendo caiacoes, etc.; este negro foi
escravo do Sr. Billar Oliveira, e tem nma amasia
na Torre : qnem o capturar ser gratificado.
Fomeiro.
Precisa-se de um bom forneiro para urna pada
ria em Una: a tratar no caes do Apollo n. 69,
amazem de Jos Duarle das Neves
XAROPE FERRUGINOSO
*"*"" *--f-------rima n*n.
*' sob a fraa Hquid* ais ** tsaibn**.
e te assimila e ferro; n'etu forma prefe-
rivel as pilulue pastilhasen todos os casos
em qne sao prescriptos os ferragino***.
DENTIFRICIOS LAROZE
MM QUIMA, HUTHM I CAIACO
Ba do Commercio n.
Jos Francisco Ribeiro de Souza, direc-
tor d'esse instituto de educacSo e instruc-
co. faz sciente ao respeitavel publico e
particularmente aos pais de seus alumnos,
qoe a reabertuia das aulas de instruccao
primaria e secnodaria ter lagar em o da
10 do andante.
0 programa do enano ser de confor-
midade com o decreto n. 4430 de 30 de
outubro de 4869.
Admitte alomos pensionistas, meio-pen-
akwBiM e estenos.
qualquer una outra medicina da mesma
natureza, que jamis fora apresentado ao
publico. As pilulas vegetan assucaradas
de Bristol', nchar-se-ho sempre ura reme-
dio pra**pto, seguro e eminentemente eflB-
caz, para a cura de molestias, taes como
sejam as seguiates.
Hydropesia dos mem-
tiros ou do corpo.
Affetcoes do figado,
Ictericia,
flemorrodias.
Mau hlito, e irregu-
laridades do sexo
femenino,
Dores de cabeca.
Km-todas as molestias que derivam
sua origem .la oassa do sangue: a salsa
pariilha dr BrUlol esse melhor de todo^
os purificadores deve ser tomado conjun
tamente com as. pilulas, >ois que estas
duas medicinas, tendo sido expressamente
preparadas para obrarem de harmona urna
com a outra, quando fielmente assim se faz,
nao nos resta a.menor duvida era dizer,
que no maior numero dos casos, podemos
affiancar nao sum grande alivio, como
tambem tuna cura prompta e radical, isto
est j bem visto, quando |o doente nao se
ache n'um estado muito aiiim dos rei^iraos
humanos.___________________________
Preciosa ublicac r
jurdica,
CdtmaeiUario do Cdigo Commercinl Portu
guez e Braleiro.
Vende-se na loja da ra do Crespo n.
25 A esquina da do Queimado, a impor-
tante e moderna obra sob o titulo de, an-
notacoes ao cdigo do commercio portuguez
em 6 volumes pelo Exm. Sr. conselheiro
Dr. Diogo Pereira Forj;z de Sampaio Pi
uentel, leote catliedratico na universidade
de Coimbr.. Os subidos crditos de que
goza muito merecidamente aqtielle eximio
commercialista por si s bastariam para re-
commendar tao importaute obra, quando
nao concorresse mais para isso a grande
vantagem de ser um ptimo commentario
ao cdigo commercial brasileiro (na falta
absoluta que ha de qua quer nutro) pela mo-
xima homoeeneidade de entre umitas das
f-uas disposices, e as do mencionado cdi-
go portuguez, qae lbe servio de texto.
oirei pressnrosos, distincta moridade
do 4. anno da Faculdade de Direito desta
cidade e notareis jurisconsultos, a prover-
vos desse poderoso auxiliar para vossos
trabalnos da sciencia, e pelo preco comraodo
de 203. toda a obra e*n 6 vol. _____
*ubliiue pul Feaco Iliteraria
sob o titulo de Meiuorl do
Bom fesas do Monte, em
Braga.
Acba-ne venda na loja da roa do Cres-
po n. 25 A, esquina da do Queimado a prt-
morosa Memoria do Bom Jess do Monte em
Braga, ornada de gravuras finas, segunde
edico, obra (la peana de obro do mui Ilus-
trado lente da universidade de Coimbra, c
Exm. Sr. conselheiro Dr. Diogo Pereira
Forjaz de Sampaio Pimentel. Quem ti ver
noticia da extraordinaria devocSo que exis-
te em Portugal para com aquella milagro-
sisjma imagem, allluindo .-empre para o
sea magestoso templo em rom-na o nume-
roso povo de todas as partes desse reino;
quena souber avahar as brilhantes desenp-
ces, e o bello estado daquelie consumira
do jumconsnlto e eximo litlerario portuguez de n' de' Janeiro de 1871 Sai
nao deixar de procurar, quanto artes pro reif- Os recibos sao impresses.e n'rmados pelos
baixos assignados. A distribuico do jornal para
os as.- igaantes s se far a aquelles que tenham
j pago sua annualidade.
11V lli!
Lindas e superiores bare^s de cor, de qnndro e de listras, para validos i;
gndo seda, pe" baratissimo preco de 500 e 640 rs. o covado.
Assim como superiores cassas francezas de cor padroes do muMo gesto ;i '.>
e 600 rs. o metro, na loja das Collumnas ru do Crespo n. 13, de Antonio Correa dr
Vasconcelos.
eeiiidEcsie
VO
CASA DA FORTCHA
Aos 4:000^3
Bilhetes garantidos.
i -' - a wt lia w \l \j k\ l i -
A ruado Crespo n.3 e casas do costume I a directora de^se colegi, Josepbina llenvm.1
O abaixo asignado, tendo vendido alm de ou- 'da OuuhaSouto-Maior competentementeliabitMt*.
Ra do Hospicio n. 84
Este novo estabeleciiaente fornece comodona
t*to para fora como para dentro do dilo estabe-
lecimento, assim como nos domingos e dias santos
llavera mao-de-vacca, o proprietario tem urna
sala para algumas pessoas que quizer se "servir
particularmente, por isso tem commodos sudlcien-
!Sg?*g ttT' e?en- Prtanl0> d0 "speitavelama^ 8aibacosinhl,r.
publico a grande proteecao.
j pela diicctora geral da instruccao publica, mUf
ao respeitnvel pubiien. iae acba-se seu coMp{
's|aJtfj>'cjdo,iii"jj da liperatriz, n. 03, cuja i
tricula alu'ii"---ia a 40 Jejr.neiro prximo Ful ir
e olfirece soupiestimo aos pais de firailia. assi
veraado-lhes 9eus Dons desejos, quer a resp'ito iU
ensino, quer da educagao de suas ulnas. 0 n. -
granalla dos estatutos leitura, esciipta, ariliam
tica, systema mtrico, liuua nacional, trance?,
geographia, msica vocal e piano ; para o qi;-
liavera professotes e profesoras cmpotenieiin-i.
haiiilitado;. Tambem se ensinar bordados, floro-
de varias qualidades, inolusive as de cora, e dan-
Casa de coramissao tie escravos.
Na amiga casa de coramissao de escravos,
abaixo assigaado, ra do knperaJor n. i5, couti
nua-se a nceber escravos por commis.-rio, Uie:
do mato como da praca para serem vendidos.
garaote-se o bom tratamenlo e pTompta veadn..
para o que se emprega todos os tsfor^os alini di
satistuer em ludo s pessoas que o qoizereni llo-
rar com sua conlianca. Nesta casa lia serepi
para vender, oscravos de arabos os sexos, veJbos
mocos, assim como ha t da seguranc para os k-
Antonio Jos V.'de Souza.
AMA
Na ra do Codorniz n. 8. precisa-se
de iisi'.
Precisa-se de ura homem portuguez para
lugar de copeiro em urna casa estrangeira : i:..
! ra da Cdeu n. 3t.
M (ravessa da roa
das Cruzcs n/ 2, pri- 1
meiro andar, da-se di- '
nhelro sobre penhores 3
de ooro, prala e brilhan- |
(es, soja qual for a quan- B
(ia. \i Diesoa casa com- |
pram-se os niesmos me- m
taes e pedras.
Ail IA FJE.
Aos 20:000^000.
Bilhetes do Rio venda : ra do Cabug & %
vende Vieira 4 Rodrigues._________^^^
Casa para alugar em Olmda.
A luga-se por um anno pago adiaiUado, a eass.
n. 3 da ladeira da Misericordia, com .1 sallas. .
quartos, cosinha (ora; terraco na frente, e no iu-
do com assentos de podra e cal para grande fa-
milia, e bom quintal cercado, muito fresca e ex
cliente vista. Quem quizer prevenir-se logo d-
casa para passar a esta vindoura, evitar dar ;..
essa tempo um preco fabuloso por uma easa.
naquella apprasivel cidade. visto como de espi-
rar grande concurrencia de povo para all e -
eonsequencia da eonducao fcil pela estrada fl.-
ferro que l deve estar esse tempo: qorm pre-
tender dirija-se mesma casa, ou ao largo o
Terco n. II.
FIMO CAPORAL.
Cbegado pelo ultimo paquete.
MaTca oCivette
Livraria francaza,
Correspondencia de Portugal.
Os abaixos assignados previnem aos senhores
asignantes deste jornal que de jaoeiro prximo
futuro em diante a distribuico ser feitu no largo
do Corpo Santo no caf do Sr. Pestaa, opde es
mesmos senhores assignantes mandarao pagar des-
de ja a assignatura do anno prximo 15*000
por 21 nuoNros contados do numero qne condu-
ar o paquete de 28 de Janeiro prximo futuro ao
ver-s* de um exemplar da dita memoria,
pelo diminuto preco de 3, na loja indica
da, onde ha pequeo numero bellas.
Na mesma loj cima ha ontras estampa,
muito perfeitas e grandes do dito Senhor
Bom Jess de Braga, por preco commodo
para a airara e con-
servacio dot denles, corando as dores
amudu pela caria on prodazidu pelo
contado do calor o* do fri
M ligililu, com base de magnesia
para a airara e conservado dos denta*,
provenindo a descarnadura, provocando o
trtaro de q*e empede a repradaeto.
Dipscit*m* Bti$ /Mire. b. aummUt; en Ptrntmk**, r.fcim. dmManU
_________rf^j^iXTiiSiT-R?5^ 'PorU **S
rma,B.
,
( Bnmmmrm,
Attenpao.
Na ra estreira do Rosario n. 35, sobrado (casa
particular) continua-se a fornecer aimoco ejautar
para fora mandando-se levar as pessoas que nao
tiverem ponedor e ;no for omito fraude a dis-
tancia, na mesma casa prepara-se qualquer pega
de comida, .bollos, ^udins, pao-uelo, etc. endo
encommeodado cora anUcedeocia.
Aiugase a casa n. Id da roa do . tratar no sobrado a 50 da ru da Aurora.
Casa de pasto,
Traspassa-se a da ra da Lapa n. II, por seu
dono ter falta de saude e nao poder administra-la
CASA
DE IMPORTACO E jSXPORTACO
J* i ARRERE
Eecnptorio, ra do Vigario n. 5,
Ama de leite.
Precisa-se una ama de leite. na ra nova dos
Pires n. 18, casa que fica solada entre a ra do
Corredor do Bispo e a do Destino. Paga-se bem.
Precisa se de nina ama que saiba comprar e
cozinhar, para casa de pouca familia, prefermdo-
se escrava : na roa do Rosario n. 21, loja de cal-
cado.
! ANDAR.
Machinista e foguista.
P**cisa-se de MVralkeiro ou <**ff qu* entenda
de machinas a vapor para tomar cunta de nma no
eogeaho a fallar na ra do Brum a. 52, passando
o chafariz, foselo do Bowmto.
AGENCIA DE COBRANZAS
BAIRRO DE SANTO ANTONIO.
Ra estreita do Rosario n. 17, 1.a andar.
Director &>
LE0P0LDIS0 ANTONIO DA FONSE^
Neste escriptorio recebera-se procura- '
(oes para cobranca de ordenados e con- K:"
gras, liquidacao de contas de pessoas do &
centro com outras desta praca, bes* asim j
de arrendamentos de predios, para agen X*v
ca de causas civeis, crimes, commer- X!
ciaes e eclesisticas em que seja nece*- %.
sario constituir os mais conceituados ad- -
vogados e procuradores que roelber ga- CZ
rantam os direitos das partes ; para sol- fyr
licitar ttulos e patentes na capital, ou
manda-Ios vir da corte, etc. etc.
Das cobranca s e compras sobre as
quantias liquidas 3 /. wbre o mais
mediante previo ajuste.
As entregas de qua squer encommen-
das e ttulos s sern feitas aos sens pro-
prios donos s pessoas per estes autorisa-
das em cartas de wrdem e mediante re-
cibos legalmente passados.
Ama
Precisa-se de nma ama que cosinhe a
perfeicao ; ra do Qaeinado n. Si, loja das sn-
portas.
Precisa-se dewn caixeiro eomfratica de ta-
berna : a tratar na ra da Senzala o. 2.
Ao publico.
Os' abaixos assignados declarara ao corpo do
cotnnwrcio que, desde 3 do corrate mez, se acha
dissolvida a sociedade commercial que veram na
loja de miudezas sita a ra do Queimado n. l*
*jue gyrava nesta praca sob a razo de SHva Bar-
bosa & C, ficando a carga do socio Joae Barbosa
de Lima a liquidacao do activo e passivoda men-
cionada fltma de conformidade* com o respectivo
distracto social.
Recite, 18 de Janeiro de 1870.
Manoel Rodrigues daJSilva Filho.
____________Joo Barbosa de Lima. \
Ka roa do Jardim n. 26 contina a ter muito
8
CURSO DE HBPARATORIOS
cursiva
LIXGL'A PWKTl'tSLUll
Ra da aiat*jrda. B**-visl* o. 28.
MeubXdad* *000.
boa farinha da trra.
Bichas hamburguezas
Neste novo deposito reoebe-se por todos paqn. -
too trMlimli"fi bxae egMlidade superior,'
de-se ero caixa ee porca ais pequea e n
barato de que qualquer outra parte ; ca ra. da.
Cadeia do Recite n. 51, ! andar.
\
(i
<


m-m
iario de Fernamfcuco Quinta eira 20 de Janeiro de 1870.
Joaquim Jos Gon-
WA DO TRAPICHE N. 17, 4." ANDAJ,
Secca por todos os paquetes sobre o Bao*
* do Minho, em Braga, e sobre oa seea
**logares em Portugal:
Lisboa.
Porto.
Valeaca.
Guimaraes.
Coimbra.
Chaves.
Viseo.
Vil do Conde-
Arcos de Val de Vez.
Vianna do Castello.
Ponte do Lima.
Villa Real.
ViHa-Nova de]Famalico.
I.araego.
Lagos.
Covilfaja.
Vaaaal (Valpassos).
Miraodella.
Beja.
Peder
Aos danos de obras e mestres pedreiros, que
nao compren) materiaes sem irem visitar a olaria
da ra dos Prazees a. ."SO, de Jos f^PIfir" da
Cuuua e verem a superior tl!|a e tijollus de to-
das as qitalidades do uem afamado barro denomi-
nado do Taquary, por manos SflOOreis o rnilhei-
ro do que em outra qualqner parte.
Oaixeiro.
Precia se de um pequeo de 12 a 14 annos,
com principio de taberna, para informaroes : a
rea da Groa n. 16.
(Jostureiras.
Na imperial fabrica de chapeos a ra do Gres'
po n. precisa-se de costuraras.
Ama.
Precisa-se de urna ama livre ou captiva, e un.
moleque de 10 a 12 annos : a tratar na ra da
Lingueta n. 8,2* audar.
FMCATA AMIAS
* Eua do Queimado n. 5
TEIXEIHA MARQUES ir
C.
Na piara da Independencia n. 33 se da di-
nhetrt sobre penhores de ouro, prata o pedras
preciosas, seja qual for a quantia ; e na mesma
casa se compra e vende objectos de ouro e prata,
e igualmente se faz toda e qualqner obra de en-
eommenda, e todo e qnalquer concert tendente
tm^nn arte>
UHPEUAL
INSTITUTO
l i DO 1101C01LIIO.
O bacnarel Antonio Golumbano Screphieo de
iVssis Carvalho boje o proprietario e director
desse instituto. Pretendendo dedicar-se exclusi
vamente, e com todo zeloe solicude aos trabalhos
proprios dessa prolissao, espera que os paea dos
actuaes collegiaes o honrarlo com sua confianca,
e bem assim que acolherao o seu estabelecimeoto
Os novos proprietarios deste importan^, bem coohecido e acreditado estabe-
locimento de fazendas finas, vem commumcar ao respeitavel publico e moi particular-
mente aos seus amigos e freguezs que o mesmo estabelecimento acaba de oassar por
orna reforma radical. F
.. ,u- A FR*GATA AMAZONAS, livre e absolutamente desembarazada das* peas que
llie tolhiam a marcha, ou para melbor dizer, havendo expelido de seuseio os paraguayos
que tambera podo denominar espkcik nova de torpedos, que lhe ameacavam a victo-
riosa proa, apraseola-se ao publico ufana e garrida, arvorando no mastro grande o rtt-
v.lbao indicador da sincendade. A barateza e escolbido sortimento de fazendas sao as
garantas com quocontapara merecer todo a protecc3o do publico.
A KRAGATA AMAZONAS, celebre pela gloriosa tradiccao as aguas do Prata.
e aqu justamente recordada no titulo qde melhor rcommenda um estabelecimento de
laendas linas. All.-o valor, a torca e herosmo veram hvmnos de victoria: aqui-
o agrado o- eavelnememo a sinceridad, o bellissimo e completo sortimentc de fazendas
coroarao os esforgos de seus proprietarios.
Pn....Tl|,]!la kancai iriampho sobre todos os tricmphos, A acco triumpbante da
rRACATA e a divisa de 91a aclivirtade.
A FRAGATA- AfAZONAS tem a honra de chamar a attencito de seus. amigos
e do publico pwa as segmntes fazendas:
ATTEHCt
O advogado LiabfeLop<-s Castillo tortugo- moduu
scu cscnptorin Ja esa n. 2 da'r.i do Queimado
para o seguaflo andar da casa n. 31 da mesma
ra, predio, onde o commerefante Rolim tem >eo,
fislabelecunanto ; o qno faz publico, e principal
mente avisa a seus dientas e a aquolles que Hg-
naremse precura-lo para os traballis de sua
prollssao Ali ser do boje em diante encontra-
do nog dias de traballm desde as 8 horas da nia-
manhaa s 6 da larde.
Papt-se bein
Precisa-se de urna ama forra ou es<:rava quo
.spiba cuantiar bem : i ra do Crespo n. 2;;
AMA
Precisa se de urna ama para comprar o cosi-
nhar : ra da Cadeia n. 29, 2o andar.
O diabo cocho
Pensameutos metaphisicos.
Poi-L. Pugl
Asaba de sar do prelo o opsculo Diabo Cocbo,
e vende-so por mil res o exemplar, ra da m-
peratriz n. 5, onde os senbores assignantes pode-
ro fowr c favor de; mandar buscar seus ejem-
plares.
Cortes de vestido de blond do seda com
todos os pertences para noivas.
Magniliras e grandes colchas de croch
MARTIMOS
E
COMTRA FOCO.
k Companhia Indemnisadora, ostabelecid.
esta praca, toma seguros mari timos sobrf
navios
quelles que precisarem de collegio para educarlo : brauco para camas,
de seus ihos ou protegido*, certos da que o c-1 Colchas de seda, de la e seda e de ai-
mal director se esforeara nao so para raanler o .rodiin mr-i n mpcmn (m
bom nomo e crdito, que desde mullas anuos goza !fe 2- ,f T \ \ u ,
referid'. Insiiluto, como tambem para imprimir-' Mf*B exceilentes de hnho adamascado
lhe novos melhoramentos. de coniprimento de 0 palmos para mesa.
No da 7 do jaiK-iro do anno vindourn tora lu- Ditas felpudas e de linho adamascada*.
?ar a abertura de todas as aulas de nstruerao n-iri m
primaria e secundaria. Pjra 'naos.
----------------p------------------------------------ Luidos cortes de seda de cores, 'de mui-
SCriptUrlOHO. l" bna qualidade para vestidos.
Urna pessoa habiliada se offerece para vscre- Ditas pelas apn listras assetinadas O que
ver em alguma casa commercial. o mesmo toma lia de
Guipure em peca, prelo e branco,
Cortinados de cambraia bordados para
cama, grande e variado sortimento.
QrtJcba para sofs c para cadeiras.
Bellos tapetes de dive'*)s taraanhos para
suf. camas, portas e janellas.
Grande variedade de chapeos de palha
verdadeira de Italia primorosamente endi-
tados.
(sSMPRAS.
sob sua
faze
responsabilidade qnalquer escripL para Gro
n e seus carregamemos e contra foge; laz^Iei" sua iasa: a faiar no pateo do Paraizo ,\-u\0* <. nrpr.^''"
em edificios, mercadorias e mobilias: a i 3o 5lCDCOStado ao Sr" Saiusiiano, a qu.-Uquer hora ^J^S,
ra do Vtgarion. 4, pavimento ter eo. -------:-----------^----------------------------------- e fe mim.
Att6IlCaO Popelinas (de seda e linlm)
Antonio Luis Teixeira Guimaraes morador no'var'"'4' so"hmentO ds melhores
larpo do Car o n. i, faz ver.M respeiiavel publi- Grantk e variado sortimento de basqui-
Mfeo e aos seos fregoezes que aeaba de reeeber as de seda pretn, curtas e'de cmliira com
Gorros da mesma palha e Capelinas da
mesma palha e de seda.
Perneadores bordados e camisas de li-
melhorpira um bom vestido preto. nh0,> ede algodo bordadas para senhoras.
sdcnaples preto de differentes onali- Grande sortimento do camisas para ho-
Caixeiro
Precisa-se de
un> raheim de idade de 12 a l(i
- qoe tenia praiica de Wbenw que d liadoj
e sua < ndtita na ra dos Guarapes n. 14.
I'redsa-se de urna ama para cozinhaT~mn
rasa de rapaz solteiro : a tratar na na do Crespo :
11. 17. loja. '
otQUtn de seda preto
grande e
gostos.
-O Sr. bacbarel Joaquim GordeiroCoe-
. segnpda remera da verdadeira |N.rracha viada |afo muito heni -iiirnecid .s
do Para para limas e vende por meaos do quoe.n . .m 8???8,J
otilra qualquer parte. ? no larcro do Carmo n.. i Ullas ,Je guipure (croch) de differentes
modellos pretas e de cores.
Ma sempre sorlinienlo variado de
Precisa-se d.- um pertugnez que eutenda
porfeitamente do irabalho de padaria. paru cai-
mens bordadas, lisas, inglezas e francezas.
Vestuarios para meninos e enxovaes para
baptisados.
Caclienezricas sabidas de baileman-
tullas pretas de fil de seda para cab^a
grande sortimento de alpacas lisas e lavra
daslas muito modernas e bonitas com
listras de seda espartilboscorpinhos bor-
dados a muiias ootras fazendas que seria
fastidioso ennumerar.
uv;is d JGUVJiN, soitimenio de roupas
Comprara se moedas de ouro e prata de ta-
is valores, ouro e prata em obras inntilisadas,
inlhantes e mais podras preciosas: na loia de
;= do arco da Omeeicao, no Red fe.
0 muzeo de jaias
.N'a ra do OaOugi n. i compra-se ooro, prata
1 pedras preciosas por procos mais vantajosos -if.
Ie em outra quajuer parte.
Com muito maior vantagem compram-se ..
noedas de ouru e prata : na loja de joias do Co- favios para paz, dnza a 40 e /
iro n. 2 D, roa do Cabula. | Esccvas para fado a oUO, 60 e'
Ditas para cabello a.
55Ruado Queimadohb
A YEIID4M5 tendo em deposito grand--
quanUdadaMteawndezase pe fumarias, e de-
sojando aparar dinheiro-e idquerir boa fYe
(ezia est rssdvida a vender muitissim..
barato, ;. por essa razao convida M 1
tavel publico a vtr competentemente muni-
do a soriir-se do borne barato. Pois qiwn-
do a Veanalnde apparec, tudo mais des-
apparece....
Grande sortimento de boneros de cera e
massa as mais lindas possiveis vestidas a ca-
rcter.
Abotoaduras moderuas para col-
lelea .......
Espelhos donrados pepnenos. .
Aguibas de osso para crox a .
Pentes para regag com esntas a
Ricos globos para candieiro de gaz a 1 j800
Cbannns a....... 320
Grande soriimento de objetos de
Touca para brinquedo de menino
Garrafa com tinta a.....
Dita cm agua florida serdaejoira a
Dita com -uta dita a . .
Frasco com oleo de babosa a ;>00 e
Dito com agua de Colonia a 300 e
Gatrafa com agua divina a. .
Frasco com extractos finos a .
LaUs pequeas com banha muito
tina a WJ>e......
Sabooetes de diversas quali ades a
80, lO.iWe.....
Finas scovas para denles de 120 a
Lindos coques modernos a.
330
201
1,
7%


fto Cintra, juiz monicTpl de ^^ Sl^v^^t'*t 7o Ss eDcarre-se de ^Qer obra ^ medida ^ W** sempre bons'a,:
ra i-!- a boneade de apparecer a rua do :.re;"P n- *. *m 10 horas do dia at asida .
Hi-pi-iu oi, 84. negocio urgente.
Precisa-se de um cozinlieiro ou eezinheira
na ma do Imnorador n. 73. i andar.
larde.
I Aluga-se as ras estreita do osario, laruaT
Lruzes, Queimado,etc., urna sala em prineiroan-
dar : podem en!ender--e com o escrivo Molla
Precisare^ alugar por mez urna prea que rua estreita do liosa rio n 17 '
ena ma bem : na rua Nova, sobrado 11. 39. -------:m . ,------:---------------------------
-------r.:---------.-------------------;,------------------- l'rccisa-se de ilous homens, sendo um naia
Preetsa-st alugar com brevidade por mezes leilor de campo o outro para caixeiro de casa de
i pr auno, urna casa em Apipncos, que nao seja purgar para um engenho margem da e*trtda'de
iapovoaca., mina Torre, perto da estacaos a ferro: a tratar uasCmeo Pontas n 130 das lias
tnali- n:. rn:> da mperatriz, loja n. U. 8 Horas da m.iaeu e (bis6 as 8 da tard?
Precisa se de urna criada para o serrico de
casa do nouea familia : na rua da Concordia uu-
mero 71.
9
J. linigass, successor
55Rua do Imperador55
t'recisa-se de urna senhora habilitada
cisiu;r a Iingoa nacional fra da cidade seis le-
rrini
Na sexavferavii. do crreme, peroVu-se urna
sedula de IpOOO em alguma das segmntes ras-
da Cadea, tilinta d i RcBie, rua do Crespo, praca
ra da Inilepeilencl, rua_^abiira, .\.wa, Ponte da jmiJnfn ---------------- wu.,
-ta, rua da mperatriz. dos Ferreiros, do mem(> de pianos construidos expressamentepara o clima deste paiz e Mr J
as oflicinas: a *ndo trabalbado moitos annos na construcelo de nianns Am p-. !^J
Nesta anga e bem conhecida casa, encoutrar-se-lia como outr'ora grande sor-
3 Mr. J. Rhigass
construcelo de pianos em Paris, acha-se habilitado
^af8^?
i
Compram-se (
a dentro
vendem-se diariamente para fra
a dentro da provincia escravos de bxlas as aladee
tolesesexos,com tanto que sejam radios: n
erceiroa lM(io n. 36, 'rua das Cni?e<
rpgnezia de Sanio Antonio.
l'ieii.-a-!-e coiitpriii uuir esclava de meia


idade
iaa.le : qiwm tiver e queira vender, dirija sea lo-
)-i te calcado da ma da Cruz n. 21.
Comprase urna escrava de meia idada-que
saiba cosinnar : a tratar na padana da rua i-
reiia n. b\.
Compram-ne Diarios : na rua Direita n l.
raorica de cigarros a ;i(Hti) a arrflba ou a iO rs'
a libra.
i T "Ia lla r'r"z n- ae comprara se escravos
de Maitas liguras e mulatas de 18 a 20 anuos
premiadas, pagare melhor do qne em outra qaal-
quer parle.
Ecravu para cosiiihar
Preci-a-se comprar urna de meia idade, ou
tambem se aluga : a tratar na rua Direita n. o
padana.
Compra-se
Urna balanea gruide de braco : na rua ostreila
do Rosario n. 47.
que'tuiba "ngoramar o cozinfcae, p.na casa de pou-
-------~E 3---------------:----------------.. ca .Emilia, pagase bom : a tralar no arnrazetn
'retraso de um menino portuguez.para defronte da alfandega n. 2.
ai\;iro de urna taberna perto da estacan d villa .wu-i a .i ,.m, t^----- ,, :---------------
?S Si? aSJSws assa''SSoa ,la Capu,,sa' ^
)coi oaziflhjr : a tratar na ihesonraria das loteras
sh.imu s^u sitin, no Mtmteiro. innlo a igreja.
y
rispanos que jende com todos os accessorios indispensaveis n5o s sua
jrao a sua doracao. Todos os pianos s3o garantidos.
Tambem ha neste estabelecimento, grande variedade de msicas novas e dos
nelhorewiutoreS, tanto rindas de Pars como do Wo de Janeiro, que se rende mais
fp^nf?0" em 0Xi?* Jbjectos necessanos contruccio de pianos,
eitos com o maior zelo e cuidado.
Os concertos e afinacoes de pianos serao
Atenqdo.
os socios
r7..Fr?5!a:s fa"ar co,n fgencia aos senbores
eu nteresse, na
iui|jri .ni ii ||. 2| ;
Julio Josa da Silva, Frederico Skner, Romana
da Costa Monteiro, Manoel Jis Martins e Grego-
rio da Costa Monteiro. b
' "rt^J TT'-T o rrecisa-se rallar com iwci
^oieaaae Uiiiiio enenecnte ibi,ixo **fMn a noo db$
-\r rua da mperatriz n. 21
Mari'ima.
Pela directora sao convidados todos
para M renireBD em a -' I ; i tortete as 10 toras da manbSa na salla de
soas >essocs.
SecraMrh da sociedade Uniao Beneficenle Ma-
ruima, em Pernambuco 19 de Janeiro de 1870.
Joo Rodrigues Bandeira.
____________ 1 secretario.
COlleqio
ibesoureiro de .Nossa Senhora do Rosari* VLll lili U.
Ja l.1.a-visia.AndrAvelino da Costa, declara que lino J1H Hagio
nomami o Irroio bemfeiior o Exm. Sr Barao do lU"' UU -CL^piC
LA3ARRAQUE
V^NDA.
Manuel Alvos Ferreija & C, na rua da Moe-
ua n. 5, * andar, t-m para vender superior vinbo
do Porto em ancoreUas e caixas de duzias, barril-
zinhos com 400 e 300 sardinhas sujieriores e bar-
ricas com bago de sabogueiro. potassa da Russia
e cal de Lisboa
Vndese urna escrava qne cozinba e en
gomma, moca c sadia : na rua do Rosario da Boa-
Vista n. 42.
Vcndem-se esclavos de ambos os sexos
rua do Imperador n. 75 2 andar.
na
febrfugo
l.'vramcnto. caiu da mesma irmaiidade.
.Gion. % e24
Antonio Marques de Amorim, director do
Oabiixo assignado, eneanregado do retalba- collegio de Santa Genoveva, tem a honra de
truc?ao primaria r secundaria funoeio.naro!
neste collegio desde o dia 20 do crrente
podendo desde ja regressarem reinscre-'
ver-se os que quizerem,
Avisa igualmente que tendo dado mais
ampias e commodas proporces este es-
tabelecimento pela adjunecao da casa im-
mediata aquellas em que tem residido des-
de 18158 pode admittir maior numero de
pensionistas.
rem i'awlo no improrogavel prisode odia*
Bedfe 19 de Janeiro de 1870.
.__________Juao Tihnrcio da Silva Guimaraes.
Na rua do'Imperador n. 30, 3o andar, alu-
g-se um moleajna de 12 adnos para o serrico du-
iih- APPHOVADO PELA ACADEMIA OE MEDICINA OE PAR.
0 Qolnlnm Labarraqn, eminentemente tnico
prefendo todas as outras prepareces de quina.
Os rinhos de quina ordinariamente empreados na medicina preparam-se
Z,?? S T'ma C"ja rqUWa r PrncP0S CITOS treLmente
ranavel; parte disso, em razo de seumodo de preparacao, estes rinhos con-
tera apenas resttgios de principios actiws, o era propendes sempre vriateis.
Qulninm tabarraqu., approvado pela Academia de medicina, con.
atitae pela contrano um medicamento de composicae determinada
V'ende-se por prego commodo meiade do
engenhu Cararimzinho, .sito no termo de Agua-
reta, perto da estarlo de Cuiarabuca, com muito
Doas trras producan, matas b.gradouras a
tratar na rua da Moeda n. 5, 2- andar, esenptorio
de Manoel Alves Ferreira A C.
2C(!
m
i

-.
?"
i
il
28<
' W
:
0(
.
,:.-
dereser Charutos da Baha
rica em
Pm ;iaa
KN/OMMAiKIRA.
se de urna mulher jtie engommo e en-
B ' I'ara casa de familia, e pagare bem a
Uff ** r"a dii Ca'IC:' d ReC'fe "" ,8' se2undo
principios activos, e com o qaal oa mdicos e os doentes podem sempre coatar.
a iH' U, Labarpa4n* prescripto com grande xito s pessoas fracas,
delibitadaa seja por dirersaa cansas d'esgotamento, aej por antigs moles
tas; aos adultos faUgadoa por urna rpida crescenca, s meninas qui tem dilfi."
euld.de em se formar edesenvoher; s mulheres depois dos putos; aos velhos
enfraquecidos pela edade ou doenca.
No cazo de chJorosis, anemia, cores plidas, este rinho um poderoso
auxiliar dos fterrogiaosos. Tomado junto, por exemplo, cora as pilulas de
VutBT, produz efTeito maravilaosos, pfela sua rpida acco.
Deposito esa Pars, L FRERB, 19, rae Jacob
Rw-Janeiro, DUPOKtHBLLE; CHETOMT. Pernambucc, MADREB i C"
Na rua do Commercio n. 32, 2 andar, escrip-
torio de Theo Just tem para vender excedentes
charutos da Bahia la fabrica do Sr. Gustavo La-
porte, das marcas Flor de salan, Regala de la
llfina, lliachuelanos o lorma Havana.
Vende-se o engenho llha, junto a villa de
Porto-Cr. vo, em Alagas com obra de pedra e cal
coberto de tenas, boas trras e bom de criacao
a tratar com Thomaz Cavaleante da Silveira Lins
Jnior, rua do Apollo n. 18. O mesmo
comprar 4 burro- mansos |ra carga.
precisa
3,
LEPHAfiT COM BOTAS
GRANDE ARMAZEM DE PIANOS, MSICAS E iSlJWTOS
ANTONIO JOSI DE AZEEDO
N..H-BA NOVA-N. M
Mico dteta cidade e das mais prormeias visinhas m rt eo no^ kJt
Vende se a armao da loja de cigarros da
rua dos Quarteis n. 18 : a tratar no caes do Anol
lo n. 6.\ ^
For450 fixos, barato, vende-se urna boa
preta de 80 anno>, boa no taboleiro : na rua de
Hortas a. 96
p^r 00, e barato, vende-se um pretu de
w annos. robusto, o motivo da venda ser dito ao
comprador : na rua de Hortas n. 96
ATTENCAO
Vende-se dous modernos e elegantes carros
americanos do mais acreditado fabricante, de dous
e quatro assentos ebegados recentemente dos Es-
lados-Unidos : a tratar na rua do Trapiche n. 8.
Pentcs^ara tirar piolho a Ifeo e.
Brincos de cores, bonitos a 160 e
Pecas de tranca de la com 8
varas por.......
Oleo para macbina de costura,
frasco a........
Pelmas d'aro linas cautas a 800 e
Dita d'ago'Perry, caixa a. . .
Galao de algodao peca ....
Lindos babaduos e entremeios
peca de 500 a. < .
Ditos de louoa mtiito fino a 120 e
Ditos para caifa a ItiO e. .
Caixa com 'papel amnado a. .
Ditas com enrelopes a. .
Ditas com obreias a.....
Caixa comagulbas fundo domado
Ditas de ditas ditas a.....
Thesoura para costura a 240 e
Caixa com linba de marca a .
Linha de cores em norcllos (li-
bra) a........
Carreteis delinhaAlexandredeTO
at 200. .,,....
(hampos muito linos com pass;*-
ros, duzia a......
Cartas n-tuguezas, duzia a .
Ditas Fraucezas a %0OQ e .
!'a I almaco e de peso, resma a
35400, tyim e . .
-p muito fina para bordar, libia
Fita de algodo para dobrum de
sapatos, peca a.....
Ditas de la para debrum de ves-
tido, peca a ......
Pentes finos
bello a
Ditos ditos de bfalo
a 240, 320 e......
Ditos para aparar penna a .
Rosetas pretas, par a . .
Tranca de la decaracol peca a 40 e
Fita de coz peca a 480 e .
Alfinet.es de lato a.....
Sapatos de la para crianca a 400e
Grarata de sedas de cores a .
Calcadeiras a......
Grande sortimento de rendas das libas.
Um par de suspensorio de borracha pot
100 ris!!!!!!!
Xa Vcrdade a rua do Quef mzd*>
____________d. 55.
VENDE-SE OU ftRHBNDA-SE a prr-
priedadedenomiada Barra de Serinblem.
no littoral da freguezia do mesmo oome
com grande renia da trra a reeeber e moi-
tos coqueiros a desfructar ; tendo, alm
disto, a excedente e rara posico beira-mai
e beira-rio, inteiramete apropriada paru
manter-se ahi qualquer estabeleoimenli.
commercial de seceos e molhados : a tra-
tar na rua d'Auroran. 26, ouna do Imj.e-
rador-D. 20.
para segurar ca-
para alisar
501
KX
11!.
Hii
l(H
801
Loja a \enda.
Vende-se o estabelecimento de msicas da rua
Nova n. 9 : a tratar no mesmo.
Partecipa ao respeitavel publico dfesta cidade i
acaba de ebegar um grande e explendido sortimento de
prormeias risinhas, que o seu grande e bem acreditado armazem de instrumentos
para musi-
.to^os. JZ'iZRESSZ 'i0 te0 e mm>e =U5
MFONSO BLONDEL
ou sem ella, de autores os mais acreditados nesta cidade, como sejam : os
Leque de madreperela cora-seda, e todos de
mdreperola, nitrito-preprio para mi'as, ebefa-
ram a loja do Paaso ana do Crespo n. 7 A, as-
sim como' requissimor chales de touquim de to-
nas as cores, vestuarios bordados de cambraia
para baptizados, rueias de escocia (no.vidade) mui-
to bonitas para asEsmas. Sras. que gosUm andar
de sapanho raswe-ouiros amitos artigos de gos-
tonque os proprietarios deste estabelecimento teem
recebido.
Cortes de seda
A loja dos Arcos a rua do Crespo n. 20 A. di
Alvaro Augusto de Almeida & C. acaba de : i
ber ricos cortes de seda de er e pretos o memnr
que ha_ no mercado,'assim como basqumas de
gorguro; modelos inteiraraente novos, eliape.--
sinhos de velludo a Tirollen e muitos outr;s ani
3os, tudo do ulumo go- to.
Venee-se a casa terrea n. 107 da rua do h-
lar, com bastantes commodos, inclusive m mi
queno soDradiabo no fundo do quintal : a Iratat
na mesma rua n 17.
^25lp^^ 5L^^ mo Sr- Broride, Estes panos fabri-
eja necsawro rBBlstlr Stiftre sua swanMidade As suas JZ,^ m^-.lT ? rant,a seF?.de SM doraco. Elles sao aqu bastante conhetitfos desde 1844, Daraoe
eahor^piaoa. Pt**aae. As suas rozes sao muito flautadas e melodiosas. Elles possoeoom tedado qe se presta a todos os tfoV&J
ateoda^tooo**^^ ocerticadode origem assigti^pelo Sr. Bloddel, fim de provar a soa
0 R^aV Lt UTA M^^4Bl1fabrJCa?!S de pi.an0s em PAwS.^declar
i aWA *A N. 1, anonera de Antomo Jos de Azeredo.
AO PUBLICO
aado por
l
Pariav & de j*# de 1869. (Assslgmdo)
- troca e alaga panos.
ao respeitavel putiHco de f efnambuco, qoe o onico deposito de seos piaoos oa cidade
outro sim que todos os seos piae irlo accowpanbados de mn certificado de origem asslg-
Napoleao d G.,
^^0J^U IHg Pte^Mo sorimeato &rmu
fff8';jg ^^'/gJrppoPe A Tornaghi, Narciso, Arthor
costara
tr t-i^ As ajoaes recebe directamente da Europa e do Rio de Janeiro fos^rwrto*
assoaHw desalas, ricos espetaos domados, qadrados eovae! Shas'' S^tl^^^lFT*'!!*' ?** "!*** qttadVos'paTa fcn^Dtos'YeSalasroaa^Vr
S^j" todos os taanWbos, Ulaga^a, lias e agwhas para S1 \ multo rt,*?!?0'1*8 '** ^P vfc#m. relogios cora despertador tfdros Sara
berto ufe os dte ate as 9 Horas i ooite afta das Eims. faSas poZm l^ZJolXmt^^ P*BB0 tCOmn* *** "^ ^ W **
Vendem em seu-armaaens- no caes' do Apollo
n. 7, Escadinha n. 1 e rua do Amorim n. !)", os
segmntes generes :
Aeo de Milo.
Milho em saccas grandes.
Farello em saccas de 901Rwas.
Chumbo de munico sonido.
Meial amarello para forro de navios.
Machinas para descarocar algodo de 14, l&e 18
serras.
Kerosene em latas de 5'giloes.
'Champagne do afamado fabHciet* Rrag.
Hormoutb.
?ho do Porto engarrafado,
onac do afamado fabricante Gaotier Frres.
"to da China, caixinhas, 40 cartas n. 1. Extra.
ebra ingleza tOid tont
Cimento Romano,
ment Hidrulico.
Omento Purtland.
Gesso para estuques.
Cannos de barro para esgotos.
brtdeamentos de ferro para jarttas, aleadas etc.
'Garres de mao para servicos de arnaatens.
ferrafoes cora gatees da vina*re tinto,
dem cora 3 galOe de vinagre tinto.
Chumbo em barra.
Milho e farelo.
Mais barato do due em optra qualfjder parte to
armazem da Estrella, largo do Para izo n. 14.
CEMENTO
O rerdadeiro portlaad. S se vende n;
rua da Madre de Deas. .22, armazeai tw
JoSoMaitins dp Barres.
Candido Alberto SoaY da Mttta 4 C..ee
escriptorioe armazem na travess da Madro O
Dos n. 14. tem para vender o saguinte :
Cemento Portland de iouadadeo melhor ^u-
tem vmdo ao mercado,barncas ^le 12a 1! arroba-
por 101000.
Vinho Bordeaux das seuintes quahdades:
St Julin.
. Froneac.
Lormant.
St. Emilion.
Mrgaos.
Cnateau de Boycberelle.
St. Lambert.
LaMnbere.
Doaieasis
Gaasr.
Deaneeai.
Virt do Porto qualidade jnuilo especial.
Arrtte oVice/ rettnado em caixas de-14 garreas
Vinagre saperior era garntoes-pegeeoos.
Farelo haraburgiet,. sacaos de 90 libras, por
6,5000. f
Farinba de trigo de. superior qualidade.
Barris com alcatrie; de eos de ferro.
Fumos de todas, a qualMades, se encontrara
neste estabeleeimento^em latas, rolos e fardos.
Papel de todas as qualidades, proprio para u-
garres.
240
Chege pechincha.
Cambraia franceaaw e cores muito finas a
reis o corado, e 4O* a (JOO res a vara.
Ditos ditos preta tuto toas, a 24n o covadu o
400 e 300 res: estos fazeodas sempre se vena"-
ram por WO reis a rara : ru do Vueiowdo u.
40, defrenw de baafca ama.
Nova factura de baldos,
Ceaus, barcos, condegas, roupeiros e eosir.r
de lodos as lamanhos : a rua Direita n. *
! de-se por menos do que em outra qnalquer,
ILEGWEl
V


- I -III
II
-a-_______
6
Diario de Pewambuco Qfciuta eira 20 de Janeiro de 1870.
____________________________________
4 .,,-. ...~~' i,-,
AGUIA NEGRA
Ai
BENTO MACHADO ft C,
A AGUIA NEGRA animada com o bom accolhimento que^teve ^ seus annun-
oos, vem de novo participar a seus freguezes, que. acaba de receber um, nnado sorl
Diento de objectos de gosto. os qaaes serlo vendidos por precos muito "avei8, .pois
pando fez os seus primeiros annuncios. foi o que assegurou. e sem mdo/e errar,
porque orno j disse est ligada por interesses a urna casa importadora desla: praca, e
oor isse poder ter tudo especial e vender por precos admiraveis.-Chama pois a alten
Co de seus freguezes para os artigos que possa descrever: ...,
Livros com o tmpo de marfim, aaare-, Um vanado sortiments de charuteiras e
perola e tartaruga, proprios para missa. palliteiros de porcelana,
Garafinhas vazias proprias para presentes' Tenlos para voltarete.
cousa de gosto.
Indispensaveis de palinha e de couro pro-
prios para senhoras e meninas trazcr nos
bracos.
Binculos de madreperola, marfim e tar-
taruga todos esmaltados.
Cintos largos de setim, cousa inteiramen-
t nova.
Fitas de sarja de todas as cores e largu-
ras para latos.
Bengallas com marfim, cousa especial.
Sabonetes de alcatr5o.
Cofres de folhas para dinheiro.
Lindas caixas para costura.
Um completo sortimento de lavas de pe-
lica,
Talagorce para-bordar.
Um completo sortimento de enfeites de
J ijui tuyvw t
Toncas, sapatmhos meias de seda e mais seda para vestido.
p.?rtences para baptisados. j Perfumaras de todos os autores os mais
Fitas com inscripc5es proprias para bou- acreditados em extractos, pomada e leos
quet de noiva, i e finalmente outros muitos objectos que nao
Ricos vasos com DO do arroz. possivel mencionar ; mas com a vista se
Um variado sortimente de jarros de por- certificaro do sortimento deste esraoete-
ce'.ana. cimento.
Affuia Negra, ra do Cabug n. 8.
IHII1IIIIIH1II1IIIII1H
5 B a- o- "
s cd5'2
2 SS . a B
C! o\2. _.
3
8
w ?i p w *a o
BltlilfP
o M _. o 52 c B
1
3
S.2. p B TB
frfill
B 8 S "
fts e P^ua ff o B
a?' og
2. 'S
5 5 2.
" a "
o a
*0
t
t
p-
o
po

S
s
GALLO VIGILANTE
ma do Crespo m: f
Os propnetrios deste bem conhecido *sttbele-
cimente, alm dos muitos objettt que tinham ex-
postos a apreciaelo do respeitavel publico, man-
daram vir e acafcam de receber pelo ultimo vapor
da Europa um completo e -vanado sortimento de
finas e mui delicadas especialidades, as qaaes es-
to resolvidos a vender, como de sen costume,
por precos multo baratinhos e commodos para to-
dos, com tanto que o Gallo....
Muito superiores luvas de pellica, pretas, bran-
cas e de mui lindas cores.
Mui boas e. bonitas gollinhas e pnnhos para se-
nhora, neste genero o que ha de mais moderno.
Superiores pentes de tartaruga para coquee.
Lindos e riquissimos enfeites para cabeca das
Exmas. senhoras.
Superiores trancas pretas e de cores com vidn-
Ihos e sem elles; esto fazenda o que pode haver
de melhor e mais bonito.
Superiores e bonitos leques de madreperola,
marfim, sndalo e osso, sendo aquelles brancos
com lindos desenlio, e estes pretos.
Muito superiores meias fio de Eseossia para se-
nhoras, as quaes sempre se venderam por 3WOOO
a duzia, entretanto que nos as vendemos por 20#,
alm destas, temos tambem grande sortimento de
ontras qualidades, entre as quaes algumas muito
finas. ,
Boas bengalas de superior canna da India e
castao de marfim com lindas e encantadoras figu-
ras do mesmo, neste genere o que de melhor se
pode deseiar ; alm destas temos tambem grande
luantidade de ontras qualidades, como sejam,!-
leira, baleia, osse, borracha, etc. etc. ete.
Finos, bonitos e airosos chieotmhos- de cadea e
de outras qualidades. ___
Lindas e superiores ligas de seda e borracna
para segurar as meias. __
Boas meias de seda para senbora e para meni-
nas de i a 12 annos de idade.
Navalhas cabo de marfim e tartaruga paraazer
barba ; sae-muito boae.e de mais a mais sao ga-
rantidas pao fabrican*, e nos por nossa vez tam-
bem assegaramos su qualidade e delicadeza.
Lindas e bellas capeHa para noiv*.
Superiores agumas-para machina epara crox.
Linha muito boa de-peso, rouxa, paraeacher
labvrintho. .
Bons baraftos de cartas para voltarete, assun
como os tentos para o mesmo fim.
Grande e vanado sortimento das memores-per-
fumarias e des melhores e mais conhecidos per-
COLARESI ROER.
Elctricos magnticos contra as convolsoes, e
facilitara a denlicao das innoeentes enancas. So-
mos desde mui recebedores destes prodteieeos
collares, e continuamos a reeebe-los por todoeM
vapores, afim de que nunca faitem no merc*"'
tomo jtem acontecido, assiopes poderae aque-
les que delles precisarem, vir ao deposito do gaflo
vigilante, aonde sempre encontrando deste veraa-
deiros collares, e os quaes attendendo-se ao fta
para que sao applicados, se venden com mn mm
diminuto lucro. ___
Rogamos, pois, arista dos objectos que deteamos
declarados, aos nossos freguezes e amigos a wem
comprar por precos muito razoaveis a loja do gallo
vigilante, ra do Crespo n. 7.
ASWIVASSED4S ,
11-EUA DO QUEDIADO-11
Chegaram da Europa pelo#lmo vapor loja de JLogosto Porto C. neos
cortes das mais linda sedas de mimosas cftres para veados proprkw para bailes e casa-
Grande variedade de sedas delistras de diversos precos todas de lindasLe6re,s'
gorgurao de seda preta, e grosdenaple de varias qualidades e gorgurSo de seda taa
diferentes cores.
Novos vestidos brancos de blond para noivas. lindas colxasde seda para camas,
ditas de 13a e seda, cortinados bordados para camas e janellas, fronhas e toalnas ae
cambraia de linho bordadas.
Lavas novas de Jouvin.e elegantes sombrinhas de sedas de cor para sennoras.
Espartilbos de 5* at 10*, lindos bournous de cachemira de c6r para sanida
de baile, basquinos de renda preta, e drtos de croch branco e preto para senhoras.
Grande variedade de camisas bordadas e lisa para homens e meninos.
Sortimento de murtas fazendas de 15a, linho e algod5o todas por preeos muito
Tapetes grande para sof, piano e camas, pecas de tapetes o de alcatifa para
forrar saldes todo em quaatidade; e vendem sempre^por menos qoe em outra qtalquer
parte
Esteiras da India de 4,5 e 6 palmos de largo.
I
o*
o-b'c
3 D
2 S = 8
g sr.o s g,
Ifllt
t3 O ? U O
e Si o *
3 D S
Bu ost O.T3 -,
eo w _
ai
a
.w
*E'?o
5.a
5bB
o.- 5 g
bDbB'
ftS- n O W (D CJ
o
3
&
t
i
B
w
!
E
o
1


* *
Machinas yaporde
forpa de 3 e 4 ea-
vallos.
Motores para 2 cavallos. ( .
Arados americanos.
Machinas de faco e serrotes para desoa-
ro^ar algodo.
Bataneas para armazem e balco.
Camas de ferro. ^^
Cofres de ferro de Milne e de Umt-
field.
Pren?a6 para copiar caras.
Foglo americano patent
Crande aroazen de tondas e ronpas feitas roa da Imperalru
n. 52, porta larga, de Paredes Prto.
Neste estabetecimento encontrar o respeitavel publico om bonito sortimento
de ronpas de todas as qualidades, palitbts de alpaca a U, 30600 at 6*. Ditos o>
merin6, ditos de casemira de cores bonitos gostos a W, 6i5, 8* e 100, de panno preU
sacos e sobrecasaeos. Drtos de brija pardo finos e ordinarios. Ditos de alpaca branca
e de cres de 3*500 a 50000. Calcas de brim de cor finas e ordinarias, ditas
brancas de todas as qualidades, ditas-de brim pardo fino e ordinario, ditas de casemira
de cor e preta de . 5& 60 a i 5*. (Metes de todas as qualidades e preco mmto
barato. Completo sortimento de camisas francezas de algod5o e de linho de 5w,**>*
urna. Sortimento de sroslas franceras de algodo, de linho e bramante a 20 e 205OU.
Gravatas (mantas) novissimo gosto a todos os presos. Meias sortimento completo a &
4 at 70 duzia. ___nrm
ROUPA&PARAMEMNOS.
Eacarrega-se de qoaesquer obras de encommeoda tanto para homem, como
pa*a- meninos, e com brevidade, por isso que tem um bonito sortimento de tmmm
todas as qualidades tanto era casemira* como brins, pannos finos e- ontras mmos ia-
zeedas.
FAZENDAS
Bramantes de W palmos de largura a 10860 o metro.
Cambraias de cor e branca.
Alpacas de todias as cores a 640 rs. o covado.
Poil-de-chvre com lista de sedafazenda de gosto a 10200.
Pasquines de guipure enfeitadas a 180000.
Sortimento de chitas escuras e claras a 280i 300 e 360 rs.
Madapolo fino a 60500, 70, 80- e 90000.
Algodlo peca com 20 jardas a 40500, 50506 e 60000.
Pe?a de algodJo largo a 70500.
E outras muitas fazendas que ser enfadonho mencionar Qieguem a Fonpa
feita aae se est liquidando na loja ra da Imperatria n. 52 (junto loja de ounves) do
LEftO DA PORTA LARGA
DE
Paredes Porto.
5
c.
^mmmmmwmmmmmm
3
LOJA DAS MACHINAS
BASTOS
Acabamdechegar grande quantidade das verdadeiras machinas amer.cana.
oara descargar algodo de todos os systemas e tamanho^segmntes :
12 sorras j-4.
14 ditas J4 &**
ditas 15 dt as
ditas 16 ditas
ditas 18 dltas
ditas 20 ditas
ditas 22 ditas
ditas 25 ditas
ditos 30 ditas
ditas 35 ditas
u ditas 40 ditos
iR haas n vendem por precos commodos e roga-se as pessoas que deUasfizeram en-
oSdat de ajunstomanhos, obsequio de as mandarem busca-las o mais breve po
ivel afim de.no baverem faltas.
Cal nova de Lisboa
chegada no ultimo navio : vende Joaqnim Jos
Ramos, na ra da Cruz n. 8. < andar.________
NO BAZAR DA MODA
DE
JOSfc Iffl SOUZA SOttES 4 C,
Eua Nova
VENDE-SE MUITO BAB\TO PABA UQ1
DAB A DINHEIRO.
Luvaw.
De pelica branca muito frescas, ebegadas
por este ultimo vapor para homens. senho-
ras e de cores e pretas para meninoso
par 20000.
Minhas festas
Lindos obiectos para miraos, como sejam:
Estojes e caixinhas de msica, bolcinhas
sestinhas. vasos e balainhos de porcelana
dourada, figuras, tinteiros, port-bouquet
caixinhas para j as, interesantes conchinhas
cora frascos para excencias, ricos quadros
para retratos, apparelhos de plaqu, cama
feo e madreperola, lindos vasos com perfu-
maras etc. etc, e muitos outros objectos
para este fim.
Chapeo** de sol ou sombrillas
de setim ricamente enleitados e mais mo-
dernos que pode haver para senhoras a
140,160 e V*0OOO.
GUIPURE OU CROCH
preto ou branco que o pode haver de mais
bonito empadroes e superior em qualidades
para casacos, capinnas, corpinhos, meias
saias etc. e vende-se muito barato."
LINDAS CAMELIAS
brancas e cor de Tosa dp dous tamanhos
cada rosa a 10200 e 10500.
Chapeos para sen 'ras,
de palha fina de Italia elegantemente enfei
tadose gostos muito modernos de 155^00.
vende-se para liquidar a 100000. E' pe-
chincha. _____
3 cordeiro providente
Ra do Qiielmado n. f .
Novo e variado sortimento de perfuman
finas, e outros objectos.
Alm do completo sortimento de perfu-
maras, de que effectivamente est provida a
loja do Cordeiro Providente, ella acaba de
receber um outro sortimento que se torna
aotavel pela variedade de objectos, soperiori-
dade, quaBdades e commodidades de pro-
cos; assim, pois, o Cordeiro Previdente pede
e espera continuar a merecer a apreciaelo
do respeitavel publico em geral e de sua
boa freguezia em particular, nao se afas-
tando elle de sua bem conbecida mansido
a barateza. Em dita loja encontrarlo ot
apreciadores do bom:
Agua divina de E. Coudray.
Dita verdadeira de Murray A Lamman.
Dita de Cologne inglza, americana, fran-
ceza, todas dos melhores e maisaereditadof
fabricantes.
Dita de Cor de larangeiraa.
Dita dos Alpes, e vilete para teilei.
Ehxir odontolgico para conservacJo de
tsseie da bocea.
Cosmetiques de superior qualidade e cha-
ros agradareis.
Copos e latos, maiores e menores, co
pomada fina para cabello.
Frascos com dito japoneaa, transparente
a outras qualidades.
Finos extracto inglezes, americanos
(rancezes em frascos simple eenfeitados.
Essencia imperial do fino eagradavel chei-
'o de violeto.
Outras concentradas e de eheiros igual-
mente finas e agradaveis.
Oleo philocome verdadeiro.
Extracto dfoleo de superior qualidade,
com escolhidos eheiros, em frassos de diffe-
rentes tamanhos.
Sabonetes em barras, maiores e menore
para mos.
Ditos transparentes, redondos e em figu-
ras de meninos-.
Ditos muito finos em caixinha para barba.
Caixinhas com bonitos sabonetes imitando
fructas.
Ditas de madeira invernisada contando fi-
nas perfumaras, muito proprias para pre-
tentes.
Ditas de papello igualmente bonitas, tam-
bem de perfumaras finas.
Bonitos vasos de metal coloridos, e da
moldes novos e elegantes, com p de arro
a boneca.
Opiato ingleza e francezapara dentes.
Pos de campbera e outras differente
qualidades tambem para dentes.
Tnico oriental de Kemp.
Alada mais coques.
Um outro sortimento de coques de no-
vos e bonitos moldes com filets de vidrilho
e alguns d'elles ornados de flores e fitas,
esto todos expostos apreciaelo de que
os pretenda comprar.
GOLLINHAS E PUNHOS BOBDADOS.
Obras de muito gosto e perfeiclo.
Fivellas e Olas para ciatos.
Bello e variado sortimento de toes objec-
tos, ficando a boa escolha ao gosto do com;
prador.
RAP POPUliJLB
DA
FABRirA mm DA BABIA
DE
Teixeira ZJldurtcefyC.
Acha-se venda este ptimo rap, nico qn
pdc suppnr falta do prnceza de Lisboa, por ser
de mui agradavel perfume, viajado, e a preco o
mais mdico possivel; e por isso tem sido assiu
acolhido as pracas da Bahia, do Rio de Janeiro
em ontras do imperio : no escriptorio de Joaqnim
Jos Goncalves Beltrao, roa do "
mero 17
roa do Commercio nu-
TUEA.
Acabam de cliegar ao Grande Bazar Universal
ra Nova n. 22Carneiro Viannaum comple-
to sortimento de machinas para costura, dnsau
tores mais conhecidos, as quaes esto em exposi-
cao no mesmo Bazar, parantindo-se a sua boa qua-
lidade, e tambem ensina-se com perfeiclo a todos,
os compradores. Estas machins sao iguaesi >
seu trabalbo ao de 30 eostureiras diariamente, ea
sua perfeiclo tal como da melhor custureira di
Paris. Apresentam-se trabnlhos executados pela.*
mesmas, que muito devem agradar aos preten-
denlef.________
ARABA
E' novidade.
i. koi m rnumci
Primeiro introductor dos poQos tubulares
ipstantaneos da Abyssinea.
Avisa-se as pessoas
que baviam
commendas
ridos pocos que
nliam buscar
Ol I
MILHO
Em pequeas porc5e8 a 8500 ; em maiores
a 8^000, milho novo, saceos grandes, na roa d
Vigario n 16, Io andar escriptorio de Joaqnim
Guido de Bastos. Na mesma casa ha para ven-
der excellente farinha de mandioca, arroz, gom-
ma. tapioca, araruta em barriquinhas, alfazema,
vinho do Porto em ancoretas e arris de quinto,
tudr precos razoaveis.
15
16
48
20
22
25
30
35
40
RA DA CADEIA N. 56 A
0 propietario da loja da Arara, tem a honra de
declarar ao respeitavel publico, qne receben um
completo sortimen'n de fazendas de todas as quali-
dades e vai expor a venda pelo preco mais barato
que possivel, como seja madapolo de todas as
qualidades, aigodosinhos, chitas e cassas, panno
finos pretos, cachemiras pretas e de eres, grosd^
aples pretos e outras muitas fazendas que a vista
dos sens freguezes verao a sna qualidade de preco
como barato : ra da imperatriz, loja da Arara
n. 72.
m m m
Chegou ao amigo deposito de Henry Forster 6
iL rna do Imperador, um carregamonto de ga;
de primeira qualidade; o qnal se vende em partida?
- realno por menos preco do que em ontr* qnal
quer parte.____________________^
Machinas eg>rpcias
Para descarocar algodo, fibra longa : veude-se
na ra Nova n. 6.
\ova n.2l,
tero qualquer
reciuK'Dto.
escla
n. o
iRl
ff1
lepavjtivo nao
Tmemsimer-
o, lodo oo
'jenteo
.---------------------------------------- i ---------------iRoroiO aod-
cador pareo Mnfue e em rsdiealaente s nolnts depelle, taes como a lepra, as impr^ns, as herpes as
[ espinhas, e os Pannos, etc.Kmpregado dnanote dte refresca a musa do unfae. c consolida o Nade, i
Pars, 36,RnaTlTlenn,
CHABlt MEDECIN
OEPURATIF
m SANG
PLUS DE
COPA H U
IRJECCAO GADET
Vajus. 7, B' Deuii,
Cura em 8 diu os eorrimentoi utic
o* ej rebelde.
BASKRTERIUUADAS DESSEXUAES, *Si
CO8 nJTANEAS, E ALTDLAOI>Or
---------------------noMOearuduM.., .
I,ilul. keroet, fin
(miM*t*,aertmma,im
l/nreort,. tieioMi m mm
do tiM0'. (Xarope 'H^J*J",2'>l!5E
ratita irfetmt* * T^ZZ
loaao-M dona por saana. -fiB**\^*^SS^
BmmrrtivottimviMg* f^oSSTi
ferro da CHBLI. mn
MdiuaaaMf.eaHrMr
, araoMO, rata^afliasV
_______IjAWMalaUaa, a ipat*
mu os fluxo, a ftor,$ brmuM das >""--
Satt inj^f bwign aara|a-M ton Xatm *
i..rrMm.. Pe*da (|M aa ara *m - db*
POMADA ANTIHERPETICA
Centra. aas mf$efu^tiamum lOUlallM
PILULAS VEGETAE8 DEPUATIV|
a ttllMW.




Diario de Pernambuco Quinta feira 20 de Janeiro de 1870.

.<
7
A DINHEIRO NA LOJA E ARMAZEM
DO ^
tsoaoa aa niai?aiaa?Qii3-Ha. m
DE
F1XIX PEREIRA BA SIIiVA.
0 proprietario d'este grande estabelacimento, vendo que se est aproximando o fln*
o anno, e tendo em ser um grande deposito deposito de fazendas; n3o fallando em
troludas encommendas que Ibes esto obrigado todos os dias, tem resolvido liraida-
as por preco muito mats baratos do que era outra qualquer parte : so coro o fim
de diaraur o deposito e apurar dinheiro Encontrase neste estabelecimento do
PAVAO, avalUdo sortimento deaiondas de laxo e modas; assimcomo de Driaeira
oecessidade. As pessoas que negociara em pequea escala n'esta lora poderlo surtir-
te vendendo-se-lhes pelos precos que compra, ns casas mgtezas; assim como as ex-
oeuentissimas familias podero mandar buscar as amostras de todas as fazendas ou man-
dar-se-ha levar peloscaixeiros da mesmaloja em suas casas; o estabelecimento se
coa constantemente aberto das 6 horas da manh5a s 9 da noite.
Explendido sortimento de H*ZINHAS mwrxas "na loja m pavo
p'tSBl
Su.
-r
roupas fetas
NA LOJA DO PAVO ROA DA
IMPEBATRIZ N, 60 ;
Acha-se este grande estabelecimento com-
pletamente sonido das melheres roupas,
endo calcas palitdts e coletos de casemira,
de panno, de bwm, de alpaca, e de todas' mais bonitos crochs propres para cadei-
as mais fazendas que os compradores pos-
oam desejar, assim como na mesma loja
tem um bello sortimento de pannos casemi-
ras, brins, etc. etc. para se mandar fazer
qualquer peca de obra, com a maior promp-
tido vontade do freguez, e nao sendo
obligados a acceita-las, quando nlo stejam
completamente ao seu contento, assim como
a'este vaste estabelecimento encontrar o
respeitavel publico um bello sortimento de
camisas francezas e inglews, ceroulas de
linbo e algodao e outros muitos artigas
proprios para homens e senhoras promet-
tendo-se-lhe vender mais barato do que em
outra qualquer parte. Na ra da Impera-
triz n. 60, toja e armazem de Fex Perei-
ra da Silva.
CERA DE CARNAUBA.
Vende-se ama grande porco de cera -de
carnauba em saceos por preco mais barato
do que em outra qualquer: na loja do
Pavao roa da Imperatriz |a. 50. De Flix
Pereira FAZEXDAS PARA LUTO
Na loja do Pavo.
Encontra o respeitavel publico neste estobeleci-
meolo um grande sortimento de fazendas pretas,
oomo sejara, cassas francezas e inglezas, chitas
pretas de todas as qualidades, fazenda de lia de
todas que tem vindo, s proprias para luto, como
ejam, lazrahas, alpacas lavradas e lisas, caoto,
oombazinas, merino, etc., que tudo se vende -por
prego barato.
AS CASSAS DO PAVO
Covado a 300 ts.
Vendem-se finissiraas cassas francezas com. lin-
dos desenhos e cores flxas a S60 rs. o covado.
Madapolao francez a 7$OO0 rs-
Vende-se pecas de madapolao francez
om 22 metros pelo baretissimo preco de
7W00 a peca, pechincha.
Atas novidades em sedas
Chegou um grande sortimento das mais
moderaas poupalinas ou gorguroes de seda
e linho com os mais elegantes padroes que
tem vindo a este mercado sendo, miudos e
graudos, tar.to em cortes para vestidos como
para vender em covado, assim como um
bonito sortimento das mais bonitas sedas
listradas que se vende tudo muito em canta
Grosdenaples de cores
Chegou um grande sortimento dos mais
bonitos grosdenaples de todas as cores para
vestidos que se vendem muito mais barato
do que em outra qualquer parte.
m n mil m\m i
LAASINHAS LUSTROSAS A'400RS. 0 CO-
VADO.
Chegou para -este estabalecimente irm grande
sortimento das melhores e mais modernas lazi-
nnas para vestidos, sendo tenadas e transparentes
de todos os precos e qualidades que se vendara
mais barato do que em outra qualquer parte.
Crochs para cadeiras e sofs
0 Pvo tem um grande sortimento dos
ras sofs, esas, trimofadas etc etc., assn
como proprios para cobrir presentes, e ven-
de-se mais barato do que em outra qual-
quer parte,
GLACE' A 1:200 PARA VESTIDOS
O Pavio tem esta nova fazenda lisa pro-
pria para vestidos, com as mais delicadas
cores e com mais lustre do que a propria
seda com 4 palmos de largura que facilita
fazer-se qualquer vestido com 10 covados
e vende se pelo baratissimo preco de 1:200
rs. o covado, pechincha.
Organdys a 380 rs.
Vende-se os mais bonitos organdys de
cores com padrees miudos egrauaos. sen-
do todos de cores flxas, pelos baratos pre-
cos de 360 rs. o covado.
AL6OD0 ENFESTADO
Vende-se urna grande porco de algodlo-
sinho americano com 8 palmos de largura
proprio para lences e toalhas tendo liso e
trrncaao -que se vende por preco muito em
conta.
Panos de linho
Chegou >um grande sortimento de pecas
de panno de linho do Porto que se vendem
de 700 rs. at 10000 a vara, garantindo-se
que era fazenda de linho nao ha nada me-
Ihor, nem mais proprio para lences e toa-
lhas.
PECHICHA EM CHAPEOS DE SOL
Chegou nim grande sortimento dos me-
ihores chapeos de sol de seda, inglezes ten-
do nesle art'go o melhor que tem vindo ao
mercado assim como urna grande por?5o de
ditos de alpacas de todas as cores e todos
se vendem por preijo muito mais barato do
que em octra qualquer parte, por haver
grande porco.
Lencos forneos
Vende-se um grande sortimento 'de len-
cos brancos para hornera, sendo a duzia a
1,5600, 2S0OO e 3^000, ditos abanhados
muito finos a i e 60000 a duzia, ditos de
esguio fazenda muito superior a 51, 60 e
70000,
** fylttMABfl
GRANDE NOVIDADE
Quando a AGUIA BRRNCA, mais precisa scientificar ao respeitavel publico em
geral, e em particular a sua boa freguezia, da immensidade de objectos que ltimamen-
te tem recebido. justamentefquando ella menos o pode fazer e porque essa falta invo-
luntaria ella confia e espera na benevolencia de todos que lh'a attendero e relevarlo,
continuando portanto a dirigirem-se a bem conhecidalrja da AGUIA BRANCA ra do
Queimado n. 8, onde sempre acharao abundancia em sortimento de superioridade em
qualidades, modicidade em precos e o seu nunca desmenttido AGRADO E SINCERIDADE
Do que cima fica dito se conhece que o tempo le que a AGUIA BRANC V pode
dispr, empregado apezar deeeus custosnodesempenho de bem servir a aquellas que a
honram procurando prover-se em dita loja do que necessilam, entretanto sem ennume-
rar os objectos que por sua natureza sao mais couhecidos ali, ella resumidamente indi-
car aquelles caja importancia, elegancia e novidade os tornara recommendaveis, como
btm seja
Corpinhos de cambraia, primorosamente
enfeitados com fitas de setia e obras essas
cuja novidade de molde eperfeico de ador-
nos rs tornam apreciados.
Fitas moi largas de diversas corese qua-
lidades para cintos.
Leques uesse objecto inuito se poderia
dizer querendo descreve-tes minuciosamente
por suas qualidades, coree e desenhos, tal
o grande e variado sortimento que acaba
de chegar, mas para nio tnassar o pretn-
deme se Ihe apresentar o que poder de
melhor. ,
Entremeios em pecas de 12 tiras.
Guipare branco e preto de diversas qua-
lidades e desenhos.
Ditos de algodao cora flores e Ssos.
Veos de seda para chapetonas-e monta-
na.
Meias de seda para noivas.
Ditas abertas de fio de Escossia.
Costumes ou uniformes para menioos.
Errxovaes completos para baptisados.
Gapellas brancas para meninas.
Grandes 30rtiento de flores finas.
Fil de seda, preto.
PERFUMARA
Grande e constante sortimento de dita,
sempre melhor quaj idade.
Lindos vasos com p de arroz e pinsel,
Caixinhas com ditos aromticos.
Bonitos e modernos pentes deurados
para circular o coque.
Bonitos brincos de plaquee.
Aderecos e brincos deinadreperolr.
Caivetes finos para abrir latas.
Tbesouras para frisar babadinbos.
Aspas para balo.
Novos stereoscopos com 48 vistas, as
quaes sao movidas por um machinismo
urnas substituem as outras.
Vistas para stereoscopos.
Bonitas caixinhas devidro enfeitados cem
pedras.
Ditas de madeira envernisada com vispo-
ras e com dminos,
Bollas-de borracha para brinquedo de
0 Campos da ra da Imperador n.'28,
no intuito Je servir satisfatori mente aos
seus innumeraveis amigos e freguezes, em
particular e em geral ao respeitavel publico,
desta cidade ; avisa aos que estiverem pas-
sando o tempo calmoso, nos deleitaveis
arrabaldes desta capital, qu tem resolvido
vender, de de superior qualidade, a precos
razoaveis, os seguinte gneros a saber:
PARA CIMA DE APARADORES
Latas com doce em calda de diversas
qualidades nacionaes e estrangeiros.
Ditas eom peixe a saber; salmn, ostras
e lagostas.
Ditas com ervilhas francezas e portugue-
zas.
. Ditas com gela franceza.
Cerveja franceza verdadeira Bobee.
Presunto para fiambre e aflambrados.
PARA DISPENSAS
Latas com chouricas novas sendo de 80,
cada urna.
Presuntos de Lamego para tompeiro.
Cuias do Para (pintadas pelos indgenas
daquella provincia.
Copos de vidro com dobradi?a e tampa
para diversos misteres.
PARA OS QUARTOS DE DORMIDA
Porta-phosphoros cheios de phosphoros
de segnranca.
PARA SALA
Churutos de S. Flix do afamado fabri
cante Costa.
Fumo picado do Daniel de S. Joo do
Rio de Novo.
Alm desses gneros, o Campos tem con-
vieco de que o seu estabelecimento um
dos que podem satisfazer com garantas as
exigencias bem entendidas, dos Ilustrados
habitantes desta heroica provincia, porquan-
to se acba elle bem prvido de gneros su-
periores, de maneira a nao desmentir
0 Campos.
COGNAC.
Touquinhas de fil, sapatinhos bordados criancas.
e meis para ditos. Diversos objectos de porcelana, proprios
Camisinhas bordada para ditos. i para enfeites de mesa e de lapinhas.
SORTIMTO PARA A FESTA
Veade-se por menos de 10, 20 e 30 i0
SO' NO
illilll CONSEBVATIVO
N, 23Largo do Ter^o.N 23,
DE
SIMAO DOS SANTOS ft C.
S o Pavo
Vende-se um grande sortimento das
mais modernas e elegantes ISasinhas para
vestidos, com as cores mais novas que tem
vindo a este mercado, sendo com listrnhas
raiudinhas qae parecem de urna s cor e
com tanto lustro que imitam perfeitamente
s poupelinas de seda, e vendem-se pelo
barato preco de 400 rs.
OssetrasdoPavo
Vende-se os mais bonitos setins de cores
e mais encorpados proprios para vestidos
tendo de diversas cores.
AOS PALITTS DO PAVlO A 48 e
20^000.
Vende-se um bonito sortimento de palito-
ts francezes sendo, sobrecasacados e pro-
priamente sobre-casacos, que se vendem
forrados de alpaca a 185000 e forrados de
seda a 200000, nechmeha.
COLCHAS D F9TAO
Ja loja do Psvo vende-se am grande sortimen-
te de colchas de fustao sendo trancas e de cores
ditas de croch para camas de noiva, assim como
qomtos damascos de laa para colchas.
Na loja to Pavao vendem-se os mais
bonitos chales de verdadeira cachemira de
cor, eom os desenhos mais modernos, a 6,
10 e 125000. muito barato na ra da Im-
peratriz n. 60.
BASQUINAS A 125000
Na loja do Pavo vende-se as mais mo-
dernas basquinas ou manteletes de guipure,
pelo barato prei;o de 124000 cada urna.
Cortes de organdys com barras
Para a loja do Pavao ebegaram, os mais
bonitos cortes de organdys com barra, sendo
cada um em sea cartao, com o competente
figurino, muito proprios para fazer pre-
sentes-
Pechincha a 2^000
Para lences.-
Na loja do Pavo vende-se superior bramante
com 10 palmos de largura, dando a largura o cora-
primento do lencl, sendo apenas preciso para
cada lencol um e meio, ou nm e um-quarto me-
tros ; alm desta aplieaijo tem outras muitas
para arraojos de familias e vende-se pelo barato
preco de 2*000 o metro. Na loja do Pavo, ra
da Im peratnz n. 60. De Flix Pertira da Silva.
Pechiche em casemlras a ..-OOO
Vende-se finissimascasemirasde cor com
listras ao lado, tendo dues larguras e com
as cores mais novas e mais bonitas que tem
vindo ao mercado, pelo baratissimo preco
de 45000 o covado ou 7,5000, cada corte
de calca.
Os bales do Pavao a 2tt00,
Cheg' u um grande sortimento de balSes
ou crenolinas do feitio mais moderno muito
proprias para vestidos enesgados que se
vende pelo baratissimo preco de 25000 ca-
da um grande pechincha.
ASCAUBRAIAS DO PAVAO A 4:500 AS.
Vende-se urna grande porco de pecas
de finissimas cambraias brancas transparen-
tes tendo 10 jardas, com mais de vara de
largura pelo baratissimo preco de 45500, a
peca sendo fazenda que nunca se vendeu
por menos de 85000, grande pechincha.
AS POUPELINAS DO PAVO A 500 RS.
Chegaram as mais lindas poupelinas de
lia com imitaco das poupelinas de seda,
umi fazenda muito leve com as mais lin-
das cores, sendo: verde Bismark, rxa, azul
lyrio, c nsento, peroHa etc, etc e vende-se
pelo baratissimo preco de 500 rs.
Fustoes brancos para vestidos
Chegou um lindo sortimento dos mais ba-
ratos e bonitos fustes brancos cora listras
e cordoes, sendo fazenda bastante larga e
flexivel, muito propria para vestidos e rou-
pas de meninos e vendem-se a 640 o co-
vado.
BONITAS LAASINHAS
O ANADINAS A t5O00 RS. O COVADO.
Chegou para o Pavao, um grande e va-
riado sortimento de6ta nova fazenda de lia
e seda propria para vestidos, eom os mais
delicados desenhos e mais modernas cores,
tendo bastante largura que facilita fazer-se
nm vestido cora poucos covados, pelo bara-
tissimo preco de 15000 o covado, por j es-
tare m muito prximos da festa.
CRETONES MATISADOS PARA VESTIDOS
A 640 E 800 RS.
Para a loja do PavSa chegaram os mais
bonitos crotones escuras matisados, pro-
prios para vestidos, roupo chambres etc.
qae se vendem 800 rs. o covado, assim
como a mesma fazenda em padrSes claros
proprios para vestidos e roupas de meni-
nos a 640 o covado, sendo os padrSes mais
moderaos que tem vnpo ao mercado.
Chitas francezas
Para a loja do Pavao chegaram as mais
finas e bonitas chitas escuras, propriamente
francezas, e vende-se a 500 rs. o covado.
Os proprietafios destetbem sortido armazem d~secco e molhados esto re-
solvios a fazere urna grande diminuico de precos as suas mercadorias, como se apro-
xima a festa e sempre se fazem avultadas compras para o centro e praca, por
isso previnem ao respeitavel publico em geral, que mande fazer suas despencas e cer-
tos de que vero a grande differenca em precos mais do que em outra qualquer parte
e garantindo-se as superiores qualidades.
GAZ AMERICANO 95500 a lata, e 4401 SEVADINHA E SAG 280 rs. a libra e
rs. a garrafa e 660 rs. o litro. 620 rs. o kilogrammo.
VINHO VERDADEIRO FlGLEIRA 560] FARINHA DE ARARTA VERDADEIRA
agarrafa, e 4$500 a caada e 800 rs o ti- 640 a libra e 15400 o kilogrammo.
BOLAXINHA INGLEZA MUITO NOVA a
400 rs. a libra e 800 rs. o kilogrsmmo.
VELLAS DE ESPARMACETE 720 rs. o
masso. em caixa ha abatimento.
PHOSPHOROS DO GAZ E DE SEG-
RANCA, 280, 400 e 60 rs. o masso,
DO
BRACO DE OURO,
Ra do Imperador n. 26
Neste novo estabelecimento encontra-se
diariamente um variado sortimeuto de bo
linnos para cha, pastis, podin>, bollos in-
gleses, pies de l. presuntos, ditos un fiam-
bre, superior cha Jlysson, preto, e miudi-
nhe. Vinhos finos de todas as qualidades
conage, licores, conservas, champagne, cer-
veja ingleza, fructas muito boas, por-
tuguezas e francezas.
m completo e variado sortimento de
caixinhas de todas os gostos e precos para
mimosear senhoras, estas caixinnas recen-
temente chegadas de Pars sao de primora-
do gosto, ofieresse-mo-las aosgalanteadoies
do bello sexo pois nellas acharao nm digno
e serio presente para as donas dos seus
pensamentos. Tambem os apreciadores da
boa fumaca encontraro charutos dos me-
lhores fabricantes da Rabia e de Havana
sganos do Rio de Janeiro etc. etc.
Doces d'ovos seceos, christalsados e de
calda, ditos de caj e de outras qualidades.
Nesta casa recebem-se encommendas para
bailes, casamentas e baptisados e qualquer
encommendas avulss, como seja pao d^ l
e bollos enfeitadus e oulros muitas couzas
que enfadonho mencionar.
De superior qualidade da mui accredita-
da fabrica de Risquit Dubouch & C., em
cognac urna das que mais agurdente de
cognac, fornecem para o consummo co
Reino-da Inglaterra.
Vende-se em casa de Th. Just. ra de
commercio n. 32.
VENDE SE ou aFre'nda-se o eogemo
S. Gaspar, silo na freguezia de Serinhen.
comarca do Rio Formoso, prximo do em-
barque, com, grandes partidos de pal e
massap i rooa da tnoenda. mattos mangues
para madeira necssaria, bom pasto, etc.:
a tratar na ra d'Aurora n. 26, ou na do
Imperador n. 20.
Vende-se nm estabelecimento de
ros de passeio, em boa localidade, por
sen dono nao poder acbar-se sempre
n'elle. Assim como se faz soeiedade com
alguma pessoa qne qocira : tratar na
roa Direita n. 47 loja.
car- "
MILHO
Vende-se no trapiche Bario do Livramento sar-
cos com milho, boa saccaria e por menos do que
era outra qualquer parle.
PARA VENDER
Duascasa- terreas em Olinda, sendo'-:
urna na ra do Boin-fim, com quintal gran-
de tendo aores fruiferas, como sapotis,
etc. ; e outra na ladeira da Misericordia
lambem com quintal, ambas em terrenos
proprios. A' fallar com o Sr. Angelo Bp-
tsta do Nascimento em Olinda, ra de ;-'.
Pedro Novo.
Lf)ja do passo
Os requissimos corles de blonde de seda cor
manta e capella para casamento, sendo neste ar-
tigo o que se pode desejar de melhor e mais mo-
derno, tambem chegaram os cortos de seda de co-
res novidade, e oulras muitas fazendas de posr.i
que chegaram pelo ultimo v por francez, s pau
a loja do Passo a ra do Crespo n. 7 A.
EST0PIM.
No caes 22 de Novembro n. 32, vende-se esio-
pim para quebrar pedras._______
RUI DA GLORIA N. 5
Olaria do Fundao.
Ha sompre nesta olaria grande sortimento ce
materiaes como tijullos de alvenaria batido, ladri-
Iho, quadrado de 8, 'J e mais pollepadas, telbas e
lelhoes, e tijollos de tapamentn*. O proprietari.i
desta olaria garante a bondade o barre de lat-s
materiaes, como tambem vende mais barato co
que em outra qualquer parte.
tro.
DEM DE LISBOA das melhores marcas,
400, 440 e 500 rs. a garrafa, a 20800 e
35200 a caada, 660 e 720 rs. o litro.
DEM BRANCO DE LISBOA a 40600.
a caada e 560 a garrafa, e 840 rs. o litro.
VINAGRE VERDADEIRO DE LISBOA 30200 e 60500 a groza.
Na loja e armazem do Pavao rvi da Imperatriz n. 60.
200, 240 e 320 rs. a garrafa, 10400,
10800 e 20200 a caada,
AZEIT-E DOCE DE LISBOA 900. rs. a
garrafa, e a 70 a caada, e 10340 o litro.
MANTEKJA INGLEZA FLOR 10400 e
10280 a libra, 30060 e 20780 o kilo-
grammo. .
. DITA FRANCEZA 960, 900 e 850 rs.
a libra, e 20100, 10980 e 10860 o kilo-
grammo.
DITA PARA TEMPERO 560 rs. a 1
AMEXAS EM LATAS E CACHINHAS
DE MUITOS TAMANHOS 10280, 20500
30500,40500, 50500 a lata e a retalho e 10
a libra.
GOMMA DE MD.HO AMERICANA 400 rs
o masso, e em caixa ha abatimento.
BATATAS NOVAS DE LISBOA 60 rs.
a libra, em caixa faz-se abatimento.
SERVEJA INGLEZA MARCA II 50500
a duzia e 500 rs. a garrafa.
DEM BASS, VERDADEIRA IHLERS &
huilln
Resta venda um escolhido sortimento de ob
lectos de marcineria, como sejam, mobilias de ja-
jarand, mogno eamarello, obra nacional e estran-
geira, de apurado gosto e por prqco< razoaveis :
na ra estreita do Rosario n. 32. Nesta mesma
asa fazem-se com perfeicao todos os trabalhos de
palhinha, como sejam, empalhamentos de lastro
para camas, cadeiras e sophs.
Cal de Lisboa
chegada no ultimo navio, tem para vender Joa-
quim Jos Godcalves Beltro, no seu escriptorio a
ra do Commercio n. 17.
ESCBAVOS FGIDOS.
Atteneo.
bra, 10220 o kilogrammo, em porco se BELL, 800 rs. a garrafa e 90 a duzia.
far abatimento. I VINHO DO PORTO ENGARRAFADO DE
BANHA DE PORCO DE BALTIMOOR DIVERSAS MARCAS 10500, 10200, 10 e
720 rs. a libra, e 10560 o kilogrammo, em 800 rs. a garrafa.
porcSo se far abatimento. GENEBRA DE HOLANDA E HAMBUR-
ARROZ DO MARANHGE BA INDLV i GUEZA 70 e a frasqueira, e 500 rs. o
frasco.
120 e rs. a libra, 260 rs. o kilogrammo e
30400 a arroba.
ALPISTA 200 rs. a libra e 440 rs. o
kilogrammo, e 0000 a arroba.
OAF EM GRAO 60 e 60300 a arroba,
900,240 e 260 rs. a libra. 440 e 520 rs. o
kilogrammo em saeta se far abatimento.
SABO MASSA 240 e 200 rs. a libra,
520 e 440 i?, o kilogrammo, em caixa se
faz abatimento.
MASSAS PARA SOPA, MACARfiO, TA-
LHARIN E ALETRIA, 560 rs. a librare
10220 o kilogrammo.
BOLACHINHAS EM LATAS DE DIVER-
SAS QUALIDADES, bem como perola bri-
Ihante, combination, Fraocy-cracynel, mixed
Britaniak Mdium, Fancy-nic-nac, a, b, c, e
soda a 10000 e 10400, cada urna lata.
DEM DE LARANJA DOCE AROMTICA,
110 a frasqueira e 10 o frasco.
QUEIJOS DE DIVERSOS VAPORES,
30000, 20800 e 20400 em caixa ha abati-
mento.
TOUCDHO DE LISBOA MUITO ALTO
400 rs. a libra, e 880 rs. o kilogrammo,
e 110500 a arroba.
LINGUICAS FINAS PROMPTAS EM LA-
TAS 10000 rs. a lata.
LOMBO DE PORCO ASSADO JA PROMP
TOal0OOOrs. a lata.
CHA FINO, GRAUDO E MIUDINHO
30200 e 20800 a libra, e 60100 o kilo-
grammo.
DEM PROPRIO PARA NEGOCIO 23000,
23200 e 10800, rs. a libra,
gneros, vinho em ancoretas, azeitonas,
de diversas marcas, marmelada, feita pelos
Assim como ha outros muitos
muito novas, passas e figos novos, chairaos
melhores conserveiros em Lisboa, gela de marmello, pcego, ervilhas, em latas,"por-
tuguezas e francezas, vinho verde engarrafado retalho, peixe em latas, bem como
pescada, tainha, pargo, gnraz, lula, corvina, vezugo, cavalla, sarda e sardinhas de Nan-
tes. Oanella, cravo, ervadoee, cominbo, pimenta, grandesmolhos de sebolla 10300.
Finalmente muitos outros gneros que enfandonbo menciona-los.
PARA A FESTA
3 portas, loja de fer agem
53-Rua Direita53
Neste grande estabelecimento, ha para vender
um completo sortimento de ferrsgem, e miudeas
ftoas e grossas, como sejam bandejas cbinezas
quadradas e ovaes, facas e garfos de i 2 bo-
(des, balanco inteiro e 1/2 bataneo; panellas, cha-
Iheiras, cacarollas, frigideira*, assadeiras, tanto
de ferro como de porcelana, moinhos para caf de
diverso tamanhos do fabrican Japy, petos kilo- que em outra qualquer parte, vendem Ama-
grawmo, tonto de ferro como de lati, metros ral, Morejra & C. em sen armazem do Caes
para medir faienda tanto de ferro como da lato, da Alfandega n. 7.
lalitre, bren, barbante, enxofre, papel marca via---------------------^----------------.-------1______
do, do verdadeiro Picardo, machinas para desea- Vendam-se duas casas na fregnezu de Santo
rocar algodao; alm de outros artigos de Ierra- Amaro de Jaboatao, sendo urna na roa da.Matriz
gem, miudeas entilaras finas, qiw eom a vis- da mesma freguezia, e outra contigua feira
la se verifle; na ra direita n. 53 loja de 3 per- quem pretender dirija se a ra do Imperador n
tai de Manoel Beato de Oliveira Braga* G. 37, entrada pelo caes de Novembro.
CEMENTO
PORTLAND.
Veode-se no armazem amarello de Vicente Fex-
reira da Costa & Filho, defronte do arco da Con- ','
ceicao, em harneas grandes.
CIMENTO
Da melhor qualidade e por menor preco
Sheumatismo e moles-
tias syphiliticas.
Arrobe vegetal, xarope de salsaparrilha
do Para, pilulas e xarope de veame, tin-
tura e xarope de sicupira.
Doeni'as do ipdo e Iiaro, ane-
mia, opilafo, ele.
Emplasto, oleo, pommada, tintura, pi-
llas, xarope e vinho da milagrosa Juru-
beba.
Sezfles ou febres intermitentes
s pilulas anti-periodicas de Pinto.
nico deposito destes medicamentos na
pharmacia do seu autor ra larga do Ro-
sario n. 10, junto ao quartel do corpo de
Ipolicia.
NA PHARMCIA DO PINTO RA LARGA DO
ROSARIO N. 10 JUNTO AO QUAR-
TEL DE POLICA.
Acham-se constantemente promptas a
serjm satisfeitas, as prescripcoes dos Srs.
facultativos, e as necessidades dos enfermos
s especialidades da mesma pharmacia.
compola de medicamentos, tanio indge-
nas, como estrangeiros.
.Tosses e molestias do peito.
Xaropes de fedegoso, rabo de tat,
Ario, pao Cardoso, juca, mulung, u.n-
atnba, etc, etc.
Liquidado.
O proprietario da loja, denominada Garibaldi,
faz ver ao respeitavel publico e seus freguezes, que
tendo concluido seu balanco, como de costuroe
dar-se no um da cada anno, e tendo o mesmo pro-
prietario feito diversos abatimenlos em suas fazen-
das para servir seus freguezes, como sejam algu-
mas abaixo mencionadas, a saber : madapoln
5 e bom, algodao pessa 4 e S, chitos france-
zas a 280 o covado, cassas francezas a 240 ,o co-
vado, alpacas de cores para vestidos a 300 o cova-
do e outras muilas fazendas que seria enfadonho
mencionar por falto de tempo, fazendas pretas para
a quaresma a saber : grosdenaples preto de to
jits as qualidades, panno fino preto de todas as
qualidades, cazemiras pretas e de cores o outras
muitas fazendas que se vende sera reserva de pre-
co na ra da Imperatriz loja do Garibaldi n. 86,
em tempo para nao haver engao na frente da lo-
ja do Garibaldi haver dous leireiros de liquida-
cao em lettra grande.
Tendo fgido, ha dias a eterna Aguida, cabra
Je 2o annos, mais ou 111. n. > -, um pouco magra e
vesga, com o nome supnsto de Thereza, pede se
a quem a poder prender o obsequio de leva-la
a sua senhora a Exma. Sra. Baroueza da Vctor:;.,
a ra da Aurora n 64.
Aviso s autoridades potieiaes
e a quem competir
No da 2!> de mno do correte anno.
fugio o escravo Ezeqniel, cri*ilo de 30 3.
annos de idade, estatura regular, reforcad
cor bem preto. cabera redonda, tr.ijava r>
mi-a azul e calca de cassemira cinzenta:
durante o dia costuma andar ganhando as
ras, ou em arrnazens d- assucar ou as t-
bernas a conversar e a beber'; dirante a
noite recolhe-fe a telheirns aberlos, ou pe-
netraveis, a casas em construeco e a outros
quaesquer lugares, onde se possa abrjgar;
quera o apprehender tenba a bondade' de o
ronduza a ra da Aurora n. 26, ou na co
Imperador n. 20, onde ser gratificado.
AVISO
Fugio no dia 21 do crreme mez de drzembic
do sitio da Ponte de Ucha, o escravo Victoria .
filho do serlo do Ico, preto fula, baixo. idade 4"
a 18 annos, vestido com calca branca, blusa de
agodaozinho curta, chapeo do enve de aba larg;.,
bastante laiino, costuma a embreagar-se. falla
com humildade : pede-se, portanto, s autorida-
des pcihciaes e aos capitaes do canipV a captn:
de referido escravo, e de entregar no sitio da Pon-
te de Ucha, de Jos Moreira Lopes, que recobera
lOO de gratificaeao.
Fugio no dia 14 de Janeiro, e gralilica-se ge-
nerosamente a quem pegar e levar a seu senher
Dr. Virginio Carneiro d Cunha Albuquerque,
morador no engenho Fumas da freguezia de Sai,-
to Amaro de Jaboatao, o escravo Joaqnim de Sn-
l'.Anna, preto, de idade 26 annos. bugando, estatu-
ra regular, um pouco espadido e largo, olhos
pequeos, vivos e nm pouco brancos, denles pei-
feitos alvos e limados, cabeca pequea, ps e mai'-s
regulares, disposto espert para qualquer ser-
vico, falla vagarosa e pros-a ou ehein, andar pou-
qninho cangueiro, devo trr marcas de feridas asi
pernas de ferros que levou, e cicatrizes as cost..-^
e asiento de chicote, foi comprado ao barao de
Nazareth, e este comprou ao Sr. Jos Miguel (alie-
maoj, que o trouxe do Jim Grande do Norte, e at i
compreu ao Sr. capito Frederico, morador ra
villa do Pao do Ferro, e seu pai o capitn Fernan-
dos coniprou ao Sr. Manoel Thomaz da Silva, mo-
rador na villa de Porto-Alegre, sendo e Htorid
escravo natural do Inga da provincia da Parahyb.-..
viajou principalmente os sertoes de Ingazelra e
Pajed, onde tem (Jous senhores' mocos por noit
Marcolino e Cimillo, Serra Talbada, cidade e.
Soma, Serra dos Majtins, etc. etc. : previne-se a
quem prender o referdo cravo, qne sendo no
centro da provincia da Parahyba, o entngue ao
Dr. Jos Paulino de Figueiredo, morador na cida-
de de Scuza, on ao capitao Joaqnim Saldanha, ta
azenia do Mulung. no riacho de porcos. no caso
de nao querer traze-o ao seu referido senhor.
Vndese burracha de primeira qualidade.
para limas de cheiro, tanto a retalho cota em
qualquer porco : na ra das frincheiras, fabri-
cas de pentes ns. I e 8.
Vende se a retloacao na ra do Aragao n.
19, com todos os perteoces : a tratar na uesma,
ou no boceo de Joao Fraasico n. 7.
Ei;;!> do sitio Iiapimssn', freguezia de Igua-
rass, a escravo Thomaz, crioulo, de idade 35 an-
uos, altura regular, curpo cheio, barba grande,
dentes limados, falla manea, ps largos, tem nma
marca na face, levou camisa de madapolao e caiga
de brim p;rdo, dasapp.ireceu no dia terra-feir i,
i 1 do crreme, e presume-se que tenha tomad >
o destino de Panellas de Miranda, d'ende veio,
sendo aqui vendido polo Sr. Venancio Jet Ferra-
ra da Cruz, morador no dito logar : rogase a
quem o apprehender o favor de leva- lo ao dif i
lugar a entregar a seu senhor Antonio Rodrigues
Campello de Mello, que sar recompensado.
No dia 6 do crreme fugio do engenho Ca-
choeira Tapada do aaaixo assignado freguezia di
focada o escravo Clemente com s signaes segra-
les : mualo esvuro, alto, barbado, bom eorpo,
pode ler 23 annos de idade pouco mais on n. -
no?, ese escravo foi comprado ao Illm. Sr. Dig-
natario Antonio de Sooza Leo do engenho More-
nos, levou ronpa bastante, anda orno forro cal-
cado de borzeguins, calca, jaqneta e comisa en-
gomada, e diz chamar-se Manuel Antonio, iu \
teve do engenbo Beija Flor, e outro com o nq
de Mande!, nvalo e carreiro. Roga-se portanHi
autoridades poiiciaes, e capitaes de campo a
capiura, e quem o pegar e levar ao abaixo as
nado sera bem recompensado e julga-se elle l r
ido para o lados de Agua-Prcta.
Tnouj Joaqnim de pliveira.


8'
Diario de Perwambuco Quinta feira 20 de Janeiro de 1870.
_

LTFffiRATOaA.
< ouslitialcao do mosH- santo pa-
dre P< IX referente eleif
la pontlle^ romano para o
caso V que. dan-ante eonel-
le eeonenieo. vagaasc a nc
apstol ea.
PlO. BWPO SERVO DOS SlRVOS DF. DftUS
Arf pvrpctuam re meinoriam
Como i pleno -pudor de apascentar, re-
ge* o govcraar toda, a igreja, fui dado por
Senhor-Jess Clirist i aos pooiiices
romanos m pflMM do lvraaventur3 >iro, principe dos alistlas, a paz o a un-
dato d'esta igreja seriara fcil e gravamen-
te comprnraetiidas se, no caso era que va-
_'isse a Cadoira apostlica, a eleicao do
ii pr-alilice se realisasse em condices
.ue podessem fazel-a davidosa e incerta.
Parn proc*ver lo funesto perigo, muitos
poutilices romanos. nossos predecessores.
o particularmente Alexandrelll de feliz raer
noria, no concilio lil eral de Latran, o
bemaventorado Gregorio K no II concilio (fe-
ral de Lvon. (llemene V. Gregorio XV.
Urbano VIII e Clemente XII publicarais cons-
Lilaices que, entre numerosas prescripcei
lendem a assegurar a execueo recta e or-
denada de iira negocio d'esta importancia,
.-. auribuem geralmente, e sera nenlinmi
xcepco, a elrir.o do soberano pontfice
nica e exclusivamente ao collegio de car-
deles da santa igreja romana.
Ao record.r-nos isto, temos crido, postu
un o eoncfuo geral e ecumeoico que nos
.unos n>nvMcado.pela8nossas Letras apasto-
; de : das kalendas de jtilho do auno
'.Hl'.s, iue comepim com estas palavras :
A Elerni Patris. estava aborto actualmente
com solemnidde.-que era uoa dever to
:io*so ministerio apostlico impedir e prev-
lir toda occasiao de discordia e de conflic-
rconcernenie eleicao do soberano pon-
tfice, qae podesse sobrevir se aprouvesse
ao soberano senhor, de nos fazer abando-
nar es^ vida mortal durante o concilio.
aqu, porque, movido pelo exemplo
le Julio II, ile feliz memoria, nosso prede-
x-ssor, o qual, como nos eflsina a historia,
;.i ac-ommeiti lo de urna enfermidade mor-
tal durante o concilio V, geral de Latran,
onvocou os cardeaes, inquietando-se a
proposito da legitima eleicao de sen suc-
eesswr, decidi na sua presenca que esta
eleicodever.i fazer-se,no pelo supradito
concilio, mas sim macamente pelo sen eol-
io, o que teve logar, cora effeito, depois
la mortH de Julia II: movido tambem pelo
exemplo de nossos outros predecessores
Paulo III l'io IV. de ditosa memoria, o
liimeiro' dos quaes pelas suas letras apos-
tlicas de 3 das kalendas de dezembro de
l.'i e o segundo por idnticas letras de 40
li> kalendas de ontubro de 1501, prevendo
que poderiafli morrer durante a eelebraro
Jo concilio de Trenlo. decretaram que a
ieiro do novo ponliiice nao deveria fazer-
se. mais que pelos cardeaes da santa igreja
romana, com ex losan do sobredito conci-
lio ; depois le terem conferenciado madura-
mente com atara* dos nossos veneraveis
irmaoi os cardeaes da santa igreja romana,
c ler examinado este negocio com cuidado,
,le sciencia carta, por Dhsso proprio impul-
so, e em virtude do nosso pleno poder
apostlico, nos decretamos e ordenamos
.|ue. se aprouver a Deus por fim nossa
peiygrinaco neste mundo durante a cele-
braceo do concilio do Vaticano ; em qual-
juer estado, e em qnalquer poca de seus
rabalhos. em que se encontr o concilio, a
deico do soberano ponliiice nao se faca
mus do que pelos cardeaes da >anta igreja
: mana, e de nenhum modo pelo mesmo
iOBcilio, exclnindo-se absolutamente de
oila a participado na eleicao a toda e qual-
]ner outra pessoa que se aprsente com
:)odcr emanado Be qualquer autondade, in-
cusa a do concilio, excepeo dos car-
deaes supracitados.
Alm dist., para que os cardeaes abaixo
i Hateados nossam proceder mais livremen-
te e com mais facilidade eieico e longe
lo toda alcoaeco e evitar toda a occasiao de
turbulencia e de divergencia, em virtude da
inesma f\ lude da r.os*a au-
toridad*; apostlica, nos^decretamos, nos or-
denamos que se nos cbgarraos a marren
duraoto o concilio do vaticano a#e concilio,,
era qualquer estado, o em qualquer poca de
seu trabalhos, se considere immediatamen-
le suspenso e addiado, do mesmo modd
que nos temos intenco pelas prbsentes !e^
tras de o suspender e addiam'este momen-
to, e peloeropo que se fixar, fie sorte
que sem nenhnma dilaro deve inteYrom.
per immediataroento toda a especie de ret*
niao, de congregacao e de ses$5o, addiar a
conecfSo de toda a causa e decreto o no
possa, por nenhuma caiRI <1"C soj-i, anda
que pareja grave e digna de particular. aU
tencSo, seguir os seus traballias, at qoe o
novo pipa cannicamente ereto pelo sacro
collegio dos cardeaes tenha julgado a pro-
posito em virtnde da sa suprema aujorit
dade, ordenar a contlmiacSo do exmcHk).
Considerando oppoi tuno que as medidas
tomadas por nos na occasirio do concilio
do Vaticano, trato para-a eleicao do sober
rano pontfice, como para a su?pens3o do
concilio, nos dssemos urna regra certa e
estavel, qoe possa oeva servir sempre
em casos anlogos, em virtude da nossa
sciencia e da nossa aotoridde, nos decreta-
mos e ordenamos que de futuro, se o'pon
tifice romano morre durante a celebrato
deam concilio ecumnico, celebrado seja
em Roma ou em qualquer lugar do mundo,
a eleicao do novo papa dever sempre fa-
zer-sa do modo cima indicado, explosiva-
mente e s pelo collegio dos cardeaes da
santa igreja romana ; e o mesmo concilio
conforme a regra antes proscripta, dever
immediatamente de receber a noticia'certa
da morte do papa, considerar-se oomo sus-
penso de pleno direito, at que o novo pa-
pa cannicamente tenha ordenado a conti-
nuacao dos seus trabalhos.
re ni coi
Que
ao
s as outras qw
pois permiltidoa nin
,3o subserarv^r Rosssr Baragto, ^^**
'Co Clul
:uldade. de (|ua Un fetto eso ene
'ircurnSpcrif
sse direito s partimce aq
decreto, darrogaclo e
lida-las po^taaeraria au
ousar conraetter este^L
incorrer ua indigoaCin de Deus todo
deroso e dos be.uaventurado apostlos.-
Dado em S Pedro de Roma, no anno da
encarnago de Nosso Senlior de I88Q ves-
pera das nonas de dezembro, 24 do iras.
pe sejajjitnrtq do estoryo d'um
dojo4a a interven
maAc. A sua liociridade deve
granUda", peta jalependrftia taunicit
pal.
A este resdl^HIps os espiritosim*
partiaes esl lo. Os abaixo assig-
nad s nao fai c|ne obedecer ao voto
publico, pedrada por um projecto de lei i
pontificadoMn> Card Mattej, prodataria, uleico dos maire*, e exigua que Pars e
Mr. Card MrcUni^larelI. mT

POTTCO DE yUDO.
FRANCA.-Os depollgoa daj esquerd
reuniram-se em casa-de Mr. Jal EarraqO
o seguinte manifest:
. Os depulados da esquerda abaixo 33-
swaados julgaram. no roe* de jullio ulrao,
que era do seu dever carem na reswva
para nio/ coDtrariarera os effaitos da inlor-
pellao presentada por 110 dos seus col-
Ilofe, qtie depois do Ursol'rido um
abusiv) e longo interregno, a cmara vaijdade, esgota o paiz, privando o dos seus
by perip ^dirfHfirnjiKiiii.''
MrQMer3i?" a*o mesmo lempo assegurar A
libcrdado d'arco das municipalidades, e U*
bertal-as d'uma lutella que as paralysa,
A libardado/alorairal, a liberdade muni-
cipal trian ineflkizts se os privilegios in-
toaraveis dos funGoionaros pblicos se com
servas/eoi.
< Aqu, anda, a opioio est ceria, e o
projecto da lei que derogar o artigo 75 da
conslUoicio do anno & ser para ella ape-
nas urna salisfagao h>gilunae tarda.
O mesmo a res|>eito da annullaco da
le militar. V\ lei, que encerr* urna du>-
pa ameaga contra a paz e. contra a liber-
eleito. ist doria doseWtores,amer-
c'd'uma usurpadora.
t O principio electivo Ika s
meio das rtvolueSes que .se soccedet;
futuro a unfct garanta da ordtia, ama-
do a transfaanar. desde a baso at ao come,
todas as instituicoes do parz.
Para o conservar intacto preciso des-
prende! o a um tewpo dos compronausos
moaarchicos que o corrompen, e das vio-
lencias demaggicas que o degradaai.
t Aigqado. BanceJ, Barthlems Saint-
llilaire, Betliraont, Desvaux, Dorian, Es'qui-
ros. Julio Favee, Julio Ferr Gagoeor. Gara
betta, G .rnier-Pags, Grevy, Guizot-Mont-
payroux, Lflolpodo Javal.Kralry.LarrHmx,
Le Cesne, Lefvre-Pontalis, Malzieux, M.g-
nin, Marin. Ordinalre, Pelletan, Ernest Pi-
card, Rampon-Lachin, Julio Simn, Ta-
chard.
OOT|ttlP. S
luiio raaivV
parava ei
para reahsar
de parlar em Miiaroas a
Saint-Chamas: o tju
O Dr. James est raelhot
perigo
f Esta scena fui proced!
logo tres das antes. Um
montezes armados de punhaes a
estacan de Miramas e feriram o
erapregados.
sd-
o s
una aas au minutos
inteaa^^^BPBi teva
[lutos do
va-
fe de
pro-
pie-
ram a
ebefe o os
Queremos que as presentas letras se-
jam agora e sempre vidas, se manbnibam
em todo o seu valor e eilicacia, que obte-
nham o* prodiuam o seu pleno e hMki
effeilo, e que em neiilium tenopo. debaixo
de nenhum pretexto, por causa alguma,
nem por vicio, surpreza, violencia ou no -
lidade, insuficiencia de uieiii.o por nossa
parte, ou por afgam oulro defeito substan-
cial imprevisto em virtude de algumadeiso
de algum direito estabelecido que dever ser
necessariamente expressado para o ell'eilod:*
validez dascousas supraduas; ordeaamos qno
nao possam ser modicadas. atacadas, refuta
das, invalidadas, retratadas lecalmecite, re-
retomar os seos tr; balbos, mporta-lhes de-
terminar a linha de conducta que entendem
dever seguir para desocar o lira que sem-
pre se propoz: o gobern dofwiz por elle
mesmo. e pela liberdade.
?. Estas simples palavras, indicam a uoica
transformaco inevimvel que pode assegurar
o repousu, a prosparidade, a graod.za da
Franca. .
pe-te cada dia mais conscienria publica
pela autoridad? dos fados, a libordada da
dscusso, o poderio da verdade.
c a estas armas que os abaixoassig-
nados querem recorrer :.s tomariam outras
se a forca tentasse abafar-lhe as to7.es ;
teem poim a firme, esperarla de que, sus-
tentados pelo crasentimento dos seus con-
cdados. poderao paciticamente reahsar as
mudanzas que a opinio reclama imperio-
samente. ..
As ultimas eleices provaramque ella
quer. acabar para sempre com o poder pes-
soal. A esto desejo, o poder -pessoal op-
poe resistencias que preciso vencer a todo
o custo. .
t O primeiro cuidado dos abaixo
nados ser pois apresaotar
vogadas ou postas em discussao: que Diq|~^ co'm" or"e| ',|0 dia motivada, sobre a
possam cair deba xo rio pezo de algumaj MJBt^fr|t^) jeiBora na convocaco do corpo

revogaco, limitacao, inodilicaco derroga-
cao de qualquer theor. a debaixo de qual-
quer forma que se derein ou concederem,
ou deverem ser concedidas ou dadas no
fnturS, aiada quando se acharan ncllas clau-
sulas ou decretos, nos quaes se tizer men-
C5o especial destas letras e do seu con-
teudo.
Annullando neste ponto, no quanto for
mister. a constituico apostlica de Alexan-
dre III, nosso predecessor de gloriosa me-
moria, levada ao concilio de Latran, e que
comeca por estas palavras : Licct de vitan-
da, assim como todas as outras constiiui-
coes apostlicas, especiaos ou geraes, ate la
as que tenham sido approvadas pelos con-
cilios geraes, ou incluidas no Corpus jttris,
quaesquer que forera o theor, a forma, e
as clausulas derogatorias ou derrogaces
efflcazes e inslitas que conlenham, nao obs
tnte todos os decretos de invalidado, ou
outros geraes ou particulares approva-
dos seja de motu propria/m* em con-
sistorio; os quaes todose'-wa um del
les em tanto U r preciso e segundo o
theor de todos como se eslivestem ex-
pressas e reproduzidas tteralmtnte, nos
temos por inseridos e expressos. na nica
parte que contraria as presentes, as su
praditas constituices subsistindo em viitu-
de da s a forca para o efleilo mais enr-
gico de todos e de cada um dos pontos ex-
pressados anteriormente. Por esta nica
NM nos as derrogamos no sentido mais la-
to, mais completo. n5o menos que especial
e expresamente, e em urna serie successi-
mais fecundos recursos. Dave desappare-
cer e dar o luga* a um systeroa que arme a
nacSo para a defensa da patria e das suas
hvros instlui(;5es.
Como sancho deste systema, von-
lade nacional que deve entregar-se o duuito
de reclamar a guerra.
Aos olhos dos abaixo assignados. essas
reformas s$<* a condico vital da ordem a
do progresso.
Para as preparar, a imprensa devtj ser
libertada dos seus e*U>rvjs. Supprimir a
cauco eo sello: rostalwlecer a jurisdieco
do jury; decretar a liberdade da imprensa
e da iivraria: eis a que pede a opposicao e
oque os abaixo as-igoados formularam, em
virtude do seu direito de iniciativa.
Reciamaram emm a derogacao do ar-
tigo 291. do cdigo penal e a liberdade da
associacSo; a revizo da lei sobre as reu-
nioes, para fazer desapparecer as disposi-
coes arbitrarias que, humilhando e limitando
o exerricio d'um direito essencial, irritam
os esprilos e fazem nascer causas de con-
flictos sempre laslimaveis.
Indicando assim os principaes assump-
tos das siras preoccupac-Oes actuaes, os de-
uma iaterpella- putados abaixo assiguadosno U'.em a pre-
tencfio de trabar um programma completo, e
deesgotar a monenclatura das mudanzas,
Ihes "parece urgeute, indispensavel, sem
conlestaco para todos os espirito* eeclare-
cidos.
f No cumprimento desta tarefa, de-
FOLHETIM
OS CASACAS PRETAS
ROMAKCE
POK
Paulo Fval
Terceira parte
AFLORSMTI DE PAR*
XI
Cmara negra.
(Continuado do n. 14)
Anda farco'a disse o Sr. Lecoq.
v qu tu nao fars quando fres rico !
Nao te apoies no men bra^o direito, des-
gracado !. las porque disseste tu an-
da agora: Qual o senhor n5o o mes-
tre ?
Porque o mestiie. replicou Tres Pa-
tas, aquelle que possue o escapulario e o
segredo.
Tenho eu ambos.
O senhor nao lem nem um nem ou-
10, patrio. A condessa era bem boa
molber ? '
Ficaste-me com asea pela morte d'ella,
ao ?
Tres Patas Tespondeu evasivamente :
0 que vale urna mulber boa depois
da morta ?
E* tossio como se quizera indicar aos que
i "uviam a primeira confisso do Sr. Le-
:oq.
A lierenca que essa morte nao
servio de cousa alguma. Houve outro
iue rlcou senhor do escapulario e do se-
gredo.
E qam esse outro ?
Que Ibe parece, patrSo ? exclamou
lo sbito Tres Patas, a arca es^ aberta, e,
ideodo a mao, acabo de sentir os mas-
sos de notas. Como sao macios! Qoal-
juer, outro no raeu logar deixava-o abi
ntaado, a ponba-se ao fresco, rico pa -impre.
O Sr. Lecoq soiton nma risada rouea:
Ento soppoes-te s lio ? murmurou.
Os rins de Tres Patas sntiram lbe o vi-
oso aperto da mao.
N5o aporte tanto, patro I intercedeu
Eu soo no pobre aleijado.
Accrescentoo, porm, com singular ex-
Se bem que um homem robusto na
legislativo. Guacas sagacidade do povo cuja relisaco proseguiram
de Parte, esla demora nao trouxe um mo -'
vimento revolucionario.
O poder que tem voluntariamente
affronUdo esla probabilidade medonba com-
metteu um acto de qu* os abaixo assigna-
dos estao resolvidos a pedir severa conta;
e como coronario reciamaram urna lei tor-
nauuo a cmara senhora absoluta no direito
de prorogacao.
i Devwn tambero apresentar urna inter-
pellacio a rcapeito das desordens de que
certos bairros de Paris forara tbeatro do me/,
dejunho ultimo.
A amnista cortou- o exame da conspt-
ra^o que altamente se denunciava. mas
n pode impedir que a luz esclareca essas
scenas depluraveis, as quaes o papel da
autoridada est anda envolvido em ne-
voeiro.
0 mesmo succede a respeito dos dra-
mas sanguinolentos que lancaram o terror
e o luto nos dois centros industriaes.
Alm das i.terpellacoes que Ihes per-
mitiera o interrogar o poder e submetter os
seus actos ao julgamento da cmara, os de-
pulados podem usar do seu diieit de ini-
ciativa, e formular, por meio dos projectos
de lei, as reformas que llie parecam imme-
diatamen'o necessarias.
A primeira diz respeito eleicao do
corpo legislativo. Nenhum progresso regu-
lar se pode esperar sem modiQcacao pro-
funda da legislaco neste ponto deci-
sivo.
A adminislracao nao pode conservar a
claram attender so sua cansaencia.
Tentou-se rehabilitar a theoria do man-
dato iraperntivo, repetiu-se que o deputado,
mandatario dos seus eleitores, llie ftcava in
cessantemeole subordinado, e que de\ia con-
sultl-os a respeHo dos seus designios e dos
seus votos.
t. Accresxentou-se at qoe Ihes era elle
sujeito como a um trranal, e que citado pe
rante elles, ahi podia ser julgado e condem-
nado.
Os dep'itados abaixo assignados, repel-
iera essa pratensfo como falsa e perigosa,
e podendo conduzir s, se viesse a enrai-
za n-se tyrannia das minoras. Esto deci-
didos a combatel-a resolutamente.
Sem duvida, sempre se julgaram felizes
em entreter cornos seas eleitores conimu-
nicacoes amigaveis e relai;oes do conlianca.
Consideram-se como compromettidos pela
honra a defenderem os principios que os
une.ti a elles pelo lago d'uma estrella soli-
dariedade.
Se a sua conscienca os afastasse d'ahi.
impr-ihe-hia ella a ebrigacao de fazerem
apreciar o seu proceder depoodo o mnda-
lo ; mas a ella s que consultaram. Nao
teem ordens nem senlencas a receber
0 mandato imperativo falseara radical-
universal entregando o
TENTATIVA DO ASSASSINATO.
crina eomasettMo em urna carruagem do
caminbo de ferro de Lyao caosou profunda
impressao aos viajantes do trem expresso
de Marsall a Paris.
Algumas pessoas, e enU:e ellas, Mr. Kni-
Izinger, dentista de Paris, nos quartos de
hora que o trem expresso de Nice a Paris
se demorou em Marselba, notaram um
mancebo paludo, mal vestido, e cujas ma -
neiras contratavam com as dos viajantes or
dinaros dos trens expressos.
Este individuo apeou-se, e mudou de
carroagem, ealrando para o repartimento
onde vinba o Dr. Constantino James, o
qual voltava de Cannes, e dormia envolto
em urna manta. *
0 trm parou extraordinariamente as
10 horas e 56 minutos em SainlChamas
para tomar agua, o depois, agnado a mar-
cha ordinaria, paroo em Miramas. estai
c5o afaslada apenas 8 minutos da
dente.
Esta circumslanci salvou o Dr. Jamos.
O assassino julgando que o trem s pa-
rava em Arles, atacou o Dr. dando-lhe na
cabeca com urna bengala de castSo de
chumbo. A victima receben cinco panca-
das, sendo urna dellas a duas linhas da fon-
le. Quando o trem entrou na estaco de
Miramas, o assassino que tinha o Dr. agar-
rado pelo pescooo, parou estupefacto. O
Dr. apeou-se, com a cara cheia do sangue
pedmdo soccorro, emquanto o seu malvado
companheiro fugia pelo outro lado da via-
frrea. Mr. Knilzinger fez o primeiro
tratamento ao ferido, e acompanbou-o at
Paris.
O castao da bengalla, quebrada nal
lula, foi encontrado e guardado para
prova.
Parece que o roubo foi a causa desta
tentativa de assassinato.
Em Paris recebeu-se um despacho tele-
graphico, que dizia: que s havia nolicia
do malleitor tr-se dirigido al um canal,
que fica muito longe do cajniuho de
ferro. Sabe-se que o assassino viera de
Italia.
prova ve! que seja fcilmente descober-
to e preso, porque quando fugio levava o
falo todo sujo de sangue, e o Dr. James de-
fendendo-se, mordeu-o na mo.
Mr. Nelaton trata o Dr. Constantino Ja-
mes; o doenle tem experimentado conside-
raveis memoras.
Sobre esse fado conta o Figaro o se-
DESCOBERTA IMPORTANTE. Noufias
Syracosas, transmitlidas de New-York, em
10 de novemhro Libert, referem que nessa
cidade a novidada do da era n'aquelle mo-
mento a descoberta do gigante de Jnondaga.
No meado do mea de ontubro ultimo o
sr. Newell, proprietario em de Onondaga, a doze railhas de Syracusa.
mandn abrir um poco na sua quinta. Quan-
do os trabajadores cbegaram'a alguma pro-
fundidade, descobrram os ps deuma esta-
tua de perjra. 0 sr, Newell ordenou que a
estatua fosse desenterrada com o maior cui-
dado. Pareceu-lhe um obra magnifica de
esculptura; e por isso dirigiu-se a Syracusa
afim de dar parte de semelhante descoberta
aos seus amigos.
0 professor Boynton e alguns mdicos
lartiram para a quinta do sr. Newell, e as-
sistiram extraeco da preciosa reliquia.
O professor Boynton, depois de examinal-a,
declarou que era ama estatua de gesso pe-
trificado, e que pertencia ao seclo arcber>
lOg'CO, v
sua posicao nao valha um aleijado como
eu. Deite-lhe as contas : o senhor tem
urna st> mo ; se me nao larga, posso apu-
nhala-lo minha vontade, e, se me larga,
adeus minhas encommendas.
A respiraco oppressa silvou no peito de
Lecoq.
Cbegmos esse ponto, me pateta ?
dize, rosnou elle ; esjueces-te de urna ter-
ceira alternativa: ao primeiro movimento
que Cacas, levanto-te e quebro-te o crneo
contra o ferro do cofre !
E depois flea-se espera, pode-se
dizer que de braco arma, respondeu Tres
Patas cacoahdo, de que cheguem do um
lado os camaradas e do outro os esbirros...
Porque aquelle diabo d'aquelle Broneau
naturalmente dispoz para todos os lados o
seu trabalhinho de sapa Olbe que no
baile nao tira varo os olhos de cima do pa-
tro, principalmente o chefe do divisan
Schwartz e o conselheiro lloland ; era co*
mo se sonberam que tinha a bondade de
se Ibes' lembrar dos filhrs, o Estev5o e o
Mauricio, ao mesmo tempo que do Miguel
e da menina Edme Leber.
Tu queres essa I exclamou Lecoq
enfurecido.
Eu de mulheres gosto sempre.
XII
O bracal larrado.
Por om instante se conservo u a'cabeca
de Lecoq pendida para o peito. A cons-
ciencia da sua fraqueza apoderava-se d'elle
como se urnas garras de ferro lhe aperias-
sem as guellas. Podia matar, pelo menos
assim o suppunha, mas nao podia salvar-
se. E a chegada d'aquelle suspeitoso au-
xiliar assemelhava-se suprema ameaca.
Es mais forte, disse, entremos n'al-
guma combinac5o. Que queres tu ?
Oh 1 replicou Tres Patas, entre nos
nunqa ha de baver duvidas.
Offereco-te dozentos .mil francos...
Mas quero saber.
Duzentos mil francos Nunca vi
tanto dinheiro. Saber o que ?
Como vieste aqoi parar ?
C tenho os meus recorsozinhos. Fui
pelas cba*es ao quarto do bao.
E porque vieste ?
Achej qae se demora va de mais.
- Ets s ?
Bem sabe qae nunca mettti ningnem
as minhas cousas.
QtWes Hvrar'tne ?
E a mioba obrigaco e o raeu inte-
resse
Tu de ves ser geitoso...
Ora essa como um bugio.
Ests a boa altura para trabalhar ?
Perfeitamente.
Motte a mo na minha algibeira.
Prompto, disse Tres Patas metten-
do a mo.
N'essa nao excb.mou com vivacida-
de o Sr. Lecoj.
Ah disse Tres Patas, ent3o est ella
recheiada de alguma cousa boa ?
A chave dos parafnsos est na outra?
0 patro nao viaja sem petrechos.
Valha-nos isso!
Ja a tens ?
Tenho ; nao bula. Afioal. a historia
d'este bracal nao deixa de ter sua graca.
Se c Andr Mayootte estvese no meu lu-
gar, fartava-se de rir.
Interrompen-se para perguntar:
Lembra-se, patro, que me disse
urna vez.: Se nio existisse o Bruneau, es
raagava-te. Occurrera-lhe a idea de que
eu era o tal Andr Mayootte, aao verda-
de Se nao tivesse apagado a lanterna,
j agora se via para trabalhar com a cha-
ro... Ah bom, c est.
Magoas-me respondeu Lecoq angus-
tiado.
Tenba paciencia, nao bula. Acertei.
Raogia o ac. Houve una silencio. Tres
Patas trabainava, sempre sustentado pela
mo de Lecoq, que se.ia caneando. As
duas testemonhas d'aquella scena invisivel,
mas da qual as palavras haviam ajar, ento
deixado perceber os mnimos pormenores,
conservavamse immoveis e mudas.
L em cima nao cessam de dansar,
continuou Tres Palas ; ah est om para-
fuso tirado. Quantos sio elles ? Ouze f
Ha de levar seu tempo.
preciso qoe o5o leve, exclamou Le-
coq sem dissimular o martyrio djue soffria;
ayie-s-, em nome do diabo !
|f Eo aviu-re, pa-o. Chegou a ef-
fectuar-se a troca das notas falsas pelas
boas? MMI
Nao, as falsas esto aos meus ps.
Quer que u opere a snbstituico ?
Noquero... Continu-com o qpe
est fazendo.
A ifoz de Loi}oq, breve e spera, denun-
cia va intensa febre.
Pr'oseguio, pela preciso que^tinha de
fallar :
Quanio o sent entrar, ia-fazer o que
mente o suffragio
voc trata de executar. Mas nao se me
che, homem D c isso.
Segundo parafuso tirado, dis;e Tres
Patas.
Um suspiro ergueu o peito de Lecoq.
Por sim por n3o, apague: a lanterna,
porque nao sabia quem viria-por ahi.
O patro homem prudente e avisa-
do. Ah est o terceiro parafuso. Quem
visse isto, havia de dizer que nunca tive
outro offlcio !. Mas olhe que a idea do
tal Andr Maynotte foi boa : encher o b:a-
caljle anzes A cousa l em Caen tinha-
Ihe sahidoao pintar, patro... Ento elle
tambem sabia que o Scnwartz tinha com-
prado o cofre do Bancelle ?
Ha dezesete annos que me segu eo-
mo um selvagem segu o rasto de um ini-
migo, rosnou Lecoq. Ento o quarto pa
rafuso resiste ?
Pela seguoda vez tossio Tros Patas. Ha-
via segunda confisso, pelo menos implicit-.
Lecoq nao protestava contra estas palavras:
A cousa l em Caei tinha lhe sabido ao
pintar, pat o !
s vezes alguma ferrugem... a
minha idea que aquelle patfe se nao ti-
nha encaixado na associaco para roubar,
mas para se ver mais perto do patro.
Se nao fpsse a Fanhette... come-
cou Lecoq, cujos denles rangiam.
Accresceatou :
Avia-te, rapaz O coronel era o
mostr e o coronel s via pelos olhos da
cond ssa Corona.
* Sim, sim. Mas tambem lhe digo
que h3o era elle que se deixava assim apa-
nhar pela pata. Receila qoe servio urna
vez... O senhor larga-me, patrio ?
Nunca te suppozera to pesado ?
disse Lecoq.
Segure-me bem. Ahi est o qinnto
parafuso... Cada vez que pens que fo
ram esporo objeto no quarto da mi da
menina Edme, como urna reliquia !
Impacienlas-me, quando pronuicias
esse nome!
Justamente defronte da sua jaoella,
acabou o aleijado. Expressamente para
tenia lo O senhor nao est quieto, e an
veio nma gota do seu snor fri cahir-me
na testa... Quer descansar um boca-
linlw ?
Vibfou um som argentino no silencio da
nome O relogio invisivel dava meia hora.
Nao cepcon Lecoq com voz deses-
perada. Anda para diante.
Ento segure bem. Eu, se dou a
Imgaa para o distrahir alguma cousa. h
guinte
Este attentado a repetico do crime
commeitido por Jud, que ha amos assassi-
nou o juiz presidente Poinsot n'uma car-
ruagem do caminbo do ferro.
O Dr, Constantino James vinha do Egypto
de urna longa e trabalhosa viagem. De
Genova para Nice estove em grande perigo.
Em Nice tomou o caminbo de ferro. Quan-
do chegou a Cannes apeou-se para visitar
o seu amigo duque de Vallombrose, que
o acompanhou a Marselha e alcancou-lhe
um reparlimento reservado. Por este mo-
tivo veio o Dr. James no trem da noute.
Em Saint-Chamas entrou o assassino na
carruagem reservada, o que muito adrairou
o Dr. que eslava a dormir, c perguntando
ao recem-chegado para onde ia, este disse-
llie que para Arles. _Dr. cobIuuou a
O professor Hail, de Albany, vendo a es-
tatua, foi da raesma opinio do seu collega
preces Boynton. 0 sr. Newell, que todos os.das
recebia numerosas visitas, e que lonseatava
a estatua deitada sobre o terreno, e coaarta
com um panno, resolveu fazer d'ella expo-
sigao publica, mediante meio fraoco.por
pessoa.
J se forraou urna sociedade em Syracu-
sa que, pela quanlia d oitenta cootos de
ris comprou tres quartas partes da quin-
ta ao sr. N-:well, que reservou para si n
outra quarta parte, e pela qual lhe tem sido
offerecidas soramas fabulosas.
O gigante j foi transportado para Syra-
cusa onde presentemente est em exposcao
e visitado por milhares de curiosos. Tem
dez ps e quatro polegadas e meia di altu-
ra ; tem beda e sympathca physionomia; as
proporgOes colossaes sao admraveis, e pesa
1990 libras. 0 lado posterior da cabeca e
as costas esto um pouco avariados, por cau-
sa, segundo se diz da eroso da agua rela-
tivamente posico em que perssliu o co-
lsso. Os hnmens de sciencia pretenden
que a estatua, ou fossl esteve assim deita-
da por muitos seculos.
Diz-se que na mesma localidade j a com-
panhia achou diersos corpos humanos, e
animaes petrificados. A opinio geral que
o gigante um fossil. A presenta da agua
em contacto immediato com o corpo nasce
da presumpeo de que a petrificaro poda
e devia ter ugar.
Todos convera que, se tal adiado nao passa
de urna estatua, urna obra de arte espan-
tosamente modelada; quan o mais se exa-
mina, mais se acha esplendida aquella esta-
tua, ou homem de pedra, cujas formas, por
assim dizer quasi divinas, confunden) os
professores anatmicos, e os mais habis es-
cultores.
como fazem os dentistas. Eu bem per-
cibo porque o patro me raandou preparar
a nossa manobra tta B$pig9 Ceifada, de
maneira que a polica ticasse perna do
tal Bruneau. Ab! que patfe -quelle 1
C uno elle o embrulhou Eu tambem per-
cebo porque o senhor quer envolver os
Leber. J nao digo a menina Edme, visto
que isso lhe faz mal aos ervos. Ijjutendo
tambem que mella o Miguel, se elle' filho
do tal Andr Maynotte... Mas porque na
de perder os outros dous manglas ? o
Estevo e o-Maurcio ?
Por causa das apparencias, respondeu
Lee tq. Fizeram parte da casa do baro :
de-era conhecer-lhe os cantos. A reunio
d'estas seis pessoas: Andr Maynotte, as
duas Lebers, Miguel, Estevo e Mauricio,
era engenhosissima. Em diversos graos e
por causas differeptes, ha indicios contra
elies : a lei mathematica da associaco dos
Casacas Pretas aqui rigorosamente ob-
servada. Valia muito mais que o processo
de Caen.
Tres Patas ria na melhor f, e isso fez
com que tos9sse pela terceira vez.
Sim, sim, disse elle. Aguente-se,
que estamos no stimo. Os Casacas retas,
na escola de direito, sahiam premiados. O
diabo sao os anzes... E se foi o tal Andr
Maynotte quem lhe armoua arriosca, pode
muito bem ser que se nao esquecesse da
preeitura, e denunciasse a associaco.
J nao posso mais! disse Lecoq n'um
arranco.
Tres Patas agarrou-se-Ibe ao fato, como
se, por nio estar j agueotado, tivera me-
do de cahir. O Sr. Lecoq estendeu e
saecudo o braco qae tiaba livre
Andr M ynotte, respondeu elle m-
pando o suor da testa, lem duas ou tres
lacadas em volta do pescoco. Se nao fra
isso, dissesse o coronel o que dissesse, j
havia muito que estara no fundo do canal.
Contina com o trabalbo, ests bem sega-
ro ; em qual vaes ?
o nono.
Espera.
Houve um momento de demora, e Tres
Patas perguntou baixinho :
Ou io altrama cousa, patro ?
0 Sr. Lecoq estremecer da cabeca at
aos ps.
NSd, responden com voz profunda-
mente alterada ; mas .
'Mas o que ?
-' Tres Patas, sempre agarrado, seatio a
mo do companheiro passar-lhe rpida e
trmula pelo crneo e pelas faces.
Ha muito tempo que entre os homens de
sciencia exist grande controversia a respei-
to da existencia dos gigantes. Hoje mtiilos
sao de opinio que, antes do diluvio, a pos-
terdade mixta de Loth e de Caim corapu-
nha-se de colossos.
Va-se construir o fac-siraile do gigante
de Cardff. 0 Ilustre Otto o encarregado
da obra, pie dentro em poucajtojjftser ex-
posta ni jardim alhlantico 43lew-York.
0 peso da imilaco ser de lOOtfffbras.
O Sr. Lecoq acabou cora expr^sso es-
pantadiga :
Quera voc ?
O aleijado agarrou-lhe a mo, soltando
urna risada.
Nada de asneiras, patro, exclamou.
A mpdo que est com a sua idea de jogar
a faca !
Quera s tu ? repeli Lecoq, lizendo
esforcos para soltar a mo.
Tres Patas, ao mesmo tempo que luta-
va, ria como que sem querer.
.Ento nao permttido fazer |im-
peza geral para apparecer na sociedade '.'
perguntou. Raspei-me e msquiei-me, pa-
trio ; perdemos cinco minutos.
Lecoq voltou primitiva posicao, e, res-
mungando por entre dentes :
Tens razo. Anda l.
E o patro bem sabe que sou eu.
disse o aleijado, que comecou de novo a
tarefa interrompida.
Dava meio franco, replicou Lecoq
procurando zomiar, para te ver assim ras-
pado e tosquiado. Deves estar de appe-
tite.
Anda pie vir a acontecer, patro.
Estamos no dcimo parafuso. Fu, como
nao sou t > rico .orno o senhor, dava me-
lado, s para conhecer as tres lacadas que
o tal Bruneau tem em volta do pescoco.
Nao se bula, e aguente-me.
A primeira, replicou complacente o
Lecoq, a ultima, por ordem de datas, o
caso da condessa Corona... vamos, qoe o
leu truneau havia de ser bem recebido na
prefeitura A segunda o a sentenca de
Ca-n, que lhe est s coilas como no pri-
meiro dia ; a terceira, finalmente, e a me-
lhor das tres, a condemnaco da mu-
lhe..
Ora i interrompeu Tree Patas! a Wh
rooeza Schwartz j uio mulber d'elle.
Elle nunca deixou de estremece-la.
Parece-lhe isso ? Abaixe um pooco-
chinho o cotovello.
Nao me parece. Estou cerlo.
Ha dezesete annos. J e constancia!
Ainda aeparecem 'rov'd#re6 dsaa
Sr. tacoq.
A voz mudou-lhe ao pronunciar estas
palavras. .
E quasi imraediatamente depois,
se tornara agora goste em
centn.
(Gttmmr-seha.)
como
tillar aceres-
i
c
.,;
i
fyr7>lAIlI0--illA 1>AS VRVZE8 S.