Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:12184


This item is only available as the following downloads:


Full Text

UNO XLVI. NUMERO 8.
FAHA A &PITAL E 1GARS ONDE NAO SE PAGA POfcJE.
Por tres enes adianlados
Por seis ditos idem .
-Por nm mno idem.. .
'Cada armero avutso-. ,
6O0O
SiSOO
oJO
MARTA FE1RA 12 DE JANEIRO DE 1870.
--------------------------------
PAIA OSRKO E WRA DA PEOVKCIA.
Por tres mezes adianlados
Por seis ditos idee. .
Por nove ditos dem .
Por om anuo idem .
750
13*500
20423O
27KH
DIARIO DE PERMBIM
Propriedade de Manoel Kyueira de Faria & Filhos.
AO AGaVZVTEft
Os Sra. C^rardo Antonio Alves Filaos, no Para ; Goafalves & Pinto, do Maranho
Pereira d'Ataeida, em Mamangaape ; Antonio Aleandrino de Lima, na Parabyba ; Adorno Jos Gomes, na Villa Pvnha; Betermino dos Santos- Bolcao, em Santo Antao; Domingos Jos da Costa Brasa
__________*_________________________________em Xazaretb ; Francisco Tavares da Costa, em Alagoas V ftr. Jos Martios AJves, na Baha chip Itibeiro Gaspannlw no Rio de Janeiro.
; Joaqun Jos de Oiteira, no Oar ; Antonio de Lemos /aga, np Aracatr ; Joio Mart Jalio Chayes, no Ass ; Antonio Marques da Silva,
ima, na Parahyba : Antonio Jos Gomes, na Villa da-PWiha: Betarminnrtns Minoinbt, c... _.-..._ -
no Natal; Jos Jostino
MRTE OFFKIAL.
Ciovcrao da p orincia.
'-\rr.ntfr. a<*i(->xam peui f.xm. sn. Dif manoci po
SANQJMEKTiUSACUinO POKTBIAA, VICE-PRESIDENTE
ia -atmciA, km 'jba .novkmmo de 186!'.
I* sereno.
\. H.Portara a* Bxm. Sr. genera.' cemman>
Unte das arma- Mande V. Exe. por em lber-
>tade reerata Francisco Ales Moteira, visto ter
: ti i vade i*enr..i> loga:
X. :! taita ao director do arsenal da guefra.
U Dr. chefe de prnicia mande V. S. entregar cin-
.iitii ledras para ^rauadeiras e duzeptos car-
l!VU>.
*' seccao.
X. 33.Porteri:. ai> presidente do tribunal do
.uumercio.Infern.? V. Exc. sobre o que requer
rw petipo inclusa hachare! Lniz Rodrigues Vil-
'oes, uiterorete desse tribunal.
X. 31.-Dito as r. chefe de polica interino.
Km resista ao oflleio de V. S. de boje datado sob
ii. *.7II, tciiho i Mear que tendo viudo do presidio
l Pdntaqd i onde esteva curoprindo sontenca, o
>rwe leo Antonio Ladro, para nesta cidade de-
toe ni um precessn cono lesteniunha, para all
' .1 rvgreesar, tendo j deposto, nao podendo a
-ii re*i>;u j ententlcr-se o aviso do ministerio da
Mica 8e 23 de juo'oodaste anno.
X. ...i Una .>. cuomandaote superior da guar-
*/ .'i/ n. 53 dn 23 to iez lindo, huuve por bem S.
.i.o Imperador rcintregar por decreto de 23 do di-
i-i mez, n< cu.ornando do batelhao deinfantera u.
11 guarda nacional desse municipio, o tenente-
rt-ini i Jn- do llego Couto Maciel, licando de ne-
iihiioi i-tfeito a >ua reforma.
X..'!!.--Milu aojuiz de direito da comarca de
arauli'-.s. l\e-pudt'ndo ao oUJcio de V. S. de
l de mez findi). tealio a diz-;Mhe que o aviso de
!' de JLiliui de 18M, resolv a quoslao de funecio-
tiamn anillos w MbeNiies por dutributoao as
^usas de IGro t">.iiiuiii, querciveis quer crimes,
i'inlo a;iei..is especial um o eariono de orphaos,
'p<-liss o rofiUu > a outro as exeeures cireis e
itmes, e que sendo txpressa no aru 108 da le
Ii! 3 de dezembro de I8i4, a disposicSo de haver
i un escrvao privativo do jary e execuQoes crimes
ni e-.la termo c>se ifficio disLiuoto daquelle em
|iie oi Luiz Elia> de Albuqu.'rque ,rovido. sendo
i'vssario que seja posta a ciuvurso a sua ser-
i-mi;i. para que de eenformiAiSe com a lei, para
-le possa Hir iiuuii ado serventdario.
X. 37.Dita a lyttraa.Km o.i.-ervaiicia do aviso do ministe-
l.i jasii'-a de Jl do mez IihIo, recommendo a
Vine. <;ue n caso de veritic.ir-se er livre a me-
.; .r Aotonia. na a ";a de liberdade que por ella
; cupos nesse juifo t curador geral de orpbos,
uuiova c. punirlo dos culpados dando a compe-
'etile aeiiunci* pelo crune proyLsto no art. 179 do
idigo pwnL
.\. 33.Dita ao ccu'.maudaate do corpo provi-
-srio de uoliria.%Hi V"mc. elevar a guarda da
. 8 J Qez pravas do corpo sob seo
eoinmaado, inclusive o inferior que deve cominan-
lar, .i ni' pelo Dr.chefe de polica requisitedo
.:; olueiu n. l,>05 de 9 do mez Ando.
X. 39.Dita ao rritsmo.PJe Vine, alistar no
Tpii subo seu commaudo, o paisano Luiz. Ilodri-
le Sonsa, de que trata o seu oitlcio n. 503 de
I du mez indo, tendo elle a uecessaria morali-
dade.
X. 40.Uattati aijao.0 vae-prosdente da pro-
;i\c.i atteneodo a., que requeren o Dr. juiz de
lireu fraflciioadc A?sisOliveira Maciel, resulve
iiiceder-lUd tiinla dias de licenga coin vencimeu-
i..s u,i formada lei para tratar uo sua saude.
N. 41.Dita.- 0 vico-presidente da provincia
! conlori.udailc com a proposta do Dr. chefe de
i liir-ii inleiiuo en offlcio n. 1,371 de hoje datado,
:solve uoioear para o lugar vago de quarto sup-
' ut i do delegado do termo de Barrenos, o cida-
i'aulo de ARwrim Salgado Xeto. .
:: seccao
X. 42.Portara ao inspector da thesourana de
irenda. -Providonce V. S. para que, em vista
is cuntas ca duplcala, seja liquidada e paga a
preza da iiluminac publica desta cidade, a
; iipurtancia do gz C'iisuminido ruin a illumina-
;.iii ds quailcis decavallara do Hospicio e Snle-
ladoe do hospital militar durante os inezes de
inril a junku 4eU anuo.
X. 43.lina ao musiuo.ManJi V. S. pagar de-
pois de liquidan^, eut vista da folha o pret juntos
o duplcala,* ^uc c refere o.olllcio do briga-
deku coinioandacie das armas datado de honlem
->b u. S;>,ej'*eacimeutos do ouluial cncarrega-
!o do depusitu de prisioneiros do guerra para-
os e jos iiiesmjsprisioneiro, sendo osdaquel-
rclativos ao mez de catabro ultimo e os deslos
-filuda quiuTena do supradito mez.
X. l'. Diis ao mesmo.Depois de liquidados
.i vi-:.i d.t fotti.i e prets juntos om duplcala, que
ne remelteu o brcadeiro commariJante das ar-
;is ova ollico de litrntem sob n. 632, mande V.
v pagar os vwicimeutos dos ofllciae?, pracas e
< lc'!.is umprgudot'no deposito da recrutes, sen-
i os dos nifijaes e calceta relativos ao mez de
ttuoro u'.'im ees das pracas a segunda quin-
/. na daquelle mz.
X. h-'. -Dita ac inesmo. Em vista da cont,
' ha e pret-jujMis eui doplcata, que me reinet-
i u o ''niiiiiai)i(ante superior deste municipio com
icio de honlem sol o. 228, maule V. S. (quitar
lagar iiau.Oo.- vcaciinettfus dos olBciaes e pra-
du 3" ba'.alii-o de intentara aquartelado no
iiopiciu, simia os dj ofllclaee relSlives ;io mez
,; uiituiv i.Iu'.i- a os Jas pracas a s'gunda
linzeca do whilC' iucz, mas tambera a despeza
i--te durante Attelli- uiaz cora o fornecimenlo
i para as iMnclonadas pracas.
X. GDita at> uesmo. -TTaiisiuttoa V. S. pa-
os ins coavftolenti* a liliaco inclusa do tara-
Maonel Ji.-- Uireir.i, enwjado a 1 do mez
o para servir nx> 1" lialalhao do Infantaria da
.:.'ir>la ,.;.cmmw1 di slc munieipo, segundo o ofBciu
: -.-i 'ciivo^oiiii^ausUiie Mlfewc n. 220 de 31
' illli. iuo/. '
X. 47. eili|i raesi i Comnumico a V. S.
'.-.ra mu cnukecimeulo, que segundo consta de
i d;v|rtrdO 4o iuMerio de 18 de oulubro
imio, nao MP couceiM augmento algiun de
>-"c -.mo serrostria^ida a despeza a somma dislri-
i'iiiU, aJdu*d qual inmivauu omra ser appro-
"Vadi
X. 48. -Ba na meeaK?. /fcansmHto por copia
V. s. uara*aoCalic(uuwu4a iacluso aviso ex-
edid i pla jawtifio do imperio em 18 de outn-J
o, acefea daX&gumn'.o de crdito para paga-
Hito da qiaowa le '#, proveniente do gaz
laMiyiuilir! iismeae deonubro de 1868
ao, com j, illammaeio do^alacio
X
que por adianiamento reeebeu nessa thesourana
o tmprezarw da coui|iauhia lyrica do ineatro de
Sania Isabel, Jos Amat, tendo sido entregue por
cont da nubvfn(,ao 20 OOO. que Ine dava direi- presidente1 da'provinca remeti'
to a H' conduao de seu contrato celebrado eai 12
de julbo de 4867. e nao como coadjuvaco para as
de>pezas geraes de viagem da conipanht, convm
qne seja descontada, eixando-.se para isso de pa-
gar nao, s os S:000|. que no exerricio prximo
liado se Iteou a dever ao mencionado emprezario,
para que votou a assembla ii;gidativa provincial
o necessario crdito, mas tmoem a quantia de
2:500^ proveniente dos seis espectculos, que no
crreme anno deu a rorapanhiaL por elle organisa-
da e promoveno essa thesourafia a eobranca do
restante.
N. 51.Dita ao mesrao.Fica V. S. autorisado
nos termos de sua infurmacao de 30 de oulubro
ultimo, sob n. 674, a mandar pagar dora em dian-
le as subvences a que ti ver direito a compauhia
Pernainbucana, om vista dis comiietentes docu-
mentos, apresentados pelo gerente dapuella com
panhia eom^ se praticava anteriormente.
X. 31Dita ao mesmu. Rulo V. S. conforme
indica em sua in'orinacao de 30 de oulubro ulti-
mo sob, n. 671, mandar pagar ao brro do Livra
ment, quxndo penmltnVn as Ciroas dos cutres
dessa thesouraria a quantia de x7:4738-io, que
segundo o certificad) annexo ao requenmento,
que incluso devolvo, se Ihe esta a dever proveni-
ente das obras do caleamento da cidade feitas no
mez de setembro do corrente anne.
4." seccao.
N. 53.Portaaia a enmara municipal do Recfe.
Devendo reunlr-se na matriz de Santo Antonio
deste ci lade nos dias 26 e 28 do crreme, o eolia*
gio eleitoral da Mina cidade, para proceder as
-----------------1-----------------------------------_----------------------------.-------------^----------r_;------------------- ..--
4'secfift. .cao, que se lem de oelebrar na igreja matriz da
Bci ao director geral interino da ins- fregoezia A> Bonito, m>dia 8 de dezembra proxim-
trnecao punuea.De ordem de S. Ele o Sr. vice-
. a V. Exc, com
deslino bibloiheca provincial, o incluso exem-
olar a falla com qne S. M. o Imperad aqeerrnu
a P essio *a 4* legisfahira d aaeemMa
geral.
.X. 70.Dito ao overaadar do bispado De or-
dem de S. Exc. o Sr. vire-presidente da provincia
remeti a V. Exc. um exempiar da falla com que
S. II. o Imperador encerron a Ia se->s8* da 14* le-
gislatura da assembla geral.
EXrEBHSMB AS8NAO0 PELO EXM. SR. DR. MANOS!, DJ5
KASC.ns.Yrrt MACHADO PORTELLA VICE-PRSSIDBNTE
DA PBOV|NCL\, EM 4 DS NOVBMBRO DE 1869.
4.*seccao.
. 73.Portara ao Exm. Sr. general eomman-
dante da* armas.Devendo entregar amanhia a
adminisiracao desta provincia ao Exm. Sr. senador
Frederico do Almida e Albaquerqne, Romeado
presidente por carta imperial de 20 do mez pr-
ximo passado, compro um dever agradecendo a
V. Exc. a eiadjuvacao que preaton-me dorante o
lempo em que exerc a presidencia desta provin-
cia, bein como liiQvando.o pelo zek*. inielligeucia e
dedicaeao com que tem desempenhado o cargo que
lite (bi taa merecidamente coofiado.
X. 74. Dita ao mesmoTenrtn de tomar posse
da admmistracao desta provincia, amnnhaa a 1
hora da larde, o Exm. Sr. senador Frederico de
Almoida e AlbuqOerque, recommendo a V. Exc a
expedioao de suas ordens afim de que sejam dada*
as salvas que forem devidas por occasiao daquelle
aito.
X. 73.Dita ao director
marco des
X. 49.
' al.n
IrotM
daquel
larttrw
afriuspecto." da ibaBoararia provln
.vi -ira soteitou o inspeetor da-
ift7..)Hda f,w ;. nxonMiieirta a V. Si. que do
m (liante, hq* censar napa ne
,&o do HpoMo sobre* venc
tftdtiMn. tW de 16
vier sido ase imposto
4 decreto n. 1,750 de 20,
'a* oulubro.
svx In
xNhVIflMiu liirmaco
~4, teuhi**di; :uanuti de 10:1
'iwotoa
Ntlidd 05I
eleicoes de um deputado assembla feral e dos
iiieiiibro- da assembla provincial ; assim o com-
uiunico a cmara municipal do llecife para seu
conhecimento e expedicao das convenientes or-
dena
N. Si.Dit r.o governador do bispado.De-
vendo reunir-se na i^reja de Santo Antonio desla
cidade nos dias 26 e 28 do corrente o collegio elei-
toral da inesma cidade para proceder a eleicau de
um leputdo assembb a geral e dos raeinbro< da
assembla legislativa provincial; assim o com-
munieo a V. S. alim de qu? se digne de providen-
ciar no sentido de celebrir-se naquelles dias a
missa solemne de que iratui os arts. 72 e 81 da
le de 19 de agosto de 1846.
N. 53.Circular a cmara municipal do Recite.
Anuuindo ao que solicitoit o inspeetor da the-
souraria de fazenda em oltio de 30 de outubru
ultimo sob n. >K, recommendo a cmara munici-
pal do Recite, que do Io daquelle mez em diante
nao se arrecade mais o imposto sobre venuimen -
tos creados pelo art. 22 da lei n. 107 de 26 de se-
tembro de 1867, visto tef sido abolido pelo S 6
art. i- do decreto n. 1730 do 20 do citado mez de
outubru.Igual s de mais cmaras municipaes
da provincia.
X. 56.Delibrracao.0 vi ce-presidente da pro-
vincia, altendendo ao que requerau a sociedade
'dos artistas mectianicos e liberaes in-lituida nes a
cidade, e em vista do que dispoe o 5 5*" do art. 29
do decreto n 3711 de 19 de dezembro de 1860,
resol ve nomear a Manuel Pereira de Hallan la di-
rector da mesma socledade.
X. 57.Dita.(i vice-presldante da provincia
em vista do oIBcio Ao chefe da repartico das obras
publicas de 30 de oulubro ultimo, sob n.368, rosol-
ve appravar a plant que foi apresentada ai m smo
hefe pela empreza Recife Draiaage, para o edifi-
cio das inachiiias de esgoto as finco Ponas.
EXPEDIENTE ASSIOSADO PELO Sil. DR. JOAQU1M COR
REA DE ARAl'/O.SECnETAntO DO GOVERNO, EM 3 DB
KCVEMBRO DE 1869.
I.* seccao.
N. 58Officio ao Exm.' Sr. general omman-
mmdante das armas.De ordem de S. Exc. o Sr.
vice presidente da provincia remello a V. Exc. o
incluso exempiar da falla oura q*ie S. 31. o Impe-
rador encerrou a i" sossio da 14a legislatura da
assembla geral.
2 seccao.
N. 59.Ofticio ao presidente do tribunal da re-
lacio.0 Exm. Sr. vice.-presidenle da provincia,
manda aecusar o recebimeut > do offlcio de V. Exc.
de 30 do mez fmdo, que comraunica ter nessa data
concedido, ao bacharel Frrancisco Goncalves da
Kdeha, juiz de direito da comarca de Goianna
trinte dias de licenca para tratar de sua sade.
N. 60.Dito ao Dr. chefe de polica interino.
De ordem do Ekm. Sr. vice-presidenle da "provin-
cia transmiti a V. S. o titulo junto de nomeacao
de Paulo de Amorim Salgado Xetio para o cargo
de 4o suppleole do delegado do termo do Barrei-
rns, de cutfsrmi lade cora a proposta de V. S. em
officio n. 1371 de boje datado.
X. 61.Dito a> mesmo.O Exm. Sr. vice-pre-
sidente da provincia manda declarar a V. S. que
nesta dat se espedio ordem para ser elovada a
dez praijas do corpo provisorio de polica inclusi-
ve o inferior a fora da guarda da ribeira de S
luso, como por V. S. foi pedido em officio u. 1866
de 29 do mez findo.
N. 62.Dito ao commandanto superior interino
da guarda nacional do Recife.O Exm. Sr. vice-
presidente da provincia manda declarara V. S.
que nesta data teve o doslino conveniente a filia
cao do tambor Manoel Jos Mauricio, a que allude
o seu officio n. 226 de 31 do mez lindo.
E. 63.Dito ao bacharel Luiz Antonio Pires, juiz
municipal do termo da Escoda. O Ex. Sr vice-
presidente da provincia manda .deatarar a v. S.,
me ficou inteirado por seu offlcio de 30 do mez
lindo, de haver nessa data entrado no go*o da l-
E. I:
en^a 1ue ,l,e to' concedida por deliberaco de 28
lo X. 64.Dito ao mesmoO Exm. Sr. vice-prt-
sidente da provincia, manda acensar o recebimen-
to do odilo de V. fi. de 28 do mez lindo, em que
participa ter nessa dat deixado por molestia o
exercicio do seu cargo.
3.' anegad.
X. 63.Officio ap inspector da thesouraria de
fazenda0 Exm. Sr. ric#-presiden te da provincia
manda dedaa*r a V. S. para os devidos fins, que
segundo parUp m o consolbeiro presidente da
rea ;ao em eBai. de 30' do me^z Ando, ne-sa data
conceden aoWr. Frinoiseo G>Hie>lves da Rocha
jaiz de direito da c6marca de Goianna, 30 dias de
licenca para tratar de'na sade.
N. 66.DHo-ia> mesmaDe ordem do Exm. Sr.
vce-presidente da provincia declaro a V. S. para
os fias conementes, que segundo consta dos o.li -
cios do Juiz municipal do termo da Escada bacha-
rel Luiz Antonio Pires, de 28 a 30 do mu findo,
"na 1* dMjMaai dates deixou elle por molestia o
etereio do seu cargo, entrando no goso da licen-
ca que or deberaeao do referido da 28 llie foi
coBccdida.
N. 67.Dito ao mesmo.0 Exm. Sr. vicepre-
sidente da pioviccja, manda declarar a V. S. ero
respoat o mu offibio de 30 de oulubro sob n.-j
753, que upedira as couvonienies ordeus, para
que do l" daquelle rnez em diante nao se arrocade
maiaaaohesuur^ria proviacial e as cmaras mu-
nicipaes da srcvji ca. e impotto de que trata o
citado ofiSK
X. 68.-Di|G to qhe} da .repartfcao das obra
publicas.S. Kxc dSr. vica-presidijite da provin-
cia lando por daliberacao desla dat approvado a
plaata i|ue acnmpanhou o sen offlcio de 30 de ou-
luJiro prximo findo, sobo. 368, e que Ihe foi apre-
niireu Recife rainage, para o edi-
j das inacgica de esgoto das Cinco Ponas ;
itnuuinr a, Y- S. para seu co-
do arsenal de guerra.
Dovendo entregar amanba a adininiiraean
desta provincia ao Exm. Sr. senador Frederico de
Almeida e Albuquorque, nomado presidente por
carta imperial de 20 di mez prximo passado,
agradeco a V. S. a coa ijavacao que presin-me
durnnie o lempo era que exerc a presidencia des-
ta provincia.Ignaes mutatis mutandis ao ins-
pector do arsenal le marinha. capltlo do porto,
commandanle do brgue-barca Itamarac, com-
mandante do presidio de Fernando, e engenheiro
das obras militares.
X. 70.-Dita ao mesmo.Approvo a delibera-
cao que V. S. tomou de nomear Jos Antonio de
Moraes para exercer nterinainenle o lugar de
aponl.idor desse arsenal, durante o impedimento
d) respectivo proprieiario, o qne communco a V.
S. para seu conhecimento, e em rosposla ao seu
officio de 2 do corrente sob n. 207.
X. 77.Dita ao capitao do porto.Mande V. S.
presentar ao Dr. cliefe do policia interino, aflm de
llies dar o dertino que julgar conveniente, os re-
erntas Antonio Ricardo dos Santos o Joao Loaren-
code Oliven*, visto que foram jnlgados incapaies
para o serviro da armada, como consta do termo
de inspereao que veio annexo ao seu officio de 3
do corrente soh n. 133, devendo opportumenle
s dicrtar transporto para a erte do que foi julgado
apto, de nome Manoel de Aquino da Silva.
X. 78.Dito ao mesmo,Ao conhecimento de
governo impwial subineUo nesu date a materia ritt
officio de V. S. n. 128 de 19 do mez findo, cora-re-
ferencia soldadas de marinheiros que sahem du
imperio para portes estrangeiros em navios mer-
cantes naciouaes.
X. 79.Dila ao commandantc do presidio de
Fernn lo.Transmiti a Vine, para os fins con-
venientes as guias dos sentencalos consmntes da
ratecao junt por copia, os quaes c nu excepcao
dos dous ltimos que j ah se achamsegueui para
esse presidio.
X. 80.Delibpracao.O vice presidente da pro-
vincia, aUendendo ao que requeren Berna Mino
da Silva Costa Campos, resolve conct-der-llte licen-
ca para embarcar para o presidio de Femand >, no
vapor da compauhia Pernambucua, os gneros
c nst.intes da relacao junta, assiguada pelo secre-
tario do governo, nao podende
desembarque dos ditos genero*
do commandanto do mesmo presidio se proceda a
exame, afim de se verificar se lia agurdenle ou
outra qualquer bebida espirituosa.
X. 81.Da.O vicepresidente da provincia,
attendendo a i que requereu JoaqninT Rodrigues
Maia de Oliveira. resi Ive conceder-lhe licenca para
ir ao presidio de Fernando no vapor Cururipe, da
compauhia Pernambucana, aflm de liquidar seus
negocios.
2.* seccao.
N. 82^Circular aos presidentes dos tribunaes
da relacao e do comraercio, commandanles supe-
riores, juizes de direito e municipaes. promotores
pblicos, e commandanle do corpo provisorio de
policia.Deveudj entregar amanhaa a administra-
cao desta provincia ao Exm. Sr. senador Frederi-
co de Almeida e Albuijnerque. nomeado presidente
por carta imperial de 20 do mez prximo passado.
agradeco a V... a coadjuvaco que prestoa-me
durante o lempo em que exorci a presidencia des-
la provincia.
N. 83.Poruiria ao Dr, chefe de policia interi-
no.Por parle do capito do porto serio apresen-
lados a V. S. os recrutes Antonio Ricardo dos
Sanios e Joo L jurenco de Oliveira, alim de Ihes
dar o deslino que julgar conveniente, visto lerem
sido jnlgados incapazes para o servico da armada,
camo const do termo de uspeccao que veio anne-
xo ao offlcio do mesmo capitao do porto de 3 do
corrente sob n. 133.
X. 81.DitA ao mesmo.Envo a V. S. por co-
pia para os fins convenientes as inclusas listas dos
trabalhadores aa estrada de ferro do Recife S.
Francisco.
N. 85.Dit ao mesmo. Devendo entregar
amanhaa a administraran desta provincia ao Bxm.
Sr. senador Frederico de Almoida c Albuquerque,
nomeado presidente .pw carta imperial a> 10 do
mez proxiino passado, curapro di dever agiale-
cendo a V S. a coailjuvac.' que prestou me du
rante o tempo em que exerci a prosidencia destej
provincia, bem como louvandoo pelo ze, intelli-
geucia e dedicaeao com que tem ejercido o cargo
de nbefe de poliia.
N. 86.Dit a.) coraraandante superior inlerino
da guarda nacional do Recife.Devendo o Exm.
Sr. senador Frederico de Almeida e Albuquerque,
presidente nomeado para esta provincia, prestar'
juramento e tomar posse .manha alborada
urde no paco da cmara municipal desia cidade,
recommendo a V. S. a expedigao da suas ordens
para que pela guarda nacional sob seu enramando
superior sejam feitas a honras que sao devi.las a
ese adb.
K'8f.IMu ao mesmo. Defendo eotrerar
aimmlila a administrar*) desla p'rujiiacia ao Exm.
Sr. senador Frederico de Almeida e Albuquerque,
nomeado presidente por carta imperial de 20 du
mez prximo passado, cumpro um dever agrade-
cendo a V. S. a coadjuvaco que pretou-me du-
rante o tempo era que exerci a presidencia desta
provincia, bem como louvando a guarda nacional
desla capital, de que V. S. uiuito digno chefe,
pelos relevantes servioos qne lem prestado a or-
den publica.
N. 88.Dita ao mesmo.A' vista do que solicite
o general commandante das armas, em offlcio des-
ta data sob n. 653, airva-se V. S. de dar suns or-
dene para que quanto ante* se effeatne a ubsii
tnieo por pracas deat municipio o destacamento
do forte do Braee, eoafnrme detendoei em aiwio
de W de ontubro nlUmo.
N. 89. Dit ao commandante paria da gosvr-
da nacional do Bonito.Expela V. S. suas ordena,
aflm de que ama guarda de honra de um dos
cornos da guarda nacional sob seu commanilo sn-
perior assiMa a Ifesti de Rossa Snhora d.Cbneei-
vindouro.
N. 90.Deliberatao.0- vice-presidente de peo*
vincia. attendendo ao qne Ihe requereu o bacharel
Jtis HicarV Gome* de Carvalho, juiz muntoipa e
de orphaos do termo de Santo Antao. resolve eoo-
eder.lhe 30 Jias de uceara coro vencimentos, m
trma da toi, e a datar de 3 deste mez, para tra-
tar de sua sade.
N-. 91.Ma.O Ticc-presideiilc de provincia,
attendendo ao que ihe reqoereu o bachacel Jnlio-
Augusto da Cunha Guimariies, secretario e official-
maior do tribunal dio commercio ilesta provincia,
resolve conceder-lhe Ires bnzm de licenca com or-
denado, najorma da oi. pan tratar da sade de
pessoa de sua familia fura desta capital.
3.a serrj'i.
S. 93 P.rtaria ao inspecVr da thesouraria de
fazenda.De vendo entregar amanhia a adminis-
traoao desla provincia ao Exm. Sr. senador Frede-
rieo de Almeida e Albuquerque, nomeado presiden-
l*Dor carta imperial dn 20 do mez prximo pas-
satto, agradeco a V. S. a coadjuvaco que pres-
Ummi durante t> tempu em que exerci a presi-
deiaria dessa provincia.
% X'- 94 Dila ad mei:K<.Tendo;i|iprovado a de
lilieracao que tomou oilirector di/arsenal de guer-
ra, de nomear a Jos Amonio de Moraes para
exercer uterinamente o lugar de apuntador da-
quelle estabeleciment uranle <> impedimento do
respectivo pmprietarin; assim o communico a V.
S. para sen coiihecimento.
X. 9o.Dila ao inspector da tlmgouraria pro-
vinekil.Desos de liquidla, em vista das inclu-
sas coritas e rellenes, a Vspeza frita com o ans-
enlo dos presos pobres da radeia da villa de Cim-
bres em Pesquera, a contar de maio setemhro
deste anuo, mande V. S. pagar a sun importancia
aos negociantes Moreira & Braga, confirme soliei-
tou o cliefe do pulira nlriiio, em officio de 2 do
correte, sob n. 1*J69.
N. 96.Dita ao m"smo.Annuindo ao que so-
Itcitou o chefe da r particao das obras publicas,
em offlcio de honlem, sob u. 371, rocommeudo a
V. S que manilo enirejrar ao thesoiiroiro daquella
repartlrao, a quantia ara ccorreras
despezas cora os reparos da ponte de Jaboato,
que fio ser execuiadps por admni.-traco.
N.'.)'. Dita ao mismo.En vista do incluso
pedido, mande AT. S. entregar ao ihesoureiro da
ivparlicao das obras publicas, couforine solicton o
respectivo chefe em officio dn honlem. sob n. 369,
a quantia de 14:100a para rebrref as desp zas
coin as obras por adminislracae a cargo daquella
repartico no curente mez.
X.98.Dila ao Husmo.Refcommndo a V. S.
em iddhamento a minha portarla de2Kdo corren-
te, qqe mande entregar ao thesoureko da repar-
tico das obras pblicas a qainia do 1:7605 afim
de que se possa levar a nlfeito os Concertus de que
precisa a casa destinada ao asylo de mendci-
dade.
N. 99.Dita ao mesmoMediante as cautelas
do esnlne nos termo, .lo ini a sua informacao
o GBfrue 25 d"e mitubro proximn findo, mande V.
S. entregar a harn da Soleaade, Jos Mendes de
Freilas e Jos Goncslvo* Ferreira Costa, encarre-
gadoi da construecb da ca pella dn Xossa Senhora
da Pidnde em Santo Amaro desta cidade ou a
quera per elles se mosirar autorisado os 2:000
para essa obra votados no s ." do art. 16 da lei n.
891 de 23 de junho do crrante anno.
X. 100.Dita ao me^io.Dovolvendo a V. S. o
reqiierimenlo d cuuientado, a qne se refere a sua
inf irmaca de hontein. sob n. 679, e no qnal Saun-
ders Brothers & '... roenrreram para esta presi
dencia da dociso des: a iesouraria, que negou-
Ihes a restimicao da quantia de 2145340, prove-
niente dosdireites de exportacao, que pagaram de
ilil eo:ro9 saiadus, qneallogam ler vndu da pro-
vincia das Alagoas, no vapor Jagaaribt, cm 17 de
porem eftectoar n j maio-deste anno, o autoriso, de conformidade com
era que fpr parte j i, paiecer junio por copia do procurador fiscal, a
mandar fater essa reilisaco, someniejmanio aos
66 couros de que faz nencao o documento n. 4,
annexo ao mencionado reqierimcnto.
X. 101. Dita ao chefe da repartico das obras
publicasCommunico a Vmc que nesta data,
conced ao escrevente desta repartico a exonera-
cao que pedio e nomcei para substituir interina-
mente Antoni Jos de Almeida Pernambueo, con-
vindo que Vmc abra concurrencia para ser pr-
vido o lugar, na ferma do regulamento. Recom-
mendo a Vmc. que na mesma occasiao pirana em
concurso o lugar de ptattranie que est vago.
X. 102.Deliberaco.Oiee-presidente da pro-
vincia attendendo ao que Ihe requeren Luiz da
Veiga Pessoa, resolve exonera-lo do rargo de escre-
vente da repartico das obras publicas e nomear
para o substituir ntei-mente Antonio''Jos de
Almeida Pernambueo. m
4.a seccao.
N. 104 Portara a cmara municipal do Reci-
fe.Devendo o Exm. Sr. schr.tlor Frederico de Al-
meida c Albuquerque presidente nomeado para
esta provincia prestar juramento e tomar pose
amanhia a urna hora da tarde oo paco da cmara
municipal desta cidade ; asslra o communico a
mesro i cmara para os fins convenientes.
X. 105.Circular ao director da Fanldade de
Direito.Devendo entregar amanhaa a adminis-
traso) desta provincia ao Exm. Sr. senador Fredo-
rk-o de Imcida e Albu'jnorque; nomeado presi-
lenle por carta imperial de 20 do mez prximo
passado, agradeco a V. Exc. a coadlnvacao que
prestou-me durante o tcmpo.rm que exerci'a pre-
sidencia desta pr.-vinca.lguaes aos Srs. director
geral dainstruccao publica, regodor. do Gymnasio
pTrmetal, go\-ernador do In'spado, enconheiro fis-
cal da estrada de ferro, provedor da Santa Ca-
de Misericordia, dirocrtir da escola normal, cmn-
misario vaerinador provincial, adnrinistrador do
correio, superintendente da estrada de ferro, thef
sourairo das lutorus, gerente da compauhia. Per-
nambucana, agetites da, companhia Braslera de
paquetes a vapor, iospeatores da saude publica e
do porto e l Lis as cmaras da provincia mutatis
mutandis.
K. 106.- Portara ao gerente da companhia Per-
narahucana.O 9r. gerente da corapanhia Per-
nambucana mande p6r,dnas passagens de estado a
r e duas a proa at o Ceara, ne vapor do da 15
do corrente a dispulco de Alexandrino Chrislia-
no de ORvelra, ajudate do inspector da alfandega
do Rio Grande do Nirie remov,to para a thesou-
raria da primeira das mencionadas provincias.
EXPI'DIEVTE ASSIR-N-Vr-O TELO Sil. I>R. JOAOriM COR-
REA DE ARAC70, SECRCTARIO DO GOVERNO, EM 4 DE
NHVEMT1K0 DF. tSW.
% i1 sacto.
N U)7.HDicio a< Kxai, Sr. general comman-
danle das arma.S. Exc. e Sr. vce-presdento di
provincia, reiterando suas ordens para que quan-
to afiles seja snlmiituido por pracas da guarda na-
cional deste uunutipio o liestacaiuenio da fortale-
za do lrum : assim o manda communicar a V.
gxc. em resposia ao officio detta dat, sob n. 656.
X. 108.Dito ao mesmo.O Exm. Sr. vicepre-
sid iite da provim-ift manda deejarar a V. Exo.^,
que segundo part^cipou o commandante snpunur-|
inlerino da guarda anoional deste municipio, a 24
do mez findo, destacajran no forte do Buraco,
offlcial, i cornetot t interior. 2 ranos e 20 prnea*
do 4 batallwo de infantaria do dito municipio.
iK sec^ito.
N. 109Offlcio ao Dr.enere de policia rato-
no. S. Exc, o Se vice-presidente da provinen,
respoudenuo ao attitlo v Y. S. datado de 2 lo
corrente, son n. <5B9, saanih dodarar qne a ti-
sotinrrt pro\icew tw. rrfa\a pra pajnr aosne-'
gociame Moreira & Bra a quanUa de trexentos
e quareeua a uen mil e duzentos res, euasianto do
lado oflicio.
* MO.Dito ,\o commandante superior interino
da guarda nacional do RueifevO Exm. Sr. vice-
presidente da provnola, manda declarar a V. S.
pe ge iweirado pelo seu offleio de 30 do mez
hudo, de a 24 desse mez, ler destacado no forte
do Buraco, um ctBcial, um corneta, um rafertor.
*>us cabos e 2W itra^as do, 4 batalhao de infaou-
ria da guarda nacional deete municipio.
.X. 111.Dito ao juiz de direito do commerc
Tristo Alencar Araripe.O Exm. Sr. vice-presi-
d'.'nid da provincia manda declarar a V. S., que
6>ou inteirado poto seu offlcio de 36 do mez lin-
do de haver nessa dala reassumido as ratteces
do seu cargo.
3" seccao.
fk 112.Offlcio ao inspector da thesouraria de
faoeoda.O Ekin. Sr. vice-presidento da provin-
cia, manda declarar a V. &, que segundo officio
du commandan*.' superior da guarda nacional
deste municipio de 30 do mez findo a 24 do dito
mez destcaram no forlo do Buraco, 1 oflmol, 1
cornete, inferior, cabos e 21) pracas do 4*>ba-
latoao de infantera, de conformidade com as or-
den* da presidenoe..
N. 113. Dito ao mesmo.O Exm. Sr. vice-pre-
sidonte da provincia manda declarar a V. S. para
o* devidos lilis, que segundo parlecipou o Sr. Dr.
Tristao de Alencar Aranpe, juiz do direito espe-
ciar do comraercio (testa provincia em offlcio de
26 do mes lindo nessa data reassumio as funccGes
de seu cargo.
N. 14.Dito ao inspector da thesouraria pro-
vincial.De ordem do Exm. Sr. vice-pre-id^me
da provincia, declaro a V. S. para os devidos Abm,
que os vencimentos do destacamento da freguezia
de S. Loiirenc.ii da Malla, a contar da 15 de agos-
to a 15 de oulubro deste anno, e a que se ret-re
o nuncio do mesmo Exm. Sr. devem ser pagos ao
sargeato contemplado em primeiro lugar no pret
uue acompanhou ao citado officio.
X. 115.Dito ao chefe da roparticao das obras
publicas.s. Exc o Sr. vice-presidente da pro-
vincia, manda declarar a V. S. em resposia-aos
sous ollicios de humera, sob ns. 369 e 371, que a
ihesmwarm provincial tem ordem para entregar
ao thesouriro dessa repartico as quantlas cons-
tantes dos citados ollicios.
4' seacao.
N. 116.Officio ao director geral da secretaria
de estado dos negocios da agricultura, ceinmercio
e obras publicas.Passo s mitos de V. Exc. as
inclusas copias dos avisos expedidos pela directo-
ra das ierras publicas e colunisacao em 3 de Ja-
neiro o 13 de marco dj 1868, solicitadas por V.
Exc. no seu officio de 19 de outubru prximo
findo n. 1.
X. 117.Dito ao Dr. Pedro de Athayde Cobo
Moscoso.Constando do Diaria Offkiul do 2 de
ouluhrif ultimo haver sido nomeado V.S. por decreto
de 13d'oquelle mez para o lugar de inspector da
sade do porto Jesta provincia ; assim Ih'o com-
iBunico deoetem-de 3. Exc. u Sr. vice-presidente
da provincia para seu conhecimonto.
Roma o barao de Jvisselen*, decano do ron aaeia-
matieo rasso. *^ ^**^
Este diplmala era embaixador em l*ari .
do rebenlou a guerra da Crimea. Depofc. navr-
ditado embaixador extriordinario da Rus ji
da Santa S, cargo que andaexerda oaeodel
morte veio risea-lo do numero nos viro..^^
FKttXAXDa DE LESSEPS.-Ete ilhuire ene*-
nheiro. a quem ae de a iniciativa da ieaiii
S lP erti ** i*tmo SaM receido.^
sabbado passado. no palacio das Tmberias, pe|
imperadores francete, em audiencia particular
tuna loffia de Pars annunciaque f>Sr Lesseus
aie.ii) da gran cruz da LegOo de Honra, mme
be entregou a Imperairiz Eugenia oo d.a segmT
te ao da uiaugurarSo db canal de Su, receten
depois das m*w do imperador de Ausirja u g-
de cordao da Or lem de Le-^wldo e das do prmei
pe real da Prnssia o grande crdaj da irdetu da
coroa da Pruesa.
Pala, sua parte o vce-rei do Egvpto entree-
Ibe a condeconcao do Medjtde em brdt^nlC
TORRE DESMOROXACm,-Xo ,Ha IWdce-
emnro desmoronou-s,, 3 veih torre de abrvejoi'
francr, com eUrmdo igual *> esiampuli. .te u,
irovao. A jasa Ptt e a .-ranite cooheira ib bmt-
Wm* de Cha.nbrun licaram itebaixo da* ruinas
pelizmfnte neslas casas nao eslava peeam algnnu
O jardea e o pateo 4a casa de Framond cena neje
coberlas por um monteo de ectallio.
O JORNAL GIGAXTE.V-0jornal fifaats o
n, e vejase quanto dispendeti fn a|>reei
us
aos
eotor
um extenso resunm da menea-
dos Estados-l nido-, ao coo-
D0 da
ins-
despachos da presidencia da PROVINCIA
8 DE JANEIRO DE 1870.
Amonio dos Santos Falca.Informe o Sr.
pertor da thesouraria provincial.
Angusto Xavier Cameiro da Cunha. Concda-
se a brenca requerida nos termos da informacao
do Sr.-inspector da thesouraria provincial n. 766
de 30 de dezembro prximo I i n > 1. >.
Barao do Livrameuto.Informe o Sr. inspector
da thesnuraria de fazenda.
Companhia dos trilhos urbanos do Recife a Olin-
da.Informa o Sr. coronel commandanla supe-
rior interino da guarda nacional do municipio da
capital. j
Companhia Pernambucana.Dirija-sc ao Sr.
inspector da thesoxraria de fazenda.
Deocleciano Ferrera dos Santos.Soja remo-
vido.
Francisca Rosa dos Sanios Barros.Passo por-
tara nos termos do estylo.
Fieldem Brothers. Dirija-se ao Sr. inspector
da thesousaria provincial. *
Fonseca & Santos.Passe portara na forma do
estylo.
Hencdina Floresta dos Santos Cordeiro.Infor-
me o Sr. inspector da thesouraria provincial.
Joaquim Jos de Sanl'Auna.Informe o Sr. Dr.
chefe de policia.
Jos Antonio Cesar de Lima.Conceda-se um
mez cora ordenado na forma da lei.
Jo- Augusto de Araujo.Ao Sr. chefe da re-
partido das obras publicas com ns requeriment >s
anteriores para informar acompanhaad > o orea-
ment com as informacSes do engenheiro das obras
geraes.
D. Lniza Eudossia Bapiista. Conced-se os dous
mezes requeridos com ordenado somenle.
Manoel Lopes Rodrigues de Barros.Informe
o Sr. inspector da thesouraria provincial.
Manoel Felippe do Monte.Indeferido.
Mara Leopoldina.Passo deliberar*.) conceden-
do a remocao pedida.
2' seccao.-
Repartlco da polica.
Secretaria da policia de Pernambu-
eo, 11 d Janeiro de 1870.
N. 45. Illm. e Exm. Sr. Levo ao conheci
ment de V. Exc quo, seguudo const das parli-
cipaees receidas n'est repartico, foram hon-
lem rucolhidos casa do detencao os seguintcs in-
dividuos :
A' uiioha ordem, Manoel Pedro da Silveira, vin-
do'Jo termo de Goyauna, como indiciado em crirae
de morte.
A' ordem do Dr. delegado da capitel, a frica-
a Antonia, gara averiguaefies sobre sua verda-
deira condican; o Samuel, escravo de Francisco
Antonio Marlins de iliranda, por criinc de furto.
A''ordem do subdelegado do Recife, Francisco
escravo de Manoel Coelho Pinheiro, a requeri-
mento deste.
A' ordem do de Santo Antonio, Mara Umbelina
da Cohceclo. por disturbios.
Deus guardo a V. ExcIllm. u Exm. Sr. se-
nador Frederico do Almeida e Albuquerque, pr-
ndente da provincia. 0 chefe de policia, Luiz
Antonio Fernandes Pinheiro.
PERNAMBUCO.
REVISTA DIARIA.
OBITUARIO ESTRAXGEIRO. -i A azeta do
bispo de Naates. Este prelado, nascido em Gre-
loble no anno do 1803. oceupaya a sede episco-
pal de Xantes desde 6 de dezembro de 1848.
A Indtpenience btlge lamben anauncia a
unrte do Sr. Gendebieo, que desempeahou um
papel mpesuntissimo na revolnoae Jwlga de 1830
>coatribuio para a formacao do Mine da Blgica.
ASSOCIACAO CLLICITA.Descobrio-?c em Lon-
dres a existencia de nina vast e bem organlsada ,
associaco, cujo fim roubar joias nu tabeleci- *^JJ2J2i
mentor de ooriresaria de Inglaterra e Frane.- *
Pata- daV urna idea dos tormos era \ac este or-
ganizada esta criminosa especnlacio, basta dlzer
gu os ladrees estao assoldaJa los, o que se con
edem premios extraordinarios aos que mais se
dstineuera.
BARA* M KfSSELEFF.-Acab de fallecer arJ
seus lemifiM
gem do prrsidentB
gresso.
~Pm Ti""3. Pu,)lieoit '" resumo teh-rraphi;i> com
Sittaww' KM" ''"gramma dev-ru rutar
1,800 ; mas u jonnl gigante temtmi r..ntrab>
com a inraeaa do telegrapho, emviriude du qnal
go*a da vantagem ile reno desconft-. e aim ini-
ga-se que o telegramma cuslaria urnas l.OOO*.
E o telegramma mais extenso e mais dispendio-
so quo tem transporto o Ailantio..
DESCOBERTAS AflCHEOLOGH AS.-Ein resol-
* de escavares ultmameijie feitas nuraa grn-
de.d,m,ri1 e Perigoso arr.-sso silmiiti no ii.ex. da
ilha da Palmaria, do mar de Italia, actvm-s*. alea
de calhaus i; de .ciras pedras trabattudas inw
caracierisam u, don periodos mais >a4i|H
poca histrica, grande quantidade de <*sos te
ai versos auunaes misluiados com o-sadas hinaa-
nas.
Urna comraissao de sabios, (ue fez serio* esto-
dos mvestigarr.es m proprio bical, Vkridii qoe
all habitaram anthropoph.igos ; e que o> italianos
la idade de pe Ira erara rannibaes
Todos os poros de nutras eras foram mais ou
menos anthropophngos, o que tornava eolio des-
necessarios o* eeiniei-ins que hoje, coin mait-rias
orgnicas em decomposirao, vSo saturando a ier-
ra, e viciando o ar.
X'aquelles relizes tempes, que talve,? anda rol-
lein (quera pode re-pocler pelo futuro ?) ra-la ci-
dailao tinha-mn reniitcrosinho no estomago.
Hoje os indgenas de Sumatra e de uutras 'has
da Sonda, comem os ewrteonkdoe a morte ues
como os ladroes nocturnos, os adlteros, os prisio-
neiros de guerra, etc.
N'aquelle afortunado paiz nao ha forra rar-
rasro ; quando qnalqucr pessoa enadeninadi a
morrer, 6 logo destinada pan bifierls rti ei"to
eis a pena dn morte effertvainenle i:ir!vi,i:i:
um sys em econ imico qne submellemos rua-
deracao dos advogadtw de aejassiaato I gal. e
dos legisladores dos pases onde reina a vuiIIh^-
na. Aest poca de iHisitvismo que v.ii derurieav
do nao parece mnitn tara de proposito, que .e. po-
deres pblicos, que nao querem deixar .. r.-.nas-
co, trabalheni para que se adopte lio bella imnp
CAUSA EXQUISITA.-lIouve ultimam.-i.l.- no
tribunal c rrecrion.il de Paris um julgam-iiti im-
prtenle, nao pela valor da causa, mas te-la pes-
soa de que se Iratava.
Urna senhora, que pertence a urna familia rs-
peitavel, era acensada de ter furiado um par de
ineas no grande armazem de fazendas do Louvre.
Xo da 29 de ontubro, diziam os eaixeiros da
casa commercal do Louvre, a Sra. Maule rom-
pro u um par de eeaunlas com a condicao de se-
ren trocadas, nao servindo pessoa para quem
as destinava. Nesse da notou um dos caixeiroa
que a Sra. Maule quando se retirava deixou cahir
um chap o de chova, que suppozeram ter sido
esrondido de inoposito cmn o fim de o snbiralr.
Vo da Segointe vohoa | Sra. Maille, e os rai-
xeiros observaramna attentamente, e affirmaram
tela visto esconder um par de meias debaKo da
sua capa pro va de agua, apprehenderam-na
nesse acto e deram parle a polica.
A Sra. Maule protestoa estar Minrenle, e ser
um vexame a aecnaaeiii qne Ihe Taziam ; aUM
ter tentado levar o chapeo de chova, e descuipa-
va-se do furto dizeodo : que emqnanto esoerava
que irocassem as eeroulas, examinava o par de
meias, e foi. ent.ii que os caixeiros Ihe agirraram
o braco chamando-lhn ladra, revstando-lhe as ai-
giberas e levando-a ao couimissnrio de poliria.
Muitas testemunhas depozeram sobre a probidv
de da Sra. Mallo e de toda a sua familia, jnlgan-
do impossivel que a .ecusada corametlesss o furliv
que Ihe impniavam.
O tribunal crademnou a Sra. Maillc a um mez
de prisao.
A acensada, delmlhada c-n lagrima?, navio x
sentenra, jurando estar nnSreite.
A Sra. Maille appe.llnn, e na 2.a instancia apre-
sentouse com a capa que levava no da em qne
foi ao Louvre, para mostrar que nao poda escon-
der com ella o furto. O advogado deserev<-o oa
vexames porque passou a aecusada, chegandoo
caxeiros a abrir-lhe as cartas que Ihe encontra-
ram.
0 tribunal de 2.* instancia revogou a sentenra*
e absolveu a Sra. Maille.
Quem estiver innocente e sofTrer nma arcusa-
cao destas deve passar por urna grande vergonhat
MUDANZA DE CART0RI0.-O cartorio > es-
crivao M. J. da Motia fo transferido para a roa,
estreita do Rosario n. 17, l. andar, sala da frente.
CORRECCAO IXMSPEXSAVEL.Por ngano
da typographia foi pare honlem annuiiciado o lei-
lo da fabrica de cryslalisar assucar, na povoaco
do Monleiro, quando deve elle ser reahsado a 18
do corrente.
FALLECIMEXDOS.Morreram hontem, hcu
cidade : o" chefe de sessao da thesouraria provin-
cia! Francisco Geraldo Moreira Temporal; e o l-
ente do 36 batalhao de infantera da guarda
nacional Jos Xorberto Casado Lima.
DIXHEIROiO vapor Cruzeiro do Sut levon.da.
thesouraria de fazenda de Pernambueo para o ihe-4
souro nacional, 200.000* em raoeda papel, e ....
157.5861719 em moeda de ouro.
EXAMES DE PREPARATORIOS.Gxnerou a
10 de corrente a insciipco das pesaoas que dese-
jam prestar exames de preparatorios, para a ma-
tricula na Faculdade io Direito, devendo eoeer-
rar-se no dia 22.
Para a inscripcao necessario requerimento de-
a materia era quu-quer ser examinado,
acorapaobado de atiestadu de director do coegiu
ou do professor, que tivernnsiaadoi

CARIDADEPedem-is a par de urna |
na raUficacao no numero da casa, qne de
reprlUAissemos o egnlnte pedido:
Srs. redactores d Revista Diaria\l*bH*m&*
i casa n 34 da rua.doS.los< desla cidade -exista

nV

._


?
Dorio de PernambireD Qwarta Ieira 12 ,de Janeiro efe 1870.

XI
ma familia, cempost de muitas senhoras snttei-
,Jras e niti rapaz desalisado na autor peouria qne
'magnar se p le. vivend > de escasso e mal re-
ribazotrah\lh >,arcandocomtolas asvi*si*u
la Indigencia, achacada*, estas senhora-
1 libas de mu amigo servidor
j;astou os seus melhores annos) finar-se-ho, st>
a canoade publica, nao fr em soecorro dallas.
"E porque j algmn is veies hSo sitio attondi-
ilos ai)pellns semejantes, nos dirigimos a vm.es.,
Itediudo que se dignem implorar a solicitude dos
vwdadeins ehrislao? a bem ilesas infelizes se-
Mboras, que para viverera honestamente arrestara
incriveis sacrificios.
SANTA CASA DA MISERICORDIA DO RECI-
PE.O pessoal existente nos estobelecwneatos i
arfo da Santa casa ao mez de dezembro, toi o
Hospital Pedro II. Enfermos naeioaaes 180, es-
trangeiros 29, mendigos 13, llllios de enfermos
fallecidos 7, empregados 17, serventes e lavade-
ras 15total 263.
Hospital dos Luana.Enfermos 30, emprega-
Hospicio de alienados Enfermos 81, emprega-
dos 10total 91.
Casa dos expostos.Educandas no estabeleci-
monto 87, meninos era creaco 8V, amas externas
81, iaam interna 1, empregados 12, servente
Itotal 169.
Collegio dos orphaos.Educandos 70, emprega-
dos II, servantes :t total 8i.
CaUmo das orphaos. Educandas 133, empr-
eos h, serventes 4total 149.
Secretaria Empregados 7, advogados 2, solici-
tad ires 2, cobradores 2total 13.
Hecipitulni-ru). Enfermos 3i0, mendigos la,
educandos 293, meninos em creacao 84, amas ex-
lernas 81, ideni interna 1, empregados 79, serven-
tes -total 901.
D'este pessoal 668 pertencem aos estabelecimen-
tos de caridade e 233 ao de orphaos.
LOTERA.A que se-acha venda a 183*. a
beneficio da igreja de N'ossa Senhora da Conceieao
dos Militares, que corre no dia 13.
CEMITERlO PUBLICO.ODtuario do dia 8 de
Janeiro: ,, .
Mara d i Conceieao, frica, 40 annos, solteira,
S Jos; phtysica pulmonar.
Manoel, Pernambuco, 3 annos, S. Jos ; onpha-
touhagia.
Asna Miria dos Anjos, Pernambuco, 81 annos,
viuva, Santo Antonio ; paralysia.
Mara liberta, cidade de Olinda, lo annos, sol-
teira, B-Vi Jos, Pernamhuco, 7 annos, Ba-Vista ; ttano
Antonio Francisco Ramos, Pernambuco, 3* an-
uos. Boa-Vista ; tubrculos pulmonares.
Urna prea que dzem ser escrava de Fernando
de S Albuquerque, Pernambnco, 3i annos, S.
Jos ; esmagada pelo trem do sol.
Joao, Pernambuco. 10 mezes. Boa-Vista ; con-
vutsdos. k l A
Maria Joaquina da Conceieao, Pernambuco, 40
auno*, B6a-Vi>u; tubrculos pulmonares.
Mara, Pernambuco, 3 mezes, Recife ; convul
soes. f
Esmeria, Pernambuco, 5 auno?, banto Antonio;
febre cerebral.
Celso, Pernambuco, 3 annos, S. Jos; convul-
soes.
Maria ttonedieta, frica, 60 annos, viuva, Boa-
Vista; tubrculos pulmonares.
Jos, frica, 80 annos, solteiro, Boa-Vista ; he-
patito rhronica. \
Armiuio, Pernambuco, 26 annos, solteiro, san-
to Antonio ; espasmo.
Omenidio Charles Cesar, Pernambuco, 30 an-
nos. casado, Santo Antonio, phtysica pulmonar.
Antonio, Pernambuco, i mezes, Santo Antonio;
convulsoes.
-10-
Martinha, Pernambuco, 46 annos, solleira, Re-
cife ; hypetrophia do corado.
Francisca das Chairas de Jess, Pernambuco,
35 annos. casada, Boa-VMa ; erysipel.
Rosa Maria da Silveira Brando, Pernambuco,
38 annos, casada, Poco ; phtysica pulmonar.
Innocencia Mara do K co, 28 annos, solteira, Ba-Vista ; bexigas con-
fluente.
Joao Ferrara de Lyra. Pernambuco, 26 annos,
solteiro, Boa-Visto ; anemia.
Manoel Jos Francisco, Pernambuco, 26 annos.
solteiro, Boa-Vista ; h patite.
Ilecia, Pernambuco, 4 annos, Boa-Vista ; c-
maras de sangue.
Aprigio, Pernambuco, 8 dias, Ba-Vista; es-
pasmo.
-11-
Antonio Pinto do Azevedo, Pernambuco, 40 an-
nos, solteiro. Alogados ; anazarca.
Maria, Pernambuco, 7 dias, B.ja-\ista; es-
pasm>.
Julio, Penuunboeo, 5 mezes, Boa-Vista ; con-
vulsoes. .
Antonia, Pernambuco, 7 mezes, 5. Jos ; con-
*nls56*. .. ,,.
Maria, Pt rnambucr, 30 annos, solteira, Boa-\ is
ta ; polmonite chronico.
M-moel, Pernambuco, 3 annos, Boa-Vista ; es-
pasmo.
Ca-amira, Pernambuco, 2 annos, S Jos ; can-
VIll-OOS.
Jos Horbcrto Casado Lima, Pernambuco, 48
auno-, casado, Boa-Vista ; gangrena.
Francisco (".eral lo Moreira Temporal, Pernam-
buco, 00 annos; casado, Boa-Vista; congestivo ce-
rebral.
oecultoSI*Antonio. Regressando -tedos e otoe-ijAguardeatecachaba.
prorompeu em urna descompostura sem attenfler
prudentes observacoes que se Ihe finia -e
ludazmente agellas que Uve, ftwain
sentir" o modo inconveniente com que tratava pes-
ujas qualilades igRofava talvez.
E continuando com o masroj procodimento
de ter previamente apagado a Jb, fl:o'
a retiraram-se todos
3 d'oude tinham vt
?oi, pois, quaado hi ebegaram que Fr*
^ita desfe'clioa sulire o gru|> ''""J
litr,
de-
eiros nao sopnujeiro
MfccaMMfeTnao tenlo felizmente offendU a
pessoa alga
A' vista de semelhante proceatmeato o ao
seip do coofentamento veio trazar a confusao e o
pranto retiraram-se todos levando cumsigo o ter
ror o medo do que anda Ihes pedera acontecer
na volta. ,
Lamentando que a tres teguas desta capital
ainda se pratiquem destes actos de selvagena ;
chamamos a attencao da autoridade competente
para que syndique do facto e providencie como
convm, visto como a impunidade a causa prin-
cipal do grande numero da crimes.
O ligado de todos os bacalhaos
da' rerr.t-\ova. conleem Jim
elemento medlelnal de Inesti-
aavel valor.
E debaixo da forma do oleo puro medicinal de
ftgado dvbaclbo,,deLanmarfA Kemp, possui-
mo3 este balsamo martimo em e*ta a sua excel-
lencia nativa, com todas as suas propriedadeseu-
raiivas, puras e sem alteraco, tal qua\ nos foi
transmettido pelo Creador.
As curas que esta preparacao est fazendo, qaer
no paiz, quer no estrangeiro, e nos casos de phty
sica, escrfulas, affeccao do figado assim como to
das as roais roolestia's agudas e ehronicas que
os orgaos da respiracao se acham expostos ; s
as suas nteihores cre'denciaes.
Tantas fraudes se team comettido com o oleo
de figado de bacalho; fao extensa e vergoosa-
mente tem sido diluido, adulterado e falsificado,
que o publico e a antoridade medica sadam
com jubilosa alegra, urna preparacao hygieoica,
pura, na qual se pode confiar cotn toda a segu-
ranea.
Os que desejam obter um artigo de superior
excedencia, adaptado lodos os climas, e sem ri-
val para a cura da tosse, resfriamentos e enfer-
midades conjeguinles" devem pedir o oleo puro
medicinal de figado de bacalho, de Lanman &
Kemp, e reparar bem se no letreiro o na capa se
ada estampada a Urina desta casa.
Acha-sea venda por toda aparte as princi-
paes lojas de drogas e boticas.
COMMERCIO.
PRAHA DO RECIFE 11 OJANEIRO
K 1870.
AS 3 1/2 HOBAS DA TARDE
Assucar Druto amencauo 3S000 e 3^170 por
13 kil. (hontem).
Dito dito dito35000 por 13 kil. (hoie).
Algoao sem inspeceo 953 rs. por Kil. (hontem).
Camino soore Londres 90 d|v. 20 e 20 1|4 e 20
l|8por 1000.
Cambio sobre Portugal 90 Cambio sobre a filia do S. Miguel-90 djv. a 2^360
p >r patacao.
Cambio soore Paris 90 d[v. 478 rs. por franco
(banco).
Dito sobre dito vista 483 por franco (banco)
Frote de ssucar para o Canal -23 f. e 5 0|0 (hon-
tem).
joneallo Jos Alfonso,
Presidente.
Mesqua Jnior,
Secretario.
um
i
kilog.
9
duzia.

i
cento

i
centro
kilog,
dozia
um
>
>
duzia
ENGLISHBANK
Of Rio de Janeiro Limited
da praga taxa a con-
Desco ita lettras
mencionar. *
Recebe dinheiro
praso (ixo.
em corita corre rite e a
PUBLICACOES A PEDIDO.
A' noticia que dr u o Liberal, ?cerca de minha
nomeacao para o cargo de regedor do Gymnasio
Provincial, responderei .
Priraeiro, que declino do juizo que faz de mi-
nhas habiliuces a redaccao Jo Liberal, ou talvez
algum dos seus redactores mais exaltado e intole-
rante. Tenlio servido cargos pblicos, de nomea-
cao do governo e de eleicao popular, e, nao me
cabe dizer o como me tenhb havido no cumpriment.)
de meus deueres; mas, posso afflrmar, que sempre
proced com i nteireza.
Era segundo lugar, devo desmentir o embuste,
ja muto sed?o, de que a minha nomeacao fura
inspirada pelo Exm. Sr. vi sonde de Camaragibe,
feliz donatario desta trra (I)
En asseguro ao Liberal que, S Exc. o Sr. vis-
conde nao leve parte nella, era directa nem indi-
recta ; que fol excluivamente acto de S. Exc. o
Sr. presidente da provincia, que me honra de ha
amito e distingue com a sua estima e considera-
cao, e tem bastante independencia para dirigir a
adminisira?ao, segundo o seu criterio e o conheci
ment que tem da provincia. .
En fui o prmero funecionario publico demitti
do pelo governo progressista.; e, veja o Liberal,
ja vai perto de dous nnos, que o partido conser-
vador assumio o poder, e agora quo eu fui non
rado com urna nomeacao, que devo s e exclusiva-
mente ao conceito pirticnlar que ti ve a fortuna de
merecer do Sr. presidente da provincia : e, pois,
nao me cabe a mim a qualillcacao de fiUute.
Vou dirigir o Gymna>io; e tranquillise-se o
JAberql, que, se eu nao correspon 1er as vistas e
intoooSes de S. Exc. a respailo daquelle estabele-
cimento, vistas e intences as mais sinceras e lou-
vaveis, ou se me descorrear dajinha de meus
deveres, on se a Urefa exceder a minha aptido
forcas, S. Exc. o Sr..presidente tora a energa
de demittir-me, se euantesnao fr o primeiro
que peca a minha demisso.
Entend que devia dar esla resposta ao Libera/,
Saca vista ou a praso sobre as cidades
prlncipaes da Europa, tem correspondentes
aa Baha, Buenos-Ayres, Montevideo. New-
8 New-Orleans, e emitte cartas de crdito,
oara os mesmos lugares.
IlUA DO COMMERCIO N. 36-
Sociedade bancaria
em com mandila
Theodoro Simn Sf C,
Compram e vendem por conta pro-
jria metaes, moedas nacionaes, e estran-
^eiras, letras de cambio, sedulas do go-
verno e do banco do Bsasil.
Descontam letras da trra e outroS ti
tutos commerciaes.
Encarregam-se por conta alheia das ms-
alas transaeces, da cobranza de letras da
-erra e de outros ttulos commerciaes.
Receb-m quaerquer quantias em depo-
sito, em conta corrate, e a prazo fixo.
do Pelourinho n. 7
dem gcuebra
dem rostilada .
dem alcool. .
dem cerveja .
Idemvtnugr .
dem vinho de caj..
BolMha L
l)SCOt(
dem ord
embarque.
Caf-t
dem i
lili'iu l
Cal branca,
dem prota........
Carne ateca ( xarque ).
Carvao.vegetal....... '
Cera arharella.......
dem de carnauba em bruto,
dem dem .em velas, ....
Cha .^Fr^r-. '. *'
Cucos seceos.......cento
Colla..........kilog.
Couros de boi, seceos salgados,
dem idem espichados y
dem dem verdes......
dem de cabras cortid .
idem de onca.......
Doces em calda......
dem em gela ou massa. .
frieta seceos,.....
Espanadores de pennas grades .
(dem pequeos......
Hem de palha.......
Esteiras de carnauba ....
dem propria para forro ou estiva
de navio........
Estopa nacional......kilog.
Farinha de araruta ...'..
Idem de mandioca.....
Feijao de qualquer qualidade. .
Fumo charutos......
dem cigarros......
dem em folha bom .-..."
dem em folha, ordinario ou res-
tolho .....,
Idem em rolo e em latas bom .
dem, ordinario ou restolho. .
Rap .........
Gamma de mandioca, (polvilho).
Ipecacuanha \ raiz).....
.ingico (toros)......
Cabros ........
Enxaras........
Frechaes.........
Jacaranda (coucoeiras) .
Lenha em achas......cento
dem em toros ...'...
Linhas e esteios. um
Lour s (pranebes).....
Pao Brasil......- kilog.
dem de jangada......um
Quiris......... duzia
Vrahatico costadinho Je 2i> a 30
millimetros de grossura. .
dem pranchoes de dous costa-
dos at 50 millimetros de gros-
sura.........
dem taboado de menos de 23
millimetros de grossura .
Taboado diverso......
Fatajuba........
Travs .........
Varas para pescar.....
dem para aguilliadas .
dem para canoas.....
Cavernas de sucupiraem obra)
Eixos d- cicupira para carro. .
Helara.........
Mel 'de abelha.......
Milho.........'
Ossos.........
Palha de carnauba.....molhos
Pechury........ kilog.
Pedras de amolar
dem de liltrar......
dem de rebollo
Pennas de ema. ...*..
Piassava.........molhos
Pontas ou chifres de novilho ou
vacca. '........cento
Sabao.........kilog. 348
Sal. ......., 10
Salsaparrilha....... 2^013
Sapatos de couro branco pftr 800
Sebo ou graxa em rama kilog. 340
dem eyi velas. ....... *_ 476
Sola e vaqueta i, i
Tapioca. I..... >
Unhas de boi.......JOMO
Vassouras de carnauba duzia
dem de piassava.....
dem de timb......
Alfandega de Pernambuco, 8 de
1870.
O l. conferente, Antonio Carlos de Pinito Rorges
O 2." dito.Carlos Aitffusto Litis de Souza.
Approvo. Alfandega de Pernambuco, 8 de
Janeiro de 1869.Paes de Andrade.
Conforme.Joaquim Tertuliano, de Medeiros.
HECE6EDOKIA OE KENDAS INTEK.NAf. Ee
RAES DE PERNAMBUCO.
eedimento do dia 3 a 10. 12:0K)739
!dem do dia 11....... 1:24U176
um-
duzia

kilog.
urna
dutia
C
urna
i
par
kilog.

398
830
900
600
300
660
476
204
476
442
39
i 27
2.SS
168
442
436
743
4*3*0
41000
1*438
610
330
330
105000
1*133
784
2*180
48*000
24*000
12*000
16*000
12*000
136
681
92
272
3*000
320
1*090
613
681
545
2*180
170
1*703
60*000
360
1*500
5*000
9S*000
3*000
124000
6*000
10*000
102
000
6*000
16*000
198 ?er tomado em eonsideracw a raqueriment wn1
que pedio pensad ao governo imperial, faz-sn ne-
^Hrio que a supplicante remeta secretaria de
estado dos negocios da guerra para serem j.
ao mesmo requerimenio, os segujntes requerinten-
t s ern original: f de offletos de seu marido, prb-
va deque era por elle alimentada, certidoes da di
ta secretaria e da do imperio declarando as raer-
:iim tido, ou que omhMi ha receb*iW
ittstuap de nniao eonjugiBB
O secretario Interino, *
glias FrederU di Umeida e Albuq ei:fue.
Faculdade de Direito
do Recife.
De orfcm do Ulna. Sr. director se faz publico
novamenle que a inscripcao para os exames de
sciencias nos prximos mezes de fevereroe mar-
eo, se aeua aberta desde hontem (10), e continua-
r at o dia l- O que se pretender inscrevor,
dever faze-lo por meio de requerimento ao Exm.
Sr. director, com declaracao da materia em que se
tem de inscrever, e attestado do director do eolle-
fio ott prdfessor que o houver ensinado, certifican-
do a sua habilliacao, e bem assiuf que a letra e
assigoatura dovrjuormento do propino punho
do examinando, conforme j foi annunclado por
este Diario em 16 de dezembro prximo passado.
Secretaria daFauldade de Direito do Recife, 11
de Janeiro de 1870.
O secretario,
fos Honorio B. de Menezes.
____.
DECLARACOES.
Juizo dos feitos da fa-
zenda nacional
Da data deste' ha tres mezes se proceder na
sde da comarca de Goyanna a venda em praca
publica deste juizo das coaiprehensoes do extincto
vinculo de Iiamb, sendo a comprehenso deno-
minada Engenho Novo, avahada por 50:000*000 ;
a denominada Cumbe avahada por 9:000*000 ; e
a denominada Pangaui avahada por 15:O0O^OOO ;
e as escravas Damiana, avahada por 100*000, e
Aquilina, avahada por 200*000, de conformidade
com o ediul publicado.
Recife 13 de dezembro de 1869.
O escrivo,
Luiz F. B. de Alraeida.
Deordem do Illm. Sr. conielheiro inspector
da thesouraria de fazenda desta prbvincia se faz
publico, que em viriude do offlcio da presidencia
de 28 de dezembro praximo lindo, ser arremata-
da em hasta publica, perante a mesma thesoura-
ria, n > da 5 de fevereiro prximo vindouro, as 2
horas da tarde, por quera maior lance offerecer,
as mil bracas quadralas de trras devolutas que
deraoram na comarca de Palmares, coja compra
foi requerida por Jos do Carino da Costa, de con-
formidad com o aviso do ministerio de agricul-
tura, commercio e obras publicas de 19 de agosto
prximo passado.
Secretaria da thesouraria de fazenda 4 de Janei-
ro de 1870.
Servindo de offlcal-maior,
Mamwl J P'nio.
r~
cujas cao i
meze
gatr ou r
idas a mai de tres-
la cima re
1H4000
6*000
33
6*000
2*400
u*000
1*000
3*500
16*000
50
320
- 68
16
1*000
817
'31
18
34
4*796
160
3 i200
,' 204
380
768
1*200
960
ianairo de
Pela recebedona de rauda ioii-in.i> pr*6
se faz publico que he neste mez o no de fevereiro
prximo futuro que tem logar o pagamento, sem
multa, boca do cofre da taxa de escravos do ex-
ercicio correte de 1869 a 1870, cojos donos ou
administradores morem as fraguezias desta ci
dada e as de fora, a saber : Affogados, S. Amaro
de Jaboaio, Murbeca, Pora da Panella, Varsea e
S. LourenQO da Malta; e que ndo o referido
praso, ser cobrada com a multa de 6 por cento
Recebedona de pernambuco 7 de Janeiro de
1870.
O Administrad ir,
Manoel Carneiro de Soiiza Lacerda.
COIIPAXHIA
iMsageifcs imperiales
At o fia l do correte mez espera-se dos
portos de sol o vapor Irancez Entramadme, com-
mandante Gfost, o qual depois da demora do cos-
tme seguir para Brdeos tocando em Dakar
(Gore) e Lisboa.
Par conducoes, fretes o passagens trata-se na
agencia ra do Commercio n. 9.
COMPANH1A PEHN'AMBUCANA
DE
\aven,'o costelra por vapor.
Parabyba, Nata', Maco, Mossor, Ara-
caty, Cear, Mandah, Acarac e
Granja.
O vapor Pirapaina, commandante
Azevedo, seguir para os portot
cima no dia 15 do corrente as 5 hora.'
Recebe carga at o dia 14, encom-
passageiros e dinheiro a frete at af
AVISOS DIVERSOS.
3BL
la tarde.
aiendas, e
1 horas da tarde do dia
rio no Forte do Mattosn.
da sahida no
12.
escripto-
PARA LISBOA.
A barca portugtieza Gratiiao dever seguir com
a menor demora possivel: para carga e passagei-
ros trata-secom os consignatario* Olivdra, Filnos
k C, no largo do Corpo-Santo n. 19, ou com o ca-
pito na praca do Commercio. ,___________
ara Lisboa.
Segu com toda a brevidade a barca portugueza
Pereira Borges, por ter quasi toda a sua carga
prompta : para a restante e passageiros trata-se
com os consignatarios Oliveira, Filbos 4 C, no
largo do Corpo-Santo n. 19, ou com o capilo na
praca do Commercio.________*__________
PORTO
Pretende sahir em poucos aias a barca portu-
gueza Social por ter a maior parte do carregamen-
to prompto; para o resto qne Ihe falta e passagei-
ros, para os quaes tem bons eommodos, trata-se
com o consignatario Joaquim Jos Goncalves Bel-
tro, a rna do Trapiche n. 17. _________
PARA 10.
Vende-ae nesta typographia'
a 160 rs. o exemplar da de porta.
Porto.
Vai sahir breve a barca Laura para carga e
passageiros, trata-se conros consignatarios Carva,
Iho & Nogueira, na ra de Apollo n. 20.
Manoel Martins Rins, Ignez Martins do Rio
Joao Martins do Rio c Jo> Maitins do Rio, tendo
de mandar celebrar urna mi-sa de stimo dia pelo
repens eterno de seu muito prezado pai, sogro e
irmo Manoel Martins Bios, fallecido a 26 de de-
zembro ultimo na cidade de Lisboa, convidam a
todos os seus parentcs e amigos para assistirem
aquelle acto de rehgiae, qne ter fugar no dia 14
do crreme, as 7 horas da manhaa, na matriz da
Boa-vista, e de?de j se cenfessam eternamente ra-
conhecidos.
Ama
A rapariga solteira me annuocipu querer ser
ama, dirija se ao Corredor do Bispe em frente a"
palacio episcopal, em casa do coronel Vilella, qut
achara a senhora a tratar. Na mesma casa ven-
de-se urnas poucas de operas italianas para piano
e canto. '____________________
20,600 RS.
de gratillcaco a quem apanhar e restitua urna
carauna que fugio no dia 11 do corrente, pel
martba, da ra Direita n. 12, 1* andar. A carau-
na mansa e tem urna das asas crtalas.
Ao commercio.
Os abaixo assignados fazem publico que no dia
31 de dezembro prximo passado dissolveram ami-
gaveimente a sociedade qne, sob a razao de Neves
& Cruz, tinham no armazem de mercearias da rna
Direita n. 16, denominado Veado Branco, fieando
a cargo do ex-socio Candido de Garvalho Neves a
liquidacao do activo e passivo da extincla lirma.
Becife 10 de Janeiro de 1870.
Candido de Carvalho Neves.
Domingos (oaquim Ferreira Cruz.
De ordera do Illm. Sr. conselheiro inspector
da-thesouraria de fazenda desta provincia manda
f izer-se publico que no da 12 do corrente mez, a-
2 horas da tarde, ir praca para ser arrematado
por qnem maior lanco offerecer, o dominio til de
50 palmos de terreno de marinha, simado entre a
ra da Saudade e a projectada em seguimento a
travessa dos Ferreiros, na freguezia da Boa-vista
desta cidade.
As pessoas a quem convier a arrematacao deve-
ro comparecer na referida thesouraria no dia e
hora indicados.
Secretaria da thesouraria de fazenda de Per-
nambutso 5 de Janeiro de 1870.
Servindo de offlcial-roaior,
Manoel Jo Pinto
Consu ado provincial.
Por esta reparticao d-se sciencia a quem inte-
ressar, que finda a 2.-feira prxima (10 do cor-
rete) o praso para recebimento sera multa dos
impostos da decima urbana e de 5 % de mo
morta, relativamente ao 1. semestre do corrente
anno flnanceiro de 186970.
Consulado provincial. 7 de Janeiro de 1870.0
administrador, Antonio Carneiro Machado Ros.
PARA O PORTO.
Dever seguir com a brevidade possivel a
Barca portugueza A'oro Silencio, para carga e
passageiros dirijose aos consignatario?, Oliveira
filbos & C, no Largo do Corpo Santo p. 19, ou ao
capito na Praca do er.mmercio. __________
Porto por Lisboa
Com a maior brevidodo vai sahir para os refe-
ridos portos a barca portugueza Claudia, de pri
meira marcha e primeira clas-e, por ter a maior
parte da carga prompta, e para o resto que Ihe
falta e passageiros, trata-se :om os consigna-
tarios Veras & Barbedo, ao caes da alfandega ve-
Iha n. 2.________________________________
Rio de Janeiro
Para o referido porto pretende sahir com muita
brevidade o brigue orasileiro Adelaide por ter par-
le de seu carregamento engajado, e para o que
Ihe falta e escravos a frete, trata-se com o consig-
natario Joaquim Jos Goncalves Beltro, ra do
CummiTcio n. 17._________________________
Maranho.
Para o porto cima pretende sahir com muita
brevidade o hiate brazileiro Joven Arthur, capilo
Trajano, por ter parte da carga engajada e para o
reslo que Ihe falta trata-se eom os consignatarios
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo 4 C.", ra da
Cruz, n. 57, l.anlar.
AMA DE LEITE
Precisa se de urna ama de leite tem IHho,
se bpm : na ra Nova n. 21, 3o andar.
paga
S*
\
T>
13:2ol*91o
CONSULADO PROVINCIAL
lendiruento do dia 3 a 10. ... 67:3355136
dem do dia 11....... 3:490*961
70:8'i6097
Largo
ALFANDEGA.
tlendimento do dia 3 a 10 .
idem do dia 11
301:838*892
42 827*362
344:666*254
MOVIMENTO DA ALFANDEGA
Volumes entrados com tazendas
dem idem com gneros 44
Volumes sabidos com fazendas
idem idem com gneros
------ 44
320
300
------ 620
Descarregam hoje 12 de Janeiro
Patacho inglezBranchraercadorias.
Escuna noite-allema*Maria Elisabethidem.
Brigue inglaz Cambrtou Bellecarvo.
Patacho dmamarqueziTaiemercadorias.
Hiate inglezJVtonidem.
Importadlo.
Pataclto inglez frbkdom, vtndo de New-York,
consignado a Augusto Frcderico de Oliveira & C..
nianifeslou :
2 caixas ps ; a Joo Carlos Bastos de Oliveira.
200 ditas kerosene : a A. L. de Oliveira Azeve-
do & C.
10 ditas drogas ; a Bartholomeu & C.
400 ditas kerosene, 50 barris banha ; a Kel-
ler & C.
200 barricas farinha de trigo ; a Jlo Quirno
de Aguilar Se C.
100 barris e 10 caixas banha, 100 barriquinhas
Dolachmhas ; a Manoel Fernandes da Costa 4 C.
200 volumes arcos, 110 ditos tampos, 2,059 di-
tos aduelas ; a ordem.
30 caixas machinas para descarocar algodo, 23
KiKenai JIne^"(1^n^ as auero ditos ditos para costura ; a A. D. Ca'rneiro' Vianna.
.njosiamente accommeltido, como fui, mas quero 10 fardos canella. 20 saceos pimenta, 10 ditos
cravo, 1 caixa machinas, 30 ditas cha, *
ser generoso .
Desejo ardentemente que os sodios redactores do
lberal mostrera seu patriotismo, e dedicacao ao
bem publico, auxiliando-me a melhorar um est-
belecimento que tao fecundo pode ser em benefi-
cios nossa provincia.
Becife, 11 de Janeiro de 1870.
Aonro Uchi Cavalcanti.
%
Attentado.
Na terca-feira, 4 do corrente, deu-se no lugar
denominado Campia Grande, freguezia de S. Lou-
tcmm da Matta o atientado segrate :
Tendo Antonio Francisco Marcellino raptado
urna filha de Jos Antonio da Silva, de nome
Carolina Maria de Je-ras, eom ella desposou-se
naqoelle dia, precedeodo todas os formalidades da
igreja e sem que houvesse obstculo algnm.
Findo, Dorm o acto do casamento, que leve lu-
gar na igreja matriz da freguezia da Varze, de-
rgkhse com todos os con vi .lados em numero pou-
ce ais ou menos de cinco a seis senhoras e dez
a 11 eavalbeiros casa de Jos Antonio da Silva
qae deveria receber sua Alba para lancar^lho a
Mu nao estando elle em casa, urna pessoa in-
dtcara a de Francisco Bapti-ta da Silva, distante
gajurenta passos e onde se dizia achava-se
mOVIMENTO DO PORTO.
Navios saltidos no dia 10.
Portos do sulVapor brasileiro Cruzeiro do Sul,
commandante Alcvforado, carga dilferentes g-
neros.
Porto*do norteVapor brasileiro Citar, com-
mandante o capilo lente P. H. Duarte, carga
varios gneros
Rio Grande do SulBarca brasileira Flecha, capi-
to Joo A. de P. Victoria, car ja sal.
Navios entrados no de. 11.
Montevideo26 dias, brigue hespanhol Eva, de
20o toneladas, capito Joo Baptista, equipagem
14, carga carne : a Amorim Irmaos. Seguio
para Havana.
Montevideo41 dias, patacho brasileiro Guilher-
mina, de 245 toneladas, capito Antonio Vicen-
te Jnior, equipagem 9, cyga 3,600 quintaes
hespanhes de carne ; a Joaquim Jos Goncal-
ves Beltro.
Liverpool40 dias, brigue sueco Cleopata, de 279
toneladas, espitad/'A. O. Anderson, equipagem
10, carga carvo ; a T omaz Jefferees & C.
Navios sahidos no mesmo dia.
MarseilleBrigue inglez Killea Lass, capito Jo-
nes, carga assucar.
Rio Grande do SulBrigue brasileiro Arrow Mal-
lo, capillo V. J. da Molta, caega assucar e
agurdente.
AVISOS MARTIMOS.
Companhia americana e brasi-
leira de paquetes a vapor.
At o dia 15 do corrente esperado de New-
York por S. Thomaz e Para o vapor americano
North America, o qual depois da demora do cos-
tume seguir para os portos do sul, para fretes e
passagens trata-se com os agentes Henry Forster
4 C, ra do Commercio n. 8.
EDITAES.
200 ditas
kerosene, 280 volumes aduelas, 30 Utos lampos,
110 ditos reos, 300 barris breu, 3o ditos ceblas,
165 ditos batatas ; aos consignatarios.
TABELLA dos. presos dos genbbos sojritos a di-
reito DE BXPORTACO. SEMANA DK 3 A 8 DE
JANEIRO D 1870.
Mercadorias: Unidades. Valores.
Abanos......... duzia 300
.\lgodao em carocp..... kilog. 258
(dem em rama ou em la. >
Carneiros vivos. ...... um 4*000
Porcos idem........ 2*000
Arroz com casca. ..... kilog.
dem descascado ou pilado >
Assucar branco...... >
dem mascavado. ,.....
dem refinado........ >
(allinhas........ urna 1*000
Papagaios ... .... > 5*000
Azeite de amendoim ou men-
dobira. "....... litro
dem de coco ......
dem de mamona...... >
Batatas alimenticias. .... kilog.
Baunilha....... 5*459
Bebidas espirituosas e fannentadas:
0 inspector interino da alfandega faz publ
co, que no dia 12 do corrente, depois do meio dia
e a porta da mesma reparticao, ser levada bas-
ta publica, livre de direitdS, o restante de madei-
ras a taboas velhas extrahidas dos concertos feitos
nos trapiches dadilarapaitico, avahada na quan-
ta de 50*000 ; fieando a dita arrematacao depen-
dente da approvacao da Exma. presidencia.
Alfandega de Pernambuco 8 de Janeiro de 1870.
> O inspector interino,
Luiz de Carvalho Paes de Andrade.
Perante a cmara municipal do BecifB esta
cidade estario emraca nos dias 12, 15 e 19 de
Janeiro prximo futuro para serem ar*eniados
por quem maior preeo offerecer, os tainos ns. 10,
41, 12 e 13 do aecugne publico da freguezia de S,
Jos, lado do sul :' aquellos que pretenderen! ar-
rematar, eomparecam no paco da mesma cmara,
em os referidos dias, munidos de nanea na forma
da lei.
Paco da cmara municipal do Recife, 19 de de-
zembro de 1869. .
Ignacio Joaquim de Soma Leao.
Pro-presdante.
Francisco Canuto da Boa-viagem.
Secretario.
1" sercao.Secretoria do governo de Pernam-
buco, 10 de jaoeiro da 1870.
TDITAL
Pela secretarla do governo se eommunica a Sra.
D. Vicencia Alve. de Carvalho Dania, vinva do
alfares do 5 bafamo de infantaria Hennque F-
lix de Dacia, morto em combato, qae, para poder
PARA LISBOA.
O Brigue portuguez Lnio 1.", seguir com
toda a brevidade visto j ter prompta quasi toda
sua carga; para o que Ihe falla, passageiros diri-
jo-se aos consignatarios, Oliveira Fiihos e C, no
largo do Corpo Santo, n. 19, ou a > capito na pra-
ca do Commercio._____________^______
PARA LISBOA
vai sahir com brevidade a barca portugueza Ale-
xandre Heiculano, capito Almeida : para carga
e passageiros trata-se com E. B. Rabello 4 C,
ra do Commercio n. 48.
LEILOES.
LEILA
Para o Porto
Prepara-se para sahir em poucos dias a barca
portugueza Seguranca, por ter prompto grande
parte do seu carregamento : para o resto e passa-
geiros, aos quaes offerece bons eommodos, trata-
se com Soares Primos, ra do Vgario n. 9, ou com
o capito Lourenco Fernandes do Carmo.
Para o PortO
a barca Flor de S, Simao sahir brevmente, por-
que j tem parte da carga engajada : para o resto
e passagens, trata se cora os consiguatarios Car-
valho 4 Nogoeira, na ra do Apollo n. 20.
COMPANHIA PERNAMBUCAM
DE
Ntxuegdcdo costeira por vapor.
Porto de Galuchas, Rio Formse e Taman-
dare.
O vapor Parahyba, seguir para os portos ci-
ma no dia 10 do corrento, meia noite. Recebe
carga, encommendas, passageiros, e dinheiro a fre-
te no escriptorio do Forte do Mattos n. 12.
DE
movis, lonca, vid ros e crystaes
saber:
Um piano forte, do afamado fabricante B. Bord,
1 cadeira para o mesmo, 1 excellente harmnico,
1 cadeira. 1 porta msica, 1 mobilia com* um
sof, 2 tCEr.los, 4 eadeiras de bracos e 12 de
tuaroicao, 1 sof estufado, 7 eadeiras antigs,
1 me*as de Jacaranda gosto antigo, pelo que tor-
oam-se recommendadas, 6 eadeiras a Luiz XV,
6 eadeiras douradas, 1 mesa oval, 1 dita de sof,
4 descanos de es, 2 escarraderas, 3 candiei-
ros a gz, 1 candelabro, 1 lustre com 18 man-
gas, 8 castieaes e mangas, 3 jarros a 4 vasos de
pedra marmore, e dilferentes objectos de electro-
plato.
Um sof, 4 eadeiras de bracos e 6 de guar-
nido (mobilia italiana), 1 mesa com abas, 1
relogio de parede. 8 quadros, 1 secretaria de
mogno, 1 maquina de costura perfeita, 1 mesa
de costura, 2 ditas de jogo, 1 sof, 1 lavatorio,
2 guardas roupa, 2 esbides, 2 camas de ferro
com palhinha, 1 estante, e 3 rolos de esteiras
para ferro de salas.
Urna mesa elastiw, 1 guarda louca, 2 appara-
dores de armario, l dito com ps torneados, 2 ca-
beceiras de mesa. 2 consolos, 12 eadeiras, 1
quartmheira, louca, copos, clices, garrafas, com-
poteras, e fructeiras, e urna caixa para gelo.
Urna mobilia de madeira branca com 1 sof,
1 mesa oval, 2 consolos com pedras, 2 eadeiras
de bracos e 12 de guarnico, 2 candieiros a gaz,
2 serpentinas, 2 commoda* He mogno, 1 guarda-
roupa, 1 guarda vestido, 1 cama de casados, 1 toi-
let, 1 lavatorio com pedra, 1 commoda anliga, 1
santuario, I mesa oval com pedra, 1 toucador, 2
cabibes, 1 cama franceza e mnitos outros objectos
que estario ao exame dos concorrentes.
' ikmi:.
Casa n. 1 da na do Riachuelo, esquina da ra
da Unido.
Gustavo Jos do Reg, tendo de retirarse com
sua familia parao Rio de Janeire, far leilo, por
nlervenco do agento Pinto, dos movis e mais
objectos cima descriptos, existentes em casa de
sua residencia, onde se effectuar o leilo no dia
quarta feira 12 do correte.
Principiar as 10 horas em ponto. _____
8
sahir com toda a brevidade o palhabote portu-
guez Villa-Flor tem a maior parte da carga en-
gajada : para o que Ihe falta, pode tratar-se Com
David F. Bailar, ra do Brum n. 92, ou com o ca-
pito do mesmo navio. _____
COMPANrliA PERNAMBUCANA
DE
Navegacda costara por vapor
Maceio, escalas, Penedo e Aracaj.
O vapor Potengt, commandante Mello, se-
guir para os portos cima no dia 15 do corrente
as 5 horas da tarde. Recebe carga at o dia 14,
encommendas, passageiros e dinheiro a frete at
as 2 h -ras da tard do dia da sabida no escrpto-
ro do Forte do Mattos n. U.
PARA LISBOA
a escuna portugueza Aguta, capito Fonseca, vai
sabir com brevidade, recebe ainda alguma carga
a frete : trata-se com E. R. Rabello 4 C, rna do
Commercio n. 48. '
Grande fabrica deehristalizar e
refinar assucar, no lugar do
zljfduteiro.
Terga-feira 49 do correte.
0 agente Puntual, competeniemente autorisado
vender em leilo a grande fabrica cima, em um
ou mais lotes a vontade dos licitantes (visto ter de
retirar-se para a Europa o seu proprietario) es-
tando a mesma fabrica em exposivo nos das
quinta reirs, domingos a dras santificados.
O leiHo ser effectuado no dia cima, na mesma
fabrica as 10 horas.
"HLir
N. DANHEISSER, establecido com casa de pe-
nhores a travessa da ra das Cruzes n. 1, far lei-
lo no dia 26 docjrrente, dos objectos de ouro e
prata que se acham em seu poder, dados em pe-
nhores sobre as cautelas n. 7, 10, 35, 39, 55, 64,
91, 96, m. 1IWS3, 14, 447, 148, 415,160, 161
171,174.179, 184,193, 20*. *B, *, 33]
217, 264, J73, 283, 193, 297, 342, 338,370
Vicente Mendes Wanderiey manda celebrar ania-
nha, 12 do corrente, as 7 horas da manhaa. una
missa pelo repouso eterno de seu mui prezado ir-
mo Bento Jos das Neves Wanaerl-y. na matriz
da freguezia de Santo Antonio do Recife ; i pan
esse acto convida aos parantes e amigos seus e do
fallecido. __________________
Ama.
Na ra do LIvramento, loja n. 6, precisa-se de
urna ama que seja perita cozinheira, para casa di
homens soheiros.
IMPERIAL
INSTITUTO
n do bou con*
O bacharel Antonio Columbano Seraphico de
issis Carvalho, hoje o proprietario e director
desse instituto. Prctendendo dedirar-se exclusi-
vamente, o com todo zelo o solicitude aos trabadlos
Iproprios dessa proflssao, espera que os paes do
actuaes collegiaes o honraro com sua confianca,
a bem assim que acolnero o seu estabelerimento
quelles qae precisarem de collegio para educacao
de seus fllhos ou protegidos, certos do que o ac-
tual director se esforear nao s para manter o
bom nome e crdito, que desde muitos annos goza
o referido Instituto, como tambera para Imprimir-
Ihe novos melhoramenlos.
No dia 7 de Janeiro do anno vindouro ter lu-
gar a abertura de todas as aulas de in-truccao
primaria e secundaria.______________
Da ordem do director da aociedado amor Ao
Prximo, convido a todos os socios da supradna
sociedade, a comprecerem na sessao gara I que
deve ter lugar a 16.do corrente as 7 horas da noi-
te na casada mesma sociedade, afira fl- tomarem
parte em materias relativas a mesma, lica'udo sci-
entificado aqaelles que nao comprecerem, que ha-
ver sessao com o numero que comperecer na for-
ma da lei.
Sala da secretara da sociedade Amor ao Prxi-
mo, 18 do Janeiro ce 1870.
O secretario.
Antonio Manoel do Sacramento.
Pede-se aoSr...B___de...da rna do Impe-
rador nao por favor mas em eumprimenle de
sua palavra de pagar 602 qneprometteu a um mo-
co que o coadjuvou efficazment, para a r '8lisarao
de um negocio : qUe se ponte snbscrever sob o ti-
tulo de bens emoventos.. .advertindo porm, a S.
Exc. que se nao realisar este jpgamenio no perio-
do de oilo dias___vera em caracteres ndeleveis
neste jornal... cousa sabida da caxolla de quem
nao temefidalg
l'EIIIDO
Pede-se encarecidamente ao Sr. secreta-
rio da S. L. U. B. o favor de mandar tra-
zer as lanternas qoe peUo emprestada
para a sesslo magna da mesma suciedade,
isto a mais de um mez, pois basta de es-
pera.
Um socio.
trmetras letras.
Mara Bartholeza da Conceieao agradece aos se-
nhores pas de soas alumnas o favor de Ihe terem
confiado suas meninas, assim como participa aos
mais senhores que Ihe quizerem dar a mesma
honra de Ihe conflarem suas meninas para as ins-
truir no que relativo s prmeiras lras; certus
de que far todo o osbreo para qae ellas obienham
o desojado aperfeicoamento, amaneando- Ihes a boa
letra, e pode admittir pensionistas. Sua aula se
acha aberta do dia 7 de Janeiro em diante, na ra
da Matriz da Boa-vista n. 16.
Prmeiras letras
Jos de Bitancourt Amarante agradece aos se-
nhores pais de seus alumnos o favor de Ihe terco
confiaoo seus meninos, assim como participa aos
mais senhores que Ihe quizerem dar a mesma hon-
ra de Ihe confiarem seus meninos para os instruir
no que relativo s primeiras tetras; certos de
que far todo o eslorco para qne elle obtenham o
desojado aperfeicoamento, e afflanca-lhes a boa
letra. Sua escola estar aberta do dia 7 de janean
em diante, na roa da Matriz da Boa-vista o. 16.
Precisa-se de um criado para compras e re-
cados : na ra dos Coelhos n. 22.
. 100$ de gratifeagno.
Fugio hontem, 10 de Janeiro reate, a escrav t
I.niza, preta fula, de idade de 30 e tantos annos
magra, estatura mediana, rosto redondo e paludo,
tem falta de denles na frente, eosluroa a Irazer
cabello penteado e a irajar cera alguma limpeza.
usando sempre de chales e de calcado ; jupp
se estar oceulta ero alguma casa. Desde j pro-
tasta-se proceder contra quena a tiver escondida.
Gralifica-se com a quantia de M0# pessoa que a
capturar e a conduzir ra da Anrora n. 76.
Perdeu---.' urna piileeira (W ouro imiand >
galio, no domingo 2 de Janeiro, no trem das 9 ho-
ras da noute, da Casa Forte ao Recite : quem a
arhoa qaerendo resumir, Um a roa Bella n
que ser generosamente recompensado,


1
Diario efe Pernambi'rw Quarfe' feira- J2 de Janeiro de 1870".
4

-----
=r
WSTraiW AtCIEOLOGIGO E GEOGRAPRICO
Haver scsso ordinaria quinta-feira, 43
-lo corrente Janeiro, pelas 11 horas da ma-
uhaa. '
ORBEM DO DA
Disposicftes econmicas para a prxima
testa do aaniFersario ;
Parecer* e mais trabalhos de commis-
s5es.
Secretaria do Instituto, 10 de Janeiro
de 1870.
Jos Soarcs de Azevedo,
Secret.rio perpetuo.
Precisa-se de urna ama de leite : na ra do
Jneimadn n. ."10.
Luiz de Franca Sonto, saa irmaa e seu cunhado
seas lilhos e o e cualiada agradecem do pro-
fundo dalma a prova do considarajao que Ihe mos-
traran], acomparihandn os re Itresadissima mae. sogra, av e irmaa Arma Ma-
ra dos Aojos ao comiterio publica e de novo con-
vidam a ludes, para as inissas e memento que se
ho de rezar na igreja de Nossa Senhora da Con-
eieao d'.a Militares no dia 14 do jrrenle, s 6 e
meia hora; da mauhaa stimo do seu falleciiuento,
pelo que >e ronfes^am eternamente (ratos.
mmHmmmmaammmammm
Aula particular-de primeiras
letras.
Manuel de Souxa Cordro Simoes fazsciente aos
"imhores pas de seus alumnos, que no dia 10 do
corrate se achara alerta suas aula continuar
seos exercicios na mesma casa n. 16 d ra Tra-
vesea dos Bzpostos'; e ao respeitavel publico, que
contina a admittir alumno, externos e internos,
pensionistas meio-pensionistas, nao excedendo
- Mes idado de 14 annos, pudendo admittir at o
n. de 16, para o que tem coinmodo sufficiente. O
esmero que tem empreado para o melhor desem-
penho de seu magisterio, j mni conhecido de
lodos os senliores pais de familias que lhe tem
runfiado seus Whos.
Precisa-se de urna ama livre ou escrava para
nina casa de duas pessoas : na ra Nova n. 46,
toja.
Ama de leite
Frccisa-se de urna ama de leite : no caes de Ca-
piuaribft n. 30. ou na ra da Cadeia n. 33.
Joaquim Jos Gon-
palves Beltrao
L*A DO TRAPICHE N. 17, 1. ANDAR
Sacca por todos os paquetes-sobre o Ban-
ca do Minbo, em Braga, e sobre os seguin-
*es logares em Portugal:
Lisboa.
Porto.
Valenca.
Guimaraes.
Coimbra.
Chaves.
Viseo.
Villa do Conde
Arcos de Val de Vez.
Vianna do Castello.
Ponte do Lima.
Villa Real.
. Villa-Nova dejFamalico.
Lamego.
Lagos.
Covilh3a.
Vassal (Valpassos).
Mirandella.
Beja.
Brcellos. i
Na ra da linperatfr. n. SU se dir quem tem
para aburar urna ama escrava para todo o serveo
de casa de familia ; c ura criadinbo escravo de 12
innos de idade.
Prcc*a-se de urna ama livre ou escrava para
o servico interno e externo de urna casa de pouca
familia, sendo-de boa conduca : na ra da Santa
Cruz n. 61 '_________________
Precisa-se de una ama que cozinhe, engom-
mc e faga o sprvico de casa de pequea familia,
preferindo-se escrava : na roa do Queimado n. 32
J* andar.
Sociedade Liberal Uniao Be-
neficente.
De ordem do conselho desta sociedade fago
siente aos senhores socios que no dia 12 do cor-
ren!0 ha assembla geral para se tratar de neg-
lo de'grande interesse, a qu,il principiar as 7
horas da tarde.
Secretaria da Sociedade Liberal Uniao Benefi-
'nte 8 do Janeiro de 1870. .
Augusto Cesar Cousseiro de Mattos.
______________l. Socrerto.
Precisa-se alugar urna escrava que saiba fa-
zer o servico do urna casa ; a tratar na ra do
Apollo n. 49, segundo andar, das 5 as 7 horas da
larde.
D-sea premio 1:200*000 com hypotheca :
n >ta typographia se dir quem d.
O onsetteiro Jos Bonto da Cunha Figueire-
do contina no exercicio de advocacia na roa do
Imperador u. 57. entrada peto caos 22 de No-
tombro. ______^^^
Alupa-se nina sila asseiada com algnmas
accommodacoes : no 1 andar da casa da ra do
Imperador n. 57, onde' quup pretender poder
Advocada.
Jovino Limeira Dino tem escriptorio de advo-
cacia na villa de Bodocong, e enearrega-se de
qunesqaer causas civeis, crimes e commereiaes,
nao s alli, como nos termos de S. Joao, Campia-
Grande, Inga, Bananeiras, e Cuit, da provincia
da Parahyba do Norte, e Limoeiro da provincia de
Pernambco.
Correspondencia de Portu-
gal.
Os Srs. assignantes queiram mandar pagar as
Miau assignaturas do anno corrente, para no fira
do mez nao haver atropello na entrega da folha.
Para Porto-calvo.
Precisa-se de um menino para caixeiro, de 14 a
i .'i annos, quer seja portuguez ou brasileiro, que
tenha pratica de taberna e loja de fazendas : a
tratar no escriptorio do Sr. Joaquim Bcdrigues
Tacares de Mello, largo do Corpo-Santo n. 17, 1
andar.
iCABELLEREIROI
N. 82RA DA IMPERATR1Z N. 82|
OJilon Ouarte, cabelleireiro, tendo se 8
despedido da casa de seu cunhado o Sr. 5
Carlos Dubois, onde trabalhou por espago 1
de dez annos, acha-se estabelecido com 8
casa de cabelleireiro ra da Imperatriz
n. 82, prompto a satisfazer qualquer en- 8
commenda tendente a sua arte.
Na ra da Imperatriz n. 80 se dir quem
tem para alugar uin criadinbo escravo de 12 an-
nos de idade.
Joao Teixeira da Rocha, julga nada dever
nesta praga, porm se alguem se julgar credor,
queira apresent.ir sua conta, que ser saptisfeita
no praso de 8 dias.
Quem perdeu urna carta dirigida a D. Ma-
ra Carelina Borges Leal, pagando o annuncio
procure ra do Caldeireiro n. 10.
Precisa-se alugar um moleque ou um preto
velho para o servico de urna casa de familia : na
ra do Hospicio D. 38.
Na praga da Independencia n. 33 se da d
nheiro sobre penhores de ouro, prata e pedras
preciosas, seja qual for a quantia ; e na mesma
casa se compra e vende objectos de ouro e prata,
e igualmente se faz toda e qualquer obra de en-
commenda, e todo e qualqner concert tendente
i mesma arte.
11VU IJ
Rabert Lightbown & C, negociantes desta pra-
ga, amigamente estabelecidos ra da Cadeia n.
55, e hoje na mesma ma n. 52, tendo recebido um
completo sortimento de fazendas, convida aos seus
?migos antigos e a todi s quanto quizerem exami-
nado, para apparecerem em seu novo armazem
do dia 10 do corrente em diante, quando preten-
den! dar comeco s suas vendas.
Ama.
Bichas hamburguezas
Nesto novo deposito recebe-se por todos paque-
tes translanticos bixas de qualidade superior, ven-
do-s em caixa ou porcao mais pequea e mais
barato de que qualquer outra parte ; na ra da
Cadeia do Recife n. 51. 1 andar.
-GENERAL
VEHbAMMLUNG
DES DEUTSCIIEN
HUELFSVEHEINS
\M 17; FANUAR
ABENDS HALBAGHT
ttUA NOVA 44
ERSTE ETAGE
OTTO BOU RES,
Secretar.
Precisa-se de urna ama livre ou captiva, e un
moleque de 10 a 12 annos : a tratar na ra da
Lingueta n. 8. 2a andar.
ATTENCAO
o
Os abaixo assignados herdeiros e representantes
da heranca de Domingos da Silva Campos, pedem,
visto ter de se proceder em breve ao inventario e
partilhas dos bns deixados pelo dito Campos, aos
que se julgarem com direito crditos sobre a
mesma heranga virem no praso de oito dias
apresentar suas contas para serem verificodas e
pagas ; bem como aos devedores do fallecido Cam-
pos virem satisfazer dentro d'-> mesmo praso
seus dbitos, ra do Crespo n. 7.
Recife 8 de Janeiro de 1870.
Custodio Jos Alves Gnimaraes.
Antonio Jos Cordeiro Simoes.
Carolina Mara Campos.
Aula particular de primeiras
letras
Anna Theodora Simoes, autorisada pelo Exm.
Sr. presidente da previncia ao magisterio prima-
rio, scientiflea aos senhores pais de suas alumnas,
e ao respeitavel publico, que se achara aberta sua
aula | articular de instruegao primaria no dia 10
do corrente, na ra travessa des Expostos, casa n
16, 2o andar, onde espera satisfazer aos senhores
pais de familias que lhe coafiarcm suas filhas,
tanto as materias que constituem a sobredita ins-
truegao, como tambem muica vocal, e no que for
concernenle s habilidades de agulha. .
Ra do Commercio n.
5.
Jos Francisco Ribeiro de Souza, direc-
tor d'es.se 'instituto de educarlo e istruc-
ciio, faz soiente ao respeitavel publico e
particularmente aos pais de seus alumnos,
que a reabertura das aulas de instrueco
primaria e secundaria ter lugar em ,o dia
10 do andante.
0 programma do ensino ser de confor-
midade com o decreto n. 4430 de 30 de
outubro de 1869.
Admitte alumnos pensionistas, meio-pen-
sionistas e externos.
Jos Bom Baaos de Olivcira, fe* publico:
que desde o 1' do vigente, admittio par seus so-
em seu armazem le carne secca, osifw. Joa-
quim Bapsta da Suva, 9 sea antigo cai.vJro An-
tonio Jos Maja, continuando o> negocios sob a
razao commercial JosBonl Silva & C, Besado a
meu cargo a liquidago do activo e possiwode mi-
nha propria inna, e com ella conlinnarer a ge-
rir os negocios do barra fra.
Recife, 4 Se jafleiro de 1870.
Jos Bom Ramos de Oliveira.
O-crs o
ii i
o rz- < 3
(B %. O w
5 3,P"
<" 5
fi D es-"*"2 5
S 2- =
a t. se M
g2.2 2.S5
Bartlrolomeu & C.

-o o
^.
w
tn w
gis-
o D i *
g cb oa 5
5-2. s- m
o
re
=> o
S-2.2-SPW
r s s
V 22?
F8S
B
a22
re i
w
0
P
P-
CD
P
zn
O


^
W
Aluga-se
o 3* andar do sobrado da ma da Crnz> no Recife
n. 18 ; a chave est no armazem do mesmo para
ver : a tratar com Jos Antones Gnimaraes.
" Aluga-se ama casa na povoago de Apipu-
eos, junto ao hotel francez : a tratar no Recife, ra
da Madre de Dcos n. 2, com Joao Alves do Quin-
tal.
Preciosa publicapo
jurdica.
Commentario do Cdigo Commereial Portu
guez e Brasileiro.
Vende-se na loja da ra do Crespo, n.
25 A esquina da do Queimado, a impor-
tante e moderna obra sob o titulo de an-
tanles ao cdigo do commercio portuguez
em 6 voluntes pelo Exm. Sr. cooselbeiro
Dr. Diogo Pereira Forjaz de Sampaio Pi-
nientel, lente cathedratico na universidade
de Coimbra. Os subidos crditos de que
goza muito merecidamente aquelle eximio
commercialista por si s bastariam para re-
commendar to importante obra, quando
nao concorresse mais para isso a grande
vantagem de ser um ptimo commentario
ao cdigo commercial brasileiro (na falta
absoluta q\ie ha de qualquer outro) pelamo-
xima homogeneidade de entre muitas das
suas disposicoes, e as do mencionado cdi-
go portuguez, que lhe servio de texto.
< orrei pressurosos, distincta mocidade
do 4. anno da Faculdade de Direito desla
cidade e notaveis jurisconsultos, a prover-
vos desse poderoso auxiliar para vossos
trabalhos da sciencia, e pelo prego commodo
de 205, toda a obra em 6 vol.
Sublime publlcacio Iliteraria
sob o ltalo de Memoria do
Bom lesas do non te. em
Braga.
Acha-ne venda na loja da ra do Cres-
po n. 25 A, esquina da do Queimado a pri-
morosa Memoria do Bom Jess io Monte em
Braga, ornada de gravuras Anas, segunde
ediiao, obrada penna de ouro do mui Ilus-
trado lente da universidade de Coimbra, o
Exm. Sr. conselbeiro Dr. Diogo Pereira
Forjaz de Sampaio Pimentel. Quem tiver
noticia da extraordinaria devoco que exis-
te em Portugal para com aquella milagro-
ssima imagem, aluindo sempre para o
seu magestoso templo em rom-ria o nume-
roso povo *de todas as panes desse reino;
quem souber avaliar as brilhantes desertp-
roes, e o bello estudo daquelle consumma-
do jurisconsulto e eximo litlerario portuguez
nao deixar de procurar, quanto arles pro
ver-st de um exemplar da dita memoria,
pelo diminuto preco de 3-5, na loja indica
da. onde ba pequeo numero bellas.
Na mesma loja cima ha ontras estampa,
muilo perfeitas e grandes do dito Senhor
Bom Jess de Braga, por preco commodo
administrativo, mercantil, industrial e agrcola da
provincia de Pernambco para o anno de 1870.
At o dia 20 do corrente estar exposto venda
em todas as livrarias da cidade o referido alma-
nak, prego 2*000._______________________
Precisa-se na ra da Gamboa do Carmo n.
21, andar, de um criado ou criada, hvre ou es-
cravo, para casi de horaem solteiro.
POS DE ROG
Approvadon pela Academia imperial
de medicina de Pars
Gm frasco do roa de **, dissetvido
em urna garrafa d'agua, di urna limonada
agradavel, que purga rpidamente e de
um modo certo, sem causar a menor
irritacao come acontece com a maior
I parte dos outros purgantes. O* rom d
I Bog, sao inalteraveis por isse empre*
I gam-se fcilmente em viagem.
. I em Bk>4i VlNBO, "PlLULAS, XaROPE.E TlNTHRA
0K .lUHUBEBj. SIMPLES E PERRUGINOSO;
Or.EO, Pomadas Emplastro da mesm
PLANTA PREPARAD) POR
8ARTHOL0ME0 & CA
Ph a rmace uticos- Droguista
i'ttMiiiiin
A Jurab-h : Mtt pinna e boje recoohecidr
c#Kito i mal.* p4wleni*i> lomeo, como 9 melhor
oV^nhMruffnie.econjoUM ipplica'la mu pwlei:iinento
d" ligdoe bey, licpmues. ilurcMS, luoores iDlei-
nos Kpecialuicule do ulero, hjdfoiiesiis, erysi-
pulla, ele; e MWnciedi ao ferroe Mil pollidas
cores, chloruM-.- r. falta de meustroi,ao, desarran-
jus d.> estomago, ele. e o qm dnemw allestao
innmeras curas importantes eblitlns eom oosaoa
preparados ja i.eiu cunb-ridos e-usados pelM B*ia
ili.-uni-Ui.'' mdicos do par? e Poriagal. Esa todos os
uossi.i ilepositos distribuimos isatis folbetos que
mitlbiir taseto coobecer a Jurubajba seos resallados
applicacso.
Ama
Qnem precisar de nma ama par eorinbar, diri-
ja-se ra- do Paisand n. 13, na Passagem da
Magdalena.______
Nesta typographia se precisa alugar
um preto de m-ia idade.
"AMA
Precisa-se de nma ana para cozinhar : na pra-
ca da Independencia ns. 37 e 39.
LliHlTOlS
' FIO IIETEIiA
Barbante
Em casa de Rabe Schmetau & C. Corpo
Santo n. 15.
SHERRY.0L0R0Z0.
Gelo seaL
C OiVtC HEMMESSY.
Em casa ^de Rabe Schmettau & C. Corpo,
Santo n. 15.
CAHMPAMA
SUPERIOR
Roussillon, carte blanelie.
Em casa de Rabe Schasettaa dt
ti. Corpo Santo n. 1 &.
VINHO
DE
BORDEAUX SUPERIOR.
CHATEAU LA ROSE.
IIATF 11 RJbUZAM
Em casa- de Rabe Schmettaa dt C. Corpo
Santo n. 15.
XAROPE DEFUDEG0M.J0 PINTO
K*ie iiniaeficnciaverdaileinimonte mara-
vilhnsa como calrL.nnl(;flosystemi nervosoe
appcndo ?onlrn n i;nntlsia, uslhma, tosse
convulsa ou coquduclie.losst' ivcf-riles on an-
lifras naflbrwijafciijfutiirriirr bronchicos^etc. e
a final contra todos os soflrimenlos das vias
respiratorias, e na ph tsica pulmonar, sua vi r-
tude contrnotetaDO ou espasmosje convtilces
incontestavel <. ningem ha que o tlfsconhega.
nico deposito, ru larga do Rosario, n. 10,
junto ao quurtel de polica. Pernambuco.
Continu adamen te se nosapresentarn novos
teslemunhos daefDcacia dol'edfigoso Pemam-
bucoi.
PILLAS, VINHO l XAROPE
DE JI'UtlRKBt
ir.KftittHis nio msaatiiTico
.NMQtlII DE AMEIDA PITO
As preparagoes de jurubeba s&o hoje vanta-
josamente conhecidas e prfeconibadas pelos
mais habis mdicos, tanto da Europa como
do paiz, pela sua etlioacia nos casosde anemia,
ohlroze, hydropesia, obstruegao do abdomen,
c tambora nosdemenstruac/aodiliciljCatharro
t bexiga, etc. ele.
Vendem-se era porco e a retaiho na cidade,
ito Recife, pharmacia do seu compositor, ra
larga do Rosario, ti. 10, junto ao quartel de
polica.
PINTO PHA.BMACBTJTICO
XAROPE DE SALSA PARMIHA DO PARA
00
DEPURATIVOdoSANGUE
usadas as moltstias de Pelle, impigens, dwes
rhenmalicas, e ulceras- venreas.
ISS A LABC\ DO ROSARIO, X. 10.
Aos pais de familias,
Josepha Mara Souto da Costa, competeatemente
I autorisada pela directora geral da instrueco pu-
blica, ensina primeiras letras e todo o trabalho
relativo a agulha, msica, piano, canto e francez,
Os senhores pas de familias que se quizerem uti
usar de seu presumo, confiando-lhe snas meni-
nas, podem irigir-se ra do Commercio n. 44,
| 2 aadar.
I N'ESTA ANTIGA E CREDITATA
J FABRICA
ITA I
i
IICIITIl II CHST1HTIIIITI IDI GIIPLITI IIITIIIITI II
CHAPEOS DE SOL
De toda ai qualidadei I
De todos es feitiot I
De todas es preces I
RA DO CRESPO Na 4
MDALHA A EXPOSIQAO UNIVERSAL DE 1867
Para a Superioridade d'a
BTcaiaiia por LEGRAND, Perfumista do Imperador dos Fraacezes.
PARS. 20?, Ra Salat-Hosser, 07. PARS.
CRME OR.I5CA ORIZA LACT
DE NIKON DE UQCCLOS
Para dar. frescura d jtlle, destruir a* rugas da cara,
ear.sertar eternaaente o belleza da jureaiuds.
LF.ITE ANTEPHELICO
Para rsfresrar, branquear e advfer a pelle, faumda
tsappartcer ns nadoas e ai sardaa.
SARAO OK1ZA....... D'uma masM cii'i-* Oill/.A-C.EA'M MOBssanse. Mussa especialmente prparAa para os banlio* e a barba.
Clin/.\-l'I.l H)........ Pomada rorlilicaiileenutrHWa para cnnservarnsrabelloseemptvlilo-ilcquebra
(lili/A l'III LOCME.. To! uno de boi e oleo de arela com base di. (|iiina para os cabellos.
CIilZA-OII......... Oli-fl tinissimo pe Tnniailo para lustrar os cabellos i empedilos de quebraren.
OI1IZ \-lllUI.1.A.\Tl.NE. CrisUMisado com ioleta, para dar brbo aos cabellse barba.
Oltl/.A t'LOWKns.... Agua iiicoiiiparuvrl de um perfume suate e delicado, para foniOcardo la pelle.
OllIZA-ACIlVULINfi.. Vtswam do loucador, aroma e anlepbiliio.
KSSKNC.E-OIIIZA..... Perfumo concenlradn para os lencos producto muilo delicado.
(MilZAl.YS.......... Perfume do bom lom e da alta sociedade para os lencos.
OllIZA-l'OWDKItS.... Flor de arroi da Carolina para a cara e a belleza da pelle.
OISIZ A-DK.VI'IFRICK.. t'ara ahejar os denles*e conservar as pciurii as.
OntZA-l'IENTAlItE.... Nova masa para alvejar o denles sean destruir o enalte.
AGUA TNICA DE QUINA E POMADA DE BALSAMO DE TANNINO
ara liatttta i ulabrididt i ubrri, ferlifiucd* n uke ln, > p DEPOSITO GERAL na Caza de
E era Caza de todos Perfumista io Brazil.
QUINIUM LABARRAQUE
APPROVAOO PELA ACADEMIA DE MEDICINA DE PARIZ
0 Qulnium I preferido todas as outras preparacSes de quina.
Os vinhos de quina ordinariamente empregados na medicina preparam-se
cora cascas de quina cuja riqueza era principios activos extremamente
variavel; parte disso, em razSo de seu modo de preparacao, estes vinhos con-
ten apenas vestigios de principios activos, e em proporcoes sempre variaveis.
0 Qninium Labarraqne, approvado pela Academia de medicina, con.
stitue pela contrario um medicamento de composic9o determinada, rica em
principios activos, e com o qual os mdicos e os docntes podem sempre contar.
0 Qninium Labarraqne prescripto com grande xito s pessoas fracas,
delibitadas, seja por diversas causas d'esgotamento, seja por. antigs moles_
ti as; aos adultos fatigados por urna rpida crescenca, is meninas qui tem diffi.
culdade em se formar e desenvolver; s mulheres depois dos partos; aos velhos
enfraquecidos pela edade ou doenca.
No cazo de chlorosis, anemia, cores plidas, este vinho um poderoso
auxiliar dos ferroginosos. Tomado junto, por exemplo, cora as pilulas de
Yaust, produz effeitos maravilhosos, pela sua rpida accao.
Deposito em Pars, L. FRERE, 19, rae Jacob
Rio-Janeiro, DUPONCHELLE; CHEVOLOT. Pernambuco, MARER ot C*


VERDADEIRAS
PILULAS DE BLANCARD
^
COM IODURETO DO FERRO INALTERAVEL
APPROVADAS PEU ACADEfflA DB MEDICINA DE PARS, ETC.
Possuindo as propriedades do ledo et do ierro, eonvem especialmente as Amccois
iscRonrLOSAS, a Tsica no principio, a fraquesa de temperamento t tambem nos casos de
Falta de cok, AMF.NORRHEA.em que precisareagir^obrb o sanguk seja para restituir
lhe a sua riqueza e abundencia normaes, ou para provocar e regular o seu curso peridico.
N. B. O iodurelo de ferro imparo oa iterado i um medicamento infiel,
irritante. Como prora de pureza de authencidade das veralaaloiroat 14-
| tala de Maaeard, deve-M exigir nosso apila ala prata reactiva e
k nosso rasa, aqni reprodnzida, qae se acha na parte inferior de oa
^^k ratala verde. Deve-M desconfiar das falsifiracos.
I^Aeaaaa a e ada aa ahatraairosao Pharmacmuiea, ma Menammrtt, O, Paria
Oa verdadeiros OOT.f.Ba ROTH, os nicos app-ovados pela
i Academia de afedieiii*, tem aasini como ot eos outro producto
attrahido a cupidez dos falsificadores, ajo* para facilitar sua criminla
industria nao se pejao, entreceiaA annunciar vender falsoaCoi.i.ata
con auv afean. Ea previno as hmiliai para interesse de seus lilhos
^ je, pata evitar falsaficacoes, de veas erifir, que neos Coixiaa Ibes
sejao vendidos em caias de tambas ale enealae e corredias coberta.
per A ettlqueus coaa a mlaka aaarea ale fatrica e encerrando am
prospecto circunstanciado, e sellaaas por nma anedalaa com o lettrearav
COLLAR ROYER, Re St-Iarta. 226. Pirit.

RA
'JDO
CABUG
esquina
Wdi roa larga do
Jw Rosario.
W3SB
AO JtNNEL DE OURO
RIJA
EO
CABUG
DE
Este importante estabelecimento no sen genero, tem sempre um sortimento sem igual,l esquina
e vende por pre vista da qualidade e do prepo das joias cada um pder-se-ha convencer daverdade.
Oarante-se ser tudo de le. Compra-se ouro^ prata e pedras finas por presos muito ele- Rosario.
vados.
A loja est aberta at s 9 horas da noute.
J



4
Diario de Pemambuio Ouarla Ieira 12 de Janeiro de 1870
r
>
VeMc-aeeni acoa
e mel Trucos oS*ngu-
Uroa, ptiarmacittosG,
J, ru de CasUgJfone,
em Parts.
4 ....,i---ir- oe IHtt fjfc.) ai l* f"uw <"-. .. -i (OTOlu. > phiea, a '.t<, .-..-'"> in -i. utori ju>-ai!arcs
, i-- "<-|. :*, -> mi -luir v-i-a or* 4- Ufadjrn
!* Trrr.>-!**. 'Esk-. airo ?miimum ou mos itrcrdOBpo to
,, lie!** i! ii'idi' gil .1 baila, mi o'ianio i|iie os vcrdailfiros oler* rtf Airado de bacaliao
j. rr ,,. m : luM i nti4K (rr$ ii ari* iior.'i.m cuiiipre Pxorcer
; (. ,, i r. wi- ir. atttorca cuidado- nos proaiio- luiraws das pr>ra, assim comoman-la fazer
" y. i p auno i!p 1Sv. E*i-s uW- filtro nV ttoM-nllxiw dr Terr-!* ato Hngg
i ar r precioso medicituhjMe imaaraa universal iias fcociftas do pe(o, a ufftifet
. ;...,i^.Tfrtw. inugicu rfof fMUHxia.otc.e por ir-so. doram lugar a nociva* e desleacs
-tro !r Stg| rm.i fcil de di-prrr. istncue-ee eatre a outroa oleo pe Boa
P >-..i 'm. o M!t> chairo (ave e u hVadi, e -' gusto Be sarriiiilm rrr-sca.
f. O ;l'..\Tfl)BiO ( I .. ,irr corno wik : 0 Ito eJr: iwaa ..:,.* .-i mal*'rio fue . j, i/winti ''<< e 0,bi>r.
\fiii-c fo4:< na pliartiiariaa ra Franca e 4m pataca ealrangelro*.
Popos tubulares ins-
tantneos.
Travesaado torpo Kami o *. &.
armazem. e roa Xova si. 3H-
loja.
Ban.leira, Machado 4 & avi publwo quo nos logares cima efl.eajiror no mas-
mo seoipre grande riaaniidade de ditos pogos, e
que se acham habilitados para wndor por menos
que onlro qualquer, pur so que s rocebera di-
rectamrnte do fabricante Norturj, de Lodi
As vantagens quo jfferecem os poQM nstanla-
neos sn : (iriineiro, voderera cr eaUneados den-
tro de casa ou fura, rom o trabadlo de urna a duas
horas; segundo, lorneoerem s mesrooa igua pu-
ra e abuedante, poden do serem removidos de um
para outro lugav, quando asMm con\w.
Os annunciantes s reecfc rao a importancia dos
referidos pocos d*pois de col locados, saUitaiendo
espect.iiiva do comprador.. i ____
PERFUME INEXTINGLIVEL,
Para o Le*co, Toocador, e Banuo.
Escript-uri
lupa-s \ parte da frente do prinviro andar n.
32 darua do Imperador : a tratar no mesmo so-
brado.
PKOOIUDOLtlA |
0 solliaudor Btttjtos Pe do Len, o
cucarre^a-so dtequVM]uer rimes o cuuimerciaes, como:^ ec.-4esus- o
^. treas, das quaos tetii urna longa pratica de w
S finze (tunos, e searha<-wiip>t!fnh'nte |^>
S provisiooadu pelo Exim. e Kvm. Sr. Bispo oh
* diocesauo.
EUi? coolinuar a empn-gar todos seus |g
esfor?f, aliui de manter a mesma con- o
iian^-a que leiu merecido de seus dignos W
eonsiituintes.
Pode er prc-urado das seis as nove ag
horas da nianhaa e das quatro da lardo w|
em (liante, em sua cas, da ra das Tnp- gjg
ebriras, junto ao cartrio do Sr. esc.riwi *
Motta, e lora chistas horas as salas das
rni audiencias
A MUl-AFAMADA
A^GUA M FLORIDA,
DE
HIRRAT *& LAXUIX.
He o alie delicado e mimoso e ao mes-
mo tempo o mais estavel de todos os per-
fumes, e t'rrJt em si, no seu maiw auge
de excellencia, o propiio aroma das verda-
deiras flores, quaudo anda na sua flores-
cencia-* foagaikta- natural. Comoummeio
seguco e nq>idri aHtvio contra as dores de
cabera, nen^sidade, debilidade, desmaios.
flato^assiaB. como contra todas as formas
.. ll.iiSaan .1 a ooi-rlnntiiL' lu'cliii'ii'nJ n a 11
GUSTAVE
CABELLEIREIRO FRANCEX
51Ba. da Cadeia do Secife51
Chaina a attencSo dos seos innonwros fregnezes, e do respeit3vel publico m
geral, para a seg'iinte tabella dos precos de sua casa, oj quaes s5o /vinto por ente.
mais barato do que em outra qualquer parte:
Cabelleiras para senhoras a 2hJ, Cadeias para relogio a H, 6o,
30, m e......40,5000 U,H, 9(5, e. .. .
Ditas para homem a m, 405 e 1)0,5000
Corte de cabello, .....
505000 qj^ de calilo com tafo .
champou. j^^^^^H
20-5,
mmm
CASA DA MHIU
Aos 4:0O0S
Bilheteis garautidos,
^ raadoOivsix) tu^-i casas dotjs|a9/
O abaixo assifiarlo, lento vond
iras irles, um maio n lS."i coni
lf>ria que igreja de N. S. do Awpam de Goflnna (t32').'a
.'oiivida aos pos-iiidores a virem rrufer na con-
ffirmidade do custuiue sein desconto al^nni
Acham-se a venda os felizes bilueteS da i*
..arte da lotera bertefieki da ipreja de Nossa
Senhora da Gmeeic&o d* ihlijares do Reeife (IW i
que se exlrahir na luinta-eira 13 do toz' vin-
Jouro.
Presos.
Os do cosime.
Mannet- Martin Fi'1-
nos
Lindas cassas franeczas de cor a 460 rs. o metro, na loja das Colloainas ru*
4o Crespo n. 13, de Antonio Correa de Vasconcelos.

'..a

Este antigo estabeiecimentOa completa-
mente reformado ie novo, est as condi-
coes de servir vantajosamente os seus fre-
guezes, visto que acha-se prvido com um
esplendido sertimento de obras de raro e
rata de lei, assim como brilhantes e ou-
tras pedras preciosas, mjos precos sao os
mais mdicos que se pode encontrar.
As joias compradas nesta casa recebem-
se em troca ou compram-se com pequeo
abate
5 RA DO CABtIGA \ 5
TBILBOS DUBAROS
DO
KKCSFE A* OIIMA.
Por onlcm da directora s" o nvitladi>s
os senhores accionistas para n praso de
tO das, coiitaitcs do (a :{ de Janeiro pro
simo fuuiru, (He-iuarera a 6* prestato de
suas acones na razao, Se 10 < .
Para et>se liui sof| en-outra ihesooi^ro das 11 horas dji m.mhaa s 2
da tarde no esetiotorio da companhia.
Reeife, 29 de dezembro de 1869.
Joo Joarjitim Alves,
Io secretario.
Preci-a-s-' alagar por mer. urna preta escrava
que engomroe hem, viada das 6 as 7 horas da ma-
nh58, <* n-tiraiilo-i' das 0 as 7 da tarde, dndo-
se me alinooo o jantar : na ra Nova, sobrado
n. 39.
"Metliodo Castilho.
Secundino Jos de Faria Simoes, profesar par-
ticular de jnslruceo elementar pelo inelhodo Cas-
tilho, avisa ao respeitavpl publico e com espechi-
lidade aos pais de shih alumnos, que no dia 10 e
woeiro est nberta sua aula na ra da Penha n,
55, Io andar ; aonde recebe pensionistas por pre-
co comitMido. O mesmo profossor promeOe muitp
se esmerar no adlntamento de sens alomnos.
Precisa-se dt urna ama livre ou es-
crava para o sertico interno e externo de
oma casa de pouea f.milia. sendo de boa
conduela ; na roa da Santa Cruz n. 62.
ordinarias de accidentes hysterico; de
summ effteact n2o tem outro que o
iguale. Igualmente, quando destemperada
com agua, torna-seum ilentrricio o mais
agradavel eexcellente. dando aos dentes,
aquella alvura e perolada appafencia tu
altameate apr^waa c desojada 4>elas Se-
nhoras.
>Como um remedio contra o mau balito
da boca, depois de diluida em agua,
summantente excelente, faz remover neu-
traliz^todas as materias impuras que se
criara roda dos dentes e das jengivas.
ornando-as duras, sadias e fuma linda cor
encarnada. Quanto a delicadeza, riqueza
e permanencia Ao seu fragrant aroma, ella
por certo nao tea igual; e a sua supe-
rioridad^ sem rival. Ella igualmente tor-
na-scum meiom excellente, para fazer
remover de sobrs a pelle do rosto, toda a*|
qualidade de brotoejirs, ebuliooes, sardas,
pannos, manchas, impigens e espinhas.
Cuando se queira servir della como rerae-
o ajm fle ou- flio para fazer desaparecer qualquer um
5 '! (lestes dislguramentos, e que tanto desfei-
jm as todas feies do bello sexo; devera-
se usal-a n'um estado de dllluicio, dcstem-
perando-a n'uma pouca d'agua ; porm nc
tratamento d qualquer espiaba, osar-e-ha
della pura cm toda a sua forra. Final-
mente como um admiravel meio de com-
municar as feigOes trigueiras e paludas,
urna pelle macia e d'uma transparente al-
bura, dando-lhe urna linda cor de rosa :
para um tal lin ella leva a palma a todos
os perfumes que se teem inventado at lvo-
je, e existe em pleaa soberana sem rival,
liem entendido tado isto se refere uniea-
' fente a Agua de Flobjda be Mubray &
liANM.VN.
As irattaces que se tem feito na Franca,
Allemanha,"assim como em outras partes-;
s5o inteiramente inuteis e invaliosas ; por-
tante recommenda-se mui esfjecialmente
s senhoras, qne tenllam toda a precauco
e cuidado, ile quando comprarem, estejam
certas que comprara.
A Genna
AGUA DK 1-LOHIDA
DE
MCRRAY & LANMAN,
A qal preparada smente pelos nicos
Proprietarios.,
LANMAN KEMP, DE NOVA YORK"
Acha-se a venda nos estabelecimentos de
A. fm, i. da C. Bravo, & C. P. Mau-
rer & C. A. A. Barbosa Bartholomeo, & C.
l*recisa-se de um caiyeiro de 12 a 14 annos
para um estabelecimenio fora desla praca : a tra-
tar na rna estrefta do Rn-ario n. 5._____________
Na na do Codorniz n. 8. precisa-se de oma
ama que saina cosinhar.
Coques a I2& 15?, 18(,
255, 305 e .....
Crescentes a W, I3& 18, 205,
255, 30* e.....
Cacho ou crespos a 35, 45, 55,
65, 75, 8*. U e. .
Tranca de 'cabello para annel a
500 e.......
Tranca para braceletes a 105,
155, 205, 25 e
t5@dOfr
50*
5f-
1500
105000
15000
loo
Corte de cabello com limpez da
cabeca ptila machina elctri-
ca, nica em Pernamhuco. .
Frisado ingleza ou fraeeeza.
305000 Barba.........
fiSSIGNATURAS MENSAES
Especialidade de penteadoa para casamento-
Bailes e soires
O dono do estabelecimento previne s Recommenda-se a superior TINTURA JA
Exmas. Sras. e aos cavalheiros que ha um PONEZA para cnegrecer os cabellos e bar-
,_ .__^ ^Kniir. o hnrKo nc ba, nica admiUda na ExposicSe Universa
sali para tmtora dos cabellos e barba, as- n-0 pi>jndicial ^e,\or rvo-
sim como um empregado smebte occupa-^ai, analysada e apprnvada pelss ade>
do nesse servico. Imiasde sciencias de PARS E LONDRES
COLLEGIO
DE
-
PAU
Travessa das Barreiras n. 2
0 DIRIGIDO PELO BACHAllEL
^ No dia 7 do crrente piiucipiaro a luticcioiar as aulas leste dq>0 e?- fy
gX tabelecimenlo. O director proc rara" por mei dri mais apurado zelo e dedico- ty
w cao tta i*fccii> e traim nlw do^akunnos, corre
que sedifjnaivmfciwtra-lo.-cotifianirlo-llie a imporl
^ seus filhos. e espira ue o aproveilamento dos ahiou
^ e convencer a seus paes de qne nao foram llusarias suas promeasas.
A KiseripoSo para os alumnos, qne desejarem frequenlar o ccegio,
acba-se aberta desde .
HIA
wmm
mium
-a*- **
Precisa-se de amas, cosinheiras e en
gomma leiras e um fritor para tomar amia
do cemiterio ingle/, e este deve ser urna
pessoa muito capaz, pois ser muito hem
pago._____________________._______
SMfcCOpOO
lit da Conceico ven-
bilhetes as seguintes
A casa feliz no
deu nos seus felizes
sortes :
1 quarto n. 1637 20:000:^00
2meios n. 212(5 1.000500(1
1 inteiro n. 1136 2005000
2 meios n. 3038 2005000
E outros premios menores.
Nlo mais cabeDos brancos
A tintura japoneza pasa tingia os cabellos
da cabeca e da barba, fei a nica admiltid;
Exposicao Universal, por ter sido reco-
nhecida superior todas as preparacees su
boje existentes, sem alterar a sade.
Vende-se a 15080 cada frasco na
Ra da Cada n. 51.
1. andar.
SAUO DE PIANOS E DE MSICAS
Ra Nova n. 58, primeiro andar,
Kecebou pelo uAtimG paquete u oll^co voiaptoia das
Msicas de GOT9GHACTK. ditas de ARTWJR NAPOLEO.
Modiohas, arias, cavatinas com palavras italianas e francezas, dancas, ouvertn-
n a duas e a quatro mos ect. etc.
Hospital Portuguez
de Beneficendfi.
A junta administrativa do Hospital PoMupuez de
Beoerrucia. rog* a quem se julpar redor do
mesrnri hospital a apresentar a >ua wna at o
dia 15 do corrbte, ao reepeetivo einoler, para
ser hi contineaie paga.
-k>Td"AI
(I
cantsdi res de primeira qualidad
ana
eslao a vista
para venderse na roa do Imperador n. 14, no ar-
maiM> FTelMade, e no imtel Europa n. 12, ra
dt> Ci mmefeo. M|
Na noble do da 8 do orrenle, da estrada
de Sant'Anna para o Poco da Paoella, perdeu-se
na pulseira com 3 vallas derrotas 4* eoraj.nma
chapa grande de ooro com i peoras encarnadas,
quem a chuu querend f^Mmrmnsmammg'.
mente, dirija-s^a s a*i*Atrmi nlrfn jaMtratrflii'
Sr. Lima, ou n. roa Augusta n. 8tJ, jue ser
grarieadr..
ATTENC/K3
O abaixo .signad, < eixou d ser caixeiro do Sr
Bento Jos Domingues, desde s da 8 d" curreate,
e provena err.Mai- para agradenr ao nieta.
Sr. Bt-nto, e sua excelentsima consorte e com
I oupocialadade o seu ex-eociu, o tootki iraiaoiea-
t e maBeiras cavai*H*int>as n-m qvisempre w
dignararn tratar-me. Reeife, 12 de Janeiro de
1870.
Pronmco Antonio Silva Mata.
VEHDADEIBO LE R
ie sh.Vi:T, Docteiir-Mcitciu
Ru de Seli-xe, 51, PAlliS.
DCCTEUrHIDECtH
PHARWACIEN
Km radn gainfa, rit, rntre a rna e i> |opd a.-nl
<|iat li-va o mru fjirlc, uin rotulo iMipreso <-:n ami-
rekto com o mu laraanL d Coaanm ibajic z.
K.B.- tvirt-1
-tmif'nciimtHlra
ib- 4(10 tr,Mri.s !(>
breP.ir5,cct.;aicl
a 10 dia ile r sfa
Hin iximojjrn;! s
do abnttim-iiti) r .
aaiar dncooio
MOLESTIAS ci PEITO
HYPOPHOSPHITOS
+0 DrCHUROHILL
XAROPE de H YPOPH0SPH1TQ de SODA
XAHOPEde HYPOPHOSPHITO de CAL
P1LIJL AS deHYPOPHOSPHITO de QfJINNB
LfSE? .ANEMIA
COPE PLIDAS
'EdeHyPflRiOSPHra de FERRO
ideHYPOPHOSPHIT(liteMANBAWESU
: ro us
0 'LUX
PASTMAl PECTORAESB' CflOBCHUi
aVfdr para os xarope$ o frmmti quadmd 4 em
vrtmctui a i i|,aalBH do OaVVaV-
e o letreiro con marca de brica da
ro. 1J, r AVISO
os convtUtcaitcs e s pessoat
fnt*t e dstiltdas
Pariecipa mr- woIjoivs proprietaiios de engenln s, que acoateCMido fats?-!le>
tgoa ou Mllmfl mra a moaem durante a prsenle safra, elle tem vapores prompto-
jara assentar, sem precisar de obra nova ou dem-iieao wde botar taes ngenbts a moer oito dias depois de estarem as pecas do vapor !>-
genhik |arantindt.-. e o trabaiiio.
Fmsidicjat, ra do Brapi n. 52, passando o chafariz.
A \$ o palmo
Theodora l''rancisca da Silva retal! nra terre-
no em Beberibe a lOO o laliibi, tendo de 80t a
1.000 palmos de fundo, alem de muius mocea
fructferas : a tratar em Beberibe com o seu ati-
ldado liaaaW Pinto Itilieiro da Sirwi._____________
Ama
Precisa-so de urna ama : na raa da Cruz n. 16,
Io andar.
A<> eommercio.
Venancio Ferreira da Cmz faz publico que des-
de o dia 6 de dozeuibro deu sociednde em sua ta-
berna, rn ta Amorim, continuando os negocios sob a firma
de Ferreira & Amorim, fieando a mesma firma res-
ponsavel por todas as iransacijoes contrahidas al
esta data. Reeife .'i de jane ro de '870.__________
Aluga-se o i" andar do sobrado n. 10 da ra
do Araaao, com bstanle commodo para famila,
caiado e pintado de wo, com um bou. quintal e ?". Pra qualquer porto da fcn:
cacimba: a traUr na boca n. ti da praca da n'i'!:'j.PicltT.mAu:sn^ate_ult!m'',-
Boa-vista.
ttfflSIIO (MO M
roiJ>i;i.io
O
I
A directora do->e rollegio, Jnsephina Benvodv
da Cimba .Si ato-Maior competentemenle habiliinila-
pela diit-cior.a peral da instrueco publica, avjs:.
ao respeilavel publico, que acha-se seu cnllepi^
estabelecido ra da Imper^riz n. 611, cuja ma-
tricula abtir-se-lw 10 de janein prximo u*Br> .
e uff-^rece sen presumo aos- pais dn familia, ss<>-
verando-liic< seus bons desejos, quer a resp 'ito V
cnsino, qtur daoducacao de suas ninas. O p*o-
gramma dos estatutos leitura, escripia, arithme
tica, systeraa metnco, lingua nanoual, franciv
geograplria, msica vocal e piano ; para o Qr
haver urufeWMHO professoras competentemep-
habilitados. Tambem se ensinar bordados. Hora-
de varias quali 1ades. inclusivo s -ie cera, p daaea
Precisa se de urna ama para casa de humem
solieiro : na ra do Mondr-;,'o n. 93.
AMA
Na ra do Torres n. l(i, 2* andar, precisa-se de
urna ama que cozinhe, compre e engonnne para
urna oessoa.
AMA.
QuimuM uuumquc tpproraaa
pela > aatawij impanal e nudkina da
fari. otaaa par csUenck.
\ aat .oJiamo, OapoaeactW; Caotrf-
) ain PlaiuBMa*. *arr t C
Precsa-se de urna ama da leit-; sera filho : no
pateo de S. Pedro n. o._________________
AGENCIA DE COBRAHCAS
BAIRRO DO RCIFE
Ra estrella do Rosario n. 17, 4o andar.
DIRECTOR
Leopoldina Antonio da Fonseca.
Nesle escriptorio recebera-se procuraedes para
cokranca de ordenados e congruas, liquidaran de
coilas de pessoas do centro com outras desta pra
ca, bern assim de arrendamenlos de predios, para
agencia de causas civeis, crimes, commerciaes e
ecclesiasricas em qm- seja neeessario eonslituir os
mais conceituados advogadios o pwenradores que
meJhcr garantam os direitos da partes; para sol-
licitar ttulos e patentes na capital, ou manda-Ios
ir da corte, etc. etc.
Das cebraocas e compras sobre as qna lias li-
quidas 3 0)0, o sobre o mais mediante previo
ajuste.
A< entregas de qoaesquer eucoaujiundas e ttu-
los s sern feitas aos seus prop ios donos s pes-
soas por estes autorisadas em cartas de ordeme
mediante recibos legatmeoie passados.
Gabinete PortHa;uez de Leitura
*
EM
Frela-se o tugar inglez.de 1-c.lassc, C<<
Enropa ou Ri &
a tratar com o
capito na prnca en com os consignatarios Cawi
d Alberto Sodre da Jiolta & C, na travs!
Madre de Dos n 14.
aHHaaaaataaaaaaaVHat

A direceo da sociedada Patritica Bahiaua 2 Inttw, convida a lodos os sens socios e amigos .
seu ex prtsidenle esocio benemrito Dr. Loureaei
Comes de Araujo e Silva (tallecido na Babia.)
caridoso obsequio de assistirem a nma missa qn
pelo eterno descanso do mesmo finado, manda ce-
loltrar na igreja matriz da B*a vi-ta. na quar:
Ieira 12 do ccrrenle. pelas 7 l|i horas da nwitoa.i
pelo que se cjnfessa grata a todos ^juo ccneorr>-
rom a este acto do easMade e religia >.
Preclsa-se de ara criado livre ou captivo, ou
mesmo um moleque cresoido: na ra da Marti
de >eo8 n. 3.___________________________________
Casa de eommraetao ie esGfavos..
Na anliga casa de commisso de cscravos, rt<
abaixo assignado, ra do Imperador n. Vi, ooBIJ
nua-se a nceber escravos por CAunmissio, lanu
do mato como da praca para seren vendidos, i
garanie-se o bom iratamento e prompta veadi.
para o que se emprega lodos os esforz* afim i:
satisfazer em ludo a pessoas que o quizerem bor-
rar con sua coriaDC.a. Nesla casa ha semv-
ara vender cscravos de ambos os sexos, velbos
mocos, assim com ha t da-segurauc para os %><
Antonio Iw V. de Souza.
AMA
PERYdUld
' De orden) do lllm. Sr. presideaK da conselho
deliberativo, convido aos senhorot social effec ti vos
a reunirern-se em assembla geral, qnarta-bira 1S
do crrante, pelas 6 horas da tarde, alk de pro-
cederse a eleicao do conseibo deJatoeraw, como
determina o nico d.i artigo U dos esBttiHos.
Secretaria do eonselho deliberatiw) do Gabinete
Portugnez oe Uitura em Pernamtucav 9 dep-
neiro de 1870.
J. R. Fonseca,
2o secretairio.
HOTEL M DH1M
Offerece-se nma rapariga
familia para coser ou e
casa estrangeira; quem
ser procurado.
solteira p.ir casa " ffliar, preierindo-,
annuncie pan*
Fugiramdo engenho Ribingiido da fregu
d'Agua-Preta, os cscravos Feciann e Domingo*,
este natural das A|agdss e aquelle da freguezia
Flore*, o primeiro, de 30 a 35 annos e o segn k-
de 30 annos de idade; estes escravos pertenrrn
Sebastio Al ves da Silva, que roga as autoridaV
policiaes, e capiles de cam| o, a apprehensa* d>b-
ditos escravos, qae Ipoa os segumtes igsaes: Fe-
liciano alto, secfo, muito preto, meio earrailo
do evrpo, tem bita 4e ledos os d^mes dn quei*>
eK-
provenienl
que me nono o pe ^
so. Do ingos cela, kaixe, corpo regtihir; olbsf -
vivos, nariz afiliado, *sm barba, oio tifio, mr
lo esperto, tem urna marca de quebradura ms-
00 Ccrpo, lem nm -me kios os gi-mrs tai qu<
superior, o beifo de> urna eyeatriz no peilo de um dos ps pruvenic
de Ulhb de machado do que Ihe neno o pe gi
Tilia iiafs gawaHarVifaataaa ti fA, peitos, tem os denles limados e falta de am i
XKUa (RI EHMyUW U. WqiTeixo debaixo, ja-i litado B-oa4ega o^n.
r^^ ..i.-i..:. tur*ce imedHria tem marca: oste-sefaos fugirtm n d H d
de 1869,pede-se a entrega dell.
Este novo eslaoeleriiuento
tanto para fora como para dentro (todito esl.be-
lecimenio, assi como nos domingM e dias cantos
haver maoHk-Yacca, o proprieiari um urna
sala para aiguma* pessoas qne quaex so servir
particularmente, por isso tem comraedos suficien-
tes tiara esse flm: espera portanto, do respeilavel
publico a grande pruteecao.
Rogase ao Sr. Tlioiuaz uavalcante da Silvei-
ra lina Jttiuur.o .ujbseqiuo^e aparecer nos arma-
aens'de Jos Duarte das Neves, ao rajp de Apotto
n. 69, ou declarar sua residencia, parase ihe en-
tregar orna carta do Sr.Tfanoel >lilario de Goa-
va, do Rio-Fomoso.
dezembro -
dito engen'io, ou nesta praca ao Sr. Santiago L<
que tem ordem de ratfwi>M>*r a^em apres,
ta-los.________
Di, Va bolina Rosa de Lima Pinho cmwiri'
todos os rredores de seu finado marid o Br. Sai
no O L. Pinho a virem habilitar-se no inven
rio do me*mo*fln.do. a qne j deu cometo; o pi
testa todas as dividas qpe poesam apparer
defbv*. aafcfiMdn o ieaJfdo araaofrio aU-
ildelaaeirodmtWO-_________________
Preri-a se de oma ama para comprar e
linhar : na ra da Praia armazem os. 13 o 15-
t i
: -.';
i


!



-~-
Diario de Feraambuco Quarta feirn 12 de Janeiro de
me-se oim seahora habilitada so ensi-
testa cidade, ou mesmo para u mato, como lain-
* wm mW q''" jo lim nio
-o para mismo ensmo miu pana a Uagua fran-
mawowfti aisrnesutvpograplHe.
Ife70.
Ama
secct.
Precisa-se do ama ana que nao ja moca para
MWf eom urna enanca e cuidar de tudn que f
w rwpeito; a tratar na praca de Pedro II na-
0

Pr ea-se alus.ir una anude letie : a tratar
na rea Direita n. 82,1 andar, paga se bem.
-0 abaixo assignad". rmmorc uirea, n. /2, faz scieate a respeavul uuhlico, e
spemlmeote a > corno rnmnjerml que d.'ora oiu
***h-, awntnr*.ha. por loan Francisco d;i Costa
.nipos, em raza' de lia\er nina ouira Desm de.
anea igual.
Recite |{ de Janeiro do. 1S70.
'oda Pninci'-rn PILULESSXfGAUVIN
GO
.
Pirta.
bu pceewso fipMln vegetal Uo eommodo I
o ajlMavel remedio ni* infallivel un dts-
fMaj,, SUe eTSeti m BMrttta, ohui^eeoet ua-
g^*-**^. ealarrha.. emplee*.
i aereciawoto iu HMm carne* pode ren-
I Me aestu ptliTru : Bleataaeleeer ou ewwi
wr t uude.
BUu ato palea mji restirO<> ai ida neo I
*W; a ox: I.T.ale e acaarutlva, mtse tonwr
I Mts nu refeecoa: ea Me analto, de noile eol
liMu-ee.
M'DLaMes
I'.oisa-se de um.< wia livre que compre e
o i* andar. '
Ojn^pondencia de Portugal.
jssi^aantes dese jornal, que de Janeiro |>ro\imo
futuro pin di.-.nle a destribuierio.ser feita no lar-
* do Corno Santo, no caf da ir. Pestaa, onde
ino.t senluire* assignanles rosndario pagar
wde ja a assjpnatura do auno prximo quinze
mil res por 24 nmeros umlado do numero
1 lomri su de H do Janeiro de 1871. Nmeros
nabas mil rois. Os recibo* sao knpresm e fir-
;n'|.,s petos abalaos assignadea. A desUihuieao
* jornal para os asonantes s se (ara a aquel-
les que teuham ja pago sua annualidade.
Ta-so irmaos.
GOMES DE MnOS I RIMAOS
tendo feito completa mudanza em sen antigo e
acreditado estaJbelecimento de joias, com o flm de i
dar-lhe maiores proporqoes e elegancia, convidam
ao pnblico em geral e com especialidade as fesns.
SrasL de bom gosto a comparecerem pessoalmente
das 6 horas da manhaa s 9 da noijte na
onjfeencontrara ura completo sortimenlo do que ha de mais elegante,!
bello e precioso em brRiantes, esmeraldas, rubins e tudo que em obras*"
de ouro, praa e platina se pode desejar.
OERSCOS DE 8RILWWTES, ESlERLDftS E RUBINS
de novos gostos, assim como grande variedade de salvas e paliteiros de
prata contrastada e de gosto anda nao visto, e completo sortimento de
objectos de prata para uso das igre^as,
* iJ^m?\ C trOCam ?QaI^er &* ou pedra preciosa e *arantem
a quaWade dos objectos vendidos. 8 m
MARTIMOS
C/2
0 MUSEO
''V1 .-.r..-;i-,-r:r^s.-.,. ;,- || j
JOIAS
C'O.VTR FOGO.
A Compauhia Indemoisadora, estabelecid;
esla pra^i, toma seguro^ martimos sobr>
navios e seus carregamentos e contra fogt
em edificios, mercadorias e mobilias:
na do Viwripn. 4, pavimento ter eo.
-----------------H.
i
HANTE
DE P
^a
GRANDE
AIVTOMO JOS"
N.l-RA
Partecipa ao respeitavel publico de.sta cidade e das mais
:, acata de chegar Km grande e esplendido sortimento de
BOTA
MSICAS E IMHDMENTIIS
AZEVEDO
~N. II
Compram-se moedas de ouro e prata de to-
los os valores, ouro e prata em obras inutilisadas.
brilhantes e mais pedras preciosas : na loja de
orives do arco d.t Onceicao, no Recife.
0 nrnzeo de joias ~~
Na rna do Oahupi n. i compra-se miro, prata
e podras preciosas |x>r precos mais vantajosos do
le em entra uuakiuer parte.
-r-tull muito maior vantagem compram-se
noedas de ouro e prata : na leja de joias do Co-
rarao de Ouro n. 2 D, ra do Cabug.
iii-si i mam
Compram-se e vendemse diariamente para fra
e denlro da provincia escravos de todas as' idades
cores e sexos, eom tanto que sejam sadios : no
ereeiro andar d i so'.rado n. 36, rua das Cranti
regoecia de s.-n.!.. Antenie,
.."T l'reeisa- ifuilipiai iua escava de meia
Moe : qnem uver eqoeira vender, dirija sea lo-
ja de calcado da rna da-Cruz n. l.
Conipr.i dia .--erava -que nao sejaTiuTto
tfos.a.e i>es;,iba rozmhar : trata-se nu sobraoo
n. *H da rna das 'f rin.-heiras.

55Ruado Queimado^55
A VERDADE tendo em deposito grande
quautidade demiutlezase perfumarias.ede-
sejando apurar dinheiro e adqnerir boa fre-
niezia est rssohida a vondet,Hurtissima
barato, ; por essa razao aiavida ao respai-
la vel publico a vir competeMcmnito mani-
do a sorlir-se do bom e Barato.' Pois quan-
do a Verdade apparece, ludo mais de&-
apparece____
Grande sortimento de boneces de cera e
massa as mais lindas possiveis vestidas a ca-
rcter.
Abotoaduras moderuas para col
letea....... 3-^
Esp^lhos donrados pepnenos. 2(54*
Agulhas de os*o para crox a gQG
Peutes para regac com esntas a 3ft
Ricos globos para candieiro de gaz a l&iCr'-t
Chamins a....... 3&.1
Grande sortimento de objetos d
louca para brinquedo de menino
Garrafa com tinta a.....
Dita com agua florida verdadeira a
Dita com .lita dita a ... .
'Frasco comolco de babosa a :(K) e
Dito com agua d! Colonia a 3t) e
Compram-se
esi-rav,,^ dfl anta* o< neZM : na rna do Impera-
dor m. 7R T Ml9>r, da- 9 la mr.haa as oda larde
INDAS.
emoqOT s
provincias, visinh*, que o seu grande el* aaroditado manem^e mslrumwtos para mosi-
aulores os mais acreditados neSta cidade, como sejan : os
d !sri?
CEMENTO
0 verdaHciro portland. S se vende na
ra da Madre .le Deus n. 22, armazem de
J..ao Mitins o> Barros.
Nova, fiitura~deTalaios^
ce- tas
Bercos-, cmidecas, roupeiros. e costnrei-
ras de todos os tamanhos ; ra Direita n.
9, vcnde.-se por menos do qce emootra
qualquer iwrle.
Bons escravos e escravas
Vende-e. t-escravos bonitas figuras, iila-
de 13 a 22 annos com todas as habilida-
des precisas ao servico de urna casa, 1 es-
crava pessa. idade annos. i moleque
idade 1( annos. e i niulatinhode V anns:
na nravess du Carmo n. -1.
n>, da qnem o anunciante e o nico agente n-sta cidade, conar orva cun o documento abaii tr.-Ti,.^^.^^^
cados wiMcttlaienle para o clima deste paz, sao os nicos que offerecem urna garant7sW s dSS Hl! W1" ^ ^ "^^ &tes piaB0S' fabr-
***** o -JftSjJPS oq,SCceTfiacS.Daa'JS ^C'1Sa' ra rSadaS a ^f 0C1-tificad0 de ^ asignado pelo Sr. Blondel, aflm de provar a aua
lo R/yife,
iad [Mtr (asnt.
AO PUBLICO
Cera ou velas e esa grume
a Uoe por libra
Dominpos Alvos Malheus, tem para vender em
sfloesrripterte a ra do Viga rio o. 21, superior
eera em prume em vp|;is fabricadas em Li-ba
peh. barato prec. .lo 13200 por libra-em lotes a
ventado do cotqpraiitr.
Vende-se ps d^nzeiraN de Alexandria bran-
ca ja plantadas em sesto. pmprias par;, mndar-se
e de uutras mmtas -jualidades em Parnameirim
citwjuiitn aw portan do encanamento d'agua.
Mr. Alpbooae. Blondel, fabricante de pianos em PARS, declara ao resm&Tvpi neali do arn~*i ,
i i UlA NOVA N. U, a,m de fe**"Li de On^^Kl^* 2^g^tt& tt&'X
Pars, 24 de julho de 1809.(Asssignado) Ipkonse Ulondel.
O mmotm tambera troca o doga pianos. E tem o maior e mais expendido sortimento de iiovis l '
MI 'SICAS PARA PIAJVOX
... As quaes reeebe directamente da Europa e do Rio de Janeiro das arredilarlas ,"mfi ,in7 ^ e v ,
6. rabera tem grande sortimento de papel para msica e desenho ; Jtor^Z^ nnS %vi T t Tm#* NarCS' Al'lhur *aok* C"
a^!ho ojalas, neos espelhos donrados. quadrados e ovaes, caixinhas de coeufra raTs^^lta SZ ^r^ 'T .ora:"nentJS lle salas- Meados para
^tfett da todos os unannos, tala^arca. las e agulhas para bordar, e muitos m^^am^^Lr^^S^'-r'^M m desPertador' vi*os para
atwte t >Sr. Antonio Pereira de Souza dipe-se
onipar.Tr na laja do Passo a ra do Crespo n. 7
a npgwci.i que nao ignora : i;to com urgencia.
Miionro da Costa Mello tendo de retirar-.-e
para huropa, vehile sua casa e padaria no povoa-
dodus .\f,;nles, aja casa se acha bem afreguezada
e propria aara-^iialquer principiante, e tambem
se faz neguo a praso : a tratar no mesmo povoa-
ao ou na ra das Cinco Poijtas n. 89
Caixeiro
IVed^a-se de um pequeo de 12 a 14 annos,
Itrnutciirs, nmada Cnu n. 1*1.
CASA
CASA FELIZ
Aos 20:00(M00O
*Rfilearela Cnaeelfoo. t
O abaao assignados^teado-se habilitado na
waa lew, tem exposto a venda os seus feli-
**" ioirrias do Hio da Janeiro, rca&
^awj.aoudese uacari> as sortes que sahirem
-s jnesm.* winetes, com o descont someate
PRSf;X)S.
Rilhete inteiro 2/000
Meios 000
Cuarto 6^600
Pde lOO para cima a 22* o bilhete.
________________Figueirodo A Leite.'
\RRE.NDA-SE a prophedade denorni-
nadi Barra de Serinhem, no litto^tl da
fregoezia do mesmo nome com grande ren-
da da trra a receber e muitos eoqueiros a
desfi-urtar ; tendo, alm disto, a escellente
rara postad beira-mar e beira-rio, intei-
rati.erit" apropriada para manter-se ahi
qnalquer tabelecimento commercial de
scc roran. 20. una do Imperador n. 20.
Em casa de THEODORO CHRISTI-
ANSEN, roa da Cru n. .8, encontram-st
efiectivamente todas as qualidades de vinh(
Bordeaux, Bourgogne e de Rheno.
DE MPORTACO E EXPORTACA
. J Escriptorio, ra do Vigario n. 5,
! ANDAR.
No escriptorio de Leal & Iimo, ra
da Cada n. 5G, precisa se de um feilor
para ongenlio com uabilitacao, pratica, e
FABRICA DE PIANOS
______ DE
J. Knjgas, suecessor
56Rna do Imperador55
bXJX^ comooutr'oragrande sor-
ATTENCAO
Vende-se um sitio no lugar Paratibe, perto da
bsirada-aova, com casa de pedra e cal coiu quatro
qmirtus, du.-.s salas, casa de farinha. estribara,
perto do banho de agua doce, com 70 ps de eo-
queiros, 100 ditos de cafezeiros, 50 ditos de laran-
geiras, e-outras diversas fructeiras: quem preten-
der (nja-seaoluar Maricela a entender-so com
seu pmpno dono Miguel Ferreira da Cunha, ou
na ra da Cruz eom o Sr. Andr Barbosa Soare<
Gairafa com agua divina a.
Frasco com exilados finos a .
Laks pequeas com banba milito
hna a 4-2" e......
Sabonetes de diverses cnali tedes a
80, I00,240e.....
Finas escovas para dentes de 190 a
Ijiodos coques modernos a. .
Pavios para gaz, dazia a 240 e .
Escovas para lado a t 0, G00 e
Ditas para cabello a.....
Pentes para tirar piolho a 100 c.
Brincos de corps, bonitos a 100 e
Pecas de tranca de lia com 8
Natas por.......
Oleo para machina de costura,
frasco a......? .
Pennas d'aco finas caixas a 800 e
Dita d"aco Perry, caixa a. .
Galao de algodo peca ....
Lindos babadinhos e entremeis
peca de 800 a......
Ditos de louca muito fino a 120 e
Ditos para calca a 4W) e. .
Caixa com papel amizade a. .
Ditas com iivelopes a. .
Ditas com obreas a.....
Caixa com agulhas fundo dourado
Ditas de ditas ditas a.....
Tbesoora para costura' a 2i0e
Caixa com linha de marca a .
Linba de cores em novellos (li-
bra) a......
Carreteis de linha Alexandre de 70
at 200. .,,... ;
Grampos muito finos com pausa-
ros, duzia a......
Cartas portuguezas, duzia a .
Ditas franeezas a 2^200 c .
Papel alniaco e de peso, resma a
35400, MMQ e .
aa muito fina para bordar. ii>r
Fita de algodao para debium de
sapatos, peca a.....
Dilas de aa para debrum de ves-
tido, peca a ......
Pentes finos para segurar ca-
bello a.......
Ditos ditos de bfalo para alisar
a 20, 320 e......
i Ditos para aparar penna a .
Rosetas pretas, par a .
Tranga de laa d- caracol peca a 40 e
Fita de coz peca a 480 e .
Alfinetes de latao a.....
'Sapatos de la para enanca a 40e
Gravata de serlas de cores a .
Galcadeirae a.......
Grande sortimento de rendas das libas,
m par de suspensorio de borradla pin
lOOris! !I1MI
Ka Verdade ra de t^iefsuadn
u. 55.
4 O'
?%;
IIBIH)
7; '
59(i
meo
WOOli
dfK
20(^
$20
706
B6o
24e
200
80
i-spoi
4daO0
><:
I
240
700
4 SO
ki
288
m
SOf*
B0C
10
>TU|
'.'v<-
Ovjitt
I
60
40t
4 O)
100
566
400
SO'.i
266
86
unid <.-uMciiMu uuih uaijiiiw^o, pratica, e -"--- "6 ^ uem cunueciua casa, encontrar-se-na comooutr'ora.?nndA nr
que d fiador sua conducta, prel'erindo-se ^^ d P13'1^ constroidos eipressamenie para o clima deste paiz, e Mr J Rh^
casado com pouca familia. ^endo trabalhado mudos annos na construccao de pianos em Paris, acha-se nabilkado
- a-se 25*oi*> mensaes pelos servicosle-.^ ^gJJP "ff^8 P'aos qaev ende-com todos os accossorios indispensaveis nao s sua
a-se 2o*0W mensaes pelos servioos de um
pre!o, ou homem jire, na rna do Rangel n. 9, pa- 10llz ^OBBO a sua duraco.
dara.
- indispensave
todos os piaooS;So garantidos.
______ ,. Tambem ha neste estabelecimento, grande variedade dc-mosicas novas e dos
Os abaao asignados fazooi puolico^uo Uw aon, tanto viudas de Paris como do Ro de Janeiro que.se vende mai
do 4" de Janeiro de 4B70 em diante a sua casa commercial girar com a firma de ?"ecto-Beeessano coalrocco de pianos. Os concertos e afinacoes de Danos sr5n
Simpson, Duder & C., fican.lo a cargo da eAos <** o maior zelo e cuidado. v e pufl0S ^^
nova firma a iiqnidaco das transaccoes "*------------------------------------------------->_______________
feitas pela firma que boje tica extincla.
Recife 34 de dezembro de 189.
D. C. & C. C. Simpson & C.
.
IVvisa-se de urna ama, preterindo-se idosa,
para e.oieorar connhar pal, doa- pessoae no
pate. do irme. %. 39, d#rte-o pectie de San-
Ix l nei. za. sobrado.
Sab le abatrao
para mar as meliMhs de peMl,
laes fomo eiupiiipjns, dadivo,, samas, comiohoe
in:a- iu le,; dosfcaa, aatSi aCaups nanee, sardas,
iestah.-!e >eevuijraf, qwiote a cutis, secca,
gnwsa m memUenfe, eeeaitionsdo por alguma '
'Hf.Tiindade, e ririt ifn infatnin pcoveotim.
BwiK-a da PuHo, ra iarg^ellVario n. it. ianto
*" 1'iarwi y poeta.______________________
^^^^Maeira declara ao respei-
avel ptfl n especialidade aoenrpodn
'"umiin-ivii, 4n adiwuj, yui socio de saa casa
eoBim-relal, 4-n*e de *** e. tt, a se iraiao
J.*e Joa.)^ Ornes rixewa. desde o i* do-cor-
1<"n afora em djuaia guando sob a
waao "fciaeira St Irraao. Ri
Janeiro d 4870.
CAMA DA aVE.
Aos 20:000^000.
Bilhetes da Rio > venda : ra do Cabug n. 2,
vendeVjeira A Rodrigues._______________
Agencia geral,prega do Corpa
Santo Rea fe n 21.
Todas as pessoas que tem para 3lugar
sitios, casas ou escravos, sao-cimvidados a
regestra-los nesta agncia, A moda de
proceder e simplesmente de mandar em
escripto urna descripcao do objecto que
sequer alugar, acompanhado com a quantia
de mil res, e as noticias ficam patentes
ao.publicQ at que o aluguel for eito sem
mais despeza alguma.
~ Peeciia-se de um menino par oaixeiro : na
roa Direita dos Afogados n. 32. taberna.
meia idade que
a tratar na ra
Liquidaqo.
O proprietario da loja. denominada Garibaldi,
Taz ver ao respeilavel publico e seus freguezes, que
tendo concluido seu balando, como de co dar-se no fnn de cada ann.i. e tendo o mesmo pro-
prietario eito diversos abatineuios em suas fazen-
das para servir seus freguezes, como sejam algu-
mas abaixo mencionadas, a sabei : madapolao
5* e *%' MSrizo pessa i* e oi, chitas franee-
zas a 280 o covado, cassas franeezas a 2A0 o co-
vado, alpacas de cores para vestidos a 500 o cova-
do e oatras muuas lazenda> que seria enfadonho
mencioear por falta de tempo, fazendas preas para
a quarosma a saber : grosdenaples prelo de to
?t frnalldsdl's. paDeo fino prete de todas as
qualidades, caxemiras pretas e de cores e nutras
muitas tazendas que se vende sem reserva de pre-
eu na ra da Inipera'.riz loja do Garibaldi n. 56
em tempe para nao haver engao na frente da lo
ja do Garibaldi baver dous letfciros de liquida-
cao em lettra grande. H
Manoel Al ves Ferreira & C, na ra du Mm -
da n. 5, 2o andar. t->m para vender superior vint.-i
do Porto em ancorlas e caixas de duzbs, barri'-
zmhos com 400 e 500 sardinhas superiores e bar-
ricas com bago de sabugueiro. poiassa da Rus-w
e cal de Lisboa
Attenco.
Vende-se muito barato a cocheira da r
Sol n;27, com carros e cvalos, por seu dono.-; r
doente : a trata a- na mesma, ou na ra do Rosa-
no da Boa-vista n. 66.
QPWttSSO SOFFOC^O
Precisvse de urna ama de
saiba cosinhar e^psaboar bem :
Imperialn. 245.
O proprietario do mnibus da carreira da Var-
zea, abaixo assignado, fai sciente aos senhores nas-
sageirosqwdehojeeBdiaBte nao nodem rar
babusnemhw, paradme de Iji arrofca, e
UaJ^asjyssapw autsas serio de beje en
aldWO. Keeife tilde Janeiro de 1870.
Antttoie Jos C.wltto Cameiro.
a* rcroi d'rthcr do ecOTon Clfrtah approvadas pela Academia imperial
de medicina de Panz acalmare quaai sempre instantneamente os ataques d'asma
oj.'|;ressaor aflocaete, assim como as dores de cabeca e enxaquecaa. suffi-
i-iente na occasiao em que apparacer o mal, o engolir-se urna ou duas perolas
este genero de doencas.
* rrroi.a d creJ.o.unM do eoctor Clsbtah sio impregadas diariamente
eom grande ex:lo para a cura das nevralgiw, rheumatismo, sciatico e catarrhos
da bexiga, Eslas perolas forera semprerecomniendadas porum grande numero
de mdicos e especiajnignte pelo Doutor Trousseau, que indica este medica-
L ment cerno o mais ccaz. cooveniente tomar de 4 al 8 na occaaio das
comidas.
A approvaca da Academia imperial; de medicina *em duvida a melhor
garanta da boa preparaeto d'stes medicamentos e de sua efficacia.
Pede-se attenco. ,
Vende-se.
0 lindo o muito veleiro patacho inglez J. Boto-
ley, loaco de 143 toneladas e carrega 220, calla
do de 10 ps carregado, com 94 ps de quilha, 31
de baca o H de pee tal, tendo sid > construido em
I*7 n liba Uritauioa Prince Edwrd, e cbssifl-
cado A /, com mastro novo de proa de pmho de
Riga, andaina intoira do panno novo, recentemen-
te apparelhado a rame, com seus pertences com-
pletos, e mais sobreceteiMes constantes do inventa-
rio. Declara-so haver sido dito patacho prompti
fleado antes de salur de Inglaterra com masslros,
masaaine de rame, e andaina completa de panno
inleirameole novo ; .; qne para memores informa-
goes, pedem os pretenaeotes examnalo no anco
radouro da descarga ueste porte, e eatenderem^e
com os 8r<. wxpson Duder 4 C., roa do Com-
mercio n. 16.
escravos do ambos os sexos : na roa do Impera-
dor n 75, andar, das 9 da mavhaa as S da
tarde.
Lata a venda
Vende-se o estabelecimento de msicas da ni \
Nova n. 9 : a tratar no mesmo.
Departa era Rio-Jamir*. Dupimcltetle; Chftmlot
JUIIIIIJalJ
Em Pebwubco. taurer k. C".
ARARA
E' novidade.
BSTOrIM.
No caes 22 de Novembro n. 32, vende-se erte-
pim para quebrar pedras.
Vendem-se quatro escrava, sendo fes m-.
midas, com idade dlo annos, bonitas (iguras. -
com habilidades, outra de 24 annos, tambem con
habilidades, e dous pretos proprks para todo >
qiialquer servido de casa, ambos eom idade de *>
annos : na ra estrelt do Rosario n. 43, pritn.
ro andar. -
Aos senhores. de engenho
Vendem-se duas rodas* de madaira com denii
duras para molinotes,- acabadas de novo, propr;.^
para engenho de ankaaes ; assim como nm gigan-
te de ferro para doue cavalk toearem a moenAa
de um engenho : qnem pretender dirija-se a ni
daCnu do Rarife n. 59, armazem.
Vende-se
por menos do que om outra parte fermha da la
ra e feijao malatindo : no armazem Independ 1-
cia, ra do Rangel n 3.
CARVAO DE BELLOC

O proprietno da loja da Arara, tem a honra de
declarar ao respeitavH pnbtfco, qne recebeu um
completo sortimento de faaendas de todas as quali-
iZT^9 v,i "P01* a venda <* P" mais barato
que possivel, como seja madapolao de todas as
qunitades, aigodiosinhos, cbius e cassas, panno
.linos pretos, cachemiras pretas e de cares, grosd. -
aples pretos e outras militas fazendas fue a vista
Ais seus freguezes verao a sua qualidade de preeu
ramo e barato : ra da lmperatrlz, loja da Ara>a
~ P'r 700000, barato, vende-se nma mnla-
" J annos com habilidades: na ra de Hor-
96.
fu de 3
Us n.l
& Irraao. Recife, 4! de
8iWI do Phffof 1T. 58
Em Hfc*d*&DftL tad donar grande, ala-
ga,se um ca. com boas eonirniKl.. per peqoe-
na launti, tem duas salas, dous quam*, sotfo,
eoainha.apra, e um pequeo quintal : trata-?e no
caes do A|aHo n. 69.
Approvade e recommatdado pata Academia inser) de mediema de Paria aira a
cora da gattal^a e em geral de loda as doencas nervosas d estomago e dos iatesaos.
*<*mhnmt laaaaia aa aanti contra a rtNeaeao de ventre Hajmeate em
2! *?* f^'l'^'to*,ll^^mm ***> nemmaAo como rerddeiro remedie om
aa* de dairrhe* e cheleriiia, aar^a 4e a)Ula tema-^ aa occasile da7^ld
>ok..as. *- oecasiaa daa coafcts
Vende-se urna bonita crenla peca de lo
aBaos, com urna cria de 1 anno, tambem preu :
I rna de Hortas n. 96 Na mesma casa haou
os escravos para se vender.
Vende-se un arrinao americano de dns o
geatraassentes : para-ver e tratar na ra da Fio-
fwpnna, offlcina do Sr. Grosjean.
efinmytb ~
^ Vende-se a refinaio sita Taa de lionas n. 7 :
tratar oa mesma.
Candido Alberto Sodr daMotta & C. o
escriptorio e ameaem na travo* da Madre de
Dos n. 14 tero pata veader o sefuinte :
Cemento Porilaad de quadade o melhor qno
tem viado ao mercado.banfeas de 12 a 14 arrobas
por 104000.
Vinho Bordeaui das segniates quaJidades:
St. Julin.
Fronsac.
Lormant.
St Emilion.
Margan.
Chateau de Ekncherefle.
St. Lamben.
Lalonbere.
Doplessis.
CaOor.
Dearsesai.
Vinho do Porto qaaNdade muito especial.
Azeite doce refinada em eateas de 12 garra
vinagre superior en garra/es pequeos.
.. VT.el hamburgnai, saceos de 90 toras, p. r
05000.
Parinba de trigo dt superior
Barris com alcatfae, da aeca
Fumas de todas as ojaliJat^
neste e4abelw-taent4<-eemta
Papel de todas as qnllWad
garros.
IUGVH






Diario de Teiuambueo Quarta feira 12 Je Janeiro de 1870.
_________________________. :------------
IiOJA
?
w
riraBabM vazias proprias para presantes
cnisa de gosto.
Indispensaveis le patinha e decouro pro-,
prios para senhoras e meninas traer nos
bracos. I
Binculos dj. madreperola, niarlim c tar-
lartua todos esmaltados.
linios largos de setim, coasainteirnnen-
ie nova.
BENTO MACHADO ft C, \J
A AGUIA NEGRA animada cun o bom accolhimento que t-jve em seus annun-
r,io$, vera de novo participar a seus fregae*et, que. acaba de receber um r'a s0
mp.nto de obiectos de gosto, os quaes lerln vendidos por precos mudo rwoaveis, pois
.luando fez os seus primeiros annuncios, foi o que assegurou. e sm mftdJ lee^r,
porque 0 mo j disse est ligada por h.teresses a urna casa importadora desla. praga, e
por isso poder ter tudo especial e vender por precos adm'.raveis.-Chama pois a alten-
C3o seus freguezes para os artigos que possa duscrever: k,rt0;r P
Livros cora o lampo de raarim, madre- lim vanado snrtiments de charute.ras e
aerla e tartaruga, proprios para missa. ,, pal I uniros de porcelana,
Tontos para vollarete.
Ikngallas com marm, cousa especial.
Sabonetes de aicalrao.
Cofres de tolhas para dinheiro.
Lindas caixas para costura.
Um completo >>rtimento de luvas de pe-
nca,
Talacorce para bordar.
JHUT ^ CS 'rg ^ complet sortimento de enfeites de
Toucas, sapatinhos meias de seda e mais seda para vestido.
pertences para baptisados. i Perfumaras de todos os autores os mais
Fitas com inscripces proprias para bou- acreditados em extractos, pomadas e leos
quet de noiva, e finalmente outros muitos objectos que nao
Ricos vasos com p do arroz. possivel mencionar ; mas com a V1*la se
Um variado soriimente de jarros de por- certificaro do sortimento deste eslabeie-
colaoa. cimento.
Aguia Negra, ra do Cabug n. 8.
-2 B-SS
w s: co c .= o
B S
cr = re c~
r Q
a
52 a s, ""rg3 ja
,_ re- re =r o s
g ^0 = 2 rfS
B 8 S re
finr-i1
2SC
ioI<8*.
^5
&^ 5 5

- o e-: I" g
c_- > ^_ v> re
S|3S S
, re = re ? g
s re -i o, o
S 3 a g_
o re c
c a m "S
^3 2.1 2
M a S
(D b u C .,
re c- s
c.=
"
i m
S tfi
&>- n m o> re cj

Di
GALLO VIGILANTE
Ra do C respe a. >
Os propnetarios deste bem conbecido estakele
cimente, alm dos muitos objectos que ttnnam ex-
postos a apreciaclo do respeitavel publico, .man-
daram vir e acabara de receber pelo ultimo vapor
da Europa um completo e vanado sortimento de
finas e mui delicadas especialidades, as quaes es-
tilo revolvidos a vender, como de seu costume,
por precos rauito baratinhos e commodos para to-
dos, com Unto que o Gallo....
Muito superiores,lavas do pellica, pretas, bran-
cas e de mui lindas cores.
Mui boas e bonitas gollinhas e punhos para se-
nhora, neste genero o uue ha de mais moderno.
Superiores pentes de' tartaruga para coques.
Lindos e riquissimos enfeites para cabegas das
Exmv- senhoras.
Superiores trancas pretas e de cores cora vidn-
Ihos e sem elles; esta fazenda o que-pode naver
de melhor e mais bonito.
Superiores e bonitos leques de madreperola,
marfira, sndalo e osso, sendo. aquellos brancos
com lindos desenhos, e estes pretos.
Muito superiores meias fio de Escossia para se-
nhoras, as quaes sempre se vendern) por 30*000
a duzia, entretanto que nos as vendemos por 20,
alm destas, temos tambem grande sortimento de
outras qualidades, entre as quaes algnmas muito
Anas. ... .
Boas bengalas de superior canna da India e
castao de marfim com lindas e encantadoras figu-
ras do mesmo, neste genero o que de melhor se
pode deseiar ; alm destas temos tambem grande
quanhdade de outras qualidades, como sejam.ma-
deira. baleia, osso, borracha, etc. etc. etc.
Finos, bonitos e airosos chicotinhos de cadea e
de outras qualidades.
Lindas e superiores ligs* de seda e borracha
para segurar as meias.
Boas meias de seda para senhora e para meni-
na* de 1 a 12 anuos de idade.
Navalhas cabe de marlim e tartaruga para fazer
barba : sao muito boas,e de mais a mais sao ga-
randas pelo fabricante, c nos por nossa vez tam-
bem asseguranws sua qualidade e delicadeza.
Lindas e bellas capellas para noiva.
Superiores agulhas para machina e para croxe.
Linha muito boa de peso, frouxa, para eucher
labyrintho.
Bons baralhos de cartas para voltarete, assim
como os tentos para o mesmo lim.
Grande e variado sortimento das memores per-
fumarias e dos melhores e mais conhecidos per-
fumistas. __
COURESDEROER.
Elctricos magnticos contra as convulsoes, e
fa<*ilitam a dentico das innocentes criancas. So-
mos desde muito recebedores destes prodigiosos
collares, e continuamos a recebe-los por todos os
vapores, aflm de que nunca faltem no mercado,
tomo j tem acontecido, assim pois poderao aquel-
es que delles precisarem, vir ao deposito do gallo
vigilante, aonde sempre encontrarao destes verda-
deros collares, e os quaes atteridendo-se ao um
para que sao appticados, se venderao com um mu
diminuto lucro.
Rogamos, pois, avista dos objectos que deixamos
declarados, aos nossos freguezes e amigos a virem
comprar por precos muito razoaveis loja do gallo
vigilante, ra do Crespo n. 7. ______
Machinas vapor de
forpa de 3 e 4 ca-
vallos.
Motores para 2 cavallos.
Arados americanos.
Machinas de facao e serrotes para desca-
rocar algodo.
Balanzas para armazera e balc3o.
Camas de ferro.
Cofres de ferro de Milnez e de hit-
field.
Prencas para copiar carcas.
Fogo americano patent
D cordeiro previdente
na do |nlniado a. 1.
Nofo e variado sortimento de perfamariai
finas, e bitos objectos.
Alm do completo sortimento de perfu-
maras, de que efectivamente est provida a
loja do Cordeiro Previdente, ella acaba da
receber nm ontro sortimento qne se torna
aotavel pela variedade de objectos, superiori-
dade, qualidades e commodidades de pre-
Notos Vestidos brancos deblondpara noivas, lindas colxasde sdapara c^mas,. coa; assim, pois, o Cordeiro Previdente peda
T..T.I..J.. i.jLCTI ..m,Miu. fPAnhaA tnaiis de e espera continuar amereosr a apreciaclo
. AS NAVAS SEDAS
! ll-EUA DO aUEIMADO--ll
Chegarara da Europa pelo ultimo vapor loja de Augusto Porto 4 C. ricos
cortes das mais linda sdas de mimosas cftres para vestidos proprios para bailes e Basa-
mentos. ,
Grande variedade de sedas delistras de diversos precos todas de lindas cores,
gorgurJo de seda preta, e grosdeoaple de varias qnalidades e gorguro de seda 15a de
difierentes cores.
Novos vestidos brancos de'blond para ...
ditas de la e seda, cortinados bordados para camas e janellas, fronhas e toalbas de
cambraia de linho bordadas.
Luvas novas de Jouvin.e elegantes sombrinhas de sedas de cor para sennoras.
Espartilhos de 55 at iOi, lindos bournous de cacbemira de cor para sahida
de baHe, basquinos de renda preta, e ditos de croch branco e preto para senhoras.
Grande variedade de camisas bordadas e lisas para homens e meninos.
Sortimento de muitas fazendas de laa, linho e algodSo todas por preges muito
mdico. ...
Tapetes grandes para sof, piano e camas, pegas de tapetes o de alcatna para
forrar sales.tudo em quantidade; e vendem semprepor menas que em outra qaalquer
steiras da India. de 4,5 e 6 palmos de largo.
misMi ai iiir~
Grande armazem de fazendas e ronpas feitas rna da Imperatriz
n. S2, porta larga, de Paredes Porto.
Neste estabelecimento encontrar o respeitavel publico um bonito sortimento
de roupas de todas as qualidades, palitots de alpaca a 3)5, 3{5>00 at H- Ditos di
merino, ditos de casemira de cores bonitos gostos a 50, 60, 80 e 100, de panno preto
sacos e sobrecasacos. Ditos d brim pardo finos e ordinarios. Ditos de alpaca branca
e de cores de 30500 a 50000. Caigas de brim de cor finas e ordinarias, ditas
brancas de todas as qualidades, ditas de brim pardo fino e ordinario, ditas de casemira
de cor e preta de 40, 50, 60 a 150. Colletes de todas as qualidades e prego muito
barato. Completo sortimento de camisas francezas de algodao e de linho de 20 at 50
urna. Sortimento de seroulas francezas de algodo, de linho e bramante a 20 e 20500.
Gravatas (mantas) novissimo gosto a todos os pregos. Meias sortimento completo a 30.
i0 at 70 a duzia.
ROUPAS PARA MENINOS.
Encarrega-se de quaesquer obras de encommenda tanto para homem, como
para meninos, e com brevidade, por isso que tem um bonito sortimento de fazendas de
todas as qualidades tanto em casemiras como brins, pannos finos e outras multas fa-
zendas.
FAZENDAS
Bramantes de 11 palmos de largura a 10800 o metro.
Cambraias de cor e branca.
Alpacas de todas as cores a 640 rs. o covado.
Poil-de-chvre com lista de seda fazenda de gosto a 10200.
Basquines de guipure enfeitadas a 180000.
Sortimento de chitas escuras e claras a 280, 300 e 360 rs.
Madapolo fino a 60500, 70, 80 e 90000.
Algodo pega com 20 jardas a 40500, 50500 e 6*000.
Pega de algodao largo a 70500.
E outras tnoitas fazendas que ser enfadonho mencionar Cheguem a roopa
feita quelse est liquidando na loja ra da Imperatriz n. 52Gunto loja de ourives) do
LEaO da porta larga
DE
v Paredes Porto.
i
B
o
B
o
as
B o
3 Co
Si< CD O
ffl GO -
^1 S3 ce
a>
B

o
cu
t=3
(Tt-
o
B
l
50
GC
P O ce

P^ r-f- r^- fi
(t 5 t
SSg-2
?5' O O
PuS S3
"5"
t
te!
O
t
o s a b "-
i
S5

GC O
GO

LOJA DAS MACHINAS
BASTOS
- Acabam de chegar grande quantidade das verdadeiras machinas americana
pira descarogar algodo de todos os systemas e tamanhos segrales:
12
14
15
16
18
20
22
25
30
35
40
serras
ditas
ditas
ditas
ditas
ditas
ditas
ditas
ditas
ditas
ditas
12 serras
14 ditas
15 ditas
16 ditas
18 ditas
26 ditas
22 ditas
25 ditas
30 ditas
35 ditas
40 ditas
6 quaes se vendem por precos commodos e roga-se a3 pessoas que dellas fizeram en
commendas de liguas tamanhos, obsequio de as mandarem busca-las o mais breve pos
vel afim de nao haverem faltas.
RA DA CADEIA N. 56 A
nova de Lisboa
ehegada no ultimo navio : vende Joaquina Jos
Ramos, na ra da Cruz n. 8. 1 andar.
NO BAZAR DA MODA
OE
JOSfe DE SOMA SOARES 4 G,
Eua Nova
VENDE-SE MUITO BARVTO PARA LIQUI-
DAR A DINHEIRO.
Luvas.
De pelica branca muito frescas, chegadas
por este ultimo vapor para homens. senho-
ras e de cores e pretas para meninoso
par 20000.
Minhas festas!!
Lindos obiectos para miraos, como sejam:
Estojise caixinhas de msica, bolcinhas t
sestinhas. vasos e balainhos de porcelana
dourada, figuras, tinteiros, port-bonquet
caixinhas para j'jas, interesante* conchinhas
cora frascos para excencias, ricos quadros
para retratos, apparelhos de plaqu, cama
feo e madreperola, lindos vasos com perfu-
maras etc. ele, e muitos outros objectos
para este fim.
Chapeo* de sol on sombrinhas
de setira ricamente enfeitados e mais mo-
dernos que pode haver para senhoras a
140, 160e 180000.
GUIPURE OU CROCH
preto ou branco que o pode haver de mais
bonito em padrees e superior em qualidades
para casacos, capinhas, corpinhos, meias
sias etc. e vende-se muito barato."
LINDAS CAMELIAS
brancas e cor de rosa h> dous tamanhos
cada rosa a 10200 e 10500.
Chapeos para senioras,
de palha fina de Italia elegantemente enfei
lados e gostos muito modernos de 150000*
vende-se para liquidar a 100000. E' pe-
chincba.
lUZ GAZ GAZ
Chegou ao amigo deposito de Henry Forster *
u., roa do Imperador, um earregamento de gai
de primeiraqualidade;o e a retolho por menos pre$o do que em outra qual
qqer parte.__________________________
Antonio da Costa Mello, tendo do retirar-se
para a Europa, vende sua casa e padaria no po-
voado dos Montes cuja casa se acha bem afre-
guezada e pmpria para qualquer principiante, e
tambem se faz negocio a prazo : a tratar no mes-
mo povoado ou na rna das Cinco Ponas n. 82__
Na ra do Roaario da Boa-vista n. 33, 2 an-
dar, vm1e-se urna escrava recomida, de 18 aunos
de idade. coxinha o ordinario e tem principios de
rostur____________________________.
Armapo baratissima
ha ra Nova n. 48, vende-se um grande arma
cao, pane envidracada, caoteiros, dous batces e
diversos caixSes grandes, proprios para taberna,
padaria, deposito ou ontro qualauer negocio, a
qual se vende por preco baratissimo aflm de desoc-
cupar a ca vastes arqueadas de ierro, <
e espera continuar a merecer a apreciaclfo
do respeitavel publico em geral e de sua
boa freguezia em particular, n5o se afas-
tando elle de sua bem conheeida mansidJo
e barateza. Em dita loja encontrarlo oe
ipreciadores do bom:
Agua divina de E. Coudray.
Dita verdadeira de Murray & Lamman.
Dita de Cologne ingleza, americana, fran-
ceza, todas dos melhores e maisacreditadoa
fabricantes.
Dita de flor de larangeiraa.
Dita dos Alpes, e vilete para toilet.
Elixir odontalgico para conservagao de
isseio da horca.
Cosmetiques de superior qualidade e chei-
ros agradaveis.
Copos e latas, maiores e menores, cose
pomada fina para cabello.
Frascos com dita japoneza,. transparentt
a outras qualidades.
Finos extractos inglezes, americanos
(rancezes em frascos simples e enfeitados.
Essencia imperial do fino eagradavel chei-
ro de Violeta.
Outras concentradas e de cheiros igual-
mente finas e agradaveis.
Oleo pbilocome verdadeiro.
Extracto d'oteo de superior qualidade,
com escolhidos cheiros, em frascos de difie-
rentes tamanhos.
Sabonetes em barras, maiores e menore
para mos.
Ditos transparentes, redondos e em figu-
ras de meninos.
Ditos muito finos em caixinba para barba.
Caixinhas com bonitos sabonetes imitando
ructas.
Ditas de madeira invernisada contendo fi-
aas perfumarias, muito proprias para pre-
sentes.
Ditas de papelao igualmente bonitas, tam-
bem de perfumaras finas.
Bonitos vasos de metal coloridos, e d*
moldes novos e elegantes, com p de arroi
a noneca.
Opiata ingleza e franceza para denles.
Pos de camphora e outras diflerente
qualidades tambem para dentes.
Tnico oriental de Kemp.
Anda mais coques.
Um outro sortimento de coques de no-
vos e bonitos moldes com filis de vidrilhoa
a alguns d elles ornados de flores e fitas,
9st3o todos expostos apreciaclo de que
os pretenda comprar.
GOLLINHAS E PUNHOS BORDADOS.
Obras de muito gosto e perfeiclto.
Flvellas e fitas para cintos.
Bello e variado sortimento de taes objec
tos, ficando a boa escolha ao gosto do com!
prador.
BAPfi POPULAR
DA
FABRICA NACIONAL DA BAHA
DE
Teixeira Uldurico fy C.
Acha-se venda este ptimo rap, nico que
pode suppnr falta do princeza de Lisboa, por ser
de mui agrada vel perfume, viajado, e a preco o
mais mdico possivel; e por isso tem sido asss
acolhldo as pracas da Baha, do Rio de Janeiro e
em ootras do imperio : no escriptorio de Joaquim
Jos Goncalves Beltrao, ra do Commercio nu-
mero 47.
LIQUIDADO
de fazendas.
Na ra Nova n. 48, anda restam algumas fa-
zendas que se vendem por puros que admiran
como sejam laazmhas a 300 rs., mossambique
com listas de muito lindas cores a MO rs., chitas
a 200 e 300 rs., grande quantidade de cambraia?
de muito lindos padrdes a 300 rs., e oniras omi-
tas fazendas que pela sua boa qualidade se tor-
nan) recnmmendadas para casas de familias.
Grande quantidade de paletuts de seda, de panno
fino, de casemira, de bombazina (pretos e de ce-
res) que se vendem por todo o preco para liqui-
dar, aproveitem a pechincha que est findando.
L. OHI EM
9
Primeiro introductor dos pocos tubulares
instantneos da Abyssinea.
Avi^a-se as pessoas
que baviam feit en-
commendas dos reie
ridos pocos que os ve-
ndara buscar ra
^lova n.2l, ondeob
tero qualquer esela
recimpulo*'
rd 4
Este dmirel
Depurativo mu
jcontememsimer-
|curio, iodo oo
rv.nico i una
i cador parto sangue ecura radicalmente maJcctias dcpelle. taes como a lepra, asiropi^ens, herpe, u !
I espinha, e os Panaos, etc.Empregado diartamenle elle refreara t mam do saogae r. oooseUda O da. \
i IHJECC10 CADET '^fJL^AT*** ntitmM ww-Wi
i st i
l
vinte e cinco aci;oe- da estrada de ferro de Olinda.
quem pretender dirjase ra do Imperador n.
7,"i, 2o andar, das 9 da manhaa as 4 i larde.
Vedem-se duas casas er Santo Amaro de
Jaboatao. urna na ra de Baixo, prxima feira.
t outra na ra da Matriz : a tratur na ra do Im-
perador n. 57, entradajpelo caes 22 de Novembro.
CADET
CU RA
[CERTA eINFALUVEL]
em TRES DAS
[Ph^BfDenaijy
^ A R I S
Paria, 36,RnaViTlenne,
CHABLEMEoecN
DEPUrUTIF
lu SANG
PLUS DE
COPAHU
IHJECAO CADET
'ou, 1, B' Denam, i
0ASENTERMIUAUA5 DESSEXUAES, ASI
COES CUTAWBAS.K ALTMtACOKS DO 8A_. _
-----------------------------'OOecarajdaampiwfam
itrutaa. karpM,
;omxo**,turmm*+
lerfoei, vieiot m+
__ju virui, i trafum
do unye. (larope vafttl jtarwite).>
lomao-aa doua por MMaaa. afaiad* tneliBMli
Depurativo: e emuregada aas aaaau aolartiaa
bu Xarapa Citracw H
torro da CHABL1. rar
Im diauaianu qaa^Mf
_ ns^:1-^
ente o> ftxo$ t ptrit rei mtkmrn^t
na injeccao benigna taipraga-M eoa Xar*H
Qitraeto ir Ferro.
rraldaa. P*aaia fa as ir a *Na ata
POMAOA ANTIMERPCTICA___1
Coairai aan a/flweo* wtanaa Umlmmn
PILULAS VEGETAfs DEPURATIVA|
i, v ciwJkto, tolano.
7


Diario (te Pernanibuco Orarla eira 12 de Janeiro de. 1870.
7
i
DE
A DINHEIRO NA LOJA E ARMAZEM
DO _^
8aoa q& asii?aiaa?aii8o m
DE
FLIX PEKEIRl DA SELVA.
0 proprietario d'este grande estabelacimento, vendo que se est aproximando o fia-
do anno, e tendo em ser un grande depqsito deposito de fazendas; nao felfeado ero
avultadas encommendas que lhes estao obrigado todos os das, tem resolvido liquida-
fes po* preco muito mais baratos do que em ontra qualquer parte : s cora o finvl
de'diminuir o deposito e apurar dioheiro. Encontra-se neste estabelecimento do
7? altado sortimento de Mandas de laxo e modas; assim como de primeira
necessidade. As pessoas que negociara era pequea escala n'esta loja podero surtir-
te vendendo-se-lhes pelos procos que comprara, n.s casas inglezas; assim como as ex-
cellenttssimas familias poderlo mandar buscar as amostras de tedas as fazendas ou n?an-
dar-se-na levar pelos caixeros da mesma toja em suas casas; o estabelecimento se
acta constantemente aberto das horas da raanhSa s 9 da noite
Expleadido sortimento da lJcStf^t^iA T110^
r Lnegou para este estabelecimento um grande
roupas teitas
NA LOJA DO PAVO A RA DA
IMPERATRIZ N. 60
Acha-se este grande estabelecimento com-
pletamente sortido das melkorcs roupas,
tendo cateas pautte e colotes de casemira,
de panno, de brim, de alpaca, e de todas
as mais fazendas qae os compradores pos-
sam desejar, assim come na mesma loja
tem um bello sortimento de pannos casemi-
ras, brms, etc. etc. para ae mandar fazer
qualquer peca de obra, com a maiorpromp-
dao vontade do freguez, e nao sendo
*9 QuttMAB*
gime nmade
(toando a AGUIA BRRNCA, mais precisa scientificar ao respeitavel -publico em
ffsraVe em particular a sua boa fregueria, da imtnensidade de objectos que ltimamen-
te tem recebidq, -e justaraente*qoando ella meos o pode fazer e porque essa falta invo-
luntaria ella confia e espera oa benevolencia de todos que Ih'a ^ttenderae e relevarlo,
continuando portaoto a dirigirem-se a bem conhecida b ja da AGL'IA BRANCA* roa do
Queimado n. 8, onde sempre acharfo abundancia em sortimento de saperioridade em
quaidades. modicidade em precos e o seu nunca desmeottide AGRADO ESIXCEMBADE
Do que cima fica dito se coohecequeo tempo le qae a AGUIA BRANCV pode
dispr, empregado apezar de seus cusios no desempeoho de bein servir a aquellos que a
honran procurando pnover-se em dita ioja do qae necessitam, entretanto sem ennume-
r-ar os objectes que por sua naUreza sao mais conhecidos ali, ella resumidamente indi-
car aquellos cuja importancia, elegancia e novidade os toruam recocamendaveis, como
b> m seja
sortimento das mettwres e mais modernas liazi-
nhas para vestidos, sendo tapadas e transparente';
de todos os precos e qualidades que se veadam
mais barato do qae em ontra qualquer parte.
Crochs para carleiras e sofs
O Pavo tem um grande sortimento dos
mais 'bonitos crochs propnios para cadei-
ras soles, mesas, almofedas etc etc., assim
como 'proprios paracobrir presentes, e ven-
de-se mais barato do que em outra qual-
quer parte,
GLACE' A 1:200 PAR VESTIDOS
0 Pavao tem esta nova ftzenda lisa pro-
obngadosaaccerta-las, quando nao stejam. pra para vest{doSj com ^ majs Micadzs
ores e eom mais lustre de que a propria
seda eom 4 palmos de largura que facilita
fazer-se qualquer vestfdo com 10 covados
camisas francesas e m^ezas, ceroulas de e venae se pelo baratissimo preco de 1:200
rs. o covado, e pechincba.
Or^ndys a 360 rs.
Vende-se os mais bonitos organdys de
cores com padies miudes egraudos." sen-
do todos de cores fixas, pelos baratos pre-
sos de 360 rs. o cova le. .
completamente ao seu contento, assim como
n'este vasto estabelecimento encontrar o
respeitavel publico um beilo soitimento de
inbo e algodo e outros muitos artigos
proprios para homens. e senhoras promet-
teno-se-be vender mais barato do que em
entra quaiqoer parte. Na ra da Impera-
triz n. 60, loja e armazem de Flix Perei-
ra da Silva.
CERA DE CARNAUBA.
Vende-se urna grande porcio de cera de
carnauba em saceos por pre^o mais barato
do que em outra qualquer: na loja do
Pavo ra da Imperatriz Jn. 50. De Felis
Pereira da Silva.
FAZENDAS PARA LTG
Na loja do Pavao.
Encontrt o respeitavel publico ne9te estabelcoi-
raento um grande sortimento de fazeadas pretas,
^omo sejam, eassas fraocezas e inglezas, chitas
pretas de todas as qualidades, fazenda de laa ce
.odas que tem vindo, proprias para luto, como
sejam, laacinhas, alpacas lavradas e lisas, cantio,
sombzinas, merino, etc., que tudo se vende p; r
preco barato.
AS CASSAS DO PAVO
Covado a 300 re.
Vendeos-se flnissimas eassas franeaas com lis-
dos desenhos e cores fixas a 300 rs. o covado.
Madapoiao francez a 7$000 rs*
Vende-se pecas de madapoJo francez
com 22 metros pelo baratissimo preco de
"$000 a peca, pecbincha.
Altes ovidsles em sedas
Chegou nm grande sortimento das maic
modernas poupelinas ou gorgures de seda
e linno com os mais elegantes pedroes que
Corpinnos de cambraia, primorcs8mente
nfeitados com fitas de setim e obras essas
cuja novidade de molde o perfeicSo de ador-
aos os tomam apreciados.'
Fitas mni largas de diversas cores e qua-
lidades para cintos.
Leques uesse objecto amito se poderia
dizer querendo descreve-los minuciosameote
por suas qualidades, coree e desenbos, tal
o grande e variado sortimento que acaba
de chegar, mas para nao massar o pretn-
deme e lhe apresentar o que poder de
melhor.
Entremeios em pecas de 12 tiras.
Gaipure branco epreto de diversas qua-
lidades e desenos.
Ditos de algodo com flores e-sos.
-Capellas brancas para meninas.
Grandes sortimento die flores finas.
Fil de seda, preto.
PERFUM.\RIA
Grande e constante sortimento *de dita,
sempr raelbor quajidade.
Lindos va&os com p de arroz e pinsel,
Caixinbas com ditos aromticos.
Bonitos e modernos pentes dourados
para circular o coque.
RonHos brincos de plaquee.
Aderecos e brincos de madreperolr.
Caivetes finos para abrir latas.
Thesouras para frisar babadinhos.
Aspas para bafeo.
Novos stereoscopos com 48 vistas, as
quaes sao movidas por um machintsmo
na.
Bonitas caixinbas de vidro enfeitados com
ALGODO ENTESTADO
Vende-se urna grande porco de aigodo-
sinho americano com 8.palmos de largura
proprio para lences e toalhas tendo liso e
tirncauo que se vende por preco muito em
conta.
6*aaos de linho
Chegou um grande sortimento de pecas
de panno de liubo do Porto que se vendem
de 701) rs. at 1(5000 a vara, garantindo-se
que em fazenda de linho nao ba nada me-
lhor, nem mais proprio para lences e toa-
lhas.
PECHICHA EM CHAPEOS DE SOL
Chegou um graade sortimento dos me-
hores chapeos de sol de-seda, inglezes ten-
do nesie art go> o melhor que tem viudo ao
mercado assim como urna grande poroBo de
ditos de alpacas de todas as cores e todos
se vendem por preco muito mais barato do
que em outra quaiquer parte, por haver
grande pcr<;o.
l.ea^os brancos
Vende-se um grande sortimento de leo-
Moras de seda p3ra noivas.
Ditas abertas de fio de Escossia.
Ceetumes ou uniformes para menioos.
Enxovaps completos para baptizados.
pedras.
Ditag.de madeira envernisada com viapo-
ras e com dminos.
Bollas de borra Touquinhas desfil, sapatmhes bordados crianzas,
e meis para ditos. Diversos objectos de porcelana, proprios
Cism'sinhas bordadas para ditos. para enfeites de mesa e de lapinhas.
iem viudo ae6te mercado sendo, miudos e
graudos, tanto em cortes para vestidos como C08 brancns Para nomcm' sendo a dl,zia a
para vender em covado, assim como um
nonito sortimento das mais bonitas sedas
stradas que se vende tudo muito em cwnta
Grosdenaples de cres
Chegou um grande sortimento dos mais
bonitos grosdenaples de todas as cores para
vestidos qae se vendem muito mais barato
do que era outra qualquer parte.
GRANDE PBCHNCHA A 5:000 RS.PECA DE
Btretauh:
Vende-se pecas de superior bretaoha de
algodo tende quatro palmos de largura
com 20 varas ou 2 metros cada peca, esta
fazenda sera para custar 8-5000, a nao ser
"ima grande compra que se fez, e liquida-se
a 5^600, cada peca.
\0S 211L H.IIHIS i
LA8LNHAS LUSTROSAS A 400 RS. O CO-
VADO.
S o Pavo
* Vende-se um grapde sortimento das
mais modernas e elegantes lasinhas para
vestidos, com as cores mais novas que tem
vindo a este mercado, sendo com listrinhas
miudinhas que parecer de urna s cor e
com tanto lustro que imitam per fei turnen te
as poupelicas de seda, e vendem-se pelo
barato preco de 400 rs.
retaafcas'de rel a 94&OQ a
pfa
Vende-se superior bretanha de rolo ten-
do 10 varas ou 11 metros com 4 palmos
de largura peto barato preco de 3#500,
pechincha.
Os setins do Pavo
Vende-se os mais bonitos setins de cores
e mais encorpados proprios para vestidos
tendo de diversas cores.
AOS PAUTOR DO PAVO A (8 e
205000.
Vende-se um bonito sortimento de paut-
te franoezes sendo, sobrecasacados e pro-
piamente sobre-casacos, que se vendem
forrados de alpaca a 185000 e forrados de
aeda a 200000, pechincha.
COLCHAS DE FS1AO
Na loja do Pavo vende-se ara grande sortimen-
to d$ colchas de fostio sendo brancas e de cores
ditas de croch para canos de noiva, assim como
qomto damasco* de lia para colchas.
Na loja do Pavao vendem-se os mais
bonitos chales de verdadeira cachemira de
cor, com os desechos mais modernos, a 6J,
10 e 421000, maito barato na ra da Im-
peratriz n. 60.
BASQUINAS A 120000
Na toja d* PavSo vende-e as mais mo-
dernas basquinas ou manteletes de guipure,
pelo barato preco de 12000 cada urna.
Cortes d organdys com barras
Para a loja do PavSo chegaram, os mais
bonitos cortes de organdys com barra, sendo
cada nm em seu cartao, com o competente
figulino, maito proprios para fazer pre-
sentas*
106IX), 25000 e 30000. ditos abanhados
muito finos a 4 e 63000 a duzia, ditos de
eatroiSo fazenda muito superior a 3$, # e
75000,
Pech Eelia etn ensena Eras a ,.>0
Vende-se finissimascasemirasde cor com
listras ao lado, tendo duas larguras e com
as cores mais novas e mais bonitas que tem
vindo ao mercado, pelo baratissimo preco
de 45000 covado ou 7($000, cada corte
de calca.
Os baloes do Pavao a 23000,
Chpg u tira grande -sortimeatp de bales
ou crenolinas do feilio mais moderno muito
prqprias para vestidos ennesgados que se
vende pelo baratissimo preco de 25000 ca-
da um grande pechincha.
AS C\ BRAIAS DO PAVAO A 4:500 RS.
Vende-se una grande porcio de pecas
de finissimas cambraias brancas transparen-
tes teodo 10 jardas, com mais de vara de
largura pelo baratissimo preco de 45300, a
peca sendo fazenda que nunca se vendeu
por menos de 8000, grande pechincha.
AS PODPEUNAS DO PAVO A 300 RS.
Chegaram as mais lindas poupelinas de
la com imitarn das poupelinas de seda,
urna fezeada muito leve com as mais lin-
das cores, sendo: verde Bismark, rxa, azul
lyrio, c nsento, perolla etc, etc. e vende-se
peto baratsimo proco de 500 rs.
Fustoes brancos para vestidos
Chegou um lindo sortimento dos mais ba-
ratos e bonitos fustes brancos com listras
e cordes, sendo fazenda bastante larga e
flexivel; muito propria para vestidos o rou-
pas de meninos e veBdem-se a 640 o co-
vado.
BONITAS LASSINHAS
OU ANAD1NAS A IdOOO RS. 0 COVADO.
Chegou para o Pavao, um grande e va-
riado sortimento desta nova fazenda de fea
e seda propria para vestidos, com os mais
delicados desenhos emais modernas cores,
tendo bastante largura que facilita fazer-se
nm vestido com poucos covados, pelo bara-
tissimo preca de l(5kXK) o covado, por j es-
tarem muito prximos da (esta.
CRETONES MAUSADOS PARA VESTIDOS
A 640 E 800 RS.
Para a loja do Pava chegaram os mais
bonitos crotones escuros matisados, pro-
prios para vestidos, roupo chambres etc.
que se vendem 800 rs. o covado, assim
como a mesma fazenda em padrees claros
proprids para vestidos e roupas de meni-
nos a 640 o covado, sendo os padres mais
moderaos que tem vinpo ao mercado.
Chitas francezas
Para a loja do Pavio ebegaram as mais
finas e bonitas chitas escuras, propriamente
francezas, e vende-se a 500 rs, o covado.
Na loja e armazem do PavSo rm da Imperatriz n. 60,
SORTHIEVTO PARA A FESTi
Vende-se por menos de 10, 20 e 30 t0
SO' NO
ARMAZEM CONSERVATIVO
N. 23Larga do Ten^o.JS. 23.
DE
SDIAO DOS SANTOS 8: C.
Os propetarios deste bm sortido armazem de seceo e molhados esto re-
snivios a fazere urna graade diiniauico de precos as suas mercedorias, como se apro-
xima a festa e sempre se fazem avultadas compras para o centro e praca, por
isso .previnem ao respeitavel publico em geral, que mande fazer suas despencs e cer-J
tos d3 que vero a grande differonc em preros mais do que em outra qualquer parte
e garaotindo-se as superiores qualidades.
GAZ AMERICANO 95500 a lata, e 440 SEVADLNHA E SAG 280 rs. a libra e
rs. a garrafa o 660 rs. o litro. 620 rs. o kilogrammo.
VflWO VERDADEiRO FtGLEIRA 560' FARINHA DE ARARUTA VERDADEIRA
a garrafa, e 4#o00 a caada e 800 rs o ti- 640 a libra e ld400 o kilogrammo.
tro. I BOLAXWHA INGLEZA MUITO NOVA a
DEM DE LISBOA das raelhores marcas,! 400 rs. a libra e 8<0rs.o kilogrsmmo.
400, 440 e 500 rs. a garrafa, a 25800 e I VELLAS DE ESPARMACETE 720 rs. o
30200 a caada, 666^ 72o rs. o litro. masso. em caixa ba abatiraento.
DEM BRANCO DE LISBOA a 44000.] FHOSPHOROS DO GAZ E DE SEGU-
a caada e 560 a garrafa, e 840 rs. o litro. RAKCA, 280, 400 e 560 rs. o masso,
VINAGRE VEROADBIRO DE LISBOA 3-5200 e 65500 a groza.
200, 240 e 320 rs. a garrafa, 15400, AMEIXAS EM LATAS E CACHINHAS
15800 e 25200 a caada, DE MUITOS TAMANHOS 15280, 25500
AZEITE DOCE DE LISBOA 900 rs. a :^500' 45300 5^500 a lata e a retalno e ^
mTSA!?igSgSStt3&. SADEMOAMERKANAi40Or,
'libra- w* ww kil- 'BSriSi'SSSMSSSlfi* rs.
DITA FRANGEZA 960, 900 e 850 rs. a ,,bra' em caixa faz"se abatimento.
a libra, e 25100, 15980 e 15860 o kilo- SERVEJA INGLEZA MARCA II 55500
gramrno. a duzia e 500 rs. a garrafa.
DITA PARA TEMPERO 560 rs. a li DEM BASS, VERDADEIRA IHLERSd
bra, 15220 o kilogrammo, era porc5o se BELL, 800 rs. a garrafa e 95 a duzia.
far abatimento. VINHO DO PORTO ENGARRAFADO DE
BANHA DE PORCO DE BALTIMOOR DIVERSAS MARGAS 15500, 15200, 15 e
720 rs. a libra, o 15560 o kilagrammo, em 800 rs. a garrafa.
GENEBRA DE HOLANDA E HAAffiR-
GEZA 75 e 65 a frasqueira, e 500 rs. o
fraseo.
DEM DE LARANJA DOCE .AROMTICA,
115 a frasqueira e 15 o frasco.
QUEIJOS DE DIVERSOS VAPORES,
35000, 25800 e 25400 em caixa ha abati-
mento.
TOUCINHO DE LISBOA MUITO ALTO
400 rs. a libra, e 880 rs. o kilogramme,
e 115500 a arroba.
LINGUICAS FINAS PROMPTAS EM LA-
TAS 15000 rs. a lata.
LOMBO DE PORCO ASSADO JA PROMP
T0ai5000rs. a lata.
CHA FINO, GRAUDO E MIUDINHO
35200 e 25800 a libra, e 65100 o kilo-
grammo.
DEM PROPRIO PARA NEGOCIO 25000,
20200 e 15800, rs. a libra,
gneros, vinho era ancoretas, azeitonas,
muito novas, passas e figos novos, charutos de diversas marcas, marmelada, feita pelos
melhores conserveiros em Lisboa, gela de marraello, pcego<, ervilhas, em latas, por-
tuguezas e francezas, vioho verde engarrafado retalho, peixe em latas, bem como
pescada, tainba, pargo, goraz, lula, corvina, vezugo, cavalla, sarda e sardinhas de Nan-
tes. Canella, cravo, ervadoce, cominbo, pimenta, grandesmolhos de sebolla 15500.
Finalmente muitos outros gneros que enfandonho menciona-los.
O Campos da ra do Iinpwrador n. 2S
no intuito deservir atUlatori mente aos
seus innumeravejs amigos e trguezes, em
particular e em geral ao respeitavel publico,
desta cidade ; avisa sos qae i'stverem pas-
sando o tem[w caira s deleltaveig
arrabaldes desta capital, que te\ resolvido
vender, de de superior quilidade, a procos
razoaveis, os seguintes gneros a saber:
PARA CIMA DE APARADORES
Latas com doce em calda de diversas
qualidades nacionaes e estrangeiros.
Ditas com peixe a saber; salmn, ostras
e lagostas.
Ditas com ervilhas francesas e portugue
zas.
Ditas com gela francer.a.
Cerveja fraaceza verdadeira fobe.
Presunto para fiambre e afiambrados.
PARA DISPENSAS
Latas com chouricas novas sendo de 85,
cada urna.
Presuntos de Lamego para tompeiro.
Cuias do Para (pinlas pelos indgenas
dsquella provincia.
Copos de vidro com dobradica e tampa
para diversos mistares.
PAR.A S QARTOS DE DORMIDA (
Porta-phesphoros cheios de phosphoros
de segnriinca.
PARA SALA
Choretos de S. Flix do afamado fabri-
cante Costa.
Fumo picado do Oaoiel de S. Joo do
Rio de Novo.
Alm desses gneros, o Campos tem con-
vieco de que o sen estabelecimento .ura
dos que podem s^lisfazer com garaotias as
exigencias bem enloudidas, dos Ilustrados
habitantes desta heroica provincia, ponjuan-
to s acha elle bem prvido de gneros su-
periores, de maneira a nao desmentir
O Campos.
CONTARA
TU1U.
Acaham dp rlicgar fe Bnznr Cma
na Nora n. 22 Carnw.i Vannaum compl<
rtimentci db mMhina p.u-.i rn-tnra, d-wan-
(oras mai> runhecidus, as fjnw o~-i.> em exy
cau no rae^nm Ruar, paranliado-? a ma boSqn^-
Iklade, e tsmbeAl i'i-ai;:-si' rom |ierfef<4oa td*
oa rempradurM. Esms ir.acbina!' sin l)raae i
?oii irahslhg an de 30 -iurnir.H liariamene,
sua peroitiiu lal nmio ii-' BBelhnr roslureira di-
Pars. Apir?intam-s trabalfios i'xerutMlos pela
mesina?, que muito farra apiadar an* pretou-
dpnic<.
__________________________
Rheumatismo e moles-
tias sypbiliticas.
Arrobe vegetal, xarope de salsaparriia
do Pai, pillas e xaropc'de veame, tin-
tura e xarope de sicupira.
Doeneas do Rgado c liara, ane-
mia, opilado, etc.
Emplasto, oleo, pommada. tintura, pi-
lulas, xarope e vinho da milagrosa Jurt-
beba.
Sezftcs o Mires intermitentes
As pihilas anti-periodic3s de Pinto.
nico deposito destes medicamentos na
pbarmacia do seu autor roa larga do Ri-
sario n. 10, junto ao quariel do corpo ue
polic-s.
NA PItARMCIA DO PINTO RA LARGA 1*0
ROSARIO N. 10 JUNTO AO QUAR-
TEL DE POLICA.
Acham-se constantemento proInpt3^ a
ser:m satisfeitas, as preacripcbe dos Srs.
facultativos, e as necessidades dos enfermos
s especialidades da mesma pharmacia.
composta de.medicamentos, tanto todigt-
nas. como estrangeiros.
IVses e molestias: do peitc.
Xaropes de ledegoso, rabo de t.....
Aariao, pao Caldoso, juca, Mijulung, i.:-
lamba, te, etc.
i \
i
DO
BRACO DE DURO,
Rua do im perador n. 26
Neste novo estabelecimento encontra-se
diariamente um variado sortimeuto de bo
linbes para cha, pastis, podin>, bollos in-
glezes, paes de lo. presuntos, ditos < m fiam-
bre, superior cli Ilvsson. preto, e miudi-
nho. Vinhos finos de todas as qualidades
codage, licores, conservas, champagne, cer-
veja ingleza, feuctas muito boas, por-
tuguezas e francezas.
Um completo e variado sortimento de
caixtahas de todag os gostos e precos para
mimosear senhoras, estas caixinbas recen-
temente chegadas de Paris sao de primoia-
do gosto, offeresse-mo-las aos galanteado es
do bello sexo pois nellas acbarSo nm digno
e serio presente para as donas dos seus
pensamentos. Tambem os apreciadores da
boa furaaca encontrarao charutos dos me-
lhores fabricantes da Babia e de Havana
sganos do Rio de Janeiro etc. etc.
Doces d'ovos seceos, christalisados e de
calda, ditos de caj ede ootras qoalidades
Nestacasa recebem-sencommendas para
bailes, casamentos e baplisados e qualquer
encommendas avulss, como seja pao d l
e bollos enfeiiarios e outros muitas coozas
que enfadonho mencionar.
De superior quahdade da mui accrediur
da fabrica de Bisquit Dubouch & C, era
cognac urna das que mais agurdente de
cognac, /oraecem para o consummo to
Reino da ngla/erra.
Vende-se em casa deTh. Just. ra ao
r.oinmercir. n. *
2'>
VENDE SE ou arreoda-se 6 engarnio
S. Gas-par. silo na regiiezia .le Serinhaerr..
comarca do Rio Fownoso, proxiino do em-
barque, comgranlles partidos de pal e
massap i roda da moenda. mattos mangues
para madeira necissarja, bom pasto, etc..
a Halar na ra d'Aurora u. 16, ou ni o
linnerador n. 20.
\VnuVin-si'duas ca-asna lifgue/.ia de Sanio
Amaro de. Jaboala, sendo urna na na da M..:.
da mesma frepm zia e outra roatigna a fiara .
queni pretender drija-se a rna do Imperador c.
.">7, entrada pelo caes i de .\'ov -muro.
ESS8M0S FtESEOS.
porpo se far abatimento.
ARROZ DO MARANHO E DA INDIA
120 e rs. a libra, 260 rs. o kilogrammo e
34fJO a arroba.
ALPSTA 200 rs. a libra e 410 rs. o
kilogrammo, e 65000 a arroba.
CAF EM GRAO 6J e 6*500 a arroba,
200.240 e 260 re. a libra. 440 e 520 rs. o
kilogrammo em sacca se far abatimento.
SABAO MASSA 240 e 200 rs. a libra,
520 e 440 rs o kilogrammo, em caixa se
faz abatimento.
MASSAS PARA SOPA, MACARRO, TA-
LHARIN E ALETRIA, 560 rs. a libra>
ii$220 o kilogrammo.
BOLACHINHAS EM LATAS DE DIVER-
SAS QUALIDADES, bem como perola bri-
Ihante.corabination, Francy-cracynel, mixed
Britania. Mdium, Fancy-nic-nac, a, b, c, e
soda a 1*000 e 1*400, cada urna lata.
Assim como ha outros muitos
luanoi
Resta venda um escolhido sortimento de ob
lectos de marcmeria, como sejam, mobilias de ja-
Mrand, mogno oamarello, obra nacional e estran-
jeira, de apurado gosto e por presos razoaveis:
aa raa estreita do Rosario n. 32. Nesta uiesmi
sasa fazem-se com perfeicao todo- os tnbaihos d.
jalhinha, como sejam, empalhamentos de lastro-
tara camas, eadeiras e sophs.
Farinha da trra
Manoel Jos Alves contina a ter farinha da
trra para vender : na roa da Praia n. :8.
Fupin nn dia 8 do trrenle mez de dezeir-
lim de ISfii), do eugenho Ciqui, nWoer da'E--
rada, o eseravo Paulo, cabra, ile idade 40 anni> .
altura e corpo regulares, barbado, cabellos car:
pmiios, peitos e [lernas bem cabelludos, cara com
marcas de bexgas, ton rnrrt de cbieole pete
costas com parencias de ipieimaduras. vestido com
caira de brim pardo, camisa ii<- madapoiao, eha-
peo de palha do carnauba, fui escravo do todre
Luiz, morador nos Afogados, tenfi >t mesmJLes-
cravo miilhcr e lillms nesse lugar : paga-ee t\H)f,
de gratlfieaein a juem o predder e lova-k ao o\u.
engenbo, o na mi do Cabuga n. n ao Sr. I.
eifoo Atoaiu Gratficagao de 100$
Axi chegar a esta cidade em sua ultima viagem
dos portos do norte n vapor nacional Guar, igio
de burdo o eseravo Severino, mulato, deidad", que d Ciar remeUiam osare. Vieira
Salgado S"9z.n ; C. por c na do Sr. RayaiUQdc
Olimpio i!. Freitas, ao Sr. Delphim Rneiro de
Abreu, no Rio de Janeiro : pede-e, portaoto,
autoridades polieiaes desta cidade e aos cap!
de campo a captara do referido eserami >c en-
Iregarem no aos abaixo assigoados nesia ridade,
ao caes da alfandega velha o. 2, quu- se re^ponsa-
liilisam por todas as despezas que se lizerem. gra-
tifleando mais a qualquer capital de campo eom ;.
quamia cima referida.
Viras 4 Railiedo.
RA DA GLORIA Y. 5
Otaria ^Saj^atauiTili* Aviso t1s autoridades- Kfcto-s
e a ({iiiiii coDtpelir
No dia ii ile maio do corrente anno,
fugio o eseravo Ezeijniel, crioulo de 10 a -
annos de idade, estatura regular, reforcado
c6r bem preta. cabera redonda, trajava ca-
mi-a azul e calca de cassemira cinzenta:
durante ras, ou era armazens dt- assucar ou as ta-
bernas a conversar e a beber; di.rante a
noite recolhe-se a telheiros abertos, ou pe-
nelraveis, a casas em construteo e a outros
quaesquer lugares, onde se possa abri.gai ;
quem o apprchender tenha a bondade de o
conduzia a ra da Aurora n. 20, on na do
Imperador n. 20, onde ser gralifiedo.
materiaes, como lijlos
Iho, qoadrado'de 8, 9 e mais poilegadas, tenas e
telhoes, tijolos de tapamentos. O proprielarip des-
ta otaria garante a bondade e barro de taes mate-
riaes, como tambem vende-se uns barato do que
em outra qualquer parte.
CIMENTO ~
Da melhor qualidade e por menor preco
que em outra qualquer parte, vendem Ama-
ra!, More ira d- C. em seu armazem do Caes
da Alfandega n. 7.
Cal de Lisboa
chegada no ultimo navio, tem para vender Joa-
quim Jos Godcalves Beltra*, no seu escriptorio a
ra do Commercio n. 17.
0 VAPOR
PARA A FESTA
3 portas, loja de fer ageni
53-Rua Direita--63
CEMENTO
PORTLAND.
Vende-se no armazem amarello de Vicente Fer-
Neste grande esUbelecimento, ha para vender re|ra da Costa & Filho, defronte do arco da Con-
um completo sortimento de ferragem, e miodezas ceicao, em arricas grandes._________
finas e grossas, como sejam bandejas chinezas n u r ~~------------
qnadradas e ovaes, facas e arfos de 1 2 be- (jlllllia IrmilOS ife 0.
toes, balanco rateiro e I/i balando; panellas, cha-1 Min^p ns-ac v it
Iheiras, cacarollas, frigideiras assadeiras, tanto: nmmn ,ii k h n
de ferro co no de porcelana, moinhospara caf de leeni para vender v,nho do Porto fino e de pas-
diversos tamanhos do fabricante Japy, pesos kilo- ^ J* !% ST : l^f U Um'1'
gra.nmos, tanto de ferro como de lat/T metros ^te, ^fe^f'dV nmhoengar*fad; -la*"-
Jara medir fazenda tanto de ferro como de latao, ?" .J^'! ^e,,. iTSa-"^1*3 d Tmho
salitre, breu, barbante, enxofre. papel marca via- m w!**' <" L.shOa nova.__________
do, do verdadeiro Picardo, machinas para dosca- SAL fW^ASSU*
mear algodSo; alm de outros artigwUe trra- Veade-se gnperinr sal do Assu', aWo e grosso :
gem, miodezas entilarla fina, qne i com a vis- a tratar a bordo da barca nacional Flecha, ou com
ta se verifica; na ra direita n. 53 loja de 3 por- Marques Barros A C, qo largo do Corpo Santo n.
tas de Manoel Bento de Oliveira Braga* C. 6,? andar.
\OVIllAllKS
Rna da Imperatriz utimero :IG.
Grande novidade p raa festa.
A' ella antes que se acabe.
0 proprietario d'este sumptuoso e mui acredi-
tado estabelecimento, vendo que se approxima a
festa e querendo apresentar aos seus ama veis fre-
guezes urna novidade de que se admirassem, en-
vin o seu vapor, isto ,o vapor das Novida-
desa todos os paites da afamada Europa, afim
do procurar e trazer o qtrfi de maior gosto e-novi
dado arhasse.
Regressando este, trouxe como alta novida le.
como de facto o :
Lindo guepure escarate com tinissimo tecido,
e o mais bonito possivel, proprio para camisinhas
e fchus, o qual se vende por preco muilo com-
modo.
Grande sortimento de fitas de sarja de oplima
qualidade e de differentes larguras e cores.
Completo sortimento de fitas assetinadas, sendo
estas lizas e escossezas de todas as largaras e das
mais lindas cores, havendo entre ellas muito lar-
gas e proprias para cintos da ultima moda.
Grando quantiJade de perfumaras dos primei-
ros perfumantes da Europa.
Alm d'estes objectos vieram muitos outros
tambem de grande novidade.
O proprietario orevine todas as pessoas que
pretenderen! ahzuns dos objectos mencionados. qn>-
poderao buscar, as amostras no dito estabeleci-
mento, ou indicarem o lugar da residencia, pnfm
todo isto entes qae se acabe a graade novidade.
Loja do vapor das Novidade?,
Ra da Imperatriz n. 36,
r de
____________Henripne<|SLeit5(V___________
Fogio no dia 27 de dezembro prximo as
sado, a escrava Hnriquela, preta i-ric ula, dado
20 annos, chela do corpo, altura regular, cabelli >
carapinhos, testa larga, pelle grosa e espinbenu.
beicos grosSos, borca grande, denles largos e per-
feits, olhos e maos grandes, com urna cicatr ~
em cima de urna dellas, e pus chatos, cuja e>rra>
tem por costume nlagar-se como livre, proles;",
a quem tem occnltada : ropa-se as antoridade-
pnliriaes e a quem ennvier, a captura, que se gn..
lilicar salisfactoriapiente em casa de seu senho:-
rna do Henriques Dias n. 20.
Piano
Fugiram do enge.nho Animoso, do 4 dislnc-
to da Escada. no dia 31 de dezembro, os eseravo^
seguintes : Luiz, crioulo, de idade 20 annos, mal'
ou menos, cor fula, alto, seceo, cara redonda, falla
moderada, tem pernas e parles do corpo com mar-
cas de sarnas grandes, de um dos lados marca de
caustico que ha pouco soffreu, levou roupa azr.l
de algodao e do outras cores, um gibao de cnur .
chapeo de cnuro e um de bata. Felippe. bai ...
grosso. cur preta, cara redonda, pooca barba e
conserva raspada, tem urna ferida no iledo grand
do p dircitj, rendido da vcnlha do lado esquei-
do, levou roupa azul de algod e de outra fazen-
da, chapeo de couro e um de bata ; ambos forana
compraJos a Amaro Jo? da Araujo, como procu-
rador, e morador na freguezia de Villa-Bella, ter-
mo d Flores, sendo senbor do Luiz, Leonel Cor-
deiro de Magalf&es, e de Felippe, Cornelio Cot-
deiro de Magalhaes ; foram vendidos na cidade (U
Victoria : roga-se aos capitaes di campo e as aj-
tordades a captura dos ditos negros.
AVISO
Fugio n) dia 24 do corrente mez de dez^mbm
i!o sitio da Ponte de Ucha, o eseravo Vietoriw.
ilbo do serto do Ico, prelo fula, baixo. idade 17
a 18 annos, vestido com caiga branca, basa de
algodaozinho curta, chapeo do chjle de aba larps,
bastaste ladino, costuma a embreagar-se. farl i
com hgmildade : pede-se, portento, s autorida-
des polic.iaes e aas capitaes de campo a raptnr.t
Na ra do Livramento n. 34 vendd-se um piano] do referido eseravo, e de entregar no sitio da Po-
de rae^a, em bom estado, par3 principiante, pela te de Ucha, de Jos Morelll Lopes, que recobera
mdica qnanlta de 60000. I00 de gratificarlo.
S

J


i..
8

Diario de Pernambuco Qnarta feira 12.de Janeiro de 1870.
D. Cornelia Ilareulana
i r\i pcii neo)
IX
(Continuacao)
Elle j ito sabia onde ttaba a cabera. A
fuma palavra ficoa-lhe atravessada na gar-
uar : esicmleu-se no sof atacado do urna
tomooan aarvaaa que lazia-o polkai- da ca-
ldca at os ps.
Cornelia Hercnlan. febril triumplianfe'
j <- .ii i';os e coml'implou por dous
minutos a desventurada victima do go
varao :
Grande liomena" exclaraou liualmen-
le. E persegoera-no pur isso ? Ol ?
mea pai proseguid osa loltondo-se para
ii velho Porto que Bao comprebendia nada
Jo QU3 se pasiva all. Kis o homem que
ritfvera Ur eseripto aquella missiva !
Fui en I gritn o boticario sentndo-
la DO soji. En 1 eu eu !
Prove retorquio Cornelia.
Prove! contiouou o velho Porto, como
um.-au tmalo.
por aiguns segundos e eomecou a repetir
*alavi.i por palavra a carta quo havi.i
.seralo Cornelia, no da do aanquete.
Juando chegou ao fim extott apacho-
nado por conimtn etc. Cornelia Her-
mlanadeu. uai tarmidavel bravo! c Atan-
do profundamente o boticario :.
Como est eseripto apaixonado ?
lenjuulou -lia aaciosa.
Cerno c-h-o c/iv.
E" elle, meo pai elle elle !
aradaa Cornelia, com lados os gritos da
paito e do delirio; aclici-o finalmente!
\ch-u-o nao ha nada mais desperar!
-.temdiu seja Nossa Senhora do Rosario !
\ apartando entre os bracos o pescoco
io > >!ic ino, com risco le suffocar.
Sun! havemos de aiTombar a urna !
eaxtaaoa ella.
Pela ra passavun alguns moloques
untando anda : *
So* Pilisca mi a festa
De casaca c correntio ;
Facam alas fuzileiros,
Viva; senttor capilo.
Tin u.n galante pensador 'franco/., que
ia pensameatos de mbecis qu>; um homem
de espirito comprara peso di ouro.
Isso da phesinlogia do redieulo, creio en.
tPois bem! o grande imbcil Domingos
Porto pp.son qne o p'.iarmaccutico burla-
va-o, a elle e a ilha, no intuito de esca-
raotear-llte <-s 2l>:(W)03 d dote.
Tu nao ciars como Petisca'! ex-
lamou elle miando o Doticano poz-se ao
fresco depois de noute fechada.
E porque nao ? volveu Cornelia
leivjlaua c.m o olhar coruscante.
P.irque aquello maltrapilho est
cacoando conitigo e comigo, Qlha dos meus
peer.ains !
Aqaelle boticario da guedelha de Sala-
oax !
Aqiillo sempre filho de moedeiro
falso !
fDiaiara pela boca pequea que o pai de
BacnM Paes ora amigo de embalar o tiie-
souro aMioaai)
Nao esteja desconceituando tamil-
mente um ho-nern que vai perleneer nossa
fatuta, mea pai !
-- Nanea S bradou o veiho nossunrio-se
de urna energa de que elle proprio se
adiiirou !
Veremos replicou ella, dando al-
guns passs qu) fizeram estremecer a
sal a, veremos senhor Veremos se eu
por ser muja nao tenho direitos inaliena-
vois e mcuncussos. ante os quaes a vontado
paterna nada emprime on determina Ah !
pe o simples facto de eu nao ser homem
segiie-se que nao poderei d spor minh
voutade dos meus mais nobrel sentimen-
tos ? Com afeito A tyrannia nao est
s nos governos, est larabem as familias!
!'ois a. senhor eu sou republicana at
a rail d< s meus cabellos !
E agarrando em um vaso de porcelana
arrebetitauo contra a janella.
O que fez Sr. Porto 1 P.iz-se a chorar.
pu.
Oh Laizinha, vaes ao casamento da
Cornelia !
Boa duvida. minha companheira de
escola 1 E voce D. gueda ?
Eu nao ni convidada neuf qaaria i;
Embirru com aquella gente, que nao p<
vii-la 1
Diiem q ie ha de estar vistoso !
Qoal !
Scio f oh meu nome *. vai semprc ?
Aonde ? Ao casamento ? "Nao perco.
Traga-rae um do:inho de l
Pois nao vai ?
Como flear a Cornelia de noiva ?
Titio ibiraigo do h.dicario !
Pois eu estou s pedindo a Deus que
n5o cfloA'a !
Assim. assim Voc sal.' que
urna vestimenta que diz bem em todo o
mondo.
Olhe quando eativer prompta para
ir me chame que eu quero vor o seu wt-
tido.
Adeusinho Voit por papellotes.
At logo, meu nome!
A cidade nteira andava em um rebolico
infernal. Os conhecimentos de Cosmo Paes
oimmentavain o facto mais on menos pi-
cantemente. O tabelliao Gome*, amigo in-
timo e compadre do boticario, furaou com
o negocio. Esse tabelliao tratava tambem
de conquistar a legitima materna de Cor-
nelia Herculana.
Vejam-qne escolha fez o Porto, ros-
nava o tabelliao cercado de urna sucia do
zangSes famigerados. Escolher o Petisca
para genro Ah Vh! Ah! um boticario
quebrado qua-no tinlia mesmo onde cahir
morto 1
Cosme Paes n3o paravo um momento.
Alracava mascates para comprar joias, batia
em todas as portas procura de costu-
reiras, abra e fechava a botica, tossia alto
para todo o mundo reparar netle, e c*;
vfz em quando fechava se no quarto, con
templava-se ao espdho e enchia a car de
p de arroz. Nem assim O ladrao es-
lava cada vez mais feio !
O futuro sogro veto procurado du-
rante o da.
J e-to todos os papis em ordom ?
Todos, meu caro pai gracioso qua-
liflcctivo, que fazia vir um sorriso sempre
enrugada boca do Sr. Porto.
O vigario j est fallado ?
Ja loa tenho fallado cincoenta vezes,
e anda l irei urnas \u> autes de auou-
tecer!
Bem. L o esp iranios para jantar :
v cedinho, heim ? Tomos h*>je urna fei-
ji ada de truz !
Cosme Paes franzio o sobr'otho.
Feijoada em da de cas:mento !
Hum, hum !... c continuou a tk-ar o pi-
garro.
O que que tora, homem ? excla-
mou o vellio Porto etcancanma os olhos.
E' milito indigesto o diab > '
Pois bem, ludo se ata de. ;irranjar,
mas nao falte. J enoommendei as ban-
dejas de boos I Voce leva os oaavos para
o ramalhete ?
J mandei apromptar tres.
Que, minha Gibarevar tres ramos de
cravos oa mao ?
Nao, nao isso. l'n xpwa ella,
oulro para vosmicc, e oatro para mim !
Est bom. Assim, sim.
Quamio o boticario ficon s, torean a
olhar para o espelho, e disse comsigo
mesmo :
Como vou Gcar bonito de noivo !
XII.
O casamento effeciuou-se s 7 horas da
noue. A's 9 dlmecou o banquete ; s 11
ferviam as saudes.
A felicidade dos noivos !
Viva!
E um regiment de hipps e hurrahs. !
Cosme Paes e>tava radiante. Com a
casaca aberta, as faces in.-en liadas e bas
tanto Porto na cabera (refiro-me ao viabo
do Porto e nao ao sogro) dava os maiores
signaes de alegra imaginavel.
Atreven se at a pregar um belisco no
braco de Cornelia, que olou-o furibunda
exclamando :
Bruto !
O boticario recuou a cadena amedren-
tado.
O tabelliao qniz fazor urna saude, n.as
Cornelia Herculana deu-lle um tremendo
scio! ti pedio-lb-! a palavra.
Fez-se um silencio sepulcral ; todos os
olhos pregaram-se na r.oiva.
Meus senhores e senhorasI bradou
ella, eis ebegado emfim o momento em
que vo ser cumpridas as minhas mais
caras esperanzas !...
Da mumeroo Coeme P^er-
um olhar d'.1 moma gratidao.
Sileacio replicou Ceroelia uta.
raivusa e boticario; quando eu digo o mo-
mento nao me retire aanaa uniao cara
o Sr. Coame Paes ; eite casamento nao
mais do ao um pretexU)
Ob" disseram todoa!
O b dicario enlerrou o queixo na g
E' um pretexto, sim! Porque em
virtude desto c <^ameifl^H
aos campos da pol;
face com os inimigi^^H
Bravo giilou um velha urda, qoe
imisuu estar of vftido recitar verai.
Casei me, meus sunberes, bradou
Cornelia Herculana, para razar opposico
ao governo Meu pai est velho, est
fraco, nao pode metter-se nesses nego-
cios. O Sr. Cosme Pees leca eu guarda
costas !
Cbi sussurnrara as rapargis rti
do^se do Sr. Petwca.
Miuba ilha, principiou o velbo Porto,
trmulo do emacio, en bebo ande da
faja... (e os solcos seflocarem-n'o) da la
l'e...li...ci..dii...de...
Beba antes saode da liberdade das
ernas. meu pai 1 Dig : viva a rupo-
oiica !
O velho Porto chorando, eselwaon ;
Viva a repblica, miaba Hlha !
Contmnaram os brindes. O tabelliao frz
um discurso sobre a guarda Racional. t>
joiz de paz outro sobre os vareadores, e
em ter artig is p iliticos, em fplbear a Con-
tilti/cj) do Imperio, e a re'-ctir madura-
mente sobre o acto addccional^
A* masa coma coma urna frieira, robui-
^ecia de hora em irtraja uensava em com-
prar urna typograptHa e naadar um jornal
com o sajante titulo :
a Aaaasoa indepenwente
on o
I.IBKI.I.O DO NOVO CIDADO.
Ouaodo ella lembrava-se do peridico
dura itar. batiacomo garfo no prato
a ponto d: rachsraamws, bradando ener-
giaamente :
Hei de alargar os horisontes polticos
do-meupjjz! Irr.i!
A noute trqiiCva .-empre o*boticario no
qnartb separado, dndo-lfte.^ riva Sr. Pe-
luca do cosime.
O pobre Cosme Pies eslava mais soeir
do qee an
XV.
Os sonaos poltico de Cornelia Hercula-
ua loram turbudos da noute para o dia. O
St. Porto eabie de cama atorado de ama
paraiysia, e ps mdicos acoHselbaraoi novos
ares e nnvos climas.
Cornelia amava o sea veHio anego: ape-
lar de goswr de petoica, nao haa perdido
aindn o ooraoSa. Uando soabe da dec-
alo dos mdicos, aenlio lKMBedecereia-ae-
Ibe os.olbos, e com a akna- oppree&a e o
seio arquente, murfairou eatce dous so-
Jncos:
Vamos, meu pai Sua Giba nao o
Mme. Hoilatid Robcspierrc! Mirobem
Nao valtam um deSaln de tea pr Htm
L. Gdimabaes Jiiuon.
urna velha reoitoa algumas qoa FOLHETIM
OS CASACAS PRETAS
30BIANCE
Paulo Fval
Terceira parte
A'TI-llItErtTl DE PAR*
VIII
Josa-se a pula.
(Continuaco do n. 6.)
Em noutes destas. o povinho nao se deita.
m todas as florestas ha besouros. escara-
velos e todos esses bichinhos, que a Di
vina Providencia de ceno nao cromi em
vo. mas que na aapawacia nem por isso
servem pa a mnito, se que nao slo'alta-
muate pi rjajlwiaoi Neuhuma floresta
t2o vastanieate povoada como a de Paris:
nem se qaer tentaremos enumerar as ca-
h'Cjs da gado insi^nilicanle que ella abri-
ga sustenta sem dar por tal.
Ncslas noutes, a raa metida nao prega
olhe. aolrega por ver o ouvir, anciosa por
rejar um pctrume, por apanhar na passa-
gem o resj/endor de um diamante ou ful-
gor de ns olhos, fervorosa no espionar os
atavos, desejosa at ao delirio de se acer-
car o aiais possivel daquelles jbilos vasios
u estrete, que Ihe earecem invejaveis. en-
tre os invejaveis. e nos quaes nem esperan-
za Ihe resta de algum dia vir a saciar-se.
Toda o sitio do bariio Schwart/. eslava
v>b-esaltadi como >\m noute de fogo de
vsus. Alinal; aquelles fichwartzs nem
eram queridos neai-detojtndps: i]uasi que
:iinguem liles levaya a mal seno o serom
l? ricos. Nfio bavin contra elles nenlium
destes odios pessoaes, que.gam a trapeira
caaa a 4oja, eproduzem maldicoes por bai-
xoda patas do cavados, quando a altiva fa-
nilra devisa, como orna apparicSo real,
pelas latitudes que o inilhao fiequenta. O
bario Scbwarlz era iiilelligentn de mais
eara'nio tp. -icos, e a
*ara!ti>.fceat* J*>i seria
universalmentc abenco^da. se nao fra essa
atmophera de repulsao que entre nos ro-
deia os palacios cogumellos, que sevr.im
brotar n'uiua noute.
Os b^iiristas quasi que perdoavam aos
Schwartzs a immensa prosperidade. Era
isso generoso da parte dos bairristas. e pro-
vava singularmente em favor dos Schwar-
tzs. Havia all Branca, dtikissimo anjo,
que pairava po cima daqeella arca forte.
A prescripeo tambem para o crime da fe-
licidade existe. Desculpnvam Branca, por-
que nascera naqoelle velado franjado de
.ouro; falle/nos affoutamenlo claro : porque
nao tomara pa^te alguma na conquista da
riqueza.
Vo l depois disto aBreref livros e ali-
nbar palavras pomposas para celebrar.dig-
mente os Glhos das proprias obras. A
genlinha ha de apoia-los. -mas piscar ma-
liciosamente os olhos, mirando-lhes sfrate i-
ra o here, e dir : aqmllo nem sempre
andou no galarim!
Os hespanhoes concentraram n urna s
palavra um tratado completo de moral so-
cial, urna perfeita -sityra da bumanidade,
urna amarga e profunda comedia. Hidal-
go, dizem elles, o que signilica: rimo b'al-
oo. E' preciso ser Glho de alguma cansa.
Verdade que o nosso seculo se esfalfa a
negar isto; os actos, porm, desmentem-
Ihe incensantemente as palavras* cada
passo d comsigo a enumerar os costados
como um livro de linhagens, colhe todos
os soberanos nos ramos das aores genea-
lgicas, e at a trra de Themistoctes fo-
ge a buscar um re fra do almanach de
Golha!
Branca era' filha dalgo ; era a segunda
geracao n quem^a conquista m purdoada ;
tinha direito a ser formosa. nohre. cari-
tativa e adeslumbrai como ridente au-
reola.
Nao queramos avanzar qu? o sii >, sho-
i otado um volla do palacio, se privasse dej
Lamolar os dentes; ferravam-nos, por;ra.
com gana de portas J dentro, e alfirmamos
qoe os humildes condados externos, que!
se agglomeravam em voita do portao, cobuj
os rapazitos di Saboyaqoe'pascwn do chet-
bolicas sobre ee cayueiros pc/itemna* car-
regados de flor.
A' m-ia iiuute st esta vara emi^sa o pai
de CoMielia e os noivos.
Cwsme Paes olbava aspirando par. Cor-
nelia Herculana.
Ella wgoo-o pela mo e levando-a um
quarW prximo:
Est aijui o seu quarto. V dormir.
Heim ?! retrueou obolicario. E Te ?
e a senliora f
Ab! eu c nao raudo os meus ees-
turnes.
Tenho tambem meu quarto.
Mas, senbora...
Calesa abi j! Diim. en3e faca
barulho que ea aoje ni esU* para- gra-
cas !
Empurrou- o boticario para dentro do
quario. e depois de feichar a porta :
Viva! disse ella, e boa noutfl Sr. Pe-
bisca !
O boticario vendo-se s, poz a mo-na
eabeca perguntaudo" as escuras :
Estscasado-ou nao Cosme?
E pareceu-lhe ouvir os assovios dos mo-
leqoes que runa a cusa delle.
Foi as apaipadeilas at a cama e deitao.
do-se veyudo como eslava :
Decididamente nao eslotscasado nao!
suspirn elle procurando ver na escu-
rldo.
\ madrugada veto encontra-lo* anda de
olho vivu.
xai.
Urna Kinana dopois do casamento fez-se
lei'lo da botica di Sr. Petisca.
Cosme Paes estava enri'e os lanzadores
com a face lvida e os olhos lacrimosoe-
como seestivesse assstindo ao-enterro de
toda sua familia.
C ida martellada do leiloeiro atravessa-
va-lhe o coraQo como a punta ieuniafac*,
mineira.
No momento em que o leiloeiro expunha
a apreciaco publica um enorme vaso de
trtaro hemutieo (Talaras Dedicinalis.) o
boticario correu ai balco e apoderando-se
do vaso :
Nunca te vender emqoanto en es-
tiver vivo! exclamou elle cobrindo-o de
beijos.
neiro e para a Saropa se t'or preciso,
C irrsu para > (jaart > para dar livre cur-
so s soas lagrioras. A primeira Constitu-
r* dxhhHpirio oipe encuatro dtante dos
olhos lancou-a ao cbao e pisando-a com ira
aos ps :
Meu pobre pai! exclamou elia gurda-
mente.
XM
Estas reticencia qaerem diaer que elles
viajarara muilo, que o velho Porto merreu.
e que a leitora faca de conta qijKpa>saram
se nove annos at o sejoiute captulo.
xvm
At o dia 7 de setembro de SGS, poca
em que termirai esta historia, a cidade d*
Ouro-Preto fruia a paz boeolica dos prtmei-
ros temos. Comecaram- as eteicods, e o
povo, mais ou menos feheil. segata as e^o-
ocoes das urnas com utoa calma^ presagio
de funestos temporaes.
No dia 7. de setembro chegou- a Ouro
Preto I). Cornelia Herculana, roaio-robusta
do que sempre, oacompanhada p-lSr. Pb-
tisca mais magro do que nunca. Gftrne ia
Herculana viuha sequiosa de poltica. A
primeira jjalavra que proonacioo acchegar
j cidaile natal lo:
O governo mandn bayoneta* para a
urnas ?
Cosme Paes qoi cer-sura-la e elle^ fez-lhe
conhecer o pulc de ouiros tompos em umv
firioso murro.
No da da apuraoao das ceolas etetorae^
Uo se pdd conter I Armou-se de am ca
cute e corren igneja. O povo sawlou-a
frenticamente 9 o Petisca tremendo de
medo fugio para'casa.
Apuradas- as cdalas a partido coolraro
den vivas ;'r victoria alcanca *.
D. Cornelia brandk) o p> e desafiou o
governo inuiro, desde os ministros at o
ultimo official de jusiK'a I
. Viva P gritavam os do,avernor Cor-
nelia Herculana toroou-se verde, branca,
amarella, vermelha e lvida ao mesmo lem-
po. Espalhcu-os otboe turvos de coleta por
todos que se afiastarain ateBorisados e
olbando para a urna e paraos mesarios:
Patifes bradou ella cahindo de cos-
A estupefacco fot< geral. Ntnguem com- las.
pr ihendera o mo'.'imenio expaiaeivo do Sr.
Petisca.
Soube-se mais tarde que o torturo heme
tico salvara-o de orna grande indgesio
que ia-llie dando cabo da pelle.
XJV
O pai de Cornelia Hercnlana tornou-se
triste o surnmbatico desde o dia do casa
ment da ilha.
Toda a wz que o- boticario beijava-lhe ai
lito Porto torca o nariz, murmurando tris
tmeme;
Que boas pauladas mereca este ma-
roto!
Cornelia, porcia, estava alegre e rubi-
cunda como urna pitonga. Sastva o Oa
Estava roorta. Fra atacada de urna
apoplexia fulminaite.
Cosme Paes, quando soube da noticia,
estava em mangas de camisa e a car ensa-
boada para barbear-se. Sabio assi. mes-
mo, p^rsegaido pelos moleques que voavaro
atraz delle, gritando no meso de assovios.
Pe^a nelie '. Pega no Petisea-I
O boticario assistio ao enterro da com
panheira de sua vida (nunca sua molher !)
mo chamando-o meo pai, ou papai, o ve-1 e retirou-se para Sv Paulo, onde*vi>ve nes-
te momento dando dinhe ro a juros aos es-
tudaotes.
As ultimas palabras do tabelliao Gomes
j nto ao tmulo de Cornelia Herculana
foram:
Dormc, dorme, muier nunca vista I
lelo de taapelr a dnetos aoa
reglaacaltaa.
Em 1780, o marquez de B.....rece-
beu o comisando do regiment do 7fet-it-
fantaria para restabelecer netle a disci-
pliua.
Fazei eessar os duelos que diaria
menle tem lugar no regiment, disae-tbe o
re quando o marquez foi despedir-se
delle.
Sre7 obeaacerei a eataordera, que
previne os meus Jesejos, e tonfess'o a V.
M. que escolhi um meio infaliive', respon-
deu o coronef.^em entrar em matares
dla I bes.
O marquez parti para Nancy, onde es-
lava de guarnicSo o regiment
No dia da sua chegada elle deu um ex-
pendido jantar a seas officias, que tica-
rara encanudos da grapa, do espirito e
das bellas maoeiras do seu novo comman
danie.
At sobremesa, o marquez s fallou
em Versalbes. na corte, nos ministros, e
era nutras coasas i pouca monta.
E fot entSo qoe disee, sempre com to-
da a amabHidade e com o sorriso nos la-
bios :
Previniram-me, senbores, qoe tinheis
a eabeca um pouco esqueatodd, e qoe raro
era o di em qae nlo desembainhaveis as
espadas.
leo vos eaproee' por isso: mae s quero
previuir-vos que nao vos batereis nunca
se raen consentimento.
O'slumo aiivogar os- iateresses dos cava-
Iheiros que eervem comigo, como se meas
fnssem, e zela-los com t<>do o nadado
Promeitei-me pois neo bater-vos sem-rainba
autorisaco, qoe fcilmente alcarKjareie.
Custa-me milito negar o que se me pede.
Apreciarei os fastos, darei minha opinio,
e depoi& fareis o que vos approuver ; mas
empenh vossa>aala ra de que recorreris,
antes de tudo. a mim.
Todos os olDeiaes prestaram o juramen-
to indicado pele coronel, nao enchergan-
do nelle mais do que urna forraalidade
qua! podiam submetter-se rom deferen-
cia.
Nesse meemo dia o coronel foi procurado
por dous jovens capites do regiment, a
' isconde Ritardo deR. e o-cavalheiro Ar-
mando de T...
Mil' perdoes mea coronel, por vir-
vos incommotlar, cBese o visconde ; mas-
o negocio que nos a*az vossa preseuca,
nil i admitte demora, e nossa visita prova o
respeito que aos m-ifeceis.
Do que que se trata .' perguntou o
marqaez
De um negocio muito simples, res-
ponden o viseoode. Armando-e eu quere-
m s bater nos amanha; mas nao o fare-
mos sem vosso consentimento, nao s pela
deferencia que vos consagramos como pela
palavra que empenhmos.
Ah! Queris bater-vos com o capi
lo Armando, raen charo capilo Ricardo ?
Julgava que eris amigos intimo.
j Sernos amtsos ntimos, meu coronel,
i amigos desde $ infancia, amigos ha 25
i annos.
E: queris bater-vos Eatio o caso
grave!
Eis o que aconteoeu, disse o cava-
Hieiro Armando. Depc+s do jautar que
nos dstes fnllmos anda de Varsalhes.
No enthusiasmo das minhas reenrdaces
eu disse que quizera aobar-me ao lado da
frente dos Suissos, envolto no meu roque-
tourc, passeiando e con versando com os
aossos hons amigos da corte.
Ricardo reolicu que naquella hora nin-
gnem pmlia apparecer envolto em um ro-
juelaure-, e sim de capa-o volta.
E sustentou com forra a sua proposico.
que naturalmente imphaava com a minha
ignorancia dos eostumes da corte. Insi-
>uaces lo desagradaveis revoltaram-me,
e por isso desiliei-o
O negocio grave! disse sentencio-
samente o marqfj.cz.
Os doas capitoes olbaram um para o ou-
tro admirados.
E o marquez continuou :
Er certa que o roquelauve s serve
de manha: mas a que horas coraeca a
manhaa ? S om astronmo, ou um relo-
joeiro pede responder a esta pergunla sa-
toriameote... Portanto, o negocio
Depois. dirigindo-se positivamente aos
dous offlciaes, disse-llies:
fCmmtone-ka).
A Malasio l.opez.
ro das casas de pasto, nao tinhara a lingua
muito mais comprida que os hospedes pri-
vilegiados do barita Schwartz.
Vinhain elles do nairro Poissonire e de
bairro de S. Dmiz ; porteiros inlieis, cria
dos desertores caixuiros de lojas, costurel-
ras, passeiantes e curiosos de toda a espe-
cie" p ir entre os quaes transito vara esses
philosophos queesto cima das paixoes
humanas, os guardas da cidade.
Diante da porta, discretamente Ilumina-
da, conlemplavam-se mutuamente, como
um par de estatuas equestres, dois solda-
dos da guarda municipal cavallo.
A ambicao do sitio consista em vibrar
urna vista de ollv para o interor do pa-
teo; cousa dillicil por viada inces9autepro-
cisso de carruagens e da tenacidade da pri-
meira fila de curiosos, que havendo adqui-
rido aquelles boos lugares cusa de urna
ou duas horas de espera, os defender com
denodo al moile.
E' snperfluo accrescentar que toda
a ra de Enghien eslava s janellas.
desde as sohrelojas at as aguas furtadas.
1 A's janellas diziam-s cousas destas:
. O re mandou os filaos com muitos
imprmenlos.
S em flores, n5o o faz elle com cen-
to e vinte mil francos.
Ojardn todo eaberto de crystal;
nao Ihe custou menos de cincoenta mil,
nao 1
A linu| das carruagens comeca na
Magdalena.
Quara vio aquillo com om cubculo na
praca do mercado e quem o v!
E ella, nao andava abi por qualquer
cousa de casa em casa ?
Ora ha ruins qoe tem ventara!
Eu peuso que a lila das carruagens n5o
deitava to tange como isso, desde as onze
horas que pasaavam e ternavam a passar
trens, entrando naipielle pateo florido, ra-
sando na admiravel alcatifa da entrada o
seu conteni de mylheres, brllbantaa e flo-
res, e sahindo para dar lugar outras
eqaipagens.
Os .curiosos torciam o pescoco. De
quaudo em quando, ouvia-se proiwncir uut
nome celebre na arte, na poltica ou na
classe argentara.
Enio, leve convulso agitava a chusma.
Ningucra va. mas cada qua I dava a sua
opiuio sobre o vulto adevinhado.
Entre estes innocentes e estes ociosos,
ellectuava-se entretanto um trabilho roys-
t'-rioso, o trabalho preparado por Tres Pa-
tas no bolequim da E*Pga Ceiiida. Che-
gou um homem a p para o baile do barita
Schwartz, o nico lalvez, e o nome delle,
pronunciado pelo Rifflard, poz m alvoro^o
os proprios policas, qoe man-laram imme-
diatamente urna parte prefeitura.
Rjfflard, sobrinho do guarda portan do
palacio, estava no sea posto. Disse. como
era seu deven:
Tem que ver,como um flguro destes
entra aestm em casa dos patr-'S!
E na ra, os ns. de 2 a 8, horneas e mu-
meres, repejiram o nome fl* Bruneau, ex-
plicaran) a sua humilde posico social, e ad-
mraram-se com grande espalhafato.
Sem espalhafato. pelo contrario, e com
o auxilio de algum mov ment na turba
mulla, introduzira j o mesmo Rifflard para
o Sr. Campeao, cbalot, que deixou o Sa-
ladim no armario da porteira, e depois,
para e Sra. CampeJo, Similor, prvido de
accommodado vestuario, que Ihe realcava
os dotes naturaes, e depois os ns. 11 e it,
o Sr. Ernesto e a Sra. Mazagran, encarre-
gados do caixeiro, logo que sahissem os ve-
taos consortes.
Tudo corra s rail maravfllias. FaMa-
ra-se largamente de Miguel, de Cstevo e de'
Mauricio,; os dichote.5 interessavam bastan
tes os papai vos. para que os mesmos pa-
pal vos constitussem opportunamente excel ]
lentes testemunhas. Os convidados do
Trea Patas haviam entrado (ns. de 20 i
30), e j om homem qoe trazia s costa
enorme cmara ptica, ti vera duas ou tres
altercaces por causa do incommodo que
causava. Os nmeros 30 a iO, como sa-
bem, estavam i janellas.
Tudo corra, pois, ptimamente da parte
de fra. Dentro.,. Sowgaem! n5o hao
de ser maits as deacripcoes. Saltaremos
pelas maravilhas da escada s menciona-i
remos os encantas das salas. Nao cle-
mencia da nossa parle; que realmente em
casa do baro nao havia o que pintar. O
railho, tomado isoladamente. nao est livre
de ter dessas imaginai;es burlescas ou
carregadamente ricassas, destinadas a acha-
tar os que nao sao milhoes. Mas em pri
meiro loga>, l estava a Sra. Schwartz,
cujo primoroso tacto servia de garanta^ de-
pois, nao faltav o poeta Sensitiva, perito
ruivo e alcachinado, que ha mais de trinia
anuos vive de vender gosto carrete aos
profanos que a cega fortuna patrocina.
Possuc Sensitiva um gosto mercantil de
que tira o numero de exeiaplares que se
desejem. Este gosto, alias irreprebensivel,
mata ao mesmo lempo as delicadas origina-
lidades da Sra. Schwartz g os grosseiros so-
lecismos do barao. E: um gosto que se
aprende e serve para electmr alborques
artsticos preco corrente ; produz cousas
que se nao descrevera, porque todos per-
tencem.
Vas sempre encanta ver essas salas vas-
ssimas, que leem por tecto cus cheos de
amores e de rosas, esses estuques braocos.
zebrados por delgadissimus filetes de oiro ;
esses espetaos enormes, que reflectem a
chusma esplendida e, gyrandolas movedicas,
eoufundem as mil chispas quo o lustre ar-
ranca s pedrarias das muflieres, s conde
eoraeea dos .bomeos, aos focos dos olhos.
E' sempre beito aquella nave barraoniosa,
onde a garca rodomoinba, estrellada de dia-
mautes, na tpida atmosphera dos sorrisos;
ha hi sincera embriaguez, spezar do ooslu-
me que embota e da saciedade aue canea.
Esses olbw fallam: amara, aioda que mal
seja por um instante. Toma-se o aroma
dessas flores pelo perfume tas hlitos ; se-
gue-se com carinho as espiraef, dessa valsa
encantada que enroln amerosalente a pen-
samento de Weber on Beethoven; um ba-
nho deilieslombrados langores onde os mocos
se embringam, e onde otrtros, ai t procoram
ressuscitar dofuntos enthusiasraos Menti-
ra, diro, porque o tedio boceto por detraz
desto raaravilhosa apparencia, a magia tem
baixos hediondas; as florea sao murenas,
as cores das molheres posticas...
i.
Nao no has de v.-ncer tebs o destino
(Jue aos criininoxM dwpous aguarda
Por \fi da ProviJeDci :
Nao o escala as vozes destas selva,
N'o mannur dos Ros <|iie ensngaentas.
No grito da eonsciencia 1
Nao nao has e vencer.' fosses acaso
Feliz por algum lempo nesta tonga
Lata horrenda, a^sombrosa,
Ow ma momento perderamos a ereof
Finne, constante nessa que te espera
Pnnicao ngorosa.
Faeiaora que buscar salvamemo
Lannuidu ao sarrific tantas vezes
Teu> soldados j |uens, *
Porque nS le assemeUjas aos vnlgares1
SoeJeratos qm tombam sobre a escolta
Arrojando-ielooeo ?
Ten? medo... e a turba reta quasi na,
Fa (Tente aos nossos bravos impellida
Pe terror que in-pra
cere a pehja. oorre o s;inwr em jorrwt
G l bemr louu*, entre esperanza e raiva,
Scysmaoo te retiras...
II.
Apenas- o troar da artllharia
Ue quando om orondo chega aos teas oavitlo*
E pallid" estremeces...
A esse fRo que inflama um paito nobre
E o arrasta nos nerio Sombros nao aqueeps.
ET-teu posto a vanguarda do< noe ft^wn;
E' teu papel i do Teronlia e opprobro
De Mavorte na scenas ;
Corres... chega te a nova da (torrera x
E, em tea Ibror sonlijiodo traicoes, loga
Exemces ordonas !
Em teu espirito os fantasmas s'ergnoi
Dessas conspiraodes rjie envolver aobes
Em terrifl mysfcrto;
Teus Sejanos suspeitas le repente;
A devocAo a ti por flm crime :
Excede* a Tiberio t
".oniradiccio cruel da natureza f
Mao d'am cobardo verga de valeates
As frunli's allai'iras !
A heroicos liidores, ante a fera
Qne jubila em tmrrcres, ttie desmaiam 1
As virtudes guerreiras )

l'm da foste i velha' Europa, e vendo
Esse theatro > gloriasser qnizeste
O here do mundo novo :
Volta*; provnea* bmga, htrrivol pnerm...
Ah l depois doqnntro anfios tu nao pas*aa
De assassrnn He nin povo !
De N'apoloao osloiirpsinveJKte.
Pensaste que ao ten jago se dobrassi- i
Ojuizo da historia...
Mas, cogiiar n mal, eis o tengenii;
Horrores decretar, en leustriumphoR '
Pugir, eis toaglori::.
Krrante agora pensas qne Iludido
Talvez o mundo venha a dferir-te
A laurea de Jurez...
Desvair-te a ambicio Nanea ao obcrfco
Goador no vo altivo, se etnparelha
Vtl gaviio nos ares!
Perdida a esppanca da r-'ai eona,
De seres pelos psteros lembrados
A idea tecnsme.
Bm vidagoza a fama do futuro:
as crozas de Benigno e de Barrios
Le, Caiin, \ teu nome t
IV.
Nao nao has de vencer t D-te atorria
Da paz o grite -atorto em mioha trra
Atevantad s vezes:
0 desanimo es eras lesse povo
Que tanto desdenh ste e qne te infrio;;
Inoessames revezos.
insensato! Ao Brasil os passos goia
O anjo da liberdade na vereda
De luz naethe traera;
Dos pode maia- qne intrigas partidarias :
Quem o raio dicii j mais no mundu
Refrea r alcancara ?
Corre : aos leu onvidos na passagom
Os gemidos das victimas repete
Na mata b ventana;
O cerro alem como a rumba os ossos
Encerrando dos irartyres ?em conta
Da (ua tyrannia!
Vai, foge; tonga a selva,* o sertiio fundo ;
Tuas irmasas Blas do deserto
Talvez dar-to-hao abrigo :
Somos a sombra que te segu o eorpo;
Treme... l mesmo. oh despota maldito,
Ter o teu castigo !
N5o sek Os que teem o condao de des-
tinguir urna peca anatmica por baixo do
adoravel e vivo setim, envoltorta de um
corpo de vinte aanos, inspiram-me mais que
admiraf.ao, inspiram-me espanto. Ku matea
vfju os defeitos senao das detestadas horas
do trabalho, e se a noite, passando por tau
ramalhete colbtdo tarde, mtircbou algu-
mas corollas, a^ minha vista afasta-as para
ir sdudar, pela manha, o nobre calic qu+
resiste, regosjjandoa vista e o olfato,e real-
cando, para mim a honra de t do o ramo.
I;allam-me da mentiras! Vejara eseas doti-
zdlas, vejam essas parisienses ae pisar de-
licado e subtil, por quem Phydas redivivo
emendara o estylo dos seus relevos. Ou
cam essa linguagem de perolas das virgeas.
da moderna AtUenas, o suave chista Irancea:
e admrem a (traca, a incoaiparavel elegan-
cia dessas mulheres, cojo capricho forma a
moda das cinco partes do mundo. Teem
lido demasiados livros, escriptos por D. Jo5<
reformado, pateado, vencido, demasiados
Estados, como elles dizem. Nao teem
tilhado bem. Adiara acertado, que quando
ha bons olhos, se d f s envenenadas rai-
vinhas de dois vidros tmbaciados* Purqrte
hayiam tonus e to gratas perfeiroes de oc-
cultar sempre um mtserave abyst^o
Nao. Sao wvens, sao divinamente fot-
mosas ; nao creiara as calumnias qoe ser-
pe a m aps a moctdade e a formosura, como
no encalco do carro tnumpbal, as *o*a-
coes da Roma antiga, rastejava a sqaattda
plebe do exercito, voirferando mjarias con-
tra a cora do vencedor.
Sao jovens. Ha corceas qoe palpita a
febre celeste da paixo. Amem, se podam.
ou vejara amar. Meatira, o odio. E se
por acaso s i encoatrar neste ramo de aarri-
sos um sorriso desbatado, am EStudo p
[. >r demais dada estampa, perdoem-fiae e
ulhem para apio lado-
(OonHmmr-seKa.)
TVP. 1M> MABIt-4t4 A8 CRUJES ft.
. .*


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EHDICQP34_ZRXVUJ INGEST_TIME 2013-09-14T00:49:56Z PACKAGE AA00011611_12184
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES